Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07240


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XXVI
ansa
Quinta-feira
VABVBDU 9(M OOB.SXIOS.
Goiaana e ParaMt, s segunda e aextai feiras.
Rio-Grande-do-Norte, toda ai quinta felrai as
meio-dla.
Cabo, Setlnhaem, Rio-Korraoio, Porto-Cairo e
Macelo, nol.a,a II e 21 de cada
Garaobuns e Bonito, a 8 e 23.
Boa-Villa e Flores, a 13 e 28.
Victoria, qulntaa feirai.
Olinda, todoi os dias.
cada mei.
1DU.
-Nova, a 3, a 2 e 56 m. da t.
Crc. a II, ai 6 h. e 17 m. da t.
Chela, a 19, u2h.e35m.dnm.
Ming. a 45, o h. M i, da t.
riUMlR DI BOJ!.
Prlmeira ai 3 horas e 18 minutos da manhla
Segnnda ai 5 horas e 42 minutos da urde.
d+Dezembro de 1850.
N.288.
rnjttfo da suxucbifoao.
Por tres raeiei (adiaatados) fOOO
Por MU metes 8O0
Por um anno lofOOO
das da aun.
16 .Seg. S. Aaanias. Aud. do J. dos orf. e da m.
da I t.
17 Tere. S. Hartholoineu. Aud. do J. da 2. r. do
civel.edo dos feitoada faienda.
18 ijuart. 8. Nona SenhoradoO'. Aud. do l. a?.
19 Vulnt. S. Fauta. Aud. do J. dos orf. e do
n. da 1. v.
30 Seat. S. Domingos. Aud. do 1. da 1 v. e do c.
do feitoi da hunda.
21 Sab. S. Thom.
22 Dom. S. Honorato. ____.
CAMBIO DE 18 K OCZMBBQ
Sobre Londrea, 29 3|4 a 30 d. p. 1/tOO ri. 60
Par, 320 por fr.
Lisboa, 85 a 90
Ouro. (Incas hespanholas .... 20/000 a
Moetfas de 6>400 velliaa. 16/000 a
* de 6/400 noval. 16/000 a
> de 4|000....... 9/000 a
PraU.Patacoei brasilriros----- I/S20 a
Pesos columnarioi..... 1/920 a
Dito mexicano!........ I/V80 a
diai.
29/500
16*200
16J200
9/100
1/940
1/940
1/70O
1R10 DE PERA iIBIM)
RRf ATAS.-
No Diario n. 285, pagina aegunds columna
Itroeira Iinhul9, em lugar deavristoia
leii-sa pernicioza;na llnha 83 em lugar
de etpontaaeamenle leia-se espantosa-
mente; n* linhi 39 em lugarde ase *
eMtdantreleii-se que de flf saludantes.
.No Diario a. 287, segunda pagina tercaira
columna linhai ti, em lugar dereetamadoe
leia-se relacionada!.
MINISTERIO DQ M.'fitUO.
^ EMl DE OUTUBRO DE 1850.
"Vaclin que diapoaidl do 2.* do artigo
nico do decreto n. 537 de 15 de maio
deate anno de nenhurn modo veda o
commercio interno da colonia no porta
da S. Fnncisco ; mu. nicamente sere-
ltre m commercio directo de iroportaefio
ou exportarlo por meio das embarcado
que transportaren) colonos da Europa.
*." Scelo. Itio de Janeiro.Ministerio
des negocio! do imperio, em 9 de onlubro
tatUO.
Sendo fra de duvid que o $ 2.* do arh-
E nico do decreto n. 537 de 15 de maio
erraste ano, prohibidlo a importacSo
Sara o porte de 8. Francisco, da provincia
B Santa Cillurins, de qnrlquer objeclo
ajo* ea destine ao commercio, bem como
o exereicio de quilquer acto mercantil que
nlo aej do exceptuados no mesmo $ 2.,
de nenaam modo veda o commercio interno
da colonia, mas sim e (So lmente se refere
ao eommercio directo de importacao ou de
expoatatfo per meio das embircicoes que
transportaren) Colonos di Europa nicas
a quem ke permittido all aportar directa-
sien te, eessas mesmas eom as restric(6es,
coo'iicoes ecaulellas no dito decreto esta-
Lelecidis : assim o communico a Vmc. para
que o tica constar a aociedade colonisadora
estahelecitl* na cldide de Himburgo, em
eolucSo 4 sus reprssentacflo tobre seme-
Ibinte ohjecto.
fleos guardes Vmc fiseonde de ilont'.i-
legre. 8r. Artiwir Gniguer.
DEC8F.TO II 723.DK 29 DE OUTUBRO DE 1850'
Concede a Joao Eduardo Ljui o privilegio
exclusivo por lempo de quatorxe annos dos
nirlhorainento por elle uitrodutldos no fa
brcaalaa ellas de atearlna.
CoaroS-manda-me, por mlnha Immedlata re
olucao de 25 docorrenle mez, com o parecer
da aeccao do Imperio do consalho de estado
esarado em consulla de 14: hei por bem con-
ceder a Joio Eduardo Lajoui, proprletario da
Imperial fabrica de velas aiearinai estableci-
da ua praia do lazaros delta corte, na forma
3ue requer, o privilegio exclusivo pos lempo
e 14 annos doa inrlhoramentos por elle Intro-
ducido! no fabrico das dllai vella. e que con-
siitem: primeiro, na maiur transparencia e al-
vura dos producto da tua fabrica pela appll-
cacao da clara de ovo; segundo, no inaior lus-
tro dol mesinos producto! .' e tercelro, na au-
bstituico do arsnico palo sal ammoniaco, se-
gundo consta da eipoiicau que feo agraciado,
e que rica archivada no archivo publico do im-
periosa forma da lei de 28 de agosto de 1830,
0 visconde de Mont'Alegre, conselheiru
de eslido, presidente do conselho de minis-
tros, ministro e secretario de estado dos ne-
gocios do imperio, assim o tenba entendido
e faca executar. Palacio dy. Itio de Janeiro,
em 29 Je outubro de 1850, vigosiino-nono
da independencia e do imperio.-Com a ru-
brica de Sua Magestade o Imperador. fi-
onde deNontAlegre
MINISTERIO B\ FAZKNDA.
EXTRACTO DO EXPEDIENTE 00 DA 13
DK NOVEMBItO.
Ao administrador do consulido, para ad-
mittir a Novaes e Pasaos, consignatarios
do patacho nacional Coacsi'cdo, a preslarem
flmcj, para ipreseolarem dentro de dous
mezes.s declirscBo que exige o irt. 188 do
regulamento de 30 de maio da 1836.
GOVERNODA PHOVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 14 DE DEZEUBRO.
Ollicio. Ao ciminando di* armas, ac-
cuto recehido o ollicio de 9 do correnle, em
que V S. para cumplimento do aviso de 30
de outubro ultimo espedido pela secreta-
ria de estado dos negocios da guerra cer-
ca do engajamento para o servicp do exer-
cito, pedeesclirecimeotosss seguintes du-
vitlss;
1.a Se preenchidis ss formalidades idop-
tadss pars conhecer-se ds idoneidsde da
p;eo. nim riraiemterenaaiar-ia. o eajtaja-
mento pode ter lugar como ele o presante,
independenle de termo de contrato, oitse
esta fermalidade, (que V. S. julga essen-
cial ) devi ser obervida de ora em diante
a.' no caso de que o engajamento se
verilique mediante unta escriptura ou
termo de coul>to, onde e por quem dave
ser lavrdo esse termo.
3.a Se p engajado, alm do premio arbi-
trado no citado aviso, tem direilo a con-
CflssSo de terrss, e pela airirmiliva. onde
ellas cxiiUm, se o dominio e pone tem
lugar desde que se levar a Reito o enga-
jamento ou dupuis de tr o engajado con-
cluido o seu tempo.
4.* Se na couceasfio das trras entram
coaadicoes, que privem os engajados de dis-
per dilles de conformidade com a legisla-
cao do pas.
5.* Finalmente, se he permittido oengs-
jmenlo com a clausula deservir em pro-
vincia determinada, como se pratiea aaa
corte.
Eji respoala tenlio declarar a V. S. quan-
to a 1.a e 2.a duvida, que o contrato pars o
engajamento da que se trata podare fuer
or maio do termo la irado m secretar!
deis* eommando ; quinto a 3.a,e 4.a, que
se ne engajado, alera do premio concedido
palo ssencionado aviso, exigirem trras, es-
tas Iha sejam dadas,depow de (Indo o tempo
de engsjimeolo onde ss bouver de volu-
tas e orem designa las pelo goveroo, esti-
polando-sa neata occasio as condicOe*.
com que as deven poesuir ; e finalmente
quanto a quinta ; qne nSo bavendo ordnm
aupaiior, qna determine no>jmento
sim ttMuLii siinata ~
terminada, tambem nenhuma bs que o pro-
hib, circumstancia, em que deve ser ad-
aiittido, para eom ospiisanos.
Dito. Ao mesmo ioteirahdo-o dahaver
deferido favoravelmenle o requerimento em
ene o soldado da comoanhia de artfices
desta provincia Basilio Eliseu da Silva pedia
tresmeiee delicenca de favor, para tratar
de sua saude fra da ci lade.
Dito. Ao mesmo, rpcommendanio que
quMsdo houver de mandar conduzir pira o
cunitario publico os cadveres.dos solda-
dos de linha, providencie ao mesmo tempo
sobre o que conviar para a inhumacSo
lelles.
Dito. Ao mesmo, scientificsaJo-o s-
at de que o faca constar ao inspector da
alfandega de ter conced Jo dousmezesde
licenc com ordenado ao gutrda da meima
slfindoga Cuilberme Marques Nepomuceno,
para tratar de sua saude
Dito. Ao juiz relstor ds junta de jusli-
ca, transmittinJo para ser apresentado em
sess3o da mesma junta o processn verbal
feito ao soldado do primeiro batalhSo de ca-
tadores Fernando Jos Jos Ssntos. Com
municou-se ao cominan lo das armas.
Dito.A psgadoria militar recomm 'lijan-
do que mande entregar ao commindinte
Ja compinhia fiza de cavatlaria desta pro-
vincia, afim de ser enviad i a Vicente Fer-
reira de Paula por intermedio do commao-
dante da llha de Fernando, a quanti de
100,000 rs. em que fui valia lo um cavallo
que per tencando so refer Jo Paula, fora lo-
mado, e se acha marcado com priga na
mesma compinhia. Neste sentido ofli-
ciou-se so eommando dss armas.
Dito. A mesma, inteiraudo-a de haver
rbitrado a gratificarSo de 200,000 rs. ao
paisano Jos Melquades liezerra da Silva
''osta, que, lendo-se qlTereci Jo, nos termos
do decreto e regulamento de 18 de novem-
brp de 1818, para servir uo xercito. fol Jul-
gado apto para esao lim pela junta de siuds,
e ordenando qne mande pigar ao refHrido
paisano a mencionada gratifTcar;8o,sendo rs.
50,000 a vista e o resto em preslices men-
saesde 10,000 rs.Intelflgenciou-se so eom-
mando dss armas.
Dilo. A thesouraria da faxenda provin-
cial para que A vista do recibo que remelle
em duplcala, mande pagir a Florencio Do-
mingues da Silva a quinlia de 105,000 rs.
que despendeu o delegado do termo do
Ourjcury, com o aluguel de casis para o
quirlel do destacamento e para a ca lea da
quelle termo, desde o I* de fevereiro do an-
no prximo pissido st o ultimo de outu-
bro desta. Communicou-se so chefe de
polieia.
Dito. A mesma, para mindar pagar ao
agente da compinhia dos paquetes de va-
por a qusnta de 64,000 rs. como indemni-
sicto das despezas feilascom o trinsporte
dos presos de justica. Scientiflcou-so ao
mesmo sgente.
Dito. A mesmi, para que mande pagar
ao commandante do corpo de polica a
qnantia dsl.OoO rs. de frete de um caval-
lo queconduiio da comarca de Flores para
esta capital armamento,perteucenle 10 mes-
mo corpolnteiro%-seao mencionado com-
mandante.
Dito -- Ao administrador do correio, in-
teirando-o da haver resolvido, em vista
do que Smc. expoz, a do que Informou o
inspector da alfandega, que seja o capilSo
d vapor americano Unido absolv lo da
multa, que Ihe foi imposta por aquella a J-
miniscracSo, em consequencia de Ihe terem
sido apprehendidas quatro cartis com di
reccSa a pessois desta provincia, devendo
Smc. providenciar para que ao cnsul da
mesma naci seja restituida a importancia
da referida multa.-Neste sentido otDciou-se
ao dito cdnaul.
TRIBUNAL DA RKL G\Q\
SESSAO'DE 17 DE DEZEMBHODE 850.
rauouctino ta. >ioi cossiLHKiao
Aiavaoo.
A'a 10 horai da maoha. achando-ie presen-
tes os senore aesembnigiJ.-^i Viirc:,
to, LeAo,Soazi, llebell, Luna Freir, e Tcllea,
oSr. presidente declara abe ra a sessao.
JULOaMEUTOS.
Jfaoeas-corjn'.
De Tbeodaro Marques Vieira.Mandaram pal
s,i ordein de soltura.
Afpelleeeo' crim.
Appellante, o julio; appelladoi. Joto da Silva
Hego e outroa. Mandaram a novo Jury.
ApptlleeOt eiteit.
Appellante, Manoel Pires Ferreira; appellado.
Fernando Frandico de Agular Montarroyoi_
espreaaram os embargos.
Appellante, Jos Antonio Bati; appellado,
Vicente Joi de Brito. Receberam os em-
bargos.
Diuesacias.
RVISffM.
Paaearamdo Sr. deserobargador Villares o
8r. deaerobargador Bato# aa segulnie appel-
lacOei em que lio :
tppellaBte, o julio; appellado, Alexandre da
Silva Mouro.
Appellante. a adminlitraco do patrimonio doa
oiphaoi deiucldade; appellado, o Exm.bli
po de Mariaooa.
Appellante, o Julio ; appellado, Antonio Jo*
da "?.
aVfMtalBaaaaav Mari m >> rnranra. o ae
filho; appellado, Vlcenle Ouedei Gondim.
Pauaram do Sr deiembargador *ast,. ao
Sr. deieinbargador Leao aa legulntes ippella-
cOei em que sao :
Appellante, o jaleo ; appellado, Germano dos
Santo! Cav I cante.
Appellante, Pouinateau; appellado, F. Pouvler.
Appellaatei, o guirdlao do convento de San-
Francisco e outro ; appellada, a faienda na-
cional.
Pasiaram do Sr. desenibargador LeSo ao Sr
deieinbargador Souaaai seguintes appellace
em que lio:
Appellante, Albino Jos Pimentel; appellado,
Manoel Thomaz Perelra.
Appellante, Pedro da C'unha e Albuquerque e
outroi,' appellado, Jos Fernandei da 6'rui.
Paiiaramds Sr. deiembargador Souu aoSr.
deseinbargador Rabello ai seguintes appella-
ce em que sto:
Appellante, Jos Antonio da Costa ; appellado,
Antonio Jos de Medeiroa Bitancourt.
Appellante, D. MariaFeliaminado Reg Gomes;
appellado*, Joaqulm Aurelio Pereira de Car-
valt e sua taulher.
Pasaou do Sr. dasembargador Rabello ao Sr
deaembargador Luna Freir a seguinte appel
lacao ein que sSo :
Appellaute, Franoiico Aeclole de Govela Lim ;
appellado, Soaqirlia Jos de Souia.
distsuuices.
Ao Sr. deaembargador Leao a seguinte ap-
pellacao em que sao:
Appellante, Antonio Jos de Medeiros Bitan-
court ; appellado, Jacint'io Nogueira Coras.
Ao Sr. desembargador Souza a seguinte
appellacau ein que sao :
Appellante, Manoel Firmino Ferreira ; appel-
lados, faltar Se Uliveira.
Ao Sr. desembargador Luna Freir a segua-
te appellacao em que lio :
Appellante, Driles Sebastiana de Moraes; ap-
pellado, Anacleto Jos de Mrndonca.
Levantou-se a leisao a urna hora da tarde.
ter
de
PERMAMBUGO
5."
Appellante, Jos Rodrigis Ferreira; appel-
lado, o julio. Mandaram com villa aoSr.
desembargador procurador da corea.
Appellante. Manoel da Silva Lope ; appelladoi,
o curador a heranea jaernte de Fr. Cnetano.
de Santa Engracia Munlz e ouiros. Manda-
ram cosa visca So curador A heranea, ao cu-
radop(S(a4 Sr. deaembargador pracura-
JRY DO BECIFE.
SESSAO ORDINARIA DESTE ANNO.
Preeidencia do Sr. Dr. Ne'va.
Da 16 de dexembro de 1850.
A's onze horas da mantilla, f*z-se a chi-
mada, e icham-se presentes 36 Srs. ju-
rados.
O .Sr. Presidente abre a sessSo, multando
sos Srs. que deixaria de comparecer sem
excusa legal.
SSo apresentsdos pelo Sr. Dr. juiz muni-
cipal os seguintes processos, de reos pre
sos : Filippe Flix de Souza e Frsncisco Xa-
vier de Amorim, ( o primeiro ausente ) Ben-
to Luiz Alves Vianna ; Bernardo de Sooza
Cruz, Ignacio de tal, e outro um procos-
so ); Frsncisco de Paula Pires; llypolilo
Agacfauno Marques da Silva ; Jos Manoel
Borges; Jacintho Jos de tal ; Justino Go-
mes Villar, e Domingos dos Santos Lim
( senle). SAO tambem ipresentados os
procesaos de reos afiancadq^que se seguem:
Cypriino Luiz da Paz, Manoel Antonio de
Azevedo, Jos Antonio Pires Jnior, F'an-
cisco Luiz BeltrSo, Jos Custodio. Andr
Alves Vianna e Manoel Benlo ( um proces-
so); Thonuz Frsncisco Pereira, JoSo Pires
de Alneda Lopes, Goncalo Flix de Souza,
Jos de Mello Montenegro, Ignacio Luiz de
Krilto Taborda, Jos Virisimo de Azevedo,
e Mara do Carmode Medeiros.
Acha-se i barra do tribunal o reo Fnn-
cisco Xavier de Amorim, aecussdo pelo cri-
me de homicidio.
Proeele-se ao sorteo do concedi e sa-
hem rseolbidos os Sr*.: Jos Igmoio Sos-
res de Macedo, Joaquim Jos de Souza Ser-
rano, Antonio Ferreira da Annunciacjio,
Antonio de Moraes Gomes Ferreira, Manoel
Florencio Alves de Moraes, Malhias Muniz
Tarares, Jos ds Silva Vianna, Francisco
Antonio das Chagas, Antonio Luiz do Ama-
ral e Silva, JoSo Theodoro da Cruz, Tho-
maz de Aquino Carvilho e JoSo Francisco
Regia dos Anjos.
Prestado o juramento do estylo, he o
reo interrogado pela mineira seguinte :
JM-Como se chama ?
M*~-Francisco Xavier de Amorim.
i'..3be porque est pruonso vem
a este tribunal *
HeoSabara V. 8. que nao.
Jma-Quem o processou T
Ro-0 Sr. subdelegado do Recife.
Juii-.VSo compireceu parate elle ?
feo-Sim Sr.
JusEiie nao Ihe disse porque o
cessou T
eo-N3o sel...
JuiaElle nSo Ihe disse, nem o Sr.
dsgou o motivo porque o processou .'
ReoSabera V. S. que nao.
Jais Conbeceu .o imperial msrinbeiro
Laureo ti no Jos Ramos ?
ReoSabera V. S., que nao.
JuiaSabe se elle foi assassiosdo ?
Ro-Oaii dizer.
JaisNao Iba diesenm quem o aisassi-
ora ?
RoSnbwt V. S que ouvi dizer, que ti-
nlia sido Filippe Flix de Souza.
Jwi- Nao Ihe dissenm quaado foi elle
asssainado .*
(w-Sabeai V. 8., que me dissersm ter
sido u'uo) da ae domingo.
I ni NSo se lembra do tnez, nem do
diai"
fleo-Saber* V. 8., qne nSo.
Juij Foi desle anno, ou do pissado *
JWo-Foi este sano.
Juiz...s.he tambem como foi asasssinado,
se com tiro, ou ficsdi *
RoSaheri V. S., que eu ouvi dizer
sido com faca. .
Jm'K o motivo nSo Ihe disseram ?
i'.--3*hari V. R que nSo.
Juis- Conh'ee a esse Filippe Felfi
Souza ?
ReoConheco de vista.
JuisSabe em que lugar elle era rao
rsdor.
K-'o-Em Frs-de-Portss.
Juii E o Sr. onde morara t
Seo- Tambam-em Fra-do-Portas.
Jwi -Em que lugir foi ssssssinado o im-
perial marinheiro ?
ReoSaber* V. S., que eu ouvi dizer, que
foi em Fm-de-Portas ; mas o lagar nao
me dissenm.
JiiiQuindo foi preso, foi na noite e
que morreo o imperial marinheiro.
Jlao-Saber* V. S. que nSo.
Jui3--E quantos dias depois.'
JicoFui preso no di* Udeiulbo.
Jm/Conhece JoSo Pedro das Cha-
gss?
/laV-NSo conbeco, nSo Sr.
JaisNSo he seu vizinko em Fra-de-
Porlas T
Bo-|,i tem um pescador chimado JoSo
Pedro...
Jkj- NSo se records haver dito a esse
JoSo Pedro, que certimente tinha dado,
urna ficada nesse imperial marinheiro?
ReoSaber* V. S que n9o.
Ji/i -- Tambera se uSo recorda de haver
elle dilo rsto parante o subdelegado, oslan-
do o Sr. presente ? *
ReoSaber* V. S. que no di* em ru elle
foi junr eu nflo fui.
Juij-Enlretanto vejo o Sr. qui assig-
nadef... '
Ae'Eu assignei, porquSoSr. subdelga-
lo o disse.
JuaSibeescrever?
ReoMuito mal, assigno o meu nomo.
O interrogado he semi-branco, represen-
ta ter 20 annos. he calafatee he natural, do
Gasta,
Em tintos de marco desle anno, achsn-
do-su o imperial marinheiro Laurentino
Jos Ramos era casa de urnas mocas vendo
locar guitarra, ohegou Filippe Flix de Sou-
za e disse que nSo quera all gente da-
quella classe : sahindo pooco depois pan
fra de casa, alterca ram-se e passaram As
vas de ficto; foram separados por 3 ou
pesio is, que sSo tasUmunbas neste pro-
cesso ; pouco depois, is mesmas pessoas,
achanto o imperial mirinheiro de novo bri-
dando com o mesmo individuo e estaodo j*
com o ferimento do quil falleceu.
A testemunha Jofio Pedro dss Chagas, diz
poim, que o reo Francisco Xavier de Amo-
rim Iho dissera no da imme-liaio ao do fic-
to, que havla dado urna Tacada no im-
perial marinheiro referido ; he este unica-
menle o dito, que faz carga ao reo uotau-
do-se que Filippe Flix de Souza se eva-
di do lugar, nSo lendo apparecido at
hoje.
Lidas as peess do Processo, e flndss ss al-
legages uro e contra.
O Sr. Prndente faz o relatorlo da csuss e
entrega ao con ceibo os seguintes
Quetitos.
i.' O reo Francisco Xavier de Amorim
praticou o ficto de que he aecussdo de ter
feito os fenmentos na pessoa do imperial
marinheiro Laurentino Jos llamos?
2.* Ess-s fenmentos fetus pelo reo fo-
ram graves i
3.o Desses ferimenlos faitos pelo reo r
sultou a morle f
4 u O reo praticou noite o facto de que
be accosalo ?
5 O leo commettou o facto de que he
accisado. sendo impedido por motivo re-
provado .'
6 O reo commetteu esse crme com a
circumstancia aggravanle.de superioridad-'
em armas ?
7* Existem circunstancias altenuantea a
favor do reo?
O Jury voltaodo pouco depois, respondeu,
quanto ao primeiro quesito nSo por 10 vo-
tos e quanto aos ou tros lo por uninimi-
dide.
U Sr Pretidente conformindo-se com a
deciso do jury absolve o reo. ( Eram 4 ho-
ras da tarae)
No dia 17el8nSo houveram trabadlos.
pro-
in-
DIARIO 118 PEKXAiBIJCO,
maoira, IB BS nziuiiao am 1888.
Pela barca portuguesa Carlota e Amalia,
chegada boje de Lisboa recebemos gazetis
portuguesas al 18 de novembro prximo
paseado O que de mais nteressinle mi-
lis encontramos he o seguinte:
A riinhi de Portugal, apreciando devi-
dameoie o importante servido prestado *-
quelle paiz, e a esta imperio pelo gover-
milor civil do distrlcto do Porto Joaquim
Jos Dias Lopes CumarSes, palos adtninis-
tradores do primeiro e terceiro bairros da
mesma cidade, bichareis Antonio Augusto
Cabral de Souza Pires e Antonio Mara Bir-
roso Pereira, fl finalmente pelu administra-
de varias moedas falsas de metal, houve
por bem fazer merc ao primeiro de o no-
mear ofllcial da antiga enrulo nobre or-
den) de Torre e Espada do Valor Lealdade e
Mrito, ao segundo e tercairo de os n^mear
cavalleiros da ordem de N. S da ConceicSo
de Villa Vicos* o ao quarto cavalleiro da or-
dem de Chrrsto.
Tendo o goveroo portuguez ordenado
por um decreto, em consequencia dos a-
contecicnentoa que nUimamenta tive'an
logaros directo do fundo de admnistra-
cSo, que todos os rendimentos que consti-
tuein a dolacSo especial do dito fundo fos-
sem entregues junta do crdito publico
para seren conservados em deposito at
qae as cortes resolvesseit as propostas que
tinham de Ibes ser a presentadas na prxi-
ma sess'o a este respeito, a direccSo do
bineoda Portugal dirigir urna representa-
cho rainha protestando conln esta ffle-
lida ; mas esta augusts aminora mandou
que o protesto fosse devolvido dita direc-
cSo e que se Ihe estraohasse o seu proced-
ment.
O Estandarte snnuncis que um colono
inglez de Barbada enventra urna machi-
na por meio da qual separa o assucar lallisadu do melado, snente pela acco
la Torca centrifuga, sm o emprego de res-
gents e sem outra alguma operscSo. Mr.
Driimn ( este he o nomo do colono ) lsn$a
mlico em fermenlicSo no cilindro de
SU iuvenfSo, e no curto espaco de 4 mi-
nutos obten assucar deeicellentequa'ida-
de, perfeitamenle puro e de urna alvura ,
raignica.
L-se no mesmo periolico:
OSlamlart de Londres, de SO de outu-
bro, publica do Neio-York Evcning-Beruid
um breve apostlico, no quil o papa, altoo-
lendo ao grande numero de csthnlicos que
ha em todos os Estados Huidos, determi-
nara da seu moto proprio, com con lien-
ment certo e deliberaclo madura, no uso
ds plenitude desns autorizada apostlica,
estabeleear timben a yerarebia ecclesias-
tica naquellepaiz.
De accArdo com o arcebispo de Balli-
more e os bispos do elimo concilio pro-
vincial, o bispado de New-Tork foi exigido
em s arcebispal, tendo por sufragneos os
bispos de Boston, Uarlford, Albinia e Baf-
faden. Este breve pontilicio tem a data de
>* de julho ultimo
O mesmo peridico diz, que tratando-so
de erigir em Turim um monumento me-
nora de Carlos Alberto, s commissSo en-
carregads deite negocio decidir que o di-
to monumento seja ums escola de cegos,
outra de mudos, oum ssylo para os creti-
nos ( especie de idiotas, ou imbecis, victi-
mas de urna enfarmidade bstanlo usual
nos estados sardos).
A codimissSo fui de parecer que estes
tres estaheleciinenlos sSo os que com pre-
ferencia se devem fundar em Turin, por-
que elles carecen) completamente do carc-
ter de locilidade, que outros deviam lar na
pratiea de seus beneficios, porquanto um
bospit il de enfermos, por exomplo, apro-
veitaria mais aos que residissam miis per-
todede, ao passoque os ssylos para idio-
tas, cegos e mudos podism ser uleis aos
desvalidos de todo o reino.
A r 'speito da Allemanha, eis-aqui o qua
publica o mesmo peridico :
Le-so na Gaiela de Cotona :
O principe de La Toure Taxis passou
revista ss tropas do sau eommando na
prsca de Hanau, e depois dirigiu-se a Gai-
nhausen cora a maior parle dallas. O
quartel general Ocouem Hanau cora 3,000
homens.
Iramediatamenle depois da eulrida das
tropas em llinau, publicou-se a seguiote
nroclamacSo
Nomeado em virtude de resolucSo da
confeleracilo germnica de 23 de outubro,
coinraissario civil, a encarregado de ras-
tsbelecera auto idade do principe do elei-
torad.i publico o decreto seguinte da as-
serabla nacional:
a Tendo invocado o govarno da lime
Eleilorsl em 15 do correnta, o soccorro ds
Dieta pan o reslabelecimanto da ordem le-
gal no eleitorado, a Dieta, era conformida-
de cora os artigos 26 e 31 di acta (in.l de
Vianna, adopta as molidas necessariss, se-
gundo o decreta de execuQ&o.
Hsbilanles da HesaeEleitonl : soatra-
vessar as voseas fronteina, es coosprimen-
t desle decreto, e por ordem da confade-
rc3o, com o corpo de exerciio do eom-
mando do general de cavalliria bavaro, o
priuulpc de Ls Tue o Talla, rss j s ::-
guranfa ds que as tropas cumprirsm con o
seu dillicil devar cjin todas as considera-
coas que permiltam as circumstanciss, e de
que os incommodos inevttaveis causados
pela occupacSo militar de um paiz, serlo
mitigados tanto como sja possivel, espe-
cialmenlp para os subditos que nSo se op-
pozerm so reslabeleci ment da auturidada
do soberano. I'osso dar-vos com corteza
esta seguranza, porque coube$o o espirito
militar que anima as ti opas e ao seu digno
cnefe. T-r8o todas as 'eoasidaraoAes que
sejam compativeis com o seu dever, mas
sutTocirSo com rigor inexornel toda a re-
belliSo e toda a resistencii.
A coufederasao espera urna prompta
submissSo *s medidas que adoptou. So
restabelecendo-sa itr mediatamente o esta-
do legal se pouparto ao paiz o grandes sa-
crificios, que ihe imporia urna prolongada
occupacAo militar.
Habitantes ds llesse Eleitorsl; as tropas
que vSo entrar uo vosso paiz, sSo tropas fe-
deraos e amigas NSo vem para oppnmir-vos,
dor do conselho de Condonar, JoSo Mar- _
lina Ferreira, aa apprehensio das fabnciilmas sim para resUbelecer a ordem ata no-
e depsitos 4* sedulas falsas bruileins e' me d coofoilersgSo, convidada palo vosas
___.
#
lid


11 "-
soberano, o para vos restituir os beneficio*
d'umn administrarlo regular e legal. Kn-
rarifgiilii Ha cxciicflo desla obra, como
comnussario civil .la confederarlo, convido
atlas e autori.lailns a a torios os subdito*
iln i'l -iioi.-i'lo, a quo iili Icoain aria decretos
e dispusiese* que emano n de mim, em no-
ine o em virlude ila cnmrniss.to da confede-
rr;So. Farei que a Justina venga oji toda
a parte.
O povo de Hessn eleitoral sr-mpre'se dis-
tingui pela su dedicacSo ordem ana II-
delidade e respeito a dynasa reinante, t
provou uovamonte que possoii estas qna-
li lados, nflo se querando associar aos pla-
nos do algumas gran les popularles dn
pslz, que queriam tirar ao govartio os meios
de continuar a a lminstr.icfio. En espero
que esto povo tinl continuir a despresar
as insinuarle* de Halladores malvolos.
Mas se por desgrac*, cu me enganasse
ao formar eslas esperarle ts, mo voria obri-
gado a e,npreg>r todos os meios de rigor
queostou autorisado a usar em nome da
iii.vii'imi; ij. e os culpados tenam que
CUlpsr-se a si mus n is dos resultados de
suas acQes criminosas. Huim, t* de no-
vi'mlini de 1850Em noiie da ConfeJera-
cilo germnica. O conde de Kechberg com-
wiuurio civil.
(l Hleitor publicou tsmbam o segninle
mamfi'sto .
N* Ftederico Cuilhorin, por grarji Je
D'os, le.
a II)este momento importante, em qne
enl'am no e'eitorado tropas federaes, nos
iuiiOoo daver amados subiitis, sle diri-
gir-vos algumas palayes de confianca. pois
rnnl:: I. > -. V I V,l'lli"il .1 l'illll a lil.'lllal.l il.i
nosso povo que nSo se desmentio jamis.
0 cine annntaee lie o resillado du recusa in-
constitucional ds contriliuir;Oes pela dissol-
vida asamblea dos estados. A constilui-
i';in mis d o direito e nos un e o dnver de
toril ir, em circutnstanens graves, metidas
quepossam garantir a seguraca do oslado.
Conforme chii o iiuu determina i
rousltiuicfln, promulgamos no mt-z passa
do decretos que consideramos necesstrloa,
eque atacavam tanto menos a constilui-
Olo, quanio que tifio poliam ler m lis qu
uina duracao pasageira. A resistencia di
nossas autoridades, pela qnal se deixaram
extraviar muilos dos nossos oillciiios, (ize-
ram impossitel a execuc3o dos ditos de-
cretos.
Em consequrncla du que acabamos de ea-
pnr, livriiioa i|iu- recorrer interven;So da
coufederato. cuja necessidade foi reoonheci-
da polos guverno representados na assembla
federal, Paliaramos, pois, aos deveres de au-
lii r mu, i|in- Dcot ii"j c.i.iIi.hi, e lolerassemo
que nteres,es arbitrario* dos uossns emprega-
dosrrgulisscm a iii.ii-1:11.1 du nosio guverno.
No da da publicafo dele manifest, eutra-
rain un no.so p ii/. tropas austracas e bivaras,
pira execular o nomos iDaodatol, em virtmle
de ordeus dadas pela assembla uacional, e
ni u. ii- r o estado de sitio decretado.
a Ao f.i/rr constar Uto aos nosso subditos
esperamos que conservaro una atltude tran-
quilla i- l-j il. Mas celramos leiminan*--
Qiente que a oceupacao do patz pelas trupas fe-
derara nao tcm inaisobjecto que rcstabelecer
a ni 'I..... legal no que tinha i ido interrumpida,
ede emisorva-la unde a haj mautido a fideli-
dad das uussus subditos. Procuraremos evi-
tar-lhes tud.is os encargos no que for posiivei.
e iiiiiuii as consequeucias iiicvitaveis de un
estado de guerra pass.igeiro.
I lulo, ni Willielmsbide, a 28 de outubm
de 1860. Frederico (uilherme. liiiiitmfiftug.
U/u/mir. -- H.IJ-nim, llnuinll ir'l
As tropas que rnirarain em llauaii aquar-
trl.ir.nn-.i- pelas casas. A populacao conser-
vou-se Iruii.jluII< ; comtudo as proclamicdeg
do eleitor e do coiiiiuistaii.) federal, o conde
de llri-hli!_'. afiladas nos lugares pblicos,
1 .i.un arrancadas
No ni iini'iit'i em que as tropas bavaras en-
tro-un i-in Huiau. marchava .i as tropas lies
siauas para nnckeuheiu, Grannhein e suas ini-
iii.-.li n,.i.-s O general Am inu as suas tuncc.oet de governador, ful subs-
tituido pelo iiHjur Huuiberd, mas este parti
para Wilbeimvbael am desdeclinar esta hon-
ra em presenca do eleitor.
As tropaii bavaras oceuparam a porta princi-
pal, e as portas do carilindo de ferro.
i. Declarou-se o estado de sitio em lodo o
paiz, os habitantes foram desarmados, prohi-
bidas as i.-.iiii.i.-s polticas, e os joruaes nao
]nj li-ui publicar-se seiu a perinisso da auto-
ridades
coin urna multa: emoutroa he quallQoada, de-
licio: assimna Franca, Hsllanda, Duasicilias,
K.lados Romanos e em Portujal. os commer-
ciantes sao considerados neste caso, como ban-
carroteros simples; naHespanha e Wiirtem-
berguc, riles Incorrem cin urna mulla as'ss
considcravrl. VeJm-se os artlgos 222dnt:od.
Coin. portugus 45 e 48 do Cod. Cota, hespa-
nhol; 54 du codlao commerclal de Wurteinber-
gue; 8e9docodlgo coinmercial francez ; 6e
7 do cdigo commerelal deHollanda; 16 e 17
do cdigo commerclal das Duas Sicilias ; 9 e 10
do cdigo commerclal dos Estados Romanos.
O numero de llvros que deye ler ocoimncr-
ciante, varia segundo a nalurrza de sua esplo-
r.icao. corno quando ejerce uin coinrnercioem
grosso ou a retalho, ou anda segundo o palzes.
Km Franca arligns 8 e 9, na Hollanda artlgos (i
a 8, em Portugal, artlgos 220 e 921. he sufficien
le "tres livros : diario, copiador, balancos. Na
llespanha, artigo 32. ha de mais o rasao ou
mestre. a Russla, segundo o regtilainento de
i-1 de jiinltn de 1834, que subslltue os arligos
18 3 e 1863 do Swodou Digesto do imperio Mos-
covita, cada commercianle deve ler llvros em
proporc.ao da guilde ouclasse qual pertence ;
mas cousa singular pde-se exprimir tudas as
mences exigidas sobre os llvros, em o Idioma
que inelhor convler ao commercianle: aem
du vida a grande extencao daquelle vasto Impe-
rio, e a diversidade das llogoas dos povos que
o compile, autorsam aquella tolerancia ; com-
tudo os Judeos, os nao pdem escrlpturar, se-
u'io em idioma russiano, polaco ou allemao,
e sendo eserlplurados em hebreu (artigo 6) a
tradueco lltteral, deve ser transcripta etn fa-
ce. Na Prussia (artigo 590) os livros escriptu-
rados em lingoa judaica, nao nicr.-cein C em
caso alguin.
Encoutra-se nos cdigos commerclaes hes-
panhol artigo56 a61, ede Wuletnbergue arti-
go 39, urna disposicao que nao he estabelecida
sobre o inestno principio; mas que todava
prova, al que ponto, a regularidade he pres-
cripta ; pols que he-sc adslriclo o copiar as
cartas recebidas, na mesma ling.iagem em que
ho sido escripias. Em Franca, o cdigo he
nudo a semelbante respelto, u.io Indicuido
em que idioma as carias devein ser copiadas
sobre o llvro do commercianle. Esles livros de
enumeren) fazein leemjiiiio e lora dille, de
ludo quaiuu encerrain, entre cominerclanles
smente: he este o privilegio de que gosam,
i-oui justa rasao; porquauto a fraude nao pode
penetrar cestas operaedes diariamente reuro-
duzidas (artigo 12, Cod. Coin. francez, 53 Cod.
Coiu. hespanhol; lOCo.l. Com. liollaodez, 224
Cod. Coin. porluguez ; 20 Cod. Coin. Iii.imI.-i-
ro. Comtudo no artigo 50 du cudlgo coiuiuer-
cial de Wuteuibergue; 575 do cdigo coinmer-
cial da Prussia, elles nao servein para os au
e un ni i-re i. unes, se n.iu Inven do coinrco de
pruva por escripto : para a completar be ne-
cessario que aquelle que a pruduz preste jura-
mento : o inesmo lem lugar na llungria, se-
gundo o artigo 115 do respectivo cudigu com
inercial. Segundo os arligos 117 e 118 do ines-
mo cudigo, fazein inieira t, quando se he reo
em urna iustancia, e contra aqurlles que os
possueiu. Na Prussia, artigo 585 a 588, os Ju-
deos n -') os |i ule ni invocar, seuo depois de ha-
ver concedido autoiisacao de excrcer o cum-
mercio; alias nao teiu a faculdadc de oppo-los;
-,1-m.i.. em quesloes relativas a seus curreligio-
n oos l'ai/.es ha, onde a iuseriu de un ar-
tigo, depois de utu ceno praso, nao prudui
uns elletlo algum cuino em Wuteuibergue,
artigo 50, durautelj iiiezes ; na Hungra, arti-
go 109, durante uin auno e quatro tueies e na
i'i ii--.. i, artigo 59S a 602, duraule um auno ;
mas se o coiuuierciaule he ausente, pode pro-
longar a f devida a esta lusersu, fazendo um
prutesto peraule u tribuual, um tabellitiu ou
um cuiumissariu de juslica este proteslu cnu-
serva u ell'eito da pruva dus livros duscominer-
cianles durante ciuco aunos, e este praso pude
aer prolungadu pur nuvo protesto.
O cdigo commerciat francez artigo- 10, nu
ordena a conaervac.iodos livros e registros, se-
u.ni durante 10 anuos: os cdigos, hullandi>z
artigo 9, purtuguez -"2'1, vruteuiberguez 41,
duraule 30 anuos, e o cdigo hetpauliol, artigo
j.'i, exige que os couiiuercianlcs nio se desfi-
ca o d.-lles, seoau depois da cessacao de scu
co.iimercio.
A aurigaordenanca de lulli ', que ain.laest
etn vigor no Per e Mxico, artigo 1. prescreve
a escripiuracau de qualro livros. dos quaes
tres ao os niesinus que em Franca ; o quartu
he o livio de carregaiueuios ou facturas, hsta
mesma ordeuanca obrtga aos cuuiinerciautes
de grosao trato, que au sabein lr uem cscre-
ver, de lereui um guarda livros (arligu 7J ao
qual devem dar um puder aulhrntico, alim de
tulervtr as negociaedes, assignar letlras de
cambio ou oulros iguaes feilos iudufavci*. con-
tratar ele, mas quer igualmente (artigo 13)
que apresentein um balauco de tres em tres
meses de todas as trausacedrs, o que nao pode
deixar de complicar c exagerar a ordem que
deve reinar nos negocios de um commercianle
Vianna.-GuimarOes, 10 de novembro de
1850.Tenho presente a sua carta etn a qual
mo pede que declare se eu alguoi da pedi-
ihe que fosse mea fiador, ou responaavel
or alsums divida minha; em resposta ao
me V. S. mo pede tenho a dizer-|lia,que
nunes V. S. f ii met fldor, e nem nunca
lh peii quarem Pernambueo, quer em M-
r.iiiliio ; lie o que posso afiingsr a V. S
sdb minhi palavra. Deieja-lhe siude, quem
ha -Da V. S atlinto. vaneradore obrigado.
a Simplicio Ihmetirio Machaio.
i'Esva reconhecirlal
i _____ m "
rOMMERCIO.
ALFANDEGA.
Ilim linientn dodia 18.....9:799,418
Discortegam Aofl9 de dticmbro
Rrigua ~ Novo Vencedor mercadorlai.
Rhgue Empresa lagedo.
Rarca -- Carlota Emilia muredoriss,
Escuna -- /abela bacallio. -
Brigue fotuta gneros do paii.
CONSOLADO (ERAL.
Repdimento do da 18.. 2;989,7A
Diversas provincias...... 3t,439
3:023,8*6
EXPRTACAO.
Dupaekoi martima no iia 18.
Iluonos-Avrea, brigsse heapanhol Invtnci-
/. de85toneldsa: eondac o aegufate
1,200 barricas, IDO meiss ditas e 100 ste
eos com 9,114 arrobas e 81 libras-de as-
sucar.
Boston, brlgua americano Neptunt, de
283 toneladas : condut o seguinie i 3,500
saceos com 17,500 arrobas de assucar.
RICCEBEDORIA DE RENDAS OEHAKS
INTERNAS,
lleiitlimenlo tlo.lia 18.....619,3*3
CONSULADO PROVINCIAL.
Hon.llmenio ilndia 18 .9:374,708
i
Movimento do porto.
A'noio entrado no dia 18.
I.isboi 26 das, barca porluguez Carlo-
lae Amelia, cap i tilo Caetano Gaspar Pes
lana, equipagem 17, Cargs vinho e mals
gneros; a Francisco Severiano Rabello
& Hillto. Passageirn, Joaquim Martins
Moreira, oDr. Anir BrasChalrea, Igna-
cio Manuel de Lomos, Dimiogos Barbo?
Brito, JoSo Ferreira da Costa Sampaio,
Manoel Jos de Andrade, Antonio Jos Ig-
nsci Teixeira e sua mana,
Navios takidot no mamo dia.
Canal -- Escuna dinamarqueze Soceours. ca-
pilSo N. II. Schmial, carga assocar.
Msrsile-- Brigue francez Antointt, espi-
tfio N. Broutin, carga asaucar.
Boston ~ Brigue americano Ntplant, capi-
tlo Bejamiei F. Basford, carga asaucar.
Buenos-Ayres Brigue hespanhol Invenci-
ble, capitao Francisco alarisUoy, carga
assucar.
ObtervacBei.
Sahlo em commisafo o brigue-esr.una de
guerra Canopo, cominan lante o primeiro
lenle Jos de Mello Chrisla d'Ouro.
I-'iiii le.iram nn 1.1tii-iro para acbar de
carregar a barca peruviana Olga e o brigue
iualm Queen. _____________
ComcjUiiicado
Um habito mal entendido, tein feito persua-
dir aocorpo de commerciu desta pa;a (os na-
cionaea) de que a escripturar;o a seguir, he a
das partida singrllas, visto que o coligo poal-
tivamenle oao ordena a sua especie, antes se
expressa em tertnoi, que delta ao arbitrio do
negociante seguir aquella que bein Ule ap-
prouver. Em nusso entender ha erro palmar
em urna tal suppusicao, e o vamos demonstrar
com a devida precisno.
Diz o artigo 14 du nosso cdigo a eseriptu-
racao dos mesruos livros ser I ita em forma
mercantil, c seguida pela ordem chronologica
de da mes e aiiuu, aem Intervallo ein bruen.
nem entrelinbas, borraduras, raspaduras ou
emendas.
Existe urna lacuna no nosso cdigo, que mu
to nos m.-ir.n iib.-i. e veiu a ser, nem uiua nica
palavra sobre o llvro borrador e llvro
rasao. O primeiro he aquelle onde todos es-
i i-.-vi-in, e onde se lancam tod.s as transacede
du e.iiiimeieaiiie, quer venhaui ou nao a ter
. II..O,. .if e he que paaaam .ara n diario em
divida forma. O segundo he aquelle onde se
lancam as partidas do diario a debito ecrdito,
e delle se extrabein as cotilas cor eutes e batan-
en aunuars, servindo ao inesmo lempo de inap-
pa deiiiniislralivn do activo e passivo do com-
inerciante a quem pertrncem.
A (ciencia de escriplurar os livros dos coin
inerciantes por partidas dobladas, he a mima
a seguir, pela raSo de sua preciaao, a nao me-
nos pala facllsiade com que ae descubre quaj-
quer erro .|ur se lenha coinmrilido; lugo una
das obrigaedes mais esscnciae c mait impor-
tantes Impostas ao commerclavtei, he de es-
criplurar ru llvro pelo aystenia de partidas
dobradaa, afltn de poder consiatar as operaedes
a que se toa entregado, apretent.r urna situa-
i,a" exacta de eua-negoeios. (que entram uo
dominio do publico, 'no caso de quebra como
de termina o arligu SOI, Ululo I du cudigo Com.
bradleiro, rrieiiiido-ae ao artigo 13 c 14 do
iiirsnio) di por dia, e ollereier, como um e-
|i. Ilio, iodo o ai tus de seu couuuercio: a
cousciencia do coiiiincrciante, dlzia o legisla-
dor francea, deve estar toda Ictelra ein eu li-
vn>, he alli que o julz deve estar seguro de a
encontrar. oncebe-e aaans toda a ulilldade
desta uieaWda, e a garaotiaa que pode anre
sentar; |>VaaUii> cao de flatebra stu fal-
ieucia, impuaasivel eria apandar o lio, com o
auii lo do qual podeiia guiai-se, alim de aillo,!
glr a uina justa
cripta (a do'brai...,
os naixea. Alguns ha, nos quaes a escriptura-
fao irregular (ingelaV doa Uvro, be punida
Correspondencia.
Sr.rtfac/or.-Lendo eu no V.lario de Vernam
buco de 23 de selembro n. 214, um annuncio
pelo qti'l se pedi o meu honrado amigo o
Dr. Joaquim Jos Limaigneri Vian a, que
manlasse pagara quanlia de 136,000 risa
que se obrigara.como Ihdor do Dr.Simplicio
Hemeterio Machado, flquei sobre mo lo af-
fiieto pelo di'Sar que scmelhante annuncio
(razia a repulajSo do rreu amigo, nSo par
mim e para pessoss quo aqu o i'atiram,
e Ihe conheceram as excellentes qualidades
de que he dolado, mas para quem o nilo
conhecesse de perio. E por isso imme.lla-
mente escrevi psra o Maranhflo, donde he
natural o meu amigo, avisan lo-o da exis-
tencia de tal annuncio, epeaindo-lhe que
me flzesse o favor de aulorisar para por elle
pagar aquella quanlia, caso fosse real.
Em da.ta de 16 de novembro ultimo, res-
pnii leu-me o Dr. Lamaignerl Vianna des-
menlindo ludo qusnto em aemnlhante an-
Tiuiiein se di/.ia, e provando com a carta
aballo transcripta, que nunca foi flsdor do
Sr. Dr. Machado. Aind mus, Sr. redactor,
o meu amigo remetteu-me outra carta do
proprio autor do annuncio, dirigida ao Sr.
conimoQ>lart>r Baymundu Gabriel Vianns,
seu milito digno pai, fel qual esleera rogado
aflm do que lizesse com qoo o Dr Machado
m-nfassepagara referid quanlia I A vista
disto ajuizo o publico do procedirnenti in-
digno doautor daquelle annuncio qu: ou-
sou manchar som a miriima raso, a repu-
tacilo de um moco de bem, lilho de um dos
mais respeilaveis e opulentos propietarios
da provincia do MaranhSo, senUo talvez o
primeiro, como he o cotnmendador Gabriel
Vianna, e que de mais a mais luilia aqu
amigos e coTospondenle (o Sr. Manoel Ro-
drigues Duarte) que por elle poderiam pa-
gar, nilo s aquella quanlia, senao tambero
ooUas, se as devease.
Dignem-se 8r. redactor, de traoscrever
estas I
Recebe loria, itUk dezeerabro de 1850.
O administrador,^bao< Carneiro de Sons*
Laoerda.
0 capito do porto desla provincia,
competentemente autorisado, engaja cinco
msrinhairos e cinco grumetes, para a nscu-
n Undoya que se acha empregada no ser-
vio* da alfandega ; asslm cimi marinhei-
ros para os navios de guerra ; sendo o en-
lojamento feito oelo lempo que se conven-
cionar, e devendo os pretendentea apresoa-
taren-se com a maior brevidade possivel.
Peraote o conselho da adminislracflo
naval lem de conlratar-ae por arrematicBo
0 fornecimento dos seguintes gneros para
os navios armados e hospital de marinha,
por lempo dn tres metes, a contar de I de
Janeiro ea (indar em 31 de margo do anno
vindouro, a saber : arroz branco pilado,
azeite doce de Lisboa, assucar branco, bo-
laxa, bicalbo,- caf moido, carne verde,
carne seco, pSo, aal, loucinlio de Sanios,
vinagre de Lisboa, aparmacete americano e
carnauba em vallas ; igualmente contrata-
sea compra de mil a mil e quinhentas va-
ras de brim ingle; portanio sao convida-
dos os que nteressarem em dito forneci-
mento venda de brim a comparecerem as
12 horas da manbla do dia 90 do crrante
os sala daaaeaaoea do meamo conselho com
suas amostras propostas, deolaraodo o ul-
timo prreo e quem os dadores queserSo pa-
ra esse flm habilita lo*.
Consula Jo la onfedera55o Suis-
sa etn Pernambueo.
Tendo fallecido o relojooiro Su isso Ulysse
Drot, o cnsul de sua naci, roga a todas
as pessoas que liverem conlas com elle,
ou linham relogios na mo do dito para
concertar, queiram dirigir-se quanto antes
ao consulado na ra da Cruz n.5l, para en-
tender-so com o cnsul a esse respeito.
- Carlas seguras, oiisltiites na admiriis-
Icacfio do cqrreio, para oa Sra. Antonio Jos
.Mara Jorge, Antonio de Souza Marlins,
Claudino Jos Bsrboza Filho, JoSo da Sil-
va Nazareth, Jos Bezerra Ctvalcanti Albu-
querque, Jos Jusiiniano Rodrigues, Luiz
Fortunato Meuiles e l'e 1ro Marinho Falclo.
DITA L,
O lllm. Sr. inspector da thesoursris da
fszenda provincial, em cumprimenlo da
ordem do Ex n.Sr. presidente da proviocia
pe 12 'lo correte, man Ja fazer publico
que nos illas SI, 92 e 23 da Janeiro prximo
vinlouro ir a praca perante o tribunal a I-
minislractivo'da) mesma thesonraria, para
snr arremata a quem por menos fizer a obr
ilo segn (o ImC'i da estrada do norte, ava-
hada em 8 633,966 ris, nsb as clausul-s
esperiaes abaixo declaradas.
As d< ssoas que se propozerem a asta ar-
rematac3o comparer;3o na sala ds sessAes
do mesmo tribunal nos diasacim'i mencio-
nados pela ineio competentemente habili-
tados na forma do arl. 3* do regulaaaento
de 7 de maio do corrente anno. K para
constar se mandou aflxar o presente e pu
blicarpelo Diarlo.
Secretaria da thesoursria da fazenda pro-
vincial de Pernambueo, 16 de dezembro de
1850. O secretario, Antonio Firrira da
AnnunciacSo.
a Clausulaes esptclaet da arremalaelio.
a 1.0-Os trabadlos e obras deste lanco de
estrada serlo feitos pela forma, sob as con-
di(0es, e do modo indicado no orcamento,
planta e perdz, apresentadoi nesta data a
approvarlo do Exm. presidente pelo preco
de oilo cotilos seiscentos e trinla e tres mil
nove c-ntos e sesseuta e seis mil ris ( ris
8:633,966 )
a 2. Em todos os pontos onde a eatrad
nova coi cnle,nu encontrar-ae com o velho
caminho actual, devert ser dirigido o ser-
vico de mo lo tal que haja sempre um tran-
zilo fcil..
a 3."As obras principiarlo no praso de
um mez, e Iludirn po de oito mezes, am-
bos contados de eonformidade com o art
SO do regulamentrr de 7 de maio de 1850
, i ti-i-, ra ludo mais qoe nio est deter-
minado pela presente clausula, seguir-se-
h ioteiramento o que diapoe o regulamen-
a Recife, 25 de novembro do 18500 en-
ginheiro chafe da segunda secco, Joto Luis
Violar IJeuthicr. Approvado pela directo
na do conselho no dia 3 de dezembro de
1850.O director, os Mamede loes fer
reir.Florlanno Unir fV//r.--Approvo.
Palacio do guverno de Pernambueo, II de
dezembro de 1850.Soma oo.Confor-
me.No un, intmenlo do ollicial maior, o
ofilcial Domingos os Soares.
Conforme.-( secretario, Antonio Ferrei-
ra d'Annunciacio.
Declaraces.
-- Pela recebedoria de rendas internas ge-
raes se faz publico que o praso concedido
para o pagamento dos imposlos baix
especificados perleacenles ao exercicio de
1849 a 1850, tennis* no Ultimo do correle
ImtiaTno' se J Tor, "em" abono do I mez, findo o qual ha de ser exccutivamenle
u digno amigo u Sr. Dr. Lim.lgneri Vi- promovida a cobranca dos meamos, os
Tona, a?rozmenle injuria .o.ern quanto que qusesao t npoalos sobr, lojasecas.s de
?"r,s.d como esou, nSo paai a proco- descoqlo. etc., dito sobre as c.ss. de mo
podeiiaguUi-se, aflu de attiu- ,iair cnminalmi'iile coolra o autor do refe- veis, ioupa ele. fabricados em pilzes es-
1i,,da.u. a^wteeluW ^;oC", uc.o; pelo que ibe aera grato o trangeiro*, dito sobre seg-a, H.ln sobre
da) por oda aparte e emj.dos n ym.wtit),--iosi Antonio de Fgmcredo barcos du interior, laxa de escravo* deoima
lllm. Sr. Dr. JoaquiaJos Umaigerlladdiclonal das corporacOesdemfio morU.
Theatro de Santa-Isabel.
COMPANHIA DRAMTICA E DECANTO.
saaBstio. SI di DB'Bataao db 1850.
Heda extraordinaria em beneficio da cantora
Augusta caiidiaul
l'rimeira forte.
Depois de executar-se urna eacolhida
aymphonia, seguir-se-ha a grande scena,
cavatina, e alegro da opera
NORMA,
do maestro Bellini. executsda pela bene-
ficiada.
Segunda parte.
A companhta nacional em obsequio a be-
neficiada representar a comedia
FALLAR VBROADE A MENTIR.
terecira parte.
Cande aria da opera
VESTAL,
do maestro Giannini, expresstmente com-
posta e dedicada a beneficiad, e por.ella
execulaia. ;
Ana da opera Somntiniowfa, do maestro
Bellini, executada pelo Sr. Cayo Eckerlin.
Pela beneficiada a cavatina e allegro da
per* Beatrttje di Tentis..
Pelo Sr Erkarlina aria do Paria, do
maestro Doaizzilti.
Quarta parte.
Pe eompanhie nacional farca
O JUinS EM S\BB\DO DE ALLELUIA.
Finalisar o espectculo com a cavatina e
alegro da opera
Torquato Tasso,
do maestro Oonizzetti, executada pela be-
neficiada. ,
He este o espectculo que a beneficiada
lem a honra de offerecer ao Ilustrado pu-
blico dest cidsde, do qual espera toda a in-
dulgencia e proteccSo.
Os bilheles acham-se a disposicflo do rea-
peilavel publico na casa da beneficiada Ho-
tel Francisco, e no dia do espectculo no
usar do costume
I ?t ,. 1|n------
_aaesagBaaa/s
Avisos martimos.
-
Suir viagera para qualquar parle :. os pre>
etidentes dirijam-se a Mstheus Auslin & C,
Para o Ceur.
Sahir imprets(ivelmente a 30 do crrante
o brigue nacional Empresa, de primeira
marcha ; al da carga queja tem bordo
para aquella porto, recebara neste a que
mais se offerecer, a frete commodo, assirn
como passageiros : os pretndanles diri-
ja m-se a tratar na ra da Cadeia velha n.
17, segundo andar.
Para a Babia segu em poucos diss por
ter alguma carga engajada o liiale Flor de
Curmripi: quem pretender carregar 'ou Ir-
do paasagem, dirija-se a ra do Vigario n-
meros.
Para o Rio de Janeiro sshe enm brevi-
dade, por ler a maior parte de sua oarga, o
brigue San Manoel Augusto, capilSo Joa da
Cunha Jnior : quem quizar carregar, i
barcar escravos ou ir de passsgem,
com Manoel Ignacio defMivelra na prega
Commercio n. 6. ou com o capillo.
__ Part Baha sabe no fim da
presente semana o hiale Amelia :
para o resto da carga trata-se com
o meatre a bordo, o com Novaes
Si Companhia, na ra do Trapi-
che n. 34<
Para o Rio de Janeiro aahe
com a maior brevidade possivel,
por ter parte de seu carregamen-
to prompta, o brigue nacional
Leo : para o resto da carga e pas-
sageiros trata-se com o Citpilao a
bordo, ou com Novaes & Compa-
nhia, ra do Trapiche n. 34-
Para o Rio de Janeiro sshe a galeota
SantissimaTrindad, de a iperior marcha,
forrada e encavllhada de cobre, par lodo o
presente met por ji ter grande parlada
Carga contratada, rasii i ursina quiaf
Carregar ou ir de passagem, dirija-se ao
seu consignatario Francisco Alves da Cu-
nta ra do Vigario n. 11.
Para a cidade do Porto sahe,
com muits brevidade,a veleira e
bem conhecida barca porluguez
S.-Crtiz : quem na mesma quizer
carregar, ou ir de passagem, para
o que teta excedentes commodos,
dirija-se ao seu consignatario
Francisco Alves da Cunha, na ra
ilo Vigario, o. 11, primeiro andar.
Vende-se o brigue denominado Pirati-
nim do lote de 301 toneladas, forrado de co-
bre, com lincha, bote, e todos os pe loncos
deaparalho, prompto para fazer quilquer
viageni, qem o pretender pode ir ou man
d-lo examinar uo ancoraren defronte
da escadioha do passeio publico sonde est
fundesdo : para tratar na rus da Cadeia n,
39 com Amorim Irmflos
-Vende-se o briitue-escun americano
Paulo T. Jones, de lole da 17* toneladas,
forrado e cavilnado de cobra, prompto a ee-
IfatJrV
LeilSo.
O correlor Miguel Carneiro. far lei-
ISo no da 93 do crrante ai 10 horas dar
manhBa no aeu armazem na ra da Trapi-
che n. to, de diversos trastes, louca, vidros.
quadros mui ricos, obras de prat, relogios
de ouroede prata, e outros muitos objec-
to que se venderKo muito em oonta poajser
o ultimo deste anuo : principiando o flllSo
por um rico piano.
-- Preciss-se alugar urna preta, prefe-
rindo-se escrava, que entenda de coziohar
e engotnmar, e um moleque para o aerrjQo
geral de urna casa dVtrtnilia inglez : fal-f
Urna ra doTrapishe n. 40,' armazem do
corrator geral.
O abaixo assigmdo faz publio que
o seu filho Manoel RimSo deCarvalho dei-
xa de ser recebeJor dos alugueis das suss
casas, e passa a ser o cobrador de hoje em
diante oulro seu filho Dmbelino Maximino
de Camino autorisado por procuracSo Ina-
tanleLonrenco Manoel de Carvalao.
Quem liver para alugar urna ou duas
pretas pa ra vender fruetss : dirija-se a roa
Nova n. 49.
af9!atJa>WpB_
Avisos diversos.
A pessoa que annunciou precisar da'
um moleque pira urna casa ingleza, dirija-
se i ra do Trapiche Novo, n. 14, que acha-
ra o que procura.
Nev.
Passando a ponte da Boa Vista, no prin-
cipio do Aterro, llavera aorvete lodo* os
dias, das < horas em dianta, feito com per-
feico e asseio, e das melhorea frutas
ProrOe-le a ser ama aeca de qualqaer
casa urna mulher de bons eostumes, para
cozinlia, engomma lo e todo o aervleo in-
terno, quem de aeu presumo se. quizar .
utilisar ennuncie para ser procurado.
Alugam-se tres pretos para servante*
de urna obra pequea, quem os liver diri-
ja-se a ra do Crespo, toja o. 3, ao p do
arco deS, Antonio.
- A decaracSo qoe a viuva Biiblh* Cus-
todia de Dliveira Dirtit, fez no jornal de
hoje relativo ao abaixo sian lo, s leva
por flm o proposito de offender ao baixo
assignado, que compelUdo a i aauMsner as
declaraces dessa viuva, confirma nio ser
maia procurador dalla, de quem o innnn-
ciante proprio ae despodio, por nilo poder e
nio querer preslsr-se a toda sorle de exi-
gencias loucas e extravagantes dessa viuva;
a anda mais por nSo querer o snnuncisnte
consentir ou cencorrer para tad-oeiras no
inventario que essa viuva est procelendo
pelo juizo de orphos, s com o flm de pra-
judicar e tesara seas proprio*. fllhos. Por
mais ntla vez aproveits o annnneiaote o in-
sejo pera novammte pedir a essa viuva,
qtieira quant antes mandar tomar conlas
ao aonunciante, como por rnuitas vezas Ihe
tundo pedido que o faca, pois o annuncian-
te est prompto a da-las a quem quer qoe
soja, vindo por essa viuva autorisaale ; po-
rm nSo o quer fazer a ella, para o depois
nSo alegar' que fui Iludid por ser una--
bruta,--como em idnticas circu.nstanclas
cosluma a fazer com os mais. Recife, It
de dezembro de 1350
Honorato osepk de Olivelra Figueiredo.
Preciss-ae de urna ama forra ou capti-
va para urna casa eatrangeira : na ra da
Conco-di, refinacio franeeia.
Alnga-se o segund? andar
e sotio atrs dtt matriz da Boa Vista, o
qual tem bastantes commodos pa-
ra urna familia : a tratar na mes-
ma ra n. ai.
Aluga-se a luja do sobrada.sk ra do
Collegio n. S, quedeila para a mesnia ra :
quem pretender, A rija -se a travessa do
Sarapatel. a IraUroem O Sr. Manoel-Jos
da Sanl'Anna Araujo.
Perdeu-se oa tarde de tero* feira 17
do correle urna caixa de chjfre, toda es-
maltada de branco, circulada de tartaruga,
os lugares sSo Recife, Capung, Passagem a
Hospicio, pede-se a pessoa que a ecnou a
queira restituir que ser generosamente-
do na ra de S. Francisco sobrado novo
au p da uiaio.
Na roa do Cabuga loja de 4 portas, de-
zei-sa fallar ai Sr. Ilenrique Pereira da
Silva, morador na Vanea.
Atugatx>-se dsurs casas terreas na Cida-
de Nova, com 4 ralas e 13 quartos cada
UM, quem as protender entenda ss com
Antonio Jos Comes do Corrolo.
OsSrs. Drs. Ferhsndo AWasiso de Mello
e Manoel Firmino de Mello, team cartas
vindas da ilha de S. Miguel: na ra da Hi-
dra de Dos n. 36, em casa de JoSo Tavares
Cordel ro.
OSr. C. J. B. S. tenha a bondadede
maodar pagar nis Cinco Pona* ultiitrO so-
brado do lado esquerdo, a quanlis de ris
34,560, que j deve a lempos, deenoom-
mendas que mandou comprar, he dsta
maneira que o Sr. diz nio saber como'*
podedever, e quando nflo faca (t O di 19
do crrenle, sahir o seu oome por4 extenso
e aconta da divida.
.- No Atierro da Boa Vala loja demiude-
uM. 73, >* dir* quem da dinberos a jaro*
eom bipothecs em cesa* terreas.
Alugem-*e o* aegando e lereero an-
dires por cima do eseriptorio de Jama*
CraiitreeOi Companii, a* to* i Cf* ; s
fallar no iloescriptori.


Fugio do aitioda Taquara,
no Altinho, comarca de Garosrft, no'dial
denovembro deete antio, o eseravo Silve-
rio, crioulo, representa ter 20 annos, bem
pre'to, baixo.secco.com urna sieatriz no ros-
to ; tem lado de um dente da frente-que-
brado e he canhoto ; foi encontrado na po-
voacBo deprvala,com destino a esta prsc
lie bem Ajilante: roga-se. a todos os capl-
t5es de campo qu n apnreheiidam o levem-
noa povnapSo do Altinho ao reverendsi-
mo Sr. Pedro Manoi'l da Silva, ou neata pra-
ca, ouna ra do Queimado, agunda.loja, n.
18, que se gratificar 'com generosidsde.
O Consultorio homoebpaUtico,
..-ruadoCollegio, n. 25,
Q Do.f'. P. di A. Lobo Hotcoio. <5
A O Dr. Moscoso d consultas todos os O
l diaU Osoentes pobres sSo.tratados .
' d*\rec,A. Sserflo visitados em suas *?
w casas aquelles que bSo poderem vir *g
O ao consultorio, ou que suas moles- V
tas n8o possam dispensar a preaen- O
O a do medico. O
Abrem-se e imprimem-se bilhetea de
visita em qualquer carcter,,rtulos e todo*
osonjectosque demandam preceitos calli-
graphtcva, relraius e quaesquer dcsenhos,
sinetes lypos emblemticos, ornamentos
para capia de livros, e afina! todos oa ob-
jctos dlBrle de grarura em altb'd bailo
relevo, fe com deiicadesa. As pessoas que
pretenderen) algumis destas cousas, diri-
jam-ae a ra do llrum, defronle da fund-
eBo ingles, ou ims seguntes lojaa de li-
vros: na ra da Cruz n. 5.*na praca da In-
dependencia ns. 6 e 8, en paleado Col le-
gio n, 6, onde se for mister poderSo deixar
seusnomes e morada para serem procu-
rada!.,
Sabio boje o segundo numero do Jan
Bixtnf, diatribni-se gratis : as boticas,
bairro do Recite de JoBo Soum e Vicente
Jos de Brito, em Santo Antonio, Rartholo-
meu Francisco de Souza, e na Boa Vista, de
Jos alaria Freir Gameiro.
O Sr. Antonio JanuarQ Cabral, dirija-
soarua dais Cruzet n. 36, que ae Ibe deso-
ja fallar. .
Aluga se urna casa no Guanga, com
ezcelletitea commodos para passar a fesla :
a tratar na ra da Paz n. 49.
-- rt tata n. 8, a p do quartel da poli-
ca, concertam-secsndieiros de sala, glo-
bo6 e lmp*oes de relogios ; assim como en-
vcrnizam-se o bronzeam-se das cores que
quiztrem.
Antonio Fernandos da Silva faz scieo-
te ao r*apllavelpublic, que por haver ou-
tro de igual nome.de bojeen) dianta sosar
signar por Antonio Fernandas da Silva
Beiriz.
Aluga-se urna casa com pequeo sitio,
com bastantes commodos para grande fa-
milia, no kgar do Poco da Panella, defron-
te da igreja, pela feata ou annualmente : na
ra da Cadeia de Santo Antonio, a fallar
com Domingos Alfonso Nery Ferreira.
Francisco Jos-da Paula pjtope-se a ra-
zar qualquer escripturacflo cummercial, do
que inm bastante pratica, isto mediante um
mdico estipendio, podendo quem quizer
nlilisar.se de seu prealimo, procura-lo na
ra do Aragflo' na Boa Vista, ou annunciar.
Nodi 4do crrente, s tO horas da
mantilla, peraota o Sr. lir juiz do civel, se
ha de arrematar, na loja ii ra do Oueima-
do n. 21. as fazendas e armacSo da mesma,
que foraro do lina lo Joaquim Rodrigues
Costa, a requerimenlo do respectivo tesla-
meuleiro.
,OSr Hanoel Silvestre Machado, ou os
seos nerdelros queira dirigir-e ra
da Cruz n. 49, para negocio de seu Interesse
-Os Srs. Manuel Ferreira ttniz e Jo.s
Joaqun. Ferreira Rebello lm cartas na pra-
ca do Commercion. 2,1.* andar.
~ Precisare de um caixeiro nacional ou
estrangeiro, que tentia bastante pralica ae
vender fazenda, e que queira ir para o Rio
Formoao : quem eativer as circumstancias
e que d ounliecimento de su a conducta,
appareca na ra da Cadeia do Itecife, loja
de miudezas n. 7, a fallar com Autooio Lu-
pes Pereira de Mello.
--Sezla-feira, 30 du'crrente mez, na
igreja de Santa Rila desta cidade, ha para
se dlzer aajssaa ero sufragio, com a eamola
de 800 ria. ,
Troca-se um Santuario novo, chegado
estes diat do Porto, obra muito supeiiur,
lanto por ser de tioni gosto, como porque
as Irhagens So muito ricas: na ra do
Creepo n. 19, se dlra^quem vende, ou /alar
no Hospicio sitio junto ao Sr. A/aenio.
lia-se 350,000 ris a premio sb panno-
res de oure, ou com boas firmas. na ra
estrella do Rozarlo travessa do Quoimado,
loja de miudezas n 2 A, s lira quem da.
-O a.baixo assignado faz sciente ao Sr.
airematairte daa g cflu hrasileira, que desda o dia 1 de Janeiro
de 1851 deixa de vender Ues gneros na
su a taberna sita na ra di Madre de Dos
n.18. Antonio Mariini da CojMi Fianno.
q O r. J.S.Santos Juior, J
O medico homoebpa tita mora
na rus No*, o 58, primei- O
q ro andar. q
OSQQ9O'O9OO0WOwiii
Balbina Custodia de Olivetra Dmiz,
viuva de Manoel Ferreira Diniz Taz sciente
ao respeitavel publico e coro especialidad
as pessoas que qem ella letn onlas qtte seu
mano Honorato Jos deOliveira Figueiredq
iiilo he mais s'eu procurador, por issu qual-
quer egocio piar elle feto nao sera va-
lioso.
Os 8ri. que enoommendaram mergu-
Ihoa'departeiana rund^hozano da Bo
Vista n. 9, pdem Vir h*jief>loa, por j esta
rem capa es de jerem mudados.
Nvr.ua larga do Rozarlo toja d miu-
dezas o. 16, piecia-se de um caixeiro com
pralica do mesmo negocio. .
Precita-ae de urna ama que tenha
bem lene i na ra ireila n. 8, segundo
andar.
Aluga-se urna sala para hornero aoltei-
ro, na ra do l.ivrmcnlo, u. 1, primeiro
andar : nesla tyeographia, se dir quem
atuga.
Borvetcs.
Na *ua Nova n, con. entrada pela rus
do Sol, confronte ao cbsfariz, esta cas
acha-se preparada com cfl' B 8a'*8 PreP"
rada para aa iamiliaa que quetoicu. tomar
- '-----------------------------'
os ptimos sorvetes de fructas^dss 6 o meia
doras em disnte, as mesmas hjfraa lambem
o hsver no hotel commercio.
O Medico do Povo
^ jornal da propaganda hommopa- **
w tilica distribue-se yraif na loja de **
D Tazendas db Sr. A. F. Pereira, na ra O
9 do Crespo, n. 4. O
KiOOOOOOOOOOOOOCrO
Precisa-se de um moco portuguez para
caixeiro de engenho na freguezia de N. S.
da Eicada : na ra da Cadeia do Recife, lo-
ja n. 50.
Offerece-se para caixeiro de qualquer
estabelecimento.a excepcSo de venda, urna
pessoa com habilt'coes, dsndo fiador sus
conduela : quem pretender, dirija-te ra
Nova n. 60, primeiro andar.
Precisa-se arrendar annualmente um
sitio bem pertn da praca, tendo planta de
capim para dous cavallos, anda mesmo
principiando o arrendamentoem Janeiro ou
fevereiro em diante : quem tiver annuncie.
Precisa-ae de una ama que saina co-
lindare engommar, para casa de bomem
solteiro : em Frade Portas, ra do Pilar,
n 39.
Aluga-se pelo lempo da festa ou an-
nualmente a casa de dous andares, defron
te de S. SebastiSo'em ulinda, com comis-
los para grande familia : a tratar na mes-
*! ca*a, ou na ru d Oadoit do Iticlfe, lo-
ja n. 50.
Eogomma-se e lava-se toda a qualida-
le de roupa com todo asseio e muita prorop-
ttdfio, por pre$o mais commoio do queem
oulra qualquer porte : Da ra de Agoas-Ver-
des, n. 96.
Aluga-ae o segundo andar do sobrado
da ra Direita n. 90, com commoio para
grande familia: na ra ireila n 93, pri-
meiro andar.
:*: t ?
# O facultativo J. II. Casanova mudnu #
V o seu consultorio homceopalhico da 9
# ra da Cadera para a ra das Cruzes H
# n. 28, segundo andar, onde contina %
# a dar consultas lodos os dias. Os po- %
J) bresserSo tratados gratuitamente. *#:::#
-Aluga-se urna casa no Poco da Panel,
la com bona commodos para grande faroilia-
estribaria para quatio cavallos, boa sgoa de
beber, e jardim na frente ; adverle-se tais
que a dita caaa he murada em roda e tem
um grande copiar tapado com frente sa-
bida para o rio; a tratar na ra do Trapiche,
armazem n. 44.
No bilhar francez da ra Nova haverfio
sorvetes todos os dias, das 6 horas da larde
em diante. -
\!T

palha
Com pas.
Compra-se urna crrante ou cordfio
srosso, e urna medalha deouio de le, *r
feilio : na ra larga do Rozado u. 48, pri-
meiro andar.
Compram-se sellios velhos ou com al-
gum uso : na ra larga do Rozario, luja de
miudezas n. 26.
Compra-se urna prensa do copiar car-
ias : quem tiver dirija-se a Antonio Jos
Comes do (orre i o
Com ra-se urna cadeirinba da Baha
na ra da Gula n. i, tercelro andar.
Gompram-seeacravos de am-
bos os sexos.- na roa da Cadeia do
Kecife, n. 5i, primeiro andar.
Compra-se um oratorio que tenha de
comprimenlo quatro palmos pouco mais cu
meno, e um sellim inglez ussdo em bom
estado: na ra Oa Cadeia do Recife toja
numero 50.
Compram-se para encomenda.uma preta
cozinheira e engommadeira; um molecote
proprio para o servido de urna casa, eduas
negrotas boas figuras e sadits : na ra da
Cadeia do Reciten. 50.
I -- Compra-se um sellim usado : quem
tiver dirija-se a ra da Codeia de S. Antonio
n. 25, segundo andar.
Vendas.
Folhinhas de almanak
Sabio luz a olhinh' de algibeira, a
qual se acha reunido o almanak civil, mi-
litar, administrativo, judiciario, commer-
cial e industrial desta provincia : vende-so
por 320 rs. na livraria os. 6 e 8 da praca da
Independencia. Esta fblhinha que no anuo
findu continua 956 paginas, foi enrequeci-
da com mais 32, aero augmento de prego.
Mel baroto.
Vende-se mel de assncsr a 900 rs. a .ca-
ada de oito garrafas : na ra da Concordia,
refinaQo franceza.
Vendem-se relogios de ou-
ro, patente inglez, de um dos mais
acreditados fabricantes de Lon-
drej 5 vinho do Porto, sherry e
madeira superior engarrafado, o
melhor que se pode encontrar a
venda, por ter vindo de eiicom-
menda no escriplorio de Hussell
\lellors & Companhia, esquina da
Lingoeta n. 3a.
Vendem-se espelhos de pa-
rede do mais moderno gosto, guar-
necidos de Jacaranda : em caa de
Kaikmann lrmos, ra da Cruz
n. lo.
Vende-se urna escrava boa quitandeira:
em Fra de Portas, ra do Pila n. 2.
-- No becco do Gonsalves, aruiazero do
Araujo, e oa ra da Cruz armazem n. 33 de
Sa Araujo vende-se superior Tarinha |em
laceas, mais barato que e n qualquer ou-
ira parte, bem como no ultimo armazem
vende-se tambom-solla, couro. iniudos, s-
palos e lijlo para limpsr metaes, etc.
-- Veude-se um cavallo bastante gordo:
ns rus do Cotovello ns. 29 e 31.
Vende-se um bonito molequede 16 so-
bos, de elegante figura, bom copeiro, ex-
cellenle pagem e para todo o servico : na
ra da Cauea do ReCJfe n. 51,1." andar.
Veode-se um moleque de nove anflos,
u trpca-seupr urna pr.;la aem Vicioa : na
ra do Cotollo n. 29.
Ixsteoat cobre ps-
-- venue-se um moieni
u troca-se por urna pr.;l
ua do CotoUllo 0. 29.
YsEdsjj-je seis cai
ra torro de t6 a 18 oorja-i, assim orno pre-
gos de cobre : no nrmizejn le Limes Crab-
tree 4 Companhia, ni mi da Cruz.
Vendem-s cliapos de palha
americanos, finos e de superior
qualidad: na ra do Trapiche
numero 8.
Vende-se nm rico piano de
Jacaranda, do melhor autor e com
excellentes vozes: em casa de
Kaikmann lrmos, rui da Cruz
n. lo.
Madame Port, com loja no Aterro da
Boa Vista n. 12, tem para vender confeitos
em caixinhas, honecras vestidas para me-
ninas, chspos de seda e de palha, vestidos,
manteletes e varias outras faz^ndss para
senhora : todo proprio para presentes psra
a festa do natal, es pregos commodos.
Novas colleccoesde modinhas
braslleiras para pianos, chegadas* no vapor
Imptrathz do Rio de Janeiro, na livraria do
paleo doflollegio n. 6, de Joo da Costa
liouiade,'
Deu-te Daos, bella Marilia,
En vivo... ali! mas nSovivo
Desde o primeiro momento
Ku peniei que o amor bolasse
9 llurmalm.!., mau amor,
ArasSomanda qua eu parla
Eu pensei que amor bastasse.
Ra lo Hozarlo larga n. 22.
Vende-se um bonito molatiaho, bom pa-
gem e de boa conduela, o que sa afianca ao
comprador ; urna molatinha de 13 annos,
recomida, muito linda, propria para edu-
car-se, ou dar-se de mimo, e queja tem
principios de costura ; 6 escravos, bons tra-
balba lores de enxads 4 negriohas com
habilidades; e om moleque de 15 anuos,
muito lindo.
Vendem-se cadeirinhas de
a para meninas, assim como
banquinhas de ps, proprias para
sitio : em casa de Kaikmann Ir-
mSos, roa da Cruz n. lo.
Vendeja urna preta de bonita figura,
que sabe engommar, cozinhar e cozer, n,1o
tero vicioa nm acbaques, o que se slan-
?a : na ra da Ordem Tercaia de S. Fran-
cisco, sobrado n. 6.
-- Veude-se urna preta crioula de 20 an-
uos, que sabe engommar, cozinhar e cozer,
com urna cria de anuo e meio: veude-se
por muita precisilu.- na ra do Fogo n. 23,
se dir quem vende.
ISovo loucador das senboras
on collecco de elegantes flgnrinos das ul-
timas modas de Pars, offerecen lo uma va-
riada escolha dos mesmns e modelos colo-
ridos de vestidos para bailes, passeios, mu-
nOes, visitas e campo, assim como para
roupes, camizinbas, Chapeos, toncas, pin-
teados, etc. alm dos llgurinos para vos-
luanos debomensede enancas ; no pateo
do Coltegio n. (, da JoSo da Costa Dourado.
As senhoras do bom gosto.
Vendem-se os bons borzeguin-. francezes.
gaspa'ados ede fino duraqu para s-iihor,
'05 otlimoaque chegaram aomtrrrailo, p 1-
lo diminuto vreco de quatro mil ris o par :
na loja de Beilarmitio dos Santos Bolcflo, na
praca da Independencia n. 33, e na ra Di-
rait, loja com armCCSo eovemisada, n.
50, de Jo.s llasilio de Mendonga.
Vendem-se dous pare de mangas de
vldrolavradas: quem quizer annuncie
" Veodepl-se, na ra do Cahug, loja do
Duarte, agulhascantofas, a 80 rs. o papel;
correias de couro db lustro para caifa, a
00 rs ; fuzis para amolar facas em mesa ;
tesouras finas 1 eampainhas de nova inven-
qSo ; grvalas de setim pretas ede cores;
e copos de vidro de cores.
Vende-se. na ra do Cabug, loja do
Duarte, um tico oratorio de bom gosto por
70,000 r.
Sao condecas.
He na roa io Rozario eslreits n. 13, anti-
ga padaria que foi do Cunha, onde ha um
sorlimenio geral de condenas muito boni-
tas, actales e peneirss : ludo chegado re-
centemente do Porto e por baratissimu
preco.
-y Em casa de Kaikmann li-
maos, ruada Cruz n. lo, vende-
se vinho bordeaux das melhores
qualidades, assim como vinho do
rbeno,sherry e cognac.
No largo da Asserobla, 11. 10, leuda de
tanoeiro, de Antonio do Espirito-Sanlo Se-
na, vendem-sebsrris de mel novo, propno
para embarque, por preco rasoavel.
Vendem-se missses novos e uniros uss-
dos : na ra da Cacimba, no armazem por
bail do sobrado do Sr. vigario Brrelo.
Vendem-se queijos londrinos, dilos de
pralo, booetas de marmelada de duas al
meia Utaa, latas com sardinbas, ditas com
f.rvilhaAVfJilas com superior chocolate de
l.isbOaTiras com superiores figos de oito
libras, caixinhaa com masaaa finas para
sopa, ga 1 rafas com vinho muscatel de Seto-
bal, ditas de dito do Porto e Madeira, gigos
com superior champagne, salame da Italia,
superiores presuntos portuguezes, paios
uiiur:;::, Lias com lcr.utn lnl?es,
sementes de orla I i ce de todas aa qualida-
des : ludo muito superior e msis barato do
queem oulra qualquer parle: na rus da
Cruz do lUcife, defronte do pr. Cosme, nu-
mero 46.
Na roa Nova, n. 8, loja de Jo>
Joaquim Moreira k C. ,
vendem-se famosos chapeos francezes para
bomem, de formas mu lindas e modernas,
ede ptima pellucis.
< Vendem-se amarras ae ferro: n ru(
da Senzalla-Nova, n. 42.
Vende-se, para fra da provincia, um
esoravo acboclado, de 20 annog| por di-
minuto preco : quem o pretender, dirija-se
a ra da Praia de Santa Hita n. 95, primei-
ro andar.
Casa de modas frniicezaa de Du-
. eeaard Mllloctaenn, Aterro da
Bou Vala 11. I.
Reeebeu-ao pelo ultimo navio do Havre
um liado sortiaiento de modas verJadrira-
mente parisienses, coosislindo em chspos
de aada, de palha e de montara para senho
ras, vestidos para bailes e casamentes, man-
teletes e capotinhos, plumas e flores, colle-
rinhos.de bico verdsdeiro, cortes de csssa
e esmbraia' hrancos e de cores, lencos de
mSo de esmbraia de lindo e de algo 13o, es-
partilhos.bicos verdadeiros e outros, fitas
le todas ss larguras e corea, transss, frsn-
jas, luvas, c tpeos da palha para meninos
e meninas, vestidos para as ditas, fitas,
camhraias, lencinhos degarQi e do seda,
veos e inautiliias para casamento, e mais
outras fazendasque se venlerSo muito ero
conts.
Vende-se um preto de napSo MoQam-
hique, alio, de bom corpn, d-se em cunta
por haver precisSo para acudir pagamento;
urna pretinha com principios de costura,
ambos su ni vicio : na ruado Rangel n. 39,
segundo andar, ge dir quem vende.
Globos de vidro.
Anda resta na ni vender-se alguns globos
de vidro proprios para escada, corredores e
mesmo psra iliuminacrtes por serem muito
commodos em tamsnho : na ra do Trapi-
che-Novo n. 10.
~ Vende-se ums taverns ns rus do Forte,
n. 9, muito afreguezada para a torra, com os
fundos de 200,000 rs. e armacSo milito em
eonla : a tratar na mesma taverna.
Feij3o mulatinho em saccas
de alqueire.
Ven lem-sn, por Dreco muito harat", 98C
cas com feijSo mulatinho, chegado ha pou-
Icoa illas,'para fechur coilas: no caes da
Alfjn loga, armazem de Dias Kerreirs.
Lotera do lio de Janeiro.
Aos 30:000.000 rs.
Na loj de miudezas da praca da
Independencia n. 4 vendem-se
bilhetes, meios, quartos, oitavos
e Vigsimos da terceira lotera a
hendido da igreja matriz de S.
Joio Htptisti da Lago). Kece-
bem-se biltirtes de todts as lote-
ras em troca d >s que tem a venda.
iNa mesma loja foram vendidos os
seguintes premios : da 25. lotera
lo monte pio,n 4696-20:000,000
e 1767-400,000; da lo lotera do
Santissimo Sacnmento, n. 583o
1:00o.000 e 1987-400.000 rs.
Naloja de miudezas da ra dos Qusr-
teis n. 24, vepde-se rap meio grosso fran-
cez. cli -g ido iiltimameiite do Riu deJanei-
\a mesma loja lambem ven lem-se csr-
tas francezes linas e ordinarias
-- Ven'e-se espirito de vinho a 1,000 rs.
s can ida : no pateo do Paraizo n. 20, ta-
verna.
Charntos de S. Flix, a 2,400 rs.
a ccixinha de loo.
Vende-se esta bem conhecida qualidad
de charuins, na ra do Queimado n. 16, lo-
ja de Jos loas Simftes.
Vende-se um moleque crioulo, de 10
annos, aprendiz de sapateiro, muito esper-
to e de lnula figura : tamhem trnca-se por
ums negra, que seja quitandeira: na ra
d'i <>U7, no Recife, n. 11.
i.oiniii te v 8. alo Llvramejute.
Na ra da Caduia, n, 46, luja de miudezas,
vendem-so os muitos afortunados mejos hi-
"1 i.., rftclinua "s"i:n"' ua mesma lo-
leria, que corre i.opreterivelmente no dia
2i do crrenle. Nos vigsimos ns. 836 sahio
o premio dos 5:000,000 de rt. da lotera do
l.ivramenlo que con00 no dia 30 do passa-
do. Meios a 5,500 0. ; decimos, a 1,100 rs. ;
vigsimos, a 600 rs.
Fumo em tull) para charutos.
Vende-se, por barato pre^o, fumo em fo-
Iha para rapa e milo do charutos : no caes
da All'.iiid.-u'a, armazem de Das Ferreira, ou
na ra de Trapiche, n. 31, a tralar com No-
vaos & C.
Cera em velas.
Vendem-se velas de cera, chegadas ulli-
mamente du Rio de Janeiro, muilo bom
aorlimenlo : no caes da Alfandega, arma-
zem de Das Ferreira, 00 na rus do Trapi-
che, n. 34. a tratar rom Novaes & C.
Veude-se um boniio csbriolet desco-
berlo, de elegante molde, proprio para os
passeios da fesla, por commodo preco : na
ua do Collegio 11.16, primeiro andar.
mmmmwmmmmm mmmmmmmm
C3~ Aos 5:ooo,ooo rs. J5> |
Vendem-se hilhetes e meios ditos
da lotera a beneficio das obras da
igreja de N. S. do l.ivramenlo, que
corre no dia 24 do correte, vespera
de fetta, e neste mesmo dia compro-
metiere o thesoureiio a pagar os pre-
ininsque porsorle sahirem : a el les, 9
amigis, que restam poucos, e sero |
dinheiro So be possivel haver teste- 9
jes pelos dias ssntos da fesla. II liili- P
tem se quanto antis, puis feliz da- 8
qunllequea sorte Ihe houver desti- i
nado tal premio : na esquina da ra 9
do Cabug, luja n. II. junio a botica 9
do Sr. J0A0 Moreira Marques. 3
Veude-se ou trocase por urna caaa ter-
rea dentro da praca um muilo bom sitio
com 425 palmos do frente e 1,200 de fundo,
com mudas fruleiras, consistindo ero co-
queiros,,deuiieieiruB,jaica, jaoibeirus,
piloinlieiraa, cajueiros, mangeiras de Iti-
maraca, goiabeiras brancas o encarnadas,
ara (a ze i ros, mangabeiras, condessas, la-
ranneiras de embigo, china e da Ierra, oitis
coros, ditos da 1 raa, liauaneiras, limeiras,
etc etc. pasto para.ter duas vaccas an-
nualmente, boa aga de beber e urna casa
de laipa, rebocada, ladrilhada, com duas
salas, dous quartos ecozinba fora, oa es-
irada de Bolero : a tratar com Frederico
n. 17.
Vende-se um lindo moleque crioulo,
de 18 annos, bom cozinbeiro, bolieiro, des-
tilador, que sabe fazer toda a qualidad de
no'ardmles, licores, charopes e chucola-
te ; lan bem eugomma, cose de alf.iato e
tem principios de sapateiro ; he Oiuitu sa-
dio u robusto, propiio para quem deseja
possu r um escr.vo para ludo o servigu, por
ter sido criado pesias trabalhos : o motivo
por que se vende ha poi nlote precisar Umia
delle paia esle Om : no Aterro ua Boa Vi.ta
[n. 17.
Vende-se cera de carnauba : na ra da
daSenzalla Velha o. 100.
FOLHINHAS PAItA ***i
Na livraria da pracK-da luue-
pi-.nilenclii, ns. 6 e 8, vendemos
rol h i ulna- de alsrlbelra e porta pa-
ra o a 1111 n que vi-111.
-Vendem-se dous eacravos, sendo um
oretosulio. ileboniti figura e hbil para
lodo o servido, e um parlo, lambem sadio e
ptimo para pagen : na ra ds Cadeia Ve-
lha n. 33.
Vende-se um engenho, sito na fregue-
zia de Shrlnhilm, distante tres legoas do
embsrque, movi lo por agoa, com muito
boas obras e meia legos qua Irada de boas
ierras, ou troca-se lambem por predios nes-
la cidade e seus arrabal lea: a pessoa a
quem convier, pode entender-se com o Sr.
Cuilhermeda Silva GuimarSes, na rus do
Crespo n 3
Aos 20:000,000 de rs.
Na ra larga do Rozario, botica n. 42,
recoberam-SB as lisias das loteras do SS.
Sacramento e do monte pi do Rio de Ja-
neiro, eahi foram vendidos os seguiotes
nmeros da do SS. Sacramento, que sahi-
ram premiados, a saber : 1987 400 000 rs. ,
1912 40,000 rs. 3146 40,000 rs., 371 40,000
rs. 868 40,000 rs. ; bem como bilhetes da
terceira lotera a beneficio da igrej* da ma-
triz de S. JoSo Baplista d'Alaga, chegados
ltimamente pelo vapor, osquies vendem-
se pelos preco seguintna : iiileiros 22.000,
meios 11,000. quarlos 5,800, oitavos 2,900 e
vigsimos 1,400ts.
(iii'iii quizer ponpar
venha ver e comprar, pois o ganho de quera
vende (lea era mflos dos compradores, esem-
pre ficam logrados seus amos ou senho-
res. Vende-semsnteiga inglea da melho',
a 610, 480, 400 e 320; banha, a 360 ; cha, a
1,920 espnrmacale, a 720 e640; caraaba,
a 320 ; latra, a 240 ; macarrSo e talNrim,
a 200 ; tapioca, a 120; farinha de araruta,
a 200; caf de caroco, a 900 i chocolate de
Lisboa, a 400 a libra ; toucinho, a 200 ; bo-
lachinha ingleza, a 280; quoijos, a 1,600 ;
azeitonas novas, a 210 a garrafa e a 1,600 a
ancoreta, tendo mais ds canuda cada urna ;
milito slpista, a 960 a cuia ; azeite-doce, a
720 a garrafa arroz, a 70 rs. a libra ; e ou-
tras muitas cousas que se dar o preco a vis-
ta do comprador : na ra Nova, venda n 71,
ao p 'la ponte, e no Aterro da Roa Vista,
venia n. 51, ao p da loja do Sr. Eslima.
Faiinlia
de su. ci i.ir quslidade, a 2,000 a si cea : no
armazem de Campello Filho : na ra da Ca-
deia do Recife n. 64.
I.oti'ii 1 do Kio-de-Janeiro.
Aos 20:000,000 de ris.
Na |ii i,'a da Independencia loja n. 3, que
volta para as russ do Queimado e Crespo,
vendem-se os muito afortunados bilhetes,
meios, quartos, oitavos e vigsimos da ter-
ceira lotera a beneficio da Igreja matriz
de'S. .lorio Un lisia da Lagos. Na mesma lo-
ja esi.lo patentes as listas da 25 do monte
po e 10." do SS. Sacramento do Rio de Ja-
neiro.
Doce de calda
de todas as qualidades de frotas, mais bem
frito possivel, a libras e em barrilinhos,
proprios para embarque, e por prego mais
commodo do que em out'a qualquer parte :
na ra do Queimado n. 2, esquina do bec-
co do IVise Frito.
-- Ven.le-se urna escrava de BO annos com
todas as ou'lidadpo bom aervir a urna
casa : 100 tora Pitar, da parle do mar n. 21.
l.np Paulo Corrkjro.
Vende-se rsp Paulo Cordeiro libras,
meias e n oilavas : na ra.larga do Rosario
n. 44, loja nova.
( aixas para rap".
Vendem-se superiores canas redondas
para rap, pelo baratissimo preco de 9,000 :
na ra do Queimado, loja de miudezas,
junio de cera n. 31, nos quslro cantos.
Vendem-se confidencias de Raphael por
Lamartine, e recreaco philosofica pelo pa-
dre Theodoro de Altneida : na ra Nova nu-
mero 16.
Aos -.10:000,000 de rs.
Na ra do Queimado, loja n. 23, vendem-
se os muito aforiiinadus bilhetes, meios,
quartos, oitavos e vigsimos da terceira lo-
Uria a favor da igreja matriz de S. JoSo
Raplista da AlagOa, cuja lista chegar no
primeiro vapor.
Vende-se a taveraa sita na
ra do Alecrim n. 2, com poucos
fundos : a tratar na ra da Ma-
dre de Dcosn. aO.
-- Vende-se um carro de quatro rodas pa-
ra um ou dous cavallcs, o qual foi todo pre-
parado ha pouco : na cocheira do Francois,
becco do apim, na Roa Vista.
~ Vende-se novamenle gelo pelo mesmo
preco do aoligo : ua ra da Seozalla Velh
n. 112 Na mesma casa vende-se rolo ham-
burguez em gairafas, ou ua ra da Cadeia
o. 15.
Vende-se urna toalha de lavarjntosin-
gelo, toda rodeada de blcco : ra ra do Ro-
zario da Boa Vista n 16.
Ceblas
a 640 rs. o cenio : vende-se no armazem de
Campello Filho, ra da Cadeia do Recife
n. 64.
Vendem-se dous cavallos gordos, do
bonitas figuras, com boas marchas e pro-
orios para senhoras : no armazem da ra
Novan 67, serSo patentes, por pre^o com-
modo.
Vendem-se duas prelas de nacSo, san-
io urna de meia idade, que lava bemdevar-
rela e sabio, aem vicios nem achaques :
vende-se para pagamento de urna divida :
na ra d Concordia, quem vem da poni,
a csqu'Hs, segunda casa terrea, se dir
quem veode.
Veude-se cera de carnauba de muito
Chaves, morador 00 Aterro da Boa Vista uperior qualidad : na veoda atrs do Cor-
po Santo n. 57'
PechIncita para a feata.
Vendem-se aapatOes de lustro a 9,500,
3,000, S,."i00 e 4,000 rs : no Aterro da Boa
Vista, loja n 58, junio a de seleiro.
-- Vendem-se 60 res de aapolis, plantados
em dilTerenles caizOea de fcil conducho. 4
por iaso ptimos para aerem embarcados:
no becco do tspinheiro, primeira casa, so
entiar pela esliada de Jobo de Harroa.
Franja* para mantellelee.
Na loja de Joto Francisco Maia, na rae
larga do Rozario n. 26| vendem-ae franjas
para raantelletes, pelo barato prefo de 5o
rs. vara.


Vende-sc superior farinha
gallega, en meias barricas : no escriptorio
de Deane Yoolo & C., ou em scus armazens
do becco do Condal vos.
--- Vendem-se sa bonetes higinico*, [o
mais superiores que teem vindo este mer-
cado, aim como outras perfumaras muito
finas: na ra da Cadeia Velha n. l'4, pri-
meiro andar.
Cal e potassa.
Vende-se a mais nova e superior potassa
que ba no mercado, e cal vitgem em pedra
chegada pelo ultimo navio de Lisboa, por
prego commodo : na ra da Cadeia do Ito-
cife, n. 50, a fallar com Cunha & Amorim ;
assim como um restante de barris da mes-
ma cal, que flcou da safra passada, por ba-
rato preco,
- Vende-se urna sextante nova feita por
um dos melhores autores de Londres e tum-
ben! um orisonte artificie! e um theoJileto :
na ruado Trapiche armazem n. 4*.
Nfto he exageracao.
Vendem-se sapatfies de couro de lustro,
obra muito boa, a 2,500, 3,000 e 8,500 rs.
na ra da Cadeia do Itecife, loja n. 9.
Cobertores de tapete para
escravos.
Ja se vendem os acreditados cobertores
de tapeto para escravos, a 720 rs. cada um
por issovenhama ellea antes que so aca-
bem, ou passem par mais alto preco : na
ra do Crespo, loja da esquina que volla
para a cadeia. *
Kap Paolo-Cordeiro.
Vende-se efectivamente este escolente
rap, na ra da Cadeia do Itecife, n. 50, lo-
la de Cunba & Amorim.
A 1,600 rs.
VeaeVm-so novos cortes de bnm tranca-
do encaro com doas varas o meia cada corte,
a 1,600; rassa franceza de bom gnsto,a 9,600
rs. ; pecas de esguiSo de aigolflo com 12
varas, a -2,400 rs. a pega ; coheitores de al-
godSo de cores, a 720 rs. : na ra do Cres-
ho, n. 6, loja ao p do lampeSo.
Pecas de esguiao a a,5oo rs.
Na loja da ra do Queimado, n. 17, ao p
.da botica, anda tem para vender pelo ba-
rato preco de 9,500 rs. ; pegas de esguiSo de
algodfio, com 19 jardas, muito proprio pa-
ra camisas de senhora, ror ser mais largo
que o madapolo.
Para acabar vendem-se,
na ra do Queimado, loja n. 17, cassas fran-
cezas de 18a abortas, e de padrOes muito
delicados, a 400 rs. o covado ; cambra i as
de cores modernas, a 560 rs. a vara ; chitas
francezas do melhor gosto que tem vindoa
este morcado, a 320 e 360 o covado. D3o-se
as amostras.
Deposito de cal virgeni.
Na 10a do Torres, n. 12, ha muito supe-
rior cal nova em pedra, chegeda ltima-
mente de Lisboa no brigue Tarujo-Terceiro.
1 alteradas inglezas.
Vendem-se cadetadas inglezas rolicas e
W1.1t. -. loros e silbas de 13 : na ra do Tra-
piche 11. 10.
Vende-se superior e muito
nova farinha de mandioca, chega-
da agora do S.-Catharina pelo bri-
gne Soares, ancorado na
rorle-.lo-Mattos
pe
volta do
ijiieni a qmzer
comprar por menos do que m ou
tra qualquer parte,dirija- se a bordo
domesmo navio, ou ao escriplorio
de Jirefra, Pe iva & C., na ra'
da Alfandega-Vellia, n. 5.
loo sarcos novos de estopa.
Veodem-se 100 saceos novos de estopa e
algodSo, por atacado a 320 rs. cada um na
ra larga do ftozarw, n. 48, primeiro an-
dar.
Boin negocio.
Vende-se ou Iroca-se por casas terreas
um terreno em frente do quartel do Hos-
picio, o qual tem urna olaria ; tondo de
frente 107 palmos e de fundos desde a ra
da Aurora at a do Hospicio: este terreno
lem logar para *e edificar 15 moradas de
casas com mais de 30 palmos de frente, e
200 de fundos; faz-se negocio com lodo o
terreno ou com metade : na praca da Inde-
pendencia 11. 17, para tratar.
Vende-se rap superior de Paulo Cor-
deiro; na iui da Cadeia do Itecife loja de
Joo Jos de Carvalho Moraes, e igualmen-
te se vende na iie-ma loja penas de ouro
com bicos de diamantes.
A ellas anles quese acabem.
Chegaram oa procurados sa patos de cou-
ro de lustro do orelhas de 2,000 a 9,400 rs ,
onra forte: na ra da Cadeia do Recife o.
9, loja.
SSSK.
Frinliaa nova da marca SSSF, chegada
ltimamente : oa ra do Amori'n n. 35, ar-
mazem de J. J Tasso junios.
I OtUHHItdl) Huasla.
Vo 11 de-se potassa da Rusa, rocen tomen -
te chegada, e de muito superior qualidade :
na ra do Trapiche, n. 17.
sabonete grande a Sois.
Vendem-sa si bonetes grandes, a 80 re. ;
froco, a'IOO'rs. a vara: no Aterro-da-Boa-
Visla, n. 48, loja. A elles que lie pouca por-
cao.
Lotera de N. S. do Livrament.
Na praca da Independencia, n. 4, loja de
miodezas, vendem-se os afortunados bi-
iheles, meios, quartoa, decimos e vigsimos
da rotera de N. S. do Livramento. que cor-
re imprelerivelmenle 00 dia 94 do corrente.
Dllhetes 11,000
Meios 5,300
Ouartos 9,600
Decimos 1,100
Vigsimos 600
Vende-se bichas pretas grandes de su-
perior qualidade por motado do preco que
os barbeiros alugam; na ra da Cadeia do
Recite n. 9.
Cliapeos de sol.
Vendem-se chapeos de sold seda preta
e de cores, a 6,000 rs ; ditos de parininbo
ara homens, seoboras e meninos, por pro-
co mais commodo do que em oulra qual-
quer parte: na rus do Pssseio n. 5.
em casa de P. Adour & C, na ra
da Cadeia do Recite, 11. 52.
Vendem-se os verdsdeiros e aprecia-
veis charutos de Havana la Norma : na rus
Ja Cruz, n. 1.
Superiores vinhos.
Na ra da Cadeia, n. I,
vendem-se excellentes vinhos de]d-
versas qualidades, tanto engarra-
fado, como em barris, sendo do
Porto, Figueira, Bncelss, Madeira,
Cracavelos, Colares, Moscatel de Setubsl,
etc.; assim como outros muitos gneros de
ptimas qualidades, e de que sempre est
prevenido este estibelecimento.
Vendem-se as bem conhe-
cidas pulas de Morison : no es-
criplorio de A. S. Corbett, na
ra da Cadeia, n. 48.
Novo trem de costana.
Cbaleiras, fregideiras, paneilasecassaro-
las da ferro forradas de porcelana, facas
com cabos de marfim a tan bem de osso
muito finas, bules e cafeleiras de metal,
hacia de rame para ps e banho, maquinas
para caf : vende-se na ra Nova loja de
ferragens n. 16 de Jos Luiz Pereira.
Ksplrlto de 38 grao*.
Vende-se espirito de 38 graos a retalho a
1,000 rs. a caada : na desnlacSo da traves-
a da Concordia.
Cargaem ao barato.
Vende-se muito boa farinha de Santa Ca-
thariua : a bordo do brigue Ledo, fundeado
ao p do trapiche do algodlo, a sete pata-
cas o alqueire, medida velba, e sendo por-
eflo ili-se a 2,000 rs '
cortes de easemira, a 3,5ooo
a 4,ooo rs.
Vendem-se cortes de easemira de cores,
a 3.500 e 4,000 rs.; advertindo os amantes
do bom e barato que esta fazenda he dos
melhores goslos que tem vindo ao mercado,
por isso recommenda-se que venbam a ellas
lantes que se acabem : na ra do Crespo,
iuja da esquina que volta para a Cadeia.
Cigarrillos liesnanlies.
SSochogados os excellentes cigarrilhot
hespanhes ao deposito da ruada Cruz, no
Itecife,, D. 49.
Bom e barato.
Vende-se s bordo do brigue Letto, funda-
do junto ao Trrpiche do algodlio, muito boa
farinha de S.-Catfiarina, a preco de sete pa-
tacas o alqueira da medida velha, vende-se
por menos prego porco gradde, por j ter
parte delta vendida.
He baratissimo.
Vendem-sn ricos cbicoliohos, a 600 e 800
rs.; charuteiras douradas, fazenda muito
superior, a 1,800 rs.; pcnle com espelho,
proprios para suissas, a 320 rs. ; escovas fi-
nas com espelho, para cabera a 1,000 rs.;
carteiras rom mola para guardar dinho, a
640 rs. ; fivelinhas douradas e prsleadas
para collele e caifas, a 900 rs. : na rus do
Queimado, n, 33, loja de miudezas, junto a
de cera.
lifisHf TaIttsiatisliiJiatli1>sltlstf
Na loja do sobrado amarello nos
! quatro cantos da ra do Queimado n.
29, vende-se o seguinte :
Cortes de calca de easemira,
padrfles novos 4,000
5 Hilos de dita dobrirr. Irn-
fVUO Uoiuio, puiu liul.u 3,000
Alpaca de cores, proprla pa-
Sra casaca e palito, covado 800
Chapos de massi.francezes 6,000
m Lencos de seda para grvala
8O0rise 1,000
g Luvas finas de fio da Escocia
para homem 320
3 Corles de tapete para sapa-
tos, gosto a Turca 800
Gravalinhas deseda parase-
i nhora i ,000* i
1 Chapeos de sol de seda para
senhora a 2,500 e 6,000
Pegas de chita com 38 covs. 5,000
5 Ditas de cassa de quadro
I com 8 112 varas 1,280
i Cortos de cassa de cores 2,000
Lencos de cambraia de seda
t do franja, para senhora 800
S Meios chales de seda 6,000
Pent.es de tartaruga.
Vendem-se superiores pestes de tartaru-
ga para marrafas, fjelo diminuto preco de
800 rs. o par : na ra do Queimado, n. 33,
loja de miudezas, junto a de cera.
Vendem-se ricos apparelhos
para jantar, de muito boa Iduca,
imitando a porcellana : na ra da
Cadeia, n. 48, escriptorio de A. S.
Corbett.
No escriptorio de A. S. Cor-
bett, na ra da Cadeia, n. 48.
vende-se-chumbo inglez de mani-
cio, muito bem sortido, em por*
cues de cem quintaes para cima,
por preco muito commodo.
Vendem-se 8 escravos, sendo i liada
molatioba recolhida de 18 aunos, perfela
engomroadeira, costureira e faz O mais ar-
ranjo de urna casa, muito diligente ; 1 dita
de SOannos que engomma e cose e he boa
regedeira de ama casa, e ambas de exea-
piar conducta, que se a flanea ; 1 moleque de
10 annos muito esperto e de bonita figura;
pretos multo mocos, bons para todo o
sri.ii,,,: oa ra da adeii do Recite, n. ai,
primoiro andar.
Caivetes de machina.
Vendem sa superiores caivetes de mi-
china de apparar peonas, ptimos para
qncm for curto da vista, pelo baratissimo
preco de 800 rs cada un : na ra do Quei-
mado, n. 33, loja de miudezas, junto a de
cera, nos quatro-cantos.
He muito barato.
Vendem-se bonetes francezes de panno
fino para homem, ptimos para quem passa
a festa, a 2,000rs. ; ditos de velludo e pan-
no fino para meninos, a 800 rs.: na roa do
Queimado, n. 33, loja de miudezas, junto a
de cera, nos quatro-cantos.
Vende-se, por preco com-
modo, nma porcao de carvo arti-
ficial : na ra da Cadeia, a. 4,
escriptorio de A. S. Corbett.
Vendem-se charutos de boa
qualidade, em caitas de cem, os-
melhores que-teem vindo da Ba-
bia: na ra da Cadeia, n. 48, es-
criptorio ile A. S. Corbett.
Vende-se 1 lindo moleque de 18 annos,
cosinheiro e copeiro, proprio para pagem;
pretas eogommandeiras ecoainheiras ; 2
tencia ; superior siria preta; luvas de peM Vende-se um bom oavallo, que serva
I i ca branca, enfeitadas, com rioas dores e '-
reqoifes, sos^ias para casamento ; bonitas
e superiores romeiras de fil, brancas; di-
tas de linho bordadas ; peonas e novas es-
polias para cassmentos o bailes; um com-
pleto sortimento de flores pars chapos, das
oais finas que tem apparecido ; lindos len-
cinhos de setiro de corea pars senhora me-
ninas ; e outras muitas Tazendas que serSo
atentes aos compradores
Na loja de Moreira & C na ra
Nova, n. 8,
vendem-se cortes de gorgurio de
seda para collete, a i,5oo rs. o
corte de covado e meio.
ffMrfVfftffffff^fffVf*
Deposito da fabrica dej
t Todos os Santos, na
Baha.
I
ditas de servido de campo; t pardo carrei-
ro ; 1 prelo de 90 annos, Unoelro ; t dito,
de servigo de campo i no pateo da matriz
le Santo Antooio, sobrado n. 4, se dir
quem vende.
Luvas de. pellica.
Vendem-se muito superiores luvas. de
pellica de ponto ingles para homem, a 1,800
rs : na ra do Queimado, n. 33, loja de
junto a da cera, nos quatro
Luvas de torcal para senhora.
miudezas,
cantos.
Cartas finissimas parajogar.
Vendem-se cartas francezas e portugue-
zas, o mais fino que se polo encontrar, e
por procos que nSo deixarSo de agradar aos
compradoras: oa ra do Queimado, n. 33,
loja de miudezas, junto a de cera.
Bom e barato.
Vendem-se carteirinhas com agulhas fran-
cezas, a 380 rs.; ditas em caisinhas, a 320
rs.; caizinhas com brioquedos para meni-
nos, a 480rs.; ricas franjas proprias para
cortinados de camas, por preco que nin-
Suem vende; tesourinhas inglezas muito
as, a 500 rs. ; superiores escoviohas pa-
ra denles, a ICOrs. quadroszinhns doura-
dos com estampas de sanios, a 120 rs.; li-
nha de peso,a 60 ra. a melada: agulhas can-
totas, a 60 rs o papel; pontos finos de ali-
sar, a 360 rs.; bengaliuhaa de junco, a 900
rs. j agulheirinbos de vidro, a 900 rs. : ba-
auos acrius de nono, a 120 rs. a vara
meias brancas para senhora, a 320 rs.; e
outras muitas cousas que palo diminuto
preco nSo deixarSo do agradar aos compra-
dores .- na ra do Queimado, n. 33, loja de
miudezas, junio a de cera, nos quatro-
cantos.
Vende-se superior vinbo de
('hampanha AY, melhor que ha
110 ulereado, por pr#e,o commodo.-
Vende-se um lindo pardo
escuro, de.20 annos, bom fornei-
ro, e que sabe fazer pao de todas
as qualidades e bolinhos : na ra
das Laraogeiras, n. 14, segundo
andar.
Ricas grvalas de mola.
Vendem-se ricas grvalas de mola pretas
e de cores, pelo diminuto preco de 1,600 e
2,000 rs. : na ra do Queimado, n. 33, loja
de miudezas, junto a de cera.
Allas para grvalas.
Vendem-se molas, para grvalas, por pre-
co que nSo deizar de agradar aos compra-
dores : na ra do Queimado, o. 33, loja de J
miudezas, junto a de cera
cantos.
Vendem-se a* mais superiores luvas de
torcal que e pode encontrar, a 1,000 T' o
par: na ra do Queimado, n. SS, loja de
miudezas, junto a de cera, nos quatro-
dantoa.
.Meias de laia para padres.
Vendem-se superiores meias de Isla para
padres, pelo baratissimo preco de h,000 ra. :
na ra do Queimado, o. 33, loja de miude-
zas, junto a de cera, nos quatro-cantos.
Luvas de cresele fio da Escocia.
Vendem-se luvas de fio da Escocia, sem
defeilo algum, proprias para montara, pe-
lo' barato preco de 320 rs. o par: aa ra do
Quilinudo, a. 33, loja do miudezis, junto a
de cera.
Carapucas de seda preta.
Vendem-se cara pocas de seda preta pasr
domen,, a 640 rs., preco este que faz a-d
mirar : na ra do Queimado, n. 33, loja de
miudezas, junto a de cera.
Toucas de seda pretas para
enancas.
Vendem-se toucas de seda prela para
enancas, pelo diminuto preco de 500 rs. :
na ra do Qeia>ado, n. 33, loja de miude-
zas, junto a de cera.
Lustro para sapa tos.
Vende-se graxa em latas, superior a ou-
lra qualquer que sppareca no mercado,
pelo diminuto proco de 1,320 ris a duzi, e
a 120 ris a lata : na ra ircila o. 81 loja
de miodezas.
Urna parda boa cosinheir 1.
Vendem-se urna bonita parda de 20 annos,
boa cozinheira e engommadera, de-boa
conduta o que se afinc, ; e um preto bom
trabalhsdor Je enxada, muito robusto : na
ra larga do Rozario o. 48 pnmeiro andar.
Chitas roxas para luto a 130 rs.
Vendendem-se chitas rozas limpss, para
lucio aliviado a 120 ris o covado, e a peca
a 4,500 ris ; cortea da-aambraia, boa fa-
zenda por ser de corea fizas a 9,600 ris: na
Vende-se, em cass de Domingos Al-'
>ves Matheus. na rus da Cruz, u. 52,*
Jprimeiro audar, algodUo trancado da-3
7quella fabrica, mullo proprio para sac-2
^cos e roupa de escravoa; bem como^|
j.fio proprio para redes de pescare pa-^
a>vios para velas, por preco commodo.^
Mi*
Na ruado Passeio-Publico, n. 19
ha um rico sortimento deespelhos de Fran-
ca com quadras dourados de todos os la-
minos ; camas francesas de mogno e de
Jacaranda do ultimo gosto, cpulas, cor-
titinados e mosqueteros para cama, tapa-
tes, colchas de damasco, pecas de cassa ada-
macadaa para cortinados, guarnieras com-
pletas 1 ara Janellas, meias de algodSo para
homem, ditas para senhora, luvaa de re-
Iroz branco e preto, franjas a cordOes de
difieren tes coros
Jofto Keller & ( oiiipsuihisi, na
ruat da Cruz, i. 55,
Vendem a precos commodos, vinbo mus-
estel de Setubal, em caias de ama du-
zia; dito muito bom de Lavradu e Col-
lares, em barris de quinto ; dito de Cham-
panha, da mais acreditada marca ; dito tin-
to de Cortaillod, de superior qualidade;
extracto de absynth e kirsch hgitimo da
Suissa, em caitas de urna duzia; verdadei-
ro cognac vellio, e da melhor fabrica de
Franca, em narria de 80 garrafas pouco
tnafs oa menos : tambem se vendem por
proco muito raaoavel velas de stearina ,em
caixas de 32 libras ; charutos da Babia de
muito boa qualidade.
Kap americano.
Vende-se este rap, que ba de agradar as
pessoas que gostam ds bos pitsda : a reta-
lho, no Recite, em casa dos Srs. Davis & C,
lraymond& C. e Foules & Irmflo ; em S.-
Antonio, em casa do Sr. I.ody, na ra larga
do Rozario, n. 35 ; 00 Aterro-da-Boa-Vista,
casa do Sr. Manoel Jos Guedes HagalhSos;
e poralacado.no Recife, ra do Trapiche,
n. 14, seguado andar.
Na ra Nova, 11. 8, loja de J* Joa-
qun! Moreira Si C..
vendem-se touquinhas da 18a frocadas pela
beira, a mil rs.; bonetes de palhioba de
modellos esquisitos, e o que tem appareci-
do. de melhor e do mais acurado gosto; po
0T9, S, *, 5 8
. ,, I..-. An ...
Vendem-se um par de brincos de fila-
grSa,obra mnito bem feita, assim. como s-
palos de dura qu- preto para senhora : na
ra do I.rmeoto o. II.
Vendem-se meios biiheles da lotera de
N. S. do Livramento que corre impreteri-
velmente no dia 94 do corrente as 8 horas
do dia no consistorio da igrejsda meseta Se-
nhora, a 6,000 rs.: ra loja de encadernacBo
praca da Independencia n. 19.
Madama Hasa llnrdy, modista
braslleira, na ra Nova, a. 84.
Madama Rosa llardy tem o prazer de avi-
sar a todas as senhoras de bom gosto, que,
alm das fazondss jet annunciadas, recente-
mente se acha provida de um completo
esplendido sortlmeuto de novas a finas fa-4
zendaa, consistindo em magnficos mante-
letes e capolinhoa da furia-cores adamasca-
dos ; diiof de ditos de diversas e ricas co-
res, feitos em Franca ; ricos capetiobos.de
muito superior fil de linho; lindos ebspor
de seds para senhora de moderno gosto, e
despachados ha poucos das ; novo e
rm so servem para
anuos, nrmenos do que realmente elles
merecem ; palmatorias de casquinlia finis-
sima, proprias para piano, e para quartos
de rapazas solteiros, s 5,000 rs. cada orna ;
e outras muitas fazeodas de gosto e quali-
dade, que se venderSo conforme as cir-
cumatancias do comprador.
AilencBo.
No Aterro da Boa Vista, loja de miudezas
n. 54, vendem-se dous ricos cortes de te-
da bordada para vestidos, sendo um braceo
e o outro preto, mui proprios para noivs-
dos, ou mesmo para a quaresma : a vista da
boa qualidade se dir o preco, poia he o
mais commodo possivel.
- Vendem-se supeiiores bolachinbas de
araruta e regala, biscetilos finos, bollos
francezes, coqueas : ludo de diversas qua-
lidades, e por preco mais commodo do que
em outra qualquer parta: no pateo do Ter-
co a. 10.
Borzeguins a 3,5oors. -
No Aterro da Boa Vista, defronle da bo-
neca, troca-so por 3,500 rs. borzeguins fran-
cezes para homem.
Calcado.
No Aterro da Boa Vista, defronte da no-
neca, be chegado, pelo ultimo navio fran-
cs, um novo e completo sortimento de
calcado de todas as qualidades, tanto para
homem, como para senhora, meninos e me-
ninas de lodss as I dados ; assim como os
bem conhecidos sapaloes do Arscaty, tan-
to para homens como para meninos : tudo
por prego mais commodo do que em outra
qualquer psrte.
-- Na ra da Cruz do Recife a. 59, pri-
meiro andar, ha para vender um lindo es-
cravo, serrador, por preco commodo.
Para a Testa.
Ns loja de funleiro da roa Nova n. 38, de-
fronte da Conceicflo, ha m completo sor-i
lmenlo de machinas de fazer caf de todos
os lamauhos; areia de moldar muito fina,
vinda de Lisboa ;' vidros de lodos oa la ma-
nilos ; verniz copal de superior qualidade.
1,000 rs. a libra ; aisim como ha um va-
riado soitimeulo de obras de folha J
Fia nd res.
Vendem-se duas lindas ne-
r,rinhss de 11 annos, que cosem,
lazem Uvarintos, marcara e fetem
rendas : na ra das Larangeiras
n. 14, segundo andar.
Vendem-se seis lindos moleques de8a
18 annos ; seis pretos de 20 a 30 annos, seo-
do um ptimo cozinheiro, dous peritos sa-
pateirose um oleiro ; dous pardos de 90 a
a 95 annos, tendo um principios de Carp-
a ; duas pardas de 15 a 17 annos Com ha-
bidades; ums dita de oilo annos; seis ar-
las de 19 a 95 annos, algumas com habili-
dad, proprias para todo o servico: na rus
do Coilegio n. 3.
- Na ra das Cruzas n. 99, segundo an
dar, vende-ae una parda de 96 annos cop
ezcellontas habilidades; tres pretas, sendo
duas para o campo e urna da Costa, de ele-
tanto para Sella como para cabrolet nj
rus de S. Goncalo n. 99.
-- Vende-se urna escrava de bonita figy.
ra, que cozinha, oose e lavaste tambem en-
tende de venderos ra: no sobrado junto
a cadeia, por el na da coeheira, no segundo
andar.
3o.
Craza n. 30, a mais superior que at lio-
je tem viudo a este mercado, pelo esmero
queoseu sutor tem ltimamente emprega-
do. Rita graxa ha a mais prompta em dar o
mais brilhsotee aturado lustro, assim co-
mo a melbor para conservar o calcado: ven-
de-se nos armazens de J. J. Tasso Jnior
oa ra do Amorim n. 35. '
Vendem-se meios bhete*
da lotera de fl. S. do Livramen-
to a 5,5oo rs., contando raa\ um
os maiores premios no pafro do
Collegio, casa do Livro Azul.
Vinhode colares.
No armazem do caos ds Alfsndega, da
Francisco Das Ferreira, n. 7, e na venda di
ra da Cruz n. 57, vendem-se barra do mui-
to superior vinbo de colares, por commodo
preco.
Mysterios do povo por E. Sue.
I O vapor do Rio trouse os Misterios do
Povo por k 8ue. n 6 vQlumas aSen tese
Bior 6,000 ris, no paleo de Collegio casa do
Ivro aaul.
Lotera do Rio de Janeiro.
Aos ap:ooo,0oo de tjt.
Na rus estrella do Rozario travesea do
Queimado. loja de miudezas o. 9 A de J. F.
dos Santos Meia: vendem-se a muito
afortunados biiheles, meios, quarloe, alta-
ras e vigsimos da 3.a lotera a beneficio da
igreja matriz de S. Joflo BiptlsU da Uagoa ;
na mesma loja eslflo patentes as listas da
95.* lotera do MonteJ Pi, a da f.' do S. S
Sacramento da corle.
Ocruios para todas as idades.
Vendem-se occulos para todas as idades,
pelo barato preco do 800 rs. o par : na ra
srga do Rozarlo n. 26, loja de miudezas de
lolo Francisco Mala.
Meias finas da linho: ^
vendem-se na ra do Queimado, loja a. 19.
fia ra da Fraian. 3a, ven-
dem-se saccas com alqueire d fa-
rinha, medida velha, a 3,700 rs.,
sendo em porcao se far algnma
dilTerenca, e sendo 'tem sacca a
1,900 rs. .*
-- Vende-se um esersvo de nacSo, pti-
mo serrador e I dito de 15 annos com prin-
cipios de sapateiro : na ra do Livrameoto
n. 4, se dir quem vende.
-- Vende-se um cavallo ruco, desella, de
muito boas marchas, castrado, gordo, mui-
to ardigo, eao mesmo lempo manso, pelo
baratissimo preco de 80,000 rs., em virlu-
de do mstolo querer retirar-se : as Cinco
Ponas n. 62.
Vende-se por 39,000 rs. orna rica meas
redonda de meio de sala, de muito bom gos-
lo e mu fornida .-na* Cioeo Ponas n. 69.
Vende-se um rico porta-I I cor, novo,
com 12 clices e quatro garrafas, tudo lapi-
dado, por 19,000 rs., e de muito bom gos-
to : quemquizer, sonuncle.
Vendem-se 100 vsquetss de lustro pa-
rs coberta de carro e urna burra de ferro :
na ra da Senzalla Nova n. 42.
ssjaa
Escravos fgido.
_ supe-
rior gros do Na pollos prelo e furia-cor ; no-
( vas e delicadas franjas pretas, proprias para I gante'figura e quitahdeira ; e urna'escrava
manteletes; bonitas trancas pretas e de co-lda Coe(7 de 24 annos, muito posante pro-
ras ; fino chamelote preto, de mulla cuasia- loria para lodo o servico.
50,000 rs. degralificacSo
quem apprrhender um escravo marinhei-
ro, de oome Filippe, de afio Mossambi-
que; he bailo, barbado-, nariz chato, da
36 annos, falla bem ; fugio de bordo do
brigue CaroUmm, no dia 94 de aoven,Pro ;
foi encontrado para as bandas de Ulinda ;
levou urna camisa branca e outra de risca-
do azul e branco por fra .calcas da algo-
dSo azul cem boloes brincos dos lados, e
chapeo de palhs, e levar ao escriptorio ds
viuva Csudiao & Filho, ou a bordo do dito
brigue, fu odiado defronte do asseost de
guerra.
5o,000 r*. de gratieacio.
Fugio, no dia II de abril do presente sn-
no, a preta liarla )oaquina,denacffo Congo
de 30a 40 annos, balza e cheia do corpo.cira
l'rga.'cr retinta, olhos vivse meios gran-
des, fricaes grosseins ; tem um pequeo
tignal de carne sobre o boico snperor do
lado direito do nariz. Esta preta j foi es-
crava do engenho, e o anno passsdo era ds
urna crioula de nome Felicidade com quem
dita preta andava peto matto reodendo
miudeza, por cojo motivo ella sabia quasi
todas as povoscOes desta provincia; he
muito ardilosa e fiepaz de illndir a qualquer
peasoa que a nSo conheca, pode iocobrir a
ua Tuga como negocio de miodezas, pois
ja oulra vez que fugio foi pegada no enge-
nhe S.-Anna com um balaio da miodezas
que andava ven leudo. Quem a pegar leve-a
a praca da Independencia, n. 17, que rece-
heri 50,000 rs. do gratilicar;flo, e quem dal-
la der noliea certa recebar 20,000 rs.
rugi, nu (lia 1 uo GriVlr, ucsCri-
vo crioulo, da nome. Jos, de 40 annos, allu-
a regular, cheio do corpo, olhos amarel-
os, rosto hezigoso, ps chatos egrossos;
levou calca de ISa escora -. quem o pegar,
leve-o a aeu soehor, no armazemvde assu-
car, largo do Pelouriubo, ni. 5 e ,7, de Ro-
meo Antonio da Silva Alcntara.
Fugio no dia 15 do crrenle um me-
leque de nacSo da Costa, Idade 18 a 90 an-
nos, de nome los, lando os sigues se-
guinles : rosto bastante talludo, olhos
pardos, urna orelha com um pedaco de me-
os, falla embarazado : roga-se a quem o
pegar de o levara villa do Cabo a eu se-
nhor Francisco de Paes Brrelo.
IJugio do enseno 'Novo dss Angustias,
eidade de Nacireih, no da 7 do corrente,
um escravo de nome Benedicto, do gento
deAngolla, idsde 80 annos, com os signaes
feguiutes : alto, testa larga, cor bem preta,
em empernado ; pede-se a- qualquer das
autoridades policiaca e capilSes de campo o
queiram aprehender e conduzi-lo so mes-
mo engenho, ou nesta prac, na ra da Ro-
da n. >7, que teri generosamente recom-
pensado. ^^^^^|
,vaT P. di Y


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EX9KUL9DV_FGNMKV INGEST_TIME 2013-04-24T18:27:02Z PACKAGE AA00011611_07240
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES