Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07342


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANIO XXXII. N. 7.
Por 3 mezes adiantado* bjfOQO.
Por .1 mezes vencidos -i.S'500.
terija feiiu 22 de abril de \m.
Por anno adiantado 15000.
POrte franco para o subscriptor.
KNCARRKUAIMMi 1>.\ 80B8CRIPCAO' NO NORTE
Panhibi, o Sr. Gervaiio V. da Nalividadc ; Natal, o Sr. Joa-
quim 1. Pereira Jnior: Aracaly. o Sr. A. de Lemos Braga ;
Cetra, o 8r. J. Jote de Oliveira ; Maranhao, o Sr. Joaquim JVtar-
qoes Rodrigues Piauhy, o Sr. Domingos Herculano
Cearense. ; Para, o Sr. JustinianoJ. Ramos; Amazonas,
n vmo da Costa.
A. Pessoa
oSr. Jero
PARTIDA mis COKREIOS.
Olinda : todos os dias.
'aruaru, Bonito e Garanhuns : nos dias 1 e 15.
Villa-Bella, Boa-Vista, Ero' e Ouricury : a 13 e 28.
Goiaaaa e Parabiba segundas e seitas-fcirat.
Victoria e Natal; as quinlas-feiras.
AUDIENCIAS DOS TRIDDNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio quartas e sabbadoi.
Helado : tercas-feirase sabbados.
Fazenda : quartas e sabbados as 10 horas.
Jm/o do commercio : segundas as 10 horas e quintas ao meio-dia.
Jui/o de orphaos: segundas e quintas as 10 boras.
Primeira vara do civel : segundas e sextas ao meio-dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados ao meio-dia.
l I'llf.ll r.llils lio MKZ IIF. AltltlL
5 La nova as t horas. 26 minutos. 48 segundas da manhaa.
1J Quarto crcscenle as 3 horas, 27 minutos e 48 segundos da m.
-o l.n.i i-lina a.h horas, 5 minutos e iX segundos da manh.ia.
27 QuarioniinguanteasDhoras,- minutse 48 segundos da urde.
_ .. i'RKAMAH UK llo.lt.
Primnra as fi horai e 54 minutos da manhaa.
Segunda as 7 boras el.S minutos da tarde.
das da semana.
21 Segunda. S. Anselmo are.: Ss. Abderalas c Silvio miu.
22 Terra. Ss. Solar e Calo pp. HU.; S. I nonides ni.
2.'t Ouarta.S. Fiel di; Srgniari'iig.i ni. I. S: Honorio b.
2f (.lumia. Ss. Ilonoro r^Milelo bb. 1 S. Leoncio m.
.aBeiin 8. Marcos Evangelista : S. Hrrmino ni.
2 11 Domingo 5. S. Tejtuhano h. : S. Tiburcio are.
BNCARREGADOS DA SLILSCRIPCA NO SOL-
Alagoas, o Sr. Claudino Falco Dias ; Baha o Sr. I). Duprai
Rio de Janeiro, o Sr. Jojo Pereira Martina.
KM PERNAMBDCO.
O proprietario do DIARIO Manoel Figoeiroa de Faria, na sua
ivraria, praca da Independencia ns.6e8.
PARTE OPFIIAL
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do da IK da abril.
oilicinA o Kmti. marechal eommaiidanle da
armas, iransmiltindo por copia o aviso de .1 do cr-
renle, ero que o Exm. Sr. ministro da' guerra deter-
mina que s.g 'ii para osseus leslinns.logo que csle-
jara desembarazados, o capullo Antonio Manoel de
Oliveira Bastos e o alteres Atatiha Hilarlo (iodinho.
Dilo Ao mesmo, enviando por copia o aviso do
miniterio da puerra de .'II le marco ultimo, noqnal
se determina que nos assenlamenlus do major do I,"
liatalli.lu de arlilliaria a pe Anlouin Elias mudes e
Silva, se averbe o elogio que llie dirigi na orden,
do dia que lambem remelle o lirigad/irn rnmmaii-
danle da diviso de obsrvao.1o>a fronteira da pro-
vincia de S. Pedro do Sul.
Uito Ao memo, remelleniln por copia o aviso
da repartirn da guerra de ."> do correle, conceden-
do passagem para o corpo de arliliee. da corle no
arlillce de fogo Joo de Paula, pertencenle a rnm-
panhia de arlilices desta provincia.
Olio Ao inesmo, declarando qne segando'consta
do aviso que remelle por copia expedido pelo mi-
nislerio da guerra em o nrimeirn do rorrele, e con-
ceden passagem para o i. hatalhao de arlilliaria a
pe, ao soldado do I." da Broma arma Kpiphanio de
Souza e Almeida.
Dito Ao mesmo, dizendo que pode mandar re-
melter para o hospital de cari tade. nao su ai oraras
tenles que convem remover do hospital da ru do-1
Pires, mas lanilim as que fnrem sendo accuinmelli-
das da epidemia, licaudo porem oscorpoa a que lacs
pra<*as perlencerem obrigadosa dar pelo Iralamenlo
dellas o mesmo que pasa o corpo de policia pelas
que sflo all recolhidas. Cnmimiuicon-se i admi-
nistraran doseatubelecimenlos do candade.
Uilo Ao Exm. director eral interino da ins-
lrucc,ao publica, iuleiramlo-o de haver conceilido ;l
mezes de licenfa com vencimeuto., a Marlinlio da
Silva Costa, professnr publico de iiwlrocflo elemen-
lar da cadeira de Na/areih. Igual couimiinicaco
se fez a tliesouraria provincial.
DiloAo Exm. cou*elh*iro presidente da relacao,
Imnsmillindn por copia o aviso do ministerio da jos-
lii;a de 29 de marco ultimo, explicando > duvida em
que est o promotor publico desla capital acerca da
genoina inlerpreiarao do rtico 29 da lei de .1 de
dezembro de 1841. Igual copia remelleu-se ao re-
ferido promotor.
Dilo Ao inspector di Ihesouraria de fazenda,
recommeudando que iiomeou urna pessoa de sua
confianza para examinar com '.usencia os utencilms
que serviramnos hospitaes eslshelecidu. por ocea-
...Uitla epidemia a visla das relaccs cxislentes nos
meamos hospitaes, alim |de se poder saber o que
se deve recollier por perlencera lazendn nacional.
Dito Ao mesmo, para mandar por a di.pii-ir.lo
lo Exm. conselheiro presidente da relacao a quanha
de l:2IK*S rs. que pela ordeni do thc*ouro nacional
sob n. 2U se mandn dar. para as despezas coni di-
versos reparos do edificio e movis daquclle tribu-
nal. Parlicipoii-se ao refeiidn presidente.
Dilo Ao inesmo, recomincndando que em visla
das tres follias que remelle, mande aiuslar as con las
do subdelegado da begonia da Boa-vista, hienda
recolber ao cofre daquella thesooraria o saldo que
liouver a favor da fazenda nacional.
Dilo Ao befe de polica, dizendo que convem
que S. S. renov as suas recoinmendacoes afini de
>|ue ii.lo se deem coias para enlerraineiitus de cad-
veres, sem atlestados mdicos dos respectivos dis-
Irictos.
Dito Aoiuizdc iliroiloda comarca do l.imoeirn,
recommcnly, 1d 7 dispense ejanpadltva que all ae avhain ero eowimiaaa
logo que entender nao seiein rnais necessarios os ser-
viros delles, tialn constar que lem inelhorado nimio
o estado aanitario d.iquell. comarca. Nestc senli-
do ottlciou-se aosjoites de direito de Nazarelli e i,oi-
anna.
Dito Ao iuspeclor da ihesouraria provincial,
para que era vista da conta que remello das despe-
zas feilas pelo reaedor do livmnasio Provincial com
a compra de varios objeclos precias aquelle eslalie-
lecimeitlo, mande Sme. pagar-llw laido a que
lem direilo. Communicon-se ao referido regedur.
ilo Ao doolor Po Aducci, inleirando-o de o
liaver dispensado visla do eslado sanitario desla ci-
dade, da commissiio em que seaclia, e coiividando-n
a ir prestar os seus ar-rvicoa na provincia do Rio
lirande do Norte se a-sim llic convier.
Hilo Ao tliesoureiro das lolerias, declarando
liaver approvado o plano que Smc. remellen para a
extraern das lolerias da provincia, do que llie enva
urna copia para ler a devida execoco Comrau-
niroii-se a Ihesouraria provincial.
Dilo A commissiio cenlral de beneficencia, re-
commeudando que envi, rom -tirevidade nina conta
demonstraliva das quantias arrecadadas ate esta da-
la dos particulares em beuelicio das pc uenles acommellidas da epidemia nesta eidade, com
declaracao de quantn se desprndeu m soccorros,
lano daquellasquanlias como das quo fornecen ovio*
verno. Iso^k-s as eommisses henelicenles das fre-
Rueziasdo Recife, Sanio Anlonio, "Sao Jos e Boj
visla.>
Portara \o alenle da companlu'a dos paqneles
a vapor, mandando dar transporte para a corle co-
mo passageiro de estado no vapor que se espera do
Norle, a Jos Joaqnim de l'igueircdo.
COMBANDO DAS ARMAS.
Qaartel geaeral do cooaaaaodo das armas de
Foraasabaoo na cld.de do Recife em 31 de
abril do 1856.
ORDEM DO DIA N. J'..
II marerhal de campo roinmandanle das armas
laz publico para cnnfiecimcnlo da stiruicAo e devi-
do elleilo, que o giiverno de S. M. o Imperador lioo-
ve por bem por aviso expedido pelo nnni-lerio dos
negocios da guerra de JS do nn de marco ultimo,
conceder que iroca.sem enlre si decorrios o Srs. te-
nenies Jos Anselmo Valejo c Jos, Hermenegildo
Leal Ferreira, esle do 8." Iialalhn de iufanlaria, e
aquelle do 10. da mesuia arma, segundo consta de
ofllcio da presidencia datado de (!) docorrenle.
Jos Jouquim Coelho.
TRIBUNAL DO COMMERCIO.
Sluao jadiciariaem 19 de abril de IKo6.
Presidencia do Exm. Sr. ilesemliaruailor Souza.
K-liviram prsenles lodos os memliros do tri-
bunal.
Jttlgantentos.
Embarzanles c embargados reciprocamente : l.uiz
Antonio Vieira e os administradores da inassa falli-
da de Ricardo Rnyle.
Panal desprezados os embargados.
Embargante,Manoel Francisco Angeirss, embarga
do, Anlonio Soares Londres.
I' oram desprezados os embargos.
Pilinencii.
Embargante Manoel Pereira Magalbaes, embarca-
da D. Mariaiina Dorolhea Joaquina.
Adiado njulBamento a nedido dos onliores deiiu-
tados.
Mandou-se juntar o original de om lermo de pe-
nhori..
ra se dignon condecorar o marechal duque de Sal-
danlia. () Sr. Corrsdl he um linmem poliliro mu
conliecdo, c de urna inleireza de carcter c morali-
dade a luda a prova Em 1840 foi secretario da jun-
ta de governo Passou-se discussao da geueralidadc ilo parecer.
O depulado Carlos Bento chamot n'uma das ulti-
mas sessiies a alleuco da cmara sobre a necessidade
de dar cumprimeulo ao artigo da caria, que deter-
mina que a primeia legislatura de um remado M-
menlo nacional do t dor civil na eidade de Corunha, liaveudo lambem \ a respecliva commissiio apreseulasse quanto anlo* o
exerrido por algum lempo os empregos de oflicial da parecer que habilite cmara a cumprir com aqoel-
Becreuna do reino, c de sub-secrclario da dos ne- le arliso consliliicioual.
goi-ios eslrangeiro.. No dia IS leu e maiidnu para a mesa o depulado
loi peisesuido pelo parlidna que ullimamente de- Casal Ribeiro, o parecer sobre os projeclos de lei I .lo esluitadus, enviando-oa era segaida aquelle mi-1
snavam polaco, e ale mesmo deportado. A revo-1 npresentados pelo gverno|para ser approvado o con-j oislerio para seren examinados, proceder se de-1 a
directriz actual e as ponles exi-tenles, a estrada de i as cargas de cercaes de Hazaglo e nulros portos. que i Holu da salera franceza ^ffrarl Cesar quena L.
Loimtira ao I orlo. ou se deslinar.tm a Lisboa, ou ebegaram com ellei-1 N. 21" )> e na lona. O. de (Jrrcnwirk 2!l I"' >
I elo mesmo ministerio, alim do governo se linio- lo a entrar nesso porto, forain quasi na lotalidadc correo, fazonlo laucar ao mar um dos seus esca-
lilar com os competentes IrabaJhos lenicos, para I reexportadas oa enviadas para Inglaterra, por nao leres, por se ler de>|iedarado o do navio, viudo loga
poder dar desenvolvimento as obras das estradas ns : poderem competir com os preco- do mercado na-1 a sen bordo. Inleiradn da longa viasero qoe traziam
divecos ili.lriclos do reino, se delenninou ao duoc- CJonal. I de H-2 dias do Rio de Janeiro para Lisboa, da n-ces-
tor das obras publicas de Laslello-Branco. que Ira- As cargas que ebegaram ollimameiilc a Franca. idade que linliain de aluuns inauliinenlos, do si-
tasse de elaborar os pmjectos relativos aos laneoeI miiliipln-am-se consideravelmenle em Marsrlha o na nittro que haviain offrido da penla .Ij maslro do
das estrada, de Castello llranco a brante-, e de I Mancha, provenientes principalmente do Levante, I iraqueie, na L. N. 30 O' e na long. O. M l(F so-
Castello-llranco a \.lla \clha, qoe nao l.verem i- da Akeria e lia llespanl.a. i prando forlemenle o vento de N. B. qoe OS abriga- ,'. cometa chamado de Carlos V ; ootros dizem que
o lodo, os das ehegam carsa> imnorlanles lano ra a demandaren! as linas do Cabo Verde, para alii: be a luz zodoral, que se ve om raiSo de se vir ap-
rranea, como a Inslalerra, aiuda e esper-m se prepararen!*
sol se OCCnlla, urna mui larga c comprida faxa lu-
minosa de cor esbrauquii;ada, e que parece raergu-
lliar ainda graude parte uo Occidenle. Dura at
pcrlo de 10 horas em que desaparece,ala por se dis-
ipar ou desvanecer, mas sim por ir mergolhando
pouco a pouco no Occidente, ladeando sempre om
pnueo para a di re la al que desapparece de lodo.
Hizem uns que he o grande cometa, coja appari-
co lem *idu annuuciada para o anno correnle.
' proximando o equinocio da primavera e ser esta a
~JZ ,K'} r.e,,i,',i",i' mm la"s Sr- Corradi, e i trato com osbond's-holden, e o do empre.limo con- pois aos respectivos orcamenlo.. I muilas mais, acrescendo que as noticias do p qnele M. Holu foi promplissin
en c, mpanheros de desierro. Nomead.. depulado Iralado en, LmdM rara ser applicado a obras publ- Expeler ras, porU,,.. semelluntes ao director : de Alexa.. ira dao.i embarcar alli ama qaanlidade gando-lhaboa provisfl derivares graitnlamenta.Bit- "m ?l II Tm. STlSmm mZS^
pela piovmcia de Bursns, exerceu esle lugar com i cas. Esles pareceres saoassignados por lodos so mem (-las obras pablieas de Villa-Real, em relacao a es-; c.......leravel de rereac., lant.. ,.... I nalaterra como u salera sali.rJ de Nanles, e eonlava nTdiari^ Xm^U^J^^TamtSTSS^S^L ma rii
toda a dignid.de. Ao mesmo lempo que foi nomea- bro, da eomm,s*lo, declarando-se. porem, vencidos! trada de Villa-Real a M,randella-a., de Braganca, para .. c......neme. janeir. 11 dia. de fg,roT Hepols de moi cqVdeaes TX^m^^^SmT^^S^l^
lo ministro plenipo.enoar.o de S. M. Calbolica nes- | ns Srs. Pases (Manoel, Amonio "Jos de Avila, e em rebelo a estra la de Brgac. M.rdella-ao .. En. su.nma : como a cdl.oil. nao foi e.a.sa. agradecimcnlos dos naveuanles hrasile. s^eg.iram m$Xsnw^ul^iw M mesmo lunar
la corle, f novameola roeMo depulado con.t. Xavier da > Silva. Tem prodntido nola.el sensacJo das obras publicas de ll-ja, em relaca,, a estrada de I lano enlre nos. como nos paizes ma.s prodoctores, : os franceze. seu destino para l.u.nla upe lo, a i poroo.de sol nassoo' ea neto Hoa -iToTa vi.a"
que os seus con.tiioinles muito sentirn, que por al- na. Hllelras m.nisleriaes o desaccordo da commis.o Reja a Alcacer-ao de Faro, em rabco as estradas uenhuu, recio (,. de que o, preces soban, ..,. des-: ao nobre capiUo Holu I Os signatario esc'revem o leva-se u"n pouco mais Sr2mVTsraoda be ,.aJ
son, lempo ,enha de deixar a su, -adeira no parla- de fazenda a q. U, dos projaclo. financeiros.....la Faro a S. Ilar.holoineu de M-ssmes. e de Faro ca.n cons.deravelmenle no .hpcado naco...... parla d, sua arr.bada, S. V.cenlede CalmVerd.Te HZIoT dZo^ri2.t
ment hespaul.ol. I Sr. Fonles. be ami aoesiao ministerial. a Tavira e\illa-lleai ,1a Sania Amanta* iin.i. l-.-t. ... ...... i .. r.-i... ,.i....... ,i.............! a... .i i .i. r_____:..,.:._. ___. .. "^"'V" .' ", ,p J S 2 """ "P01
que lie imite fechada. Se he cometa o nocleo ua se pode observar por estar sumido no Occidente/e
para se poder conhecer pela cauda serii misler em-
pregar instrumentos de grande alcance que t pode
liaver em Cimbra e Lisboa.
Sera o coiaela de 15-jti 7
Pol.licou o Dfario do GotentO um decreto regu-
lando o despacho sanitaria dos navios de proceden-
cia limpa que occasionalmenle trazem a bordo feri-
dos ou enfermos de molestia duvidosa.
Na urden, do exercilo de 10 do passado, poblica-
casco. amarras c ancoras do mesmo navio, junta- da n'um dos ltimos nmeros do Diario, vom o pa-
menta com o resto da (arca qoe ainda exislia. ] no de unif jrmes para a iufanlaria e cacadores do
A machina do naufragado vapor Ciint foi arre- i exercilo.
matada .lr :1:SIHINMH rc.s. O arrematante foi o | O. soldados de cacadores usaro rasaco de sarago-
ar. Joao Mariui.o Alvos do Porto. Uiz-se que leu- ca con, o peilo acostllado com cordf.es de la prela,
correle ; nona mand.r construir um vapor para navegar en- e tres carrejas de boles, sendo a domeio que abe-
Ire aque le porlo e o de Lisboa, no caso de nao en-! loa ; a cola de panno prelo e acolchetada com tres
vasse do a representar no aclo de condecorar o ma-
erlial Saldanhi com o collar do Tollo de lloro, que
i se dignou coofcir-llie.
Na mesma occasiao ontresou o ministro de
j Frain.i. junto a nossa corte, marquez de Li-le, ao
j Sr. I. Pedro \ urna caria do imperador Napolen, ceiros do ministro da f.zenda.
i parlicipando-lne o naselmenlo do principe imperial, i Na sessilo de 19, declaro., o Sr. Casal Ribeiro o
o que leve logar no dia Ifi de marco. O iluquc de j que ja lamben, havia declarado na rommisso de fa-
Salilanha e o viiconde de Alloguia, ministro dos ne- zonda, islo he. que quando se mii-r do prujeclo
tocios estransero.,r(iram hoje mesmo a casa da le- do raminho de ferro de leste, em que i ni lia inters.
gacao rranceta rumprunenlar o embaixador pelo mes- ses.no ... se nao considerarla membro da rommi.so,
mo motivo. mas nem mesmo depulado para dar o seu vol. Os
.V, domingo .MI celebrou-se na isrej,-, franceza | prximos dbales parlamentares sao a queslao inag-
ne.N. L.iiz, um solemne Te-Deum pelo feliz succes- na. Veremos.
soda imperalru Eocenia. Enlre os memhros do i O depotado, conselheiro .lo lliesouro, Jos Paulo
corpo iliplomaliro, que assi^liram, eslava o emba- Pereira, acaba de resignar o seu lugar no parlamen-
nies dos deputados da maiorla ; he preparara ba- la los ale ao da I ti de junbo do correle anuo,
lalha, sem duvida nkuito rendida, que por toda esta Foi pelo ministro das obras publicas spreeentad
semana se vai Iravhr na cmara electiva. Dizem os lionlem a cmara dos depulado., urna proposta de
jomaos do Porlo, que se anda asaignaado naquella lei para o governo ser aotorisado a contratar um
eidade tima repreelitaco contra os projeclos lina,.- empreslimo de li'lcoulos de res ao par, para ap-
xador da Itussia.
El-re oSr. I). Pedro V. e S. S. A. A. es Srs.
1.1. II. l.uiz el). Joo, acompanhados do ajudaiile
de orden, o btigadaira Jos Jorge l.oureiio. visita*
rain no .atibado passado a imprensa uacionai. Di-
| rijuain-se primen.i a livraria daquelle eslabeleci-
i ment, ende o administrador geni, o conselheiro
| Firmo Angosto Pereira Marees, foi ao encontr dos
i augustos visitante., dalli pas>aram a conladoria, on-
de S. M. evaminnu a escnpiuraco. e o proeesee correspondencia daqoella repartida com os ministe-
rios aiilnrida.les soballeruas, paasaram depois a es-
cola normal lypoarapliica, e as divenas oDIcinas de
que se co.npe aquella casa,a typographiaa Ivto-
grapluai lilli.lico de Ixposa casa de gravu'ra c
.'lampara, e onVina aonde esta a prensa h\ dranlira,
e as domis machinas deasselinaro papel,axamiuan-
do todo rom a ma.or altenejlo.
S. M. eloiou o chele oa'quellc eslabelecimenlo,
prometiendo la voltar, demorou-se mais de duas
horas.
Kl-rei usando da sua clemencia, e da bella
prerogaliva do poder moderador por accasiilo da se-
mana sania, perdoou e commollou as penas em que
se acl.avao cuudeinnados viole e um reos militares e
i qualro cisis.
Achase em perigo de vida en, Lisboa, o vis-
I conde de Lazarino, vina-almirante da nossa ar-
; ma | I-o nomeado arcebispo dellrasa, o hispo deVizeu,
I). Jos de Honra Cabral. O digno soecessor de Fr.
Ilarll.olomeu dos Mari; res quer assig
lo, di/.-se que em couseqoencia de algumas iclla-
loes que Ihe foram dirigidas na ultima reuuiAo da
maioria pelo ministro da sua reparticto, em respos-
la algamai observaoSes que elle tizara na quali-
dade de depulado. o carcter de empreado su-
balterno, e a ludepenJeoc.a de representante, cus-
i'.ni a couciliar.se.
Ouem lem presidido is ulliuias sesses desta c-
mara, em consequencia de se adiar incommodado o
presi.leute Silva Sanchas, he o seu vice-presideule
.Novaes.
Agora disculc-se na casa electiva um adiamenlo.
do Sr. Ifigoel do Canto, para que se nao discata O
accordn de Londres e o prujeclo do empreslimo
en, quauln se nao apresanlar o parecer .la coinmis-
miss,io de fazenda sobre lodas as propostas do gover-
no. DieoBle-se lambem uulro adiamenlo do Sr. D.
Rodrigo de Meue/es para que se sobre esleja na
pin ,ir o producto a coustruccao da estrada de Vian-
n.i do Castello a Caminba.
Pelo navio ,liintth, ebegado de Ruo, vieram duas
locomilivas e dill'erentes machinas para o.camiuho
de ferro de le.te ; este navio valla novamenle a
Riti, don le Irausporl.r para Lisboa oulra. duas
locomoliv.i' e machina) para o mesmo ca.n.ni.o.
Esperam-se de llamhurgo cinco earroagena para
passageiros, e do.,. Wagone para mercaduras.
OSr. Ilardy Hislop, diz a Jornal do Commercio,
un .arle dos prodoctores." Consta, por participaro do director da alfamleza
He mais um valonle campean da l.berdade de com-! da IIorla, que no di,. |V, de Janeiro naufragara na
mercio. Se pelo primeira numero lio.iverm.is de I Hha da Vico a galera americana Aarennnooo'. capi-
jolgar os que su segui.em, p.nle-so ja alloitamcnle lu l'ornell, procedenle do Havre, com destino para
di/er que desla publica.;.., eleve a agricnllura porlo- New-Vorl. e carsa de loara, vidros, vinho e tazan-
gofla vir tirar prnvc.losos resultados. Mas voltau- | das. parle da qual se salvoii. tendo-e arrematado o
do a queslao dos cereacs e recelos de crise alimenti-
cia, a verda.le Iih que nao chegon a sasumir feliz-
mente, as proporees ameacadoras com que de pri-
meiro se alligurava.
A evporiaco de gado pela barra do Dooro, do-
rante os meses de Janeiro e fevereiro d
foi a seguiote
Para Londres, pelo vapor ingl Crl ISO boj] centrar comprador a referida machina. clcheles ; o cahao d panno preto, de bico, guar-
Consta liaver naufragado sobre .ios rochedns. no necido do mesmo cordo croe o acostllado ; plati-
d.coescom quese,fez ja, por urna tcmelhaute con-
ce-so, aos emprezanos da pinte pen.il do Porlo.
A ponte deve estar concluida ale ao lim do anno
ile I8>". e olTsiece-sc a depositar no Banco de Lon-
dres, ou de l.isbia, qualquer somin.i ra/oavel que
se Ihe exija Con > garanta do acabameolo da obra.
Para formar o plano deliuilivo da elilicacAo, sera
chamado um engenheiro ingles de primeira ordem,
alim de que a p ,..te pensil de O.imhra seja um ver-
dadeiru modelo no seu genero.
Esla propoela ja foi remelii ,a ao competente mi-
nisterio.
V l'jll.a oflicial publicou o decreto que approv
discussilo dos mesmos dotis projeclos, ale que seja los estatutos da compauhia Esperanca em Paradella,
aprese.liado o parecer sobre o prujeclo do accordo lend por lim a lavra da mina de eslanlio no* siiios
a rc-pcilo do Camiuho de ferro de leste. Os adia- I do Carqueij.il. Carro La.lro e Pombeiras, na fre^ae-
meiilos eslo na ordem do da. Opioam algous ora- zia de Paialella, C .nselli de Miranda da Houro,
dores, que os projeclos do governo furmam um lodo | com eslabelecimenlo de ollicinas par* o Iralamenlo'
que precisa ser considerado coujunclamenle, e de- [ m-chaoico e mstalwgioo daquelle mineral,
p.ns de reconbecera necessidade de adoptar essas me- A mesma l'olha puhlicou lambem a parlara que
ili.la., deve (ralar-se em prime.ro lugar dos m.'i is orden.. lobrigadeiroManoelJoseJollataaerra.su-
que ha para se poder contrallir o euipreslinr.o ; par- perinlendeole das obras do melhorameuto do Tejo,
lindo daqui. dizem que se .feve discutir o accordo que passn a inspeccionar as obras dos dislriclm de
fcil.1 con, Mr. Tliorulou e oulros cavalleiros, j.or Faro o Baja.
ser um meio oe ir bascar ao eslrangeiro os capilaes I Terminada a ponte do Cava, situada nos liiniles
ymplomasde Oidinue lokerj. Haas annon- I tripolacgo e alguma bagaren,. Os so|.|:, losde infantaria usarSodecasaco panno a-
Uopoia dos naufragio., a. necrologa.-, a morle | znl ferrete aboloado por dianle com urna aboloadura
"es de metal amarello e do pa-
acolxelad? com tres colxets ;
presilha de panno nos hombros,
panno encarnado para os granadeiros, a-
nanoa comlu.lo, |camp, pruno dos condes do Sobral; o Sr. Braam- zul-ferrete para os fuileiros, e verde para os alira-
ump arada na vespera Itulia passado a noile na me- dores, grvala,ci,lca,sapalns, polaiuas e capoles como
-" dl.po.ico em conipanhia dos seus prente. ; os dos c.,cadorts.
ippareceu morir no sen quarlo dizem que foi vi- j Uiz-se que a cavallaria vai ler jaquel; compridas
a apoplexia rnlminanle. Coutava1 lio e' de linche, cercadas de preto como as sobrecasacas
' dos cacadores e na cabaca barrelioas de pelle com
pala dire.la.
'"" opois dos naufragio., a. necrologas-, a morle znl ferrete abutoado pe
.as doras de Londres e Sania Calhaiini exisliam i lambem be naufragio, e lelizes os que nelle |uidem : de oito boles grandes
i,o primeira de marro 27,907 pipas .le vinho do salvar-ee I dro actual ; a'golla a.
Parlo, menos ls:l2do que no auno passado. Sepultou-se no dia Ji de marco pelas ."> hor.s da I o canhilo direilo ; pre
Em IS.V, unporiou a Inglaterra 711.170 pipas de I larde no cemilerio dos Prazcrcs o Sr. (ieraldo Braam-1 sendo de panno eearn
vinlm, sendo de Portugal, 29,131, menos comlu.lo, | camp, primo dos condes do ?
7.201. do que em |S">4. camp anda na vespera tiuha p;
^o mez de Janeiro de IS.Vi importou l.iili pipa, Ibor di'po.ico en, rompanhia
sendo 293 -le vinho de Portugal.
A importarn na Inglaterra foi minio menor do
quo em linti tanto en. vi..los, como em espritus.
r.'in regulado o preco da aguarden!......va d
Honro de superior qualidade a 2309000 res.
tantos annos de id.ule.
Deseen.h trra o cadver do Sr. I). A. Jorge da
Conha Meuezes. Arenmmellido por urna pinta-sica
Ha das leve lugar .. segundo fw/i<7i agrcola na I polmooar; havia muito lempo qoe a doenca lvra-
Porlo omca Sr.. Manuel Clsuouse. Browne, Manuel de Castro
Pereira, Anlnno Ijiro, intendente da Marmita,
viscnmle de Azevelo, e oulros cavalheiros.
Ii Ir que no t." lunch se reconheceu a rouveni-
enci.i da disru-sao em forma de palestra familiar,
logooSr. Forrester assenton em repetir estas reu-
nios antes da sod partida para Inglaterra. Discn-
_ .Halar a sua des- postes con, que se deve fosar face ao empreslimo ; e
. pedida Ha .Hcese que pasloreava. mandando veslir julgand ser esta a ordem logrea volam pelo ada
| certo numero de pobres. I monto, paca que se po-.i -egur assin, a .lis.u-lo.
MOse verihcou a viagem de El-Rei li. Fer- A opiniao do Sr. j,,.,. Eslevlo lie que sodis-
nandoa Scvillia. ^ cn[i, primeiramcnle o projectectendo do caminho 'le
reculillo dizem o. jornaes de Lelpalk deve vi A ferro, no qual observen lerein-se gaslo 2:200 cotilos
a l.lsuoa madame Ida Pleiller, viajante celebra quof, de reis com :lli kilomelros, que ainda nao e.Uo ron-
i... tempos e,i, o., Berlim, onde ltimamente foi luidas, nao luveudo anida seqaer urna esferas, a
I apresanlada na corle, sendo rerelnda com Brande I qoe, se esla bem miorma.lo, laliavain ainda 1:300
di-nnrao. Sladame Pleiller assislio a urna ses-o da cotilos para se concluir o caminlu al Santare.n.
I sociedade real de geographll na qnal eslava lamben, Qoe depois da discussao do projeclo do raminlio de
l prsenle o principe Adalberto da Prussia. Ditera Ierro, se elle for approvado, se disrota cnlAo o du-
que- o principe eonduiira I celebre viajante ao lugar presumo, o os uniros projeclo., declarando com lu-
| de honra que Ihe fora preparado, e qoe depois o il- do nao poder volar pelo de augmento de mpostos,
| lusiregeographo Mr. linter, lecitou um discurso no'o por algons oalros. Hemill.o-se da commissiio
qual poz patentes os proficuos resollados oblidos rom das obras publicas, por varios motivos qoe allegan
liram-se aasnmptosde muita importancia.
Os vinhos d'exporlacao, por isso que eslo snjeilos
que au lemos no paz, _e em seguida tratar dos un- da fronleira portugueza e bespanhola. construida | a leis especiars, nao podem ser ainnm.l.s na expo-
seus numerosos amigos chorara a perda desle illu
ir mancebo.
r.illeceu a haronrza da Venda da Cruz, a Sr.' I).
Mara....;. Benedicta Victoria de Sampaio. Boa e
rarinlio.a m.l, e candosa romo poucas. Sdlreu gol-
pes forli.simns e intempestivos. A morle de alguns
dos seos lillios ja em Koma, ja em Portugal, c que
.e achavam B'oma carrea bastante adianlada, a de
O Sr. l.uiz Travassos Vaidez aulor dos interes-
saiites u Almaaak de Portugal e almanak militar,
araba de publicar um opsculo intitulado No-
ticia sobre os pesos, medidas e moedas de Portugal
de suas possesses ultramarinas e do Brasil, compa-
rando os amigos svslemas com o novo svslema m-
trico decimal, o
He um Irabalho consciencioso e feito com esmero
c de nimia niilidade, especialmente para o commer-
cio.
A l'alria ainda se nao publica regularmente. Sa-
por ambas as naees. consta que se inaugurar
com toda a sole.n.i.dade pos-ivcl. |).z--c q.ie ira 11
benze-la o cat.leal palriarcba dt Lisboa, en, presen-! nh
':< da. auto. .la.les principaes di, provim ia de Ba- l avollada. Kegolamenlos especian, habilitarlo neslc
',il"'- ,- eoli lo os expositores. OSr. Forrester prepara-.^
Em ranle* foi dallado ao mar, sabtndo dos esta-1 para concn era esla
rao porlu"ii;e le se projerla levar a ell'eilo ; mas pintor o Sr Homingos Antonio re Si.iu-ir.i. t.nl.a
...I.......i...-.- ,___ i.___ -- ... ..- I ___;..... .- r. ..... '. ..
sea marido, e de sen conha lo lalvez fossam a causa j hio um sopplemeulo para noticiar a apresenla(Ao
de soa mone Uo premflnra. Fdha de nono eximio do parecer da commissiio de fazenda, e para os seus
le.ros de M. Jollei uo dia 7 do rente, o barr. ,.
vapor filia de Utboiuu. IL prnueiro barco de
vapor novo destioado a ahnr no dia de malo o
serviro regular enlre Nantes, Portugal e Brasil.
\ eremos o que se ronlirma.
Publicaram os jornaes aqu, que no Rio de Janei-
ro e-i.iv.ini tomadas ,ti7 acojas da nova emissao
da companhia Luso-Brasileira,* e que faltava ainda
passar 1,1:1.1, pira oque se.lrabalhava con, grande
contrario lem livri admisago lodos os mais vi-] nasri lo a 17 de fevereiro .fe IrSl J, e acaba delalle-
le co.i.innmo e verdes, ruja prodnccfto 'be rer em Boina uo mez de fevereiro ultimo.
Sepultoo-sc ..'. .lia II de marco no eemilerio do
linde S. Jo;!.., o rad-ver da deca.
xposro o a que vai ler lo- porliignezas, a Sr. Brbaro. He grande a penla
.ara o nossa diestro, pos ape/.ir da sua ida le, e
'vira..r.iiu.ii i.i corpulencia, era anda ...na actriz de
ig..r aqu em Lisboa ; prosegae nos seu. esiiidr
il.r .. ral.|lii.ir.V> d.i a/rile r c.....linio ja, um e
agens desla inleiligcutc e corajosa euliora para
a sciencla geographica. Madame Pfeifler vai em
breve partir para a illia de Madagascar, que lencio-
n.i explorar sem embargo do clima que como he sa-
bido lAo desfavorave he para os Europeos. Antes
de partir para esta Innginqua viagem, a illustre via-
Hoje prosegae a discussao. He um horisoule sof-
frivclmenle nublado, c urna prova fl.is mais arduas
porque e.t,. panaudd a siluarilo.
Ilontcm, as galeras havia encltenle. A se..;lo
esleve das mais animada.
I-ni aprese.uada u. cmara urna represenlaco
jann. passara por Lisboa, para ver dous lilnos seus contra o govcrnador-geral .'.a provincia d'Angola Je-
que reanlcm neta capital; | s Rodrigues Coelho de Amaral, por havePdegra-
a visila de urna alta persona- | dado para Mos.amedes, segundo dil aquelle docu-
aclividade, deven.lo os novos accionistas entrar com I Jos Pinto da Molla e Mello, do consellm de lUu-
saio s dir o producto liquido que cada alqoeire de i grande merecimento, a iuipossivel de substituir em
a/.eiiona da segando a- su is diversas qualidades. Os i minios papel'. Foi acotnpanhad* ao cern le rio poi
esforcos dote savaleiro a de. lanos oalros, cujos I tolos os seas anlisos caunrada do Ibes tro de I).
nomos sao ja assa/. coiiheeidos, bao fazer cahir as Mara 2.a, m pelos actores de lodi
praxes rotineiras dos nossos lavradores, produzindo ptlal, seus irn
una nova era |iar.i a nossa agricultura. Iclligenrla que brilhara ale ao ultimo momento e
.Vi quinta de lavradores, do Commeodador Joo | que i.iostrou ato n ultima hora o que valia.
asignantes brasileiros, pobliea nn, numero sabi-
da de cada correio.
Em Coimbra leve lugar no dia I de marco, om
horriv; I incendio as 10 horas da noile, na rasa do
a das aclrizes | habitaran do fogueleiro Anlonio Ribeiro, prximo
- igreja de Santa Justa.
Jo, originado por nina cxploso de plvora.
A' prouipii.l.i con, que o pnvo accudio aos esfor-
cos verdaderamente corajosos dos habilanles foi de-
vida a extinrcao do incendio.
I odavia lu desastres que deplorar Foram vieli-
EITERia.
CORRISPOXIIFXCJA no DIARIO DK
PI.RN.\Mltli;o.
LISBOA.
3 de abril.
I arece que voltamos aos tempestuosos dias de de-
zembro; lem cl.uvido esles dia, copiosamente e qna-
si sem iiilerruprilo. soprando i ,enl0 ,io|en,lssi.
mo, com algumas intermitencias, pnde-se dizer nne
o met de marco assim correu lodo; interromiierain-
seem varias localidades os Irabalhos de lavoora li-
rai.dn inuiia. trras debaixo d'agoa. Na. leiiria do
Ribatejo penleram-se as segundas aementeiras e as
correles das ribeiras e ros tornaran, a angrosaar
quasi como da primeira vez. .Na capital lem abati-
do alguns muros em diversos sitios na ra do Limo-
eirn.para a Penha de Fraura.para a roa da Rosa etc.
ele. Oestado sanitario do reina lie satisfactorio, a
nao ser urna torrivel epidemia de bexigas connneu'tcs
que se desenvolveu esles ltimos das imSarzedo no-
voaco a norlc da villa de Arcanjl, c que ler". '..
sesseola a seleola fogos ; be lao intensa que em poo-
ros dias Talleceram rincoeula e qualro pessoas, en-
trando nesle numero, extraordinario em relai o a
pequenez do povoado, muilos homens casados, e al-
gumas inulliere. grvidas.
Hoje faz um veidadeiro da de primavera.
Foi agraciado pelo governo pnrliignez com a
l.ran-Cnw deN. Senhorade Villa Vleeta, o Sr.
marquez de Paran.,, ct.efe do gabinete b.aslero.
He ralo ver estrellar cida vez mais as boas retarnos
enlre os dous paizes.
-A*!:*.*11?^**. novo embaixadnr he.pa-
portador do Touto d'Ouro com qoe S. M. Calholi-
passemos urna rpida revista retrospectiva aos seos I gongo. O signatario da'representarse be Manuel
ultimo. Irabalhos. Anilla a aprovaoiio de nina pro- Mondes da Conccicilo Machado,
posta apretinada pelo presidente do ronselho de i Acha-sc aberta a communicaco do Ibelegraplm
minislros al.nl.ndo no exerrilo os rastigo. de vara- elctrico enlre Lisboa e Saolarem. O ministro das
das, e os de paucad de prancha. As nicas penas obras publicas o Sr. Fonles Pereira de Mello, orde-
a po.lcm ser impostas aos militares | nou ao commandaole do mesmo lelegrapbo que
confeccionassc quaiilo anles o respectivo Vegolamen-
las diflerenles rlasses, ronstao de um regulamenlo
l.rovisoiio dissiplmar que faz parle Ja mesma lei.
A cmara dosdepolados, legislando a lei do recrula-
ment fez um grande ervioo, e abolindo as varadas
completou a obra. Tirou-se o maior ferrete que
anda ni.incli.ua a fronte do soldado portuguez, ah-
solvendo-se as.im o paizde um verdadeiro attentado
de lesa c.vili-ac.io. Esle castigo devia ressar ape-
s promulgada a caria, mas as garandas que o
lo, e indicasse os prrros para por ao serviro do pu-
blico esla linh.1 lelegraphtea.
Di/-.e que Mr. Prosl, abastado capitalista em Pa-
rs, e fundador das caixas de descontos em Franca,
edo .rdito movel.ou mobiliario em llespanba,
acaba de propor ao governo porluguez urna igual
fundaran ueste paiz, submelleudo consideraran do
inesmo governo urna propo-la em termos multo ra-
exerrilo defende sao quasi sempre regaliadas para o soaveis e muito aceilaveis, c na qual se promplilica
do. lie urna nptt reformaro que deve ira- ] a depositar em qoalquer eslabelecimenlo auc se II
... ...... I .. ........ ..,<- m.i.... ..i...- .|_ ,._:__ I .!-_:_____ _________... ,. .-
Ser rom sigo muilas nutras ; nos estmulos do lirio e
da honra devera' consistir dora avante a forra moral
da disciplina. A appresentarn desla pro'pnsta he
um verdadeiro brasao para o duque de Saldanba.
-Nao me recordse fallei no ultimo correio da in-
lerpellarSe dirigida em ambas as rasas do parlamen-
to, ao governo sobre o boato qoe se espalbou, e que
as lornnes reprnduziram rom manifesta mquielacu,
de liaver re. ebido a legaca brssilcira nesta corle,
urna nota oflicial acerca de rerlas ralsicaces do
papis crdito, onde se achavam incluidos varios no-
mes dos mais respeilaveis do corpo commercial por-
luguez, era nm as.umpto de bstanle gravidade,
mas felizmente nao passoo de rumor, p.ii. em res-
posia as ii'lerpcllacues dirigidas, responden o gover-
no nao baver receblo ola alguma da cmbaixada
hrasilcira a tal respailo. Anles assim.
O conde de Thumar propoz um voto de censura
ao governo pelo modo inconveniente eom qoe d,z
ler-e havido na rerlamacAo apreseulada pela lega-
co brasileira n'esta corte para a entrega do prelo
Jos, do briguc brasileiro Irit.
designar, urna somma avulladissima para 'servir de
caucan ao exacto cumprimenlo das obrigaroes a
qoe se comprometi.
Consta igualmente que Mr. Prosl se liga a esla
ampreza rom a enorme quantia de 23 milhes de
francos, ou qualro mil eolitos de reis. Mr. Prost-
lem ja em Lisboa agentes para Iralarem deste ne-
a primeira prestaran em fevereiro ullimn.
Sahio no Diario do liorerno o decreto de expro-
priatilo de diversas porc/.es de terreno compreheo-
didas no trarado do caminho de ferro de Lisboa a
Cintra, sitas na freguezia de Oeiras. e indicadas
em :IS plantas respectivas a quinta real de Caxias,
oulras cinco a propriedade do conde de Rio-Maior.
e finalmente oulras a varios proprietario-, visto que
a directriz ja approvada lem de pas.ar pelos refe-
ridos.
O rendimenlo da llfandega grande de Lisboa no
mez de fevereiro oulti.no foi de 200-,72jJvt98 ; ren-
deu a alfandega municipil 7i:7I.VMlS7. A alfande-
aa do Porto rendeu no inesmo mez de fevereiro
130:2219121.
Segiindn u resumo do activo e passivo do llaneo
de Portogat no mez de fevereiro, SBO os fundos do
mesmo esiabclecimento I2,633:772}072.
A amorlisaro das notas do Banco de Lisboa al
li de fevereiro de li foi de 'i,Vi(:J|o-SO0 no da
.1 de marc de 36 9:1)008; loial i,.V,.">;IO-vlK) ;
por amorii.ar U4:782sj200.
A exportarlo de prata pela barra do.Porto para o
eslrai,geiro|di,rante o anno findo, foi de tres milhoes
em cruzados novos.
Pelos documentos que foram prsenles a rommis-
so de fazenda na cmara electiva, consta que toda
a prata nova emitila em virlude da lei de l de
julho de 1834, importa em rs. 996:444lOO, sendo
en, moed.s de .MK) rs. 871:3149 iem moedas da
200 r. (>9;.,iUi00; em moedas de ItHl rs.
33:3169100 ;em moedas de 30 rs. :O7i-'70O.
Siispenderam-se as reonies dos agricultores que
liveram lugar na sala da companhia Fideltdade co
Lisboa.
ti instlalo agrcola de Lisboa tem soflrido a des-
crenra que acompanha sempre as novas iiisliluircs
cas, diz un, jornal do Porlo, se vai eslabelecer ni
grande fabrica de manleiga, c fazer um ensalo do
rabrieo de assurar de belerrabas.
O Diario publica a conta e inappas da receita do
imposto de (i por cenlo sobre o lucro dos pescadores,
e da despera com a urrecadacau no aun., de ls.Vt.
Segundo us mesmos mappas renden o imposto
32:(i2K.^>li 1 rei. c a despeza com a arrecadaco cus-
lou 8:0319701 reis.
Os mappas dos objeclos produzidos as dilTerentes
oflicinas da ra.leia da eidade de Lisboa e cunta da
produecodas auloares por transgredan de posturas
da cmara municipal de Lisboa durante o mez de
fevereiro ultimo subirn, a importancia de !I!IS3IK)
as Irart'gresocs foram ao todo 220, das qules .",2 por
falta de peso no pao, e preco por que foram vendi-
los adore., de lodo, os ihealro. da ca- mas do rogo a mullir, do alfaiale Domingos dosBeis,
-k?.i *...-.' I'-Vl1,"- '"""" ",n''.ln- ; que morava por cima, e urna lilli.i de 19 anuos for-
uiosi.sima que eslava para casar.
Fallecen tambem urna lilhinha de i annos, seodo
I alie, ea em Lisboa .. >r. Pedro AlOMudnoo l.a- maltratadas varias pessoas, e enlre ellas um soldado
par que exercia o cargo do taliellio. de cavallaria.
Tambem .... pceos.dias fallecen da epidemia de I Foi concedida a jubilacw com o augmenlo de um
^5^^-".*?.-'*!''*!!"..*'?""? "? "aloral, o Ierro do ordenado ao len'le da segando cadeira da
do exercilo Joaqain, Pires Celestino Soa-
liahil advogado Antonio Caldeira da Costa c Pina,
com quareula anuos de idade.
Ileram-sc ;i Jerra tamben, mi dia III do passado,
os realas morlaes da Sr.' II. Margarida Anglica
Pinto Cabral, esposa do Sr. Eduardo Angosto da
Silva Cabral, e nora do conselheiro de Estado Jo.
Bernardo da Silva Cabral.
lieos os lenha a lodos em descaneo.
Ja por mais de una vez o lenlio dilo, rrpiigna-me
s-uipie fazer maneje de .rimes, mis a lidelidadc do
chronista he sobre modo exigente.
Um attentado horrando acaba de ser commettido
por um ministro do altar .' Parece impossivel que
los ato anuo de ISV> consta, ser o lucro, a favonios I lauta malvadeza se pussa .citar debaixo das ve.les
gocio com o governo. (toando o nome do preponen-; abri as suas portas a urna commisso que exami-
le nao fosea ja garanta segura da realidade e boa fe
das suas propostas, bastava o importanlismo capital
que oflereca depositar em eauro para dever dissi-
patodas asduvi.las. ainda aos mais desconfiados,
lambem se diz qn se projecla en, Lisboa a for-
mariio de urna poderosa sociedade em commandila
enjo fundo ser de 300 ronlos, dividido em acfes de
300 mil reis.
nasse e indicasse o> meios de o aperfeiroar ; eis as
conclusoes da mesma commissiio.
1. <>ue se destine au inslilulo agrcola urna maior
exlensilo de Ierras para a forraaco de una granja
modelo.
2. Que serriem em cada disloco administrativo
dous lugares, um de engenheiro agrcola outro de
agricultor.
2(0 productores em deleneo no Limociro lermo
meti, a quantia de 6:2279123. Esse lucro, no
auno de 1832, lora de 3:8879630 res; no de |833
fora de 11:8013727 res, e.....ic IS, de 8:8793760
reis. Sendo o lucro total a favor dos preso., nos
qualro anuos 3ll;799fv2i2 reis. As cadeias en, Por-
tugal nao su avisinham aii.da, milito das exigencias
que a civilisac,o e a mnrali l.i.le publica leu, fcilo
nestes ollimos lempos a esle genero de penali.lade ; na ra .
comtudo, em abono da verla le se diga que o Sr.! Outro
arerdolac". L'm padre da freguezia de Paranbos
tssinoo urna sua propria irmila. lgnoro-se os
motivos qnen levaran, a commcller seinclliaiite rri-
me ; o que se sabe he que commeltcia o fratricidio
em quanto un, .en irmo se tiuha ido rnnfessar.
Outro : a Sr. I). Francisca Isabel Frazao, da liba
de S. Miguel, viuva de Francisco Candido l'razo
Con.lim, foi assassignada Om Pona Delgada, moiava
Canaila.
no Domingo de Paschoa um rerlo Elsen
l'orjaz, dignissimo ajudanle do procurador regio assassinou em Salva Ierra a Jos Nicolao Duarle,
junto a retacAo de Lisboa lem dado o maior desea- mrstre de una das phjarmouicasdc Salva Ierra,e da
volvimento poavel a todos os ramo; de Irabalho as! de llenevente. No dia sega inte qu nidos e proco lia
ollicinas do l.imoer,.. com o qoe deve resultar con-;;ao corpo de delicio, foi vislo um bomein ao longa, I que encontrareis no Diario. Publicando-o, nro-
sideravel d.niniiirao na wlatlstica dos romes rom- como quem espreilava ; .. pnvo vendo-o comecou a I porrionais a lodos os Portugaesse ah resideles e
mell.dos d-niro ,las propr.as rade.as. Pena be qe bradar : ,. lie elle '. he elle .. e logo rorreram so-I a lodos os Brasileiros que de veras se intcrrssm
o eoitigo penal ultunaineiite feito por conspicuos | bra o tal sujeto, que (agio, mas sendo perseguido I pelas nossas rotisas.
escola
res.
Concluipor onde lalvez se devia ler comecadn,
mas ie-ervo mi ninoiialmente esle lunar para vos
noticiar um dos mais festivos acconlecimentos nacio-
naes que liavemos presenciado.
O dia 30 do marco, foi um dia de galla para a a-
grirultura e industria portugueza. Tratava-se-da dis
lnbuir;Jo dos premios obtidos pelos expositores por-
luguezcs na grande aspnsleCa universal de Paris de*
18').).
O. homens de Irabalho que mais se distingoiram
nelia, receberam o seu galardilu e recompensa das
propr as mies do Soberano,que hotive por bem com-
pletar este Iriumpbo, conferindo aos mais di.tinelos
a condecorac.il, destinada para o valor, lealdade e
melo.
A falla do romm'ssario regio, o conselheiro Avila,
qoe elle prniiiinciot sinceramenle rommovido, a
resposla de S. M. que altamente resume o pensa-
meiilo liberal de um re que lio altos exemplos
ten, por beranca, eo decreto em que sao agraciados
com o grao de ca*vallciros da Torre e Espada.os mais
dignos representante, da nossa industria agrcola e
fabril, sao Ires pecas destinadas a enriquecer no-
lavelnienlc os annaesdesta trra.
Absienbo-me de fazer-vos a descripcao desse ario
jurisconsulto,, n.in di.polilla aluda um verdadeiro foi preso em llenevente. Ha todas as razes para
lo, apresentadn as corles pelo ministro das obras
publicas, um projeclo de le, para ressilo de 1K,200
metros quadrados de terreno na praia de Padrearos
ao conde de Claranges Lucrle, que se prope e- -
vanlar all a sua cusa um grandioso eslabelecimen-
lo de l..mil... do mar. Alem dos bajabas ser?
sv'stenia do paitaitciorsas, como as que possuem os
Esladns-l nidos. A iiiiiovaeo havia de vingar
aqoi. como ving.i por la. A ndole da nossa gente
nao he de certo peior.
A beneficencia publica e a raridade particular
lem por direilo de conquista o seu logar reservado
em lodas as publicaees destinadas a retratar este
paiz. Portogat rivalisa com o Brasil em plulanlro-
pia. Percorramos esla pagina, mais feila para o co-
racao que para a curiosida.le.
.No nj.i 20 de marco, anni venarlo do bito do prin-
:l. (,)ue se desdobre desde jt a cideira de culturas cipe I). Augusto, irro de S. M. a Imperalriz viuva
que o seu iniuito tura sem-
pre c por todos os modos ver se o escravo licava li-
vre. O ronde de Thomar pedio lirenra para reti-
rar a sua proposla, terminando esle icideule com
algumas rerommendae.ies feitas pelo pardo reino,
> i.conde de Sa.
A commisso de fazenda apresenlou na cmara
dos drpulados o seu parecer sobre a proposta do go-
verno, para a exlmco do subsidio Iliterario a.l.li-
einnando se a verba correspondente a decima pre-
dial, e disliibuindo-se com ella.
O Diario piihlcou um derrelo regulando a forma
dojoramculo asmo qual nciihum funcoonarin po-
der* ser admllido a pos.e e exercicio de qualquer
cargo publico; lavrando-se da rerii.a om lermo
regular para servir de fundamento a inmediata de-
misso do recusanle. no caso de nao se adiar anda
no exerricio do empregn, ou para se mandar formar
o proceSSO que deva'proceder a distitoicBo, se o em-
prego for inamovivel e delle hnover ja posse e exer-
cicio, licaiidn assim modificado na parte regalamen-
lar o disposlo as leis .interioro-. Eis a formula ge-
ral do juramento decretado:o Juro guardare fazer
guardar a caria constitucional da monarrhii, ser fiel
ao rei reinante, cumprir as leis, e b-m desempenhar
as funecoes do meii cargo, n
Tem-se disentido nn cmara dos pares a queslao
do adiamenlo ao projeclo de lei sobre a aludirn dos
viueolos. Por inlere
cessano reformar a inslitulcau; rom todo a cmara
scha-se dividida Leu-.e na mesa o parecer da com-
mis.o, r- urna repre.entacao essignada por inultos
administradores de bens vincalarlo., pedindu osada-
melo desta qoesMo por lano lempo quanto .eja
oaslanla para que lima cnmmissXo de inqoerilo pos-
sa elaborar os ron,plenle. Irabalhos e apre.cnlara fi-
nalmente 0 -en parecer de maneira que lian se|am
les.dp. os direilo* dos interessadon Tem-se feito
maeinfiriis discursos pra contra o adiameolo.afinal
fe limiten, rejeilado o adiamenlo por i2vnlo,rnnlra
10, e fiearam venridos nesle poni os partidarios
da vineiilaran, que lauto pnrerem rereiar ilisrnli-|a
Esla queslao joleada ja boje na Inglaterra, na Fran-
ca, o i 11.-.i i.i,, ano Brasil, romo bem disse um
dos oradores abolicionistas, nao precisava de ir ex-
plorar novos esclarecimenlos para ser decisivamente
debatida.
nova villa esl-se levantando nn sitio de S.
Jeoastiao, prximo ao local onde ha de ser a cla-
ra., .lo caminho de ferro. As obras deste progridem
lamben, com grande incremento.
O risco dos novos predios he muito elegante, e al-
tende-se na "sua divi.au interior quanto he possi-
vel a que renan, o maior numero de comraodi-
uades.
Sahio no vapor para o Algarve o engenheiro Ju-
lio Augusto Lema, que vai dirigir provisoriamente
a*, obras publicas em lugar da Sr. Hermenegildo
tiomes da Palma, que xcm lom
mar.
ssento na c-
O brigadeiro Cousseiro, que veio da ilha da Madei-
ra com o lim de dar conia ao governo das ultimas
ralami.lade que llagelaram aquelles insulanos, c
propor os meios de Ibes minorar os infortunios, re-
gressa aquella ilha por esle vapor, o />. Pedro II,
que lora naquellc ponto.
Consta que o governo turnara cm considerarn os
se,,* justos pedidos, c se comprometiera a Mtisfaiar-
II, os cabalmente.
O mesmo brigadeiro fez ja embnrear nn brigiie
Holg alguns ravallos inglezes para o serviro de
un, caminho de ferro que lenrioia construir para o
dese.nlulhamento da ribera de Joto Comes.
Na ilha da Madeira todos os gneros almenlirios
lem subido de preco. e com esperialidade o Irigo,
se mesmo dos morgadns be ne- j que se arha a I? oalqueire.
O viscnmle da Luz esta enrarrega.lo pelo gover-
no de ir fazer urna visita de ri.per.an a. obras das
e-lradasdi) dislrictn de Vizeu.
A cmara do Porlo dirig., ao parlamento algu-
mas icprescnlari.es, mis qnaes pede : a rnnlinuaro
eroclusao|da estrada macadamisada de Coimbra ao
Portomelboramenlus promptos para a barra do
Uourocontinuara,, do raes marginal, c finalmento
rentera o pedido ja feito por mais vezes para q
esperiaes do instillo.
. Oue se crie maior numero re repetidores, mais
'S pelo menos.
".. Oue seja mandado preparar para collegio do
insumi o hospicio da carreira dos cavallos.
fi. Oue desde ja se complete o numero das Orn-
las exemplares, eslahelerido por lei. e que succes-
sivamenle se va augmenlandu eslt numero, ale ha-
ver urna por cada districlo, preslaodo-se ao conselho
geral os meios de a poder inspeccionar e lis-
calisar.
7. l)ue se eslabelec.a no instil.it) agrcola um ron-
servaluno de modelos e urna fabrea de instrumen-
tos ruraes.
8. Que sejam convidadas as jutlas genes dos dis-
trirlos a mandar ensinar no inslilulo agrirola a dous
ou mais operarios a conslruceao as novas machi-
nas b instrumentos agrarios.
!. O.iese eleve a Iresquartos .o ordenado total,
a gratilicarn concedida aos lei.le.que arcumulain o
magisterio do instituto rom o de oulras escolas su-
periores.
Se ronenrrerem o lelo dos ,.gritullore.,a iniciativa
do governo, e das juntas gerae., mullo prove.lo se
podera tirar das acertadas medidis acooselnadas por
aquella enmmissao.
I eusino agrcola bem dirigido, e un, bom svsle-
ma de viasderominunicaco. eisa unir proleerio
de que a nossa acrirultura caree.
As rondiees agrcolas das DOtSas Ierras nao sao
de cerlo inferiores as condires igrieolaa de iodos os
pavos europeos. Pelo conlrariosRo-llies pela maior
parle superiores.
A nossa agricultura n.o precia de prolecco as
paulas, por mais qoe o nao qosiram acreditar, os
que se crearan, Cornelias, e niioveem salvarn pos-
sivel para fura dus estahelccimeilos fiscaas.
A impreusa do .Minlio susten'a acaloradamente a
nerr..i,i. Ir de ahaixar os diluios sobre o assurar
em raiHo do contrabando que ms provincias se e.|
rateado pela raia de lletpauha. Kmquanlo as pau-
las estahelecerem dir.los prohiiil.vosou forlemenle
restrictivos be impossivel prohibr o roininerrio clan-
destino.
O proco dos cercaes nao ten, soll'rido considera-
val augmento, antes pelo eontririo mauifesta ten-
dencias para nina baixa rasoa*el. Vejamos o que
a esse respailo e.creve o Joroil da sociedade agr-
cola lo Porlo o
, "" peumo ja leuo por mais ve/es para que cola do Porlo no seu primeiroiiumero. Depois de
Ihe seja concedido o ediliro e rerra do exlinrlo ron-. publirar um mapps de preces mximos e mnimos
ven... dos Carmelitas. de producios mjfSSm do pas dativo ao me, de ja-
rio ministerio das obras publicas, eomiuerrio e neiro prximo passado, aeresreila o .esuinle
lilil ll. 1 lili ni III, I ....-____
industria foi expedida urna portara, para quo o di-
rc-rloi das obras publicas do dislnrto d A veiro, re-
mella quanto antes aquelle .minnleiio um relator,o
dos Iraialhns que for iadispensavel elTerluar para
lomar fcilmente viavel, na parte comprehendida
deotro do seo dislrictn seu cargo, apro,rilando a.
A supp.Ki, ewassez Afrira e na Amerira. drsapparreu para dar loaar
a urna colheila realmeiile shuntante. Assim os re-
ces quo levaram o vice-rei di Egv pin a prohibir
do Libertador, mandn esta augusta senhom iojooo
rs. ao asylo de mendicidade, c 20>000 rs. a de in-
fancia desvalida.
0 conselho de direcego das casas do ajlo c infan-
cia desvalida decidi elevaros vcncimcmos das mes-
tras dos mesmns asylos, que he o nico modo de fa-
zer acq.isico de pessoas competente para a educaco
da infancia.
Actualmente a Real Sociedade Humanitaria .lo
Porto lem cm fundo 3:9619000 rs.
A direceo do asylo de mendicidade de Lisboa re-
ceben dos Srs. Thnmaz Mara Bessonc e Augusto
Frederico Ferreira, como testamenteiro do fallecido
Sr. Thoinaz Mara Bcsnne, 4:000-OIHI rs. em iris
cripees de ^10 por cenlo ; quanlia con, que o tinado
contemplo,, o mesmo estabelecimento.
A dita d,recelo recebeu lambem do Sr. Francisco
llenriques da Silva na qualidade de leslamenteirn
do Sr. Amonio Jos lioocilves Piulo, nn, cuito de
reis em iguaea inscriprjOei.
.Nn mez de fevereiro f.. a receita do asylo dr men-
dicidade 2:tiSllj70S rs. e a despeza l/il.jv.l.is r.. i>
as>lados existentes oram 310 homens o 317 mu
Iheres.
A irmandado do Santo Christo dosCordaes, erecla
na igrejade Jess, dislribuio em quiula-feira-maior
")20 asmlas aos pobres da freguezia. Presidio a esle
benfico arlo o Sr. conde das Alcacovaa, como ju.z,
e .. digno administrador do bairro Alio.
Foram approv.iilos os eslalulos da as.ociaco do
maule-pin das secretarias de eslado.
.No da I do pastado leve lugar, no Ihealro tic S.
Cirios, em Lisboa, a grande l'esla da caridade, que
uiiuha ultima vos annuneiei, sob os auspicios de
SS. MM. ol-rei II. Pedro V c I). Fernando, c pro-
movida pelos Srs. Manoel Homingues Sanios e (loi-
Iherme Antonio Cossoul, eoadjuvados em favor das
familias desvalidas do Algarve. romanas parle nella
os a.tisia.de lodoso, (lieatros da capital. A concur-
rencia foi extraordinaria. Assistiram aoespectaculo
SS. MM. e toda a curie. O producto liquido de des-
peza f.ii de 3033033 rs.
Parece qoe vai fazer-sc no palacio dos duques de
P.ilmella ao Calh.iris un concert em beneficio dos
Allemes pobres residentes em Portugal. Os ron-
viles sao dirigidos pelas .enliora. cmlioaxalri/. de In-
ler que lo, elle o perpetrador do crime.
O celebre Pilippe do Ooleiro, llagcllo de forres, c
suas vizinhancas, lerior dos guardas harrcir**,aca-
ba de figurar na policia correcrinal do Fdippc do Oi-
teiro he um compendio de facanhas rouho* c morlcs;
nao he porn, desle que se trata, o verdadeiro Filip-
pe do Oileiro anda foragido, porem um sen irmo
lamben, celebre, compareceu uo tribunal do lercci-
ro dislrictn criminal, o processo levnu 5 horas a ler,
o principal ponto da aecusarao consista na morle de
um guarda barreira, para o Sitio dos Terremotos. A
sesso foi laboriozissi.na, lindando as I. horas da ma-
nhaa do dia seguiote ; foram inqtiendas numerosas
leslemunhas, urna dellas foi para o Limoeiro, indi-
ciada como perjura. Presidio a audiencia o digno
juiz Vascoucellos; defendeu o reo o Dr. Callo, e pro-
nove a aecusa^ao por parte do ministerio publico o
Sr. Dias Torrea. As 3 da manhaa o Jury declarara
provados todos os Crimea exrcplo o de homicidio, e
o reo foi condemuado a degredo perpetuo para a Cos-
ta d'Africa. O reo appeMou, e con, elle o ministerio
publico para o lrili.ui.il da relacao.
Foi presa nos arrahaldes de Vianna urna parli.la
Composta dedexenove malvados que tiuham aterrado
Iodo .. paiz.
Venba agora urna boa arc,ao indemnisar-nos da lei-
l.ira re.la pagina negra.
Melada do premio grande d.i lotera da llespanba
coube desla vez a companhia de saude do hospital
mililar; 2". soldados foram contemplados conforme
a somma com que haviam entrado ; como porem al-
guns de seus carneradas, por falla de meios, nao ti-
vessem podido gozar da Soria que llies deparen a lo-
tera iie.panhola, coml.in.iram enlre si sub.creier
cada um ron, a quantia de 0:1100-1 para ser distribui-
da pelos 13 que lanos foram o que ..o lindara en-
trado. Felizmente arroes dcstas nao sao raras nos
homens do povo.
Hiz-scqueo car.leal palriarcba de I isbtM cecula-
ri.ara n Mong" Pie-lnlenexia orden, de S. Bernardo,
Severino de Cerqueira Alpoim, para casar com sua
prima II. .leroiivina l'hereza de Alpoim, para o que
impetram agora dispensa de parentesco.
Celebraran,-se en, Lisboa as festas Semana Sania,
con, mais ou menos pompa, segundo as pos-es das
respectivas irmandades. Algo.ua. .las parochias .ta
capital optaran, pelo luuvavel expedienlede resu-
mir os gastos das festividades, ou mesmo supprimi-
los da ludo para os applicarem distribairSu de es-
uma ncra.i.io de juslificado
prazer.
Commercio.
Prar,a de Lisboa em I, Ires por cenlo.
Portugal 1879 a 1909.
Porto 2:123 ii 2339.
Assenlamenlo 12 a 12 l|l.
Couponslil 3(1 a SI 7jS
Notas do banco de Lisboa .?78"ia 19793.
Acotes do banco, dilo dito.
Prara de Paris em 27, 3 por cenlo s 72 fr. o W)
cent. ; de i e meio por cento a 0:1 e 80 fr.
I'r.iri.ie Londres en, 2fi.Os consolidados ingle-
zes negociaram-se ao fechar *da praja a 92 o meio
uilavo visla, c a 92 tres quarlos para conta.
L,
PSRMAatBnCO.
molas pela pobreza. Con, Indo nao ha nada por mais
serio que seja que nao nossa recordar oulra coosa
menos grave.
ilnvi di/er queem S. Christovjo de Mafamude, se
Ozera o Lava-pe. em caricatura, estando os pobres
dr rapas de Ihealro, barba, posltras. alpareas, etc.
Faz admirar, que a 1,1,1 quarlo de legua do Porlo
pralicas.r-.p semelhanle rous,.
Oulra do mesmo jaez : en. Alhandra, no Sahha.lo
gialerra e da Russia, e por um negociante allemo. i de Allelnia ao anoilecer sabio i ra o enterro do Sc-
Ovala que lao caritativo aclo lenha o resultado
que os seus autores .tosejan,.
O governo ingles bouroii cooi urna mo,lalha de
praia, e mandos distribuir duas libra, esterli-
nas a rada um dos fti marinheirn* pnrlugno/os,
que Inpulavam as lanchas que salvaran, a genfe da
asnina n,ie, nanfranada na barra de \ ianmi no mar
de Janeiro desle annn.
O rapit/io, olliriaes e pasiageiros de re. do palTia-
a exportarn de cerlos cereaes.acabou de dissipar- bote brasileiro Diplmala publicaram as (binas de
se, arraslandb consigo a perrutao da ex|iortas:lo :' Portugal, om lestemunbo de gralido ao rapilo M.
nhor Morlo deb.ino do Pal, 1, lur.es arrezas elr. Ie
maneira que all .... la se n;ln acredilava lio Sahha.lo
que Cliristo bouvesse de Kessussitado. At&passos
de dislauria do logar onde passava a procissio do En-
terro, arda.11 grandes fogueiras, cercadas de homens
e mulliceos cuitando e dansando.
I'e Mnncorvo esrr.'vem ., .ei'uiiie a um jnrn.il de
Lisboa :
l'assa de do/ ou don dias que das para as S hoJj
ras da noile se observa para o lado do Occidente pna-
co mus a dlreita do lagar do horisoote, em que o
ASSEMBLEA LEGISLATIVA PRO-
VINCIAL.
Sessao' presidencial da abertura cm 21 de
abril de I83G.
Presidencia do Sr. Ilar'io de Camaragibe.
A's 11 horas da manhaa, feila a chamada e achan-
do-se presentes 20 Sr. dcpulados, o Sr. presidente
abre a sessao.
I.ida a acta da sessao anterior he approvada.
OSr. presidente convida, aos Ilustres memliros
prsenles a dirigirem-sc a igreja matriz do Corpo-
Sanlo, alim de assislirem .1 missa votiva do Espirilo-
Sanlo, que alli ten, de se celebrar.
A' meia hora da larde vollandn os illuslres mem-
hros, o Sr. primeiro secretario l u.nollicio do se-
cretarlo do governo, communicando que o Kvm. Sr.
presidente da provincia, comparecer pela urna ho-
ra da larde, afim de ler o seu relalorio.
A' urna hora da larde, annunna-se a chega-
da de S. E\c. e a commi..ao 1.orneada para recbe-
lo, composta dos Srs. lenlo Jos da Costa Jonior,
Porlella e 1 lien.loro da Silva, o inlroduzem na sala
rom as formalidades prescriplas no orcamenlo, e em
seguida S. Exr. le o seguinle
HELATORIO
Senlinres memhros .la assembla legislativa pro-
vincial A Divina Providencia, sendo servida de
castigar-nos rom a grande calamiJado por que es-
tamos nassande, nao quiz todava aniquilar o Im-
perio da Santa Crus, tenclo conservado illesa a pre-
ciosa vida e saude ile S. M. o Imperador e de sua
augusta familia.
Depois de congralular-tne rom a vossa reuniao,
quo foi dilVerida para hoje pelos mnlivos que nao
ignoris, fall.ir-vos-liei dos negocios da provincia,
mui pertunrlori.imonto, porque as fadigas da qua-
dri me ali-orvoram lodo o lempo.
T!iA.\(JlLl.IDAl)ii PUBLICA.
A iratlquillidade publica lem sido inalteravel :
.lo,1 por isso parabens ininlia fortuna e ao bom
sonso dos IVrnamlnieanos.
SEOURANCA INDIVIDUAL K DE PRO-
PRIF.DADF..
O aspecio da provincia, em relaro si.;uranca
individual, raoslra-se cada vez mais lisongeiro : o
MUTILADO



DIARIO DE PERNAMBUCO TE-Cft f m li DE km onasb
que allribuo em grande parle nao s ao zelo do
digno chee de polica, que minime lemajudado ;
mas lambem.s diversas autoridades, qire encon-
trando o inais cfflcar auxilio nos destacamentos vo-
lantes, teem poderosamente concorrido para o es-
lado animador que apresenlam lodasos localidades,
mesmo aquellas emque a perversidade dos malfeilo-
res e fazia sentir com mais vigor.
A cifra dos crimes graves, que desde marro do
anno passado al lioje se commelleram contra a se-
guranga individual, d urna differenga de lo para
menos relativamenle ao mappa anterior. I'oram
perpetrados 58 assassinatos. havendo por conse-
guiniouma reduego de 9. comparativamente aos
que meucionei no meu relalorio precdeme.
O numero dos ciiminosos capturados, que at
marca do annofindo nao ncejmm a 279, subi a
161, deente para c ; sendo 56 por deudos gra-
tes, 108 desertores, c 107 por homicidio. Este ul-
timo algarismo, confrontado com o de 1(5 que apre-
senlei na sesso pasuda, cresceu de urna maneira
noiavel.
Ate ao presente teem-sa recolhido ao arsenal do
guerra, mais 2!>7 armas delegas, inclusive 144 gra-
nadeiras, 44 roladas; assimeomo 21 bavoneuis, o
57 canosde diversas armas.
Tenho o desprazer de coinmunicar-vos, que a
f robusta que nos inspirava o brio nacionalde
que jamis haveria quem se atrevesse a especular
com carne bumana, soQ'reu grande allerago com a
viuda do um palhabole carregado de Africanos, ap-
prcliendidos pela auloriilade publica na barra de
Serinhem. Alguns, que foram extraviados ames
da chegada e apprehenso feita pelo commandante
do destacamento volante do Rio-Formoso, vo sen-
do adquiridos mediante as diligencias da polica,
que continua em suas pesquizas.
Se o patriotismo dos homens justos poder suffo-
rai, como lie ilo desojar, os sentimentos de urna
falsa o criminosa compaixo para com aquellos que,
sem respeitar asleis divinas e humanas, procuran)
somonte nutrir as suas ambiguos perniciosas, o
publico ser inteirado de toda a porlidia, com
que esses homens desalmados n;io recuaram ante
a idea de compromclter o grande futuro do nosso
paiz.
Emquanto, senhores, cada cidado-nao for urna
sentinella vigilante, e cada autoridade e cada juiz
um baluarte seguro contra o cobija dos africanistas,
o governo lera muilas vezas de ver mallogrados os
sous sinceros e generosos estorbos as vas da re-
presso do trafico. Unamo-nos todos noste pensa-
menlo....
A respeilo da seguranza de propriedade, nao le-
nho felizmente que referir-vos outro delicio grave,
alcm do incendiopralicado por um grupo de faci-
norosos na povoacao de Nossa Seahora do ', na
comarca de Goianna. '
.ESTATISTICA CRIMINAL.
Durante o anno prximo passado houve 36 ses-
adas do jury nos dilierentes tormos da provincia, e
urna s em alguns deltas.
Foram julgados 475 processos romprehendendo
575 reos, 548 do sexo masculino, e 27 do sexo
feminino. Os crimes que originaram taes processos
montam a 598, sendo 38 pblicos, 50 policiaes,
510 particulares, inclusive 234 de homicidio, 33
de furto, e 31 de roubo. Em, o numero total dos
criminosos coniam-se 315 analphabelos, 155 sa-
bondo ler, 4 com alguma educago. e 2| cscra-
ros.
Outras partcula, idades relativas i estatistica cri-
minal codstam do mappa organisado pelo chefe de
polica, e que vem appedso a esle relplsrio.
DIVISAD JLDICIAKIA.
Nao me lem sido possvel apresenlar-vos o tra-
balbo que acerca da divisao judiciaria vos promelli
no meu relatoroantorior, e cada vez mas reconhe-
coa irapossbilidade de levar a elleito lo necessara
empresa, em quante nao se puder bem remunerar
engenheiros habis que della se encarregiiem espe-
cialmente.
O termo da Escada que, em virtude da lei pro-
vincial n. 326, e decreto de ) de dezembro ul-
timo, fura desannexado do da Victoria, ja se acha
com juiz municipal lellrado ; e por decreto de 26
do mesmo mez foram prvidos os lugares de tabel-
lio denotes, e escrivao do civel e crime, prove-
doria e orphos.
Tendo sido installadas as villas de Buique eCa-
brob, foram nomeadosos supplentesde jeizes mu-
nicipaes, c as respectivas cmaras comecaram logo
a funecionar,
He um facto, que a idea que passou na lei n.
366 acerca de divisao de limites entre as comarcas
do Cabo e Rio Formoso, appareccu na lorceira dis-
cussaodo respectivo projeclo, e passou sem debate.
Publicada a lei, levantaram-se clamores contra a
conveniencia dadiviso ; porque tendo o rio Si-
bir diversos hracos ou allluenls, a divisao por elle
feita, a!em de estar sujeita a muitas duvidas, tra/
a desTaniagem de diminuir muito o territorio da
comarca da Cabo era favor da do Rio Formo, j
rom cresrida. E por outro lado, o territorio des-
annexado da freguezia de Ipojuca (que tornar-se-
ha mui pequea), augmentar de mas a de Seri-
nhem, em prejuizo dos habitantes do refondo ter-
ritorio, que ficam mui afastados da villa de Seri-
nhem, em relaco ao pasto espiritual.
Convencendo-me de que com efleito as quenas
contra a divisao cram justas, e allendendo alo que
a tal respeito me expoz o Exm. prelado diocesano,
julguoi conveniente sobr'eslar na execuco jla lei
at que esta assembla, reconsiderando "a materia,
delibere como entender melhor om sua sabe-
doria.
A transferencia da sede da comarca da Boa>-Visia
parao arraial da passagem do Joazoiro, he linda
urna medida reclamada pelo bem publico, 4 para
a <|ual me animo de novo a chamar a vossa al-
lengao.
FORgA.PUBLICA.
Primeira linha.Ainda se eonservam no ser-
vico da provincia os rnesmos carpos de que liz mon-
co no relalorio passado : mas todos clles ronlem
apenas 1689 praras, das quaes 226 eslo entre-
gadas ns guarnico desta cidade, 5G9 distribuidas
em destacamentos 349, de que se compoe o 4."
batalho de artimaa a p, se acham aquartelladas
emOlinda, e as donis em differentes deslinos, c
doentes.
Da epidemia reinante falleceram 171 pracas,
entrando neste numero 2 diucices, 4 inferiores, e t
cirurgio alfercs do corpo do saude.
Confrontando-seo'mappa sob n 1 com o do
anno prximo (indo, observa-se que a torga de 1,"
, linba tem decrescido, apresenlando urna differenga
de 253 pracas para menos.
O mesmo porm nao acontece com a forca naval,
que se a< ha um pouco augmentada, constando de7
navios, dos quaes se empregam no cruzeiro da ros-
ta o brgue barco Itamaraca, o brigne Cafbari-
be., o Otronse, no qual se est fazendo grande
concert, e a corveta a vapor Heberibe, que a
instancias minhas lora mandada pelo governo im-
perial. A escuna Lindoia, ao servico da alfande-
ga, servio tambem de registio no lazareto da ilha de
Sanio Aleivo ; e o brigue Legalidad^ orcupa-se
nos transportes para o presidio da Iba do Fernan-
do, em subsiituigo o patacho 'irapama, quo pe-
lo sen estado de ruina so mandou arrematar, 5 pre-
sentemente he o deposito das mercadorias proce-
dentes dos portos infectados.
O corpo de polica, qnanlo sua disciplina,
economa cescripiurago, que lem sido regular c
se acha em da, aprsenla a mesma face lisongeira
com que o descrevi no relalorio anterior. Dos
dous inappas annexos veris o movimentn da forca,
que se ansapoe de 366 pracas bem fardadas e equi-
padas, fallando 35 para completar o numero de
400, quedillicilmenle se poden conseguir, alenla
a exiguidafle do sold, o o escrpulo que lem ha-
vido na escolha dos individuos que procuram alis-
tar-se. O balanco da caixa de adminislraco do
fardamento demonstra a receta e despe/.a do cor-
po, a contar do 1 de fevereiro do anno passado a
14 de Janeiro do crrante ; e a existencia de um
saldo de 10:5579262 rs.
lendo augmentado consideravelmenle ai neces-
sidadesdo servico policial em conseqnencia da in-
vaso da epidemia, o nao quereajdo eu onerar a
guarda nacional com inn trahalhp excessivo, resol-
v acresecntar mais 100 pracas forca do corpo de
polica, ufando assim da faculdado que por eslaas-
sembla rae foi concedida para os casos extraordi-
narios. Essa medida, porc.n, nao
U mesma razio por .pie at hoje ainda na *<
pkU anda elevar o corpo ao .,- H-iado rom-
Fallecendo em novembro ultimo o lente coro-
nel Cedro losCaraeiro Monieiro, mandei exami-
nar o estado do corpo por um ollirial superior, rujo
relalorio, documento u. 2, veio confirma
mais o nom conceilo quo eu j fazia daquell
zeloso roininandanie.
anula
probo
Na impossibilidade de aproveiUr por niais lem-
po os valiosos serviros do leoeote-coronel Portella
no commandodocorpo de polica, nomeei para
esse cargo um ollicial de reconhecida apdo, e que
sem duvida mamar o referido corpo no mesmo
grao de prosperidade emque o conservaran! seus
iredecessores.
A guarda nacional ja se ach completamente or-
gamsada om Pao d'Alho, Nazarelh o Bonito. C)
mesmo se podara alfinnar a respeilo dos demais
municipios da provincia (excepto o da Boa-Vista,
onde a organisacao ainda nao foi comecada) se j
melivossein sido ofterecidas as proposlas para offi-
ciaes de alguns batalhes.e de varios rorpos e com-
panluas avulsasde cavallaiia e do reserva. Todava,
.lo mappa annexo sob n 2, veris que bem pouco
falla para se poder dizer que a organisacao est
completa.
s dez rorpos, que com o eslado-maior supe-' ellicacia com qua me coadjuvou conslaiileinente,
or conslituein a forra activa da guarda nacional dando assim um valioso le-lemunho do vivo inle-
do municipio do lecife,apresentam 7,543 pracas, rosse que Ihe inspira esla piovimia.
das quaes 3,71* se acham fardadas F. se addi- nanlo as demais consideraoes.relativas salu-
rionarnios aquello algarismo as 8,064 pravas bridado [publica, remetto-vos para o relalorio da
do que so compoe a reserva, leremos o numero commissao do hygiene publica (documento n. 6),
lot.ilde 9,i>OS, inclundo-se tambem os olliciaes. cabendo-ine por ultimo o prazerde annunriar-vos
Eu fallara a um dever do rigorosa jostica, se a consoladora noticia de que a misericordia divina
deixasse da consignar aqui um iributo de merecido j nos vai protegendo com aoxtinecao mnis oume-
ouvor guarda nocional do Recita, pela maneira nos rpida da epidemia, em lodos os lu-aios da
honrosa poripie at boje so lem portado, salisfa- | provincia que della ioram victi
zendo sempre, e com a uielhor Hilada, as exigen-
cias do servico, c rivalisando em ^arho o disciplina I
coma iropa de primeira linba. Nem outro pedoria lendo esta afscmbla adoptado, rom algumas
ser o |irocedimento de urna milicia to briosa, cujo | r^T'enas alloracoes, o regulamento que publiquci
commandante superior, com 0 patriotismo c. soli-!?"1 *^tf Janeiro do anno passado, reformando a
citudeque odistinguem, nao tem poupado es-''"''"""Cao publica na provincia; um dos ineus
gislrar froquoiiles actos do pbilantropica coadjuva-
cao, prosuda por muilos individuos, que assim
rol loca rain esta provincia em o numero das que se
bao portado rom roragem cvica, no meio da a.l-
vorsidade que actualmente abraca lodo o im-
perio.
O governo imperial de sua parte nao poupou o
menor esfonjo para robrir-nos com o sen manto
protector, enviando lodos os soccorros solicitados
pelas uossas circuinslancias, o fazendo por tal mo-
do sobresabir a aeco eminentemente beaofica o in-
dispensavel, quo resulta do grande principio do
unio.
So tenho correspondido s vistas do govorno e
aos deveres de mliba conscioncia nesla quadra de
Iribulaciies, digam os homens desapaixonados,
poisquaa mim s compele assegurar-vosquo se
mais nao (iz, foi porque as forcas, o nao a vontt-
de, me abaudonaram.
Ao Kxm. presidenleda Babia, quo satisfez rom
a melhor vontade o presteza as requisio5es quo Ihe
dirig em circumstancias to criticas, devo ronfes-
sar o meu sincero roconheiimonlo, assim como ao
Fami. prcswnto das Alagas, pela solicitudo e
m
limas.
INSTRUCCit) PUBLICA.
forcos para eleva-la ao seu maior grao de biilhan-
tismo.
CADI-IAS.
As cadeias da provincia acliam-se pouco mais
ou menos no mesmo estajo em que as descrevi no
relalorio anterior. Alguns colicortos potoin se fize-
am as do Cabo e Garanhuns.
A casa quo serve de priso na villa do Bonito,
alm de nao tarrepartimenio, nem receiier ventila-
t;o alguma, he muito acanhada. e lao insalubre,
que foi o primara poni da villa onde a epidemia
reinante principiou a desonvolver-se. Emende o
juiz de diieito que mediante um pequeo reparo
peder ella ser destinada para as sesses do jury e
audiencias mandando-se construir em lugar apro-
piado um edificio com as necessarias proporcoes
para radeia.
Cl'LTO PUBLICO.
Podemos boje conUy na capiial com mais urna
casa de oraco. A igreja do Collegiodos exiincios
Jesutas, que ha muilos annos eslava entregue a
usos profanos, acha-sc felizmente resliuiida ao
Culto Divino. Lembrei-made entrega-la pieda-
dada confraria do Divino Espirito Santo, com a
condico de ser olla obrigada nao sa reparar, de-
corar e paramentar a mesma groja, como a pres-
ta-la a todas as festas nacionaes, o a fazer rezar
nina mista nos domingos o das sanios ao meio dia,
para commodidade da populaeao.
Como esse magesioso templo era aqu um dos
poucos solemnemente sagiados, foi apenas neces-
saria. para licar desprolanado, a coremnuia da rc-
conciliaco, que o nosso prelado diocesano eclebrou
ao dia 8 de solembro do anuo passado, no meio
da effuso do mais religioso conlenlamcnio dos ha-
bitantes desta cidade.
O governo imperial, que nao cessa de promover
por lodosos meioso explendor do culto da roligiao
do estarlo, dignou-se approvar a minha daliberaoao
por aliso de 5 de dezembro ultimo.
A irinaudade do Espirito Sanio, tendo ja despen
dido nao pequea somma em preparar a casa em
quo actualmente se acha o tribunal da relaco, pro-
segue com louvavel fervor na reparaco o decora-
cao do Templo, onde j se pralicam as funroes do
seu compromisso.
Da quota votada para as malrlzcs tem-se des-
pendido a quantia de 8:0003<)u0, rea maneira se-
guinle :
Com a da freguezie da Boa-Vista desta cidade
2:n()u9.
Com as do I.imociro, Bom-,lardim, Ouricury,
Jaboato, l^uarassu' e Kio Formoso-1:00119
por cada urna.
Applicou-sc a quanlia de 5009 ao comilario do
Rio Formoso.
Mandei dar 2:00e ao rerollronenlo de Igua-
rassu', na forma do arligo 15 doiorramonlo vigen-
te ; assim como a quanlia de 4ol>9 para o collegio
do Bom ConsoJho em Papacara
da nico abrigo aos orphos que
no vrtice da epidemia. Inleli/m
a falla dorapello daqncllecolleg
cadio. que suecumbio, depoisde
va o tes serviros.
CEMITERtO.
A i-apella deste jazigo est pri
bada, fallando-llie somente as decorardes interiores
II capellojfuncciona. Tanto i
rio, romo luilo quo diz respeito
e manutenc,o do cemiterio, ion
baslaule regularidade
que lem sorvido
icaram desvalidos
mleeslou sentindo
o, o padre Leo-
ler prestado rele-
morosainente ara-
sorvico morlua-
disciplina, areio
sido foi lo ro m
O eniema ment dos cho-
loricos ha sido oxecutado com a mxima perfeiro;
graoaa ao singularzelodjactual administrador.'
Al ao ultimo de ilezembis do anno lindo a ca-
pella havia cuslado 4">.8!HM 4s[rs. ao cofre mu-
nicipal, que lantbem tem do carregar nao scom a
conslrucco da estrada que vai ter ao cemiterio, a
cuja utiiidade he reconbecida ; nas tambem com a
cdiliraro de urna casa para assistciicia do capello,
c de mais tres meias aguas fora dt> cstabeleciment,
sendo urna para aeolher os empreados as horas
da refeico, oulra para deposito de ulensis, e a
lerccira para residencia do pqrteiro, aliiu de
que o cemiterio nao fique aliandonado durante' a
noi te.
Alin das 190 catacumbas peilencentes muni-
cipalidade, u que j se acham definitivamente aca-
badas, foram construidas mais 20 pares por duas
irmandades.
Polo mappa sob n. 4 se've que do I. demarco
do auno passado a 31 de marco da crreme, foram
sepultados 5,592 cadveres (3,006 de cholen-
cos); sendo 4,333 de pessoas livres, e 1,259 de
escravos.
Importando a leceila do cumi|ero, durante o
anuo linanceiro municipal de 1851 a 1855, em
9:4819300 rs., e a despeza om 27:6959304 rs.,
houve por conseguinte um dficit de l8;2i 4J004
rs.que foi supprido pelas sobrps de dilTerenies
verbas,
SAI.UBIUDADE PUBLICA.
Iamos amortizndoos tristes eteitos de urna es-
pecie de calamidada, qne o anuo! passado experi-
mentamos com a endiente extraordinaria do rio
Caplbaribe; quando una ouiraj ealamidade de
maior vulto yeio derramar o torro!, a consternarlo
o o luto sobre toda a superficie ija provincia, 'j
vades.que vos fallo, do terrivollllagello do cho-
lera. '
De todolorosa, lo extensa ejlocheia de Iris-
tos episodios a historia da epiderriia cm Pe nam-
bueo, que fra abusar da vossa paciencia se qui-
zesse eu narra-la no lexlo deste relalorio. Noap-
penso sob n. 5 ella so acha desdipta com todos os
seus pormenores
Toda
que no principio da epidemia a caridade particu-
lar pareca mui descuidada. Ou fosse por causa
da estupefaecao que o apparecimeoio dequalquer
mal extraordinario costuma prodlntir nos nimos,
ou fosse por se ler dado ao rhojera um carcter
romo que exclusivamente official, oiilendendo-se
que nicamente ao >overno pertpneia eura-lo: he
ceno que nos primeirosassomos da molestia, quasi
que achoi-me SO, apenas jogando com os recursos
da administrarlo, quo em verdaq'e nao sao os mais
proprios c competentes, nem jamis serio bstanles
para orcorrer a ncressidades especiaes, qne s dem e devem ser suppridas pelo concurso unnime
e simultaneo de lodosos individuas de qualquer
ordemoujerarehia, que residen) as localidades
atacadas; sem oulradislincco mais do quo a de
eslaram vivos e pnssuirem sentimentos, liumani-
lovo effeito pe- I larios.
Fnlizmenla, porm, estes sentinienlos*de-^nvol-
veram mnis larde; .-, como veris claramenio no
apndice a que mo reliro, o governo levo de re-
rimeiros cuidados foi nomear o conselho director
e tratar da organisarjo dos conselhos de districlos
Iliterarios, que ainda nao se acha ultimada, por
lependerdc exactas e minuciosas informacoes a
respeilo das loralitlades que devem comprehender
taes districlos: accrescendo a islo a difliruldade do
aceriar-secom um [essoal habiliado para as im-
portantes funcfes que o regulamento impe aos
conselhos.
Para facilitar a ezecucio do novo plano, apro-
vei nao s as instrucc.oes relativas ao rgimen in-
terno das escolas, exames dos alumnos e concurso
dos profesores adjuntos; mis lamhem outras pro-
videncias que me foram submellidas peb diroctoria
geral, entrando ueste numero a laliella dos emolu-
mentos da respectiva secretaria.
Se a insirucco publica nao aprsenla ainda um
aspecto inleiramemo lisongeiro, devemos todava
esperar que o syslema por que ella actualmente se
rege, ventas a dar mnilo bous resultados provin-
ia, se os inqiectores de crculos foram solcitos em
auxiliar a aeco administrativa central, principal-
mente na cuidadosa inspeceo qu* devem exercer
sobro o procedimenlo dos professores.
O director goral interino, no rotatorio que vos
ser apresenlado, insisto a respeito de duas neces-
sidados que elle considera urgentes: a nomaaeao
de um servente que faca ao mesmo lempo o serv*
es de eonnuo ccorreio da seeaeUria, o a designa-
rao de nina rasa para as sessoesdo ronsclho direc-
tor, e exame,-, dos professores e adjuntos; visto co-
mo o edificio en! quo so acha o Gymnasio nao lem
coiumodos siillcienlcs para duas secroiaias com
dous archivos.
iendo-me outorgada a autorisacio que ped alim
e ronverter n'un intrnalo o amigo lycuu, tratei
de procurar urna casa que oll'erecesse as convenien-
tes proporcoes para comer o cstabolecimento em-
uanto nao fosse construido o edificio proprio, que
ja vai em andamcnlo, mediante o producto das lo-
teras concedidas a seu favor. E depois de visitar
algumas propriedades particulares, resolv contra-
tar, sob condieoes favoraveis, a une me pareceu
mollior, nao so pelas vantagens da localidad*, ro-
mb por ler um pequeo'sitio com o espaco neces-
sario para os excrcicios gymnasticos o recreio dos
alumnos.
Em 25 de jullio pnbli-pioi o regiment especial
que devia regular o inoviuienio interno do atiabe
lecimenio, na ronformidade do disposto no art.
US da lei provincial n. 369.
Posteriormente organisoi o quadro dos euipre-
gados e professores, no qual foram contemplados
todos os ralhedraliros e substitutos do extincio ly-
cu; ealinal inaiigureo Gymnasio no dia 7 de
selemhro do anno passado.
Itesde enlo comecaram a funcrionar as aulas do
amigo estadio : mas, sendo conveniente dar lempo
a que se fizussem as decoraces, sosrescimos econ-
cerlos de que necessitava o edificio, deicrmiiiei que
nao se admitlissem senio externos, al o dia i de
fevereiro, em que se abriramas portas do (Ivmna-
sioaosquo estivessem no caso de seren recebidos
como internse meio-pensionistas.
A oseo lempo a epidemia j.i havja acommellido a
capital c por isso nao he de admirar que aquello
estabelccimenlo sconle actualmente (i internos, 3
meio-jiensionistas e 35 externos. Eslou corto,
porem, que esse numero ha de ir crescendo, logo
que terminar a crise lamentosa porque estamos pas-
sando
se acham providas todas as caderas creadas
em \ii lude do novo syslema de estudos: mas a de
iii!*ua Allema e de lingua Grega, a do Msica e
as duas de! .vioncias Natraes, anda nao teem
alumnos.
Convndn que desdo logo se ooraeeassem a fazer
os prepares necossarios para o ensillo pralico da
segunda i adeira de sciencias natraes, mandei en-
trar em evercicio a IS de oulubro do anno lindo
o respectivo professor Mr. Brunnt, que, segundo
veris do apanso n. 7, tom j preparado importan*
tes colleoroos para a explicaco dos diversos ramos
da Zoologa ; possuindo alm disto alguns produc-
tos vogetaos, e varias plantas que elle conserva em
um jardim particular.
Para que se possa obicr nina colleccao mais rom-
pida, recommedei s autoridades do' 'ntorior e da
cosa da provincia, que rometlessem para esta capi-
tal os objectos mais raros que podessem encontrar,
pertencenles aos. reinos animal, vegetal e mineral;
e solicitei ao Exm. ministro do imperio a reniossa
dos productos natraes que o muscu nacional po-
des dispensar, por t-losem duplcala.
Quaniu a idea do crear-se um jardim publico,
que auxiliando mui eflkazmenle o estado da bo-
tnica, c sendo iim lugar destinado ao recreio da
populago, SMvissu tambera para nellese acclima-
tareni as plantas que se quizossom inlrodu/.ir na pro-
vincia, pertence-vo; julgai so as forcas do cofre
esto no caso desnpporlar a dt-speza que se leria de
fazer com aquello melhoramcnto, cuja falla alias,
he mui sensivel, n'uma cidade lo alianlada como
a nossa.
avia, nao deixarei de dizerjmui do passagem,
Enlretanio me parece quo o quintal do palacio!
do govorno poderia som grande cusi ser aprovoita-
do para o hurlo botnico ; e ate ullerecor.i oxcellen-
tes proporcoes para um passeio publico, principal-
mente depois que so lizerom o raes e atorro, que ja
esto omeeados, no lugar da ponte provisoria
Na exposicao que ver annexa ao relalorio da
directora geral da inslraccao publica, prope re-
gedor algumas medidas que elle juiga poderem con-
tribuir para o progresso o lloresrimenlo do Gym-
nasio, e quo vos tomareis na eonsideracio quo ine-
recerem.
Nao ronrluiroi o assumplo de que me tenho oc-
rupado, semdeelarar-vos que muilo espero daquclle
esubelecimenlo, e que tomo por urna das base- de
michas esperances a prudencia e solicitude >lo seu
digno rogador, assim romo a reronherida moralida-
de e aptWo dos professores o mais empreados.
I'assarei agora frecuencia das aulas da pro-
vincia, durante o anno prximo passado As do
Gvmnasio, quo comecaram a funecionar a 10 de
setemhru, liveram 147 alumnos, dos quaes 7 so
distinguirn! por sua habldade e Iwm procedimon-
to. Foram fropostos a exame 34, esoofizeram
9, sendo 5 approvados plenamente, 3 simples-
mente el roprovado. Mandei admiltir a Mame
ile Lingua Nacional 8 csliidanles do um collegio
particular, dos quaes 6 obtiveram approvacao pio-
na e 2 simples.
As duas aulas puMicas de Lalim da capital con-
taran! no deruiso do anno passado 15 alumnos, e
as 4 estabeleridas em diversas romarcas ^m fal-
fo-
la
lar na eadeira de Iguarass, que se acha vi
ram frequentadas pm- 41.
i, que se acha v.*x ) fu
As i parliriilatesde'i
cidade, assim como a do Olinda, receberam 91
alumnos, dos quaes mcreccram approvacao 4.
Dos inappas as. 3 o 4, so v que as 6S cade-
ras de insliucro primaria do sexo masculino, com-
piehendendo-se nesle numero as 6, que se arhaiu
vagas, foram frequentadas por 3,904 alumnos,
apresenlando urna differenca de 195 para menos,
em relaco ao anuo anterior. As 17 do sexo fe-
minino liveram 732 discipulas. Ie|a f8|la ,|ts
necossarios dalos, nao se podo com exaclidodeter-
minar o nunisro das escolas particulares deensino
primario; mas, segundo os inappas recebidos, so-
bem a 76, 3S do sexo masculino, c 39 do sexo
feminino ; sendo as primeiras frequentadas por
1,139 alumnos, eas segundas por 71 alumnas;
prefazendo todos a somma do 1,810. Seaddicio-
narmos esta cifra de 3.636 relativa s aulas pu-
blicas, veremos que a tolalidada dos alumnos do
anno lindo, montando a 5,446, da unta dilleren-
ca de 498 para mais, coinparatiamente ao anno
anterior. Entretanto, cumpre notar qne be mui
dellicienle o quadro quo vos aprsenlo, por nao
abranger os inappas que doixaram de ser remani-
dos por alguns professores particulares.
REPARTICAO DAS OBRAS PUBLICAS.
O desenvolvimenlo que vo lendo os raelhora-
menlos maieiiacs urna reparlico mais completa em sua organisacao e
rgimen : mas isto he somente obra do andar dos
lempos.
(Juando tomei conta da administraco, poueas
eram as obras om execiico purque as duvidas lis-
caes entorperiam o progresso dos Irabalhoa. Entre
nada fazor, ou faze-lo ainda com risco de una ou
oulra malversarlo inevilavel, prefer o segundo ar-
bitrio, por ser do maior proveilo.
.Nem por isso doixei de lanrar vistas para osor-
camenlos e ajustes de contas ; nao porque alguma
folha publica maculassea repartirlolalvesa ni-
ca preservada dessa mofina, desdo remotos lempos ;
mas porque corlo rumor surdo ouvia eu contra al-
guns dos seus empregadose fornacedores, como or-
dinariamente acontece em todas as repartices por
onde correm despezas publicas.
No intuito de verificar o grao de importancia de
taes rumores, algumas cautelas prorurei lomar,
chegando mesmo a demittir um empregado, qucao
depois reinte;;rei, logo que me convenc de sua ca-
pacidade.
Quasi que se nao passava um dia sem qua cu
inquirisseeatarguisse o director das obras pu-
blicas acerca dos irabalhos em andamcnlo : c quan-
do me o pcrmiitiam os variadissimos misteres da
administrar; io, trata va de saber do como corriam
as obras, que frequenles vezas visilei.
No entretanto clgumas vozos se levanUiram ues-
te recinto cm desabono da reparlico. Esiimei e
applaudi muilo esse fado, nao sopor sor ello novo
nos annaes desta Ilustre assembla, como porque a
liscusso me poderia proporcionar dados que talvez
me faltassem. Sentindo porem qua nao passasse
roquerimenlo do inqueriio sobro a reparlico das
obras publicas, lemhrei-mo de proencher essa lacu-
na nomoando una commissao edmposta de mem-
brosconspicuos desta casa, c de pessoas professio-
naes, lodas insuspeitas, para o fin de proceder a
um rigoroso exame sobre a gerencia da reparlico
durante o exereicio linanceiro lindo c os anlerio
res : c dareraseu parecer especificada mente sobre a
liscilisacao, inspeceo, e execiico dos irabalhos
da mesma reparlico.
A honrada rommisso, nao poupando ncommo-
los para salisfazer a minha expeciativa, apresan-
lou-me no menor espaco do lempo possivel OS seus
valiosos exames, que muilo ajreciei e agradeco.
Parecou-mo justo o conveniente ouvir sobre ellos a
reparlico das obras publicas, para formar o meu
jui/o definitivo. (Juiz anda depois disto consultar
particularmantea opinio de algumas pessoas es-
clarecidas, a quem entregue! todos os papis ; a af-
na! eoncliii com ellasque se no parecer da rom-
misso havia materia para providencias ulteriores,
e mesmo para censuras a respeilo de varias obras e
de seus cxecitlores, nao havia comtudo razio suf-
ficiente para demissoes, ou para urna aecusaco for-
mal em juizo, lam mais quanto, versando os exa-
mes da commiss' obre muitas circumstancias de
louga dala, alatli- I seri*-npieciar o ilslingirr bom
o de rulpab ade; pareeendo-ine, antes d
ludo, mu ceno qj^jo he no lempo de minha ad
ministraro quo a reparlico das obras publicas
lem ro rido mais deleixada.
Nao duvidando, porem, que muilas fallas se
bouvessem dado, e prouvera a Dos que nunca
sodessem,eu procurava reler o parecer da com-
missao, confrontando- com as informacoes da ro-
panico. alim da apresenter algumas providencias
tendentes a melhorar a scal'isaco ; quando urna
auvio de outros Irabalhoso contrabando de
africanos, a logo depois a epidemia vieram embar-
gar o meu proposito. Tudo porem ser agora sup-
prido pelas rostas luzes, a qua sero submettidos
nao so os exames da commissao, como lodos escla-
rormenlosdo que houverdes neressidade para pro-
videnciar como cuten lories em vossa sabedoria.
As obras que foram executadas no anno do que
don coma, eouslam cspecficadamcnte do relalorio
do respectivo director, no appenso n. 8, a que me
reliro; nos quadros sob ns 9e 10 esto minuciosa-
mente indicadas as que comecaram e se concluirn!
no lempo da minha admmistrocao, assim como as
quaulias que com ellas se despen loram.
Km obsequio verdnde devo dizer que o direc-
tor das obras publicas, o Dr. .loso Mmele Alvos
Ferreira, que ha pouco pedio a sua dcmisso, que
io foi concedida, moslroii-so mui diligente em sa-
lisfazer as exigencias do servico a cargo de sua ro-
particao. Nao sereieu, pois, quem Ihe negu o
merecido louvor pelo desojo que sempre manifes-
lou do enriquecer a nossa provincia com o pro-
duelo do seu enganho.
Ha muilo que nesla provincia so julgava noces-
sana a presenca de um engenheiro, que Mudo lon-
ga pralica e reconhorida habldade, pdese nao s
encarregar-se de obras importantes, Lies como,
alera de outras, a poniedo Rocife, a a eonlinuacao
do nielhoramenlo do pono ; mas tambem exercer a
inspeceo que por parle do governo deve haver so-
bre a ronslrurco da estrada do ferro, l.ombrci-ine
do cngenheiao Luiz Legar Waulhier, que, reunin-
do as neresserias condieoes do rapacidade, linha
de mais a mais a vantagem deja ler por alguns
annos servido nesla puivinca o lugar do director
das obras publicas. Mas nao podendo eu realizar
a minha idea por ser deficiente a quota de 8:0009
que esta assembla me conceder, recorr a genero-
sidade do governo imperial, qne por aviso do mi-
nisterio do imperio autorsnu-mc a despender a
quantia de :0M9, reforjada pela de 2:0009,que
tambem foi posta a minha disposicao pelo ministe-
rio da marinha.
Habilitado rom taes auxilios, c com os 8:000?
do cofre provincia1, olliciei em 20 de dezembro ul-
timo ao nosso ministro em Paris, para que procu-
raste contratar o inferido engenheiro, com as se-
guinles eslipulacos :
I.* Que elle so enearregar do dirigir c inspec-
cionar toilas as otras publicas da provincia, iiuer
geraes, quer provnciaes, e qualquer outro Iraba-
llio deque 0 goveno o quizar incumbir.
2.* Quo o contato ser por 3 annos, a contar
do dia em que ele entrar no exerririo de suas
funreoes.
'!.' Oueperccbei o ordenado animal de 10:00(1
em moeda rorrenk deste imperio, pagos na forma
das leis e regnlamoitos deste paiz relativamenle aos
emprogados publico ; tendo porem direito, quan-
do por ordom do invern fr a servico a mais de
20 leguas fora des a capital, a perceber as cavalga-
duras que foram aibitradas pulo presidente da pro-
vincia.
4." Que so conocar a perceber o ordenado
quandn entrar no ejercicio do seu lugar, sendo-lhe
todava concedida pira despezas da sua viagem a
quanlia da 1:000"que Ihe ser entregue apenas
chagua a esla provncia,
A 6 de fevereiro lo correte anno dedarou-ma
o ministro queja htvia eseriplo o esperava a res-
posta do Sr. Wauhier, que ento se achara na
lluspanha, empregaJo na conslrucco do una es-
trada de ferro.
Casa m: detkncao.
Do relalorio da d rectora das obras publicas se
vv que esto comphiamcnle concluidas todas as
obras do raio do ora, da rasa central, da casa da
adminislraco.das ca>as para a guarda,e bem assim
os lorreTies, o todo omino do circuito rom as rom-
pntenips "imitas, fa lando nicamente rebocar tres
leos do referido miro: h prosague- na edafiesr-
rao do raio do sul.
Procurando tomar algumas medidas a bem da
salubridad.: publira, eronsiderando como urna das
mais urgentes a extinrro do perigoso' foco do in-
fero que havia no caulro da cidade, exislindo
muilos presos aglomerados na immunda cadeia ve-
llia; irale de accelerar o mais possivel a transfe-
rencia dos rnesmos presos para o raio promplo da
casa do detenco ; o que levo lugar no dia 29 de
abril do anno passado.
E porque convinba, a bem da moral e da hu-
manidade, que com a mudanca de hahitacao, tam-
bem inudasscm os mos hbitos dos presos, e rgi-
men da priso, expedi cm 16 de agosto o regula-
memo provisorio que vos ser presente, em cujo
trabalho muito me auxiliou o ex-dirertor das obras
publicas, o Dr. Mamede.
Submellendo-o ao conhccimenlo do governo im-
perial, o pedindo que fossem foitas pelos cofres ge-
raes as despezas creadas |pelo mesmo regulamento,
foi-me ordenado que o approvasse inlerinamonte;
e por aviso do ministerio da jostica de 30 de se-
tembro so declarou nao competir aos cofres geraes
o pagameuto de taes despezas ; expedindo-se or-
dom thesouraria de fazenda para continuara dar
a quota destinada aos carcoroiros. Espero, pois.
le esla assembla providencia sobre tal objeclo co-
mo Ihe parecer mais conveniente.
Tenho a maior satisfaco om declarar que aquel-
lo eslabelecimento, de cuja adminislraco so arha
encarroado o major Florencio JosCarneiio Mon-
teiro, este no melhor pe de asseio, regularidaJe e
disciplina que he da desojar; provando de urna
maneira evidente que jos instrumentos da malva-
deza e do crime podem ser eonverlidos cm instrn-
mentos de trabalho proveitoso, mediante os auxi-
los do um bom syelema ponteneiaro.
Sendo eoslumereceberem as prisoes desla capital
um grande numero de criminosos que vinliam das
orovincias liraitrophes, olliciei aos respectivos pre-
sidentes paia que nao s me prevenissem antes da
roinessa dos presos, alim dequeeii podesse infor-
mar sobre a possibilidade de os resaber ; mas tam-
bem desseni as necessarias providencias acerca do
sustento dos rnesmos presos, visto como a despeza
com elle feita nao devia correr por coma do cofre
desta provincia, sobre o qual ja ia pesando mu
sensivelmente.
PANTANO DE OLINDA E f.ANALISACAO"
DO RIO BKBERIBE.
Depois dos irabalhos do Ilustrado engenheiro
Conrado Jacob de Niomeyer, e de que (allei no
meu anterior relalorio, apresentou-me n director
das obras publicas em 7 de julho urna exposigo dos
estudos q.ie tinha feilo a respeilo do pantano e ex-
ploraco do rio Bebei be, dando algumas ideas
acerca da realisacoda empreza cujo dispendio or-
coii em 170:000?, como ludo veris no appenso
n. 11.
Itometli todos esses trabalhos a directora da
rompanhia, cm 27 de agosto, para me oftVecer as
condieoes rom quedeveria por mos obra. 'F.m
novembro me foi declarado o seguinte :
<^ue a companliia lomara a empreza na forma
do projeclo organisado pelo governo, ficando este
obrigado1.* a concorrer com metade da despeza
oreada;2- a garantir o.piro de 10 por cento sobre
o capitel que ella empregasse : 3- a ceder em bene-
ficio da coinpanhia todos os terrenos que houvesscm
de ser desalagados, os quaes ella poderia vender ou
aforar : 4- finalmente, a pormiltir quo a masma
coinpanhia cobrasse um imposto sobre as emharca-
coes que navegassem a parle do rio canalisada, ele.
Taes condieoes me pareceram to onerosas,
quanto era cusioso resolver-me a mandar fechar o
pantano, nao obstante as soliciuicoes dos moradores
de Olinda, que persisiiam em querer o seu amigo
charco, com lano que logo e logo lvessem agua
ainda que m.
Por outro lado os moradores do rio Beheribe
se pronunciavam contra a ideia de fechar o pantano,
allegndoos miasmas quo elle produziria, c a pri-
vacao da navegacao de quo esta vara gozando.
A cemmisso de hygena opinava pelo fecba-
menlo do pantano, que ella outr'ora desojara que
fosse deseccado a *em da salubrdade publica :
no entretanto que a experiencia vnha em apoio di
minha opinio de o conservar aberto e desala
gado.
aqui desenvolvida, era ello considerado, mais que
nunca, nina das principaes medidas hygienicas.
Todos mis temos sido leslemunhas oculares do
quanto a comjianhia de trabalbadores, dirigida por
um administrador incansavel. lem melboradoo es-
tado da cidade.aierrando numerososcharcos de aguas
pluviaes, removondo grandes monlurosque exisli-
am nolittoral, e exiinguindo oulros muilos focos
deinfeceo; como tudo veris do appenso n. 12.
E prtanlo eslou ceno que nao escapar a vossa
prespicacia a necessidade urgente Ja consignardes
meios para que se possa conservar o asseio pu-
blico, e de adoplardes sobra tal objeclo um sysle-
ma pernianante que regule e desenvolva, afim de
que nao vallemos ao anligo estado, e antes possa-
mos colher novas e melhnres vaniajens.
MATADOUHO PBlICO.
Roconhocenda o quanto era nociva e repugnante
a matonea no gado quasi no centro da cidade, va-
me comtudo na impossibilidade de clleiluar qual-
quer mollioramento, vsla dos limitados recursos
do cofre municipal. Mas o apparecimenio da epi-
demia no Para, e a necessidada do lomar do promp-
lo todas as medidas a bem da salubridde publica
mo impollirain a mandar construir um novo ma-
ladouro no bigarda Cabanga, por conta dos' cofre
geraes, sendo esla medida approvada por aviso de
28 de setembro. E nao obstante a importancia da
obra pude conseguir que a matonea do gado dei-
xasso de ser pralicada no matadouro das Cinco Pon-
las, desde o dia 26 de agoslo do anno lindo.
A a rea do novo eslabelecimento, oceupando
urna exlensao de 640 palmos de frente e 592 de
fundo, contm 35 edificios para differentes miste-
res e dos quaes apenas se acha monamente acaba-
do, do lado do noria, um dos que sao destinados
para a maumea ; o deu-se principio a outro do
lado do sul. Alm disto fizeram-se osjaierros, e ca-
nos .lo esgoto mais precisas ;oj esi recehendo
cubera a casa desuada para adminislraco.
Se quizerdes votar os necossarios fundos, poder-
se-lia dar mui rpido andamcnlo conslrucco
dos outros edificios, que alia's sao indespensaveis
para que o esiabelecimenlo possa salisfazer comple-
tamente c seu fim.
Com o remoce da malanga, licou desoecupado
o proprio municipal que as Cinco Ponas servia
do acougue publico. F.nicndendo-me com o che-
fe de polica e com a cmara deste mnnicipio,
mandei estabeleccr all um asylo de mendicidade,
mediaufe algumas novas accommodaroes e peque-
nos concerios que com a maior brevidade ficaram
concluidos.
h assim,conseguio-se alleuuar um pouco os so-
II i i memos de tamos infelizes, que coberlos de ul-
ceras e andrajos, viam-se expostos, dia c noile.
not lugares mas frecuentados, excitando a cora-
paixo a repugnancia publica, e apresenlando um
espelaculo mui triste, contra o qual protestava o
estado de civilisago a que temos rhegldo.
HOSPITAL MILITAR.
Esle edificio, que acaba de servir do hospital
de cholencos, onde se pode dispiir de 6 grandes en-
fermaras e S pequeas, todas envidracadas e
raiadas, (icaria brevemente concluido, a nao ser
a fdta de operarios, queso ha tornado mui sensi-
vel depois da invasao da epidemia. Comtudo,
j est no segundo andamie, cima do travejamen-
to, a galera que abrange urna enfermara, a casa
do medico, e a secretaria : e a varanda ou copiar,
que pelo lado de dentro circula todo o edificio,
tambem se acha coberta, menos a parte que corres-
ponde ualeria em obra
QARTELDF, CAVALLARIA.
Merecerm approvacao do governo imperial as
despeza- que mandei adiantar para esta obra, de que
vos fallei no meu relalorio anterior. E com quan -
lo fosse necessario desviar deila quasi lodos os o-
perarios, afim de emprega-los cm oulra conslruc-
go mais urgente, todava os trabalhos proseguem
hojeem maior escala, e por osles dous mezas car
robera a acabada internamente a metade do quartel.
romprehendendo o corpo da guarda, a rasa do of-
ficial do dia a priso, a secretaria, urna grande
arrecadago, o mais 4 quartos para residenciado of-
ficaes.
LAZARETO.
Para ronoluso desta obra, que al boje tem
Si me nao era possivel acceder s condieoes da cuslado aos cofres geraes a quanlia de 311:546510110
rompanhia, nem deridir me a ferhar n pantano,
ora-me forroso tomar alguma medida. Ouvi de
novo a ropartigo das obras publicas, e assentei de
mandar abrir pela verbareparosurna levada ou
pequeo canal em linba recta desde o Varadouro at
ao sitio do coronel Salgueiro, na margem de um
amigo brago do ro Heberibe, segundo o plano e
orgamemo qi|e se arha em exeeuro, e que vos
ser prsenle.
Esta obra pode ser nxecubda por um prego nao
muito maior do que o que aislara o tapamento do
pantano e as continuadas a frequenles reronslrnc-
gas. Ella trara ao Varadouro agua polavel a
pura ; deixar livro a navegago do rio Beberibe,
e desalagados lodosos terrenos de sua margem: alm
disto nao embararar que so praliquo a canalisago
em muito maior escala, na Corma do plano do co-
ronel Conrado, no qual a referida obra ainda pode
figurar: e finalmente deixar livre o dominio que a
provincia lem na navegago, as aguas e nos ter-
renos desalagados, para fazer o uso quo Ihe pare-
cer, sem dar garantas de juros, etc. ele.
A levada acha-so muito adianiada, e j conduzio
gua ao Varadouro.
DESVIO DA SEHRA DARUSSA.
Emviitudoda auiorisago doart. 12 da ledo
onamenlo, comeraram-so os -trabalhos do desvio
daquella sorra, os quaes nao se limitaram. asimples
estudos graphicos. pois as picadas foram iogo rece-
hendo largura conveniente como caminhos do sertao,
afim de que com ligeiros reparos possam prster
transito aos comboys, etr. Fallam somonte duas
leguas o meta para chegarem a Grvate ; feilo o
que, obter-se-ha um eaminho commodo, ficando
alm disto diminuidas 9 leguas da Victoria a Gr-
vala.
Por orcasio de explorar-se n terreno entre os
rios Serinhem o Formoso, e entre este e Taman-
daro. foi-mo patente a grande vanLijein qucao com-
merno e agricultura da provincia resultara decs-
labeleeer-ae urna navegaeioentra os dous ros Se-
rinhem o Formoso, e entre steee o pono de Ta-
mandar, c por isso mandei abrir um canal do
reunio da camboa da Mangabeira com o rio do
Passo.
Como a presteza desta obra estova no|interesso da
rompanhia l'ernambucana, acreitei o ollererimento
que ella me fez de enrarregar-se da execugo dos
Irabalhos, polo prego do orgamemo, o sob a ins-
perr.ao da repaitigo das obras publicas, para r
sondo paga polos colres proviuciaes, em presla-
goes-
LIMPEZA DAS RAS.
A lei pravincial n. 297. determinando o modo
porque se devia ell'oiluar o calgamenio das ras, que
j vai bastante adiantado, atienden sem duvida a
una das condieoes ndspensavets para o aformo-
seaineiito desta capital. Entretanto convinha a-
doptar ainda nutra medida nq menos proveilosa,
a que os rocino- da invasao da epidemia vieram
converter em urna necessidade palpitante. FaJIo
da limpeza das ras.
Sem poder contar rom auxilio completo por par-
te da cmara municipal, cojos bous desejos eram
esiorvados pela doininnia quanlia de 6:0009000
volada na lei do orcamenlo, resolv crear um coin-
panhia do trabalbadores, que se crcupasso especi-
almente da limpeza da cidade, mesma cmara, a quem franqoeei pelos cofres ge-
raesa quantia do 12:0009000, em duas preiia-
eoes.
Pondo-so esgolido em tres mazos a primeira. na
importancia de 6:0009000, mandei dar segunda,
recommendando per essa orcasio a cmara que a
coiilinucao do servico fosse entrelida rom os moios
ordinarios da muniripalidade.logo que lirassem lim-
pas pela rompanhia todas as ras o pragas.
Embaracada por nao pudor sustentar lao anil-
lada despoza, a cmara limilou-se a formular al-
guns arligos de posturas, eslabelecendo o modo de
so fazer a limpeza publica e particular da cidade,
aos quaes del minha approvacao em 20 de novem-
bro ultimo. E deelarudo-ine ella posteriormente
que vor-so-hia obligada a dissolver a rompanhia de
traballiadores, |"ir nao ser possivel mant-la achan-
do-so quasi exhaurida a somma que havia conce-
dido, lomei a deliberago do auxilia-la pela mesma
verbasalubrdade publicarom a quanlia de.. ..
6:0009000 por nao me parecer conveniente para-
lizar um servico do lamanha utiiidade, principal-
mente n'uma quadra em que. arhando-se a epidemia
rs., falla apenas a eoborlura das meia-aguas do
centro, a terminacao do muro de circuito, bem
como o reboque do interior, pintura, e remates o
que se poder fazer em dous ou tres mezes, medi-
ante a somma de 4 a 5:0009000.
Os embaraces irazidos pe a epidemia, aggravan-
do consideravelmenle os que j resullavam da Ion-
ilude da localidade, c da falla de ohreiros, cujos
salarios foi necessario augmentar, deram motivo
para que os irabalhos nao lenham podido. ser exe-
culados com maior presteza c menor despendi.
A.V1INISTRACAO DO PATRIMONIO DOS
ORPHOS.
A neecila de'te patrimonio no anno lindo, com-
749357,
parada com a despeza, qucmontou a 28:
aprese ita contra a caixa urna diiTeenri de
1:80; S> 129, proveniente nao so da sup'resso do
subsidio de 3:OO03?O0O que fora rolado.na lei do
onjammtode 1853, mas tambem dos despondios
feilos i om a readilicarao e concertos de alguns
predio,.
He verdade que o acrescimode 3:1599858, que
so obti ve na ultima arremataco das rendas do pa-
trimoi o, elevou-as a 31:1409478. Mas esla
quanii i, embora reforcada pelo producto da lotera
que fi; correr em virtude da le provincial n. 330
de 19 de abril de 1854, he todava nsulliriente
para obrir a cifra de 41:2539880, em que no
respec ivo orgamento so ealculam as despezas pro-
vaveisdo anno crreme.
Ertende o conselho administrativo, que a reno-
varan do subsidio, de que cima fallei, modificara
um nbuco aquella desprojiorgo, e ir salisfazendo
as nepessdades que elle menciona em seu relalorio
Pelalminha parle, emendo que seria conveniente
auxiliar elcazmente o patrimonio, principalmente
as circuinslancias actuaes, em que se deve dar
asylp ao grande numero de orphos, que a epide-
mial reinante lem deixado expostos mizeria.
collegio dos orphos tem actualmente 59 edu-
candos, c grande numero delles mosira aplido pa-
ra a mostea. A aula do primeiras lenas he fre-
quenlada por 49 alumnos, todos com boa idole, c
a huir parle com aprovcilamenlo.
'Para conservag-o o seguranga do edificio de
Sania Thereza sao precisos concertos mui dispen-
diosos, dos quaes se vo fazendo os indispensaveis,
conforme as forcas do cofre.
O collegio das orphas roma 45 oducandas, sen-
do 18 exposias, alem de 3 pensionistas. Todas
tem procedido bem, o 9 moslrain bastante appli-
raroe adianlamento. Fallecen urna orpha, ea-
sou-se oulra, e urna exposia foi entregue admi-
nistrago dos eslabolecimontos de caridade.
Em vista do que me representou o conselho
administrativo, nomeei por portara de 17 de fe-
vereiro a Anua Francisca da Silva para substituir
professora do primeiras letras durante os seus im-
pedimentos. Nao pudo ainda provera eadeira de
msica, por nao haver encontrado pessoaque esteja
lia condico do artigo 6Sji dos estatuios.
Com a remocao dos expostos para o edificio om
que estere o lyceu, licou o collegio das orphlas or-
i'iipainlo toda a casa da ra da Aurora jmiIo prego
animal de 1.1009000, a contar do Ido novem-
bro ultimo : e o conselho traa do alrangar do pro-
nrietario um arremlamento por 6 anuos ao menos.
Nao obstante, porem, acbar-se agora o collegio
mais bem acommodado, julgo que ser conveniente
l'onstrnir-sc una rasa com as necessarias rondic-
bes, ou Iransferi-lo para o edificio onde em Olin-
|la esleve a Faculdade de Direito, despendendo-ae
bom *so a mdica quanlia qve indiquei no meu re-
lalorio passado, e com a qual ver-s ha o palrimn-
[o alliviado de um onusqoe ellecarrega annual-
neule.
| Os cstelutos que organisoi tooml poderosamente
nonrorrido para o resultado satisfactorio quo apr-
senla o rgimen interno de ambos os collegios, co-
jos emprogados cumprem bom os seus develes, sc-
biindo me informa o ronsclho administrativo que
inuito so lem esforgado em promover os interesses
Ido patrimonio,
ADMINISTRACAO" DOS ESTABELF.CIMFN-
TOS DE CARIDADE.
No anno finanreiro lindo a nnsires semestres do
orrente a vereita daquella estaludi^mentos mon-
ou em H0:354S)IU4, romprehendendo-"!- nesla
[uaotia 90:7349227 relativos ao anno de 1854 :
lendo a despeza orgado em 132:3899087, rosul-
touosaldodc 7:9659440, como se veri dos ba-
la ngos.
A pozar do nao poder contar com recursos mais
ampios, a adminstrago nao deixa de ir fazendo,
embora mu lentamente, os grandes reparos de qno
necossilam os predios do patrimonio, que pelo
seuosta.oderuinaconservam-.se fechados ou sao
arrendados por metade de seu valor: donde resul-
te a diniiniMcao que lem havdo nos rendimenlos
do mesmo patrimonio.
He verdade que foi elle accrescido com 24 pro-
priedades na importancia de 100:0005000, doa-
das por D. Joaquina Mara IVcra Vianna, com
a condico de se Ihe pagai a qnantia de 3:0005000
annualmcnte : mas contra essa doacao honequem
movRsse urna acgo judicial, cujo eslado conhece-
reis do relalorio da adminstrago, ana vos ser
apresenlado.
Grande hospital.Desde o 1 de abril do anno
passado at 31 de margo do correte entraram 461
doentes, sendo 349 homens e 112 mulheres, Sa-
hiram curados 292, 258 homens e 34 mulheres :
nelhorados 40, 32 bomens e 8 mulheres ; e nao
rurados 1X, 10 homens a 7 mulheres. as 24 ho-
ras da entrada morreram 15, 9 bomens. e 6 mu-
lheres ; e depois 122, 66 homens e 56 mulheres.
Kxistem 67, 38 homens e 29 mulheres, entrando
em o numero total 9 alienados, que sero remeta-
los parao Hospinodo Rio de Janeiro, seo gover-
no Imperial me conceder para isso a necessara au-
iorisago, queja solicitei.
Na enfermara do corpo de polica entraram at
a mesma dala 189 pragas, alem das 33 que j l
eslavam. Sahiram curadas 192, memoradas 6,
nao curadas 40. Morreram as 24 horas da en-
trada 2, e depois 6. Exislem 12.
A confrontago dos mappas demonstra que a
mortalidade tem decrescido : e se a mor parta dos
doentes nao invogassem a caridade publica quando
j se acham redondos a um estado incnravel, tal-
vez so podesseaprosenlar um resollado ainda mas
satisfactorio. O cerlo he que das pragas do corpo de
polica, qua sao recolhidas ao hospital logo no prin-
cipio das molestias, apenas 8 suecubiram ao passo
que sahiram curadas 129.
Nao lem sido possivel admiltir maior nnmero
de enfermos no grande hospital de caridade ; pois
que, ainda quando a adminstrago nao luiassecom
1 falta de meios pecuniarios, ver-se-hia embaracada
pela insufiiciencia da casa.
Felizmente porem, o hospital Pedro II, cujas
paredes do lango da frente vim encontrar na allura
do priraeiro iravejamento, quaudo tomei conu da
adminstrago desla provincia, afcha-se hoje eom
toda a frente coberta, e com muilas obras interio-
res ronsideravelmenle adianudas, conforme veris
da minuciosa exposgao ( documento n. 13 ) que
vem apponsa a este relalorio. E acredito que Ti
continuantes a volar os necessarios fundos, nao
estar mu longe o dia em quo aquelle vasto e ma-
gesloso edificio podera oft'erecer eompiodo abrigo-a
a umerescido numero de enfermos indigentes.
Al 3t de margo ultimo a despeza da obra havia
importado cm 133:15149700, comprehendendo-
se nesla cifra a quanlia de 4.4355880, que se
idespendeu com a compra de um terreno e olaria
contiguas mencionada obra, e com a factura de
quartos para loucos, no grande hospital de cari-
dade.
No hospital dos lazaros exisiiam at o 1 de abril
do anno passado 37 enfermos, 19 homens e 18
mulheres : de ento para c entraram 12 10 ho-
mens e 2 mulheres : sahiram nao curados 2 ho-
mens : morreram 17, 7 homens e 10 mulheres ; e
exislem 30, 20 homens e 10 mulheres.
Nao obstante a boa situaro e su lucientes propor-
coes daquelle edificio, nem um enfermo pode al
hoje sor curado da elephaniasis : o que prova qua
diente desla terrivel molestia* medicina nao tem
sido menos inproficua do que os pretendidos espe-
cficos lao precooisados por alguns cutandeiros.
Casa dos esposlos.Em 2 de dezembro foi este
astobelecimento transferido por minha ordem para
o amigo hospital do Panizo, onda se lizeram as
precisas acommodagoes, que inmorlaram em
2:2045805.
Exisiiam ate o 1 de abril, 306 expostos, sendo
131 meninos e 175 "--" |^lrsp dalii por
dame 100, 40 meninos e 5.4 meninas : sahiram
2. Moreram as 24 horas da entrada 7, 3 meni-
nos e 4 meninas; e posteriormente 119, 56 me-
ninos e 63 meninas. Existem actualmente na casa
71, 13 meninos e 58 meninas e fora 207 sen-
do 105 meninos e 102 meninas
Convencida de qne por meio de urna associacao
de pessoas bemfazejas poderiam os eslabolecimen-
losde caridade reoeber urna cooperaco mui valio-
sa, a respectiva administrago resolveu instaurar
neste cid.ada urna innandade de Misericordia, qua
ja conta mais de 170 irmos, entrando neste nu-
mero muilas pessoas gradas da provincia. Acha-se
organisado o compromisso, que vai ser submeltido
vossa approvago.
He de esperar quo essa ulilissima instituirn,
fortalecida pela valiosa prolacgo que Ihe fora con-
cedida pelo nosso augusto monarcha, venba a ser
um forlissimo estoio para a elasse dasvalid, que
nao oessara de bemduar o fervoroso nteres com
que os dignos membros da adminislraco team pro-
curado ampara-la.
IRMA'AS DECARIDADE.
Apezar dos obstculos que em coiisequencia da
guena do Orintese oppuzerara vnda das ir-
mas de caridade, romo vos informe no meu
anterior lelalorio, raiierei meus pedidos ao nosso
ministro om Paris para que promovosse a passa-
gem dessas piedosas mulheres, aulorsando-o a sac-
car sobre a thesouraria provincial a quantia que
ainda fosse precisa, alem da quo j l eslava.
Respondeu-me o ministio que subsistiam as
mesmas difliculdades ; e que quauo ao dinhero
seria melhor que daqui fossem ledras na impor-
tancia total da quantia necessara.
Em 28 do novembro insist na vnda das Ir-
mas de caridade, remoliendo mais 4,100 f.,
que com os 4,800 que o ministro ja tinha, da-
vam a somma de 8,900 f., que segundo as des-
pezas por elle indicadas eram indispousaveis
para seis irmasc um padre lazarista ; isto he,
para passagem, ajuda do custo, ^e indemnisa-
go ao Instituto.
Em oflicio de 30 de Janeiro des"lo anno derla-
rou-me o ministro, que pelo lado pecuniario nao
havia embarago algum ; e que renovando elle as
suas supplicas perante a superiora geral, pode al-
cangarapromessadela>rar-se o conlrato, que s
loria vigor depois de ser por mim approvado. E
por essa ocrasio lamhem me ponderou que, se-
gundo a regra do instituto, nao podiam dexar de
vir dous padres Lazaristas.
Aceilei essa nova condico em 22 do mez pr-
ximo passado, transmittindo para isso ao ministro
os poderes especiaes.
Finalmente, poroflicios de 18 c 22 de feverei-
ro uliimo observou-me o ministro a conveniencia
de dirigir-seo Sr hispo diocesano superiora ge-
ral, e ao superior geral dos Lazaristas, que he o
primaz da ordem : o que sobre ser conforme aos
estyloseprecedentes, fora platicado pelo Exm.
arcebispo da Baha. Alm disto remelieu-me um
projeclo de contrato, pe'o qual as irmas deverso
sor nicamente empreadas no servigo interno da
casa dos expostos ; condigo que no opinio do
ministro a superiora poder modificar. O que
ludo se conhocera melhor das copias do projeclo do
conlrato, c dos offirios ja rilados que vos sero
prsenles.
TI IE AIRO PUBLICO.
Tendo terminado a 31 de abril do anno (indo
o prazo do Contrato que celebrei com a sociedade
empresaria, e do que vos dei coma no meu relalo-
rio passado. permitti que coinpanhia dramtica
rontinu3ssea dar represenlagoes, sem receber sub-
sidio algum. E assim irabalhou o theatio, mui
regularmente, por espaco de 7 mezes, poupando-
se ao cofre provincial a quantia do 12:000 con-
cedida a urna rompanhia lyricn. que indo contra-
tada para a proiinria do Maranho, demorou-so
nesta capital, onde deu 5 recitas no decurso de
dous mezes o alguns dias.
Pareeendo-ine ronvenicnle tentar um meio de
manler o nosso lheatro sem subvengo alguma,
resolv aprovetar-me da faculdade concedida pelo
S 2 do art. 16 da lei provincial n. 364. e contra-
lei com Raphael Lueci a empreza por 8 annos,
mediante as cond ic."- que veris do documento n.
14. obrigando-se elle a apresentar urna rompa-
nhia I) rica, o outra dramtica, rujas represente,
roes devero comecar no primeiro de mato do am-
MUTILADO


ILEGIVEIi


8IIRI0 P5IUIUCI TUCA FIM i DI Mili
.
3
no vindouro, sob rwn de urna multa de 1:000,
que se arha competentemente afianzada.
Se o emprezario puder realisar os bons desojos
que manifest, a cumplirs obrigacoes a que se
sejeilou. ler-se-ha urna distracoo variada, que
sem cuslar o menor dispendio ao cofre publico,
nm por isso ser mui pesada a populado ; pois
que os precos de entrada ot agora conservados,
s se poilero alterar para os espectculos que ex-
cederem nao s aos 30 que o empresario so com-
prometa a dar animalmente, mas tambum aos que
devem lar lugar nos dias do grande galla ou Testa
nacional.
COLONIA MILITAR.
Seapezar dos meus bons desejos, nao me foi
anda possivel visitar a colonia militar de Pimen-
leiras, tenho ao menos a satisfacao do sabor que
ja se ada mui 3onsidera\olmente melliorada a
facebem poaco lisongoira que ella apresentava
quando tomei conta da adminislraeao desta pro-
vincia.
Por falleciraento do capitao Feliciado de Souza
o Aguiar, nomeei para o lugar de director o mui
diligente capitao .loso Gomes de Almeida, que cn-
trou em exercicioa 11 dejunlio ultimo. Em
pouco mait de dez mezes lem elle dado grande im-
pulso s obras da Colonia, de maneira que vo em
andamento o quartelecasa para as oflicinas, e
acham-se definitivamente edificadas 9 casas de li-
jlo, roberas de lelhas, envidrarlas e pintadas,
que servem do residencia ao director e mais em-
pregados. Duas eslao solTrivolmenle mubi-
liadas.
Conslruio-so tambera una outra com 05 pal-
mos de eompriraento, para servir provisoriamente
de oapella, que ja tem a imagom de iXossa Senhora
da v.onceic,ao, padroeira da Colonia, o os para-
mentos uccessarios para a celebrarlo dos actos re-
ligiosos. O director nata de substituir por um
oro a cerca de pao a pique qne guarnece o cemi-
torio. -
Existem duas otarias, dando trabalho a .1 Colo-
nos, que lamberu se oceupam no [alineo de lelhas .
o um forno em quesepodera cozer 16 a 17 mi-
Ibeirosde li,olos.
De combinacao com o Exm. presidente das
Alagoas incumb a demarcado da legua quadrada
da Colonia ao capitao Joo da Gama 1 .olio Bcnles,
auxiliado pelo capitao .de artilbaria Brasilio de
Amorim Bezerra : mas leudo sido o capilo Ben-
les, em eonsequencia da epidemia reinante, cha-
mado para o seu posto na colonia Leopoldina, don-
de lie director ; ordenei quo, emquanto elle nio
voltasse, ii capitao Rezerra osse continuando os
trabalhos da demarcarlo.
No dia 5 do corrente fpi lancada en acto so-
lemne a primeira pedra da, capella,, como consta
do documento n. 15.
ADMIMhTRACAO' DA FAZENDA PRO-
VINCIAL.
^ Segundo o- relatorio do inspector o trabalho da
secretaria est emdia. O atraso dos da contadoria
de que ves fallei no relatorio anterior, tem-se po-
dido vencer ; restando apenas por fazer a escrip-
lurar;o dos livros mostr o diario, pertencentes ao
segundo semestre o timestre addicional, atraso que
elle esperava (car vencido at o ultimo de feve-
reiro.
A pagadoria acha-sc com o seu servido em dia,
mas tendo-se-lhe ltimamente accumulado mais o
de duas caixasda divida provincial, ficando assim
com sote caixas effectivas de diversa* rocallas e des-
pe/as, nao he possivel que sem augmento do pes-
soal, continne com a mesma regularidade.
Commissao encarregada das comas da amiga
thesouraria. -Proseguindo nos seus trabalhos,
roncluiu o exame das contas do exercicio de 1846
a 1847, e continuando as do ultimo oxercicio de
47 a 48, suppunha o inspector que ella terminas-
as o seu trabalho dentro do prazo do contrato, a 11
de marco : mas por officio de 18 do mesmo moz
derlerou que nao tendo a coromissao salisfeito a
sua expectativa, mandara impor-llie a multa do
contrato.
Commissao do exames das contas dos exercicio.
do 181S a IS52Conseguid ella o exame das
contas do consqjado pajttnrcntcs a dous exercicios.
Resla-lhe MiaHMafi rontas da dita repartiran
relalivcs a exercicio de 18-">1 a 1852
Espera o inspector que ella o venca ate ao lim
do corrente exercicio.
Commissao da liquidarlo da divida activa dos
exercicios anteriores ao de 1832 a 1853.Te<-
minou lodooseu trabalho no lim de jnnlio ultimo,
Como excedeu por 5 tuezes prazo do seu contrato
trabalhou gratuitamente durante os mesmos 5 me-
zes. Em attencao porm a importancia do traba-
lho, e doasseio e exactido com que foi ftilo, so-
gundo informouo inspector, inandci por oflicto de
30dejunho, por equidade que nao perdesse ella
os dous por cento de toda a divida que Uquidou c
oscripturou, e os quaes tinha direito pelo mencio-
nado contrato.
Acha-se concluida a liquidado e escripiuragao
da divida activa dos referidos exercicios, que iin-
portou sm 238:739*150, sendo os devedores
8,406; 1,157 devedores pagaram 37,2-219019.
Consulado provincial.O inspector da thesou-
raria continua a instar pelo augmento dos dous
empregados, o para que se deem maiores comino-
dos a essa reparticao, conforme reclama o respec-
tivo administrador, que tamben] apona a neces-
sidajeda demarcarlo dos limites desta cidade,
dentro dos quaes se devam pagar decimas, e urna
nova numeraco das casas sujeilas a csso im-
posto.
Collectorias.A' exceptjao da de GoiannaeRio
Formoso, cujos collectores forara demittidos e res-
ponsabilisados, todas as mais continuam regular-
mente, e eslao em dia na entrega da renda que
cobram.
Creou-se urna collecloria na comarca da Roa
Vista, para a cobranza do imposto sobre escravos
exportados para fura da provincia, por constar que
dalli aro para o Cear e Rahia. E reclamando
contra islo o arremamente dos impostes daquclla
comarca, resolv que nao lendo esse imposto entra-
do na arrematado, tralasse a fazenda do cobrar o
seu rendimento desde a crcacao'da collecloria, e
nao antes.
BALAMCO DO EXERCICIO DE 1854 A 1855
Arrecadou-so no exercicio prximo lindo a quan-
lia de 855.001*9352 res, maior do que a de
80,70259988 reis do exercicio .interior ; dilTercnca
esta que procedeu principalmente dos direilos de
exportafao, da decima dos predios urbanos, da di-
vida activa, e do pedagio, que muilo excederam
procedente arrccada;ao, como explica o inspector
em son relatorio.
Se aquella arrecadao.io juntar-so o saldo do exer-
cicio anterior na importancia do 178:0039752, c
os 60,0009000 concedidos pelos cofres geraes pa-
ra os reparos dos estragos das chelas, teremos a
somma de 1,093,40059104 reis.
A divida activa rcmellida para uizo no exerci-
cio prximo lindo importou em 49,8008061, sen-
do em letras i, 8259760,e dos imposios que nao sao
arrematedos e das multas44,983a301. A cohran-
radessemesmo exercicio foi de 73,l223663,sendo
em letras 10,99259401; de restiluicoes5,2295J695 ;
de multas 1,30939695; de juros 537,929; ede
iroposlos que nao sao arrematados 54,9823872.
A despeza do exercicio (indo importou em
961:49859775. tendo sido a das obras publicas de
397:9238517.
Algumas ronsignaeoes dcixaram sobras na im-
portancia de 114:2298742. Oulras porem fo-
' ram excedidas em 161:13559098: sendo portan-
te o total do excesso das ditas consignacous acuan-
tia de 46:9059256.
Confrontndose a reeeita coma despeza ve-se
que ha um saldo do 1.11:5008369, incluindo-se
ncllea quantia.da 100:00059000, que antes de
terminar o mesmo exercicio passon para o corren-
te, afim de anxiliar suas Jespezas.
EXERCICIO CORRENTE.
A arrecadacao do i. semestre do exercicio cor-
rente andou em 421:339585, maior do que a de
125.66659129 relativa ao primei'o semestre do
exercicio findo. Unindo-se a esta arrscadacao o
saldo j mencionado do exercicio prjimo findo,
o o movimciilo de fundos, telemos 552:9058954.
A despeza total do 1. scrreslro neste exerci-
cio orcou em 383:59759351, sendo a das obras
publiras na importancia de 162:19239272, inclu-
sive a extraordinaria de 12:18259006 feila coma
obra da casa para o gymnasio. Houve porunto
um saldo de 169:3089603 rs.
A' vista do que pode-se concluir com o ins-
pector: Oue sendo a rcceila doste exercicio oreada
em 746:8969000, e jnntando-se-jlhe mais o saldo
do exercicio prximo findo na importancia do
131.500,309 rs. o tambera o dxcesso provavel
de 93:000,000, termo medio, do excesso da re-
eeita oteada nos tres ltimos exerejeios; bavera' no
corrente exercicio una renda nao Aiunor de......
971 396,000 rs., da qual abalenJo-sc 90:00039
que serio precisos (como termo medio nos exerci-
cios anterioras) para completar a despoza a fa/.er-se
no 1 semestre do exercicio prc-ximo vindouro,
restam 881:396,000: quanua oue comparada
com a da despeza decretada na importancia de
895:783,999, da a draVenca de 114:387,999 fe
despeza sobre a roceita -. o que nada importar
porque devem ha ver sobras do algumas consigna-
cues.
ORi;AMENT()I>ARAtsS(Al857.
A tbesBuraria on;ou a reeeita d futuro exerci-
cio em 798:157,000, e a despeza bm igual man- j noy compuz.
lia, destinando somente para as obras publicas em
execueo 23:282,590. Oque ludo se vertido
respectivo balaneo.
EMPRESTIMO PUBLICO.
Para execueo da lei provincial n. 354 de 23
de setembro de 185 exped o reglamento de 15
de maio do anuo passado, quo vem appenso a este
relatorio; e imprimiram-se as apolices, que dopois
de assignadas foram debitadas ao' thesoureiro da
thesouraria, e levadas a una caixa especial.
At o ultimo de dezembro proxiuto findo foram
emittidas estas apolieds na importancia de 3J;6(l
rs., dando-se era pagamento aos arrematantes de
obras publicas ; e lendo elles dirn ao recebimen-
to de 105:480,094, restam dispoaiveis......
00:969,096 rs.
ASSOCIACO'ES E EMPREZAS.
Companbia de navegacao costejra a vapor
Ouando tomei posse daadministracj', ao.hava-sc es-
ta empreza mui desalentada, o os cidadaos que esla-
vam a sua frente, posto que de ricotihecido pa-
triotismo, tencionavam abandona-la) receiarido meo
resultado si contassem somente coiji as concessos
declaradas noMecreto n. 1113 de 31 de Janeiro de
1853. i
Reconhecendo o qnanto periferia >i adinntamen-
da provincia si aborlasse urna lao til ctploracao,
enlcndi-me com os concessionarios prometlcndo-
Ihes da minr.a parte toda a coadjuv icao no sentido
de promover algumas modifeanfjM aquello de-
creto.
Em 24 deoulubro do me:;mo atino nformei fa-
voravelinenlea peticao por ellesdirigida aogoverno
imperial, que logo se dignou atle|ide-los fazendo
baixar o decreto n. 1478 de 22 dfe novembro de
1854, em que se eslabelcceram no as concessoes,
em rela^o nao s ao augmonto de Subsidio, como
aos portos deescala c numero de vagens.
Por esse lempo ja se achava na direc^o da em-
preza (em virlude de ccsso qne do privilegio fize-
rain us primeiros concessionarios) lineo animosos
negociantes, que muilo se leein esfe^rcado pela pros-
peridade da companbia, que ficara a bom caminlio
com aquellos auxilios, e com o auf ment da sub-
vencode 10:000,000 rs.. approvada pela lei pro-
vincial n. 359 do anno passado.
Para melhor eslabelecerem ser)
lo
cia das primeiras autoridades o pessoas gradas,
que ludo se lavruu o termo junio por copia.
.la por outro ministro, o Kxm. Carvalho Mo-
reira, foram rerebidos os novos plenos poderes do
que fallei; o eniiio, com a mesma solicitudo que
havil empregado o seu digno predecessor, conti-
nuou no mandato, officiando-moacerca dos termos
em que pretenda realisar as raodifieacoes, as quaes
com effeilo se lirmaiam dormitivamente em 3 de
novembro (copia n. 16.)
A 8 do feveiciro, antes das noticias de paz, fo-
ram lanzadas no morcado as actes da companbia,
e com lamanha fortuna, quo 48,000 se veodeiam
logo om-Londres rom gcral aceilaco, lirandu
12,000 reservadas para o Biaiil, das quaes foi
portador o concessienario Alfredo Mornay.
Em virlude de recommendacoes do ministro bra-
sileiro, a dlretco da companbia conviuou-me para
escolher as pessoas que comigo o com o Mr. Mor
-oin a cdmmissDo que tem de dislri
huir as mencionadas 12,0() acones. O quo se
arlia salisfeito, existindo ja tomadas Desta ptovin-
cia muilo mais de 4,000 aco5es, nao obslanto se-
rom otTorecidas no estado deploravcl a quo ,nos tem
arrastrado a epidemia.
Mil grecas ao governo imperial, mil gracas ao
corpo legislativo geral e provincial, e innuos ap-
ausos a lodos quanlos prestaran! o seu contin-
uo para tratar do una familia composta de 10
mais pessoas, u n'uma quadia como a arlual.
Pedimos a ccria senhora, que lem a casa,
cholera em Inhamlmpe c Subama ; conlinuavam
a ser soccorriilos ila capital, ja com medicuje ja com
medieamenloi c geaeros.
cuja casa dinguili-dinguih, leu, um quintal ca- ^^Z2% ^
jo quintaldinguili-diogUlll tem um craveiro, i demia, us Dn. Jos l.oorcnco de Magalhle, Tiis-
cujocraveiro dinguili-dinguili don um cravo I''1u "er|ri<|ues Costa eJoao Antonia Saraiva
eujo cravo dinguili-dinguili foi oferlado.,..! bendo arios, eos o
que deixe-se de andar appellidando a quera s tem I
respeilos para tributar sua pessoa.
ra o portos do norle principiam-se a fechar hoja
Nom ludo dizer so pode
Assiin requer a prudencia :
la Ihe disse umitas vezas,
Tenha santa paciencia.
Consta-nos qne no sabbado (19 do corren tej
dopois das aulas acadmicas, em um dos saines
desse edificio, reuniam-sc os socios do Alheen
Pornambucano. afira de nomuarem por escrutinio
secreto na forma'dos .respectivos estatuios os inom-
bros que deviam compor a nova mesa. A sesso
segundo as informacoes, foi presidida pelo Sr.
Joo Alfredo Correia de Olivcira c Andrade, o ser-
virara de secretarios os Srs. Ayres de Albuquer-
que Gama, e Francisco Ferreira Correia.
I'oram mais votados para presidente ellectivo
os scnhorc3 :
Fernando Alves do Carvalho \\ votos,
.oo Alfredo Correia
trapiches em
Tamandar, e Tapissuma em Gonna, concedi-
llies por aforameuto a porro que
trrenos de marinha naiiuclles lugares.
requereram, de
Foi aqu recebido com a maior j
meiro vapor Mrquez de Oiinda
alisfacao o pri-
que depois de
fazer urna digresso a corle, aprfcsentou-se para
cnq|ei;ar, como com effeito COlDocoolo curso de sitas
viagens, tocando em Macelo, um tos portos da os-
ala, em 30 do novembro ultimo ; e*desde ento
;enle patritico,a estrada de farro do I'ernambu- (,anla e l,il)5''0 da Cunha
co nao he mais um problema. \ ojo com a maior
satisfaco militas libras esterlinas empregadas no
mclliorameiito material do men paiz. Esli prcen-
Para vice-presideiito os Sis:
Henrique Pereira de Lucena
.loo Alficdn Correia
'" -'m-.-iii i tu i \\j i i i \ -.. i i ,i i i i- i i i- i i 'Mi. Ii-hlll MI ym|- j
chidos os meus mais ardeiilcs votos : o resto perln- Francisco Pinto Pessoa
entrn a companbia nog/.o da subyenraoconcedida
pelo governo geral e provincial.
De rolla de sua primeira viagemiao norte, don-
de vinho perfeilamonte carregado, 8 a sobrou in-
felizmente na barra de Goianna a 9 de marco, in-
lerrompendo a=sim o prn;resso da Mnpreza.
Consla-me que por deliberacao da assemblea ge-
ral dos accionistas, mandn a directora fretar um
vapor no Itio do Janeiro, para poder dar cumpli-
mento as condijes do sen contrato1.
Fabrica de tecidos de algodo,4-Aparlando-se
Francisco Maria Duprat da dirocc.aoi administrativa
da companbia, por nao concordar leom ella sohre
os ineios da execu^o da empreza, convidou os ac-
cionistas para formarem uinasociqdade em com-
mandila, que foi com effeito organisada em 12 de
novembro ultimo, eja conta mais do 200 i--i ; na-
turas. Entretanto a epidemia reinante parece que
lem feilo retardar a entrada da| primeira pres-
tarlo.
Illuminaco a gaz.Trato de ultimar um con-
trato para a illuminaco a gaz, na formada auto-
lis.-n; i'i que me foi dada peloarl. 1K da lei do orna-
ment vigente : e logo que puder blcr um resul-
tado definitivo,o que espero ser mui breve-
mente,dat-vos-hei sobre tal objelo as necessa-
rias informarjcs.
Estaleiro patente,Esta utilissima empreza
que dei a maior animaro conceileido todo o auxi-
lio quecabia as minhas attribuifres, acha-sebem
encaininliada, e comecadas as obtas preliminares.
iNo tenho pois duvida alguma de que ella em breve
lempo remover as grandes dillic ildades que ar-
tualmentesu|)|ior>a a navegafao o < commercio.
ESTRADA DE FF.R 10.
No ineu relatorio do anno passa lo dizia cu que
essa gratule empreza, um dos objectos da convo-
caco extraordinaria desta assemblea, havia de
iriiimphar dos grandes obstculos Le so Ihe ante-
punliam. Felizmente assim acont^u.
Ilepois do que naquella oci-asiaoTvos expuz, re-
cebi officio do ministro em Londrfs, o Exm. ron-
sclheiro Sergio Tcixeira de Macedb, apresentando-
|>ne as difliculdades com que anda lulava a empre-
za de Pernambuco, nao obstante sur a que se acha-
va mais adiantada, visto como os alanos c o'ce-
mentos liaviam sido bom calculados, aceitas ja
pelo coniratador Rrassey, e aprovados pelo gover-
no imperial. A garanlia addicional de 2 por cen-
to concedida por esta assemblea tinha sido reme-
dio cllicaz contra as difliculdades suscitadas no
mercado por causa da guerra do Oliente I e toda-
va novas emergencias provocaran!! novos eslorcos
do nosso ministro, quetambeni foji autorisadi pa-
lo governo imperial para remover jas eslorvos quo
podan] nascer de algumas condiedes da coneessfo.
Alinal assignou-se n contrato enji Londres a 29
do raarc.o.
Mas nao se podiam emittir as icones sem um
conlralador, que se compromet isso a fazer as
obras |ielo proco oreado. He vedado que Mr.
Crassey j bavia dado sus palavr; : mas quando
foi chamado para cumpri-la rocusifu-se, allegan io
ora o embaraco em que se aehava rom oulras
obras, ora que o ornamento de Mi. Borlhwikc era
baixo.
Foi iiecessario, avista disto, que o nosso minis-
tro ainda ora 7 de junho, procuraste pir os conces-
sionarios era commtinicaeo com outro conlralador
muilo capa/., reconhecendo todava aT indispensa-
vel alterar o orcatneniodu Mr. Borthwikc.
Dessa altera$ao resullou a necejsidade de solici-
larcm-se algumas modfica^os no! contrato assig-
nado, que foram concedidas pelo t(ecrelo n. 1C29
de 1 I de agosto de 1855.
Era necessarioqueo governo provincial tambera
inlerviesse nessas mudificaces; o por isso ent'21
de agosto lemelli logo ao ministro planos poderes
para que elle por parle da provincia fizesse s con-
dicoesdo contrato celebrado em 29 de marceo as
modfieaees. que, proporno guardada, licassein
em harmona com as que erara e:.Uio feilas pelo
governo imperial, sendo respeitado o espirito da
lei provincial n. 353 de 21 do setembro i\a 1854,
e natruct;oes comidas qpoflicio dal presidencia de
20 de novembro do referido anno, e j publicado
no meu relatorio anterior ; cora restrieco, porem,
de queso se estenderia a garanlia addicional a 90
anuos, ("como fez o governo imperial) no caso de
por outro modo nao se poder ultimar o con-
trato.
Tal era a conlianca que os directores provisorios
da companliia linlum na proteceo que o oterno
geral e provincial prestaran) empreza, que quan-
do Mr. Mornay anda levava para Londres os no-
vos plenos poderes para a coucluso do contrato,
ebega no paquete de setembro Mr: George Fur-
noss, agente da eompanhia, para celebrar solemne-
mente o cometo dos trabalhos da estrada : e esse
acto teve lugar com a maior pompa no'dia 7 de se-
tembro, anniversario da independencia do rape
rio, pelas 4 horas da tarde, na ilha do Nogueira,
no fervor do mais completo regosjo, com assisteu-
ce ao futuro, que nao pode dcixar de ser prospero,
se continuadnos a ler uizo e perseverancia.
LOTERAS.
Teni-so continuado a colher bom resultado das
medidas mencionadas no relatorio passado a respei-
to das loteras, queso achara firmemente acredita-
das pela prompta oxiraeco de scus bilhetes, e rc-
ular andamento das rodas nos dias prelixos.
De marco do aniio lindo a marco do andante
corrern] 28 vezes*as rodas das loteras, produzin-
do para os concessiona ios 81:8405, c para a
fazenda 40:8709, sendo 20:0208 de direilos de
8 por cento, 20;850V de sellos.
O providente decreto n. 1727 de 20 de fevercira
conU'in lioas m-- ti I i. nutire rraccinuainenlo doi
bilhetes em cautelas. Logo que u recclii com o avi-
so do' ministerio do imperio de 27 do referido met.
remctli-o por copia ao thesoureiro da* lotera, ao
chele de polica, e a lliesuunria. para ter a devida
exerucilo.
Seoliores membros da assemblea legislativa pro-
vincial.Nao devendo almiar mais da vosa be ne-
vla attencao, lindarei aqm o meu desalinba.lo ilis-
eorao; e como nao cunto ler mais a dislincta honra
de dirlgir-vot a palavra deslc luaar, prrmitli que
me prevalCa desta solemne eceasio para olTeraeei
i illaatrada a'uembla lesi.laiiva de Pernamliuco. e
a lodosos l'ernamliucaiios, o tribolo mais sincero
do toen profundo reconhecimeulo pelo grande e mu
Benerono apoio, com qoc sompre prolegeram a mi-
nlia irajuc/1, durante o longo espado de tres annu)
completos, em que Iculin carregado i pesadiMiiiu
rrii que o enverno de S. M. o Imperador deposi-
tan em meas debis hombros.
A divida porlanto, com que me vejo lionera I", tic
lio enorme, que a considero io-nlvavel para um ile-
velor Uo humilde. St au monos podene en con-
vencer aos meus comprovincianos de que n.lo pou-
pei isegundo m'o dil a propna consciencia,' esforj;o
algum para cumprir minlia ebrigsego, e fi/er a
esta provincia lodo o bem qoe o meu animo Ihe ile-'
seja,acompaiiliar-me-lua a esperanca ile que todas
as minhas fatus seriam relevadas por amor de mi-
nhas intences.
Todava o lempo, que sem duvida lie arando me-
dico, ha de curar ludas as enfermidades pioviinlas,
de minhadeleitaos* admini-tracao, deparando a esta
bella provincia pocas mais tlizes, circumslancl.i'
men* espinhosas, sauuue mais novo, vida mais ac-
tiva, e intelliuencia mais perspicaz, que a eleveni ao
grao da fastidio de que he digna, e que eu Ihe desejo
de lodo o meu coracao. i) lempo, pois, quan lo
mesmo nao l'osso a generasidada penHiiiliucana, rra-
r* sem dunda o esqueciinnilo dos meus erros.
Est aberl.ia sess.lo. ,
Rccifa 21 do abril da 1856.
Jote Ifila da Cmihn e higueiredo.
Terminada a leitura, relira-se S. E\c. com as for-
malidades co.tumailus.
Km Mguida procede-se a clticao da mesa e sao
eleiloa :
l'retMriite
O Se Barilo de Camaragilw, rom 1 votos.
I'ii:e'presidrii/e
O Sr. Jos Pedro da'.Silva, com l'.( votos.
I." rtrmhiri
l.uiz l'ilippe de Sou/a l.-aa, com II votos.*
2.' terretiifio
Sebasti.lo do Rogo Barro de l.iicerda, rom'.! votos.
Dada a hora, o Sr. presidente designa para ordem
do da a eleicAo de conunissoe-e levanta a scssaoi 3
horas da tarde,
i na a ja i.
PAGINA AVULSA.
Dous estafetas chegaram cora ollicios ao
Exm. presdeme ; um de Aguas Bellas por parto
do vigario, trazendo 9 dias de viagem, outro do
Buitiue por parte do Dr. juiz de direito trazendo 7
dias de viagem. Consta-nos que o Sr. conselhei-
ro mandara-.-- secretaria para serom convenien-
lemenle despachados, mas que foram nao sabemos
por quem despachados franceza e la foram os ho-
raens sem novas nem mandados do que vieram bus-
car. O cholera so bem que ja balido e cm retira-
da com tudohe um inimigo disciplinado, e ames-
Irado nessas partidas, em as quaes costuma voltar
a carga com inaiseiir.arnic.ainento ainda, se nao
be perseguido com lenacidade al dentro dos seus
reductos ; pelo que convem sempre haver muti-
5o sufliciente para bate-lo al la. Kis porque
tal vez os halieis generaes de Aguas Bellas e Buique
agora rcclainaram remessas de c.onhetes para que
nunca Ibes fallasse com que quemarem o ultimo
cartucho a bellidos invadidos.
iNo domingo, na ra dos Martyrios em um
asqueroso corneo, ia-se perpetrando um homicidio
so a polica com promplido nao acode, lima ve-
a, vera efligie da Coruja dos .Misterios, quo
costumava a tratar do (lenles nessa espelunca, en-
fadando-se de tratar de uinescravo.ou a;gregado do
Sr. Almeida foi com vento fresco as guellas do
pobre prelo, que por fortuna nao o axpliixiou.
Aos roncos da victima deve-so a vida desse infeliz.
A velha foi ininiedialanieiUo presa, e o doenle
transportado ao domicilio do sen senhor. Lis um
modo o mais suiimario possivel de so tratar de
um enfermo ; nos o rccomniendamos para as po-
cas epidmicas, a quera nao se "-jar de vender a
sua conscicncia, e u seu pergaminho hipocratico.
.Na ra da Senzala velha, casa com frdnle
para a ra da Cadeja habita um alfaiato (naosa-
bemos se franeoz) que eoostantemente, o nao obs-
tante as admoeslacoes, he assnluo eui laucar na-
quella ra caldeiradas; o mais caldeiradas d'agua,
acontecendo muitas vnzes s pessoas que por all
passam receberera lo excedentes banbos, que se
regalara como se pode regalar o mais perfeilo dandi,
com um banlio perfumado e nao he s islo: costuma
laucar continuadamente ra. municipalinente
fallando, cellos descomidos emhrulhados, quaes
pamonhas de creacao, que raro he o viandante,
que nao su corla em laes navalbas. Nao seria
mo que lo bom uso fosse cohibido por quera
competir.
Ao nosso correspondente W. de Podras de
logo, declarauios-lhe, quoquando usamos da pira-
se delegado de l'edras de Fogo foi nos re-
montando s pocas gloriosas dos Gramames, que
ainda boje recordara essas cru/es da estrada do Ora-
torio etc. Gonhecemos as autoridades aetuaes de
l'edras de Fogo, e Ibes nibuiamos inuila conside-
rafo.
Permita o nosso amigo, o Exm. Sr. Dr.
Correia das Neves, digno secretario do governo
da Parahiba, que Ihe tribuamos nossos sentimen-
tos pelas pedas consideraveia que acabou de snf-
frer era tre/.e do seus mais prximos prenles, o
bom assim dislincta familia dos Srs.' Mellos
Azedos pelo seiitidissinio passamenlo do nosso
igualmente amigo o Sr. major Flix de Mello Aze-
do. Sr. conego Firmino lie a V. S. que especial-
mente nos dirigimos.
Consta-nos que um sargento do 9' balalhao
de infanlaria he considerado instructor da guarda
nacional, quando he sabido que nao vai l dar sc-
raelhaiile UMtfuoeao. Muilo pode a protea:o!...
Hecebeuios nina nota responsabilisada, cuja
su:ntiia be a aeguinia : Pedimos ao Sr. M. P.
C. que be de lei, o eoslume, quando se ajusta de
partido por anuo algum facultativo, paga-se no
lim do anno, e se por algum incidente se despede
o facultativo antes de completar o anno paga-se-
Ihe por intiro : outro sin ; ipie quando se quer
que um facultativo seja rpido nos chamados, a
que nao falte remuner-se bem, nao como usa o
Sr. C. que quer que o facultativo esteja as suas
urden. pelo ridiculo honorario de 409 rs. por an-
I'ara 1 secretarlo, os Srs :
.loaquim Alvares de Azevodo 10
A. Ameriro de Urzedo li n
F. Ferreira Correia 5
Para 2- secretario os Srs:
A. Americo de Urzedo 11
F.J. Fernandos Gitirana 6 a
Para orador o Sr:
M. P. de Lacerda Wernek 18 a
Para thesoureiro os Srs :
Francisco Jos Fernandos Gilirana 9 a
K. B. L. (J. Branco 7
Ayres deAlbuquerque Gama 6
OIIIm.Sr.r.JoaquiraVilelladeCastroTavares
continua a fazer parte do Alheneu l'ernambucano
na qualidade de seu presidenle honorario, e sao
socios honorarios dessa sociedade acadmica, a qual
anhelamos mil prosperidades, os caracteres mais
nohros e eminentes que conbecemos nesla cidade,
c as illuslracoes mais recommendaveis, que nella
se a poma m."
(Juando a raainria dos empregados dos hospi-
laes foram por nos, por scrcm pela voz publica, ac-
ensados do abusos e prevarieaees, o Sr. Pestaa
ne hospital de S. Jos lirn sempre intacto, porque
estvam patentes seus servicos n'aquelle hospital,
seu desinleresse, e mais iiuo ludo sua exressiva ca-
ridade. Nos recommeiidaniosem a estirna publica,
e appcllamos para todas as commisses, que live-
ram de examinar o servido interno do hospital de
S. Jos, dirigido pelo Sr. Pestaa.
Uuvimosa serum prcto.queconduza pipa d'a-
gua a dislribuida pelos pobres da Boa-Vista dizer em
urna casa : ento ? J compraram boje agua. E
respoudendo-se-lhe, quesim; ello relorquio se-
gurado sua viagem. ./powl...no querem fazer
negocio com o prclinho !...Poder-sc-ha nego-
ciar agua da caridade ?
Asseveram pessoas desinteressada6 e habili-
tadas, que o alto preco, que ainda aclualmenle con-
serva a carne fresca nesla cidade;he nicamente de
vido a intervenego benelicente da cmara munici-
pal neste ramo de negocio, o que provam oxpres-
sando-se assim : que os agentes encarregados da
compra dos gados pela commissao da mesma tma-
ra, dispondo de dinheiro, que Ibes nao prtenos,
e so tendo em vista comprar o maior numero de
bois, cliegam a oITcreer aos donos destes um preco
muilo excedente do sen justo valor, cm rclacao ao
bom lempo, e abundancia de gados na feira, com
o que do lugar a que os marchames nao potSMI
comprar um boi, que nao sejajielo mesmo peco,
que lio vendido aos ditos agentes: ora, alem das
quantiaadespendidas com a couT(, -i do gado, oulras
muitas deapezaa indespeusaveis f. a commissao at
quo seja acamo levada aos lalhos- .-qual nao podo
ser vendida senao por prego <\m. faca recuperar o
cusi do gado, inclusive as ditas despezas -. os
marchantes ainda que nao facam todas estas des-
pezas, estabelecera o proco, que marca a commis-
sao, c o que se v be, que ha abundancia de carnes,
mais por um preco muilo elevado, e que as carnes
( como chamam J do governo sao as peiores : c por
tanto o povo soffre, e quem se aproveila da benefi-
cencia do governo sao os Joos dos gados, os mar-
chantes, agentes, administradores, cobradores, e
langedores. Parece-nos que, a bem do povo, a
quem Se dezeja fazer tanto bem, se deveria acabar
cora esta interveneao do governo no abastecirneiito
Jas carnes verdes, visto que nao corresponde aos
lins, que o inesrao governo teve cm vista, recolhcn-
de-se thesouraria, ou aos cofres municipaes o que
restar dos vinte cornos para seren empregados em
ouiros mislores do ulilidade publica, que nao fal-
lam, ccomoqueambcm se faria urna verdadeira
beneficencia ao municipio : porem far-sc-ha isso '.'
Ileoqtieduvidamos ; porque nada melhor do quo
despender o alheio, e ganhar sera trabalho, fazen-
do-se alem disso caminho pata chegar ao edn das
hondrilicas... Pensamos assim, e estamos em nosso
direito.
Os humanos o compassivosempregados de cer-
tas hospilacs cholencos (exclusive os medicos)no li-
caram desampontadoscoin a exlineao delles ; por
c|uanto sejulgam habilitados, e com direito de pre-
ferencia para seren empregados novamento no for-
necimento municipal das carnes verdes, no asylo
dos orphos, e desvallidos, na companbia de ribei-
rinhos, cujas patentes do lenles ealferes se vo
crear ( dizem elles, ) as inspectoras de quartei-
roes, nos ollicios de escrivao vagos, e as galeras
da assemblea provincial, bem que o inerecem, visto
que assassino he s quera mata com fogo, ferro, c
pao. A proposito dos hospitaos : sahe-so que fo-
ram rccolhidos os pcrieuces dos mesmos, como se-
jam, mobilia, rotipa, lou;a, ambulancia, lerem
de cozinha ole. etc. ele. menos garrafas ; no-en-
tanlo, que asseverou-so publicamente, e nao se
negou, que so consumirn! mais de tros mil garra-
fas de vinho do Pono, e quando tantas nao fos-
scm.., que he dos cascos?
Sim, ellas sahiam,
Ellas nao voltavam
E por cada um
Dous vinteus inamavaiii !
Continenlos um !... Iiontcm foi o dia da reti-
nto dos designados o apoutados por poneos, e es-
colliidos por muitos... vamos ver cm quera vota-
mos : ha illuslracoes, ha caracteres independentes,
vejamos, vejamos, e se agora licamos sob a im-
pressao do que se nos dissehe bom mo'.'O, pre-
cisahade ser urna dos peccados. Dos permita,
que para es redondas tendamos ao menos os tres
tercos, qne temos as quadradas: valle a pena; por-
que ser para bem, e crdito dos governaiites, ega-
rantas dos governadas.
Nos vollaremos
E, logo mui cedo
Porque de caretas
Nao temos raedo. fon noile.
Ale' amanluia.
reni all contratados quaulo a sua diaria.
(.mi tu/, lamben) elle para esta provincia do/e vo-
lumcs com os desinfectantes pedidos. Nao se tendo
encontrado no mercado pero.i ido de inaijanez, o
governo lomou emprestadas ao laboratorio clumico
da l-'aruldaJe de Medicina 2 arrobas dessa droga.
I'oram juslicados na Villa da ('.apella no mez
passado, o prelo Caelano, por ler morlo seu se-
nhor. e na VillaNova lambem o prelo i.uiz An-
tonio, por igual rrime.
.Na l. do correnle toinou maiores propnrees o
jornalCnrreio Sergiprweque em Sergipe te
publica; nos saudamos sua redacco que, apezar
de estar em urna provincia cm que nada se pode fa-
zer em jornalismo. pelo'scu atra/o, lado arrostrou,
atim de dar impulso a arte por etcellencia. Deje-
samos-lbe um futuro prospero, e que sejam seus es
forcos coreados por encbenles de assignanles.
III I.I.KIIM lid CHOLBRA-MOBBUS.
I'artiripariies do* hospilae*.
Hospital de S. Jos (i doenlOS, i l-mens e 2 mu-
Iheres.
fesumo da inarlaltdade.
Mor tanda I-.' do da 21 ale s (i horas da larde7.
Ilomens mulherel 2 prvulos .1.
Total da morlalidade al hoja 21 :I,2!I7.
Ilomens 1 Km mulhercs 1532 prvulos 159
Kecile 21 de aliril de 185(1.
A commissao dehygiena publica interina,
llrs. Su /'ereira, presidente.
t trino Xavier, secretario.
/. Poggi, adjuncle.
22i as :t 1| horas da tarde, e depois dessa hora pa-
gara o porte duplo ale as i horas.
Pela subdelegada da freguezia da Boa-Vista
ja epi- faz-se publico para cnnhccimcnlu de lodas as pessoas
1 residentes na mesma fretue/ia o olrio que se segu
do Sr. Dr. rbefe de polica.
Secretaria da polica de l'eruamburo 19 de abril
de I8j6lllm. Sr. lie cufurmidade com as or-
den* da presidencia contlas em ollicio de hontem
datado, reconunendo a V. S. que Hilo d auias para
eiilerramenlos de cadveres no remilerio publico,
sem que Ibes sejam aprsenla los os alte-lados dos
mdicos ou facultativos dos respectivos dislriclos.
Heos guirde a V. S. lllm. Sr. Dr. subdelegado
da freguezia da Boa-Vista. l.uiz Carlos de Paira
Teiuira.
Subdelegada da freguezia da Boa-Vista 38 de
abril de 1856.O lobdelegado,
Autnnio Ferreira Marlins Kibeiro.
4it>to *macii.Bi)s.
i nWi.-c -r urna ama para casa de rapiz toltei-
ro : na ra da Lapa n. 26, taja.
Offcrece-se um bom copeiro para qualquer ca-
sa : na la da l.apa n. 2t>, loja.
Joilo Jos de Carvalho Moraes faz sciente que
por assim Ihe convir, deixou de er seu caiieiro An-
tonio Joaquim de Brito desde o dia 20 do correnle
mez.
l.uiz Jos de S Araujo, n roa do Brum o.
22, tem para vender .'10 pipas novas de Lisboa, que
servem para deposito de agurdenle, arcos de pipa e
de barrica chesados ltimamente, vimes, ele, todo
por pre^o ra/oavel.
Egas Mua Brrelo Carutiro de Campes nao
leudo lempo de despedir-se e receber as ordens da-
quellas pessoas^que se dignaram visila-lo, prevale-
ce -i- desta meio para pedir-lhcs desculpa, e para
ollerecer-lhes seu diminuto presumo na provincia do
Kio Grande do Norte, .para onde segu no paquete
S. Salvador, era commissao do governo.
Roga-se as autoridades compelentea te dg-
nem einliaracar a viagem de Antonio Francisco da
Cunh.i para qualqoer porto dn imperio ou lora del-
ta, vista o m -ni i Sr. Cunha estar processado e afi-
Kio de Janeiro.
cumprir nesla cidade.
I'recisa-se alnaar urna estrava que seja liel
K I para vender de taboleiro, pasa-se bem agradando :
segu a prseme semana o patacho 'o/i/e ;,a tratar na na da Madre de Dos n. 36. Na mesma
para n resto da caraa e eicravos a frele. trata se com '
CaelanoCyriaeadaC.il., ao todo do Corpo Santo
(oatmeccio.
HACA DOBECIFE 21 DE ABKII. AS3
HOltAS DATAKDE.
ColafAea oiliriaes.
Cambio sobre Londres27 1|i (i d|v. a prazo.
Dita sobre dito27 1|2 60 d|V. a dinheiro.
Dito sobre dito27 :l|i 60 djv. a dinheiro lellras de
fra.
t'rederico /lubUliard, presidente.
/'. Ilorgts, secretario.
CAMBIOS.
Sobre Londres, 27 a piazo.c 27 ', a 27 j|8 d. por 15
o Paris, :!.">.'> rs. por f.
Lisboa, 1(10 por 100.
Kio de Janeiro, ao par.
Accoes do Banco, 35 0|0 de premio.
Acces da eompanhia de Beberibe. 549000
Acces da companbia l'ernombucana ao par.
a o L'tilidade l'ublic.i, 30 purcenlo da premio.
a liidemnisadora.sem vendas.
Discouto de lettras, de 10 a 12 por 0|.o
METAES.
Ouro.Oncas hespanhiilas. 2N} a 38^300
Moeda de djlIHI velhas .... iii.hki
o i> 6-300 novas .... I69OOO
15000....... 95OOO
Prata.l'alacoes brasileiros...... 25000
Pesos columnarios...... 2(000
meiicanos....... I586O
ALIAN DEliA.
Rendimento do dia 1 a 19. .
Idam do dia 21......
272:03.15328
5:448*760
277:1845088
Onearregam hoje 22 de abril,
Itarca francea{fauna Malliildemercadorias.
(jalera inglezaHonitadem.
Brigoe inglezCamillaidem.
Brigue inulezfellebacalho.
Itruuc inglez' oanlebacalho.
li: une inglezTitaniaidem.
ONSULABU (iKKAL.
Rendimento d" da 1 a 19 iiitdijili"
Idem do dia 21......
n. 23.
Para o Kio de Janeiro sf iic em pouens dias o
bem conbecido brisu nacional lilvira, tem grande
parle do seu cacrecamente promplo ; nata o resto,
pi-sageiros e escravos, para o que tem bous comino-
dos, trala-se com o con-ignatario Ju> Joaquim Dias
Perneado, ra da Cadeia do Kccife.
Coiuiiaiiliia
Franco atnerinaa de va-
pores Vance/.es.
Espera-se um vapor desta companbia antes dos fina
do rorrele me/. i> preco das passauens para o Itio
de Janeiro rs. 945OOO ou 17 palacoM. Para a Babia
1 iCOOO ou 37 pala- oh-.
O patacho Flor da liahia precisa de um cozi-
nheiro, aasim como de mariuheiros brasileiros para
a sua prosima viagem au Bio de Janeiio ; paga-se
bem : quem esliver neslas rircumstancias, dirija-se
a bordo, a tratar com o oapitao Dami.lo da Costa
Bosa.
lieal eompanhia de paque-
tes iiiglezes a vapor.
No dia 21
ou>deslemez
espera-sedo sul
o vapor .dron,
commandaiite-
llivell. o qual
diepoS da de-
mora do rostu-
iiie ecuira pa-
ra Soutliamplon. locando nos portos de San-Viren*
le. TenerilT. Madeira e Lisboa: para, passageiros,
Irala-se com os agentes Adamson llovvie i> C, ra
do Trapiche Novo n. 12.
N. B Os emhrulhns que pretenderen! mandar
para Soulhamplon deverno estar na agencia duas
horas anles de se fechar as malas, e depois dessa
hora nao se receber embiullio algum.
Para o Ceara'
o biate Novo-Olinda : a tratar com Tasso Ir-
raos.
Para o ro de
Janeiro
MVEKSAS PROVINCIAS.
Keudimenlo do dia 1 a 19 .
Idem do di 21.......
3:220(968 Segu com loda a brevidade por ter grande parle
--------------do carregamenio, o brigue nacional IIKRCUI.ES:
47-Sa5f455 para o resto da carga, passageiros e escravos a fre-
le, trala-se cora Sovaes & C., na ra do Trapi-
che n. 34.
i:7l9j383
I .792
1:8659175
Exportacao .
Maranhao, patacho nacional (Sania Crozn, de 101
11 toneladas, eoadniio oaeguinta : 270 tiarnqui-
nlias e 190 bar'icas assucar, I agoilbia, 1 cruzela,
I roda pequea, 6 rhumacejras bronze, f caixao pe-
cas miuda.s, 1 l|J ni -i-ii.11 rom seus pcrieuces, II
CaisOea ctiarules, 2 dltoa doce, 25 rolos tumo, -JO cha-
pas de Ierro, 100 sacras rafe.
Boalon, barca americana olla/ardo, de 1 ">2 tone-
ladas, condu/.i o seguiule : .">,.iOO saceos com
27,500 arrobas de asaltear.
Marselba. barca france/a iiliiion, de 300 tonela-
das, con limo o segrate :1,610 saceos com 23,200
arrobas de assucar.
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 1 a 19 36:3919251
Idem do dia 21....... 2:0615913
38:i,>3jl6i
4ftot>imritt0 DA pivto.
i\aiUos entradoi no dia 21.
Ilhas de Sandwich127 dias.ealera americana Chi-
na, de 370 toneladas, capiUlo YV. Howes, equi-
pauem 2-1, carija azeile de peve; ao capitao.
Veio refrescar a legue para New-lledford.
Rio de Janeiro e portos intermedios10 dias c 2
horas, vapor brasileiro S. Salvador, romman-
danlc o 1.- lenle Antonio Joaquim de Santa
Barbara. Passageiros para esta provincia, Dr.
Mauoel Alves da Cosa l-'erreira, Domiosos Pires
de Carvalho e 2 escravos, (iarcia Dias Pires de
Carvalh 1, Manoel Kibeiro (iuim raes, Antonio
Lopes Rodrigues, Jos Francisco Mecenis, Vicen-
te lunado Pereira, l-'ranciseo Benedicto de Souza
Barbosa e 1 escravo, Dr. Bernirdo Jos Aflonso.
Dr. Amaro Pabilo da Fraila, D. Carolina Huarle
ile Alliuquerque e 2 escravos, i). Eliza liarla do
Carino, maior Luii Pereira de Carvalho, I.- l-
ente da armada Joaquim Francisco de Abreu,
Dr. Lu/. ('.. Q. de Barros, Pedro Jos Pinto, Jos
Kernaiides da Coila Sanios, Jos Antonio dos San-
tos Andrade, Jos Joaquim de Miranda Mello.
Antonio Ferreira Castro. D. Mariaiiua Persiana
/ mol o 1 fitlia menor, Dr. Carlos Augusto da
Silva Lobo,ana senhora, sua mai e 1 esrrava, Jos
Francisco de Oliveira, Tihurriu Jos Lagoa da Sil-
va lavares, Jorge Conrado, Lu/. Correia de He-
neaos Jnior, Vicente Ferreira de Meira Lima.
Dr. Manoel Marlins Alves, Jago Vasco Cabral,
Benedicta crioula livre, Jos pardo livre, 3 pracas
do exercito, -J ditas de polica, I eit-praca do e\-
ercilo, .Mana Joanna, parda esorava, Andr criou-
lo dem, Pedro cri inte* idem, Francisco crioulo
idem. Segoem para o noria, Dr. TriaUo Henri-
ques da Cosa e 1 escr-ivo, Jtapbaela Anlonra Al-
ves, Joao Miguel da Silva, Dr. Jase l.ourenco da
MaesIMes, Dr. Juo Antonio S.ir.iva e 1 criado,
Dr. Ildefonso Antonio Oomes e I cria lo, Francis-
co de Assis pinto de Figueircdo, Dr. Filippe Ho-
lln de Souza l'cboa, Antonio da Bocha Freir, 2
pracas do evercilo, 1 ei-pracas idem, 1 dita de
marinha.
Rio de Janeiro13 dias, polaca hra*ilcira Zelosa
II, de 237 toneladas, sapillo Fructuoso Jos Pe-
reira Dulra.i-quipaiein 12, carga l'ariuhi de trico,
bacalho e mais generes ; a baae, Curio Si Com-
panbia.
Silvios sahidns no mesina da.
MaranhftoPalacho brasileiro 'Sania Cruz, meslre
Jos Rodrigues Freir, carca assurar e plvora.
Pasageiro, Joaquim Jos Alves das Neves.
Kio de Janeiro e portos intermediosVapor brasi-
leiro a'l'ocantins, commandanie o capitao de fra-
lala Mancelio. Passaseiros desta provincia, len-
te Leopoldino iU Silva Azevedo e I escravo. Dr.
Francisco Jos d.i Silva (iiiimarAes, Francisru de
Sania, I escravo a entregar, Emiudio Francisco
de Souza Macalhiles, o 2." sargento Joaquim Fran-
cisru Bezerra, Minjo l-'rancisco ttmacio Mactiado.
Joaquim Marlins Pereira, F. W. Arkwight, Ro-
berto (lk c^, Joao Ferreira Vilella, Dr. Manuel Tertuliana
Tliomai llenriques, I ev-musico, 2 recrutas* I
voluntario, Jos Joaquim de Ficueiredu Pernam-
liuco, Dr. Joao Capistrano Bandeira de Mello.
PARA O RIO DE JANEIRO secue com muila
brevidade par ler grande parle de sen esrreganwn-
lo,o bem couhecido patacho Bom JcsOS, le pri-
meira marcha, para o reslo da carca, se poderao en-
tender com o seu propietario Barlliolomeo l.ooren-
co. no rlapiche do aluodan, ou na ra da Madre de
Dos, 11. 2.
O brigue nacional IIEliCLLES promplo a
fazer viagem ao Rio de Janeiro, pracisa contratar
marinlioiros nacionaes para sua tripolacao : ipiem
esliver habilitado pode dirigir-so a bordo do inesuio,
011 a Novaes Ce C., na ra do Trapiche n .3-1.
Para Marei soguale J2 do corrent" o tirigue
brasileiro Aiolpho ; para car.;* e passaceiros. Irala-
se na ra do Vigario 11. 5, ou com o capitao Manoei
Pereira de S, na praca do Commercio.
Para o Itio Grande do Norle e Asstt"
sabe cora muila brevidade o hiale Anijeliva : qoem
ne I le qmzer carregar ou ir de passaccn, dirija-se a
ra da Cruz n. 13, primeiro andar."
Para a Baiiia
segu com toda a brevidade. por ler mais de mcia
carga a bordo,o veleiroebem eenhecido hiale nacio-
nal Amelia ; para o resto da carea Irala-se c m o
seu consignatario Autonio l.uiz de Oliveira Azevedo,
ra da Cruz 11. I.
ara a faUia
pretende sabir com muila brevidade a veleira e bem
conhecida sumaca nacional llirlewia ; j lem parle
de seu carresanento promplo : para o resto Irala-se
com o leu consignatario Antonio l.uiz de Oliveira
Azevedo, ra da Cruz n. I.
Har o Rio de .Janeiro
sabe com muila brevidade o bem conherido e velei-
ro patacho Bom .lesa* ; anda recebe alguma carga
a frele e escravos : a tratar com o sen proprielari 1
Bartlmloineo l.ourenco, no trapiche do aUodao. ou
com Marlins lrmao, na ra da Madre de Dos
u.2.
Precisa-se de um caixeiro que tenha pratica de
servir em hotel, e que d fiador de sua conducta : oa
ra da Cruz 11.10.
Fernanda l.ucn \- Companbia declaram que
Antonio Jos da Cunha (iuimar.les deixou de ser seu
caixeiro.
Lina senhora casada ha pouco perdeu urna li -
Iba, e achando-se com bastante leite deseja tomar
urna enanca para mamenta-la em sua casa, pois
aclu-se com capacidade para tal desernpenho : qoem
pretender, dirija-se a ra eslreita do Rosario n. 8,
que se dir qnem he.
Precisa-se de Orna senhora competentemente
habilitada, para ensiuar primeiras letras e costaras
de qualquer qualidade e msica a einco meninas ta-
ra da praca em distancia de oove leguas, preferni-
do-se pessoa que n.lo leoha familia pesada : a traiar
na ra laiga 10 Rosario 11. 39.
Aluga-se o segundo andar do sobrado n. 6 da
praca da Boa-Vista : a tratar na botica do dito so-
brado ou na ra Bella 11. 39.
Lotera do Gvm-
nasio Pernam-
bueano.
Aon 4:000-, 2 OOOx e 1 OOOsOOO rs.
Corre indubilavelmente quarla-feira 30 de
abril.
Salustiano de Aquino Ferreira
avisa ao respeilavel publico, qne seus bilhetes u
cautelas nao ests sujeitos ao discouto de 8 por
cenlo do imposto ge-al, os quaes eslao exposlos a
venda naslojasj.i conhecidas dos Srs. jogadores.
Itesponsabilisa-se a pagar lodos o quaesquer pre-
mios grandes que elles obtiverem, cm seu oscrip-
torio,. ra do Trapiche n. 36, segundo andar, lo-
go que saia a lista geral.
Bilhetes. W800i:000000
Meios. -2.S400-2:000#000
Quartos. I .s'-'iOO1:000$000
Saltuliano de Aquino Ferreira.
O coronel Jo3o Francisco de Chaby vai com toa
senhora fazer urna viagem a Europa.,
Manoel Nogeira dos Santos, subdito prtogoez
retira-se para Portugal.
Quem precisar de urna ama forra, de boa con-
ducta, paia servico de casa de pouca familia, menos
o de engommar e comprar na ra, podar aunuociar
sua morada, ou na falla ir a ra larga do Rosario n.
33, loja, que achara com quem tratar.
Precisa-se de urna ama forra ou captiva para
casa de pjuca familia, para lodo o servico : na roa
do l.ivrainenlo u. 10. taja do cera.
Precisa-se de um ou mais officiaes de alfaiato :
na ra do Vigario, luja n. 13.
O abaixo assignado rosa as pessoas que Ihe es-
to devendo comas antigs, que Ihe venham satis-
fazer seus dbitos al o lim do correnle mez. Ma-
nuel Moreira da Costa Duro.
O abaiso assignado deixou de ser caixeiro do
srs. Azevedo 1S1 Borges, desde 17 do correnle, e a-
gci.l.-i-e o hoin Ir,llmenlo qne eceheu. com espe-
cialidade do Sr. Asevede e sua familia, dorante o
lempo que esteve em sua casa. Jos Moreira
Sanios.
Precisa-so aluear um moleque, ou prelo, para
servir urna rasa estrangelra, paga-se bem : Irala-
se na rua do Trapiche, n. 3S, segundo andar.
_0 Sr. A. A. II. baja de dirigir-se a rua Nova,
n. 53, a negocio de seu inleresse.
Furlaram da rua da Calabouco urna cabrinha
-bicho de s*s a oito mezes, de cor*amarelta escura,
tendo as costas e pernas quasi prelas, e soppo-se
o haver sido para o lado do Carino, ou Moudo-No-
vo, por onde an lava : a pessoa, que ludu-ar quera
furtuii-a, lera urna l^rga graliBeaogO, pois que s fa-
/ein esforos para descubrir-se o ladran, qoe se sus-
peita ser um individuo j a islo avesado, e goar-
dar-se-ha segredo acerca de qualquer iuformacao.
Na rua Nova, u. 14, primeiro andar.
Perdea-se no domingo -JO do-corrente, urna
pulceira de ouro, com chapa e sem esmalte, deade a
rua dos Pires, ale o porljo do ferreirus na Soleda-
de : quem a acbar dirija-se a rua da Roda o. 13,
que sera generosamente recompensado.
A 17 de setembro de 1*12 pelo joizo do civel.
escrivao Sanios, foi adjudicada por senlenca a au-
uiinciaule Anua Maria de Aleluia a parle da casa u.
13, na rua Imperial, pertencenle a (ioncalo Fran-
cisco Marlins, na neencilo que pelo mesmo juizo e
carlnrio Ihe moveii a annunciaule, cuja parte adju-
dicada permutou com Manoel J. Ferreira de (usmio
e.-ua muilier pela casan. .">1 na mesma rua Imperial,
labelHIe Sa, e porque inda dava, e e ache a referi-
da casa sem ouus oa bypotheca alguma, faz o pre.
sent.
IVIaranliao.
O palhabole Veno segu no dia -2(i do corren-
le ; para o reslo da carga trala-se rom Caetano C\-
rico da C. M. ao lado do Corpo Santo u. 25.
Sabe imprelenvelmente al o da :10 docorreii-
te o lu-i gcinhir, nacional u-Di-spique de Beiriz, capi-
llo Manoel Marques Crrela ; para alguma carga
miuda ou eiicoininendas, tratase no eacriplorio do
Sr. Manoel Joaquim .'tainos e Silva, ou com o eapi-
Ue na praci.
0C5.
O senle Oliveira f'ar.i leilao. por 4epaeh > do
E\in. Sr. I>r. ju/. espacial em feqoeriment na |ual.i.;n,e ile cura.lorf. Ii .1 ii.i (tiln Ji>c le Karias \1 cli:n! das faiondas e ar-
marn da Inja do dito fallido, sila na rua do HfCife, as-im romo ine-rno : (erra-feira ''2 do correnle, as 10 horas da
manlia i, na uiitira.ja loja.
i) Rgenle Borja lar.i leilfto em *eu arma/em,
na ro do CoMeicio, quarla-leira 2\ do correnle, ile
uin eompleiu ortimenio de obraa de mareineria no-
vas a asada*, -2 ricos pianos t\o jcarando molernis-
iiniH, variat ebraa de ouro e prata, reoslo* para
akiheira, vaeoa e enfeiles .ie pareelUoa, oplimos la-
peles coloridos para sala o diversas qumqoilheria*,
ele. ; assim como (amliein ir a I>mI.i sem innile,
uina srande pnreilo de lisa de vidm a melhor f|iie
lem .iiyii.Ti-.i-. no mercado, ao meio dia em poni.
O anele Kolierls lera leil.lo, por orJem do
rominandanle do vapor Mrquez de Olmda, nau-
Iraiudo na cosa de loiantia, e por entila e risco de
quem perlenrir, com a lii:emM dos tiln. Srs. ins-
pector da alian lesa e adminisUador do consulado
setal desta psoviuria, de cerca de 2,.).~i0 couros sal-
vados d mesmo vapor ; quarla-eira ^:t do corren-
le ao nei da, no arinj/cm do Sr. (iuerri defronle
O agente Borja, por auluristicao do lllm. Sr.
Dr. joiz de orplidos, eonfornte o seu despacho pro-
ferido em requerimeulo do le-damcnlciro e invenli-
lleccliemns nolir^s do Itonilo com dala de 17 do
diario de tycmambm.
<&9ttftt0.
ranle dos lieos deixados pelo fallecido Icncnie-coro-
nel PeJro Jos Carneiro Moideiro, faro leda doi
inoM'is que perleeerain ao dito fallec o. consislindo
n'uma opllnia mobilia prasela, inclusiva dous ricos
espellios grandes, diversas obra do prata, um pti-
mo fardamenlo cumplido muilo nova, variis obra
de mareineria para salas de ianlar, i;aliiuete, etc. ap-
p.irellios de louc.i tina par.i jantar e almoco, vnirus
le. A epidemia pode-se considerar exlincta I Pr Antonio Ignacio de Oliveira.
naquella comarca. Na villa, do K a 16do crrenle | Alfandegade l'ernambaeoSI de abril de 1836.
apenas roorreram -pessoas. c aqoelles que eram I O inspector,
accoinmellidos, eram benignamente. A bexiRasI liento .lose Kernandea Barro*.
que se liiiliam manile-tado. feli/menle nao tinliHin O lllm. Sr. inspector da thesouraria da la-
eanaado grandes damnos. |a se aehavam mais baratos : a carne lem reculado j BsC. o Sr. marque/, de Paran, presidente do tribu-
de IH a 20 patacas, a laaba a O e alqneire, o I nal Jo Ibeaooro nacional, de -X da mareo prosima
milbo a IS a -1. a bolacha e arroz, a :IJII rs. a libra, passado, manda Fazer publico que desta dala a :ln
As datas de Neiareth chegam a ti. A co- ole (cm de liavcr concurso para se nreeneher as va-
i;as de praticantes exislcnies na meama Ibesouraria.
Pela inspecrilo da alfandeoa se Tai publico que
no dia i, depois do ineio-dia, se bao de arrematar
em llasta publira. a porll da mesma reparlicAo, sen-1 de varias ipiali ladea para servico de mesa, talhere
do a arremalacati livre de direito ao arrematante, I de iiiirliin eoalroa muil-.s objecloa que fata impos-
i'l barricas com sai dinbas, de S arroba*, no valor de
169000 ra. cada urna, sent Itl-m-l', 10-in-A e
-m-H Millas dn Porto c alian bina las aos direilos
Me7 Acaba de puhlicar-se o novo Mez de Mara 6u o
Me/. Je Maio, i'oiisagrado a gloria da Mi do Dos,
nova edicrao, ornada de vio he I as e bel I* enraderna-
lo : vende-i() na livraria de J. Nogueira
de Souza defronle do arco de Saulo Antonio.
Irancisco Carneiro Machado Rio?, (eudo-se
modado do seo litio no* Afosados paro a prara, e
'no podendo despedir-se do lodos os seus amisns e
m.is (tessoas de sen onhecimento pelo seo roao esta-
do re*gande, pede aos mismos que o desoulpem des-
ta Hli involuntaria, e Ihes olTerece o seu pouco
prealime em qunlquer parte onde se achar.
U teconte Poroa & Companhia parlicipam a
esta prai^a q:ip, celando acabada a sociedade estabe-
lecida para Peniinhuco, entre ellea e o Sr. Ad. La-
loueti, por c mralo de'Jdejullio de IHO. o nico
llquidanle da mesma s.riedade he l*. J. Labaste,
alias seu procurador baslanle.
Precisa-se alosar urna preta captiva ou forra
para o servido de urna rasa, prefere-se urna qoe sai-
l>i enuommar: a peaaoa qu^ liver ou quizar sujeilar-
se, dirijafe a rua Velha, casa n. 1<\ ou annoncie a
sua morada para Mr procurada.
-Dao-se 5000 res a juros com penliores de oaro,elc,
na rua estrella do Kosario, n. 7, se dir qoem da.
Kosa-se enrarecidamenle ao Sr. Marliniauo de
AvolUr, que receben no Rio de Janeiro do Sr. D. J.
ti. Braiidfto :t livros para enlresar em Pernambuco a
J. Ferreira Vilella, a eT.eciir.lo desse obsequio, visto
qoe J. K. Vilella esti phi veperas de seguir para a
corle. Kaz-e este anniinrio p> r n.lo se saber a resi-
dencia do Sr. A vfli. r. Os I i vi os podem ser entregues
no Ierro da Boa-Vista u. i, lerceiro andar.
de i
nivel menciona-los, os qoaes >^ achun ettpeeie
arma/.eo do MOnle aniiiioci.mle, ni rua do Cotlepjo
ii. I3| onda lera lugar o leilao, quinta-fbira do
curenle, as II horas ti. muilia.
vt^idod ^iorrod.
W
marra rom de Iranquillidade. O estado sanitario
eraMtiafiHortOa Km lodos os lugares em que se
desenvolvis a epidemia, as cnusas vo da melhor
rorina, e nao constava que livesse apparecido caso
algum novo. Diz u neaso eorreapon lente que a
morlalidade em toda a comarca he calculada em 8
a 10 mil pessoas.
O vapor S. Silntilttr, ehegodo honlom rio sol,
lreote*noi jornaen da Itihia tl 17, dn Maceld
at \\i, i de Sergipe al do correnle.
Nada adianla ellt da corle, em ra?ao de ler sabi-
do na larde dn dia 10, depoii do vapor l'raneer
Cadi .
Ainla eram lerriveis os estragos qae fazia o
Secretaria da thesouraria de fa/.enda de Pernam-
buco _'l de abril de IS.M.
No impedimento do olVirial-maior,
l.uiz Francisco de Sampaio e Silva.
,rr taracos.
Corre io geral.
Ihe faltar um nuco do Jornal do
rija-so a admimslrarao do eorreio,
A pa*sna que
l'.nm.merrio.o
pois vfrram sem lomprlente rotulo.' na milla do
vapor 'aS. Salvadora, chegado hontem do sul. As
malas que lem de coudu/.ir o vapor (S. Salvador pa-
i io e bolacha.
A aaliga padaria (la rua das l.aranueiras n. 8,
esta trabalnando noramenl* < razendo pM a bolaeh
ile evcellente f.inuli.i. e como so quem licita Iralia-
Iba ha gente livre, estes genero sao manipulados
com a maior perfeicao e lnnpeza nosslveis.
Joaquim de Azevedo Cruz, sohdito puriuituez,
relira-sc para Portugal.
O abaiso assignado avisa ao publico que niu-
sueni contrate venda nem hypotiieci com a casater
rea sita na na da l'.onceicAo da Boa-VitU n. 7, vis-
loque asna mollier tem parte na dita casa. Kecife
I de liril ile I83.Manoel Moreira de Mello.
Antonio dos Santos, subdito porlu^uez, reti-
ra se para Portugal.
Precisa-se de um prelo cozinlieirn, forro o!
captivo : na rua Bella n. 15,
Na rua da Mneda n. :l">, enzinha-se para tora
com toda a perfeirao a lnnpeza : quem precisar, di-
rija-se a mesma casa, que adiara com quem tratar.
No dia 17. as :t luirs da tarde, desappareceu
um cavado alaso c 309 "" dinheiro, o qual lem um
p migado, urna lstula no queixo, e muito novo, e
lem as ponas das orelhas cortadas: quem o achar le-
ve i rua do Mundo Novo n. i, que ser bem recom-
pensado.
O retratista em dasncrrenlypo do alerro da
BoaVista n. i, lerceiro andar, avisa an respeilavel
publico, que so tira retratus al o dia 111 lia correnle,
visto est^r prestes a emb.rcar para a erle.
Acha-se (ralada a compra da toja de calcado
da la do l.ivramenlo n. X\ d(N Srs. Lopes i\- Alcn-
tara, livre c desembarazada, o que se faz sciente
para conlipcimento dos inlercssados.
Preciaa-se um ou dous smasaadaras para pada-
ria: qnem esliver nal eireumalancias, dirija-se a rua
larga do Kosario, n. 18, que achara' com qoem
tratar.
Amaro Antonio de Panas, faz rerlo ao publico,
no i e principalmente direccao do Banco de Pernambu-
co, quo perdeu ou levou descaminlio a lelra de sua
nropriednda sob n. 239, peln dinheiro recMhidoao
Banco oiii de marco prximo passado, de 6i88 reis. a vencer em :i de setembro do corrente anno,
quem adiar dita letra a podera restituir ao anuncian-
te, visto como si'i a elle pode utilizar, e rosa a direc-
tora do Banco deom ir nota para so pasar dita quan-
lia ao dito l-'arias.
'Curso de fraocez
para osexan uandos do
rolleiiio das artes.
O BACIIAKEI. WITKI'YIO, continuando alec-
cionar em francs, tem de abrir para os que preten-
deren! evaminar-se no collegio da* arles, um curso
da mesma Inicua, o qual lera principio em maio
pro\imo vindouro ; e compromette-se a habilitar
para o respectivo exame no lim do anno os que lo
rem aednoe e cuidadosos nesse espato de lempo,
mediante smente o honorario de 2090(10 pago, iu
abertura do referido cur-o, cuja matricula sera fe-
chada no ultimo desle mez. Pido ser procurado na
rua da Gamboa do Carmo n. 1!>, segundo andar, das
:t horas da larde em diante.
l
MUTTCrAW
ILEGIVEL


HUID BI HHMMiM Tg- FgM 22 ti ABRIL 1856
Tercelpa edicao.
TRATAIEITO HOIOPATHICO.
Preservativo e curativo
DO CHOLERA MORBUS.
PELOS DRS.
eEajBWL-/3"*.. namarSJT33 33 .AM1BB III
inslruec.lo aopovoparase podcrrurar.lesta enferiiiidadc. administrndoos t <>ni<-.i, v ma|( pilir.i/rs
i'ira ilaiia-la.eriiqu.inio strecorrr.io aedico.ou mesmo paracura-l iudapciidenlc deste; nos lugares
em qne nao os ha.
TRADU7.1DO EM PORTUGUEZ PELO DK. P. A. LOBO MOSCOZO.
Bales doos opsculos contero as inriieaces mais clarase precisas, e pela sua simples c concisa etposi-
co esluaoalcance de lodas asinlelligencias, naot pelo que du -
cipalmenle a.-s preservativos que lemdadoos mais
lies tem sido pos los cni pratic.
Sendo o tratamantohomeopalhicoo anicoque tem dado =ranriesresultadosnorura(ivo desta horu-
velenfermidade, julgamosa proposito traduzir restes dous imnnrlunles opsculos em lingua vernaci-
la, para dest'arte facilitar a sua Icil'ira a qiiem icnorc o francez.
Vende-se nicamente no Consultoriodo traductor, ra Nov n.,52, por 2JO00. Vendem-sc tambera
* mdicamente* precisos e boticas de 13 tubos cora om Trasco de linctura 159, urna dita de :H) tubos com
rot2 frascos de tintura rs. 25gO00.
4.
I
PEMRAS PRECIOSAS-
I
Adere eos de brilhanles, 1
diamantes e perolas, pul- T
ceiras, allinetes, brincos 9j
e rozetas, boloes e anneis *
de differentes gostos e de ,
diversas podras de valor. z$
Jj Compram. vendem ou
* trocam prala. ooro, bri- *
gg Ihantes,diamantesenero-
$ las, e oulras quaesqaer $
jj joiasde valor, a dinheiro
* ou por obras. W
*&seMK<-.sKft-***:a!:i
MOREIRA & DARTE.
i.o.n ni ormvFs
Ra do Cabuga' n. 7.
Uecebem por to-
l dos os vapores da Bu*
AVISO
aos negociantes cm madeiras e ottiros preten-
denles.
lieferindo-se a seus annttnrios do mez de sc-
lenibro Ho anno passado, a respeito do Ntralo) de
madeiras para a estrada de ferro do Recite ao Rio
*3S**&^^SftSrtt ,,e 8-.P-*-* e-P"t> 'a estrada Ge-
orge Ftimess, pelo presente avisa aos negociantes
cm madeiras e quetu mais possa inicressar, que
desde ja rereis- proposite para contratos de madei-
ras quadradas de qualidades maisdiiradouras e das
dimensoes segtiintes : 15, 12, 9 o G polegadasde
grossura, e de 10 a 30 pos de comprimento, ludo
molida ingieza.
Tambeni se recebe amostras de dormenlcs (slee-
pers) das seguintes dimensoes e formas, medida
ingieza).
Oromprar-.
^rei-ti-S
EWi-aM>
orno ePRATA-
Jj Aderecos completos de '',
9 ouro, meiosdilos, pulcci-
* ras, allinetes, brincos e
gj rozelas, conloes, trance- *
m lins, medalbas, correles *
j c enfeiles para relogio, e e
Jj oulros muilos objeclos de %
ouro.
Apparelhos completos, *
r008 HSO'IS'ilSdd IllUS tf deprala, Caracha, ban- *
. ; dejas, salvas, caslicacs, &.;
mOdernO "TOSI, tan- *colheres de sopa edech, -.
. i .. 21 e moilos oulrus objeclos *
lo de Franca (oiiio de Prata.
12 polegarias.
I* rauca como
de Lisboa, asquaesse vendem pop
ppe^o commodo como eostiiniam.
Roubo.
REPERTORIO DO REDICE
HOMEOPATHA. i
EXTRAHIOO DE RUOFF E BOEN-
NINGHAUSEN E OUTROS, O abaixo assignado prometi gratificar genero-
c posto em ordem alpbabetica, com a descripeo smenle os Srs. reloioeros, ourivos, inspectores
abreviada de lodas as molestias, a inriieacao phvsio- de nnartoirn n o.,.-.___i____.. ...
lgica e Iherapeulica de todos os. medicamento; ho- K2? U "PjT** PeSs09' 'lue P0"
der descubrir o roubo fei
meopalhicos. se lempo de accjlo e concordancia. ''Bf ae^0Drir o roubo feilo em sua casa, na noite
segnido de um diccionario da significaran de todos do I do correnle, na Iravessa da Madre de Dos,
o termos de medicina e cirurgia, posto ao alcance do um relogio de ouro pa lente suisso n 3424 de
das pessoa. do povo,* | caixa coberla, sendo esta raza por baio
DI, A. J. DE MELLO MORAES.
Os Sr. assignantes poriem mandar buscaros sea
exemplares, auimeomo quem quizer comprar.
i A HOMEOPATHIA E 0
9 CHOLERA. f
r nico tratamento preservativo o g
curativo do cliolera-morlnts, W
W PELO Ul'TOK ^*)
8 Sabino Olegario Ludgeto Pinho. fe*
Segunda edicrao.
JA benevolencia com qu foi arolhida pe- w
(m lo publico primeira edicrao desle opus- (-*
^J culo, escotada no curto espaco de dous me-
aea nos induzio a reimpressSo' B
Casto da cada eiemplar......IsOtMI ,A
Carleiras completas para o traa- w
ment do cholera e de moilas ou- 12)
iras molestias, a..........HOJOOO S
Meias carteiras.. ".......|i,~imhi Vf
Os roedicaraenlos sao os melhores possiveis. |^
Consultorio central humeopallnco, roa Z
naSaiilo Amaro Mundo..Nomi n. 6. I
CASA DOSIEXl'OSTOS.
Preeisa-se de amas para amamenlar eriancas na
sa dos evpostos : a pessoa que a isso se quei'ra de-
dicar, tendo as Kabililac^oes necessarias, ilirija-se a
mesma, no palco do Paraiio, que >!u achara com
quero iralar.
ARRENDA.MENTO.
A loja e arini/ein da casa n. 55 da roa da
por ha 1 \o e ovada
pof cima, esmaltado de ambos os lados com vivos
de azul c branco, sobre o mesmo esmalte urna cor-
rente de ouro inglez mas nao das modernas; de
elos miudinhos e lapidados, com o encadeado mili-
to unido, c mais um chave de ouro de frmalo
grande c oilavada, mas iuulilisada para dar corda
por esiar quebrada na pona : por isso recommen-
da a pessoa que algum destes objecos descobrir,
annuncie para ser procurado, ou dirija-se ao an-
nunciante, na mesma iravessa n. 18, para ser gra-
tilicadoJoaquim Antonio tioncalves da Racha.
059A,
confronte ao Rosario em Santo Antonio, avisa aos
seusfreguezes. queja rccoletio verdadeiro extracto
de absynthe da l'russia.
iistiuccuj mora! o reli-
giosa .
Este compendio de historia sagrada, que foi ap-
provado para instruccrio primaria, tendo-se vcn.ll-
do antes da approvacao a I$600 re., passa a ser
y df JP05' \ paasoa que a isso se quera de- vendido a lSlil): na livraria ns. 6 e S, da pnea
ras, dirija-se a da Independencia.
; Piecba-se alugar um pequeo sitio peno
desta cidade.oqual lenlia lu;;ar para guardar um
Compram-se olas do Banco do Brasil : na
na do Trapiche-Novo n. 40, segundo andar.
Compram-se garrafas das que vein com cer-
veja branca a W) rs. cada una e 6)000 o cenlo : no
pateo do Carmo esquiua da ra de Hurtas n. '>.
~. ''omPra-se para um presente uina neurinha de
- a :i anuos, ou mesmo urna mulatinha que nao le-
nlia molestias : quem liver e quizar vender, annun-
cie por este jornal ou dirija-se ao paleo d matriz
de Santo Antonio, sobrado ile um andar n. 2 que
achara ,0111 quem iralar.
Compra-ea um estrave de naci, de 'jo a ;iO
anuos, sendo .le bonila liura, que nao lanha vicios
neni achaques, nao se ol..1 a prece : na ra do Co-
tovello, paitara n. 31.
Compra-se una eaerava de meia idade, que
nao tenha vicios nem achaques, a que seja quitan-
dura : quem qui/er vender, an.iuncie ou dirija-se
eo (."rredordo Hispo, I .a taberna, que se dir quem
quer. ^
Comprase urna inuemla, aleda que muito pe-
quena, rom lauto que esteja com as carretas permi-
tas, e aaaiiu o giaduamculo, e os dous rojetes; ad-
verlindo que he para engenta de animad : quem
tiver, annuncie para ser procurado, ou dirija-se a
cua do (Jueiinado u. 13.
Compram-se accoes da Cuinpanhia de Beberi-
he: na ru* larga do Kosano n. -JN, |jH.
Compram-M carrafas que forain de rerveja ou
viuho .lo Porto a 75 o cenlu : 110 paleo do Carmo,
taberna da esquina que entra para a Camboa do
mesmo nome 11. |(.
o 9 p.!S inglesas de comprimcnlo.
Cada proposta deve ser ac rapan liad a dos nomos
por extenso dos preiendentas, e a quantidade de
madeiras que poder contratar,
O prego dos dormentes deve ser estipulado por
cada mil, e devem ser entregues em qualquer lu-
gar da estrada, desde o Recife al a villa do Cabo,
conforme as ordens do empreiteiro.
Adverte-se que os pretendenles devem dar urna
garanta competente em como podem cumprir com
os seus contratos.
Paraoulras nformaces podem os pretendenles
dirigir-so a ra do Trapiche n. 12, segundo an-
dar, escriplorio de George Furness.
...','..-:-..-.,;^v->..;<-.,- ig&tolS'Sifi&g&a

:::-
.'.
-:::
:',i
...'
*
*
do 1^imtMt^iO^^^n^\^^'.',9V>': "*,^a I,rox'n!;> fharco <
capada, e arrenda-se para qualquer estabelecimento
em ponto grande, para o qual tem cnmmndos sufll-
cienle : os pretenden! enleuder-se-ho com Joao
Nepomucano Barroso, no segundo andar da casa n.
>/, na mesma roa.
estagnada, c se liver casa assobradada melhor ser
na livraria ns. 6e8, da praca da Independencia.
I H J. JANE, DENTISTA. 5
9 continua .1 residir naruaNova n. 19, primei-
rn andar.
Na casa da residenciado fr. I.oureirn, na ra
da Saudade, defronte do Hospicio, precisa-se de urna
ama de leile, forra, que nao (raga comsigo o niho.
que tiver, de peilo.
Precisa-se arrender um engenta que seja para
o sol, distante denla cidade at 10 legoas, e que es-
teja em bom estado, capaz de moer ; dase preferen-
cia ao que for de agua : quem o tiver para arren-
dar, dirija-se a loja de fazendas da esquina da ra
do Kangel.
Precisa-se de om feilor bom hnrlelao :
quem
PUBLICAQAO' LITTERARIA.
Repertorio j uridico.
Esta publicac.lo aera sem dovida de ulilidade aos
principiantes que se quizerem dedicar ao ejercicio
do foro, pois nella encontraran por ordem alptabe-
liea as principaas a mais frequentes oceurrencias ci-
vis, rpliauolosicas, eommerciae* eecelesiaslicasdo
nos foro, com as remissoes das ordenacoes, leis,
avisos e reg lamen los por que se rege o Brasil, e
bem aasim resolocdes dos l'raiislas amigos e moder-
nos em que se lirmam. Conlcm semelhautemenle
as deeis&es das uestes sobre sizas, sellos, velhos e
novo direitos e decimas, sem o ira bal lio de recorrer
eolteceo de nossas leis e avisos avulsos. Consta-
ra de dous volumes em oitavo, grande francez, eo esliver ueste caso, dirija-se 1 Cn'iz de AlM ao'col"
lZn"SJ """,r,,e!d" porSanalojadellegiedaConceicaojalli lamben, se precisa de um
nvrosn. be 8 da .praca da Independencia. Os se- criado que saiba comprar, e de liador aua conduela
nhores subscriptores desta poblieaclo evi.lenles em .\. '" --'conducta.
Pernamhnco, podem procurar o primeiro volunte i A ~.< d,rec,or". (l colleaio da Conceic.ao na Cruz
na loja de livros cima mencionada : no Kio de Ja- "l,as- pnrlicipa as fimllias que se linham pro-
neiro, na livraria do Sr. Paula liriln, praca da l,Ml" *""* a? 'vasao neta cidade do cholera, de
Cooslilnirilit; noMaranho. casa do Sr. Joanuim ',al!dilr """'" para aquelle collegio. que o podem
Marque. Rodrigues; e 110 Cear, casa do Sr. J Jo- ,es"e af." fazcr- no,s resolvida a recehe-Us,
1 por condar na prnleq;ao da divina patrona do men-
cionado collesio.ali' neje ao abrigo daquelle llagello.
Trocam-se notas do Banco do Brasil por se-
dulas : na rita do Trapiche n. 40, segundo andar.
Necessila-se de duas pessoas para servico in-
terno de urna casa estrangeira, urna que coznhc c
engomme e oulra que emenda de ro-lura : na roa
Nova 11. 17.
se de Oliveira.
Massa adaman-
tina..
l-raariaco Pinlo Ozorio chumba denles com a ver-
dadera maasa adamantina e applica ventosas pela i
atracsao do ar : pode sor procurado confronte 10 _
Kosano de Santo Antonio n. >. pj
AO PLBLICO.
Roa Nova n. 22, defronte I NoanMMm{fjta boara'as. a do |
u
da Gonceiyao
L. Delourhc tem a honra de anniinciar. que aca-
ba de recebar reloeios americanos com campa, ditos
trnceles com caita, ditos de algibeira, renles,
cluves, caixas de msica, por preco muilo cm conla.
Kiienrrecas-se de todos os concerlos pertencenles a
ana arle, com perfeicao'e mnila brevidade, visto une
estao ires pesoas a Irabalher.
Aloga-se um pequeo armazem na Iravessa da
oeniala \elha, com estrado a paredes forradas de
nadara, que servio de deposito de couros, podendo
tereatra qualquer applcac> : trata-sc na loja con-
liaaa, ma da Cadeia do Kecife n. ,>0, esquina da re-
ferida Iravessa.
JORAT t IRMiOS, I
Ra da Aurora n. 58, primeiro andar. Sv
Tem a honra de participar ao respeita- 5
vende-se um completo sortimcnio de fa- ,1
W zondas linas e rossas, por mais barato j
prejos do que em oulra qualquer parle, |
ffi tanto em porcoes como a retalho, aflian- I
* cando-se
aos compradores um s prego
^ para todos: este esiabelecimento obrio-sc
Jg de comhinagao com a mior parte das ca-
M sas commerciaes inglezas, francezas, alle-
M naos o anisas, para vender fazendas mais
^ cm conla do que se tem vendido, e por isio
M ollerecem elle maiores vanlagens do que
g nutro qualquer; o proprietario deste im-
H portante esiabelecimento convida todos
os seus patricios, e ao publico cm geral,
^ para que venham (a bem dos seus inte-
jg| restes) comprar fazendas baratas: no ar-
mazem da ra do Collesio n. 2, de An-
&en&a$.
vel publico dista cidade e com especialida
de aos seus fregnezes, que possuem pre-
sentemcnic o mais rico c completo sorti- (]&
menlo das mais linas e delicadas obras de 5
hrilhante, perola e ouro, como at o prc- 9
sent uao tem apparecido nesla praca ; o '*7
aftiancam a lodos o mais mdico pres por- ($)
ano vender so pode, obras de gosto'emnis (gs
apurado: os mesmosdesejam ardentemen- ^
le que o respcilavel publico nao deixe de 9
Mancar as vistas sobre as suas obras, W
alim doque seja conhecida a verdade de ($)
que cncerram estas poucas palavras. A
'" EL l ionio l-uiz dos Santos & Uolim.
tiifomina-se e lava-ee de harreUi e aaiio /
minio bcrr, e em conla ; assim como se cosem cami-
sas de peilu rrancnz, c reroulas : quem quizer diri-
ja-se ao caes rio Kamos, -obrado rie Jos Ihgino de
Miranda, segundo andar.
ChegOB o superior doce de goiaba e arara feilo
emtiaipio : as pessoas que linham enrommeariado
apparec.im na na das t>n/.ps n. id.
Oll'erere-se um rapaz hrjsileiro para eeiseiro
de robrancii nesla praca, dando bom conbecimeulos:
quem quizer auiiiincie.
Precisa-se de urna ama para Iralar de um me-
nino : na ra Direila, casa n. |-J0, secundo andar.
BRAMVO VARETAS,
ALERTA!
Sao chogados a praca da Independen-
cia n. -i estes apreciaveis'charutos; sua
ptima qualidade e nunca saboreado gos-
to os tornam recommendaveis. Ha j
bastante lempo que niio apparece tiio
boa fazenda, sen diminuto proco anda
mais anima; (|uem deixani do comprar
urna incxgotavol fumaca por -25500 rs.,
pequeas caixas de 2 c 50 caarutos !
'; Alerta, Srs. fumantes! Quem sal aprc-
:-.:- ciar una fumaca, deve vir ver os verda-
,'/; doiros Brandao Varetas.
'.K'.;''-^y.-:'-,:i;',--''''':'''?>.:':"'.?'''':
QX ur U? '** <*> '*j %ff <*> ..-- -,> .,*-;? -.- *.' .' .*
Na ra do (Cabuga n. 9, terceiro andar, preci-
sa-se de urna ama boa coziuheira.
'Deteja ae fallar com os credures da linado
Fraurisco da Conlia Gomes, Jos Joaqoim de San-
ta Auna, Francisco Ferreira do Albuquerque Nella,
Francisco Fcrreira Machado: na ra da tiuia n. til
2. andar.
ALFAIATE I. I1CNDER
(em a honra de avisar ao respcilavel publico, e es-
pecialmente aos seus freguezes, que recebeu de V.u-
ropa um rico sorlimeulo de fazendas para calces,
cohetes e casacas, e por isso se acha habilitado para
bem aviar qualquer eiiconimenda que lbe facam : na
rua Nova n. 52.
Arrenda se um sitio em Santo Amarinhn perlo
desla Dra, com boa casa de viven.la, cnclieira, es-
tribara, casa para escravoi c para feilor, com -2 vi-
veiros simenlados, e outro que est quasi prompto,
bastantes arvoredoa de varias qualidades. rom terre-
no para planlaces : quem quizer, dirija se a rua de
S. '..me din II..,. que achala com quem tratar.
AO PUBLICO.
Joaquina l.uurenca de l.una, profesora particular
autorisada pelo governo da provincia, avisa aos paH
de suas alurnnas. que mudju a Ma aula para o so-
brado imniediato ao era que resida, na rna rie Hur-
las, e se acha Com a sua aula j.i aberta : lambeni
srienliPca aos pas de familias, que ella esl* prompta
a receber pensionistas c educa-las, no qne be con-
cerncote a urna senhora. para coja tareta ja tem >ie-
signado conimodos sunicienles era sua casa. Juica
desnecessario reiterar o zelo, assiduidade c esmero,
que a annuucianle ha sempre lomado no ensino .le
suas aliiinn.i-, visto como a pralica de mallos annos
o tem e\hol>cranlemnle provado.
iaritiin publico em er-
nambuco, ru.i dti$olo
dadfi ii. 70.
Aos senhores amadores de flore.Recebemos de
Franca, viuda pela galera l-nima Mathilde a 1:1 des-
le mez, a nossa enenromenda, sendo e-la a quarla
vez que mandamos vir, sem (divida vera das melho-
res qualidades de rosas que ha em Franca pela boa
escolha que deltas Bl, pelo conhecimenlo que riellas
lenho ou pela experiencia, o q'ue me tem costado
muilo caro poi ler mandado vir primeiro por tres
vezes roseiras de todos os familias, r lenho condeci-
do que militas deltas no Brasil nao riao flor, mas
dcslas nunca aqu foram vendidas; vieran) mais ou-
Iras muilas variedades de llores e arvores que no
Brasil dao fruclo ele.
C. F. da Silva Pinlo.
Precisa-se de urna ama da lcitc que seja sa-
diaeienha-o bom, paga-se 100000 re, mensacs e
mais al^um inleressc no caso de agradar : no ater-
ro da Boa-Vista n. 39, segundo andar u gratifica-
se a quem del noticia de alguma ama, ou a levar
a casa cima.
Precisa-se de urna ama para casa de poltra
familia: naruadaPiaia n, it), primeiro an-
dar.
LOTEBIi Di PROVINCIA.
O Illm. Sr. thesoureiro manda fazcr publico,
que se acham a venda, na litesouraria das loteras,
rua da Aurora casa n. 26, da 9 as 3 horas da
larde, os bilhetes, meios c quarlos, da terceira
pana da qoaria hterji do Gymnaski l'ernambtt-
cano, cujas rodas andam iinpielcrivelmenie nodia
quaria-feira 30 do correnle. s 8 horas% da ma-
nhaa, no consistorio da igreja de Nossa Senhora
do Livramento. Outro sin, que as lisias serao
distribuidas gratis aos compradores de bilhetes, no
primeiro lia til s C horas da inanhaa, e que no
dia 3 de maio principiarao os pagamentos da refe-
rida lotera, das 10 horas do dia is 3 da larde, na
rua da AuTOin n. 20.O esd'ivao das loteras,
Antonio Jos.': Duarte.
Historia Universal, or
:. 'aiir,ti.
Os Srs, assignantes lenham a bandada de procurar
as series que ainda nSo tiverem recebido dpsta obra
ale panillas 232 do stimo volunte. Cnnlinua-se a
receber asignaturas para esla inlercssanlc obra.
adnxida em porlusuez, tendo j 7 volumes publi-
eslainpas, bella imnressHo
Viulu do Porto.
( Vendem-se barril de muilo bom viudo do Porto.de
i em pipa a 11)05 o barril, muilo prupiio para rasas
particulares : no armazem de Peala Lopes defronte
da eseMiaha.
Vende-se um casal de eieravna, sendo orna
mulata boa rozinbeira e enoinmadeira, e um prctn
ganhador : qu.m prelen.lcr, falle na rua da Madre
de Dos n. 12, que se lhe dir quem vende.
Vendem-se na nova loja de calcados francezes,
na praca da Independencia ns. :|T e 39, borzeguins
elsticos de pellica o casemira para homem, muito
rica fazenda e aoves, pelo prec le 7> o par.
Na rua do l.ivi imenlo. loja de calcado II. 33,
vendent-ae sapatnes de couro .le lHlrc a s.V10, di-
tos de bczerr> a l>iill, assim romo oulrus moilos
calcados por preco diminuto.
Vende-se um bonito escravo dn naijao, de
idade do 27 annos : a tratar na rua do Trepirhe-
Aovo n. 7, primeiro anda''.
'.V.-iiia! de tal)"lii).
Vende-se a -JritKI, na livraria n. Ii e S da praca
da Independencia. .
Processo orfaiiol"rj<,.o.
Vende-se por 31000, na livraria |n. (i e Sda praja
da Independencia.
Gnlde Lisboa.
Vende-se orna porca. .le Larris com cal de Lisboa,
por barato preco, e retallio a :t? o barril i na rua da
Cadeia do Recife n. 50
Vende-se a loja de funiHro di na Direila n.
IK, bem iifregue/ad^. c com o fundo pouco mais ou
menos de 5009000; vende-se por o dono se retirar
para fura : a tratar na mesma loja.
MEZ
Mariaimo.
O livro do mez Marianno augmentado de varias
nrafoes, nico usado pelos devotos da PENUA :
vende-se smente na livraria ns. C e 8, da prai;a
da Independencia, a dez tustoes.
A boa lauta
2*0
5tiO
JIKJ
2SII
Jill
:)(i
160
00
280
120
500
50
<0
HO
o
10
sn
500
'i'ii
40
200
210
100
H00
;mio
320
Oapdida Maria da Paixo Rocha, proessora I
particular de iostrnecao primaria, residente na rua ^)
do Vigario do bairro do Recife, faz sciente aos S
pas de suas alurnnas. que acha-se aberta sua au- 9
la, na qual contina a ensinar as materias do eos-
turne, e admiti pensionistas, mcio-pensionistas e
externas, por prejos razoaveis. *.
Quer-sc alugar um escravo para servico de ca- S
aV: a tratar na roa do Trapiche n. IB, segu'ndo an- P
-1-ODr. Vicente Pcrcira do Hago participa aos S
seus amigos e conslituinlcs, que transferio o seu "
escriplorio de advocacia para a rua do Queimado
O
n. 46, primeiro andar, onde pode ser consultado Paln Nash & Co
\0 COMLTOBIO HOMO v
PATIIIGO. I
Rua das Cruzes n 28.
Cnntiiiua-se a vender os mais acreditado) Wl
medicamentos dos Srs. Castellan e Weber, a
em tinturas e em lbulos, carleiras de lo- ^'
dns os lamanhns minio em emita. (t)
Tubos avulsos a 500, NOO e IjtKMI. J
tonca de tintura......2*4)00 W
Tubos c Irascos vazio", roldas de corlica (f)
para laboa, e ludo ipiantn he uecessario pa- "S
ra o uso da hoiniropalbia. {) ^
das 10 horas da manhaa em dianle.
Precisa-se de urna ama de leile forra ou
captiva, sem vicios nem achaques, e que tenha
boa condula, paga-se bem no pateo do Hospital
n. 26, sobrado.-
Precia-se alugar um sobrado de nm andar
p.irem quer-se com a loja, ou urna rasa terrea com
iao em boa rua : quem liver annuncie.
inpanhia dcclaram que Joao
Pedro Jcsiis de Malla deifou de ser sen eaixciro desl
dehonlem I i do correnle mez. Kecife 15 de alin-
de 1K56.
Na rua dos Copiares n. 20, lava-se, en-
gomma-se, e armam-se bandejas de bolos, por me-
nos preco do que em oulra qualquer parle.
Precisa-se alugar urna ama forra ou c.lpliva,
para faier o servico de casa e rua, paga-so bem : na
rua do Queimado n. 7.
cados. ornados de bellas
frmalo do Panorama ; na agencia, rua do' Crespo
defronte do arco de Sanio Antonio, livraria de J.
Noguetra de Soasa.
t Pedc-se a quera liver ou soulier de aljuin me-
nino de ambos o. sexos, orpbaode pai e m.ii, na fre-
guesia de S. Jo-o desta cidade, que v delatar ao res-
pectivo parodio.
Nodia 22, as | | hura-, na sala das audiencias,
depois de linda a do Sr. I)r. jala de ausente*, se ha
rie arrematar a eaerava Rosa perlencente a heranca
jaecnte dos tinados l'raucisco a Tbeieza.
Koga-se aos Srs. assignanles de-te jornal Hilera"
rio e instructivo, a bondade de procurar o resto dos
nmeros pcrlencentes a o auno de IN.55, e de n. I a
(i de IS5I, na roa do Crespo defronte rio arco de
Sanio Aiilouin, livraria de J. Nngueira de Snuza,
onde tambera se vendem collecces completas do
mesmo.
FRONTISPICIO DO CARMO.
Os .levlos .le Nossa Senhora do Carmo do Iron-
tispicio pretenden!, no .lia domingo 27 do correle,
mandar celebrar urna miau cantada cora sermlo,
as i horas da madrugada, o a linde una granito la-
dainha, na igreja do convenio da mesma Senhora,
em acc;lo.de sracas, pela cxlinccn-, da epidemia ;
rozara, prtanlo, a lodos os devotos que compare-
cam assisiir .tilos actos, e a iodos os moradores
do paleo do Carino queiram illuminar as frentes de
suas tasas : ppdeui aos lllms. Srs. lliesoiireirns d?s
ilinandadesoroiirrarias,si.ii.lo poaaivel, inamlem dar
um repique do sinos, as 7 lloras da noute do referi-
do dia, ao signal das girndolas de leso.
At tenerlo.
Presisa-se de nma ama para o serv; interno e
eximio rie ama ras de duas pessoas : quem preten-
der, dirija-se a rua do Nogueira u. 2(, primereo an-
dar.
.Precia-se de orna de bons coslames, e Jfianca-
e boa paga, e bom tratamento : na roa do tas,
loja n. 11. ^
i
YENDE BARATO.
I.thras de liuhas brancas Ii. 50, 0, 70, 80, a 15100
Ditas de dilas ns. UN e 120 I r-n
Duzias dn tliesoura^*para costura 1 skmi
l)oias.de ditas ma Macos de corda., ira vestido, aluuma cousa
enrardirios cor iO, 50 e O palmos,
Pc^aa cm til va oe bicoestieilo
Caixiolias cora ag. \n. francezas
Caixas rom 1 nvelos de lin'ias de marcar
Pulceiras encarnadas para meninas e seuhoras
Pares de meias linas para senhora a 2111 e
Aliadas de lindas innilo linas para bordar 100 e
Crozas de boloes muito linos de madreperola
Dilas de dilos muito linos pira calca*
Kivellas douradas par calcas e coleles'
Pentes de verdadeiro bfalo para alizar.a .100 e
Pecas de lila de liuho brancas com ti e meia
varas
Calas cora colxeles grossos francezes
Carriteis rie linbas de 200 jardas de muilo boa
qualidade c de todos os numen*.
Marinhus cora 10 grainpas, e de boa qualidade
Pares de suspensorios de bonitos pailmes
Torcidas para caudieiro, duzia
Tinteiros e areeiro de porcelauta, par
Carleiras de marroquim para alsibeira
Canela! multo boas de metal e pao 20 c
Caivetes de aparar pennas
Meias brancas e cruas para homem, 160, 200 e
Trauciiiha de la de caracol e de todas as cores
palmo
Duzia de pentes de rliilre para alizar, bous
tirosas de hotes de bmea pintados
Peas de lilas de coz 210 e
Carreteis de linbas de 100 jarda-, autor Ale-
gamare o
Liabas prclas de mcadinha muito boas 20
Carlas de allinetes irr boa qualidade I o
Duzia rie penles abarloa pata atar cabello J-iiki
Meias de lio Escocia para menino, brancas e
de cores, fazenda muito boa 210 e ;f2(l
Fiselaadje ac,o com toque.de ferrugem para
falca Jo
Grotasde fivelas para espalas 5o
Caixinhas euveruisarias cora palitos de fugo
de velinhas \ ji
CaisinhU de pao com palitos de fugo bons o
Caixas rom 50 caixinbas de phuspboros para
charutos loo
Charole.ras de vidro i.n e mi
Casir.es para bengalas muito bonilos |o
Alacariores pretos para casaca in
Sapaliahoa de laa para eriancas, o par :fcsi
Camisas de meia para eriancaa rie peilo ."ido
Traiicelins |ara reloflio, lazenda boa 1 o
Kscnvinhas para denles Ido
Atem de todas estas miudezas, \en.lem-se unirs
muitissimas, qne a vista de suas boas qualidades c
baratos precos, causa admiracao aos proprios com-
pradores na rua du Queimado, na bem r.ouhecida
loja de luidezas da boa fama n. X\.
=Vende-se o verdadeiro e suprior licor ab-
synthe, ltimamente rliegadu c por barato preco :
na rua da Cruz n. 2G, primeiro andar.
V endem-se espingardas francezas de dous
canos, muilo proprias para cac;a e por muito com-
modo prego: na rua da Cruz n. 2G, primeiro
andar.
TENTOS
para volbirete.
Vendcnio lanos ntuilo lindos para vollarele v
(|uali|uei outro jogo, chogados do Franca c por pre-
co b.iralissiini) : na rua da Cruz n. 26, primeiro
andar.
Lima Jnior & C.,'leeui um resto de fardos
doalgododa fabricado lodosos Santos, de pri-
meira qualidade o mais largo que u commum :
quem prelender dirija-se ao son escriplorio, na rua
da Cruz n. 28, segundo andar.
Vende-se um bom e-cravo preto de nacao : na
rua da l'raia, primeiro andar n. 3.
Atitncao
Vende-se urna escelleale negra de nacao, com 30
e tantos annos, saliendo c.zuiliar c entornillar per-
l'eitainenle, e ensalmar : quem ji prelender, dirija-se
a rua dos Marlvrio* u. M.
Vendem-.e dous cavallos muilo bons, tanto
para carro como para passeiu: a tratar na rua da
Cruz rio Kecife ii, 2.
Vende-se una taberna com poneos fundos, na
rua do Muiiilegn n. 143 : a Iralar na mesma, das 2
horas em ojiante.
Vende-se a loja de fuuileiro da rua Direila u.
IX, bem nlregue/ada e com o fundo p.nico mais ou
menos, de 5009 ; vende-se pur o dono se retirar
para lora : a Iralar na mesma loja.
Vende-se urna benita eaerava parda con lodas
as habilidades : quem pretender, dirija-se a rua Ne-
va n. :li.
Arroz cm sancas.
Ja chegnu arroz, pelo vapor, e ven !c-se no arma-
zem de Jola MartilM de Barros, lr.ive.sa da Madre
de Dens n. 21, o no armaxera le Josa Joaquim Pa*
reia .le Mello, na largu rii AKainleea.
Vende-se um excellante cavallo alaso, anda de
baixo a meio da melhor forma ; tambem se venda
cora os arreos quasi novos : ua r.ocheira de Bento
Jos Pereira, roa das Plores.
O coronel Joao francisco de Chahv vende um
dos seus carros e a parelha de ravallos, ludo junio ou
separado, a voularie do comprador: quem quizer
comprar dirija-se ao aterro da Boa-Vista n. 46.
Vende-se manleiga ingieza a 180, 10, 800 e
060, dita franceza a 10 e 800 rs., banha muilo alfa
a 520, loucinho de Lisboa a 100 rs., diln rie Sanios
muilo bom a .100 rs., (.evada a 120, farinha do Mara-
nhan a 160, alpisla a 200 rs., sag' a 360, cafe a 200
rs., velas de carnauba a 180, sabao prelo a 10, ama-
relio a 200 rs., de massa bem srcro a 210, sebo de
II..llanda a 500 rs., espermactle a 800 rs., traques a
200 rs., p miada a 100 rs. a libra, azeile doce a 10
a garrafa, viuho de mesa a 180, Figueira .. iJI. Lis-
boa lino a 00 rs., Porlo superior a 720, cha a 29, e
muilo superior a 29360: no pateo do Carmo, quina
da rua de Hurtas n. 2.
Aviso.
Vende-se a loja de calcado da rua da Cadeia do
Recife n.'). bem afreguezada e rom ptimo sor>
lmenlo de calcado eslrangeiro e algumas perfuma-
ras, a qual se vende nicamente pelo seu gerente
precisar de iralar de sua satide; faz-se negocio a
dinheiro ou a prazo, com boas firmas : a tratar na
mesma rua ti. 7, loja.
Vende-se na rua do Collegio n. 21. terceiro
andar, una negrinha de 1 anuos, cum habilidades.
Vende-se ura silio na estrada da Piranga, nos
Afogados, rom ptima casa de vivenda, estribara
grande, boi cacimba cora agua de beber, excellenle
haixa rie capim para vern, e diversos arvorerios de
fruclo : quem o prelender, dirija-se a rua Nova, so-
brado n. II, sesundo andar, das i horas d larde em
dianle.
No aterro da lloa-Vista n. 80, vende-sc sagu' e
cevadinha a 320 a libra, chocolate, talbarim e'ma-
carrao a 0O r., alelra a 180, azeitc dore de Lisboa
a .560, banha de pono lina a I8u.
Supe
u.
ma i :ca to Ida.
Na rua do Kangel n. 18. loja de bilbelei, vnde-
se una rica loallia nova, toda de labxrinllio, com
bico, por preco mallo commodo, propna para enan-
ca ou preseute.
riop doce
cm calda.
Na rua do i.lueima.lo, loja n. 2, e na rua Helia,
casa n. 10, vende-se o mais superior doce de goiaba
era calda, e de unirs muitas qualidades de fruclas,
tanto a retalho, em libras, como em latas uu barrili-
nlins, por preco comiiiodo.
Guaran.
Na rua da Cadeia n. 17, loja de miudezas, vend-
se guaran, *s libras que o comprador quizer, por
preco commodo.
\o aterro da
Boa-Vista n. g,
vendem-se biteoilea fino--, mtase*, chafados altima-
mente, em lalinhas, os melhores que lera vindo a
esle mercado, c vende-se tanto em poreo como a re-
lalho, por menos preco do que em o'ulra qualquer
parle ; assim como queijos rio reino muito frescaes,
desembarcados boje, e minios oulros gneros de pri-
meira qualidade.
Vendem-se velas rio carnauba rie coinposicao,
da mcllior fabrica do Aracatv, saccas grandes de al-
queire de eijao muilo novo a I09 a sacca, esleirs de
peda de carnauba, de palha duhrada, por preco
commodo : na rua do Vigario 11. 5.
AUraoezaaQOO
rs. ocovado.
Chegou nnvamenle esta estimavel fazenda. de cor
prela e lustrosa, com mais rie ama vara de largura,
preferivel a oulra qualquer para vestidos, manli-
llias, hbitos de relisiesus eaoutros fato, pelo muitn
que se cconomna com sua grande larsura : na rua
do t.lueimado, loja 11. 21.
Vendem-se ti pipas 011 toneis abalidos, que ser-
virn! rie aguada na roa da Cadeia do Kecife, loja
n. .>0, defronte da rua da Madre de Dos.
Gemina de araruta.
Vende-se superior gonima de aramia em barricas
e as arrobas : 110 armazem de Joilo Marlins de Bar-
ros, iravessa da Madre rie lieos n. 21.
Volas de Carnauba.
Na na do Qoeimado
carnauba em caixas de
n. 69, vendem-se velas de
10 a 0 libras, por menos
preco rio que em oulra qualquer parle : quem pre-
cisar aproveile a occa-io.
CHA Si Vi AS.
Na praca da Independencia livraria ns. (i e 8,
vendo-sa este compendio, traduzido pelo Dr. A.
llerculanode Souza Bandeira.
loliiinfias
PAR 0 CORRERTE AIRO.
rolhinhasde algilieira contendo o almanak ad-
minislrativo, mercantil e industrial desta provin-
cia, tabella dosdirelosparochiaes, resumo dos im-
postas geraes, provinciaes e muncipaes, extracto
de algumas posturas, providencias sobre incendios,
enirudo, mscaras, cemitetio, tabella de feriados,
resumo dos rendimentos e exportado da provin-
cia, por 500 rs. cada uina, ditas de porta a 160,
ditas ecciesiasticas ou de padre, rom a reza de S.
Tito a 400 ris : na livraria ns. 6 e 8, da praca
da Independencia.
Vende-se vinho genoino d > Porto em caixas de
1 a 2 dunas de aarrafas e mesmo em garrafas, con-
lendo sem exageracao) o vinho mais superlativo que
se pode desejar, e aBanca-ae que nunca aqu fui im-
portado ora -emelh.nl.' nctar : vende-se na rua
Nova 11. 3, taberna de Antonio l'erreira Lima.
MILI IO.
\ ende-se saceos com iiiilbo por barato preco,
na rua da Cadeia do Kecife, n. 2:t loja.
Oh que peefain-
cha.
No Passeio Publico, loja n. !1, de Albino Jos Lei-
le, vendem-se ricos corles de meia casemira, escuras
a muilo incorpadas, pelo diminuto preco de 15000
caria ura, ditos de briin rie linho a 800 rs., (hilas fi-
nas rie cores lisas a 20 o cesado, dilas prelas finas a
200 rs.. chales preos a 12300caria um, dilos ran-
eo, a 700 rs., chapeos rie sol rie panno com barras a
2> rie cassaa chitas muilo finas a 99100, c oulras muilas
rateadas mais baratas do qne te vende na California
Xa Califonnia,
oja nova, na rua rio Crespo, ao p rio arco de Santo
Antonio, vendem-se irles rie easaas francezas de
muito bons goslos a 19500 c a l>500 ; ha grande
quantidade para se escolber, lencos de casia brancos,
lisos e com bico a 200 rs., chitas prctfls francezas,
largas, para lulo a 21o o covario, r mullas outras fa-
zendas muito baratas, a dinheiro a visla.
A melhor farinha de man-
dioca ''.; Sicas
que existe no mercado : vende-se por prece razoa-
vel, no armazem rio Cazuza, no caes da all'audega
n. 7.
RELOtlOS cobertos e deseobertos, pequeos
engrandes, de onro e prata, palele inulez, de um
dos melhnrea fabricantes rio Liverpool, viudos pelo
ultimo naqaeleinsles : era casa de Southall Mellor
Comp.iiibia, ua rua do Torres 11. :S.
Para vid rayas.
Vemlem-se vidros a 89 a caixa : na rua Nova u.
sW, defronte da igieja da Conceicao dos Militares,
casa encarnada.
I ARIMIA i)E SANTA CATHAR NA,
moilo nova e de superior qualidade, a bordo do bri-
gue escuna /lapido. Tundeado em frente do arsenal
de guerra, vende-se por preco commodo : a tralaj
-.Ti 1 .."-0 yr,acda("M'. 00 largo do Curpo
Livros Classicos
Peal el \ irgim, 0,01,1, Ila da udencia
ns. den, r
( ebolasde Lisboa.
A ceblas j se vendem mais barata-, e continua-
se .1 vender na Iravessa da Madre de Ueos n. >l
ma/cm de Joao Marlins Barro*. '
A boa fama
.VENDE Mino BARATO.
I.eneinhos rie relrnz de todas as cores para pescoco
de senhora e meninas a I&000, baralhos de cartas ri-
nissimas para vollarele a 500 rs., touras de IAa pira
senboras e meninas a 600 rs., luvas de fio da Escocia
brancas e de cores paia homem e senboras a 100.
500 e 00 rs. o par, camisas de meia muito finas a
13, ricas losas de seda de todas as cores e bordadas
com iiuarnicoes e borlas a .fc) e .13500, ricas aboloa-
duras de madreperola e metal para rlleles a palitos
a 500 e 600 rs., superiores meias de seria prelas para
senhora a 29500, meias brancas muili-iinn finas pa-
ra senhora a 500 rs. o par. finissim.is navalhas em
estojes para barba a 2, ricas eaUas para guardar
joias a H00 e 19500, euas muilo ricas com reparti-
menlos nicamente proprias para costuras, pelo ba-
rato preco rie 29500, :e .19500, papel proprio para
os namoradosa 10, (0, SO e 100 rs. a folha. candiei-
ros americanos muito elegantes, proprios par. eslu-
danles ou mesmo qualquer esiabelecimento pela boa
los que Slo a 59. Inverna de verdadeiro bfalo para
prender cabello, pelo barato preco de Ij, pastas para
guardar papis a 800 rs., espelhos de parede rom ar-
mac,ao dourada e sem ser duurada a 500, 700. 1/ e
l?500, escusas moitissimu finas para denles a 500 rs.,
ricos leques rom plumas e espelhos e pinturas finis-
simas a 2.- e :(.->, charuteiras finas a 29, ricas galhelri-
ras para azeile e vinagre a 29, ricas e fioissimas cai-
xas para rape a 29500 e :l9. pentesde bfalo, fazen-
da muito superior, para tirar piollios a 500 rs., dilos
de m.irlini milito bons a 100, 500 e Bl rs., resmas
de 2 qua.leinos de papel de lodas as cores de folhas
pequeas a 720, riqusimos Irascos com extractos
muilissimo linos a 19200, 19500, 23 e 29500. jarros
de pnrcell.uia delirados e de. modernos goslos, com
banha franceza muilu lina a 2?, frascos com essenria
rie rusa a 320, paos de pomada franceza muito boa a
100 rs., frascoa pequeos e srandes da verdadeira
anua de Colonia de Piver a 180 e 13. sabonetes linos
e de diveisas qualidades, pus para denles a mais fino
qne pode baver, agua propria para lavar a bocea e
conservar os denles, e outras muilas perfumarlas,
lado de muito goslo c que se vendem barato, tsenlas
ii.uitissinin linas, proprias para papel, para corlar ca-
bello, para ontus, para c niaras, trancas de serias de
bonilos padroea e diversanarsuras e cores, ricas litas
do seda lisas e l.ixradas rie todas as larguras e cores,
hicus de lindo linissinios de lindos padres e lorias as
largaras, ricas franjas rie algodao brancas e de cores,
proprias para cortinados, e Miras ranilissimas cousas
que ludo se vende por tao barato preco, que aos pro
prios compradores causa admiracao: na rua do Quei-
mado, na bem conhecida loja de miudezas da boa
fama n. 3:1.
Farinha de mandioca.
No armazem do Sr. A. Aanes Jacome Pires ven-
de-se superior farinhaxlp mandioca ero saceos gran-
des ; para porce iratase com Manorl Alves (iuer-
a, na rua do Trapiche n. '.i.
Moinhos de vento
aomhombasdcrepuxopara regarhortase baixa,
decarijm .nafundiraiide W. Bowman urai
do Brum ns. 6. 8e 10. ^
SEMENTES.
Saochegadas de Lisboa, e acham-se .1 venda na
ruada Cruz do Kecife n. 112, taberna de Antonio
FranciscoMarttas as aeMiatesseasaatesda hortali-
ces, coma sejam : ervilhaatifia, genoveza, e de An-
gola, teijSe carrapalo, roso, pintacilgo, e amarello,
aliare repi.lliu.la e allem:la, salsa, tomates grandes,
rbanos, rali.mel- bramos a encarnados, nabus ri-
so e branco, -en.mas branctf e amarellas, couves
trinchuila, lombarda, e sabes, sebola de Sctuhal,
scgurelha, coenlro rie loaceiit, repollm e pimpinela,
j e urna grande porcao de diderenles semeoles, das
mais bonitas llores parajardins.
A3$500
I Vende-secal de Lisboaultimamenlechegada,as-
limcomopolassa da Kiissiaverdadaira : naprac,ado
Corpo Sanio n. II.
COSTES DE CASSA PARA]QUEM ESTA" HE
LUTO.
Vendem-sc corles de cassa preta muilo miada,
por diminuto preco de 29 o corle, ditos de cassa chi-
ta rie bom soslo a 2;, ditos a 2300, padrees france-
zes, alpaca de seda dequadros de lodas as qualida-
des a 720 rs. o covario, laa para vestido tambera de
quadros a ISO ocovado; lodas estas fazendas ven-
dem-se na roa do Crespn, ti.
LIQUTDACAO'.
O arrematante da loja de miudezas da rna dos
Quarteisn 2i,quercudo acabar as miudezas que
exislem, vende barato alim de liquidar sem peda
de lempo.
ranja com bololas ara cortinados, peje
P*pel pautado, resma, (de peso)
l'ilo de peso, resma
LSa de cores para bordar, libra
Pentesde bfalo para alisar, duzia
nivelas douradas para calca, urna
Croza de obreias muilo finas
Lencos de seda finos, ricos padroes
Caixa de linbas de marca
Meias para senhora por
Pentesde tartaruga para segurar cabello
Crozas rie ranetas finas para pennas
Hitas de botaos finos para casaca
Meias prelas para senhora, duzia
Ditas ditai pera homem
l.acrr encamado muito fino,libra
Papel de roresaanaco de 20 quariernos
Duzia de colxeles
Espelhosde todos os nmeros, duzia
Linbas de novellos grandes para bordar
Kicasfilas escocezas e do sarja, lavradas,
largas
Meias cruas sem costara para homem
Dilas de seda n. 2, peca
Trancas deseda branca, vara
Caixas de raiz, duzia
Pecas de filas de cs
Lapis finos, groza
CordAo para vestido, libra
Toncas de blonric para menino
Chiquitos de merino bordados para menino 19000 superior
e ouiro- muii... irh.'ns que se tornam recommenda-
veis por suas boas qualidades, e que nao se duvidara
dar om pouquinho mais barato a aquelle senhor lo-
cista, qoe queira a dinheiro comprar mais barato
do que se compra em primeira mito.
Vendem-se muilo bous ps de sapot, e ditos
de caf para plantar a 400 rs. o eento : uo largo ida
Trerape u. 1, sobrado.
Genebra.
Acaba de chegar frasqueiras com verdadeira gene-
bra de Hollaoda : vende-se no armazem de Tasso Ir-
mitos.
LIVROS A' VENDA.
Na Iravessa da Congregarlo, rua do Qoeimado.
loja de encadernador, esl exp.isla .1 venda a obra
lutiluladaBibliolheca Cannica- Joridico-Moralrs
Theologicapor Lucio rerrazis, 8 volnmes em oila-
vo francez, grande ; preco 329000.
Sedas a f900O
rs. o eo vario.
Estilo vende sedas rie todas as cores de lislras e
quadros, rie bonilos padrees, pelo pre^o de 19 oco-
vado : na rua do Qoeimado n. :<8.emfrenle do becco
da CongregacSo, a primeira loja passando a botica ;
dao-se amostras com penhor.
A boa faina
VENDE BARATO.
JVf0* Pe",,es de lartaruga para cabera
Ditos de alisar tambera de larleroga
Lindas meias de seda decores para eriancas
Bandejas grandes e de
Papel de peso e alma,.,
19500
:t9000
19800
pinturas finas 39, 49 a 59000
u mello.r que pode
haver 19000 e
Pennas de ac;o, bico de lanca, o melhor qua
ha, a groza '
Dilas muitissimo finas sem ser de tanca
Oeulos de armarn de ajo com gradu'acoes
Lunetas com aimac,a"o dourada
Ditas com armaran rie tartaruga
Dilas com armaca~o de bfalo
Ditas de 2 vidros com armario de tartaruga
loucadores de Jacaranda com bons espelhos
Ditos sem ser de Jacaranda 19000 a
Meias prelas rom, rolas de laia
Beagalaa de junco com bonilos casloes
Kicos chicles para cavallos grandes e pe-
qoenos a 800 rs. e
Grvalas de seda de todas as cores a 1j e
Atacadores de cornalina para casaca
Suspensorios linos de borracha a 400. 500 e
Pentes muilo finos para soissa
Escovas muilo finas para.cabello
Capachos piulados compridos
Boloes limssimos de madreperola para camisa U8W
Quadernos de papel paquete muitu lino 80
Bonitos sapatinhos de merino para crianras 19500
Kicas canelas para pennas rie aro a (0 e 200
Kicos porta relogios a I58OO e ow^
Ricas caixas fiuas de metal para rap a 500 e 600
Escova muito lioas para uuhas a 320 e 640
Ditas (inissimas para cal ello 11500 e 2*000
Dilas ditas para ruupa I9, 11200 e 3(
lapel de linho pr..pri-pra caiturios, resma 4On
Pinceis linos para barba \JI.
Duzb. de lapis moilo fino* para desenho S
.apis lioissimos para riscar, a du/.ia S
llu/.ias de facas e garios linos lvl[
Ditas de facas e garfos de bataneo moilo I
Ditas dilas muitissimo linas, cali de raarfim
Caivetes de aparar pennas muilo finos
59OOO
I92OO
640
800
IfJJfJO
13000
VKl
:i9000
:i3000
29000
19800
500
19000
19200
320
bOO
500
640
700
iSOIH)
39000
29700
79000
.19000
100
69OOO
19500
240
210
3000
29000
29000
.19200
23800
.13800
600
720
28500
19600
000
39:100
.180
100
19600
300
29500
19200
l200
muito linas 69OOO
l5a00B
800
1 r, do Qoeimado, nos Qualro Cantos, na loja de
lodezas da boa fama 11. 33, defronte da I,.,. Je ta-
ndas da boa f. "
Em casadeHenry Brtinn & C, rua dffCruz
n. 10, vendem-se .
Lonas c brins da Russia.
Instrumentos para msica.
F.spelhos com molduras.
Globos para ardins.
Cadeirasesofs parajardins.
Oleados para mesas.
Vistas de Pernambuco.
Cemento romano.
Gomma lacea.
TAIXAS PARA ENGENHO.
Na fundipao de (erro de U. W. Bowtuann ua
rua do Brum, passando o chafariz, conna ha-
ver um completo sortimento de taixes de ferro fun-
dido e bando de 3 a 8 palmos de bocea, ls qoaes
acham-se a venda, por preso commodo e com
protnplidao: embarcam-se ou carregam-se em acr-
ro sem despera ao comprador.
Na olicina de e.-oajlejmdpe. iravessa da
Congregado, vendem-sc aT^ajcainVas obras de
etonomia polilira por Malihus Sismgndi J
Baptisia Say, cartas a Malihus pelo mesmo, cthe-
cismo de economa. J. Dutens, e muilas oulras
obras de d.reim publico, das gentes, diplomtico
c commercial, ludo em muito bom esudo e por
barato preco.
CHAROPE
DO
BOSQLE
loi transferido o deposito deste charope pea a ho-
tica de Jos da Cruz Santos, ua ros Novs n 53
garrafas ,53500. e meias 35000, sendo falso" lodo
aquelle que nu for vendido neste deposito, pt|0
que se faz o presente aviso.
IMPORTARTE PARA 0 FULIGO
Para rurade phtvsica em lodososseusdiflerrmes
graos, quer motivada por conslipacoes, losse.aslb-
ma, pleuriz. esrarros rie sangue, dr de costados a
peilo, palpitarlo no coracao, coqueluehe.broncliile
dr nagarganla,e todas asmolesliasdosorsaos pul-
monares.
Navalls a contento.
Conlinua-se a vender a 89000 o par (prero filo) as
j liem ennhecirias navalhas de barba, feita pelo h-
bil fabricante qne ha sido premiado em diversas ex-
posices : vendem-se com a condicSo de nao agra-
dando poder o comprador devolve-las at, ."10 das
depois da compra, restiloinilo-se a importancia : em
casa rie Aaensts C. rie Abreu, na rua da Cadeia do
Kecife n. 36.
MOENDAS SUPERIORES.
Na fundico de C. Starr & C, cm Santo
Amaro, acham-se para vender moendas de cannas
lodas de ferro, de um modelo c conslrucco muito
Na California,
loja nova, na rua du Crespo, ao pe do arco de Santo
Antonio, vendem-se pecas de alaodaoiinho cora ava-
ria 610, I?, 19280 e 19600, limpas a 29. alpaca
prela lavrada, sem defeito, rie i palmos de largura
a 200 rs. e a 210 rs. o covario, muilo boa para quem
esla de lulo, muito boas meias prelas de algodao
para seuhura a KM) rs ditas para homem a 280, cau-
sas pintadas francezas a 200 rs. o covado, cortes de
ditas de 6 l|2 varas a I96OO, chales escocezes a .560,
madapoln muilo bom a 23500, 29600, 39200, 39600.
39800, 19, 49400 e 19800, e muitn lino a 59; assim
como muilas outras fazendas, turiu moilo barato, di-
nheiro a visla.
Vende-se cm casa de S. P. .lolinston & C
rua da Senzala-fvova n. 48, sellins ingle/es, chi-
cotes de carro e de montara, candieiros c caslicacs
bronzeados. relogios patente inglez, barris de gra- .
xa n. 97, vinho Clicrry em barris, camas de ferro, rntade^coalieeida. eeom a devida pteslezae esas.
lio de vela, chumbo de municao, arrcios para car-
ro, lonas inglezas.
IONIOS
iig- ezes de pa-
tete,
os mrlbures fabricados em Inglaterra : em casa de
llenrv Uibsoa : rua da Cadeia do Recite a. 52.
(,'a.ssas Ii .iifiv.as ii.as
40 rs i covado.
Na rua rio Crespn."), vendem-sccis-
sasfrauetv.as linasn :'.'i0 n, oeorado,
P,\l;\ hito.
Cries de vestido de cassa prela rom 7 varas caria
um. de bouilos padres a 23000 : vende-se na roa
do Crespo, loja da esquina que volla para a rua da
Cadeia.
ARADOS DE FERRO.
Na fundic.io de C. Starr & C, cm Santo
Amaro, acham-se para vender arados de ferro de su-
perior qualidade.
HEGfiHISIO PAR EIGE
no.
XA FUNDICAO DE FERRO DO ENGE-
NHEIKO DAVID W. BOWMAN. ,vA
RL'A DO BRUM, PASSANDO O oHA-
FARIZ,
ha sempre um grande soriimenlo dos segninles ob-
jeclos rie meeianismus proprios para engenhos, a sa-
ber : mnenilas c meias moendas da mais moderna
roiisiriiiv.ni ; laixaa de ferro fundido e balido, de
superior qualidade e de lodos os tamaitos ; rodas
dentadas para amia oa animaes, de todas as propor-
ces ; crivos e boceas de fornalhae registros de bo-
eiro, aguilliocs, breases, parsfusosecavilhes, moi-
nhos de mandioca, etc. el..
NA MESMA FUNDICAO.
sc'cvcrulam lodas as enrommenrias com a superior
AGENCIA
Da fundicao I.ow-Moor, rua da Senzala-No-
va n. 42.
Neste esrsbcleeiment contina a haver um com-
pleto sortimento de moendas e meias moendas
para eni;cnlio, machinas de vapor e labias de
ferro balido o roado de todos os tamanhos para
dito.
Jucm quizer romprar um carro americano de
quatro rodas com assenios para duas pessoas, leu-
do arrcios e cavallo muilo ardigo : dirija-se a rna
do l'rapiche n. iO, segundo andar.
No armazem de No\aes & ('.., ruada Ma-
dre de Dos n. 12, vndese farinha de mandioca
em saccas de superior qualidade. por preco com-
modo.
Vende-se muito superior farinha de Sania
Calharna, por menos preco dn que em nutra
qualquer parta: a bardo do brigna Sagitario a,
defioniedi' trapicho do algodo.
Venriem-se barricas com farinha rie trigo ria
ja conhecida marca M.M.M, muito nova, ede quali-
dade igual a de Trieste, chegada agora de Genova,
e por preco commodo : a fallar com Basto & Le-
ntos, rua do Trapiche n. 17.
em preco.
TAHAS DE FERRO.
Na fandi(ao da Aurora em Santo Amaro, e
tambem no DEPOSITO na rua do Brum, logo
na entrada, c defronte do arsenal demarinha, fia
sempre um grande sortimento de tahas, tanto de
fabrica nacional como estrangeira, batidas, fundi-
das, grandes, pequeas, razas e fundas ; p, em
ambos os lugares exislem guindastes para rarre-
gar canoas ou carros, livres de despezas. Os
preros sao os mais commodos.
^cratwSfttBtfroS.
Em dia de Pasees, fngio rio sitio da Tamari-
ncia, collegio ria Conceicao na Cruz gro Joiquim. rie idade 15 annos, grosso, Ima estatu-
ra, meio nimba das sernas, quebrado ria verillia
direila, cujo vulumc he mande bastante, he rie na-
cao ; promelte-se a qualquer que u capturar, gene-
rosa compensado, ja que a polica nao cura deslaa
cousas.
Contina andar incida a preta Marearle, crl-
nula, idade de 28 a :t(l anuos, punco mais 00 meno
com os sigmies neguintea falla de denles na fren! ,
uina ds orelbas rasgada proveniente dos brincos .
quem a pecar leve-a a rna rio llrom, armazem
assucar n. 12, qoe ser bem gratificado.
de
PERN. : TYP. DB 11. F. DK PARA. 1856

MUTTT^DO"
ILEGIVEL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EIANEMK39_ZQA9ZV INGEST_TIME 2013-04-24T15:44:09Z PACKAGE AA00011611_07342
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES