Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07276


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XXVII
.Segunda- feira 1
DIARIO DE
de Dez^ui'ira de 1851.
N. 272,
' MEO O A SUBCUIPgiO.
PlONTO ADUHTAD*.
Par trimestre...........
por iemestre : *" ........
Por anuo ........*""
PtGO BBirf iO OurUBESTU.
Po, *V*,<fi
P,1t4 .... ib deNovbr. Mlnaa... iSdeetbr.
4/009
8/000
1!>>i>'0
4/SOO
Maranbo lOdedlto
Castra... S*de "?,
Parahlba. 92rf Nobr.
S. Paulo. '' de dlio.
R. del., 1 de Novbn
Baha... 17 de dilo
DA DA EMANA.
1 Seg. S. Kl'iv b. I
2 Tcr9. S. Adrro e P.
3 Oulrt. S. Prrnclsco
Xrierap. dai Indias
t Quii S. Osmundo.
( frlt S.Geraldo are
8 Sib. S. Nicolao b.
as. Leonissa e Datira
7 Moni.'2.u do drenlo
S. Anibrotio.
AUDIENCIAS.
Julio de Orfkioi
Z. e5.il 10 hora.
1. vara do civtl,
3, c6. ao meio-dia.
Faienda.
[3. e 6. > 10 hora*.
2. vara do eivtl.
I. e sbados o meio-d.
Relaeo.
Tercas e sibtdos.
IPBMiaClDEI. PARTIDAS DOl OOBBIIOI.
**
Creicenle i 30, as I horas e .Vi minutos da mJpoianna e Parahiba, as segundas e sextai-
Chela a 8, a I hora e 8 minutos da t.
; feiras
Mingoante l.">, as 3 horas e B minutos dam. JMo-Crande-do-Norte, todas as quintaa-fcirai
Nova 22, a 1 hora e 14 minutos da tarde.
PHEAMAH BI HOJI
Primeira s 11 horas (ti minutos da tarde.
Segunda s 12 horas e fi minutos da manhac.
aomeio da.
fiaranhunse Bonito, i 8 i23
Boa-Vista, c Flores, a 13 e 28.
Victoria, s quintas-feiras.
Olinda, todos os das.
NOTICIAS ISTANOnnAf.
Portugal.
Ilrspanha.
Franca ...
Blgica ...
llalla.. ..
Ali tu..ni a.
Prussia ...
Dinamarca
Ruada...
Turqua.
i-I de Onlb
8 de dilo
8 de diln
i de dilo
3dr Outbr
5 de dito
3 de dllq,
3 de dli
1 de dilo
2 de Setbr
.Austria.. 3de Outbr
[Suissa. .. 3 de dito.
iSuroia... I de dito
Inglaterra !) de Outbr.
F..-Unido, 24 de Setbr.
Mxico... 1ft de dilo,
California 10 de Agosto
Chlll. 26 de Abril.
"uenos-A. 2 e Cetb.
Montevideo 6 de dito.
CAMBIO! DE 29 DE NOVEMBBO.
Sobre Londres, a 28 3;l e 29 d. p. 1*080 Firme
* Pars, 333 por fr.
Lisboa, sem traniaccen
METAEaV
Ouro.Oncashespanholaa.... a
Moedas de 6/100 tena 16/000 a
. de ftMoO novaJ. 16/1)00 a
> de-i/OeO....... 9/000 a
Prata.Patacdes brasllelros.. l/90 a
Pesos columnarfof... 1/990 a
Ditos mexicanos..... 1/7*0 a
lsaarmssSKvwBMiBBr7*''W i~*i
PARTE OFFICIAL
"GVEftH DA I'ROVIHCIA.
EXPEDIENTE DO DA 90 DE NOVEMRHO DE
(851
Ofllcio.A Ihaiouraria de fizn li envian-
do orequerimanO e pp*i da,divida,.ii<-
que pene pagamento o tenento-da quarta
clssso Jos Cyriaco'-Ferreira, a(lm de que,
estando boa termos legae*, os man le pro-
cesaar para aer ODellcinaiio pago da im-
prtamela da mes.na divida quaodo houver
quota para semelhante deapeza.
Dilo.--Ao juiz municipal da primera va-
ra desta cidado remllenlo copia do oflicio pando que chesjua a eeTacipita
dochefo de polios da WdosiT>rni ssirn do documento i que elle se reftre,
relativo aos presos Francisco Poreira de
Goes, Deolato Perrelra Lima, i.uiz Fran-
cisco Xavier, Caetsno Mauricio de S. Jos e
Francisco Antonio Marques da Silva.
Dito.Ao commai: lanto do corpo de po-
lica dizendo licar inteirado de baver-o il-
feres do corpo soh seu mando JoSo Germa-
node Paula, interrompendo em Garuar a
marcha em que hia para a villa doOuricury,
dado parte de doenle, o apresentado-so
nesla cidade no da 18 do corronti sem ter
ordem para isso, pelo que Sm. o mandn
recolher ao estado maior, e declarando que
so essa intermpcfio fui commeldjda por dolo
im urlilicio duvo o ilito ollicnl ser respon-
sabilizado por cemelhsnte proeedimento.
DEM DO DA 91.
Cilicio.-Ao commando das armas trans-
Rodriguec'6,,Aliieida a de niss.'lo quep'
do lugsr do juiz municipal e d'orphflos
dio para que no dia 9 da Cezemhro, anniversar- juloahestos.
do lugar, do jiflz munioipal e d'orphflos rio rjo do natalicio de 8. M. o I,, a tropa de Appellante, o juizo; appellado, Jofio Pf reir
termo da Goianna.-- Neste sentido ficen m- primeira linha em guarnir;5o nesta provin- : de Araujo.iulgaram prooedento a ap-
seaaoutrns communicac0s. ni, reunida a primeira n segunda legiOesl pHIacfio.
Dito-- A pagadoria militar dizendo que da guarda nacional deste municipio, se apellante, Calisto Jos da Rocha ; appel-
pode mar.Ir apromptar nosta cidade rea formo em parada A hora do cortme, sob | lado, o juizo.NSo lomaram conheci-
quanlia de 30,000 rs., conforme propOe em a difecQo do odicial a quem competir o
seu oMIcio de 20 do eorrento, aa rodas para respectivo commando, devendo eommuni-
a casa de farinha do presidio do Fernando, car aocommandante superior da referida
providenciando ao mesmo tempo a cerca do guarda nacional asrdeos que houver do
embarque dos gneros destinados ao mes- expedir para esse lm, e prevenindo-o da
mo presidio, de modo que o patacho Pira- que a guarnieo da praca ser feta nos das
pama a parta para all no da 99 deste I o > do citado mez pelo batalhSn do Poco-
mez. pa-Panela e pelo primeiro da legiflo de Ola-
Dilo.--A mesn inteirsnio de liaver o da, para o que Qcam ja expedidas as conve-
marechal commnii lano das armitaMpbii nientas ordena.-Neste sentido deram-so ]
itaL4aBHUo ncceasan.is ordena.
..aquim siaunc wanoenoy, que agan- DitoAo mesmo, inteirando-o de.hiver
do consta de aviso da reparlicilo da guerra ozm. !prcsident>r do UaranhTo communi-
de5 de setombro prximo pnssado, vem ex-\ado que empregra o lenlo do quarto
orceroseu ministerio em urna das fortale- balalhao deartilhariaa p, Jos Nunes Mar-
zas desta provincia, bom romo quo o man- ques, que alli foi com licenes, na instruc-
dra servir na fortaleza do Rrum.-- ltspon- lo do conlingeDte da mesma arma em
deu-soao mesmo marocha!. guarnicSo n'aquella provincia, bem como
Dito.-- A mesma remetlondo as follias da que paasava a solicitar do goveino a neces-
despeza feit.i com o transporte da hagagim saria antorisajlo para que o referido olli-
dos olllciaesdo 9o'batalham do infnlaiii cial continua em semelhante serviro por
por occasi0<) de sus marcha para delibren-algum lempo. Respondeu-se ao mosmo
les pontos da provincia, Dm deque man- Exm. Sr. presidente.
de pagar a sua importarcia, estando as re- j Dito -Ao desembargador c'.iefe de polica,
faridas folhas nos termos iegses. Inieirou- para que exija du subdologado da Boa-Vista
se ao contman lo das armas. | urna declarado da idade, natnralidade, es-
Dito.-- A i r.ipit.lo do porto transmillin- lado e IMiacBo ca crioula Francisca Xavier,
do, por copa, o aviso da reparlico doma- quo, segundo communicou o mesmo sub-
rinba do99 de outubro ultimo, pelo qualse delegado, sjicilou-se no dii 19 do corren-
determina, que o dique da llha do Noguei- te; e bem assim un i copia do auto do
" raseja feito do pedras sola* por ter a expe- corpo de delicio, do qual deve constar o
miltiodo por copia o aviso do mim-teno da r:,.nrl, m,;S|r., |.> |i0in-:i solid''/. de-si obra, juizo dos mdicos sobre o presumido su-
guer'a de 7 do correle, pelo qual se de- so l'or construids de madoira.Uuaes o* cldio.
termina que siga para a corle quanto antes pias foram rcinettilas ao enyenh-:iro direc-| DitoAo mesmo, int^rando-o de haver
o primeiro cirurgio do corpo do siudo do lor jag ourss publicas, e ao contador de .oflo s ordnalo ao director doarsensl de.
exercito Pedro do Atbayde Lobo Mosco so marinha. guerra o fornecimento dos objectos requi-
rassaodo se-lhe a licenca com queaeama.j Dito.-- A thesouraria da fizonda provin-'sitados pela delegado do primeiro distrioto
-- Kpmettoram-se iguaes a png-uloria mili- cj,| par, que n0J termos de sua informa- deste termo para a casa da guarda do Min-
iar o rthesouraria do faznnda. rdo, e vista do cerlilicado pastado pelo'guinho, devendo ser a despeza paga pela IguintesappellacOs em quesllo:
Dto,'--Ao mesmo recoromenilan lo a ex- engenheiro director das ob'as publicas, i thesouraria da fazenda provincial, mas tam- Appellante, Jos An IrPereira de Albuquer-
prdicSo de s.uis ordens para que os corpos mande pagar a I). Mana Gomes do Amparo ; bem ofliciado, a respeito dusconcerlos de j que appellado, Julio F'erreira do Prado.
emguar.nrcSo nesta provincia reunind i-so aquanliadc 400,000 rs. por inJemnisa^ilo ,que carecer mesma casa, cmara fnu- Appellante, Manuel Alves Guerra; a;ipella-
no dia.f0"rjo.coriente aos balalhO s de n. I do damno quo soll'reu com a possagem do urinal dn Olinda, cajo patrimonio per-
a 6 e aoesquadiao do cavallaria do guarda a1 lauco di estrada ilo norte em sua pro- lenco.OlUciou-se neste sentido ao referi-
nacional desle municipio,acompanhem di- priedade.Communicou-S3 ao referido en- do director, mencionada cmara, ecom-
rigidospel ollicial a quem competir o ros- genheiro. municou-se a pagadori-
pectivocommando, a prociasSo de Corpus Dito.-- Ao acento dacompanhia das bar-lraria provincial.
. __.,_.,j_i r\iiA__i'iku.
".nenio por estar fra do tempo.
Appellanles, Antonio Fabio do Mendonca
es.a mu I he, ; appe||adis, EstevtJo Jos
Paes Rarrelo e sua mulher.-Receberam
. us embargos e annollaram o processo.
niLIOBNCIAS.
Appellante, a fazeoda ; appellado, Manool
Antonio Rodrigues Machado.-Mandaram
averbar a disiraa.
Appellante, o cnsul frunce? interino; *p-
pollado, Diogo Bapti'ta Fernandos.Man-
daraiu ouvir o curador geral.
MMOaioOlf.
Appellante, o juizo ; appellado,Candido Fer-
ra de Oliveira,
Appellante, Filippe Santiago Vieira da Cu-
nda ; appellado, Thomaz I ins Caldas.
Appellanle, Antonio dos Santos Sirjueira
Cavaicanli; appellado, Kstevo Jos l'aes
Barreto.
ivhObs.
Passaram do Sr. dsembargndor Villares
ao Sr. de.embarcador Bastos as seguinles
appellacOes em que silo :
Appellante, o juizo; appellados, Joo Da-
niel Wolphopp.il Ccnpanhis.
Passaram do Sr..desembargador Souza ao
Sr. desemhargadotyRebelloaa seguimos np-
Pplla^Oes em que silo :
Appellante, o juizo ; appellsdo, Florencio
Martina Valga,
Passaram do Sr. dsembargad"or Itebello
no Sr. desembtrgador l.una Freir as ae-
guinlos nppcll-ues em, que silo :
Appellante, Innocenciol Jos da Costa ; ap-
pellado, Ignacio Alves Feitosa.
Passaram do Sr. dosombargador Luna
Freiro ao Sr. ilesnob r;i l.ir Telles as se
dos, Jos Nicolao lligueira Costa c sua
mulber.
Ao Sr. desemhargador Poreira Montoiro
militar, e tbeou- as sesuintesappellae5eson*,quo sSo:
Appellante, Francisca Antonio da Cima;
ChrMi, que defer ler lugar nesse dia, in- cas de vapor dizendo que, niio so podendo' BfToA' thesouraria do fazenda, autori- appellada, Maris da Paz.
dicando aquella* commando ao commando coicluir al amanha os trabalhos que pela sando-a, sob a respnnsahili la Je da presi-! Passaram do Sr. desembtrgador Telles ao
superior da referida guarda nacional a hora, thesouraria de fazenda tem de ser remetti- denria, e de conformiJade com a sua in- Sr. desembargadur Pereira Monleiro as se-
o ponto que destinar para a dita reunio ; o ios ao thesouro nacional, como a caba de formarjo, a mandar abonar mais pagado- guintesappellstOisem quo silo.:
prevenindo-o de hmyer ofliciado ao mencio- participar o rospectivo inspector, n3o pode ra militar dezeseis contos doris, que o Appellanles, os indios de /Tronches; ap,
nado commandante superior e aola guar- o vapur < Paraeuse .seguir para os porlos respectivo inspector requisita para conti-( pallados, os bordeiros fle Jo8o da Coat
da nacional doa municipios de Olinda e do sul se n5o depois d'amanhSa 2* do cor- nuacSo do pagamento neste mez das des- Abano.
Ijuarass paramandsrem apresentar na pa-'r(mteasquatro horas da tarde. Commu- pezas, quo correm pelaa tres verbas men- Appellante, Manool Camillo Pires ; appella-
rada do costumea forra que for necessaria njcou-se a thesouraria da fazenda. Clonadas no pedido quo devolve. 1 'dos Jos Pires Vianna e sua mulher.
parafazer a guarnirlo da pnca no roferido Porfina.-- Ao mes no para mandar dar DiloA' pagadoria militar, remeltondo Appellanles, Diogo Cokschol & Companhia;
dia.--Olllciou-se noste sentido aos supradi- pastagein tora a Bjhia por coula do gover- a coma em duplicat das despezas feilas ampollado, l). Cicilia Cnlliariu do Monlc
toscomMaodaoletveoAwrrores. no a Thorn da Costa e Domingos Nicolao, cm o cnlerrimento dos eadavores de 11 'STnay.
Dito.Ao meamo remetiendo copia do quoliveram baixa doservic do oxercito. P'cas do dcimo hatalhfio do infantarii, AoSr. desemhargador Villares as seguin-
aviso do ministerio* da guerra de 31 deou- Ditu.-- Nomeando prufessoies das cadei- que falleceram de 21 de agosto al'90de tos appellacOes em quo silo:
lubro ultimodo qual consta que, por de- rdS ,l0 jnstruCcao elementar do piimeiro outubro deste anno, alim deque, estn lo Appellante, Manoel Alves Guerra; appellado,
creto de 99 do meamd'moz foram promov- Kr0 d,s povoscOes do Joaseiro, Jugareira e aditaconla nos termos lgaos, mando pa-1 Gaspar de Mouozes Vasconcellos do Uni-
dos oa tenantes coronis graduados Inno- Sorra Talhida, a l.uiz Ciraco da Silva, Mar- gar a sua importancia (33/uoo ris j.-Coai- mond.
cencio Eustaquio Farreira d'Araujo e lly- coiin0 Antonio Xavier e Joaquim Thoodoro municou-so ao commando dis armas. Passaram do Sr. desemhargador Valle ao
gino Jos Coelhoa lenles coronis com- :gerpa quo obtiveraro proferencia no con
mandantes, este do quarto bftalhilo de ar- Jcurso que se procoJeu, do conformidade
tilhariaa p o aquello do tercjlro d mes-'coin 0 regu|dmento do 19 do maiod slo an-
ma arma. Igoses copias foram remolidas
thesouraria de fazenda e a pagadoria mili-
lar.
DitoAo mesmo para mandar por em
liberdadeo recruta Pedro Jos dos Montos
lor ter apres litado isenelo legal.--Commu-
nicou-seio desembargador chefe de poli-
ca para fazor constar a autoridade que o
capturou.
DitaAo mesmo para que em enmpri-
monto ao aviso, que remetle por copia, do
ministerio da guerra de 29 do outubro ul-
timo, dntie a secreleria da presidencia urna
relaciona pracas de pret qui estiverom
presas por motivos ue deserr^So, e que por
alta do consolho de disciplina n3o tom si-
do proeessadas.
Dilo.Ao mesmo remetiendo por copia o
aviso do ministerio da guerra de 29 deoulu-
hro ultimo, mandando proesder contra os
militares pertenconlos aos corpos do exer-
cito, quo tivorcm acceitado, ou para o fu-
turo aceitarem som previa permiisSo d'a-
quelle ministerio empregos ou commissues
alheias aos meamos corpos.
Dito.A thesouraria de faienda recom-
Dandando a expe JicSo de suas ordens para
que o inspector interino da ilfandega desta
cidade nos termos doait. 1.* \ 3 do regu-
no.~ Nesle sentido flzeram-se as necessa-
rias communica'.os.
DEM DO DA 2*.
i lili i i. Ao '- in o ui.lo das armas, dizeudo
que com a copia que remelle, do olliclo do ins-
pector da thesouraria da faienda responde ao
d'aquelle commando de 19 de setembro ultimo.
Copia que te refere o nffirio icitna
IIIni. e Em, Sr. Informando a V. Ele. que
o processo da quantia de I 196/ rs. que c deve
de ejercicios findoj caixa do qUarlo batalho
de ai lilliina a p, de que traa o commandante
dis armas no ortelo incluso, foi reiuetlido por
esta thesouraria ao ministerio da guerra em 17
deseteinpro ultimo, para proceder a ullima II-
quidacao e determinar o pagamento ; julgo ter
cuinprido o despacho de V. Kxc. em ditoofli-
cio exarado.
Dos guarde a V. Exc. Thesouraria de faien-
da de Pernambuco, 22 de novembro de 1851.
i 'bu e Eini. Sr. Vctor de Oliveira, presidente
da provincia. O iuspector, JooV Gowalves da
JJl'/t r.
Dito. Ao mesmo. para mandar receber a
bordo do vapor l'arttenee c recolher ao hospi-
tal icgimioii.il, uno de ser convenientemente
tratada, urna praca que se acha doente no re-
ferido vapor e em estado de alienacao. Coin-
munlcou-se ao agente da coinpanlMa das bar-
cas de vapor.
Dito. Ao mesmo, Intelrandoodebaver ex-
,-' ', .io "^.^iT. pedido as convenientes ordens ao agen(e da
lamento de 28 de agosto de 1819, consinta 'panbla das barcas de vapor no seu'.ldo ,lc
uo despacho, nonio de direi'os, a 100 liar- ;andar dar passag
ricas de cimonto.e 50 pecas de lona da Rus-
sia, que o Qspeclor do arsenal de marinha
mandou vir de llaniburgo -para o mesmo ar-
senal.Inteiro-se ao inspector do-referido
arsenal.
Dito Ao commandante do Presidio de
Fernando para que na primeira opportuoi-
dade faca seguir para esta capital a Jisposi-
codo rnareehal commandante das arnrs
ossoldados Izidoro vieirl Lopes, Jlo de
Daos da Cruz, Joaquim Barbota e Jos Fo-
lippt doNascimcnlo, os quaes f irm perdoa-
dosporfor<;a do decreto de 16 de junho
deste anno.Communienu-M! ao juiz mu-
nicipsl da prnoia vara.
Dito.Ao agente da companhia das barcas
de vapor-ItUeiraudn-o de haver, em vista do
que Sm. partteipou, expedido ordem o di-
rector doaraenaI do guerra > ara mandarhoje
antes do malo dia para bordo do vapor S.
Salvador es quatro caixoes, contando objec-
toadestinados para oMaranlio.- Ollii: u.i-s".
II'KM DO DIA 29.
icio." Ao commando das armas ;ara
que forme do modo a poder a presidencia
cumprir'o disposto no aviso da repartir;,1o
da guerra constante da copia, que remelle,
qusl acompanha o requcrimenle, em que
o lente coronel Francisco GalvSo de Bar-
ros Franca pede a entrega de seu osera vo
com praca no eoicilo oom o.nome de Pedro
Hoza da Silva.
Dilo. Ao mesmo dizendo que par poder
cumprir o aviso-da' reparlico da guerra
constante da copii qu* remelle, faz-ae ne-
cessario que infortie a cerca do requerimen-
to que lambem remetle em quo Miguel Joa-
quim de litro Maicarcnhas pede ser no-
meado 9* cirurgio do corpo de saude do ex-
ercito, fazendo juntar ao mesmo requeri-
mento o diploma do peticionario do doutor M as pra'cas'de pret que ibe forem*remelildas
passagem para a corte ao primeiro
cirurgiodo corpodeiaude doexercilo, doutor
Pedro de Alhahyde Lobo Moscoao, c bem assim
a pagadoria militar para lbe passar a comp-
leme guia. Reste sentido expNiram-se aa
convenientes ordens.
Dito. o mesmo, communicando, para
que expeca suas ordens ao coininandautc da
frlalesa do uno, que nesta dala aulorlsa ao
commandante do presidio de Fernando a re-
moller para esta capital, afnn de ser conserva-
do na dita fortaleza, o preso poltico Leandro
Cezar Paes brrelo, OIHciou-se neste senti-
do ao cumulando do mesiiiu presidio, e inlei-
rou-sc ao juiz municipal da primeira vara.
Dito. A pagadoria militar, para que de
conformidade com a sua iufurinafo, mande
adianlar ao primeiro lente do catado maior
da segunda classe do exercilo, benedicto Jorge
de Faiia tres mezesde sold para Ihc sern des-
contados pela quinta parte na forma da le n.
,n i de lo de ouiuro de >btS. Comuiunlcou-
se ao commando das armas.
Dito. Ao director do arsenal de guerra, in-
leirando-o de haver Iqdeferldo o requerimenio
em que o cscrivo do alinoxarifado d'aquelle 1^
arsenal. Thomaz Amonio Maciel .Monleiro. pe-
dia qu
gozo da licenca que oblivera do goveroo im-
perM, visto j ter principiado dilo escrlvao i
fruir a mesma licenca, como S. me. declara em
sua ioformacao respeito.
Dilo. A cmara municipal de Sanio Anlo,
approvando a arremaUco das rendas d'aquel-
la cmara, que se ellectuou por mu anno e pe-
la quantia de 3:j04/trssendo o imposto sobre
os sepos dos acougues por 1:2011/ rs. o do gado
vaceum e anmaes suino e ovelhum por 1:410/
rs.,asaferl5desde peso e medidas por 3021ra.,
as liccncas para mscales e boceteiras 750/0iio
rs., os impostos daa medidas do mercado por
2*1/ rs. e o das bataneas do assucarpor 100/000
nos.
Parlarla. Ao agente da companhia dai bar-
cas de vapor, para mandar dar passagem para
corte por.contado governo no vapor Parten-
D:toA' mesma, devolvendo as tres con- Sr. desembargador Villares as seguintes
tas, na importancia du 182/150 ris, das appellacOes em quosSo:
despzis follas com a prensa e rodi, quo Appollaote, o juizo; appollailo, Ignacio Cor-
s mandaran! apromptar para o presidio de i reiaTila Mello
Fernando, fim de que as mande pagar, Appellanle, o juizo ; appellados, Manoel Pi-
sendo 136/000 ris a Primo Feliciano da | res Ferreira e oulro.
Costa, 30/000 ris a Antonio Joaquim de Appellanles, Francisco Poreira Pinto Caval-
Olivcira, e 16/150 ris a Vslentim da Silva
&C.
DiloA' thesouraria da fazenda provin-
ranli e oulro; appellada, a fazonda na-
cional.
Ao Sr. desombargador Itebello as seguin-
cia, autorisando-a a maddar pagar ao anc- tes appellacOes em que sao :
matante da obra da ponte dos Arrumbados, Appollanlo, o juizo de ausentes; appellado,
Jos Alfonso do Rogo Barros, de conforoii- Jos Goncalves do Passo.
dale cot a inioi uiac.ao do ollicial-maior Passaram do Sr. desombargador Sojzi ao
d'nquella thasouraria, a quantia do ris Sr. desembargador Robello as seguimos ap-
1:066/193, em que importa a primeira pres- pellacOas em que so :
taco do seti contrato.- loteirou-se ao en- Appollante, Juaquim Forreira ; appellado,
genheiro director dai obras publicas. Jeronymo Joaquim Ferreira de Oliveira
Dito Ao engenheirqpencarregado das obras Appellante Vicente Kiza di Costa; ap-
militares, reinellendo um oflicio do mare- pellado, Manoel do Souza Pereira.
chai commandante das armas, aco.npanha- Ap;ellante>, o Exm. bariio d Suassuna c
do dos papis, a que elle se refero, Rui su, mulher; appellados, Antonio Pires
de que.'procedendo aos neoessarioi oxa- Ferreira e outros.
me, organise e envi prrsidencia com os Appellaites, Francisco de Assis de Oliveira
ditos papis o ofllciu o orijameiilo para a Maciel o outros; appellada, Florihda Ma-
ediflcaclo do barraciio do quo trata o refe- ra do Sanl'Anna.
rido marechal, propondo a.) mesmo timpo Appellaotes, Joo Baptista Pereira Lobo de
tu loo que convier osse respito. | Gusmao eoutro; appellado, Manoel Clau-
DitoAo director das obras putlicas, inleirando-o de haver, em vista de sua in- oistriboicObs.
formacSo, concedido a prorogarjjo de tres a0 r. desembargador Souta os seguintes
mezes que requoreo Jos Alfonso do Reg recursos em que s3o :
Barros para entrega da obra da ponte dos Recrranlo, o juizo ; recoriido, Tiajano Bap-
Ariombados de que he arremalanto, tista de Oliveira.
Communicou-se thesouraria da fazenda Appellante, o juizo; appellado, o ifricino
provincial. i Miguel.
Ditoao mes no, declarando, que, vis- ao Sr. desembargador Luna Freitc as so-
ta de sua informacUo, concedeo ao arrema- guintes appellacOes em que sSo :
tanto do decimo-terceiro Ijngo da estrada Appellante, Hermenegildo Eduardo Reg;
do Po d'Alho, Antonio Francisco Paes do
Mello Brrelo, quatro mezes de prorogaco
do prazo para concluso da refer la obra.
loleir ui-so a thesouraria da fazenda pro-
vincial.
ilo-A'cmara muiicipal do Reclfe, di-
zendo quo vista da infonnac melle pur copia, da thesouraria da fazenda,
niio lu possivel por ora ter lugar o impos
appellado, Aaloniu Jos Alves deAmo-
riui.
Ao Sr. desembarga lor Telles as seguintes
appellacOes em que slio :
Appellante, Manoel Rodrigues da Costa;
appellado, George Keuworlh & Compa-
nhia.
Ao Sr. desembargador. Pereira Monleiro
as seguintes appollacOes' em quesSo :
timodeorize contos de ris que a mesrn Appellante, Maria da Penha de Franca. ; l>-
camara s ilicitou para a concluso da capel- pellada, Joanna Abreu Franca.
la do ceroitorio publico. Ao Sr. desombargador Valle as seguintes
Dito-A camira municipal do Ouncury, appellacOes em quo so :
exigiiiuu urna informacao circumstancisda Appellante, o juizo; appellado, Antonio Al-
sobro as vantagens que podem resultar da ves da Silva Oliveifa
compra de um aSude com agua sufflcienle Appellanlo, o juio de ausente; appellado,
pira abastecer a dita villa, pertencinte ao joauim Frneineo da Alm
rTho^Anron,rMr,.rM^,rorp>!fe ^roi ^\ X^^AT^*-
e.elheconcedease nao entrar agora no mesmo delegado olTorecido o governo para ies,ppellacOes em que silo :
aer franqueado ao uso publico medanle a Appellante, Jos Goncalves Torres; appella-
devidi indemnisaco, e bem assim acerca ; ua, Marii da Aasumpc-lo da Silva Molla.
, 11 k tirano. .1111. rmr i.l .. aa nAIn --sn-.,..l '. ._ .* .... ____(_
em medicinar
Dilo.-- A thesouraria de fazenda commu-
nicindo quo, por decreto de 98 de outubro
ulhm regundo constou d" parlicipacio da
lepsrticflo da juitiCA de 13 do eorrente, foi
concedida ao baohirel Francisco de Paula
pelo commando das armas competentemente
relacionadas. Coinmunlcou-se ao mesmo
commando.
DEM DO DIA 95.
OflicioAo exmanlo das armas, re-
commendando a expedicSo de suai ordeos
do preco que por elle ae pode nsoavel- Ap"p"e'li.nte" jsPsreirtde Castro ;"appVa-
mente aar, indicando ao mesmo lempo o do, ojuizo.
Ao'sr. dosembargador Bastos as soguin-
qu9 julgar mais convenieute para
mesma villa abastecida de agua.
Port.ri.-Ao director do arsenal de guer- Api 0||. "te a us
ra, para fornecer cmara municipal desta T,njri,,a dos Pt
tos appellacOes om quo (fio:
,ici ; appellada,
"xandrina do's Prazeres.
Roza Ale-
Levantou-sea sessilo a hora o meia
EXTERIOR.
cidade, mediante a competente indemnisa-
:3o, quatro ospadas e quatro centurOes
guaes ios de que usam os soldados do
corpo de policia. Colnmunicou-so a dil.
cmara e pagadoria militar.
TlWllNAL DA KSLACAO'.
SESSaO I)E 95 DE NOVEMORO DE 1851.
Presidencia do Exm Sr. conselhciro Asenta, syslema poltico no qual cabem jimias a li-
as 10 horas dia manhila, estando presente bordado e a ordem; o pnnerpio que conco-
ot Sr*. desembargadores Villares, Bastos, de o o principio que restringe ; a espaolo e
Souza, Helio,lo, Luna Freir, Pereira Muu- e a resialeiicia ;u espirito iunovador;,e o res-
loiro, Tellese Valle ; faltando com causa o peito s tradiccOei dos povos. Erramos que
.Sr. detembargador Lefio : o Sr. presidente creem que da democ acia pode sabir ama
declara aliena a sesJo. situaclo duradoura com as condiiOes de
um bom governo ; i|ludem-se os qfre cree a
quo se pode desaliar impunemente as ideas
da poclM, praodo-se no absolutismo. De-
baixo da democracia he ,int' iramonte im-
possivla orden, pra'Co"ndicIo das socie-
dades; debaixo do ab'afutisn.o niio so con-
cebo a liberdade, a qual lio urna neivs-i lado
dos tempos molernos A democracia exa-
gera um doa principios quo eotram na cons-
tiluiclio de um systema de governo Meltaval
cusa do oulro que lie nao menos necossa-
rio ; o absolutismo exagera o principio op-
posto cusa de todas as aspirasOes legi-
lim.ii, a costa das conquistas do ontend-
mento, A cusa dos nrogressos da humanida-
de. A democrici, ensaian lo novas vi.s do
progrosso pengosas e eseonhecidas, quer
escarnecer do dedo da l'rovi.loneta o qual
lem marcado s nacOos o seu deslino ; o ab-
solutismo rehola-so contra o deaenvolvi-
mento natural, e necesssrio da intelligencia
e contra todo o espirito innovador que he o
resultado dossa idea do perfectibilidad!-, es-
limulo dolles os descobriir.enlos, de todos
os ensalos philosophicos, agonte principal do
movimculo do mundo queda impulso ci-
vilis.ieio o busn a regenerarlo dos povos. O
absolutismo v-un a pcrsonilicar-se cm um
novo Josu que quer fazor parar o sul, niio
para ganhar urna batallia contra os inllois,
sendo pel prelencao orgulbosa de sobro-
rnr-se ao quo marcou o curso dos ast'Oi.
Nom domocraci, ncm pbiolulltmo. rep?-
time.-lo ; o lempo do segundo ja passou ; o
tempo da primeira einda nao chc^ou ; nem
sabemos se etiegar nunca : o que sabemos
he que no somos nos que vivemos agora
qucTavemosde ver a democ ana converti-
da em syslema practico do gouernd, purgar-
la de todos os seus inconvenientes, e [Aspi-
rando oonflanca aos grandes o permanentes
interesses da sociedado. E por que tal he
noassa conviccSo, e po-quo no concebe-
mos que haja quem nSn vjanosla queslfio
tilo claro como vomos, admira-nos que exis-
tan) paizes nos quaes se pretenda levantar o
absolutismo para contera torrente das ideas
reformadoras, corno admira-nos quo luja
paizes nos iiuars s pr- tonda aclimatar hoje
a democracia quo lio no continente euro'oo
urna planta cxolica. Niio henosss intonefio
fallar aqui dos segundos quo maii de umi
vez nos lem dado ssumpto para nossosar-
ligos ; queremos fallar das primeiras, a vis-
ta do quoseosta i > -1 ni lo ni Allemanha, o
que he om nosso enlen ler urna luva laucada
a ievoluefio, que olla pode recolher cm seu
da. Ninguem polo tachar-nos do pa-ciaes
ueste poni ; amigos da roprossiio, quanlo
a repressfio salva a socieda Je ; inimigos das
concessOes, quando as conceSOOS, O tal
nomo merecem, so arrrancadas a fjrr;i, po-
demos sem inconvcnieiito lamonlar que a
Austria, por escondo,a qual roncoleu quan-
do a rcvo(i:r;fi corra inumpliaule as ras
de Vi-nn a; que concedeu quan lo nl outros
eremos quo era ohogadl a oCOjiifio de resis-
tir; quo conceJeu para quo o impera lor
podesse recobrar sea poder pordiio, n sua
unt..ao abandonada, denegu boje, quo he
chegadi a hora do conceder ; denegu hje
que nada pnrd'; djnegue hoje para resistir
por um alar ;o imprudeute ue forca ao que
reclaman) j as necessidades da Europa Cie-
mos que he chegada a hura de conceder pur
du razs importantes que nBo deviam es-
capar a penetracflo do governo austraco.
Para que so as lindes da esponencia .' Quo
haveinos de tirar das trittulac-Oes senao cj-
selhoi utes pira s-guir ?
A primeira razto be, que u3o senlo j
possivel a ninguoai deler o curso das ideas,
sutn correr o risco dn que a lu rento airaste
loJos os objeclos, a hora de odmeltilas be
quando esta operario no signilicaa debili-
dado do poder quo cede, senao a forca do
poder que conlia ; niio a transacc,io hunii-
Ib iiit do podor com as massas, seufio a con-
cesso espontanea.quo so adianta s exigou-
cias e arranca benevolencia o gralidlln, Se
e ceJeu quando o governo so vio alacado,
porque se recusa hoje qu elle lio forte ? NSo
he isso dizer quo as concessOes de ante." fo-
ram inspiradas pelo me lo ? NSo he isso cou-
fossarquosco .....lo lomar a reproduzir-
se, as concessOes sereproluziram tambem ?
NSo he isso di zeraos povos que o nico rieio
do conseguir alguina causa he a insurri-
nos, porque nos inieressi a consolidacSo da
ordem. vomos com scntunenlo o imperador
da Austria posto no caminho da reaccSo,
quando menos isso se devia esperar, qu onalural.o lgico, o prudente no poltico
ora fazor elTeclivas as concessOes de antes,
para que so visso nellas boa le, para conven-
cer a opioiSo publica do que coma paz, e
seu movi nenio e sem catastrophes se con-
segue lambem alguma cousa, e que as con-
quistas assim feilas sSo mais seguras. Uso
sena u na ligio do Oioralidade, um estimu-
lo de ordem e sobre lulo umi prova do con-
lianca e de vordadeira forca da parte do po-
der.
Que o governo da Austria, roiistinlo re-
volucfio de 18*8 no livesso feito a conces-
aSo mais pequea, le-lo-hiamos comprohen-
dido, o te-lo-hiamos approvado: nuno he
peior occaaiSo do conceder do que quando
as exigencias levanlam tranqueiras; nogar
da Austria, e por amor do irironq o da ordem
desejamos que elle retroceda em seu cami-
nho o emprehenda o url'co no qual poda;en-
contrar a hamonia entre si e sena subdito,
a conciliacSu de todos os intoressos, o apoto
o a popularidade para resslir com ex lie a
revolucfio. Com o syslema ropresenlaljvo. ,
unica aspiricSo da grande maioria libera I
qun nSo est brigada com a ordem, a 'aevo-
lucSoseria impotente, por que senfio apoia-
ria no opinio publica ; derogada a cbnsli-
luicSo ISo extemporneamente, a revolucfio
e nSo encentra na opini.lo publica um au-
xiliar, nfio encontrar lam pouco um tosr
taculo.
_ Suppmihanvos porm qu a aildarjga) J
hlio de (8 nfio torna a repi odii/i'-in :
a crisodo anno que vem passa sem diflic
dado, quo a Europa segu tranquill que
OpiniSo publica.da.A uslria, e he rnjlilo eup-
por, cede as demonslracoes hortis qu sl
ensaiando por causa da carta autographa do
imperador; ser possivel, anda com tudo
isso, comprimir as ideas que se tem valo
desenvolvidas, conter aspiracOes que tem
sido satiafeilas, frustar esperancas cada Vez
mais legitimase faltar .sohretudoa proines-
sas solemnes ? Ser possivel ter minio tem-
po humilliada urna nacSo, collocando-a por
trazde todas as outras as quaes a civilisa-
c.lo ha feito facilmenlo suas conquistas .'
sor possivel cm fim miio de um mortal,
por forlo o poderosa que seja, fazer-ae su-
perior ao destino dos povos? E domis, que
prestigio quo forca moral, qus crdito al-
canzara um poder quo so empenhasso nesta
obra TE se por lim elle ha do ceder, e con-
lessir sua l'r q uv.a, porquo uo ceder autos
que a fraqueza so descubra, e quando o ce-
der siguiiica antecipar-so ao espirito publi-
co, vender um favor quo se paga com sym-
paibias o com pop ilaridade ? Ilojo que o
adiantarora em vez da transigir com a revo-
lUQSoe com a democracia, canter o desar-
mar urna o outra, hoje quo o conceder era
ser fute, apreseulava-sc a uccisto na Aus-
tria como em todas as nacOos quo se achain
em seu caso, de cunaolidar a monarchia re-
pnesentativa, para quem est reservaJ^ co-
mo leu,os dito, o purvir. Se o temor da de-
mocracia he o que tem influido no animo do
imperaMur da Austria, esse temor toa) uoces-
s inamenfo 41ro luzia o oll'oito contrario : se
lio a folenla le da p-uz quo so quer, minias
provas forneco a exporioiieii da que se essa
feleci ladd he possivel, relova procura-la no
systoma roaresentativo. A democracia, como
lomos dito, he a exageradlo da liberdado
al converlo-la em lieooca : o rgimen ab-
soluto, poni do paite todos os seus inco-
veuionles, alom de exagerar a ordcui cus-
a do progresso intellcciual, be j um ana-
cronismo inconcebivel, que no deva ter as-
seolo no povo que osla Iroptoda illustra-
da Allemanha.
.Heraldo.)
"' "
INTERIOR.
CORIIESI'ONnENClA DO DIARJO DE TER
HAMBCO.
ficni-a Sitlti tf vemhrn tic 1851.
Tendo-lhe escripto a 17 do coarente, de
enlfin para ca Uo pouca couta tem occorri-
do, que cu hoje s devia escrever-lhe para
dizer-lhe que no lia novidade; mas como
osle laconismo longo da convencer a seus
loitores do que na verdadenada ha de novo
nesta Ierra, pelo contrario po le ser attribui-
do estenlldade o mo Rosto do seu corres-
pondente, quero ao menos procurar evilaaj
que so forme de mim osse mo conceilo, e*
vou parafuzar o juizo a ver ae descubro al-
guma cousa que uoliciar-llie.
Morreu o A.iquarenw, peridica que ro-
presentava aqui o grupo equilebrijla, com-
posto dos dissidonles dos provincia. Ningueni sabe a causa de son
morto: no enlaalo taBho'em geral ouvido
attribui ha certeza, que chegou a calar no
animo do sena redactores de quo suas ideas
nao achavam proslitos, por quanto tendo o
seu primeiro redactor apparocido pela pri-
meira vez na scena jornalistica escreveodo
um peridico deiwmitiadEquelibrio
d'nnde o grupo quo o segu dorivou o nome;
peridico que depois pasou a chamar-se
Iris Cironse, o depois 'denominmdo-se im-
parciai, tomn llnalmente o nome do S1-
quarema depois que subi ao poder o minis-
terio de 99 do setembro, com o fim segundo
se diz de fazerdircar-se portodos que nesla
provincia su^tentsm esto minii?rto ; mas
assim nai ten lo acuntecnlfr)- porque o novo
Saquaremi pezar do nome, que adopten
nao pOleiugmeutar o numero de leus cre-
les, nem na provincia, nem fra dola, por
cujo motivo mais prudente Ihe pareceu dei-
xar a carreira jornalistica, recolhendo-seaos
bastidores sem dar a rasfio de seu desappa-
recimento. Como quer que seja o que be
corto be que ha quisi dous mezes que oSa-
quarom. nfio v a luz do dia.
Trabaihou ha pouco o jury desta cidide, o
disolvondu-so o mesmo antes de concluir o
julgamento de lodos os reos, creio que por
cao-a do ter adoecido da febre reinante o
respoclivo juiz de diroito l)r. Miguel Fernn-
des Vieira, eporsoachar na assembli pru-
, uncial 0 sen primeiro substituto o juiz mu -
hoje o que so concedeu antes ; frustar ago- nmot\ Dr. Ibiapini, foi maior o numero dos
-_:--------------------.- -1- u..l oce-
pondeu por tres processos, e senlo absolvi-
lo em dois, f >i no ultimo condemnado a um
anno de priifio por urna terrivel sova, que
havtadadoda propria mulher, servindo-se
para isso de um ficao, como elle meamo
coufessou, dizendo que lbe dra penas
uns pannos para seu ensino.
Adeua at outra vez.
ESTADO DA EUROPA.
O porrir da Europa pertence sem contra-
dicefio monirciui '
constitucional ; a esse
ra esperancas legiumis, quando nJo houve UbsolvWos, do quo dos condemnados. (
valor para resistir a pctifOcs rcvclaclcns- |Borouxaii,que neani bem couiieciuo,
rias; destruir urna obra que a lina] ter que
levantar-sc, dizomo-locom franqueza, so-
bro nSu fizcr popular o podor, he altamente
perigoso.
Eis aqui agora a segn la razio que temos
para n5o applaudir a carta autographa do
imperador da Austria pela qual licou sem of-
feito* a coustiluicfio. Ignorar-so-ha acaso
na Austria o que ple acontecer em 1859? e
se nfio s< ignora, crer-se-ha que o melhor
meindo prevenir-so contra os acontecmen-
tos que se preparan) he iniciar urna roaceo
que muguen) poda esperar ? Suppoohamos
que s luac.o do anno de 1818 se reproduz ;
que a revolucfio triumpbante na Franca atra-
vessa o llheno, penetra na Allomauha o fsz-
se senhora de Vienna. com quo recursos con-
taogoveino para resistir-lhe ? Com a for-
ca ? Afutca nBo Ihe bastou no auno de 48;
Com as concessOes? menos; porque nin-
guem vera nollas senSo um ardil para de-
sarmar os inimlgos, e escarnocor delles de-
PERNAMBUCQ
IIECIFE, 99 DE NOVEMBRODE 1851.
AS BlVOSAI DA T4BDE".
BETBOirKOTO SMiMAt,
Ainda nSo pasou a quadi dis procis-
sOes, e a do Corpo de Dos, que leve lugar
no domingo 93 docadento, esleve esplen-
dida e aumpluosa. Sem que seja ornada de
muitos andores, osla procissio tem a vir-
ILEGIVEL


conduzido o Corpo Sacramental do Senhor
Felizmente, deaia u, nada presenciemu-
conira o respailo e revorencia ik'vi las a es
ta urlica ediUcanto da religilo j e, ou O po-
vo i'ossa conlidu pela presenta das primei-
ras auioridadei da provincia, que eslivoram
prsenle*, ou embebido no aparato gere
n3ose lembrasse de alguma gentileza, (
certo he qoe, tuJo se passou eni boa or-
den, excepto o arranjamento c manobras
da guarda nacional, assim como as desear
gas, que, o recolher da prociasSo, deram
os balsllies, que a aoompanharam, e que
foram ludas chochas, ou de ps quebrado.*,
na forma doestylo soldadesco.
No dia 36 reuiriram-oe os as accionistas do
projeolado banco de Pernambuco pira ap-
provarem o projecto de estatutos merecido
pela respectiva commissSo, o que jlzeram
depois de alguma discussSo, mudianle a
qual foram approvalas varias emen las, ja
por esta ful ha publicadas.
Os (-aileniic is du Olinda, que em mar de
losas oavegavam pira as complanles for-
mstui'as, lem-se visto ltimamente em Ira-
bussna, porque as rapuzas, que pareciam
torabanJo'iado b couveuto deS. Benlo, ap-
pareceram com algum encarnicamento
s nesta somana, segundo nos consti, po-
zeram fora do combate a dous lilhos de Mi-
nerva, um d,i s-gundo e outro do tere i i -
auno 1180 fallando nos estropeados. Dizia o
uicstre Horario:
imiiium facli, qui beneocepit, habtl. O
que em Iroco miudo signilic. que, aquello
que lium conv'C,a faz a amela le da obra.
Dando poica rasSo ao amigo e collega de
Virgilio, porque lio incgavel que vale mui-
, to maiso bom cumeco, do que a emenda do
meio para o lim, nos tambern diremos com
o adagio, que mais val tarde do que nun-
ca, e que assim, concillado, os dous prin-
cipios entre oiquaei ulu na antipatlna al-
guma, pois que uin se completa pelo outro,
11:11 ;u.'mi se podei cun jusilla queixar de
quu a bundade o indulgencia dos lentes da
academia juriJica sa transformen! agora
em austeridadee rigor, quaulo a experien-
cia Ihes ha mostrado quuosc benvolo
proceder, alm do contrariar o grande prin-
cipio das vocacOcs, acarrelave de oais a
mais algum dezar para o estabelecimento,
pelo deleixo a que se cnlregavam alguna es-
tudanles, e pelo espirito de insubordinado,
que su manifeslava em oulros.
Deslo pouco, que levamos dito, pensara
alguem que somos e0ss"S a mociJidado
acadmica, e que Ihes desejimos mal. Pois
he mi'irainente o contrario disto, e nin-
guom mais do que nos sabe defenderos seus
direilos, e pugnar pelos seus Coros, quando
a boa uiorigeracSo e o ostudo so os seus
caraulerislicus.
Informam-nos qie alguns eingradoa tem
cliegalo de S Paulo, os quaes nSo puden-
do afrontar a lempestade, que por all lam-
ben) rebenlou, mais forte do que nunca,
vioram abrigarse as plagas Olinlenses,
nha. sent desie um testemanho publico ao Sr.
I)r. Bernardo Pereira do Carino pelo grande
benefteio que delle acabo de recebar, lia Joua
aonoa, pouco mala 011 menos, aobreveio ua
parte media do pello ditello detnlnha oaridoia
c seaagenarla mil a Si.i. loaefa Mara da Con
ceico urna grande ulcera cancro.a, com la-
bios revirados e assa loUatnmados, cpr roiea-
da e com eflusflea perlodlca de aangue, soffren-
do a paciente continua febre e raaraamo, a pon
10 de recelar-se de aeu reatabelecimento, ape-
lar de aer tratada por alguna facultativo!,e por
dlveraas vetea maa receilando-a com o dito
Sr., tao destrmenle empregou o Sr. Dr. Ber-
nardo oameios cooceroentea cura, que hoje
eal de lodo clcalrtsada a ulcera, e reaiabeleui-
da a saudc de ininha 111,11 ; assim como pelos
autillos, pericia e dlavclloi do meamo Sr. Dr.
Bernardo fo radicalmente carado o meu en-
trado o menor Joiquliri Chisto da Motta, que
deade a Idade de cinco annos ealava opilado,
uliimameate com aacilea e hvdropesia geral ou
anasarca ; acha-ae hoje corado e completamen-
te llvre da molestia. Ao Sr. Dr. Hernardo Pe
reir d>Carmo deveiii pola a minlia 111:11, e o
ineuenteado a salvac.ao de tao morlaca molea
liaa, e por isso nao poaao eu deisar de tribu-
lar-lhe us meui aincerus agradeciinentos.
Queiram, senbores redactores, inserir em o
seujornil estas loteas linhaa, tilba do reco-
uheciinenlo para como dito Sr. Dr., que aera
eterno em mcu coracao.
.auriano Pinto 'le Poica.
Seiiliorcs redaeloree. Anda vou diier du
palavrai em rcapoala aoa improperios, que me
tem lineado o Sr. tlanoel Rlbclro da (.vinli.i e
Oliveira cni sua unienta correspondencia, In-
aerla no Diaria 11 $&."> de 22 du correte, nao
porque delle faca caao; maa porque he do meu
dotar esclarecer o publico sobre a liypocrlaia
desse homem refalsada, e para quem a honra
he palavra van e sein alguiticaco.
luculca o Sr. liveira. que cu Ihe voto liilmi-
aailc, poique elle se tem opposto 1 tentativas
por mlm leltas para locuplelar-me com detri-
mento de meus parcnlea e particularmente de
iniiilu lia n. Mara Thercza Joaquina Velloao
de Aievedo, queja he fallecida; mas peigun-
tarel este ionio homem, quem he que e acha
ho|e rico c opulcuto com a fortuua d aquella
fallecida, c tamben! da do fluado Joaquini Go-
mes da Silva Atevedo, aeu marido? Por certo
que a fortuna refer la senao acha em meu po-
der, mas no do Sr. Oliveira, como sabem luds
as peasoat quecooheceni; e porque ineloa elle
a obleve ? Ahi he que est lodo o mysterlo ; e
para que cesae a sua impostura e o publico o
i'.uihrri, tal qual elle be, direi: que a aua ri-
queza prorein em grande parle das especula-
rles que elle prallcou com aquella inlnba lia,
a poulo de fater dividas simuladas, por meio
dasquacs chamou a al a faieoda que Ibe nao
pertencla; c se estivesse de pachorra, eu apre-
senlaria outras multas victimas de idnticas
especularles, gentilezas e mifnludVi do Sr. Oli-
veira: recordar-lhe-hla, por eicmplo, os va-
le couloa de ris de Pr. liaudenulo, religioso
do convento de San Beato de Olinda, de que
multa geute tem cunbecimcnio ; lembrar-lhc-
bia os quinte conlos de ris de scu proprio ao-
brinho e caixeiro, e oulraa inioccnciaa do mea-
mo calibre: mas nao; deisarei ludo talo depar-
te, c meaguardare para lempo mais opportu-
no, em que talvez o Sr. Oliveira lenha de res-
ponder perame asjusiicaa do paii pelaa sanli-
ilidii que ha praiicado, peloa factoa que elle
CONSULADO GERAL.
Hendimento do dial a 38.
dem do dia 39......
2
REND "EN TO DA MESA DO CONSULADO ,,.
DESTA CIDADE NO HEZ DE NOVEMHBO jDilai lelouro
l'l IS.,1.
Consulado de 7 por ceolo 10:908,672
Dito de 2 por cenlo ,
Dito de I por ceoto ,
Dito de I [2 por ceoto ,
Ditoreitolho. ....".". *,50v
33:138 28" (omina.........Alquoiro 2,000
1.423,071 Gengibre........Anoba 3,800
------------Lenha deacbas......Ceoto 1,600
2':560'3j7, Dito de toros....... a 0,000
Pranohasdoamar.ie 2 ousL Um 32,000
8,500
Ancoragem para fora do
imperio
Dita para dentro de dilo
Direilos de i5 por ceoto
Ditoade 5 por cenlo
Espediente das capataiias
Multas
Selos
Emolumentos de cerliddes
2:466,105
398,037
170,000
019,910
62!849
37,680
------- 4:65i,64i
Costado de amarello de 35 a
I 40 p. de ce 2 i a 3 de I.
'Ditodilo bsuaes ....
ICosiadinhodvdilo. .
19:908,612 Soalho de dito.....
Forro de dito......
Costado de louro ....
Costadinhode dilo. .
Soalliododilo......
Forro de dito......
Ditos de cedro
Toros de tatajuba ....
Varas de pirroira .
.Diversos provincias.
ni timo do algodo da
Parahlba 1:776,330
Dito dito das Alagoas 6,392
Dito do assucar da Parahiba 59,318
Dito do dito das Alagoas 482,778
Depsitos sabidos
Ditos eilstenles
.U,08j
1:027,258
~27'>Bvm l)il" dfl 8uill"dM
15 Ditas de quirls.....
Itodasdc sicupira para carros
Eixos de dita para dilos .
Mi-I cm pipas......
quartolas.....
barirs.......
Hilho.........
26:885,131 Pedras de amolar .
Ditas de filtrar.....
Ponas do boi......Conlo
l'iassaba.........Mllio
2:324,818
Mesa do consulado de Pernambuco, 29 de
novembro de 1851.Oescrlvo, Jacoms Gerardo
Mara Lumachi de Mello.
DIVERSAS PROVINCIAS
Hendimento do dia 1
dem do dia 29. .
28
2:234.747
90,071
2:324,818
que alguem graciosamei\te"appellidoude--ijulgaiuvolvldo,iissombras,masqueaeacham
algum destes, qu^ vem buscar Ua, nil.saia ^.uc me detesta, porque eu me nao
tosqueadus ; mas como nos dizem que *">/ prcalar servir de instrumento da sua
lodos du quinto anuo hornos man tranquil-, am|,Ca0 trallcaue; porque receia, que_ de mi-
los pela sua surte. | nha parte c de mais algum uutre.que n5o aibe-
No dia 28 entrou de Liverpool a barca rio as suas espertes, veoha a resultar-lhe a
Linda trazemlo a importanto noticia da d -
oecessldadc de dcsculir em Juito a posse illegl-
tlma dos beas quccn si tem, e com especiali-
dad,- dessa casa da ra das Trincbelras que el-
le procura veuder, e da ainetade do sobrado da
ra da (Jadeia, que uutr'ora fura possuida por
aquella nada miuha lia, Maria Therea ;
porque flnalmenlc tem medo que eu promova
em jiilao a clucida9a 1 da uullidade da escriplu
a dar mn poder ambicio- ra de venda da referida parle dosobrado.es-
criptura esla em que se acha lan,ado o noroe
de miuha lia, quaudo ella pelo seu estado de
uegucira e paralysta nao poda eacrever, sendo
a uiullicr du Sr. liveira, quem, seguudo dl-
tem, preslava a assiguaiura sem coiibcciiiieut''
da suplosla vendedora, e ludo por eU'cilo da
mioreiir/ii de S. me; anda mais tem inedo que
iusso pe lilla pelo ultimo ministerio do
Luiz >\ap ileo, o qual oppondo-siia lei eI_ -
toral reslrictiva, qui aquello sustentava,
procura captar as boas graijis do povo fran-
cez para a sua reeleicSo, ou a dos seus do-
pulados para a reviso da conslituicilo, o
que tu lo vci'i
nado.
Conlinuam a appareccr nesta cidado c
CJsarnibHldci cisus do aliqucs ccrubraes,
apoplexiSSj inorlrs repentinas ole, o ain-
1I.1 .um 11 .su nHo movoram os bons lilhos de
r-culapio a prescrever ao publico as regias
de hygiene, cujo conliCiuicntu Ihe h 13o se ventile urna quesio relativa ulula conlos
liecessario. de rCis, que dcvia Jos de Mallos Giro ao liua-
lloje reuairam-se de novo os accionistas do Juaqulm Gomes da Silva Aicvedu, dus quaes
do banco para ellKorom OS direciores do S. tnc. com a habilidade que o desliugue se

em apoderado cm detiiuieulo mcu e de meus
pareules.
Em una palavra, Sr. Oliveira tem toda a ra-
sau para vlver couiigo iuqulsilado i porque cu
defeudo u mcu dircilo, e procuro arrecadar o
que me pertence por legitima successo, ao
paaso que S. mu. se tem toruado capitalista com
o suor alheio: mas lique cello que nao desis-
tirei da empresa de o desmascarar peranie os
tribuuaes, para o que teulio preparado provas
e diicumeiilus, que mullo o hu de muilllicar,
no ni 1 mo que uem a sua hypocrisla, oem a
e sagacidade de que he dotado o pdenlo salvar
entre estas 7 lioulens, 5 mulheres el par- dus rtenos de seus proprios adose da aeco
1 da ju,11, 1, que pretende recorrer esle que S.
' me. lamo cstiginaiisa.
Adcs, Sr. Olivera, na preseuca dos tribu-
naea nos eucouiraremos; c eulo cuoheccr
I quo pouco caso de S. me. fas
Jouo' Kvangeliila Bello.
mesmo, e a mesa, que dure presidir a as-
si'inb i-a geral, sendo oresullailu da elei-
g3o o que os leilores sem dajvi'ia nnconlra-
r3o cm outri parlo
Lutiarsm durante a semaua Ib embirca-
i,'.n:-, mu u i'iiii,' i'lla- 1...... inglezacom ba-
calhao, outra dita con fn^udas Sahi-
ram 17.
Foram sopulladas no camiterio publico
I (irss ni-, 21 livrea c II oscravas, culre a-
quellas 8 hoineus, 6 mulheres, 7 meninos, e
DIARIO E PERNAMBUCO.
l'.\|)orl;u.;i"
Rio de Janei o, patacho brasileiro Vals-
te, de 130 toni-lladas, conluzio oseguinte :
- 88 barris alcalro, 311 pecas de cibo, 4
farJosestoupa, II volumes ferragens, 75
saceos assucar, 4 pipas, II meias ditas o 32
barris azeiie de cirrapato, 31 caixas velas
de carnauba, 420 moflios couros de cabra,
50 coucos de beber agoa, 10 saccas do al
M.l ni e 3 CXaa i'S|i < nailnres.
RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DEPERNAMBUCO.
Rendimentodo dia 99...... 512,010
CONSULADO PROVINCIA!
Itenilimenrododia99.....1:787,537
HENDIMENTO NO MEZ DE NOVEMBRO
DE 1851.
Direilos de 3 por cenlo
Direilos de 5 porcento
Capatasia de 320 ra. por sacca dcal-
godo
Dcima dos predios urbanos
Meia sita de escravos
Sello de berancas e legados
Novos c vclhos direilos
Claco mitra, por escravos despacha-
dos
Emolumeutos de passaportes de po<
licia
Matriculas
Imposto de 3 par cenlo
Imposto de 20 por cealo do consumo
deagoardente
Multas
Jnros
7:232,771
5:075,464
1:192.320
3:84,8Mi
1:553,560
369,39!)
200,n8
575,000
1,800
30,100
747,020
15,200
49,20o
8,719
a 28,000
16,000
(< 10,000
8,000
t 4,500
a 6,400
B.200
3,800
2,500
i< 3,300
. Quinlal 1,600
. Duzia 1,280
< 1,600
11 2,080
.Par 40,000
A 18,000
.Urna 34,000
Canad 190
. 1111111 6,800
. Alqueii e 1,440
a 1,200
a 1,000
Sola ......
Sarco parillia. .
Tapioca.....
I I.lli- lli: li'U.
Couros de cabra .
Azeile de cairapglo.
Meio
3,300
180
2,200
. Arroba 18,000
. 1,600
. Cont 200
. a 2 3,000
. Canad 720
BECirS, 30 DINOVCMBRO DE 1861.
Honlem teve lugar, como haviamos an-
nuticiado, a eleic,ao da direcSo do Banco, e
da meza da assembli geral dos seus accio-
nistas, merecendo a 1.....1......d'cslos
Para directores os Un.
Manoel Goncalves da Silva.
Fernando Bieber.
Francisco Antonio de Oliven.
Elias Bsp'isla da Silva.
B rilo deSuassuna.
Luiz Gomos Frrrrira.
Manoel Ignacio de Oliveira.
Jupenles.
Luiz Anfonio Vieira.
Antonio Valeutim da Silra Barroca.
Jos Antonio Rasto.
JoSo Piulo de Lemns Jnior.
Preiidenlt da viesa.
Dr. Pedro Francisc de Paula Cavalcjnli.
Secretarios.
i.ervasio Goncalves da Silva.
Jos Bernardo Calvan Alcatifla lo.
f.'ommisso de exorne.
Manoel Pcrcira Rozas.
Juo Jas de Amorim.
J0S0 Ignacio Reg Hedeiros.
Bnlrou hoje do Norte o vapor Perkambu-
cana, trazendo-noa gazetas da Para ale 15
do mez flndo, do Maranhao at 19, do Ceari
oda Parabyba at 32 do mesmo.
Todas as provincias ficaro em tranquili-
dade.
Na capital do Para houve um grande
incendio em casa de rn foguetelro, 3 qual
voou pelos ares, Meando unidos officiae*,
que ali trabalbavSo, gravemente queima-
N Maranhi'. falleceram dous grandes
fascinoras, na cadeia da capital, um suici-
dando-so a facadas, e outro sucumbindo a
veneno propinado por mao estranha.segun-
do corria.
No Ceari inda ge faz sentir o flagel-
lo da febre, que na capital se lemita ape-
nas eosreoetn-ohegados, mas quoem oulros
ponteada provincia anda assola geralmen-
txohlinuava a perseguicSo dos ceminozos,
loado si 10 prezos alguba reos de morto, po-
1' ni o jury da capital ooslrava-se omito in-
dulgente como verSo os leilores da carta do
nossso correspondente transcripta em outro
lugar.
Na Parahyba espaneou um estudante do
Liceu a alguna calingas, dentro do mesmo
edilicio, e quando se aenavam na sala dos
"tos os lentes examinando a oulros estu-
cantes.
Correspondencias.
COMMERCIO.
ALFANDEGA.
Rendimuiilo do da 39. 10 003,692
li'.i in-'/nm hoje 1." deieztmbro.
Barca ingleza l.inia -- mercadoiias.
Brigue inglez Quecn bacallio.
RENDI.MFNTO NO MEZ DE NOVEMBRO
DE 1851.
Scniliiiii'iiW lul.il
CSlitUill'lCS
31)4:303.261
94.80U
Ris 291:208,401
Direilos de consumo
Dito de 1 por cenlo de reexporta-
do para os porlos estraugeiros
Dito di lo para oa port >s do imperio
Espediente de 5 por eruto dos g-
neros com carta de guia
Dito de 1/2 por cenlo dos geueros
do pala
Dito de 1 1)2 por ecuto dos gene-
ros livres
Armazenagem de 1 por cenlo das
mercaduras
Dita dito da plvora
Premio de I; 1 p. c dos assiguados
Multas calculadas nos despachos
Ditas diversas
Sello liso
Pateles dos despachantes geraea
Ditas ditos especiaes
I-,111.1 dos tilnlos dos meamos, dos
caiielros despachantes e ajudaotes
dos desnachautes
Emolumeutos de ccrtldocs
280:077,530
20:765,427
Mesa do cousuladoprovincial,29de novembro
de 1851.O escrlvo da primeira sec[ao,
Joao' Ignacio do R*qo.
PRAGA DO RECIFE, 29 DE NOVEMHBO DE
1851, AS 3 HORAS DA TARDE.
Jtevisdi semanal.
Cambios- As transaeces da semana ono
merecemeotafao, porque api-
as livemoa um pequeo sa-
que aubre Loudcsa 29 1|4 d.
Eor irf rs.
ez-se venda de una partida
do Aracaiy de boa qualidade a
5/ ra, por arroba, e outra de
Page a 4#900 rs ; eolraram
797 aaccas.
Assucar As entradas foram mais avul-
tadas, |i in'-iu s houve venda
do mascavado cnsaccado para
eaporlacio de 11500 a 1,550 rs.
por arruba.
Couros--------Venderam-se llJ rs. por li-
bra dos salgados.
Tatajuba dem a 28o rs. por arroba de
tronco e ralscs.
Bacalbo- Relaluou-se de 7/500 a 8/ rs,
por barrica, licaado em ser
8.000 barricas.
Garu secca Vendeu-se de 1/600 a 3/ rs.
por arroba, e ficarain cm ser
T> mil arrobas.
Far. de trigo- Os precos conlinuaram de llf
a IS/'iun rs., eaisteiu n mer-
cado 7,090 barricas.
Discoulos As letras vencer ateo flu de
marco foram disconladas a um
por ceulo ao mez.
Fretcs ----- Obteve-se a 45 f. c 10 por cen-
lo de prlinagem para o Canal
por via da Parabyba.
Ficaraiu no porlo 73 embarcares: sendo
3 americauas, 37 brasileiras, 3 dinamarquesas,
7 francezas, 1 hamburguesa, 1 hespaubola, i2
inglezas, 7 porlugueas c J sardas.
Movimentodo porto.
ffiiKo entrados no dia 29.
Terra Nova 29 das, brigue inglez Queen,
de 306 lonelladts, capitflo John Squarry,
equipagem 12, carga bacalhi; a Le Bre-
tn Schramm & Companhia.
Liverpool --50 dias, brigue inglez Flint, de
306 tonelladas, capitSo John C. Wright,
equipagem 14, em lastro ; a Crabiree Sr
Companhia. Traz um passageiro inglez ,
John oyle, sem passarole.
Dundea :>fi dias, barea ingleza Bosphorus,
de 234 tonelladas, capullo William Gray,-
equipagem 13, carga carvSo i a Adamson
lluwieci Companhia.
Navios sahidui no mesmo da.
Parahibi hiate brasileiro Nossa Senhora
das Nevos, mestreJoSo Francisco Martina,
carga varios gneros. Passageiro, Vicenta
Jos da Silva Lima.
Phila lelphia palacho americino E. II. Fi-
ller, capitio G. I. Ilew tt, carga assucar.
Passageiro, S. Rigginson
Para rum escala pelo MaranhSo brigue es-
cuna brasileiro Arcelina, capiljo Jos Mi-
guel Pereira, carga varius gneros.
Liverpool por Macei galera ingleza Bo-
nita, capitSo W. Wellcox, carga algodUo
e lastro. Passageiros, Antonio BrandSo da
Rocha e John W. Evans.
Ilha de Fernando-- patacho transporte bra-
sileiro Pirapama, rom-nan lauta Camillo
_____________
O Ermito da Scrra de GRtra.
Farol o
RECRUTAMENTO N'ALDElA.
Theatro de Apollo.
.' RECITA DA A S S I C N A T U R a
Seyunia (eir 1.a de deumbro de 1851.
E siV-.ilej 1 do feliz anoivorsino des. SI.
imperador.
Depois de urna brilhante ouverlura eiecu-
Ayres da PaixSo, Vlca^te Forrelra Marinho,
Dr. Jos Lourenco de Meira Vasconcellos,
Manoel Ruberto Bezerra. J080 Baptlsla da
Silva Mangulnho, Jos Theodqro de Moras Todol efle e,pCtaculos serio inrvala
Lina, Manoel Jos Telxalra Basto Jnior, iot de cntorl, ana se annunciBrflo cir"
Miguel Joaquim Barbosa Fonceca de Csrva- cumsUnoiadanieole pelo jornal.
Iho, Jos Antonio de Souza, JiSo Soares Osaenhores queeneommendaram bilha-
Rapoao, Lulx Comea Ferralra, Braz Maeha- les pJern manda-Ios buscar ao escrinton,,
do Pimental, coronel Jos Joaquim de AI- do lne,tro, hoje, 1. do correte, si 3
molda Guodes. Os quaes hao de servirtdu- bora8 da tarde ,,,.,,, hori em di,nl9 '
rante a referida sessUo, para o que so pe- pgrj vondai
lo presente convidados, devendo compare-,-----------------------
cr, assim como os interessados, na dia e
hura designados, sob as penas da lei.
E para que cheeua a nolicii de,todos II
mandei paasar o prsenle, quesera puhii-
Cido pela imprensa o alixaio nos lugares
nis pblicos des!i! termo. o I
Dado e passado nesla oidafla de Olio-la,
aos 37 de novembro de 1851. Eu, Eiuardo (ada em grande orchestra, e defnis de cari-
Daniel (.'1 va lea n la Vellez de Guevara, escri- tadp o
vio interino o escrevl.Jose Qiilntino d Uyinno nacional.
Castro Ledo. .... ., 'peranie a efflze de 8. Magostada, subir a
- O lllm. Sr. Inspector da Ihwonraria da ;cen, ,, s3Kn.la vez o drama '
f-zenda provincial, ern cnmorimento da or- 0 )r,M|TA0 da SERRA DS CINTRA.
dea do Exm Sr. presidente da provincia de eB)prelt,rio lendo annunci.do a epre-
15 do correte manda Mer publico, que t do uj ( tencionaodo levar .
. os das 1, S o do dezembro prximo vin- >ceniv0 { 'mo dfl J J
.louro, ir. a praca par. ser arrematado pe- mc'momez de dezembro, vio-se obr'
rante o tribunal administrativo da mesma g,t0i era r.sao dos Irabatlts dosegund, a
inesourari. a quem por menos flzer obra deixa>r de ensaj,r j. t dfl |eyJ:
dos cunearlos supplementanos da ponte, ..Vi ..-' ',,
sobre orioSiriiih.em avaliadosem 643,400 D ^ *"|JW J' '
A arrematafBo sera feta na forma dos m.ia "yu'^' "vs vez
arts. 34 e 27 da lei n. 286 do 17 de miio do
corrente anno.
As' pessoas quo se propozerem a esla ar-
it'inatsfSo, romp roca m na ala das sesses
lo mesmo tribunal,-nos dlaa cima mencio-
nados pelo meio dia, competoolemente ha-
bilitados,
E para constar se manlou afliiar o pre-
sente, e publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da fazeada pro-
vincial de Pernambuco, 19 de novembro de
1851.O secretario,
Antonio Ferreira da AnnunciafSo.
r.liiii-ul .' especiaes da arrematafSo.
I.' As obras dependentes desti arrema-
lea 1, serSo feilas de conformidade com o
orcamenlo apresentado ao Exm. Sr. presi-
dente da provincia, pelo proco de 642,400.
3.a O arremtame couiorara a obra no
praso de um mez contado da data da parli-
ci.'ncfio que ihe f,ir fela da appruvucilo da
urri'inaticii pelo governo, e os concluir
no praso de quatro mezes, ambos contados
da mesTu parlicipafSo.
3.* A importancia d< arremala^So ser
paga em duas prstameos iguaes; a primei-
ra depois de le feto melado da obra, e a
segunda depois de lavrar o termo do rece-
bimento dilinitivo.
4.' Para fudo mais que n3o est delflrmi-
nado pelas prsenles clausulas, seguir-se-
da luleiadienlo o que dispon o regula-
ment. Conforme. -Oaecretario,
Antonio Ferreira da AnnunciaeSo.
)eclara5es.
mais.
Coinecar s 8 horas.
l'uilicari'.s Iliteraria.
ELEMENTOS
DE
Homatopathia.
Sahio a luz a segunda parta desta obn
composta pelo profeasor hommopatha G01-
set Blmont. It celiem-se assignaturas par
a obra inteira a 5,000 rs., no consultorio
homceopathico da ra das Cruzes n. 28. De-
pois da puhlic iciio da tirceira parte, o pre-
co ser elevado a 8,000 rs. para aqu?lles
que 1180 tiverem astignido. No mesmo con-
sultorio, acha-se a venda ludo quanto he
necessario para o stuloea pralica da ho-
mceopathia, como seja : livroa impressos
para historias de doenies. regimens apro-
prladus para a provincia de Pernambuco, e
encarrega-aede mandar furnecer qualquer
encommenda de medicamoutos homreopa-
thicos, tanto avulsos como em ciixas, em
glbulos como em Unturas.
No prelo : fathogenesia dos medicamen-
tos brasileiros.
E/eieos de anatoma e phisiotoyiu com ei-
lampas, para os curiosos em bomceopalhii,
Roga-so aos senhores assignantes o ob-
sequio de mandar recebar seus exempli-
res no consultorio bomceopaluico da ra
das Cruzes n. 28.
TRATA MENT HOME0-
i'ATHlGO.
DAS MOLESTIAS VENESEtS,
e consclhos aos doentes para sa enrarem 1
si mesmo, sem precisaren) de medico;
pelo professor homceopalha
Gosset-Bimont.
Sahio a luz e acha-se a venda no consul-
Arroba
Pauta
/>oi precos correntes lo assucar, algaida, c
mais gneros do pait, gvt se despachao na
mesa do Consulado de Pernambuco, na se-
mana de 30.de Novimbroa 6 de Dezembro de
1851.
Assucar em c aco qua
B 2* 11
mase ....
bar. e sac. bruteo "
< mase ....
retinado.......
238,0941 Algodiu em pluma de 1' qual.
, Di'o.......2'
2a'985(Dito. .'.....3" .
2:212.0371 Afio'ardcnlc caxaca 20 Graos p'Pa
052.723 Dita.........Canad
3:184,194 DiUdecanna. 1 .
27,040
330,353]
225,605 j
assegtsintes especies.
Dlolielro 131:813.942
Assiguados 102:304,522
Depsitos.
Em li.il ni ;r, no ulllmo
de seteinbro
Entradas no corrente
mez
250,457, Dj
180.0001 """.., :
71,000 Lilla resillada.
100.000 Dito .
12,500 Genebra. .
Dita .
o 4nii Licor
>4520 Dito .
-------------- Arroz pilado 2 arrobas um Alqueire 4,400
294:2(18,404 Araras.........Urna 12,000
. Canad
. Pipa
. Canad
. Canad
. Botija
. Canad
. Garrafa
2,000
1,600
1,300
1,800
1,400
3.040
5,000
4,000
4,200
34,000
200
52,000
300
42,000
240
420
180
420
180
Avisos martimos.
1:11111:1.1' 1 GERAL.
As malas que deve cunduzr o vapor Per-
nambucana para os ponosdo Sul, princi-
piam-sea fechar hoja (1, de dezembro,/ ao
meio dia, e depois dessa hora at o momen- lorio hoinceupatlnco da ra das Cruzes n.
de Lelles da Fonseca. Passageiros,Manoe uefechsr recebe-secorrespondencias com S. pelo preco de 1,000 rs.
ThomazdosSmtus, Francisc Xavier dos porte duplo. I
Santos, Jos Rodrigues Lima, Dr. Luiz Sa- -* 88SS'"J .d nle" u.. conaulado
lazar o I cscravo, Manoel Saturnino dos provincial seannuncia, que no da 1. de de-
S.ntosNeves, Maria da Soledade dos San-I *nlbr Prof'mo vindouro, se principia a ------------------------ ----------,
tos Pinto, JoannaMsrii dosSantos, Ha- cootir os 30 das para o pagamento a boca, para o B10 de Janeiro seguir em pou-
nosl do Nascimento. Manoel Lobo do Mi- do cofre,clf decima dus predios nrbannos cosdias o vleiro brigue Hafra.o qual s-
rauda llenrique Jnior, Francisco Floren- desta cidado, do pmneiro semestre do anno mente recebe algum* escravos e passageiros
oioCardozo, Alexanlrino da Fonseca Gal- linanceiro de 1851 a 1852. oque flndo este p8ra 0que tem bous commodos ; quem pre-
vio, Manuel Jos Mendos, Antonio Libera- prazn incorrem lo los os qui deixarom de iBndtr pode enten ler-se com o cspilo, ou
to do Lima Mondes e 3 sentenciados. pagar.ua mulla do 3 por 0|0 sob o valor de. com Amorim & lrraos,na ra da Cadeia do
Navios entrados no dia30. 1*0" dbitos, e serflo de proinpto execu- ecifen. 39
Para epnrtosinlermi'dios--12 dase 13 ho-laiJus- .,.._, L 1-Para o Aracsly segu com a msior ora-
ras vapor brasileiroPernambucana,com-' ~ v"Por brasileiro Pornsmbucino vidade possivol o hiate Dundoso -pan
mandante Oiten. Traz aseuboido: para deve cliegar dos porlos do Norte al o da carga o passageiros : trala-seao lado do Cor-
esta provincia, Joilo Rodrigues Samico, e 2 de dezembro, esaguira para Macelo, Ba- po snlo iuj, de massamesn. 25
Manoel Carlos God.nbo o I escravo : para '",?.", 'd'"'l^V^lSitfT^'r. a P" llio Gr"-d! d?. Stl Prol8,nde 8a "
- rovinciasdoS'il, oescrivSo da arma- ItEALCOMPANAIA DOSPAQUl.rLS IHGLBZ A hir breve o brigue Feliz Unito por ter urna
VAPOR. pario do seu carregamento prompto, inda
No da 1 de dezmbro es- recebe carga a frele. Quem no mesmo qui-
pera-se o vapor c Tay a com- zer carregar pode entonder-se com os con-
mandanteChapmanda Europa, signatarios Amorim A IrmSosrua da Cadeia
o qual depois da demora do 39
rav. equipagem 15, carga sal; a La Bretn costume seguir p.ra os portes do Sul; psra para o Rio de Janeiro.aegue com ore-
Schramm & Companhia. passgem diriji-se em casa da agencia n. vidade por ter parte da carga enganjada, o
H8mburgo--56dias, ualacho hamburguez *2, ra do Trapiche novo. veleiro palacho Clemenina, para uresto da
Bertha Kuhen, de 148 tonelladas, capitSo oruein ^ "lm- Sr- "'factor geral da carga ou escravos a frele : dirija-se a J0J0
W. F. Sellin. equipagem 10, carga fazen- instruecSo publica, faco saber a quem con- Francisco da Cruz, na ra da Cruz n. 7.
das e mais gneros; aC. I. Astley &Com- vier, que por dehberacSo aprovala de S. .. para Lisboa saho imprelerivelmenlo
pjnb.il Exc. o Sr. presidente da provincia fora desta no dia 7 de dezembro o brigue portuguez
Havre--51 dias, barca franceza Pernambu- cidale, e da de Olinda os exames de ins- ConceicSo de Maria. Aiuda recebo alguma
co de 192 tonelladas, capitSo Durruty, t'uccSo elementar sorSo fetos em cada es- carga e passsgoiros para o que tem, exce-
da Joaquina Jos Ferreira, 1 dispanceiro,
3 recrulas para marinha, 7 para o excr-
cito, 8 pravas 08 escravos a entregar,
liba do Sal 14 das, galera ingleza Dol-
phin, de 366 tonelladas, capillo G. Mur-
cquipagem 19, carga fazeutas e mais ge- cola pelo respectivo Sr. professor, e junta- lentes comino ios, lrati-se com seus cuns
nero<;aJ. A. I.asserre& Companhia. Pas- monie com alguma possoa i Iones da con- natirioa
sageiro, JoSo Vignesf flanea do Sr. inspector do respectivo circu- i,.,: .
possoa i Iones da con- natarios Tnomaz de Aquino FunseCa '''"
ra do Vigarlu n. 19 pnmero ao-
Bal"more--"60d'ias','pii,tscho americano Ba- lo, q'ue tem obrigaeSo de presidir a lodos dar ou com ocapitao na praca
thust, de 171 tonelladas capitilo ti. P esses oxames. Para o R o Grande do Sul, seguir era
Datton, equipagem 8, carga faxinha e .. Ilem os individuos, ^'^cjMaa par- poucos das, por leJ,_a_m,o;_1P*.l}e_5._se.,
mal
panhia
"iorado'r de'isi" Voniiadas ,[ capTo T m", e janairo vlndouro em diaule oinguem freiB : a Irstar com Bailar & Oliveira, na ra
" m 1 i:~^r>Mj> ,. t .i-., las* n ta aula atu uoini: ji_ .* i^.:_ n AL ,,... ss> .
,tlon equipagem 8, carga farinha e llm os individuos, quo tem escolas par- poucos das, por ter a maior paite do seo
ais gneros: a Daane Youle & Com- ticulares, quer de insiruccSo pnmarla.quer carregamento prompto, o brigue nacional
-1,1, secundaria,at o ultimo do prximo miz de oaus le Guarde capitSo Launano Jacintbo
a Nova--33 dias. barca americana El dezembro podern requerer suas liceucas; de Carvalno, e ainda recebe alguma carga a
____- 1 : ..!>. rt .lm > m 11 m ilianla muiiiiaiii >. > I_ a__.___ 1 I 1 ., O /il,r.i na r 111
N, Bieber Candido Eustaquio Cesar de Helio, amanu- pira o resto' dirija-se a J080 Francisco da
cuse archivista.
equipagem 12, em lastro ;
& Companhia.
Aii'.-i-i sahido no mesmo dia.
Rio de Janeiro paticlio braseiro Valen-
te, luestrc Francisco Nicolao de Araujo ,
carga assucar e mais gneros. Passagei- 23." JtECITA DAASS1CNAT RA.
ros, Areslides Pompeo Lopes- Antonio Pe-
reira da Costa o 33 escr-voa a entregar.
ISOJLTAKiS.
TDBATRO B SIZIBEL.
RECITA DA ASSICN ATU
Vrija (eir, 2 de dezembro de 1851
Oa tic festa nacional.
Em solemnidsde .0 feliz Annivcrsario Na- > '" d* benialla Valta n. I
icio do nosso Augusto Monarca o SenbOr 1 ara o K10 de Janei
Cruz : rjit da Cruz n. 7ouao capitSo Ma-
noel Jos Monteiro Vianna, na Praca.
Para o Ceari o hiate N. Olinda : a tra-
tar com Hanocl Dias, na Senzalla Velha n.
134.
Para o Aracaty at o dia 5 de dezembro
o palacho aAracaty a tratar com Manuel
130.
neiro, sa-
'1
E
tllelo
D.Pedro 11. hir com a maior brevidade pos-
0 Dr Jos Quintino de Castro Loao, juiz L0g0 que o Exm. Sr. presidente da pro- 0rM
municipal e de orphSos do termo da ci- vincia, se dignar comparecer na tribuna, a- Sivel, por ter parle Ua carga en-
dade de Olinda, comarca do Recife de brir-seha scena ei erante a ofllgic de S. gajada. a bem Conhecida escuna
Pernambuco, por S. M. I. e Constitucio- M. | a> senhoras Linda o Carmella, acom- ._:. PiPm:na ranitSo
nal, a quem Daos guarde etc. pauladas dos arlislas da companhia drama- nacional Marta rirmina, capitao
Faco saber que o Dr Alejandre Beruar- tica, caolirSo o Joio Bernardo da Hoza : quem
dinodusReis eSilva, juizdudireitoda.se- Uyinno Nacional. 'pretender embarcar carg na raes-
Depois ter lugar a primeira representl- _.--,. 0U embarcar
o da excelleule opera brasilera em 3 ac- ma> ,r ae passgem, "" eraumi.
gunda vara do crime desta comarca, tem
designado a abertura da segunda sessSo do ,, ,,
jury cesta ci lade, para o du 10 do prximo Jl eompOlUiO do muito distincto littera- escravos, pode entender-se com O
va,ia: "stASrtfa.?"'*>j; usr.&.codo.-
.Sabidos
22:425,228
11:042,732
Ria
aprralos .
iil.nii.i-. .
Eslatentca
as seguales especies.
Dinheiro 1 ,,.m.;
Lellras 20:231,100
Senderes redactores. Seria ingralidao rni-|consignatarios.
Alfandega de Pernambuco. 29 de novembro
de 1851.O escrivo interlno.Fraaer.odc Paul
Oonctlees da Silva.
lmpoi'lncnd.
Brigue inglez Queon, vindo de Terra No-
va consignada La Bretn1 Schramm &
Companhia, magifestou o soguin'ln :
2500 barricas e 12 caixas baca Iho; aos
Pa
Bo
Biscoitos......
Cald boin.....
Diio reslollio....
Dito com casca .
'Carne scoca ....
3d:467,9t0 Coucos com casca .
6: i7i,737 Charutos bons
"""------' Ditos ordinarios.
27:290,223 ., re,,ca urimor
i4.'.cradeCarnanba .
Couros de Boi salgados
Dito ospixados
Dilo de onca
Doces de calda
Dito de goiaba .
Dito secco.....
EstApa nacional
Farinha de mandioca
Feijflo
Um
Arroba
a




Cenlo
. Arroba
. Libra
.Um
a
. Libra
.'t,-200
3,500
5.000
4,400
3,000
4,800
2,880
4,000
1,000
700
4,000
5,800
115
145
14,000
400
210
500
que tantos aplausos ob-
for.m sorteados juizes de fac 10 o cidadlM t tnel,ros ,lo Ri0 d, Jlneiro.
segointes: Antonio Marinlii Paos Brrelo,
Miiioei Anluiiio Alves de Britu, Filippe Ma-
noel de Consto Leal, Jos Mauricio Teixeira'
da Albuquepqne, Francisco Pereira Pinto
O FANTASMA BRA.NCO.
Msica do maestro D. Podro Garca.
Personagens.
ao Aiouquepiiuu, ri.iicnsu i-uiassa s-sniu T:s.nril, mililar velno Monl'iro
C.va.c.nte, Antonio Pinto do MMjiM J'Z^, ve icaria--D Ama'ia Monteiro.
Cenco Prospero Montanha, Antonio dos D.a.iA'ru,fl,.,|ri... rtavmnn.lo
Santos Lopes, Born.rdo Ipaquim de Azeve- ^^nSolo. n/oT^e Tiberio, Bi-
do, Manoel da Porciuncula ferreira, Antonio s,inatrn
Bernardo Ferreira. Claudino Jos Braoco, ,Jf"tiiate de medecina Germano
jo-Boberlo do Espirito Smto. com.md.n '* tuD[".ta ^ <"",'"0-
te superior Joaquim CavalcanU de Albu- !!"" "' nf,,
querque, Ancelmo Jos Ferreira, JoSo da V',. "n J|, '
Cruz Fernanles de Suu,., JoSo doga C.val- Uvrad'ores, camponezos, etc.
cante de Albuquerque, Francisco Xavier. 0s ull,,ielejl,0,os de camarotes, como de
Carneiro da Cunha, Jos Manoel dos San-
tos, bacharel E luardo Soares de Alberga-
rla, lenenle-coronel Manoel Antonio dos
p i-mi- e Silva, Ricardo Ctirisostomo Rodri-
gues, Antonio de Suiza Rolim, Jus Puli-
cirpo Je Iriellas, JoSo Neponucano Comes
Caite, Alexaodre Jos ornellas, Manoel
Zicarias da Silva Braga, Antonio Clemente
Estoves de Larras, Jus Xavier Civalcante
Wanderley, Manoel Estaves de Abreu, Fran-
cisco Jos do Amaral, Dr. Nuno Ayque de
Arroba 1,2001 A|V||0S Annes de Brito Inglez, Joaquim de
. Alqueire 1,600i sa Cavalcaole de Albuquerque, Joaquim
3,5001 Marques de San Tiago, Aatonio Lobo Alber-
Fumob'om. '. '.'.... .Arroba C,000|tim de Miranda llenriques, Alexandrino
cadeiras e plateas serSo vendidos por tres
recitas.
Segunda reciti no tlii 4*
33.a DA ASSIG.'UTURA.
Subir a sceaa o exnellente drama em 3
actos.
O l'agem d'AIjubarrota.
A comedia em 1 acto
I Al.I. \l! VERDADE A MENTIR.
Tereeirn recita no dia 6,
34*. DA ASSIGNATORA'
Primeira representado do grande drama
em 5 actos.
mesmo capitao, ou com o consig-
natario Luiz Jf dS Arrujo,
na ra da Cruz n 33.
O eapitSo F. P. Gost precisa tomar a
risco sobro o casco o apparelho da barca
Ingleza Ospray, a quantia de 8)000,000 ra.
em moeda de>lo Imperio, para costeio a
dsspezas neste mesmo poKo.da mesma bar-
ca, a quem esta negocio convier, dirlja-ae
a casa de M. Cslmont & Companhia,
LeilSes.
George Kenworthy k Companhia fario
leilSo,por inlervoncSo do corrector Oliveira,
de um convicto sortimentoaiehzi'ndas in-
glezas, lodaa proprias do mercado : tere le-
ra, 9 do dezembro, as 10 horas da mipbSa,
no seu armazem, ra da Cruz. .
Hoje, primeiro de dezembro, ha leiiso
de quoijos na porta da alfandega^
Augusto Cezar de Abreu rara leilno,
por interveacSo do corretor Oliveira, de um
completo aortimento de fazendas inglezas,
todas proprias do mercado : seguoda fcira,
t. de dezembro, as 10 horas da manhS, no
seu armazem, ra da Cadeia.



Avisos diversos.
AO PUBLICO.
O director empresario do thealro de Apol-
lo com ascarias abaixo transcriptas respon-
j8 jniplamenlB sosseus incarniqado* inl-
mjaoi, que 'oto al.rdeav.m de mentira, a
respailo d. vind. do grande ador braz.lo.ro
jiiSo Caetano dos Santos, para o seu the.tri-
pho, como elle dlzem --respondo como Bu-
esga-
Zoilos
mordeivos
estremecei, rug
------RI'isVe' NOVEMBRO DE 851*""'
lllm. Sr. ulmaril'a. Ilecebi a sun llcn-
cioza caria e sou gensivel as mnieir.s poll-
dflas com que me trata. Eu irei peasoal-
inenlo gr.daeer-llie tanU delicadeza. No
paquete inglez do prximo mez do dezem-
liro irei a Bahia onde modemorarci 15 di.s,
o depois terei a honra de comparecer peran-
ls o illustrado publico Pernambucano. No
primeiro paquete que partir para essa po-
nncia Me reptfttere os papis da Tragedia
Bimalelo e farai nelle'o meo debut; bem co-
mo o papis do Trapeiro, da Muran.m, e
a Viva udeira, o Ulvrz Olis alguna outros,
lando V. S. 001 vista remontar com antece-
dencia a ds'ma deS, TaOpez, (Helio; enfim
lodas aquellas pcs que eu tive o prazer
dsrepresentar na Bahia com o sublime ge-
nio dramtico d'aqueli.ptoviBcij a lllm.
Sra. D. Lnpi.ldin, ajjuaqi V. S.-der a bon-
dad* de .presentar os meuj resreitose alta
coiiciJera^So em que a tenlio ; e V 8". dea-
ponna com franqueza dro nefnhum prestimo
do teu mais atiento criado e collega
JoSo Caetano dos Santos.
111013 DE NOVEMBRO DE 1851.
lllm.Sr. Dr. Definitivamente tenho re
--Antonio Jos Ferreira, subdito portu-
guez, retira-se para fra do Imperio.
Offerec-se um homem solteiro, natu-
ral de Portugal,nara tenor, ou criado ; quem
de seu preitimo necessilar dirija-se ao aro
de Santo Antonio luja do Sr. GuirnarSis que
dir quem he.
-- l'recisa-se de um feitor para tratar de
nm sitio.a tratar no Hospicio sitio da Si* -
.a tiunlia GuimarSes;ahi tambem se preciza
da, utn ou dous pretos para trabalhir no
II OS III o.
>-- iiflo Jos da Cruz, embarca para o Rio
de Janeiro, a su* escrava creoula Roza.
U abaixo assignado, morador
na loja do sobrado, da ra Direita
n. 5o, proesta rerante o publico
e as autoridades criminaes desta
cidade., que n5o tendo ioimigos co-
nhecidi, alm da inquiltna do
mesmo sobrado, Smhoriuha de tal,
contra quem intentou, ha pouco,
urna acc5o de queixa perante a sub-
delegada de S. Antonio, todo o
mal que lite possa sobrevir a ella
ser imputado; visto como consta
ao annunciante, que ella procura
viogar-se delle por todos os meios.
Simplicio da Silva Barboza.
Acba-e Justa e contratada a compra da
casa da ra das Agoas-Verdcs n. 122 : quem
sejulgarcom algum direilo ou hyuotbeca,
annuncie por esta (olha nestes quatro dias.
Oabaixo assignado faz sciente ao respei-
tavel publico que nimguem f>c nego-io
solridotr. provincia de Pern.mbuco0, ^ ^nrTerZ7o7 Set. ."com
prximo paquete ingles do mez de diem. f ,h t do Ej ,rjl0 Santo Senna
En, eno fu, nesta por me achnr enoarre-, no Bocco do Lo_
gado da reed,fic,c.uo do theatro do S.^dro porher.nca, po
de AlCMUra. Fazendo a V. S. sciente d.s- |h 'jj ba,xo Uliga& ler u ptrb
U deliberado, cumpre-me participar-lbe
que no me lembrando das cuniicOes que
me propoz, eu tratarei com V. S. quando
- Respondendo ao annuncio do theiou- Eim. vigario, Barreto, onde, continua, offe- logia, cometas, ContfnuacSo da i Vende-se um aelim em bom estado ,
.recia, par. o. cronologa principiada, I, a annos, ffi^^ntoiS ""
"ancas de tempo pB-J Ven le-se um coldre eon
t.L.I. j. ;,,. n| loada, por preco commolo : no aterro da
tabela dos emolu-SBoi VisKl8< Jojasdoe|6Jr0 do nhor Na.ci-
parte
auenaome-.embr.ndo^con^s que ^^^^T^^^^-
me propoz, eu traaroi com V. S. quando s Brtrlo|omeu
,hi ci.egarn.os, poi. como mo he o nteres- J^Vuuc. na ru, larga do Rozarlo, f.i-ie
se que me dirige a ess. P"*<"" esto ...nuncio par. depois nSo se cbamarem
. gloria de me adiar entre os seus habitan- ,,.. _..
tes, croio .que ambos tiraremos intermite, Juslino Aulunio R,p,ista.
re os papis da Mananna llamelel e ira-
peiro
be V
_ O 'ESSrmXZ -o U-0U p..o cerrera particular Anton.o da
annuncio publidado no D-nr.o de l do cor- .. da f .^ nc| innun.
rente, por Joaqu"" Jos Corr. em oqu.l cj,jem usvdj.ril). jePernaa.buco dos di.s
este Sr. se declara O unlcO esptenle para 26 7 do lransferida
receber auae dml.s, c=re catando que J ,,,,;,
perderlo o seu direito aquellos que aspa- v
g.rem aoab.izo-aaaigilado, em-consoquen- A'"'' Lacaze
Mto^WSZ^*^,}*! Tema honra de lev.r .o conhecimentp do
ffl,..-X!K.MS. resPeit.,e, publico, que acaba de aW.rum
'" ""*'"" "". : iu.ii Tr, ordemd.-Jos Pinto Goelho da cida le ilo
os papeisda Man.nna I amelet eT a- M quirt09d, 8egtlnd. lotera a bene-
ro de Pars. Sou com todo ONWlto, acio do hos,icio .le Pedro II do Rio de j.-
r. S. mu.to affetuezo criado < obrigado. d 3, remetle ne9.
JoSo Caetano dos Santos. .... .....,'.,?{r.u,- ninin ,i.
como inculca O nl'u"cii,a,.,',"'n^01 c' '"J? anto emraogis de algibeiracomodo me-
nSo ter-o abaixo ass.gnato nada mais om S(.aliareJe e
sociedade algjrfha com o annunc.nnte ; por- _,,.. s ... D Dei8S 7
que nunca soded.de alguma levo .b.ixo h^^Vn^.^rum menino cav"lo
.^signado com <'.^ succedeu que cavallc se esp.ntasse e des-
alas he credor da quanlia de 410/000, di- ,j" decalco
nbeiro que Ihe tomou o annunciante por com^mle ,w|c" du algodSP0 risca lo.apo-
omp estimo, alm dos ordenados qUe uaba- d d d J wo e io ,,
xo ass.gnado Yjnceu du anleirtsmea ra Nova em direS3o ao Recito, o .Tallo ,.
em que Ihe prestou o sericos de o .xe o v
n. su. venda daa d Aurora ; sendo MU de ret,oz oncirnllPiPrtrD0. do ferro, Mllia
a nica qua ida.lo em a^qual_ o abaixo as- de sola transada, niaiit. de panno azul bur-
s.gn.do pode wt considerado emrelKao d>ll. o relrvoz a*rel|0| oi aignaes do c.
i casa doannaincrante, E Unto assim, tan-
to o abaixo asigado nunca leve sociedade
alguma com o annuncanlo ha refeiida ven-
d, que nSo holive drtiralo algum em sen-
tido contrario, o que se daria necossaria-
menle a ler exist lo ossa supposta socieda-
de, urna vez que o annunciaiilo he o pro-
pro quo a declara nSo mais existente.
lauriano Pialo (te Paiva.
Quem quizer allugar um cilio em Bebi-
libe para passar a fesu, com exoellente ba-
nho cscoll.er: dirija-ae a ra da Sania Crux
o. 66, defronto da riheira.
Alug.-se umi casa na povoac.So do
Honteiro, propri para pass.r a fesla,- com
Squarlos, quintil, e salaaoffrivel : quem a
pretender dirijse defronte da pra?. da fa-
rinha n. Si-.
Aluga-se par. fesU ou animalmente
nina casa na ra do C.br.l da oda le de
iiliu i, com bons commodos ; estribarla,
i-a>a para eicravos; murada na fronte,, com
o fundo para a margem do rio, -com um pe-
queo litio, o qu.l tem excelleotn baix.
para caflqj, e faz f.ce com nov. ostr.da,,
de sorte que vem tef dnas frentes ambas
limito treqoe iludas \M* livraria n. 6 8 da
iraca da lu l''o furtado na madrugada
do dia 37 do passado, da estribara
do quintal da casa da esquinada
na da Soledade, ao voltar para a
estrada nova do Manguind utn
cavallinho russo, com pintad ama-
relias pelo corpo, lie inteno, com
cauda c clinas ripadas a pouco ,
cabeca .c orelhas pequeas bem
feito de casco e sem ecliaque al-
gum,- anda bem baixo, bom gao-
pador. tdm. urna baixa no lugsr
d;i picadeira: a pessoa que o apre-
hender, ou der noticia cei U grati-
lica-se com 3o,ooo rs na loja de
cambio da ra da Cadeia do lie 1-
l'e n. a4, ou na dita casa em que
foi roubado.
AtTENCAO.
O cautelista Salustiano de Aijui -
no Ferreira, avisa ao respeitavel
publico, que os seus bilhetes e cau-
telas das loteras do lUo de Janei
ro.se vendem nicamente p" pra-
ca da Independencia ns. i3 e i5 ,
loja de calcado do Arantes, e na
ra da Cadeia do liedle n. 46, lo-
ja de miudeias, e nunca se vende-
ram na praca da Independencia n.
4, leja ilc miudezas de Fortunato
l'ereira' da Fonscca Bastos. Os l>i-
lliele.ie meios, ,vo todos pormim
firmados etn.brevc, com a assigna-
tura de Ferreira, junio s do the-
soureiros Joo Pedro da Veig* e
Antonio Alvos da Silva Pinto J-
nior, cautelista nSo pode de
forma alguma impedir que alguns
especuladores comprem os seus bi-
lhetes e cautelas, para os tornar a
vender com maior lucro, est da
parte do respeitavel publico de nao
lite os compraren!.
vallo sao os segumtes:melado claro, di-
nas pretas com urna risc prula desde o cabo
al o espinhaco, em boas carnes, faca, ca-
beca pequea.mos calculas de prnto: quem
delle der noticia, dirija-se a ra do Livra-
ineuto, toja n. 16, que sei lecompens.do.
Ituga-sc a quem achou um. letra da
quanna de 101,500 rs., sacada no dia 31 do
passalo, aceita pelo Sr. Joaquim Uaptisla
Jlureira, u a favor do Sr. Amonio de Paula
Kerualides Eiras, a um mez preciso; queren
do restituir.o seu legitimo douo visto ella
nao servir par. quem a liver achado pelo
aceitante estar prevenido para a nao pagar
senSo ao mesmo Sr Eiras.
Precisa se d-i um caxeiro para a pa-
daii. da ra larga do Rozara n. 48; a Ira-
lar na mesma.
Ju3o Vicente da Silva Costa avisa as
pessoas a quem linha communicado, que se
inudava para ra do Livramenlo, que dei-
xa de o fazor, tendo j se desoiier.ao lot.l-
oiente ua cas. para com a pessja locadora ;
pelo que p le ser aiuda procurado eui casi
de seu sogro na ra da Sal. Crnz n. 66.
--N.ru. da Cadeia de Santo Antonio n.
U, seguudo andar, bord.-se de matiz e seda
por pirco coinmodo, e tambem f.z-se Ion-
ios ue relroz com perfei(o-
Hospital regimental d. Solidade tem de
serenado, e piulado, quem quizer contra-
tar este sorvico pode uirijir-se ao mesmo
uos ui.s 8 as 9 horas do da.
--A mairiz de S. Aulouio.lom de fazer gri-
lam.s para os altares da masma lgiej, e
para isso convida .os Sra, entalnadures, que
quizer case servico, compaiec-irein na mes-
ma matriz, las 10 horas as duasda (ardepara
cootratar-se que sera preferido a quom
ior meuos fizor, seguudo o modelo quo se
onvencionar.
Aluga-se um sitio no corredor da var-
oe.bem plantado com casa para graiilefairi-
lia,para testa e.por auno : fallar na ra d.
Cdei. do Recife n. 61.
No dia 1 ', as horss da Urde, na ra
daa Flores, a porta doSr. Dr. juiz de sen-
les, se I.Bo de arrematar um ovallo e m.is
despojos do tinado Manuel Vieira d. Rosa,
assim como o reslo dos despojos do Pinado
G augeiro.
Precisa-se allugar um preto : na ra da
Gloria relinacaa n. 111.
--JoSo Cavalcant. do Albuquerque Wan
ilcrlei abaixo assignado e morador ueste ci-
dade declara, que o moleque Luiz, crioulo,
quo veudeu para esla mesma cidadn foi pre-
so recolnido a cadeia a ordem do Sr. Sub-
delegado dos AfTogados lne pertence parte;
por quanto tendo tlenlo su. a> no
termo de SerinhSetn. o representando
o aballo assigtttdO, ontao menor e
o..is dous inaSos. a seu finado pai
Antonio Ferreir. d. Cruz, teve de tocar a
ellos tres, de heranca. a escrava crioula de
nonio tlaria ; porem aeu to Manoel Ferreira
da Cruz hoje morador na freguesia da Esca-
da, que foi o invena ante dos bens, apos-
sondo-seda dila e>crava nunca a entregou,e
em seu poder leve ella dos lilhos Cosme, e
c-ie Luiz ; e constando agora ao abaixo as-
signado quando seu tlu trata de vender es-
les escravos, o abaixo assignado rog. as au-
Ihoridadea quem competir nSoenlregunm
o dito escr.vo preso aeu lio, e nem a outr.
alguma pessoa, at quo o abaixo assignado
roqueira seu direite pelos meios compe-
tentes.--JoSo Cavalcanlc de Albuquerque
Wanderlei.
re..-
blicalo na Imprensa- n. 259 de 28 do
cerrenle mez, em que pedo p.ra que nos Per-
nambucanos devamos preferir e comprar
lollio os das loteras da nossa provincia, es-
toudoaccorlo.uma vezqueo plano das nos-
sas loteras offerecam as mesmas vantagens
que as d is I. toi las do Itio, como o plano da
loteras do N. S do Livrmenlo se acha'mu:
lo mal organisado, e nao anima de maneira
alguma os amantes deste licito joxo i con*
enrrerem para o prompto andamento dellas,
custando um bilhete inleiro 10.000 rs. para
se tirar tmenle o premio de 4,600,000 rs.,
liquido, he biuilo mais vantejoso arriscar-
se 11,000 rs., valor de meio bilnetada lote-
ra do Rio de lanoiro, para gauhar 9:200,000
rs. liquido, o qual se vende na p.'.ca da In-
dependencia n. 13, e 15, loja de calcado do
Arantes, e est firmado com a assignatura
eni brevo de Ferreira nossa mui digno cau-
telista, que paga sem descont algnm logo
quaclicguo do Sul o vapor, quo vanlagoii
para os-amantes deslo 19o licito jogo.
' -- Ttelia-se justa e comprada a casa da
ra do Padre Floriano n 68 : quem se jul-
gar com algum direilo, ou hypotneca, an-
nuncie por estes 4 diss.
-- Itorda-so com perfeicilo do mmlo bom
costo reposteirns e bandeiras, o mais obras
Na mesma esa paga-se 480 rs. por caada
de azeite: ni ra estreita do Rosarlo 0. 37.
. I'recsa-se de urna preta captiva, para
o servido de urna casa franceza : na ra do
atierro da Ra Vista, loja n. 1.
Precisa-se em blinda, de um pequeo,
de 19 a 14 anuos, para caixeiro de loja de f <-
zenl.s e miudezas, prefere-so poriuguez 1
a tratar na ra da Cadeia do Rccife, loja
n. 14.
Precis.-se do um moca, que tenha as
habilitares necessarias, para exorcer o lu-
gar de cite.ro, em urna casa de negocio em
Maru.nguape : quem pretender, dirija-se
nestes 15 a ra do Vigario n. 33.
Na ra da Mod. n. 7, primeiro andar,
fazoro-se espan-idores da melhor qu.lldade
possivel, por prejo commodo, a contonto do
comprador.
Antonio Jos Ribeiro Bastos, embarca
para o Rio de Janeiro, o seu escr.vo, do no-
me Elias.
-- l'reciss-se do um moleque, para urna
casa de pouca familia na ru. Nova, loja de
cutileiro n. ni.
Precisase do um fetor, par. um pe-
queo sitio nesta cidado ; a tratar no Hospi-
cio no sitio de portas verdes, junto do d.
Viuva Cotilla.
Napoleo Gabriel Hez embirca pira o
Itio de Janeiro, seus escravos seguintes.Luiz
e Vicente, crioulos.
Precisa-se slugar um armazem que sir-
va par# se bular qualquer estabelee.manto,
e mesmo comprando-so alguns objectos que
contenha a dita casa, sendo na* ras seguin-
tes : ruada Cruz, ra da Cadeia, praca do
Commercio, rus do Trapiche, e Vigario;
quem liver annuncio para ser procurado ou
iiirij.-soa ra da Madre-Je-l)eus, taberna
n. 36.
Antonio Jos Ribeiro Bastos, embarca
para o Rio di Janeiro o mulo fie creoulo de
nome Jos.
Aluga-se um sotao com alguns com-
modos o muito fresco, proprio para 1 ou 3
rapazos solteiros na traversa dos Qnart 'is :
a tratar ni ra da Floremiua n. 30.
Aluga-se por preco commo lo para pas-
sar a Testa, urna el'gante casa terrea, com
bons commodos para familia, tem dous so-
taos, um dellescum bonita vista para o mar,
mesmos e bom tratamonto.
-- Prpciza-sede um puitumicz que sej iuizo das mudancas de tempo pe- g vn le-se um coldre enma mantaga-
perito em plantajes d atio, e saiba ti- l ,nptinrn
rar formigas, quem estiver neatas circuns- 'osmeccoros,
tandase quizer trabalhar no sitio na travs- mentos dos parochos em todas as!'ment.
a do Remedin. 21 entenda-se com seu f,lnrpR.a roli'irin.ao o liman rnllp-
ropriel.no, o Porteiro d, Alf.ndega dcst. lunc?0" religiosas, } um CO le
cidade, na mesma ropaiticao que a vista da ccoes de anecdotas,bons ditos,etc
prova quo der desabero que cima se desa- 0ulraS a Confissao do marujo e OU-
ja, e da sua boa conduela &.&. tralar-so-he ,. r ,
doaiustc. trasalinguagem das llores, Inicias
-- Precisa-se de um negro para o servico e joeos de finezas de flores e breve
de paitara ao tarro da Boa Vista, casa nu- ,- ..
mero 33. salurao as de almanak, mnito acres-
J8**#!e*.tSt centado c corrigido : vendem-se
i Paulo nlsnoux, deotlnta g n livraria da praca da Indepen-
2, irniiccz,oiTci'cce *e prest- a o
moao punllco pura lodosos W aencu n. Oc.
nii-i. rt de sun prossao: Vndese em casa de Adam
I cspursrsr!?& i ?%H,rsfc vrpanWi' ? rr
ra liirgn dn Rozarlo, 11. 36, # do Impidi n. '1 >., panno de al-
scjuiui^ aiidur. K >d5o para saceos de assucar ,
-Alug.-se um bom sitio no lug.r do mqito superior e barato.
Cordelro, a margem do C casa, estribara para 3 cavallos, casis psra i _, 1 .._ J *.. J, .;
pretos e tenor, poma, ejardim; airim como mglezes de couro de porco, d pn-
baixa, com cip.m e muiu ortaice-. aira- meira qualidide : encasa de A
.nd.r."arUa doQue,,naJc,n-30' sogu"lu damson llowie & Companhia, na
'ra do Trapiche n. .2-
Bilheles do Rio de Janeiro.
-- Precisa sido urna criad., smanle pa-
reo servico de coziutia e comproa, para
urna casa de muilo pouca familia : na ra
do lio an 1 da Boa-Vista, sobrado n. 32
l'recisa-se alugar urna escra-
aos 20:000,000 de rs.
Na loja de miudezas da praca da
va, que seja boacosinheira c com- Independencia n. 4 vendem-se
pfadeira, : quem a liver dirija-se bilhetes inteiros, meios, riuartos,
a ra da Assumpco ou muro da oitavon e vigsimos, a beneficio da
segunda lotera do Hospicio de Pe-
dro 11 que ficou para correr no
dia a5 011 i" de novembro.
Bilhetes do Rio de Janeiro.
Aos 20:000,000 de rs.
O cuitelista Salusliano de Aqu-
no Ferreira,' avisa ao respeitavel
l'enha n. 16.
Hotel no Honteiro.
Domingo, 16 do corrente, abre-se este
eslanelecimento com as seguinles pro-
poredes:
Sala mobiilad. e independonte, para as
familias, quo indo a pauseio qoizerem des-
cancar.
0 mi lo- preparados para dormida.
Kspacosa e bem arejada sala de jantar ,, pU[,|(COl que no dia li OU 5 deste
com capacidado de aervir 40 pessoas. \\___ j.,l u___,| u| ,,.
Sotl para recreio e passeio. | ",CI. deve chegar d? Sul vaPor
F.stribariaoarraniosparacavallo, d romp mliia brasileira, conduc-
U^}^^j^^^T^&?' da "ta da stima lotera do
bandejas etc .lo. theitro de Nictberoy, e paga sem
Tudo por preco muito rasoavel, con-l anancia alguma todos e quaesquer
tent dos prcten lentes. l-h. .
' COU-EGIUESPIRITO-SANTO. premios que salurem nos bilhetes ,
Director, francisco de Salles tflbuquerque: me0S, quartos e cautelas, vendi-
Conta o cullegio Espirito-Sanlo, sito i.- .
na ma do Homiego, uo bairro d. Boa-'dos na praca da Independencia i.s.
Visla n. 44, un. annode existencia, o o seu t3 e i5? loja ilo calcaiio do Aran-
director se coinpraz di haver roilsado a sa-i p.j-:- Aa let.,|e
lisfacao de urna das mais urgentes necessi- le9> e na ra aa uaaea ao itecue
Judos da paiz, qual sej. a de um eslab deci- n. 4^ loja de miudezas e tam-
inentobem dirigido e regularis.do. ondea fa f sciente ao respeitavel pil-
moc.dade leceha conveniente educac^o. = .1 r
Bom desanimado concebera o drcelor do bllCO, se por acaso Vier 0 resumo
collogio Espirilo-Saiito, um tal proj c- da extrar50 ai segunda lotera do
to, porque a lodos os respeitos o considera o ,
superior ssu.s for?is; mas conli.do por Hospicio de L'edro II no Jornal do
outra parte no poder de sua voniade, nos Commercio por elle responsibe-
desejos do seu coradlo, enos consdhos do .. .,,,.,
amigos prudentes, nao duvidara de o por lisa-se a pagar em continente sem
em pralica; e hoje suas esperances se descont al^utn todos e quaesquer
acham atceito poni roalisadns, porque no 1 refiTiili lotera, nos
pequeo espaco do umonno h o seu colla- premios a rele ida lotera nos
gio colindo excejientes resultados, se.. 10 lugares cima mencionados. Ae
'S*.
w ja>
- Vende-se mill.o novo em saccas de al-
qneire raso, a 2,500 rs.: na coxeira do For-
te do Mattos.
-- Vende-se um r.logio de onro ptee
sui.so, bom regulador; um Irancelim de
ouro de muito bom gosto, com o peso de
7 1|2 oitavas : quem quizer, annoncie
Vende-se urna negra moca, proprii
ra o servico de campo : a tratar na ru
Cruz n. 8, tercero andar.
Vendem-se 2 armarios, com altura ds
8 palmos, proprios para guardar ditersa*
cousas : no becco da Lingoets u. 8.
Vende-se, para Tora da provincia, urna
scrava creoula, con 18 ann is, tem boa (1-
guza e he recomida, sabeengommar, coser
ejozlnhar: na ra Nova n. 16.
Ven le-se um inuleqot) rreoulo lie hp
nita ligura e muilo lina conducta, s aafa
de para a provincia : na ra da Cadeia m *
Santo Antonio n. 14, sgun lo andar.
Vende-se um silhJo do senhora con
dos os seus pe teneos por preco commoi
por a dona si retirar para fr. da torra:
quem pretender dirija-se a ra da Senzalla
Velha n. 46.
Vcndem-se ptimas canoas de lodosos
tamanhos, vindas do Pilar, provincia das
Alagoas, por precos commodos : a tratar na
ra do Livrmenlo n. 16.
Cembraia de seda.
Venlein-se os mais lindos cortes de carn-
braiadeseda com 13 covados cada cortea
6,100 rs.cada um, ditos de cassa decores.
2,uoo rs. octte : na ra do Queimrdo 11.19.
Casemiras baratas.
Vendem-se os mais 1110 lomos corles de
casemiras quo ha no morcado a 4,500 rs.,
tondo grande sorlirnonto para o comprador
escolher: n. ru. do Queimsdo n. 19.
Faz-se todo o negocio.
v- n !-- mi 1 obrig.icn, de passado por
Cl.udino dos Santos Lupes C-is'ello Brinco,
mestre do primeiras letras na villa do Cabo,
da quantia de 180,700 rs.; na ra da Cadeia
do Red fe n. 8.
DEVERES DOS HOMENS,
a 5oo rs.
Vende-se este compendio .provado para
as aulas, 'em meia encadernaclo, a 500 rs.,
oda um: na livraria n. 6 e 8, da praca da
Independencia.
'-- Ven lo-se um torrador eum moinho lu-
do em uzo ; vende-se por seu dooo nSo
querer continuar: na venda do pateo do
Carino n. 13.
II ivaiio-. puros.
Na ra da Cadeia do Rocife n. 50, charu-
tos de llavana puros a lOgOOO rs, a cana.
-- > inloiii-.-o no armazem da ra da Ma-
dre de Dous 11. 31, peneiras de rame, pro-
prias p.ra padaria e rilinac3o, azeilonaf,
mllio, feijil i, ceblas e batat.s, ludo por
preco co.nni uto.
'
S. Flix.
que neiiliuin recelo lem de offeiecer a re- 1 eslam no resto
e para o Recite, na.ladoir.i d. liiquinha eu. I cjiiuten lacHu das posso.s que s5o cap.zes .. .
^ 1. b. Vollmaier afinador de pianos 9
0 faz scionte .0 respeilavel publico des- ?
f0 sa cidado,que so ada prompto a qual- *9
S quer hora do dia para exercer o seu %
ofllcio tanto na cidado.como nos seus a)
arrebaldes, precos muito favoraveis, m
P le ser procurado na roa da Cruz %
n. 38.
i
Baile n.2l
Precisa-se de urna nogra, p.ra ven ler
na ra e fazer algum a-rvico em casa : 1
tratar noat-rro da Bia Vista, v.nda n. 43
Na roa Diro.ta, junto do becco do Seri-
gado n. 89, segundo sobrado, prjcisa-se de
urna ama do casa para l.omom solteiro, mais
nSosen lo moca.
Na ra do Mondego n. 42, ensinam-sn
o-oi.iv.is a engommar com toda a pe lou-fio
e asseio : quem se quizer ulilisar, dirija-se
a mesma que acnar com quem talar.
Precisa-so fallar ao Sr. Manuel llallli 1-
z.r de Ulivoir Bastos, roga-se-llie pondo
annunciar a sua murada, ou de dingir-se
ra do Vigario n. 19, escriplor.o de Machado
& Plnheiro.
Juliiloios de Araujo, remelle para o
Rio do Janeiro, os seus escravos Frar.celina,
cabra, e Norbcrto, crioulo, ambos do me-
nor idade.
l'recisa-se alugar uina ama
de leite, para acabar de criar urna
enanca de selemezcs, preferindo-
se preta e captiva : na ra da S.
Cruz n. 66, defronte da ribeira.
Urna mulher se oRerece para ama de
casa de pouca familia : no pateo do Terco
u. 1, segundo andar.
U abaixo assignado, ratifi-
cando seus annuncios pelos jor-
naes da capitil em 1847 e iJ'iq ,
pelo presente declara, que conti-
na a nao assignar e saccar lettras
de pessoa alguma,porque nao deve
e nem tem transacoes a azer, por
cujo motivo ser c he falso qual-
quer papel assignado pelo annnn-
ciante dessa natureza ; assim como
l iiiiIjciii declara, que toda e qual-
quer pessoa na mesma capital e na
cidade do Rio Formoso, como j
a 11 nu>ition, nada tem que procu-
rar do annunciante, por qualquer
divida que em seu nome se faca
por pequea que seja. Kngenbo
Gindahi dafreguezia de Scrinh3em
em 10 de novembro de i85i.-Joao
Mauricio de Barros Wanderlev-
Adverlo-so ao Sr. Bernardo de Albu-
querque Fernandos Gama, que o seu corres-
pondente nesta praca, 11 "10 tem pago a subs-
cripco do Diario.
Precisa-so de um homem par. feilordo
engenho, muilo peno desta praca : na ru.
Nov. Di 67.
Alug.-se urna casa terrea com slito'
no sitio do Cordeiro, margem do rio Capi-
banbe, con. commodos para grande familia,
cosinh. fra, cocheira, estribara para 6 nu
8 cavallos, e quarto para criado ; uina dita
mais pequea no mesmo sitio, tambem con.
coiinii i-ios para familia, cosinha Tara, e es-
tribara para 4 cavallos : para ver no mes-
mo sitio, e para tratar cam Gabriel Antonio,
no pateo do Carmo n. 17.
Attencao.
O arrematante dos imp slos das
afencoes, das uceabas dos mscales o boen-
leir.s, mudou-se par. rus das Agoas Ver-
des n. 25.
Manoel de Almeida Lopes, com casa
de consignadlo par. comprar e vender es-
cravos, Unto p.ra esta provincia, como pa-
ra fura dola, mudou a sua residencia da
ra da Cadeia du Rute, n. 51, para a ra
Meios bilhetes
Quartos
Oilavos
Vigsimos
desapreciar IrabnHis desta ordem. Ja por
I diversos eouuncios ha o director feito pu-
blico, quanto inteossa saber cerca d.
economa interna do collogio, e ordem das
materias quo uello so ensmain, com a Indi-
cacao de respeciivos professores, e da clas-
sicacno dos alumnos, e tai lio a cunliain; 1
que tem em si eemseu estabelecimentu quo nimn Irmos,
constantemente lia convidado as pessoas
queoquizeremveiilicar a r.ze-lo por ins-
peccOo pessoal, visitando o esUbclecimento
a qualquer hora do da. Hoje sobreludo o
diriclor se dirige aos pais do familias mora-
dores fra da cidade, para quen: muilo es-
pecialmente foi o seu estabolecimeuto pro-
jectado. He verdade incootestavel, que um
losoinharacos com que lula a educacSo da
moc.dade nosta provincia, be a falla de una
casa dC ensino, para onde sejam devida-
mente enviados os filbos d.s pesso.s quo
habilam fra da cidade. A ma direccap dos
esludos primarios, a borda da moralida 10
com que s3o educados no lar paterno, a ral-
la dos disvellos que lid indispeusaveis na
primeira infancia, o descuido acerca da sau-
de dos meninos, so obstculos quo desa-
lenlamos pas Je familia na i ac dse apar-
tarem de seus lillios, em una Idade em quo
as primeiras impre/asois se perpetuam, e
deixam consequencias que .companham a
existencia al a miis adiantada idade. He
sobreludo n. remocnodessesemb.r.cosque
lia 1 ens.do o director do collegio Espiri-
to-Santo. Um meiliodo fcil adaptado
11,00
5,5oo
2,800
i,3oo
Venle-se em casa de Kalk-
na ra da Cruz n.
10, um ptimo pian 1 dejacaranda
com exrellentes vozes, chegado ul-
tima'itentc.
Muzicas para piano.
Vendem-se varios peJ.cos de muzica, ti-
rados das melhorcs operas e d.s m.is mo-
dern.s para pi.no s, e juntamenlo canto
com acompanli.ment 1 n. ra Nov., loja
n. 8.
He baratissimo, com a vista se po-
de conhecer, na ra da Cadeia,
loja de miudezas n. 17.
Vendem-so lavas de pelica brancas o de
cor, paras'oliore, a 640 rs. ; ditas de seda
brancas o pretts, a 500 rs. ; ditas de fio da
Escocia, a 4'in rs.; ditas da mesma qtialida-
de, a 200 rs. c.i la par.
He baratissimo, com a vista se p-;,
de conhecer, na ra da Cadeia, ,|
loja de miudezas n. 17.
Vendem-se luvas de pelica pa>a homem, a
Chegou urna nova porc3o dos bem acre-
litados chirutos, e sa ven lem na ra do
Queimado n. 9, por 3,000 rs. a caixa.
Frezuntos
Vendem-se prezuntos americanos, muito
a superiores e pur barato pfeco : no caes da
. I Alfinlo^a, armazem defroote da arvore.
1-j -- Veude-su um dio rao para iifflcial de
cavallnria. un rologio patente SQiSlu e urna
cama de armacao : na ra Nova 11. 16.
Vende-se urna pret n.dl., vendedeira,
1 1/111 no ira, lava bem o l'.i/ o 111 ais arranjo de
casa, por :l "1,0111 rs : na ra larga do Hoza-
rlo, loja 11. 35.
Vende-se um escravo pardo, de 15 an-
uos di iaade, optiajM para pagem, som vicio
Igum o que sjtliaiica: em I'ora de Portas,
casa o. m
Vcnham ver.
Vendem-se na ra do Queimado, loja n.
17, chapeos de sol do seda cor de cafo, su-
periores a 5,500 rs., corles de casemiras da
cores escuras 3,840 r?., chiUs francezas
Gnas e de cures lises.210 rs. o corado,
o niiliiaiis francezas de cores modernas a
560 rs. a vara, pecas de cambrai. lita iniii-
to lina cooi 8 f i-1 varas a 3,500 rs. cada peca,
cortes de cassa pintada a .OjO rs., e otitras
fazendaspor preco muilo barato. Dam-se
as amostras com pent.ores.
1. ni sobrado de dous andares.
Vende-se um sobrado de 2 andaros e so-
tilo com bom quintal m irado,D. il, na ra
estrella do Razano : a faH.r com Jos Mara
DUaIHa
"---------..- > I 1 I V. 111 -> ..^ IFi I 1 11 .1 1,1/11,1 III,
inteligencia dos meninos, o respe.lo mais ;800 rg JUs de Skj e ^^ g 6W ps dUBg
inviul.vel aos principios da religiao, o o de lio da Escocia, 400 ra4 ditas da mesm
moral, urna regulandado da conducta nao
ureju licad. pela falla do refocillamenlo ne-
cessario asdebeis forcas da infancia, Ilimi-
tado disvello quanto salee Iralainoulo
dos meninos, urna localidado quo prehen-
cha todas as cundidles hygienicas, provi-
cncias acertadas* prudjr.ics respoito do
alimento, dormida e ina.sfunccOes pl.ysio-
logicas iicssa ida-la 13o impressionavel, lis
os, pontos sobre que o directo lem appiica-
do todo o seu estudo e cuidado ; o julgar
pelos resulta losqueha coihido, elle se ani-
ma a flanear aos pais do familias, que lne
Iii/er.'iu conliar a educacilo de seus flhos,
que o collegio Eipinlo-Santo, -r he pro-
prio para remover as duvil.s que por ven-
tura conservem aquellos respeilos. O di-
rector espera por tanto, que seus esforcos
nao serilO depreciados, e que o seu collegio
sera honrado com a couil inca daquell.s
pessoas que sabem quanto vale um. educ-
cSo acurada, e que no progresso e desenvol-
v ment da geracSo mcente, veem o ver-
d.deiro germen de nosso eugr.ndecimouto,
ede nossa futura prosperidade.
CaOiiipras*
Compr.in-se escr.vos e vendem-se de
commissSo, para dentro e fra d. provin-
cia : na ra da Cacimba, sobrado n. II, on-
de morou oSr. vigario do Recife.
Compra-se urna societaria, que seja pe-
quena e em bom estado I no aterro da Boa
Viga, luja n. S.
Compra-se urna preta, que saiba h -m
cozinhar eengomm.r, agradando paga-se
bem : n. ruado Amorim n. 25.
Vendas.
F(ILII!\ll.iS PARA 1S52.
Suliiiain a luz aS tolliinhas 1111-
pressas nesta typographia, sendo
de porta a 160 rs.,"c de algibeira
a 3ao rs conteado todas as de al-
gibeira alm do calendario, a de-
iua ua i.auoia uu navno, 11. ai, painarua f. i .
! da Cacimba, n. 11, aonde morou o flnado| hnicao dos corpos celestes, astro-
. 1 400 r.i
qualida ie com mofo, a iOO r-.; ditas bran-
cas daalgodao, a 240 rs., editas de cor com
mofo, a 100 rs. cada par.
Capellas o ramos de flor de Laranjt.
il'ende-so capellas de llar de laranja muito
finan com os campolentes ramos para por
no neiio do vestido o por preco mais com-
mo 10 lo que em outra qualquer parle, na
loja do mu ic s da tua Collogio o. 1.
Lencos de seda.
Vende-se lencos de se la de urna s cor
pelo baratissimo proco de 1,280 rs., e meios
ditos pata pescoco do homem : na loja de
miudezas da ra do Collogio n. 1.
Balancas romanas.
Vende-se balancas ro nanas para pezar
32 libran, ditas para 25, e ditas por 16, sem
se proco/ ir de pezos: na loja de miudezas da
ru. do Collegio o. I.
Manleiga sem sal. t
Naos linha descoherlo ale hoje um meio
de conservar, a manteles de vacca sem sal. |
Nos painel consumidores, como a bordo dos
navios, s se gastavSo manteigas preserva-
das a cusa de muito sal. Pelo meio de urna
nova in\ an; 10,1(1 ja ha muilo experimenta-
da.dquirio. ceile/a d. p'il'oicao, pode-se
em toda ap.rtedo mundo gastar manieiga
perfeilamente consrvala freso, sem a.l al-
gum. Cbjecto de primeira necessidade par.
a arte culinaria e para a meza, a manteig
sem sal he indispens.vel par. osdoenleae
convalescentes, pois he formalmente pros-
cripta pe. homo quitina ; e nesleultimo ca-
sa ella loma-so tanto mais apreciavel quan-
to he pur. de qualquer substancia que a
possa alterar nos seus benignos oll'eitos. Fi-
nalmente podegaslar-se tal qual nos paizes
productores- Na llavana e as Aotilbas fran-
cezas esla iiivoiicao foi recebid. com grati-
Io, pois erado ba muito lempo apetecida
l-ui P.-rnuubueo, que niln cede em bom
nosto a outro paiz, niio iluvidamps que seja
oooiiiiocuio o seu merecimenro. Itecomen-
da-se a manleiga sem sal as pessasque gos-
1S0 de passar bam : ha toda a certeza de
que depois que a tiverem prvido nSo que-
rerilo mais saber de manteiga.salgtdas pa-
ra saui al moco, e para seus Shas. Acha-se
a manleiga frese senifaf ror proco mdi-
co no botequim francec da raa nova, e na
venda do Fontes, & InnSo : ruada Ctdeia do
Recife.
Placido.
Sobrado em Goiauna.
Vende-se, muito em conta,
bonito sobradp sito na ra
Meio, n. 58, avahado em
i:oonSooct, emo qu rsula U ma das Virgens e sua
11 mo 1 Joaquina Uves de l'aiva na
import inci.i de io7,473 rs. quem
retender dirija se a caza de Kal-
minn Irmos, ra da Cruz,
a. 10. ">
i'
mu do Collegio .1. 4.
Novo sorlimnnto de chapeos de sol, para
hoaem e senhora, a saber -chapeos dn
sold se la, armacilo de baleia, de 4,500 rs.
para cima; ditos ditos para senhora, do 4,000
rs. par. cim. ; ditos de p.nno lino, de r-
mae.io de baloi. e de ferro, de ,60o a 3,300
rs. ; ditos ditos de armacHo de janeo, de
1,200 a 1,800 rs., todos limpos: grande sor-
timento de sedas e pannos, em pecas para
cubrir os mesmos, baleas p.ra vestidos e
esparlilhos de senhoras. Concertam-sa to-
das .8 qualid.des de chapeos deso, tudo
com perfeicSo e por meaos preco do que em
outra qualquer parte.
itv^Wffffftuffvvtfff'S
Deposito de tecidos da labri-
ca de Todos os Santos,
na Bahia.
Vende-se em casa de Domingos Al-
vea Malheus, na ra da Cruz do Re-
cifen. 52, primeiro andar, algodlo '
transadodaquellfebrica.muilopro- ^
prio para saceos e roupa de escra- ^
vos, assim como lio proprio p.r. re- ^
desdepesc.r e p.vios para relias, i
_. por preco muito commodo. .
4Ai**A**0*AA* *******
Charutos de llavana
Oa superior qualidade : vendem-se no ar-
mazem de Kalkmaun rmeos, na ra da
Cruz n. 10.


A*bs20:0,00,000, 10:000,000, 4:000,000
. 2:000.000 e 1.000,000 ders.
Ni Joia ila Viuva Vieir & Fillios, ni ra
da Ciflia do liedlo n. SI, rccoberim pelo
vapore. Salvador, entrado do Rio de Jinei-
ro, no da 20 do correle, a Mata da 18 lo-
taria do theatro deS. Podro de Alcntara,
28. lotarja beneficio do Monte Pi o Ceral
dos Servidores do Kstado, o pelo mosmlfka
pbrcljgarailosmui afortunados billicf e
'CUUcllas_ili -. lotera ;i booelicio d i tbea-
_. "PoTle Nielhoroy, e 2.' lotera a beneficio do
"lospiciolle Pedro II, dosquaes vem alista
no primeiro vapor, c trocam-so por bilheles
premiados das loteras do Rio de Janeiro
de'sli provincia.
PfiCHINCIlA.
Ainda existe tima pequea qtian-
tia das superiores cokas de linho,
do mellior gosto que tem appare-
cido no mercado, pelo barato pre-
co de 10,000 rs. cada tima : na ra
do tyhimado, loja n. 17
1- Vende-se cimento a 8,000 rs a barrica:
na ra .Nora n. 33; assim como urna verga
de pedra para porta.
-- Vende-se um rouleque cr.oulo, de ida-
de 18 a 20annns : na ruu Direita n. II.
Vende-se farinha do Maranh.lo a 100
rs., araruta a 160 rs. : na ra Direita n. 1*.
Dinheiro vista.
Vendem-se pelo custo selins inglezes.for-
rados de couro de porco, ditos de borranha,
ditos desoa com estufo, sillines para mon-
tara de senhora, > 1 v;. 1 las rolicas, ditas
chatas de lust'O, esporas finas do metal
branco, estribos de metal hranco, ditos de
ac : na ra BlTI n 28, loj de selejro.
No armazem de Jos Joa-
quim Dias Pernandes, da Iravessa
da Madre de Deo* n. la, lia para
vender, caixas com cnxofre; dirs
6gr Araruta a 1,600 rs.
Na ra do Rozario n. 43, vendem-se latas
com bolachinhas de araruta do Rio do Ji-
neiro. pelo comrauJo preco de 1,600 rs. a
lata. *
Vertdem-sc porlOes, portas e sacabas
de pedia com soleiras de granito, deposita
jdasdefr'onte Amaro : a tratar, na ra da C'uz do Rerife
n.5l.
-- Vende so a grande casa terria, sita na
ra do Mondogo, n. S6, perlenceiilc a Rila
Mara da Paix3o, He urna das casis mclho-
res construidas esta cidade, ten Jo grandes
.iccommo lecc.,, frita com mu ta seguran-
za acio o dirjaoslo moderno. Tem cin-
co janellas di irj:lu.', com grande portan de
ferro ao lado, qnalro'salas, dez quarlos,
-----;---------L^-4
jJombas dp ierro. Deposito de cal c potassa.
Vendem-se botrfblto de repuxo, N0 armazem da ra da Cadeia
pndulasfi picota para cacimba: doHecifen. la, ha mnito supe-
na ra 'do flrum ns. 6, 8 e nor cal de Lisboa, em pedra, as-
fundicao de Herr. sm como potassa chegada ultima-
larmha de mandioca. rente, a precos muito rasoaveis.
A mais nova o mais barata farnliavde ...Vende-se um excellente sitio em Be-
mandioca que ha no mercado, vnde-se- ni bvibe, porteneente ao Padre Francisco Jos
ra da Cruz do Iterife, armazem n. 13, de de.Lra; a Tallar no mesmo sitio, ou na
JoBo Carlos Augusto da Silva. ra daOvurora n. 62, segundo andar.
Azeite de carrapato da labrica de t_,asa de commissSo de escravos.
Aranji) ft Filbos, no Fenedo. Vendem-se escravos e recebem-
fablicado n/ao-Ktr:.m^gVrdnoqalz0e'.,e ? de commissao, tanto para a pro-
ilocn o de c-ro, para qualqucr qualidade de V1I1CI Como para lr i di'lia, para
hypolhecase com o conscniiiiicnto dos mes-, te de carrapato commum, nemrm nada Vende-SC um Carro tle q^a-
mos cre.lores hypothccaros. As ftessgas delleseassemelha. Vende-se em barrz do tro rodos, iilllilo leve, para.'DJ OU
auo a prclonderem, queirilo diiiii-se ao ic caadas a 2,400 rs. a ranada, no armasen! ,. 'i!.*iii-
-.ato, na ra d Caalcia do J. J. Tasso Jnior, rua do Amorim n. 35. dous Cavallos: na Coclieira b
Sr. Jos Antonio It
do Recito n. 34, qual se acha cou\peteole-
inentc autorii'ada^>iira o ajust.
Vendo-so 0 cugenlio Lagi Iteilonda,
no districto de porto Calvo, urna legua em
distancia dessi villa, de superiores trras,
tanto de cinna, como de mandioca e tudo o
miis ; h j composto de grandes varscas.o do
no aterro da Boa
iMoinhos de vento goel Sougei
eom bombas do repucho para regar hurlas Vista.
d haxas decapim : vendem-se na fundigao Tnlxns pun ciigcnlio.
deltowman&Mc. Callum.na ra do Brum "Ja.fondicflo de ferro da ra do Hrum.aW
ns. 6.8 o 10. ...t- j.-----1-----------------.. ....1-----1
CRAXA ECONMICA EM MASSA.
lio insigne fabricante americano, James
Manon. A sua compoalcilo he feita de pro-
posito para lustrar com agoa o conservar o
lustro, lano de invern como de verfio ; a
grande vantagem quo ha nests graxa he a
conservado do calcado, e luslrarjm-se os
sapatosou botins ainda mesmo jjfolhados,
e urna pequea lata aturar mais oo que tres
boiOes, e custar menos do queum. Vendo -
so em barricas, ou porcSo de duzias, no ar-
mazem de Vicente Ferreira da Costa, na ra
da alad'e de Dos, e na ra do Amorim n
35, armazem de Tasso Jnior.
Vende-se no Maranho, a fabrica
de bugias siarinas e sabSo.
Os administradores da liquida-
queira : quem o pegar lcvt-ro a ra
da Cadeia do.Recife n. ai, quese-
ra recompensado.
Gratificare com ISQS
Na noile do da 22 lo passado (orara da
somraminhados, 3 escravos, sendo uma rirn
ta eriouli, do nome Floriifda, prenha j
idade que representa 24 annos, tendoossi
naes seguintes: denles limados, altura re
gular.tem o ar desrarcado.a qual r*i do fran"
'J cez JSo Lobato fabricante de chapeos deso
a-ra do Passein, e o motato Bazlllo de ij,'
dffqliq represente 19 annos, espigado; e com"
bjsao levou vestido calca e cgala*Me ri<-
cartiiibo azul, e chapeo de couro, lu natu-
ral do Ico, Antonio mulato de idade den
annos pouco mais ou menos; levou cal-
ca de ganga amarella de quadroa, levan-
do tambem outra calca de g'nga azul tem
os dentes limados: pele-se aa autoridades
i'oliciaes, ou quem os apprehend"r. de o
levar a ra do Collegio n. 4, flue'logo rece-
bera a quanlia cima mencionada.
Continua a estar fgido desde o da 13
do pasaado, o moleguo de nome Mamdle
ulo, q> idade de*5a 16 annos, bastante'
com azeite lino em garrafas; dito -
con vinlio muscalc ; farinha da
marca SSSP e fontana, e outros
gneros de estiva de diversas qua-
lidades.
Figuras c vasos para jardim.
tChegaram do Porto as melhores figuras o
visos para jardim, do louca fabricada na-
qnelle paiy as amostras ostam patentes pa-
ra quem qWlzer comprar : qa ra da Codcia
do Recife n. 38, ou na ra do Trapiche n.
40, segundo andar.
Vende-se por prego commodo urna com
moda em bom uso: na ra do Apollo, ar-
masen) n. 34.
CIH" 0RAZII.EIRO.
Vende-se cha bfasileiro em litas de libra,
a 2,000 rs. ci :,i umn j quem, considerando
que o cha da India be preparado com o mil.
e secco dentro devasilias de cobre, c por
consequencia impregnado de mileiias venc-
Dosas, que alTcctaui a saud nio preferir
de certo o cha brasileiro, que he preparado
de um mulo muito simples, o secco sobro
laminas de ferro,tornando-se por.isso mesmo
muito mais saudavel : no paleo do Collegio,
cisa do livro bzjI. /^
Vene-se, por prcro com-
modo, fumo em folha,, para cha-
rutos de primeira c segunda qua-
iida les, macella ebegada ltima-
mente do Porto, e cal virgeni de
Lisboa tambem desembocada
poneos dias : o tratar no armazem
de.Dias Fcrreia, no caes da al-
iaodega, ou com Novaes c< Com-
panhia, na ra do Trapiche 11. 3.'|.
-- O dono da fabrica do charutos, da ra
Nova n. ^6,avisa a lodosos seus ficgurzcs
c s mais plSOU que se quizerem ulilisar
dos seus muito apreciaveis charuto*, que
agn tem novo sojlimento, que se appeli-
dam : regala de S'. Flix, regala, regalos,
llavanna, imperiaes, avista faz t, patuscos,
viajantes, fama, yaya, cacadores, da Baha,
quem fumar saliera, a rxpcnencia-o-pro-
acaba-se de recebor um completo sortlmen-
--\cndem-se marras de ierro: na rui t0 de taixas de 3a 8 palmos de bocea, as c3o de Theodoro Chavanes, ven-
mehr coreado possivel; acbam-sc desmoro |d? Senzalla nova n. 42 qua8s c|m.sc a Pn,|, por preco com- j fabrica denominada Mara-
tem es- j INo aterro da Boa V isla, foja n. 18, modo, e com promplidflo embarcam-se.ou "
defronte do Tribunal do Com-
mercio.
Continua-sc a vender riscados nova e ,je superior qualidade : a
escuros, muito fortes, optimi fa- tralar com Manoel da Silva San-
zcmla pa.a rotipa de escravos, e pe-,OS) no armazem do Annes, no
lo diminuto preco de 100 rs. o co- c^es ja alfandega.
Miirndas superiores
N
esperto, seoco do co>po( (*t*lrt jagular
les j levou camisl de ri nados os seus edificios, por liso que
lado uns poucos de anuos da fogo morto,
melhorando assim cada vez mais es lorras
para sua producr;ao, vende-se a dinheiro,
ou a prazo, e mesmo em permurla de es-
cravos etc. :a tratar neslaciJade com Lino
Jos de Castro Araujo, na otaca corpo Santo
n. 2, ou com Jos de Barro* Pimontel do Re-
g KalcJo, junto ao passo do Caniaragibe,
no seu engenho varsea de Souza.
Vendem-se relogios de ou-i vado, e mitras multas lazemtas ba-
roeprata, patente inglez : na ra,r as-
da Senzalla Nova n. 4a.
regam-so ein carrossem despezas ao (nhcnsc, na ra do l'ioponto, des-
np"0T .. sw ., ta Cidade ( porto dos remedios),
Vende-se farinha >SS muito .,, .. '
a saber : casaem que esta mon-
,tada a fabrica, com ao bracas de
I frente c i5 de fundo ; a prensas
hidrulicas, orisontaes deforcade
1600,000 libras, cada uma 1 dita
Vcndem-se ancoras c amar-
ras de ferro para navios : em casa
de Geo Kenworthy& Companhia,
na ra da Cruz n, a.
Vendem-se relo'ios de 011-
ro e prata, de sabonete c de vidro,
Slatente inglez : em casa de Geo
enworthy & Companhia, na rua
daCruz n. a.
Vende-se superior panno de
algodao para saceos de assucar :
em casa de Geo Kenwo'rlhy &
Companhia, na rua da Cruz n. 2,
Vendem-se arreios para ca-
vallos de carro e cabriole!, chega-
dos agora : em casa de Geo lien-
worlhy & Companhia, na rua da
Cruz n. 2.
Vendem-se cabos de linho c
de maniln: em casa de Geo Ken-
worthy & Companhia, na rua da
Cruz n. 2.
Vendem-se silhoes de couro
de porco, para montarla descubri-
r, bem como cabecadas de couro1
hranco : em casa de Geo K.cn\vor-
Iby & Companhia, na rua da Cruz
n. 2.
No escriptorio de Novifs Compa-
nhia, na rua do Trapiche n. 3t, tem para
vender por prec;.) Commodo os lOgul'ilesob-
jeclos chegados ltimamente: chapeos do
chile interfinos, lila para escrever, graxa
cm potes para calcado, lintia de roris, maejos
com palitos cnleitados o panno de linho : a
tratar no mesmo escriptorio.
Lsposico de riquissimos vasos pa-
r, flores e perfhmarias.
Vendcm-.o ricos visos do porcelana da
China de varios limanhos para flores c per-
fumarlas, de todas asqualidado : na la da
Cruz do ecife defronie do Corpo Santo loja
de barbeiro n. 58.
-- Vcnde-se um pequeo sitio, com casi
de pedra e cal c Viveiro de peixe, planta de
capun, eo(|iieiios e muito mais arvorelos de
fiucla do inversas qualidadea, bem cercado
o amuradu de urna banda, por preco com-
mo lo, por seu dono se lelirar a tralar de
sua saude : nos Afogados ua rua do Caluc,
taverna de Jofio llespanhol, a tratar como
mesmo.
-inda sevendem algu'.is tcrronosalaga-
AIVC1IUI1S >'l|l'IMO '.. I-I
fundicao de c. starr & Companhii, i vertical de (orea de \ 00,000 libras;
Sanatos ile h e,m s--Amaro' charn-se vend moendas 3 grandes caldeiras montadas, pa-
oapaiOS ue tapete. de canna, todas de ferro. deummodeloe f. .. j '
Venlem-so os bem conhecidoi cortes de oonstruccllo muito superior 1ra lanrico do sabao ; q ditas pa-
tapete, para pitos, a 500 rs o par: na p.nuwii ne \i \ ,\ i ii )< \ ra derreter sebo: todos os perten-
rua do Queunado, loja do sobrado amarello VAMMltl UEi JTXririUlUOii. ."
n.M. : A melhor farinha de mandioca 'ces necessar.os para o fabrico do
Algodao para saceos. (|ue ha na mercado, vende-se a bor- 8tea"'ia e a- bSo ; 9 eseravos en-
Na loja do sob.-odo amarello, nos quatro i < a _,_:. onlraAa tendedores do servico ceral da fa-
nlos da rua do Queimado n. 29, vende-so ao ad S"n'aca O. Antonio, entraaa i. f I Va
godiio para saceos, por preco muito com- de S. Ctharina nidia 20 de no- i r ca terreno annexo a la linca,
vembro,fundeada confronte a esca-1com 7 bracas de frente e i5 de
modo.
999-?. *flMMNBl&aae*
ALCUDAO' PARA SACCOS.
dinhi do Collegio: trata-se a bor-
vende-se muito bom ilfodBo parasa- ^ j0 da mesma sumaca, ou naruado!,abrica>
'fundo
fabr
1 dito fronteiro a mesma
com 18 bracas de frente e
^ eos de asacar, ,or preco commodo: m y-- '"" ,"_lin',i0 "a""i" "' 28 de fundo i as pessoas qtiepre-
em casa de Ricardo Royle, na rua da ff VlgriO n. If), segundo andar, es- | I 11
cadeia n.37. *> criptorio de Alachado & Pinhciro. len(,erem comprar, podem nesta
*9>S,'-,**,'!t!!'?'*^! ,,, f praca dirigirem-se a J. Keller tk
Casimiras baratas. Cheguem freguezes antes qae se ^q
Vendem-se os mais modernos cortes de acabe.
CJSimira, que lia 110 mercado, a 5,500 rs. ; No armazem de Mirtina & Irm.lo, na rui
cada corte, tendo grande sortimonto para o da Cruz do Recife n. 62, chegaram ultima-
comprador escolher: na rua do (Jueimada,!mente os seguintes gneros ue muito boa
qualidade : queijos Ion Irinos, prezunlos 1
inglezes e do Porlo, conservas inglezas e
francezas com dilterentes frutas, latas de [do Crespo n. 2
tes.
Ventleiu-se verdadeiros cha-
rutos de lia vana, os mais superio-
res que tem vindo a esta praca >
prezunlos de Weslpbalia, linguas
seccas de Buenos A y res e lentilhQ
cm garra loes, tudo chegado recen-
temente: noarmazeni de W.Dauch
na ruada Cruz n. i5.
I'entes de tartaruga.
Vcnde-se ni rua das Trincheiras n. 3, loj
de tirliruguciro, pintada de verde, pentes
de tartaruga de muito superior qualidade e
do ultimo goslo, por preco mais commodo
do queem oulra qualquer pirtc ; assim como
seconcertam todas as qualidadas de obras,
nSo sendo vasadas, o compra-sc tartaruga
c pentes velhos.

vara, boa-fama, Emilios, voluntarios, e d beneficiados 'com 150 palmos'do
outras mu.tas quattdades que serao presen- fundoccom areule quoo comprador qui-
zer tanto para o Sul como para o Norte a poen-
te e nascente ni rua da Concordia travessa
do monteiro o do Cildeirclro, pagam 20 rs.,
por paln.o de foro, os |ierlende'.ils podem
entenderem-se com o Sr. Pedro Jos Texei-
ra Cuimarfles com armazem de m oi.iras, c
materiaes nascisas do Sr. Jos Confalves
da Silva del'ronlc do mesmo teireno no qual
se aiUo edificando dous predios.
-- Vendem-se e alugam-so bichas, chega-
das ultin.amento de llamburgo, por prego
commodo: na rua de S. Amaro 11. 28.
POTASSA D\ RUSS1A.
iNo armazem de Jos Teixeira
Uasto, ua rua do Trapiche n. 17,
ha para vender, nova e superior
potassa da Hussia, chegada recen-
temente.
1 nalli .s c guardanapos.
Na loja do sobrado amarello, nos quatro
cantos da rua do Qucimado n. 19, tem para
vender um ..-rende sortimento de toalhas de
diferentes Umiohos. c em peca que so ven-
de em varas ; a.-snll como um gran lo sor-
timento de guardanapos de diversos lma-
nnos e qualidades, c que tudo se vende por
prego de agradar ao comprador.
Cortes de ch ta e cassa.
Continua hiver grande sorMfcento de
corles de vellido de cinta, com lcovados
em um s pedaco, a 2,000 rs. ; ditos da cas-
si de cores, fixas o bon padrOes, a 2,000 rs.:
na loja do sobrado amarello, na rua do
Qucimado n. 29.
Arados de ferro.
Vendem-se arados de diversos
modelos, assim como americanos
com camban de sicupira e bracos
da ferro ; na fundicSo da rua do
liriim ns. 6, 8 e 10.
Vendem-se velas de esperncete, cm
canas, de (inferior qualidade : em casa de
J. KelleT''4x!ompanbia: na rui di Cruz nu-
mero 55.
Deposito de cal virgem.
Ciinhi & Amorim, vendem barra com cal
em pedra, cha%ada u|timmenle de Lisboa,
ni barca Hirgafld, por menos preco do
queem outra qua|quer parto: na rua da Ca-
deia do Recife n. 50.
lUimotaex/iosifao. 4
: Ni loja do sobrado amarello nos qua- <<
tro cantos da rua do Queimado n. 29 4
O tem pira vender nova fazenJa pira, it
vestidos de scnliora, denominada mi**39
mosda exposicSo, fazenda dedilica- )
dissimos goslos e cores muito lixas 4
fe pelo diminuto prego de 440 rs. oco- i
vado. 10
>4>. ,*.****+$.>.*<*
Chita larga lianceza, a 24o rs.
Vende-se cinta franceza larga padrOes
modernos, escuros e claros, o cores fixis,
pelo baratissimo prego da 240 rs. o covsdo,
tendo grande porgo para osculher : na loja
do sobrado amarello, nos quatro cantos ua
rua do Queimado n. 29.
Sedas furta cores, a 1,70 rs. o
covado,
por lao diminuto preco, que mdei-
xar deter um vestido de seda pi-
ra a festa ? na rua do Queimado n.
10, vendem-se as melhores e bo-
nitas sedas furta cores, para vesti-
dos de senhora, meninas c mante-
letes, a 1,700 rs. o covado ; dam-
se as amostras, ou mandam-so as
pecas em casa para melhor o com-
prador e&colher.
loja do -ii':u dn amarello n. 29.
AGElNCIA
da fundicao Low-Moor.
RUA DA SENZA.LA NOVA N. 42.
Neste estabelceimcutn conti-
na a ha ver um completo sorti-
mento de moendas o meias moen-
das pura engenho, machinas de
vapor, c laixus de ferro batido e
coado, de todos os tamaitos, pa-
ta dito.
Deposito tu rubrica SftntOS lili l'aliia.
Vende-se, em casa dSH. O. llieber&C.
na rua da Cruz n. 4, algodSo transado da-
quclla rabrira, muilopropriopara saceos de
assuear.e roupa do escravos, por pregocom-
mojo.
Para as escolas.
Vcnde-se no paleo do Collegio, loja do
livro azul a synopsis do general Abrcu e Li-
ma, ltimamente adoptada peloBlin. presi-
dente da provincia como compendio de lei-
tura o historia do Urasil as escolas prima-
rias da provincia.
Prego em brochurj 2,500
Encadoinada ,20110
-- Vendem-se cera cm velas ,
labricadas em Lisboa c no l'iode
Janeiro, em caixas de 100 libras
sorlidas, de 1 a 1G e.:i libra, e tam-
bem de un so tatnanho, por me-
nos preco do que em outra qual-
quer parte : trata-se no escripto-
rio de Machado & l'inheiro, na
rua do Vigario n. kj, segundo
andar.
Principios geracs de economa pu-
blica e industrial.
Vende-sn esto compendio, approvado pin
as aulas do primeiras letras, a 480 rs.: na
praga da Independencia, livraria 11. 6 e 8.
Vcndem-se 12 porlas novas de cedro,
proprias para qualquer casa, pur prego com-
modo : na rua do Vigario n.
Arados de ferro.
Na fundigao da Aurm.i, em S. Amaro,
vendem-se arados de ferro de diversos mo-
delos.
Anligo deposito de cal
virgem.
Na rua do Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal nova em pedra,
chegada ltimamente de Lisboa
Viiiho de Champagne,
e superior qualidade : vende-so no arma-
em Kilkmanu Irmos Rui da Cruz, n. 10
$> Vende-sa um grande sitio no lu- Q
;> gardo Manguinho, que tica defroute Q
Q dos sitios dos Srs. Carneiros.com ra
.^j grande casa de vivenda, de quatro r\
q agoas, grande senzalla, cocheira, q"
eSlrbar'1" l>iir.a.P,nini m\a o.,e.
mpanbia.
V^ndo-se umi escrava creouli, mog e
com lianilidades : na rua do Cabug n. 3 ,
segundo andar.
Para voltaretc.
Vendem-se carias finas francezas
na rua
salmo, ditas .de ervilhas o sardinhas de
Nantes, ditas com bolachinhas inglezas ,
in>rmelaila de Lisboa, mostardi, o muilu a-
cre 111titlo che de S. Paulo, caixas com muito
superiores magas linas para sopa, gigos com
cliampanlie, vinlio de Xerez, Uadein, Du-
ccllas ol'oito, garrafas co-n cxlrail de ab
Vende-se azeile de carrapato 200 rs.
a garrafa, e sendo a caada 1,440, gracha
;m lata 100 rs., azeilonas novas, figos, pai-
sas, assucar refinado, dito de carogi>,farinha
do reino dita de Maranho 80 rs tudo
por menos pregos do que em outra parte :
no paleo do Carmo venda n. 13 debaixo do
sinllie o outros muitos gneros, ludo poi sobrado do um indar na quina do becco da
9
lenta 3
ria, baixa de capini que sus-
a 4 cavallos, grande cacim- 5;
.. ba, cn-ii bomba e tanque cuberto ';'
'? para banho Instantes nrvoredos de
fructo : na rua do Collcgion. 16, se-
O gundo andar. O
OS>OOOQC 0GC?9030000|
Agencia de Edwin Alaw.
Na rua (le Apollo n. 6, armazem de Me, Cat-
iiioiii.-- Companhia, acha-ic conslanlemenle
bona lorlimentoi de lun de ferro coado e
batido, unto rasa como fundas, moendas in
eiras todas de ferro para anfhaea, agoa, ele,
dltaa para armar em inadeira de todos os ta-
maitos e iii.-nlellos o mafs moderno, machina
horisonlal para vapor, com forca de 4 caval-
los, coucos, passaileirai de ferro estancado
para casa de pulgar, por menos preco queoz
de cobre, csi ivrus para navios, ferro ingles
tanto cm barras cvuro em arcos folhas, c tudo
por barato prefo.
I'.in cui panhia, na rffada Oru/. n. 55, acha-so a ven-
da oexcellento e superior rinlio de tlit-
eellan, m barris de 5.", he muito recom-i
mdico prego.
Velas de carnauba em libras.
Vendem-se velas do carnauba imitando
espermacete : ua loja da sileiro da rua da
Cadeia do Recife n. 36.
Uantoia l'dillnii ,\ Companhia.|;
Conlinua-se a vender no deposito I
i'- geral da rua da Cruz n. 52, o excel- s
tt lintee bom conceituado rap areia S
'E prela da fabrica de Cantois l'ailbct& a^
i Companhia da llahia, em grandes o jj
8 pequetasporgOes pelo prego eslabe- B
-l lectdo.
MUBILIAS DE PEltUO.
Vendem-se ricas mobilias de fer-
ro, como canaps, mesas, cad eiras
Bomba.
| Vende-se um preto escravo, perfeilo
| cozinheiro e canoeiro, bonita figura, sidio
| e sem vicios, aos prelendonles se dir o mo-
tivo porque so vende : r.a rua larga do Ro-
zario, loja n. 35.
| A elles rapaziada, que a festa est
prxima e recebe-se dinheiro
fresco para os pas eis
Na loja de miudezas n. 3, ao p da ponte
da Roa Vista, vendem-sa os afortunados bi-
lbetes, meios e cautellas da lotera de Nossa
Senhora do livran'.cnto.
Kuado Passcio Publico n. 5.
Vendem-se 18 caixilhos envidragados e
promptos para qualqucr obra, por prego
muito commodo.
Vende-se a taverna do pateo da Penda
n. 10 com poucos fundos, propria para
a tratar com
com braco C sem elle, e muitos ou- |q'a'lqu'er"pessoa prri'pi'i'':
tros objectos de ferro : no arma- o dono da mesma.
tem de Kalkmann limaos, ni rua
da Cruz n. io.
Attncao aos habitantes da comar-
ca de Goian ia
AttencSo.
Vende-se, por 3:500,000 rs., o sobrado do
dous andares e solSo, com Irapoira o loja re-
partida, com boa cacimba na chaguo e cm
chilos proprios, no Recife na rua do Apollo
, in.29: ni mesmi rui ti. 31, se dir quem
-- Vcnde-s* pelo barato prego di 1:000,000 vnje.
ou troca-so por cncavos umn das melhores \r i_____. .
moradas do caza do pe Ira c cal da cii.ade de Vcndem-se as seguintes 0-
Goiinna, citas na rua do meio n. 23, com bras: -- geographia por Chanchard
salas, 2 corredores, 6 c.-nirinhas, 2 salas \\nl. pnm r. pnr.1(!prnii_
d-i detraz. cosinha puchada fora, cicimba eA.Jluntz, com rica encaderna-
de boa agua, n quintal glande : quem pre- 90, 22 mappas e 300 estampas
ten-lcr diriji-sc a cidade do Recite, rua do |{apliael, Paginas da JtlVCIltllde ,
Vigario, sobrado n. 20, priuieiro andar, a ; B ,,
tratar com o seu proprietario. por A. de Lamartine, versao l'or-
SALSA PARRILII4
l)E
por
tugueza; Tratado Commercial; ora-
culo, ou o livro dos Destinos : na
ruada Cruz n. 10, primeiro andar.
*^> As nuaorosas experiencias feitas como
uso da salsa parrilha em todas as enfermi- Auzentou-se na noute de 27 do passido
ladea, originadas pela impireza dosanguc, o mulato Clementino do idade 20 annos pou-
e o bom exilo obli lo na corlo pelo lllm. co mais ou menos, magro.allun regular, e
Sr. f)r. Sigaud, presidente da academia im- falla muito mansa, costuras- andar calgado
perial de medicina, pelo lllustrado Sr. Dr. je bem vestido ; levou uma troxi de roupa, e
Antonio Jos Peixoto em sua clnica, e em consta que levira um cavallo qoealugara
sua afamada casa de saude na C.amhoa, pe- nessa nccasiSo, o quil lem os signaes se-
|o lllm. Sr. Dr. Saturnino do Oliveira, me-iguintes: castanho, barrigudo, dinas pre-
dico do cxercilo o por varios outros medi- lias, e gordo. He provavel que queira pas-
eos, pcrmillem boje de proclamar altamente sar por forro : he boliciro.e escravo de Luiz
s virtudes cllleaics da
SALSA PARRILHA
DE
Noli. -- Cida garrafa contom duas libras
de liquido, c a salsa parrilha de bristol he
garantida, puramente vegeta! sem mercu-
rio, iodo, polissium.
Vende-se a 5/000 rs. o vidro na botica do'
Sr. Jos Mara Gongalvci Ramos : rua dos
Quarlcis pegada ao quirlcl de polica.
Em casa de J. Keller &
Companhia, na rua da Cruz n. 55,
vendem-se marroquins superiores,
vindos de Franca pelo ultimo
navio.
Cadeiras.
Vendem-socadeiras para meninas; no ar- i fino azul, e alm do mais aigum
Cr,uzemn.dio.K,""nann lrma'' n*rU' d, calcado, um par de Iiorzeguins par-
Km casa de J. Keller &dos com Dot6es de madreperola
Companhia, na rua da Cruz n. 55,
Antonio Siqueira : quem o pegar lovc-n a
rua da Cadeia-Velha n. 20 que se recompen-
sar.
BOA GRATILTCUTVO'.
Ausentou-se na noite de 27 de
nutubro passado o mulato Cle-
mentino, de ao annos de idade ,
pouco mais ou menos, magro, al-
tura regular, tem muito pequeo
buco de barba e falla muito mansa,
quando anda parece que n5o pisa
bem com os calcnlures, costuma
andar calcado' e bem vestido, le-
vou uma trocha de sua roupa, in-
clusive calca e jaqueta de panno
ha para vender um piano forte
chegado ltimamente da Enropa
e com cxcellentes vozes : trata-se
na casa dos mesmos.
Espelho de parede
mendavel as casas eslrangeiras, como ex-, com ricas moldurus : ven lem-se no arma-
excellenlo vinho pin pisto.
zciii de K11, mal: 1111 nios, rua da Cruz n. 10
brancos, c consta que levara um
cavallo, que naquella occasi3o a-
lugra, o qual tem os signaes se-
guintes ; castanho, barrigudo,
dinas prctas, gordo e tem um ta-
Iho em uma anca; he provavel que
queira passarpor forro; he boliei-
ro e escravo de Luiz Antonio Si-
pese mos gran
cado izul, calcafle.igodaosinbo azul Iran-
gado, e mais ilgumi ru'pi. ~SupptYa.se tr
tomado 1 dirro5la.o Bonito, onde mora o
seuintigo8t;7oBo'P:-ALes ex alfares de po-
li ei.i (je qilem anda lie escrava a mili do dito
moleque : rogirse *s-' autoridades hajam de
appreende-lo, e levt-lo*i cisadeseuSr. o
roijor Antonio da Silva Cusmfio, ni rui in-
penal n. 64. quesera generosamente recom-
pensado,
100,000 rs. de gritificico..
Roga-se as autoridades policnes, que cap-
1 ui em o escrivo Manoel, pertencentei Se-
basliSo Man lies do Nasci ment, fgido des-
de o dia 8 do mez de selembro. I'oi
elle escravo do Sr. Gibriel Alfonso Riguei-
n, a quem fui comprado ultimimenle : tem
28 annos de idade pouco miis ou menos, cOr
fula, com falti de dous denles na frente, e
de cabellos dolidoesquerdo di cabega, que
se torna bem visivel por parecer uma co-
rda, tem olhos pequeos, beicos grossos,
sem barba, baixo, corpo regular, he oflicial
de funileiro. Trijava jaqueti do riscado
azul, caiga branca, camisa de madapolSo, e
levou uma trouxa, contendo caigas ejaque-
tas : quem o apprehender c levar rua da
Aurora n. 62, receber-a gratiflcago pro-
metlidi. Suspoita-se que fosse seduzido, e
por isso desde j protesia-se contra quem o
conservar cm seu poder.
-- OesippirecUJia tardado dia 13 do pas-
sado um escraAfd-lpof'nome Joaquim tem os
signaes seguintes : boa estatura, representa
ter 35annos de idade. falla desembarigada,
ps grandesV'tem lodoso*'denles da frente,
nariz Chato, quando inda estala as junt is joelhos, levou camisa 'de algodBosioho brin-
co, cilgi do dito azul, este escravo foi do
mato: quem o pegar leve-o a typograpbia
imparcial fallar com a viuva Roma que se-
r recompensado.
Desappareceu no dia domingo, 12 do
pissado, um preto que representa tur 45a
50 annos de idade, de nac.lo ca^ange, blixo,
cheio do corpo, sem defeito algum no corpo,
levou vestido, caiga de casemira azul clin
dequidrose ji vellia, coleta deselim preto
velho, jaqueta de brim pardo,camisa de ma-
dapoln, chapeo de seda preto ; presume-so
que anda pelos arrebaldes desla cidade, pois
apezardeser do serbio n3o se julga que te-
lilla volt ido: roga-se porUinlo as autorida-
des policiaes e capiiies de campo, i ciptun
do mesmo, levindo-o rudo Vigirion. II,
terceiro andar, quo se recompcnsir.
Uoiaparcceu.no dia 23 do pissado, do
sobrado n. 22, dl'rl das C+cs, uma es-
crava creoula de nomo l.edlivina de 20 an-
uos, com os sigues seguites : illa, e reor-
gidi do corpo, bem preta, rosto comprido,
nariz grande, olhos papudos, beigos grossos,
mSose pes grandes; levou vestido de cassa
de lislras escuras, foi em corpo porm pOle
ser que tenha aranjado ilgum pmno pin se
li iii,'ii, esta preta foi comprada ao Sr. Arru-
da que tem taberna no pateo da ribeira, e
antes dcste, foi captiva do Sr. capilo Mara-
nhSo ; e suppoe-se ella ter ludo para os er-
cennos l'eneiio, e Congagi, por serem dos
prenles de seus senhoresj Mu-ares que ella
jlemestado por variasvezes, e leoho nu-
licias que ella psssou u dia 2Slf>t ponte do
Caxang, com um preto voltio dizendo que
hia para S. Loureugo, pin ver sua sonhori
moca ; por isso roga-se aos seqhores destes
eiii-.'-iilios, c aos mesmos capitls'de campo,
do appreiindei- o traze-la a moncionada casa
cima, que serflo generosamente gratilica-
dos. .' '
- Desaparecou no dia 8 do pajBInlo, di
vllft do Cabo, o cscrijio cabra de nome Mi-
guel, representa toj) 35 annos pouco
mais ou menos, com Os signaes seguintes:
pouca barba, rosto comprido, beigos gros-
sos, bocea regular, bastante gago, estatura
ordinaria, um pouco cheio do corpo, eca-
bellos.encarapinhados : quem o sppreendcr
e levara olsa do Dr. juiz municipal do mes-
mo lugar cima, ou a do Sr. Antonio Joa-
quim fuarquo na ruado l.ivrameoto n. 27,
ser generosamente gratificado.
-- Desappareceu no di 25 do pissado i es-
cnvi Josefa prela de Anguila, idide 36 an-
uo- pouco mais ou menos levou Vellido de
riscadinlio amarello sempaliqas, jl tizado,
pao da usla de lisias iicji nudas c migau-
ginopeScogo, est bastante magra e com
barriga um tanto cresci la em razo de sa
i-liar doente, sigiul pelo qual pode ser f-
cilmente reconhecida : quem a pegar leve-i
rua da Madre de Dos n. 16 luja que ser
recom ensado.
Na noute de 19 do pissado, desippa-
receu, umi preta de nagSo, por nome Ma-
ra, estatura regular, bastante secca do cor-
po, ja de meis idide, com todos os dentes
di "frente e umi nunca M em um dos bri-
gos, quando falla pouco se percobc e pirece
miluc | o fallar mullas Veto* s, llldava
vendendo igoi em um caneco de folha ja
usado, levou vestida uma saii do clut i de
assento branco.com flores cncarriltdis, ci-
iius.i de algo ISo e um panno da Costa ja ve-
lho]: s pessoa que a capturar, levandb rui
Augusta, sobrado de um andar e sotan o. 9,
ser pac.ii do seu trabalho.
-- Desappareceu rio engenho S.Amarinho,
freguezia da Varzea, no da 2i do pissado,
um molecole de nome Lufrazio, cotr. os sig-
naes seguintes : represente ter de 201 22
annos, estatura regular, trtm preto, de na-
c.lo Mussambiqoe,nariz nao chilcre um tan-
to arrebilado, bonilolee ps pequeos: quom
o pegar, levo-o a rua^^COTijljIof venda n
5, ou ao mesmo engenbs, qu sera bem re-
compensado.
Desappareceu da f#hjici de cildeireiro
da rua do lu um n. 28; no dli 17 do plisado
mezdn novembro o preto -\ntbnio, de na-
gSocabiiida, que ropresonta-tr'>l5 innosde
ilude, altura regular, cheio do corpo, cara
aboceladi, muilo cabelludo nos peilos e
eom bastantes cabellos brinca* ni cabega,
e um pouco carrancudo ; he-'blllciil decil-
deireiro, foi encontrado ms Ciueo Peinas, e
seguio o ciminho dos Afogidos, e he nato-
ral queseguisse oais adunte por ter levado
lo la a roupa quo linha, e por j 1er sido
pegadu do oulra vez ni freguezia di Ksci-
da : roga-se portanto, a quem o pegar de
leva-lo ni dita fabrica cima, que so re-
compensiJo.
'ki'v va'I'i i' m: M.r.pr \ '< 1
***> ^


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EO2S2M72M_VKYAAP INGEST_TIME 2013-04-24T17:12:14Z PACKAGE AA00011611_07276
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES



PAGE 1

conduzido o Corpo Sacramental do Senhor Felizmente, deaia u, nada presenciemuconira o respailo e revorencia ik'vi las a es ta urlica ediUcanto da religilo j e, ou O povo i'ossa conlidu pela presenta das primeiras auioridadei da provincia, que eslivoram prsenle*, ou embebido no aparato gere n3ose lembrasse de alguma gentileza, ( certo he qoe, tuJo se passou eni boa orden, excepto o arranjamento c manobras da guarda nacional, assim como as desear gas, que, o recolher da prociasSo, deram os balsllies, que a aoompanharam, e que foram ludas chochas, ou de ps quebrado.*, na forma doestylo soldadesco. No dia 36 reuiriram-oe os as accionistas do projeolado banco de Pernambuco pira approvarem o projecto de estatutos merecido pela respectiva commissSo, o que jlzeram depois de alguma discussSo, mudianle a qual foram approvalas varias emen las, ja por esta ful ha publicadas. Os • (-aileniic is du Olinda, que em mar de losas oavegavam pira as complanles formstui'as, lem-se visto ltimamente em Irabussna, porque as rapuzas, que pareciam torabanJo'iado b couveuto deS. Benlo, appareceram com algum encarnicamento s nesta somana, segundo nos consti, pozeram fora do combate a dous lilhos de Minerva, um d,i s-gundo e outro do tere i i auno 1180 fallando nos estropeados. Dizia o uicstre Horario: imiiium facli, qui beneocepit, habtl. O que em Iroco miudo signilic. que, aquello que lium conv'C,a faz a amela le da obra. Dando poica rasSo ao amigo e collega de Virgilio, porque lio incgavel que vale mui, to maiso bom cumeco, do que a emenda do meio para o lim, nos tambern diremos com o adagio, que mais val tarde do que nunca, e que assim, concillado, os dous principios entre oiquaei ulu na antipatlna alguma, pois que uin se completa pelo outro, 11:11 ;u. 'MI se podei cun jusilla queixar de quu a bundade o indulgencia dos lentes da academia juriJica sa transformen! agora em austeridadee rigor, quaulo a experiencia Ihes ha mostrado quuosc benvolo proceder, alm do contrariar o grande principio das vocacOcs, acarrelave de oais a mais algum dezar para o estabelecimento, pelo deleixo a que se cnlregavam alguna estudanles, e pelo espirito de insubordinado, que su manifeslava em oulros. Deslo pouco, que levamos dito, pensara alguem que somos e0ss"S a mociJidado acadmica, e que Ihes desejimos mal. Pois he mi'irainente o contrario disto, e ninguom mais do que nos sabe defenderos seus direilos, e pugnar pelos seus Coros, quando a boa uiorigeracSo e o ostudo so os seus caraulerislicus. Informam-nos qie alguns eingradoa tem cliegalo de S Paulo, os quaes nSo pudendo afrontar a lempestade, que por all lamben) rebenlou, mais forte do que nunca, vioram abrigarse as plagas Olinlenses, nha. sent desie um testemanho publico ao Sr. I)r. Bernardo Pereira do Carino pelo grande benefteio que delle acabo de recebar, lia Joua aonoa, pouco mala 011 menos, aobreveio ua parte media do pello ditello detnlnha oaridoia c seaagenarla mil a Si. i. loaefa Mara da Con ceico urna grande ulcera cancro.a, com labios revirados e assa loUatnmados, cpr roieada e com eflusflea perlodlca de aangue, soffrendo a paciente continua febre e raaraamo, a pon 10 de recelar-se de aeu reatabelecimento, apelar de aer tratada por alguna facultativo!,e por dlveraas vetea ¡ maa receilando-a com o dito Sr., tao destrmenle empregou o Sr. Dr. Bernardo oameios cooceroentea cura, que hoje eal de lodo clcalrtsada a ulcera, e reaiabeleuida a saudc de ininha 111,11 ; assim como pelos autillos, pericia e dlavclloi do meamo Sr. Dr. Bernardo fo radicalmente carado o meu entrado o menor Joiquliri Chisto da Motta, que deade a Idade de cinco annos ealava opilado, uliimameate com aacilea e hvdropesia geral ou anasarca ; acha-ae hoje corado e completamente llvre da molestia. Ao Sr. Dr. Hernardo Pe reir d>Carmo deveiii pola a minlia 111:11, e o ineuenteado a salvac.ao de tao morlaca molea liaa e por isso nao poaao eu deisar de tribular-lhe us meui aincerus agradeciinentos. Queiram, senbores redactores, inserir em o seujornil estas loteas linhaa, tilba do recouheciinenlo para como dito Sr. Dr., que aera eterno em mcu coracao. .auriano Pinto 'le Poica. Seiiliorcs redaeloree. —Anda vou diier du palavrai em rcapoala aoa improperios, que me tem lineado o Sr. tlanoel Rlbclro da ( .vinli.i e Oliveira cni sua unienta correspondencia, Inaerla no Diaria 11 $&."> de 22 du correte, nao porque delle faca caao; maa porque he do meu dotar esclarecer o publico sobre a liypocrlaia desse homem refalsada, e para quem a honra he palavra van e sein alguiticaco. luculca o Sr. liveira. que cu Ihe voto liilmiaailc, poique elle se tem opposto 1 tentativas por mlm leltas para locuplelar-me com detrimento de meus parcnlea e particularmente de iniiilu lia n. Mara Thercza Joaquina Velloao de Aievedo, queja he fallecida; mas peiguntarel este ionio homem, quem he que e acha ho|e rico c opulcuto com a fortuua d aquella fallecida, c tamben! da do fluado Joaquini Gomes da Silva Atevedo, aeu marido? Por certo que a fortuna refer la senao acha em meu poder, mas no do Sr. Oliveira, como sabem luds as peasoat quecooheceni; e porque ineloa elle a obleve ? Ahi he que est lodo o mysterlo ; e para que cesae a sua impostura e o publico o i'.uihrri, tal qual elle be, direi: que a aua riqueza prorein em grande parle das especularles que elle prallcou com aquella inlnba lia, a poulo de fater dividas simuladas, por meio dasquacs chamou a al a faieoda que Ibe nao pertencla; c se estivesse de pachorra, eu apresenlaria outras multas victimas de idnticas especularles, gentilezas e mifnludVi do Sr. Oliveira: recordar-lhe-hla, por eicmplo, os vale couloa de ris de Pr. liaudenulo, religioso do convento de San Beato de Olinda, de que multa geute tem cunbecimcnio ; lembrar-lhcbia os quinte conlos de ris de scu proprio aobrinho e caixeiro, e oulraa inioccnciaa do meamo calibre: mas nao; deisarei ludo talo departe, c meaguardare para lempo mais opportuno, em que talvez o Sr. Oliveira lenha de responder perame asjusiicaa do paii pelaa sanliilidii que ha praiicado, peloa factoa que elle CONSULADO GERAL. Hendimento do dial a 38. dem do dia 39 2 REND "EN TO DA MESA DO CONSULADO ,,. DESTA CIDADE NO HEZ DE NOVEMHBO jDilai lelouro l'l IS.,1. Consulado de 7 por ceolo 10:908,672 Dito de 2 por cenlo Dito de I por ceoto Dito de I [2 por ceoto Ditoreitolho. ....".". *,50v 33:138 28" (¡omina A lquoiro 2,000 1.423,071 Gengibre A noba 3,800 Lenha deacbas C eoto 1,600 2 :560 3j7 Dito de toros a 0,000 Pranohasdoamar.ie 2 ousL Um 32,000 8,500 Ancoragem para fora do imperio Dita para dentro de dilo Direilos de i5 por ceoto Ditoade 5 por cenlo Espediente das capataiias Multas Selos Emolumentos de cerliddes 2:466,105 398,037 170,000 019,910 62!849 37,680 4:65i,64i ¡Costado de amarello de 35 a I 40 p. de ce 2 i a 3 de I. 'Ditodilo bsuaes .... ICosiadinhodvdilo. 19:908,612 Soalho de dito Forro de dito Costado de louro .... Costadinhode dilo. Soalliododilo Forro de dito Ditos de cedro • • Toros de tatajuba .... Varas de pirroira .Diversos provincias. ni timo do algodo da Parahlba 1:776,330 Dito dito das Alagoas 6,392 Dito do assucar da Parahiba 59,318 Dito do dito das Alagoas 482,778 Depsitos sabidos Ditos eilstenles .U,08j 1:027,258 ~27'>Bvm l)il dfl •8 uill dM • • • 15 Ditas de quirls Itodasdc sicupira para carros Eixos de dita para dilos Mi-I cm pipas quartolas • barirs Hilho 26:885,131 Pedras de amolar Ditas de filtrar Ponas do boi C onlo l'iassaba M llio 2:324,818 Mesa do consulado de Pernambuco, 29 de novembro de 1851.—Oescrlvo, Jacoms Gerardo Mara Lumachi de Mello. DIVERSAS PROVINCIAS Hendimento do dia 1 dem do dia 29. 28 2:234.747 90,071 2:324,818 que alguem graciosamei\te"appellidoude--ijulgaiuvolvldo,iissombras,masqueaeacham algum destes, qu^ vem buscar Ua, nil.saia ^. !" u c me detesta, porque eu me nao tosqueadus ; mas como nos dizem que *•"> %  / prcalar servir de instrumento da sua lodos du quinto anuo hornos man tranquil-, am |,¡ C a 0 trallcaue; porque receia, que_ de milos pela sua surte. •* | nha parte c de mais algum uutre.que n5o aibeNo dia 28 entrou de Liverpool a barca rio as suas espertes, veoha a resultar-lhe a Linda trazemlo a importanto noticia da d %  oecessldadc de dcsculir em Juito a posse illegltlma dos beas quccn si tem, e com especialidad,dessa casa da ra das Trincbelras que elle procura veuder, e da ainetade do sobrado da ra da (Jadeia, que uutr'ora fura possuida por aquella nada miuha lia, Maria Therea ; porque flnalmenlc tem medo que eu promova em jiilao a clucida9a 1 da uullidade da escriplu %  a dar mn poder ambiciora de venda da referida parle dosobrado.escriptura esla em que se acha lan,ado o noroe de miuha lia, quaudo ella pelo seu estado de uegucira e paralysta nao poda eacrever, sendo a uiullicr du Sr. liveira, quem, seguudo dltem, preslava a assiguaiura sem coiibcciiiieut'' da suplosla vendedora, e ludo por eU'cilo da ¡mioreiir/ii de S. me; anda mais tem inedo que IUSSO pe lilla pelo ultimo ministerio do Luiz >\ap ileo, o qual oppondo-siia lei eI•_ %  toral reslrictiva, qui aquello sustentava, procura captar as boas graijis do povo francez para a sua reeleicSo, ou a dos seus dopulados para a reviso da conslituicilo, o que tu lo vci'i nado. Conlinuam a appareccr nesta cidado c CJsarnibHldci cisus do aliqucs ccrubraes, apoplexiSSj inorlrs repentinas ole, o ain1I.1 .UM 11 .su nHo movoram os bons lilhos de r-culapio a prescrever ao publico as regias de hygiene, cujo conliCiuicntu Ihe h 13o se ventile urna quesio relativa ulula conlos liecessario. de rCis, que dcvia Jos de Mallos Giro ao liualloje reuairam-se de novo os accionistas do Juaqulm Gomes da Silva Aicvedu, dus quaes do banco para ell•Korom OS direciores do S. tnc. com a habilidade que o desliugue se %  em apoderado cm detiiuieulo mcu e de meus pareules. Em una palavra, Sr. Oliveira tem toda a rasau para vlver couiigo iuqulsilado i porque cu defeudo u mcu dircilo, e procuro arrecadar o que me pertence por legitima successo, ao paaso que S. mu. se tem toruado capitalista com o suor alheio: mas lique cello que nao desistirei da empresa de o desmascarar peranie os tribuuaes, para o que teulio preparado provas e diicumeiilus, que mullo o hu de muilllicar, no ni 1 mo que uem a sua hypocrisla, oem a e sagacidade de que he dotado o pdenlo salvar entre estas 7 lioulens, 5 mulheres el pardus rtenos de seus proprios adose da aeco 1 da ju,11, 1, que pretende recorrer esle que S. me. lamo cstiginaiisa. Adcs, Sr. Olivera, na preseuca dos tribunaea nos eucouiraremos; c eulo cuoheccr I quo pouco caso de S. me. fas Jouo' Kvangeliila Bello. mesmo, e a mesa, que dure presidir a assi'inb i-a geral, sendo oresullailu da eleig3o o que os leilores sem dajvi'ia nnconlrar3o cm outri parlo Lutiarsm durante a semaua Ib embircai,'.n:-, MU u i'iiii,' i'lla1 inglezacom bacalhao, outra dita con fn^udas Sahiram 17. Foram sopulladas no camiterio publico I (irss ni-, 21 livrea c II oscravas, culre aquellas 8 hoineus, 6 mulheres, 7 meninos, e DIARIO E PERNAMBUCO. l'.\|)orl;u.;i" Rio de Janei o, patacho brasileiro Valste, de 130 toni-lladas, conluzio oseguinte : 88 barris alcalro, 311 pecas de cibo, 4 farJosestoupa, II volumes ferragens, 75 saceos assucar, 4 pipas, II meias ditas o 32 barris azeiie de cirrapato, 31 caixas velas de carnauba, 420 moflios couros de cabra, 50 coucos de beber agoa, 10 saccas do al M.l ni e 3 CXaa i'S|i < nailnres. RECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GERAES DEPERNAMBUCO. Rendimentodo dia 99 512,010 CONSULADO PROVINCIA! Itenilimenrododia99 1 :787,537 HENDIMENTO NO MEZ DE NOVEMBRO DE 1851. Direilos de 3 por cenlo Direilos de 5 porcento Capatasia de 320 ra. por sacca dcalgodo Dcima dos predios urbanos Meia sita de escravos Sello de berancas e legados Novos c vclhos direilos Claco mitra, por escravos despachados Emolumeutos de passaportes de po< licia Matriculas Imposto de 3 par cenlo Imposto de 20 por cealo do consumo deagoardente Multas Jnros 7:232,771 5:075,464 1:192.320 3:84,8Mi 1:553,560 369,39!) 200,n8 575,000 1,800 30,100 747,020 15,200 49,20o 8,719 a 28,000 16,000 • (< 10,000 8,000 •t 4,500 a 6,400 • B.200 3,800 2,500 %  i< 3,300 Quinlal 1,600 Duzia 1,280 < 1,600 11 2,080 .Par 40,000 A 18,000 .Urna 34,000 Canad 190 1111111 6,800 Alqueii e 1,440 a 1,200 a 1,000 Sola ...... Sarco parillia. Tapioca I I.llilli: li'U. • %  Couros de cabra Azeile de cairapglo. Meio 3,300 180 2,200 Arroba 18,000 1,600 Cont 200 a 2 3,000 Canad 720 BECirS, 30 DINOVCMBRO DE 1861. Honlem teve lugar, como haviamos annuticiado, a eleic,ao da direcSo do Banco, e da meza da assembli geral dos seus accionistas, merecendo a 1 1 d 'cslos Para directores os Un. Manoel Goncalves da Silva. Fernando Bieber. Francisco Antonio de Oliven. Elias Bsp'isla da Silva. B rilo deSuassuna. Luiz Gomos Frrrrira. Manoel Ignacio de Oliveira. Jupenles. Luiz Anfonio Vieira. Antonio Valeutim da Silra Barroca. Jos Antonio Rasto. JoSo Piulo de Lemns Jnior. Preiidenlt da viesa. Dr. Pedro Francisc de Paula Cavalcjnli. Secretarios. i.ervasio Goncalves da Silva. Jos Bernardo Calvan Alcatifla lo. f.'ommisso de exorne. Manoel Pcrcira Rozas. Juo Jas de Amorim. J0S0 Ignacio Re g Hedeiro s. Bnlrou hoje do Norte o vapor Perkambucana, trazendo-noa gazetas da Para ale 15 do mez flndo, do Maranhao at 19, do Ceari oda Parabyba at 32 do mesmo. Todas as provincias ficaro em tranquilidade. Na capital do Para houve um grande incendio em casa de rn foguetelro, 3 qual voou pelos ares, Meando unidos officiae*, que ali trabalbavSo, gravemente queimaN Maranhi'. falleceram dous grandes fascinoras, na cadeia da capital, um suicidando-so a facadas, e outro sucumbindo a veneno propinado por mao estranha.segundo corria. No Ceari inda ge faz sentir o flagello da febre, que na capital se lemita apenas eosreoetn-ohegados, mas quoem oulros ponteada provincia anda assola geralmentxohlinuava a perseguicSo dos ceminozos, loado si 10 prezos alguba reos de morto, po1' ni o jury da capital ooslrava-se omito indulgente como verSo os leilores da carta do nossso correspondente transcripta em outro lugar. Na Parahyba espaneou um estudante do Liceu a alguna calingas, dentro do mesmo edilicio, e quando se aenavam na sala dos •"•tos os lentes examinando a oulros estucantes. Correspondencias. COMMERCIO. ALFANDEGA. Rendimuiilo do da 39. 10 003,692 li'.i %  in-'/nm hoje 1." deieztmbro. Barca ingleza — l.inia -mercadoiias. Brigue inglez — Quecn — bacallio. RENDI.MFNTO NO MEZ DE NOVEMBRO DE 1851. S cniliiiii'iiW lul.il CSlitUill'lCS 31)4:303.261 94.80U Ris 291:208,401 Direilos de consumo Dito de 1 por cenlo de reexportado para os porlos estraugeiros Dito di lo para oa port >s do imperio Espediente de 5 por eruto dos gneros com carta de guia Dito de 1/2 por cenlo dos geueros do pala Dito de 1 1)2 por ecuto dos generos livres Armazenagem de 1 por cenlo das mercaduras Dita dito da plvora Premio de I; 1 p. c dos assiguados Multas calculadas nos despachos Ditas diversas Sello liso Pateles dos despachantes geraea Ditas ditos especiaes I,111.1 dos tilnlos dos meamos, dos caiielros despachantes e ajudaotes dos desnachautes Emolumeutos de ccrtldocs 280:077,530 20:765,427 Mesa do cousuladoprovincial,29de novembro de 1851.—O escrlvo da primeira sec[ao, Joao' Ignacio do R*qo. PRAGA DO RECIFE, 29 DE NOVEMHBO DE 1851, AS 3 HORAS DA TARDE. Jtevisdi semanal. CambiosAs transaeces da semana ono merecemeotafao, porque apias livemoa um pequeo saque aubre Loudcsa 29 1|4 d. Eor irf rs. ez-se venda de una partida do Aracaiy de boa qualidade a 5/ ra, por arroba, e outra de Page a 4#900 rs ; eolraram 797 aaccas. Assucar As entradas foram mais avultadas, |i in'-iu s houve venda do mascavado cnsaccado para eaporlacio de 11500 a 1,550 rs. por arruba. Couros V enderam-se llJ rs. por libra dos salgados. Tatajuba dem a 28o rs. por arroba de tronco e ralscs. BacalboRelaluou-se de 7/500 a 8/ rs, por barrica, licaado em ser 8.000 barricas. Garu secca Vendeu-se de 1/600 a 3/ rs. por arroba, e ficarain cm ser %  T> mil arrobas. Far. de trigoOs precos conlinuaram de llf a IS/'iun rs., eaisteiu n mercado 7,090 barricas. Discoulos As letras vencer ateo flu de marco foram disconladas a um por ceulo ao mez. Fretcs ----Obteve-se a 45 f. c 10 por cenlo de prlinagem para o Canal por via da Parabyba. Ficaraiu no porlo 73 embarcares: sendo 3 americauas, 37 brasileiras, 3 dinamarquesas, 7 francezas, 1 hamburguesa, 1 hespaubola, i2 inglezas, 7 porlugueas c J sardas. Movimentodo porto. ffiiKo entrados no dia 29. Terra Nova 29 das, brigue inglez Queen, de 306 lonelladts, capitflo John Squarry, equipagem 12, carga bacalhi; a Le Bretn Schramm & Companhia. Liverpool --50 dias, brigue inglez Flint, de 306 tonelladas, capitSo John C. Wright, equipagem 14, em lastro ; a Crabiree Sr Companhia. Traz um passageiro inglez John oyle, sem passarole. Dundea :>fi dias, barea ingleza Bosphorus, de 234 tonelladas, capullo William Gray,equipagem 13, carga carvSo i a Adamson lluwieci Companhia. Navios sahidui no mesmo da. Parahibi — hiate brasileiro Nossa Senhora das Nevos, mestreJoSo Francisco Martina, carga varios gneros. Passageiro, Vicenta Jos da Silva Lima. Phila lelphia — palacho americino E. II. Filler, capitio G. I. Ilew tt, carga assucar. Passageiro, S. Rigginson Para rum escala pelo MaranhSo %  brigue escuna brasileiro Arcelina, capiljo Jos Miguel Pereira, carga varius gneros. Liverpool por Macei — galera ingleza Bonita, capitSo W. Wellcox, carga algodUo e lastro. Passageiros, Antonio BrandSo da Rocha e John W. Evans. Ilha de Fernando-patacho transporte brasileiro Pirapama, rom-nan lauta Camillo • O Ermito da Scrra de GRtra. Farol o RECRUTAMENTO N'ALDElA. Theatro de Apollo. .' RECITA DA A S S I C N A T U R A Seyunia (eir 1.a de deumbro de 1851. E siV-.ilej 1 do feliz anoivorsino des. SI. imperador. Depois de urna brilhante ouverlura eiecuAyres da PaixSo, Vlca^te Forrelra Marinho, Dr. Jos Lourenco de Meira Vasconcellos, Manoel Ruberto Bezerra. J080 Baptlsla da Silva Mangulnho, Jos Theodqro de Moras Todol efle e pC taculos serio inrvala Lina, Manoel Jos Telxalra Basto Jnior, iot de cntorl, ana se annunciBrflo cir" Miguel Joaquim Barbosa Fonceca de Csrvacu msUnoiadanieole pelo jornal. Iho, Jos Antonio de Souza, JiSo Soares Osaenhores queeneommendaram bilhaRapoao, Lulx Comea Ferralra, Braz Maehales p Jern manda-Ios buscar ao escrinton,, do Pimental, coronel Jos Joaquim de AIdo lne ,tro, hoje, 1. do correte, si „ 3 molda Guodes. Os quaes hao de servir t dubora8 da tarde „,,,.,,, hori em di nl9 rante a referida sessUo, para o que so pepgr j „ vondai lo presente convidados, devendo compare-, cr, assim como os interessados, na dia e hura designados, sob as penas da lei. E para que cheeua a nolicii de,todos II mandei paasar o prsenle, quesera puhiiCido pela imprensa o alixaio nos lugares nis pblicos des!i! termo. o I Dado e passado nesla oidafla de Olio-la, aos 37 de novembro de 1851. Eu, Eiuardo (ada em grande orchestra, e defnis de cariDaniel (.'1 va lea n la Vellez de Guevara, escritadp o vio interino o escrevl.—Jose Qiilntino d Uyinno nacional. Castro Ledo. .... ., 'peranie a efflze de 8. Magostada, subir a O lllm. Sr. Inspector da Ihwonraria da ; cen ,, s 3 K „ n .la vez o drama f-zenda provincial, ern cnmorimento da or0 )r M | TA 0 DA SERRA DS CINTRA. dea do Exm Sr. presidente da provincia de ¡ „ eB)prelt rio lendo annunci.do a epre15 do correte manda Mer publico, que t ,„ do uj ( te ncionaodo levar os das 1, S o do dezembro prximo vin>ceni v 0 „ { „ mo dfl „ J J .louro, ir. a praca par. ser arrematado pemc'momez de dezembro, vio-se obr' rante o tribunal administrativo da mesma g t0i era r.sao dos Irabatlts dosegund, a inesourari. a quem por menos flzer obra deixa > r de ensaj r j. t dfl |ey J : dos cunearlos supplementanos da ponte, ..¡Vi ..„-'„ ',, sobre orioSiriiih.em avaliadosem 643,400 D ^ *" |§ JW J' ••• A arrematafBo sera feta na forma dos m ia "yu'^' "vs vez arts. 34 e 27 da lei n. 286 do 17 de miio do corrente anno. As' pessoas quo se propozerem a esla arit'inatsfSo, romp roca m na ala das sesses lo mesmo tribunal,-nos dlaa cima mencionados pelo meio dia, competoolemente habilitados, E para constar se manlou afliiar o presente, e publicar pelo Diario. Secretaria da thesouraria da fazeada provincial de Pernambuco, 19 de novembro de 1851.—O secretario, Antonio Ferreira da AnnunciafSo. r.liiii-ul .' especiaes da arrematafSo. I.' As obras dependentes desti arremalea 1, serSo feilas de conformidade com o orcamenlo apresentado ao Exm. Sr. presidente da provincia, pelo proco de 642,400. 3. a O arremtame couiorara a obra no praso de um mez contado da data da parlici.'ncfio que ihe f,ir fela da appruvucilo da urri'inat ICII pelo governo, e os concluir no praso de quatro mezes, ambos contados da mesTu parlicipafSo. 3.* A importancia d< arremala^So ser paga em duas prstameos iguaes; a primeira depois de le feto melado da obra, e a segunda depois de lavrar o termo do recebimento dilinitivo. 4.' Para fudo mais que n3o est delflrminado pelas prsenles clausulas, seguir-seda luleiadienlo o que dispon o regulament. Conforme. -Oaecretario, Antonio Ferreira da AnnunciaeSo )eclara§5es. mais. Coinecar s 8 horas. l'uilicari'.s Iliteraria. ELEMENTOS DE Homatopathia. Sahio a luz a segunda parta desta obn composta pelo profeasor hommopatha G01set Blmont. It celiem-se assignaturas par a obra inteira a 5,000 rs., no consultorio homceopathico da ra das Cruzes n. 28. Depois da puhlic iciio da tirceira parte, o preco ser elevado a 8,000 rs. para aqu?lles que 1180 tiverem astignido. No mesmo consultorio, acha-se a venda ludo quanto he necessario para o stuloea pralica da homceopathia, como seja : livroa impressos para historias de doenies. regimens aproprladus para a provincia de Pernambuco, e encarrega-aede mandar furnecer qualquer encommenda de medicamoutos homreopathicos, tanto avulsos como em ciixas, em glbulos como em Unturas. No prelo : — fathogenesia dos medicamentos brasileiros. E/eieos de anatoma e phisiotoyiu com eilampas, para os curiosos em bomceopalhii, Roga-so aos senhores assignantes o obsequio de mandar recebar seus exemplires no consultorio bomceopaluico da ra das Cruzes n. 28. TRATA MENT" HOME0i'ATHlGO. DAS MOLESTIAS VENESEtS, e consclhos aos doentes para sa enrarem 1 si mesmo, sem precisaren) de medico; pelo professor homceopalha Gosset-Bimont. Sahio a luz e acha-se a venda no consulArroba Pauta />oi precos correntes ¡lo assucar, algaida, c mais gneros do pait, gvt se despachao na mesa do Consulado de Pernambuco, na semana de 30.de Novimbroa 6 de Dezembro de 1851. Assucar em c aco qua • B 2* 11 mase .... bar. e sac. bruteo • • < mase .... retinado 238,0941 Algodiu em pluma de 1' qual. ,„ „„, Di'o 2 2a 985 ( Dito. .' 3 2:212.0371 Afio'ardcnlc caxaca 20 G raos p 'P a 052.723 ¡ Dita C anad 3:184,194 DiUdecanna. 1 27,040 330,353] 225,605 j assegtsintes especies. Dlolielro 131:813.942 Assiguados 102:304,522 Depsitos. Em li.il ni ;r, no ulllmo de seteinbro Entradas no corrente mez 250,457, Dj 180.0001 """•.., : 71,000 Lilla resillada. 100.000 Dito 12,500 Genebra. Dita o 4nii Licor • • • • >4520 Dito Arroz pilado —2 arrobas um Alqueire 4,400 294:2(18,404 Araras U rna 12,000 Canad Pipa Canad Canad Botija Canad Garrafa 2,000 1,600 1,300 1,800 1,400 3.040 5,000 4,000 4,200 34,000 200 52,000 300 42,000 240 420 180 420 180 Avisos martimos. 1:11111:1. 1' 1 GERAL. As malas que deve cunduzr o vapor • Pernambucana para os ponosdo Sul, principiam-sea fechar hoja (1, de dezembro,/ ao meio dia, e depois dessa hora at o momenlorio hoinceupatlnco da ra das Cruzes n. de Lelles da Fonseca. Passageiros,Manoe uefechsr recebe-secorrespondencias com S. pelo preco de 1,000 rs. ThomazdosSmtus, Francisc Xavier dos porte duplo. • I Santos, Jos Rodrigues Lima, Dr. Luiz Sa-*• ••' 88SS '" J d • nle u .. conaulado lazar o I cscravo, Manoel Saturnino dos provincial seannuncia, que no da 1. de deS.ntosNeves, Maria da Soledade dos San-I nlbr P ro f' mo vindouro, se principia a tos Pinto, JoannaMsrii dosSantos, Hacootir os 30 das para o pagamento a boca, para o B10 de Janeiro seguir em pounosl do Nascimento. Manoel Lobo do Mido cofre cl f decima dus predios nrbannos cosdias o vleiro brigue Hafra.o qual srauda llenrique Jnior, Francisco Florendesta cidado, do pmneiro semestre do anno mente recebe algum* escravos e passageiros oioCardozo, Alexanlrino da Fonseca Gallinanceiro de 1851 a 1852. oque flndo este p8ra 0 que tem bous commodos ; quem previo, Manuel Jos Mendos, Antonio Liberaprazn incorrem lo los os qui deixarom de i Bn dtr pode enten ler-se com o cspilo, ou to do Lima Mondes e 3 sentenciados. pagar.ua mulla do 3 por 0|0 sob o valor de. com Amorim & lrraos,na ra da Cadeia do Navios entrados no dia30. 1*0" dbitos, e serflo de proinpto execuecifen. 39 Para epnrtosinlermi'dios--12 dase 13 hol aiJus .,.._ %  L 1-Para o Aracsly segu com a msior oraras vapor brasileiroPernambucana,com-' ~ v "P or brasileiro Pornsmbucino vidade possivol o hiate Dundoso -pan mandante Oiten. Traz aseuboido: para deve cliegar dos porlos do Norte al o da car g a o passageiros : trala-seao lado do Coresta provincia, Joilo Rodrigues Samico, e 2 de dezembro, esaguira para Macelo, Bapo s nlo i u j, de massamesn. 25 Manoel Carlos God.nbo o I escravo : para '",?.", '„ d '"'l^V^lSitfT^'r. a P llio Gr "d d ?. S t l P rol8 nde 8a %  %  •rovinciasdoS'il, oescrivSo da armaItEALCOMPANAIA DOSPAQUl.rLS IHGLBZ A h ir breve o brigue Feliz Unito por ter urna VAPOR. p ar io do seu carregamento prompto, inda No da 1 • de dezmbro esrece be carga a frele. Quem no mesmo quipera-se o vapor c Tay a comzer carregar pode entonder-se com os conmandanteChapmanda Europa, signatarios Amorim A IrmSosrua da Cadeia o qual depois da demora do „. 39 rav. equipagem 15, carga sal; a La Bretn costume seguir p.ra os portes do Sul; psra „ p ara o Rio de Janeiro.aegue com oreSchramm & Companhia. passgem diriji-se em casa da agencia n. vidade por ter parte da carga enganjada, o H8mburgo--56dias, ualacho hamburguez *2, ra do Trapiche novo. veleiro palacho Clemenina, para uresto da Bertha Kuhen, de 148 tonelladas, capitSo — oruein ^ lm Sr "'factor geral da carga ou escravos a frele : dirija-se a J0J0 W. F. Sellin. equipagem 10, carga fazeninstruecSo publica, faco saber a quem conFrancisco da Cruz, na ra da Cruz n. 7. das e mais gneros; aC. I. Astley &Comvier, que por dehberacSo aprovala de S. .. para Lisboa saho imprelerivelmenlo pjnb.il Exc. o Sr. presidente da provincia fora desta no dia 7 de dezembro o brigue portuguez Havre--51 dias, barca franceza Pernambucidale, e da de Olinda os exames de insConceicSo de Maria. Aiuda recebo alguma co de 192 tonelladas, capitSo Durruty, t'uccSo elementar sorSo fetos em cada escarga e passsgoiros para o que tem, exceda Joaquina Jos Ferreira, 1 dispanceiro, 3 recrulas para marinha, 7 para o excrcito, 8 pravas 08 escravos a entregar, liba do Sal— 14 das, galera ingleza Dolphin, de 366 tonelladas, capillo G. Murcquipagem 19, carga fazeutas e mais gecola pelo respectivo Sr. professor, e juntalentes comino ios, lrati-se com seus cuns nero<;aJ. A. I.asserre& Companhia. Pasmonie com alguma possoa i Iones da connatirioa sageiro, JoSo Vignesf flanea do Sr. inspector do respectivo circu¡i,., : „. possoa i Iones da connatarios Tnomaz de Aquino FunseCa '''" ra do Vigarlu n. 19 pnmero aoBal"more--"60d'ias','pii tscho americano Balo, q'ue tem obrigaeSo de presidir a lodos dar ou com ocapitao na praca thust, de 171 tonelladas capitilo ti. P esses oxames. Para o R o Grande do Sul, seguir era Datton, equipagem 8, carga faxinha e .. Ilem os individuos, ^'•^cjMaa parpoucos das, por le J a m ,o ;_ 1 P*. l } e _5._ se ¡ mal panhia "iorado'r de'isi" Voniiadas ,[ capTo T m e janairo vlndouro em diaule oinguem f re i B : a Irstar com Bailar & Oliveira, na ra m %  1 i:~^r>Mj> ,. t .i-., las* n %  • ta aula atu uoini: JI_ .* i^.:_ n •. AL • ,•,... ss> • .• ,tlon equipagem 8, carga farinha e ll m os individuos, quo tem escolas parpoucos das, por ter a maior paite do seo ais gneros: a Daane Youle & Comticulares, quer de insiruccSo pnmarla.quer carregamento prompto, o brigue nacional -1,1, secundaria, at o ultimo do prximo miz de oaus le Guarde capitSo Launano Jacintbo a Nova--33 dias. barca americana El dezembro podern requerer suas liceucas; de Carvalno, e ainda recebe alguma carga a 1 : ..!>. %  • %  rt .lm > m 11 m ilianla muiiiiaiii •>. > I_ a _• 1 I 1 ., O /il,„„ r .i na r 111 N, ". Bieber Candido Eustaquio Cesar de Helio, amanupi ra o resto' dirija-se a J080 Francisco da cuse archivista. equipagem 12, em lastro ; & Companhia. Aii'.-i-i sahido no mesmo dia. Rio de Janeiro — paticlio braseiro Valente, luestrc Francisco Nicolao de Araujo carga assucar e mais gneros. Passagei23." JtECITA DAASS1CNAT RA. ros, Areslides Pompeo LopesAntonio Pereira da Costa o 33 escr-voa a entregar. ISOJLTAKiS. TDBATRO B SIZIBEL. RECITA DA ASSICN ATU Vrija (eir, 2 de dezembro de 1851 Oa tic festa nacional. Em solemnidsde .0 feliz Annivcrsario Na•>•• • '" d benialla Valta n. I icio do nosso Augusto Monarca o SenbOr — 1 ara o K10 de Janei Cruz : rjit da Cruz n. 7ouao capitSo Manoel Jos Monteiro Vianna, na Praca. — Para o Ceari o hiate N. Olinda : a tratar com Hanocl Dias, na Senzalla Velha n. 134. — Para o Aracaty at o dia 5 de dezembro o palacho aAracaty a tratar com Manuel 130. neiro, sa'1 E tllelo D.Pedro 11. hir com a maior brevidade pos0 Dr Jos Quintino de Castro Loao, JUIZ L 0 g 0 q ue o Exm. Sr. presidente da pro. 0 rM municipal e de orphSos do termo da civincia, se dignar comparecer na tribuna, aSivel, por ter parle Ua carga endade de Olinda, comarca do Recife de brir-seha scena ei erante a ofllgic de S. gajada. a bem Conhecida escuna Pernambuco, por S. M. I. e ConstitucioM | a > senhoras Linda o Carmella, acom %  ._:. Pi Pm : na ranitSo nal, a quem Daos guarde etc. pauladas dos arlislas da companhia dramanacional Marta rirmina, capitao Faco saber que o Dr Alejandre Beruartica, caolirSo o ¡Joio Bernardo da Hoza : quem dinodusReis eSilva, juizdudireitoda.seUyinno Nacional. 'pretender embarcar carg na raesDepois ter lugar a primeira representl%  _.„-„-„,. 0 U embarcar o da excelleule opera brasilera em 3 acma > ,r ae passgem, "" eraumi. gunda vara do crime desta comarca, tem designado a abertura da segunda sessSo do £ „„,„,„£ „,,„„ jury cesta ci lade, para o du 10 do prximo Jl eompOlUiO do muito distincto litteraescravos, pode entender-se com O v a, i a : "stASrtfa. ?"'*> J; U sr. & codo..Sabidos 22:425,228 11:042,732 Ria aprralos iil.nii.i-. Eslatentca as seguales especies. Dinheiro 1 ,,.M.; Lellras 20:231,100 Senderes redactores. — Seria ingralidao rni-|consignatarios. Alfandega de Pernambuco. 29 de novembro de 1851.—O escrivo interlno.Fraaer.odc Paul Oonctlees da Silva. lmpoi'lncnd. Brigue inglez Queon, vindo de Terra Nova consignada La Bretn 1 Schramm & Companhia, magifestou o soguin'ln : 2500 barricas e 12 caixas baca Iho; aos Pa Bo Biscoitos Cald boin Diio reslollio.... Dito com casca 'Carne scoca .... 3d:467,9t0 Coucos com casca 6: I7I,737 Charutos bons • """ Ditos ordinarios. • 27:290,223 „.,„ re ,, c ¡ a urimor i4.'.cradeCarnanba Couros de Boi salgados Dito ospixados • Dilo de onca %  Doces de calda • • Dito de goiaba Dito secco EstApa nacional %  • Farinha de mandioca Feijflo Um Arroba a %  Cenlo Arroba Libra .Um a Libra .'t,-200 3,500 5.000 4,400 3,000 4,800 2,880 4,000 1,000 700 4,000 5,800 115 145 14,000 400 210 500 • %  que tantos aplausos obfor.m sorteados juizes de fac 10 o cidadlM t „„„ tnel ros lo Ri0 d Jlneiro segointes: Antonio Marinlii Paos Brrelo, Miiioei Anluiiio Alves de Britu, Filippe Manoel de Consto Leal, Jos Mauricio Teixeira' da Albuquepqne, Francisco Pereira Pinto O FANTASMA BRA.NCO. Msica do maestro D. Podro Garca. Personagens. ao Aiouquepiiuu, ri.iicnsu i-uiassa s-sniu T :s. nril mililar velno Monl'iro C.va.c.nte, Antonio Pinto do MMjiM J 'Z^, ve icaria--D Ama'ia Monteiro. Cenco Prospero Montanha, Antonio dos D. a .i¡ A 'r u fl ,.,|„¡ ri ... rtavmnn.lo Santos Lopes, Born.rdo Ipaquim de Azeve^^nSolo. n/oT^e Tiberio, Bido, Manoel da Porciuncula ferreira, Antonio „ s ,i„ n atrn Bernardo Ferreira. Claudino Jos Braoco, ,Jf"tiiate de medecina Germano jo-Boberlo do Espirito Smto. com.md.n '•*• • tu D [".ta ^ <"" '" 0 te superior Joaquim CavalcanU de Albu!!"" "' nf,, querque, Ancelmo Jos Ferreira, JoSo da V',. !" n J |¡, Cruz Fernanles de Suu,., JoSo doga C.val Uvrad'ores, camponezos, etc. cante de Albuquerque, Francisco Xavier. 0s ull ielejl 0 ,os de camarotes, como de Carneiro da Cunha, Jos Manoel dos Santos, bacharel E luardo Soares de Albergarla, lenenle-coronel Manoel Antonio dos p I-MIe Silva, Ricardo Ctirisostomo Rodrigues, Antonio de Suiza Rolim, Jus Pulicirpo Je I r iellas, JoSo Neponucano Comes Caite, Alexaodre Jos ornellas, Manoel Zicarias da Silva Braga, Antonio Clemente Estoves de Larras, Jus Xavier Civalcante Wanderley, Manoel Estaves de Abreu, Francisco Jos do Amaral, Dr. Nuno Ayque de Arroba 1,2001 A | V || 0S Annes de Brito Inglez, Joaquim de Alqueire 1,600i sa Cavalcaole de Albuquerque, Joaquim 3,5001 Marques de San Tiago, Aatonio Lobo AlberFumob'om. '. '.'.... .Arroba C,000|tim de Miranda llenriques, Alexandrino cadeiras e plateas serSo vendidos por tres recitas. Segunda reciti no tlii 4* 33. a DA ASSIG.'UTURA. Subir a sceaa o exnellente drama em 3 actos. O l'agem d'AIjubarrota. A comedia em 1 acto I Al. I. \l! VERDADE A MENTIR. Tereeirn recita no dia 6, 34*. DA ASSIGNATORA' Primeira representado do grande drama em 5 actos. mesmo capitao, ou com o consignatario Luiz Jf dS Arrujo, na ra da Cruz n 33. •• O eapitSo F. P. Gost precisa tomar a risco sobro o casco o apparelho da barca Ingleza Ospray, a quantia de 8)000,000 ra. em moeda de>lo Imperio, para costeio a dsspezas neste mesmo poKo.da mesma barca, a quem esta negocio convier, dirlja-ae a casa de M. Cslmont & Companhia, LeilSes. — George Kenworthy k Companhia fario leilSo,por inlervoncSo do corrector Oliveira, de um convicto sortimentoaiehzi'ndas inglezas, lodaa proprias do mercado : tere lera, 9 do dezembro, as 10 horas da mipbSa, no seu armazem, ra da Cruz. — Hoje, primeiro de dezembro, ha leiiso de quoijos na porta da alfandega^ — Augusto Cezar de Abreu rara leilno, por interveacSo do corretor Oliveira, de um completo aortimento de fazendas inglezas, todas proprias do mercado : seguoda fcira, t. de dezembro, as 10 horas da manhS, no seu armazem, ra da Cadeia.



PAGE 1

Avisos diversos. AO PUBLICO. O director empresario do thealro de Apollo com ascarias abaixo transcriptas responj 8 jniplamenlB sosseus incarniqado* inlmjaoi, que 'oto al.rdeav.m de mentira, a respailo d. vind. do grande ador braz.lo.ro jiiSo Caetano dos Santos, para o seu the.tripho, como elle dlzem --respondo como BuesgaZoilos mordeivos estremecei, rug RI"'ISVE' NOVEMBRO DE 851*""' lllm. Sr. ulmaril'a. Ilecebi a sun llcncioza caria e sou gensivel as mnieir.s polldflas com que me trata. Eu irei peasoalinenlo gr.daeer-llie tanU delicadeza. No paquete inglez do prximo mez do dezemliro irei a Bahia onde modemorarci 15 di.s, o depois terei a honra de comparecer peranls o illustrado publico Pernambucano. No primeiro paquete que partir para essa ponncia Me reptfttere os papis da Tragedia Bimalelo e farai nelle'o meo debut; bem como o papis do Trapeiro, da Muran .m, e a Viva udeira, o Ulvrz Olis alguna outros, lando V. S. 001 vista remontar com antecedencia a ds'ma deS, TaOpez, (Helio; enfim lodas aquellas pcs que eu tive o prazer dsrepresentar na Bahia com o sublime genio dramtico d'aqueli.ptoviBcij a lllm. Sra. D. Lnpi.ldin, ajjuaqi V. S.-der a bondad* de .presentar os meuj resreitose alta coiiciJera^So em que a tenlio ; e V 8". deaponna com franqueza dro nefnhum prestimo do teu mais atiento criado e collega JoSo Caetano dos Santos. 111013 DE NOVEMBRO DE 1851. lllm.Sr. Dr. Definitivamente tenho re --Antonio Jos Ferreira, subdito portuguez, retira-se para fra do Imperio. — Offerec-se um homem solteiro, natural de Portugal,nara tenor, ou criado ; quem de seu preitimo necessilar dirija-se ao aro de Santo Antonio luja do Sr. GuirnarSis que dir quem he. -l'recisa-se de um feitor para tratar de nm sitio.a tratar no Hospicio sitio da Si* !" .a tiunlia GuimarSes;ahi tambem se preciza da, utn ou dous pretos para trabalhir no •II OS III o. >-iiflo Jos da Cruz, embarca para o Rio de Janeiro, a su* escrava creoula Roza. — U abaixo assignado, morador na loja do sobrado, da ra Direita n. 5o, proesta rerante o publico e as autoridades criminaes desta cidade., que n5o tendo ioimigos conhecidi, alm da inquiltna do mesmo sobrado, Smhoriuha de tal, contra quem intentou, ha pouco, urna acc5o de queixa perante a subdelegada de S. Antonio, todo o mal que lite possa sobrevir a ella ser imputado; visto como consta ao annunciante, que ella procura viogar-se delle por todos os meios. Simplicio da Silva Barboza. — Acba-e Justa e contratada a compra da casa da ra das Agoas-Verdcs n. 122 : quem sejulgarcom algum direilo ou hyuotbeca, annuncie por esta (olha nestes quatro dias. —Oabaixo assignado faz sciente ao respeitavel publico que nimguem f>c nego-io solridotr. provincia de Pern.mbuco „ 0 ^ !" ^ nr T er Z7o7 Set. ."com prximo paquete ingles do mez de diem. f h t do Ej ,¡ rjl0 Santo Senna En, eno fu, nesta por me achnr enoarre-, no Bocco do Lo gado da reed,fic,c.uo do theatro do S.^dro porher.nca, po de AlCMUra. Fazendo a V. S. sciente d.s|h 'jj „ ba xo Uliga & ler u !" ptrb U deliberado, cumpre-me participar-lbe que no me lembrando das cuniicOes que me propoz, eu tratarei com V. S. quando Respondendo ao annuncio do theiou-¡ Eim. vigario, Barreto, onde, continua, offelogia, cometas, ContfnuacSo da i — Vende-se um aelim em bom estado .recia, par. o. cronologa principiada, I, a annos, ffi^^ntoiS "" "ancas de tempo pB-J — Ven le-se um coldre eon t.L.I. J.„ %  ;,,. n |„ ¡loada, por preco commolo : no aterro da tabela dos emolu-S Boi Vis K l8< J oja s do e | 6Jr0 do „ nhor N a.ciparte auenaome-.embr.ndo ^con^s que ^^^^T^^^^m e propoz, eu traaroi com V. S. quando s Brtrlo | omeu ,hi ci.egarn.os, poi. como mo he o nteresJ^Vuuc. na ru, larga do Rozarlo, f.i-ie se que me dirige a ess. P !" !" *< • ""•• esto ...nuncio par. depois nSo se cbamarem gloria de me adiar entre os seus habitan,„,.„. _„.. tes, croio .que ambos tiraremos intermite, • • Juslino Aulunio R,p,i s ta. re os papis da Mananna llamelel e irapeiro be V O 'ESSrmXZ -o U-0U p..o cerrera particular Anton.o da annuncio publidado no D-nr.o de l do cor.. da f .^ ¡ nc ¡„| innun rente, por Joaqu"" Jos Corr. em oqu.l c ¡„j, jem us v dj ril) j e Pernaa.buco dos di.s este Sr. se declara O unlcO esptenle para 26 7 do „ lrans f er ida receber auae dml.s, c=re catando que • J ,„„,,„„,;, perderlo o seu direito aquellos que aspa' v g.rem aoab.izo-aaaigilado, em-consoquenA'"'' Lacaze Mto^WSZ^ !" !" *^,}*! Tema honra de lev.r .o conhecimentp do ffl,..-X!K.MS. res P eit.,e, publico, que acaba de aW.rum '" •""*'"" %  "„ %  „„: iu„.ii Tr, ordemd.-Jos Pinto Goelho da cida le ilo os papeisda Man.nna I amelet eT aM quirt09d 8egtl nd. lotera a benero de Pars. Sou com todo ONWlto, a cio do hos,icio .le Pedro II do Rio de j.r. S. mu.to affetuezo criado < obrigado. d • 3 remetle ne9 JoSo Caetano dos Santos. .... „„. „ ,'„.,? {r .„u, n i„ni n ,i. como inculca O nl u c i i a, "' n ^ 0 1 c '"J? anto emraogis de algibeiracomodo menSo ter-o abaixo ass.gnato nada mais om S( aliareJe e sociedade algjrfha com o annunc.nnte ; por' • „_,„,..„ „ s ... „ D De i 8S 7 que nunca soded.de alguma levo .b.ixo h^^Vn^.^rum menino cav"lo .^signado com <¡ !" !" £'¡.^ !" succedeu que cavallc se esp.ntasse e desalas he credor da quanlia de 410/000, di,j" decalco nbeiro que Ihe tomou o annunciante por com ^ mle ¡ w| c du algo d S P 0 risca lo.apoomp estimo, alm dos ordenados q Ue uabad d d J wo e io ,, xo ass.gnado Yjnceu du anleirtsmea ra Nova em dire S 3o ao Recito, o .Tallo ,. em que Ihe prestou o sericos de o .xe o v n. su. venda daa d Aurora ; sendo MU de ret oz oncirn ¡ llPiPrtr¡D0 do ferro, Mllia a nica qua ida.lo em a^qual_ o abaixo asde sola transada, niaiit. de panno azul burs.gn.do pode wt considerado emrelKao d>ll o relr v oz a *„„ rel | 0| oi aignaes do c. i casa doannaincrante, E Unto assim, tanto o abaixo asigado nunca leve sociedade alguma com o ann uncanlo ha refeiida vend, que nSo holive drtiralo algum em sentido contrario, o que se daria necossariamenle a ler exist lo ossa supposta sociedade, urna vez que o annunciaiilo he o propr¡o quo a declara nSo mais existente.— lauriano Pialo (te Paiva. — Quem quizer allugar um cilio em Bebilibe para passar a fesu, com exoellente banho cscoll.er: dirija-ae a ra da Sania Crux o. 66, defronto da riheira. Alug.-se umi casa na povoac.So do Honteiro, propri para pass.r a fesla,com Squarlos, quintil, e salaaoffrivel : quem a pretender dirijse defronte da pra?. da farinha n. Si-. — Aluga-se par. fesU ou animalmente nina casa na ra do C.br.l da oda le de iiliu i, com bons commodos ; estribarla, i-a>a para eicravos; murada na fronte,, com o fundo para a margem do rio, -com um pequeo litio, o qu.l tem excelleotn baix. para caflqj, e faz f.ce com nov. ostr.da,, de sorte que vem tef dnas frentes ambas limito treqoe iludas \M* livraria n. 6 • 8 da iraca da luilliele.ie meios, ,vo todos pormim firmados etn.brevc, com a assignatura de Ferreira, junio s do thesoureiros Joo Pedro da Veig* e Antonio Alvos da Silva Pinto Jnior, cautelista nSo pode de forma alguma impedir que alguns especuladores comprem os seus bilhetes e cautelas, para os tornar a vender com maior lucro, est da parte do respeitavel publico de nao lite os compraren!. vallo sao os segumtes:—melado claro, dinas pretas com urna risc prula desde o cabo al o espinhaco, em boas carnes, faca, cabeca pequea. mos calculas de prnto: quem delle der noticia, dirija-se a ra do Livraineuto, toja n. 16, que sei lecompens.do. — Ituga-sc a quem achou um. letra da quanna de 101,500 rs., sacada no dia 31 do passalo, aceita pelo Sr. Joaquim Uaptisla Jlureira, u a favor do Sr. Amonio de Paula Kerualides Eiras, a um mez preciso; queren do restituir.o seu legitimo douo visto ella nao servir par. quem a liver achado pelo aceitante estar prevenido para a nao pagar senSo ao mesmo Sr Eiras. — Precisa se d-i um caxeiro para a padaii. da ra larga do Rozara n. 48; a Iralar na mesma. — Ju3o Vicente da Silva Costa avisa as pessoas a quem linha communicado, que se inudava para ra do Livramenlo, que deixa de o fazor, tendo j se desoiier.ao lot.loiente ua cas. para com a pessja locadora ; pelo que p le ser aiuda procurado eui casi de seu sogro na ra da Sal. Crnz n. 66. --N.ru. da Cadeia de Santo Antonio n. U, seguudo andar, bord.-se de matiz e seda por pirco coinmodo, e tambem f.z-se Ionios ue relroz com perfei(o—Hospital regimental d. Solidade tem de serenado, e piulado, quem quizer contratar este sorvico pode uirijir-se ao mesmo uos ui.s 8 as 9 horas do da. --A mairiz de S. Aulouio.lom de fazer grilam.s para os altares da masma lgiej, e para isso convida .os Sra, entalnadures, que quizer case servico, compaiec-irein na mesma matriz, las 10 horas as duasda (ardepara cootratar-se que sera preferido a quom ior meuos fizor, seguudo o modelo quo se onvencionar. — Aluga-se um sitio no corredor da varoe.bem plantado com casa para graiilefairilia,para testa e.por auno : fallar na ra d. Cdei. do Recife n. 61. — No dia 1 ', as horss da Urde, na ra daa Flores, a porta doSr. Dr. juiz de senles, se I.Bo de arrematar um ovallo e m.is despojos do tinado Manuel Vieira d. Rosa, assim como o reslo dos despojos do Pinado G augeiro. — Precisa-se allugar um preto : na ra da Gloria relinacaa n. 111. --JoSo Cavalcant. do Albuquerque Wan ilcrlei abaixo assignado e morador ueste cidade declara, que o moleque Luiz, crioulo, quo veudeu para esla mesma cidadn foi preso recolnido a cadeia a ordem do Sr. Subdelegado dos AfTogados lne pertence parte; por quanto tendo tlenlo su. a> no termo de SerinhSetn. o representando o aballo assigtttdO, ontao menor e o..is dous inaSos. a seu finado pai Antonio Ferreir. d. Cruz, teve de tocar a ellos tres, de heranca. a escrava crioula de nonio tlaria ; porem aeu to Manoel Ferreira da Cruz hoje morador na freguesia da Escada, que foi o invena ¡ante dos bens, apossondo-seda dila e>crava nunca a entregou,e em seu poder leve ella dos lilhos Cosme, e c-ie Luiz ; e constando agora ao abaixo assignado quando seu tlu trata de vender esles escravos, o abaixo assignado rog. as auIhoridadea quem competir nSoenlregunm o dito escr.vo preso aeu lio, e nem a outr. alguma pessoa, at quo o abaixo assignado roqueira seu direite pelos meios competentes.--JoSo Cavalcanlc de Albuquerque Wanderlei. re..blicalo na —Imprensan. 259 de 28 do cerrenle mez, em que pedo p.ra que nos Pernambucanos devamos preferir e comprar lollio os das loteras da nossa provincia, estoudoaccorlo.uma vezqueo plano das nossas loteras offerecam as mesmas vantagens que as d is I. toi las do Itio, como o plano da loteras do N. S do Livrmenlo se acha'mu¡ : lo mal organisado, e nao anima de maneira alguma os amantes deste licito joxo i con* enrrerem para o prompto andamento dellas, custando um bilhete inleiro 10.000 rs. para se tirar tmenle o premio de 4,600,000 rs., liquido, he biuilo mais vantejoso arriscarse 11,000 rs., valor de meio bilnetada lotera do Rio de lanoiro, para gauhar 9:200,000 rs. liquido, o qual se vende na p.'.ca da Independencia n. 13, e 15, loja de calcado do Arantes, e est firmado com a assignatura eni brevo de Ferreira nossa mui digno cautelista, que paga sem descont algnm logo quaclicguo do Sul o vapor, quo vanlagoii para os-amantes deslo 19o licito jogo. '., panno de al• scjuiui^ aiidur. K >d5o para saceos de assucar -Alug.-se um bom sitio no lug.r do mqito superior e barato. Cordelro, a margem do C e na ra aa uaaea ao itecue Judos da paiz, qual sej. a de um eslab decin. 4^ loja de miudezas e taminentobem dirigido e regularis.do. ondea fa f sciente ao respeitavel pilmoc.dade leceha conveniente educac^o. = .1 r Bom desanimado concebera o drcelor do bllCO, se por acaso Vier 0 resumo collogio — Espirilo-Saiito, um tal proj cda extrar 5 0 ai segunda lotera do to, porque a lodos os respeitos o considera • o superior ssu.s for ? is; mas conli.do por Hospicio de L'edro II no Jornal do outra parte no poder de sua voniade, nos Commercio por elle responsibedesejos do seu coradlo, enos consdhos do .. %  ,¡ „.,,,.„, amigos prudentes, nao duvidara de o por lisa-se a pagar em continente sem em pralica; e hoje suas esperances se descont al^utn todos e quaesquer acham atceito poni roalisadns, porque no •„ 1 refiTiili lotera, nos pequeo espaco do umonno h o seu collapremios a rele ida lotera nos gio colindo excejientes resultados, se.. 10 lugares cima mencionados. Ae 'S*. w ja> Vende-se mill.o novo em saccas de alqneire raso, a 2,500 rs.: na coxeira do Forte do Mattos. -Vende-se um r.logio de onro ptee sui.so, bom regulador; um Irancelim de ouro de muito bom gosto, com o peso de 7 1|2 oitavas : quem quizer, annoncie — Vende-se urna negra moca, proprii ra o servico de campo : a tratar na ru Cruz n. 8, tercero andar. — Vendem-se 2 armarios, com altura ds 8 palmos, proprios para guardar ditersa* cousas : no becco da Lingoets u. 8. — Vende-se, para Tora da provincia, urna scrava creoula, con 18 ann is, tem boa (1guza e he recomida, sabeengommar, coser ejozlnhar: na ra Nova n. 16. Ven le-se um inuleqot) rreoulo lie hp nita ligura e muilo lina conducta, s aafa de para a provincia : na ra da Cadeia m Santo Antonio n. 14, sgun lo andar. • — Vende-se um silhJo do senhora con dos os seus pe teneos por preco commoi por a dona si retirar para fr. da torra: quem pretender dirija-se a ra da Senzalla Velha n. 46. — Vcndem-se ptimas canoas de lodosos tamanhos, vindas do Pilar, provincia das Alagoas, por precos commodos : a tratar na ra do Livrmenlo n. 16. Cembraia de seda. Venlein-se os mais lindos cortes de carnbraiadeseda com 13 covados cada cortea 6,100 rs.cada um, ditos de cassa decores. 2,uoo rs. octte : na ra do Queimrdo 11.19. Casemiras baratas. Vendem-se os mais 1110 lomos corles de casemiras quo ha no morcado a 4,500 rs., tondo grande sorlirnonto para o comprador escolher: n. ru. do Queimsdo n. 19. Faz-se todo o negocio. vn !• %  -%  • mi 1 obrig.icn, de passado por Cl.udino dos Santos Lupes C-is'ello Brinco, mestre do primeiras letras na villa do Cabo, da quantia de 180,700 rs.; na ra da Cadeia do Red fe n. 8. DEVERES DOS HOMENS, a 5oo rs. Vende-se este compendio .provado para as aulas, 'em meia encadernaclo, a 500 rs., oda um: na livraria n. 6 e 8, da praca da Independencia. '-Ven lo-se um torrador eum moinho ludo em uzo ; vende-se por seu dooo nSo querer continuar: na venda do pateo do Carino n. 13. II ivaiio-. puros. Na ra da Cadeia do Rocife n. 50, charutos de llavana puros a lOgOOO rs, a cana. -> %  •inloiii-.-o no armazem da ra da Madre de Dous 11. 31, peneiras de rame, proprias p.ra padaria e rilinac3o, azeilonaf, mllio, feijil i, ceblas e batat.s, ludo por preco co.nni uto. S. Flix. que neiiliuin recelo lem de offeiecer a re1 eslam no resto e para o Recite, na.ladoir.i d. liiquinha eu. I cjiiuten lacHu das posso.s que s5o cap.zes .. ^ 1. b. Vollmaier afinador de pianos 9 0 faz scionte .0 respeilavel publico des&f f0 sa cidado,que so ada prompto a qual*9 S quer hora do dia para exercer o seu % ofllcio tanto na cidado.como nos seus a) arrebaldes, precos muito favoraveis, m P le ser procurado na roa da Cruz % n. 38. i < i'm I ', a Iralar no .iie.--oo lugar na ra do Baile n.2l — Precisa-se de urna nogra, p.ra ven ler na ra e fazer algum a-rvico em casa : 1 tratar noat-rro da Bia Vista, v.nda n. 43 — Na roa Diro.ta, junto do becco do Serigado n. 89, segundo sobrado, pr j cisa-se de urna ama do casa para l.omom solteiro, mais nSosen lo moca. — Na ra do Mondego n. 42, ensinam-sn o-oi.iv.is a engommar com toda a pe %  lou-fio e asseio : quem se quizer ulilisar, dirija-se a mesma que acnar com quem talar. — Precisa-so fallar ao Sr. Manuel llallli 1z.r de Ulivoir Bastos, roga-se-llie pondo annunciar a sua murada, ou de dingir-se ra do Vigario n. 19, escriplor.o de Machado & Plnheiro. — Juliiloios de Araujo, remelle para o Rio do Janeiro, os seus escravos Frar.celina, cabra, e Norbcrto, crioulo, ambos do menor idade. — l'recisa-se alugar uina ama de leite, para acabar de criar urna enanca de selemezcs, preferindose preta e captiva : na ra da S. Cruz n. 66, defronte da ribeira. — Urna mulher se oRerece para ama de casa de pouca familia : no pateo do Terco u. 1, segundo andar. — U abaixo assignado, ratificando seus annuncios pelos jornaes da capitil em 1847 e IJ'IQ pelo presente declara, que contina a nao assignar e saccar lettras de pessoa alguma,porque nao deve e nem tem transacoes a azer, por cujo motivo ser c he falso qualquer papel assignado pelo annnnciante dessa natureza ; assim como l IIIIIJCIII declara, que toda e qualquer pessoa na mesma capital e na cidade do Rio Formoso, como j a 11 nu>ition, nada tem que procurar do annunciante, por qualquer divida que em seu nome se faca por pequea que seja. Kngenbo Gindahi dafreguezia de Scrinh3em em 10 de novembro de i85i.-Joao Mauricio de Barros Wanderlev— Adverlo-so ao Sr. Bernardo de Albuquerque Fernandos Gama, que o seu correspondente nesta praca, 11 "10 tem pago a subscripco do Diario. — Precisa-so de um homem par. feilordo engenho, muilo peno desta praca : na ru. Nov. Di 67. — Alug.-se urna casa terrea com slito' no sitio do Cordeiro, margem do rio Capibanbe, con. commodos para grande familia, cosinh. fra, cocheira, estribara para 6 nu 8 cavallos, e quarto para criado ; uina dita mais pequea no mesmo sitio, tambem con. coiinii i-ios para familia, cosinha Tara, e estribara para 4 cavallos : para ver no mesmo sitio, e para tratar cam Gabriel Antonio, no pateo do Carmo n. 17. Attencao. O arrematante dos imp slos das afencoes, das uceabas dos mscales o boenleir.s, mudou-se par. rus das Agoas Verdes n. 25. — Manoel de Almeida Lopes, com casa de consignadlo par. comprar e vender escravos, Unto p.ra esta provincia, como para fura dola, mudou a sua residencia da ra da Cadeia du Rute, n. 51, para a ra Meios bilhetes Quartos Oilavos Vigsimos desapreciar IrabnHis desta ordem. Ja por I diversos eouuncios ha o director feito publico, quanto inteossa saber cerca d. economa interna do collogio, e ordem das materias quo uello so ensmain, com a Indicacao de respeciivos professores, e da classicacno dos alumnos, e tai lio a cunliain; 1 que tem em si eemseu estabelecimentu quo nimn Irmos, constantemente lia convidado as pessoas queoquizeremveiilicar a r.ze-lo por inspeccOo pessoal, visitando o esUbclecimento a qualquer hora do da. Hoje sobreludo o diriclor se dirige aos pais do familias moradores fra da cidade, para quen: muilo especialmente foi o seu estabolecimeuto projectado. He verdade incootestavel, que um %  losoinharacos com que lula a educacSo da moc.dade nosta provincia, be a falla de una casa dC ensino, para onde sejam devidamente enviados os filbos d.s pesso.s quo habilam fra da cidade. A ma direccap dos esludos primarios, a borda da moralida 10 com que s3o educados no lar paterno, a ralla dos disvellos que lid indispeusaveis na primeira infancia, o descuido acerca da saude dos meninos, so obstculos quo desalenlamos pas Je familia na i ac dse apartarem de seus lillios, em una Idade em quo as primeiras impre/asois se perpetuam, e deixam consequencias que .companham a existencia al a miis adiantada idade. He sobreludo n. remocnodessesemb.r.cosque lia 1 ens.do o director do collegio — Espirito-Santo. — Um meiliodo fcil adaptado 1 1 00 5,5oo 2,800 i,3oo %  Venle-se em casa de Kalkna ra da Cruz n. 10, um ptimo pian 1 dejacaranda com exrellentes vozes, chegado ultima'itentc. Muzicas para piano. Vendem-se varios peJ.cos de muzica, tirados das melhorcs operas e d.s m.is modern.s para pi.no s, e juntamenlo canto com acompanli.ment 1 n. ra Nov., loja n. 8. He baratissimo, com a vista se pode conhecer, na ra da Cadeia, loja de miudezas n. 17. Vendem-so lavas de pelica brancas o de cor, paras oliore, a 640 rs. ; ditas de seda brancas o pretts, a 500 rs. ; ditas de fio da Escocia, a 4'in rs.; ditas da mesma qtialidade, a 200 rs. c.i la par. He baratissimo, com a vista se p-;, de conhecer, na ra da Cadeia, ,|„ loja de miudezas n. 17. Vendem-se luvas de pelica pa>a homem, a Chegou urna nova porc3o dos bem acrelitados chirutos, e sa ven lem na ra do Queimado n. 9, por 3,000 rs. a caixa. Frezuntos Vendem-se prezuntos americanos, muito a superiores e pur barato pfeco : no caes da I Alfinlo^a, armazem defroote da arvore. 1-j -Veude-su um dio rao para iifflcial de cavallnria. un rologio patente SQiSlu e urna cama de armacao : na ra Nova 11. 16. — Vende-se urna pret n.dl., vendedeira, 1 %  1/1 11 no ira, lava bem o l'.i/ o 111 ais arranjo de casa, por :l "1,0111 rs : na ra larga do Hozarlo, loja 11. 35. — Vende-se um escravo pardo, de 15 anuos di iaade, optiajM para pagem, som vicio Igum o que sjtliaiica: em I'ora de Portas, casa o. M Vcnham ver. Vendem-se na ra do Queimado, loja n. 17, chapeos de sol do seda cor de cafo, superiores a 5,500 rs., corles de casemiras da cores escuras 3,840 r?., chiUs francezas Gnas e de cures lises.210 rs. o corado, o niiliiaiis francezas de cores modernas a 560 rs. a vara, pecas de cambrai. lita iniiito lina cooi 8 f i1 varas a 3,500 rs. cada peca, cortes de cassa pintada a .OJO rs., e otitras fazendaspor preco muilo barato. Dam-se as amostras com pent.ores. 1. ni sobrado de dous andares. Vende-se um sobrado de 2 andaros e sotilo com bom quintal m irado, D. il, na ra estrella do Razano : a faH.r com Jos Mara DUAIHA %  ..-— — • > I 1 I V. 111 -> ..^ IFi I 1 11 %  %  .1 1,1/11,1 III, — inteligencia dos meninos, o respe.lo mais ;800 rg J¡Us de SK¡J¡¡ e ^^ g 6W ps dUBg inviul.vel aos principios da religiao, o o de lio da Escocia, 400 ra4 ditas da mesm moral, urna regulandado da conducta nao ureju licad. pela falla do refocillamenlo necessario asdebeis forcas da infancia, ¡Ilimitado disvello quanto salee Iralainoulo dos meninos, urna localidado quo prehencha todas as cundidles hygienicas, provicncias acertadas* prudjr.ics respoito do alimento, dormida e ina.sfunccOes pl.ysiologicas iicssa ida-la 13o impressionavel, lis os, pontos sobre que o directo lem appiicado todo o seu estudo e cuidado ; o julgar pelos resulta losqueha coihido, elle se anima a flanear aos pais do familias, que lne I %  ii/er.'iu conliar a educacilo de seus flhos, que o collegio — Eipinlo-Santo, -r he proprio para remover as duvil.s que por ventura conservem aquellos respeilos. O director espera por tanto, que seus esforcos nao serilO depreciados, e que o seu collegio sera honrado com a couil inca daquell.s pessoas que sabem quanto vale um. educcSo acurada, e que no progresso e desenvolv ment da geracSo mcente, veem o verd.deiro germen de nosso eugr.ndecimouto, ede nossa futura prosperidade. CaOiiipras* — Compr.in-se escr.vos e vendem-se de commissSo, para dentro e fra d. provincia : na ra da Cacimba, sobrado n. II, onde morou oSr. vigario do Recife. — Compra-se urna societaria, que seja pequena e em bom estado I no aterro da Boa Viga, luja n. S. — Compra-se urna preta, que saiba h -m cozinhar eengomm.r, agradando paga-se bem : n. ruado Amorim n. 25. Vendas. F(ILII!\ll.iS PARA 1S52. Suliiiain a luz aS tolliinhas 1111pressas nesta typographia, sendo de porta a 160 rs.,"c de algibeira a 3ao rs conteado todas as de algibeira alm do calendario, a deiua ua i.auoia uu navno, 11. ai, painarua f. %  i da Cacimba, n. 11, aonde morou o flnado| hnicao dos corpos celestes, astro. 1 400 r.i qualida ie com mofo, a iOO r-.; ditas brancas daalgodao, a 240 rs., editas de cor com mofo, a 100 rs. cada par. Capellas o ramos de flor de Laranjt. il'ende-so capellas de llar de laranja muito finan com os campolentes ramos para por no neiio do vestido o por preco mais commo 10 lo que em outra qualquer parle, na loja do mu ic s da tua Collogio o. 1. Lencos de seda. Vende-se lencos de se la de urna s cor pelo baratissimo proco de 1,280 rs., e meios ditos pata pescoco do homem : na loja de miudezas da ra do Collogio n. 1. Balancas romanas. Vende-se balancas ro nanas para pezar 32 libran, ditas para 25, e ditas por 16, sem se proco/ ir de pezos: na loja de miudezas da ru. do Collegio o. I. Manleiga sem sal. t Naos • linha descoherlo ale hoje um meio de conservar, a manteles de vacca sem sal. | Nos painel consumidores, como a bordo dos navios, s se gastavSo manteigas preservadas a cusa de muito sal. Pelo meio de urna nova in\ an; 10,1(1 ja ha muilo experimentada.dquirio. ceile/a d. p'il'oicao, pode-se em toda ap.rtedo mundo gastar manieiga perfeilamente consrvala freso, sem a.l algum. Cbjecto de primeira necessidade par. a arte culinaria e para a meza, a manteig sem sal he indispens.vel par. osdoenleae convalescentes, pois he formalmente proscripta pe. homo quitina ; e nesleultimo casa ella loma-so tanto mais apreciavel quanto he pur. de qualquer substancia que a possa alterar nos seus benignos oll'eitos. Finalmente podegaslar-se tal qual nos paizes productoresNa llavana e as Aotilbas francezas esla iiivoiicao foi recebid. com gratiIo, pois erado ba muito lempo apetecida l-ui P.-rnuubueo, que niln cede em bom nosto a outro paiz, niio iluvidamps que seja oooiiiiocuio o seu merecimenro. Itecomenda-se a manleiga sem sal as pessasque gos1S0 de passar bam : ha toda a certeza de que depois que a tiverem prvido nSo quererilo mais saber de manteiga.salgtdas para saui al moco, e para seus Shas. Acha-se a manleiga frese senifaf ror proco mdico no botequim francec da raa nova, e na venda do Fontes, & InnSo : ruada Ctdeia do Recife. Placido. Sobrado em Goiauna. Vende-se, muito em conta, bonito sobradp sito na ra Meio, n. 58, avahado em i:oonSooct, emo qu i' mu do Collegio .1. 4. Novo sorlimnnto de chapeos de sol, para hoaem e senhora, a saber ¡-chapeos dn sold se la, armacilo de baleia, de 4,500 rs. para cima; ditos ditos para senhora, do 4,000 rs. par. cim. ; ditos de p.nno lino, de rmae.io de baloi. e de ferro, de ¡,60o a 3,300 rs. ; ditos ditos de armacHo de janeo, de 1,200 a 1,800 rs., todos limpos: grande sortimento de sedas e pannos, em pecas para cubrir os mesmos, baleas p.ra vestidos e esparlilhos de senhoras. Concertam-sa todas .8 qualid.des de chapeos deso, tudo com perfeicSo e por meaos preco do que em outra qualquer parte. itv^Wffffftuffvvtfff'S Deposito de tecidos da labrica de Todos os Santos, na Bahia. Vende-se em casa de Domingos Alvea Malheus, na ra da Cruz do Recifen. 52, primeiro andar, algodlo transadodaquellfebrica.muilopro^ prio para saceos e roupa de escra^ vos, assim como lio proprio p.r. re^ desdepesc.r e p.vios para relias, i _. por preco muito commodo. 4Ai**A**0*AA* ******* Charutos de llavana Oa superior qualidade : vendem-se no armazem de Kalkmaun rmeos, na ra da Cruz n. 10.



PAGE 1

A*bs20:0,00,000, 10:000,000, 4:000,000 2:000.000 e 1.000,000 ders. Ni Joia ila Viuva Vieir & Fillios, ni ra da Ciflia do liedlo n. SI, rccoberim pelo vapore. Salvador, entrado do Rio de Jineiro, no da 20 do correle, a Mata da 18 lotaria do theatro deS. Podro de Alcntara, 28. lotarja— beneficio do Monte Pi o Ceral dos Servidores do Kstado, o pelo mosmlfka pbrcljgarailosmui afortunados billicf e 'CUUcllas_ili -.• lotera ;i booelicio d i tbea_. "PoTle Nielhoroy, e 2.' lotera a beneficio do "lospiciolle Pedro II, dosquaes vem alista no primeiro vapor, c trocam-so por bilheles ¡ premiados das loteras do Rio de Janeiro de'sli provincia. PfiCHINCIlA. Ainda existe tima pequea qtiantia das superiores cokas de linho, do mellior gosto que tem apparecido no mercado, pelo barato preco de 10,000 rs. cada tima : na ra do tyhimado, loja n. 17 1Vende-se cimento a 8,000 rs a barrica: na ra .Nora n. 33; assim como urna verga de pedra para porta. -Vende-se um rouleque cr.oulo, de idade 18 a 20annns : na ruu Direita n. II. — Vende-se farinha do Maranh.lo a 100 rs., araruta a 160 rs. : na ra Direita n. 1*. Dinheiro vista. Vendem-se pelo custo selins inglezes.forrados de couro de porco, ditos de borranha, ditos desoa com estufo, sillines para montara de senhora, > 1 %  %  v;. 1 las rolicas, ditas chatas de lust'O, esporas finas do metal branco, estribos de metal hranco, ditos de ac : na ra BlTI n 28, loj de selejro. — No armazem de Jos Joaquim Dias Pernandes, da Iravessa da Madre de Deo* n. la, lia para vender, caixas com cnxofre; dirs 6gr Araruta a 1,600 rs. Na ra do Rozario n. 43, vendem-se latas com bolachinhas de araruta do Rio do Jineiro. pelo comrauJo preco de 1,600 rs. a lata. • — Vertdem-sc porlOes, portas e sacabas de pedia com soleiras de granito, deposita %  jdasdefr'onte iira o ajust. — Vendo-so 0 cugenlio Lagi Iteilonda, no districto de porto Calvo, urna legua em distancia dessi villa, de superiores trras, tanto de cinna, como de mandioca e tudo o miis ; h J composto de grandes varscas.o do no aterro da Boa iMoinhos de vento goel Sougei eom bombas do repucho para regar hurlas Vista. d haxas decapim : vendem-se na fundigao Tnlxns pun ciigcnlio. deltowman&Mc. Callum.na ra do Brum "Ja.fondicflo de ferro da ra do Hrum.aW ns. 6.8 o 10. ...t— j. 1 %  -.. ....1 1 CRAXA ECON"MICA EM MASSA. lio insigne fabricante americano, James Manon. A sua compoalcilo he feita de proposito para lustrar com agoa o conservar o lustro, lano de invern como de verfio ; a grande vantagem quo ha nests graxa he a conservado do calcado, e luslrarjm-se os sapatosou botins ainda mesmo jjfolhados, e urna pequea lata aturar mais oo que tres boiOes, e custar menos do queum. Vendo so em barricas, ou porcSo de duzias, no armazem de Vicente Ferreira da Costa, na ra da alad'e de Dos, e na ra do Amorim n 35, armazem de Tasso Jnior. Vende-se no Maranho, a fabrica de bugias siarinas e sabSo. Os administradores da liquidaqueira : quem o pegar lcvt-ro a ra da Cadeia do.Recife n. ai, quesera recompensado. G ratificare com ISQS Na noile do da 22 lo passado (orara da somraminhados, 3 escravos, sendo uma rirn ta eriouli, do nome Floriifda, prenha j idade que representa 24 annos, tendoossi naes seguintes: denles limados, altura re gular.tem o ar desrarcado.a qual r*i do fran" 'J cez JSO Lobato fabricante de chapeos deso a-ra do Passein, e o motato Bazlllo de ij,' dffqliq represente 19 annos, espigado; e com" bjsao ¡ levou vestido calca e cgala*Me ri idade de*5a 16 annos, bastante' com azeite lino em garrafas; dito con vinlio muscalc ; farinha da marca SSSP e fontana, e outros gneros de estiva de diversas qualidades. Figuras c vasos para jardim. tChegaram do Porto as melhores figuras o visos para jardim, do louca fabricada naqnelle paiy as amostras ostam patentes para quem qWlzer comprar : qa ra da Codcia do Recife n. 38, ou na ra do Trapiche n. 40, segundo andar. — Vende-se por prego commodo urna com moda em bom uso: na ra do Apollo, armasen) n. 34. CIH" 0RAZII.EIRO. Vende-se cha bfasileiro em litas de libra, a 2,000 rs. ci :,i umn j quem, considerando que o cha da India be preparado com o ¡mil. e secco dentro devasilias de cobre, c por consequencia impregnado de mileiias vencDosas, que alTcctaui a saud •, nio preferir de certo o cha brasileiro, que he preparado de um mulo muito simples, o secco sobro laminas de ferro,tornando-se por.isso mesmo muito mais saudavel : no paleo do Collegio, cisa do livro BZJI. /^ — Ven¡e-se, por prcro commodo, fumo em folha,, para charutos de primeira c segunda quaiida les, macella ebegada ltimamente do Porto, e cal virgeni de Lisboa tambem desembocada poneos dias : o tratar no armazem de.Dias Fcrreia, no caes da aliaodega, ou com ¡Novaes c< Companhia, na ra do Trapiche 11. 3.'|. -O dono da fabrica do charutos, da ra Nova n. ^6,avisa a lodosos seus ficgurzcs c s mais plSOU que se quizerem ulilisar dos seus muito apreciaveis charuto*, que agn tem novo sojlimento, que se appelidam : regala de S'. Flix, regala, regalos, llavanna, imperiaes, avista faz t, patuscos, viajantes, fama, yaya, cacadores, da Baha, quem fumar saliera, a rxpcnencia-o-proacaba-se de recebor um completo sortlmen--\cndem-se marras de ierro: na rui t0 d e taixas de 3a 8 palmos de bocea, as c3o de Theodoro Chavanes, venmehr coreado possivel; acbam-sc desmoro |d? Senzalla nova n. 42 qua8s c |„ m sc a Pn ,|, por preco comj fabrica denominada Maratem esj INo aterro da Boa V isla, foja n. 18, modo, e com promplidflo embarcam-se.ou defronte do Tribunal do Commercio. Continua-sc a vender riscados nova e ,j e superior qualidade : a escuros, muito fortes, optimi fatralar com Manoel da Silva Sanzcmla pa.a rotipa de escravos, e pe-, OS) no armazem do Annes, no lo diminuto preco de 100 rs. o coc ^ es j a alfandega. Miirndas superiores N esperto, seoco do co>po ( (*t*lrt jagular les j levou camisl de riSS muito „ ., %  ,„ .. a saber : — casaem que esta mon,tada a fabrica, com ao bracas de I frente c i5 de fundo ; a prensas ¡hidrulicas, orisontaes deforcade 1600,000 libras, cada uma 1 dita — Vcndem-se ancoras c amarras de ferro para navios : em casa de Geo Kenworthy& Companhia, na ra da Cruz n, a. — Vendem-se relo'ios de 011ro e prata, de sabonete c de vidro, S latente inglez : em casa de Geo enworthy & Companhia, na rua daCruz n. a. — Vende-se superior panno de algodao para saceos de assucar : em casa de Geo Kenwo'rlhy & Companhia, na rua da Cruz n. 2, — Vendem-se arreios para cavallos de carro e cabriole!, chegados agora : em casa de Geo lienworlhy & Companhia, na rua da Cruz n. 2. — Vendem-se cabos de linho c de maniln: em casa de Geo Kenworthy & Companhia, na rua da Cruz n. 2. — Vendem-se silhoes de couro de porco, para montarla descubrir, bem como cabecadas de couro 1 hranco : em casa de Geo K.cn\vorIby & Companhia, na rua da Cruz n. 2. — No escriptorio de Novifs *¡ Companhia, na rua do Trapiche n. 3t, tem para vender por prec;.) Commodo os lOgul'ilesobjeclos chegados ltimamente: chapeos do chile interfinos, lila para escrever, graxa cm potes para calcado, lintia de roris, maejos com palitos cnleitados o panno de linho : a tratar no mesmo escriptorio. Lsposico de riquissimos vasos par, flores e perfhmarias. Vendcm-.o ricos visos do porcelana da China de varios limanhos para flores c perfumarlas, de todas asqualidado : na la da Cruz do ecife defronie do Corpo Santo loja de barbeiro n. 58. -Vcnde-se um pequeo sitio, com casi de pedra e cal c Viveiro de peixe, planta de capun, eo(|iieiios e muito mais arvorelos de fiucla do inversas qualidadea, bem cercado o amuradu de urna banda, por preco commo lo, por seu dono se lelirar a tralar de sua saude : nos Afogados ua rua do Caluc, taverna de Jofio llespanhol, a tratar como mesmo. -inda sevendem algu'.is tcrronosalagaAIVC1IUI1S >'l¡|l'IMO '.. I-I fundicao de c. starr & Companhii, i vertical de (orea de \ 00,000 libras; Sanatos ile h e m s -Amaro charn-se vend moendas ¡3 grandes caldeiras montadas, paoapaiOS ue tapete. de canna, todas de ferro. deummodeloe¡ f .. j Venlem-so os bem conhecidoi cortes de oonstruccllo muito superior 1 ra lanrico do sabao ; q ditas patapete, para • %  pitos, a 500 rs o par: na p.nuwii ne \i \ ,\ i ii )< %  \ ¡ra derreter sebo: todos os pertenrua do Queunado, loja do sobrado amarello VAMMltl UEi JTXririUlUOii. %  ."• n.M. : A melhor farinha de mandioca ces necessar.os para o fabrico do Algodao para saceos. (|ue ha na mer cado, vende-se a bor8tea "'ia e abSo ; 9 eseravos enNa loja do sob.-odo amarello, nos quatro i <¡ A _,„_:. onlra A a ¡tendedores do servico ceral da fanlos da rua do Queimado n. 29, vende-so ao ad S" n a ca O. Antonio, entraaa i. f I Va godiio para saceos, por preco muito comde S. Ctharina nidia 20 de noi r ca terreno annexo a la linca, vembro,fundeada confronte a esca-1 com 7 bracas de frente e i5 de modo. 999-?. ¡*flMMNBl&aae* •• ALCUDAO' PARA SACCOS. dinhi do Collegio: trata-se a borvende-se muito bom ilfodBo parasa^ j 0 da mesma sumaca, ou naruado! ,abrica > 'fundo fabr 1 dito fronteiro a mesma com 18 bracas de frente e ^ eos de asacar, ,or preco commodo: m y-_ '"" ,"_l¡ in ',i 0 a ""i" "' ¡28 de fundo i as pessoas qtiepre%  em casa de Ricardo Royle, na rua da ff VlgriO n. If), segundo andar, es| I 11 cadeia n.37. *> criptorio de Alachado & Pinhciro. len(,erem comprar, podem nesta *9>S ', ** '!t!!'?'*^! ,,, f praca dirigirem-se a J. Keller tk Casimiras baratas. Cheguem freguezes antes qae se ^ Q • Vendem-se os mais modernos cortes de acabe. CJSimira, que lia 110 mercado, a 5,500 rs. ; No armazem de Mirtina & Irm.lo, na rui cada corte, tendo grande sortimonto para o da Cruz do Recife n. 62, chegaram ultimacomprador escolher: na rua do (Jueimada,!mente os seguintes gneros ue muito boa qualidade : •queijos Ion Irinos, prezunlos 1 inglezes e do Porlo, conservas inglezas e francezas com dilterentes frutas, latas de [do Crespo n. 2 tes. — Ventleiu-se verdadeiros charutos de lia vana, os mais superiores que tem vindo a esta praca > prezunlos de Weslpbalia, linguas seccas de Buenos A y res e lentilhQ cm garra loes, tudo chegado recentemente: noarmazeni de W.Dauch na ruada Cruz n. i5. I'entes de tartaruga. Vcnde-se ni rua das Trincheiras n. 3, loj de tirliruguciro, pintada de verde, pentes de tartaruga de muito superior qualidade e do ultimo goslo, por preco mais commodo do queem oulra qualquer pirtc ; assim como seconcertam todas as qualidadas de obras, nSo sendo vasadas, o compra-sc tartaruga c pentes velhos. vara, %  boa-fama, Emilios, voluntarios, e d beneficiados 'com 150 palmos'do outras mu.tas quattdades que serao presenfundo ccom areule quoo comprador quizer tanto para o Sul como para o Norte a poente e nascente ni rua da Concordia travessa do monteiro o do Cildeirclro, pagam 20 rs., por paln.o de foro, os |ierlende'.ils podem entenderem-se com o Sr. Pedro Jos Texeira Cuimarfles com armazem de m oi.iras, c materiaes nascisas do Sr. Jos Confalves da Silva del'ronlc do mesmo teireno no qual se aiUo edificando dous predios. -Vendem-se e alugam-so bichas, chegadas ultin.amento de llamburgo, por prego commodo: na rua de S. Amaro 11. 28. POTASSA D\ RUSS1A. iNo armazem de Jos Teixeira Uasto, ua rua do Trapiche n. 17, ha para vender, nova e superior potassa da Hussia, chegada recentemente. 1 nalli .s c guardanapos. Na loja do sobrado amarello, nos quatro cantos da rua do Qucimado n. 19, tem para vender um ..-rende sortimento de toalhas de diferentes Umiohos. c em peca que so vende em varas ; a.-snll como um gran lo sortimento de guardanapos de diversos lmannos e qualidades, c que tudo se vende por prego de agradar ao comprador. Cortes de ch ta e cassa. Continua %  hiver grande sorMfcento de corles de vellido de cinta, com lcovados em um s pedaco, a 2,000 rs. ; ditos da cassi de cores, fixas o bon padrOes, a 2,000 rs.: na loja do sobrado amarello, na rua do Qucimado n. 29. Arados de ferro. Vendem-se arados de diversos modelos, assim como americanos com camban de sicupira e bracos da ferro ; na fundicSo da rua do liriim ns. 6, 8 e 10. — Vendem-se velas de esperncete, cm canas, de (inferior qualidade : em casa de J. KelleT''4x!ompanbia: na rui di Cruz numero 55. Deposito de cal virgem. Ciinhi & Amorim, vendem barra com cal em pedra, cha%ada u|timmenle de Lisboa, ni barca • Hirgafld, • por menos preco do queem outra qua|quer parto: na rua da Cadeia do Recife n. 50. lUimotaex/iosifao. 4 : Ni loja do sobrado amarello nos qua<< tro cantos da rua do Queimado n. 29 4 O tem pira vender nova fazenJa pira, it vestidos de scnliora, denominada mi**39 mosda exposicSo, fazenda dedilica%  ) dissimos goslos e cores muito lixas 4 fe pelo diminuto prego de 440 rs. ocoi • vado. 10 >£¡4>. ,*.****+$.>.*<* Chita larga lianceza, a 24o rs. Vende-se cinta franceza larga padrOes modernos, escuros e claros, o cores fixis, pelo baratissimo prego da 240 rs. o covsdo, tendo grande porgo para osculher : na loja do sobrado amarello, nos quatro cantos ua rua do Queimado n. 29. Sedas furta cores, a 1,70 rs. o covado, por lao diminuto preco, que mdeixar deter um vestido de seda pira a festa ? na rua do Queimado n. 10, vendem-se as melhores e bonitas sedas furta cores, para vestidos de senhora, meninas c manteletes, a 1,700 rs. o covado ; damse as amostras, ou mandam-so as pecas em casa para melhor o comprador e&colher. loja do -ii':u dn amarello n. 29. AGELNCIA da fundicao Low-Moor. RUA DA SENZA.LA NOVA N. 42. Neste estabelceimcutn contina a ha ver um completo sortimento de moendas o meias moendas pura engenho, machinas de vapor, c laixus de ferro batido e coado, de todos os tamaitos, pata dito. Deposito tu rubrica — Vende-sa um grande sitio no luQ ;> gardo Manguinho, que tica defroute Q Q dos sitios dos Srs. Carneiros.com ra .^j grande casa de vivenda, de quatro r\ Q agoas, grande senzalla, cocheira, Q" eSlrba r 1 l>iir.a.P,nini m\a o.,e. mpanbia. %  %  V^ndo-se umi escrava creouli, mog e com lianilidades : na rua do Cabug n. 3 segundo andar. Para voltaretc. Vendem-se carias finas francezas na rua salmo, ditas .de ervilhas o sardinhas de Nantes, ditas com bolachinhas inglezas in>rmelaila de Lisboa, mostardi, o muilu acre 111 titlo che de S. Paulo, caixas com muito superiores magas linas para sopa, gigos com cliampanlie, vinlio de Xerez, Uadein, Duccllas ol'oito, garrafas co-n cxlrail de ab — Vende-se azeile de carrapato %  200 rs. a garrafa, e sendo a caada 1,440, gracha ;m lata 100 rs., azeilonas novas, figos, paisas, assucar refinado, dito de carogi>,farinha do reino dita de Maranho 80 rs tudo por menos pregos do que em outra parte : no paleo do Carmo venda n. 13 debaixo do sinllie o outros muitos gneros, ludo poi sobrado do um indar na quina do becco da 9 lenta 3 ria, baixa de capini que sus a 4 cavallos, grande cacim5; .. ba, cn-ii bomba e tanque cuberto ';' '? para banho Instantes nrvoredos de • fructo : na rua do Collcgion. 16, se!" O gundo andar. O OS>OOOQC 0GC?9030000| Agencia de Edwin Alaw. Na rua (le Apollo n. 6, armazem de Me, Catiiioii i.-Companhia, acha-ic conslanlemenle bona lorlimentoi de lun de ferro coado e batido, unto rasa como fundas, moendas in— eiras todas de ferro para anfhaea, agoa, ele, dltaa para armar em inadeira de todos os tamaitos e iii.-nlellos o mafs moderno, machina horisonlal para vapor, com forca de 4 cavallos, coucos, passaileirai de ferro estancado para casa de pulgar, por menos preco queoz de cobre, csi ivrus para navios, ferro ingles tanto cm barras cvuro em arcos folhas, c tudo por barato prefo. — I'.in c¡ui t ponte do Caxang, com um preto voltio dizendo que hia para S. Loureugo, pin ver sua sonhori moca ; por isso roga-se aos seqhores destes eiii-.'-iilios, c aos mesmos capitls'de campo, do appreiindeio traze-la a moncionada casa cima, que serflo generosamente gratilicados. .' -— Desaparecou no dia 8 do pajBInlo, di vllft do Cabo, o cscrijio cabra de nome Miguel, representa to£j) 35 annos pouco mais ou menos, com Os signaes seguintes: pouca barba, rosto comprido, beigos grossos, bocea regular, bastante gago, estatura ordinaria, um pouco cheio do corpo, ecabellos.encarapinhados : quem o sppreendcr e levara olsa do Dr. juiz municipal do mesmo lugar cima, ou a do Sr. Antonio Joaquim ¡fuarquo na ruado l.ivrameoto n. 27, ser generosamente gratificado. -Desappareceu no di 25 do pissado i escnvi Josefa prela de Anguila, idide 36 anuopouco mais ou menos levou Vellido de riscadinlio amarello sempaliqas, jl tizado, pao da usla de lisias IICJI nudas c migauginopeScogo, est bastante magra e com barriga um tanto cresci la em razo de sa i-liar doente, sigiul pelo qual pode ser fcilmente reconhecida : quem a pegar leve-i rua da Madre de Dos n. 16 luja que ser recom ensado. — Na noute de 19 do pissado, desippareceu, umi preta de nagSo, por nome Mara, estatura regular, bastante secca do corpo, ja de meis idide, com todos os dentes di "frente e umi nunca M em um dos brigos, quando falla pouco se percobc e pirece miluc | o fallar mullas Veto* s, llldava vendendo igoi em um caneco de folha ja usado, levou vestida uma saii do clut i de assento branco.com flores cncarriltdis, ciiius.i de algo ISo e um panno da Costa ja velho]: s pessoa que a capturar, levandb • rui Augusta, sobrado de um andar e sotan o. 9, ser pac.ii do seu trabalho. -Desappareceu rio engenho S.Amarinho, freguezia da Varzea, no da 2i do pissado, um molecole de nome Lufrazio, cotr. os signaes seguintes : represente ter de 201 22 annos, estatura regular, trtm preto, de nac.lo Mussambiqoe,nariz nao chilcre um tanto arrebilado, bonilolee ps pequeos: quom o pegar, levo-o a rua^^COTijljIof venda n 5, ou ao mesmo engenbs, qu sera bem recompensado. — Desappareceu da f#hjici de cildeireiro da rua do lu um n. 28; no dli 17 do plisado mezdn novembro o preto -\ntbnio, de nagSocabiiida, que ropresonta-tr'>l5 innosde ilude, altura regular, cheio do corpo, cara aboceladi, muilo cabelludo nos peilos e eom bastantes cabellos brinca* ni cabega, e um pouco carrancudo ; he-'blllciil decildeireiro, foi encontrado ms Ciueo Peinas, e seguio o ciminho dos Afogidos, e he natoral queseguisse oais adunte por ter levado lo la a roupa quo linha, e por j 1er sido pegadu do oulra vez ni freguezia di Kscida : roga-se portanto, a quem o pegar de leva-lo ni dita fabrica cima, que so recompensiJo. 'KI'V VA'I'I i' m: M.r.pr \ %  %  '• %  < 1 %  •**> %  ^



PAGE 1

Anno XXVII .Segundafeira 1 DIARIO DE de Dez^ui'ira de 1851. N. 272, MEO O A SUBCUIPgiO. PlONTO ADUHTAD*. Par trimestre por iemestre : *" • Por anuo ...•• PtGO BBirf iO OurUBESTU. P o, *V*,¡<fi P, 1t 4 .... ib deNovbr. Mlnaa... iSdeetbr. 4/009 8/000 1!>>I>'0 4/SOO Maranbo lOdedlto Castra... S* de £"?• % %  Parahlba. 92rf Nobr. S. Paulo. %  de dlio. R. del., 1 ¡ de Novbn Baha... 17 de dilo DA DA EMANA. 1 Seg. S. Kl'iv b. I 2 Tcr9. S. Adrro e P. 3 Oulrt. S. Prrnclsco Xrierap. dai Indias t Quii S. Osmundo. ( %  ¡frlt S.Geraldo are 8 Sib. S. Nicolao b. as. Leonissa e Datira 7 Moni. '2. u do drenlo S. Anibrotio. AUDIENCIAS. Julio de Orfkioi Z. e5.il 10 hora. 1. vara do civtl, 3, c6. ao meio-dia. • Faienda. [3. e 6. > 10 hora*. 2. vara do eivtl. I. e sbados o meio-d. Relaeo. Tercas e sibtdos. IPBMiaClDEI. PARTIDAS DOl OOBBIIOI. ** Creicenle i 30, as I horas e .Vi minutos da mJpoianna e Parahiba, as segundas e sextaiChela a 8, a I hora e 8 minutos da t. ; feiras Mingoante l.">, as 3 horas e B minutos dam. JMo-Crande-do-Norte, todas as quintaa-fcirai Nova 22, a 1 hora e 14 minutos da tarde. PHEAMAH BI HOJI Primeira s 11 horas (ti minutos da tarde. Segunda s 12 horas e fi minutos da manhac. aomeio da. fiaranhunse Bonito, i 8 i23 Boa-Vista, c Flores, a 13 e 28. Victoria, s quintas-feiras. Olinda, todos os das. NOTICIAS ISTANOnnAf. Portugal. Ilrspanha. Franca ... Blgica ... llalla.. .. Ali tu..ni a. Prussia ... Dinamarca Ruada... Turqua. i-I de Onlb 8 de dilo 8 de diln i de dilo 3dr Outbr 5 de dito 3 de dllq, 3 de dli 1 de dilo 2 de Setbr .Austria.. 3de Outbr [Suissa. .. 3 de dito. iSuroia... I de dito Inglaterra !) de Outbr. F..-Unido, 24 de Setbr. Mxico... 1ft de dilo, California 10 de Agosto Chlll. 26 de Abril. "uenos-A. 2 e Cetb. Montevideo 6 de dito. CAMBIO! DE 29 DE NOVEMBBO. Sobre Londres, a 28 3;l e 29 d. p. 1*080 Firme Pars, 333 por fr. Lisboa, sem traniaccen METAEaV Ouro.—Oncashespanholaa.... a Moedas de 6/100 tena 16/000 a de ftMoO novaJ. 16/1)00 a > de-i/OeO....... 9/000 a Prata.—Patacdes brasllelros.. l/90 a Pesos columnarfof... 1/990 a Ditos mexicanos 1/7*0 a %  l saarmssSKvwBMiBBr7*''W i~*i PARTE OFFICIAL "GVEftH DA I'ROVIHCIA. EXPEDIENTE DO DA 90 DE NOVEMRHO DE (851 Ofllcio.—A Ihaiouraria de fizn li enviando orequerimanO e pp*i da, divida, iirni do citado mez pelo batalhSn do Pocomez. pa-Panela e pelo primeiro da legiflo de OlaDilo.--A mesn inteirsnio de liaver o da, para o que Qcam ja expedidas as convemarechal commnii lano das armitaMpbii nientas ordena.-Neste sentido deram-so ] itaL4aBHUo ncceasan.is ordena. ..aquim siaunc wanoenoy, que aganDito— Ao mesmo, inteirando-o de.hiver do consta de aviso da reparlicilo da guerra ozm. !prcsident>r do UaranhTo communide5 de setombro prximo pnssado, vem ex-\¡ado que empregra o lenlo do quarto orceroseu ministerio em urna das fortalebalalhao deartilhariaa p, Jos Nunes Marzas desta provincia, bom romo quo o manques, que alli foi com licenes, na instrucdra servir na fortaleza do Rrum.-ltspon¡lo do conlingeDte da mesma arma em deu-soao mesmo marocha!. ¡guarnicSo n'aquella provincia, bem como Dito.-A mesma remetlondo as follias da ¡que paasava a solicitar do goveino a necesdespeza feit.i com o transporte da hagagim saria antorisajlo para que o referido ollidos olllciaesdo 9 o 'batalham do infnlaiii cial continua em semelhante serviro por por occasi0<) de sus marcha para delibren¡algum lempo. — Respondeu-se ao mosmo les pontos da provincia, Dm deque manExm. Sr. presidente. de pagar a sua importarcia, estando as rej Dito -Ao desembargador c'.iefe de polica, faridas folhas nos termos iegses.— Inieiroupara que exija du subdologado da Boa-Vista se ao contman lo das armas. | urna declarado da idade, natnralidade, esDito.-A i r.ipit.lo do porto transmillinlado e IMiacBo ca crioula Francisca Xavier, do, por copa, o aviso da reparlico domaquo, segundo communicou o mesmo subrinba do99 de outubro ultimo, pelo qualse delegado, sjicilou-se no dii 19 do correndetermina, que o dique da llha do Nogueite; e bem assim un i copia do auto do raseja feito do pedras sola* por ter a expecorpo de delicio, do qual deve constar o miltiodo por copia o aviso do mim-teno da r: ,. nrl m ;S | r ., |.> „ |i 0 in-:i solid''/. de-si obra, juizo dos mdicos sobre o presumido suguer'a de 7 do correle, pelo qual se deso l'or construids de madoira.—Uuaes o* cldio. termina que siga para a corle quanto antes pias foram rcinettilas ao enyenh-:iro direc-| Dito—Ao mesmo, int^rando-o de haver o primeiro cirurgio do corpo do siudo do lor j ag ourss publicas, e ao contador de .oflo s ordnalo ao director doarsensl de. exercito Pedro do Atbayde Lobo Mosco so marinha. guerra o fornecimento dos objectos requirassaodo se-lhe a licenca com queaeama.j Dito.-A thesouraria da fizonda provin'sitados pela delegado do primeiro distrioto -Kpmettoram-se iguaes a png-uloria milic j,| par q ue n0J termos de sua informa deste termo para a casa da guarda do Miniar o rthesouraria do faznnda. r¡do, e vista do cerlilicado pastado pelo'guinho, devendo ser a despeza paga pela IguintesappellacOs em quesllo: Dto,'--Ao mesmo recoromenilan lo a exengenheiro director das ob'as publicas, i thesouraria da fazenda provincial, mas tamAppellante, Jos An IrPereira de AlbuquerprdicSo de s.uis ordens para que os corpos mande pagar a I). Mana Gomes do Amparo ; bem ofliciado, a respeito dusconcerlos de j que ¡ appellado, Julio F'erreira do Prado. emguar.nrcSo nesta provincia reunind i-so aquanliadc 400,000 rs. por inJemnisa^ilo ,que carecer mesma casa, cmara fnuAppellante, Manuel Alves Guerra; a;ipellano dia.f0"rjo.coriente aos balalhO s de n. I do damno quo soll'reu com a possagem do urinal dn Olinda, cajo patrimonio pera 6 e aoesquadiao do cavallaria do guarda a 1 lauco di estrada ilo norte em sua prolenco.—OlUciou-se neste sentido ao referinacional desle municipio,acompanhem dipriedade.—Communicou-S3 ao referido endo director, mencionada cmara, ecomrigidospel ollicial a quem competir o rosgenheiro. municou-se a pagadoripectivocommando, a prociasSo de Corpus Dito.-Ao acento dacompanhia das bar-lraria provincial. .• __.,_. ,J_I r\iiA i'iku. ".nenio por estar fra do tempo. Appellanles, Antonio Fabio do Mendonca es.a mu I he, ; appe||adis, EstevtJo Jos Paes Rarrelo e sua mulher.-Receberam us embargos e annollaram o processo. niLIOBNCIAS. Appellante, a fazeoda ; appellado, Manool Antonio Rodrigues Machado.-Mandaram averbar a disiraa. Appellante, o cnsul frunce? interino; *ppollado, Diogo Bapti'ta Fernandos.—Mandaraiu ouvir o curador geral. MMOaioOlf. Appellante, o juizo ; appellado,Candido Ferra de Oliveira, Appellante, Filippe Santiago Vieira da Cunda ; appellado, Thomaz I ins Caldas. Appellanle, Antonio dos Santos Sirjueira Cavaicanli; appellado, Kstevo Jos l'aes Barreto. %  IVHOBS. Passaram do Sr. dsembargndor Villares ao Sr. de.embarcador Bastos as seguinles appellacOes em que silo : Appellante, o juizo; appellados, Joo Daniel Wolphopp.il Ccnpanhis. Passaram do Sr..desembargador Souza ao Sr. desemhargadotyRebelloaa seguimos npPplla^Oes em que silo : Appellante, o juizo ; appellsdo, Florencio Martina Valga, Passaram do Sr. dsembargad"or Itebello no Sr. desembtrgador l.una Freir as aeguinlos nppcll-ues em, que silo : Appellante, Innocenciol Jos da Costa ; appellado, Ignacio Alves Feitosa. Passaram do Sr. dosombargador Luna Freiro ao Sr. ilesnob r; i l.ir Telles as se dos, Jos Nicolao lligueira Costa c sua mulber. Ao Sr. desemhargador Poreira Montoiro militar, e tbeouas sesuintesappellae5eson*,quo sSo: Appellante, Francisca Antonio da Cima; ChrMi, que defer ler lugar nesse dia, incas de vapor dizendo que, niio so podendo' BfTo—A' thesouraria do fazenda, autoriappellada, Maris da Paz. dicando aquella* commando ao commando coicluir al amanha os trabalhos que pela sando-a, sob a respnnsahili la Je da presi-! Passaram do Sr. desembtrgador Telles ao superior da referida guarda nacional a hora, thesouraria de fazenda tem de ser remettidenria, e de conformiJade com a sua inSr. desembargadur Pereira Monleiro as seo ponto que destinar para a dita reunio ; o ios ao thesouro nacional, como a caba de formarjo, a mandar abonar mais pagadoguintesappellstOisem quo silo.: prevenindo-o de hmyer ofliciado ao mencioparticipar o rospectivo inspector, n3o pode ra militar dezeseis contos doris, que o Appellanles, os indios de /¡Tronches; ap, nado commandante superior e aola guaro vapur < Paraeuse .seguir para os porlos respectivo inspector requisita para conti( pallados, os bordeiros fle Jo8o da Coat da nacional doa municipios de Olinda e do sul se n5o depois d'amanhSa 2* do cornuacSo do pagamento neste mez das desAbano. Ijuarass paramandsrem apresentar na pa-' r(m t e asquatro horas da tarde.— Commupezas, quo correm pelaa tres verbas menAppellante, Manool Camillo Pires ; appellarada do costumea forr¡a que for necessaria njcou-se a thesouraria da fazenda. Clonadas no pedido quo devolve. 1 'dos Jos Pires Vianna e sua mulher. parafazer a guarnirlo da pnca no roferido Porfina.-Ao mes no para mandar dar Dilo—A' pagadoria militar, remeltondo Appellanles, Diogo Cokschol & Companhia; dia.--Olllciou-se noste sentido aos supradipastagein tora a Bjhia por coula do govera coma em duplicat das despezas feilas ampollado, l). Cicilia Cnlliariu do Monlc toscomMaodaoletveoAwrrores. no a Thorn da Costa e Domingos Nicolao, c m o cnlerrimento dos eadavores de 11 'STnay. Dito.—Ao meamo remetiendo copia do quoliveram baixa doservic do oxercito. P'cas do dcimo hatalhfio do infantarii, AoSr. desemhargador Villares as seguinaviso do ministerio* da guerra de 31 deouDitu.-Nomeando prufessoies das cadeique falleceram de 21 de agosto al'90de tos appellacOes em quo silo: lubro ultimodo qual consta que, por derdS l0 j ns t ruC cao elementar do piimeiro outubro deste anno, alim deque, estn lo Appellante, Manoel Alves Guerra; appellado, creto de 99 do meamd'moz foram promovKr 0 d, s povoscOes do Joaseiro, Jugareira e aditaconla nos termos lgaos, mando pa-1 Gaspar de Mouozes Vasconcellos do Unidos oa tenantes coronis graduados InnoSorra Talhida, a l.uiz Ciraco da Silva, Margar a sua importancia (33/uoo ris j.-Coaimond. cencio Eustaquio Farreira d'Araujo e llyco iin 0 Antonio Xavier e Joaquim Thoodoro municou-so ao commando dis armas. Passaram do Sr. desemhargador Valle ao gino Jos Coelhoa lenles coronis com:g er p a quo obtiveraro proferencia no con mandantes, este do quarto bftalhilo de arJ curso que se procoJeu, do conformidade tilhariaa p o aquello do tercjlro d mes-' coin 0 r egu| d mento do 19 do maiod slo anma arma. Igoses copias foram remolidas thesouraria de fazenda e a pagadoria mililar. Dito—Ao mesmo para mandar por em liberdadeo recruta Pedro Jos dos Montos lor ter apres %  ¡litado isenelo legal.--Communicou-seio desembargador chefe de polica para fazor constar a autoridade que o capturou. Dita—Ao mesmo para que em enmprimonto ao aviso, que remetle por copia, do ministerio da guerra de 29 do outubro ultimo, dntie a secreleria da presidencia urna relaciona pracas de pret qui estiverom presas por motivos ue deserr^So, e que por alta do consolho de disciplina n3o tom sido proeessadas. Dilo.—Ao mesmo remetiendo por copia o aviso do ministerio da guerra de 29 deouluhro ultimo, mandando proesder contra os militares pertenconlos aos corpos do exercito, quo tivorcm acceitado, ou para o futuro aceitarem som previa permiisSo d'aquelle ministerio empregos ou commissues alheias aos meamos corpos. Dito.—A thesouraria de faienda recomDandando a expe JicSo de suas ordens para que o inspector interino da ilfandega desta cidade nos termos doait. 1.* \ 3 do reguno.~ Nesle sentido flzeram-se as necessarias communica'.os. DEM DO DA 2*. i lili i i. — Ao 'in o ui.lo das armas, dizeudo que com a copia que remelle, do olliclo do inspector da thesouraria da faienda responde ao d'aquelle commando de 19 de setembro ultimo. Copia que te refere o nffirio ¡icitna III ni. e Em, Sr. —Informando a V. Ele. que o processo da quantia de I ¡196/ rs. que c deve de ejercicios findoj caixa do qUarlo batalho de ai lilliina a p, de que traa o commandante dis armas no ortelo incluso, foi reiuetlido por esta thesouraria ao ministerio da guerra em 17 deseteinpro ultimo, para proceder a ullima IIquidacao e determinar o pagamento ; julgo ter cuinprido o despacho de V. Kxc. em ditooflicio exarado. Dos guarde a V. Exc. Thesouraria de faienda de Pernambuco, 22 de novembro de 1851. — i 'bu e Eini. Sr. Vctor de Oliveira, presidente da provincia. — O iuspector, JooV Gowalves da JJl'/t r. Dito. — Ao mesmo. para mandar receber a bordo do vapor l'arttenee c recolher ao hospital icgimioii.il, uno de ser convenientemente tratada, urna praca que se acha doente no referido vapor e em estado de alienacao.— Coinmunlcou-se ao agente da coinpanlMa das barcas de vapor. Dito. — Ao mesmo, Intelrandoodebaver ex,„-' ', .io "^.^iT. pedido as convenientes ordens ao agen(e da lamento de 28 de agosto de 1819, consinta 'panbla das barcas de vapor no seu'.ldo ,lc uo despacho, nonio de direi'os, a 100 liar; a ndar dar passag ricas de cimonto.e 50 pecas de lona da Russia, que o Qspeclor do arsenal de marinha mandou vir de llaniburgo -para o mesmo arsenal.—Inteiro-se ao inspector do-referido arsenal. Dito —Ao commandante do Presidio de Fernando para que na primeira opportuoidade faca seguir para esta capital a Jisposicodo rnareehal commandante das arnrs ossoldados Izidoro vieirl Lopes, Jlo de Daos da Cruz, Joaquim Barbota e Jos Folippt doNascimcnlo, os quaes f irm perdoadosporfor<;a do decreto de 16 de junho deste anno.—Communienu-M! ao juiz municipsl da prnoia vara. Dito.—Ao agente da companhia das barcas de vapor-ItUeiraudn-o de haver, em vista do que Sm. partteipou, expedido ordem o director doaraenaI do guerra > ara mandar hoje antes do malo dia para bordo do vapor S. Salvador es quatro caixoes, contando objectoadestinados para oMaranlio.%  Ollii: u.i-s". II'KM DO DIA 29. icio." Ao commando das armas ;ara que forme do modo a poder a presidencia cumprir'o disposto no aviso da repartir;,1o da guerra constante da copia, que remelle, qusl acompanha o requcrimenle, em que o lente coronel Francisco GalvSo de Barros Franca pede a entrega de seu osera vo com praca no eoicilo oom o.nome de Pedro Hoza da Silva. Dilo.— Ao mesmo dizendo que par poder cumprir o aviso-da' reparlico da guerra constante da copii qu* remelle, faz-ae necessario que infortie a cerca do requerimento que lambem remetle em quo Miguel Joaquim de litro Maicarcnhas pede ser nomeado 9* cirurgio do corpo de saude do exercito, fazendo juntar ao mesmo requerimento o diploma do peticionario do doutor M as pra'cas'de pret que ibe forem*remelildas passagem para a corte ao primeiro cirurgiodo corpodeiaude doexercilo, doutor Pedro de Alhahyde Lobo Moscoao, c bem assim a pagadoria militar para lbe passar a compleme guia. — Reste sentido expNiram-se aa convenientes ordens. Dito. — o mesmo, communicando, para que expeca suas ordens ao coininandautc da frlalesa do uno, que nesta dala aulorlsa ao commandante do presidio de Fernando a remoller para esta capital, afnn de ser conservado na dita fortaleza, o preso poltico Leandro Cezar Paes brrelo, — OIHciou-se neste sentido ao cumulando do mesiiiu presidio, e inleirou-sc ao juiz municipal da primeira vara. Dito. — A pagadoria militar, para que de conformidade com a sua iufurinafo, mande adianlar ao primeiro lente do catado maior da segunda classe do exercilo, benedicto Jorge de Faiia tres mezesde sold para Ihc sern descontados pela quinta parte na forma da le n. ,n i de lo de ouiuro de >btS. — Comuiunlcouse ao commando das armas. Dito. — Ao director do arsenal de guerra, inleirando-o de haver Iqdeferldo o requerimenio „ em que o cscrivo do alinoxarifado d'aquelle 1^ arsenal. Thomaz Amonio Maciel .Monleiro. pedia qu gozo da licenca que oblivera do goveroo imperM, visto j ter principiado dilo escrlvao i fruir a mesma licenca, como S. me. declara em sua ioformacao respeito. Dilo. — A cmara municipal de Sanio Anlo, approvando a arremaUco das rendas d'aquella cmara, que se ellectuou por mu anno e pela quantia de 3:j04/trs„sendo o imposto sobre os sepos dos acougues por 1:2011/ rs. o do gado vaceum e anmaes suino e ovelhum por 1:410/ rs.,asaferl5desde peso e medidas por 3021ra., as liccncas para mscales e boceteiras 750/0iio rs., os impostos daa medidas do mercado por 2*1/ rs. e o das bataneas do assucarpor 100/000 nos. Parlarla.— Ao agente da companhia dai barcas de vapor, para mandar dar passagem para corte por.contado governo no vapor PartenD:to—A' mesma, devolvendo as tres conSr. desembargador Villares as seguintes tas, na importancia du 182/150 ris, das appellacOes em quosSo: despzis follas com a prensa e rodi, quo Appollaote, o juizo; appollailo, Ignacio Cors mandaran! apromptar para o presidio de i reiaTila Mello Fernando, fim de que as mande pagar, Appellanle, o juizo ; appellados, Manoel Pisendo 136/000 ris a Primo Feliciano da | res Ferreira e oulro. Costa, 30/000 ris a Antonio Joaquim de Appellanles, Francisco Poreira Pinto CavalOlivcira, e 16/150 ris a Vslentim da Silva &C. Dilo—A' thesouraria da fazenda provinranli e oulro; appellada, a fazonda nacional. Ao Sr. desombargador Itebello as seguincia, autorisando-a a maddar pagar ao anctes appellacOes em que sao : matante da obra da ponte dos Arrumbados, Appollanlo, o juizo de ausentes; appellado, Jos Alfonso do Rogo Barros, de conforoiiJos Goncalves do Passo. dale COT a inioi uiac.ao do ollicial-maior Passaram do Sr. desombargador So JZI ao d'nquella thasouraria, a quantia do ris Sr. desembargador Robello as seguimos ap1:066/193, em que importa a primeira prespellacOas em que so : taco do seti contrato.loteirou-se ao enAppollante, Juaquim Forreira ; appellado, genheiro director dai obras publicas. ¡ Jeronymo Joaquim Ferreira de Oliveira Dito— Ao engenheirqpencarregado das obras Appellante Vicente Kiza di Costa; apmilitares, reinellendo um oflicio do marepellado, Manoel do Souza Pereira. chai commandante das armas, aco.npanhaAp;ellante>, o Exm. bariio d Suassuna c do dos papis, a que elle se refero, Rui su¡ mulher; appellados, Antonio Pires de que.'procedendo aos neoessarioi oxaFerreira e outros. me, organise e envi prrsidencia com os Appellaites, Francisco de Assis de Oliveira ditos papis o ofllciu o orijameiilo para a Maciel o outros; appellada, Florihda Maediflcaclo do barraciio do quo trata o refera do Sanl'Anna. rido marechal, propondo a.) mesmo timpo Appellaotes, Joo Baptista Pereira Lobo de tu loo que convier osse respito. | Gusmao eoutro; appellado, Manoel ClauDito—Ao director das obras putlicas, camara s ilicitou para a concluso da capelpellada, Joanna Abreu Franca. la do ceroitorio publico. A o Sr. desombargador Valle as seguintes Dito-A camira municipal do Ouncury, appellacOes em quo so : exigiiiuu urna informacao circumstancisda Appellante, o juizo; appellado, Antonio Alsobro as vantagens que podem resultar da ves da Silva Oliveifa compra de um a S ude com agua sufflcienle Appellanlo, o juio de ausente; appellado, pira abastecer a dita villa, pertencinte ao joauim Frneineo da Alm rTho^Anron,r M r,.rM^,rorp>!fe ^ r oi ^\ X^^AT !" ^*e.elheconcedease nao entrar agora no mesmo delegado olTorecido o governo para i es ,ppellacOes em que silo : aer franqueado ao uso publico medanle a Appellante, Jos Goncalves Torres; appelladevidi indemnisaco, e bem assim acerca ; u a Mar ii da Aasumpc-lo da Silva Molla. 11 k tirano. .1111. rmr i.l .. aa nAIn --sn-.,..l '. ._ .* %  .... ( %  em medicinar Dilo.-A thesouraria de fazenda communicindo quo, por decreto de 98 de outubro ulhm regundo constou d" parlicipacio da lepsrticflo da juitiCA de 13 do eorrente, foi concedida ao baohirel Francisco de Paula pelo commando das armas competentemente relacionadas. — Coinmunlcou-se ao mesmo commando. DEM DO DIA 95. Oflicio—Ao exmanlo das armas, recommendando a expedicSo de suai ordeos do preco que por elle ae pode nsoavelAp"p"e'li.nte" jsPsreirtde Castro ;"appVamente aar, indicando ao mesmo lempo o do, ojuizo. Ao'sr. dosembargador Bastos as soguinqu9 julgar mais convenieute para mesma villa abastecida de agua. Port.ri.-Ao director do arsenal de guerA pi 0 ||. "te a us ra, para fornecer cmara municipal desta T n jri,,a dos Pt tos appellacOes om quo (fio: ,ici ; appellada, "x andrina do's Prazeres. Roza AleLevantou-sea sessilo a hora o meia EXTERIOR. cidade, mediante a competente indemnisa :3o, quatro ospadas e quatro centurOes guaes ios de que usam os soldados do corpo de policia. Colnmunicou-so a dil. cmara e p agadoria militar. TlWllNAL DA KSLACAO'. SESSAO I)E 95 DE NOVEMORO DE 1851. Presidencia do Exm Sr. conselhciro Asenta, syslema poltico no qual cabem jimias a liAS 10 horas dia manhila, estando presente bordado e a ordem; o pnnerpio que concoot Sr*. desembargadores Villares, Bastos, de o o principio que restringe ; a espaolo e Souza, Helio,lo, Luna Freir, Pereira Muue a resialeiicia ;u espirito iunovador ; ,e o resloiro, Tellese Valle ; faltando com causa o peito s tradiccOei dos povos. Erramos que .Sr. detembargador Lefio : o Sr. presidente creem que da democ acia pode sabir ama declara aliena a sesJo. ¡situaclo duradoura com as condiiOes de um bom governo ; i|ludem-se os qfre cree a quo se pode desaliar impunemente as ideas da poclM, praodo-se no absolutismo. Debaixo da democracia he ,int' iramonte impossivla orden, pra'Co"ndic¡Io das sociedades; debaixo do ab'afutisn.o niio so concebo a liberdade, a qual lio urna neivs-i lado dos tempos molernos A democracia exagera um doa principios quo eotram na constiluiclio de um systema de governo Meltaval cusa do oulro que lie nao menos necossario ; o absolutismo exagera o principio opposto cusa de todas as aspirasOes legilim.ii, a costa das conquistas do ontendmento, A cusa dos nrogressos da humanidade. A democrici, ensaian lo novas vi.s do progrosso pengosas e eseonhecidas, quer escarnecer do dedo da l'rovi.loneta o qual lem marcado s nacOos o seu deslino ; o absolutismo rehola-so contra o deaenvolvimento natural, e necesssrio da intelligencia e contra todo o espirito innovador que he o resultado dossa idea do perfectibilidad!-, eslimulo dolles os descobriir.enlos, de todos os ensalos philosophicos, agonte principal do movimculo do mundo queda impulso civilis.ieio o busn a regenerarlo dos povos. O absolutismo v-un a pcrsonilicar-se cm um novo Josu que quer fazor parar o sul, niio para ganhar urna batallia contra os inllois, sendo pel prelencao orgulbosa de sobrornr-se ao quo marcou o curso dos ast'Oi. Nom domocraci, ncm pbiolulltmo. rep?time.-lo ; o lempo do segundo ja passou ; o tempo da primeira einda nao chc^ou ; nem sabemos se etiegar nunca : o que sabemos he que no somos nos que vivemos agora qucTavemosde ver a democ ana convertida em syslema practico do gouernd, purgarla de todos os seus inconvenientes, e [Aspirando oonflanca aos grandes o permanentes interesses da sociedado. E por que tal he noassa conviccSo, e po-quo no concebemos que haja quem nSn vjanosla queslfio tilo claro como vomos, admira-nos que existan) paizes nos quaes se pretenda levantar o absolutismo para contera torrente das ideas reformadoras, corno admira-nos quo luja paizes nos iiuars S prtonda aclimatar hoje a democracia quo lio no continente euro'oo urna planta cxolica. Niio henosss intonefio fallar aqui dos segundos quo maii de umi vez nos lem dado ssumpto para nossosarligos ; queremos fallar das primeiras, a vista do quoseosta i > -1 — ni lo ni Allemanha, o que he om nosso enlen ler urna luva laucada a ievoluefio, que olla pode recolher cm seu da. Ninguem polo tachar-nos do pa-ciaes ueste poni ; amigos da roprossiio, quanlo a repressfio salva a socieda Je ; inimigos das concessOes, quando as conceSOOS, O tal nomo merecem, so arrrancadas a fjrr;i, podemos sem inconvcnieiito lamonlar que a Austria, por escondo,a qual roncoleu quando a rcvo(i:r;fi corra inumpliaule as ras de Vi-nn a; que concedeu quan lo nl outros eremos quo era ohogadl a oCOjiifio de resistir; quo conceJeu para quo o impera lor podesse recobrar sea poder pordiio, n sua unt..ao abandonada, denegu boje, quo he chegadi a hora do conceder ; denegu hje que nada pnrd'; djnegue hoje para resistir por um alar ;o imprudeute ue forca ao que reclaman) j as necessidades da Europa Ciemos que he chegada a hura de conceder pur du razs importantes que nBo deviam escapar a penetracflo do governo austraco. Para que so as lindes da esponencia .' Quo haveinos de tirar das trittulac-Oes senao CJselhoi utes pira s-guir ? A primeira razto be, que u3o senlo j possivel a ninguoai deler o curso das ideas, sutn correr o risco dn que a lu rento airaste loJos os objeclos, a hora de odmeltilas be quando esta operario no signilicaa debilidado do poder quo cede, senao a forca do poder que conlia ; niio a transacc,i¡o huniiIb iiit • do podor com as massas, seufio a concesso espontanea.quo so adianta s exigoucias e arranca benevolencia o gralidlln, Se e ceJeu quando o governo so vio alacado, porque se recusa hoje qu !" elle lio forte ? NSo he isso dizer quo as concessOes de ante." foram inspiradas pelo me lo ? NSo he isso coufossarquosco l o lomar a reproduzirse, as concessOes sereproluziram tambem ? NSo he isso di zeraos povos que o nico rieio do conseguir alguina causa he a insurri<¡io ? Porque nos inlcressi a sorte dos thronos, porque nos inieressi a consolidacSo da ordem. vomos com scntunenlo o imperador da Austria posto no caminho da reaccSo, quando menos isso se devia esperar, qui no ultimo condemnado a um anno de priifio por urna terrivel sova, que havtadadoda propria mulher, servindo-se para isso de um ficao, como elle meamo coufessou, dizendo que lbe dra penas uns pannos para seu ensino. Adeua at outra vez. ESTADO DA EUROPA. O porrir da Europa pertence sem contradicefio monirciui constitucional ; a esse ra esperancas legiumis, quando nJo houve UbsolvWos, do quo dos condemnados. ( valor para resistir a pctifOcs rcvclaclcns| B orouxaii,que neani bem couiieciuo, rias; destruir urna obra que a lina] ter que levantar-sc, dizomo-locom franqueza, sobro nSu fizcr popular o podor, he altamente perigoso. Eis aqui agora a segn la razio que temos para n5o applaudir a carta autographa do imperador da Austria pela qual licou sem offeito* a coustiluicfio. Ignorar-so-ha acaso na Austria o que ple acontecer em 1859? e se nfio s< ignora, crer-se-ha que o melhor meindo prevenir-so contra os acontecmentos que se preparan) he iniciar urna roaceo que muguen) poda esperar ? Suppoohamos que s luac.o do anno de 1818 se reproduz ; que a revolucfio triumpbante na Franca atravessa o llheno, penetra na Allomauha o fszse senhora de Vienna. com quo recursos contaogoveino para resistir-lhe ? Com a forca ? Afutca nBo Ihe bastou no auno de 48; Com as concessOes? menos; porque ninguem vera nollas senSo um ardil para desarmar os inimlgos, e escarnocor delles dePERNAMBUCQ IIECIFE, 99 DE NOVEMBRODE 1851. AS BlVOSAI DA T4BDE". BETBOirKOTO SMiMAt, Ainda nSo pasou a quadi dis procissOes, e a do Corpo de Dos, que leve lugar no domingo 93 docadento, esleve esplendida e aumpluosa. Sem que seja ornada de muitos andores, osla procissio tem a virILEGIVEL