Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07293


This item is only available as the following downloads:


Full Text
s
m**
t*
Anno XXVII
Sefundarfeira 22
DIARIO
de DeztMH<)n>de IM5I
N. 289.
FEMAMBICO,
ats
mico sBcmirolo.
PiotaNTii Ajudiado.
Por trimestre .... .ir. j, ,
Por semestre ...........
Por iodo .'...-'..
PlOO DlflTfo buTaiNlfSTll.
P01 quirtel .."..,.......
MOTICIA DO IMPERIO
'Para..... 2 deDetltr Minas... 15 de Novbr.
4/500
Maranhao 7 de dito
Cear... 10 de dito.
Parabiba. 15 .le dito
S.Paulo. 10 de dito.
riisDA (Baara.
22 Seg. S. Honorato; S>
Ploro e Flario.
23 Tere. 8. Se>fulo.
24 (,)oarl. S. Gregorio
Si .liiiut M; Nasci-
, niejrt-de'Ri'S. J. C.
if-sr-ir. *>k'- Oiuva.
n sb. >;- oium.
R. del.. 25de dito. 28 Ubiu. a. Oitava. O
Babia... i-d Uezbr. Si.-jonopenlcs mm.
1 -
ADIEMClAs.
Juioil Orpkdoa
-2.e5. s 10 hora).
1. rara io eivel.
3. cO. ao roeio-dia.
Paunda.
3. e 6. ai 10 bor.i.
2. cara do civtl.
4. e sbados ao inclo-d.
Retacn.
Tercas e sobados.
t
Crescente i 30, aa I hoYas e 55 minutes da m
Chela a 8, a 1 hora e-8 minutos da t.
Hingoanlc 15, as .3 horas e li minutos da m.
Nova 22, a 1 hora e 14 minuto! da Carde.
MUIAJUa DI HOJI
Priroelra s I horas e30 minutos di Urde.
Segunda s 4 horas 54 minutos da manbaa.
VABTIDAS DOS COBBEIOl.
Ooiauna c Parahiba, s segundas e seitas-
feras.
Rlo-Urande-do-Rorte, todas as quinUs-feirai
ao meio da. a
Garauhuns e Bonito, 8 e 23.
Boa-Viola, e Florea, 13 e28.
Victoria, i quinta 1-felras.
Olinda, lodos os das.
NOTICIAS BSTBANOEIBAa.
Austria.. 2 de Novbr
Sulssa. .. 2 de dito.
Snecia... 28 de Outbr
CAMBIOS DE 10 D* BUIMISO.
Sobre Londres, a 28 1(1 e I J|4 d. p. 1/ Firme
Paria, 330 per fr.
Lisboa, 90 por cento.
METAES.
Portugal. 15 de Novb
Hespanba. 8 de dito
Franca ... 8 de dito
Blgica... dedito (Inglaterra 8 de Noabr. Ouro.Oncas hcspanlioiaa....
Italia.... 31 de Outbr, F..-Unldoi 56 deOutbr. Moedaa de 6/400 velhas. HMTjOO a *
Alemania. de Nvbr Mxico... 15 de dllo, de 0J400 notas. 16/000 a II
Prussla... dedito. California 12 da dito de 4/000....... V W
Dlnain.rca29deulbrChili. 8 de dito Prata.-PatacOei brasllelros.. l/80 a l/9'0
Russia... 28 de dito l'uenos-A. 8 eNovbr I Pesos columnarlos... (WOi J/JU
l8de BBSSSBistsaev: iiuimii i isni-*n
Turqua.
AOSSENnORES SUBSCRIPTORES DES+E
DIARIO. .
Restando poucoi dlaa para o liui dojijuartel,
c sendo estes destinados Testas, rogamos aos
seoborea asslgnantes que se achaili a dever a
subscripcao quelram mandar-nos embolcar de
seus dbitos nos poucos das que restam antea
de Natal. Estas quanlias que sao pequeas pa-
ra cada urn subscriptor, toruain-se grandes pa-
re nos que as temos de receber de alguns ; c
lzendo todos os extorcas para dar cumprlmen-
lo a nossos prometas, e tendo cun9cieucia que
a tenaos cumprldo, justo he sejamos relri-
buidos.
PARTE OFFICIAL
Ooraroando das armas.
Quartel general na ciiade do Reeift, 16 de de-
zembro de 1851.
orubm no da k. 4.
Manda o Sr.'maree ial de campo gradua-
do Antonio Corroa Sera commandanto das
armas, para conliacimento da guarnieu c
devida observancia, tianscrever a tabella
que se segu, da avaliaco da clapo para a
Iropa do linha existente nesta guarnicSo no
semestre que lem do decorrer do l." do Ja-
neiro a 30 de junho do anno prximo vin-
diiuro, approvada polo Exm. Sr. presidente
da provincia etn data do II do corrento.
Tabella ou aoaliacio das elape para a l ropa
deprimeira linhi no semestre do\. de Ja-
neiro a 30 de unno di 1852.__________
Gneros.
Parlaba de mandioca
Carne fresca
Ditasecca
Arroz
r'cijio
Toucinbo
Sal
Lcnua
I'riincira especie
Segunda dita
Termo medio
Pao para os doeutes
o.S
2- c
a v u
2000 a Iq
3200 ar.
3840 ar.
3840
9600 alq,
7000 ar.
245
235
160 lib
l(tO
1 Ib
l|2 .
4 onc
l|160
alq.
2 onc
14 ,
180
i|2lb
30
Gneros.
I moli.i
Caroe fresca
Dita secca
Arroz
Ferjko
Toucinho
Sal
Leuha
Fruncir especie
Segunda dila
Termo medio
Pao para os doentcs
O O I
6!
3000 alq.
2400 ar.
3200 -
3810
7200 alq.
I|40
i Ib
i"1
4 onc
.11160
lq.
7000 ar. 2 onc
24.
48o .
I|2lb
245
335
JiOai.
2.5.
75
75
50
30
45
40 40
5 5
20 20
---- "m
245 S34
140
iOj
daote das armis, pira poder basear as re- dr e de luto. Falleceu nesse da o general
quisicoes, quo, no'sentido do arL ll do D. EugenioGarzn, canii (ato & presidencia
reglame, to de 8 de maio de 183, que se- da repblica, proposlo e aceito por lo los os
giio tr iis-ri ilo, liouver dodirigir i pr- si- partidos, ecoinmandanto ooi chito do exer-
dencia desta provincia, rocommcnJa aos cito oriental.
Srs commandantes dos corpos, que, quan- As -eleicfies dos representantes tiveram
do tiverem do enderovar sous pedidos ao lugar nodia 30 du passido, efizeram-se om
iui.it 'I general, sobro objeclos espocidca- paz om todo o Estado, menos ero urna das
Jos em dito artigo, lacam motiva-los em paracSias da capital, ondo houvo algum
oflicio separado, dsndo a rcspoilo as infot-, inolim e espancainentos. Triumphou em
marOesauojulgarem precisas, em orden todos os departamentos, menos node Minas,
habilitar o conman lo das armas formar a opiniao do governo.
segura o|iniao ao.rca da moralidado dos! No da 4 embarcou nos vapores branlei-
mesmos redidos, e poder enciminha-los;ros lecife, Pedro II e Colfin/io a divisSo ori-
convcnionlomcnto, no casoquoestejam for-.enlvl, composla do 1,600 houion, e nesse
ululados de oonformilade con as disposi-fmesmo dis seguio para o Paran, onde deve
cOes rospecliV. I, reunir-se s forgas entre-lianas o corienli-
A-ligo II. Itequi-iUr o commandan-Inas, doquo ha commandauto om chofo o
ti das armas ao presidente d provincia as general Urquiza. Esta divisSofoi tiradi^da
ordons o providencias do que necossitar
sobro sol los, municiamontos, armamentos,
remontas, recrulimeiitos o meis objoctos
relativos ao servico, ccunpanlianlo suns
rcquisii;Oos das mais ciicumstanciadas lo-
ronnafOes. Tamliem informar ao presi-
dente de todos os acontecimentos o nego-
cios militares quo dovam chegar ao sou
conhecimento. O mosmu prosidenlo devo-
ra preslar-su reiiuisicOcs justas o rasoa-
veis do commandaute das armas, cxpeJiuJo
em consoquencia ns necessarias ordens aos
funeciunarios o mais estacos a quo com-
petir.
Quanto s ordens o deliborar;0js do pro-
sidonto, .'\, i- i l.i. sobre nbj> ctos militares
a corpos ou individuos sujeilos ao com-
mandantc das armas, sei3o dirigidas por
ntcrinedio deslo, para terem a duvida exe-
cu^ao. Excoptua-se o oso de achar-so o
presidente ou o comtnandanlo das armas
em servirlo fra da nii.il da provincia, e
de ser urgente a execucjlo das ordens, o
estas exped las urna auloridtdo ou indi-
viduo mililar que esteja mais prximo do
lugar ondo esliver o presidente; porque
eniao podorBo ir directamente aooxeculor
sendo lo lavia communicadas ao comman-
dante das armas.
Esta coaimunicacao, porm, ho dispon-
savel n iioollici.il que, na ausoncia do commau-
danto das armas da capital, ficar ah com-
mandando a guarnido, e a testa do archi-
vo esecrotaria militar.
Antonio Crrela Scii-a.
INTERIOR.
Pagadoria militar de P.'rnambuco, 9 de
dezernbro de 1851. Jos de Brito Inglez,
coronel inspector.Conforme.O oflicial-
rnaior, Jo. i|oim Pires Machado Portclla.
Cundido Lial Ftrreira,
Ajudante de ordens cncarregado do detalhe.
C'iiarlr general na eidade do Reeift, IS d d<;m-
dro di- 1851.
OBDEM DO DA X. 44.
O manchal do campo graduado com-
mandanle das armrs, em virludo da altri-
luiclo, que I no lie conferida no 1.' do ar-
tigo 2.* do regulamenlo de 8 de maio do
1813, em harmonia ts disposicOes expressa-
das nos arls. 6.* e 7. da le do 24 do no-
vembro do 1830, que importa sejam restric-
tamente observadas, julga conseqoenle ro-
commendar a^s Srs. commandantes dos ha-
UlhOes do exercito existente nesta guarni-
(3o, que aos contractos que se houvorcm
do elTectuar concernentes ao fornecimento
dos gneros para o rancho djs pravas de
prel, por sobre as condiceOes que impoze-
rcmaos fornecedores pira a boa oxecue,ao
dos contiatos, quo cumpro sejim efiectua-
dos i'.iui a ni .i i. ir publicidade, precolendo
annuncios pelos joinaes, se addiciono as
seguiotes ;
l.1 Os fornecodores aproseularao nos ba-
lalhOesos gneros alimenticios, que deve-
rao entrar as respectivas arrecadai;Oos, de-
pols de exsminados assim pelos facultat-
vosdesaude, que iStarSo presentes em tal
conjuntura, como pelos llscaes dos mesnos
batallides.
2.' No csso de serem os gneros repula-
dos doma qualidado pelos facu'lalivos se-
rio repudiadose substituidos por outrosde
boa qualidado, sendo o frnecedor inoiii-
civelniente despedidos na reincidencia de
falti semelhante ; quando porcm os gene-
ros forero julgados nocivos saudo dos sol-
dados, por estarem corruptos, ou l'alaiQca-
dos, slm de pagar immediotasiieiile o pre-
mio convencionido de 200,000 is paia a
etixa do rancho, e ser despedido, dar-so-
ha logo parle aoquarlel-general, aliru de
proseguir-so contra o frnecedor nos ter-
mos do arl. 32 do til. 4. das posluras mu-
nicipios de 30 de junho de 1849, para o que
os genoros flcirSo a bom recado.
3.a As entradas dos gneros para as ar-
rccada(0ess9fai9o duas vezes em cada mez
pela oaneira seguinle: o balalliflo quarto
de artilharia a pe nos dias 28 e 13 ; o bata-
Ulan nono de infamarla a 29 e 14 ; o o de-
cuno da mesnia arma a 30 e a 15 : esta dis-
ponerlo lera principio no correnta mez para
que nJo haja falta de supprimento nos dias
que liouverom de decoiror do I. a 15 do
prximo vindouro Janeiro.
Os fornecedores preslarSo previamen-
1110 Dl JANEIUO
15 do oovombro di 1851.
Entrou hontem do IIio da l'rats o vapor
de guerra inglez Rijlemzn. As datns que
traz itr. Buenos-Ayres alcaiitjan a 21, e do
Monlevido a 26 uo passado.
No Estado Oriental nada occorreu de im-
portancia. Ilcinava a mais perfuita Iranquil-
lidale en todo o piiz
OSr. consjlheirod (estado Carneiro Lo3o,
acompanhalo do seu lecrelirio o Sr. Ur
I1 i'.iiici-, do commandanlo em chefo da
nossa osquadra e do I). Diogencs Urquiza,
encirregado do negocios di Entre-Ros no
Estado Oriental, parti de Montevideo para
Cualeguaychu nodia 26 do paisa lo, alimde
ter uini entrevista com o Sr. gorernador
Urquiza.
S. Exc. seguio viagem a bordo do vapor
Imperador, o Icncionava tocir na Colonia,
em cujas immediafOes so achava acampado
desdo o ilia 22 o grosso do exercilo brasi-
leiro.
No mesmo dia 26 parti do Montevideo
para Entre-Uios o vapor oriental Itlo Uru-
guay, con luzindo o resto da tropa do gene-
ral Urquiza.
As noticias de Entre-Hios alcan^am a 23
do passado. O guvernador fazia marchar
todas s suas forcas para o Diamante, sobro
a costa do Paran, c toncionava pissar este
rio apenas se Ihe reunissom as duas divi-
sos que aguardava do Estado Oriental.
Com o exercito entreriano marchar o con-
tingenio correalino em (oi<* de 7000 ho-
mens o urna divisSo oriental de 2000 in-
fantes.
OgovcrnaJor Urquiza dorogou todos
osdecielos quo cslabeleciam legendas, di-
visas e cores, cuino distinc;3o de partidos.
A mesnia medida linha sido adoptada dias
antes polo governo orieutal.
O coronel Cabral e o msjor Ortiz, chefes
rosistas de sauta F, linham-se apresonta-
do ao goneral Urquiza.
O coronel t. Weneesla
gos da allianca sr fclicliavam pela prxima ; formados, delxanos de mencionar em i nossa
queda do lufauslo dictador, e se ajustavam pa- revista passada mtis urna reprovacao de u.n e-
ra recprocos festejos p ir esse esperado suc-'luante do primeiro anuo da academia, e uin
cesso. He convlccaa geral no Rio da Prala que : r -- em outro do quarto ; e como Itlo seja
. VI ..,.'- ___!. ___._.4- n..i.......ihi.io .mar mu i imi.
i. Amigo ,mimo generalUrquiza, -nsu gera de S. f<*gfft I ^ J
ndoa OODtlanOI do ambos os part- Murra 0'luuco lralllor scivagcm unilar.o Ur- haviam ciic 111
. Psiinoro. multar ?" ,
distiClo, rccinleineliie cMcgado do Chile, e" regresso locouS. Exc. na Colunia do Sacra-
, ,. ,i u-r il ment, oode se demorou alguuias iioras em
fui uomoado pelo general Urquiza chefo uo C0I,fcrellcla colll 0 Sr. condc usc c,u.
leltior infaularia quo possuo o Estado. Ori-
ental, e vai sob o commando de um dos seus
mais rispiJos disciplinadores, o coronel D.
Cezar Daz.
O CoiiiHic/viu del Piula no seu artigo para
o exterior do da 5 do corrente diz :
O exercito brazileiro aeha-sohojoacoin
,1.1 I na Colouia. NesU siiii.u; i com o do-
minio dos nos o cjm o auxilio pudoroso do
vapor, acha-so coi estado da acudir promp-
tamente aqualqnor ponto Ja rosta oppcsa
onde as lucessidados da gueira exijilo sua
presenta.
t Sa se attonJer a que a provincia de llue-
nos-Ayres oceupa mais de cento o cincoen-
ta leguas de costa, e quoem ncuhuma paite
desta grande oxtcnsiio podem encontrar
obslaculos, ncm a nivegac,3o do navios de
graodo lote, non o desembarque do tropas
comprehender-se-haqu3o dilllcil he defen-
de-la de ataques combnalos.
A paz conserva-so no Estado Oriental,
som que at hojeteulia apparecido o menor
aconlecimento que a perturbe, ou posia f-
zer ternera renovaclo dos passados distur-
bios, apezar dos osforgos quo faz llosas para
roviver as .antigs paixdcs polticas, Para
oslo lim lem sido activos os seus manejos
nesles ltimos dias, mas nenhum /esultado
liveram seno e defazor fugirpara llueuos-
Ayros alguns olliciaes daquelles quo nSo
sabom encontrar uccjpafBo proluctiva e
iko querem'viver se nao na guerra.
O 1" do dezernbro fui um dia fatal para
o Estado Oriental, porque uello falleceu o
general D. Eugenio Cirzon, destinado pelo
voto de todos a oceupar a presidoocia da re-
publica
o reun
dos, era o homem ma'ls propno para proai- ,.
dir a nova poca que so prepara O pezar jj|qe jHC qU( na barca francesa l ou I -
foi geral; mas pOJcr dizor-s-j que Sua fol-' re,despachada ah para as Anilinas vicram al-
ti compromellei a trauquilidale publica ? guns Argentina! embarcados as incdiac
Nao; a pai do Estado Oriental ruudu-se. do Hueco: sio alsimsumeiacs c uus viui
principalmente ni couviccSo profuulaquo dados.
rem trJJo. os Orientaos de verdadera \^^S!^.,gSSS^^^lSS^
enca, de quo a paz vale mais que l do, e -
est garantida pelo Interosse que tem as na-
(Oes vizinhas ni consorvaijao desta paz.
O uiiicj e verdadeiro perigo esl da ou-
tru lado do rio. 8a llosas pu esso vencer,
nao loria o Hitado Oriental tranquilizado,
ueui rgimen legal o constitucional i o br-
baro systema duquello lyrauno acabara por
lu, lantar-se aqui. Sa Itosis suecumbir, o
poJer quo o dest-uir lera a forct uecessaria
prra estabelecer um rgimen regular na ro-
publica argentina, e para sulTocar ale as es-
pcraiiQjs dos perturbadores om qualquer
dos Estados do llio da Prala.
OSr, conselheiro Carneiro Icio a/hio do
Monlevido, como dissemos, em 26 do mez
passado, a bordo do vapor Imperador, para
a eidade de Cualoguaychu, ucimpanhado
pelo seu seciotario o Sr. Dr. I'aranhos, pelo
!)r. I). Diogonos Urquiza, o.icarrcgado de
negocios de Eutre-ltios e de Con lentos, o
por vanas outras possoas. S. Ex cliegou
aquella eidade na mannaa do dia 29 e ali
encontr o o governador Urquiza que o es-
pera va. ti Sr. C u um I. to foi recebido
com todas as honras .lev la ao carcter of-
.ialde que esl revestido. Tove varias
conferencias coa o governador de Enlre-
llios, efoi por oile e pelo povo entre-riino
uiiimaineute obsequalo.
Em Gualeguaycbu aohava-sc 1 un bom o Sr.
D. lusc Verges, mandado pelo governo d-i Pa-
raguay ua qualidade de cncarregado de nego-
cios juulo a repblica oriental, leudo por ob-
jecto priuclpal de sua misso prestar a adhciao
do Paraguay allianca existente entre o esta-
dos vizinhos contra o sru inlinigo commun, o
governador de Hucnos-Ayrcs.
No da 1 embarcou o Mr. Carneiro l.e.io no
porto de Gualeguaychu com as mesinas pes-
soas que o acoinpanharasn de Montevideo, c
le no dia"4 de manhii No
dentro em pouco lempo ogeueral Urquiza pi-1 materia alrazada, pois que teve lugar em a pli-
sar tiiumphante as ras de Dueos Ayres. iuclra_ semina do crrenle, =_n_,^Jn^ll__B2''C/
No dia prluieiro rcuuio-se a chantada sala"
dos representantes de Dueos Ayres, e depo
de representados os papis daquella nova co-
media segundo liiiham sido distribuidos por
seu aulur o chefe supremo da coufederacao,
apreseiitou Loremo Torres dous projeelos
de le cuja dlscusso licou adiada para o dia 5.
O priineiro dcstea piojeclos estatu: i,c,
que o chefe supremo fca exonerado de apre-
senlirsala a mensagrm eo orcamento que
costuuiava enviar oo dia primeiro de Janeiro
de cada anno ; 2., que eiiiquanlo durar a pr-
senle guerra, c por espaco de tres anuos de-
pois da \ictoria, Oca o mesmo chefe supremo
exonerado, nao s daquellcs deveres, seno
tainbcm de quaesrmer outros ordinarios e ex-
traordinarios que podercm distrahir suaatteu-
co; 3 ', quecessa toda a sua responsabilidade
pela poslergafo absoluta que lizer de lodos os
dever.s ordinarios c extraordinarios.
O segundo projeclo t?in por fim evitar a su-
bida da ni >i ,11 metlica.
Terminaremos esle artigo transcrevendo a
correspondencia do Commercio del Fala data-
da em llucnoi Ayres no dia 3 :
Ver uo Diario da Tarde do dia primeiro
um extracto da sessao que lUeram nesse dia os
livres representantes Ueste paiz livre. Ver os
dous projectos da le presentados por D. Lo-
renzo Torres, lie ale onde pode chegar o ex-
travio da rasao, a balxeza e o escndalo. Lem-
brar-se-hao cites rcpresenlaulcs das couse-
quencias que Ibes pode Ir-zcr a iiniiiensa res-
ponsabilidade que loinan sobre si de lodos os
actos edisposices do ebefe supremo? Se, co-
mo ludo faz esperar, Iriuinpbar amanha Ur-
quiza, que respondero s aceusaedes que este
e a ni, ao Ibes lizcrein por essa abjeccau inau-
dita? Daio por desculpa o medo, ou o que se
diz allega um destes represenumes quaudo al-
guem Ihe exprubra o excesso do seu procedi-
meulo, iilo he, que assim se precipita a revo-
luco contra Ilusas ?
Seja como fr, oque be cerlo he que clles
lem a conscicncla da inulilidade de tudo quan-
to fazein, c que llio he sso sulncieolc para
couler Urquiza, neni para impedir que o paiz o
receba com os bracos abonos logo que ic
apreseutar, como tudo indica, c nao iguora o
proprio priucipc normando.
Nao delxa de ser engneado ver a tirina de
1). Juan N. Terrero entre os membros da com-
misso de negocios coiislilucionaes, terrero
esl completamente cego ba muito lempo.
No dia primeiro tai recedido o Sr, Core
com os discursos do cstylo. O decreto da seu
reeonlieciineiilo como encarregado de negocios
sen os' .do niaior. O commando da Caval-
laria de Uueuos-Ayres, quo no Estado Orien-
tal se uni as Dleiras do. governador de Eu-
tre-ltios, fol coniiado ao coronel I). Manool
No dia 2 de dezernbro, anniversano natalicio
de 9, M. o Imperador, o Sr. Silva Ponles, en-
carregado de negocios do flrasil em lloutcvi-
do, deu um jantar, ao iiual assistio o com-
Si UB lUIIKVIUI'," ^IV.t.i.U VIHII.III.II- ... ,'. .
le llanca idnea. OSr.boulliern era aqu osprado no va-
os modelos para o processo deste impur- P,or '/le"", enviado expressamenlo de
tanteramo administrativo do servico ii1tir-iMonl""lco B"e"os:Ayres para conduz-lo
no dos corpos sao nesla data enviados ios esla cortB- S.b.a-liuu porem, sua viagom
respectivos Srs. commandantes, quo envia-' Pur '"olivos puramonlo parliculares, e to-
ro copias authenticas dos contra tos que mou passagem a bordo do paquete Vnnce,
prolenderem elTectuar.
Antonio Crrela Seiirn
Hornos, Chefo argentino, quo por muitO| mandante em chefe daesquadia, mullos dos
lempo estove emigrado no Itio Grande.
Por via de Entre-Ros o Montevideo lia
noticias da capital do Paraguay at 27 de
outubro, Irazi las pelo espill Moracs. do
exercito brasileiro, porladur de ollleiosdo
Sr. Uellegardepara o Sr. conde de Cixias,
O P iragusy adherio a allianca contra llo-
sas. O ministro da guerra, o Sr. Verges, foi
nniiioa lo encarregado de negocius em En-
tre-Uios o Monlevido, e ni Jala das ultimas
noticias eslava com o general Urquiza em
Gualeguaychu, ondo aguardarla a chegala
do Sr. Carneiro l.eflo.
Uuando o ca, il io Moraes sahiu da Assum-
pQiio havia ja sobre a fronleira de Corrien-
tes 10,000 paragusyos sob o cootmandodo
general D. Francisco Solano Lopes, lilho do
piesidenle da repblica. A esquadnllia,
composla de 17 vasos, eslava prompla para
transporla-los, rio abaixo, ao ponto que
Ibes lo-s dosignado.
As datas de Uuenos-Ayres chegam a 24 do
passado. Nos extractos que na parte exte-
rior Iranscrovcmos di correspondencia do
Commercio del Vala encontrarSo os leitores
tudo o que ba de iuteresse.
Quarltl General na eidade do Recife, ,."i r.i dezernbro de 1851.
OltDBH oo da. s. 45.
que aqui li esperado no da 11.
Entrou hontem 10do crtente do Rio da
Prala o vapor inglez l'Wnce. Trn datas do
Mentevideo al 5 a noue, o de Huesos-Ayres
at 3 do corrente:
Omirechal do campo graduado comman-1 O da 1 foi par Montevideo uoi dia de
seus olliciaes, e as pessoas mais nolaveis da ca-
pital. A esquadra brasileira e todas os vasos de
guerra eslrangeiros esilveram einbandrirados,
c saivaram, bem como una das bateras de
Ierra.
Na Colonia formou o exercito brasileiro em
graude parada, c noile bouve um baile ex
pleudldo.
Desde o primeiro de outubro ale 30 de no-
vembrochegaraui de buenos Ayres a Montevi-
deo .'," i i passagclros.
O general Urquisa sabio no dia 3 para a cam-
pauha a tomar acominand* eui chefe do seu
exercito e do de Corrientes, queja esiavam reu-
nidos sobre a margem do Paran. Teocionava
couieca* suas operaedes no da 15 do corrente.
Em Entre llius e em Corrientes havia o inaior
enlhusiasmo, e s deixaram de acudir ao dia-
mntenlo do valente e prestigioso general Ur-
quiza os cidadoi que por seu estado valetudi-
uarlo o o.u poderam absolutamente laaer.
U Commercio del Plata, refeiindo-se a car-
tas de Km e Rio
OSr. Ve
Vidcla, c umCarbunel.
Estes siijeilu liierain dcclaracocs com ex-
tensos pormeuores sobre a illliacao desse paU
ei-in vimu ic dolas mandaram-je alguos bar-
quito! para o Hueco c oulroi ponos da costa
oriental com o ol.jecto de ver se eiubarcaiii
claiidesliuamenlc oiilros individuos que aquel-
las] dliciii ler dcixado diipostos a emba car
Ncsscs barquitos L'oraui mandadas alguuus pea-
soas para tiabalharem assiduaineule em Mon-
tevideo, alim de que os barcos que d'abi vie-
ren! para cale porto tragan! o malor numero de
lioiuens pnssivel.
. Segunda l'elra chegaram lambn o com-
maudante Villalba c o major Kgauha,oriculacs,
e apreseutaram-se ao principo, oU'ercccndo-
Ihe seus sci vicos co di vaiios amigos seus.
ii Maudaram-sc Igualmente para a Colonia
pcs.oas que bao de crabalbar com empenho pa-
ra fazer descriar tropa brasiieirac allemaa, c
agora me asseguram que vieram porSau Fer-
uaudo cinco allemcs. lie iudubitavel que o
principe normando lauca uni de lodos os
meios para prrjudicar aos seus inimigosj a es-
tes loca apparar os golpes, iuulilisando suis
tenebrosas intrigas.
Voeiuillir-se OO mllliocs de fundos pbli-
cos, c aos negociantes c mal! pessoas de buenos
Ayres que nao sablrcm para a canipanha sera
lanjado um imposto forte para despetas de
guerra, pois as reservas que linha o chele su-
premo acabaran!-se com os presentes que fci
aos que vieram, com os que manda para al,i
allm de que venbam outros, e com os extraor-
dinarios appresles que fax para suas forcas.
O general Pacheco vollou, e esl agora em
Flores, d'onac ir informar ao chefe supremo
do numero de gente reunida, dos pontos que
oceupa, c cousertar com elle, como pessoa en-
tendida, o plano de operajcs contra Urquisa,
sa, etc.a
0 Sr. Southern, represntame de Inglaterra
Juulo ao gabinete nnpcrlil, veio de passagem
uo vapor l'riucc,
(Joriul di (S>MssTffo.)
Reiumo ila extraer"" dos premios da 19' lote-
ra a beneficio do theairo di S. Pedro de Al-
cantara desta corte, extrahidatm 4 de de-
lembro de 1851.
1 N. 5523...........?0/?00Auno.
1 ii
1 o
5147
51)8.1...........
1 5711 ... ......
i; ., si i-ii ,:',i,i,-. lo'i-i'n'i
5713...........i
10 a 145- (20--lXil-l!>9-2592
8si22o8*304754-61641
20 I 333 -I2l)2-l4l).i-15:)7 ,
i:i:i72U'J3--2.1M-3514414 I
41864l8l"44457-4703j
4899611464986670 -51)80
0 25- 65- 109- 123- 38 \
557- 742- 826 9051179 1
1249-1284-131311371033 I
1651-1070-1082-1795-2348/
242!-.'.'uT)-- 2836-2898-3071F
3206-33431427 "35i4-a07v
3619-377537913818-4030,'
4I4-4282--44884M-4652,
?740-4846-4941- 10385C621
5084--5I081K2-5217-5249 1
5376-53786430-5474-5600 I
6648-5735-5758-58315840 /
IO:O00#llil0
4-000/000
2:000/000
Ros, diz: 22 22......'........
iges, representante da repblica '800 de..............
:000000
400/000
200/000
100/000
40/000
2U/000
do Paraguay, coocluio os ajustes necessanos de
que eslava encarregado junio do Sr. gorerna- '000 premios. ..... ,.... _.,_
dot Urquisa: ella j ajustado o contingente O pagamento dos premio! desta lotera pnn-
que aquella repblica dar contra Rosas. Sel! clpla no labbado 6 do corrente, em casa do
n,il luante! e aual immcnsas embarcaedes li- 'ne",u1r.,'.lt0' Joao Pedro da ^'B^ ru> <"'un-
gelras lerao o primen o contiugenie parrijiiayo i D. 1 i i
U Sr. Carneiro Ledo, rcprescauaa o governo
imperial. Ibl parte no ajutlc concluido eui Eu-
ire IIios com oSr. Vergel
O r. Vergel licava em Montevideo, onde vai
residir cumo encarregado de negocioi.
As colisas em Buenos Ayres coutiouavam do
mesmo modo, llosas atroando o co c a ierra
com os seus vva c morra, dando ordcui c con-
tra ordeni, empregando ludoi os recurso* de
urna poslcn dcicsperada, e todos os dlasrcce-
oendu uuva ptova de (ue a hora da vinganca
celeste estava prxima
Rio de Janeiro, 4 de dcictnbro de 1851.O
escrvo, Francisco de Assis Tarares.
( Jornal Uo Commercio. )
PERNAMBUC0
lll'XIFIC, 20 DE liK/.l'.MIlll1) DE 1851.
ts 6 uoms DA '1-aiitu-:. ,
BETSOJPECTO SES1ANAI..
No domingo 11 do corrente bouve urna testa
de Nossa Senhora da Oonoolcio na igreja da
Ion Moutcvlddo, em Entre Ros, em Corrieo-lcongregacao, com vesperas-e Tc-I>eum a noile.
le, e ale mesmo em bueno) Ayres, J o aml-1 Involuntariamente e s porque nao fomos li-
mos de levar ao cabo as empresas comecadas,
eis porque nos apressamos coi consignar logo
Iprincipio urna tal noticia, c naos, como pode
pensar alguem, porque adiemos flgum praier
em contemplar un navio balido pela tcinpcs-
lade, como Lucrecio, nos bem conhccldoi ver-
sos de seu poema eplcuiiata:
Siioeimiri magno, turdinli'iui.ejuora eeli,r
Nodia ientrou do noile o San Salvador dei.
xaudo lodas as provincias desse lado aem novi-
dade. S no Para haviam grave! recelos ile
que a febre amaielU se nao d.'i.nvulvoase de
uovo, visto que j iam apparecendo alguns
casos de vmitos negros, c mesmo em pessoai
que os mo esperavaiu. A asscinlilca legislal-
va desta mcsini provincia resolveu unnime-
mente represenlal ao Imperador c a asscnibla
geral sobre a neces.idadc da promulgado de
una le, que laca exclusivo do! brasileiros o
coinmercio a tclalho, e lieavam a seguir os seus
destinos as represcnlaces que para esse Bm
foram fellai e approvaaas. Veremos o lim dcs-
le e^ocio. ,
' lloje deram-se as ferias foreniei, c se osad-
rogados, juises e promotora!Colgarlo eom uto,
outras pessoas bouve, que l'uerain cara lea c
nflo gnslaram nada da hislotia, e foram lodas
quintas linliam letras a pagar, mas que ic ile-
fiain vencer de 21 do corrente a b de janiiio
luturoi pois que todas cstis forain reputada!
vencidas hoje, c aprcseuladis a pagamentos,
ua forma do cdigo coiiimereiat.
Umf.ict) emranrdinaiio, c revestido de ca-
racleres, que o lormn vcidadclraiiieole mlra-
culoio acaba de succeder nesta eidade, onde
tem poslo inulta genlc em confnsao Nos va-
mos oU'erecer ao publico una uarracao delle,
tal qual nos foi dada por uin dos mais concei-
tuaos religiosos do Carino, e de proposito dei-
lainos de facr algunias coiisideratocs, para
que nai digain uus que favorecemos a supers-
lico, c outros que llamos armas a incredulila-
de. Km caso lio melindroso para a rcligiao,
entendemos que cada um deve liear entregue
aos recursos de la propria rasao c conscicncla,
c que nad i se poda faier de mclhor do que re-
ferir o fado com a aiilhcnliciadc que loi pns-
sivel obler-sc.
Eis a uarracao :
No da 11 do crrante, pulas 7 horss da
o.i lili, procurou Joo Chryaostomo, al-
feiati, morador na ra das Larangeiras,
ao llvd. Fr. Joilo il'AssumpcJ Moura, par-
que asta, tu dia 15 do corrente, dieMO
urna niaai no altar iliNossi Sonb Carino, por ama alma. Annuio o tairoao
anuo ello Iti'i disse que c uno
instancias eilraordloaiiaa para
a tal mina, que ello passava a refori-las;
fazo ideo i ola maneiri aaguiata:
iiissaquc umi rapariga de20annoa, pou-
co mais ou monoi que bavla silo cria la
vn mu cus, havia ji alguns di is aouria
riirloi .1 qu s, que a faiii-n Rcar a porfito soin'i'imbili.ino, e dizia re urn li i-
iio.ii ralbo, vo.ti lo de padre, o qual llio
oelia tna-ilass) diter umi toissa por um
religin do Carino, pois que olio linlii >! lo
mooibro desta corpo'agilo icligiosa; c que
toado Tallado com os sous djior, s, e o .1 o
olles deixalo de dizor una i.us-a, q'ic era
obrigido a li/.er, boje seaclnva penandu
oque s nenie dopoil que olla fossi dita
por um religioso podoiia olio alcancar a
gloria cierna. Rio-so o padre com 8M<
narraffio, c disse ao dito Joao (lirysosto-
mo, quo com quanlo Dio acrclitisso nos-
sas historias, com lu) dira a inisa que
Ihe pedia : promaltaO-lhe o dito Julio Cliry
snslo no que no dia em quo desso o ataque
na rapiriga o mandarU chamar, pura elle
presenciar o son estado j e que nilo linha
d aceto, mas que asilaros oram soinpre
do noile, cometan Jo o ataque s 7, o ac-
aban lo s 10 horas : respoudeu-llie o padre
loo a Oisas horas da uoito nlo co.-tumava
sabir du convento, o nueo mala quo pode-
rla fazer era ir ne.-so da tardo convosr
com css.i rapa'igs, pira ella minuciosi-
monte coular-luo o quo via, visto elle di-
zor-lhu quo ella conservava a lombrani;a do
tudo i i "I i so posuvd duranlu os ataques.
Nialo lio u ;i(ii, o relirou-se o menciouado
Joo Cbr ysustomo,
A's novo lloras, porm, pojeo mili ou
menos, appireceo elli ao padro, bstanlo
aterrado, conviJando-o para que fosse ver
a rapariga a quoni, fra no cortume, luvi
dado oataquo do dia. Veslio-se o p.dro e
irigio-soao primeiro andar deum sobrado
da ra das Larangeiras, c com vlFoito an-
conlrouuma mulbor que representava tr
vinlo o vinto edous annoi, recostada en
uma cadeira, bstanlo d sligorada, cuinos
ollios fechados, dos quaoi curriam algumas
lagrimia.
Poucos mnincntos depois do ler o padre
eolia I i, cornecuu a rapiriga adarsignsos
do vivas allliCQos.i, polo quo as pessoas da
casa so virain obriga las n deltl-ll sobro um
estrato com a fronte para a parejo, o as
nios sobro o peito; llMta oslado ouvio-
lh) o pairo, com voz bustanle ar.attada,
e cuno cansada, fazer o pedido da inissa,
com todas as circunislancias que til s havia
referido o dito Joo Chrysuslo no : dni-
gio-lbo, eilj, ello varias uergunlas, o en-
tro ellas: quo s dalia ero lito sj olla, quem
quer que era, qu.i di.'.ii estar ipoiaado do
coriodcstH muliier, lizess: o mesmo com
ella; isto l,c, se dirigisso a elle o litess*
o seu pe lito: res/ondoo-lhe quo o aio
fazia porque ello ora bailante fiacj, o uo
tulla .i corasen precisa para ve-lo e fallsr-
Iho, ( durante todo cs'o -ilogo falliv) essa
muilier como so fosso uin lime n quo fal
lassa a outio ) o que uo era aquolio o dia
destinado para elle, por meio d'aquella mu-
Ihor i. ..-; 11 o seu pedido; mas como ello
havia mofido da hi-t ira que Ihe contara
o dono da cssa, quan lo llio pedio para di-
zer a missa, Dcos lite havia ordenado que
elle apparecesse noste dia para elle ouvir
a niu li -i- fazer o pedido, e convencer-se
da verlade da narrarlo que Ihe havia sido
feita: perguutou mais, so sabia a que or-
deiu p rleucia a pessoa que Ihe I lliv,
respondou a voz, que portencia a orden do
Nossa Senhora do Carino; so sabia que or-
dens ella tiltil, quo as ordens de misil;
se oceupra algum cargo na n.esma ordem,
queni, o sinonte era padre do missa;
se sabia qual o se i nomo; que sibia, mas
que o no dizia, porque Ihe era vedado di-
zer, assim como lamben o sou nomo.
Depois do outras multas perguntas que
Iba fez o padre pelio-lhe a voz rezisse o
ollicio do Nos.a Snubora do Carino, pois
este ped lo pela dila mulher, todas aa ve-
zes que linha os ataques): rozou o padre o
ollii-i i do Nossa Senhora, quo foi repetido
inoito alto pola voz; Un lo o oQicio disse-
Ihu que eran j4 horas decoro, e que olio
so quizesse poda ir reuuir-me aos seus
i- ini|i.iii olios para o crtro; e que o tor elle
faltado ts horas cannicas era lalvez a cau-
sa de oslar penando ; e quo quando acabas-
so o coro vollassc, quo anda o havia do en-
contrar na mesini casi, pois tlnha ordem
para s so retirar ios cinco minutos depois
de ai'io-dia.
Rolirqu-so o padro para o contento, o
apenas ah chogou contou aos sous com-
pmheiros o occorrido, bem como ao padro
provincial, o desolando quo alguns dos
mesmos qompsnheiros prosenciassem o fac-
i, o sibondo que anda a mulher contiuui-
vi no mesmo esta lo pe-lio ao padre provin-
cial pita ir com illo r u mulher Assontio
o provincial ao seu pedido, o foram men-
cionada casa, e ah chegados, conservan-
do-so a mulher no mes-no estado e posicSo,
fez-lho o pidro provincial as mesmas per-
guntas, qu i o seu companheiro llio havia
leito, o too as niosmas respnstas; porm
porguntou mais se sabia quantos religiosos
ah aa achavam, ics.'Ondou quo dous; qual
kilos o mais v.llii, que olio; qual dos
lous ora padro de missa, quo ambas; ao
sabia quai o seu cargo na ordem do Carnio,
q io mu lava a todos os s"us companhei-
ros; qual linha sido o sou cargo nesta or-
le n a quo dizia ter peitencido, quo nunca
gnvernou, o linha sido s nenio padre-mes-
tre; se tinha s onpre cumprido coro as suas
ohrigaijes, que nilo; so ifnha li-Jo f no
o-e,..i,lino do Nossa S'ulior.i, que tinha
ldo muit) pouc f.
Foram hites polo padro provincial muil'S
outras perguntas, que Ihe foram sempio
responJidas cum acert, por mais que pro-
curas-o confundi-la.
Pedio dopois a mulher que os dous reli-
giosos resassem a J/ajn//ica--rt sarlo-na em
porluguez, e ella os aompanhou ; depois
passaram a rzala em lalim, e foi igunlmon-
teacompanhada; linalmonto podio que quau-
do as igrejas dossemmeio-dia, tolosque Os-
tavam ni casa bem como oilos, rosa^S"m pelo
STiordeDeoso bom ditodo SS Sacramento
e alguna padre nossos, d'ahi a poucos mo-
mentos deu meiu-dia na matriz do S. Anto-
tonio, o mniediatimonto comeQouellaa dar
eignaea do i npaciencia, e dissoja cliegou
o momeutu de rellrar-me, comossou o ben-
dito, o quo foi In iibem acompanhado pela
mesina voz arrastrada, e os padios que
uo sabiam o ton resavam com sigo s,
mas ella pedo-lhoi, que tamben resassom
em voz alta, rosado que fii o bom lito pe-
dio-lhep, quo resassem outras orces, u
quo litera ni, sendo seui.uo acompauhadas
l>ni ella, o lin.lmcnto resou-'e os padre
rnsinsyln los os quses disse-ihesa voz, quo
quoiii que tojos dessa c si fossem as-
sisiii- i missa n i igreja do Carino : quo na
posso i dessa mi liz mulher lli i fosse lanca-
li abanlo, ouyoa lienta, para puder dei-
na-la pois bastsvam tanto- soirnnionlos,quo
ella baria pissado: di.-so quo leos (lies
havia da pagir essa osmolli, o quo dezia-
Ihes a dous atedia do juizu, o quo repetio
per trez vetea. I'indis estas ultimas pala-
vras, I vaiitou-se a mulher cono so acor-
diss-, conservan io s nenio o vista nimio
espanta la o porgunlaram-lheospadrosse ol-
la se lernlirava do quu hiviu visto, o fallado:
res loudcu que sin; que Uama visto um lio-
itiom velhoveslidA do pi Ir;quo inseiisivel-
munlo era obligada a repetir as palivras,
que esso homem Iho dizia, mas quo nilo era
ella que l I va, o que se sorviam da sua
bocea. Poucos momentos depois, quo olla
havia tornado a si, comocou do novo alisar;
no mesmo oslado do uUquo, e onlo fall,u-
lhes cornuda primeira vez, dizoudo quo nilo
podia ratirar-aeom quanto olles nilo sore-
eolhessom ao son convenio, o que os quera
acompanhar. Como o esta lo da mulher cou-
tni'iiss :a piur.ir pe lio o padre Moura ao pro-
vincial quo so rclirassutn. t^onslou aos pa-
dres quo depois da sua retirada, a rotillici'
tornara ao sou osudo do Millo. Na madru-
gada do dia 15 do corronto, como havia pro-
ii-ili '.o, preparon-so o Rvm. fre Moura pa-
ra dizor a missa o quinlo lita psramen-
tar-sj recoheo uo recado doquo a familia
de Joo Crysosliino so ochava j na igreja (a
qual so achava cueia al a capolla mor do
p.-ssoas do ambos os sexos ), quando o pa-
dro so Jirigia pira o altar recebo nutro re-
calo de que amulhcr se achava no crusciro
da igreja no mesmo oslado em que ello a ti-
nha visto em casa. NSo me so importou
com isto, o s.'guio dizer a missalinda
ella o tendo olio j feito a oraeo do gracas,
vieram algumis possois da familia pelir-
lllo que fosso laucar a bencSo o sspergir
aquella mulher, quo o.n vos sobro ustiral
i -.I a qu i o padre que havia dito a missa Ih:
fosse lancir a henean. Cor.dossendendo u
padre com os reiterados pedidos dirigio-so
ao cruzeno da igreja, onde encontrn a mu-
lher cihida nos bracos de duas sonfiorjs,
luicou-lho abonQio da nussi, o aspergi, e
linda essa sorliuouia, immedialainonle le-
vautou-seelli, como havia l'eilo ornean,
boi.
Renden a alfaudeg de 15 a JO do correle
70:0,8/244 r!.
Kulraram durante a semana embarcaede!,
viudo entre ellas urna inglesa com bacalbo.
Sahiram 17.
Falleceram 3a pessoas, sendo '28 livre! cu
cscravas, entre aquellas 4 hotnens, 8 inuttieres,
10 uieuiuos, e entre estas 5 h uncus, 4 niullie-
rei e dous paivulos.
1R0lPlNllBliGO."'
ItECIf'ESI DE DEZEMBRU DE 1851.
Pelo vapor Haitiana entrado hoje do sul
recibamos jornaei do Rio Je Janeiro, que
alcaucao a II do cprrento, cdoMaceique
alcaueilo a 90.
Em outro lugar encontnro os leitores
as ultimas noticias relativas a Uuenos-Ay-
res e Montevideo, que tran-crevemos do Jor-
nal do Commercio, restando-nos gmenle
accrossenlar esse respailo que, no da do
passado foram ratilicidos pelo presidente da
repblica oriental os cinco '.'alados celebra-
dos em 12 de oulubro entre o seu govorno
e o de S. M. o Imperador, e quo ja o linliam
sido par esto om II do dito mez de outu-
bro. Esles tratados versam, o primoiro so-
bro limites entro o Urazil e a ropublici
que a havia pedido muito s pessois da oriental do Uruguay, o gunlo sobre a al-
cas., mas que ellas nao sabiam ( as mesmas' lianca entre os mesmos csUdos, o terooiro
pessens nirmirara ao padro ler sido foilo sobre a prestaco de soecorros por part do





T
*.
Brizil o iVagiy, o quatto sobre o commer-
co e naveg-co entre os dous estados, o
quinto liliquienta sobre, a entrega recipro-
ra de criminuzos e dizerlores, e sobro a
devolu(3o de escnvos ao Brazil.
Em Porlo-Alegre alescubrio-se un ilean-
oinacaixa dos orpligus, em consequencia
do que j tinhs sido prezo o thexoureiro
Manuel Vieira Lima, e expediri-se ordem
de captura contra o ex-juiz, Dr. Jacinto dJ
Silva tima, que se tinha evadido-
O Sr Dr. Bello chegra ali no da 17 da
outubro, e toroou possa da presidencia no
dia 17.
No dia 15 Jo pansido seguio do Rio Gran-
de para Montevideo o vapor Imperador >
conduzindo 160 pravas de artilharia, e 8 bo-
cas de fogo.
Em S9 do referido mez achanio-se o Sr.
Jos Augusto Cisnriros.de 33 anuos de ida-
de, cuzado,natural do Lisboa, dono e ci| i-
tao do brigue brazileiro Carmela, em sua
casa na ra do Livramento. foi morlalmon-
le ferido porum seu escravocrioulo, mari-
nheiro do mesmo brigue, e sucumbi no
dia seguinte, tendo Je ser convocado ex-
traordinariamente o jury da coite parajul-
garo assasino.
No dia 21 do passado pelas 3 horas da
larde cabio em Reaende urna forte tormen-
te, acompanhada de rbuva de pedra, a qual
no espago do 7 minutos estragou muitas
rocas despedacou as vidrac,as das casas" d
cidade, e darrolou muilos telhados, flendo
as ras cobertas degraniso, e havendo t-
penas a deplorar a morte de umlnegro, que
na nccaziSo cortava canas em um caoavial
junto a casi de sou senbor.
Foi pronunciado a prizSo, e livramento
pelo subdelegado do Dan lelaria como in-
ourso no ar. 167 Jo fodi,!o criminal, Anto-
nio Jo> Ferreira preso na ca lea do Aljube,
prnvinc
licia d
hy para < 1 cliefe de po-
provincia das Aligis, por assiii o
lalvez foram victimas de tua demasiada cora-
gein.a
Procedia-se no Rio de Janeiro i elloicSo
dos depuiados provinciaes para a vmJour.i
legisldtura. Uaixsiram a secretaria de es-
tado dos negocios di justica os scgiiinles
despachos.
O bichar.'! Francisco Xavier Pses linr ",
removido do lugar de julz de direito da co-
marca de Oeiraa, e de chefe do policia da
iailoPiau
provii
bav r pedido.
O juiz de, dirello Goncalo da Silva Parto,
removido da comarca do Aracaly, na pro-
vincia do Coar, para a comarca do Alcn-
tara na do Marauho, por issiin o liav t pe-
dido.
O juiz de diroito Jos Pereira da Crac,!,
removido da comarc do Quexeiamobun
para a do Aracaly na provincia do Cear,
por assim o havir pedido.
O juiz do direito Antonio LcopolJino de
Araujo Chaves rrmovido da comarc de Al-
canlara, na provincia do MaranhSo, para
comarca deijuexeramobimna do)Ccar, por
assim o haver pedido.
Jo3o Coclho Vastos, ex chele da primeira
legiio da guarda nacional do municipio da
capital da provincia da P.irahyba, reforma-
do no posto das.
Joiq iiii Jos d'AssumpsSo Jnior, 2 l-
ente da primeira companhia do batalhao
de artilbaiia da gualda nacional do muni-
cipio da curte.
Bacharel Antonio Candido Ferreira d'A-
bro, recouduzido no lugar de juiz munici-
pal edeorplios do termo dn Coritiba, pro-
vincia -le S. Paulo.
Bachprel Francisco Jorge Monlelro, juiz
de direiio da comarca de Urub na provin-
2
II i\l J\lct l i i i i i i ii 1 V-" 'i i i "iii.... u i u | i na- ni ('
porter.segundoja[noticiamos, tentado des- oa da Baha, removido para a do Porto Se-
cont.r urna letra de 19:525,000 rs., comas "O da mesa.a provincia.
Urinas falsificadas dos Srs. Antonio Ferreira Bacharel hrmano Donnngucs do Couto,
Alves, e Maxwell Wriglit. Ten Jo sido a
pronuncia sustentada pelo juiz municipal
ila 3. vara, o reo Interpoz o seu rccursi
para o juiz de diroito da 1. vara que nao
Ihe o re'cebeo por ter passa lo o praso
legal.
O .Sr. Antonio Das Pavilo fui agraciado
com o titulo de bar3o d- llaguahy.
Forflo mais agraciados, por decreto de II
de outubro com oforodu moQO lidil,'o,ten-
do exercicio ni casa imperial, os Srs Lou-
ren?o Alves Carneiro, e Podro Alvos Carmi-
ro, lillios do coaselbeire Francisco Alvos
Carneiro.
O Sr. Thomaz de Arsu, cnsul do Braizl
cm Malaga, e presidente do tribunal do
cummercio daquella praca foi condecoraJo
por S, Migestade citbolici coma real or-
dem de Carlos 3.
OSr. Irineo Evangelista de Souza roque-
reo privilegio pira construir urna entrada
de ferro do porto de Mana na Bahia do
Rio, at trra da Estrella. O terreno foi
examnalo por um engenheiro, pralico
nesse tiabalhoque,reconboceo olTerecer elle
as melhures condices para o ensaio.
Le-sc no lornal do Commercio. do 16 do
corrate ;--Macrobio,-Fallacou bonlom com
quasi 106 annos de idade a Sra. I>. Joanna
Bernarda Claro llibeiro, moradora na ra
do Fogo esquina da de S. Joaquim, em casa
de sua neta a Sra. I). Felisbina Claro Cor-
ris.
No dia 27 do passado pelas II horas da
manila, na presen;* de S. M. I., destribui-
ro-se premios, e foi conferido o grao de
bacharel em letras a varios alumnos do col-
legio Pedro 2.
No da 3 do corrent! tomaram o grao de
hachareis em mathcmaticis, na escola mili
tiros Srs.
2 lmenlo de artilharia llcnrique do Amo-
rim Bezerra,
2o lente de engenheiros D. Jorge Euge-
nio do Lorio.
2 lente de artilharia Brazili > de Amo-
rim B.'zerra.
2" tenantes do cngenlieiros Jos Francisco
de Castro Leal, Francisco finarte Nunes,
Francisco Carlos da Luz, Itlilino Eneas Gus-
tavo Galvflo, Antonio Mara de Uliveira Bn-
IhOes, Firmo Jos de Moli.
2" tenente de artilharia Tiburcio Hilario
da Silva lavares.
1 lente dito JoSo Mira de AliteiJa
Portugal.
Por decreto de 22 do pascado foram ex-
tinctas as pagaduras militares existentes
as provincias.
Lc-se di Revista Commercial de Santos
de 21 do mencionado mez :
O naufragio da Escuna inglesa PDk
A escuna ingleza l'i.ik, capitao David
Canningliam, com 6 marinheiros de tripu-
lado. Sabio a 21 do outubro do anno cor-
rele do Rio Grande com deslino par Bir-
keobead, carregada de cinza de ossos e cou-
ros.
Prosegua sua viagem sem novidade al
o dia 6 do corrente, quando nesse mesmo
dia 1 hora da tarde.achando-se ontflo em
27'46'lit. S e45 30 long. O ,um horrivel
luraefio sobreveio ao navio, o qual mudan-
do repentinamente de Ouesle pira Sul ac-
commeiteu-o com lauta violencia do lado
do estitii.n .1 y|;" o mar furioso iio s inun-
ilou completamente o convs, mas tamliem
arraucou as velas do gurups o abri urna
parte do costado. Imoiedialamcnie a escu-
na comee,!'" I fazer agua, e c un tanta abun-
daneia, que nao podendo dnscubrir-sc a
rende, preciso foi Irsb.i.rscm intcrrupco
as bombas para aliviar o navio.
O capitao, cedendo aos pedidos da tri-
pulacao quo procurasse o porto maia perto,
fez rumo
te artigo sobro a situacao politica defse li, que vmseiiSo celebrada no da 6 resolveti
ii,]/ unanlmemeole oppor-se propoala.
tA situacao politice da Franca complici-se A.'"' Beia cada ,lia mi K rn-nmlusla nnmna.U nnl iii'mbrotwiue coinpSem a me.a, a aabr, Mr
caaa uia mais. a conmissao nomeana pola dcBrogl Momalembert. OJilloo Barro!, e Da-
assembli pira dar pareeyr sobre a loii ele- ru, coarregado. de fa.cr propoaMs amlgavcii
toral, Com.Oe-ae de l71nJlvidu 08 hoatis locleade da ra Rlvoli, aflm de rcuulr as
ao projecto do governo, e s dois favora- rraccOes dlsaldenle da malaria dectararam que
veis. Fortnou so um culculo de toda as os iemi pasaos iloham sido Infruciuoioi.
votado-j que se verificaram as secQfles pa- *0 Constllullonri'l accresceolaque se baria
ra fazer cs'.as nomeactJas, e resultou que de Wrinado nina verdadelra colllgaco entre a
6*8 ropresc tintes 270 votaram com o go- fl",cf0 fe ^r- 'er- e 'EHImi.t.a. prea-
vpnm n 17K p.inlra faao lies aquella, o seu apolo, com a condl-
veruo, ej7BConira. ___ci drqne elle rcamal* candidatura do nrln-
A commissao constiluiu-so no rncsijio SW do Joinvllle, e rtl. a proposta Crlon.
dii da sua delego e nomeou a Mr. Molo para ? o general Fabvier apresentou uma cont
pi'csi l'iil', a Mr. Chassagne Goyon, para proposta dos quettores para que a aisembla
secrclario, e a Mr. flaru para relato". declare que cedede qualojuer forja armada pa-
Em vista (lestes uniere loles nlo seria ra sua leguranca.
difcil que a assemblca regeitasse o projecto ."('m de Paria dl que Mr. Creton nao
de lei e
da rep
ntreos pouores supremos ua inyau ir.nc- s||,dode um comproinisio enire os ligitl
za, ho impossivei calcular qual dos doissi tas*e a fraccao de 1 hiera.
vori obligado a ce Icr, ou qual ser vence- feo Estandarle do 92 de novembro tran -
dor. crevemos o seguinte artigo, do qual se v
So a taaioria da aesemhla continua que a assembla nacional da Franca regei-
compacta, ese recusa a restabelecer osuf- tara a oroposta do presidente da repblica
fragio universal, LuizNapoleSo poder entilo acerca da revogaco da lei de 31 de maio,
voltar-se para um golpe de estado. Pelo nao obstante todo oempenhoque nesta re-
menos foi este receio que in.-.pirnu a pro- vogacSo elle tomara, ou antes por causa
posta dos tres questores, dirigida prum dcste mesmo empenho.
exercito sob as ordens immedialas da as- Nenhuma importancia lom as noticias
sembla. Ese os poderes supremos levam de Franc, recebilas pelo crrelo ordinario,
a sua mutua desconfianza ao ponto do se mas aquella que publici a Espaa, e que
prevenir um contra o outro com um exer- pissamos a transcrever he de bastante
cito respcitavel, que garanta tnri a ordem transcendencia,
de quo a Franca possa atravessar sem trans-1 Diz pois a Espina :
tornos a crise de 1852 ? Acaba de nos ser communicado pelo Sr.
A tal ponto cuegou a gravidide dos a- governidor civil, que em Madrid se liavia
contecimeolos em Pariz, que a proposta
chamada dos tros questores fez perder qua-
ze lodo o iuleies.se le eleitoral. Na assem-
bla e nos circuios polilicos s se fallava da
primeira. U general Fabrier, representan-
te, apresentou contra a referida proposta,
oulra concebida nos soguinles termos :
" Ait. 1. A aasombla nacional, forte
com o direito da sua ininoriii, renuncia a
qualquer turca armada para guarda sua.
a O matn',| de arlelbaria que est esta-
cionado nos pateos do seu palacio, ser pos-
to a disposicSo do ministerio da guerra.
o Por agora doixaram os jornaes france-
zes de fallar das cmlilaturas para a presi-
dencia da repblica. Antes de se resolve-
ren) as grandes questdes que estilo penden-
tes, n.io he possivel pensar em candidatos.
Luiz NipoleflO nfio he reelegivel sel couslt-
tutciio nfli) for revista. O principo de Join-
villenlj ho Rogivol se proposta Crotn n3o
fr aprovada, afim de se derrogar a lei de
desleiro da familia Orlems.
O projecto de sufragio universvl, a revi-
juiz de d reilo da conisrca do Maranho, na
provincia de Goyaz, re novido para a de
Urub, na da Baha, por assim o haver
pedido.
Bacharel Mano-I dos Passos Baptista,
juiz de direito da comarc do Ass, na pro-
vincia do Rio Granla do Norte, removido
para a de Goianna, na do Peniambuco, por
assim o haver pe li lo.
liieliircl Joflo Valenliin Dantas Pinag,
juiz de direito da comarca va Maioridade,
na provincia do Rio Grandado Norte, remo-
vido pira a do Ass, na mesma provincia.
O juiz municipal Luiz Cirios de Pa iva
TeiX'ira, juiz ue direito das comarca de
Oeyras, e chefe de policia da provincia do
l'iauhy.
O juiz municiial Luiz Gonzaga do Brilo
Guerra, Juiz l'o direito da comarca Ja Maio-
ridade, na provincia do Rio Gramlo do Norte.
Le-seno Correio Senjipnse de 20 do passa-
do :
i Por "fio r.-t rinos anda bem Inlormados
"Id noticiamos a mais tompo os desastres
que liveram logar em o dia 7 do corrente
por occasiflo da grande Irovoada destodia.
ii Sr. Antonio Agoslioho da Silva Daltro
proprietario do engenho Quisssaman, a 3 le-L
goas desta capital, achiodo-se dirigindo o conferido ao poder legislativo polo irt. 32." parecer pouco conveniente, mas que foi
sSo ds constituido, a proposta Creton, e
dos tres questores, sao poisie qualro ques-
tes que so ii.io do resolver prximamente,
antes de o horisonte poltico da Franc icli-
rar mais.
A proposta dos questores da issembla
que cima nos referimos, a seguinte :
Art. |.* O presidente da assembla
nacional est cncarregado de velar pela se-
guranza interna da assembla.
recebido uma puticipafao tolegrapbiua da-
tada em Pariz a 14, annuncian lo que no dia
anterior fra rejeitado na assembla fran-
coza por 7 votos de maioria, o projecto de
lei apresentado pelo governo sobre a refor-
ma eleitoral.
Este resultado estiva previsto ; com lu-
do, causou-nos eslranheza o pequeo mi
moro de votos de maioria. Sob tal ponto de
vista o presilcnlo da repblica livrou-se
me,lhor do queesperava. Em breve rocolie-
remosos pioineno'os da votacSo; oiitrolan-
to suppomos que teram apoiado o projecto
delei a monlanha, a fac(3o bonap-.rtista e
os legitimistis que militam hob asorduns
de Mr. de Li Rochejacquelein. Destacadas
estas duas ultimas fraeces da maioria, he
fcil de comprehender, que esta luctou com
difllculdade para regeitir o projecto de loi.
A proposta dos tres quostores da as-
scnibl i nacional, para qu o presidonle da
mesma possa ,li. r da forga armada, divi-
DIVERSAS PROVINCIAS.
Rendimcntodo dial 119. .
dem do dia SO.....
' I.enlia de aohas .
Cento
l:833,no7 Dito de toroi .......
'TIl57** Pranobosdc amar, da % oust. Um
Ditas de louro...... a
Couado do amarello de 35 a
1(1 p. clec.o 2 a 3 de I. ,
2:21l,4ao
Dilodito usuies
Costadinhodu dito.
F.x|iorta(o.
Aciracu', hiato brasileiro Aguia Bnsilei-
ri, de 53 tonellaJss, conduzio o seguinte:
3 cunhetes a(o, 1 amarrado e 1 lensol chuin- Soalho do dito
bo, 3 cnixOes e a pacotes mandas, 9 caixas Forro de dito .
folbasde flmdres, 3 harria finsgre, 8 barri-' Costado de loune ..
.t.a.^f^^!!1.h., P*1*S: Costadinho da dito .
cas bolacbinha, 12 di
ditas bacalho, 9 saceos bilatgs, 2canislris
cebollas, 14 caixas paisas, 8 barricas cerve-
ja, 7 birria e4 pipa vinbo,-4 "arrifJa a-
zeite doce, 3 CJxas cha, 6 ditas sibilo, 4
saccaspiment1, 4 gigos loucs. 6 ancoretns
a/.cil nas, o suecas alfazema, 1 caita papel
surtido, 5 1|2 barrii manteiga, t biusmho
fazendas,44 barrssde ferro, i caixa e t bar-
rica drogas, I barril oleo de linhaja, 31 bar-
ricas assuca', II pipas agoirdcnto, 2 barra
mol, 2amarrados caixdes de doce, 1 ciixote
rap, 9 barricas genebra, 9 tsixas decobie,
1 cama du amuelo, 1 louc Inr de amarello,
1 marquezi, 1 birril com 34 medidis de ge-
nebra, e i|2 pipi vinagr.
Cear, hiato brasiloiro Novo Olioda, de 85
tu orll i Jas, conduzio o seguinte: 160 bir-
ricas farinhi de trigo, 3 caixas medicamen-
tos, | botija ol'J do Mollar i, I Clixa c un 30
clavnint-s, 6 caixas passas, 2 emhrulhos
com 90 resmas de papel pardo, 3 caixas eer-
veja, 2 fardos ilcasii, 5 pipas v.nho, 9 far-
dos fio da India, 3 Ciixas CSSSas, 5 .arrise
4 pipas vinho, 25 cinastns bititis, 1 ciixa
canella, 10 ancoretas azeitopas, 4 barricas
bacalho, 1 caixa cera do Lisboa, 2 lian s
linguicas, 1 canastra albo, 1 saaco pimenla
2 quartolas vinagre, 9 barris azeits doco, I
caixSo lazarinas, 4 barricas genebn, 15 sic-
cos balitas, 2 canas passas, 1 barril paos,
6 dilos prezuntos, 2 hamos oervej, 1 cai-
xi queijos, 1 garrafo alpista, 2caixis mas-
sis, 7 barricas rerveja, 1 dito chouricaa, 2
c.nxas passas, 1 lata miudezas, 2 pipas vi-
nagre, 1 camstra prezuntos, 1 caixSo papel,
1 raiza medicamentos, 1 dita com 800 cai
xas de ub eias, 1 .lila couros de lustro, 6 di
tas passas, 4 birricas botaba, 1 barril azei-
le doce, 4 caixas massas, 1 camastra e 1 sac-
coroiha.s, 1 saquinhocravo, i ditoervado-
0*| 1 barril vinho, 1 cinastra albo?, 90 an-
coretas azr i tonas e 30 caixas sabSo.
Gibraltar, briguoossuna Inglez Fanny, de
145 tonelladas, conduzio o soguinto 600
ssccose 75 barricas com 3599 arrobas o 17
libras de assucar, a400siccos com 1800 ar-
robas de caf.
Buenos Ayres com escala por Montovido,
... .
. -Quintal
Duzia

dio i um me.ni.i leupo os montanhezes.
< Nu partido da ordem Mr/. Thiers, Mole Psl"cno ditaaniarquez llolstem, de 174 lo-
e Berryer, decididos a guerrearen atoJoo1 n011"'11*. couduzo o seguinte: 50 pipas
custo o presidente di repblica, na quest3o; 8''lnte, 900 barricas com 6204 arrobas
eleitoral, approvam a amosca envolla na! e libras de assucar.
proposta dos tres questores. Jlrsllroglie, l'^EBEDOItlA DE RENDAS INTERNAS GE-
Odilon Barrot.Montalembert eoutros inem- RAES l>E.PENAMBUCO.
bros influentes da maioria, deelaram quo,
qualquer queseja ojuizoquose formo da
conducta de LuizNapoleSo, hecertoque es
te nao deu motivo para que sosuspeilequo
medita um golpe de estado, o que a propos-
Exerceem nomo da assemblc o direito ti di derogic,o da lei de 31 de maio podo
servir" da sua lavoura,e sentindo as du-
vens mui carrogadas, mandou largar o ser
vicoe recolhercm-se : do caminho paraci-
sa tomaram osescravos um forte chuviro, e
so abrigarom alguna debaixo de um Csjuoi-
ro : aqui ao estalar de um Tordsimo tro-
vi i um raio tallian lo os ares veio ao logar
edeixou duas pretus imincdiatomenle ful-
minadas e sem vida, o uma sem o uso da ra-
sSo. Em outros longares os estragos lo
:am de menores consequeuci alguns bois
e cavallos morios nos pastos o nada in9.
Da Babia o la podemos dizer por nilo
lemos recebido jornaes d'ali i
Em Macei foi collora la noilii 2 do
correnle, pelo Exm/presidente da provincia,
i primeira t e Ira do pharol no alto da pl-
vora.
Pelo Irigue porluguez Tarujo-primciro
ctngido hontem do Lisboa recabemos va-
rias gazolas publicadas naquelh ci lado,
juc aleancam a 22 do novembro p. panado
o por el les tiremos noticias di Hesp n lia
ale 17, da Franca at 13 o da Itilia at 8 do
mesmo mez.
Portugal, ficara tranquillo; as eleicfl
para deou'a los iam rocabindo pela naior
parle em mombros do part lo seplembris-
la. Os peridicos da opposicSo noticiam
quo dirigindo-se o corpo doplomatro ra si
denle em L'sboa ao ministerio pura que Ihc
declarasse de quo modo procedera, caso
viessea oconlecor que a maioria da cam'ira
fosse cimposta do in lividuos dosto partido,
o goveno Ihe responder que, se isso acon-
tecesse, a cmara seria dissolvida ; mas no
Mario do Governo l-sio seguint) desmen-
tido a esta noticia
a TenJo-se publicado n'uTijornil dcsta
capital que o governo do sua magostada
declarara oflicialment-} aoorpo diplom-
tico quo a futura cmara dos s?nhorcs dopu-
tadosda imc.o seria dissolvida apenas se
conhocesso qoo a maioria do seus mombros
partencia ao grexio selembrista, por orden
superior se annuncia qmhe falsi e destitui-
da de todo o fundamento, aquolia noti-
cia, a
Todsvia, nilo nbstant esto desmentido,
os peridicos Ja O)>pose,ocontinuain a af-
(Innar que a noticia vcrdaJcirn.
Nil iivsp'inna, nada de extraordinario ti-
nha tido luijir.
da constiluiQSo, defixaro ouaiero da forca
militar destinada sua segurtnc, de dispor
della, e nomear o chefe que a deve comman-
dar.
,, Para esse lim tom o direito da requesi-
tiri forca armada, e todas as auctori ludes
ruja cooperarjao julgue necessaria.
Assuas requisitos podem ser dirigidas
diroctamento a todos os oliiciaes, comman-
daules ou funccionaiios que eslSo obliga-
dos a obedecer-lbo immediatamenlo sobas nos aconselham os seus correligionarios,
penas estabelecidas as leis. I que nflo tomem parto n'ostas ol'eirjes, para
Art. 2. presidente pode delegar o seu protoslar assim tcitamente contra as res
direito de requisic^lo nos questores, ou em tr/eces do sulTragio universal,
qualquer dalles. Mr. Blondel, no neado ministro da fa-
Art. 3." A presento lei ser pnblicada zonda, anda nilo tinha chegado a Pariz,
na ordem do dia ao exercito. e afiliada em neui o governo recebno a noticia de quo ,-
lodos os quarteis do territorio da republi- quello individuo accoitiva o cargo do mi-
ca. nislro.
O Diario do Goveruo de 2i de novembro 1 O general Magnau, apresontou no dia 9,
iranscreve o seguinte artiglNa poca a sobre ao presidente da repblica, os oliiciaes dos
o inrsiiin oi.jtcio : regiiuentos ullimamento chegados a Pariz
Aparte mala intetessante dos debatea da Aquelles olficiaes om numero do 500 a 600 .
mblca franceza, no da 7, leve lugar, nao rKllnMm.n .a Ti.lh.r!.- .i'.ui ...ti.:?
Rendimento do dii 20..... 577,137
Consulado provincial.
Rendimento do dia 20.....1:877,2(6
DI
um icio estrictamente lega
Em um reun jo Celebrida polos repre-
s 'litantes d i Monlauhi, para tratar do mes-
mo assumpto,asopinies dividiram-se l mi-
li ir. em partos quasi iguies.
No dia 30 deste mez, deven) celebrar-se
em Pariz as eleir,0s para nouear um re-
presentante dn departamento do Sena, lim
de substituir u genual Magnau, que deu a
deinissili) deste cargo. Os joroaes republica-
Assucar -
reuniram-so as Tultterias, o fall sediri-
''_ giram aoElyseu, acompanhados do general
esse
na cmara mas nas scccea, aonde os represen-
tantes se 11 nuil .un. antes da sesso, para no- it
inearcina coininissao que deve informar sobre >'gnau e de mais nove geueraes.
o novo projccio de le eleitoral apresentadop ir | Sendo aprosentados ao presidente da
Mr. de Tlmilgny. O numero de representantes repblica, esto I to lirigio i allome, io je-
eicedia de C.'.O. | guinte:
Em geral nao houve discussao contradlc-l Senhores :-- Ao receber os oliiciaes dos
loria, e os oradores se limitaram declaracao!diversos regiment* que se succedem ni
de principise a prolissi.es de fe A maioria foi guarnicao de Pariz, felicilo-me de os ver
quasi unnime cm rejeiiar o projecto de lei, e auimaJoa d'essa eio.rito militar, una f0
quanto urna aolucii,
posta pelo governo
tinha de faacruin a
a dignidade da asse
retractaciio que se Ibc propunba.
PRAgA DO REC1FE, 20 DE DEZEMBRO
1851, AS 3 HORAS DA TARDE.
Kevitla semanal.
Cambios- Sacou-se a 28 3|4 d. or 1/rs.
din limo a vista, e a & Ificom
o praso de 30 dias: ao priinei-
ro preco ha poneos sacadores ;
c sobre Paris lucram-se sa-
?ues a >30 por franco,
endeu-se a 4/800 ra. por ar-
roba de primeira aorte, e a
4/sy00 ra. a de segunda.
Vendeu-se a 2:400 rs. por ar-
roba do brinco segunda qua-
lidade, a 2/300 rs. de tercelra,
a 3/ rs, da quina, e de 1/359 a
l/UOO rs. da quinta i o masca-
vado vendeu-sc de 1/150 a
f." o rs. por arroba; a entra-
da ful avuliada.
Gouros salgadoa-Vendcrain-se a 112 rs. por li-
bra.
Azeitonai dem de 800 a 1/ rs. por anco-
rela.
Bacalho Eaislem em ser tres carrega-
incnlos que nao tein acbado
comprador: retalhou-sc de 6/
.i 7/500 rs. por arroba.
Uolachiiiha- -,Veudeu-se de 3/200 a3#5e0
rs por h.ii i iqoinii i.
Carne secca dem de 2/ a 3/400 ra. por ar-
roba ; llcaado em deposito 20
mil arrobas.
I ai. de trigo Os preces nao soYerain alte
racao. existen! no mercado
7,000 barricas.
Viiihoi----------Vendeu-se a l5ti/rs. por pipa
do do Porto de qiialidade au
perior.
Vinagre Fez-ae venda em leilo de 44/
a4s| rs. por pipa.
Descontos De i i|4 a I i\i por cento ao
mez, lettras a vencer em abril.
A semana foi triste em transacedes inercan-
-, ta, e as vendas uiio passaram de pequeos ob-
atii toda i parto a disciplina, no meio das'jecios.
Soalho do dito, ,
Forro de dito ....
Dilos de cedro
Toros de tatajuba
Varas de parreira ,
Hilas do ai;uilli na-, ,
Ditas de quiris ,
Rodasdc sicupira para carros Par
Eixos de dita para ditos
Me I empipas.......Urna
o quartolas......Canad
barira........Hum
Uilho......
Podras de amolar.....
Ditas de filtrar......
Ponas de boi......Cento
Piassaba .......Mlho
Sola..........Meio
Sarca parilha.......Arroba 18,000
Tapioca.........' 1,600
Unbasdoboi.......Cento 10,20n
Courps do cabra..... 20,000
1,600
9,000
22,000
8,500
28,000
16,000
10,000
8,000
4,500
6,400
5,200
3,800
2,500
3,200
1,800
1.280
1,600
2,080
40,000
18,000
34,000
190
6,800
Alqueiro 1,440
1,800
t.ouo
3,200
180
2,000
A/.eilii de ca rpalo .
H
Canad 560
Movimento do porto.
tiasl unnime cmrejeitar o projecto de lei, e ailimaJos d'essj eipir lo millar, qui
un se julgar nas circumstancias de dar por ,, rrinlilun linin
iquauto urna aolucao legal providencia pro- ?""L4 A Z ?.jSiL ?*'
.manifestla i TonUde que seguranca. Ten lesdesempenhado os vossos
co politice, julgando que deveres com honra, j no solo de frica j
emhlano llie priioiiu.i .i no de Fmuiji, o conservado sompre intacta
n Os repreacntantes que semprc se mostra- mus graves crises. Espero que estas nao se i Picaraan no porto 91 embareacoea: sendo
rain animados de um espirito de conciliacao e repetirSo. 7 americanas, 4 austracas, 27 braslleiras, i di-
naui .rquc is, 7 francezas, 2 hamburguesas, 2
liespanbolas, I lioll ni le/.,i,-.!i ingleas, 8 portu
guezas, 3 sardas c ': suecas.
reserva para com o governo,foram osmals reso-
lutos em volarconire a lei. Enlre os membros' Ms S8 a gravidado das Circunstancias
da commissao noincada, ha olio que penen- as produzsse e me obrigiase invocara
cimn reunio da ra das Pyrainldes, cquerc- vossa adheslto, ostou corlo deque u io me
jeitaram a lei de que se trata. faltaria, porque jasabais que n3o vos pe-
. Mr. de broglie recordou o mullo que havia direi nada que n5o saja conforme como
trabalhido para remover ludo que polesse ori- meu direito reconhecido pell COnslituic3o,
glnar conflictos entre os poderes, mostrando ._. hn mii,,. n inlr.rpiw da n.
que se havia, talvct manifestado demasiada- e?onanonra miniar e os inleresses a pa-
inente conciliador. Sem embargo julgou dever f' Pari lsso colloquei a VOSSa frente mi-|
aconselhar nesta occasiao os seus colirg u que UUTaJ que possuem toda a minha ConDan-
rejeltassein a lei apresentada pelo governo, a ca, o que merecem a vossa, porquo soche-l Assucaremc bronco 1" qual. Arroba
> .la i 11 i li ~i, \ nlir-n i i A m .. ^. *
PilUtl
Como quer que n rainln Isabel entrass;
no nono moz de sua gravidez, ordenou-se jeeodalel.
ra aterra alim do alcancar o ipela s:crelaria da ctido dos negocios da'
f*>tk..i .... i, n.. .....*.!...._. .... ... .. _l___>__
lim de tirar ao poder ciccutivo toda a ideia de gasse Odia do perigo, n3o obrara como os!
que pode dispor, quando ecomoqulter da von- gnvnrnO! qo'9,me preSOlicram,nJo VOS dira:,
lade da malaria. Marcha; quo ja vossigo; massim : a Eu
alr, de Vatisincnil, relator da lei que pro- marcho segui-me.
nfle grandes modiricaces na lei eleitoral, de- p.,!, .:f__,. #_ ,.,... ,. f., _
ciarou-se com igual e.ierg.a contra o novo pro- E''8 dls?urs0 censura.lo forlemen e |
'por alguns jornaes da opimao da maioria'

a mase .
bar. e sac. branco
i> mase .
i oh o.i I i.
i .Todo, os amigos ministrse especialmente da cmara, especialmente pela assorjjblo; Algodao om pluma de 1' qual.
porlo de Santa Latlianna, seillo-lho eoUu juslica que os iroebigpos, bispos e nganos Mr4. Parochc, Len Faucbcr, Fould, e Rouher, nationalo.
o veulo de N. E. lavoiavel. Mas no dii 7 o^iptulaics mandasseui fazer peces nas SJ3S se deelararan a favor da conservaco da le A issembla a pprovou a penso de 300000 Dito........'.
vento de S comecou a soprar, e vendo-su o respectivas dioceses pelo feliz parto da m'S- de 31 de mal, manifestando os seus iicsejos de |francos concalil duquosa de Orleans,! ioo'ardente naxica 90 eraos l'i
capitDo contririido no seu rumo, e recelan-!ma augusta senil ira. que a cominissS i abreviasse quanto fosse pos- viuva de Luiz Filippe. Ol "> t>
dode ver a cada momento o seu navio ir a I O governo lom sido mui combali lo no \*"el a aolueo dcsta quesiao, que tanto chaina; Na Inglaterra naJa tinha tido lugar que n, j.........
pique, dirigio-se com bom vento pela popa consresso, e segundo annunci i o Heraldo' """""^"V pt}\ Por um sentunento de con-jn)orel, ser rereriJo. uilaaeoanna......
para a Ierra mais prxima. Vendo porcm
que apezar do Continuo trabalho das bum-
has nao Ihe foi possivel suspender por mais
tempo a submers3o do n.vio, havendo no
fallava-se em cri-e ministerial. ^r^t^o^U^lZl'u^m^ *>* "odem publica nantinha lldol lvPt-, ,
Na Le, de 13 de novembo Id-seo se-;S0meas,emnembro. da c%mmtfso:' """liltorada, todavi. a queilOo entre a Santa! Dita resillada,
guinte
_ O membros da aaaontaaaha, mostrarain-se
. No senado fe? oSr. Infinta uma propos- unanimea nas suas recriiiunacdes contra a lei
porSo j ni a is dd 5 1|2 pes de agua, que ta para um voto de censura ao governo pnr deSl de malo, reiterando os eua protestos em
crescia de minuto em minuto, resolveu-se!esi haver fltalo a ledo auctorisaijlo, favor do voto universal,
a abandonar o navio quando osle ja eslava quando ajustnu a concordata com acoto1 Dos quinte membros de que se compdea
cobcrlod'agua, no dia lOas 2 horas da lar-;,le noma. OSr. Ouinto qu" ntendeu que commissaodeclararain-.e 'eiecoaalra'oprnjec-
le. ocipilflolevoucomsigo o ehronome- pnr ,. propust, se Pr.,i, lic,v. a queseo ^"Zl CiJc, fcMtOSr,
tro, iiguns insirumoiitos nuticos, os pa- de aecusacao quo se po lia suscitar na oulra ASleUuboi.. Vatisinenll. lienoitd'.y, Julio
peisdo navio a poucos vveres, embarcou cmara, apiesenluu urna proposta previa ac Lasteyrie, Moles e Cb.palgne Goyoaa. S
a:om 3 minnheiros no bote grande, rebo- para affdstar da discussao a do Sr. Infante, .pnrovaram o projecto de le do governo Mrs.
cando um escaler em que as acliava o pi- A discussao, a quo este inci lente deu logar, Larochcjaquelin eGrevy.
loto e dous marinheiros, e tomou o rumo foi bastante animada, e a pouco e pouco Comparando o total dos votos dados por
de trra que julgivi ser de Pannigu: 'eslimulou os oradores da cmara vilalicia. urna c outra parte resulta aero mamerode vo-
SeJe e o governo pieniuntjz continua a agi- Dita
tar os nimos em Turin. |Genobra.
O governo das Duas-Sicilias publicouum! Dita .
decreto dissolrcndo a guarJa nacional em Licor .
o desembarque; e cora.ndoae.pia do reboque, i contrarias, deram a sessSo grande inters- 'V emos hontean urna idei. do modo como a
separou-e do bote, apeiar das instancias do s0 m*ra.ue:t de Miraores pertendeu mprensa de Pars tinha recebido a propoala
caplaio para que nao arriscasseui suas vidas. ] meder nella, mis n3o foi feliz na tentati- doiquesiorea,edleraos queosorgaos da malo-
Ucapitao vio o escaler approiiinar-se daressa-Jva. O senado regeitou a proposta incidente ra eaceptuando dous, se tinham abatido de la-
ca, mas nao sabe seconargulo salvar-se, aendoldo Sr Quinto. Progro Mu enio a discus- ter commenairioi sobre este issuinpto.
cntSo quasi noite. odia n o capitao voitou so solare a do Sr. Infanta que narrou a """'O' o, dia ?.'J? ffij,?*' ,,?nle
para o lugar onde havia deludo o escaler do i,istoria da negociacfles p cedentes llenc,-,ne,,0, JourD,1 do bates, que na-
,ilio, anas nada de.cobrlndo, fet rumo para l"'''"-data fXn das direrSM ins- da de novo acere.cenU oque hontcad, sernos
k O.ealeaocoupodia MasQueluiadas : con-1? concrdala, laiiou uis aiversis ins- c alnaa qlle ,c eiprrssc em dlllerente lingua-
tlnuMdoa"o.?car.ch0u ao aneio.0 da aa .e". lrac^ H"'' leUntl.mdada aos anear- gem conl5ece-.e que lodoa recebem a. iaiplra-
huras da larde a barra de San Vicente, onde fg clrou i que a concordata havia derogado. Raspn- A Union, Aiseanblee natiooale, Opinin Pu
Nodla ISauiuaboradalarde,ocapltocoin'deu-lhe o ministro das jualicas. O mar- buque, e Ordre prolesum contra aimputacao
oio o reino.
Correio Mercantil do Genova, referindo-
se carias de Florenga, annuncia que os
governos de Franca o Inglaterra repieson-
t iran s cortes du Mo-euca e Vacian i, con-
tra o projecto apparento de encoruorar a
Toscina na Austrii, allegindo que seme-
Ihante acto seria upposlo aos tratados exis-
tentes e augmentara a coinplicacrio dos
negocios ni Europa.
Dat precot corrente* do assucar, algoilo,e
mais gneros do paii, que se despachao na
mesa do Consulado de Pernambuco, na se-
mana de 21 a 27 de Dettmtrotle 1851.
2,000
i ,6nn
1,300
1,800
1,400
3,040
4,700
4,300
3,900
34,000
200
52,000
300
42,000
240
40
180
4M
180
pa
Canad
Dito
Canad
Pipa
Canad
Canad
Botija
Canad
Garrafa
Vatioj entrados nn dia 20.
S. Vicente (Cabo Verde ) 24 din, barca a.
mericana Charluton.de 184 tonelladas ,
capitilo II. L-wis, equipagem 23 carga
petiechos de pesca ; ao capitao. Trazll
pessoas da tripolacSo doentes o licou por
10 l; s de quarentena pela ssile do por-
to desta cidade, e conduz S jangidciros
naufragados.
Valparaso- 70 dias brlgue inglez Lord
Hardmg, do 269 lonelliJas, capitao James
Clark, equipagem 10, carga guano ; io
capitao. Veio refrescar e segu pira
Cork.
Lisboa 26 d!as, brigue portuguez Tarujo
I., dc233lonelladis, capitao Minoel de
Oliveira Faneco, equipagem 15, carga vi-
nho e mais gneros ; a Manoel Joaquim
llamos eSilva. Passageiros, Joaquim Pa-
tricio da Costi, e Dinitl DiisSimOts.
Navios suhidos no mesmo da.
Acaracu'-- hiale brasiloiro Aguia Bnsilei-
ra, mestre Francisco Jos da Silva Ratos,
carga varios gneros. Passageiros, Frede-
rico Francisco de Jezus, padres Jo3o Ro-
drigues Alvos de Men Jonca e Joiquim Ma-
noel de Jezus.
Havre barca franceza Mara Carolim, ci-
pito i'altin, em lastro. Conduz os pas-
sageiros que trouxe.
dem--barra franceza Pernambuco, capi-
tlo Oourruty, carg assucar o algodao.
- Navios entrados no di 21.
Rio de Jineiro e pontos intermedios 9 dias
e Mi lioras, piquete de vapor brasilelro
Rihiana commindante o primeiro l-
ente Jos Segundino deGomensor, equi-
pagem 28. Traz a seu bordo : para esta
provincia, o segundo tenente Antonio
Victor de S llarret, os cadetes Jos Pe-
res C i o pollo Jacome da Gama, eLouren-
tino Antonio Moura de Carvalho, Manoel
Joaquim do Reg Barros e 1 ttlha, Fran-
cisco A. Pessoa de Barros, Antonio F. Pes-
soa de lian ns, Urbano Mam de ije Almei-
da, Clau lino Fu leo Dias, o cnsul francez
TlieodoroGoepp, Ernesto Levinoer, Justi-
no Narat, Joflo Joaquim Alves, 16ez-pra-
fas do oxercilo, 2 mulheres e 3 meninos
dos mesmos, e 1 escravo a entregar: para
o norte, o capitao de fragata Martinho
Ihtiilnl llolotl, com sua senhora e I lllha,
osdoulores Manuel Mondes da CruzGui-
miraos e Antonio David Vasconcellos ,
Jos Mara Nogueira E. Rayoer e 1 ex-
praga do exercito.
Lisboa 29 dias, brigun inglez Vulture, de
de 163 tono.la,Mis, capitao Wil'jam llir-
ris, equipagum 10, carga sil; a Le Bre-
tn Schnmm & Companhia.
Macei 6 dias, lincha brasileira Uniao,
de 19 tonelladas, mestre EstevSo Jos Pe-
reira, equipagem 4, em lastro a Amorim
& IrmSos. Passageiro, Manoel Ignacio de
Cirvalho.
Rio do Jineiro, ten lo irribado a llalli i 48
dias, briguo brasileiro Coneeicilo, de 192
tonelladas, capitao Joaquim Ferreira dos
Santos, equipagem 13, carga fariuba da
mandioca o mais gneros ; a Manoel Al-
ves Guerra Jnior. Traz i escrafo a en-
tregar.
Navios sahidos no mesmo da.
Cear hiate brasileiro Novo Olinda, mes-
Ira Custodio Jos Vianm, fcrga fizendis
e miis gneros. Passigeiro, Jos Pacheco
Vieira.
Canal pela Parahiba patacho inglez Na-
vigator, capitao Gcorge Jordn Dorey ,
em lastro.
Gibrajtar -- brlgue escuna ingleza Fanny,
cipitSo A. Lombard, carga assocar ecal.
COMMERCIO.
d,a. e seis nuiles i. um bote cot J ,)a a |ucla ontre o poder execulivo e o le- Seaundo o Consiilucionncl a citada propoa-
3e m aaufrfflo "5 a". '"**""" gls|alivo, nJo sendo fiel de prever-se o des- u f.faro?o.d. na rea.Ua. da ra llivoli, aire-
Ho"fS^ece;eu,'o* anda nao ha focho que ter. aent.da depol. em nouae do, que.torea.semd.r
nollciai do piloto c cus companheiro, que
Na Lei de 20 Jo novombro lose o seguin- coubeclancnto dclla reunio da ra de Rlvo-
ALFAMIEGA.
Rendimento do dia 20. 12:350,893
Descarregam hoje 22 de deumbro.
Brlgue inglsz Hunnymede bacalho.
Briguo inglez falclula dem.
Brigue inglez Barkitl idem.
lm|aoalai,.>.
Brlgue inglez Runnyniede, vindodoTer-
nNov, consignado a J. Crablreo & Com-
panhia, manifestou o seguinte :
2170 barricas bacalbo e 6 volum.es sal-
mo; aos consignatarios.
CONSULADO GERAL.
Rendimento do dia I a 19 '. 30:898,692
dem do da 20......... 2:802,630
33.701,322
Arroz pilado 2 arrobas um Alqoeire 4,000
Araras .... v ... Urna 12,000
l'.iji.i,; aii........Din 3,200
Ifolachas..........Arroba 3,500
Biseoitos......... i ii id
Cale bom........ a 3,800
Dito restolbo ........ 3,200
Dito com casca ...... 4,000
Carne secca....... a 2,880
Coucos uom casca.....Cenlo -1,000
Charutos bon....... 1,600
Ditos ordinarios...... 700
Dito rela(ia e primor ... a 4,000
Cera de Carnanba.....Arroba 5,500
Couros de Boi salgados .Libra 120
Dito espi.xados......Um 145
Dito de onca...... 14,000
Doces de calda......Libra 400
Dito de goiaba...... 240
Dilo secco........ 500
Estopa nacional ...... Arroba 200
Farinha de mandioca
Feijo......
Fumo bom.....
Dito restolbo ....
Gonima .
Gcngibro
. Arroba
. Alqueiro 1,280
..... 3,500
, Arroba 5,000
. V. 3,00ii
, .,_, Alqueiro 2,000
. Arroba 2,800
Ocoronel Francisco Mamede de Almeida,
juiz de paz presideute da junta qualifl-
ra l ira da freguezia do S Fre Pedro Gon-
calv.'.s, ele., etc.
Fico saher que em vista do disposto no
art. 25 di lei n. 387 de 19 do agosto de 184o,
tein do so reunir na lerceira dominga de
jaueirn prximo fucturo a junta quafca-
dora desta freguezia, alim de formar-se a
nova lista dos cidkdSos que lom direito a
volarem nas eleicdes piianarias, e om con-
sequencia convoco aos eleitores, e suplentes
abaixo d clarados para que pelas 9 horas do
referido dia (18) comparoceram no consisto-
rio da rospoeliva Maliiz para issim ser or-
ganista a mesma junta.Eleiturei.To-
nenlo coronel Anlenio Gomes Leal, JoSo
Francisco Teixeira, Jos Francisco Marinho,
Jos Paulo da Fonsca, Francisco Mamede
de Almeida Junir, padre Fiancisco Jos Ta*
vares da Gama, Manoel Goncalves da Silva,
Dr. Jos Joaquim de Souza, Jos Rodrigues
Pereira, Joo Morques Corris, padre Primo
Feliciano lavares, Manoel Estanislao da Cos-
ta, Joaquim Alves da Silva, Jos Ribeiro do
Brto, Vicente Cardozo Ayres, Elias Igna-
cio do Oliv.ira.-Suppleates.Jos Joi-
quim de Oliveira, Antonio Joso de Calina.
Jeronymo Joo Pinto, Luiz de Franca Mello
Jnior, Francisco Jos Silveira, Luiz Anto-
nio Vieira, Dr. Cosmo de S Perein, Minuol
Amonio da Silva Anlunes, JoSo Cardozo
Ayres, Demingos Alvos Matheus, -Bernardo
Cardozo Ayres, Manoel do Cirdas Bsrreto,
Salustiano da Aquino Ferroiri, Luii Amo-
nio de Siqueira, pidie Ignacio Francisco dos
Santos, Antonio llcnrique MafTri, Jos Ber-
nardos de Souza. Os quaes deverfio com-
parecer no lugar aprazido, sob pena de ll-
oaren) sugeitos a multa de 40, a 0,000 rs.,
comminada na n. 2 do 5doirt. 126 da pre-
citada lei, no caso do ueixarem de compa-
recer sem motivo justiOcavel. E para cons-
tar mndei lavrar o prczenle que ser ali-
sado na i orla da Matriz e publicado pela
Iniprensa. Frogue-.ii de Sao Frei Pedro
Gonailves 18 dr dezembro de 1851. Eu **
'

%>


nnelJoiqin da Silva Rlbeiro, escrivo, o ganizidoum especUculo que muri agrada,
arero'i.-r'riDciscoMimededeAlmi.jds. tanto pela viriedade. #om& pela sua acerla-
MW Ida escolbi. O publico, a quera oidminis-
Jos Camello do Reg Barros, juli de Taz do I trador emprezario ae confessi issazreco-
1. destricto di fregoeiia do Pogo d Pi-
nella etc.
Em confnrmidade do art. 25 do cap. a. di
le n. 387 de 19 de agosto de 1816 e ordem
da cmara muaicipil, que me fui dirigida
om otlcio do I. do corrente, convoco aos e-
li'itoivs esupleutesdesti parachia dol'og
da Panilla para que na terceira dominga du
mez de Janeiro futuro comprelo no corpo
di igreja matriz da mesroa fte^ucia affm
de procader-ee a formagSo da junta qualfl-
cadori que tem de rever a lisia gcraldosj
nhecido pela constante protecgBo que Iho ba
prodigali/ado, n.lo deixara pur corto decon-
corrernris ealn vez ao tbealrode Santa Iza-
bel, Unto mais que neata noite termina as
fadiga llieatraes do anoo de 1851.
Cornear as 8 horas
Oa bilhelcs acbam-je venda no lugar do
coatumc. ________
RECITA EXTRAORDINARIA L1VKE DA AS-
SIGNATURA.
Iloje, 32 de dezimbro de 1851.
Depois de uoin escolliida symphonii su-
volintes. Elellores.Antonio Lina Cildas, j bira soeoa pela pnmeira vez nesta cidade
l'rancisoo de Paula Rugo Barros, Franoisco o quadro histrico ero um acto, ornado de
Jos Alves Gama, JoSo Francisco do Reg j muzica
s Carneiro Monleiro, JoSo Leito Ro lovalho, Emilio Zaluar.
Jos Francisco do Reg Barros. -- Flix Ra- Poraonagense actores.
ojos Liauteir.Joao Severino do Reg Barros, D. Alfonso ll'nnquo t.'re de Portugal --
SebsslIRo Jos do Reg Brrelo, Jos Lopes
Guimarflet, Joaquim Jos de Amorim, Joa-
quim Tavsres Rodovalho, JoSo Pires Ferrei-
ra,Joaquim de Albuquerque Fernaodes Ca-
ma, Francisco Cezario de Mello, Antonio
Feliz Maciel, Manoel Joaquim do Reg llar-
ros,Joaquim Jos Cavilcanli,Joaquim Tibur-
J. S. Res.
Egas Muniz, aio de D. Affonso -- A. J. Pinto.
Garcia Meles, alteres real -- Silveslru
Meira.
I.ouronco Viegas, o espadpiro A. J. Alves.
Marlim Muniz -- NN.
Mem Muniz NN.
ci Ferreirs, Jos Feliciauo Portolla. Os Um enviado mouro J.J. Bezern.
quaos, devoro comparecer impretorivel-
mento as 9 horas da manhSa,(cando os que
deixarem de o.fazer semescusa legitima su-
joitosa mull comininadaiio art.t27,.5,n.2,
dacita'da lei. E para constar man lei fazor
o pn s iitti edital ,que sera aOsado nos lu-
gares mol pblicos desta Treguozii e publi-
cado pela imprenta. Eu Jernimo Freir
de Faria Pe Iroso escrivSo o escrivi. Jos
Camello do Reg Barros.
ubi naai
Declarasjoes.
CORRMOGERAL.
smalas quedeve conduzir o
vapor Bahiana para os portos
do Norte, principiam-se a fechar
l boje (22 ) a urna hora da tarde, e
depois desta hora at o momento do fechar
rncebe-se correspondencias com o porte
duplo.
O consolho da administrado do 10.
batalhJo de infantaria, precisa coutractar
para o rancho do mesmo balalho os gene-
ro* do que so ellecom;0o, a shbcr: carne
verde, carne secca, bacalho, feijo, fari-
nhaitoucinho.arror.sal.cafjassusarbranco,
pues de 6|0,muiitoig n ,lcnh vim achas,izeite-
doce, e vinagre : o porquo estes gneros de-
vem serda melhorqualidade possivel, co-
mo est recommendado em ordom do da
do quartel general de 18 do correnle, o
mesmo conselho julga conveniente publi-
rar as segoiotes condieges consignadas
em dita ordem : 1." Os fornecodores apre-
seotarSo nos balalhas os genoros ilimen-
licios, que deverUo entrar as respectivas
irrecadagors depois de examinados, assim
pelos facultativos de saude, que eslarSo pre-
sentes em til co ijunctura, como pelos As-
eses dos mesos balalhOes. 2." No caso
de serem os gneros reputados de m qua-
lidade pelds facultativos, sero repudiados
o substituidos por outros de boa qualidade,
sendo, o fornecedor irremissivelmente des-
pedido na reincidencia de falta semclhante ;
quanJo poiai OS gneros forem julgados
nocivos i saude dos soldados, por estarem
corruptos, ou falsificados, alm de pagar
nimediatanienle o premio convencionado
de 200,000 rs. para a caixa do rancho, e ser
despedido, dar-so-ha logo parto ao quai tel-
general, alim de proseguirse contra o for-
r n ermitSo A. J. D. Coimbra.
Personagens mudas.
Goncalo Mondes da Maya, o Lidador, Gon-
zalo Dias, o Cid, D. Fua's Rupinho alcaide
de Coimbra, Egas Fafe-Soairo Veigaa, ricos
homens, infaeces, prelados, pageus, caval-
leiros, sollados porluguezes o soldados A-
garenos.
Primeiro coro hymno de guerra segun-
do coro a orag3o; lerceiro coro hymno lu-
zitano.
Seuir-se-ha a linda camodia em 2 actos.
QUEM PORFA MATA CASSA.
No fim da comedia o Sr. Silvestre, cantara
por obsequio umi nova aria, poesa do Sr.
Rois, muzica do maestro Podro Garcia inti-
tulada :
Oh que aperto.
Em soguimenlo, ir a scona a podido de
mullas pessoas o quario acto do drama.
GRAQ A DE DEOS-.
O Sr. Raymundo tambem por obsequio
cantar urna aria cmica composicSo do Sr.
Res, e muzica do Sr. Theodor Orcstes, in-
titulada :
O maluco em grande gala.
Terminara ooxpectaculo com a comalia
original brasileira, do Sr. F. C. ConceiQo.
A febre amarella no Rio de
Janeiro.
Personagens e actores.
Pedro de Rales--S. F. Meira.
Thomaz creado da Hospedara L. A. Mon-
leiro.
Jonh Inglez da California Raymundo.
Um pedestre- A. J. Alves.
Um prelo -- J. J. Pereira.
Carlota, don > da hospedara D. Rita.
Engracia, sua prima D. Julia.
Um'entregador de jornaes.
A acg3o passa-so no Rio, no anno do 1830.
O resto dos bilhetes acham se a venda no
escriptorio do mesmo lliaatro.
Principiar as 8 horas.
participar ao reipeilavel publico o .,
obraduo Sr. Gabii I AlTooso Regueira, em-ciir por esta folha. dearmacSode ac a 1,000 rs Uvelas dou-
pregadopub'icooa alTandeg, quo tendol Na ra do Vigario n. 33, precM-8e de] radas para calca e colete a 200 rf., diUf ae
Viole das da lei para apresantarsuas testo jum caixeiro, que tenha pralioa de venda; e Jaco a 40 rs. : ni ra do. Queimado, lojt de
manilas tos embargos dos heos movis, que na mesma easa vendem-se redes do Man- miudezis junto a de carao. 33.
nh3o de cores e gosloselegantes, por prego Cartas finas para VOltrete.
veleiro brigue
nacional Uio Ave : quem no mes-
mo quizer carregar, ir de passa-
gem, para o que tem bons comino-
dos, ou embarcar escravos a frete
entenda-se com o capitao do mes-
mo brigue, Elias Jos Alves, na
praca do Commercio, ou com os
consignatarios Novaes & Gompa-
nlii.1, na ra do Trapiche n.' 34.
Para o Havre saho com muila brevida-
de a galera franceza Edilh, capilo Poulel,
por ter a maior parte do seu carregamento
prompto quom na mesma quizer carregar
o restante, ou ir de passagem, pode onten-
der-si! com o mesmo capitSo ou com os con-
signatarios Schafheillin & Tobler, na ra
da Cruz n. 38.
Para a Itahia pretende seguir com mui-
ta brevidade o liiale brasileiro Exaltlo,
meslre, Antonio Manoel Alfonso : quem i'O
mesmo quizer carregar ou ir de passagem,
p le oniender-se com o mesmo meslre, no
trapicho do algodSo, ou com Sa Araujo, na
ra da Cruz n. 33. ________ ____
Leil&o.
- O corrector Miguel Cirnoiro, far o ul-
timo li'iio esto ai.no no seu armazem na
ra do Trapiche n. 40, ter^a-feira 23 do cor-
rente as 9 M- horas da manhSa, de diversos
trastes novos e usados, pianos, mesas com
ricas podras, urna cadeira elstica com es-
tante para Icr, selins e silhOes lustres, can-
dieiros, quadros com estampas, loucayvi-
dros, relegios, espingardas, e outros muitos
objectos, que so se entregar por qualquer
preso quo lr olferecidu : o adverle-so as
pessoas que tivercm objectos com limites,
de os virem tirar antes do dia do leilo.
g)J--! !-|
Avisos diversos.
31adama Theud modista frunceza
ra Nova o. 3a.
- 'ti par uso ilaaescolaado Imperio do Bra-1 avfa 3 suls rreguezase juntameote as pes-
sil pelo (esembargadorconsolheiro JoseRi-, j0BS do bom gOS[uque ,0,0! do recebar pe-
necedo nos termos do ar ligo i2 do titulo 4," I beiro. Esle excellente resumo acha-se nos |0 u|llal0 avl0 .Cesar, viudo de franca um
das posturas municipaes de 30 de junho defprelos da capital do imperio, e brevemenjo |jIlJo soriin,cnto de chapeus de soda para
1849, para o que os gneros li carao a bom sahiraluz: subscreve-se nesta cidade do, sc[,|loras 0 mas bonitos e de boa. goslo |uu
- Recife na livraria n. 6 e 8 da pra$a da liidc-| se pcJcm oncontrar no mercado, ditos de
pendencia a 5,000 rs. por cada cxemplarcn-'S0(la para m,llin81j0 mcnnos COm penas e
cadernada. | fiores, ditos de pltia da Italia enfoilado pa-
ELEMF.NTOS i ra nicnihus e meninas manteletes o capoti-
DE I nhos de seda o de cores paj"a senhoras, vus
Homaopathxa. | ara nova3i cabogOes do blonde ditos do li-
Sahioa luz a segunda parto desta obra, | de |inno pordadas, romeiras do filo bran-
eompostapelo professor homajopalha Gos- C(J guanKCdBsde bico.capolinho do lil do
selBimont. Recebcm-se assignaturasi para |llino p,etos com bicos muilo ricos o pa-
a obra inteira a 5,000 rs., no consultorio jr(Jes muit() D0Vgi esparrilhos de linho pa-
homceopalhico da ra das Cruzes n. 28. De"- ,.a Sr8 jl(n3 de mu|B e sorn costuras, cor-
pois da publica^ao da terceira parle, o pre- [es d( Tesljjos furtacores multo lindos e
fosera olevado a 8,000 rs. para aquellcs{ nl0ljern0Si peales de tai taruga |ara se pon-
qu nSo tiveremassignado. No mesmo con- leara jlaI, stliar> mut0 imdos o ricos en-
sullorio, acha-se a venda ludo quanto ne1 rej,os ,,ara bmlos dourados e prateads, di-
necessario parao estudoea pratica da no-- lQj pgra i|,eair0li 0 partidas, todo de muilo
s
Cuerra Jnior, ou com o capilSo Manoel Jo- Su. Redactores. NSo poaso deixar del Quom tiver e quizer vender urna ti- tas fin* de 2 vidroa com mola i 1,000 rs.,
s do Sena Martina ua pra;a do commercio participar ao respeitavej_ publico o que tom (poia, quer nova, ou usada: quein nnun- j ditas de Isidro a *M/*^""IM,n11_0>*-ci"ili,
Para a Babia sahe pur estes 8 das o
hiale Caprioboso, de 40 tonelladil, bem
constuido e multo velleiro, com bons com-
modos para passageiros; quem no mesmo
quizer carregar ou ir do passagem, dirija-so
praca do Corpo Sanio n. 2, primeiro an-
dar, ou a ra da Madre de Daos, aroma-
de Vicente Ferrein da Costa.
Para oAss segu viagem no dia 24 do
corrente a galeota SS. Tnndade quer na
mesma quizer carregar ou ir de passagem,
dirija-se o escrii torio de Francisco Alves
da Cunhl & companhia : na ra do VI-
gario. .
Para o Rio de Janeiro perten^e seguir
viagem com muila brevidade, o patacho
nacional Margarida, capillo Florencio Fran-
cisco Marques : quem no mesmo quizor
carregar, ou hir de passagem e embarcar
ascravus, ple enlender-se com o consig-
natario Luiz Jos deS Araujo, na ruada
Cruz n 33.
Pan o Porto, segu com toda a brevi-
dade, a barca portugueza Espirito Sanlo.ca-
pitao Jo3o CarlosTcixeira ; quem na mesma
quizer carregar ou ir de p.ssagem dirija-se
ao escriptorio de Francisco Alves da Cunba
& Com, anilla, na na do Vigario.
PARA O RIO DE JANEIRO.
Sabe com a maior brevidade pos-
sivel por ter parte de seu carrega-
mento prompto,
l'ublicacao litteraria.
Misiona universal resumida.
Para uso das e-colas dos Esta los-l'nidos da
America do Norte, por Pedro Porluy, tradu-
recado. 3 As entradas dos gneros para
as arrecadaedesse far3o duts vezes em ca-
da mez pela maneira seguinte: o batalh3o
4." d'Artilbaiia ep nos dias 28 o 13, o ba-
lalhao (Ti* de iufaularia 29 o t4, e o 10. da
mesma aria a 30 e a 15 : esta disposic.lo
lera principio no corrente mez para que
nao baja falla dosupprimento nos dias que
houverem de decorrer do 1." a 15 do prxi-
mo vindouro Janeiro. 4.' Os fornecedores
prestarflo previamente llanca idnea. As
pessoas pois, que se quizerem prestar ao
roruecimento doa referidos gneros, e me-
diante as condicOesj estabelecidas, sao
convidadas a comparecer no quartel do Hos-
picio nos dias 22, 23, e 24do corrento mez,
com suas propostas, das 9 horas da manhSa
om diaote, para o lim de effetuar-se o con-
tracto.
REAL COMPANHIA DE PAQUETES IXGLEZES
A VAPOR.
No dia 22desle mez espera-
rse o vapor 7x, commandante
Chapman dos portos dosul, e
depois da demora do costume
seguir para Europa : para passageiros diri-
ja-sem casa da agencia o. 42, uo trapiche
novo.___________________
TUEATRO E SIZABEL.
26.' RECITA DA ASSIGN ATURA
. E
Ultima neste corrente anno.
leudo o administrador empresario, de
feixar thcatro em consequencia de e a-
charem muitos dossenhores asignantes, c
a maior parte do publico, for da cidade,
tem determinado dar um ultimo e variado
espectculo de encerramento no da
SaObado 20 de dezembro de 1851.
Depois de urna das melhores ouverluras,
subirs scena o interessante drama turco,
em 2 actos.
Zulmira.
ou
O modelo de Constancia.
Personagens.
Ilarzeido, suliao.Germino.
Zulmira.D. Manoela.
Tirmene, seu amante.Silvestre.
OsBian velho confidente do sullSo.
Zelim escravo prelo.Raymundo.
Muley.Coimbra.
Hutli.Pereira.
Esciavos, soldados etc.
No lim do drama as Senhoras Landa c Car-
mela, cantaro o cxcellentoe muito aplau-
dido duelo da Opera
Norma.
Dopoisdoqualrepresentar-se-hao I .'acto
do drama
D. Cezar de Razan.
ornado de muzica.
Em seguida a Sr* Landa, executara a linda
cavatina da opera
Ernani.
Acompanhia nacional represenlar, de-
pois, o 3.a acto do drama.
A Gracade Dos.
E neste acto que Hara e Pedrinho canino
o din(.lo o
Dole da Sabia.
Logo que termine, a Sr.* Landa executara
urnas lindas variacOes, em seguida a Sr.'
Carmela cantar cavatina da opera
Colamela.
Terminar o espectculo cora a graciosa
comedia em msica em 1 acto
O Beijo
O administrador emprezario julga teror-
mceopathia, como seja : livros impressos
para historias do doen'es. regimens apro-
priados para a provincia de Pernambuco, e
encarrega-se de mandar fornocer qualquer
encommenda de mcdicamonlos homceopa-
thicos, tanto avulsos como em caixas, em
glbulos como em tinturas.
No prelo : PalAooenaii'a dos medicamen-
tos brasiloiros.
Mementos de anatoma c philiologia com es-
lampas, para os curiosos em homooopathia.
Roga-se aos senhores assignanles o ob-
sequio de mandar receber sous exempla-
res no consullorio homoeopathico da ra
jas Cruzes n. 28.
TRATAMENIU ROMEO-
PATH1CO.
DAS MOLESTIAS VXSaEAS,
e consoliios aos doeiile par so enrarom a
si mesmo, sem precisaren! de medico,-' creoulo, por nome T-jmotheodeidaJo de 17
pelo professor homceopatha annos, seco do corp, altura regular, c6r
Gossel-Bimont. preta, sem barba, vistoso, muilo prosista;
Sahio a luz e acha-ie a venda no cnsul-1 levando calc,a do castor de riscas e jaqueta
lorio homoeopathico da ra das Cruzes n. de riscadmlio do quadro verde, sen Jo am-
as, pelo prejo do 1,000 rs. bas pejas novas, om folha, e roupa do seu
ia..Mi i [- ii i1 I uso : quem o pegar leve a ra da ordem ter-
in'ii'iliii ii" ceiril u s- Francisco, sobrado n. 10, ou a
1 praca da Independencia, loj
bom gosto.um longo sortimcnlo do lranc,.s
brancas decorse de todas as larguras.fran-
Jas de cores e pretas, filas pri-tis do velulo ,
para o brafoc pesclo ja com fi'ellinhas tu-
das promtas.lcques do mar-de-porola lina e
com as pinturas muilo linas, li i do linho
brancos e pretos.luvas de pelica para sonlio-
rs llores e plumas para enfeites de cabeca
do senhora,capellas o grinaldas brancas c de
cores e ou;ras multas fazeudas de modas,
lulo isto he escolhido om Pars por urna
das ni dbores modistas de bom goslo.
Aluga-se o segundo andar da casida
ra da Cadeia de Santo Antonio n. 1, con-
fronto a igreja do S. Francisco : a tratar na
mesma ra u. 9, com Jo3o da Cunba Soaros
GuimarSes.
Roga-se as autoridades policiaeseao
commandaute do registro do porto o aos
capitales decampo, a ospiura do esclavo
Rois.
Avisos
do miudetas
77 \ __ I n. 3-, quo ser recompensado',ou S3 dalle der
o Porto, sabe imprete- notj*cja cerU_
I'ara
rivelmentc, no dia a4 (' corren-
te, a galera portugueza Bracharen-
se da qual be capil3o Hodrigo
Joaquim Gorreia, anda recebe al-
guma carga a frete e passageiros ,
para osquaes temexcellenlescom-
modos: quem na mesma quizer
carrear, ou ir de passagem, en- miissrs. d'eengouh'os, quelambem devem,
, e i ;,s bajam do virem ou mandaron) pagar as
tenda-se como refer Jo capilao, na qnlM que itnat. UJ Boa-Visian. ru.
da Alegra, casa n. 34, poisentrouem San-
nos que he fallecido o dito Alves da Silva, c
aiuda nao pagaran!.
Marcelino JosLopos.
xi epresentarSo no mesmo es- ( Joao Ferrein, subdito porfliguez, reti-
criplorio
-- Precisa-se de um caixeiro para venda :
na ra da Madre de Daos n. 5.
Rogo ao Sr. Jo5o Velho Brrelo, Sr
do engunho M.tarizinho^ueira mandar-me
pagar a quarta parto que tocou em parlilha
a minba miilher, no total da divida qua de-
va ao meu finado sogro, Jos Antonio Alves
da Silva ; e admira que t.lo diminuta quan-
lia n3o tenria j pago,n3o obstante os meus
repelidos pedidos ; igualmento rogo aos
pra?a do Commercio, oucon No-
vaos & Companhia, na ra do Tra-
piche n 34; assim como at o dia
as contaa do referido
navio.
Freta-se para qualquer porto do Medi-
terrneo o briguo inglez SalU-Rookh, capi-
lSo JoSo Maclaravich : trata-se em casa de
Manoel do Nascimento Pereira, ra do Tra-
piche o. 13, ou com o capilao na prac.a ou a
bordo.
Para o Bio de Janeiro e Monte-
video.
Sabo com multa brevidade o veleiro pata-
cho brasileiro Bella Anda, por j ter metade
da carga prompia para Montevideo ; quem
no mesmo quizor carregar para qualquer
dos portos, ir do passagem ouombarcar es-
cravos para o Rio de Janeiro, dirija-sea ra
di Cruz n. 40: i tratar com Manoel Alves
comujodo.
Aaaociafao Commereial de Pirnambuco.
A directo a reiuerimentos de mais de
dous tercos dos socios elTeclivoa, convoc
issembla goral para o dia 8 do Janeiro da
1852, pelas 12 horas do da, par reforme
de estatutos.
Madama Ridoux, modista france-
za, narui Novin. 69, primeiro
.'indar.
Tem a honra de annunciar 10 respcitavcl
publico, que se achara sempre ni casa del-
ta um sorlimento muito rico de chapeos de
seda esetim, turbantes, grinaldas, capel-
las, flores, plumas de todas as coros, o ou-
tros quaesquer eneites de cabera para baile
e thcatro, e tambem se achara chapeos e flo-
res promptos para luto, ludo pelo preco
mais niniiird 1.
-- Precisa-sede urna criada, smenle pa-
ra o vivir" de cozinha e compras, pin
umi casa de muilo pouca familia : na ra
do Rozario da Boa-Vista, sobrado o. 32.
Aluga-se a loja n. 15, da ra
do Crespo, e garante-se o arren-
damiento pelo tflmpo que convier
a quem comprar a armacSo da mes-
ma Iota : a Iratir na ra di Ca-
deia de S. Antonio n. 9.
- iNobr-rlo Juaquim Jsti Gucdos, remolle
para o Rio de Janeiro, a sua escrava parda,
do nome Uernarda, idade de 20 annos, pou-
co mais, ou monos.
-- Offeicce-se um francez, que sabe co-
zinliar peifeitamcnle para cozinhar om
qualquer casa particular : na livraria n.6e
8, da 11."; i da In lepeudencia.
Acha-se farlnha nova de SSSF, (de ra-
minha) para ven 1er, nos armazons de Dea-
ne Joule &C'>manhia, no beccodcGon-
Qalves.
-- Precisa-so do urna ama forra ou ca-
tiva, para fazer o servido do umi casa de
pouei fi mil i : om Fura de Portas, ra do
Pihrn 72, segn !o anJar.
Attencao! allenco!
Ni loja demiudezas di ra larga do Ro-
zario n. 38 do Cardeal, troca-so por 1,000
rs. bellos o engrasados lomos de soda para
grvala, fazenda mo lernbsima, e de to
esquisito goslo, que ninguein deixara de os
se para fura do imperio.
-- Preciss-se do urna mulher desejnpedi-
da e de boa conducta, para servir de ama
em urna casa de pouca familia: oa ruado
Crespo n. 10.
uem tiver um bilhar para alugar: di-
rija-se a ra larga do Rozario n. 18, primei-
ro andar, que achira com quem tratar.
OSr. Joao Virissimo, meslre de alfaiate
que morounarua do Vigario,queira annun-
ciar sua morada ou dinjir-se l livraria n
6e 8 da praca da independencia.
Precisa-se de um bom amassador : o
ra Imperial n. 37.
-- Precisa-se do um caixeiro quo lenha
deu p. nli.ii H, para justificar em como nao
sao delle, agoia lornou a requerer umi
dila(8o para ter outros tantos dias; acho
muila ras a o no Sr. Regueira, porque tem
muito bom crelito para com o publico,
por isso inandou vir as testemunbaa no va-
por do Rio de Janeiro, e como niio choga-
ram a lempo para odia 17 do correte pre-
venio-so a lempo, afim de n3o cali ir om falta
com a jusilla ; todos assim o devem fazor,
porque as Icis ssim o pero Ulero. .
Jlo da Silva ouietro.
O abaixoassignado previne a todos os
seus dcvndoras e mais pessoas com quem
tem transaOQ.I s comini reaos que o seu es-
labelccimento de loja de fazendas na ra do
Crespo n. 10 se acha continan lo no mes-
mj gyro que anteriormente por Icr sido jul-
gada de bo.i f a falencia, o hiver-se con-
vencionado com os Srs. oradores urna con-
cordata quo foi julgada por senten(a : roga-
se aos Srs. dovedores hajam do co o promp-
lidan satisfazerem seus dbitos, afim do
innu ciante poder cumprir poutualmente i
concordata a que se obrigou.
Ignacio Luiz do Brilo Taborda.
-- ller lintinnic Majestys cnsul begslo
cali tlieeltention oflhe Bntish residents lo
Iho fac that il s their duly to register the
births of thoir children at tnis consulate.
ller r. Han' ir Majestys cnsul hereby
gives notice lo Iho llrilish resiJeils thal a
PubliCMeeting will be lili al the British
cousultle under the provisions of the act of
Parliament 6. Geo : 4 Cap. 87, at 12 ocluck
on Non lay llio 29 th inst: for purposes con-
oocted with lliat act.
Aviso ao commercio.
O abaixo assignailo, rendeiro do
Trapiche denominado Ctmha di-
rige-se pelo presente ao corpo do
conunerciu desta praca, aos Srs. de
engenho e donos de barcacas, of-
fercendo Ibes o seu trapiche, me-
diante a vantagem de s pagaren, a
despeza de oitenla res por cada
sacco d'assucar, c d: fazer-se gra-
tuitamente a descarga da barcaca
que os conduzir. Cumprc, que as
cssoas interessadas no trafico d a-
quelle genero, se r\3o deixem Ilu-
dir sednndo a vantgens imagina-
prias em prejuizo das vantagens
reaes. Escuzado he garantir aqnel-
lesSrs. que se dirgirem no abaixo
assignado, o zelo c promptido com
que serao cuinpridas > respectivas
obrigacoes no que pertence ao bom
arranjo e aceio dos voluntes. Igual-
mente o abaixo assignado se olle-
rece aos negociantes desta praca
para embarcar cida sacco de assu-
car por qtiarenta reis, sendo o re-
pezo gratuito.
Luiz Antonio Barbota de Brito.
-Quemprecisar dodinheiro no Rio eran-
do do.Sul.at a quantia de 475,000 rs quo-
rondo da-lo aqui,dirij-se a ra larga do Ro-
zario n. 20,prJmeiro amlar.ou a rua do Cres-
po n. 11, que achara com quom fa$a transac-
So segura.
OfTercce-so urna mulher para ama de
casa, a qoalsabo muilo bem cosinhar, e en-
gomnar, lulo com muila perfciQao : na rua
das l.aranjeiras n. 9.
-- Vicento Novella rctira-se para fora do
imperio.
Deseja-so fallar com o Sr. Francisco Pe-
reira da Silva, sobro negocio de seu interes-
sa : na rua da Madre de Dec, loja n. 34.
-Precisa-so de um caixeiro de 11 a 14
annos de idade, quo d fiador a sua condue-
la : no aterro da Boa-Vista n.73.
Precisa-se alugar urna preta para o
servido interno e externo de urna casa do
pequea familia : n rua Nova n. 8.
1). Simona Ubo.la do Faria, sub lita
hespaiihola retira-se para o Itio de Janeiro.
I'recisa-so de um cosinheiro forro ou
captivo: na rua da Uniao, na c?sa do Ber-
nardo do Oliveira Mello i a tratar com o
mesmo.
-- O 9.* batalhSo do infantaria necossita
contratar o foroecimento de todos os gene-
ros de que se deve compro rancho desusa
pravas, no semestre decorriT de Janeiro
junho do anuo entrante : quem quizer taes
gneros fornecer, poler-so-ha apresonlar
no dia 23 do crrenle, na respectiva secreta-
ria as 10 horas da manhaa, trazendo suas
propostas em carta feichada eexpeclican-
Jo logo o ultimo preco. Os gneros sao,
p8os de 6 oocas, caf, assucar branco, niin-
teiga, carnes verde o secca, bacalho, fei-
j3o, lariuha, loucinho, sal, lenha, az'eile-
doce, vinagre e arroz. Previne-se desde js
que todos estes gneros ser3o do excclleo-
t? q'ialida es, e quepassa'So p"r um wra-
puloio exame ao serem recolhldos ao quar-
lel, para onde ir3o nos dias 14e29doci'a
moz, em face do calculo, olvalo, queso
Ihes apresentar, engeitando-se aquelles que
n3o salsfizerom as condiccOes do contrac-
to, quo sera formal. Os ca retos serBo pa-
gos expensas dos fornecedores.
-- Quem precisar do um padre para dizer
as missas de natal nesta prafa, ou fura pou-
c i distanto della : dirija-so a rua de Santa
Rita n. 97, que se dir quom he.
-- Fugio da casa da rua do Trapiche n.
34, na noute de 18 do carrente, um galo
maltez, grande, com o cabo e orelhas cor-
tadas, sendo urna dellas mais rente que a
nutra, foi visto ir pa>a a rua da Cruz: a
quem o entregar na referida casa receber
de gratificado 10,0000 rs.
O advogado Manoel Jos Pereira de Mel-
o, passou seu escriptorio para o sobrado n.
21, da rua Nova, segundo andar.
-- O Sr. Domingos Cornil, ou seu mano
Bdinardino Correia, tem cartas do sua fa-
milia : na rua do Trapiche n. 26, casa de M.
Duarte Rodrigues.
Precisa-se de um rapaz pira caixeiro,
quer-se fiel e diligente : na rua da Cadeia
de S. Antooion. 13.
Attenc,3e.
N. O. Bieber & Companhia, consignata-
rios dos navios abaixo mencionados, pe Jera
as pessoas qne receberam a ordem, os vo- Vendem-secaixinbas com tinta pan de-
lumes segulnles de declararem seus nomes gento pelo diminuto prec,o de 240 rs. : oa
ruado Queimado, loja de miudezas junto a
de cera o. 33.
Vendem-se cartas fraocezas muito nis,
propriis pin voltirete, pelo diminuto pre-
<;o de600 rs. obarilho : na rua do Queima-
do, loja do miud-zis, junto aloja de cera
0. 33
Aos senhores cavalleiros.
Vcndem-so chicotes superiores, pelo ba-
ratsimo preco do 500 rs ; luvis de fio da
escoria, de variai cores, fazendi muito su-
perior, i 300 rs. : na rua do Queimado, Inji
miudezis, junto a luja de cera n. 33.
Gravatas de mola.
Vendem-se superiores grvalas do mol,
pretas o de cores, pelo diminuto precods
2,000 ra.-. oa rua do Queimado, loja de miu-
dezas junto a loja de cera n. 33.
Camisas de meia.
Vendem-se camisas de meia, fazendi mui-
to superior, pelobaratissimo prcc,ode 1,200
rs.: o rua doQueimido, loja de miudezis
juoto i loja de cen o. 33.
Para enancas.
Vendem-so louquinhas desods prela, pe-
lo baratissimo preco de $20rs.; maracaes du
metal, que locam do varias maneiras, pelo
baratissimo prego de 200 e 100 rs.! oa rua
do Queimado, loja de niiu Jczas junto a loja
do cera o. 33.
Capachos baratos.
Vcntom-se capachos grandes e muilo su-
periores, p'o baratissimo pre(o de 700 ri. :
na rua doQucimalo, loja de miudezas jun-
to a loja de cera n. 33.
i'rocam-se as imagens seguintes :
Santo Antonio 4,000 rs., S. Luiz rcl da
Fringa 4,000 rs, S. Benedicto 3,000 rs S.
Mano I da Paciencia 3,000 rs., S. Francisco
4,000 rs S. Paul > 4,000 rs., Santa Barbara
3,000 rs., \. S. da Sale lade 3,000 rs., S. JoSo
Uaplista 2 e 3,000 rs., Sulla Apolouia 3,000;
na rua do Queimrdo, loja de miu lezas jun-
to a de cera n 33,
Llicas estampas de Santos.
N. S. da Peobl, Santa Luzia, S. JoSo Bap-
lista, Sanio Ambrozio, Sinti Marta, S. Do-
mingos, S. Inocencio, Sania Tilla, imagem
milagrosa, Santa Kilicidade, N. S. do Roza-
rio, Santa Amelia, S. Marcos, Santa Vicio-
ra, Nascimento do menino Daos, S. Rodri-
gues, N, S. do Pillar, Santa Filoinena.S. Ro-
que, Santo Hilario, S. Lucas, N. S. do Boni
| Soccorro, S. Cuilliorme, Santa Adelia, S.
comprar. Na mesma loja vonde-so igual-1 Martlnho, N. S. da Saude, o Sagrado Cora-
menle por muito pouco dinheiro as mais cao de Marn, S. Chrjstnvo, b. Antonio dn
peifoitaselindissimas llores francozas para padera> santa Glomenlina, AssencflodeN.
enfoito de chapeos e voslidos de senhora, senhora, N. S. da Lipa, Santa Precoliana,
pentes de tartaruga para coco, e um admi- s. Bunio, Santa Eufrazia, Santa Emilia, San-
ravel apparelho para fazer caf em 5 mi- la Virgem e Jess, S. Viclor, S. Lizaro. San-
nulos, fias chagas do Christo, Santa Cristina, S.
Manoel de Almeida Lopes, com casa Sebasliao, S. Pedro, N. S. da Gloria, S. Pau-
deconsignacSo para comprar e vendor es- ,|0, Sanio Angelo, N. S. do Carmo, S. Joa-
cravos, tanlo para esta provincia, como pa- qUim> s. Carlos, Sagrada Familia, Santa Ju-
ra fura dola, mudou a sui residencu da> J liana ; estas estampas i3o cloridis e muito
rua da Cadeia do Recife, n. 51, para a rua .finas, o troca m-so pelo muito diminuto pro-
da Cacimba, n. II, aonde morou o finailo|Co de 240 e 320 rs. cada urna : ni rui do
Exm. vigirio. Brrelo, onde continua, oQe-|Queimado, loja de miudezis juoto de cen
receodo-se lodi i seguranca precisa para os n. 33.
mesmos o bom tralameoto. Finissimas navalhas.
O !>r.Bernardo de Aluquer- | vendom-se navalhas com cabos de mar-
que remandes Gama, queira man- lim, os mais superiores quo se pode eocou-
5 L....II. J..I flla'in lrar 031 navalhas, polo ridiculo prego da
dar pagara subsencao deste Diario. 4000 r8 0 ejloj ,o>_ 9 nayalhasr na ru,
Procisa-so alugar urna prela escrava, do Queimado, loja de miudezas junto a de
para sorvi^o de muito pouca lamilla: na cera n. 33.
Poiit Velh.i n. 14. _____________
CililJM'.'lS.
s"- Wicroscoioi para ver sedulas,
Veodem-so na rua do Queimado, loja de
'miudezas junto a de cara n. 33, microsco-
Com pram-se escravos o vendem-se de'pos para ver sedulas, pelo diminuto prego
commissSn, para dentro e fra da provin- de 1,500 rs
ca: na ruada Cacimba, sobrado u. 11, on-
de morou o Sr. vigario do Recife.
sy Compram-se escravos de
ambos os sexos, de G a 3o annos,
para fon da provincia paga-se
bem tendo bonitas figuras: na rua
das Larangeiras n. i/j, no segundo
andar, a qualquer hora do da.
Compram-se trastes usados do todas as
cualidades, o tambem so trocara por novos :
na rua Nova armazem de trastes do Pinto,
ilefront. da rua de S. Amaro.
- Compra-se urna corrente de ouro, pa-
Flnres francezss
Vendem-se ramos de Dores francozas,
muilo superiores, pelo baratissimo prego
de 320, 500, 600, 800 e 1,000 rs. : na rua do
Qucima lo, loja de miudezas junio a de cera
n. 33.
Franjas para cortinados.
Vendem-se pogas de franjas com 15 varas,
fazenda muito superior, pelo baratissimo
prego de 3,000, 3,500 e 4,000 rs.: 111 rui do
Queimado, loja de miudezas juuto a de cera
n. 33.
Mei.ii baratas para horaem.
Vendem-so meias cruas pan honiem 1160
diUs
ra'roloIioToa'ruYiarga do Rozario n.26. I rs., ditas pintadas o azues a 160 rs.,
%'-,.,"__.___- -..__- ....." ~' brancas! 160 rs., ditas muilo finas 240 o
Vendas.
280 rs.: na rua do Queimado, loja
dezas junto a de cera n. 33.
de miu-
para le poder rec;ber os frotes dos ditos vo-
lumes : pelo brigue hamburguet (Huida,
vindode llambugo, um volume marca Ke
Mn. 823, contendo agulhas, carregadores
Schl'uter & Maia K, e pela barca belg
Louiza, vinda de Anloerpia marca D 61C os
5,7, 15,15 1|2, 16 l|x-0-00, carregadores
SleiDl & Gerard, 26 barricas, contundo pre-
gos.
Precisa-se alugar urna ama para u-
ina cisi de pouca familha: ni rua IDireita ,
FOLIliKIlAS PABA i85a. para senhoras.
Vcndein-se folhinhas de porta Vendem-se carteirinhas com agulis de
________ _j .. 1,,,1,0'ir'i il,- irru rlil'. todas as qualidades a 300 rs., caixinhascom
de padre, e de algibeira de ires oii-, fi ^^ ^ ^^ rranc(,za's a 2,0 r9 >tgu.
ferentes qualidades,sendo urna del-'ihascaolofas a 40 r. o papel, carriieisde
las com o almanak da cid.de e pro-! nhas de 200 jardas a 60 rs., Ilnhis do peso
r : bnas egrossasa 60 rs. a miadinhi, tezou-
vincia: vendem-se unicainenie narinnas _uila finas .para costuri 240 rs.,
6 e 8. trancinbi de 13a de todas as cores a 60 rs. a
praca da Independencia n. 6
Vcndom-si acavallos, 1 rudalo, e 011-
tro castanho, ambos bons andadores : na
rua da Concoig3o, na Boa-Vista n. 60.
Vende-se urna armag3o de venda mui-
to nova e a moderna, isso muito em con-
tg "e!a caa pagar um aliiguel muito pe-
q.'e'no, na rua de llortas n. 52: a tratar na
rua da Senzalla Nova, taverna n. 1,
Vndese um cavallo castanho, muilo
gordo,com todos os andares e sem achaque
algum: em Fra de Portas na rua do Pillar
n. 85.
Vende-se urna rarroga nova de sicupi-
rasemboi: quem a pretender dirija-so a
cipunpanosilio de RomSo Antonio da Sil-
va Alcntara, ou no armazem de assucar no
largo do Polourinho 11.507.
Fio inglez
Do muilo superior qualidado e por prego
commodo, em casa de Eduardo i Wyatt, na
18.
pecinha, batalos abortos de linho a 80,120,
e 160 ra. a vara, ditos bordados a 200 rs. a
vara, ligas de seda para senhora a 200 rs. o
par, pentea abeitns de baleia para coco, fa-
zenla muito superior a 300 rs., caixinhasdo
motal com grampas a 100 rs., que s 1 oii-
xinha val o dinhei.'O, tezourinhas ingiezas
as mais linas que podo haver para uohas a
640 e 800 rs., ricos agulheiros de vidro a
200 rs., finissimas meias brancas para se-
nhora a 500 rs. o par, crep amarello, per-
foitamente bom a 400 rs. o covado. escovi-
nhas para denles a 120 rs., bicos finos, lar-
gos o eslreitos, litas finas lavradas de muilo
hons goslos, brinquedos para meninos, fro-
cos de to las as cores a 160 rs. a vara, o ou-
tras muitas miudezas que se vendom por
prego que causa admirag3o : na rua do
Queimado, na bem conhecida loja do miu-
dezas junto a de cera n. 33.
ruado Trapiche Novo n. ,8^ ^1 Calcadus V 800, a,5oo,
.- Vende-so o superior
cirociro cipado, assim como urna porgSo
de peles do carneiro : no pateo do Paraizo
n. 15. .
Cheguem ao barato.
Vcndem-so na loja da rua do Crespo n.
10 de Ignacio Luiz de Brito Taborda, um
completo sortimenlo de fazendas Unas, pro-
propriaspara a Testa, assim como paulse
casacas de brim de lindo, ludo por menos
preco dequeemoutra qualquer parle em
virtule de ler estado a sua loja fechada
a mais do um mez, e para se apurar dinheiro
fiz-se todo negocio.
Tintas paradesenho.
3,ooo,
pratica de loja do Miudezas paga-se bom or-l n. 63, confonte ao fonileiro.
denado : quem estiver neslis circunstancias! -- Roga-se ao Sr. Guilherme Jorge da Mol-
dirija-" a tiavessa da Rua do Rozario loj 1 la, que antes de retirar-so,- quein ir 1 rua
de miudezis n. I8,que se din quem precisi | do Kangol 0. 36, a nogocio de sea intorosse.
Fara quem passa a festa.
Lindas laoternas de papel de cores, muilo
proprias para passeios no sitios, pelo prego
de 200 rs, cada urna : na rua do Queimado,
loja de miudezas junto a de cera 11. 33.
Bom e barato.
Vendc-se bom papel almago a 2,500 rs. a
resma, dito de peso a 1,800 rs., nissinins
peonas de ac a 240 rs. a duzii, cirtelrinhas
com chaves, fazenla muito suporior, pti-
mas para guardar dinheiro 11,800 rs., cor-
rentes de ac pan relogioi a loo rs., loie-
3,5oo, 4\00 e aterro da Boa-Vista, defronte
da boneca,
lia chegadorecentemente os hem Moheci-
dos sspates brincos do Aracaty, tinto pira
homem oomo pan menino a 800 rs., de ore-
Iha a 1,000 rs., ditos de lustro para ditosa
2,500 rs.,ditos para homem os melbores qua
tem viudo da baha a 3 e 4,000 rs., botina
brancos a 3,500 rs., e de lustro a 6,000 rs.;
assim como um novo e completo sorli ment
de calgados trincezes o de Lisboi de lodis
as qualidades, lanto para homem como para
senhora, meninos e menioas, peles de mar-
roqoim, e cortes de tpeles a 480 rs., ludo
por prego muito coatraodo em razio de sa
precisar apurar dinheiro.
Superior qualite.
O abaixo asgnado, recebeu umi oaixa
-om gnnde porgao de bolinhos Trnceles da
diversas iguiriis, o qual vende por prego
muito commodo e om porgao grande, venda
at peld cuslo.que visla nSo deixir da
agradar: ni travessa da rua estrellido Ro-
zario para o Queimado, deposito o. 39 A de
Juno Jos Meodes da Silva.
__Veadc-se ama capa propria pan o in-
vern, bom estado, por prego commodo:
a tratar no beco do Ouvidor n. t, osa do
alfaiatode Jos Roberto.
[fjfm .j-
'y.--


Yiilio de Champagne,
e superior qualidade : voode-so no arrca-
em Kalkmaou IrmSos Rui da Cruz, n. 10
j Vende-aaum grande sitio ho lu- O
Q gardo Manguinho, que tica dcfronte Q
O dos sitios dos Srs. Carneiros.cotn ja
n gcandecasa de vivendu, de quatro n
r\ agoas, grande senzalla, eocheira, n
S estribara, blixa de capim que sus- 2
X tenia 3 a cavallos, grande cacim- S
y* lia, com bomba e tanque coberto
|j para banho bailantes arvoredos de *^
O fruclo : na ra do tiollegion. 16,se- jjj
3 guudo andar.
Moinhos de vento
com bombas do ropuebo para regar luirla
d bailas de capim : vendem-so na fundirlo
do Bowman & Mr. Calluoi, na ra do Urum
na. 6.8 e 10.
Auligo deposito de cal
virgem.
Na ra do Trapiche, n. 17, lia
minio superior cal nova cm pedra,
chegada ultiaiamentc de Lisboa
Talxas parn rug nlio.
Na fundido de linu da ra do l'.rum,
acaba-sc de receber un completo sorllinen-
lo de taixas do 3 a 8 palmos de bocea, as
quaas acham-se a venda por preco com-
uiodo, o com promplidilo cinbarcain-se.ou
carrogam-so cm carros soni dospezas ao
comprador.
Vendem-se cera em velas ,
lubricadas em Lisboa e 110 liiodej
Janeii j, em caixas de 100 libras
sortidas, de laiGcm libra, etam-
bein de um tamanho, por me-
nos preco do que em outra qual-
quer parle : trata-se 110 escripto-
rio de Alachado & l'inheiro, na
ra do Vigario n. iy, segundo
andar.
rOTASSA DA RUSS1A.
No armazem de Jos Teixeira
llasto, na ra do Trapiche n. 17,
ha para vender, nova e superior 1
potassa da Kussia, chegada recen-
teniente.
Vendem-se velas de espermaccle, em
caixas, de superior qualidade : em casa de
J. Koller & Compiuhii : na ra da Cruz nu-
mero 55. g vos, assim como lio proprio para re- S
Principios ceracs de economa pu- des de pescar o pavios para veilas, 3
' i.. 1 i i> por preco muito commodo. <-
Vende.SebestCeacoeni;entS as aulas de primeiras letras, a 80rs.: na !'.,...,1. ii'i,,
praca da Independencia, livraria n. 6 e8. ., drlnl,f L onlana
] 1 -' 1 __. cbogada ullimamcnlo: cm casa de J, J. Tas-
Lasa de commissao de escravos. so jtinlor, na rui do Amorim 35.
Vendem-se escravos e recebem- Fazendas para senhora, por
se de commissao, tanto para a pro- t > neceo,
vincia como para fra della, para Cambralss desaislos brancos e de cr,a
Farinha de mandioca.
A mais nova e mais barata (arlaba de
miudioca que ba no merca lo, vende-so na
ra da Cruz do llocifo, armazem 11. 13, de
J0S0 Carlos Augusto da Silva.
Deposito du fabrica de Todos os
Santos na Huilla.
Vendo-sc.cm casa doN. O. Biebor&C.,
na ra da Cruz n. 4, algodo transado da-
quella rubrica, muito proprio para saceos de
assucar e roupa de escravos por prec,ocom-
modu.
Vendem-se selins e silhSes
inglezes, de couro de porco, da
primeira qualidade: em casa de A-
damson Ilowie & Compnnhia, na
ra do Trapiche u. \ 2
Vende-se superior Cariaba
de mandioca de S ma llalli nim,
chegada ltimamente a bordo do
patacho Euterpe, tundeado de-
fronte do caes do Ramos : trala-sc
a bordo do mesmo 011 na rua do
Apollo armazem n. 1 c na rua
da Cruz armazem n. 33, com S
Araujo.-
Armazem de louca vidrada.
Como sojam : pancllas, encarlas, tijellas,
assadores, fregideiras, papeiros, alguida-
res, talbas pura doc, vasus para flores, jar-
ros, quartinhas, garrafas, copos, morio-
gues, refrisdeiras ; ludo lino para' resfriar
agoa, balaioa para uioniuasaiidarom, ditos
para costura e compras, baldes de pinho,
condenas de lodos os lacLanbos : ua rua da
Cadeia do Recife n.8.
Mocadas superiores.
Na fundico do C. Starr Companbia,
om S.-Amaro, acham-se venda rooendas
do caima, todos de ferro, de um modelo e
coustruccilo muito superior
l'rezuntos
Vendem-se prczunlos americanos, muito
superiores o por barato preco : no caes da
Alfandoga, arniozcm dfronte da arvoro.
j| Deposito de lecidos da labri- *|
m ca de Todos os Santos, 3
> na Bahia.
Vende-se om casa de Domingos Al- # [
Vende-se, traspassa-je, 011
faz-se qualqucr outra transaccSo ,
com a loja, que foi do fallecido Jo-
s Pinto da l'onseca e Silva, anti-
ga luja.de (ucrra Silva & C'omna-
nhia, na rua Nova n. 11, a fallar
com J. Kcllcr fc Companhia, a
rua da Cruz n 55;
0 Ven 'e so na luja Pernambucan* da O
5J ruado Crespo u. II, superiores cha- J
Q pos Italianos, ricamonlo enfeita- 0
m dos para meninos do amos os sexos. \
Vende-se champagne da marca antiga
e bem conliecida, Comet, em casa de Deane
Yulo A Lamparilla : na rua da Cadeia.
-- Vende-so una bonita crooula, qno co-
ze, engomina e faz lavarinto, camaha e tem
oxcellcule conduela, be rccolbida o apren-
deu na escola o que siba dccos'.uia, tem 18
anuos doidade, ppro.nia para mucumba de
casa ; lambeiu se yendo um mule^ue errou-
lo de 10 annos do Hado, proprio para qual-
qucr ollicio : na rua larga do llozario n. 35,
loja.
Venlom-so amorras de ferro: na rua
da Senzalla nova n. 4.
VonJe-so cabos do linho c de manillia
de lo las as grossur.is, e superior qualidade,
chumbo em barra, sucas cum farello muito
dovo por ler vindo pelo ultimo navio do lia -
vrc, champgue muilo superior, seiveja em
cestos do duzi", caixas de cem latas com
sardinhas om azcitc, e pennas d'aco muito
boas : ludo por commodos presos : na rua
do Trapicha novo n. II. ocrilorio de J. II.
I.asserro & Companhia.
\ende-se oleo de lia haca em
botijas : a tratar com Manoel da
Silua dantos, no caes da Alfande-
ga, armazem do Anea.
Vende-se cal virgem em pedra,
Chegada recenlemenlo du Lisboa, em anco-
ros muito bim acondicionadas o por precio
muilo commodo : no armazem do Silva bar-
roca, na rua do Trapicho Novo n. 19.
-Km casa de J. Keller & Com-
panhia, acha-sc a venda vinagre
brauco, superior/de Nantcs, em
.barris de 36 medidas.
4
A 2,500 rs. o frasco.
Doce de annanaz, superior qua-
lidade, proprio para presente no
lempo da festa : veude-se na rua
da Cadeia do Kccife n. a3 e a5.
Nova fab.ica de chocolate,
II1. n. 8, so encontr mais o seguiute : o cbo-
COlato Imir ipalhica a|i; rov.ida e aplicado
icios Si s I)..-, da homocopalbia, o grande
chocclito espanhol fino, amargo para rega-
lo regallo, idem dito para o diario, caf mui-
do puro, dito de cevada, caf em caroca,
evada em jp"3o, familia do MarauhSo, dita
lo mandioca, cha da India, dito preto, e
charutos : lulo de auperior qualidade o
(ominado p*ro(o; na niesina ae diz quotn
compra una rednacSo com os sous uicnn-
lio.", e ua mo-nia fabrica, se vende assucar
refinndo, o de carocode to^ta a qualidade.
-- Vendem-se na rua doQueimado n. 19,
corles de vestidos com barra a 4,000 rs.; ve-
nh.an ver a fazenda antes quo so acabe, que
faz admirar fazenda por este prego.
- Vendc-sea padaria nova do Manguinho
com lodos os sens pertences : quem a pre-
lodnder dinja-sea mesma.
-- Vi'iideiu-s 3 negrotas de idade 20 an-
nos, muilo lindas, engominam bem com
perfeicSo, 1 dolas faz bem la va 1 i n lo; -2 mu-
alas do ii annos do idade, de bonitas flgu-< Pel8.a .500, 2.000. 3,500 rs. : n rua do
ras, eogommam o cosinham : na rua Direi-1 Q"2'_oiado leja de miudezas junto a do cera,
ta n. 3.
pessoa que procurando! O.Lo/i I lIllllLII \
1 toda a press. ouSo Ion- DE
Islo he o diabo !
Assim dizia urna pessoa que procu
escrevor urna carta a toda a press ou
do ochido a pauta linha escripto sem ella e
passando pelo desgosto do ver que as 11 tilias
rstavoo ISo direiUs orno a rua Dioeita,as-
sim exelamava isto be o diabo porem
grabas A providencia que ja temos remedio
para esses inconvmienlns
la Ligelra bom papel de
prio para caitas c vende-s
gio I ja i.'e encadernacSo 11. 8.
Manteletes e capotinhoa.
Os mais modernos manteletes, ca-
pa Un los o palitos pretose de.cores
% que ha no mercado ven lem-se na loja
Jo sobrado amarello nos quatro can-
<&i tos da rua doQjsimodo n. 29.
Bom gosto.
Ricas caixinhas onfeitadas com laces de
litas e flores, cheias dotmemloas comfella-
das, ptimas para se darem de fastas, pelo
baralisiimo prego de 2,500, i,000, e 4,500
rs.: na rua do Uueimado loja de miudezas
junto a de cora. 11 33
Sao muito lindos.
Jarros de porcelana dourados proprios]
para flores, pelo diminuto preco de 3,000'
e 3,500 is. 11 par, llguras dito do dito a 3,1.
rs o par, lindos pezos para por sobro pa-f
ponal do medicina, pelo lllustrado Sr "fir"
Antonio Jos Peixoto om sua clnica em
sua afamada casa de saude na Gamboa n
lo lllm. Sr. I)r. Saturnino de Oliveire.me
dicodoexercito o por vario* oulros modi
eos, permiltem boje de proclamar llamen!..
ts virtudes clllcaies da
SALSA PARRILHA
DE
Nota. Cada garrafa contem duas libr,5
de liquido, o a salsa parrilha do Bristol h,.
garantida, puramonle vegetal acia morcu.
rio, iodo, potaisium.
Vendc-sea 3/000rs. o vidro la botica do
sr. Jos Mana Goncalvcs Ramos : rua dos
Quarteis pegada ao quarlcl do polici
Dados de maifim.
Vendem-so dados do oiarfim, muito fi-
nos : na rua larga do llozario n. 20.
:t*v.p^ffi8iawNiwiiiii)
Arte de nadar. f0
~,H Vijnde-se essa ulil invenelo pelo di- tS
iil minoto pceo do 6,000 rs. : na loja tgt
S Pcrnnnbucana, da rua do Crespo,
Chapeos de Castor braneo. "*S
Nj loja do sobrado amarello nos i,
quatro cantos da rua doQueimado n i
29 veodem-se chapeos de castor m
branca os mais finos e mais modor- m
nos quejiquUero aptreci lo. m
lspeiho de piircdc
n. 33.
Ln vas para homem e senhora.
Vendem-se luvos de seda do cores que
muito imitSoas de pelica, o melhor que lia
luvas pelo baralissimo preco da 1,800 rSll! om rices molduruj : vendem-se no arma-
ditas de pelica para homem e senhora que ,zem Ue K|Kmann limos, rua da Cruz n. lo
so afianza ser da melhor qualidade que p-1 Livros em branco
de. bayer, pelocommoio preco de 1,000ra.: Vendo-sa em casa do Kalkmimi Irmn.
estas luvas vendom-se por este preco, por na rua da Cruz n. 10, livros em branco eh.'
gados pelo ultimo navio.
*gse ter comprado porQSb grande; ditas di-
^^.,-'.Miaiii;iu~..^iia : ra senhora o homem a 500 rs. o par ; ditas
'' do tortol sem de los a 210 rs. o par : na rus
Srs. pharmaceulicos.
t ves Matheus, na rua da Cruz do He- I "onlem pelo vapor S. Salvador recebcu-
* cifon.52, primeiro andar, algodo ^'se urna pequea porgSo de salsa do supo-
ff transadodaquella fabrica, muitopro- ] rior qualidade, que so vender a commodo
f prio para saceos o roupa de escra- 2
*i
bara-
o que se offerece mui.as garantas *;^ft-J f *.-i
a setisuonos : tiarua (l.l Cacimba vara ; ditis co.n listrasdocra 3,000 rs., a
n. 11, primeiro andar. Pea ,cam 8 va,','s cassa
' '. covaio ; caries de cassas
el)Slt() (O Cill O POtaSSa. cortes do chita com tal c
No armazem da rua da Cadeia t^U^'^l^
pe$a com 8 varis ; cassa prcta a 100 rs. ,
covaio ; caries de cassas pintadas,a 2,000
Deposito (IC Cal e pOtaSSa. cortes do chita com 12 covalos, o 1,920 c
1.800rs. ; lencos de finissima combraia de
linho, o 480. 560 c 640; ditos de cambra a
doltccile n. 12, ha multo supe- do algodo com bico, ailOrs.; zuarles do
or cal de Lisboa, em pedra as- ^^^mmngj.^m ra., to
gim como pot.1S.1a c/iegada ultima- transado cum lislros, a 180 rs. : na rua do
niciile, a precoa muilo rasoaveis. crespo n.c
Deposito'de cal virgem. ~ Vende-se cm casa de A-
Cunha & Amorim, vendem barriscom cal uamo 1 llowie N; Companhia, na
empedr, chegada ltimamente de Lisboa, mu do Trapiche n. !\l panno de
na barca Margarida, por monos preco do n|_n,i.~. .., ..,,.-, .1,.* .
uocm outra qualqucr parle: na rua daCa- algd'10 l,ara CC08 de assucar ,
muito superior e brato.
Velas de carnauba em libras.
Vendcm-se velas do cirnaulia imitando
6S| ermacete : na loja de s.deiro da rua da
Cadeia do Kecifo 11. 36.
l'ara jardins
M. I). Ilodrigcs na rua do Trapiche n. 26,
Ocia du liccifen. 50.
AGENCIA
da i'uiidicao Low-Moor.
RUA DA SICSALLA MiVA .%. 42.
Ncstc cstabeleeimento conti-
na a haver um completo sorti-
llicnlo de lllOClldas O meias llioen- recebcu umacompclacollccco do adornos
das pura enuenho, machinas de P"Jfarins, composta do vasas de louca,
1 ." i-, broncos e pintados de todos os tamaiihos o
vapor, C lanas de Ierro batido e modellos. Figuras representando as esta-
coado, de todos os tamanhos, na- y0esdo nn.0 a,s Pa,lcs do (louU ? lo .. 7I Ueoses da Tabula, que recomuienda a quem
ra dito. liver bom gosto, o porpregos muito rasoa-
Agencia de Edwin Alaw.
Na rua ilc Apolla n. armazem de Me. Cal-
iiiuii.-. Coiupaiiliia, acha-sc couauntcineulc
bous lorlimenios de talca de ferro coado c
iialido, lano rasa como fundas, moendas in-
DEVERES DOS 1IOMENS,
a aoo rs.
Vonde-se esle compendio
provado para
ciras todas de Ierro para animaos, agoa, ele, as aulas, em mcia oncadernaco, a 500 rs.,
ditas para armar cm inadeira de lodos os ta-
manhos c uiddellos o mais moderno, machina
liorisoutal para vapor, com furca de 4 caval-
los, coucos, passadeiras de ferro cstanhado
para casa de pulgar, por menos preco que 01
de cobre, escovens para navios, ferro ingles
tanto em barras como cm arcos folhas, c ludo
por barato prci'o.
cada um: na livraria 11. 6 c'8, da praca da
Independencia.
-- Vcndcm-sc barris dcoilavo com vinho
tinto da companhia dns viulios do Alto I 'mi-
ro : a fallar com Antonio francisco do Mo-
raes, agento daqucllo companhia, ou 110
Recife no travessa da Madre de 1) os, arma-
Veildcm-SC rclocios de OU- Va O Sr. Jos Joaquim Das Fernandos,
n fto niesTio arma/.cm tambem tem pipas,
na rua meias ditas, e barris de uuarto com vinho
pre(o : trata-so ua rua do Vigario n. 23, se-
gundo andar.
Vondo-so um violSo com o methodo em
portugez, pora aprender ; una robecca e
urna clarincta apparelluda do prata, tudo
em bom estado, e por prego commodo, por
pivci-fi i: na rua larga do llozario n. 35 ,
loja,
l'ara c smenlos.
Cipollas e ciichos de flores para noivas,
luvas de p-lica, o onfoiles para os ditas,
grando sortimento do lilas brancas, ditos
DiaitO largas pnra cinteiro, Iranias de sida,
meias, ditas lizas o bordadas, veos de blou-
de, flores brancas, espartilhos, bicos de
blondo etc. : na loja de modas francozas de
madaniaMillocliau.no aterro da Boa-Vis-
ta 11. 1.
Para cubrir mesas.
Vende-se o!e do pintado de su-
perior qualidade e lindos padres,
de (jnalro a oilo palmos de largura
pr preco mais baralo do que em
outra rjiialquer parte : ni prrea da
Independencia ns. 2^,26, 28 c 3o,
Carlos llardy, otirives rua Nova
n. 34.
avisa a seus freguezes que acaba recober de
Pars om lindo sortimento de obras de ouro
do Ici de bom gosto, cousisndo cm adere-
cos pulceiras, allinelos e brincos BoltOS para
s nhora c meninas, boldcs do camisa, aueis
para senhora o lem um sorlinunto deo-
bras ditis da Ierra, vcode-se estas obras por
preco commodo : na mesma loja lem para
l'entes do tartaruga para prender cabello
4,500 rs.
Vcndem-so na rua do Ouclma lo n. 16, lo-
ja de miudezas.
I.uvas de pelica para senhora, a 1,000 rs.
Ven li'in-si: na rua do Uuoimadi n. 16, lo-
ja de miudezas.
I.uvas de pelica para homem, a 1,000 rs.
Vendem-so na rua do Uueimado n. 16,
loja demudczas.
Bonitas luvas de trooal, a 800 rs.
Vcndem-so na rua do Queimado n. 16, lo-
ja de miudezas.
do Queimado loja de miudezas junto a de
cora, n.33
Aneis de cornalina poia homem.
Vendem-so os muilo dezmados aneis de
.cornalina para homens pelo baralissimopre
C0 de 610 rs..: na rua do Queimado loj de
miudezas junto a do cera. n. 33.
Papel para namorados.
Vendo so muito lindo papol e capas mui-
to proprios para os Srs. namorados, e por
, que preco .'80, 120, 160 o 200 rs. a folln,
Bengalas da balis, a 1,700 ra. ; tambern ha resmas com 20 quadernos de
i/.o,lI3.narUad0QUe'mad0n-,,' HW** l0 bonitas conque se ven-
ja ut miuuezais. dem por800 rs., preco que Taz admirar : na
vn,l,.m S V 'i? K finn r" -1" Queimado loja de miudezas junto a
Vcndcm-se bonitos chicolinhos,a 600 rs.: j. ... '
Caslicacs dourados a i,5oo rs. o
pjr.
Vendem-se na rua eslreita do llozario,
travessa do Queimado, loja de miudezas o.
2 A, junto ao deposito de pSo.
Na rua Nova n. 5o, vendan-
ullima-
na rua do Queimado n. 16.
I.uvas de fo da escocia, a 200 rs.
Vcndem-so na rua do Queimado n. 16, lo-
ja de miudezas.
Boncts de panno lino, a 1,800 rs.
Vendcm-se boncts de panno lino, a 1,800
rs na rua do Queimado n. 16.
Luvas de seda para senhora, a 1,800 rs.
Vcndom-se luvas de seda de mui lindas I se OS seguintes gneros
eflros, a 1,800 rsv o par, na rua do Qucima- | m-nfp rlieo-adn* ,,;1K
don. 16,loja de miudezas. mente cnegaaos,, queijos suissos
Comisas de meia,a 1,100 rs. multo frescos a 5(io rs.; dito fran-
Vendem-senaruadoQueimadan.16, lo- cez a Go rs. : londrino 8 7.0 rs.:
Ja UB ni i iiiit'/is. ti
Palitos dofogo om caixas do pao, a 20 rs. (Iue,J0S "amengos mullo hoyos e
Vondem-so na rua do Queimado n. 16, lo-; outros muitos gneros ultimamen-
ja do miudezas. ... i- ",
- Vendo-seuma prota moca, ptima la-;te recebidos ; assim como licor de
-marrasquino muito superior.
a iran-
io rs. ;
i vainita uv !>, n -vw I a., UtJIO O 1 \0 T8. i
*, cha, a 1,600, 1,920 c 2,400 rs. ; bolachinha
aossenliorcs de engenho e casas ingloz, a 200 rs.; dita quadrada, a 240 rs.;
particulares jsevadinha.a 160 rs ; sevada, alOOrs. ; fa-
Ko armazem do Sr. A.itunio'Anucsnocaes' rril,.hJiNa.r,S5l5" ? rt^i.?^}." 28
!:,t\tTorho^Wm^r^^
morcado superior inglez por ser corado
com molhor sal, vcndc-so por 6,000 rs. i
tina.
macote da 6 e5em libra, a 720 rs.; loucinho
de Lisboa, a 280 rs.; arroz do Maranhflo, 80
rs.; ngulas, a 400 rs. ; poios, a 240 rs. ,
I ser vej, a 4,500 rs. a duzia, e queijos novos
no palco do Carmo,
1
ce
coju' muito claro, cnfeilam-sc hcelas
vontade dos compradores, assim como doce
do calda do todas as qualidades por commo- 10 haralo
do preco.
Cera de carnauba e barricas va-ias.
i- "o' "vl"i ,ouu rs. a o
v enuem-se escravos uara-1 francozes, a 1,000 rs. :
tos, mocos e de bonitas figuras Ivenda nova n- 2-
molecotcs, negros ino^os, negras) l'cchincha.
muito bonitas e mocas, duas ne-! Velylenl-Se superiores batatas, a 500 rs. a
1 canastra, com o p so de urna arroba o lauto
liras, a 20 t. ; na rua
e78.
Salsa ,
I muito nova c superior, vinda no S.Salvador;
ie- chumbo de municilo; massos do pspelilo de
! lodos os nmeros e om qualqucr porcSu: na
rttz D. 4o, primeiro Inodrlgu1""10"6 "' 26-' "" d "" 0an,a
Vendc-se .uperior'fum em fardos o mui-1 Gm itthr0 ;i visla-
V6iidcr aosouriveses'iiaUt! ule preKboa grinlias UC / annos, 'IlUlto lindas, I de btalas, o cm ti
S3S& 32SEZ!b& T Plimo aTleiro dfa5 8n.nos > iDircit1've"""' fa
m3o e massaricos, c podra de desunir, de cortil1 c f
Doce secco. na rua das l^a
po passeio publico, na casa n. 2 que fz gundo andar,
uina como trapicho do Hamos, faz-so do- r .,
B secco de todas as qualidades, sendo o do l'ua "u *-'rl
de cortir c fazer qualquer obra
na rua das Larangeiras 11. t4
Vonde-se om o atierro da Boa-Vista n. 43,
Lindas caixas de .mondo., confoilodas. I ?,S0Rdiu VrauZ'a's^'"^'"^0' tfSff
Na rua do Queimado n. 16, loj de miu-S rl'ch>do mel,10r
ro e prata, patente inglez :
da beuzalla Nova n. \t.
Arados de ierro.
Vcudeni-se arados de diversos
modelos, nssim como americanos
com cambao de sicupira e bracos
da ferio ; na fundicao da rua do
Bru ns. G, 8 e 10.
fiombaa de Ierro.
Vendem-se bombas de rcpuxo,
pndulas e picota para cacimba :
na rua do lirum ns. 6, 8 e 10,
fuudicao de Ierro.
MOBILIAS DE r'EHRO.
Vendem-sc ricas nmbias de fer-
ro, como canaps, mesas, cadeiras
com braco c sem elle, c muitos ou-
tros objectos de ferro : no arma-
zem de Ivalkmann Irmaos, na rua
da Cruz n. 10.
Arados de ferro.
Ni fandigao da Aurora, em S. Amaro,
veodem-se arados de ferro do diversos mu-
dolos.
Vciido-se ceradeernaob,; Cegad, polo S!-.JS,,*^:!L5B.- f?fL-* f?-:~ ?T I K^S^m^V-^ ^I^S 'E.,;!,y.,S?
brillos chinezes,o cmbrulho por 640 rs.es
permaecto 610 rs.carnauba 280 rs., sevadi-
nlia 160 rs.,orvillns a I20,lelria 160 rs,arroz
pilado 80 rs. lapioca 80 rs. farinha do araru-
ta 120 rs chocolata 320 rs,assucar refinado
I pelo diminuto preco de 80 rs. a libra, e a 100
rs. milhu 120 rs., arroz do case 120 rs.
Vendem-so luvas branos do lorcal, mni- i"???,' n,ultlnh? 3i? rs .alpist 960 rs.,p.in:
lo linas, clieg.das ultimumento d Lisboa : S ^1,' .i"\hl"Tl^ -' v,n"8r D0,n
na rua larga do Hozarlo n 20. S0 rSl' dllu .MS?" '*? rS,qu IJ0S 800 rs''
'l....,.i: !.- '"""' carne do sertao 200 rs.,hnguicas do mesmo
Chapehnhas para meninas. 20Drs., boiacinha ingle*, m., c-lTde
nafflm^/?rt^'2?SirrS ,. Vendem-se chapelinhas do palh. da lia-1 caroco 140 rs., azoitunos 240 rs. a garrafa,
VWvfi>tivi'Vi>I>^l^>9u>Vic?,^<4> lia, linas, para meninas : na rua larga do c tudo mais por diminuto proco, do ludo se
ultimo navi.1 do AraCdty, por proijo commo- mendoas confeitadas, pnr menos proco do
do, no armazem 11. 4 da rua do Trapiche Ka- que em outra qualquer parle.
vo, confronto ao mesmo trapiche; e barr- loncts franeczes.
cas vasias prompta enchor-se do assucar, Vendem-se bonelsde panno lino, france-
asjim como um cmplelo sortimento de zes.de muito bom gosto, proprios para a
miuezas, ludo no cicsmo armazem. festa na rua larga do llozario n. 20.
9Q90Q99QQ99099OOQO I.uvas brancas de torcal.
O Na rua do Crespo n. a3, O
* Vendcm-se cortes de csemiras, cho- 9
<> gados pelo ultimo navio violo do 9
V Franca, padrOes da ultima modo, 9
Calcados
a 7D0 rs. o par, quem
teixar de comprar, isto he para
Franjas para manteletes.
Vendem so ricas fronjs para manteletes,
0 Vendem-so e alugam-se bichas, che- 4
a godas ltimamente de llomburgo, por %
> preco commodo: na rua de S. Amaro <#
%3 n- 28- *
99999999999999999V
Vende-se os bem coohecidos queijos
do Cer, mui frescaes, no largo doLivra-
menlo n 20.
Vende-se um carro de qua-
tro rodas, muito leve, para um ou
dous cavallos: na eocheira do Ali-
gue! Sougei no aterro d Boa
Vista.
da mesma couipjnliia; a tallar com os mes-
inus cima.
Vende-se vinho de champa-
nhc legitimo e de superior quali-
dade : em casa de J, Keller o;
Companhia, na rua da Cruz n. 55.
-- Vendcm-se superiores batatas ingle-'
zas, recentemeiite chegadas a 600 rs. a arro-
ba : no caes da nlfandegn, armazem de fran-
cisco Dias Fnrreira.
Vende-se a bordo do brigue Bolina ,
tundeado dofronle do caes do Collegio, boa
farinha de Santa Calharina, em porces:
Irala-se a bordo, ou na rua da Cadcio n. 39,
com Amorim Irm3us.
Batatas do Porto, a 3ao rs. a
arroba.
Vendom-se batatas muito boas, a 320 rs.
a arroba : no armazem n. 19, da travessa da
Madre de Dos.
Na rua larga do Kozario n. 22,
segundo andar,
Vendc-se urna inulatinha de 16 anuos, linda
figura, e coze muito bom, urna negra de 16
annos, tambem com principios de costura,
duas ditas de 25 a 30 annos com habilida-
des, dous muloques de 14 annos, um mula-
iinhn de 13, um mulecolede 15 annos,linda
figura, dous negros bons trabajadores de
01.chada, um negro velbo muito robusto,
proprio para sitio, e um mulato de 30 an-
nos, linda figura, proprio para fcitor por
ler boa conducta, c por estar para isso ha-
bilitado.
Vende-se saccas com superior colla,das
fabricas do Rio Cftnde do Sul, o a preco
commodo, no armazem, do Das Kerreira
ao pe da alfandega. lo bons contadores, chegados ltimamente Vendcm-se" leilOes muito gordos pro-
A l lenca a. do Porto pela barca Nossa Senhora da Boa prio para se comer em Santo Amar na
Vendem-se superiores charutos regala, v"B'|ni. no pateo da Sania Cruz n.. venda airas da fundic.lo do Starr.
de urna das melhores fabricas da Bahi, cm! Diamantes para vidroceiro. Jjom e barato.
caixas do 100 charutos a 2,500 rs. cada urna;' Chegou urna pequea pnrcSo ilesuperior VenJe-so arroz de casca muito suoorior
silo chegadas di prximo: na rua do Tra-' qualidade : vende-se na rua do Trapiche No- a 2,400 t. o aluueiro da medida volha n>
piche Nato n.'28. vo n. 16. rua do Itangel n C3.
I d amostras.
Sao
llozario n 20.
llebique. Sao franeczes
Vendom-se papis de rebi-jue, muito fino, Vendcm-se na rua eslreita do Rozario.lra-
a 140 rs.; dito enterliuo, a 80 rs.: na rua lar- vessa para o Quoimado n. 39. A superiores
ga do llozario n. 20. boliohos franeczas do divercas qualidades
acabar : no aterro da Boa-Vis-
ta dcfronte da loncca.
II1 chegadn rec^ntemente urna grande
quantiJadn dos melhores sapalOes brancos
que tem vindo do Aracoly, tonto para lio- por muilo commodo preco :'na rua larga do
mem como para menino, que por so deso- llozario n 20.
jar acabar com dinheiro visla, da-so a 750 Atteico
lustro para Homem, lem disto un novo e Sm i mJ^!',l f T ra 'unlleiro-
completo sortimento de calcados franco- Z^^**1'"*** ***
/.es de loilas i.s qualidades, tanto para ho- 'WMBMMjLiM)lftJliirLi 1
me 11. caiiio para Sra.. meninos e meninas, ,. 1^1117. oS 1 jS
corles de tapete a 480 rs.; tudo por proc S ra d 'crS.no'n f T.^-X .' m
multo commodo a.im de se appuror di- g iUdoS padX a\\sP.7cov.dod 2
u j 1 1 asim como aedas escocesas a 500 r.. t
Vende-se plvora inglczaem *******************
latas e barris, e tambem finissima, Vendem-se bolinhos france-
propiia para espoleta : a tratar na zes, chegados de prximo do 11a-
travessa da Madre de Dos n. 5, vre do Grace no brigue Ceiar ,
Gomma. nuitoproprios para cha, pela sua
Vendem-so saces grandes cem gomm excellenlc qualidade e. centrino na-
muito alva para engommar: na rua do Qnci- 1 wi.. ... ,, n
m.don. i. ,adar : na rua da Cruz do Reci-
tara liquidacao. fe, armazem de molhados n. G2,
Cera do carnauba muito boa a 5,500 rs, c de Manoel Francisco Marlins tVexcellentcs vozes
cebo de llollanda a 7,500 rs. a arroba : na |rnlj0 I
rua dos Tanoeiros, armazem n. 5 iimau.
Vendom-se canarios de imperio, mui- llom pctisco pira a festa.
------------------............. wb uLtyi.i udllllu.HUS
chegadas estes dias de Pars, tambem se
vende latas deararuta, biscoutinho latas,
e mais outras qualidades, tudo por preco
commodo, oanuuncianle pede ao respeiti-
vel publico, itcncao.
Aviso.
Tem toda a qualidade de plvora, a qual
se vende muito barata : a tratar no aterro da
Boa-Vista, na luja do abaixc assignado.
Manoel Jos Magalh3es Bastos.
Descripca,) do Brasil.
Vende-se a discripco histrica do Brasil
Colombia e Gueyanas pelo celebre escriptor
Fr. Diniz traduzdoem portuguez,2volumes
com ricas estampas representando as prin-
cipaes cidades,usose costumes dos pr i mui-
ros povos do Brasil;vende-so por muitocom-
mouo praco : na rua do Collegio loja de en-
cadernc<1o n 8.
1 UNOS.
Vendem-se
iiianu Irmos,
em casa de Kalk-
na rua da Cruz n.
10, ricos pianos de Jacaranda, com
chegados ha
pouco lempo.
Cadeiras.
Vendem-se cadeiras para monillos; no ar-
mazem de K ilkmaiin IrinUos, na ru da
Cruz n. 10.
Charutos de llavana
Do superior qualidade : vendem-so no ar-
mazem de hjIIu ni 11 irmaos, na rua da
Cruz n. 10.
Tinta em oleo
branca o verde: vendo so no armazem do
hilkmann irm.los, rua da Crnz n. 10,
Sobrado em Goianna.
Vende-te, muito em conti,
um bonito sobrado sito m rua
do Meio, n. 58, avaliado em
a:oooooo, emo qual tem parto
rsula Mara das Virgens e sua
irmaa Joaquina \ Ivs de Paiva na
importancia de 107,473 rs. quem
pretender dirija ae a caza de Kal-
kmann limaos, rua da Cruz,
n. 10.
Escravos fgidos.
BOA GRATIF1CACA'.
Ausentou-se na noite* de 27 de
outubro passado o mulato Cle-
mentino, de ao annos de idade ,
pouco mais ou menos, mogro, al-
tura regular, tem muito pequeo
buco de barba e falla muito mansa,
quando anda parece que n3o' pisa
bem com os calcanhares, costuma
andar calcado e bem vestido, 1c-
vou urna trocha de sua roupa, in-
clusive cal?a cjaqueta de panno
fino azul, e alcm do mais algum
calcado, um par de borzeguins par-
dos, com botoes de madrepcrola
brancos, e consta que levara um
cav..llo, que naquelU occasiao a-
lugra, o qual tem os signaes se-
guintes ; castanho, barrigudo,
dinas pretos, gordo e tem um ta-
Iho em urna anca; he provavel que
queira passarpor forro, he boliei-
ro e escravo de Luiz Antonio Si-
queira : quem o pegar leve-o a rua
da Cadeia do Hecife n. ai, quese-
ra recompensado.
Desappareceu na tardado da 13do pas-
sado um escravo por nomeJoaquim tem os
signaes seguintes: boa estatura, representa
ter 35nnos do idade. Talla desembaracada,
ps grandos, tem lodosos denles da frente,
nariz chato, quando anda estala as Juntas dos
joelhos, levou camisa de algodaosioho bran-
co, caifa do dito azul, esle escravo foi do
mato: quem o pegar leve-o a typograpbia
imparcial a fallar com a viuvi Roma que se-
r recompensado.
5o,000 rs.
11,1 topara 16 do novembro de 1851 de-
sappareceu do cngeulio Aguas Claras de
l'ruc, da fre^uezia de Escada, o escravo
Venancio, de Angola, que muilo parece
crilo, idade 25 a 28 annos, cor fulla, bo-
n 11 figura, altura regular, ebeio do corpo,
pernas o bracos .tocos, rosto gordo, c ar-
redondado, tsla grande, olho* grauaes. >
amortecidos, tem falta de muitos denles ua
frente, do la lo superior, poucos cabellos no
buco, e quoixo, tem marcas de chicote as
costas, e de surras as nadigas, parece ser
serio, o muito humilde, (lia com muda
mansidoe arrastaJo faz-se; innocente, lio
chegadoa furtos, e costuma mudar de trage,
por furto de roupa que faz ) de mudar o
nome, dizer-se forro, outrss veres procu-
rando quem o apadrinhe, qa quem o com-
pre : levou camina de madapolSo, calca de
lirim trancado do listra pardas, j desbola-
do, di 1 peo uza lu de couro, Cobertor groco
de hstr.is azuos escuras, e um fado que t>-
mou de um muleque cirreiro, do engenho
JIucot. Bsle escravo piasou pelos enge-
ulins Aran lii duSr. Manoel Flix, Amparo
o .Morolo, lia volido pedido aos senllorcs dos
dous ltimos engenhos cartas que o paln-
nhasso, em que fui salisfeito, e 11S0 obstan-
te lugirlendo seguido para o engenho Mi-
nhocas, da donde prezuma-se ler paitido
para o Brejo da Madre de eos, onde foi es-
cravo do Sr. CorJeiro, calibeado por Abade,
a quem pede-so o favor, de se chegar scu
conheclmento a suaeatada ali, fazer apre-
eoder, remetter ou avisar a seu Sr., poodo-o
noste caso na cadeia, assim como loga a
qnslquerqueo pegar, de leva-lo ao dito
engenho ao seu Sr. Antonio Carlos Hereira
de Burgos Punce de Len, ou na rua Direila
n. ti casa de Jos Pinto da Costa, que rece-
bera a gratilicacSo mencionada; e tambem
pelo pruzuuloprotesla-sa.com lodo rigor,
contra qualquer qu: o conservar em seu po-
der.
Fugio desde o di. 8 do corrente urna
prela escr.va, creoula, do nome Tnereia,*s-
Utura regular, corpo ciieio, nadegis gran-
des, poscoco grosso, ptdoce de cravos nos
ps, o tem urna marca preta ao lado Jo n-
ii/, levou voslido do nscdo azul.aam pan-
no, porm Ulvoz lenha mudado de roupa :
quem a pegar c levar no caes da alfandega,
armazem 11. 5, ou no atorro da Boa-Vista n.
lquosei bem recompensado.
ne M ]'. rf f \i'.


Full Text

PAGE 1

nnelJoiqin da Silva Rlbeiro, escrivo, o ganizidoum especUculo que muri agrada, arero'i.-r'riDciscoMimededeAlmi.jds. tanto pela viriedade. #om& pela sua acerlaMW Ida escolbi. O publico, a quera oidminisJos Camello do Reg Barros, juli de Taz do I trador emprezario ae confessi issazreco1. destricto di fregoeiia do Pogo d Pinella etc. Em confnrmidade do art. 25 do cap. a. di le n. 387 de 19 de agosto de 1816 e ordem da cmara muaicipil, que me fui dirigida om otlcio do I. do corrente, convoco aos eli'itoivs esupleutesdesti parachia dol'og da Panilla para que na terceira dominga du mez de Janeiro futuro comprelo no corpo di igreja matriz da mesroa fte^ucia affm de procader-ee a formagSo da junta qualflcadori que tem de rever a lisia gcraldosj nhecido pela constante protecgBo que Iho ba prodigali/ado, n.lo deixara pur corto deconcorrernris ealn vez ao tbealrode Santa Izabel, Unto mais que neata noite termina as fadiga llieatraes do anoo de 1851. Cornear as 8 horas Oa bilhelcs acbam-je venda no lugar do coatumc. ________ R ECITA EXTRAORDINARIA L1VKE DA ASSIGNATURA. Iloje, 32 de dezimbro de 1851. Depois de uoin escolliida symphonii suvolintes. —Elellores.—Antonio Lina Cildas, j bira soeoa pela pnmeira vez nesta cidade l'rancisoo de Paula Rugo Barros, Franoisco o quadro histrico ero um acto, ornado de Jos Alves Gama, JoSo Francisco do Reg j muzica s Carneiro Monleiro, JoSo Leito Ro lovalho, ¡Emilio Zaluar. Jos Francisco do Reg Barros. -Flix RaPoraonagense actores. OJOS Liauteir.Joao Severino do Reg Barros, D. Alfonso ll'nnquo t.'re de Portugal -SebsslIRo Jos do Reg Brrelo, Jos Lopes Guimarflet, Joaquim Jos de Amorim, Joaquim Tavsres Rodovalho, JoSo Pires Ferreira, Joaquim de Albuquerque Fernaodes Cama, Francisco Cezario de Mello, Antonio Feliz Maciel, Manoel Joaquim do Reg llarros, Joaquim Jos Cavilcanli,Joaquim TiburJ. S. Res. Egas Muniz, aio de D. Affonso -A. J. Pinto. Garcia Meles, alteres real -Silveslru Meira. I.ouronco Viegas, o espadpiro -• A. J. Alves. Marlim Muniz -NN. Mem Muniz NN. ci Ferreirs, Jos Feliciauo Portolla. Os Um enviado mouro J.J. Bezern. quaos, devoro comparecer impretorivelmento as 9 horas da manhSa,(¡cando os que deixarem de o.fazer semescusa legitima sujoitosa mull comininadaiio art.t27,§.5,n.2, dacita'da lei. E para constar man lei fazor o pn s %  iitti edital ,que sera aOsado nos lugares mol pblicos desta Treguozii e publicado pela imprenta. Eu Jernimo Freir de Faria Pe Iroso escrivSo o escrivi. —Jos Camello do Reg Barros. % % %  UBI na— %  —a——i————— Declarasjoes. CORRMOGERAL. smalas quedeve conduzir o vapor Bahiana para os portos do Norte, principiam-se a fechar l boje (22 ) a urna hora da tarde, e depois desta hora at o momento do fechar rncebe-se correspondencias com o porte duplo. — O consolho da administrado do 10. batalhJo de infantaria, precisa coutractar para o rancho do mesmo balalho os genero* do que so ellecom;0o, a shbcr: carne verde, carne secca, bacalho, feijo, farinhaitoucinho.arror.sal.cafjassusarbranco, pues de 6|0,muii toig n ,lcnh vim achas,izeitedoce, e vinagre : o porquo estes gneros devem serda melhorqualidade possivel, como est recommendado em ordom do da do quartel general de 18 do correnle, o mesmo conselho julga conveniente publirar as segoiotes condieges consignadas em dita ordem : 1." Os fornecodores apreseotarSo nos balalhas os genoros ilimenlicios, que deverUo entrar as respectivas irrecadagors depois de examinados, assim pelos facultativos de saude, que eslarSo presentes em til co ijunctura, como pelos Aseses dos mesos balalhOes. 2." No caso de serem os gneros reputados de m qualidade pelds facultativos, sero repudiados o substituidos por outros de boa qualidade, sendo, o fornecedor irremissivelmente despedido na reincidencia de falta semclhante ; quanJo poiai OS gneros forem julgados nocivos i saude dos soldados, por estarem corruptos, ou falsificados, alm de pagar ¡nimediatanienle o premio convencionado de 200,000 rs. para a caixa do rancho, e ser despedido, dar-so-ha logo parto ao quai telgeneral, alim de proseguirse contra o forr n ermitSo —A. J. D. Coimbra. Personagens mudas. Goncalo Mondes da Maya, o Lidador, Gonzalo Dias, o Cid, D. Fua's Rupinho alcaide de Coimbra, Egas Fafe-Soairo Veigaa, ricos homens, infaeces, prelados, pageus, cavalleiros, sollados porluguezes o soldados Agarenos. Primeiro coro hymno de guerra ¡ segundo coro a orag3o; lerceiro coro hymno luzitano. Seuir-se-ha a linda camodia em 2 actos. QUEM PORFA MATA CASSA. No fim da comedia o Sr. Silvestre, cantara por obsequio umi nova aria, poesa do Sr. Rois, muzica do maestro Podro Garcia intitulada : Oh que aperto. Em soguimenlo, ir a scona a podido de mullas pessoas o quario acto do drama. GRAQ A DE DEOS-. O Sr. Raymundo tambem por obsequio cantar urna aria cmica composicSo do Sr. Res, e muzica do Sr. Theodor Orcstes, intitulada : O maluco em grande gala. Terminara ooxpectaculo com a comalia original brasileira, do Sr. F. C. ConceiQo. A febre amarella no Rio de Janeiro. Personagens e actores. Pedro de Rales--S. F. Meira. Thomaz creado da Hospedara — L. A. Monleiro. Jonh Inglez da California — Raymundo. Um pedestreA. J. Alves. Um prelo -J. J. Pereira. Carlota, don > da hospedara -• D. Rita. Engracia, sua prima — D. Julia. Um'entregador de jornaes. A acg3o passa-so no Rio, no anno do 1830. O resto dos bilhetes acham se a venda no escriptorio do mesmo lliaatro. Principiar as 8 horas. participar ao reipeilavel publico o ., obraduo Sr. Gabii I AlTooso Regueira, em-ciir por esta folha. dearmacSode ac a 1,000 rs Uvelas doupregadopub'icooa alTandeg, quo tendol — Na ra do Vigario n. 33, prec¡M-8e de] radas para calca e colete a 200 rf., diUf ae Viole das da lei para apresantarsuas testo jum caixeiro, que tenha pralioa de venda; e Jaco a 40 rs. : ni ra do. Queimado, lojt de manilas tos embargos dos heos movis, que na mesma easa vendem-se redes do Man- miudezis junto a de carao. 33. nh3o de cores e gosloselegantes, por prego Cartas finas para VOltrete. veleiro brigue nacional Uio Ave : quem no mesmo quizer carregar, ir de passagem, para o que tem bons cominodos, ou embarcar escravos a frete entenda-se com o capitao do mesmo brigue, Elias Jos Alves, na praca do Commercio, ou com os consignatarios Novaes & Gompanlii.1, na ra do Trapiche n.' 34. — Para o Havre saho com muila brevidade a galera franceza Edilh, capilo Poulel, por ter a maior parte do seu carregamento prompto ¡quom na mesma quizer carregar o restante, ou ir de passagem, pode ontender-si! com o mesmo capitSo ou com os consignatarios Schafheillin & Tobler, na ra da Cruz n. 38. — Para a Itahia pretende seguir com muita brevidade o liiale brasileiro Exaltlo, meslre, Antonio Manoel Alfonso : quem i'O mesmo quizer carregar ou ir de passagem, p le oniender-se com o mesmo meslre, no trapicho do algodSo, ou com Sa Araujo, na ra da Cruz n. 33. ________ ____ Leil&o. %  O corrector Miguel Cirnoiro, far o ultimo li'iio esto ai.no no seu armazem na ra do Trapiche n. 40, ter^a-feira 23 do corrente as 9 Mhoras da manhSa, de diversos trastes novos e usados, pianos, mesas com ricas podras, urna cadeira elstica com estante para Icr, selins e silhOes lustres, candieiros, quadros com estampas, loucayvidros, relegios, espingardas, e outros muitos objectos, que so se entregar por qualquer preso quo lr olferecidu : o adverle-so as pessoas que tivercm objectos com limites, de os virem tirar antes do dia do leilo. g)——J————%  —— -! % % %  —! %  ————| Avisos diversos. 31adama Theud modista frunceza ra Nova o. 3a. %  't¡i par uso ilaaescolaado Imperio do Bra-1 av¡fa „ 3 suls rreguezase juntameote as pessil pelo (esembargadorconsolheiro JoseRi-, j0BS do bom g OS[uque ,0,0! do recebar penecedo nos termos do ar ligo i2 do titulo 4," I beiro. Esle excellente resumo acha-se nos | 0 u | llal0 „ avl0 .Cesar, viudo de franca um das posturas municipaes de 30 de junho defprelos da capital do imperio, e brevemenjo | jIlJo sor ii n cnto de chapeus de soda para 1849, para o que os gneros li carao a bom sahiraluz: subscreve-se nesta cidade do, sc[ ,| loras 0 ma ¡ s bonitos e de boa. goslo |uu Recife na livraria n. 6 e 8 da pra$a da liidc-| se pcJcm oncontrar no mercado, ditos de pendencia a 5,000 rs. por cada cxemplarcn-' S 0(la para m llin81j0 mcn ¡ nos CO m penas e cadernada. | fiores, ditos de pltia da Italia enfoilado paELEMF.NTOS i ra nicnihus e meninas manteletes o capotiDE I nhos de seda o de cores paj"a senhoras, vus Homaopathxa. | „ ara no ¡ va3i cabogOes do blonde ditos do liSahioa luz a segunda parto desta obra, | de | inno pordadas, romeiras do filo braneompostapelo professor homajopalha Gos¡ C(J g uanKC ¡dBsde bico.capolinho do lil do selBimont. Recebcm-se assignaturasi para | llino p, e tos com bicos muilo ricos o paa obra inteira a 5,000 rs., no consultorio j r(Jes muit() D0Vgi esparrilhos de linho pahomceopalhico da ra das Cruzes n. 28. De",. a Sr8 j l(n3 de mu | B e sorn cos turas, corpois da publica^ao da terceira parle, o pre[es d(¡ Tesl jj os furtacores multo lindos e fosera olevado a 8,000 rs. para aquellcs { nl0l j ern0Si peales de tai taruga |ara se ponqu nSo tiveremassignado. No mesmo conleara j laI ¡, stliar> mu ¡t 0 imdos o ricos ensullorio, acha-se a venda ludo quanto ne 1 rej os ,, ara bmlos dourados e prateads, dinecessario parao estudoea pratica da no-lQj pgra i|, ea i r0li 0 partidas, todo de muilo s Cuerra Jnior, ou com o capilSo Manoel JoSu. Redactores. — NSo poaso deixar del — Quom tiver e quizer vender urna ti¡tas fin* de 2 vidroa com mola i 1,000 rs., s do Sena Martina ua pra;a do commercio participar ao respeitavej_ publico o que tom (poia, quer nova, ou usada: quein nnunj ditas de Isidro a M /*^"" IM,n 1 1 0 > c i i l i — Para a Babia sahe pur estes 8 das o hiale Caprioboso, de 40 tonelladil, bem constuido e multo velleiro, com bons commodos para passageiros; quem no mesmo quizer carregar ou ir do passagem, dirija-so %  praca do Corpo Sanio n. 2, primeiro andar, ou a ra da Madre de Daos, aromade Vicente Ferrein da Costa. Para oAss segu viagem no dia 24 do corrente a galeota SS. Tnndade quer na mesma quizer carregar ou ir de passagem, dirija-se o escrii torio de Francisco Alves da Cunhl & companhia : na ra do VI gario. •. — Para o Rio de Janeiro perten^e seguir viagem com muila brevidade, o patacho nacional Margarida, capillo Florencio Francisco Marques : quem no mesmo quizor carregar, ou hir de passagem e embarcar ascravus, ple enlender-se com o consignatario Luiz Jos deS Araujo, na ruada Cruz n 33. — Pan o Porto, segu com toda a brevidade, a barca portugueza Espirito Sanlo.capitao Jo3o CarlosTcixeira ; quem na mesma quizer carregar ou ir de p.ssagem dirija-se ao escriptorio de Francisco Alves da Cunba & Com, anilla, na na do Vigario. PARA O RIO DE JANEIRO. Sabe com a maior brevidade possivel por ter parte de seu carregamento prompto, l'ublicacao litteraria. Misiona universal resumida. Para uso das e-colas dos Esta los-l'nidos da America do Norte, por Pedro Porluy, tradurecado. 3 • As entradas dos gneros para as arrecadaedesse far3o duts vezes em cada mez pela maneira seguinte: o batalh3o 4." d'Artilbaiia ep nos dias 28 o 13, o balalhao (Ti* de iufaularia 29 o t4, e o 10. da mesma aria a 30 e a 15 : esta disposic.lo lera principio no corrente mez para que nao baja falla dosupprimento nos dias que houverem de decorrer do 1." a 15 do prximo vindouro Janeiro. 4.' Os fornecedores prestarflo previamente llanca idnea. As pessoas pois, que se quizerem prestar ao roruecimento doa referidos gneros, e mediante as condicOesj estabelecidas, sao convidadas a comparecer no quartel do Hospicio nos dias 22, 23, e 24do corrento mez, com suas propostas, das 9 horas da manhSa om diaote, para o lim de effetuar-se o contracto. REAL COMPANHIA DE PAQUETES IXGLEZES A VAPOR. No dia 22desle mez esperarse o vapor 7x, commandante Chapman dos portos dosul, e depois da demora do costume seguir para Europa : para passageiros dirija-sem casa da agencia o. 42, uo trapiche novo. TUEATRO E SIZABEL. 26.' RECITA DA ASSIGN ATURA E Ultima neste corrente anno. leudo o administrador empresario, de feixar thcatro em consequencia de e acharem muitos dossenhores asignantes, c a maior parte do publico, for da cidade, tem determinado dar um ultimo e variado espectculo de encerramento no da SaObado 20 de dezembro de 1851. Depois de urna das melhores ouverluras, subirs scena o interessante drama turco, em 2 actos. Zulmira. ou O modelo de Constancia. Personagens. Ilarzeido, suliao.—Germino. Zulmira.—D. Manoela. Tirmene, seu amante.—Silvestre. OsBian velho confidente do sullSo. Zelim escravo prelo.—Raymundo. Muley.—Coimbra. Hutli.—Pereira. Esciavos, soldados etc. No lim do drama as Senhoras Landa c Carmela, cantaro o cxcellentoe muito aplaudido duelo da Opera Norma. Dopoisdoqualrepresentar-se-hao I .'acto do drama D. Cezar de Razan. ornado de muzica. Em seguida a Sr* Landa, executara a linda cavatina da opera Ernani. Acompanhia nacional represenlar, depois, o 3. a acto do drama. A Gracade Dos. E neste acto que Hara e Pedrinho canino o din(.lo o Dole da Sabia. Logo que termine, a Sr.* Landa executara urnas lindas variacOes, em seguida a Sr.' Carmela cantar • cavatina da opera Colamela. Terminar o espectculo cora a graciosa comedia em msica em 1 acto O Beijo O administrador emprezario julga terormceopathia, como seja : livros impressos para historias do doen'es. regimens apropriados para a provincia de Pernambuco, e encarrega-se de mandar fornocer qualquer encommenda de mcdicamonlos homceopathicos, tanto avulsos como em caixas, em glbulos como em tinturas. No prelo : — PalAooenaii'a dos medicamentos brasiloiros. Mementos de anatoma c philiologia com eslampas, para os curiosos em homooopathia. Roga-se aos senhores assignanles o obsequio de mandar receber sous exemplar es no consullorio homoeopathico da ra jas Cruzes n. 28. TRATAMENIU ROMEOPATH1CO. DAS MOLESTIAS VXSaEAS, e consoliios aos doeiile par so enrarom a si mesmo, sem precisaren! de medico,-' creoulo, por nome T-jmotheodeidaJo de 17 pelo professor homceopatha annos, seco do corp, altura regular, c6r Gossel-Bimont. preta, sem barba, vistoso, muilo prosista; Sahio a luz e acha-ie a venda no cnsul1 levando calc,a do castor de riscas e jaqueta lorio homoeopathico da ra das Cruzes n. de riscadmlio do quadro verde, sen Jo amas, pelo prejo do 1,000 rs. bas pejas novas, om folha, e roupa do seu ia..Mi i %  [%  %  i i % %  — i 1 %  I uso : quem o pegar leve a ra da ordem terin'ii'iliii ii" ceiril u s Francisco, sobrado n. 10, ou a 1 praca da Independencia, loj bom gosto.um longo sortimcnlo do lranc,.s brancas decorse de todas as larguras.franJas de cores e pretas, filas pri-tis do velulo para o brafoc pesclo ja com fi'ellinhas tudas promtas.lcques do mar-de-porola lina e com as pinturas muilo linas, li i do linho brancos e pretos.luvas de pelica para sonliors llores e plumas para enfeites de cabeca do senhora,capellas o grinaldas brancas c de cores e ou;ras multas fazeudas de modas, lulo isto he escolhido om Pars por urna das ni dbores modistas de bom goslo. — Aluga-se o segundo andar da casida ra da Cadeia de Santo Antonio n. 1, confronto a igreja do S. Francisco : a tratar na mesma ra u. 9, com Jo3o da Cunba Soaros GuimarSes. — Roga-se as autoridades policiaeseao commandaute do registro do porto o aos capitales decampo, a ospiura do esclavo Rois. Avisos do miudetas —77 \ __ I n. 3 quo ser recompensado',ou S3 dalle der o Porto, sabe impretenotj cja cerU — I'ara rivelmentc, no dia a4 ( corrente, a galera portugueza Bracharense da qual be capil3o Hodrigo Joaquim Gorreia, anda recebe alguma carga a frete e passageiros para osquaes temexcellenlescommodos: quem na mesma quizer carrear, ou ir de passagem, enmiissrs. d'eengouh'os, quelambem devem, e • i ;,s „ bajam do virem ou mandaron) pagar as tenda-se como refer Jo capilao, na q nlM que itnat UJ Boa-Visian. ru. da Alegra, casa n. 34, poisentrouem Sannos que he fallecido o dito Alves da Silva, c aiuda nao pagaran!. Marcelino JosLopos. %  xi epresentarSo no mesmo es( Joao Ferrein, subdito porfliguez, reticriplorio -Precisa-se de um caixeiro para venda : na ra da Madre de Daos n. 5. — Rogo ao Sr. Jo5o Velho Brrelo, Sr do engunho M.tarizinho^ueira mandar-me pagar a quarta parto que tocou em parlilha a minba miilher, no total da divida qua deva ao meu finado sogro, Jos Antonio Alves da Silva ; e admira que t.lo diminuta quanlia n3o tenria j pago,n3o obstante os meus repelidos pedidos ; igualmento rogo aos pra?a do Commercio, oucon Novaos & Companhia, na ra do Trapiche n 34; assim como at o dia as contaa do referido navio. — Freta-se para qualquer porto do Mediterrneo o briguo inglez SalU-Rookh, capilSo JoSo Maclaravich : trata-se em casa de Manoel do Nascimento Pereira, ra do Trapiche o. 13, ou com o capilao na prac.a ou a bordo. Para o Bio de Janeiro e Montevideo. Sabo com multa brevidade o veleiro patacho brasileiro Bella Anda, por j ter metade da carga prompia para Montevideo ; quem no mesmo quizor carregar para qualquer dos portos, ir do passagem ouombarcar escravos para o Rio de Janeiro, dirija-sea ra di Cruz n. 40: i tratar com Manoel Alves comujodo. Aaaociafao Commereial de Pirnambuco. A directo a reiuerimentos de mais de dous tercos dos socios elTeclivoa, convoc issembla goral para o dia 8 do Janeiro da 1852, pelas 12 horas do da, par reforme de estatutos. Madama Ridoux, modista franceza, narui Novin. 69, primeiro .'indar. Tem a honra de annunciar 10 respcitavcl publico, que se achara sempre ni casa delta um sorlimento muito rico de chapeos de seda esetim, turbantes, grinaldas, capellas, flores, plumas de todas as coros, o outros quaesquer eneites de cabera para baile e thcatro, e tambem se achara chapeos e flores promptos para luto, ludo pelo preco mais %  •niniiird 1. -Precisa-sede urna criada, smenle para o vivir" de cozinha e compras, pin umi casa de muilo pouca familia : na ra do Rozario da Boa-Vista, sobrado o. 32. — Aluga-se a loja n. 15, da ra do Crespo, e garante-se o arrendamiento pelo tflmpo que convier a quem comprar a armacSo da mesma Iota : a Iratir na ra di Cadeia de S. Antonio n. 9. iNobr-rlo Juaquim Jsti Gucdos, remolle para o Rio de Janeiro, a sua escrava parda, do nome Uernarda, idade de 20 annos, pouco mais, ou monos. -Offeicce-se um francez, que sabe cozinliar peifeitamcnle para cozinhar om qualquer casa particular : na livraria n.6e 8, da 11."; i da In lepeudencia. — Acha-se farlnha nova de SSSF, (de raminha) para ven 1er, nos armazons de Deane Joule &C'>m¡anhia, no beccodcGonQalves. -Precisa-so do urna ama forra ou cativa, para fazer o servido do umi casa de pouei fi mil i : om Fura de Portas, ra do Pihrn 72, segn !o anJar. Attencao! allenco! Ni loja demiudezas di ra larga do Rozario n. 38 do Cardeal, troca-so por 1,000 rs. bellos o engrasados lomos de soda para grvala, fazenda mo lernbsima, e de to esquisito goslo, que ninguein deixara de os se para fura do imperio. -Preciss-se do urna mulher desejnpedida e de boa conducta, para servir de ama em urna casa de pouca familia: oa ruado Crespo n. 10. — uem tiver um bilhar para alugar : dirija-se a ra larga do Rozario n. 18, primeiro andar, que achira com quem tratar. — OSr. Joao Virissimo, meslre de alfaiate que morounarua do Vigario,queira annunciar sua morada ou dinjir-se l livraria n 6e 8 da praca da independencia. — Precisa-se de um bom amassador : o ra Imperial n. 37. -Precisa-se do um caixeiro quo lenha deu p. nli. ii H, para justificar em como nao sao delle, agoia lornou a requerer umi dila(8o para ter outros tantos dias; acho muila ras a o no Sr. Regueira, porque tem muito bom crelito para com o publico, por isso inandou vir as testemunbaa no vapor do Rio de Janeiro, e como niio chogaram a lempo para odia 17 do correte prevenio-so a lempo, afim de n3o cali ir om falta com a jusilla ; todos assim o devem fazor, porque as Icis ssim o pero Ulero. Jlo da Silva ¡ouietro. — O abaixoassignado previne a todos os seus dcvndoras e mais pessoas com quem tem transaOQ.I s comini reaos que o seu eslabelccimento de loja de fazendas na ra do Crespo n. 10 se acha continan lo no mesmj gyro que anteriormente por Icr sido julgada de bo.i f a falencia, o hiver-se convencionado com os Srs. oradores urna concordata quo foi julgada por senten(a : rogase aos Srs. dovedores hajam do co o promplidan satisfazerem seus dbitos, afim do innu ciante poder cumprir poutualmente i concordata a que se obrigou. Ignacio Luiz do Brilo Taborda. -ller lintinnic Majestys cnsul begslo cali tlieeltention oflhe Bntish residents lo Iho fac that il ¡s their duly to register the births of thoir children at tnis consulate. — ller r. Han' ir Majestys cnsul hereby gives notice lo Iho llrilish resiJeils thal a PubliCMeeting will be lili al the British cousultle under the provisions of the act of Parliament 6. Geo : 4 Cap. 87, at 12 ocluck on Non lay llio 29 th inst: for purposes conoocted with lliat act. Aviso ao commercio. O abaixo assignailo, rendeiro do Trapiche denominado Ctmha dirige-se pelo presente ao corpo do conunerciu desta praca, aos Srs. de engenho e donos de barcacas, offercendo Ibes o seu trapiche, mediante a vantagem de s pagaren, a despeza de oitenla res por cada sacco d'assucar, c d: fazer-se gratuitamente a descarga da barcaca que os conduzir. Cumprc, que as cssoas interessadas no trafico d aquelle genero, se r\3o deixem ¡Iludir sednndo a vantgens imaginaprias em prejuizo das vantagens reaes. Escuzado he garantir aqnellesSrs. que se dirgirem no abaixo assignado, o zelo c promptido com que serao cuinpridas >• respectivas obrigacoes no que pertence ao bom arranjo e aceio dos voluntes. Igualmente o abaixo assignado se ollerece aos negociantes desta praca para embarcar cida sacco de assucar por qtiarenta reis, sendo o repezo gratuito. Luiz Antonio Barbota de Brito. -Quemprecisar dodinheiro no Rio erando do.Sul.at a quantia de 475,000 rs quorondo da-lo aqui,dirij-se a ra larga do Rozario n. 20,prJmeiro amlar.ou a rua do Crespo n. 11, que achara com quom fa$a transac¡¡So segura. — OfTercce-so urna mulher para ama de casa, a qoalsabo muilo bem cosinhar, e engomnar, lulo com muila perfciQao : na rua das l.aranjeiras n. 9. -Vicento Novella rctira-se para fora do imperio. — Deseja-so fallar com o Sr. Francisco Pereira da Silva, sobro negocio de seu interessa : na rua da Madre de Dec, loja n. 34. •-Precisa-so de um caixeiro de 11 a 14 annos de idade, quo d fiador a sua conduela : no aterro da Boa-Vista n.73. — Precisa-se alugar urna preta para o servido interno e externo de urna casa do pequea familia : n rua Nova n. 8. — 1). Simona Ubo.la do Faria, sub lita hespaiihola retira-se para o Itio de Janeiro. — I'recisa-so de um cosinheiro forro ou captivo: na rua da Uniao, na c?sa do Bernardo do Oliveira Mello i a tratar com o mesmo. -O 9.* batalhSo do infantaria necossita contratar o foroecimento de todos os generos de que se deve compro rancho desusa pravas, no semestre decorriT de Janeiro junho do anuo entrante : quem quizer taes gneros fornecer, poler-so-ha apresonlar no dia 23 do crrenle, na respectiva secretaria as 10 horas da manhaa, trazendo suas propostas em carta feichada eexpeclicanJo logo o ultimo preco. Os gneros sao, p8os de 6 oocas, caf, assucar branco, niinteiga, carnes verde o secca, bacalho, feij3o, lariuha, loucinho, sal, lenha, az'eiledoce, vinagre e arroz. Previne-se desde js que todos estes gneros ser3o do excclleot? q'ialida •es, e quepassa'So p"r um wrapuloio exame ao serem recolhldos ao quarlel, para onde ir3o nos dias 14e29doci'a moz, em face do calculo, olvalo, queso Ihes apresentar, engeitando-se aquelles que n3o salsfizerom as condiccOes do contracto, quo sera formal. Os ca retos serBo pagos expensas dos fornecedores. -Quem precisar do um padre para dizer as missas de natal nesta prafa, ou fura pouc i distanto della : dirija-so a rua de Santa Rita n. 97, que se dir quom he. -Fugio da casa da rua do Trapiche n. 34, na noute de 18 do carrente, um galo maltez, grande, com o cabo e orelhas cortadas, sendo urna dellas mais rente que a nutra, foi visto ir pa>a a rua da Cruz: a quem o entregar na referida casa receber de gratificado 10,0000 rs. — O advogado Manoel Jos Pereira de Melo, passou seu escriptorio para o sobrado n. 21, da rua Nova, segundo andar. -O Sr. Domingos Cornil, ou seu mano Bdinardino Correia, tem cartas do sua familia : na rua do Trapiche n. 26, casa de M. Duarte Rodrigues. — Precisa-se de um rapaz pira caixeiro, quer-se fiel e diligente : na rua da Cadeia de S. Antooion. 13. Attenc,3e. N. O. Bieber & Companhia, consignatarios dos navios abaixo mencionados, pe Jera as pessoas qne receberam a ordem, os voVendem-secaixinbas com tinta pan delumes segulnles de declararem seus nomes gento pelo diminuto prec,o de 240 rs. : oa ruado Queimado, loja de miudezas junto a de cera o. 33. Vendem-se cartas fraocezas muito nis, propriis pin voltirete, pelo diminuto pre<;o de600 rs. obarilho : na rua do Queimado, loja do miud-zis, junto aloja de cera 0. 33 Aos senhores cavalleiros. Vcndem-so chicotes superiores, pelo baratsimo preco do 500 rs ; luvis de fio da escoria, de variai cores, fazendi muito superior, i 300 rs. : na rua do Queimado, Inji miudezis, junto a luja de cera n. 33. Gravatas de mola. Vendem-se superiores grvalas do mol, pretas o de cores, pelo diminuto precods 2,000 ra.-. oa rua do Queimado, loja de miudezas junto a loja de cera n. 33. Camisas de meia. Vendem-se camisas de meia, fazendi muito superior, pelobaratissimo prcc,ode 1,200 rs.: o rua doQueimido, loja de miudezis juoto i loja de cen o. 33. Para enancas. Vendem-so louquinhas desods prela, pelo baratissimo preco de $20rs.; maracaes du metal, que locam do varias maneiras, pelo baratissimo prego de 200 e 100 rs.! oa rua do Queimado, loja de niiu Jczas junto a loja do cera o. 33. Capachos baratos. Vcntom-se capachos grandes e muilo superiores, p'o baratissimo pre(¡o de 700 ri. : na rua doQucimalo, loja de miudezas junto a loja de cera n. 33. i'rocam-se as imagens seguintes : Santo Antonio 4,000 rs., S. Luiz rcl da Fringa 4,000 rs, S. Benedicto 3,000 rs S. Mano I da Paciencia 3,000 rs., S. Francisco 4,000 rs S. Paul > 4,000 rs., Santa Barbara 3,000 rs., \. S. da Sale lade 3,000 rs., S. JoSo Uaplista 2 e 3,000 rs., Sulla Apolouia 3,000; na rua do Queimrdo, loja de miu lezas junto a de cera n 33, Llicas estampas de Santos. N. S. da Peobl, Santa Luzia, S. JoSo Baplista, Sanio Ambrozio, Sinti Marta, S. Domingos, S. Inocencio, Sania Tilla, imagem milagrosa, Santa Kilicidade, N. S. do Rozario, Santa Amelia, S. Marcos, Santa Viciora, Nascimento do menino Daos, S. Rodrigues, N, S. do Pillar, Santa Filoinena.S. Roque, Santo Hilario, S. Lucas, N. S. do Boni | Soccorro, S. Cuilliorme, Santa Adelia, S. comprar. Na mesma loja vonde-so igual1 Martlnho, N. S. da Saude, o Sagrado Coramenle por muito pouco dinheiro as mais cao de Marn, S. Chrjstnvo, b. Antonio dn peifoitase¡lindissimas llores francozas para p a d era> santa Glomenlina, AssencflodeN. enfoito de chapeos e voslidos de senhora, senhora, N. S. da Lipa, Santa Precoliana, pentes de tartaruga para coco, e um admis. Bunio, Santa Eufrazia, Santa Emilia, Sanravel apparelho para fazer caf em 5 mila Virgem e Jess, S. Viclor, S. Lizaro. Sannulos, fias chagas do Christo, Santa Cristina, S. — Manoel de Almeida Lopes, com casa ¡Sebasliao, S. Pedro, N. S. da Gloria, S. PaudeconsignacSo para comprar e vendor es,| 0 Sanio Angelo, N. S. do Carmo, S. Joacravos, tanlo para esta provincia, como paq U i m> s. Carlos, Sagrada Familia, Santa Jura fura dola, mudou a sui residencu da> J liana ; estas estampas i3o cloridis e muito rua da Cadeia do Recife, n. 51, para a rua .finas, o troca m-so pelo muito diminuto proda Cacimba, n. II, aonde morou o finailo| C o de 240 e 320 rs. cada urna : ni rui do Exm. vigirio. Brrelo, onde continua, oQe-|Q ue imado, loja de miudezis juoto • de cen receodo-se lodi i seguranca precisa para os ¡ n 33. mesmos o bom tralameoto. Finissimas navalhas. — O !>r.Bernardo de Aluquer| vendom-se navalhas com cabos de marque remandes Gama, queira manlim, os mais superiores quo se pode eocou5 L....II. J..I flla'in lrar 031 navalhas, polo ridiculo prego da dar pagara subsencao deste Diario. 4000 r8 0 ejloj „ ¡, o >_ 9 nayalhas r na ru — Procisa-so alugar urna prela escrava, do Queimado, loja de miudezas junto a de para sorvi^o de muito pouca lamilla: na cera n. 33. Poiit Velh.i n. 14. _____ CililJM'.'lS. % %  s" Wicroscoioi para ver sedulas, Veodem-so na rua do Queimado, loja de ————— 'miudezas junto a de cara n. 33, microsco— Com pram-se escravos o vendem-se de'pos para ver sedulas, pelo diminuto prego commissSn, para dentro e fra da provinde 1,500 rs ca: na ruada Cacimba, sobrado u. 11, onde morou o Sr. vigario do Recife. sy Compram-se escravos de ambos os sexos, de G a 3o annos, para fon da provincia paga-se bem tendo bonitas figuras: na rua das Larangeiras n. i/j, no segundo andar, a qualquer hora do da. Compram-se trastes usados do todas as cualidades, o tambem so trocara por novos : na rua Nova armazem de trastes do Pinto, ilefront. da rua de S. Amaro. -• Compra-se urna corrente de ouro, paFlnres francezss Vendem-se ramos de Dores francozas, muilo superiores, pelo baratissimo prego de 320, 500, 600, 800 e 1,000 rs. : na rua do Qucima lo, loja de miudezas junio a de cera n. 33. Franjas para cortinados. Vendem-se pogas de franjas com 15 varas, fazenda muito superior, pelo baratissimo prego de 3,000, 3,500 e 4,000 rs.: 111 rui do Queimado, loja de miudezas juuto a de cera n. 33. Mei.ii baratas para horaem. Vendem-so meias cruas pan honiem 1160 diUs ra'roloIioToa'ruYiarga do Rozario n.26. I rs., ditas pintadas o azues a 160 rs., %'-,., -.._ %  _" ~ brancas! 160 rs., ditas muilo finas %  240 o Vendas. 280 rs.: na rua do Queimado, loja dezas junto a de cera n. 33. de miupara le poder rec;ber os frotes dos ditos volumes : pelo brigue hamburguet (Huida, vindode llambugo, um volume marca Ke Mn. 823, contendo agulhas, carregadores Schl'uter & Maia K, e pela barca belg Louiza, vinda de Anloerpia marca D 61C os 5,7, 15,15 1|2, 16 l|x-0-00, carregadores SleiDl & Gerard, 26 barricas, contundo pregos. — Precisa-se alugar urna ama para uina CISI de pouca familha: ni rua IDireita FOLIliKIlAS PABA i85a. p ara sen horas. Vcndein-se folhinhas de porta Vendem-se carteirinhas com agulis de %  _J„ .. 1,,,1,0'ir'i il,irru rlil'. todas as qualidades a 300 rs., caixinhascom de padre, e de algibeira de ires oii, fi ^^ ^ ^^ rranc( za s a 2 0 r9 >tgu ferentes qualidades,sendo urna del-'ihascaolofas a 40 r. o papel, carriieisde las com o almanak da cid.de e pro-! ¡¡nhas de 200 jardas a 60 rs., Ilnhis do peso r : bnas egrossasa 60 rs. a miadinhi, tezouvincia: vendem-se unicainenie na¡ rinnas u i la finas .para costuri %  240 rs., 6 e 8. trancinbi de 13a de todas as cores a 60 rs. a praca da Independencia n. 6 — Vcndom-si acavallos, 1 rudalo, e 011tro castanho, ambos bons andadores : na rua da Concoig3o, na Boa-Vista n. 60. — Vende-se urna armag3o de venda muito nova e a moderna, isso muito em contg "e!a caa pagar um aliiguel muito peq.'e'no, na rua de llortas n. 52: a tratar na rua da Senzalla Nova, taverna n. 1, Vndese um cavallo castanho, muilo gordo,com todos os andares e sem achaque algum: em Fra de Portas na rua do Pillar n. 85. — Vende-se urna rarroga nova de sicupirasemboi: quem a pretender dirija-so a cipunpanosilio de RomSo Antonio da Silva Alcntara, ou no armazem de assucar no largo do Polourinho 11.507. Fio inglez Do muilo superior qualidado e por prego commodo, em casa de Eduardo i Wyatt, na 18. pecinha, batalos abortos de linho a 80,120, e 160 ra. a vara, ditos bordados a 200 rs. a vara, ligas de seda para senhora a 200 rs. o par, pentea abeitns de baleia para coco, fazenla muito superior a 300 rs., caixinhasdo motal com grampas a 100 rs., que s 1 oiixinha val o dinhei.'O, tezourinhas ingiezas as mais linas que podo haver para uohas a 640 e 800 rs., ricos agulheiros de vidro a 200 rs., finissimas meias brancas para senhora a 500 rs. o par, crep amarello, perfoitamente bom a 400 rs. o covado. escovinhas para denles a 120 rs., bicos finos, largos o eslreitos, litas finas lavradas de muilo hons goslos, brinquedos para meninos, frocos de to las as cores a 160 rs. a vara, o outras muitas miudezas que se vendom por prego que causa admirag3o : na rua do Queimado, na bem conhecida loja do miudezas junto a de cera n. 33. ruado Trapiche Novo n. ,8^ ^1 Calcadus V 800, a,5oo, .Vende-so o superior cirociro cipado, assim como urna porgSo de peles do carneiro : no pateo do Paraizo n. 15. Cheguem ao barato. Vcndem-so na loja da rua do Crespo n. 10 de Ignacio Luiz de Brito Taborda, um completo sortimenlo de fazendas Unas, propropriaspara a Testa, assim como paulse casacas de brim de lindo, ludo por menos preco dequeemoutra qualquer parle em virtule de ler estado a sua loja fechada a mais do um mez, e para se apurar dinheiro fiz-se todo negocio. Tintas paradesenho. 3,ooo, pratica de loja do Miudezas paga-se bom or-l n. 63, confonte ao fonileiro. denado : quem estiver neslis circunstancias! -Roga-se ao Sr. Guilherme Jorge da Moldirija-" a tiavessa da Rua do Rozario loj 1 la, que antes de retirar-so,quein ir 1 rua de miudezis n. I8,que se din quem precisi | do Kangol 0. 36, a nogocio de sea intorosse. Fara quem passa a festa. Lindas laoternas de papel de cores, muilo proprias para passeios no sitios, pelo prego de 200 rs, cada urna : na rua do Queimado, loja de miudezas junto a de cera 11. 33. Bom e barato. Vendc-se bom papel almago a 2,500 rs. a resma, dito de peso a 1,800 rs., nissinins peonas de ac a 240 rs. a duzii, cirtelrinhas com chaves, fazenla muito suporior, ptimas para guardar dinheiro 11,800 rs., correntes de ac pan relogioi a loo rs., loie3,5oo, 4\ 00 e


PAGE 1

• T *. Brizil o iVagiy, o quatto sobre o commerco e naveg-co entre os dous estados, o quinto liliquienta sobre, a entrega reciprora de criminuzos e dizerlores, e sobro a devolu(3o de escnvos ao Brazil. Em Porlo-Alegre alescubrio-se un ileanoinacaixa dos orpligus, em consequencia do que j tinhs sido prezo o thexoureiro Manuel Vieira Lima, e expediri-se ordem de captura contra o ex-juiz, Dr. Jacinto dJ Silva tima, que se tinha evadidoO Sr Dr. Bello chegra ali no da 17 da outubro, e toroou possa da presidencia no dia 17. No dia 15 Jo pansido seguio do Rio Grande para Montevideo o vapor Imperador > conduzindo 160 pravas de artilharia, e 8 bocas de fogo. Em S9 do referido mez achanio-se o Sr. Jos Augusto Cisnriros.de 33 anuos de idade, cuzado, natural do Lisboa, dono e ci| itao do brigue brazileiro Carmela, em sua casa na ra do Livramento. foi morlalmonle ferido porum seu escravocrioulo, marinheiro do mesmo brigue, e sucumbi no dia seguinte, tendo Je ser convocado extraordinariamente o jury da coite parajulgaro assasino. No dia 21 do passado pelas 3 horas da larde cabio em Reaende urna forte tormente, acompanhada de rbuva de pedra, a qual no espago do 7 minutos estragou muitas rocas despedacou as vidrac,as das casas" d cidade, e darrolou muilos telhados, flendo as ras cobertas degraniso, e havendo tpenas a deplorar a morte de umlnegro, que na nccaziSo cortava canas em um caoavial junto a casi de sou senbor. Foi pronunciado a prizSo, e livramento pelo subdelegado do Dan lelaria como inourso no ar. 167 Jo fodi,!o criminal, Antonio Jo> Ferreira preso na ca lea do Aljube, prnvinc licia d hy para < 1 %  cliefe de poprovincia das Aligis, por assiii o lalvez foram victimas de tua demasiada coragein.a Procedia-se no Rio de Janeiro i elloicSo dos depuiados provinciaes para a vmJour.i legisldtura. Uaixsiram a secretaria de estado dos negocios di justica os scgiiinles despachos. O bichar.'! Francisco Xavier Pses linr ", removido do lugar de julz de direito da comarca de Oeiraa, e de chefe do policia da iailoPiau provii bav r pedido. O juiz de, dirello Goncalo da Silva Parto, removido da comarca do Aracaly, na provincia do Coar, para a comarca do Alcntara na do Marauho, por issiin o lia v T pedido. O juiz de diroito Jos Pereira da Crac,!, removido da comarc do Quexeiamobun para a do Aracaly na provincia do Cear, por assim o havir pedido. O juiz do direito Antonio LcopolJino de Araujo Chaves rrmovido da comarc de Alcanlara, na provincia do MaranhSo, para comarca deijuexeramobimna do)Ccar, por assim o haver pedido. Jo3o Coclho Vastos, ex chele da primeira legiio da guarda nacional do municipio da capital da provincia da P.irahyba, reformado no posto . Joanna Bernarda Claro llibeiro, moradora na ra do Fogo esquina da de S. Joaquim, em casa de sua neta a Sra. I). Felisbina Claro Corris. No dia 27 do passado pelas II horas da manila, na presen;* de S. M. I., destribuiro-se premios, e foi conferido o grao de bacharel em letras a varios alumnos do collegio Pedro 2. No da 3 do corrent! tomaram o grao de hachareis em mathcmaticis, na escola mili tiros Srs. 2 lmenlo de artilharia llcnrique do Amorim Bezerra, 2 o lente de engenheiros D. Jorge Eugenio do Lorio. 2 lente de artilharia Brazili > de Amorim B.'zerra. 2" tenantes do cngenlieiros Jos Francisco de Castro Leal, Francisco finarte Nunes, Francisco Carlos da Luz, Itlilino Eneas Gustavo Galvflo, Antonio Mara de Uliveira BnIhOes, Firmo Jos de Moli. 2" tenente de artilharia Tiburcio Hilario da Silva lavares. 1 lente dito JoSo Mira de AliteiJa Portugal. Por decreto de 22 do pascado foram extinctas as pagaduras militares existentes as provincias. Lc-se DI %  Revista Commercial de Santos de 21 do mencionado mez : O naufragio da Escuna inglesa P¡Dk • A escuna ingleza l'i.ik, capitao David Canningliam, com 6 marinheiros de tripulado. Sabio a 21 do outubro do anno correle do Rio Grande com deslino par Birkeobead, carregada de cinza de ossos e couros. Prosegua sua viagem sem novidade al o dia 6 do corrente, quando nesse mesmo dia 1 hora da tarde.achando-se ontflo em 27'46'lit. S e45 30 long. O ,um horrivel luraefio sobreveio ao navio, o qual mudando repentinamente de Ouesle pira Sul accommeiteu-o com lauta violencia do lado do estitii.n .1 y|¡;" o mar furioso iio s inunilou completamente o convs, mas tamliem arraucou as velas do gurups o abri urna parte do costado. Imoiedialamcnie a escuna comee,!'" I fazer agua, e c un tanta abundaneia, que nao podendo dnscubrir-sc a rende, preciso foi Irsb.i.rscm intcrrupco as bombas para aliviar o navio. • O capitao, cedendo aos pedidos da tripulacao quo procurasse o porto maia perto, fez rumo te artigo sobro a situacao politica defse li, que vmseiiSo celebrada no da 6 resolveti ii,]/ unanlmemeole oppor-se propoala. tA situacao politice da Franca complici-se • A.'"' BeiaE.PENAMBUCO. bros influentes da maioria, deelaram quo, qualquer queseja ojuizoquose formo da conducta de LuizNapoleSo, hecertoque es te nao deu motivo para que sosuspeilequo medita um golpe de estado, o que a propos Exerceem nomo da assemblc o direito ti di derogic,o da lei de 31 de maio podo servir" da sua lavoura,e sentindo as DUvens mui carrogadas, mandou largar o ser vicoe recolhercm-se : do caminho paracisa tomaram osescravos um forte chuviro, e so abrigarom alguna debaixo de um Csjuoiro : aqui ao estalar de um Tordsimo trovi i um raio tallian lo os ares veio ao logar edeixou duas pretus imincdiatomenle fulminadas e sem vida, o uma sem o uso da rasSo. Em outros longares os estragos lo :am de menores consequeuci alguns bois e cavallos morios nos pastos o nada in¡9.— — Da Babia o la podemos dizer por nilo lemos recebido jornaes d'ali i — Em Macei foi collora la noilii 2 do correnle, pelo Exm/presidente da provincia, i primeira t e Ira do pharol no alto da plvora. Pelo Irigue porluguez Tarujo-primciro ctngido hontem do Lisboa recabemos varias gazolas publicadas naquelh ci lado, juc aleancam a 22 do novembro p. panado o por el les tiremos noticias di Hesp n lia ale 17, da Franca at 13 o da Itilia at 8 do mesmo mez. Portugal, ficara tranquillo; as eleicfl para deou'a los iam rocabindo pela naior parle em mombros do part lo seplembrisla. Os peridicos da opposicSo noticiam quo dirigindo-se o corpo doplomatro ra si— denle em L'sboa ao ministerio pura que Ihc declarasse de quo modo procedera, caso viessea oconlecor que a maioria da cam'ira fosse cimposta do in lividuos dosto partido, o goveno Ihe responder que, se isso acontecesse, a cmara seria dissolvida ; mas no Mario do Governo l-sio seguint) desmentido a esta noticia a TenJo-se publicado n'uTijornil dcsta capital que o governo do sua magostada declarara oflicialment-} aoorpo diplomtico quo a futura cmara dos s?nhorcs doputadosda IMC.O seria dissolvida apenas se conhocesso qoo a maioria do seus mombros partencia ao grexio selembrista, por orden superior se annuncia qmhe falsi e destituida de todo o fundamento, aquolia noticia, a Todsvia, nilo nbstant esto desmentido, os peridicos Ja O)>pos¡e,¡ocontinuain a af(Innar que a noticia vcrdaJcirn. Nil iivsp'inna, nada de extraordinario tinha tido luijir. da constiluiQSo, defixaro ouaiero da forca militar destinada sua segurtnc, de dispor della, e nomear o chefe que a deve commandar. ,, Para esse lim tom o direito da requesitiri forca armada, e todas as auctori ludes ruja cooperarjao julgue necessaria. • Assuas requisitos podem ser dirigidas diroctamento a todos os oliiciaes, commandaules ou funccionaiios que eslSo obligados a obedecer-lbo immediatamenlo sobas nos aconselham os seus correligionarios, penas estabelecidas as leis. I que nflo tomem parto n'ostas ol'eirjes, para • Art. 2. presidente pode delegar o seu protoslar assim tcitamente contra as res direito de requisic^lo nos questores, ou em tr/eces do sulTragio universal, qualquer dalles. %  Mr. Blondel, no neado ministro da fa Art. 3." A presento lei ser pnblicada zonda, anda nilo tinha chegado a Pariz, na ordem do dia ao exercito. e afiliada em neui o governo recebno a noticia de quo ,lodos os quarteis do territorio da republiquello individuo accoitiva o cargo do mica. nislro. O Diario do Goveruo de 2i de novembro 1 O general Magnau, apresontou no dia 9, iranscreve o seguinte artiglNa poca a sobre ao presidente da repblica, os oliiciaes dos o inrsiiin oi.jtcio : regiiuentos ullimamento chegados a Pariz Aparte mala intetessante dos debatea da Aquelles olficiaes om numero do 500 a 600 mblca franceza, no da 7, leve lugar, nao rKllnMm n „. a Ti.lh.r!.. .i'.ui ...ti.:? Rendimento do dii 20 577,137 CONSULADO PROVINCIAL. Rendimento do dia 20 1 :877,2(6 DI um icio estrictamente lega • Em um reun jo Celebrida polos repres 'litantes d i Monlauhi, para tratar do mesmo assumpto,asopinies dividiram-se l mili ir. em partos quasi iguies. No dia 30 deste mez, deven) celebrar-se em Pariz as eleir,0s para nouear um representante dn departamento do Sena, lim de substituir u genual Magnau, que deu a deinissili) deste cargo. Os joroaes republicaAssucar reuniram-so as Tultterias, o fall sediri''_ giram aoElyseu, acompanhados do general esse na cmara mas nas scccea, aonde os representantes se 11 nuil .un. antes da sesso, para noit inearcina coininissao que deve informar sobre >'gnau e de mais nove geueraes. o novo projccio de le eleitoral apresentadop ir | Sendo aprosentados ao presidente da Mr. de Tlmilgny. O numero de representantes repblica, esto I to lirigio i allome, io jeeicedia de C.'.O. | guinte: %  Em geral nao houve discussao contradlc-l Senhores :-Ao receber os oliiciaes dos loria, e os oradores se limitaram declaracao!diversos regiment* que se succedem ni de principise a prolissi.es de fe A maioria foi guarnicao de Pariz, felicilo-me de os ver quasi unnime cm rejeiiar o projecto de lei, e auimaJoa d'essa eio.rito militar, una f 0 ¡ „ quanto urna aolucii, posta pelo governo tinha de faacruin a a dignidade da asse retractaciio que se Ibc propunba. PRAgA DO REC1FE, 20 DE DEZEMBRO 1851, AS 3 HORAS DA TARDE. Kevitla semanal. CambiosSacou-se a 28 3|4 d. or 1/rs. din limo a vista, e a & Ificom o praso de 30 dias: ao priineiro preco ha poneos sacadores ; c sobre Paris lucram-se sa? ues a >30 por franco, endeu-se a 4/800 ra. por arroba de primeira aorte, e a 4/sy00 ra. a de segunda. Vendeu-se a 2:400 rs. por arroba do brinco segunda qualidade, a 2/300 rs. de tercelra, a 3/ rs, da quina, e de 1/359 a l/UOO rs. da quinta i o mascavado vendeu-sc de 1/150 a f." o rs. por arroba; a entrada ful avuliada. Gouros salgadoa-Vendcrain-se a 112 rs. por libra. Azeitonai — dem de 800 a 1/ rs. por ancorela. Bacalho Eaislem em ser tres carregaincnlos que nao tein acbado comprador: retalhou-sc de 6/ .i 7/500 rs. por arroba. Uolachiiiha-,Veudeu-se de 3/200 a3#5e0 rs por h.ii i iqoinii i. Carne secca dem de 2/ a 3/400 ra. por arroba ; llcaado em deposito 20 mil arrobas. I ai. de trigo— Os preces nao soYerain alte racao. existen! no mercado 7,000 barricas. Viiihoi V endeu-se a l5ti/rs. por pipa do do Porto de qiialidade au perior. Vinagre — Fez-ae venda em leilo de 44/ a4s| rs. por pipa. Descontos De i i|4 a I i\i por cento ao mez, lettras a vencer em abril. A semana foi triste em transacedes inercan-, ta, e as vendas uiio passaram de pequeos obatii toda i parto a disciplina, no meio das'jecios. Soalho do dito, Forro de dito .... Dilos de cedro • • Toros de tatajuba • Varas de parreira Hilas do ai;uilli na-, Ditas de quiris Rodasdc sicupira para carros Par Eixos de dita para ditos Me I empipas U rna o quartolas C anad • barira H um Uilho Podras de amolar Ditas de filtrar Ponas de boi C ento Piassaba M lho Sola M eio Sarca parilha A rroba 18,000 Tapioca 1,600 Unbasdoboi C ento 10,20n Courps do cabra 20,000 1,600 9,000 22,000 8,500 28,000 16,000 10,000 8,000 4,500 6,400 5,200 3,800 2,500 3,200 1,800 1.280 1,600 2,080 40,000 18,000 34,000 190 6,800 Alqueiro 1,440 1,800 t.ouo 3,200 180 2,000 A/.eilii de ca rpalo %  H— Canad 560 Movimento do porto. tiasl unnime cmrejeitar o projecto de lei, e ail imaJos d'essj eipir lo millar, qui un se julgar nas circumstancias de dar por „,,„ rri nlilun linin %  iquauto urna aolucao legal providencia pro?""L4 !" A Z ?.jSiL %  ?*' .manifestla i TonUde que seguranca. Ten lesdesempenhado os vossos co politice, julgando que deveres com honra, j no solo de frica j emhlano llie priioiiu.i .i no de FMUIJI, o conservado sompre intacta n Os repreacntantes que semprc se mostramus graves crises. Espero que estas nao se i Picaraan no porto 91 embareacoea: sendo rain animados de um espirito de conciliacao e repetirSo. 7 americanas, 4 austracas, 27 braslleiras, i dinaui .rquc is, 7 francezas, 2 hamburguesas, 2 liespanbolas, I lioll ni le/.,i,-.!i ingleas, 8 portu guezas, 3 sardas c ': suecas. reserva para com o governo,foram osmals resolutos em volarconire a lei. Enlre os membros' Ms S8 a gravidado das Circunstancias da commissao noincada, ha olio que penenas produzsse e me obrigiase %  invocara cimn reunio da ra das Pyrainldes, cquercvossa adheslto, ostou corlo deque u io me jeitaram a lei de que se trata. faltaria, porque jasabais que n3o vos pe. Mr. de broglie recordou o mullo que havia direi nada que n5o saja conforme como trabalhido para remover ludo que polesse orimeu d i re i to reconhecido pell COnslituic3o, glnar conflictos entre os poderes, mostrando „.„_. hn mi i¡,,. „ n inlr.rpiw da n. que se havia, talvct manifestado demasiadae ? onanonra miniar e os inleresses %  a painente conciliador. Sem embargo julgou dever f !" Pari lsso colloquei a VOSSa frente mi-| aconselhar nesta occasiao os seus colirg u que UUTaJ que possuem toda a minha ConDanrejeltassein a lei apresentada pelo governo, a ca, o que merecem a vossa, porquo soche-l Assucaremc bronco 1" qual. Arroba % %  > % %  .la i 11 i li ~i, \ nlir-n i i A m .. ^. PilUtl Como quer que n rainln Isabel entrass; no nono moz de sua gravidez, ordenou-se jeeodalel. ra aterra alim do alcancar o ipela s:crelaria da ctido dos negocios da' f*>tk..i .... i, n.. .....*.!....•_. .... ... .. _l >__ lim de tirar ao poder ciccutivo toda a ideia de gasse Odia do perigo, n3o obrara como os! que pode dispor, quando ecomoqulter da vongnvnrnO! qo'9,me preSOlicram,nJo VOS dira:, lade da malaria. ¡Marcha; quo ja vossigo; massim : a Eu %  alr, de Vatisincnil, relator da lei que promarcho segui-me. nfle grandes modiricaces na lei eleitoral, dep.,!, .:f_„_,. #_¡ ,.,... ,. f., ciarou-se com igual e.ierg.a contra o novo pro¡ E '' 8 dls ? urs0 '• censura.lo forlemen e | 'por alguns jornaes da opimao da maioria' a mase bar. e sac. branco i> mase i oh o.i I i. i .Todo, os amigos ministrse especialmente ¡da cmara, especialmente pela assorjjblo; Algodao om pluma de 1' qual. porlo de Santa Latlianna, seillo-lho eoUu juslica que os iroebigpos, bispos e nganos Mr4 Parochc, Len Faucbcr, Fould, e Rouher, nationalo. o veulo de N. E. lavoiavel. Mas no dii 7 o^iptulaics mandasseui fazer peces nas SJ3S se deelararan a favor da conservaco da le A issembla a pprovou a penso de 300000 Dito '. vento de S comecou a soprar, e vendo-su o respectivas dioceses pelo feliz parto da m'Sde 31 de mal, manifestando os seus iicsejos de |francos concalil duquosa de Orleans,! ioo'ardente naxica 90 eraos l'i capitDo contririido no seu rumo, e recelan-!ma augusta senil ira. que a cominissS i abreviasse quanto fosse posviuva de Luiz Filippe. Ol "•> %  • t> dode ver a cada momento o seu navio ir a I O governo lom sido mui combali lo no \*" el a aolueo dcsta quesiao, que tanto chaina; Na Inglaterra naJa tinha tido lugar que n j pique, dirigio-se com bom vento pela popa consresso, e segundo annunci i o Heraldo' """""^"V pt }\ Por um sentunento de conjn)orel ser re reriJo. uilaaeoanna para a Ierra mais prxima. Vendo porcm que apezar do Continuo trabalho das bumhas nao Ihe foi possivel suspender por mais tempo a submers3o do n.vio, havendo no fallava-se em cri-e ministerial. ^r^t^o^U^lZl'u^m^ *>* "odem publica nantinha lldol lv P ¡t -, Na Le, de 13 de novembo Id-seo se-;S 0 meas,em %  nembro. da c%mmtfso:' """liltorada, todavi. a queilOo entre a Santa! Dita resillada, guinte O membros da aaaontaaaha, mostrarain-se No senado fe? oSr. Infinta uma proposunanimea nas suas recriiiunacdes contra a lei porSo j ni a is dd 5 1|2 pes de agua, que ta para um voto de censura ao governo pnr deSl de malo, reiterando os eua protestos em crescia de minuto em minuto, resolveu-se!esi haver fltalo a ledo auctorisaijlo, favor do voto universal, a abandonar o navio quando osle ja eslava quando ajustnu a concordata com acoto 1 • Dos quinte membros de que se compdea cobcrlod'agua, no dia lOas 2 horas da lar-;,l e noma. OSr. Ouinto qu" ntendeu que commissaodeclararain-.e 'eiecoaalra'oprnjec%  le. ocipilflolevoucomsigo o ehronomepnr „,. propust, se P r.,i, lic,v. a queseo ^¡"Zl !" CiJc, fcMtOSr, tro, iiguns insirumoiitos nuticos, os pade aecusacao quo se po lia suscitar na oulra ASleUuboi.. Vatisinenll. lienoitd'.y, Julio peisdo navio a poucos vveres, embarcou cmara, apiesenluu urna proposta previa ac Lasteyrie, Moles e Cb.palgne Goyoaa.— S a:om 3 minnheiros no bote grande, rebopara affdstar da discussao a do Sr. Infante, .pnrovaram o projecto de le do governo Mrs. cando um escaler em que as acliava o piA discussao, a quo este inci lente deu logar, Larochcjaquelin eGrevy. loto e dous marinheiros, e tomou o rumo foi bastante animada, e a pouco e pouco Comparando o total dos votos dados por de trra que julgivi ser %  de Pannigu: 'eslimulou os oradores da cmara vilalicia. urna c outra parte resulta aero mamerode voSeJe e o governo pieniunt JZ continua a agiDita tar os nimos em Turin. |Genobra. O governo das Duas-Sicilias publicouum! Dita decreto dissolrcndo a guarJa nacional em Licor o desembarque; e cora.ndoae.pia do reboque, i contrarias, deram a sessSo grande inters'V emos hontean urna idei. do modo como a separou-e do bote, apeiar das instancias do s0 m ra ue:t de Miraores pertendeu ¡mprensa de Pars tinha recebido a propoala caplaio para que nao arriscasseui suas vidas. ] meder nella, mis n3o foi feliz na tentatidoiquesiorea,edleraos queosorgaos da maloUcapitao vio o escaler approiiinar-se daressa-Jva. O senado regeitou a proposta incidente ra eaceptuando dous, se tinham abatido de laca, mas nao sabe seconargulo salvar-se, aendoldo Sr Quinto. Progro Mu enio a discuster commenairioi sobre este issuinpto. cntSo quasi noite. odia n o capitao voitou so solare a do Sr. Infanta que narrou a """'O' o dia ?.'J? ffij,?*' ,,? nle para o lugar onde havia deludo o escaler do i,istoria da negociacfles p cedentes llenc, ne,,0, JourD,1 do bates, que na,il„io, anas nada de.cobrlndo, fe t rumo para l"''„„'"-data fXn das direrSM insda de novo acere.cenU oque hontcad, sernos k O.ealeaocoupodia MasQueluiadas : con1 ? concrdala, laiiou uis aiversis insc alnaa qlle c eiprrssc em dlllerente linguatlnuMdoa"o.?car.ch 0 u ao aneio.0 da aa .e". lrac ^ H"'' leUntl.mdada aos aneargem c onl5ece-.e que lodoa recebem a. iaiplrahuras da larde a barra de San Vicente, onde fg. Brlgue inglez Runnyniede, vindodoTernNov, consignado a J. Crablreo & Companhia, manifestou o seguinte : 2170 barricas bacalbo e 6 volum.es salmo; aos consignatarios. CONSULADO GERAL. Rendimento do dia I a 19 '. 30:898,692 dem do da 20 2:802,630 33.701,322 Arroz pilado —2 arrobas um Alqoeire 4,000 Araras .... v ... Urna 12,000 l'.iji.i,; aii D in 3,200 Ifolachas. A rroba 3,500 Biseoitos i ii ID Cale bom a 3,800 Dito restolbo 3,200 Dito com casca ...... 4,000 Carne secca a 2,880 Coucos uom casca C enlo -1,000 Charutos bon 1,600 Ditos ordinarios 700 Dito rela(¡ia e primor ... a 4,000 Cera de Carnanba A rroba 5,500 Couros de Boi salgados .Libra 120 Dito espi.xados U m 145 Dito de onca 14,000 Doces de calda L ibra 400 Dito de goiaba 240 Dilo secco 500 Estopa nacional ...... Arroba 200 Farinha de mandioca Feijo Fumo bom Dito restolbo .... Gonima Gcngibro Arroba Alqueiro 1,280 3,500 Arroba 5,000 • V. 3,00ii .,_, Alqueiro 2,000 Arroba 2,800 Ocoronel Francisco Mamede de Almeida, juiz de paz presideute da junta qualiflra l ira da freguezia do S Fre Pedro Goncalv.'.s, ele., etc. Fico saher que em vista do disposto no art. 25 di lei n. 387 de 19 do agosto de 184o, tein do so reunir na lerceira dominga de jaueirn prximo fucturo a junta quafcadora desta freguezia, alim de formar-se a nova lista dos cidkdSos que lom direito a volarem nas eleicdes piianarias, e om consequencia convoco aos eleitores, e suplentes abaixo d clarados para que pelas 9 horas do referido dia (18) comparoceram no consistorio da rospoeliva Maliiz para issim ser organista a mesma junta.—Eleiturei.—Tonenlo coronel Anlenio Gomes Leal, JoSo Francisco Teixeira, Jos Francisco Marinho, Jos Paulo da Fonsca, Francisco Mamede de Almeida Junir, padre Fiancisco Jos Ta* vares da Gama, Manoel Goncalves da Silva, Dr. Jos Joaquim de Souza, Jos Rodrigues Pereira, Joo Morques Corris, padre Primo Feliciano lavares, Manoel Estanislao da Costa, Joaquim Alves da Silva, Jos Ribeiro do Brto, Vicente Cardozo Ayres, Elias Ignacio do Oliv.ira.-Suppleates.—Jos Joiquim de Oliveira, Antonio Joso de Calina. Jeronymo Joo Pinto, Luiz de Franca Mello Jnior, Francisco Jos Silveira, Luiz Antonio Vieira, Dr. Cosmo de S Perein, Minuol Amonio da Silva Anlunes, JoSo Cardozo Ayres, Demingos Alvos Matheus, -Bernardo Cardozo Ayres, Manoel do Cirdas Bsrreto, Salustiano da Aquino Ferroiri, Luii Amonio de Siqueira, pidie Ignacio Francisco dos Santos, Antonio llcnrique MafTri, Jos Bernardos de Souza. Os quaes deverfio comparecer no lugar aprazido, sob pena de lloaren) sugeitos a multa de 40, a 0,000 rs., comminada na n. 2 do §5doirt. 126 da precitada lei, no caso do ueixarem de comparecer sem motivo justiOcavel. E para constar mndei lavrar o prczenle que ser alisado na i orla da Matriz e publicado pela Iniprensa. Frogue-.ii de Sao Frei Pedro Gonailves 18 dr dezembro de 1851. Eu ** %  • %  %> %  • % 



PAGE 1

s m** T* Anno XXVII S efundarfeira 22 DIARIO de DeztMH<)n>de IM5I N. 289. FEMAMBICO, ats mico sBcmirolo. PiotaNTii AJUDIADO. Por trimestre .... .ir. j, Por semestre ........... Por IODO • •.••'...%  '•.. PlOO DlflTfo buTaiNlfSTll. P01 quirtel ..".., MOTICIA DO IMPERIO 'Para 2 deDetltr Minas... 15 de Novbr. 4/500 Maranhao 7 de dito Cear... 10 de dito. Parabiba. 15 .le dito S.Paulo. 10 de dito. riisDA (Baara. 22 Seg. S. Honorato; S> Ploro e Flario. 23 Tere. 8. Se>fulo. 24 (,)oarl. S. Gregorio Si .liiiut M; Nasci, niejrt-de'Ri'S. J. C. if-sr-ir. *>K'Oiuva. %  n sb. >;•'• OIUM. R. del.. 25de dito. 28 Ubiu. a. Oitava. O Babia... i-d Uezbr. Si.-jonopenlcs mm. 1 ADIEMClAs. Juioil Orpkdoa -2.e5. s 10 hora). 1. rara io eivel. 3. cO. ao roeio-dia. Paunda. 3. e 6. ai 10 bor.i. 2. cara do civtl. 4. e sbados ao inclo-d. Retacn. Tercas e sobados. t Crescente i 30, aa I hoYas e 55 minutes da m Chela a 8, a 1 hora e-8 minutos da t. Hingoanlc 15, as .3 horas e li minutos da m. Nova 22, a 1 hora e 14 minuto! da Carde. MUIAJUa DI HOJI Priroelra s I horas e30 minutos di Urde. Segunda s 4 horas 54 minutos da manbaa. VABTIDAS DOS COBBEIOl. Ooiauna c Parahiba, s segundas e seitasferas. Rlo-Urande-do-Rorte, todas as quinUs-feirai ao meio da. a Garauhuns e Bonito, 8 e 23. Boa-Viola, e Florea, 13 e28. Victoria, i¡ quinta 1-felras. Olinda, lodos os das. NOTICIAS BSTBANOEIBAa. Austria.. 2 de Novbr Sulssa. .. 2 de dito. Snecia... 28 de Outbr CAMBIOS DE 10 D* BUIMISO. Sobre Londres, a 28 1(1 e I J|4 d. p. 1/ Firme Paria, 330 per fr. • Lisboa, 90 por cento. METAES. Portugal. 15 de Novb Hespanba. 8 de dito Franca ... 8 de dito Blgica... dedito (Inglaterra 8 de Noabr. Ouro.—Oncas hcspanlioiaa.... Italia.... 31 de Outbr, F..-Unldoi 56 deOutbr. Moedaa de 6/400 velhas. HMTJOO a Alemania. de Nvbr Mxico... 15 de dllo, de 0J400 notas. 16/000 a II Prussla... dedito. California 12 da dito de 4/000.. V !" W !" Dlnain.rca29deulbrChili. 8 de dito ¡ Prata.-PatacOei brasllelros.. l/80 a l/9'0 Russia... 28 de dito l'uenos-A. 8 eNovbr I Pesos columnarlos... (WOi J/ J U l8de ctos militares a corpos ou individuos sujeilos ao commandantc das armas, sei3o dirigidas por ntcrinedio deslo, para terem a duvida execu^ao. Excoptua-se o oso de achar-so o presidente ou o comtnandanlo das armas em servirlo fra da nii.il da provincia, e de ser urgente a execucjlo das ordens, o estas exped las urna auloridtdo ou individuo mililar que esteja mais prximo do lugar ondo esliver o presidente; porque eniao podorBo ir directamente aooxeculor sendo lo lavia communicadas ao commandante das armas. Esta coaimunicacao, porm, ho disponsavel ni ,11 metlica. Terminaremos esle artigo transcrevendo a correspondencia do Commercio del Fala datada em llucnoi Ayres no dia 3 : Ver uo Diario da Tarde do dia primeiro um extracto da sessao que lUeram nesse dia os livres representantes Ueste paiz livre. Ver os dous projectos da le presentados por D. Lorenzo Torres, lie ale onde pode chegar o extravio da rasao, a balxeza e o escndalo. Lembrar-se-hao cites rcpresenlaulcs das cousequencias que Ibes pode Ir-zcr a iiniiiensa responsabilidade que loinan sobre si de lodos os actos edisposices do ebefe supremo? Se, como ludo faz esperar, Iriuinpbar amanha Urquiza, que respondero s aceusaedes que este e a ni, ao Ibes lizcrein por essa abjeccau inaudita? Daio por desculpa o medo, ou o que se diz allega um destes represenumes quaudo alguem Ihe exprubra o excesso do seu procedimeulo, iilo he, que assim se precipita a revoluco contra Ilusas ? Seja como fr, oque be cerlo he que clles lem a conscicncla da inulilidade de tudo quanto fazein, c que llio he ¡sso sulncieolc para couler Urquiza, neni para impedir que o paiz o receba com os bracos abonos logo que ic apreseutar, como tudo indica, c nao iguora o proprio priucipc normando. Nao delxa de ser engneado ver a tirina de 1). Juan N. Terrero entre os membros da commisso de negocios coiislilucionaes, terrero esl completamente cego ba muito lempo. No dia primeiro tai recedido o Sr, Core com os discursos do cstylo. O decreto da seu reeonlieciineiilo como encarregado de negocios sen os' .do niaior. O commando da Cavallaria de Uueuos-Ayres, quo no Estado Oriental se uni as Dleiras do. governador de Eutre-ltios, fol coniiado ao coronel I). Manool No dia 2 de dezernbro, anniversano natalicio de 9, M. o Imperador, o Sr. Silva Ponles, encarregado de negocios do flrasil em lloutcvido, deu um jantar, ao iiual assistio o comSi UB lUIIKVIUI'," ^IV.t.i.U VIHII.III.II... ,'. le llanca idnea. OSr.boulliern era aqu osprado no vaos modelos para o processo deste impurP, or '/le"", enviado expressamenlo de tanteramo administrativo do servico ii 1 tir-i Monl "" lco B"e"os : Ayres para conduz-lo no dos corpos sao nesla data enviados ios %  esla cortB S.b.a-liuu porem, sua viagom respectivos Srs. commandantes, quo envia-' P ur '"OLIVOS puramonlo parliculares, e toro copias authenticas dos contra tos que mou passagem a bordo do paquete Vnnce, prolenderem elTectuar. Antonio Crrela Seiirn Hornos, Chefo argentino, quo por muitO| mandante em chefe daesquadia, mullos dos lempo estove emigrado no Itio Grande. Por via de Entre-Ros o Montevideo lia noticias da capital do Paraguay at 27 de outubro, Irazi las pelo espill Moracs. do exercito brasileiro, porladur de ollleiosdo Sr. Uellegardepara o Sr. conde de Cixias, O P iragusy adherio a allianca contra llosas. O ministro da guerra, o Sr. Verges, foi nniiioa lo encarregado de negocius em Entre-Uios o Monlevido, e ni Jala das ultimas noticias eslava com o general Urquiza em Gualeguaychu, ondo aguardarla a chegala do Sr. Carneiro l.eflo. Uuando o ca, il io Moraes sahiu da AssumpQiio havia ja sobre a fronleira de Corrientes 10,000 paragusyos sob o cootmandodo general D. Francisco Solano Lopes, lilho do piesidenle da repblica. A esquadnllia, composla de 17 vasos, eslava prompla para transporla-los, rio abaixo, ao ponto que Ibes lo-s %  dosignado. As datas de Uuenos-Ayres chegam a 24 do passado. Nos extractos que na parte exterior Iranscrovcmos di correspondencia do Commercio del Vala encontrarSo os leitores tudo o que ba de iuteresse. Quarltl General na eidade do Recife, ,."¡i r.i MssTffo.) Reiumo ila extraer"" dos premios da 19' lotera a beneficio do theairo di S. Pedro de Alcantara desta corte, extrahidatm 4 de delembro de 1851. 1 N. 5523 ? 0/? 00 A uno 1 ii 1 o 5147 51)8.1 1 • 5711 ... i; ., si i-ii ,¡—:',i,i,-. lo'i-i'n'i 5713 i 10 a 145(¡20--lXil-l!>9-2592 8si—22o—8*30—4754-61641 20 I— 333 -I2l)2-l4l).i-15:)7 i:i:i7—2U'J3--2.1M-3514—414 I 4186—4l8l"44457-4703j 4899—6114—6498—6670 -51)80 0 • 256510912338 \ 557742826— 905—1179 1 1249-1284-1313—1137—1033 I 1651-1070-1082-1795-2348/ 242!-.'.'uT)-2836-2898-3071F 3206-3343—1427 "35i4-a07v 3619-3775—3791—3818-4030,' 4I4-4282--4488—4M-4652, &f 740-4846-4941-• 1038—5C621 5084--5I08—1K2-5217-5249 1 5376-5378—6430-5474-5600 I 6648-5735-5758-5831—5840 / IO:O00#llil0 4-000/000 2:000/000 Ros, diz: 22 22 iges, representante da repblica '800 de :000000 400/000 200/000 100/000 40/000 2U/000 do Paraguay, coocluio os ajustes necessanos de que eslava encarregado junio do Sr. gorerna'000 premios. ..... ,.—... _.,_ dot Urquisa: ella j ajustado o contingente O pagamento dos premio! desta lotera pnnque aquella repblica dar contra Rosas. Sel! clpla no labbado 6 do corrente, em casa do n,il luante! e aual immcnsas embarcaedes li' ne ,u 1 r '. lt0 Joao Pedro da ^'B^ ru> < "' un gelras lerao o primen o contiugenie parrijiiayo i D. 1 i i U Sr. Carneiro Ledo, rcprescauaa o governo imperial. Ibl parte no ajutlc concluido eui Euire II ios com oSr. Vergel O r. Vergel licava em Montevideo, onde vai residir cumo encarregado de negocioi. As colisas em Buenos Ayres coutiouavam do mesmo modo, llosas atroando o co c a ierra com os seus vva c morra, dando ordcui c contra ordeni, empregando ludoi os recurso* de urna poslcn dcicsperada, e todos os dlasrcceoendu uuva ptova de (¡ue a hora da vinganca celeste estava prxima Rio de Janeiro, 4 de dcictnbro de 1851.—O escrvo, Francisco de Assis Tarares. ( Jornal Uo Commercio. ) PERNAMBUC0 lll'XIFIC, 20 DE liK/.l'.MIlll 1 ) DE 1851. ts 6 uoms DA '1-AII tu-:. BETSOJPECTO SES1ANAI.. No domingo 11 do corrente bouve urna testa de Nossa Senhora da Oonoolcio na igreja da Ion Moutcvlddo, em Entre Ros, em Corrieo-lcongregacao, com vesperas-e Tc-I>eum a noile. le, e ale mesmo em bueno) Ayres, J o aml-1 Involuntariamente e s porque nao fomos ¡limos de levar ao cabo as empresas comecadas, eis porque nos apressamos coi consignar logo Iprincipio urna tal noticia, c naos, como pode pensar alguem, porque adiemos flgum praier em contemplar un navio balido pela tcinpcslade, como Lucrecio, nos bem conhccldoi versos de seu poema eplcuiiata: Siioeimiri magno, turdinli'iui.ejuora eeli,r Nodia ientrou do noile o San Salvador dei. xaudo lodas as provincias desse lado aem novidade. S no Para haviam grave! recelos ile que a febre amaielU se nao d.'i.nvulvoase de uovo, visto que j iam apparecendo alguns casos de vmitos negros, c mesmo em pessoai que os mo esperavaiu. A asscinlilca legislalva desta mcsini provincia resolveu unnimemente represenlal ao Imperador c a asscnibla geral sobre a neces.idadc da promulgado de una le, que laca exclusivo do! brasileiros o coinmercio a tclalho, e lieavam a seguir os seus destinos as represcnlaces que para esse Bm foram fellai e approvaaas. Veremos o lim dcsle e^ocio. lloje deram-se as ferias foreniei, c se osadrogados, juises e promotora!Colgarlo eom uto, outras pessoas bouve, que l'uerain cara lea c nflo gnslaram nada da hislotia, e foram lodas quintas linliam letras a pagar, mas que ic ilefiain vencer de 21 do corrente a b de janiiio luturoi pois que todas cstis forain reputada! vencidas hoje, c aprcseuladis a pagamentos, ua forma do cdigo coiiimereiat. Umf.ict) emranrdinaiio, c revestido de caracleres, que o lormn vcidadclraiiieole mlraculoio acaba de succeder nesta eidade, onde tem poslo inulta genlc em confnsao Nos vamos oU'erecer ao publico una uarracao delle, tal qual nos foi dada por uin dos mais conceituaos religiosos do Carino, e de proposito deilainos de facr algunias coiisideratocs, para que nai digain uus que favorecemos a superslico, c outros que llamos armas a incredulilade. Km caso lio melindroso para a rcligiao, entendemos que cada um deve liear entregue aos recursos de la propria rasao c conscicncla, c que nad i se poda faier de mclhor do que referir o fado com a aiilhcnliciadc que loi pnssivel obler-sc. Eis a uarracao : No da 11 do crrante, pulas 7 horss da o.i lili, procurou Joo Chryaostomo, alfeiati, morador na ra das Larangeiras, ao llvd. Fr. Joilo il'AssumpcJ Moura, parque asta, tu dia 15 do corrente, dieMO urna niaai no altar iliNossi Sonb ! lo mooibro desta corpo'agilo icligiosa; c que toado Tallado com os sous djior, s, e o .1 o olles deixalo de dizor una i.us-a, q'ic era obrigido a li/.er, boje seaclnva penandu oque s nenie dopoil que olla fossi dita por um religioso podoiia olio alcancar a gloria cierna. Rio-so o padre com 8M< narraffio, c disse ao dito Joao (¡lirysostomo, quo com quanlo Dio acrclitisso nossas historias, com lu) dira a inisa que Ihe pedia : promaltaO-lhe o dito Julio Cliry snslo no que no dia em quo desso o ataque na rapiriga o mandarU chamar, pura elle presenciar o son estado j e que nilo linha d aceto, mas que asilaros oram soinpre do noile, cometan Jo o ataque s 7, o acaban lo s 10 horas : respoudeu-llie o padre loo a Oisas horas da uoito nlo co.-tumava sabir du convento, o nueo mala quo poderla fazer era ir ne.-so da tardo convosr com css.i rapa'igs, pira ella minuciosimonte coular-luo o quo via, visto elle dizor-lhu quo ella conservava a lombrani;a do tudo i i "I i so posuvd duranlu os ataques. Nialo lio u ;i(ii, o relirou-se o menciouado Joo Cbr ysustomo, A's novo lloras, porm, pojeo mili ou menos, appireceo elli ao padro, bstanlo aterrado, conviJando-o para que fosse ver a rapariga a quoni, fra no cortume, luvi dado oataquo do dia. Veslio-se o p.dro e irigio-soao primeiro andar deum sobrado da ra das Larangeiras, c com vlFoito anconlrouuma mulbor que representava tr vinlo o vinto edous annoi, recostada en uma cadeira, bstanlo d sligorada, cuinos ollios fechados, dos quaoi curriam algumas lagrimia. Poucos mnincntos depois do ler o padre eolia I i, cornecuu a rapiriga adarsignsos do vivas allliCQos.i, polo quo as pessoas da casa so virain obriga las n deltl-ll sobro um estrato com a fronte para a parejo, o as nios sobro o peito; llMta oslado ouviolh) o pairo, com voz bustanle ar.attada, e cuno cansada, fazer o pedido da inissa, com todas as circunislancias que til s havia referido o dito Joo Chrysuslo no : dnigio-lbo, eilj, ello varias uergunlas, o entro ellas: quo s dalia ero lito SJ olla, quem quer que era, qu.i di.'.ii estar ipoiaado do coriodcstH muliier, lizess: o mesmo com ella; isto l,c, se dirigisso a elle o litess* o seu pe lito: res/ondoo-lhe quo o aio fazia porque ello ora bailante fiacj, o uo tulla .i corasen precisa para ve-lo e fallsrIho, ( durante todo cs'o -ilogo falliv) essa muilier como so fosso uin lime n quo fal lassa a outio ) o que uo era aquolio o dia destinado para elle, por meio d'aquella muIhor i. %  ..-; 11 o seu pedido; mas como ello havia mofido da hi-t ira que Ihe contara o dono da cssa, quan lo llio pedio para dizer a missa, Dcos lite havia ordenado que elle apparecesse noste dia para elle ouvir a niu li -ifazer o pedido, e convencer-se da verlade da narrarlo que Ihe havia sido feita: perguutou mais, so sabia a que ordeiu p rleucia a pessoa que Ihe I lliv, respondou a voz, que portencia a orden do Nossa Senhora do Carino; so sabia que ordens ella tiltil, quo as ordens de misil; se oceupra algum cargo na n.esma ordem, queni, o sinonte era padre do missa; se sabia qual o se i nomo; que sibia, mas que o no dizia, porque Ihe era vedado dizer, assim como lamben o sou nomo. Depois do outras multas perguntas que Iba fez o padre pelio-lhe a voz rezisse o ollicio do Nos.a Snubora do Carino, pois este ped lo pela dila mulher, todas aa vezes que linha os ataques): rozou o padre o ollii-i i do Nossa Senhora, quo foi repetido inoito alto pola voz; Un lo o oQicio disseIhu que eran j4 horas decoro, e que olio so quizesse poda ir reuuir-me aos seus iini|i.iii olios para o crtro; e que o tor elle faltado ts horas cannicas era lalvez a causa de oslar penando ; e quo quando acabasso o coro vollassc, quo anda o havia do encontrar na mesini casi, pois tlnha ordem para s so retirar ios cinco minutos depois de ai'io-dia. Rolirqu-so o padro para o contento, o apenas ah chogou contou aos sous compmheiros o occorrido, bem como ao padro provincial, o desolando quo alguns dos mesmos qompsnheiros prosenciassem o faci, o sibondo que anda a mulher contiuuivi no mesmo esta lo pe-lio ao padre provincial pita ir com illo r u mulher Assontio o provincial ao seu pedido, o foram mencionada casa, e ah chegados, conservando-so a mulher no mes-no estado e posicSo, fez-lho o pidro provincial as mesmas perguntas, qu i o seu companheiro llio havia leito, o too as niosmas respnstas; porm porguntou mais se sabia quantos religiosos ah aa achavam, ics.'Ondou quo dous; qual kilos o mais v.llii, que olio; qual dos lous ora padro de missa, quo ambas; ao sabia quai o seu cargo na ordem do Carnio, q io mu lava a todos os s"us companheiros; qual linha sido o sou cargo nesta orle n a quo dizia ter peitencido, quo nunca gnvernou, o linha sido s nenio padre-mestre; se tinha s onpre cumprido coro as suas ohrigaijes, que nilo; so ifnha li-Jo f no o-e,..i,lino do Nossa S'ulior.i, que tinha ldo muit) pouc f. • Foram hites polo padro provincial muil'S outras perguntas, que Ihe foram sempio responJidas cum acert, por mais que procuras-o confundi-la. Pedio dopois a mulher que os dous religiosos resassem a J/ajn//ica--rt sarlo-na em porluguez, e ella os aompanhou ; depois passaram a rzala em lalim, e foi igunlmonteacompanhada; linalmonto podio que quaudo as igrejas dossemmeio-dia, tolosque Ostavam ni casa bem como oilos, rosa^S"m pelo STiordeDeoso bom ditodo SS Sacramento e alguna padre nossos, d'ahi a poucos momentos deu meiu-dia na matriz do S. Antotonio, o ¡mniediatimonto comeQouellaa dar eignaea do i npaciencia, e disso—ja cliegou o momeutu de rellrar-me, comossou o bendito, o quo foi In iibem acompanhado pela mesina voz arrastrada, e os padios que uo sabiam o ton resavam com sigo s, mas ella pedo-lhoi, que tamben resassom em voz alta, rosado que fii o bom lito pedio-lhep, quo resassem outras orces, u quo litera ni, sendo seui.uo acompauhadas l>ni ella, o lin.lmcnto resou-'e os padre rnsinsyln los os quses disse-ihesa voz, quo quoiii que tojos dessa c si fossem assisiiii missa n i igreja do Carino : quo na posso i dessa mi liz mulher lli i fosse lancali abanlo, ouyoa lienta, para puder deina-la pois bastsvam tantosoirnnionlos,quo ella baria pissado: di.-so quo leos (lies havia da pagir essa osmolli, o quo deziaIhes a dous atedia do juizu, o quo repetio per trez vetea. I'indis estas ultimas palavras, I vaiitou-se a mulher cono so acordiss-, conservan io s nenio o vista nimio espanta la o porgunlaram-lheospadrosse olla se lernlirava do quu hiviu visto, o fallado: res loudcu que sin; que Uama visto um lioitiom velhoveslidA do pi Ir;quo inseiisivelmunlo era obligada a repetir as palivras, que esso homem Iho dizia, mas quo nilo era ella que l ¡I ¡va, o que se sorviam da sua bocea. Poucos momentos depois, quo olla havia tornado a si, comocou do novo alisar; no mesmo oslado do uUquo, e onlo fall,ulhes cornuda primeira vez, dizoudo quo nilo podia ratirar-aeom quanto olles nilo soreeolhessom ao son convenio, o que os quera acompanhar. Como o esta lo da mulher coutni'iiss :a piur.ir pe lio o padre Moura ao provincial quo so rclirassutn. t^onslou aos padres quo depois da sua retirada, a rotillici' tornara ao sou osudo do Millo. Na madrugada do dia 15 do corronto, como havia proii-ili '.o, preparon-so o Rvm. fre Moura para dizor a missa o quinlo lita psramentar-sj recoheo uo recado doquo a familia de Joo Crysosliino so ochava j na igreja (a qual so achava cueia al a capolla mor do p.-ssoas do ambos os sexos ), quando o padro so Jirigia pira o altar recebo nutro recalo de que amulhcr se achava no crusciro da igreja no mesmo oslado em que ello a tinha visto em casa. NSo me so importou com isto, o s.'guio dizer a missa—linda ella o tendo olio j feito a oraeo do gracas, vieram algumis possois da familia pelirlllo que fosso laucar a bencSo o sspergir aquella mulher, quo o.n vos sobro ustiral i -.I a qu i o padre que havia dito a missa Ih %  : fosse lancir a henean. Cor.dossendendo u padre com os reiterados pedidos dirigio-so ao cruzeno da igreja, onde encontrn a mulher cihida nos bracos de duas sonfiorjs, luicou-lho abonQio da nussi, o aspergi, e linda essa sorliuouia, immedialainonle levautou-seelli, como havia l'eilo ornean, boi. Renden a alfaudeg de 15 a JO do correle 70:0,8/244 r!. Kulraram durante a semana embarcaede!, viudo entre ellas urna inglesa com bacalbo. Sahiram 17. Falleceram 3a pessoas, sendo '28 livre! cu cscravas, entre aquellas 4 hotnens, 8 inuttieres, 10 uieuiuos, e entre estas 5 h uncus, 4 niullierei e dous paivulos. 1R0lPlNllBliGO."' ItECIf'ESI DE DEZEMBRU DE 1851. Pelo vapor Haitiana entrado hoje do sul recibamos jornaei do Rio Je Janeiro, que alcaucao a II do cprrento, cdoMaceique alcaueilo a 90. Em outro lugar encontnro os leitores as ultimas noticias relativas a Uuenos-Ayres e Montevideo, que tran-crevemos do Jornal do Commercio, restando-nos gmenle accrossenlar • esse respailo que, no da do passado foram ratilicidos pelo presidente da repblica oriental os cinco '.'alados celebrados em 12 de oulubro entre o seu govorno e o de S. M. o Imperador, e quo ja o linliam sido par esto om II do dito mez de outubro. Esles tratados versam, o primoiro sobro limites entro o Urazil e a ropublici que ¡a havia pedido muito s pessois da oriental do Uruguay, o gunlo sobre a alcas., mas que ellas nao sabiam ( as mesmas' lianca entre os mesmos csUdos, o terooiro pessens nirmirara ao padro ler sido foilo sobre a prestaco de soecorros por part do


xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E17NQENQ8_IY9S0E INGEST_TIME 2013-04-24T19:36:19Z PACKAGE AA00011611_07293
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES



PAGE 1

Y¡iilio de Champagne, e superior qualidade : voode-so no arrcaem Kalkmaou IrmSos Rui da Cruz, n. 10 j — Vende-aaum grande sitio ho luO Q gardo Manguinho, que tica dcfronte Q O dos sitios dos Srs. Carneiros.cotn JA n gcandecasa de vivendu, de quatro n r\ agoas, grande senzalla, eocheira, n S estribara, blixa de capim que sus2 X tenia 3 a cavallos, grande cacimS y* lia, com bomba e tanque coberto ¡ |j para banho bailantes arvoredos de *^ O fruclo : na ra do tiollegion. 16,sejjj 3 guudo andar. Moinhos de vento com bombas do ropuebo para regar luirla d bailas de capim : vendem-so na fundirlo do Bowman & Mr. Calluoi, na ra do Urum na. 6.8 e 10. Auligo deposito de cal virgem. Na ra do Trapiche, n. 17, lia minio superior cal nova cm pedra, chegada ultiaiamentc de Lisboa Talxas parn rug nlio. Na fundido de linu da ra do l'.rum, acaba-sc de receber un completo sorllinenlo de taixas do 3 a 8 palmos de bocea, as quaas acham-se a venda por preco comuiodo, o com promplidilo cinbarcain-se.ou carrogam-so cm carros soni dospezas ao comprador. — Vendem-se cera em velas lubricadas em Lisboa e 110 liiodej Janeii J, em caixas de 100 libras sortidas, de laiGcm libra, etambein de um tamanho, por menos preco do que em outra qualquer parle : trata-se 110 escriptorio de Alachado & l'inheiro, na ra do Vigario n. iy, segundo andar. rOTASSA DA RUSS1A. No armazem de Jos Teixeira llasto, na ra do Trapiche n. 17, ha para vender, nova e superior 1 potassa da Kussia, chegada recenteniente. — Vendem-se velas de espermaccle, em caixas, de superior qualidade : em casa de J. Koller & Compiuhii : na ra da Cruz numero 55. g£ vos, assim como lio proprio para reS Principios ceracs de economa pu des de pescar o pavios para veilas, 3 i.. 1 i i> por preco muito commodo. neceo, vincia como para fra della, para Cambralss desaislos brancos e de cr,a Farinha de mandioca. A mais nova e mais barata (arlaba de miudioca que ba no merca lo, vende-so na ra da Cruz do llocifo, armazem 11. 13, de J0S0 Carlos Augusto da Silva. Deposito du fabrica de Todos os Santos na Huilla. Vendo-sc.cm casa doN. O. Biebor&C., na ra da Cruz n. 4, algodo transado daquella rubrica, muito proprio para saceos de assucar e roupa de escravos por prec,ocommodu. — Vendem-se selins e silhSes inglezes, de couro de porco, da primeira qualidade: em casa de Adamson Ilowie & Compnnhia, na ra do Trapiche u. \ 2 — Vende-se superior Cariaba de mandioca de S ma llalli nim, chegada ltimamente a bordo do patacho Euterpe, tundeado defronte do caes do Ramos : trala-sc a bordo do mesmo 011 na rua do Apollo armazem n. 1 ¡. c na rua da Cruz armazem n. 33, com S Araujo.Armazem de louca vidrada. Como sojam : pancllas, encarlas, tijellas, assadores, fregideiras, papeiros, alguidares, talbas pura doc, vasus para flores, jarros, quartinhas, garrafas, copos, moriogues, refrisdeiras ; ludo lino para' resfriar agoa, balaioa para uioniuasaiidarom, ditos para costura e compras, baldes de pinho, condenas de lodos os lacLanbos : ua rua da Cadeia do Recife n.8. Mocadas superiores. Na fundico do C. Starr ¡ Companbia, om S.-Amaro, acham-se venda rooendas do caima, todos de ferro, de um modelo e coustruccilo muito superior l'rezuntos Vendem-se prczunlos americanos, muito superiores o por barato preco : no caes da Alfandoga, arniozcm dfronte da arvoro. j|¡ Deposito de lecidos da labri*| m ca de Todos os Santos, 3 > na Bahia. Vende-se om casa de Domingos Al%  # [ — Vende-se, traspassa-je, 011 faz-se qualqucr outra transaccSo com a loja, que foi do fallecido Jos Pinto da l'onseca e Silva, antiga luja.de (¡ucrra Silva & C'omnanhia, na rua Nova n. 11, a fallar com J. Kcllcr fc Companhia, ¡a rua da Cruz n 55; 0 Ven 'e so na luja Pernambucan* da O 5J ruado Crespo u. II, superiores cha£J Q pos Italianos, ricamonlo enfeita0 m dos para meninos do amos os sexos. \ — Vende-se champagne da marca antiga e bem conliecida, Comet, em casa de Deane Yulo A¡ Lamparilla : na rua da Cadeia. -Vende-so una bonita crooula, qno coze, engomina e faz lavarinto, camaha e tem oxcellcule conduela, be rccolbida o aprendeu na escola o que siba dccos'.uia, tem 18 anuos doidade, ppro.nia para mucumba de casa ; lambeiu se yendo um mule^ue erroulo de 10 annos do ¡Hado, proprio para qualqucr ollicio : na rua larga do llozario n. 35, loja. — Venlom-so amorras de ferro: na rua da Senzalla nova n. 4. — VonJe-so cabos do linho c de manillia de lo las as grossur.is, e superior qualidade, chumbo em barra, sucas cum farello muito DOVO por ler vindo pelo ultimo navio do lia vrc, champgue muilo superior, seiveja em cestos do duzi", caixas de cem latas com sardinhas om azcitc, e pennas d'aco muito boas : ludo por commodos presos : na rua do Trapicha novo n. II. ocrilorio de J. II. I.asserro & Companhia. — \ende-se oleo de lia haca em botijas : a tratar com Manoel da Silua dantos, no caes da Alfandega, armazem do Anea. Vende-se cal virgem em pedra, Chegada recenlemenlo du Lisboa, em ancoros muito bim acondicionadas o por precio muilo commodo : no armazem do Silva barroca, na rua do Trapicho Novo n. 19. —-Km casa de J. Keller & Companhia, acha-sc a venda vinagre brauco, superior/de Nantcs, em %  .barris de 36 medidas. 4 A 2,500 rs. o frasco. Doce de annanaz, superior qualidade, proprio para presente no lempo da festa : veude-se na rua da Cadeia do Kccife n. a3 e a5. Nova fab.ica de chocolate, II 1 %  n -vw I a., UtJIO O 1 \0 T8. i *, cha, a 1,600, 1,920 c 2,400 rs. ; bolachinha aossenliorcs de engenho e casas ingloz, a 200 rs.; dita quadrada, a 240 rs.; particulares jsevadinha.a 160 rs ; sevada, alOOrs. ; faKo armazem do Sr. A.itunio'Anucsnocaes' r r i l, h Ji Na r, S 5l5" !" ? rt^i.?^}." 28 !:,t\tTor h o^Wm^r^^ morcado superior inglez por ser corado com molhor sal, vcndc-so por 6,000 rs. i tina. macote da 6 e5em libra, a 720 rs.; loucinho de Lisboa, a 280 rs.; arroz do Maranhflo, 80 rs.; ngulas, a 400 rs. ; poios, a 240 rs. I ser vej, a 4,500 rs. a duzia, e queijos novos no palco do Carmo, 1 ce coju' muito claro, cnfeilam-sc hcelas vontade dos compradores, assim como doce do calda do todas as qualidades por commo1 0 haralo do preco. Cera de carnauba e barricas va-ias. i. "o' v l"i %  ,ouu rs. a o — v enuem-se escravos uara-1 francozes, a 1,000 rs. : tos, mocos e de bonitas figuras I venda nova n 2 molecotcs, negros ino^os, negras) l'cchincha. muito bonitas e mocas, duas ne-! Vel y lenl S e superiores batatas, a 500 rs. a 1 canastra, com o p so de urna arroba o lauto liras, a 20 t. ; na rua e78. Salsa I muito nova c superior, vinda no S.Salvador; iechumbo de municilo; massos do pspelilo de lodos os nmeros e om qualqucr porcSu: na rttz D. 4o, primeiro Inodrlgu 1 "" 10 6 "' 26 -' "" d "" 0an,a Vendc-se .uperior'fum em fardos o mui1 G m itth r0 ;i visla V6iidcr aosouriveses'iiaUt! ule preKboa grinlias UC / annos, 'IlUlto lindas, I de btalas, o cm ti S3S& 3¡2£SEZ!b& T P limo a T leiro d f a 5 8n nos > i Dircit1 v e """' f a m3o e massaricos, c podra de desunir, ¡de cortil 1 c f Doce secco. na rua das l^a PO passeio publico, na casa n. 2 que fz gundo andar, uina como trapicho do Hamos, faz-so dor %  ., B secco de todas as qualidades, sendo o do l ua u *-' rl de cortir c fazer qualquer obra na rua das Larangeiras 11. t4 Vonde-se om o atierro da Boa-Vista n. 43, Lindas caixas de .mondo., confoilodas. I ?, S0R diu VrauZ'a's^'"^'"^ 0 tfSff Na rua do Queimado n. 16, loj de miu-S rl c h>do mel,10r ro e prata, patente inglez : da beuzalla Nova n. \t. Arados de ierro. Vcudeni-se arados de diversos modelos, nssim como americanos com cambao de sicupira e bracos da ferio ; na fundicao da rua do Bru ns. G, 8 e 10. fiombaa de Ierro. Vendem-se bombas de rcpuxo, pndulas e picota para cacimba : na rua do lirum ns. 6, 8 e 10, fuudicao de Ierro. MOBILIAS DE r'EHRO. Vendem-sc ricas nmbias de ferro, como canaps, mesas, cadeiras com braco c sem elle, c muitos outros objectos de ferro : no armazem de Ivalkmann Irmaos, na rua da Cruz n. 10. Arados de ferro. Ni fandigao da Aurora, em S. Amaro, veodem-se arados de ferro do diversos mudolos. Vciido-se ceradeernaob,; Cegad, polo S!-.JS ,, *^:!L5 B .- f?fL -* f?-:~ ?T I K^S^m^V-^ ^I^S 'E. ;! y. S? brillos chinezes, o cmbrulho por 640 rs.es permaecto 610 rs.carnauba 280 rs., sevadinlia 160 rs.,orvillns a I20,lelria 160 rs,arroz pilado 80 rs. lapioca 80 rs. farinha do araruta 120 rs chocolata 320 rs,assucar refinado I pelo diminuto preco de 80 rs. a libra, e a 100 rs. milhu 120 rs., arroz do case 120 rs. Vendem-so luvas branos do lorcal, mnii"???, n,ul tlnh ? 3i ? rs .alpist 960 rs.,p.in: lo linas, clieg.das ultimumento d Lisboa : S ^1,' .i" \ h l"Tl^ -' v,n "8 r D0,n na rua larga do Hozarlo n 20. S0 rSl dllu %  .MS?" '*? rS,qu IJ0S 800 rs '' 'l....,.i: !.„'""•"' %  carne do sertao 200 rs.,hnguicas do mesmo Chapehnhas para meninas. 20Drs., boiacinha ingle*, M !" ., c-lTde nafflm^/?rt^'2?Si r rS ,. Vendem-se chapelinhas do palh. da lia-1 caroco 140 rs., azoitunos 240 rs. a garrafa, VWvfi>tivi'Vi> I >^l^>9u>Vic? ^<4> lia, linas, para meninas : na rua larga do c tudo mais por diminuto proco, do ludo se ultimo navi.1 do AraCdty, por proijo commomendoas confeitadas, pnr menos proco do do, no armazem 11. 4 da rua do Trapiche Kaque em outra qualquer parle. vo, confronto ao mesmo trapiche; e barrloncts franeczes. cas vasias prompta enchor-se do assucar, Vendem-se bonelsde panno lino, franceasjim como um cmplelo sortimento de zes.de muito bom gosto, proprios para a miuezas, ludo no cicsmo armazem. festa ¡ na rua larga do llozario n. 20. 9Q90Q99QQ99099OOQO I.uvas brancas de torcal. O Na rua do Crespo n. a3, O Vendcm-se cortes de csemiras, cho9 <> gados pelo ultimo navio violo do 9 V Franca, padrOes da ultima modo, 9 Calcados a 7D0 rs. o par, quem teixar de comprar, isto he para Franjas para manteletes. Vendem so ricas fronjs para manteletes, 0 Vendem-so e alugam-se bichas, che4 a godas ltimamente de llomburgo, por % •> preco commodo: na rua de S. Amaro <# %3 n28* •99999999999999999V — Vende-se os bem coohecidos queijos do Cer, mui frescaes, no largo doLivramenlo n 20. — Vende-se um carro de quatro rodas, muito leve, para um ou dous cavallos: na eocheira do Aligue! Sougei no aterro d Boa Vista. da mesma couipjnliia; a tallar com os mesinus cima. — Vende-se vinho de champanhc legitimo e de superior qualidade : em casa de J, Keller o; Companhia, na rua da Cruz n. 55. -Vendcm-se superiores batatas ingle-' zas, recentemeiite chegadas a 600 rs. a arroba : no caes da nlfandegn, armazem de francisco Dias Fnrreira. — Vende-se a bordo do brigue Bolina tundeado dofronle do caes do Collegio, boa farinha de Santa Calharina, em porces: Irala-se a bordo, ou na rua da Cadcio n. 39, com Amorim Irm3us. Batatas do Porto, a 3ao rs. a arroba. Vendom-se batatas muito boas, a 320 rs. a arroba : no armazem n. 19, da travessa da Madre de Dos. Na rua larga do Kozario n. 22, segundo andar, Vendc-se urna inulatinha de 16 anuos, linda figura, e coze muito bom, urna negra de 16 annos, tambem com principios de costura, duas ditas de 25 a 30 annos com habilidades, dous muloques de 14 annos, um mulaiinhn de 13, um mulecolede 15 annos, linda figura, dous negros bons trabajadores de 01. chada, um negro velbo muito robusto, proprio para sitio, e um mulato de 30 annos, linda figura, proprio para fcitor por ler boa conducta, c por estar para isso habilitado. — Vende-se saccas com superior colla,das fabricas do Rio Cftnde do Sul, o a preco commodo, no armazem, do Das Kerreira ao pe da alfandega. lo bons contadores, chegados ltimamente Vendcm-se" leilOes muito gordos proA l lenca a. do Porto pela barca Nossa Senhora da Boa prio para se comer em Santo Amar • na Vendem-se superiores charutos regala, v "B' | ni no pateo da Sania Cruz n.. venda airas da fundic.lo do Starr. de urna das melhores fabricas da Bahi, cm! Diamantes para vidroceiro. Jjom e barato. caixas do 100 charutos a 2,500 rs. cada urna;' Chegou urna pequea pnrcSo ilesuperior VenJe-so arroz de casca muito suoorior silo chegadas di prximo: na rua do Tra-' qualidade : vende-se na rua do Trapiche Noa 2,400 T. O aluueiro da medida volha • n> piche Nato n.'28. vo n. 16. rua do Itangel n C3. I d amostras. Sao llozario n 20. llebique. Sao franeczes Vendom-se papis de rebi-jue, muito fino, Vendcm-se na rua eslreita do Rozario.lraa 140 rs.; dito enterliuo, a 80 rs.: na rua larvessa para o Quoimado n. 39. A superiores ga do llozario n. 20. ¡ boliohos franeczas do divercas qualidades acabar : no aterro da Boa-Vista dcfronte da loncca. II 1 chegadn rec^ntemente urna grande quantiJadn dos melhores sapalOes brancos que tem vindo do Aracoly, tonto para liopor muilo commodo preco :'na rua larga do mem como para menino, que por so desollozario n 20. jar acabar com dinheiro visla, da-so a 750 Atteico lustro para Homem, lem disto un novo e Sm i mJ^!',l f T ra unlleiro completo sortimento de calcados francoZ^ !" ^** 1 '"*** !" *** /.es de loilas i.s qualidades, tanto para ho'WMBMMjLiM)lftJliirLi 1 me 11. caiiio para Sra.. meninos e meninas, %  ,. 1^1117. oS 1 JS corles de tapete a 480 rs.; tudo por proc S ra d 'crS.no'n f T.^-X .' m multo commodo a.im de se appuror dig i U „do S padX a\\s P .7cov.do d • 2 u J 1 • 1 • asim como aedas escocesas a 500 r.. t — Vende-se plvora inglczaem ******************* latas e barris, e tambem finissima, — Vendem-se bolinhos francepropiia para espoleta : a tratar na zes, chegados de prximo do 11atravessa da Madre de Dos n. 5, vre do Grace no brigue Ceiar Gomma. nuitoproprios para cha, pela sua Vendem-so saces grandes cem gomm excellenlc qualidade e. centrino namuito alva para engommar: na rua do Qnci1 w i..„ „, ... • ,, n %  m.don. i. ,adar : na rua da Cruz do Recitara liquidacao. fe, armazem de molhados n. G2, Cera do carnauba muito boa a 5,500 rs, c de Manoel Francisco Marlins tVexcellentcs vozes cebo de llollanda a 7,500 rs. a arroba : na | rnl j 0 I rua dos Tanoeiros, armazem n. 5 iimau. — Vendom-se canarios de imperio, muillom pctisco pira a festa. ............. wb uLtyi.i udllllu.HUS chegadas estes dias de Pars, tambem se vende latas deararuta, biscoutinho latas, e mais outras qualidades, tudo por preco commodo, oanuuncianle pede ao respeitivel publico, itcncao. Aviso. Tem toda a qualidade de plvora, a qual se vende muito barata : a tratar no aterro da Boa-Vista, na luja do abaixc assignado. Manoel Jos Magalh3es Bastos. Descripca,) do Brasil. Vende-se a discripco histrica do Brasil Colombia e Gueyanas pelo celebre escriptor Fr. Diniz traduzdoem portuguez,2volumes com ricas estampas representando as principaes cidades,usose costumes dos pr i muiros povos do Brasil;vende-so por muitocommouo praco : na rua do Collegio loja de encadernc<1o n 8. 1 UNOS. Vendem-se iiianu Irmos, em casa de Kalkna rua da Cruz n. 10, ricos pianos de Jacaranda, com chegados ha pouco lempo. Cadeiras. Vendem-se cadeiras para monillos; no armazem de K ilkmaiin IrinUos, na ru da Cruz n. 10. Charutos de llavana Do superior qualidade : vendem-so no armazem de h JIIU ni 11 irmaos, na rua da Cruz n. 10. Tinta em oleo branca o verde: vendo so no armazem do hilkmann irm.los, rua da Crnz n. 10, Sobrado em Goianna. Vende-te, muito em conti, um bonito sobrado sito m rua do Meio, n. 58, avaliado em a:oooooo, emo qual tem parto rsula Mara das Virgens e sua irmaa Joaquina \ Ivs de Paiva na importancia de 107,473 rs. quem pretender dirija ae a caza de Kalkmann limaos, rua da Cruz, n. 10. Escravos fgidos. BOA GRATIF1CACA'. Ausentou-se na noite* de 27 de outubro passado o mulato Clementino, de ao annos de idade pouco mais ou menos, mogro, altura regular, tem muito pequeo buco de barba e falla muito mansa, quando anda parece que n3o' pisa bem com os calcanhares, costuma andar calcado e bem vestido, 1cvou urna trocha de sua roupa, inclusive cal?a cjaqueta de panno fino azul, e alcm do mais algum calcado, um par de borzeguins pardos, com botoes de madrepcrola brancos, e consta que levara um cav..llo, que naquelU occasiao alugra, o qual tem os signaes seguintes ; — castanho, barrigudo, dinas pretos, gordo e tem um taIho em urna anca; he provavel que queira passarpor forro, he bolieiro e escravo de Luiz Antonio Siqueira : quem o pegar leve-o a rua da Cadeia do Hecife n. ai, quesera recompensado. — Desappareceu na tardado da 13do passado um escravo por nomeJoaquim tem os signaes seguintes: boa estatura, representa ter 35nnos do idade. Talla desembaracada, ps grandos, tem lodosos denles da frente, nariz chato, quando anda estala as Juntas dos joelhos, levou camisa de algodaosioho branco, caifa do dito azul, esle escravo foi do mato: quem o pegar leve-o a typograpbia imparcial a fallar com a viuvi Roma que ser recompensado. 5o,000 rs. 11,1 topara 16 do novembro de 1851 desappareceu do cngeulio Aguas Claras de l'ruc, da fre^uezia de Escada, o escravo Venancio, de Angola, que muilo parece crilo, idade 25 a 28 annos, cor fulla, bon 11 figura, altura regular, ebeio do corpo, pernas o bracos ¡.TOCOS, rosto gordo, c arredondado, tsla grande, olho* grauaes. •> amortecidos, tem falta de muitos denles ua frente, do la lo superior, poucos cabellos no buco, e quoixo, tem marcas de chicote as costas, e de surras as nadigas, parece ser serio, o muito humilde, (lia com muda mansidoe arrastaJo faz-se; innocente, lio chegadoa furtos, e costuma mudar de trage, por furto de roupa que faz ) de mudar o nome, dizer-se forro, outrss veres procurando quem o apadrinhe, qa quem o compre : levou camina de madapolSo, calca de lirim trancado do listra pardas, j desbolado, di 1 peo uza lu de couro, Cobertor groco de hstr.is azuos escuras, e um fado que t %  >mou de um muleque cirreiro, do engenho JIucot. Bsle escravo piasou pelos engeulins Aran lii duSr. Manoel Flix, Amparo o .Morolo, lia volido pedido aos senllorcs dos dous ltimos engenhos cartas que o palnnhasso, em que fui salisfeito, e 11S0 obstante lugirlendo seguido para o engenho Minhocas, da donde prezuma-se ler paitido para o Brejo da Madre de eos, onde foi escravo do Sr. CorJeiro, calibeado por Abade, a quem pede-so o favor, de se chegar %  scu conheclmento a suaeatada ali, fazer apreeoder, remetter ou avisar a seu Sr., poodo-o noste caso na cadeia, assim como loga a qnslquerqueo pegar, de leva-lo ao dito engenho ao seu Sr. Antonio Carlos Hereira de Burgos Punce de Len, ou na rua Direila n. ti casa de Jos Pinto da Costa, que recebera a gratilicacSo mencionada; e tambem pelo pruzuuloprotesla-sa.com lodo rigor, contra qualquer qu: o conservar em seu poder. — Fugio desde o di. 8 do corrente urna prela escr.va, creoula, do nome Tnereia,*sUtura regular, corpo ciieio, nadegis grandes, poscoco grosso, ptdoce de cravos nos ps, o tem urna marca preta ao lado Jo nii/, levou voslido do nscdo azul.aam panno, porm Ulvoz lenha mudado de roupa : quem a pegar c levar no caes da alfandega, armazem 11. 5, ou no atorro da Boa-Vista n. lquosei bem recompensado. ne M ]'. rf f \i'.