Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07280


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XXVII
7
Sexta l'cira 5
de Dezomhro de 1851
276.
DIARIO DE PERVIMIM
TTLXQO BA SUBOBIP^lo.
PlOtHtNTO ADUNTADO.
Mr trimestre............ 4/000
por semestre o .......... a/OOO
Por nno........-...... lyWO
Pago dentro dutbimistbb.
Por quartel............. 4/50O
WOTICI4S DO MFEHIO
plt.....'15 de Novbr. Minas.. 10 de ..rtlir.
faranbSo 19 de dito S. Paulo. 3 de dito.
Cear... i de dito. ,'R. de J.. II de Novbr.
Parahlba. 22 de Nobr." liahia... 17 de dito
DA-DA ni*l. AUDIEWCIAs.
1 Seg. S. Eloy b.
1 Tere. S. Adrio e P.
J ii'nrt. S. Frrnclsco
Xvlerap. daa Indiaa
4 Quint. S. Osmundo.
a hext, S. Heraldo are. 'I.
6 Sil.. S. Nicolao b.,
JhiiiO Orphaal
2. e5. s 10 horas.
1. vara do civil.
3. e6.10 melo-dli.
Pateada.
e6.il 10 borai.
2. tara do eivtl.
ss. Leonina e Dativa 4. e aabadoa ao melo-d,
7 Doro. 2. do advento.! ilaeio.
8. Ambroiio. [Tercas e aabadoa.
irBUBIlBH.
Creieente 30, aa l horaa e 55 mioutoa da ro-
chela a 8, a l bora e 8 minutos da t.
Mingoante a 16, as 3 borai e 6 mioutoa da m.
Nova i 22, a 1 bora e U minutos da tarde.
REAMAR BI BfOJB
Prlmeira s 2 horas r :>t minutos da tarde.
Segunda aa 3 horas e 18 minutos da manba.
riRTiDAa DOS corre roa.
Coianna e Parahlba, s leguodaa e sextaa-
felras.
Rio-Crande-do-Norte, todas as qulntas-feiras
aomeio dia.
Garanhuns e Bonito, 8 e 23.
Boa-Vista, e Flores,! 13 e28.
Victoria, s qulntai-felras.
Olloda, todos oa diaa.
SVOTICIAS TSTnAKGCIBA.
Portugal.
Ilespanha.
Franja ...
Blgica...
Italia.. ..
Alemania.
i I US SKI ..
Dinamarca
Russia-..
Turqua. -
i i de Onlbi
8 de dito
8 de dito
5 de dito
3 de Ombr
5 de dito
3 de dito.
I de dito
l de dito
2ldcSelbr
; Austria.. 3 de Ontbr
iSuista. .. 3 de dito.
Suecia... I de dito
Inglaterra 9dfOutbr,
E.-Unidos 2t deSetbr.
Mjico... 15 de dito,
California 10 de Agosto
Chlll. 26 de Abril.
Buenos-A. 1 Montevideo 6de dito.
CAMBIOS BE 4 BB BXZBBfBtlO.
.Sobre Londres, a 28 3/1 e 29 d. p. 1/000
Pars, 339 por fr.
Lisboa, sem transaccAes.
BBBTABB.
Oiiro.Oncas hespanhotas.... a
Hoedas de 6/400 ve Ibas. 18/000 a
a de 01400 novas. lli/noo a
a de 4/000....... 9/000 a
Prata. 1'atacors brasileiros.. 1/910 a
Pesos columoarios... 1/920 a
Ditos mexicano...... 1/710 a
Firme
28/600
16/MO
16/200
9/100
l/9io
1/910
1/7S0
!se ao sargento commandanto d'aquelle des-
tacamento. ... ,
Hilo. A Ihesourana da fazenda provin-
cial inteirando-a de haver, etn vista de sua
informacdo, autorisado ao director das o-
bras publicas a mandar proceder por admi-
4 851 linistrecSo aos reparos do que carece a pon-
omcio.- Ao chefe de polica transmittin- te d Rec^ P0ienn,d, ttSmSSi^Z
do por copia o orncio do commandanto das M obra lea 1u,nlia ?"J? 'npr '
arma., e bem asaimo que osle dirigi ou,"0 o remenlo que remette por cop ii.
commandanto do destacamento d'Agu.Pre--tomcaunicou ao referidod^otor.
PARTE OFFICUL
GOVERNDA PROVINCIA.
EXPED!
l'Agua
ts, relatando as noticias que chegaram ao
Dito. Ao coenmandante do patacho a Pi-
ia, leaiaiioii aa iiuuriaa iiua ciiDKariui av -------- -- _______, _. _,.,._ -;,;,.
aec oonheei ment, cercado wecei.oociwpiM recommendandomu.lo Po'-
corrido no lugar do BrejSo, com.rca da Iffl- menle OTa S2f"L ^SSvJSSSiA
noratrz as Allanoas recommendaco >s que Iho fez o inspector da
P A p.gagdoH militar remellen!; Pacera mil.Urir do. m'c~,
urna copiado relatorioda inspecco ^w-\'^*^\^nrn'^^^t^m^^r
da pelo hrigadairo Manoel .le Sou.a Piolo <> bo,'*.dl011 J fS,ndn "SSS'
de Magalhes ao dcimo balalho de nfan- com dest.ttoe Iha dJ[wnBndo P""C'P'
,.,. 6 ment a respailo do caixole das bixas.
d
taria.
Dito.-- A mesma para que nos termos da
ment a resp
Dito. Ao Juiz de paz da freguezia de
sua informscao, que awmpaha'ram 'I Barreiros dizendo que com o Parecar, que
doeumentos ?que devolveu. s pague ao.ps- ?" por coma. -oj.rwid.nUd.reJ.clo
dre Joaquim Mauricio Wanderley o que jus-
tamente se lhe dover.
Dito. A mesmi devolvendo a relacSo
dos gneros o mais o objeclos comprados a
Claudino Jos da Silva para o presidio de
Fernando, a Hu de que lhe mande pagar a
quinlia do 339,520 rs. importancia da refe-
rida relacSo.
Dito. Ao commandanto superior da
gusrda nacional domumeipio do Recife.--
Recebi o ollicio de h iil.'in com qun V. 8.
trouce ao m?u conhecimento a representa-
c3o do coronel da segunda legio da guarda
nacional deste munieipio,Francisci> Joaquim
Pereira Lobo sobre nSo ter sido contem-
plado no detalhe da forca, que acompanhou
a proscissSo de Corpus Christi em 23 deste
mez,solicitando ao mesmo lempo decisllo
deste governo cerca das duvidas propos-
tas pelo mesmo coronel. Em resposta te-
nho a declarar-lho que perlencendo csse
oflleial quarta classedoexercito, como al-
fares reformado, e n8o podendo, i vista do
disposto nos avisos por copia Inclusos, o-
pedidos pola reparlico da guerra em 20 de
setembro e 29 de outubro ltimos, conti-
nuirno commandoda sobradita legiilo, o-
brou V, S. com acert, quanJo deixou de o
designar para l'azer parle da predila forca,
pois que nilo convem que o mencionado co-
ronel rxcrea is funccOes desse posto sem
licenca do governo imperial, quem se do-
ve representar sobre a necessidade que ba-
ja de seu.s servicos na guardi nacional,
cumprindo que para essefimV. 5. me in-
forme com o que occorrer a lal rospeito.
f.ointnunicou-se ao commandanto das ar-
mas.
Dito. Ao desembargador presidente do
tribunal docommercio remetiendo copia da
informacSo, quo deu a thesouraria de f>zen-
da a cerca do ollicio em que S. S. pedia que
do iiumt'iro de Janeiro prximo futuro em
diante aeja pago pelos cofres pblicos, n
aluguel da cssa em que se acha aquello
tribunal, para que proponba S. S. o quejul-
gar conveniente a li cisas providencias ao governo imperial.
Hito. Ao instador do arsenal do miri-
nha inleirando-o de haver despacnado o ro-
querlmento, sobre qui S. me. informou
de Apollinario Jos dos Santos An Jrade, pe-
la maneira scguinlo: Prestando o suppli-
cante flanea na forma do que se lis pratica-
do para com os ltimos importadores de
madeiras, podem lhe ser entregues as cano-
as aprehendidas.
Dito. Ao commandtnto do corpo de po-
lieia Iransuiiliiudo por copia um officio do
juiz de diroito da comsrea de Elores, con-
responde ao oflcio, em qua S. me. pede os-
clarecimentos respeito da intelligencia de
alguns artigos do decreto n. 798 de 18 de
julhode 1851.
Varear que le re/ire o nf/lclo a rima.
Illm. e Bxm. Sr. Satisazendo ao que
determina V. Ex. em seu ofllcio firmado em
17 do corrente, que acompanhou oulro,
qu incluso volta s mSos de V Ex., do juiz
do paz da freguesia da Harreiros, po.lin lo
escUrecimentos tendentes a remover as du-
vidas em que labora sobro a intelligencia de
alguns artigos do decreto n. 798 do 18 d >jd-
Iho ultimu, teoho a dizer : qusnto ao pri-
meiro quesito, constante do mesmo ofllcid,
que os escrivSes dos registros dos nasci
montos e bitos devem perceber por loJas
as cerlidOes, quo passarem, os mesmos emo-
lumentos, quo se contim aos labelliflos de
notas, conforme he terminante no regula-
iii' ni i citado artigo 17 ; o qual, bem como
os arligos23 a 21, no faz distinccSo algu-
ma ontre as cortidOos, que devem sor apre-
sentadas aos administradores dos camite-
rio, e aos parodies, o quaesquer outros .
quanto ao segundo, enlondo, i|ii cora
qusnto o dito regulamento no artigo sexto
pareca fixar o praso de de/, dias para ser fei-
l i a participarlo dos naicimentos, a lim da
fazerem-se es registros respetivos, todava,
podenJo dar-sa urna ou oullra circustancia,
quo retarde es.a communicaco, o obste a
verificac3o do rogislro no referido |pr.so,
nenhum inconveniente hnver, quese faca
depois dellc, visto que, nein o mencionado
reguiamcntn, nem a le ti. 386 de 6 dasa-
tembro ile 185o, cojos flns, atienta |a utili-
dado publica, se devem em lo lo o caso pra-
encher, imcOe proliibicfli alguma. Assim
pens ; mas V. Ex. decidir da meneira que
uielbor entender.
Dos guardo a V. F.x. Itecife 25 de Novem-
brodc185l. Illm. e Exni. Sr. Dr. Vctor
de Oliveira, presidente da provincia de Per-
nambuco. Antonio Ignacio de \zevedo.
DEM 1)0 DIA 28.
Ollicio. Ao eo'i ni un iiiiii superior da
ii.ii'.i.i nacional do municipio do Itecife,
approvando a nomoacSo interina do tenan-
te-coronel Rodolfo Joflo barata do Almeida
para rommandar a segunda legiSo da mes-
ma guarda nacional.
DitoA' pagadoria militar, dcvolrendo
a conla da familia comprada para o presi-
dio de Fcnando, aflm de que mando pagar
a Antonio Joaquim Marques dos Santos a
quantia de780/000, cm quo importa a men-
cionada conta.
DitoAo commandanto do presi lio .de
FernanJo, remetiendo copia de um artigo
militar, aflm de que satisface a exigencia ordem; e i do subdelegad') da fregnezia
por elle feita relativamente a conferencia dos Afogados, Jos Pedro de Farias, por
dos objectos, quo forem remettidos para o ferimentos.
dito presidio.Communicou-sa ao roencio- i 0 dolegado de polica do termo de Olinda,
na lo inspector, parlicipou,porofllci)dcsladata, que nos ma
DitoAo mesmo, remetiendo a guia dos tosdefronte la iiovi cisa da academia juridi-
sentonciados, Jos da Silva Ferreira, Jos ca fra echado um Inglez sangrado em um
Itibeirode Carvalho eLuizMuniz Francisco, braco, e esvain1o-se em sangue, lendojun-
quo lhe ser3o aprosenlados pelo commsn- to de si um sen compatriota; asim cono
lo il'i pat'flio Vtnipiima, alim do rumprirem qun havia procedido a corpo de delicio, e
nesse presidio as penas a que foram con- dado todas as pruvidencias para serem m-
demnados, e recommendando que pelo pa- mstrados os neessarios soccorrus a osse
lacho faca regressar para esta capital o estrangeiro quo, segundo se suppOe, li<-
soDtenciados militares, Antonio Joaquim um dos trahalnadores da fundic3n da ra
rimeiro, lnnoct>ncio Pereira da Silva, Fre- dollrum, perteticontc a Itowam & .Me. Cal-
lan,
DIARIO E PERNAMBUGO.
ECirE 4 DE DIZBItBn.0 DE l.5|.
derico Carlos de Araujo e Domingos Jos
Antonio, quo eslSo comprehendidos na.
disposicoss do decreto de perdflo de 16 de
jonho ultimo.Inteirou-se aojuiz munici-
pal da piimeira vara.
DitoAo juiz de direito interino da pri-
meira vara crime, accussndo recehido o
ollicio com que transmitlio o traslado da
sentenca por sua merc proferida no pro- th*ou hoje do sullo vapor Imperanz
cesso instaurado por crime de responsabili-, lfendo-nos tornaos do Rio de aneiro con
dado contra o juiz municipal de Igu.r.ssii, fl P".">. 0U ""' A
Loureuco Bozerra Carneiro da Cunha. I crrente, e do Macelo alo 2.
Dilo-Ao administrador do oorreio. di- T,n(h "egado ao Itio no d, 22 do p.ssa-
zendoflear inteirado de haver 'pulido de J "J-ngue portuguez/-npron^o, sabido de
engao do praticante Manoel Marinho de Buenos-Ayres a 8, sem que fosse portador
Souza Pimental a demora que houve na en- le '=nlec,menlo .Igurn polticoi de impor-
trega do ofllcio dirig lo pela presidencia Unca, porque nada havia occcrr.Jo nos 5
aocapito COmmandnte ioterloo do sexto, d".s' q metliairam entro a sua partida e
batalhS* da guarda nacional deste munici-! ?.dl"'"l,or|,r,. cujas noticias for.ra pu-
0 Sr. conselheiro Paulo Birbois da Silva interesses existentes. F.ste bailo ter lugar
foi oxonerado do cirgo de enviado extra- no dia 16 do correnta na chcara doSr. Jobo
ordinario o ministro plenipotenciario em Ribeiro dos Santos (amargo, ra da Gloria
Vienna. i n. 22.
Fui agraciado com o titulo de hanlo del OExm. e Rvm. Sr. bisno eleito pre-
sunta Isabel o Sr. Antonio Diniz Costa Cui- para-se para seguir para a corte, por trra,
nnr.'i's, o im d liii.Vi de Curv lio o Sr. para sar ali sagrado ; visto constar que bre-
commendailor Joaquim Jos di Meirolles vcmenle chegaro as bullas de oonllrmaco
Freir, ecom o da baldo de ltagushy oSr. do Roma.
Antonii) Das PavSo. ] Corria a lista sxtupla da qual deviatn sor
O Sr. o. i'.ui domar e guerra, Jos d)| tirados os dous senadores por aquella pro-
Souza Corroa, lente jubilado da icademia, vincin,ichava-se organisada com os seguin-
de marinh', foi nomeado roitor i!o collegio: los senhores : Exm. snlrtistro da justica,
Pedro II, oro BUbsIituicflo do Sr. Dr. Joa-t monscuhor Jo.lo Jos Vieira Rama'ho, hispo
quim Cactiino da Silva, quo vai para Haya .eleili Antonio Joaquim do Mello, liarflo
como encarregado de negocios. [de iguapo, desembargador Fernando Pache-
S. M. o Imperador lionroa no dil 21 tlo.co Jordo, e Carlos Carnolro de Campos,
passado com sua augusta proseca osexa-; Djs jornaes da Baha o Macei nada co-
mes do oollegio cima meiiciniiado, e no[ lliemos digno do moncilj. Gosam as pro-
iii.isin i ii i presidio reuni. da Instituto vincia do soreg.
INTERIOR,
RIO DE JANEIRO.
leudo informles a cerca de um escravo do ollicio do juiz municipal da primeira va-
quo possuia o sargento Candido Jos de Sou- r8 desta cidale, acompanlnda de um reque-
sa, destacado n'aquella comarca, n ni uto do preso Antonio Fernandos RoJri-
Dito.-- Ao mesmo para fazer elevar a trin- gues, alim do que salisfaca o que requisita
la piaeas o destacamento do corpo sob seu o mesmo juiz, nSo ; a respeito do referido
mando, existente em o termo do Ouricury, preso, cobo dos domis sentenciados en-
nomeando u,n bom olllcial para commandar viadus para aquclle presidio,
o referido destacamento, o qual dover par- DitoAo mesmo, transmillindo por co-
lir para all qusnti antes. Communicou- pa um ollicio do inspector da pagadoria
FOLHETIftf.
U3,St..i'2>> 3>'!t21L2223
OV
MEHIORIAS DE UM MARIDO. (*)
POB. EDOSNIO SCE.)
VI.
Madama Rajniundo accolheu seu flho com a
espansao de uina ternura apalionada durante
esta troca de caricias entre Joao e sua mai, eu
tfve teinpo de tornar a infm de minha surprc-
za i de ininli. eino^ao.
Respondi o melhor que pude ao benvolo ac-
lenos nao linha -jamis lomado parte em ne-
nhuina de vossas conspirares de esludanles,
qniiiilii ella nao tinba sido provocada por al-
guma iniquidade.
Esta he a verdade, senhora, exelamet eu:
Joao e cu nao conspiramos jamis sem motivos;
mas se nos fazem injusticia,oh! ento....
Eu pronunciel este oh I tnlao' com um tom
creio que multo ameafador c trgico, pois vi
um sorrlso mal dissiinulado dcsllsar-sc petos
labios de madama Kayinundo, que raras vezes
sorria.
Este sorriso pareceu approvador; elle ani-
mou-tne e eu accrcecentci:
Foi como no caso do cosaco no qual Joao
se inn.troii uto intrpido, senhora; se eu Uvera
pensado nisso, teria feito como elle, anda mes-
ino que devessem fuzlar-mc no mesmo lugar.'
Uh! desta vez, monaleur Fernando, eu
ralhei com ineu lho, respondeu madama Ray-
inuudo. bu lhe linha lido, be veidade, urna
carta de Lorrena, naquatcontavam'ine as atro-
cidades commeltidas pelos cosacos em velbos,
em mulhcres, em meniuo9; lindamos cado
iilliiii'i.nto da mal oemeu'amlgol ella pareceu! indignados^ desses^ horrores.jnas a|ndignacao
luultaa vezes observar-tne com atteuco, sem
duvlda procurara ler em minba physionotnia,
se eu era (al qual Joao me linha pintado, r'.su-
exanie comquanto pulidamente dissimulodo,
renovon mcu embaraco e meu rubor; sem sa-
ber porque, eu annldicoava em voz baixa meu
Irage de ptlimit'i.
As meoorea circumstancias de minha pri-
meira entrevista com madama lUymundo, \\
caram por tantas rasdes gravadas em minha
memoria que uo obstante teiem decorrido
tantos annos, lembro-me quasi literalmente de
mili las parles de nossa conversafo.
Esta encantadora raulber disse-inc primeiro
que tudo:
ta multo lempo, monsieur Fernando, que
eu deiejava conhece-lo meu Albo tein-me fal-
lado muilas veies do Sr. como de seu melhor
amigo.
Sim sitn, senhora, respondi ingenua-
mente ; e nan foi sem multo custo que Joao
nie quiz para amigo.
He porque Joao nao d llgelramente sua
amisade ; elle sabe a que liso obriga; mas urna
vez que a d, esl dada, monsieur Fernando.
E foi na prisao que nossa amizade com
louo se consolidou, senhora! no tempo da fa-
mosa conspir.icu dos candieiros cxclamci,
sottrivelmenie nrgulhoso de mostrar-inc de-
bati de urna forma tao heroica mi de meu
amigo. Sim, senhora, eu era desta conspira-
(.80....
Com quanto urna mal deva mostrar-se
mu severa para com as faltas... c a conspira-
Vo de seu lilho, respondeu madama Rayinun-
o sorrindo docemeotc, miu grado meu, des-
pulpo um pouco a Joo, porque tile he dolado
de um desees caracteres que a njtisllca rcvol-
t e sel.... porque elle me dlsse que pelo
a polica litmosse do maneira alguma a
nostss consuras
No mesmo dia 22 houva na corte urna
trovoada duranta aqual caliiram dous ralos,
um no l diiido do trapiche novo do S,r.
Retumo d,t cxtraCao- io< premios rfn 7' lotsria Msxwol pai, o outro por urna notavcl coin-
exlraordinaria cmndidt ae limito ii Nilhiroy, cidencia nacasidoSr. MaXwol lillio, noen-
tm ib de novtmbro di 1851. I gonho vollio, causindu o utlimo apunas al-
I n. 2 i a 4008...........10:000/000. Foi escolludo s'nidorpelt provincii do
1 a 4661........... 400P/UOO Htr.nhSo o Sr. Angelo Carlos .Munis, irmo
5252........... 2:000/090: do ex-regente do imporioJoo Braulio Mu
Histrico e Ceopraphico Brasileiao, no qual
leo o Sr. visconda da Abrautes urna memo-
iia sobre o ail,
Furam frelados, para sarem onprogades
noservico di armada, pelo lempo quo con-
vier an governo, 0. vapores Sr/ni Cruz d'
forca de 90 civallos, eVaquetc di fiarle de
70 ; aquello perti>ncente ciiipanhi i Uba-
tubense, o por S.OOOTKK) ris incnsacs, c
esto a do Macah, por 3:500#000, deven lo
ambos ser coiumandados o liipolados palos
commindantes e guarniedji dos vapores
Thetis e Urania.
O vapor l'.'irnensa foi arlilliadu com 4 pe-
cas, duas de 68, e duas do 32, inglez,
devondo procoder-so al o lim do mez pas-
sado a ultima OSporieoei. para s ir rmalo.
O primairo-tenento da armad*, Miguel
Jos d Mello, foi agraciad') com c Inulto
de S. Rento de Aviz.
Fallrceo o capltao-teneotc di mesma,
Jorge Alvaro Pires.
Eslava contratada a ro dicai;ao 'o tlioa-
tro do S. I'olro da Alcntara, achanlo-so
fenla di etnpreza o Sr. Joao Cela no.
OSr.senador Montezums domitlii-se do
lugar do moinbrii da commisso inspectora
da onstiucQo do lh;atro provisorio.
Le so no l'rcgoeiro de S. Paula :
ItftSa"" 373""l8'l"'";>848',' I itOOOfOOo' niz, sendo os outros dous ean lid.it-o, q ic
Eis aqui o que mais colhemos das g.zelas
quo recebemos da Europa.
recia
Este paiz lloara tranquillo, e ja quasi de
todo livro ilos bandos da salteadores que o
InfeaUTo, cono oa leitore* verSo do se-
,'uiatn a'lio publiculo pela Presia :
ila algum i tmpn a esta parte, nenhum
aol i da latrocinio tcm sido commeltido na
Creca, o Acarntnia, o unioo logar, quo
ha dous mezes era anda inquieta lo pela
quadrillia de Kalamala, goza presentemente
de urna porfeita segurauci. Esto chefo de
bandidos iiiloiramaut> abandonado por
aquellas de seus companheiros queesoapa-
rain aof Turcos, anda occulto as norestras;
sua mulher foi a Alhenas a lancar-se aos
ps do minist'0 da justica e implorar an-
uystia para seu man lo | porm o governo,
sedaremos dar ero lito a todas esinforma-
;0es que nos SAO dirigidas, esta deciJidoa
nilo perdoar aos bimlidos que perlurbarant
duranto algn lempo, a tranquillidadi' do
paiz.
Kalamata promete, dizein, se lhe conce-
derem a vi la, fazer revelacdJS importantes
sobre as intrigas polticas que lhe pozoram
ss armas as nulos c das quaes pretende ter
10 a
20 >
60
100 de.
1800 de.
5083............I
I060--1I65--1193-172326911
281.7-3551-3701-4002--4244
184I272--I5401571I73(i\
17001877-1896-2037J074
Jl492158-l2(J9"2600-2948(
3100^3340-4080-5349 -5422?
131 iSO- 278 307 5I0\
645- 750- 782- 818 8l9 \
085- 088-1288 129o1307
1409-14141601610-182.31
1839I9lli1924 l99223SI
231 l-238625032523-2.66i
2599-2614 192701 -2721 >
292-3lil31773307-3354
3538-3558-37 37-3881 402.1
411041654338-4165-4610 \
4684-4853-4996520O5245
5297-5488-5705-57205832 /
200/1)00
100/000
40/000
2U/000
2000 premios.
O pagamento dos premios desta lotera priO'
cipia na terca-feira 13 do corrente mrz, no es<
criptorio do Ihesourcro, Antonio Alves da
Silva Pinto Jnnior, ra de 8. Pedro n. 47.--0
escrivo, Roque Mxlonii Cordeiro.
____________ ( Jornal do Commereio }
Por decrolode 21 de outubro prximo!sjdo victima. Ssb--sci que o'utr'ora elle
passadofoi instituida em Smtis a junta do oceupara um posto bastante elvalo no
dor Jos Ma- codlmerciodosla provincia,sendo dola pre-
' lioente o capitdo de fragata Sabino Antoniq
da silva pscnoeo, a doutadis, n inlpeclor
lacao do tfaranblO os julzes rf. direito Joj M" ?! Jl,s''.!ll|li.sU1 d'1 8i'" ll.ll!l,01: ["i' l-moso pirata Negros quo com Kala-
Ferreira Souto, Milomo Joaquim de Albu- 2id8!'.?.,.UI-d9 p0"C" Ant0," Fsrrelr4 ,la|m"l-, enlr.tava por tanto lempo a polmica
formavama lista triplica o Srs. Joaquim
400/000 Franco de S, o desembarca"
I rlaol.
Foram Horneados desombargadores da ie-
xereiWj poroM o governo nada querouvir,
Kslatn.ta deva expiar ssus criines no cada-
falso.
quero,ue Mello, o Manoel Jernimo Cu'des
Alcanforado, e da desta provincia Francisco '
Joaquim Gomes Ribeiro.
O americano Itoaso, que na di i 23 di S3-
Ic libro transicl'i .ssi-sin.ii i no hotel l'lia-
roux o itiliano Emilio Anselmo, oom dous
Uros de pistola, foi absolv Jo no jury da
corte, en sesslu do 21 do passiio, mas o
Silva Jnior.
Consta queoSr. D-. Silreirada Multa
est nomea lo pelo governo da provincia di-
rector -ial di in-lrncc publica en n rs,
1:200,000 de ordnalo, o S-. |ir. Antonio
Joaquim Ribas seu secretarlo com soo.ooo
ruis.
liiz-si tamben qm foram noniotios di-
PERNAMBUC9
PARTE 1)0 DIA 27 DE NOVEMRBO.
Foram presos: ordem do subdelgalo
da fraguezia de Santo Antonio, Cosme da
Silva, sem declararlo do motivo ; ordem
do subdelegado da freguezia de San Jos,
Luiz Francisco Chaves, por ser dosertor; e
do subdelegado Ja freguezia da Boa-Vis-
ta, Francisca Mara das Cliagas, para cor-
rccclo.
DEM DO DIA 28.
Foram presos: a ordem do subdelegado
da freguezia de Sanio Antonio, um fran-
co/., cujo nomo no foi declarado, por des-
Juiz presidente do tribunal appollnu di iLi- versos lote, da academia p ra cimpo-cm
cisio do conselho para a relacSo da .ns:ri oconselho d. last'ucelo publica, mi.fn-
lo, na ccitiformidadu do art 79 I Ja leda da no sibimos amos .So,, muito mi-
:i .1 i ilez miiIh'i de I8tl. nos quii-s as allriluicis deste COUSelhO.
Foram notnoados ronviado extraordinario Aguardamos a pulilicapo do regulamento.
a ministro pleaipotenciario om Wasiiington;
i. mi ii i t'ni enpilil alguns induci-
da opposic3o em Alhenas cantra o governo,
poslo quo nilo tivesse jmaii doixailo as pa-
ragens ilo arclupelago das Sporadas, mas
qnotodavia inspirava um viva inquietscao
a navegaclo o ao commereio do todas as
nicii's, acaba do ..r preso n fusila lo pelos
Turcos, na grande Ib. do Forni, junto do
Saraos,
ii Foi um cruseiro franctz, o briguo t'a-
bcrl comal)n ludo pelo l-nonto de marinhs
Pfehon, enviado em pers iguicAo do Negros
pelj almirante Rumaml)e>fosscs, quem
o bloquciou com suas embarcaces na ilha
que acabamos do nanear, eque n deu des-
te modo lampo a urna barca tiipulala por
Albnezes viudos express.imedtj do Samos,
pSr. Dr. Francisco Ignacio do Camino Mo- les do partido goveroista residentes no nor-
teira ; ministros resil mo.: om Kolivia o la da provine, o consta que puzer.im-so
S-. Miguel Mstia Lisboa, e na PrOStU, cida- todos do accar lo sobre as olcicOes, tanto do sinal oonvencionarj i da apoderar-so.
des Anseticas, llanover, Oldemburgo, Mo- deputadns provinciaes que tenlo lugar a 12 deste pirati e de o exeoutar com Irez uo
tklemburgo-Sclieverik o Mechelemburgo- de dezemhro, como sobro as de senadores e se8 companhciros. E-te acontecimento
Jirel tz, o Sr. Dr. Mreos Antonio do Arau- deputados. IproJuzto scnsacilo em Alhenas,
jo.quoexerciaolugar de encarregado de Assavera-se qua jt correm as chapnsi As cmaras dos deputados votou quasi
icgocios interino c cnsul geral tas mes- dos dous part los para deputados provin- por unanimidad, na principio deste mee
laicidades Ansoiticas. Foram mais no- caos; o diz-sa que no governista nSo entra- multas leisassas imporlint-s : a le que uxa
pieadoscnca regados do negocios: om Ni- rSo os juizes da direilo, a que no foram'8'rca armada do trra em 8,900 norneus,
ioIcs, o Sr. Dr. Domingos Jos Cancahos incluidos mais alguns can Hiatos da legis- a le sobro os diurnos, ; le sobro os lierst
Isgiilnaes.quealiexercia o mesmo cn-go latuia (Inda, o quo na di opposicilj ap-uas a qual impedir pala o futura os crimes co
nlerinameiitajemTurim oSr. viscondeoe entraran, qualro novos. baratara da que minios cpiiaos se liniia
B. Amaro: na Blgica o Sr. Pedro CrTalh. OS-, Dr. Ma.tim Frsnclsoo Ribeiro da tormdosculpados.e n consequencia denu-
do Morsas, que resids com o mesmo cara- Andada vai d-fonder tliezos para o grao de seria que o blnqueio de I8o0 produsira.
t;er em Turim; om Madrid, o Sr. Francisco doutor om diroito nos dias 21 o 22 do cor- O senado tainbsin votou por -s voto
kdolfoVarnbagem,qui)ali exercia o lugar rente. .contra 9, a le sobre a roorgjnisaca.ida con-
de secretario da legaclo ; em Vionua o Sr. Alguns negerianles da cipital concer- tabilidade na raparticao da lazetiJa. e,r.
t)r. Antonio Joso Lisboa ; na II ivi o Sr. Dr. taram-si para threm um baile ao Exm. urna das leis s quaes o >r. curisuues, mi-
joaqu'mCaelanoda Silv.; no Chilo, o Sr. Sr. Souza Franco, om testetnunho da g-a- mslroda fszend* dava granda iniporuncid
Jooda Costa llego Montei.o, quo resida tldflo pelos seuseslo-cos n hem di n.cin- para operar tudas a:
quo
Com o mesmo carcter om Balivia.
de Joao o levou demasiadamente longe. Ue
sem duvlda uiaravilhoso malar cosacos, aceres-
centou madama Rayinundo com sua vos doce,
mas nao se deve jamis malar por surpreza....
iiriii inesmo a covardes assassinos.
He verdade, mlnia mi, disseJoao; lis
mal, porcm o primeiro moviinento....
Jess! isso lie' tao natural, scnbora, res-
pondi eu inlerrompendo o meu amigo; avis-
ta de taes ecleratos, um homem nao be mais
senhor de si.'
L be em ser senhor de si que importa
setnprc e sobre tudo trabalhar, monsieur f'er-
niiulo, respondeu madama Rayinundo com
um tom ao mesmo tempo firme e maternal.
Kta conversafo com quanto insignificante,
causou-ine todava uina impressSo profunda.
Nao obstante a suavidade de sua voz, nao
obstante a docura melanclica de seus grandes
ollios azues, nao obstante o encanto de
por cima do quarto cm que nos achavamos.
A sonoridade deste ruido foi tanto mais no-
tavcl quantoa casa eslava mais aihnclosa.
I.embrcl-me da apparifaodo homem de bar-
ba ruiva em uina das agoas fuadas que da-
valo paia ojardim, c lancet os olhos furtiva-
mente sobre Joo e sua mi, no momento em
que ellcs trocavam rpidamente um olbar de
inquietarlo.
Vmi he nada ; he anda o damdado do ga-
to do vislnho que fai das suas l em cima no
cellelro, disse framente a veilia criada, a qual
sabio com passo tranquillo.
Excepto a troca de olharea que cu linha sur
prendido, Joo e sua mi permanecern! im-
passivea
Madama Baj inundo fet-nos com una grafa
encantadora as honras da merenda, sem pro-
curar desculpar sua frugalldade.
Depois de urna troca de algumas phrases in-
significantes sobre colleglo e aobre nossas
occupafdes, madama Raimundo disse-me coin
urna bondade maternal:
Para que fin estuda Vine, monsieur Fer-
nando ? Que carreira pretende seguir ?
i .mando fallo dissn minha ayo.... senho-
ra, ella responde-me:
ii Meu lilho, nao te inquietes ; compre que
esludes como todo o inundo; mas, gracas a
eos nao leus necessidade de uina profisso
para viver.... Em lim se te sentires mais tarde
com vocaco para uina carreira ou para outra,
ser semprc lempo de oceupar-nos disso!
E essa vocaco ainda a nao seute, senhor?
perguntou madama Ravmundo.
Quereodo eialtar-me aos olhos da mi de
meu amigo, c faie-la esquecer meu desgrajado
trage de peumrire, mosimudo-me por assim di-
zer em perspectiva, revestido de um briihaate
uniforme, reipondicom um ar conquistador:
II um estado que adoro, e para o qual
siolo que nasci, senhora ; he o estado mili-
lar, elle tem seus perlgos; porCui be lio glo-
rioso !
Triste e estril ollicio he esse, monsieur

seuseslo-cos n
nalisacodo coinmcicio sem prejuizo
dos 'l" projeclou, e qn se bao da elTeituar gra-
vos doce tinba vibrado cada vez mais sonora,
leus olhos tiohaiu-se animado, e voltaudo a
eabeca para n lado do retrato de que lenho
fallado, litou nelle por um momento seuolliar
com urna cxpresso de varonil orgullio, ella pa-
iceeiiui.' sublime assim. Joo linha como sua
fetcOcs e a graca de suas maneiras, eu precen- Femando, respondeii-mc madama Raymundo
lia que madama Ravmundo era urna dessaslsacudindo acabeca; nao ba peior eaeravtdo
mulberes inellexlveis de Roma ou de Spaila de que a escraviJo militar...; quando nao de-
que nossos classicos nos referiam avidaauste- grada as almas elevadas, entristece-as profun-
ra; lal era cnlao a inobilidade, dlrei quasi fe-: daincnte.
bril de iniohas impressdes que desde niiiiha Mui desorientado por esta resposta, respon-
enlrada nesta casa, e fra mesmo a impresso di todava:
producida sobre inim pela bellesa de madama] -- E matar cosacos, senhora!
Ravmundo, eu me acbava iuiciramcnte outro;; -- Nao he preciso ser militar para isso, ni.ni
le, sccrescenlel estendendo a mau ao meu ami- ella para um gabinete vlsloho, no qual liveram
go, seria j una excellcnle ideia, uo he se- jniiloj uina cuita conferencia: esn conleren-
Sbotar i-i.i pireceu-me ter entrestecido mullo a tnru
Ande l, monsieur Fernando, disse-me mingo,
madama Ravmundo enternecida da (inserida- Depois dos adeuses que Joao fez a sua mai,
de de ininlii allcico para coinseu filho, Joo dcixamos o bairro de Santo Antonio para ir
aii voltadoa eabeca para o retrato c pareca tinhao julgado bem... OSr. lie una boae dig- janlir cm casa de minha av.
ontempla-lo em um silencioso enthiisiasmo. na alma.... sua itnica falla... c cuinprc ler
. Eu comprehendl sem difflculdade que o pal sentido com s ie Joo devla ser um desses heroicos volunta- centn madama Rayinundo com nina cxpresso
oa da repblica de que madama Rayinundo de all'ecluosa solicitude, a sua nica falta he,
abava de fallar; um de seus chefes talve/., irgundo creio, ceder mui facilinenle todos oa
nessa guerra santa da patria da qual pela pri- enlevos. Isso he muito bom quando elles sao
elra vez eu ouvia fallar ; lo singular e pro- generosos; mas se sao mos he um pcrlgo.
nda era a Ignorancia calculada em que de- Ali / sim, senhora.
bal, de lodo, o, icgiuieu se lem conservado Se lhe dou este conselho, monsieur Far-
ol esludanles acerca da historia de seu paiz nando, accresccntou madama Rayinundo sor-
JEsla i'-velu.i'i do herosmo de nossos pais rindo com um encanto infinito, he porque o
Sabindo da casa de madama Rayinundo, a
primeira coma que fez l'oi diier a seu lilho :
Ali! quanto s feliz, Joo, por teres uina
mi conioa tua!
lu 11 me respondeu Joo com urna ex-
prciso de ternura e de orgullio, comprehen-
des agora minha idolatra por ella? pois anda
nao acoubeces perfeitainentc.
Como!
Se t soubessesque enragem, que sangue
ua li.ni -
fita principalmente pela encantadora bocea senhor he amigo de meu lilho, ceslouccru fri ella tem no perigo, nao obslaute a
di madama Rayinundo fez ferver meu sangue que nao tomar minhas palavras a ma parle, dade de anjo.
e na mobll txatiaco de meu carcter exclame! Oh! nao, senhora; pelo contrario. Que perigo! pergunlel eu vivan
com a maior sinceridade do mundo.
E nos tanibem, senhora, iremos fron-
tera para bater-nos contra o cstrangeiro !
Por mal de iniuhi furia guerreira, madama
laymundo nao me ouvio, absorta como estava
sem duvida as recordaedes que sua alalo s
latalhas da revoluco acabava de despertar
ou si.
vamentc a
Pois bem oihe ha uina hora que o senhor Jao,
est aqui, cja uiudou sbitamente de vucaco. Cm dia, respondeu-me Joao coinembara-
O Sr. dtsie ha houco que se scinia nascido pa- $0, o logo ganhou a oossa casa, c minha uii
rao estado militar, e eis que agora por una foi a nica pessoa que conservou seu saoguc
conversaco subiti, dcixando o militar pelo ci- fri,
vil, querentrar na escola das arles e olllcios. j Euconhecl que meu amigo, temendo ter
-- Isso he todava verdade, senliori. Mead- dito demasiado, quera enganar-me. Esta re-
iii.i i VI como inudei depresaa de partcer, dis- licencia alUigio-me: eu peuscique Raymuudo
- Perdoc, monsieur Fernando, disse-mc se eu sinclamcnie pensando na inobilidade de tinba segredos pira mi n ; ao principio senti-
da depois de um momento de silencio, hacer- minhas resolucocs, c accrescentei trislemeute: me oll'eodldo de sua discricao, ao depois re-
ts leinbraoca que noi impresslonaiii sempre -- Ah senhora Joo tem iniiia raio de cordando-me de minhas numerosas provas de
v v.iim-iite a iiiini e a meu linio. rcpclii-inc frequentcuientc que nao tcnlio ca-.eslouvamenlo c de indisencao, a reserva du
Ao depois ella conliuuou com sua voz doce c racter. i Rayinundo pareceu-me desculpavefc todava
taima. Msso, monsieur Fernando, mcu filho'ella impedio-me de lazer-lbe uina confissao
- Eulhedizla, monsieur Fernando, que o obra como amigo sincero. J liz a censura, eis-'que cu linha j nos lab'os ; q"'" "llar da
dlicio d i gneri.i ei.i un nllieio esle 11 e n ule, aqui agora o louvor, acerescenton madama! myslcriosa apparico do homem de barba rui-
ncepto quaudo se iiU de defeuJir a paula, Rayinundo: seus enlevos de boje, o itlmo V n nollelroi ento tamo por temidez eomo
ubs enlao todo o mundo he soldado; por Isso principalmente parte de um excellcnle cora-: por medo de ver a desconfianza de Joao aug-
nu lilho de accordo comigo tem escolludo fo. Nao baveria nenhum perigo em se aban- mentar-se uo saber que cu era senhor de um
una profiuJo mais ulil. douar assim uina pessoa a seus priineiros mo- segredo talvez importante, que elle nao tinba
- Sim, senhora, Joo me tem dito que que- vintenio, se devesse sempre viver com gente lulgado a proposito conliar-iiie, callci-me so-
rlopara o anno entrama escola das artes e of- honrada.... mas ah monsieur Fernando, des- ore c.li circuinslancia.
lirios. i;i a, i I iineni'- nao ha smeme gcnle boa no Depois di conversafo particular que Uvera
- E t nopareceste mui cnthusiasinado de mundo, c as seduccoes dos nos nossos sao peri- com sua mi, Joo parecame preocupado;
mbba vocaco-- disse-me Joo sorrindo. gosas. He cm presenta dessas seducedes que a seu silencio deixou-mc s com mens pensa-
- He entretanto um bello futuro para meu fraqueza Uc carcter se nos lorna funesta. nclitos, isto he com a leinbranca encantadora
filio, moosicur Fernando. Sabe Vine, que aa- Creia-me, monsieur Fernando, he mais fcil fi- de madama Raymuudn.
hiaito dessa escola, elle pude vir a ser director zer o betndoque resistir ao mal... mis b isla' Eu nao era prematuro; nao tinlia ainda se-
delinia grande ollicina, e ser assim o gruir! de morSTlsor boje, accreicentou madama Hay- nao as Idaias proprias de minlia idade : al en-
oai de uina tropa de oslentafo, ociosa e bii- inuo lo-cuni uina graja infinita. He hora de Ir lo ellas tinhain permanecido puras; a iniprc.
Instile, mas de um excicito de bravos artistas, casa da senhora sua av ; agradc{a-llic de mi-' sao que maduna Rayinundo me deiiara, a per-
cut trabalho he a riqueza do paiz! diga uo nha parle, cu lhe pejo, o convite que live a lurbafo, a vaga inqdleiafao de meu coracfo,
h clima
bella tnlsso dirigir o trabalho dessa bondade de l'azer a mcu lilho e um desses pro-'pareciam-uic luexplicaveis,
eu "senta o coraco malsalto, meu>pulso deviajaleur Fernando. Na ultim guerra de Franca, geite honrada; csilarece-los, morallsi-los, zimos domingos voltando a merendar aqu com Pela primeira vea eu tlnha ad
baler mais chelo; eu asplrava a nao
rigo imaginario que teria intrepld
tilintado em presenfa de madama Kayinundo
quepe- | foram nossos camponezes de blusa e tamancos auu-loi cmliin, e tomar sua sorlc a mai< feliz J
rigo imaginario que teria intrpidamente af-, que fizeram a mais rude guerra aos cosacos e pcssivel.' Diga, monsieur Fernando,
f' Vide o Diario u. 470.
me provar segundo opero que nao tem leza de nina mulher.... mas cita mistura de
nao be lomado a mparte minha moral. grafa e de melancola, de docuia o de energa.
a'os l'iii.-ianis e ha viole' minos os volunta-; sai melhor do que perder o lempo no ocio es- A prova du contrario, senhora, cxclaml Lio nolavel em madama Ilaj mundo, a solicitu-
rios da repblica, correndo fronlcira, com tej de uina guarni(o? eu do mais Intimo do coraco, c com un tom de mesmo lempo seria c benvola que eiu
A velha criada que nos linha aberto a prtalos ps descalcos, nial vestidos, armados de ma- Uh! he verdade! Exposta assim pela se- demasiadamente solemne, beque juro alante me linha lestenntnhado, luda miiioi ata os
trouxc urna merenda fraga! coiuposta de pao e diados, de dardos, de espingardas ms, cratn nli.i i, comprehendo agora que nina lal car- da senliora e de Joo ter para o futuro una m\ sieri as que a cas! nha do bairro de .s uno Ai,.
Inicias. No momento em que ella depunha os .por ventura militares? Nio, nao; e lodavia re!|> hesoberba, c coTiiprchcodu-o Lio bem, grande farfi de carcter.... Sim eu ojuro pelo Ionio pareca conier, iuiprcisinnava e exaltavz
pratos sobre uina mesinha collocada junto dalcspellram de Franja os cxercltos estrangeiros. cxoauel, que boje mesmo quero pedir mi- que tenh i de mais sagrado, a senhora vera e minha Imaginaco senipie i ao momi.
jauella do jardim, ouvlmos un estroodo re-1 Entretanto que madama Rayinundo fallava as- nh!av para entrar ni escola das arles c olli Joo lambem o ver.... se compro ou nio tal-
tumbador, como se alguma cousa tivesse cahi- j sim, seu rosto ordinariamente paludo linha-se ciolao mesmo lempo que Joo.... Quando isso tilia promessa.
do de alto sobre o soaino do celleiro que licava pouco a pouco colorado do um vivo rubor, sui nlme setvisse seno para nao me separar del- Aules de delxarsua mi, Joo rciirou-sccom
'Coii('aar->e-lia .


/i'in
' cas i firmen do i. oqual un tem deixa-
do de ipoiir suu minlMro,
orgatnento de 1852 foi dillnilivi nenia
fin Jo depois da nunicrusis tea-e* do oon-
satlio4* ministro querendoo nimiiiro dai-
lend-eatlbellecera ti'du o ousloo equilibrio
oqliaas reccitas e as dcspezas, e por cnnse-
guate devendo operar-M lelugOes bastan-
te foites mis urg inentos do cada repartidlo,
bivn resultado dahl algumas dificultados
que foram vencidas por meio de concessovs
reciprocas.
E-te nrgsnjentu vai ser presentado s
cmaras lude ser um documents imprtenle
que ser bom consultar para conluc r o es-
tado actual das linangis na Grecia, estado
completamente satisfactorio, dizem os par-
tidarios do ministerio, e que permillir sua
llovida resolver logo a grave queslSo do em-
prestnno que parece ler sido dada siria-
mente para ordem do dii.
Turqua.
Este paiz continoa em paz fizendo pro-
gressos na carreira da civilisagilo dcbaixo
do governo esclarecido de seu joven sullSo.
A liberdadequc conceder a Kossul, ni lis
poz bastante com ello o sen visinho o im-
ycraJor da Austria, o qual para se vingir
dizem quo peitende influir as provincias
clinstaesdo imperio otloinano para revulu-
ciona-las contra seu soberano.
Mecca e Medina tinham sido assallidas o
saqueadas pelos Wahibilos, como consta
do seguinle artigo que se l di I'resst:
< Publicamos haxlias, como os Wahabitas
depois de urna paz de 35 annos atacaran)
repentinamente as Ciducles santas de Mecca
o Molina; dissemos quo depois doter as-
sassinado a guarnicAo e urna parip dos liaIn
tantea, destruiram as mesquistas e rouba-
ram os ohjeelos preciosos qn ellas conti-
nbam, saquearan) a cidade elevaran) com
sigo um grande numero de mulleres e do
i e da disciplina qual os funecionarirs do
imperio eslflo submeltidos em fcto de ce-
remonial, asseguram que II dini-Pachi e Is-
n ait-1'.irlia n3o teriam jamis oommctlido
esla falla deatlencOcs te para lato nflo li-
vessom sido formalmente aulorisados. Pela
minha paito, rulo posso oomparlilhar esla
maneira de pensar, porm be j demasiado
najujircumsuticis.s actuaes que ella possa
lercurso.
l'ive, finalmente, mais de nina voz a occa-
s3o deenrontrar os jovens ptehas as mas
da capital, olles pareciam orgullosos d
seu novo titulo, e muito salisfeitns de poder
ostentar aos olhos dos maravilhosos habi-
tantes do Cairo, sua escolta de soldados e
de cassai de Conslaulinopla ; e em urna pe-
nivel refjexao sobre as cousas do passado,
eu dizia a mim mesmo : por ventura *Bo
esses os principios egypcios, os quaes, ti *
meaos de um enno, aecusavam Abbas-Pa-
ch de trahir a causa do Egypto, de humi-
Ibar o poder egypcio, do ropudiaras tradi-
gOes do seu paz, e de destruir a obra de
Mehemot-Ali ?
Este he o artigo do Semaphore, o segua-
te he o da Priste.
< Itacobemos, por nossa correspondencia
particular, noticias di Alezandria at 11 de
outubro. Estas noticias permuten), mais
anda que as precedentes, contar com urna
soIucj prxima da di lloren ca suscitada
pelas duas questes do tanzinaat e do cami-
ulio de ferro. Ja aiiniinciamos a partida de
II 'le I .i.: Pal lia para i' in-l mtinopl i encar-
regado da entregar ao govorno turco a res-
posta do vice-ret a nota relativa ao caminho
do ferro. L-la resposts, da qual nossa cor-
respondencia nos d um resumo, he urna
nova prova das JisposigGes conciliatorias
. Abbas-P icha e das concessOes que elle
est disposto a fazer para evitar um cqaflic-
to, omquanto estas concessOes Joixarerh in-
rsparigas. Damos hojo a respeito desla sila Helas as prerogolivas as quaes os tratados,
algumas particularidades que nos parecem
ser de nalureza propria a interessar nossos
leitore*.
Os Wahabilus oslJo estibeleciJos nos
altos paizes Ja Arabia interior. Antes de
sua destruidlo elles rain 13o numerosos
que podiam pOrem campo un exercito de
00 mil homens, creem em um su lieos, e
Mahomet ho pira elles um propheta ; porm
consideran) como uina olTensa fulla a lieos
o altribuir a sou propheta um poder divino.
O AlcorS i, em sua simplicidade primitiva,
parece-Ibes urna revelarlo celeste, e rejei-
tou todos os artigos iccrescetilados pelos
Turcos Elles silo governados por um che-
fe que parlilba seu poder com o chefn
da religiSo. O primeiro chamado Emir, he
da familia d'Ebie-Sedi, fundador daquelle
reino, exerce o poder executivo, dirige e
i.onimindao exe ello, e governa ao mesmo
lempo as qualro tribus de Beduinos sitiados
dos Wihabitis, os quaes todavia teem seus
sbciks particulares.
Esta nacSo subjugou quasi todas Ara-
bia no limdo ultimo seculo, e penelrou at
em Damasco eAlepo Conquistouem 1813 o
porto do Duchidde e abri por ahi o chiii-
nho para o Egypto; purm Mehem l-Ali
oppoz-se a sous progressos. Em 1812 os
sinlos lugares calnram em seu poder. En
1817 elle baleuos Wahabitas junto de Taha-i
lite, i'i .1 .i. ii' Ibrain-Paoo cabiu do
Mibmelt -los; tomu:ido Je assa.-tu su ca -
pilal, de llr.iyeh, fez passar alio de espada
30mil habitantes o enviuu para Cun.-taiiti-
nopli Aiidcllah-I! n-S.iis, emir dos Wahsbl-
las pas ali s r deca; itulocom 'i ineuibros
de sua laniilia.
Esta sella quer vingar presentomeote
molla de seus pas, e a Porta rccODltSMOdo
i gravidaiio do perigo, nomeou Meliemet-
l'actia, cx-poveruadur de Atipo, general em
chele do exercilo rabe em substllulgBo do
os mturesses de sua lunilla esobre ludo os
do Egypto Dio I lie permiitem deixar que
-"jniii atacados.
ii ,\ lili is-P.c.i,i oiipenhs-se em Tazar exe-
cutaro ouiinhocoiii os nicos recursos or.
dinarios do paz, soin recorrer cm caso ne-
dhum a um emprestimo, quer nacional quar
Hstrangoiro a somma votada para esto ira-
balhosera tirada cada auno das rendas or
di mi iis, iiduhum imposto novo sert esta-
belecido para esse lim ; o numero dos ope-
r. ri jj empregados sera calculado segundo
as necessidades do pa%, e ellos ser3o pagos
muilo couvenienlemeqio. N3o ha termo
assignado para adurayao dos Irabalhos.
< Ho evidente, assim como temos domoas-
traJo, que para quero quizer julgar leal-
mente os tratados do 1841 o o espirito no
qual foram faltos, a l'.u la excodeu seus di-
reitos ingcriiido-se em um negocio dead-
miuistragao puramante interior. O vice-
rei devia protestar em nomo do suas prero-
galivas o dos iuteresses considoraveis que
representa; elle o fes com urna firmeza que
nada tem p i ii i> abalar ; poiem urna vez
revin licado o seu direito o slidamente fir-
mado, elle mostra tinta deferencia ao sul-
liio quanla onergia desenvolve contra as
injustas pretougOus do divn. He portanto
evidentsimo luje que as dilliculdades so-
lireviiijjs enlrc o Cairo e Conslantinopla
liJo fora.n suscitadas pelo Pacha, e tamhem
que ii3u fui por sua causa qco ellas nSofo-
ram mois codo reguladas.
Pelo vapo- sustnaco chegado a 30 de
outubro Alexan Iris soube-sa quo llore-
iliog-Pielia entregara a Itescaid-Pacha a
resposla dovice-rei. Esta resposts, dizem,
merecau a melnor accitago do sulio o de
lodo o ministerio. As negociae,Ocs lelati-
vas ao lauzuikl foram outra vez eutabola-
das com uaia nova actividade, e ludo, diz
nusso coirospondonto, faz esperar urna
gura do vaso be un convite i concorren-
cia e um primeiro pasto os via da libordado
do comniorcio.
Urna ambtixida a 3. do Elefante
brinco poderla, saliendo-se haver,,obler
novas coocossOes. Os mltslonarioi eos con-
versos ao chrislianismo silo no smenle
toleradla, seoio al favorecidos pelo mo-
narebs. >
Eilido-1'niihs.
O presidente Fillimore estiva em Was-
hington iclivamenleoceupado em expedir
os negocios quo se achavam atrazados por
ciusa do gyro que fuera pelos estados do
Norte ; elle demitlio o cnsul americano em
II nana pela maneira pouco digna porque
se comporUra durante a cipedico do Lo-
pes, o que causou grande prazer a todos os
cidadlos da Uuio, e tem tomado a peito fa-
zer respeilar as leis federaes do governo, o
prestar sen efficaz concurso para a olio llen-
en devi la as medulas dt> co nprumissu ; li-
nalmeuteo) presidonte I'illmore deu rdeos
severas as autoridades para prenderen) to-
dos os individuos que tomaran) parte as
commo(0e3 abolicionistas que tiveram lugar
em Chistiana na Pensylvama e em Syraousa
em PiVw-Yoilc.
Disi osicfles tinham sido tomadas pira re-
cebtrcom a miior distlnC(9o o ex-ROverna-
dor di Hungra, Kossut; em New-Yoik on-
de e!ls desembarcara, o conselho municipal
perten le preprar-lhe urna brilhante recep-
grande jantar em Whilellouse.
Cem individuos tinham aberto entro si
urna subscrincao para ofTerecer-lhe um pr-
senle de 100,000 dolais para occorrer s
despezas que tem de fazer com seu estabe-
lecimento na nova patria que adoptara.
Corra que um congresso democrtico,
presedido por Kossuth, Mazzini. Kinltel e
l.edru-llollin teria prximamente lugar em
New-York.
O l)r. Kinkel, refugiado nliemo om Was-
hington, eslava trabalhando all por levan-
lirjim emprestimo para o lim de revolucio-
nar i Allcmanha
Vana.- quebns de alguma considera;3o
tinham apparecido em fiew-York, pelo que
o commorcio alli solfrera grande estremeci-
mento ; mas segunJo as ultimas noticias o
dioheiro ia-se lornanJo mais abundante, e
osperava-so que o commercio seirtagra-
dualuieiile restabellecendo.
Eis a i ni o quo diz o torreio dos Estados
Unidos sobre a crise commercial o financre-
eira de quo acabamos de fallar:
h Urna cri.se commerci! e fiafneoira de
nalureza bastante grave domina nesle mo-
mento todas as preocupares. Depois de
ternascido em Wew-York, ella foz-sesentir
em Boston, e provaveluiealo o embanco
quo cxiuTi i>eiila i estas duas gran les pra-
{as lia de reagir sobre todas as oolras n a-
QasdaUoiSo. Alguns espiritos perspicises
tinham j prvido desde muitos mezesa pro-
va pela qual pissamos oeste momento. A
superabundancia das importares europeas,
s remessas em numerario quo cr2o urna
consequencia Toreada disso, o desenvolvi-
mentuexcessivo dado s expodicOes da Ca-
ifornia c as perdas que delta- resultaran!
em muitcs casos, tojas estas causas deviara
necessaiimente oxorcer cedo ou tardo sua
s
(Oes'nicioaaes dos Estados-Unidos, quo ti-
ca rilo por esse ficto sujeftas ti graves pe-
nal fulminadas contra taes orines, que se
forem capturadas dentro di jurisJinco das
autoridades mexicanas, deverfio contar com
ser juagadas e punidas segn lo as leis do
Mxico, mo tendo o direito de reelimar a
interposigo deste governo em seu favor.
Exhorto por lano a lodosos citadlos
hein dispostos que tonillo S p'eiloa repuln-
{So de sua patria, o sSo animados da um
justo respeito s suas leis, sua paz o ao
seu bem, a desanimar e prevenir por lo los
os meios legaes omprozas semelhmtes. o
recommendo todo o empregado deste go-
veruo,i|iier civil,quer militar.que seja vigi-
lante em prenler pira ser julgado o punido
todo acuelle que nellas tomar parle.
Em nova Escocia urna tempestado havia
destruido no mar porto de lOOembarca-
\oe-, inclusive muitis de pescara, morren-
do para miis de 300 pessoas.
O barco do vapor Jamai akson, ao sabir
de Schinwiieton no lllinez foi victima de
urna explosio. 35 pessoas (Icaram, urnas
morios, oulras temas ; estas ultimas mor-
rero lambem quasi todas depois.
Mxico.
Dos artigos quo abnxo transersvemos ve-
nia os leiiiircs o estillo miseravel em que
se a.-ha a repblica mexicana.
Lfl-Se no Uaglu News :
i. Pelo vapor tanny, salii lo do Texas no
primeiro de outubro, recebou-se em Nova
ih lean- noticias da revoluto mexicana. A
lev iliielo d i Rio Grande estiva bSlaciom-
ria. o general t'.ar.iv ijal anda se aclnva em
C i margo. A populadlo desta cidado liba-
se reun Jo e adherido ao movimento. Ti-
nlia-se permitlido s tropas mexicanas quo
sorelirassem com as honras da guerra. Os
revolucionarios estavam resolutos a defen-
der a piaca. Os habitantes de Matamoras
informados da aproximacio do exercitodo
invasSo, tiobam fugito com snas metieres
e lilhos, nao deixando sendo 250 bomens na
praca. Parece que o primeiro pronuncia-
uieuio leve lugar em Guerrero o em Camar-
go as Tanmalipas. Cna-se que a insurrei-
c3o ia esteiider-se s provincias septeulrio-
oaes do Mxico.
Os patriotas, como os chamam, eram
, iiiiinaii i.ulo-pin-n Jus Mari i J. Csrsvs-
jul. .Sen programma eseu prouunciamento,
ilerra nados com profusSo em toda s rep-
blica, s3o concebidos ao mesmo espirito
omqueosSoos doze artigos dos patriotas
de Guerrero, as queixss dos insurgeutes se
resumem em dous pontos : systema prohi-
bitivo e direilus elevados do alfandegas;
falta de proteccilo contra os indios.
Como remedio Caravajal indica o afasta-
menlo do exercilo intil e mesmo vexito-
rio para os habitantes e prejudicial ur-
den) publica, a liberdade individual, a in-
depoudancia da magistratura, o eslaheloci-
iiieotci de una cooslitui(3o federal,a elei{3o
de senadores pelo povo, a abolicSo de toda
pruhibicSo o de todo direito de imporli(3o
cima de 40 por canto etc. O prograumi
declara alin dislo que o exercilo liberta-
dor pagara ludo o quo ella houver consum-
ando, quo urna paito desle exercito vai
principiar a guerra contra os selvugens, e
que so esta exigencia feila com a Torca ar-
i i^r;; ___
intenso e|vil diariamente uugmentadio. Pe- bolnchinba, 4 dita* tabaco, Ja ditas pre-
til vaaur Mxico, vindea de Galveston, sou- suntos, t paeotir chanrios, 13 cxas straa
bomos que O Cito Bravo e leus companhei- 5 ditas amostras,; a Richard 1,'onnun.
ros, muito desgoilosos pelo iratamenlo que
recentemente Ins foi dado, marebam para
Matamoras, suppOe-sa que pira obrar con-
tra os revoluoloaarios commandados por
Caravajal,
O correspondente Jo IVeiii-York-Hern
escreva de Washington que o governo mexi-
cano pedir a permisso do congresso para
antecipar 700,000 dollars mais da iodem-
nisacSo dos Estados-Unidos. A Tribunt cm
leu) o seguale:
Noticias do Mxico, is quaes alcancam
a 27 desetembro, annuneiam que ludo alli
acnava-se em lamentavel coiifu.1i, que
tendo o gabinete do presidente Arista dado
a sua demitsSo, esforcos iikIIIc uos tem si-
do faitos oir nomear quem osubitisus.to-
davii o Tratld'Union de 14 de salembro diz
que o Sr. Robles havia aceitado s pasta da
guerra. OSr EslevSo recusara positivamente
a pasta da fazenda,mas o Sr. llanuras Bcra
com a dos negooios estringeiros.
No Hies do 8 de novembro l-se mais o
seguinte sobro o Mxico.
a Noticias leleg'aphicis de Nov Orleans,
as quies alcancam a 25 de setembro dizem
o seguinte:
< Por nni navio que chegou aqui esta ma-
nhSa tivemos noticias do Tampico at s. O
genoral Canales tinha pedido pormissaoao
congresso provisorio do Maxico pira tntar
com os rebeldes, o congresso recusou-se a
conceder nenhuns tarmus o autorisou o go-
verno para ompregar lodosos meios deque
o estado podesso laucar mo, inclusive a
guarda nacional, para supprimira insurrei-
cSo. Um numero consideravel do tropas li-
li lia m partido de Tampico e Vera Cruz pa-
ra o Rio Grande. Noticias de Matamoros
de 15 de setombro iiiformaru-nosque a ci-
dado nSo tiulia ainda sido stacada pelos re-
volucionarios, po'm que se esperava al'i a
cali hora um assaltu.
O Herald tratando da revolta mexicana,
dizque seossignaes dos lempos o nSo on-
ganam, ella he o comeco do movimenlo que
pruvavolmeute riscara o Mxico di lista das
naces.
influeucia sobro o commercio de nossa ci- mada n3o fr ouvida.os estados partidarios
dado. formirSo um governo provisorio sem ne-
Assim como snccaJo sempre nos pri- ahnm pensimeuto de separac3o oudean-
moiros symptomas assustadores, o crdito
allccido emir Ellendi, odeu ordeus ngoro- prumpta soluco. Posto que esla osperan
-...-subi a resistencia quo edever ser op- ia leu ha sido frustrad i inuilas vezes, cunta-
posla aos "ahabilis.
b'jypto.
Os dous nrtigos seguintes publicados, o
primeiro pelo Sema/inore, o segundo pola
Prie, d3o bem a conhecer o esta lo desle
pnz;por isso nada mais accresceolaremos
h seu respeito.
Um viajante vindo do Esypto, nos com-
muoicasobrea situagSo desta paiz, parti-
cularidades que nos parce, 'cu de nalureza
propria a interossar nossos lcitores.
a Acabo de passar tres emHnas no Cairo.
Esta pequea demora me fui toJavia
sufilcietilo para c inhecer quanto s3o des-
pidas de fundamento as uuliciasque cada
um se comprsz em propagar ha algum lem-
po a esta paite sobre a situaeo do Egyp-
.0,..s sempre com o bom sunso e com a alia
capacidado do lioinem, cuja iiifluencia he
preponderante em Conslautiiiopla. ,\em
elle o in seus collegas quizeram jamis por
corto, exi'r a Turqua aos perigos com que
a ame cuia um conflicto que rebentasse
n ibre urna questao na qual Abbas-Pach
tem por si a justica, os tratidos, o inleresse
do Egyplo e o inters.o aln disto bem pre-
ponderante de duas ou tres grandes poten-
cias euio. cas.
N io insistimos mais por agora sobre
isto, porm voltaremos logo a esla queslSo;
porque de hoja em I1 me, anda quo ella
sej i ilecidila em Constantiiiopla, os nego-
cios do Egyplo, pelo movimento industrial
que ahi esta lando lugar, tomaram urna im
lo, e principalmente sobros projectos de' portancia quo nao pcimillira mais dospre
rosistencia s ordens do gram senhur, que
emprstala ao vico rei. Abbs-Paeh necu-
pa-sedus ii"gocius do paiz, do exercilo tan
to como dos oulros ramos da administra-
cao, porm nada mais. Nunca entrou em
seu espirito um pensamenlo de rebelli3o.
Na occasiSo da iiilroducijju ilo ubji-
inal no Egyplo, elle fez, n3u opposu;ao, po
rm represeuUrjos ins, iradas pela cons-
c lene ii us deveres que Ihe imiem a mis-
sSo do conservar u orJrin o a segurauca
que reinam ha qualio aunos no paiz. Chcio
de confiauca as luzes do divn imperial,
as bous inlencOes de seus membros,
pmioipalmente na paternal sollicilu lo do
.jl'fli) pelos interesses de cada urna d
fracgOcs do seu vasto imperio, ello cspaia
coinalgiiiini impacieiic.a antes que com in-
luielacii, o resultado de suas ultimas rc-
presentacOcs feitas a Porta Emquanlo us-
liveno Egypl", um incidente que n3o dci-
xarei pasgsr em silencio, velo dar um forte
desmentido aos oovellistas da Europa.
No momento mesmo em que elles re-
presentaran) Atibas Pacha como prompto a
fazer fugo contra os sol Jados do sullilo, o a
jogir a artilhaia cuntra a mais ppquena
escuna, que viesse de Coostanliuopola, qua-
iro mil homens de iropas oltomanas, das
quaes tres mil eram regulares, desembar-
caran: pacificamente em Alexrnidrii, ecom
o auxilio de meios de transportes, poslos
ua disposicSo pelo governo lucal, atravea-
saram o Egypto, alim de tiansportarem-se
para a Arabia.
Antes de psrtir do Cairo, vi vollar pa-
ra ahi Halim-Parha, segundo tubo de Me-
bemet-Ali, e Ismael-Pacha, flllio d'lbrapim,
os quaes alguns mezes sutes Liuhaiii ido a
Conslintinopola alim de sollicitarem alli
os favoies da Porta. Elles devem estar ss-
aaituai um foi Horneado inembro na ) sei
da que conselho, o ootro escudeiro, ou ca-
marilla, nflo importa o titulo, do Grande-
Seniior. Eis-squi, he misler confessir, os
lilhos do illuslre pacha dignamente despa-
chados he verdade que em troco destas
gracas, nSo Ihes he mais possivel pr o p
no Egypto sem pedir permisaao Port ;
porm isso he um llgeiro inconveniente
psrs quem se lem tonillo coostanlinopoli-
tanoem corpo e alma.
Eu tivera desejado todavia por muitas
usOesqueo seniimento de sua alta fortu-
na alo os levasso ao esqueciinento das mais
simples considerares. AcroJitai-se-ha ja-
mis, por exeuiplo, que estes funccionanos
oilumaiios julgaram a proposito nao fater
urna visita ao vice loi, o chefe actual Jo sua
casi, o dignitario revestido da um posto
muito superior aodelles, o depositario do
no icr fundado por sen pai e av P Em cer-
tas posicOes, um proredimento desle gene-
ro he i.inisque urna inconsequencia, lie
urna Talla grave pelos rumores e pelas sup-
posicOes a quedSo lugar.
Por isto, as pessoas que estSo msis em
ds com as regras rigorosis da etiqueta tur-
nex3o.
iimiuuio"; os bancos tendo do proteger-te Mexicanos, a junta Caravajal em sua
a si propios cessaram seus desceios, o s pruclamic3o, o vs principalmente, Mexi-
noocianlesc.iaram-so reduzidos a seas canos do norte o do nordosle O desasliaJo
nicos recursos na hora mesma em que Ins "n da ultima gnerra lancou-nos na miso-
teria sido bem importante usar a mons!ria' Vossas propriedades Toram destruidas
das facilidades ordinirias. sem compensado ; 40 milhOes do dollars
< Esta lituscSo anormal lom j feitovic- 3u fjral" sulhcianles pira reparar vossas
timas ; grandes cazas lem biqueado o sua pardas ; vossos uireilos cslSo cunfuud lus
que la podem multo bam au ser sonao o en3o tendes nonhum meio de os fazer recq-
percursor de out-os desastres. Ella lem nliocer. 0 solvagem assassiua nussos pas
alem disto por efleilo immcdialo reJobra- e aossos irm3os, ultraja nossas mulneres, e
asaprehensOes.e no estado de alteracSo era roubii nossos lilhos. Elle devasta nossos
quosacoaomercaioomaisligairorumor cimpos, arrebata-nos o pouco quenosdei-
tema serias proporcOes : niluralmente sj xou a gera, o o governo he surdo as nos-
he levado a exagerar o perigo, e os ospiri- s qneixas. Esles soldados em vez de do-
tos os mais lirmes n3o pensam no futun feodar-nos, rouba-nos o assassinam-nos por
sem inquietarlo, sua vez, sub a aecusa^ao de contrabando :
Com ludo nao he necessario quo o mil oestes mes nos soldados fogem cobarde-
presente leve muilo longe as inagiuir,0-s; montedianto do inimigo.
as.difficulladesc>nlraasquaes se tem quij 0s goveinos n3o seoecupam sen3ode si
liRar, serao evidentemiole passageia; mesmo. As rendas publicas s3o adminis-
porque nao s3o o resultado de um vicio ra- liadas sem probilade ; o monopolio he sus
dical, ellas pruveem nicamente dociusai tentado contra o vulo geral; a educagao he
que cada dia conlribuo para fazor desipa- recusada a nossos lilhos; o despotismo mi-
recer. O consumo dar extracto abun- litar pesi sobre um povo que conquistou
danciadasmercadorias que poie xeesistir glonosainenlesua iniepenleocia o sua li-
a diminuifao das importado far parar i borjado ; a populacho Jas ci Jadea murro de
corrente que arrasla o numerario para i fomo ; aiuda pensam que estamos no lempo
Furopa;e desde o da em que os bancos sa da monarctua hcsnauhula !
julgarem ao abrigo dos peJidos considera- Erna carta do Rio Grande datada de 27
veis de dinheiro, vullaro oulra voz asuat de selembro da algumas infoimir;0es acerca
operacijos egulares. da tomada de Camargu; os insurgenteseram
Que lempo ser necessario pira que i eoa numero de 400 ou 500 homens nao ti-
quelibrio seja restabelleci io f Tal ha a uni- nbam arlilhana, porem entro elles so acha-
ca questao qua ha para resolver ; porm o mullos soldados caladores a mericanos
da,ios exactos laltam necossariameuto pin os quaes abattam osarlillieiros dooxercito
faze-lo Nesto ponto convm conformsrma- mexicauo ; elles maliram qualro ofliciaes
nos com a vontade de Deus. Pela nossi e Oravajal n3o psrdou um s homem.
parte, esperamos quo a hora desojada ene- O Nw York-llerald de 11 d as noticias
gao logo o fazo.nus vulos sinceros pura quo seguimos :
oomercio francez New York, eujos inta- Parece provavel, segundo as informacOes
Abbas-Pach "era esperado no fesses estilo empenhados nrsta crise, san que nos ehegaram sobre a posirjao do Mexi-
della s-un perdas muito seriis. Os tres ni- co, esobre a revoluto que robenlou no
nos do prosperidide Je que ello acaba di noria desla repblica, que o general Cara-
gozar devem evidentemente fornec:r I lis, vajal leulia paralo em Camargoeqns os
os meios de resistir victoriosamente. revoltosos cstejam decididos a defaader a
A esti perturbarlo momontanoi de praca. Os habitantes desta cIJado tinham
lransai;Oes commerciss vem junlar-so lam- resolvido, om um numeroso mtting, acoi-
bem um terror pnico financeiro que n3a lar o pronuuciamento dos revolucionarios,
he simnlesmcnln aenn urna transarlo n. As tropas mexicanas saturan linalmnnln d i
t'o os corretoros do cambio de New York* cidade com as honras da guerra.
Metropolitan Bank que veio ha pouco temi Teado corrido mu Matamoras a noticia
tirar a estes meus senhores um de seus b- do quo os invasores se preparavam pira
nelicos mais hrilhantes, isto he o provoilo marchar sobro acidado, um grande nu.nu-
que Ihes resultara de sou trafico nobro oj ro de habitantes com as mullierese lilhos,
bancos do Estado. As hostilidades que ti- fugu mi e n3o licou em Matamoras mais
veram lugar nessa occasiSo entre as partes que 250 homons pouco mais ou menos. O
interessadas o quecausiram um certo abil general Avolos com urna pequea tropa,
lo, na. sao senao urna serie do manobrig forliflcou esta cidade a qual elle est resol-
secretas, c lio resultado tem sido at aqui
susponsSo decertos binccs do campo doi
quaes se exigi o pagamento de quanti
ion ccin-i un iiB'i i|'ie -n i reserva metillic.
uo pOJe ser sulllciente para faze-lo.
i .si as pequenis cataslrophos que, sep
gundo todas as probabilidades, nSo liar."
souSo Ii'|iii laces mais ou manos facis,
i za-los.
Abbas-Pach tinha dcixado o Ciiro para
transportar-so is bordas do Nilo, cujaela-
var;3o extraordinaria inspirava grauJes ia-
qaletacOes, Grecas sua presenta e ao
seivico qua elle tinha de aulo-mo orga-
nisado, lodus os pontos ameacados foram
icln'ca.liis, e O Egypto pJo apreciar urna
vez mais os beneficios de un admioislra-
c.'.o vigilante.
Galice-Bcy, engenbeiro francez ao servi-
C0 do Egypto, beaba de cnvhr ao vice-iei
us divarsos planos para a gran le pra?s Je
Alexan.Ina.
Cairo, i
Indias Orientaes, PersiaeSiam.
O, tres artigos seguintes transcriptos pe-
la Presar, o primeiro do llombty Times ; o
ocgun lu do Morning-Cltron'cle ; e o t ireeiro
do aity-Hewt, dardo ao conhecer aos lei-
loics o que ha Je mais inleressante sobre
osles patina i
Os xirdars de Kanduhar appossarem-so
Je lli.il, icnJo Sabido quo Dos .Molame.I-
Kii ni m ni li iva sobre Kaudaliar, Jirigiram-
Ihe urna caila mui lisongeia para assegura-
lo do sua sabmissflo e boa vontade. Ao mes-
mo lempo como quer que Ghuolam HaiJer-
l'han, filho do emir, domorasse sua mareb
sobro llerat, os sirdars hncaram so sobre
osla cidade frente de 4,000 lotear; n3o en-
contrando resistencia alguma oceuparam o
fui to que partencia ao mitigo vesir.
ii Mas seu triumplio ser do curta duracao
por quanto o emir jurou que se vingaria Jo
insulto que Ihe fura kilo, apodarando-se de
Kandahar. Disom que o visir Jar Mahomod
Khan, estando para morrer, empeoharaseu
lilhu a pe lir a assisteucia Jo rol Ja Porcia
para conservar a possessao do forte de
Herat, Os sirdars de Kandahar pozeram-
se deuaixv Ja prolecajau doXi em Xa; dizem
que 12,000 homens Je tropas persas seacnSo
actualmente em Herat. Sirdar Peer MaHo
mal Khan com um filho do emir marcha so-
bre Kandahar.
Segundo as ultimas noticiis recebidas
de Conslaotinopla, a poltica russa Irium-
pha definilivainente na Persia. A' insuga-
(3o doproncipe Uulgoronrie, o x decidio-
s.i a enviar um embaixador|a S Petarsburgo
para disstpar o descontenlameuto que sen-
___COMMERCIO.___
ALFANDEGA.
Rendimento do dia* 11.799,073
esearregam hoje 5 dtdezimbro.
Origue americano lames Crosby mac3es
Patacho americano Balhurst merca-
dorias.
Barca ingleza Linda dem.
Brigue iuglez Lata Roock firinha de
trigo.
Brigue inglez -- Aud>s mercaduras.
Brigue austraco fortslk -- firoha de
trigo.
Patacho hamburguez Bertha merci-
dorias.
lni|tortiii,'itfi.
Galera ingleza Linda, viuda Je Liverpool,
consignaJa a Deano Youle & Companhia,
maiule-lou o seguinte:
8 toneladas, 17 qilintaes, 2 arrullas o 20
li vi as (peso inglez) ferro, 286 pecas man-
gueiras de sol, 6 tarrazas Jo latSo ; ao ins-
pector-Ji) arsenal da mariuha.
a
Rendimento do dia 1 a 8 .
dem do dia 4 .,..
Brigue Dinamarque Cora, v|ndo Jur
penhagen, eoosig'oiJp a Rolda'Bidoulaaii
Comiiiniiui, manifeat'tfu o segeintn :
72^ barris carvo de podra, 52 "fardos a
2,70a) Accos usidos para assucar; aos con-
signatarios.
CONSULADO GERAL.
3 245,901
4:508,Sa|
DIVERSAS PROVINCIAS!""'
Rendimento do dia 1 a 8. iUIM
,d8Bdodi'*......._ S:
_ 257.6
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNASr'p"
RAES DE PERNAMBUCO.
Reu limouto do dia 4..... i37 .-
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do da 3.....1:133 uk
ldemdoJii4........ l:5s'M6
RIO-DE-JANEIRO.
CAMBIOS NOOIA 24 DI NOVSMBBO,
Londres, 28 3i4d. titerli. por. lira
Parli. 334 *"'
(.I-b.i 90por cento de premio.
Ilamburgo. 6191, a90div por marco banco
d/r.
UETAES E FUNDOS PUlUICOS.
Metaes. lincas liesp.inhlai 30/300
h da patria. 30/3011
Pecas de U/400, velhai. B/OOO
n Modas de 4/000 .
i* Peso hespauhea
h da patria. .
' Paticoei .
Apolicel de 6 por cento.
provinclaes
9/000
1/900
1/920
Mo
3
91
(Sornal io Comwureio
Noticias Coramerciaes.
HAVRE, 0 DE NOVFMBBO DE l85l.
Algodao. Desde as importantes transic-
50 'S nolioiaJas no nosso ultimo relatorio
o lies-. merca Jo permaneceo sempre serd a-
ui magno, posto que com precos sustentados
poim uo ha inim u,\l i alguma ni procun'
os compradores para o negocio cumprind
smente ordens para as precisdes indispen-
siveis. Como avisados no nosso post-scrip-
tum, de 29 do mez expirante, recebemos
ni l"cc,a-feira, por via de Southimpton, um
resumo Jas notioiaa por vapor Canad, as
quaes nos vioram m3o ua mesma noile,
datadas de 14 do mez passado, de Nova-
Yo k, annunciaodobom lempo nosul, mais
Je um navio no porto para o Havre, e is
eslimacOas genes Ja nova safra sSo Je
2,600,000 2,700,000 siccas. Soubemos
lambem por una correspondencia Je 11 do
mez pass ido, que o algodSo mediano bi-
xra a c. 7 em Nova-Orleans, e eooseguin-
temonteo nosso merca Jo lumou-se inteira-
mento frouxo, Na quarta-feira as venjis
ii.ii oxeo Iran a 500 saccas, das quaes 300
devem ser entregues pir Sharon e II im-
phreys ao preco de c. 80 para o bom me lla-
no, De mauliaa 400 saccas foram venJiJas
no com.Hercio, o na sexti-fcira, esperando
a chegada do Humboldt, 900 saccas muda-
ran) Jo ni ni-', das quaes 400 siccas exis-
tan) nicamente no porto, o remanescente
leu lo-se comuoslo Je ven Jas a chegar fei-
tas no Jia antes, a f. 78 para o mediano e
. 79 para o bom mediano, por Honmouth
c. I une si.ir, os quaes navios aluda nao ti-
nham JoscarregaJo.
Nosibbado, sondo dia de todos nsSiii-
tos, a.- n 'S-as IransaccOes estavam paradas,
cun i lambem no domingo de manida, po-
rm rocebomos as nossas cartas pela ma-
nlili por iliiuihol.lt, que o vapor chegou
na sexta-fuira noite, annunciando 5 na-
vios mais para o nosso porto ( um em Char-
leston, carga, e 4 em Nova-Orleans);
os tres ltimos, com ludo, estivam carre-
gando tabaco.
Em Nova-York, em 18 do mez passado,
os precos tinham declinado, porm eslavam
mais firmes, e o mesmo caso leve lugar em
Nova-Orleans, onde os precos, depois de le-
rem bailado a c. 6 3/4 para o mediaoo,
s'jhiram a c. 7 1/8 recepco dos avisos
por vipor imerica, por urna correspouden-
cia de 16 do mez passado, que cota os fretes
a c. 1 1/4 para o lime, e 5/8 d pira Li-
verpool.
No domingo recebemos o relatorio sema-
nal de Liverpool, mostrando urna baixa de
1/16 d., todavia pouco algo.l.lo foi ull'ere-
culo, e um melhor excitamento noeacer-
r.inieiit i do mercado.
Na segunda-.eira, sob a influencia destes
avisos e da reoda publica de 2,500 siccas
de algodSo das Indias orientaes, as quaes
liveram lugar pela manhfla; as nossn
IransaccOes regulares se limitaram a 400
siccas a precos mais frniixos; o resultado
da venia publica foi quasi nullo, e 90 sac-
vido a dofander atea ultima extremidade.
A foma lavra em Durango ; ella foi produ-
zida pola JeslruicSo das colheitis pelos In-
dios. Os graos vendom-se por um prego
exboibilanto.
As noticiis di capital do Mxico imfor-
mam-oos que 3,000 homens foram manda-
dos pelo noveino para defender Tehuaule-
D. Fernando Ramniz aceituu finil-
nau afleclim a SllaaoflO, ellis vem lu.livu re-'
muito fia da tempe; entre outros ella7 ">80te a pastados negocios estrangeiros, e
teuiu giveincuiiveuientede fazer o pubis recebau a missao Je fomar um novo gabi-
nete. O general Ansio t ma -se cada vez
mais impopular, e pos isso chegou a publi-
car ltimamente algumas me lulas lyraui-
cas ali n Je por s: ao abrigo de um perigo
pessoal- i u general mexicano, Caray, loi
mandado pan Acapulco preao sob palavra,
por ler escriplo contra a adiniuistrar,3o do
governo. Finalmente este paiz nfio he con-
giave inconveniente Ue lazar o pubis
co, e principalmente o publico pobre pai
gar asdespezas da guerra ntreos co re-
lores e o Metropolitan Bank. Isso lis ce
mus, sem duvida, e he para lamentar qie
nao h.ij i um meio de fazer parar ou de pil-
nir esta funesta agiutagem.
Como quer que se oslivesse prepirinlo
nos Estidos-Unidos urna expedicSo conUa
o Mxico, o presidente Fillmore pubiicm
aos enlaciaos di Uni3o a seguinte prock
le o imperador Nicolao pelos maus trala-l maQ9b :
melos que a populacho russa de Asferabad I Visto que ha rasOes pira crer que na i
t.-m suffiido da pn.... dos Turcomanos, oexpeJI(fij militarse prepara nos Estada-
diplmala escollado para esla mss8o he o'Unidos para o in de invadir a republta
actual piesiJeiilodo divn real, homem ca-: Mexicana, com quem este paiz est em ir,
piz o quo ser bem recabido Se fossepos-1 vista que ha rasOos para rocuiar que urja
aivelqueo contrario podesse ler lugar, o j parle do povo deste paiz, sem respeito a
x nao teria arriscado este passo. a 'seus deveres como boos cidadSos, toman
,\s notois deSiam aleancun al o din parte neila, ou pnssam ser seduzidos a issd:
le jiilho. O novo principa saguo urna poli-nVialo que taes omprozas tendeen a degr/-
tica maisesclareetda e mais liberal que sen dar o carcter Jos Estados-Unidos o opi-
prodecossor.ellofaz coiislruirnaviosdecom-! niaodo mundo civilisido, esilo expieai-
niercii, leJiiziou un, o-lu sobro u.. navios iiieule pru.ubulas por lei :
estrangeirosdecominercio,reduzioo i nipos-i Advirlo por esta minha proeUmagloa
lo sobreosuavioseolrangairos delTOOa IOoO to Jas as pessoas que lomirem parte en til
iccia por braca tomadas sobre a maior lar-1 empreza em violacil j das leis e das obrgi-
siderado souiu como urna repblica de for-
ma, que gyra a todos os ventos, conforme
a voutide daquelles que si acham frente
do poder.
No Times de 3 de novembro l-se o se-
guate :
Temos noticias telegraphicas do norte
do Mxico via Nova Orleans : -
1 barrio conservas, 18 caixas teciJos d(
algoiao; a Junes Patn & Companhia.
2 fardos Jilos, I p icole livros. 1 dito um
relogio; aC J. Aslley& Companhia,
70caixas.queijos; a Machado & Pinheiro.
50 ditas ditos, 4 barricas ferragens; a
Brauder a Bramlis.
I pacote e 1 caixa tecidos Je 13a, 1 dita
ditos Je seda, | dita ditos de dita o I i, 50
ditas o 162 fardos ditos de algoJ3o, 37 gigos
75 meios Jilos 11 barrios'e 1 oesto louga,
17 canias mercad i: las dner.sis, 2 Jilas pa-
pel, 2 ditas feragens, 1 dita roupi, I dita
nbjectos do borracha. 6 Jilas chapeos, 1 di-
ta relogios, 1 dita um chapeo, 1 meta dita
c ni, 1 barrica vi leu-, 1 hura Je ferro; aos
consignatarios,
5 meios gigos louqa, 2 caixas meias de
algo 13o, 45 ditas e 9 fardos tecidos diver-
sus ; a Fox Brothers.
10 ditos o 12 caixas ditos; a Rosas Braga
& Companhia.
2 .lila- e 18 fardos ditos, 1 c uvi meias de
seda ; a James C abtreu & Companhia.
113 ditase 38 fardos tocidos diversos, I
picote portences para e-cn tuno, 1 caixa
um piano ; a Roslran Rooker clt Companhia,
4 fardos o 20 caixas leciJos diversos, 1 di-
ta couros, 2 ditas caoiisas o meias de algo-
d3o, 40 barris manteiga, 500 fogareiros, 1
barrica grades; a 11. Cibson,
7 fardos tecidos dealgodio pira saceos; a
N. O. Bieberi Companhia.
3 caixas o 62 barricas ferragens, 1 dita
candelabus, 2 Jilas vi iros, 2 ditas cerveja ;
a S. P. Jobnston ot Companhia.
62queijos, 39 presuntos, 4caixis, 4 bar-
ricas, 2 barnquinnas e I barril conservas,
13 pegas toucinho, 10 barricas cerveja, 1 cas nicamente foram abatidas a f. 37, e os
diti louca, I caixa moslarJi, 1 Uta um melhores lotes foram retirados de fr. 50 a
quoijo, 2 barricas ditos, 1 picote livros, 10 52, hontom, a espera das nossas cartas por
ancuras, 1 caiva e 4 jafros ignora-se;ao vapor Asm, as vendas nSo excederam a 450
capitn. saccas, sem alterac,3o em presos; porm
30 caixas (ios Je algoiSo, 16 ditas o 8 far- muito algodao foi offereciJo i venda nBo
Jos tecidos diversos, 1 gigo louca, 7 caixas obsUote ain la nao ler ebegado.
mercadorias; a Adamson llowie & Compa- Ao resumir as venda- da semam, que
libia, i nio abrangein senBo as transtcgOns de 5
1 da um chapeo, t dila solins, 30 ditase Jias, montamem 2,640,000 saccas, Jssquses
15 TarJos teciJos diversos, 150 barris man- 800 a chegar contri 1,900 importadas, e
teiga, 6 barricas ferragens ; a Jobnston Pa- estamos com um deposito m3o de cerca
ler & Companhia. i de 18,000 saccas, das quaos ..uniente 9,500
107 ditas. 1 ri .> 1 ce'tO ditas, 26 csi- do: Estados Caldos, iscluisdo !,000 ds Sea
xas e o fardos tecidos diversos, 2 caixas I-1 ni.
los do algodSo, 4 Jitss miudezas, 1 caixa Estamos espora Jo 17 navios Je Nova-
c ni-e. va-, 1 dita oleados; a G. Keoworthy Orleans, 7, Jos quies estfio cirregsndo ta-
& Companhia. bico ; 6 se llzeram do vela s ultimas datas
2 caixas chapeos; a F. F.Tinom. com 7,205 saccas.
20 fardos tecidos do algodao; a Rostron O paquete Zurlck do Novi-York, sihira
Dulton & Compauhia. com 1,178 saccas, diz-se juntamente 8,383
7 caixas ditos, 10 ditas queijos. 2 picotes siccas. Fomos alm disto informados que
objecios para desenlio; a II. Royle & Com- a Alian;i ostav cirregiudo em Chirles-
paunia. ton, e esperava-se a c Gallia em Mobile
1 volnmo peneiras, 50 barris manleiga, para levar um carrcgamenlo ao Havre.
9 barricas ferragens, 10 caixas queijos, s Caf. Depois das importantes vendas da
E, H. Wyalt, semana passada o nosso mercado esteva
25 tonelladas de ferro. 3 laxas, 1 ciixa fer- em calma, porm os probos coalinuam bem
rageas; a Botrmaaa Me. i; di un ii Com- conservados.
panhia. Vendas: 1,100 saccas do Rio, lvido, e
1 dita e 22 barricas ditas, 10 fardos teci- n3o lavado de fr. 49 a 62 sob promessa, e
dos dealgoJ3o; a Ridgway Robilliard & 969 saccas ivariadis, ex Moliere de fr. 99 a
Compmhia. 112 p. 50 kilugrammas, pagos os direitos.
i caixa diversis mercadorias; a E. B. na Importarles : 3,503 siccis de Sin omin-
Silva. gos, por Gaspard-Monge e Mithiide, e 300
68 ditas e27 fardos tecidos diversos; a J. sacos de Pernimbucu, por Havre.
Ryder & Co.upauhia. Couros.Urna leve reac3o tave lugar Ju-
24 banicas ferragens; a Antonio Fran- ranteas ultimas chegaJas, a qual levou os
cisco Je Moraes. expeculaJores ao maicaJo, os n ssos pre-
1 caixa chapeos, 1 dita ditos deso e len- (os reassumiram immediatameal sus tr-
eos do seds, 1 dita facas, 1 selim e 1 freio, mesa costumala.
2 ditas tecidos diversos ; a Luiz Antonio de Vendas: 2,805 seceos de Buonos-Ayres
Siqueira. de fr. 60 a 90, 1,100 do Rio-Grande a fr. 65,
1 dita roupadeuso particular; a I. W. o 1,150 hmidos salgados de Buenos-Ayres
Wilson. a fr. 36, os ltimos as mais das vezes para
1 pacote diversis mercidoriis; a Miss expoitacao.
MiJJIetou. i Deposito: 1,800 seceos e 25,000 hmidos
1 caixa um piano; a Manool Joaquim Ra- salgados Je (alas as sortea; iucluiudo a
mos e Silva. nossa iuiportacilo do Rio Je Janeiro e Per-
14 ditas tecidos diversos : a A. Cesar de nambuco de 3,017 seceos e 2,822 hmidos
a
A 16 do corrente ( salembro ) Caravaja| Abreu. salgados,
achava-se a 10 milhas de Matamoros com Bciguo austraco Porto Ke, viudo de Tri- Ajsucar.Este artigo esleve procurado,
urna forfa mui grande, a qual segundo se este, consignado a Deane Youle & Compa- poi n dovilo 'escassoz dos suprimenlos
diz, ni centava menos de 10 mil homens, 1 nliia, manifastou o seguinte v do assucir francez colonial ( o nosso mer-
inclusive 400 caga lores texicnsos pouco. 1,660 barricas familia de trigo; a ordem. eaJo estando quasi exhausto) astransac-
mais ou menos ; esparava-sa que elle ata-. Patacho americano Bathurst, vindo de gOas foram limitadas, e urna porgflo do quo
caria a cidade ai uiinl)5 do dia seguinto. llalli noio, consignado a Deine Youle t se espera foi vendido, Dio obstante nSo tor
ntreos cagt Jures ha urna companhia que Companhia, mauifeslou o seguinte : ainda chegado, com um adjunta ment de
fui licenciada do exercilo dos Estad is-Uni- 149 ealxis e 150 fardos tecidos de algo- fr. 1 a a para 4." boa sorto, valendo ficll-
Jos, O excitimenlo ao aorte do Mxico he d3o, 632 barricas farinha Jo trigo, 150 ditas I mente a fr. 59, 50.


p-
>
VeniM: 711 barrica de ff. J8 59 50 p
50 kilormmj, pigot os li.eitos. Nada
[ei eio aisuor- astrangairo.
Importaos 755 barrioaa e fetaes di
Martinica o Ceidelupe por Matbiido Maria
Felicidad?, e 3,238 eiocoe da Per na tabuco
oor Hvr.
Deposito: 00 barrica da Indias ooci-
dentacs francezas, 4,000 saceos da Bmil,
(J,600 barriM e 1,40b caixas da Havanna
a Po'lo-ico
Movimento do porto.
Navios entrados no din 4.
Rio de Janeiro e portos intermedios- 8 das
Jtboras vapor bnsileiro imperatriz ,
cenunindaote o primeiro tenante Joa-
qoim Salom Ramos de Azevedo. Traza
aeu bordo : para esta provincia, o desem-
barg'dor Francisco Joaqulm Gomes Ribei-
ro> D'. Jos Augusto C. Nabuco de Arau-
jo, Dr. Cirolino Francisco de Lima San-
tos a 1 escravo lente coronel Hygino
Jos Coelho e sua familia, o primeiro ca-
dete J. C. Pessoa de saboia, o particular
Jeremas Breogel de Almeida Cueles, Fe-
liciano de Souza Aguiar, Manoel Balths-
zar Pereira Djogenes, Malhias Lopes da
Costa Maia, Antonio Rrandfio da Rocha,
lente Manoel Jos de Barros e sua se-
nhorB, 7 ex-pragas, 1 desertor e 1 escra-
vo a entregar : para os portos do Norte ,
I). Joaquina Francisca do Sacramento ,
Antonio Maria Moren-1 de Carvalho, Do-
mingos Jos Rodrigues o Tlieodoro Anto-
nio Su Oliveira.
pjotrande do Sul -- 36 das, patacho bra-
silero Euterpe, de 163 tonolladas, capi-
13o Joo Congalves dos Res, equipagem
II, carga farinha de mandioca ; a Candi-
do AITonso Moreira. Passageiro, o nas-
tico Jos Ignacio Pimenta o Francisco
Joaquim Machado.
Paranagu-- 28 das, brigue bnsileiro Be-
lizario, de 232 tonelladas, capitao Manoel
da Silva Santos, equipagem 12, ooi las-
tro; ao capitao.
Abrolhos tendo sahido do New-Bedford,
ha 4 mezes e 10 das barca americana
(ray Houod de~28 tunelladas, capitao
F. A. Wlng, equipagem 24 carga azeite
dopexe; ao capitao. --Veio refrescare
segu para New-Bedford.
Navios saltillos no mesmo dia.
Vracaty hiate brasleiro Flor de Cururipe,
capilSo Alexandre Jos Alvos, carga vinho
c mais gneros. Pasagoiros, Antonio Joa-
quim Seve, Manoel Theolphio Alves Ri-
beiro, Joaquim Antonio Alves Hibelro ,
Jo3o Jos Pinto Jnior, J. Colares, JoSo
Jos Estevas, Pedro Jos Ribeiro e Joa-
quim Bernardo S Brrelo.
Babia porS. Miguel das Alagoas sumaca
brasileira Paraguass, meslre Francisco
Peieira da Silva, em laslro.
tara urna eacolbida cavatina do eu reper-jder-se com O mesmo capillo ou
3
torio.
Terminar o espectculo com i graciosa
firga
O llecrulamento n'Aldeia.
Comeev a 8 horas.
O reato doa biHieles acham-se venda no lu-
gar do coaiuine.
Theatrode Apollo.
RECITA EXTRAORDINARIA.
Sabbaio, 13 da drzembro de 1851.
Depois de um i nova o escolhida ouverlu-
ra locada era grande orchestra, subir pela
primetra vez scena nesta cida le, o magni-
fico e pomposo mysterio, adornado de mu-
zicae canto, em 5 actos dividido! era 7
qoadros e2 intermedios, da hbil penm do
eximio poeta francez Alextndre Dumas, in-
titulado :
D. JO.lO DE MARAA,
oo
A Quila de um Anjo.
Pemonagens e adoren,
D. JoSo de Maraa--o Sr. GuimarSe?.
i). Jos de MaranS -- o Sr. Amolo.
D. Mortez o Sr. Miranda.
I). Christoval --o Sr. Talles.
D. Minonl o Sr. Conrado.
D Sundovald'Ojedo-oSr. Gyrillo.
D. Pedro o Sr. Jorge.
D. II n ru| un o Sr, Figueirelo.
I). Tradique-- o Sr Caetaoo.
I). Snchez -- o Sr. Senna.
O Anjo Mao o Sr. Mello.
O conde de MaranS N. N.
O Senescal -N. N.
Comez -- o Sr. Santa Roza.
com o consignatario Luiz Jos de
S Araujo, na ru da Cruz ti 33.
-- Para o Cear, hiate brasileiro nimia,
j tem i org.lo de carga a'bordo, e segu ate
odia 8-do correnle.com o que hvuver: tra-
ta-se com Manoel Diaa, na ra da Sen zalla
Velha n. 131.
[HTIlaa*l I I
Leiloes.
O corretor Miguel Carnero far leilSo
por ordom dos Srs. M Calmont & Compa-
nhia hojeS docoirentea* 11 horas do dia
no caes da Alfandega de 408 barricas com
farinha de trigo com toque desvala chega-
das do Liverpool do brigue inglez Andes.
Leilfio que faz o corrolor Oliveira, por
ordem do capilSo T. P. Josl, era presonca
dos agentes de Lloyds', por cotila e riaco
de quem pertencar, do casco, lodo o ap-
parellio, veilame, ferros, correntas, botes,
manlimentose mais peitences da barca in-
gleza Ospray, tal qualsa aclla fut laida va-
le potto, onda os pretendentes po1er8o fi-
zar antreipadamente o competente exame ;
{sabbado, 6 do correte, ao meio dia em
! ponto, na porta da associagBo ci'nmercial
I Augusto C. de Abrou n3o lendo por fal-
ta de lempo vendido no seu lello do s-
j gunda-feira, tolos os artigos que deseja aca-
! bar, continuar o mesmo por Intervengo
i do corrector Oliveira, soxla-feire, 5 do cor-
rente, quando vender um excellente sorti-
menlo de alpacas, cassas de quadros do 10
e de 12 jardas, brins de linlio branco transa-
do de todas as qualidades; corles de cassas
fustes para colles fluissimos, dilos ordi-
narios, brins de linho liso de quadrinhos,
ra da Cadeia-
Nodfi I.* do crrante, desappareceu
Um moleque por nome Honorio, gago e pi-
cado rucado : quem o pegar lovo-o a taverna da
roa doGnllegion. 25, quo ser recompensa-
do. Proiesta-so de o npregar o rigor da lei,
contra a pessoa qua o reter em seu poder.
-- Thom Mara, embaroa para! o Rio de
Janeiro, os seguimos escravos: Celrudes,
Lui/ii e Manoel, creoulos; Antonio eManoel,
perdis.
Eml.a-ca Manoel Alve Guerra Junio
para o Itio do Janeiro, a entregar a Denlo
Jos l' 'mandes, os escravos abaixo declara-
dos, JoSo, pardo, ida le 20 annos; Benedic-
to, creoulo, 20 annos, e Felisberta, parda,
20 mu .
Embarca Roza Mara da Olivoira Miran-
da, a escrava parda, de 14 annos de dade,
pouco mais, ou menos, a entregara seu Sr.
BenloJose Fernandos.
I'recisa-se alugar urna e-crav i para
todo o servigo interno de urna casi de fa-
milia: a tratar na ra Formoza, quarta cisa.
D-'seji-se fallar pessoalmenle cun o
Pire i -
llussein, criado, pagem o Sr. Euzebio.
Um Anjo -- o Sr. Dornellns;-
O bom Amo, Sror Martin -- a Sra. D. Lo- -J '" armazom, n
poldiua. *"'
Therczina a Sra. D. Joanna. ~ Ocorrector Miguel Carneiro, far oi-
Ignez a Sra. D. Carolina. I3 no l? sabbado 6 do correnle, as 10 ho-
Victoria -- a Sra. I). Josephina. rs,la manha, no seu armazem, na ra do
Paquita-a Sra D. Solidada. Trapiche n. 40, de
Carolina a Sra. D. Anua.
Joanna a Sra. D. Luiza.
Sozor rsula -- a Sra. I). Luiza.
UmAnjo N N.
Pageos, soldados, cavalleiros, etc., etc.
diversos trastes novos. e
usado-, pianos, louc,a, vi lies, candieiros,
quadros com eslampas, um cofre de ferro,
urna piura i de caixinlias com pilulas de
. Morison's, tinta para marcar ropa, o outros
, muilos objeotoa por todo o preco : assn,
QudroVMmerV.'-^ nte' dos,M"av^8nlls.''co'noao^lelodi, em vnl n,ra em leiia
Segundo.--Castello da Villa-Mar. urna porcSo de charutos da Baha, eum ca-
Primeiro nitermedio.--0 Co. vallu lle selu niul10 Dom andador, o proprio
Quadro terceiro Uina elegante pausada em P'ra a fe8ta.
Madrid.
Segundo intermedio.--A Ierra.
Quadro quarto -Urna igreja.
quinto.Um clauslrodosTrappislas.
sexto.--L'ma sella no convento do
Rozario.
< stimo.Um antigo castalio arrui-
nado aoluar.
Sen lo todas estas decorac.'s totalmente
novas,e preparadas com toda aquella magni-
.i. r...i ificancia, que exiga o autor doMvstino.
RioGrande do hu pelo a Rio de Jane -, ,|a mfi da o^mpresario
roeSautos-- b"8u"^"'',"""',,^-do Apollo Uabalh. em iproopUr csledra-
b.ni.,capiiaoAgosinhoNeves da Silva, suueccilu0 ^als r,l3|21)mca,lte
carga faxendai el.slio I assageiroi,, Pon- parecendu inlll0S8vef (|ue uma
ciano Jos Tabola e Faustino Corren Bar- ompr)a ,a'0 gasctnl* podes.e levar a scena
D0M- .... -i -.. .,.,.. v An compozicSo to diflicil diap-rtou toda ad-
dem patacho braiileiro Vinte eINoMde mila lovdaj s enlendida ..esta ...-
Uelembio, cepillo Manoel Josc Monteiro ten., poioa i-lo aia.-n prompto, depois de
Viamia. carga sal e assucar.
IfilTAES.
vencidos i.iim i oiisticuloj, e grande
'despeza, que fari i desanimar a oulro quo
Manoel Joaqulm da Silva Kibeiro, fiscal su?
penle em exercicio da fregneza de Santo
Antonio en virtude da le., etc.
Fez publico as disposicoci dos artigos.
abaixo transcriptos das posturas municipaes
em vigor :
TITULO 9.
Art. 6. Ninguem a cavallo poder galopar
ou correr polas ras a pontos da cidade.ex-
ceplo as orJeuanc,as mutiladas, e olllciaes
em setvio, sob pena da pagar 8,000 de
multa, ,.
Arl. 7. Netilium carro sera conduzdo *
correr as pontes, os cavallos devarJo ir a
pequeo trole ; e as ras n3fl pdenlo ir a
galope, o infractores serSo multados em
11,000 rs.
E para que no alegucm ignorancia vat
publicado pela imprensa. F.cguezia de S.
Antonio 3 do dezembeo da 1851.
Manoel Joaqulm da MUa Ribeiro.
Ignacio JosPiuto, liteal da fregneza da Boa
Viata em vn ludo da lei etc.
Faz publico as disposiijOea dos artigos a-
b.-ivo tranicriptos das posturas mu cipaes
vigentes:
TITULO 9.
Art. 6. Ninguem a cavallo poder galopar
ou correr pelas ras e pontes da oidade, ex-
copto ai ordenacas montadas, e olllciaes em
nsrvico : sob peaa de pagar 8,000 rs. de
multa.
Art. 7. Nenhum carro ser conduzt lo a
corter as pontes j os cavallos deverSo ir a
pequeo l- ule ; o as ras i.So poderSo ir a
galope : os nfiactoies setSo multados em
6,000 rs.
E para que nao alleguem ignorancia, vai
publicado pela impiensa. Freguezia da Boa j l|a puu|c,sIo di terce[a parle 0 pre.
Vista 3 de dexeuibro da 4851 O Uscal, Ig-
nacio Jos Pinto.
O corrector Oliveira far Ioil3o, por
ordem do Llulio, cspitJoda barca america-
na Ruth, por coma e risco de quam perlen-
cer, de 103 barricas de farinba de trigo ava-
11 la, restante das salvadas da dita barca,
naufragada na costa do Rio Grande do Nor-
te, na sua rcenlo viagetn procedonlo de
Ballhmoro i sbado, 6 do correnle, as 9 ho-
ras da tnaiihuaom poni, (com as pessoas
que at a essa hora comparecoram, por ha-
ver no mesmo ia oulio leililo) no armazem
do Araujo. becco do Gonsalves.
Avisos diversos.
U abaixo assgnado rogressanuo ao Rio
de Jjnoiro, e n3o tendo tcu.po do i i > -
dir-so de toda as pessoas a quem veio ro-
c.mimen la lo, o com i|iie.n tr.insaciouo.ie
rocelicu lanas alleii(0es o obsequios, o faz
i por meio dVste bem conceituado jornal,
??,^ri.'bu .'fi ",e; 'f'il a?,6l''r'- sneotilcanlo-lhesquo no Rio do J.neiro
?ES22 Ue"der o acarao sompre prompto a .ctrihuir-lhes
I -. Inoqua loroi muita silisfac..1o. Aolllm. Sr
Sondo pos avultadiss.rna a son.ma das i,r. s .bin. medico liomccopalhi, OOOI es
despezas lenas para este My-teno o empre- ecljliua 8(ra,,eco, poU vBlo r e9 de
l\ur^ r,g'" ^f^'? ll0 ".a "To que ncile vapor Ta,j Dflo po loria p.r-
so dobrar os precos, como lambem vender ,jr se adiar ininha oonwrte com un.
osbill.elesparatr,zo.les,sendoapriu.ei- f.,r\e ataque da arganl. que a iapoMi-
rana do da 13 asegunda nado da 17, o a bi,itava 0Ht do |)e|,or ,Ba, e serios recelos
tercoira na do da 20. eu ,j|l|la pela 9ua v|a ,jopujs if t8r ro.
_ .__rreQGS. | corrido a uui dos inulhores iiiodico.i Ilop-
Ceral. 6,000 rs. para as troz no.les. f [h,3 d-esta olladfl a molestia mais se
Cadenas. J'0 rs' I agravava a pontos do dito medico l'ie que-
Camarotes. 30,000.8. rcr fazer operacSo na garganla ; fui m-sla
Os Srs. ass.giiaul.es porem n3o solrora-n f occssju quo [Cvo a feliz lembranca da ro-
lter.naoalguma nos precos do seus cama- correr ao |,|m, Sr. ur. Sabino, oqual lo^o
rotes, ebilheloi do c.deira. me disseque a molestia eslava em estado
Eutendo-ae por geral os assenlosque de muita KPavidado eadiaulanento, porm
cam por baiao da primeira ordom, opor.ca- quelicllla reenl salva-la a talvez faior com
de.rs, todo o centro da salla. I quo podesse segujr a m,],a vagei., o lou-
Comecara ais 8 horas om ponto. Vjdo f,.us Bt8,n aconteceu no lm do 4
OsSrs queja havtao ene.mmendado ca-||lurajClI1 u,na doso que Iho foz tomar, a
marotes; queiram novamenta dingir-sea duellte a pojja beber agua com facilidade
casa do emprezarto ra do Apollo n. 27, se- e a0 r,rn de dous dias com oulra oose, j
gundo andar, ou ao tneatro com anteceden-1 podja comer e eslava com a garg,nla qu,si
Cla- .,, ., desembaracxda: buje acha-se rainha con-
Oj btllietes verdes, tanto de platea geral, jsurle ul.rretall,81lle uua (a0 |, do 5 das; a
comodecade.ra e camarote servirn para afse(,ujmoa nossa vaBem. Receba poisoSr.
l.-noile; os azues, para segunda noitc;e Ur sabino, os prot-stos da minha mais
os amarellos, para a terceira noite. [ viva grartd5o pelo feliz resultado qua desle
tractamento lirou, e qua j mais esquece-
, re. Recife, 2 de dezembro de 1851.
ELEMENTOS ioio jl dll /}e,s.
DE Padecenlo4 para 5 annos de retenrjes
Homceopalhia. I de orinas, e j caucado de consultara di-
Sahio a luz a segunda parte desta obra {versos facultativos sem que estos acarias-
compostapelo professor homceopalha Cos-.semcom a cura radical do minha molestia,
sel Bnnont. Recebem-so assignaturas para recorr por ultimo ao mui digno Cerurgiao,
a obia inteiraa 6,000 rs., no consultorio,0Sr. Jos Francisco PintoCuimaraes, e sto
hornee ipatiiico da ra das Cruzes n. 28. De- J no da 5 do novoinbro p. p. depois do mcia
o 11a-
) lo-

1 ola
Sr. Dr. J. a. Souza IWtrao da Araujo Pi
ra, a n gocio de seu iuteresse: na loja de fa-
zendas ua nraca da Independencia nmeros u.
37 e 39 K
~ Pr'cisa-se alugar uma escrava, queJJ^rV
ba en^oitunar ecozii.har, odiiriodouma
casa, r, s lonsabilistn lo-se o seo senhor : na
ra estieita do Rozarlo 11.12, Inji de marci
neiroso ilira quem precisa.
-- Joanna Uo Rozario CuimarSes Macha-
do, embarca para o Ro de Janeiro, o seu es-
cravoceoulo, denomo Luiz.
-- Pei-gunti-se ao Sr. Germano, a nzSo
porqit. a entrada no tliealrn nos dias da rii
siio, he franca para uns o pa.a outros au,
Uto i_l 11 -111 um dos despedidos.
Acha-se fugilodi cidade do recife desde
o dia Sdejulhu do co> rente auno'do 1851. o
preto Juno de naiao Qjigain, com idado de
28 anuos, de altura regular, seco do corpo,
cor fula, pouc barca com uma marca de na-
(3o em um braco Dornas sigua) tanto
diadas, meio ginga.lor no andar, com 11
marca ou pella lura pequea na cabega (Ola,
cosluina d carregar, leudo lvalo caiga a
zul tnesclada e corroa na cintura p ra
segurar, carniza branc, bonel da marojo j
usado, das quaos roupas lalvez ja tenh 1 n.u-
dsdo,e be:u sss.m nome. SuppOe-se ter se-
guido para aigu n engenho desla capital ou
para qualquer oulro lugar onde estoja acou-
tldo. Prolesta-su cont-ao diteutor, e por
iiiileuiins leu dos prejuizos cauzados; e ro-
ga-se a todas as autoridades pessoas par-
ticulares, que o poderem man Jar capturar
que o mandem intregar na mesma cidade om
a ra da Cruz 11. 17 defronle do,cll.fariz, a
seu senhor abaixo ussignado que gratificar
mui generozamonle aos condulores.
Manoel Joaquim Seve.
Deaappatccan no dia 3 00 correnle ad
ra do Vigario n. 25 terceiro andar um mu-
lato claro; cabellos cariados, tem na frente
dois denles podres, e levou camisa de algo-
dBozinhode lislra, e calca do brim trancado
pardo, j com algumas no loas, toga a qual-
quer pessoa que o pegar leval-o na dita casa
ou senhor que sera generosamente ro-
cotnpencado.
Ulindi.
Sorvete de liojc
em diante no hotel do Vara iduiu.
Chegou cm lm o suspirado gelo pira o
fabrico do inicompir.ivel sorvete, a lm de
Aluga-sa cocheira da ra da Rodl,
que fol do Sr. Pecona, a boje acha-se bom
moniada: com 8 cavallos gordos, propiios
para alujar, a toles bam areiados, e 1 dita
cnch 'ira tem commodo para 40 cavallos, e
lugarsncente psra ler carros; e aloga-se
por preco muito commodo; ea pessoa quo
se propor a esta negocio sempre contratar,
visto o preco ; e na mesma cocheira acbf-
so-ha com quem contratar, das 7 boras da
ui i.h.i a. 6 da tarde.
i'.t't'iein para quem esliver doenle.
Aiuga-sopara passara festa, uma excel-
lente casa nova do pe Ira e el, com bons
commodos para familia, no melhor lugar
do Caxang, junio do approciavel rio Cpi-
baribe, por prec,o commodo : ou aterro di
Boa-Vista n..50.
Avisa-so ao rospeitavel publico, que
ninguem f .c,.. negocio aUum com a casa
sita na rus de Hurtas n. 122, pois qualquer
negocio que se fa;i (cara sem efteito al-
gum.
Precisa-se de uma ama para o so'vico
do caza de muitu pouca familia : na Poole
Velha 11 14.
-- Aluga-se metale do uma caza com ox-
enles coina.odos para una ou duas p -s-
diri|am-sea ra do Crespo n 5.
No dia 2 do correnle no acto da
Parada, na quina da Olla 0:1 tej estove
a IfunicipaliiUilo, desappareceu do bolrjo do
palito ce.m qu? la vestido Jos Luiz Inocen-
io Puge Jnior umacarlcira conteudo cin-
coenla oanlos mil iis ; o alguus pipis
sume.ilo do ulin.la 10 ao mesmo, entro eil s
ur recibo de 5 apotecas ua Companhia do
llol.lrilio: quera achou os refrldos obJeetOJ,
e queira 1 es it ....., u :.i->n favor e u'annan-
clar por este Diariiou man laJ-OS entregar
11:1 1 sideucia do dito l'ugg) Jnior 1 111 ra
Sala moblada e lodopcnlente, para as
familias, que inlo a pisseio quierecs des-
cansar.
Quartos preparados para dormrd*.
Espacosa o bam arejada si la dejtntarf,
com capaciil ule de servir 40 pesabas.
Soiti para recreio e pa-s'o. .
Estribara e nrr njos para cavallo.
Co ni la menssl oavulso, preparain-sejan-
t.ros e pre7U'.tos, aluga-sa lour;a, vidros '
bandejas ele etc.
Tudo por prego muito rasoavcl, e acon-
tento dos 1 reten lenles.
-- O abaixo assigna lo, nSo he mais pro-
cura lor d. exlincla compauliia de l'ornam-
buco e ParJiyba,e mora ua ra do Apollo n.
20, onde poda ser procurado sobre negocios
de recebimento de assucar,agoardenteeou-
tros quaesquer gneros de exportarlo que
Ihe lorem consignados a commissSo ; todos
os dias uteis das 8 horas da manilla as 5 da
larde, fra disto no porto velho da Capuoga
junto au pul l da Sra. viuva Lasserre.
Jos Antonio de Souza Machado.
-' Pede-ae ao Sr Jos .'.arlos do Mendon-
ca Vrscoucollos, morador no Sul dests pro-
VI11C1, qWe se nilo tem jurado t..".o pagara
quem ile .', pague a herieira da fallecida D.
.M ii ni Rodrigues de Jess, a qutntia de
sois cent .se se-enlao tintos mil riis, prin-
cipal c j rus desua divida, conlrahida, ba
tantos anniis, eassavera-se-llie que se o nao
fiz'-r piomplame.ita saher que o seu assu-
car passar por I desgosto nesta praga,
e quo o sen norna cunlini a ornar as pagi-
nas dest jornal.
No sitio da T. empe n. 1, que tem venda
teti bom capin do planta para aenler pur
co ..-.iodo proco
A"*. Lacaze
Tem a honra do levar ao conhecimento do
do Arsgiio u. SO ou na quina do becco Largo| respeilavel publico, que acaba de abrir uto
naloJadoourvesMigueiAroDenjodeFgue-| novo eUableciinentode relojoeiio noater-
redo.
-Francisco Antonio do Souza Babia, rali-,
ra-sq para fra desta provincia,
-- Na ra do Col lito venda 11. 5, atada se.
continua a vender tebolaS a 320 o cento, la-;
s com bol euinli 1 de aramia a 2,400, jal
marmcllo a t80,uurmelada muito nova a 500
Sdoae do guiada manalo fazer dcenconi-
mou la e OUlros muilos gneros por prego
muito commodo.
-- Precisa-se duas ou trez prolas Para
venlerazeilo de carrapato pigatilo-se boa
vendagero na ra da Larangeira 11 G.
Preeisa-Sa alugar um sitio a margem
de llio
andar,
A revista.
Peridico Iliterario e recreativo.
Sabio o 2. n .da 2' serie e venle-sa na ra
do Crespo loj .do Sr. Antonio Djmingues na
prar;a da In lepetideucia loja de encaderna-
r.i 1 u. 12, e na livrara do Sr. Dourado.
eseja-se fallar au Sr. JoJo Callos Ta-
vares, a negocio daseugiaude interesse, e
por isso se Ihe roga hija de annunciar a sua
indi Boa-Vista n. 11, no1, o .-o ai-ha prom-
(0 para faier quaesquer concertos mesmo os
: a.s dilliccis qu i se pode.So apresentar,
tinto em relog.us de algbeira como de me-
sa e parede.
Compras.
Compram-so algumas apolices da Com-
panhia do Beheribe : na rui Direita n. 89 ,
segundo sobrado.
Co :ipra-so uma estante com capacida-
de suflicienta para arrumar 800 a 1000 li-
na ra do yuemado n. 46 primeiro1 vros : quemtive-, annuncia para ser pro-
curado.
Compra -so umaprcta, que saiba bsra
cozinhar eongommar, agradando paga-so
bem : na ra do Amorim n. 25.
Compram-se os suspiros poticos do
Dr. MagalhSes, naoseolna a prego,: na ra
larga do llozario, loja do miudezas do Car-
dial.
-- Compram-se escravos e vendem-sede
c iii.niissau, para dentro e fra da provin-
morada, ou de dirigir-.se a ra duQuein.a- =la : "a "'" CaciJ>a, sobrado n.ll.on-
de mulo 1 11 sr \u.iiiii do Recife.
Vend
as.
lo, luja de tazendas n. 3, que lie a defront
do becodo Peixe Frito.
Aluga-se um pequnno sitioj no lugar
la r. 1 ni :; 1, defrjnta do Sr. Deburcq : a
trillar ims (lucillos, casadelronlo co muro
lo hospital.
- No dia 5 lo corioule linda a audiencia
do lllln. Sr. Dr. juiz do civel, ao meio da
se bao de arrematar maior parte do 1 ibra-
do da roa lo Livinni'iUo n. 19em que tem cj" *j -i .
Sossendoo (,e Pol,a a l6 rs e de algbeira
FOLHIMAS PARA 1852.
"s li 1,1 ,i a In. us olliinhas itn-
pressaa nesla lypograpliia, sendo
luja de 1,1' 'lid s Alldlal'' IX | lili
Sobrado ludo avaiiido em 3.500,0uooa par-
qiiearip'isiadaluz.d. desta heroica o pito- te que so arremata em I :27,190, he a ultima
rose, provincia do pernanibuco, possa ,or, ,' ,,, d., J(,.0 'd ,, f
meiO delta regalo, aplacar as chamas .le um I vyi C0Iltr4 j J |.IancUc, p4rralr, 0 |n,
mpiicio sul. que (na rc.l.dade e,ta furioso ) mulht,r. EscrivIlO.SsntOS.
a antes, quo elle mande algum vivante des- lVralll0 0 1)r. juii o civel d, primej.
ra vara, no da 5 docorrente, na sala d au
tapara n.eltior, bom sera refresciir o osto-
oufio, com um cliz do afamado abacaxi,
bavond > 2 sal is.l para homciis o oulra par
entiora.calix 210 Vi.
-- Em resposti ao Sr. Lauriano Pinto do
Paiva tenho a dizer quelembre-.sn que em
m'ii poder existe um documonto da compra
da ven la da ra da Aurora n
s Maria Congal
vendo a minha v...
32 como de laclo vendido tenho aos srs. Joa-1 '"L^Z^T sm. de casa de pouca
3^0 rs., contendo todas as de al-
gibeira alm do calendario, a de-
iitiicao los corpos celestes, astro-
logia, oometaa continua^o da
chronologia piincipiadd, lia annos,
dlencia, tem da ser arremata lo, um rnole-l jjzo ,J,,S' miiJand.S de tenipo pe-
que, Lciihorado u Domingos Percira Men-j a .ti ,
qaI1iia. los meteoros, tunela dos emolu-
Agencia de passaportes a ttulos de re- metilos (los jinoclios em todas as
Claudino do ItoHoma, morador na ra! funccies religiosas, eum Colle-
!ilLA>r.1 r ;|2''!ni(l,'".Jo' ida Praia n.43, lirpassaportas para dentro ccoes Je anecilotas.booS ditos,etc.,
l'nijliciroi's litteraria.
Declarayes.
-- As malas que deve conduzir o vapor
Imperalris para os portos do Norte princi-
piam-se a fechar boje (5) a 1 hora da tarde.e
depois dessa hora aleo momento de fechar
rerebe-se correspondeucas com o porto
duplo
Pela 2.' sesso da meza do consulado
provincial se annunca, que no dia 1 .* de de-
zembro prximo vindouro, se principia a
contar os 30 dias para o pagamento a boca
lo cofre da dcima dos predios orbannos
co ser eleva Jp a 8,000 rs. pura aquelles
quo nao livoremasMgni.il). No mesmo con-
sultorio, acha-se a venda tudo quanto he
n eois un) para ii estudoo a pratica da ho-
mceopalhia, Como seja : livros impressos
para historias de doenles, ragiinens apro-
priades para a proviocia do Pernambuco, e
encarrega-se de mandar furnecer qualquer
encommenda de medicamentos homceopa-
thicos, tanto avulsus como cm caixas, era
glbulos como em tinturas.
No prelo : Pa/moenii'ri dos medicamen-
tos brasileiros.
mementos de anatoma e phisioloijia cora es-
tampas, para os curiosos era homceopalhia.
Roga-se aos seuhores assignanles o ob
sequo de ni. n ;.ir receber seus exempla-
noite, quatiloja rae fait.va a paciencia da
suffrer agudas dores, que proinplamoulo se
dignou levantar-se do seu loilo para fir-
me prestaros soccorros do sua arte, e f'Z
com aquelli presteza que outro se no o
Sr. Pinto, so prestara a ossos horas ao meu
chamado, e hoje grabas a Dous me acho em
meu perfeilo estado de saudo no curto es-
paco de 15 dias. Receba pois o Sr. Pinto,
os meus agradecimientos pelas delicadas
quii JosCorrea.o Lauriano Pinto de Paiv
alen, dcstn sabe que gu irdo 3 letras no va-
lor de 60,000 pagas eo Sr. Jos Mana Vier
Guimaraes, e quo estas esliio assignadas por
Joaquim Jos Correia o Liu.iauo Pinto da
Paiva, a vista podara o Sr. asseverar que
uu lie meu socio! saja leal om quanto aus
4IO,000|rs. que o Sr. diz qua meempresloo,
en neg qua eu neg que v. m. mos
entregou com a sua entrada para a socie-
dale. o cuja quanlia botou fora bem co-
mo 540,000 rs., que teuha confiado a sua
guarda na mesma casa precisa-se de um
caixeiro.
- Precisa alugar-se uma uegra captiva
para servico interno resto ir, e uma casa
de pouca familia, quem u tiver dir.ja-se ao
sobrado em fronte da ra da Florentina.
Macluph Beuscluw retira-so para a
Baha.
Reunida u direcco do Banco de Pernambu'
co om seclo de 4 do correnle foiflo no"
meados. Presid mo, o Exm. Sr. barSo
do Sn.i.ssuiii.Secretario, Manoel Ignacio
de Oliveira.
A direceSo do Banco do Pernambuco con-
tinua n receber assignaturas para o m smo,
a as pessoas queqnizatem assignar o devem
l'izer quanto antes alim de Kora.em da van-
iruj(
tras a lin^iiag-.-m das llores, (rucias
f.mil., u-i.a creoul, quo sabe cozinhar e e j0R0S de ineias de llores e breve
engun.mar com perfe.c5o: na ra das Aguas; J,-. ,
Verdes u. 04, seguulo andar. i salnrao as de alnianak, muito acres-
Ketratos photogenicos. i centado e corrigido : vendein-se
_o artista r.so podendo partir, como t-n-1 n livraiia da praca da Indepen-
Ctonava, DO vapor a Penambucana a paral i r o
o sul, participa a quem taticionar rolratir- uencia n. O e o.
desta cidade, do primeiro semestre do auno rt,s no consultorio horneo ipalhico da ra
linancoiro de 1851 1852. e que lindo este dil3 (:i u/l.s 2gi
prazo incorrem tolos os qua deixarem de
pagar,na multa de 3 por 0|0 sob o valor de
seus dbitos, e sero de prompto ejecu-
tados.
De ordem do lllm. Sr. diroclor geral da
instrucefio publica, neo saber a quem con-
vier, que por deliberacdio aprovala de s.
Exc. o Sr. presidente da provincia fra desta
cidade, e da deUlinda os exames de ins-
trucco elementar sur.lo fetos em cada es-
cola pelo respectivo Sr. professor, ejunla-
niento coaialgu.T.a pessoa i oaca da con-
fianza do Sr. inspector do respectivo circu-
lo, que tem obrigacao de presidir a todos
esses oxames.
tem os individuos, que tem escolas par-
ticulares, querde astrucc3o primaria,quer
seeilndiil la,a le o ultimo du piiiX'tuu III /. de
d
as de Janeiro vindouro en. dianle ninguem
sem licanca poder ter escola sob as penas
impostas no regulamento de 12 de maio des-
te anno.
Directora geral, 23 de novembro de 1851.
bandido Eustaquio Cesar de Mello, amanu-
ense archivista.
TRATAMEMO uomeo-
PATJUCO.
DAS MOLESTIAS VENERBAS,
e consoll.os aos ,lenles para s. curronla
si mesmo, sem procisaram de medico;
pelo professor homceopalha
Gosset-Bimonl.
Sabio a luz e acha-se a venda no consul-
torio himno ipatuico da ra das Cruzes n.
28, pelo pre^o de 1,000 rs.
WW -.XLU .wmmmmBmm^.JJ-J
Avisos martimos.
--Para o Rio de Janeiro seguir em pou-
cosdias o veleiro brigue Mafra, o qual se-
ment recebe alguus escravos e pssiageiros
ozembro poaeni Ja4Mrer suaa liceocas; p,ra 0 que lem bons commodos; quem pre-
tender pode entan ler-se com o capitao, ou
eom Amorim & lrm3os,na ra daCadciado
Recifon. 39:
Para o Aracaty at o dia 5 de dezembro
o patacho AriCatya a tratar com Manoel
Dias na ra da Son-zalla Velha n. 130. .
Para o Rio de Janeiro, alie
ua presente semana, a escuna na-
cional Maria Firmina, capitao Jo3o
Bernardo da Hoza, por ter o seu
carregamento quasi completo :
TDEATRO DE S IZiBEL.
"I." RECUA UA ASMNATUHA K TEIlCEIRA
DAS VENDIDAS.
Sabbado, 6 de dezembro di 1851.
Dopols que a orchestra tiver oxee atado'quetn ua mesma quizer carregir o
ro,,rnhtad?.ree"'.-catoUsb!rSCO stante, ir de passagem, ou em-
0 KrmiiSo da Serra de Cintra, bascar escravos para o que tem
No lm do drama senhor* Landa wocu- commodos sitllicientes, pode enten-
tagem do eutrarein com o importo do suas
maneiras com quese houvo em meu U^c- j assigaaturas nas prestacOes que pre>crevom
Ument, pedlQUO-lbC co mojrno tempo Ua jos estatutos, cenus oeque em principiando
me desculpe si com estls l.nhas offendo a mesmo as suas operacOos, dahi em lianle
sua trodestia. aquellcs quo quizerem assinnar, havendo
Seu ssignante. Jos Pinto da Cesta, lainda lugor, s o poderflo fazer, entran io
I|enr.que Augusto MIet, sabe para fu-, c, o importa de suas ac<;0as cm dinhoiro
ra da provincia. ,, vis'a. Continua a estar patente a assigna-
Hoja, 5 de dezembro ao meio dia, no
lugar das audiencias do Dr. juiz do civol da
pnu ir.i v.ii.1, l .i do ser airen tala, por
sera ullima praca, a mobilia penhorada a
Jorge Rodrigues Si Ircira, por oxecu{Bo de
Miguel Mattius Costa Ribeiro.
-- Precsa-se alugar um preto, quo soja
liel e diligente, e que sirva para balar sor-
vete : na ra eslreita do Rozariq n. 20.
Na ra Velha, sobrado n. 77, ha para
alugar um bom moleque.
i iil'-'i-ee '-se para caixeiro de venda ,
uma pessoa que tem bstanlo pratica, nesta
praca, ou fora dalla: quem o pretonder, di-
rija-se a ra Nova, venda n. CS.
Attencio! Attencio !
He chegado e acha-se nas margena do fer-
lil Capibaribe, oaulign fabricante desorve-
tes, da ra da Aurora, Nicolao Machado Krei-
r de novo eslabelecido na povoicBo do
Monteiro becco do Qutabo, isto posto, a ra-
paziada da bom goslo acuesto todas as com-
modidades com promptidaoeasseio.
Os Srs. Luiz Antonio da Silva Burgos e
Antonio Jos M u luis. : queiram annunciar
as suas moradas para ser proposto a um ne-
gocio de u.u.lo iuteresse.
--Anda precisa se arrumar um rapaz bra-
sileiro, cm armazem de carne secca, ou de
assucar, trapicue, casa ingleza, ou qual
quer estabelecmenlo, tanto para a pra(a,
como para o mallo : os prelendontes, diri-
jan)-se as Cinco Ponas n. loo, que acharan
quem iuforma a conducta, ou ao paleo de S.
I'edrii,jreuda n. 1, a tratar com o mesmo
caixeiro.
-- Dam-se 200,000 rs. a juros, do 2 por
cento ao mez, sobre penhores- de ouro, ou
prata : no pateo do Carino, loja n. 3, se dir
quem d.
seque pode procura-lo al o dia 12 do cor- i Lotera
rente, na ra Nova n. 61, seguudo an lar
Frecisa-se alugar uma escra-
va, quescji boa cosinlieira c com-'
pradeira, : quem a tiver dirija-.se
a ra da Assumpcao ou muro da
iViiln n. i(>.
-- Adverlo-se ao Sr. Bernardo de Albu-
querque Fernandos Gama, que o seu corres-
pondenle nesta prega, ii5o tem pago a subs-
cripefio do Diario.
de Nosa Senhora doLi-
vrament >.
Aos 5:000,000 de rs.
Ni loja de tniudczasda prar;a da Indepen-
dencia n. 4, vende u-se bilhetes inteirose
meios, a beneficio da \,s-, Sanhura do l.i-
vramento, que corra inf.llivelmeiite nidia
23 do correnta, e o S\ th"sourniro pagano
da 24 do crrente. Iliihetes n.tsiros 10,000
rs. e meios 3,000 rs.
Ven le-se u na preta da CoUa, bonita
li.-ui i, -ni achaque nenhum, boa quitan-
de r o U bem propria para servico de
receud
niesmos o bom tratamento.
Precisa-so allugar uma preta escrava,
' patente a ass.g
tu a noescriptorio do Sr Mauoel i',oni;alves
da Silva : na ra da Cadaia, todos os das u-
teis at meio da.
eseja-se fallar com a senboru D Qui-
tea Joanna Pereira Monteiro, a negocio de
iuteresse da mesma senhora, e como so ig-
nora a sua morada, por isso roga-so quo
queira annuncia-la.
Caf francez da ra Nova.
O caf francez tem um completo sortimen
to de conservas, linguicas francezas, diver-
sas qualidades de vinho, bom absinlhea
150 rs a garrafa, o muito bom vinagre fran-
cez, a 1,000 rs. cttiada manleiga hooiteo-
pathica, champagne, charutos da diversas
qualidides, etc.; tudo rec-'bilo ltimamen-
te e caf todas as lardes. No mesmo preci-
sa-so allugar um preto que seja liel e dili-
gente, para o servico do mesmo caf.
\Uenc Na cambdi do Carmo n 14, faz a antiga I
pessoa da padaria, bolacinhas de todas as
qualidades, bolo inglaz, pudim etc. ; e qual- i
quer bandeja enfoilada para bailes uu casa-'
metilos, e tola e qualquer encommeuda do
liuliiiliiis; assim como uma ha pessoa que se
encumbe de apromptar jantates para casas
de negocio.
-- O escrivSo da irmanlada de N. S. da
Coiiceac3o da Congregacao, em virtude do
iMuiprii.iissu quo a rege, convida u lodos os
limaos para domingo 7 do crrenle, IS 19
horas da uianhaa, se reun c u em mesa ge-
ral, alim de se eloger a meza regeJora do
anno vindouro.
-Precisa se de uma ama para cjsi dobo-f1'0 Ro"ri?,d* -v't. sobrado o. 32.
o, ni soheiro : na ra da Aurora ... 28. Hotel no Monteiro.
Precisa-se alugar uma preta, para ven-1 Domingo,'16 do correnle, abre-se este
der na ra : quem livor, dirija-se a ra da eslaoetecimento com as segrales pro-
Conceifao da Boa Vista, casa n. 5. ) porpes : '
Attenra '. : na ruil |arg do HOiario, loja n. 35.
O arrematante tos iinp stosdas. I'or 80,00,1 rs.
in. 11 -s, das liccacas dos mscales o boca- Vcnile-se um pi .no inglez, em muito boro,
leas, ,111,.011-se para a tua das A_-oas Voi-> estado, por 80,000 rs. : na ra do S. Con-
des n. 25. I jalo 11. 20.
-Msnnol de Almeida Lopes, om cisaj NoVdade,
deconsignacilo para comprar c vender es-i _, .. e___________..:. <,ain_
7 "e r'-r'rT.r c,a pda- JSSKS .^nr'-..'s
u/lVat rRrcifVa%r?..rl.Idi, UM!.. .ranhlO, Ciegado.no
da Cacimba, n. II, aondo i.ioiou o finado!
ultimo vapor do norte : na ra daCaleia
^^aS&sSi^if^^ASsii^
go, o na da n. 23, da Antonio da Costa l-'er-
reira Estrella.
Ven le-se urna porfo do taboas da pi-
Kqu^a^
curdo? ouentenla-so cora oPpo,leiroP da *:\^?y>:J,?"^':J%I,'2.
Alfaudega desta cidade na mesma repart-
i;.ni das 8 horas da manh3a as 4 da larde.
Preciza-se do umj portoguez que seja
perito em plantarles de sitio, e saiba ti-
rar formigas, quem estivar nestas circuns-
tancias e quizer liabalhar no sitio ua travs-
sa do Remedio n. 21 eutenda-se com seu
proprietano, o Porieiro da Alfandega desta
cidade, na mesma repartido q.ie a vista da
prova quo der de saber o que cima se desa-
ja, e da sua boa conducta &. de. tratar-so-he
doaiusle.
Precisa-se de um negro pira oservigo
do padaria no aterro da Boa Vista, casa nu-
mero 33.
"| Paulo (>':iimioii\. dentista S
9 fi-,ni(!/,. olli'nce sen presti-
V mono puhlico paru tollosos >
* mlslcrcx de Hita proflsso: 9
9 pode ser procurado a qual- #
quer hora em sua casa, na -Jr
V rila larga dn Rozario, n. 30,
99 segundo andar. *$
? ** ** 4tes *^
Precisa-sede uma criada, smente pa-
ran sorvico do cozinha e compras, tara
uma casa da muito pouca familia : na ra
muito com no lo, por j tarara servido, ai-
sira como uns fit 'iros, proprios para qual-
quer cstab declnenlo : atrs do tbeatro, no
armazem de taboas de pimo.
Chapeos de castor brinco.
Vendem-sena fabrica de chapeos de Chris-
li.itii & Iciiu. na ra Nova o. 44, o mais
modernos e superiores chapos da casiur
branco, ebegados recenlemente da Inglater-
ra, pela galera Linda.
Ao barato.
Vendem-sefeixes d'alhos com 100 resten,
pelo diminuto prego de 1,200 rs. o foixe: de-
fronte da alfandega.
AUv.nc.5o.
Acaba de chegar no vapor Imperatriz a
loja de Souza Juniur na ra do Queimado
junto ao beco da Congregac8o n. 37 A os bi-
bilhetes, e cautellas da lotera do tbeatro S.
Iledro de Alcntara cu> lista vom no I." va-
por, e vendem-se pelos baralissimoi pregos
abaixo
Bilhalos S2.000
Meios Bilhetes 11,000
Quartos 5,500
Oilavos 2,800
Vigsimos 1,300
Venda-sa um sitio, ou aluga-se, por
prego commodo : na Solidada jonlo ao fo-
gueiei o, a tratar na rui Velna u 105.
a ra Nova, ti. 61, vende-sa uma
o iiiul .. de j.carandaja us.da, bem como
30 tenas devilro, pur preco commodo.
J II FflVFI


PECItIRCtlA.
A inda existe uma pequea quan-
lia das aoperiores colxas de liuho,
do mellior gosto que tein appare-
cido no mercado, pelo baralo pre-
o de 10,000 rs. cada una : na ra
do Queimado, loja n. 17.
inheiro vista.
Vendem-se pelo cusi selins inglezes.for-
rtdo> de couro de porco, ditos de borranha,
ditos de sol com estufo, silhOos para mon-
tana de senhora, cibecadas rolcas, dilas
chatis de lustro, esporas linas de metal
branco, estribos de metal branco, ditos de
ajo : na ra Nava n. 28, loja de selciro.
Vcnde-se, por preco com-
inodo, fumo em folha, pata cha-
rutos de primeira e segunda qua-
lidades, macella chegada ltima-
mente do Porto, e cal virgem de
Lisboa tambem desembocada
poucos dias : a tratar no armazem
de Dias Ferreira, no caes da al-
fandega, ou com Novaes & Cona-
paohia, na ra do Trapiche 11. .'S-j.
4 .Mimos da txpoti&o. ?
r>: Na loja do sobrado amarello nos qua- 4
s>;> tro cantos da ra do Queimado n. 29 Ci
( tom para vender a nova fazenda para 4
% vestidos do senhora, denominada mi- H
)9 mus da exposifSo, fazenda de dilica- 4
* dissimos gostos e euros muito fixas #
?i pelo diminuto preco de 140 rs. o oo t
/ vado. 9
Chita larga franceza, a 34 rs
Vende-se chita franceza larga padrUes
modernos, escuros e claros, e cures Oxas,
pelo baratissimo preso de 210 rs. o covado,
lendo grando porslo para escnlher: na loja
do sobrado amarello, nos qua tro cantos da
ros do Queimado n. 29.
Sedas furia cores, a 1,700 rs. o
covado,
por lao diminuto preco, que mdei
xar de ter um vestido de seda pi-
ra a festa ? na ra do Queimado n.
10, vendem-se as melhores e bo-
nitas sedas Inri a cores, para vesti-
dos de senhora, meninas c mante-
letes, a 1,700 rs. o covado; dam-
se as amostras, ou mandam-sc as
peras em casa par > melhor o com-
prador escolher.
Vendem-se relogios de ou-
ro eprata, patente inglez : na ra
da Senzalla Aova n. 4a.
Vendem-se ancoras e amar-
ras de ferro para navios : cm casa
de 660Kenworthy & Companliia,
na ra da Cruz n. 3.
- No escrplorio de Novars ce Compa-
nhia, na ra do Trapiche n. 31, lem para
vender por preso commodo 03 seguales ob-
jectos edegados ullimainente : chapeos do
chile inloriinos, tinta para escrevor, graxa
em potes para calgado, liuha de roris, macos
com palitos entcilados e panno do liuho: a
tratar no mesmo escrptorio.
Vendem-se relogios de 011-
ro e prata, de sabonete e de vidro,
patente inglez ; em casa de Geo
Kenworthy & C'ompanhia, na na
aCruz n. a.
Vendem-se aireios para ca-
vallos de carro e cabriole!, chega-
dos agora : cm casa de Geo Ken-
worthy & Companhia, na ra da
Cruz n. 2.
Vendem-sc cabos de liuho c
ile manilli.; em casa de Geo Ken-
worthy & Companhia, na rua da
Cruz ii. 2.
Vendem-se silhdcs de couro
de porco, para montara de senho-
ra, bem como cabezadas de couro
branco : em casa de Geo Kenwor-
thy & Companhia, na rua da Cruz
n. a.
1 Vende-se superior panno de
algodao para saceos de assucar :
em casa de Geo Kenworthy &
Companhia, na rua da Cruz n. a.
LsposieSo de riquissimos vasos pa-
rt flores e perfumaras.
Vendem-se ricos vasos de porcelana da
China de varios tamanhos para llrese per-
fumarlas, do todas as qualidado: na rua da
Cruz do Recife defronte do Corpo Santo loja
de barbeiro n. 58.
Toalhas e guardanapos.
Na loja do sobrado amarello, nos qualro
cantos da rua do Quoimado n. 29, tom para
vonder um grande sortimenlo do toalhas do
diferentes tamanhos, e em posa que se ven-
de em varas ; assim como um grande sor-
timento de guardanapos de diversos tama-
nhos e qualidados, equetudo se vende por
prejo de agradar ao comprador.
Cortes de chita e cassa.
Continua a havor grande sortimenlo de
cortes de vestido de chita, com 12 covados
em um s pedaso, a 2,000 rs. ; ditos de cas-
sa de cores, fixas e bous padres, a 2,000 rs.:
na loja do sobrado amarello, na rua de
Queimado n. 29.
POTASSA DA RUSS1A.
No armazem de Jos Teixeira
Basto, na rua do Trapiche n. 17,
ha para vender, nova e superior
potassa da Hussia, chegada recen -
temente.
Deposito iie cal virgem,
Cunlia et Amorini, vendem barril com cal
em pedn, chegada ltimamente do LisbOl,
na barca Margarita, por menos preso do
que em ootra qualqder parto: na rua da Ca-
dla do Iteoifen. SO.
Vendem-se velas de espermacete, em
caixas, de superior qualidade : em casa de
J. Keller & Companhia: na rua da Cruz nu-
mero 55.
Bombas de ferro. '
Vendem-se bombas de repuxo,
pndulas e picota para cacimba :
na rua do Rrum ns. 6, 8 co,
fundico de Ierro.
l'arinha de mandioca.
A 111:1 is nova e nmis barata farinlia de
imii'inii'i|iie ha no mercado, vende-se ua
rua da Cruz do Hecife, armazem n. 13, de
JoSo Carlos Augusto da Silva.
4
Vende-se um carro de qua-
tro rodas, muito leve, para um ou
dous cavallos: na cocheira do Mi-
uel Sougei no aterro da Boa
isla.
Deposito da rubrica de Todos os
Santos na liatila.
Vonde-seYem casa de.Y Bieber&C.,
ns rus da (irire n. 4, algodao transado d
Vende-se no armazem da rua
da Cruz n. 49* 9 seguinteo gene-
tos a precos commodos 4- fras-
cos de vidro com bocea larga de
diversos tamanhos, Jftas'csjm bo
lachinhas de Alleraanna milito no-
vas, alvoiade muito fino em bar-
ricas, zarcao e secante em barri-
quellawbrici, muito proprio para saceos de -j hllml, pm harrira* es-
assucareroupadooscravos, porpresocom-lcas' Peara nume em Barricas,' es-
Azeite de carrapato da labrica ue jclos.
modo.
Km cusa de J. Keller S Com-
panhia, na ruada Cruz n. 55, acha-sea ven-
da oexcellenlo e superior vinho tle Bu-
celia, cm barris de 5.*, he muito recom-
mendavel as casas ostrangeiras, como ex-
oxcellonte vinho para pasto.
Arados de ferro.
Na fundico da Aurora, em S. Amaro,
vendom-se arados de forro de diversos mo-
Aratij & Filhos, no Pcncdo.
Esto azeite pela porfeisilo cm quo he
fabricado n3o s serve em lugar do azeite
doce e do coco, para qualquer qualidade de
caodieiros por mais delicados quo sejSo,
como he muito prellrivel a qualquor outro
por dar uma luz miis brilhunte, sor mais
durativo, c seu custo ser mais baralo ; nflo
tem o cheiro desagradavel que exala o azei-
te de carrapato commum, nem em nada
delleseassemelha. Vende-se cm barriz do
16 caadas a 2,400 rs. a caada, no armasem
de J. J. Tasso Jnior, rua do Amorim n. 35.
Moinhos de vento
No aterro da Boa Vista, lojan. 18,
defronte do Tribunal do Com-
merco.
sencias de canda, travo ezimbro,
sevadinha em garrafSes e sal de
1' psem muito alvo em barricas.
-- Vende-so uma preta sadia, vendedeira,
cozinheira, lava bem e faz o mais arranjo de
casa, por 320,000 rs.: ns rua larga do Roza-
rlo, loja 11.35.
O Vende-se um elegante ca- O
'-''' briolet descuberto, muito le-
0 vn de ptima construyo ,
Q com o competente cavallo ,
^ tambem muito superior: na
'':', cocheira do Lourenco, na
0 rita da Guia. s
OOOOOOOOOOOOOOOO
Vende-se rap de Lisboa em frascos ,
cliegado agora na barca l.igeira, os senho-
res Treguezes, que estilo acostumados a to-
mar a boa pitada, n3o deixarlo de o man-
dar buscar : ao largo da sssembla n. *.
Vendcm-se 3 escravas mosas, creou-
las, do idade do 18 a 20 anuos, cozinham e
engommam liso; I casal de escravosde meia
idade; 1 mulata mosa, de bonita ligura, ro-
so e engomma liso; uma dita de meia idade;
1 escravo de
klocudns superiores.
Na fundicDo do C. Starr & Companhia,
em S.-Amaro, acham-sc venda moendas
de canoa, lodas de ferro, de um modelo o
construcsHo muito superior
Cheguem freguezes antes que se
acabe.
No armazem de Martins & Irmflo, na rua
da Cruz do Mecife n. 62, chegaram ultima-
monto os seguintes gneros de muito hoa
qualidade : queijos londrlnos, prezunlos
inglczes e do Porto, conservas inglezas o
francezas com difTerenles frutas, latas do
salmSo, dilas de ervilhas o sardinhas de
eom bombas do repucho para regar hortas JNantes, ditas com bolachinhas inglezas,
d baixasdccapim : vendem-sona fandisflo marmelada de Lisboa, o do Bowman& Me. Callum, na rua do Brum creditadocb deS. Paulo, caixas com muito
ns. 6. 8 o 10. 'superiores masas finas para sopa, gigos com
--Vendeiii-so amarras de ferro: na rua'champanlie, vinho de Xerez, Madeira, Bu-2 escravas de meia idade,
da Scnzalla nova n. 42. I collas ePoito, garrafas com oxlrait da ab-lcampo : na rua Direita n. 3. _'
'sinthe o outros nimios genoros, tudo pot, Faz-se todo o negocio
mdico preso. Vonde-seuma ObrigteSo, de passado por
Velas de carnauba em libras. iClaudino;dosSantos Lopes Castello Branco,
Vcndem-so velas de carnauba imitando mestre de prioieiras letras na villa do Cabo,
Conlintta-se a vender riscados espermaceto : na loja do saleiro da rua da da quantia de 180,700 rs.; na rua da Cadeia
, i- c Cadeia do Itecifo n. 36. Idoltecifen. 8.
escuros, muito lories, ptima ia-, Prezunlos. Grande novidade.
zenda para roupa de escravos, e pe-| Vendem-se prezunlos americanos, muito Vende-seo mais perfeito alambique com o
lo diminuto preco de 100 rs. OCO'l^^omo^t^nU^^n^^Boam da
vado, e outras militas fazentlas ba-
ratissimas.
Sapatos de tapete.
Vendem-se os bem conbeeidos corles de
tapete, para sapatos, a 500 rs o par : na
rua do Queimado, loja do sobrado amarello
0.29.
Algodao para saceos.
Na loja do sobrado amarello, nos qualro
cantos da rua do Queimado n. 29, ven lo-so
al godao para saceos, por prego muito com-
modo.
Uasimiras baratas.
Vendem-so os mais modernes cortes de
casimira, quo ha no mercado, a 5,500 rs.
cada c
compra
loja do sobrado amarello n. 29.
Vnlio de Champagne,
e superior qualidade : vende-so no arroa-
em Kalkmanu Irmiios Rua da Cruz, n. 10
00000000OOCO cA. Munt, com rica cncadema-i1."18 Paraos ravallos proximamenlo cliega-
O Vonde-soum grande sino no lu- 0 malinas c Soa eslamnas em SaC'S P- pre5 comtnouo V8n,Jo-so
O gar do Mai.gu.nho, que lica defronte y 9^0, 2 2 mappas 6 300 estampas ,
O dos sitios dosSrs. Carnciros, com g> Itapliael, I aginas <| .] iiventiule ,
O grande casa do vivenda, de qualro ^'por A. de Lamartine, versao Por-1 (al?ados a 8oo> a55oo, 3,000,
Alfandega, armazem defronte da arvore.
A elles rapaziada, que a festa est
prxima e recebe-se dinheirn
fresco para os pjs'eis.
Na loja c. miudozas n. 3, ao p da ponte
seu competente fogSo, para espirito de vi-
nho, quo em 5 minutos aprompta o mais
claro olimpo caf, que se pode tomar; o
autor dosla e de outras ricas invensdes, nSo
duvidou mandar este bello apparelho para
a exposisSo de Londres : o publico que o
quizer possulr, dirija-se a rua larga do Ro
da" Boa'vista,"vedem-sa o"s TrtunVdS bi-zar0 JnT de ""dezas n. 38, do Cardial,
Hieles, meios e cautellas da lotera de Nossa com 5>00 "' Pel m-enos-
Senhora do tivrameuto.
Uuado Passeio Publico n. 5.
Vcndom-sc 18 caixilhos envidrasados e
promptos para qualquer obra, por preso
muito commodo.
AltencSo.
Vende-se, por 3:500,000 rs., o sobrado de
dous andares e so!3o, com Irapcira e loja re-
ir.,, q. "u "".". -'";-- partida, com boa cacimba na chagaooem
vende.
Vcndejn-se as seguintes o-
iras: -- geographia por Chanchard
Flores.
Na rua larga do Rozario n.38, loja de miu-
dezas do Cardial, vendem-se as mais perfei-
tas flores francezas, que se tivessem cheiro
ninguem deixaria de acreditar que eram
naturaes ; aellas que o preso convida e a
leste he a 25 do correnle.
Pentes de tartaruga.
Na rua larga do Rozario n. 38, loja de miu-
dezas do Cardial, vendem-sc, por t3o dimi-
nuto preso, pentes de tartaruga para cc,
que ninguem deixar de os comprar, se
delles liver necessidade-
Farellos de arroz !
Esta j tao conhecida substancia alimen-
CRAXA ECONMICA EMHASSA.
lio insigne fabriesnte americano, James
Masson. A sua composisflo he feita de pro-
posito para lastrar com agoa o conservaro
lustro, tanto de invern como do verSo ; a
grande vantagem quo ha nests graxi he a
conservasSo do caisado, e lustrarem-seos
sapatos'ou botina anda mesmo moldados,
e uma pequea lata aturar mais do que tres
bolOes, e costar menos do queam. Vende-
so em barricas, oo norrio de duzias, no ar-
mazem de Vicente Ferreira da Costa, na rua
da aladre de Dos, e na rua do Amorim n.
35, armazem do Tas'o Jnior.
Em casa de J. Keller 6c
Companhia, na rua da Cruz n. 55,
ha para vender um piano forte ,
chegado ultimamente da Enropa
e com excellentes vozes : trata-se
na casa dos meninos.
Vende-se no MaranhUo, a fabrica
de bugias stiarinas e sabo.
Os administradores da liquida-
cao de Theodoro Chavanes, ven-
dem a fabrica denominada Mara-
nhense, na rua do Pioponto, del-
ta cidade ( porto dos remedios) ,
a saber : casa em que est mon-
tada a fabrica, com ao bracas de
frente e i5 de fundo ; a prensas
hidrulicas, orisontaes de (orea de
600,000 libras, cada uma ; 1 dita
vertical de forca de fj 00,000 libras;
3 grandes caldeiras montadas, pa-
ra- o fabrico do sabio ; 4 ra derreter sebo; todos os pericli-
tes necessarios para o fabrico do
stearina e s%bo ; 9 eseravos en-
Maravilha I
Historia do Brasil a 1/D00!! '
i Ainda se vende a historia do Brasil n.i
derniButo preco de 1,0001 cheguem .ni. I
que se acabe : OS rua do Crespo, loi,
- Vendt' se ^ padaria da rua di Flor
1 tina, com o sea sntigo deposilo, e tamhu
se ilug : quem pretender, pdedirlir.,,
1 mesma, para tratar do ajuste.
I Vende-se-um bom cavallo chegado h.
pouco do malo, leal todos os andar,
pele bonlti; e est gordo; a ver na coch*
ra amrela da rua da cana, e a tratar ni ir
vessa d Concordia, aoh'ado n. 5.
Escravos tupido.
-- Nodia 23 do passado, desappCC8a-T
engenho Arembi. freguozs de Ipoiuc
mulata, bem alva, cabellos ben1 prtn^
meios eocolbldos, um tanto bsixa eBl.
com sardas pela cara, nariz afilado, p0fm
grosso, e presentemente teve um tumor n
meiodacabesa que esli coroada : quema
descobrir leve-a ao dito engenho, ou T.,
praga em casa de Manoel Buarquo de Mico
doLima^na rua dovramento n. S, ."
ser bem recompensado; a mesma |e;0u
roupas finas e unsvestidos decambraia des
confia-8e que tenha seguido para Po'd'A
Iho aoode tem prenles; por isso, roza-s
todas as autoridades policiaes, e a qualquer
pessoadopovo e capitles decampo, do.
pegarem o levarem nos lugares cima mon-
clonados que serSo generosamente recom.
pensados.
30,000 rs., de graliDcasao.
Desappareceunodial5de julho do cor-
relo anno um muleqoe crioulo de nonn
Paulino de idade de 10 snnos puuco miu
ou menos;cor amarelada por ter vicio de co
mer trra,naris chato e feio levou camisa da
algodSosinho suja e calsa de viseado, sem
chapen, este escravo porlence so Sr. Anto-
nio Jacinto da Silveira de Una ; quem o d.
gar leve-o a rua da Cacimba n. II ou.
rua do Livramento n. 26segundo andar am
receber a gratiHcasilo a cima, e te protesti
contra quem o ti ver oculto.
Continua a oslar fgido desde o dia |j
do passado, o moleque de nooie Mamola
crioulo, de Idade de 15 a 16 aooos, baslint
esperto, secco do corpo, estatura regular
pese mos grandes; levou esmisa de ris-
cado azul, calca de algodaosinho azul tran-
sado, e mais alguma roupt. Suppe-se ter
tomado a direcsSo do Bonito, onda mora o
seu antigo Sr. JoSo P. Alves ex alteres de po-
licia, de quem ainda he escrava a mi do dito
moleque: roga-seas autoridades hijam d
appreende-lo,e leva-loa casadeseuSr o
major Antonio da Silva CusmSo, na rua im-
perial n. 6. que ser generosamente recom-
pensado,
tendedores doserv50 geral da fa-
brica ; 1 terreno annexo a fabrica, \ BOA GRATIF1CACAO'.
com 7 bracas de frente e i5 de Ausentou-se na noil de in de
outubro passado o mulato Gle-
fundo ; 1 dito fronteiro a mesma
fabrica, com 18 bracas de frente e
mentino, de ao annos de idade ,
a8 de fundo : as pessoas que pre-( pouco mais ou menos, magro, al-
tenderem comprar, pdem nesta! tura regular, tem muito pequeo
praca dirigirem-se a J. Keller &'bu?o de barba e falla muito mansa,
Companhia. quando anda parece que nao pisa
nda, de quatro q ,,or A jc Lamartine, versao I
/\ acoas, grande scnzalla, coclieirn, ,_ >
decapim quo sus- situguesaj lralauo l ommcrciai;
os, grande carain- 3 culo, ou o livro do-i Destinos :
o tanque coherto .. ..:_.: ailar "* '"'g1"10 receolemento os bem conheci-
intesarvorcdosde ^ luaa l.ruz 11. 0, primeilO rilltlar. dossspatOes do Arscalv, tanto para homem
DE VERES DOS UOMENS,
eslribaria, baixa de
tenia 3 a cavall
O
o
^J para bando basta mus inumuw uv ,
fructo : na rua do Collegion. 16,se- g
O gundo andar.
ooooooc oooooooooo
AGENCIA
da fundico Low-IMoor.
RUA DA SGNZALLA NOVA N. 42.
Neste estabeleeimento conti-
na a liaver um completo sorti-
menlo de moendas o meias moen-
das para engenho, machinas de
vapor, e taixas de ferro balido e
coado, de todos, os tamanhos, pa-
ra dito.
Agencia de Edwin Maw.
Pva rua de Apollo n. armaiem de Me. Cal-
mon i.-. Companhia, acha-se conaiantcmcnic
bons sorlimeulos de lai.i de ferro coado c
balido, lauto rasa como tundas, moendas in-
eiras lodas de ferro para ananaes, agoa, ele,
ditas para armar cm madeira de todos os ta-
manhos e nudcllos o mais moderno, machina
horisonlal para vapor, com forja de i caval-
los, coucos, passadeiras ele ferro cslanhado
para casa de pulgar, por menos preco que o
de cobre, escoveus para navios, ferro ingles
tanto em barras como cm arcos folhas, e ludo
por barato prCo.
Ango deposilo de cal
virgem.
Na rua do Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal nova cm pedia,
chegada ultimamente de Lisboa
-- Vendem-se cera cm velas ,
fabricadas em Lisboa e no Rio de
Janeiro, em caixas de 100 libras
sortidas, de 1 a 16 em libra, e tam-
bem de um s tamanho, por me-
nos preco do que em outra qual-
quer parte : trata-sc no escripto-
rio de Machado & l'inheiro, na
rua do Vigario n. 19, segundo
andar.
Principios gciaes de economa pu-
blica e industrial.
Vendo-so este compendio, approvado para
as aulas do primeiras letras, a *80rs. : na
nraca da Independencia, livraria 11. 6 e 8.
Lasa de commissao de cscravt'S.
Vendem-se escravos e recebem-
se de commissao, tanto para a pro-
vincia como para fra della, para
o que se offerece muitas garantas
a scus donos : na rua da Cacimba
n. li, primero andar.
Taixux pnrn cilfrcnlio.
Na fundiso de ferro da rua do llrum,
acaba-se de receber um completo sortimen-
lo de taixas de 3 a S palmos de bocea, ss
qiinns sclism-se a venda por preso com-
; ora-
o 1
'1,000, c G,ooo rs., no aterro da
Boa-Vista, defronte da boneca,
como para menino a 800 rs., de orelh
, 1,000 rs., ditos de lustro para ditos a 2,500
a joo rs. i rs., ditos para homem os melhores que
Vende-se este compendio aprovado para tem vindo da Baha a 3,000 e 4,000 rs., e bo-
as aulas, cm meia encadernar,!Io, a 500 rs., lins a 6.000 rs.; assim como um novo e
eda um : na livraria n. 6 e 8, da prasa da completo sortimonlo de calcados francezes
Independencia. de todas es qualidados tanto para homem
Um sobrado de dous andares. .como para senhora, meninos e moninas,
Vende-se um sobrado de 2 andares c so- P^Ies de nwroquim e corles de tapte a
tan com bom quintal murado,. 21, na roa *80, r e f4cnl0 porcSo, da-se por monos,
1 ludo alim do se apurar dinheiro.
Vende se uma prcta creoula bouila
ligura, som vicios e nem achaques : as
Cinco Ponlasn 71.
Cal virgem empedra,
chegada recenlementedo Lisboa, em anco-
ras, muito bem acondicionadas, vcnde-se a
progo muito commodo : no armazem de Sil-
va Barroca, na rua do Trapicho n. 19.
- Vende-se um bonito e;crsvo de 25 an-
coaducta, dir-
l'roia, n. 43, pri-
m ALOOUAO' PARA SACCOS. #
H vende-se muito bom algodflo parasa- \:
eos de assucar, por preso commodo:
9 em casa de Ricardo Royle, na rua da (
B Cadeia n. 3?. ..
Vende-so um preto escravo, perfeito
coziobeiro o canoeiro, bonita ligura, sadioi^-
o sem vicios, sos pretendemos se dir orno-1 mo,io> rom l'romptitiao embarcam-so.ou
tivo porque se vende : r.a rus larga do Ro-|carroBam"so ',n carros sem despozas ao
zsrio, loja 11. 35. |omprn.lnr.
Arados de ferro. [DepOSltO (l(J <".;\\ C poLlssil.
Vendem-se arados de diversos INo armazem da rua da Cadeia
modelos, assim como americano- do Rccife n. 1a, ha muilo supc-
com camban de sicupira e bracos or cal de Lisboa, cm pedia, as-
da ferro : na fundico da rua do sim como polAssa chegada ultima-
Brum ns. G, 8 e 10. mente, a precog muilo rasoaveis.
estrella do Rozario : a fallar com Jos Maria
Placido.
l'arinha fontana,
dictada ullimamcnto: cm casa de J J. Tas-
so Jnior, na 1 na do Amorim n. 35.
Abordo do patacho Marga-
rida, fondeado defronte do arsenal
de guerra, ainda ha a superior fa-
rinha de mandioca, cheqada u ti-1 nos do idade, de excellonte
mmenle de S. Catharina, que etelES!" "a "" da '
vender por menos preco que em' Vendem-so duas rotulas forles, foira-
outra qualquer parte, para acabar: ;ds'' fe". noVM o de amarello, porpre-
^ ,' ., socom,lloJo : na rua do l'asseio u. 5, loia
trala-se a bordo, 011 na rua da C ruz de fazendas.
n. 33, com S Araujo. i <-rdas da tripa para vioISo, a 40 rs. ca-
Vendem-se 26 pranchOes de loui o, no ,... c .,''*,um?" ,,
caes do Ramos : a tratar na rua da Cruz do t\?a^,I,m.H es re,la,do ,,.0"r'. '"-
Itecife, armazem n. 62. No mesmo arma- "t Que mad?; "oja de m.udezas n 2
zem vendem-se saccas com arroz da Ierra, litai? "*
tudo por commodo preso, para feixar cuntas jm.iim
na Bahia.
> Vende-se em casa de Domingos Al-
ves Matheus, na rua da Cruz do Re-
* cifen.52, primeiro andar, algodSo
"> transado daquella fabrica, muilopro-
S| prio para saceos e roupa de escra-
gL, vos, assim como lio Droprio para re-
^ des de pescar e pavios para veilas,
s> por preso muito commodo.
clusive calca ejaqueta depanno
fino azul, e alm do mais alguna
cacado, um par de borzeguins par-
dos, com boloes de madreperola
brancos, e consta que levara um
cavallo, que naquella occasiao a-
kO 'gara, o qual tem os signaes se-
<
SALSA PARRILIIl
DE
*
guintes ; castanbo, barrigudo,
dinas pretas, gordo e tem um ta-
lho em uma anca; he provavel que
queira passar por forro, he boliei-
ro e escravo de Luz Antonio Si-
As numorosas experiencias feitas como
uso da salsa parrilha em todas as enferml- 1ue,ra quem 0 pegar lcve-0 a na
da Cadeia do Recife n, ai, que se-
dados, originadas pola impureza do sanguc,
c o bom xito oblido na corte pelo Illui.
Sr. lar. Sigaud, prosidento da academia im-
perial do medicina, pelo lllustrado Sr. Dr.
Antonio Jos Peixoto em sui clnica, oem
r recompensado.
100,000 rs. de gratificasao.
Roga-se as autoridades policiaes, que cap-
de--e\ende-se superior doco de caj seceo,! X^^*}a?*?V (>ifa~che7'
em bucetas pequeas, por preso mais com'l* ,,d" ult'n'a"ldn..ml>urgo,por
preso commodo:
n. 28.
na rua deS. Amaro
modo, que em ontra qualquer parte: na rua
daMad:ede&vend3,s3B. ._^&f9 ^f3*?*
!S3o se tinha descoberto ato hoje um meio' ~ .Y -, rhf ":3a 6 fi *" '"
de conservaba manlciga do vaca semisl.l?J?J,^Ttr!!?-0'-t.pr?C-?i^-U.Uf
Nos paizes consumidores, como a bordo dos
navios, s se gastavo manteigas preserva-
das a cusa de muito sal. Pelo meio de uma
nova invensSo.que ja ha muito etperimeola-
daadquirioa certeza da perfeisllo, pode-se
em toda a parto do mundo gastar inanlcigs
linio 11 luiente conservada fresca sem s I al-
gum. Cbjecto de primeira necessidade para
prasa do Commercio n. 6, primeiro andar,
otiin.
Na rua do Vigario n. 23,segundo andar ha
para vender muito superior rolim para tecer
cadeirasa preso commodo.
Sal e\m paneiros.
Vende-se no Armazem doSr. Antonio An-
nes, no caes da Alfandega ou trata-se com
a arto culinaria e p.ra s meza, a mantoiga! j~i. da Fonseca Jnior": na rua do Vigario
sem sal he indispensavel para osdocnlese 23 2.0 andar *
convalescentes, puis he formalmente pres-f v 1 1 1 -
cripta pela homcopatliia; enesloultimo ca-l Vende-se na loja de Joao
sa ella torna-se tanto mais aprcciavol quan-Cardozo Ayres, na rua da Cadeia
lo he pura de qualquer substancia que Vclha n di os mai rirns rtianens
possa alterar nos scus benignosoffeitos. F-| '' m 8 r,cos cl,aPeos
nalmente pode gastar-so tal qual nos paizes, de castor branco, chegados ulti-
productores. Na Havsnaonas Autiihasfrsn- ,,,,,.i ,l lUi. nnnn.;na
cezas esta invensSo foi recebida com grali-
dflo, pois era de ha muito lempo apetecida.
1:111 l'. 1111 ni hur 1, que n'io cedo em bom
.oslo a outro paiz, nilo duvidamos quo seja
reconbecido o seu merecimcnlo. Recomen-
da-se a manteiga sem salas pessoasque gos-
tSo de passii- bem : ha' toda a certeza de
quedepois quo a tiverem provado n.i 1 que-
rerSo mais saber de manteigas salgadas pa-
ra seus a I mocos e para seus chas Acha-se
a manteiga fresca sem sal por preso mdi-
co no botequim francoz da rua nova, o na
venda de Fontes, & Irm.lo : rua da Cadia do
Recife.
Vendem-so 7 saccas de milho, a 2,000
rs ,cada uma, c tambem aluga-so no mes-
mo segundo andar, urna sala o urna alcova,
Sido pintado do novo, e por preso eoinmo-
0 : em Fra de Portas, confronte o hospi-
tal de marinha n. 145.
Na loja de calfado, liavessa do Corpo
Sanio n. 29, lem um grande sorlimentode
calcados de to las, as qualididcs, tanto para
Sr". como para homens, meninoi e nioni-
nas assim romo na mesma so vendo lodos
mmente de Inglaterra, proprios
para a festa, por serem mui frescos
e leves, e fabricante novo, e outros
muitos objeclos proprios para o
tempo.
Fazendas para senhora, por bara-
to preco.
Cambraias de salpicos brancos e de cor, a
4,500 rs. com 8 l|2 varas, e 640 rs. a vara ;
ditas francezas de bom gosto, a 560 rs, a
vara ; dilis co.n listras de cor a 3,000 rs., s
po;a com 8
varas ; cassa preta a 100 rs. o
covado ; cortes de cassas pintadas.a 2,000
cortes do chita com 12 cova los, a 1,920 o dar, vende-se um molecote de bonita ligu-
1,800 rs. ; lencos de finissima cambraia dni ra, e um dito crioulo do 22 annos, ptimo
lindo, a 480. 560e640; ditos de cambraia canoeiro ; eum ptimo pardo do eleganto
de algodao com bico, a 410 rs. ; /liarles dej "gura, o um preto de boa ligur.i, lambem
cor minio encorpados, a 200 rs. ; dilo {bom canoeiro, tres protts do meia ideJo,
azuesr im 4 l|2 varas, a 200 rs. ; o sJgodSo "m* molstinlia de 14 annos.
[rao- 1 1 1 com listras, a 180 rs. : til ruado- Vende-se um soilim em pouco uso e
Crespo n. 6. i mullo emeonta : no atmazem da rua Nova
speillO (le Dil rede "'"vende-so couro ,U porco para forro ltl.
os pertcnces para os ditos, tudo avontade [com ricas moldurus : ven tcm-sc no arma- i selins, muito grande o alvo por proso com-
dos coriij radiara, ror commodos presos. zem de Kllimanulim.los, rua til Cruz n. 10 I modo na prasa da Independencia n. 35.
sua afamada casa do saude na Camboa, pe-. turem o escravo Manoel, perteocente a So-
lo 111ni. Sr. Dr. Saturnino de Oliveire, me- bastillo Marques do Nascimentc-, fgido des-
tlico do exercito o por varios outros nedi- de o dia s do mez de aetembro. Foi
eos, permiliem hoje de proclamar altamente elle escravo do Sr. Gabriel Alfonso Riguei-
ra, i quem foi comprado ultimamente : leiu
28 annos de idade pouco mais ou menos, cor
fula, com falta de dous dentes na frente, e
de cabellos do lado esquerdo da cabera, que
se torna bem visivel por parecer uma co-
ra, tem olhos pequeos, beifos grossos,
sem barba, baixo, corpo regular, he ofUcial
de funileiro. Trajava jaqueta de viseado
azul, calca branca, camisa de madapolo, e
levou uma trouxa, contendo calcas e jaque-
les : quem o apprehonder elevar rua di
Aurora n. 62, receber-a gratiflcasSo pro-
mettida. Suspeita-se que fosse sedozido, e
por isso desde j protesta-se contra quem o
conservar em seu poder.
Desappareceu ni tardo do dia 13 do pss-
ssdo um escravo por nome Joaquim tem os
signaes aeguintes: boa estatura, reprsenla
ter 35 annos de idade, falla desembarasada,
ps grandes, lem todos os denles da frente,
nariz chato, quando anda estala as juntas dos
joelhos, levou camisa de algodaosinho brin-
co, cslfa do dito azul, este escravo foi do
malo: quem o pegar leve-o a typograpbii
imparcial a fallar com a viuva Roma que se-
r recompensado. '
Desappareceu no dia domingo, 12 do
passado, um preto que representa ter 451
50 annos de idade, de nafo cafange, baixo,
cheio do corpo, sem defeito algum no corpo,
levou vestido, calsa de cssemira azul clan
de quadrose j velha, colete de setim preto
velho, jaqueta de tirina pardo,camisa de ma-
dapolo, chapeo de seda prelo ; presume-so
que anda pelos arrebaldes desta cidade, pois
apezardeser do serto nfiosejulga que te-
nha voltado : roga-se portento as autorida-
des policiaes e cipitSes de campo, s captura
do mesmo, levando-o a rua do Vigario n. II,
terceiro andar, que se recompensar.
-- Desappareceu na noile de 30 do mez
lindo, de bordo do brigue Feliz Uniio, um
esenvo mirinheiro, de nome Joaquim, de
naS'lo Mozambique, de idade do 30 e tantos
anuos, baixo, grosso do corpo, cor fula e
sem barba, levou vestido calsa e camisa do
riscado: quem o pegar, leve-o a bordo do
dito brigue, ou a casa de Amorim Irmflos,
na rua ai Cadeia n 39, que ser bem recom<
pensado.
Desappareceu da U brice de cildeireiro
da ruado Brum n. 98, nodia 17 do passado
mezde novembro o preto Antonio, de na-
Slo cabinda, que representa ter 45 annos de
idade, altura regular, cheio do corpo, cara
abocetada, muilo cabelludo nos peilos e
com bastantes cabellos brancos na cabes*,
e um pouco carrancudo; he olllcial decal-
deirairo, foi encontrado as Cinco Penlas, e
seguio o camlnho dos Afogados, e no natu-
ral que seguase mais adianto por ter levado
toda a roupa quo tinha, o por j ter sido
pegado do ontra vez ni frcguczia da lasca-
da : roga-se portento, a quem o pegar de
leva-lo ua dita fabrica acuna, que ser re-
compensado.
as virtudes elllca^es da
SALSA PARRILHA
DE
Noli. Cada garrafa conten duas libras
de liquido, c a salsa parrilha do Uristol he
garantida, puramente vegetal sem mercu-
rio, iodo, potassium.
Vende-se a 5/000 rs. o vidro na botica do
Sr. Jos Maria Consarvos Ramos : rua dos
Quarlois pegada ao quarlol de polica.
a mofo, mais este cheira a rosas :
na rua do Rosario, n. 43.
Que ha escolenlo mrmela la peitoral,
para a rapaziada corroborar o peito, pois
existe um pequeo numero de lats parase
vender SOOrS.(I); como seja o esto o
peior de esfullar, por isso queima-se por
esta quantia tilo diminuta ; 3 libras a lata.
-- Na rua Nova, loja franceza n. 10, tem
um novo sortimentu de fazendas de bom
gosto, muito proprias para o lempo de fes-
ta, como sejam : cassa franceza muito fina,
chapos de seda e de pabia, iberios e fecha-
dos, minlelhetes e cipotilhos, pretos e fur-
tscores ; sedi furtacores pin vestido, fran-
jas o transas de lodis is cores o larguras ;
bico do blonde, Je linhoede seda, brancos
e pretos ; fitas e flores de todas as qualidi-
dcs, fil de lindo e de malne, branco, prelo
ecrderosa; luvasde pelica o deseda, de
todas as cores ; meias do seda e clculos de
todas as qualidades : na mesma loja ven-
dem-so encerados largos e estreitos, muito
suporiores e por preso commodo.
Na rua da Praia do S. Rita n. 23, serra-
ra Je Vicente Alves Machado, vendem-se 2
par eiiias de embonos de sedro, e de boa gros-
sura e comprimento
4y Que se vende nao parece du-
vida : na rua eslreita do Rosario
n. 43.
As afamadas bolachinbas de araruta do
Rio de Janeiro, pelo admiravel preso de
1,600rs. a lata, em virtude dea festa apro-
ximar-so, o nao baver moeJa para os bellos
pisseios do Cipibinbe.
Vende-se arroz de casca e milho de su-
perior quslidade, e por preso muito commo-
do : na rua do Rangel n. 26.
-- Ni rua das Cruzos n. 22, sogundo an-
' :'\ \ vtyim: M.r'.nr rv.i
MFI MOR FYFMI


Full Text

PAGE 1

Anno XXVII 7 Sexta l'cira 5 de Dezomhro de 1851 276. DIARIO DE •PERVIMIM TTLXQO BA SUBOBIP^lo. PlOtHtNTO ADUNTADO. Mr trimestre 4/000 por semestre o a/OOO Por nno lyWO PAGO DENTRO DUTBIMISTBB. Por quartel 4/50O WOTICI4S DO MFEHIO p lt '15 de Novbr. Minas.. 10 de ..rtlir. %  faranbSo 19 de dito ¡S. Paulo. 3 de dito. Cear... i de dito. ,'R. de J.. II de Novbr. Parahlba. 22 de Nobr." liahia... 17 de dito DA-DA ni*l. AUDIEWCIAs. 1 Seg. S. Eloy b. 1 Tere. S. Adrio e P. J ii'nrt. S. Frrnclsco Xvlerap. daa Indiaa 4 Quint. S. Osmundo. a hext, S. Heraldo are. 'I. 6 Sil.. S. Nicolao b., JHIIIO Orphaal 2. e5. s 10 horas. 1. vara do civil. 3. e6.10 melo-dli. Pateada. e6.il 10 borai. 2. tara do eivtl. ss. Leonina e Dativa 4. e aabadoa ao melo-d, 7 Doro. 2. do advento.! ilaeio. 8. Ambroiio. [Tercas e aabadoa. irBUBIlBH. Creieente 30, aa l horaa e 55 mioutoa da rochela a 8, a l bora e 8 minutos da t. Mingoante a 16, as 3 borai e 6 mioutoa da m. Nova i 22, a 1 bora e U minutos da tarde. ••REAMAR BI BfOJB Prlmeira s 2 horas r :>t minutos da tarde. Segunda aa 3 horas e 18 minutos da manba. riRTiDAa DOS CORRE roa. Coianna e Parahlba, s leguodaa e sextaafelras. Rio-Crande-do-Norte, todas as qulntas-feiras aomeio dia. Garanhuns e Bonito, 8 e 23. Boa-Vista, e Flores,! 13 e28. Victoria, s qulntai-felras. Olloda, todos oa diaa. SVOTICIAS TSTnAKGCIBA. Portugal. Ilespanha. Franja ... Blgica... Italia.. .. Alemania. i I US SKI .. Dinamarca Russia-.. Turqua. i i de Onlbi 8 de dito 8 de dito 5 de dito 3 de Ombr 5 de dito 3 de dito. I de dito l de dito 2ldcSelbr ; Austria.. 3 de Ontbr iSuista. .. 3 de dito. Suecia... I de dito Inglaterra 9dfOutbr, E.-Unidos 2t deSetbr. Mjico... 15 de dito, California 10 de Agosto ¡Chlll. 26 de Abril. Buenos-A. 1 s que Iho fez o inspector da P A p.ga g doH militar remellen!; Pacera mil.Urir do. m'c~, urna copiado relatorioda inspecco ^w-\'^*^\^ n ¡ rn '^^^ t ^ m ^^r da pelo hrigadairo Manoel .le Sou.a Piolo <•> • bo ,'*. d l 0 11 J f S n dn "SSS' de Magalhes ao dcimo balalho de ¡nfancom dest.ttoe Iha dJ[wnBndo P"" C 'P' ,.,¡. 6 ment a respailo do caixole das bixas. d taria. Dito.-A mesma para que nos termos da ment a resp Dito.— Ao Juiz de paz da freguezia de sua informscao, que awmpaha'ram '¡I Barreiros dizendo que com o Parecar, que doeumentos ? que devolveu. s pague ao.ps?" por coma. -oj.rwid.nUd.reJ.clo dre Joaquim Mauricio Wanderley o que justamente se lhe dover. Dito.— A mesmi devolvendo a relacSo dos gneros o mais o objeclos comprados a Claudino Jos da Silva para o presidio de Fernando, a Hu de que lhe mande pagar a quinlia do 339,520 rs. importancia da referida relacSo. Dito.— Ao commandanto superior da gusrda nacional domumeipio do Recife.-Recebi o ollicio de h iil.'in com qun V. 8. trouce ao m?u conhecimento a representac3o do coronel da segunda legio da guarda nacional deste munieipio,Francisci> Joaquim Pereira Lobo sobre nSo ter sido contemplado no detalhe da forca, que acompanhou a proscissSo de Corpus Christi em 23 deste mez,solicitando ao mesmo lempo decisllo deste governo cerca das duvidas propostas pelo mesmo coronel. Em resposta tenho a declarar-lho que perlencendo csse oflleial quarta classedoexercito, como alfares reformado, e n8o podendo, i vista do disposto nos avisos por copia Inclusos, opedidos pola reparlico da guerra em 20 de setembro e 29 de outubro ltimos, continuirno commandoda sobradita legiilo, obrou V, S. com acert, quanJo deixou de o designar para l'azer parle da predila forca, pois que nilo convem que o mencionado coronel rxcrea is funccOes desse posto sem licenca do governo imperial, quem se dove representar sobre a necessidade que baja de seu.s servicos na guardi nacional, cumprindo que para essefimV. 5. me informe com o que occorrer a lal rospeito.— f.ointnunicou-se ao commandanto das armas. Dito.— Ao desembargador presidente do tribunal docommercio remetiendo copia da informacSo, quo deu a thesouraria de f>zenda a cerca do ollicio em que S. S. pedia que do iiumt'iro de Janeiro prximo futuro em diante aeja pago pelos cofres pblicos, n aluguel da cssa em que se acha aquello tribunal, para que proponba S. S. o quejulgar conveniente a lijdIho ultimu, teoho a dizer : qusnto ao primeiro quesito, constante do mesmo ofllcid, que os escrivSes dos registros dos nasci • montos e bitos devem perceber por loJas as cerlidOes, quo passarem, os mesmos emolumentos, quo se contim aos labelliflos de notas, conforme he terminante no regulaiii' ni i citado artigo 17 ; o qual, bem como os arligos23 a 21, no faz distinccSo alguma ontre as cortidOos, que devem sor apresentadas aos administradores dos camiterio, e aos parodies, o quaesquer outros .• quanto ao segundo, enlondo, i|ii •, cora qusnto o dito regulamento no artigo sexto pareca fixar o praso de de/, dias para ser feil i a participarlo dos naicimentos, a lim da fazerem-se es registros respetivos, todava, podenJo dar-sa urna ou oullra circustancia, quo retarde es.a communicaco, o obste a verificac3o do rogislro no referido |pr.so, nenhum inconveniente hnver, quese faca depois dellc, visto que, nein o mencionado reguiamcntn, nem a le ti. 386 de 6 dasatembro ile 185o, cojos flns, atienta |a utilidado publica, se devem em lo lo o caso praencher, imcOe proliibicfli alguma. Assim pens ; mas V. Ex. decidir da meneira que uielbor entender. Dos guardo a V. F.x. Itecife 25 de Novembrodc185l.— Illm. e Exni. Sr. Dr. Vctor de Oliveira, presidente da provincia de Pernambuco.— Antonio Ignacio de \zevedo. DEM 1)0 DIA 28. Ollicio.— Ao eo'i ni un iiiiii superior da II.II'.I.I nacional do municipio do Itecife, approvando a nomoacSo interina do tenante-coronel Rodolfo Joflo barata do Almeida para rommandar a segunda legiSo da mesma guarda nacional. Dito—A' pagadoria militar, dcvolrendo a conla da familia comprada para o presidio de Fcnando, aflm de que mando pagar a Antonio Joaquim Marques dos Santos a quantia de780/000, cm quo importa a mencionada conta. Dito—Ao commandanto do presi lio .de FernanJo, remetiendo copia de um artigo militar, aflm de que satisface a exigencia ordem; e i do subdelegad') da fregnezia por elle feita relativamente a conferencia dos Afogados, Jos Pedro de Farias, por dos objectos, quo forem remettidos para o ferimentos. dito presidio.—Communicou-sa ao roencioi 0 dolegado de polica do termo de Olinda, na lo inspector, parlicipou,porofllci)dcsladata, que nos ma Dito—Ao mesmo, remetiendo a guia dos tosdefronte la IIOVI cisa da academia juridisentonciados, Jos da Silva Ferreira, Jos ca fra echado um Inglez sangrado em um Itibeirode Carvalho eLuizMuniz Francisco, braco, e esvain1o-se em sangue, lendojunquo lhe ser3o aprosenlados pelo commsnto de si um sen compatriota; asim cono lo il'i pat'flio Vtnipiima, alim do rumprirem qun havia procedido a corpo de delicio, e nesse presidio as penas a que foram condado todas as pruvidencias para serem m¡demnados, e recommendando que pelo pamstrados os neessarios soccorrus a osse lacho faca regressar para esta capital o estrangeiro quo, segundo se suppOe, lincio Pereira da Silva, Fredollrum, perteticontc a Itowam & .Me. Callan, DIARIO E PERNAMBUGO. %  ECirE 4 DE DIZBItBn.0 DE l.5|. derico Carlos de Araujo e Domingos Jos Antonio, quo eslSo comprehendidos na. disposicoss do decreto de perdflo de 16 de jonho ultimo.—Inteirou-se aojuiz municipal da piimeira vara. Dito—Ao juiz de direito interino da primeira vara crime, accussndo recehido o ollicio com que transmitlio o traslado da sentenca por sua merc proferida no proth*ou hoje do sullo vapor Imperanz cesso instaurado por crime de responsabili-, lfendo-nos tornaos do Rio de aneiro con dado contra o juiz municipal de Igu.r.ssii, f l • P".">. 0 U ""' A Loureuco Bozerra Carneiro da Cunha. I c rrente, e do Macelo alo 2. Dilo-Ao administrador do oorreio. di. T,n ( h "egado ao Itio no d, 22 do p.ssazendoflear inteirado de haver 'pulido de J "J-ngue portuguez/-npron^o, sabido de engao do praticante Manoel Marinho de Buenos-Ayres a 8, sem que fosse portador Souza Pimental a demora que houve na en¡ le '=nlec,menlo .Igurn poltico i de importrega do ofllcio dirig lo pela presidencia Unca, porque nada havia occcrr.Jo nos 5 aocapito COmmandnte ioterloo do sexto, d ". s q metliairam entro a sua partida e batalhS* da guarda nacional deste munici-! ?. dl "'"l ,or|, r cujas noticias for.ra pu0 Sr. conselheiro Paulo Birbois da Silva interesses existentes. F.ste bailo ter lugar foi oxonerado do cirgo de enviado extrano dia 16 do correnta na chcara doSr. JOBO ordinario o ministro plenipotenciario em Ribeiro dos Santos (¡amargo, ra da Gloria Vienna. i n. 22. Fui agraciado com o titulo de hanlo del • — OExm. e Rvm. Sr. bisno eleito presunta Isabel o Sr. Antonio Diniz Costa Cuipara-se para seguir para a corte, por trra, nnr.'i's, o im d • liii.Vi de Curv lio o Sr. para sar ali sagrado ; visto constar que brecommendailor Joaquim Jos di Meirolles vcmenle chegaro as bullas de oonllrmaco Freir, ecom o da baldo de ltagushy oSr. do Roma. Antonii) Das PavSo. ] Corria a lista sxtupla da qual deviatn sor O Sr. o. i'.ui domar e guerra, Jos d)| tirados os dous senadores por aquella proSouza Corroa, lente jubilado da icademia, vincin,ichava-se organisada com os seguinde marinh', foi nomeado roitor i!o collegio: los senhores : Exm. snlrtistro da justica, Pedro II, oro BUbsIituicflo do Sr. Dr. Joa-t monscuhor Jo.lo Jos Vieira Rama'ho, hispo quim Cactiino da Silva, quo vai para Haya .eleili Antonio Joaquim do Mello, liarflo como encarregado de negocios. [de iguapo, desembargador Fernando PacheS. M. o Imperador lionroa no dil 21 tlo.co Jordo, e Carlos Carnolro de Campos, passado com sua augusta proseca osexa-; — DJS jornaes da Baha o Macei nada comes do oollegio cima meiiciniiado, e no[ lliemos digno do moncilj. Gosam as proiii.isin i ii¡ i presidio reuni. da Instituto vincia do soreg. INTERIOR, RIO DE JANEIRO. leudo informles a cerca de um escravo do ollicio do juiz municipal da primeira vaquo possuia o sargento Candido Jos de Sour8 desta cidale, acompanlnda de um requesa, destacado n'aquella comarca, n ni •uto do preso Antonio Fernandos RoJriDito.-Ao mesmo para fazer elevar a tringues, alim do que salisfaca o que requisita la piaeas o destacamento do corpo sob seu o mesmo juiz, nSo ; a respeito do referido mando, existente em o termo do Ouricury, preso, COBO dos domis sentenciados ennomeando u,n bom olllcial para commandar viadus para aquclle presidio, o referido destacamento, o qual dover parDito—Ao mesmo, transmillindo por colir para all qusnti antes.— Communicoupa um ollicio do inspector da pagadoria FOLHETIftf. U3 St£..i'2>> 3>'!t21L£2223 OV MEHIORIAS DE UM MARIDO. (*) POB. EDOSNIO SCE.) VI. Madama Rajniundo accolheu seu flho com a espansao de uina ternura apalionada durante esta troca de caricias entre Joao e sua mai, eu tfve teinpo de tornar a infm de minha surprcza i de ininli. eino^ao. Respondi o melhor que pude ao benvolo aclenos nao linha -jamis lomado parte em nenhuina de vossas conspirares de esludanles, qniiiilii ella nao tinba sido provocada por alguma iniquidade. — Esta he a verdade, senhora, exelamet eu: Joao e cu nao conspiramos jamis sem motivos; mas se nos fazem injusticia,oh! ento.... Eu pronunciel este oh I tnlao' com um tom creio que multo ameafador c trgico, pois vi um sorrlso mal dissiinulado dcsllsar-sc petos labios de madama Kayinundo, que raras vezes sorria. Este sorriso pareceu approvador; elle animou-tne e eu accrcecentci: — Foi como no caso do cosaco no qual Joao se inn.troii uto intrpido, senhora; se eu Uvera pensado nisso, teria feito como elle, anda mesino que devessem fuzlar-mc no mesmo lugar.' — Uh! desta vez, monaleur Fernando, eu ralhei com ineu lho, respondeu madama Rayinuudo. bu lhe linha lido, be veidade, urna carta de Lorrena, naquatcontavam'ine as atrocidades commeltidas pelos cosacos em velbos, em mulhcres, em meniuo9; lindamos cado iilliiii'i.nto da mal oemeu'amlgol ella pareceu! indignados^ desses^ horrores.jnas a|ndignacao luultaa vezes observar-tne com atteuco, sem duvlda procurara ler em minba physionotnia, se eu era (al qual Joao me linha pintado, r'.suexanie comquanto pulidamente dissimulodo, renovon mcu embaraco e meu rubor; sem saber porque, eu annldicoava em voz baixa meu Irage de ptlimit'i. As meoorea circumstancias de minha primeira entrevista com madama lUymundo, \\ caram por tantas rasdes gravadas em minha memoria que uo obstante teiem decorrido tantos annos, lembro-me quasi literalmente de mili las parles de nossa conversafo. Esta encantadora raulber disse-inc primeiro que tudo: — ta multo lempo, monsieur Fernando, que eu deiejava conhece-lo ¡ meu Albo tein-me fallado muilas veies do Sr. como de seu melhor amigo. — Sim sitn, senhora, respondi ingenuamente ; e nan foi sem multo custo que Joao nie quiz para amigo. — He porque Joao nao d llgelramente sua amisade ; elle sabe a que liso obriga; mas urna vez que a d, esl dada, monsieur Fernando. — E foi na prisao que nossa amizade com louo se consolidou, senhora! no tempo da famosa conspir.icu dos candieiros cxclamci, sottrivelmenie nrgulhoso de mostrar-inc debati de urna forma tao heroica mi de meu amigo. Sim, senhora, eu era desta conspira(.80.... — Com quanto urna mal deva mostrar-se mu severa para com as faltas... c a conspiraVo de seu lilho, respondeu madama Rayinuno sorrindo docemeotc, miu grado meu, despulpo um pouco a Joo, porque tile he dolado de um desees caracteres que a ¡njtisllca rcvolt e sel.... porque elle me dlsse que pelo a polica ¡litmosse do maneira alguma a nostss consuras No mesmo dia 22 houva na corte urna trovoada duranta aqual caliiram dous ralos, um no l diiido do trapiche novo do S,r. Retumo d,t cxtra C aoio< premios rfn 7' lotsria Msxwol pai, o outro por urna notavcl coinexlraordinaria cmndidt ae limito ii Nilhiroy, cidencia nacasidoSr. MaXwol lillio, noentm ib de novtmbro di 1851. I gonho vollio, causindu o utlimo apunas alI N. 2ncente ciiipanhi i Ubatubense, o por S.OOOTKK) ris incnsacs, c esto a do Macah, por 3:500#000, deven lo ambos ser coiumandados o liipolados palos commindantes e guarniedji dos vapores Thetis e Urania. O vapor l'.'irnensa foi arlilliadu com 4 pecas, duas de 68, e duas do 32, inglez, devondo procoder-so al o lim do mez passado a ultima OSporieoei. para s ir rmalo. O primairo-tenento da armad*, Miguel Jos d Mello, foi agraciad') com c Inulto de S. Rento de Aviz. Fallrceo o capltao-teneotc di mesma, Jorge Alvaro Pires. Eslava contratada a ro dicai;ao 'o tlioatro do S. I'olro da Alcntara, achanlo-so fenla di etnpreza o Sr. Joao Cela no. OSr.senador Montezums domitlii-se do lugar do moinbrii da commisso inspectora da onstiucQo do lh;atro provisorio. Le so no l'rcgoeiro de S. Paula : ItftSa"" 373 "" l8 l %  '" ;>8 %  48 I itOOOfOOo' niz, sendo os outros dous ean lid.it-o, q ic Eis aqui o que mais colhemos das g.zelas quo recebemos da Europa. recia Este paiz lloara tranquillo, e ja quasi de todo livro ilos bandos da salteadores que o InfeaUTo, cono oa leitore* verSo do se,'uiatn a'lio publiculo pela Presia : ila algum i tmpn a esta parte, nenhum aol i da latrocinio tcm sido commeltido na Creca, o Acarntnia, o unioo logar, quo ha dous mezes era anda inquieta lo pela quadrillia de Kalamala, goza presentemente de urna porfeita segurauci. Esto chefo de bandidos iiiloiramaut> abandonado por aquellas de seus companheiros queesoaparain aof Turcos, anda occulto as norestras; sua mulher foi a Alhenas a lancar-se aos ps do minist'0 da justica e implorar anuystia para seu man lo | porm o governo, sedaremos dar ero lito a todas esinforma;0es que nos SAO dirigidas, esta deciJidoa nilo perdoar aos bimlidos que perlurbarant duranto algn lempo, a tranquillidadi' do paiz. Kalamata promete, dizein, se lhe concederem a vi la, fazer revelacdJS importantes sobre as intrigas polticas que lhe pozoram ss armas as nulos c das quaes pretende ter 10 a 20 > 60 • 100 de. 1800 de. 5083 I I060--1I65--1193-1723—26911 281.7-3551-3701-4002--4244 184—I272--I540—1571—I73(i\ 1700—1877-1896-2037—J074 Jl492158-l2(J9"2600-2948( 3100^3340-4080-5349 -5422? 131— iSO278— 307— 5I0\ 645750782818— 8l9 \ 085088-1288— 129o—1307 1409-1414—160—1610-182.31 1839—I9lli—1924— l99—223SI 231 l-2386—2503—2523-2¡.66i 2599-2614—¡ 19—2701 -2721 > 292-3lil—3177—3307-3354 3538-3558-37 37-3881 —402.1 4110—4165—4338-4165-4610 \ 4684-4853-4996—520O—5245 5297-5488-5705-5720—5832 / 200/1)00 100/000 40/000 2U/000 2000 premios. O pagamento dos premios desta lotera priO' cipia na terca-feira 13 do corrente mrz, no es< criptorio do Ihesourcro, Antonio Alves da Silva Pinto Jnnior, ra de 8. Pedro n. 47.--0 escrivo, Roque Mxlonii Cordeiro. ( Jornal do Commereio } Por decrolode 21 de outubro prximo! s jdo victima. Ssb--sci que o'utr'ora elle passadofoi instituida em Smtis a junta do oceupara um posto bastante elvalo no dor Jos Macodlmerciodosla provincia,sendo dola pre' lioente o capitdo de fragata Sabino Antoniq da silva pscnoeo, a doutadis, n inlpeclor lacao do tfaranblO os julzes rf. direito JOJ M" ?¡! Jl,s ''.! ll|li sU 1 d 1 8i '" ll ll!l,0 1 : ["i'" l-moso pirata Negros quo com KalaFerreira Souto, Milomo Joaquim de Albu2 i d „ 8 !'.?. U I d9 p0 C Ant0, Fsrrelr4 ,la |m"l-, enlr.tava por tanto lempo a polmica formavama lista triplica o¡ Srs. Joaquim 400/000 Franco de S, o desembarca" I rlaol. Foram Horneados desombargadores da iexereiWj poroM o governo nada querouvir, Kslatn.ta deva expiar ssus criines no cadafalso. quero,ue Mello, o Manoel Jernimo Cu'des Alcanforado, e da desta provincia Francisco Joaquim Gomes Ribeiro. O americano Itoaso, que na di i 23 di S3Ic libro transicl'i .ssi-sin.ii i no hotel l'liaroux o itiliano Emilio Anselmo, oom dous Uros de pistola, foi absolv Jo no jury da corte, en sesslu do 21 do passiio, mas o Silva Jnior. Consta queoSr. D-. Silreirada Multa est nomea lo pelo governo da provincia director -ial di in-lrncc • publica en n rs, 1:200,000 de ordnalo, o S-. |ir. Antonio Joaquim Ribas seu secretarlo com soo.ooo ruis. liiz-si tamben qm foram noniotios diPERNAMBUC9 PARTE 1)0 DIA 27 DE NOVEMRBO. Foram presos: ordem do subdelgalo da fraguezia de Santo Antonio, Cosme da Silva, sem declararlo do motivo ; ordem do subdelegado da freguezia de San Jos, Luiz Francisco Chaves, por ser dosertor; e do subdelegado Ja freguezia da Boa-Vista, Francisca Mara das Cliagas, para corrccclo. DEM DO DIA 28. Foram presos: a ordem do subdelegado da freguezia de Sanio Antonio, um franco/., cujo nomo no foi declarado, por desJuiz presidente do tribunal appollnu di ILIversos lote, da academia p ra cimpo-cm cisio do conselho para a relacSo da .ns:ri %  • oconselho d. last'ucelo publica, mi.fnlo, na ccitiformidadu do art 79 § I Ja leda da no sibimos amos .So,, muito mi:i .1 i ilez MIIIH'I de I8tl. nos quii-s as allriluicis deste COUSelhO. Foram notnoados ronviado extraordinario Aguardamos a pulilicapo do regulamento. a ministro pleaipotenciario om Wasiiington; i. MI ii i T 'ni enpilil alguns inducida opposic3o em Alhenas cantra o governo, poslo quo nilo tivesse jmaii doixailo as paragens ilo arclupelago das Sporadas, mas qnotodavia inspirava um viva inquietscao a navegaclo o ao commereio do todas as nicii's, acaba do ..r preso n fusila lo pelos Turcos, na grande ¡Ib. do Forni, junto do Saraos, ii Foi um cruseiro franctz, o briguo t'abcrl comal)n ludo pelo l-nonto de marinhs Pfehon, enviado em pers iguicAo do Negros pelj almirante Rumam—l)e>fosscs, quem o bloquciou com suas embarcaces na ilha que acabamos do nanear, eque n deu deste modo lampo a urna barca tiipulala por Albnezes viudos express.imedtj do Samos, pSr. Dr. Francisco Ignacio do Camino Moles do partido goveroista residentes no norteira ; ministros resil mo.: om Kolivia o la da provine, o consta que puzer.im-so S-. Miguel Mstia Lisboa, e na PrOStU, cidatodos do accar lo sobre as olcicOes, tanto do !" sinal oonvencionarj i da apoderar-so. des Anseticas, llanover, Oldemburgo, Modeputadns provinciaes que tenlo lugar a 12 deste pirati e de o exeoutar com Irez uo tklemburgo-Sclieverik o Mechelemburgode dezemhro, como sobro as de senadores e se 8 companhciros. E-te acontecimento Jirel tz, o Sr. Dr. Mreos Antonio do Araudeputados. IproJuzto scnsacilo em Alhenas, jo.quoexerciaolugar de encarregado de • Assavera-se qua jt correm as chapnsi As cmaras dos deputados votou quasi icgocios interino c cnsul geral tas mesdos dous part los para deputados provin• por unanimidad, na principio deste mee laicidades Ansoiticas. Foram mais nocaos; o diz-sa que no governista nSo entramultas leisassas imporlint-s : a le que uxa pieadoscnca regados do negocios: om NirSo os juizes da direilo, a que no foram' 8 rca armada do trra em 8,900 norneus, IOICS, o Sr. Dr. Domingos Jos Cancahos incluidos mais alguns can Hiatos da legisa le sobro os diurnos, ; le sobro os lierst Isgiilnaes.quealiexercia o mesmo cn-go latuia (Inda, o quo na di opposicilj ap-uas a qual impedir pala o futura os crimes co nlerinameiitajemTurim oSr. viscondeoe entraran, qualro novos. baratara da que minios cpiiaos se liniia B. Amaro: na Blgica o Sr. Pedro CrTalh. OS-, Dr. Ma.tim Frsnclsoo Ribeiro da tormdosculpados.e n consequencia denudo Morsas, que resids com o mesmo caraAndada vai d-fonder tliezos para o grao de seria que o blnqueio de I8o0 produsira. t;er em Turim; om Madrid, o Sr. Francisco doutor om diroito nos dias 21 o 22 do corO senado tainbsin votou por -s voto kdolfoVarnbagem,qui)ali exercia o lugar rente. .contra 9, a le sobre a roorgjnisaca.ida conde secretario da legaclo ; em Vionua o Sr. Alguns negerianles da cipital concertabilidade na raparticao da lazetiJa. e,r. t)r. Antonio Joso Lisboa ; na II ivi o Sr. Dr. taram-si para threm um baile ao Exm. urna das leis s quaes o ¡>r. curisuues, mijoaqu'mCaelanoda Silv.; no Chilo, o Sr. Sr. Souza Franco, om testetnunho da g-amslroda fszend* dava granda iniporuncid Jooda Costa llego Montei.o, quo resida tldflo pelos seuseslo-cos n hem di n.cinpara operar tudas a: quo Com o mesmo carcter om Balivia. de Joao o levou demasiadamente longe. Ue sem duvlda uiaravilhoso malar cosacos, acerescentou madama Rayinundo com sua vos doce, mas nao se deve jamis malar por surpreza.... iiriii inesmo a covardes assassinos. — He verdade, mlnia mi, disseJoao; lis mal, porcm o primeiro moviinento.... — Jess! isso lie' tao natural, scnbora, respondi eu inlerrompendo o meu amigo; avista de taes ecleratos, um homem nao be mais senhor de si.' — L be em ser senhor de si que importa setnprc e sobre tudo trabalhar, monsieur f'erniiulo, respondeu madama Rayinundo com um tom ao mesmo tempo firme e maternal. Kta conversafo com quanto insignificante, causou-ine todava uina impressSo profunda. Nao obstante a suavidade de sua voz, nao obstante a docura melanclica de seus grandes ollios azues, nao obstante o encanto de por cima do quarto cm que nos achavamos. A sonoridade deste ruido foi tanto mais notavcl quantoa casa eslava mais aihnclosa. I.embrcl-me da apparifaodo homem de barba ruiva em uina das agoas fuadas que davalo paia ojardim, c lancet os olhos furtivamente sobre Joo e sua mi, no momento em que ellcs trocavam rpidamente um olbar de inquietarlo. — VMI he nada ; he anda o damdado do gato do vislnho que fai das suas l em cima no cellelro, disse framente a veilia criada, a qual sabio com passo tranquillo. Excepto a troca de olharea que cu linha sur prendido, Joo e sua mi permanecern! impassivea Madama Baj inundo fet-nos com una grafa encantadora as honras da merenda, sem procurar desculpar sua frugalldade. Depois de urna troca de algumas phrases insignificantes sobre colleglo e aobre nossas occupafdes, madama Raimundo disse-me coin urna bondade maternal: — Para que fin estuda Vine, monsieur Fernando ? Que carreira pretende seguir ? — i .mando fallo dissn minha ayo.... senhora, ella responde-me: ii Meu lilho, nao te inquietes ; compre que esludes como todo o inundo; mas, gracas a eos nao leus necessidade de uina profisso para viver.... Em lim se te sentires mais tarde com vocaco para uina carreira ou para outra, ser semprc lempo de oceupar-nos disso! — E essa vocaco ainda a nao seute, senhor? perguntou madama Ravmundo. Quereodo eialtar-me aos olhos da mi de meu amigo, c faie-la esquecer meu desgrajado trage de peumrire, mosimudo-me por assim dizer em perspectiva, revestido de um briihaate uniforme, reipondicom um ar conquistador: — II • um estado que adoro, e para o qual siolo que nasci, senhora — ; he o estado mililar, elle tem seus perlgos; porCui be lio glorioso — Triste e estril ollicio he esse, monsieur %  seuseslo-cos n nalisacodo coinmcicio sem prejuizo dos 'l" projeclou, e qn % %  se bao da elTeituar gravos doce tinba vibrado cada vez mais sonora, leus olhos tiohaiu-se animado, e voltaudo a eabeca para n lado do retrato de que lenho fallado, litou nelle por um momento seuolliar com urna cxpresso de varonil orgullio, ella paiceeiiui.' sublime assim. Joo linha como sua fetcOcs e a graca de suas maneiras, eu precenFemando, respondeii-mc madama Raymundo lia que madama Ravmundo era urna dessaslsacudindo acabeca; nao ba peior eaeravtdo mulberes inellexlveis de Roma ou de Spaila de ¡que a escraviJo militar...; quando nao deque nossos classicos nos referiam avidaaustegrada as almas elevadas, entristece-as profunra; lal era cnlao a inobilidade, dlrei quasi fe-: daincnte. bril de iniohas impressdes que desde niiiiha Mui desorientado por esta resposta, responenlrada nesta casa, e fra mesmo a impresso di todava: producida sobre inim pela bellesa de madama] -E matar cosacos, senhora! Ravmundo, eu me acbava iuiciramcnte outro;; -Nao he preciso ser militar para isso, ni.ni le, sccrescenlel estendendo a mau ao meu amiella para um gabinete vlsloho, no qual liveram go, seria j una excellcnle ideia, uo he sejniiloj uina cuita conferencia: esn conlerenSbotar i-i.i pireceu-me ter entrestecido mullo a tnru — Ande l, monsieur Fernando, disse-me mingo, madama Ravmundo enternecida da (inseridaDepois dos adeuses que Joao fez a sua mai, de de ininlii allcico para coinseu filho, Joo dcixamos o bairro de Santo Antonio para ir aii voltadoa eabeca para o retrato c pareca tinhao julgado bem... OSr. lie una boae digjanlir cm casa de minha av. ontempla-lo em um silencioso enthiisiasmo. na alma.... sua itnica falla... c cuinprc ler Eu comprehendl sem difflculdade que o pal sentido com ¡spulso deviajaleur Fernando. Na ultim guerra de Franca, ¡ geite honrada; csilarece-los, morallsi-los, zimos domingos voltando a merendar aqu com Pela primeira vea eu tlnha ad baler mais chelo; eu asplrava a nao rigo imaginario que teria intrepld tilintado em presenfa de madama Kayinundo quepe| foram nossos camponezes de blusa e tamancos auu-loi cmliin, e tomar sua sorlc a mai< feliz J rigo imaginario que teria intrpidamente af-, que fizeram a mais rude guerra aos cosacos e pcssivel.' Diga, monsieur Fernando, f' Vide o Diario u. 470. me provar segundo opero que nao tem leza de nina mulher.... mas cita mistura de nao be lomado a mparte minha moral. grafa e de melancola, de docuia o de energa. a'os l'iii.-ianis e ha viole' minos os volunta-; ¡sai melhor do que perder o lempo no ocio es— A prova du contrario, senhora, cxclaml Lio nolavel em madama Ilaj mundo, a soliciturios da repblica, correndo fronlcira, com tej de uina guarni(o? eu do mais Intimo do coraco, c com un tom de • mesmo lempo seria c benvola que eiu A velha criada que nos linha aberto a prtalos ps descalcos, nial vestidos, armados de ma— Uh! he verdade! Exposta assim pela sedemasiadamente solemne, beque juro alante me linha lestenntnhado, luda MIIIOI ata os trouxc urna merenda fraga! coiuposta de pao e diados, de dardos, de espingardas ms, cratn nli.i i, comprehendo agora que nina lal carda senliora e de Joo ter para o futuro una m\ sieri as que a cas! nha do bairro de .s uno Ai,. Inicias. No momento em que ella depunha os .por ventura militares? Nio, nao; e lodavia re!|> hesoberba, c coTiiprchcodu-o Lio bem, grande farfi de carcter.... Sim eu ojuro pelo Ionio pareca conier, iuiprcisinnava e exaltavz pratos sobre uina mesinha collocada junto dalcspellram de Franja os cxercltos estrangeiros. cxoauel, que boje mesmo quero pedir mique tenh i de mais sagrado, a senhora vera e ¡minha Imaginaco senipie i ao momi. jauella do jardim, ouvlmos un estroodo re-1 Entretanto que madama Rayinundo fallava asnh!av para entrar ni escola das arles c olli Joo lambem o ver.... se compro ou nio tal-¡ tumbador, como se alguma cousa tivesse cahij sim, seu rosto ordinariamente paludo linha-se ciolao mesmo lempo que Joo.... Quando isso tilia promessa. do de alto sobre o soaino do celleiro que licava ¡ pouco a pouco colorado do um vivo rubor, sui nlme setvisse seno para nao me separar delAules de delxarsua mi, Joo rciirou-sccom 'Coii('aar->e-lia .¡



PAGE 1

%  p> VeniM: 711 barrica de ff. J8 59 50 p 50 kilormmj, pigot os li.eitos. Nada „ [ei eio aisuorastrangairo. Importaos %  755 barrioaa e fetaes di Martinica o Ceidelupe por Matbiido • Maria Felicidad?, e 3,238 eiocoe da Per na tabuco oor Hvr. Deposito: 00 barrica da Indias oocidentacs francezas, 4,000 saceos da Bmil, ( J,600 barriM e 1,40b caixas da Havanna a P o'lo-ico Movimento do porto. Navios entrados no din 4. Rio de Janeiro e portos intermedios8 das • Jtboras vapor bnsileiro imperatriz cenunindaote o primeiro tenante Joaqoim Salom Ramos de Azevedo. Traza aeu bordo : para esta provincia, o desembarg'dor Francisco Joaqulm Gomes Ribeiro> D'. Jos Augusto C. Nabuco de Araujo, Dr. Cirolino Francisco de Lima Santos a 1 escravo lente coronel Hygino Jos Coelho e sua familia, o primeiro cadete J. C. Pessoa de saboia, o particular Jeremas Breogel de Almeida Cueles, Feliciano de Souza Aguiar, Manoel Balthszar Pereira Djogenes, Malhias Lopes da Costa Maia, Antonio Rrandfio da Rocha, lente Manoel Jos de Barros e sua senhorB, 7 ex-pragas, 1 desertor e 1 escravo a entregar : para os portos do Norte I). Joaquina Francisca do Sacramento Antonio Maria Moren-1 de Carvalho, Domingos Jos Rodrigues o Tlieodoro Antonio Su Oliveira. pjotrande do Sul -36 das, patacho brasilero Euterpe, de 163 tonolladas, capi13o Joo Congalves dos Res, equipagem II, carga farinha de mandioca ; a Candido AITonso Moreira. Passageiro, o nastico Jos Ignacio Pimenta o Francisco Joaquim Machado. Paranagu-28 das, brigue bnsileiro Belizario, de 232 tonelladas, capitao Manoel da Silva Santos, equipagem 12, ooi lastro; ao capitao. Abrolhos — tendo sahido do New-Bedford, ha 4 mezes e 10 das barca americana (¡ray Houod de~28 tunelladas, capitao F. A. Wlng, equipagem 24 carga azeite dopexe; ao capitao. --Veio refrescare segu para New-Bedford. Navios saltillos no mesmo dia. Vracaty hiate brasleiro Flor de Cururipe, capilSo Alexandre Jos Alvos, carga vinho c mais gneros. Pasagoiros, Antonio Joaquim Seve, Manoel Theolphio Alves Ribeiro, Joaquim Antonio Alves Hibelro Jo3o Jos Pinto Jnior, J. Colares, JoSo Jos Estevas, Pedro Jos Ribeiro e Joaquim Bernardo S Brrelo. Babia porS. Miguel das Alagoas — sumaca brasileira Paraguass, meslre Francisco Peieira da Silva, em laslro. tara urna eacolbida cavatina do eu reper-jder-se com O mesmo capillo ou 3 torio. Terminar o espectculo com i graciosa firga O llecrulamento n'Aldeia. Comeev a 8 horas. O reato doa bi Hieles acham-se venda no lugar do coaiuine. Theatrode Apollo. RECITA EXTRAORDINARIA. Sabbaio, 13 da drzembro de 1851. Depois de um i nova o escolhida ouverlura locada era grande orchestra, subir pela primetra vez scena nesta cida le, o magnifico e pomposo mysterio, adornado de muzicae canto, em 5 actos dividido! era 7 qoadros e2 intermedios, da hbil penm do eximio poeta francez Alextndre Dumas, intitulado : D. JO.lO DE MARAA, oo A Quila de um Anjo. Pemonagens e adoren, D. JoSo de Maraa--o Sr. GuimarSe?. i). Jos de MaranS -o Sr. Amolo. D. Mortez — o Sr. Miranda. I). Christoval --o Sr. Talles. D. Minonl — o Sr. Conrado. D Sundovald'Ojedo-oSr. Gyrillo. D. Pedro — o Sr. Jorge. D. II n ru| un — o Sr, Figueirelo. I). Tradique-o Sr Caetaoo. I). Snchez -o Sr. Senna. O Anjo Mao — o Sr. Mello. O conde de MaranS -• N. N. O Senescal -N. N. Comez -o Sr. Santa Roza. com o consignatario Luiz Jos de S Araujo, na ru da Cruz ti 33. -Para o Cear, hiate brasileiro nimia, j tem i org.lo de carga a'bordo, e segu ate odia 8-do correnle.com o que hvuver: trata-se com Manoel Diaa, na ra da Sen zalla Velha n. 131. [ % % %  HTIlaa—*l I I Leiloes. — O corretor Miguel Carnero far leilSo por ordom dos Srs. M Calmont & Companhia hojeS docoirentea* 11 horas do dia no caes da Alfandega de 408 barricas com farinha de trigo com toque desvala chegadas do Liverpool DO brigue inglez Andes. — Leilfio que faz o corrolor Oliveira, por ordem do capilSo T. P. Josl, era presonca dos agentes de Lloyds', por cotila e riaco de quem pertencar, do casco, lodo o apparellio, veilame, ferros, correntas, botes, manlimentose mais peitences da barca ingleza Ospray, tal qualsa aclla fut laida ¡vale potto, onda os pretendentes po1er8o fizar antreipadamente o competente exame ; {sabbado, 6 do correte, ao meio dia em ponto, na porta da associagBo ci'nmercial I — Augusto C. de Abrou n3o lendo por fal¡ta de lempo vendido no seu lello do sj gunda-feira, tolos os artigos que deseja aca! bar, continuar o mesmo por Intervengo i do corrector Oliveira, soxla-feire, 5 do corrente, quando vender um excellente sortimenlo de alpacas, cassas de quadros do 10 e de 12 jardas, brins de linlio branco transado de todas as qualidades; corles de cassas fustes para colles fluissimos, dilos ordinarios, brins de linho liso de quadrinhos, ra da CadeiaNodfi I.* do crrante, desappareceu Um moleque por nome Honorio, gago e picado %  ¡ %  dir-so de toda as pessoas a quem veio roc.mimen la lo, o com i|iie.n tr.insaciouo.ie rocelicu lanas alleii(0es o obsequios, o faz i por meio dVste bem conceituado jornal, ??,^ri.'bu .'fi ,e ; 'f' i l a ?, 6l ''r'sneotilcanlo-lhesquo no Rio do J.neiro ?ES£22 Ue der o acarao sompre prompto a .ctrihuir-lhes I„ -. %  • Inoqua loroi muita silisfac..1o. Aolllm. Sr Sondo pos avultadiss.rna a son.ma das i, r s .bin. medico liomccopalhi, OOOI es despezas lenas para este My-teno o empreecl¡jliua ,„ 8(¡ra ,, eco p oU v Blo r e „ 9 de l\ur^ r,g '" ^f^'? ll0 ". a "To que ncile vapor Ta,j Dflo po loria p.rso dobrar os precos, como lambem vender jr se adiar ininha oonwrte com un. osbill.elesparatr, z „o.les,sendoapriu.eif ., r \e ataque da arganl. que a iapoMirana do da 13 asegunda nado da 17, o a bi itava 0 H t do | )e |, or B „a, e serios recelos tercoira na do da 20. ¡ eu j|l|la pela 9ua v|a ,j opujs if¡ t8r ro rreQGS. | corrido a uui dos inulhores iiiodico.i IlopCeral. 6,000 rs. para as troz no.les. f [h 3 d esta oll¡adfl a molestia mais se Cadenas. J' !" 0 rs I agravava a pontos do dito medico l'ie queCamarotes. 30,000.8. rcr fazer operacSo na garganla ; fui m-sla Os Srs. ass.giiaul.es porem n3o solrora-n f OCCSS J U quo [C vo a feliz lembranca da ro•lter.naoalguma nos precos do seus camacorrer ao |,| m Sr ur Sabino, oqual lo^o rotes, ebilheloi do c.deira. me disseque a molestia eslava em estado Eutendo-ae por geral os assenlosque de muita KPav idado eadiaulanento, porm cam por baiao da primeira ordom, opor.caquelicllla reenl salva-la a talvez faior com de.rs, todo o centro da salla. I quo podesse segujr a m ,„], a vagei., o louComecara ais 8 horas om ponto. Vjdo f ,. us Bt8 ¡, n aconteceu no lm do 4 OsSrs queja havtao ene.mmendado ca-|| lurajClI1 u na doso que Iho foz tomar, a marotes; queiram novamenta dingir-sea ¡ duell t e ¡ a po jj a beber agua com facilidade casa do emprezarto ra do Apollo n. 27, see a0 r,rn de dous dias com oulra oose, j gundo andar, ou ao tneatro com anteceden-1 podja comer e eslava com a g arg nla qu si Cla .,, ., desembaracxda: buje acha-se rainha conOJ btllietes verdes, tanto de platea geral, j surle ul r r e ¡ tall 81lle uua (a0 |¡„, do 5 das; a comodecade.ra e camarote servirn para af se( ujmoa nossa v ¡ aBem Receba poisoSr. l.-noile; os azues, para segunda noitc;e Ur sabino, os prot-stos da minha mais os amarellos, para a terceira noite. [ viva g rar t d5 o pelo feliz resultado qua desle tractamento lirou, e qua j mais esquece, re. — Recife, 2 de dezembro de 1851. ELEMENTOS ioio j l dl¡l /} e s DE Padecenlo4 para 5 annos de retenrjes Homceopalhia. I de orinas, e j caucado de consultara diSahio a luz a segunda parte desta obra {versos facultativos sem que estos acariascompostapelo professor homceopalha Cos-.semcom a cura radical do minha molestia, sel Bnnont. Recebem-so assignaturas para recorr por ultimo ao mui digno Cerurgiao, a obia inteiraa 6,000 rs., no consultorio, 0 Sr. Jos Francisco PintoCuimaraes, e ¡sto hornee ipatiiico da ra das Cruzes n. 28. DeJ no d ¡ a 5 do novoinbro p. p. depois do mcia o 11a) lo 1 ola Sr. Dr. J. A. Souza IWtrao da Araujo Pi ra, a n gocio de seu iuteresse: na loja de fazendas ua nraca da Independencia nmeros u. 37 e 39 %  K ~ Pr'cisa-se alugar uma escrava, queJJ^rV ba en^oitunar ecozii.har, odiiriodouma casa, r, s lonsabilistn lo-se o seo senhor : na ra estieita do Rozarlo 11.12, Inji de marci neiroso ilira quem precisa. -Joanna Uo Rozario CuimarSes Machado, embarca para o Ro de Janeiro, o seu escravoceoulo, denomo Luiz. -Pei-gunti-se ao Sr. Germano, a nzSo porqit. a entrada no tliealrn nos dias da rii siio, he franca para uns o pa.a outros au, Uto I_L 11 -111 um dos despedidos. —Acha-se fugilodi cidade do recife desde o dia Sdejulhu do co> rente auno'do 1851. o preto Juno de naiao Qjigain, com idado de 28 anuos, de altura regular, seco do corpo, cor fula, pouc barca com uma marca de na(3o em um braco Dornas sigua) tanto diadas, meio ginga.lor no andar, com 11 marca ou pella lura pequea na cabega (Ola, cosluina d %  carregar, leudo lvalo caiga a zul tnesclada e corroa na cintura p ra segurar, carniza branc, bonel da marojo j usado, das quaos roupas lalvez ja tenh 1 n.udsdo,e be:u sss.m nome. SuppOe-se ter seguido para aigu n engenho desla capital ou para qualquer oulro lugar onde estoja acoutldo. Prolesta-su cont-ao diteutor, e por iiiileuiins leu dos prejuizos cauzados; e roga-se a todas as autoridades pessoas particulares, que o poderem man Jar capturar que o mandem intregar na mesma cidade om a ra da Cruz 11. 17 defronle do,cll.fariz, a seu senhor abaixo ussignado que gratificar mui generozamonle aos condulores. Manoel Joaquim Seve. — Deaappatccan no dia 3 00 correnle ad ra do Vigario n. 25 terceiro andar um mulato claro; cabellos cariados, tem na frente dois denles podres, e levou camisa de algodBozinhode lislra, e calca do brim trancado pardo, j com algumas no loas, toga a qualquer pessoa que o pegar leval-o na dita casa ou senhor que sera generosamente rocotnpencado. Ulindi. Sorvete de liojc em diante no hotel do Vara IDUIU. n favor e u'ann anclar por este Diariiou man laJ-OS entregar 11:1 1 sideucia do dito l'ugg) Jnior 1 111 ra Sala moblada e lodopcnlente, para as familias, que inlo a pisseio quierecs descansar. Quartos preparados para dormrd*. Espacosa o bam arejada si la dejtntarf, com capaciil ule de servir 40 pesabas. Soiti para recreio e pa-s'o. Estribara e nrr njos para cavallo. Co ni la menssl oavulso, preparain-sejant.ros e pre7U'.tos, aluga-sa lour;a, vidros bandejas ele etc. Tudo por prego muito rasoavcl, e acontento dos 1 reten lenles. -O abaixo assigna lo, nSo he mais procura lor d. exlincla compauliia de l'ornambuco e ParJiyba,e mora ua ra do Apollo n. 20, onde poda ser procurado sobre negocios de recebimento de assucar,agoardenteeoutros quaesquer gneros de exportarlo que Ihe lorem consignados a commissSo ; todos os dias uteis das 8 horas da manilla as 5 da larde, fra disto no porto velho da Capuoga junto au pul l da Sra. viuva Lasserre. Jos Antonio de Souza Machado. -' Pede-ae ao Sr Jos .'.arlos do Mendonca Vrscoucollos, morador no Sul dests proVI11C1, qWe se nilo tem jurado t..".o pagara quem ile .' % %  pague a herieira da fallecida D. .M ii ni Rodrigues de Jess, a qutntia de sois cent .se se-enla o tintos mil riis, principal c j rus desua divida, conlrahida, ba tantos anniis, eassavera-se-llie que se o nao fiz'-r piomplame.ita saher que o seu assucar passar por % %  I %  •. desgosto nesta praga, e quo o sen norna cunlini a ornar as paginas dest • jornal. — No sitio da T. empe n. 1, que tem venda teti bom capin do planta para aenler pur co ..-.iodo proco A"*. Lacaze Tem a honra do levar ao conhecimento do do Arsgiio u. SO ou na quina do becco Largo| respeilavel publico, que acaba de abrir uto naloJadoourvesMigueiAroDenjodeF¡gue-| novo eUableciinentode relojoeiio noaterredo. -Francisco Antonio do Souza Babia, rali-, ra-sq para fra desta provincia, -Na ra do Col lito venda 11. 5, atada se. continua a vender tebolaS a 320 o cento, la-; s com bol euinli 1 de aramia a 2,400, jal marmcllo a t80,uurmelada muito nova a 500 Sdoae do guiada manalo fazer dcenconimou la e OUlros muilos gneros por prego muito commodo. -Precisa-se duas ou trez prolas Para venlerazeilo de carrapato pigatilo-se boa vendagero na ra da Larangeira 11 G. — Preeisa-Sa alugar um sitio a margem de llio andar, A revista. Peridico Iliterario e recreativo. Sabio o 2. n .da 2' serie e venle-sa na ra do Crespo loj .do Sr. Antonio Djmingues na prar;a da In lepetideucia loja de encadernar.i 1 u. 12, e na livrara do Sr. Dourado. — eseja-se fallar au Sr. JoJo Callos Tavares, a negocio daseugiaude interesse, e por isso se Ihe roga hija de annunciar a sua indi Boa-Vista n. 11, no 1 ¡o .-o ai-ha prom(0 para faier quaesquer concertos mesmo os •: a.s dilliccis qu i se pode.So apresentar, tinto em relog.us de algbeira como de mesa e parede. Compras. — Compram-so algumas apolices da Companhia do Beheribe : na rui Direita n. 89 segundo sobrado. — Co :ipra-so uma estante com capacidade suflicienta para arrumar 800 a 1000 lina ra do yuemado n. 46 primeiro 1 vros : quemtive-, annuncia para ser procurado. — Compra -so umaprcta, que saiba bsra cozinhar eongommar, agradando paga-so bem : na ra do Amorim n. 25. — Compram-se os suspiros poticos do Dr. MagalhSes, naoseolna a prego,: na ra larga do llozario, loja do miudezas do Cardial. -Compram-se escravos e vendem-sede c iii.niissau, para dentro e fra da provinmorada, ou de dirigir-.se a ra duQuein.a= la : a "•'" %  Caci !" J>a, sobrado n.ll.onde mulo 1 11 sr \u.iiiii do Recife. Vend as. lo, luja de tazendas n. 3, que lie a defront do becodo Peixe Frito. — Aluga-se um pequnno sitioj no lugar la r. 1 ni :; 1, defrjnta do Sr. Deburcq : a trillar ims (lucillos, casadelronlo co muro lo hospital. No dia 5 lo corioule linda a audiencia do lllln. Sr. Dr. juiz do civel, ao meio da se bao de arrematar %  maior parte do 1 ibrado da roa lo Livinni'iUo n. 19em que tem cj" *j -i • %  Sossendoo (,e P ol,a a l6 rs e de algbeira FOLHIMAS PARA 1852. "s li 1,1 ,i a In. us olliinhas itnpressaa nesla lypograpliia, sendo luja de 1,1' 'lid s Alldlal'' IX | lili Sobrado ludo avaiiido em 3.500,0uooa parqiiearip'isiadaluz.d. desta heroica o pitot e que so arremata em I :27,190, he a ultima rose, provincia do pernanibuco, possa ,or, ,' ,,, d ., J( ,. 0 d „ ,„, f meiO delta regalo, aplacar as chamas .le um I v yi C0Iltr4 j J„ |. IancUc p 4rralr 0 |n mpiicio sul. que (na rc.l.dade e,ta furioso ) mulht r EscrivIlO.SsntOS. a antes, quo elle mande algum vivante des, „ lVralll0 0 1)r juii o civel d primej ra vara, no da 5 docorrente, na sala d au tapara n.eltior, bom sera refresciir o ostooufio, com um cliz do afamado abacaxi, bavond > 2 sal is.l para homciis o oulra par entiora.calix 210 Vi. %  -Em resposti ao Sr. Lauriano Pinto do Paiva tenho a dizer quelembre-.sn que em m'ii poder existe um documonto da compra da ven la da ra da Aurora n s Maria Congal vendo a minha v... 32 como de laclo vendido tenho aos srs. Joa-1 '"L^Z^T sm. de casa de pouca 3^0 rs., contendo todas as de algibeira alm do calendario, a deiitiicao ¡los corpos celestes, astrologia, oometaa continua^o da chronologia piincipiadd, lia annos, dlencia, tem da ser arremata lo, um rnole-l j„j zo ,J,, S miiJand.S de tenipo peque, Lciihorado u Domingos Percira Men-j a .ti • q aI1 ii a los meteoros, tunela dos emoluAgencia de passaportes a ttulos de remetilos ( los jinoclios em todas as Claudino do ItoHoma, morador na ra! funccies religiosas, eum Colle!i l L A ¡ >r .1 r ; | 2 '' !n i ( l,'"¡. Jo ida Praia n.43, lirpassaportas para dentro ccoes Je anecilotas.booS ditos,etc., l'nijliciroi's litteraria. Declarayes. -As malas que deve conduzir o vapor Imperalris para os portos do Norte principiam-se a fechar boje (5) a 1 hora da tarde.e depois dessa hora aleo momento de fechar rerebe-se correspondeucas com o porto duplo — Pela 2.' sesso da meza do consulado provincial se annunca, que no dia 1 .* de dezembro prximo vindouro, se principia a contar os 30 dias para o pagamento a boca lo cofre da dcima dos predios orbannos co ser eleva Jp a 8,000 rs. pura aquelles quo nao livoremasMgni.il). No mesmo consultorio, acha-se a venda tudo quanto he n eois un) para ii estudoo a pratica da homceopalhia, Como seja : livros impressos para historias de doenles, ragiinens apropriades para a proviocia do Pernambuco, e encarrega-se de mandar furnecer qualquer encommenda de medicamentos homceopathicos, tanto avulsus como cm caixas, era glbulos como em tinturas. No prelo : — Pa/moenii'ri dos medicamentos brasileiros. mementos de anatoma e phisioloijia cora estampas, para os curiosos era homceopalhia. Roga-se aos seuhores assignanles o ob sequo de ni. n ;.ir receber seus exemplanoite, quatilo ja rae fait.va a paciencia da suffrer agudas dores, que proinplamoulo se dignou levantar-se do seu loilo para firme prestaros soccorros do sua arte, e f'Z com aquelli presteza que outro se no o Sr. Pinto, so prestara a ossos horas ao meu chamado, e hoje grabas a Dous me acho em meu perfeilo estado de saudo no curto espaco de 15 dias. Receba pois o Sr. Pinto, os meus agradecimientos pelas delicadas quii JosCorrea.o Lauriano Pinto de Paiv alen, dcstn sabe que gu irdo 3 letras no valor de 60,000 pagas eo Sr. Jos Mana Vier Guimaraes, e quo estas esliio assignadas por Joaquim Jos Correia o Liu.iauo Pinto da Paiva, a vista podara o Sr. asseverar que uu lie meu socio! saja leal om quanto aus 4IO,000|rs. que o Sr. diz qua meempresloo, en neg qua eu neg que v. m. mos entregou com a sua entrada para a sociedale. o cuja quanlia botou fora bem como 540,000 rs., que teuha confiado a sua guarda na mesma casa precisa-se de um caixeiro. Precisa alugar-se uma uegra captiva para servico interno resto ir, e uma casa de pouca familia, quem u tiver dir.ja-se ao sobrado em fronte da ra da Florentina. — Macluph Beuscluw retira-so para a Baha. Reunida u direcco do Banco de Pernambu' co om seclo de 4 do correnle foiflo no" meados. —Presid mo, o Exm. Sr. barSo do Sn.i.ssuiii.— Secretario, Manoel Ignacio de Oliveira. • A direceSo do Banco do Pernambuco continua n receber assignaturas para o m smo, a as pessoas queqnizatem assignar o devem l'izer quanto antes alim de Kora.em da vaniruj( tras a lin^iiag-.-m das llores, (rucias f.mil., u-i.a creoul, quo sabe cozinhar e e j 0R0S de ineias de llores e breve engun.mar com perfe.c5o: na ra das Aguas; J ,-. %  %  Verdes u. 04, seguulo andar. i salnrao as de alnianak, muito acresKetratos photogenicos. i centado e corrigido : vendein-se _o artista r.so podendo partir, como t-n-1 n livraiia da praca da IndepenCtonava, DO vapor a Penambucana a paral i r o o sul, participa a quem taticionar rolratir-¡ uencia n. O e o. desta cidade, do primeiro semestre do auno rt s no consultorio horneo ipalhico da ra linancoiro de 1851 1852. e que lindo este dil3 (:i u/l s „ 2gi prazo incorrem tolos os qua deixarem de pagar,na multa de 3 por 0|0 sob o valor de seus dbitos, e sero de prompto ejecutados. — De ordem do lllm. Sr. diroclor geral da instrucefio publica, neo saber a quem convier, que por deliberacdio aprovala de s. Exc. o Sr. presidente da provincia fra desta cidade, e da deUlinda os exames de instrucco elementar sur.lo fetos em cada escola pelo respectivo Sr. professor, ejunlaniento coaialgu.T.a pessoa i ¡oaca da confianza do Sr. inspector do respectivo circulo, que tem obrigacao de presidir a todos esses oxames. tem os individuos, que tem escolas particulares, querde ¡astrucc3o primaria,quer seeilndiil la, a le o ultimo du piiiX'tuu III %  /. de d %  as de Janeiro vindouro en. dianle ninguem sem licanca poder ter escola sob as penas impostas no regulamento de 12 de maio deste anno. Directora geral, 23 de novembro de 1851. bandido Eustaquio Cesar de Mello, amanuense archivista. TRATAMEMO UOMEOPATJUCO. DAS MOLESTIAS VENERBAS, e consoll.os aos ,lenles para s. curronla si mesmo, sem procisaram de medico; pelo professor homceopalha Gosset-Bimonl. Sabio a luz e acha-se a venda no consultorio himno ipatuico da ra das Cruzes n. 28, pelo pre^o de 1,000 rs. WW -.XLU .w mmmmBm m^. JJ-J Avisos martimos. --Para o Rio de Janeiro seguir em poucosdias o veleiro brigue Mafra, o qual sement recebe alguus escravos e pssiageiros ozembro poaeni J a 4Mrer suaa liceocas; p ra 0 que lem bons commodos; quem pretender pode entan ler-se com o capitao, ou eom Amorim & lrm3os,na ra daCadciado Recifon. 39: — Para o Aracaty at o dia 5 de dezembro o patacho AriCatya a tratar com Manoel Dias na ra da Son-zalla Velha n. 130. — Para o Rio de Janeiro, alie ua presente semana, a escuna nacional Maria Firmina, capitao Jo3o Bernardo da Hoza, por ter o seu carregamento quasi completo : TDEATRO DE S IZiBEL. "I." RECUA UA ASMNATUHA K TEIlCEIRA DAS VENDIDAS. Sabbado, 6 de dezembro di 1851. Dopols que a orchestra tiver oxee atado' quetn ua mesma quizer carregir o ro,,rn h tad?.r e e"'.-c a to U s b rSCO stante, ir de passagem, ou em0 KrmiiSo da Serra de Cintra, bascar escravos para o que tem No lm do drama • senhor* Landa wocucommodos sitllicientes, pode ententagem do eutrarein com o importo do suas maneiras com quese houvo em meu U^cj assigaaturas nas prestacOes que pre>crevom Ument, pedlQUO-lbC co mojrno tempo Ua jos estatutos, cenus oeque em principiando me desculpe si com estls l.nhas offendo a „ mesmo as suas operacOos, dahi em lianle sua trodestia. aquellcs quo quizerem assinnar, havendo Seu ssignante. — Jos Pinto da Cesta, lainda lugor, s o poderflo fazer, entran io — I|enr.que Augusto MIet, sabe para fu-, c „„, o importa de suas ac<;0as cm dinhoiro ra da provincia. ,, vis'a. Continua a estar patente a assigna— Hoja, 5 de dezembro ao meio dia, no lugar das audiencias do Dr. juiz do civol da pnu ir.i v.ii.1, l • .i do ser airen tala, por sera ullima praca, a mobilia penhorada a Jorge Rodrigues Si Ircira, por oxecu{Bo de Miguel Mattius Costa Ribeiro. -Precsa-se alugar um preto, quo soja liel e diligente, e que sirva para balar sorvete : na ra eslreita do Rozariq n. 20. — Na ra Velha, sobrado n. 77, ha para alugar um bom moleque. — i iil'-'i-ee '-se para caixeiro de venda uma pessoa que tem bstanlo pratica, nesta praca, ou fora dalla: quem o pretonder, dirija-se a ra Nova, venda n. CS. Attencio! Attencio He chegado e acha-se nas margena do ferlil Capibaribe, oaulign fabricante desorvetes, da ra da Aurora, Nicolao Machado Kreir de novo eslabelecido na povoicBo do Monteiro becco do Qutabo, isto posto, a rapaziada da bom goslo acuesto todas as commodidades com promptidaoeasseio. — Os Srs. Luiz Antonio da Silva Burgos e Antonio Jos M u luis. : queiram annunciar as suas moradas para ser proposto a um negocio de u.u.lo iuteresse. --Anda precisa se arrumar um rapaz brasileiro, cm armazem de carne secca, ou de assucar, trapicue, casa ingleza, ou qual quer estabelecmenlo, tanto para a pra(a, como para o mallo : os prelendontes, dirijan)-se as Cinco Ponas n. loo, que acharan quem iuforma a conducta, ou ao paleo de S. I'edrii,jreuda n. 1, a tratar com o mesmo caixeiro. -Dam-se 200,000 rs. a juros, do 2 por cento ao mez, sobre penhoresde ouro, ou prata : no pateo do Carino, loja n. 3, se dir quem d. seque pode procura-lo al o dia 12 do cori Lotera rente, na ra Nova n. 61, seguudo an lar — Frecisa-se alugar uma escrava, quescji boa cosinlieira c com-' pradeira, : quem a tiver dirija-.se a ra da Assumpcao ou muro da iViiln n. i(>. -Adverlo-se ao Sr. Bernardo de Albuquerque Fernandos Gama, que o seu correspondenle nesta prega, II5O tem pago a subscripefio do Diario. de Nosa Senhora doLivrament >. Aos 5:000,000 de rs. Ni loja de tniudczasda prar;a da Independencia n. 4, vende u-se bilhetes inteirose meios, a beneficio da \,s, Sanhura do l.ivramento, que corra inf.llivelmeiite nidia 23 do correnta, e o S\ th"sourniro pagano da 24 do crrente. Iliihetes n.tsiros 10,000 rs. e meios 3,000 rs. — Ven le-se u na preta da CoUa, bonita li.-ui i, % %  -ni achaque nenhum, boa quitande r o U bem propria para servico de receud niesmos o bom tratamento. — Precisa-so allugar uma preta escrava, patente a ass.g tu a noescriptorio do Sr Mauoel i',oni;alves da Silva : na ra da Cadaia, todos os das uteis at meio da. — eseja-se fallar com a senboru D Quitea Joanna Pereira Monteiro, a negocio de iuteresse da mesma senhora, e como so ignora a sua morada, por isso roga-so quo queira annuncia-la. Caf francez da ra Nova. O caf francez tem um completo sortimen to de conservas, linguicas francezas, diversas qualidades de vinho, bom absinlhea 150 rs a garrafa, o muito bom vinagre francez, a 1,000 rs. cttiada manleiga hooiteopathica, champagne, charutos da diversas qualidides, etc.; tudo rec-'bilo ltimamente e caf todas as lardes. No mesmo precisa-so allugar um preto que seja liel e diligente, para o servico do mesmo caf. \Uenc<¡o. Na cambdi do Carmo n 14, faz a antiga I pessoa da padaria, bolacinhas de todas as qualidades, bolo inglaz, pudim etc. ; e quali quer bandeja enfoilada para bailes uu casa-' metilos, e tola e qualquer encommeuda do liuliiiliiis ; assim como uma ha pessoa que se encumbe de apromptar jantates para casas de negocio. -O escrivSo da irmanlada de N. S. da Coiiceac3o da Congregacao, em virtude do iMuiprii.iissu quo a rege, convida u lodos os limaos para domingo 7 do crrenle, IS 19 horas da uianhaa, se reun c u em mesa geral, alim de se eloger a meza regeJora do anno vindouro. -Precisa se de uma ama para CJSI dobo-f 1 0 Ro ri ?, d •¡v 't. sobrado o. 32. o, ni soheiro : na ra da Aurora ... 28. Hotel no Monteiro. — Precisa-se alugar uma preta, para ven-1 Domingo,'16 do correnle, abre-se este der na ra : quem livor, dirija-se a ra da ¡eslaoetecimento com as segrales proConceifao da Boa Vista, casa n. 5. ) porpes : Attenra '. : na ruil | ar g„ do HOiario, loja n. 35. O arrematante tos iinp stosdas. I'or 80,00,1 rs. in. 11 -s, das liccacas dos mscales o bocaVcnile-se um pi .no inglez, em muito boro, leas, ,1 11, .011-se para a tua das A_-oas Voi-> estado, por 80,000 rs. : na ra do S. Condes n. 25. I jalo 11. 20. -Msnnol de Almeida Lopes, om cisaj NoVdade, deconsignacilo para comprar c vender es-i „ _, .. e ..:. <,ain_ 7 "e r'-r'rT.r c,a p d a JSSKS .^nr'-..'s u/lVat rRrcifVa%r?..rl¡.Idi, UM!.. .ranhlO, Ciegado.no da Cacimba, n. II, aondo i.ioiou o finado! ultimo vapor do norte : na ra daCaleia ^^aS&sSi^if^^ASsii^ go, o na da n. 23, da Antonio da Costa l-'erreira Estrella. — Ven le-se urna porfo do taboas da piKqu^a^ curdo? ouentenla-so cora o P po,leiro P da !" :\^ !" ?y>:J ?"^':J%I '2. Alfaudega desta cidade na mesma reparti;.ni das 8 horas da manh3a as 4 da larde. — Preciza-se do umj portoguez que seja perito em plantarles de sitio, e saiba tirar formigas, quem estivar nestas circunstancias e quizer liabalhar no sitio ua travssa do Remedio n. 21 eutenda-se com seu proprietano, o Porieiro da Alfandega desta cidade, na mesma repartido q.ie a vista da prova quo der de saber o que cima se desaja, e da sua boa conducta &. de. tratar-so-he doaiusle. — Precisa-se de um negro pira oservigo do padaria no aterro da Boa Vista, casa numero 33. "| Paulo (>':iimioii\. dentista S 9 f i-,ni(•! %  /,. olli'nce sen presti• V mono puhlico paru tollosos > mlslcrcx de Hita proflsso: 9 9 pode ser procurado a qual# • quer hora em sua casa, na -Jr V rila larga dn Rozario, n. 30, • 99 segundo andar. *$ &f ** ** 4tes *^ — Precisa-sede uma criada, smente paran sorvico do cozinha e compras, tara uma casa da muito pouca familia : na ra muito com no lo, por j tarara servido, aisira como uns fit 'iros, proprios para qualquer cstab declnenlo : atrs do tbeatro, no armazem de taboas de pimo. Chapeos de castor brinco. Vendem-se¡na fabrica de chapeos de Chrisli.itii & ICIIU. na ra Nova o. 44, o mais modernos e superiores chapos da casiur branco, ebegados recenlemente da Inglaterra, pela galera Linda. Ao barato. Vendem-sefeixes d'alhos com 100 resten, pelo diminuto prego de 1,200 rs. o foixe: defronte da alfandega. AUv.nc.5o. Acaba de chegar no vapor Imperatriz a loja de Souza Juniur na ra do Queimado junto ao beco da Congregac8o n. 37 A os bibilhetes, e cautellas da lotera do tbeatro S. Iledro de Alcntara cu> lista vom no I." vapor, e vendem-se pelos baralissimoi pregos abaixo Bilhalos S2.000 Meios Bilhetes 11,000 Quartos 5,500 Oilavos 2,800 Vigsimos 1,300 — Venda-sa um sitio, ou aluga-se, por prego commodo : na Solidada jonlo ao fogueiei o, a tratar na rui Velna u 105. — a ra Nova, ti. 61, vende-sa uma o iiiul .. de j.carandaja us.da, bem como 30 tenas devilro, pur preco commodo. J II FflVFI


xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ETDHEZVY2_2RXFOK INGEST_TIME 2013-04-24T15:33:45Z PACKAGE AA00011611_07280
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES



PAGE 1

/ i' i n cas i firmen do i. oqual un tem deixado de ipoiir suu minlMro, • orgatnento de 1852 foi dillnilivi nenia fin Jo depois da nunicrusis tea-e* do oonsatlio4* ministro querendoo nimiiiro dailend-eatlbellecera ti'du o ousloo equilibrio oqliaas reccitas e as dcspezas, e por cnnseguate devendo operar-M lelugOes bastante foites mis urg inentos do cada repartidlo, bivn resultado dahl algumas dificultados que foram vencidas por meio de concessovs reciprocas. • E-te nrgsnjentu vai ser presentado s cmaras lude ser um documents imprtenle que ser bom consultar para conluc r o estado actual das linangis na Grecia, estado completamente satisfactorio, dizem os partidarios do ministerio, e que permillir sua llovida resolver logo a grave queslSo do emprestnno que parece ler sido dada siriamente para ordem do dii. Turqua. Este paiz continoa em paz fizendo progressos na carreira da civilisagilo dcbaixo do governo esclarecido de seu joven sullSo. A liberdadequc conceder a Kossul, ni lis poz bastante com ello o sen visinho o imycraJor da Austria, o qual para se vingir dizem quo peitende influir as provincias clinstaesdo imperio otloinano para revuluciona-las contra seu soberano. Mecca e Medina tinham sido assallidas o saqueadas pelos Wahibilos, como consta do seguinle artigo que se l DI I'resst: < Publicamos haxlias, como os Wahabitas depois de urna paz de 35 annos atacaran) repentinamente as Ciducles santas de Mecca o Molina; dissemos quo depois doter assassinado a guarnicAo e urna parip dos lia In tantea, destruiram as mesquistas e roubaram os ohjeelos preciosos qn ellas continbam, saquearan) a cidade elevaran) com sigo um grande numero de mulleres e do i e da disciplina qual os funecionarirs do imperio eslflo submeltidos em fcto de ceremonial, asseguram que II dini-Pachi e Isn ait-1'.irlia n3o teriam jamis oommctlido esla falla deatlencOcs te para lato nflo livessom sido formalmente aulorisados. Pela minha paito, rulo posso oomparlilhar esla maneira de pensar, porm be j demasiado najujircumsuticis.s actuaes que ella possa lercurso. l'ive, finalmente, mais de nina voz a occas¡3o deenrontrar os jovens ptehas as mas da capital, olles pareciam orgullosos d • seu novo titulo, e muito salisfeitns de poder ostentar aos olhos dos maravilhosos habitantes do Cairo, sua escolta de soldados e de cassai de Conslaulinopla ; e em urna penivel refjexao sobre as cousas do passado, eu dizia a mim mesmo : por ventura *Bo esses os principios egypcios, os quaes, ti meaos de um enno, aecusavam Abbas-Pach de trahir a causa do Egypto, de humiIbar o poder egypcio, do ropudiaras tradigOes do seu paz, e de destruir a obra de Mehemot-Ali ? Este he o artigo do Semaphore, o seguate he o da Priste. < Itacobemos, por nossa correspondencia particular, noticias di Alezandria at 11 de outubro. Estas noticias permuten), mais anda que as precedentes, contar com urna SOIUCJ prxima da di lloren ca suscitada pelas duas questes do tanzinaat e do camiulio de ferro. Ja aiiniinciamos a partida de II 'le I .i.: Pal lia para i' in-l mtinopl i encarregado da entregar ao govorno turco a resposta do vice-ret a nota relativa ao caminho do ferro. L-la resposts, da qual nossa correspondencia nos d um resumo, he urna nova prova das JisposigGes conciliatorias %  Abbas-P icha e das concessOes que elle est disposto a fazer para evitar um cqaflicto, omquanto estas concessOes Joixarerh inrsparigas. Damos hojo a respeito desla sila Helas as prerogolivas as quaes os tratados, algumas particularidades que nos parecem ser de nalureza propria a interessar nossos leitore*. • Os Wahabilus oslJo estibeleciJos nos altos paizes Ja Arabia interior. Antes de sua destruidlo elles rain 13o numerosos que podiam pOrem campo un exercito de 00 mil homens, creem em um su lieos, e Mahomet ho pira elles um propheta ; porm consideran) como uina olTensa fulla a lieos o altribuir a sou propheta um poder divino. O AlcorS i, em sua simplicidade primitiva, parece-Ibes urna revelarlo celeste, e rejeitou todos os artigos iccrescetilados pelos Turcos Elles silo governados por um chefe que parlilba seu poder com o chefn da religiSo. O primeiro chamado Emir, he da familia d'Ebie-Sedi, fundador daquelle reino, exerce o poder executivo, dirige e i.onimindao exe ello, e governa ao mesmo lempo as qualro tribus de Beduinos sitiados dos Wihabitis, os quaes todavia teem seus sbciks particulares. Esta nacSo subjugou quasi todas Arabia no limdo ultimo seculo, e penelrou at em Damasco eAlepo Conquistouem 1813 o porto do Duchidde e abri por ahi o CHIIInho para o Egypto; purm Mehem l-Ali oppoz-se a sous progressos. Em 1812 os sinlos lugares calnram em seu poder. En 1817 elle baleuos Wahabitas junto de Taha-i lite, i'i %  .1 .i. ii' %  Ibrain-Paoo cabiu do¡ Mibmelt -los; tomu:ido Je assa.-tu su ca pilal, de llr.iyeh, fez passar alio de espada 30mil habitantes o enviuu para Cun.-taiitinopli Aiidcllah-I! n-S.iis, emir dos Wahsbllas pas ali s r deca; itulocom 'i ineuibros de sua laniilia. Esta sella quer vingar presentomeote %  molla de seus pas, e a Porta rccODltSMOdo %  i gravidaiio do perigo, nomeou Meliemetl'actia, cx-poveruadur de Atipo, general em chele do exercilo rabe em substllulgBo do os mturesses de sua lunilla esobre ludo os do Egypto Dio I lie permiitem deixar que -" %  jniii atacados. ii ,\ lili is -P. c. I,I oiipenhs-se em Tazar executaro ouiinhocoiii os nicos recursos or. dinarios do paz, soin recorrer cm caso nedhum a um emprestimo, quer nacional quar Hstrangoiro ¡ a somma votada para esto irabalhosera tirada cada auno das rendas or di mi iis, iiduhum imposto novo sert estabelecido para esse lim ; o numero dos oper. ri JJ empregados sera calculado segundo as necessidades do pa%, e ellos ser3o pagos muilo couvenienlemeqio. N3o ha termo assignado para adurayao dos Irabalhos. < Ho evidente, assim como temos domoastraJo, que para quero quizer julgar lealmente os tratados do 1841 o o espirito no qual foram faltos, a l'.u la excodeu seus direitos ingcriiido-se em um negocio deadmiuistragao puramante interior. O vicerei devia protestar em nomo do suas prerogalivas o dos iuteresses considoraveis que representa; elle o fes com urna firmeza que nada tem p i ii i> abalar ; poiem urna vez revin licado o seu direito o slidamente firmado, elle mostra tinta deferencia ao sulliio quanla onergia desenvolve contra as injustas pretougOus do divn. He portanto evidentsimo luje que as dilliculdades solireviiijjs enlrc o Cairo e Conslantinopla liJo fora.n suscitadas pelo Pacha, e tamhem que ii3u fui por sua causa qco ellas nSoforam mois codo reguladas. %  Pelo vaposustnaco chegado a 30 de outubro Alexan Iris soube-sa quo lloreiliog-Pielia entregara a Itescaid-Pacha a resposla dovice-rei. Esta resposts, dizem, merecau a melnor accitago do sulio o de lodo o ministerio. As negociae,Ocs lelativas ao lauzuikl foram outra vez eutaboladas com uaia nova actividade, e ludo, diz nusso coirospondonto, faz esperar urna gura do vaso¡ be un convite i concorrencia e um primeiro pasto os via da libordado do comniorcio. %  Urna ambtixida a 3. do Elefante brinco poderla, saliendo-se haver,,obler novas coocossOes. Os mltslonarioi eos conversos ao chrislianismo silo no smenle toleradla, seoio al favorecidos pelo monarebs. > Eilido-1'niihs. O presidente Fillimore estiva em Washington iclivamenleoceupado em expedir os negocios quo se achavam atrazados por ciusa do gyro que fuera pelos estados do Norte ; elle demitlio o cnsul americano em II nana pela maneira pouco digna porque se comporUra durante a cipedico do Lopes, o que causou grande prazer a todos os cidadlos da Uuio, e tem tomado a peito fazer respeilar as leis federaes do governo, o prestar sen efficaz concurso para a olio llenen devi la as medulas dt> co nprumissu ; linalmeuteo) presidonte I'illmore deu rdeos severas as autoridades para prenderen) todos os individuos que tomaran) parte as commo(0e3 abolicionistas que tiveram lugar em Chistiana na Pensylvama e em Syraousa em PiVw-Yoilc. Disi osicfles tinham sido tomadas pira recebtrcom a miior distlnC(9o o ex-ROvernador di Hungra, Kossut; em New-Yoik onde e!ls desembarcara, o conselho municipal perten le preprar-lhe urna brilhante recep<¡So, o proprio presidente deve dar-lhe um grande jantar em Whilellouse. Cem individuos tinham aberto entro si urna subscrincao para ofTerecer-lhe um prsenle de 100,000 dolais para occorrer s despezas que tem de fazer com seu estabelecimento na nova patria que adoptara. Corra que um congresso democrtico, presedido por Kossuth, Mazzini. Kinltel e l.edru-llollin teria prximamente lugar em New-York. O l)r. Kinkel, refugiado nliemo om Washington, eslava trabalhando all por levanlirjim emprestimo para o lim de revolucionar i Allcmanha Vana.quebns de alguma considera;3o tinham apparecido em fiew-York, pelo que o commorcio alli solfrera grande estremecimento ; mas segunJo as ultimas noticias o dioheiro ia-se lornanJo mais abundante, e osperava-so que o commercio seirtagradualuieiile restabellecendo. Eis a i ni o quo diz o torreio dos Estados Unidos sobre a crise commercial o financreeira de quo acabamos de fallar: H Urna cri.se commerci! e fiafneoira de nalureza bastante grave domina nesle momento todas as preocupares. Depois de ternascido em Wew-York, ella foz-sesentir em Boston, e provaveluiealo o embanco quo cxiuTi i>eiila i estas duas gran les pra{as lia de reagir sobre todas as oolras n aQasdaUoiSo. Alguns espiritos perspicises tinham j prvido desde muitos mezesa prova pela qual pissamos oeste momento. A superabundancia das importares europeas, •s remessas em numerario quo cr2o urna consequencia Toreada disso, o desenvolvimentuexcessivo dado s expodicOes da Caifornia c as perdas que deltaresultaran! em muitcs casos, tojas estas causas deviara necessaiimente oxorcer cedo ou tardo sua s (Oes'nicioaaes dos Estados-Unidos, quo tica rilo por esse ficto sujeftas ti graves penal fulminadas contra taes orines, que se forem capturadas dentro di jurisJinco das autoridades mexicanas, deverfio contar com ser juagadas e punidas segn lo as leis do Mxico, mo tendo o direito de reelimar a interposigo deste governo em seu favor. Exhorto por lano a lodosos citadlos hein dispostos que tonillo S p'eiloa repuln{So de sua patria, o sSo animados da um justo respeito s suas leis, sua paz o ao seu bem, a desanimar e prevenir por lo los os meios legaes omprozas semelhmtes. o recommendo %  todo o empregado deste goveruo,i|iier civil, quer militar.que seja vigilante em prenler pira ser julgado o punido todo acuelle que nellas tomar parle. Em nova Escocia urna tempestado havia destruido no mar %  porto de lOOembarca\oe-, inclusive muitis de pescara, morrendo para miis de 300 pessoas. O barco do vapor Jamai ¡akson, ao sabir de Schinwiieton no lllinez foi victima de urna explosio. 35 pessoas (Icaram, urnas morios, oulras temas ; estas ultimas morrero lambem quasi todas depois. Mxico. Dos artigos quo abnxo transersvemos venia os leiiiircs o estillo misera vel em que se a.-ha a repblica mexicana. Lfl-Se no Uaglu News : i. Pelo vapor tanny, salii lo do Texas no primeiro de outubro, recebou-se em Nova ih leannoticias da revoluto mexicana. A lev iliielo d i Rio Grande estiva bSlaciomria. o general t'.ar.iv ijal anda se aclnva em C i margo. A populadlo desta cidado libase reun Jo e adherido ao movimento. Tinlia-se permitlido s tropas mexicanas quo sorelirassem com as honras da guerra. Os revolucionarios estavam resolutos a defender a piaca. Os habitantes de Matamoras informados da aproximacio do exercitodo invasSo, tiobam fugito com snas metieres e lilhos, nao deixando sendo 250 bomens na praca. Parece que o primeiro pronunciauieuio leve lugar em Guerrero o em Camargo as Tanmalipas. Cna-se que a insurreic3o ia esteiider-se s provincias septeulriooaes do Mxico. Os patriotas, como os chamam, eram %  iiiiinaii i.ulo-pinn Jus Mari i J. Csrsvsjul. .Sen programma eseu prouunciamento, ilerra nados com profusSo em toda s repblica, s3o concebidos ao mesmo espirito omqueosSoos doze artigos dos patriotas de Guerrero, as queixss dos insurgeutes se resumem em dous pontos : systema prohibitivo e direilus elevados do alfandegas; falta de proteccilo contra os indios. • Como remedio Caravajal indica o afastamenlo do exercilo intil e mesmo vexitorio para os habitantes e prejudicial urden) publica, a liberdade individual, a indepoudancia da magistratura, o eslahelociiiieotci de una cooslitui(3o federal,a elei{3o de senadores pelo povo, a abolicSo de toda pruhibicSo o de todo direito de imporli(3o cima de 40 por canto etc. O prograumi declara alin dislo que o exercilo libertador pagara ludo o quo ella houver consumando, quo urna paito desle exercito vai principiar a guerra contra os selvugens, e que so esta exigencia feila com a Torca ari i^r;; ___ intenso e|vil diariamente uugmentadio. Pebolnchinba, 4 dita* tabaco, Ja ditas pretil vaaur Mxico, vindea de Galveston, sousuntos, t paeotir chanrios, 13 cxas straa bomos que O Cito Bravo e leus companhei5 ditas amostras,; a Richard 1,'onnun. ros, muito desgoilosos pelo iratamenlo que recentemente Ins foi dado, marebam para Matamoras, suppOe-sa que pira obrar contra os revoluoloaarios commandados por Caravajal, O correspondente Jo IVeiii-York-Hern escreva de Washington que o governo mexicano pedir a permisso do congresso para antecipar 700,000 dollars mais da iodemnisacSo dos Estados-Unidos. A Tribunt cm leu) o seguale: — %  Noticias do Mxico, is quaes alcancam a 27 desetembro, annuneiam que ludo alli acnava-se em lamentavel coiifu.1i, que tendo o gabinete do presidente Arista dado a sua demitsSo, esforcos IIKIIIC uos tem sido faitos oir nomear quem osubitisus.todavii o Tratld'Union de 14 de salembro diz que o Sr. Robles havia aceitado s pasta da guerra. OSr EslevSo recusara positivamente a pasta da fazenda,mas o Sr. llanuras Bcra com a dos negooios estringeiros. • No Hies do 8 de novembro l-se mais o seguinte sobro o Mxico. a Noticias leleg'aphicis de Nov Orleans, as quies alcancam a 25 de setembro dizem o seguinte: < Por nni navio que chegou aqui esta manhSa tivemos noticias do Tampico at s. O genoral Canales tinha pedido pormissaoao congresso provisorio do Maxico pira tntar com os rebeldes, o congresso recusou-se a conceder nenhuns tarmus o autorisou o governo para ompregar lodosos meios deque o estado podesso laucar mo, inclusive a guarda nacional, para supprimira insurreicSo. Um numero consideravel do tropas lili lia m partido de Tampico e Vera Cruz para o Rio Grande. Noticias de Matamoros de 15 de setombro iiiformaru-nosque a cidado nSo tiulia ainda sido stacada pelos revolucionarios, po'm que se esperava al'i a cali hora um assaltu. O Herald tratando da revolta mexicana, dizque seossignaes dos lempos o nSo onganam, ella he o comeco do movimenlo que pruvavolmeute riscara o Mxico di lista das naces. influeucia sobro o commercio de nossa cimada n3o fr ouvida.os estados partidarios dado. ¡formirSo um governo provisorio sem ne Assim como snccaJo sempre nos priahnm pensimeuto de separac3o oudeanmoiros symptomas assustadores, o crdito allccido emir Ellendi, odeu ordeus ngoroprumpta soluco. Posto que esla osperan -...-subi a resistencia quo edever ser opia leu ha sido frustrad i inuilas vezes, cuntaposla aos "ahabilis. b'jypto. Os dous nrtigos seguintes publicados, o primeiro pelo Sema/inore, o segundo pola Prie, d3o bem a conhecer o esta lo desle pnz;por isso nada mais accresceolaremos H seu respeito. Um viajante vindo do Esypto, nos commuoicasobrea situagSo desta paiz, particularidades que nos parce, 'cu de nalureza propria a interossar nossos lcitores. a Acabo de passar tres emHnas no Cairo. Esta pequea demora me fui toJavia sufilcietilo para c inhecer quanto s3o despidas de fundamento as uuliciasque cada um se comprsz em propagar ha algum lempo a esta paite sobre a situaeo do Egyp.0, ..s sempre com o bom sunso e com a alia capacidado do lioinem, cuja iiifluencia he preponderante em Conslautiiiopla. ,\em elle o in seus collegas quizeram jamis por corto, exi'r a Turqua aos perigos com que a ame cuia um conflicto que rebentasse n ibre urna questao na qual Abbas-Pach tem por si a justica, os tratidos, o inleresse do Egyplo e o inters. o aln disto bem preponderante de duas ou tres grandes potencias euio. cas. N io insistimos mais por agora sobre isto, porm voltaremos logo a esla queslSo; porque de hoja em I 1 me, anda quo ella sej i ilecidila em Constantiiiopla, os negocios do Egyplo, pelo movimento industrial que ahi esta lando lugar, tomaram urna im lo, e principalmente sobros projectos de' portancia quo nao pcimillira mais dospre rosistencia s ordens do gram senhur, que emprstala ao vico rei. Abbs-Paeh necupa-sedus ii"gocius do paiz, do exercilo tan to como dos oulros ramos da administracao, porm nada mais. Nunca entrou em seu espirito um pensamenlo de rebelli3o. Na occasiSo da iiilroducijju ilo UBJIinal no Egyplo, elle fez, n3u opposu;ao, po rm represeuUrjos ins, iradas pela consc lene ii us deveres que Ihe imiem a missSo do conservar u orJrin o a segurauca que reinam ha qualio aunos no paiz. Chcio de confiauca as luzes do divn imperial, as bous inlencOes de seus membros, pmioipalmente na paternal sollicilu lo do .jl'fli) pelos interesses de cada urna d fracgOcs do seu vasto imperio, ello cspaia coinalgiiiini impacieiic.a antes que com inluielacii, o resultado de suas ultimas rcpresentacOcs feitas a Porta Emquanlo usliveno Egypl", um incidente que n3o dcixarei pasgsr em silencio, velo dar um forte desmentido aos oovellistas da Europa. No momento mesmo em que elles representaran) Atibas Pacha como prompto a fazer fugo contra os sol Jados do sullilo, o a jogir a artilhaia cuntra a mais ppquena escuna, que viesse de Coostanliuopola, quairo mil homens de iropas oltomanas, das quaes tres mil eram regulares, desembarcaran: pacificamente em Alexrnidrii, ecom o auxilio de meios de transportes, poslos ua disposicSo pelo governo lucal, atraveasaram o Egypto, alim de tiansportarem-se para a Arabia. • Antes de psrtir do Cairo, vi vollar para ahi Halim-Parha, segundo tubo de Mebemet-Ali, e Ismael-Pacha, flllio d'lbrapim, os quaes alguns mezes sutes Liuhaiii ido a Conslintinopola alim de sollicitarem alli os favoies da Porta. Elles devem estar ssaaituai um foi Horneado inembro na ) sei da que conselho, o ootro escudeiro, ou camarilla, nflo importa o titulo, do GrandeSeniior. Eis-squi, he misler confessir, os lilhos do illuslre pacha dignamente despachados he verdade que em troco destas gracas, nSo Ihes he mais possivel pr o p no Egypto sem pedir permisaao Port ; porm isso he um llgeiro inconveniente psrs quem se lem tonillo coostanlinopolitanoem corpo e alma. Eu tivera desejado todavia por muitas usOesqueo seniimento de sua alta fortuna alo os levasso ao esqueciinento das mais simples considerares. AcroJitai-se-ha jamis, por exeuiplo, que estes funccionanos oilumaiios julgaram a proposito nao fater urna visita ao vice loi, o chefe actual Jo sua casi, o dignitario revestido da um posto muito superior aodelles, o depositario do no icr fundado por sen pai e av P Em certas posicOes, um proredimento desle genero he i.inisque urna inconsequencia, lie urna Talla grave pelos rumores e pelas supposicOes a quedSo lugar. Por isto, as pessoas que estSo msis em ds com as regras rigorosis da etiqueta turnex3o. iimiuuio"; os bancos tendo do proteger-te %  Mexicanos, a junta Caravajal em sua a si propios cessaram seus desceios, o s pruclamic3o, o vs principalmente, Mexinoocianlesc.iaram-so reduzidos a seas canos do norte o do nordosle O desasliaJo nicos recursos na hora mesma em que Ins n ¡ da ultima gnerra lancou-nos na misoteria sido bem importante usar a mons! ria Vossas propriedades Toram destruidas das facilidades ordinirias. ¡sem compensado ; 40 milhOes do dollars < Esta lituscSo anormal lom j feitovic 3u fjral sulhcianles pira reparar vossas timas ; grandes cazas lem biqueado o sua pardas ; vossos uireilos cslSo cunfuud lus que la podem multo bam au ser sonao o en3o tendes nonhum meio de os fazer recqpercursor de out-os desastres. Ella lem nliocer. 0 solvagem assassiua nussos pas alem disto por efleilo immcdialo reJobrae aossos irm3os, ultraja nossas mulneres, e asaprehensOes.e no estado de alteracSo era rou bii nossos lilhos. Elle devasta nossos quosacoaomercaioomaisligairorumor cimpos, arrebata-nos o pouco quenosdeitema serias proporcOes : niluralmente SJ xou a gera, o o governo he surdo as noshe levado a exagerar o perigo, e os ospiris qneixas. Esles soldados em vez de dotos os mais lirmes n3o pensam no futun feodar-nos, rouba-nos o assassinam-nos por sem inquietarlo, sua vez, sub a aecusa^ao de contrabando : Com ludo nao he necessario quo o mil oestes mes nos soldados fogem cobardepresente leve muilo longe as ¡inagiuir,0-s; montedianto do inimigo. as.difficulladesc>nlraasquaes se tem quij 0s goveinos n3o seoecupam sen3ode si liRar, serao evidentemiole passageia; mesmo. As rendas publicas s3o adminisporque nao s3o o resultado de um vicio raliadas sem probilade ; o monopolio he sus dical, ellas pruveem nicamente dociusai tentado contra o vulo geral; a educagao he que cada dia conlribuo para fazor desiparecusada a nossos lilhos; o despotismo mirecer. O consumo dar extracto abunlitar pesi sobre um povo que conquistou danciadasmercadorias que poie xeesistir glonosainenlesua iniepenleocia o sua lia diminuifao das importado far parar i borjado ; a populacho Jas ci Jadea murro de corrente que arrasla o numerario para i fomo ; aiuda pensam que estamos no lempo Furopa;e desde o da em que os bancos sa da monarctua hcsnauhula julgarem ao abrigo dos peJidos considera" Erna carta do Rio Grande datada de 27 veis de dinheiro, vullaro oulra voz asuat de selembro da algumas infoimir;0es acerca operacijos egulares. da tomada de Camargu; os insurgenteseram Que lempo ser necessario pira que i eoa numero de 400 ou 500 homens ¡nao tiquelibrio seja restabelleci io f Tal ha a uninbam arlilhana, porem entro elles so achaca questao qua ha para resolver ; porm o '• %  mullos soldados caladores a mericanos da,ios exactos laltam necossariameuto pin os quaes abattam osarlillieiros dooxercito faze-lo Nesto ponto convm conformsrmamexicauo ; elles maliram qualro ofliciaes nos com a vontade de Deus. Pela nossi e Oravajal n3o psrdou um s homem. • parte, esperamos quo a hora desojada eneO Nw York-llerald de 11 d as noticias gao logo o fazo.nus vulos sinceros pura quo seguimos : oomercio francez New York, eujos intaParece provavel, segundo as informacOes Abbas-Pach "era esperado no ¡fesses estilo empenhados nrsta crise, san que nos ehegaram sobre a posirjao do Mexidella s-un perdas muito seriis. Os tres nico, esobre a revoluto que robenlou no nos do prosperidide Je que ello acaba di noria desla repblica, que o general Caragozar devem evidentemente fornec:r I lis, vajal leulia paralo em Camargoeqns os os meios de resistir victoriosamente. revoltosos cstejam decididos a defaader a A esti perturbarlo momontanoi de praca. Os habitantes desta cIJado tinham lransai;Oes commerciss vem junlar-so lamresolvido, om um numeroso mtting, acoibem um terror pnico financeiro que n3a lar o pronuuciamento dos revolucionarios, he simnlesmcnln aenn urna transarlo n. As tropas mexicanas saturan linalmnnln d i t'o os corretoros do cambio de New York* cidade com as honras da guerra. Metropolitan Bank que veio ha pouco temi • Teado corrido mu Matamoras a noticia tirar a estes meus senhores um de seus bdo quo os invasores se preparavam pira nelicos mais hrilhantes, isto he o provoilo marchar sobro acidado, um grande nu.nuque Ihes resultara de sou trafico nobro oj ro de habitantes com as mullierese lilhos, bancos do Estado. As hostilidades que tifugu mi e n3o licou em Matamoras mais veram lugar nessa occasiSo entre as partes que 250 homons pouco mais ou menos. O interessadas o quecausiram um certo abil general Avolos com urna pequea tropa, lo, na. sao senao urna serie do manobrig forliflcou esta cidade a qual elle est resolsecretas, c lio resultado tem sido at aqui susponsSo decertos binccs do campo doi quaes se exigi o pagamento de quanti ion ccin-i un iiB'i i|'ie -n i reserva metillic. uo pOJe ser sulllciente para faze-lo. • i .si as pequenis cataslrophos que, sep gundo todas as probabilidades, nSo liar." souSo Ii'|iii laces mais ou manos facis, i za-los. Abbas-Pach tinha dcixado o Ciiro para transportar-so is bordas do Nilo, cujaelavar;3o extraordinaria inspirava grauJes iaqaletacOes, Grecas sua presenta e ao seivico qua elle tinha de aulo-mo organisado, lodus os pontos ameacados foram icln'ca.liis, e O Egypto pJo apreciar urna vez mais os beneficios de un admioislrac.'.o vigilante. Galice-Bcy, engenbeiro francez ao serviC0 do Egypto, beaba de cnvhr ao vice-iei us divarsos planos para a gran le pra?s Je Alexan.Ina. Cairo, i Indias Orientaes, PersiaeSiam. O, tres artigos seguintes transcriptos pela Presar, o primeiro do llombty Times ; o ocgun lu do Morning-Cltron'cle ; e o t ireeiro do aity-Hewt, dardo ao conhecer aos leiloics o que ha Je mais inleressante sobre osles patina i Os xirdars de Kanduhar appossarem-so Je lli.il, icnJo Sabido quo Dos .Molame. IKii ni m ni li iva sobre Kaudaliar, JirigiramIhe urna caila mui lisongeia para asseguralo do sua sabmissflo e boa vontade. Ao mesmo lempo como quer que Ghuolam HaiJerl' han, filho do emir, domorasse sua mareb sobro llerat, os sirdars hncaram so sobre osla cidade frente de 4,000 lotear; n3o encontrando resistencia alguma oceuparam o fui to que partencia ao mitigo vesir. ii Mas seu triumplio ser do curta duracao por quanto o emir jurou que se vingaria Jo insulto que Ihe fura kilo, apodarando-se de Kandahar. Disom que o visir Jar Mahomod Khan, estando para morrer, empeoharaseu lilhu a pe lir a assisteucia Jo rol Ja Porcia para conservar a possessao do forte de Herat, Os sirdars de Kandahar pozeramse deuaixv Ja prolecajau doXi em Xa; dizem que 12,000 homens Je tropas persas seacnSo actualmente em Herat. Sirdar Peer MaHo mal Khan com um filho do emir marcha sobre Kandahar. • Segundo as ultimas noticiis recebidas de Conslaotinopla, a poltica russa Iriumpha definilivainente na Persia. A' insuga(3o do¡proncipe Uulgoronrie, o x decidios.i a enviar um embaixador|a S Petarsburgo para disstpar o descontenlameuto que senCOMMERCIO. ALFANDEGA. Rendimento do dia* 11.799,073 esearregam hoje 5 dtdezimbro. Origue americano — lames Crosby— mac3es Patacho americano — Balhurst — mercadorias. Barca ingleza — Linda — dem. Brigue iuglez — Lata Roock — firinha de trigo. Brigue inglez -Aud>s — mercaduras. Brigue austraco — fortslk -firoha de trigo. Patacho hamburguez — Bertha — mercidorias. lni|tortiii,'itfi. Galera ingleza Linda, viuda Je Liverpool, consignaJa a Deano Youle & Companhia, maiule-lou o seguinte: 8 toneladas, 17 qilintaes, 2 arrullas o 20 li vi as (peso inglez) ferro, 286 pecas mangueiras de sol, 6 tarrazas Jo latSo ; ao inspector-Ji) arsenal da mariuha. a Rendimento do dia 1 a 8 dem do dia 4 .,.. Brigue Dinamarque Cora, v|ndo Jur penhagen, eoosig'oiJp a Rolda'Bidoulaaii Comiiiniiui, manifeat'tfu o segeintn : 72^ barris carvo de podra, 52 "fardos a 2,70a) Accos usidos para assucar; aos consignatarios. CONSULADO GERAL. 3 245,901 4:508,Sa| DIVERSAS PROVINCIAS!""' Rendimento do dia 1 a 8. i UIM ,d8B d odi '* S: 257.6 RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNASr'p" RAES DE PERNAMBUCO. Reu limouto do dia 4 i 37 .CONSULADO PROVINCIAL. Rendimento do da 3 1 :133 UK ldemdoJii4. l:5s' M6 RIO-DE-JANEIRO. CAMBIOS NOOIA 24 DI NOVSMBBO, Londres, 28 3i4d. titerli. por. lira Parli. 334 *"' (.I -b. i 90por cento de premio. Ilamburgo. 6191, a90div por marco banco d/r. UETAES E FUNDOS PUlUICOS. Metaes. lincas liesp.inhlai 30/300 H da patria. 30/3011 Pecas de U/400, velhai. B/OOO n Modas de 4/000 i* Peso hespauhea H da patria. Paticoei Apolicel de 6 por cento. provinclaes 9/000 1/900 1/920 Mo 3 91 (Sornal io Comwureio ¡ Noticias Coramerciaes. HAVRE, 0 DE NOVFMBBO DE l85l. Algodao. — Desde as importantes transic50 'S nolioiaJas no nosso ultimo relatorio o lies-. merca Jo permaneceo sempre serd aui magno, posto que com precos sustentados poim uo ha inim u,\l i alguma ni procun' os compradores para o negocio cumprind smente ordens para as precisdes indispensiveis. Como avisados no nosso post-scriptum, de 29 do mez expirante, recebemos ni l"cc,a-feira, por via de Southimpton, um resumo Jas notioiaa por vapor Canad, as quaes nos vioram m3o ua mesma noile, datadas de 14 do mez passado, de NovaYo k, annunciaodobom lempo nosul, mais Je um navio no porto para o Havre, e is eslimacOas genes Ja nova safra sSo Je 2,600,000 %  2,700,000 siccas. Soubemos lambem por una correspondencia Je 11 do mez pass ido, que o algodSo mediano bi¡xra a c. 7 em Nova-Orleans, e eooseguintemonteo nosso merca Jo lumou-se inteiramento frouxo, Na quarta-feira as venjis ii.ii oxeo Iran a 500 saccas, das quaes 300 devem ser entregues pir Sharon e II imphreys ao preco de c. 80 para o bom me llano, De mauliaa 400 saccas foram venJiJas no com. Hercio, o na sexti-fcira, esperando a chegada do Humboldt, 900 saccas mudaran) Jo ni ni-', das quaes 400 siccas existan) nicamente no porto, o remanescente leu lo-se comuoslo Je ven Jas a chegar feitas no Jia antes, a f. 78 para o mediano e 79 para o bom mediano, por Honmouth c. I une si. ir, os quaes navios aluda nao tinham JoscarregaJo. Nosibbado, sondo dia de todos nsSiiitos, a.n 'Sas IransaccOes estavam paradas, cun i lambem no domingo de manida, porm rocebomos as nossas cartas pela manlili por iliiuihol.lt, que o vapor chegou na sexta-fuira noite, annunciando 5 navios mais para o nosso porto ( um em Charleston, carga, e 4 em Nova-Orleans); os tres ltimos, com ludo, estivam carregando tabaco. Em Nova-York, em 18 do mez passado, os precos tinham declinado, porm eslavam mais firmes, e o mesmo caso leve lugar em Nova-Orleans, onde os precos, depois de lerem bailado a c. 6 3/4 para o mediaoo, s'jhiram a c. 7 1/8 recepco dos avisos por vipor imerica, por urna correspoudencia de 16 do mez passado, que cota os fretes a c. 1 1/4 para o lime, e 5/8 d pira Liverpool. No domingo recebemos o relatorio semanal de Liverpool, mostrando urna baixa de 1/16 d., todavia pouco algo.l.lo foi ull'e reculo, e um melhor excitamento noeacerr.inieiit i do mercado. Na segunda-.eira, sob a influencia destes avisos e da reoda publica de 2,500 siccas de algodSo das Indias orientaes, as quaes liveram lugar pela manhfla; as nossn IransaccOes regulares se limitaram a 400 siccas a precos mais frniixos; o resultado da venia publica foi quasi nullo, e 90 sacvido a dofander atea ultima extremidade. A foma lavra em Durango ; ella foi produzida pola JeslruicSo das colheitis pelos Indios. Os graos vendom-se por um prego exboibilanto. %  As noticiis di capital do Mxico imformam-oos que 3,000 homens foram mandados pelo noveino para defender TehuauleD. Fernando Ramniz aceituu finilnau afleclim a SllaaoflO, ellis vem lu.livu re-' muito fia da tempe; entre outros ella7 ">80te a pastados negocios estrangeiros, e teuiu giveincuiiveuientede fazer o pubis recebau a missao Je fomar um novo gabinete. O general Ansio t ma -se cada vez mais impopular, e pos isso chegou a publicar ltimamente algumas me lulas lyrauicas ali n Je por s: ao abrigo de um perigo pessoali u general mexicano, Caray, loi mandado pan Acapulco preao sob palavra, por ler escriplo contra a adiniuistrar,3o do governo. Finalmente este paiz nfio he congiave inconveniente Ue lazar o pubis co, e principalmente o publico pobre pai gar asdespezas da guerra ntreos co relores e o Metropolitan Bank. Isso lis ce mus, sem duvida, e he para lamentar qie nao h.ij i um meio de fazer parar ou de pilnir esta funesta agiutagem. Como quer que se oslivesse prepirinlo nos Estidos-Unidos urna expedicSo conUa o Mxico, o presidente Fillmore pubiicm aos enlaciaos di Uni3o a seguinte prock le o imperador Nicolao pelos maus trala-l maQ9b : melos que a populacho russa de Asferabad I Visto que ha rasOes pira crer que na i t.-m suffiido da pn.... dos Turcomanos, o¡expeJI(fij militarse prepara nos Estadadiplmala escollado para esla m¡ss8o he o'Unidos para o in de invadir a republta actual piesiJeiilodo divn real, homem ca-: Mexicana, com quem este paiz est em ¡¡ir, piz o quo ser bem recabido Se fossepos-1 vista que ha rasOos para rocuiar que urja aivelqueo contrario podesse ler lugar, o j parle do povo deste paiz, sem respeito a x nao teria arriscado este passo. a 'seus deveres como boos cidadSos, toman • ,\s notois deSiam aleancun al o din parte neila, ou pnssam ser seduzidos a issd: le jiilho. O novo principa saguo urna polinVialo que taes omprozas tendeen a degr/tica maisesclareetda e mais liberal que sen ¡dar o carcter Jos Estados-Unidos o opiprodecossor.ellofaz coiislruirnaviosdecom-! niaodo mundo civilisido, esilo expieainiercii, leJiiziou un, o-lu sobro u.. navios iiieule pru.ubulas por lei : estrangeirosdecominercio,reduzioo i nipos-i • Advirlo por esta minha proeUmagloa lo sobreosuavioseolrangairos delTOOa IOOO to Jas as pessoas que lomirem parte en til iccia por braca tomadas sobre a maior lar-1 empreza em violacil j das leis e das obrgisiderado souiu como urna repblica de forma, que gyra a todos os ventos, conforme a voutide daquelles que si acham frente do poder. No Times de 3 de novembro l-se o seguate : • Temos noticias telegraphicas do norte do Mxico via Nova Orleans : 1 barrio conservas, 18 caixas teciJos d( algoiao; a Junes Patn & Companhia. 2 fardos Jilos, I p icole livros. 1 dito um relogio; aC J. Aslley& Companhia, 70caixas.queijos; a Machado & Pinheiro. 50 ditas ditos, 4 barricas ferragens; a Brauder a Bramlis. I pacote e 1 caixa tecidos Je 13a, 1 dita ditos Je seda, | dita ditos de dita o I i, 50 ditas o 162 fardos ditos de algoJ3o, 37 gigos 75 meios Jilos 11 barrios'e 1 oesto louga, 17 canias mercad i: las dner.sis, 2 Jilas papel, 2 ditas feragens, 1 dita roupi, I dita nbjectos do borracha. 6 Jilas chapeos, 1 dita relogios, 1 dita um chapeo, 1 meta dita c ni, 1 barrica vi leu-, 1 hura Je ferro; aos consignatarios, 5 meios gigos louqa, 2 caixas meias de algo 13o, 45 ditas e 9 fardos tecidos diversus ; a Fox Brothers. 10 ditos o 12 caixas ditos; a Rosas Braga & Companhia. 2 .lilae 18 fardos ditos, 1 c uvi meias de seda ; a James C abtreu & Companhia. 113 ditase 38 fardos tocidos diversos, I picote portences para e-cn tuno, 1 caixa um piano ; a Roslran Rooker clt Companhia, 4 fardos o 20 caixas leciJos diversos, 1 dita couros, 2 ditas caoiisas o meias de algod3o, 40 barris manteiga, 500 fogareiros, 1 barrica grades; a 11. Cibson, 7 fardos tecidos dealgodio pira saceos; a N. O. Bieberi Companhia. 3 caixas o 62 barricas ferragens, 1 dita candelabus, 2 Jilas vi iros, 2 ditas cerveja ; a S. P. Jobnston ot Companhia. 62queijos, 39 presuntos, 4caixis, 4 barricas, 2 barnquinnas e I barril conservas, 13 pegas toucinho, 10 barricas cerveja, 1 cas nicamente foram abatidas a f. 37, e os diti louca, I caixa moslarJi, 1 Uta um melhores lotes foram retirados de fr. 50 a quoijo, 2 barricas ditos, 1 picote livros, 10 52, hontom, a espera das nossas cartas por ancuras, 1 caiva e 4 jafros ignora-se;ao vapor Asm, as vendas nSo excederam a 450 capitn. saccas, sem alterac,3o em presos; porm 30 caixas (ios Je algoiSo, 16 ditas o 8 farmuito algodao foi offereciJo i venda nBo Jos tecidos diversos, 1 gigo louca, 7 caixas obsUote ain la nao ler ebegado. mercadorias; a Adamson llowie & CompaAo resumir as vendada semam, que libia, i nio abrangein senBo as transtcgOns de 5 1 da um chapeo, t dila solins, 30 ditase Jias, montamem 2,640,000 saccas, Jssquses 15 TarJos teciJos diversos, 150 barris man800 a chegar contri 1,900 importadas, e teiga, 6 barricas ferragens ; a Jobnston Paestamos com um deposito m3o de cerca ler & Companhia. i de 18,000 saccas, das quaos .•.uniente 9,500 107 ditas. 1 ri .> 1 ce'tO ditas, 26 csido: Estados Caldos, iscluisdo !,000 ds Sea xas e o fardos tecidos diversos, 2 caixas I-1 ni. los do algodSo, 4 Jitss miudezas, 1 caixa Estamos espora Jo 17 navios Je Novac ni-e. va-, 1 dita oleados; a G. Keoworthy Orleans, 7, Jos quies estfio cirregsndo ta& Companhia. bico ; 6 se llzeram do vela s ultimas datas 2 caixas chapeos; a F. F.Tinom. com 7,205 saccas. 20 fardos tecidos do algodao; a Rostron O paquete Zurlck do Novi-York, sihira Dulton & Compauhia. com 1,178 saccas, diz-se juntamente 8,383 7 caixas ditos, 10 ditas queijos. 2 picotes siccas. Fomos alm disto informados que objecios para desenlio; a II. Royle & Coma • Alian;i • ostav cirregiudo em Chirlespaunia. ton, e esperava-se a c Gallia • em Mobile 1 volnmo peneiras, 50 barris manleiga, para levar um carrcgamenlo ao Havre. 9 barricas ferragens, 10 caixas queijos, s Caf.— Depois das importantes vendas da E, H. Wyalt, semana passada o nosso mercado esteva 25 tonelladas de ferro. 3 laxas, 1 ciixa ferem calma, porm os probos coalinuam bem rageas; a Botrmaaa Me. i; di un ii Comconservados. panhia. Vendas: 1,100 saccas do Rio, lvido, e 1 dita e 22 barricas ditas, 10 fardos tecin3o lavado de fr. 49 a 62 sob promessa, e dos dealgoJ3o; a Ridgway Robilliard & 969 saccas ivariadis, ex Moliere de fr. 99 a Compmhia. 112 p. 50 kilugrammas, pagos os direitos. i caixa diversis mercadorias; a E. B. na Importarles : 3,503 siccis de Sin ominSilva. gos, por Gaspard-Monge e Mithiide, e 300 68 ditas e27 fardos tecidos diversos; a J. sacos de Pernimbucu, por Havre. Ryder & Co.upauhia. Couros.—Urna leve reac3o tave lugar Ju24 banicas ferragens; a Antonio Franranteas ultimas chegaJas, a qual levou os cisco Je Moraes. expeculaJores ao maicaJo, os n ¡ssos pre1 caixa chapeos, 1 dita ditos deso e len(os reassumiram immediatameal sus treos do seds, 1 dita facas, 1 selim e 1 freio, mesa costumala. 2 ditas tecidos diversos ; a Luiz Antonio de Vendas: 2,805 seceos de Buonos-Ayres Siqueira. de fr. 60 a 90, 1,100 do Rio-Grande a fr. 65, 1 dita roupadeuso particular; a I. W. o 1,150 hmidos salgados de Buenos-Ayres Wilson. a fr. 36, os ltimos as mais das vezes para 1 pacote diversis mercidoriis; a Miss expoitacao. MiJJIetou. i Deposito: 1,800 seceos e 25,000 hmidos 1 caixa um piano; a Manool Joaquim Rasalgados Je (alas as sortea; iucluiudo a mos e Silva. nossa iuiportacilo do Rio Je Janeiro e Per14 ditas tecidos diversos : a A. Cesar de nambuco de 3,017 seceos e 2,822 hmidos a A 16 do corrente ( salembro ) Caravaja| Abreu. salgados, achava-se a 10 milhas de Matamoros com Bciguo austraco Porto Ke, viudo de TriAjsucar.—Este artigo esleve procurado, urna forfa mui grande, a qual segundo se este, consignado a Deane Youle & Compapoi n dovilo 'escassoz dos suprimenlos diz, ni centava menos de 10 mil homens, 1 nliia, manifastou o seguinte v do assucir francez colonial ( o nosso merinclusive 400 caga lores texicnsos pouco. 1,660 barricas familia de trigo; a ordem. eaJo estando quasi exhausto) astransacmais ou menos ; esparava-sa que elle ata-. Patacho americano Bathurst, vindo de gOas foram limitadas, e urna porgflo do quo caria a cidade ai uiinl)5 do dia seguinto. llalli noio, consignado a Deine Youle t se espera foi vendido, Dio obstante nSo tor ntreos cagt Jures ha urna companhia que Companhia, mauifeslou o seguinte : ainda chegado, com um adjunta ment de fui licenciada do exercilo dos Estad is-Uni149 ealxis e 150 fardos tecidos de algofr. 1 a a para 4." boa sorto, valendo ficllJos, O excitimenlo ao aorte do Mxico he d3o, 632 barricas farinha Jo trigo, 150 ditas I mente a fr. 59, 50.



PAGE 1

PECItIRCtlA. A inda existe uma pequea quanlia das aoperiores colxas de liuho, do mellior gosto que tein apparecido no mercado, pelo baralo preo de 10,000 rs. cada una : na ra do Queimado, loja n. 17. inheiro vista. Vendem-se pelo cusi selins inglezes.forrtdo> de couro de porco, ditos de borranha, ditos de sol com estufo, silhOos para montana de senhora, cibecadas rol¡cas, dilas chatis de lustro, esporas linas de metal branco, estribos de metal branco, ditos de ajo : na ra Nava n. 28, loja de selciro. — Vcnde-se, por preco cominodo, fumo em folha, pata charutos de primeira e segunda qualidades, macella chegada ltimamente do Porto, e cal virgem de Lisboa tambem desembocada poucos dias : a tratar no armazem de Dias Ferreira, no caes da alfandega, ou com Novaes & Conapaohia, na ra do Trapiche 11. .'S-j. 4 .Mimos da txpoti&o. &f r>: Na loja do sobrado amarello nos qua4 s>;> tro cantos da ra do Queimado n. 29 Ci (• tom para vender a nova fazenda para 4 % vestidos do senhora, denominada miH )9 mus da exposifSo, fazenda de dilica4 dissimos gostos e euros muito fixas # &f i pelo diminuto preco de 140 rs. o oo t / vado. 9 Chita larga franceza, a 34 rs Vende-se chita franceza larga padrUes modernos, escuros e claros, e cures Oxas, pelo baratissimo preso de 210 rs. o covado, lendo grando porslo para escnlher: na loja do sobrado amarello, nos qua tro cantos da ros do Queimado n. 29. Sedas furia cores, a 1,700 rs. o covado, por lao diminuto preco, que mdei xar de ter um vestido de seda pira a festa ? na ra do Queimado n. 10, vendem-se as melhores e bonitas sedas Inri a cores, para vestidos de senhora, meninas c manteletes, a 1,700 rs. o covado; damse as amostras, ou mandam-sc as peras em casa par > melhor o comprador escolher. — Vendem-se relogios de ouro eprata, patente inglez : na ra da Senzalla Aova n. 4a. — Vendem-se ancoras e amarras de ferro para navios : cm casa de 660Kenworthy & Companliia, na ra da Cruz n. 3. -• No escrplorio de Novars ce Companhia, na ra do Trapiche n. 31, lem para vender por preso commodo 03 seguales objectos edegados ullimainente : chapeos do chile inloriinos, tinta para escrevor, graxa em potes para calgado, liuha de roris, macos com palitos entcilados e panno do liuho: a tratar no mesmo escrptorio. — Vendem-se relogios de 011ro e prata, de sabonete e de vidro, patente inglez ; em casa de Geo Kenworthy & C'ompanhia, na na aCruz n. a. — Vendem-se aireios para cavallos de carro e cabriole!, chegados agora : cm casa de Geo Kenworthy & Companhia, na ra da Cruz n. 2. — Vendem-sc cabos de liuho c ile manilli.; em casa de Geo Kenworthy & Companhia, na rua da Cruz ii. 2. — Vendem-se silhdcs de couro de porco, para montara de senhora, bem como cabezadas de couro branco : em casa de Geo Kenworthy & Companhia, na rua da Cruz n. a. —1 Vende-se superior panno de algodao para saceos de assucar : em casa de Geo Kenworthy & Companhia, na rua da Cruz n. a. LsposieSo de riquissimos vasos part flores e perfumaras. Vendem-se ricos vasos de porcelana da China de varios tamanhos para llrese perfumarlas, do todas as qualidado: na rua da Cruz do Recife defronte do Corpo Santo loja de barbeiro n. 58. Toalhas e guardanapos. Na loja do sobrado amarello, nos qualro cantos da rua do Quoimado n. 29, tom para vonder um grande sortimenlo do toalhas do diferentes tamanhos, e em posa que se vende em varas ; assim como um grande sortimento de guardanapos de diversos tamanhos e qualidados, equetudo se vende por prejo de agradar ao comprador. Cortes de chita e cassa. Continua a havor grande sortimenlo de cortes de vestido de chita, com 12 covados em um s pedaso, a 2,000 rs. ; ditos de cassa de cores, fixas e bous padres, a 2,000 rs.: na loja do sobrado amarello, na rua de Queimado n. 29. POTASSA DA RUSS1A. No armazem de Jos Teixeira Basto, na rua do Trapiche n. 17, ha para vender, nova e superior potassa da Hussia, chegada recen temente. Deposito iie cal virgem, Cunlia et Amorini, vendem barril com cal em pedn, chegada ltimamente do LisbOl, na barca Margarita, por menos preso do que em ootra qualqder parto: na rua da Cadla do Iteoifen. SO. — Vendem-se velas de espermacete, em caixas, de superior qualidade : em casa de J. Keller & Companhia: na rua da Cruz numero 55. Bombas de ferro. Vendem-se bombas de repuxo, pndulas e picota para cacimba : na rua do Rrum ns. 6, 8 co, fundico de Ierro. l'arinha de mandioca. A 111:1 is nova e nmis barata farinlia de imii'inii'i|iie ha no mercado, vende-se ua rua da Cruz do Hecife, armazem n. 13, de JoSo Carlos Augusto da Silva. 4 — Vende-se um carro de quatro rodas, muito leve, para um ou dous cavallos: na cocheira do Miuel Sougei no aterro da Boa isla. Deposito da rubrica de Todos os Santos na liatila. Vonde-seYem casa de.Y Bieber&C., ns rus da (irire n. 4, algodao transado d — Vende-se no armazem da rua da Cruz n. 49* 9 seguinteo genetos a precos commodos 4frascos de vidro com bocea larga de diversos tamanhos, Jftas'csjm bo lachinhas de Alleraanna milito novas, alvoiade muito fino em barricas, zarcao e secante em barriquellawbrici, muito proprio para saceos de ¡ -J hllml pm harrira* esassucareroupadooscravos, porpresocom-l cas P eara nume em Barricas,' esAzeite de carrapato da labrica ue jclos. modo. — Km cusa de J. Keller S Companhia, na ruada Cruz n. 55, acha-sea venda oexcellenlo e superior vinho tle Bucelia, cm barris de 5.*, he muito recommendavel as casas ostrangeiras, como exoxcellonte vinho para pasto. Arados de ferro. Na fundico da Aurora, em S. Amaro, vendom-se arados de forro de diversos moAratij & Filhos, no Pcncdo. — Esto azeite pela porfeisilo cm quo he fabricado n3o s serve em lugar do azeite doce e do coco, para qualquer qualidade de caodieiros por mais delicados quo sejSo, como he muito prellrivel a qualquor outro por dar uma luz miis brilhunte, sor mais durativo, c seu custo ser mais baralo ; nflo tem o cheiro desagradavel que exala o azeite de carrapato commum, nem em nada delleseassemelha. Vende-se cm barriz do 16 caadas a 2,400 rs. a caada, no armasem de J. J. Tasso Jnior, rua do Amorim n. 35. Moinhos de vento No aterro da Boa Vista, lojan. 18, defronte do Tribunal do Commerco. sencias de canda, travo ezimbro, sevadinha em garrafSes e sal de 1' psem muito alvo em barricas. -Vende-so uma preta sadia, vendedeira, cozinheira, lava bem e faz o mais arranjo de casa, por 320,000 rs.: ns rua larga do Rozarlo, loja 11.35. O Vende-se um elegante caO '-''' briolet descuberto, muito le0 vn de ptima construyo Q com o competente cavallo ^ tambem muito superior: na %  ':', cocheira do Lourenco, na 0 rita da Guia. s OOOOOOOOOOOOOOOO — Vende-se rap de Lisboa em frascos cliegado agora na barca l.igeira, os senhores Treguezes, que estilo acostumados a tomar a boa pitada, n3o deixarlo de o mandar buscar : ao largo da sssembla n. *. — Vendcm-se 3 escravas mosas, creoulas, do idade do 18 a 20 anuos, cozinham e engommam liso; I casal de escravosde meia idade; 1 mulata mosa, de bonita ligura, roso e engomma liso; uma dita de meia idade; 1 escravo de klocudns superiores. Na fundicDo do C. Starr & Companhia, em S.-Amaro, acham-sc venda moendas de canoa, lodas de ferro, de um modelo o construcsHo muito superior Cheguem freguezes antes que se acabe. No armazem de Martins & Irmflo, na rua da Cruz do Mecife n. 62, chegaram ultimamonto os seguintes gneros de muito hoa qualidade : •queijos londrlnos, prezunlos inglczes e do Porto, conservas inglezas o francezas com difTerenles frutas, latas do salmSo, dilas de ervilhas o sardinhas de eom bombas do repucho para regar hortas JNantes, ditas com bolachinhas inglezas, d baixasdccapim : vendem-sona fandisflo marmelada de Lisboa, o Itapliael, I aginas <| ¡ .] iiventiule O grande casa do vivenda, de qualro ^'por A. de Lamartine, versao Por1 (al ? ados a 8oo > a 5 5oo, 3,000, Alfandega, armazem defronte da arvore. A elles rapaziada, que a festa est prxima e recebe-se dinheirn fresco para os pjs'eis. Na loja c. miudozas n. 3, ao p da ponte seu competente fogSo, para espirito de vinho, quo em 5 minutos aprompta o mais claro olimpo caf, que se pode tomar; o autor dosla e de outras ricas invensdes, nSo duvidou mandar este bello apparelho para a exposisSo de Londres : o publico que o quizer possulr, dirija-se a rua larga do Ro da" Boa'vista,"vedem-sa o"s •T"rtunVdS bi- zar0 J n T de "¡¡"dezas n. 38, do Cardial, Hieles, meios e cautellas da lotera de Nossa com 5>00 "' P el m enos Senhora do tivrameuto. Uuado Passeio Publico n. 5. Vcndom-sc 18 caixilhos envidrasados e promptos para qualquer obra, por preso muito commodo. AltencSo. Vende-se, por 3:500,000 rs., o sobrado de dous andares e so!3o, com Irapcira e loja reir.,, q. %  "u "".". -'";-•-• partida, com boa cacimba na chagaooem vende. — Vcndejn-se as seguintes oiras: -geographia por Chanchard Flores. Na rua larga do Rozario n.38, loja de miudezas do Cardial, vendem-se as mais perfeitas flores francezas, que se tivessem cheiro ninguem deixaria de acreditar que eram naturaes ; aellas que o preso convida e a leste he a 25 do correnle. Pentes de tartaruga. Na rua larga do Rozario n. 38, loja de miudezas do Cardial, vendem-sc, por t3o diminuto preso, pentes de tartaruga para cc, que ninguem deixar de os comprar, se delles liver necessidadeFarellos de arroz Esta j tao conhecida substancia alimenCRAXA ECON"MICA EMHASSA. lio insigne fabriesnte americano, James Masson. A sua composisflo he feita de proposito para lastrar com agoa o conservaro lustro, tanto de invern como do verSo ; a grande vantagem quo ha nests graxi he a conservasSo do caisado, e lustrarem-seos sapatos'ou botina anda mesmo moldados, e uma pequea lata aturar mais do que tres bolOes, e costar menos do queam. Vendeso em barricas, oo norrio de duzias, no armazem de Vicente Ferreira da Costa, na rua da aladre de Dos, e na rua do Amorim n. 35, armazem do Tas'o Jnior. — Em casa de J. Keller 6c Companhia, na rua da Cruz n. 55, ha para vender um piano forte chegado ultimamente da Enropa e com excellentes vozes : trata-se na casa dos meninos. Vende-se no MaranhUo, a fabrica de bugias stiarinas e sabo. Os administradores da liquidacao de Theodoro Chavanes, vendem a fabrica denominada Maranhense, na rua do Pioponto, delta cidade ( porto dos remedios) a saber : — casa em que est montada a fabrica, com ao bracas de frente e i5 de fundo ; a prensas hidrulicas, orisontaes de (orea de 600,000 libras, cada uma ; 1 dita vertical de forca de fj 00,000 libras; 3 grandes caldeiras montadas, parao fabrico do sabio ; 4 — decapim quo sussituguesaj lralauo l ommcrciai; os, grande carain3 culo, ou o livro do-i Destinos : o tanque coherto „ .. ..:_.:„ ailar "* '•"'g 1 10 receolemento os bem conheciintesarvorcdosde ^ luaa l.ruz 11. 0, primeilO rilltlar. • dossspatOes do Arscalv, tanto para homem DE VERES DOS UOMENS, eslribaria, baixa de tenia 3 a cavall O o ^J para bando basta mus inumuw uv fructo : na rua do Collegion. 16,seg O gundo andar. ooooooc oooooooooo AGENCIA da fundico Low-IMoor. RUA DA SGNZALLA NOVA N. 42. Neste estabeleeimento contina a liaver um completo sortimenlo de moendas o meias moendas para engenho, machinas de vapor, e taixas de ferro balido e coado, de todos, os tamanhos, para dito. Agencia de Edwin Maw. Pva rua de Apollo n. %  armaiem de Me. Calmon i.-. Companhia, acha-se conaiantcmcnic bons sorlimeulos de lai.i de ferro coado c balido, lauto rasa como tundas, moendas ineiras lodas de ferro para ananaes, agoa, ele, ditas para armar cm madeira de todos os tamanhos e nudcllos o mais moderno, machina horisonlal para vapor, com forja de i cavallos, coucos, passadeiras ele ferro cslanhado para casa de pulgar, por menos preco que o de cobre, escoveus para navios, ferro ingles tanto em barras como cm arcos folhas, e ludo por barato prC£o. Ango deposilo de cal virgem. Na rua do Trapiche, n. 17, ha muito superior cal nova cm pedia, chegada ultimamente de Lisboa -Vendem-se cera cm velas fabricadas em Lisboa e no Rio de Janeiro, em caixas de 100 libras sortidas, de 1 a 16 em libra, e tambem de um s tamanho, por menos preco do que em outra qualquer parte : trata-sc no escriptorio de Machado & l'inheiro, na rua do Vigario n. 19, segundo andar. Principios gciaes de economa publica e industrial. Vendo-so este compendio, approvado para as aulas do primeiras letras, a *80rs. : na nraca da Independencia, livraria 11. 6 e 8. Lasa de commissao de cscravt'S. Vendem-se escravos e recebemse de commissao, tanto para a provincia como para fra della, para o que se offerece muitas garantas a scus donos : na rua da Cacimba n. li, primero andar. Taixux pnrn cilfrcnlio. Na fundiso de ferro da rua do llrum, acaba-se de receber um completo sortimenlo de taixas de 3 a S palmos de bocea, ss qiinns sclism-se a venda por preso com; orao 1 '1,000, c G,ooo rs., no aterro da Boa-Vista, defronte da boneca, como para menino a 800 rs., de orelh 1,000 rs., ditos de lustro para ditos a 2,500 a JOO rs. i rs., ditos para homem os melhores que Vende-se este compendio aprovado para ¡ tem vindo da Baha a 3,000 e 4,000 rs., e boas aulas, cm meia encadernar,!Io, a 500 rs., lins a 6.000 rs.; assim como um novo e eda um : na livraria n. 6 e 8, da prasa da completo sortimonlo de calcados francezes Independencia. ¡de todas es qualidados tanto para homem Um sobrado de dous andares. .como para senhora, meninos e moninas, Vende-se um sobrado de 2 andares c so' P^I es de nwroquim e corles de tapte a tan com bom quintal murado,. 21, na roa 80 r e f 4 cnl0 porcSo, da-se por monos, 1 ludo alim do se apurar dinheiro. — Vende se uma prcta creoula bouila ligura, som vicios e nem achaques : as Cinco Ponlasn 71. Cal virgem empedra, chegada recenlementedo Lisboa, em ancoras, muito bem acondicionadas, vcnde-se a progo muito commodo : no armazem de Silva Barroca, na rua do Trapicho n. 19. Vende-se um bonito e;crsvo de 25 ancoaducta, dirl'roia, n. 43, prim ALOOUAO' PARA SACCOS. # H vende-se muito bom algodflo parasa\: eos de assucar, por preso commodo: 9 em casa de Ricardo Royle, na rua da (§ B Cadeia n. 3?. .. — Vende-so um preto escravo, perfeito coziobeiro o canoeiro, bonita ligura, sadioi^o sem vicios, sos pretendemos se dir orno-1 mo,io > rom l'romptitiao embarcam-so.ou tivo porque se vende : r.a rus larga do Ro-| carro B am so n carros sem despozas ao zsrio, loja 11. 35. |omprn.lnr. Arados de ferro. [DepOSltO (l(J <".;\\ C poLlssil. Vendem-se arados de diversos INo armazem da rua da Cadeia modelos, assim como americanodo Rccife n. 1a, ha muilo supccom camban de sicupira e bracos or cal de Lisboa, cm pedia, asda ferro : na fundico da rua do sim como polAssa chegada ultimaBrum ns. G, 8 e 10. mente, a precog muilo rasoaveis. estrella do Rozario : a fallar com Jos Maria Placido. l'arinha fontana, dictada ullimamcnto: cm casa de J J. Tasso Jnior, na 1 na do Amorim n. 35. — Abordo do patacho Margarida, fondeado defronte do arsenal de guerra, ainda ha a superior farinha de mandioca, cheqada u ti-1 nos do idade, de excellonte mmenle de S. Catharina, que %  etelES!" a "" da vender por menos preco que em' — Vendem-so duas rotulas forles, foiraoutra qualquer parte, para acabar: ;d s fe ". noVM o de amarello, porpre^ ,' ., so com,lloJo : na rua do l'asseio u. 5, loia trala-se a bordo, 011 na rua da C ruz de fazendas. n. 33, com S Araujo. i <-rdas da tripa para vioISo, a 40 rs. ca— Vendem-se 26 pranchOes de loui o, no¡ ,..„.„ c „ „„ .,''*, um ?" ,, caes do Ramos : a tratar na rua da Cruz do „ t \?a^,I,m.H es re,la do ,, 0 r '. '"Itecife, armazem n. 62. No mesmo arma"t Que m ad ?; "oja de m.udezas n 2 zem vendem-se saccas com arroz da Ierra, litai? "* tudo por commodo preso, para feixar cuntas •JM.IIM na Bahia. > Vende-se em casa de Domingos Al %  ves Matheus, na rua da Cruz do Re* cifen.52, primeiro andar, algodSo %  > transado daquella fabrica, muiloproS| prio para saceos e roupa de escragL, vos, assim como lio Droprio para re^ des de pescar e pavios para veilas, s> por preso muito commodo. clusive calca ejaqueta depanno fino azul, e alm do mais alguna cacado, um par de borzeguins pardos, com boloes de madreperola brancos, e consta que levara um cavallo, que naquella occasiao akO 'gara, o qual tem os signaes se< SALSA PARRILIIl DE guintes ; — castanbo, barrigudo, dinas pretas, gordo e tem um talho em uma anca; he provavel que queira passar por forro, he bolieiro e escravo de Luz Antonio SiAs numorosas experiencias feitas como „ uso da salsa parrilha em todas as enferml1 ue,ra quem 0 pegar lcve-0 a na da Cadeia do Recife n, ai, que sedados, originadas pola impureza do sanguc, c o bom xito oblido na corte pelo Illui. Sr. lar. Sigaud, prosidento da academia imperial do medicina, pelo lllustrado Sr. Dr. Antonio Jos Peixoto em sui clnica, oem r recompensado. 100,000 rs. de gratificasao. Roga-se as autoridades policiaes, que capde -e \ende-se superior doco de caj seceo,! • X^^*} a ?*?V ( > i f a ~ che7 em bucetas pequeas, por preso mais com'l* ,,d ult n a !" "ldn..ml>urgo,por preso commodo: n. 28. na rua deS. Amaro modo, que em ontra qualquer parte: na rua daMad:ede & vend3, s 3B. ._^ &f—9 ^ f3 *?* !S3o se tinha descoberto ato hoje um meio' ~ .Y !" !" rhf :3a 6 fi *" '" de conservaba manlciga do vaca semisl.l?J?J ^Tt r !" !!?0 't pr ? C -?i^U U f Nos paizes consumidores, como a bordo dos navios, s se gastavo manteigas preservadas a cusa de muito sal. Pelo meio de uma nova invensSo.que ja ha muito etperimeoladaadquirioa certeza da perfeisllo, pode-se em toda a parto do mundo gastar inanlcigs linio 11 %  luiente conservada fresca sem s¡ I algum. Cbjecto de primeira necessidade para prasa do Commercio n. 6, primeiro andar, otiin. Na rua do Vigario n. 23,segundo andar ha para vender muito superior rolim para tecer cadeirasa preso commodo. Sal e\m paneiros. Vende-se no Armazem doSr. Antonio Annes, no caes da Alfandega ou trata-se com a arto culinaria e p.ra s meza, a mantoiga! j~i¡. da Fonseca Jnior": na rua do Vigario sem sal he indispensavel para osdocnlese „ 23 2.0 andar convalescentes, puis he formalmente pres-f v 1 • 1 1 cripta pela homcopatliia; enesloultimo ca-l — Vende-se na loja de Joao sa ella torna-se tanto mais aprcciavol quan-Cardozo Ayres, na rua da Cadeia lo he pura de qualquer substancia que • Vclha n di os mai rirns rtianens possa alterar nos scus benignosoffeitos. F¡-| '' m 8 r,cos cl,a P eos nalmente pode gastar-so tal qual nos paizes, de castor branco, chegados ultiproductores. Na Havsnaonas Autiihasfrsn,„„,,,,.„i„ ,l„ l„„Ui„. nnnn .; na cezas esta invensSo foi recebida com gralidflo, pois era de ha muito lempo apetecida. 1:111 l'. 1111 ni hur 1, que n'io cedo em bom •.•oslo a outro paiz, nilo duvidamos quo seja reconbecido o seu merecimcnlo. Recomenda-se a manteiga sem salas pessoasque gostSo de passiibem : ha' toda a certeza de quedepois quo a tiverem provado n.i 1 quererSo mais saber de manteigas salgadas para seus a I mocos e para seus chas Acha-se a manteiga fresca sem sal por preso mdico no botequim francoz da rua nova, o na venda de Fontes, & Irm.lo : rua da Cadia do Recife. — Vendem-so 7 saccas de milho, a 2,000 rs ,cada uma, c tambem aluga-so no mesmo segundo andar, urna sala o urna alcova, S ido pintado do novo, e por preso eoinmo0 : em Fra de Portas, confronte o hospital de marinha n. 145. — Na loja de calfado, liavessa do Corpo Sanio n. 29, lem um grande sorlimentode calcados de to las, as qualididcs, tanto para Sr". como para homens, meninoi e nioninas assim romo na mesma so vendo lodos mmente de Inglaterra, proprios para a festa, por serem mui frescos e leves, e fabricante novo, e outros muitos objeclos proprios para o tempo. Fazendas para senhora, por barato preco. Cambraias de salpicos brancos e de cor, a 4,500 rs. com 8 l|2 varas, e 640 rs. a vara ; ditas francezas de bom gosto, a 560 rs, a vara ; dilis co.n listras de cor a 3,000 rs., s po;a com 8 varas ; cassa preta a 100 rs. o covado ; cortes de cassas pintadas.a 2,000 ¡ cortes do chita com 12 cova los, a 1,920 o dar, vende-se um molecote de bonita ligu1,800 rs. ; lencos de finissima cambraia dni ra, e um dito crioulo do 22 annos, ptimo lindo, a 480. 560e640; ditos de cambraia canoeiro ; eum ptimo pardo do eleganto de algodao com bico, a 410 rs. ; /liarles dej "gura, o um preto de boa ligur.i, lambem cor minio encorpados, a 200 rs. ; dilo {bom canoeiro, tres protts do meia ideJo, azuesr im 4 l|2 varas, a 200 rs. ; o sJgodSo m molstinlia de 14 annos. [rao1 1 1 com listras, a 180 rs. : til ruado—Vende-se um soilim em pouco uso e Crespo n. 6. i mullo emeonta : no atmazem da rua Nova speillO (le Dil rede ¡ "'"vende-so couro ,U porco para forro ltl os pertcnces para os ditos, tudo avontade [com ricas moldurus : ven tcm-sc no armai selins, muito grande o alvo por proso comdos coriij radiara, ror commodos presos. ¡zem de Kllimanulim.los, rua til Cruz n. 10 I modo na prasa da Independencia n. 35. sua afamada casa do saude na Camboa, pe. turem o escravo Manoel, perteocente a Solo 111ni. Sr. Dr. Saturnino de Oliveire, mebastillo Marques do Nascimentc-, fgido destlico do exercito o por varios outros nedide o dia s do mez de aetembro. Foi eos, permiliem hoje de proclamar altamente elle escravo do Sr. Gabriel Alfonso Rigueira, i quem foi comprado ultimamente : leiu 28 annos de idade pouco mais ou menos, cor fula, com falta de dous dentes na frente, e de cabellos do lado esquerdo da cabera, que se torna bem visivel por parecer uma cora, tem olhos pequeos, beifos grossos, sem barba, baixo, corpo regular, he ofUcial de funileiro. Trajava jaqueta de viseado azul, calca branca, camisa de madapolo, e levou uma trouxa, contendo calcas e jaqueles : quem o apprehonder elevar rua di Aurora n. 62, receber-a gratiflcasSo promettida. Suspeita-se que fosse sedozido, e por isso desde j protesta-se contra quem o conservar em seu poder. — Desappareceu ni tardo do dia 13 do pssssdo um escravo por nome Joaquim tem os signaes aeguintes: boa estatura, reprsenla ter 35 annos de idade, falla desembarasada, ps grandes, lem todos os denles da frente, nariz chato, quando anda estala as juntas dos joelhos, levou camisa de algodaosinho brinco, cslfa do dito azul, este escravo foi do malo: quem o pegar leve-o a typograpbii imparcial a fallar com a viuva Roma que ser recompensado. — Desappareceu no dia domingo, 12 do passado, um preto que representa ter 451 50 annos de idade, de nafo cafange, baixo, cheio do corpo, sem defeito algum no corpo, levou vestido, calsa de cssemira azul clan de quadrose j velha, colete de setim preto velho, jaqueta de tirina pardo, camisa de madapolo, chapeo de seda prelo ; presume-so que anda pelos arrebaldes desta cidade, pois apezardeser do serto nfiosejulga que tenha voltado : roga-se portento as autoridades policiaes e cipitSes de campo, s captura do mesmo, levando-o a rua do Vigario n. II, terceiro andar, que se recompensar. -Desappareceu na noile de 30 do mez lindo, de bordo do brigue Feliz Uniio, um esenvo mirinheiro, de nome Joaquim, de naS'lo Mozambique, de idade do 30 e tantos anuos, baixo, grosso do corpo, cor fula e sem barba, levou vestido calsa e camisa do riscado: quem o pegar, leve-o a bordo do dito brigue, ou a casa de Amorim Irmflos, na rua ai Cadeia n 39, que ser bem recom< pensado. — Desappareceu da U brice de cildeireiro da ruado Brum n. 98, nodia 17 do passado mezde novembro o preto Antonio, de naS¡lo cabinda, que representa ter 45 annos de idade, altura regular, cheio do corpo, cara abocetada, muilo cabelludo nos peilos e com bastantes cabellos brancos na cabes*, e um pouco carrancudo; he olllcial decaldeirairo, foi encontrado as Cinco Penlas, e seguio o camlnho dos Afogados, e no natural que seguase mais adianto por ter levado toda a roupa quo tinha, o por j ter sido pegado do ontra vez ni frcguczia da lascada : roga-se portento, a quem o pegar de leva-lo ua dita fabrica acuna, que ser recompensado. as virtudes elllca^es da SALSA PARRILHA DE Noli. —Cada garrafa conten duas libras de liquido, c a salsa parrilha do Uristol he garantida, puramente vegetal sem mercurio, iodo, potassium. Vende-se a 5/000 rs. o vidro na botica do Sr. Jos Maria Consarvos Ramos : rua dos Quarlois pegada ao quarlol de polica.