Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07294


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XXVII
Terga-feira 23
de DezfMibro de 1851.
N. 290.
DIARIO DE m PERIVAMBim
FBEOO A HCBOHIO.O.
PiOAMiwro Aduntado.
Por trimestre....... .... 4/000
Por lemeitre .....\, 8/000
Por anno........-.....15/000
P00 DI.1TIO DUTIIMI1TU.
Por quartel ,...........4/500
NOTICIA! DO IMPERIO
Pari..... ilcDozbr
Maraobio 7 de dito
Cear... 10 de dito.
Parahiba. 15 .le dito
Unan... iSdeMovbr.
S.Paulo. 10 dedito.
lt. de 1.. II de Dezbr.
8abia... I de dito. -
da. da uniMt.
32 Seg. S. llano, rato, Ss
Floro e Flavio.
23 Tere. S. Servulo.
24 Ouarl. S. Gregorio.
21. Qulnt. ** Nascl-
ineotodeN. SJ.i:.
6 Stit. ** l.Oitava.
27 Sab. *2. Oilava.
28 Dora. 3. Oitava. O
Si. Innocentes inni.
AUDIENCIA*.
Juito dt Orpho
2. e5. s 10 horas.
1. varadn civil.
3. e6. ao meio-dia.
Faxenia.
3. e8.il 10 horas.
2. vara do civel.
4. eaabadoa ao nielo,
iaciio.
Terca e libados.
d.
irHMirtElDn.
Creicente 30, a I borne 55minuta* da oa
ChciaaS, a I hora c 8 mininos da t.
Mingoanle 15, ai 3 horas e 6 minutos da m.
Nova 22, a 1 hora e U minutoi da.tarde.
rniiHia DI noJ
Primelra l 5 horas e 18 uiinutoi da manhaa.
Segunda s 5 horas e 42 minutoa da tarde.
rAUTIDAA DO! COBBSIO*.
Golanna e Parahiba, s segundas e scilas-
felrai.
RIo-Grande-do-Worte.toda ai quInUl-felral
aomeio dia.
Garanbun e Bonito, 4 8 e 23.
Boa-Viita, e Ftore, i IS c 28.
Victoria, i quintas-friras.
Olnda, todos oa diaa.
NOTICIAS SSTBANOZIBA*.
de Novbil Austria.. 2 de Novbr
dedito Snlua. .. 2 de dito,
dedito Suecia... 28 de Outbr
dedito loglaterra 8deNoabr.
de Outbr F..-Unidos 26 deOulbr.
Portugal. IS
Hespanha. 8
Franca... 8
Brlgica... i
Italia.... 31
Alemanha. deNuvbr
Pruisia ... 4 de dito.
Dinamarca 29 de Outbr
i;ii.>i.i. 28 de dito ..
Turqua. 18 de dito Montevideo 21 de Outbr
Mxico... 15 de dito,
California IS de dito
Chlli. 8 de dito
l'uenoi-A. 8 de Novbr
AMBIO* BE 22 DI DEZCMBBO.
Sobre Londres, a 28 i|2 e JS i|4 d. p. 1/
Pars, 330 por Ir.
Lisboa, 90 por cento.
METAEJ.
Ouro.Oncas hesnanholai.... a
Hoeda de 6/400 velhas. 16/000 a
> de 6*400 novas. 16/1100 a
de4/0C0....... 9/000 a
Prata.Paticei brasllelroi.. 1/910 a
Pelos columnarloi... 1/920 a
Ditos meilcanoi..... 1/710 a
Firme
28/600
16/200
16/200
9/100
l/90
1/9J0
1/750
AOSSENMORES SUBSCRIPTORES DISTE
DIARIO.
Restando pouoos das para o fnn do quartel
e sendo estes destinados testas, rogamos ao
senhore assignantes que se achaui a dever s
subscripcao quelram mandar-nos einbolcar de
seus dbitos nos poucos das que restara antes
de Natal. Estas quantlas que sao pequeas pa
ra cada um subscriptor, tornain-se grandea pa-
re nos que as temos de receber de alguns ; e
fazendo todos.os exfbrcos para dar cumprlmen-
to a nossos promessas, e tendo consciencia que
a temos cumprido, justo be tejamos retri-
buidos.
ERRATA.
No expe liento do dia 16 do corrente, pu-
blicado ao Otarlo n. 287, noofllcio dirigido
a psgadoria militara cerca do religioso Fre
Louronco da Divina Pastora, em vez de
640,000 rs. leia-se 640 rs.
PARTE OFFICIAL.
'TRIBUNAL'DA RELACiO'.
SESSAO DE 20 DE DEZEMRRO D I 851.
'residencia do Exm Sr. constituir Azcvedo.
As 10 horas da maohSi, estando presentes
os Srs. deserobargadores Villares, Bastos,
1,'nIu, Ssuza, Rehollo, Luna Freir, Telles,
I1, reir Montoiro, Vallo e Gomes Itibeiro :
o Sr, presidente declara abena a sessJo.
JULQAMeNTOS.
Appellanle, o juizo ; appollados, Ignacio
Jos Gomes e outro.Mandaratn a novo
jury.
Appellsnto, Manoel Joaquim dos Sanios;
appellado, o juizo.Julgaram improce-
dente a appellaco.
Appellanle, Manuel Gamillo Pires ; appella-
dos, Jos Piros Vianna e sua moltier, Re-
formaram asenteoca.
DILIOBRCUS,
Appellanle, ojoizo; appellado, Manoel do
Nasciineuto Pontos.Maoduram ouvir o
Sr. desembirgador procurador da coroa.
amses.
Passaram do Sr. desembargador Bastos
ao Sr. desembargador Ledo as seguintes ap-
pciljces em que sao :
Appellanle, o juizo; appellado, JoSo Jos da
Silva.
Appellsute, a fizemla ; appellado, Manoel
Jos do Araujo Costa.
Appellanle, o Joizo; appellados, Carvalbo
4t Maia.
Passaram do Sr. desembargador Rebollo
ao Sr. desembargador Gomes Ribciro ss se-
guintes appellacOes em que sSo :
Appellanle, Manoel Flix Bandeira; appel-
lada, Mana Jos Ferreira de Sepulveda.
Passaram do Sr. dosembargador Luna
Freir ao Sr. desembargador Telles as se-
goiutos appellacoa om quesSo:
Appellanles, Jo3o Bautista Pereira Lobo de
Gusmao e outro; appellado, Manoel Clau-
dio deQueiroz.
Ao Sr. desembargador Pereira Montoiro
as seguintes appellaeOesem que s3o:
Ai.pellantes, e appellados, Uizilio Alves de
Miranda Va reja o e Jo3o Aicjuo llarboza.
Passaram do Sr. dosembirgador Telles ao
Sr. desembargador Pereira Monteiro as se-
guintes a(ipotlai, 's om que sao :
Appellanle, lenlo Jos da Costa ; appellado,
Jos Joaquim BezerraCivalcanli.
Appellanle, Vicente Ferreira da Costa; ap-
pellado, Manoel de Souza Pareira.
Ao Sr. desembargador Vallo as seguimos
appellacOes eui que sao
Appellanles, Pedro Jos Rodrigues e sua
mullier; appellados,* Carlos Jos Gomes e
outro.
Passaram do Sr. descmbsrgador Poroira
Muiiioiro ao Sr. desembargador Valle as se-
guiutes appellacOes om que s3o :
Appellanle, o juizo; appellado, Antonio Jos
de Andrade.
Passaram do Sr. desembargador Valle ao
Sr. desembargador Gomes Riboiro as seguin-
tes appellac,oes em que sao :
Appellanle, Maria ilraziliua de Oliveira;
appellados, Carlos liento o oulros.
Passaram do Sr. desembargador Gomes
Itibeiro ao Sr. desembargador Villares as
seguintes appellacOes em quesSo :
Appellanto, o juizo; appellado, Manoel Ro-
drigues Ferreira de Mello.
Appellanle,- Marcelino Jos Lopes; appella-
do, Gutlbeme Soarcs Boteluo.
UISTRUIUICOKS.
Ao Sr. dcsembargidor Villares os seguin-
tes aggravos em que sao:
Aggravante, JnSn Vieira da Cunta : aggra-
va io, Francisco Jos da Costa.
Ao Sr. desembargador Luna Freir os se-
guintes appellacOes em que sao :
Appellanle, o juizo; appollado, Manoel Jos
da Coila Reg.
Lovantou-so a soss3o depois do meio dia.
Gommando das armas.
Quarlcl general na cidade do Itecifi, 22 de de-
zvmbro de 1851.
OI'.OM do tu n. 46.
Manda o Sr. marcchal decampo graduado
AntonioGorra Sera, coiumandante das aunas
dar publicidade para os flns convenientes, a
imperial provisao de vinte deuoveiubroultimo
que segu tranccripla, aqual Ihe foi por copla
rcmellida pelo Exm. Sr. niarechal de campo
commandanlc il.n. armas da corte na data de
25 do citado mei.
Doin Pedro por graca de Dos e unnime
acclamacao dos povos, Imperador constitucio-
nal e defensor perpetuo do Brasil. Faco laber
i vos inarecbal de campo, commandanie das
armas da corte, que tendo subido i inlnba au-
gusta presen;! urna consulla ao conseibo su-
premo militar, datada de vlnte esete de outu-
bro de 1848, a que mande proceder sobre o re-
iiuerimento de Hyglno Jos Cocido, major do
segund i batalho de artllbaria a pe. pe lindo
contar antiguidade de praca ; e conformando
ue inlelramenie com o parecer do cooselho, e
ao inafi que se ineeipot nadlti consulta, bei
por bem, por miuba Immediata e imperial re-
soluco de 12 de maio de 1849 mandar declarar
que o referido major dever contar sua auli-
guidadade de servlco desde 2o de marco de
1823, em que issentn praca no estincto regi-
ment de arillharla da provincia de11'ernain-
buco. Entendel-oe cumpri-o assim. S. M. o Im-
perador manilou pelos membros do conselbo
supremo militar anadio assignados. -- Jos
Francisco do Amaral, a fez nesta cidade e corle
do Blo de Jaueiro, aus vinte das do mes de no-
vembro do anno do nascimento de Nosso Se-
nhor Jesus Chrislo de 1851. E cu o couselhel-
ro Manoel da Fonseca Mina e Silva, secretario
de guerra, fliescrever c subscrevi. Jos
Joaquim de Lima e Silva- Joo Chrisostomo
Callado. Confu me Agoslinliu Maria Piquet,
ajudante d'ordens.
Candido t*al Fsrrrira.
Ajudante de ordena cnoariegado do detalla-,
! EXTERIOR.
RIO DA. PRATA.
Buenos Avres, 19 de novembro.
Teve lugar uina scena, na quil punco faltou
que nos visitemos livres do chefe supremo. Por
motivos que sel c elle tambein, e que por ago-
ra he necessario calar, andava o bomem com a
cabrea mullo dcsarranjada e els ahi que, sein
dlier agoa val cahesein sentidos I Tiveramde
levanta-lo seus neis escrivaes e.leva-lo para a
cama, etc.; e ponho etc., porque Manuelita no
quer que se diga o mais. J est bom, e nao
seinquletem pois, apezar de ter ficado entre
bilioso e Incerto, voltara asi, e le sahea cam-
panha, os ares puros o reanimarSo.
O general Paotwco sabio no da Ib para a
Guardia de Lujan nomeado coinmandante em
chefe interino do norte. Dias ante! de sua mar-
cha leve ia ni he m de agoenlar os ruaos tratos do
seu locio o chefe supremo. QuU dar-lhe al-
guns conselhos, e manifestar-lhe o mal que la-
sla com as ordens violentas que dava para cha-
mar toda a classe de gente ao servlco, obrlgan-
do-a a abandonar seus interesaos : com a ma
organlsacao que dava, ou quera dar s forcas
que nmu i, e com oulras medidas de guerra.
Istoolfendeuoamor prnprio do chefe supremo,
enfadou-se, e pouco faltou para dar em Pa-
checo com urna culona. P-lo pela porta fra
e o meu general sahio cabisbaixo.
Comtudo, os ditos conselhos prodiislram al-
gum elleito, porque as ordens que depois a es-
te respeitu tem dado tcm sido mais suaves. Po-
rrni ja he larde.
Na neitc de l7chegou um crrelo do julz de
paz de Chascomas, avisando que, seguudo as
ordens recebidas, foram chatnados cerca de 220
cvicos, porm que quando se Ibes deu ordem
de marchar para o acampamento geral, todas
recusaram abertamente, e a inalor parte pas-
sou para o outro lado.
O juli de paz da capella del Seor pede reu-
nir 57 homens que o deisaram depois da segun-
da varrida que Ihe fiscram, e segundo as or-
dena que recebcu marchou a poslar-se no por-
to de Campaua, a cinco legoas de s u ue, onde
se acba, com instruefcs para que em caso de
invaso ou ameaca de desembarque prximo se
retire inmediatamente sobre a guarda de Lu-
jan, arrebanbando quanto vvenle encontrar no
cam,nbo.
Alguns tcmem, e crcio que o ebefe supremo
tamben. Ir ni .cus recelos de que OS eavalhis do
dllojulz de paz e companhia, assim como os
dus mais ijiie vigiara a costa do norte, desde
San Fernando at San Nicols, empaquein ao
passar Urqulza, e que a retirada se faca, mistu-
rados com os de D. Justo. Sabe Dos se isto
inesino j acconteceu ao oflicial da capitana,
Soler, que com oulras balcciras foi despachado
para o Paran a observar e levar carias para al-
guns cheles c ofticlaes que eslao boje com D,
Justo. Coinoj tarda, nao falta quera suspeite
que cncalliasse. I")
Mansilla diz a sua mulhcr, c supponho que o
ursino dir ascucuuhado, que desde San Pe-
dro al S.n Nicols, tem reuuldos cerca de 4,000
homens, e que todos esto decididos. Como nao
vi a carta, mas lia ouvi isto a um amigo, rico
i-ni duvida .|i, uno aquillo a que riles eslo de
. i h .i.. c tambera se entre cases 4,000 eslao
coinprehcndidos os iimimcros habianlcs e
milicianos que se acham us matos, pois se
tambera falla dcstes ou os iuclue naquee nu-
mero, enlao sci intu bem a que lie que ellcs
eslao decididos,
Mandaram-sc 2,000 cavallos para Santa le, c
repetcm-se as ordens a Echague ca SaulaColo-
ina, para relirarem-se logo que D. Justo tentar
passar, c a lodos os julzcs de paz, para que te-
iihaiu reunidas c bem guardadas ai cavalhadas
dos seus respectivos julzados. Tudo isto, como
V. suppor, ciiclic de cootenlaincnto, enlhu-
slaamoc dcdca{aoaoshabilanlcsda campanha.
Mandaran! se sommas grandes de inoeda cor- i
rente com ordem de pagar sidos dobrados aos .
milicianos e tropa que aqu chamam veleraua. I
A marcha dos Urasilelros para a Colonia e as
Lias e viudas dos vapores poc o cliefc em cons-
ume vigilic todas as uoites. Teme, e cora ra-
so, que se era uina dcllai, ou de madrugada,
assouiem ellcs ah por llarracas ou por Palerrao,
u. ni a laco .ihn.i pessoa alguma de sua casa,
ue ni para o defender, ncm para receber os hos-
pedes,
Mr. Soulhcra prepara-sc para partir justa- i
ente quando o scu amigo D. Juan Manuel
. ais necessila dos seus conselhos. He puucu
generoso abandoni-lo quando pode sobrevir a
este paizcalamidade que lano tem trabalhado
para evitar. Porm, fallaudo seriamente, sabe
V. que a mu-sao de Mr. Southern tem sido em
verdade dessasque accrcdilain a um ministro c
um governo l'dc ser hornera de talento, po-
rm no Rio da Prata o que lera mostrado he ou-
Ira qualidadeque o destingue, e que anda nao
ae liolia visto em agente publico. Nao tema o
Brasil que Ihe iuvejeiuos o presente que, man- .
dando-lh'o, ibe faz lord Paluierston.
24 de novembro.
Ilecei.i-se nmito a [ni que haja inovimeutos .
prematuros sera se eslsr de accordo com Ur-
quiza, e a julgar-sc pela impaciencia que do-
mina lodos os nimos, he absolutamente ne-
cessario que a passagem para este lado do Pa-
ran se elleitiie proraplamenlc. Ha niuitos ami-
gos cucarregados de fazerem conbecer appro-
xiiuad imonio o lempo em que ella se deve rea-
lisar, para, desse modo, rcier-sc qualquer pro-
nuncia,nenio antes de lempo.
Trouxerara sele desertores, e levarara-os pa-
ra o acampamento. Repilo-lhe, por mais que
o Urillsh Pakit pretenda meller islo a ridiculo,
que a c .uipauba formiga de desertores de todos
os corpos, sein exceptuar os de Palermo, sol-
dados que cus un os olhos da cara ao chele su-
premo. .
J libemos que a bandclra do commando de
Soler foi detida pela Eulerpe, poslo que ha
quera diga que Soler te fulapresentar, ou que
se deixou tomar, seguudo as instrueces que
levava, pora que catiisscm em poder dos Inlml-
gos de chefe supremo unas resposlas ou carias
fingidas que conduza.
A procuso de San Marlinho nao se fer hon-
tcm, domingo, por causa da indiiposlfo de
Manuellla, sera cuja preseoca os lestejos ao
Santo seriara nullos e de uenhum vahar. Cora
cslajso Ires vetes que se suspeudeu a tal
procissao do padroelro ; muto recelo que sof-
fra as eventualidades daquclla mendagem que
nao pode apresentar-se por causa do calor.
Iloje deve sabir o'RIQeuiau para Montevideo
e Rio de Janeiro. Pouco ou nada se demorar
nesta. Dlz-se que oSr, Southern val no Prince,
porque nao acha no RIQeman coimuodos sulli-
cieutcs para a sua comiilva. Est inuilo dea-
gostoso, < asslra o go!, com o almirante Henderson, porque nao
poli todo o llilleinan a sua disposl(o. Nao Ihe
basta mclade da cmara do coraraaudanie, com
.luein i'm11 viagem ; quer mais espaco para a
sua comitiva particular; e os officiacs do va-
por na i qucrcn largar os seus camarotes para
a accommodareiH.
A ofricialidade, e eitis sao as vinal, como
aqu se pensa, do almirante Henderson, nao re-
cusara ceder os aeus commodos ao diplmala
iogle, mas nao quer d-lot tal comitiva par-
ticular. Hepor isso que o lliileinau levara ni-
camente movis c outros objeclos do Sr. Sou-
theru.
Clirgou o Sr. Gore, diplmala entrante, e a
sua viada servio ao diplmala sahlnte para dar
pasto boa vonlade que lem aos adversarlos
do ebefe supremo.
Dls pois o Sr. Southern que o seu substituto
o informoude que os tratados que o Brasil ce-
lebrou com o governo oriental e coin o de
Entre Ros sao usurpadores, e que obteve con -
cessdei para as quaes accrescenta cora deiem-
baraco esse bomem apalxonado, o Brasil coro-
prou multas pesioas. Isto he a todas luzei um
despeito mal dlifarcado.
Alada mal, consta-me que disse a alguns
amigoi mimos que em Janeiro deve chegir
uina esquadra logleza, pois que lord Palmera-
ion quer envolver-se naconteuda entre o Bra-
sil e o chefe supremo. E quando ilgum amigo
de, ir o vi/.ta, di:-Ib.- para que o cont a Rosa*
que val ao Brasil trabalhar decididamente pe-
los Interesses do chefe supremo, comosquaei
parece estar tao vinculado como o mais acrri-
mo rosista.
Nao duvide de que o Sr. Soulhero se exprima
.um ni; salba-o, e faca disto o uso que convler a
boa causa. U certo lie que este diplmala ha
de dar que fazer ao gabinete imperial, se ette
nao proceder como deve logo desde principio.
(Correspondencia do Cow tercio del Piala )
(Jornal do Commrcio.)
INTERIOR.
i so paiz das porvoiecs chamis heroicos.
. Sendo i.i.i pequea a tabella dos vicios ja
' vs quo aquello paiz he um Bdon. s hou-
vessem do fazer all um dtcalogo soaire-
CfjRRtsPO.NDENCI.l DO DIARIO DE PER- se,lUrjum um aitigo, que hoo nosso quinto
n am i;i i .i'. _nJo matars mas esse mesmo modilicado
Parahyba, 19 de dezembro de 1851. com a Si'guintc emendasalvo se Uveros
Tcm andadu muilo azedo com as miulus^ jjnheiro, ou prolcctor quo o tenha.
carl btrdadoi, oque bastante me ha fcito seis-, iccOes indinronles, ou viituosas a seu gei-
mar, puis, examinando minha consciencia | (0| igualmente pela activa o passiva. N3o,
n3o encontr om qoe o possa terolTendido ocodigo iudividu.-l tem duas paites, urna
Semeenganei com elle nocorlejo, foi um'activa ou do obrar, oulras pissiva ou do
engao muito lilODgtiro para elle, o mor-|g0JTrer. Na parto activa lodo be bom, por-
tilit-uiili! para mi o, visto que O loinei por
urna Mi lade de primeira plana, como bu-
je se diz; se fsllei na historia da farinlia,
que sendo olio o agento quer grande cir-
cumlerencia para a sua liberdade; oa pissi-
va ludo lie mao, porquo o papol de Dacien-
TURQDIA.
as ultimas noticias que recebemos de Cons-
tanlinopla encontramos vagas apprehensdes
sobre a duracao do actual gabinete.Estas ap-
prehensOea sao fundadas nus boatos sen valor
algura a respeito de conjcclurasquc nos pare-
cera arriscadas.
Na Turqua representara os homens as ideas
e personiricam os systcmas ; c a uossos olhos
urna mudanca completa nos homens, boje in-
vestidos do poder em Coostaminopla trarla
cousequencias de tal modo graves que nao po-
demos desde ja expressar o nosso pensamento
a tal respeito.
O sulla i Abdul-Mcdjidfez o scu mime popu-
lar na Europa, abracando francamente o sys-
icma de reformas. Com o favor deste systema
recobrou a Turqua o seu honroso lugar aos
olhoa do mundo civllisado ; consolidaudo-se
aquelle com a aproximara. c coucilUco das
casias, reunidas em torno dos homens que re-
picsenlavam o pensamento liberal do sobera-
no. Esta penosa trela, serlameute cotnecada,
esl longe de se achar linda. O laclo que o aul-
to tem mostrado at hoje na cscolba de seus
conselheiros obteve appruvao unnime. Todos
os gabinetes da Europa, tratando com elles
quesldes multas vrzes dilTices, tiveram lugar
de apreciar | sua lealdade c enrgica devofo
ao Imperio, Valachios, moldavos, servios, bos-
nlacos. blgaros, e finalmente des inllbdes de
christaos, subditos do sullo, conbecem c aben-
co.ini estes nomes, que sao para elles synonl-
inos de tolerancia, liberdade e ventura.
( Conslitutionntl. )
( Diario do Governo de Lisboa- )
(*) A baleelra a que se refere noiso corres-
pondente, commandada pelo olllcial Soler, foi I
deuda pela corveta brasilelra Euterpe, c remet-
ilda, assim como Soler, ao Sr. governador Ur- i
quiza.
De una correspondencia cslrangeira trans-
creveuios o que se segu I
Encerrada, comoj dissemos, a expoticJio
universal, nao deixam de ser curioso os icguin-
tes promenores.
< O numero das pessoas que concorreram a
exposico de Londres, sobe a li,201,8jo\
O numero maior dos concorrentes era um
dia 109,915.
O maior numero de concorrentes ao mea*
mu lempo no palacio de chrislal ( s duas horas
da tarde de 7 de outubro ). 92,0011.
Producto dos bilhetes de entrada c outros
lucros, 50 milhoet c meio de reales.
Cusi'do edilicio, 20 milhdes de reales.
a Em resultado sobrara 30 inllbdes c meio
de reales.
. A ordem que prevaleceu no meio de ta-
inanha concorrencia d e pessoas de todas as
elasses r ni.-..-:, foi admiravel, devida essen-
cialmentc policia, que exislc naquella capi-
tal. Nema entrada nem a saluda, nem fra_ ncm
no cumulo de carroagens houve, eonlsao ou
bulha.
ii Ncm dentro nem fra liouvcrara ratonei-
ros, cousa que tambera se deve polica. Du-
rante os cinco mezes foram presos dentro, c
as miradas c proximidades do edilicio o se-
guintc numero de pessoas.
Em cousequencia de roubo de bolsas, 9.
Por tentativa de roubo, 0.
Era conscqucncia de roubo nos mostrado-
res, 10.
o Lotal 25.
i Nao te ouvio queixa alguma de roubo el-
fecluado ; todos o que intentaran) faze-lo o-
ram colhldos em flagrante e lmente os rereri-
- js 25. He talvct esta a circumstancia mais no-
tavel .111 .- ihi. cu
> Mcdalhas e menedes hodorificas, 5.084.
Destas couberam a lngletes, 2,039. A es-
trangeiros, 3,045.
O dinheiro que a exhlblcao fez circular en
Londres, pelot caminhos de ferro e nutras vias
de communicaco, pode calcular-se do segra-
te modo :
Entradas naexhiblcao, 50 mllhes e meio
de reales.
Os caminhoi de ferrs que vera a Londre
ileraui nol cinco mezs mais que nos mesmos
do anno anterior, 80 inilhdes de reales.
h O producto de transportes da cosa visinha,
em vapores, pode calcular-sc em cinco milbdes
de reales.
A despeza em Londres, suppondo que cada
viajante csteve tres dias naquella capital, vl-
vendo econmicamente, c que o numero oellc
foi de dous mllhes, produzuma souuna de 200
milhes de reales.
Mal., 40 inilbes de reales, suppondo que
cada um dos individuos, que lorain exposi-
co de Londres, compiaram para seu uso ou
de suas familias objeclos no valor de 20 reales.
Toial, 375 milhes de reales.
o Por ultimo nao ser mullo suppr, que pa-
ra eitasomma tenuam concorrido os cstrangei-
ros cora cera milhes de reales,
Eis os resudados do moviinento i; .lo bom
calculo. A exhibicao foi muilo til para a in-
dustria universa!: mas tambem fui uin negocio
muito utll para os Ingleses. Souberam reunir
o ulii ao sgradavel, a honra ao proveilo. O ca-
rcter nacional nao le desmenlio, calculista em
tudo.
a Os objeclos apresentadoi na exposicao uni-
versal de industria, acham-ie, em grande parte,
venda em Londres; Por alguns dos mais nota-
veis pelo leu mrito artstico, se deram precos
muilo superiores ao seu valor. Todas as car-
roagens remctiidas dos Estados Unidos acha-
rara compradores. Os movis da exposico
austraca, que foram multo notaveis, nao se
tcm podido vender, porque os expoentes nao i
querera da-loa leno a quera compre urna col-
Iccciio completa. Dol objeclos dimalacbites
da exposico runa nao te tein vendido maii do
que um dos vasos grandes i as portal nao tive-
ram comprador. Parece que quando voltarem
Ruisia sero provavelraeute comprados pela
imperalriz.que lem una magnilicos aposentos,
cujos adoraos sao lodos de malachilei.
u O principe Alberto dirigi ltimamente
urna carta a cada um dos commissarios estran-
geiros, agradeccndo-lbe os servicos que pres-
taran! exposico, e annunciaudo-lbes alera
disto a la intencio de couceder a cada um
dellei urna inedalha de ouro, acompanbada de
(ira cerllicado
[ta Ui.)
foi IiiiIh.iiIm dn rifloquem n3o quor t s mo agrada D'aqui nascom qucixas e
lobo, lirga-llio a pello; so tralei do cli'rduviJas, que-tO.s e pequems desrdeos,
foi porque n.1o jnlgo joslos os previlegios[qUBCada bin vai acabando conforme as leis
face da constitoicao; omqoo, pois dosa-ijo paiz, ou passando adianto o que do ou-
lei a bilis de S. S. ? Se lio sujeito aos/i/e [rom recebcu, especifico dos esperta I hcs
n.lotenho culpa, e Icia as nuiles de Youny,
ptimas para essas mortificaces do espiri-
to. Bista por hoje decavaco, e Dos nos
livro de lornar qu -Mo.
Temos algumas uovidados tltuyacs, o mais
cedo do que pensava. A mes que Ih'as roli-
ra previno-mo dizendu-lho, quo lli'ns con-
t taes quaes teom choK'idu a inoos ouvi los
sein asseverar sua veraciJadu, o nem dolas
duvidar.
No Tab dous iinliviloos, em questes
disparani-sa rociproc-iinente as armas, re-
sultando da i .m; i he i um morlo e outro
feriilo, que pJe evalir-se. Parco que os
hroes andam em justas o torneios entre si I
Nao lie mal lembrado o expediente.
Km Gonnhem dous mogos, amibos oli-
mos, sahiram cacada, e um dulles dispa-
rando contra um psssaro, omitou ocompi-
nheiro, que tinlia feito uin rodeio, e por
isso n3o ora vislo pelo companlieiro. O
mais notavel lie que o tiro fra disparado
para o chao em uin passaro -nainb,pelo
que julgo que alguma outra ciicumslancia
occasionou aquello sinislro lastimoso.
Eii o que tem occonido da minlia ulliuia
para ca.
N'aquella esqoecou-nie noticiii-llie, qoe
no dia l ass'Sli a orna representacao no
Apollo l'araliybano.
A decora<;ao c.-tava sofTrivol, e tambem
alguns dos actores, nao issim oulros culti-
vadores, dizem ellos, do modernismo; po
que ciitenJoran ser mais conveniente a
promp a represalia, do quo gastar lempo
iieiii luiprulicuas queixas.
Ha all, como cm iodos os paizos civilis-.-
dos, plena liberdade, ou licenrja, do im-
ineiisa, pela qual se discuten iuio as quos-
Idas publicas, poriuo ussas su di-cute-j) n 11
conclaves, quinas, lavernas a b iticas, con-
formo os goslos d is publioistl, n3o a vida
publica dos funi'.ciouarios pblicos, porquo
dizem os polticos nao In prasor om trala-
cousas sabidas e muilo vislas ; mas siin u
vila pii/ida, e essa enfoitada pela maledi-
cencia, que all bonlong: do ser vicio ao Montevideo, 23 de outubro de 1851( As-
ha dias a osle pcdindo-lhe conta do Infeliz
(i llio, cobii'ido-o deinsultos.e passando de-
pois a des li-l-M a baler-so com ella com att
armas quo elle cscolhessr*. Tanto pode o
imor materno Oribe pedio ios circuns-
tantes que relirassem de sua presen?! aquel-
la eitronu! mili.
( Diario do Rio Grande.)
11 de novembro.
Tendo cessado os motivos quo obriga-
ram o governo dede Sua Msgestadn Imperial
a chamars armas os cidadSos de quo be
composta | briosa guarda nacional do Rio
Gran !> do sul, lica V. me. autorisado para
dispensar vfarrja de que he composta a bri-
gada n seu mando.
i Em meu nonio e do governo do Sua
Magestado o Imperador, agradeca V. me.
aos olficises, e guardas nacionis a prompli-
(18o com que deixaram seus lares para cu-
dirom ao reclamo da palria, contando quo
oulra vez se preslem com a mesma rapidez
com que ullimamenlo se reunirn), so a
honra o dignl lade da m1 i;.lo exigir seus im-
portantes servicos.
No acto do dispen-ar a torca V. me.
mandar apromlar os compelentes prets
para que os guardas nacionaes sejain pagos
de seus venc mantos al odia em quo lorom
Jespelidos do se.vico e destacamento : O
iUiiiaiiicnto deve sor arrecadidoe recolhido
aos dopoiitos om que os corpos o recebo-
ram.
Reos guardo a V. me. Qjarlol-genoral
do commando em chote do exercilo cm
contrario he una ligura oratoria, ou o con-
curso do muitos, conformo a paito quo a
arlo lem na historia.
lio um gosto ver a ancia com que sao
procurados o dovoradus os jomaos mais
acreditados uessu genero do elocuencia, e
quanto mais acres mais vendareis.
Soria risivel, so n-i fra na Coiii/nc/ii/iu
onle a scioncia he igual e geral, voroarde
importancia com que individuos, anda da
classe hboriosa ( que all sao poucos, o el-
las mesmos osoom rolacaoao pit) dis-
cutem, e decidera quetes de alU impor-
tancia nos logaros a discuss3o publica ; a li-
be.-daJo comquoappiovam, anda que pou-
cjs vezes, ed sapp.ovamconstantemente os
actos da a liniuislrocao ; mas n'aquelle paiz
tolo o cidadao como interessado no bom-
estar da socio lado, com-soberano, o do
signado ) Conde de Caxftu S'. coronel Ma-
noel Lucas de olivoira, commandantt da
brigada da res-rva. Conforme, Oliveiran
O vapor Imperador deve largar para
Montevideo no da 13 ou 1* do corrente, c
couduz nlm da iu nnnne, munidos,
ele cerca de 10J o linios homens da arti-
ii H i i prussiana com oito bocas de fogo, li-
caii'loaindi aqu 3 bslorms, quo. seguirlo
so ns circunstancias argirem. Vai com-
inandando esti barleia. segundo nos consta,
o Sr. capitflo Adalboilo.
Cliegaram ja de Pdlotas 250 pracas al-
leaUes das quo ali so achavam. o o resto
dove estar aqu muilo breve.
O Sr. coronel commandanto da gur-
nicao, que liavia ido a Pelotas, vollou uu
dia immediato o acha-se j nesta ciisde.
Ouaudo clicgou a Pelotas pasin urna rovis-
rmchiton, pois os homens nao goslam de mais a mais como sabio por presumpcao lo- ta aarlilhana prussuna, que e aprasenlou
.i-..-. ...u_ i- *.- g,|, visto que por cssi presumpcao iifu he cora asseoe garbo militar.
oxigidi essa qualidado como habllitaeo ioraiii liontoiti cercadas pela pouna
iniohas innocenlos obsoi'accs. Foi sce-
na a peca All'ronti i or alTronlaquo me
nao pareceu m, assim houvesso melhor
escollia nos individuos para os diversos
caracteres quo devism reprosentar.
O cnlromezO DileUnti obra do um
nosso patricio, segundo me iuformim, e
obra prima em sou genero, foi iiicont'sta-
velineHte be n desempenhado.
Sei que devo o.-tar aneioso pelo resultado
do meu sonho, o eu cstou muito arrepeudido
de Ih'o haver contado, pois mo SSMVerOO
urna beata qoe nao lio h mu contar os so
nhos, porquo n3o s>rcali
grande posar do rulo sub
regulo elherea undo me sch'l p
0\Uldl CSSa llll.niaauu *wois. ..-... ",-,.
aiuda para os mais altos cargos, po le o do- ss casis Jos Srs. Dr. Jacinlho diSilvi Lena
ve discutir seus interesses, c Clamar bol- o Monool jse V.eira Lima, prouunciados,
los os arraes do barco do estado quando vir aquelle como joiz, e esto como thesoureiro
quo Ihe nao dcinvanientu rumo. doorpliHos, em r-zodo desfalque adiado
lima erando vaiilagoin resulta ilessis dis- no compelenlento cofre, o ambos Uomisia-
OUSsOeS dos nuncios publi os, o lie a hab- dos desde varios inez s
lilacao do lodos os individuos para e*rcir O 8S, Vieira Lima foi capturado na sin
os cargos pblicos, para os quaes, sflgundo chcara onde eslava ; m is o Sr. Ur. Jacin-
o pacto social, tolos, sein exopc3o, esto ino Lima mo podo sor adiado, e lom-sedi-
Itlbilitados, etcmi'ual dirtilo. lo quo so evadi ha dias ombarcido. Pa-
Todoa os careos So do eleiofio popular, roce que um avi,o do niinisteno dajuslica
a.... .;...._. ...... .mi:. o sr. Vieira
isatn, o cu tenho'e Uiiocti, na qual vota lodo o bicho-carda deu origem a esta diligencia. O Sr. ic
ir umia s essa de seto innus pira cltni, sinds r mulheros Luna acm-se recolhido a pris.lo civil.
ach-i para ver do que n3o no lom sor votadas. Ni-nluim indi- \iinos una cuta escripti por pes,
14," ocordido, o ponto do visla que devo.viluo podo exorcer o car^o por mais de
fazer este torrOo cheio de miserias; mas seis mezes, o nem |o sor reeleilo antes de
ernlim he mal que nao tem cura, o ja quo dous antros depois do primeiro eiercioio;
principiei vou ab lim. Iporque, diom ellos, so lio bom deve pas-
Tondo, como Ihe diss*, reconhecido meulsar por lodos,
companheiro quo eu pouco pescava da til NBo he roeonliccida a inliibililacn para
geographia, principalmente do poleiro,'os cargos, ncm pelos maiorcs criiues, nom
dlsse-me: aquello bello psi quo all vs pelo nio d.sninpeuho; pois, dizem os po-
he o reino da Cochinchina, do qual talvez Uticos, ose inies o amnistalos polo so-
nunca lenhas ouvi Jo fallar. He o paii de Lorauo povo no acto da oleic.lo, c o mao
mais emaiores velhacos quo o co cobre, desompeuho usco da filia dopralic.i eida-
A sua forma do goveruo lio singular o de, quo om dous annos podo adquinr-
monstrooss, sem nexo, uniiado ouaccilo; so.
mas isso mesmo convem aos mais sabidos Maraviliado estiva cu do quo ou*"> c
para vivererc costa dos mais tolos N'a- tomav notas para fazer randas observa-
quello edilicio quo all vs habita chele ces ao meu companheiro, porque em ver-
supremo do estado, ou como l chamam o da Jo me ntlo podia conforuiar con seme-
primeiro cidadao, que, segundo o pacto so- Munlo governo. moral o |egislc3o, (luan-
n-.-l, bem so ple chaioiir prejUiiipr;ao do me elle disse : tonlio-to da jo um co-
contra algura esporlo amanto da patria, nliccunento anda que supoilicial do gover-
irresponsavel polo actos porque o n,lo qui- no, legislaco o cosluaies do paiz, antes
zeram responsibilisir, pois quorendn o so- quo entre a cumprir o que te promdli, mis
lloran.i podo fazo-lo, e cutio o manda pas- observo quo anda mo falla tratar da edu-
seiar e elego oulro, vislo que rcconheceni caeflo da moci Jado, quo nao ho menos sin-
toilos at como mysterio do fe, quo a sobo- gulr, pelo quo suspendo algumas rolle-
rania nasce do povo, no quo em verdade xes quo lenhas a fazer al quo ou acabe
elles loem carradas de ras3o. osla lc3o, o entilo na minha illia ouvire
Aquell'outro edilicio lio das sesses dos 0 responder! a quinto mo quizeres obser-
conclaves, pois sabaras que all ha tres con- var.
claves, alto, baixo e medio, que fazom ns A' vista disto calei-me, resorvaudo-me
leis; servindo o medio de (rambollio para para melhor occasiSo, para a qual tambeo
neulralisar as pretencOts dos dous cxlre- reservo o resto do meu sonho.
pessoa
le gran le oosiiSo, a outra da mesma jenr-
eliin, i|uo diz assim om uin paragrapho :
Coz-so um tratado cora o Estado Oriuo-
tal, que seguio para Montevideo em dias do
mez passado para s >r ratificado, no qual so
estipula quo durmi 10 anuos continuar3o
isentosdo direitus os charques de S. Servan-
do, o quo em compensicao tambem liesria
isenlo do todo o dir jilo o gado que passar
para a nossa provincia, ole, ote. Tambem
no mesmo tratado se reul3o os limites, a-
iiisi.iii ln --. que 11 { ti- .ii por onde se achara;
mas determinando melhor os lugares por
onde passa a liaba divisoria, o Uando-se-
uos uns pontos as fozes dos riosf'.huy o
Sebolaty, para podermos fazur efiectivaa
exclusiva navogacoda !agoi Merin.
( Mo Grandcnse.)
Jornal do Coininercio,)
mos, quo representara nobreza o povo
elasses que, como sabes, em todos os pai-
zes andam em guorra viva.
N3o te persuadas que s estes oonclaves
podem legislar; nSo, o poder legislativo
Saudo o felicidades.
PERMAMBUCO___
Repartigo da Policia.
PART no lili 16 DE DEZEMRBO.
foram presos : ordem do delegado do
primeiro districto deste termo, o porlugnoz
Bernardo Alves Pinheiro Jnior, por crimo
do furto, e Francisco Vicente, sem decla-
rarlo do mutivo ; a ordem do Subdelegado
to da fregnezia de Sau l-'rei Pe Iro Goncalves
% do Itecife, o Dinamarpucz Joaquim Banss,
a requisi*;3o do rps^ochvn eonaalj o Ama-
ricinosSIieadrocli W'illiam a Eiuard Brom,
por briga, o PeJro Antonio dos Santos,
para averiguacOes policiaos; ordom do
subdelegado da froguozia do Santo Antonio
Francisco Quirino das Chagas, por ebrio;
a ordem do subdolegado da freguezia da
San Jos, o criouio Jeremas Francisco Al-
ves, por uso do armas ; o do nuBdolegado
da fic^uezia da Boa-Vista, Ad3o, escravo
de Domingos Caldas Pires Ferreira, para
correcao.
DEM DO DIA 17.
Foram presos : ordem do chelo de po-
lica, Manoel Francisco do AlmoiJa, para
aveiiguaces policiaca; ordem do subde-
legado da freguezia ue San Frci PeJro Gon-
cilves, o piolo Joiquim, escravo do Amo-
riin & Irrailos; orden do subdelegado da
freguezia de Santo Antonio, o criouio Vic-
toriano, oscravo de Jos Autuuiu do jau-
tos Coolho; e S do subdelegado da fregue-
zia do San lose, o preto Zeferino, todos
requisito de seus sonho1 os.
nio gramde dosll.
Rio Gran le, 6 de novembro.
Montera, s 8 horas da noite, chegou de
est distribuido por todas as autoridades, Pelotas o vapor hxpeculaiao, o por ello tive-
linda as menores, que s3o os espies de mos carias lUli ato 5 do crrenlo, as quaes
policia, e o nico a quem n3o lio permilli- nus rclalam o segrate caso:
do esse poucachinho do legislativo, he o No dia primeiro do corrente desTta-
primeiro cidadUo, porque, dizem os politi- ram vinte e tantos soldados da arlilhana
eos Cochincliinezes, ho muito oerigoso r- prossianna, capitaneados por Uous sar-
ma-lo de qualquer outro po lor, que ralo genios, levando loJos espadas o algumas
o do assignar. pistolas.
D'aqui j vs quo s3o lantas os leis qtisn- O Sr. comniendador Joao Rodrigues
tas ns canecas, o lie mais dillicil ser aqu Ribas, ciinniandaiilo sopporior da guarda
gisperilo do que saber ler na China. nacional, deu maiediilaiiK-n'.e as dovidas
A roligiSo d'aquelles povos lie o scepllcis- providencias, mandando o capitSu Fragata
..o, e s adoram o lo um corpreo. Seu com urna escolta de cavailaria da guarda
primeiro dogma he nada crer. O egosmo nacional om seguirnento ; sabendo o Capl-
lie o segundo. toFragata quo elles tinham lmalos di-
Seu svstems psnsl heclehrn; n crimes receso de Cangoas,da prompto paro ali
s3o punidos mis ou menos gravemente se- dirigise, e os encontraran!; mandando o
gundo as posses do criminoso; e todas as(capitao dizer-lhesque so ontregassom, res-
penis s3o pecuniarias. Quando o condena.- ponderara qne Allomo pretera raorrer
nado n.io lem meios dosatsfazer a pona;quo entrogar-se ; idizendo ossss pali-
vai para orna pris3o por tantos das quantos vras, dorara alguns Iros sobre a genio do
sao necessarios a prefazer a importancii da capitao, o correram a onlnnchcirarein-se
pena na rasao de um tanto por dia aviliado em urna singa, dahi llzoram fogo por espa-
por arbitros, correndo o sustento por conla co do lempo, sem qoe a cavallarta a elles
da paito queixosa. ; pudesse chegar.
Quautoao civil ainda he melhor o syste-: Finalmente, ven lo o capitSo que a
ma, porque o diieito he decidido nSo pelis civallo nada poda conseguir raindou por lado,, e e.,l "P* ""
nses emais produeces de rbulas, mas p a t.rra e carregar sobre elos .do quo re- ^'"em oublico hVdo
smpela cpacil.de da bolea das parles, sullou raorre ora qualro soldados allera3es .tn,^j?; *
Aquella que miis vantagem offerecer mais e hcarom outros tantos contusos, Meando
nsSo tem; o desta surte em duas hons, lambecn foridos tres guardis nacionoos,
quando muito, decide-so urna quest3o quo o o lenle Clemenlino, que correu po-
em tua lorra consumira dous ou tros lon-'rigo.
gos annos. Chegaram hontem 18 dosdisertores pre-
A moral all he muito favoravel, e por is- sos, incluindo os foridos.
so quasi todos sSo virtuosos, visto que; 10 de novembro.
poucis iccoes sio reconhecidas ms. O Foi-nos communica la urna carta de Mon-
roubo sagaz e agudo, o furto ongenhoso, a tevido, ditada de 6 do corrente, e de su-
embriaguez e oulras bagitolas quo vos ou-'jeito muito fidedigno, que refere o
tros tomis o Irabalho de considerar vicios guinte
ou crimes sao all icces indilTerentcs ou
dignas de encomios; e causara tinta emu-
licdlo como um desses actos quo l em vos-
Correspotitlencia.
Ti IIEATItO DAI'OLLO E A ORCHESTRA.
Srs. Redactores. OlTondidos ora nossa
honra pelo boato, que contra nos ha espa-
Ihido, o feito espalhar o Sr. Guimaraes,
pezar sobro nos
nosso rigorozo
dever justilicaraos nosso proced ment,
hsvido com o Sr. CuimarSes na noite do dia
16 do correle, procedimento este lilho, uui-
cimentedoquoha pralicado com nosco o
mesmo Sr.
N3o revolveremos o passado, porque o
nosso anhelo he 13o smeulo justiflcar po-
rania o publico o nosso procedimento como
I ja il s-o i.u-.
Estando o Sr. GuimarSos ha muito atra-
zado nV'pagamenios pira com a orcheslra,
e lornando-se esse atrszo mu sensivel,
ceilo lempo desla parte, e tendo t do oesse
periodo um proceder digno (permitla-se-nos
*m



expicssfi) di oais severa reprehendi
nSo obstante i notn bonomil, o prudi-ncu
soffrendo astim privages, pois vivemos de
no-so trabalho, entendemos dever rivaliaar
como mesmo Sr., assim dispostas, tendo to-
dos un s pensar, una s volitado, no dia
om que subi a scena 0 Ermitao da Serra
de Cintia,dirigimo nos ao metalo Sr., e
Ihe (izemosvor as nossas circumstancias,
accrescentaudo que deiejavamos ser pagos,
e qoe receberiamos parle da quantia, de
que eramos cradores, sa sor ventura nSo
podessesaldar loda aconta, ao querespon-
ilro uto amigo do Sr. Guimarfies, que po-
damos no dia segninte ir recebor em sua
casa toda, ou parto da divida, concordamos,
nao cumprindo porm esse Influente a sua
palivra, sendo nos ainda urna outra voz vic-
tima de nossa sincerida le, resolvemos na
primeira recita .quo se desse sermos mais
turtos: o neste proposito, no primoiro es-
pectculo pedimos o qje sa nos deyia, sob
penada nSo locarmos; o Sr. Guimarfies,
coro o director da orchestra, o mais alguna
de nos, dirigio-seao Sr. /ebedeo, e pergun-
lou-lhe se lia va dioheiro, quo chegasse pa-
ra a muzics, e respondendo o Sr. Zebedeo
pela allirmativa, o[ditoSr. Guimarfies deo-
Iheordem que eatregasse ao director da or-
chestra o dinheiro existente ; onnuimos: ac-
cabada' a ropresentacSo, Indo o director re-
cebor o dinheiro como se havia conxavado,
nSoo recebeo, dizendo-Dos que o Sr. Gui-
marfies j o havia recebido ; roceBor o que
j Ihe n.io pertencia !! Enliio consi lerando
nos o papel que faziamos protestamos re-
pellir tanta benignida4e.... No dia 16 do
crrante que linha de ir a scena1>. Jofio do
Maran, ua occasifio de principiar o cnsaio
dirigimo-nos tolos ao Sr, Guimarfies, a exi-
gimos a nossa divida, dizcnflb-Jhe que osla-
vomos decididos a nos retirar se nfio fosse-
mossalisfeitos ; o Sr. Guimarfies asssove-
rou-nos que podamos insaiar, que elle ia
buscar o dinheiro, pois j eslava contado
om sua casa, esperamos, e operamos at
meo-dia, e jamis apparecendo o Sr. Gui-
marfies, camprimos o que haviamos dito.
NSo conseguindo rmn;m o Sr. Guimarfies,
durante o resto do dia, 5 principio da note,
contraclar urna outra muzica, e chegadaa
hora do ospectaculo, estando o theatro ple-
no, para arredar de si a censura publica
{ bem merecida), mand iu subir o panno, e
ezspparecer o Sr. Cyrillo, que disse aos res-
peitaTeis espectadores, sem duvida por
mandado do audaz Sr. Guimarfies, que tifio
poda haver representado, pois que a or-
cheslra fazendo urna surprea, se havia ven-
dido aos Germanistas; e quo tal! como sof-
IVer tanta impudencia da parte destesSrs..'
quanto he prodigo o Sr. Guimarfies em me-
noscabar a honra alheia !! I. ..
Julgamos ter Justificado o nosso procedor,
eesperaraos do publico imparcial a devida
justica ( o ate o presente dinheiro nicles.;
besprezauos qualquer resposta ecoburla-
da com o mionymo.
Recite 20 de dezembro de 1831, Somos
Srs. Itedactores sous constantes leitores ote
Trajano Filippe Nery de Barcelos.
Alexamlrino Pedro deSouza.
Manoel l'ereira da Silva Serredello.
Melquiedes Francisco da Cos.
Malinas Antonio Gozar.
Pedro Justino da Fonsoca Barrozo.
Manoel Joaquim da Encaroigfio.
Pedro Alexamlrino de Sales.
Joaquim Feliciano.
Joaquim Tefilo da Boa Mor i
Jos Joaquim da Silva.
Jacintho Kirrnino Nnnes.
Antonio Francisco.
Jos de Lima.
Puhlicago a pedido.
Resultado dos exames das alumnaa d'aula
particular, do segundo andar do sobrado n.
H na ra da cadea de S. Antonio. Dirigida
por I). Umbclina Wandcrley Peixoto. No
dia 20 de dezembro de 1851.
Foramapprovidas plenamente as aluni-
uas seguintes:
Hoza Cordeira Goncilrcs Braga, lilha do
lllm. Sr. Manoel Jos Congalves Braga.
Mara Emilia Sobreira de Mello, lidia do
illiu. Sr. Emilio Xavier Sobreira do Mello.
Olympia Lins de Barros, filha dolllin. Sr.
Jos Candido de Barros.
Maria Francisca Bizerra de Moli, filha da
illin. Sra. 1). Maria da Purilicacao de Ma-
codo.
Maria Joaquina Celestina e llenriqueta
Celestina, lilbas do Miro. Sr. Francisco Ce-
lestino.
Guilhermina Wewhanse filha do lllm.
ir. Guilhermo Wewhansem.
Izabel Carolina Peixoto de Brito, filha do
lllm. Sr. l)r. Flix Peixoto Brito de Mello.
Foram premiados em virtude do art. 40
dos estatutos.
Roza Cordeira Congalves Braga.
Olympia Lins e Barros, Maria Emilia So-
breira de Mello, Maria Francisca Bizarra del
Mello.
Assistiram a osteactoos paos das alum-
nas.
Discurri recitadu por D. mbelino Wander-
ley Peixoto, poroccazifio dos exames das
suasalumnasnodia 20 do dezembro.
Senhores. Um dever 13o santo como o
ministerio que exerco me im;ema obri-
gagfio deagradecer-vos ne-te momento so-
lemne a conlianca queem mim depositastes
entregando aos meus dosvelos estes caros
pinino es dos vossos corsgoes.
A educaefio Srs lio urna segunda natu-
roza ; e Ijoiis on mos, como somos, deve-
mo-loiquelles que nosdirigem os primo-
ros passoa na carreira da vida.
Verdade beque a educagSo quo a socieda-
de concede ao sexo frgil anda he assas
acanhada ; com ludo, do intimo da minha
alma, com a mais sincera expressflo da ver-
dade assevorou-vos que tenho sempro em-
pregado e hci de empregar todos os meus
usforgos para infiltrar no lenro espirito 'le
vossas liltias os santos principios da pieJa-
de, as sublimes verdades da nossa au-
gustia religifio e o sacrossanto amor fi-
lial, iilni do que um dia ellas sirvam do mo-
delo as mfiis de familia.
NSo tratei smente de Ihes desenvolver os
sentimentos do coracSo; tambem tonlio
procurado rnllivar-lhna inlelligencia, mi-
nistrando-lhes a leitura de obras escolbidas
ose as provas porque ellas agora aesbam
de passar nfio corresponden! a vossa pater-
nal especlaliva, asseguro-vos que nfio be
culpa minha nem ISo poucoda falta de cui-
dado denlas boas meninas: be o resultado
do curto csaago que percorreinos.
Todava, estnu certa que as sementes lau-
cadas neisas anglicas organiaacOes, um dia
bfio de biotar os fructos de delicias que lo-
dos nos esperamos.
Evos mirillas lilhas, a quem tenho consa-
grado urna parte da minha vi Ja, nSo des-
preseis as llgfles e conselhos que sempre vos
tenho dado. Bem sei quo os pasatiempos
e os olguodos sSo proprios da rossa idade'
infantil, mais tamban eitou certa que nun-
ca abandonareis os vossos serios trabalbos. I
Bstanles prpvas me ha veis dado da vossa
iipplicacSu, por Isso em qualidade, de vossa I
mi espiritual, rogo-voscom tola a ternura
do meu coraefio que vos nSo esquecaes dos
vossos esludos.
Descarregam hoje 93 de dezembro.
Brigue portuguez Tanjo I mercadorias
o cebollas.
Brigue inglez -- Bunnymede baaalbo.
Brigu i Inglez Batclutliar dem.
Brigue Inglez Barkill idom.
Brigue brtsileiro ConceieaS barrica
vasias.
Importo, ,
Brigue portuguez Tarujol vindo de Lis-
boa, consignado a Manoel Joaquim Ramos
e Silva, manifestou o seguinle:
26 pegas de cabo da lioho da Russia, 44
pipas, 4 meias ditas, 103 barris vinlio. 100
ditos cal, 17 caixotes cora em vollas, 40 an-
co otas azeitonas, 800 varas lagedo, 2000
mullios ceblas ; ao consignatario.
20 pipas 21 barris vinho ; a Jos dos San-
tos Pereira Jardim.
2 ditos dito, i caixinha perlonces para
Igreja ; a Jofio Jos de Carvalho Moraes.
2 caixas livros e folbetos; a Miguel Jos
Alvos.
28 pipas, 6 meias ditas, 36 barris vinho ;
a Francisco Sevuriano Rabello & Filho.
1 caixote obras de lalfio, 1 encapado pe-
eras Trame ; a Antonio Joaquim Vidal.
12 barris vinho; aDoane Youle & Com-
panhia.
9 coi sotes fructas, 100 ancorlas azeito-
nas ; a Polycarpo Jos Layne.
1 fardo papol pautado para msica, 1 ca-
xotinho bordos para violas ; a Jofio Jos da
Cruz.
40 ciixinhas, 3 barricis fructas; a l.uiz
Jos da Cusa Amoro).
10 pipas vinagro ; a Amorim limaos.
100 barris cal; a Jos Teixoira Bastos.
7 baircas cera em grum ; a Jos Pereira
da Cunha.
3 dilr.s dila, 5 caixotes, 50 barris vinho ;
aThomizd'Aquino Fonseca & Filho.
1 barril vinho : a G. Krugor.
I dito azeitonas, 1 lata meias de algodSo
e luvas do torcal; a F.Iiciano Jos Gomes.
30 caixotes fructas ; a Manuel Ignacio de
Olivoira.
10 caixotes cera em vellas, 55 barris car-
nes salgadas, 12 barricas alpista, 60 anco-
retas azeitonas ; a Machado & Pinhoro.
1 caixotnhoretroz; a Domingos Fran-
cisco Tavares.
2 latas inassa de tomates, 1 barril azeito-
nas, 1 embrulho doce, 1 saca com duas
caxinhas fructas ; a Francisco Gomes de
Uliveira.
50 barris cal, 6 caixotes ehapus; a Au-
gusto Cezar de Abreu.
9 barricas, 6 caixas, 3 saceos, ospecies
medicinaos o objectos para botica; a Vicen-
te Jos do Brito.
25 volumes mobilia ; ao Dr. Sarment.
1 burro ; a Manoel Goncalvos da Silva.
1 caixotinho doce; a Domingos Alves Ma-
tbeus.
1 dito dito ; a Jos Riboiro de Brito.
1 dito dito ; a Jos Joaquim Pereira.
1 dito dito ; a Manoel Pereira Teixeira.
Forado manifest.
2 caixas imagens, 1 fardo, 2 barricas, 1
caixoto, especies medicinaes. 3 barricassar-
dinhas, 1 raixot livros, 1 dito rap, 4 sac-
eos dinheiro, IC resteas ceblas, 2 saceos
niilho, semeas o ferro pertencenle ao burro.
Brigue inglez Barkhill, vindo dp Terra-
Nnva consignado a Crabtree & Companhia
manifestou o soguinlo :
2100 barricas bacalho; aos consigna-
rlos.
J)eelara<;oes.
2
a
Para
ihlata C
Cap
d.i. .^mii....- consliuido emuito vellelro, com bonscom
,w^ \. i IJ Ji ? ?"el0 ,e faz modo para passageiros; quem no mesmo
publico para conheciDjea o de quem con- quiercarregar oiirde'p.ssagem. dir.ja-se
VZ.?5S,^SLm-r?-,*f^'l,d-0,?>-" d0 ^orP Santon.2. primelroan-
"'""'BOm,Bltri*'Pnoibi.-.a.,rijBarua da Madre de Dos, arm.zem
ri?.1Paia b.i- -i- a de Vicente Ferreira da Coala. *
I- ,Z M-- "il0 <>.eeU- Pari o Ass seguo viagem no dia 24 do
V^V?i0l0rSrnTC7^0,mp8rl d,tari crranle a galeota SS. Tnndade, quem na
('ode9*iidoorr.ent?.)u_n'0P<>r.c<>P' et* nrtsma quizer carregar ou ir de passagem,
Lr.m HuEiT/0 9| ^*" pr0,,ID0' dirija-se^ao esoriptorio de Francisco Alves
ST!S *J5* dTe prliiclpiiir a execu- da Cunha & companhia: na ra do Vi-
cao do art. 28 da le n. 628 de 17.de setem- Rar0 r
bro ultimo que restabelece o porto de 10
ra a Bahia sane por estes 8 diasol A pessoa quo tiver. urna caza, que sirva
prioboso, de 40 tonelladas, bem para se eslabeloceruma venda,dinja-searua
corroios, 26 de novmbro^de 1851. Dr. Tho-
niaz Jos Pinto Se/queira, Sr. administra-
dor do corrreio de Pernambuco.
Conforme ofilolal P.
Francisco Simo as da Silva.
Tercira seclo.Rio de Janeiro. Minis-
ques : quem no mesmo q
carregar, ou hir de passagom e embarcar
ascravos, pJe entender-se com o consig-
natario Luiz Jos de Sa Araujo, a ra da
Cruz o. 33.
Para o Porto, segu com toda a brevi-
dade, a barca portugueza Eipirito Santo,ca-
teojos^negoclos dOj imporio em^ 25 de no-, pjLo JoSo Carlos Teixoira ; quem na mesma
'quizer carregar ou ir de passagem dirija-se
ao eacripiorio de Francisco Alves da Cuaba
& Companhia, na ra do Vigario.
PARA O RIO DE JANEIRO.
Sahe com a maior brevidade pos-
sivel por ter parte de seu carrega-
ment prompto, o veleiro brigue
nacional Rio Ave : quem no me*-
mo quizer carregar, ir de passa-
gem, para o que tem bons comino-
dos, ou embarcar escravos a frete
entenda-se com o capitSo do mes-
mo brigue, Elias Jos Alves, na
praca do C'ommcrcio, ou com os
consignatarios Novaes & Compa-
nliia, na ra do Trapiche n. 34
Para a Babia pretende seguir com mui-
ta brevidade o hiato brasileiro lAal o u>,
mestra, Amonio Manoel ACfooso : quom no
mesmo quizer carregar ou ir de passagem,
pode eutender-se com o mesmo inestre, no
trapichado algodSo, ou com S Araujo, na
ra da Cruz n. 33.

vamhio de 1851. Achando-se estabelecido
pelo art. 28 da lei n. 628 de 17 de setembro
ullimooporte do correio sobre as fallas
peridicas na forma doarL 19 da lei o. 396
de 2 de setembro de 1846: Ha S. M. o I ope-
rador por bem que Vm. expeca as precisas
ordens as administracOes dos correios de
todas as provincias, para que do dia primei-
ro de Janeiro prximo futuro em dianta so
comece nellas a arrecadar o mencionado
porte.Dos guarde a Vm.Visconde de
Monte-Alegre, Sr. director geral dos cor-
reios. Confer, Jos Dias da Cruz Lima.
Conforme oflicial P.
Francisco SimOes da Silva.
Pola delegada do primeiro districlo
se faz publico que Tora aprehendida urna
trouxa com urna porefio do roupa soja de
hoaiem e senhora, om mfio de um individuo
que ostava ebrio: quom se julgar com direi-
lo dirija-se a mesma delegacia que provan-
do, Ihe ser entregue.
s Srs. escrivSes de paz do primeiro e
segundo districlo da freguezia de Santo An-
tonio, e do segundo das freguezias de Mu i-
l' va, Vars'aa o JabaatSo, comparceam se-
cretaria da cmara municipal do Recite a
receberem os livros para nascimentose bi-
tos, e passarom osnocessarios recibos.
Ilrigue inglez llalclulha, vindo do Terra-
Nova, consignado a Crabtree & Companhia,
manifestou o seguinte :
2678 barricas bacalho, 78 tonelladas car-
vSode podra ; aos consignatarios.
Vapor brasileiro Bahiana, v n lo dos por-
tos do snl, consignado a agencia, manifes-
tou o segninte :
2 caixas, 200 ditas charutos, 1 cesto ; a
ordem.
1 fardo, 1 pacote, 1 canudo ; a Oliveira
Paiva & Companhia.
1 eaixfio; a Chrisliniano & Irmllo.
1 pacote ; a Joaquim Jos do Amorim.
1 eaixfio ; a Joaquim de Oliveira Ma ia.
1 pBCote ; a Abreu Lima.
1 caixa ; a llego & Companhia.
2 jacases ; a Lino Jos do Castro e Araujo.
1 embrullm ; a J. Kcllor & Companhia.
I eaixfio; a Manuel J. da Cunta Maga-
Ihfies.
1 jocas ; a Custodio Jos do Rcgo.
1 Iti.Iio ; a Eduardo Firmino da
Silva.
1 caixa ; a Jos Pedro Vellozo da Sil-
veira.
1 dita ; a Luiz Antonio de Siqueira.
Brigue nacional Conceicfio, vindo da Ba-
hia, consignado h Manoel Goncalves Guerra
Jnior, manifestou o seguinle:
139 temos barricas vasias, 59 volumes di-
tas, 324 saccas fazenda, 1 caixfiu quadros,
HOsaccas Caf, 170 rolos fumo, 13 caixas
cha, 200 ditas sabfio, 75 meias barricas po-
ta ssa ; a ordem.
1 caixa fazendas ; a Crocco & Compa-
nhia.
i dita Icnsos de seda ; a Kalkmann Ir-
mfios.
I'\ imliiiao.
Msrselha, polaca franeeza Engene J?nny,
de 213 tonelladas, condozio osnguinto:
3000 saceos com 15000 arrobas do assucar.
I lem, barca franeeza Saphir, de 261 to-
nelladas, conduzio o seguinle : 3500 sac-
eos com 17500 arrobas de ossucar.
Philadelphia, brigue americano Brandy-
vrn, de235 tonelladas, condumio n segnin-
te : 2800 ssccos com 14000 arrobas de
assucar.
Boston, brigue americano James Crosby,
de 263 tonelladas, conduzio o seguinle :
2200 sbccos com 11000 arrobas de assucar e
80 tonelladas de ferro velliu.
RECEBEOIUA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 22..... 492,433
consulado provincial.
Rendimento do da 22.....2:478,883
Tlieatro de Apollo.
Recita extraordinaria.
Hoje, a3 de desembro de i85i
subir com todo o brilhanlismo pe-
la segunda vez scena, c ultima
este anno, o maravilhoso e muito
applaudido drama D. JoSo de
Maraa, ou a Queda de um Anjo
O director empresario nllianc
ao respeitavel publico que, os in-
tcrvallos serSo mais curtos, por-
que todo o iii;ii li i u i sino se acha j
collocado nos seus lugares compe-
tentes ; e para que mais de pressa
corra o expectaculo principiar-
>i'-li.i s 7 horas em ponto.
JLeilao.
- O corrector Miguel Carneiro, tai a o ul-
timo leilfio esto anno no seu armazetn na
ra do Trapiche n. 40, torca-feira 23 do cor-
rente as 9 11- horas da manhSa, de diversos
trastes novos e usados, pianos, mesas com
ricas pedras, urna cadeira elstica com os-
lante para ler, selins e silhOos lustres, can-
dieiros, quadros com estampas, louca, vi-
dros, relogios, espingardas, e outros unntos
objectos, que se se entregar por qualquer
preco que lor orTorecidu : e adveite-se as
pessoasque tlverem objectos com limites,
de os virem tirar antes do dia do leilfio.
do Rozarlo n. 44, qoe achara com quom
tratar.
Do carro do Dr. Sarment desappircceu
urna caixa de chapeo de homem com duas
loucis da senhora, quem os tivor echado,
pode entrega-las ao dito Dr.que pagar o seu
valor.
Visto achar-se conoluido aquello nego-
cio entre o Sr. Dr. Antonio Tristfio de Serpa
Biando, e mais alguem, queira o mesmo
Sr. mandar pelo seu procurador, ou por ou-
tra qualquer pessoa, ver o que falta, segun-
do o papel, que se Ihe raostrou na casa n.
66, da ra da Santa Cruz, defronte da ribei-
ra da Boa-Vista.
--A pessoa que tenJo.pratica de venda
quizer receber todos os gneros para abrir
urna casa em bom lugar, comprometendo-
se a fizer a numrica dispeza da armaefio,
conduccffo dos generos.cuja dispeza.abe--
taacasi Ihe ser saptisfelta fazenJo-se-lhe
vanlagein no seu bom ordenado], podo pro-
cu ar na ra do Rozario da Boa-Vista casa
n. 44, que achara com quem tratar.
Prrcisa-se do urna ama de i lado capaz
para servir em urna casa de pouca familia ,
de portas a dentro : na ra da Santa Cruz
3? Dasappareceu no dia 21 do corrente,
17 horas da noute, urna escrava de ama
Joaquina, creoula, que representa lor 20
annos, alta, bem feita do corpo, de bonita
Ijgura, peso mfios grandes, e bem feitos,
denles alunados, tem alguna pannos bran-
cas no rosto, pescoco e peilos, levou vesti-
do rOxo de chita, e lem urna lita rxa amar-
rada no pescoco, diz ser medida, est vac-
cinada a pouco, esta escrava quem a von-
deu no,la praca.foi Joaquim Francisco Gran-
geiro, morador em Caruaru": quom a pegar
leve-a ra das Larangeiras n. 14, segundo
aodar, que se gratificar bem.
9 Hoga-so ao Sr. Joaquim Francisco
Graugeiro, morador em Caruaru', quo caso
appareca, por estes lugares, a escrava Joa-
quina, creoula, que representa ter 20 an-
nos, a qiial o sr, vendou-a nosta praca a Jo-
s Ignacio Arruda, com vunda na ra do
Rangel, junto a bolica, faca o avor man-
da-la pegar, que anda fgida; roga-so mais
o ravor de participar a pessoa que Ihe a
vendeu o mesmo favor cima, que so ficar
agradecido, alm de pagar-so todas as des-
pezas que so Ozer : pJo mandar a escrava,
na ra das Larangeiras n. 14, segundo
-- Precisa-sealugar urna negra captiva ,
para cozinhar o eomprar em urna casado
pouca familia : na ra do Trapiche u. 26.
Olfercce-so um sacerdote para dizor as
Preoisa-lt lugar urna ama pira u
ma casa de pouca familha: na ra DiroiLa "
n. 63, oonfronle ao funiloiro. '
Alu-se a loja n. i5, da'rua
do Crespoj e garante-se o arr'en-
daiiicuto pelo lempo que convier
a quem comprar a arUacSo da mes-
ma loja : a tratar na ra da Ca-
dein re S. Antonio n. 9.
Rog-se as autoridades policiseseao
commandaute do lugislro do porto o aos
capilfies de camoo, a captura do escrav
creoulp, ror nomeTemothoodo Idalo .|e 17
annos, seco do corpo, altura regular cor
preta, sem barba, vistoso, muito pros'ista
levando calca de castor de riscas e jaauula'
dejiscadllllio dequadro verde, senloam
bas pecastiovas, om folhs, e roup de seu
uso : quem o pegar leve a ra daordom t.,r-
eeira do S. Franciscorsobrado n. 10 ou
praca da Independencia, loja de midezas
n. 3, que ser recompensado,ou se dello der
noticia certa. ^,
- O annunciante, tendo e'studado na
Franca, medicina e Cirurgia, deo-se com
especi.hdado aitedo partejar, o tambem
a certas operaedes relativas ss molestias
da vas ominaras como eslreitimentos
pedras na bexiga, tumores ele.; lem com-
sigo os melhores instrumentos para parlo
e lithot'icia, dos quaes alguna, nfio creie
que entre nos tenham sido, nem geralmen-
te coonecidos, nem conveniantemente ma-
nobrados Relativamente a certas moles-
tias internas, o seus meios curativos no-
vas ideas oxistom na sciencia, das quaes o
Biinunaiaiite j lizera meucfio na Baha, o
oseera aqu lor oocasifio de dar-lhes pubi.
cidado. Urna deltas be a diabeiis ouri-
nas doces molestia, que os pathologistas
tinliam errneamente classincado, masouo
a physiologia do seculo veio pd-la fra de
toda a duvida.
Do resto

Muvimento do porto.
tVara o l'orto, sahe imprete-
rivelmenle, no dia a4 do corren-
te, a galera portugueza Bracharen-
sc da qual lie capitao liodrigo
Joaquim Correia,anda recebe al-
guma carga a frete e passageiros ,
para os quaes tem excedentes com-
modos: quem na mesma quizer
csrrcgar, ou ir de passagem, cn-
tenda-se com o referido capillo, na
praca do Commercio, ou com No-
vaos & Companhia, na ra do Tra-
Cenova o Malga 42 dias, polaca sarda Ra- u. al. a.|m rnmn al n illa
de 171 tmelladas, capilfio Ra- P,cne n" *>*
Navios entrados no dia 22.
Rio de Janeiro --15 dias, brigue portuguez
Despique do Bciriz, de 277 tonelladas, ca-
pilfio Joaquim de Almeida Canario, equi-
pagera i3, em iastro ; a Manoel Joaquim
Ramos e Silva. Passageiros, Antouio Fran-
cisco dos Santos, Francisco Jos de Aze-
vedo, Manoel loman los da Silva e J080
Joaquim do Souza.
I'uhlicaco Iliteraria.
Historia universal resumida.
Para uso das e-colas dos Estados-Unidos da
America do Norte, por Pedro Porley, tradu-
zida 1 ara uso das escolas do Imperio do Bra-
sil pelo deseinbargadorconselheiro Jos Ri-
boiro. Este excellenle resumo acha-so nos
prelos da capilal do imperio, e brevemente
sahir a luz : subscreve-se nesls cidade do
Recite na livraria n. 6 e 8 da praca da lude-
pendencia a 5,000 rs. por cada exemplar 011-
cadernada.
ELEMENTOS
DE
//omaopana.
Saino a luz a segunda parte desla obra
eomposta pelo professor homceopalhs Gos-
set Rimont. Recebem-se assignaturas para
a obra inteiraa 6,000 rs., no cousultorio
homceopathico da ra das Cruzes n. 28. De
pois da publicarlo da tercira parte, o pre-
go ser elevado a 8,000 rs. para aquelles
que nSo tiverom assignado. No mesmo con-
sultorio, acha-se a venda ludo quanto he
necossario para o estudoea pratica da bo-
mtcopathia, como seja : livros impressos
para historias de doentes, regimens spro-
priados para a provincia de Pernambuco, e
encarrega-se de mandar fornecer qualquer
encommenda de medicamentos homceopa-
thicos, tanto avulsos como em caixas, em
glbulos como em tinturas.
No prelo : ?aihogenitia dos medicamen-
tos brasileiros.
Mementos de anatomae phisiologia com es-
tampas, para os curiosos em homooopathia.
Roga-se aos senhores assignantes o ob-
sequio de mandar receber seus exempla-
res no consultorio bomceopstbico da rus
das Cruzes n. 28.
TRATANERTO 110MEO-
PATlllC.
DAS MOLESTIAS VEMREAS,
e conselhos aos doenles para se enrarom a
si mesmo, sem precisarem de medico;
pelo professor homceopatha
Gosset-Bimont.
Sabio a luz e acha-se a vonda no consul-
torio homceopallnco da ra das Cruzes n.
28, pelo prego de 1,000 rs.
Avisos diversos.
Avisos martimos.
COMMERCIO.
faeleno
phael Bezzano, equipagem 12 'carga vi
nho, macaos e mais gneros ; a Oliveira
& Innaos. Traz 1 passageiro para os por-
tos doSul dosis provincis.
Navios sahldos no mamo dia.
Barbadoes briguo inglez Ceorge Robin-
son, capilfio John Boyes, em lastro.
Para e porlos interino los -- vapor brasilei-
ro Bahians, commandante o primeiro l-
ente Secundino Gonduz a seu bordo ,
Jos Roberto de S Riboiro, Jos Ignacio
de Brito, Jos Paulino llovnbullz, padre
Leonardo A. M. Henrique9 e 3escravos,
FilippedeS Albuquerque,Francisco Soa-
res da Silva, Jos Mariano de Albuquer-
que, Sebastifio Gomes Bolfort, Joaquim
Azevedo Pereira o sua familia, J. Pu-
lienrb.
3a apresentarao no mesmo es-
criptorio as contas do referido
navio.
Freta-se para qualquer porto do Medi-
terrneo o brigue inglez Salla-Rookh, capi-
lfio Jofio Maciaravich : trala-se em casa de
Manoel do Nascioiento Pereira, ra do Tra- doclara
piche o. 13, ou com o capillo na praca ou a
bordo.
Para o IIio de Janeiro e Monte-
video.
Saho com multa brevidade o veleiro pata-
cho brasileiro Bella Aila, por j ter metade
da carga prompta para Montevideo: quem
no mesmo quizer carregar para qualquer
dos portos, ir de passagem ou embarcar es-
cravos para o Rio de Jaueiro, dirija-se a ra
ALKANIIECA.
Rendimento do dia 29. .
Obiervaao.
Itecolheu-se da commissfio s escuna lira-'da Cruz 11. 40: a tratar com Manoel Alves
sileira Lindoia, commandante Joaquim Al-: Guerra Jnior, ou com o capilfio Manoel Jo-
26:192,384 ves Moreira. s de Sena Mariins ua praca do commercio
Desapparcceu no dia 3 do corrente niez
urna preta de nome Maria, do nacalo Angola,
qua representa ter a na.lo de 25annos,com
os signaes seguinlcs: altura baixa, rosto re-
dondo com marcas de bexigas, cor preta,
peitos pequeos, falla um tanto fanhosa,
ps chatos com alguns bichos ou marca dos
mesmos, vendia 111 ra o lem siena) na ca-
bega, cuja preta no dia quarta-feira, 17 do
crreme, foi vista montada de ancas de um
cava 11 j de matulo na ponto do mocotolom-
b, procuran lo a estrada do sul: roga-se a
todas s autoridades e capillas de camao
liajarii do a aproliender o levar na ra do
Collegio n. 3, quo seram recompensados de
seu trabalho.
O abaixo assignado tendo deparado
com um annuncio inserto no Diario de Per-
nambuco de 15 do corrente em que se pe Je
que ninguom faga negocio com a parda I s-
dia, o por tal modo foi dito annuncio conce-
bido pelo miseravel delraior autor do tal
pega que so deprehende ler o abaixo assig-
nado fgido de Pedras do Fogo, lu laudo a
diti parda,uo no para responder ao autor
do annuncio a quem vota o mais solemne
desprizo; mas para mostrar ao publico a
quem respaila,a malvadeza desse quem quer
que seja, que dirijo oslas duas linbas, decla-
rando que a parda Isidia do quo se trata he
escrava do abaixo assignado por Ihe haver
locado na partilha dos bons do casal de seus
(hado sogro Manoel Ferreira Lima, e sua
mulher, tendo sido inventarente Vicente
Jos de Souto, como ludo se pode ver dos
documentos que se acham na repatigfioda
polica desta cidade, e no cartorio do escri-
vfin Aodrade na cidade de Goianna. Aguarda
a occasifio mais opportuna para minuciosa
mente levar aoconhecimento do publico as
tragas epalifarias de que tem o abaixo sigosdo sido victima.
Manoel Francisco de Almeida.
~ No dia 19 do crreme desapparec3u 1
gato mourisco, capado o bastante gordo, di
sobrado n. 20, primeiro andar, da ra do
Vigario: quem o adiar e quizer restituir di-
rija-se a casa cima indicada, quesera ge-
nerosamente recompensado.
Fepilet-Gabrion.
D gratuitamente urna pega do cordinlia a
loda o qualquor pessoa que annuociar ha
ver lido dosgosto por baver subido a scena
no tnealro ue Apollo o grande drama D. Jofio
de .Maraa para fazer da'dita cordinha o uso
que muito em segredo se Ihe ha de dizer.
Aluga-se polotempo da festa urna casa
terrea na passagem da Magdalena na ilha do
Retiro, a margoni do Gapibaiibe : quem pre-
tender dirija-so a mesma, que so far todo
negocio.
(i annuncio que se fez por este Diario
para o Sr. Francisco Pereira da Silva appare-
cer na ra da Madre de Dos, loja n. 34, nfio
se entende com o Sr. deste nome empregado
no arsenal de guerra.
Adelo Jos de Mondonga faz publico
que mudou a sua residencia para a fregu,
zia de S. Jos, desde o dia 15 de outubro-
e se acha morando na ra Augusta.
-- Avisa-se ao fiscal da freguezia da Boa-
Visia quo lance suas vistas para a Capung
99 e sla fazendo em cerlo sitio na estra-
da do Lasserro, um muro lora do alinhamen-
to e sem a precisa licenga da cmara muni-
cipal. A sintinella.
- Roga-se ao Sr. Jofio Fructuozo da Silva
que va reagatar os penhores quo empeubou
no becco Largo, pela quantia de 50,000 rs.
cujos penhores ja nfio chegfio para paga-
mento do principal e juros, e nfio os indo
resgatar no prazo de tros dias serfio vendi-
dos para agpameiito da dita quantia.
Precisa-se de urna ama de leile, a tratar
na rus das Cruzes n. 21, segundo andar.
Domingos Antonio Gomes Guimarfies
a quem convier que sendo consi-
missas do Natal, ou mesmo para ser capel-
Ifio auoual : qem precisar, dirija-se a pre-
ga da Independencia n 6e8.
-- Francisco Pereira da Silva, do arsenal
do guerra, fax publico, que d'ora em vante
assignar-so-ha Francisco Pereira da Barros
e silva, por apparocorem iguaes nomes.
/i rU* di;.,-ivramento. sobrado n, 10,
se dir quem da dinheiro a premio. Na m.-s!
-na casa vende se I a derogo, I volta, 2 pares
:"oC0,1 s.,M'-. 1 trsnselim /a|0!
Ton?."'08!"9' i relogio Patent0 ingloz
e 24collioros deprala.
Firmino Herculano Baptis-
ta llibeiro, subdito brasileiro, vai
a provincia do Rio Grande do
Norte.
Precisa-se de urna ama secca, para to-
do sorvico de urna casa de pouca familia, e
que d liador a sua conducta : quem esti-
ver neslas circumstancias, dirija-se a ra do
vigario n. 9, que se dir quem precisa.
A mesa rege Jora da raian-
daio do Divino Espirito Santo, faz publico
quo por motivos imprevistos, nfio podo ter
lugar boje, 22 do corrente, a trasladado
dos ossosdeseus fallecidos irmfios, como se
havia annuncado; por sso, logo que dei-
xom de existir os ditos motivos se snnun-
ciaia donovamente.
- Pordeu-so na noito do dia 20 do corren-
te ao sabir do thealro do Apollo ao entrar
em um carro, um relogio d. ouro de marca
pequen, o bastante b.ixo, com o mostrador
de yidro, e do outro lado da caixa como um
Mrtn'10aai.nnl0t0a'lila Mi" tem u">
letrolo de Pernambuco : a pessoa que o
achou quareudo azer o favor do restituir
po le levar.ra Estrella do Rozario n. 16,
seguudo andar, quo ser bem recompon-
7-50."?,' 2I do dez"mbro, ausontou-
so de casa de seu senh iras 8 horas da note.
urna mulata de nome Maria, que representa
ter 28 anuos do .dado, do estatura o corpo
nf?J Ba\ CabBll c,xiad0 B cortado da
r.ll ? c,f,ac,. um sigual de junco no
brago diro.to; le.ou vestido do chita novo
de madapolfio, e spalos do marroquim pre"
lo : esta mulata foi escrava do Sr. Ferreira
om 8. Gongallo, ojandou de tmSo, pelo
que be muito conhecida no bairro da Boa-
\ista e passagom da Magdalena. Roga-se
portantoas autoridades policaes o capitfies
decampo, aaprehendam elevem na ra da
Cadea do Rocife n. 37, segundo aodar.
Madama Thflard modista franeeza
ruaNivan. 3s.
nbor dascasisn.l 3 e!2 darua do Crespo nfio
convlrcom quem quer que seja em seu ai-
rendamonto soiii que com elle ten 11111 dse
enlenler quanto a sua paite.
Antonio de Oliveira Diniz tendo com-
prado a venda da ra do Pilar de Fora de
Portas n. 84, de Ignacio Jos Rodrigues avi-
sa aos credoresque direito tiverom a mes-
ma venda para que no praso de 3 das con-
tados de hoje eniend&o-se com elle apresen-
tando suas contas.
-- Antonio Jos Riboiro Bastos, embarca '
Eira o Rio de Janeiro, os seus escravos, Sj-',
astiao, pardo,o Joronymo, creoulo.
avisa as suas froguezas o juntamente as pes-
soas de bom gosto quo acaba do receber oe-
io ultimo navio Cesar vindo de franga in
lindo sortimento do chapous do seda para
senboras o mais bonitos e de bom gosto que
so pedem encontrar no-mercado, ditos de
seda para meninas o meninos com penas e
llores, ditos do p>lna da Italia onfeilado pa-
ra meninos o meninas manteletes e capoti-
ohos do soda e do cores para senhoras, veos
para noivas, cabegOos do blondo ditos do fi-
l de linho bordadas, romeiras de lilo bran-
co guarnecidas do bico, capotinho de fil de
Imito pretoi com bicos muito ricos e pa-
dres muito novos, esparrilhs de linho pa-
ra Sra.. ditos de mola e sem costuras, cor.
tes de vestidos furtacoros muito lindos e
modornos, pontes de tartaruga para se pen-
tear a Maria stuar, muilo lindos o ricos en-
oites para bailes dourados e prateads, di-
to* para tboatros e partidas, ludo do muito
bom gosto.um longo sortimento do trang 11
brancas decoros e de lodas as larguras.fran-
Js do cores e prctas.filas prctis de veludo ,
para o bragoo pescogoja com li'ellinhas to-
das promtas.lcques de mar-de-porola lina e
com as pinturas muito linas, illas de linho
brancos e protos.luvas do polica para senrio-
ras flores e plumas para entonos de cabega
de senhora.capellas e grinaldas brancas e de
cores e ouiras minias fazendas de modas,
tulo ist 1 heescolhido om Paris por urna I
das melhores modistas de bom gosto.
Aluga-se o segundo andar da casada
ra da Cadeia de Santo Antonio n. I, con-
rromo a igroja deS. Francisco: a tratar na
mesma ra n. 9, com Jofio da Cuuha Soares
Guimarfies.
Precisi-so de um caixeiro|para venda :
na ra da Madre do Doos n. 5.
o annunciante s espers da be-
nevolencia do publico, occasifio, em que
com fados possa mostrar o resultado de
suas fadigas, por tanto lempo e tfio assidua-
mento exercidas, na escola pratica de Pa-
rs, onde obtevo atteslados que muito Ihe
honram. E o quo esteja a seu alcance para
soccorrer a pobreza elle o far, j gra-
tuitamente dando consultas em sua casi
que serfio das 7 as 8 o mola horas da ma-
nhaa;j mesmo visitando gratis aos po-
bres que por ventura nfio posssm l ir ler
no aterro da Boa-Vista, casa n. 34. Dr.
Carolmo F. de Lima Sanios.
-- O abaixo assignaJo, nSo he mais pro-
curador da extincta companhia de Pernam-
buco e Parahyba.o mora na ra do Apollo 11
20, onde podo ser procurado sobre negocios
de recobimento de assucar,agoardente o ou-
tros quaesquer gneros de exporlagfioque
Ihe lorem consignados a commissfio; todos
os das uteis das 8 horas da manhSa as 5 di
tarde, fra disto no porto velho da Capung
junto ao portfio da Sra. vm va Lasserre.
Jos Antonio deSouza Machado.
Rogo ao Sr. Jofio Velho Brrelo, Sr
do engonho M.tarizinho.queira mandar-me
pagar a quera parle que tocou em partilha
a minha mulher, no total da divida que de-
via ao meu linado sogro, Jos Antonio Alves
da Silva ; e admira quo tilo diminuta quan-
tia nfio leona j pago.nfio obstante os meus
repelidos pedidos ; igualmente rogo aos
mais Srs. deengenhos, que tambem dovom,
hajam de virom ou mandarem pagar as
quantias que dsvem : na Boa-Vista na ra
da Alegra, casa n. 34, pois entrou em 5 an-
uos que he fallecido o dito Alves da Silva, e
anda nfio pagaram.
Marcelino Jos Lopes.
JoSo Ferreira, subdito portuguez, reli-
ra-se para Tora do imperio.
Precisa-se de urna mulher desempedi-
da o de boa conducta, para servir de ama
om urna casa de pouca familia: na ruado
Crespo n. 10.
-- Quem tiver um billiar para alugar di-
rija so a ra larga do Rozario n. 18, primei-
ro andar, que adiar com quem tratar.
OSr.JoSo Virissimo, mestrede alfaiato
que morou na rUa do Vigario.queira annuii-
ciar sua morada ou dirijir-se a livraria n.
6 e 8 da praca da independencia.
Precisa-se de um caixeiro que tenha
pratica do loja do Miudezas paga-so bom or-
denado : quem estiver nestas circunstancias
dirija-se travessa da Ra do Rozario loja
de miudezas n. 18,que se dir qoem precisa.
-- O abaixoassigna'do previne a todos os
seus devedores e mais pessoas com quem
tem transacgfies cnmmerciaes que o seu os-
tabeleciinenlo de loja de fazendas na ra do
Crespn. 10 se acha continuando no mes-
mo gyro que anteriormente por ter sido jul-
gada de boa f a falencia, o haver-se con-
venc onado com os Srs. credores urna con-
cordata que foi julgada por seotenga : roga-
se aos Srs. devedores hajam de com promp-
tidfio satisfazerem seus dbitos, ahm do
annunciante poder cumprir pontualmente a
concordata a queseobrigou.
Ignacio Luiz de Brito Taborda.
-- Iler Britannic Majestys cnsul begsto
cali thealtontion ofthe British residents to
ihe fact that ii is their duty to register the
birtns of their chlldren at tnis cnnsulato.
Her Britannic Majestys cnsul nereby
gives notice to the British resideuts that a
Public Meeting will be held at th British
consulate under the provisions of the sel of
Parliament 6. Geo : 4 Cap. 87, at !2oclock
on Monis y !-,6 29il
O Medico Almeida, formado o pro-
f miado pala academia do Porto em ffi
tolos os annos da sua frequencia po- a
do ser procurados toda a hora do dia
no largo do Corpo Sanio n. 13 pn- m
me ro andar da casa do Sr. coronel m
Mamado Presla-se a operar e recei-
lar gratis para os pobres.
njlisl iui fuipuao Cu-
nocted wilh that act.
-Quemprecissr de dinheiro no Rio eran-
do do ul,at a quantia de 475,000 rs que-
rendo da-lo aqui,dinji-se a ra larga do Ro-
zario n. 20,primeiro andar,ou a ra do Cres-
po o. 11, que achara com quom faca transic-
gfio segura.
Uderoce-so urna mulher para ama do
casa, a qual sabe muito bom cosinhar, e en-
gora nar, ludo com muila peifeigfio : na ra
das Laraojeiras n. 9.
Vicente Novella retira-so para fora do
imperio.
-- l)eseja-se Tallar com o Sr. Francisco Pe-
reira da Silva, sobre negocio de seu ioleres-
se : na ra da Madre de Deo, loja n. 34.
Precisa-so de um caixeiro de 11 a 14
annos de idado, que d llador a sos conduc-
ta : 00 aterro da Boa-Vista o. 73.
Precisa-se alugar urna preta psra o
servigoiiiterno e externo de urna casa do
pequea familia : n ra Nova n. 8.
-'- D. Simona libada de Faria, subdita
hospanhola retira-so para o Rio de Janeiro.
-- Precisa-se do um cosinheiro forro ou
c.ptivo : ua ra da UniSo, na casi de Ber-
nardo do Uliveira Mello : a tratar com o
mesmo.
Na ru do Vigario n. 33, precisi-se do
lum caixeiro, que tenha pratica de venda; o
na mesma casa vendum-se redes do Mara-
oso do coros e gostos elegantes, por prego
commodo.
Associactlo Commerctal de Pernambuco.
A direcgfio a requer montos do mais de
dous tergos dos socios elTeclivos, convoca
assembla geral para o dia 8 do Janeiro da
1852, pelas 12 horas do da, para reformo
de estatutos.
O Sr.bernardo de Albuquer-
que remandes Gama, queira man-
dar pagara subscribo deste Diario.
-- Precisa-sede urna criaaa. smente pa-
ra o servigo de cozinha e compras, para
urna casa de muito pouca familia ama
do Rozario da Boa-Visti, sobrado n. 32.
vr**


m

E

Madama Ilidoux, modista france-
za, narus. Nova n. 69, primeiro
andar.*
Tem a honn de innunciir o respeitivel
Cublico, que se achira sempre m cata del-
1 un sortimunlo muito rieo de chapeos de
seda esptim, turbantes, grinaldas, capel-
lis, flore., plumas de todas is core, e ou-
Iros qnicsquer enfeites decabeg pin baila
e theatro, e timben) ae achar chapeos e flo-
rea promplos para luto, tudo pelo prego
miis commodo.
Acha-se farlnha nova de SSSF, (de ra-
mi 11 lu; para vendar, nos armazens de uea-
ne Koule & Companhia, no becoo deCon-
galves.
Manoel de Almeida Lopes, com cisa
deconsiguago para comprar e vender es-
era vos, tanto para esta provnola, como pa-
ra fura della, mudou sua residencia da
ra da Cadeia do Recite, n. 51, para a ra
da Cacimba, n. II, aonde morn o flnado
Exm. vigario. Brrelo,onde continua, ofle-
recendo-se toda a seguranza precisa para os
meamos e bom tralamento.
Prscisa-se alugar urna prela escrava,
para servico de muito pouc ramilla : na
Ponte Velba n. 14.
Mdame Koutiei. modista france-
za na ra Nova n. 58,
Novamenle acaba de receber pelo Cesar, ul-
timo navio vindo do Havre, um lindo sorli-
mento de fizendis francezis o tudo que ha
de mais moderno cm Pars ; cbapeoa de se-
da de tudas as corea, ditos de palha do Italia
aborto, muito bonitos,chapeoiinlios de seda
redondos para meninos e meninas, fil de
blondo branco borda Jo, dito preto de lindos
pad-Ons, escomilha do todas as cores, bico
de blonda os mais ricos, para babaJos e or-
namentos de vestidos, dito de linho preto
de todas as larguras, um lindo aorlimento
de tranca e franja, tanto prelos como do co-
res, capellas de flores muito ricas o moder-
nas, um grande sortimento de fitas de todas
as qualidades, muito lindos manteletes de
fil preto, chales, mantas, manteletes e ca-
potinhosde seda do melhor gosto, chama-
ote preto, flores linas, manguitos de bico
para senhora do mais moderno gosto.sHim
r_i>_.i ..t.j.. .- -____ ..n..t..k_. j~ ni.
ferro no p ; quem o achar e quizer restituir
ser recompensado, pos he bom coohocido
al pelo fallar.
-- 0 advogado Manoel Jos Pf reir de Mel-
lo, passou seu escriptorio para o sobrado n.
SI, da ra Nova, segundo andar.
b&99*4>399B99999%9B9
9 Paulo Galgnoux, lentist <*
francez,offerece seu prest- *
mi) ao publico para todos os *
* mlsterea de sua pronsso>: 9
9 pode ser procurado" a qnal- l
9 quer bora eui sua casa, na #
9 ra largn do Rozarlo, n. 36, m
9 segundo andar. 9
**999
Hotel no Monteiro.
Domingo, 16 do patsado, abrio-se este
estabelecimento com as seguintef pro-
porgoes:
Bilhar e sorvete, aos domingos e dias san-
os a tarde. *
Sala mobiliada e independente, para as
familias, que indo a panseio quizerem des-
cantar.
Quartos preparados para dormida.
Espagosa o bem arejada sala de janlar,,
com capacidade.de servir I 40 pessoas.
Soiti para recreio e passeio.
Estribara e arranjos para cavallo.
Comida mensaleavulso.preparain-sejan
tares e prezuntos, aluga-se louga, vidros ,
bandejas, etc. etc.
Tudo por prego mullo rasoavel, e acn-
tenles.
Na casa de modas francezas, de
fiuessard Millochau, no aterro
da Boa-Vista n. i
acaba-se de receber pelo Vernambuco ulti-
mo navio vindo do Havre, um lin lo sorti-
mento de modas de l'aris; como sejam -ricos
chapeos de seda o do palha para senhoras,
chapeos de montara,dito de palha para me-
ninos emeninas, manlolheles o capotilhos
de soda de cores e prelos, mantas e lencos
de serla de retro'/, e de coros um lindo esco-
Ihimento do bordados, cabecees, romeiros,
camisinhase capotinhos de bico bordados,
ricis fitas para cinto c chapeos, Dures linas
para casamento eenfoiles de vestidos de bai-
la quaes construidas na sua fabrica pdem ;emprnho, o director ten) conlraclado com
competir com as fabricadas em paiz eo-,um respeitivel sacerdote para ser o capcIlAo
trangeiro, tanto eo prego como em qui- do collegio, afirn de naos celebrar nos das
lidade da material primas e mo d'obra do guara o scrilicio da misss,c->moi| licar
tifet de todas as cores, collarinhos de flli les.luvis de pelica para senhora, onfeilespa-
e bico bordados para senhora, plumas do| raasditas,pulceira de fil.s.trang.s e franjas
cores e brancas paraenf.it-, maoguinhasj para vestido, e manlclhelos, esparlilhos !l-
a sabor.
Machinas devapor da melhorconstruccao
Moendas docanna para engenhos de lo-
dos Os tamaitos, movidas a vapor por agua
ou animaes.
Rodas d'agoa,moinbos de vento oserraas.
Manejos independentes para cavallos.
Rodas dentadas.
AguilhOcs, bronzesechumaceiras.
CavilhOes eparafusos de todos os tama-
nhos.
Taixas.paroes.cri vos e boceas de fornalha.
Moinhos de mandioca, movidos a m8o ou
por animaes, e prensas para a dita.
Chapas de fogao e fmos de farinha.
Canos de ferro, torneiras de ferro e de
bronze.
Bombas para cacimba o de repuebo, mo-
vidas a m8o, por animaes ou vento.
Guindastes, guinchse macacos.
Prensas hydraulicas e de parafuso
FerragenB para navios, carros o obras pu-
blicas.
Columnas, varandas, grdese portes.
Prensas de copiar cartas e sellar.
Camas, carros do m&o e arados de ferros,
ote etc.
Alm da suporioridade das suas obras, ja
geralmeote reconhecida, Bovrman & Me.
Callum garantem a mais exacta conformi-
dade com os moldes e dezenhos remettidos
pelos senhures que se dignarem de fazero
liles encolo Hiendas, a pi ovei l.ili lo a OCCaSBO
para agradeccrem aos seus numerosos ami-
gos e freguezes a preferencia com que teem
sido por ellos honrados, e asseguram-lbvM
que nao poupardo esfurcus e diligencia
para continuarem a merecer sua conlianca,
99999999a^GQt9&99>99Htf
de bico para senhora os mais modernos gos-
los, atacadores para botins de senhora, ri-
cas luvas de pelica pira senhora o homom,
bicos de linho verdadei'O, ricas romeiras
bordadas, ricos loucados de senhora para
bailes ou Diestro, luvas de linho verdadeiro
nos, bicosegalOas do seda de cores, touca
dos ricos para bailes o theatros, luvas de
seda muito finas, emuitas outras fazendaa
de gosto, que so vonderSo muilo em conta
2 barris com liquido de marca S.
Apparecoram estes 2 barris no < >a i .<,
hi-
para bo >im. Na mesma loja fazem-se ves-, dos por engao em um dos navios que sa-
lido de casamento, de baplisado, loucasde guioa esse porto : quem sejulgarcom d-
uionino e de senhora, capotinhos ue todas reilo aos meamos dirija-so ao ludo do Cor-
as qualidades,-com perfeigSo e preco com-| poSanto loja do .Mis-amos n. 25, qui ahi
modo; receb m-se todas os mezes figurinos| achira pessoa quo diga quem tomou coota.
modernos, quo empresta a seus freguezes.
Madama llosa Hardy, modista
b.ezileira na ra Nova n. 34.
Previne-se aos freguezes que recebeo pe-
lo navio Pernambuco, um bello sorlimcnio
de chrpos do seda frtnzida,o ligas de pe-
nacho e flores ; para senhoras o mocinhas
do 6 at 12 anuos, lindissimos chapos de
grosde aple Transidos a moda, de flores
ou penachos, de abas grandes para menino
del at 5 anuo, ricos capotilhos prelos o
decores, modelos novos, o muito enfeita-
dus ; ricos chapeos de palba para senhora
enfeitados e seni enfeites, chapcosnhos de
palha para meninos e meninas, ricos cor-
tes de seda bronca lavrada para noivas, veos
c capellis; gros de aples furta-cores
para vestidos e capotilhos, franjas o transas
da mesma cor, para os entallar: na mesma
loja tem um completo sorlimento de fazen-
dasao uso das senhoras, ja annunciadas, e
faz-sedeencommenda ven.ios, capolinho,
e veslidinho do baplisado por prego cum-
niodo.
Mobilias de aluguel-
AV1ZO SATISFACTORIO.
O abaixoassignado agente do Dr, Bran-
dretli, faz seiento ao resaeitavel publico
3ue pelo briguo americano James Crosbij,
o Boston entrado no corrento mez, rece-
beu novo provimento de pilulas vogetaes de
seu proprio author; estas celebres pilulas,
s3o recommendadas por milharcs de pes-
soas a quem ellas tem curado de phtisica,
V COSSULTOBIO CHKTBAL HOMOOOPITBICO ?:
fe1 hk reas uidco.
# Dcrigiao pelo Dr. Sabino Olegario lud- _
O yero Pinko.
j Ra do Trapiche Novo n. 15. 9
^ Todos os dias uleisse dar.lo consultas <
e remedios de grag aos pobres.desde 9
* pola ni.nih'i, at as duas horas da tar- ?
^ de. As correspondencias e imforma- fr;
A. cues poder.lo ser dirigidas verbal- (i-;
fr mente, ou por escripto, devendo o 9
ti' doente indicar prhmiro : o nume, a 9
t^ idade, estado, prolisso, ecoustitui- -v
9 e.'oi ; tegundo: as molestias, que tem J
$> tiJo, e us remedios lomados ; lercti- 9
0 i : a poca do apparecimenlo Ja.....- 9
$ lestia actual, e descripco minuciosa, A
9 dos signaesousymploniasquesoffrer +.
aos allumnosos beneficios espirituaes ,
Religio christSa, em sna pureza, he, alen
de sua eterna verdaile, instrumento civili.>a-
dor por exc.lloncia. O director, vendo que
dos instrumentos do msica o geralmenlo
referido he o piano, e quo nem todos os a-
umnos so poderiam ipplicar i elle pela dif-
ficuldade e cusi do o possuirem, precurou,
apezar de grandes sacrificios, que no seu
collegio houvesse um ptimo e lurte piano
panaquelles de seus alumnos que quizes-
sem aprender esse instrumento, para o que
havera 11 m mestre habilitado ; isto alem da
musicavocal e instrumental qoe ja no curso
dcsto anno so ensillara n, A vista do tSe re-
e mii t las vantagens, o director espera
morecer a conlianca dos Brs. paes de familia
residentes fura da oidade, para os que fui
em verdade principalmente estabefcido o
collegioEspirito-Santo. Os rcpnti los an-
nuncios, pelos quaes o di'eclor ha feto co-
nhecerau publico toda a utilidide e excel-
leocia do seu collegio, 0 dispensan) do ainda
se oceupar desle assumpto sendo quo aquel-
le que melhor quizer se informar podo pes-
so lmenlo veiilica-!o, indo a qualquer hura
do dia ao mesmo collegio.cerlo de que tudo
lheser franqueado convenser-se-ha onl3o
do que o director nSu he animado pelo de-
sojo do lucro, nem seu tallo he imbair com
sonoras palavras e estirados annuncius a
crodulidada do respoitavel publico. Apro-
veitando ainda o ensejo, o director dirige
suas despelidas por este anno nos seus al-
lumnos o seus respailaveis paes, fazendo
volus ao supremo arbitrio para quelhes con-
ceJa prolongados, e venturosos dias.
~ A pessoa que quizer consultar ou tra-
tar-so de molestias a gudssouch roicas, pode
dirigir-so i ra larga do Rosario n. 30, aon-
esl i. y.i lindo o Cirugi3o Bernardo Pe-
SALSA P ARRILHVDE BRISTOL
salsaIarbTlEIhais.
A salla parrilha deUristo! data dosde 1839, e tem constantemente manlido sua reputa-
os, sem necessidado'de recorrer a pomposos annuncios de que as propneles de m-
rito podem despensir-se. Osucesso dol)r. Bristol tem provocado infinitas invejas, o
entre outras, as dos Srs. A. II D. Sands, do New-York, preparadores e propriotarios da
salsa pirrilha condecida pelo nomo de Sands.
Estes scnhoressolicitroeui 1842 1 agencia de Salsa parrilha de Bristol, e como nlo
o pudessem obter, fabiiearSo um imitacSode Bristol.
Eis-aqui a carta que os Srs. A. R. D. Sands escreveram ao Dr. Bristol, no dia 20 de abril
de 1812, e que seacha em nosso poder:
Sr. Dr. C. C. Bristol.
Bfalo, etc. 0
.Nossu apreciavel senhor.
Em todo o aono passado temos vendido quantidades coisideraveis do oxtracto de
salsaparrilhade vm. o pelo queouvimos dizer de suas virtudes aquellas que a tem osa-
do, julganios quo a vonda da dita medicinase augmentar mullissirao. So Vm. quizer
fazer um convenio comnosco cromus que nos resultarla multa vantngem, tanto a nos
como a Vm. Temos muilo prazer que Vm. nos responda sobreest assumpto, e se Vm.
vier a esta cidade daqui a um mei, ou ouusa semolliante, loriamos -muito prazer em o
ver em nossa botica, ra do Fullon n. 79.
Ficilo as ordens do Vm. seus seguros servidores'.
(Assignados) A. R. D. Sinds.
OOjWOLSA^.
d'arora
(J Mu I" e^ nni|innlii,i,
influencia, catarros, indigestfles, dispepcia, Respeitosamonte annunciam quo no seu oi-
dores de cabega, dores ou pezo na nuca, tengo estabelecimento em Santo Amaro,
que geralmente silo simptomas do apoples-'continu a fabricar, cun a reaior perfeigSo
cia, iclericia, tabres intermitentes, billis, jo promplidSo, toda qualidado do machlnis-
c-c.ii tal 1 nas, fobro ainarella, e tuda a classo mo para o uso da agricultura, navegngo e
de tabres, asma, gota, rheumatismo, entar- manufactura, o quo para maior commodo
midades nervozas, dores no ligado, pleurc- je seus numerosos freguezes o do publico
sia, debilidade interior, abatimento de es-'em geral, tem aberto em um dos grandes
pililo, roturas, inflammag^s, inchagOes armazens do Sr. Mosquita na ra do Brum,
dos olhos, accidentes, parlisis, hidropesa, atraz do arsenal de marinha, um
bexig.i, sarampo, onfermiilades dos meni-| Deposito de machinas,
nos: tossedo todaaclasse, clicas, cota- f0ns,ru1,asrnoI||0gl,ue,t,belecmonto.
fa-morbus, dor de pedra, lombngas, des.n- Al)i Mhlrao os com,dores u-n comple-
tcrn, surdez, vagados de cabega, erisipela, sortimenlo de moendas do canna, com
ulceras algulas do 30 annos, cancros, tumo- dM o) me10,amenlos (B|gull8 dalles o-
res, inchagOes nos psepernas, elmorre- fl or,-|nMW de quo a experiencia de
mas, arrpelo de pello, sonhos "orrivcis, muito9 |n0j ,om moslra lo a necessidade.
Alinram se mobilias comoletas ou uual- Pezdolli'S. to las as qualidades do drese Macnn,sd0 vapor de baila o altapres-
AUj.g_'m:88 SS^JSSL I molestias do mulhcres, como abatroeeM, lU,o tWcta.i de lodo tamanho, tanto batidas,
quer traste separado, tambom se1 alugami re|acha 0 gelc he um medicamonto inlei-
cidoins em grande porgSo para bu os, ou raa)ent enufen;,vo podendo applicar-so
oficios; na ra Nova armizem de trastes
do Pinto defronle da ra do S. Amaro.
- Pede-se so Sr Jos Carlos de Mendon-
ga Vusconcellos, morador 00 Sul desta pro-
vincia, que se 0S0 tem jurado no pagara
quem deve, pague a herdeira da fallecida D.
Mariana Rodriguis de Jess, a quantia d>-
sois con tos o scenla c tantos mil res, prin-
cipal ejuros de sua divida, contrahida, ha
tantos annos, eassevera-se-lhe que se on.1o
fizer promplamente saber que o seu assu-
carpassar por algum desgoslu nesta praga,
o que o seu nome contina a ornar as pagi-
uas desta jornal.
Banco de Pernambuco.
, como rund las, carros d mo, e ditos para
pudendo app'icar-so conrtuzir formas de as9Ucar, machinas para
al as creancas recemnasidas ; uilimamon- mnnilino nrensas oara dito, fornos
tesotem.pplicado.aum.entermidado de ^t^^^Uh"AVt^ engenho e donos de harcacas, of-
molesliasjulgadasencuraveis, do cuja ap- 0llams apro,da construegilo, fundos ferecendo Ihe.s osen trapiche, llic-
plicagiiosii tem tirado 13o felizos resulta-
reir do Carmo, que est promplo e oxercer
sua faculdadoem qualquer hora. Para com
as pessoas pobres se prestara grates, a pes-
soa que o queira consultar por escripto de
qualquer uso a que perlenga, devera om ter-
mos claros o precisos declararas soguintcs
principaes circumslancias. Primeiro sua
idade, ten: eramenlo, constituico, dobil 011
valetudinaria,so vigorosa ou sadia, hbitos,
oceupago, accrescendu, so fur do sexo fo-
minino, adeclaracSo do estado do suasre-
gras, numero de llhos que tiver tilo, se Ibes
dra de mamar; incommodos mais nota-
vois nos seus partos; so grvida, do quin-
tos mezes, qual o padecimouto ou mal que
mais a affligia por semelhantemotivo. Se-
gundo o lugar do sua habitag3o, se hmido,
ser -o,arcado ou ventoso, sujeilo a tabres ou
outra ni i.....da ic. Terceiro so na familia
tem apparocido casos do molestias por des-
posigSo hereditaria ou adquenda. Quarto
so doente de syphilis pela primeira, segun-
da ou mais vozes, cm que lempo o fui pela
primeira vez, o lompo 011 intorvallo que mc-
diou no sollrimenlo do urna s outras,
quaes os principaes symptomas que entilo
oxaerimontari, remedios &. do que usu,
efi'oitos de irnl igo ou incommodo do usu
demercuriu, ou outro qualquer remedio,
da que so lembre Iho fon subministrado, o
em quo doso. Quinto so u mal de que pro-
cedentemente se trata, fr precodido.acom-
panhado ou seguido de algum outro acci-
vente ou enfermiJado, qu-!r do origem di-
-ersa, quer procodente ila mesma syphilis.
-- Sexlo em fim, quaes os symptomas quer
nnoffectivo padoeimcntode mal venreo ou
outro qualquer desapparocersm, modelica-
ram-sa ou cxistem sem alterag.lo apreciavel,
e que nana menos importa que a declara-
gSo do lempo da molestia, sua especia ou
qiadade e curso al o memento da consul-
ta, complicages sobre vindas o meios de
de queso tem feito uso.
Aviso ao commercio.
abaixo assignado, rendeiro do
Trapiche denominado Cunha di-
rige-se pelo presente ao corpo do
commercio desta praca, aos Srs, de
Portugal. tes.cont
lldl.i: IIM MEMSAL. linas e o
Supplemento a Recula Popular. ciaes, so compronu....... .-.....---------
Vai sabir a luz e ser reoetiido no proxi- com a maior prestoza, perfeigSo, o exacta quelle genero, se i\ao ueixem llu-
mdo com a cipacidade do suas of-!qUe os condtizir. Cumprc,
ischinismo, e pericia de seus ofi!-!^ ntprpssndftt nn Irair
i compromettem a fazer executar, essoas mteressaitas no tram
que as
ico d'a-
mo paquete de Janeiro de 1852, um Boletim, conformilade com os mo lelos, ou dse-
ospecialmeiitedestinado para o Brasil, que nhos, o instrucgOes que Iho forom forne-
AdirecgScido Banco de Pernambuco con- coiera urna noticia resumida, mas exacta, cidas.
linua a receber assignaturas para o m-smo,! j0.,closo|nciaeg do govern0( dsa sesses
as pessoas que quizeiemassignar o devem dasc,a,araj edas principaes novidades de
razerquantoantesalimdogoaiemdavn- Liaboae provncli Uo Remo, al datada
tagem da entrarem com o importe do suas publicaco.
assigmturas nas prestarles que procrevem
os estatutos, ce.rlns deque em principiando
u mesmo ss suas openges, dahi em -liauto
aquellos que quizerem assunar, havendo
ainda lugar, s o poderSo fazer, entrando I {.""" "mnT.u'cnTrBntir
com o importe de suas accoes em dinhoiro ''o Bori de cada fo ha n'elo paquete he de torrente m,z, para de novo comega-los eni
a vis-a. Contina a estar patente a assigna-l po2L'lcrof0 em Lisboa eaaoi he de 7 de aneirodo anno v.ndouro do 1852. 00-
tur.noescriplorio do Sr. Manoel Gongalvesi ""m0lU forto 0m UsM'' "q'" "eae rector mo pode delxar do aprove ar este
da Silva: na ra da Cadeia n. 36, lodosos 0' ,,.. rprobr Dolo Da(iueie deve ens''J, ,'.ara vender pblicos o verdadeiros
dia, uleis .t meio d... M. J. de Olivoira ,! JSUSt ^y^.ll.^t^!Ta^?. gradecimenlo_. aos p.e. de familia, que m
secretario.
COLLEGIO ESPIR1TO-SAMTO.
Director,
FRANCISCO DE SALES ALBQERQLE.
O collegio Espirito Sanio, sito na ra do
Satura regularmente um numero na ves- >, do balrro da Bot.vint U, hi-
pora da partid, do paquete mglez para o venJoBlraba,h,do com a Je5ejavel regula-
,'" ___' ridado durante o presento anno lectivo, tem
Prego da assignatura por 12 nmeros do encnrrar oa seuj trabalhos no dia 20 do
Caligrafa
Na Ra do AragSo, n. i2, se-
gundo andar, copia-sc com perfei-
c3o qualquer papel em muito boa
letra e por preco commodo.
-- Preciza-se de um portuguez que seja
perito em plantigOes de sitio, e saiba ti-
rar formigas, quem estiver nestas circuns-
tancias e quizer Irabilhar no sitio na travea-
si do Remedio n. 21 entenda-se com sen
proprietano, o Porteiro da Alfandega desta
cidade, na niesm repartigSo que a vista da
prova que dor desaber o que cima se desa-
ja, c da i boa conducta &. &. traisr-se-he
do ajuste.
Ni ra larga do Rozario n. 35, loja, se
recebem escravos e oscravas para vender
por commissSo tanto para a praga, malo,
como para fura da provincia, lendo bom tra-
lamento e segumnc preciss.
Quero precisar do um padiepara dizer
as missas de natal nesta praga, ou fra pou-
co distante della : dirija-so 1 ra de Santa
Hila n. 97, que se din quom be.
AUengSc.
N. O. Bieber ot Companhia, consignata-
rios dos navios abaixo mencionados, pedem
as pessuas qne receberam a ordem, os vo-
lumes seguinles de declararen) seus nooies
para se poder rec;ber os frotes dos ditos vo-
lunves : pelo briguo bamburguez Olinda,
vindo de llambugo, um volume marca Ke
M 11. 823, conlendo igulhis, carregidores
Schl'uter & Maia K, e pela buca belga
I.ouizi, viod. de Anloerpia marca D&C ni.
5,7. 15,15 l|2, 16 1|2-0-00, carregadores
Steins & Gorard, 26 barricas, conlendo pre-
gas.
tS* Na dia 17 do crrante dcsapparecou
da casa n. 52 da ra da Solcdade um pap-
balo grande muito manso com falla de mais
de 1 unha nos dedos.o parte de correte de
mandar pagar.com a assignatura, a impor- m connar.||10KSBU5 nios paraserem
Unciaprovaveldonnrle NaoseAkaaquan- j^.j^ nQ sau co||cgi0i prnt,0r,indo-0
tia, porque o volume do Boletim depende des|a ar(e ,|a prompU coadjuvago qua
do numero e importancia das noticias. tJ(j benjgnam(,nt8 prest,ram ao seu nasceu-
Quem nao quizer abonar, com o valor da Ubefc,eCIllenlo.
assignatura, importancia do porte, rece- pda su> 0 dlreclor tem conscien-
bera a rol ha pelos uavlos do vola, na mala rja de haYeffcil0 lai|0 qua,uo esleve a seu
do crrelo. alcance para satisfoser a expeditiva do res-
A empresa da Revista Popular garante a pBlaol pub|C(). pB|0 que espera continuar
publicagSo do Boletim por un) anno. b so ,. de sua ,ldu|gelU, protegOo afian-
lr protegido proseguir sem limite^ cando-lheque no recuar ante obstculos
As assignatur.s recebem-se, no Recito, a, a Q ma|s comp||0 degempenho
loja n. 40, da ra da Cadeia, e na casa n. 6 do) 8 derronle do Trapiche Novo, e no bairro de meUido
S. Antoniu, ni rui_do Crespo, luj',n; 23^^ bflm 6abid0( qu5o dirfJc| he montar
M.'TIvIlIimmivram" um estabelecimento de educigo que cor-
W Prccisa-se de um ama, que tenm C rosponda perfeilamonte ao seu Om ; e ines-
n muito bom loite, sendo forra, e que 6W mo no coraC!io da Europa civilisa la, tolos
m seja limpa para amamentar urna en- t os dias ge procuraQ1 novosmothodos,molho-
m angada2 mezes, paga-so bem : quem ff res 6ystemas, pela convicgflo deque o que
m so achar nesta circumstancia.dirija- W existo, est ainda muito a quom do que fra
||fie a ra da Mairiz da Ba-Vista 11. .; d8S,,jr. Oque por tanto so deve dizer
dir sedendo a vantagens imagina-
prias em prejuizo das vantagens
reaes. Escuzado he garantir aqnel-
lesSrs. que se dirigirem ao abaixo
assignado, o zelo e promptidao com
que sero cumpridas an respectivas
obriga^'Oe no que pertence ao bom
arranjo e aceiodos volumes. Igual-
mente o abaixo assignado se olle-
rece aos negociantes d'esta pra9a
para embarcar cada sacco de assu-
car por quarenta reis, sendo o re-
pe/o gratuito.
Luiz Antonio Barboza de Brilo.
Compras.
m
m ser procurada.
mm**mmwmwmmm'+m
16, ou annuncieasua morada, para W do nosso pai, onde nidi se tem feito debai-
"" xo doste ponto do vista, onde alguns es-
tabelocimentosdeste genoro teem tido urna
diir.igilu ephemen, onde innmeras silo as
cauzascom que se tem de hitar f SSo oslas
suincientesciiiisileragOesparadesaninarom
o director do Collegio Espirito-Santo .
Mas por isto mesmo que nada ha, parece er
j um precioso servigo este do crear um es-
beleeimenlo de e lucag.to com as vanlagens
quo offerece o collegio Espirito-Santo.
BOWMAN ir. MC. CALLUM, engenhei- O director compenetrado de que dos princi-
ros machinislas e fundidores de ferro mu pios que so behe.T na primeira idadodepon-
respeitosamento annunciam aos Senhoras dea vida inteiradohomem.ha enviadotodos
proprietanos do engenhos, fazendeiros, mi- os seus debis esforgos para que o seu cole-
neiros, negociantes, fabricantes e ao res- gio determine nos seus .lumno urna dispo-
peitavel publico, que o seu estabelecimento sigSo moralis.dora e por isso, se por uui
de ferro movido por machinado vapor con- lado ha procurado com disvello quoospro-
tina em effectivo exercicio, e so acha com- fessoros o os methodos sejam os mais adop-
pletamente montado com apparolhos da pri- lados ao desenvolvimenlo da intelligencia,
meiraqualidadeparaa perfeita confocgfio por outra pirte ha incessantemonto o com
das maioros pegas do machinismo. vigilancia paternal procurado bom dirigir a
Habilitados para emprehender quaesquer vonladedos meninos por meio de urna cu-
obras da sua arto, Bowman fe Me. Callum rada oducagSo moral e religiosa, habiluan-
deseiim mais particularmente chamar a do-os ordem.aceio, regularidado de con-
attengao publica para a sseguintes, por duela e respeito aos principios queservem
erem dellasgrande sortimento ja pro rapta, do
bazo a vida social o individual, Neole
Compram-se escravos e vendem-sede
coramissSo, para dentro e fra da provin-
cia : na ruada Cacimba,sobrado n. II,on-
de morou o Sr. vigario do Hecife.
C3T Compram-se escravos de
ambos os sexos, de 6 a 3o annos,
para fra da provincia paga-se
bem tendo bonitas figuras: na ra
das Larangeiras n. 1$, no segundo
andar, a qualquer hora do da.
Compram-se trastes usados de todas as
qualidades.c tambera selrocsm por novos :
na ra Nova armazn de trastes do Pinto,
defronte da ra de S. Amaro.
Compra-so urna correte de ouro, pa-
ra relogio : na ra larga do Rozario n. 26.
Compra-se ama escrava mulata de
bonita figura,moga o sem vicios nem acha-
ques, e com habilidades, sendo perfei-
ta engommadeira e costureira, agradando,
nao v rapara a prego: quoro a tiver e qui-
zer vender annunciesua morada, ou dirja-
se a ra do Hospicio, ultima casa nova do
Sr. Thonia/. de Aquioo Fonseca, em qnal-
quer hora do dia.
Compra-se um negrinha da 7 annos no
paleo do Tergo n. 24.
Compra-se urna creoula ou mulata at
18 aunos de iJide, de boi conducta, o que
entenJa bem de costura e eugummado: no
armazem do becco do Congalves se dir
quem compra.
Vendas.
Vende-se um selim em muilo bom
uso, com manta e cabegiJis na ra Nova
0.67.
f.'Aantiguidade da salsa parrilha de Bristol, he claramente prvida, puis queella
dala des lo 1832, o que a de Sands sn appareceu em 1842, poca na quil osle droguis-
ta nSo p le obter a agencia do Dr. Bristol.
9." A superioridade da salsaparrilhade Bristol heincontestavel, poisque nloobs-
tanto a concurrencia da de Sands, e do urna porgSo do outras prepangoes, ella tem men-
tido a sua reputagao em quasi tola a America.
As numerosas experiencias feitas com o uso di salsa parilha em todas ss infermida-
dos uncinadas pela rmpuioza do sanguo, o o bom xito obudo nesta corto pelo lllm. Sr.
Dr. Su; nd, presidente da academia impoiial de medicina, pelo llluitrido Sr. Dr. An-
tonio Jusc l'.-ixi lo em -na clnica, e em sua afamada casi dnsaudena Gamboa,pelo lllm.
Sr. Dr. Siturnino de Oliveira, medico do exeroto, o por varios outros mdicos, per-
miltcm hoje de proclamar altamente asviitudes ellicazes da salsa parrilha de Bristol.
Vende-sn a 5,000 rs. o vidro; na botica do Sr. Jos Maria Congalvos Ramos, ra
dos i.iii 1 t-i pegado ao Quartcl de Polica.
Cacados a 800, a,5oo, 3(ooo,
i, 'mu, .'1,1100 c 6,000 rs.: ao
aterro da lioa-Vista, defronte
da li meca,
Ha chegado recenlemente os bem conhoci-
dos sapatOes brancos do Araoly, tanto para
homem como para menino a 800 rs., de ore-
Iha a 1,000 rs., ditos de lustro para ditos a
2,500 r- ,di tos para homem os melbores que
tem vindo da baha a 3 e 4,000 rs., botins
hrancos a 3,500 rs., e de lustro 1 6,000 rs. ;
assim como um novo e completo sortimento
de calgados francezes e de Lisboa de todas
as qualiJades, tanto para bomem como para
senhora, meninos e meninas, peles de mar-
roquim, e cortes do tapetes a 480 rs., tudo
por prego muilo commodo om razio de se
precisar apurar dinheiro.
* Deposito de tecidos da labn- J
ca de Todos os Santos,
^ na Baha.
E Vende-se om casa de Domingos Al- <
f ves Malheus, na ra da Cruz do Ro-
1ULHINI1AS PARA i85a.
Vendem-sc folbinlias de porta ,
de padre, e de algibeira de tres dif-
ferenlcs qualidades,sendo urna del-
I.in com o almanak da cidade e pro-
vincia: vendem-se nicamente na
praca da Independencia n. 6 e 8.
N irua Nova loja n. 8,
Vendo-so chapos de castor branco pelo
barslissimo prego de 7,500 ditos de cislor
branco sem pello por 5,000 rs. bonetes da
palha d. Italia para homem por2,500,ric.s
m iniiniiiis de unir c/a, proprias para senho-
ras e meninas a 4,000 lindos capolinlios o
manteletes de grusdnapoles preto o fuita-
cores chehados pelo ullimo navio, luvas de
pelica, e seda de todas as qualidades para
iiomens e senhoras, bellos longos do setim
de cores para grvalas, lilas de cbamalote do
todas as ores parasintas o chapeos, chipos
francezes para homem ultima moda a 7,000,
e outras militas fazendasque ni mesim loja
so vendem por progos nuncj vistos.
Para a noitc de esta.
Castanhas muito boas a 4,000 rs. arroba a
160 rs. a libra : na ru da Cruz do llocifo n.
36, confronte ao beco da Lingueta venda
do Mondes & Braga.
Vaccas turinas.
Existen tros vaccas turinss para vender
por prego commodu por sou dono se reti-
rar : na coxeira do Sr. Pedro om lora de
Portas.
Superiorvinbo de Campagne.
Vende-se uu armazem da na da Cruz 11.
40, por prego commodo, o de boa quali-
dade.
- Vonde-se charos do palha americana
mui superiores, e relogios americanos par.
cima de meza, bons reguladores : na ra du
Trapiche n. 8.
Vende-so um sitio em Sania Anna que
lica defronte do sitio de Niculo Rodrigues
do Cunha cum casa o diversos pes do alvure-
dos de frutas e cupiar de tomar fresco fora
da casa, quem quizer comprar dinja-sea ra
do Livnmento venda n. 5, ou ra dos Quar-
tois n. 22, loja do tniudezas.
j ola 11. 52, primeiro andar, algodao *
* transadodaquellafabrica, muilopro- ^.
f prio para saceos o roupa de escra- ^
S vos, aaiim como lio proprio pira re- 43
,5 des de pescar e pavios para vellos,
m, por prefo muito commodo. v
A A4A4ftlAAOJl* *******
j I
atllk Novo sortimento do chpeos de sol, para
bomem e senhora, a saber :--chapeos do
sol de seJa, armagSo de baleia, do 4,500 rs.
para cima; ditos ditos para senhora, do 4,000
-- Vendem-se um. pula voltaica o mais rs. para cima ; ditos de panno Ono, de ar-
objectos precisos para dourar o pratear pe- [DaCjo de baleia o de ferro, de 1,600 a 3,200
los meios electros chymicos, o tratado delrs dlos dia de armagSo de junco, de
analyse chymica do II. Roso, a chynica or- i ti200 a ||ggg rSi| todos limpos : grande sor-
ganica de s". Liebig, mecnica do Poncclet
etc.: na ra do Rozario n. 36, casa do Sr.
P. Caignoux.
tmenlo de sodas e pannos, em pegas para
cobrir os meamos, haleiis pin vestidos o
esparlilhos do senhoras. Concortam-ss to-
- Vende-so urna nogra, creoula, de 50 daa a$ qUaidades do chpeos de sol, tudo
nnnos de idade, que cozinha o pequeo dia- com perfeigSo e por menos prego do quo em
rio de urna casa, ensaboa, lava de varrela o ouirt qualquer parte,
vende na ra, sadia e sem vicios : na ra I
I orino/.u, casa terrea do segundo lampeo.
ilicas Iranjis pretas para man-
teletes.
Vondem-so franjas pretas, do muito supe-
rior qualidado, para manteletes, a 800 rs. a
vara : na ra do Quein>ado, loja de miudo-
s junto a loja de cera n. 33.
Bheles do Rio de Janeiro.
Aos 20:000,000 de rs.
Na loja da praca da Independen-
cia n. 4, vendem-se bilhetes intei-
ros, meios, quartos, oitavos e vi-
gsimos, a beneficio da i5. lotera
das matrizes, que corre no dia a3
de dessmbro, e espera-se a lista
no primeiro vapor.
Vendo-so uuia armagSo de vonda na
ra de Santa Thoieza, a qual exislo oa casa
n. 39, quo tem boas proporgOos para nego-
cio por ser de esquina : a tratar na riboira
da Boa-Vista, venda de Victorino.
Vendc-se urna taberna com poucos fun-
dos no largo da Penha n. 10, a praso ou a
dinheiro : quem a pretender dirija-so ao ar-
mazem do Juaquim Eilippo da eolia na ra
do Azeite de Peixe n. 19.
Pechicha.
Vende-se na loja da ra do Crespo n. 10,
pelo diminuto prego, brim do linho mescla-
do pan palito ecisac a 320 rs. o covado,
palito de brim de linho a 5,000 ra., e casacis
a 6,000 rs. muito bem feitis.lengos de cam-
braia de linho a 320 rs. cada um, chales de
sedi 5,000 rs.,seda furia cores para vos-
tidoal,300 rs. o cuvado, e outras mullas
fazendas por menos prego do que em outra
qualquer parte.
Molduras dourada
de todas os larguras : vendem-se no arma-
zem de Kallkmann lrmaos.rusda Cruz o-10.
MUBILUS DE tfKUKO.
Vendem-ae ricas mobilias de fer-
ro, como canaps, mesas, cadeiras
com braca c sem elle, e muitos ou-
tros objeclos de ferro : no arma-
zem de Ralkmana limaos, na ra
da Cruz n. 10.
CANOS.
Vendem-se em casa de Kalk-
mann Irmaos, na ra da Cruz n.
10, ricos pianos de Jacaranda, com
excellentes vozes chegados ha
pouco tempo.
Cadeiras.
Vondem-secadeiras para meninas; no ar-
mazem de K.lkmanu. irmaos, na ra da
Cruz n. 10.
Charutos de Uavana
De superior qualidado i vendum-se no ar-
mazn de Kalkmann Irmaos, na ruada
Cruz n. 10.
Espelho de parede
com ricas moldurus : vendem-se no arma-
zem de Klkmaou Irmaos, ra da Cruz a- 10
Livros em branco.
Vende-se em casa de Kalkmann Irmaos ,
na ra da Cruz 11. 10, livros em branco che-
gados pelo ultimo navio.
Sobrado em Goiaiiua.
Ven le-se, muito em conta,
um bonito sobrado sito oa ra
do Meio, n. 58, avahado em
a:oooooo, emo qual tem parte
rsula Alaria das Virgens e sua
irmaa Joaquina Alvesde Calva na
.mportancia de io7,473 rs. quem
pretender dirija se a caza de Kal-
kmann Irmaos, ra da Cruz,
ti. 10.
SGantois Cailhetck Lompannia.J
Continua-se a vender no deposito
f1 ;eral da ra di Cruz u. 52, o excel-
ente e bom conceiluado rap areia
9 preta da fabrica de Cantois Pailhet &
J Companhia da Babia, engrndese g
9 poquetasporgOes pelo prego estabe-
. lecldo. S


"Vnjio de Champagne,
8 superior qu.lidade : vende-se no arn-.a-
em K.lkmnou IrmBos Rui di Cruz, n. 10
Q -- Vende-se an granJe sitio no lu-
Q gardo Mangutnho, que ficm defronte Q
a Sos sitios dos Srs. Carneiros, com jj
# grande casa de vivenda, de quqt.ro q
n agoas, grande senzalln, cocheira, n
i estriban., baixa decapim que sus- q
% lenta 3 a cavellos, grande cacim- g
** ba, com bomba e tanque coberto X
*J para banho bastantes arvoredos de J5*
O fructo : na ru do Collegion. 16, se- JjJ
O gundo andar.
0<>&9ooe o
Moinhos de vento
eom bombas de repucbo par* regar borlas
d baixis decapim : vendem-se n fundigfio
de Bowman & Me. Callum, na ra do licum
ns. 6.8 e 10.
Antigo deposito de cal
virgem.
Na ra do Trapiche, n. 17,
nuiilo superior ca nova em pedra,
cliegada ltimamente de Lisboa
Tnixu- pura engenho.
Na fundigfio de Trro da ra do Rrum,
acha-se de receber un completo sortiincn-
to de luisas de 3 a 8 palmos de bocea, as
quaas acliam-se a venda por prego com-
modo, e com promptidfio embarcam-se,ou
carregam-so em carros sem despezas ao
comprador.
Vendem-se cera em velas ,
fabricadas em Lisboa c no Rio de
Janeiro, em caixas de
sortidas, de 1 a 16 em libra, e tam-
bera de um s tamaito, por me-
nos preco do que em outra qual-
quer parte : trata-se no escripto-
rio de Machado & Finheiro, na
ra do Vigario n.
andar.
POTASSA DA HUSS1A.
Yende-se um carro de qua-
tro rodas, inuito leve, para um 011
doos cavallos: na cocheira. do Mi-
guel Sougei no aterro da Boa
Vista.
Vendem-se canarios de imperio, mui-
to bons contadores, ebegados ltimamente
do Porto pela barca Noss. Senhora da Boa
Viagcm no pateoda Santa Cruz n. 6.
Diamantes pira vidraceiro.
Chi'guu uina pequea pnrgllo de superior
qoalidade : vende-se na ra do Trapiche No-
vo n. 16.
Vende-se superior farinha
de mandioca de Santa Catharina,
chegada ltimamente a bordo do
patacho Eulerpe, Tundeado de-
fronte do caes do Ramos : trala-se
1 a bordo do mesmo ou na ra do
Apollo armatem n. 1 \. e na ra
da Cruz armazera n. 33, com S
Araujo.
. Armazera de louca vidrada.
Como sejam : panellas, escarolas, lijellas,
asadores, fregideir.s, papuiros, ulguida-
res, lallias pura doce, vasos para flores, jar-
ros, quarlinhas, garrafas, copos, morio-
gues, resfriaderas ; ludo fino para resfriar
agoa, balaios para meninasandarem, ditos
para costura e compras, baldes de pinho,
rndelas de todos os tamanhos : na ra da
Cadeia do Recife 11. 8.
Mocil di.- ~upri'i(M( -.
Na fundicSo de C. Starr & Companbia,
; em S.-Amaro, acham-se venda moendas
100 libras de canna, todas de ferro, de um modeloe
~4
ha
construcgfio muilo superior
Frezuntos
Vendem-se prezuntos americanos, muito
superiores o por barato prego : no caes da
Alfandega, arniazem defronte da arvore.
Farinha Fontana,
..,',,,! chegada ltimamente: em casa de J, J. Tas-
.9, segunao SOjunior>a lua do Amorimn. 35.
Fazendas pata senhora, por bara-
to preco.
Cambraias de salpicos brancos e de edr, a
vara ;
560 rs, a
Garlos liardy, ourives na Nova Papel para namorados.
n. 3/|. Vend sa muito lindo papol ecapaa mu-!
avisa seus freguozes que acaba receber de t0 Parios pare,01*S"- nolrailoi' ,Por i
Pars om lindo sortimenlo de obras de ouro q<"> Prego .'80, 120, 160 e -200 rs. a fblha,
doleidebomgoslo, consindoemadere-,l,mb,Bm ,m"a COm au,darnos de
eos pulceiras, allinetos e brincos sollos para l'P*' de 'nu" Doni,u co!;es V ,M vcn" 1
senhora o meninas, boloes de camisa, aneis .dem T,800 "'i PrvOque faz admirar : na
para senhora e tem um sortimenlo deo-r,ua du Ouoimado loja da miudezas Junio a.
bras ditas da trra, voode-se estas obras ror de cer.. n "
prego commodo : na mesma loja lem para
vender eos ourives esmalte azul e preto,boa
qualidade, cadillas francesas sqitidas, ferro
de alimper solda^rm.gSo.scrote, torno de
mSo e iassaricos, e pedra de desunir,
O
O Na ra do Crespo n. a3, O
O Vendem-se cortes de casemiras, che-
Bados pelo ultimo navio viudo de ff.'il ffl2f2Jttl2"1 i.
K> Frang, padiOes da
proprios par* a festa,
OOOOOOO0OGOOO
Lufas para hornera e senhora.
Vendem-se luvas do seda do cores que
imiiIo imitfio.s de pelica, o melhor que ba
luvas pelu baratissimo preg.i de 1,800 rs,,
ditas de pelica para homem e soohora que r
su aflang ser da melhor qualidade quo po-
llo baver, pelo com molo prego de 1,000 rs.:
estas luvas vendom-so por este prego, por
di
.,1 lima moda R. tas de ditas pretas fechadas com dedos pa-
. <, mn r? r\lr senhora o homem a 500 rs. o par ; ditas
HnAMM ll!1 ""' s0"1 deilos 3*0 rs. o par : na ra
wwww ,|0 QU,.niad) loja do miudezas junto a de
cera, n.33
Calcados a 760 rs. o par, quem
deixar decoraprar, isto he para
acabar : no aterro da Boa-Vis-
ta defroate da boneca..
Ha chegado rec lilemente urna grande
quaiitidade dos melborea aapatOcs brancos
que lem vindodo Aracaty, tanto para ho-
mem como para menino, quepor se dese-
jar acabar com dinheiro vsla,d-sea750
rs. o par, ditos de lustro a 9,500, rs. e da
Bahia a 3,000 rs., e botins brancos, ditos de! filas e flores, cheias de amentloas com
Manteletes o capolinhos.
Os mais modernos manteletes, ca-
& polinhos e palitos pretos e de cores
S) que ha no mercado vendem-se na loja
0 do sobrado amirello nosquatro can-
fg tos da ra do Qaeioiodo u. 29.
Xarope do Bosque.
O nico deposito contina a ser na botica
de Jos Mana Congalves Ramos, na ra dos
Quarteis n. 19, ao p do quarWI de polica,
onde se vcmlem as garrafas a 5,500 rs. e
meias a 3,000 rs a dlnheiro vista : sendo
falso o que se vende em outrss boticas.
IMPORTANTE PARA 6 PUBLICO.
, miudeziajuntoadecera n. 88, microsco-
pios para ver fedulis, pelo diminuto oreen
I de 1,500 rs. r"9
Flores francezs
Vendem-se ramos da Dores francaia.
muito superiores, pelo baratissimo Drer
, de 390, 500, 600, 800 e 1,000 rs. : na roa rt
Queimado, luja de miudezas junto a de cer
Franjas para cortinalos.
I Ven Jem-se pegas de franjas com 15 viras
fazenla multo superior, pelo baratissimo
I prego de 3,000. 3,500 e .OOO rs.: na rulTc,
Queimado, loja de miudezas junto a de cera
Neto baratas para homem.
Vendem-aa meias cruss para homem a 160
rs., ditas pioladas e azues a 160 rs ditai
braocas a 1(0 rs., ditas muito linas 910
280 rs.: na ra do Queimado, loja de miu-
dezas junto a de cera n. 33.
Chapeos de Castor branco
Na loja do sobrado amarello nos m
quatro cantos da ra rio Queimado n
99 vendom-se chapeos de castor
branco os mala finos e mais moler- m
nosjue aquUan apareci lo.
Bom gosto.
Para cura de phtisica em todos os seus--------- ----------_^__.,
differentns graos, quer motivada por consti- i Para senhoras.
pages, tosse, asthmy, pleuris, escarrosdei Vendem-se cirteirinhas com aeulas dn
. sangue, dr de costados e peitos, palpitagfio todas as qualidides a 300 rs nalvlnh.,,.
Ricas calimbas enhilad com lagos de o ceragdo, coqueluche, bronchite, dr na 6 papis de .gulha, franc zas aw7, .B
mase flores, cheias de amendoas comella- -,,_.: ,a,v ,. mn|ai ,in. ,m, ii..V.inT.-8 i' lrancezis, *>r gu-
das.oplim.sp.rase darem de fest.s.pe.o fi&Z Mtatata^;il"tIfJTfl!i
Phtisica bronchial. ;finaaegrossasa Ora. a m'iadinha. tezou-
Est. v.riedade da phtisica he geralmente r,nn"8 muit fina para costura
completo sortimenlo de calg.dos france-
zesdetodasis qu.lid.des, lano para ho-
mem como para Sra.. meninos e meninas,
cortes de tapete a 480 rs.; tudo por prego
muito commodo affm de se appurar di
nheiro,
Vende-se plvora ingleza em
ltase barris, e tambem finissima,
propria para copoleta : a tratar na
travessa da Madre de Dos n. 5.
A 2,5oo rs. o frasco.
Doce de annanaz, superior qua-
lidadc, proprio para presente no
tempo da festa : vende-se na ra
da Cadeia do Becife n. j3 c a5.
i'miim.i 1 ;m, cutiloiro na Boa-Vista n.
16, tem a honra do previnirao publico, que
acabo.i de receber pelo ultimo navio choga-
Wripia ,1,. ruin ilm i mu hnmcm a consequencia de urna constipacSo deepre- i inciunaue ISa de todas as cores a 60 rs. a
neis de cornalina para homem. M(ji A jnojpJO 0s symplomis .sseme- P"0'""". b.bados abarlos de liobo a 80,120,
Vendem-se os muito dez.jaoos aneis de iham-soaosdo um defluxo commum, ouca-le ,60,r9-" var. d'to bordadoa a 200 rs.
i'nriiii Un nirn ti ni une nulii hrulKhimiv tiro ... iu*r*jlinao.ln >j*.(. .... >__!__ ..^ .
dit.sco.n lislrasdecra 3,000 rs., a d d prsncll Uni novo sortimenlo do fazen-
a 100 rs. 1
I das (11 melhor qualida lo saber
brides
No armazera de Jo^ Teixeira
Hasto na mi rio Trnmrlie n \n *'500 rs- com 8 'Ia varas> e 6i0 r a
asi, nartu OO liapICIie n. |7, dltas francezs de bom gosto, a 56
ba para vender, nova e superior vara dit.sco.ii hsirasdecflra
potassa da Hussia, chegada recen- P<> com 8 vor.is; cassa preta
Jom-i covaJo i cortes de cassas pinladas.a 2,000 o : f|lleadjr dc prata.espuras ditas.armasdees-
lemente. | cortes de chita com 12 covaos, a 1,920 e pu|et estribos etc etc. Previne igualmou.
-- VenJem-se velas de espermacete, em 1,800 rs. ; lencos do inissima cjmbraia de te aos sen|lures fumantes, que tambem re-
vaias, de superior qualidade : em casa de linho, a 480. 560o 640; ditos de cambraia
J.Keller & Compaohia : na ra da Cruz ou- de algoJ.lo com bico, a440rs. ; zuarlesdej
mero 55. cor muito cncorpados, a 200 rs. ; dito
Principios ceraes de economia pu- azues com 4 I layaras, a 200 rs.; e algodfio
ir -^j...-:-! transado com listras, a 180 rs. : na ra do
Crespn. 6.
Mu-1 e industrial.
Vnnde-se este compendio, approvado para
as aulas de primeiras letras, a 480 rs.: na
praga da Independencia, livraria n. 6 c 8.
Casa de commisso de escravos.
Vende-se em casi de A-
damsoa llowie ck Conipanhia, na
ra do Trapiche n. 43 panno de
Vendem-se escravos e recebem- algodao para saceos de assucar ,
se de commissao, tanto para a pro- muito superior e barato,
vincia como para lora della, para Velas de carnauba era libras.
o que se olcrece muitas garantias
Vendem-se velas de carnauba imitando
espermaceto : na loja do sleiro da ra da
aseusdonos : narua da Cacimba Cadeia do Recife n. 36.
Para jardins.
M. D. Rodrigcs na ra do Trapiche n. 26,
Dep
n. 11, primeiro andar.
psito de cal e potassa.
No armazem da ra da Cadeia
do Uecife n. 11, ha muito supe-
rior cal de Lisboa, era pedra, as-
sira como potassa chegada ltima-
mente, a i tecos muito rasoaveis.
Deposito de cal virgem.
Cunda & Amorini, vendem barris com cal
em pedra, chegada ltimamente de Lisbo,
na barca Marg.rida, por menos prego do
quu em outra qualquer parte: na ra da Ca-
deia do Recife n. 50.
AGENCIA
da futid icao Low-Moor.
RA DA SE.ZALLA NOVA N. 42.
recebeu urna completa collecgo do adornos
para jardins, composla de vasos de louga,
brancos piulados de todos os tamaitos e
modullos. Kigures repiesenlando as csla-
goosdo anno, as partos do Globo o lodos os
tfeoses da fbula, que recommonda a quem
tiver bom gosto, o porpregos muito resoa-
veis.
DE VE BES DOS 1IOMENS,
a 5oo rs.
Vende-se este compendio aprovado para
as aulas, cm mcia onradernago, a 500 rs ,
C2da un: na livraria u. 6 c 8, da praga da
Independencia.
Vende-se vinho de champa-
nhe legitimo e dc superior quali-
dade em ca.^a de J. Keller &
Neste estaiieleeimento conti- .
oa ahaverum completo sorti- Companbia, na rita da Cruz n.5^.
Vende-se a bordo do brigue Rufina,
ment de moendas O meias moen- fondeado derronta do caes do Collegio, boa
das para engenho, machinas de farinha de Santa Catharina, em porgOes:
vapor,
e taixas de ferro batido e
coado, de todos os tamanhos, pa-,
ra dito.
Agencia de Edwin Maw.
Sa ra de Apollo n. ti, armaiem de Me. Cal-
luontSc Companhia, acha-se coniianleiiteotc
bons aortimeDios de taixa de ferro coado e
batido, tanto rasa como fundas, moendas in-
eiras lodasde ferro para aminaes, agoa, ele,
ditas para armar em madeira dc lodos 01 ta-
manhos e madellos o tnais moderno, machina
horisootal para vapor, com forfa de 4 caval-
lo:, coucos, passadeiras de ferro estanliado
trata-so a bordo, ou na ra da Cadeia 11. 39,
com Atn.il 1111 lrm3os.
Batatas do Porto, a 3ao rs. a
arroba.
Vendem-se balates muito boas, a 320 rs.
a arroba : no armazem n. 19, da travossa da
Madre de Dos.
Vende-se saces com superior colla,das
fabricas do Rio Grande do S11I, o a prego
commodo, no armazem, do Dias Ferreira
ao pe da alfandega.
A t tenca 0.
Vendem-se superiores charutos regala,
para caa de pulgar, por menos preco que oz de urna das melhores fabricas da Babia, em
de cobre, escovent para navios, ferro ingle callas de 100 Charutos a 2,500 rs. cada uma;
lantoem barras como em arcos folhas.e tudo sSo chegadS de prjimo : na ra do Tra-
por barato preco. piche Novo n. 26.
Vendem-se relogtos de ou- o^OOOOOO
ro eprata, patente inglez : narua 9 Ven,,e -so na loja Pemambucana da
j v_ -11 m t ,0 ruado Crespo 11. 11, superiores cha-
da benzalla Nova n. /i. g f6oi UIlill^ ,,u,ui BUwu-
Arados de ferro. dos para meninos do ambos as seos. q
Vendem-se arados de diversos'00>0$>CO
modelos, assim como americanos! .. vende-so champagne da marca amiga
com cambao de sicupira e bracos'e bem condecida, Comet, em casa de Deano
YulecV Litmpui.liiii : na run da (.adela.
Vende-se, traspassa-se, ou
do!
da ferro : na fundir^ao da ra
Brum ns. 6, 8 e 10.
Bombas de ferro.
Vendem-se bombas de repuxo,
pndulas e picota para cacimba :
na ra do Brum ns. 6, 8 e 10,
ftmdicao de ierro.
Arados de ferro.
Na fundigSo da Aurora, em S. Amaro,
veudom-se arados de ferro de diverso mo-
delos.
cebou do dopositoda manufactura franceza,
cxccllenle fumo, a 1,280 a libra ; que nata
deixar a desej.r pelo seu bom gosto,a quem
souber approvetl.r-se da bella occasiSo que
se Ibes proporciona de o siborearem.
I.uvas de pec. para senhora, 8 1,000 rs.
Ven lem-se na ra doQueimad n. 16, lo-
ja de miudezas.
Vendom-se na ra do Queimado n. 19,
cortes do vertidos com barra a 4,000 rs.; ve-
oham ver a fnzenda antes que se acabe, que
la/, admirar fazenda por esle prego.
-- Vende-se a padaria nova do .Manguinho
com todos os sens pertencos : quem a pre-
lednder dinja-sea mesma.
Vondem-s i 3 negrotas do idado 20 an-
uos, iiiuilu lindas, engomoiam bem com
perfeigSo, 1 dellas faz bem lavarinto; 2 mu-
latas de 22 anuos do idade, de bonitas figu-
ras, engommam e cosiuham : na ra birei-
ta n. 3.
Dados de marfim.
Vendem-se dados de roaifim, muito fi-
nos I na rita larga do llozario n. 20.
Aos senliorcs de engenho e c;
particulares.
No arm.i/.cm do Sr Antonio Anuos no caos
da tl.'andcga, vondo-se bacalhao de Norue-
ga cm linas o melhor quo tem vmdo 1 este
mercado superior inglez por ser corado
com molhor sal, vende-se por 6,000 rs. a
tina.
Vendem-se escravos bara-
baialissimo prego de 2,500, 4,000, e 4,500
rs.: na ra do Queimado loja de miudezas i
junto a de cera, n 33
940 rs.,
runsima para homens pelo baratissimo pro
go de 640 rs. : na ra do Queimado loja de
miudezas junto a de cera. n. 33.
Gasticaes dourados a i,5oo rs. o
par.
tharral; a espectoragSo he viscos., eipessa Ivar8' ''8 de seda para senhora a 200 rs. o
e opacj, mas nSo amarellad., contendo pr-. Par. pentes abertos de b.leia para coco, fi-
ticulas cinzent.s, que se desfazem em agua.'zen.,a multo superior a 300 rs., caixinhas da
A proporgo que a molestia progride, a tos- mel.al com 8rmpas a 100 rs., que s a o.i-
se augmenta e o muco viscoso pblegma v.i- .Xlnlla.val o dlnheiro, tezourinhis inglesas
se misturando cada vez mais com um nui- '!nmai*''"" au? Pouo ner Pa uoh.sa
r ... ;^ n^ .. -,R.;i. j nnq..:n SD uiisiuiaiiuo caua vez uiats cun um iiui- -. -~~------ r*' i#ai uuuas a
irlir^lil i. .lint doam.uell.doque.ssemelbaaopusouma- ?*" e 80 rico Bulheiros de vidro .
Y ffin,.? tiSSlIStto m,udelasD- teria e alguna, vozes com p.quenos raios 200rs fioissimas mei branca par. so.
2 A, junto ao deposito de po. ,; de Em muUos en M torl_ | nhor. a 500 rs. o
-Na ra ova n. 5o, vendem-;cg0 lem um. app.reDCia esbranqugada ,''tmente bom 1
se os seguintes gneros ultima- queseussemelha aolelto, ealgumas vezos "a8p"" d.ente'
_. .. 1 urna cor amarella esverdeada, que breve-' 5OS0 estreito, tu
mente Cliegados queijOS suissos menle sa desaz em agua. A principio, o i bops^gostos, brinquedos para meninos, fro.
muito frescos a 56o rs.; dito fran-
escravos
tos, mocos e de bonitas figuras ,
molecotcs, negros mocos, negras
muito bonitas c mocas, tinas ne-
grinhas dc 7 aunos, muito lindas,
um ptimo sapateiro dc a5 annos
de cortir e f-jzer qualquer obra
ecz a64ors. ; londnno a 720 rs.;
qtieijos flamengos muito novos e
outros nimios gneros ltimamen-
te recebidos ; assim como licor de
marrasquino muito superior.
Com dinheiro vista.
Vonde-se em o atierro da Boa-Vista n. 43,
o seguiote ; maitleiga ingleza di melhor 800
rs., dita franceza 640 rs., cha do melhor
2,000 rs.,dito 1,920 dito preto do melhor que
lia ueste mercado a 1920 a libra, tem 3 em-
brulltos.cliinezes,o cmbrulbo por 640 rs.es-
permacclo 640 rs.,carnauba 280 rs., seva li-
nda 160 rs.,ervilhas a 120,letria 160 rs,arroz
pilado 80 rs. tapioca 80 rs, farinha de araru-
ta 120 rs chocolate 32i) rs,assucar refinado
pelo diminuto prego de 80 rs. a libra, e a 100
rs. milho 120 rs., arroz de casca 120 rs.,
li'ij.In molatinho 320 rs.,alpista 960 rs.,patn-
go 560 rs., azeite doce 480 rs. vinagre bom
80 rs., dito de Lisboa 140 rs.,queijos 800 rs.,
carne do sertSo 200 rs., Iinguigas do mesmo
200 rs., bolacinha ingleza 160 rs., caffii de
erogo 140 rs., azeitonos 240 rs. a garrafa,
e tudo mais por diminuto prego, de ludo sol mais vermelha do que no estado
d amostras.
Sao francezes
Vendem-se na ra cstreita do Rozario.lra-
para o Queimado n. 39. A superiores
a 190 rs., bicos linos, lir-
esverdeada, que breve- gos estrello., fitas Unas lavradat d muito
a. A principio, o iDOn* Kostus, brinquedos para moninos, fro.
pulso torna-se um ponco accelerado o tenso fos de todas as cores a 160 rs. a v.r, e ou-
paraatarde, e o calor da superficie do cor-1 trs multas miudezas que se vendem por
pov.ria 110 decurso do da estando algumasi Preco 1"e causa admiragSo : na ra do
vezes cima e oulras abaixo da temperatura Queimado, n. bem condecida loja de miu-
natural. Durante a noute ha suores p.r- oezaajuDloade cer. n. 33.
ciaes na cabega e no peito. Geralmente ha] lita (MiI oll'O
muila sede, so urina he muilo carregada e h ,___,. .
deposita um copioso sedimento .vermelha- gW" "*ie"de s.e "rm.zem de
do : qu.si sempreh. um. sens.gSo ---- K.lltnrnin Irmllos. ra da Crnz n. 10.
sa no peito e pontadaspassageiras ; mas he
raro quesesinta uina dr fiza no peito. A
tosse ordin.tiamente pela m.iiba ao levan-
tar da cama, sendo entilo a rospiragSo mais
ou menos sibilante e acompanh.da de op-
pressSo no peito. Sa a molestia no hea-
t-libada, a expectoragSo torna-se purulenta
e extremamente copiosa. A debilidade e
magreza augmentan! rpida menle; a diUl-
culdade de respirar e o peso eoppressSo no
peito tornam-so cada vez maiores. o pulso j.lr1 rn,,.,| ... -m mi_ X'..
be geralmente muito frequente. dando r.-''"" g"' f' tem11mull. pequeo
ras vezes menos de cento e viole pulsagOes 1 buco de barba e tilla multo mansa,
por minuto. Pela manhs., o rosto esi or- quando anda parece que n3o pisa
dinanamente palltdoj porem para alarde t v. "
observa-se quasi sempre uma vermelhidfloi Dem cora OS calcannares, COStuma
carregada n'uma, ou em amb.s as faces. A andar calcado e bem vestido, le-
hngua fica limpa e em muitos casos ssume _.,_ I. 1 .
urna apparenci. .asustador., torn.ndo-se vou um trocha de sua roupa, m-
Escravos u^idos.
BOA GRATIF1GACAO'.
Ausentou-se na noite* de 27 dc
outubro passado o mulato Clc-
mentino, de ao annos de idade ,
pouco mais ou menos, magro, al-
IjiiIiiii s francezs de divergas qualidades
chegadas estes dias de Paris, tambem so
ven le latas de aramia, biscoutinho falias.
o mais ootras qualidades, tudo por prego
commodo, oannuncianle pede ao respeiL-
vel publico, attengSo.
~ Vendc-se uma capa propria para o in-
vento, cm bom esUdo, por prego commodo:
a Iratar 110 liceo do Ouvidor n. 1, casa de
alfaiate do Jos Kobcrto.
Vende-se urna armagflodo venda mui-
to nova o a moderna, isso muito em coa-
pela casi Qsgar un aluguel muito pe-
queo, ua ra de llortas n. 52 : a tratar na
ra da Senzalla Nova, (averna n. 1,
Vendse um cavallo eastando, muito
,'gordo.com todos os andares c sem achaque
. algum: em Fura de Porlas na ra do IMlir
' n. 85.
estado de sade. iclusive calca ejaqueta de panno
Ha geralmente suores copiosos e fatigantes, finn a,i |_ j. _..:_ i_ _
durante, noute, n-esle periodo avangado da'/"i0 ,al e alem do mais algum
molestia, e, u mno> que ella sej. atalhida,' ra I r.iiln, um par de borzegains par-
:rrh1aTnn\meX.an,odru.tUrnOZelOS' ^108' com bot5es d niadreperola
tomo remedio para estaterrvel enfermi- brancos, e consta que levara um
d.do d. membrana bronchial, que zomb.,'cavallo, quu natinuil\ occasiao a-
quast seuipre da pericia dos mdicos, re- 1.. '. /
commondaTi os proprielarios o uso deste lur>ara' 1uaI tern S Slgnaes se-
xaropo. Ilepormeio das suas qualida les 1 guintes : castanho, barrigudo,
alternativas e expectorantes que a cura se '.li,. j
eiTectu. Um. pessoaquesolTni destaespe-lf.111188 Preta8' gordo e tem um la-
cle de phtisica, logo que tomar o xarope co-. Iho em uma anca; he provavel que
nhecor uma mud.ng. na expeclor.gSoe nucir nassarnnr fnrrn lu Imliri
nos domissympotomas, e perseverando no!qUe,ra Pa8Sar por torro, he boliei-
seuuso, guiando so pelas inslrucgOes, ver I ro e escravo de Luiz Antonio Ol-
quea expecloragflo se torna abundante, che- queira : quera O pesar lcve-0 a ra
gando algumas vozes a ponto do assustar o! J / r.,
enfermo ; porem seu carador hesalular, u aa ^aea do lecite n. 21, que se-
a cura brevemente se opera. r recompensado.
Vende-so urna (arroga nova de sicupi-
ra sem boi:
narua das Larangeiras 11. i4, se-
gundo andar.
Bita da Cruz n. 4o, primeiro
andar.
Vende-so superior fumo em fardos e mui-
to barato.
Lindas caixas de amenJo.s confeitadas.
Na ra do QueimaJo n. 16, lija do miu- ra do Trapiche Novo n. 18.
dezas, vendem-se mu lindas catxos com a-1 -- Vende-se o suporior sebo do rimde
mendoas confeitadas, por menos prego do carneiro capado, assim como uma porgo
quo em outra qualquer parte. de peles de carneiro: no piteo do P.r.i/.o
Vendem-se bolinhos france- 15-
zes, chcrados de prximo do lia- "^ ''SWff&BWfBW
, ," ,, >) Vende-se na loja Pemambucana da rj
vre de brace no brigue Catar S ru, do crespo n. 11, pu-a sedada B
muito proprios para cha, pela sua W lindos pairees a 800 rs. o covado ; W
_ ai *. i-i r- M asim como sedas escocesas a 500 rs.. MI
excelente quai.dade e genumo pa- J^m^m^ismm^mitmmmmm
dar : na ra da Cruz do Reci-
Vondem-so 2 cavallos, 1 rudado, e ou-
tro castanho, ambos bons andadores: n.
ru. d. ConceigSo, na Boa-Vista 11. 60.
Gravatas dc mol 1.
Vendem-se superiores gravatas do mola,
moihados n. 62,
Martina &
4 Vendem-se e alugam-se bichas, che- <4
%i gad.s ultin.ameiitodRlIamburgo,por 4
4B prego commodo: na ru. de S. Amaro .:*
V n. 28. 4
farinha de mandioca.
A mais uova e mais barata farinha de
mandioca que ha no mercado, vende-se na
roa da Cruz do Itecife, armazom n.13, de
J0S0 Carlos Augusto da Silva.
Deposito da fabrica de Todos os
Santos na Babia.
Vende-se, em casa deN. O. Beber& C.,
Da ra da Cruz n. 4, algodfio transado da-
quellar.br ica, muito proprio para saceos de
assucar e roupa de escravos, por prego com-
modo.
Vendem-se selins e sillines
inglezes, de couro de porco, da
primeira qualidade: em casa de A-
damson llowie & Companhia, na
ra do Trapiche n. 42-
faz-se qualquer outra transaeco ,
com a loja, que foi do fallecido Jo-
s l'into da l-'onseca e Silva, anti-
ga loja de Guerra Silva & Compa-
nhia, na rita JNova n. II, a fallar
com J. Keller & Companhia, na
ra da Cruz n. 55.
-- Vendem-se amarras de ferro: na ra
da Seuzaa nova 11. 42.
--Vende-so cabos de linho e de manilha
de todas as grossuras, c superior qualidade,
chumbo em barra, s.cas com farello muito
oovo por ler vindo pelo ultimo navio do Ha-
vre, cb.mpgnc muito superior, serveja em
cestos de duzi, caixas de com latas com
sardiuh.s em azeite, e ponnas d'ago muito
boas : tudo por commodos pregos : narua
do Trapicha novo n. 11. escriloriodeJ.lt.
Lasserre & Companhia.
Vende-se oleo de Un haca cm
botijas : a tratar com Manoel da
Sil ua Santos, no caes da Alfande-
ga, armazem do Anes.
Vende-se cal virgem em pedra,
Chegada recentemente de Lisboa, em anco-
ras muito bem scondectonadas e por prego
muito commodo : no armazem de Silva Bar-
roo, na ra do Trapiche Nuvo n. 19. Jarros de porcelana
Km risa ilr I Kpllpr rW'.nm- Para rIores-Del Uim,outo ureco de 3>000
JLm casa ae J. neuer jOm-|fl 35u0 rs 0 pari figuras ull0 d0 tlo a 3f
1
fe, armazem de
de 3Ianoel Francisco
Irmao.
ir Arlo de nadar. IM
W Vende-se essa til invcngfio pelo di- MI
minuto prego de 6,000 rs. : na loja yf
t? Pernanbucana, da ra do
m n. 11.
Contina a vendor-sc maitleiga fran-
ceza, nova, a 560 rs.; dita ingleza, a640 rs. ;
banba de porco, a 400 rs.; caf a 140 rs. ;
cha, a 1,600, 1,920 e 2,400 rs. ; bolacf.inha
inglezo, a 200 rs.; dita quadrada, a 240 rs. ;
sevadinda.a 160 rs ; sevada, alOOrs. ; fa-
riobi doMaranhSo, a 80 rs. ; passas a 280 propriaspara p.sseiosns sitios, pelo prego
rs.; figos, a 200 rs. ; chocolate, a 320 rs. ; de 200 rs. cada uut. -. n. ra do Queimado,
carnauba de 6 e 9 em libra, 280 rs.; esper- loja de miudezas junto a de cera 11. 33.
macote di 6 e 5 em libra, a 720 rs.; loucinho Bom e barato.
de Lisboa, a 280 rs.; arroz do Maranhao. 80 ,-__ ,^
rs.; linguigas, a 400 rs. ; paios, a 240 rs. : JS"??8 S .p.".e! "im, ,9S5??.rs: '
serveja
francezes
venda iiov. ... ... mag pari Kuar,|or ujnneiro i;800 rs cor.
r ecluncna. 1 renlea de ago para reiogios a 400 rs., lone'
Vendem-se superiores batatas, a 500 rs. a tas linas de 2 vidros com mola a 1,000 rs.,
canastr., com o paso de uma arroba o lauto ditas de 1 vidro a 400 rs., fioissimos oculos
de balitas, o cm libras, a 20 rs. : narua dearmagfiode ago a 1,000 rs li velas dou-
Direita, venda n. 76 e 78. radas para c.lg. e coiete 200 rs., ditas Ue
Salsa agoa 40rs. : na ra do Queimado, loja de
muito nova o superior, vinda no S.Saivador; niludezas junto a dc cera 11. 33.
chumbo de munig.lo; massos do papelfio de
todos os nmeros e em qualquer porgSo: na
ru. do Trapiche n. 26, casa de M. Uuarle propri.s par. voltarete, pelo diminuto pre-
Rodrigues. 50 de600 r*. obaralho : na ra do Queima-
Sao muito lindos. I0"0- loja de miudezas, junto aloja de cera
Jarros de porcelana dourados proprios "' ., .
Aos senhores cavalleiros.
Vendem-se chicotes superiores, pelo bi-
Iiiv.s de lio da
quem pretender dirija-se a
capunga no sitio de RomSo Antonio da Sil- pretas e de cores, pelo diminuto pregod
va Alcntara, ou no armazem de assuc.r no 2,000 rs.: na ra do Queimado, loja de miu-
largo do Pelourinho 11.507. j dezas junto a loja de cera n. 33.
Fio iuglez Camisas de meia.
De muilo superior qualidade e por prego Vendem-se camisas do meia, fazenda mu
commodo, eni casa de Eduardo & Wyalt, na to superior, pelo baratissimo prego de 1,200
rs.: na ru. do Queimado, loja de miudezas
junto a loja de cera n. 33.
Fara criancas.
Vendem-se touquinh.s de soda preta, pe-
lo baratissimo prego de 320rs.; maracaes dn
metal, que locam de varias maoeiras, pelo
baratissimo prego de 200 e 100 rs.: n. ru.
do Queimado, loja de miudezas junto a loja
dd cera n. 33.
Capachos baratos.
Vendxm-se capachos grandes c muito su
periores, pelo baratissimo prego de 790 rs.
oa ru. do Queimado, loja de miudezas jun-
to a loja de cera n. 33.
irocam-se as imagens seguintes
Santo Antonio 4,000 rs., S. Luiz rei da
Frange 4,000 rs S. Benedicto 3,000 rs S.
Manoel da Paciencia 3,000 rs., S. Francisco
4,000 rs S. Paulo 4,000 rs., Santa Barbara
3,000 rs., N. S. da Soledade 3,000 rs., S. Jofio
Baplista 2 e 3,000 rs., Sania Apolonia 3,000;
na ra do Queimado, loja de miudezas jun-
to a de cera 11. 33.
Bicas estampas de Santos.
N. S. da Penha, Santa Luzia, S. Jofio Bap-
lsta, Santo Ambrozio, Santa Marta, S. Do-
mingos, S. Inocencio, Santa Tilla, imagem
milagrosa, Santa Filicidade, N, S. do Roza-
rlo, Santa Amelia, S. Marcos, Santa Victo-
ria, Nascmienlo .'o moiiiuo Dos, S. Rodri-
gues, N. S. do Pillar, Santa Fllomeoi.S. Ro-
que, S.uto Hilario, S, Luca, N. S. do Bom
Soccorro, S. Guilberme, Santa Adeli, S.
Martlnho, N. S. daSaude, o Sagrado Gora-
gfio de Mara, S. Christovfio, S. Antonio do
Padera, .Santa Clementina, AsseogSo de N.
Senhora, N. S. da Lupa, Santa Wceliana,
S. Bento.Sant. Eufrazia, Santa Emilia, San-
la Virgem e Jess, S. Vctor, S. Lzaro, San
tas ch.gas do Cbristo, Smta Cristina, S.
Sebastifio, S. Pedro, N. S. da Gloria, S. Pau-
lo, Sanio Angelo, N. S. do C.rmo, S. Joa-
quim, S. Carlos, S.gr.da Familia, S mt.t Ju-
lin. ; estas estampas sfio clorid.s e muito
linas, o troc.m-se polo muito diminuto pre-
go de 240 e 320 rs. cada urna : na ra do
Queimado, loja de miudezas junto a de cera
D* 33.
Finissimas ^lavalhas.
Vendem-se navalhas com cabos de mar-
lim, os mais superiores quo se pode eucon-
Cheguern ao barato.
Vendem-se na loja da ra do Crespo n.
10 de Ignacio Luiz do Brito Taborda, um
completo sortimenlo de fazendas finas, pro-
propiias para a festa, assim como palitos e
cas.cas de brim de linho, tudo por menos
prego de que em outra qualquer parle em
virtu le de ler estado a sua loja fechada
a mais de um moz, e par. se apurar dinheiro
Crespo, {$ f.i-se todo negocio.
Tintas paradesenho.
Vendem-se caixinhas com tinta para de-
senlio pelo diminuto prego de 240 rs. : na
ru. do Queimado, loja de miudozas junto a
de cera n. 33.
Fara quem passa a festa.
Lindas lanlernas de papol de cores, muilo
nmi ras 400 rs uaios a 4in -. enue-se nom papel aimago a 2.SU0 rs. .
? irMOrs duza eauaosnimi resm.,dito de peso a 1.800 rs.. finissimas
'e, o l!onO rs* noapa0teqoUed'oCZlo, ETn *" "?f "^ ?"' "ST^P
...,. o .niivi com chaves, fazenda muito superior, opti-
no\a 11. ,... .. .,. 1 ,. .1,. 1.., ... .. .,,, _H ..
Cartas finas para voltarete.
Vendem-se caitas francezs muito Tinas,
panilla, acha-se a venda vinagre[ rt.b p.r, lindos pezos para por sobre pa- ratissimo prego de500rs
branco, superior de
barris de 3 medidas. n. 33.
iirnnro snnerior de Nantes. em'Peisa ,'500' 2,00, 2'500 ": n' rDa do escocia, de varias cores, fazenda muito su-
C", D.'l, __j..,"_ i'""> "[Queimado loja de miudezas junto a do cera, penor, a 300 rs.: na ra do Queimado, loja
Desappareceu na tarde do da 13 do pas-
sado um escravo por nome Joaqun) tem os
signaos seguintes: boa estatura, ropresenta
ter 35 annos de id.de, falla desembaragadi,
ps grandes, lem todos01 denles da frente,
nariz chato, quando anda estala as juntas dos
joelhos, levou camisa de algodfiosiobo bran-
co, caiga do dito azul, este escravo foi do
malo: quem o pegar leve-o a typograpbia
imp.rci.l a fallir com a viuva Roma que se-
r recompensado.
5o,000 rs.
De 15 para 16 de novembro de 1851 de-
sappareceu do engenho Aguas Claras da
llruc, da freguezia de Esc.ds, o escravo
Venancio, de Angola, que muito p.roce
crilo, idade 25. 38 anuos, cor fulla, bo-
nita figura, altur. regular, cheio do eorpo,
punas e dragos grogos, rosto gordo, o ar-
redondado, testa grande, olhos grandes, e
amortecidos, tem falta de muitos denles n.
frente, do lado superior, poucos cabellos no
hugn, equeizo, tem marcas dc chcela as
costas, e de sorras nas n.digas, parece ser
serio, e muilo humilde, (.11. com mutta
m.nsidfio e rr.sl.do f.z-se; innocente, he
cheg.do a furtos, e costu ma mudar de trage,
(por furto de roupa que faz) de mudar o
uome, dizer-se forro, outr.s vozes procu-
rando quem o ap.drmhe, ou quem o com-
pre : levou camisa de madapolfio, caiga de
brim trangado de listra pardas, ja desbota-
do, chapeo uzado de couro, cobertor grogo
de listras azues escuras, e um f.cfio que to-
mou de ura muleque c.rreiro, do engenho
Mocot. Este escravo passou pelos enge-
nhos Aran l doSr. Manoel Feliz, Amparo
e Mocot, h.vondo pedido os senhores dos
dous ltimosengenhoscartas que o palri-
nhasS'i, em que foi salisfeto, e 11 fin obstan-
te fugirlendo seguido p.ra o engenho Mi-
nhocas, d. donde prezuma-sa ler partido
p.io o Birju da Madre de Dos, onde foi es-
cravo do Sr. Cordeiro, conhecido porAb.de,
. quem pode-se o favor, de se cheg.r a seu
coiihecimeoto a sua estad, ali, fazer apre-
eoder, remoller ou avisar a seu Sr., pnndo-o
ueste caso oa cadeia, assim como roga .
qualquer quo o pegar, de lev.-lo ao dito
engenho ao seu Sr. Antonio Carlos Pereira
de Burgos Pooce de Len, ou na ra nireita
u. 14 casa de Jos Pinto da Costa, que rece-
bera gratilicagfio mencionada; e tambem
pelo prozente protesta-so com todo rigor,
contra qualquer qua o conservar em seu po-
der.
30,000 rs., de gratilicagfio.
Desappareceu 00 da 15 de julho do cor-
rente anno um muleque crioulo de nonte
Paulino de id.de de 10 anuos pouco mais
ou menos,cor amarelad. por ter victo de co-
mer Ierra,naris chato e feio levou camisa de
algodfiosinho suju e caiga da riscado, sem
chapeo, esle ascr.vo pertence.o Sr. Auto-
miudez.s, junto loja de cer. n. 33.
trar om navalhas, pelo "ridiculo preco den' Jacioloda Silvetr. de Uua ; quem o pe-
4,000 rs. o estojo com 2 navalhas na ra",r |jVe" rua <:cimba n. II ou a
doQuoimado, loja de miudozas junto a de"ru" Livramerfto n. 26segundo andar que
cera n. 33. 1 recebera a gratilicagfio cima, e se proles
Microscopios para ver sedulas, c""tra qufim tiver oCulw
Vendem-se ua ra do Queimado, loja de;
Vi-i-v. vaTni- i. ">t r'.nr f-
V


Full Text

PAGE 1

—m •E —— Madama Ilidoux, modista franceza, narus. Nova n. 69, primeiro andar.* Tem a honn de innunciir o respeitivel C ublico, que se achira sempre m cata del1 un sortimunlo muito rieo de chapeos de seda esptim, turbantes, grinaldas, capellis, flore., plumas de todas is core, e ouIros qnicsquer enfeites decabeg pin baila e theatro, e timben) ae achar chapeos e florea promplos para luto, tudo pelo prego miis commodo. — Acha-se farlnha nova de SSSF, (de rami 11 lu; para vendar, nos armazens de ueane Koule & Companhia, no becoo deCongalves. — Manoel de Almeida Lopes, com cisa deconsiguago para comprar e vender esera vos, tanto para esta provnola, como para fura della, mudou • sua residencia da ra da Cadeia do Recite, n. 51, para a ra da Cacimba, n. II, aonde morn o flnado Exm. vigario. Brrelo,onde continua, oflerecendo-se toda a seguranza precisa para os meamos e bom tralamento. — Prscisa-se alugar urna prela escrava, para servico de muito pouc ramilla : na Ponte Velba n. 14. Mdame Koutiei. modista franceza na ra Nova n. 58, Novamenle acaba de receber pelo Cesar, ultimo navio vindo do Havre, um lindo sorlimento de fizendis francezis o tudo que ha de mais moderno cm Pars ; cbapeoa de seda de tudas as corea, ditos de palha do Italia aborto, muito bonitos,chapeoiinlios de seda redondos para meninos e meninas, fil de blondo branco borda Jo, dito preto de lindos pad-Ons, escomilha do todas as cores, bico de blonda os mais ricos, para babaJos e ornamentos de vestidos, dito de linho preto de todas as larguras, um lindo aorlimento de tranca e franja, tanto prelos como do cores, capellas de flores muito ricas o modernas, um grande sortimento de fitas de todas as qualidades, muito lindos manteletes de fil preto, chales, mantas, manteletes e capotinhosde seda do melhor gosto, chamaote preto, flores linas, manguitos de bico para senhora do mais moderno gosto.sHim r_i>_.i ..t.j.. ...n..t..k_. j~ ni. ferro no p ; quem o achar e quizer restituir ser recompensado, pos he bom coohocido al pelo fallar. -0 advogado Manoel Jos Pf reir de Mello, passou seu escriptorio para o sobrado n. SI, da ra Nova, segundo andar. b&99*4>399B99999%9B9 9 Paulo Galgnoux, lentist <* %  francez,offerece seu prest* • mi) ao publico para todos os %  mlsterea de sua pronsso >: 9 9 pode ser procurado" a qnall 9 quer bora eui sua casa, na # 9 ra largn do Rozarlo, n. 36, m 9 segundo andar. 9 *••*•••••••••••• 999 Hotel no Monteiro. Domingo, 16 do patsado, abrio-se este estabelecimento com as seguintef proporgoes: Bilhar e sorvete, aos domingos e dias sanos a tarde. %  Sala mobiliada e independente, para as familias, que indo a panseio quizerem descantar. Quartos preparados para dormida. Espagosa o bem arejada sala de janlar,, com capacidade.de servir I 40 pessoas. Soiti para recreio e passeio. Estribara e arranjos para cavallo. Comida mensaleavulso.preparain-sejan tares e prezuntos, aluga-se louga, vidros bandejas, etc. etc. Tudo por prego mullo rasoavel, e acntenles. Na casa de modas francezas, de fiuessard Millochau, no aterro da Boa-Vista n. i acaba-se de receber pelo Vernambuco ultimo navio vindo do Havre, um lin lo sortimento de modas de l'aris; como sejam -ricos chapeos de seda o do palha para senhoras, chapeos de montara,dito de palha para meninos emeninas, manlolheles o capotilhos de soda de cores e prelos, mantas e lencos de serla de retro'/, e de coros um lindo escoIhimento do bordados, cabecees, romeiros, camisinhase capotinhos de bico bordados, ricis fitas para cinto c chapeos, Dures linas para casamento eenfoiles de vestidos de baila quaes construidas na sua fabrica pdem ;emprnho, o director ten) conlraclado com competir com as fabricadas em paiz eo,um respeitivel sacerdote para ser o capcIlAo trangeiro, tanto eo prego como em qui¡do collegio, afirn de naos celebrar nos das lidade da material primas e mo d'obra do guara o scrilicio da misss,c->moi| licar tifet de todas as cores, collarinhos de flli les.luvis de pelica para senhora, onfeilespae bico bordados para senhora, plumas do| raasditas,pulceira de fil.s.trang.s e franjas cores e brancas paraenf.it-, maoguinhasj para vestido, e manlclhelos, esparlilhos !la sabor. Machinas devapor da melhorconstruccao Moendas docanna para engenhos de lodos Os tamaitos, movidas a vapor por agua ou animaes. Rodas d'agoa,moinbos de vento oserraas. Manejos independentes para cavallos. Rodas dentadas. AguilhOcs, bronzesechumaceiras. CavilhOes eparafusos de todos os tamanhos. Taixas.paroes.cri vos e boceas de fornalha. Moinhos de mandioca, movidos a m8o ou por animaes, e prensas para a dita. Chapas de fogao e fmos de farinha. Canos de ferro, torneiras de ferro e de bronze. Bombas para cacimba o de repuebo, movidas a m8o, por animaes ou vento. Guindastes, guinchse macacos. Prensas hydraulicas e de parafuso FerragenB para navios, carros o obras publicas. Columnas, varandas, grdese portes. Prensas de copiar cartas e sellar. Camas, carros do m&o e arados de ferros, ote etc. Alm da suporioridade das suas obras, ja geralmeote reconhecida, Bovrman & Me. Callum garantem a mais exacta conformidade com os moldes e dezenhos remettidos pelos senhures que se dignarem de fazero liles encolo Hiendas, a pi ovei l.ili lo a OCCaSBO para agradeccrem aos seus numerosos amigos e freguezes a preferencia com que teem sido por ellos honrados, e asseguram-lbvM que nao poupardo esfurcus e diligencia para continuarem a merecer sua conlianca, 99999999a^GQt9&99>99Htf de bico para senhora os mais modernos goslos, atacadores para botins de senhora, ricas luvas de pelica pira senhora o homom, bicos de linho verdadei'O, ricas romeiras bordadas, ricos loucados de senhora para bailes ou Diestro, luvas de linho verdadeiro nos, bicosegalOas do seda de cores, touca dos ricos para bailes o theatros, luvas de seda muito finas, emuitas outras fazendaa de gosto, que so vonderSo muilo em conta 2 barris com liquido de marca S. Apparecoram estes 2 barris no < >a i .<, hipara bo >im. Na mesma loja fazem-se ves-, dos por engao em um dos navios que salido de casamento, de baplisado, loucasde¡ guioa esse porto : quem sejulgarcom d¡uionino e de senhora, capotinhos ue todas¡ reilo aos meamos dirija-so ao ludo do Coras qualidades,-com perfeigSo e preco com-| poSanto loja do .Mis-amos n. 25, qui ahi modo; receb m-se todas os mezes figurinos| achira pessoa quo diga quem tomou coota. modernos, quo empresta a seus freguezes. Madama llosa Hardy, modista b.ezileira na ra Nova n. 34. Previne-se aos freguezes que recebeo pelo navio Pernambuco, um bello sorlimcnio de chrpos do seda frtnzida,o ligas de penacho e flores ; para senhoras o mocinhas do 6 at 12 anuos, lindissimos chapos de grosde aple Transidos a moda, de flores ou penachos, de abas grandes para menino del at 5 anuo, ricos capotilhos prelos o decores, modelos novos, o muito enfeitadus ; ricos chapeos de palba para senhora enfeitados e seni enfeites, chapcosnhos de palha para meninos e meninas, ricos cortes de seda bronca lavrada para noivas, veos c capellis; gros de aples furta-cores para vestidos e capotilhos, franjas o transas da mesma cor, para os entallar: na mesma loja tem um completo sorlimento de fazendasao uso das senhoras, ja annunciadas, e faz-sedeencommenda ven.ios, capolinho, e veslidinho do baplisado por prego cumniodo. Mobilias de aluguelAV1ZO SATISFACTORIO. O abaixoassignado agente do Dr, Brandretli, faz seiento ao resaeitavel publico 3 ue pelo briguo americano James Crosbij, o Boston entrado no corrento mez, recebeu novo provimento de pilulas vogetaes de seu proprio author; estas celebres pilulas, s3o recommendadas por milharcs de pessoas a quem ellas tem curado de phtisica, V COSSULTOBIO CHKTBAL HOMOOOPITBICO &f : fe 1 HK reas UIDCO. # Dcrigiao pelo Dr. Sabino Olegario lud_ O yero Pinko. j Ra do Trapiche Novo n. 15. 9 ^ Todos os dias uleisse dar.lo consultas < e remedios de grag aos pobres.desde 9 pola ni.nih'i, at as duas horas da tar&f ^ de. As correspondencias e imformafr; A. cues poder.lo ser dirigidas verbal(i-; fr mente, ou por escripto, devendo o 9 ¡ti' doente indicar prhmiro : o nume, a 9 t^ idade, estado, prolisso, ecoustitui-v 9 e.'oi ; tegundo: as molestias, que tem J $> tiJo, e us remedios lomados ; lercti9 0 i : a poca do apparecimenlo Ja 9 $ lestia actual, e descripco minuciosa, A 9 dos signaesousymploniasquesoffrer +. aos allumnosos beneficios espirituaes Religio christSa, em sna pureza, he, alen de sua eterna verdaile, instrumento civili.>ador por exc.lloncia. O director, vendo que dos instrumentos do msica o geralmenlo referido he o piano, e quo nem todos os aumnos so poderiam ipplicar i elle pela difficuldade e cusi do o possuirem, precurou, apezar de grandes sacrificios, que no seu collegio houvesse um ptimo e lurte piano panaquelles de seus alumnos que quizessem aprender esse instrumento, para o que havera 11 m mestre habilitado ; isto alem da musicavocal e instrumental qoe ja no curso dcsto anno so ensillara ¡n, A vista do tSe ree mii T las vantagens, o director espera morecer a conlianca dos Brs. paes de familia residentes fura da oidade, para os que fui em verdade principalmente estabefcido o collegio—Espirito-Santo. Os rcpnti los annuncios, pelos quaes o di'eclor ha feto conhecerau publico toda a utilidide e excelleocia do seu collegio, 0 dispensan) do ainda se oceupar desle assumpto sendo quo aquelle que melhor quizer se informar podo pesso lmenlo vei ilica-!o, indo a qualquer hura do dia ao mesmo collegio.cerlo de que tudo lheser franqueado ¡convenser-se-ha onl3o do que o director nSu he animado pelo desojo do lucro, nem seu tallo he imbair com sonoras palavras e estirados annuncius a crodulidada do respoitavel publico. Aproveitando ainda o ensejo, o director dirige suas despelidas por este anno nos seus allumnos o seus respailaveis paes, fazendo volus ao supremo arbitrio para quelhes conceJa prolongados, e venturosos dias. ~ A pessoa que quizer consultar ou tratar-so de molestias a gudssouch roicas, pode dirigir-so i ra larga do Rosario n. 30, aonesl i. y.i lindo o Cirugi3o Bernardo PeSALSA P ARRILHVDE BRISTOL SALSAIARBTLEIHAIS. A salla parrilha deUristo! data dosde 1839, e tem constantemente manlido sua reputaos, sem necessidado'de recorrer a pomposos annuncios de que as propneles de mrito podem despensir-se. Osucesso dol)r. Bristol tem provocado infinitas invejas, o entre outras, as dos Srs. A. II D. Sands, do New-York, preparadores e propriotarios da salsa pirrilha condecida pelo nomo de Sands. Estes scnhoressolicitroeui 1842 1 agencia de Salsa parrilha de Bristol, e como nlo o pudessem obter, fabiiearSo um imitacSode Bristol. Eis-aqui a carta que os Srs. A. R. D. Sands escreveram ao Dr. Bristol, no dia 20 de abril de 1812, e que seacha em nosso poder: Sr. Dr. C. C. Bristol. Bfalo, etc. 0 .Nossu apreciavel senhor. Em todo o aono passado temos vendido quantidades coisideraveis do oxtracto de salsaparrilhade vm. o pelo queouvimos dizer de suas virtudes aquellas que a tem osado, julganios quo a vonda da dita medicinase augmentar mullissirao. So Vm. quizer fazer um convenio comnosco cromus que nos resultarla multa vantngem, tanto a nos como a Vm. Temos muilo prazer que Vm. nos responda sobreest assumpto, e se Vm. vier a esta cidade daqui a um mei, ou ouusa semolliante, loriamos -muito prazer em o ver em nossa botica, ra do Fullon n. 79. Ficilo as ordens do Vm. seus seguros servidores'. (Assignados) A. R. D. Sinds. OOJWOLSA^. D'ARORA (J Mu I" e^ nni|innlii,i influencia, catarros, indigestfles, dispepcia, ¡ Respeitosamonte annunciam quo no seu oidores de cabega, dores ou pezo na nuca, tengo estabelecimento em Santo Amaro, que geralmente silo simptomas do apoples-'continu a fabricar, cun a reaior perfeigSo cia, iclericia, tabres intermitentes, billis, jo promplidSo, toda qualidado do machlnisc-c.ii tal 1 nas, fobro ainarella, e tuda a classo mo para o uso da agricultura, navegngo e de tabres, asma, gota, rheumatismo, entarmanufactura, o quo para maior commodo midades nervozas, dores no ligado, pleurcj e seus numerosos freguezes o do publico sia, debilidade interior, abatimento de es-'em geral, tem aberto em um dos grandes pililo, roturas, inflammag^s, inchagOes armazens do Sr. Mosquita na ra do Brum, dos olhos, accidentes, parlisis, hidropesa, atraz do arsenal de marinha, um bexig.i, sarampo, onfermiilades dos meni-| Deposito de machinas, nos: tossedo todaaclasse, clicas, cotaf0ns ru ¡ 1 as r noI |¡| 0gl ue ,t,belec¡monto. fa-morbus, dor de pedra, lombngas, des.nAl)i Mhlrao os com¡ ,„ dores u n completcrn, surdez, vagados de cabega, erisipela, sortimenlo de moendas do canna, com ulceras algulas do 30 annos, cancros, tumodM o¡) me „ 10 amenlos (B | gull8 dalles ores, inchagOes nos psepernas, elmorrefl or ,-| nMW de quo a experiencia de mas, arrpelo de pello, sonhos "orrivcis, muito9 |n 0j om moslra lo a necessidade. Alinram se mobilias comoletas ou uualPezdolli'S. to las as qualidades do drese Macn ¡ n s d 0 vapor de baila o altapresAUj g _' m : 88 SS^JSSL I molestias do mulhcres, como abatroeeM, lU ,o tWcta.i de lodo tamanho, tanto batidas, quer traste separado, tambom se1 alugami re|acha 0 gelc he um medicamonto inleicidoins em grande porgSo para bu os, ou raa)ent enufen; ,¡ vo pod endo applicar-so oficios; na ra Nova armizem de trastes do Pinto defronle da ra do S. Amaro. -• Pede-se so Sr Jos Carlos de Mendonga Vusconcellos, morador 00 Sul desta provincia, que se 0S0 tem jurado no pagara quem deve, pague a herdeira da fallecida D. Mariana Rodriguis de Jess, a quantia d>sois con tos o scenla c tantos mil res, principal ejuros de sua divida, contrahida, ha tantos annos, eassevera-se-lhe que se on.1o fizer promplamente saber que o seu assucarpassar por algum desgoslu nesta praga, o que o seu nome contina a ornar as pagiuas desta jornal. Banco de Pernambuco. ,„ como rund las, carros d mo, e ditos para pudendo app'icar-so conrtuzir formas de as9Ucar machinas para al as creancas recemnasidas ; uilimamonmnnilino nrensas oara dito, fornos tesotem.pplicado.aum.entermidado de ^¡ t ^^^Uh"A¡Vt^ engenho e donos de harcacas, ofmolesliasjulgadasencuraveis, do cuja ap0llam¡s a „ pro da construegilo, fundos ferecendo Ihe.s osen trapiche, llicplicagiiosii tem tirado 13o felizos resultareir do Carmo, que est promplo e oxercer sua faculdadoem qualquer hora. Para com as pessoas pobres se prestara grates, a pessoa que o queira consultar por escripto de qualquer uso a que perlenga, devera om termos claros o precisos declararas soguintcs principaes circumslancias. — Primeiro sua idade, ten: eramenlo, constituico, dobil 011 valetudinaria,so vigorosa ou sadia, hbitos, oceupago, accrescendu, so fur do sexo fominino, adeclaracSo do estado do suasregras, numero de llhos que tiver tilo, se Ibes dra de mamar; incommodos mais notavois nos seus partos; so grvida, do quintos mezes, qual o padecimouto ou mal que mais a affligia por semelhantemotivo. —Segundo o lugar do sua habitag3o, se hmido, ser -o, arcado ou ventoso, sujeilo a tabres ou outra ni i % %  da ic. — Terceiro so na familia tem apparocido casos do molestias por desposigSo hereditaria ou adquenda. — Quarto so doente de syphilis pela primeira, segunda ou mais vozes, cm que lempo o fui pela primeira vez, o lompo 011 intorvallo que mcdiou no sollrimenlo do urna s outras, quaes os principaes symptomas que entilo oxaerimontari, remedios &. do que usu, efi'oitos de irnl igo ou incommodo do usu demercuriu, ou outro qualquer remedio, da que so lembre Iho fon subministrado, o em quo doso. —Quinto so u mal de que procedentemente se trata, fr precodido.acompanhado ou seguido de algum outro accivente ou enfermiJado, qu-!r do origem di-ersa, quer procodente ila mesma syphilis. -Sexlo em fim, quaes os symptomas quer nnoffectivo padoeimcntode mal venreo ou outro qualquer desapparocersm, modelicaram-sa ou cxistem sem alterag.lo apreciavel, e que nana menos importa que a declaragSo do lempo da molestia, sua especia ou qiadade e curso al o memento da consulta, complicages sobre vindas o meios de de queso tem feito uso. Aviso ao commercio. abaixo assignado, rendeiro do Trapiche denominado Cunha dirige-se pelo presente ao corpo do commercio desta praca, aos Srs, de Portugal. tes.cont lldl.i: IIM MEMSAL. linas e o Supplemento a Recula Popular. ciaes, so compronu....... .Vai sabir a luz e ser reoetiido no proxicom a maior prestoza, perfeigSo, o exacta quelle genero, se i\ao ueixem llumdo com a cipacidade do suas of-!q Ue os condtizir. Cumprc, ischinismo, e pericia de seus ofi!-!^ ¡ntprpssndftt nn Irair i compromettem a fazer executar, essoas mteressaitas no tram que as ico d'a¡ mo paquete de Janeiro de 1852, um Boletim, conformilade com os mo lelos, ou dse„„„ ospecialmeiitedestinado para o Brasil, que nhos, o instrucgOes que Iho forom forneAdirecgScido Banco de Pernambuco conco „i e ra urna noticia resumida, mas exacta, cidas. linua a receber assignaturas para o m-smo,! j 0¡ ., closo|nciaeg do govern0( dsa sesses as pessoas que quizeiemassignar o devem dasc a araj e das principaes novidades de razerquantoantesalimdogoaiemdavnLiaboae prov ¡ ncli Uo Remo, al datada tagem da entrarem com o importe do suas publicaco. assigmturas nas prestarles que procrevem os estatutos, ce.rlns deque em principiando u mesmo ss suas openges, dahi em -lia uto aquellos que quizerem assunar, havendo ainda lugar, s o poderSo fazer, entrando I {.""" "mnT.u'cnTrBntir com o importe de suas accoes em dinhoiro ''o Bor i de cada fo ha n'elo paquete he de torrente m,z, para de novo comega-los eni a vis-a. Contina a estar patente a assigna-l ,„ „ po 2L' l c ro f 0 em Lisboa eaaoi he de 7 de aneirodo anno v.ndouro do 1852. 00tur.noescriplorio do Sr. Manoel Gongalvesi ""• m 0lU forto 0m UsM '' q '" eae rector mo pode delxar do aprove ar este da Silva: na ra da Cadeia n. 36, lodosos 0 !" „„,,.. rprob „ r Dolo Da(iue ie deve ens ''J, '. ara vender pblicos o verdadeiros dia, uleis .t meio d... M. J. de Olivoira ,! JSUSt ^y^.ll.^ t ^!T a ^?. •gradecimenlo_. aos p.e. de familia, que M secretario. COLLEGIO ESPIR1TO-SAMTO. Director, FRANCISCO DE SALES ALBQERQLE. O collegio Espirito Sanio, sito na ra do Satura regularmente um numero na ves>, do balrro da Bot .vin t „. U, hipora da partid, do paquete mglez para o venJo B lraba h do com a Je5 ejavel regula,'"• ,„ ridado durante o presento anno lectivo, tem Prego da assignatura por 12 nmeros do encnrrar oa seuj trabalhos no dia 20 do Caligrafa Na Ra do AragSo, n. i2, segundo andar, copia-sc com perfeic3o qualquer papel em muito boa letra e por preco commodo. -Preciza-se de um portuguez que seja perito em plantigOes de sitio, e saiba tirar formigas, quem estiver nestas circunstancias e quizer Irabilhar no sitio na traveasi do Remedio n. 21 entenda-se com sen proprietano, o Porteiro da Alfandega desta cidade, na niesm repartigSo que a vista da prova que dor desaber o que cima se desaja, c da i boa conducta &. &. traisr-se-he do ajuste. — Ni ra larga do Rozario n. 35, loja, se recebem escravos e oscravas para vender por commissSo tanto para a praga, malo, como para fura da provincia, lendo bom tralamento e segumnc preciss. — Quero precisar do um padiepara dizer as missas de natal nesta praga, ou fra pouco distante della : dirija-so 1 ra de Santa Hila n. 97, que se din quom be. AUengSc. N. O. Bieber ot Companhia, consignatarios dos navios abaixo mencionados, pedem as pessuas qne receberam a ordem, os volumes seguinles de declararen) seus nooies para se poder rec;ber os frotes dos ditos volunves : pelo briguo bamburguez Olinda, vindo de llambugo, um volume marca Ke M 11. 823, conlendo igulhis, carregidores Schl'uter & Maia K, e pela buca belga I.ouizi, viod. de Anloerpia marca D&C ni. 5,7. 15,15 l|2, 16 1|2-0-00, carregadores Steins & Gorard, 26 barricas, conlendo pregas. tS* Na dia 17 do crrante dcsapparecou da casa n. 52 da ra da Solcdade um papbalo grande muito manso com falla de mais de 1 unha nos dedos.o parte de correte de • mandar pagar.com a assignatura, a impor£ m connar .|| 10 K SBU5 nios paraserem Unciaprovaveldonnrle NaoseAkaaquanJ^.J^ nQ sau co||cgi0i p rn t, 0 r,indo-0 tia, porque o volume do Boletim depende des|a ar(e |a prompU coadjuvago qua do numero e importancia das noticias. tJ(j benjgnam( n t 8 p res t,ram ao seu nasceuQuem nao quizer abonar, com o valor da „ Ube fc eC ¡ Illenlo assignatura, importancia do porte, recepda su> 0 dlreclor tem conscienbera a rol ha pelos uavlos do vola, na mala rja de haYe f fcil0 lai | 0 qua ,uo esleve a seu do crrelo. „„,„ „ alcance para satisfoser a expeditiva do resA empresa da Revista Popular garante a pB ¡ laol pub |¡ C() pB | 0 que espera continuar publicagSo do Boletim por un) anno. b so ¡ ,. de sua ¡, ldu | gelU protegOo afianlr protegido proseguir sem limite^ cando-lheque no recuar ante obstculos As assignatur.s recebem-se, no Recito, a a Q ma|s comp |„| 0 deg empenho loja n. 40, da ra da Cadeia, e na casa n. 6 do¡) 8ado, loja de miudos junto a loja de cera n. 33. Bheles do Rio de Janeiro. Aos 20:000,000 de rs. Na loja da praca da Independencia n. 4, vendem-se bilhetes inteiros, meios, quartos, oitavos e vigsimos, a beneficio da i5. lotera das matrizes, que corre no dia a3 de dessmbro, e espera-se a lista no primeiro vapor. — Vendo-so uuia armagSo de vonda na ra de Santa Thoieza, a qual exislo oa casa n. 39, quo tem boas proporgOos para negocio por ser de esquina : a tratar na riboira da Boa-Vista, venda de Victorino. — Vendc-se urna taberna com poucos fundos no largo da Penha n. 10, a praso ou a dinheiro : quem a pretender dirija-so ao armazem do Juaquim Eilippo da eolia na ra do Azeite de Peixe n. 19. Pechicha. Vende-se na loja da ra do Crespo n. 10, pelo diminuto prego, brim do linho mesclado pan palito ecisac a 320 rs. o covado, palito de brim de linho a 5,000 ra., e casacis a 6,000 rs. muito bem feitis.lengos de cambraia de linho a 320 rs. cada um, chales de sedi %  5,000 rs.,seda furia cores para vostidoal,300 rs. o cuvado, e outras mullas fazendas por menos prego do que em outra qualquer parte. Molduras dourada de todas os larguras : vendem-se no armazem de Kallkmann lrmaos.rusda Cruz o 1 0. MUBILUS DE tfKUKO. Vendem-ae ricas mobilias de ferro, como canaps, mesas, cadeiras com braca c sem elle, e muitos outros objeclos de ferro : no armazem de Ralkmana limaos, na ra da Cruz n. 10. CANOS. Vendem-se em casa de Kalkmann Irmaos, na ra da Cruz n. 10, ricos pianos de Jacaranda, com excellentes vozes chegados ha pouco tempo. Cadeiras. Vondem-secadeiras para meninas; no armazem de K.lkmanu. irmaos, na ra da Cruz n. 10. Charutos de Uavana De superior qualidado i vendum-se no armazn de Kalkmann Irmaos, na ruada Cruz n. 10. Espelho de parede com ricas moldurus : vendem-se no armazem de Klkmaou Irmaos, ra da Cruz a10 Livros em branco. Vende-se em casa de Kalkmann Irmaos na ra da Cruz 11. 10, livros em branco chegados pelo ultimo navio. Sobrado em Goiaiiua. Ven le-se, muito em conta, um bonito sobrado sito oa ra do Meio, n. 58, avahado em a:oooooo, emo qual tem parte rsula Alaria das Virgens e sua irmaa Joaquina Alvesde Calva na .mportancia de io7,473 rs. quem pretender dirija se a caza de Kalkmann Irmaos, ra da Cruz, ti. 10. S Gantois Cailhetck Lompannia.J Continua-se a vender no deposito f 1 ;eral da ra di Cruz u. 52, o excelente e bom conceiluado rap areia 9 preta da fabrica de Cantois Pailhet & %  J Companhia da Babia, engrndese g 9 poquetasporgOes pelo prego estabe%  lecldo. S


xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ES2NOXXY4_0IW0G9 INGEST_TIME 2013-04-24T17:52:13Z PACKAGE AA00011611_07294
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES



PAGE 1

"Vnjio de Champagne, 8 superior qu.lidade : vende-se no arn-.aem K.lkmnou IrmBos Rui di Cruz, n. 10 Q -Vende-se an granJe sitio no lu Q gardo Mangutnho, que ficm defronte Q a Sos sitios dos Srs. Carneiros, com jj # grande casa de vivenda, de quqt.ro Q n agoas, grande senzalln, cocheira, n ¡i estriban., baixa decapim que susQ % lenta 3 a cavellos, grande cacimg ** ba, com bomba e tanque coberto X *J para banho bastantes arvoredos de J5* O fructo : na ru do Collegion. 16, seJjJ O gundo andar. • 0<¡>&9ooe o Moinhos de vento eom bombas de repucbo par* regar borlas d baixis decapim : vendem-se n fundigfio de Bowman & Me. Callum, na ra do licum ns. 6.8 e 10. Antigo deposito de cal virgem. Na ra do Trapiche, n. 17, nuiilo superior ca nova em pedra, cliegada ltimamente de Lisboa Tnixupura engenho. Na fundigfio de Trro da ra do Rrum, acha-se de receber un completo sortiincnto de luisas de 3 a 8 palmos de bocea, as quaas acliam-se a venda por prego commodo, e com promptidfio embarcam-se,ou carregam-so em carros sem despezas ao comprador. Vendem-se cera em velas fabricadas em Lisboa c no Rio de Janeiro, em caixas de sortidas, de 1 a 16 em libra, e tambera de um s tamaito, por menos preco do que em outra qualquer parte : trata-se no escriptorio de Machado & Finheiro, na ra do Vigario n. andar. POTASSA DA HUSS1A. — Yende-se um carro de quatro rodas, inuito leve, para um 011 doos cavallos: na cocheira. do Miguel Sougei no aterro da Boa Vista. — Vendem-se canarios de imperio, muito bons contadores, ebegados ltimamente do Porto pela barca Noss. Senhora da Boa Viagcm • no pateoda Santa Cruz n. 6. Diamantes pira vidraceiro. Chi'guu uina pequea pnrgllo de superior qoalidade : vende-se na ra do Trapiche Novo n. 16. — Vende-se superior farinha de mandioca de Santa Catharina, chegada ltimamente a bordo do patacho Eulerpe, Tundeado defronte do caes do Ramos : trala-se 1 a bordo do mesmo ou na ra do Apollo armatem n. 1 \. e na ra da Cruz armazera n. 33, com S Araujo. Armazera de louca vidrada. Como sejam : panellas, escarolas, lijellas, asadores, fregideir.s, papuiros, ulguidares, lallias pura doce, vasos para flores, jarros, quarlinhas, garrafas, copos, moriogues, resfriaderas ; ludo fino para resfriar agoa, balaios para meninasandarem, ditos para costura e compras, baldes de pinho, rndelas de todos os tamanhos : na ra da Cadeia do Recife 11. 8. Mocil di.~upri'i(M( •-. Na fundicSo de C. Starr & Companbia, ; em S.-Amaro, acham-se venda moendas 100 libras d e canna todas de ferro, de um modeloe ~4 ha construcgfio muilo superior Frezuntos Vendem-se prezuntos americanos, muito superiores o por barato prego : no caes da Alfandega, arniazem defronte da arvore. Farinha Fontana, .„.,',,,!„ chegada ltimamente: em casa de J, J. Tas.9, segunao SO j unior> „ a lua do Amorimn. 35. Fazendas pata senhora, por barato preco. Cambraias de salpicos brancos e de edr, a vara ; 560 rs, a Garlos liardy, ourives na Nova Papel para namorados. n. 3/|. Vend sa muito lindo papol ecapaa mu-! avisa • seus freguozes que acaba receber de t0 Parios pare, 0 1 S "nol railoi • ,P or i Pars om lindo sortimenlo de obras de ouro q<"> Prego .'80, 120, 160 e -200 rs. a fblha, doleidebomgoslo, consindoemadere-, l,mb Bm • ,m a COm au,darnos de eos pulceiras, allinetos e brincos sollos para l'P*' de n „ u Doni,u co !; es V M vcn 1 senhora o meninas, boloes de camisa, aneis dem T, 800 "'i PrvOque faz admirar : na para senhora e tem um sortimenlo deo-¡ r ua du Ouoimado loja da miudezas Junio a. bras ditas da trra, voode-se estas obras ror de cer.. n %  prego commodo : na mesma loja lem para vender eos ourives esmalte azul e preto,boa qualidade, cadillas francesas sqitidas, ferro de alimper solda^rm.gSo.scrote, torno de mSo e iassaricos, e pedra de desunir, O O Na ra do Crespo n. a3, O O Vendem-se cortes de casemiras, che B ados pelo ultimo navio viudo de ff.'il ffl2f2Jttl2"1 i. K> Frang, padiOes da proprios par* a festa, OOOOOOO0OGOOO Lufas para hornera e senhora. Vendem-se luvas do seda do cores que IMIIIO imitfio.s de pelica, o melhor que ba luvas pelu baratissimo preg.i de 1,800 rs,, ditas de pelica para homem e soohora que r su aflang ser da melhor qualidade quo pollo baver, pelo com molo prego de 1,000 rs.: estas luvas vendom-so por este prego, por¡ di .,1 lima moda R. tas de ditas pretas fechadas com dedos pa. <, mn r? r\l r senhora o homem a 500 rs. o par ; ditas HnAMM ll!1 "" %  s 0 1 deilos • 3*0 rs. o par : na ra wwww ,| 0 Q U ,.¡niad) loja do miudezas junto a de cera, n.33 Calcados a 760 rs. o par, quem deixar decoraprar, isto he para acabar : no aterro da Boa-Vista defroate da boneca.. Ha chegado rec lilemente urna grande quaiitidade dos melborea aapatOcs brancos que lem vindodo Aracaty, tanto para homem como para menino, quepor se dese-¡ jar acabar com dinheiro v¡sla,d-sea750 rs. o par, ditos de lustro a 9,500, rs. e da Bahia a 3,000 rs., e botins brancos, ditos de! filas e flores, cheias de amentloas com Manteletes o capolinhos. Os mais modernos manteletes, ca& polinhos e palitos pretos e de cores S) que ha no mercado vendem-se na loja 0 do sobrado amirello nosquatro canfg tos da ra do Qaeioiodo u. 29. Xarope do Bosque. O nico deposito contina a ser na botica de Jos Mana Congalves Ramos, na ra dos Quarteis n. 19, ao p do quarWI de polica, onde se vcmlem as garrafas a 5,500 rs. e meias a 3,000 rs a dlnheiro vista : sendo falso o que se vende em outrss boticas. IMPORTANTE PARA 6 PUBLICO. miudeziajuntoadecera n. 88, microscopios para ver fedulis, pelo diminuto oreen I de 1,500 rs. r 9 Flores francezs Vendem-se ramos da Dores francaia. muito superiores, pelo baratissimo Drer de 390, 500, 600, 800 e 1,000 rs. : na roa rt ¡ Queimado, luja de miudezas junto a de cer Franjas para cortinalos. I Ven Jem-se pegas de franjas com 15 viras fazenla multo superior, pelo baratissimo I prego de 3,000. 3,500 e .OOO rs.: na rulTc, Queimado, loja de miudezas junto a de cera Neto baratas para homem. Vendem-aa meias cruss para homem a 160 rs., ditas pioladas e azues a 160 rs ditai braocas a 1(0 rs., ditas muito linas 910 280 rs.: na ra do Queimado, loja de miudezas junto a de cera n. 33. Chapeos de Castor branco Na loja do sobrado amarello nos m quatro cantos da ra rio Queimado n • 99 vendom-se chapeos de castor • branco os mala finos e mais molerm nosjue aquUan apareci lo. Bom gosto. Para cura de phtisica em todos os seus _^__., differentns graos, quer motivada por constii Para senhoras. pages, tosse, asthmy, pleuris, escarrosdei Vendem-se cirteirinhas com aeulas dn sangue, dr de costados e peitos, palpitagfio todas as qualidides a 300 rs nalvlnh.,,. Ricas calimbas enhilad com lagos de „o ceragdo, coqueluche, bronchite, dr na 6 papis de .gulha, franc zas aw7, B mase flores, cheias de amendoas comella-,„,_.: ,„A, V ,. mn |ai¡ ,in. „,m„, ii..V.inT.8 i' lrancezis *•> r gudas.oplim.sp.rase darem de fest.s.pe.o fi&Z !" Mtatata ^ ; ¡ i l"tI fJ Tfl!i Phtisica bronchial. ;finaaegrossasa Ora. a m'iadinha. tezouEst. v.riedade da phtisica he geralmente r,nn 8 muit fina para costura completo sortimenlo de calg.dos francezesdetodasis qu.lid.des, lano para homem como para Sra.. meninos e meninas, cortes de tapete a 480 rs.; tudo por prego muito commodo affm de se appurar di nheiro, — Vende-se plvora ingleza em ltase barris, e tambem finissima, propria para copoleta : a tratar na travessa da Madre de Dos n. 5. A 2,5oo rs. o frasco. Doce de annanaz, superior qualidadc, proprio para presente no tempo da festa : vende-se na ra da Cadeia do Becife n. J3 c a5. — i'mii m.i 1 %  ;m, cutiloiro na Boa-Vista n. 16, tem a honra do previnirao publico, que acabo.i de receber pelo ultimo navio chogaW ripia ,1,. ruin ilm i mu hnmcm a consequencia de urna constipacSo deeprei i !" nciunaue ISa de todas as cores a 60 rs. a neis de cornalina para homem. M(ji A jnojpJO 0 s symplomis .sseme-¡ P" 0 '""". b.bados abarlos de liobo a 80,120, Vendem-se os muito dez.jaoos aneis de iham-soaosdo um defluxo commum, ouca-l e ,60 r9 -" var d 'to bordadoa a 200 rs. i'nriiii Un nirn ti ni une nulii hrulKhimiv tiro • ... iu*r*jlinao.ln >J*.(. .... > !•__ ..^ dit.sco.n lislrasdecra 3,000 rs., a d d p rsncll U ni novo sortimenlo do fazena 100 rs. • 1 %  I das (11 melhor qualida lo saber brides No armazera de Jo^ Teixeira Hasto na mi rio Trnmrlie n \n *' 500 rs com 8 'I a varas > e 6i0 r a asi, nartu OO liapICIie n. |7, dlt as francezs de bom gosto, a 56 ba para vender, nova e superior vara ¡ dit.sco.ii hsirasdecflra potassa da Hussia, chegada recenP<> com 8 vor.is; cassa preta Jo m -„i covaJo i cortes de cassas pinladas.a 2,000 o : f„| lleadjr dc prata.espuras ditas.armasdeeslemente. | cortes de chita com 12 covaos, a 1,920 e pu | et „ estribos etc etc. Previne igualmou. -VenJem-se velas de espermacete, em 1,800 rs. ; lencos do inissima cjmbraia de te aos sen | lures fumantes, que tambem revaias, de superior qualidade : em casa de linho, a 480. 560o 640; ditos de cambraia J.Keller & Compaohia : na ra da Cruz oude algoJ.lo com bico, a440rs. ; zuarlesdej mero 55. cor muito cncorpados, a 200 rs. ; dito Principios ceraes de economia puazues com 4 I layaras, a 200 rs.; e algodfio ir -^J...-:-! transado com listras, a 180 rs. : na ra do Crespn. 6. Mu-1 e industrial. Vnnde-se este compendio, approvado para as aulas de primeiras letras, a 480 rs.: na praga da Independencia, livraria n. 6 c 8. Casa de commisso de escravos. — Vende-se em casi de Adamsoa llowie ck Conipanhia, na ra do Trapiche n. 43 panno de Vendem-se escravos e recebemalgodao para saceos de assucar se de commissao, tanto para a promuito superior e barato, vincia como para lora della, para Velas de carnauba era libras. o que se olcrece muitas garantias Vendem-se velas de carnauba imitando espermaceto : na loja do sleiro da ra da aseusdonos : narua da Cacimba Cadeia do Recife n. 36. Para jardins. M. D. Rodrigcs na ra do Trapiche n. 26, Dep n. 11, primeiro andar. psito de cal e potassa. No armazem da ra da Cadeia do Uecife n. 11, ha muito superior cal de Lisboa, era pedra, assira como potassa chegada ltimamente, a i tecos muito rasoaveis. Deposito de cal virgem. Cunda & Amorini, vendem barris com cal em pedra, chegada ltimamente de Lisbo, na barca Marg.rida, por menos prego do quu em outra qualquer parte: na ra da Cadeia do Recife n. 50. AGENCIA da futid icao Low-Moor. RA DA SE.ZALLA NOVA N. 42. recebeu urna completa collecgo do adornos para jardins, composla de vasos de louga, brancos piulados de todos os tamaitos e modullos. Kigures repiesenlando as cslagoosdo anno, as partos do Globo o lodos os tfeoses da fbula, que recommonda a quem tiver bom gosto, o porpregos muito resoaveis. DE VE BES DOS 1IOMENS, a 5oo rs. Vende-se este compendio aprovado para as aulas, cm mcia onradernago, a 500 rs C2da un: na livraria u. 6 c 8, da praga da Independencia. — Vende-se vinho de champanhe legitimo e dc superior qualidade ¡ em ca.^a de J. Keller & Neste estaiieleeimento conti. oa ahaverum completo sortiCompanbia, na rita da Cruz n.5^. • — Vende-se a bordo do brigue Rufina, ment de moendas O meias moenfondeado derronta do caes do Collegio, boa das para engenho, machinas de farinha de Santa Catharina, em porgOes: vapor, e taixas de ferro batido e coado, de todos os tamanhos, pa-, ra dito. Agencia de Edwin Maw. Sa ra de Apollo n. ti, armaiem de Me. CalluontSc Companhia, acha-se coniianleiiteotc bons aortimeDios de taixa de ferro coado e batido, tanto rasa como fundas, moendas ineiras lodasde ferro para aminaes, agoa, ele, ditas para armar em madeira dc lodos 01 tamanhos e madellos o tnais moderno, machina horisootal para vapor, com forfa de 4 cavallo:, coucos, passadeiras de ferro estanliado trata-so a bordo, ou na ra da Cadeia 11. 39, com Atn.il 1111 lrm3os. Batatas do Porto, a 3ao rs. a arroba. Vendem-se balates muito boas, a 320 rs. a arroba : no armazem n. 19, da travossa da Madre de Dos. — Vende-se saces com superior colla,das fabricas do Rio Grande do S11I, o a prego commodo, no armazem, do Dias Ferreira ao pe da alfandega. A t tenca 0. Vendem-se superiores charutos regala, para caa de pulgar, por menos preco que oz de urna das melhores fabricas da Babia, em de cobre, escovent para navios, ferro ingle callas de 100 Charutos a 2,500 rs. cada uma; lantoem barras como em arcos folhas.e tudo sSo chegadS de prjimo : na ra do Trapor barato preco. piche Novo n. 26. — Vendem-se relogtos de ouo^OOOOOO ro eprata, patente inglez : narua 9 Ven,, e -so na loja Pemambucana da j„ v„_ -11 M t ,0 ruado Crespo 11. 11, superiores cha da benzalla Nova n. /¡i. g f6oi ¡UIlill ^ ,, u ui „ BU wu Arados de ferro. dos para meninos do ambos as seos. Q Vendem-se arados de diversos'00>0$>CO modelos, assim como americanos! .. vende-so champagne da marca amiga com cambao de sicupira e bracos' e bem condecida, Comet, em casa de Deano YulecV Litmpui.liiii : na run da (.adela. — Vende-se, traspassa-se, ou do! da ferro : na fundir^ao da ra Brum ns. 6, 8 e 10. Bombas de ferro. Vendem-se bombas de repuxo, pndulas e picota para cacimba : na ra do Brum ns. 6, 8 e 10, ftmdicao de ierro. Arados de ferro. Na fundigSo da Aurora, em S. Amaro, veudom-se arados de ferro de diverso modelos. cebou do dopositoda manufactura franceza, cxccllenle fumo, a 1,280 a libra ; que nata deixar a desej.r pelo seu bom gosto,a quem souber approvetl.r-se da bella occasiSo que se Ibes proporciona de o siborearem. I.uvas de pec. para senhora, 8 1,000 rs. Ven lem-se na ra doQueimad n. 16, loja de miudezas. — Vendom-se na ra do Queimado n. 19, cortes do vertidos com barra a 4,000 rs.; veoham ver a fnzenda antes que se acabe, que la/, admirar fazenda por esle prego. -Vende-se a padaria nova do .Manguinho com todos os sens pertencos : quem a prelednder dinja-sea mesma. — Vondem-s i 3 negrotas do idado 20 anuos, iiiuilu lindas, engomoiam bem com perfeigSo, 1 dellas faz bem lavarinto; 2 mulatas de 22 anuos do idade, de bonitas figuras, engommam e cosiuham : na ra bireita n. 3. Dados de marfim. Vendem-se dados de roaifim, muito finos I na rita larga do llozario n. 20. Aos senliorcs de engenho e c; particulares. No arm.i/.cm do Sr Antonio Anuos no caos da tl.'andcga, vondo-se bacalhao de Noruega cm linas o melhor quo tem vmdo ¡1 este mercado superior inglez por ser corado com molhor sal, vende-se por 6,000 rs. a tina. — Vendem-se escravos barabaialissimo prego de 2,500, 4,000, e 4,500 rs.: na ra do Queimado loja de miudezas i junto a de cera, n 33 940 rs., runsima para homens pelo baratissimo pro go de 640 rs. : na ra do Queimado loja de miudezas junto a de cera. n. 33. Gasticaes dourados a i,5oo rs. o par. tharral; a espectoragSo he viscos., eipessa I var8 ''8 de seda para senhora a 200 rs. o e opacj, mas nSo amarellad., contendo pr-. P ar pentes abertos de b.leia para coco, fiticulas cinzent.s, que se desfazem em agua.' zen ,a multo superior a 300 rs., caixinhas da A proporgo que a molestia progride, a tos• mel al com 8rmpas a 100 rs., que s a o.ise augmenta e o muco viscoso pblegma v.i. Xlnlla .val o dlnheiro, tezourinhis inglesas se misturando cada vez mais com um nui'! n ma i*''"" au ? P ouo n er Pa uoh.sa r ... ;^ !" n^ .. -, R .;i. j n nq ..: n SD uiisiuiaiiuo caua vez uiats cun um IIUI-.„ -~~ • r—*' % %  • i#ai uuuas a irlir^lil i. .lint doam.uell.doque.ssemelbaaopusouma?*" e 80 "•• rico Bulheiros de vidro • Y ffin,„.? tiSSlIStto m,udelasD teria e alguna, vozes com p.quenos raios 200rs„ fioissimas mei branca par. so 2 A, junto ao deposito de po. ; de Em muUos en M torl | nhor. a 500 rs. o •-Na ra ova n. 5o, vendem-; c g 0 lem um. app.reDCia esbranqugada ,¡''tmente bom 1 se os seguintes gneros ultimaqueseussemelha aolelto, ealgumas vezos "„ a8 „ p "" d ente _. .. 1 •• • urna cor amarella esverdeada, que breve-' 5 OS0 est reito, tu mente Cliegados queijOS suissos menle sa desaz em agua. A principio, o i bops^gostos, brinquedos para meninos, fro. muito frescos a 56o rs.; dito franescravos tos, mocos e de bonitas figuras molecotcs, negros mocos, negras muito bonitas c mocas, tinas negrinhas dc 7 aunos, muito lindas, um ptimo sapateiro dc a5 annos de cortir e f-jzer qualquer obra ecz a64ors. ; londnno a 720 rs.; qtieijos flamengos muito novos e outros nimios gneros ltimamente recebidos ; assim como licor de marrasquino muito superior. Com dinheiro vista. Vonde-se em o atierro da Boa-Vista n. 43, o seguiote ; maitleiga ingleza di melhor 800 rs., dita franceza 640 rs., cha do melhor 2,000 rs.,dito 1,920 dito preto do melhor que lia ueste mercado a 1920 a libra, tem 3 embrulltos.cliinezes,o cmbrulbo por 640 rs.espermacclo 640 rs.,carnauba 280 rs., seva linda 160 rs.,ervilhas a 120,letria 160 rs,arroz pilado 80 rs. tapioca 80 rs, farinha de araruta 120 rs chocolate 32i) rs,assucar refinado pelo diminuto prego de 80 rs. a libra, e a 100 rs. milho 120 rs., arroz de casca 120 rs., li'ij .In molatinho 320 rs.,alpista 960 rs.,patngo 560 rs., azeite doce 480 rs. vinagre bom 80 rs., dito de Lisboa 140 rs.,queijos 800 rs., carne do sertSo 200 rs., Iinguigas do mesmo 200 rs., bolacinha ingleza 160 rs., caffii de erogo 140 rs., azeitonos 240 rs. a garrafa, e tudo mais por diminuto prego, de ludo sol mais vermelha do que no estado d amostras. Sao francezes Vendem-se na ra cstreita do Rozario.lrapara o Queimado n. 39. A superiores a 190 rs., bicos linos, liresverdeada, que breveg os estrello., fitas Unas lavradat d muito a. A principio, o i DOn K os tus, brinquedos para moninos, fro. pulso torna-se um ponco accelerado o tenso fos de todas as cores a 160 rs. a v.r, e ouparaatarde, e o calor da superficie do cor-1 tr s multas miudezas que se vendem por pov.ria 110 decurso do da estando algumasi P reco 1" e causa admiragSo : na ra do vezes cima e oulras abaixo da temperatura ¡ Queimado, n. bem condecida loja de miunatural. Durante a noute ha suores p.roezaajuDloade cer. n. 33. ciaes na cabega e no peito. Geralmente ha] ¡lita (MiI oll'O muila sede, so urina he muilo carregada e • h „„„ ,. deposita um copioso sedimento .vermelha, gW" "*i e de s e !" "rm.zem de do : qu.si sempreh. um. sens.gSo %  ---K.lltnrnin Irmllos. ra d a Crnz n. 10. sa no peito e pontadaspassageiras ; mas he raro quesesinta uina dr fiza no peito. A tosse ordin.tiamente pela m.iiba ao levantar da cama, sendo entilo a rospiragSo mais ou menos sibilante e acompanh.da de oppressSo no peito. Sa a molestia no heat -libada, a expectoragSo torna-se purulenta e extremamente copiosa. A debilidade e magreza augmentan! rpida menle; a diUlculdade de respirar e o peso eoppressSo no peito tornam-so cada vez maiores. o pulso j. lr¡1 rn ,,.,| ... m m „¡i_ X !" '..„„ be geralmente muito frequente. dando r.-''"" g "' f' tem 11 mull pequeo ras vezes menos de cento e viole pulsagOes 1 buco de barba e tilla multo mansa, por minuto. Pela manhs., o rosto esi orquando anda parece que n3o pisa dinanamente palltdoj porem para alarde •* t v. observa-se quasi sempre uma vermelhidfloi Dem cora OS calcannares, COStuma carregada n'uma, ou em amb.s as faces. A andar calcado e bem vestido, lehngua fica limpa e em muitos casos ssume „_„.,_„ I. 1 • urna apparenci. .asustador., torn.ndo-se ¡ vou um trocha de sua roupa, mEscravos u^idos. BOA GRATIF1GACAO'. Ausentou-se na noite* de 27 dc outubro passado o mulato Clcmentino, de ao annos de idade pouco mais ou menos, magro, alIJIIIIIII s francezs de divergas qualidades chegadas estes dias de Paris, tambem so ven le latas de aramia, biscoutinho falias. o mais ootras qualidades, tudo por prego commodo, oannuncianle pede ao respeiLvel publico, attengSo. ~ Vendc-se uma capa propria para o invento, cm bom esUdo, por prego commodo: a Iratar 110 liceo do Ouvidor n. 1, casa de alfaiate do Jos Kobcrto. — Vende-se urna armagflodo venda muito nova o a moderna, isso muito em coapela casi Qsgar un aluguel muito pequeo, ua ra de llortas n. 52 : a tratar na ra da Senzalla Nova, (averna n. 1, — Vendse um cavallo eastando, muito ,' gordo.com todos os andares c sem achaque algum: em Fura de Porlas na ra do IMlir n. 85. estado de sade. iclusive calca ejaqueta de panno Ha geralmente suores copiosos e fatigantes, fi nn a ,„i |_ J. _..:_ i_ durante, noute, n-esle periodo avangado da'/"i 0 • ,al e alem do mais algum molestia, e, u mno> que ella sej. atalhida,' ra I r.iiln, um par de borzegains par:rrh1aTnn\meX. a n,o d ru. tUrnOZelOS ^ 108 com bot5es d niadreperola tomo remedio para estaterrvel enfermibrancos, e consta que levara um d.do d. membrana bronchial, que zomb.,'cavallo, quu natinuil \ occasiao aquast seuipre da pericia dos mdicos, re1.. '.„ / commondaTi os proprielarios o uso deste ¡ lu r> ara 1 uaI t er n S Slgnaes sexaropo. Ilepormeio das suas qualida les 1 guintes : — castanho, barrigudo, alternativas e expectorantes que a cura se '.li„,. „.„ „ j eiTectu. Um. pessoaquesolTni destaespe-lf. 111188 P reta8 g ordo e tem um lacle de phtisica, logo que tomar o xarope co-. Iho em uma anca; he provavel que nhecor uma mud.ng. na expeclor.gSoe nucir nassarnnr fnrrn lu Imliri nos domissympotomas, e perseverando no! qUe,ra P a 8Sar por torro, he bolieiseuuso, guiando so pelas inslrucgOes, ver I ro e escravo de Luiz Antonio Olquea expecloragflo se torna abundante, che¡queira : quera O pesar lcve-0 a ra gando algumas vozes a ponto do assustar o! J /• %  „ r ., enfermo ; porem seu carador hesalular, u aa ^aea do lecite n. 21, que sea cura brevemente se opera. r recompensado. — Vende-so urna (arroga nova de sicupira sem boi: narua das Larangeiras 11. i4, segundo andar. Bita da Cruz n. 4o, primeiro andar. Vende-so superior fumo em fardos e muito barato. Lindas caixas de amenJo.s confeitadas. Na ra do QueimaJo n. 16, lija do miura do Trapiche Novo n. 18. dezas, vendem-se mu lindas catxos com a1 -Vende-se o suporior sebo do rimde mendoas confeitadas, por menos prego do carneiro capado, assim como uma porgo quo em outra qualquer parte. de peles de carneiro: no piteo do P.r.i/.o — Vendem-se bolinhos france" %  15zes, chcrados de prximo do lia"^ %  'SWff&BWfBW ," ,, >£) Vende-se na loja Pemambucana da r£j vre de brace no brigue Catar S ru do crespo n. 11, pu-a sedada B muito proprios para cha, pela sua W lindos pairees a 800 rs. o covado ; W _„ ai *.„ i-i r M asim como sedas escocesas a 500 rs.. MI excelente quai.dade e genumo paJ^m^m^ismm^mitmmmmm dar : na ra da Cruz do Reci— Vondem-so 2 cavallos, 1 rudado, e outro castanho, ambos bons andadores: n. ru. d. ConceigSo, na Boa-Vista 11. 60. Gravatas dc mol 1. Vendem-se superiores gravatas do mola, moihados n. 62, Martina & 4 Vendem-se e alugam-se bichas, che<4 %i gad.s ultin.ameiitodRlIamburgo,por 4 4B prego commodo: na ru. de S. Amaro .:* V n. 28. 4 farinha de mandioca. A mais uova e mais barata farinha de mandioca que ha no mercado, vende-se na roa da Cruz do Itecife, armazom n.13, de J0S0 Carlos Augusto da Silva. Deposito da fabrica de Todos os Santos na Babia. Vende-se, em casa deN. O. Beber& C., Da ra da Cruz n. 4, algodfio transado daquellar.br ica, muito proprio para saceos de assucar e roupa de escravos, por prego commodo. — Vendem-se selins e sillines inglezes, de couro de porco, da primeira qualidade: em casa de Adamson llowie & Companhia, na ra do Trapiche n. 4 2 faz-se qualquer outra transaeco com a loja, que foi do fallecido Jos l'into da l-'onseca e Silva, antiga loja de Guerra Silva & Companhia, na rita JNova n. II, a fallar com J. Keller & Companhia, na ra da Cruz n. 55. -Vendem-se amarras de ferro: na ra da Seuzaa nova 11. 42. --Vende-so cabos de linho e de manilha de todas as grossuras, c superior qualidade, chumbo em barra, s.cas com farello muito oovo por ler vindo pelo ultimo navio do Havre, cb.mpgnc muito superior, serveja em cestos de duzi, caixas de com latas com sardiuh.s em azeite, e ponnas d'ago muito boas : tudo por commodos pregos : narua do Trapicha novo n. 11. escriloriodeJ.lt. Lasserre & Companhia. — Vende-se oleo de Un haca cm botijas : a tratar com Manoel da Sil ua Santos, no caes da Alfandega, armazem do Anes. Vende-se cal virgem em pedra, Chegada recentemente de Lisboa, em ancoras muito bem scondectonadas e por prego muito commodo : no armazem de Silva Barroo, na ra do Trapiche Nuvo n. 19. Jarros de porcelana Km risa ilr I Kpllpr rW'.nmP ara rIores D el Uim,outo ureco de 3 > 000 —JLm casa ae J. neuer jOm-| fl 35u0 rs 0 pari figuras ull0 d0 tlo a 3f 1 fe, armazem de de 3Ianoel Francisco Irmao. ir Arlo de nadar. IM W Vende-se essa til invcngfio pelo diMI minuto prego de 6,000 rs. : na loja yf t? Pernanbucana, da ra do m n. 11. — Contina a vendor-sc maitleiga franceza, nova, a 560 rs.; dita ingleza, a640 rs. ; banba de porco, a 400 rs.; caf a 140 rs. ; cha, a 1,600, 1,920 e 2,400 rs. ; bolacf.inha inglezo, a 200 rs.; dita quadrada, a 240 rs. ; sevadinda.a 160 rs ; sevada, alOOrs. ; fariobi doMaranhSo, a 80 rs. ; passas a 280 propriaspara p.sseiosns sitios, pelo prego rs.; figos, a 200 rs. ; chocolate, a 320 rs. ; de 200 rs. cada uut. -. n. ra do Queimado, carnauba de 6 e 9 em libra, 280 rs.; esperloja de miudezas junto a de cera 11. 33. macote di 6 e 5 em libra, a 720 rs.; loucinho Bom e barato. de Lisboa, a 280 rs.; arroz do Maranhao. 80 ,%  „ „ „ „ ,^ rs.; linguigas, a 400 rs. ; paios, a 240 rs. : JS"?? 8 S !" p .". e "i m, ,9 S 5 ??. rs : serveja francezes venda iiov. ... ... mag pari Kuar ,| or u j nneiro „ i; 800 rs¡ cor r ecluncna. 1 renlea de ago para reiogios a 400 rs., lone' Vendem-se superiores batatas, a 500 rs. a tas linas de 2 vidros com mola a 1,000 rs., canastr., com o paso de uma arroba o lauto ditas de 1 vidro a 400 rs., fioissimos oculos de balitas, o cm libras, a 20 rs. : narua dearmagfiode ago a 1,000 rs li velas douDireita, venda n. 76 e 78. radas para c.lg. e coiete 200 rs., ditas Ue Salsa ¡agoa 40rs. : na ra do Queimado, loja de muito nova o superior, vinda no S.Saivador; niludezas junto a dc cera 11. 33. chumbo de munig.lo; massos do papelfio de todos os nmeros e em qualquer porgSo: na ru. do Trapiche n. 26, casa de M. Uuarle propri.s par. voltarete, pelo diminuto preRodrigues. 50 de600 r*. obaralho : na ra do QueimaSao muito lindos. I 0 0 loja de miudezas, junto aloja de cera Jarros de porcelana dourados proprios "' ., Aos senhores cavalleiros. Vendem-se chicotes superiores, pelo biIIIV.S de lio da quem pretender dirija-se a ¡ capunga no sitio de RomSo Antonio da Sil-¡ pretas e de cores, pelo diminuto pregod va Alcntara, ou no armazem de assuc.r no ¡ 2,000 rs.: na ra do Queimado, loja de miulargo do Pelourinho 11.507. j dezas junto a loja de cera n. 33. Fio iuglez Camisas de meia. De muilo superior qualidade e por prego Vendem-se camisas do meia, fazenda mu commodo, eni casa de Eduardo & Wyalt, na to superior, pelo baratissimo prego de 1,200 rs.: na ru. do Queimado, loja de miudezas junto a loja de cera n. 33. Fara criancas. Vendem-se touquinh.s de soda preta, pelo baratissimo prego de 320rs.; maracaes dn metal, que locam de varias maoeiras, pelo baratissimo prego de 200 e 100 rs.: n. ru. do Queimado, loja de miudezas junto a loja dd cera n. 33. Capachos baratos. Vendxm-se capachos grandes c muito su periores, pelo baratissimo prego de 790 rs. oa ru. do Queimado, loja de miudezas junto a loja de cera n. 33. irocam-se as imagens seguintes Santo Antonio 4,000 rs., S. Luiz rei da Frange 4,000 rs S. Benedicto 3,000 rs S. Manoel da Paciencia 3,000 rs., S. Francisco 4,000 rs S. Paulo 4,000 rs., Santa Barbara 3,000 rs., N. S. da Soledade 3,000 rs., S. Jofio Baplista 2 e 3,000 rs., Sania Apolonia 3,000; na ra do Queimado, loja de miudezas junto a de cera 11. 33. Bicas estampas de Santos. N. S. da Penha, Santa Luzia, S. Jofio Baplsta, Santo Ambrozio, Santa Marta, S. Domingos, S. Inocencio, Santa Tilla, imagem milagrosa, Santa Filicidade, N, S. do Rozarlo, Santa Amelia, S. Marcos, Santa Victoria, Nascmienlo .'o moiiiuo Dos, S. Rodrigues, N. S. do Pillar, Santa Fllomeoi.S. Roque, S.uto Hilario, S, Luca, N. S. do Bom Soccorro, S. Guilberme, Santa Adeli, S. Martlnho, N. S. daSaude, o Sagrado Goragfio de Mara, S. Christovfio, S. Antonio do Padera, .Santa Clementina, AsseogSo de N. Senhora, N. S. da Lupa, Santa Wceliana, S. Bento.Sant. Eufrazia, Santa Emilia, Sanla Virgem e Jess, S. Vctor, S. Lzaro, San tas ch.gas do Cbristo, Smta Cristina, S. Sebastifio, S. Pedro, N. S. da Gloria, S. Paulo, Sanio Angelo, N. S. do C.rmo, S. Joaquim, S. Carlos, S.gr.da Familia, S mt.t Julin. ; estas estampas sfio clorid.s e muito linas, o troc.m-se polo muito diminuto prego de 240 e 320 rs. cada urna : na ra do Queimado, loja de miudezas junto a de cera D* 33. Finissimas ^lavalhas. Vendem-se navalhas com cabos de marlim, os mais superiores quo se pode euconCheguern ao barato. Vendem-se na loja da ra do Crespo n. 10 de Ignacio Luiz do Brito Taborda, um completo sortimenlo de fazendas finas, propropiias para a festa, assim como palitos e cas.cas de brim de linho, tudo por menos prego de que em outra qualquer parle em virtu le de ler estado a sua loja fechada a mais de um moz, e par. se apurar dinheiro Crespo, {$ f.i-se todo negocio. Tintas paradesenho. Vendem-se caixinhas com tinta para desenlio pelo diminuto prego de 240 rs. : na ru. do Queimado, loja de miudozas junto a de cera n. 33. Fara quem passa a festa. Lindas lanlernas de papol de cores, muilo nmi ras 400 rs • uaios a 4in %  -. • enue-se nom papel aimago a 2.SU0 rs. ? irMOrs duza eauaosnimi resm.,dito de peso a 1.800 rs.. finissimas 'e, o l!onO rs* no a pa 0 te q o Ue d'o C Zlo, ETn *" ? f "^ ?" !" "ST^P ..„.,. o .niivi com chaves, fazenda muito superior, optino\a 11. ,„... .. .,. 1 ,. .1,. 1.., ... .. .„,,, H ..— Cartas finas para voltarete. Vendem-se caitas francezs muito Tinas, panilla, acha-se a venda vinagre[ rt.b p.r, lindos pezos para por sobre paratissimo prego de500rs branco, superior de barris de 3 medidas. n 33. iirnnro snnerior de Nantes. em'P eisa 500 2,0 0, 2 500 "• : n rDa do escocia, de varias cores, fazenda muito suC" !" D .'l, __j..,"_ i '""> "[Queimado loja de miudezas junto a do cera, penor, a 300 rs.: na ra do Queimado, loja — Desappareceu na tarde do da 13 do passado um escravo por nome Joaqun) tem os signaos seguintes: boa estatura, ropresenta ter 35 annos de id.de, falla desembaragadi, ps grandes, lem todos01 denles da frente, nariz chato, quando anda estala as juntas dos joelhos, levou camisa de algodfiosiobo branco, caiga do dito azul, este escravo foi do malo: quem o pegar leve-o a typograpbia imp.rci.l a fallir com a viuva Roma que ser recompensado. 5o,000 rs. De 15 para 16 de novembro de 1851 desappareceu do engenho Aguas Claras da llruc, da freguezia de Esc.ds, o escravo Venancio, de Angola, que muito p.roce crilo, idade 25. 38 anuos, cor fulla, bonita figura, altur. regular, cheio do eorpo, punas e dragos grogos, rosto gordo, o arredondado, testa grande, olhos grandes, e amortecidos, tem falta de muitos denles n. frente, do lado superior, poucos cabellos no hugn, equeizo, tem marcas dc chcela as costas, e de sorras nas n.digas, parece ser serio, e muilo humilde, (.11. com mutta m.nsidfio e rr.sl.do f.z-se; innocente, he cheg.do a furtos, e costu ma mudar de trage, ( por furto de roupa que faz) de mudar o uome, dizer-se forro, outr.s vozes procurando quem o ap.drmhe, ou quem o compre : levou camisa de madapolfio, caiga de brim trangado de listra pardas, ja desbotado, chapeo uzado de couro, cobertor grogo de listras azues escuras, e um f.cfio que tomou de ura muleque c.rreiro, do engenho Mocot. Este escravo passou pelos engenhos Aran l doSr. Manoel Feliz, Amparo e Mocot, h.vondo pedido os senhores dos dous ltimosengenhoscartas que o palrinhasS'i, em que foi salisfeto, e 11 fin obstante fugirlendo seguido p.ra o engenho Minhocas, d. donde prezuma-sa ler partido p.io o Birju da Madre de Dos, onde foi escravo do Sr. Cordeiro, conhecido porAb.de, quem pode-se o favor, de se cheg.r a seu coiihecimeoto a sua estad, ali, fazer apreeoder, remoller ou avisar a seu Sr., pnndo-o ueste caso oa cadeia, assim como roga qualquer quo o pegar, de lev.-lo ao dito engenho ao seu Sr. Antonio Carlos Pereira de Burgos Pooce de Len, ou na ra nireita u. 14 casa de Jos Pinto da Costa, que recebera gratilicagfio mencionada; e tambem pelo prozente protesta-so com todo rigor, contra qualquer qua o conservar em seu poder. 30,000 rs., de gratilicagfio. Desappareceu 00 da 15 de julho do corrente anno um muleque crioulo de nonte Paulino de id.de de 10 anuos pouco mais ou menos,cor amarelad. por ter victo de comer Ierra, naris chato e feio levou camisa de algodfiosinho suju e caiga da riscado, sem chapeo, esle ascr.vo pertence.o Sr. Automiudez.s, junto loja de cer. n. 33. trar om navalhas, pelo "ridiculo preco de¡ n Jacioloda Silvetr. de Uua ; quem o pe4,000 rs. o estojo com 2 navalhas • na ra¡" ,r |jVe rua *• <:cimba n. II ou a doQuoimado, loja de miudozas junto a de" ru Livramerfto n. 26segundo andar que cera n. 33. 1 recebera a gratilicagfio cima, e se proles Microscopios para ver sedulas, c "" tra qufim tiver oCulw Vendem-se ua ra do Queimado, loja de; VI-I-V. VATNII. • ">t r'.nr f•V



PAGE 1

Anno XXVII Terga-feira 23 de DezfMibro de 1851. N. 290. DIARIO DE m PERIVAMBim FBEOO A HCBOHIO.O. PiOAMiwro ADUNTADO. Por trimestre ••. .... 4/000 Por lemeitre • • • \, 8/000 Por anno 1 5/000 P00 DI.1TIO DUTIIMI1TU. Por quartel 4 /500 NOTICIA! DO IMPERIO Pari ilcDozbr Maraobio 7 de dito Cear... 10 de dito. Parahiba. 15 .le dito Unan... iSdeMovbr. S.Paulo. 10 dedito. lt. de 1.. II de Dezbr. 8abia... I de dito. DA. DA uniMt. 32 Seg. S. llano, rato, Ss Floro e Flavio. 23 Tere. S. Servulo. 24 Ouarl. S. Gregorio. 21. Qulnt. ** NasclineotodeN. SJ.i:. 6 Stit. ** l.Oitava. 27 Sab. *2. Oilava. 28 Dora. 3. Oitava. O Si. Innocentes inni. AUDIENCIA*. Juito dt Orpho 2. e5. s 10 horas. 1. varadn civil. 3. e6. ao meio-dia. Faxenia. 3. e8.il 10 horas. 2. vara do civel. 4. eaabadoa ao nielo, iaciio. Terca e libados. d. irHMirtElDn. Creicente 30, a I borne 55minuta* da oa ChciaaS, a I hora c 8 mininos da t. Mingoanle 15, ai 3 horas e 6 minutos da m. Nova 22, a 1 hora e U minutoi da.tarde. rniiHia DI noJ Primelra l 5 horas e 18 uiinutoi da manhaa. Segunda s 5 horas e 42 minutoa da tarde. rAUTIDAA DO! COBBSIO*. Golanna e Parahiba, s segundas e scilasfelrai. RIo-Grande-do-Worte.toda ai quInUl-felral aomeio dia. Garanbun e Bonito, 4 8 e 23. Boa-Viita, e Ftore, i IS c 28. Victoria, i quintas-friras. Olnda, todos oa diaa. NOTICIAS SSTBANOZIBA*. de Novbil Austria.. 2 de Novbr dedito Snlua. .. 2 de dito, dedito Suecia... 28 de Outbr dedito loglaterra 8deNoabr. de Outbr F..-Unidos 26 deOulbr. Portugal. IS Hespanha. 8 Franca... 8 Brlgica... i Italia.... 31 Alemanha. deNuvbr Pruisia ... 4 de dito. Dinamarca 29 de Outbr i;ii.>i.i. 28 de dito .„. Turqua. 18 de dito Montevideo 21 de Outbr Mxico... 15 de dito, California IS de dito Chlli. 8 de dito l'uenoi-A. 8 de Novbr AMBIO* BE 22 DI DEZCMBBO. Sobre Londres, a 28 i|2 e JS i|4 d. p. 1/ %  Pars, 330 por Ir. • Lisboa, 90 por cento. METAEJ. Ouro.—Oncas hesnanholai.... a Hoeda de 6/400 velhas. 16/000 a > de 6*400 novas. 16/1100 a de4/0C0 9/000 a Prata.—Paticei brasllelroi.. 1/910 a Pelos columnarloi... 1/920 a Ditos meilcanoi 1/710 a Firme 28/600 16/200 16/200 9/100 l/90 1/9J0 1/750 AOSSENMORES SUBSCRIPTORES DISTE DIARIO. Restando pouoos das para o fnn do quartel e sendo estes destinados testas, rogamos ao senhore assignantes que se achaui a dever s subscripcao quelram mandar-nos einbolcar de seus dbitos nos poucos das que restara antes de Natal. Estas quantlas que sao pequeas pa ra cada um subscriptor, tornain-se grandea pare nos que as temos de receber de alguns ; e fazendo todos.os exfbrcos para dar cumprlmento a nossos promessas, e tendo consciencia que a temos cumprido, justo be tejamos retribuidos. ERRATA. No expe liento do dia 16 do corrente, publicado ao Otarlo n. 287, noofllcio dirigido a psgadoria militara cerca do religioso Fre Louronco da Divina Pastora, em vez de 640,000 rs. leia-se 640 rs. PARTE OFFICIA L. 'TRIBUNAL'DA RELACiO'. SESSAO DE 20 DE DEZEMRRO D I 851. ¡'residencia do Exm Sr. constituir Azcvedo. As 10 horas da maohSi, estando presentes os Srs. deserobargadores Villares, Bastos, 1,'NIU, Ssuza, Rehollo, Luna Freir, Telles, I 1 reir Montoiro, Vallo e Gomes Itibeiro : o Sr, presidente declara abena a sessJo. JULQAMeNTOS. Appellanle, o juizo ; appollados, Ignacio Jos Gomes e outro.—Mandaratn a novo jury. Appellsnto, Manoel Joaquim dos Sanios; appellado, o juizo.—Julgaram improcedente a appellaco. Appellanle, Manuel Gamillo Pires ; appellados, Jos Piros Vianna e sua moltier, Reformaram asenteoca. DILIOBRCUS, Appellanle, ojoizo; appellado, Manoel do Nasciineuto Pontos.—Maoduram ouvir o Sr. desembirgador procurador da coroa. amses. Passaram do Sr. desembargador Bastos ao Sr. desembargador Ledo as seguintes appciljces em que sao : Appellanle, o juizo; appellado, JoSo Jos da Silva. Appellsute, a fizemla ; appellado, Manoel Jos do Araujo Costa. Appellanle, o Joizo; appellados, Carvalbo 4t Maia. Passaram do Sr. desembargador Rebollo ao Sr. desembargador Gomes Ribciro ss seguintes appellacOes em que sSo : Appellanle, Manoel Flix Bandeira; appellada, Mana Jos Ferreira de Sepulveda. Passaram do Sr. dosembargador Luna Freir ao Sr. desembargador Telles as segoiutos appellacoa om quesSo: Appellanles, Jo3o Bautista Pereira Lobo de Gusmao e outro; appellado, Manoel Claudio deQueiroz. Ao Sr. desembargador Pereira Montoiro as seguintes appellaeOesem que s3o: Ai .pellantes, e appellados, Uizilio Alves de Miranda Va reja o e Jo3o AICJUO llarboza. Passaram do Sr. dosembirgador Telles ao Sr. desembargador Pereira Monteiro as seguintes a(ipotlai, 's om que sao : Appellanle, lenlo Jos da Costa ; appellado, Jos Joaquim BezerraCivalcanli. Appellanle, Vicente Ferreira da Costa; appellado, Manoel de Souza Pareira. Ao Sr. desembargador Vallo as seguimos appellacOes eui que sao ¡ Appellanles, Pedro Jos Rodrigues e sua mullier; appellados,* Carlos Jos Gomes e outro. Passaram do Sr. descmbsrgador Poroira Muiiioiro ao Sr. desembargador Valle as seguiutes appellacOes om que s3o : Appellanle, o juizo; appellado, Antonio Jos de Andrade. Passaram do Sr. desembargador Valle ao Sr. desembargador Gomes Riboiro as seguintes appellac,oes em que sao : Appellanle, Maria ilraziliua de Oliveira; appellados, Carlos liento o oulros. Passaram do Sr. desembargador Gomes Itibeiro ao Sr. desembargador Villares as seguintes appellacOes em quesSo : Appellanto, o juizo; appellado, Manoel Rodrigues Ferreira de Mello. Appellanle,Marcelino Jos Lopes; appellado, Gutlbeme Soarcs Boteluo. UISTRUIUICOKS. Ao Sr. dcsembargidor Villares os seguintes aggravos em que sao: Aggravante, JnSn Vieira da Cunta : aggrava io, Francisco Jos da Costa. Ao Sr. desembargador Luna Freir os seguintes appellacOes em que sao : Appellanle, o juizo; appollado, Manoel Jos da Coila Reg. Lovantou -so a so ss3o depois do meio dia. Gommando das armas. Quarlcl general na cidade do Itecifi, 22 de dezvmbro de 1851. OI'.OM DO tu N. 46. Manda o Sr. marcchal decampo graduado AntonioGorra Sera, coiumandante das aunas dar publicidade para os flns convenientes, a imperial provisao de vinte deuoveiubroultimo que segu tranccripla, aqual Ihe foi por copla rcmellida pelo Exm. Sr. niarechal de campo commandanlc il.n. armas da corte na data de 25 do citado mei. Doin Pedro por graca de Dos e unnime acclamacao dos povos, Imperador constitucional e defensor perpetuo do Brasil. Faco laber i vos inarecbal de campo, commandanie das armas da corte, que tendo subido i inlnba augusta presen;! urna consulla ao conseibo supremo militar, datada de vlnte esete de outubro de 1848, a que mande proceder sobre o reiiuerimento de Hyglno Jos Cocido, major do segund i batalho de artllbaria a pe. pe lindo contar antiguidade de praca ; e conformando %  ue inlelramenie com o parecer do cooselho, e ao inafi que se ineeipot nadlti consulta, bei por bem, por miuba Immediata e imperial resoluco de 12 de maio de 1849 mandar declarar que o referido major dever contar sua auliguidadade de servlco desde 2o de marco de 1823, em que issentn praca no estincto regiment de arillharla da provincia de11'ernainbuco. Entendel-oe cumpri-o assim. S. M. o Imperador manilou pelos membros do conselbo supremo militar anadio assignados. -Jos Francisco do Amaral, a fez nesta cidade e corle do Blo de Jaueiro, aus vinte das do mes de novembro do anno do nascimento de Nosso Senhor Jesus Chrislo de 1851. E cu o couselhelro Manoel da Fonseca Mina e Silva, secretario de guerra, fliescrever c subscrevi. — Jos Joaquim de Lima e Silva— Joo Chrisostomo Callado.— Confu me— Agoslinliu Maria Piquet, ajudante d'ordens. Candido t*al Fsrrrira. Ajudante de ordena cnoariegado do detalla-, EXTERIOR. RIO DA. PRATA. Buenos Avres, 19 de novembro. Teve lugar uina scena, na quil punco faltou que nos visitemos livres do chefe supremo. Por motivos que sel c elle tambein, e que por agora he necessario calar, andava o bomem com a cabrea mullo dcsarranjada ¡ e els ahi que, sein dlier agoa val cahesein sentidos I Tiveramde levanta-lo seus neis escrivaes e.leva-lo para a cama, etc.; e ponho etc., porque Manuelita no quer que se diga o mais. J est bom, e nao seinquletem pois, apezar de ter ficado entre bilioso e Incerto, voltara asi, e le sahea campanha, os ares puros o reanimarSo. O general Paotwco sabio no da Ib para a Guardia de Lujan nomeado coinmandante em chefe interino do norte. Dias ante! de sua marcha leve ia ni he m de agoenlar os ruaos tratos do seu locio o chefe supremo. QuU dar-lhe alguns conselhos, e manifestar-lhe o mal que lasla com as ordens violentas que dava para chamar toda a classe de gente ao servlco, obrlgando-a a abandonar seus interesaos : com a ma organlsacao que dava, ou quera dar s forcas que nmu i, e com oulras medidas de guerra. Istoolfendeuoamor prnprio do chefe supremo, enfadou-se, e pouco faltou para dar em Pacheco com urna culona. P-lo pela porta fra e o meu general sahio cabisbaixo. Comtudo, os ditos conselhos prodiislram algum elleito, porque as ordens que depois a este respeitu tem dado tcm sido mais suaves. Porrni ja he larde. Na neitc de l7chegou um crrelo do julz de paz de Chascomas, avisando que, seguudo as ordens recebidas, foram chatnados cerca de 220 cvicos, porm que quando se Ibes deu ordem de marchar para o acampamento geral, todas recusaram abertamente, e a inalor parte passou para o outro lado. O juli de paz da capella del Seor pede reunir 57 homens que o deisaram depois da segunda varrida que Ihe fiscram, e segundo as ordena que recebcu marchou a poslar-se no porto de Campaua, a cinco legoas de s u ue, onde se acba, com instruefcs para que em caso de invaso ou ameaca de desembarque prximo se retire ¡inmediatamente sobre a guarda de Lujan, arrebanbando quanto vvenle encontrar no cam,nbo. Alguns tcmem, e crcio que o ebefe supremo tamben. Ir ni .cus recelos de que OS eavalhis do dllojulz de paz e companhia, assim como os dus mais ijiie vigiara a costa do norte, desde San Fernando at San Nicols, empaquein ao passar Urqulza, e que a retirada se faca, misturados com os de D. Justo. Sabe Dos se isto inesino j acconteceu ao oflicial da capitana, Soler, que com oulras balcciras foi despachado para o Paran a observar e levar carias para alguns cheles c ofticlaes que eslao boje com D, Justo. Coinoj tarda, nao falta quera suspeite que cncalliasse. I") Mansilla diz a sua mulhcr, c supponho que o ursino dir ascucuuhado, que desde San Pedro al S.n Nicols, tem reuuldos cerca de 4,000 homens, e que todos esto decididos. Como nao vi a carta, mas lia ouvi isto a um amigo, rico i-ni duvida .|i, uno aquillo a que riles eslo de i h .i.. c tambera se entre cases 4,000 eslao coinprehcndidos os ¡iimimcros habianlcs e milicianos que se acham us matos, pois se tambera falla dcstes ou os iuclue naquee numero, enlao sci intu bem a que lie que ellcs eslao decididos, Mandaram-sc 2,000 cavallos para Santa le, c repetcm-se as ordens a Echague ca SaulaColoina, para relirarem-se logo que D. Justo tentar passar, c a lodos os julzcs de paz, para que teiihaiu reunidas c bem guardadas ai cavalhadas dos seus respectivos julzados. Tudo isto, como V. suppor, ciiclic de cootenlaincnto, enlhuslaamoc dcd¡ca{aoaoshabilanlcsda campanha. Mandaran! se sommas grandes de inoeda cori rente com ordem de pagar sidos dobrados aos milicianos e tropa que aqu chamam veleraua. I A marcha dos Urasilelros para a Colonia e as Lias e viudas dos vapores poc o cliefc em consume vigilic todas as uoites. Teme, e cora raso, que se era uina dcllai, ou de madrugada, assouiem ellcs ah¡ por llarracas ou por Palerrao, u. ni a laco .ihn.i pessoa alguma de sua casa, ue ni para o defender, ncm para receber os hospedes, Mr. Soulhcra prepara-sc para partir justai ente quando o scu amigo D. Juan Manuel ais necessila dos seus conselhos. He puucu generoso abandoni-lo quando pode sobrevir a este paizcalamidade que lano tem trabalhado para evitar. Porm, fallaudo seriamente, sabe V. que a mu-sao de Mr. Southern tem sido em verdade dessasque accrcdilain a um ministro c %  um governo %  l'dc ser hornera de talento, porm no Rio da Prata o que lera mostrado he ouIra qualidadeque o destingue, e que anda nao ae liolia visto em agente publico. Nao tema o Brasil que Ihe iuvejeiuos o presente que, man. dando-lh'o, ibe faz lord Paluierston. — 24 de novembro. Ilecei.i-se nmito a [ni que haja inovimeutos prematuros sera se eslsr de accordo com Ur¡ quiza, e a julgar-sc pela impaciencia que domina lodos os nimos, he absolutamente necessario que a passagem para este lado do Paran se elleitiie proraplamenlc. Ha niuitos amigos cucarregados de fazerem conbecer approxiiuad imonio o lempo em que ella se deve realisar, para, desse modo, rcier-sc qualquer pronuncia,nenio antes de lempo. Trouxerara sele desertores, e levarara-os para o acampamento. Repilo-lhe, por mais que o Urillsh Pakit pretenda meller islo a ridiculo, que a c .uipauba formiga de desertores de todos os corpos, sein exceptuar os de Palermo, soldados que cus un os olhos da cara ao chele supremo. J libemos que a bandclra do commando de Soler foi detida pela Eulerpe, poslo que ha quera diga que Soler te fulapresentar, ou que se deixou tomar, seguudo as instrueces que levava, pora que catiisscm em poder dos Inlmlgos de chefe supremo unas resposlas ou carias fingidas que conduza. A procuso de San Marlinho nao se fer hontcm, domingo, por causa da indiiposlfo de Manuellla, sera cuja preseoca os lestejos ao Santo seriara nullos e de uenhum vahar. Cora cslajso Ires vetes que se suspeudeu a tal procissao do padroelro ; muto recelo que soffra as eventualidades daquclla mendagem que nao pode apresentar-se por causa do calor. Iloje deve sabir o'RIQeuiau para Montevideo e Rio de Janeiro. Pouco ou nada se demorar nesta. Dlz-se que oSr, Southern val no Prince, porque nao acha no RIQeman coimuodos sullicieutcs para a sua comiilva. Est inuilo deagostoso, < asslra o Mcdalhas e menedes hodorificas, 5.084. Destas couberam a lngletes, 2,039. A estrangeiros, 3,045. O dinheiro que a exhlblcao fez circular en Londres, pelot caminhos de ferro e nutras vias de communicaco, pode calcular-se do segrate modo : • Entradas naexhiblcao, 50 mllhes e meio de reales. • Os caminhoi de ferrs que vera a Londre ileraui nol cinco mezs mais que nos mesmos do anno anterior, 80 inilhdes de reales. H O producto de transportes da cosa visinha, em vapores, pode calcular-sc em cinco milbdes de reales. A despeza em Londres, suppondo que cada viajante csteve tres dias naquella capital, vlvendo econmicamente, c que o numero oellc foi de dous mllhes, produzuma souuna de 200 milhes de reales. %  Mal., 40 inilbes de reales, suppondo que cada um dos individuos, que lorain exposico de Londres, compiaram para seu uso ou de suas familias objeclos no valor de 20 reales. • Toial, 375 milhes de reales. o Por ultimo nao ser mullo suppr, que para eitasomma tenuam concorrido os cstrangeiros cora cera milhes de reales, Eis os resudados do moviinento i; .lo bom calculo. A exhibicao foi muilo til para a industria universa!: mas tambem fui uin negocio muito utll para os Ingleses. Souberam reunir o ulii ao sgradavel, a honra ao proveilo. O carcter nacional nao le desmenlio, calculista em tudo. a Os objeclos apresentadoi na exposicao universal de industria, acham-ie, em grande parte, venda em Londres ; Por alguns dos mais notaveis pelo leu mrito artstico, se deram precos muilo superiores ao seu valor. Todas as carroagens remctiidas dos Estados Unidos acharara compradores. Os movis da exposico austraca, que foram multo notaveis, nao se tcm podido vender, porque os expoentes nao i querera da-loa leno a quera compre urna colIccciio completa. Dol objeclos dimalacbites da exposico runa nao te tein vendido maii do que um dos vasos grandes i as portal nao tiveram comprador. Parece que quando voltarem Ruisia sero provavelraeute comprados pela imperalriz.que lem una magnilicos aposentos, cujos adoraos sao lodos de malachilei. u O principe Alberto dirigi ltimamente urna carta a cada um dos commissarios estrangeiros, agradeccndo-lbe os servicos que prestaran! exposico, e annunciaudo-lbes alera disto a la intencio de couceder a cada um dellei urna inedalha de ouro, acompanbada de (ira cerllicado • [ta Ui.) foi IIIIIH.IIIM dn riflo—quem n3o quor — %  t %  s mo agrada D'aqui nascom qucixas e lobo, lirga-llio a pello—; so tralei do cli'rduviJas, que-tO.s e pequems desrdeos, foi porque n.1o jnlgo joslos os previlegios[q UBCa da bin vai acabando conforme as leis face da constitoicao; omqoo, pois dosa-ijo paiz, ou passando adianto o que do oulei a bilis de S. S. ? Se lio sujeito aos/i/e [ rom recebcu, especifico dos esperta I hcs n.lotenho culpa, e Icia as nuiles de Youny, ptimas para essas mortificaces do espirito. Bista por hoje decavaco, e Dos nos livro de lornar qu -Mo. Temos algumas uovidados tltuyacs, o mais cedo do que pensava. A mes que Ih'as rolira previno-mo dizendu-lho, quo lli'ns cont taes quaes teom choK'idu a inoos ouvi los sein asseverar sua veraciJadu, o nem dolas duvidar. No Tab dous iinliviloos, em questes disparani-sa rociproc-iinente as armas, resultando da i .M; i he ¡i um morlo e outro feriilo, que pJe evalir-se. Parco que os hroes andam em justas o torneios entre si I Nao lie mal lembrado o expediente. Km Gonnhem dous mogos, amibos ¡olimos, sahiram cacada, e um dulles disparando contra um psssaro, omitou ocompinheiro, que tinlia feito uin rodeio, e por isso n3o ora vislo pelo companlieiro. O mais notavel lie que o tiro fra disparado para o chao em uin passaro -nainb,—pelo que julgo que alguma outra ciicumslancia occasionou aquello sinislro lastimoso. Eii o que tem occonido da minlia ulliuia para ca. N'aquella esqoecou-nie noticiii-llie, qoe no dia l¡ ass'Sli a orna representacao no —Apollo l'araliybano.— A decora<;ao c.-tava sofTrivol, e tambem alguns dos actores, nao issim oulros cultivadores, dizem ellos, do modernismo; po que ciitenJoran ser mais conveniente a promp a represalia, do quo gastar lempo iieiii luiprulicuas queixas. Ha all, como cm iodos os paizos civilis-.dos, plena liberdade, ou licenrja, do imineiisa, pela qual se discuten IUIO as quosIdas publicas, poriuo ussas su di-cute-j) n 11 conclaves, quinas, lavernas a b iticas, conformo os goslos d is publioistl, n3o a vida publica dos funi'.ciouarios pblicos, porquo dizem os polticos nao In prasor om tralacousas sabidas e muilo vislas ; mas siin u vila pii/ida, e essa enfoitada pela maledicencia, que all bonlong: do ser vicio ao ¡ Montevideo, 23 de outubro de 1851—( Asha dias a osle pcdindo-lhe conta do Infeliz (i llio, cobii'ido-o deinsultos.e passando depois a des li-l-M a baler-so com ella com att armas quo elle cscolhessr*. Tanto pode o imor materno Oribe pedio ios circunstantes que relirassem de sua presen?! aquella eitronu! mili. ( Diario do Rio Grande. ) — 11 de novembro. Tendo cessado os motivos quo obrigaram o governo dede Sua Msgestadn Imperial a chamars armas os cidadSos de quo be composta | briosa guarda nacional do Rio Gran !> %  do sul, lica V. me. autorisado para dispensar vfarrja de que he composta a brigada n seu mando. i Em meu nonio e do governo do Sua Magestado o Imperador, agradeca V. me. aos olficises, e guardas nacionis a prompli(18o com que deixaram seus lares para cudirom ao reclamo da palria, contando quo oulra vez se preslem com a mesma rapidez com que ullimamenlo se reunirn), so a honra o dignl lade da m 1 i;.lo exigir seus importantes servicos. No acto do dispen-ar a torca V. me. mandar apromlar os compelentes prets para que os guardas nacionaes sejain pagos de seus venc mantos al odia em quo lorom Jespelidos do se.vico e destacamento : O iUiiiaiiicnto deve sor arrecadidoe recolhido aos dopoiitos om que os corpos o receboram. Reos guardo a V. me. Qjarlol-genoral do commando em chote do exercilo cm contrario he una ligura oratoria, ou o concurso do muitos, conformo a paito quo a arlo lem na historia. lio um gosto ver a ancia com que sao procurados o dovoradus os jomaos mais acreditados uessu genero do elocuencia, e quanto mais acres mais vendareis. Soria risivel, so n-i fra na Coiii/nc/ii/iu onle a scioncia he igual e geral, voroarde importancia com que individuos, anda da classe hboriosa ( que all sao poucos, o ellas mesmos osoom rolacaoao pit) discutem, e decidera que tes de alU importancia nos logaros a discuss3o publica ; a libe.-daJo comquoappiovam, anda que pouCJS vezes, ed sapp.ovamconstantemente os actos da a liniuislrocao ; mas n'aquelle paiz tolo o cidadao como interessado no bomestar da socio lado, com-soberano, o do signado ) Conde de Caxftu — S'. coronel Manoel Lucas de olivoira, commandantt da brigada da res-rva. Conforme, Oliveiran — O vapor Imperador deve largar para Montevideo no da 13 ou 1* do corrente, c couduz nlm da iu nnnne, munidos, ele cerca de 10J o linios homens da arti¡ii H i i prussiana com oito bocas de fogo, licaii'loaindi aqu 3 bslorms, quo. seguirlo so ns circunstancias argirem. Vai cominandando esti barleia. segundo nos consta, o Sr. capitflo Adalboilo. — Cliegaram ja de Pdlotas 250 pracas alleaUes das quo ali so achavam. o o resto dove estar aqu muilo breve. — O Sr. coronel commandanto da gurnicao, que liavia ido a Pelotas, vollou uu dia immediato o acha-se j nesta ciisde. Ouaudo clicgou a Pelotas pasin urna rovisrmchiton, pois os homens nao goslam de mais a mais como sabio por presumpcao lota aarlilhana prussuna, que e aprasenlou .i-..-. ...u_ i- *.g,|, visto que por cssi presumpcao iifu he cora asseoe garbo militar. oxigidi essa qualidado como habllitaeo — ioraiii liontoiti cercadas pela pouna iniohas innocenlos obsoi'accs. Foi scena a peca— All'ronti i or alTronla—quo me nao pareceu m, assim houvesso melhor escollia nos individuos para os diversos caracteres quo devism reprosentar. O cnlromez—O DileUnti — obra do um nosso patricio, segundo me iuformim, e obra prima em sou genero, foi iiicont'stavelineHte be n desempenhado. Sei que devo o.-tar aneioso pelo resultado do meu sonho, o eu cstou muito arrepeudido de Ih'o haver contado, pois mo SSMVerOO urna beata qoe nao lio h MU contar os so nhos, porquo n3o s>rcali grande posar do rulo sub regulo elherea undo me sch'l p 0\Uldl CSSa llll.ni aauu *wois. ..-... — ,— ", %  -,. aiuda para os mais altos cargos, po le o doss casis Jos Srs. Dr. Jacinlho diSilvi Lena ve discutir seus interesses, c Clamar bolo Monool jse V.eira Lima, prouunciados, los os arraes do barco do estado quando vir aquelle como joiz, e esto como thesoureiro quo Ihe nao dcinvanientu rumo. doorpliHos, em r-zodo desfalque adiado lima erando vaiilagoin resulta ilessis disno compelenlento cofre, o ambos UomisiaOUSsOeS dos nuncios publi os, o lie a habdos desde varios inez s lilacao do lodos os individuos para e*rcir O 8S, Vieira Lima foi capturado na sin os cargos pblicos, para os quaes, sflgundo chcara onde eslava ; m is o Sr. Ur. Jacino pacto social, tolos, sein exopc3o, esto ino Lima mo podo sor adiado, e lom-sediItlbilitados, etcmi'ual dirtilo. lo quo so evadi ha dias ombarcido. PaTodoa os careos So do eleiofio popular, roce que um avi,o do niinisteno dajuslica — a.... „.;...._. ...... .mi—:. o sr. Vieira isatn, o cu tenho'e Uiiocti, na qual vota lodo o bicho-carda deu origem a esta diligencia. O Sr. ic ir umia s essa de seto innus pira cltni, sinds r mulheros Luna acm-se recolhido a pris.lo civil. ach-i para ver do ¡que n3o no lom sor votadas. Ni-nluim indi— \iinos una cuta escripti por pes, 14," ocordido, o ponto do visla que devo.viluo podo exorcer o car^o por mais de fazer este torrOo cheio de miserias; mas seis mezes, o nem |¡o sor reeleilo antes de ernlim he mal que nao tem cura, o ja quo dous antros depois do primeiro eiercioio; principiei vou ab lim. Iporque, di¡om ellos, so lio bom deve pasTondo, como Ihe diss*, reconhecido meulsar por lodos, companheiro quo eu pouco pescava da til NBo he roeonliccida a inliibililacn para geographia, principalmente do poleiro,' os cargos, ncm pelos maiorcs criiues, nom dlsse-me: aquello bello psi quo all vs pelo nio d.sninpeuho; pois, dizem os pohe o reino da Cochinchina, do qual talvez Uticos, ose inies o amnistalos polo sonunca lenhas ouvi Jo fallar. He o paii de Lorauo povo no acto da oleic.lo, c o mao mais emaiores velhacos quo o co cobre, desompeuho usco da filia dopralic.i eidaA sua forma do goveruo lio singular o de, quo om dous annos podo adquinrmonstrooss, sem nexo, uniiado ouaccilo; so. • mas isso mesmo convem aos mais sabidos Maraviliado estiva cu do quo ou *"> c para vivererc costa dos mais tolos N'atomav notas para fazer randas observaquello edilicio quo all vs habita chele ces ao meu companheiro, porque em versupremo do estado, ou como l chamam o da Jo me ntlo podia conforuiar con semeprimeiro cidadao, que, segundo o pacto soMunlo governo. moral o |egislc3o, (luann-.-l, bem so ple chaioiir — prejUiiipr;ao do me elle disse : tonlio-to da JO um cocontra algura esporlo amanto da patria,— nliccunento anda que supoilicial do goverirresponsavel polo actos porque o n,lo quino, legislaco o cosluaies do paiz, antes zeram responsibilisir, pois quorendn o soquo entre a cumprir o que te promdli, mis lloran.i podo fazo-lo, e cutio o manda pasobservo quo anda mo falla tratar da eduseiar e elego oulro, vislo que rcconheceni caeflo da moci Jado, quo nao ho menos sintoilos at como mysterio do fe, quo a sobogulr, pelo quo suspendo algumas rollerania nasce do povo, no quo em verdade xes quo lenhas a fazer al quo ou acabe elles loem carradas de ras3o. osla l¡c3o, o entilo na minha illia ouvire Aquell'outro edilicio lio das sesses dos 0 responder! a quinto mo quizeres obserconclaves, pois sabaras que all ha tres convar. claves, alto, baixo e medio, que fazom ns A' vista disto calei-me, resorvaudo-me leis; servindo o medio de (rambollio para para melhor occasiSo, para a qual tambeo neulralisar as pretencOts dos dous cxlrereservo o resto do meu sonho. pessoa le gran le oosiiSo, a outra da mesma jenreliin, i|uo diz assim om uin paragrapho : Coz-so um tratado cora o Estado Oriuotal, que seguio para Montevideo em dias do mez passado para s >r ratificado, no qual so estipula quo durmi 10 anuos continuar3o isentosdo direitus os charques de S. Servando, o quo em compensicao tambem liesria isenlo do todo o dir jilo o gado que passar para a nossa provincia, ole, ote. Tambem no mesmo tratado se reul3o os limites, aiiisi.iii ln --. %  que 11 { ti.ii por onde se achara; mas determinando melhor os lugares por onde passa a liaba divisoria, o Uando-seuos uns pontos as fozes dos riosf'.huy o Sebolaty, para podermos fazur efiectivaa exclusiva navogacoda !agoi Merin. ( Mo Grandcnse.) Jornal do Coininercio,) mos, quo representara nobreza o povo elasses que, como sabes, em todos os paizes andam em guorra viva. N3o te persuadas que s estes oonclaves podem legislar; nSo, o poder legislativo Saudo o felicidades. PERMAMBUCO Repartigo da Policia. PART no lili 16 DE DEZEMRBO. foram presos : ordem do delegado do primeiro districto deste termo, o porlugnoz Bernardo Alves Pinheiro Jnior, por crimo do furto, e Francisco Vicente, sem declararlo do mutivo ; a ordem do Subdelegado to da fregnezia de Sau l-'rei Pe Iro Goncalves % do Itecife, o Dinamarpucz Joaquim Banss, a requisi*;3o do rps^ochvn eonaalj o AmaricinosSIieadrocli W'illiam a Eiuard Brom, por briga, o PeJro Antonio dos Santos, para averiguacOes policiaos; ordom do subdelegado da froguozia do Santo Antonio Francisco Quirino das Chagas, por ebrio; a ordem do subdolegado da freguezia da San Jos, o criouio Jeremas Francisco Alves, por uso do armas ; o do nuBdolegado da fic^uezia da Boa-Vista, Ad3o, escravo de Domingos Caldas Pires Ferreira, para correcao. DEM DO DIA 17. Foram presos : ordem do chelo de polica, Manoel Francisco do AlmoiJa, para aveiiguaces policiaca; ordem do subdelegado da freguezia ue San Frci PeJro Goncilves, o piolo Joiquim, escravo do Amoriin & Irrailos; orden do subdelegado da freguezia de Santo Antonio, o criouio Victoriano, oscravo de Jos Autuuiu do jautos Coolho; e S do subdelegado da freguezia do San lose, o preto Zeferino, todos requisito de seus sonho 1 os. nio GRAMDE DOSLL. Rio Gran le, 6 de novembro. Montera, s 8 horas da noite, chegou de est distribuido por todas as autoridades, Pelotas o vapor hxpeculai¡ao, o por ello tivelinda as menores, que s3o os espies de mos carias lUli ato 5 do crrenlo, as quaes policia, e o nico a quem n3o lio permillinus rclalam o segrate caso: do esse poucachinho do legislativo, he o No dia primeiro do corrente desTtaprimeiro cidadUo, porque, dizem os politiram vinte e tantos soldados da arlilhana eos Cochincliinezes, ho muito oerigoso rprossianna, capitaneados por Uous sarma-lo de qualquer outro po lor, que ralo genios, levando loJos espadas o algumas o do assignar. pistolas. D'aqui j vs quo s3o lantas os leis qtisn O Sr. comniendador Joao Rodrigues tas ns canecas, o lie mais dillicil ser aqu Ribas, ciinniandaiilo sopporior da guarda gisperilo do que saber ler na China. nacional, deu ¡maiediilaiiK-n'.e as dovidas A roligiSo d'aquelles povos lie o scepllcisprovidencias, mandando o capitSu Fragata ..o, e s adoram o lo um corpreo. Seu com urna escolta de cavailaria da guarda primeiro dogma he nada crer. O egosmo nacional om seguirnento ; sabendo o Capllie o segundo. ¡toFragata quo elles tinham lmalos diSeu svstems psnsl heclehrn; n crimes receso de Cangoas,da prompto paro ali s3o punidos mis ou menos gravemente sedirigise, e os encontraran!; mandando o gundo as posses do criminoso; e todas as ( capitao dizer-lhesque so ontregassom, respenis s3o pecuniarias. Quando o condena.ponderara qne — Allomo pretera raorrer nado n.io lem meios dosatsfazer a pona ; quo entrogar-se — ; idizendo ossss palivai para orna pris3o por tantos das quantos vras, dorara alguns Iros sobre a genio do sao necessarios a prefazer a importancii da capitao, o correram a onlnnchcirarein-se pena na rasao de um tanto por dia aviliado em urna singa, dahi llzoram fogo por espapor arbitros, correndo o sustento por conla co do lempo, sem qoe a cavallarta a elles da paito queixosa. ; pudesse chegar. Quautoao civil ainda he melhor o syste-: Finalmente, ven lo o capitSo que a ma, porque o diieito he decidido nSo pelis civallo nada poda conseguir raindou por lado,, e e ,l "P* "" nses emais produeces de rbulas, mas p a t.rra e carregar sobre elos .do quo re^•'"em oublico hVdo smpela cpacil.de da bolea das parles, sullou raorre ora qualro soldados allera3es ¡¡.• tn ^j?; !" Aquella que miis vantagem offerecer mais e hcarom outros tantos contusos, Meando nsSo tem; o desta surte em duas hons, lambecn foridos tres guardis nacionoos, quando muito, decide-so urna quest3o quo o o lenle Clemenlino, que correu poem tua lorra consumira dous ou tros lon-'rigo. gos annos. Chegaram hontem 18 dosdisertores preA moral all he muito favoravel, e por issos, incluindo os foridos. so quasi todos sSo virtuosos, visto que; — 10 de novembro. poucis iccoes sio reconhecidas ms. O Foi-nos communica la urna carta de Monroubo sagaz e agudo, o furto ongenhoso, a tevido, ditada de 6 do corrente, e de suembriaguez e oulras bagitolas quo vos ou-'jeito muito fidedigno, que refere o • tros tomis o Irabalho de considerar vicios guinte • ou crimes sao all icces indilTerentcs ou dignas de encomios; e causara tinta emulicdlo como um desses actos quo l em vosCorrespotitlencia. ¡Ti IIEATItO DAI'OLLO E A ORCHESTRA. Srs. Redactores.— OlTondidos ora nossa honra pelo boato, que contra nos ha espaIhido, o feito espalhar o Sr. Guimaraes, pezar sobro nos nosso rigorozo dever justilicaraos nosso proced ment, hsvido com o Sr. CuimarSes na noite do dia 16 do correle, procedimento este lilho, uuicimentedoquoha pralicado com nosco o mesmo Sr. N3o revolveremos o passado, porque o nosso anhelo he 13o smeulo justiflcar porania o publico o nosso procedimento como I ja il s-o i.u-. Estando o Sr. GuimarSos ha muito atrazado nV'pagamenios pira com a orcheslra, e lornando-se esse atrszo mu sensivel, • ceilo lempo desla parte, e tendo t do oesse periodo um proceder digno (permitla-se-nos *m



PAGE 1

• expicssfi) di oais severa reprehendi nSo obstante i notn bonomil, o prudi-ncu soffrendo astim privages, pois vivemos de no-so trabalho, entendemos dever rivaliaar como mesmo Sr., assim dispostas, tendo todos un s pensar, una s volitado, no dia om que subi a scena —0 Ermitao da Serra de Cintia,— dirigimo nos ao metalo Sr., e Ihe (izemosvor as nossas circumstancias, accrescentaudo que deiejavamos ser pagos, e qoe receberiamos parle da quantia, de que eramos cradores, sa sor ventura nSo podessesaldar loda aconta, ao queresponilro uto amigo do Sr. Guimarfies, que podamos no dia segninte ir recebor em sua casa toda, ou parto da divida, concordamos, nao cumprindo porm esse Influente a sua palivra, sendo nos ainda urna outra voz victima de nossa sincerida le, resolvemos na primeira recita .quo se desse sermos mais turtos : o neste proposito, no primoiro espectculo pedimos o qje sa nos deyia, sob penada nSo locarmos; o Sr. Guimarfies, coro o director da orchestra, o mais alguna de nos, dirigio-seao Sr. /ebedeo, e pergunlou-lhe se lia va dioheiro, quo chegasse para a muzics, e respondendo o Sr. Zebedeo pela allirmativa, o[ditoSr. Guimarfies deoIheordem que eatregasse ao director da orchestra o dinheiro existente ; onnuimos: accabada' a ropresentacSo, Indo o director recebor o dinheiro como se havia conxavado, nSoo recebeo, dizendo-Dos que o Sr. Guimarfies j o havia recebido ; roceBor o que j Ihe n.io pertencia !! Enliio consi lerando nos o papel que faziamos protestamos repellir tanta benignida4e.... No dia 16 do crrante que linha de ir a scena—1>. Jofio do Maran, ua occasifio de principiar o cnsaio dirigimo-nos tolos ao Sr, Guimarfies, a exigimos a nossa divida, dizcnflb-Jhe que oslavomos decididos a nos retirar se nfio fossemossalisfeitos ; o Sr. Guimarfies asssoverou-nos que podamos insaiar, que elle ia buscar o dinheiro, pois j eslava contado om sua casa, esperamos, e operamos at meo-dia, e jamis apparecendo o Sr. Guimarfies, camprimos o que haviamos dito. NSo conseguindo rmn ; m o Sr. Guimarfies, durante o resto do dia, 5 principio da note, contraclar urna outra muzica, e chegadaa hora do ospectaculo, estando o theatro pleno, para arredar de si a censura publica { bem merecida), mand iu subir o panno, e ezspparecer o Sr. Cyrillo, que disse aos respeitaTeis espectadores, sem duvida por mandado do audaz Sr. Guimarfies, que tifio poda haver representado, pois que a orcheslra fazendo urna surprea, se havia vendido aos Germanistas; e quo tal! como sofIVer tanta impudencia da parte destesSrs..' quanto he prodigo o Sr. Guimarfies em menoscabar a honra alheia !! I. .. Julgamos ter Justificado o nosso procedor, eesperaraos do publico imparcial a devida justica ( o ate o presente dinheiro nicles. ; besprezauos qualquer resposta ecoburlada com o mionymo. Recite 20 de dezembro de 1831, Somos Srs. Itedactores sous constantes leitores ote Trajano Filippe Nery de Barcelos. Alexamlrino Pedro deSouza. Manoel l'ereira da Silva Serredello. Melquiedes Francisco da Cos. Malinas Antonio Gozar. Pedro Justino da Fonsoca Barrozo. Manoel Joaquim da Encaroigfio. Pedro Alexamlrino de Sales. Joaquim Feliciano. Joaquim Tefilo da Boa Mor i %  Jos Joaquim da Silva. Jacintho Kirrnino Nnnes. Antonio Francisco. Jos de Lima. Puhlicago a pedido. Resultado dos exames das alumnaa d'aula particular, do segundo andar do sobrado n. H na ra da cadea de S. Antonio. Dirigida por I). Umbclina Wandcrley Peixoto. No dia 20 de dezembro de 1851. Foramapprovidas plenamente as aluniuas seguintes: Hoza Cordeira Goncilrcs Braga, lilha do lllm. Sr. Manoel Jos Congalves Braga. Mara Emilia Sobreira de Mello, lidia do illiu. Sr. Emilio Xavier Sobreira do Mello. Olympia Lins de Barros, filha dolllin. Sr. Jos Candido de Barros. Maria Francisca Bizerra de Moli, filha da illin. Sra. 1). Maria da Purilicacao de Macodo. Maria Joaquina Celestina e llenriqueta Celestina, lilbas do Miro. Sr. Francisco Celestino. Guilhermina Wewhanse filha do lllm. ir. Guilhermo Wewhansem. Izabel Carolina Peixoto de Brito, filha do lllm. Sr. l)r. Flix Peixoto Brito de Mello. Foram premiados em virtude do art. 40 dos estatutos. Roza Cordeira Congalves Braga. Olympia Lins e Barros, Maria Emilia Sobreira de Mello, Maria Francisca Bizarra del Mello. Assistiram a osteactoos paos das alumnas. Discurri recitadu por D. mbelino Wanderley Peixoto, poroccazifio dos exames das suasalumnasnodia 20 do dezembro. Senhores. Um dever 13o santo como o ministerio que exerco me im;ema obrigagfio deagradecer-vos ne-te momento solemne a conlianca queem mim depositastes entregando aos meus dosvelos estes caros pinino es dos vossos corsgoes. A educaefio Srs lio urna segunda naturoza ; e IJOIIS on mos, como somos, devemo-loiquelles que nosdirigem os primoros passoa na carreira da vida. Verdade beque a educagSo quo a sociedade concede ao sexo frgil anda he assas acanhada ; com ludo, do intimo da minha alma, com a mais sincera expressflo da verdade assevorou-vos que tenho sempro empregado e hci de empregar todos os meus usforgos para infiltrar no lenro espirito 'le vossas liltias os santos principios da pieJade, as sublimes verdades da nossa augustia religifio e o sacrossanto amor filial, iilni do que um dia ellas sirvam do modelo as mfiis de familia. NSo tratei smente de Ihes desenvolver os sentimentos do coracSo; tambem tonlio procurado rnllivar-lhna inlelligencia, ministrando-lhes a leitura de obras escolbidas ose as provas porque ellas agora aesbam de passar nfio corresponden! a vossa paternal especlaliva, asseguro-vos que nfio be culpa minha nem ISo poucoda falta de cuidado denlas boas meninas: be o resultado do curto csaago que percorreinos. Todava, estnu certa que as sementes laucadas neisas anglicas organiaacOes, um dia bfio de biotar os fructos de delicias que lodos nos esperamos. Evos mirillas lilhas, a quem tenho consagrado urna parte da minha vi Ja, nSo despreseis as llgfles e conselhos que sempre vos tenho dado. Bem sei quo os pasatiempos e os olguodos sSo proprios da rossa idade' infantil, mais tamban eitou certa que nunca abandonareis os vossos serios trabalbos. I Bstanles prpvas me ha veis dado da vossa iipplicacSu, por Isso em qualidade, de vossa I mi espiritual, rogo-voscom tola a ternura do meu coraefio que vos nSo esquecaes dos vossos esludos. Descarregam hoje 93 de dezembro. Brigue portuguez Tanjo I — mercadorias o cebollas. Brigue inglez -Bunnymede — baaalbo. Brigu i Inglez —Batclutliar — dem. Brigue Inglez — Barkill — idom. Brigue brtsileiro — ConceieaS — barrica vasias. Importo, ,• %  Brigue portuguez Tarujol vindo de Lisboa, consignado a Manoel Joaquim Ramos e Silva, manifestou o seguinle: 26 pegas de cabo da lioho da Russia, 44 pipas, 4 meias ditas, 103 barris vinlio. 100 ditos cal, 17 caixotes cora em vollas, 40 anco otas azeitonas, 800 varas lagedo, 2000 mullios ceblas ; ao consignatario. 20 pipas 21 barris vinho ; a Jos dos Santos Pereira Jardim. 2 ditos dito, i caixinha perlonces para Igreja ; a Jofio Jos de Carvalho Moraes. 2 caixas livros e folbetos; a Miguel Jos Alvos. 28 pipas, 6 meias ditas, 36 barris vinho ; a Francisco Sevuriano Rabello & Filho. 1 caixote obras de lalfio, 1 encapado peeras Trame ; a Antonio Joaquim Vidal. 12 barris vinho; aDoane Youle & Companhia. 9 coi sotes fructas, 100 ancorlas azeitonas ; a Polycarpo Jos Layne. 1 fardo papol pautado para msica, 1 caxotinho bordos para violas ; a Jofio Jos da Cruz. 40 ciixinhas, 3 barricis fructas; a l.uiz Jos da Cusa Amoro). 10 pipas vinagro ; a Amorim limaos. 100 barris cal; a Jos Teixoira Bastos. 7 baircas cera em grum ; a Jos Pereira da Cunha. 3 dilr.s dila, 5 caixotes, 50 barris vinho ; aThomizd'Aquino Fonseca & Filho. 1 barril vinho : a G. Krugor. I dito azeitonas, 1 lata meias de algodSo e luvas do torcal; a F.Iiciano Jos Gomes. 30 caixotes fructas ; a Manuel Ignacio de Olivoira. 10 caixotes cera em vellas, 55 barris carnes salgadas, 12 barricas alpista, 60 ancoretas azeitonas ; a Machado & Pinhoro. 1 caixotnhoretroz; a Domingos Francisco Tavares. 2 latas inassa de tomates, 1 barril azeitonas, 1 embrulho doce, 1 saca com duas caxinhas fructas ; a Francisco Gomes de Uliveira. 50 barris cal, 6 caixotes ehapus; a Augusto Cezar de Abreu. 9 barricas, 6 caixas, 3 saceos, ospecies medicinaos o objectos para botica; a Vicente Jos do Brito. 25 volumes mobilia ; ao Dr. Sarment. 1 burro ; a Manoel Goncalvos da Silva. 1 caixotinho doce; a Domingos Alves Matbeus. 1 dito dito ; a Jos Riboiro de Brito. 1 dito dito ; a Jos Joaquim Pereira. 1 dito dito ; a Manoel Pereira Teixeira. Forado manifest. 2 caixas imagens, 1 fardo, 2 barricas, 1 caixoto, especies medicinaes. 3 barricassardinhas, 1 raixot livros, 1 dito rap, 4 saceos dinheiro, IC resteas ceblas, 2 saceos niilho, semeas o ferro pertencenle ao burro. Brigue inglez Barkhill, vindo dp TerraNnva consignado a Crabtree & Companhia manifestou o soguinlo : 2100 barricas bacalho; aos consignarlos. J)eelara<;oes. 2 a — Para ihlata C Cap D.I. .^ m i„i....• consliuido emuito vellelro, com bonscom „,w¡^ \. i IJ Ji ? ?" el0 ,e faz modo para passageiros; quem no mesmo publico para conheciDjea o de quem conquiercarregar oiirde 'p.ssagem. dir.ja-se VZ. ?5S ^SLm-r?- *f^' l,d 0, ? > •! %  d0 ^ or P Santon.2. primelroan"'"••"'• BOm,Bltri *'Pnoibi.-.a. ri j Barua da Madre de Dos, arm.zem ri?.1 P a ia B.I-IA ¡de Vicente Ferreira da Coala. •* I, ,Z M -!" il0 <>.eeUPari o Ass seguo viagem no dia 24 do V^V?i 0 l 0 r S r n T C 7^ 0,mp8rl d,ta ri crranle a galeota SS. Tnndade, quem na ( ode9 ii do orr ent ?.) u n 0 P <> r .c<>P' et* nrtsma quizer carregar ou ir de passagem, Lr.m HuEiT/ 0 9 | ^*" pr0,,ID0 dirija-se^ao esoriptorio de Francisco Alves ST!S *J5* d Te prliiclpiiir a execud a Cunha & companhia: na ra do Vicao do art. 28 da le n. 628 de 17.de setemRar ¡ 0 r bro ultimo que restabelece o porto de 10 ra a Bahia sane por estes 8 diasol A pessoa quo tiver. urna caza, que sirva • prioboso, de 40 tonelladas, bem para se eslabeloceruma venda,dinja-searu a corroios, 26 de novmbro^de 1851. Dr. Thoniaz Jos Pinto Se/queira, Sr. administrador do corrreio de Pernambuco. Conforme ofilolal P. Francisco Simo as da Silva. Tercira seclo.—Rio de Janeiro.— Minisques : quem no mesmo q carregar, ou hir de passagom e embarcar ascravos, pJe entender-se com o consignatario Luiz Jos de Sa Araujo, a ra da Cruz o. 33. — Para o Porto, segu com toda a brevidade, a barca portugueza Eipirito Santo,cateojos^negoclos dO j imporio em^ 25 de no-, pjLo JoSo Carlos Teixoira ; quem na mesma 'quizer carregar ou ir de passagem dirija-se ao eacripiorio de Francisco Alves da Cuaba & Companhia, na ra do Vigario. PARA O RIO DE JANEIRO. Sahe com a maior brevidade possivel por ter parte de seu carregament prompto, o veleiro brigue nacional Rio Ave : quem no me*mo quizer carregar, ir de passagem, para o que tem bons cominodos, ou embarcar escravos a frete entenda-se com o capitSo do mesmo brigue, Elias Jos Alves, na praca do C'ommcrcio, ou com os consignatarios Novaes & Companliia, na ra do Trapiche n. 34 — Para a Babia pretende seguir com muita brevidade o hiato brasileiro lAal o u>, mestra, Amonio Manoel ACfooso : quom no mesmo quizer carregar ou ir de passagem, pode eutender-se com o mesmo inestre, no trapichado algodSo, ou com S Araujo, na ra da Cruz n. 33. %  vamhio de 1851. Achando-se estabelecido pelo art. 28 da lei n. 628 de 17 de setembro ullimooporte do correio sobre as fallas peridicas na forma doarL 19 da lei o. 396 de 2 de setembro de 1846: Ha S. M. o I operador por bem que Vm. expeca as precisas ordens as administracOes dos correios de todas as provincias, para que do dia primeiro de Janeiro prximo futuro em dianta so comece nellas a arrecadar o mencionado porte.—Dos guarde a Vm.—Visconde de Monte-Alegre, Sr. director geral dos correios. Confer, Jos Dias da Cruz Lima. Conforme oflicial P. Francisco SimOes da Silva. — Pola delegada do primeiro districlo se faz publico que Tora aprehendida urna trouxa com urna porefio do roupa soja de hoaiem e senhora, om mfio de um individuo que ostava ebrio: quom se julgar com direilo dirija-se a mesma delegacia que provando, Ihe ser entregue. — s Srs. escrivSes de paz do primeiro e segundo districlo da freguezia de Santo Antonio, e do segundo das freguezias de Mu il' va, Vars'aa o JabaatSo, comparceam secretaria da cmara municipal do Recite a receberem os livros para nascimentose bitos, e passarom osnocessarios recibos. Ilrigue inglez llalclulha, vindo do TerraNova, consignado a Crabtree & Companhia, manifestou o seguinte : 2678 barricas bacalho, 78 tonelladas carvSode podra ; aos consignatarios. Vapor brasileiro Bahiana, v n lo dos portos do snl, consignado a agencia, manifestou o segninte : 2 caixas, 200 ditas charutos, 1 cesto ; a ordem. 1 fardo, 1 pacote, 1 canudo ; a Oliveira Paiva & Companhia. 1 eaixfio; a Chrisliniano & Irmllo. 1 pacote ; a Joaquim Jos do Amorim. 1 eaixfio ; a Joaquim de Oliveira Ma ia. 1 pBCote ; a Abreu Lima. 1 caixa ; a llego & Companhia. 2 jacases ; a Lino Jos do Castro e Araujo. 1 embrullm ; a J. Kcllor & Companhia. I eaixfio; a Manuel J. da Cunta MagaIhfies. 1 jocas ; a Custodio Jos do Rcgo. 1 • %  ITI.IIO ; a Eduardo Firmino da Silva. 1 caixa ; a Jos Pedro Vellozo da Silveira. 1 dita ; a Luiz Antonio de Siqueira. Brigue nacional Conceicfio, vindo da Bahia, consignado H Manoel Goncalves Guerra Jnior, manifestou o seguinle: 139 temos barricas vasias, 59 volumes ditas, 324 saccas fazenda, 1 caixfiu quadros, HOsaccas Caf, 170 rolos fumo, 13 caixas cha, 200 ditas sabfio, 75 meias barricas pota ssa ; a ordem. 1 caixa fazendas ; a Crocco & Companhia. i dita Icnsos de seda ; a Kalkmann Irmfios. I'\ ¡imliiiao. Msrselha, polaca franeeza Engene J?nny, de 213 tonelladas, condozio osnguinto: — 3000 saceos com 15000 arrobas do assucar. I lem, barca franeeza Saphir, de 261 tonelladas, conduzio o seguinle : — 3500 saceos com 17500 arrobas de ossucar. Philadelphia, brigue americano Brandyvrn, de235 tonelladas, condumio n segninte : %  • 2800 ssccos com 14000 arrobas de assucar. Boston, brigue americano James Crosby, de 263 tonelladas, conduzio o seguinle : — 2200 SBCCOS com 11000 arrobas de assucar e 80 tonelladas de ferro velliu. RECEBEOIUA DE RENDAS INTERNAS GERAES DE PERNAMBUCO. Rendimento do dia 22 492,433 CONSULADO PROVINCIAL. Rendimento do da 22 2 :478,883 Tlieatro de Apollo. Recita extraordinaria. Hoje, a3 de desembro de I85I subir com todo o brilhanlismo pela segunda vez scena, c ultima este anno, o maravilhoso e muito applaudido drama — D. JoSo de Maraa, ou a Queda de um Anjo — O director empresario nllianc ao respeitavel publico que, os intcrvallos serSo mais curtos, porque todo o iii;ii li i u i sino se acha j collocado nos seus lugares competentes ; e para que mais de pressa corra o expectaculo principiar>i'-li.i s 7 horas em ponto. JLeilao. •O corrector Miguel Carneiro, tai a o ultimo leilfio esto anno no seu armazetn na ra do Trapiche n. 40, torca-feira 23 do corrente as 9 11-• horas da manhSa, de diversos trastes novos e usados, pianos, mesas com ricas pedras, urna cadeira elstica com oslante para ler, selins e silhOos lustres, candieiros, quadros com estampas, louca, vidros, relogios, espingardas, e outros unntos objectos, que se se entregar por qualquer preco que lor orTorecidu : e adveite-se as pessoasque tlverem objectos com limites, de os virem tirar antes do dia do leilfio. do Rozarlo n. 44, qoe achara com quom tratar. • Do carro do Dr. Sarment desappircceu urna caixa de chapeo de homem com duas loucis da senhora, quem os tivor echado, pode entrega-las ao dito Dr.que pagar o seu valor. — Visto achar-se conoluido aquello negocio entre o Sr. Dr. Antonio Tristfio de Serpa Biando, e mais alguem, queira o mesmo Sr. mandar pelo seu procurador, ou por outra qualquer pessoa, ver o que falta, segundo o papel, que se Ihe raostrou na casa n. 66, da ra da Santa Cruz, defronte da ribeira da Boa-Vista. --A pessoa que tenJo.pratica de venda quizer receber todos os gneros para abrir urna casa em bom lugar, comprometendose a fizer a numrica dispeza da armaefio, conduccffo dos generos.cuja dispeza.abe-taacasi Ihe ser saptisfelta fazenJo-se-lhe vanlagein no seu bom ordenado], podo procu ar na ra do Rozario da Boa-Vista casa n. 44, que achara com quem tratar. —Prrcisa-se do urna ama de i lado capaz para servir em urna casa de pouca familia de portas a dentro : na ra da Santa Cruz 3? Dasappareceu no dia 21 do corrente, 17 horas da noute, urna escrava de ama Joaquina, creoula, que representa lor 20 annos, alta, bem feita do corpo, de bonita Ijgura, peso mfios grandes, e bem feitos, denles alunados, tem alguna pannos brancas no rosto, pescoco e peilos, levou vestido rOxo de chita, e lem urna lita rxa amarrada no pescoco, diz ser medida, est vaccinada a pouco, esta escrava quem a vondeu no, la praca.foi Joaquim Francisco Grangeiro, morador em Caruaru": quom a pegar leve-a ra das Larangeiras n. 14, segundo aodar, que se gratificar bem. £9 Hoga-so ao Sr. Joaquim Francisco Graugeiro, morador em Caruaru', quo caso appareca, por estes lugares, a escrava Joaquina, creoula, que representa ter 20 annos, a qiial o sr, vendou-a nosta praca a Jos Ignacio Arruda, com vunda na ra do Rangel, junto a bolica, faca o avor manda-la pegar, que anda fgida; roga-so mais o ravor de participar a pessoa que Ihe a vendeu o mesmo favor cima, que so ficar agradecido, alm de pagar-so todas as despezas que so Ozer : pJo mandar a escrava, na ra das Larangeiras n. 14, segundo -Precisa-sealugar urna negra captiva para cozinhar o eomprar em urna casado pouca familia : na ra do Trapiche u. 26. — Olfercce-so um sacerdote para dizor as — Preoisa-lt lugar urna ama pira u ma casa de pouca familha: na ra DiroiLa n. 63, oonfronle ao funiloiro. — Alu¡-se a loja n. i5, da'rua do Crespoj e garante-se o arr'endaiiicuto pelo lempo que convier a quem comprar a arUacSo da mesma loja : a tratar na ra da Cadein re S. Antonio n. 9. — Rog-se as autoridades policiseseao commandaute do lugislro do porto o aos capilfies de camoo, a captura do escrav creoulp, ror nomeTemothoodo Idalo .| e 17 annos, seco do corpo, altura regular cor preta, sem barba, vistoso, muito pros'ista • levando calca de castor de riscas e jaauula' dejiscadllllio dequadro verde, senloam bas pecastiovas, om folhs, e roup de seu uso : quem o pegar leve a ra daordom t.,reeira do S. Franciscorsobrado n. 10 ou praca da Independencia, loja de midezas n. 3, que ser recompensado,ou se dello der noticia certa. ^, O annunciante, tendo e'studado na Franca, medicina e Cirurgia, deo-se com especi.hdado aitedo partejar, o tambem a certas operaedes relativas ss molestias da vas ominaras como eslreitimentos pedras na bexiga, tumores ele.; lem comsigo os melhores instrumentos para parlo e lithot'icia, dos quaes alguna, nfio creie que entre nos tenham sido, nem geralmente coonecidos, nem conveniantemente manobrados Relativamente a certas molestias internas, o seus meios curativos — novas ideas oxistom na sciencia, das quaes o Biinunaiaiite j lizera meucfio na Baha, o oseera aqu lor oocasifio de dar-lhes pubi. cidado. Urna deltas be a diabeiis — ourinas doces — molestia, que os pathologistas tinliam errneamente classincado, masouo a physiologia do seculo veio pd-la fra de toda a duvida. Do resto Muvimento do porto. — tVara o l'orto, sahe impreterivelmenle, no dia a4 do corrente, a galera portugueza Bracharensc da qual lie capitao liodrigo Joaquim Correia,anda recebe alguma carga a frete e passageiros para os quaes tem excedentes commodos: quem na mesma quizer csrrcgar, ou ir de passagem, cntenda-se com o referido capillo, na praca do Commercio, ou com ¡Novaos & Companhia, na ra do TraCenova o Malga 42 dias, polaca sarda Ra• u. a l. a .|¡ m rnmn al n illa de 171 tmelladas, capilfio RaP ,cne n > Navios entrados no dia 22. Rio de Janeiro --15 dias, brigue portuguez Despique do Bciriz, de 277 tonelladas, capilfio Joaquim de Almeida Canario, equipagera i3, em iastro ; a Manoel Joaquim Ramos e Silva. Passageiros, Antouio Francisco dos Santos, Francisco Jos de Azevedo, Manoel loman los da Silva e J080 Joaquim do Souza. I'uhlicaco Iliteraria. Historia universal resumida. Para uso das e-colas dos Estados-Unidos da America do Norte, por Pedro Porley, traduzida 1 ara uso das escolas do Imperio do Brasil pelo deseinbargadorconselheiro Jos Riboiro. Este excellenle resumo acha-so nos prelos da capilal do imperio, e brevemente sahir a luz : subscreve-se nesls cidade do Recite na livraria n. 6 e 8 da praca da ludependencia a 5,000 rs. por cada exemplar 011cadernada. ELEMENTOS DE //omaopana. Saino a luz a segunda parte desla obra eomposta pelo professor homceopalhs Gosset Rimont. Recebem-se assignaturas para a obra inteiraa 6,000 rs., no cousultorio homceopathico da ra das Cruzes n. 28. De pois da publicarlo da tercira parte, o prego ser elevado a 8,000 rs. para aquelles que nSo tiverom assignado. No mesmo consultorio, acha-se a venda ludo quanto he necossario para o estudoea pratica da bomtcopathia, como seja : livros impressos para historias de doentes, regimens spropriados para a provincia de Pernambuco, e encarrega-se de mandar fornecer qualquer encommenda de medicamentos homceopathicos, tanto avulsos como em caixas, em glbulos como em tinturas. No prelo : — ?aihogenitia dos medicamentos brasileiros. Mementos de anatomae phisiologia com estampas, para os curiosos em homooopathia. Roga-se aos senhores assignantes o obsequio de mandar receber seus exemplares no consultorio bomceopstbico da rus das Cruzes n. 28. TRATANERTO 110MEOPATlllC. DAS MOLESTIAS VEMREAS, e conselhos aos doenles para se enrarom a si mesmo, sem precisarem de medico; pelo professor homceopatha Gosset-Bimont. Sabio a luz e acha-se a vonda no consultorio homceopallnco da ra das Cruzes n. 28, pelo prego de 1,000 rs. Avisos diversos. Avisos martimos. COMMERCIO. faeleno phael Bezzano, equipagem 12 'carga vi nho, macaos e mais gneros ; a Oliveira & Innaos. Traz 1 passageiro para os portos doSul dosis provincis. Navios sahldos no mamo dia. Barbadoes — briguo inglez Ceorge Robinson, capilfio John Boyes, em lastro. Para e porlos interino los -vapor brasileiro Bahians, commandante o primeiro lente Secundino Gonduz a seu bordo Jos Roberto de S Riboiro, Jos Ignacio de Brito, Jos Paulino llovnbullz, padre Leonardo A. M. Henrique9 e 3escravos, FilippedeS Albuquerque,Francisco Soares da Silva, Jos Mariano de Albuquerque, Sebastifio Gomes Bolfort, Joaquim Azevedo Pereira o sua familia, J. Pulienrb. 3a apresentarao no mesmo escriptorio as contas do referido navio. — Freta-se para qualquer porto do Mediterrneo o brigue inglez Salla-Rookh, capilfio Jofio Maciaravich : trala-se em casa de Manoel do Nascioiento Pereira, ra do Tradoclara piche o. 13, ou com o capillo na praca ou a bordo. Para o II io de Janeiro e Montevideo. Saho com multa brevidade o veleiro patacho brasileiro Bella Aila, por j ter metade da carga prompta para Montevideo: quem no mesmo quizer carregar para qualquer dos portos, ir de passagem ou embarcar escravos para o Rio de Jaueiro, dirija-se a ra ALKANIIECA. Rendimento do dia 29. Obierva¡ao. Itecolheu-se da commissfio s escuna lira'da Cruz 11. 40: a tratar com Manoel Alves sileira Lindoia, commandante Joaquim Al: Guerra Jnior, ou com o capilfio Manoel Jo26:192,384 ves Moreira. s de Sena Mariins ua praca do commercio — Desapparcceu no dia 3 do corrente niez urna preta de nome Maria, do nacalo Angola, qua representa ter a na.lo de 25annos,com os signaes seguinlcs: altura baixa, rosto redondo com marcas de bexigas, cor preta, peitos pequeos, falla um tanto fanhosa, ps chatos com alguns bichos ou marca dos mesmos, vendia 111 ra o lem siena) na cabega, cuja preta no dia quarta-feira, 17 do crreme, foi vista montada de ancas de um cava 11 J de matulo na ponto do mocotolomb, procuran lo a estrada do sul: roga-se a todas s autoridades e capillas de camao liajarii do a aproliender o levar na ra do Collegio n. 3, quo seram recompensados de seu trabalho. — O abaixo assignado tendo deparado com um annuncio inserto no Diario de Pernambuco de 15 do corrente em que se pe Je que ninguom faga negocio com a parda I sdia, o por tal modo foi dito annuncio concebido pelo miseravel delraior autor do tal pega que so deprehende ler o abaixo assignado fgido de Pedras do Fogo, lu laudo a diti parda, uo no para responder ao autor do annuncio a quem vota o mais solemne desprizo; mas para mostrar ao publico a quem respaila,a malvadeza desse quem quer que seja, que dirijo oslas duas linbas, declarando que a parda Isidia do quo se trata he escrava do abaixo assignado por Ihe haver locado na partilha dos bons do casal de seus (¡hado sogro Manoel Ferreira Lima, e sua mulher, tendo sido inventarente Vicente Jos de Souto, como ludo se pode ver dos documentos que se acham na repatigfioda polica desta cidade, e no cartorio do escrivfin Aodrade na cidade de Goianna. Aguarda a occasifio mais opportuna para minuciosa mente levar aoconhecimento do publico as tragas epalifarias de que tem o abaixo letrolo de Pernambuco : a pessoa que o achou quareudo azer o favor do restituir po le levar.ra Estrella do Rozario n. 16, seguudo andar, quo ser bem recompon7-5 0 ."? 2I do dez "mbro, ausontouso de casa de seu senh iras 8 horas da note. urna mulata de nome Maria, que representa ter 28 anuos do .dado, do estatura o corpo nf?J ¡ Ba \ CabBll c,xiad0 B cortado da r.ll ? %  c, f ,ac ,. um sigual de junco no brago diro.to; le.ou vestido do chita novo de madapolfio, e spalos do marroquim pre" lo : esta mulata foi escrava do Sr. Ferreira om 8. Gongallo, ojandou de tmSo, pelo que be muito conhecida no bairro da Boa\ista e passagom da Magdalena. Roga-se portantoas autoridades policaes o capitfies decampo, aaprehendam elevem na ra da Cadea do Rocife n. 37, segundo aodar. Madama Thflard modista franeeza • ruaNivan. 3s. nbor dascasisn.l 3 e!2 darua do Crespo nfio convlrcom quem quer que seja em seu airendamonto soiii que com elle ten 11111 dse enlenler quanto a sua paite. — Antonio de Oliveira Diniz tendo comprado a venda da ra do Pilar de Fora de Portas n. 84, de Ignacio Jos Rodrigues avisa aos credoresque direito tiverom a mesma venda para que no praso de 3 das contados de hoje eniend&o-se com elle apresentando suas contas. -Antonio Jos Riboiro Bastos, embarca E ira o Rio de Janeiro, os seus escravos, Sj-', astiao, pardo,o Joronymo, creoulo. avisa as suas froguezas o juntamente as pessoas de bom gosto quo acaba do receber oeio ultimo navio Cesar vindo de franga in lindo sortimento do chapous do seda para senboras o mais bonitos e de bom gosto que so pedem encontrar no-mercado, ditos de seda para meninas o meninos com penas e llores, ditos do p>lna da Italia onfeilado para meninos o meninas manteletes e capotiohos do soda e do cores para senhoras, veos para noivas, cabegOos do blondo ditos do fil de linho bordadas, romeiras de lilo branco guarnecidas do bico, capotinho de fil de Imito pretoi com bicos muito ricos e padres muito novos, esparrilhs de linho para Sra.. ditos de mola e sem costuras, cor. tes de vestidos furtacoros muito lindos e modornos, pontes de tartaruga para se pentear a Maria stuar, muilo lindos o ricos enoites para bailes dourados e prateads, dito* para tboatros e partidas, ludo do muito bom gosto.um longo sortimento do trang 11 brancas decoros e de lodas as larguras.franJs do cores e prctas.filas prctis de veludo para o bragoo pescogoja com li'ellinhas todas promtas.lcques de mar-de-porola lina e com as pinturas muito linas, illas de linho brancos e protos.luvas do polica para senrioras flores e plumas para entonos de cabega de senhora.capellas e grinaldas brancas e de cores e ouiras minias fazendas de modas, tulo ist 1 heescolhido om Paris por urna I das melhores modistas de bom gosto. — Aluga-se o segundo andar da casada ra da Cadeia de Santo Antonio n. I, conrromo a igroja deS. Francisco: a tratar na mesma ra n. 9, com Jofio da Cuuha Soares Guimarfies. — Precisi-so de um caixeiro|para venda : na ra da Madre do Doos n. 5. o annunciante s espers da benevolencia do publico, occasifio, em que com fados possa mostrar o resultado de suas fadigas, por tanto lempo e tfio assiduamento exercidas, na escola pratica de Pars, onde obtevo atteslados que muito Ihe honram. E o quo esteja a seu alcance para soccorrer a pobreza elle o far, j gratuitamente dando consultas em sua casi que serfio das 7 as 8 o mola horas da manhaa;j mesmo visitando gratis aos pobres que por ventura nfio posssm l ir ler no aterro da Boa-Vista, casa n. 34. — Dr. Carolmo F. de Lima Sanios. -O abaixo assignaJo, nSo he mais procurador da extincta companhia de Pernambuco e Parahyba.o mora na ra do Apollo 11 20, onde podo ser procurado sobre negocios de recobimento de assucar,agoardente o outros quaesquer gneros de exporlagfioque Ihe lorem consignados a commissfio; todos os das uteis das 8 horas da manhSa as 5 di tarde, fra disto no porto velho da Capung junto ao portfio da Sra. vm va Lasserre. Jos Antonio deSouza Machado. — Rogo ao Sr. Jofio Velho Brrelo, Sr do engonho M.tarizinho.queira mandar-me pagar a quera parle que tocou em partilha a minha mulher, no total da divida que devia ao meu linado sogro, Jos Antonio Alves da Silva ; e admira quo tilo diminuta quantia nfio leona j pago.nfio obstante os meus repelidos pedidos ; igualmente rogo aos mais Srs. deengenhos, que tambem dovom, hajam de virom ou mandarem pagar as quantias que dsvem : na Boa-Vista na ra da Alegra, casa n. 34, pois entrou em 5 anuos que he fallecido o dito Alves da Silva, e anda nfio pagaram. Marcelino Jos Lopes. — JoSo Ferreira, subdito portuguez, relira-se para Tora do imperio. — Precisa-se de urna mulher desempedida o de boa conducta, para servir de ama om urna casa de pouca familia: na ruado Crespo n. 10. -Quem tiver um billiar para alugar ¡ dirija so a ra larga do Rozario n. 18, primeiro andar, que adiar com quem tratar. — OSr.JoSo Virissimo, mestrede alfaiato que morou na r U a do Vigario.queira annuiiciar sua morada ou dirijir-se a livraria n. 6 e 8 da praca da independencia. — Precisa-se de um caixeiro que tenha pratica do loja do Miudezas paga-so bom ordenado : quem estiver nestas circunstancias dirija-se travessa da Ra do Rozario loja de miudezas n. 18,que se dir qoem precisa. -O abaixoassigna'do previne a todos os seus devedores e mais pessoas com quem tem transacgfies cnmmerciaes que o seu ostabeleciinenlo de loja de fazendas na ra do Crespn. 10 se acha continuando no mesmo gyro que anteriormente por ter sido julgada de boa f a falencia, o haver-se convenc onado com os Srs. credores urna concordata que foi julgada por seotenga : rogase aos Srs. devedores hajam de com promptidfio satisfazerem seus dbitos, ahm do annunciante poder cumprir pontualmente a concordata a queseobrigou. Ignacio Luiz de Brito Taborda. -Iler Britannic Majestys cnsul begsto cali thealtontion ofthe British residents to ihe fact that ii is their duty to register the birtns of their chlldren at tnis cnnsulato. — Her Britannic Majestys cnsul nereby gives notice to the British resideuts that a Public Meeting will be held at th British consulate under the provisions of the sel of Parliament 6. Geo : 4 Cap. 87, at !2oclock on Monis y !¡-,6 29il O Medico Almeida, formado o pro f¡ miado pala academia do Porto em ffi %  tolos os annos da sua frequencia poa do ser procurados toda a hora do dia no largo do Corpo Sanio n. 13 pnm me ro andar da casa do Sr. coronel m Mamado Presla-se a operar e receilar gratis para os pobres. njlisl iui fuipuao Cunocted wilh that act. -Quemprecissr de dinheiro no Rio erando do ul,at a quantia de 475,000 rs querendo da-lo aqui,dinji-se a ra larga do Rozario n. 20,primeiro andar, ou a ra do Crespo o. 11, que achara com quom faca transicgfio segura. — Uderoce-so urna mulher para ama do casa, a qual sabe muito bom cosinhar, e engora nar, ludo com muila peifeigfio : na ra das Laraojeiras n. 9. — Vicente Novella retira-so para fora do imperio. -l)eseja-se Tallar com o Sr. Francisco Pereira da Silva, sobre negocio de seu ioleresse : na ra da Madre de Deo, loja n. 34. — Precisa-so de um caixeiro de 11 a 14 annos de idado, que d llador a sos conducta : 00 aterro da Boa-Vista o. 73. Precisa-se alugar urna preta psra o servigoiiiterno e externo de urna casa do pequea familia : n ra Nova n. 8. -'D. Simona libada de Faria, subdita hospanhola retira-so para o Rio de Janeiro. -Precisa-se do um cosinheiro forro ou c.ptivo : ua ra da UniSo, na casi de Bernardo do Uliveira Mello : a tratar com o mesmo. — Na ru do Vigario n. 33, precisi-se do lum caixeiro, que tenha pratica de venda; o na mesma casa vendum-se redes do Maraoso do coros e gostos elegantes, por prego commodo. Associactlo Commerctal de Pernambuco. A direcgfio a requer montos do mais de dous tergos dos socios elTeclivos, convoca assembla geral para o dia 8 do Janeiro da 1852, pelas 12 horas do da, para reformo de estatutos. — O Sr.bernardo de Albuquerque remandes Gama, queira mandar pagara subscribo deste Diario. -Precisa-sede urna criaaa. smente para o servigo de cozinha e compras, para urna casa de muito pouca familia ¡ ama do Rozario da Boa-Visti, sobrado n. 32. vr**