Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07289


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AnnoXXVlI
4 Quarta-fcira 17
le [)ez6!ii!>ro de 1851."
N. 285.
MIRTO M W PEMAMBICO.
x>B.ICO A SOBOBWflO.
PlOlMStlTO ADUHT1DO.
Por Irlmeilr............. J/000
Por aemeitre ,........... WO00
Por nao.............&i"0
Pxoo dbntio nurimisTii.
Poi quartel............. 4/SOO
W0TICIA1 do Mruio.
Par i.....15 deNovbr. Minai... iSdePfovbr.
Maranhao 19 de dito S.Paula. 10 de dito.
Ce ara... 2&de dilo. R. del.. 25de dito.
Parahba. 8 de Uezbr Babia... 1 de Dezbr.
15 Seg. 3. Euiebio Ver
cense b. ni.
16 Tere. S. Albina.
17 Quart. S. Barlholo-
mcu a. Geininiano.
18 Quiot. N. S. do O'.
19 Sexl. S. Fausta.
20 Sab. S. Doiniu.oi.
21 Doni.-1." ilu advento-
S. Thom.
AODIIWCl 1..
Julio di Orpkoi
2. e5. s 10 horat.
1. rara do eivel.
3. e ti, ao melo-dia.
Fasenda.
3. e6. as 10 horas.
2. vara do civtl.
4. e sabadoa ao mcio-d.
RiUeSo.
Tercas e sabidos.
EFHMIDEIDEI.
Crescente i 30, a. I horaie .'i."> minutes da ui
Chcia a 8, a 1 bora e 8 minutos da t.
Mingoante is, as 3 horas e 6minuto* da m.
Nova 22, a 1 hora e 14 miniaos da tarde.
rauaiiB bi boj*
Primeira u c 30 nluutoa da tarde.
Segunda 0 e 54 minutos da manha.
VAUTIDAI DOS CODBEIO.
Golanna c Parahiba, s segundas e sextas-
feiras.
Rio-Grandc-do-Norte, todas as quintai-feiras
aoineio da).
Garanbuns e Bonito, 8 e 23.
Boa-Viata, e Flores, i.'l c 28.
Victoria, s qulntas-fciras.
Olinda, todos os das.
NOTICIAS IITtUKGUBA.
Portugal, i de Piovbi *n>im 2 de Novbr
Ilcspanha. 8 de dito I.Suiia.... 2 de dito.
Franca ... 8 de dito [Succia... 28deOutbr
Blgica... de dito Inglaterra 8deNoabr.
Italia.... 31 deOutbr E.-Unldos 2ti deOutbr.
Alemania- dcNm-br Mxico... 15 de dito,
Prussia ... de dilo. California l2dedilo
Dinamarca29 de Oulbr Chili. 8 de dito
Russia... 28 de dito Uuenos-A. 8deNovbr
Turqua. 18 de dilo (Montevideo 31 de Outbr
CAMBIOS DE I DS DIIWBBO.
Sobre Londres, a 29 d. p. 1|000 Firme
Paria, 333 por fr.
Lisboa, sera tranaacce.
SKTAES.
Ouro.Oucas hcspanbolas.... a
Mocdas de 6#400 vclbas. 16>D00 s
. de 0*400 novas. 10/1)00 a
de 4/000....... 9/000
Prata.PatacSes brasileiros.. 1/940 s
Pesos columnarios... 1/920 a
Ditos mexicano!..... 1/710 a
28/600
16/200
16/200
9/100
1/910
1/910
1/7SH
GOVERNO DA PROVINCIA
EX PEDIENTE Do DA 10 DE DEZEMBRO DE
1851.
flicio. Ao commandante das armas
transtnittindo copia do aviso da reparlicSo
da guerra de 98 de outubro ultimo, man-
dando ioapeccionar o Dr. Jos Zacaras de
Csrvalho que pedio entrar para o corpo de
iludo do exercito.
Dito. Ao mesmo nteirnndo-o de hsyer
designado o dia 18 do corrente pira reunSo
da junta de justica, fim deque mande a-
visar doas olliciaes superiores para com o
capilSo de mar e guerra Rodrigo Theodorn
de Freitas servirem do vogaes na mesma
nula. Mesle sentido fizeram-sc as necessa-
riis commuoicacOes-
Dito*.-Ao mesmo dizendo que com a copia
do a viso do ministerio da guerra de 29 do
outubro ultimo transmute o requermenlo
e oais papeia do ex soldado do quarto ba-
talho d'artilbana a p Manool Antonio da
Silva, fim de que informe sobre as circuns-
tancias do delicio pelo qual fui olla condem-
oado.
Dito.-- Ao mesmo communicando quo,
por decreto de 20 do outubro ultimo, se-
gundo constou de aviso da reparticSo
da guerra de 29 do mesmo mez, foi exo-
nerado o coronel doestado maior de primoi-
ra classe Antonio Csrdoso Pcreira de Mello,
do commando do presidio de I-ornando de
Noronha.-- Fizeram-so noste sontido as no-
cessarias communicacOos.
Dito. Ao mesmo transmitiendo por co-
pia o aviso da repartirlo da guerra de 30 do
outubro ultimo, do qual consta que, so
mandou pnssar para a lerceira classe do ox-
ercito o al foros do deotmo bstslblio de iri-
l.-intaria Manool d'AssumpcSo Santiago, por
so licuar comprehendido as disposujes do
artigo 2 n. 1 da lei n. 260 do primeiro de
dezembro de 18*1. -- Commuoicou-se a pa-
gadoria militar.
Dito Ao mesmo remetiendo copia do
aviso da repartirlo da guerra de 28 de ou-
tubro ultimo, do qual consta que se conce-
der passagem para o corpo da guarnirlo
da llahia ao segundo cadeto do quarto bata-
Ihilo de arlilluria a p Aleandrc Jos da
Silva e Areujo. Igual copia remelteu-so a
pagadoria militar.
Dito. A thesouraria de fazenda remet-
iendo a liIac.Sodo cometa Mmocl Rellir-
mino da ConceicSo, que so engajou para
o servir no segundo balalhSo da guarda na- ,
cional do Municipio de Santo AnlSo, a fim
deque Ihe mando abrir os necessarios as-
sontamentos n'aquclla thesouraria.-- Ijual.
a cerca do corneta ro lirio Anialacti Si/va, quese-engajou raro servir no prime!-'
ro batalhSo da guarda nacional de olinda. j
Communicou-se aos respectivos comman-
danles superiores.
Dito. A mesmt inloiratnlo-a do haver o .
desombargador da relacao losti provincia
Francisco Joaquini Gomes llibeiro, tomado
posas o entrado no exercio do sou cargo
desde o dia 6 do correnlo. Respon leu-
so ao Exm. conselheiro prosidenlo da re-
laclo.
Dito. A pagadoria militar remllenlo a
cotila em duplcala da despoza l'eili coma,
inliuinagilu de quatro cadveres de piscas
id quarto batsIbSo de nitilliat t.i a pe, a litn
de que estando, nos termos legaes.-indom-
uise a caixa du dilo liatalhSo da quanlia do
12,000 rs. em quo importa a dita conta.--
Communcou-so ao commando das armas.
Dito. A mesma dovolvondo o requer-
inenlo e mais papis da divida de venc-
montos de que pede pagamento Francisco !
Gomes de Sousa, ex sollado do dcimo ba-
talhSo do iuf.iniarn, para que Ibe manda !
pagar, nos termos de sua informacSo, a
qiia tilia do 3.963,000 rs., perlencenlo ao ox-
ercicio corrente, remetiendo ao inspector
da tbesouraria de fazenda, a fim de seren
processados, de conformidado com os or-
dens om vigor, os documentos da divida de
43,153 rs. relativa a exercteos lindos.
Dito. Ao director do arsenal de guerra (
dizonlo que, visto nSo se poJerem fazer n'a-
quelle arsenal as grades pedidas para o |
Cear por falta de forro da qualidadee di-,
mensoos proprias para a dila obra, procu-
resaberse podem ser filas acontento em
qualquer das duas fundices existentes nes-
ts cidade, e no caso allirmalivo, entrando .
em ajuste da obra, informa sobre a convo- ,
uiencia de sei por este modo satisfoita a en- ^
commenda.
Dito. A thesouraria da fazenda provn- ,
cial devolvendo os papis relativos a arre-
nutaQflo do empedramonto do ptimeiro lan- ,
co da estrada da Victoria, e remetiendo .
urna copia do descacho que sobro o mesmo ,
objecto proferio em 6 do corrente no requo-
i inmuto do arroinalatite Antonio Francisco
l'aes de Mello llarreto.
Despacito a que se refere o o/ficio r cima.
Volte aosenhor director das obras publi-
cas para reduzir o numero de bracas do
empoJramonto s mesteas quitilietilas e
sessonta do primeiro Unc da eslrada,
visto quo'f eslo primeiro lanco lie
que se poda ler em vista empedrar desdo
ja, o l'azendo neste sentido a precisa refor-
ma do ornamento paia quo va a-obra nova-
inonln prao, sabendo todos os licitantes,
que so lem ae fazar 500 e nao 650 bracas de
empedramonto atienda taaibom o mesmo
Sr. di'roclor ao que pondora o engonhetfo
IMilolJno papel junto. Palacio &.
Dito.Aocommandantosuperior da guar-
da nacional do Santo Ant3o para que o pri-
meiro bataibSo d guarda nocional da fre-
ucsia do mesma nome se rouna no dia 17
9 Janeiro prximo vindouro nflo so para
assistir a Testa do dito Santo ni cidade da
Victoria esalvara hora do coslume, como
tambem para a companlur a prociss3oque
ter lugar na larde d'aquelle dia.
DEM DO DIA II.
Ofllcio Ao commando das armas.
Tratindo-s) de activar os Irabalhos da reor-
liiinisac.no da guarda nacional, c tendo cu
de propor ao goveruo imperial, como me-
did necessaria para acelcra-los e fazo-Ios
concluir com a devida regularidade, a no-
mesclu de chefrs de estado-maior para lo-
dos os commandos superiores, na forma do
ai ligo 42 di le de 19 de selembru de 1850,
i'tiiiium quo me remotta V. Exc. urna rela-
c,flo dos olllclacs do oxercto, perlencentos
u guarnicSo desla provincia, que, poaetido
ser mais fcilmente dispensados dosorvito
dola, eslejam no caso da for inJ ionios para (
aquellos postos nos commandos superiores
constantes da nota junlu :
Nota a qm'se refera o offtcio cima.
Olinda elguarass.
Goianna.
Saolo-Antao.
linj i e Cimbres.
Rio-Formoso e Sotiuhaem.
Limoeiro.
Garanhuns.
Flores.
Cabo.
Pao d'Alho.
Niztreth.
Bonito.
Roa-Visla.
DitoAo mesmo, dizondo quo, vista da
informacSo do inspector da pagadoria mi-
litar resolvou levar ao conhecimooto do
Exm. ministro da guerra para resolver o
quo entender, oombaraco, om que se acha
ocommaudanto do 1 batalhilo de infanta-
ria corca de cincoenta e duas oncas de
ouro, quo existom no respectivo cofre, re-
cobidas na pagadoria do Rio Grande do Sul
por conta dos fundos de fardamonlo na
rasJo de 30/000 ris cada um, e quo no
silo aqu aceitas pelo mesmo valor.
DitoAo mesmo, inteirandoo de haver,
vista do sua informacSo por oflicio de
hoje, approvado a tabella que remello por
copia da otapO' para o semestre quo ha do
correr do 1. de Janeiro a 30 de juuho pr-
ximo futuro.
Dito-Ao inspector da thesouria de fa-
zenda, dosignando-o para presidir a confe-
rencia o examo, que so lem do proceder,
de conformidado com o aviso do ministerio
da guorra, de 10 de overeiro de 1845, nos
futidos do cofro da pagadoria militar. Com-
municou-se ao inspector da dita pagadoria.
DiloAo coronel Jos Podro Ve|loso da
Silveira. Em resposla ao seu oflicio de 16
de novembro ullimo, tonho a dzer-lhe
quanlo a pimeira parte, que emdata do 14
dooulubro lindo j foram (citas as precisas
commuoicacoes do sua nomea^So para di-
rector gcral dos indios nesta provincia, a
todas as imni iras municipacs, juizesdodi-l
reito, dologaJos do polica, directores par-i
ciaes o tliesourarhs goral e provincial; ej
que nesta occasiSo se oxpedem circulares
mi mesmo sentido a lodos os juzes mu-
cipaes. E quanlo ao destacamento, quo>
pedo para a aldeia da Escada, dovo V. S.
requsilar lodo o auxilio, de quo piocisj,
ao delegado do tormo do Sanlo-AntSo, a)
cuja disposi{3o existo um destacamento,
quo sor opportuuamentc augmentado.
DitoA" pagadoria militar, para informar |
com urgencia quaos os vencimentos que,
percabia antoriormonto o Dr. Aloxandro do
Souxa l'oreii do Carino, cin virtule da
portaria da preaiJoucia, do 18 do janoiro,
de 1849.
Ditow-Ao director do arsenal do guerra,
concedendo I aulotisacao quo podio para
dospcndjr a quantia do 830/000 res com a
compra de bim, sda o outros objeclos,
iilitu do poJer sali.fjzor o pelilo, que de-j
volve, do Mochilas para o batallulo 10. de
infanlatia. Communicou-so i pagadoria
milita r.
Dilo -A' tlicsouraria da fazenda piovin-
cial, para que, vis'.a do sua informacSo,
mando adamar aos destacamentos de Flo-
res e Ouricury sois mezas de sold, o ao do
Brejo tros moaes a coutar do l. de Janeiro,
futuro, o na mesma conformidado aos olli-
ciaos Antonio d'Albuquerque MaranhSo a
Gaclaiio do Assis Campos, quo vSo ronder;
uso un,i.an,liini s dos dous primeiros des-
tacamentos, e Joso Affonso dos Santos Ras-,
tos, quo vai substituir o do Urojo. Com-,
municou-so ao commandante do corpo do
polica.
DiloAo director das obras publicas, ap-,
provando a deliberacSo, que lomou, do oxi-1
gir quo os operarios empregados uos con-;
certos da ponto da Tacaruna, o as obras
do palacio da presidencia traballiasscm no,
dia 2 do correnlo, afim de adiantarom osses
servitos, o provenindo-o de que vai ofliciar
a respeitoa thesouraria da fazenda provin-,'
cial.Olliciou-se noste seutido aditalhe-!
souraris.
DiloAo commandanlo superior da guar-
da nacional dos municipios do Rio-Formo-j
so e Nentili loni. Com o oflicio de Vmc,
datado de 29 de outubro ultimo, recebi
urca nota contando esclarecimentos i cerca
das irregularidades, que se encontraram
DOS trabalhos, a que procedeo o consollio |
de revista da guarda nacionnl do munkiaio
do Rio-Formoso, eemvisti do exposto em
ditoofficio, teoho a doclarar-llie que laes
eselarecimentos dovom vir, como addila-
mentoannexos s listas da roferi la guarda
nacional, j para quo conste a ras3o da qua-
lilicaQao dos lilhos familias sobre quo vorsa-
ram duviias, e j para que sojam ellos con-
siderados como pettencentes a listi do ser-|
vico activo, embora lijue disponsado o
guarda Thomaz l.uiz de Barros Wandorloy,]
aliin do quo a sou respoilo sj proceda do,
conformidaJe con odisposlo no artigo 66,
1 das instruccOcs do 25 de outubro de
18E0. Do quo levo dilo ficara Vine. inlondeii-|
do quo nao he preciso haver mais reuniSo
do sobredito conselho. non lterar3o as,
lisias, devendo, porm, mencionar-se esta
'minhaordem nasobscrvaOes quo se hou-
'verom de fazer.
DitoA"camara municipal de iguarassu
' para declarar com urgencia quanlos distrlc-
tos do paz existom n'aquolle municipij.
Igual a todas as cama'as da provincia, a
oxcepcSo das de Olinda e Reeifo.
PortaraAo agente da companhia das
barcas de vapor, para mandar dar passi-
gem paro a Uahia, por conta do governo,
a Francisco Luduvico, que teve baixa do
soivioo do exercito, o beul assim a mullier
do mesmo.
DEM DO DA ia.
Oflicio.Ao commando das armas para
fazer marchar para a frente da groja da ex-
tincta cougregac.30 no dio 11 do corrente as
9 horas d manhSa urna guarda da honra
afim do assistir a fesla da Nossa Seuliora da
Concoc,3o que leu do colobrar-se no mos-
mo dia,Revendo a rcforila guarJa salvjr
ahora docostume, o all permanecer at
liualisar-seo Te Deum.Expedir3o-sa ueste
scn'.i'l'i os convenientes ordens.
Dito. Ao mesmo para que mando porem
liberdado o roeruta Jernimo Celoslino, quo
fii julgadoincipaz do servco miliUr pela
junta de saude.Communicou-so ao desem-
bargadorcliefe de polica para fazer constir
a auloridadequeo capturou.
Dito.A thesouraria da fazenda provin-
cial dizendo que alienta a difiiculdade, que
encontra o ajudanle do procurador fiscal
d'aquella thesouraria na comarca de Flores,
emremelter com seguranca para a mesma
thosouraria a quantia de 1:075,760 rs., que
arrecadou por conta da fazenda provincial,
dovo mandar adoptar o meio, pelo dito aju-
danto lembrado, de ser a referida quantia
entregue ao commandante do respectivo
destacamento, descontando-so no sold
queaqui bouver do receber o mesmo dol-
tacamonto.
Dito.A mesma autorisando-a, de con-
formidado com a sua informacSo, a mandar
pagar ao arrematante da obra do terceiro
lanco do estrada do norte, Pedro Cavf Ican-
ti Wanderlei, a quanlia de 2:819,506 rs., om
quo Importa a prirecira presttcSo do seu
contrato, visto ler elle linalisado um lerco
da referida obra, segundo declarou o euge-
uheiro director das obras publicas.Com-
municou-seao referido engenheiro.
Dilo.A mesma autorisando-a, em vista
de sua informac3o, a mandar pagar a Igna-
cio de Hollanda Civaleanli a quintia de
90,000 rs em que fui avaliadoojdamno cau-
sado em um seu parldo de canas com a
passagem da ostra la do sul.Inloiiou-so
o director das obras publicas.
Dito.Ao director do collegio dosorpbSos
aecusando recobido o seu olllcio, acompa-
nhado da communicagSo, que Ino fez o pro-
fessordeprimeiras letras d'aquelle collegio,
do haver sido sorteado para a sesalo do ju-
ry, o uSopoder iiorconseguintiexorcorseu
magisterio durante a mesma sessSo, o de-
clarando que devo Sm. ulllciar ao juiz do
direito presidcole do jury, solicitando a
despensa do roferido professor, visto a falla
quo actualmente faz.
Dito.Ao promotor publico desta cidade
remetiendo copia de um olllcio do comman-
danlo do corpo de polica o bem assim da
nota, que se refero o mesmo oflicio, das
lesletnunhas que presenciaran! o desali
que lovo lugar na estrada do Kozarinho en-
tre Flix Jos da Roza o o porluguez Do-
mingos, quo foi assassinado no dia 10 do
corrente, para quo Sm. faca dellas o uso
conveniente no processo, que se tem do for-
mar.
Portara.Ao agento da companhia das
barcas de vapor para mandar dar passagom
para as Alagoas, por cotila do governo, a
familia do teneute coronel commandanle -lo
terceiro batalhSo d'artilbaria a p Innocen-
cio Eustaquio Ferreira de Arauj > Com-
inunicou-so ao comuiaudo das armas.
Dita.Ao mesmo para quo mande dar pas-
sagem para a corto por conta do governo a
JoSo llorteuco Malinas, que leve baixa do
servic.0 do oxorcito.
Dila.o presidente da provincia, rogu-
lando a maneira de impor, e cobrar as mul-
tas ostabelucidasua i-on.lio.ao iiuaila do con-
trato do illuininacao publica desta cidade.
celebrado 11 do maio de 1850, com a mo-
diflcaclo foila por lenno 14 do mesmo
mez o anuo, ordena quo se obsjrve o si-
guile :
Art. 1. Tolas as patrulbas, quer de pri-
meira 11 tilia, quer de polica, ou de guarda
nacional, observaran allenlatnoule, duran-
te o lempo quo rondaran!, o estado do illu-
minacSo, o tomarSo.nota docada lampeSo,
quo cincontrarcm apgalo, ou com m luz
u.i'i luyendo luar.
Art. 2. Nodia seguinte dirigiro as mes-
mas patrulhas autoiidide policial, a cuja
disposic.o estiverem, urna parte especial so-
bro aquello sorvico, conlendo urna rela;ao
dos UmpiOes, que tivoroai oslado apagados
cm todo ou om parte, o dos quo liverom da-
do m luz, com declaracSo da ra, om que
os mestnos se achareui collocados, o men-
cionando ludo o quo for observado sobro o
mao estado, ou poucoassoio dos lam^ias;
esobro a negligencia dos acenledores
Art. 3. lleoeiJas essss parles, reinelter
a referida aulondade policial na sogunda-
feira de cada semana todas as solo da sema-
na antecedente ao chelo de polica, acom-
panhando-as de quaesquerj observaedes,
que polo conuocitnento proprio, ou pelo dos
inspectores-de quartoir.io, julgar conveni-
ente fazer a respeito da iluminicSo.
Art. 4. No mesmo dia, ou no immoJiato,
remetiera o chefe do polica ao inspoctor da
tbesouraria provincial as parles, que assim
bouver recebido, accressentando-Ibes tam-
bem as observaedes, que Ihe parecerem de
utilidade para o servido da polica, o pura a
iiscalisacao da lazeoda publica.
Arl. 5. Durante toda a semana poder o
conlratador apresentsr thesouraria qual-
quer reclamado, que tonha a fazor conlra
as inexactidos dss partos da semana an-
tecedente, para o que Ihe ser o conheci-
mento dellas franqueado, e lindo essoproso
nio Ihe ser mais admitirla reclimac,oes de
natureza alguma.
Art. 6. Noprincipio do cada mez o inspector
da thesouraria provincial, depais de ler op-
porlunamente proced lo aos exames o in-
vostigacOes convenientes sobre o objecto
das reclamafOes do contrata lorapresentar
ao tribunal administrativo as paites semi-
nos do mez autecedente, com as reclama-
coe, que houverem, devidamonto instrui-
das ; o o tribunal administrativo, aticn-
dendo a onndieo quarta do contracto, com
a BOdiflOtClO do termo addicional, impora
as multas, em quo livor incurrid o o conlra-
tador, sendo a importancia dellas dcduzida
dr quota mensal, que so Ihe livor do pa-
6r.
Art. 7. O inspector da thesouraria da
fazenda provincial marcar ao contrala-
dor um praso, dentro do qual deva elle a-
prosontar numerados a sua cusa todos os
lampies da cidade, medanlo urna chapa
molallica pendenlo do ferro de cada um dol-
as, em que se distinga claramente o nume-
ro respectivo, para que, depoisde (eila essa
numeracSo, declararem as partes da polica,
a cargo das patrulhas o numero de cada
la:u..'iao, que ostiver a pagado, ou com urna
luz, e antes disso n3o se atlenderAo ao con-
lratador asroctatiiococs que versarem sobre
duplcala da parte relativa algum lampiSo
na masma noite.
Art. 8. A autoridade policial, que distri-
buir as patrulnhas Ibes explicar, e recom-
mendar, todas as noites, o exacto cumpri-
mento dos dous primsiros ar'.igos desle re-
gulameoto, compotindo-lhe sua rigorosa
liscalisacSo. Remetleram-se copias ao
dosembargador chelo de polica, thesou-
raria da fazenda provincial, ao commando
le policia.ao delegado do primouo .cipulos do fafanhudo Miguel Percira, qi
este termo, e aos subdelegado *\\J3*&SfiSS n...'.'
que atl-
stre no
leilt
do corpo de
districto des
4 Treguezias desta cidadn.
DEM DO DIA 13. Parece que a Providencia quer auxiliar ao
Oflicio. Ao commando das armas i\xm .presidente no uobre empenho de acabar
approvando que Sej contratado, nos tsr-]co,n os thuggs. Certamculc que, sem o aunilio
mos do seu oflicio sob n. 206 o paizaDO I do brajo divino, nada se conseguir conlra cs-
lianci-cj Maximian) Toixeira, quesooffo-lsa sociedade, que tem a honra de contar em
receu para servir no exercito, e provoniido- seu selo baitantei iuiportancias, que Jogam
o de que olliciciou a pag.doria mUitar para *g~& SSSS^W.
mandar abonar ao roferido paisano, de con-1^ Jvj s,lUll.0$. I)orquc |lcaoccaaiaocm
lormidado com a orden em vigor, O mini-f (1UC 1)daJ a, ferai,a|,cui deauaa cavernas, pa-
mo premio estipulado no aviso da reparti-j ra i0lnare, Uma baalartadcla do rocho mosto,
cSo da guerra do 30 do outubro do _anno i e alva patricia ; depois da qual estao prompioi
prximo passado, Ncsto sentido olliciou-1 para ludo perpetrar cm.
so a dita pagadoria. Assisti, cuino Ihcdissc que tencin-iva User,
Dito. Ao mosmo
concedido a dlspe
cadete PeJroda C
do lugar, quo oceupava na pagadoria mili-1do ic.(.ulllquo cslcvc bstame solemne a
lar.CommuniCOU-seii roferila pagadorn. ligreja muilu bem proparada. Foi extraoidi-
Dilo." Aojuiz do direito da comarca do ario o concurso, a uada dirci a respeito do
Bouilo aecusanjo recebido o oflicio, com | lindo oinamcuto paralijbauo, que cslcvc b
quo S
pronu
vill
|i.i c socego ao selo das familias pacltlcas da
imn inlflirandn-o de havoi' pioeissao da Seuliora da Goneeieao ; cem a- comarca da Maiorldadc, no podemos deUar de
un?. ^?, nnn nrmeir *>Lo da vedado devo ducr-llie, que nao cor- cungratularmo-nos comaqucllesnossosamigos,
penal quo pedio prHW eaperuea. Bsleve bastan-; nao s pelo relevante servico que preslaram a-
-unha Barbosa Vasconcillosi w fa[elior ao milliiact'c, Oulio lano uao dirci i paiz, seno pela maneira porque o preslaram
delegado em cierciclo, Joo Chvaostomo Bizer-
ra Cavalcanti, e ao subdelegado do districto do
Pal Jos Sevlrino de Moura, cercaram o fa-
cinoraJosc Brilhaotc d'Alencir. criminoso de
8 mortes, e depois de 18 huras de ulna resis-
tencia furiosa e desesperada, cm que Dio cea-
sou o fogo, que loinpcram, apenas se vram
cercados, conseguiram prcnde-lu, ea mais 18
bandidos do seu squito, que cstavam com elle
na occasiao do cerco, cujos uoines saoosse-
guinles : Joao Jos Alves Pequeo, Jos Seve-
riano de Andradc, Cosme de llveira Santos ,
Antonio Nobre de Luna, Autonlo Peielra de
Saraza, Jos Biterra, Pedro Jos de Morae, e
Jos Rodrigues Suares.
Levando ao conbecimento do publico um
,r,mi,, un, i,i,, desta ordem, c i|ue vai levar
lo aecusanjo recebido o oflicio, om llindo ornaniculo paralijbauo, que estere bn-
S me. remetteu copia do despacho doliiuntissluiu. para que me nao elianicm an-
unciado carecroiro da ca lea d'aquolla lo-cclibala,io-- ou Ulyfx~or"^"-^
Franeuen RnariM d i O iveira tila futa detaiu as bellas ao inca Mecenas o uao ngura
, iranciscosuai^su.uivura pa iub rcm mal. cia miuhaJ p0[CS epstolas, c, se
de 7 presos da mesma ca.l -i.i.
Dilo.- A thosouraria da fazonJa provin-
cial dizend) quo podo mandar ontregir ao
thesouroiro pagador das obras publcas,
vista do pedi lo quo remulle, a quantia do
10.-700,009 rs. para contiiiuoQ3o das obras
em andamento no correnlo mez. Coro-
municou-sj ao director das obras publi-
cas.
Dilo.-- Ao bacharol Jos Mara da Albu-
querquo Mello dizouJo fie ir intuir Jo de
haver S. me. onlrado no dia 29 do novem-
bro ullimo no exercicio de promolo." publi-
co di commarc do Garanhuns.-- Coiiimu-
nicou-soa thesouraia do fazonda.
Commando das armas.
Quailcl general na cidade do Itecifi, 12 de de-
zembro de 1851.
OaoEM do DI ri. 42.
O Sr. marechal do campo graduado Anto-
nio Corrii Sora commandante das armas,
manda fzer publico para conhociment da
guarnirlo e fins necossarios, queS. M. o
Imperad ir, houve por bjm por sua imnie-
diata e imporial rosolu?3o de 11 do outubro
do correnlo anuo, tomada sobro consulta du
conselho supremo militar, ciandar passir
para a teioira class) do exercito ao Sr.
alforesdo batalhSo n. 10 do infantaria Ma-
nool d'Assumpcao Sanlago, por so tchar
coinpreliendido as dis)i)Siy,es do art. 2."
n. 1 da loi n. 260 do I." do dezombro do 1811,
segundo foi declarado om olllcio do Exoi.
Sr. presidente desla provincia de 10 do cr-
rente, com referencia ao aviso do ministe-
rio da guerra |lo 30 do clado mez do ou-
tubro.
1 Manda igualmente o mesmo Sr- mareoul
commandanlo das armas publicir a Impe-
rial provisSoquoscguo transcripta.,
a ProvU/tO.
Dom PeJro por gra^a de l)30S o uinime
acclamaijSo dos povos, imperador oonstltu-
cional o defensor perpetuo do llrasil f5
saber aosqui oslaminhi provisSo vire.J,
quo haveudo subido miuhi augusta pro-
santa uma consulta do cousiliio supremo
militar, datadodoH dejulho do preso iio
atino, a quo mandei proceder sobro o oflicio
do marechal do campo commandante das
armas da corle, om quo propunh i a duvida,
quo so Iho eflorecer, do poJerem ou nflo
os simples saldados parlicularos do exerci-
to entrar om concorrencias para soaso ao
posto do alferes, o conl'ormando-se inteira-
mente com o parecer do consoliio, hoi por
isiu Iboa causa algum despello.facam-lbe quan
Siin, oservicn que as autoridades da Maiori-
dade e do l'alu' acabam de prestar a esta pro-
vincia c a todo pai, he tanto mais relvame c
importante, quanto se altcnder, que o Brilban-
;e c sous comparsas foram presos no lim deis
lloras de fogo vivo, sem que, a excepfo de 4 fe-
riiiiuuius leves, houvessc urna perda a lamen-
lar-se !
Em verdade, o Drilhanlc desde marco do an-
do o eoeonirareii duas duilal de caretas cada; no passado que cun cuipcnbo procura assassi-
umaeiu punlcio do sua iucoucidcracao. | uar ao Dr. Amaro, para o que em Janeiro dcste
Afala de San Frauolsooestove verdadelra-jauneacompanbou-oat o Assu', onde, demo-
moiilc franclacana, quero diier pobre, c a cus- I iandj-sc algum dias, foi acollada pelo cunlia-
la alhcia. Seria bom que cesiassem cisas riva-j do c o mano du Joo Carlos VVandcrley, Ma-
ndados cm julomuidadcs religiosas, c que lo- noel Luis Calda? c Manuel Luis \\anderlry : o
dos se rcuulsscm para com o iimor esplendor j Urilliaute, nao ha limito, que, rodeado de seu
feslejarcm os sanios de sua especial devocao ; sequilo, poli em cerco a casa do subdelegado
porque assim Icri irnos mal decencia, c lucilos j do l'alu' Jos Bernias de Moura, para o as-
inolivos de desgustos. sassiuar, deixando de o faicr por elle nao eslar
Tambem nao seria m a fusao das duas mu- em casa : uUrUhaiilc por umitas veses cml.os-
sicasi porquaulo assim pederamos ler uma con o juiz de dircita da counrea da Maionaa-
supporlavcl orchcsli, ao |>asso que agora, com de, Joiio Vnlciilim Dantas Piuag : o Brilhanlo
iueuiniiiodo de uossos ouvidos, temos dous bau- com o apoio da faceau, a que perience, e que
dos, que capricham cm oblcr o superlativo de uos catigmatlsa, ha pralicado naqutlla comar-
miio. ca mullas desordens ; no inlanto cale mesmo
Sei bem que motivos polticos tccni causado brilhantc he boje preso pelo Dr. Amaro, peiu
essa divisao musical; porin lamhein sci i|uc subdelegado do l'alu', c por mullas oulras pes-
isso he o sublime do ridiculo, como o he esla- 8oas, a ,|UCI1I Cuc protestara matar, e acpoi aa
rem uasmuslcas herrando individuos,quenuu- um f0(, activo, em que alguna dos nossos lo-
ca uubcram dcciliar urna notadessa lingoa- rain feridos, CDlreos quaesse conla o acui,auo
geni divina. supplcnte da Maioridadc, nao sollrc;oous a -
Kstou convencidissimo que se os aulores de Bullia n momento cm que dcpotai anuas,
quacsq-jcr das pecas, que cllcs estropean! com foip.cso c condundo a pnsao, com seturai ja,
lauta liubaridadc, assislisscm a cxccusso uc ,nas nao foi iusullado, nao foi injutiaao, u.i
suas obras as dcscouhcccriam, c ncgariaua pi- |'oi maltratado i .,._.
tciuidado, tao habilidusos sao cm barbansar as Sabemos que aquellas autonda os por an
cunucfo, que, qual rouco butio, iuconiinoda
horrorosamente o auditorio. Talvo o deleito
provenha da protuberancia do uarlt, que con-
vela apenar com um torniquete as occasmes
do cxccusso. 1
Temos sull'ridu bastantemente do calor, que
tem subido a um crescido grao; poreni, como ;
esperamos o invern cedo, brevemente uos ciic-
gara o liuitivo.
lamiente.
Do Constitucional ^orfI'*f*^-i____
PEBHAMBUCO
Tribunal do commercio.
lie ordem do tribuual do commercio da pro-
rnambuco, publ.c.-sc a relacao
' ApalUlerVil os ..;. -W" viuoia ^ Pernamb^co pun, c.. ,. -j.
menauengauam. wnmm alguma, tempesu- ^^^gSXTSSS. 7 do outubro
des uo recinlo provincial. que si lc"'"'''',",,;.,,, c novembro prximo
Se cu livor saude aoi.ipanliarci o nossos es- do corrculeauno, M zo uc notimu v
colliidosem suas disiusscs, e farol miabas la- passado.
dispensaveis observaecs.
Usauinos llcaram atudos com a eloicao, cujo
rcaultidu a ucubuin ssUafei plenamoote; e
sendo a asscmbla composia do sentlmontos He-
terogneos, ueccssai i mcnie produxlri acor-
bas discussoes. He vordade que a divcisid.ulc
das opiuies nao rcspcila a publica ; mas essa
mesma diversidudc c uppasi(ao individual pude
allecta-la; pois todos sabemos o alcalice que
pude tomar o jogo de laureasesoliocados pelas
opposieoes fcitas de parte a parle.
l'eluuieulo aadmiuistracao lem Uno, c podo
ot Icroiiyio Monleiro,
aecrclariu.
REUC;**)
N 81. Por despacho do tribuual de 27 de ou-
tubro, loiadinillido a matricula o Sr. J">e 8 d narros, edadao brasilciro, don;!'
ncsla praca, com casa de commercio de grosso
"n"! Por despacho do tribunal de 30 de
mismo me., foi KmltUds a -^alS
uclcza de Roslou llookcr St C, doinici-
esta praca, com casa do commercio do
social i
liado nes
Euiculiominliascspcrancas. uao digo bem
esperancas, porque nada mais espero do que
bem, porminha immodiala o imperial ro- SCic palmos
ucutralisar muio esse choque, mas altin uo | gr0>so trato.
Ihe he mistar, carece," N s5 1>or despacho do Irinunal de Z0 de no
vembro foi adu.illida a malr.cula a "''1"c"1
Incleii de Seasou C, domteUlado oaoldide
do Jlaraohao, com casa de coiniuercio do gios
liuo c hbil jogo que
taubcui de lelicidado, quando nao ncara cune
o jogo encontrado dos dous lados, que se iios-
lilisarciii, poilcao inortilicanlc c perigOSlSSIl
de trra, c um involiorio, porem
corronto anuo, e bem assim das do
provisjo de 26 de outubro do ,820 ; qu.ndo *% 3"^
os soldados particulares occupirem o posio olil'lsaul cstio (,uasi c,|ilibrados cm votos,
desargento, o rounirom alin disto lodos S( ||lc [iitt\t cslc ca|C|o adeos lutes.
os nil.os requesitos moucionados no role-, reinos tambem no selo dareprcscnlacao um .00. ,. ......------
ridoart. 6." do Citado regulamonto, llOS- hbil lioanceiro, por quem milito promcllcni jdala, tol admitlida a malrrai
mente 801 laes eircumstanciasqoe ellos po- seus admiradores, c cm quem tenho as mIras, lugllcia de Martiu k Irmaos
dor.1o Mrr,m>r,,i .pJ nnsto do como costumam dixer. ainda que tenho, com a cldaUc jo l, rao Para comeas,
N 80 Por despacho do l.ibuual da mesma
data, loi admiltido a matricula o sr. francisc
GaudeoolO da Cosa, cidadao portuguet, dom -
oliUdon. p.oviuca do Grao Para com cas.de
T 7Por despacho do tribuual da mesma
data, foi admitlida a matricula a Urina soca
ioglia de iiiaglanih C, domiciliada na cidade
d" Ma.aul.au com casa de commercio de grosso
'"'"a. Pur despacho do tribunal da mesma
- a Arma social
iada
orSo concorrer para o accesso ao posto do! como costumam dizer, anda que leu o, com
lferes, sendo admettidos aos exames exi- meu. boides. por dmU*r "n'r0 "Jg"
idos para esso fin.. Polo quo mando a auto- '.tu"' P*''- lcab0
gidos para esso inn. i'oloq..
ri lado, a quoin competo, o mais possoas,
quem o conhecimento desta portencer, s
cumpram o iuardein tSo intciramenlo co-
mo dovom e nolla se conlem.
Sua Magostado o Imperador o mandou pe-
los mombros do conselho supremo militai
sbsixo assignados. Feliciano Comes do
Freitas a fez nesta corte e cidado do Klo de
Janeiro, aos 20 dias do mez de outubro do
anno do nascimenlo do Nosso Senlidr Josus
Chrislo de is;>i.- l: u o conselheiro Manool
daFonseca Lima e Silva, secretario de guer-
ra a liz escrovor o subscrovi. JoSo Chri-
sostoajo Collado."l-',ancisco Jos de Souzi
Soares de Andra. Conform". -- No impo-
dimenlo do ullicial-maior, Feliciaui Gomes
de Froitas.
Candido Ltal Ferreira,
cido.
Talvcz Ihe pareca que sou umilo anticipado
ciucmillir nicu julzo a respeito da lutuia as-
scmbla provincial; porm lal nao pensara st
attender a que cu desejo, que estas nunlias
i-ellexes circulen! cm lempo de podeicm pro-
dulr algum saluiar ell'cllo, quero discr, de
cliamaieni os inrus patricios ciclos a rasao, c
de convncelos dos males que podem causar a
provincia, e i poltica, que cllcs susieulam, se
nao sacrificaren! rcsscut.ncntos pessoaes ao
tulercssc geral. ...
Gosto mullo pouco de entrar n.sso que cl.a-
mam poltica; porque alcni de me nao reco-
nhecer com geilo para ella, Idilio inulta prc-
vencio com os que a ella se entregan!, e nao
itucro causar a alguna o mesmo dissibor con-
tra ...im, que experimento a rcspcilo de oulros,
que dellalatcm seu quolidiano ; poitauo pas-
sarci adianlc. ,__
Corre que temos lido alguns casos de lebre
Ajudanle de ordens cncarregado do dctalhc. car'a"cicri'slada ainrella ] po'rcui inuilo benigoa.
^ilo sci se ser exacta a noticia, c nao quero
causar alarma falso ; porm Tico meio ases-
tado com isso, porque cm verdade sao bem
ruina hospedes, c nada ha de nanea cm seus
principies maucinhoi.
ICilainos com estes
INTERIOR.
CoHKCSPO.NDENCIA DO DIAIIIO DE PEIt-
NAUBUCa
Parahijba, 12 de dezembro de 1851.
Qussi nada tem occorrido depois da ultima
que Ihe dirig, que mereca uicnco. A trau-
qulllidade publica vai inallcravel com bastan-
te seiilimcDto dos amantes do progresso das
Idelas, que, segundo alguns, sil se adlanta re-
gado com sangue, como duiam da sua arvorc
da liberdade os amigos amantes da huinanida-
dc do lempo da santa deosa ras;'. > de eterna
lucmoiia nos aunacs das tolices galicanas.
Nada tambem consta contra a seguranca in-
dividual, entre nos seinprc ameacada pelos bi-
cos das innumeravcis facas, e boceas dos inex-
linguiveisbacamartes, que a cada canto en-
comia quem viaja extra muros cm nossa pro-
vincia.
DUcin-me, a proposito o dirci tambem, que
S. Exc. est disposlo a desarmar a populaco,
pondo em vigor a desusada le dos perfuraulcs
de saudosa recordacao ; portante crelo que se-
r o im Huir ramo de negocio por agora fa-
ca e bacamartes ; porque aquellos que II-
caretn privados desses instrumentos de primei-
ra necessidade mortal, terao de comprar oulros,
e assim augmentar a procura cm favor do pro-
co. Nao duvido que o Exm. presidente consi-
ga o dcsarmauento do povo com bastante tra-
badlo, duvido porm multo que teuha arma-
zem em que accommode as armas, que bouver
de colher.
O individuo morlo, como Ihe disse em mi-
nba ultima, no duelo bachanal foi um dos dis-
reccios, c entretanto o
ci de grosso c a retalho. ,,
Secreiaria I," de dcieinbio de I8J1.
Ksl conforme.
Maximiano Iraneiico uumti,
Q|li--ial maior Interino.
ELEgO piioywciAi..
CoUcqittii llaTmo.
91 oleitores.
,,ue se tem falto a bem da saude publica ? l.ui
,'uc se emprega a illuslrissuua municipalidade?
ni pouco mais de nada. Emprega-sc cm dis-
nor o terreno para no futuro exercicio haver di-
nheiro para pagamento das cusas largas de
certo processo, inclusive as da llanca ; em fa-
jer favores aos amigos do progresso, e pirracas
aos contrarios em.... em...., etc.
Nao cura da limpesa das ras, faiendo com
lodus nos o que certo amigo quia l.uer cmi-
co. uucrodUer, dclxando-nos aobre esterquili-
nios/e quanto iminundicic querem os mal ou-
vidoseacravos.ou os cscravos de mal ouvidos
sciiborcs, laucar nos lugares mili pblicos e
frcquenlados da cidade; deisando-nus comer
podre carne, que noi custa bom dinliciro, dcl-
xando-nos analmente entregues ao baransiuo
de inda duiia de especuladores cun os gene-
ros de primeira necessidade.
E nao val Unto a pena uesla provincia aquel-
las iislituicao posturantc? Pelo menos assun
o crcio, assim como ella.
Hasta por hoje. Saude, c venturas Ihe desejo,
assim como que sempre esteja d.staue de
quem nao sabe cumprir seus deveres.
ItlO GRANDE DO NORTE.
.'. prisco da noot criminosos na caminaren da
Haioridade.
No dia l do mez lindo, o juiz municipil do
O srs. .
Dr. Dellno Augusto C. da A.
Coronel Jos Pedro Vellozo da Silvoira
Antonio Marques de Amorim
UmheliiuCuodcs do Mello
Padre Joaquim Pinto do Campos
Dr. Antonio Baptisla Gitirana
Dr. Francisco Alvos da Silva
Padro l.uiz Carlos Coelno da Silva
llr. L. V. de A. Culanho
Dr. Domingos de S. LoSo
Dr. J. d'AquinoFonseca
Desombargador J. M. Kiguoira de Mello
UarSo de Capibaribe
los Ignacio Soares de Macado
Silvestre A. do Olivena Mello
r P. F. de Paula C. de Albuquorquo.
Coronol F. A. do Barros o Silva
Dr. Francisco Rodrigues Seto
A. V. da S. Barroca
- ,l,. i. tveirii
Dr'Fra'c'iscodeP.Baatista
nr. HemoterioJosoV.dafjii
Iveira
l,r JoSo Francisco de Arrud. Falcao
0?. Kraociico JoSo Carnoiro da Cuubs *2
VOXUa
SU
73
72
68
63
63
63
62
1
61
56
55
50
*9
48
48
48
48
47
47
47
46
46
45
+4
Thomaz d'Aquioo F. I.
Dr. JoSo Jos Ferreira de Aguisr
F. C. Possoa de Lacerda
Dr. J. P- M. Portella
Dr. Loureucp Bozerra Carnoiro da G.
Jos Pedro da Silva ....
Conselheiro A. P. Maciel Monleiro
Dr. V. A. do Oliveira Maciel
a
H
>i
o
'o
la
ds
3,-
termo
llioiua
Dr. '. A. UO uiiveu-u i..,. r_K. 3
ir. Manoel Joaquim Carne.ro dsi Cunh. 36
Dr Affonso Peros do A. MaranhSo ^5
VcneaVcoronel A. O.;^"' 3
Vicario Nemesio do 8. JoSo Cualborto
Padre Francisco Rochael P. de B.
Dr. ChiistovSo Xavier Lopes
Dr. Antonio Epaminondss do Mello
Mu^-'^,;"rn r. Jos Francisco do Paiva
[Dr. M.rcos G. da Camaia limarmdo
la Maioridadc, o Dr. Amaro Carnelro ;"' .m villl'l do G. TaVSreS
GavalciDli, reunido aosupplcute do i Dr. joaquim
H
3l
31
SO
30
28
^8
8
li-


. ...



^^^^t^?3 tq*f
-xi-Mim
A. de Siqueira C. de A.
Coronel Francisco Jaeintho Poreira
Augusto Frederico de liveira
Dr. Heoool deSouzi Garca
i ir. HiDoel Jos di Silva Nciva
Padre YieeoteFerreira deSiqoeira V.
Pedro Mtnoel da Silva
Antonio Joaqun) de Mello
Dr. Cosme de Si Pereira
Capitfio Manoel Antonio Martina P.
Dr. Jos lUymundo da C. Menozes
Dr. Victoriano de S Albuquorquo
Dr. Gaspar de M. V. de Drumonl
Dr. V. Justiniauo B. Cavalcanti
Dr. A. Justiniabo da Silva Guimarfios
Francisco Paes llarrcto
Dr. Pirete
J.V. da Silva Costa
Dr. A. F. P. de Carvalho
Dr. Rodrigo Castor do A. Maranho
Jos Joaquim do Reg Barros
Dr. Anelo lionriques da Silva
Dr. Ilerculano Concalves da Rocha
Vigario Venancio Honriquo de Rezondo
Dr. S. A. Mavignior
Dr. Joaquim Mauool Vioira de Mello
Dr. Bitaocourt
Dr. F. Q. da Silva Vieira
Teneiite-corooel R. Joto Barata do A.
Dr. Manoel Firmino de Mello
Vigario A. K. Concalves Cuimarles
Dr. LourenfO Avelina de A.
Escrivfio Francisco de Barros Corroa
Dr. Thom F. M. de Castro
Dr. Jos Cardozo de Quoiroz Fonscca
KscrivSo F. C. de Britto
Jos Maria Ramos GurjSo
C: V. de Almeida Jnior
Fraociso Raphsel de Mello Rogo
F>r i0 Rodrigue* do Passo Jnior
Dr. Jos Felippo de S. I.eflo
Dr. Jeron \ mu Villela de Castro 'lavaros
Commendador D. Malaquias de A. P. F.
Padre M. do S. Lopes Gama
Dr. Jos Francisco da Costa Gomes
Dr. JoSo Francisco da Silva Braga
Dr. I.J. de Suuzi Lefio
MajorJ. do C. A. Cavalcanti
/."foriiio V. daSilvoira
II. C. Torres Calinda
Dr. Cuilhcrraino C. M. Bacalho
I).-. C. Xavier Peroira do Brillo
Dr. Jos Mara Silazar da Voiga l'essoa
Dr. M. Atoh hijo da Silva Coala
Ignacio Francisco Xavier
M. do A. Machado
>r. JcaquimdeSouza Res
!>r. Caetauo Estelita Cavalcanti P.
Dr. Manoel Mendos da Cunda AzcvoJo
Francisco do Rogo Paes Brrelo
J.B. i 01 iv; i Ja Silva
Tcneiite-coronelfrancisco Lopes Lima
Josc Ignacio do AbreueLima
J. M. O. da Cunha
Bardo ,ia Boa-Vista
Dr. Cypriano Fenellon C. A.
Candido Lasdilo
Ignacio Ferreira Xavier
Coronel F. A. C. Camboim
Viscondo de Goianna
A. JoaquimM. eS
MartiuhoM. Albuquerque
F. da Silveira Cavalcauli
Dr. Francisco Garlos Brandfio
Dr. M. F. do Paula C.
llardo delpojuca
Dr. J. M. de Albuquoiquu
Dr. J EduarJo Pina
Francisco Xavier Lima
JA. Lopes
Dr. Flix Thcolunio da Silva Gusniao
Lopes Lima
iiarfio de Susisuns
Leonardo Bezerra
Jos Fidelix da Silva KoJriguos
Padre Jofio C|irisla.o da M n J<
M. Rodrigues Pinilciro
DesembargaJorTellos
Appoiinano Florentino
Vigario J. T. de Mello
Coronel Jos Amonio Pessoa de Mello
Dr. A. V. do Nascimento Feiloza
M. Antonio Marlins Peroirn
Juse Pires Ferreira
M. da C. Azevedo
Mauocl Carneiro doSouza Lacutua
II, Antonio Pereira de Brillo
ilouc,a
J8
J.8
26
25
it
14
M
M

03
n
23
H
i
22
sa
31
21
ai
80
20
JO
20
20
19
11
11
19
t!
17
u
16
ta
10
18
13
1
11
a
H
14
14
ia
is
13
l:i
ia
12
ia
10
9
y
3
8
6
e
6
s
5
4
4
4
4
4
4
4
4
4
3
3
3 I
3
3
3
3
3
3
3
2
2
2
2
2
2
2
2
3i de inaio deile anno, e preso outravez ti
Junbo.
Ju : Em que lugar guardava o leu patrio
os ubjectoa de valor ?
Rao : Nio ael.
ni
elle fosse
Reo : Nao, aenbor.
Jui't: Que motivo leve o aeu patrio para di-
zer que foi voss quem o roubou ?
Reo : Elle mandn-me comprar urna quar-
ta de feijo e eu chamel um preto para carre-
gar, elle eolio dlsse-me que eu poda trazer, eu
1 na,) deapedi-me por isso c por mals mitra
couaa que tenho vergoaha de dizer.
Juii: Sabe escrever ?
Rao : Slm, senliur.
Lidaa aa pecas do processo c lindas as allc-
gaedes pro e contra,
O Sr. Presidente faz o relatorio da causa c
eotrega ao couselho 01 quesllos aos quaes ea-
Ic respoude negativamente, por uoanimidade
de votos, a vista do que he absolvldo o reo.
BALANfO DA RECEITA E DESPEZA DOS
ESTABELECIMENTOSDE CARIDADE, VE-
RIFICADO DO 1.' A 30 DE NOVEMBRO DE
1851.
Riceila.
Por sado em caia a aaber:
Em letras 2:074/945
Em moeda 4:031/850
------------(3:1011/795
Reccbido da pagadoria militar, im-
portancia dos remedios fornecldos
ao hospital regimental do primeiro
de julhoa 30 de setembro ultimo
Do procurador da administrado por
conta do rendlmento doa predios
Do solicitador, dem
afim desprender 0 autor do um semelhan-
te a lienta do.
IDEH DO DA 18.
Foram preses: ordem do subdelegado
iz; Nunca oovlo dlser poralguemque ''.* frguezia de San-Jos, n crioulo Fran-
[bsse roubado ? c'co, oscravo do vigario l.ourenco Correa
de Sa, lom I declara(So do motivo, J0B0
Coelho da Silva o Manoel Ignacio da Coo-
ceic.So, por ebrios o desordeiros; e a do
subdelegado da freguezia da Boa-Vista, o
portuguez Joaquim Jos Correa, tambem
por embriaguez.
DEM DO DA 13.
Foram presos : a ordem do delegado do
primeiro distticto deste termo, Luiz do
Franca, para recruta do exercito; ordem
do subdelegado da freguezia de Sao Fre
Pedro Concalves do Recife, Joaquim Perei-
ra da Silva, para o mesmo im ; i ordem
do subdelegado do Santo Antonio, o preto
Raimundo, escravo de Luiz Antonio da Cu-
nha, requisito do seu aenhor, e Manoel
Jos dos Santos, por estar na ponto da Boa-
Vista proferindo palavras obsenas ; e 4 do
subdelegado da freguezia de San Jos, os
escravos Jos e Alexandre, por crime de
furto, e Luiza, oacrava de Antonio Pinto,
por insultos.
DEM DO DA IS.
Foram presos: i ordem do dolegado do
primeiro dislricto deste termo, o preto
Adfio, escravo, por andar fgido ; ordem
do subdolegado da freguezia de San Frci
Pedro Concalves do Recife, o pardo Manoel,
escravo do D. Josefa Mara de Jesui Couti-
nho, sem declaradlo do motivo; e do
subdelegado da freguezia do San Jos, An-
tonio Joaquim do Sena, por desorden), o
Leopoldo Francisco da Silva, sem declara-
Cita do motivo.
2
=BB
3:028/519
1:500*000
200/uO0
10:833,315
Despeza.
Pag" 3 '.i? amas que comparecern!
ao pagamento, suas inensaltdadcs
ale 3') de setembro ultimo
A regente da casa dos czposlos, des-
pezas de outubro
Ao regente do grande hospital idein
Ao mesmo despc/.a da botica
Aos cnfcrmciios c serventes do mes-
mo hospital 6i 11. jomaos do mez
de outubro
A Jos Luiz lauocenclo Pogc Jnior,
importancia do jornal do servente
da botica cin dito mea
Ao procurador da administrar;ao, im-
portancia dos reparos dos predios
A Theophilo Jos Ferreira de Saiu-
paio, por bizas que forncecu no
hospital regiincDtal
A A. T. de S. Cardozo por feillo de
178 lencoes
A Antonio Ferreira Lima, por gene-
ros que forncecu aos cstbelcci-
mentos de cartdade de julhoa se-
tembro 452/200
Abatimcnto 12/200
Ao solicitador para despezas judi-
ciaea
A Manoel Figueiroa de Faria por di-
versas mpressdes
A Theophilo Jos Ferreira de Sam-
Ealo, por bizas que forncecu ao
oapital rcgiiucutal
A diversos por despezas fcitas coni a
obra do hospital Pedro II
Por saldo cm caixa a saber :
1:028/881
2S0/760
6801180
57/570
40/900
12/OOn
Em letras
Em moeda
::074/M5
4;50a/32S
440/000
00/048
40/000
71/080
1:1^5/800
6:580/470
10:833,315
DIARIO E PERNAMBUCO.
RECIFE, 16 DE DEZEMBRO DE 1851.
guindo o carainho, 0/10 elle llio tracar, co
momais bam informado das necessida des
do suas diversas localidades.
Quaatoa Parahibe referimo-nos carta
de nosao correspondente, jud ciosoque co-
piamos em otitro luger.
Correspondencia.
VOTO DE GRATIDAO.
Sr. redactor.Sempre que qualquer de
scus assignanles buscar as columnas de seu
concoiluado jornal, para nellas tragar qual-
quer voto de gralidSo.a esta ou aquella pes-
soa, que por suas excellentes qnalidados,
onidas a urna ptima educactlo, e as deliei-
das manelras no seu Halar com urbanidade,
quer em sua casa particular, e quer as re-
partieres publicas, deve Vine, encherse de
prazor, mormente quanJo a fonte donde
nasce semelhante voto fr limpa e aurda ao
mais leve sibillo de lisonja e adulacSo. Ve-
nho pois tratar do lllm. Sr. Joaquim Maria
de Carvalho, digno tbesoureiro ua reparti-
dlo do sello (ou rendas geraes). O Sr. Car-
valho lem merecido de pessoas que tem a
faculdade de com elle tratar, toda afTeicao e
amizade, porque estando o Sr. Carvalho em
urna roparticlo, de cuja he lliesoureiro.on-
de jase pode imposturar, o nSo faz, a todos
trata com aflabilidade, mostrando sempre a
lodos feifOes risonhas, como que se estives-
se no melhor diveitimenlo. O Sr. Carvalho,
nSo querendo seguir o exeraplo de carran-
cudo, como alguns deseus collegas, (deou-
tras repartieses) tem giangeado a estima
que he propria do empregado publico, que
em sua fronte so v o sello da honra. Queira
pois o Sr. Carvalho, aceitar este voto de gra-
tidSo, emsignal de grande reconhecimen-
to, e o mesmo voto se digne transmittir ao
IIIii Sr. Amaral, (administrador interino^
ea mais outros distinctos empregados que
delle se lizer merecedor.
Recife, 16 de dezembro.de 1851.
Poruin ollicial do exercilo.
taa : para o Rio de Janeiro alferea Jos
Pedro Gonzaga, OscsorivSes Joaquim Jos
da Rocba algnaoio Augusto Vieira de Sou-
za, aex-prasai, t cadete o 7 soldados, 9
recrutas para o exeroito, 1 para a mari-
11 lis e 6 osoravos a entregar.
Navio saMdo no m timo Ha.
Philadelphia brigue escuna americano
Gooeral Wortb, capitfio James RacklilT.
carga assucar
EDltAL.'
FublicaQo a pedido.
Administracaogeral dos estabclccimcntos de
caridade, 0 de dczcuibro de 1854.
Antonio Joic Uomu do Comi.
eacrivao.
Jos Piret Ferreira,
tbesoureiro.
Observaron.
Alm dadespez constante deste bataneo tcm-
se despendido por adiamntenlo aos diversos
regentes, aos empregados por conta de seus
ordenados c com a ubra do hospital Pedro II a
luuma ,1, :i: ',.',01 '< ra. pelo <{ue he o saldo ex-
isteute cm 0 do passado da quantia de ris
3:230/100, sendo I:i5/I55 r. cm moeda c rdis
2./4/S45 cm letras.
MAPPA DI) M 1VIMENTO DOS ESTABELECI-
MEfiTOS DE CARIDADE NO MEZ DE NO-
VEMBRO DE 1851.
Grande hospital.
JURY DO RECIFE.
.' SESSAO ORDINARIA, BU II DE DE
ZC.MBRO DE 1851.
Presidencia do Sr. Dr. Nciva.
Promotor, o Sr. Dr. Abilio Jos Tavares da
Silva.
Advo-jado, o Sr. Dr. Francisco Carlos P raudao.
A' onze horas, feita a chamada acham-se
presentes 38 Srs. jurados.
O Sr. Presidente abre a sesjao.
Sorteado o conseibo que lem dcjulgar ao
reo Maoocl Antouio Arantes, c prestando o
juramento do eslvlo,
O Sr. Presidente faz ao reo o seguinte
INTERROGATORIO.
Juiz : Como se chama ?
Rea : Manoel Antonio de Arantes.
Juii: Porque ae acha processado
Reo ; Porque meu patrio diz que ea o
-lOlllOI.
Juiz : Como ae chama o seu patrio ?
Reo : Sebaslio Luiz Ferreira.
Juiz ; -- Que oceupacao tem o seu patrio i"
Reo : Tem venda.
Juiz : -- Em que ra ?
leo : Na ra de Dorias,
Juiz: Ncasa venda, hay 111 e o noli ir ora cai-
JCiro f
fe" : Sim, senhor.
Juiz: Frs ssjeutc z iCM^r ocaisc'i" *---
> venda, ou tinha outro ?
Reo : Era eu c elle a em casa.
haz : i.'u nulo foi elle roubado ?
Reo : Diz elle, que foi no dia 27 de maio.
Jui: : Sabe te elle foi roubado ?
Reo : Sel por elle dlser.
Juiz: Que objectos Ihc foram roubado) ?
Rro : Eu nio sci, elle he quem sabe.)
Jiitz : -Elle nao Ihc disse. nem o aenhor ou-
yio dizer que ol>|ectoa Ihc tinham sido rou-
bados ?
Reo : -- NSo, senhor.
Juiz : O roubo foi fcito de dia ou de nolte ?
Ro : Aa 5 horas da mauhia me levantei
para abrir a porta c aehcia abena, c no mea-
11,0 1 os 111,1c appareceu elle dizendo que me
navla de arranjar bem arraujadinho, que nao
me pagavameus ordenados porque eu o tinha
roubado.
Juli: O seu patrio nao dormlo cisa noite
cm cisa ?
Reo -- Onriitin. im seahor,
Jm'z : ~ Mas onde durmi ?
neo : Eu nao sel, cu eslava dormindo, nio
o vi sabir nem entrar.
Juiz : Era nesaa mesina venda que elle
dorma? *
#> : Era, sim aenhor.
Juli: Uando elle chegou acharam-sc al-
gumas gavetas arrumbadas ?
Reo : NSo vi nada, nao aenhor
Juiz:-- fj1 seu patrio tinha ncaaa venda al-
guma carteira.'
Reo : Ttnba, sim aenbor.
Jfz: guando aeu patrio se recolhcu acbou
csaa carteira aberta r
Reo : Achou, sim senhor.
Juiz : Que objectos tinha o seu patrio nes-
1 oirleira 7
Reo : Nao aei, nao aenbor.
Juiz: Easa carteira tinha chave ?
Reo : Tinha, sim sjnhor.
Ji: Coslumara estar abertal ou fechada
Reo : -.Fechada.
Jm'z : Quem guardara a chave ?
Reo bra elle.
luiz: A gaveta do balero tinha tzmbcm
chave ?
Rio : Nao, senhor.
luiz; Foi feita algunia velloria nessa car-
teira ?
Reo : Nao vi, nao senhor.
Juiz : -- 11 .Miando foi preao ?
DOENTES.
Existiam
Eiilraiain
Saliiam.
Morrcrain
Exislcm.
Curados. .....
Melhorados. .
Nio curados.. .
as 24 h. d'enlrada
Dcpoisdcssa poca
I i
13
11
1
0
3
6
N
Entrn hoje dos partos Jo norte o vapor S.
Salvador, trasendo-nos gazetat do Para com
datas at 2 do correte, do Maranhao at 7, do
Ceara at 10, da Parahiba at 6, e do Rio tiran-
de do Norte at 14.
No Para encerrou a aascmbla legislativa
os seus trabalhos, depos de tres prorogaedes,
com as quaes complctou tres mezes de aessio.
Entre os actos que consnmmou, nm houve,
que por sua importancia merece aqu especial
mencio, e foi a reaolucao unnimemente to-
mada de representar aos poderes da nacao so-
bre a necessidade da promulgacSo de urna Ici,
que faca privativo doa cidadaoa brasileiros o
couimercio retalho, sendo a medida provoca-
da por urna indicacao apresentada pelo depu-
lado Antonio Ricardo de Carvalho Peona, a
qual, depois de anbmcttida ao parecer de urna
commissioespecialmente nomeada, eqnc com
ella inteiramente ae conformou. foi adoptada
por toda a cmara, assim como o foram logo aa
represeutacoes, que nao de aer dirigidas para o
lim Indicado, a S. M.o Imperador, a asseinhla
geral, e que na mesma occasao foram aprc-
sentadaa pela referida commissio.
Tinba chegado a Belem o Dr. Jos Pires
de Carvalho Albuquerque, commissionado
pelo governo imperial para inspeccionar a
alfandega d'aquella provincia.
OP/nne/a, em seu n. de 27 do passado
queixa-se do que a febre amarella que pa-
reca ter desaparecido d'alli, e que so acom-
mettia a um ou outro hospede, o mesmo as-
sim benignamente, linha ltimamente mu-
dado de carcter e intenco, e principiava
aaltacar comalguma intensidade aquellos
que de! I a se julgavSo izentos, tendo j ap-
parecido alguns casos de vmitos negros-
Le-se no 7>z de Slaio de 22 do passado :
Macrobio, Em um dos dias da se-
mana passada sepultou-se no cemiterio da
Solidado tima muala, de nome Joaquina,
contando 107 annos de idade. Foi escrava
dos marquezes de Tavora em Portugal ; ero
1760, depois da exterminaca'o daquelles fi-
dalgos, foi vendida nesta capital a um tal
Faustino, negociante, enUJo almoxarife da I Na scena brasileira has conseguido
Hienda real; mullos annos depois, tendo Formse Manosu. tama gloria,
A arlisia dramtica D. Uanoela Callana
Lucei, por occasiio de teu beneficio na noite
de 15 do cor rente.
Jtlotle.
Sobre o palco, Mi.ioeli.
Nao tena nem urna rival.
Glosa.
Tu l a luiente estrella
Que fulgura em nosaa acea,
Iinmortal gloria te acea
Sobre e palco, Manocla.
Artista sublime e bella
O teu genio divinal
Deu-tea c'roa triumphal
Que le aeclama aoberaoa,
Sobre a scena aonde ufana
Nio tens nem urna rival.
%lo mesmo asnumpto.
Eiulta formosa estrella
Suc scintillano Brasil :
u ganhas-te applauaoa mil
Sobre o palco, M.noel*.
Que maior dita que aquella
Que te torna sem igual,
Que te d gloria i minora I
Sobre a acea onde tu brilhas*
Nessa senda porque trilhas
Nao teus nem uiua rival.
- O lllm. Sr. inspector da thesourarla da
fazonda provineial, em oumprimento da or-
dem do E-xm. Sr. presidente da provincia
do 4 do corrente, manda fazor publico, que
nos dias 16,17 e 18 do mesmo, ir a praca
para ser arrematado peraote o tribunal ad-
ministrativo da mesma ihesouraria, quem
por menos lizer a pintura das varandaa da
ponte da Boa-Vista, a valiada em 337,700 rs.
Arrematado sera feita na forma dos arta.
24 e 27 da le n, 28S de 17 de maio do cor-
rete anno.
As pessoas que se propozerem a esta ar-
romatacSo, comparefam na sala das sessoos
do mesmo tribunal, nos dias cima men-
cionados pelo moio-dia, competentemente
habilitadas.
E para constar so msndou afilar o pre-
zente e publicar pelo Diario.
Secretaria da Ihezonrasia da fazenda pro-
vincial dePernambuco, C de dezembro do
1861. O secretario
Antonio Ferreira d'Annuuciaco.
Clauzulas especiaes de arrematado
1.a A pintura da ponte da Boa-Vista, aer
feita de conformidado com o orc/niento
aprezentado nesta data a approva{fio do
Exm. presidenta da provincia, na importan-
cia de 337,700 rs.
2.a s ra principiada osla obra no praso
de 15 dias, e concluida no de '60 dias, con-
tando-se na forma dos arts. 31 e 32 da lei
provincial n. 286.
3.a A importancia desta obra ser paga
em urna so preslac3o quando o arrematan-
te livor concluida toda a pintura.
4.a Para tudo o mais que 0S0 estiver es-
pecQcado as prezentes clauzulas seguir-
sc-hAoque determina a lei provincial n.
286 de 17 de maio de 1851.
Conforme.
O secretario.
Antouio Ferreira J' Aunuiiciaco.
Declaragoes.
(.raga de DcrJs.
O Sr, lUymundo tambem por obzequio
cantar urna aria cmica composicSo do Sr
Deis, e muzico do Sr. Theodoro Orales inti
tulada:
OMALUCO EM GRANDE GALLA
Terminar* o expectaculo com a comru-
dia original bratileira, do Sr. F. C. Con-
ceicfio.
A febre amarella no Rio de Ja-
neiro.
Personagens e actores.
Pedro de Rales.S. F. Meira.
Thomaz creado da Hospedarla.L. A. Mou-
tetro.
Jonhlnglez da California.Uiymundo
Um pedestre. A. J. Alves.
Um preto.1.1. Pereira.
Carlota, donada hospedara.D. Hila.
Engracia,sua prima.D. Julia.
Um entrenador tlt: jorni.cs.
A acefio pasia-se no Rio, no anno do 1850
Os bllhetes de camarotes, o platea podeni
sor procurados no tteatro todos os das das
10 horas as 2 da tarde.
Principiar as 8 horas.
26.a RECITA DA ASSICNATURA,
Ultima neste corrente anno.
Tendo o administrador empresario do
feixar o thoatro em consequencia de so a-
charem muitos dos sonborrs assignanles, c
a maior parte do publico, for da cidade
tem determinado dar um ultimo e variado
espectculo de encerramento no dia
Sabbaio 20 de dezembro de 1851.
Dopois de urna das melbores ouverluras,
subir a scena o ioteressante drama turco,
em 2 actos.
Zulmira.
ou
O modelo de Constancia.
Personagens.
Ilerzaido, sullSo.Germano.
Zulmira.D. Manoela.
Tirmene, sau amante.Silvestre.
Osman velho confidente do sulto. Rois
Zelim escravo preto.Haymundo.
Muley.Coimbra.
Mufl.Poreira.
Escravos, soldados ele.
No lim do drama as Senhoras Lauda e Car-
mela, cantarSooexcellentee muitoantdau.
dido duelo da Opera '
Norma.
Dopois do quilrepresentar-se-hao 1,'acln
do drama
As malas que deve conduzir o vapor S.
Salvador para os portos do sul, principiam-
se a fechar hoje (17) a urna hora da tarde, e
dopois dessa hora al o momento de fechar
recebe-se correspondencias cora o porte
duplo.
O nono li ilallio de infantaria ne-
cessita contraclaro fornecimento de todos
os gneros do que se deve compr o rancho
de suas pracas no simestre a de correr de
Janeiro ajunho do auno entrante: quem,
quizer laes gneros fornecer, poder-se-ha1 a j.",n l 8 ,obo clnUo
apresentar no da 23 do corrente na respec-'
Uva secretaria as 10 horas da nianlia, tra-
D. Cezar de Bazan.
ornado de muzica.
Em seguida a Sr1 Landa, execular a lida
cavatina da opera
Ernapi.
A companhia nacional representar, de-
pois, o 3. acto do drama.
A (iraca de Dos.
Nao le importen), 4 Lucct, os dclratores
Suc procuran! manchar a gloria tua,
0111 um aorrlao nos labios zoinba ufana,
De seus latidos vaos, da ralva sua.
Hospital dos lazaros.
DOENTES.
t 4
a
o 0
S a
0 3
EEj 5!
Existiera
Entraram
Saln,1111
Morrcrain .
lAislom .
Curarlos. .
Mellionidos .
NSo curados.
Gasa dos expostos.
18 h;
0 0
0 0
0 0
0 0
0 0
181 Ib
EXPOSTOS.
Sexos.
Kxisliam............
Entraram...........
Sahiram.............
MorittJ |Nas:H li. d'enlrada
(Depois d'csta poca
l-Al-l, III............
129
3
0
0
1
131
u.
1)7
0
O
0
9
|5S
28G
3
0
0
3
286
Administraran e.i ral dos estabelccitncntos de
caridade, 0 de dcicmbio de 1851.
O escrivao,
Antonio Jos domes do Correio.
Repartic/o da Polica.
PARTS DO Di 11 DE DEZEMRBO.
Foram presos : ordem do delegado do
primeiro dislricto deste tormo, Manoel Tilo-
ma/, de Souza, para recruta; e do subde-
legado da freguezia da Boa-Vista, Antonio
Pereira da Rocha, por eb
j falecido este seu senhor, foi de novo ven-
dida em praca, e comprada pelo negociante
Antonio Bernardo Cardozo, a cuja viuva es-
lava pertencendo, quando morreo. An-
da ha poucos annos gosava do perfeito uso
das suas faculdades intellactuaes.
No MaranhSo inslallaram-se, por oc-
casSo do anniversario natalicio de S. M. o
Imperador, duas sociodados urna promotora
d* agricultura c Industria rural, na casa da
rezidencia do Exm. presidente da provin-
cia, sendo a reuniSo de trinta e tantas pes-
soas, as quaes. depois doouvirem um dis-
curso proferido por S. Exc. anlogo ao as-
sumpto, approvaram a proposta por elle
feita do urna commissaode sete membrus,
encarregada de redigir os competentes es-
tatutos : outra de bailes, que so installou
na casa do urna exmela Recreativa, que
funcionou om a noite do mencionado dia.
Fallecen em S, Luiz no dia 30 do passado
odoputadogeralDr. Gregorio de Tavares
0/0110 Maciel da Costa.
- No Ceara tambem conclus os sous tra-
balhos a respectiva assembla legislativa
no dia 3 do crreme, depois de urna pro-
roga{3o de trez dias, motivada pela appro-
vagSoda redacto da lei do orcamento, e
por ter o Exm. presidente da provincia vol-
tado mesma assembla em o dia 30 do pas-
sado, em que devia encerrar-so a sessSo, o
projecto do lei da fjrr,a policial, que deixou
desanooion.ir, mas que dopois foi adoptado
pela assembla no sentido das razoes da pre-
zidencia.
L-se no tcarense de 2 do corrento :
Aracaty.Escreve-nos o Sr. Dr. Carreira
em data de 24 do passado, quo a febre se
acha li quasi extincta, limitando-so anda
sua aceito ao quarteirSo da pobresa. No dia
24 fez-se urna festa religiosa com pompa em
necio de grafas ao Allissimo pela cesso do
mal. Todava al 23 haviam morridono
mez passado anda 6 pessoas do febre.
Russas.Refere-nos o mesmo Dr. que a
lebre yai grasando terrivelmente naquelle
municipio, em cuja villa no dia 20 caliiram
30 pessoas de febre, ejse contara 10 mor-
ios. O Dr. Carreira (cara de saida para all
at 28 do passado, nao tendo j partido por
torea linio doonte.
No Rio Grande do Norte os assassina-
tos tinham diminuido, e mesmo os acona
tecidos eram por motivos particulares,
e em lugares pouco pnvoados, nSo podendo
alguns dos perpetradores serom perseguidos
por falta de forca militar de primeira liaba,
0 Eim. Sr. Cunha, presidente daquella pro-
vincia conlinuava a dar as mais enrgicas
providencias para que o imperio da le se
rostabelecesse. O reverendo capuxinho
Que o teu nome ser com grande fama
Ao templo transmitido da memoria.
Soberana da scena j nao s,
E's Lucci gentil, potente nume
Do povo 1'i.ns niuLi 1 -. .1 que ha sabido
Castigar o infame vil elume.
A. D. Gilirana Cosa.
, por ebrio.
Pelas oito e mcia horas do dia, na estrada' FiySebastio da Virgen) prosseguia no ex-
.TTfv-AV.all\j ?_!_______- 1 I I4IA4A zl niiaa Qanlaj ^ I n n f\ m l- 1__1 _____
COjjWEBClO.
ALFANDEGA.
Rendimento do dia 16. 18 781974
Descarregam Itojc 17 dedczimbro.
Barca portugueza --" Boa Viagem o resto.
Brigue portuguez -Nono Vencedor merca-
dorias.
Brguo americano Brand Yine farinha
de trigo.
Patacho ioglez Navegador- batatis.
Iiuportaco.
Patacho toscano Roraulo, vindo de Bue-
nos-Ayres, consignado a Manoel Alves Guer-
ra Jnior, manifostou o seguinte:
2,100 quintaos (peso hcspanhol) carne
secca; a ordem.
Vapor brasileiro S. Salvador, vindo dos
porios do norte, consgoodo a agencia, ma-
nifestou o seguinte :
60 rolos salsa; a Manoel Duarte Rodri-
gues.
42 ditos dita ; a J. C. P. Prazercs.
6 ditos dita ; a Domingos Ferreira Maya
12 ca i xas tecidos ; a R. Royle Comea-
nina.
1 encapado encommendas: a Francisco
Josc da Silva.
I dito e 1 caixa ditas; a Antouio Joiqu m
de Vasconccllos.
1 encapado; a Dubarry.
2 ditose 2 saceos arroz; a ordem. "
I embrulho oncommendas ; ao Dr. Flip-
pe Jansan C. de Albuquerque.
Icalxolo ditas, 1 sacca caf; a Crocco &
Companhia.
1 caixote encommendas ; a Jos da Rocha
Moreira.
CONSULADO GERAL.
Rendimento do dia 1 a 15 17:100,959
dem do dia 16........2:506,282
19:607,241
zendo suas proposUs em caria fechada e es-
pecificando logo o ultimo proco. Os gene-
ros sSopSos de 6 por cento, caf, assucar
branco, manteiga, carns verde e secca, ba-
calho, feijSo, farinha, toucinho, sal, lonha,
azeile doce, vinagre o arroz. Previne-se
dosdejquo todos estes gneros serSo de
excellonte qualidade, e que passarSo por
um escrupuloso exame ao seren recolhidos
aoquartel, para onde irSo de 8 em 8 dias
em face do calculo ou vallo que sb Ihes apre-
sentar, enjeitando-se aquellos quo nao sa-
tisfizerera as condiees do contracto, que
ser formal. Os carretas serSo pagos ex-
pensas dos forncccJores.'
Pela recebedoria do rendas internas
geraes, se faz publico que he este o mez
cm que hedovdo o pagamento a bocea do
cofre dos seguintes impostas do corrente
anno fiianceiro de 1851 a 1852, lindo o
qual ser acobranca promovida pelos co-
bradores com o augmento do 3 por cento.
Decima addlcional de mSo mora (pnmoro
semertro) imposto sobre tojas e casas de
descont etc.dito sobre as casas do movis,
roupas etc., fabricados em paiz estrangoiro,
dito sobre seges, dito sobre barcos do inte-
rior, tachas dos escravos.
REAL COMPANHIA DE PAQUETES INGLEZES
A VAPOR.
No da 22 desle mez espera-
so o vapor Tai, commandanle
Dote da Saloia.
Logo quo termine, a Sr.' Landa exocular
urnas lindas variacOes, em seguida a Sr'
Carmela cantar a cavatina da opera
Columela.
Terminar o espectculo com a graciosa
comedia em msica em 1 acto
O Jieijo
O administrador emprezariojulga ter or-
ganizado um espectculo que muilo agrada,
tanto pela variedade. como pela sua acerta-
da eseolha. 0 publico, a quem o adminis-
trador emprezario se confeasa asaiz reco-
nhecido pela constarle proteceflo que Ido ha
prodigalizado, nSo deixara por certa de con-
correr mns esta vez ao theatro de Santa Iza-
bel, tanto mais que nesla noite termina as
fadigas tbealraes do anno de 1851.
_ .... Comecar s 8horas.
ua bilhctcs acham-se renda no luear do
costume. *
PuMicaSo luterana.
_ Historia universal resumida.
Para uso das escolas dos Estados-Unidos da
America do Norte, por Pedro Porley, tradu-
zida para uso das escolas do imperio do Bra-
sil pelo desembargador conselheiro Jos R-
beiro. Este excedente resumo acba-se nos
prelosda capita
do imperio, e brevementu
satura a luz : subscreve-se nesta cidade do
_ Recire na livraria n. 6 e 8 da praca da Inde-
Cbapman dos portos do sul, e Pendencia a 5,000 rs. porcada oxemplarcn-
dopoisda demora do costumo' c*dernada.
seguir para Europa : para passageiros diri-
ja-se om casa da agencia o. 42, no trapiche
novo.
Consulado do Portugal em Pemambuco.
Para conhecimento da navegacSo e com-
mercio se faz publico que tenJo cessado os
motivos que deram lugar publcalo do
Edital do conselho de saude publica do Rei-
no de Portugal, do 5 de setembro ultimo,
transcriptos nos Diarios de Pernambuco de
4 6 e 7 do Outubro passado, pelo quo nSo
era permitlida a admissSo nos portos do
Reino dos navios procedentes do Brazil sem
que primeiro verilicasso a seu estado sanita-
ELEMF.NTOS
DE
Homotopathia.
Sabio a luz a segunda parte desta obra
composta pelo prol'essor homceopatha Cos-
set'Bimont. Rccebem-so assignaturas para
a obra inteira a 5,000 rs., no consultorio
homceopathicoda ra das Cruzes n. 28. De-
pois da publicacSo da terceira parte, o pre-
co ser elevado a 8,000 rs. para aquellos
que nao tiverem asignado. No mesmo con-
sultorio, acha-sea venda tudo quanto he
necessario para o estudoea pratica da bo-
mecopathia, como seja : livros impressos
DIVERSAS PROVINCIAS
Rendimenlodo da 1 a 15. .1:449,522
dem do dia 16....... 69,552
---------1
1:519,074
rionaestacaodesaudeem Belem.foi o mes-, para historias de doenles, regimens apro
mo edital derrogado, continuando em vi-; prlados para a provincia do Pornambuco, o
goras medidas anteriores. Consulado del encarrega-se de mandar fornecer qualquer
porlugal em Pernambuco aos 12 dezembro,' encommenda de medicamentos homcoopa-
de 1851.Joaquim BaptistaMoreira, cnsul.1 tilicos, tanto avulsos como em caixss, em
' glbulos como em tinturas.
No prelo : tathogenesia dos medicamen-
tos brasileiros.
Elementos de anatoma e phlsiologia com es-
tampas, paraos curiosos em bomosopatbia.
Roga-se aos senbores assignanles o ob-
sequio de mandar recebor seus exempla-
res no consultorio boincoopathico da ra
das Cruzes n. 28.
TRATAMENTO HOMEO-
PATHICO.
DAS MOLESTIAS VENREAS,
THEATRO DE SIZABEL.
RECITA EXTRAORDIHAIRA LIVRE DA AS-
SIGNATURA.
Quarla feita, 17 de dezembro de 1851.
Depois de urna escolhida sympbonia subi-
r a scena pela 1.a vez nesta cidade o quadro
histrico em 1 acto, ornado de muzica :
A apparicao de Christo.
EM
Campo d'Urique.
Composicao do poeta portuguez Augusto e c?nselllos os doentes para se curarem a
nilioZaluar. si mesmo, sem precisarem.de medico;
pelo proessor homceopatha
Gossel-Bimont.
Emilio
Personagens e Adores.
Rci do Portugal.
doRozaroho, foi assassinado com urna pu- '''"' '''' SII1S Santas missilcs, ohtondo se 111- Rendimento do dia 16 .
nhalada o portuguez Domingos Marquos da ( Pre u1'19 feliz resultado. Depois de ha-
KECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS CE-
RAES DE PERNAMBUCO.
396,584
Mo vimento do porto.
Silva, e pelo que se suppOe deve se cror quo ver pregado a palavra evanglica na cap- Rendimento do dia 15.
o autor dosse assassinato fra um pardo com, lt]i cgundo j noticiamos, passou o zelos o' dem do dia 16.
quemo dito portuguez tinha brigado, eque incansavol ministro do senhor cidade de
ohaviaameacaJo. Dado este acontecimonto S. Jos de Mipibu', onde missionou por 13
compareceo aolugardodelitoocommandan-' dias. ed'abi para a freguesia de Villa Flor,
tedocorpodepolicia,elogodepoisosubdelo- "ae permaneceu por 15. Era arabas estas
gado da freguezia da Roa-Vista, que empre- freguezia foram importantissimos os effei-
gando todas as diligencias para conseguirem' lo* produzdos pela predica do virtuoso
a prisSo do assassino prenderam a Flix Jos missionario, oasociedado assim como a re-
da Rocha, visto se parecer muito com o ligiSoviram com jubilo um grande nume-
indigitado, etrajar da mesma forma; mas rodereconciliar0es, muitos casamento do
rsto individuo foi sollo logo que soroco- concubinados e Analmente o fervore de-
nhecco n3o sor o proprio, segundo acaba vocSo, com quo os habitante de ambas el-.
de communicar aquella subdelegado. E lasconcorriamcom esmolasparaa redilica-
tendo este feito o competente corpo dedo- cflodasrespectivasmatrizes,ondediariamen
licto remeltoo-se a paiticipaffio ollicial que le, eem crescido numero recobiam o sacra-
dirigio o oommandonto do corno de pocia maulo da Eucbarislia depois de purificados
acerca do mesmo facto, ordenando que pela penitoncia. Convidado pelo vezitador
quanto antes instaurasso o processo, e que da provincia, propunha-seo veoeravel Fr.
consulado provincial.
2:246,225
1:741,347
Rio Fui preso no da 27 c soitojio dia no poupasae todos os mcios ao seu alcance Sebastio a percorrer o sou interior, se-
D. Alfonso llenriqucs t
J. S. Reis,
Ega Muniz aio do D AiTonso. A. J.
Pinto.
Garcia MenJes alferes roal Silvoslre
Meira. '
Laurelo Viogas o espadeiro. A J .
Alves.
Martirn Maniz.N. N.
Mom Muniz.N. N.
Um enviado Momo. J. J. Bezerra.
Um Ermitao.A. J. D. Coimbra. #
Personagens m udai.
Gongala Mendos da Maya o LiJador; Con-
calo Dias o Cid. ; D. Fuas RupirlUo alcalde
le Coimbra : Egas Fafo-Soeiro Veigas : ricos
homons, infacetos, prelados, pageos, caral-
leiros, sollados portuguezes, e soldados
Agarenos,
l. coro llymno de guorra ; 2. coro A ora-
cita ; 3.* coro llymno Luzitano.
Soguir-se-ha a linda comedia em 2 actos.
Quem porla mata cassa,
Antonio do Figueired com sua No lim da comedia o Sr. silvestre cantar
senhora o :t osoravos, Zaforino Gil Pires 'por obzequio urna nova aria, poezia do Sr.
datiotta, Jo.ii Proflrio da Molla, Manool Reis, muzica do Micstro Pedro Garcia inti
Carneiro Leal o 1 escravo, Joaquim An- tulada :
Ionio Carneiro Souza Azevedo, AlexFoor- 011 QUEAPERTO
nior, Eluardo Bevile e2eacravosa entre-i Em seguimento, ir a scena a pedido de
gar: para a Babia, Jos Candido de Frei- j muilas pessoas o 4. acto do drama.
Sabio a luz e acha-se a venda no consul-
torio homropatbico da ra das Cruzes n.
28, pelo prego de 1,000 rs.
Avisos martimos.
Navio entrado no dia 16.
Para e portas intermedios 12 dias e 8 ho-
ras e do ultimo porto 12 horas, vapor bra-
sileiro S. Salvador, de 350 tonel I,: Jas ,
commandanle o primeiro tenente Anto-
nio C. de Azevedo Coutinho, equipagem
29. Traz a seu bordo: para esta provincia,
Dr. Jos
Frcta-se para dentro ou fra do impe-
rio o brigue brasileiro Principe D. Alfonso
de lote de 216 tonelladas, prorapto a seguir
para qualquer parte : a tratar com Manoel
Concalves da Silva.
Para a cidade do Porto, se-
gu viagem com muita brevidade,
a barca portugueza Flor da Maia ,
capitSo Jos de Azevedo Canario,
anda pode receber alguma carga
e passageiros, para os quaes tem
excellentes commodos : quem na
mesma quizer carregar, ou ir de
passagem, dirija-se ao capillo, ou
a seu consignatario Manoel Joa-
quim Hamos Se Silva.
Para o Porto, saheimpretc-
rivelmente, no dia a4 do corren-
te, a galera portugueza Ikacharcn-


ie da qual lie capitSo Hodrigo
Joaquim Correia, ainda recebe al-
guma carga a frete e passageiros
para os quaes tcm cxcellentes cora-
modos : quem na mesma quizer
carregar, ou ir de passagem, en-
tenda-se com o referido capitSo, na
prara do Commercio, ou com No-
vaos & Companhia, na ra do Tra-
piche n. 34; assim como ate o dia
ja apresentarao no mesmo es-
criptorio as contas do referido
navio.
Para o Rio de Janeiro porten Jo seguir
viagetn com umita brevidade, o patacho
nacional Margarida, capitSo Florencio Fran-
cisco Marques : quem no mesmo quizer
carregar, ou bir de passagem e embarcar
aicravos, pode entenJer-se com o consig-
natario I.uiz Jos do Si Araujo, n* ra da
Cruz n. 33.
Para Lisboa protende sabir com brevi-
dade o brigue portuguez Viajante por ter a
maior parte de sua carga prometa. Quem
no mesmoquizer carregar ou ir de passagem
dirija-se aos consignatarios Thnmez de A-
quino Fonseca*.- Filho: na ra do Vigario n.
19,1-* andar ou ao capitSo e propietario Ma-
noel dos Santos,ne praca do commercio.
Para o Porto, segu com toda a brevi-
dade, a barca portugueza Espirito Santo,ca-
p t.lo JoSo CarlosTeixeira ; quem na mesma
quizer carregar ou ir de passagem dirija-se
>o escriptorio de Francisco Alvos da Cunda
& Companhia, na ra do Vigario
Para'o Rio Grande doSul, seguir em
poucos das, 4)0r ter a maior parte do seu
carregamenlo prompto, o briguj nacional
Carlos capitao Jos Joaquim Soares :quem
no mesmo quizer carregar ou bir de pas-
sagem, para o que tem mu excellentes
commodos : dirlja-sa a Bailar & Oliveira,
na ra da Cadeia do Recife, armazom n. 12.
PARA. O RIO DE JANEIRO.
Sahe com a maior brevidade pos-
sivel por ter parte de seu carrega-
mento prompto, o veleiro brigue
nacional Rio Ave : quem no men-
ino quizer carregar, ir de passa-
gem, para o que tem bons commo-
dos, ou embarcar escravos a frete
entenda-se com o capitSo do mes-
mo brigue, Elias Jos Alves, na
praca do Commercio, ou com os
consignatarios Novaes & Compa-
nhia, na ra do Trapiche n. 34.
-- Para o Havre sahe com muita brevida-
de a galera franceza Edith, capitSo Poulet,
por ter a maior parte do seu carregamenlo
prompto: quem na mesma quizer carregar
o restante, ou ir de passagem, pode enten-
der-se com o mesmo capitSo ou com os con-
signatarios Schafheitlin & Tobler, na ra
da Cruz n. 38.
Para a Babia pretonde seguir com mul-
ta brevidade o hiato brasileiro Exalsc^o,
mestre, Antonio Manoel Alfonso : quem no
mesmo quizer carregar ou ir de passagem,
pode eniender-se com o mesmo mestre, no
trapiche do algodSo, ou com S. Araujo, na
ra da Cruz n. 33.
"Para Lisboa sahe impreterivelmente no
dia 34 do correle o brigue portuguez Via-
jante por ter quasi seu carrogamento
prompto; para o restante o passageiros tra-
la-se com consignatarios Thomaz de
AquinoFooseca 4 Filho, na ra do Vigario
n. 19 primeiro andar, ou com o proprietario
e capitSo Manoel dos Santos, na praca.
A oscuna Mara Firmina, capitSo Joilo
. bernardo, deixou de sahir a 15 para o Rio
de Janeiro por inconvenientes, o que fara
no dia 17 do correte de mantilla ; osSrs.
que trataram embarcar escravos, o farSo de
roanhSa, emandarSo os conhecimenlosem
casa do consignatario Luiz Jos de S Arau-
jo : na ra da Cruz n. 33.
Leilfio.
-- Franciaco Severiano Rabello & filh
larflo leilSo, por intervengo do crrelo1"
Oliveira, de cerca vinte pipas de vinagre de
Lisboa, a praso ou a dinheiro, e em lotes lu-
do a vontado dos compradores : quarta-foi-
ra, 17 do correle as 10 horas da manhSa,
porta da Alfandega.
-O corretor Miguel Carneiro, far o ulti-
mo leilSo este anno no seu armazom na ra
do Trapiche o. 40, quinta-feira 18 do corren-
te as 9 1 [i horas da mantilla de diversos tras-
tes novos, e uzados, pianos, mezas com ri-
cas podras, urna cadeira elstica com estante
para ler, solios, e silhes, lustres, cendiei-
ros, quadroa com estampas,lou(a,vidros,re-
logios, espingardas, e outros muitos objec-
tos, que se entregar por qualquer precs
que for ofTerecido ; e sdverte-se as pessoao
que tiverem objectos com limites, de os vi'
rom lirar antes do dia do leilSo.
-LeilSo de urna porc,3o de ciixas com
massas em bom estado,as ques serSo ven-
didas em lotes vootade do comprador, e
por todo o preco para fechamonto de conlas,
que faz JoSo Tavares Cordeiro por conta o
risco de quem pertencer, hoje 17 do corre-
te, as 10 horas no armasen) da travessa da
Madre do lleus n. 9,___________
Avisos diversos.
99
Todas as pessoas que se achilo a dover
na venda de Joaquim Jos Correia, na ra
da Aurora, queirSo vir at domingo prxi-
mo, salisfazer seus dobitos, a sua mulbor :
na ra do Rozario da Boa-Vista n. 44, onde
so echa morando a mesma; do contrario
passarSo pelo dessabor de vor seus nones, e
dbitos publicados nesta folha ; o que nSo
dente.
Do porto do Zougu em Apipucos dosa-
pareceu, ou furtaram em dias deste mez u-
in a bomba de ferro, que no I.' inventario do
laflecidolenente-coronel Francisco daRocha
Paes Barrlo foi dada om partida a legataria
Maria Candida MagalliSes; quem souperon-
do se acha a dita bomba, ou quecx foi que a
tirou daquella lugar, o quiser descobrir ,
dirija-toa ra do AragSo, sobrado n. 13,1.
andar, pois que ser graleliJo, e se llio pro-
meti guardarsegredo.
Margarida Maria de Jess moradora no e Go caixas com bacalhao, chffga-
dcstriclo de Larangeirasda freguesia ecom- ..u, --- o-..... .
marcaJeN.z.retb.previoeatdos.quenSo do ltimamente, no armazem do
contralemcom ou marido Manoel Fernn-, caes da Allandega n. 5.
JuliSo Jos de Araujo, retira-so para o
Rio de Janeiro,
j {pil Cuarto das Noves, embarca para
familia estrangeira dirija-ie a ra da Ca-
deia n. 60, escriptorio.
No dia 38 de novembro prximo pas-
udo deuppareceu urna negra do nomo Ru-
tina, com os aignaes seguintes: altura bai-
la, seoca do corpo, cor preta, cabello cor-
tado rente, rosto comprido, queixo lino,
denles podres do lado de cima, mfios gros-
sas, ps compridos, com marcas de vento-
sas as costas, com vestido de catsa de q us-
uro cor de rosa, panno da costa com lista
azul e branca j usado, levou taboleiro eo-
vernisado de encarnado com pg prelos
quem della liver noticia ou pegar, dirija-
so a ra Nova n. 53, que ser recompensado.
A bandeira do monte.
A virgem Santa do monte.
Sendo por nos venerada,
No seu dia glorioso
llevo sor bem festejada.
Os devotos de N. S. do Monte que quize-
rom coadjuvar com as suas esmolas, para
quesaiaa bandeira da dita senbora, com
aquella pompa e magnificencia que merece
(So sublime acto, dinjnm-se a casa de JoSo
Baplista de Macedo, no Varadouro, a quem
deveram entregar suas esmolas. E tambera
convida-se, aviaando-se a toda e qual-
quer pessoa que quizer acompanhar a-refe-
rida bandeira que dever achar-sc na capel-
la dos Arrombados em Olinda, no dia 21 pa-
ra 22 do corrento.
Vlobilias de aluguel.
Alugam-se mobilias completas, ou qual-
quer traste separado, tambem so alugam
cadeiraa em grando porfSo para bailes, ou
oflicios; na ra Nova armazom do trastts
do Pinto defronte da rus de S. Amaro.
Na ra estreila do Rozario o. 43, precisa-
so alugar um preto para o sorviQo do sor-
vete.
Os credores da firma social de Duarle
& Soares, estadelecidos com lanuaria, na
ra da Madre de Dos, queiram mandar suas
contas al o dia 20 do corrente para serem
pagas; pois os annuncianlos vam dissolver
a sociedade.
Pretende-se comprar urna casa terrea
na travessa dos Martyrios n. 1, aos her le-
ros da fallecida Thereza de Jess Ramos;
quem se achar com direito a mesma, queira
declarar por este Diario no praso de 6 das.
Aviso ao commercio,
O abaixo assignado, rendeiro do
Trapiche denominado Cunha di-
rige-se pelo presente ao corpo do
commercio desla praca, aos Srs. de
engenho e donos de barcadas, of-
ferecendo ibes o seu trapiche, me-
diante a vantagem de s pagarem a
despeza de oitenta reis por cada
sacco d'assucar, e de fazer-se gra-
tuitamente a descarga da barcaca
que os conduzir. Cumpre, que as
essoasinteresstd as no trauco d a-
quelle genero, se nao deixem Ilu-
dir sedendo a vantagens imagina-
prias em prejuizo das vantagens
reaes. Escuzado lie garantir aqncl-
lesSrs. que se dirigirein ao abaixo
assignado, o zelo e promptidSo com
que sero cumpridas as respectivas
obrigarSes noque pertenceao bom
arranjo e aceio dos voluntes. Igual-
mente o abaixo assignado se olle-
recc aos negociantes desta praca
para embarcar cada sacco de assu-
car por quarenta reis, sendo o rc-
pezo gratuito.
Luiz Monto Barboza de Brilo
. Perdeu-sa na noute de sab-
bado, i3 do corrente, das 6 e raeia
as 7 horas da noute, desde a ra
do Brum at ao principio da ra
do Vigario, indo-se pela ra da
Cruz, o segundo volume da Mar-
queza de Bella Flor, embrulhado
em um papel : quem o ti ver adia-
do e o quizer restituir, dirija-se a
ra do Brum, armazem de Anto-
nio Martina Carvalho que ser
3l
ou
Precisa-so alugar um proto forro,
captivo, que aaiba bem cozinhar: na ra da
Cadeia do Recife n. 14.
Aluga-se o armazem de car-
ne n. 27, por baixo dotheatro da
ra da Praia, livre e desembara-
zado de qualquer onus, ou divida
deimpostos: a fallar com Guilher-
me Sette, no aterro da Boa Vista
n. 10.
Precisa-so alugar, ou coofbrar urna es-
crava perfeita eogommadeira : a fallar na
ra do Trapicho ti. 40, armazem deM. Car-
neiro. _
-- Precisa-se de urna ama de meia idade,
para urna casa de pouca familia : a tratar no
aterro da Boa Vista n.8.
Precisa-se de'um caixeiro, que nSo ex-
ceda de 10 a 15 annos de idade, para vonda,
com pratica, ou sem ella, e que d condec -
monto do sua conduela : as Cinco Pon-
tas o. 21.
Furto.
Furtaram no domingo 14 do cor-
rente do sitio da Tamarineira, na estrada
dos afilelos um relogio com corrente, ludo
de ouro, cujos aignaes sSo os seguintes : o
relogio he sa bonete horizontal sulsso e tra-
halha sobre quatro rubios, a caixa aherta a
buril, reprozenta na paite superior, urna
grande montanha e sobre ella Cuilherme
Tul, armado de arco e trecha; e na inferior
urna cidadc,por dentro desta ultima existem
alguns nmeros muito malfeitos, tambem
a buril, na coborl do mesmo modo lavra-
da, eslSo gravados com osmalto branco, o
nome do fabricante, a cidade cm que foi fei-
to.eas qualidades do relogio. A corronte tem
no centro dous ellos grandes lavraJos, ou
levantadas ; todos os mais sSo pequeos o
quadrados, o junto ao gancho estSo presos
urna chave de ouro e um apilo de certa com-
posifSode ouro e prala quo se asscmelha a
platina. Quem destes objectos livor, o quizer
dar noticia dirija-so ao mencionado sitio, ou
ra da Cruz 11. 55, quo ser generosamen-
te recompensado.
Quem precisar de urna ama de leite
dirija-se a ra do Rozario da Boa Vista
O. 31.
Precisa-as alugar'uma escrova para o
so:vico do collegio das orphSas: os preten-
demos dirijam-se ao mesmo collegio, a fal-
lar com a directora.
Precisa-sc de una ama : na
ra das Agos Verdes n. 8, segun-
do andar.
--Os credores da massa fallida de Ignacio
Luiz de Brito Taborda, sSo convidados para
comparecerem na casa do Sr. juiz de direi-
to da primeira vara do commercio na ra da
Concordia, no dia 18 do correnta as II ho-
ras do da, alim de se verifcarem os crdi-
tos, e delihorar-se acerca da concordata,
ou do contracto*de uniSo.O escrivSo,
Joaquim Jos Pereira dos Sintos
Precisa-ee de um caixeiro de 12 a 14
annos que leuda pratica de venda : no pa-
teo do lurniii, venda nova n. 2.
gratificado.
-- Aluga-so urna casa do pe ira e cl, para
passar a festa, acabada de ser construida, no
lugar da Capunga Nova, sitio do Dr. Jacobi-
na, segu'ndo para o rio do lado direito :
tratar no pateo da Santa Cruz n. 6.
Quem precisar de um caixeiro portu-
guez, o qual tem bastante praiica de venda,
ou mesmo tomar conta por balando : din-
ja-se a ra Direita, venda n. 95, que achara
com quem tratar. .
Precisa-se alugar urna ama, que seja ue
40 annos da idade, sendo parda, ou creoula,
3ue seja forra, para o servico de urna casa
e muito pequea familia, que faja lodo ser-
vico externo de urna casa : quom osliver
nostas circunstancias, dirija-se Caro boa
do Carrao, sobrado do dous andaros n. 19,
segundo andar.
Precisa-se de urna mulher Idosa, que
saiba cozinhar eengommar, para dous ho-
mens solteiros : no aterro da Boa Vista nu-
mero 70.
O abaixo assignado, ten Jo de retirar-
so para o serlSo onde he morador, e nSo po-
dendo pessoalmenle agradecer os favores
que os seus amigos se dignaram fzer-lho,
tanto pelo seu mo estado do saude, como
pela presteza de sua viagem ; por issolan-
rou niiin deste jornal, para por elle rendor
os devidos agradecimentos a seus amigos, e
offorecer-lhes o seu pequeo prestimo ,
com o qual pdom contar a todo o tompo ,
que della se quizerem utilisar. Bernardo
Luiz Ferreira Cezar Loureiro.
N. O. Bieber &c Companhia,
fazem leilSo : quinta feira, ib* do
corrente, as 10 horas da man lua,
dos de Souza sobre os bens de seu casal,
sejam elles da natureza, que forera ; visto
como sSo todos csses bens litigiosos, e du-
vidososem sen dominio directo,porcircuuis
o Rio da Jauoiro, o seu moloquo Facundo
lanciase pendenciasjudiciaes, que se dSo crooulo,dol8 annos.
entre ella c sou marido. 1 1 a r j
-JoSo Dias dos Santos, cidadSo brasilel- Aluna-se a loja n i5, da ra
ro. rotira-se para Portugal levando em aua do Crespo, e garante-so o arren-
companhia sua rml. Ermelind. R.0U dos damenlo pel0 tempo qe conver
Offerece-se urna ama secca para casa a quem comprar a arraacSo da mes-
de hornera soltoiro para cozinhar.e d fiador
ma loja : a tratar na ra d Ca-
deia de S. Antonio n. 9.
Aluga-se urna casa ni ra Nova, pro-
a sua conducta -. na ra de llortas n. 55.
Precisa-so fallar ao Sr. Jos Rodrigues
do Paiso a negocio que Ibe diz respailo :
"a ra do Queimado loia da estrella n. 7. nria oara voodor sorvotcs : auom quizer, aos intoressados bajara de declarar por esta
".. -.' ._ ,_____ ._ *. 3m 1 1 II.., ., r. .....II...- .... I..!., .tnc!.. nnlrnnin
Madame Uoutier. modista france-
za na ra Nova n. 58,
Novarccnto acaba de receber pelo Cesar, ul-
timo navio vindo do Havre, um lindo sorli-
mento de fazendas franeczas e ludo quo ha
de mais moderno om Paris ; chapeos de se-
da de tudas as cores, ditos de palba de Italia
aberto, muito bonitos.chapeosinhos deseda
redondos para meninos e meninas, fil de
blonda branco borda Jo, dito preto de lindos
padiOas, escomilba de todaas corea, bico
do blonda os mais ricos, para babados e or-
namoutos de vestidos, dito de linho preto
de todas as larguras, um lindo sorlimento
de tranca e franja, tanto prctos como do caj-
res, empellas de flores muito ricas o moder-
nas, um grando sorlimento de fitas de todas
as qualidades, muito lindos manteletes de
fil preto, chales, mantas, manteletes e ca-
polinhosde seda do melhor gosto, chama-
ota proto, flores finas, manguitos do bico
para sonhora do mais moderno gosto.setim,
tafel de todas as cores, collariohos do fil
e bico bordados para senhora, plumas do
corea e brancas para enfaite, manguinhas
de bico para senhora os inais modernos gos-
tos, atacadores para botios de senhora, ri-
cas luvas de pelica para senhora o horaem
bicos de linho verdadeiro, ricas romeiras
bordadas, ricos toucados de senhora para
bailes ou theatro, uvas de linho verdadeiro
para botnem. Na mesma loja iazem-se ves-
tido do casamento, de baplisado, toucas do
menino o do senhora, capotinhos de todas
as qualidades, com perfeicSo e proco cora-
modo; recebem-se todas os mozos flgurinos
modernos, que empresta a seus freguozes.
ODr. Pedro-do Athayde Lobo Hoscoso
embarca para o Rio de Janeiro o seu escra-
vo Liborio, creoulo, de 9 inuos.
~ Aluga-se urna canoa do carga do 600
lijlos do al venarla na ra da Concordia : a
tratar com Manoel Firmiuo Ferreira.
-- O abaixo assignado declara que deixou
de ser distribuidor da UniSo, porquo nSo
poda continuar em razSo de achar-se en-
carregado de outro negocio, que o impeda
do continuar na dislrbuic.So da dita UniSo,
e nSo por falla de pagamento de seu Iraba-
Iho, como falsamente publcou o Echo Pcr-
nambucano n.-27; po/s que semare Ihe fo-
raui puntualmente l'eitos os seus pagamon-
tos. Hanoel Francisco de Salles.
-- Precisa-se de um trabalhador do mas-
seira : na roa Direita dos Afogados o. 06.
Precisa-se alugar urna preta escravt,
para servico do muito pouca familia : na
Ponte Vclha n. 14.
A pessoa que receben por engao no
dia 9 do correte urna batina e mais alguns
objectos embrulhado em um 101150 do seda
encarnado pode dirigir-se a ra do Queiraa-
do n. 16, que se dar os signaes certos, e
recbela nina gratificatSo.
-- Aluga-se o lercero andar e sotSo da
casa da ra da moeda n, 7, a tratar no se-
gundo andar da mesma, das duas as 4 da
Urde.
-- Precisa-sede urna cosinheira para urna
familia pequea estrangeira na ra do
Trapiche novo,n. i,a fallar com Sr. EJuado
II. Wyatt.
GraliflcagSo.
llavera pouco mais ou menos dous mozos
que se entregou um proto para levar em
casa do Sr. Vignes, que vendo pianos na ra
larga do Rozario, um livro velho sem capa,
cnnlendo varias pecas da cantoria em Italia-
na e Ingloz. U livro foi embrulhauo num
Diario velho. a pessoa a quem foi entregue
por engao, querendo restituir, dirija-se a
casa do Sr. Eduardo II. Wyatt : ra do Tra-
picho novo n. 18,que ser muito bom romu-
norado.
O Sr.Bernardo de Aibuquer-
que Fernandes Gama, queira man-
dar pagara subscribo deste Diario.
Desoja-so saber quem sao os possuido-
ros, herdeiros, administradores dos bons
que pertenciam a diversas corporales reli-
giosas, sobre um sitio no lugar das Coreu-
1 anas de sima ou que ae acba de posse como
procurador in nomine Ignacio Jos de Bar-
ros desde o anno da 1817; e como se queira
fazer negocio sobre o mesmo sitio, roga-se
Compras.
-- Compra-se um* pardinha clara, que
nSo tenha miis de 13 innos de idade : na
rua da Cruz n. 45.
-- Compra-so urna marqueza larga, ou I
cama franceza do amarello, ou paod'oleo:
na rua do Queimado, loja deourives doSr.
Couto.
Compram-se escravos a vendem-sede
oorHmisso, para dentro e fra da provin-
cia : na ruada Cacimba,sobrado n. 11,on-
de Inorou oSr. vigario do Recife.
Compra-so urna loalha de lavnrinto
com pouco uso, e um escravo do 40 annos
pouco maisou monos,que seja barato: na
rua da Ssnzalla Volha n. 88, padaria.
C3~ Compram-se escravos de
ambos os sexos, de 6 a 3o annos,
para fon da provincia paga-se
bem tendo bonitas figuras: na roa
das Larangciras n. 14, no segundo
andar, a qualquer hora do dia.
Compram-se 2 moradas do casas ter-
reas ou sobrados da um andar, em bom es-
tado, e em boas ras: quem os quizer ven-
der dirijj-so a rua das Agoas Verdns n. 48,
taverna, que dir o prolendeote.
Compram-se trastos usados de todas as
qualida- les, e tambem so truc 1111 por novos :
na rua Nova armazem de trastes do Pinto,
defronU da rua de S. Amaro.
-- Compra-so na mesma casa cima, 3 es-
cravos de 16 a 20 annos, creoulas ou par-
das, do bonitas figuras para mucambas, sa-
bendo perfeitiuionto oogommar, coior OhS,
cosiuhar clavar; agradando paga-so bem.
..-.'1 vi UMMB -.
Vendas.
.Madama Rosa Hardy, modista
b.azileira na rua Nova n. 34.
Previne-se aos freguozes quo roceboo pe-
lo navio Pernambuco, um bello sortiraenio
dechrpos de seda franzida, o ligas de pe-
nacho o flores ; para seuhoras e mocintias
do6 at 12 annos, lindissimos chapeos de
grosda aplo fransldosa moda, de flores
ou penachos, de abas grandes para menino
del at 5 anno, ricos capotilhos pretos o
de cores, modelos novos, o muito enfeita-
dos ; ricos chapeos de palha par senhora
enfeiladose sem enfeites, chaposinhos de
palha para meuinnse meninas, ricos cor-
tes de soda bronca lavrada para noivas, veos
e cerollas; gros do aples furta-coras
para vestidos e capotilhos, franjas e transas
la mesma cor, para os enfeitar na mesma
loja lom um completo sorlimento de fazen-
das ao uso das senhoras, j annunciadas, e
ftz-sedeencoramenda vesliJos, capotinho,
e veslidinho de baptisado por pivc.o com-
modo.
- Anda em pregSo por tres pracas, a ulti-
ma das quaos lera lugar no dia quinta-feira
(18 do correle), para ser arrematada
3uem mais der, pornulo ojuizo d'orfSos
'esta cidade, urna casa terrea pertencente
ao casal do finado JoSo Baplista Herbster,
sita no aterro da Boa-Vista n, 37, que so
acha em armazem, tendo Rrande quintal
murado, com um grande telheiro, que ser-
ve de oflicina de marcenarla, com cacimba
meieira, e um sobradinho com sotSo e co-
sinha fra, no fundo do quintal, com frente
para o rio Capibaribo, pertencendo pro-
priedade e alagado, que faz na frente do
dito sobradinho; avahado ludo in doze
coritos de rs. : cuja arrernatacSo foi reque-
rida pelos herdeiros d'aquelle fallecido. Os
licitantes podum comparecer na casa da re-
sidencia do Sr. Dr. juizd'orphSos, na rua
das Flores, no indicado dia 18, pelas 4 horas
da tarde.
-- O Sr. Datan, mrciueiro da rua do Ara-
gSo, dirija-so a esta typographia a pagar a
subscricSo do Diario.
-- Precisa-se alugar um preto ou preta
para vendor hortalico na rua : no sitio que
foi do fallecido Antonio Jos da Costa Ribei
ro, no l*unib I.
OSr. JoSo Virissimo, mestro de alfaiale
que morn na rua do Vigario,qu:ira aniiuii-
ciar sua morada ou dirijir-so a livraria n.
6 o 8 da praga da indopondencia.
-- l'reciss-so fallar ao Sr. Francisco Anto
nio da Silva, que mora na rua do Rangel,di
rija-se a esta tipographiu.
Muito so desoja saber ce nesta cidade
ouseu contorno exista Francisco Nunes da
Silva Soares, natural d> villa da Feira, om
Poitugal, para negocio do seu interesse.
Aaiociacao Comtmreial le Pernambuco.
A direccSo a roquerimentos de mais do
dous le eos dos socios cffectivos, convoca
assembla geral para o dia 8 do Janeiro da
1852, pelas 12 horas do dia, para reformo
de estatutos.
A mesa regedora da lrmandado de N.
S. do Amparo da cidade de Olinda deo prin-
cipio as obras da inosinn igreja,como seja a
da coberia e da ouiras quo se tornSo indis-
pensaveis, e tem da mandar seus limaos a
tirar esmolas, pelos lies devotos da mesma
senhora, e roga antes, que se prestem para
um lim tSo justo.
Precisa-se alugar urna escrava de meia
idade que saiba cosiuhar, ou mesmo um
muleque, embora nSo cosinhe, responsabi-
lisando-se seu senhor 1 na rua das Cinco
Puntas n. 82.
Procisa-se de um criado, que seja fiel,
d fiador a sua conducta, para servico de ho-
iiiem soltoiro : quem esliver neslas cir-
cunstancias, dirija-se a rua Nova n. 35, pa-
r ao Iralar do juste.
Quem achou um anel de ouro esmal-
tado com o seguinte letreiro Gratldfio -- c
quizer rostitui-lo : pode dirigir-se a rua do
Encantamento 11. II que ser generosa-
monlo recompensado.
Offorece-se um francoz, pera cozmhei-
ro do alguma casa estrangeira : na praca da
Independencia, livraria 11. 6 e 8, se dir.
-- Procisa-se de um refinador, queenten-
da bom do relinar assucar : a tratar na rua
Nova n. 50.
Koga-se a quem tirou urna
carta do crrelo, vinda pelo va-,
por do Sul, em 4 docorrent?, pa-
ra Manoel Francisco Martins k Ir-
mao, o favor de a mandar resti-
tuir a seus legtimos donos : na
rua da Cruz .. Kecife, armazem de
molhados n. 6a.
-- Aluga-se a casa n. 9, da rua larga do
Rozario : a tratar na rua Direita, casa nu-
mero 131.
Madama Ridoux, modista france-
za, narua Nova n. G9, ^rmieir o
andar. \
Tem a honra do annunciar ao rospeitavel
publico, quo se achara so ai pie na casa del-
la um sorlimento muito rico do chapos de
seda osetim, turbantes, grinaldas, capol-
las, flores, plumas de todas as cores, e ou-
tros quaesquer enfeites do caboca para bailo
o theatro, e tambem se acbar chapeos e flo-
res promptos para luto, tudo pelo piojo
mais cntnmod.
-- Na rua larga do Rozario n. 35, loja, so
recebem escravos e oscravas para vender
por coramissSo tanto para a praca, mato,
como para fra da provincia, tendo bom tra-
laiiiunto o soguranca precisa.
Acha-se farlnha nova de SSSF, (de ra-
minha) para vender, nos armazons do Dea-
ne Koulo & Comranhia, no becco de Con-
Clves.
Attencao.
No botequim francoz da rua Nova precisa-
se alugar um proto para servico do mesmo,
que seja fiel e doligente, no mesmo continua
a havor sorvele todos os dias, das molhores
Tructas, com asseio, e promptidSo, sarSo
ersidos aquellas pessoas que quizerom.
-- Precisa-sede urna ama forra ou ca-
tiva, para fazer o servico do urna casa de
pouca familia: emFra do Portas, rua do
Pilar n 72, sogunlo andar.
Alnga-se urna casa no Barbalho, com lrs# C1ja um : na rua do Queimado n. 8, loja
duas salas gabinete na frento e mais um quar-! jefeonto da botica.
1'OLlllNllAS PARA i85a.
Vendem-se folhinlns de porta ,
de padre, e de nlgibeira de Ircs dif-
ferenlcs qualidades,sendo urna del-
lasacom o almanak da cidade e pro-
vincia: vendem-se nicamente na
praca da Independencia n. 6 c 8.
-. Vendem-se queijos do sirtSo do varios
tamaitos, grandes o mais pequeos, o tam-
bem se vonde pelo preco de 320 rs. a libra :
no aterro da Boa Vista 11.70.
Leite se 111 <-oa ,
A 200 rx. ei garrafa.
Vende-sc todos os dias das i|a
horas as 7 da manha, na rua da
Guia, junto ao acougue do Sr. Fi-
lippe, e na rua da Cruz no Uecife,
prximo do armazem de Jo Car-
los Augusto da Silva.
as Cinco Puntas, vende-so por barato
preco urna armacSo nova do venda, ou alu-
ga-se : a Halar na rua dos Martyrios n. II.
-- Ven le -se urna casa terrea, sita na rua
de S. Thereza : a tratar no atorro da Boa
Vistan. 86.
Vende se a la vena da rua das Cruzes
n. 28, ou smente a armacSo della : a tratar
na mesma.
Vendem-so canarios de imporio, mul-
lo bons contadores, chegados ltimamente
do Porto pela barca Nossa Senhora da Boa
Viagem : no pateo Ja Santa Cruz n. 6.
A a,5oors. o frasco.
Doce de nnnanaz, superior qua-
Udade, proprio para presente no
tempo da festa : vende-se na rua
da ,)adeia do Recife n.
Vendcm-sc queijos do serlSo de 1,120
a 1,440 rs., muito bons: na rua Direita, von-
da azul n. 2.
Selins inglezes.
Os muito acreditados selins da
casa do Sr. Johnston : acha se
nicamente na rua Nova n. 47;
Vendo se urna escrova de bonita figu-
ra, boa cozinhoira o propria para vonder na
rua o do boa conduela, por j estar ospiri -
mentada uestes sorvicos : na rua do Fogo
n. 23, so dir quem vende.
Vondo-sc um cavallo do cabriolet, gor-
do, manso o muito valcule : na coxia de^
Agostinho, defronte da casa do fallecido J.
J. de Mesauita.
Deposito de charutos de todas as
qualidades, na rua do llangcl
n. a3.
Vendem-so charutos superio-es da fabri-
ca do S. Flix da Babia ; ditos doputados ,
senadores, baionetas, venus, a esperiencia
prorar, caslanhos filho, mimos de yaya,
esterlinos, poroambucanos e rjiais outros de
differentes mroas.que se farSo patentos aos
freguezes, por menos preco doquoemou-
tra qualquer parle.
mmmmm immwuawwmmwm
r? Arta de nadar.
t Vonde-se essa til invencSo pelo di- N
H minuto preco do 6,000 rs. : na loja OtS Pernanbucana, da rua do Crespo, (e,
3r n. 11. *-
f ** W VW ***
Grande sortimonto de litas, lencos, lu-
vas, filos, transase f'anjispara luto: no
a trro da Boa-Vista loja n. I.
O Vende-se na loja Pernimbucana da Q
() ruado Crespo n. II, superiores cha- 0
Q pos italianos, ricauenti enfeita- Q
e dos para meninos de arabos 3S sexos, n
O99090Q0G0O9O3QCQO
Diamantes para vidracciro.
Chegou urna pequea porfo de superior
qnalidade: vende-so na rua do Trapiche No-
vo n. 16.
Chitas finas a 160 rs. o covado.
Vendom-so chitas finas de coros (xas de
bonitos padres meia pataca o covado,
cortes de vostidos do cambraia lisa a 2,560
to, e cosinha fora propria para se passar a
festa, por ter ptimo banho : trala-se na rua
Nova loja de chapeos n. 58.
Estampas.
Na rua larga do Rozario n. 20, vende-so
urna colleccSo de estampas representando
- Praeisa-se de '"'"?"* "m* 'Taconteci mentes maisnot.veUi da historia
^^^iSoBSl! de Portugal desdo a regencia do conde de
ordenado : a tratar na rua da (.ade.a do Re- B reiotdo de D g em
cifo n. 30.
Na cidade.Nova do Algrete, outrora
Capunga, na rua da Primavera; no sitio jun-
to ao deslacamento, ha urna cochaira para
se tratar dos cavallos dos Srs. passadores da
festa, do que seaffianca o bom tratameuto e
grande acoio, por preco razoavel por ter
muito boa communidade.
Roga-se ao Sr. Bazilio Gomes Pereira,
morador na villa de Iguarassu' o especial fa-
vor de vir ou mandar pagar a importancia
dos gneros que comprou na rua da Cruz
n. 62, para a festa de S. Cosmes em setem-
bro do anno passado, certo do que se o nSo
lizer nio se deixar de publicar seu noma
pelos jornaeg.
Precisi-se alugar um preto o tambem
urna dallas se v a grande o memoravel ba-
talha do campo do Ouriquo milagrosamente
ganha pelo inmortal D. Alfonso lleoriques,
augusto fundador da monarebia portu-
gueza.
Vende-se urna parda escura de 20 a 34
annoa de idade, pouco mais ou menos, eu-
goinma, coze e cosinbt, nSo tem vicios oem
achaques : na rua da Concordia quem vetn
da ponte a esquerda segunda casa terrea, se
dir quem vende.
Na rua da Cadeia n. 19,
Vende-se o verdadeiro rap Paulo Cordei-
ro, cujo titulo ha a maior garanta que se
p-le dar aos amantes da boa part la ; niio
be neceasario tecer-lhe elogio porque o
Precisa-se alugar urna mulita ou preta I dirija-se a rua larga do Rozario n. 26, loja folha para melhor se tratar deste negocio,
liel o de boa conducta, para servico de urna 1 de miudezis, ique achara com quem tratar, ou dirigir-se ao Passeio publico, loja o. 21.1 rua do Amorim n. 35.
compra-se, sendo llel, que nSo tenha acha-'grande consummo que hoje tom este rap,
ues enem vicios, para servico da casa : na le oconceto quo moreca dos dignos toman-
___.1__ av ... I... U....I.. k .. >. ....Il.nlil ..il.li.l \.ln
tes, he devido sua excellonto qualidado.
Para casamentos.
Capailas e calohos de flores para noivaa,
luvas da pelica, e enfeites para as dita,
grando soriimooto de fitas brancas, ditas
muito largas para cioteiro, transas de seda,
meias, ditas lizas e bordadas, veos de blon-
do, flores brancas, espartilhos, bicos de
blonde etc. : na loja de modas franceza de
madama Millochau, no aterro da Boa-Vis-
nmmmwxwmwiwwammsimmmm
W Ven los na loja l'ernambucaria da V
jM rus do Crespo n. II, pura sedado W
iW lindos padres a 80O rs. o covado ; VH
'i asina como sedas escocesas a 500 r.. W
mmxmammmmwmztM
Quem nio comprar.
Sapalos novos de ouro de lustro para se-
nhora a 1,500 o par, brozoguins para as
niesmas a 12 patacas o par, estojos grandes
e pequeos para costura, ditos muito finos
para barba, proprios para se levar em via-
gem, urna rica carteira para homcm, laoter-
nas mgicas, lindissimas ctixas para guar-
dar joias, urna rica e importante ciixa de
costura digna de se fazer della presente a
urna senhora de gosto, fitas de veludo, Ove-
las de cinteiro, Onissimos extractos para os
loncos das bellas, e outros niulos objectos
do (tost para bomens e senhoras, chegados
do Franca pelo ultimo navio: na rua da Ca-
deia do Recifo n. 19.
SALSA I'AKRILIll DE
S.ANDS.
to excellente remedio cure todas as on-
fermidades as quaos sSo originadas pela
impuresa do sanguo nu do systcma ; a sa-
ber : escrfulas, rheumatismo, erupces
cutneas, brebuthas na cara, almoroidas,
d lencas chronicas, brebulhaa, bortoeije,
tinha, enctiaccs, o dores nos ossos, e jun-
tas, ulcar, dueo. >s vonerias, citica, enfar-
midades que ntiae.ei polo grande uso do
mercurio, hidropesa, expostosa urna vida
extravagante. Assim como, chronicas do-
sordens da c.instituirlo, serio curadas por
esta tao til, o approvada medicina.
A ailiiiin -iiac;,io deste helo remedio, nos
ataques mais estraordinerios tem sido seni-
pro seguidos pelos mais felices resultados
as suas opera5's ; porcm, o seu principal
objocto ho do purificar o sangue, o limpar o
systema do qualquer influencia de mercu-
rio. No sou moilus oprrandi, he directa-
mente como um remeJio alterativo, ainda
que, indirectamente serve ao systema como
um verdadeiro tnico. Doengas nos ossos
c no systema grandular; assim como as
juntas, o ligamentos, sSo intelramente cu-
radas pelo uso deslo remedio, sem que o
luenie faca resguardo algum, quando usar
este remedio. A opperaclo ueste remedio
consiste em remover a desordem do syste-
ma, e em breve tempo o doenle gndara a
sua saude.
A Salsa Panilla tcm ganhado por muitos
annos una alta reputacSo, de ter curado
douncas mu difllcullosas, que nenhum nu-
tro artigo de valor em materia medica tem
curado. He de saber que a Salsa Parilha ho
um dos mais valerosas remelios quo os
doctores asan era toda a parte do mundo ;
com vistas deganharom a cura pelo uso do
tal remedio vegetal. Porm, deve-se de
notar, que nem todas as pessoas sabem pre-
parar osto remedio, assim como esco-
iherom a melhor parte que se dove usar om
tal preparacSo. Um celebre Medico escrip-
tor, que residi por muitos annos no lugar
aonde ha a melhor prodcelo da Salsa Pa-
rlla disso : Sois ou oilo ospecies destas
raizes que crescem nestes bosques, admra-
me quo ni! > podesse achar, se nSo -urna,
com o gosto, e propriedade da verdadeira
Salsa Perilla, que se possa recommender
para medicina ; pois as mais erara inspi-
das o inertes. Porm, como os mdicos
no se 11.71 ao trabalho de fazoxem as
suas proprias medicinas, mas sira confiara
nos soushabois boticarios, para a prepara-
rem, o comporem differentes drogas. Po-
rm de todas as preparares de Salsa Pari-
lha devia de ser da genuina, para que o fa-
cultativo o o p ibl.' o licassem bem fiados
as preparacesde Salsa 1'.unida a ser da
melhor qualidado. Pois he este o genuino
vegestavel, que so ofTereco ao publico; oes-
te se v combinedos o utile cum dulce ; pois
em infinitos casos em quo o doente espe-
rancasalgumas tu,lia Uo viver, e grandes
quantidades de remedios experimentados,
mas sem resultados de mol doras ; masco 11
esta pura Salsa Parilha, suas curas tem sido
inliliveis, pois os certificados que temos
receblo de possoas que tem usado dosto
puro remedio, aflirmaiu da sua boa efllca-
cia ; estes certificados temos a honra de
aprensentar ao respeitavel publico, para
que fiquem certos, o que cima se diz, ho
verdadeiro. Os propnetarios deste remo-
dio tem por muitos annos erapregado todos
os meios para prepararem oste ISo mil, a
essencial remedio de raz da Salsa Pariila,
qne por II m, conseguiram as suas vistas, em
prspararnm um tSovaluoso remoli,e leus
tSo lindos resultad,;.s tem enchido os pro-
pietarios do gloria, o triumpho de terem
preparado urna linda coiposiclo contra
doeness, que o seu lira he destruir o corpo
humano. Esta cumposicSo ho quiilioa e
nova. Esta Salsa Parilha he combinada cota
outros engredientes que todos ellos perten-
cem classe vegetel, e tojos com o poder
de purificronlo sangue. O doente qua usar
desta composicilo, pio contar que tem o
mais clllcaz remedio, para a sua onfermi-
dade usa.
Numerosas objeccas baviam antigamen-
to cm receitareste remoli, as quaeseram
bom fundadas ; por que a sua composi'cSo
era com grande quantidade de assucar, que
apenas so tomava, dava grandes nauseas, o
.les ira n| 1 va o tom do estomago, que em vez
de fazer beneficio, fazia mal ; assim como
infusSode Salsa Parilha,quo era outra pre-
paracSo mu mal arranjada, qua em poucos
minutos sa tomava porlida ou se se tomase
o doente padeca en poucos miuutos de aza-
dono estomago. Porm afflrraa-so que esta
c imposigao da raz da Silsa Parrilha com-
posta por Sands, niio he de somilhante qna-
lidade, mas sim, he preprala do mili 1111-
1101 m qu) o doente ple tomar sem pa Je-
cor de nausea, ou azedo no estomago ; mas
sim, podar contar coma cura dada por
oste remedio sem fall ir. Este remedio se
pode dar a urna crieoce, ou a possoas do
cousiitiiii.'.Vi dehea la sem haver perigo al-
gum, o seu paladar ho mu seboroso. O
nico agente nesta cidade ha Vicente Jos
do Brito, na roa da Cadeia do Recife botica
n. 16.
1' rulas de Portugal.
Vende-se frascos grandes com perso-
gos, damascos, guijas, e cevejas muito bem
conservadas e pelo diminuto preco de 1,000
ra. cada um : na rua larga do Rozario n. 30.
Estojos para Geometra*
Na rua larga do Rozario n. 30, ha para
vendor ricos estojos excellentemenle apare-
jados para qualquer pessoa que se propo-
nba ao. esludo do goooetria dezenbo e
nutica.
C3~ Para linalisar.
Na rua estrelle do Rozario n. 43, vendem-
se latas com bolachinhas de araruta do Rio
de Janeiro, pelo diminuto preco de 1,600. -
3T Marmelada peitoral.
Na rua ostroita do Rozario n. 43, vende-
se marnela la peitoral pelo diminuto praco
do 500rs. a lata.


__Vendem-se relogios de ou-
roc piala, patente ingicz: na ra
da Senzalla Nova n. 4a.
Arados de ferro.
Vendein-sc arados de diversos
modelos, assiin como americanos
cotn cambao de sicupira e bracos
d,i le i o ; na fundico da ra do
1!i iiiii iis. 6, 8 e io.
Deposito de cal virgem.
i iiii! i Amoriui, veudeui barris com cal
ii pedn, chegada ultiiiiamcnlo do Lisboa,
na barca a Margarda, > por monos preco do
que iiii outra qualquer parle: na ra da la-
dra do Itecife n. SO.
Bombas de Ierro.
Vendem-se bombas de repuxo,
pndulas e picola para cacimba :
ua ra do Brum ns. 6, 8 e io,
fiindicSo de Ierro.
Viiiho de Champagne,
o suporior qualidade : vende-sc no arma-
i'in Ka 1 k ni i mi IrmSos llua da Cruz, n. to
Moinhos de vento
finii bombas de repudio para regar burlas
d baixas docapm : voudom-suna (uiulif.u
do lluwiuan & Me. Calluui, na ra do Brum
ii-, c. s 10.
O Vendo-S um grande sillo no lu- O
Q gardo Mnnguiiho, que lica defronlo Q
a dos sillos dos Srs. Cal ni'iins, cun fj
m grande rasa de viven.la, dequatro )
gOll
Farinha de mandioca.
A mais nova e mais barata farinlia de
mandioca que ba no mercado, vende-so di
rui da Cruz do Itecife, armazcm n.13, de
JoSo Carlos Augusto da Silva.
Deposite la rubrica le Todos os
.santo.* na llallia.
Vendo-so, ui casa dcN. j. Biober&C. ,
na rua da Cruz n. 4, algodflo transado quolla (alrica, muito proprio para saceos do
assucar o roupa do escravos, por prcto com-
nioau.
iludida- superiores.
Na fundieSo de C. Slarr & Companhia,
fin S.-Amaro, acham-so venda uiocndas
de i-anua, todas de ferro, do un modelo o
constru'fu milito superior
l'nv. un los
Vendom-se prezuntos americanos, muito
superiores o por barato prcto : no cae da
Alian,Uva, armazcm defronlo da arvore.
v endose no armazem da rua
da Cruz n. 4^, os seguintco gene-
ros a procos commodos ; fras-
cos de vidro com bocea larga de
diversos tamaitos, latas com bo-
lacbinliasdc Allemanba muito no-
vas, alvaiade muito fino em bar-
ricas, zarcao e secante cm barri-
cas, pedra hume em barricas, es-
sencias de canilla, cravo czimbro,
sevatlinba cm garra loes c sal de
l'psem muito alvo em barricas.
Farinha fontana,
cl,en'.iila ullimamcnto: em cosa de J J. Tas-
4
lfS.FS^aSL'SSiS! #1 so Jnior, na rua do Amorim n. 35.
Opa. .*>' w.u..* u w. .r.wwMW JO .
fruclo : na rua di' Collcgion. 16, se- Jjr
O gundo andar. "
Vendem-so volas de cs,iei mcete, etu
caixas.de superior qualidade : em casa do
J. Keller & Cuinpauhia : na rua da Cruz nu-
mero 55.
AGENCIA
da fuudicao l.ow Miioi'.
HA DA SENZALLA KOVA N. 42.
Nestc eslabelecimcnlo conli-
aiendaa para senhora, por bara-
to preco.
iaiiiln ai.i- de salpicos braneos o de cor, a
4,300 rs. com 8 l|9 varas, c 6t0 rs. a vara ;
ditas Irancezas de bom gosto, a 560 rs, a
vara ; ditas cool listras de cor a 3,000 rs., a
peja com 8 varas; cassa prcla a 100 rs. ;
covado ; cortes de csssas pintadas, 2,000 o
cortes do cinta com l-' covados, a 1,920 c
I.SOOrs. ; lentos do finissima cambala de
linbo, a 480. 560o 640; ditos de cambraia
de algod.lo com luco, a 440 rs.; zuartes do
cor muito encorpados, a 200 rs. ; dito
azucscjm 4 l|2 varas, a 200 rs. ; o algodSo
transado com listras, a 180 rs. : na rua do
na a haver un completo sorti- Crespn.*
ment de moendas o meias mocn-| ~ Vende-sc cm casa de A-
daspara engenbo, machinas de damson llovyie & Companhia, na
vapor, etai.xas de ferro batido c rua do Trapiche n. ^ panno de
coado, de todos os tamaitos, pa- al6od5 l)ar.a sac,cos de assucar,
ra jjto ( muito superior c mralo.
Agencia de Edwin Haw. ,.Ve'as de carnauba cm libras.
Na rua de Apollen. (i, armazem de Me. Cal- ^ndem-so velas do carnaubai B.lando
inontfc Compaobl*. acha-sc cou.untcu.cnte spermaceto : na loja de saloiro da rua da
nona lortimento de taina de ferro coado c Cadea do Itecilo n. 36.
batido, tanto rasa como fundas, moendas in- l'ai a |a. ilnis
ciras toda, de ferro para animad, agoa, etc M n !iojrj(.cs lla rua do Trapiche n. 26,
ditas para armar eui madera de todos os ta- ,, ">"'-"'- -"
manhos e madelloa o mais moderno, machina r:ol,.eu "' completa eo leccuo de adornos
horiaonul para vapor, com forca de i cava!- Par |ardins, composla do vasos de lou^a,
los, coucos, pass.ideiras de ferro estanhado braneos e piulados de todos os timanios o
para caaa de pulgar, por menos preco ijuc oz modollos. Figuras representando as esta-
do cobre, escovens para navios, ferro ingles (Oosdoauuo, as partos do Globo n todos os
tanto em barras como cm arcos lolhas, c ludo Deoscs da fbula, que recomincnda a quem
por barato preco. liver bom goslo, e por precos muito rasoa-
Antigo deposito de cal veis.
virpeni Attcncao.
"u SSoebegados a loja do forragens da rua
Na ruado Trapiche, ll. \n, ha Nova n. 20, defronlo da boneca, de Joilo Per-
tnuilo Niniprini' rnl nova mi ur-rlra "andes Prente Vianna, as muito apreciadas
minio Mipenoi ca nova em icra, j.rraa o bacas Chinelas, obra mullo recoin-
chegada -
ltimamente de Lisboa
Taixns para engenbo.
Na fuDdicAo no Ierro da rua do llrum,
idba-ae do receber um completo sorlimen-
ln do ta.v.i: de 3 a 8 palmos de bucea, as
quaas acliam-se a venda por tcco coui-
modo, e com promptido embarcam-sc,ou
menilavL'l, pela sua diiiicao, o oiliculdada
em uuebrar-se.csla s circunstancia aniiun-
eia ao freguo za sua ulilidaile ; na mesma lo-
ja ha Umbetn pira vender grcllias de luir u
pio muito em cunta,
SSo ebegados a loja da rua Nova n. 20,
de Joilo Fernandos Patento Vianna, os ri-
cos c muito bonitos a; ar.lhosdc nidal li-
* i >f^ t, uiui vu H^llli.'W 4'tU*v*llviSUv 11 1V b '. I II
carregan.-so eut carrossem despezas ao IinFilra cll e cal, obra de delicado gosto,
comprador. c pri'to cominoo ; a elles antes que su a-
-- Vcndcm-sc cera cm velas cabetu.
lahricadds cm Lisboa c no liiode VLNDE-SE
Janeiro, em caixas de 100 libras superiores queijos flamengos
sorlidas, tic i a l6em libra,cUm- i,aoo : na vendada quinado pa-
beni de um > tamaito, por me- leo do Carmo tjuc entra para a
nos preco do que em outra i|itai- camboa do mesmo.
quer liarte : trata-se no escrinlo- "' VlllJc-sc uu cscravo volito proprio
j \i i i o i. i_ r8ra tratar do ulgum sitio, por entender
rio de Uacliauo & I inlieiro, na de plantacOos, o tambem para tratar de ca-
rua do Vicario ll. Ki, secundo vallosporiermuu pratca:uaruadoUuei-
~" madon. 14.
DEVERES DOS HOMENS,
andar.
FOTASSA DA UUSS1A.
No armazcm de Jos Teixeira
Uasto, na roa do Trapiche n. 17,
ba para vender, nova c superior
potassa da ltussia, chegada receu-
temenlc.
Pr
a i>uo rs.
Vondc-so eslo compendio aprovado para
as aulas, cm meia cncadcrnatSo, a 500 rs ,
cada um : na livraria 11. 6 e 8, da praca da
lodoptiidencla.
A Coo rs a arroba.
Vendem-se batatas novas da
uncpios geracs de economa pu- nie|ll0l. qua|idailc lezas. 110 Kc
nuca e industrial. :r--. 1 1 u 1 _
Vnndo-socstecon,pendio,Spprovadop.ra "'e armazem de joaquim Pmuw-
as aulas de primeiras letras, a 480 rs.: na ro Jacome, na travessa da Madre
prata da Indcpciidciicia, livraria n. 6c8. de Dos n. O.
Lasa de commissao de cscravos.
m...j._, _. _____ _.....1
1 ciiuciu-ac eotiavus t icitueui-
Vendcm-se superiores
rscuultfuioulu Cuuga
hlalo ingle-
CQ0 rs. ,1 ai tu-
ba : no ejes da alfandega, armazcm de Fran-
cisco DiasFerreira.
Vcndem-se selins c silhoes
se de commissao, tanto para a pro-
vincia como para fra della, para
oque se olTcrccc muilas garanlias inglczcs, de couro de porco, da
a seus linos : na rua da Cacimba primeira qualidade: cm casa de A-
n. li, primeiro andar. damson llowic 8cCompanhia, na
Deposito de cal C potassa. rua do Trapiche n. t\i.
No armazcm da rua da Cadea Ventie-.se superior farnba
do Hecilc n. ia, ha muito supe- de mandioca de Santa Calliarini,
rtor cal de Lisboa, cm pedia, as- chegada ltimamente a bordo do
sim como potassa chegada ullima-! patacho Euterpe, lundcado de-
mente, a precos muito rasoaveis. 'fronte do ccstlo Ramos: trala-sc
l'Lolll *\LI1 A. a bordo do mcsino 011 na ruado
Anda existe urna pequea quan- I Apollo armazem n. i/j, e na rua
RAPE'
PAULO GO-RDEIRO
enejado ult mameQe
loja do f't rra^ens da riii
daCadoia do Rt'cife n. 4-5.
# Vendem-se chapeos do chi- "*
^ le pequeo^ a 4>ooo rs. : na '*
0 rua do Ciespo n. 23.
Vendem-se os seguimos objeetns em
bom uso, sendo urna laboa requisitas, urna
tal'u ii.ihi, um piloto instruido, um trata-
do completo do n ivi'iNica.i, um bezoulh, um
oitante: na rua do Cabug, Irja de roiudezas
n. 4 de .Manuel Joaquim Dias de Castro.
Vonde-so os tiem conhecidos queijos
do Cear, mui frescaea, no largo do Livra -
ment n 20.
-- Vcudom-so barris de oitavo com viubo
tinto da companhia dos viudos do Alto li.ui-
ro : a fallar com Antonio Francisco de .Mu-
raos, agoulo daquella companhia, uu no
Itecifo na travessa da Madre do baos, arma-
zem do 8r. Jos Joaquim Dias Fernandes.
.No mesmo armazem tambom tom pipa,
meias ditas, o barris de quarto com vinho
da mesma companhia; a fallar com os 11. fi-
nios cima.
Vende-sc rap do Lisboa em frascos,
chegado na barca Ligeira, a 4,000 rs., osse-
nhores freguezes que cstSo acostumidos a
lomar a boa pitada, nau dcixar3o de mandar
buscar ao largo da Assambla u. 4.
-- Na rua do l.ivramei.to n. 11, vendem-
se esleirs muito grandes, ptimas parase
ostender cm urna sala e servir de cama para
4 ou 5 pessoas ; assiin como sapatoi deda-
raquo prcto, para senhora, a 00 rs. o par.
-- Vendo-so a bordo do brigue Ilulina ,
fundeado defronte do caes do Collegio, boa
farinha do Santa Catharina, em porfocs:
trjta-so a bordo, OU na rua da Cadeia n. 39,
com Amorim IrmSos.
batatas do l'orto, a3ao is. a
arroba.
Vendoui-so batatas muilo boas, a 30 rs.
a arroba : no armazcm n. 19, da Iravessa da
(ladro de Doos.
Na rua larga do Kozaro n. 2a
segundo andar,
Vondc-so urna inulatinha do 16 annos, linda
figura, c cozo muilo bom, urna negra do 16
annos, lamben com principios do costura,
duas ditas de 25 a 30 annos com habilida-
des, dous muloques do 14 annos, um mula-
iiiiliu de 15, um mulecotedo 15annos.linda
figura, daus negros bons irabalhadores de
licuad.i, um negro volbo muito robusto,
proprio para cilio, o um mulato do 30 an-
nos, linda figura, proprio para foilor por
ter boa conducta, o por estar para isso ha-
bilitado.
Vendem-se na ruadas Flores n.
ai, os seguales livros:
i Muan, e\i!icaca,i histrica das institu-
as de jusliniauno, 2 vols.; o mesmo autor,
historia da le-i.~l jc.io romana desde sua ori-
gein alo a moderna legislado, 1 vol. : La
ferrieio, 1 vol ;l>. J. I'rondham, da cu icfu
da ordem ua humanidado, ou principios de
organisatflo poltica, 1 vol.; o mesmo au-
tor, memoria sebre a propriudade, 1 vol. ;
Saiul Allin, 1 vol.
Vendo-se champagnoda maica anliga
o bem conhecida, Comel, em casa do Deane
Yulo & companhia : na rua da Cadeia.
Vende-so urna bonita crooula, que eo-
ze, engomma o faz lavariulo, cosiuba o tom
escolenle con lucia, horccolliida o apren-
deu na escola o que sib de costuia, lom 18
annos deidade, piuo.ni. para mucamba de
casa ; lanibem so ven Je um mulejuecrcou-
lo de 10 annos do iJade, proprio para qual-
quor ulliciu ua rua larga do Itozatio n. 35,
loja.
Vondcm-so amarras do lorro : na rua
da Scnzalla nova n. 42.
-- Vendc-se um cavado ruto com bous an-
dsics, muito manto e mandudo, por preco
como,n,I i:i|iioui prctoudtr pode procurar do
manha no Hospicio venda do Lefio doouro
3 horas em vanto as cinco ponas vi-
do Muuiz sobrado da quinan. 39.
3 negrotas crioulas do idade 18 a 20an-
uas, engomam ccosinham bem, urna della
cose c faz lavarinlo 2 mualas de i lado 22
Lotera do tto de Janeiro.
Aos 20:000,000, 10:000,000, 4:000,000
2:000,000 o 1.090,000 de rs.
Vende-sc plvora inglesa cm
latas e barris, e lambem linissima,
propria para copoleta ; a tratar na
liavessa da Madre de Dos n. 5,
Gomma.
Vendem-se s.ccis grandes com gomma
muito alva para ehgommar: na rua do Quei-
niadn n. 14.
Vende-se saccas com superior colla,das
fabricas do ItiOvCrando do Sul, e a preco
com modo, no armazem, do Dias Ferreira
ao po da alfandega.
Carlos llanly, ourves rua Nova
n. 34.
ACIDADEDEPARIS.
YoV va\( CWn si\( .^v\, I
una (lo Collegio 11. 4
Novo surlimenlo de chapeos de sol n
homcm e senhora, a sabor : chapeos^ dn
sol de seda, armaejo do baleia, de 4 500 rs
avisa a seus freguezes queseaba roceber de para cima; ditos ditos para senhora, de 4 o,
l'aiis um lindo surlimenlo de obras do ouro rs. para cima ; ditos de panno lino, de'ir-
200
..... w wo iuui aiui Pf< nil r>a raa 1 hna q a hrintmt un ni nira TS f niln di ni <1 armaofln A'~. .. "
tunados bilbetes, meios o caulellas d. 19 M.Pule'r. "'netese brincos sollos para ^ditos ditos de armatao de junco; de
lotera a benefici do theatro de S Pedro de Mnbora JmeD,u". Dol08 dec/mi"' ">< '20 ? 'i800 'todos llmP*: grande Sor"
Alcntara, cuja lista deve vir no primeiro P ,*,enb,ora e lem "" sortimenlo deo- tmenlo de sedas e pannos, empatas para
. hras ditis da trra, Toado-so estas obras por cubrir os meamos, haleas para vestidos e
prego com modo : na mesma loja lem para cspartllhos desenboras. Concertam-su lo
vender ans ourves esmalte aul o prcto, boa das ss qualidades de chapeos deso lua
vapor e estar patente na mesma loja.
Lotera do Rio de Janeiro.
Aos 20:000,OOO e I 0:000,000 de rs Iqualdade, cadillos francezas surtidas, ferro com perfoitSo o por menos proto"do'q'uo (Kr
O i' inlrlisii Saluoilr.^ i a na alimper sida,armacflo.sorole, torno de outra qualquer parto.
U cautelista fcalustino de Aqu-1 mSo e massaricos, o pedrada desunir,
no rerreira, avisa ao respeitavel
publico, que no da 19 a ao do
corrente mez, deve ebegar do Sul
o vapor da companhia brasileira
-- Vendo-se a taberna da rua estrela do
llozario o. 16: a tratar na mesma
Doce secco. nozano n. 16: a tratar na mesma.
No passeio publico, na caa n. 2 que faz Tllta Pin 11 leu
quina com o trapiche do Ramos, faz-sedo- hnM *,' f U
ce secco de todas as qualidades, sendo o de K??!?.! i yeaiolf no rmazem de
, caj' muito claro, onfeitam-se bocetas a Kalkmann Irmflos, rua da Crnz n. lo.
enodaa3 0vaporindezTav,con-!Vionta,d.od108.c A......- J-. 11EI. > '/ l^calda de todas as qualidades por commo- com ricas moldurus : vendem-se noarm.
zemje Klkmann Irmos, rua da Cruz n. lo
ductores das listas da segunda lo-idopre^o.
teria do Hospicio de Pedro Segun- jCera de carnauba c barricas vasias.
do, C da 19. lotera do Theatro del Ven SI >...!.. .1. __. I ultimo navio do Aracaty, por preto commo-
. ledro de Alcntara, que cor- do.no armaiemn. 4 darua do Trapiche No-
reu no da 4 deste mez, e paga im- v0> confronte ao mosmo trapiche; o barri-
,.,.i;n,_.. i, 8. leas vasias prompta onchor-se de assucar,
Escravos fgidos.
,A3 do correnla
ConccifSo,
Para cubrir mesas.
Vendc-se oleado pintado de sn-
peror qualidade c lindos padr5es,
de qnalro a olo palmos de largura
a sua sortc em yirtude da festa es- por preco mais baralo do que em
-- Desappareceu sahbado,
de casa de Moreira A Duarle.^i rua do Ci
buga n. 7, o aeu escravo de nome Francisco
das Cbagas de idade de trinta e tantos an-
nos esto escravo foi comprado com outra
aolllm. Sr. JoSo Ozono de Castro M.i '
i do
so por sto como porque he ceg de um i
mediatamente logo que receber as;aSsim como um completo sortimonto de
lisias, sem descont algum todos miudezas, ludo no mesmo armazem.
equa.esqucr premios quesabirem! ^ara liquidacao.
nos bilbetes, meios, nuartos oita- ^"''/'nauba muilo boa a 5,500rs c Monteiro, e tlnha sido bolieiro do pa
Vi I ato de llollanda a 7,500 rs. a arroba : na dtlo aenhor, o qual be bam conbecido
vos c vigsimos, vendidos na pra-
ca da Independencia ns. i3 e i5,
loja decalcado do Arantes, c na
rua da Cadea do Kecife n. /,6, lo-
ja de miudezas. Os apaixonados
deste tao licito jogo devem babili-
tar-se quanto antes, ou tentaren!
rua dos Tanoeiros, armazem n. 5
-- Vendcm-so2quarlaos : no sitio da rua olhos. Julga-ssque fosse desancaminhad
dos Piros com o porlSo em frente da rua da ou fugisse para Itamarac, donde tinha
nao
o,
11,000
5,5oo
2,800
i.3oo
lar a porta.
Meios bilbetes
Quartos
Oita vos
Vigsimos
Calcados a 750 rs._o par, quem
deixar de comprar, sto be para
acabar : no aterro da Boa-Vis-
ta defronte da boneca.
IIi rhegadp recentomonto urna gran lu
; outra qualquer parte : na pn^a da
Independencia ns. 24,16, 38 e 3o,
Sobrado em Goiamia.
Vende-se, muito em conta,
um bonito sobrado sito na rua
do Meo, n. 58, avahado em
.coooooo, emo qual tem parte
rsula Mara das Virgens e sua
irmaa Joaquina \ Ivs de l'aiva na
quanlidade dos melhoros sapalOos braneos '"'poriancia de 107,47 J TS-quem
quo tem vindo do Aracaty, tanto para ho- pretender dirija se a caza de Kal-
mem como para menino, que por so deso- L,_ ,
jar acabar com dinheiro vista, da-so 8 750, nn 'rmaos, rua da
rs. o par, ditos de lustro a 2,500, rs. o da '
Babia a 3,000 rs., e botins braneos, ditos de
lustro para homcm, altn disto um novo e
completo sortimonto do calcados france-
zes de todas rs qualidades, tanto para ho-
mem como para Sra.. meninos e meninas,
primeiro andardon 49,do aterro da Boa-Vis-
. taacaba-sedo receber um grande sortimonto
cortes do (apele a 480 rs.; todo por preco do camisas mui bom faitaae da ultima mo-
muilo commodo ahm do s. appurar di- da que soro vendidas a pretos rasoaveis
niiuiro, n, mosmacasa ha tambem para vender-se
Ven:Je-se, traspassa-fe, ouibonilosespelhos do ultimo gosto e com mol-
.. _.. I Humada 1 !."! ,, i\
do aires dias, portanto roga-se as autori-
dadea, ou a qualquer peaaoa a prisfio do
I mosmo, pelo que ser gratificada.
BOA GRATIFiCACAO'.
Ausentou-sc nanoite* de 27 de
outubro passado o mulato Cle-
mentino, de 20 annos de dade
Doeo mais ou menos, magro, al-
tura regular, tem muilo peqtieno
buo de barba e Talla muito mansa,
quando anda parece que n3o pisa
bem com os calcanhares, costuma
andar calcado e bem vestido, le-
vou urna trocha de sua roupa, in-
clusive calca e aqueta de panno
fino azul, e alm do mais aigum
calcado, um par de borzeguins par-
dos, com botoes de madreperola
braneos, e consta que levara um
cavado, que naquella occasiao a-
lugra, o qual tem os signaos sc-
Advenc-soaorespeitavelpnblico quo no guintes : castanbo, barrigudo,
cimas pretas, gordo e tem um ta-
Gruz,
n. 10.
Vendc-se um porco aovado om chiquei-
ro : na rua da Guia n. 12.
faz-se qualquer outra
tfbm
ransaccao
se
, duras de Jacaranda.
O corretor Oliveira tendo de fechar al-
a loja, que lot uo laliecido Jo-!gumas conlas, vende
l'into da Fonscca c
em particular, diflTo-
iuaill
odas
veiro
II.IS.
us engoman, e cosinliam, um cscravo tle DOUCO tempo
I M'Vil': .li' l'.lllll n ni rua Ikiriuli *
ga loja de Guerra Silv
nbia, na rua Nova n. II, a lalar
com J. Keller & Companhia, na
rua da Cruz n. 55.
MANOS.
Vendem-se cm casa de Kalk-
mann Irmos, na rua da Cruz n.
10, ricos panos de Jacaranda, com
excedentes vozes ebegados ha
Silva, ant- rcnles 0Dras de marceneiro, consistindo em
sofaz, cadeiras, ditas du balanto, banqui-
a CS t ompa-| nbas, mezas redondas, dita para sof, con-
solos, commoda, laucador, carteira etc..
I.nln .1.. I ..~___II ___.__..
natlo, de servio do campo : ns rua Direila
n. 3.
- Vando-so um piano com muilo boas brancas, cor de'rosa mana ama.
vozes, o por preto muilo cm conta : na rua b8 a'
larga do llozarioen 28 armazem de louta so
iiiraquo.il vonde.iantesmalojasodiraquem fe n. 33.
da^Soo.OOO rs. premio sobro penbor de QO0OOOOQO3O00
0 Na rua do Crespo n. a3, O
9 Vendem-so cortes de ciscmin
CAMBBA1AS COM BARRA,
b
relias : na rua da Cadeia do Iteci-
bras llespanholas.
A lllustracflo ooutias diversas e inlorcs-
santos publicatOus da biblioteca universal
do Madrid muito baratas escripias em
bom lypo, escolente papel, e com minias
superiores gravuras : vendem-so na casa n.
6, defronte do Trapicho novo, c loja de en-
cadernaeuo n. 8, da rua do Collegio.
Obras porluguezas.
... cortes deciscmiras, cho- 0
V gados pelo ultimo navio viudo de 0
Q Franca, padrfles da ultima moda, O
& proprios para a festa, a 5,000 rs P>
00000000000000000^
Km casa de J. Keller & Com-
panhia, acha-se a venda vinagre
Uevisla universal I.isboenso, jornal de lil- branco, superior de Nanles am
teratura, historia de Portugal pelo dislinclo l,,PP A. aTL.JlJ """> *m
cscsiiitorAiexa.Kirn Herculaoo, historiado Darr,s llc Comedidas.
consuladoedo Imperio do Napleflo, revista All.nr.5ft
militar o Jornal de pharmacia eseiencias as- v.nd.m /wlenVdo-
cessorias : voude-se na cisa n. 6 defronte do ..."' T"" J Penores charutos rogado,
irapiohe novo, o na ruado Collegio, loja ca "s de loo en ^,S ""'Si da Bl "'' em
do encadornacSo n. 8. canas de 100 charutos a 2,500 rs. cada urna;
--Vonde-so cabos de linbo o de manilha Sf?''' *proinnoi na rua do Tr..
de to las as grossuras, o suporior qualidade, V .. vd.m .. ,i ,
chumbo cm barra, sacas enm farello muito m,mnn." ?"\si "vallos chogados proxi-
novo por ter vindo pelo ultimo navio do lia- Sdoa Z. iT. 'basUntes 8.rJus cm
vre, champgne muilo superior, servej em _oa,.s 0S anur : rua das Cinco Ponas
cestos do '
sardinlias
n. 63.
Vende-so lijlo de alvonaria feito n'agoa
UC: no Giqua olaria defronte do engenbo
a 14,000 rs. o milheiro indo-se la buscar.
Ven lo-so urna preta quo sabe bom
cosinbar o diario de urna casa, engomma al-
guma cousa o cozo coslura do prctos, adan
lia das superiores colxas de linbo,
do melhor gosto que tem npparc-
cido no mercado, pelo barato pre-
co de io.ooo rs. cada urna : na rua
do Qucimado, loja n. 17
Vendem-so 100 alqueires do sal, por
commodo preto : na rua da Cruz do Itecife
n. 94.
Arados de ferro.
Na fundicSo da Aurora, em S. Amaro,
vendem-se arados de ferro de diversos mo-
delos.
Vendem-se e alugaru-se bichas, che- 4
t gadas ultin.auenlodellamburgo, por (j)
) preco commodo: na rua de S. Amaro 4
a>i 11. 28. 4
##9##daX99$$^9$d
Vende-se um carro de qna-
lro rodas, muito leve, para um ou
dous cavados: na coebeira do Mi-
guel Sougei ? no aterro da Boa
Vista.
duzi, camas de cen latas com
om azeito, e pennas d'aco muito
boas : ludo por commodos precos ; na rua
do Trapicha novo n.ll. escritorio do J. U.
Lasserre & Compaahia.
\ eniL'-se oleo de linhaca cm
botijas: a tratar com Manoel da a-so quo nao tem defeitos noin achaques:
Si ., ,c na rua do Collagio n. 6.
ilua Santos, no caes da Allande- .. vedo-se tm ,8Cravo de Angola moco,
ga, armazem do Anes. de bonita figura, multo possanio, bom or-
Vasseio publico n. 9. telao o proprio para todo o servio : no ei-
-- Vcndem-sa 18 caixilhos envidratados l' d' WBMAIaMi, junto do Sr. J. J. Tasso
cpromidos para qualquer obra, por toral- Junl0'n-12'
do de uma loja franceza; na mesma loja '. "7 'nue-aj urna prola do 22 annos de
vendom-se 300 varas do bicos o rendas da ldaae uo mu'l Don,ta "gura por 650,000
Ierra, por proto muito commodo. 1 e lPm habilidades; ao comprador se dir
ir1 1 j 1 !o motito da venda: confronta ao hospital
Vende-se Vinbo de champa- demarinhan. 145. Na mesmaaluga-seurna
nhe legitimo e de superior quali- *!* ? UD1 quarlo, proprio para qualquer
dade: cm casa de J. Keller &, ^"velide-se urna c.deira de rebuco : na
Companhia, na rua da Cruz n. 55. ru d aiondego n. 99, ou na rua Velha n.
Vendo-so por 4:000,000 rs. um silio com "
mais de 1,000 palmos de fundo, com casa de "" Ven viveuda e bstanlos commodos, copia, rea. um grande sitio do tirra propria com
estribara, cacimba deagoa potavol, varios n.a'Xa e casa para familia, no lugar de Uebi-
pes do larangeiras, cafezeiros.e com serven- r'"e 00 baixo. muilo perto da povoac.lo por
lia franca para o rio.do qual lica pouco dis- 8er 0,ul.t,"no allt6S U6 che8,r a mesma : na
No l'osseio Puhliro Ina d<> l'i ;unle, quem quizar proveitar-so anau.icio. ru"do*lonaeK0 n. 99
no 1 asscio_ 1 mineo, loja tle la- vonde-se umpiannororto muilo bum o Vendc-se cal virgem em pedra,
i por pre;o commodo : na rua do Collegio 11. Chegada recentemento do Lisboa, em anco-
15,3.'andar. ras muito bom acondecionadas e por preco
- Vendem-se na rua larga do llosano n. muito commodo : no armszom de Silva Bar-
36, emeasa do Sr. Paulo Caigooux, lodo roca, na rua do Trapicho Novo n 19
os pertencea necesarios par pratear e dou-l Vende-se um relogio de ouro dscuber-
rar, pelos moios elcctrociiymicos inclusive lo, por preco commodo: na rua da Praia
os livros que tratem da materia. 'n 17
da Cruz armazem n. 33, com S
Araujo.
Armazcm de louca vidrada.
Como sejam : pancllas, cacarolas, lijellas,
assadores, fregidoiras, papeiros, alguida-
res, lalhas para doc, vasos para flores, jar-
ros, quarlinhas, garrafas, copos, morin-
gues, resfriadeiras ; ludo lino para resfriar
agoa, balaiospara mouinasandarem, ditos
para costura o compras, baldes de pinho,
condenas de todos os lamauhos : na rua da
Cadeia do Itecife n.S.
U Alarmla.
Retratos do Prospero Diniz, redactor da
Marmota a 100 rs. cada um: uo palco do Col-
legio, casa do livro azul.
CHECUEM A I'ECUINCIH.
/.endas n. i5, vendem-se saccas
com alqueire de milbonovo pe-
lo mdico prego de 2,000 rs. asac-
sa ; assiin comosacco com larinlia
do mesmo tamonho, a 3,000 rs.
Iho em uma anca; he provavel que
queira passarpor forro, he boliei-
ro e escravo de Luiz Antonio Si-
queira : quem o pegar leve-o a rua
da Cadeia do Uecife n. ai, que se-
r recompensado.
Desappareceu na tardo do dia 13 do pas-
sado um escravo por nome Joaquim tem os
., signaos seguinles: boa estatura, representa
tanto do Jacaranda como do amarello, I ter 35annos de idade, falla dosombaracada,
piano, lanternas do bom goslo, candieiros pes grandes, lem lodosos denles da frente,
de globo, vasos para llores, lindos estojos nariz chato, quando anda ostalaasjuotas dos
para coslura do Sra, e" carteiras do llsrao 'joolhos, lovou camisa de algodSosinho bran-
para bilheles de visitas, visto nSo sorem ,co, calca do dito azul, este oscravo foi do
sulhcientes para um loildo ; no sou oscrip- mato: quem o pegar lovo-o a typograpbia
tono, rua da Cadoia do Ilcifo. imparcitl a fallar com a viuva Roma que se-
t Vonde-so uma cscrava robusla edolr recompensado.
mnita ligura.d-so mais om conta com tan-1 Desappareceu no dia domingo, 12 do
10 que saja para fra da provincia, ou en-1 passado, um preto que representa ter 45 a
geniio longe : a tratar na rua de Sauta Rila 50 annos de idade, de nacao cacange, baiin,
I cheio do corpo, sem defeito algum no corpa,
levou vestido, cilta de casemira aiul clara
de quadros o j velha, colote de selim preto
*( velho.jaquola de brim pardo,camisa de na
Cj dapolSo, chapeo do seda preto; presume-so
^ que anda pelos arrebaldes desta cidade, pois
** apezardeser do sortilo nilosejulga que te-
Deposito de tecidos da fabri-
ca de Todos os Santos,
na Babia.
Vondo-se om casado Domingos Al- ,aezar,dT-r d0 8ertl S,ejUlga ?"!,
vos Matheus, na rua da Cruz So le- I*"1 vo",do : r0*--" P?rlanto M "tonda-
cifen. 52, primeiro andar, algodfio ^
* iransailo daquella fabrica, muiloprO" -;
prio para saceos e roupa de 08cra- 2
^ vos, assim como lio proprio para re- 2
;> des do pescar e pavios para vellas, 2
flk- por preto muito commodo. **MriMMli&A**A*Akj|
Ubarutoa de Uavana
Da superior qualidade: vendem-so no ar-
mazem de Kalkmann IrmSos, na rua da
Cruz n. 10.
Cadeiras.
Vondem-se cadeiras para meninas; no ar-
mazem de Kalkmann I maos, ua rua Ida
Cruz n. 10.
MOB1LI.IS DE FEItKO.
Vendem-se ricas mobilias de fer-
ro, como canaps, mesas, cadeiras
com bra5o c sem elle, e muitos ou-
tros objeclos de ferro : no arma-
zem de Kalkmann Irmaos, na rua
da Cruz n. 10.
Molduras lloaradas
de todas os larguras vendem-so no arma-
zem do Kallktnann lrmSos.ruada Cruz o' lo.
SALSA PARRILHJ.
DE
t^S
As numerosas experiencias feitas corno
uso da salsa parrilha em todaaasenfermi-
dades, originadas pela impureza dosangue,
c o bom exito oblido na corte polo ULm.
Sr. Dr. Sigaud, presidente da acalemia fm-
ponal de medicina, pelo lllustrado Sr. Dr.
Antonio JosPeixolo om sua clnica, e om
sua afamada casadesaude na Gamboa, pe-
lo lllm. Sr. Dr. Saturnino do Olivoira, me-
dico do exercito e por varios outros mdi-
cos, permittem boje do proclamar altamente
as virtudes oilicaios da
SALSA PARRILHA
DE
:ra:awjLCKiar4MjjBE-.-
Nota.--Cada garrafa conlem duas libras
de liquido, e a salsa parrilha do Bristol be
garantida, puramcnle vegetal sem morcu-
rio, lodo, potassium.
Vende-se a 5/000 rs. o vidro na botica do
br. Jos Mana Goncalvos Ramos : rua dos
Quarleis pegada ao quirlel do policia.
dea policiaes e capules de campo, a captura
do mesmo, levaodo-o a rua do Vigario n. II,
lereeiro andar, que se recompensar.
So,000 rs.
De 15 para 10 de novembro de 1851 de-
sappareceu do eugcuho Aguas Claras da
l'ruci, da freguezia de Escada, o tseravu
Venancio, de Angola, que muito parece
crilo, Idade 25 a 28 annos, cor fulla, lu-
mia figura, altura regular, cheio do corpo,
pamas e brscoa gruc.ua, rosto gordo, e ar-
redondado, tc-sla glande, uilios gmUJd?, Q
amortecidos, tem falta de muitos denles na
frente, do la lo superior, poucos cabellos no
buco, equeixo, tem marcas de chicote as
costas, e de surraa nal nadigas, parece ser
serio, e muito -humilde, (alia com muila
mansidSoe arrastao faz-ae; innocente, ho
chegado a furtos, e costuma mudar de trage,
(por furto de roupa que faz ) de mudar o
nome, dzor-se forro, mitras vozes procu-
rando quem o apadrinbe, ou quem o com-
pre : levou camisa de madapolao, calca de
brim trancado de listra pardas, j desbota-
do, chapeo uzado de couro, cobertor gro(o
do listras azues escuras, e um fac3o que to-
mou de um muleque carreiro, do engenho
Uocot. Este escravo passou pelos enge-
nhos Arand doSr. Minoel Folix, Amparo
e Moclo, havendo pedido aos senhores dos
dous ltimos engenhos cartas quo o padri-
uiasso, em quo foi salisleilo, o nfio obstan-
to fugirlondo seguido para o engenho .Mi-
nliucas, di donde prezuma-se ler partido
para o Brejo da Madre de Dos, onde foi es-
cravo do Sr. Cordeiro, conbecido por Abade,
a quem pode-so o favor, de se ebegar a seu
conheclmeolo a sua eatada ali, fazer apro-
ender, remellar ou avisar a aeu Sr., pondo-o
neste caso na cadeia, assim como toga a
qnalquer que o pegar, do leva-lo ao dito
engenho ao seu Sr. Antonio Carlos l'ereira
de Burgos Pooco de Len, ou na rua Direila
o. 14 casa de Jos Pinto da Coala, que rece-
ber* a gratilicacflo mencionada; e tambem
pelo prezente proteata-se com todo rigor,
contra qualquer qu 1 o conservar em seu po-
der.
Desappareceu no dia 10 do corron'.e da
povoicflo de Bebiribe uma preta por nomo
Joaquina a qual julga-se que tonba vindo
para o llocifu o ande.por fura de portas a qual
ten ossiguaesseguintesibjia,olhos papudos
quo parece oslar buhada,bt-icos encarnadas,
falta dedentes na frente, bracos e pernaagro-
Cos.levou vestido do nscado roxoesahiO so ni
pano.a pessoaquo a pegar leve na esquina do
becolargo sobrado n.21,que ser recompen-
sado.
M.r.nr ( v.i


Full Text

PAGE 1

AnnoXXVlI 4 Quarta-fcira 17 le [)ez6!ii!>ro de 1851." N. 285. MIRTO M W PEMAMBICO. x>B.ICO A SOBOBWflO. PlOlMStlTO ADUHT1DO. Por Irlmeilr J/000 Por aemeitre WO00 Por nao • &i" 0 Pxoo DBNTIO nurimisTii. Poi quartel • 4/SOO W0TICIA1 DO Mruio. Par i 1 5 deNovbr. Minai... iSdePfovbr. Maranhao 19 de dito S.Paula. 10 de dito. Ce ara... 2&de dilo. R. del.. 25de dito. Parahba. 8 de Uezbr Babia... 1 de Dezbr. 15 Seg. 3. Euiebio Ver •cense b. ni. 16 Tere. S. Albina. 17 Quart. S. Barlholomcu a. Geininiano. 18 Quiot. N. S. do O'. 19 Sexl. S. Fausta. 20 Sab. S. Doiniu.oi. 21 Doni.-1." ilu adventoS. Thom. AODIIWCl 1.. Julio di Orpkoi 2. e5. s 10 horat. 1. rara do eivel. 3. e ti, ao melo-dia. Fasenda. 3. e6. as 10 horas. 2. vara do civtl. 4. e sabadoa ao mcio-d. RiUeSo. Tercas e sabidos. EFHMIDEIDEI. Crescente i 30, a. I horaie .'i."> minutes da ui Chcia a 8, a 1 bora e 8 minutos da t. Mingoante is, as 3 horas e 6minuto* da m. Nova 22, a 1 hora e 14 miniaos da tarde. rauaiiB BI BOJ* Primeira u c 30 nluutoa da tarde. Segunda 0 e 54 minutos da manha. VAUTIDAI DOS CODBEIO. Golanna c Parahiba, s segundas e sextasfeiras. Rio-Grandc-do-Norte, todas as quintai-feiras aoineio da). Garanbuns e Bonito, 8 e 23. Boa-Viata, e Flores, i.'l c 28. Victoria, s qulntas-fciras. Olinda, todos os das. NOTICIAS IITtUKGUBA. Portugal, i de Piovbi *n>im 2 de Novbr Ilcspanha. 8 de dito I.Suiia.... 2 de dito. Franca ... 8 de dito [Succia... 28deOutbr Blgica... de dito ¡Inglaterra 8deNoabr. Italia.... 31 deOutbr E.-Unldos 2ti deOutbr. Alemania dcNm-br Mxico... 15 de dito, Prussia ... %  de dilo. California l2dedilo Dinamarca29 de Oulbr Chili. 8 de dito Russia... 28 de dito Uuenos-A. 8deNovbr Turqua. 18 de dilo (Montevideo 31 de Outbr CAMBIOS DE I DS DIIWBBO. Sobre Londres, a 29 d. p. 1|000 Firme %  Paria, 333 por fr. • Lisboa, sera tranaacce. SKTAES. Ouro.—Oucas hcspanbolas.... a Mocdas de 6#400 vclbas. 16>D00 s de 0*400 novas. 10/1)00 a de 4/000 9/000 %  Prata.—PatacSes brasileiros.. 1/940 s Pesos columnarios... 1/920 a Ditos mexicano! 1/710 a 28/600 16/200 16/200 9/100 1/910 1/910 1/7SH GOVERNO DA PROVINCIA EX PEDIENTE Do DA 10 DE DEZEMBRO DE 1851. flicio.— Ao commandante das armas transtnittindo copia do aviso da reparlicSo da guerra de 98 de outubro ultimo, mandando ioapeccionar o Dr. Jos Zacaras de Csrvalho que pedio entrar para o corpo de iludo do exercito. Dito.— Ao mesmo ¡nteirnndo-o de hsyer designado o dia 18 do corrente pira reunSo da junta de justica, fim deque mande avisar doas olliciaes superiores para com o capilSo de mar e guerra Rodrigo Theodorn de Freitas servirem do vogaes na mesma nula.— Mesle sentido fizeram-sc as necessariis commuoicacOesDito*.-Ao mesmo dizendo que com a copia do a viso do ministerio da guerra de 29 do outubro ultimo transmute o requermenlo e oais papeia do ex soldado do quarto batalho d'artilbana a p Manool Antonio da Silva, fim de que informe sobre as circunstancias do delicio pelo qual fui olla condemoado. Dito.-Ao mesmo communicando quo, por decreto de 20 do outubro ultimo, segundo constou de aviso da reparticSo da guerra de 29 do mesmo mez, foi exonerado o coronel doestado maior de primoira classe Antonio Csrdoso Pcreira de Mello, do commando do presidio de I-ornando de Noronha.-Fizeram-so noste sontido as nocessarias communicacOos. Dito.— Ao mesmo transmitiendo por copia o aviso da repartirlo da guerra de 30 do outubro ultimo, do qual consta que, so mandou pnssar para a lerceira classe do oxercito o al foros do deotmo bstslblio de iril.-intaria Manool d'AssumpcSo Santiago, por so licuar comprehendido as disposujes do artigo 2 n. 1 da lei n. 260 do primeiro de dezembro de 18*1. -Commuoicou-se a pagadoria militar. Dito— Ao mesmo remetiendo copia do aviso da repartirlo da guerra de 28 de outubro ultimo, do qual consta que se conceder passagem para o corpo da guarnirlo da llahia ao segundo cadeto do quarto bataIhilo de arlilluria a p Aleandrc Jos da Silva e Areujo.— Igual copia remelteu-so a pagadoria militar. Dito.— A thesouraria de fazenda remetiendo a liIac.Sodo cometa Mmocl Rellirmino da ConceicSo, que so engajou para o servir no segundo balalhSo da guarda na, cional do Municipio de Santo AnlSo, a fim deque Ihe mando abrir os necessarios as-¡ sontamentos n'aquclla thesouraria.-Ijual. a cerca do corneta ro lirio Anialacti pedo para a aldeia da Escada, dovo V. S. requsilar lodo o auxilio, de quo piocisj, ao delegado do tormo do Sanlo-AntSo, a) cuja disposi{3o existo um destacamento, quo sor opportuuamentc augmentado. Dito—A" pagadoria militar, para informar | com urgencia quaos os vencimentos que, percabia antoriormonto o Dr. Aloxandro do Souxa l'oreii do Carino, cin virtule da portaria da preaiJoucia, do 18 do janoiro, de 1849. Ditow-Ao director do arsenal do guerra, concedendo I aulotisacao quo podio para dospcndjr a quantia do 830/000 res com a compra de bim, sda o outros objeclos, iilitu do poJer sali.fjzor o pelilo, que de-j volve, do Mochilas para o batallulo 10. de infanlatia. — Communicou-so i pagadoria milita r. Dilo -A' tlicsouraria da fazenda piovincial, para que, vis'.a do sua informacSo, mando adamar aos destacamentos de Flores e Ouricury sois mezas de sold, o ao do ¡ Brejo tros moaes a coutar do l. de Janeiro, futuro, o na mesma conformidado aos olliciaos Antonio d'Albuquerque MaranhSo a¡ Gaclaiio do Assis Campos, quo vSo ronder ; uso un,i.an,liini s dos dous primeiros destacamentos, e Joso Affonso dos Santos Ras-, tos, quo vai substituir o do Urojo.— Com-, municou-so ao commandante do corpo do polica. Dilo—Ao director das obras publicas, ap-, provando a deliberacSo, que lomou, do oxi-1 gir quo os operarios empregados uos con-; certos da ponto da Tacaruna, o as obras • do palacio da presidencia traballiasscm no, dia 2 do correnlo, afim de adiantarom osses servitos, o provenindo-o de que vai ofliciar a respeitoa thesouraria da fazenda provin-,' cial.—Olliciou-se noste seutido aditalhe-! souraris. Dilo—Ao commandanlo superior da guar%  da nacional dos municipios do Rio-Formo-j so e Nentili loni. Com o oflicio de Vmc, datado de 29 de outubro ultimo, recebi urca nota contando esclarecimentos i cerca das irregularidades, que se encontraram DOS trabalhos, a que procedeo o consollio | de revista da guarda nacionnl do munkiaio do Rio-Formoso, eemvisti do exposto em ditoofficio, teoho a doclarar-llie que laes eselarecimentos dovom vir, como addilamentoannexos s listas da roferi la guarda nacional, j para quo conste a ras3o da qualilicaQao dos lilhos familias sobre quo vorsaram duviias, e j para que sojam ellos considerados como pettencentes a listi do ser-| vico activo, embora lijue disponsado o guarda Thomaz l.uiz de Barros Wandorloy,] aliin do quo a sou respoilo sj proceda do, conformidaJe con odisposlo no artigo 66, §1 das instruccOcs do 25 de outubro de 18E0. Do quo levo dilo ficara Vine. inlondeii-| do quo nao he preciso haver mais reuniSo do sobredito conselho. non lterar¡3o as, lisias, devendo, porm, mencionar-se esta 'minhaordem nasobscrvaOes quo se hou'verom de fazer. Dito—A"camara municipal de iguarassu para declarar com urgencia quanlos distrlctos do paz existom n'aquolle municipij.— Igual a todas as cama'as da provincia, a oxcepcSo das de Olinda e Reeifo. Portara—Ao agente da companhia das barcas de vapor, para mandar dar passigem paro a Uahia, por conta do governo, a Francisco Luduvico, que teve baixa do soivioo do exercito, o beul assim a mullier do mesmo. DEM DO DA ia. Oflicio.—Ao commando das armas para fazer marchar para a frente da ¡groja da extincta cougregac.30 no dio 11 do corrente as 9 horas d manhSa urna guarda da honra afim do assistir a fesla da Nossa Seuliora da Conco¡c,3o que leu do colobrar-se no mosmo dia,Revendo a rcforila guarJa salvjr ahora docostume, o all permanecer at liualisar-seo Te Deum.— Expedir3o-sa ueste scn'.i'l'i os convenientes ordens. Dito. —Ao mesmo para que mando porem liberdado o roeruta Jernimo Celoslino, quo fii julgadoincipaz do servco miliUr pela junta de saude.—Communicou-so ao desembargadorcliefe de polica para fazer constir a auloridadequeo capturou. Dito.—A thesouraria da fazenda provincial dizendo que alienta a difiiculdade, que encontra o ajudanle do procurador fiscal d'aquella thesouraria na comarca de Flores, emremelter com seguranca para a mesma thosouraria a quantia de 1:075,760 rs., que arrecadou por conta da fazenda provincial, dovo mandar adoptar o meio, pelo dito ajudanto lembrado, de ser a referida quantia entregue ao commandante do respectivo destacamento, descontando-so no sold queaqui bouver do receber o mesmo doltacamonto. Dito.—A mesma autorisando-a, de conformidado com a sua informacSo, a mandar pagar ao arrematante da obra do terceiro lanco do estrada do norte, Pedro Cavf Icanti Wanderlei, a quanlia de 2:819,506 rs., om quo Importa a prirecira presttcSo do seu contrato, visto ler elle linalisado um lerco da referida obra, segundo declarou o eugeuheiro director das obras publicas.—Communicou-seao referido engenheiro. Dilo.—A mesma autorisando-a, em vista de sua informac3o, a mandar pagar a Ignacio de Hollanda Civaleanli a quintia de 90,000 rs em que fui avaliadoojdamno causado em um seu parldo de canas com a passagem da ostra la do sul.—Inloiiou-so o director das obras publicas. Dito.—Ao director do collegio dosorpbSos aecusando ¡recobido o seu olllcio, acompanhado da communicagSo, que Ino fez o professordeprimeiras letras d'aquelle collegio, do haver sido sorteado para a sesalo do jury, o uSopoder iiorconseguintiexorcorseu magisterio durante a mesma sessSo, o declarando que devo Sm. ulllciar ao juiz do direito presidcole do jury, solicitando a despensa do roferido professor, visto a falla quo actualmente faz. Dito.—Ao promotor publico desta cidade remetiendo copia de um olllcio do commandanlo do corpo de polica o bem assim da nota, que se refero o mesmo oflicio, das lesletnunhas que presenciaran! o desali que lovo lugar na estrada do Kozarinho entre Flix Jos da Roza o o porluguez Domingos, quo foi assassinado no dia 10 do corrente, para quo Sm. faca dellas o uso conveniente no processo, que se tem do formar. Portara.—Ao agento da companhia das barcas de vapor para mandar dar passagom para as Alagoas, por cotila do governo, a familia do teneute coronel commandanle -lo terceiro batalhSo d'artilbaria a p Innocencio Eustaquio Ferreira de Arauj > — Cominunicou-so ao comuiaudo das armas. Dita.—Ao mesmo para quo mande dar passagem para a corto por conta do governo a JoSo llorteuco Malinas, que leve baixa do servic.0 do oxorcito. Dila.—o presidente da provincia, rogulando a maneira de impor, e cobrar as multas ostabelucidasua i-on.lio.ao iiuaila do contrato do illuininacao publica desta cidade. celebrado 11 do maio de 1850, com a modiflcaclo foila por lenno 14 do mesmo mez o anuo, ordena quo se obsjrve o siguile : Art. 1. Tolas as patrulbas, quer de primeira 11 tilia, quer de polica, ou de guarda nacional, observaran allenlatnoule, durante o lempo quo rondaran!, o estado do illuminacSo, o tomarSo.nota docada lampeSo, quo cincontrarcm apgalo, ou com m luz u.i'i luyendo luar. Art. 2. Nodia seguinte dirigiro as mesmas patrulhas autoiidide policial, a cuja disposic.o estiverem, urna parte especial sobro aquello sorvico, conlendo urna rela;ao dos UmpiOes, que tivoroai oslado apagados cm todo ou om parte, o dos quo liverom dado m luz, com declaracSo da ra, om que os mestnos se achareui collocados, o mencionando ludo o quo for observado sobro o mao estado, ou poucoassoio dos lam^ias; esobro a negligencia dos acenledores Art. 3. lleoei Jas essss parles, reinelter a referida aulondade policial na sogundafeira de cada semana todas as solo da semana antecedente ao chelo de polica, acompanhando-as de quaesquerj observaedes, que polo conuocitnento proprio, ou pelo dos inspectores-de quartoir.io, julgar conveniente fazer a respeito da iluminicSo. Art. 4. No mesmo dia, ou no immoJiato, remetiera o chefe do polica ao inspoctor da tbesouraria provincial as parles, que assim bouver recebido, accressentando-Ibes tambem as observaedes, que Ihe parecerem de utilidade para o servido da polica, o pura a iiscalisacao da lazeoda publica. Arl. 5. Durante toda a semana poder o conlratador apresentsr thesouraria qualquer reclamado, que tonha a fazor conlra as inexactidos dss partos da semana antecedente, para o que Ihe ser o conhecimento dellas franqueado, e lindo essoproso nio Ihe ser mais admitirla reclimac,oes de natureza alguma. Art. 6. Noprincipio do cada mez o inspector da thesouraria provincial, depais de ler opporlunamente proced lo aos exames o invostigacOes convenientes sobre o objecto das reclamafOes do contrata lorapresentar ao tribunal administrativo as paites seminos do mez autecedente, com as reclamacoe, que houverem, devidamonto instruidas ; o o tribunal administrativo, aticndendo a onndieo quarta do contracto, com a BOdiflOtClO do termo addicional, impora as multas, em quo livor incurrid o o conlratador, sendo a importancia dellas dcduzida dr quota mensal, que so Ihe livor do pa6r. Art. 7. O inspector da thesouraria da fazenda provincial marcar ao contralador um praso, dentro do qual deva elle aprosontar numerados a sua cusa todos os lampies da cidade, medanlo urna chapa molallica pendenlo do ferro de cada um dolas, em que se distinga claramente o numero respectivo, para que, depoisde (eila essa numeracSo, declararem as partes da polica, a cargo das patrulhas o numero de cada la:u..'iao, que ostiver a pagado, ou com urna luz, e antes disso n3o se atlenderAo ao conlratador asroctatiiococs que versarem sobre duplcala da parte relativa algum lampiSo na masma noite. Art. 8. A autoridade policial, que distribuir as patrulnhas Ibes explicar, e recommendar, todas as noites, o exacto cumprimento dos dous primsiros ar'.igos desle regulameoto, compotindo-lhe sua rigorosa liscalisacSo. — Remetleram-se copias ao dosembargador chelo de polica, thesouraria da fazenda provincial, ao commando le policia.ao delegado do primouo .cipulos do fafanhudo Miguel Percira, qi este termo, e aos subdelegado *\\ !" J3*£&SfiSS n.. !" .'.' que atlstre no leilt do corpo de districto des 4 Treguezias desta cidadn. DEM DO DIA 13. Parece que a Providencia quer auxiliar ao Oflicio. — Ao commando das armas i\ xm .presidente no uobre empenho de acabar approvando que Sej contratado, nos tsr-] co n os thuggs. Certamculc que, sem o aunilio mos do seu oflicio sob n. 206 o paizaDO I do brajo divino, nada se conseguir conlra cslianci-cj Maximian) Toixeira, quesooffo-lsa sociedade, que tem a honra de contar em receu para servir no exercito, e provoniidoseu selo baitantei iuiportancias, que Jogam o de que olliciciou a pag.doria mUitar para !" -•„ *g~& SSSS^W. mandar abonar ao roferido paisano, de con1^ ¡Jvj s ¡, lUll 0$ I)orquc | lca occaaiaocm lormidado com a orden em vigor, O mini-f (1UC 1)daJ a f erai a |,cui deauaa cavernas, pamo premio estipulado no aviso da reparti-j ra i 0lnare „, U ma baalartadcla do rocho mosto, cSo da guerra do 30 do outubro do _anno i e alva patricia ; depois da qual estao prompioi prximo passado,— Ncsto sentido olliciou-1 para ludo perpetrar cm. so a dita pagadoria. ¡ Assisti, cuino Ihcdissc que tencin-iva User, Dito.— Ao mosmo concedido a dlspe cadete PeJroda C do lugar, quo oceupava na pagadoria mili1 do i c ( ulllquo cslcvc bstame solemne a lar.—CommuniCOU-seii roferila pagadorn. ligreja muilu bem proparada. Foi extraoidiDilo." Aojuiz do direito da comarca do „ ar io o concurso, a uada dirci a respeito do Bouilo aecusanjo recebido o oflicio, com | lindo oinamcuto paralijbauo, que cslcvc b quo S pronu vill |i.i c socego ao selo das familias pacltlcas da imn inlflirandn-o de havoi' pioeissao da Seuliora da Goneeieao ; cem acomarca da Maiorldadc, no podemos deUar de un?. ^?,„ nnn nrmeir *>Lo da vedado devo ducr-llie, que nao corcungratularmo-nos comaqucllesnossosamigos, penal quo pedio prHW eaperuea. Bsleve bastan-; nao s pelo relevante servico que preslaram a-unha Barbosa Vasconcillosi w f a[elior ao milliiact c Oulio lano uao dirci i paiz, seno pela maneira porque o preslaram delegado em cierciclo, Joo Chvaostomo Bizerra Cavalcanti, e ao subdelegado do districto do Pal Jos Sevlrino de Moura, cercaram o facinoraJosc Brilhaotc d'Alencir. criminoso de 8 mortes, e depois de 18 huras de ulna resistencia furiosa e desesperada, cm que Dio ceasou o fogo, que loinpcram, apenas se vram cercados, conseguiram prcnde-lu, ea mais 18 bandidos do seu squito, que cstavam com elle na occasiao do cerco, cujos uoines saoosseguinles : Joao Jos Alves Pequeo, Jos Severiano de Andradc, Cosme de llveira Santos Antonio Nobre de Luna, Autonlo Peielra de Saraza, Jos Biterra, Pedro Jos de Morae, e Jos Rodrigues Suares. Levando ao conbecimento do publico um ,r,mi,, un, i,i,, desta ordem, c i|ue vai levar lo aecusanjo recebido o oflicio, om llindo ornaniculo paralijbauo, que estere bnS me. remetteu copia do despacho doliiuntissluiu. para que me nao elianicm anunciado carecroiro da ca lea d'aquolla lo-cclibala,io-ou Ulyfx~or"^"-^ Franeuen RnariM d i O iveira tila futa detaiu as bellas ao inca Mecenas o uao ngura iranciscosuai^su.uivura pa iu b rcm mal cia miuhaJ p0[CS epstolas, c, se de 7 presos da mesma ca.l -i.i. Dilo.A thosouraria da fazonJa provincial dizend) quo podo mandar ontregir ao thesouroiro pagador das obras publcas, vista do pedi lo quo remulle, a quantia do 10.-700,009 rs. para contiiiuoQ3o das obras em andamento no correnlo mez. — Coromunicou-sj ao director das obras publicas. Dilo.-Ao bacharol Jos Mara da Albuquerquo Mello dizouJo fie ir intuir Jo de haver S. me. onlrado no dia 29 do novembro ullimo no exercicio de promolo." publico di commarc do Garanhuns.-Coiiimunicou-soa thesouraia do fazonda. Commando das armas. Quailcl general na cidade do Itecifi, 12 de dezembro de 1851. OaoEM DO DI ri. 42. O Sr. marechal do campo graduado Antonio Corrii Sora commandante das armas, manda fzer publico para conhociment da guarnirlo e fins necossarios, queS. M. o Imperad ir, houve por bjm por sua imniediata e imporial rosolu?3o de 11 do outubro do correnlo anuo, tomada sobro consulta du conselho supremo militar, ciandar passir para a teioira class) do exercito ao Sr. alforesdo batalhSo n. 10 do infantaria Manool d'Assumpcao Sanlago, por so tchar coinpreliendido as dis¡)i)Siy,es do art. 2." n. 1 da loi n. 260 do I." do dezombro do 1811, segundo foi declarado om olllcio do Exoi. Sr. presidente desla provincia de 10 do crrente, com referencia ao aviso do ministerio da guerra |lo 30 do clado mez do outubro. 1 Manda igualmente o mesmo Srmareoul commandanlo das armas publicir a Imperial provisSoquoscguo transcripta., a ProvU/tO. Dom PeJro por gra^a de l)30S o uinime acclamaijSo dos povos, imperador oonstltucional o defensor perpetuo do llrasil • f5 saber aosqui oslaminhi provisSo vire.J, quo haveudo subido miuhi augusta prosanta uma consulta do cousiliio supremo militar, datadodoH dejulho do preso iio atino, a quo mandei proceder sobro o oflicio do marechal do campo commandante das armas da corle, om quo propunh i a duvida, quo so Iho eflorecer, do poJerem ou nflo os simples saldados parlicularos do exercito entrar om concorrencias para soaso ao posto do alferes, o conl'ormando-se inteiramente com o parecer do consoliio, hoi por isiu Iboa causa algum despello.facam-lbe quan Siin, oservicn que as autoridades da Maioridade e do l'alu' acabam de prestar a esta provincia c a todo pai£, he tanto mais relvame c importante, quanto se altcnder, que o Brilban;e c sous comparsas foram presos no lim deis lloras de fogo vivo, sem que, a excepfo de 4 feriiiiuuius leves, houvessc urna perda a lamenlar-se Em verdade, o Drilhanlc desde marco do ando o eoeonirareii duas duilal de caretas cada; no passado que cun cuipcnbo procura assassiumaeiu punlcio do sua iucoucidcracao. | uar ao Dr. Amaro, para o que em Janeiro dcste Afala de San Frauolsooestove verdadelra-jauneacompanbou-oat o Assu', onde, demomoiilc franclacana, quero diier pobre, c a cusI iandj-sc algum dias, foi acollada pelo cunliala alhcia. Seria bom que cesiassem cisas riva-j do c o mano du Joo Carlos VVandcrley, Mandados cm julomuidadcs religiosas, c que lonoel Luis Calda? c Manuel Luis \\anderlry : o dos se rcuulsscm para com o iimor esplendor j Urilliaute, nao ha limito, que, rodeado de seu feslejarcm os sanios de sua especial devocao ; ¡ sequilo, poli em cerco a casa do subdelegado porque assim Icri irnos mal decencia, c lucilos j do l'alu' Jos Bernias de Moura, para o asinolivos de desgustos. sassiuar, deixando de o faicr por elle nao eslar Tambem nao seria m a fusao das duas mu. em casa : uUrUhaiilc por umitas veses cml.ossicasi porquaulo assim pederamos ler uma con o juiz de dircita da counrea da Maionaasupporlavcl orchcsli, ao |>asso que agora, com de, Joiio Vnlciilim Dantas Piuag : o Brilhanlo iueuiniiiodo de uossos ouvidos, temos dous baucom o apoio da faceau, a que perience, e que dos, que capricham cm oblcr o superlativo de uos catigmatlsa, ha pralicado naqutlla comarmiio. ca mullas desordens ; no inlanto cale mesmo Sei bem que motivos polticos tccni causado brilhantc he boje preso pelo Dr. Amaro, peiu essa divisao musical; porin lamhein sci i|uc subdelegado do l'alu', c por mullas oulras pesisso he o sublime do ridiculo, como o he esla8oas a ,| UCI1I C u c protestara matar, e acpoi aa rem uasmuslcas herrando individuos,quenuuum f 0( ,„ activo, em que alguna dos nossos loca uubcram dcciliar urna notadessa lingoarain feridos, CDlreos quaesse conla o acui,auo geni divina. supplcnte da Maioridadc, nao sollrc;oous a Kstou convencidissimo que se os aulores de Bullia N„ momento cm que dcpotai anuas, quacsq-jcr das pecas, que cllcs estropean! com foip.cso c condundo a pnsao, com seturai ja, lauta liubaridadc, assislisscm a cxccusso uc na s nao foi iusullado, nao foi injutiaao, u.i suas obras as dcscouhcccriam, c ncgariaua pi|'oi maltratado i „„.,._. tciuidado, tao habilidusos sao cm barbansar as Sabemos que aquellas autonda os por an cunucfo, que, qual rouco butio, iuconiinoda horrorosamente o auditorio. Talvo o deleito provenha da protuberancia do uarlt, que convela apenar com um torniquete as occasmes do cxccusso. 1 Temos sull'ridu bastantemente do calor, que tem subido a um crescido grao; poreni, como ; esperamos o invern cedo, brevemente uos ciicgara o liuitivo. lamiente. Do Constitucio nal ^ or f I '*f*^-i PEBHA MBUCO Tribunal do commercio. lie ordem do tribuual do commercio da prornambuco, publ.c.-sc a relacao ApalUlerVil os ..;. -W" viuoia ^ Pernamb^co pun, c.. ,. -j. menauengauam. wnmm alguma, tempesu^^^gSXTSSS. 7 do outubro des uo recinlo provincial. que si lc "'"'''',",,;.,,, c novembro prximo Se cu livor saude aoi.ipanliarci o nossos esdo corrculeauno, M zo uc notimu v colliidosem suas disiusscs, e farol miabas lapassado. dispensaveis observaecs. Usauinos llcaram atudos com a eloicao, cujo rcaultidu a ucubuin ssUafei plenamoote; e sendo a asscmbla composia do sentlmontos Heterogneos, ueccssai i mcnie produxlri acorbas discussoes. He vordade que a divcisid.ulc das opiuies nao rcspcila a publica ; mas essa mesma diversidudc c uppasi(ao individual pude allecta-la; pois todos sabemos o alcalice que pude tomar o jogo de laureasesoliocados pelas opposieoes fcitas de parte a parle. l'eluuieulo aadmiuistracao lem Uno, c podo ¡ot Icroiiyio Monleiro, aecrclariu. REUC;**) N 81. Por despacho do tribuual de 27 de outubro, loiadinillido a matricula o Sr. J">e so trato. Ihe he mistar, carece," N s5 1>or despacho do Irinunal de Z0 de no vembro foi adu.illida a malr.cula a "'' 1 c 1 Incleii de Seasou C, domteUlado oaoldide do Jlaraohao, com casa de coiniuercio do gios liuo c hbil jogo que taubcui de lelicidado, quando nao ncara cune o jogo encontrado dos dous lados, que se iioslilisarciii, poilcao inortilicanlc c perigOSlSSIl de trra, c um involiorio, porem corronto anuo, e bem assim das do § provisjo de 26 de outubro do ,820 ; qu.ndo • • *£% 3"^ os soldados particulares occupirem o posio olil lsaul cstio ( uas i c ,|„ilibrados cm votos, desargento, o rounirom alin disto lodos S(¡ ||lc [iitt \ t cslc ca | C „|o adeos lutes. os nil.os requesitos moucionados no role-, reinos tambem no selo dareprcscnlacao um „. 0 0 ,„. ...... ridoart. 6." do Citado regulamonto, llOS"hbil lioanceiro, por quem milito promcllcni j dala tol admitlida a malrrai mente 801 laes eircumstanciasqoe ellos poseus admiradores, c cm quem tenho as m Iras, lugllcia de Martiu k Irmaos !"!" dor.1o M rr,m>r,,i .PJ nnsto do como costumam dixer. ainda que tenho, com „ a cldaUc jo l, rao Para comeas, N 80 Por despacho do l.ibuual da mesma data, loi admiltido a matricula o ¡sr. francisc GaudeoolO da Cosa, cidadao portuguet, dom oliUdon. p.oviuca do Grao Para com cas.de T 7Por despacho do tribuual da mesma data, foi admitlida a matricula a Urina soca ioglia de iiiaglanih C, domiciliada na cidade d" Ma.aul.au com casa de commercio de grosso '"'"a. Pur despacho do tribunal da mesma a Arma social iada orSo concorrer para o accesso ao posto do! como costumam dizer, anda que leu o, com lferes, sendo admettidos aos exames eximeu. boides. por DMU *r n r0 "Jg" idos para esso fin.. Polo quo mando a auto'•••. tu "' P*'' lcab0 gidos para esso inn. i'oloq.. ri lado, a quoin competo, o mais possoas, quem o conhecimento desta portencer, s cumpram o i¡uardein tSo intciramenlo como dovom e nolla se conlem. Sua Magostado o Imperador o mandou pelos mombros do conselho supremo militai sbsixo assignados. Feliciano Comes do Freitas a fez nesta corte e cidado do Klo de Janeiro, aos 20 dias do mez de outubro do anno do nascimenlo do Nosso Senlidr Josus Chrislo de is;>i.%  l: %  u o conselheiro Manool daFonseca Lima e Silva, secretario de guerra a liz escrovor o subscrovi. — JoSo Chrisostoajo Collado."l-',ancisco Jos de Souzi Soares de Andra. —Conform". -No impodimenlo do ullicial-maior, Feliciaui Gomes de Froitas. Candido Ltal Ferreira, cido. Talvcz Ihe pareca que sou umilo anticipado ciucmillir nicu julzo a respeito da lutuia asscmbla provincial; porm lal nao pensara st attender a que cu desejo, que estas nunlias i-ellexes circulen! cm lempo de podeicm produlr algum saluiar ell'cllo, quero discr, de cliamaieni os inrus patricios ciclos a rasao, c de convncelos dos males que podem causar a provincia, e i poltica, que cllcs susieulam, se nao sacrificaren! rcsscut.ncntos pessoaes ao tulercssc geral. ... Gosto mullo pouco de entrar n.sso que cl.amam poltica; porque alcni de me nao reconhecer com geilo para ella, Idilio inulta prcvencio com os que a ella se entregan!, e nao itucro causar a alguna o mesmo dissibor contra ...im, que experimento a rcspcilo de oulros, que dellalatcm seu quolidiano ; poitauo passarci adianlc. Corre que temos lido alguns casos de lebre Ajudanle de ordens c ncarregado do dctalhc. car 'a"cicri's l ada ainrella ] po'rcui inuilo benigoa. ^ilo sci se ser exacta a noticia, c nao quero causar alarma falso ; porm Tico meio asestado com isso, porque cm verdade sao bem ruina hospedes, c nada ha de nanea cm seus principies maucinhoi. ICilainos com estes INTERIOR. CoHKCSPO.NDENCIA DO DIAIIIO DE PEItNAUBUCa Parahijba, 12 de dezembro de 1851. Qussi nada tem occorrido depois da ultima que Ihe dirig, que mereca uicnco. A trauqulllidade publica vai inallcravel com bastante seiilimcDto dos amantes do progresso das Idelas, que, segundo alguns, sil se adlanta regado com sangue, como duiam da sua arvorc da liberdade os amigos amantes da huinanidadc do lempo da santa deosa ras;'. > de eterna lucmoiia nos aunacs das tolices galicanas. Nada tambem consta contra a seguranca individual, entre nos seinprc ameacada pelos bicos das innumeravcis facas, e boceas dos inexlinguiveisbacamartes, que a cada canto encomia quem viaja extra muros cm nossa provincia. DUcin-me, a proposito o dirci tambem, que S. Exc. est disposlo a desarmar a populaco, pondo em vigor a desusada le dos perfuraulcs de saudosa recordacao ; portante crelo que ser o im Huir ramo de negocio por agora — faca e bacamartes — ; porque aquellos que IIcaretn privados desses instrumentos de primeira necessidade mortal, terao de comprar oulros, e assim augmentar a procura cm favor do proco. Nao duvido que o Exm. presidente consiga o dcsarmauento do povo com bastante trabadlo, duvido porm multo que teuha armazem em que accommode as armas, que bouver de colher. O individuo morlo, como Ihe disse em minba ultima, no duelo bachanal foi um dos disreccios, c entretanto o ci de grosso c a retalho. ,, Secreiaria I," de dcieinbio de I8J1. Ksl conforme. Maximiano Iraneiico uumti, Q|li-ial maior In terino. ELEgO piioywciAi.. CoUcqittii llaTmo. 91 oleitores. ,,ue se tem falto a bem da saude publica ? l.ui ,'uc se emprega a illuslrissuua municipalidade? ni pouco mais de nada. Emprega-sc cm disnor o terreno para no futuro exercicio haver dinheiro para pagamento das cusas largas de certo processo, inclusive as da llanca ; em fajer favores aos amigos do progresso, e pirracas aos contrarios em.... em...., etc. Nao cura da limpesa das ras, faiendo com lodus nos o que certo amigo quia l.uer cmico. uucrodUer, dclxando-nos aobre esterquilinios/e quanto iminundicic querem os mal ouvidoseacravos.ou os cscravos de mal ouvidos sciiborcs, laucar nos lugares mili pblicos e frcquenlados da cidade; deisando-nus comer podre carne, que noi custa bom dinliciro, dclxando-nos analmente entregues ao baransiuo de inda duiia de especuladores cun os generos de primeira necessidade. E nao val Unto a pena uesla provincia aquellas ¡iislituicao posturantc? Pelo menos assun o crcio, assim como ella. Hasta por hoje. Saude, c venturas Ihe desejo, assim como que sempre esteja d.staue de quem nao sabe cumprir seus dev eres. ItlO GRANDE DO NORTE. .'. prisco da noot criminosos na caminaren da Haioridade. No dia l do mez lindo, o juiz municipil do O srs. Dr. Dellno Augusto C. da A. Coronel Jos Pedro Vellozo da Silvoira Antonio Marques de Amorim UmheliiuCuodcs do Mello Padre Joaquim Pinto do Campos Dr. Antonio Baptisla Gitirana Dr. Francisco Alvos da Silva Padro l.uiz Carlos Coelno da Silva llr. L. V. de A. Culanho Dr. Domingos de S. LoSo Dr. J. d'AquinoFonseca Desombargador J. M. Kiguoira de Mello UarSo de Capibaribe los Ignacio Soares de Macado Silvestre A. do Olivena Mello r P. F. de Paula C. de Albuquorquo. Coronol F. A. do Barros o Silva Dr. Francisco Rodrigues Seto A. V. da S. Barroca ,l,. i. tveirii Dr'Fra'c'iscodeP.Baatista nr. HemoterioJosoV.dafjii Iveira l,r JoSo Francisco de Arrud. Falcao 0?. Kraociico JoSo Carnoiro da Cuubs *2 VOXUa • SU 73 72 68 63 63 63 62 1 61 56 55 50 *9 48 48 48 48 47 47 47 46 46 45 +4 Thomaz d'Aquioo F. I. Dr. JoSo Jos Ferreira de Aguisr F. C. Possoa de Lacerda Dr. J. PM. Portella Dr. Loureucp Bozerra Carnoiro da G. Jos Pedro da Silva .... Conselheiro A. P. Maciel Monleiro Dr. V. A. do Oliveira Maciel a H >i o 'o la ds 3,termo llioiua Dr. '. A. UO uiiveu-u i..,. r „_K. 3 ir. Manoel Joaquim Carne.ro dsi Cunh. 36 Dr Affonso Peros do A. MaranhSo ^5 VcneaVcoronel A. O.;^"' 3¡ Vicario Nemesio do 8. JoSo Cualborto Padre Francisco Rochael P. de B. Dr. ChiistovSo Xavier Lopes Dr. Antonio Epaminondss do Mello M u ^-'^ ,; rn


PAGE 1

. ... ^^^^t^?3 tq*f -xi-Mim A. de Siqueira C. de A. Coronel Francisco Jaeintho Poreira Augusto Frederico de liveira Dr. Heoool deSouzi Garca i ir. HiDoel Jos di Silva Nciva Padre YieeoteFerreira deSiqoeira V. Pedro Mtnoel da Silva Antonio Joaqun) de Mello Dr. Cosme de Si Pereira Capitfio Manoel Antonio Martina P. Dr. Jos lUymundo da C. Menozes Dr. Victoriano de S Albuquorquo Dr. Gaspar de M. V. de Drumonl Dr. V. Justiniauo B. Cavalcanti Dr. A. Justiniabo da Silva Guimarfios Francisco Paes llarrcto Dr. Pirete J.V. da Silva Costa Dr. A. F. P. de Carvalho Dr. Rodrigo Castor do A. Maranho Jos Joaquim do Reg Barros Dr. Anelo lionriques da Silva Dr. Ilerculano Concalves da Rocha Vigario Venancio Honriquo de Rezondo Dr. S. A. Mavignior Dr. Joaquim Mauool Vioira de Mello Dr. Bitaocourt Dr. F. Q. da Silva Vieira Teneiite-corooel R. Joto Barata do A. Dr. Manoel Firmino de Mello Vigario A. K. Concalves Cuimarles Dr. LourenfO Avelina de A. Escrivfio Francisco de Barros Corroa Dr. Thom F. M. de Castro Dr. Jos Cardozo de Quoiroz Fonscca KscrivSo F. C. de Britto Jos Maria Ramos GurjSo C: V. de Almeida Jnior Fraociso Raphsel de Mello Rogo F>r i 0 Rodrigue* do Passo Jnior Dr. Jos Felippo de S. I.eflo Dr. Jeron \ mu Villela de Castro 'lavaros Commendador D. Malaquias de A. P. F. Padre M. do S. Lopes Gama Dr. Jos Francisco da Costa Gomes Dr. JoSo Francisco da Silva Braga Dr. I.J. de Suuzi Lefio MajorJ. do C. A. Cavalcanti /."foriiio V. daSilvoira II. C. Torres Calinda Dr. Cuilhcrraino C. M. Bacalho I).-. C. Xavier Peroira do Brillo Dr. Jos Mara Silazar da Voiga l'essoa Dr. M. Atoh HIJO da Silva Coala Ignacio Francisco Xavier M. do A. Machado %  >r. JcaquimdeSouza Res !>r. Caetauo Estelita Cavalcanti P. Dr. Manoel Mendos da Cunda AzcvoJo Francisco do Rogo Paes Brrelo J.B. i 01 iv; i Ja Silva Tcneiite-coronelfrancisco Lopes Lima Josc Ignacio do AbreueLima J. M. O. da Cunha Bardo ,ia Boa-Vista Dr. Cypriano Fenellon C. A. Candido Lasdilo Ignacio Ferreira Xavier Coronel F. A. C. Camboim Viscondo de Goianna A. JoaquimM. eS MartiuhoM. Albuquerque F. da Silveira Cavalcauli Dr. Francisco Garlos Brandfio Dr. M. F. do Paula C. llardo delpojuca Dr. J. M. de Albuquoiquu Dr. J EduarJo Pina Francisco Xavier Lima JA. Lopes Dr. Flix Thcolunio da Silva Gusniao Lopes Lima iiarfio de Susisuns Leonardo Bezerra Jos Fidelix da Silva KoJriguos Padre Jofio C|irisla¡.o da M n J< M. Rodrigues Pinilciro DesembargaJorTellos Appoiinano Florentino Vigario J. T. de Mello Coronel Jos Amonio Pessoa de Mello Dr. A. V. do Nascimento Feiloza M. Antonio Marlins Peroirn Juse Pires Ferreira M. da C. Azevedo Mauocl Carneiro doSouza Lacutua II, Antonio Pereira de Brillo ilouc,a •J8 J.8 26 25 it 14 M M %  03 n 23 H %  •i 22 sa 31 21 ai 80 •20 •JO 20 20 19 11 11 19 t! 17 u 16 ta 10 18 13 •1 11 a H 14 14 ia is 13 l:i ia 12 ia 10 9 y 3 8 6 e 6 s 5 4 4 4 4 4 4 4 4 4 3 3 3 I 3 3 3 3 3 3 3 2 2 2 2 2 2 2 2 3i de inaio deile anno, e preso outravez ti Junbo. Ju : — Em que lugar guardava o leu patrio os ubjectoa de valor ? Rao : %  Nio ael. ¡ni elle fosse Reo : — Nao, aenbor. Jui't: Que motivo leve o aeu patrio para dizer que foi voss quem o roubou ? Reo : — Elle mandn-me comprar urna quarta de feijo e eu chamel um preto para carregar, elle eolio dlsse-me que eu poda trazer, eu 1 na,) deapedi-me por isso c por mals mitra couaa que tenho vergoaha de dizer. Juii: — Sabe escrever ? Rao : Slm, senliur. Lidaa aa pecas do processo c lindas as allcgaedes pro e contra, O Sr. Presidente faz o relatorio da causa c eotrega ao couselho 01 quesllos aos quaes eaIc respoude negativamente, por uoanimidade de votos, a vis ta do que he ab solvldo o reo. BALANfO DA RECEITA E DESPEZA DOS ESTABELECIMENTOSDE CARIDADE, VERIFICADO DO 1.' A 30 DE NOVEMBRO DE 1851. Riceila. Por sado em caia a aaber: Em letras 2:074/945 Em moeda 4:031/850 (3:1011/795 Reccbido da pagadoria militar, importancia dos remedios fornecldos ao hospital regimental do primeiro de julhoa 30 de setembro ultimo Do procurador da administrado por conta do rendlmento doa predios Do solicitador, dem afim desprender 0 autor do um semelhante a lienta do. IDEH DO DA 18. Foram preses: ordem do subdelegado iz ; — Nunca oovlo dlser poralguemque ''.* fr guezia de San-Jos, n crioulo Fran[bsse roubado ? c 'co, oscravo do vigario l.ourenco Correa de Sa, lom I declara(So do motivo, J0B0 Coelho da Silva o Manoel Ignacio da Cooceic.So, por ebrios o desordeiros; e a do subdelegado da freguezia da Boa-Vista, o portuguez Joaquim Jos Correa, tambem por embriaguez. DEM DO DA 13. Foram presos : a ordem do delegado do primeiro distticto deste termo, Luiz do Franca, para recruta do exercito; ordem do subdelegado da freguezia de Sao Fre Pedro Concalves do Recife, Joaquim Pereira da Silva, para o mesmo im ; i ordem do subdelegado do Santo Antonio, o preto Raimundo, escravo de Luiz Antonio da Cunha, requisito do seu aenhor, e Manoel Jos dos Santos, por estar na ponto da BoaVista proferindo palavras obsenas ; e 4 do subdelegado da freguezia de San Jos, os escravos Jos e Alexandre, por crime de furto, e Luiza, oacrava de Antonio Pinto, por insultos. DEM DO DA IS. Foram presos: i ordem do dolegado do primeiro dislricto deste termo, o preto Adfio, escravo, por andar fgido ; ordem do subdolegado da freguezia de San Frci Pedro Concalves do Recife, o pardo Manoel, escravo do D. Josefa Mara de Jesui Coutinho, sem declaradlo do motivo; e do subdelegado da freguezia do San Jos, Antonio Joaquim do Sena, por desorden), o Leopoldo Francisco da Silva, sem declaraCita do motivo. 2 =BB 3:028/519 1:500*000 200/uO0 10:833,315 Despeza. Pag" 3 '.i? amas que comparecern! ao pagamento, suas inensaltdadcs ale 3') de setembro ultimo A regente da casa dos czposlos, despezas de outubro Ao regente do grande hospital idein Ao mesmo despc/.a da botica Aos cnfcrmciios c serventes do mesmo hospital 6i 11. jomaos do mez de outubro A Jos Luiz lauocenclo Pogc Jnior, importancia do jornal do servente da botica cin dito mea Ao procurador da administrar;ao, importancia dos reparos dos predios A Theophilo Jos Ferreira de Saiupaio, por bizas que forncecu no hospital regiincDtal A A. T. de S. Cardozo por feillo de 178 lencoes A Antonio Ferreira Lima, por generos que forncecu aos cstbelccimentos de cartdade de julhoa setembro 452/200 Abatimcnto 12/200 Ao solicitador para despezas judiciaea A Manoel Figueiroa de Faria por diversas mpressdes A Theophilo Jos Ferreira de SamE alo, por bizas que forncecu ao oapital rcgiiucutal A diversos por despezas fcitas coni a obra do hospital Pedro II Por saldo cm caixa a saber : 1:028/881 2S0/760 6801180 57/570 40/900 12/OOn Em letras Em moeda ::074/M5 4;50a/32S 440/000 00/048 40/000 71/080 1:1^5/800 6:580/470 10:833,315 DIARIO E PERNAMBUCO. RECIFE, 16 DE DEZEMBRO DE 1851. guindo o carainho, 0/10 elle llio tracar, co momais bam informado das necessida des do suas diversas localidades. Quaatoa Parahibe referimo-nos carta de nosao correspondente, jud ciosoque copiamos em otitro luger. Correspondencia. VOTO DE GRATIDAO. Sr. redactor.—Sempre que qualquer de scus assignanles buscar as columnas de seu concoiluado jornal, para nellas tragar qualquer voto de gralidSo.a esta ou aquella pessoa, que por suas excellentes qnalidados, onidas a urna ptima educactlo, e as delieidas manelras no seu Halar com urbanidade, quer em sua casa particular, e quer as repartieres publicas, deve Vine, encherse de prazor, mormente quanJo a fonte donde nasce semelhante voto fr limpa e aurda ao mais leve sibillo de lisonja e adulacSo. Venho pois tratar do lllm. Sr. Joaquim Maria de Carvalho, digno tbesoureiro ua repartidlo do sello (ou rendas geraes). O Sr. Carvalho lem merecido de pessoas que tem a faculdade de com elle tratar, toda afTeicao e amizade, porque estando o Sr. Carvalho em urna roparticlo, de cuja he lliesoureiro.onde jase pode imposturar, o nSo faz, a todos trata com aflabilidade, mostrando sempre a lodos feifOes risonhas, como que se estivesse no melhor diveitimenlo. O Sr. Carvalho, nSo querendo seguir o exeraplo de carrancudo, como alguns deseus collegas, (deoutras repartieses) tem giangeado a estima que he propria do empregado publico, que em sua fronte so v o sello da honra. Queira pois o Sr. Carvalho, aceitar este voto de gratidSo, emsignal de grande reconhecimento, e o mesmo voto se digne transmittir ao IIIII Sr. Amaral, (administrador interino^ ea mais outros distinctos empregados que delle se lizer merecedor. Recife, 16 de dezembro.de 1851.— Poruin ollicial do exercilo. taa : para o Rio de Janeiro alferea Jos Pedro Gonzaga, OscsorivSes Joaquim Jos da Rocba algnaoio Augusto Vieira de Souza, aex-prasai, t cadete o 7 soldados, 9 recrutas para o exeroito, 1 para a mari11 lis e 6 osoravos a entregar. Navio saMdo no m timo Ha. Philadelphia — brigue escuna americano Gooeral Wortb, capitfio James RacklilT. carga assucar EDltAL.' FublicaQo a pedido. Administracaogeral dos estabclccimcntos de caridade, 0 de dczcuibro de 1854. Antonio Joic Uomu do Comi. eacrivao. Jos Piret Ferreira, tbesoureiro. Observaron. Alm dadespez constante deste bataneo tcmse despendido por adiamntenlo aos diversos regentes, aos empregados por conta de seus ordenados c com a ubra do hospital Pedro II a luum a ,1, :i: ',.',01 %  %  < ra. pelo <{ue he o saldo existeute cm 0 do passado da quantia de ris 3:230/100, sendo I:i5/I55 r. cm moeda c rdis 2./4/S45 cm letras. MAPPA DI) M 1VIMENTO DOS ESTABELECIMEfiTOS DE CARIDADE NO MEZ DE NOVEMBRO DE 1851. Grande hospital. JURY DO RECIFE. .' SESSAO ORDINARIA, BU II DE DE ZC.MBRO DE 1851. Presidencia do Sr. Dr. Nciva. Promotor, o Sr. Dr. Abilio Jos Tavares da Silva. Advo-jado, o Sr. Dr. Francisco Carlos P raudao. A' onze horas, feita a chamada acham-se presentes 38 Srs. jurados. O Sr. Presidente abre a sesjao. Sorteado o conseibo que lem dcjulgar ao reo Maoocl Antouio Arantes, c prestando o juramento do eslvlo, O Sr. Presidente faz ao reo o seguinte INTERROGATORIO. Juiz : — Como se chama ? Rea : — Manoel Antonio de Arantes. Juii: — Porque ae acha processado Reo ; — Porque meu patrio diz que ea o -lOlllOI. Juiz : — Como ae chama o seu patrio ? Reo : — Sebaslio Luiz Ferreira. Juiz ; -Que oceupacao tem o seu patrio i" Reo : — Tem venda. Juiz : -Em que ra ? leo : — Na ra de Dorias, Juiz: — Ncasa venda, hay 111 e o noli ir ora caiJCiro f fe" : — Sim, senhor. Juiz : Frs ssjeutc z iCM^r ocaisc'i" *--•> venda, ou tinha outro ? Reo : — Era eu c elle a em casa. haz : — i.'u nulo foi elle roubado ? Reo :— Diz elle, que foi no dia 27 de maio. Jui: : — Sabe te elle foi roubado ? Reo : — Sel por elle dlser. Juiz: — Que objectos Ihc foram roubado) ? Rro : — Eu nio sci, elle he quem sabe.) Jiitz : -Elle nao Ihc disse. nem o aenhor ouyio dizer que ol>|ectoa Ihc tinham sido roubados ? Reo : -NSo, senhor. Juiz : — O roubo foi fcito de dia ou de nolte ? RO : — Aa 5 horas da mauhia me levantei para abrir a porta c aehcia abena, c no mea11,0 1 os 111,1c appareceu elle dizendo que me navla de arranjar bem arraujadinho, que nao me pagavameus ordenados porque eu o tinha roubado. Juli: — O seu patrio nao dormlo cisa noite cm cisa ? Reo ¡ -Onriitin. im seahor, Jm'z : ~ Mas onde durmi ? neo : — Eu nao sel, cu eslava dormindo, nio o vi sabir nem entrar. Juiz : — Era nesaa mesina venda que elle dorma? #> : — Era, sim aenhor. Juli: — Uando elle chegou acharam-sc algumas gavetas arrumbadas ? Reo : — NSo vi nada, nao aenhor Juiz:-fj1 seu patrio tinha ncaaa venda alguma carteira.' Reo : -• Ttnba, sim aenbor. Jfz: — guando aeu patrio se recolhcu acbou csaa carteira aberta r Reo : — Achou, sim senhor. Juiz : — Que objectos tinha o seu patrio nes%  1 o irleira 7 Reo : — Nao aei, nao aenbor. Juiz: — Easa carteira tinha chave ? Reo : — Tinha, sim sjnhor. J¡i: — Coslumara estar abertal ou fechada Reo : -.Fechada. Jm'z : — Quem guardara a chave ? Reo % %  — bra elle. luiz:— A gaveta do balero tinha tzmbcm chave ? Rio : — Nao, senhor. •luiz; — Foi feita algunia velloria nessa carteira ? Reo : — Nao vi, nao senhor. Juiz : -11 .Miando foi preao ? DOENTES. Existiam Eiilraiain Saliiam. Morrcrain Exislcm. Curados. ..... Melhorados. Nio curados.. as 24 h. d'enlrada Dcpoisdcssa poca I i 13 11 1 0 3 6 N Entrn hoje dos partos Jo norte o vapor S. Salvador, trasendo-nos gazetat do Para com datas at 2 do correte, do Maranhao at 7, do Ceara at 10, da Parahiba at 6, e do Rio tirande do Norte at 14. — No Para encerrou a aascmbla legislativa os seus trabalhos, depos de tres prorogaedes, com as quaes complctou tres mezes de aessio. Entre os actos que consnmmou, nm houve, que por sua importancia merece aqu especial mencio, e foi a reaolucao unnimemente tomada de representar aos poderes da nacao sobre a necessidade da promulgacSo de urna Ici, que faca privativo doa cidadaoa brasileiros o couimercio retalho, sendo a medida provocada por urna indicacao apresentada pelo depulado Antonio Ricardo de Carvalho Peona, a qual, depois de anbmcttida ao parecer de urna commissioespecialmente nomeada, eqnc com ella inteiramente ae conformou. foi adoptada por toda a cmara, assim como o foram logo aa represeutacoes, que nao de aer dirigidas para o lim Indicado, a S. M.o Imperador, a asseinhla geral, e que na mesma occasao foram aprcsentadaa pela referida commissio. Tinba chegado a Belem o Dr. Jos Pires de Carvalho Albuquerque, commissionado pelo governo imperial para inspeccionar a alfandega d'aquella provincia. OP/nne/a, em seu n. de 27 do passado queixa-se do que a febre amarella que pareca ter desaparecido d'alli, e que so acommettia a um ou outro hospede, o mesmo assim benignamente, linha ltimamente mudado de carcter e intenco, e principiava aaltacar comalguma intensidade aquellos que de! I a se julgavSo izentos, tendo j apparecido alguns casos de vmitos negrosLe-se no 7>Z de Slaio de 22 do passado : — Macrobio, — Em um dos dias da semana passada sepultou-se no cemiterio da Solidado tima muala, de nome Joaquina, contando 107 annos de idade. Foi escrava dos marquezes de Tavora em Portugal ; ero 1760, depois da exterminaca'o daquelles fidalgos, foi vendida nesta capital a um tal Faustino, negociante, enUJo almoxarife da I Na scena brasileira has conseguido Hienda real; mullos annos depois, tendo Formse Manosu. tama gloria, A arlisia dramtica D. Uanoela Callana Lucei, por occasiio de teu beneficio na noite de 15 do cor rente. Jtlotle. %  Sobre o palco, MI.IOELI. Nao tena nem urna rival. Glosa. Tu l a luiente estrella Que fulgura em nosaa acea, Iinmortal gloria te acea Sobre e palco, MANOCLA. Artista sublime e bella O teu genio divinal Deu-tea c'roa triumphal Que le aeclama aoberaoa, Sobre a scena aonde ufana Nio tens nem urna rival. %lo mesmo asnumpto. Eiulta formosa estrella S uc scintillano Brasil : u ganhas-te applauaoa mil Sobre o palco, M.NOEL*. Que maior dita que aquella Que te torna sem igual, Que te d gloria i minora I Sobre a acea onde tu brilhas* Nessa senda porque trilhas Nao teus nem uiua rival. O lllm. Sr. inspector da thesourarla da fazonda provineial, em oumprimento da ordem do E-xm. Sr. presidente da provincia do 4 do corrente, manda fazor publico, que nos dias 16,17 e 18 do mesmo, ir a praca para ser arrematado peraote o tribunal administrativo da mesma ihesouraria, quem por menos lizer a pintura das varandaa da ponte da Boa-Vista, a valiada em 337,700 rs. Arrematado sera feita na forma dos arta. 24 e 27 da le n, 28S de 17 de maio do correte anno. As pessoas que se propozerem a esta arromatacSo, comparefam na sala das sessoos do mesmo tribunal, nos dias cima mencionados pelo moio-dia, competentemente habilitadas. E para constar so msndou afilar o prezente e publicar pelo Diario. Secretaria da Ihezonrasia da fazenda provincial dePernambuco, C de dezembro do 1861. O secretario Antonio Ferreira d'Annuuciaco. Clauzulas especiaes de arrematado 1. a A pintura da ponte da Boa-Vista, aer feita de conformidado com o orc/niento aprezentado nesta data a approva{fio do Exm. presidenta da provincia, na importancia de 337,700 rs. 2. a s ra principiada osla obra no praso de 15 dias, e concluida no de '60 dias, contando-se na forma dos arts. 31 e 32 da lei provincial n. 286. 3. a A importancia desta obra ser paga em urna so preslac3o quando o arrematante livor concluida toda a pintura. 4. a Para tudo o mais que 0S0 estiver especQcado as prezentes clauzulas seguirsc-hAoque determina a lei provincial n. 286 de 17 de maio de 1851. Conforme. O secretario. Antouio Ferreira J' Aunuiiciaco. Declaragoes. (.¡raga de DcrJs. O Sr, lUymundo tambem por obzequio cantar urna aria cmica composicSo do Sr Deis, e muzico do Sr. Theodoro Orales inti tulada: OMALUCO EM GRANDE GALLA Terminar* o expectaculo com a comrudia original bratileira, do Sr. F. C. Conceicfio. A febre amarella no Rio de Janeiro. Personagens e actores. Pedro de Rales.—S. F. Meira. Thomaz creado da Hospedarla.—L. A. Moutetro. Jonhlnglez da California.—Uiymundo Um pedestre. —A. J. Alves. Um preto.— 1. 1 Pereira. Carlota, donada hospedara.—D. Hila. Engracia,sua prima.—D. Julia. Um entrenador tlt: jorni.cs. A acefio pasia-se no Rio, no anno do 1850 Os bllhetes de camarotes, o platea podeni sor procurados no tteatro todos os das das 10 horas as 2 da tarde. Principiar as 8 horas. 26. a RECITA DA ASSICNATURA, Ultima neste corrente anno. Tendo o administrador empresario do feixar o thoatro em consequencia de so acharem muitos dos sonborrs assignanles, c a maior parte do publico, for da cidade tem determinado dar um ultimo e variado espectculo de encerramento no dia Sabbaio 20 de dezembro de 1851. Dopois de urna das melbores ouverluras, subir a scena o ioteressante drama turco, em 2 actos. Zulmira. ou O modelo de Constancia. Personagens. Ilerzaido, sullSo.—Germano. Zulmira.—D. Manoela. Tirmene, sau amante.—Silvestre. Osman velho confidente do sulto. Rois Zelim escravo preto.—Haymundo. Muley.—Coimbra. Mufl.—Poreira. Escravos, soldados ele. No lim do drama as Senhoras Lauda e Carmela, cantarSooexcellentee muitoantdau. dido duelo da Opera Norma. Dopois do quilrepresentar-se-hao 1,'acln do drama As malas que deve conduzir o vapor S. Salvador para os portos do sul, principiamse a fechar hoje (17) a urna hora da tarde, e dopois dessa hora al o momento de fechar recebe-se correspondencias cora o porte duplo. — O nono li ilallio de infantaria necessita contraclaro fornecimento de todos os gneros do que se deve compr o rancho de suas pracas no simestre a de correr de Janeiro ajunho do auno entrante: quem, quizer laes gneros fornecer, poder-se-ha 1 a j.", n „ l 8 ,obo clnUo apresentar no da 23 do corrente na respec-' Uva secretaria as 10 horas da nianlia, traD. Cezar de Bazan. ornado de muzica. Em seguida a Sr 1 Landa, execular a lida cavatina da opera • Ernapi. A companhia nacional representar, depois, o 3. acto do drama. A (iraca de Dos. Nao le importen), 4 Lucct, os dclratores S uc procuran! manchar a gloria tua, 0111 um aorrlao nos labios zoinba ufana, De seus latidos vaos, da ralva sua. Hospital dos lazaros. DOENTES. t 4 a o 0 S %  a 0 3 EEj 5! Existiera Entraram Saln,1111 Morrcrain lAislom Curarlos. Mellionidos NSo curados. Gasa dos expostos. 18 H; 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 181 Ib EXPOSTOS. Sexos. Kxisliam Entraram Sahiram MorittJ „ |Nas:H li. d'enlrada (Depois d'csta poca l-Al-l, III 129 3 0 0 1 131 u. 1)7 0 O 0 9 |5S 28G 3 0 0 3 286 Administraran e.i ral dos estabelccitncntos de caridade, 0 de dcicmbio de 1851. O escrivao, Antonio Jos domes do Correio. Repartic/o da Polica. PARTS DO Di 11 DE DEZEMRBO. Foram presos : ordem do delegado do primeiro dislricto deste tormo, Manoel Tiloma/, de Souza, para recruta; e do subdelegado da freguezia da Boa-Vista, Antonio Pereira da Rocha, por eb j falecido este seu senhor, foi de novo vendida em praca, e comprada pelo negociante Antonio Bernardo Cardozo, a cuja viuva eslava pertencendo, quando morreo. Anda ha poucos annos gosava do perfeito uso das suas faculdades intellactuaes. — No MaranhSo inslallaram-se, por occasSo do anniversario natalicio de S. M. o Imperador, duas sociodados urna promotora d* agricultura c Industria rural, na casa da rezidencia do Exm. presidente da provincia, sendo a reuniSo de trinta e tantas pessoas, as quaes. depois doouvirem um discurso proferido por S. Exc. anlogo ao assumpto, approvaram a proposta por elle feita do urna commissaode sete membrus, encarregada de redigir os competentes estatutos : outra de bailes, que so installou na casa do urna exmela Recreativa, que funcionou om a noite do mencionado dia. Fallecen em S, Luiz no dia 30 do passado odoputadogeralDr. Gregorio de Tavares 0/0110 Maciel da Costa. No Ceara tambem conclus os sous trabalhos a respectiva assembla legislativa no dia 3 do crreme, depois de urna proroga{3o de trez dias, motivada pela approvagSoda redacto da lei do orcamento, e por ter o Exm. presidente da provincia voltado mesma assembla em o dia 30 do passado, em que devia encerrar-so a sessSo, o projecto do lei da fjrr,a policial, que deixou desanooion.ir, mas que dopois foi adoptado pela assembla no sentido das razoes da prezidencia. L-se no tcarense de 2 do corrento : Aracaty.—Escreve-nos o Sr. Dr. Carreira em data de 24 do passado, quo a febre se acha li quasi extincta, limitando-so anda sua aceito ao quarteirSo da pobresa. No dia 24 fez-se urna festa religiosa com pompa em necio de grafas ao Allissimo pela cesso do mal. Todava al 23 haviam morridono mez passado anda 6 pessoas do febre. Russas.—Refere-nos o mesmo Dr. que a lebre yai grasando terrivelmente naquelle municipio, em cuja villa no dia 20 caliiram 30 pessoas de febre, ejse contara 10 morios. O Dr. Carreira (¡cara de saida para all at 28 do passado, nao tendo j partido por torea linio doonte. No Rio Grande do Norte os assassinatos tinham diminuido, e mesmo os acona tecidos eram por motivos particulares, e em lugares pouco pnvoados, nSo podendo alguns dos perpetradores serom perseguidos por falta de forca militar de primeira liaba, 0 Eim. Sr. Cunha, presidente daquella provincia conlinuava a dar as mais enrgicas providencias para que o imperio da le se rostabelecesse. —O reverendo capuxinho Que o teu nome ser com grande fama Ao templo transmitido da memoria. Soberana da scena j nao s, E's Lucci gentil, potente nume Do povo 1'i.ns niuLi 1 -. .1 que ha sabido Castigar o infame vil elume. A. D. Gilirana Cosa. por ebrio. Pelas oito e mcia horas do dia, na estrada' FiySebastio da Virgen) prosseguia no ex.TTfv-AV.all\j ?_! 1 I I4IA4A zl niiaa Qanlaj ^ I n n f\ m l1 1 C OjjWEBClO. ALFANDEGA. Rendimento do dia 16. 18 781974 Descarregam Itojc 17 dedczimbro. Barca portugueza --" Boa Viagem— o resto. Brigue portuguez -Nono Vencedor— mercadorias. Brguo americano Brand Yine — farinha de trigo. Patacho ioglez —Navegadorbatatis. Iiuportaco. Patacho toscano Roraulo, vindo de Buenos-Ayres, consignado a Manoel Alves Guerra Jnior, manifostou o seguinte: 2,100 quintaos (peso hcspanhol) carne secca; a ordem. Vapor brasileiro S. Salvador, vindo dos porios do norte, consgoodo a agencia, manifestou o seguinte : 60 rolos salsa; a Manoel Duarte Rodrigues. 42 ditos dita ; a J. C. P. Prazercs. 6 ditos dita ; a Domingos Ferreira Maya 12 ca i xas tecidos ; a R. Royle Comeanina. 1 encapado encommendas: a Francisco Josc da Silva. I dito e 1 caixa ditas; a Antouio Joiqu ¡m de Vasconccllos. 1 encapado; a Dubarry. 2 ditose 2 saceos arroz; a ordem. I embrulho oncommendas ; ao Dr. Flippe Jansan C. de Albuquerque. Icalxolo ditas, 1 sacca caf; a Crocco & Companhia. 1 caixote encommendas ; a Jos da Rocha Moreira. CONSULADO GERAL. Rendimento do dia 1 a 15 17:100,959 dem do dia 16 2 :506,282 19:607,241 zendo suas proposUs em caria fechada e especificando logo o ultimo proco. Os generos sSopSos de 6 por cento, caf, assucar branco, manteiga, carns verde e secca, bacalho, feijSo, farinha, toucinho, sal, lonha, azeile doce, vinagre o arroz. Previne-se dosdejquo todos estes gneros serSo de excellonte qualidade, e que passarSo por um escrupuloso exame ao seren recolhidos aoquartel, para onde irSo de 8 em 8 dias em face do calculo ou vallo que SB Ihes apresentar, enjeitando-se aquellos quo nao satisfizerera as condiees do contracto, que ser formal. Os carretas serSo pagos expensas dos forncccJores.' — Pela recebedoria do rendas internas geraes, se faz publico que he este o mez cm que hedovdo o pagamento a bocea do cofre dos seguintes impostas do corrente anno fiianceiro de 1851 a 1852, lindo o qual ser acobranca promovida pelos cobradores com o augmento do 3 por cento. Decima addlcional de mSo mora (pnmoro semertro) imposto sobre tojas e casas de descont etc.dito sobre as casas do movis, roupas etc., fabricados em paiz estrangoiro, dito sobre seges, dito sobre barcos do interior, tachas dos escravos. REAL COMPANHIA DE PAQUETES INGLEZES A VAPOR. No da 22 desle mez esperaso o vapor Tai, commandanle Dote da Saloia. Logo quo termine, a Sr.' Landa exocular urnas lindas variacOes, em seguida a Sr' Carmela cantar a cavatina da opera Columela. Terminar o espectculo com a graciosa comedia em msica em 1 acto O Jieijo O administrador emprezariojulga ter organizado um espectculo que muilo agrada, tanto pela variedade. como pela sua acertada eseolha. 0 publico, a quem o administrador emprezario se confeasa asaiz reconhecido pela constarle proteceflo que Ido ha prodigalizado, nSo deixara por certa de concorrer mns esta vez ao theatro de Santa Izabel, tanto mais que nesla noite termina as fadigas tbealraes do anno de 1851. .... Comecar s 8horas. ua bilhctcs acham-se renda no luear do costume. PuMicaSo luterana. Historia universal resumida. Para uso das escolas dos Estados-Unidos da America do Norte, por Pedro Porley, traduzida para uso das escolas do imperio do Brasil pelo desembargador conselheiro Jos R¡beiro. Este excedente resumo acba-se nos prelosda capita do imperio, e brevementu satura a luz : subscreve-se nesta cidade do Recire na livraria n. 6 e 8 da praca da IndeCbapman dos portos do sul, e¡ Pendencia a 5,000 rs. porcada oxemplarcndopoisda demora do costumo' c *dernada. seguir para Europa : para passageiros dirija-se om casa da agencia o. 42, no trapiche novo. Consulado do Portugal em Pemambuco. Para conhecimento da navegacSo e commercio se faz publico que tenJo cessado os motivos que deram lugar publcalo do Edital do conselho de saude publica do Reino de Portugal, do 5 de setembro ultimo, transcriptos nos Diarios de Pernambuco de 4 6 e 7 do Outubro passado, pelo quo nSo era permitlida a admissSo nos portos do Reino dos navios procedentes do Brazil sem que primeiro verilicasso a seu estado sanitaELEMF.NTOS DE Homotopathia. Sabio a luz a segunda parte desta obra composta pelo prol'essor homceopatha Cosset'Bimont. Rccebem-so assignaturas para a obra inteira a 5,000 rs., no consultorio homceopathicoda ra das Cruzes n. 28. Depois da publicacSo da terceira parte, o preco ser elevado a 8,000 rs. para aquellos que nao tiverem asignado. No mesmo consultorio, acha-sea venda tudo quanto he necessario para o estudoea pratica da bomecopathia, como seja : livros impressos DIVERSAS PROVINCIAS Rendimenlodo da 1 a 15. .1:449,522 dem do dia 16 69,552 1— 1:519,074 rionaestacaodesaudeem Belem.foi o mes-, para historias de doenles, regimens apro mo edital derrogado, continuando em vi-; prlados para a provincia do Pornambuco, o goras medidas anteriores. Consulado del encarrega-se de mandar fornecer qualquer porlugal em Pernambuco aos 12 dezembro,' encommenda de medicamentos homcoopade 1851.—Joaquim BaptistaMoreira, cnsul. 1 tilicos, tanto avulsos como em caixss, em glbulos como em tinturas. No prelo : — tathogenesia dos medicamentos brasileiros. Elementos de anatoma e phlsiologia com estampas, paraos curiosos em bomosopatbia. Roga-se aos senbores assignanles o obsequio de mandar recebor seus exemplares no consultorio boincoopathico da ra das Cruzes n. 28. TRATAMENTO HOMEOPATHICO. DAS MOLESTIAS VENREAS, THEATRO DE SIZABEL. RECITA EXTRAORDIHAIRA LIVRE DA ASSIGNATURA. Quarla feita, 17 de dezembro de 1851. Depois de urna escolhida sympbonia subir a scena pela 1. a vez nesta cidade o quadro histrico em 1 acto, ornado de muzica : A apparicao de Christo. EM Campo d'Urique. Composicao do poeta portuguez Augusto e c ? nselllos os doentes para se curarem a nilioZaluar. si mesmo, sem precisarem.de medico; pelo proessor homceopatha Gossel-Bimont. Emilio Personagens e Adores. Rci do Portugal. — doRozaroho, foi assassinado com urna pu'' %  '"' '''' SII1S Santas missilcs, ohtondo se 111Rendimento do dia 16 nhalada o portuguez Domingos Marquos da ( P re u 1 19 feliz resultado. Depois de haKECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS CERAES DE PERNAMBUCO. 396,584 Mo vimento do porto. Silva, e pelo que se suppOe deve se cror quo ver pregado a palavra evanglica na capRendimento do dia 15. o autor dosse assassinato fra um pardo com, lt ]i cgundo j noticiamos, passou o zelos o' dem do dia 16. quemo dito portuguez tinha brigado, eque incansavol ministro do senhor cidade de ohaviaameacaJo. Dado este acontecimonto S. Jos de Mipibu', onde missionou por 13 compareceo aolugardodelitoocommandan-' dias. ed'abi para a freguesia de Villa Flor, tedocorpodepolicia,elogodepoisosubdelo"ae permaneceu por 15. Era arabas estas gado da freguezia da Roa-Vista, que emprefreguezia foram importantissimos os effeigando todas as diligencias para conseguirem' lo* produzdos pela predica do virtuoso a prisSo do assassino prenderam a Flix Jos missionario, oasociedado assim como a reda Rocha, visto se parecer muito com o ligiSoviram com jubilo um grande numeindigitado, etrajar da mesma forma; mas rodereconciliar0es, muitos casamento do rsto individuo foi sollo logo que sorococoncubinados e Analmente o fervore denhecco n3o sor o proprio, segundo acaba vocSo, com quo os habitante de ambas el-. de communicar aquella subdelegado. E lasconcorriamcom esmolasparaa redilicatendo este feito o competente corpo dedocflodasrespectivasmatrizes,ondediariamen licto remeltoo-se a paiticipaffio ollicial que le, eem crescido numero recobiam o sacradirigio o oommandonto do corno de pocia maulo da Eucbarislia depois de purificados acerca do mesmo facto, ordenando que pela penitoncia. Convidado pelo vezitador quanto antes instaurasso o processo, e que da provincia, propunha-seo veoeravel Fr. CONSULADO PROVINCIAL. 2:246,225 1:741,347 Rio %  — Fui preso no da 27 c soitojio dia no poupasae todos os mcios ao seu alcance Sebastio a percorrer o sou interior, seD. Alfonso llenriqucs t J. S. Reis, Ega Muniz aio do D AiTonso. — A. J. Pinto. Garcia MenJes alferes roal — Silvoslre Meira. Laurelo Viogas o espadeiro. — A J Alves. Martirn Maniz.—N. N. Mom Muniz.—N. N. Um enviado Momo. J. J. Bezerra. Um Ermitao.—A. J. D. Coimbra. # Personagens m udai. Gongala Mendos da Maya o LiJador; Concalo Dias o Cid. ; D. Fuas RupirlUo alcalde le Coimbra : Egas Fafo-Soeiro Veigas : ricos homons, infacetos, prelados, pageos, caralleiros, sollados portuguezes, e soldados Agarenos, l. coro llymno de guorra ; 2. coro A oracita ; 3.* coro llymno Luzitano. Soguir-se-ha a linda comedia em 2 actos. Quem porla mata cassa, Antonio do Figueired com sua No lim da comedia o Sr. silvestre cantar senhora o :t osoravos, Zaforino Gil Pires 'por obzequio urna nova aria, poezia do Sr. datiotta, Jo.ii Proflrio da Molla, Manool Reis, muzica do Micstro Pedro Garcia inti— Carneiro Leal o 1 escravo, Joaquim Antulada : Ionio Carneiro Souza Azevedo, AlexFoor011 QUEAPERTO nior, Eluardo Bevile e2eacravosa entre-i Em seguimento, ir a scena a pedido de gar: para a Babia, Jos Candido de Freij muilas pessoas o 4. acto do drama. Sabio a luz e acha-se a venda no consultorio homropatbico da ra das Cruzes n. 28, pelo prego de 1,000 rs. Avisos martimos. Navio entrado no dia 16. Para e portas intermedios — 12 dias e 8 horas e do ultimo porto 12 horas, vapor brasileiro S. Salvador, de 350 tonel I,: Jas commandanle o primeiro tenente Antonio C. de Azevedo Coutinho, equipagem 29. Traz a seu bordo: para esta provincia, Dr. Jos — Frcta-se para dentro ou fra do imperio o brigue brasileiro Principe D. Alfonso de lote de 216 tonelladas, prorapto a seguir para qualquer parte : a tratar com Manoel Concalves da Silva. — Para a cidade do Porto, segu viagem com muita brevidade, a barca portugueza Flor da Maia capitSo Jos de Azevedo Canario, anda pode receber alguma carga e passageiros, para os quaes tem excellentes commodos : quem na mesma quizer carregar, ou ir de passagem, dirija-se ao capillo, ou a seu consignatario Manoel Joaquim Hamos Se Silva. — Para o Porto, saheimpretcrivelmente, no dia a4 do corrente, a galera portugueza Ikacharcn


xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EVGDUBCPH_M46YF9 INGEST_TIME 2013-04-24T17:54:08Z PACKAGE AA00011611_07289
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES



PAGE 1

ie da qual lie capitSo Hodrigo Joaquim Correia, ainda recebe alguma carga a frete e passageiros para os quaes tcm cxcellentes coramodos : quem na mesma quizer carregar, ou ir de passagem, entenda-se com o referido capitSo, na prara do Commercio, ou com Novaos & Companhia, na ra do Trapiche n. 34; assim como ate o dia ja apresentarao no mesmo escriptorio as contas do referido navio. — Para o Rio de Janeiro porten Jo seguir viagetn com umita brevidade, o patacho nacional Margarida, capitSo Florencio Francisco Marques : quem no mesmo quizer carregar, ou bir de passagem e embarcar aicravos, pode entenJer-se com o consignatario I.uiz Jos do Si Araujo, n* ra da Cruz n. 33. — Para Lisboa protende sabir com brevidade o brigue portuguez Viajante por ter a maior parte de sua carga prometa. Quem no mesmoquizer carregar ou ir de passagem dirija-se aos consignatarios Thnmez de Aquino Fonseca*.Filho: na ra do Vigario n. 19,1-* andar ou ao capitSo e propietario Manoel dos Santos,ne praca do commercio. — Para o Porto, segu com toda a brevidade, a barca portugueza Espirito Santo,cap t.lo JoSo CarlosTeixeira ; quem na mesma quizer carregar ou ir de passagem dirija-se >o escriptorio de Francisco Alvos da Cunda & Companhia, na ra do Vigario — Para'o Rio Grande doSul, seguir em poucos das, 4)0r ter a maior parte do seu carregamenlo prompto, o briguj nacional Carlos capitao Jos Joaquim Soares :quem no mesmo quizer carregar ou bir de passagem, para o que tem mu excellentes commodos : dirlja-sa a Bailar & Oliveira, na ra da Cadeia do Recife, armazom n. 12. PARA. O RIO DE JANEIRO. Sahe com a maior brevidade possivel por ter parte de seu carregamento prompto, o veleiro brigue nacional Rio Ave : quem no menino quizer carregar, ir de passagem, para o que tem bons commodos, ou embarcar escravos a frete entenda-se com o capitSo do mesmo brigue, Elias Jos Alves, na praca do Commercio, ou com os consignatarios Novaes & Companhia, na ra do Trapiche n. 34. -Para o Havre sahe com muita brevidade a galera franceza Edith, capitSo Poulet, por ter a maior parte do seu carregamenlo prompto: quem na mesma quizer carregar o restante, ou ir de passagem, pode entender-se com o mesmo capitSo ou com os consignatarios Schafheitlin & Tobler, na ra da Cruz n. 38. — Para a Babia pretonde seguir com multa brevidade o hiato brasileiro Exalsc^o, mestre, Antonio Manoel Alfonso : quem no mesmo quizer carregar ou ir de passagem, pode eniender-se com o mesmo mestre, no trapiche do algodSo, ou com S. Araujo, na ra da Cruz n. 33. •"Para Lisboa sahe impreterivelmente no dia 34 do correle o brigue portuguez Viajante por ter quasi seu carrogamento prompto; para o restante o passageiros trala-se com consignatarios Thomaz de AquinoFooseca 4 Filho, na ra do Vigario n. 19 primeiro andar, ou com o proprietario e capitSo Manoel dos Santos, na praca. — A oscuna Mara Firmina, capitSo Joilo bernardo, deixou de sahir a 15 para o Rio de Janeiro por inconvenientes, o que fara no dia 17 do correte de mantilla ; osSrs. que trataram embarcar escravos, o farSo de roanhSa, emandarSo os conhecimenlosem casa do consignatario Luiz Jos de S Arauj o : na ra da Cruz n. 33. Leilfio. -Franciaco Severiano Rabello & filh larflo leilSo, por intervengo do crrelo 1 Oliveira, de cerca vinte pipas de vinagre de Lisboa, a praso ou a dinheiro, e em lotes ludo a vontado dos compradores : quarta-foira, 17 do correle as 10 horas da manhSa, porta da Alfandega. -O corretor Miguel Carneiro, far o ultimo leilSo este anno no seu armazom na ra do Trapiche o. 40, quinta-feira 18 do corrente as 9 1 [i horas da mantilla de diversos trastes novos, e uzados, pianos, mezas com ricas podras, urna cadeira elstica com estante para ler, solios, e silhes, lustres, cendieiros, quadroa com estampas,lou(a,vidros,relogios, espingardas, e outros muitos objectos, que se entregar por qualquer precs que for ofTerecido ; e sdverte-se as pessoao que tiverem objectos com limites, de os vi' rom lirar antes do dia do leilSo. -LeilSo de urna porc,3o de ciixas com massas em bom estado,as ques serSo vendidas em lotes vootade do comprador, e por todo o preco para fechamonto de conlas, que faz JoSo Tavares Cordeiro por conta o risco de quem pertencer, hoje 17 do correte, as 10 horas no armasen) da travessa da Madre do lleus n. 9, Avisos diversos. 99 — Todas as pessoas que se achilo a dover na venda de Joaquim Jos Correia, na ra da Aurora, queirSo vir at domingo prximo, salisfazer seus dobitos, a sua mulbor : na ra do Rozario da Boa-Vista n. 44, onde so echa morando a mesma; do contrario passarSo pelo dessabor de vor seus nones, e dbitos publicados nesta folha ; o que nSo dente. — Do porto do Zougu em Apipucos dosapareceu, ou furtaram em dias deste mez uin a bomba de ferro, que no I.' inventario do laflecidolenente-coronel Francisco daRocha Paes Barrlo foi dada om partida a legataria Maria Candida MagalliSes; quem souperondo se acha a dita bomba, ou quecx foi que a tirou daquella lugar, o quiser descobrir dirija-toa ra do AragSo, sobrado n. 13,1. andar, pois que ser graleliJo, e se llio prometi guardarsegredo. — Margarida Maria de Jess moradora no e Go caixas com bacalhao, chffgadcstriclo de Larangeirasda freguesia ecom. ..u, — —--„„ o!" !" .... marcaJeN.z.retb.previoeatdos.quenSo do ltimamente, no armazem do contralemcom ou marido Manoel Fernn-, caes da Allandega n. 5. — JuliSo Jos de Araujo, retira-so para o Rio de Janeiro, j— {pil Cuarto das Noves, embarca para familia estrangeira ¡ dirija-ie a ra da Cadeia n. 60, escriptorio. — No dia 38 de novembro prximo pasudo deuppareceu urna negra do nomo Rutina, com os aignaes seguintes:— altura baila, seoca do corpo, cor preta, cabello cortado rente, rosto comprido, queixo lino, denles podres do lado de cima, mfios grossas, ps compridos, com marcas de ventosas as costas, com vestido de catsa de q usuro cor de rosa, panno da costa com lista azul e branca j usado, levou taboleiro eovernisado de encarnado com pg prelos ¡ quem della liver noticia ou • pegar, dirijaso a ra Nova n. 53, que ser recompensado. A bandeira do monte. A virgem Santa do monte. Sendo por nos venerada, No seu dia glorioso llevo sor bem festejada. Os devotos de N. S. do Monte que quizerom coadjuvar com as suas esmolas, para quesaiaa bandeira da dita senbora, com aquella pompa e magnificencia que merece (So sublime acto, dinjnm-se a casa de JoSo Baplista de Macedo, no Varadouro, a quem deveram entregar suas esmolas. E tambera convida-se, aviaando-se a toda e qualquer pessoa que quizer acompanhar a-referida bandeira que dever achar-sc na capella dos Arrombados em Olinda, no dia 21 para 22 do corrento. ¡Vlobilias de aluguel. Alugam-se mobilias completas, ou qualquer traste separado, tambem so alugam cadeiraa em grando porfSo para bailes, ou oflicios; na ra Nova armazom do trastts do Pinto defronte da rus de S. Amaro. villa da Feira, om Poitugal, para negocio do seu interesse. Aaiociacao Comtmreial ¡le Pernambuco. A direccSo a roquerimentos de mais do dous le eos dos socios cffectivos, convoca assembla geral para o dia 8 do Janeiro da 1852, pelas 12 horas do dia, para reformo de estatutos. — A mesa regedora da lrmandado de N. S. do Amparo da cidade de Olinda deo principio as obras da inosinn igreja,como seja a da coberia e da ouiras quo se tornSo indispensaveis, e tem da mandar seus limaos a tirar esmolas, pelos lies devotos da mesma senhora, e roga antes, que se prestem para um lim tSo justo. — Precisa-se alugar urna escrava de meia idade que saiba cosiuhar, ou mesmo um muleque, embora nSo cosinhe, responsabilisando-se seu senhor 1 na rua das Cinco Puntas n. 82. — Procisa-se de um criado, que seja fiel, d fiador a sua conducta, para servico de hoiiiem soltoiro : quem esliver neslas circunstancias, dirija-se a rua Nova n. 35, par ao Iralar do juste. — Quem achou um anel de ouro esmaltado com o seguinte letreiro Gratldfio -c quizer rostitui-lo : pode dirigir-se a rua do Encantamento 11. II que ser generosamonlo recompensado. — Offorece-se um francoz, pera cozmheiro do alguma casa estrangeira : na praca da Independencia, livraria 11. 6 e 8, se dir. -Procisa-se de um refinador, queentenda bom do relinar assucar : a tratar na rua Nova n. 50. — Koga-se a quem tirou urna carta do crrelo, vinda pelo va-, por do Sul, em 4 docorrent?, para Manoel Francisco Martins k Irmao, o favor de a mandar restituir a seus legtimos donos : na rua da Cruz .. Kecife, armazem de molhados n. 6a. -Aluga-se a casa n. 9, da rua larga do Rozario : a tratar na rua Direita, casa numero 131. Madama Ridoux, modista franceza, narua Nova n. G9, ^rmieir o andar. \ Tem a honra do annunciar ao rospeitavel publico, quo se achara so ai pie na casa della um sorlimento muito rico do chapos de seda osetim, turbantes, grinaldas, capollas, flores, plumas de todas as cores, e outros quaesquer enfeites do caboca para bailo o theatro, e tambem se acbar chapeos e flores promptos para luto, tudo pelo piojo mais cntnmod. -Na rua larga do Rozario n. 35, loja, so recebem escravos e oscravas para vender por coramissSo tanto para a praca, mato, como para fra da provincia, tendo bom tralaiiiunto o soguranca precisa. — Acha-se farlnha nova de SSSF, (de raminha) para vender, nos armazons do Deane Koulo & Comranhia, no becco de ConClves. Attencao. No botequim francoz da rua Nova precisase alugar um proto para servico do mesmo, que seja fiel e doligente, no mesmo continua a havor sorvele todos os dias, das molhores Tructas, com asseio, e promptidSo, sarSo ersidos aquellas pessoas que quizerom. -Precisa-sede urna ama forra ou cativa, para fazer o servico do urna casa de pouca familia: emFra do Portas, rua do Pilar n 72, sogunlo andar. — Alnga-se urna casa no Barbalho, com l rs# C1 j a um : na rua do Queimado n. 8, loja duas salas gabinete na frento e mais um quar-! jefeonto da botica. 1'OLlllNllAS PARA i85a. Vendem-se folhinlns de porta de padre, e de nlgibeira de Ircs differenlcs qualidades,sendo urna dellas a com o almanak da cidade e provincia: vendem-se nicamente na praca da Independencia n. 6 c 8. -. Vendem-se queijos do sirtSo do varios tamaitos, grandes o mais pequeos, o tambem se vonde pelo preco de 320 rs. a libra : no aterro da Boa Vista 11.70. Leite se 111 <-oa A 200 rx. ei garrafa. Vende-sc todos os dias das i|a horas as 7 da manha, na rua da Guia, junto ao acougue do Sr. Filippe, e na rua da Cruz no Uecife, prximo do armazem de Jo Carlos Augusto da Silva. — as Cinco Puntas, vende-so por barato preco urna armacSo nova do venda, ou aluga-se : a Halar na rua dos Martyrios n. II. -Ven le -se urna casa terrea, sita na rua de S. Thereza : a tratar no atorro da Boa Vistan. 86. — Vende se a la vena da rua das Cruzes n. 28, ou smente a armacSo della : a tratar na mesma. — Vendem-so canarios de imporio, mullo bons contadores, chegados ltimamente do Porto pela barca Nossa Senhora da Boa Viagem : no pateo Ja Santa Cruz n. 6. A a,5oors. o frasco. Doce de nnnanaz, superior quaUdade, proprio para presente no tempo da festa : vende-se na rua da ,)adeia do Recife n. — Vendcm-sc queijos do serlSo de 1,120 a 1,440 rs., muito bons: na rua Direita, vonda azul n. 2. Selins inglezes. Os muito acreditados selins da casa do Sr. Johnston : acha se nicamente na rua Nova n. 47; — Vendo se urna escrova de bonita figura, boa cozinhoira o propria para vonder na rua o do boa conduela, por j estar ospiri mentada uestes sorvicos : na rua do Fogo n. 23, so dir quem vende. — Vondo-sc um cavallo do cabriolet, gordo, manso o muito valcule : na coxia de^ Agostinho, defronte da casa do fallecido J. J. de Mesauita. Deposito de charutos de todas as qualidades, na rua do llangcl n. a3. Vendem-so charutos superio-es da fabrica do S. Flix da Babia ; ditos doputados senadores, baionetas, venus, a esperiencia prorar, caslanhos filho, mimos de yaya, esterlinos, poroambucanos e rjiais outros de differentes mroas.que se farSo patentos aos freguezes, por menos preco doquoemoutra qualquer parle. mmmmm immwuawwmmwm r? Arta de nadar. t Vonde-se essa til invencSo pelo diN H minuto preco do 6,000 rs. : na loja . ....Il.nlil ..il.li.l \.ln ¡ tes, he devido sua excellonto qualidado. Para casamentos. Capailas e calohos de flores para noivaa, luvas da pelica, e enfeites para as dita, grando soriimooto de fitas brancas, ditas muito largas para cioteiro, transas de seda, meias, ditas lizas e bordadas, veos de blondo, flores brancas, espartilhos, bicos de blonde etc. : na loja de modas franceza de madama Millochau, no aterro da Boa-Visnmmmwxwmwiwwammsimmmm W Ven los na loja l'ernambucaria da V jM rus do Crespo n. II, pura sedado W iW lindos padres a 80O rs. o covado ; VH %  'i asina como sedas escocesas a 500 r.. W mmxmammmmwmztM % % %  %  Quem nio comprar. Sapalos novos de ouro de lustro para senhora a 1,500 o par, brozoguins para as niesmas a 12 patacas o par, estojos grandes e pequeos para costura, ditos muito finos para barba, proprios para se levar em viagem, urna rica carteira para homcm, laoternas mgicas, lindissimas ctixas para guardar joias, urna rica e importante ciixa de costura digna de se fazer della presente a urna senhora de gosto, fitas de veludo, Ovelas de cinteiro, Onissimos extractos para os loncos das bellas, e outros niulos objectos do (tost para bomens e senhoras, chegados do Franca pelo ultimo navio: na rua da Cadeia do Recifo n. 19. SALSA I'AKRILIll DE S.ANDS. to excellente remedio cure todas as onfermidades as quaos sSo originadas pela impuresa do sanguo nu do systcma ; a saber : escrfulas, rheumatismo, erupces cutneas, brebuthas na cara, almoroidas, d lencas chronicas, brebulhaa, bortoeije, tinha, enctiaccs, o dores nos ossos, e juntas, ulcar, dueo. >s vonerias, citica, enfarmidades que ntiae.ei polo grande uso do mercurio, hidropesa, expostosa urna vida extravagante. Assim como, chronicas dosordens da c.instituirlo, serio curadas por esta tao til, o approvada medicina. A ailiiiin -ii ac;,io deste helo remedio, nos ataques mais estraordinerios tem sido senipro seguidos pelos mais felices resultados as suas opera5's ; porcm, o seu principal objocto ho do purificar o sangue, o limpar o systema do qualquer influencia de mercurio. No sou moilus oprrandi, he directamente como um remeJio alterativo, ainda que, indirectamente serve ao systema como um verdadeiro tnico. Doengas nos ossos c no systema grandular; assim como as juntas, o ligamentos, sSo intelramente curadas pelo uso deslo remedio, sem que o %  luenie faca resguardo algum, quando usar este remedio. A opperaclo ueste remedio consiste em remover a desordem do systema, e em breve tempo o doenle gndara a sua saude. A Salsa Panilla tcm ganhado por muitos annos una alta reputacSo, de ter curado douncas mu difllcullosas, que nenhum nutro artigo de valor em materia medica tem curado. He de saber que a Salsa Parilha ho um dos mais valerosas remelios quo os doctores asan era toda a parte do mundo ; com vistas deganharom a cura pelo uso do tal remedio vegetal. Porm, deve-se de notar, que nem todas as pessoas sabem preparar osto remedio, assim como escoiherom a melhor parte que se dove usar om tal preparacSo. Um celebre Medico escriptor, que residi por muitos annos no lugar aonde ha a melhor prodcelo da Salsa Parlla disso : Sois ou oilo ospecies destas raizes que crescem nestes bosques, admrame quo ni! > podesse achar, se nSo -urna, com o gosto, e propriedade da verdadeira Salsa Perilla, que se possa recommender para medicina ; pois as mais erara inspidas o inertes. Porm, como os mdicos no se 11.71 ao trabalho de fazoxem as suas proprias medicinas, mas sira confiara nos soushabois boticarios, para a prepararem, o comporem differentes drogas. Porm de todas as preparares de Salsa Parilha devia de ser da genuina, para que o facultativo o o p ibl.' o licassem bem fiados as preparacesde Salsa 1'. unida a ser da melhor qualidado. Pois he este o genuino vegestavel, que so ofTereco ao publico; oeste se v combinedos o utile cum dulce ; pois em infinitos casos em quo o doente esperancasalgumas tu,lia Uo viver, e grandes quantidades de remedios experimentados, mas sem resultados de mol doras ; masco 11 esta pura Salsa Parilha, suas curas tem sido inliliveis, pois os certificados que temos receblo de possoas que tem usado dosto puro remedio, aflirmaiu da sua boa efllcacia ; estes certificados temos a honra de aprensentar ao respeitavel publico, para que fiquem certos, o que cima se diz, ho verdadeiro. Os propnetarios deste remodio tem por muitos annos erapregado todos os meios para prepararem oste ISo mil, a essencial remedio de raz da Salsa Pariila, qne por II m, conseguiram as suas vistas, em prspararnm um tSovaluoso remoli,e leus tSo lindos resultad, ;.s tem enchido os propietarios do gloria, o triumpho de terem preparado urna linda coiposiclo contra doeness, que o seu lira he destruir o corpo humano. Esta cumposicSo ho quiilioa e nova. Esta Salsa Parilha he combinada cota outros engredientes que todos ellos pertencem classe vegetel, e tojos com o poder de purificronlo sangue. O doente qua usar desta composicilo, pio contar que tem o mais clllcaz remedio, para a sua onfermidade usa. Numerosas objeccas baviam antigamento cm receitareste remoli, as quaeseram bom fundadas ; por que a sua composi'cSo era com grande quantidade de assucar, que apenas so tomava, dava grandes nauseas, o .les ira n| 1 va o tom do estomago, que em vez de fazer beneficio, fazia mal ; assim como infusSode Salsa Parilha,quo era outra preparacSo mu mal arranjada, qua em poucos minutos sa tomava porlida ou se se tomase o doente padeca en poucos miuutos de azadono estomago. Porm afflrraa-so que esta c imposigao da raz da Silsa Parrilha composta por Sands, niio he de somilhante qnalidade, mas sim, he preprala do mili 11111101 m qu) o doente ple tomar sem pa Jecor de nausea, ou azedo no estomago ; mas sim, podar contar coma cura dada por oste remedio sem fall ir. Este remedio se pode dar a urna crieoce, ou a possoas do cousiitiiii.'.Vi dehea la sem haver perigo algum, o seu paladar ho mu seboroso. O nico agente nesta cidade ha Vicente Jos do Brito, na roa da Cadeia do Recife botica n. 16. 1' rulas de Portugal. — Vende-se frascos grandes com persogos, damascos, guijas, e cevejas muito bem conservadas e pelo diminuto preco de 1,000 ra. cada um : na rua larga do Rozario n. 30. Estojos para Geometra* — Na rua larga do Rozario n. 30, ha para vendor ricos estojos excellentemenle aparejados para qualquer pessoa que se proponba ao. esludo do goooetria dezenbo e nutica. C3~ Para linalisar. Na rua estrelle do Rozario n. 43, vendemse latas com bolachinhas de araruta do Rio de Janeiro, pelo diminuto preco de 1,600. 3T Marmelada peitoral. Na rua ostroita do Rozario n. 43, vendese marnela la peitoral pelo diminuto praco do 500rs. a lata.



PAGE 1

Vendem-se relogios de ouroc piala, patente ingicz: na ra da Senzalla Nova n. 4a. Arados de ferro. Vendein-sc arados de diversos modelos, assiin como americanos cotn cambao de sicupira e bracos d,i le i o ; na fundico da ra do 1!i iiiii IIS. 6, 8 e io. Deposito de cal virgem. i iiii! %  I Amoriui, veudeui barris com cal • • %  ii pedn, chegada ultiiiiamcnlo do Lisboa, na barca a Margarda, > por monos preco do que iiii outra qualquer parle: na ra da ladra do Itecife n. SO. Bombas de Ierro. Vendem-se bombas de repuxo, pndulas e picola para cacimba : ua ra do Brum ns. 6, 8 e io, fiindicSo de Ierro. Viiiho de Champagne, o suporior qualidade : vende-sc no armai'in Ka 1 k ni i mi IrmSos llua da Cruz, n. to Moinhos de vento finii bombas de repudio para regar burlas d baixas docapm : voudom-suna (uiulif.u do lluwiuan & Me. Calluui, na ra do Brum ii-, c. s 10. O —Vendo-S um grande sillo no luO Q gardo Mnnguiiho, que lica defronlo Q a dos sillos dos Srs. Cal ni'iins, cun fj m grande rasa de viven. la, dequatro £) •gOll Farinha de mandioca. A mais nova e mais barata farinlia de mandioca que ba no mercado, vende-so DI rui da Cruz do Itecife, armazcm n.13, de JoSo Carlos Augusto da Silva. Deposite la rubrica le Todos os .santo.* na llallia. Vendo-so, ui casa dcN. j. Biober&C. na rua da Cruz n. 4, algodflo transado ' %  w.u..* — u w. .r.wwMW JO —. fruclo : na rua di' Collcgion. 16, seJjr O gundo andar. — Vendem-so volas de cs,iei mcete, etu caixas.de superior qualidade : em casa do J. Keller & Cuinpauhia : na rua da Cruz numero 55. AGENCIA da fuudicao l.ow %  Miioi'. HA DA SENZALLA KOVA N. 42. Nestc eslabelecimcnlo conliaiendaa para senhora, por barato preco. ia iiiln ai.ide salpicos braneos o de cor, a 4,300 rs. com 8 l|9 varas, c 6t0 rs. a vara ; ditas Irancezas de bom gosto, a 560 rs, a vara ; ditas cool listras de cor a 3,000 rs., a peja com 8 varas; cassa prcla a 100 rs. ; covado ; cortes de csssas pintadas, !" 2,000 o cortes do cinta com l-' covados, a 1,920 c I.SOOrs. ; lentos do finissima cambala de linbo, a 480. 560o 640; ditos de cambraia de algod.lo com luco, a 440 rs.; zuartes do cor muito encorpados, a 200 rs. ; dito azucscjm 4 l|2 varas, a 200 rs. ; o algodSo transado com listras, a 180 rs. : na rua do na a haver un completo sortiCrespn.* ment de moendas o meias mocn-| ~ Vende-sc cm casa de Adaspara engenbo, machinas de damson llovyie & Companhia, na vapor, etai.xas de ferro batido c rua do Trapiche n. ^ panno de coado, de todos os tamaitos, paal 6 od5 l )ar a sac cos de assucar, ra jj to ( muito superior c mralo. Agencia de Edwin Haw. ,. Ve as de carnauba cm libras. Na rua de Apollen. (i, armazem de Me. Cal^ndem-so velas do carnaubai B.lando inontfc Compaobl*. acha-sc cou.untcu.cnte spermaceto : na loja de saloiro da rua da nona lortimento de taina de ferro coado c Cadea do Itecilo n. 36. batido, tanto rasa como fundas, moendas inl'ai a |a. ilnis ciras toda, de ferro para animad, agoa, etc M n !io j rj( cs lla rua do Trapiche n. 26, ditas para armar eui madera de todos os ta. ,, • %  ">"'-"'% %  • -"• manhos e madelloa o mais moderno, machina r :ol, eu "' completa eo leccuo de adornos horiaonul para vapor, com forca de i cava!P ar |ardins, composla do vasos de lou^a, los, coucos, pass.ideiras de ferro estanhado braneos e piulados de todos os timanios o para caaa de pulgar, por menos preco ijuc oz modollos. Figuras representando as estado cobre, escovens para navios, ferro ingles (Oosdoauuo, as partos do Globo n todos os tanto em barras como cm arcos lolhas, c ludo Deoscs da fbula, que recomincnda a quem por barato preco. liver bom goslo, e por precos muito rasoaAntigo deposito de cal veis. virpeni Attcncao. "u SSoebegados a loja do forragens da rua Na ruado Trapiche, ll. \n, ha Nova n. 20, defronlo da boneca, de Joilo Pertnuilo Niniprini' rnl nova mi ur-rlra "andes Prente Vianna, as muito apreciadas minio Mipenoi ca nova em icra, j.rraa o bacas Chinelas, obra mullo recoinchegada ltimamente de Lisboa Taixns para engenbo. Na fuDdicAo no Ierro da rua do llrum, idba-ae do receber um completo sorlimenln do ta.v.i: de 3 a 8 palmos de bucea, as quaas acliam-se a venda por ¡TCCO COUImodo, e com promptido embarcam-sc,ou menilavL'l, pela sua diiiicao, o oiliculdada em uuebrar-se.csla s circunstancia aniiuneia ao freguo za sua ulilidaile ; na mesma loja ha Umbetn pira vender grcllias de luir u pio muito em cunta, — SSo ebegados a loja da rua Nova n. 20, de Joilo Fernandos Patento Vianna, os ricos c muito bonitos a; ar.lhosdc nidal li* i >f^ t, uiui vu H^llli.'W 4'tU* v *llviSUv 11 1 V b '. I II carregan.-so eut carrossem despezas ao IinFilra cll e cal, obra de delicado gosto, comprador. c pri'to cominoo ; a elles antes que su a-Vcndcm-sc cera cm velas cabetu. lahricadds cm Lisboa c no liiode VLNDE-SE Janeiro, em caixas de 100 libras superiores queijos flamengos sorlidas, tic i a l6em libra,cUmi,aoo : na vendada quinado pabeni de um > tamaito, por meleo do Carmo tjuc entra para a nos preco do que em outra i|itaicamboa do mesmo. quer liarte : trata-se no escrinlo"' VlllJc sc uu cscravo volito proprio • j \i i i o i. i_ • r 8ra tratar do ulgum sitio, por entender rio de Uacliauo & I inlieiro, na de plantacOos, o tambem para tratar de carua do Vicario ll. Ki, secundo vallosporiermuu pratca:uaruadoUuei~" madon. 14. DEVERES DOS HOMENS, andar. FOTASSA DA UUSS1A. No armazcm de Jos Teixeira Uasto, na roa do Trapiche n. 17, ba para vender, nova c superior potassa da ltussia, chegada receutemenlc. Pr a i>uo rs. Vondc-so eslo compendio aprovado para as aulas, cm meia cncadcrnatSo, a 500 rs cada um : na livraria 11. 6 e 8, da praca da lodoptiidencla. A Coo rs a arroba. Vendem-se batatas novas da uncpios geracs de economa punie | ll0l qua | idailc ¡ lezas 110 Kc „ nuca e industrial. :r--. 1 1 %  u 1 _• Vnndo-socstecon,pendio, S pprovadop.ra "'e armazem de joaquim Pmuwas aulas de primeiras letras, a 480 rs.: na ro Jacome, na travessa da Madre prata da Indcpciidciicia, livraria n. 6c8. de Dos n. O. Lasa de commissao de cscravos. M ...j._, _. 1 1 ciiuciu-ac eotiavus t icitueuiVendcm-se superiores rscuultfuioulu Cuuga hlalo ingleCQ0 rs. ,1 ai tuba : no ejes da alfandega, armazcm de Francisco DiasFerreira. — Vcndem-se selins c silhoes se de commissao, tanto para a provincia como para fra della, para oque se olTcrccc muilas garanlias inglczcs, de couro de porco, da a seus linos : na rua da Cacimba primeira qualidade: cm casa de An. li, primeiro andar. damson llowic 8cCompanhia, na Deposito de cal C potassa. rua do Trapiche n. t\i. No armazcm da rua da Cadea — Ventie-.se superior farnba do Hecilc n. ia, ha muito supede mandioca de Santa Calliarini, rtor cal de Lisboa, cm pedia, aschegada ltimamente a bordo do sim como potassa chegada ullima-! patacho Euterpe, lundcado demente, a precos muito rasoaveis. 'fronte do ccstlo Ramos: trala-sc l'Lolll *\LI1 A. a bordo do mcsino 011 na ruado Anda existe urna pequea quanI Apollo armazem n. i/j, e na rua RAPE' PAULO GO-RDEIRO enejado ult mameQe loja do f't rra^ens da riii daCadoia do Rt'cife n. 4-5. # Vendem-se chapeos do chi"* ^ le pequeo^ a 4>ooo rs. : na '* 0 rua do Ciespo n. 23. — Vendem-se os seguimos objeetns em bom uso, sendo urna laboa requisitas, urna tal'u ii.ihi, um piloto instruido, um tratado completo do n ivi'iNica.i, um bezoulh, um oitante: na rua do Cabug, Irja de roiudezas n. 4 de .Manuel Joaquim Dias de Castro. — Vonde-so os tiem conhecidos queijos do Cear, mui frescaea, no largo do Livra ment n 20. -Vcudom-so barris de oitavo com viubo tinto da companhia dos viudos do Alto li.uiro : a fallar com Antonio Francisco de .Muraos, agoulo daquella companhia, uu no Itecifo na travessa da Madre do baos, armazem do 8r. Jos Joaquim Dias Fernandes. .No mesmo armazem tambom tom pipa, meias ditas, o barris de quarto com vinho da mesma companhia; a fallar com os 11. finios cima. — Vende-sc rap do Lisboa em frascos, chegado na barca Ligeira, a 4,000 rs., ossenhores freguezes que cstSo acostumidos a lomar a boa pitada, nau dcixar3o de mandar buscar ao largo da Assambla u. 4. -Na rua do l.ivramei.to n. 11, vendemse esleirs muito grandes, ptimas parase ostender cm urna sala e servir de cama para 4 ou 5 pessoas ; assiin como sapatoi dedaraquo prcto, para senhora, a 00 rs. o par. -Vendo-so a bordo do brigue Ilulina fundeado defronte do caes do Collegio, boa farinha do Santa Catharina, em porfocs: trjta-so a bordo, OU na rua da Cadeia n. 39, com Amorim IrmSos. batatas do l'orto, a3ao is. a arroba. Vendoui-so batatas muilo boas, a 30 rs. a arroba : no armazcm n. 19, da Iravessa da (ladro de Doos. Na rua larga do Kozaro n. 2a segundo andar, Vondc-so urna inulatinha do 16 annos, linda figura, c cozo muilo bom, urna negra do 16 annos, lamben com principios do costura, duas ditas de 25 a 30 annos com habilidades, dous muloques do 14 annos, um mulaiiiiliu de 15, um mulecotedo 15annos.linda figura, daus negros bons irabalhadores de licuad. i, um negro volbo muito robusto, proprio para cilio, o um mulato do 30 annos, linda figura, proprio para foilor por ter boa conducta, o por estar para isso habilitado. Vendem-se na ruadas Flores n. ai, os seguales livros: i Muan, e\¡i!icaca,i histrica das instituas de jusliniauno, 2 vols.; o mesmo autor, historia da le„-i.~l JC.IO romana desde sua origein alo a moderna legislado, 1 vol. : La ferrieio, 1 vol ;l>. J. I'rondham, da cu icfu da ordem ua humanidado, ou principios de organisatflo poltica, 1 vol.; o mesmo autor, memoria sebre a propriudade, 1 vol. ; Saiul Allin, 1 vol. — Vendo-se champagnoda maica anliga o bem conhecida, Comel, em casa do Deane Yulo & companhia : na rua da Cadeia. — Vende-so urna bonita crooula, que eoze, engomma o faz lavariulo, cosiuba o tom escolenle con lucia, horccolliida o aprendeu na escola o que sib de costuia, lom 18 annos deidade, piuo.ni. para mucamba de casa ; lanibem so ven Je um mulejuecrcoulo de 10 annos do iJade, proprio para qualquor ulliciu ¡ ua rua larga do Itozatio n. 35, loja. — Vondcm-so amarras do lorro : na rua da Scnzalla nova n. 42. -Vendc-se um cavado ruto com bous andsics, muito manto e mandudo, por preco como,n,I i:i|iioui prctoudtr pode procurar do manha no Hospicio venda do Lefio doouro 3 horas em vanto as cinco ponas vido Muuiz sobrado da quinan. 39. 3 negrotas crioulas do idade 18 a 20anuas, engomam ccosinham bem, urna della cose c faz lavarinlo 2 mualas de i lado 22 Lotera do tto de Janeiro. Aos 20:000,000, 10:000,000, 4:000,000 2:000,000 o 1.090,000 de rs. — Vende-sc plvora inglesa cm latas e barris, e lambem linissima, propria para c opoleta ; a tratar na liavessa da Madre de Dos n. 5, Gomma. Vendem-se s.ccis grandes com gomma muito alva para ehgommar: na rua do Queiniadn n. 14. — Vende-se saccas com superior colla,das fabricas do ItiOvCrando do Sul, e a preco com modo, no armazem, do Dias Ferreira ao po da alfandega. Carlos llanly, ourves rua Nova n. 34. ACIDADEDEPARIS. YoV VA\( CWn s i\ ( .^ v \, I una (lo Collegio 11. 4 Novo surlimenlo de chapeos de sol n homcm e senhora, a sabor : chapeos^ dn sol de seda, armaejo do baleia, de 4 500 rs avisa a seus freguezes queseaba roceber de para cima; ditos ditos para senhora, de 4 o, l'aiis um lindo surlimenlo de obras do ouro rs. para cima ; ditos de panno lino, de'ir200 ——w wo IUUI aiui Pf< nil r>a raa 1 hna Q a hrintmt un ni nira TS f niln di ni <1 armaofln A'~. •.. tunados bilbetes, meios o caulellas d. 19 M .P ul e r "'netese brincos sollos para ^ditos ditos de armatao de junco; de lotera a benefici do theatro de S Pedro de Mnbora J meD,u ". Dol 08 dec / mi "' ">< '• 20 ? 'i 800 '• todos llm P*: grande Sor" Alcntara, cuja lista deve vir no primeiro P ,*, enb ora e lem %  sortimenlo deotmenlo de sedas e pannos, empatas para hras ditis da trra, Toado-so estas obras por cubrir os meamos, haleas para vestidos e ¡prego com modo : na mesma loja lem para cspartllhos desenboras. Concertam-su lo vender ans ourves esmalte aul o prcto, boa das ss qualidades de chapeos deso lua vapor e estar patente na mesma loja. Lotera do Rio de Janeiro. Aos 20:000,OOO e I 0:000,000 de rs Iqualdade, cadillos francezas surtidas, ferro com perfoitSo o por menos proto"do'q'uo (Kr O i' inlrlisii Saluoilr.^ i„ A • na alimper sida,armacflo.sorole, torno de outra qualquer parto. U cautelista fcalustino de Aqu-1 mSo e massaricos, o pedrada desunir, no rerreira, avisa ao respeitavel publico, que no da 19 a ao do corrente mez, deve ebegar do Sul o vapor da companhia brasileira -Vendo-se a taberna da rua estrela do llozario o. 16: a tratar na mesma Doce secco. nozano n. 16: a tratar na mesma. No passeio publico, na caa n. 2 que faz Tllta Pin 11 leu quina com o trapiche do Ramos, faz-sedoh „ nM *,' f U ce secco de todas as qualidades, sendo o de K??!?.! i yeaiol f no rmazem de caj' muito claro, onfeitam-se bocetas a Kalkmann Irmflos, rua da Crnz n. lo. enod¡aa3 0vaporindezTav,con-! V i onta d od 1 08 c< i mp, '* d(), e8 a f 8,ncomodoca UspelO te parede A J-. 11EI. > '/ l^calda de todas as qualidades por commocom ricas moldurus : vendem-se noarm. zemje Klkmann Irmos, rua da Cruz n lo ductores das listas da segunda lo-idopre^o. teria do Hospicio de Pedro SegunjCera de carnauba c barricas vasias. do, C da 19. lotera do Theatro del Ven ...!.. .1. %  I ultimo navio do Aracaty, por preto commo. ledro de Alcntara, que cordo.no armaiemn. 4 darua do Trapiche Noreu no da 4 deste mez, e paga imv0> confronte ao mosmo trapiche; o barri,.,.i; n !" „_.. i, 8 leas vasias prompta onchor-se de assucar, Escravos fgidos. A3 do correnla ConccifSo, Para cubrir mesas. Vendc-se oleado pintado de snperor qualidade c lindos padr5es, de qnalro a olo palmos de largura a sua sortc em yirtude da festa espor preco mais baralo do que em -Desappareceu sahbado, de casa de Moreira A Duarle.^i rua do Ci buga n. 7, o aeu escravo de nome Francisco das Cbagas de idade de trinta e tantos annos ¡esto escravo foi comprado com outra aolllm. Sr. JoSo Ozono de Castro M.i %  i do so por sto como porque he ceg de um i mediatamente logo que receber as; aS sim como um completo sortimonto de lisias, sem descont algum todos ¡ miudezas, ludo no mesmo armazem. equa.esqucr premios quesabirem! ^ ara liquidacao. nos bilbetes, meios, nuartos oita ^"''/'nauba muilo boa a 5,500rs c Monteiro, e tlnha sido bolieiro do pa „„ „ • Vi I ato de llollanda a 7,500 rs. a arroba : na dtlo aenhor, o qual be bam conbecido vos c vigsimos, vendidos na praca da Independencia ns. i3 e i5, loja decalcado do Arantes, c na rua da Cadea do Kecife n. /,6, loja de miudezas. Os apaixonados deste tao licito jogo devem babilitar-se quanto antes, ou tentaren! rua dos Tanoeiros, armazem n. 5 -Vendcm-so2quarlaos : no sitio da rua olhos. Julga-ssque fosse desancaminhad dos Piros com o porlSo em frente da rua da ou fugisse para Itamarac, donde tinha nao o, 11,000 5,5oo 2,800 i.3oo lar a porta. Meios bilbetes Quartos Oita vos Vigsimos Calcados a 750 rs._o par, quem deixar de comprar, sto be para acabar : no aterro da Boa-Vista defronte da boneca. IIi rhegadp recentomonto urna gran lu ; outra qualquer parte : na pn^a da Independencia ns. 24,16, 38 e 3o, Sobrado em Goiamia. Vende-se, muito em conta, um bonito sobrado sito na rua do Meo, n. 58, avahado em %  .coooooo, emo qual tem parte rsula Mara das Virgens e sua irmaa Joaquina \ Ivs de l'aiva na quanlidade dos melhoros sapalOos braneos '"'poriancia de 107,47 J TS-quem quo tem vindo do Aracaty, tanto para hopretender dirija se a caza de Kalmem como para menino, que por so desoL„,_„ jar acabar com dinheiro vista, da-so 8 750, nn 'rmaos, rua da rs. o par, ditos de lustro a 2,500, rs. o da Babia a 3,000 rs., e botins braneos, ditos de lustro para homcm, altn disto um novo e completo sortimonto do calcados francezes de todas rs qualidades, tanto para homem como para Sra.. meninos e meninas, primeiro andardon 49,do aterro da Boa-Vis. taacaba-sedo receber um grande sortimonto cortes do (apele a 480 rs.; todo por preco do camisas mui bom faitaae da ultima momuilo commodo ahm do s. appurar di¡ da que soro vendidas a pretos rasoaveis niiuiro, n mosmacasa ha tambem para vender-se — Ven:Je-se, traspassa-fe, ouibonilosespelhos do ultimo gosto e com mol.. _.. I Humada 1 !."! %  ¡,, i\ do aires dias, portanto roga-se as autoridadea, ou a qualquer peaaoa a prisfio do I mosmo, pelo que ser gratificada. BOA GRATIFiCACAO'. Ausentou-sc nanoite* de 27 de outubro passado o mulato Clementino, de 20 annos de ¡dade Doeo mais ou menos, magro, altura regular, tem muilo peqtieno buo de barba e Talla muito mansa, quando anda parece que n3o pisa bem com os calcanhares, costuma andar calcado e bem vestido, levou urna trocha de sua roupa, inclusive calca e ¡aqueta de panno fino azul, e alm do mais aigum calcado, um par de borzeguins pardos, com botoes de madreperola braneos, e consta que levara um cavado, que naquella occasiao alugra, o qual tem os signaos sc—Advenc-soaorespeitavelpnblico quo no guintes : — castanbo, barrigudo, cimas pretas, gordo e tem um taGruz, n. 10. — Vendc-se um porco aovado om chiqueiro : na rua da Guia n. 12. faz-se qualquer outra tfbm ransaccao se duras de Jacaranda. O corretor Oliveira tendo de fechar ala loja, que lot uo laliecido Jo-!gumas conlas, vende l'into da Fonscca c em particular, diflTo iuaill odas veiro II. IS. us engoman, e cosinliam, um cscravo tle DOUCO tempo I M'Vil': .li' l'.lllll n ni rua Ikiriuli ga loja de Guerra Silv nbia, na rua Nova n. II, a lalar com J. Keller & Companhia, na rua da Cruz n. 55. MANOS. Vendem-se cm casa de Kalkmann Irmos, na rua da Cruz n. 10, ricos panos de Jacaranda, com excedentes vozes ebegados ha Silva, antrcnles 0Dras de marceneiro, consistindo em sofaz, cadeiras, ditas du balanto, banquia CS t ompa-| nbas, mezas redondas, dita para sof, consolos, commoda, laucador, carteira etc.. I.nln .1.. I— ..~ II natlo, de servio do campo : ns rua Direila n. 3. Vando-so um piano com muilo boas brancas, cor de'rosa mana ama. vozes, o por preto muilo cm conta : na rua •• b8 a larga do llozarioen 28 armazem de louta so iiiraquo.il vonde.iantesmalojasodiraquem fe n. 33. da^Soo.OOO rs. premio sobro penbor de QO0OOOOQO3O00 0 Na rua do Crespo n. a3, O 9 Vendem-so cortes de ciscmin CAMBBA1AS COM BARRA, b relias : na rua da Cadeia do Itecibras llespanholas. A lllustracflo ooutias diversas e inlorcssantos publicatOus da biblioteca universal do Madrid — muito baratas escripias em bom lypo, escolente papel, e com minias superiores gravuras : vendem-so na casa n. 6, defronte do Trapicho novo, c loja de encadernaeuo n. 8, da rua do Collegio. Obras porluguezas. ... cortes deciscmiras, cho0 V gados pelo ultimo navio viudo de 0 Q Franca, padrfles da ultima moda, O & proprios para a festa, a 5,000 rs P> 00000000000000000^ —Km casa de J. Keller & Companhia, acha-se a venda vinagre Uevisla universal I.isboenso, jornal de lilbranco, superior de Nanles am teratura, historia de Portugal pelo dislinclo l,, PP ¡ A. aTL.JlJ %  ""> m cscsiiitorAiexa.Kirn Herculaoo, historiado Darr,s llc Comedidas. consuladoedo Imperio do Napleflo, revista All.nr.5ft militar o Jornal de pharmacia eseiencias asv.nd.m „ /wlen V do cessorias : voude-se na cisa n. 6 defronte do ...„"' T"" J Penores charutos rogado, irapiohe novo, o na ruado Collegio, loja ca "s de loo en ^,S ¡""'Si da Bl "'' em do encadornacSo n. 8. canas de 100 charutos a 2,500 rs. cada urna; --Vonde-so cabos de linbo o de manilha Sf?''' *proinnoi na rua do T r .. de to las as grossuras, o suporior qualidade, V .. v„d.m .„ .. „ ,i chumbo cm barra, sacas enm farello muito m mnn ." ?" \ s i "vallos chogados proxinovo por ter vindo pelo ultimo navio do liaSdoa Z. „ i T. basUntes 8. rJus cm vre, champgne muilo superior, servej em oa ,. s 0S anu r : • rua das Cinco Ponas cestos do sardinlias n. 63. — Vende-so lijlo de alvonaria feito n'agoa UC: no Giqua olaria defronte do engenbo a 14,000 rs. o milheiro indo-se la buscar. — Ven lo-so urna preta quo sabe bom cosinbar o diario de urna casa, engomma alguma cousa o cozo coslura do prctos, adan lia das superiores colxas de linbo, do melhor gosto que tem npparccido no mercado, pelo barato preco de IO.OOO rs. cada urna : na rua do Qucimado, loja n. 17 — Vendem-so 100 alqueires do sal, por commodo preto : na rua da Cruz do Itecife n. 94. Arados de ferro. Na fundicSo da Aurora, em S. Amaro, vendem-se arados de ferro de diversos modelos. £ ¡Vendem-se e alugaru-se bichas, che4 t gadas ultin.auenlodellamburgo, por (j) ) preco commodo: na rua de S. Amaro 4 a>i 11. 28. 4 ••##9##daX99$$^9$d — Vende-se um carro de qnalro rodas, muito leve, para um ou dous cavados: na coebeira do Miguel Sougei ? no aterro da Boa Vista. duzi, camas de cen latas com om azeito, e pennas d'aco muito boas : ludo por commodos precos ; na rua do Trapicha novo n.ll. escritorio do J. U. Lasserre & Compaahia. — \ eniL'-se oleo de linhaca cm botijas: a tratar com Manoel da a-so quo nao tem defeitos noin achaques: S i ., c na rua do Collagio n. 6. ilua Santos, no caes da Allande.. ve„do-se t m 8C ravo de Angola moco, ga, armazem do Anes. de bonita figura, multo possanio, bom orVasseio publico n. 9. telao o proprio para todo o servio : no ei-Vcndem-sa 18 caixilhos envidratados l d WBMAIaMi, junto do Sr. J. J. Tasso cpromidos para qualquer obra, por toralJunl0 n -1 2 do de uma loja franceza; na mesma loja '. "7 'nue-aj urna prola do 22 annos de vendom-se 300 varas do bicos o rendas da ldaae ¡ uo mu l Don,ta "gura por 650,000 Ierra, por proto muito commodo. 1 "•• e l P m habilidades; ao comprador se dir ir—1 „. • 1 J 1 !o motito da venda: confronta ao hospital — Vende-se Vinbo de champademarinhan. 145. Na mesmaaluga-seurna nhe legitimo e de superior quali* %  !* ? UD1 quarlo, proprio para qualquer dade: cm casa de J. Keller &, ^"velide-se urna c.deira de rebuco : na Companhia, na rua da Cruz n. 55. ru d aiondego n. 99, ou na rua Velha n. — Vendo-so por 4:000,000 rs. um silio com "• mais de 1,000 palmos de fundo, com casa de "" Ven l'i ; u nle, quem quizar proveitar-so anau.icio. ru d o lonae K 0 n. 99 no 1 asscio_ 1 mineo, loja tle la„ vonde-se umpiannororto muilo bum o Vendc-se cal virgem em pedra, i por pre;o commodo : na rua do Collegio 11. Chegada recentemento do Lisboa, em anco15,3.'andar. ras muito bom acondecionadas e por preco Vendem-se na rua larga do llosano n. muito commodo : no armszom de Silva Bar36, emeasa do Sr. Paulo Caigooux, lodo roca, na rua do Trapicho Novo n 19 os pertencea necesarios par pratear e dou-l Vende-se um relogio de ouro dscuberrar, pelos moios elcctrociiymicos inclusive lo, por preco commodo: na rua da Praia os livros que tratem da materia. 'n 17 da Cruz armazem n. 33, com S Araujo. Armazcm de louca vidrada. Como sejam : pancllas, cacarolas, lijellas, assadores, fregidoiras, papeiros, alguidares, lalhas para doc, vasos para flores, jarros, quarlinhas, garrafas, copos, moringues, resfriadeiras ; ludo lino para resfriar agoa, balaiospara mouinasandarem, ditos para costura o compras, baldes de pinho, condenas de todos os lamauhos : na rua da Cadeia do Itecife n.S. U Alarmla. Retratos do Prospero Diniz, redactor da Marmota a 100 rs. cada um: uo palco do Collegio, casa do livro azul. CHECUEM A I'ECUINCIH. /.endas n. i5, vendem-se saccas com alqueire de milbonovo pelo mdico prego de 2,000 rs. asacsa ; assiin comosacco com larinlia do mesmo tamonho, a 3,000 rs. Iho em uma anca; he provavel que queira passarpor forro, he bolieiro e escravo de Luiz Antonio Siqueira : quem o pegar leve-o a rua da Cadeia do Uecife n. ai, que ser recompensado. — Desappareceu na tardo do dia 13 do passado um escravo por nome Joaquim tem os ., signaos seguinles: boa estatura, representa tanto do Jacaranda como do amarello, I ter 35annos de idade, falla dosombaracada, piano, lanternas do bom goslo, candieiros pes grandes, lem lodosos denles da frente, de globo, vasos para llores, lindos estojos nariz chato, quando anda ostalaasjuotas dos para coslura do Sra, e" carteiras do llsrao 'joolhos, lovou camisa de algodSosinho branpara bilheles de visitas, visto nSo sorem ,co, calca do dito azul, este oscravo foi do sulhcientes para um loildo ; no sou oscripmato: quem o pegar lovo-o a typograpbia tono, rua da Cadoia do Ilcifo. imparcitl a fallar com a viuva Roma que set — Vonde-so uma cscrava robusla edolr recompensado. mnita ligura.d-so mais om conta com tan-1 —Desappareceu no dia domingo, 12 do 10 que saja para fra da provincia, ou en-1 passado, um preto que representa ter 45 a geniio longe : a tratar na rua de Sauta Rila 50 annos de idade, de nacao cacange, baiin, I cheio do corpo, sem defeito algum no corpa, levou vestido, cilta de casemira aiul clara de quadros o j velha, colote de selim preto •*( velho.jaquola de brim pardo,camisa de na •Cj dapolSo, chapeo do seda preto; presume-so ^ que anda pelos arrebaldes desta cidade, pois ** apezardeser do sortilo nilosejulga que teDeposito de tecidos da fabrica de Todos os Santos, na Babia. %  Vondo-se om casado Domingos Al, a £ ezar d Tr d0 8ertl S ejUlga ?"•!, vos Matheus, na rua da Cruz So le I*" 1 vo ,do : r0 *--" P? rlanto M "tondacifen. 52, primeiro andar, algodfio ^ iransailo daquella fabrica, muiloprO" -; prio para saceos e roupa de 08cra2 ^ vos, assim como lio proprio para re2 ;> des do pescar e pavios para vellas, 2 flkpor preto muito commodo.