Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07284


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XXVII
Quinta-feira 11
de Dezoiibro de 1851".
N. 280.
sn
DIARIO "DE PERM1DUft
rB.1.90 A subcrifoIo.
Pagamento Aduntado.
Por trimestre............ 1/000
Por lemeitre............. 000
por anno ........ i.....Djtwo
Pioo Dir.no uniauii.
Por quartel............., 4/500
OTICI*! DO 1MPIHIO
Pjt.....13 deNorbr.
Maraohao 10 de dito
Cear. 24 de dito.
Parabiba. 5 de Deibr
Mina... lde Norbr.
S. Paulo. 10 de dito.
R.deJ.. 25 de dito.
Bafla... i de Deibr.
DAS DA KMANA. AODIMTOIAS.
8 Seg. ** OoDcel(o
de N.
9 Tere. 8. Leoca<
10 Quart. S. Meiqu
Senhora.
cadla.
uiadea
m.
11 fjulot. S. Damazop;
12 Snt. S. Juatioo ni. ;
13 Sab. S. I.nzlav. m. ;
14 Dom. 3. do advento
S. Angello.
JmionV OrpMo
2.eS. a lOhorai.
1. tiara do civil.
3. e6. aomeio-dia.
' Faunda.
3. eS. a 10 hora.
2. vara do civil.
4. e aabadoa ao melo-d.
Rdacao.
Terca e nbido.
rHKIHIlDII.
Creicente i 30, ai I hora e 53 minutos da m.
Chela a 8, a < hora e 8 minuto da t.
Ningoante i 15, ai 3 hora e 6 minuto da m.
Nova 22, a 1 hora e 14 minuto da tarde.
ra ama d i
lOJ
Primeira i 7 boraa e 42 minuto da manhaa.
Segunda s 8hora e 6 minuto da tarde.
VABTIDAt DOl OOBBIIOI.
Golanna c Parabiba, aegundaa e sextai-
feiraa.
Rlo-Crinde-do-Norte, todas aa qulntas-ieiras
ao mcio da.
Oaranhume Bonito, i 8 e 23.
Boa-Vlita,e Floral, 13 28.
Victoria, s qulnta-felras.
Ollnda, todos oa das.
atOTIOIAl ISTniUGIIBAI.
Portugal. ldeNovbi
Hespanha. 8 de dito
Franca ... 8 de dito
Blgica... a de dito
Italia.... 31 deOutbr
Alemanba. i deNorbr
Pronia ... de dito.
Dinamarca29 de Outbr
Rijisia... 28 de dito
Turqua. 18 de dito
Austria.. SdeNovbr
Suliai. .. 2 de dito.
Suecia... 28 de Outbr
Inglaterra 8 de Noabr.
K.-l'nidoa 26 dcOulbr.
Meilco... 15 de dito,
California 12 de dito
Chlll. 8 de dito
Kuenoi-A. 8delNovbr
Montevideo ?i d Outbr
CAMBIOS! 10 Bal JMIWIO,
Sobre Londres, a 20 d. p. 1/000 Firme
Parla, 333 por Ir.
Lisboa, sein tranaacedes.
SSXTACS.
Ouro.Oncaaheipinholai....' a
Hoedas de 6/400 velhaa. 16/000 a
. de 69400 novas. 16/000 a
de4,#W0....... 9/000 a
Prata.Patieti brasileiroa.. lifflaO a
Peaoa columnarios... 1/920 a
Ditos meiicanos..... 1/740 a
28/600
16/100
16/200
9/100
l/90
1/BJO
1/750
appella-
PARTE OFHCIAL
TRIBUNAL DA RELACiO'.
SESSA DE 6 DE !)!:/KM Hito DE 1851.
Preside Ma do Exm. Sr. constituir Azevtdo.
Al 10 horas da manhSi, estando presentes
os Srs. desembargadores Villares, Bastos,
LeSo, Sooza, Rebollo, Luna Freir, Pereira
Jlonteiro, e Valle ; faltandocom causa oSr.
desembargador Tulles: oSr. presidente de-
clara aberta a sessSo.
Foi lido ero mesa um ofllcio da presiden-
cia coiiiiiiunican.il) que por decreto de 20
do psssado fora nouieado o baebarel Jos
Mara Hoscoso da Veiga Pessoa para o lugar
de juiz municipal e de orphSos do termo de
Pao d'Alho.
llem communicando que por despacho
de 18 do mez passado ordenara ao juiz mu-
nicipal para o termo deGolanna o bachirel
Caetano Estelita Cavalcanti Pessoa, que en-
tras-e no exercicio do dito lugar, e que Ihe
marcara o praso de quatro mezes para a
urescntscSo de sua carta.
dem communicando que por decreto de
17 do mez passado forain nomeados o juiz
. de direito Francisco Joaquim Coses Ribeiro
para desembarga ior da relacAo desla pro-
vincia, a o juiz de direito da comarca de
Coianna Antonio Joaquim do Albuquerque
Mello para desembargador da relagSo do
MaranhOo.
Compareceu o Sr. desembargador Fran-
cisco Joaquim Gomes Ribeiro a quem o
Exm. Sr. conselheiro presidente da relacSo
diferiojuramento o din posse de um lugar
de desembargador desla relacJo em virtude
da carta imperial que apresentou.
JULOiMENTOS.
Appellante, ojuizo; appellado, Jos Goncil-
ves do Paco.Confirmar m a sentenca.
Appellante, o cnsul francas interino ; ap-
pellado, Diogo Baptista remandes. Con-
firmaran] a sentenca.
Appellantes, Joaquim Pinto de Miranda Sea-
bra o oulros ; appellados, Francisco Soa-
res Villela e oulros.Julgaram nullo o
processo de II 543 om diante.
Appellantes, Bernardino Luiz Ferreira esaa
mulher; appellados, Paulino Manoel Tho-
m Cal iino e sua mulher.Conlirraa-
ram a sentenca.
Appellante, Francisco Cavalcanti do Mello ;
appellado, Jos Fraocisco Goncalves.
Desprezarsm os embargos.
DIUOENCUS.
Appellante, Jos Goncalves Torres ; appella-
dos, Mara da AssumpcSo da Silva Motta
c oulros. Mandaran! coc vista io cura-
dor eral.
Appellante, cjuizo da fazenda; appellado, i truccao,--
Prixedes Ya Ponseca Coutinrro.*a*u.(a |j>rTi>c"io na refe i la provincia, segundo
ram com vistsssoSr. dosembargador pro-
curador da coroa.
Appellante, o juizo ; appellado, Caetano
Correia de Amorim.Mandaram com vis-
la ao Sr. desembargador procurador da
coroa.
Appi liante, ojuizo; appellado, Prxedes da
Fonsaca Coutinho -Mandaram com vista
aoSr. desembargador procurador da co-
roa.
Appellante, o juizo deauzenles; appellada,
Auna Maria da ConceicSo.
AppellacOes civels.
Appellante, D. Joanua Maximilia da Concei-
cSo ; appellado, Jos Epifanio da Silva,
tutor do menor Joaquim, oomcaram cu-
rador do dito orphSo, o advogado Egidio
Henriques da Silva.Mandaram ouvir o
curador geral.
DESIGNigES.
Appellante, Floroncio Jos Carneiro Monte-
ro; appellados, Manoel Caetano Soares
Carneiro Monleiro e dtitros.
Appellante, Diogo Cokschot & Companha ;
I Appellante, Manoel Jos Soares de Avillar;
appellada, Manuela Francisca Monleiro
Regadas.
Appellantes, JoSo Baptista Pereira Lobo de
GusmSo e outro; appellado, Manoel Clau-
dio do Quei'Oz.
Passaram do Sr. desembargador Luna
FroiroaoSr. desembargador Pereira Mon-
teiro as seguales appellacOes emquesSo:
Appellante, Joaquim Ferreira; appellado,
Jerooymo Joaquim Ferreira do Oliveira
Passaram do Sr. dosembargador Pereira
Monleiro ao Sr. desembargador Valle as se-
guales sppellacoe* em que so :
Appellante, o juizo; appellado, Francisco
Jos Mondes.
An olanle, Manoel Alves Guerra ;
do, Jos Niculo lluncir Costa.
Appellante, Manoel Cimillo Pires ; appella-
do, Jos Palies Vanna.
Passaram do Sr. desombargador Vallo ao
Sr. desembargador Gomes Riboiro as seguin-
tes appellacOes em que. sao:
Appellanto, Jos Francisco da Silva Amaral;
appellados, JoSo Baptista Vanna & Com-
panha.
Appellantes, Rozando Cesar de Ges, sua
mnlher e oulros; appellados, Pedro Lu-
cas Corris, sua mulher e oulros.
distribuicOks.
Ao Sr. desembargador Rebelio as seguin-
tes appellacOes em que sao :
Appellante, Manoal Jos de Medeiros Ture-
ba ; appellado, o juizo.
Ao Sr. desembargador Luna Freir as se-
guales appellacOes em que sao :
Appellante, Manoel Joaquim dos Santos;
appellado, ojuizo.
Ao Sr. desembargador Pereira Monleiro
ss seguintes appellacOes cm quesSo:
Appellantes, Manoel Cuedes Gondim e sua
mulher appellado, Francisco Cavalcanti
de Vasconcellos Mello.
Levantou-se asessSoa 1 hora da tardo.
Commando das armas.
Quartil geniral a cidarlc do Reeifi, 26 di notiem-
bro de l85l.
OIDEK DO DA R, 35.
O marechal do campo graduado coniman-
dante das armas, faz publico para os lins
convenientes quo o Sr. segundo lente do
quarlo batalhSo de artilharia a p Jos Nu-
nes Marques estando na fruicSo de tres mi-
zos do lconc>, que pela presidencia Ihe
Cora concedida a 26 do miio para tratar de
seus inleresses na provincia do MaranhSo,
o consecutivamente na de out'a por igual
ternpo conferida pur aviso do ministerio da
guorra de 30 de junho ultimo, fura empre-
gado pela respectiva presidencia na ins-
truccSo do continenle 'la mesma arma em
cadequein competente fr. inclino-meao pa-
recer mais favoravel aoa reos ; at porque elle
be mala consentaneoj philantropia dos nosso
loT Jurados, lalvez por an-
' triiiuii irs chamado
thite.se.
acoiBinunicaco quo( pelo Exm. Sr. presi-
dente desla ) Ihe acaba do ser feita em ofll-
cio de liiml 'in datado.
O mcsiiio marechal deter nina, visto a fal-
ta de ofticiao-i.'que facath como talo ser-
vio na guarnicDo smunle, os Srs. cadetes
constantes da relacilo quo segu trans-
cripta : *
RelacSodos cadetes que passam a razar o
servico de oIBcial na guarnisao
Quarto batalho de artilharia a p.
Segundo sargento cadteMaritaou Marce-
lino de Souza Guiniartles.
Primeiro cadeter-Hetiriquo Everaldino de
Bitancouit Touriiiho.
Nono batalhode infntarii.
Primeiro cadete sargento-Manoel Jos de
MagalnSesLeal.
Segundo cadete sargentoJos Antonio Se-
rfico de Assis Carvalho.
Segundo cadetoJos Frnncisco Soares.
h.'i'i ;o butalhSo de infanlaria.
Segundo cadete sargentoFrancisco Genui-
,rv..-M~, .wBw ^---------------r......., no SmOes.
appellada, D. Cicilia catharina do Monte Segundo cadele-llerculano Geraldodesou-
Sinay. |. zaMagalhes.
Appellante, Francisco Antonio da Gama;1 Antonio Correia Seora.
appellada, Mara da Paz. Quartel general na cidade do llecifi, 29 de no-
Appnllanle, Jos Antonio da Costa ; appella- vembro de 1851.
do, Antonio Jos do Medeiros Bitancourt. ,6
Appellante, o juizo da fazenda ; appollado, 0RDKM D0 DU 36-
Jos Jaronymo Monleiro. i Determina o Sr. marechal Je campo gra-
Appellante, o Exm. barao do Suassuna ; ap- duado commandaole das armas, que no da
peliado, Antonio Pires Ferreira.
MVISOES.
Passaram do Sr. desembargador Villares
ao Sr. desembargador Bastos as seguintes
appellacOes em que so :
Appellante, o juizo; appellado, Antonio Al-
ves da Silva Oliveira.
Appellantes, Francisco Pereira Pinto Caval-
canti e outro ; appellada, a fazenda.
Appellante, Mathias Joiquim da Cama Mel-
lo ; appellado, llurtensio Jos Velho.
Appollanlos, os indios do Arronches; ap-
ptllados, Albino.
Passaram do Sr. desembargador Bastos
ao Sr. desombargador LeSo as seguintes ap-
pellacOes em quo so :
Appellante, Jos Pereiri de Castro appella-
do, ojuizo.
Appellantes e appellados, Manoel Antonio
Diis o Jos Venancio Piojenta de Car-
valho.
Appellante, Joaquim Jos de Brito ; appel-
lado, Joiquim di Silva Mourao.
Appellante, Manoel Alves Guerra appellado,
Gaspar de Menezes Vasconcellos de Dru
iiuiiit.
Appellanlo, o juizo; appellados, Manoel Pi-
res Ferreira e outro.
Appellante, ojuizo; appellado, Ignacio Cor-
reia de Mello.
Passaram do Sr. desembarga lor LeSo ao
Sr. desembargador Souza as seguintes ap-
pellacOes em que silo
Appellante, a juslica ; appellada, Rosa Ale-
jandrina dos Prazeres.
Appellante, a preta Manoela; appellado, Ma-
noel Francisco Rebelio.
Appellante, Mara Theodora da Conceicao;
appellado, Aleixo Jos de Oliveira como
leslamenteiro.
Paisaram do Sr. deiombargador Souza ao
Sr. desembargador Rebelio as seguintes ap-
pellicescm quo sao:
Appellante, D. Candida Agustinho de Bar-
ro ; appellado, Jos Candido de Carva-
lho Medeiros.
Appellantes, Amaro Goncalves dos Santos e
oulros; appellados, Marcelino Antonio
Pefcira o oulros.
Passaram do Sr. desembargador Rebollo
ao Sr. desembirguJur Luna.J'reire as se-
guinlos ppuliac.oo'Sea) que san :
Appellante, o jmzu ; ppella.Uo, o africano
Miguel.
l.'de dezembro vndouro pela manha, se
passo revista do mostra aos corpos do oxer-
cito existen'.os nesta guarnicSo, em sous
respectivos quarteis pola uianeira seguinlo:
o dcimo batalho de infantaria e os recru-
tas om deposito no II xpioio as 6 e m i i ho-
ras o nono da mesma arma as 7 ; a cam-
panilla lisa do cavallaria as 7 o meia ; a do
artfices as 8, o finalmento a quarlo bata-
lho de artilharia a p as 8 e meia.
Candida Ltal Ferreira,
Ajudante de orden encarregado do detalhe.
Nao tardar multo que quintos concorreram
para a captura dos innocfntii despachante do
mli Dr. Trajano, eitejain purgando no in-
ferno de Dante esie peccado atrociisimo aos
olho da civilisacao e progreno. Fellunente
em nada concorri para io, e de alguma cou-
la que teuho dito, que oITcn.ier poisa a to nu-
breie eifoicadoi cavallelros, retracto-me pu-
blica e particularmente com loda ai formall-
dade, ou sem ellas, com tanto que ellei lobre
ellas lancein uina perpetua amnislia, e esque-
cimento profundo para tranqiiiilidade de uieu
corpo, m repouso de meu eapirlto; que ine la -
aem certo arranjo indivllivel.
Tivemos no da 2 grande parada; porm
menor do que no dia 7 de aeteinbro. Vejo que
os seuhores omelaes da guarda nacional eslo
cada v mais remisos, c que nao do por da-
vante com qualqucr reprehenao, pelo que es-
-iis i ..... de pasiar-lh'a, ja que os nao poo
por sb coberta inchula pelo dia da le. OA
tempova, oh moni! Quando en servia na mili-
cia de eterna recordaco, serla capai de faltar
a um arrumamento? Pois nao. Nem o mala
pintado tencute-coroncl. Uojc qualqucr al-
feresiinho, que nem sabe de que lado est sua'
niodireita, ousa naos faltar aparada, como
assisti-la paisana lio largo de palacio, como
eu vialgum, e al lombando do que e apre-
sentaraiu quando na continencia Ules passavam
ao alcance. Por tal lorma melbor leria acabar
com casa malcarada chamada guarda nacional,
j que o primeiro relazados ao o omelaes.
Omeamo nono major Velloso, que tanto go-
t iva de dar-iins oprazer de vr la garboilda-
de militar em um furioiogiuete, hojeuoquii
apresentar-e. Greia-aae, que nao lem mal
poeaia urna parada nesta provincia.
Hepettiria o elogios, que del aos senhore
olBclaei em minba primeira niiniva poiterlor.
ao dia 7, le nao Julgaiae enfadonho ; porm di-
reique forain os meamos que se apresentavain,
mostrando que anda saDein conservar o^res-
prlto iinitituicde entre a geral corrupeo.
O corpo de polica foi o leao da feita pelo
eu garbo, e aceio. A inuaica esteve ricamen-
te fardada, anda que Ihe nao achci multo goi-
to no vermelhao do peito, que fea chamar-lhe
alguein raucho de Joos-I'orros.
Vi o uiestre com adragonas de capilao, e di-
visas do meimo posto no canho, e nao gostei
dagraca, que me pareceu em menoscabo da
divisas militare ; mas como j vi tcalos de
um Individuo de,ti cidade com sobrecasacos
aiucs, botes ainarellos, e galea de capito
noa canh0ca,de lorte que temi acr alguma In-
vaso de tropai haitianas, ou de S, .11. Salou-
que, nada mal eslranho ueste genero.
Aaalati ao cortejo, porque uiu compadre
me cuiprcitou una casaca que foi de aeu quar-
to avu, e que leve a fortuna de apandar a mo-
da actual, e mullo goatei de ver um novo docel
preparado nessa provincia, que em verdade es-
t com riqueza e bom goslo.
Asaillrain varlai peasoas grada; e notei a
tat de mu 11 is outra, c alguna empregados
publico c abetes de repartico, que talvci qul-
lesaem dar um leilcinunlio publico de eu
uionarcbisino.
Nao posso deisar de rcferir-lhe urna anedoc-
qoe provava logicamcute ao papal, que os
nainorico sao livre por direito natural: Uin
pastrano, que para poder filar a cylogista quiz
entrar para a casa do doudo, da qual era o pai
de aua querida hospltaleiro. Um criado galato
com vo, laivos de namorado. Finalmente um
casamento sein mais preludio, n nem ndice.
Kis em que cntrelemos o dia 2, que em ver-
dade foi um do mal divertidos que temos li-
do, principalmente para quem, como eu, nao
gosta de ezperdicar certas aparas, que appare-
cem por este mundo de meu Dos.
Quando julgava evgotada loda a uovida-
de, eup|iunhi concluida por hoje esla minha
j looga epistola. ei me lembro que aluda me
reitava una, e be urna uova especie de especu-
lacao que val grassando em algn lugarejos
do entro ; quero dizer um novus modus vl-
vendi, urna nova eipecie de lucrar, reduzin-
do a cicravidao familias inteirai liberta! !....
P.n e. i'-ili.-ii i eiqnisilo ?! l'oia as -un lili .ni i
he verdade!
lia cerios especuladores que vendo urna fa-
milia de pardas, iniaeraveta e maucos, procu-
r.mi saber scidcscendem de alguiu libcrlo, c
deqiiemescravo. Obtidas esta informaces,
prueuram quaes os herdeiros do libertador, c
Iralaui de conseguir dellc ou pelo menos d
alguna, venda dus presumidos direllos heredi-
tarios aquella familia.
Conseguido islo, com um simples mandado
de captura execulado de improviso, agarrra->e
loda, ou a maior parl da familia, e sem mal
demora ao os improvisados eacravos levados
para diverso lugares e vendido.
Se algum respluga, e contesta aua escravidiio
em Juizo, ai dellc; porque corre-se um libello
liue,idu, a imitaco desque fazem oscstudantei
do quinto anno jurdico para se ameslrarcm na
pratica, e com urna sentenca, transitada sem
duvida euijulgado, obtem-ae a escravido uc
loda a familia, enjos laembrol vo lendo caca-
doi noa ditlereulea poutos em que e acham
por mel de mullo legtimos deprecados.
Disein-mc que Mamanguape leve a honra da
deacoberta desla uova inaneira de furlar; mas.
ae asilm he couvem coufeasar, que os outroi
lugarejos oo se tecui mostrado inulto ditrlceis
em comprehender a licao, e nem indolentes
em pratlca-la; pols tenbo-a vito repcllida em
diversos.
E o que podero oppor miseravei, fallos de
prolecco e destituidos de recurso contra os ve-
Iliacos ; quasi sempre poderoso, que coulra
elle movem laes mcios de lunar ?
Nada, absolutamente nada; poia at os advo-
gados temein entrar em lide aseufavo, aluda
quando o quizesseiu faier pelos estmulos da
buinanidade.
Talvez breve entre novamentc neste assutnp-
tu, digno de loda a attenco do goveruo. X
S ui.li: e dlnuelro ihe desejo. U
......------------------
PERNAMBUC9
O srs.
EI.EICES PR0VISCIAES.
Cl.LECIO DO CABO.
Dr. H. Carneiro Lins do Albuquerque
Dr. Ignacio Joaquim do Souza Leo
VOTO*.
50
|
18
47
INTERIOR.
CORRESPOSBENCIA 01) DIARIO DE PF.R-
NAMBUCO.
Paraliyba, 5 de dezembro de 1851.
Por mais que del vollas ao meuarmaremde
noticias, por mal que visllet todos os leus e-
condrljo, nao pude encoutrar materia para es-
crever-lhe pelo correio do primeiro, e nao sel
o porque eslava to embotado do raciocinio,
que nem ao meuos me foi posaivel divagar pe-
lel lugfrrs coinmun, c indlgesla-lo com as
minlias Interminaveis retleide sobre a actual!-
dade que, como he mullo natural aos velho,
me nao agradar. To miseravei temos estado
de occorrencias oestes ltimos diaa! Nao ael se
Ihe diga que antes eslimo esaa monotona, am-
bn me ella prive do nico prazer que lenbo
de escrever-lhe.
Fol-ie o mez de novembro, que nao foi mou,
aeni notablliiar-ae, c dellc apena me record,
que etou em debito para com o leuhore do
crrelo pela exactldo da entrega de minhai
miaalvas, do qual nena occailao me deaonern,
sem mullo gaato de eloquencia, dlzendo a to-
dos em geral, e a cada um em particular, que
eitou mullo laiiifeito com seus bou orncio.
Outro tanto podesse eu dizer de outro amigo!
olas einlini iniibem a este nada llevo; porque
Ibes tenho pago, e com uiura, sua boa vontade
c melindroso iralamcnto.
Nada lem occorrldo contra seguranca indi-
vidual, que me tenha chegado ao conhecimen
to com carcter de verdade. Soube, mas sein
certeza, que no caminbo da Areia um thuga da*
fe urna pelle i em Gorabira, outro Ozera a mes-
na graca, e no Taip outro o mesino; porm
Ignoro as datas, e, como Ihe dlsc, nao tenho
certeza do fados, sendo com ludo o primeiro
(acto mal provavel. Rulm manha de tal ra-
na llia I No-deizam esquecer o olllclo!
Seguio sempre para a cidade de rea o bello
par Carlota Leal; e ie dennos crdito aos af-
felcoadoi ur o maacolinoabaolvido, e e ou-
virmo os contrarios, scro ambo) condemna-
dos. Nesta diversidade de oplnles, com licen-
Dr. Francisco Xavier l'aes Barrlo
I),. Jos FelipuodeS. Leo
taque meacconleceu, anda que me fosie ', 1)r. Mjnoe| j0,qum Carneiro da Cunha 47
'VESESbmm de palacio a ..pera de' %. Francisco Rogo Barros Brrelo *G
mlnha v de entrar, porque sou mel bizonho,' "r- '* ue Haula u. to a-
quando vi aproiimar-se um moco, na feio, Dr. Alvaro Barbalhu Uchoa Cavalcanti *
com uin iaiilau mal bordado, do que um grao Dr. J. P. M. Purlella *
sulio, com aeu alfaoge a cinta, chapeo armado Tenenle-coronel Joo do Reg B. Falco >-
agaloado, calcas de cjslmira de galo, etc.,etc., 'Dr. Dumiogos do S. Leo
etc. Iall.ua o tal inagoata urna lingoagem de ; Jo A p cJa ge||0
meio R .dme ; pelo que entend que leria al- j Dr a,-rancC0 Julo Carneiro da Cuull
gum principe trangelro, ou quando menos, Q tmAa AI*Mda Silva
algum plenipotenciario, que tiveaae vlndo pbi- "' ;"ncl,c_J AIV0S "," *"*"
lafmopicameute procurar a einbarcaco de ne- Dr. Mauoel Firtniuo da Mello
groi de que em minba ultiinii Ihe tralel. Per- Dr. Antonio taaminondas do Mello
iiiei-nie, e quando paasou o nguro, tiz-lhe Francisco Raphttel de Mello llego
urna continencia mina, meio militare ineioci- Dr. A. Joiquim do Moraes e Silva
vil; quero dizer, level a ino a lena, lirel Dr. A. F. P. do Carvalho
com ella para o lado, e abalxei a cabeca al to- pl( \] |. (j0 j>(] u |,, (j
car no pavimento; porque ineu amigo, eu nao EscrjVao p. C. de Brillo
ael quaudo cabiiei nal unha de algum cruaei- Sm .. ,lininr
ro.ehcbomteramigoaatnoinferuo. hr i,.i.?m r'- i .; i k
Depol. de urna lal Continencia, me nao pude Dr. JoJo Ltns Cavalcanti do A.
conter, e procureiaber quem eraotal inilord, Antonio Marques de Amorim
e quando esperava ouvir um destes noinea bar- Desembargador J. M. Figueira de Mello
baro-brilannlco, de vara e meia de comprido, Jos Joaquim do Reg Barros
que arrauham o ouvido da bumanldade, diz- |)r. J. |. Monleiro de Andrado
me, oh vergoohal um ordenanca he o mam- Auguslo FreJerico de Oliveira
ral do eapioei agarradore da alfandega. r jy.auitn Manoel Vioira de Mello
Com mil bomball Se aquellc lenhor tem tan- i-....mJ h.,/, ... Vo ,.lri. ilveira
loidourado.e perendengue, e um Indi.peii- \?'Zt ? v V > i,t.r
aval cataiau pndenle, o que lera o velho Lu- JoSo Jos Ferreira de Aguiar
cas, o Inspector, quando Ihe der na cabeca o Or. Joaqcim de Souza Res
apresenlar-se em grande uniforme? Meu auii- r.JsC Francisco da Costa Gomes
:;o, em ierra de cegos quem tem umolo he Major Florencio Jos Carneiro Monleiro
re Dr. Cypnano Keuellon G. A.
Concluir! esta longa anedocla, dizendo-lhe l'ddre.Juaquim Pinlo de Campos
que o tal senhor c o incalre da inuaica, tolere Tnoinaz d'Aquiuo F. J.
elle a comparaco, dlspellaram-ie em doura- Dr. Vicloriauo do Sa Albuquorquo
dos, e talvez em atropellar os respectivo icgu- ajajor Joo V Villela
lamemos, combar desses dlstincllvo. de que ^ peJru S|(m
lauto caso faz quem pode uiar dclles, e que ,, M..:(,i Monloiro
tanto rcdlcularisain quem com ellcs renova a J-onse leiro A. a. laciei lomoiro
fbula do erou, que com baatanie graf cou- r. J. Aquino fonseca
lou o giboso Ksopo. Dr. Pedro tiaudiano de Ritise Silva
Aaslsti nolte a una representaco no thea- Dr. Mano I de Souza Garca
tro da cidade Alia Unlo Parahybana que Dr. J. Mara do A. Mello
leve endiente em prejulzode nosso corpo, por- yr Rodrigo Castor do A. MaranhSo
que, alm de estannoaem urna eatua, licainos Vigano A. F. Goncalves Guimares
como bacalho em barricas. n. .- ..Q_a i-.i-.i., ,i- ir.wKAea
Foi tao grande a cnchente que a. senhora ," 'l LtM ,., \T,\e^
invadlram 5 camarote de S. Exc que quasi nao /. JuSo trancisco de Arruda ralcau
acha lugar, c e leva, como convinha em alten- Barao Je Caplbiribe
cao ao dia, seu estado maior, teriamo de vr Padra Vicente Forraira de Siqoeira
uina golhlca aoena preliminar. Nao acho aquil- CapilSo Manoel Anlonio Marlins 1'.
lo multo bom era um dia, principalmente, fes- Jos Ignacio Soares de Macado
tivo; porm nao posao dar regras na caa a- a .dos S. de S C. J.
lheia Dr. Flix Theolonio da Silva GusmSo
Representou-ie o Deiertor Hngaro pe- y^ (;ajjnno
ta,a meu ver, mediocre, icmoilcoiadeieu au- ,-....-.- Afl|inn da A
tor, e que parece e.tar por acabar. A primal- p ^ P^^>uir M-z-U-I
ra dama nao latiifez cabalmente. Achei-a b.s- Dr. F. A. do Oliveira Maciel
tanie unira nos lugare em que ella devia a- Dr. M. de A. Machado
presentar toda a vlvez e ardencia de anecio. Dr. S. A. Mavignier
Recebeu com aangue fro, multo ntate! em Coronel F. Antonio da Barroso iilvu
qualqucr que eilivesse aborrecida do amante, Teueille-corouel R. JoSo Barata de A.
a noticia d, aua OOl^UBnacJlo ; o que cm ver- ijoaimandador D. iUiauuiS do A. !'. F.
dade bastante a dlsconceituou em mlnha opl- Dr. y. Jusliniano B. Cavalcinti
niao, quanto ao amor, que dizla tcr-lhe. He Fl
verdade que ba inulta senhora que lobo fro D<. J Eduardo filia
gelodopolo teem ardeutes vulcei; mas isso ; Coronel Leonardo B. de b. c.
V.
ine nao parece mullo natural.
O deiertor esleve com bailante precaa prin-
cipio ; porm ufliiiiainculc saliste completa-
mente, como iodo oimais actore, prlnclpal-
im-mi' o Sr. Hermenegildo.
A preasa do deiertor devia ter o director da
acea, que nol deu longa masaada no inler-
vallos; uim como a muaica, que leuo sou-
beiicmos ser coslumeira em laes inasadas, di-
ra havennos pago o ter estado ella all gratui-
tamente, Nola-se nella, e dl-lo-hei cm recom-
pensa do que me fez loffrer, multa falta de
ti ni ico usa chamada a lin a cao.
Manuel taimen o da Souza Licetda
Dr. Mreos da Cmara Tamarindo
Dr. Caetino Estelita Cavalcanti I*.
Dr. X. de V. M de Drumond
UuibeliuoGviedes de Mello
Dr. Jos ll.iyuiiiii.li) da C. Monozes
A. V. da S. Barroca
llarSo da Ipojuei
Dr. Christovo Xavier Lopes
Dr. A P. de Sa Albuquorquo
L) Aagelo Henriques da silva
i J. T. da Silva Sisndlro
Vigario JRf>. de Quoiroz
Dr. Jos* Ignacio da Cunha Rabsllo
F. G. de Moraes
C. Jus Cavalcanti
Majnr A. J. da Oliveira
Professor A. P. do Figuoiredo
Baro do Suissun
A. de Paula Souza Leo
Desembargador I'. P. Mnnteiro
Dr. Jos lio Irigues dns Passos
Jos Francisco C. Lins
Dr. Joaquim Goncalves Lima
Dr. Francisco de P. Bsplisti
Dr. F. A. Cirno Lima
Coranol Francisco Jacinlho Poreira
Francisco Paes Barreto
!)'. '.\ IV .u -o de AlhuqiiHrque Mello
Dr. Augusto ilo Sun/a Lalo
Dr. C. Xavier Pereira da Brillo
Antonio i ia ini.ii do Moli
I.. deS A. J inior
A. do S C. Luis
Antonio Francisoo Marlins
1'rofossorS Henriques do Albuquerquo
Dr. Ilerculino Contal vos da Rochs
(ir. Alexindre P. do Carmo
Al. F. de Siuzi LeCo
Dr. I). Coelbo d A M^Uo
Uumingos AiTonso Nery Ferreira
Tem inultos mus de 1 voto.
Dr. Antonio Teixeira do Borba
hr. J. Jernimo Pacheco de Albuqr. M.
3 Dr. Pedro Gaudino de Rates e Silva
Dr. Cypriano F. Guedos Alcanforado
Dr. Ju'-i'. Mara Ramos GurjSo
Dr. JoSo Lm Civalcanla de Albuquerque
2i Dr. Jos Telles de Menezes
a
a
9
9
9
9
2
i
f
!
i
i
t
i
t
i
i
Adv. Amaro Jos Lopes Coutinho
Dr. Joiquim Hygno di Motta Silvoia
Dr, Gervazio Luiz de S Carneiro
Dr. Joo Das Cnulioho Araujo Pereira
Padre Vicenlo Forrar de Albuquerquo
Dr. Luiz liinl- Pereira
Dr. Anlonio n'AssuinpcSo Cabril
los Candido Das
Dr. Jno Jos Pinto
Capitn Fradcisco X CamelroPesso
Coronel H'iiriquo Pereira de Lucona
COLLEGIODENAZARETIl-
56 lileitoresprsenla, (aliando 6 com causa
Aiilnl finalmente, para completar a peni- nf_ jo5o Fraucscu J, Silva Braga
lencia, ao entremez o hospital1 dos doudoi. I D j MOKOIO di Vciga Possaa
Naoacbei multo propna urna farca naquclle i e ..,
dia; mas emfim trauliat, e nao foi esta a peior ;'oe Piras rroira
iuipropriedadc por nilui notada. Gostei mullo da Barros ralcao C.
da tal eas i do orate, ou disprale. I'odoa os Dr. A. Jusliuiano da Silva Guiroaruos
actorea deseinpeoharam ptimamente. He ver- Dr. Ddllino Augusto C. il A.
dade que para doudos todoa temos nos tal ou Dr. Cusma de Sa Patena
qual propemo; c por iao nao admiro o bom Dr. Feitoza
deiempenho. ..... Vigario Venancio Henrique da Rezeude
Por mais que buaquei nao pude encontrar a ......... H
moralidade do tal entremez, e meimo nao sei J- ", *, ,.
le o autor leve alguma em vina, tina mulher Dr. JOSe l1. c. luis
to
10
37
S'
35
3
3t
31
33
3a
33
31
31
81
31
M
99
M
r,
S7
97
2o
95
Ib
b
95
2\
2i
ia
22
22
11
19
1
10
17
17
17
17
16
14
14
14
19
l|
U
ti
lo
10
9
8
B
8
7
7
7
6
6
6
6
5
4
4
4
4
4
4
4
4
4
3
3
3
3
3
3
3
I) 'inli.i,;,! ii,r I M. p. de Mello
Dr. Pedro FranoitOO do Paul C.
Teiieulo Coronel los Francisco L. L
Coronel Jos Antonio Pessoa do Mello
Padro Joaquim Piulo de Campos
De. JoSo Francisco Duarte Jnior
Dr. Jeronymu Silgado de C. Acioly
Dr. Francisco JoSo Carneiro da Cunha
Dr. Francisco do Reg Barros Barreto
Dr. Joiquim Manoel Vioira de Mello
Dr. Miuoel Joiquim Carneiro da (uuhi
EscrivSo i'i o i ni,) Corroa de Brilo
Dr. Manoel Francisco de Paula C. de A.
Dr. Francisco Kaphael de Mello Reg
Dr. Jo3o Jos Feneira de Aguiar
Dr Francisco Xavir l'aes Brrelo
Domingos Malaquius do A. P. Ferreira
Dr. Victoriano de S o Albuquerqti
Dr. Joiquim do Souza Res
Dr. Caelonn Estellita C. Pessoa
Dr. Lourenco A. do Albuquerquo Moli
Padre Jo- Joaquim de Andrado
Dr. Augusto FreJerico de Oliveira
Di. Jos Filippo de -Souza Leo
Barode Capiharibo
Dr. Francisco Rodrigues S:lle
Dr. Joaquim Pires Machado Porlclla
Dr. Francisco de Paula Baptiiti
Dr. Domtngis de Suuza I, Vi
Toneute Curonel JuSu du lie., ti. V.
lisi'fio de Suassuna
Or. Aivuro iturbalho Uclida Cavalcaulo
Jo.' Pedro da Silva
.Major Jos Ignacio Soares do Maccdo
Dr. Jos Rodrigues dos Passos Jtinior
Dr. Jos Mai a Mosco-o da Veigi
Padre Antonio da Costa Figuoiredo
DosemhargaJor Firuiino Pereira M.
Dr. JoSo Francisco do Arruda l'alcfio
Dr. Cosme du Sa Poreira
AJvujjado F. m Calado da Fonseca
Dr. Caetano Xavier Poreira do Brilo
Dr. lanicio Joaquim de Souza LoSo
Dr. Jos Cardosu de Queiroz Fonseca
Dr. Lourenco Itizena Carneiro da C.
Dr. Hemeterio Velloso da Silveira
Dr.Manoel Firmino de Mello
Dr. Francisco Carfos BnndSo
Vigaiio geral Leonardo Anluncs Mcira
Dr. Jos Ignacio da Cunha Rab-llo
Dr. Jos H.iinliuo di Castro LeSo
Dr. Antonio Francisco P. do Curvadlo
Dr. Antonio Epaininondss do Mello
Dr. Joaquim Eduardo Pina
Coiiimuiiicadus.
tlgelras rcflxoes tabre a sentenyi publicada
no Diario de 10 docorrente, un segulmenlo
a correspondencia de Jibo e Barbosa.
O procoso, em que se proferto oslasen-'
lene.!), foi Htenla.la por Joaquim Pereira
Marinho e C. contra Lobo e Barbosa para
uompellircm-nos a proslacSo da conlas do
gneros, quo Mies foram consignados na im-
pirtincia do res 28 184,212 ra., segundo as
facturas ocarUs, quo sea. resentaram. Is-
tu sa v do contexto da propna sentenca,
pelas soguintes palavras :
a Pediram os aulores, que os reos fossem
cila los para no p'aso do 10 das assignadus
cm audiencia apresentarem as conlas rela-
tivas aos gaeres que receberam a sua con-
siguacSo constantes das facturas de n. I a 2,
a cartas de n. I 4 ; ou tazaren) a compe-
tente impugnacilo, sob pena de lancamento,
e ser a Arma social condeoinaiio por sen-
tenca a pagar a quantia de 28 184, 242 rs.
A ac{So foi intentada commercialmante,
o nem o po lia deixar da ser, vista do art.
18 do titulo nico do cdigo, e arligos 10,
11 e 12 doreg. n. 737 do 25 de novembro de
1850, tanto tela nalureza da obrigacSo dos
reos derivada de contracto commercial co-
mo por seren nogociantes elles, e os auto-
res. Foi tamhem isto reconhecido pela
sentenca, quandu disse, quasi no II o :
a Examinados os au'.os, v-sequo sendo
esta causa c imtnercial, ole.
Era, muanlo, o primeiro davor do julga-
dor cingir-se, nilo ao rigor das formulas fo-
?8rensos, ou sublilezas, o regras especulativas
*I|do diroilo civil, porm sim verdade dos
3? factos ; boaou m f dos litigantes ; aos
' f principiuS de_qiii.lade ; aos usos o estylos
34j,i0 commorc ', nSo s porquo mesmo no
33 i foro civtl jmii la a or. liv. 3 lit. 63 jul-
'-' i -"iriprn pela verdade sabida dos autos,
3ilnSo obsUlo o o ro da acr3o proposta, o as
3*lclnuia as nulliilades nuis ; como por-
"| quo nos causas, u negocios comrneiciars he
sempro ess i a obrigacSo dos juizes. seguu-
d'o o alvar do 16 de dezembro de 1771, cuja
doutiiiia foi adoptada pelo cdigo no art.
22 do Ululo nico, que diz o seguinto :
a Tudas as causas commerciaes deveni
ser procossa las em tolos os juizos, o ins-
tancias, breve e suminariamenie, de plano,
e pela verdade sabi la, sem que sej neces-
,Sirio guardar striclauetile todas as formu-
'" las ordinarias, prescriptas |iara os procassos
ls civis ; sendo nicamente in lispeosavel, que
l'i se guardom as formulas, o termos essen-
1*> cues, para quo as partas possam allegar o
15 seu direito, e produzir as suas provas.
j_5 Mas o juiz prolator da siMiienea, da quo se
la IHIii^nSo o cnteniieu assim ; deixou de
14 parle a verdale sabida, e provada pelos au-
13 tos, o amis que multo notoria improbida-
13 de, e m f dos reos; deixou ds servir-so da
13 ficuldade amulissima, que Ihe dava o reg.
13 do r i,l. noart. 230 para mandar procedsra
12 qualquer diligencia, examo e conferencia,
12 qua podesse concorrer para a elucidario du
D". Antonio Siqueira CavalcanloJ.
Dr.Dolphiuo Augusto C. de Albuquerquo 12 ialeria ; deixou de observar as regras sui-
Dr. l'iaucisco de AsSS Oliveira Maciel 12 to sensatas e judisiosas, quo Silva Lisboa no
Dr. Alfonso P. de Albuq. MaranhSo 10 seu '.ral. 7 cap. 11 ursina para estes casos do
!) liquidacSo do cintas; O foi alirar-si-, em
7 enrpo o alma, no mar immenso das formu-
7 las judiciaes que nom ella mesmo se slre-
7 veo definir c cuja inobservancia, vaga-
6 mente allegada, foi, todava, o fundamento,
6 do que so lo jibrou para annullar lodo o pro-
6 CessO.
C < Attentando-su na potigSo inicial .' diz
t a sentenca v-se que com a apresenlacSo
5 das contas licou satisfeito o pedido urna vez
5 quo nSo se ostoudeo a mais; o consegunta-
5 mente toda a discussSo, qua se seguio, foi
Dr. .Manuel do Souza Carera
Dr. Manuel Carneiro Luis do Albuq.
Vicente Juslimano Bizarra Cavalcaulo
Dr. Fclix lu in lino da Silva GjimarSes
Dr. Joaquim Goncalves Lima
Major JuSo Valenlitn Vtlelln
l'.idie Joo Capistrano de Mcndon^a
Antonio Jos de Oliveira
Padre Venancio lliurique de Hozando
CapilSo Manoel Antonio M. Pereira
Coronel Jos Pedro Velloso da mi vera
Dr. Guilicrmioo C. Marques Bacalho
Dr. Angelo Henrique da Silva
Dr. JoSo Paulo.Monleiro do Andrado
Francisco Antonio do Barros e Silva
leu.uin COiOOei A. C. Machado lliua
Dr. Miguel Arcuanju da Silva Costa
Padro Vicente Ferreira doSiqueira V.
I'rufossor Salvador Delinqu de A.
Dr Frnncisco Alveres da Silva
Vigario Nemesio de S. JoSo Cualberto
D'. Joaquina Francisco Cavalcanla Lins
Paire Amonio F. G CuimarSes
Dr. Jos Mana do Albuquerque c Mallo
Francisco Xavier Lopes
Domingos Alfonso Nori Ferreira
Major Florencio Jos Carneiro Monloiro
Dr. JoSo Vicente da Silva Costa
Dr. Joaquim J. Nunes da Cunha Machado
F'rancisco Honorio Bczerra de Menezes
Dr. Vicelo Aurelio da Cunha Gouveia
Manoel Paulino deGouveU Mumz Feij
Domiugos Alves Vieira
Dr. Filijpe Cuneiro de Olinda Campollo
Dr. Gaspar de Maneras de Drumond
Miguel AtTanso Ferreira
Dr. Maximiaiiu Lopes Machado
5 sem lim proposlu e procesado sem ordem,
5 nem materia, sobra a qual se tenha de jul-
5 gar. >
5 Pois no podido .o contas lo gercro: enn-
5 signados com um valor lixo, nSo estara,
5 implcila.e virtuilmenlo comprehendido o
5 pedido de ludo aquillo, que os reos ret-
4 nham indevi lamente ? Podena Ocar nunca
4 saiisf.'ilo a nlencSo dos autores com a apro-
4 sculatjJo material da cuntas arranjadascom
4 astucia a vclhacaria para sa flgurareuj os
4 los crolorcs do 8:386,276 rs. ? Da quaser-
4 vni.un as accocs de conlas, a a directa da
4 mndalo, so os reos as podessem innulili-
3 sar, ou impedir seus legaes elTeilos, por
3 meio de conlas cavilosos, exageradas, e fal-
2 sas ." Domis; nSo he exacto, que os au-
2 tures s tivessem pedido a aprsentelo d
2 conlas ; pois marcaram expressamento a es-
2 timativa do seu direito cum aquintia do
2 28:181,942. Esla quanlia era a base, e a
2 essiicia do pedido. A defesa dos russ
2 uoderia se acceita, s poderia conscianciosa
2 Jajuidicamente dar lugar a urna absoivieau
2 avistada documentos legaes, palos quaes
Dr. Rodiigo Castor de Albuqr. MaranhSo 2 mostrassom elles reduzdaessa itnpoilanoia
2 em cumpriiuenlos d ordens dos autores
9 ou por differencas nss venias dos genc-
2 ros li tioitas circunstancias recorreudo o
2 juiz arbitros commerciaes como Infortnan-
2 les 1 si tanto exigissoa discussSo havida )
2 adiara esclarecimentos, que o guiassem
2 cum seguranza decretar a candomnacSo,
2 ou absolvisSo dos reos porem nunca a an-
2 .nillai,'ai) do processo, por isso mesmo que
2 houve objecto e pelido certo, e todos os ter-
2 mos substancaos se guardaram, admiltn-
2 do-se cootestacSo, provas, e ato raconven-
2 cSo dos icos, que em vigor nSo ora admis-
2 sivel vista do srl. ios do rog. do coJ.
9 a Nfio se deu accSo intentada ( diz mus
2 t sentenca ) o carador de nenhumadaquel-
1 las, qui estabalece o mesmo reg. ( de 5 da
1 novembro de 1850; comose recouhaee do
1 processo adoptado, do qual resulla o ver-
Coronel B uto Jos Lomeaba Lins
Dr. Ivo Mi tiii.i .id da Cunha Souto-Maio
Coronel Jos Carlos Toixera
Dr. Matiuol Mendos da Cunha Azevedo
Dr. Antonio llorculano de S. BauJeira
Dr. Jernimo Vilella do Castro Tavares
Dr. Anlonio Pereira Barroso de Moraes
Bernardo Jos da Cmara
Dr. Joaquim Villela de Castro Tavcres
Dr. Jos Francisco da Cosa Gomes
Dr. I. i.irenco Fraocisco do A. Catando
Padre Joaquim Fiaocisco de l'aria
Dr. I.oarene,!) Trigo da Loureiro
Dr. JoSo Paulo do Miranda
Dr. Antonio Vicenta do Nascimento F.
Vigario Bazilio Goncalves da Luz
Jos Hygino de Miranda
JoSo Paulo Carneiro Monteiro
Beulo Jos For nan les Barros
Dr. Antonio Baptista Citirana
Dr. Jos lUymunJo da Costi Menezes
U jibeliuu Guedes de Mello
Francisco Barbosa Noguoira Paz
I dsdeiro cahos, em quo calno esta causa.
1 S com o procjsso dianle dos oltios po ia-
1 riamos avallar toda a injuslice deslo periodo
t dasenieusa; mas leliituenteoproprocon-
m



VojcIo dclla supro ossa ralla, porqu, dizen-.derSo vencer. Com efTeito, ptrece incrivel
do-se e confessando-se, que a argo foilque na present detiminhisdispezase fa-
coounercial, quo os reos ipresenlaramtoo-ldigas, umhomem houvesse do Tontada ISo
tettaclo o reconvencSo-que os a,utoree, ro-lforte.de genio tRo perseverante,que despro-
plicaram, ote que a mesma aceto. Wor-lsando a obra da invoja, eeabalancasse a nu-
dinaria,expressaelileraliionteaomprehen- trir o a realisar um intento to gran lioso !
2
dida nos art. 65 e seguales do rog*- sois se
fosso urna asslgnacSo de 10 das, ou uma ac-
eito summarit das que especifica o mesmo
reg. no tit. 8. art. 336 e seguidles, o seu for-
mulario iversiliraria.
Nem poda ser de oulrs maneira, porque
so se conhecem duas nicas formas de pe-
dir e liquidar contalou por mel de pre-
oeito rommihatorio, seguindo a ordem e
marcha da not. 102*de Per ira e Souza as
sussprlmeirss linlias sobre o procetso civil
ou entilo por aceto ordinaria, como ense-
na o Sr. Silva Lisboa no cap. 4. do seu trat.
7, por este theor :
Si o autor demanda alguom por aceito
decontas, produziodo estas em juiso.com
acceitagto, liquidadlo, reconhecimento,
o assignalurs da parto contrara demanda-
da, pode-se proceder por assignaco de 10
diss palo saldo liquido das contas, Fra
destas circunstancias s por aceto ordina-
rea de libello o liquidaba por arbitros, se
pode demandar, e decidir.
Portanlo a accao intentado nSo s eslava
expressemento autorisada, e clasiificada no
regulamento de 25 de novombro do 1850;
como at Coi competentemente intentada ;
era a que caba,c a de que se devia tur usado
para o fimque oscutores tinham cm vis-
ta ; nao da apresenlagao materiil de contas
arranjsdas dolosamente para se conslilui-
rem credores os llovedores ; porem sim d
apresen!rilo deltas, e pagamento do valor
dos gneros consignados, abatido o que
ronslassa re documentos, e ordens legacs,
medanle iquidacio por arbitros, ou co nu
so juizo pareosle.
# V-se que sendo esta causa commerci-
al (diz ltimamente a sentenca ) ln admit-
inla em juizo com manifesla violsco da
le, porque conforme dispe o art. 19 do re-
gulamento quo li iv. i com o docroto n.
361 de 15 de junho da 184, ero ns
autoros podiam ulenlal-a, nein os reos de-
feoderem-se, sem que prevismento moslras-
seni, que seachsvacn quites pelo que loca
ao imposto do ultimo anuo relativo casa
commercial, escriptono etc., a que rospoita
a questto.
Ama volitada do Sr. juz; a prevenro
queocegou, ouoseu dose) de favorecer
o reos, i custa do direito dos autores, pro-
vam-se a todas luz da evidencia por este
ultimo trecho de sua sentenca.
O art. 19 do regulamento da 15 de junho
de 18U diz :
Nenhuma aeco podar o collectado pro*
por, ou defender emjuizo sobre o objoc-
to do negocio da respectiva casa loja etc.,
6em que mostr sli pelo conhecimento
competente estar quite do impodo do
ultimo inno, no acto do propor, ou dc-
Tender a acolo.
Quaes sejam os coliectados, de que falla
o citado regulamento, o dizem o alvara de
30 de outubro de 1812, o art 9 4 da le do
22 de outubrodel836; e o proprio regu-
lamento do 15 de junho de 1814 no art. 2' e
seus J; por este theor:
Art. 2.' S3o sujeitos ao imposto do art.
antecedente. >;. t Todos .as lojas, arrea-
zens, ou sobrados, em que so vender por
grosso, ou atacado, e a retalho, ou vare-
joqualquer qualidalo dofazendas, oge-
eros secos e motilados, ferragons, luu-
^as, vidros, massimes, e quaesqaeroutros
deluda a nalureza. que contiverem goneros expostos a vend i
qualquer queseja a suftqualidadeequan-
ii lidade compreiiendendo-seaslojasdotodis
asf.bnca.s, e oll/cinasquctiveremcxposlos
,. vendaquaesquer obras, ou gneros de sua
manufactura. 3." Todil as lojas de ounves
lapidarios corre-iros, latoeiro?, caldcrei-
o ros, estanqueiros di tabaco, bolicirios, e
livreiros. j 4. Todos os bolequins, taber-
as, e confeitarias. ;..">. Todas as casas
i de consignacAo de escravos. '.'. 6. Todas
as casas, ou lojas, em que se vonner car-
.( ne verde. 7. Todas as fabricas de cha-
ti rulos. 8. Todas as cocheiras, ecavalla-
rices, que tiverem seges, ou cavallos de
i- tluguel 9. Os cscriptorios dos ban-
al quoiros negociantes, carretores c cam-
Instas : e 10. t)s cartorios de avogados,
i escrivBes, tabclliiles, distribuidores,
contadores judiriaes.
Ora os autores nao propozeram un;rio al-
guma sobre o objecto de casa, ou luja su-
jeita ao imposto; pediram simplesmente
contas dos objectos, que consignaran] aos
reos. Portanloou o conhecimento de es-
tar pago o impostse n3o podia exigir nes
'eeaso, como coodicSo necessaries ao pro-
segniroento do pleito, a vista desse mesmo
art. tdo regulamento cima transcripto, ou
a poder axigir-se, s eslarisir. isso obriga-
dos os reos, residentes, o ostabelecidos no
legar, onde correo a dcmanla.o ondeforam
vendidos, e dispostos os gneros consigna-
dos. Portanlo, a pena do iiullidado impos-
ta pelo sentenca, recahinlo directamente
sbreos autores,e sendo um veradeiro be-
nelico para os icos, deve-se considerar jri-
j usa e absurda ; pois na hjpotlicsa lisura-
da de se po le exigir, e de se dever apicsen-
tar documento de paga rio imposto no ulti-
mo anno, s u di lesa e opposic3o dus reos
hequese deveria annullar, por isso mesmo
queso pilos poderiam estar sujeitos sciue-
Ihante exhibic.lo.
Por lodo o expendido, a ^C!:tr:'.^: do Sr.
juiz Manuel do -Son/a Azevedo nao pode di-i-
xar de ser qualilicadaum acto arbitrario,
irrellectido, excntrico todas as regras do
julgar, a todos os principios tneoricos, o
pralicos da legislarlo cummcrcial quo
sanecionou, ou pelo menos ampliou o gso
e posse de ubjectos, e valores usurpados, c
retidos illegalmenle pelos reos ; cm summa
11 ni rerdadeiro d< scalo ao direito dos leg-
timos credores em proveito do devedores
refractarios, que abusaran! escandalosamcn-
da confianza, credulidade, e boa fe de seus
comm(lentes. Os reos explicam cssa tri-
umpho inesperado, que obllveram, calum-
niando as intenvflcs do juiz, quo os prote-
geo, o attribuindo ao seu poder, inlluenria
e dinhero, o qua fui talv / simplesmente
lilbo da irn flexao, e pouca pratica de julgar.
Hesempre assim que procedem os ingratos
e a mgraiido he teivez o primeiiu elemen-
to da existencia e posic^o dos ros Mas
sem ser preciso calumniar, nein indagar as
?erdadeiras causas do estupendo julgamen-
to, do quo nos temos oceupado, pode-se di-
zer oom verdadeque ajustica assim ad-
ministrado he o peior de todos os flagellos.

( Do Mercantil da Babia. }
O Sr. Guimarfles cujo genio elevado n3o se
compadece com repetiedes continuas de dra-
mas de reconhecida-notoriela le, ah ap-
pareceannunciando a representa(ao comple-
tado que ha de melhor no genero phantas-
tCO : I). Joan de M ralla-- lio una (' illipo-
sicao onde se slenla o gonio de A. Dumas
adornado com todas as galasdi imagnicSo
rdante do verdadeiro poeta. Tentamos nes-
te breve arrazoado apresentar um quadro
deste osforco do engaito humano, fora a-
meiquiuhar o objecto cuja immensidada n3o
se presla a que uossa pena oapanhe anda
as suas menores rspeeialidades ; quem po-
de jamis acompanhar o genio a divagar pe-
los espacos da imaginacSo ? Pondo de par-
to esta impossibilidadi',0 quehecerto he.que
pjr ioformaclo lidedigna sabemos, que llol
ser a execuoSo sceniea, sem discrepar da
menor exigencia do autor ; porque a nad
se fu'tou o Sr. Guimar9es,trabalhos, gastos
extraordinarios, e fadigas bem penosas fo-
i nni por elle experimentados ; do sorte que
ludo ho novo, ludo he sublime, do que el-
le tem do ouTerecer ao publico, ruja atten-
(3o solicitamos por esto reprosenta(3o, qua
a provavol oxcallencia do desemoenho,
rouno a :ii -iiiii -t-ii.-i.a do material bella-
mente trabalhado. Schller
THEaVfR HE APOLLO.
D. .lo\u de Maraa.
NSo ha duvida (Iguma que o tbealr'o de
Apollo cali vez se torna mais inte'essante,
pela sua b < i campunliia e pela judiciosa es-
culla do tiranas que ah sa v.io ropresen-
lando, d por" conseguinto digno da ser fre-
quentado por un publico aprecialor da lit-
eratura e da artoduiualira.
A companliia do Apollo quo ji contava no
scuscio merecuieutos lio distinctos acaba
de sor enriquicid com um ga!3a to apro-
veilavel como o Sr. Amocdo, um conlro co-
mo o Sr. Sen na, e como Sr. Cyrillo quo pelo
seu talento, conhecimento da arlo, boa fi-
gura e bella voz couquistou nossos applau-
sos nos papois quo o temos visto executar
no Fvijido da Bastilha, Hermitao de Cintra,
l'revosttd Par/a e cm algumas pirles gra-
ciosas.
O annuncio quo lomos lido estes das do
II. J'ulo i/.- Maraa no passo quo nos regosi-
jou, excita em ultimo grao a nossa almi-
raclo.
O D. ioao' de Maraa, alm de ser uma
composicao digna da imaginado ardonte e
frtil do autor do Candi de Monte Christo, he
um drama dilcilimo du lovar scona polo
grande macliinismo o pelas dccoracOes que
exige.
O Sr. CuimarSes, estamos convencidos
disto, deu um passo arriscado lazando tan-
tas despezas para levar scena esso drama,
despezas que o obrigaram a duplicar o pre-
qo dos bilhelosc a venio-los por tres reci-
tas, medida quo tcm sido alguma cousa cri-
ticada.
PorcT), ho mistor refleclr, nSo haveria
nenhuma igualdado so o preco dos bilhetes
para uma recita tflo extraordinaria fosse o
mesmo que aquello quo se paga por uma
recita vulgar; o Sr. Guimaraes a nSo proco-
der assim, nilo tirara as dospezas que em-
pregou para fazer reprosentar o bello dra-
ma de A. Dumas, o perder-se-hia Inteira-
mente porcsuil do seu zeloaitistico.
Aquellos que nao duvidam pagar por um
biluele quatro o cinco mil res nos das do
Kla o nos beneficios, bem como os verda-
leiros dilettanlis o em geral as pessoas ra-
so.iveis, csses. estamos certus, no h3o do
censurar o Sr. Guimarfles, o u.ii doixaro
de comparecer recita que ello uos prepa-
ra para o dia 13. Assim, esperamos que ella
seja bstanlo concorrida.
Da nossi parta dizemos com franqueza
que queremos antes assistir a esso mag-
nilico espectculo do que a viole represen-
laces de dramas c eiitromezes tSo insigni-
ficantes como tomos lido lanas vozes o
marlyrio do ver nossa boa Ierra de I', mam
buco.
* ?
1 pacota thosouris; a Monteiro & IrmSo. i Pela subdelegada de Sin Jos frtra a-
1 caixSo qulocalhariis ; a Novaos & Com- prehondido.e competentarnente depositado,
panhla. umquarlBo magro, castanho, que vagava
9 ditos charutos, 33 arrobas tatuco, 30 pelas reas desta freguozia sem destino, com
talhas louca vidrada, 1,000 quartiohas; a > uma cangalha nova i quem fr seu dono
Jos Antonio Konnn les. procure-, pVa Ihe ser entregue, provando.
3cix0es charutos, 50 amarrados piassa-
ba, 60 molhos dita; aos consignatarios.
7 caixOes charutos ; a los Anlonio
Franco.
1 caixoleditos; a Jos dos Santos Sara-
hiha.
560 caxas charutos: a Olivaira Palva Ai
Companha.
1 tulla o 26 quartinhas em 2 barricas, I
ciixSo cadera de arruar, 1 taina da frlgi-
deras; a Cielano Xavier Pereira de Brilo.
2 caixas charutos; a A. Willers.
1 dita ditos ; a Francisco Antonio Borges
de Castro.
1 barrica lou(a, 1 caixote quartiohas e
jarras, 7 caixOes oharutos, 1 gigo uma taina
o 12 quartinhas, 167 saccas caf, 16 caixas
charutos, 727 ditas ditos, 30 barricas farinlia
de tapioca, 50 molhos piassahas; a ordem.
CONSULADO GEP.AL.
lien limonlo do dia 1 a 9 8:672,381
dem do dia 10........ 590,562
9:262,916
DIVERSAS PROVINCIAS.
Ilondimentodo dia 1 a 9. .
dem do dia 10.......
453,102
10,477
463,57'J
l.\)oiliii,;ni.
Penado, hiale brasileirp Flor do Brasil, de
28 tonelladas conduzio o seguintu : -- 5
caixOes miudezas, 4 barricas enchadas, 150
barricas bacalho, 300 caixas com 1000 li-
bras de -aiiao e 400 arrobas da carne.
KECEUEDOItlA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PEHNAMBCO.
lien limen!i do da 10..... 844,342
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimentodudia 10 807,797
Mov ment do porto.
tiavios entrados no dia 10.
Hivre 30 dias, brigue fraocez Cezar, do
152 tonelladas, capiUo Darnos equipa-
gem 12, carga fazendase mais gneros; a
Avrial Freres. Passigeiro, Labussiere.
Dublin -- 38 dias, briguo austraco Baric, de.
277 tonelladas, capitSo F. Zuvicich, cqui- ,,cJtu"s. pescador, o Sr. Alvos.
Subdelegada de San Jos de Recifa 9 de
dzembro de 1851. Osubdelegado, Fran-
cisco Baptista de Almoida.
Pranle o conseino u a ministra (So
Naval, tem de comprar-se para o uso da in-
fermaria uma caixa de ferros para ampula-
cOes, contendo os soguintes ferros : 1 ser-
rote, 1 dilopequeo, 3 facas, 1 dita de en-
tre-canoas, 2 tesouras ensezivas, ou tana-
zas, I saca-baila, 6 eacarpilos com cabos
chatos e fixos, 1 dito pira toreflo, 12 agu-
lhas surtidas, 1 escMflcador, e 1 tornique-
te ; assim como os seguintes ferros avul-
sos : 6 blstorls retos 3 ditos estreitos e cur-
vos, 3 ditos do botao, 4 pustimeiras, 2 to-
souras tortas, I dita curva, 2 ditas retas, 9
trocaica finos, 1 dito grosso,e 1 baralha
para a ingencao do Ilydroceles ; por tanto
convida-se a quem coArier fazerdita ven-
da, a comparecer s irnoras do dia II do
corrente, as sillas das sessOas do mesmo
conselho, cornos ditos objectos e propos-
tas. Salla doconselho d'administracSo Na-
val, 6 de dzembro de 1851. ChristovOo
Santiago de Oliveira, secretario.
THBATRO.DE s- izabbl.
Beneficio da artista
MANOELA C\ETAN\LUCCI.
Saooadb, 13 de dzembro de 1851.
Depois de uma escolhida ouvortura, subi-
r a ccena pela primeira vez o novo e muilo
interessante drama em 4 actos, intitulado
O SiiIio ou o terrivel fim do
Uzurpador.
Pursonagins.
Eduardo, conde do Glentorne, o Sr. Ger-
mano.
Alfadro, sobrinho do conde, o Sr. Bezorra.
Lord Sterson, o Sr. Cuimbra.
Itodolpho, capil3o ilasguardas, o Sr. Pinto.
I'oly, lilhade Rodolpho, aSra. D. Manuela.
Ricardo, valido do conde, o Sr. Reis.
Timos, sargento das guardas, o Sr. Cabral.
Iledoizes e Joas soldados, o Sr. Monteiro o
Raymundo.
Publicaces Iliteraria, i
ELEMENTOS
DI
llomaopalnia.
Sahio a luz a segunda auto .desta obra
composta pelo profesior homceopatlia Gos-
setinimont. Recebem-se assignaturas para
a obra Inlelra a 6,000 ra., no consultorio
iiomccopathico da ra das Cruzes n. 28. De-
pois da publicado da terceira parte, o pre-
go suri, elevado a 8,000 rs. para aquelles
que nao tiverem astignado. No mesmo con-
sultorio, acha-se a venda ludo quanto he
necessario para o esludo e a pratica da ho-
mcaopathia, como seja : livros impressos
para historias de doentes, regimens apro-
piados para a provincia de Pernambuco, e
encarrega-se de mandar fornecer qualquer
encommenda de modicamontos homceopa-
thicos, tanto avulsos como em caixas, em
glbulos como em tinturas.
No prelo : Pathogenesia dos medicamen-
tos brasileiros.
mementos de anatoma e phisiologia com es-
tampas, para os curiosos em homceopathia.
Roga-se aos seohores assignantes o ob-
sequio de mandar recebor seus exempla-
res no consultorio bomceopathico da ru
das Cruzes n. 28.
TRATAMGNTO HOftlEO-
PATH1CO.
DAS MOLESTIAS VENREAS,
e consellms aos doentes para se curarem
si mesmo, sem precisarem de medico;
pelo professor homceopatha
Gosset-Mmont.
Sahlo a luz e acha-se a venda no consul-
torio bomceopathico da ra das Cruzes n.
28, pelo preco de 1,000 ra.
Btsn
pagem 11, em lastro; ao capitSo.
Philadolphia 32 dias brigue americano
Brandy Wene, de 907 tonelladas, capitao
D. Cormick, equipagem 10,carga lannln
e mais gneros; a Matheus Austin & Com-
panha. Passageiro, B. W. Baynon e sua
familia.
Rio de Janeiro 14 dias, barca ingleza Nor-
val, de 215 tonelladas, capitao Jamos Wat-
tan, equipagem 13, em lastro ; a Julios-
ton Pater & Companha.
Navio sahido no mesmo dia.
Lisboa barca porlugueza Ligeira, capitao
Antonio Joaquim Rodrigues, carga assu-
car, algodao e mais gneros.
I
EDlTAES.
Soldados, povo, etc.
No fim do drama as Sras. Landa e Carmela
l.ucci, cantarBo o muito applaudido dueto
da opera
Anna Bolena.
Terminara o espectculo com a muito
graciosa comedia em 1 acto, composicao do
Sr. Penna
U caixeiro da taberna
A beneficiada pala primeira vez espera
merecer a proteccao do Ilustrado publico
desta capital.
Os bilhetes acham-se em casa da benefi-
ciada na ra da Cadeia n. 7, e no dia do es-
pectculo no escriptono do theatro.
Correspondencia.
Srs. redactores.Constando-nos que a.
guom lovado por dcssfloic,Oos e mesquinhas
intrigas, procure desacreditar com as ar-
mas do embuste, o uslalielecimenlo de pri-
mera- lettras, de quo he director o Sr. Jos
Xavier Faustino Ramos, nao podamos deixar
em abono da verdade, desta companholra
eterna da justica, do ir.ie.ir algumas linhas,
alim de fazermos sentir ao publico, o con-
trario do quo se ha dito.
Ilonlom, 4 do crrente, tiveram lugar om
dito csUliolecimento, o i saines de gram-
metica porlugueza, presididos pelos lllms.
Srs. I)rs. Loureoeo Trigo do Loureiro, digno
presidnnli do circulo de instruec-i publi-
Oa o Josc Soares de AzeveJo, para os quaes
liva a honra de ser convidado, sendo um
dos examinados um filho mcu, e asss
gostei Jo melhodo e zelo porque naquelle
eslabelecimento so ensina, du adianlamento
dos seus alumnos, du legimem o boa or-
dem quo india so observa ; da maneira que
nao possa deix-ir de tecer os devi los louvo-
ies ao Sr. Jos Xavier Faustino llamo*.
Olaja, que todos nquelles, quesaencarro-
gaui di me l o espumosa trela da educar
u instruir mocidade, se esmerassem, como
0 Dr. Jote Raymundo da Custa Menezes, juiz
municipal supplente da segunda vara e do
commercio nesta cidade do Reclfe de Per-
nambuco etc.
r ni saber que no dia 15 do Janeiro de
1852, pelas4 horas da tardona porta da ca-
za do minha residencia na ra da Madre de
Dos n, 1 do bairro do Recifa, A hade arro-
matarpor venda uma rasa terrea om chaos
proprios na travessa dos Qiiartcis da fro
- e/ia de Santo Antonio, com 20 palmos de
frente o 50 ditos de fundo, 2 quartos maior
o ni- u ir, duas salas, sotfio no meio da caza
om abarlo so nenie por cima do repartimen-
to, /mili fora, quintal com portao, ca-
cimba propria; toda a casa em bom estado e
avaliada em 800,000 rs pinhorada a Joa-
quim de Oliveira Mello e sua mulher alaria
Augusta da Costa GuimarS'S, por exocuc3o
de Manool Joaquim Baptista. Epara que
chegue a noticia de todos mandei passar e-
ditaesque serJo alixados na prarja do com-
mercio, em casa de suas residencias, e im-
pressos no jornalDado e passado nesta
cidade do Recife de Pernambuco aos 9 de
dzembro de 1851.Pedro Terlulinoda Cu-
nba escrivflo o subscrevi, Jos Raymundo
da Costa Menezes.
-- O Htm. Sr. inspector da thesouraria da
fazenda provincial, em cumprimonto da or-
dem do Exm. Sr. prosidente da provincia
de 4 do corrento, mana fazer publico, que
nos dias 16, 17 e 18 do mesmo, ir a praca
para ser arrematado parante o tribunal ad-
ministrativo da mesma thesouraria, a quam
por menos fizor a pintura das varandas da
ponto da Bos-Vista, a valiada em 337,700 rs.
ArrcmatacSo sera feita na forma dos srts.
24 e 27 da lei n, 286 de 17 do maio do cor-
rente auno.
As pessoas que sa propozerem a esta ar-
re o i lean, comparecen! na sala das sessOas
do mesmo tribunal, nos dias cima men-
cionados pulo meio-dia, competentemente
habilitadas.
Upara constarse mandou alixar o pre-
zenle o publicar pelo Diario.
Secretaria da thezonrasia da fazenda pro-
vincial de Pernambuco, 6 de dzembro de
861. Osecrotario
Antonio Kerreira d'Annunciaeflo.
Clrazales especiaos de arrematado
1." A piuliira da ponto da Boa-Vista, ser
feita de conformidad
COMMERCIO.
ALI'ANIlLGA.
Rcnilinmnlo do dia 10. 19 584,274
Dcscarregam lioje 11 de dzembro.
Barca portuguesa Boa Viagem merca-
donas.
Brigue portuguoz /Vatio Koncoorceliolas.
Brigue inglez Queen bacalho.
Barca belga -- Louise mercaduras.
'alacho hamburguez -- lerlh- alcatrSo.
Patacho brasileiro -- Bella Annita barri-
cas vasias.
Hiate brasileiro Aguia gencrus do paiz.
Hiato brasileiro S. Joio idom.
Brigue brasileiro Ro Ate mercaduras.
Impoi'tacnO.
Brigue brasileiro Ruliua, vindo de Santa
Catharina, consignado a Amo un & h nios,
manifeslou o seguinte:
5,387 alquoires farinhi de mandioca ; aos
consignatarios
Brigue americano Brandywine, vindo de
Pbiladclphia, consignado a Matheus Austin
& Companha, manifeslou .i seguinte:
121 fardos e 14 caixas tecidos de algodao,
400 barricas bolachinhas, 1,100 ditas fari-
nha de trigo, I pacote cadeiras para me-
ninos; aos consignatarios.
1 caixa um refrigerador; a Deane Youle
& Companha.
Iliate brasileiro S. Jo3o, vindo da Bihia,
consignado a Jos Anlonio da Costa & ir.
in.10, inanifestou o seguinte ;
tandu-se na forma dos arts. 31
provincial n. 286.
3.a A importancia desta obra ser paga
em uma s prestacao quando o arrematan-
te liver concluida toia a pintura.
4' Para ludo o mais que Dio estiver es-
pecificado as prezentes clauzulas seguir-
se-la o que determina a lei provincial n.
286 de 17 de maio de 1851.
Conforme.
O secretario.
________Antonio Ferrena d'Annunriacfto.
Declaraces.
THEATRO DE APOLLO.
I). loto de Hnran.
Esta annunciada para o dia 13 do corrente
a representas3o desta maravilhosa producSo
do insigne dramaturgo francez. He esta a
primeira vez que sobe scena nesta capital
uma composicSo de ISo dillicil execufSo : a
grande variedade de vistas quo olTereccm as
transitos do drama, o macliinismo conti-
nuado que elle exige, a especialidade dessa
maravilna da arte, que do eco deseo ao in-
ferno, edo centro da trra sube aos magn-
ficos palacios das hidalgos da Potica Des-
palilla : ludo isto produzindo uma agrada-
vel fascinecSo que encanta o embriaga os balas papel, 1 caixa litas de viudo, 2 ditas; pagar,na mulla do 3 por ojo sob o valor de
sentidos doexpectador, he porcertode umalchapeos, 1 dita couros preparados;a Croowojseus dbitos, e serao de prompto execu-
dilliculdade pratica, a que mu poucos po- Pela subdelegada de S.Antonio, fra
apprehendido em um comboio de matulos,
um cabrinba forro, menor de 8 annos, eque
diz ser morador do caminho Novo, no lugar
da Solidado, freguezia da Boa-Vista : quem
fnr seus paes, a ni-, tutores, etc., o queiram
procurar em casa do respectivo subdelega-
do, Rodolfo JoSo Barata de Almeida, que o
entregara depois de prehenchidas as forma-
lidades legaes.
OSr. Jo3o Coelho de Oliveira Cintra ,
queira comparecer na adoninistragaodocor-
reio desta cidade, a fallar com o adminis-
trador.
I'cii 2.a sessio da meza do consulado
provincial se annuncia, que no dia 1.a de d-
zembro prximo vindouro, se principia a
contar os 30 dias para o pagamento a boca
do cofre da dcima dos predios nrbanoos
desta cidade, do primeiro semestre do anno
financoiro de 1851 a 1852. e que lindo este
25 duzias frascos d'agoa de colonia, 17prazo incorrem todos os quo deixarem de
Theatro de Apollo.
RECITA EXTRAORDINARIA.
Sabbao, 13 dedetembro de 1851.
Depois de uma nova e escolhida ouvertu-
ra locada em grande orcheslra, subir pela
primeira voz scona nesta cidade, o magni-
fico e pomposo mysterio, adornado demu-
zicae cauto, em 5 actos, divididos em 7
quadros e2 intermedios, da bsbil penna do
eximio poeta francoz Alexindro Dumas, in-
titulado :
D. JOAO de maraa,
o u
A Queda de um Aojo.
1'ersonageHB .e actores.
D. JoSo de Maraa -- o Sr. Guimaraes.
t). Jos de Maraa ~ o Sr. Amodo.
D. Mortez o Sr. Miranda.
I). Christoval o Sr. Talles.
I). M noel o Sr. Conrado.
I). Sandoval d'Ojedo o Sr. Cyrillo.
D. Pedro o Sr. Jorge.
D. Ilenrique o Sr, Figueredo.
D. Tradique o Sr Caelauo.
D. Snchez ~ o Sr. Senna.
O Anjo Mao o Sr. Mello.
O conde de Maraa N. N.
O Senescal--N.N.
Gmez o Sr. Santa Roza.
Hussei, criado, pagem o Sr. Euzebio.
Um Anjo o Sr. Dornellas.
O bom Anjo, Sror Martha a Sra. D. Leo-
poldiua.
Therezina a Sra. D. Joanna.
Ignez a Sra. .Carolina.
Victoria a Sra. I). Jusephina.
Paquita a Sra. D. Soledade.
Carolina a Sra. D. Anna.
Joanna --a Sra. D. Luiza.
Sozor rsula a Sra. I), Luiza.
Um Anjo N N.
Pageos, soldados, cavallelros, etc., etc.
Quadro primeiro.-O Castalio dos Maraas.
Segundo.-Castello do Villa-Mar.
Primeiro intermedio.O Co.
Quadro terceiro.--Uma elegante pausada em
Madrid.
Segundo intermcdio.--A trra.
Quadro quarto lima igreja.
quinlo.-Um claustro dos Trappistas.
sexto --Urna sella no cjnvento do
Rozarlo,
sotiino.Um antigo castalio arrui-
nado ao luar.
Sondo todas estas decorac6?s totalmente
novas.e preparadas com toda aquella magni-
ficencia, que oxigoo autor do Mysterio.
Ha mais do trez meaos que o empresario
do Apollo trabalha om apromptar este dra-
ma, n3oesquecendo a mais insignificante
exigencia ; e parecendo impoislvel quo uma
empresa tao cscente podesse lovar a scen
e jinpo/ieao t3o dillicil di-p riu.i toda ad-
miracSo das possoas entendidas nesta ma-
teria, porm ei-lo alfim prompto, depois de
vencidos inumens obstculos, e grande
despaza, que fara desanimar a outro que
nBo desejasse nicamente agradar ao gene-
rozoso publico desta cidado, sem atlender
a beneficio seu.
Sendo pois avultadissima a somma das
despazas feitas para ete Mysteriu- o empre-
sario v-se na rigoroza necessidade denSo
s dobrar os precos, como tambem vender
os bilhetes para trez noiles, sendo a primei-
ra na do dia 13, a segunda nado dia 17, e a
tercoira na do da 20.
Precos.
Geral. 6,000 rs. para as trez noiles.
Cadeiras. 9,000 rs.
Camarotes. 30,000 rs.
Os Srs. assignantes porm nlo soreram
alteraran alguma nos precos do seus cama-
rotes, e bilhetes de cadeira.
Ealende-se por geral os asientos qu fi-
cam por baiioda primeira ordem, o por,ca-
deirs, todo o centro da salla.
Comecar aas 8 horas em ponto.
Os Srs. queja haviSo encummendado ca-
marotes; queiram novamenta dirigir-se a
casa do emprezario ra do Apollo n. 27, se-
gundojandar, outo theatro com anteceden-
cia.
Os bilhetes verdes, tanto de platea geral,
Como de cadeira e camarote servirSo para a
1.a noite ; os azues, para seguoda noite; e
os amarellos, para a terceira noite.
Avisos mar i timos.
Para a Parahlba,
sahe at o fim desta semina o hiatebrazi-
lairo Parabibano ; quem no mesmo quizer
carregar, ou hir de passagam dirija -so ao
mestre Victorino Jos Poreira, ou a ra do
Vigario n, 6.
Fara o Rio de Janeiro salle
mpreterivelmenlc no dia 11 do
corrente, a escuna nacional Maa
firmina, capitao Jofio Bernarda
da llosa, por ter o sen carrega-
iiK.'iilo completo, pode recel>er al-
guna passageiros e escravos a fre-
te, para os quaes tem comtnodos
sulTicientes : a tratar-se com o
mesmo capitSoou com o consigna-
tario Luiz Jos de S ai-aujo, na
ra da Cruz n. 33.
Fara o Fio de Janeiro, sahe
ua presente semana, a escuna na-
cional Mara Firmina, capillo Joao
Bernardo da Roza, por ter n seu
carregamento quasi completo :
quem na mesma quizer carregar o
restante, ir de passagem, ou em-
barcar escravos para o que tem
commodos sulTicientes, pode enten-
der-se com o mesmo capitao ou
com o consignatario Luiz Jos de
S Arau'io, na ra da Cruz n. 33.
Fara o Forlo, sahe com a
maior brevidade possivel, a galera
portugueza Brachareose, da qual
- C. J, Aslley r Companha farSo leilSi,
por Inlervencao do corretor Oliveira de v
riedade de fazenda de bom goato tod
propriaa para a prxima fasta ; assim com?,
de* calas oom couros do lustro i hoja ,
do corrente, l 10 horas da manbBa, no alo
ariaazem, ra do Trapiche.
O corretor Migu il Carneiro fara |1
ISo no da sabbsdo, 13 do corrente.as 11 hn
ras da manbSa, no seu armaiem da ra d
Trapiche n. 40, de diversos trastes notos,
usados ; pianos muito baratos, louca v.
dros, candieiros, e oulros muitos obic'cto."
por qualquer preso que for oflereclao. ou
val apena especular. *""
-J. J.TassoJunior fazleilSi) na escadi
nha da alfandega, lioje II do crrente as i
horas da manha de farinba de mandioca
milho,e faijflu que so rendem polo na o
preco. r a or
BBBBI
Avisos
diversos.
Aluga-se pelo tempodafes.
ta, uma casa no lugar de Apipu-
cos, bastante grande e do lado do
no: quem a quizer dirija_.e a
ra das Larangeiras n. 26.
Sr. Jos Carlos de Fana
queira dirigir-se a ra do Trapil
4 che n. 5, para receber urnas car-
tas vindas do Rio de Janeiro.
Precisa-sa alugar uma escrava, qua
saiba engommar o cozinhar o diario de una
casa, responsabilisando-se o seu senhor
na ra estreita do Rozario n. 12, loja de
marcineiro se dir quem precisa.
Precisa-se de uma ama para casa da
um estrangeiro solteiro : a fallar na ra do
Trapiche n. 40.
Aluga-se um preto para orna padara
o qual he mestre de maceira : na ra da
Cruz, venda n 32.
-- Deseja-se fallar aoss-nhores Antonio
Francisco de Souza Magalhaes Junior Ha-
noel Teixeira Barcellar, Tnomaz da Cunht
Cantuario, JoSo Rodrigues da Silva e Jos-
da Costa Albuquerque, para negocios de
seus inleresses: na ra Nova n. 16.
Na ra do Collegio n. 21, segundo in-
dar, preersa-so de uma ama de le lo.
-- Precisa-se de um preto, que trabalbo
de maceira, paga-se bem na padaria da ra
dos Coelhos n. 13, do bairro da Roa Vista
ou na ra Nova n. 50.
he capitao Modrigo Joaquim Cor- Crespo, loja n. 16.
11 R ThomazMaria,
reta, tem excellentes commodos pa- j.neiro, a sua escr
O coronel Joaquim Canuto de Figue-
redo, embarca para o Rio de Janeiro, o sen
escravo creoulo Nabo.
Precisarse de uma mulher, de idade, pa-
ra ama de casa do liomem soiteiro, que co-
zinhe e engomme : na padaria dos Coelhos
n. 13, no bairro da Boa Vista.
~ Precisa-se alugar um preto e tambem
compra-se, sendo fiel, que nSo tenha acha-
ques enem vicios, para servico de casa na
ra do Amorim n. 25.
Aluga-se um silfo, com bos easa de vi-
venda terrea e um sobradinho, na estrada
de Parnameirim, smente pela festa, alu-
gando-se s as casas, ou com o sitio, como
melhor convier aos pretendentes: a tratar
com Victorino Jos da Souza Travaaso, os
travessa do Veras n. 15.
-- lioje, as 4 horas da tsrde, iri a praca a
porta dolllm.Sr.juizdeorphaos, a casa si-
ta na ra Nova n. 46, a requerimonto dos
testamenteiros da finada I). Izabel Mara da
Costa Ramos, he a ultima praca.
-- Precisa-se de um caixeiro, que tenha
pratica de venda, de 10 a 15 annos de idade,
o guo y fiador a sua condun'a : mis Cinco
PoqfSsD.21. r
Iieseja-.se fallar com vj Sr. Hanoel Joa-
quim Sores datural do lugar de Anho-
bom, freguezia de Fonte Arcada : na ra do
ra passageiros
quizer carregar
embarca para o Rio de
1 escrava creoula, de nomelJe
quem na mesma inedicta, de 14 annos de idade.
ou r de passa-!..." !>er?unt,se I?" enl>?f? redactores da
UniSo, em que collegios eleitoraes tevevo-
tacSo o Sr. D.-. Alaxan Ir Pereira do Ciraio,
para figurar ua apuradlo publicada honlem,
do corrente, com 220 votos, pois que das
apuraefies parciaes, nao consta quo esteja
t3o votado ? Um canlidalo enforquilhado.
-- Na rea Direita, padaria n. 24, precisa-
se de um caixeiro. *
-- Justino Gumes Villar, avisa a Sr*. Ilen-
riqueta Mara Rita haja no prazo de 8 din
contados desta data hir pagar ao mesmo se-
nhor a cima a quantia de 11,720 rs. quefl-
cou a dever de alugueis, do contrario serSo
j vendidos os ditos trastes para seu pigamen-
| to,o que se Ihe avisa parando se chamara ig-
gem, entenda-se com o capitao, na
praca do Commercio, ou com No-
vaos & Companha, na ra do Tra-
piche n. 34.
-- Para Lisboa protende sabir com brevi-
dade o brigue portuguoz Viajante por ter a
maior parte da sua carga pro upli. Quem
no mesmoquizer carregar ou ir de passagem
dirija-se aos consignatarios Thnmaz de A-
quino I .ni-, e u\ Filho: na ra do Vigario n.
19,1-' andar ou ao capitao e proprietario Ma-
noel dos Santo-, n 1 praca do commercio.
Para a Bahia.
Segu empreterivelmenlanodiall do cor- ,. .,
rente o hata l.igeiro ainda recabe algumas ,, ontinu* 'u8"lo a contar da nouteda
miudezas e passagoiros : na ruado Vigario mez ? "?v.emb'0 passado de bordo
n. 5. ua brigue Feliz UniBo o escravo marinbeiro
--' Para o Porto, segu com toda a brevi- ie"me.,0?q"'.'".de n"sl0 Moc,n,biaue '
ronresrnta de idade trinta e tantos annos,
xo, grosso do corpo, cor folla,sem barba,
dade, a barca porlugueza Espirito Santo.ca- "Pr
pililo Jo3o CariusTaixeira : quem na mesma ,
quizer carregar ou ir de p.ssagem dirija-se L8V0U cl?as 9 c,imsa ,ue riscado, o mesmo
aoescriplorio de Francisco Alves da Cunha nfr:aPll0CI0. o entend algumacouza do i-
; dioma inglez sendo natural sa intitule por
livre. Ruga-sea todas as autoridades aua
"seguir" para csse c'Plura' como tmbem os espitaos de cam-
a bordo;.para a car- po' cerl de 1u0 reconhecido pelo proprio
qusm o trouxor a ra da Cadeia n. 39, rezi-
dencia daAmorim&lrmaos correspondanles
daquello brigue, o do Sr. Proprietirio do
mesmo oscravo, receber de gratficac3o
carrouamento prompto, o l>ri"u.. nsciona i 8t,'00 rs- 1ae se garante polo prezente an-
earlos, capitao Jos Joaquim Soares : quem nUnCI ..
110 mesmo quizer carregar ou hir do pas-'0 V regedor.i da Irmandade de N.
sagem, para o quo tem mu excellentes Amparo da cidade de Olindadeo prin-
commodos : diilja-se a Bailar & Oliveira,
& Companha, na ra do Vigario
Oblata brasileiro Otiiiia, con tere para
o Cenia at s.lili i lo, e
lugar e un o que tiver a
ga, a tratar com Manoel Das, na ra da
Senzalla-Velha 11. 18,
-- Para o Rio Grande do Sul, seguir em
poucos dias, por ter a maior parle du seu
cipio os obras da mesma igreja^omo seja a
da coberta e de nutras que se MrnSo indiv
pensaveis, o tom da mandar seus IrmSos a
tirar esmolas, pelos des devotos da mesma
senhora, e roga antes, que so prestem para
um fim t.lo justo
-- Em a primeira audiencia do 111 tu. Sr.
na ra da Cadeia do Recife, armazem n. 18.
Para a Baha o patacho Aracaty por to-
da osla semana; tem o carregamento promp-
t-i,i- i-.-ii apenasalguns vulumes paqueaos ;
trata-so com Manoel Dias ra da Senzala ve-
Iba n. 134.
--Esta froloa barcas Aurora feliz pa- J. JUIZ s fellos> se arrematarSo por ven-
ra qualquer porio.sendo para o Sul at o Rio'. ,,*L.p,r.e?!cU?0. da fazenda provincial, i
de S. Francisco e para o Norte at o Asa.
Esta baicassa fui uitimamente construida,
est muito segura, he boa de vola, e pega
no peso de 40 caixas com assuoar : para tra-
tar com o mestre da mesoia no|Forle do
Mato, onde ella est ancorada, ou na ra do
Rangel n. 56.
PAKA O RIO DE JANEIRO.
Sahe com a maior brevidade pos-
sivel por ter parte de seu carrega
ment prompto, o veleiro brigue
nacional Rio Ave quem no me*-
mo quizer carregar, ir de passa-
gem, para o que tem bons commo-
dos, ou embarcar escravos a frete
entenda-se com o capitSo do mes-
mo brigue,.Elias Jos Alves, na
praca do Commercio, ou com os
consignatarios Novaes & Compa-
nhia, na ra do Trapiche a. 3-1.
Leiloes.
tados.
-O corretor Oliveira, fara. lefISo de
grande porcio da mobilia nova, e com pou-
co uso, e de um excellenla piano, outr'ora
portcni' inte a Manoel Loe Poupou 1 sexta-
reir, 12 do correte, s 10 horas da ma-
ndila, no primeiro andar da sua casa, ra
da,Cadeia.
sobrados de -.' .m lares 11. 30, silos no paleo
do hospital do Paraizo ; avaliadoscada.nm
em 7:000,000 rs : por execucSo quo mova
a mesma fazenda, cintra o coronel Jos Pe-
dro tcloso da Silveira Irinta panellas de
louca branca do uso de botica, avahadas
por 30,000 rs por oxecucSo que move a
mesma fazenda, contra Lalicia Mara da
ConceicJIo.
Na casa de modas francezas, de
fiuessard Millochati, no aterro
da Boa-Vista n. 1.
acaba-se de receber polo Pernambuco, ulti-
mo navio vindo do Havro, um lindo iorti-
mento de modas de Pars; como sejam ricos
chapeos de seda e de palhapara senhoras,
chapeos de montara,dito de palha para me-
ninos emeninas, mantelhetes e capotilhos
de seda de cores o pelos, mantas e leos
de seda de retroz, e de cores un' lindo escO'
Ihimento da bordados, cabecoes, romeiros,
camisinhas ecapotinhos de bico bordados,
ricas fitas para cinto e chapeos, flores finas
para casamentoeenfeites de vestidos de bai-
los,luvas de pelica para senhora, enfeites pa-
ra as ihiis,pule -ua de fitas,trancas e franjas
para vestido, o mantelhetes, espartilhos ti-
nos, bicos e galdss de seda de cores, tonca-
dos ricos para bailes e theatros, lavas de
seda muito linas, emultas outras fazendas
de goslo, que sa vonderfio muito em conta.
Precisa-se de uma preta captiva, qua
entenda alguma cousa de cozinha : no ater-
ro da Boa-Vista loja o. 1.


_ No di 13 do crrante depois di audian-
cii do Sr. juiz do civel di segunda vira, ni
pillada mema hade aerarrematado um ter-
reno com bemfeilorias a urna oasa terrea e
rjutra meii agoa, que devida com i traves-
si da rui Augusta que tudoaever melhor
no pscripto que se acha em mSo do pnrteiro
penhoradoaos herdeiros de Uanoel Francis-
co CuimarSes por execu;3o de Matheua
Auslin & Companhia esenvo Cunhi.
Xavier Alvares que tere a honri da di-
rigir urna circular ao commercio desta pra-
ca, ora o faz de novo por meio do presente
para certificar quetrasladou do Buceo pa-
ra i cidade de Montevideo aua casa de com-
mercio e de consignacOes, e onde ofTerece
aeus sirvios a todoa quantos o queir.lo
honrar coro auai ordena, prometendo todo
o zello, e diligencia, no desempenbo do
quintse Iho posaa encarregar.
Traspassa-sepelo esparto de 3 unios e
meio o urrnndamento do sitio que fui do
l)r. Hunnn lo em Olinda com boa casi
do vivenda, binhelro, diversos arvoredoa
do fruio e terreno para plantacfies; quem
a elle p-etenler dirija-ae a ruada Praia n.
90, que achara com quem tratar ou mes-
mo ciilade no pateo de S. Pedro sobrado de-
fronte da igreja.
A maza regadora da irmandide de N.
S. da ConceicSo, erecta na igreja da Con-
gregacSo, couvida a todos o* aeus irmSoa,
para reunilo de meza geral a lim de se pro-
ceder a nova eleigSo : hoje 11, pelas 6 horia
da noite.
-- La va-se emgomma-se com milita per-
feico tanto da varrella comodesabao a 120
ra. a pega defrooto da a bobada da Penha
o. 41.
-- Aluga-se um sitio quo tenha cisa do vi-
venda e comotodo para pastar 12 vacas : a*
ra do Rangel n. 56.
Preclsa-se de urna ama, quo saiba en-
sinharefazer ib compras necessarias para
casa de homem solteiro : na ra Direita
n 53.
Osabaixos a signados passageiros do
barco N. S. da Boa-Viagem que acaba de
chegir do Porto i e-la cidade, sobre manei-
ra penhoridos pela u- Ululado e delicadeza
com que foram tratados pelo capitio do
mesmo, olllm.Sr. AntoniolFerreiraLeiteJ-
nior, delxariam de comprir um dever sano
manlfestaaaem da maneira a mais explcita
sua gntidSo para com o mesmo Sr. Leite;
digne-so pois ornes no Sr. a coi lar esto teste-
munho do nosso agradecimenio, ulilisar-se
como lhe iprouver do prestlmo de todos,
de cidi um em particular dos abaixo as-
signados! Jlo Luiz Ferreira Ilibeiro, JoSo
dos Santos Coelho, JoSo Manoel Pinto Bas-
tos, Manoel Luiz dos Sanios, Domingos Al-
Tas da Costa, Jos Negu ira da Costa Soares,
Manoel Antonio Vianna, Carlos r: atavo l'i-
nheirodeFigueiredo, Ignacio de S Lopes
^^
i O bacbrel Jofio Vicentte da Silva Cos-
ta, avisa aos aeua prenles e amigos, que
podem procura-lorio batrro da Boa-Vista,
ra da 8. Cruz n. 66.
Hoga-ia io Sr. Bazillo ComeaPereira,
morador era Iguanssu', de apparecer na
ra da Ciui, toja de couro, pira ultimar
aquello negocio, que Smc. no rgno'i, do
contrario se publicar.
- O abaixo ajiignado, morador na co-
marca de Caruaru', deseja saber aonde re-
alde aua mana Rita Isidora, da qual deixou
de ter noticia s de a ver deade 1819 1820 :
tenha pois a mencionada Sra, a bondade
de declarar por esta folha, o lugar de sua
residencia, a negocio que lhe diz respeito,
e de seu interesse. Porceno Jos da Ser-
queirn. .
Pede-se aos llovedores da casa do ti-
nado coronel Joaquim Jos Luiz de Souza,
que tenham a bondade de latisfazerem os
seus dbitos oestes 15 dias,sen9o quizerem
verseus nomes estampados nestafolhi.
Precisa-sede urna imi pan cusinlur
para urna familia : na ra larga do Rosa-
rio n. 21, na laberm da esquina que volta
para o quartel,
O "Di*. Sarment nao tendo
podido descobrir a residencia das
senhoras DD. l'rancisca Victoria
da Costa Ayres, Jlaria da Concei-
cao Mazar, Alaria Anna Joaquina
da Silva e do Sr. Manoel Francis-
co Marques : roga-lhes queiram,
para negocio de seus interesses,
comparecerem, ou mandarem a sua
casa, na ra do Queimado n. 46 ,
Stnhmt redactorei. Rogc-lheso obse-
quio de publicar vi sua conceiluada folha,
os doiisr-nnunciotda casa dos Sra. Araujo
& filhos, do PaoedfJ inseridos,o primeiro no
Mercantil da BahiadeSSde novembro de
1851, e o ultimo no Constitucional de Ma-
celo de 15 de outubro; os quaes talv,ez
aorSo bastantes pira responder ao que
infamos cilumnidnres tem ouaado propa-
gar para menoscabar o crdito daquelli
casa :
Porm parece que nSo deixando aquellos
Srs. passar desapercebidas taes insinuicOes,
a confuido e o remorco aera o fructo eolhi-
do por esses dectratores do crdito alheio.
Ilecife, 4 de dezembro de 1851,
?
id*" A casa commercial ostabelecid no
Rio de S. Francisco, na cidade do Penedo,
sobre a firma de Araujo & Filhos, tem moti-
vos para fazer publico que nada deve a pra-
ca da Babia, por virlude de transacOes ha-
vidas com a antiga^asa de commercio quo
por milito* annos jgirou sobre a firma de
Jos A'itonio de Araujo, chefe da actual casa
dos annunciantes ; assim como esta nova
firma, aclia-ae neasa mesnia cidade 13o s-
mente obrigada ao pagamento d urna letra
daquantia pouco mais da 2:7008000 rs., a
vencer em dezembro do correnlo anno,
o tres letras do pouco mais de 800,000 rs-, a
vencer em main de 1852, 1853 e 1854, s-
tando assim saldadas (otas aa mais transic-
cOes que te-n ali tido, por conta de livro, le-
tras, e crdito ; e se alguem ae julgar ere-
dor dos annunciantes, que nSo podor ser,
aenSo por quaolia inteiramente insignifi-
cante e pela no ter reclamado, queira fi-
ze-lo saber que aera immeliatameute pago,
utro -lii declaram mais quo suas fabricas,
propriedades, escravos e outros bnns que
possuem se ichsm livres de quaesquer
onus, ou liypotheca. Cidado do Pnnedo20
3
ou no sitio que oceupa na Ponte |
do Ucha, defronte do Sr. Fran-1 de outubro da 2851. Araujo k Filhos.
, .... A casa commercial de Araujo & lilhos
CISCO Antonio de Uliveira. e9l,b,.|ec,i, nesta cidade do Penedo, pro-
-- Thoma?. Mana embarca para o Rio dei vnci ja Alsgoas, tm motivos para fazer
Janeiro, o seu oscravo crioulo da nomo
Luiz, d i la lo f.i annos.
-- Precisa-se do urna criada, fjrra ou es-
ci iva para r isa de iii.nl i pouca familia: pa-
ga-sa bom e exige-se que sirva para cosi-
niiii, e s i'.ir quanilo for necessario : na ra
llireita n. 29 1.* andar.
Precisa-se com urgencia, do um Sr. ca-
peliao para dizer as missas do Natal em uml quaesquer onus ou liypotboci.
engenho 4 legoas, tendo a conduoco doi Je outubro de 1851.
ida e volta: no pateo da Penha snbraloj .. oflarece-se para caixoiro de venda ,
de 3 portas o mirante, para tratar tarde uma .|esjoa que tem bastante pralica, nesta
a qualquer ora. pr,c,, ou fra dalla: quem o pretender, di-
"O abaixo assignado declara que ten lo, ria_se a rua Nova, venda n. 65.
do ser arrematado um seu escravo de nome AiionrSn' Atrenro !
Francisco de naco, e isso por execucJo de, Allencao. Auen.au
Joaquim Ferreira contra Domingos Pereira de .Ha +^**^SS!S3&*!2'
M,-n lanha sem que o mesmo abaixo assigna- til Capibar.be, o enligo fabricante de. sorve
publico, que ncnlium titulo do credilo, pro-
venionte das trnsacr;Oes do sua casa, e pe-
las amnicatcs assignados tem delxado de
ser poutualmenle pago nos seus vencimen-
tos.
Ojtro sim declaram que sua fabrica, pro-
priedades, escravos, e outros baa que pos-
suem so acham livres, e desembargados de
Penedo 7
lietratos photogenicos. oflicina de cncadernacSo.
Oirlista r.aopodendo partir, como ten-J O pidre Francisco Coelho de Lemoa e
conav, no vapor Pernambucana para, silva faz Miente iorespeitavel publico, que
o su!, pirticipa a quem tencionar rotratar- j jm mudado a sua residencia, e estba-
le que i o,le procura-lo at o dia 12do cor- '.lecimenlo para a rui do Collegio o. 20 pri-
renle, na rua Nova n. 61, segando indar, meiro indar, onde continua & encadernar,
- Adverle-sa ao Sr. Bernardo de Alhu- e espera a mosma concdera$]o, e favor
querque Fernandos Cania, que o seu corras- que sempre tem recebido. Ah vende livros
poDdenle nesta praca, n5o tem pago a subs- tanto de direito, como da bellas letris, e
cripQSo do Diario. ] linguas mxime a latina do que tem um
*-Precisa-se da um moleque que saiba completo surlimento, troca e compra toJo
cozinliar o diario de uma caza de pnuca fa-l a qualquer l'.vro com tanto que nao lliefal-
mia, quem tlver para allugar dirija-se a | tem fliase tem para vender tanto em por-
rua dos Quarteis loj u. 24, cf.o como a r.-la lio cartisde A. II. C, li-
Attcnc). lio nas, cartilhas, catecismos do differeotes
.. I oJicoes, e presos, verdaJo nos meninos, Si-
u arrematante dos nnposlosaas jnopsis, Fleury, Daverea dos bomena, Apu-
fenr,(5cs, das liceo^as dos mscalos o boen- f dautas, l'ru.m ,n,' s bastantes, Rtulos pa-
Teixeira Pinto, o padre Jos Antonio dos! que rossem atlendidossousemba-gos de 3. .
Monleiro becco doQuiabo, isto posto, a ra-
_da da bom goslo acha'So todas as com-
isadas com promptidilo e asseio.
recisa-se alugai uma escrava para
lodo o sorvifo interno de uma casa de fa-
milia: a tratar na rua Formoza, quarta casa.
Joanoa do Rozario CuimarSes Macha-
do, embarca pan o Rio do Janeiro, o seu es-
cravo oreoulo, de nomo Luiz._
y Alvicaras rapasiada.5
Chegou em fim .0 suspirado gelo para o
-- Aluga-se o quarto andar da casa
rua larga do Rosario n. 36, procuro na
ceram uous cvanos rassimos n 3 para,,
horas da tarde, das Cinco Ponas, com os lo o'* assignado, como he de le, Uz-
signaes seguimos, um com uma sicatris no, *** doclara?ao a queni podar inte-
qarto, un?a abertl no casco do p, paseiro, ruur. Joaquim Das Fornandes
carego obrigado, castanho cor de maca-' --Offerece-se um homem POu.*""P"
co, outro caitanho mais rilinto, pouco pas- trWhar de hortelo em algum sitio perto
so cavallode meio, abertodobaijoodesi- dasta praca, o qual tem muila pratica por
ma.caud cortada, anca de porco, ambos 8,er homenl decampo, e tambem t.
* .. ... lia f 1 i- i i i i .iiiii.i iln .i.i l,i .i- I 1 iil
com canga
destes dous
Victoria
professor
bo, que aera bem pag
silo controdos. .,,,,, i_u rua larga" do Rosario n." 36. orocure na bo-
r ugio da cidade da l'arabiua i,0,u, m.,m, Ca
no dia J de outubro prximo pas-1 -- Os Srs. Luiz Antonio da Silva Burgos e
j -;..!* Jn Antor/io Jos Marlins ; queiram annunciar
sado, urna escrava cnouU de no- a| guas moraJtg set proposto a um ne-
me Jonnna, alta, cor fulla, repre- gocio de muiSJkerese.
senta ter 38 anuos de idade pouco ^^^Z^"!!^
mais OU menos, olllOS vermelhos, assucar, trapiche, casa ingleza, ou qual
niianrln falla rfairupiia nrincinal-' 1UI r estabelecimenlo, tanto para a praca,
quandO lalla gagueija, principal ;2omOBarao mallo : os prelendontes diri-
menle quando se tema com ella, jam-se as Cinco Ponas n. loo, queachariio
levou vestido rXO, e lima coberta, quem informe a conduela, ou ao paleo do S.
, i Pedro, venda 1, a Iralar com o mesmo
de algodao de carossinlio: qual- caxeiro.
Aluga-so para festa ou annualmente
uma casa na rua do Cabral da cida le de
Olinda, com bons commodos ; estribara,
casa para escravos; murada na Irente.o com
o fundo para a margem do rio, com um pe-|
queno sitio, o qual tem excellenta baixaj
para caplm, e faz face com a nova estrada,,
da sorto quevem a ter duas
inulto frequentadas : na livra
pi'.nM da Independencia.
-- Aluga-se as lojas do sobrado na rua dos
Quarteis n. 16, proprio para qualquar esta-
qner pessoa que dclla tiver noti-
cia, a queira apprehender e leva-
la a rua do Cabug loja de miude-
las, a entregar a Jos A lves da
Silva Guimar3es, ou na Parahibi a
Jos Jlaria Pestaa, que ser ge-
nerosamente recompensado.
Precisa-sede uma ama para uma casa
de pouca familia, e de portas a dentro : na
travesa do Corpo-Santo n. S9.
AtlciK'ao.
Deiapparec'eu hontem 8 do corrente, um
cachorrinho rateiro de ~
novo, d pelo nomo de
siguesseguintes : cor [reta, peilo branco,
ps e focinho cor de rap, com uma marca
branca no pescoco. uma das mus um tanto
torta : quem o levar a rua do trapiche No-
vo n. 10, ser gratificado alai do quo se
licara muito obrigado.
'mwi'tsmmmmammmmiommmmmm
W Precisa-se da um ama, que tenha
W muilo bom leite, sendo forra, e que 18!
*SI seja linipa para amimentaruma cri- HtV
l anta de 2 uiezei, piga-so bem : quem itil
%m sunchar neati cireumitancia,dirija-
KM se a rua da Matriz da Boa-Vista n. r;j
tr 16, ou nnnuiiciH a sua morada, para f~
ser procurada. r;J
mwmmmmism&mmmmmssmmwm
-- Alugim-se as seguinle casas : o l.o
3.' andar do obrado n. 4, do aterro da Uoj-
Vista, muito fresco, e com muilos commo-
dos pata grande familia, e o t. andar do
sobrado n. 24 da rua da Aurora, tambem
com bons commodos para grande familia,
e muito fresco : a tratar na rua da Aurora
n. 26, escriptorio de Francisco A. de Oli-
vein.
O annunciante, tendo estudido na
I ranea, medicina e Cirurgia, deo-se com
especialidade arte do partejar, o tambem
a certas operacOes relativas as molestias
das vias culinarias como eslreitamentos,
pedias na bexiga, tumores etc.; taro com-
sigo os meihores instrumentos para partos
e litliotricia, dos quaes ilgnns, nao cree
que entre nos tenham sido, nem geralmen-
te conhecidos, nem convenientemente ma-
nobrados. Relativamente a certas moles-
tias internas, e seus humos curativos no-
vas ideas oxistem na sciencia, das quaes o
annuaaianle a fuera menijSo na llaln, e
espera aqui ter occasiSo de dar-lhes publl-
cidade. Uma dallas he a diabelis ouri-
nas doces molestia, queospathologislas
linham errneamente classillcado, mas quo
a physiologia do seculo veio pula fra de
toda aduvida.
De resto o annunciante s espera da be-
nevolencia do publico, occasiSO, em que
com Tactos possa mostrar o resultado de
8us fidigas, por lanto lempo e lo assidua-
niente exercidis, ni escola pratica de Pa-
lia, onde obteve alicatados que muito lhe
tionnm. E oqueeateja aieu alcanco pira
soccorrer a pobreza elle o far, j gra-
tuitamente dando consultas em aua casa,
que serSodas7 asSomeia lloras da ma-
>'bSa;j mesmo visitando gratis aos po-
bres que por ventura nSo possam l ir ter :
no aterro da Boa- Vista, casa a. 34. Dr.
Carolino F. do Lima Santos.
e antas, que elle mande algum vivonlo des-
ta para melhor, bom ser refrescar o esto-
mago, oom um cliz do afamado abacaxi,
havoi.do 2 salas.1 para homens e outra pan
senliora, calix 210 rs.: na confeitona n. 43,
da rua do Rozario.
Desappareceu na noiledo 4 do corrente
um do* de raca inglezn cor branca corr al-
gumas malnas pretas.cabelludoaccodo pelo
nomo da orincio qu'm o tivar adiado quei
ra levar a rua do Vigario caza n. 3 que sera
gratificado com 5,000
__ Frecisa-se alugar um mole-
que, de 18 a ao annos, pagndo-
se ao.ooo rs. mensaes, comida e
visluario : na rua da Cadeis, loja
de Bourgard.
Precisase de uma mulher, para cozinlie
a fassa algum outro servico de casa de urna
familia ingleza, morando na Magdalona
ra garrafas do vinhos, e livros, letras, co-
nliecimentos, fullinhas du lembran^as, o
edicto de Pars, de porta, traslados, livros
embranco, ele
PASSAPORTES.
Tirani-s i passaportos para dentro o
fra do imperio, despacham-so escravos,
correii-se folhas. e tiram-se lilulos de re-
sidencia : para este lim, procura-sa na rua
il i C.i.l'ia ,lo l 'i'ii.i ii. j",, |oj i do fazendas
do Sr. Luiz de Oliveira Lima, e em S. Anto-
nio, na rua do Qneimado o 25, loja do miu-
dezisdi Joaquim Montciio da Cruz.
Francisco de Paula Carnei-
ro Lcao mudoii a sua residencia da
ruad'Agoas Verdes, para o atier-
ro da Boa-Vista n. 16.
- Alberto Jacinlho do Souzi lem justo e
contratado roa nSra. D. Auna Marii de
Souza, a c i o,,i a da sea oscravo ciioulo,
la nomo Ziferino, de i la.I do 14 annos
pouco mais ou monos, por isso quem se
julgarcom direito ao dito escravo. dirja-
se no praso do 3 di is, a rua Direita n. 27.
As pravas da fa/.endi anuuncia las em
os Diarios do 20, 27 a 28 do as-a lo i, /,
(icio transf'ridus para a prlmcira audien-
cia.

BOWMAN c MC. UAI.LUM, ngenhei-
ros machinistas e fundidores de ferro mu
respetosamente annunciam aos Senhores
proprielanos do engenhos, fazendeiros, mi-
neiros, negociantes, fabricantes e ao res-
peilavel publico, quo o seu eslabelecimento
com as seguales pro- jde ferro movido por machina de vapor con-
.. tina em effeclivo exercicio, ese acha com-
Uilhar e sorvet", aos domingos e das san- patamente montado com apparelhos da pri-
tosatarde. meira qualidade para a perfeita confec^o
Sala molo liada e independente, pira as t das maores pecas de machinismo.
ramillas, que indo a paaseio quizerem des- Habilitados para emprehender quaesquer
cancar. obras da sua arte, Bowman & Me. Callum
Quarlos preparados para dormida. 'desejam mais particularmente chamara
Espacosa o bem arejada sal de jantarj, !attenc3o publica para a saeguintes, por
com capacidade da servir 40 pessoas. ferem aellas erando sortimento j prompta,
Soiti para recreio e passeo.
Estribaria e arranjos para ca vallo.
Comida mensal eavulso.preparam-sejaD
le ras, mudou-se para a rua das Agoas Ver-
des u. 25.
M noel de Almeida Lopes, com cisi
de consignado para comprir e vender es-
cravos, tanto para csti provincia, como pa-
ra fura il 'lia, mudou'a sua residencia da
rua dn Cadeia do Ilecife, n.5l, para a rua
da Cacimba, n. 11, sonde mmoi o finado
l'Aoi. vigario, Uarreto,onde continua, olTa-
recendo-se toda a seguranza precisa para os
meamos o bom Iralamento.
Precisa-se allugar uma prela escrava,
para tratar de uma enanca, e cuidar de sua
rcupa.quem a tiver annuucio para ser pro-
curado, ou entenda-se com o porleiro da
AlfanJega desta cidade na mesma reparli-
(So das 8 horas da manh3a as 4 da tarde.
--Precizi-se de um portuguez que seja
perito em plantac,oes de sitio, e saiba ti-
rar formigas,'quem estiver nestas circuns-
tancias equizur trabalbar no sitio na traves-
sa do Remedio n. 21 cutenda-se com seu
proprietano, o l'orteiro da Alfandega desta
cidade, na mesma repaiticilo qae a vista da
piova quo der de saber o que cima so desi-
ja, e da sua boa conducta 61. &. tralar-se-ho
do alo-1 |.
1 Paulo (niu-noiix. alentista 4
* fi'i\iicez,otTercce sen prcsli-
* mo no niiulico para todos os ->
* mUteres de sua profisisiio: S
2 pdeser procurado a nial- .
9 iucr hora em niiii casa, na
< rua larga do Rozarlo, II, 3<>,
-:".: :"iii o andar.
ii## 14#'f,^lR >
-- Precisa-sade uma criada, somanto pa-
ra o servico de cozinha e compras, (ara
uma casa de muilo pouca familia : na rui
do Rozario da Boa-Vista, sobrado n. 32.
Hotel no Montetro.
Domingo, 16 do passado, abrio-se este
eslabelecimento
porefle
s quaes construidas na sua fabrica pdem
competir rom as fabricadas em paiz es-
ejan-1 trangeiro, tanto em preco como em qua-
tires e prezuntos, aluga-se louca, vilros ,iijado da maleras primas e mSo d'obra
bandejas, ele etc. a saber-
Tudo por preco muilo rasoavel, e acn- Machinasdovapor da melhorconstrucSo
lento dos pretenJenles. Moendas de carina para engenhos de to-
Amc- Lacaze [dos os tamaitos, movidas a vapor por agoa
Tem a honra de levar ao conhecimento do ou animaes.
respeitavcl publico, que acaba de abrir um '
novo eitabelecimeoto do relojoeiro no ator-
ro da Boa-Vista n. 11, a ni lo se acha prom-
ln liara tazer quaesquer conceilos mosmo os
mais dillic.is que so poderSo apresentar,
Rodas d'agoa,moinhos do vento eserraas.
Manejos independenles para cavallos.
Rodas dentadas.
AguilhGcs, bronzes e chumacciras.
Cnvillldcs c para lusos do lodos os l.im.a-
ft .,.b;i q"em e,li,,,r nojt,s circumslanc.as, dirija-
frentes ambas 4 43 n> fui Ja CruI> Jp3 ?1 ,lu.
na n. 6 e 8 da fas da mMt M s do Urde.
O abaixo assignado, avisa a quem con-
vier, quo tem falto negocio de compra, com
uma casa tarrea, sita ua rua da Guil n. 23,
belecimento por seren grandes e com mu- c(jm Q Sf j0,ujm Joso correa : quam na
tos commodos: a tratar na rua do Queta o nlllsma liver alRum direito a reclamar, ou
n. 41.
ui'o Quinta-feira 11 do correnso as 4 horas
Malambo "ando" os tardo so hade arrematar ror sor a u lima
pr?a a porta do Illm. Sr. Dr. juis dos or-
l i i dous navios peiteucenles ao cazal do|
finado Antonio Francisco da Silva Carrisco]
que so acho com direito a mesma reclame
no praso da 3 dias contados de hojo. Ile-
cife, 5 de dezembro delsSl. Joso M
Conexivas Viejra Guimarfles.
- Na rua dos Quarteis fabrica de charu-
tos n 14, precisa so de dous olliciacs, quo
ii.ili.illi ni bem.
Precisa-se de um moleque, para uma
casa do pouca familia: na rua Nova, loja do
cujnssJo o patacho Dous IrmSos prompto al
naaegar, e o bem conhecido brique Ilecife
outra ora pensamento, este navio he del
primoiramarchao conttruido de canda pre-. cut|ejr0 n 36 .
la lem dous mastros reaes de Riga.tem muito __ paral',ieo juizo da segunda vara desta
boasocorrenteseferros.lem todo omassame,; ciJajCi so ha de arrematar em hasta publi-
son lo quasi todos os cabos de laborar novos c> uma porsa Je fazendas, por execuclo,
e tem todo o pao em bom estado.e um bote conlr|| o.Maria Joaquina de Souza llarcellar.
cujr/s.navioi si actiao ancorados Jcfronle Jo __ ^upoioom.abriel Bez, embarca para o
Trapicho do algodo aonde polem ser exa-, n0 de Janeiro, os seus oscravos, No e do-
minados pelos pralendenlos;e paraqualquer menlino pardos Euzebia, Beuedicla e Tho-
esclarecimento podem ontender-se com Mi- m crooulos.
iia.I 1.'.............. .1 Cilua /' ,,-ri-ii.i ni ni t do (. ... .*
brs. l'uarmaceuticos.
M. D. Rodrigues, na rua do Tiapiche n. 28
recoheu no vapor/'riiain6acanu uma peque-
noal Francisco da Silva Carrisrjo : na rua
Collegio n, 17, segundo andar.
Aluga-se urna ala do primeiro andar,
do sobrado da rua do l.ivramento o. 1 : a
tratar no segundo andar do mesmo.
Osabaixo assignados previnem ao pu-
na po' cao de sal; i de superior qualidade.
O abaixo assignado, roga ao grande
blicoqueoSr.DeciodeAquinoFonsccadei-; abelidoso que lirou umi cirta do crrelo
xou de sercaxeiro de sua casa desde o dia do mesmo aoaixo assignado, vinda do Rio
1.* de dezembro do correnlo.
Tiioma/ de Aquino Fonseca & filbo.
No caf francez.
Da rua nova haver sorvele das 61|2 ho-
ras da tarda de hoje em diante, os concur-
rentes serao servidos com asseioprompinlSo
e em lugar a vontade,assim como o sorvete
ser sempra das meiliuies fiuctas.bom como
hoje do abacaxi ; tambem tem polpa do ta-
marindos, refinada em Iotas de libra.
No caf dos arcos.
Junio io theatro velho haver sorvete das
6 1|' horas da tarJe de hoje em diante, ser
sempre das milhores.fructas, e ser o servi-
dos com asseio e promptidSo.
-Manoelda Almeida Lopes embarca para
o Rio de Janeiro o seu escravo crioulo de
nome Agostinho de iJade de 14 annos.
Thomaz Mara embarca para o Rio de
Janeiro os seus escrovos ci ionios de noma
Cosme de 15 annos, o Marcellino da 18.
No dia 28 do prximo passado mez de
novembro fugio uma negra de nonio Rutina,
seca do corpo,espadauda, denlos podres no
lado de cima, quoixo alguma couza cumpli-
do, mofa,que representa 25 ai.nos, com ves-
tido de cassa cor de rosa, panno da Costa,
com lista azul o branca j uzado, levou ta-
boleiroemvernisado de encarnado com ps
prelos, quem a pegar ou dalla livar noticias
dirija-se a rua Nova n. 52, que ser recom-
pensado.
Precisa-se de um tribalhador do mas-
seira : na padaria Ja rua Direita dos Afoga-
dosn. 66.
de Janeiro, no vapor Imperalriz, entrado
em 5 lo corrento, que nSo'tornea fazer
habilidades dasta nalureza, e que queren-
do fazer o favor de restituir dita carta,
pode dirigir-sos rua da Cruz n. 6, ou na
rua do Apolllo n. 9, segn lo andar, o des-
de j roga encarecidamente aos Srs. impre-
gados do correio, que por favor uo entre-
guen! cartas do abaixo assignado a pessoa
alguma.
JoSo Alves Ferreira.
- Pede-se ao Sr. Jos Carlos de Mendon-
ca Vasconcollos, morador no Sul desta pro-
vincia, que se nfjo tem jurado nSo pagara
quem deve, pagues herdeira da fallecida D.
Mariana Rodrigues de Jess, a quantia de
sois cantos e scenla o tantos mil ris, prin-
cipal e juros de sua divida, contra ti i la, ha
tintos annos, eassevera-se-lhe que se onio
Ozer promptamante saber que o seu assu-
cir psssar por algum desgosto nesta praga,
e quo o seu nome contina a ornar ai pagi-
nas dcst jornal.
-- No sitio di Trempe n. 1, que tem venda
tem bom capitn de planta para tender por
com mudo prejo
Precisa-se de uma ama para o servido
de caza de muilo pouca familia: na Ponte
Velhan. 14.
Precisa-se alugar uma escra-
va, que seja boa co.sinheira e com-
pradeira, : quem a tiver dirija-se
a rua da Assumpcjio ou muro da
Penha n. iG.
tinto em relogios de algibeira cmodo mo- nhos.
sae parada. ; Taixas,paros,crivos o boceas de fornalha.
-- Peler Deane, subdito inglez, retira-so Moinhos do mandioca, movidos a mSo ou
para fra do impeno. ipor animaes, c prensas para a dita.
Ah i-so urna sala com 2 quarlos : na
rua do l.ivramento n. 1.
Precisa-se de uma ama forra ou ca-
tiva, para fazer o servido de urna casa de
pouca familia : em Fra do Portas, rua do
Pilar n 72, segundo andar.
Precisa-se de um caixeiro porluguez que
tonha alguma pratica de venda : na rua do
Pilar em fra da portas n. 143.
Aluga-so o segundo e terceiro andar do
sobrado da rua do Queima lo n. 40.
Madama llosa Hardy, modista
Miazileia na rua Nova n. 34.
Previne-se aos l'reguezesque receben pe-
lo navio Pernamhuco, um bello sorlimenio
de chrpos du seda franzida.o ligas de pe-
nacho o flores ; para senhoras o mocinhas
do6 at 12 anuos, li i lis.unos chapis do
groado aple fransidosa moda, de llores para agradecercm aos seus numerosos ami-
ou penachos, de abas grandes para menino goa o lieguezes a preferencia com que tce-m
del t 5 anno, ricos capolilhos prelos o sido por elles honrados, e assegu rom-I lies
decores, modelos novos, o muilo enfrita- que nfio pouparo esforcos e diligencia
dos ; ricos chapeos de palha para siulmra paraenntinuaroma merecer sua confl nica,
enfeitados e sem enfiles, chaposinhos del -- O abaixo assigna Jo, nao lio mais pru-
palha para meninos o meninis, ricos cor- curador da exmela compauliia do l'ernam-
"S de soda bronca lavrada para noivas, veos [ buco e Parahylia.o inora na rua do Apollo n.
e ca ollas ; gros de aples furta-roros 20, onde pode ser procurado sobra negocios
para vestidos e capolilhos. franjas e transas i de recebiment de assucar,nguardante e on-
da mesma cor, para us enfeitar: na mesma tros quaesquer gneros do exportucSoquc
loja tem um completo sortimento da fazen- lite lorem consignados a commissSo; todos
Chapas de fogilo e frnos de farinha.
Canos de ferro, torneiras de forro e de
bronze.
Bombas para cacimba e de repudio, mo-
vidas a mSo, por animaes ou vento.
Cuindastcs, guinchse macacos.
Prensas hydraulicas c do parafuso.
Ferragens para navios, carros o obras pu-
blicas.
Columnas, varandas, grades eportes.
Prensas do copiar cartas e sellar.
Camas, carros do m3o e arados de ferros
etc., etc.
Am da superior idade das suas obras, j
geralmente reconhecida, Bowman & Me.
Callum garantem a mais exacta conformi-
dade com os moldes e dezenhos reniettidos
pelos senhores que se dignaren! de fazero
Ihesencommendas, aproveilandoa occasie
arabos os sexos, de 6 a 3o annos,
para fra da provincia paga-se
bem tendo bonitas figuras: na roa
das Larangeiras n. i4,oo segando
andar, a qualquer hora do dia.
I
Vendas.
FULlIfA'n.lS DE ALIAKAH
PARA I832-A320R*.
Sahiram n luz asfolliinhisde al-
gibeira contendo o almanak, ad-
ministrativo, mercantil, e indus-
trial da cidade do Hecife e pro-
vincia de l'crnainbuco, augmen-
tado com 48 paginas, corregido e
jiddicionado de novas repartieres ,
&c. Esta fulhin lia be sem duvidaa
mais ulil e a mais barata porque
conten .336 paginas as qnaes es-
li inscriptas, alem do Calenda-
rio a Augustissima Caza Imperial,
govnrno da provincia, cazas titu-
lares, representacao provincial,
iiil.isns repirticoes publicas, com-
panbins, advogados, solicitadores,
mdicos, negochntes, mercadores,
artistas, iabricas, e emllm todos
os cstabelcciiuentos de porta aber-
ta&c.,&c. Vende-se nicamente
na piara da Independencia livra-
ria n. 6e 8 do editor proprictario
a .'!.'.o rs. cada uma.
Bilhetes do Rio de Janeiro.
Aos 20:000,000 de rs.
Na loja de miudezas da praca da
Independe.nc;an 4 vendem-se bi-
lhetes inteiros, meios, quartos, oi-
tavos e vigsimos, a beneficio da
19. lotera do theatro de S. Pedro
de Alcntara, que corre no dia i4
do corrente, espera-se a lista no
primeiro vapor.
Na loja ama'ella da prac,a da Indepen-
dencia n. I, vendem-se palitos de brins mes-
ciados, bem l'oiios e muito proprios para
monlar a cavallo, e pifa quem pissa 1 fes-
ta, 1 3,000 rs. cada um, a elles antes que is
icabem.
Vendem-se quatro estollis
das cores principaes, branca, en-
carnada, rocha e preta, bordadas
a ouro, proprias para vigarios e
pregadores: na rua da Cadeia do
Uecife, loja de Jos Gomes Leal.
A 600 rs a arroba.
Vendem-se batatas novas da
melhor qualidade inglezas: no Re-
cife nrmazem de Joaquim Pinhei-
10 Jacome, na tr ivossa da Madre
de Dos n. g.
Na rua do l.ivrnmcr.lo n. II, vendem-
soesleirs muito grandes, ptimas parase
estoiidcr em una sala e servir de cama pira
4 ou 5 pessoes ; ISSl n como sapatos de da-
raque preto, para senliora, a 900 rs. o par.
-- Vende-as uma parda, de 20 annos, pou-
co mais ou menos, cozinha, engomla aco-
se algumacousa, uo tem vicios, nem a-
choques: 11.1 rua da Concordia, quem vem
da ponto a esquerda, segunda casa terrea ss
din quem vende.
-Vende-so uma escrava dogenlio de An-
gola, que sabe cozinliar soffrivelmente. en-
saboar o heqtiintandeiri : na roa de II ir-
tal 11. 110, quo achara com quoro tratar, dis
8 lloras da manilla ate as 4 da larde.
das ao uso das senhorus.ja annunciadas, e
faz-sedftoncommcnda vojtidoa,.capotinho,
e vesliJinlio do baptisado por preco com-
modo.
Nova fabrica de chocolate,
llamceipalhico na rua das Trincheiras
11. 8, so oncoutra mais o seguinle : o cho-
colate howopatliico approvado e aplicado
polos Srs. Drs. da homoaopathia, o grando
chocolata espanhol lino, amargo pi.ra rega-
lo,,dito entro-lino temperado tambem para
regallo, ido n dito para o diario, caf mui-
do puro, dito de cevada, of em caruQo,
i- va.I 1 em gro, fai mlia do Miranho, dita
de mandioca, cha di India, dito, preto, e
harutos : tudo de superior qualidade o
commado pre;o ; na inasma su diz quem
compra uma relinaclo com os seus utenc-
lios, e ua mesma fabrica, se venda assucar
refinado, o ,1a caroQo da tola a qualidade.
os dias mi- das 8 horas da mandila as 5 da
tarde, fra disto no porto velho da Capunga
junio au porlflo da Sra. viuva l .s.erre.
Jos Antonio do Souza Machado.
^i Cu.ssuLTor.io ciktiai, iioua'oriTiiico i
V- DF. PBnN.VMBUCS, V
w. Derigiaopelo Dr. Sabino Olegario I.utl- 4,
W giro Pinho. H
'i Rua do Tiapiche Novo n. 15. #>}
i,- Todos os dias uteisse-darJo consultas -|
4- o remedios do gra?i aos pobres.desle '
'-' pela manlil, ato as duas horas datar- ?
^ de. As correspondencias e imforma- +
ir Ces poderAo ser dirigidas verbal- ,.
< mente, ou por escripto, deveudo o t>
0) doenta indicar primeiro: o nome, a 4r
c^i idade, estado, prulisso, e conslitui- *
.> cao ugundo : aa molestias, que ten 4
le- tido, o os remedios lomados j tercei- %
;<:.! poca dO a ppareci nii'lito Ja mo- 9
- Gustavo Jos do riego embarca para o 1 f ;. L'Puca.U VI ?c,menl? J,.,p.*
Rio de Janeiro, a sua escrava mulata, de no- # lesUa aclu.l, e deac pcSu minucio a
... .1 ,,.,., i dos signaes ou symptouias qiiesolfror
me Mariana.
-- Aluga-so urna prcta forra, ou captiva,
que engomlo perfcilamcnte : a tratar na
rua do Trapiche n. 3.
Um mo^o brasilairo, vindo ha poucos
dias da Parahiba, donde lio natural, se olTe-
rece para caixeiro de rua, irmazem de as-
sucar ou de venda, de que ja lem pralica, 11-
liando-se sua conducta: na rua da Praia, ar-
mazem n. 18.
Banco de Fernambuco.
A direc;So do Banco de Pernambaco con-
tina a receber assignaluras para o m-'smo,
as pessoas que quizerem assignar o devem
fazer quanto antes ifim de gozarem da van-
tagem de entrarem com o importe dn suas
assignaluras as presticOes que prescrevem
os estatutos, certos de que em principiando
o mesmo as suas operacOes, dahi em diante
muelles que quizerem assignar, Inven.lo
ainda lugar, s o poderSo fazer, entrando
com o importe de suasacc,0es em dinhoiro
a vis'.a. Contini a estar patente a assigna-
tura no escriptorio do Sr. Manoel ilonealves
da Silva: ni rua da Cideia n. 36, lodosos
das uleis at meio da. M. J. de Oliveira ,
secrolario.
--Antonio Jos Ilibeiro Bastos, embarca
pan o llio do Janeiro, a sua escrova, criou-
la, de nonio Moquelioi.
gnaes ou symptu
41 ## 9 0

Compras.
Compn-se umi escrava que aeja mo-
(i, e quesaibi cozer : na rua lirga do Ro-
zarlo, botici n. 36, se dir quem quer com-
prar.
Comprase uma negrinha de 12 a 14
anuos de idade : ni rui larga do Rosario n.
26, loj de miudazas, que se dir quem
compra.
Compra-so nmi negra, ou mulata mo-
fa, que seja recolhida e boa coslureira : o.
rua Nova n. 34, can di modista brasileira
Comprim-so escravos e vendem-se de
c,ii..inissao, para dentro e fra di provio-
cii: na rua da Cacimba, sobrado n. II, on-
de inorou o Sr. vigario do Recife.
-- Compra-so umi canoa que pegue 1,000
lijlos e que esteja em bom uso : oa rua
Imperial n. 167.
Comprim-so os ns. 1, 108, 109, 110,
o 111 da folha intituladaAmigo dos Ho-
mens : na rua do Queimado n. 33, pagi-se
bem.
.. Compra-so uma machina do copiar :
u prae 1 do Corpo Santo u. 2.
s3" Compram-se escravos de 10, loja.
Lotera do lio de Janeiro.
AOS 20:000,000, 10:000,000, 4:000,000 ,
2:000,0110 e I ......0110 da rs.
Na rua da Cadeia do Recile n. 24, loja da
Viuva Vieira & l'ilnos, existe os mu afor-
tunados bilhetes, meios o cautellas da 19.
lotera a beuelicio do theatro de S Pedro de
Alcntara, cuja lisia deve vir no primeiro
vapor e estar patente na mesma loja.
- Vende-so 2.000 couros salgados em afa-
cei, a tratar com Jos Gongalve Torres :
rua da Cideia Vellia n. 1.
Queijos londrinos.
os mais superiores possiveis por virem em
latas, e legados ultimameiti, por prego
commodo, ift venda d< rua da cadeii do
Rccif) n. 25, defonte do becco Largo.
Ven Je-so um sitio, junto 10 Campo-
Grande, confronto a S. Amaro com multas
mangueiras, cajueiros, pitombeirai, a ou-
traa fructeiras, agoa doce, e boa baixa
paia c ipini, ecom desmbar.iue, por prejo
Commodo : ni rui da Ma Irada lieos 11. 7.
Vende .....na morada da can terrea 1-
traz do San Jos na esquina n. 2, quem qui-
zer comprar dirija-se a mesma casa quo 1-
Chir com quem tratar.
Vende-se a Historia do Braiil a 1,000
rs. embroxura, e a 1,800 encidernidi: ni
pri(i da Independencia n. 12.
Vende-se uma casa terrea na roa Im-
perial : quem 1 quizer dirija-se 1 roa do
Aragto n. 15.
Vende-se superior farinha
de mandioca de Santa Uatharina,
chegada ltimamente a bordo do
patacho Euterpe, fundeado de-
fronte do caes do Ramos: tiata-se
a bordo do mesmo ou na rua do
Apollo armazem n. j4. c na rua
da Cruz armazem. n. 33, com S
Araujo.
Vende-se uin cabra de ida-
de 3o annos, muito fifi, sem vicio
algum, faz todo e qualquer servi-
co na rua do Qucimado numero
--
-5^
T


p: I _^_

-,
PEGMNCIU.
Ainda existe urna pequeua quan-
tia das superiores colxos de linlio,
do melhor gosto que tein appare-
cido no mercado, pJ.o barato pre-
co de 10,000 rs. cada nina': na ra
do Queimado, loja n. 17.
Vende-se, por preco com-
inoJo, fumo em folln, para cha-
rutos de primeira e segunda qua-
lidades, macella cliegada ultima-
mente do Porto, e cal virgem de
Lisboa tambem desembarcada
poucos dias : a tratar no armaiem
de Dias Ferieira, no caes da al-
fandega, ou com Novaes & Gom-
panliia, na ra do Trapiche n. .'! |.
Chita larga franceza, a 2^0 rs.
Vende-se chita francez 'arga padres
modernos, escuros e claros, o cores Qxas,
pelo baratissimo prego de 240 rs. o covado,
tendo grande porgSo para escollier: na loja
do sobrado amarcllo, nos qu> tro cantos da
ra do Queimado n. 29.
Sedas furta cores, a 1,709 rs. o
covado,
por tao diminuto preo, que mdei-
xar de ler um vestido de seda pa-
ra a fesla ? na i na do Queimado n.
l'OTASSA DA 11USSIA. l'arinha Fontana,
Nn armaiem 1?* In-V Teixeira '"egida ltimamente: emesia de"J. J. Tas- <
no armaiem ue jo.e leixem 8oJuntor na IU, do Amorim n.35.
Basto, na ra do rrapichc n
7j
10, vendem-se as melliores e bo-
nitas sedas furia cores, para vesti-
dos de senhora, meninas e mante-
letes, a 1,700 rs. o covado ; dam-
se as amostras, ou mandam-se as
pecas em casa par; melhor o com-
prador escullid.
Vendem-se relogios de ou-
ro eprata, patente inglez : na ra
da Senzalla Nova n. 4a
-- No cscriptorio de Novaes ec Compa-
nhia, na ra do Trapiche n. 34, tem para
vender por prego commodo os seguales ob-
jectoa chegadus ultimamuule : chapeos do
chile interflnos, lala para eeerever, graxa
em potes paia calcado, liaba de roris, manos
com palitos enfeilados e panno de iinliu : a
tratar no mesmo escriplorio.
Arados de ferro.
Vendem-se arados de diversos
modelos, assim como americanos
com cambSo de sicupira e bracos
da ferro .* na fundicao da ra do
Brum ns. 6,-8 e 10.
Deposito de cal virgem.
Cunha & Amorim, venden) barris com cal
em pedra, cliegada ltimamente de Lisboa,
na barca o Margarida, por menos preco do
que em outra qualquer parte: na ra da C-
llela do Itecifo 11. 50.
Bombas de ierro.
Vendem-se bombas de repuxo,
pndulas e picota para cacimba :
na ra do Brum ns. <>, 8 e 10,
fundicao de Ierro.
l'arinha de mandioca.
A mais nova o ruis barato l'arinha de
mandioca que Im no merca.!o, v. n Ic-so na
ra da Cruz do Itecife, arniazcm 0.13, de
JoSo Carlos Augusto da silva.
iiJoiuhos de vento
com bombas lo repudio para regar norias
d baixas decapim : vendem-se na fundicao
de Bowman 6: Me. Callum, na ra do Brum
ns. 6. 8e10.
Vendem-se amarras de ferro: na ra
da .Senzalla nova n. 42.
009090009099009900
Q Vende-se um grande sitio no lu- O
iJ gardo Manguinho, que lica defronte {)
&J dos sitios dos Srs. Carneiros.com ..;,
r> grandecasa de vlvenda, de quatro ,rj
5 agoas, grande senzalla, cocheira, ;
9
O
estriba
tenia 3
ra, baixa decapim que sus- m
a 4 cavados, grande caciin- ,j
.. ba, coui bomba e tanque coberto .t
Jjj para banbo bastantes arvoredos de i
9 fruclo : na ra do Collegion. 16, se- 8
O gundo a'mlar. **
Vendem-se velas do es ei mcele, em
caixas.de superior qualidade : em casa de
J. Keller & Companbia i na i ua da Cruz nu-
mero 55.
Y'inho de Champagne,
e superior qualidadc : vende-se no arrea-
cui Kulkmai.ii Irmaos Ra da Cruz, n. 10
AGElSClA
da fundicao Low-Moor.
IIL'A DA SENZALLA NOVA X 42.
Neste estabeleeimento conti-
na a liaver um completo sorti-
mento de moendas o meias moen-
das para engenho, machinas de
vapor, e laixas de ferro batido e
coado, de todos os lamanhos, pa-
ra dito.
Agencia de Edwin Maw.
Na ra de Apollo n. ti, armazem de Me. Cal-
niontsl Companliia, acha-sc conllantcniciilc
Dona iorlimrnlos de i ,ivi de ferro coado e
balido, lauto rasa como fundas, moendas lu-
cirs todas de Ierro para aiiimaes, agoa, ele,
ditas para armar cm inadeira de lodos os ta-
manbos c madellos o inais moderno, machina
horisonlal para vapor, com lorca de 4 caval-
los, coucos, passadeiras de ferro esianhado
para casa de pulgar, por menos preco qucoz
de cobre, escovens para navios, ferro Ingles
tanto em barras como em arcos folhas, e ludo
por barato preco.
Antigo deposito de cal
virgem.
Na ra do Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal nova em pedra,
cliegada ltimamente de Lisboa
-- Vendem-se ce
ba para vender, nova c superior
potassa da Russia, cliegada recen -
lementc.
Principios geraes de economa pu-
blica e industrial.
Vendo-so esto compendio, approvado pira
as aulas de primeiraa letras, a 480rs. : na
praga da Independencia, livraria n. 6 e8.
Lasa de commissao de escravos.
Vendem-se escravos e recebem-
se de commissao, tanto para a pro-
vincia como para fra della, para
o que se offerece mullas garantas
a seus donos .* na ra da Cacimba
n. ti, primeiro andar.
Deposito de cal e potassa
No armazem da ra da Gadca
doKecife n. 12, ha muito supe-
rior cal de Lisboa, em pedia, as-
sim como potassa chegada ltima-
mente, a precos muito rasoaveis.
Vende-se um carro de qua-
tro rodas, muito leve, para um ou
dous cavallos: na cocheira do Mi-
guel ouge, no aterro da Boa
Vista.
Deposito la fabrica lo Todos os
Santos na Babia.
Vende-se, em casa doN. O. Uieber&C.
na ra da Cruz n. 4, algodSo transado da-
quella rubrica, muito proprio para saceos de
assucar e roupa do escravos. por pregocom-
moJu.
-- Vcndo-sepor inctado do que custou um
pequeo sitio porto da praga a margom do
Capibaribe, com easa do pedra ecal e mui-
tos cominodos, bem plantado de fruteiras e
jaidim : a filiar com ocorretor Miguel.Csr-
ueiro.
Arados de ferro.
Na fundicao da Aurora, em S. Amaro,
vendem-se arados de ferro de diversos mo-
delos.
Moendas superiores.
Na TundicSo de C. Starr & Companliia,
em S.-Amaro, ucham-se a vonda moendas
de canna, todas do ferro, de um modelo e
construcgSo muilo superior
Velas de carnauba em libras.
Vendem-se velas de carnauba imitando
espermacete : na loja de saleiro da ra da
Cadeia do Itecifo n. 36.
Presuntos.
Vondcm-se prezuntos americanos, muito
superiores o por barato prego : no caes da
Alfandcga, armazem defronto da tirvore.
Alteiico.
Vende-se, por 3:600,000 rs., o sobrado de
dous andares c SOlSo, com Irapcira e loja ro-
parlida, com boa cacimba na chagaoocm
chilos proprius, un Itecifo na ra do Apollo
n. 29 na niesma ra n. 34, se dir quem
vende.
-- Vende-se urna porcSo de midcira ue a-
marello, em praocbSo, a prego regular : na
praga do Commcicio n. 6, primeiro andar.
Chapeos de castor branco.
Vondem-sena fabrica dechapeos de Chris-
liani .-. ir i, na ra Nova n. 41, os mais
modernos o superiores chapeos de castor
branco, ebegados recenlcmciile da Inglater-
ra, pela galera Linda.
Manteiga sem sal.
.Viose 11nli.i dcscoberto ate hojoun meio
de conservarla manteiga de vacca sem sal.
Nos pillea consumidores, como a bordo dos
navios, so se gastavSo manleigas preserva-
das a cusa ile muito sal. Pelo meio de urna
nova invengao,quc ja lia muito cxperiir.enla-
daadquirioa certeza da perfeigo, pode-se
em toda a parte do mundo gastar nunleiga
perfeiUmenle conservada fresca sem sal al-
gn). Chjeclo do primeira necessidade para
a arte culinaria e para a meza, a manteiga
sem sal lio indispeiisavcl psra OS desolase
convalcsccntes, pois he formalmente pres-
criplu pela bomcopalbia ; e ueste ullimo ca-
sa ella torna-se tanlo inais aprcoiavel quon-
u^* Sorvete,
Naconfeitaria da rus,
u. 43, continua bavor i
11 horas.
Btro ta do Itozario
jrvrto lo los os dias
l'azendas ptra senhora, por bara-.dl"" nor*9 'Ipdiaasdi lardee das 6 as 9
' 'l danoiteaflm do applacaroa coloreada ropi-
t>I""e9- ziadlu/.ida.
Cambraiaadesalpicosbrancose de cor, i y Marmelada peitoral
4,300 ra. com 8 1,9 varal e 640 ra. a vara ; Nl rua es[reu do oA ,0 n. 43> vende.
ditas Iraneezaa de hom gosto, MOrs, a' ,118rraei,da a 500 rs. a lata, com 3 libra*
vara ditas co.n is.r. de cor a 3 000rs.. a Jd' l; ,,, ,, Bproxlm,r.
cp:5adoTc,?.,."d.,c.^:rpi^s%10aVoo o r ^ be"> *
corles de chita com 12 covaJoa, a 1,920 o, ^.,
1,80o rs.; lencos de (nUsima cambraia do Batatas irancezas novas
linho, a 480. 560e640; ditos de cambraia j Vendem soigos com superiores batatas
dealgodSo combico, a 440 rs. ; zuarles de francezas rhgados ultimamenle pela barca
cor muito oncorpados, a 200 ra. ; dito franceza Pernimbuco, vinda do Havre, na
azuoscom 4 l|-> varas, a 200 rs. ; o algodSo travessa da Madro do Dos n, 19,armazem de
transado com listraa, a 180 rs. : na rua do. JoSo Munizdo barros.
Crespo n. 6. Vende-se urna meia commoda de an-
Attenco. Kc> feitea moderna, quasi nova: na rua da
Acaba de chegar no vapor Imperalriz a
loja de Souza Jnior na rua do Queimado
junto ao beco da Cd*ngregag3o n. 37 A oa bi-
ACIDADE DE PARS.


bilbetes, e cautellas da lotera do Iheatro S.
Medro de Alcanlara cua lista vem no 1." va-
Senzalla-Velha n. 70
i Vend-so urna caHra bicho.com urna
cria, queda bastarte leite .- na ruadla Cruz
do Recife n. 29.
Silo chegaJos,! loja da rua Nova n. 20,
de Joo FernandoaPironte Vanna, os ri-
4'?.n'P"ra lrat,r de *,8"fa sitio, por entender
*{ ." de plantagOoa, e tambem para tratar de ca-
por.e vendem-se pelos baralissimos progos flg emul0 bonitM aparelbos de metal (I-
*V1,'X0 no para cha e caf, obra de delicado gosto,
",l.hel?1s.11 ??'"?? c prego commodo I elles antes que se a-
Meios Uilhotes l1000 cabero.
Qu"tos 5,500. vende-se um escravo velho proprio
Oitavos
Vigsimos
Lotera de Nossa Senhora do Li- valos porVer muita pratica: na rua do Quel-
vramento madon. 14.
, ..nftn f,nn A'a -- Vende-se urna toalba toda aberta, do
Aos 5.000,000 de rs. ,mais rico lavarinto que se pode fazer.eain-
Na.loja do miudezas da prga da }"iP-'mbcn, por te/sido a pouco acabad. ;
vendem-se bilbetes inte.rose ;s,n como'/d,laS80inento com l.varinto.'
o bico as ponas; na rua do Queimado
oja n. 14.
Vonde-seuma preta com 22 annos de
idade pouco msisou monos, crioula, cose,
entornilla, lava muito bem, e cosinba o
diaiio do una casa, o prefere-se ven lor
para fra de trra : na rua do filar em
. *.
Novo sorlimento lie. chapeos de sol, para
liomeiii e senhora, saber :-chapos de
sol do seda, armagSo de balla, de 4,500 rs.
para cima; ditos ditos pan senhora, de 4,000
rs. para cima*; ditos de panno Rao, de ar-
magJo de baleia e de ferro, de 1,600 a 3,200
ra.; ditos ditos do armagSo de junco, de
1,200 a 1,800 rs., lodos Hopos : grande sor-
limento de aodas e pannos, em pegas para
cobrir os mesmos, baleias para vestidos e
esparlilhos de senhoraa. Concertam-ae to-
das as qualidades de chapeos de sol, ludo
com perfeigSo e por meaos prego do que oai
outra qualquer parte.
delicia n. 4,
oieioa, a beneficio de Nossa Senhora do l.i-
vramenlo, que corre infallivcliiieiile nodia
23do correte, e oSr. thesoureiro pagano
da 24 do crrenle, bilbetes intuiros 10,000
rs. e meios 5,000 rs,
Para jarilins.
M. D. llodriges na rua do Trapiche n. 26,
receben urna comp'lcta collecgilo de adornos Fra de Ponas n. 104.
para jardins, composta de vasos de louga, i Vcndem-se Ues negrotas de idade de
brancos e piulados de todos os lamanhos o 20 anuos, que engommam, e cosinham; 1
modellos. Figuras representando as esta- molata do 18 a 20 annos, do bonita lgnra,
roes do auno, as paites do Globo e todos os c cual aL ninas habilidades; 1 preta e 1
Ueoses da fbula, que recommenda a quem molalade meia idade; e um cazal de 08-
tiver bom goslo, o porpregos muito rasoa-
veis.
Farinhaparabolaxa.
Vende-se fariuha americana ebegada
ltimamente do Inglaterra polo prego de 6/
rs. a barrica, em casa de J. J. Tasso Jnior
rua do Amorim ?. 35.
Cheguem ao barato.
Ricos bonets de palha da Italia para bo-
rne m, propnos da estagSo presente, espe-
cialmente para os que passam a fusta no
campo, pelo baratissimo prego de 3,000
rs.; oscelloutes chapos do castor branco
sem pello, bonitas formas o boa qualidade,
pelo deminuto prego de 5,000 rs. ; ditos de
castor branco com pello, boa fazenda o de-
sembarcados da barca l'ernambuco, cliega-
da ultiinamontc, e pelo prego nunca va-
lo de 7,500 rs., a elles : na rua Nova loj
n.8.
spell.o de parede
rom ricas moldurus : ven.lcm-sc no arma-
zem de Klkmann Irmos, rua da Cruz u. 10
Tinta em oleo
branca o verde: venlc so no armazem de
Kalknianii Irmos, rua da Crnz n. 10,
Vende-se cm casa de A-
damsori llowic k Conipanhia, na
rua do Trapiche n. !\i panno de
algdo para saceos deassucar,
muito superior e b rato.
MagSea ocastanhas.
Vendom-se magSes e castanhas chegadas
do l'orto : na rua da Cadeia do Itecilfo a. 64.
Veudc-se a casa do sobrado n 8, da
praga da Boa-Vista : quem a pretender en-
tenda-sc com Joaquiji da Silva Castro, na
rua do Crespo,
Vende-se cemalqucircs de sal por com-
modo prego na rua da Cruz do Rcsife
n. 24.
Vende se palbas de coqueiro cm porgSo
ea 11 i alho na rua llireila nasa do Jos Joa-
quim do Abreu n 70.
Na rua do Livramcnlo sobrado n. 10,
so dir quom vendo um alereco, 2 voltns, 3
lfinctos, 1 lrancelin,4 uncidas, 2 pulceiras
cravos :na rua ireita n. 8.
Ricos suspensorios de seda a 800 rs.
o par.
Vendem-se suspensorios dfl seda pelo ba-
rato prego de 800 rs. o par ; e na mesma
casa vendem-se ricaa litas de seda lavrada
para chapelina : na rua larga do Rosario n.
26, loja de miudozas.
(iculos para ludas asidades a 800rs
o par.
Vcndem-so oculos para todas as idados, a
800 rs. o par: na rua larga do Kozario n.
26, loja de miudezas.
Vende-se urna preta d< co.l, bonita
figura, sem achaque nenhum, boa qmtan-
deira, a tambem propria para servigo do
campo : na rua de S. Thercza n. 2, achara
com quem tratar.
Capachos a 500 ra.
Vendem-so capachos a 500 rs. : na rua
larga do Rosario n. 26, loja do miudezas.
Vendem-se queijos londrinos, ditos
chinas, dem do Alontejo iiem suisso, pre-
suntos inglezes para fiambre, lingoas in-
glezas, manteiga fresca em latas o frascos,
folien vas ingle/as, ditas francezas de de-
ferentes qualidades ; latas cum biscoito
inglez. musanla franceza einglcza ; latas
com sopa, nudos as seguintes qualida-
des : porto particular, madeiras, sherry,
moscatel,sotubal,colares,lavradio, burel-
la-, carcavcllos branco o linto ; latas do
marmelada, caixag com figos, lats c im
amoichas, ludo dn supeiior qualidade: na
rua da Cadeia do Recife n. 2, taberna de
Fonle & lrm0o.
Espirito de 38 gritos
Venle-so espirito de 38 grflos a 1,000 rs.
a caada, c a reta I lio : na distillagSo da
travessa da Concordia.
Grandes mappas do impeli do brazil,
com a planta das principaes ci ladea por
Conrado, coronel de engenbeirus : no pa-
leo do Collegio casa do livio azul.
CASEMIRAS BARATAS.
Vende-se os mais modernos cortos de ca-
se ni raque lia no mercado a 4,500 rs. cada
corto, brim mcsclado muilo proprio pin
palitos oja u 'las a 320 rs, o covado, C0its
de cambraia de seda com 13 e iva lo, a 6,400
rs. o corle, cortos de caga decores a 2,000
rs. c utas muitas fazendas que o pro(0
vicona: na rua do Queimado n. 19.
Frutas do Portugal.
Vende-so frascos grande com pessegos,
SALSA PARRILIIA
DE
As numerosas experiencias feitaa como
uso da salsa parrilha em todas aa enormi-
dades, originadas pela impureza do singue,
e o bom xito ubi i lo na corte plo lllm.
Sr. I)r. Sigaul, presidento da academia im-
perial do medicina, pelo lllustrado Sr. Dr.
Antonio Jos l'eixoto cm sui clnica, eem
sua afamada casadosaude na Gamboa, pe-
lo lllm. Sr. Dr. Saturnino de Oliveira, me-
dico do exercito o por varios oulros mdi-
cos, permitiem boje do proclamar altamente
as virtudes clllcazes da
SALSA PARRILHA
DE
BOA GRAT1F1GACA0'.
Ansentoii-se na noite de 27 de
outubro passado o mulato Cie_
mentino, de 30 annos de idade
pouco mais ou menos, magro, al-
tura regular, tem muito pequeo
buco de barba e fulla muito mansa
quando anda parece que nio pisa
bem com os calcanhares, costuma
andar calcado e bem vestido, Ic-
vou urna trocha de sua roupa, in-
clusive calc,a e aqueta de panno
fino azul, e alem do mais algum
calcado, um par de boneguins par-
dos, com hotoes de madreperola
brancos, e consta que levara um
cavallo, que naquella occasiao a-
lugra, o qual tem os signaes se-
guintes ; castanho, bar>igudo,
dinas pretas, gordo e tem um ta-
Iho em urna anca; he provavel que
queira passar por forro, he boliei-
ro e escravo de Luiz Antonio S-
.^ queira : quem o pegar leve-o a rua
loj
lo be pura de qualquer substancia que 8j, bandera du monin U00S,5 pJrcde brin-
po a. alterar nos seus ben'gnos c.Ioi os. F -, c lfi u ,h
nalmenle pode gaslar-se tal qual nos paizes dc'al(| r '
productores. Na llavanae as Anlilhasfran- Von,lp so humni ,1. v |dimascos,cerejas e'ginjas muito bem cbn-
cezas esta invengDo foi recebida com grati- eiiuc-se na idvtrna 110 i'-.SOrvadas e pclodiminuto progode 1,000 o
dSo, pois era de ha muito lempo apetecida, lephantc, na rua do Hospicio, bar-frasco : na rua do Rozariolarg 11 20
Em l'ernambuco, que n3o cede em bom ,ra,rnrn Lnlarliinlia inolana il "" Veiido-so um relogiu de ,irata patenta
gostoaoutro paz, nao duyuiamos que seja "WJ" -"'" "'""i inBie*B, uas sujsu ruJ |arga do Rosario n. 20.
ruconhi'cido o seu merreimento. Recomen- mais novas que ha no mercado, a de miudezas.
da-se a manteiga sem salas pessoasque gos- ., inn liarl.ril p n ....1 .11... ~
tfio de passar bem : ba loda a certeza de J'00 rS' "a"'0'') e B rclalllO a
quedepois que a tiverem provado nSo que- ISO rs. a llura.
rcrao mais saber de uianteigas salgadas pa-l \ ( ,(|(| r^
ra seus almogos o para seus chas Acha-so .. '
a manteiga fresca sem sal ror prego modi- VendCm-SC peles (te mari'Oquim
co 110 botequim fnncoz da rua nova, e na de todas as cores, pelo baratissimo
venda de tontea, & Iriiio : ruada Cadeia do
prerode 1,200 rs, cada unn, e sen-
Recife.
&9^^^?**^t!* do cm poi"9ao d-se mais barato
49 Vendem-se ealugim-sebichas, che- r*. .. v. 1 ,lp formeciis n
#y gadas ullimamento de llamburgo, por f* n C pregocoissiodo: na rua deS. Amaro ,19 20, de Joao remandes rarente
~;^i'^.j.*^,'b,.?! Vianna, defronte da boneca.
il virgem em pedra,
chegada receiilemenlode Lisboa, em anco-
ras, muito bem acondicionadas, vende-se a
Ghegucm freguezes a pechincha ,
antes que se acabe.
Na rua larga do Kozario n. >. .>., na
preco multo commodo : no armazem de Sil- 1 /' 11 o __s.
la Barroca, na rua do Trapiche n. 19. ruB do Gollegio n. 3, e lia praca da
Faz-se lodo o negocio.
Independencia n. l\, ha para ven-
Vculo-seuma obrigagSo, de passado por ilcr lulas cun iltias libras de mil r-
Cl.udinoldosSantos Lopes Castello Brinco, nie|ada mulo fre8Ca
meslre d primeiras I-tras na villa do Cabo, '""-'"*u^ "" "*" e superior,
da quaotia de 180,700rs.; na rua da Cideia vinda de Lisboa, pela barca l.igci-
do itecife n. 8 ro, ossim como frascos de doce em
- VenJe;" 0 rmazem da rua ftas (Je marme0 com seis ,bras
da Cruz n. 48, os aeguinteo gene- ca(]a um c njai ludo
ros a precos commodos : Iras- ,Q dlmiuut'0 ?ec0 %>\i0, /i,,
eos de vidro com bocea larga de b e||e fr7gnMt pois se csl
diversos lamanhos latas combo- r;.i;.-j.
.... 1 .11 1 -. linalisando.
lachinhasde Allemanha muito no- Attencao
vas, alvaiade muito fino em bar- Sao chegadas a loja ueferragens da rua
ricas, zarcao c secante em barri-Nova n. 20, defronie da boneci.de Jorio Kcr-
ras npdra luime cm Inrrins en. "andes l'arenta Vianna, as muilo apreciadaa
:ra em velas .. arr,ca.s> es" juras e bacas Chinezas, obra muilo recom-
>k li A SClCias de canda, cravo ezimbro, mcndavel, pela sua duragSo, e dificuldada
fabricadas em Lisboa C no RlO de d: 1 m arrM sal de em quebrir-se.est. s cirunst.ncia annun-
Janeiro, em caixas de 100 libras sevau,nlia .^m grraioe esai de Cia8v,ofre(,U9za,uaut,|ijaiie;na mesmalo.
.orl.ias de I aiGemlibra etam. ''Psem multo alvo e,n barricas. j, ha tambem para vender grelnas de torrar
scrtidas,dei aioemiujra.etam- j d 3 000< pao muito em cont.,
bem de um so amaho por me- G.ooo r-./no aterro da T Eal a expirar a grande
nos preco do que em outra qual- J'oa.^sla) defl.on'le da borieca> pechincha.
quer parte : iraia-se no escnpio- ||a chcgad0 rercnlcmente os bem conheci- Que be bolixnhas de araruta do llio da
rio de Machado & I inheiro, na dos sapatOcs do Aracaly, tanto para bomem Janeiro pela Insignilicanlequanlia de 1,600
-..a .lo Virrarin 11 Id. secundo como para menino a 800 rs., do oielha a a lata, a ellas rapaziaJa que he baratissimo
ruado Vlgano O. HJ, "S"04- )000 8 >ditos de iusUo p,ra'ditos a 2)500 na ruaestroita do llozario n. 43.
andar. 'rs., ditos pira homcm os melhures que --Umcavallo murrollo, novo, aom acba-
TmlXIM para rugcnlio. tem vindo da Uihia a 3,000 e 4,000 rs., o lio- que algum, cgegado a pouco do cenlro, an-
Na fundigo de ferro da rua do Brum, tins a 6.000 rs. -sim como um novo o da bem bauo.e muilo melhor em cima,na
acaba-o de roceborum completo sortlmen- completo sorlimento de calgados fiaucezcs ra da l'euba loja d) aapaleiro n. 3.
ta doiaixaede 3a 8 palmus de bocea, as de ludas as qualidades tamo paia homem Vendo se um quarto.i dulscgoas pro-
UUI38 acheni-se a venda por prego coes-, como para senhora, meninos e meninas, prias para engenho por prego muilo commo-
oodo bcoui proniptidilo embarcam-se, ou peles de marroquim o corles de tapate a do :>ara v.r e ajusl-ir no Hospicio sitio da
CarreJam-ae era carros sem dospezas ao 480 rs sendo porgflo, d-se por menos, enhora viuva Cunha: no mesmo sitio,coni-
comprador. tu o alici de se apurar dinheiro. pra-se urna boj.ba para cacimba.
Pechincha.
Vendom-so couros de lustro pelo barato
prego de 1,600 rs. pello 111 rua larga do
Rosario n. 26, loja de miudezas.
Vende-se um escravo cnoulo, idade 24
anuos,vin !r> da cid^de do Ico, cujo escravo
eo/.inli.i suliivelinento o diario de urna casa,
no o tem vicios nem achaques, e vende-se
em cotila por ter vindo para pagameoto: oa
tua da Cadi ia sobrado de um andar passan-
a casa da Cuarda da Cadeia.
~ Vendc-so um porco grande, excessi-
vaniuule gordo, ptimo pora um presente :
no Arrombado sobrado defronte da capa-
linha.
-- Na rua da Cidoia do Recife n. 49. ven-
dem-so muilo bons sapatos do Aracaly,
chegadps ultimamenle, e mais 2escravos
Ycndein-se selins e sillines
inglezes, de couro de porco, da
primeira qualidade: em casa de A-
damson Ilowie (k Companhia, na
rua do Trapiche 11. Aa.
Vendem-se chapeos de transa abortos
ecom cabello, para senhora, palo diminuto
pjego de 4,500 rs cada um : na rua do Col-
legio n. 3.
Vende-se urna escrava moga, que ser-
ve para todo servigo : na rua da Guia n. 12.
DEVERB3 DOS HOMElNS,
a 5oo rs.
Vende-se este compendio aprovado para
as aulas, em meia encadernaglo, a 500 rs.,
cada um: na livraria n. 6 e 8, da praga da
Independencia.
-- Vendo-se um bonito moleque creoulo,
de 9 annos, proprio para qualquer oflicio :
na rua larga do llozario, loja n. 35.
Novidade ,
Nota. Cada garrafa contom duas libras
de liquido, e a salsa parrilha de linsiol he
garanlida, puramcnlo vegetal sem mercu-
rio, iodo, potassium.
Vende-se a 5/TOOO rs. o vidro na botica do
Sr. Jos Mana Gonaalvcs Ramos : rua dos
uadeis pegada ao quirtelde polica.
Ricos temos de bandejas cachinhas
com 6 papis de agulnae muito superiores ,
colheres de metal do principe perfeita imita-
gSode pr.ii1,laceas com garfos muito finas,
chaleiras, fngideiras, cassarollos e panellaa
de ferro forradss de louga,fogareiros grelhas
e mais pertences do cosinba : na rua Nova
loja de ferragensde Jos Luiz fereira.
Deposito de tecidos da l'abri
ca de Todos os Santos,
na Baha. *
Vende -se em casa de Domingos Al- -^
ves Matheus, na rua da Cruz do Re- 4i
cifeu.52, primeiro andar, algodSo *
Iransado daquella fabrica, muilopro- *
prio para saceos e roupa de escra- 2
vos, assim como lio proprio para re- 2
des de pescar e pavios pare vollas, ^
por prego muito commodo. ^
Sobrado em Goianna.
Vende-?e, muito em conta,
um bonito sobrado sito na rua
cfo Meio, n. 5, avaliado em
atoooooo, eino qpal tem parte
rsula Mara das jfllagens e. sua
irmaa Joaquina" Vives de l'aiva na
importancia de io7,473 rs. quem
pretender dirija se a cata de ital-
kni 1 nn Irmaos, rua da Gruz,
o. 10.
Cadeiras.
Vendem-so cadeiras para meninas; no ar-
mazem de Kalkmann IrmSos, na rua da
Cruz n. 10.
Molduras douradas
de (odas os larguras : vendem-so no arma-
zem de Kallkmann lrmSos,ruada Cruz 11' 10.
Charutos de Ha va na
Ue superior qualidade : vendem-se no ar-
mazom de Kalkmann Irmaos, na rua da
Cruz n. 10.
Escravos fgidos.
- Dcsappareo no da 5 do oorrente mez
do sobrado da rua das Cruzes n. 22, urna
escrava crila de nomo Luduvina, de idade
do 20 annos, cuja escrava tinha cliegada da
fgida nodia 2 destocorrenle mez, do en-
genho Cangag, lemoltida pelo Sr. Jos Pi-
res ('.ampollo, com urna carta apadrinhan-
do-a, oque assim se cumprlo, porm ao lim
de ir. / dias to.-noii a fugir sem razSo, nem
motivoalgum.com os aiguaes seguintes:
alta, ereforgada docorpo, bem preta, rosto
comprido, nariz grande, olhos papudos, bei-
gos grogni, mose ps grandes, lovou ves-
lido de chita do acento amarello desbolado,
ja quazi branco, foi em corpo, porm cons-
ta que ella passou na pont'i di uoa-Vista, o
nessa occasio j levav* um pino pelo hom-
bro, eum bilaio na mao, para julgar-se
.que n,1o estava fgida, cuja escrava foi com-
prada ao Sr. Arrulla quo tem Uverna no
piteo da Ribolra, e antes deste foi captiva
do Sr. c 1 pitan Maranho, e de novamente sa
rogaaosSrs dosengenhos Penado, e Can-
gaga o obsequio de no caso que ella l tor-
ne apparecer de a mandaron) capturar; o
me- mu se peJe aos cipitaes de campo e iu-
(oridides policiies, e a condusam a mesma
casa a cima a entregar aoseu Sr Jos Vieira
do Figuoirodo, que sorao generosamente
gratificados. Esta escava j4 tem bilbetes
empipssiii es-pnlliados, por muitaa partea no
mato j da outra fgida que fez, e cujos po-
doro servia para esta fgida.
Dasapparecou nodia 2 deste correte
mez do dezembro do engenho Espirito-San-
to na commarca do cibo, um escravo criou-
lo do nome Alexandre de idade 25 anuos,
com oa signaea seguintea.allura regular, re-
forgado docorpo cor fulavista agradavel.sem
barba nariz alnado tem o dedo ndex
da mao direita quasi alejado de um auc-
cesso que ficou com o dodu lorio ja ro
simado toma tabaco, tem os olhus es-
branquigados he muilo cochudo, e bem
Vendem-se frascos com mais de 6 libras | escorrido do canellas, e ps. Quemo pegar
cada um, com excedente doce de annanaos ou delle tiver noticia dirija-ae ao dito en-
em calda, feto no Maranho, chegado nojjgenho ou nesta praga a venda de JoSo Jos
ultimo vapor do norte : na roa da Cadeia
do Rooife, venda n. 25, da Manoel Jos do
Nasciment e Silva, dofronte do becco Lar-
go, e na de n. 23, de Antonio da Costa fer-
r ira Estrella.
MOBIL!AS DE FEttftO.
Vendem-se ricas mobilias de fer-
ro, como canaps, mesas, cadeiras
com braco e sem elle, e muilos 011-
tros objectos de ferro : no arma-
zem de lvillvinan'1 Irmaos, na rua
da Cruz n. 10.
do Monte as Cioco Pontas n. 92, que sera
bem reeo opens ido.
30,000 rs., do gratilicagSo.
Dpsapparccou nodia 15 de julho do cor-
rento anno um muloque crioulo de nome
Paulino de dado de 10 annos pouco mais
da Gadeia do Itecife n. ai, que se-
r recompensado.
No dia 23 do passa !o, deaapparcceu do
engenho Arembi, freguezia de Ipojuca, urna
mulata, bem alva, cabellos bem pretose
malos encolhidoa, um lauto baixa o magra
com sardas pela cara, nariz iflado, porrn
grosso, e presentemente leve um tumor no
meio da cabega que eat coroada : quem a
descubrir leve-a 10 dito engenho, ou nesta
praga em casa de Manoel Buarque de Hace-
do Lima, na rua do Livramento n. 26, que
ser bem recompensado; a mesma levou
roiipas linas e una vestidos lo cambraia, des-
conGa-se que tenha seguido para Pao d'A-
Iho aonde tem prenles; por isso, roga-sea
todas as autoridades policiaes, e a qualquor
pessoa do povo e capitea decampo, dea
pegarem o levarem nos logaros cima men-
ponados que jerSo generosamente recom-
cinsadoa.
100,000 rs. do gratiflcagSo.
Rogase as autoridades policiaes, que cip-
lurem o escravo Manoel, pertencente a Se-
baatiSo Marques do Naacimento, fgido des-
de o dia 8 do mez de solerabro. Foi
elle escravo do Sr. Gabriel AfTonso lliguei-
ra, quem foi comprado ltimamente : tem
28 annos de idade pouco mais ou menos, cor
fula, com falta de doua denles na frente,a
de cabellos do lado esquerdo da cabega, que
ae torna bem viaivel por parecer urna co-
ra, tem olhos pequeos, beigos grossos,
sem barba, baixo, corpo regular, he oflicial
de funileiro. Trajava jaqueta de riscado
mil, calca branca, camisa de madapoln, e
levou urna trouxa, contendo cagase jaque-
tas : quem o apprehender e levar rua di
Aurora n. 62, receber'i gratiflcagSo pro-
mettida. Suspeita-se que fosse seduzido, o
por isso desde j protesla-se contra quema
conservar em sen poder.
Desappareceu na tarde do dia 13 do pas-
sado um escravo por nome Joaqun tem os
signaes seguintes : boa estatura, representa
tor 35 annos de idade, falla desembarazada,
pos grandes, tem todos os denles da frente,
nariz chato, quando indi estala as juntas dos
j irllio-, levou camisa de algodosioho bran-
co, caiga do dito azul, este escravo foi do
malo: quem o pegar leve-o i typograpbii
imparcial a fallar com a viuva Roma que se-
r recompensado.
Desappareceu no dia domingo, 12 do
passado, um preto que representa ter 45 a
50 annos de idade, de nagSo caginge, baixo,
cheio do corpo, sem defeito algum no corpo,
levou vestido, caiga de casemtra azul clara
dequadroae j velha, coleto desatim prelo
velho, jaqueta de brim pardo,camisa de ma-
dapoln, chapeo de aeda preto ; presume-so
que anda pelos arrebaldes desta cidade, pois
apezar de ser do sertSo 0S0 sejulga que te-
nha voltado : roga-se portanlo as autorida-
des policiaes e capitOes de campo, a captura
do mesmo, levando-o rua do Vigario n. II,
terceiro andar, que se recompensar.
Desappareceu da fabrica de ca\dcireiro
da rua do Brum n. 38, no dia 17 do passado
mez de novembro o prelo Amonio, de na-
ga o cabinda, que representa ler 45 annos de
idade, altura regular, cheio do corpo, cara
abocetada, muilo cabelludo nos peilos e
com bastantes cabellos brancos na cabegt,
o um pouco carrancudo; he oflicial decal-
deireiro, foi encontrado as Cinco Penlas, o
seguio o camloho dos Afogados, e he oatu-
raf que seguase mais adianto por ter levado
toda a roupa que tinha, e por j ter sido
pegado do outra vez na freguezia da Esc 1 -
da : roga-se porlanto, a quem o pegar de
leva-lo na dita fabrica cima, que ser re-
compensada.
5o,ooo rs.
Da 15 para 16 de novembro de 1851 de-
sappareceu do engenho Aguas Claras de
Uruc, da fioguezia de Escada, o escravo
Venancio, de Angola, que muito paroco
crilo, Idade 25 a 28 annos, cor fulla, bo-
nita figura, altura regular, ebeiodo corpo,
pomas e bragos grogos, rosto gordo, e ar-
redondado, testa grande, olhos grandes, a
amortecidos, tem falta de muilos denles ni
frente, do lalo superior, poucos cabellos no
bugo, equoixo, tem marcas de chicote as
costas, e de sums as nadigas, parece ser
serio, e muito humilde, falla com muita
mansilSoearraatado faz-se; Innocente, he
chegado a furtos, e costuma mudar de triga,
(' por furto de roupa que faz J de mudar o
nome, dizer-se forro, oulras vozes procu-
rando quemo apadrinhe, ou quem o coai-
pre : levou camisa de madapolSo, calg de
brim trangado de listra pardas, j desbota-
do, chapeo uzalo de couro, cobertor gro(0
de lislras azues escuras, e um facSo quo to-
moude um muleque carreiro, do engenho
Moclo. Este escravo passou pelos enge-
nhos Arand doSr. Manoel Feliz, Amparo
e Mocot, havendo pedido aos senhores dos
dous ltimos engenhoa cartea que o pa nhasse, em que foi sitiafaito, e oSo obstan-
te fugir lando seguido para o engenho Mi-
nhocas, da doode prexuma-se ler paitido
para o Brejo da Madre de Dos, onda foi es-
cravo do Sr. Cordeiro, conhecido por Abide,
a quem pede-se o favor, de se chegar a seu
conheclmenlo a sua estada ali, fazer apre-
eoder, remetter ou avisar a seu Sr., popdo-o
neste caso na cadeia, assim como loga a
qnalquerqueo pegar, de leva-lo ao dito
engouho aoseu Sr. Antonio Carlos Pereira
de Burgos I'oneo de Len, ou na rua Direita
n. 14 casa de Jos Pinto da Costa, que rece-
ber a gratilicagSo mencionada; e tambem
pelo prozente protesta-so com todo rigor,
contra qualquer que o conservar em seu po-
der.
Continuas estar fgida a mulata Vic-
toria, com os signaes soguintes : cara bas-
tante picada de Insiga, denles da frente pu-
ou menos.cor amarelada por tor vicio de co-ldres, lom um defeito cm um dos hombros
mer terra.niris chato o feo levou camisa de por caus deuma queda, baixa e pea pc-
algodaosinho suja c calgade rscalo, semfquenos, ta.nsido encontrada do timSo pe-
chapen, eslo escrav.i perlence ao Sr. Anto- las bandas dtrSolidudc, quem a pegar levia
nioJacinloua SHvoira de Una ;quem o pe- a sua senhora na rua de Agoaa-Verdea li-
gar lve-o a rua da (Ucimba n. II ou a23, que renebr 20,000 rs. de graliflcacSu.
rua 1I0 Livramento n. 2sogundo andar quo 1
rcoeber a gralilicagSo a cima, o so protesta
cintra quom o tiver oculto.
I'V K\T'
M V 'ir rv.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJMU01PVT_QQ7134 INGEST_TIME 2013-04-24T17:50:20Z PACKAGE AA00011611_07284
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES



PAGE 1

VOJCIO dclla supro ossa ralla, porqu, dizen-.derSo vencer. Com efTeito, ptrece incrivel do-se e confessando-se, que a argo foilque na present detiminhisdispezase facoounercial, quo os reos ipresenlaramtoo-ldigas, umhomem houvesse do Tontada ISo tettaclo o reconvencSo-que os a,utoree, ro-lforte.de genio tRo perseverante,que desproplicaram, ote que a mesma aceto. Wor-lsando a obra da invoja, eeabalancasse a nudinaria,expressaelileral¡iionteaomprehentrir o a realisar um intento to gran lioso 2 dida nos art. 65 e seguales do rog*sois se fosso urna asslgnacSo de 10 das, ou uma aceito summarit das que especifica o mesmo reg. no tit. 8. art. 336 e seguidles, o seu formulario iversiliraria. Nem poda ser de oulrs maneira, porque so se conhecem duas nicas formas de pedir e liquidar contal—ou por mel de preoeito rommihatorio, seguindo a ordem e marcha da not. 102*de Per ira e Souza as sussprlmeirss linlias sobre o procetso civil —ou entilo por aceto ordinaria, como ensena o Sr. Silva Lisboa no cap. 4. do seu trat. 7, por este theor : — Si o autor demanda alguom por aceito decontas, produziodo estas em juiso.com %  acceitagto, liquidadlo, reconhecimento, o assignalurs da parto contrara demandada, pode-se proceder por assignaco de 10 diss palo saldo liquido das contas, — Fra destas circunstancias s por aceto ordinarea de libello o liquidaba por arbitros, se pode demandar, e decidir. %  Portanlo a accao intentado nSo s eslava expressemento autorisada, e clasiificada no regulamento de 25 de novombro do 1850; como at Coi competentemente intentada ; era a que caba,c a de que se devia tur usado para o fimque oscutores tinham cm vista ; nao da apresenlagao materiil de contas arranjsdas dolosamente para se consliluirem credores os llovedores ; porem sim d apresen!¡rilo deltas, e pagamento do valor dos gneros consignados, abatido o que ronslassa re documentos, e ordens legacs, medanle iquidacio por arbitros, ou co nu so juizo pareosle. # V-se que sendo esta causa commercial (diz ltimamente a sentenca ) ln admitinla em juizo com manifesla violsco da le, porque conforme dispe o art. 19 do regulamento quo li ¡iv. i com o docroto n. 361 de 15 de junho da 184, ero ns autoros podiam ¡ulenlal-a, nein os reos defeoderem-se, sem que prevismento moslrasseni, que seachsvacn quites pelo que loca ao imposto do ultimo anuo relativo casa commercial, escriptono etc., a que rospoita a questto. Ama volitada do Sr. juz; a prevenro queocegou, ouoseu dose) de favorecer o reos, i custa do direito dos autores, provam-se a todas luz da evidencia por este ultimo trecho de sua sentenca. O art. 19 do regulamento da 15 de junho de 18U diz : • Nenhuma aeco podar o collectado pro* por, ou defender emjuizo sobre o objoc• to do negocio da respectiva casa loja etc., %  6em que mostr sli pelo conhecimento • competente estar quite do impodo do ultimo inno, no acto do propor, ou dc• Tender a acolo. Quaes sejam os coliectados, de que falla o citado regulamento, o dizem o alvara de 30 de outubro de 1812, o art 9 § 4 da le do 22 de outubrodel836; e o proprio regulamento do 15 de junho de 1814 no art. 2' e seus J¡§; por este theor: Art. 2.' S3o sujeitos ao imposto do art. antecedente. >;. t Todos .as lojas, arrea zens, ou sobrados, em que so vender por grosso, ou atacado, e a retalho, ou vare joqualquer qualidalo dofazendas, oge%  eros secos e motilados, ferragons, luu ^as, vidros, massimes, e quaesqaeroutros deluda a nalureza. . Todas as casas %  i de consignacAo de escravos. '.'. 6. Todas as casas, ou lojas, em que se vonner car.( ne verde. § 7. Todas as fabricas de chati rulos. §8. Todas as cocheiras, ecavalla rices, que tiverem seges, ou cavallos de itluguel §9. Os cscriptorios dos banal quoiros negociantes, carretores c cam Instas : e § 10. t)s cartorios de avogados, %  i escrivBes, tabclliiles, distribuidores, contadores judiriaes. Ora os autores nao propozeram un;rio alguma sobre o objecto de casa, ou luja sujeita ao imposto; pediram simplesmente contas dos objectos, que consignaran] aos reos. Portanlo—ou o conhecimento de estar pago o impostse n3o podia exigir nes 'eeaso, como coodicSo necessaries ao prosegniroento do pleito, a vista desse mesmo art. tdo regulamento cima transcripto, ou a poder axigir-se, s eslarisir. isso obrigados os reos, residentes, o ostabelecidos no legar, onde correo a dcmanla.o ondeforam vendidos, e dispostos os gneros consignados. Portanlo, a pena do iiullidado imposta pelo sentenca, recahinlo directamente sbreos autores,e sendo um veradeiro benelico para os icos, deve-se considerar jrij usa e absurda ; pois na hjpotlicsa lisurada de se po le exigir, e de se dever apicsentar documento de paga rio imposto no ultimo anno, s u di lesa e opposic3o dus reos hequese deveria annullar, por isso mesmo queso pilos poderiam estar sujeitos sciueIhante exhibic.lo. Por lodo o expendido, a ^C!:tr %  :'.^•: do Sr. juiz Manuel do -Son/a Azevedo nao pode di-ixar de ser qualilicada—um acto arbitrario, irrellectido, excntrico todas as regras do julgar, a todos os principios tneoricos, o pralicos da legislarlo cummcrcial — quo sanecionou, ou pelo menos ampliou o gso e posse de ubjectos, e valores usurpados, c retidos illegalmenle pelos reos ; cm summa 11 ni rerdadeiro d< scalo ao direito dos legtimos credores em proveito do devedores refractarios, que abusaran! escandalosamcnda confianza, credulidade, e boa fe de seus comm¡(lentes. Os reos explicam cssa triumpho inesperado, que obllveram, calumniando as intenvflcs do juiz, quo os protegeo, o attribuindo ao seu poder, inlluenria e dinhero, o qua fui talv / simplesmente lilbo da irn flexao, e pouca pratica de julgar. Hesempre assim que procedem os ingratos e a mgraiido he teivez o primeiiu elemento da existencia e posic^o dos ros Mas sem ser preciso calumniar, nein indagar as % erdadeiras causas do estupendo julgamento, do quo nos temos oceupado, pode-se dizer oom verdade—que ajustica assim administrado he o peior de todos os flagellos. ( Do Mercantil da Babia. } O Sr. Guimarfles cujo genio elevado n3o se compadece com repetiedes continuas de dramas de reconhecida-notoriela le, ah appareceannunciando a representa(¡ao completado que ha de melhor no genero phantastCO : —I). Joan de M ¡ralla-lio una (' illiposicao onde se slenla o gonio de A. Dumas adornado com todas as galasdi imagnicSo rdante do verdadeiro poeta. Tentamos neste breve arrazoado apresentar um quadro deste osforco do engaito humano, fora ameiquiuhar o objecto cuja immensidada n3o se presla a que uossa pena oapanhe anda as suas menores rspeeialidades ; quem pode jamis acompanhar o genio a divagar pelos espacos da imaginacSo ? Pondo de parto esta impossibilidadi',0 quehecerto he.que pjr ioformaclo lidedigna sabemos, que llol ser a execuoSo sceniea, sem discrepar da menor exigencia do autor ; porque a nad se fu'tou o Sr. Guimar9es,trabalhos, gastos extraordinarios, e fadigas bem penosas foi nni por elle experimentados ; do sorte que ludo ho novo, ludo he sublime, do que elle tem do ouTerecer ao publico, ruja atten(3o solicitamos por esto reprosenta(¡3o, qua a provavol oxcallencia do desemoenho, rouno a :ii %  -iiiii -t-ii.-i.a do material bellamente trabalhad o. Schller THEaVfR" HE APOLLO. D. .lo\u DE MARAA. NSo ha duvida (Iguma que o tbealr'o de Apollo cali vez se torna mais inte'essante, pela sua b < i campunliia e pela judiciosa esculla do tiranas que ah sa v.io ropresenlando, d por" conseguinto digno da ser frequentado por un publico aprecialor da literatura e da artoduiualira. A companliia do Apollo quo ji contava no scuscio merecuieutos lio distinctos acaba de sor enriquicid com um ga!3a to aproveilavel como o Sr. Amocdo, um conlro como o Sr. Sen na, e como Sr. Cyrillo quo pelo seu talento, conhecimento da arlo, boa figura e bella voz couquistou nossos applausos nos papois quo o temos visto executar no Fvijido da Bastilha, Hermitao de Cintra, l'revosttd Par/a e cm algumas pirles graciosas. O annuncio quo lomos lido estes das do II. J'ulo i/.Maraa no passo quo nos regosijou, excita em ultimo grao a nossa almiraclo. O D. ioao' de Maraa, alm de ser uma composicao digna da imaginado ardonte e frtil do autor do Candi de Monte Christo, he um drama dilcilimo du lovar scona polo grande macliinismo o pelas dccoracOes que exige. O Sr. CuimarSes, estamos convencidos disto, deu um passo arriscado lazando tantas despezas para levar scena esso drama, despezas que o obrigaram a duplicar o preQO dos bilhelosc a venio-los por tres recitas, medida quo tcm sido alguma cousa criticada. PorcT), ho mistor refleclr, nSo haveria nenhuma igualdado so o preco dos bilhetes para uma recita tflo extraordinaria fosse o mesmo que aquello quo se paga por uma recita vulgar; o Sr. Guimaraes a nSo procoder assim, nilo tirara as dospezas que empregou para fazer reprosentar o bello drama de A. Dumas, o perder-se-hia Inteiramente porcsuil do seu zeloaitistico. Aquellos que nao duvidam pagar por um biluele quatro o cinco mil res nos das do Kla o nos beneficios, bem como os verda%  leiros dilettanlis o em geral as pessoas raso.iveis, csses. estamos certus, no h3o do censurar o Sr. Guimarfles, o u.ii doixaro de comparecer recita que ello uos prepara para o dia 13. Assim, esperamos que ella seja bstanlo concorrida. • Da nossi parta dizemos com franqueza que queremos antes assistir a esso magnilico espectculo do que a viole represenlaces de dramas c eiitromezes tSo insignificantes como tomos lido lanas vozes o marlyrio do ver nossa boa Ierra de I', mam buco. &f 1 pacota thosouris; a Monteiro & IrmSo. i —Pela subdelegada de Sin Jos frtra a1 caixSo qulocalhariis ; a Novaos & Com¡ prehondido.e competentarnente depositado, panhla. umquarlBo magro, castanho, que vagava 9 ditos charutos, 33 arrobas tatuco, 30 pelas reas desta freguozia sem destino, com talhas louca vidrada, 1,000 quartiohas; a > uma cangalha nova i quem fr seu dono Jos Antonio Konnn les. procure-, pVa Ihe ser entregue, provando. 3cix0es charutos, 50 amarrados piassaba, 60 molhos dita; aos consignatarios. 7 caixOes charutos ; a los Anlonio Franco. 1 caixoleditos; a Jos dos Santos Sarahiha. 560 caxas charutos: a Olivaira Palva Ai Companha. 1 tulla o 26 quartinhas em 2 barricas, I ciixSo cadera de arruar, 1 taina da frlgideras; a Cielano Xavier Pereira de Brilo. 2 caixas charutos; a A. Willers. 1 dita ditos ; a Francisco Antonio Borges de Castro. 1 barrica lou(a, 1 caixote quartiohas e jarras, 7 caixOes oharutos, 1 gigo uma taina o 12 quartinhas, 167 saccas caf, 16 caixas charutos, 727 ditas ditos, 30 barricas farinlia de tapioca, 50 molhos piassahas; a ordem. CONSULADO GEP.AL. lien limonlo do dia 1 a 9 8:672,381 dem do dia 10 590,562 9:262,916 DIVERSAS PROVINCIAS. Ilondimentodo dia 1 a 9. dem do dia 10 453,102 10,477 463,57'J l.\¡)oiliii,;ni. Penado, hiale brasileirp Flor do Brasil, de 28 tonelladas conduzio o seguintu : -5 caixOes miudezas, 4 barricas enchadas, 150 barricas bacalho, 300 caixas com 1000 libras de -aiiao e 400 arrobas da carne. KECEUEDOItlA DE RENDAS INTERNAS GERAES DE PEHNAMBCO. lien limen! ¡i do da 10 844,342 CONSULADO PROVINCIAL. Rendimentodudia 10 807,797 Mov ment do porto. tiavios entrados no dia 10. Hivre— 30 dias, brigue fraocez Cezar, do 152 tonelladas, capiUo Darnos equipagem 12, carga fazendase mais gneros; a Avrial Freres. Passigeiro, Labussiere. Dublin -38 dias, briguo austraco Baric, de. 277 tonelladas, capitSo F. Zuvicich, cqui,,c Jt u s pescador, o Sr. Alvos. Subdelegada de San Jos de Recifa 9 de dzembro de 1851. —Osubdelegado, Francisco Baptista de Almoida. — Pranle o conseino u a ministra (So Naval, tem de comprar-se para o uso da infermaria uma caixa de ferros para ampulacOes, contendo os soguintes ferros : 1 serrote, 1 dilo pequeo, 3 facas, 1 dita de entre-canoas, 2 tesouras ensezivas, ou tanazas, I saca-baila, 6 eacarpilos com cabos chatos e fixos, 1 dito pira toreflo, 12 agulhas surtidas, 1 escMflcador, e 1 torniquete ; assim como os seguintes ferros avulsos : 6 blstorls retos 3 ditos estreitos e curvos, 3 ditos do botao, 4 pustimeiras, 2 tosouras tortas, I dita curva, 2 ditas retas, 9 trocaica finos, 1 dito grosso,e 1 baralha para a ingencao do Ilydroceles ; por tanto convida-se a quem coArier fazerdita venda, a comparecer s irnoras do dia II do corrente, as sillas das sessOas do mesmo conselho, cornos ditos objectos e propostas. Salla doconselho d'administracSo Naval, 6 de dzembro de 1851. — ChristovOo Santiago de Oliveira, secretario. THBATRO.DE SIZABBL. Beneficio da artista MANOELA C\ETAN\LUCCI. Saooadb, 13 de dzembro de 1851. Depois de uma escolhida ouvortura, subir a ccena pela primeira vez o novo e muilo interessante drama em 4 actos, intitulado O SIIIIO ou o terrivel fim do Uzurpador. Pursonagins. Eduardo, conde do Glentorne, o Sr. Germano. Alfadro, sobrinho do conde, o Sr. Bezorra. Lord Sterson, o Sr. Cuimbra. Itodolpho, capil3o ilasguardas, o Sr. Pinto. I'oly, lilhade Rodolpho, aSra. D. Manuela. Ricardo, valido do conde, o Sr. Reis. Timos, sargento das guardas, o Sr. Cabral. Iledoizes e Joas soldados, o Sr. Monteiro o Raymundo. Publicaces Iliteraria, i ELEMENTOS DI llomaopalnia. Sahio a luz a segunda auto .desta obra composta pelo profesior homceopatlia Gossetinimont. Recebem-se assignaturas para a obra Inlelra a 6,000 ra., no consultorio iiomccopathico da ra das Cruzes n. 28. Depois da publicado da terceira parte, o prego suri, elevado a 8,000 rs. para aquelles que nao tiverem astignado. No mesmo consultorio, acha-se a venda ludo quanto he necessario para o esludo e a pratica da homcaopathia, como seja : livros impressos para historias de doentes, regimens apropiados para a provincia de Pernambuco, e encarrega-se de mandar fornecer qualquer encommenda de modicamontos homceopathicos, tanto avulsos como em caixas, em glbulos como em tinturas. No prelo : — Pathogenesia dos medicamentos brasileiros. mementos de anatoma e phisiologia com estampas, para os curiosos em homceopathia. Roga-se aos seohores assignantes o obsequio de mandar recebor seus exemplares no consultorio bomceopathico da ru das Cruzes n. 28. TRATAMGNTO HOftlEOPATH1CO. DAS MOLESTIAS VENREAS, e consellms aos doentes para se curarem si mesmo, sem precisarem de medico; pelo professor homceopatha Gosset-Mmont. Sahlo a luz e acha-se a venda no consultorio bomceopathico da ra das Cruzes n. 28, pelo preco de 1,000 ra. Btsn pagem 11, em lastro; ao capitSo. Philadolphia 32 dias brigue americano Brandy Wene, de 907 tonelladas, capitao D. Cormick, equipagem 10,carga lannln e mais gneros; a Matheus Austin & Companha. Passageiro, B. W. Baynon e sua familia. Rio de Janeiro —14 dias, barca ingleza Norval, de 215 tonelladas, capitao Jamos Wattan, equipagem 13, em lastro ; a Julioston Pater & Companha. Navio sahido no mesmo dia. Lisboa —barca porlugueza Ligeira, capitao Antonio Joaquim Rodrigues, carga assucar, algodao e mais gneros. I EDlTAES. Soldados, povo, etc. No fim do drama as Sras. Landa e Carmela l.ucci, cantarBo o muito applaudido dueto da opera Anna Bolena. Terminara o espectculo com a muito graciosa comedia em 1 acto, composicao do Sr. Penna U caixeiro da taberna A beneficiada pala primeira vez espera merecer a proteccao do ¡Ilustrado publico desta capital. Os bilhetes acham-se em casa da beneficiada na ra da Cadeia n. 7, e no dia do espectculo no escriptono do theatro. Correspondencia. Srs. redactores.—Constando-nos que a. guom lovado por dcssfloic,Oos e mesquinhas intrigas, procure desacreditar com as armas do embuste, o uslalielecimenlo de primeralettras, de quo he director o Sr. Jos Xavier Faustino Ramos, nao podamos deixar em abono da verdade, desta companholra eterna da justica, do ir.ie.ir algumas linhas, alim de fazermos sentir ao publico, o contrario do quo se ha dito. Ilonlom, 4 do crrente, tiveram lugar om dito csUliolecimento, O i saines de grammetica porlugueza, presididos pelos lllms. Srs. I)rs. Loureoeo Trigo do Loureiro, digno presidnnli do circulo de instruec-i publiOa o Josc Soares de AzeveJo, para os quaes liva a honra de ser convidado, sendo um dos examinados um filho mcu, e asss gostei Jo melhodo e zelo porque naquelle eslabelecimento so ensina, du adianlamento dos seus alumnos, du legimem o boa ordem quo india so observa ; da maneira que nao possa deix-ir de tecer os devi los louvoies ao Sr. Jos Xavier Faustino llamo*. Olaja, que todos nquelles, quesaencarrogaui di me l o espumosa trela da educar u instruir %  mocidade, se esmerassem, como 0 Dr. Jote Raymundo da Custa Menezes, juiz municipal supplente da segunda vara e do commercio nesta cidade do Reclfe de Pernambuco etc. r ni saber que no dia 15 do Janeiro de 1852, pelas4 horas da tardona porta da caza do minha residencia na ra da Madre de Dos n, 1 do bairro do Recifa, A hade arromatarpor venda uma rasa terrea om chaos proprios na travessa dos Qiiartcis da fro %  %  e/ia de Santo Antonio, com 20 palmos de frente o 50 ditos de fundo, 2 quartos maior o niu ir, duas salas, sotfio no meio da caza om abarlo so nenie por cima do repartimento, /mili fora, quintal com portao, cacimba propria; toda a casa em bom estado e avaliada em 800,000 rs pinhorada a Joaquim de Oliveira Mello e sua mulher alaria Augusta da Costa GuimarS'S, por exocuc3o de Manool Joaquim Baptista. Epara que chegue a noticia de todos mandei passar editaesque serJo alixados na prarja do commercio, em casa de suas residencias, e impressos no jornal—Dado e passado nesta cidade do Recife de Pernambuco aos 9 de dzembro de 1851.—Pedro Terlulinoda Cunba escrivflo o subscrevi, —Jos Raymundo da Costa Menezes. -O Htm. Sr. inspector da thesouraria da fazenda provincial, em cumprimonto da ordem do Exm. Sr. prosidente da provincia de 4 do corrento, mana fazer publico, que nos dias 16, 17 e 18 do mesmo, ir a praca para ser arrematado parante o tribunal administrativo da mesma thesouraria, a quam por menos fizor a pintura das varandas da ponto da Bos-Vista, a valiada em 337,700 rs. ArrcmatacSo sera feita na forma dos srts. 24 e 27 da lei n, 286 de 17 do maio do corrente auno. As pessoas que sa propozerem a esta arre o ¡i lean, comparecen! na sala das sessOas do mesmo tribunal, nos dias cima mencionados pulo meio-dia, competentemente habilitadas. Upara constarse mandou alixar o prezenle o publicar pelo Diario. Secretaria da thezonrasia da fazenda provincial de Pernambuco, 6 de dzembro de •861. Osecrotario Antonio Kerreira d'Annunciaeflo. Clrazales especiaos de arrematado 1." A piuliira da ponto da Boa-Vista, ser feita de conformidad COMMERCIO. ALI'ANIlLGA. Rcnilinmnlo do dia 10. 19 584,274 Dcscarregam lioje 11 de dzembro. Barca portuguesa -• Boa Viagem •mercadonas. Brigue portuguoz —/Vatio Koncoor—celiolas. Brigue inglez — Queen — bacalho. Barca belga -Louise mercaduras. %  'alacho hamburguez -¡lerlhalcatrSo. Patacho brasileiro -Bella Annita — barricas vasias. Hiate brasileiro — Aguia — gencrus do paiz. Hiato brasileiro — S. Joio %  idom. Brigue brasileiro — Ro Ate — mercaduras. Impoi'tacnO. Brigue brasileiro Ruliua, vindo de Santa Catharina, consignado a Amo un & h nios, manifeslou o seguinte: 5,387 alquoires farinhi de mandioca ; aos consignatarios Brigue americano Brandywine, vindo de Pbiladclphia, consignado a Matheus Austin & Companha, manifeslou .i seguinte: 121 fardos e 14 caixas tecidos de algodao, 400 barricas bolachinhas, 1,100 ditas farinha de trigo, I pacote cadeiras para meninos; aos consignatarios. 1 caixa um refrigerador; a Deane Youle & Companha. Iliate brasileiro S. Jo3o, vindo da Bihia, consignado a Jos Anlonio da Costa & ir. in.10, inanifestou o seguinte ; tandu-se na forma dos arts. 31 provincial n. 286. 3. a A importancia desta obra ser paga em uma s prestacao quando o arrematante liver concluida toia a pintura. 4' Para ludo o mais que Dio estiver especificado as prezentes clauzulas seguirse-la o que determina a lei provincial n. 286 de 17 de maio de 1851. Conforme. O secretario. Antonio Ferrena d'Annunriacfto. Declaraces. THEATRO DE APOLLO. I). loto de Hnran. Esta annunciada para o dia 13 do corrente a representas3o desta maravilhosa producSo do insigne dramaturgo francez. He esta a primeira vez que sobe scena nesta capital uma composicSo de ISo dillicil execufSo : a grande variedade de vistas quo olTereccm as transitos do drama, o macliinismo continuado que elle exige, a especialidade dessa maravilna da arte, que do eco deseo ao inferno, edo centro da trra sube aos magnficos palacios das hidalgos da Potica Despalilla : ludo isto produzindo uma agradavel fascinecSo que encanta o embriaga os balas papel, 1 caixa litas de viudo, 2 ditas; pagar,na mulla do 3 por ojo sob o valor de sentidos doexpectador, he porcertode umalchapeos, 1 dita couros preparados;a Croowojseus dbitos, e serao de prompto execudilliculdade pratica, a que mu poucos po¡er alguna passageiros e escravos a frete, para os quaes tem comtnodos sulTicientes : a tratar-se com o mesmo capitSoou com o consignatario Luiz Jos de S AIaujo, na ra da Cruz n. 33. — Fara o Fio de Janeiro, sahe ua presente semana, a escuna nacional Mara Firmina, capillo Joao Bernardo da Roza, por ter n seu carregamento quasi completo : quem na mesma quizer carregar o restante, ir de passagem, ou embarcar escravos para o que tem commodos sulTicientes, pode entender-se com o mesmo capitao ou com o consignatario Luiz Jos de S Arau'io, na ra da Cruz n. 33. — Fara o Forlo, sahe com a maior brevidade possivel, a galera portugueza Brachareose, da qual C. J, Aslley r Companha farSo leilSi, por Inlervencao do corretor Oliveira de v riedade de fazenda de bom goato tod propriaa para a prxima fasta ; assim com?, de* calas oom couros do lustro i hoja do corrente, l 10 horas da manbBa, no alo ariaazem, ra do Trapiche. — O corretor Migu il Carneiro fara |1 ISo no da sabbsdo, 13 do corrente.as 11 hn ras da manbSa, no seu armaiem da ra d Trapiche n. 40, de diversos trastes notos, usados ; pianos muito baratos, louca v ¡. dros, candieiros, e oulros muitos obic'cto." por qualquer preso que for oflereclao. ou „ val apena especular. *"" -J. J.TassoJunior fazleilSi) na escadi nha da alfandega, lioje II do crrente as i horas da manha de farinba de mandioca milho,e faijflu que so rendem polo na o preco. r a or BBBBI— Avisos diversos. — Aluga-se pelo tempodaf es ta, uma casa no lugar de Apipucos, bastante grande e do lado do no: quem a quizer dirija_. e a ra das Larangeiras n. 26. — %  Sr. Jos Carlos de Fana queira dirigir-se a ra do Trapil 4 che n. 5, para receber urnas cartas vindas do Rio de Janeiro. — Precisa-sa alugar uma escrava, qua saiba engommar o cozinhar o diario de una casa, responsabilisando-se o seu senhor • na ra estreita do Rozario n. 12, loja de marcineiro se dir quem precisa. — Precisa-se de uma ama para casa da um estrangeiro solteiro : a fallar na ra do Trapiche n. 40. — Aluga-se um preto para orna padara o qual he mestre de maceira : na ra da Cruz, venda n 32. -Deseja-se fallar aoss-nhores Antonio Francisco de Souza Magalhaes Junior Hanoel Teixeira Barcellar, Tnomaz da Cunht Cantuario, JoSo Rodrigues da Silva e Josda Costa Albuquerque, para negocios de seus inleresses: na ra Nova n. 16. — Na ra do Collegio n. 21, segundo indar, preersa-so de uma ama de le lo. -Precisa-se de um preto, que trabalbo de maceira, paga-se bem ¡ na padaria da ra dos Coelhos n. 13, do bairro da Roa Vista ou na ra Nova n. 50. he capitao Modrigo Joaquim CorCrespo, loja n. 16. %  11 R — ThomazMaria, reta, tem excellentes commodos paj.neiro, a sua escr O coronel Joaquim Canuto de Figueredo, embarca para o Rio de Janeiro, o sen escravo creoulo Nabo. —Precisarse de uma mulher, de idade, para ama de casa do liomem soiteiro, que cozinhe e engomme : na padaria dos Coelhos n. 13, no bairro da Boa Vista. ~ Precisa-se alugar um preto e tambem compra-se, sendo fiel, que nSo tenha achaques enem vicios, para servico de casa ¡ na ra do Amorim n. 25. — Aluga-se um silfo, com bos easa de vivenda terrea e um sobradinho, na estrada de Parnameirim, smente pela festa, alugando-se s as casas, ou com o sitio, como melhor convier aos pretendentes: a tratar com Victorino Jos da Souza Travaaso, os travessa do Veras n. 15. -lioje, as 4 horas da tsrde, iri a praca a porta dolllm.Sr.juizdeorphaos, a casa sita na ra Nova n. 46, a requerimonto dos testamenteiros da finada I). Izabel Mara da Costa Ramos, he a ultima praca. -Precisa-se de um caixeiro, que tenha pratica de venda, de 10 a 15 annos de idade, o guo y fiador a sua condun'a : mis Cinco PoqfSsD.21. r — Iieseja-.se fallar com vj Sr. Hanoel Joaquim Sores datural do lugar de Anhobom, freguezia de Fonte Arcada : na ra do ra passageiros quizer carregar embarca para o Rio de 1 escrava creoula, de nomelJe quem na mesma inedicta, de 14 annos de idade. ou ¡r de passa-!..." >er ? unt,se I?" enl >?f? redactores da UniSo, em que collegios eleitoraes tevevotacSo o Sr. D.-. Alaxan Ir Pereira do Ciraio, para figurar ua apuradlo publicada honlem, do corrente, com 220 votos, pois que das apuraefies parciaes, nao consta quo esteja t3o votado ? Um canlidalo enforquilhado. -Na rea Direita, padaria n. 24, precisase de um caixeiro. -Justino Gumes Villar, avisa a Sr*. Ilenriqueta Mara Rita haja no prazo de 8 din contados desta data hir pagar ao mesmo senhor a cima a quantia de 11,720 rs. queflcou a dever de alugueis, do contrario serSo j vendidos os ditos trastes para seu pigamen| to,o que se Ihe avisa parando se chamara iggem, entenda-se com o capitao, na praca do Commercio, ou com Novaos & Companha, na ra do Trapiche n. 34. -Para Lisboa protende sabir com brevidade o brigue portuguoz Viajante por ter a maior parte da sua carga pro upli. Quem no mesmoquizer carregar ou ir de passagem dirija-se aos consignatarios Thnmaz de Aquino I .ni-, e u\ Filho: na ra do Vigario n. 19,1-' andar ou ao capitao e proprietario Manoel dos Santo-, n 1 praca do commercio. Para a Bahia. Segu empreterivelmenlanodiall do cor,. ., rente o hata l.igeiro ainda recabe algumas ,„, ontinu u 8"lo a contar da nouteda miudezas e passagoiros : na ruado Vigario mez „? %  "? v emb '0 passado de bordo n. 5. ua brigue Feliz UniBo o escravo marinbeiro --' Para o Porto, segu com toda a brevii e me ,0 ? q "'.'"•. de n s¡l0 Moc,n,biaue ronresrnta de idade trinta e tantos annos, xo, grosso do corpo, cor folla,sem barba, dade, a barca porlugueza Espirito Santo.ca"P r pililo Jo3o CariusTaixeira : quem na mesma quizer carregar ou ir de p.ssagem dirija-se L 8V0U c l?as 9 c,imsa ue riscado, o mesmo aoescriplorio de Francisco Alves da Cunha n f r : a P ll0CI0 o entend algumacouza do i; dioma inglez sendo natural sa intitule por livre. Ruga-sea todas as autoridades aua "seguir" para csse c 'P lura como tmbem os espitaos de cama bordo;.para a carpo cerl de 1 u0 reconhecido pelo proprio qusm o trouxor a ra da Cadeia n. 39, rezidencia daAmorim&lrmaos correspondanles daquello brigue, o do Sr. Proprietirio do mesmo oscravo, receber de grat¡ficac3o carrouamento prompto, o l>ri¡¡"u.. nsciona i 8t, 00 rs 1 ae se garante polo prezente anearlos, capitao Jos Joaquim Soares : quem nUnC I !" .. %  „ 110 mesmo quizer carregar ou hir do pas-' 0 V r egedor.i da Irmandade de N. sagem, para o quo tem mu excellentes Am paro da cidade de Olindadeo princommodos : diilja-se a Bailar & Oliveira, & Companha, na ra do Vigario — Oblata brasileiro Otiiiia, con tere para o Cenia at s. lili i lo, e lugar e un o que tiver a ga, a tratar com Manoel Das, na ra da Senzalla-Velha 11. 18, -Para o Rio Grande do Sul, seguir em poucos dias, por ter a maior parle du seu cipio os obras da mesma igreja^omo seja a da coberta e de nutras que se MrnSo indiv pensaveis, o tom da mandar seus IrmSos a tirar esmolas, pelos des devotos da mesma senhora, e roga antes, que so prestem para um fim t.lo justo -Em a primeira audiencia do 111 tu. Sr. na ra da Cadeia do Recife, armazem n. 18. — Para a Baha o patacho Aracaty por toda osla semana; tem o carregamento prompt-i,ii-.-ii • apenasalguns vulumes paqueaos ; trata-so com Manoel Dias ra da Senzala veIba n. 134. --Esta froloa barcas Aurora feliz paJ. JUIZ s fellos > se arrematarSo por venra qualquer porio.sendo para o Sul at o Rio'. ,*L. p r e ?! c „ U ? 0 da fazenda provincial, i de S. Francisco e para o Norte at o Asa. Esta baicassa fui uitimamente construida, est muito segura, he boa de vola, e pega no peso de 40 caixas com assuoar : para tratar com o mestre da mesoia no|Forle do Mato, onde ella est ancorada, ou na ra do Rangel n. 56. PAKA O RIO DE JANEIRO. Sahe com a maior brevidade possivel por ter parte de seu carrega ment prompto, o veleiro brigue nacional Rio Ave ¡ quem no me*mo quizer carregar, ir de passagem, para o que tem bons commodos, ou embarcar escravos a frete entenda-se com o capitSo do mesmo brigue,.Elias Jos Alves, na praca do Commercio, ou com os consignatarios Novaes & Companhia, na ra do Trapiche a. 3-1. Leiloes. tados. -O corretor Oliveira, fara. lefISo de grande porcio da mobilia nova, e com pouco uso, e de um excellenla piano, outr'ora portcni' inte a Manoel Loe Poupou 1 sextareir, 12 do correte, s 10 horas da mandila, no primeiro andar da sua casa, ra da,Cadeia. sobrados de -.' .m lares 11. 30, silos no paleo do hospital do Paraizo ; avaliadoscada.nm em 7:000,000 rs : por execucSo quo mova a mesma fazenda, cintra o coronel Jos Pedro tcloso da Silveira ¡Irinta panellas de louca branca do uso de botica, avahadas por 30,000 rs ¡por oxecucSo que move a mesma fazenda, contra Lalicia Mara da ConceicJIo. Na casa de modas francezas, de fiuessard Millochati, no aterro da Boa-Vista n. 1. acaba-se de receber polo Pernambuco, ultimo navio vindo do Havro, um lindo iortimento de modas de Pars; como sejam ricos chapeos de seda e de palhapara senhoras, chapeos de montara,dito de palha para meninos emeninas, mantelhetes e capotilhos de seda de cores o pelos, mantas e leos de seda de retroz, e de cores un' lindo escO' Ihimento da bordados, cabecoes, romeiros, camisinhas ecapotinhos de bico bordados, ricas fitas para cinto e chapeos, flores finas para casamentoeenfeites de vestidos de bailos,luvas de pelica para senhora, enfeites para as ihi ¡is, pule -ua de fitas,trancas e franjas para vestido, o mantelhetes, espartilhos tinos, bicos e galdss de seda de cores, toncados ricos para bailes e theatros, lavas de seda muito linas, emultas outras fazendas de goslo, que sa vonderfio muito em conta. — Precisa-se de uma preta captiva, qua entenda alguma cousa de cozinha : no aterro da Boa-Vista loja o. 1.



PAGE 1

Anno XXVII Quinta-feira 11 de Dezoiibro de 1851". N. 280. sn DIARIO "DE PERM1DUft rB.1.90 A SUBCRIFOIO. PAGAMENTO ADUNTADO. Por trimestre 1/000 Por lemeitre 000 por anno ........ i Djtwo Pioo Dir.no •uniauii. Por quartel 4/500 %  OTICI*! DO 1MPIHIO Pjt 1 3 deNorbr. Maraohao 10 de dito Cear. %  %  24 de dito. Parabiba. 5 de Deibr Mina... lde Norbr. S. Paulo. 10 de dito. R.deJ.. 25 de dito. Bafla... i de Deibr. DAS DA KMANA. AODIMTOIAS. 8 Seg. ** OoDcel(o de N. 9 Tere. 8. Leoca< 10 Quart. S. Meiqu Senhora. cadla. uiadea m. 11 fjulot. S. Damazop; 12 Snt. S. Juatioo ni. ; 13 Sab. S. I.nzlav. m. ; 14 Dom. 3. do advento S. Angello. JmionV OrpMo 2.eS. a lOhorai. 1. tiara do civil. 3. e6. aomeio-dia. Faunda. 3. eS. a 10 hora. 2. vara do civil. 4. e aabadoa ao melo-d. Rdacao. Terca e nbido. rHKIHIlDII. Creicente i 30, ai I hora e 53 minutos da m. Chela a 8, a < hora e 8 minuto da t. Ningoante i 15, ai 3 hora e 6 minuto da m. Nova 22, a 1 hora e 14 minuto da tarde. ra AMA D i lOJ Primeira i 7 boraa e 42 minuto da manhaa. Segunda s 8hora e 6 minuto da tarde. VABTIDAt DOl OOBBIIOI. Golanna c Parabiba, aegundaa e sextaifeiraa. Rlo-Crinde-do-Norte, todas aa qulntas-ieiras ao mcio da. Oaranhume Bonito, i 8 e 23. Boa-Vlita,e Floral, 13 28. Victoria, s qulnta-felras. Ollnda, todos oa das. atOTIOIAl ISTniUGIIBAI. Portugal. ldeNovbi Hespanha. 8 de dito Franca ... 8 de dito Blgica... a de dito Italia.... 31 deOutbr Alemanba. i deNorbr Pronia ... de dito. Dinamarca29 de Outbr Rijisia... 28 de dito Turqua. 18 de dito Austria.. SdeNovbr Suliai. .. 2 de dito. Suecia... 28 de Outbr Inglaterra 8 de Noabr. K.-l'nidoa 26 dcOulbr. Meilco... 15 de dito, California 12 de dito Chlll. 8 de dito Kuenoi-A. 8delNovbr Montevideo ?i d Outbr CAMBIOS! 10 Bal JMIWIO, Sobre Londres, a 20 d. p. 1/000 Firme Parla, 333 por Ir. • Lisboa, sein tranaacedes. SSXTACS. Ouro.—Oncaaheipinholai....' a Hoedas de 6/400 velhaa. 16/000 a de 69400 novas. 16/000 a de4,#W0 9/000 a Prata.—Patieti brasileiroa.. lifflaO a Peaoa columnarios... 1/920 a Ditos meiicanos 1/740 a 28/600 16/100 16/200 9/100 l/90 1/BJO 1/750 appellaPARTE OFHCIAL TRIBUNAL DA RELACiO'. SESSA" DE 6 DE !)!•:/KM Hito DE 1851. Preside Ma do Exm. Sr. constituir Azevtdo. Al 10 horas da manhSi, estando presentes os Srs. desembargadores Villares, Bastos, LeSo, Sooza, Rebollo, Luna Freir, Pereira Jlonteiro, e Valle ; faltandocom causa oSr. desembargador Tulles: oSr. presidente declara aberta a sessSo. Foi lido ero mesa um ofllcio da presidencia coiiiiiiunican.il) que por decreto de 20 do psssado fora nouieado o baebarel Jos Mara Hoscoso da Veiga Pessoa para o lugar de juiz municipal e de orphSos do termo de Pao d'Alho. llem communicando que por despacho de 18 do mez passado ordenara ao juiz municipal para o termo deGolanna o bachirel Caetano Estelita Cavalcanti Pessoa, que entras-e no exercicio do dito lugar, e que Ihe marcara o praso de quatro mezes para a ¡urescntscSo de sua carta. dem communicando que por decreto de 17 do mez passado forain nomeados o juiz de direito Francisco Joaquim Coses Ribeiro para desembarga ior da relacAo desla provincia, a o juiz de direito da comarca de Coianna Antonio Joaquim do Albuquerque Mello para desembargador da relagSo do MaranhOo. Compareceu o Sr. desembargador Francisco Joaquim Gomes Ribeiro a quem o Exm. Sr. conselheiro presidente da relacSo diferiojuramento o din posse de um lugar de desembargador desla relacJo em virtude da carta imperial que apresentou. JULOiMENTOS. Appellante, ojuizo; appellado, Jos Goncilves do Paco.—Confirmar m a sentenca. Appellante, o cnsul francas interino ; appellado, Diogo Baptista remandes. —Confirmaran] a sentenca. Appellantes, Joaquim Pinto de Miranda Seabra o oulros ; appellados, Francisco Soares Villela e oulros.—Julgaram nullo o processo de II 543 om diante. Appellantes, Bernardino Luiz Ferreira esaa mulher; appellados, Paulino Manoel Thom Cal iino e sua mulher.—Conlirraaram a sentenca. Appellante, Francisco Cavalcanti do Mello ; appellado, Jos Fraocisco Goncalves.— Desprezarsm os embargos. DIUOENCUS. Appellante, Jos Goncalves Torres ; appellados, Mara da AssumpcSo da Silva Motta c oulros. — Mandaran! coc vista io curador ¡eral. Appellante, cjuizo da fazenda; appellado, i truccao,-Prixedes Ya Ponseca Coutinrro.*a*u.(a • |j>rTi>c"io na refe i la provincia, segundo ram com vistsssoSr. dosembargador procurador da coroa. Appellante, o juizo ; appellado, Caetano Correia de Amorim.—Mandaram com visla ao Sr. desembargador procurador da coroa. Appi liante, ojuizo; appellado, Prxedes da Fonsaca Coutinho -Mandaram com vista aoSr. desembargador procurador da coroa. Appellante, o juizo deauzenles; appellada, Auna Maria da ConceicSo. • AppellacOes civels. Appellante, D. Joanua Maximilia da ConceicSo ; appellado, Jos Epifanio da Silva, tutor do menor Joaquim, oomcaram curador do dito orphSo, o advogado Egidio Henriques da Silva.—Mandaram ouvir o curador geral. DESIGNig"ES. Appellante, Floroncio Jos Carneiro Montero; appellados, Manoel Caetano Soares Carneiro Monleiro e dtitros. Appellante, Diogo Cokschot & Companha ; I Appellante, Manoel Jos Soares de Avillar; appellada, Manuela Francisca Monleiro Regadas. Appellantes, JoSo Baptista Pereira Lobo de GusmSo e outro; appellado, Manoel Claudio do Quei'Oz. Passaram do Sr. desembargador Luna FroiroaoSr. desembargador Pereira Monteiro as seguales appellacOes emquesSo: Appellante, Joaquim Ferreira; appellado, Jerooymo Joaquim Ferreira do Oliveira Passaram do Sr. dosembargador Pereira Monleiro ao Sr. desembargador Valle as seguales sppellacoe* em que so : Appellante, o juizo; appellado, Francisco Jos Mondes. An olanle, Manoel Alves Guerra ; do, Jos Niculo ll uncir Costa. Appellante, Manoel Cimillo Pires ; appellado, Jos Palies Vanna. Passaram do Sr. desombargador Vallo ao Sr. desembargador Gomes Riboiro as seguintes appellacOes em que. sao: Appellanto, Jos Francisco da Silva Amaral; appellados, JoSo Baptista Vanna & Companha. Appellantes, Rozando Cesar de Ges, sua mnlher e oulros; appellados, Pedro Lucas Corris, sua mulher e oulros. DISTRIBUICOKS. Ao Sr. desembargador Rebelio as seguintes appellacOes em que sao : Appellante, Manoal Jos de Medeiros Tureba ; appellado, o juizo. Ao Sr. desembargador Luna Freir as seguales appellacOes em que sao : Appellante, Manoel Joaquim dos Santos; appellado, ojuizo. Ao Sr. desembargador Pereira Monleiro ss seguintes appellacOes cm quesSo: Appellantes, Manoel Cuedes Gondim e sua mulher ¡appellado, Francisco Cavalcanti de Vasconcellos Mello. Levantou-se asessSoa 1 hora da tardo. Commando das armas. Quartil geniral a cidarlc do Reeifi, 26 di notiembro de l85l. OIDEK DO DA R, 35. O marechal do campo graduado conimandante das armas, faz publico para os lins convenientes quo o Sr. segundo lente do quarlo batalhSo de artilharia a p Jos Nunes Marques estando na fruicSo de tres mizos do lconc>, que pela presidencia Ihe Cora concedida a 26 do miio para tratar de seus inleresses na provincia do MaranhSo, o consecutivamente na de out'a por igual ternpo conferida pur aviso do ministerio da guorra de 30 de junho ultimo, fura empregado pela respectiva presidencia na instruccSo do continenle 'la mesma arma em cadequein competente fr. inclino-meao parecer mais favoravel aoa reos ; at porque elle be mala consentaneoj philantropia dos nosso loT Jurados, lalvez por an' tri iiuii irs chamado thite.se. acoiBinunicaco quo( pelo Exm. Sr. presidente desla ) Ihe acaba do ser feita em ofllcio de liiml 'in datado. O mcsiiio marechal deter nina, visto a falta de ofticiao-i.'que facath como talo servio na guarnicDo smunle, os Srs. cadetes constantes da relacilo quo segu transcripta : RelacSodos cadetes que passam a razar o servico de oIBcial na guarnisao Quarto batalho de artilharia a p. Segundo sargento cadte—Maritaou Marcelino de Souza Guiniartles. Primeiro cadeter-Hetiriquo Everaldino de Bitancouit Touriiiho. Nono batalhode infntarii. Primeiro cadete sargento-Manoel Jos de MagalnSesLeal. Segundo cadete sargento—Jos Antonio Serfico de Assis Carvalho. Segundo cadeto—Jos Frnncisco Soares. h.'i'i ¡;o butalhSo de infanlaria. Segundo cadete sargento—Francisco Genui, r v..-M~, .w B w ^ !" r no SmOes. appellada, D. Cicilia catharina do Monte Segundo cadele-llerculano GeraldodesouSinay. |. zaMagalhes. Appellante, Francisco Antonio da Gama; 1 Antonio Correia Seora. appellada, Mara da Paz. Quartel general na cidade do llecifi, 29 de noAppnllanle, Jos Antonio da Costa ; appellavembro de 1851. do, Antonio Jos do Medeiros Bitancourt. 6 Appellante, o juizo da fazenda ; appollado, 0RDKM D0 DU %  36 Jos Jaronymo Monleiro. i Determina o Sr. marechal Je campo graAppellante, o Exm. barao do Suassuna ; apduado commandaole das armas, que no da peliado, Antonio Pires Ferreira. MVISOES. Passaram do Sr. desembargador Villares ao Sr. desembargador Bastos as seguintes appellacOes em que so : Appellante, o juizo; appellado, Antonio Alves da Silva Oliveira. Appellantes, Francisco Pereira Pinto Cavalcanti e outro ; appellada, a fazenda. Appellante, Mathias Joiquim da Cama Mello ; appellado, llurtensio Jos Velho. Appollanlos, os indios do Arronches; apptllados,e loda, ou a maior parl da familia, e sem mal demora ao os improvisados eacravos levados para diverso lugares e vendido. Se algum respluga, e contesta aua escravidiio em Juizo, ai dellc; porque corre-se um libello liue,idu, a imitaco desque fazem oscstudantei do quinto anno jurdico para se ameslrarcm na pratica, e com urna sentenca, transitada sem duvida euijulgado, obtem-ae a escravido uc loda a familia, enjos laembrol vo lendo cacadoi noa ditlereulea poutos em que e acham por mel de mullo legtimos deprecados. Disein-mc que Mamanguape leve a honra da deacoberta desla uova inaneira de furlar; mas. ae asilm he couvem coufeasar, que os outroi lugarejos oo se tecui mostrado inulto ditrlceis em comprehender a licao, e nem indolentes em pratlca-la; pols tenbo-a vito repcllida em diversos. E o que podero oppor miseravei, fallos de prolecco e destituidos de recurso contra os veIliacos ; quasi sempre poderoso, que coulra elle movem laes mcios de lunar ? Nada, absolutamente nada; poia at os advogados temein entrar em lide aseufavo, aluda quando o quizesseiu faier pelos estmulos da buinanidade. Talvez breve entre novamentc neste assutnptu, digno de loda a attenco do goveruo. X S ui.li: e dlnuelro ihe desejo. U • PERNAMBUC9 O srs. EI.EIC"ES PR0VISCIAES. Cl.LECIO DO CABO. Dr. H. Carneiro Lins do Albuquerque Dr. Ignacio Joaquim do Souza Leo VOTO*. 50 | 18 47 INTERIOR. CORRESPOSBENCIA 01) DIARIO DE PF.RNAMBUCO. Paraliyba, 5 de dezembro de 1851. Por mais que del vollas ao meuarmaremde noticias, por mal que visllet todos os leus econdrljo, nao pude encoutrar materia para escrever-lhe pelo correio do primeiro, e nao sel o porque eslava to embotado do raciocinio, que nem ao meuos me foi posaivel divagar pelel lugfrrs coinmun, c indlgesla-lo com as minlias Interminaveis retleide sobre a actual!dade que, como he mullo natural aos velho, me nao agradar. To miseravei temos estado de occorrencias oestes ltimos diaa! Nao ael se Ihe diga que antes eslimo esaa monotona, ambn me ella prive do nico prazer que lenbo de escrever-lhe. Fol-ie o mez de novembro, que nao foi mou, aeni notablliiar-ae, c dellc apena me record, que etou em debito para com o leuhore do crrelo pela exactldo da entrega de minhai miaalvas, do qual nena occailao me deaonern, sem mullo gaato de eloquencia, dlzendo a todos em geral, e a cada um em particular, que eitou mullo laiiifeito com seus bou orncio. Outro tanto podesse eu dizer de outro amigo! olas einlini iniibem a este nada llevo; porque Ibes tenho pago, e com uiura, sua boa vontade c melindroso iralamcnto. Nada lem occorrldo contra seguranca individual, que me tenha chegado ao conhecimen to com carcter de verdade. Soube, mas sein certeza, que no caminbo da Areia um thuga da* fe urna pelle i em Gorabira, outro Ozera a mes%  na graca, e no Taip outro o mesino; porm Ignoro as datas, e, como Ihe dlsc, nao tenho certeza do fados, sendo com ludo o primeiro (acto mal provavel. Rulm manha de tal rana llia I No-deizam esquecer o olllclo! Seguio sempre para a cidade de rea o bello par Carlota Leal; e ie dennos crdito aos affelcoadoi ur o maacolinoabaolvido, e e ouvirmo os contrarios, scro ambo) condemnados. Nesta diversidade de oplnles, com licenDr. Francisco Xavier l'aes Barrlo I),. Jos FelipuodeS. Leo taque meacconleceu, anda que me fosie %  '•, 1)r Mjnoe | j 0 qu ¡ m Carneiro da Cunha 47 'VESESbmm de palacio a ..pera de' %. Francisco Rogo Barros Brrelo *G mlnha v de entrar, porque sou mel bizonho,' r %  • ue Haula u. to Aquando vi aproiimar-se um moco, na feio, Dr. Alvaro Barbalhu Uchoa Cavalcanti com uin iaiilau mal bordado, do que um grao Dr. J. P. M. Purlella *•• sulio, com aeu alfaoge a cinta, chapeo armado Tenenle-coronel Joo do Reg B. Falco >agaloado, calcas de cjslmira de galo, etc.,etc., 'Dr. Dumiogos do S. Leo etc. Iall.ua o tal inagoata urna lingoagem de ; Jo¡¡ A p cJa g e || 0 meio R .dme ; pelo que entend que leria alj Dr a,ranc ¡ C0 Ju¡lo Carneiro da Cuull gum principe trangelro, ou quando menos, Q tmAa AI*Mda Silva algum plenipotenciario, que tiveaae vlndo pbi¡ "'• ;" ncl c J AIV0S "," *"*" lafmopicameute procurar a einbarcaco de neDr. Mauoel Firtniuo da Mello groi de que em minba ultiinii Ihe tralel. Per¡ Dr. Antonio taaminondas do Mello iiiei-nie, e quando paasou o nguro, tiz-lhe Francisco Raphttel de Mello llego urna continencia mina, meio militare ineiociDr. A. Joiquim do Moraes e Silva vil; quero dizer, level a ino a lena, lirel Dr. A. F. P. do Carvalho com ella para o lado, e abalxei a cabeca al top l( \] |. ( j 0 j> (] u |,, (j car no pavimento; porque ineu amigo, eu nao E scr j V ao p. C. de Brillo ael quaudo cabiiei nal unha de algum cruaei. Sm .. lininr ro.ehcbomteramigoaatnoinferuo. hr I,.I.?M r'i .; i„ k Depol. de urna lal Continencia, me nao pude Dr. JoJo Ltns Cavalcanti do A. conter, e procureiaber quem eraotal inilord, Antonio Marques de Amorim e quando esperava ouvir um destes noinea barDesembargador J. M. Figueira de Mello baro-brilannlco, de vara e meia de comprido, Jos Joaquim do Reg Barros que arrauham o ouvido da bumanldade, diz|)r. J. |. Monleiro de Andrado me, oh vergoohal um ordenanca— he o mamAuguslo FreJerico de Oliveira ral do eapioei agarradore da alfandega. r jy.auitn Manoel Vioira de Mello Com mil bomball Se aquellc lenhor tem tani-.... m J h .,/, „...„ Vo „ ,.„ lri ilveira loidourado.e perendengue, e um Indi.peii\?'Zt ? v V > i„,t.r •aval cataiau pndenle, o que lera o velho Lu'• JoSo Jos Ferreira de Aguiar cas, o Inspector, quando Ihe der na cabeca o Or. Joaqcim de Souza Res apresenlar-se em grande uniforme? Meu auiir.JsC Francisco da Costa Gomes :;o, em ierra de cegos quem tem umolo he Major Florencio Jos Carneiro Monleiro re Dr. Cypnano Keuellon G. A. Concluir! esta longa anedocla, dizendo-lhe l'ddre.Juaquim Pinlo de Campos que o tal senhor c o incalre da inuaica, tolere Tnoinaz d'Aquiuo F. J. elle a comparaco, dlspellaram-ie em douraDr. Vicloriauo do Sa Albuquorquo dos, e talvez em atropellar os respectivo icguajajor Joo V Villela lamemos, combar desses dlstincllvo. de que ¡^ peJru • S|(M lauto caso faz quem pode uiar dclles, e que ,, M ..: ( ,i Monloiro tanto rcdlcularisain quem com ellcs renova a J-onse leiro A. a. laciei lomoiro fbula do erou, que com baatanie graf cour. J. Aquino fonseca lou o giboso Ksopo. Dr. Pedro tiaudiano de Ritise Silva Aaslsti nolte a una representaco no theaDr. Mano I de Souza Garca tro da cidade Alia — Unlo Parahybana — que Dr. J. Mara do A. Mello leve endiente em prejulzode nosso corpo, por¡y r Rodrigo Castor do A. MaranhSo que, alm de estannoaem urna eatua, licainos Vigano A. F. Goncalves Guimares como bacalho em barricas. n ... Q a i-.i-.i., ,iir.wKAea Foi tao grande a cnchente que a. senhora ," 'l !" LtM ,„.„, \T,\e^ invadlram 5 camarote de S. Exc que quasi nao /. JuSo trancisco de Arruda ralcau acha lugar, c e leva, como convinha em altenBarao Je Caplbiribe cao ao dia, seu estado maior, teriamo de vr Padra Vicente Forraira de Siqoeira uina golhlca aoena preliminar. Nao acho aquilCapilSo Manoel Anlonio Marlins 1'. lo multo bom era um dia, principalmente, fesJos Ignacio Soares de Macado tivo; porm nao posao dar regras na caa aA .dos S. de S C. J. lheia Dr. Flix Theolonio da Silva GusmSo Representou-ie — o Deiertor Hngaro — pey^ (; a jj nno ta,a meu ver, mediocre, icmoilcoiadeieu au• ,-....-.A fl |i n n da A tor, e que parece e.tar por acabar. A primal• p ^ P^^>u„ir M-z-U-I ra dama nao latiifez cabalmente. Achei-a b.sDr. F. A. do Oliveira Maciel tanie unira nos lugare em que ella devia aDr. M. de A. Machado presentar toda a vlvez e ardencia de anecio. Dr. S. A. Mavignier Recebeu com aangue fro, multo ntate! em Coronel F. Antonio da Barroso iilvu qualqucr que eilivesse aborrecida do amante, Teueille-corouel R. JoSo Barata de A. a noticia d, aua OOl^UBnacJlo ; o que cm verijoaimandador D. iUiauuiS do A. !'. F. dade bastante a dlsconceituou em mlnha oplDr y. Jusliniano B. Cavalcinti niao, quanto ao amor, que dizla tcr-lhe. He Fl „ %  verdade que ba inulta senhora que lobo fro D<. J Eduardo filia gelodopolo teem ardeutes vulcei; mas isso ; Coronel Leonardo B. de b. c. V. ine nao parece mullo natural. O deiertor esleve com bailante precaa principio ; porm ufliiiiainculc saliste ¡ completamente, como iodo oimais actore, prlnclpalim-mi' o Sr. Hermenegildo. A preasa do deiertor devia ter o director da acea, que nol deu longa masaada no inlervallos; uim como a muaica, que leuo soubeiicmos ser coslumeira em laes inasadas, dira havennos pago o ter estado ella all gratuitamente, Nola-se nella, e dl-lo-hei cm recompensa do que me fez loffrer, multa falta de ti ni ico usa chamada a lin a cao. Manuel taimen o da Souza Licetda Dr. Mreos da Cmara Tamarindo Dr. Caetino Estelita Cavalcanti I*. Dr. X. de V. M de Drumond UuibeliuoGviedes de Mello Dr. Jos ll.iyuiiiii.li) da C. Monozes A. V. da S. Barroca llarSo da Ipojuei Dr. Christovo Xavier Lopes Dr. A P. de Sa Albuquorquo L) Aagelo Henriques da silva i J. T. da Silva Sisndlro Vigario JRf>. de Quoiroz Dr. Jos* Ignacio da Cunha Rabsllo F. G. de Moraes C. Jus Cavalcanti Majnr A. J. da Oliveira Professor A. P. do Figuoiredo Baro do Suissun A. de Paula Souza Leo Desembargador I'. P. Mnnteiro Dr. Jos lio Irigues dns Passos Jos Francisco C. Lins Dr. Joaquim Goncalves Lima Dr. Francisco de P. Bsplisti Dr. F. A. Cirno Lima %  Coranol Francisco Jacinlho Poreira Francisco Paes Barreto !)'. '.\ IV .u -o de AlhuqiiHrque Mello Dr. Augusto ilo Sun/a Lalo Dr. C. Xavier Pereira da Brillo Antonio i ia ini.ii do Moli I.. deS A. J inior A. do S C. Luis Antonio Francisoo Marlins 1'rofossorS Henriques do Albuquerquo Dr. Ilerculino Contal vos da Rochs (ir. Alexindre P. do Carmo Al. F. de Siuzi LeCo Dr. I). Coelbo d A M^Uo Uumingos AiTonso Nery Ferreira Tem inultos mus de 1 voto. Dr. Antonio Teixeira do Borba hr. J. Jernimo Pacheco de Albuqr. M. 3 Dr. Pedro Gaudino de Rates e Silva Dr. Cypriano F. Guedos Alcanforado Dr. Ju'-i'. Mara Ramos GurjSo Dr. JoSo Lm Civalcanla de Albuquerque 2i Dr. Jos Telles de Menezes a a 9 9 9 9 %  2 i f i i t i t i i Adv. Amaro Jos Lopes Coutinho Dr. Joiquim Hygno di Motta Silvoia Dr, Gervazio Luiz de S Carneiro Dr. Joo Das Cnulioho Araujo Pereira Padre Vicenlo Forrar de Albuquerquo Dr. Luiz liinlPereira Dr. Anlonio n'AssuinpcSo Cabril los Candido Das Dr. Jno Jos Pinto Capitn Fradcisco X CamelroPesso Coronel H'iiriquo Pereira de Lucona COLLEGIODENAZARETIl56 lileitoresprsenla, (aliando 6 com causa Aiilnl finalmente, para completar a peni¡ nf j o5o F rauc ¡ scu J, Silva Braga lencia, ao entremez o hospital1 dos doudoi. I D j MOKOIO di Vciga Possaa — Naoacbei multo propna urna farca naquclle i „• e „„.., dia; mas emfim trauliat, e nao foi esta a peior ;'oe Piras rroira iuipropriedadc por nilui notada. Gostei mullo %  da Barros ralcao C. • da tal eas i do orate, ou disprale. I'odoa os Dr. A. Jusliuiano da Silva Guiroaruos actorea deseinpeoharam ptimamente. He verDr. Ddllino Augusto C. il • A. dade que para doudos todoa temos nos tal ou Dr. Cusma de Sa Patena qual propemo; c por iao nao admiro o bom Dr. Feitoza deiempenho. Vigario Venancio Henrique da Rezeude Por mais que buaquei nao pude encontrar a • ......... H moralidade do tal entremez, e meimo nao sei • J ", *•, ,. • le o autor leve alguma em vina, tina mulher • Dr. JOSe l 1 c. LUIS to 10 37 S' 35 3 3t 31 33 3a 33 31 31 81 31 M 99 %  M %  r, S7 97 %  2o 95 Ib %  b 95 %  2\ %  2i ia 22 22 •11 19 1 10 17 17 17 17 16 14 14 14 19 l| U ti lo 10 9 8 B 8 7 7 7 6 6 6 6 5 4 4 4 4 4 4 4 4 4 3 3 3 3 3 3 3 I) %  'inli.i,;,! ii,r I M. p. de Mello Dr. Pedro FranoitOO do Paul C. Teiieulo Coronel los Francisco L. L Coronel Jos Antonio Pessoa do Mello Padro Joaquim Piulo de Campos De. JoSo Francisco Duarte Jnior Dr. Jeronymu Silgado de C. Acioly Dr. Francisco JoSo Carneiro da Cunha Dr. Francisco do Reg Barros Barreto Dr. Joiquim Manoel Vioira de Mello Dr. Miuoel Joiquim Carneiro da (uuhi EscrivSo i'i o i ni,) Corroa de Brilo Dr. Manoel Francisco de Paula C. de A. Dr. Francisco Kaphael de Mello Reg Dr. Jo3o Jos Feneira de Aguiar Dr Francisco Xavir l'aes Brrelo Domingos Malaquius do A. P. Ferreira Dr. Victoriano de S o Albuquerqti ¡ • Dr. Joiquim do Souza Res Dr. Caelonn Estellita C. Pessoa Dr. Lourenco A. do Albuquerquo Moli Padre Jo- Joaquim de Andrado Dr. Augusto FreJerico de Oliveira Di. Jos Filippo de -Souza Leo Barode Capiharibo Dr. Francisco Rodrigues S:lle Dr. Joaquim Pires Machado Porlclla Dr. Francisco de Paula Baptiiti Dr. Domtngis de Suuza I, Vi Toneute Curonel JuSu du lie., ti. V. lisi'fio de Suassuna Or. Aivuro iturbalho Uclida Cavalcaulo Jo.' Pedro da Silva .Major Jos Ignacio Soares do Maccdo Dr. Jos Rodrigues dos Passos Jtinior Dr. Jos Mai ¡a Mosco-o da Veigi Padre Antonio da Costa Figuoiredo DosemhargaJor Firuiino Pereira M. Dr. JoSo Francisco do Arruda l'alcfio Dr. Cosme du Sa Poreira AJvujjado F. M Calado da Fonseca Dr. Caetano Xavier Poreira do Brilo Dr. lanicio Joaquim de Souza LoSo Dr. Jos Cardosu de Queiroz Fonseca Dr. Lourenco Itizena Carneiro da C. Dr. Hemeterio Velloso da Silveira Dr.Manoel Firmino de Mello Dr. Francisco Carfos BnndSo Vigaiio geral Leonardo Anluncs Mcira Dr. Jos Ignacio da Cunha Rab-llo Dr. Jos H.iinliuo di Castro LeSo Dr. Antonio Francisco P. do Curvadlo Dr. Antonio Epaininondss do Mello Dr. Joaquim Eduardo Pina Coiiimuiiicadus. tlgelras rcflxoes tabre a sentenyi publicada no Diario de 10 docorrente, un segulmenlo a correspondencia de Jibo e Barbosa. O procoso, em que se proferto oslasen-' lene.!), foi Htenla. la por Joaquim Pereira Marinho e C. contra Lobo e Barbosa para uompellircm-nos a proslacSo da conlas do gneros, quo Mies foram consignados na impirtincia do res 28 184,212 ra., segundo as facturas ocarUs, quo sea. resentaram. Istu sa v do contexto da propna sentenca, pelas soguintes palavras : — a Pediram os aulores, que os reos fossem cila los para no p'aso do 10 das assignadus cm audiencia apresentarem as conlas relativas aos gaeres que receberam a sua consiguacSo constantes das facturas de n. I a 2, a cartas de n. I 4 ; ou tazaren) a competente impugnacilo, sob pena de lancamento, e ser a Arma social condeoinaiio por sentenca a pagar a quantia de 28 184, 242 rs. A ac{So foi intentada commercialmante, o nem o po lia deixar da ser, vista do art. 18 do titulo nico do cdigo, e arligos 10, 11 e 12 doreg. n. 737 do 25 de novembro de 1850, tanto tela nalureza da obrigacSo dos reos derivada de contracto commercial como por seren nogociantes elles, e os autores. — Foi tamhem isto reconhecido pela sentenca, quandu disse, quasi no II o : a Examinados os au'.os, v-sequo sendo esta causa c imtnercial, ole. Era, muanlo, o primeiro davor do julgador cingir-se, nilo ao rigor das formulas fo? 8 ¡rensos, ou sublilezas, o regras especulativas •*I|do diroilo civil, porm sim verdade dos 3 ? factos ; boaou m f dos litigantes ; aos %  f principiuS de_¡qiii.lade ; aos usos o estylos 34j,i 0 commorc ', nSo s porquo mesmo no 33 i foro civtl JMII la a or. liv. 3 lit. 63 — jul•'-' i -"iriprn pela verdade sabida dos autos, 3i lnSo obsUlo o o ro da acr¡3o proposta, o as 3 *lclnuia ¡as nulliilades nuis — ; como por"| quo nos causas, u negocios comrneiciars he sempro ess i a obrigacSo dos juizes. seguud'o o alvar do 16 de dezembro de 1771, cuja doutiiiia foi adoptada pelo cdigo no art. 22 do Ululo nico, que diz o seguinto :— a Tudas as causas commerciaes deveni ser procossa las em tolos os juizos, o instancias, breve e suminariamenie, de plano, e pela verdade sabi la, sem que sej neces,Sirio guardar striclauetile todas as formu'" las ordinarias, prescriptas |iara os procassos l s civis ; sendo nicamente in lispeosavel, que l'i se guardom as formulas, o termos essen1*> cues, para quo as partas possam allegar o 15 seu direito, e produzir as suas provas. %  j_5 Mas o juiz prolator da siMiienea, da quo se la IHIii^nSo o cnteniieu assim ; deixou de 14 parle a verdale sabida, e provada pelos au13 tos, o amis que multo notoria improbida13 de, e m f dos reos; deixou ds servir-so da 13 ficuldade amulissima, que Ihe dava o reg. 13 do r i,l. noart. 230 para mandar procedsra 12 qualquer diligencia, examo e conferencia, 12 qua podesse concorrer para a elucidario du D". Antonio Siqueira CavalcanloJ. Dr.Dolphiuo Augusto C. de Albuquerquo 12 ialeria ; deixou de observar as regras suiDr. l'iaucisco de AsSS Oliveira Maciel 12 to sensatas e judisiosas, quo Silva Lisboa no Dr. Alfonso P. de Albuq. MaranhSo 10 seu '.ral. 7 cap. 1 1 ursina para estes casos do !) liquidacSo do cintas; O foi alirar-si-, em 7 enrpo o alma, no mar immenso das formu7 las judiciaes que nom ella mesmo se slre7 veo definir c cuja inobservancia, vaga6 mente allegada, foi, todava, o fundamento, 6 do que so lo jibrou para annullar lodo o pro6 CessO. C < Attentando-su na potigSo inicial .' diz t¡ a sentenca v-se que com a apresenlacSo 5 das contas licou satisfeito o pedido urna vez 5 quo nSo se ostoudeo a mais; o consegunta5 mente toda a discussSo, qua se seguio, foi Dr. .Manuel do Souza Carera Dr. Manuel Carneiro Luis do Albuq. Vicente Juslimano Bizarra Cavalcaulo Dr. Fclix lu IN lino da Silva GjimarSes Dr. Joaquim Goncalves Lima Major JuSo Valenlitn Vtlelln l'.idie Joo Capistrano de Mcndon^a Antonio Jos de Oliveira Padre Venancio lliurique de Hozando CapilSo Manoel Antonio M. Pereira Coronel Jos Pedro Velloso da MI vera Dr. Guilicrmioo C. Marques Bacalho Dr. Angelo Henrique da Silva Dr. JoSo Paulo.Monleiro do Andrado Francisco Antonio do Barros e Silva leu.•uin COiOOei A. C. Machado lliua Dr. Miguel Arcuanju da Silva Costa Padro Vicente Ferreira doSiqueira V. I'rufossor Salvador Delinqu de A. Dr Frnncisco Alveres da Silva Vigario Nemesio de S. JoSo Cualberto D'. Joaquina Francisco Cavalcanla Lins Paire Amonio F. G CuimarSes Dr. Jos Mana do Albuquerque c Mallo Francisco Xavier Lopes Domingos Alfonso Nori Ferreira Major Florencio Jos Carneiro Monloiro Dr. JoSo Vicente da Silva Costa Dr. Joaquim J. Nunes da Cunha Machado F'rancisco Honorio Bczerra de Menezes Dr. Vicelo Aurelio da Cunha Gouveia Manoel Paulino deGouveU Mumz Feij Domiugos Alves Vieira Dr. Filijpe Cuneiro de Olinda Campollo Dr. Gaspar de Maneras de Drumond Miguel AtTanso Ferreira Dr. Maximiaiiu Lopes Machado 5 sem lim proposlu e procesado sem ordem, 5 nem materia, sobra a qual se tenha de jul5 gar. > 5 Pois no podido .¡o contas lo gercro: enn5 signados com um valor lixo, nSo estara, 5 implcila.e virtuilmenlo comprehendido o 5 pedido de ludo aquillo, que os reos ret4 nham indevi lamente ? Podena Ocar nunca 4 saiisf.'ilo a ¡nlencSo dos autores com a apro4 sculatjJo material da cuntas arranjadascom 4 astucia a vclhacaria para sa flgurareuj os 4 los crolorcs do 8:386,276 rs. ? Da quaser4 vni.un as accocs de conlas, a a directa da 4 mndalo, so os reos as podessem innulili3 sar, ou impedir seus legaes elTeilos, por 3 meio de conlas cavilosos, exageradas, e fal2 sas ." Domis; nSo he exacto, que os au2 tures s tivessem pedido a aprsentelo d 2 conlas ; pois marcaram expressamento a es2 timativa do seu direito cum aquintia do 2 28:181,942. — Esla quanlia era a base, e a 2 essiicia do pedido. A defesa dos russ 2 uoderia se acceita, s poderia conscianciosa 2 Jajuidicamente dar lugar a urna absoivieau 2 avistada documentos legaes, palos quaes Dr. Rodiigo Castor de Albuqr. MaranhSo 2 mostrassom elles reduzdaessa itnpoilanoia 2 —em cumpriiuenlos d ordens dos autores 9 — ou por differencas nss venias dos genc2 ros — li tioitas circunstancias recorreudo o 2 juiz arbitros commerciaes como Infortnan2 les 1 si tanto exigissoa discussSo havida ) 2 adiara esclarecimentos, que o guiassem 2 cum seguranza decretar a candomnacSo, 2 ou absolvisSo dos reos porem nunca a an2 .nillai,'ai) do processo, por isso mesmo que 2 houve objecto e pelido certo, e todos os ter2 mos substancaos se guardaram, admiltn2 do-se cootestacSo, provas, e ato raconven2 cSo dos icos, que em vigor nSo ora admis2 sivel vista do srl. ios do rog. do coJ. 9 a Nfio se deu accSo intentada ( diz mus 2 t sentenca ) o carador de nenhumadaquel1 las, qui estabalece o mesmo reg. ( de 5 da 1 novembro de 1850; comose recouhaee do 1 processo adoptado, do qual resulla o verCoronel B uto Jos Lomeaba Lins Dr. Ivo Mi tiii.i .ID da Cunha Souto-Maio Coronel Jos Carlos Toixera Dr. Matiuol Mendos da Cunha Azevedo Dr. Antonio llorculano de S. BauJeira Dr. Jernimo Vilella do Castro Tavares Dr. Anlonio Pereira Barroso de Moraes Bernardo Jos da Cmara Dr. Joaquim Villela de Castro Tavcres Dr. Jos Francisco da Cosa Gomes Dr. I. i.irenco Fraocisco do A. Catando Padre Joaquim Fiaocisco de l'aria Dr. I.o arene,!) Trigo da Loureiro Dr. JoSo Paulo do Miranda Dr. Antonio Vicenta do Nascimento F. Vigario Bazilio Goncalves da Luz Jos Hygino de Miranda JoSo Paulo Carneiro Monteiro Beulo Jos For nan les Barros Dr. Antonio Baptista Citirana Dr. Jos lUymunJo da Costi Menezes U jibeliuu Guedes de Mello Francisco Barbosa Noguoira Paz I dsdeiro cahos, em quo calno esta causa. 1 S com o procjsso dianle dos oltios po ia1 riamos avallar toda a injuslice deslo periodo t dasenieusa; mas leliituenteoproprocon•m



PAGE 1

p: I _^_ -, PEGMNCIU. Ainda existe urna pequeua quantia das superiores colxos de linlio, do melhor gosto que tein apparecido no mercado, pJ.o barato preco de 10,000 rs. cada nina': na ra do Queimado, loja n. 17. — Vende-se, por preco cominoJo, fumo em folln, para charutos de primeira e segunda qualidades, macella cliegada ultimamente do Porto, e cal virgem de Lisboa tambem desembarcada poucos dias : a tratar no armaiem de Dias Ferieira, no caes da alfandega, ou com Novaes & Gompanliia, na ra do Trapiche n. .'! |. Chita larga franceza, a 2^0 rs. Vende-se chita francez 'arga padres modernos, escuros e claros, o cores Qxas, pelo baratissimo prego de 240 rs. o covado, tendo grande porgSo para escollier: na loja do sobrado amarcllo, nos qu> tro cantos da ra do Queimado n. 29. Sedas furta cores, a 1,709 rs. o covado, por tao diminuto preo, que mdeixar de ler um vestido de seda para a fesla ? na i na do Queimado n. l'OTASSA DA 11USSIA. l'arinha Fontana, Nn armaiem 1?* In-V Teixeira '"egida ltimamente: emesia de"J. J. Tas< no armaiem ue jo.e leixem 8oJuntor na IU do Amorim n.35. Basto, na ra do rrapichc n 7j 10, vendem-se as melliores e bonitas sedas furia cores, para vestidos de senhora, meninas e manteletes, a 1,700 rs. o covado ; damse as amostras, ou mandam-se as pecas em casa par; melhor o comprador escullid. — Vendem-se relogios de ouro eprata, patente inglez : na ra da Senzalla Nova n. 4 a -No cscriptorio de Novaes ec Companhia, na ra do Trapiche n. 34, tem para vender por prego commodo os seguales objectoa chegadus ultimamuule : chapeos do chile interflnos, lala para eeerever, graxa em potes paia calcado, liaba de roris, manos com palitos enfeilados e panno de iinliu : a tratar no mesmo escriplorio. Arados de ferro. Vendem-se arados de diversos modelos, assim como americanos com cambSo de sicupira e bracos da ferro .* na fundicao da ra do Brum ns. 6,-8 e 10. Deposito de cal virgem. Cunha & Amorim, venden) barris com cal em pedra, cliegada ltimamente de Lisboa, na barca o Margarida, por menos preco do que em outra qualquer parte: na ra da Cllela do Itecifo 11. 50. Bombas de ierro. Vendem-se bombas de repuxo, pndulas e picota para cacimba : na ra do Brum ns. <>, 8 e 10, fundicao de Ierro. l'arinha de mandioca. A mais nova o ruis barato l'arinha de mandioca que IM no merca.!o, v. n Ic-so na ra da Cruz do Itecife, arniazcm 0.13, de JoSo Carlos Augusto da silva. iiJoiuhos de vento com bombas lo repudio para regar norias d baixas decapim : vendem-se na fundicao de Bowman 6: Me. Callum, na ra do Brum ns. 6. 8e10. — Vendem-se amarras de ferro: na ra da .Senzalla nova n. 42. 009090009099009900 Q —Vende-se um grande sitio no luO iJ gardo Manguinho, que lica defronte { %  ) &J dos sitios dos Srs. Carneiros.com ..;, r> grandecasa de vlvenda, de quatro ,rj 5 agoas, grande senzalla, cocheira, ; 9 O estriba tenia 3 ra, baixa decapim que susm a 4 cavados, grande caciin,j .. ba, coui bomba e tanque coberto .T¡ Jjj para banbo bastantes arvoredos de i 9 fruclo : na ra do Collegion. 16, se8 O gundo a'mlar. ** — Vendem-se velas do es ei mcele, em caixas.de superior qualidade : em casa de J. Keller & Companbia i na i ua da Cruz numero 55. Y'inho de Champagne, e superior qualidadc : vende-se no arreacui Kulkmai.ii Irmaos Ra da Cruz, n. 10 AGElSClA da fundicao Low-Moor. IIL'A DA SENZALLA NOVA X 42. Neste estabeleeimento contina a liaver um completo sortimento de moendas o meias moendas para engenho, machinas de vapor, e laixas de ferro batido e coado, de todos os lamanhos, para dito. Agencia de Edwin Maw. Na ra de Apollo n. ti, armazem de Me. Calniontsl Companliia, acha-sc conllantcniciilc Dona iorlimrnlos de i ,ivi de ferro coado e balido, lauto rasa como fundas, moendas lucirs todas de Ierro para aiiimaes, agoa, ele, ditas para armar cm inadeira de lodos os tamanbos c madellos o inais moderno, machina horisonlal para vapor, com lorca de 4 cavallos, coucos, passadeiras de ferro esianhado para casa de pulgar, por menos preco qucoz de cobre, escovens para navios, ferro Ingles tanto em barras como em arcos folhas, e ludo por barato preco. Antigo deposito de cal virgem. Na ra do Trapiche, n. 17, ha muito superior cal nova em pedra, cliegada ltimamente de Lisboa -Vendem-se ce ba para vender, nova c superior potassa da Russia, cliegada recen lementc. Principios geraes de economa publica e industrial. Vendo-so esto compendio, approvado pira as aulas de primeiraa letras, a 480rs. : na praga da Independencia, livraria n. 6 e8. Lasa de commissao de escravos. Vendem-se escravos e recebemse de commissao, tanto para a provincia como para fra della, para o que se offerece mullas garantas a seus donos .* na ra da Cacimba n. ti, primeiro andar. Deposito de cal e potassa No armazem da ra da Gadca doKecife n. 12, ha muito superior cal de Lisboa, em pedia, assim como potassa chegada ltimamente, a precos muito rasoaveis. — Vende-se um carro de quatro rodas, muito leve, para um ou dous cavallos: na cocheira do Miguel ouge, no aterro da Boa Vista. Deposito la fabrica lo Todos os Santos na Babia. Vende-se, em casa doN. O. Uieber&C. na ra da Cruz n. 4, algodSo transado daquella rubrica muito proprio para saceos de assucar e roupa do escravos. por pregocommoJu. -Vcndo-sepor inctado do que custou um pequeo sitio porto da praga a margom do Capibaribe, com easa do pedra ecal e muitos cominodos, bem plantado de fruteiras e jaidim : a filiar com ocorretor Miguel.Csrueiro. Arados de ferro. Na fundicao da Aurora, em S. Amaro, vendem-se arados de ferro de diversos modelos. Moendas superiores. Na TundicSo de C. Starr & Companliia, em S.-Amaro, ucham-se a vonda moendas de canna, todas do ferro, de um modelo e construcgSo muilo superior Velas de carnauba em libras. Vendem-se velas de carnauba imitando espermacete : na loja de saleiro da ra da Cadeia do Itecifo n. 36. Presuntos. Vondcm-se prezuntos americanos, muito superiores o por barato prego : no caes da Alfandcga, armazem defronto da tirvore. Alteiico. Vende-se, por 3:600,000 rs., o sobrado de dous andares c SOlSo, com Irapcira e loja roparlida, com boa cacimba na chagaoocm chilos proprius, un Itecifo na ra do Apollo n. 29 ¡ na niesma ra n. 34, se dir quem vende. -Vende-se urna porcSo de midcira ue amarello, em praocbSo, a prego regular : na praga do Commcicio n. 6, primeiro andar. Chapeos de castor branco. Vondem-sena fabrica dechapeos de Chrisliani .-. ir i, na ra Nova n. 41, os mais modernos o superiores chapeos de castor branco, ebegados recenlcmciile da Inglaterra, pela galera Linda. Manteiga sem sal. .Viose 11 nli. i dcscoberto ate hojoun meio de conservarla manteiga de vacca sem sal. Nos pillea consumidores, como a bordo dos navios, so se gastavSo manleigas preservadas a cusa ile muito sal. Pelo meio de urna nova invengao,quc ja lia muito cxperiir.enladaadquirioa certeza da perfeigo, pode-se em toda a parte do mundo gastar nunleiga perfeiUmenle conservada fresca sem sal algn). Chjeclo do primeira necessidade para a arte culinaria e para a meza, a manteiga sem sal lio indispeiisavcl psra OS desolase convalcsccntes, pois he formalmente prescriplu pela bomcopalbia ; e ueste ullimo casa ella torna-se tanlo inais aprcoiavel quonu^* Sorvete, Naconfeitaria da rus, u. 43, continua bavor i 11 horas. Btro ta do Itozario jrvrto lo los os dias l'azendas ptra senhora, por bara-. dl "" nor 9 'Ipdiaasdi lardee das 6 as 9 l danoiteaflm do applacaroa coloreada ropit>I"" e 9ziadlu/.ida. Cambraiaadesalpicosbrancose de cor, i ¡ y Marmelada peitoral 4,300 ra. com 8 1,9 varal e 640 ra. a vara ; ¡ Nl rua es[re¡u do „ oA 0 n 43> vende ditas Iraneezaa de hom gosto, MOrs, a' 118rrae i, da a 500 rs. a lata, com 3 libra* vara ¡ ditas co.n is.r. de cor a 3 000rs.. a J d ¡' !" l ; ,„,,„ ,,„ ,„„•„ Bproxlm r c p :5adoTc,?.,."d. c.^:rpi^s% 10 a Voo o •r ^ !" %  — %  • be "> corles de chita com 12 covaJoa, a 1,920 o, .• ^.,„„ 1,80o rs.; lencos de (¡nUsima cambraia do Batatas irancezas novas linho, a 480. 560e640; ditos de cambraia j Vendem soigos com superiores batatas dealgodSo combico, a 440 rs. ; zuarles de francezas rhgados ultimamenle pela barca cor muito oncorpados, a 200 ra. ; dito franceza Pernimbuco, vinda do Havre, na azuoscom 4 l|-> varas, a 200 rs. ; o algodSo travessa da Madro do Dos n, 19,armazem de transado com listraa, a 180 rs. : na rua do. JoSo Munizdo barros. Crespo n. 6. — Vende-se urna meia commoda de anAttenco. K¡ c > feitea moderna, quasi nova: na rua da Acaba de chegar no vapor Imperalriz a loja de Souza Jnior na rua do Queimado junto ao beco da Cd*ngregag3o n. 37 A oa biACIDADE DE PARS. bilbetes, e cautellas da lotera do Iheatro S. Medro de Alcanlara cua lista vem no 1." vaSenzalla-Velha n. 70 i — Vend-so urna caHra bicho.com urna cria, queda bastarte leite .na ruadla Cruz do Recife n. 29. — Silo chegaJos,! loja da rua Nova n. 20, de Joo FernandoaPironte Vanna, os ri4'?.n'P" ra lrat,r de 8"fa sitio, por entender *{ ." de plantagOoa, e tambem para tratar de capor.e vendem-se pelos baralissimos progos flg emu ¡ l0 bonitM aparelbos de metal (I*V 1 X0 „,„„„ no para cha e caf, obra de delicado gosto, ,l hel ? 1 s 11 ??'"?? c prego commodo ¡I elles antes que se aMeios Uilhotes l1 000 cabero. Q u tos 5,500. vende-se um escravo velho proprio Oitavos Vigsimos Lotera de Nossa Senhora do Livalos porVer muita pratica: na rua do Quelvramento madon. 14. .. nftn f, nn A a „ -Vende-se urna toalba toda aberta, do Aos 5.000,000 de rs. ,mais rico lavarinto que se pode fazer.eainNa.loja do miudezas da prga da }"iP !" -' !" m b ¡c n por te/sido a pouco acabad. ; vendem-se bilbetes inte.rose „; s ¡, n como '/ d laS80in ento com l.varinto.' o bico as ponas; na rua do Queimado oja n. 14. — Vonde-seuma preta com 22 annos de idade pouco msisou monos, crioula, cose, entornilla, lava muito bem, e cosinba o diaiio do una casa, o prefere-se ven lor para fra de trra : na rua do filar em *. Novo sorlimento lie. chapeos de sol, para liomeiii e senhora, saber :-chapos de sol do seda, armagSo de balla, de 4,500 rs. para cima; ditos ditos pan senhora, de 4,000 rs. para cima*; ditos de panno Rao, de armagJo de baleia e de ferro, de 1,600 a 3,200 ra.; ditos ditos do armagSo de junco, de 1,200 a 1,800 rs., lodos Hopos : grande sorlimento de aodas e pannos, em pegas para cobrir os mesmos, baleias para vestidos e esparlilhos de senhoraa. Concertam-ae todas as qualidades de chapeos de sol, ludo com perfeigSo e por meaos prego do que oai outra qualquer parte. delicia n. 4, oieioa, a beneficio de Nossa Senhora do l.ivramenlo, que corre infallivcliiieiile nodia 23do correte, e oSr. thesoureiro pagano da 24 do crrenle, bilbetes intuiros 10,000 rs. e meios 5,000 rs, Para jarilins. M. D. llodriges na rua do Trapiche n. 26, receben urna comp'lcta collecgilo de adornos Fra de Ponas n. 104. para jardins, composta de vasos de louga, i — Vcndem-se Ues negrotas de idade de brancos e piulados de todos os lamanhos o 20 anuos, que engommam, e cosinham; 1 modellos. Figuras representando as estamolata do 18 a 20 annos, do bonita lgnra, roes do auno, as paites do Globo e todos os c cual aL ninas habilidades; 1 preta e 1 Ueoses da fbula, que recommenda a quem molalade meia idade; e um cazal de 08tiver bom goslo, o porpregos muito rasoaveis. Farinhaparabolaxa. • Vende-se fariuha americana ebegada ltimamente do Inglaterra polo prego de 6/ rs. a barrica, em casa de J. J. Tasso Jnior rua do Amorim %¡ 35. Cheguem ao barato. Ricos bonets de palha da Italia para borne m, propnos da estagSo presente, especialmente para os que passam a fusta no campo, pelo baratissimo prego de 3,000 rs.; oscelloutes chapos do castor branco sem pello, bonitas formas o boa qualidade, pelo deminuto prego de 5,000 rs. ; ditos de castor branco com pello, boa fazenda o desembarcados da barca l'ernambuco, cliegada ultiinamontc, e pelo prego nunca valo de 7,500 rs., a elles : na rua Nova loj n.8. spell.o de parede rom ricas moldurus : ven.lcm-sc no armazem de Klkmann Irmos, rua da Cruz u. 10 Tinta em oleo branca o verde: venlc so no armazem de Kalknianii Irmos, rua da Crnz n. 10, — Vende-se cm casa de Adamsori llowic k Conipanhia, na rua do Trapiche n. !\i panno de algdo para saceos deassucar, muito superior e b rato. MagSea ocastanhas. Vendom-se magSes e castanhas chegadas do l'orto : na rua da Cadeia do Itecilfo a. 64. — Veudc-se a casa do sobrado n 8, da praga da Boa-Vista : quem a pretender entenda-sc com Joaquiji da Silva Castro, na rua do Crespo, — Vende-se cemalqucircs de sal por commodo prego na rua da Cruz do Rcsife n. 24. — Vende se palbas de coqueiro cm porgSo ea 11 i alho na rua llireila nasa do Jos Joaquim do Abreu n 70. — Na rua do Livramcnlo sobrado n. 10, so dir quom vendo um alereco, 2 voltns, 3 lfinctos, 1 lrancelin,4 uncidas, 2 pulceiras cravos :na rua ireita n. 8. Ricos suspensorios de seda a 800 rs. o par. Vendem-se suspensorios dfl seda pelo barato prego de 800 rs. o par ; e na mesma casa vendem-se ricaa litas de seda lavrada para chapelina : na rua larga do Rosario n. 26, loja de miudozas. (iculos para ludas asidades a 800rs o par. Vcndem-so oculos para todas as idados, a 800 rs. o par: na rua larga do Kozario n. 26, loja de miudezas. — Vende-se urna preta d< co.l, bonita figura, sem achaque nenhum, boa qmtandeira, a tambem propria para servigo do campo : na rua de S. Thercza n. 2, achara com quem tratar. Capachos a 500 ra. Vendem-so capachos a 500 rs. : na rua larga do Rosario n. 26, loja do miudezas. — Vendem-se queijos londrinos, ditos chinas, dem do Alontejo iiem suisso, presuntos inglezes para fiambre, lingoas inglezas, manteiga fresca em latas o frascos, folien vas ingle/as, ditas francezas de deferentes qualidades ; latas cum biscoito inglez. musanla franceza einglcza ; latas com sopa, nudos as seguintes qualidades : porto particular, madeiras, sherry, moscatel,sotubal,colares,lavradio, burella-, carcavcllos branco o linto ; latas do marmelada, caixag com figos, lats c im amoichas, ludo dn supeiior qualidade: na rua da Cadeia do Recife n. 2, taberna de Fonle & lrm0o. Espirito de 38 gritos %  Venle-so espirito de 38 grflos a 1,000 rs. a caada, c a reta I lio : na distillagSo da travessa da Concordia. — Grandes mappas do impeli do brazil, com a planta das principaes ci ladea por Conrado, coronel de engenbeirus : no paleo do Collegio casa do livio azul. CASEMIRAS BARATAS. Vende-se os mais modernos cortos de case ni raque lia no mercado a 4,500 rs. cada corto, brim mcsclado muilo proprio pin palitos oja ¡u 'las a 320 rs, o covado, C0its de cambraia de seda com 13 e iva lo, a 6,400 rs. o corle, cortos de caga decores a 2,000 rs. c utas muitas fazendas que o pro(0 vicona: na rua do Queimado n. 19. Frutas do Portugal. Vende-so frascos grande com pessegos, SALSA PARRILIIA DE As numerosas experiencias feitaa como uso da salsa parrilha em todas aa enormidades, originadas pela impureza do singue, e o bom xito ubi i lo na corte plo lllm. Sr. I)r. Sigaul, presidento da academia imperial do medicina, pelo lllustrado Sr. Dr. Antonio Jos l'eixoto cm sui clnica, eem sua afamada casadosaude na Gamboa, pelo lllm. Sr. Dr. Saturnino de Oliveira, medico do exercito o por varios oulros mdicos, permitiem boje do proclamar altamente as virtudes clllcazes da SALSA PARRILHA DE BOA GRAT1F1GACA0'. Ansentoii-se na noite de 27 de outubro passado o mulato Ci e mentino, de 30 annos de idade pouco mais ou menos, magro, altura regular, tem muito pequeo buco de barba e fulla muito mansa quando anda parece que nio pisa bem com os calcanhares, costuma andar calcado e bem vestido, Icvou urna trocha de sua roupa, inclusive calc,a e ¡aqueta de panno fino azul, e alem do mais algum calcado, um par de boneguins pardos, com hotoes de madreperola brancos, e consta que levara um cavallo, que naquella occasiao alugra, o qual tem os signaes seguintes ; — castanho, bar>igudo, dinas pretas, gordo e tem um taIho em urna anca; he provavel que queira passar por forro, he bolieiro e escravo de Luiz Antonio S¡.^ queira : quem o pegar leve-o a rua loj lo be pura de qualquer substancia que 8j bande ¡ ra du monin U00S 5 p Jrc d e brinpo a. alterar nos seus ben'gnos c.Ioi os. F -, c ¡ lfi u h nalmenle pode gaslar-se tal qual nos paizes dc a l(| r productores. Na llavanae as AnlilhasfranVon,lp so „, humni ,1. v |dimascos,cerejas e'ginjas muito bem cbncezas esta invengDo foi recebida com grati* eiiuc-se na idvtrna 110 i'-. SO rvadas e pclodiminuto progode 1,000 o dSo, pois era de ha muito lempo apetecida, lephantc, na rua do Hospicio, bar-¡frasco : na rua do Rozariolarg 11 20 Em l'ernambuco, que n3o cede em bom ,¡ ra r nrn Lnlarliinlia inolana il "" Veiido-so um relogiu de ,irata patenta gostoaoutro paz, nao duyuiamos que seja W J" -"'" %  '""i in B ie*B, uas su ¡ jsu „, ruJ | arga do Rosario n. 20. ruconhi'cido o seu merreimento. Recomenmais novas que ha no mercado, a ¡de miudezas. da-se a manteiga sem salas pessoasque gos., i nn _„ l iarl .¡ ril p n ....1 .11... ~ tfio de passar bem : ba loda a certeza de J 00 rS "a"' 0 '') e B rclalllO a quedepois que a tiverem provado nSo queISO rs. a llura. rcrao mais saber de uianteigas salgadas pa-l \ ( (|(| r ^ ra seus almogos o para seus chas Acha-so .. a manteiga fresca sem sal ror prego modiVendCm-SC peles (te mari'Oquim co 110 botequim fnncoz da rua nova, e na de todas as cores, pelo baratissimo venda de tontea, & Iriiio : ruada Cadeia do prerode 1,200 rs, cada unn, e senRecife. &9 ^^^?**^t!* do cm poi"9ao d-se mais barato 49 Vendem-se ealugim-sebichas, cher*. _„ .. v. 1 • ,lp formeciis n #y gadas ullimamento de llamburgo, por f* n. .>., na preco multo commodo : no armazem de Sil_ 1 /' 11 • o s la Barroca, na rua do Trapiche n. 19. ruB do Gollegio n. 3, e lia praca da Faz-se lodo o negocio. Independencia n. l\, ha para venVculo-seuma obrigagSo, de passado por ilcr lulas cun iltias libras de mil rCl.udinoldosSantos Lopes Castello Brinco, nie | ada mu ¡ lo f re8C a meslre d primeiras I-tras na villa do Cabo, '""-'"* u ^ ""• "* !" e superior, da quaotia de 180,700rs.; na rua da Cideia vinda de Lisboa, pela barca l.igcido itecife n. 8 ro, ossim como frascos de doce em VenJe;" 0 rmazem da rua ftas (Je marme „ 0 com seis ¡bras da Cruz n. 48, os aeguinteo geneca(]a um c ¡n j ai ludo ros a precos commodos : Iras, Q dlmiuut 0 ? ec0 %>\ i0 „, /i,, eos de vidro com bocea larga de b e||e fr 7 gnMt pois se csl diversos lamanhos latas combor;„.i;.-„j. .... 1 .11 1 -. linalisando. lachinhasde Allemanha muito noAttencao vas, alvaiade muito fino em barS ao chegadas a loja ueferragens da rua ricas, zarcao c secante em barri-Nova n. 20, defronie da boneci.de Jorio Kcrras npdra luime cm Inrrins en. "andes l'arenta Vianna, as muilo apreciadaa :ra em velas .. arr,ca s > es juras e bacas Chinezas, obra muilo recom>k „ „ li •A SClCias de canda, cravo ezimbro, mcndavel, pela sua duragSo, e dificuldada fabricadas em Lisboa C no RlO de d : 1 „ m „ ar „r M sal de em quebrir-se.est. s cirunst.ncia annunJaneiro, em caixas de 100 libras sevau,nlia .^ m grraioe esai de C i a8 v, ofre( U9za uau t,| i j ai i e;na mesmalo .orl.ias de I aiGemlibra etam. ''P sem multo alvo e,n barricas. j, ha tambem para vender grelnas de torrar scrtidas,dei aioemiujra.etamj d 3 000< pao muito em cont., bem de um so ama„ho por me• G.ooo r-./no aterro da T Eal a expirar a grande nos preco do que em outra qualJ' oa .^ ¡sla) defl on le da borieca> pechincha. quer parte : iraia-se no escnpio||a chcgad0 rercnlcmente os bem conheciQue be bolixnhas de araruta do llio da rio de Machado & I inheiro, na dos sapatOcs do Aracaly, tanto para bomem Janeiro pela Insignilicanlequanlia de 1,600 -..a .lo Virrarin 11 Id. secundo como para menino a 800 rs., do oielha a a lata, a ellas rapaziaJa que he baratissimo ruado Vlgano O. HJ, "S" 04 )000 8 >ditos de i usUo p ra ditos a 2)500 na ruaes troita do llozario n. 43. andar. 'rs., ditos pira homcm os melhures que --Umcavallo murrollo, novo, aom acbaTmlXIM para rugcnlio. tem vindo da Uihia a 3,000 e 4,000 rs., o lioque algum, cgegado a pouco do cenlro, anNa fundigo de ferro da rua do Brum, tins a 6.000 rs.¡ -sim como um novo o da bem bauo.e muilo melhor em cima,na acaba-o de roceborum completo sortlmencompleto sorlimento de calgados fiaucezcs ra da l'euba loja d) aapaleiro n. 3. ta doiaixaede 3a 8 palmus de bocea, as de ludas as qualidades tamo paia homem —Vendo se um quarto.i dulscgoas proUUI38 acheni-se a venda por prego coes-, como para senhora, meninos e meninas, prias para engenho por prego muilo commooodo BCOUI proniptidilo embarcam-se, ou peles de marroquim o corles de tapate a do :>ara v.r e ajusl-ir no Hospicio sitio da CarreJam-ae era carros sem dospezas ao 480 rs •• %  sendo porgflo, d-se por menos, enhora viuva Cunha: no mesmo sitio,conicomprador. tu ¡o alici de se apurar dinheiro. pra-se urna boj.ba para cacimba. Pechincha. Vendom-so couros de lustro pelo barato prego de 1,600 rs. %  pello ¡ 111 rua larga do Rosario n. 26, loja de miudezas. Vende-se um escravo cnoulo, idade 24 anuos, vin !r> da cid^de do Ico, cujo escravo eo/.inli.i suli ivelinento o diario de urna casa, no o tem vicios nem achaques, e vende-se em cotila por ter vindo para pagameoto: oa tua da Cadi ia sobrado de um andar passana casa da Cuarda da Cadeia. ~ Vendc-so um porco grande, excessivaniuule gordo, ptimo pora um presente : no Arrombado sobrado defronte da capalinha. -Na rua da Cidoia do Recife n. 49. vendem-so muilo bons sapatos do Aracaly, chegadps ultimamenle, e mais 2escravos — Ycndein-se selins e sillines inglezes, de couro de porco, da primeira qualidade: em casa de Adamson Ilowie (k Companhia, na rua do Trapiche 11. Aa. — Vendem-se chapeos de transa abortos ecom cabello, para senhora, palo diminuto pjego de 4,500 rs cada um : na rua do Collegio n. 3. — Vende-se urna escrava moga, que serve para todo servigo : na rua da Guia n. 12. DEVERB3 DOS HOMELNS, a 5oo rs. Vende-se este compendio aprovado para as aulas, em meia encadernaglo, a 500 rs., cada um: na livraria n. 6 e 8, da praga da Independencia. -Vendo-se um bonito moleque creoulo, de 9 annos, proprio para qualquer oflicio : na rua larga do llozario, loja n. 35. ¡Novidade Nota. — Cada garrafa contom duas libras de liquido, e a salsa parrilha de linsiol he garanlida, puramcnlo vegetal sem mercurio, iodo, potassium. Vende-se a 5/TOOO rs. o vidro na botica do Sr. Jos Mana Gonaalvcs Ramos : rua dos uadeis pegada ao quirtelde polica. — Ricos temos de bandejas cachinhas com 6 papis de agulnae muito superiores colheres de metal do principe perfeita imitagSode pr.ii¡1, laceas com garfos muito finas, chaleiras, fngideiras, cassarollos e panellaa de ferro forradss de louga,fogareiros grelhas e mais pertences do cosinba : na rua Nova loja de ferragensde Jos Luiz fereira. Deposito de tecidos da l'abri ca de Todos os Santos, %  na Baha. Vende -se em casa de Domingos Al-^ ves Matheus, na rua da Cruz do Re4i cifeu.52, primeiro andar, algodSo Iransado daquella fabrica, muilopro* prio para saceos e roupa de escra2 vos, assim como lio proprio para re2 des de pescar e pavios pare vollas, ^ por prego muito commodo. ^ Sobrado em Goianna. Vende-?e, muito em conta, um bonito sobrado sito na rua cfo Meio, n. 5, avaliado em atoooooo, eino qpal tem parte rsula Mara das jfllagens e. sua irmaa Joaquina" Vives de l'aiva na importancia de io7,473 rs. quem pretender dirija se a cata de italkni 1 nn Irmaos, rua da Gruz, o. 10. Cadeiras. Vendem-so cadeiras para meninas; no armazem de Kalkmann IrmSos, na rua da Cruz n. 10. Molduras douradas de (odas os larguras : vendem-so no armazem de Kallkmann lrmSos,ruada Cruz 11' 10. Charutos de Ha va na Ue superior qualidade : vendem-se no armazom de Kalkmann Irmaos, na rua da Cruz n. 10. Escravos fgidos. Dcsappareo no da 5 do oorrente mez do sobrado da rua das Cruzes n. 22, urna escrava crila de nomo Luduvina, de idade do 20 annos, cuja escrava tinha cliegada da fgida nodia 2 destocorrenle mez, do engenho Cangag, lemoltida pelo Sr. Jos Pires ('.ampollo, com urna carta apadrinhando-a, oque assim se cumprlo, porm ao lim de ir. / dias to.-noii a fugir sem razSo, nem motivoalgum.com os aiguaes seguintes: alta, ereforgada docorpo, bem preta, rosto comprido, nariz grande, olhos papudos, beigos grogni, mose ps grandes, lovou veslido de chita do acento amarello desbolado, ja quazi branco, foi em corpo, porm consta que ella passou na pont'i di uoa-Vista, o nessa occasio j levav* um pino pelo hombro, eum bilaio na mao, para julgar-se .que n,1o estava fgida, cuja escrava foi comprada ao Sr. Arrulla quo tem Uverna no piteo da Ribolra, e antes deste foi captiva do Sr. c 1 pitan Maranho, e de novamente sa rogaaosSrs dosengenhos Penado, e Cangaga o obsequio de no caso que ella l torne apparecer de a mandaron) capturar; o memu se peJe aos cipitaes de campo e IU(oridides policiies, e a condusam a mesma casa a cima a entregar aoseu Sr Jos Vieira do Figuoirodo, que sorao generosamente gratificados. Esta escava j4 tem bilbetes empipssiii es-pnl liados, por muitaa partea no mato j da outra fgida que fez, e cujos podoro servia para esta fgida. — Dasapparecou nodia 2 deste correte mez do dezembro do engenho Espirito-Santo na commarca do cibo, um escravo crioulo do nome Alexandre de idade 25 anuos, com oa signaea seguintea.allura regular, reforgado docorpo cor fulavista agradavel.sem barba nariz alnado tem o dedo ndex da mao direita quasi alejado de um auccesso que ficou com o dodu lorio ja ro simado toma tabaco, tem os olhus esbranquigados he muilo cochudo, e bem Vendem-se frascos com mais de 6 libras | escorrido do canellas, e ps. Quemo pegar cada um, com excedente doce de annanaos ou delle tiver noticia dirija-ae ao dito enem calda, feto no Maranho, chegado nojjgenho ou nesta praga a venda de JoSo Jos ultimo vapor do norte : na roa da Cadeia do Rooife, venda n. 25, da Manoel Jos do Nasciment e Silva, dofronte do becco Largo, e na de n. 23, de Antonio da Costa ferr ira Estrella. MOBIL!AS DE FEttftO. Vendem-se ricas mobilias de ferro, como canaps, mesas, cadeiras com braco e sem elle, e muilos 011tros objectos de ferro : no armazem de lvillvinan'1 Irmaos, na rua da Cruz n. 10. do Monte as Cioco Pontas n. 92, que sera bem reeo opens ido. 30,000 rs., do gratilicagSo. Dpsapparccou nodia 15 de julho do corrento anno um muloque crioulo de nome Paulino de ¡dado de 10 annos pouco mais da Gadeia do Itecife n. ai, que ser recompensado. — No dia 23 do passa !o, deaapparcceu do engenho Arembi, freguezia de Ipojuca, urna mulata, bem alva, cabellos bem pretose malos encolhidoa, um lauto baixa o magra com sardas pela cara, nariz iflado, porrn grosso, e presentemente leve um tumor no meio da cabega que eat coroada : quem a descubrir leve-a 10 dito engenho, ou nesta praga em casa de Manoel Buarque de Hacedo Lima, na rua do Livramento n. 26, que ser bem recompensado; a mesma levou roiipas linas e una vestidos lo cambraia, desconGa-se que tenha seguido para Pao d'AIho aonde tem prenles; por isso, roga-sea todas as autoridades policiaes, e a qualquor pessoa do povo e capitea decampo, dea pegarem o levarem nos logaros cima menponados que jerSo generosamente recomcinsadoa. 100,000 rs. do gratiflcagSo. Rogase as autoridades policiaes, que ciplurem o escravo Manoel, pertencente a SebaatiSo Marques do Naacimento, fgido desde o dia 8 do mez de solerabro. Foi elle escravo do Sr. Gabriel AfTonso lligueira, quem foi comprado ltimamente : tem 28 annos de idade pouco mais ou menos, cor fula, com falta de doua denles na frente,a de cabellos do lado esquerdo da cabega, que ae torna bem viaivel por parecer urna cora, tem olhos pequeos, beigos grossos, sem barba, baixo, corpo regular, he oflicial de funileiro. Trajava jaqueta de riscado • %  mil, calca branca, camisa de madapoln, e levou urna trouxa, contendo cagase jaquetas : quem o apprehender e levar rua di Aurora n. 62, receber'i gratiflcagSo promettida. Suspeita-se que fosse seduzido, o por isso desde j protesla-se contra quema conservar em sen poder. — Desappareceu na tarde do dia 13 do passado um escravo por nome Joaqun tem os signaes seguintes : boa estatura, representa tor 35 annos de idade, falla desembarazada, pos grandes, tem todos os denles da frente, nariz chato, quando indi estala as juntas dos j irllio-, levou camisa de algodosioho branco, caiga do dito azul, este escravo foi do malo: quem o pegar leve-o i typograpbii imparcial a fallar com a viuva Roma que ser recompensado. — Desappareceu no dia domingo, 12 do passado, um preto que representa ter 45 a 50 annos de idade, de nagSo caginge, baixo, cheio do corpo, sem defeito algum no corpo, levou vestido, caiga de casemtra azul clara dequadroae j velha, coleto desatim prelo velho, jaqueta de brim pardo,camisa de madapoln, chapeo de aeda preto ; presume-so que anda pelos arrebaldes desta cidade, pois apezar de ser do sertSo 0S0 sejulga que tenha voltado : roga-se portanlo as autoridades policiaes e capitOes de campo, a captura do mesmo, levando-o • rua do Vigario n. II, terceiro andar, que se recompensar. — Desappareceu da fabrica de ca\dcireiro da rua do Brum n. 38, no dia 17 do passado mez de novembro o prelo Amonio, de naga o cabinda, que representa ler 45 annos de idade, altura regular, cheio do corpo, cara abocetada, muilo cabelludo nos peilos e com bastantes cabellos brancos na cabegt, o um pouco carrancudo; he oflicial decaldeireiro, foi encontrado as Cinco Penlas, o seguio o camloho dos Afogados, e he oaturaf que seguase mais adianto por ter levado toda a roupa que tinha, e por j ter sido pegado do outra vez na freguezia da Esc 1 da : roga-se porlanto, a quem o pegar de leva-lo na dita fabrica cima, que ser recompensada. 5o,ooo rs. Da 15 para 16 de novembro de 1851 desappareceu do engenho Aguas Claras de Uruc, da fioguezia de Escada, o escravo Venancio, de Angola, que muito paroco crilo, Idade 25 a 28 annos, cor fulla, bonita figura, altura regular, ebeiodo corpo, pomas e bragos grogos, rosto gordo, e arredondado, testa grande, olhos grandes, a amortecidos, tem falta de muilos denles ni frente, do lalo superior, poucos cabellos no bugo, equoixo, tem marcas de chicote as costas, e de sums as nadigas, parece ser serio, e muito humilde, falla com muita mansilSoearraatado faz-se; Innocente, he chegado a furtos, e costuma mudar de triga, (' por furto de roupa que faz J de mudar o nome, dizer-se forro, oulras vozes procurando quemo apadrinhe, ou quem o coaipre : levou camisa de madapolSo, calg de brim trangado de listra pardas, j desbotado, chapeo uzalo de couro, cobertor gro(0 de lislras azues escuras, e um facSo quo tomoude um muleque carreiro, do engenho Moclo. Este escravo passou pelos engenhos Arand doSr. Manoel Feliz, Amparo e Mocot, havendo pedido aos senhores dos dous ltimos engenhoa cartea que o pa


PAGE 1

_ No di 13 do crrante depois di audiancii do Sr. juiz do civel di segunda vira, ni pillada mema hade aerarrematado um terreno com bemfeilorias a urna oasa terrea e rjutra meii agoa, que devida com i travessi da rui Augusta que tudoaever melhor no pscripto que se acha em mSo do pnrteiro penhoradoaos herdeiros de Uanoel Francisco CuimarSes por execu;3o de Matheua Auslin & Companhia esenvo Cunhi. — Xavier Alvares que tere a honri da dirigir urna circular ao commercio desta praca, ora o faz de novo por meio do presente para certificar quetrasladou do Buceo para i cidade de Montevideo aua casa de commercio e de consignacOes, e onde ofTerece aeus sirvios a todoa quantos o queir.lo honrar coro auai ordena, prometendo todo o zello, e diligencia, no desempenbo do quintse Iho posaa encarregar. — Traspassa-sepelo esparto de 3 unios e meio o urrnndamento do sitio que fui do l)r. Hunnn lo em Olinda com boa casi do vivenda, binhelro, diversos arvoredoa do fruio e terreno para plantacfies; quem a elle p-etenler dirija-ae a ruada Praia n. 90, que achara com quem tratar ou mesmo ciilade no pateo de S. Pedro sobrado defronte da igreja. — A maza regadora da irmandide de N. S. da ConceicSo, erecta na igreja da CongregacSo, couvida a todos o* aeus irmSoa, para reunilo de meza geral a lim de se proceder a nova eleigSo : hoje 11, pelas 6 horia da noite. -La va-se emgomma-se com milita perfeico tanto da varrella comodesabao a 120 ra. a pega defrooto da a bobada da Penha o. 41. -Aluga-se um sitio quo tenha cisa do vivenda e comotodo para pastar 12 vacas : a* ra do Rangel n. 56. — Preclsa-se de urna ama, quo saiba ensinharefazer IB compras necessarias para casa de homem solteiro : na ra Direita n 53. — Osabaixos a signados passageiros do barco N. S. da Boa-Viagem que acaba de chegir do Porto i e-la cidade, sobre maneira penhoridos pela uUlulado e delicadeza com que foram tratados pelo capitio do mesmo, olllm.Sr. AntoniolFerreiraLeiteJnior, delxariam de comprir um dever sano manlfestaaaem da maneira a mais explcita sua gntidSo para com o mesmo Sr. Leite; digne-so pois ornes no Sr. a coi lar esto testemunho do nosso agradecimenio, ulilisar-se como lhe iprouver do prestlmo de todos, de cidi um em particular dos abaixo assignados! Jlo Luiz Ferreira Ilibeiro, JoSo dos Santos Coelho, JoSo Manoel Pinto Bastos, Manoel Luiz dos Sanios, Domingos AlTas da Costa, Jos Negu ira da Costa Soares, Manoel Antonio Vianna, Carlos r: atavo l'inheirodeFigueiredo, Ignacio de S Lopes ^^ !" i — O bacbrel Jofio Vicentte da Silva Costa, avisa aos aeua prenles e amigos, que podem procura-lorio batrro da Boa-Vista, ra da 8. Cruz n. 66. — Hoga-ia io Sr. Bazillo ComeaPereira, morador era Iguanssu', de apparecer na ra da Ciui, toja de couro, pira ultimar aquello negocio, que Smc. no rgno'i, do contrario se publicar. -• O abaixo ajiignado, morador na comarca de Caruaru', deseja saber aonde realde aua mana Rita Isidora, da qual deixou de ter noticia s de a ver deade 1819 1820 : tenha pois a mencionada Sra, a bondade de declarar por esta folha, o lugar de sua residencia, a negocio que lhe diz respeito, e de seu interesse. — Porceno Jos da Serqueirn. — Pede-se aos llovedores da casa do tinado coronel Joaquim Jos Luiz de Souza, que tenham a bondade de latisfazerem os seus dbitos oestes 15 dias,sen9o quizerem verseus nomes estampados nestafolhi. — Precisa-sede urna imi pan cusinlur para urna familia : na ra larga do Rosario n. 21, na laberm da esquina que volta para o quartel, — O "Di*. Sarment nao tendo podido descobrir a residencia das senhoras DD. l'rancisca Victoria da Costa Ayres, Jlaria da Conceicao ¡Mazar, Alaria Anna Joaquina da Silva e do Sr. Manoel Francisco Marques : roga-lhes queiram, para negocio de seus interesses, comparecerem, ou mandarem a sua casa, na ra do Queimado n. 46 Stnhmt redactorei. — Rogc-lheso obsequio de publicar vi sua conceiluada folha, os doiisr-nnunciotda casa dos Sra. Araujo & filhos, do PaoedfJ inseridos,o primeiro no Mercantil da BahiadeSSde novembro de 1851, e o ultimo no Constitucional de Macelo de 15 de outubro; os quaes talv,ez aorSo bastantes pira responder ao que infamos cilumnidnres tem ouaado propagar para menoscabar o crdito daquelli casa : Porm parece que nSo deixando aquellos Srs. passar desapercebidas taes insinuicOes, a confuido e o remorco aera o fructo eolhido por esses dectratores do crdito alheio. Ilecife, 4 de dezembro de 1851, &f id*" A casa commercial ostabelecid no Rio de S. Francisco, na cidade do Penedo, sobre a firma de Araujo & Filhos, tem motivos para fazer publico que nada deve a praca da Babia, por virlude de transacOes havidas com a antiga^asa de commercio quo por milito* annos jgirou sobre a firma de Jos A'itonio de Araujo, chefe da actual casa dos annunciantes ; assim como esta nova firma, aclia-ae neasa mesnia cidade 13o smente obrigada ao pagamento d • urna letra daquantia pouco mais da 2:7008000 rs., a vencer em dezembro do correnlo anno, o tres letras do pouco mais de 800,000 rs-, a vencer em main de 1852, 1853 e 1854, • stando assim saldadas (otas aa mais transiccOes que te-n ali tido, por conta de livro, letras, e crdito ; e se alguem ae julgar eredor dos annunciantes, que nSo podor ser, aenSo por quaolia inteiramente insignificante e pela no ter reclamado, queira fize-lo saber que aera immeliatameute pago, utro -lii declaram mais quo suas fabricas, propriedades, escravos e outros bnns que possuem se ichsm livres de quaesquer onus, ou liypotheca. Cidado do Pnnedo20 3 ou no sitio que oceupa na Ponte | do Ucha, defronte do Sr. Fran1 de outubro da 2851. — Araujo k Filhos. .... — A casa commercial de Araujo & lilhos CISCO Antonio de Uliveira. e9l b ,.| ec ¡,i, ne sta cidade do Penedo, pro-Thoma?. Mana embarca para o Rio dei v ¡ nc ¡i j a Alsgoas, tm motivos para fazer Janeiro, o seu oscravo crioulo da nomo Luiz, d i la lo f.i annos. -Precisa-se do urna criada, fjrra ou esci iva para r isa de iii.nl i pouca familia: paga-sa bom e exige-se que sirva para cosiniiii e s i'.ir quanilo for necessario : na ra llireita n. 29 1.* andar. — Precisa-se com urgencia, do um Sr. capeliao para dizer as missas do Natal em uml quaesquer onus ou liypotboci. engenho 4 legoas, tendo a conduoco doi Je ou tubro de 1851. ida e volta: no pateo da Penha snbraloj .. oflarece-se para caixoiro de venda de 3 portas o mirante, para tratar tarde uma .| esjoa que tem bastante pralica, nesta a qualquer ora. pr c ,, ou fra dalla: quem o pretender, di"O abaixo assignado declara que ten lo, r ¡i a se a rua Nova, venda n. 65. do ser arrematado um seu escravo de nome AiionrSn' Atrenro Francisco de naco, e isso por execucJo de, Allencao. Auen.au • • Joaquim Ferreira contra Domingos Pereira de .Ha +^**^SS!S3&*!2' M,-n lanha sem que o mesmo abaixo assignatil Capibar.be, o enligo fabricante de. sorve publico, que ncnlium titulo do credilo, provenionte das trnsacr;Oes do sua casa, e pelas amnicatcs assignados tem delxado de ser poutualmenle pago nos seus vencimentos. Ojtro sim declaram que sua fabrica, propriedades, escravos, e outros baa que possuem so acham livres, e desembargados de Penedo 7 lietratos photogenicos. oflicina de cncadernacSo. Oirlista r.aopodendo partir, como ten-J O pidre Francisco Coelho de Lemoa e conav, no vapor • Pernambucana para, silva faz Miente iorespeitavel publico, que o su!, pirticipa a quem tencionar rotratarj jm mudado a sua residencia, e estbale que i o,le procura-lo at o dia 12do cor'.lecimenlo para a rui do Collegio o. 20 prirenle, na rua Nova n. 61, segando indar, ¡meiro indar, onde continua & encadernar, -• Adverle-sa ao Sr. Bernardo de Alhue espera a mosma conc¡dera$]o, e favor querque Fernandos Cania, que o seu corrasque sempre tem recebido. Ah vende livros poDdenle nesta praca, n5o tem pago a subs-¡ tanto de direito, como da bellas letris, e cripQSo do Diario. ] linguas mxime a latina do que tem um *-Precisa-se da um moleque que saiba completo surlimento, troca e compra toJo cozinliar o diario de uma caza de pnuca fa-l a qualquer l'.vro com tanto que nao lliefalmia, quem tlver para allugar dirija-se a | tem fliase tem para vender tanto em porrua dos Quarteis loj u. 24, cf.o como a r.-la lio cartisde A. II. C, liAttcnc). lio nas, cartilhas, catecismos do differeotes .. I oJicoes, e presos, verdaJo nos meninos, Siu arrematante dos nnposlosaas jnopsis, Fleury, Daverea dos bomena, Apu•fenr,(5cs, das liceo^as dos mscalos o boenf dautas, l'ru. m ,n,' s bastantes, Rtulos paTeixeira Pinto, o padre Jos Antonio dos que rossem atlendidossousemba-gos de 3. Monleiro becco doQuiabo, isto posto, a ra_da da bom goslo acha'So todas as comisadas com promptidilo e asseio. recisa-se alugai uma escrava para lodo o sorvifo interno de uma casa de familia: a tratar na rua Formoza, quarta casa. — Joanoa do Rozario CuimarSes Machado, embarca pan o Rio do Janeiro, o seu escravo oreoulo, de nomo Luiz._ y Alvicaras rapasiada.£5 Chegou em fim .0 suspirado gelo para o -Aluga-se o quarto andar da casa rua larga do Rosario n. 36, procuro na ceram uous cvanos rassimos n 3 para,, horas da tarde, das Cinco Ponas, com os lo o'* assignado, como he de le, Uzsignaes seguimos, um com uma sicatris no, **¡* doclara?ao a queni podar inteqarto, un?a abertl no casco do p, paseiro, ruur. Joaquim Das Fornandes carego obrigado, castanho cor de maca-' --Offerece-se um homem POu.*""P" co, outro caitanho mais rilinto, pouco pastrWhar de hortelo em algum sitio perto so cavallode meio, abertodobaijoodesidasta praca, o qual tem muila pratica por ma.caud cortada, anca de porco, ambos 8 er homenl decampo, e tambem t. .. ... lia f 1 i. i i i i • .iiiii.i iln .i.i L,I .iI 1 iil com canga destes dous Victoria professor bo, que aera bem pag silo controdos. .,,,,, i_u rua larga" do Rosario n." 36. orocure na bo— r ugio da cidade da l'arabiua i, 0 ,u, m ., m C a no dia J de outubro prximo pas1 -Os Srs. Luiz Antonio da Silva Burgos e j „ -;„..!* Jn Antor/io Jos Marlins ; queiram annunciar sado, urna escrava cnouU de noa¡| guas mora Jt g „ set proposto a um neme Jonnna, alta, cor fulla, repregocio de muiSJkerese. senta ter 3 8 anuos de idade pouco ^^^Z^ !" "!!^ mais OU menos, olllOS vermelhos, assucar, trapiche, casa ingleza, ou qual niianrln falla rfairupiia nrincinal-' 1 UI r estabelecimenlo, tanto para a praca, quandO lalla gagueija, principal ;2 omOBarao mallo : os prelendontes dirimenle quando se tema com ella, j am -se as Cinco Ponas n. loo, queachariio levou vestido r"XO, e lima coberta, quem informe a conduela, ou ao paleo do S. „i Pedro, venda 1, a Iralar com o mesmo de algodao de carossinlio: qualca ¡ xeiro — Aluga-so para festa ou annualmente uma casa na rua do Cabral da cida le de Olinda, com bons commodos ; estribara, casa para escravos; murada na Irente.o com o fundo para a margem do rio, com um pe-| queno sitio, o qual tem excellenta baixaj para caplm, e faz face com a nova estrada,, da sorto quevem a ter duas inulto frequentadas : na livra pi'.nM da Independencia. -Aluga-se as lojas do sobrado na rua dos Quarteis n. 16, proprio para qualquar estaqner pessoa que dclla tiver noticia, a queira apprehender e levala a rua do Cabug loja de miudelas, a entregar a Jos A lves da Silva Guimar3es, ou na Parahibi a Jos Jlaria Pestaa, que ser generosamente recompensado. — Precisa-sede uma ama para uma casa de pouca familia, e de portas a dentro : na travesa do Corpo-Santo n. S9. AtlciK'ao. Deiapparec'eu hontem 8 do corrente, um cachorrinho rateiro de ~ novo, d pelo nomo de siguesseguintes : cor [reta, peilo branco, ps e focinho cor de rap, com uma marca branca no pescoco. uma das mus um tanto torta : quem o levar a rua do trapiche Novo n. 10, ser gratificado alai do quo se licara muito obrigado. 'mwi'tsmmmmammmmiommmmmm W Precisa-se da um ama, que tenha ¡ W muilo bom leite, sendo forra, e que 18! *SI seja linipa para amimentaruma criHtV l anta de 2 uiezei, piga-so bem : quem itil %m sunchar neati cireumitancia,dirija KM se a rua da Matriz da Boa-Vista n. r;j tr 16, ou nnnuiiciH a sua morada, para f~ ser procurada. r;J mwmmmmism&mmmmmssmmwm -Alugim-se as seguinle casas : o l.o 3.' andar do obrado n. 4, do aterro da UOJVista, muito fresco, e com muilos commodos pata grande familia, e o t. andar do sobrado n. 24 da rua da Aurora, tambem com bons commodos para grande familia, e muito fresco : a tratar na rua da Aurora n. 26, escriptorio de Francisco A. de Olivein. — O annunciante, tendo estudido na I ranea, medicina e Cirurgia, deo-se com especialidade arte do partejar, o tambem a certas operacOes relativas as molestias das vias culinarias como eslreitamentos, pedias na bexiga, tumores etc.; taro comsigo os meihores instrumentos para partos e litliotricia, dos quaes ilgnns, nao cree que entre nos tenham sido, nem geralmente conhecidos, nem convenientemente manobrados. Relativamente a certas molestias internas, e seus HUMOS curativos — novas ideas oxistem na sciencia, das quaes o annuaaianle ¡a fuera menijSo na llaln, e espera aqui ter occasiSo de dar-lhes publlcidade. Uma dallas he a diabelis — ourinas doces — molestia, queospathologislas linham errneamente classillcado, mas quo a physiologia do seculo veio pula fra de toda aduvida. De resto ¡ o annunciante s espera da benevolencia do publico, occasiSO, em que com Tactos possa mostrar o resultado de 8us fidigas, por lanto lempo e lo assiduaniente exercidis, ni escola pratica de Palia, onde obteve alicatados que muito lhe tionnm. E oqueeateja aieu alcanco pira soccorrer a pobreza — elle o far, j gratuitamente dando consultas em aua casa, que serSodas7 asSomeia lloras da ma>'bSa;j mesmo visitando gratis aos pobres que por ventura nSo possam l ir ter : no aterro da BoaVista, casa a. 34. — Dr. Carolino F. do Lima Santos. e antas, que elle mande algum vivonlo desta para melhor, bom ser refrescar o estomago, oom um cliz do afamado abacaxi, havoi.do 2 salas.1 para homens e outra pan senliora, calix 210 rs.: na confeitona n. 43, da rua do Rozario. — Desappareceu na noiledo 4 do corrente um do* de raca inglezn cor branca corr algumas malnas pretas.cabelludoaccodo pelo nomo da orincio qu'm o tivar adiado quei ra levar a rua do Vigario caza n. 3 que sera gratificado com 5,000 Frecisa-se alugar um moleque, de 18 a ao annos, pagndose ao.ooo rs. mensaes, comida e visluario : na rua da Cadeis, loja de Bourgard. —Precisase de uma mulher, para cozinlie a fassa algum outro servico de casa de urna familia ingleza, morando na Magdalona ra garrafas do vinhos, e livros, letras, conliecimentos, fullinhas du lembran^as, o edicto de Pars, de porta, traslados, livros embranco, ele PASSAPORTES. — Tirani-s i passaportos para dentro o fra do imperio, despacham-so escravos, correii-se folhas. e tiram-se lilulos de residencia : para este lim, procura-sa na rua il i C.i.l'ia ,lo l¡ 'I'II.I ii. j",, |oj i do fazendas do Sr. Luiz de Oliveira Lima, e em S. Antonio, na rua do Qneimado o 25, loja do miudezisdi Joaquim Montciio da Cruz. — Francisco de Paula Carneiro Lcao mudoii a sua residencia da ruad'Agoas Verdes, para o atierro da Boa-Vista n. 16. -• Alberto Jacinlho do Souzi lem justo e contratado roa nSra. D. Auna Marii de Souza, a c i o,,i a da sea oscravo ciioulo, la nomo Ziferino, de i la.I %  do 14 annos pouco mais ou monos, por isso quem se julgarcom direito ao dito escravo. dirjase no praso do 3 di is, a rua Direita n. 27. — As pravas da fa/.endi anuuncia las em os Diarios do 20, 27 a 28 do as-a lo i, /, (icio transf'ridus para a prlmcira audiencia. BOWMAN c MC. UAI.LUM, ngenheiros machinistas e fundidores de ferro mu respetosamente annunciam aos Senhores proprielanos do engenhos, fazendeiros, mineiros, negociantes, fabricantes e ao respeilavel publico, quo o seu eslabelecimento com as seguales proj de f erro movido por machina de vapor con.. tina em effeclivo exercicio, ese acha comUilhar e sorvet", aos domingos e das sanpatamente montado com apparelhos da pritosatarde. meira qualidade para a perfeita confec^o Sala molo liada e independente, pira as t d as ma ¡ ore s pecas de machinismo. ramillas, que indo a paaseio quizerem des, Habilitados para emprehender quaesquer cancar. obras da sua arte, Bowman & Me. Callum Quarlos preparados para dormida. 'desejam mais particularmente chamara Espacosa o bem arejada sal de jantarj, !attenc3o publica para a saeguintes, por com capacidade da servir 40 pessoas. f erem aellas erando sortimento j prompta, Soiti para recreio e passeo. Estribaria e arranjos para ca vallo. Comida mensal eavulso.preparam-sejaD le ras, mudou-se para a rua das Agoas Verdes u. 25. — M noel de Almeida Lopes, com cisi de consignado para comprir e vender escravos, tanto para csti provincia, como para fura il 'lia, mudou'a sua residencia da rua dn Cadeia do Ilecife, n.5l, para a rua da Cacimba, n. 11, sonde mmoi o finado l'Aoi. vigario, Uarreto,onde continua, olTarecendo-se toda a seguranza precisa para os meamos o bom Iralamento. — Precisa-se allugar uma prela escrava, para tratar de uma enanca, e cuidar de sua rcupa.quem a tiver annuucio para ser procurado, ou entenda-se com o porleiro da AlfanJega desta cidade na mesma reparli(So das 8 horas da manh3a as 4 da tarde. --Precizi-se de um portuguez que seja perito em plantac,oes de sitio, e saiba tirar formigas,'quem estiver nestas circunstancias equizur trabalbar no sitio na travessa do Remedio n. 21 cutenda-se com seu proprietano, o l'orteiro da Alfandega desta cidade, na mesma repaiticilo qae a vista da piova quo der de saber o que cima so desija, e da sua boa conducta 61. &. tralar-se-ho do alo1 |. 1 Paulo (niu-noiix. alentista 4 fi'i\iicez,otTercce sen prcsli• mo no niiulico para todos os -> mUteres de sua profisisiio: S 2 pdeser procurado a nial. 9 i¡ucr hora em NIIII casa, na < rua larga do Rozarlo, II, 3<>, -:".: :"iii o andar. %  •ii## 14#'f ^lR >• -Precisa-sade uma criada, somanto para o servico de cozinha e compras, (ara uma casa de muilo pouca familia : na rui do Rozario da Boa-Vista, sobrado n. 32. %  Hotel no Montetro. Domingo, 16 do passado, abrio-se este eslabelecimento porefle %  s quaes construidas na sua fabrica pdem competir rom as fabricadas em paiz esejan-1 trangeiro, tanto em preco como em quatires e prezuntos, aluga-se louca, vilros ,iij ado da maler ¡ as primas e mSo d'obra bandejas, ele etc. a saberTudo por preco muilo rasoavel, e acn¡ Machinasdovapor da melhorconstrucSo lento dos pretenJenles. Moendas de carina para engenhos de toA mc Lacaze [dos os tamaitos, movidas a vapor por agoa Tem a honra de levar ao conhecimento do ou animaes. respeitavcl publico, que acaba de abrir um novo eitabelecimeoto do relojoeiro no atorro da Boa-Vista n. 11, a ni lo se acha promln liara tazer quaesquer conceilos mosmo os mais dillic.is que so poderSo apresentar, Rodas d'agoa,moinhos do vento eserraas. Manejos independenles para cavallos. Rodas dentadas. AguilhGcs, bronzes e chumacciras. Cnvillldcs c para lusos do lodos os l.im.aft .,.b;i q" em e,li,,,r nojt,s circumslanc.as, dirijafrentes ambas 4 43 n> fui Ja CruI> Jp3 ?1 lu na n. 6 e 8 da fas da mMt M „ s do Urde — O abaixo assignado, avisa a quem convier, quo tem falto negocio de compra, com uma casa tarrea, sita ua rua da Guil n. 23, belecimento por seren grandes e com muc(jm Q Sf j0 „, u j m Joso correa : quam na tos commodos: a tratar na rua do Queta o nlllsma liver alRum direito a reclamar, ou n. 41. ui'o Quinta-feira 11 do correnso as 4 horas Malambo "ando" os tardo so hade arrematar ror sor a u lima pr?a a porta do Illm. Sr. Dr. juis dos orl i ¡i dous navios peiteucenles ao cazal do| finado Antonio Francisco da Silva Carrisco] •que so acho com direito a mesma reclame no praso da 3 dias contados de hojo. Ilecife, 5 de dezembro delsSl. — Joso M Conexivas Viejra Guimarfles. -• Na rua dos Quarteis fabrica de charutos n 14, precisa so de dous olliciacs, quo ii.ili.illi ni bem. — Precisa-se de um moleque, para uma casa do pouca familia: na rua Nova, loja do cujnssJo o patacho Dous IrmSos prompto al naaegar, e o bem conhecido brique Ilecife outra ora pensamento, este navio he del primoiramarchao conttruido de canda pre-. cut ¡| e j r0 n 36 la lem dous mastros reaes de Riga.tem muito __ p aral ',i e o juizo da segunda vara desta boasocorrenteseferros.lem todo omassame,; ciJa j Ci so ha de arrematar em hasta publison lo quasi todos os cabos de laborar novos c> uma porsa Je f aze ndas, por execuclo, e tem todo o pao em bom estado.e um bote conlr|| o.Maria Joaquina de Souza llarcellar. cujr/s.navioi si actiao ancorados Jcfronle Jo __ ^upoioom.abriel Bez, embarca para o Trapicho do algodo aonde polem ser exa-, n¡ 0 de Janeiro, os seus oscravos, No e dominados pelos pralendenlos;e paraqualquer menlino par dos¡ Euzebia, Beuedicla e Thoesclarecimento podem ontender-se com Mim crooulos. IIA.I 1.' .1 Cilua /' ,,-ri-ii.i • ni ni t do ( ... .* brs. l'uarmaceuticos. M. D. Rodrigues, na rua do Tiapiche n. 28 recoheu no vapor/'riiain6acanu uma pequenoal Francisco da Silva Carrisrjo : na rua Collegio n, 17, segundo andar. — Aluga-se urna ala do primeiro andar, do sobrado da rua do l.ivramento o. 1 : a tratar no segundo andar do mesmo. — Osabaixo assignados previnem ao puna po' cao de sal; i de superior qualidade. — O abaixo assignado, roga ao grande blicoqueoSr.DeciodeAquinoFonsccadei-; abelidoso que lirou umi cirta do crrelo xou de sercaxeiro de sua casa desde o dia do mesmo aoaixo assignado, vinda do Rio 1.* de dezembro do correnlo. Tiioma/ de Aquino Fonseca & filbo. No caf francez. Da rua nova haver sorvele das 61|2 horas da tarda de hoje em diante, os concurrentes serao servidos com asseioprompinlSo e em lugar a vontade,assim como o sorvete ser sempra das meiliuies fiuctas.bom como hoje do abacaxi ; tambem tem polpa do tamarindos, refinada em Iotas de libra. No caf dos arcos. Junio io theatro velho haver sorvete das 6 1|' horas da tarJe de hoje em diante, ser sempre das milhores.fructas, e ser o servidos com asseio e promptidSo. -Manoelda Almeida Lopes embarca para o Rio de Janeiro o seu escravo crioulo de nome Agostinho de iJade de 14 annos. — Thomaz Mara embarca para o Rio de Janeiro os seus escrovos ci ionios de noma Cosme de 15 annos, o Marcellino da 18. — No dia 28 do prximo passado mez de novembro fugio uma negra de nonio Rutina, seca do corpo,espadauda, denlos podres no lado de cima, quoixo alguma couza cumplido, mofa,que representa 25 ai.nos, com vestido de cassa cor de rosa, panno da Costa, com lista azul o branca j uzado, levou taboleiroemvernisado de encarnado com ps prelos, quem a pegar ou dalla livar noticias dirija-se a rua Nova n. 52, que ser recompensado. — Precisa-se de um tribalhador do masseira : na padaria Ja rua Direita dos Afogadosn. 66. de Janeiro, no vapor Imperalriz, entrado em 5 lo corrento, que nSo'tornea fazer habilidades dasta nalureza, e que querendo fazer o favor de restituir dita carta, pode dirigir-sos rua da Cruz n. 6, ou na rua do Apolllo n. 9, segn lo andar, o desde j roga encarecidamente aos Srs. impregados do correio, que por favor uo entreguen! cartas do abaixo assignado a pessoa alguma. JoSo Alves Ferreira. %  Pede-se ao Sr. Jos Carlos de Mendonca Vasconcollos, morador no Sul desta provincia, que se nfjo tem jurado nSo pagara quem deve, pagues herdeira da fallecida D. Mariana Rodrigues de Jess, a quantia de sois cantos e scenla o tantos mil ris, principal e juros de sua divida, contra ti i la, ha tintos annos, eassevera-se-lhe que se onio Ozer promptamante saber que o seu assucir psssar por algum desgosto nesta praga, e quo o seu nome contina a ornar ai paginas dcst %  jornal. -No sitio di Trempe n. 1, que tem venda tem bom capitn de planta para tender por com mudo prejo — Precisa-se de uma ama para o servido de caza de muilo pouca familia: na Ponte Velhan. 14. — Precisa-se alugar uma escrava, que seja boa co.sinheira e compradeira, : quem a tiver dirija-se a rua da Assumpcjio ou muro da Penha n. iG. tinto em relogios de algibeira cmodo monhos. sae parada. ; Taixas,paros,crivos o boceas de fornalha. -Peler Deane, subdito inglez, retira-so Moinhos do mandioca, movidos a mSo ou para fra do impeno. ipor animaes, c prensas para a dita. — AH I-SO urna sala com 2 quarlos : na rua do l.ivramento n. 1. — Precisa-se de uma ama forra ou cativa, para fazer o servido de urna casa de pouca familia : em Fra do Portas, rua do Pilar n 72, segundo andar. Precisa-se de um caixeiro porluguez que tonha alguma pratica de venda : na rua do Pilar em fra da portas n. 143. — Aluga-so o segundo e terceiro andar do sobrado da rua do Queima lo n. 40. Madama llosa Hardy, modista Miazileia na rua Nova n. 34. Previne-se aos l'reguezesque receben pelo navio Pernamhuco, um bello sorlimenio de chrpos du seda franzida.o ligas de penacho o flores ; para senhoras o mocinhas do6 at 12 anuos, li i lis.unos chapis do groado aple fransidosa moda, de llores para agradecercm aos seus numerosos amiou penachos, de abas grandes para menino goa o lieguezes a preferencia com que tce-m del t 5 anno, ricos capolilhos prelos o sido por elles honrados, e assegu rom-I lies decores, modelos novos, o muilo enfritaque nfio pouparo esforcos e diligencia dos ; ricos chapeos de palha para siulmra paraenntinuaroma merecer sua confl nica, enfeitados e sem enfiles, chaposinhos del -O abaixo assigna Jo, nao lio mais prupalha para meninos o meninis, ricos corcurador da exmela compauliia do l'ernam"S de soda bronca lavrada para noivas, veos [ buco e Parahylia.o inora na rua do Apollo n. e ca ollas ; gros de aples furta-roros 20, onde pode ser procurado sobra negocios para vestidos e capolilhos. franjas e transas i de recebiment de assucar,nguardante e onda mesma cor, para us enfeitar: na mesma %  tros quaesquer gneros do exportucSoquc loja tem um completo sortimento da fazenlite lorem consignados a commissSo; todos Chapas de fogilo e frnos de farinha. Canos de ferro, torneiras de forro e de bronze. Bombas para cacimba e de repudio, movidas a mSo, por animaes ou vento. Cuindastcs, guinchse macacos. Prensas hydraulicas c do parafuso. Ferragens para navios, carros o obras publicas. Columnas, varandas, grades eportes. Prensas do copiar cartas e sellar. Camas, carros do m3o e arados de ferros etc., etc. Am da superior idade das suas obras, j geralmente reconhecida, Bowman & Me. Callum garantem a mais exacta conformidade com os moldes e dezenhos reniettidos pelos senhores que se dignaren! de fazero Ihesencommendas, aproveilandoa occasie arabos os sexos, de 6 a 3o annos, para fra da provincia paga-se bem tendo bonitas figuras: na roa das Larangeiras n. i4,oo segando andar, a qualquer hora do dia. I • Vendas. FULlIfA'n.lS DE ALIAKAH PARA I832-A320R*. Sahiram n luz asfolliinhisde algibeira contendo o almanak, administrativo, mercantil, e industrial da cidade do Hecife e provincia de l'crnainbuco, augmentado com 48 paginas, corregido e jiddicionado de novas repartieres &c. Esta fulhin lia be sem duvidaa mais ulil e a mais barata porque conten .336 paginas as qnaes esli inscriptas, alem do Calendario a Augustissima Caza Imperial, govnrno da provincia, cazas titulares, representacao provincial, iiil.isns repirticoes publicas, companbins, advogados, solicitadores, mdicos, negochntes, mercadores, artistas, iabricas, e emllm todos os cstabelcciiuentos de porta aberta&c.,&c. Vende-se nicamente na piara da Independencia livraria n. 6e 8 do editor proprictario a .'!.'.o rs. cada uma. Bilhetes do Rio de Janeiro. Aos 20:000,000 de rs. Na loja de miudezas da praca da Independe.nc ; an 4 vendem-se bilhetes inteiros, meios, quartos, oitavos e vigsimos, a beneficio da 19. lotera do theatro de S. Pedro de Alcntara, que corre no dia i4 do corrente, espera-se a lista no primeiro vapor. — Na loja ama' ella da prac,a da Independencia n. I, vendem-se palitos de brins mesciados, bem l'oiios e muito proprios para monlar a cavallo, e pifa quem pissa 1 festa, 1 3,000 rs. cada um, a elles antes que is icabem. — Vendem-se quatro estollis das cores principaes, branca, encarnada, rocha e preta, bordadas a ouro, proprias para vigarios e pregadores: na rua da Cadeia do Uecife, loja de Jos Gomes Leal. A 600 rs a arroba. Vendem-se batatas novas da melhor qualidade inglezas: no Recife nrmazem de Joaquim Pinhei10 Jacome, na tr ivossa da Madre de Dos n. g. — Na rua do l.ivrnmcr.lo n. II, vendemsoesleirs muito grandes, ptimas parase estoiidcr em una sala e servir de cama pira 4 ou 5 pessoes ; ISSl n como sapatos de daraque preto, para senliora, a 900 rs. o par. -Vende-as uma parda, de 20 annos, pouco mais ou menos, cozinha, engomla acose algumacousa, uo tem vicios, nem achoques: 11.1 rua da Concordia, quem vem da ponto a esquerda, segunda casa terrea ss din quem vende. -•Vende-so uma escrava dogenlio de Angola, que sabe cozinliar soffrivelmente. ensaboar o heqtiintandeiri : na roa de II irtal 11. 110, quo achara com quoro tratar, dis 8 lloras da manilla ate as 4 da larde. das ao uso das senhorus.ja annunciadas, e faz-sedftoncommcnda vojtidoa,.capotinho, e vesliJinlio do baptisado por preco commodo. Nova fabrica de chocolate, llamceipalhico na rua das Trincheiras 11. 8, so oncoutra mais o seguinle : o chocolate howopatliico approvado e aplicado polos Srs. Drs. da homoaopathia, o grando chocolata espanhol lino, amargo pi.ra regalo,,dito entro-lino temperado tambem para regallo, ido n dito para o diario, caf muido puro, dito de cevada, of em caruQo, iva.I 1 em gro, fai mlia do Miranho, dita de mandioca, cha di India, dito, preto, e harutos : tudo de superior qualidade o commado pre;o ; na inasma su diz quem compra uma relinaclo com os seus utenclios, e ua mesma fabrica, se venda assucar refinado, o ,1a caroQo da tola a qualidade. os dias midas 8 horas da mandila as 5 da tarde, fra disto no porto velho da Capunga junio au porlflo da Sra. viuva l .s.erre. Jos Antonio do Souza Machado. ^i Cu.ssuLTor.io CIKTIAI, iioua'oriTiiico i VDF. PBnN.VMBUCS, V w Derigiaopelo Dr. Sabino Olegario I.utl4, W giro Pinho. H %  'i Rua do Tiapiche Novo n. 15. #>} i,Todos os dias uteisse-darJo consultas -| 4o remedios do gra?i aos pobres.desle '£ '-' pela manlil, ato as duas horas datar&f ^ de. As correspondencias e imforma+ ir Ces poderAo ser dirigidas verbal,. <• mente, ou por escripto, deveudo o t> 0) doenta indicar primeiro: o nome, a 4r c^i idade, estado, prulisso, e conslitui* .> cao ugundo : aa molestias, que ten 4 letido, o os remedios lomados j tercei% ; %  < % %  : poca dO a ppareci nii'lito Ja mo9 Gustavo Jos do riego embarca para o 1 f ;. L 'P uca U VI ? c,menl ? J, ,p .* Rio de Janeiro, a sua escrava mulata, de no# lesUa aclu.l, e deac pcSu %  minucio a „... .1 ,,.,.,„ i dos signaes ou symptouias qiiesolfror me Mariana. -Aluga-so urna prcta forra, ou captiva, que engomlo perfcilamcnte : a tratar na rua do Trapiche n. 3. — Um mo^o brasilairo, vindo ha poucos dias da Parahiba, donde lio natural, se olTerece para caixeiro de rua, irmazem de assucar ou de venda, de que ja lem pralica, 11liando-se sua conducta: na rua da Praia, armazem n. 18. Banco de Fernambuco. A direc;So do Banco de Pernambaco contina a receber assignaluras para o m-'smo, as pessoas que quizerem assignar o devem fazer quanto antes ifim de gozarem da vantagem de entrarem com o importe dn suas assignaluras as presticOes que prescrevem os estatutos, certos de que em principiando o mesmo as suas operacOes, dahi em diante ¡muelles que quizerem assignar, Inven. lo ainda lugar, s o poderSo fazer, entrando com o importe de suasacc,0es em dinhoiro a vis'.a. Contini a estar patente a assignatura no escriptorio do Sr. Manoel ilonealves da Silva: ni rua da Cideia n. 36, lodosos das uleis at meio da. — M. J. de Oliveira secrolario. --Antonio Jos Ilibeiro Bastos, embarca pan o llio do Janeiro, a sua escrova, crioula, de nonio Moquelioi. gnaes ou symptu • 41 ## 9 0 • Compras. — Compn-se umi escrava que aeja mo(i, e quesaibi cozer : na rua lirga do Rozarlo, botici n. 36, se dir quem quer comprar. — Comprase uma negrinha de 12 a 14 anuos de idade : ni rui larga do Rosario n. 26, loj de miudazas, que se dir quem compra. — Compra-so nmi negra, ou mulata mofa, que seja recolhida e boa coslureira : o. rua Nova n. 34, can di modista brasileira — Comprim-so escravos e vendem-se de c,ii..inissao, para dentro e fra di proviocii: na rua da Cacimba, sobrado n. II, onde inorou o Sr. vigario do Recife. -Compra-so umi canoa que pegue 1,000 lijlos e que esteja em bom uso : oa rua Imperial n. 167. — Comprim-so os ns. 1, 108, 109, 110, o 111 da folha intitulada—Amigo dos Homens— : na rua do Queimado n. 33, pagi-se bem. ..— Compra-so uma machina do copiar : u prae 1 do Corpo Santo u. 2. s3" Compram-se escravos de 10, loja. Lotera do lio de Janeiro. AOS 20:000,000, 10:000,000, 4:000,000 2:000,0110 e I .0110 da rs. Na rua da Cadeia do Recile n. 24, loja da Viuva Vieira & l'ilnos, existe os mu afortunados bilhetes, meios o cautellas da 19. lotera a beuelicio do theatro de S Pedro de Alcntara, cuja lisia deve vir no primeiro vapor e estar patente na mesma loja. %  Vende-so 2.000 couros salgados em afacei, a tratar com Jos Gongalve Torres : rua da Cideia Vellia n. 1. Queijos londrinos. os mais superiores possiveis por virem em latas, e legados ultimameiti, por prego commodo, ift venda d< rua da cadeii do Rccif) n. 25, def¡onte do becco Largo. — Ven Je-so um sitio, junto 10 CampoGrande, confronto a S. Amaro com multas mangueiras, cajueiros, pitombeirai, a outraa fructeiras, agoa doce, e boa baixa paia c ipini, ecom desmbar.iue, por prejo Commodo : ni rui da Ma Irada lieos 11. 7. — Vende n a morada da can terrea 1traz do San Jos na esquina n. 2, quem quizer comprar dirija-se a mesma casa quo 1Chir com quem tratar. — Vende-se a Historia do Braiil a 1,000 rs. embroxura, e a 1,800 encidernidi: ni pri(i da Independencia n. 12. — Vende-se uma casa terrea na roa Imperial : quem 1 quizer dirija-se 1 roa do Aragto n. 15. — Vende-se superior farinha de mandioca de Santa Uatharina, chegada ltimamente a bordo do patacho Euterpe, fundeado defronte do caes do Ramos: tiata-se a bordo do mesmo ou na rua do Apollo armazem n. J4. c na rua da Cruz armazem. n. 33, com S Araujo. • — Vende-se uin cabra de idade 3o annos, muito fifi, sem vicio algum, faz todo e qualquer servico •na rua do Qucimado numero • --5^ — T