Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07242


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XXV f
Sabbaclo 21
PASTISAS nos 0OBUI0I.
Guiaona c Paralilb, i segundas e sextas feirai:
Hio-Grande-do-Norte, todas ai quintal felfas ao
rnelo-dla.
Cabo, Scrinhaem, Hlo-Formoio, Porto-Calvo e
Macei, no!.',a II. SI de cada
Garaobuus e Bonito, a 8I 13.
Iloa-Vlsta e Florea, a 13 48.
linea.
Victoria, s quinta fcira.
Olinda, todoi os da.
iiawiuaai mi

Piusas d io.
XrHEMMlDES.
!-Nova, a 3, as 2 e 5 m. Creac. a II, as 6 h. c 17 tn. da t.
Chela, a 19, nlh. 35m. clam.
Ming. a 25, s 6 b. M m. da t.
nilAHIB DE HOJE.
Primeira as 6 boraa e 54 minutos da mantisa
Signada as 7 horas e 18 minutos da tarde. .
de Dezemhro de 1850.
N.290.
raspo da usfCBLirr/io.
Por tres metes (adisiados) 4|000
Por aeis inezca 8/000
Por uiu anno > 15|000
MO D
PART CFffCAL.
I El II 601.-DE ISDESETrCMBRODE 1850.
Pbpe obre as (erras de ilutas no impe-
rio, e Acerca das que sflo possoidas por
titulo de sesmarla aero preencbimento
Has condicv legaes, bem como por sim-
ples tiiulos de posse mansa e pacifica : e
determina que, medidas e demarcadas as
primeiras, sejam ellas cedidas a titulo
oneroso, assim 'para rmprezas particula-
res, como para o estsbelecimento de co-
lonias de naclqnaes, e de estringeiros,
autorisado o governo a promover a colo-
nisaeBo estraogeira, aa forma que se de-
clara. .iJsjr-.t
Dow Pedro II, por greca da Dos e unni-
me ecelamac!i"o dos povos, imperadar caas-
titucional e defensor perpetuo do Brasil:
fazemoa saber a todos os notos sub litos,
que a assembla geral decretou, e nos que-
remos* le seguinte:
Art. I. Ficam prohibidas as aequisiooes
de trras devolutas por outro titulo que nlo
seja o de compra.
Kxeeptuam-se as trras situadas nos limi-
tes do Imperio com paites eslrangeirospm
urna zonado dez legoas, as quaes poderSo
ser concedidas gratuita mente.
Art. 9. Os que se appossarem de trras
devolutas ou de alheias, e nellas derribaren)
natos, eo llies puzerem fogo, serSo obri-
gados a despejo, com perda de bemfoilo-
rias, e dentis soffrerSo a pena de dous a
seis meses de prislo, e malta de cem mil
ris, alm da satrsfagflo do damno causado.
E*4a pana poim nlo lera lugar nos setos
poasessorios entre heros confinantes.
S nico. Os joizeg de direito as correi-
Ces que flierem na forma das leis e regu-
Iso-ientos, investigaran se as autoridades a
qoem competen conhecimento desles de
lictos pam todo o cuidado em processa-loS
e puni-los, e farSo effectlva a sua responsa-
bilidaile, impondo no caso de simples ne-
gligencia a multa de cincoenla a duzentos
mil ris.
Art. 3 Sflo torras devolutas :
1. As que nlo se acharem applicadas a
awalalaaaaajaw aaaa.aass.Bl
Art. 7.0 governo marcara os prazos den-
tro dos quses deverlo ser medidas as trras
adquiridas por posaos ou por sesmarias, ou
outras concessoes, que estejara por medir,
assim como designar e ins'ruir as pes
soas qoe devam fazar a medieflo, attenderr-
do s circumstanciss de cada provincia, co-
rmreae
DIAB DA MAMA.
16 .Seg. S. Ananias. Aud. do J. dos orf. e do m.
da 1 v.
17 Tere. S. Hartbolomeu. Aud. do J. da 2. v. do
civel,edo dos feitos da fajeada.
18 Quart. S. Nossa SenhoradoO'. Aud. do J. da 9.
19 QuInL S. Fausta. Aud. do i. doa orf. e do
m. da 1. v.
20 Seit. S. Domingos. Aud. do J. da 1 v. e do c.
doa feltoa da hienda.
21 Sab S. Thome.
22 Dom. S. Honorato.
iBVBaBBBaaaBaBBBBaaaaaaaBaaa
OAItmiO DE aO DE DEZBfBKO.
Sobre Londres, 29 ?.\\ a 30 d. p. 1/000 rs. 60 das.
Parla, 320 por fr.
Lisboa, 85 a 90
Ouro. Oneas hespanholas ... 29/000 a 29/500
Moedas de 6*100 vellias. 16/000 a I6200
de 6/KM novas 16/000 a 10*200
de 4*000....... 9/uOO a 9/100
Prata.Patacdes brasileiros ... 1/H20 a '/"Jlfc
Pesos columuarios..... 1/9*9 a IMH
Ditos mexicano......... 1/B80 a 1/700
pTWWaBBfr*^" >*,
UBICO.
i ibii laiismiisi ni mi i i unta
mentada um quarto ou roais decaminho.
i 3. Consentir a tirada d agoas des-
pfoveitadas e a passagem dolas, preceden-
de a IndemnisacHo das bem faltonas e ter-
rino oeconado.
4. Sujeitar s dispoaicoes dis leis res-
pctivns-quaesquer minas que se descobri-
icipio, e podeado prorogar os rom as mesmas torras,
prazos marcados, quando ojulgar conve- Art VI. Qs eatrangeiros que compraran
ninnle, por medida geral que compraban* tejrraa. as Batata* se eslabelecerem, ou
todos os possuidorea da mesoaa provincia, luna A sua cuela eaercer qjaiquer industria
comarca e municipio onde a prorogacSo na paiz, serflo naturalisados querendo, de-
convier. pois de dous annos de residencia pola fr-
Art. 8. Os possuidorea que deixarem de mi porque o foram os da Colonia de Slo
proceder i medieflo nos prazos marcados Leopoldo, e ficariio iseulosdoservicn" mili-
algum uso publico nacional, provincial ou
municipal.
2. As que rilo se acharem no dominio
particular por quslquer titulo legitimo,
nem forem bavidas por sesmarias e outras
concessoes do governo geral ou provincial,
nflo iocursas em commitso por falla do
cumprimenlo das condiefles, confirmscBo
e cultura.
3. As que nfio se acharem dsdas por
sesmarias, ou outras concessfles do gover-
no, que apezar de incursas em commiso,
forem revalidadas por esta lei.
4. As que nSo se acharem oceupadas por
postes, que apezar de uSo se fundaren! em
titulo legal, forem legitimadas por esta lei.
Art. 4. Serio revalidadas as sesmarias,
oa outras concessoes do governo geral ou
pNppeial, que se acharem cultivadas, ou
(o principios de cultura, e morada habi-
tual do respectivo sesmiro ou concesslo-
nario, ou de quem os represente, embora
n*o late sido cumprida tualquer das nu-
tras condiedes, com que feram concedidas
Art. 5. Serflo legitimadas as posses man-
sas e pacificas, adquiridas por oceupaeflo
primaila, ou ha vidas do primeiro oceupan-
,te, que se acharem cultivadas, ou com
principio de cultura, e moaada abilual do
respectivo posselro, ou de quemo;"represa-
te, guardadas as regras seguirttse :
1. Cada posse em Ierras de culture, ou
em campos de eriaall, compraaiendera,
lm oo terreno sproveitaito, *u do necea-
sario para paslagem dos animaos que liver
o ponaeiio, outro tanto mais de terreno de-
voluio que houver contiguo, eorr tanto que
..fnxn nanhum caso a ezltioaflo total da posse
pelo governo serflo reputados cahidos em
comisso, a perdarflo por isso o direito que
tenham a serem preonchidos das concedi-
das por seus ttulos, oa por favor ds pre-
sente lei, conservando-o somente para se-
rem mantidos na posse do terreno que oc-
c.uparent com effecliva cultura, havendo-
se por devoluto O que se aehar inculto.
Art; 9. NSo obstante os prazos que forem
msreados, o governo mandar proceder
mediefio das trras devolutas, respailan-
ilo-se no acto da medieflo os limites das
concessoes e posses que se acharem as
circunstancias dos artigos 4 e 3.
Quslquer opposicBo que haja da parte
dos possuidores nflo impedir a medicSo ;
mas, ultimada esta, se continuar vista
aos oppoentes para deduzirem seus embar-
gos em termo breve. '
As questOes juliciarias ontre os mesmos
possuidores nflo impedirflo lio pouco as
diligencias tendentes. eiecufio da pre-
sente lei.
Art 10. O governo piover o modo pra
tico de extremar o dominio publico do par-
ticular, segundo as regras cima estabele-
cidas, incumbindoasua oxecuclo s auto-
ridades que julgar mals convenientes, ou a
commissarios especiaes, os quaes proeede-
rflo adoiinistraclivamente, fazendo decidir
por arbitros as questOes o duvilas de Tacto,
e dando de suas proprias decisOes recurso
para o presidente da provincia, do qual o
llavera la mbem para o governo.
Art. 11 Os posseiros serflo obrigsdos s
tirar litlos dos terrenos que Ihes flcarem
pertencendo por elT:ito desia lei, esem elles
nflo podero hypoteear os mesmos terrenos,
nem aliena-los por qualquer modo.
Batea ttulos sflo passados pelas reparti-
cOes provinclaes quo o governo designar,
pagando-se cinco mil res de direilos de
chancellara pelo terreno que nflo exceder
Je um quadrado de quinheutas bracas por
lado, e outro tanto por eads igual quadrado
que de mais conlivsr s posse ; e alm disso
quatro mil res de I'elio, sem mais emolu-
mentos ou sello.
Art. 13. O governo reservar das trras
devolutas ss que julgar necessarias : 1.*,
para a culouisac,flo dos Indgenas ; 9 para
a fundaeflo de povoacOes, abertura de es-
tar, menos do da gutrda nacional dentro
do municipio.
Art 18.0 governo fica autorisado a man-
dar vir annualmente cusa do thes cerlo numero de colonos lvres para serem
empresados. pelo lempo que fr marcado,
em estsbelecimentos agrcolas, ou nos tra-
billius dirigidos pela administrsco pu-
blica, ou na forma(So de colonias nos lu-
gares em que eslss mais converem ;. to-
mando anticipadamente as medidas neces-
siriss para qua taes colonos acliem empre-
go logo que desembarcaren.
Aos colonos sssim importados sflo ap-
plicaveis as disposices do artigo antec-
dante.
Art. 19. O producto dos direitos de chan-
cellara e da vendadas terras.de que tra-
tara, os arls. 11 e 14 ser exclusivamente
apolicado, primeiro ulterior medieflo das
trras devolutas, e segundo importaeflo
de colonos lvres, conforme o artigo prec-
dante.
Art. 90. Em qoanto o referido produc-
to nfio for suflioienU para as desunzas a
que lie destinado, o governo exigir annu-
atoaaale as crditos necessarios pira as mes-
illas despezss, as quaes applicar dosde j
as sobras que exislirem dos crditos ante-
riormente dados a favor da colonsaci,
e mais a somma de duzentos coutos de
res.
Art. 21. Fies o governo autorisado a es-
tabeleceri.com o jiecessario regulamento,
urna repartiese especial que se denomina-
rrepartiefio geral das trras publicas
e ser encarregads do dirigir melieflu,
divisflo, e descripcflo das Ierras devolutas,
e su* conservaeflo, de liscalssr a venda e
dUtribuicflo dellas, e de promover a colo-
nisacfo nsefonal e estrangeira.
Art. 93. O governo fica autorisado igual-
mente impOr. nos regalndolos que fizo
para a execufflo da presente lei, penas de
prisflo at tres tnezes, e de multa at du-
zentos mil ris.
Art. 93. Ficam derogadas tolas as dispo-
sices em contrario.
Mandamos por tanto a todas as autorida-
des, a quem o conhecimento, e execueflo
da referida lei perlencer, que a cumpram,
e faQam cumprir, e guardar tflo inteiramen-
trado meslo da parte das justicas territo-
riaes, que insistem em reter debaixo de sua
jorisliceflo as referidas Ierras, d s quaes
parte estilo arrendadas ou aforadas, e par-
ta usurpadas por particulares. E lendoS.
. o Imperador, por sua immediata resolu-
cio de l do passado, se conformado com
o parecer da suhredita seceflo oxarado em
cena ilta de 3 do msmo mz : mnda do-
rar V. Exc, para que o faca constar -
lueila rot>i'tifjao_ fisciii. quo. ton lo mera-
cido a sua imperial noprovac.1 o proced-
ment da mesma reparticSi pelas razOns
emque snfundou e fic ella proseguir as providencias adoptadas
para a incorporaeflo aos proprios nacionaes
de todas as referidas Ierras que nSo estive-
rem occupfldas, as quaes se devem conside-
rar como devolutas, e como taes approvei
tadas ua forma da le n. 601 de 18 do mez
lindo, de que incluso se remelles V. Exc
umexemdar impresso para seu conheci-
mento. E peloqne respeita parte dessas
trras que foram dadas de aforamento ou
rrendamento, he mister que sejam averi-
guados nflo s os ttulos em que se fun-
dam semelhanles contractos, que de molo
algum devem ser renovados, como tambera
as posses que se lem estahelecido, arre-
Cadando-se o producto dos fios e arren-
damentos, e tomando-se conta aos que tem
sido eocarregados da respectiva aminis-
traeflo.' O que ludo communico a V. Exc.
oara seu conhecimento e dxecueflo, e para
que tiesta conformidade expeca as precisas
ordens; (cando porm na inlolligencia de
que deve essa presidencia remetier a esta
Hecrctana de estado circunstanciadas in-
formaces sobre as occupac,es actuaes as
Ierras en questflo, quaesquer que sejam os
ttulos em que ellas assentem, sssim como
sobre os estabelecimentos que as mesmas
Ierras existiam, as torcas empregadas, a
antiguidade das posses, e a exleusflii de
ciada um dos terrenos occupalo;, afim de
que o governo imperial possa resolver a
esti respecto o que melhorconvi -r.
Dos guarde a V. Ex. Visconde de Uont'-
*legre. Sr. piesidenle da provincia do
Cear.
MIN.STKI..0 D.V JUST1GA.
Iradas, e quaesquer outras servidOes, e as-'e, comonella se conlm. O secretario de
.eedaade urna sesmaria para cultura ou por outras aue as cortera em ngulos rec-
"iacaa, igdal s ultimas concedidas na
vrsma comarca ou ua mais visinha.
6:i A pessoss em circumslsocias dse-
lo legitimadas, que se acharen em ses-
laria ou.oulras ^onceaVOes do governo,
to incurias em commiaeo ou revalidadas
por esta lei, s darlo direito loderanisa-
jBo pelas bemfeitoriss.
i < Exceplua-ae atesta- regra caso de verifl-
n.rtr-saa favor da posse qualquer das seguin-
*es bypoleses : Ia, o ter si lo declarada boa
por saiileaca passsda em julgado eolre os
i taaoieirus ou concassiouanos e os possei-
'-*"i ates da me-
lo per-
lr *\.\t\ -(-
ros ; 2.a, ter sidu estabeMida antes
ilcito de sesmaria o efaJaenSo, e i
*...,- .- --.- ;
belecida depois da diu medico, eoio per-
turbada por dez aunos
3. Dada a excepc&o do paragrapho ante-
cedente, os posseiros sjozsifio do favor que
Ihesassegurao^ t, coaapeUodo ao reepet-
tivo sesmiro ou concessiouariofioar con p
terreno que sobrar da divieso'feila ntreos
ditos posseiros^ ou eonsiderar-sa tamben
possei/a para entrar em rateio igual com
elies. "
$ 4. Os campos do uso coranum dosroo-
rniur.eadeuu>s.vuwsu| freguezjaa, muul-
. cpios, ou.coJWtcas^sMAocoossrvsdose
todaaextensSodesuasdivisss, e conliuua-
rOoa prealaru mestDoua.<:olr<^^'Br-
tics actual, ein quanto por lei uflo se dispu-
eo contrario.
\ri. 6. Wr> e havers por principio de
culturjupsrs a revalidajo das sesmsrhispu
ouarafne!,e*'do f00. nem p,r* *
leiiBnvlfaV d* qualquer posse, os simples
rocaaos, deVribacra ou quBimas de malas
ouTcampos, levanUmento de ranchos e
outros setos de secuelbaiile natureza, nflo
sendo scoffpsuhados da cultura elTecliva.e
morada baaftBal exigidas no artigo ante-
cedente.
sent de estabelecimentos pblicos; 3 ,
para a ronslruccilo naval.
Art 13. O mesmo governo far organissr
por freguezias*b registro das trras possui-
da3,et>bre as declamcOjs feitas pelos respec
livos possuidores, impondo mullese penas
aquelles que deixarem de fazer nos prazos
marcados aa ditas deciaraedes, ou as fize-
rem inexactas.
Art 14- Fica o governo autorisado a ven-
der ss trras devolutas em hasta public,
ou fora della, como e quando julgar mal
conveniente, fazendo previamente medir,
dividir, demarcar e descrever a porfllo das
mesmas trras que bou ver de ser expostas
venda, guardadas ss regras seguintes :
$ 1. A medieflo e divisflo serflo feitas,
quando o permittiiem as circurastancias
locaes, por lindas que corram de norte a
sul, conforme o verdadeiro meridiano, e
IS que
tos, de tnanelra que formem lotes ou qua-
Irados de quinhentas bracas por la lo de-
marcados convenientemente.
9. Assim esses lotes, como as sobras de
trras, emque se nflo puder-verificar a di-
visflo .cima indicada, serflo vendidos se-
paradamente sobre o preco mnimo, fixado
anticipadamente e pago vista, de meio
real, um real, real e rasio, a dwua ris, por
braca quadrada, segundo for a qualidade e
jitucSo dos mesmos lotes e sol as.
3. A venda fra da basta publioa ser
feita pelo preco que se sjustar, nunca abai-
xo do minino fixado, segundo a qualilade
e situaeflo dos respectivos lotes e sobras,
aillo uiuun-i ds tbSrc pb'ii". onm
ssistencia do chefe da reparQSo geral
das Ierres, na provincia do Itode-Jane iro,
e ante as thesourarias, com assislencia d
um delegado do dito chefe, e com approva-
C*o do respectivo presidente, as outras
provincias do imperio.
Art. 15. 0 possuidores de tersTA de cul-
tura e crisolo, qualquer que seja o titulo
de sua acquisicao, terfio- preferencia na
compra das lerraa devolutas que Ihes fo-
rem contiguas, com tanto que mostrem
pelo estado da sua lavoura, ou criacSo,
que tem os meos necessarios para aprorei-
U-las.
Art. 16. As (erras devolutas que se ven-
derem fiosrlo sempresujeitas aos onus se-
gu utos :
S 1 Ceder o terreno preciso para estrsdss
publicas de una povosclo a outra, ou al-
gum portude embarque, salvo o direito de
indemnissefio das bemfeitoriss 0 do terreno
peoupado.
2 Dar servidlo gratuita sos vzinhos
quando mea for iudisp,usavel para salw-
rem JjJB estrada publica, povoaclo ou
porto if nnbarque, e corn indamnisMjSo
qiisn'J !hes for provaitosa por incurla-
esta lo dos negucios do imperio s fa<;a im-
primir, publicar e correr. Dada ni pala-
cio do Rio-de-Janeiro aos 18 das do mez
desetembro de 1850, vigesimo-nOno da in-
dependencia e do imperio.
Imperador com rubrica e guarda.
Visconde de Moni'-Alegre.
. Carta di le, pela qual Vana Magettuie
Imperial manda txecutur o decreto da aisem-
bla geral, que kouve por bem laneciunar, so
bre terral devolulai, esmariat, pones e oolo-
nisac&o.
I'ara Vosss Magestade Imperial ver.
Jlo Goncalveede Arsujo a fez.
Euzebio de (Jueiroz Coutiubo Matloso C-
mara.
Sellada na chancellara do imperio em 20
de setembro de 1850.
Josino do Nascimento Silva.
Publicada ns secretaria de estado dos ne-
gocios do imperio em 90 de setembro
de 1850.
Jos de Paiva Magalhfles Calvet.
Registrsda s fl. 57 do liv. 1.a de actos
legislativos. Secretaria de estado dos
Imperio em 3 de outubro
negocios do
de 1850.
Bernardo Jos de Castro.
MIN1STEHIO UU IM.'Eli K.).
Man la encorporar aos proprios nacanse
. as' terrss dos Indios, que j nflo vivera
aleteados, mas sim dispersos e confundi-
dos na snassa da populacfio civilisada ; e
d providencias sobre a que se achara
oceupadas.
4.' Scelo. Rio de Janeiro. Ministerio
uos negocios do impeli, cu, ue outu-
bro de 1850.
Illm. e Exm. Sr. Foi ouvida a seceso
do imperio do conselho de estado sobre <
officio da theeoursrn dessa provincia de II
de maio prximo passado, transmittidoein
original a este nsJnisterio pel da fazeada
com aviso de 17 Wjulho ultimo, no qual,
representando a mesma thesouraria acerca
lo estado em que se acham s Ierras dos
Indios, e dando conta das ordens que tem
expedido psra qoe ellas sejam sequeslradas
e incorporadas sos proprios nacionaes, por
julgar nflo poderen ter mais applicac&oao
im a quo foram originariamente destina-
das, nem ser spplicavel A mesma provin-
cia o regulamento n. 426 de 24 de junho de
1845, em coosequencia de nflo existirera
ah hordas de Indios selvagens e as cir-
cumstisneiss sopposUs pelocitsdu regula-
mento mas smeule descendentes delles
confundidos na rasas da populado civili-
sada peJe se Ihe declare se deve prose-
guir naquellas providencias, e solicita ,
quando assim seja reaolvido, as ordeus pre-
cisas para que ellas possam ser levadas a
effeito, altenu a opausiso qua tem encon-
DECItETO N. 731 DE 14 DE NOVEMHRO
DE 1850.
Regula a execueflo da lei n. 581 que estabe-
lec* medidas para a represiflo do trafico
de Africanos nesle imperio-
llei por bem, usando da faculda le que
me confere o art. 102, 12 da cans i Inicuo,
tema ouvido o conselho de estado decretal
o seguinte :
Art. 1. Publicadas as sentencas em que o
auditor de marinha deveappellar ex-offl-
cio, em conformidade dos arls. 10 e 13 do
decreto n 708 de 14 de outubro dn 1850, o
pserivSo extrahir o traslado no prazo mar-
cado no srl. 21 do referi lo decreto, e den-
tro dessemesTio prazo far entrega do pro-
cesso original na secretaria de estado dos
negocios da juslica, e as provincias na se-
cretaria da presidencia, para por seu inter-
medio.ser remetli loa da juslica. O recibo
do prSces tivo traslado.
Art. 2 Apresentsdos os autos na secre-
taria da juslica. 6 ministra respectivo desig-
nar para relator um dos merabros da s'C-
Cflo de juslica do conselho de estado, ao
qual sor.ri rem -l i los.
Art. 3 O relator os apresenlar na pri-
meira conferencia, e nella a secciTo de jus-
tica do conselho de estado deliberar se sflo
necessarias diligencias para esclarecimer.lo
la vcrlaile, on regulan lado do procosso ;
e feitas essai diligencias, se' forem neces-
sarias, ou sem ellas, se o nflo forem, orde-
nar q.ue se d vista aos apresadores e
apresados, so curador dos Africanas, ou ou-
tras parles'que devam ser ouvidas. Os au-
os s secretaria da justc, que fara publicar .na
falha nflicial por tres das consecutivos o
les.iaciiu queda vista s partes
Art. 4. Os advogados do conselho de es-
tado que estiverem munidos de prucura-
eflo da> apresadores ou apresados, e o cu-
rador dos Africanos obterflo vista dos au-
tos, requerendo-a dentro de oito das, con-
tados do primeiro annuncio ; e nesse caso
os aulas Ihe serflo remcltidos assignando o
seu recebimento em protocolo. Os sutos
serflo cobrados passados cinco das da en-
trega aos advogados dos apresadores ou
apresados ; e serlo remettidos ao relator
com as allega (des e documentos aprsenla
los, ou asm eiia, se u nao livorem si lo
Asparles que nflo oomearein advogado do
conselho de estado poderlo examinar os
autos na secretaria, onde apreseiilarflo suis
rasoes e documentos, se os tiverem no pra-
;.o mencionado.
Art. 5 Na piimeira conferencia que se
sagulr, o relator apresenlar um relatorio
escriplo, e feita a leilura das pecas qae
julgar necessarias, ou que os coQSelheirps
eiigirem, annunciar o sen voto e estaba-
lecido o debate se proceder vutacln, ten-
do precedencia as questOes judiciacs que
se houveren suscitado,
f Art. 6, O relator escrever o julgamenlona
l'rna de consulta e parecer, fazendo men-
Cflo do voto vencido, se o Irauve/.
Art. 7. Este julgameoto nio produz ef-
feito algum seofio depois da resoluclo do
poder esecutivo, que o mandar publicar,
com a qual se entender homologada epro-
duzir todos os effellos de senteaea.
Art 8 Quando o poder executivo en-
tender que deve ouvir o conselho de esta-
do pleno, antes da publicado do parecer
la aecc,la, ordenar a sua convcelo, e pe-
ranle elle fara o relator a sua ex^osiclo e
letnra do todas as pecas, e recolhidos os
votos, o secrelaro lavrar o parecer na
forma estahnlecida, mencionando todos os
votos, e aquellas que forem homologados
nela resolucao imperial terlo o effeito de
san tepes.
Art. 9. A resolucMimperial tomada so-
bre parecer da scelo ou consulla do con-
selho de estado iiH > pode ser embargada
seriflo nos seguintes casos : primeiro, quan-
do o jutfinTgals paran obscuro ou equi-
voco ; segundo, quanlo a causa liver cor-
rido revelia dos proprietarios do navio
ou do seu oarregamento, um.-. vez que se
apresenlem dentro do prazo da carta de
edictos do art 8.* do decreto n. 708 de 14
de outubro de 1850, porque s enllo po !e-
rlo elles usar desse recurso. Mopdem,
porm, reclamar este favor aquelles que,
e nhora reveis na causa, so achassem pie-
senies no lugar ao lempo da appreheoslo
ou do julgameoto em primeira ou segunda
instancia.
.Nos o nburgos seguir-se-ha o mesmo pro-
cesso que as appcllscoes de quo tratam
os anigos antecedente*.
Art. 10. Os recursos interpostos pelo au-
ditor de marinha nos termos do art.' 26
do decreto n. 708, e aquelles que as partes
intorp izerem no caso de pronuncia, serlo
julgados pa fr na dos arts. 32 e 33 do
regula ..cuto dss relscdes de 3 de Janeiro
de 1833.
As appellac>s serlojulgadas na forma
dos arls. 28,29 e 30 do citado regula-
mento.
Euiebip deQuehoi Coutinho Matoso Cma-
ra, do meu conselho ministro e secretario de
eatado dos negocios da juslica, assim o tenha
entendido e faca eiecutar. Palacio do Rio de
Janeiro, em M de nofembro de 1850, vigealinn-
iiuiio da iiili-pciidi-ociaj* do imperio.
Com a rubrica de S. H. o Imperador. En-
tibio de Qaciroi Coutinho Matlo Cmara.
GOVERNO.D4 .'.JVlHCI.
EXPEDIENTE DO DA 17 DK DEZEMBRO.
(llDcio. Ao co amando das armas para
mandar avisar a dous officiaes superiores
liara cura o capitflo de mar n guerra gradua-
do Rodrigo Tlieo loro de Freitas assistirem
a sessflo da junta de juslica que deve ler
lugar no palacio da presi lencia as 10 horas
la manilla do da 19 do crranle. Nesle
sentido expediram-se as convenientes
ordens.
Dito. Ao mesmo, dizendo qne, nos
termos de seu officio sob n. 101, poda dar
baixa do servio do exorcito as pracasque
tiverem completado o su lempo do s-m,; >
afim de ter fiel cumprimenlo o aviso do
ministerio da guerra do de abril de 1848.
Dito. -- A ttlesourarii de fazenda trans-
iniliiu lo o aviso de urna letra na impor-
taucia de 500,000 rs. scala pela thesoura-
ria de fazen la do Rio Gran le do norte sobre
a ilnsts c a favor de. lulo Manrique de Olivei-
" Ragueira. Participou-se ao Etm. presi-
lenla daquella provincia.
Dilo. A mes nr, communicando, a-
li! de que o faca constaran inspector da
alfandega e ao a (ministra lor da mesa do
consulado, qu segundo constou de aviso
lo ministerio dos negocios estrangeiros
datado de 25 de outubro ultimo, se conce-
der o imperial beneplcito a nomeaclo do
cnsul da repblica do Per hesta eidade
Julo Ignacio de Medeiros Reg, do cida lio
braaileiro Antonio Jos Duarte Jnior para
o lugar de vicecnsul da mesma repblica,
afim de exercer as fu uceos consulares nos
seus impedimentos.Fizeram-se neste sen-
tido ss convenientes oommunicaces.
Dito. Ao director gersl dos correiosdi-
zendo que, srm prejuizo do servico, pude
ser suppriun la a linlu de crrelos teres-
tres desla provincia para a das Alabas, por
serem frequentesas occasiOes deembarca-
Ces para aquella provincia, alm da passa-
gbn dos paquetes de vapor.
Dito.--A pagadorla militar inleiran io-a
le hav.T assenla lo praca no segunJo bsla-
Ihlo de cacadures nos termos do avisado
nimsturio da guerra datado de 30 de outu-
bro ultimo, mediante a gratilicacflo da rs.
170,000 o paisano l.surindo Jordlo de Oli-
velra e ordenando- que Km man la pagar
a referida gratificaclio, sendo 50,000 rs. a
vista e o resto em prestaces mensaes de
10,000 rs. latelligenciou-sa ao comban-
do das armas.
Dito. A mesma, psra que nos termos
da sua Inrormeclo mande adianttr dous
mezes do sold, a contar do 1 de Janeiro
prximo vindouro, ao tenente Justiniano
Sabino da Rocha que tem de seguir para o
Rio (ramio u u! n ruuiiir-se ao quarto re-
giment de cavallaria ligeira que pertau-
ce. Scieutilicou-se so commando dss
armas.
Dilo.Ao juiz municipal e de orpblos do
termo de Carusr, dizendo que he Sme. o
competente psra substituir so juiz de direi-
to do civel dessa comarca na falla e impe-
dimento do juiz municipal do Bunilo, e ia-
lo mesaio jase declarou a cmara respec-
tiva, e aquello juiz municipal.
Hila. A thesouraria de fazenda provin-
cial, iransiiiitiiodo copia do orcamento
que approvou, dos reparos da ponte du Ite-
cife, que tem de ser felos.por administra-
Clo conforme julgou mais conveuienlea
directora das abras publicas. Commuui-
eou-se a mesma directora.
Dito. A mesma, para mandar adiantar
ao director das obras puacaa, que assim o
requisita, a quantia de 6.-000,00j rs. para
continuclo da obra da casa de deteoelo.
Inlelligenclou-seau mesmo director.
Dilo.r-Ao chefe de pelicia interino, trsns-
oiittiudo copia dooflicio emque odjegado
de Porto Calvo comniunica ao cheRe po-
Vic'ia das Alag a apprehencflo de dous

i vr i


escravos Antonio e Anglica, pertencentes
os! ao coronel Sajgueiro.e aquello o pon u-
guez Jos Anlunio, dm de que o fa constar a seus senhores, que poderSo recla-
mar ditos escravos do referido chele de po-
lica.
Dito Ao director das obras publicas
para mandar concertar o airombamento,
que se descohrio na enxovia da cadeta
deStacidadf, feito na parede que fica den-
tro da lalrina remetiendo a compolente
conta, aflin de scr-aatisfeita. Scientillcou-
se ao chnfe de polica.
Portara. Mandando dar transporte para
a corle como passageiros do governo no
vapor, que se espera do norte ao Bfero de
commissflo JoSo Raptista Pasaos, e aos pri-
mis] e segundo cadetes Manoel Jaciniho
Nogneira da Gama e-Antonio Candido No-
gueira. -- Communicou-se ao commando
das armas.
Dita. Considerando vago o lugar de pri-
meiro supplcnte do subdelegado do distric-
to de S. lenlo do termo de Caranhuns, por
nfio existir no mesmo districto Benlo Theo-
doro Bodrigues Vainica, que para elle fra
nnmeado por porlari de 29 de Janeiro de
1849 e nmea (ido sohraiiroposta do chefe
de polica para a mencionado lugar a An-
tonio Bento de Oliveirn.o para o de segundo
a l.uiz Paulino de llollnnda Valone.-Inlel-
ligenciou-se ao che fe de polica.
Dita. Nnmoando tr.esourelro das lote-
ras cnneedidsa favor do tlieitro Je San-
ta Itabel, a JoSoMoreira A/arquea. Expe-
diram-se as convenientes c.inmunicacOes.
Ilih. Ordenando ao commndante do
brigne escuna Canopo que faca desembar-
car o oiarioheiro Jos Monteiro da llosa,
pertencente a guarniefio do mesmo brgue
escuna, visto ser portuguez e ter sido re-
qusitado pelo respectivo cnsul. Com-
municou-se ao mencionado cnsul.
anaoaMM
EXTERIOR,
*
SITUACO DO CHILE.
Valparaso, 23 de seleuibro de 1850.
Deveras, humados wrinbros da junta direc-
tora do partido da opposico, dveras K situa-
9S0 actual he violenta e desgracada ?
K que remedio encontris i esse mal da si-
tuacao violenta que tanto vos assusta ? Sem
duvida est o remedio em serdrs vos chamados
ao governo, nao he assim ?
Na repblica ha dous partidos t un governa,
outro tu opposico. Aquelle que governa,
eein ter violado aslels, sem ter sahido um t
passo fra do circulo dastuasjattribuicdes cons-
litucionaes, tein o paiz em uina sltuaeao vio-
lenta, que aulorlsa a revoliifo, segundo se le
no vosso manifest; de sorte que nao ha outro
remedid seno obrlga-lu a descer do governo, I
e a chamar-vus ao poder; nao he a si i ni ?
Al ha pnucos dias estava o coogresso em
sesso. A conducta do governo nao Ihe niere-
ceu a menor esprobracno, pelo contrario urna
maioria numerosa em uibas as cmaras a
poiou todas as suas medidas, todos os seus
actos.
be a siluatao violenta fui creada pelo gover-
no, como pretendis, o congresso lie sen cm-
plice. Lugo tereis de eipellir lambe o coo-
gresso
Ferrera, qtio vagando andava por esta fre-
guezia, pelo que tive de 0 mandar reco-
ilier a cadeia desta citado, annunciando
or diversas vezes o chamamento do sen
legitimo senhor pelo Otario de Fernambuco,
nnai de ser entregue nos termos da le : a
este clnmnmento nto apparoceo pessoa al-
(,'uma e n^m o sohredito Domingos Affon-
so Ferrera qur justificasse o dominio e
posse do mesmo escravo durante todo es-
le lempo e como vista disto, considero-o
como bens do evento, A vista do art. 44 do
decreto regulamentar de 9 de maio de 1842,
a V. S. como provedor dos residuos^ Ihe
compete vista da lei de 3 de dezembro
de 1841 proceder nos ulteriores termos d
sua arrecadsefio e arramatacSn, pondo des-
de ja disposiefio de V. S. o sobreditn escra-
ve para legal.
Daos guardo a V. S. Subdelegada de San
Jos do llecife, 20 de dezembro de 1850.
liiin. Sr. Dr. jse Ra'ymundo da Costa Mone-
zes, jtiiz municipal supplente da segunda
vara desta ri lude. O subdelegado sup-
plenle em exercicio, Franciteo Laplista de
Almtida.
film. Sr. Passo As m5os de V. S. o
pequeo relogio do parede sem ponteiros,
que fra apprehendido por osla subdelega-
ca, a um preto escravn, qnnoandavaven-
ilendo por meis pataca, e que dizia o havia
acliado entre o lixo da praia, carregando
elle urnas podras, e como livesso anmincia-
ilo por diversas vezes pelo jornal, alomada
desse objecto, e nSo aparecesse at hoje
quem fosseseu leu i timo dono, entonto que
em virtu lo do 1. art. 3. do decreto reg-
lamentar do 9 de maio de 1842 a V. S. per-
ltico tomar conta duaobredito relogio, por
ser considerado bem movel, e que sen lo
achado, nSo apparereu senhorio ro alim
de que nos termos do supracitado decreto
Ihe d o destino conveniente e legal.
Dos guarde a V. S. Subdelegada do San
Jos do Recife, 20 de dezembro de 1850.
Illa). Sr. Dr. Angelo llenriques da Silva, juiz
de orphSoa supplente deste termo. O sub-
delegado supplente etn exorcicio, Francis-
co llaplistti de ilmcida.
Depois
rae
Primeira parle, (er alguma Carga engajada o hiato Flor de
de executar-se orna escolhida Cururipi: quem pretender carregar ou Ir
symphonia, seguir-se-ha a grande scena,
cavatina, e alegro da opera
NORMA,
do maestro Bellini, execotada pela bene-
ficiada.
Segunda parte.
A oompanhia nacional em obsequio* be-
neficiada representar a comedia
PALLAR VERDADE A MENTIR.
Terceira- parle.
Grande aria da opera
VESTAL,
do maestro Gianninl, expvBsssraente com-
posta e dedicada a beneficiada, 0 por ella
ejecutada.
Aria da opera Somnmbula, dp maestro
Bellioi, nxectitada pelo Sr. Cayo Eckerlin.
Pela beneficiada a cavatina e allegro da
opera
Iteatiiee 11 Tend.
Pelo Sr. Eckerlin a aria do Para, do
maestro Donizxitli.
Quarta parte.
Pela companhia nacional Carca
O JUDVS EM SABBMiO DE ALLF.LIIIA.
Flnalisar o espectculo com a cavatina e
alegro da opera
Torqnitio Tamo,
do maestro Donizzetti, executada pela be-
ueilvindii.
lio es'e o espectculo que a beneficiada
lem a honra de ofTerecer ao Ilustrado pu-
blico desta ctdade, doqual espera toda a in-
dulgencia e protecefo.
Os billieles acham-sa a disposcKo dores-
peilavel publico na casa da beneficiada Ho-
tel Francisco, e no dia do espectculo 00
lugar do costme.
do passagem, dirija-se a ra do Vigario nu-
il ero 5.
Para o Rio de Janeiro sabe coro_brevi-
fmle, por ter a maior parte de sua JsTga, o
brigue .San Manoel Augutto, cajiito Jos da
'-'iilia Jnior : quem quizr carregar, em-
barcar escravo* ou ir de passagem, trate
10ni Manoal Ignacio de Olivelra na praca do
'lornmnrcio n. 6, 011 com o capitSo.
JL
Leil.
- O correlor Miguel Carneiro, far e-
l!fo no dia 23 do^orrente as 10 horas da
nsnhSa no seu arnlazem na ra do Trapi-
che n. 0, do diversos trastes, louca, vidros,
quadros mu ricos, obras de prata, relogios
le ouroede prata, e otitros amitos objec-
tos que se venderlo muito em conta por ser
u ultimo desle son: principiando o lajlflo
por um rico piano.
SS*~
Avisos diversos.
commt ;,^
alkande;a.
Rendimentododia20.....10:937,128
Descarregam Aoja 21 de dezembro.
Barca -- Carila e Amelia nietc-i loi las.
Brigue rt'ouo Vencedor idem e eeliul s.
Brigue Empreza o resto e lagedo.
Escuna Izabela bacalbo.
CUNSULADlHiElUL.
Tbeatro de ^.-Francisco.
Os nicos factos occoxridos depois do encer-
ameuto das cmaras sao os relativos tentati-
va de sublevar o departamento de Aconcagua.
Oesecutivu prescindi delles, entrrgou osen
contiecimento aos tribunaes dejusllca. Sao
tainbciii cmplices do governo os tribunaes?
Ser precito destituir tambem os tribunaes ?
He Isso precisamente o que pretende o mani-
fest 1I1 jiint 1 directora, o baja mais tribu-
naes. nao liajt mais congresso. nao haja tuais
gevernn: o governo, o coogresso, os tribunaes
autoriso a guerra civil.
Assim o diiein os senhores D Ramn Erra-
zuris, que he senador e vice-preildenf do se-
nado, e o senador D. Camilo Vial. Assim o di-
zem os Srs Lastarria, Infante, Gomales, Lur-
raln, Sanfuentrs, Valdes, etc., deputados I Sao
os mesnios hourados senadores e deputados
que se declaraiu Indignos da conflanca do paii,
cmplices das desgracas de uina sitoacao In-
supportavel!
(ls senadores e deputados lem dever de re-
primir as invasdes du poder, de aecusa lo, de
julga-lo, de condemnalo, quando falta ao ju-
ramento que presta.
Fizerain-o ? N*o. Nein ao menos fol inter-
p< liado o governo na cmara ou no senado por
in-nhnui desses senhores senadores ou deputa-
do<. Ou nao hajria motivo para censurar o go-
verno, e entilo nieiiteiu tioje OS hoiir.idos Op-
l> .sn-ionistas no seu manifest ; ou havia mo-
tivo para censura-lo e accusa-lo, e entilo fal-
taran) ao sen pi i un ir.1 dever os senadores e de-
putados que assignaram o manifest da junta,
ao dever de amparar a constilutcao, as liberda-
des easgaraotias contra as Invasdes do exe-
culivo!
Se ha urna situacao desgracida creada pelo
poder publico, os senadores e dapntadns que
assignaram o manifest da opposico sao cm-
plices dessa situacio / e seria um remedio l'a-
zer descer do poder aos autores do mal para
elevar os seus cmplices?
O manifest da Jauta directora pe em evi-
dencia uina verdade, e vem a ser que nao ha
governo posslvel seno o do partido conserva,
dor. As declamador da opposico a prejudi-
cam. Ilevelam com toda a claiea a falla de
verdade.
O utaiiifeuo da Junta directora diz que nao
ha um hiimetnde b*m aos corpos constituidos
da repblica, no senado, na cmara nos tri-
bunaes, naadministraco ; que nao ha um lio
111 < 111 de bem, pois que o senado, a cmara e
os tribunaes eslo vendidos ao presidente ; e
nem no senado, neui na cmara, nein nos tri-
bunaes houve um homem que se retlrisse In-
dignado das suas srssdes e protestarse nao que-
rer perteneer a corpos sem diguidade e aem
pudor 1
Os senhores Errasuris e Vial, que assignaram
o manifest, continusin a sentar sen senado,
que o manifest aprsenla como vendido aos
caprichos do presidente da repblica. Os se-
nhores Lastarria I.arraiu, Gonzales, Sanfuen-
tes, etc., anda nao delsaram de perteneer a
una cmara que o manifest cobre de lama. O
Sr. Laslarria comparece todos as dias como
adiogado a pedir juslica aos tribunaes que o
inauifeslo signado por 8. 8., aprsenla como
proslituindo a juitica vontade doa pode-
rosos.
Segundo o manifest da Junta directora, se-
nado, cmara, trlbuuaet, adininislracao, tu,lo
he una vrrgonha, e nao ha no Chile homens
honrados, patriotas, senlo os que assignaram o
manifest, os que conipunham o ministerio de
artembro. os que ganharam as rleiceaile inar-
C'i, f iiurderam acuutes em Colcbagua .,
Os hourados opposicionistas da. -se em espec
taculo. e paizacabar por aborrcelos e pa
tearafarea.
[Mercurio,)
(Do Jornlelo Commtrcio.)
ItendiniOQto do dia 20
Diversas provincias .
3:506,075
208,967
3:715,042
EXPOIITACAO
Despachte mat itimt t no dia 20
Rinde Janeiro, brigue nacional S. Ma-
noel Augusto, de 23J toneladas : conduz h
-leguiiie 300 barricas, 1.986 SiCcos, 9 cai-
xas o 2 cunbcles com 12,753 arrobas e 25 li-
bras de assuc-.r, 175 barris doce de calda, 1
caixao dito secco, 2,300 cocos com casca e
168 ditos de beber agua.
California com socala por Valparaizo,
barca peruviana Olga, de 499 tunela Jas 1
conduz o segumte : 5,100 saceos com 28,687
1/2 arrollas de assucar.
Trieste, brigue fraocez Naneg, de 210 to-
neladas : con luz oseguinte: 2,204 saceos
com 11,020 arrobas do assucar.
l.ECKUEDORIA DE RENDAS GERAES
INTERNAS.
Reiidimonto do dia i0.....1008111
CONSULADO PROVIVClAL.
l'endlmento do da 20 3:370,740
Movimento do porto.
\11vm1 entrados no dia 20.
Catnaragibe -- 2 das, hiato nacional Novo
Destino, tnestro EslevJo Itlbeiro, equipa-
gem 3, carga assucar : Jos Manuel Mar-
ttns. Passageiros. os Brasileiros Jlo Jo-
s da Cosa Fe 1 reir, Joilo Carlos Manoel
de Saboia, Vicente Feneirae Marcelliuo
Jus de Mello.
I lem 2 dias, liate nacional Sanio .tnto-
nio Flor do H10, mostr Andr Ba/erra de
Souza, equipa ;cni 3, cirga assucar; a
Anua Joaquina Mchalo l'Kssageiros,
Manoel Joaqun da Silva, Aiiluniu de
Vasconcellos Mondonga, Joif do Mello
Felosa e Antonio Jo da Silva, Brasi-
' leiros.
Tetra Nova 38 dias, bigue americano Wa-
ter Witck, capillo lluli I II. Ilamsy, e-
quipagem 8, carga bacalhio ; a Me, Cd-
iiiDiit Audio tbido no mesmo dia.
Parahiha -- Lancha N. S. das Neves, mestre
II- S. Mafra, Carga varios gneros. Con-
duz 4 passageiros biasileiros.
Segunda-feira, 23 do corrate.
licnefi'io do director.
Ultima representacao de madrmmoiselle Ali-
e Moreau.
Depois que ma grsnde orcheslra liver dea-
empenhado a mais bella overtura, dar prin-
cipio o diverilmenio pela manelra seguate :
Primeira parte.
Madeinmolselle dancar uina bellissima ca-
chucha bespanhola.
Segunda parte. -
Diversas experiencias phislcas pelo director.
Terceira parte.
Mademmoiselle dancara o gracioso passo de
sua composicao que lem por titulo
O clRfwlen.
Onirla parle.
Diversas experiencias physicas df mullo ap-
plauso, pelo director.
Quinta parte.
A mis|m 11-ao etlHiensc.
a saber:
Um ensalo chymico extraordinario, ltima-
mente Inventado em Parla por Mr. .Roberto
Hnndln, e eaeculado com grande successo no
theatrodu PalaisRoyal. Sabido he, queoether
e o cloroformio, prudusem nao s o tornar-ae
Insenslve! o individuo,seno tambem Infraque-
cer-llie o corpn ao ponto de sustentar-se algiim
lempo em um pequeo apoio; para testificar
esle poder, inademniscllc adormecer 11 iva pes-
soa a vista do respeilavel publico, collocando-
a depois em posiedea que parecern Impossi-
vels, enlre as qnaes he por sem duvida a mais
extraordinaria eonservar orisontalmente a pes-
soa apuiada simplesiiieote pelo coto vello em
um poziuho
'!' riiitii.ii. o iliv.'iiiineiito, apparecenda mi-
deiutiioisrlle em traje de homem, e dancar o
muito applaudido passo de sua composicao que
(ni por titulo
O lilil i IllK'il-ll
Os bilhcles vender-se-h5o de hoje em diante
-no Hotel Francisco por mademuiolsetle, e no
dia do espectculo do mesmo thealro.
PRK(,OS
Camarotes de primeira ordein
Ditos dilos de freute
Ditos de segunda ordem
Ditos ditos de frente
Ditos de terceira ordem
Ditoa ditos de frente
Platea
5.000
6,000
6,000
10,000
3,000
1,000
1,000
Avisos martimos
Declaraycs.
7JEI
icacjko a pedido.
-- lllrn Sr. -- Em nata de 38 de sflemhro
do coi rente anno, leve de ser apprehendido
por esla aubdelegacia, o (Jreto africano de
oome ASJljpMo, que declaran ser escravo
do liouior de engeuuo Domingos AUbtiso
O lllni. Sr. inspector da Ihesonraria Ja
fazend, inania faz r pnblico qu, pelo
Exm. Sr. presidente da provincia, fui mar-
cado o prasu de dous mezes cunta les da
data desle, para o Sr. AplonJ da Trindade,
em cuja pusse loi medido 110 anno de 1839,
o terreno de marinna na ra Imperial 11.
63, solicitar o respectivo Ululo do afura-
tnenlo hAh pana d .iJo D.U p.-Si dar-se
o ditoterreuode afuramenlo a qualquer uu-
tra pessoa, que porveotura orequorer.
Secretaria da ihesunratia da fazeuda, 20
de dezembro de 1850. No impedim >ii-
meiiti* do ollicial-inaior, Emilio Xavier .io-
hreira de Meti.
lirllisii Coiiiilate.
On Monday Ihe 30 Ib last: will be held
Ihe general Meelni", of residenl Brilish Sub-
jecls ^ualilied under Ule act 6 Jeu 4. cap.
87 l'nr Ihe puiposes Iheiein iiiiiiied, hl iivvn.
I'eruanibuco, 19 Ih decr.1850.--Hy. Chrn-
tophert, vicu-Ciii.suI,
nisiiini:i lli'itannico.
Na segtinda-feira, 30 du correnl-, liaver
O ajuiilaiiiento geral dos subditos britnicos
aqu maideiiles que s3u qualilicados ; para
os lina designados no acto 6, geo. 4, cap
87, -ao meio-lia.
Pernambuco, 19 de dczetnbro de 1850
Hy. C/iriilupheri, vice-cuasul.
1 Para a cidatle do Porto sabe,
com muiti brevidarie, a veleira e
bem conhecida barca portuguesa
S.-Cruz : quem na mesma quizer
cirregar, ouir de passagem, para
o que tern excellentes commodos,
dirija-se ao en coasignatario a,'c7ioi7de^oVeVicenci
Francisco A Ivs da Cunta, na ra
'io Vigario, n. 11, primeiro andar.
Pan. Baha sahe no fim da
presente semana o hiale Jiuelia :
-- O abaixo aaaignsdo faz publico que
o seu lilho Manoel RomBo de Carvalho del-
ta de ser recebedor dos alugueis das suss
casas, e pasta a ser o cobrador de hoje em
lianio outro tea ihoUniuoiioSlasiaiiDu
le Carvalho autorisado por procuradlo bs-
tanlo Lourenco Manoel de Carvalho.
Abrem-so e imprtmem-se bilhetes de
visita em qualquer carcter, rtulos e todos
osobjeclos que detnsndam preceilos calli-
graphicos, retratos e quaesquer desenhos,
sinetes typos emblemticos, ornamentos
para capas de livros, e afinal todos os ob-
leclos da arte de gravura em alto e baixo
relevo, |e com delicadesa. As pessoas que
.iretenderem algumas destas cousas, diri-
ja m-se ra do llrum, defronte da fuudi-
ciJu ingleza, ou as seguinles lojas de li-
vros : na ra da Cruz n. 56,' na praca da In-
dependencia ns". 6 o 8, e no patea do Colle-
gio n, 6, onde se for misler podero deixar
hous nomes e morada para seren procu-
radas.
q O Dr. J. S. Santos Jnior, 7
O medico homoeopatha mora q
na rus Nova, n. 58, primei- O
ro andar. %
-- .No becco do Consalves, armazem do
Aratijo, e na rus da Cruz armazem n. 33 de
S Araujo vende-se superior farinha em
saccas, mais barato que en qualquer ou-
Ira parle, bem como do ultimo armazem
ven io-se timbom sola, couros miudos, sa-
patos o .lijlo para limpar metaes, etc.
tjuem anuunciou querer comprar urna
cadeiriiiha da llaliia, dirija-se ao largo do
Carmo, sobrado novo n. 2.
-- I'rccisa-se alugar dous pretos psrs Ira-
balhareiu em armazem de assucar : na ras
do Trapichen. 21.
No dia 17 do correte furtaram um
barril de mauleiga ingleza da porta da al
fan lega, marca Jlt de tinta : quem delle
soubarou Ihe for ofTorecido, queira resli-
luido no armazem de Joaquina Pilippe da
Costa, no becco da Azeite de Prtxet.
A Imprenta n.79, no artigo Noticia
Local--fallando de um allantado as po-
vdieo dos Afogsdos, em quo diz que um
Cavalcanti, morador oo fieme lio, acompa-
ulisdo de espoletas, tentara raptar urna mo-
ca, ceriamenle o seu noticiador leve mais
em vistas cevar odiosi Ja les, do que inte-
resse de publicar a verdade. No Demedio
nenhum Cavalcanti existe que tenba capa-
cidade para fazer tilo negra accSo : assim
ponss dontre el les o de menos mrito e abai-
xo assignado.
Simeio Correia Cayalcante Macambira,
0 cautelisla Salustiano de Aquino Fer-
reira faz sciente ao respeitavel publico, que
no dis 34 do crrente mez principia a pagar
as cautelas premiadas da lotiria de N S. de
l.ivr.iment, logo que a mesma lotera for
exlrahida, na praca da Independencia a. A,
lija d* miudezas.
O Sr. bernardo de Albuquerque Her-
nn les Gama lem cartas,na livraria dapratja
da In lepen lencia ns. 6 e 8.
--Josquim Eorreira Mondes Guimarfles
embarca para os portos do sul a sua escra-
Hoje ha sorvete no botiquim do thea-
lro de Santa Isabel, e lembra-se aos fregu-
zes o troco dos bilhetes, sem'o que nSo se-
rio servidos
Traspasss-se o srrendamento de um
slioem Apipusos por seis mezes, com has-
para o resto da carga Irata-se com tantas arvoredos dando, a csss tem seis
o mestre a bordo, ou com Novae>i!c'u"rl?s' ''*P",cotinha fra e estribara
c .. m I para dous cavallos, todo retiflcado ; o sitio
^ l.ompanbia, na ra do I rapl-jfica defrnntn da casa do Sr. Constantino:
che n. 3'i. |quemquizer, dirija-seApipucos, cass do
i, >' i i a 'Sr. Pedro Jos, ou ni Camboa do Carmo nu-
Par o Iho de Janeiro anemerof4.
com a maior brevidade possivel,
por ter parte de seu arregamen-
to prompta, o brigue nacional
Lea : para o resto da carga e pas-
sageiros t iy. tu-se com o capilao a
bordo, ou com Novaes & Compa-
shia,,ri:2!oTfpchn. 34
Para o Rio de Janeiro sahe a galeota
SanlissimaTrindode: de superior marcha,
frrala e eneavilUa la de cobre, pir lodo o
lucs-Mile mez "por j ter grande parte da
carga contratada, quem na meajas quizer
es negar ou ir de passagem, i'lrija-seao
seu consignatario Francisco Alves da Cu-
nha roa do Vigario n. 11.
-- Vende-se o brigue denominado Pirall-
nim do lote de 301 toneladas, forrado de co-
bre,, com lancha, Jiote, e iodos os peitences
deaparelho, pronipto para fazer qualquer
viagem; quem o pielender pode ir ou nin
"da-lo examinar no ancorjocro defronle
da escadiriha do passeip publico sonde esta
fondeado : para tratar na ra da Cadeia n.
39 com Amorim rmeos
Para o Ctaiii.
Theatro de Santa-Isabel.
COMPANHIA DRANTICA E DE CA.NTO
hoje, 31 ne DE/Bttaao Bs 1850.
ser escravo Mecila extraordinaria em beneficio da Augusta candiunl*
Sahir impreterivelmente a 30 do correte
o brigue nacional Etnprea, de n/imeira
marcha ; al n da carga, que j tem a bordo
para aquello porto, recebara nesle a que
mais MfltTefecer, a frete rommodo, assim
como passageiros : os pretendentes dri-
jam-se a fratsr na ra da Cadeia, Vilha n.
17, segundo andar.
fan a Babia segu em poucos dias por
- Fugo, lia dias do mez passado, um par-
do de nome Manoel, natural do Par, de
boa altura, secco do corpn, cabellos estira-
dos e nariz afilado ; tem urna mancha pra-
ta no rosto e marcas de chicote as costas:
quem o apprehender ou delle der noticias,
dirija-se iua da Concordia, direita, a
primeira dsa, que sa recompensar
- Aiuga-seo segn lo andar da ..
17 da ra do Collegio : a tratar na ra do
Vigario n. 7.
Adverle-aeque o annoncio publicado
no Diurio n, 287, dirigido ao Sr. Augusto,
dono da cucheira, em fra de Tortas, ae nio
entende por divida, mas sim psra negocio
de seu inleresse.
Atlencfo."
Ni ra da Concordia n. 6, faz-se bollj-
nbos franceses, muito superiores e de di.
versas qualiJades ; lambem enfeitam-se ri-
i|nissimas bandejas cotn assei) 0 promp-
tidflo
--Narua Nova n. preeisa-se de um
pretocoiinhciro, pagan lo-se mensslmenle.
-- l'reeiss-se de urna ama para comprare
c izinhar : na ra da Concol^So da Boa Vis-
ta n. II.
- Preeisa-se alagar, para urna cass de
pouca faoiifta, urna prela que enten la de lo-
do o servico i as ra do Aterro da Boa Vis-
ta n. 91, segando sudar.
Fugiram, nos das 15 e 17 do crrente,
os (scravos seguinles: Joaquim, de 80 an-
uos, de bicSo Uc, estatura regular, falla
muito mansa e am chapeo; levou Aafllss\ ro, na ra do Livrameiilu. n. t,
gudau algodao americano e calca de! andar : nesla typograiyhia, se di
dito azul riscado ; e Nicolao, de osclio Na-1 aluga.
gA, representa ter 2* anuos, cor retints,
olhos grandes, alto, cheio do corpo, cabe-
ca raspada ; tambem levou calca de algo-
ifio azul de riscado, esmisa do mesmo, a-
maricano : roga-se as autoridades dest Ci-
dade e frs della, que o apprehendam o
os leve no pateo de S. Pe tro, segundo an-
dar, por cima do marcenelro, jdnto ao so-
brado do cirurgio Leal, que se recompen-
sar.
. No dls 18 do corrente dessppsreceu do
segundo andar da casa d. 6, d ra do Tra-
piche, urna casaca nova de panno preto,
urna caiga tambem de panno preto e um
collete de brim riscado, conteni dentro da
algibeira da casaca alguna pajpels de impor-
tancia, bem como algum dinheiro em se-
dulss. Avisi-se, portanto, ss pessoas i quem
for ofTerecido este furto, apprehend-lu,
o quem souber alguma cousa a este res-
uelto, queira; dirigir-se a mesma casa ja,
80, para fazer sciente a quem estes objectos
pertencerem, pelo que serSo recompen-
sadas.
Bslbina Custodia de Olivelra Dinz
delxa de responder ao annoncio de Hono-
rato Jos de Olivelra Kigueiredo, como Ihe
cumpria, pof assim Ih'o ordenar sea psi.
Deseja-se fallar ao senhor de engenho
Francisco de Paula Paes Brrelo, ou seu
corresponden!": ras do Vigsrio r.. 7.
Preciss-se alugar um preto para o ser-
vido interno eetterno de ums casa terrea
de mui pouca familia, dando-se-lhe bom
iratamento e pagando-se bem : na ra do
llrum, casa confronte a fundilo ingleza, e
prxima a que tem IfjUeSo.
-- Aluga- Gloria da Boa Vista n. i, com bons commo-
dos :a tr%Ur na ra da Senzalla Velba nu-
mero 70
Pede-ee ao $r. L. A. M. f. que tenha a
bondade de Irou mandar pagar 11,380 na
ra do Collegio n. 35, de rfiie S. S. nflo ig-
nora ; do contrario ter dp ver o a nome
por extenso necia rolos emquanto nfo
psgar.
Preciss-se de uaa aosa forra, ou capti-
va, para o servido interno do urna casa de
pouel familia : na roa larga do Rozarlo,
padarian.48
-- l'reciaa-se de um caixeiro portuguez
para tomar conta de urna venda por balan-
So, dando-se-lhe lucro no* ganboa da mes-
ma, que tenlia pratica desle negocio eque
d fiador sua conducta : quem quizer, di-
rija-se ra das Cinco Ponas, padaria de-
fronte da fortaleza n. 154.
Furtaram, no dia 14 do corrente, do
cercado do sitio da Piranga de JoSo Baptis-
ta de Souza I emos, um cavado carregador
baixo, rufo, rudadu, de dina prela e pe-
queo ; lem da barte direita urna mancha
branca e abano doquadr I marca de ferro:
quem o denunciar ser gratificado com dez
mil rs.
0 escrvilo da irmandide de Noisa
Sonhora daSoledadoda freguezia do San-
tissimo Sac/amenlo da Boa Vista, son-
vida a (o los os ir oos para que compa*
recam domingo, 38 do correte., no consis-
torio ds mesma irmandade, aflm de se pro-
ceder a eleicHo da nova meas, que tem de
servir no anuo de 1851,0 que ter logar pe-
las 10 lloras da maiih3a do dito da.
-- Jos Pernea da Cunha embarca para os
portos do sul o seu escravo, pardo, de nome
Ignacio.
Precisase de ums mulber que esteja
acostumada a andar com negocio do falen-
cias, assim como de urna preta niotja para
carregar o tabolairo Jas mesmas adverte-
so que as pessoas cima referidas deveni dar
flanea as sus' conduela*: a tratar na ra Trapiche Novo, armazem o. 44
Casa em Santo Amaro.
Aluga-se a casa de sobrado e solio, que
foi do lina do Pedro Dias dos Santos, com
commodos para urna grande familia, silla e
viveiro pertencente a mesma casa : ptdraV
ver, na mesma casa, e para tratar, ni casa
n. 3, defronte da ribeira do pexe, na roa
da Prais.
Quem precisar de ums criada yoriu-
gueza para qualquer servico de ums csss,
dirija-se s Ponte de UchOa, em csss de Tbo-
maa Donsley. ^
Aluga-aa o segundo andar do sobrino
ds roa do llangel, defronle ds botica : a fal-
lar na ra do Cabufe, loj de Joaquim Joi.
da Costa Fajozcj.
O' ilesembargsdor Joaqoira' Francisco
Concalves Ponce de Leflo embarot para o
Bio de Janeiro os ssus escravos, Miguel e
Sabino, de nagSo Angola
Quem liver psrs alugar urna ou duas
retas- para veodor fruetas : dirija-se a ra
Nova n. 4*.
-* A pessoa que snnuncioa precissr de
un mnleque para urna cass ingleza, dirja-
se ros do Trapiche Novo, n. 14, que acha-
ra o que procura
'-- Precisa-se slugsr urna prela, prefe-
rindo-se escravs, qus,entenda de coziulisr
eengommar, e um rnoleque para o aervico
!|eral de una casa de familia inglefa : a Tal-
ar na ra do Trapichen. 40, armazem do
corretor geral,
No Atterro da Boa Vista loj de miude-
zas n. 78, se dir quera da dinheiro* a juro*
com bipothecs em casss torres*.
f'recisa-se de Urna ama forra ou capti-
va para urna casa estrangeira : na ra da
Concordia, reflnaefqjfjhncezi.
Na ra do CabuWoj; d; pc.-t. dc-
iej-so fallir ai Sr.'llenrque Perera da
Silva, morador.rta Vanea.
Aluga-ie a luja do sobrado da ra do
Collegio n. 3, que deita para a mesma ra :
quemapreleiider.drlja.se a travesa do
Sarapstel, a tralircum o Sr. Manoel Jos
de Sanl'Anna Araujo.
I'erdeu-se na tarde de lerc feira 17
do crreme ums caixa dechifre, tola, es-
maltada de braneo, circulada de tartaruga,
os lugares so llccie, '*W'"tfa "-fligtin r
Hospicio, peife-sB s pessoa que a aebou a
queira restituir que ser gerwoameiisa-
oo na ra de S. Fraucisco sobrado novo
so pe da unr.
-Us Srs. Drs. Fernaedo Affonso de Mello
e llanoel Firmino de MeHo, teem cartas
vio las d tilia de 8. Miguel: na ra da Ma-
dre de tus o. 30,m cass de Joflo Tarares
Cordeiro.
-Aiugaea-se duas casas terreas ni CJiU-
de Nova, com 4 salas e 13 quartw cada
urna, quem a* pretender asalten da s 5 coa
Antonio Jos Coates do Cvrruio.
Alugi-se urna sala para homam oltei-
neiro
quaa


.
Pei.do.
Visto o oTpenho qae o Sr. emprezario do
Theatro de Sania Isabel lem mostrado a
ssti'fazer o publico, nos animamos i pe-
dir-llie se digne- levar cena a graciosa
farca lyrica ero um acto o Be/o, pois estamos
surtos que hade agradar, e muito maisfs-
zendo parte il Joaninha a sublime actriz
a Sra. D. Joanna, cujo mrito muto ad-
mira. Um do povo
- Hog"-so aos devedores da massa do fal
lecido llenriques Camillo Ferreira. de vir
quinto antes para sl tem com o mesmo fallecido amigavelmente
ra casa de I. D. Wolfhopfo & C. ra da
Cruz n. 16, do contrario ver se-hSo obriga-
dosa cobrenca judicialmente.
- Tendo o fallecido Manoel I.uiz di Veiga,
edeiado em seu testamento um terreno
no seu sitio S. Amarinho, para no mesmo se
consTruir ama capella, com a invocacSo de
N. 8. da Piedpde, o abaiso aesignado como
testamenteiro e Inventarente do casal de
seu pii.quernndo dar principio a mesma ca-
pella, pois s exislejo terreno, e nao o mais
necssario, convidas todas as pessoaa que
se qiil/erem assignar com as esmollaa que
Ibes aprouver para a construcc.lo da dita
capella, dirijam-se aos abaixo menciona-
dos, Isto para mais coramnilMaHa >ina crlplorea; no Iteeife toja do Rvd. Sr. padre
Ignacio Francisco dos Santos, em S. Anto-
nio, luja do Sr. Joo da Costa Dourado no
pateo do Collegio, na Boa Vista, ao p da
matriz botica do Sr. Camiro.eem S. Ama-
ue^nTo^
Aos amadores de cantonas
italianas.
Bilhetes de platea superior e ge-
ral para^l recita de hoje, em be-
neficio da insigne cantora \. Can-
dis ni: oo pateo do Collegio, casa
do Livro Azul.
Vende-se a casa terrea da ra do Amo-
rim n. 39 : a tratar em S. Goncalo n. 16, com
seu dono Jos Gomes Tarares Jnior.
-- Vendem-se-queijoslondrinos, os mais
frsenos que ha no mercado, por terem che
gado receotemente na barca- ingleza Boni-
ta, pelo dimioulo preco de 64o rs. a libra,
assim como ptimas conservas de verduras,
latas com deliciosas sardinhas, ditas com
ervilhas, raustarda iogleza e outros muitos
objectos proprios para a feata : ludo da me-
Ihor qualidade e precos que desaliam a von-
tade do comprador: na roa da Cruz n. 15
Ricos chapoi de menino e me-
nina para a festa.
Chegaram toja de Maia Ramos & Com-
panhia, na ra Nuva n. 6, vindos de Franca
pelo ultimo navio, oa maia ricos chapeos
que at o presente tm vindo, por ser o ul-
timo goalo de l'aris, assim como em quati-
ilade, Unto para menino como para me-
nina, s .
Na ra Nova n. 6, laja de Maia
Ramos & Compinhia,
das tenhoras, contendo o espelho das mes-
mas, que fielmente moitm s.ias virtudes,
qualidades e defeitos m qu-idras rimadas.
4.* Folhinhas de Marn da Fon te, conten-
i o retrato e a chron cacera o muito ver-
dadelra de Mara da Fonte, escripia por mim
que sou seu to o mostr da Fonk, sapatei-
ro no peso da Regua, dada a luz por um ci-
dadSo dnmittido, que tem lempo pura tudo.
5.* Folhinhas de or ellas, contendo con-
loa, novellas o romanees escolhidos' entre
as melhores composiedes dos autores ro-
mnticos modernos.
6. Folhinha thiatral, contendo os prover-
bios em um acto Nlo ha mal que se nSo
cure > a opposicffo systematica pro-
prios para thealriohos.
7. Folhinhas de pilerias, contendo urna
reuniSo de pilheras, ratices, ancdotas,
casos e bons ditos, capazas de fazerem sol-
tar birrigadaa da riso oa mais serios.
8.* Folhinhas da historia natural, com no-
ces dos tres reinse 20 estampas de ant-
maaa.
ffffffff'fff:fftfffff
tsw ^B
que i
para a mencionada obra fJMdarem nos lu-
gares Indicados se subscreverem por carta,
mencionando na mesma soa residencia,
numero da casa, e quanto assigna.
Manoel Lnii da Viiga.
Aluga-se o segundo andar
e sotSo ito sobrado o. iO da roa
atrs da matriz da Boa
Vista, o
qual tem bastante eommodos pa-
ra urna familia ; a tratar na mes-
ma ra n. n.
-- Na loja n. 8, ao p do quartel da poli-
ca, concerta m-se candiei ros de sala, glo-
bo e ianfpefles de relogios ; assim como en-
vernizam-ae e bronzeam-se das cores que
quiz-rem.
Offerece-se para caixeiro d quartuor
estabelecimento, aezcepelo de venda, urna
pesaos com hahilittcdes, dando fiadora sua
conducta : quefrl pretender, dira-se i ra
Nova n. 60, primclro andar.
Precisa-ae arrendar snnualmenlc um
lo bem perto da praca, lendo planta de
capim para dona cavados, anda mesmo
principiando o arrendainenloem Janeiro ou
fevereiro em diante: quem livor annuncie.
Aluga-se pelo lempo dfesta ou au-
nmlmenlea casa de dos andar*, defron-
te de S. SebasliSo em Otmda, erjfc conimo-
dos para grande familia : a tratar na mes-
ma casa-, ou na ra da Cadeia do Recife, lo-
ja n. 50.
-Engomma-see hm-seloda a qualida-
do de roupa com todo aiseio e muita promp-
lidflo, por preco mais comino Jo do que em
outre qualquer pnrt'e : na roa de Aguas-Ver-
dea, o, 86. *
-- Aluga-se o segundo andar do sobrado
da ra uireita n. 20, com comino lo para
grande familia: na ra Uireita n. 93, pri-
meiro andar.
p O facultativo J. B. Casanova muJou
# o seu consultorio homosopa'thico da #
?-ra da Cadeia para a ra das Cnizes 0
4 n. 28. segundo andar, onde contina $
>.' a dar consullas'odos os das. Os po- )
> breeser.lo tratados gratuitamente.
:#:'>
--Alega-so urna casa no Poco da Panel,
la conr bons eommodos para grande familia-
estribana para quatio cavados, boa agoa de
beber, e jardim na frente ; adverte-se mais
quo a diUceea he murada emroda a tem
um grande copiar tapado'com frente e sa-
bida para o rio : a tratar na ra do Trapiche,
armazero a. 44.
Compras.
ilompram-ae dous catues de pombos
murilas : na na da Aurora o. 24.
--Compretn-sn unas veneziahis em se-
gunda fio : quem liver annuncie, ou di-
rija-te a ra da Guia n. 9
Compra-se um violSo pequeo, pro-
I no para unja menina de II anuos.- na ra
lo Collegio n. 25, segundo andar.
Compra-se a oolleccfo do Frogrtsso,
Revista Social, Litlereria e Scientfica, pu-
hlisada m'Peraambuco ;e tambem os ns.
t, 2 e 10 a parte, ttirigir se i ra das Trin-
oheiras sobrado n. 19, ou annuncie.
Compra-se um correle, ou cordlo
prossu, euma medalha deouf de lei, sem
feitio : na ra larga do Rozario n. 48, pri-
meiro andar.
Com rase urna radeirinba da Babia
oa ra da Guia n. 5, terceiro andar.
Comp'ani-se selllns velhos ou com al-
gom uso'- na ra larga do Rozario, loja de
uiiudezas n. 96.
--Cdmpra.se urna prensa do copiar car-
las: quem tiver dirija-se a Antonio Jos
.o.,., j- f.t.
Compram-se escravos de am<
Los o sejns .* na ra da Cadeia do
|l(eeife, n. 5, piimeiro andar.
-Compram-ae para cncomenda.uma prela
Icoznheira e engommaileira ; um mulecote
IHoprio para o servido d urna casa, a duas
negrotae boas flguraa e sadiaa : na ra da
|Cadeia do Iteeife n. 5
m como de pellueia, para ho-
mem ; ricaa grinaldas de flor de laranja ;
luvas de diiTereules qualidades e outros
muitos objectos para enfeites de senhora e
proprios para a festa : tudo por preco com-
modo.
a
Vend
as.
Folttias de Blmanak
Sabio i l3f a folhnh* de algibaira, a
Iquat ae acha reunido o almanak civil, aai-
lliUr, a'dminislialivo, judiciano, commer-
I'iit 1 e industria! desta provincia : vende-se
llur 320 rs. n livrsra ns. 6 e 8 da praja da
llndepena^^HWla folhinha que no a*no
liiiio conlula 256 paginas,Toi coraqueci-
lili com mais 32, sem augmento da preco.
- Vende-se urna escrava multo bonita, o jogo datoartaa, o orculo das flores,
Quem juizer poupar
venha'ver e comprar, pois o gsnho de quem
vende Ocaom mSos doa compradores, esem-
pre ncam lograJua seua amos ou senho-
res. Vende-se manteiga ingleza da melhor,
730, 610, 480, 400 a 320; cha, a 1,930; es-
permac-te, a 720 e 640; carnauba, a 330 ;
letria, a 240 ; macarrSo e talharim, a 300
ro ; tapioca, a 130; farinha de araruta.
a 200; caf de caoco, a 200. chocolate de
Lisboa, a 400 ; toucinho, a 300 ; bolachinha
ingleza, a 380; cavada, a 100 rs.; arroz pi-
lado, a 70 rs. ; ccvadinh, a 900 : adverle-
se que os precos cima ditos he porquanto
se vende cada libra doa ditos gneros ; quei-
jos, a 1,600 ; azeitonas novas, a 840 a garra-
fa e a 1,600 a ancoreta, tendo mais de cana-
da cada urna ; azeite-doce, a 640 a garra f
o muito auperior vinho feiloria do Alto Dou-
ro, que de velho j est branco, a 640 a gar-
rafa, poia esta approvado para rebater as
tWcgfistes dos bellos petiseos da festa,
p6r ser muito peitoral; millio alpista, a 960;
paisso, a 560 a cuta ; e mitras multas cou-
sas que se dar o prego avista do compra-
dor : na ra Nova n. 71, venda da esquina,
ao p da ponte, e no Aterro da Roa Vista,
venda n. 54, ao p da loja do Sr. Estima.
Vende-se um bonito moleque de 16 an-
os, de elegante Ogura, boro copeiro, es-
colenle pagera e para todo o servido : na
ra da Cadeia do Iteeife n. 51,1. andar.
Vanile-se um moleque de aove annos,
ou troca-ae por ama prela sen vicios : na
ra do Colovello n 29.
Vendem-se espelhos de pa-
rede domis moderno-gosto, guar-
necidos de Jacaranda : em casa de
Kalkmann IrmSos, ra da Cruz
n. lo.
Vende-se urna negrinha mucama de ca-
sa, de 13 a 14 hnnos, com principios de cos-
tura, no tem vicios nem achaques : vende-
se para ae comprar um molequinho, ou
troca-se : na ra da Concordia, quem em
da ponte, A eaquerda, segunda casa terrea,
se dir quem vende.
Vende-se um bom cavallo gordo, bo-
nito e com todas asestradaa : na ra do Ro-
zan estreila n. 18.
-- Vende-se urna casa terrea na ra da
Praia, asim como urna batanea grande com
os pesos de 9 arrobas at 8 libras : no pateo
do Paraizo, venda n. 30.
Chegou.
Canella da India, caf do Rio de primeira
qualidade a 180 rs a libra, nozes, amen-
doas, magnas, (gos, passas, doce degoaba,
marmelada, Jingoigis, presuutos, conser-
vas de todas as qualidades, einlim, ludo
Suanlo se precisa para a festa do natal : ven
e-ae ludo muito barato, na ra das Cruzes
de Santo Antonio, primeira venda, pintada
de. azul.
Vende-se urna escrava boa lavadeira,
engommadeira, que faz todo o servico de
urna casa e sem vicio algum : na ra das
Agoas Verdes, ultimo sobrado, uniJo ao
Terco.
Um sellim.
Vende-se usa sellin inglez em bom esta-
do : na ra do Qnaimarfo n. 14.
-- Vende-se urna canda, que conduz mil
tijollos deslvenaria grossa : no Aterro da
BoaViata, venda n. 44.
Sahiram a luz no Rio de Janeiro, e se
acharo A venda no pateo do Collegio, casa
do Livro Azul, aa seguintes
lolliliibas uuia 1851,
ornadas, entre outras gravuras, de um II
nissimo retrato da Imperatriz, viuva do Bra-
sil, 0. Amelia, e contendo :
O anuo novo, a chroniea nacional de 1849
e 1850.a chrouologiade 1811 1814, a au-
guatisslma Casa imperial, o.e lendario com todoa os seus perlenres, diaa
de,galla, audiencias, taboaa do sol elua, se-
nadorus, deputados, coros diplomtico *
consular, a febre aroarella, e outras muflas
cousas de importancia.
Titulsecoiitedoi eecwciies daa diffe-
rantes folhinhas, que todas conten no prin-
cipio as materias cima especificadas, a
saber ;
l.o Folhinha papular, contendo instrue-
edea populares sobre variados objectos de
scianci*. industria e conhecimenlos uteia,
aprnveilaveis para lo Jas asclasses do povo.
9. Folhinha dos numerados, contendo o
diccionario e lingoagem*daa (torea, daa co-
res e das pedras preciosas, com a lista al
phahtica ates suas algniflcatOea, a loteria,
a>

a>


*
a>
>
*
t

a>

a>
3
1
Na loja do sobrsdo amarello noa
quatro cantos da ra doQueimado n.
, tena para vender um completo
surtiasr.to Je e'iea de vestidos da
seda, e brancos, fazenda superior em
goalo e qualiiladn; dilo* de eambraia
de seda de 7,000 a 12,000 ria ; ditos
de eambraia de cores, aborta, caasas
de cores, gostos novos; chita fran-
ceza, padrOes decassa ; sede de fur-
ia coras, propria para matalotes e
Capotinhos; tensos bordados de eam-
braia de linho, muito ricos, proprios
para noiva ; pao de linho adamas-
cado escuro, com 9 palmos de largu-
ra, fazenda inteirameote nova, pro-
pria para cobrir mesas; e outras
muitas fazendas linas de goito e pre-
go muito commodo.
Novas i'iiiiihi-alas.
Vendem-se ricos cortes de eambraia abor-
tas com 6 varas e 3|4, de listas e ramagem
de cor, fazenda muito fina de lindos gostos,
pelo barato prego de 4,000 rs. o corte, chi-
ta decores muito miudinhas, pannos mui-
to finos, cores fizas, a 300 rs. o cova lo ;
brins de linho amarello, cor de.ganga, lista
no lado, fazenda muito fina, pelo baratsi-
mo prego de 3,000 rs. o corte : na ra do
Creapo u. 14, loja de Jos Francisco Das.
Rumbas de ferro.
Vendem-se bombas de repoxo
pe adulas e picota para cacimba :
na ra do Bruto, ns. 6, 8 e io
fundicao de ferro.
Arados de ferro.
Vendem-se arados de ferro
difluanles modelos : na ra
de
do
de
Hrum, ns. f>, 8 e lo, fabrica
machinas e lundicao de ferro.
At que a < rt a i a ni
SapalOes deorelha e aalto alto, feitos
capricho no Aracaty a imitagSo dos de cou-
ro de lustro : este Calgado depois de ahuila-
do a legitima graxa ingleza n. 97, imita
exactamente ao de pulimento: lamho.n che-
gaif o dos outros^sem orelhss, que se ven-
tera a 800 rs. : oa ra larga do Rozario, n.
35, loja do l.ody.
Milliu 'novo a 2$ooo rs.
cada Marea.
Vende-se oo armazem do Rragnez, ao p
do arco da Conceigo.
lo.ooo rs. a ilu/ia
Verdailearo e legi/imo champanhe A Y en
casa de Avrial & IrmSos : rus da Cruz n. 20
Agencia
da fundQoLow-Moor.
HU O. SKNZALI.A-NOVA., N. ^1.
Sete estabelecimeuto conti
la 4 ha ver um completo s rti
ment de moendas e meias moen-
das, para engenho ; machinas de
vapor, e taclias de ferro batido e
ce-id-),, de todos os taannos,
para dito.
caba-se de recebor um completo sortimen-
tode taixas do 4 a 8 palmos do bocea, as
<|Uaes achrim-se n venda por prego com-
nodo e com prmptidao embarcam-se,
ou carregam-se em carros sem despezas ao
omprador,
Anillo deposita de cal
virgen.
Na ra do Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal nova em podra,
chegada. ltimamente de Lisboa
no brigue larujo III.
prar, 11a roa do < rispo, loja da
esquina que volla para a Ca-
de! u.
Panno fino prelo muito bom, a 3,000 e
3,600 rs. ; dito muito superior, a 4,500 e
5.000 rs.; dito azul muito fino, a 3,000 e
5,M)0 rs. ; casemira prela, a 5,000 rs. o cor-
te ; dita muito superior, a 10,000 rs. ; cr-
tes de fustlo a 330 a 600 rs. ; ditos muito
bonitos, a 800 ra. ; ditos de setim de 'cores
a 1,600 rs. : ditos de gorgurSo, a 1,380 rs. ;
cassas d" coros finos e de bonitos padrOes,
a 340 e 380 rs. a covado ; cortes H cassa
pruta, a 3,300 rs.; ditas a 140 rs. o covado
lisca tu de linhu azul, a 940 ra. ;. corlo d
brim de linho, a 1.600 rs. ; ditos muto
bons, a 1,800 e 3,000; ditos superiores, a
1.380 e 1,600 rs. a vara ; lencoe de seds de
cores, multa bonitos, a 1,000 rs. ; ditos p
ra grvala, a 1,000 e 1,380 rs. ; ditos de
csssa com listras de crea, a 340 e 330 rs. ;
ditos com listras de soda, a 500 ra.; algo-
do azul de vara de largura, a 300 rs. o co-
vado ; dito furta-cres, a 300 rs.; picote
muito encorpado, proprio para escravos, s
300 rs. ; riscado da algodSo americano, a
140 rs.; corles de brim de listras, a 1,000
rs.} chitas de cores fizas e de bonitos pa-
droes, a 140, 160, 180 e 300 rs. o covado ;
riscados monttros, a 330 rs.; oambraias de
quadros, a 3,730 rs. a peca; cortes do case-
mira de algodSo, a 1,600 rs. ; cassas fran-
cezas muito bonitas, a 330 rs. o covsdo ;
chapeos de sol, com asleaa de balis, a 1,800
rs. ; e outras muitas fazendas por preco
commodo.
Mercurio.
Na ra do Queimado n. 11, vendem-se
caiiinhas com mercurio de 3, 4 e 5 libras,
chegado ltimamente de Lisboa pelo bri-
gue rVoco Vencedor,
Goima superior.
Na confeitoriada ra estreita do Rozario
n. 43, ven lem-si! sacras com excellenle
gomma, pelo prego de 6,000 rs.
Carnauba a relalbo.
Na ra do Rozario estreita n. 43, vende-
se superior carnauba a retalho, por preco
commodo.
Vendem-se dous ci va 11 os, bons anda-
dores, e um ptimo quarlo, por preco com-
modo : na ra do Collegio 11 5, ou no sitio
da viuva do leneute-coronel Costa, no Jlon-
dego
Vende-se a casa terrea n.
19, na ra deS. Miguel dos Afo-
gados : a tratar na mesma.
-- Vende-se urna cadeira de dous bracos,
forrada de damasco de lila e guarneciJa do
retroz : na ra de Agos-Verdes n. 23^
Vende-se manteiga ingl'za superior, a
720 ; dita franceza, a 320 a libra ; vlnho do
Posto, a 320 a garrafa ; dito de Lisboa, a
340; cha superior, a 1,600 a libra; choco-
latede Lisboa, verdadeiro, a 400 rs. a li-
bra ;cevnda, a 80 rs ; azeite doce, a 610 aj
garrafi; vinho da Madeira. a 800 rs. a gar-
rafa ; chouricas, a 480 a libra ; farinha de
araruta, a 160; dita do MaranhSo, a 130;
louca esmaltada, de todas as qualidades,
por prego commodo ; urna flauta muito ri-
ca, appareHhfda de prata, com chave; um
dTcoi
le de habilidades; euma dita propria (lotera e1 trapho de amor, e varias
ra enxaja tenda com tudo aleumas ha- Ipoeeaa eooralaaajasmoassumpto pename-
..l > m~ i. ;_ 1 IhnpaM nnolac B*rti4d
"iluladas : n
numero S5.
ra larga do Rozario, loja
Ihorea poelas modernos.
3.' Folhinha critica e divertida ato n$mts
.Vi deposito da ra da Moda, n. 15,
.> ha para vender superior cal em- pe-
!? dra, receotemente chegada de l.ls-
* ba.eino brigue Coneeieio-de-Ma-
J ria, por preco rasoavel: tambera ahi
f se vendem pesos de duas e de urna
j^ arroba, por preco commodo ; ba
tambero efTectivamente no mesmo
deposito barris de mel para embar-
a> que.
AAA*AUAaMMMi*AA*ft
Arados de ferro.
NafundicSo da Aurora, eni S.-Amaro,
vendem-se arados de ferro de diversos m-
talos.
Cimento.
Vendem-se barricas com superior smen-
lo, chegado no ultim navio de Hamburgo :
na ra do Amorim. c. 35, srmam de j. 1.
rasso Jnior.
Deposito de potassa e cal.
Veude-sa niuit'i nova e superior potassa,
assim como cal virgem-em pedra, recen te-
meute chegada de Lisboa, por preco rasoa-
vel : na ra da Cadeia do Recife, n. 13, ar-
mazem.
Tectdo de nlgodlo trancado
fabrica de Todos os Santos.
Na roa da Cadeia n. 52.
rendein-se por atacado duas qualidades,
proprias para saceos de aasucar e roupa de
-vera vos.
lloga-se aos tve guezes qne tenham
toda attenro para o novo sor-
tlmeuto qne existe na laja da
ruado Crespo, u. t, ao p lo
lampro.
Vendem-se caasas pintadas de cores fizas,
a 360 e 380 rs. o covado; crlea de brim
branco de linho.puro, a 1,920 rs.; ditos de
fuslflo muito linos, a 560 0 640 rs. ; cassa
prela propria para lulo aliviado, alai) is o
covado j zuarte de cor, a 200 rs.; riscado
de linho para casacas, a 340 rs. o covado, e
outras muitas fazendas por preco commodo.
Tal xa* para engenho.
Na fundlcBo d ferro da ra do Brum,
diamante (f cortar vidros ; e uro relogio
horisontal com qualro caixas de prata : no
Aterro da Roa Vista, venda n. 80.
Luvas de pellica para houiemc
senhora.
Vendem-se superiores luvas de pellica,
muito novas e sem deleito algum, tanto pa-
ra homem como para senhora, pelo baratis-
simo preco de 1.000 rs. ooar: na ra do
Queimado, loja de miudezas, junto i de ce-
ra n.33.
Q Vende-se cimento : no becco do Q
fi Con <,a I ves, no Recife, n. 8 ; assim co- jl
7: rao garrafas vasias, na rUa da Cadeia
15 Vellia n. 64, a prpeos eommodos. ij
oeceo eoooi>of>o
~ Vendem-se duas vareas paridas ha pou-
eos das: no sitio da raiza d'agoa do Sr.
Manoel Joaquim Carneiro Leal.
Vendem-se pszinhos de rozeirss e de
craveiros : na Soledede, indo pela Trempe,
D. 7.
Vende-se, em casa de Kalkmann lr-
mfios, um rico sorlimento de obras de ou-
ro, comosejam : aderecos, alfinetes, brin-
cos, pulcrii as, crrenles para relogio, an-
ueis, v.dias, etc. : tudo do ultimo gusto.
Vende-se tinta de oleo em Utas : na
roa da Cruz n. 10, casa de Kalkmann Ir-
mSos.
Vende-se barato.
Na rus d* sn7li vaina n. 96. vende-?
muito em conta fumo de folha que-senre
para capa, puis s tem dous fardos de res-
to, desejs-se acabar a dinheiro.
- Vende-ae um capado bastante gordo :
na ra do Cotovello ns. 39 e 31.
Franjas para'manteletcs.
Na loja do Joto Francisco Maia, na ra
'largado Rozaiio n. 26, vendem-se franjas
na j para manteletes, pelo barato preco.de 560
rs. a vara.
Vende-se urna preta moca, crioula, a
qual sabe perfeitamente i ngommar, oozi-
nhar, lavar e coser chflo : ao comprador se
dir o motivo da venda : na ra da Cadeia
Velha n. 24, primeiro andar.
Lotera de N. 8. do Llvrameute.
Na ra da Cadeia, n. 16, loja de miudezas,
vendem-soos amitos afortunados mejos bi-
lhetes, decimos e vigsimos da mesma lo-
tera, que corre luipreierivelmente no da
94 do crreme. Nos vigsimos ns. 836 sahio
o premio dos 5:000,000 de rs. da lotera do
Livramenlo que correu no da 30 do passa-
do. Meios a 5,500 rs. ; decimos, a 1,100 rs.;
Vige.iaios, atWO's.
-- Vende-se um bonito cabriolet desco-
berlo, do eiegani muido, proprio para os
passeos da festa, por commodo preco : na
ra do Collegio n. 16, primeiro andar.
FOLHINHAS PARA 1851.
Na llvrarla da praca da Inde-
pendencia, ns. 6 e 8, vendem-se
folhinhai de algftbeira e porta pa-
ra o anno qne vem.
Vende-se cera de carnauba : na ra da
da Senzalla'Velha n. 100.
Aos niarceneiros.
Vendem-se foroiOes e goivss para oarpi-
na e carpinteiro, e ferros para plana com
capa esingellos: lodos do sqo mais fino
possivel:. em csss de A. 8. Corbctt, na rua
da Cadeia do Recife n. 48.
Atteiicao.
No Aterro da Roa Vista, loja de miudezas
n. 54, vende-se urna veneziana para varan*
da, em bom estado e por -preco commodo.
Na rua Nova, n. 8, loja de Jos
Joaquim Moreira &C ,
vendem-se famosos chapeos franoezes para
homem, de formas mui lindas e modernas,
e de o.iliina pellueia.
I C3T Aos 5:000,000 rs. -&"**
Vendem-se bilhetes e meios diios
2 da loteria a beneficio das obras ds
j igreja de N. 8. do Livramento, que
s corro uu din i du crrenle, vespera *
5 de festa, e neate mesmo da compro- S
9 meUe-se o thesonrelroa pagar os pre- I
9 mos que por sorlesahirem :a elles, *
t" amigos, que restara poucos, e sem W
dinheiro nSqt he possivel haver festa- 1
jos pelos dias santos da festa. Hibili-
1 tem-se quanto snt'S. pois feliz da- %
queltequea sorte Ihe houver desti- it
i nado tal premio : na esquina da rua w
do Caboga, loja n. 11, junto a botica &
do Sr. JoHu Moreira Marques. 9,
mwwwwiwww-m m #**
Aos 30:000,000 de rs.
Na rua larga do Rozario, botica n. 43,
receberam-se as listas das loteras do SS.
Sacramento e do monte pi do Rio de Ja-
neiro, e ahi fura 11 vendidos os seguintes
nmeros da doSS. Sacramento, que sahi-
ram premiados, a saber : 1987 400 000 rs. ,
1913 40,000 rs., 3146 40,000 rs., 3671 40,000
rs. 868 40.000 rs. ; bem como bilhetes da
le'Ceira loleria a beneficio da igreja da ma-
triz de S. J.ilu Kaplists d'Alagoa, Cliegadus
ltimamente pero vapor, osquaes vendem-
se pelos precos seguintes : inleiros 32,000,
meios 11,000. quartos 5,800, oilavos 2,90o e
vigsimos 1,400 rs.
Hap Paulo Cordeiro.
Vende-se rap Paulo Cordeiro a libras,
meiasea oitavss : ns rua larga do Rozario
n. 44, loja nova.
C'aixss para rap.
Vendem-se superiores caixas redondas
para rape, uelo baratissimo prec,o de 2,000 :
na rua do Queimado, loja de miudezas,
junto de cera n. 31, nos quatro Cantos.
-Vendem-se confidencias de Raphael por
Lamartine, e recreando philosofica pelo pa-
dre Theodoro de Almeida : na rua Nova nu-
mero 16.
Aos 0:000,000 de rs.
Na rua do Queimado, luja n. 23, vendem-
se oa muito afortunados bilhetes, meios,
quartos, oilavos e vigsimos da terceira lo-
l.irin a favor da igreja matriz de S. J0S0
Raptista da Alaga, cuja lista chegar no
primeiro vapor.
Vende-se a taveraa sita na
rua do Alecrim n. a, com poucos
fundos : a tratar na rua da Ma-
dre di Dos n. aO,
Vende-se um carro de quatro rodas pa-
ra um ou dous cavallcs, n qual foi todo pre-
parado ha pouco : na cocheira do Francois,
becco do f:apim, na Roa Vista.
Vende-se novamenle gelo pelo mesmo
prego do amigo : na rua da Senzalla Velha
n. 112 Na mesma cass vende-se rolo bam-
burguez em garrafas, ou ua roa da Cadeia
tu 15.
Vende-se urna toalha de lavarintosin-
gelo, toda ro 1eada de blcco : oa rua do Ro-
zario da Roa Vista n. 16.
Vendem-se a narras ao ferro: na rua
da Senzalla-Nova, n. 42,
Casa de modas franeezas de Bu-
"suril Millocheau, Aterro da
Boa Vista n. 1.
Recebeu-se pelo ultimo navio do Havre
um lindo soi t ment de modas verdadera-
mente parisienses, consistilo em chapeos'
de seda, de palha e de montara para senho
ras, vestidos para bailes e casamenlos, man-
teletes e capotinhos, plumaseOores, colle-
nnhos de bico verdadeiro, cortea de cassa
e eambraia brancos-e de cores, lencos de
mSo de eambraia de linho e de algodSo,'es-
partilhos, bicos verdsdeiros e outros, fitas
de todas as larguras e cores, transas, fran-
jas, luvas, c.iapos de palha paca meninos
e meninas, vestidos para as ditas, filas,
cambraias, lencinhos degarca e de seda,
veos e mantilhas para casamento, e mais
outras fazendas que se venderlo muito em
conta.
r'eijSo molatinho em saccas
de alqueire.
Vendem-se, por preco muito barato, sac-
cas com feijfio mulalioho, chegado lia pou-
cos dias, para fechar comas : 00 caes da
Alian lega, armazem de Das Ferreira.
Na loja demiudezaada rua doa Quar-
teis n. 24, vende-se rai meio grosso fran-
cei, chegido ltimamente do Rio de Janei-
ro Na mesma loja lambem vendem-se car-
lea franeezas linas e ordinarias.
Vende-se espirito de vinho a 1,000 rs.
a cnida no pateo do Paraizo n. 80, la-
verna,
Lotera do Rio-de-Janeiro.
Aos ot, :000,00o de ris.
Na praca da Independencia loja n 3, que
volta para aa ras do Uueimado e Crespo,
veudem.se os muito afortunados bilhetes,
meios, aliarlos, oilavos e vigsimos da ter-
ceira Mena a beneficio da igreja matriz
daS. JoSo Raplista da Lagoa? Na mesma lo-
ja eslo patentes as lisias da 36." de monte
po e 10.' do SS. Sacramento do Rio de Ja-
neiro.
Farinha
de superior qualidade, a 2,000 a escca : no
armazem dcCampello Filho : na rua da Ca-
deia do Recife n. 84.
Cebles BL,
la 640 rs. o cenlo : vende-se oo armazem de
Can pe lo Filho, rua da Cadeia do Recife
I n. 64.


Venile-Nc snperiov farlnlia
gallega, om meiis barricas : no escriptorio
de Deano Youlo & C., ou em seus armazn-
do j>ecco do Congalves-
- Vendom-se sabonetas higinicos, [o
maissupi'riort's que leem vindo a este mer-
cado, assim como nutras poifumarias muito
finas: na ra da Cadeia Velha n. 24, pri-
meiro andar. .
Cal e potassa.
Vende-so a rnais nova e superior potassa
quena no mercado, e cal vi'gem em pedra
chegada pelo ultimo navio de Lisboa, or
prego commodo : na ra da Cadeia do Re-
cife, n. 50, a fallar com Cunta & Amorim ;
assim como um restante de barris da mes-
illa cal, que flcou da safra passada, por ba-
rato prego.
-- Vende-se urna sextante nova feita por
om dos melhores autores do Londres e tam-
bem um orisonle arlifleial e um theodilele :
na ra d<> Trapiche armazem n. I*.
"No he exatreracao.
Vendem-se sapaloes de couro de lustro,
obra muito boa, a 2,500. 3,000 e 3,500 rs.
na ra da Cadeia do llecife, loja n. 9.
Cobertores de
pa
ra
tapete
esersvos.
Ja su veiiciein os screu'iiaut
de tapete par escravo*, a 720 rs. cada um
por isso venham a elles antes que se aca-
hom, ou passem para niais alto prego : m
ra do Crespo, loja da esquina que volta
para a cadeia.
Ilap Paulo-Coraieiro.
V'nde-se efectivamente este excellente
rap, na ra da Cadeia do llecife, n. 50, lu-
la de Cunta Amorim.
A i,6oo rs.
Vendem-se novos cortes de bnm tranca-
do escuro com duas varas e meia cada corte,
a 1,600; casaa franerza de bom gosto.a 2,600
rs. ; pegas de esguiao de algodSo cun 12
varas, a 2,(00 rs. a pega ; cobertores de al-
godSo de cores, a 720 rs. : na ra do Ctes-
*o, u. 6, loja ao p do lampeo.
Pecas de esguiao a a,5oo rs.
Na loja da ra do Queimado, n. 17, ao pi-
da botica, aiu Ja tem para vender pelo ba-
rato prego de, 2,500 rs. ; pegas de esguiao de
algoda, com 12 jardas, muito proprio pa-
ra ra samas de senhora, por aer inais largo
que o madapoldo.
Para acabar vendem-se,
na roa do Queimado, loja n. 17, cassas fran-
cezasde laa abertas, e de radrOes muilo
-lelicados, a 400 rs. o covado ; cambra i as
decores modernas, a 560 rs. a vara chitas
francezas do mellior gosto que tem vindoa
este mercado, a 320 e 360 o covado. Diio-se
as amostras.
Deposito de cal virgem.
Na ra do Torres, n. 12, ha muito supe-
rior ral nova em pedra, chegeda ltima-
mente de Lisboa no brigue Tarujo-Tercriro,
cabecadns Inglezus.
Vendem-se cabocadas inglezas roligas e
cheUs, loros e silbas de I1 : na rus do Tra-
piche ii. 10.
Vende-se superior e muilo
nova I ir tilia de mandioca, chaga
da agota doS.-Cathatina pelobri-
gne Soares, ancorado na volta do
r orte-do-Maltos :
qtiem a quizer
comprar por menos do que em ou-
tra qualquer parle,dirija- se a bordo
to iiit'Miin navio, ou ao escriptorio
deOliveira, Paiva & G, na ra
da Alfandcga-Vclha, n. 5.
loo sarcos novos de estopa.
Vendem-se 100 saceos novos de estopa e
algodSo, por ataeado a 320 rs. cada um : na
ra larga du Rozarlo, n. 48, primeiro an-
dar.
~ Vende-se raj superior de Paulo Cor -
deiro; na ra da Cadeia do llecife loja de
JoSo los de Carvalho aturara, e tgualmeu-
tc se vende na n.estiva l< jv penas de ouro
euui bioos de diamantes.
A ellas anle queseacabem.
Chegaram oa procurados sapa los de cou-
ro de lustro do orelhas de 2,000 a 2,400 rs
obra forte: na ma da Cadeia do llecife n.
9, loja.
SSSK.
Frinhaa nova da marca SSSF, cliegada
ltimamente : na ra do Amori-n n. 35, ar-
mazem de J. J Taaso Junios.
lolnvstida Uiissh.
Vende-se potassa da Ituasti, recenlemen-
te ehegada, de muito superior qualidade
na ra do Trapiche, n. 17.
Saboneta grande a Sor*
Vendem-se sabonelea gran les, a 80 rs.
froco, a lOOra. a vara: no Aterro-da-Boa-
Vista, n. 48, loja. A elles que lie pouca por-
Ifio.
..oterji de N. S do Livramenlo.
Na pract da Independencia, n. 4, loja dr
miudezas, vmdem-se os afortunados li-
llii-tes, tunos, quartos, decimos o vigsimos
da loteria de N. 8. do Livramenlo. que. cor-
re impreterivelniente no dia 24 do corrente.
II. I heles 11,000
Meioa 5.500
Quartos 2,600
DeeUnos i,100
Vigsimos 600
-- Vende-se bichas preta grandes de su-
perior qualidade porametade do prego que
ns hirbeitos alugain; na ra da Cadeia do
llecife n. 3.
Chapeos de sol.
Vendem-se chapeode sol de seda preta
e de corea, a 6,000 rs ; ditos de panniutin
Coi ics le casemira, a 3,5ooo
a l.ooii i-s.
Vendem-se cortes de casemira de cores,
a 3.500 e 4,000 rs.; advertindo aos amantes
do bom e barato que esta fazenda he dos
melheres gostos que tem vindo ao mercado,
por isso recomrrenda-se que venham a ellas
lantes que se acahetn : na ra do Crespo,
ioja da esquina que volta para a Cadeia.
Cigarrillos bespanbes.
SSochegados os excellentes cigarrilhos
hespanhes ao deposite da ra da Cruz, no
Recife,, n. 49.
He baratissimo.
Vendem-se ricos chicotinbos, a 600 e 800
rs.; charuleiras douradas, fazenda muito
superior, a 1,800 rs. ; pcnles com espelho,
proprios para suissas, a 320 rs. ; escovas Ii
ras com eapelho, para cabega a 1,000 rs.
carleiras com mola para guardar dinho,
6(0 rs. ; livelinhas douradas e prateadaa
para collatee caigas, a 200 rs. : na ra do
Queimado, n, 33, loja de miudezas, junto a
de cera.
**.,.mmmmmn mmmtmtommm*
Na loja do sobrado amarello nos |,
quatro cantos da ra do Queimado n.
j 29, vende-se o segunta .- j
j Cortes de caiga de casemira, m
padrOes novos 4,000 f
Hilos de dita de brirf, tran-
cado da corra, puro linho 3.000
Alpaca de corea, propria pa-
ra casacae palito, covado 800
Chapeos de msaa,francezes 6,000
Lengos de seda para grvala
800 ruis e 1,000
Luvas finas de fio da Kscocia
para homcm 320
Cortes de tapete para sapa-
toa, gosto a Turca 800
lira vainillas de seda para se-
. nhora 1,000
Chapeos de sol de soda para
senhora a 2,500 e 6,000
Pegas de chita com 38 covs. 5,000
Hilas de cassa de quadro
com 8 1|2 varas 1,280
Cortes de cassa de corra 2,000
Lengos de catnbraia de seda
de franja, para senhora 800
Meios chales de seda 6,000
mmmmw itwimei
Cartas linissimas pnrajogar.
Vendem-se cartas francezas e portugue-
sas, o ma9 fino que se p le encontrar, e
por pregos que nao deixnro de agradar aos
compradores: n ra do Queimado, n. 33,
loja de miudezas, junio a de cera.
Bom e barato.
Vendem-se carteirinhas com agulhas fran-
cezas, a 380 rs.; ditas em caixinhas, a 320
rs.; caixinhas com hrinquedos para meni-
nos, a 480 rs.; ricas franjas proptias para
corlinidoa de camas, por prego que nin-
guem vende ; tesuui inhas inglezas aiuilo
lina, a 500 rs. superiores escovinlis pa-
ra denles, a 160 rs. quadroszinhos doura-
ilos eo'ii estampas de santos, a 120 rs ; li-
aba de peso, a 60 rs. a telada, agulhas can -
lofas, a 60 rs o papel; puntes linos do ali-
sar, a 360 rs. ; bengalinhas de junco, a 200
rs.; agulheirinhos Je vi-tro, a 200 rs. : ba-
bados aberlos do linho, a 120 rs. a vara;
meias brancas para senhora, a 320 rs.; e
outras muilas cousas que pelo diminuto
prego nSo deixaro do agradar aos compra-
dores; na ra do Queimado, ti. 33, loja de
miudezas, junio a de cera, nos quatro-
canlos.
Hicas grvalas de mola.
^Vendem-se ricas grvalas un mola pretas
e de cores, pelo diminuto prega de 1,600 e
2,000 rt. i na ra do Queimado, n. 33, loja
de miudezas, junto a de cera.
Molas para gravatas.
Vendem-se molas para gravulatupor pre-
go que nSo deixar de agradar aVcompra-
dores: na ra do Queimado, n. 33, luja de
miudezas, junio a de cera, nos quatro*
cantos.
PtfnlaM de tartaruga.
Vendem-aaffciperiores pentes de tartaru-
ga para marraba, pelo diminuto prego de
800 rs. o par : na ra do Queimado, n. 33,
loja de miudezas, junio a Caivetes de machina.
Vendem-se superiores caivetes de ma-
china de apparar peonas, ptimos para
qnoiu fr curto da vst, pelo baratissimo
prego de 800 rs cada um : na ra do Qvi i-
tnado, n. 33, loja de miudezas, junto a de
cera, nos quatro-cantos.
lie muito barato.
Vendem-se bonetes ftannezes de panno
fino para homem, ptimos para quein pass
a fesla, a 2,000 rs. ; ditos de velludo e pan-
no (no para meninos, a 800 ra.: ama do
Queimado, n. 33, luja de miudezas, junto a
de cera, nos quatro-cantos.
Luvas de pellica.
VenJem-so muilo superiores luvas de
pellica de ponto inglez para homem, a 1,800
rs : na ra do Queimado, n 33, loja de
.miudezas, junto a de cera, nos quatro-
cantos.
i.ti vas de tor cal para senhora.
*r>ucl-oC S 3,310 bK'mGioS uvas de
toreal que ae pode encontrar, a 1,000 rs o
p>r > na ra do Queimado, n. 33, loja de
miudezas, junto a de cera, us qualro-
danlos.
Meias de laia para padres.
Vendem-se superiores ir.ias de laia para
padres, pelo baratissimo prego de i.,000 rs. :
na ra do Queimado, o. 33, loja de miude-
zas, junto a de cera, us quatro-cantos.
Luvas de cares de lio da Escocia.
Vendem-se luvas de lio da Escocia, sem
para hotyeMywahur.-* e meninos, por pre-
comaiscoiiimbdo do que em outra qual- deleito algn*, proprias para montara, pe-
quer parle'! na rita dopasseio n. 5.
Superiores vnoos.
Na ra da Cadeia, n. l,
vendem-se excellentes violto* de,di
| versas ^utilidades, tanto engarra-
fado, Comu em barris, sendo dn
Porlo, Kineira, Rcelas, Madeira,
Cracavelos, Colares, Moscatel du Selubal.
etc.; assim como outros muilos gemios de
ptimas qualidades, e de que s-iupre esta
prevenido este Mtabrlrcimeulu.
Kipilito de :>S Kio*.
Vende-se espirito de 38 ff*"o a rrlll|n
l.OMrs. a caada : na desitlagflo da Iraves-
.si'WTuncontU.
lo barato prego de 320.rs. o par: na ra do
Queimado, o. 33, loja du miudezas, junto a
de cera.
(Jarapucas de seda preta.
Vendem-se carapugas de seda preta par*
horneo,, a 640 rs., pngo eslo que faz a-d
mirar : na ra do Queiaiadu, n. 33, loj i de
miudezas, junto a de cera.
Toucas de seda pretas para'
enancas.
Vendem-se toucas de seda preda para
criangan, pelo diminuto prego de 500 rt. ;
na ruado Qoein-ado,o. 93, luja de aniulc-
zas.juutoade cera. ,
Lustro para saptos.
Vende-so graxa em latas, superior a ou-
tra qualquer que appareca no mercado,
pelo diminuto prego de 1,320 ris a duzia, e
a 120 ris a lata : na ra Dlreita n. 81 loja
de miudezas.
Urna parda boa cosinheira.
Vondem-sHuma bonita parda de 90 annos,
boa cozinhrira e engommadeira, de boa
conduta o que se aliauga ; e um preto bom
trabalnador deenxada, muito robusto : na
ra larga doRozario n. 48primeiro andar.
Chitac roxas para luto a tao rs.
Vendendem-se chilasroxas limpes, para
lucto aliviado a 120 ris o covado, a pega
a 4,500 ris ; cortes de rambraia, boa fa-
zrnda por ser de cores flxas a 9,600 ris.- na
ra larga do llozatio n. 48, primeiro andtr.
Vendem-se om par de brincos de fila-
grfia, obra tntuto bem feita, assim como s-
palos de duraque preto para senhora -. na
ra do Livramenlo n. 11.
Vendem-se meios bilheles da lotera de
N. S. do Livramenlo que corre impreteri-
velmente no dia 24 do correte as 8 horas
do dia no consistorio da igrejada mesma Se-
nhora, a 6,000 re.: na loja de encadernago
praga da Independencia n. 19.
Al adunia liosa llnrdy, modista
ht tisi u i ni, na ra Mora, n. 34.
Madama Rosa liardv tem o prazer de avi-
sar a todas as senboras de bom gosto, que,
alm das fazrodastj annunciadas, reeente-
menteseacha provida de um completo e
esplendido aorlimenio de novas e finas fa-
zenda, consistiitdo em magnficos mante-
letes e capotinhus de furia-cores adamasca-
dos ; ditos de ditos de diversas e ricas co-
res, feitos em Kranga ; ricos cipotihhos de
muito superior lil de linho; lindos chapeo;
de seda para senhora de moderno gosto, e
despachados ha poucos dias ; novo e supe-
rior gros de Napolles preto e furia-cor ; no-
vas e delicadas fran|as pretas, proprias para
manteletes; bonitas trangas pretas e de co-
res ; fino chamalole preto, de muila consis
tencia ; superior sarja preta luvas de pel-
lica branca, enfeitadas, com ricas flores e
requifes, proprias para casamento; bonitas
e superiores romeiras de fil, brancas; di-
tas de linho bordadas ; peonas e novas ca-
pellas para casa or n toa e bailes; um com-
pleto sorlimento de dores para chapeos, das
inais finas que tem apparecido ; lindoslen-
cinhos de setim de cores para senhora e me-
ninas; e outras muitas fazendas queserfio
tenles aos compradores
Vendem-se superiores holachiqbas de
aramia e regala, biscoulos linos, bolles
francezes, coqueas : ludo de diversas qua-
lidades, e pur prego mais commodo do que
em outra qualquer parte: no pateo do Ter-
co o. 10.
Borzeguins a 3,5oo rs.
No Aterro da Boa Vista, defronte da bo-
neca, troca-ae por 3,500 rs. borzeguins fran-
cezes para homem.
Calcado.
No Aturro da Boa Vista, defronte da no-
neca, he chegado, pelo ultimo navio fran-
cez, um novo e completo lorlimento de
calgado de todas as qualidades, tanto para
homem, como para senhora, meninos e me-
ninas de todas; as idades ; assim como os
bem condecidos sapatOe.s do Aracaty, lan-
o para homens como pare mininos: ludo
por prego mais commodo do que em outra
qualquer parte.
Para a Testa.
Na loja de funileiro da ra Nova n. 88, de-
fronte da Conceigfio, ha um completo sor-
tim-nto de machinas de fazer caf de todos
os tamaitos ; areia de moldar muito fina,
vinda de Lisboa ; viviros de lodos os tama-
itos ; verntz copal .lo superior qualidade,
1,000 rs. a libra ; assim como hevVum va-
riado sorlimento de obras do ful ha de
Flandres.
Vendem-se duas lindas ne-
grinhas de 11 annos, que coser,
la/.ctn lavarintos, mrcame fazem
rendas : na ra das Larangeiras
n. i 'i, segundo andar
Vendi-m se seis linios moleques de 8 a
18 annos ; seis pretos d* 20 a 30 anuos, sen-
do um ptimo cozinheiro, dous peritos sa-
paleirose um oleiro ;dous pardos de 20 a
a 25 annos, tendo um principios de carp-
a ; duas pardas de 15 a 17 annos com ha-
bidades; urna dita de oilo annoa ; seis pre-
tas de 12 a 25 anuos, algumaa com habili-
dad, proptias para todo o servico : na ra
do Collegto n. 3.
3o.
Craxa n. 30, a mais superior que alho-
je lein viudo esle mercado, pelo esmero
queoseu autor le.n ltimamente emprega-
mais bnltianle e aturado lustro, assim co-
mo a mellior para conservar o caiga di* : ven-
le-senusaimaeiisde 1. J. Taaao Jnior,
na ra do Ainorim n. 35.
Vendtm se meios bilheles
ili loteria de iN. S do Livramen-
lo a 5,5oo rs. cootendo cada um
os maiores premio* .- no palco do
Ctillegin, casa do Livro Azul.
Vtnhode colares.
No armazem do cao* da Alfandega, de
Francisco Das Ferreira, n. 7, e na venda da
ruadaCttiZ n. 57, vendem-se barris do mui
lo superior vinho de colares, por efaainodo
prego.
Mysterios do povo por E. Sue.
O vapor do Rio Irouze os Misterios do
Povo por E Sue, em ieVolumes : ven le-ae
por 6,000 tis, no pstedilo Collegio casi do
livro aaul.
Lotera ilo IUo de Janeiro.
Aos 20:000,000 de rs.
Na la estrella do Hozarlo ,trveas.a do
Queimado. luja d miudezas n. 2 A de J. F.
dos Santos Maia : vendein-se os muilo
af..itunafta bilheUM, meioa, quartos, oita-
vos e vigtwmns da 3 loteria a beneficio da
igrrja matriz de S. Jo.lo Baplista da Lago ;
na mesma loja eslSo patente as listas da
25.' loteria do Montu Po, e da l.'doS. S
Sacramento da corte.
(Jceulos para Indas as idades.
Vendem-se oceulos para todas as i ladea,
felo barato prego de 81'0 rs, o par: na Pna
rga do Rozaiio o. 26, luja de miudezas de
Jo&o Francisco Mala.
Mel barato.
Vende-so ml de assuear [a 900 rs. s ca-
ada de oito garrafas: na roa da Concordia,
rfinagSo franceza.
Vndem-se relogioi-de ou-
ro, patente inglez, de um dos mai>
acreditados labricantes de Lon-
dres ; vinho do Porto, sherry e
madeira superior engarrafado, o
mellior que se pode encontrar a
venda, fprter vindo de encom-
menda .- no escriptorio de Russell
iMellors & dyiipanhia, esquinada
Lingoeta n. 3a-
Vendem-se chapeos de palha
americanos, finos e de superior
qualidade : na ra do Trapiche
numero 8,
Vejide-se um rico piano de
Jacaranda, do mellior autor e com
excellentes vozes: cin casa de
rialkmann Irmaos, ra da Cruz
n. lo.
Madama Porta, com loja no Aterro da
Boa Vista n. 19, tem para vender confeitoa
em caixinhas, honecras vestidas para me-
ninas, chapeos de seda e de palha, vestidos,
manteletes e varias outras faiendas para
senhora : ludo proprio para presentes para
a Testa do natal, e a pregos commodos.
Novas colleccdesde niodinhas
brasileiras para pianos, chegadis no vapor
Imperatrix i\o Rio de Janeiro, na livraria do
pateo do Collegio n. 6, de JoSo da Costa
honrado.
Deu-te DeOs, bella Marilia,
Eu vivo.... ah mas nSo vivo
Uesle o primeiro momento
Eu peosei que o amor bastasse
Hermelinda. meu amor,
A rasBo manda que eu parla
Eu pensei que amor bastasse.
luii do Kozarlo lai-ffn 11. 33.
Venda-ae um bonito molatinho, bom pa-
gem e de boa conducta, o que se aflanga ao
comprador ; urna aiolalinba de 13 annos,
recolhida, muito linda, propria para edu-
car-se, ou dar-te de mimo, e que ja tem
principios de costara ; 6 escravo, boas tra-
balha lores de enxada ; 4 negrinbat com
habilidades; e um moleque de 15 annoa,
muilo Vindo.
Vendem-se cadirinhas de
palha para meninas, assim como
banquinhas de ps, proprias. para
sitio : em casa de Kalkmann Ir-
maos, ra da Cruz n. lo.
Novo loucador das senboras
ou collecgu de elegantes figorinos das ul-
timas modas de l'aiis, ulTerecendo urna va-
riada escolha dos meamos e modelos colo-
ridos de vestidos para bailes,- paaseios, reu-
nios, visitas e campo, assim como para
roupOes, caoiiziohas, chapeos, loucaa, pen-
leadoa, ele. ,'alm doa ligurinoa para ves-
tuarios de homens e da enancas : no pateo
do Collegio n. 6, do JoSo da Costa Dourado,
As senboras do bom gosto.
Vendem-se os bons borzeguins francezes.
gaspeados e de lino duraque para senhora,
dos ltimos que chegaram ao mercado, pe-
lo diminuto prego de quatro mil ris o par :
na loja de Hellarmino dos Santos BoIcSo, na
praga da Independencia n. 33, e na ra Di-
reila, loja com artuago enveruisada, n.
50, de Jos Risilio do Mendonga.
Vendem-se dous pares de mangas de
vldro lavradas : quem quizer annuncie.
Veodem-ae, na ra do Cabug, loja do
Doarte, agulhas cantlas, a 80 rs. o papel
corrrias de couro de lustro pira caiga,
400 rs ; fuzis para amolar facas em mesa
lesouras finas ; campanillas de nova inven-
gSo ; grvalas de setim prelas e de cores ;
u copos do vidro de cores.
. Vende-se, na ra do Cabug, loja do
Datarte, um tico oratorio de bom gosto por
70,000 rs.
Sao condeces.
lile ra ra do Rozaro eslreita n. 13, aula-
ga! padara que fui do Cunta, onde ha um
aorlimento gerel-dr condegas muito boni-
ta, agtales e peniras : tu lo etiegado re-
centemente do Porto e por baratissimo
pr,ego.
Em casa.de Kilkoiann Ir-
maos, ruada Cruz n. lo, vender-
se vinho bordeaux das melhores
iualiilad-s, assim como vinho do
1 heno, sherry e cognac.
I No largo ua Assembla, n. 10, lenda de
tanoeiro, de Antonio do Espirite-Santo Se-
na, venden-s barris de mel noto, proprio
para embarque, por prego rasoavel.
Vende pralo, hcelas de marmelada de duas at
meia libra, latas com sarjinbas, ditas com
nrvtlhas, ditas com superior chocolate de
Lisboa, seiras com superiores figos de oito
un, iis, CaiA,tii>sa Cill m ai liuaa.pata
sopa, garrafas com vinho muscalel de Selu-
bal. ditas de dito do Porto e Madeira, gigos
com superior champagne, salame da Italia,
superiores presuntos poituguezes, patos v
chourigas, litas com biscoutos inglozes,
.ementes de ortalice de todas as qualida-
des : ludo muilo superior e mais bsrj^^H
que em outra qualquer parte: na ra da
Cruz do Recife, defronte do r. Cosme, nu-
mero 46.
Agencia de Kdwln Jlatv.
Ra de Apollo, o. 6, armazem de Me. Cal-
motil & Companhia, fazem ver aos Sr. de
engeiiho e aos seus correspondente neata
praga, que no Seu estabelecimenlo se achu
conslanlemeiito bom soilimeuto de morn-
uaa todas de ferro para animaes, agoa, elo.,
meias ditas para armar em madeira; ma-
chinas para vapor com forga de 4 cava I loa ;
laixas de dilTerenles modelos e de todos as
lamanhos e gtossuras, tanto de ferro batido
como coado ; espumadoiras, cocos,"le, de
ferro estanhado ; safras para ferreiros : lu-
do muilo hom or barata prego.
Vendem-se colleec8es com
mais de acia, nus viain, iepre-
seatando a ponte do iiecie com a
waaaaaaaaaaaaaaaaiaaaMasill 1 saun > .m^ v,
alfandega, a ponte da Boa-Vista,
i cidade de Olinda, a ponte do C11-
chang. foco-da-Panella, e-a ra.
la Cruz com o arco do Bom-Jesuu;
bem cotno duas grandes vistas de
Pernmbuco: na ra da Cruz, n.
10. casa de Kalkmanns lrmao.
Vende-se um grande sitio no logar do
ManfToinho, que lica defronte dos sitios dos
Srs. Carnalro, com grande casa de viveu-
da, de quatro agoas, grande senzalla, co-
cheira, estribara, baixa de capim que sus-
tanta 3 a 4 cavallos, grande cacimba, com
bomba e tanque coberlo p8ra banho bas-
tantes arvoredos de fructo : na ra da Con.
oordia, primeiro sobrado novo de um andar
f f f ?? f ? f f f w f ? m
{Depositoda fabrica dS
% Todos os Sanios, na t
Baha. 2
Vende-ae, em casa de Domingos Al-*
j-ves Mathetts, na ra da Cruz, n- 5a>2
primeiro andar, algodSo trancado da-^|
jjquella fabrica, muito proprio para sac-2
a^fio proprio para redea de'pescare pa-2
^vios para velas, por prego commodo.|
Jos Joaquim Moreira & C., com
loja na ra Nova, n. 8,
annunciam para jav|er por prego mdico
os seguinte objtala: cabegesde fil de
rrnho para fra de vestido, couaa de gos-
to e intriramente nova no mercado ; eami-
sinhas com suas gollinbaa, o maia bem bor-
dado posaivel, manguitos e metas mangas
de ca.mbraia e ll de linho; gollinhaa de
fil liso guarnecida de fila cor dd rosa ; ta-
inos de bico de sed, brancos e pretos" e ou-
iro matizados de cor de rosa ; pente* de
tartaruga para prender cabello, que sem
ezageragflo se p-ie dizer serem o melhores
que aqui leem vindo.
Veiidem-se queijos'Iondrinos ltima-
mente chegados de Liverpool na galera Bo-
nita, assim como conservas d carne e fru-
ta, e maia outros genero ltimamente che-
gados, por prego rasoavel: na ra da Cruz
a. 7, armazem da Dawis & C.
Na ra Nova, n. 8, loja de tose
Joaquim Moreira & C. ,
vende-se um rico sorlimento de
franjas pretas' para manteletes e
capotinbos, por preco rasoavel.
Na loja de Moreira & (.'. n ra
Nova, n. 8,
vendem-se cortes de gorgurSo do
seda para collete, a i,5oo rs. o
corte* de covado e meio.
Neniado Passeio-Publico, n. 19,
ha um rico sorlimento de espelhos de Fran-
fa com quadro dourado de lodos os ta-
mandoa camas francezas de mogno e de
Jacaranda do ultimo ^Osto, cpulas, cor-
tilinados o moaquetriros para cama, tape-
tes, colchas de damasco, pegas de cassa ada-
macadas para cortinados, guartigOea com-
pletas 1 ara janellas, muas Ho algodSo j^ra
iiomom, ditas para senhora, luvas de re-
trozbrancoe preto, franjas e cordea da
difierentes cores.
.
tap americana.
Vende-se este rap, que ha de agradar as
pessoas que gostatn da boa pitada : a reta-
dlo, no llecife, em casa dos Srs. Iiavis & C,
Haymond& Ce Fon tes & lrmao ; em S.-
Antonio, em casa do Sr. Lo ly, na rija larga
do Rozario, n. 35; no Aterro-da lloa-Vhta,
casa do Sr. Manuel Jos Guedes Magaltnos;
e por atacado, no llecife, ra dolrapiclie,
o. 14, segundo andar.
M
Escravos fgidos.
5o,ooo rs. de gratiftc-tco.
Fugio, no dia 11 de abril do presente au-
no, a prrta Mara Joaquina,de nagtlo Congo
de 3tta 40 annos, baixa r clieia do cnrpo.cara
larga, cor retinta, olhos vivse meio gran-
des, feigfles grosseiras ; tem um pequeo
signal de carne sobre o brigo superior do
lado direilo do nariz. Esla preta j foi es-
rrava dn ertgenho, e o anno passsdo era da
urna erionla de nome Feltcidade com quem
lita preta andar'pelo mallo IMdendo
miudezas, por cojo motivo ella iMs-'jum>
todas a povoagOe dcr provincia; he
muito arduos* e capaz de illadir qualquer
pessoa que a nfio conliega, podo iocobrir a
sua fuga com o negocio do miudezas, pois
ja outra vez que fugio foi pegada no en^e-
nhe S -Anua coa um balaio de miudezas
qoeandava vendando. Quema pegar leve-a
a praca da Independencia, o. 17, que rece-
bar 50,000 rs. do graliflcago e que* del-
ta der noticia certa recebe'i iO.OuO rs.
Fugio, no da 10 do connte, oeicra-
vo crioulo, de nomo Jos, de 40 aono. lui-
r regular, chro do corpo, olho amarel-
lo, rosto hexigoso, ps chato e grosao ;
levou caiga de lia rscur : quem o pegar,
leve-o a tea senhor, no armazem de assu-
ear, largo do l'elourinho, ns. 5 e ,7, de Ro-
mlo Antonio da Suva Alcntara.
Fugio do frilio da Taquara,
no AI linho, comarca de Caruat, no dia 4
de novembro deite anuo, o escravo Silva-
no, rroulo, representa ter 20 anno, bem
preto, baixo.serco.cotn urnaHcatriz no ro-
; tero o lado de um denle da frente que-
brado e he ranhoto ; foi encontrado na io-
voagjlo de Cravata.com destino a esta prac;
he bem fallante: roga-M a todos os capi-
taes de campo que o apprrliendam e levem-
no a povoagSo do Altinho ao reverendissi-
oo Sr. Pedro Manuel da Silva, ou nesta pra-
C, ounaruado Queimado, segunda, loja, n-
18, que se gratificar com genetosid.de.
- Desappirecru, no dia H do correte,
umaescrava parda, de nome Firma, baixa.
grosaa e cOr alv ; tem tama qMimadura etn
um doa liracos, que anda e.-li airando,
denles limado Suma orelhajotii no lugar
dos lirmcM ; levou vestido W egi* Prr"
ji desbotada e urnas cotilas pelas no pes-
cogo : quem a negar, I> ve-a no Minguinho,
Cas d Brrnard. de All-dquerquo Feroa-
deiCirr.a, qagssiA recompaas.
,vaT


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E3KY98XUD_VSUDMC INGEST_TIME 2013-04-24T15:36:37Z PACKAGE AA00011611_07242
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES