Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07241


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Aimo XXVI
Sexta-fera 20
fautidab nos conanoa.
fiolanua c Pranlo, segundas e sextas filias,
RIo-Gronde-aTd-Nortc, toda ai quintas felras ao
mrlo-dia.
Cabo, Scrlnhein, nio-Formo>o, Porto-Calvo e
Macriii, nol.'.a II r 21 de cada mei.
Garntanos c Honllo, a 8 e 23.
iloa-Vita Floros, a 13 e 28.
Vii inri, s quintas felras.
tinda, todos os din.

'Nora, a .3, aa 2 e 56 m. da t.
Creac. a II, ai 6 b. c 17 m. da*.
Chela, a 10, asi I., e 3o ni. dam.
Mlng. a 26, as 6 b. 64 m. da l.
FKEAMAR DE HOJ*. fe
Primeira as 6 horas e 6 minutos da manhaa
Srgnnda as 6 horaa e 30 minuto! da urde.
de Dezembro ele 1850.
N. 289.
FB.ECJO DA aBSCIVlppio.
Por tres metes (adlatadus) 4J0O0
Por tela meies 8/UOO
Por um anno 15f000
das da semana.
16 Seg. 9. Ananiat. Aud. do I. dos orf. e do m,
da I v.
17 Tere. S. Hartholoineu. Aud. do J. da 2. v. do
11 vi-I, e do dos fritos da fazenda.
18 tiuart, ?. Nossa SenhoradoO'. Aud. do 1. da?.
19 Qulnt. S. Fausta. Aud. do J. dos orf. e do
m. da 1, v.
20 Se>t. S. Domingos. Aud. do J. da 1 v. e do c.
dos feitos da f.ieuda.
21 Sab. S. Thom.
22 Dom. S. Honorato.
CAMBIO DE 19 OS DEZCHBB.O.
Soure"Londr*s,29 |4a30d. p.l/QOO ra. 60 das,
i) Pars, 320 por fr.
Lisboa, 85 a 90 ._
Ouru. -Oncas liespanhola..... 29/000 a 29fj00
MueiiasdrbsOOvcllias. 1/0H0 a loj-200
. de USI0H novas 1#000 a IbJzM
a deSOOO....... W-00 9/10>
Prata.-Patac brasileiros.... '/"20 a M l
Pesos columbarios..... 1/020 a W
Ditos mexicano...... .. lj>80 a 1/700
pjlrtT'GFficul:
i--------~i-------------S-------1-----
COVBBNODA PKOVINCU
EXPEDIENTE DO HA 16 DE DEZEMRRO.
Offlcio.A Exm Sr. rhi'fn de divisflo Pe-
dro Francisco de Olivara ecusando reea-
bidno ofllcio, em que s Exc communica
que no di 4 de noveoibro ultimo tomara
posse da administrarlo da provincia do Rio
Grande do sul, e Dleirando-o dequesem-
pre o echar promplo a cumprir suas ordens
tanto relativas ao servido publico, como ao
particular de S Exc.
Dito. Ao Exm. Sr. presidenta de Ssnla
Cathanna accusamlo reoabldo o officio rom
que S. Exc. rrmelteu o mappa demnnstra-
lifo das distancias entre as caberas dasop-
maress daquella provincia, e as dassuas
confinantes das provincias limitrophes.
Hilo. Ao Exm. Sr, presidente do MUto
Grosso, inleirando-o de haver sido entregue
dous ^templares da falla, que dirigi a ag-
sembla legislativa da qu-lla provincia no
Jeto de sua installacflo, em odia 3 de isa i o
esiaannn. *
Dito. A(. Exm. Sr, eenaelheiro presiden-
te da relacnu, dizendo que para Cumpri-
mento de ordens imperiaes faz-ae mister,
que S. Exc. remeta a secretaria da presi-
dencia o processo do ex-lenenle do stimo
baialhfio de catadores Norberto Alves ('*-
vMcantp, que, sendo jnlgado pelo supremo
tribunal de justic, lora enviado para a-
quella EflacJIo.
Kitorfr- Ao commando das armas, dizen-
do que, segundo constou de aviso do mi-
nisterio da guerra datado de -28 de novem-
broultimo, se expedir or.lem ao marecha!
de campo oommandante das armas da corle
para fazer seguir para esta provicincta ha
pruneira opportunidade dose recrulas ul-
limauonle ciiegailos da de Santa i'alharn
allin de seren divididos pelos corpos do
exercilo aqu estacionados.
Dito. Ao mesmo, recotrrmendando
expedltjo de suas ordens no sentido de ser
transportado para o Rio Craudo do sul, a
lini ile que tenlia o conveniente destino o
desertor do stimo battlho de capadores
Faustino francisco dos Santos que fra pre-
so tiesta provincia para recruta.
Dito. -- Ao mesmo, inteirando da dispo-
sico do aviso Jo ministerio d gera !<
22 de noven, oro ahitan, peto nal se cod-
cedeu passsgarn ao saldado do segundo b-
talbSo de aililoana a i c Salva-ior da Silva,
para o quarlo da mesma arma, a que se
acha aduido por trooa com algum doa des-
te batalhao, que se achato nesta provincia,
ua illia do Fernando.
Dito, Ao n.esmo, coinmunicaodoque,
segundo fui declarado cm aviso do ministe-
rio da guerra datado d 2 de novembro ulti-
mo, se mandara dar baixa doeervico ao ca-
dete uo oitavo batalhSo de cacadores Fran-
cisco Javier Cavnlcanto l.ins.
Hilo. A Ihesouraiia de fazenda. trana-
milliudo o viso de urna letra na impoi l-
ela de 3:333,000 ra., sacada pela tnesotira
ria de fazenda do Rio Critfne do norte so-
bre a lie*a e a favor de Barroca & Pinliei-
ro. Parlicipou-se ao Exi. presidente da-
quella provincia. .
Dito.A mesma, seientiOc ndo-a de le-
rem sido nomeados, por decretos de 30 de
novembro ultimo, conforme ful declarado
oi aviso do ministerio da Justina datado de
30 do corrente, o desembaigador Firmino
Antonio deSouza para o lugar de Riscal do
tribunal du commerciOj eo hachare! Cue-
lano Maris de Paiva Lopes (ama, para o de
olDcial-maior da secretaria da mesmo tri-
bunal. Neste sentido lizeram-se ss conve-
nientes communicaci's.
Dito.-- A meSiiia, inteirandu-a aflm de
que (ac cmisiar ao inspector d'alfandega
e ao administrador da mesa do consulado,
de lee sido declarado em aviso do 16 de no-
vembro ultimo, expedido pela secretarla de
eslsdo dos negocios estranyeiros, que o en-
viado extraoriinario miiiislro plenipoten-
ciario da llussia, parliaipara a mesma se-
cretarla de estado, h.ver ogeu Augusto So-
berano aceitado, demissBo que pedir Jos
Candido du Carvaloo aledeiros do cargo de
vica-cc.nsul e ebanceller daq>uoila nacS"
nesla providcia.bem'como que nenhum ou-
iro agenle consular oxislia aqu alm de
Jos Caudillo iie li.>i ros, euja nomeacao ob-
leve o beneplcito iu.pnu em 29 de maio
deate auno. Expedfram-se neste seulido
aa conveuietiU's cummunicacOes. .
Hito. Ao iiispeclor do arsanal de mari-
Dha para mandar fazer alguna reparos de
que neceasila o bngue escua Legalidad*.
Dito. Ao chele de polica remellenilo,
para sor devolvida a<| delegado do termo de
Iguatais, a couti das despezas follas coi
o sustenio dos piesos pobiesda reapecliv
cadea, sliai da corngir,p erro, que se en-
contra no Calculo relativo so sustento du
preso Egidio JoSu de Daos.
luto. ao cummaudaudante do oorpo de
polica inteiratido-o, aliru de que o faca
constar ao lerteiro commandaute da segun-
da Compauliia do ourpo sli seu commando
Miuoel Ferreira Estova/, de havar sidode-
claiadu em aviso do miuisterio da guerra
datado de 29 de novembro ultimo que f-
ra ioiiefandu o requerimento em que elle
pedia ser prooiovido-ao posto de alfares pa-
la um do'a cutios de iolaotaria ou cavalla-
ria do exercito, por ser seiiulliaute pideli-
cio cobrara a le.
Dito. Alhesouratis da fazenda provin-
cial,' tiansiiiiiliiido a conta doa gneros
comprados para ifideiiinisac,uo dos quedes-
pendeu hriaue l'Miinpe com seis presos
Ue jusliC'i 4ue condpzo para a riba de Fer-
nando, alim de que mande pagar a sua im-
portancia ao almoxarife do arsenal de ma-
rinha, ou a pessoa por ella autojirada. --
Communicqu-seao inspector do mesmo ar-
senal.
Dito.A mesma, para que, A vista do cer-
tificado psssado pelo director das obras pu-
blicas, mande pagar ao alterna tantelo s-
timo lanQn da estrada do sul, Joflo Paz llar-
reto, s importancia da primeira prestaco
daaua iaporlancia. Intelligeneiou-se so
meamo director. ^a*^|^^*
Dito.A mesma, para mandar pagar ao
arrematante do lerceiro lineo da carnada
de barro da eslra la do sul, Pedro Cavalcan-
te Wanderley, A vista do certificado psssado
peto director daa obras publicas, s Impor-
tancia da segunda prestacSo de sua arrema-
faeao, por ter elle feito metade da dita
obra. Scieiitiiicou-su ao referMo director.
Dito. Ao baehirel Oaetano Eslellita Ga-
valcante Pessoa, scientillcsn lo-o de ter sido
nnmeado' por decreto de 28 de novembro
ultimo.conforme foi|declarado em aviso do
ministerio da justiga datad de3 lo corren-
te, para o lugar dejuiz municipal e de or-
phfios do termo do Pau-d'Alho, e recom-
iienilan lo que comparec a prestar o levi-
do referido cargo, flcindo-lhn marcado o
uraso de ilustro mezes para dentro lelle so-
licitar a sua carta. Neste sentido lize-
ram-se as convenientes communicacOes.
Dito. --.Ao director das obras publicas,
inteirando-o de haver approvado o contra-
to que, por ordetn da presidencia, fez o
inspector da thesouram ila fazenda provin-
cial com Manoel Ferreira dos Santos Pimen-
tal, arrematante das obras da estrada e
ponte dos remedios, sobre s factura de
doas bombas de esgoto na roferida estrada
Intelligeneiou-se a mesma thesouraria
Portara. Momeando o hachare! Alfonso
de Albuquerque Maranho, para n lugar de
ajudaut do procurador fiscal da thesoura-
ria da fazenda provincial na co-narc do 1,1-
moeiro. Fizeram-se. as communicaces
do estyllo.
Dita.-- Ao agente da companhia das bar-
cas de vspor para mandar dar transporte
para a provincia do Ceara, como passageiro
le estado, no vapor que segu para o norte
ao segundo cadete do corpo flxo daquells
provincia Hitarle da Silva San Tugo.
UISI'AUO Utl'EKNAMB.
Dom aOo 'daPurlitcnco Marqutt Perdijo.co-
nego ngranle de Santo Agoslinho, por graca
de Deot'e da Sania Si Apostlica, llispo de
Pernambucodo conielho de S M- C.,ele.
A todos os uossos deocesanos, saude,
paz e lienclo, pela virtude de Jezus Christo
recem nascido.
Importante e urgente he a todos os Olhos
da Sania Igrej a recordacSo do ineflavel e
glorioso nascime- to do salvador do genero
humano, qual proximsmeinle nos propo-
os solemnisar, i rece leu lo ss dividas dis-
favor de seos fllhos no acto judicial, no
qual a magpstosa presidencia de Jezu*
Christo retribuir s esda um, segundo as
suss Obras.
O Unignito Filho de Dos, na qualidade
de salvador, nos instruio na pratica das vir-
tudes,'bsm como na detesUeSo das pai-
xdae Os que porm,diminuta ou nenhuma
applicacSo prestito a sua dontrina impune-
mente, reciosos e timoratos devem estar,
iiuan 1o a Divina Providaneiav rcraliiia
severidad* de su jnsfa tfnsiir pola surile'
sua voz, e descoohecitiiento ao benefleid
da RedeoiPCSo.
Convencidos pois da necessidade de con-
formar o nosso proco lmenlo rom a nossa
crenes, pars testemonhar noss cordial
gratiiiSo. veneremos ingenuamente o sa-
cratissimo dia em que com o maior prazer
espiritual, adora nos a Jezus Christo recem
nascido, sem que deixemosde confessar a
Divin la le que Ibe he propria.
O povo catholico admira (sem poder com-
prahender) a Jezus Christo reclinado em
qm presepio, entre dous animaee, para se
realisarem as prophecias, escripias sobr'es-
to maravilhoso aconleciment, e nos en-
sinar com tSo humilde exemploa pobres,a
obediencia sos dlsigitios da increada Sabe-
iloria, e i paciencia nos trabalhos e ineom-
mols da prosete vida I A maior arle
Teste mesmo povo, inconformecim os ge-
nerosos senlimenlus de J-zus Christo, no
ss propSe imita-lo en seus brilhintes ex-
ein^los !
Eis a causa porque o seu nasci-nenio deve
necessiriamenle servir de d^triment) eter-
no aos qu 4 so nenio a i mira m oscaridosis
excessos de sua beneficencia sem que to-
dava .s'esforcem e violentem a seguir suas
virtudes Algu n dia porm,se manifestar
a inexora bil dado de sua recta justici con-
tr'aquelles qua recusam tributar o devido
respailo so cumprimento de seus deveres.
Jezus Christo nfo praticou u ia s ac-
eito, n3o profeno urna s palavra, que nilo
fossa liimada ni Cirilado co-n que no-
ama. En considerarlo a esla veracissima
asserso, como hepossivM que exista en
Ir'os chrislSos tantajindilTreiQa, la na in-
seosibilidade para con J -zus Chrislo, ao
mesmo lempo que celebram aprasivd-
mente as maiores d imonstrafjOes de sua
iiredtlecclo .' O acio de seu nas-Mmenlo g u-
regosije, porque esoera ser perdosdo pela I ?So de ratos que este anno tein apparecido, oa
ocnilencia ; o gnno se anime recordan- \<\"y '<" urna nolte devorain urna roca, e a
i. .. i. ____i>ii^..i H ^ki ..i.ldeiMiii liuipa de toda a qinli'lade de cereaes
possibilidade de oblar a vida
nosissiojo, fiSu he p tnais p.deroso ins n
tiro par acrelitarmos convertido e u ci-
deira da verdade o p esepio, onde o Divin
Jleslre nos ensiuou o que devamos pra-
ticar?
Se este mesmo Senhor ns necasiilo de
se manifestar a (od'oOrha, nos insinuou a
pobresa, com a maior evidencia, devemos
persuadir-nos quam ilamnosa e fatal seja
a'varesa para os que se nutrem d'este he-
diondo vicio.
Se em sua appariQfloa tod'o universo de-
Clarou, com seu insinuante exemplo, a hu
posigOea, prescriptas pela mi commum dos! miliade ums das prinoipaes virtudes que
fiis, quinlo desde sua origem estabeleceu o
sacralissimo lempa do advento, par por
mel da verdadeira erenca no misterio,
|ue den principio a nossa redempQilo, nos
santificar, concurren.lo a observancia dos
divinos preceilos, ns qual devemos enllo-
car iiussa esperanca soh os infinitos mri-
tos de Jezus Christo, nascido no t-mpo e
lugar auiiuiici.idos pelos prophetas divina-
mente inspirados.
A Santa Igrej a constantemente Ilumina-
da, e protegida pelo Espirito Santo, solici-
devem ornar seus discpulos, h miter que
estes se persuadan! do dever dea imitar,|tocon'ieciilo
convenc los de que Jezus Chrislo a cons-
tituio fundamento das domis, que nao po-
den) subsistir tiaquelles, queseelevsm e
exallam, repulando-se superiores a oulros,
como lo mis na parbola envangelira fl.u-
cascap. 18, vv. 9 at 14) pela qual Jezus
Chrislo corroborou com pieceilo o exeni
po, que manifestara desde o berfo at fina-
lisar sua celestial uussiio.
Se o Filho do homem (tal se denominou
lo-se da
eterna.
Accumulados, pois, de tantos, e tito mag-
nficos favores, levantemos as -^Snsso eo,
nuriflcindo nosss consci"ncia8 pela con-
veniente r*lrtcffo das culp'S, suavisad"
elu aprasiv.-l esforco, e 'U-ca violencia
com que o EvangMho atlrahe o nosso espi-
rito, o fiVrliOca ri-r sermos participantes
fas gracia, e beneficios que o Saeramen-
to da Divina N .lvida le nos p le im-
petrar.
Reconheqamos a dignidade d.' christSo,
a que Jesus-Chrislo nis elevou, e nao rei-
tere no nosso pristilln proivdimento, qun
do devemos renunciar s obra fia carne,
que nos deignm comprehen litios as tre-
vas-'oe-ro, e da ignorancia, em que jasia-
mos-ntesde Jesus-Chrislo nos sentar do
cativiro da culpa original, pela formal des-
'obe liencia dos proloidastos.
Nao imitemos a obsecraban judaica, que.
subir' indo-so verdade da Divina Es-
cripturs, cojas paginas acre iitavam, jamis
|uiz reconhecer na pessoa de Jesus-Ch-is-
to o M*ssias benignamente promeltl lo, ef-
llcazmente supplicado, ardantemento sus
pira lo, e anciosamente desejido.
A insuportavel dureza de seus obstina-
dos c iraces occasionou su incredulidad*
no mesmo tempoein qu" Jsns-C'iristo Ihes
fallava, e os mais assignalados prodigios
testeinunhavam sua divinda le, antes an-
nunciada pelo dom das Profesias ac edita-
das, e depois demonstrada pela sensibilida-
de dos elementos.
Os Reis do Oriente, adorando n Unigni-
to (Dio ila Daos no presepio por Divina ins-
piradlo, Igualmente instruidos no dilTe-
feite regresso tn-lo mesmo caninho. por
onde linham vin-lo de suss lunginquas re-
silles, par uto pres^nciarem a p -rliniz in-
li lelida.le los jiidos, eij c^aueiri oa pre-
ipilo i do abysmo em ahysmo, dSo-OOS
hem a couhoeer qual deve ser a pratica, que
devemos seguir.
O s-ii proced manto Imirav 1 nenio nos
esc'areceu, quan lo nos fez ver, que jvnai*
deve.m continuar trilhar o caninho te-
nebrozo dos errse das pai0es nquclles,
I i.. .: i'i'ii-i ventura de ^rofessaro chrfs
rianis no.
Esta dou'rina, propria jan persuadir
retr.itac3o de quaosjoo-excelsos, ns en-
aina a detestar a soberba, a desobe liencia,
o amor desordenado ans o'ij 'Clof visiveis,
o sabor tos appeliles proirhidos. a tolos os
nais vicios, que nos cnsul ien en estado
le culos mortfera, no qual nao p ['m s
ratos a Jesiis-Crislo os olnequ os' pres-
tados em honra, e miimoria de seu Sintis
si.no nascioMtltn
Jeaus-Chrislo nascido por motivos da mais
ardenl-i cari-lde ; ctreumeidado oara n^s
exnilar ao refr'amen'o dis paixtjes, s-m
qne de modo algum estivesse lujailo lei
la circomcisiio, ourque tres vez-s Santa, e
filno de Dsos pelos Reis. que
adoraran!,, representando tolo o Univer-
so, so 'tigne imprimir e n nossns curaefles
a iloutrina ora exnosta. Palacio da Sole-
ta le, 17 de dezembro de 1850.
i.i'Zii. hispo diocesano.
ta em promover a eterna ventura de seus Jezus Chrislo repetidas vezes) em lodo o
lilhos, nOoomitte preces, nflo delxa de per-I decurso de sua existencia sohr'a trra oba-
suadir penitencias, pelas quaes espera qbe deceu aos inexcrulaveis designios de seu
o naseimento de seu eterno esposo espiri-! eterno Pi para nos exemulificar ; como po-
tualmenle os felicite, servitnfo-lhes de nor-| de acontecer que a crealura n3o obeibca
ma para regularem si conducta, elermi-jao Creador, e s leis, que dimanam de seu
narem felizmente sua mortal existencia. omnmodo Poder, estahelecnlas para prtje-
No lempo da primitiva Igrrja eram os Reis nar a sociedale e regular paz, e tranqui-
4 aa! J i .'_. .x U _( A.. > n .i uin.- ..,<> i Ihliilu uno anf r-a ol u liana i di tiuri i
obrigdos, ou exhortados, a maioros peni-
tencias, e mais assiduas oraches, que no
ureseuta seculo, pois que o reconhecido
fervor dos primeiros christaoi admillia os
exercicios, que Ihes eram prescripos pelos
respectivos prelados deocesanos, eminentes
em aanlidade e Ilustradlo, segundo lemos
em muftos concilios e constiluicAes syno-
daes.
Como po-As com o andar dos lempos
se fosso relaxando a disciplina religiosa, e
o xelo resfriasse, todava nao deixar m al-
guna Santos Rii. o< dase esforcar em manter
'sustentar em auas deticases as observan-
c;;s, Sji.grs'.ica a vManleira caridade ti-
nha persuabido naqpelhM fenzes pocas,
fecundes em acrisolado chrislian'solo, no,
qual a s5a doutnna e a piedade eram devi-
damenle apreciadas.
A misma annual recordacSo do naseimen-
to de Jezus Christo suavisava a'bstinenci,
o jejuus, e orafjes, porque reinava a maior
appetencia da condigna preparacao para o
da viole cinco de dezembro.
Pela leitur dos iivros espiriluae, e exer-
cicio das obras meritorias, tudo era sup-
puitadiT-com exemplar ediflcacao. O lempo
do advento era t3o prolongado como o do
Juaresma. Os diviooa ollicios>eram mais
raqueles, que n circulu do anno, e os
elinstfios julgavam deviam dtspor-se para o
primuiro advento de Jezus Chrislo,alenlos
a evitar o temor da comparecer em su pre*
sanca, quaudo houvesse de se venllca
seu segundo advento na qualidade de julz
iuexoravel.
Depois que a Santa Igreja, por motivo
alien Jiveis, lixou o perodo de qualro se-
minas, de que hoj nala o advento, tam-
betn deteiniiniHi quaaa corporagOos reli-
giusaa,Bua.-sin quotiduuameuie, para
com MaWpia inslituicSo, conservar a me-
mori atftsfeimuiva observancia, s^ppc: n
da o lUtpwrandu a calesle propiciacu em
lidade, que entre ella deve impera
Quu maior esforco podia Jesus-t:hrislo
por em pratica para destruir o orgulho hu-:
mano, jactancia, -kempre destituida di-
funda uento, a oslenlacu excdasiva, e a
pliaulastica apparencia, que o mundo apre-
cia, e o homem de bem equipara ao fumo,
que instantemente desaparece Continua -
rao a ser pouco seguidos osexemplos de
Jesus-Cnristo manifestados para.nossa eru-
dicao, e eterna felicdade ?
Predilectos diocesanos, nio sa conver-
ta em- prauto eterno o regoaijo temporal,
que nos domina, durante a so'emnidado do
natal, como' pode acontecer se negligenoi-
armus o;} jvisos, e samas nispr>vrs, que
interiormente nos so commuuicadas, u se
reiiunciarmos ao amor, e ternura, que Je-
sus-Chrislo nos maoifastou ao presepio da
Belm 1,
Esto verificados os orculos propheti-
cos ; lodos os santos padres nos eiliotam
ao procedimenlo verdadei'ameule orlho-
luxo, para tifio desmerecaruuis a gra(a e
amisade do amsvel salvador do genero bu-
mano.
O apostlo quereodo occorrer inaensi-
bilidade de mullos, uiaufeslamenle rocu-
nhacida pela falta de gratdSo aos benefi-
cios que o oascimento de Jesus-Chrislo nos
liberalisou, ( adoplaudo-iios por futios co-
herderos de sua gloria, dom gratuito que
sua copiosa redempcSo nos prodigaiisuu )
nos exhorta a seguir os benignos sent-
uieiilos de Jesus-Cliiisto prul das nussas
Imas, para nos firmar nu carcter, que
pelo baplismo uos l'oi impresao, e nos la-
zar despeilar da somnolencia em que vi-
vemos.
O dia 25 de dezembro he superabundan-
te em grag.-is, e mercs, para oa qu-j as sa-
be tjl apreciar. O Santo, diz S -Gregorio,
Commando das armas.
Qanrlel do commando dos armas na cidade do
. Kecife, em 19 de dezembro de 1850.
OKDEM DO DIA iN -23.
Reconhcida a desconveniencia de con-
tinuar por mais lempo as inhumares dos
cadveres dos militares no acauliado
cemilerio da igreja de Nossa Setibor.i da
Solelade, contiguo ao* edificio en que
se ach estabelec lo o hospital regimenlal
desla cidade, procur.i remover esse mal,
nobtive por intermedio do Exm. pri-siden-
te desla provincia a precisa p'ovidencia,
em ordem a ser ti .os cadveres sepultos no
cemilerio publico em S. Amaro. Nesla
cunforn. idade, e segundo o dis..osto no ofll-
co do mesmo Exm. Sr. presidente, de lo
do corrente declarado,osSrs,commandaute..
dos corpos a das couipantnas de linlia em
servifjo nesla guarnicao, manlarflo il'ora
avante os cadveres pira o.referido cemi
terio, ondeserSo enterrados em logar oara
isso designado pelo guarda Manoel de Sa
eSiUZ.
Os Srs. commsndantes dos corpos prove-
r0o lodo o necassario pars as inhumacAes,
correndo, como al agora a despeza poi
coliti da lazfmi^ uCiuRc.
Joie Vtenle de Amorim Bezirra.
INfEHIOR.
SAH PAULO.
San Paulo, 19 de novembro de 1890.
Talve nao me acredite se eu le disaer que
ando ancioso por datar iiilnlias cartas de 1861 i
pois crea que assiiu he, poato que eu nao aeja
multo susi-eptivi-l de assoiiiUrar-ine com o
contos das bruaas
Este auno de 1850 principlou aqu por aquel-
la famosa inundacao do primeiro de Janeiro,
cujas ruinas aluda ahi esto attestando o m.-io
humor com que entrou: a peste aasolou algu-
uiasile nossas povoacoes neatcanoo: a guerra,
se nao romper neste atino, nos tactos oi-lle oor
corridos ha de procurar sua causa ou per texto :
fallava nicamente que a fume nos aiiieavasse,
e ei-la proguoslicada pelos lavradores do Inte-
rior. Bata visto que quaudo fallo em fouic nao
quero diser que nos ha de faltar o sustento
quotldiano, que hao de morrer centenas ou
mnarcs de familia--, como na Europa, ou as
provincias do norte do imperio.
as provincia do aul fomc quer diztr
grande caresta de viveres.aem relami sco-
exlte de prajter, eerto da proximidade' de l|helfa ordinarias: e he dessa caresta queea-
sua cousummaj victoria; o peoctdor so tamo auneacados, pela extraordinaria psoduc-
npi ..
que nell encoiitram lie urna verdadeira pra-
laquena roccros eapr-ram sempre em perio-
dos regulares de sete amina.
Ouco explicar |>or lavradores diacretos este
plien lineo pela ireacehda das taqnar que
em lugar de aetc e-n (fle annoa : ns ratos a-
preciam exlranrdlnariamcnte Horca, e como
lela regra dos economizas a populaco creace
ta proporcu d* .itiiindancia do sustento, he
eta.ro que appSlcand i-se rita regra >opula-
co rntat'tna, cxpllca-se o mysterio de traordinario desenvolvimeno sempre que llo-
rescein as taquaraa.
Of lavradn es menos llliistrados acredilam
pianieiiie que os ratos desenvolvem-se eapon-
laneaoiente dentro das taquaras, e que c ida
gomo conti1!!! una ninhada ninneraaa; che
nena que o autor do ysteina da neffefrsa na i
livesse noticia deata erenca p irque enm maia
aeguranca (irocUm-iria aqu*-lle famoso concei-
to una aggi'cgacao casual de molculas in-
aeusiveis, eis a origem do homem e de urna
planta.* Seja porm como fr, o certo beque
j se tem empregado ex reamos contra as cen-
tenas de uiiiliii-s de ralos que aasaltatn aa
ilaulariie., e alguna allinn un que tem tirado
proveito d.-ste recurso, oque talvet sepoasa
explicar por essaa torcas iiiyateriosas do inag-
niliioio. cein inexplicaveis.
De I ii i|ii- noticiam que aa cearas de arroz
leem sido quasi inteiramente estragada peina
taes roedores, e asaeveram-nie que para o inte-
rior teni-se j visto niiinerosiasiiiios exercito
de taes aiiim-ilejoa ; e istoquer dizer rpie mili-
tas muharra dealqueires de niillioe feijao hao
le faltar na produt-cao ordinaria, e que, em
ve/, de comprarmos estes gneros de primeira
aeaaasidade pelos precoa inetioa de l/e2/rs.
o alqueire, pagaremos o dubm c mais, e con-
seguinemente o toiiciuho lia de prop ircional-
uieateeiicarei-er. He mais urna peca que nos
prega o anuo de l8.V>. Deque -- l-oiln n i ain-
d. neaie iner.e in/io qne Ihe falta?
Conuliiem-se uestes dous dlaa os trabalhos
accademicos, e, para que nao falhasae o axio-
ma, a os extremos toca-n-s0, a deaordem que
houve ni quinto anuo desenvolveu-se igual-
meute no pri neiro. O primeiro anuo contava
0 extraordinario nu nrro de ()9 cstu Ilutes :
quantos peuaa que lir.e--am acto epiasaram?
cuid > que menos de 30: os miis lahirain re-
provados nu il-.-ri n.im. isto lie, deix rain os
actos para marco d i anuo que ven, ou tira-
ram guia para Olio la, A rasa i -leste fict en-
eantra-se aa resolucao que tomaram oa lentes
de uiautereiii una severidade acediana nos ac-
tos ; e cuino grande numero mal iculou-se
irorie-mociie, sem os necejaaripa preparal rio,
he claro que qu ilquer sombra de rig ir bistiva
para derroti-los. E islo succeder. sempre,
d'ora em diante, se m lentes continuaren no
iiie.ni i systema emqaanle suhsiatircm as cau-
sa que v.iu ligeirain-nte apuntar. Todas as
causas rcluieui-se a dual principa : deca-
dencia do cnllegi,i de Pedro II, e a aceitar a o
doaeaine pieparaturios feitos as academias
do imperio.
t)s prlineiraa hachare! de Pedro II que aqu
appuvccram Hzerain multo boa lisura por-
que ealiiitaram nos primeiros selsou sete anuoa,
einq imito nio se introduiio a desorden e a re-
laxara i neese i.iipnriaiite esiabelecluienlo, pe-
U adiHluta de mocos, notercelro ou quarto
auno, com exames feitos airas da porta. Oaque
tecui vindo uUiniamenie na i lem geralmeute
sustentado o credilo dn c.illegio : poucos pas-
arain illesos, c muitos cra-n o matrirulados
no priuieiro anno con a fruid i|ue de l trou-
xerain : este facto falla bem alto. Vamos a se-
guala causa
Ha deaaber que as acJJJemiis de medicina
deas. corte tazem-se exames de francei, geo-
metra, latn c philosophia ; e que d'rntre os
preparatorios que c se exigein. apenas restan
relhorica, iii{leK e historia. O exame de phl-
losophla sempre fui aqui julga-lo importaute,
e con rasao, porque sem esta sciencia nao se
d hu pisso as (uc se ensillan i s cinco an-
nos do curao juridico; mas desde que houve a
indicada prinissao, multo poneos aqui apren-
den, e nao be raro vcreni-se mocos que gaan-
r-im todo o anuo dar una viagem sita cor-
te e de l viren approvados, c depois cont im
mtiilo anchos que seu exame nao durou cinco
minutos, ele. Cnegam depois este mocos ao
primeiro anno, c ahi he quesSo ellas : a falla
nu ignorancia dos cstudos preparatorios cen-
tuplica tne< as difnculdades, e rfuando tem de
r.cer acta, ah esta > a" terriveiseot'iem acade-
nicas, qup he una molestia crueli-isinia, como
podein informar os que j a sorti-eram ; e ae o
examinadores niio eslao dispostos a fazerem
oir, isto he, a entornar toneis de i i benta,
o resultado he o que este anno se eaia vend i.
Tralei-ein primeiro lugar dos rato), depois
de eatndanle, que, na ordem das racionaes,
tem seu* pontos de contacto com aqueiles. pois
1 ue sao tambem travessos, bulhenlos, bulico-
aos, ele*.; portanto ha de convlr em que a trans-
icio nao foi l multo disparatada; queui me
-lera achar nina tao naara para ntrele lo so-
bre colouisacio, que ser o objeeto das poucas
i i... r? aerreacentarei a esa.
Pule conseguir urna (Cpia do contracto qua
serve de base ao esiabclcclincnto colonial do
sr. senador Verguciro ; e como convin multo
que ns Hraallelroa adqulratri todas aa infortna-
9ei sobre esta materia Importantuslsna, jalgo
conveniente traascrevelo qui (Jada um i fa-
milia de colonos assignou um contracto com o
referido senador, cuja formula he a seguinle :
. Contrato de parcerta na faienda do Ibycaba,
entre Vergueiro e C. e os colono ....
Art. 1. Wrguelro e < contralatn cornos
lolonosF..... natural de..... sua miilher K...
N. N o seguirte i
Art. Verguelroe C. obrigaro-se :
a 1. a pag.ir.-iu angoveruo imperial a quan-
tia de .../..., Importancia da passagein por elle
.nu.ni i ul., a que os mencionados colonos >ao
reapo-iaavel.
n -2. Aenrregarem sos mesinos colono,
na faienda do Ibycaba, a porco de ps de caf
que elle possaiu cullivaJB cnlher e beurlciar.
j 3. Facultareni aos rolnos plantaren
na tetras da faienda, cui lugar designado, o
necessarlopara seu sustento.
1)4. Adiautaren ao entonos o importe
das despezas feitaa para seus tsjtusportrs para a
faienda, o que neci-ssltareni para sua ulisia-
tent-la emquauto nao a podereui obler pelo seu
trabalho.
Art 3. Os lobreditos colono obrlgam-ae ao
seguinle;





1. Conduzlrem-sc pacificamente sera
perturbaren! ou prejudicarem seuj vizinhos ou
a i'.im-imI.i,
(2. Cultivar c etcolher, como conrem,
os cafetaes rece bidos, depositando o caf co-
1 ludo no lugar marcado, nos mes'nos cafezaes,
onde enlregaro, por medida, ao recebedor da
fazenda.
3. Concorrcrem coniiiuim, com o er-
\ico correspondente i|uautid(ide de caf en-
tregue, para o trabalhoque o uiesino exige at
entrar no mercado.
4. Pagar a Vergueiro e C a sobredlta
quantia de .../... que, depois dedousannos,
vencer o juro da lei, na parle que nao cstlver
paga, e hem asalm a Importancia das quantiai
adiautad.ts conforme o artigo 2., paragrapho 4,
com o respectivo jufo, que carrera depois de
uin anno.
5 Applicar para os sobreditos paga-
mentos, pelo menos metade dos seus lucros
lquidos annuaes.
6. Replantar as fallas que houver na
parte do cafesal a sen cargo.
Art. 4. Vendido o caf por Vergueiro e C,
pertencer a estes metade de seu producto li-
quido, e a un ira metade sos ditos coloaos.
Art. 5. us gneros alimentares produsldos
pelos colonos, sendo por elles consumidos, Ver-
gueiro c C nao terao parle alguma, poriu le-
ro metade as sobras vendidas.
Ari. 6. Vergueara e C nao se poderao deso-
nerar das obrigaces desle contracto emquau-
to os dito* euTiaaot cumprirein fielmente as
tus. He purciii livre a estes retirarein-se, de-
pois de sathfazerem a Vergueiro e 0. o que
llics estiverem devendo, participando seis me-
zes ame. por escripto. a iutencas dse rellra-
rein; e (cando sujrltos apagarem ama multa
de50.00Urs.no caso de se rrtirarem antes de
pagvem a divida^ ou sem fazprein a participa'
cu desua inlenco de se retiraren!.
Art. 7. Todas as duvidas que occorrerem
entre os contratantes serao decididas por arbl
tros. prraate a autoridade competente, sem
inais fursofalidade, nem recurso de appellaco.
o K para friuesa de lodo o expendido e de
aasiui rstarem contratados, abaixo assignam
Ver, pelo conteni deste contrato, que nao
me engae! quando emuma das antei lores car-
tas Ihedisse que a colonia do Vergueiro ti nb
por base o nico contracto posslvel com os co-
lonos ; e para escusar-me de apresentar argu-
mentos eiu lavor desta ideia, otlereco os resul-
tados de sua pratica como a inelhor demonstra-
code sua boudade. He com factos semclbao-
tes que por Hm se ha de convencer o poro bra-
sileiro de que Ihe he multo mais conveiilente
cultivar suas trras com bracos livres do que
com escrafo. A exhlbicao dos principios pou-
ca impreasao faz sobre o espirito publico, por
mais palpavel que seja sua evidencia : o argu-
mento nico para formar as convicedrs popu
lares be o eienplo. Aogoverno do estado iu-
cumbe o estudo dos principios que regem os
inleresses suciars; e, para que sejam tradusl-
dos ein factos. misier he que o menino governo
di os prhueiros passos, proteja as priiueiras
empresas, afim de que un certo numero e Tac-
tos, realisados em harmona com as proiuesss
dos principios, estmale olntcresse particular
a tomar a ilirecco dsejada, pela certesa de
que mili n.t i encontraos prejuizos que costu-
iiiam provir da teutativas sobre objectos Intei-
ramentc desconhecidos.
lid p ir mo qo i eu Ihe ilisso que cui lava
que o gnverne faria uma ptima applici-
cSo dos futidos desun losa ColooistcSn,
ronvi Iiiii lo o Hile i ase dos lavraduies, e
rom elle ociando acausadtsta ISo ur-
gente necessidadn do Brasil. Est mo pa-
recen lo que se us lavradore s cuntassem que
ti governn Ihes limiara a passagem de
cerlo numero de colonos, facilitando-Ibes
0 reembolso com o piazo de 5 anuos mais
ou menos, muitos siilieilarism este auxilio
para mandar vir colonos ; e jle lc io de que os que assim \ ic-sem seriam seni
1 ic ni ilo mollinos que os mandados vir
pelo governo; iorque sem tluviila alguma
os agentes particulares tenain maiszelo ns
escolha.
Ha em alguns portos, como Antuerpia,
Bremen, < le. suciedades que prolegem a
emigrfciJo; e he tal o interesas que disso
tiram, qu nflo duvidam esperar por um,
ilni.s, tres anuos, e talvez Oais, o importe
las | assanens, Invalido reconheci Ji abona
tfin em quem faz a eiiconiiuenda. Censo
que a vnuagm dessis sociedades es t nos
felos dos navios; mas, seja como Cor, o
governo nSo poderia fizer o mesmo que
fazeiTi essas sociedades ? Hem vejo que nao
tallara quem prelendesse especular com
<>s'e favor, ms sin (acuilmas as cautelas
ootra o prejuizo umeo que podia resulta
.... esiailn, islo he, a perda total do impoite
.ii's (lissagens adiantado ao lavradnr ; has-
lava que este psssasse lellras ao tliesouio,
garantidas por uin abonador, da importan-
cia das iassagens, nopoilo a que ciiegas-
sem os colonos que recebes.se. Desde on-
130 | nile lii'ar rcrlo de que O la viador fa-
ria toda a diligencia de pagar nos prazoa
."jiisiadn<, porque fom a fazenda, que tem
privilegio execulivo para anas cobranzas,
uinguem quer gracas. Assim, ao menos,
ii.-.vi i fiara com o govorno una pessi-a abo-
nada que responderse pela despeza do trans-
porte dos colonos, o que no acontecer
mandando o governo buscar por sus cotila,
paia dn.ois de chegidos uur-lbes des-
tinos.
Timiio conversado com tlgons fizendei-
ros bem eitibelecdos que estar'am promp-
.tosa mandarem vir colonos pela matierra
indicada ; mas todos desejariam ter urna
rerteza do anxHio para fazerem suas n-
coiii Hiendas, e os Ira balboa preparatorios
em suas fazendss, como catas, planlacoes,
etc., porqje he sabido que he iiidiipensa-
vel fazer provisSo de mauti(tientos e plan-
itmld* n::T" 'J'.cr.'.C :!f>! entono* durante.
ns duus pnmeiros anuos; u de ordinario
esla getite vem com uma foaie atrasada,
que nao he com quslquer eous que se sa-
tisfaz.
Km oiiln occii8odeenvolverei um pou-
co mais esta materia, tratando de outro
systema pratieavel pata estabelecimenlo
de colonias particulares, fundado no alora-;
ment das turras.
Vot concluir esla confirmando minhis
noticias auleriores sobre o elTeit da lei
acerca das letras devolatas, lia um mal
I lijase verifieou, e que ja nao he possi-
vel reme iisr : he a baisa no valor das Ier-
ras, enjo titulo tifio he sesmarta confirmada
e dema'yada ; be a COusequenle iifllculda-
de oes IraosaccOas. Alguns negocios so
b re trra* ja so d atizar me outro* se com-
plicaran! : roda ha bem poucos das aqui
este**) un esUneieMp do MOda provincia,
que tiniia justo eoo o general Antero a
oouipraile una campos que esle possue na
Vacara; ma* advertido pelos rumores que
forren! sabr os arteros daquella le, ja
susaasideai a den* qua>dera para o pa-
ga i e/ito do prego, ele, uersa edrte, at *er
inforais Jo di B8(U'a/a los titulo* dd gene-
ral sobra Ue campos.
Cale tttt uflo b de Ccr s ; be cerlii-
i~r:
p
simo qtio outros muitos se hito de reallsar;
o nnrtinlo rriaia urge uma providenci que
abrigue os proprielirius conlr* o projui-
zi qi" Ihes ciusa o rpido e inevilavel
dec-esciment do vilor de suns trras.
As Inlliisda oiposic3o conlinuam a dis-
c 'lir esta materia ; e ji nilo so pode oc-
cultaf. a sesaclo que tem canslo; e se
(o i he possivel duvidsrda for;a que sii-
pre leve i opposiQn actual nesta provin-
cia, avalie o incremento de fon; que hojo
adquire, pondo-se ao lado dos inleres-
ses ofrendlos da grande classo dos pro-
pietarios, o prom tt'-ti lo vingar tal of-
feMa.
Tomam-se providencias para a execu-
;So da nova loi da guarda nacional; e pre-
Descarregam hoit 20 de dtiembro.
Brigue Empresa- lageilo,
Bri({iin -- Emilia gneros do Diz.
Brigue "lovo Vencedor mercWorlas.
Barca -- Carila e Amella -- idSaaV
F.seuna -- Isabela b*calhao.
CONSULADO ERAL.
lien lirwito do di* 19.....1:866.803
fiiver*afl provincias...... 133,173
1:999,976
EXPOUTACAO.
Despacho marititnei no dia 19.
Lisboa, brigue portuguet Tanjo /, de 3M
toneladas : eondtiz o seguinle : 2.516 saa
eos, 33 barricas e 1 lascj_Oom12,811 arro-
bas e 5 libras de assuW.OT >* com 173
vejo muitos embiracos para o governo ni I arrobase 7 libras da Igodfio, 2 ditas caf,
composigJo da ouleislida le dos corpos. En 61 saceos e 15 barricas farinba de tapio-
geral as aomea(0eg que f-z aqui a actual; cs, 3 barriquinhas farinli* da man liocs,
polines quan lo subi iio foram baleadas 5 garrafas pimeota, 1 embrulho e t cuohe-
soliroa possibiltdaile de permanencia dos t doc, 110 ptoa de quiri, I pspagaio e 9
iiirn"n los nos poslos : as escnlhis de olli- periquito*
ciaes, feitas no meiodo ardor de uma lula
vilenla, qual a que produzio a eleicjlo do
anuo ultimo, nao poderiam ser as mais a-
certadas. NomeavaTi-ae de ordinario, nao
os niiis dignos dos municipio*, mss os que
m ior emuenho e ardlmento mostravam
para o combate: e era impossivel que fos-
se de outra sort-*, fazendo-se, como se li-
zcram, as escolhas as vesperas da bala-
Illa, e portanto s pressas, e sem maior exa-
iue ; porque o presidenta demoruu-se bas-
tante em montar 1 provincia no sentido da
nova poltica : em taes circumstanchs n3o
baveria quem n.lo errasse Pareen, pois,
inevitavel que a execuc^o da nova lei traga
a necessidade' de uma apuracin* oflicia-
lidaJe da guarda nacional, sol pena de ta-
car rauilo mal "couiposln, princip lmenle
em alguns lugares. V. os que foremj'ura-
dot, deixados a margem, hSo de queixar-
se, e bem sabe que essas queixas conver-
tem-se fcilmente em clamor quando mul-
los sfio os queixosos.
( Carla particular.)
(Do Jornal do (ommercio.)
Correspornlencia.

Canal, brigue ingle (?, de 383 tone-
ladas : cohduz o seguinle; 3,600 saceos
com 18,000 arrobas de assucar.
HKt.KMCDURIA DE ItENDAS GEKAES
INTERNAS.
Rendimento do dia 19.....6%*,07
CDNSULADO PROVINCfAL.
Rendimento do dia 19 1:638,996
---------------
iVlovimeuto do porto.
Nato entrado ao da 19.
Rio du Janeiro 18 dias, polac urda Jfa-
rin, mestre Mszzfno Tbomas, equipagem
II, em lastro; a Na noel do Naacimenlo
l'ereira.
llbadeMsio13 das, brigue sueco Steea,
capito B Anderson, equipagem 13, car-
ga sal; a N. 0 Bieber & Companhia.
- Navio taido no mttmo dia.
CanilBrigue inglez Quien, capilflo J.
Squarey, carga assucar. Largou do I.-
meirSo.
Barbada Rrigue americano Thouta Trote
Brida, capilao Williaui Perrjf, carga a
nicsma que trouxe, e o* mesojos passa-
geiros.
Marauhilo Brigue-escum brasileiro lau-
ra, capilfio Francisco Solano da Fonseca
Jnior, carga varios gneros. Passagei-
ros, os Di. J.1S0 Coelho de Souza c Her-
menegildo Antonio da Encarnadlo a Sil-
va, Juilo Antonio Manoel de Lima, Bento
Bolelho Pinto de Mesquili, Julo Rodri-
gues Velloso e I escavo a entregar.
Lisboa Brigue portuguez Tarvjo I, capi-
13o Manuel de liveira Faaeco. carga as-
sucar, ____
EDITA L
Sr. redactor,Lando a corrresponlencia
insera em seu Diario n. 288, de 19 Jo cor-
rente, assiguaia poro &r. De. Jos Antonio
de Figueirdo, a considerei com o nico
lin de chamar o ridiculo e o odioso Sobre
mu como autor dos anniincios que man lei
inse'ir, pedindo ao Sr. lir. Jo>quun Jos
l.a naigneri Vianni, do MaranliSo, mo rtian-
iassH p'gr o que me licou devendo quan-
do eu era o dona do eslabelecimenlo da ra
da Cadeia de Santo Antonio n. 13, quando
lelirou-se desta ci iade, e igualmente com
o de isenlar o Sr. Dr. Viaiiua, ii.1i so de
ser meu devedor, mas tambem de qualquer
mo juizo que del le pos-a faz r o publico,
apres-o-me em declarar que nunca foi pro-
posito meu manchar a repuiacilo dessese-
11 or a quem sempre Irale com delicados),
le quem continuamente- recebi igualtra-
tamenlo, e so mente para ser pago de rs.
136,000; de cuja quaolia aiuda hoje estou
110 desemboco : eco.no oSr, Dr. Figueire-
lo, talvez por mal informado, poo em du-
vida a minha capacidade e honradez, ue-
cessariose me faz explicar miu lamente os
factos vardadeiros que deram lugar a mser-
sau dos aiinuncios.
No dia 1. de outubro de 18t7, appa-
receu em meu esulielecm ento o Sr Dr,
v ianiia, e ajulou-se Commigo para eu Ihe
fornecer timlo, jaular eca, pela quantia
:e 50,000 rs mensaes, e desle fornecimenlo
o : ssinV de alguns objectos que comprava
independe otes do tralo ajosUdo, montou
sua cotila um cotilo quindenios e
tantos mil ris de cujo total prev.u
o resto mencionado que sin la me deva
eque S. S. nao pude e nem lm pouco q.ier
negar e em virtude do trato que lica exa-
ra 10 lodo o debito foi laucado nos meus li-
vio-, em seu nome fui de sua uni que
sempre ncebi a importancia dtt que i.hi,
e em seu Hume foram tambem sempre pas-
sados os competentes recibos: portanto,
em nada disto se acha involvido o nome
do Sr. Dr. Machado, e se em uieusanuun-
cios iratei delle, lie nicamente porquo na naval tem de contralar-se por arremstacSo
retirada du Sr. Dr. Visuii. esle senlior me
pe lio por favor que recebase a qumtia em
queslao do referido Sr. Dr. Macha :o e
11 '.-s 1 oci-asia 1 eu advert que nana linha
Pela inspectora da alfandaga *e fas pu-
blico que, no dia SVdo correle, depois
do uiein-diH, se ha do arrematar em hasis
publica, na porta da mesma, o aeguinte.
.ipprehiMiilido pelo feitor Jenuino Jos Ta-
vares, no despicho de G Kenworthy & C.,
sendo a arrematarlo lijra dedireilos so ir-
rematanti'f saber : 2*> luzias- e 11 carnizas
de ineia de a Igolilo, sem pella por dentro,
no valor segon lo a tarifa de 12,000 rs. a
luzia, total 359,000 rs. ; 11 di#aaa o 7 ditas
de cores, sem pello por denaro, M valor
segundo a tarifa do 19,000 r* a liaMia, to-
tal 39.000 rs. ; e 5 duzi* e 10 ditas de meia
de sed, no valor de 20,000 r. t duzia, lo-
lal 116 666 rs.
AlfindegadePernmbuco,l9dedeiembio
de 1850. O inspector uterino, Binta los
Fcrnandtt Barra.
()ef,lar<;es.
O capito do porto desta provincia,
competenlemente autorisido, engaja cinco
marinheiros e cinco grumete*, para a escu-
ita dita n. 5 08,000
. iiadlUcomMlefin.9 700.000
Dita atrai do Callabouco n. 2 96.000
Dita Novan. s53 501.000
Dita da ConceicSo da KoaaVlsta n. 5 90,000
Travesa do uiabo n. 8 JO.OOO
Ruada Glorian 65 96,00o
Dita da Alegra n. 5 144,000
Consulado da Confederado Suis-
sa em Pernambuco
Tendo fallecido o relojoeiro Suiso Ulyse
Droz. p cnsul de sua afio, rog a todas
as pssoas que tiverem conlas com elle,
ou linha** relogios na mSo do dito pira
concertar, quairam dirigir-se quinto antes
ao consulado ni ra d* Cruz 11. 51, pira en-
tender-se com o cnsul a esta respeito.
Tlieatro tic Santa-Isabel,
COMPANIIIV DftAMTICA F. DECANTO.
SA BUIDO, 21 UE DE?SiSSO Di 1850. .
Recita extraordinaria em btnrficio da cantora
Augusta Canrllftnl.
Prtmeira parte.
Depois de executar-se uma escolhid
symphonii, leguir-se-hi a grande ceni,
civitini, e alegro da opera
NORMA,
do maestro Bellini. executada pela bene-
Bclid.
Segunda parte.
A companhi* nacional em obsequio a be-
nelifiala renresentara a comedia
FAI.I-AK VERDADE A MENTIR.
Tirceira parte.
Grande tria da opera
VESTAL,
do maestro Giinnini, exprestitnente com-
posta e dedica la beneficiad*, 0 por ell*
execulad*.
Aria da opera 5oinum6a/a, do maeitro
Bellini, executid* palo Sr. Cayo Eckerlin.
Pela beneficiada a cavatina e allegro da
operi
Bratrlec di Tema.
Palo Sr. Erkirlio a aria do Pana, do
maestro D.inizzti.
Quarla parta.
Pela companhia nacional farpa
0 JUDXS EM SAbBKDO DE ALI.EI.UIA.
Finalisiri o espectculo c->m civilin* e
legro da oper*
Torquato Tawo,
do maestro Donizzelti, executid* pela be-
neficiada.
He rite o eipectaculo que a beneficiad*
tem a honra da offerecer to Ilustrado pu-
blico dosis culada, do quil eapera tod* in
dulneneia a proteeclo.
Os bilhele* aeham-ce a disposleflo do res-
peitsvel publico ni casi di beneficiada Ho-
tel Franciaco, e no dia do espectculo no
lugar do costme. _______
Avisos martimos.
O* Srs. carregflore* do brigue Ce*e>-
pao, para o Rio de Janeiro, queiram man
dar seu* coulieeimentb* i rus da Cruz o
10. quanlo titas, pois dito brigue impre-
terivelmente sthe no di* 22 do correte.
Part Baha sahe no fin da
presente semana o hiate Amelia :
para o reato da carga trata-se com
o mestre a bordo, ou com INovae.s
S Companhia, na ra do Trapi-
che n. 34.
Para Pi de Janeiro sahe
com a maior brvdade possivel,
por ter parte de en carregamen-
to prompta, o brigue naciona'
Leo : para o reato da carga e pas-
sageiros trata-se com o cipilao a
bordo, ou com Novaes & Compa-
a Lindoya quete acha empreg.d. no1 ar-j h Trapiche n. 34-
vico da a fandega ; assim como marinhei-, "'" ,':,.. .
ros oar. os n.vios de guerr. ; sendoV) en- P o Rio de Janeiro s.he a galeota
K iinienio feilo pelo lempo que seconv.n-
cionar, n devendo o* pretendente* apresen-
tarea-ae com a maior brevidade possivel.
-- Peranle o conselho da administraran
coui esle senlior, por nada ltie ter vendido,
aoque o Sr. Dr. Vmiiiii replicou, que eu li-
zessea dehgencia para llave d. He e^le di-
uheiro e que 110 caso de uo ser galisfeilo,
sana como sempre como reslisou'sea uinhha suspeits do mao
ref.-lii nenio por esle lado,e depoisde canea-
da a iiiiiilu paciencia o esgotado tu.los os
meios de receber o que so me devia, por
salisfictorias mineiris, vi-mena necessida-
de de recoier ao seu jornal, o pedir su Sr.
Dr. Vianna, que me maudasau pagar o que
como uieu principal devedor por o Sr. Dr".
Machado me devia, e tanto be verdade que
o Sr Dr. Figueiredo diz em su* correspon-
dencia que eu me empenhara com o Sr.
commendtdor, pai do Sr. Dr. \ intua, e Ihe
eacrevera mesmo para ser indeoinisado,
logo eu procure com dignidade soiucSo
do meu pagameulo antes de lanzar nio dos
aiinuncios, pelos quao o meu devedoi e o
Sr. Dr. Kiguetredo lano se ollenleiam E
i|ut> vem 01" 1 cuaCivi, voam Crii ACgvtiva
du Sr. Dr. Machado, eut respusla a utna ou-
ludoSr. Dr Viaiiua? l'iova ella porveti-
lura, que estou pago, 11S0, s delta pdeco-
Iner-se que elle nada tem oeste debito, e
que elle posilaveoiule pe.lonco ao Sr. nr
latina, e ueste caso msis pruinplo derera
ter si.io este senlior ein reslisa-ls : einlini,
Sr. redactor, eu provare precisa mente eeui
opporluna occasio, uo s com meu* li-
vios, las iiiesuio Com os chichos que me
seiviain 110 lempo em que lu coiilruhnla a
divida que o Sr. Dr. Vanos me he devedor
Ja 136,'JUO rs. e nessa ucessiio aprecala
devidainente o.Sr. Dr. Kigueuedo, quem he
o aiais indigno, se o aulor dos siiuuiicios
ou aquello que devo e aitiJi nao psgoj, ou
nfio quer pagar segundo su Corresponden-
cia em a qual diz que o Sr. Viaiuia nada
me deve. Sirva se, Sr. redactor, euserir
em seu jornal oslas liutias do seu sssiguau-
te, franeitaa Simo du Silva Hafra.
Recite, 19 de ue.'embro de 1850.
commt
ALKAMlOA.
Keadianento do dia 19 ...
*;97i,ai5
SanlUtima Trindad, de aperior mirclia,
forrada e eneavilbid* de cobre, por todo o
prrsente mez por ji ter grande parta da
carga conlntada, quem oa mesoia quizar
corregir ou ir de pisngefli, dirij-*eao
Alves da Cu-
11" ti I ICHl U*3 lUiiiHitni-.'K ytn 1 1 a ?-v-1 ^ riu ^ _-
o fornecimenlo dos seguintes genero* para *" consignatario Francisco
os navios armados e hospital de marinba, nhi rni do Vigirio n. 11
Vende-se o brigue denominado Pirafi-
m'm do lote de 201 toneladas, forrado da co-
bre, com lancha, bote, c todos o* pettences
ezss, a contar de I de
1 31 de mrc/i do anno
por lempo de tres me:
Janeiro e lindar em
vindouro, a saber : arroz braoco pilado,
azeile doce de Lisboa, assucar brinco, bo-
laxa, baealhao, caf n.oilo, carne verde,
carne secca, pilo, sil, toucinho de Sanios,
vinagre de Lisboa, sparmacete americano e
carnauba em vellas ; guataente contrata-
de prelho, prompto para fizer qualquer
viasem, quemo pretender pode ir ou man-
di-lo examinar no ancondocro defronte
da escidinha do pisseio publico tondeeaU
Tundeado para tnlir m ra da Cadeia a.
sea compra de mil a mil aquinhenti* va- 3 c Amor un Irmaoi
ras.de bnm inglez; portanto tSo convida-
dos ns quo interessirem em dito forneci-
menlo venia de brim a comparecerem as
12 horas da minhfli do dia 20 do crrante
na sala dis sissdes dogaaSBn consellio com
nuss amostras e pro;ioslam declinado o ul-
timo prego e quem ns fiores que aeruo pi-
ra ese fim habilita loa,
-A administraffa grral do* stabeledaaevitns
de i 11 na,le manila faier paWJIJco que no dia 23
do correnie. pelas i horas Urde continua a
arreinatafo das renda* J* casa* abano de-
claradas.
Ailininisiracau eral dos stabelccimealos de
caiidade, 18 de deumbro de 1850.
O eterivao. jaajan^
Antonio loiiGome do Carrito
Ra da Moeda n. 31
Dita dita n 35
Dita do Aaelle de Peiie n. I
Dita do Pilar 11. 73
Dita dita a. 70
lina lllrrin 11. ;i'i
Dra do Padre Florano o. 17
Pita dita n. II
Dita dita n. 4Si
Dita dila"11, 47
Dita .loa n. 49
Dila dita 11. til
Dita dila n. j
ttecco da Carvalba a. 5
Hua do Fagundes 11. 32
Dita dos Peleadoresn. Travesa de San-Jos n. 5
Dita dha n. 7
Ra do Uaooel Coco n. 93
Dita dila n. 30
Dita dila o. 38
Uila das Cinco Ponas n. 79
Uita dita n. 98
Dita dita 11. 116
Dita da Viracho n. 7
Dita de Heran 11. 29
Dita dila n. 94
Dita de Santa Theresa n. 4
Dita dila u. 5
Dila dio 11. 7
Dita da, Boda n. 3
210.008
180,000
84,000
9I.000
96 000
71000
90.000
96.000
joo.ono
108.000
30.000
96.S00
84.000
121.000
96,000
96,000
96,000
96 000
100 000
132,000
109,000
145,000
121.000
220 000
216,000
97,1.00
100,000
-Vende-se o bri^ue-escni americano
Paulo T. Jone, de lote de 174 toneladas,
forrado e oavilhido de cobre, prompto a se-
guir viagem ora quslquer parle: o* pre-
tndeme* dinjain-se Mltheus Austin & C.
Para o Cear.
Sahiri impreterivelmente 1 30 do crrante
o brigue nacional Empresa, de primeira
marcha ; alm da carga que ji tem S bordo
para aquello porto, receben neste que
m*i se onVrccer, a frete cossmodo, aisim
como psssigai 1 oa preiandentes diri-
jira-se a tritsr ai fu* da Cden velba n.
17. aegundoaadar.
Para a Itatia legue em poucos dia* por
ter aleumi cara miesiada o liiate Fiar de
Cvruripe: quem-pretender carrejar ou ir
do pasMgem, d*rija-*e a ra do Vigario nu-
mero 5
Para o Ra da Janeiro sihe com brevi-f
dada, por ter a maior pirte de *ui carga, o
brigue San Manoel Augusto, capitto Jos da
Cunha Jnior : quem quizar carregir, am-
bircar escravos ou ir de piutgem, trile
com Manoel Ignacio de livelri n* praca do
Oommarcio n. 6. ou com o capitSo.
Leil
ao.
O correlor Miguel Girpeiro, firi le*
1.1o no dia 23 do crreme a 10 hora* d*
minhni 110 aau irmazeto na rus do Trapi-
che n 40, de diversos trastes, lou^a, vidros,
quadros mui ricos, obra* da prat, relogios
ile ouroeda prsta, e outros muitos ohjec-
tos que se atvderao muito em conta por-aer
o ultima desle anuo : priucipiaudo o ieilo
por um rico piano-
rsos.
O "liaixo assignsdo faz pal
qu
dei-
96,*00.o seu lillio Hanoel RbiAo dalaSjfSJBHp
72,0001x* de Mr rsoalwdor do* alugueis^p* su*
casas, a pista a ser o cobrador de hoje m
diante outro *eu lilho llmbelno Maximino
le Ctrvalho lutoriado por proctirifto bas-
tinte Lonreneo Manat de Carulho.
--Alugi-seum* casa ierre*, na ru* da
Gloria da Bo* Vista 11. 6, com bons comino-
dos : tratar nt ra di Seuzlla Velba nu-
mero 70
Pede-e io8r. L. A. M. F. qoo tenb a
hondada da ir ou mandar pigsr 11,820 ni
rui do Collegio n. 35, de que 8. S. nSo ig-
nara ; do contrario ter* de ver o seu nome
por extenso nest* folha emquanl nao
pigir.
Pieclsa-se de uma ama forra oa capti-
va, pira o lervico interno de um* cisa de
pouc* ramilia : na ra Isrga do Rozarlo,
padariin.48 '
Precia-se de um oaixeiro poaragnez
pin tomar conta de um* vend por bala ri-
co, dando-se-lbe lacenos ganlio* damas-
ina, que tenb* pratioa deslo negocio ^*f ie
le flaalor sua conducta : quem quitar, di
rijs-se ra das Cinco Pontu, pidiri* de-
fronte di fortilezi n. 154.
-Furtiram, no dia 14 do crrante, do
cercido do litio di Piranga de Joo.Biptis-
lida Souza I emos, um cavallo corregidor
bilxo, ruejo, rudido, de clin* preta e pe-
queo ; tem da parte direila uma mancha
branca e ibaiso do quadrll mirc de ferro:
quem o denunciar ser gratificado com dez
mil r*.
O escrivBo d* irmiodide da Nossi
Senhora da Soledade di freguezii do Sm-
lissimo Sacramento da Boa Vista, con-
vida tolos os irioos pan que compi-
reQara domingo, 92 do correte, no atnais-
torio d* mesma lrl*idade, sflm des*pro-
ceder eleifSo da noV* mesi, que tem de
sevfir no anno de 1851, o que ter* lugir pfe-
las 10 horas d* minh.ia do dito dia. .
Jos Perein di Cunhi embarca para o*
porto* do tul o seu osersvo, pirdo, de orne
Ignicio. I
Cavallo.
Dasippparaceu no dia 27 do
novembro prximo pa**4o un
avallo ruco rodado, eSoad,
bem ardigo, camlnhs bem a pas-
eo, quartao d mala mil encarado, tem 2
ferro*, olhos bonitos, e magro ; levou ca-
bresto de conro e cangalh: rog*-*a so*
Srs. da engenho a Uvridores o peguero e
andera levar na ru* Direila venda n. 76
da ibaixo signado, que serSo pigas todis
a* diipezis o civillo eslav na' aorta do
abaixo issignulo. a desippareceu ni occa-
siJo que pa*s*v* um comboio de um enge-
nho, cujo nome he bem conbecido, 0 do
proprietariu do dito engenho; egun lo as
exacta* informicOes, o cavado est pegado
e ja tem prestado alguns larviqoa ao dila
engenho, porlanlo rog-se lodiioseuhor
que mande entregar o dito cavallo quinto
soles, do contrario, nao ignora a exigen-
cia que se fizar judicialmente, certo de que
at a peseme dan aindt responde por to-
da* as despazas Jo*im .Inlnne da Silva.
Dessapireceu, no dia 18 do torrente,
umaeterava parda, de nome Firma, baixa,
groan a cor alva; tem umi queimidun em
um do* braco*, que anda asta sanado,
dent"s limado* e urna orellu rota no lugir
do* brincos ; levou vestido de chita preta
jadesbotada e urnas coutas pretal no pos-
cofo : quem a egsr, lave*4 no Minguinbo,
casa de Bernardo de-Albuquarque Fernau-
desGsmi,quesera gralilioado.
- l'recjsi-se de uma muliier que eslea
icoilomidi s andar rom negocio de fazen-
das, asaim como deumi preti mofa para
ctrregaro laboleiro las oiesmas : adverte-
se que as pessoas icima referidas devem dsr
1119a is suas conduela*: tritar na ra do
ripiche Novo, aripazem n. 44
O Sr. Minoel lien les d* Silv* Berio-
guel queiri ler 1 hundido de apparecer no
prazo de iros dias, no Aterro d* Bo* Vista
a. 60, ptr* se entender respeito do segun-
do andar que o mesmo Sr cima ilugou no
sobrado junto o, 48; do contrario >o man-
dar abrir a porta pelia lutoridid* com-
petentes, no que/endo miis odoso ajun-
tar alugueis, nem por isso deixsr de lu-
gar, como js Ihe aconteceu.
Casa em Santo Amaro.
Aluga-se* rass de sobrado a olio, qua
foi do tinado Pedro Dita do* Santos, com
comaiodu* pira uma grande familia, sitio a
viveiio pellzcenle a mesma casa: para
ver, na mesma cisi, e par* tritar, na casa
n. 3, ilebwule da ribeirt do peixe, na ru
da priii.
Quem precisar de unta criadi portu-
guesa pira quilquer ie**i(o de um* casa,
diiija-sa a Pona de Uchoa, em cas* da Tbo-
mas Donalay.
Aluga-se o segundo indir do obrado
da roa do llsngel, defronte di botica : a fil-
iar na ru* do Cabug, laja da Joaqun Jos
di Cosa Fijozfs,
-- Pede-se ao Sr. Kvirinlo Pinto di Ro-
cha Hoinem queira ir pigir a la lettri vea-
cida em 23 dejuMlO? di quintil de 110,000
is.. e os juro* qu* se tem vencido : do con-
trario ter* 1 MltafacBo da ver seu nome pu-
blicado al que pague.
A mulber que sa ofJTerece pira cozinhar
eengommir, dirija-ie ra do llsngel a.
36, primeiro indar.
O deaembargidor Joaquim l'rinciiio
Goncalve* Ponce de Leo embarc para o
Rio de Janeiro na >_ ecrvm. Miguel O
Sibino, da na(Ao Angola.
Quem livor para atugar umaon duit
preta pira vender fruclis diriji-ie a ra
Nova n.,49. .
A pessoa que aauatocinu precisar de
uti moluque pira uma Casa inglez*, dirja-
se ra do Tripiche Novo, 11.14, qua cha-
ra o que procura
ip0s-se a sat ami saca de quilquar
fssi uma mulber de bous cotlumes, para
coiuli 1, eugommiJo e lodo o nrvico in-
lerno, queo de seu .presumo *e quizar
utihsar anuuncie pira ter procurado.
Preciss-se ilugir uma preta, piefe-
rin-lo-ie escrsvi, que entuuda de coziohsr
e engommar, e um moleque pira o servico
geni de uma cisa de familia inglesi: a fal-
lir na rui Trapicha, o. 40, *rm*zem do
correlor geni
No Atierro da Bo* Vist* toja d miude-
zss n. 72, te din quem di dinhelros a juro*
com hipotheca em calas torris.
Precisi-ie de um* m forra ou capti-
va para um* cas* estrangelrs : na ru* da
Concordia, reHalcSo francez*.
Na ru* do Cabug loj da 4 portas, de-
rejt-su fallar *o Sr. riaiirqua rereii a
Silva, morador a* Vanea.


Hoto estaheleeimento le entela-
rla fina, ra Nova n. 30.
Jos l'radnea,utileroe armeiro, partici-
pa o respaitevel publico desta cidade, e
principalmente a sen freguezes, que mu-
dou o estsheleeimento que tinha na ra lar-
ga do Rozario cara ra Nova n. 36, confron-
te a igreja da Conoe$ao, aonde o acharSo
promptoa exccutar qualquer encommenda
deaua arlp com a mior perfeigao possivel
e pelos precos maia baratos do que etn ou-
tra parta. O annuncianteU'ndo ltimamen-
te reoebMo de Franca un grande sortimen-
to deobjectos de dua arte acba que seria
fastidioso de os enumerar nesla folha, po-
rcm pile mencionar os seguintes : navalhas
superiores ss que tem vimlo al agora, le-
souras para alfaiatea, costureiras e cabel-
lereiro, um lindo sortimento de tesooraa
finas para senhoras, ferroi de cirurgia, ditos
djaSen lista, caivetes de urna at seis fo-
laatcsourgs de hnrtelSoe facas de mesa.
Elle tem tamben) lodo* na preparo* ncces-
sarios aos cae-adores, como sejam : espa,
gardas, aacatrapoa, polvarinhos, boleas de
caga, caplelas, ouvidos de espingarda, etc.,
ele., etc. NAo se falla da qualidade desses
diversos ohjectps, que o annuncianle afll-
anca ser superior, elle tem um grande sor-
timent de fundas, e tem ac superior e fun-
dido de todas as grotsures. Todos esses ob-
jectosserSo patentes aos compradores e hilo
de agradar pelos precos raaoaveis. O an-
nunciante para accelerara execuclo das en-
commendas que se lhe flzer mandn vir um
odicil de Franca, oqnalchegou no brigue
fammm A p. >.k~ ___ _______ _: .
3ueira restituir que ser, generosamensa-
o na rus de S. Francisco sobrado aovo
ao p da mar.
OsSrs. Drs. Fernsndo Affonso de Mello
p| Hanoel Firmino de Mello, teem cartas
vindas da ilha de S. Miguel : na ra ds Ma-
dre de Dos n. 36, em casa de Joflo Tavares
Cordeiro.
Alugam-se duas casas terreas na Cida-
de Nova, com 4 salas e 13 quartos cada
urna, quem as pretender eolenda-ss com
Antonio Jos Gomes do Crrelo. '
Alga-se o segundo andar
e sotSo do sobrado n. a 6 da ra
atrs da matriz da Boa Vista, o
ijual tem bastantes com modos pa-
ra urna familia : a tratar na mes-
ma rna n. ai.
Na loja n. 8, ao p do quartel da poli-
ca, concertam-se candieiroa de sala, glo-
bos e lampres de relogios assim como en-
vernizam-se e bronzeam-se daa cores que
quiz.rem.
-- Antonio Fernandes da Silva faz scien-
le ao respeitsvel publico, que por haver ou-
tro de igual nome, de boje em diaota se as
signar por Anionlo Fernandes da Silva
Beiriz.
Aluga-se urna cass com pequeo sitio,
com bastantes commodoa para grande fa-
milia, no lugar do Poco da Panella, defron-
teda igreja, pela Testa ou annualmeote : na
ra ds Cadeia de Santo Antonio, a fallar
~ Comprsm-se sellini velhna ou com al-
gum Uso : na ra larga dn rt izario, loja de
miudezas u. 26.
Compra-se urna prensa da copiar car-
las : quero liver dirija-se a Antonio Jos
Gomes do Correio.
Compram-se escravos de am-
bos os sexos; na rna da Cadeia do
Uecife, n. 5t, primeiro andar.
Comprsm-se paraencomenda,uma preta
cozinheira e engommsdeira; um molecote
proprio para oservigo de uma casa, e duas
egrotas boas figuras esadias : na ra da
adeia dn Reoife n. 50.
Te
endas.
Ceutr, e se sena em exercicio no estabele-lcotn domingos AlTonsoNery Ferreira
ter-
31
cimento cima. Amols-s sempre as
cas-feirss, quintas e saJshados.
1*M> Chapeos de sol.
*"^ Rna doPasseio,o 5.
Nesta fabrica ha presentemente um
sortimento destes ubjectos de todas ss co-
re e qusiidades, tanto de seda como de
pantnnho, por precos commodos ; ditos pa-
ra seobora, de boro gosto: estes chapeos
sao fritos pela ultima moda ; seda adamas
cada coro ricas franjas de retroz. Na mesms
casa ss. scha igual sortimento de sedas e
panninbu imitando aedas, para cobrir ar-
niagOes servidas : todas estas fazendas ven-
. dem-se ero porgfio e s retalho : tambem se
concrta qualquer chapeo deso, tanto de
basteas de ferro como de balis, assim como
umbelas de igrejas: tudo por prego com-
modo. Na mearos casa ba chapeos de sol,
de marca maior, de panno e de seda, pro-
prios para fritores de engenho, por serem
dos uisis fortes que se pdem fabricar.
Domingo a4 do passado,
perdeu-.se des Je a Passagem da
Itogdalena ate? a ra do Collegio
urna pulceira de diamantea enria-
da em peroras ou aljfar : qu-m
a ti ver echado e quizer restilui-ia,
dirija-se a ra da Cadeij do He-
cile, primeiro andar da casa n.
38, que ser gratificado com a
quantia que valer a mesma ataca.
Do abaixo assignando fugio, em 6 de
dezembro do correte anno, o seu escrevo
crioulo de nome Antonio, de trinta annos
pouco msis ou menos, estatura regular,
corpo cheio, plhos amortecidos e falla des-
hancada : esleegeravo foi comprado a Mi-
nel Galdino Wnderley Lias, morador do
engenh*Brejo Novo, eru SennbSeni ; dizem
quefra quem oseduzio psrs fugir, eque
o tenilido econtina a ter em s poder,
ora no dito engenho Brejo. Novo, ora no de
nominado l'o Sangue, tambem em Seri-
nba>m, de propriedade de um seu prente.
Roga.portanlo, o mesmo abaixo assignado
a appreheosSo do dito escravo, rugando-a
lasabem a qualquer particular, a quem pro-
meti a gratiflceeo de 50.000 rs. logo que
llie entregue o dito escravo, na ra Uireila
desta cidade. sobrado i). 121* ou no enge-
nho dos Pilos, freguezia de Santo Amaro
du Jahoalao. Jos Fernandet da Cruz.
O enrarregado do recoohecimento, me-
digflo e domarcaco dos terrenos de mari-
nha, convida tus Srs. abaixo deacriplos ou
aosseus procuradores a congparecerem na
casa desua residencia na rus Uireila n. 78,
de menhfls das 7 horas as 9 e de tarde das
- *t Pr so Ibes marcar o da om que
teem dna>si>tirem a medjgflo deseus terre-
nos ; aliui de seren remeitidos oseaos re-
querinentos a thesouraria da faienda geral
para, serem psssadoa os respectivos ttulos
de a lora mritos ; assim como lembra to-
dos oa seotiores que pelo edital da tbesou-
raria foiam notificados, para liraiemosti-
lulos de afora melos doa terrenos que Ibes
foram concedidos, que o praso dos 60 dias
marcados. linJs-se no ultimo do correte
Manoel Consalrts Perer Jos Uiiz de
Souza, Jos dos Sanios Nunea de Oliveira,
lierdeirosdo fallecido Antonio Teixeira Lo-
pes, Joaquim Mara de Orvalho, herdeiroa
do fallecido Jos da Cunha Teixeirs, e ad-
minlslrs(fio do patrimonio dos orphios.
Fabricado asplialto, om Fra ile
Portas, em frente do chafariz
da ra do llnnu.
Para ladrilhar casas terreas, lerrsfos pea-
seios de rusa, soleiras de janellas quanuo
se acharo rotas, pela mi oualidade da pe-
dra, iio ba coropoaicalo saWior do que aeja
a inasta denominada aapaMc, per ter c!;
mesma consistencia de peira, deveriam os
Srs. proprislarios approveitar o lempo
de verilo por ser uiais fcil a applicafio da
referidaxnarsa, o precathON) mais commodo
poasivel, por cuja raaflo era boa occaailo
Eara apeifeijoarem os pssseios da ra di
ella vanesa brsaileira.
O Consultorio hotnosopatbico, O
O ra do Collegio, n. 85, O
O Do Dr. P.de A. lobo Motelo. O
Q ODr. Moscoso d consultas lodosos &
p dias. Osdoenles pobres sSo tratados "
!? de graga. S ser lio visitados em suss *
casas aquellrs que nSo poderem vir O
v ao consultorio, ou que. suas moles- C
O lisa nao possam dispensar s presen- Q
O C do medico. 0
0OG0OG>OO000O
Francisco Jos de Paula propOe-se a fa-
zer qualquer escripturaflo commercial, do
que tero baalante pratica, isto mediante um
mdico estipendio, podendo quem quizer
utilisar-se de seu prestimo, procura-lo na
rus do Aragflo, na Boa Vista, ou annunciar.
Os Sra. Manoel Ferreira Ciniz e Jos
Joaquim Ferreira Rabello tero cartas na pra-
ca do Commercio n. S, I,*andar.
Sexla-feira, SO do correte mez, na
igreja de Santa Rila dests cidade, ba para
sedizer roissaaem sufrsgio, com a asmla
de 800 ris.
~ Trocs-se um Santuario noto, chegado
estes dias do Porto, obra muito Superior,
tanto por ser de bom gosto, como porque
as imagen sSo muito ricas: ns rus do
Crespo n. 19, se dir quero vende, ou fslsr
no Hospicio sitio junto so Sr. Arsenio.
l).iu-se 350,000 ris a premio sb penho-
rea de ouro, ou com boas firmas ; na ra
estreita do Rosario iravesss do Queimado,
loja de miudezas n. a A, se dir quem da.
O abaixo assignado faz scienle so Sr.
arrematante das agoas rdanles de prodc-
elo brasileirs, que desde o dia 1 de Janeiro
de 1851 deixa de vender tae generoa na
aita taberna aita na ra da Madre de Dea
0.18. Antonio Uarliui demonio Vianna.
N ra larga do Rozario loja de miu-
dezas n. 16, preciss-se de um csixeiro com
pratica do mesmo negocio.
Alugs-se ums gsla psrs bomem soltei-
ro, ns ra do Livramento, n. 1, primeiro
andar: nesla typographia, se dir quem
luga.
Offerece-se para caixeiro de qualquer
estabelecimento.'a excepeflo de venda, urna
pessoa com habilitacOes, dando fiador i sua.
conducta : quem pretender, dirija-se i ra
Nova n. 60, primeiro andar.
Precisa-se arrendar annualrenle um
sitio bem perln ds praca, tendo planta de
capim para deus csvallos, sinds mesmo
principiando o arrendamentoem Janeiro ou
fevereiro em diante : quem liver annuncie
Precisase de urna ama que saina co-
zinhar e eugommar, para cass de homem
solteiro : em Frs de Portss, ra do Pilar,
o 39.
Aluga-se pelo lempo da fests -ou an-
nulmenlea casa dedoussndsres, del'ron
te de S. SebestiSoem til inda, coro commo-
dos para grande familia : a tratar na mes-
ma csss, ou ns rus da Cadeia do Recife, lo-
ja n. 50.
Engomroa-se e Isvs-se lods a qualida-
de de roupa com todo asseio e muila promp-
tidlo, por preco miis comino lo do que em
outra qualquer parle : os ra de Aguas-Ver-
des, n 26.
-- Aluna-seo segundo andar do sobrado
da ra Direita n. 90, coro commodo para
grande familia : na ra Direita n. 93, pri-
meiro andar.
::--
> O facultativo J. b. Cssanova mudou U
V o seu consultorio hoaiceopsthico ds #
fc ra da Cadeia para s ra das Cruzes J
$ n. 98, segundo andar, onde contiua A
Folhinhas de almanak.
Sanio i luz a folhinha de algi'beir, a
qual se aclis reunido o almanak civil, mi-
litar, administrativo, judiciario, commer-
cial e industria! desta provincia : vende-so
oor 390 rs. na livraria ns. 6 e 8 ds prsca da
Independencia. Esta folhinha que nosnno
lindo cbntinhs 256 paginas, foi enrequeci-
ds com mais 32, sem augmento de prego.
Mercurio.
Na rus do Queimado n. 11, vendem-se
caixinhascom mercurio de 3, A e 5 libres,
chegado ltimamente de Luba ;pelo bri-
gue Novo Vencedor,
Gomma superior.
Na copfeiloria da ra esireits do Rozario
n. AS, vendem-se saetas com excallente
gomma, pelo preco de 6,000 r.
Carnauba a retalho.
Na ra do Rozario eslreita n. 43, vnde-
se superior carnauba a retalho, por preco
commodo.
Vendem-se dous csvallos, bons anda-
dores, e um ptimoquartao, por prego com-
modo : oa ra do Collegio o 5. ou no aitio
Ja viuva do teneute-coronel Costa, no Moh-
dego
Vende-se a casa terrea n.
9, na ra deS. .Miguel dos Ali-
gados : a tratar na mesma.
Vende-se ums cadeira de doos bragos,
forrada de damasco de ISa e guarnecida de
retroz : na ra de Agos- Verdes n. 93.
Vende-se roanteiga inglesa superior, a
710 ; dita Tranceza, a 320 a libra ; vlnho do
Poalo, a 320 a garrafa ; dito de Lisboa, a
240 ; cha superior, si, 600 a libra; choco-
late de Lisboa, verdsdeiro, a 400 rs. s li-
bra ; cevada, a 80 rs ; azeite doce, a 610 a
garrafa ; viuho da Madeira. a 800 ra. a gar-
rafa ; chourieas, a 480 a libra ; farinha de
araruta, a ICO; dita do Maranhto, a 120;
louca esmaltada, de- todas as qualidades,
por preco commodo; orna flauta muito ri-
ca, apparelliada deprata, com chave; um
diamante de cortar vidros ; e um relogio
horisontsl om quatro ca xas de prata : no
Aterro da Boa Vista, venda n. 80.
Lura* de pellica para homem e
aenboi'ii.
Vendem-se superHes. luvss de pellica,
muito novas e sen deleito slgum, tanto pa-
ra homem como para seuhora, pelo barats-
imo preco de 1.000 ra. o oar : na ra do
Uueimudo, loja de miudezaa, junto de ce-
ra n. 33.
9 Vende-se cimento : no becco do Q
Concalves, no Recife, n. 8; assim co
^ mil Dimla, 1.KIJ*a 11* .... .( Pa.lni
dir o motivo da venda : na rtia da Cadeia
Velha n. 94, primeiro andar.
Aos marceneiros.
Vendem-se formonse goivas psrs carpi-
os e carpintelro, p ferros para plana com
capa eaingellos: todos do seo mais fino
posaivel : em casa de A. S. Corbett, na ra
da Cadeia do Recife o. 48.
Attenco.
No Aterro da Boa Vista, loja de miudezas
n. 54, vende-se urna veneziana para veran-
da, em bom estado e por prego commodo.
Na ra Nova, n. 8, loja de Jos
Joaquim Moreira &C. ,
vendem-se famosos chapeos frsncezes para
homem, de formas mui lindas e modernas,
e deoptims pe lucia.
Vendem-se amarras de ferro: na ros
da Senzalla-Nova. n. 49.
Casa ili'.modiis francezaa de Bu-
essard MlIIocheau, Aterro da
Boa Vista n. 1.
Recebeu-se pelo ultimo navio do Havre
um lindo sortimento de modas ver Isdeira-
mentn parisienses, consisti lo ero chapeos
de seda, de palha e de mentara para senno
ras, vestidos psrs bailes e cassmentos, man-
teletes e capotinhos, plumas flores, colle-
rinhos de bico verdadeiro, corles de cassa
e esmbraia hranens de cores, lengos de
mSn <1e eambraia de linlio e de algodBo, ea-
partilhos, bicos verdadeiros e outros, fitas
de toda a larguras e core, transas, fran-
jas, luv .s, cnapos de palha para meninos
e meninas, vestidos para' as ditas, fitas,
cambraias, lencinhos degarca e de sedal
veos e mantilhas para casamento, e mais
oulras fazendss que se veiuIerSo muito em
conta.
Globos de vldro*
Anda rests cara vender-se alguna globos
de*18 snnos, bom cozinheiro, bolieiro, des-
tilador, que sabe fazer toda a qualidade de
ago'ardentes, licores, champes e chocola-
te ; tambem engomms, cose de alfaiate e
tem principios de sapateiro ; be muito sa-
dio e robusto, proprio para quem deseja
possuir um eseravo para todo o servigo, por
ter sido criado oeste trabalhos : o motivo
por que se vende he por nSo se precisar mais
delle psrs este flm : no Aterro ds Boa Vists
n. 17.
Vende-se cera de carnauba : na ra da
da Senzalla Velha n. 100.
FOI.HIMIAS 1'AlA 1851.
Na livraria da praca da Inde-
pendencia, ns. 6 e 8, vendem-se
folhinhas de algibeira e porta pm-
ra o anno que vem.
Vendem-se doua escravos, sendo um
preto sadio, de bonita figura e hbil para
todo o servigo, e um pardo, tambero aadio e
ptimo para pagero : ns rus ds Csdeia Ve-
lha n. 33.
Vende-se uro engenho, sito na fregue-
zia deSerinhSem, distante tres legoas do
embarque, movido por agoa, com muito
boas obras e meia legos quadrada de boas
trras, ou troca-se tambem por predios nes-
la cidade e seus arrabalde: a pessoa a
quem convier, pode entender-se com o Sr.
Cuilherme da Silva GuimarSes, na ra do
Crespo n. 3
Aos ao:000,000 de rs.
Na ra larga do Rozario, botica n. 49,
receberam-se as lisias das loteras do SS.
Sacrsment e do monte pi do Rio de Ja-
neiro, eahi foram vendidos os seguintes
nmeros da do SS. Sacramento, que sahi-
ram premiados, a saber : 1987 401 000 rs. ,
191240,000 rs., 3146 40,000 rs., 3671 40,000
rs. 868 40,000 rs. ; bem como bilheles ds
terceira loleria a beneficio da igreja da ma-
de vidro proprios para escada, corredores eltrz deS. J0S0 Baptista d'Alaga, chegados
mesmo para lluminagOes por serem muito 'ltimamente pelo vapor, osquaes vendem-
commodos em lamanho : ns rus do Trapi-| se pelos precos seguintes: inleiros 92 000,
meios 11,000. quartos 5,800, oilavos 9,900 e
--------,-- -~~, mv ..v^aav, ... v .-ni \,*j- .
mogarrafas vasias, na ra da Cadeia Sr
& Velba n. 64, a prego commodos. Q
000*900000 OO0OO0
Vendem-se duss vareas paridas ha pou-
ros das : no sitio ds csixs d'agoa do Sr.
Manoel Joaquim Carneiro Leal.
Vendem-se pszinbos de rozeirss e de
craveiros .- na Soledade, indo pela Trempe,
Vende-se, em casa de Kslkmann Ir-
mos, um rico sortimento de ohrss de ou-
ro, como sejam : sderecos, allnetps, brin-
cos, pulceirss, correles para relogio, an-
aeis, volts, etc. : tudo do ultimo gusto-
Vende-se tinta de oleo em litas: na
ra da Cruz n. 10, casa de Kalkmann lr-
roos.
Vende-se barato.
Ns rus da Senzalla velha n. 96, vende-se
muito em conta fumo de foltia que serve
psrs caps, pois s tem dous fardos de res-
to, deaeja-se acabar a dinheiro.
Attenco.
O vapor lmperatrlz acaba de
novamente trazek* o InteresHante
llvro lntltulado-
fiegredo da gera^o
ou arte de procrear rapazas ou rapsrigas
espirituosos, de orna-los com o dom ds
belleza, de liave-los sadios e robustos: pre-
cedida da descripgto das partes naluraes do
homem e da mulher, com a indcacSo do
uso particular de cada urna de.las ; termi-
nada pela exposicaje dos meios bygiencos
a conservar grande potinca em amorat
mais avaucada idade. Por Morel de llu-
bempr, medico pela fscoldade de Paria.
Ha poucas questoes tSo dignas de excilsr a
noesa earioaidade, como a de que trata o
presente Uvro, o qual instrunJo, tem urna
tendencia para a moral. Indicar o conleu-
do doa captulos mui decentemente escrip-
ia, sera suficiente para justificar o que
che-Novo n. 10.
Feijo mulatinho em saccas
de alqueire.
Vendem-se, por prego muito barato, ssc-
cas com feijSo mulatinho, chegado ha pou-
cosdias, para fechar cootas : no eses da
Alfanlega, armazem de Dias Ferreira.
Lotera do lio de Janeiro.
Aos 30:000.co rs.
Na loj de miudezas da praca da
Independencia n. 4 vendem-se
bilhetes, meios, quartos, oitavos
e vigsimos da terceira lotera a
beneficio da igreja matriz de S.
Jo5o Baptista da Lagoa. Rece-
bem-se bilbetes de tod is as lote-
ras em troca dos que tem a venda.
Na meama loja foram vendidos os
eguintes premios : da a5. lotera
lo monte pio,n. 4696-80:000,000
e 1767-400,000 ; da lo lotera do
Santissmo Sacramento, n. 583o
1:00o.000 e (987400.000 ra.
Na loja de miudezas da ra dos Quar-
teis n. 94, vende-se rap meio grosso fran-
cez, chegado ltimamente do Rio de Janei-
ro Na mesma loja tambem vendem-se car-
tas frsncezss linas e ordinarias.
Veniie-se espirito devinho s 1,000 rs.
a caada : no pateo do Paraizo n. 20, ta-
verna.
Charnlosde S. Flix, a 2,400 rs.
a csixinha de loo.
Vende-se esta bem conhecida quslidade
de charutos, na ra do Queimado n. 16, lo-
ja de Jos Oas Simes.
I.ote 1 -la de N. s. lo Llvramentc.
Na ra da Cadeia, n. 46, loja de miudezas,
vendemso os muitos fortunados mejos bi-
lbetes, decimos e vigsimos da mesms lo-
leria, que corre inipreterivelmente no dii
94 do correnle. Nos vigsimos ns. 836 sahi<
o premio dos 5:000,000 de r. da loleria do
Livramento que correa no da 30 do passa-
do. Meios s 5,500 rs. ; decimos, a 1,100 rs.;
vigsimos, a 600 rs.
Fumo em folha para charutos.
Vende-se, por barato prep.0, fumo em fo-
lha para capa e milo de charutos: no cae
ds Alfandega, armazem de Das Ferreira, ou
ua ra do Trapiche, n. 34, a tralar com No-
vaes&C.
2
Paulo Matajnmix, dentista #
francs, offereee sen prest-
nao ho publico para todos os 9
mlsteres de sua proflsso : 9
pude Mr procurado a qual-
qner hora e m' sua en su, na tj)
111 largado loaurlo, u. 30, #
segundo andar.
do
Collegio n. 3, qllOeita para a mesma ra ;
quem pretender, d.rija -l a traveua do
Sarapatol, a tratar com o Sr. Manoel Jos
de Ssnl'Anna Araujo.
ivrdeu-se na tarde de terca feirs 17
do corrale urna eaixa dechifre, toda es-
maltada de braaco, circulada de tartaruga,
os lugares tOodiecife, Capurtga, I'asssgein e'
Hospicio,' ped-se a otssoa que a scaou a
que a dita ciss he murada em roda tea.
um grande copiar tapado com frente a sa-
luda para o rio; a tratar na rus do Trapiche,
armazem n. 44.
No bilbar francs da ra Nova haverSo
sorvetes lodos os dias,das 6 horss da larde
em diante. ^
a dar consultas 'odos oa alias. Os po-
bres serfio tratados gratuitamente, t
Aluga-se urna caaavuo Poco da panel,
la com bons commodos pira grande famiiia-
estribaria para quatio cavaJloa, boa agoa del avengamos.
b.oi, o jaruim na ireuU. ; :: ?ne-s maisl Cap. l.,^*ffcr!pc?'> das partea j-eIs
de bomem e da mulher.
Cap. 9." Partes sexuses do homem.
Cap. 3.'Parles sexuaes da mulher. Di-
greseflo cunosissima sobre os signaes da
virgindade.
9.' parte. Arle de procrear os sexos a
vonlade, fazendo macho om femea.
3 parte. A arta) de fazer filboa espiri-
tuosos.
4. parte. Arte de fszer filhos bellos.
5.a psrle. Arte de procrear filhos sadios
a vigorosos.
6.' parte,he a maisijmportante pera todos.
Meios bygiencos para conservar a potencia
al mais avaugada idade : vende-se no pateo
do Collegio, casa do Livro Asul.a 4,000 reis
a obra, eucaderuada.
Vende-se um capado bastante gordo :
na rus do Colovello os. 29 e 31.
Franjas para manteletes.
Na loja do J0B0 Francisco Mais, na ra
largado Ruzaiio n. 96, vendem-so franjas
nara manteletes, pelo barato preco de 360
rs. a vara.
. -- Vende-se urna prela moca, crioula, a
qual ssbe perfellamente engommar, cozi-
nhar latir e coser cba>> ao comprador se
i
Compras
Comprarr.-se urnas venezians m se-
gunda mo : quem liver annuni, di di-
rija-se a ra da Guia n. 9.
-- Compra-so usi violo pequeo, rc-
prio para urna meaina de ti snnos: ns ra
do Collegio n. 95, segundo sndar.
-Conipra-se a collo)t* do Progrttto,
Revista Social, Lilteraria a Scientifica, pu-
blicada em Paraambuco a tambem os ni
I, 9 e 10a paite. Dirigir se ros daa Trin-
cheiraa sobrado 11. 19, ou annuncie.
Compra-se uma enrente ou cordfio
grosso, a urna medaha ddouro de lei, sem
feitio : ua rus larga do Rosario n. 48, pri-
meiro andjfi
--CoroaMMaaaTiacadeiriiilia da Babia :
na ra djMpalT; teicsiro sad.
Cera em velas.
Vendem-se velas de cers, chegsdss lti-
mamente do Rio de Janeiro, muito bom
sortimento: no eses ds Alfandegs, arma-
zem de fiias Ferreira, ou na ra do Trapi-
che, n. 34. a tratar com Nvaes & C.
-- Vcndc-se um bonito cabrlolet deseo-
berlo, de elegante molde, proprio para os
pssseios da Tests, por commodo prego: na
ra do Collegio n. 16, primeiro andar.
************ mmmmmmmt
C?" Aos 5:000,000 rs. _ff 1
Vendem-se bilbetes e meios ditos i
da loteria a beneficio das obrss ds i
igreja de N. 8. do l.ivramenlo. que !
corre no dia 94 do correnle, vespera
de feala, e oeate mesmo dis compro- 9
nielte-se o thesoureiroa MHrataM.
mios que por aortesahirem : a elles. 1
amigos, que restaro poucos, e sem I
dinheiro nSo he possivel baver feate- W
jr.a pelos diss santos da festa. Habili- >
lem-sequanto ant s, pois feliz ds- W
quelleque a sorte lhe houver desii- ft
nsdo tal premio : na esquina da ra m
do Cabug, loja n. 11. junto a botica S
do Sr. Joto Moreira Marques.
I jrnmmmmmmmw m^mmmmmm,
Vende-se ou troca-se por ums assa ter-
rea dentro da praca um muito bom sitio
com 4t pslmos de frenle e 1,900 de fundo,
com muitas fiuteiras, coosistindo ero co-
queiroa, dendeteiros, jsqueiras, jambeiros,
pilombeiraa, cajueirua, mangeiraS de Ha-
maraca, goiabeiraa brancas e encarnadas,
aracazeiros, mangabeiraa, condessai, la-
rangeiras de embigo. china e da trra, oitis
coros, ditos da praia, bananeiraa, limelraa,
etc. etc., pasto para ter duas vaccaa an-
nualenla, boa agoa de beber e ama casa
de taipa, rebocada, ladriibade, com duaa
salas, doua quartos e cozinha fora. na es-
trada de Belem : a tratar com Frederico I
Chavea, morador no Aterro da Boa Vista
n. 17.
- Vende-se um indo
vigsimos 1,400 rs.
tiunii quizer poupar
venhs ver e comprar, pois o ganho de quem
vende fies em mSos dos compradores, esem-
pre ficam logrsdos seus amos ou sen llo-
res. Vende-se manteiga ingleza da melhor,
a 610, 480, 400 e 320; banha, a 360 ; cha, a
1,990 ; eapermacle, a 790 e 40; carnauba,
a 320 ; latra, a 940 ; macarrSo e talhanm,
a 200 ; tapioca, a 190; farinha de araruta,
a 300; caf de carogo, a 900, chocolate de
Lisboa, a 400 a libra ; toucinho, a 900 ; bo-
lachinha ingleza, a 980; quoijus, a 1,600 ;
azeitonas novas, a 210 a garrafa e a 1,600 a
ancorla, leudo mais de caada cada uma ;
niilho alpisia, a 960 a cma ; azeite-doce, a
720 a garrafa ; arroz, a 70 rs. a libra ; e ou-
tras muitas cousas que se dar o prego a vis-
ta do comprador : na ra Nova, venda n 71,
ao p da ponte, e no Aterro da Boa Vista,
vends n. 54, so p ds loja do Sr. Eslima.
Farlnba
de superior qualidade, a 2,000 a sicca : n
armazem deCampello Filho : na ra da Ca-
deia do Recife n. 64.
Lotera do Kio-de-Janeiro.
Aos 30:000,000 de ris.
Na praca da Independencia loja 11 3, que
rolla par* a ruma ifo Qaaimrdo o Crespo,
vendem-se os muito afortunados bilheles,
meios, quartos, oitavos e vigsimos da ter-
ceira lotera a beneficio da igreja matriz
leS. Joo Baptista da Lagoa. a mesma lo-
ja esto patentes as listas da 25 do monte
po e 10.a do SS. Sacramento do Ro de Ja-
neiro.
Doce de calda
de todas as qualidades de frutas, mais bem
feito possivel, s librss e em barrilinhos,
proprios para embarque, e por prego mais
commodo do que em nutra qualquer parte :
na ra do Queimado n. 2, esquina do bec-
co doPeixe Frito.
Vende-se uma escrava de 20 annos com
todas a qualidades para bem servir a uma
casa : em Frs de Portas, atrs ds igreja do
Pilar, da parte do mar n. 94.
Rap Paulo Cordeiro.
Vende-se rap Paulo Cordeiro a libras,
meiasea olavas : na ra larga do Rosario
n. 44, loja nova.
Caixas para rap.
Vendem-se superiores caixas redondas
para rap, pelo baralissirrio prego Je 2,000 :
na ra do Queimado, loja de miudezas,
junto a de cera n. 31, nos quatro cantos.
Vendem-se confidencias de Rapbael por
Lamartine, e recreagSo piiilosofica pelo pa-
dre Theodoro de Almeida: na ra Nora Da-
mero 16.
Aos 30:000,000 de rs.
Na ra do Queimado, loja n. 23, vendem-
se oa muito afortunados bilheles, meios,
quartos, oitavos e vigsimos da terceira lo-
t.iria a favor da igreja matriz de S. Joflo
Baptista da Alaga, cuja- lista chegarS no
primeiro vapor. ,
Vende-se a taver.ia sita na
ra do Alecrim n. a, com poucos
fundos : a tratar na ra da Ma-
dre de Deosn. 3O.
Vende-se um carro de quatro rodas pa-
ra um ou doua cavallrs, n qual foi todo pre-
uarado ha pouco : na cocheira do Francois,
becco do Cspirn, na Boa Vista.
venue-se novamente geio peiu mesmo
preso do aoligo: na ra da Senzalla Velba
n. 112 Na mesms cass vende-se roIBo ham-
burguez em garrafa, ou na rus da Cadeia
n. 15.
Vende-se ums toslbs de Isvarintosia-
gelo, toda rodeada de blcco : na ra do Ro*
rlOds Boa Vista n. 16.
Ceblas
a 440 rs. o canto: vende-se no armazem *)
Campello Filho, ra da Cadeia do Recife
o. 64.
redil 11 clin para a feate.
Vendem-se sapaloes de lustro a 2,5M, -
3,000, 3,500 e 4,000 rs : no Aterro da Boa
Vista, luja o. 58, junto a do seleiro.
Vendem-se 14 aeraros, sendo 1 oflical
de pedreiro, de bonita figura i 1 dito car-
reiro; um moleque de 8 para annos, mui-
to lindo ; 6escravas mocas, a> bonitas figu-
rss, e entre ellas alguoiaacoan habili Jadea ;
5 escravos para o aervigo desatan)po : oa
ra Direita n. 3.
Moendas superiores.
Nafunigaode C. Starr A Compenbia ,
em S.-amaro acbam-se i venda meaaadas
dfl canna, todas de ferro, de um modelo a
moleque criouio, 'consiruc^ao mullo (superior,
m



\
Vende-se superior farlnlm .
gallega, em meias barricas : no escriptorio
de Deane Yonle & C., ou era seos armazens
do becco do Concalve.
. Vendem-se sabooetes higinicos, !o
mais superiores que teem vindo a este mer-
cado, assim como outras perfumarlas muito
finas: na na da Cadeia Velha n. 24, prl-
meiro andar.
Cal e potassa.
Vende-se a mais nova e superior potassa
que ha no mercado, e cal vilgem em podra
chegada pelo ultimo navio do Lisboa, por
preco commodo : na ra da Cadeia do Re-
cite, n. 50, a fallarcom Cunha & Amonio ;
assim como um restante de harria da mes-
ral cal, que flcou da safra paseada, por ba-
rato preco.
Vende-se urna sextante nova feta por
um dos melhores autores de Londres e tam-
ben) um orisoote artificial e um Iheodilele :
na ra do Trapiche armazem n. 44.
\:io he exngerae&o.
Vendem-se gipatOes de couro de lustro,
obra muito boa, a 9,500, 3,000 e 3,500 rs.:
na ra da Cadeia do Kecife, loja n. 9.
Cobertores de. tpele para
escravos.
Ja se vendem os acreditados cobertores
de tapete para escravos, a 720 rs. cada um ;
por isso venham a elles antes que se eca-
bom, ou passem para mais alto preco : na
ra c!o Crespo, loja da esquina que volta
para a cadeia.
Ilap Faulo-Cordeiro.
Wnde-se effeclivamente este escolente
rap, na ra da Cadeia do Becife, n. 50, lo-
la de Cunha & Amorirn.
A i,6oo rs.
Vendem-e novos cortes de brim tranca-
do escuro com duas varas e meia cada corte,
a 1,600; cassa franceza de bom gosto.a 9,600
rs.; pecas de esguiSo de algodSo com 12
varas, a 2,400 rs. a peca ; cobertores de al-
godSo de cores, a 720 re. : na ra do Cres-
po, n. 6, loja ao p do lampeSo.
Pecas de esguiao a a,5oo rs.
Na loja da ra do Queimado, n. 17, ao p
da botica, anda lem para vender pelo ba-
rato preco de 2,500 rs. ; pecas de esguio de
algodSo, com 12 jardas, muito proprio pa-
ra camisas de senhora, por ser mais largo
que o madapolSo.
Para acabar vendem-se,
na ra do Queimado, loja n. 17, cassas Tran-
cezas de 19a aberlas, e de padroeg muito
delicados, a 400 rs. o eovado ; cambraias
de cores modernas, a 560 rs. a vara ; cliiUs
francezas do roelhor gosto que tcm vindoa
este mercado, a 320 e 360 o eovado. DSo-se
as amostras.
Deposito de cal virgen.
Na ra do Torres, n. 12, ha muito supe-
rior cal nova em pedra, chegeda ltima-
mente de Lisboa no brigue Tarvjo-Terceiro.
Cabecadns lnglezas.
Vendem-se cahecadas inglezas rolicaa e
cniUs, loros e silbas de 19 : na ra du Tra-
piche n. 10.
Vende-se superior e muito
nova fuiiba de mandioca, chega
es-
, na
da a
do S.-Calliarina pelo bri-
fne Soares, ancorado na volta do
orte-iio-Mallos ; quem a quizer
comprar por menos do que em ou-
tra qualquer parle,dirija-se a bordo
do mesmo navio, ou ao escriptorio
de Oljveira, Peiva & C na ra
da Alfandega-Vellia, n. 5.
loo sarcos novos de e.-topa.
Vendem-se 100 saceos novos de estopa e
algodSo, por ataca lo a 320 rs.cada um : na
ra larga do Rozario, n. 48, primeiro an-
dar.
Bom negocia.
Vende-se ou troca-se por casas terreas ,
mu terreno em frente do quartel do Hg-
I icio, o qual leal una olaria ; tendo de
fenle 107 palmos e de fundos desde a ra
da Aurora al a do Hospicio: este terreno
lem logar para se edificar 15 moradas de
casas com mais de 30 palmos de frente, e
200 de fundos; faz-so negocio com lodo o
terreno ou com ruetade : na prc da Inde-
pendencia n. 17, para tratar.
Vende-se rap superior de Paulo Cor>
deiro; na ru< da Cadeia do Recife loja de
JoUo los de Carvalho Moraes, e igualmen-
te se vende na mesma loja penas de ouro
con icos de diamantes.
A ellas antes que se acaberh.
Cbegaram os procurados sapatos de cou-
ro de fostr de orelhas de 2,000 a 2,400 rs ,
obra forte: ra ra da Cadeia do Recite n.
9, Idja.
8SSK.
Frinhaa nova da marca SSSF, Chegada
ltimamente : na ra do Amorirn n. 35, ar-
niazem de J. J Tasso Junios.
1'otnssa.da l Vende-se potassa da Russia, recentemen-
te enejada, e de muito superior qualidade :
na ra do Trapiche, n. 17.
. Sui><>ni-te giandv a 8ors.
Vendeai-st (abneles grande, a 80 rs.
froco, a 100 r. a vara: uu Aierro-ua-bu-
Vista, n. 48, loja. A Desque be jiouca por-
o.
oteris de N. S do Livrnmento.
!Ma prac da Independencia, n. 4, loja de
miudezas, vendm-se os afortunados bl-
lhetes, meios, quartos, decimos e vigsimos
da lotera de N. S. du l.ivrnmenfo. que cor-
re inrpreierfvelmene no dia 24 do correle.
Bilbetes I.OOO
Meios 5,500
Ooartos *" 2,600
Decimos 1,100
Vigsimos 600
Vetfde-se bichas prelss gran les de su-
pe,r4aVqolldade porametade doprecoque
o iirbeiros slugsni; na ra da Cadeia do
Recife n. 2.
Chapaos d sol.
Vendem-se chapeos de sol de seda preta
ede'cores, para houiens, ,euhoras e menino, por pre-
co mais coijuiodo do que em outra qual-
quer parte : na rua do Pasgeio o 5.
Vendem-se os vi rdiidriros e aprecia-
veia etoarutos de H ivana la Norma : na rua
ii. 1.
E Vendem-se s bem conde-
cidos piiulas de Morison : no
criptorio de A. S. Corbett
rua da Cadeia, n. 48.
Superiores vinhos.
Na rua da Cadeia, n. 1,
vendem-se excellentes vinhos de!di
versas qualidades, tanto engarra-
fado, como em harria, sendo do
Porto, Figueira, Bucelas, Maileira,
Cracavelos, Colares, Moscatel de Setubal,
etc.; assim comooutros muitos generode
ptimas qualidades, e de quo sempre ests
prevenido este estabeleciment.
Espirito di 3H graos.
Vende-se espirito de 38 graos a retalho a
l,000 rs. a caada : na deslilacilo da traves-
sa da Concordia.
Cortes de caseinira, a 3,5ooo
a 4,ooo rs.
Vendem-se cortes de casemira de cores,
a 3.500 e 4,000 rs.; advertimln aos amantes
do bom e barato que esta fazenda he dos
rnelheres gostos quo tem vindo ao mercado,
por isso recqmmendi-se que venham a ellas
lantes que se acabem : na rua do Crespo,
ioja da esquina quo volta para a Cadeia.
Cigarrilhos hesnanhes.
SSoch-gados os excellentes cigarrilhos
hespanhes ao deposito da ruada Cruz, n
Recite,, n. 49.
Jloin c barato.
Vende-se a bordo do brigue U3o, fuirtia-
do junto ao Trrpiche do algodSo, muito boa
farinha de S -Calliarina, a preco de sele pa-
tacas o alqueira da medida velha, vende-se
por menos preco poreflo gradde, por ji ter
parle della vendjda.
He baratissimo.
Vendem-se ricos chicotinhos, a 600 e 800
rs. ; charuteiras douradas, fazenda milito
superior, a 1,800 rs. ; pcnles com espelho,
proprios para suissas, a 320 rs. ; escovas fi-
nas com espelho, para cabeca a 1,000 rs.
carleiras com mola para guardar diirho, a
610 rs. : Gvelinhas douradas e prateadas
para collele e calcas, a 200 rs. : na rua do
Queimado, n, 33, loja de miudezas, junto a
de cera,
ma*mm*% mmm*mauu*M
Na loja do sobrado amarello nos
quatro cantos da rua do Queimado n. m
29, vende-se o seguinle '. 9
Cortes de caifa de casemira,
padroeg novos 4,000
Ditos de dita de brim tran-
cado decores, puro linho 3.000
Alpaca de cores, proprta pa-
ra casaca e palito, eovado 800
Chapeos de massa.francezes 6,000
Lenqos de seda para grvala
800rise 1,000
Luvas finas de fio da Escocia
para bomem 320
Corles de tapete para sa pa-
los, guslu a Turca 800
(iravainillas de seda para so-
nhora 1,000
Chapeos de sol de seda para
senhora a 2,500 e 6,000
Pe^as de chita com 38 covs. 5,000
Ditas de cassa de quadro
com8 1|2 varas 1,280
Cortes de cassa de cores -2,000
Lencos de cambraia de seda
d>' franja, pira senhora 800
Meios chales de seda 6,000
ar na rua d Queimado, n. 8S, loja de
miudezas, junto a de cera, nos qualro-
dantos.
Meias de laia para padree.
Vendem-se superiores meias de laia para
padres, pelo baratissimo preco de !,000 rs. :
nenia doQunimado, n. 33, loja de miude-
zas, junto a do cera, nos quatro-cantos.
Luvas de cores de fio da Escocia.
Ven lom-so luvas de fio da Escocia, aeni
defeito algum, proprias para montarla, pe-
lo barato preco de 320 rs. o par : na rua do(
Queimado, n. 33; loja de miudezas, junto a
de cera
(iarapucas de seda preta.
Vendem-se carapucs de aeda preta par a
homen., a 640 ra., preco ste que faz a-d
mirar: na rua do Queimado, n. 33, loja de1
miudezas, junto a de cera.
Toucas de seda pretas para
criancas.
Vendem-se toucas de seda preta para
criancs, pelo diaiinulo preco de 500 ra. :
na rua do Q'ieiwado, n. 33, loja de miude-
zas, junto a de cera.
Lustro para sapatos.
Vende-so graxa em latas, superior ou-
tra qualquer qwe ippireca no mercado,
pelo diminuto preco de 1,320 ria a duiia, e
a 120 ria a lata : na rna Direita n. 81 loja
de miudezas.
(Jma parda boa rosinheiri.
Vendem-se urna bonita parda de 20 annos,
boa cozinheira e fVgom madeira, de boa
conduta o que se allane ; e um preto.bom
trabalhador de enxada, muito robusto : na
rua larga do Rozario n. 48primeiro andar.
Chitas roxas para luto a lio is
Vendcndem-sa chitas roxas limpa, para
lucio aliviado a 120 ris o eovado, e a peca
a 4,500 ris ; cortes de cambrai, boa fa-
zenda por ser de cores fixas a 2,600 ris : n
rua larga do Rozario n. 48, primeiro ndr.
Vendem-se um par de brincos de fils-
grS,obr ainito bem feita, assiro como sa-
patos de duraque preto para senhora : ra
rua do Livrameiito n. 11.
- Vendem-se meios bilbetes da lotera de
N. S. do Livraoiento que corre impreteri-
wwwwpmtWw mtmwmmmm %
Cartasfinissimas para jogar.
Vendem-se cartas francezas e portugue-
zns, o n ais fino quo se role encontrar, e
por preco que nio deixarSo de agradar aos
compradores: na rua do Queimado, n. 33,
toja de miudezas, junto a de cera.
Bom e barato.
Vendem-secarteirinhas com agulhas fran-
cezas, a 380 rs.; ditas em calxinbas, a 320
ra.; caizinhas com brinquedos para b)f ni -
nos, a480rs. j ricas franjas proprias para
eortinidos de camas, i or preco que nin-
guem vende; tesourinbas inglezas aiuilo
linas, a 500 rs. ; superiores escovinhas pa-
ra denles, a 160 rs. quadroszinhos doura-
dos com eslampas de sanios, a 120 rs ; li-
nha de peso, a 60 rs. a a piala agulhas can -
lufas, a 60 rs. o jfapel ; pentes finos de ali-
sar, a 360 rs.; bengalinbas de junco, a 200
rs.; agullieinnlios de vidro, a 200 rs. : ba-
bados aberlos de linho, a 120 rs a vara ;
meias brancas para senhora, a 320 rs.;
outras muilas cousas que palo diminuto
preco nSo deixarSo do agradar aos compra-
dores: na rua doQuelmalo, n. 33, loja de
miudezas, junto a de cera, nos quatru-
cantos
icas gravatas de mola.
Vendem-se ricas grvalas dn mola pretas
e de cores, pelo diminuto preco de 1,600 e
2,000 rs. : na rua do Queimado, n. 33, loja
de miudezas, junto i de cera.
Molas para gravatas.
Vendem-se mola para grsvatas, por pre-
So que oSo deixar de agradar aos compra-
ores : na rua do Queimado, o. 33, loja de
miudezas, junio a de cera, nos qualro-
cantos.
Pentes de tartaruga.
Vendem-se superiores peinas do iariara-
ga para utarrafas, pelo diminuto preco de
800 rs. o paj- : na fui do QueimaMo, n. 38,
loja de miudeza, junio a >ie cera.
Caivetes de machina.
Vendem-se superiores caivetes de ma-
china de apparar peona, ptimo para
qnem for curio da visU, pelo baratsimo
prego de 800 r cada um : na rua do Quei-
mado, o. 33, luja de wiudeza, junio a de
cera, nos quatro-cantos.
V He muito barato.
Vendem-se bonetes frsncezes de panno
fino para hometn, ptimopara quem passi
a test, a 2,000 rs. ; ditos de velludo e pan-
no lin par menino, 800 rs.: na rua do
Queimado, n. SI, bija de miudezas, junto a
de cer, aoa quatro-cantos.
Luvas de pellica.
Vendem-se muilo superiores luva de
pellica de ponto inglez para hume ni, a 1,800
r : na rua do Queimado, n. 31, loja de
miudezas, junto a de cera, nos quatro-
cantos.
Luvas de torcal para senhora.
Vendem-se as mala superiores luvas de
torcal que ae pode encuulrar, a 1,000 rs o
excellontea habilidades; tres preta, sendo
duas para o campo e urna da Costa, de eia.
*ante figura e quitandelra ; e urna escrava
la Costa, de 24 annos, muito possanie, pro-
pria para todo o servico.
Dorxeguins a 3,5oo rs.
No Aterro da Boa Vista, defronte da no-
neca, troea-se por 3,500 r. borieguin frao-
cezes para bomem.
Calcado.
No Aterro da Boa Vista, detronl* d* *"
nec, hechegado, pelo ultimo navio rran-
cez, um aovo e completo lorlimento de
calcado de todas as qualidades, tanto para
hornera, como para senhora, meoinos e me-
nina de todas as idades ; assim como os
bem conheeidos sapaloes do Aracaty, Un-
to para bomens como pra muninos: tudo
por preco mais commodo do que em outra
qualquer parte.
Na rua da Cruz do Rcife n. 52, pri-
meiro andar, ha para vender um lindo ea-
cravo, serrador, por preco commodo.
Para a Testa.
Na loja de funileiro da rua Nova n. 38, de-
fronte da ConeejcSo, ha um completo or-
limenlodeonchinaadefazercafe de lodos
o lmannos; areia de moldar auito Una,
viada de Lisboa j vidro de todo o tam-
nho; vermz cvpal de uperiwf quadsde.
a i.ooo rs. a libra ; assim como ha um va-
nado oriinaeoto de obra de folha de
Fia nd re.
Vendem-se duas lindas ne-
gnnhas de ti annos, que cosem,
fazein lavarintos, marcara e fazem
rendas : na rua das Larangeiras
n. \l\, segundo andar.
-- Vemlem-se seis lindos moleques de
18 annos ; seis pretos de 20 a 30 annos, sen-
do un ptimo cozinheiro, dou peritos sa-
pateirose um oleirojdoua pardos de 20 a
a 25 annos, lndo um principios de carpi-
os ; duas pardas de 15 a 17 annos com ha-
bidades; urna dita de oilo annoa ; aeia pr-
tas de 13 a 25 annos, algumis com hbili-
dade, proprias para todo o aervico: na rua
do Collegio n. 3.
Vende-ge um bom cavallo, que serve
velmente no dia 24 do correle as 8 homs" tanto para sella como para cabriolel: na
do da no consistorio da igrejada mesma Se-; rua de S. Concalo n, 99.
nhora, a 6,000 rs.: na loj de encderncSoj 30#
praca da Indepeodeocia iiJ9 Gr,x, a0, mais auperior que al ho-
.Maduma Hosa Hardy, modl In je lem vjodo aMle ^^^ pelo esmero
ttrnsllclra, na roa Not, n. 34.
Madama Rosa Hardy tem o prazer de avi-
sar a todas a senhora de bom gosto, que,
aim dSfzendBjaanounciadg, recente-
mente e ach provida de ana completo e
esplendido sortimento de novas e finas f-
zendas, consislindo em magnifioos mante-
letes e capoliiihos de furia-cores adamaaea-
dos ; ditoa de dito de diver e rieas co-
reg.-teitos em Prsnc ; rieo capotinhoa de
muito superior fil de linho; lindos chapeos
de seda para senbora de moderno gosto, e
despachados ha poucos dias ; novo e gone-
rior grng.de Napolleaarelo e furia-cor ; no-
vas e delicadas frao|aPprelag, proprias para
manteletes ; bonitas trancas pretas e de co-
res ; lino chmlote preto, de umita cmisis
lencia ; auperior sarja preta; luvaa de pel-
lica branca, enfeltadaa, eom ricaa dore e
requifes, proprias para casamento; bonitas
e superiores romeirs de lil, branca; di-
tas de linho bordadas ; pennas e novas ca-
pellas para casamenloa e bailes; um com-
pleto snriimenlo de floreg para chapeo, das
mais finas que lem appareeido ; lindos len-
cinhos de setim de cOres para enflora e me-
ninas ; e outras muita fazendaa que serSo
tenles aos compradores
Na loja de Jos Joaqnim Moreira
6k C'umpanbia, na rua Novan. 8,
vendem-se
luvas de torcal de superior qualidade para
genbora, a 1,000 r. o par ; bengallas m
caima dfc India com ricos caalOes, tanto
grossas como finas, a 2, 3 e 4,000 rs,
KHftnl&o do aluocla a 2*5oo a
peca de i o vnvstn.
Vende-se esguiilo de algodSo com 4 pal-
mos e meio de largura, a 9,500 rs. : esta
fazenda he muilo propria para lence, ca-
misas, ele. : na rua do Crespo, loja da es-
quina que volta para a cadeia
Vendem-se reJogios de on-
ro e prata, patente inglez : na rua
da Senzalla-Nova, ri. \i.
Vende-ge cobre, metal amarello, e pre-
go para forro de navio, por preco com-
modo : em casa de A. V da Silva Barroca,
na rua da Cadeia do Recife, n. 42.
-- Ni rua da Caleia-Velha, primeiro na-
dar da casa u. 34, de Manoel Antonio da Sil-
va Anlune, vende-se u,ro rico lorlimenln
de chapeo de palha da lidia, aberlos para
senhora, camisola de cambri, colari-
nbos, roineira, map^uitos, puulms tudo
excelentemente bordado, bico finissimos,
ricas fitas, capotiiiho mantelete de filo
e de seda preto, e oulros objectos de go-
to ; bem como um coa pi lo sortimento de
fazendas : ludo se veude por prego muito*
ragoavei
9 Deposito geral do supeiior ra-<
"* Arcis Prc! iz fl>i"i
deGantois Pailbet'St C. ,
na Babia.
Domingo Alvos Matheu, agente da
fabrica de rap auperior Areia-l'reta da
Babia, lem aberlo um deposito na rua
Ja Cruz, no llecife, u. 52, primeiro an-
dr, onde se dura empr dest ex-g
ceileuleemaicre4IUdo rap: ven-
de-se emboles de urna e meia libra,
por preco commodo.
o
AttencBo.
No Aterro da Boa Viata, loja de miudezas
n. 54, vendem-w. dou rico corle d* se-
da bordada para veatidos, sendo um branco
e o oulro prelo, mui proprioa para noiva-
dos, ou mesmo para a quaresma : a vista da
boa qualidade ae dir* o preso, poia he
mais commo 'o possivel.
vendem-Msuperore boltchinba de
ara ruta e regala, bigcoulu tinos, bollo
Trnceles, coqueas : ludo de diversas qua-
lidades, o por preco mais commodo do que
em outra qualquer parte : no paleo do Ter-
co n. 10.
Na rua du cruze ii. Si, negando ao
dar, vande-e ufua-awda e36auaoa coa
9


queoaau autor le.n ltimamente emprega-
do. Ela graxa he a mal prompta em dar
mais bnlhanle e aturado lustro, assim co-
mo a melhor para conservar o caiga do : ven-
de-ge nos armazeng de J. J
na rua do Amorirn 0. 95.
Vendem-se meios mneles
da lotera d fl. 8 do Livramen-
to a 5,5oo r*. contendo cada um
os maiores premios : no pateo do
Collegio, casa do Livro Azul.
Vinhode colare,
No armazem do caos da Alfandeg, de
Krancisro Das Ferreir, o. 7, e n venda da
rua da Cruz n. 57, vendem-se barris do mui-
to tnperior vinho de colare, por commodo
preco. .,
Mysteriosdo povo por fc. aue.
O vapor do Rio trouxe os Misterios do
Povo por E. 6ue, em 6 volumes : vende-se
por 6,000 ris, no pateo do Collegio casa do
livro atul. ."*
Lotera do Puo de Janeiro.
Aos 20:000,000 de rs.
Na rua eslreila do Rozario travesea do
Queimado. loja de mMds n. 2 A de J. F.
dos Santos Maia : vendem-*e o, muilo
afortunado bilhetes, meios, quartos, oita-
vos e vigsimo d 3." loteri beneficio d
iarej matriz de S. Joflo Baplisla da Ligoa j
na mesma loja estilo paleajes as listas da
25.' lotera do Monte Pi, e da 1." doS. S
Sacramento da corte.
Ucrulos para tudas as idades.
Vendem-se oceuloa para todas as i lades,
pelo brto preco do 80O r. o par: na rua
larga do Hozario n. 26, loja de miudeza de
Jlo Francisco Mala.
Meias finas de linho:
vendem-se na rua do Queimado, loja n. 19.
a rua da Praian. 3a, ven-
dem-se saccas com alqueire de fa
rinha, medida velha, a a,2oo rs.,
sendo em porco se far alguma
dirTerenca, e sendo sem sacca a
1,900 rs.
Me! barato.
Vende-se mel de asucir 200 r. a ca-
ada de oilo garrafa 111 rua da Concordia,
refinacRo francez.
Yendem-se relogios de ou-
ro, patente inglez, de um dos mais
acreditados fabrcenles de Lon-
drea ; vinho do Porto, slierry e
madeira superior engarrafado, o
melhor que ae pode encontrar a
--------1 ,,.....-. .Irtfln Aa Mmm.
vviBu.-., 1"" '-" -- ---------
menda : no escriptorio de Hussell
iMellors 8r Companhia, esquina da
Lingola n 3a
Vendem-se chapeo de palba
americanos, finos e de superior
qualidade : na rua do Trapiche
numero 8.
Vende-se urn rico piano de
Jacaranda, do melhor autor e com
excellentes vozes : em casa de
Ralkinann Irmos, rua da Cruz
n. lo.
--Madame Porta, com loja no Alerro da
Boa Vista n. 12, tm para vender confeiloa
emeaixinhas, boneerss Vestidas para me-
ninas, chapeos de seda e de palh, vestidng.
manteletes e Varias outras fazenda par
senhora : ludo proprio para presentes para
afeslado natal, e i'pfcos commodo.
Novas coi leches de mdinhas
braiHarM feara Piauve, ciiaga4$Uiu apui
ImfvatriiiQ Rio dn Janeiro, na lirrari do
iniiniiii1 : !*m
pateo do Collegio n. 6, de J0S0 da Costa
Honrado,
Deu-te Heos, bella Marilia,
Eu vivo....ah! mag nSovivo
Desde o primeiro momento
Eu pensei que o amor b istasse
Hermelinda. uicu amor,
A rasao manda que eu parta
Eu pensei que amor btstasse.
Rua do Hozarlo larga n. 22.
Vende-se um bonito molalinho, bom pi-
gem e de boa conducta, o que se flanea ao
comprador ; urna molatinha de 13 annos,
recolliida, muito linda, propria para edu-
car-ge, ou dar-se de mimo, e que j tem
Erlncipios de costura ; 6 eacravos, bons tra-
alha lores de enxada ; 4 negrinbas com
habilidades,'e um moleque de 15 annos,
muito lindo.
Vendem-se cadeirinhas de
palha para meninas, Assim eepau
ianquinhas de pea, proprias para
sitio : em casa de Kalkmann Ir-
mSos, ruada Cruz n. lo.
--Vende-se una preta de bonita figura,
que sabe engommar, cozinhar o cozer, nHo
tem vicios nem achaque, o que se afuan-
ea : na roa da Ordefn Tercena de S. Fran-
cisco, obrado n. 6.
Vende-se urna preta crioula de 90 an-
nos, que sabe engommar, cozinhar e cozer,
com urna cria de anno e mel -. vende-ae
por muita precisSo: na rua do Fogo n. 23,
se dir quem vende.
Novo loucajer das senhoras
ou colleccSo de elegautes figurinos das ul-
timaa modas de Parf, offerecendo urna va-
riada eecolha do meamos a modelos colo-
ridos de vestido para bailes, passeios, reu-
nies, viitas e campe, assim como para
roupOe, cammohas, chapeos, toucas, pon-
teados, ele. alm dos figurinos para ves-
tuarios de hornese de enancas: no piteo
do Collegio n. t, de J*8o d* Costa ourado.
As senhoras do bom gosto.
Vendem-se o bons borzeguina francezas.
gaspeados e de lino duraque para senhora,
dos uliimos que ehegaram ao mercado, pe-
lo diminuto preoo de quatro mil seis o par :
na loja de Hellarmiuo dos Sanios Boicfio, na
praca da Independencia n. 33, e na tu Di-
reita, loja com armaco enverniaada, n.
50, de Jus Basilio de Mendonca.
--Vendem-se dou pares de mangas de
vidro lavrada : quem quiaer annunrie.
--Vendem-se, na ru* do Cabug, lojado
Duarta, agulhas cantofas, a 80 rs. o papel;
cormas de couro de lustro para calca, a
400 r. ; fuzi pira amolar, faeaa em masa ;
teaouras Guas ; campanilla de nova inven-
cSo ; grvala de setim prelaa e de cores;
e copo de vidro de core.
Vende-te, na rua do Cabug, loja do
Duarie, um lico oratorio de bomgoalupor
70,000 ra,
SSo condecas.
He na roa -!o Rozario etreita o. 13. enli-
ga padaria que fui do Cunt, onde ha um
sortimenio geral de condec muito boni-
l. Cafatea e peneir : lu lo chgadn re-
centemente do Porto e por baratlisimo
preco.
Em casa de Kslkmann Ir-
mos, rua da Cruz n. lo, vnde-
se vinho bordeaux das melhores
qualidades, assim como vinho do
fheno, slierry e cognac.
No largo da Assembla, n. 10, tenda de
Unoeiro, de Aulonio do Kspirito-Sanlo Se-
na, vendem-se barriade mel novo, proprio
pira embarque, por orecti rasoavel.
-- Vendeu.-se queijos londrinos, ditos de
prato, hcelas de maroielada de duas al
meia libra, Jalas com sardinhas, dilate com
e'vilhaa, ditas com superior chocolate de
Lisba, seins com superiores figos de oilo
libras, caixniBas com massa lina para
>,ie, garrafa com vinho muscaiei de Setu-
bal, duas de dito do Porto e Madeira, gigos
com superior champagne, silaine da Italia,
superiores presuntos porluguezes, palos e
cbouricas, lata com biscoutos aglezes,
sement de orla I ice de todas as qualida-
des : tudo mullo superior e mais barato do
que em outra qualquer parle: na rua da
Cruz do Recife, Jefronte do Dr. Cosme, nu-
mero 46.
Efceravos fgidos.
5o,000 rs. de gratificacao.
Fugm, no da II de abril do piesante li-
no, a preta Mara Joaquina,de napSo Cor.
de SOa 40 annos, baila e chela do corpo.c
larga, clr retinta, olhos vivoae mekta gr
des, fecfles grosjeita ; tem um p>- \c
sigml de cirne gobrs 0 beico snperioi
lado direitodo ariz. Ela' prel j fui"
erav de engenlio, e o anno- pastado era
um crioula de nome Felicidad* con qu<
dita preta andava pelo mallo vender
miudezas, por cujo molivo ella sabia qu todas aa povoscOea deg provinci ; ii
muito anulosa e capaz de illudir a qualqo'er
peuoa que nu condec, pode incubrr a
ua fuga com o negocio de miudeza, poia
ja oulr* vez quqJugio foi pegada no enge-
nha 8 -Anna eom um halio de miudezai
que tndqva ven endo. Quem pegar leve-a
a praca da Independencia, n. 17, que rece-
bara 50,000 r. de gratilicacSo e quem dol-
a demolida aerla recebe- 20,000 rs.
Kugio, eo dtavte do corrrnte, ftescra-
voerioulo, de nonie Jos, de 40 annos, altu-
ra regular, cheio do corpo, olho amirel-
Ios, rosto hexigoso, p* chato e grossos ;
layou cale de lia rscra; quem o pegar,
lave-o eutennor, aoarmanm de assu-
csr, largo do l'elourinbo, ns. i e ,7, de Ro-
mSo A11 lo 1110 da Silva A/cantara.
Fugio do -ilio ala Taquara,
no Altiriho, comarca de Caroar, no dia *
de novembrn desle armo, o escrjvo Sllve-
rio, crioulo, representa ter 20 arihog, bea
prelo, baixo,secco,com inna sictriz no ros-
to;lem o lado de um dente da-frenteque-
brado e be eanhotu foi encontrado na 1 o-
voi;Jo de Cravala.com destino a esta prac;
he bem fallante: roga-sa a todo o capi-
le de ampo que o appreheiidam e leveoi-
no 1 povoacSo do Alliuho ao reverendissi-
1110 Si. Pedro Manuel da Silva, ou neta pra-
5> uuna ruado yuiiinaJo, segunda,loja, n.
18, qu ae gratificara com geueroaidade.
II FR


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EXBKB7D3W_9JCBJH INGEST_TIME 2013-04-24T16:16:33Z PACKAGE AA00011611_07241
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES