Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07235


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno
XXVI
9HB
Sexta-fcira
pabtibai dm censuraos.
Goianna e Parabiba, i aegundas e sexta feira.
Itlo-Oande-do-Norte, toda as quinta futra o
melo-4ta.
Cabo, Serlnheut, Rla-Formoso, Porto-Calvo e
Macelo, nol.",a fl e 21 de cada mes.
Garaohum e bonito, a 8 c 23.
Hoa-Vita e Flor*; a 13 e 28'.
Victoria; i quinta ftlra.
Ollnda, lodos o din.
LMaiaal aanBnnBBBnaa
vataaaa
PlISSI DA LD1.
mpm+W-
tova,
te
IMlng.
de Dezembro de 1850.
N.283.
a 3, ai 9 e 90
* 11. ai ti h. c
a 19, ai 2 b. e
a 85, i 0 p. 54
a, da l
17 m. da t.
33 in. da di.
a, fia l.
nuut d kojx.
Primeira aoi 30 minuto da tarde.
Segftnda aoa 54 miautoi da manbaa
rmtqo da axjMowi}Xo.
Por tres roces (adiantadosj 4fODQ
Por Mlt meze .
Por tira anno 1
PAS sa mana.
9 Seg. 9. Leocadia. Aud. do J. doi orf. e do ni.
da I t.
10 Tere. S. Melquades. Aud. do J. da 2. v. do
Cirel.edo do feitosda fateoda.
11 Quart. s. Oamazo. Aud. do i. da 2. t. do clvel.
1? Qulnt. S. Justino. Aud. do J. doi orf. e do
rn- da 1. Y. '
13 Scit. S. Luzia.
14 aab. 5. Angello. Aud. da Chae, e do J. da
2. y. do civi'i.
15 Dom. S. Kinebio Veraelenae.
cambio em di i Dimino.
Sobre Londres,29 2|4 a 30 d. p. 1/000 r. 60 dias.
Paria, 320 por fr.
II boa, 85 a 90
Ouro. Oncas hespanholai..... 2M000
Moedas de 6/400 velhas. IrXftO
> de 8/401) nova. 16>000
de4}000....... 9/U00
Prau.Patacdea braaileiro..... 1/M20
Peaoa colu mu arios..... 1/820
Dito mexicanos........ 1/680
a 1
a unto
a 9/100
a 14*0
:$
-MULTE UFFICUL
a .ir MI -i i i ,T.i ...| f
Determino porlaoto, que o enhore segun-
do clrnif6> /rfrriuc, Jetlne Meirelles do
en setarias
ment
GOVERSOPA 1'Kf*.CUi
URKDrlWTe PO DIA 9 HE ItftZEUBr).
CHBero. -A comaiando da armas, io-
leiraonlsi-o de haer o Ex*) presidente do
MaranhOo partiswado qua expedir a con-
Venirhte'erem tari que 'dce'soldasdosl-
de 10.000 r. fue COtMgoar*oi para ser re-
cebada onde estivec o mosaio batelhfo ,
alirn de ser aofetneiaada a reepecitva caxa,
i*tqirnrll-nriftn,rtiiTrr arHeaii|eexiiuui vadas;
ses pagador! mivitar. polica
Dito.--Ao mesmo communicando que
0 sollado do qlntii hatalhao do fuzileiros
Francijeo Frreir ros SVqlQS, pqr se acW
dente foi remettiilo para p fiugpijisj dn ms-
rinlia acompenhado da competente guia.
Iiito. a thesouraria de fazenda scieuf-
ondo-a de haver conredido ao joz moaici-
pa 1 e de orpbsos do temo do Caao, 11anoel
Firmino de Mello 'u'fh rrtez delieeoca cpm1
WW0. 'fri tfalarde.su sutfe.'--Fie-
rsm-sp pg(raa cqmrriuhlcaQ- 'j.
Pito, 4o m*smo, triis.rnulpdo p avino
de urna letra na importancia de 765,800 es.
sacada pela Hiesouraria do Itio Grande do
orle sotTrfi a Vsta e a favor Henrique. Participou-se aoExm. presi-
dente da referid*'firhvineU.
tii. --Ao director 'do arsenal de guerra
para rnnd'a,r ntreg.r W "dlSpeu'ep-o" do
tingueescupa Cusopo, 1M cariuxos de pis-
tola em substi Iuiqso de igual numero que o
commandente do referido brigue escuna
fornecao fiar o Servido do presidio d Iba
de Fernando, requiiicfio do respectivo
commsndvj.'-' Ihiellig'nciou-tO at cOln-
maWdnte do meneionld brig/oe tieoni.
Dito. A thesouraria de /zonda para
que mande pagara Manoel Pereira l.emos,
quanlia de 41,480 rs. que se despeoifeu do
Eriineirode selembro ao ultimo, de norem-
ro deste anno c'om o sustento dos presos
pobres da cadeta doLimaeiro. rommu-
nicou se ao che fe de Dqlici*.
Potlaria. -- Udeniniroao agente d com-
pauhla das barcas de rajor que maWle
transportar para a corte no primeiro vaoor
que srguir para o sul, ao alteres do quinto
>f1ai!0 de uzileiroa loSo Baptista do Re-
g Borras. iBteuou-se SO coro mando das
aranas.
Dita. Noineando membros da dlfectoria
do ihestro de 8. Izabrl, o consellioiro An-
tonio Peregrino Maciel Monleiro, I)r. Jos
Bernardo Galvfio Alcanforado e o coronel
Domingos Alfonso Nery Ferreira. Com-
municou-se aos nomeados, remetteodo-se-
Ihs co..ia do regulamento respectivo. -
O ( regulamento fi publicado no Diario.
r-"0 r
prnieitobaialhao de a{a.dflT*a. ed coanrhls-
io Miguel Joaquim de Castro Mascarenliaa,
no oIImo da raeaail arma, aejam
loa, tornando detfarte pratica ,dd o aVrvico'Interno' do eatabele-
Jtilgo consenuente recoinmendar ao aV. Dr.
AleiaStdreae oujM PeWdolCarmo, a qwrn
egla>4ile. falcado. que baja. ciiafUment
oni segundo clnirglgo de ola, que ser luiepa-
ravrl do esubrleriinenlo, paradora dit|inl-
fOe que se contm dos artigos 74, 75 e 76 do
altado regulamenio ejan lilteraloiente obser-
btm como na parte que dli rrspeito a
Interna do hospital, dando a Instrc-
amJS?" or^en* I1" tenderein esse fim, fleando
n'esta partea guarda luiinedlatameote ubjelta
a dito faculta tiro de da, o qoal dar rio acto
de ser rendido parte circiimstanclada da oc-
currenciaa baridaa durante as >4 horas de Sara
*icfaaals se casas airaordiaarios recla-
nmrem proinpta providencias) ao mrsmo Sr.
Dr. encarrrgado da hospital, que partecipara
te ioiimi.n.lo o qua encontrar de notavrl
coin as rrftesdes qu Ihe uggerirem, devendr
no mappa diario declarar o aouie do facultaii-
voquenliver de dia.
JO**1 Yta9*> ** Amoti9 Btwra.

Commando das armas..
QuarUl de commando das arraas na cidait do
Recife, m id de dezembro di 1850.
OIIDKM DO DI A N. 48.
Tendo o tneu antecessor expedido aos
corpps do cxeicilo em guarnicilo nesta ca-
pitana triis terminantes urdeus, psra que
depois tjo loque e'revista do recolher, ne-
tihuma prarja de pret podes je sabir dos sus
respeD.xo ouarteis,, exceptuando lodai
as que sendo casadas, tussem esta clr-
cumstancia, a de bou) comportamento re-
coniiecido, hei notado que essas otdeni
nao teem sido Ctfnvenieotenieiiti) executa-
das, pois quealgiimas prajas sSo encontra-
das as ruis dests capital, e mesmo as im-
hiedaf&M em alta noite, sera justificado
motivo, dando coro isso lugar serem apre-
ticndl jas'pela polica.
Chamando aiteu'cSo dos Srs. comman-
iii-s dos corpos sobre e\e otjecio, le'm-
ro-Ibes quq pelo modo oom que se da
execro as orileus superiores, he que se
pode conhecer da boa ou uia disciplina d
un coreo, e que esla be ma'is aciysolada,
quantd aquellas sao pontual, e religiosa-
mente cumplidas, imprimindo assim nu
servido a or'dem' regularidtde, que (or-
nafc i rojicuos, e facis lodos os movimeu-
tos militares.
Nao basta dar as ordena, e faze-las chegar
ao coobtctnrenlo de quem as deVe execu-
lar, u es*nci|l he saber, se ellas foram bem
observaus, e 4 esse lim os cliefes "dos
corpos que sflo, pereote a primeira aulori-
dade militar, os'iespoiisayeis pelos abusos el
falta que atacam, e ouTondem a sobordioa-
EXTERIOB.
A POLTICA DELOap mliiebston so-
tifp. A .QH6STA0 pE ScrjLps.viG.
As gazctis de Londres que commummen-
le- servqm como orgflos da polica estran-
geira do gabinete inglez emp'chendem pre-
sentemente elevar lord Palmerton i cthe-
goria de moderador da Enrona, e principal
preservador ds paz geral. Era prova dlssb
el'aj lembram que quando b general Ca-
vaignac estevo frente do gorerno executi-
vo, foi discutida a quesillo do urna jnterven-
$ao armada para por lim guerra nos du-
cados, e que foi pela reeommendacSo da'
Inglaterra que semelhinle negociapOes fo-
ram empregadas. Ellas accrescentam mais
que quando ha pouco as duas grandes po-
tencias do continente manifestaran! a iri-
tenfo de recorrer aa medidas mala activas
afim de terminar a guerra, foram as repre-
sentarles do gabinete inglez que produzi-
rim o adiamento desse projecto ou desse
ameno, e lord Palmerslon nSo cessa de di-
zer ao governo pruaiiano que, ae ella nSo
foi a i oda atacado pela Europa, he protec-
co 0 boas oOTefoii da Inglaterra que o dee.
De boa vontade deixariamos lord Palmers-
lon adjudicar a si proprio as honras dessa
pacifica victoria, se pelo menos elle quizes-
se dar-seao trabalho de mercelas. Se rq-
preseotacoes amigaveis podessm ter o po-
der d induzr a Prussia a observar a f dos
tratados, cortanionle ellas seriara preferi-
veis a inlimac/ies, e seriamos os primeiros a
render hmenagem i moderat;iIo dos con-
selhos de lord Palmerslon ; porrn o gabi-
nete inglez deve ter Analmente percebi lo
qii a protecQSo amigave! que d a Prussia
s tem servido e s pode serVir psra pro-
longar a guerra. Elle nSo pode' eternamen-
te representar o papel de duplo mediador --
primeramente entre a Pussia ea D amar-
es, depois entre a Prussia e osaliiadosdo rei
a Europa se he a favor ou contra a Dina-
marca, a favor ou contra sua propria me-
liaglo, a favor ou contra os tratados assig-
nadosem Berlim perante un ministro iu-
glez, e o protocolos assignsdos era l.on-
diessobrea iniciativa do governo ingles
NSo estamos dispostos a asseveiar sopee ii-
geiros fundamentos que lord Palmenston
u5o lie de bo f, porm aehamo-nos collo-
cados debaixo desla alternativa -- ou rrer
que a Prussia escarnece dalle, ou que elle
dYcar'necte da' Raro?'.
Per noea parle qSo podemos ver nenhun
llljereoija eptre a invaso di Dinamarca
pelosfor/ios francos da Prussia, e a expedi-
<;Ho flitjfif epotra Coba por piratas amp-
.ricapoj. Ums e optra esto iggalmeote f-
'f <1 commqnh^o das leis das naces civi-
ls ls. O re d Prussia lienneeia muitns
le se|ts olciaes para trar no servido de4tolleim;os oflleiaeahes-
aianos qua inoocentementa lomamos como
lross eopalituicionaes, flfio uas demis-
aOa para Itea neorporar- deblxo da
proteccJ? da'Prn*s|a.doexerclto germnico
'los ducados ; he um general prusslanoque
cmrnp !a ste exerawto, e at baleras de
ftilhSTia the s^o enviadas ; entretanto,
rei dq pfnf marca viclima desuaexces-
siva boa fe, espera a interveoc,8o da confe-
deracSq aue" u0u existe, e perdo todas as
vantageus qu a eslacSo e suas primeras
victorias Ihe asseguravam. Em presen^
le taes Tactos nSo leremog acaso rasSo de
oerguntar se o gabinete inglez hq decidida-
mente a favor ou contra o poder, em cujn
inleresse procoz sus media^Su Ninguem
se pd-persuadir como disse urna gizeta
ingeza, que a Prussia coro sua forte organi
sacio mj'ar.. q?q (jpssa quando qujier,
0r fim erjaigraQo de olciaes e anidados
e bem assim a assiitencia de lodosos gene-
ros dada inaunviySo dos ducados. Se as
autoridades rebeldes de Holstin lives-
sm sido positivamente desngnadas de que
nSo tipham que esperar nenlium soccorro
la Prussia sua resistencia certamente n.lo
lurariS milito, tomremos a permissSo de
accrcscentar que o que he verdade a res-
pecto da Prussia ellolstein, he tambem ver-
ladea respeitoda Inglaterra e Prussia. Se
o rei da Prussia ostivbsse bem eerto de que
nSo poda contar por muito lempo cornos
bons offlcios e sympathias do governo in-
glez, mais fcilmente voltaria 4 rasSo e
justica. A conducta da Prussls, tsnto nos
negocios da Dinamarca como nos de Hesse
depender em ba parte das representarles
que lord Palmerslon tem eraprehendido
razer-lhe representacOes a qun elle pode
dar importancia sem a forma de orna amea-
Ca. Em quaiquer caso, se nenhuma cbnfe-
deraefio germnica he possivel, eseosal-
lemSes nSo podem concordar entre si, no
he s Dinamarca que ha de pagar por isso.
Ja que traamos dosto objecto, perguntare-
mos porque raso nosso governo n3o tena
reponhacido e reconslituidu a dieta de
Franlcfort1 porque no temos nehum mi-
nistro acreditado junto della ? 0 reconhe-
cimenlo da dieta pela franca nSn po lo dei-
xar de acelerar a volla da prussia, e facili-
tar a solugSo das duas questOes que na Di-
namarca e Hesse ainda pOem em perigo a
paz da Europa.
___________ Journet des DebaU. )
I
a tomada de Troia, e nep ainda quando pro-
INTERIOR.
filo e a disciplina da trppa que cumman-ltm sido VauUjos
fslUj, que necesaarlaniento reverlem em
desabuno dos meamos corpos.
razeudo esta advertencia que julgo do
meo riguroso dever, espero do zelo e d
circuraspecCSo que devis em os Srs. com
mandantes do corpos, que no lerei mais
occasiao de repeti-la.
Joii Vicenti de Amorli* Batir
li.miciH 11.
eriDEU DO DA N. 16.
Devendo ter plena eiecuiaao o artigo 73 do
rrgulmeato, que baiiou coin o decreto d 17
de fevereiro de 1832, que determina baja uin
rgundo cirurglao de dia sm cada hospital re-
liuental, e nao sendo pdr agora nilBclentc
ra ease servifo duus faculUUvoa no hospital
deata etdadrt aein que sa tornasse estieniamen-
te oneroso, visto que elle boapi tal que lie s
rrgimentai no uome, recabe oadoeotea de lo-
do o corpos c companbias de buba aqu eais-
tenie, e at alguna du que > acbaui lora da
capiial e da provincia, solicite! e obtlve do
ParJdstlfipd'r daij pu oulra dqssas opi-
iioes basta considerar qiianto a Dinamarca
tem assim ganho pela mediaso da Ingla-
terra. Emquaoto proposta de lima initr-
venedo a qoal leria premptamenle termina-
jo as hostilidades, que o gabinete inglez
substituto pelus seus bons offlcios, esse ga-
binete dbrorj sem duvida assi n dar alcfn-
Cr me'sm resultado br oulros meos
Ora qual foi o resultado da mliacJo inge-
za ? O tratado assignado em Berlio no rpez
de julho paaaado.entre a Dinamsrcs de urna
parte e a Jirussia da nutra: em seu uome e
ero uome aja confederado, tratado que foi
tambem assignado pelo plenipotenciario
inglez. DasgracadamafYto esta tratada fo
ijo singquamerite;' fet. --"-
'tg(p afilo vjj^om P^rji
'- w. ..o *M..-n..nj-. olU ui.ii .
sim foi estipulado que o rei de Dinamarca
Cdena reduzr por orca o ducado de Sche-
, wif,o quai (trrrt uqis psete inlegfal quelle reiaio; porm que 'para restabeleeer
ua auloridad eth "Iflilsteln, que lie uuia
prJlriclgei-maftica tanto quantodraamr-
qdeza, elle pedin a ipteryenc^o d conf -
doslo. Era nltirs) crr que esta clausu-
la constituira da parte da Prussia e da con-
federaelo o empenho formal de iolervir lo-
go quoitse. Ibes fosee requerido, pois de
outya surte ella terla sido urna burla; pe*
rm quando o rei de Din.marca, fiel ana
palavra, fez parir o seu exercito victorioso
ns rronleiras d llolsleiri, e palio lolr-
yeqfi^o pro.q^etti'da, o rejVda Prussia pptep-
lou-socoro rponder que elle uto reco-
ubeoiaa cunfeoeracaodel'raiikfort.
Euu. Sr. preiidente, pnii..u para eu.wrega. ""acMrKe nrmainenievi
no referido hpinlui mal dous facultativo., Jde"a desouerado wlo proprio
jenceoo por eate ercicio a gratificacode|Prusl continuado a fief u
.vOOn.weaaaea. ^ \ sbsm O que he difllcii de aotaadar se he como o
ro il Diaamarda, eieu-# por muito tcltspo
nbrigsdo por orna etaueuta que ou-a par-
te ctfolraetnte formalmente violara, sendo
facto d lar h
ana gaslia
1 sata asuela *4*am#ai aaaasis aaraftla.
, !iW( ir- .{'.ninav^iM'iZr'saV'iiqy'asytl .-i.
BAHA.
Havendo nos publicado o eicellente artigo
do lllm. monsenhor Dr. Miranda Brgo sobre a
deagradavel oceurreneia, qae den lugar a in-
slita prisso d'um pregador no Para, julgamos
muito opportuoo reiipprimir o oftclo do Exm.
e Rvm. Sr. arceblsup i|iie claramente explica.
e resolve a quesiao stabelecendo qual a dou-
irlna dalgreja acerca do modo porque ai mu-
Ihere devem estar coberta nos templo. Pe-
dimos, pois. a attencSo dos nosso leitore pa-
ra o dito officio que aqu tranacrevemo :
a Teneo presente o officio de Vine, com data
de 6 do erren te, partid pando-me o factoa
desagradaveis occorrido neaaa matrla por oc-
ciijao de asiiitirem duas enhoras cobertaa
coin chapellnhos de pallia mlasa parochial.no
domingos 30 do paado' te p deste mesmo mei
de abril, despena da' advertencia qae Vmc.
man.ra fater ao marido de ama das ditas se-
nhoras,Francisco Alberto dos Santo; e depois
daeiposicaodos memo factoa, pede-me Vmc.
pie naja eu de declarar-lhe, se procedeu cu
regra, e dar as providencias que julgar necei-
sarias.
Deploro vivamente que tae (cenas se apre-
sentem no meld de um novio tao disiincto por
ina'piedade; e supposto eu confie que o su
pradlt sea parochtano, snelhor aconselbado,
io persistir em arrestar imprudentemente a
opiniao religiosa dos habitantes deU metro-
pole ; eu passo comtudo, 'para prevenir novas
contestacqea, a resolver a duvida que Vine,
propflr, motivando mlnha resposta cora slgu-
inas breves oonslderaccies, quanto permute p
incoiinnodo qae actualmente solfro na mihba
saode.
1 Craio alo.ser neoesiario mostrar, que to-
dos concordara que.srgundo ai mximas da re-
ligijo calholica. devalo as mulbere estar na
igrej' cam as cabecaa Coberta. Assnn o pres-
crere claramente o apostlo na primeira caria
o Corintblos cap* 11. declarando, que a mu-1
ic, U.-iionr a cabeca, quauuu orando na
Tgreja a tem deaoobert, ,i mesma aorte que o
homem ae deshonrarla tendo-a coberta (I).
Esta dontrlna do apostlo continaou a aer en-
sillada e praticada em leda a igreja chrisiaa
desde os lempo aposlolicos at o nosso dias.
rerluliano em um livro que iulilulou '-tiivirginibui, insiste sobre ete preceito do
afolo, e reprova copio um abuso reprrheo-
JM apparecerm leln voj!) nos templlas
m Bl be re assim lolleiras. como calada, nao
ofkiUnle quaiquer costume em contrario. O
mesmo ensina San Clemente d Alexandria no
Uiceiro livro do seu Pedagogo, isendo que,
Safando os homens a as muiberea vio Igreja,
erem ir vestidos'modestamente, com um pas-
so grave, guardando silencio e dispostos para
beia orar. As raulhere, accreacenta elle, de-
vem Ir caberlas, imitando o pudor da Inulher
de Hnial, que nao descubri seu roato durante
enraya alvar-e ds chamlnas do incendio d'ej-
(a'dVagraeada pldade. Ouiros m/ltbj padre e
especialmente San JoSo Chrlaostoino, Tlieoli-
lato, Thebdnreto, Santo Ancefnio e8anTbo-
roaz, e>pondo o citada capitulo da carta1 de
San Paulo, sao uniformes neile ponto de disci-
plina. 71";.' r '
Tal he pois a reg/a fupdjda na ecrlrtura e
.tradioao, e fomiuIaS rtd canon decreto at-
Irtbuldoao napa San Lino, iinmediath succea-
aor de San' Pedro a ba muHr * ni*, h cetMiaw introrf i. D >us motivos prin-
clpalmente nmveram o apolllo, quando em
termos iao enrgico determlnou, que as mu-
Hiere tivessem aicabecai cbbertai na Igreja:
o primeiro be o pintor e o recato1 Uo proprio
d'aquelle ieio, c o segundo a reverencia e ve-
ueracao devlda aos aojos, qae estao presente
ha asaembiea cbrlstaai, e sao (eitemunnai da
modeitla que ahi deve reinar -- ideo debet mu-
llir poleilalim habrfe lupru capul proftr angtloi
fX). V. colu etjeito o apostlo nao fez sen;To con-
formar-se com a ideia de todos os pdvos e fci-
vllisacocs eolio rouhrcidas, que olhavain o veo.
o"ix M de Genoude, como urna parte da decen-
cia das mulheres Este pso remnntova mesmo
aos lempos heroicos, como ae v na Theogonia
de 11,'siodo, e oa QdVssC de Homero (4), e se
ochava adoptado entr o* Hebreos, rabes, Gre-
gos e Koinanos, r com tao severo rigor que, ae-
Sundo rcf.-ie Valerio Mximo, C Sulpicio Gallo
rSpedio ou repadiou sua inulher, s por sa-
ber que ella andar fra de casa ein vif''
fiera Se diga que o apostlo, impondo as
mulh'erea o precello de cobrirem a cabera na
Isjreja, nao especilica a maneira porque devem
estar coberta, se coin o veo, co 111 chapeo, ou
por quaiquer outro modo ; porquanto, sendo o
veo geralmente considerado, segundo ha pou-
co inoatrri, coiuo o ornamento mais decente e
apropnado a eate sexo, uenhuiu outro podia o
apostlo ter em vista, quando tao expressa
mente exige, que ai raulncres te cubrain na
igreja eoi lignal de pudor e de reapeito. He
esta a obvia intelligencia que otterece a natu-
ral lignificacao das palavrai vealo eapite, e que
a cada pasio se encontra nos escriplos dos pa-
dres c expositores que as entendern! do mes-
mo modo, ou recoinmendando o uso do vs,
ou esiraoliando que elle foe tao raro e trans-
parente que mal servia de incentivo urna
oairiosldade libidinosa, que de recato c camel-
la (5). Sem duvida j muito antes dr San Paulo
era conheclda uina especie de chapeos brancos
de que usavaiu as omitieres, como le v em So-
pbocles, lateado apparecer lsmne ornada de.
um igual chapeo, quando e va di ndo-su de The-
ba, vem junt-ar-se a sen pal em Alhenas: mas
este uso s tintn logar, qilasi como 'entre nos.
em vlagens ou passeio, e no em outras occa-
atoaafa).
Parece portanto inqueslionayej, qpe a
loiitrina do Apostlo, cmo serhpre foi en-
tendida, pela igreja, exelue quaiquer nu-
tra coln-tura da Cabera na igreja. que nSo
sja o veo. Ter-se-ha acaso alterado esta
potica tflo religiosamente observada em
todos os tempos ? Assim se diz. e aflirma-
s", que entre as mais cultas nachas catbo-
licas da Europa, sem exceptuar* Italia, e
a mesma capital do mundo chrisKo, se
permitte o uso dos chapelinhos. Sem con-
testar esta assprcUn, resann lefei rnui bre-
vemente. Primeiro, que 1110 parece poqco
airoso o digno do um puvo desplr-se de
seus aniigim usos, que lera por s tilo ve-
loravis ttulos,'s pelo gusto de adoptar o
que vem de oulros psizes. J somos qasi
nstrangeiros na mesa, nos vestidos, e na
lingoagem ; quereremos tambem abdicar
nnssos costumes religiosos, porque os dos
Francezes o Italianos sSo differentes ? Se
conlinnarmos ueste progresso, qm breve
perderemos a fisionoma propria, se assim
posso dizr, e o carcter de nacionalidade,
que nos deve distinguir, e nao sanaremos
sebera, que ella consagrau entre os smjg
anones esta mxima luminosa da Saato-
Atoatinho, que so bastarla para con'er
quaiquer lenlaliva de innova<;So aquillo
que nto he contra a f, oen ennlra bs bons
cnstomes pleter-sn per fn liff-Tntn, mee
deve obttnxir-i por cauta da toeiedade efe -
quees, eom guem te vive f 7 ). Proceder de
outra maneira he occasionar dissencOes,
que pdem trscer funestas desordens. Quar-
to, Analmente que nSo permittindo os nos-
so costumes o os dns nsfaridoa ehapeti-
nhos nss proprias rennides profanas, de
sorteque nenhuma senhora se animara a
comparecer d'este modo eraum baile, ou
em urna visita mais solemne, como pode-
riam permitti-lo faca dos sacrosantos
mystenos n'esse lugar tramando, que S.-
Joio Chrlaostomo chama o retiro dosanjos
o palacio de D*os,eo mesmo co Nin-
guem julgue de pooca importancia esteres
pello s conveniencias e opinin* religio-
sas deura novo ou de urna soeiedade. O
famoso Fraderico rei ds Prussis, protes-
tante e philosopho coreo era, deu n'sta ma-
teria urna importante liejfSo. pois que eos-
tomando entrar eom o chapeo na cabeca.
nos templos dos prostestantes, npressou-se
a t ira-I o, e se eonservnu em urna pos 1 gao
reipeilosa, quando entrou na igreja aoa
catholicns de Berln; e pergunta lo sobre
esta dilferenc, respondeuque acre litan-
do 04 caiholieos na presenta reildejesus-
Christo sobre os altares, elle devia respai-
lar esta crenoa ; mas que nSo pensando as-
si n os protestantes, entenda no baver
nos seus templos una Senhor maior do qua
elle.
Eis-aqui o que muito pressa tenho de
responder a Vmc, condumio que fez o
seu dever en oSo consealir, que na sua ma-
triz se icitrodimsse urna novi la le contra-
ria ao espirito da igreja, e aos cottumes re-
ntosos d'esta dloc-se; esperando en igual-
mente da sua prudencia, que procure acal-
mar a agitacSo causada por este acunleci-
mento entre os seus parochianos, e qu es-
tere i poni de perturbar a paz do temlo
e a celebrarlo da missa parochiai, fazen-
do-lhes ver, que devem tlescsncarna vigi-
lancia das autoridades. E para que seja
consequente o zelo pastoral, cumpre tam-
bem queVmc.se nSo descuide de exhortar
e bradar da cadeira evanglica contra a im-
modestia, que infelizmente se observa em.
as npssas grojas, vendo-se muitas muibe-
rea com as calingas inleiramenledescuber-
tas, como se viessem, diz o mesmo S.-Chri-
sostomo, testemunhar ao grande Paulo
que, ainda quando elle repetase mil vezes
seus ensillos, ellas eslo dispostas a no
segui-los. q a nSo mudar de conducta :
alera do o jiras nudezas e iodeceacias sura-
marpenleoiTepsivas do pudor, equeso ser-
veo de accender chamas impuras ante os
altares do U'os de pureza esantidade. Dos
gusrle a Vmc. Babia, 10 de abril de 1850.
Romualdo, arcebispo da Bbia.--MuitO Rer.
Sr vigario collado da freguezia do Pilar,
Jos Joaquim da fonseca Liraa.
( O oHciajor Calkolico.)
rERNAMBlKO
r
mais a quo nacSo pertrncemos. Segundo,
que na llalla tambem se tolera, segundo
rae informara, que bS proprios homens,
pretexto lia intensidde do fro, assislam
Oissa cobertos de barretes 00 de chapeos,
queso tirara no momento da consagradlo;
lacto este que parece incrivel, e multo mais
grave do que o abuso altamente reprova-
do pelo papa Nicolao 1 na sua resposta
consulta dos Blgaros, os quaes preten-
da m entrar na igreja eom aseabecas sin-
gidas de urna banda de tela, sendo o prin-
cipal argumento do pontfice a doutrina de
S.-Paulo : ora poderse-hia soffrer, que se-
rai-lhinte costume, de ouvirem missa os
homens de chapeo na cabeca se transplan-
tasse entre os ? Quintos usos nflo-lem a
Kranva ( outro paiz modello, que se nos in-
culca psra todss aseousas), que nos re-
voltaria m, se alguem teutasse inlroduzi-
los era nossa trra .' Quem se nSo escan-
da Iisaria, por exemplo, de ver um balalhSo,
Ou outro corpo militar, entrar por urna
igreja, e assistir missa com as barretinas
na rabdea, ou assim cobertos fazeras con-
tinencias ao Saatissimo Sacrrscr.'.o ? p
Me isto usado em Franca, no sei se em
viitude de. seus antigua regulamentos. Se
das mudencas,, que n'esta parle, como em
ludo o mais, produzio a revolucao. Dei-
xemos, pois os oulros povos com os seus
costumes, e conservemos o que bardamos
de nosses paiz; urna vez que nada tenham
de contrario nem aos preeeilos da religilo
de Jesus-Ctii Isto, em as leis qae regem ol
paiz. Terceiro, que ISo longe esla a igre-
ja de repravar os uses ou nsliluirAes pe-
ouliarea I cada provincia ou diocese, que
so contrario em seus deeratos ou consli-
tuiOes o dexa sempre salvos, sem ne-
nhun recelo d que esta variedade acci-
dental prejndque a iua padade. Todo
1 n"'.'n iv.1.",1. '......
(I) Osimir^stf wiosocapilf,
aVIaroal capul musa. Osanii auteir. mmlier ora,
ai frpketmi uta tlalo eopile, leiurput ct>pu\
um: UHKK nuis sil ae 11 o> (i) O veo d que se falla nao era de rede,
Si cat* fax apparecer a mulbere comoie o
lUveaae.
J1 u1ja^
3) A palavra PoUilai ao sentido do apastlo
e conforme o comiuuin dos exposit re, algni-
llca nene lugar B yo, como lignal de depen-
den, 1. da uiuiher.
(4) Vide Diccionario das origen por Mm.
fiorl et Carpenller na palavr Toi'i.
"(i) Vid Tertut e San Clem. Alex. naa
bras ja ciladaa.
(fl) Vid* Utopianaj-io da origen aa pala-
vra Vkaaam.ua.
CAMAKA MUNICIPAL DO RECIFE.
sassa eXTBiORDUilai ps 4 01 deziibo
DI 1830.
Ptendencia do Sr. Olivara.
Presentes os Srs. Mamede, Carneiro Mon-
Ilero, Viano. Pires Fetreira e Figueirelo,
fallando com causa participad o Sr. Bar-
ros, abrio-se a aessJo, e foi I ida eapprova-
da s seta da antecedente.
Foi lido u segiiinte expediente :
Um officio do xm- presidente da provin-
cia, transmitlipdo copia de outro do direc-
tor das o* ras publicas, para que esta cma-
ra providencie de modo que desapparecam
os inconvenientes de que laz meneSo o mes-
mo director.'-Que se determinasse ao pro-
curador mandasM intimar ju lidalmenta
aos fnreiros de terrenos de raarinlia.e baixas
existentes na continuado da raa do Caes
do Itmus, psra que as aterrera no preso de
dois mezes, alirn de que feito o aterro da
inesraa rus, 0S0 lijuem agoas eslagnadas
em ditos terrenos.
Ou tro do advogado da caaa.nestes termos:
lllras. Srs. Km resposta so ulllcio de
Vs. Ss. relli vo a reprsenlacSo do procu-
rador acerca de termos da infracglo de pos-
turas, lavrados pelo fiscal sb fundamento
de bayerem alguns feito nnuncios para cu-
rar, sem terem satiseilo p disposto no art.
I? dn tit. S das ppatiirac( -^.-pjrtTj.jBc. diZCT
que p citada artigo das posturas, mude
peq a quem aera 4 cond^ftej lgaos exer-
cea arte de curar, e que os simplieea ao-
nuncios nflo conatiluem efectivo exercicio
da arle de corar, e sir mostram bem pro-
nunciada disuosicSo para o razar, a collo-
ca m os gxeculorea da Jai na aacaasidad* da
obaeivaretn ludo o que pode servir de pro-
va,, deque effeclivamente sao os que fageea
esses aimuncios piocurados para curar*
rceitar, de sorte que nflo se Iluda a lei,
sendo que s aimuncios d pessoas que *t-
lirmam ter sido curadas por esses que nao
tem salisfeho aa oondicOes das posturas,
devera ser examinado, verificarse quem
assigoou o annuncio, e prooeder nos ulte-
rioras como convem. He o que me cum-
bre responder a Vs. Ss., a quem Dos guar-
de.Recire 25 de novembrotie 1850.
Hlqi*, Sti. pgetaojguta a viradores da
(?) ug. ad Januarium nial. 118, oap. 4.
t** mmmmua ca*,* f^neauTea^ mil
lagiUut; MsJU-MWr' s.1 koLaMmm,
noi moree injuauiUut,
et pro sama
dsiril, t.
J



!2!
camera municipal do Recite.Jos Fran-
ciicite l'aiva, advogado.
Deliherou cmara que se remettesse co-
pia destc r-ffido no procurador para que sa
tisinc quinlo He diz a respeilo dusau-
nunrios.
Ontro do engenheiro director das obras
publicas, informando desfavoravelmente a
peiiclo deJoaquim Lopes Pereirs Guima-
rSes, arrematante de um dos landos do mu-
ro do cemiterio.pe lindo prorogagao do pra-
10 da arrematarlo.--Inteirada, e indefe-
rio-se a peticffo.
tmiro do procurador, apresentando o bu-
trico da receita e despeza municipal do
mi'/ de novembio ultimo A coiomissao do
polica.
(Mitro do mesmo, consultando a respeito
da verba i que deve ser levada a despeza da
porcentagem dedez por ceolo, ero favor dos
encirregados da cobranca do imposto de
500 res por caber, de gado vaccum.Que
se respondase que a deducn di porceola-
gem deve ser frita do valor que se for ar-
recadando, proporco que entrar para o
cofre, Tomando o mesmo procurador nota
da importancia dos descootos, para a qual-
qui'r lempo conliecer-se o rendimeoto por
inteiro do imposto.
Outro do mesmo, participando que o lles-
pinhol Joflo Martina Franca, director do
in-'ii.iin-iiit Je toureamentn, ultimsrnenti
praticsdo nesta cidade, temi sido coodum
nado a prisJo e multa, em consequeucia da
inrraCQSo que commettera, tratou'de occul-
tur-se, e apezar deter elle procurador re-
querido a polica as providencias necessa-
ras, n3o i lie teni sido possivel descobri-lo.
Inteirada.
Outro do fiscal da Boa Vista, participando
sur a iniporiancia das mullas do mez de no-
ven. Imo ultimo de 152,000 iis Inteirada.
Outro de Jos Liberato Calv.lo. dizendi
nin Un' convir a paga de dez por cento que
esta cmara Ibe uiTereceu pelo trabalbo de
arrecadar o imposto de 500 res, na fre-
guezia le S. I.ourenco, e propon lo o nego-
cio que Ibe cunvinha.Que fosse dilo olli-
Cie remeltido ao procurador para se enten
der com o seu autor, e desle saber qual o
negocio propoeto, valo ser o mesmo oflicio
pooco claro.
Foi lidoeapprovado um parecer Ja com-
missSo de edilicsQilo, relativo a terrenos de
marinha, requeridos por Thomaz de Carva-
Iho Par de Andrade, Ignacio Firmo Xavier,
Jos de oliveira, eoulros, e no sentido do
mesmo psrecer se mandou ofliciar ao go-
verno da provincia.
HaOdou-Mremetiera referida cotnmissfto
os papis viudos da presidencia para a cma-
ra informar, de l>. M .na de Pwho Bo'ges,
requerendo terreno de marinha, e o reque-
r ment frito a mesma cmara de Agostinho
rfos Santos, capataz do porto das canoas do
bairrn do Itecife.
Mndou-se ofliciar ao chefe de policia,
para dar ordem aos subdelegados nSo da-
rem sepulturas nas igrejas a cadveres de
pessoHS pobres, encontrados em differentes
psragens desta cidade, e sim no cemuerio
publico.--Nesle sei.tido se mandou tim-
bem ofliciar aos (raes.
Man.lou-se nfflciar ao commandanle do
corpn de polica, fazendo-lhe ver que a sen-
tinella po-Uda na ponte do Itecife, para ve-
dar o despejo de liso, e immundices que se
faz juntos mesma ponte, nao tero cumpri-
do com suas ohrgco>s, porquaoto conti-
nua romo d'aotes esle abuso.
M-iilun-.se offlciar ao capitfio do porto,
pe.lindo-se houvesse de despernar tres ca-
noas, se quer, de pe.Ira de calsar para ser
embregada na ponte do Monleiro.
Mandou-se por a prac,a nos das 6,7e9
do correte, a obra das casas ao lado do
portSo do cemiterio publico, e q na uto a da
eapella do mesmo, deliberou a cmara que
se consoltssse ao Exm. presidente da pro-
vinria, so em vista do disposto no arl. 47
da le do primeiro de mil n!> o de 1828, pode
ella ser feita por ada-ini*lra(3o, como or-
denou S. Esc, sem primeiramente ser posta
em megSo.
Tirou-se do cofre rio dia 26 de novembro
fin lo os 2:200,000 rs. de que trata a acia da
antecedente, e bojea quautia de 4:600,000
rs. para pagamento de prestares aos arre-
matantes do muro do cemiterio, a saber:
Lourenco de Jezus Maria 810.000 ris, se-
gunda prestadlo; a Domingos Jos de Santa
Anna 810,001 ris, <>rimeiia dita ; a Amaro
Pereira da Crnz 810, segunda dita, e mals
39.000 iis de aeresimo de mais obra que
fez a mandado do enginheiro Jos Mamede,
ale n da arrematadlo ; a Joaqun Lopes
Pereira GuimarSes 810.000 ris, primen
preslacao, e mais 338,390 ris tamben) d
acressimo de obra na, n.esma conformidade
cima; ea Jacob Mirtina d- Paixo 810,000
ris, a eunda presiacflo, e mais 19',320 ri
de acressimo de obra ; orefazendo ao todo
ditas quantias 4.622,710 ris, mas s lirou-
se do cofre, como liCa dilo 4 600,000 ris.
Despachar a m-se as pelitres de Antonio
da Silva Angelo, de Antonio de Locio e Sil-
bes, de Amaro Antonio de Faria, de Antonio
Jticardo do Reg, de Bernardino Jos Lei-
ifio, de Bernardo Gardozo Ayres, de Gandi-
do de Souza Mirtnla Gouto, de Guilherme
da Silva CuimarRVs, de Jacob Martina d
PaixBo, de Juaquim Lopes Pereira Guima-
rSes, de Manoel Jos Corris, de NicolaoGa-
dut, de Amaro Pereira da Cruz, de omin
gos Jos de Santa Anna, de I.ourenco de
Jezus Mana, e levantou-ae a sesso.
ES, Narioel Kerreira, Accin a escrevi no
impedimento do secretario. Oliveira, pre-
sdeme. Uamtde Carnelro Montura.
I-mitre. Figmeireo. -- Vianna.________
lilAISH) K PKKNAMtil0,
KGirs, UBI BEZEMBBU DI Isas.
Em consequencia de nflo comparecer bo-
je numero de juizes de facto, flcou transfe-
rido para o da 14 do Crrente a reuniSo dos
jurados. '
O Sr. baclurel Mauoel am da Silva Neiva
pedio e obteve demisaSo do cargo de dele
gado de policia desta cidade ; e em seu lu
gar foi nomeado o Sr. baclurel Francisco de
Assis de Oliveira Macel.
...
Publicado a pedido.
ainoi'Ulhamento e enterro do prc-
to Faustino escravo da D. Isabel
ffarbosa Rodrigues Machado Fri re
dem da morlalhado tinado Antonio
Hem de Josr- Prea Ferrelr* pelo Ira-
lamento do escravo tura
Da thesouraria da faxenda provin-
cia) para contiouafo da obra do
hospital Pedro II
De Francisco Jos arbola, pelo tra-
tamenlo da seu escravo
Do Or. I.ourenco Trigo de L-iurelro
pelo tratamento de uina sua es-
crava
Do procurador da administrado do
rendimento dos piedlos arrecada-
do nesle inez
Por leltras que eilstlam em 31 de ou-
tubro
3,600
2,000
25,193
6!C 00,000
10,287
11,231
2:800,000
8:852,311
2:954.045
li:807,266
l:2U.'i,l
Dtipn*.
Por saldo era 31 do pastado
Pago ao reverendo regante do gran-
de hospital pelas despeas de ou-
lubro 025,660
Ao regente da casa dos expostos 245,814
Ao dito do hospital dos lazaros 335,94)
A Francisco Valentini da Silva, Im-
portancia da pintura feita no grao-
de hospital. 36,200
Ao regente da casi dos expostqs, im-
portancia, etc. do rnchoval da ex-
posta Theodora do Patrocinio 109,240
Ao dilo, importancia do enterro da
expoata Candida 50,000
A cmara municipal por Infiraccao de
posturas 8,000
A GuUherme da Silva GuimarSes por
420 varas de Hamburgo 155,400
i Jos Joaquina Dias Fernandes por
um barril de vinagre para o hospi-
tal de i: riil.i.le 20,000
A I.ui/. Antonio de Siqueira por fa-
tendas que vendeu para o hostii.il
dos lazaros 122,022
Abatiinenlo de 5 por cento 6,100
---------- 115,922
A diversos por despezas fritas al bo-
je com a obra do hospital Pedro II,
segundo cousla do respectivo livro 1:142,100
Navio lahido no meimo dia.
Havre pela Parahiba Barca -franceza Con-
t Rogar, capitao Evers, carga assucare
algivISo.
EDITA L
Letlraa eilitentes
Por sold em caixa
4:048.628
1954^45
7:003.573
48u3,683
11:807.256
AdinlDiatrafogeral dos estabelecimeulos de
caridade, 9 de dezembro de 1850.
Antonio lo Gomet do Comi,
EscrivS".
Jote Pira Perrtirm,
Thesourelro.
M A P P A ilox llxtabilecimentos de
l'ariiiaUe, ti mez ile ho-
novembro (te I 85Q.
Grande liospitil.
PALAOCO DA RKCE1TA E DESPEZA DOS F.S-
TsbbLECI UENIUS DE CARIDADE, NO MEZ
DE NOVtJdBRO DE i850.
rciila.
Rocebido do reverendo regente do
grande hospital, importancia do
MENTES.
Exstiam
Entraram
Sahiram.
Morro ram
Exislein.
Hospital
Curados.....
Melhorados. .
NSo curados.. .
Nas 24 h. d'enlrada
Depois dessa poca
31
15
8
S
1
0
H
1
V
Pela inspectora da alfandega te fas pu-
blico que, no dh 17 do corrente, se ha de
arrematar em hasta publica a porta da mes-
ma, depois de meio-dia ; 5 1|2 duzis de
girrafaS de viiliu do Porto com 16 1(2
-nedidas.a 2,400 rs. total 39,600 rs. ; 4 1|S
duziis de garrafss de cerveja com 12 1|2
medidas, a 81)0 rs. total 10,000 rs. ; 11 gar-
rafas pequeas com champagne, com 4 S|4
medida, a .4800 rs. total 8,400 rs. ; 27 latas
grandes com conservas diversas, a 400 rs.
total 10.800 rs. ; 20 ditas pequeas com di-
tas a 300 rs. total 6,000 ; 1 eaixa com oh
nesando liquido 16 libras.uma 1,200 rs.total
19,200 rs.; 2 latas,rom dito pesando liquido,
16 libras,* 1,2O0 rs.total 10,3 -0 rs5 pecas do
lona inglesa de 22 pollegadas e S3 1|2 varas
por peca, a 12,926 rs. total 64,630 rs. ; 1 pe-
pa de briro de linho pira .velas st 24 polle-
gadas, e at 30 varas, a 10,000 rs. total rs.
10,000; 4 caixss com 48 garrafas de agur-
dente de Hisch com 14 medidas, a 9,000 rs.
total 28,000 rs. 1 cesto' com 12 garrafas
granles com champagne com'3 medidas
a 4,800 rs tota! 14,400 rs. ; lia dtizlat de
frascos com conservas com 72 1|2qu*rt-
Ihos a 600 rs. total 43,500 rs. ; 24 camisas
de bnm branco de linho ordinarias a S00
rs. total 19,200 rs.; 17 ditas, de baeta, a
1,000 rs. total 17,00) rs. ; 16 ditas demeia
le lila, mi|ito ordinarias, duzla 8,000 rs. to-
tal 10,666 rs. ; 4 japonas de pao azul ordi-
nario, a 9,000 rs. total 8,000 rs.; 5 cintas
de meia de Lia curtas, a 900 rs. total 1,000
rs. ; 6 pares de luvas de 19a curtas, a 250 rs.
total 1,500 rs.; 9 eticas de bietilhs ordina-
rias, a 1,009 rs. total 9,00) rs. : ludo appre-
li -mlido pelos emjrega los da visita a bordo
da barca ingleza Swordflik, por se achar To-
ra da lista maUclo livni de direilos.
Alfndega de Pernambuco,12 de dezembro
de 1850. O inspector interino, Bento Jos
t'ernandfs llarrot.
Declarayes.
Pela segunda aecc,So da mesa do con-
sulado provincial ae faz publico, quo os SO
.lias que a le lera designado para o paga-
mento a bocea du cofre, da dcima dos pre-
dios urbanos dos bsirros detta cidad, do
primeiro semestre de 1850 a 1851, se prin-
cipia a contar do dia 3 de dezembro pr-
ximo, e que lindo este prazo incorrem na
molla de 3 por cento sol) o valor de seus d-
bitos todos os que deixarem de -pagar.
Pela subdelegada da freguezia dos Afo-
sados foi adiado um menino de notne Jos
com um cavallocastanho, diz o menino mo-
rar seu psi uo i-ngeoho Mamolengue : quein
sejulgarcom direito aodito menino, coro-
pareca na mesma subdelegada.
Theatro de S.-Francisco.
dos lazaros.
DOENTES.
Exstiam
Entraram
Sahiram
Morreram
Existom
Curados. .
Melhorados .
NSo curados.
21
II
0
0
o
o
->l
Cusa dos expo.tto.
QU.VRTA-FEIRA 18 DO CORRENTE.
Benrlicio de Madmmosele Alie Mo-
rcan.
Madmmoisele Alie Moreau, primeira bal-
tarima do theatro de S. Pedro de Alcntara,
chegaii a pono i do Rio-de-Janeiro a esta
cidade, d'onde tem de seguir brevemente
para a Franca, determinoo antea de sna par-
t la dar daas representares em seu bene-
ficio, onde espera ter o mesmo aculhimen-
to honroso que teve naquella edrte em vir-
io le de seu"ptimo desempenho, cujo es-
pectculo ser determnalo pela maoeira
segunte :
Depois que urna grande orchestra de ra-
bees liver desempenha.lo a mais bellissima
uiivoriiira por Madmmosele escolhida, teta
lugar o segunte:
I PARTE.
Madmmosele, far* o primeiro paaso q-ie
tem por titulo a Gracovlana.
II. PARTE.
Diversas experiencias pbysicas multo en
graesdas, pelo director.
III PARTE.
Madmmosele com mais peasois, faro
dflicultoso, e muito elegantepasso-no-
bre-de un salto.
IV, PARTE.
Diversis experiencias physicas da ouito
applausu, pelo director.
V. PARTE.
AtvsptHiio Ethertense, a tahtr :
Um ensalo chimico extraordinario ulti-
ma ment Inventado em Pars, por Mr. Ro-
., ... ., 'be to Hondin, eexrcutado com grande aue-
AilministracSo geraldos cslabelecimen-.c,.s0 ll0 ,he,,ro duPalais Royal. Sbulo
he, que o Ether e o colorofornio, produ-
zeiii nilo.'o toruar-se nsensivel o indivi-
duo, se n3o lanibem Infraquecer-lbe cor-
po ao ponto de sustentar-se aleum lempo
em um pequeo apoio; para eatiflear'este
Madmmosele, adormecer urna
EXPOSTOS.
Existfm .,.........
Entraram..........
Sahiram.............
i Nas 24 h. d'enlrada
orr"" j Depois d'esta poca
Existem. ............
Sexos.
129
5
0
0
9
132
138
4
* 0
0
3
139
267
9
0
0
5
271
Para o Rio de Janeiro,
sahe, por estes 4 ou 5 dias, o bri-
gue nacional Conceico, por ter
quasi toda carga prompta : q'uem
quizer carregar o resto, embar-
car escravos a frete, ou ir de pas-
sagen, faltp Com Manoel Alves
Guerra Jnior, na ra da Cruz,
no Itecife, n. 4o, ou com o capi-
19o, Manoel Francisco dos tfeis.
--. Para o Rio de Janeiro sahe com brevi-
dade, por ter a maior parte de sua carga, o
brigue San Manoel Auguito, capillo Jos da
t'.unha Jnior : quem quizar carregar, em-
barcar escravos ou ir de passagem, trate
com Manoel Ignacio de Oliveira na praca do
Commercio n. 6, ou com o capillo,
Cear MarauhSoe Para
sahe, coma maior brevidade pM-
sivel, por j ter a maior parte da
carga prompta, o bem conhecido
brigue escuna nacional Latir: p j-
ra o resto da carga e passageiros,
trata-se com o capitao a bordo, ou
com fv.oVa*9& C. na ra do Tra-
piche, ti. 34.
Para o Cear.
Espera-10 com toda a brevidade de Lis-
boa^m destino ao Ceara, o brigue nacio-
nal Empreta, forrado enciviltiado de co-
bre a de auperior marcha; demorar-se-ha
qui 19 das, recebara carga e paasagei-
roa 1 trata-se na ra da Cadeia do Kecife n.
17, ariin-lo andar.______
Leiles.
tos de caridade, 9 de dnzembro de 1850 O
escrivffo, Antonio ot Gomet do Cerni.
COMMERCIO.
ALFANDEtA.
Rendimento do dia 12.....6:219,135
Ihscnrreqam Ao;'13 di dezembro.
Polaca -- Mathilile mercaduras.
Brigue Henry Hathtut pelo.
CONSULAIKIGERAL.
Rendimento do dia 19.. 4:478,223
Diversaa provincias...... 89,837
4:568,060
RECEBEDOR1A DE REMDAS GEHAK
INTERNAS.
Rendimento do dia 19......492,328
.CONSULADO PROVINCIAL-
Rendimento do dia 19.....2 942,280
Movimenlo do porto.
Kaeoi enlrmdvt na din 12.
Parahiba 94 horas, lancha nacional ti. S.
dat Hntt, meslre Heorque d Souza Ma
fra, equipagem 4, carga toros de mangue;
a Jos da Silva Mandones Vianna,
dem 20 horas, hiato nacional Exalacio,
mestre Vicente Ferreira Lopes, equipa-
gem 5. carga toros de mangue ; a Jos da
Silva MendBeca Vianna.
New-York -- 5 das, barca americana Pkm-
nix, capitao G. Masn, rquipagem 11, car-
ga farinba de trigo e mais generosja Hen-
ry Forsler (t Companbi*.
Colonia do Sacramento 39 diaa, brigue
americano Thomat Trowbridg, capilfio VV.
C Currier, equipagem 13, carga mullas
ecavailoa; a Heury Forsler & Compa-
nhia. -- Vem refrescar e segu para Bar-
badas.
poder,
pessos a vista do respeitavel publico, col-
focando-a depois em posi^Oes que* parecer
impossiveis, en're asquees he por so n du-
vda a mais extraordinaria conservar ho-
risonlalmenle a pessos apoiada simples-
mente peto colovelo em um paozinho.
Terminar o dlverlimento. apparecendo
Madmmoiselo em traja de homem, e dan
Cari o multo applaudido passo de aaa com-
posi(So que lem por titulo
O sJiNKKiO.
0Os bilheles veuder-se-hfio de boje em di-
anta no Holel Francisco pela baneliciada, e
no dia do espectculo no mesmo tbealro.
Preeot.
Camarotes de primeira ordem 5,000
Oitos, ditas, ditos de frente 6,000
Ditos de segunda ordem 6,000
Di tos, d i tos, d i loa de frente 10,000
Ditos de terceira dita 3.000
Ditos, ditos, diloa de frente 4,Q0o
Platea 1,000
O corretor Miguel Caroeiro far leillo
no dia 13 do corrente, s 10 horas da ma-
nhBa, no aeu armazero, na ra do Trapiche
n. 40, de diversos trastes, louca com ricos
sal'.ros, obras de prats, relogios, sellins,
espingardas inglesas e estojos mathemali-
cos.;alm desles obiectoa ter un rico pia-
no e um famoso bilhar : quem tiver preci-
sSo que venha comprar.
O engenheiro civil DaMornsy far lei-
ISo, ,por intervengo"do corretor Oliveira,
de multas cabecea do melhor gado inglez
de raga p ira, sendo todas, com urna s ax-
cepcSo, cresulas, e por isso livres do risco
que corre o gado recom-chegado por causa
de mudenca de clima, do pasto, etc.; des
necessario he commentar mais sobre a re-
conhecida bondade deste gado, j. pela
abundancia do leite que d, ja pels sua
mansdoepatticularidade de dar leite in-
dependente de bzerro, como pelo lado van-
taioso dse poder conseguir a approprada
mistura com o gado da trra, para produ-
zlr ptimos bois de cirro maiores e mais
fortes. Tsmbem se vender urna carraca de
quatro rolas, com buxas patentes, da me-
lhor construcc.no possivel, e muito supe-
rior is que tetn appireci-lo ou posssm ap-
parecer, visto n3o se haver poupsdo despe-
za para que a sua construccSo fosse leve e
combinada eom a rortalez*; carrega fcil-
mente o peso de quatrocenias arrobas ; foi
feita na Inglaterra Xpressmonte para o
Rrasil, e he de grsnde prego para o senhoi
te engenhn que possua psrlidoi em var-
gens, ou propiedades prximas a estradas :
no sou*recomparar;So cora ks obras fran-
zinase eom ferragens defe'tuosas, quaesse
construem em alguns engenhos, e tSo for-
te he, quo no pode desconrertar-se 011 iqu-
lilissr-se, sem que por mullos anuos teoha
prestado aturados servidos. Igualmente se
venderSo duas carrosas novas, de duas ro-
das, um cavallo, cirrinhos de niio, a ralos
para carrosa, e tnuits outros objecin
uleis : terca-feira, 17 do corrente, s 10 ho-
ras da manlia, no Giqui, dentro do sitio
da Esta acia; e adverte-se que, em conse-
quencia do vendedor estar prximo a se-
guir viagem, forzoso Ihe sera vender ludo
a dinheiro pagavel no acto da entrega.
Avisos diversos.
Avisos
wkvmmmmmm
martimos.
Para 0 Bio de Janeiro sahe,
com a maior brevidade possivel, o
brigue nacional Firma : quem no
mesmo quizer carregar, ir de pas-
sagem, ou embarcar escravos a
frete, dirija-se ao capitao a bordo,
ou a Novaes 81 C. na rut de
Trapiche n. 34.
QUAL HE MKLHURf1
A allopalhia,
I. Tem por base a experiencia de medica-
mentot no homem doente: eala experiencia,
alm de prejudicar os doeotes, he variavel co-
mo sao as enfennidadea :
A hoiuceopatliia,
I. Tem por baae a experiencia dos medica-
mentos o* homem *an: esta experiencia, alm
de oo prejudicar niaguein, he to penco va-
riavel como a saude per feita:
A allopalhia,
II. Sua Histeria medica be um moniao de opi-
nldes disparadas, onde o absurdo disputa com
o ridiculo (Bicbat, Boerhaave, Guien;:
A homoeopathia,
II. Sua materia medica he um rica thesouro
de factoa bem observados por pessoas probas e
dedicadas ao bem da humanldade :
A allopalhia,
III, Tem tnenospresado as propriedades me-
dicinara das aubsianclas mala enrgicas, como:
o mercarlo, a quina, o enxofre, o lodo, e esa-
prega mil substancias que Ibe sio deiconhe-
cidas:
A bomceopalhla,
III. Tem descoberto propriedades medid
naes ein substancias reputadas Inertes, como:
o lycopodio, a arela pura, o carvio, etc., enio
. .1.,.,, s. iuiia>.v~: que !t ;cjs= d**!!?;-
eldaa:
A allopalhia,
' IV. Tem por principios as opinin variareis
dos autores: .
A homteopathla.
IV. Tem por prlaclpioa a lei Invariavel doa
semelbaates:
A allopalhia,
V. Examinando superficialmente ilguns sof-
frimentos do enfermo, val logo claaaiflca-los
arbiirariainente, e lanca mo de urna mistura
de substancias, enjos ruellos nao fsrain obser-
vados ao homem sao, e asslm ao acaso se deci-
de na eacolba do remedio -.
A hoinrxopalhia,
V. Eiamioando tieulamenie lodoa os sofl'rl-
meutoi do enfermo, aem classiflca-los arbitra-
riamente, procura o medicamento que tem a-
.resentido elt'eilos no lioinein sao mais seme-
hautes a estes soll'riinenlos, e por esta regra
e decide na*scolhado remedio:
A allopalhia,
VI. Serve-sede muitus medicamentos de ca-
da vea, no podando previamente esiudar-lhes
o efl'eito, new Uo pouco calcular-lhea o reaul-
lado :
A lioni.eopalhla,
VI. Serve-se de um s medicamento *.casta
ves, teado previamente estudado aeua aaVItoi
no homem alo, podendo asiiin catcular-lhco
resultado:'
A allopalhia,
VII. Emprega dacs multo grandes qae mul-
lo rxcitam prejuJIclaes rtenos primitivos, e
desenvolvem desordenadamente elt'eltoi e,
cundarlos, tornados incapnies de curar ai cn-
fennldadcs :
A homceopatbia,
VIL Emprega dsea mullo peqaenas, qUe
menos escilam Inuteis effellos prlinitiros a
deieav Ivnn em toda a aua lalitude os erTeltos
secundarlos, aicos capases de eurar aa afer-
midades :
A allopalhia.
VIII. Administra meios to barbaros e desa-
certados, A falta de experiencia pura, que, ae
daaenfermtdades se transita saude, helonga.
a convaleeenca. 4
A homoeopathia,
VIII. Administra meios lio suavels e acerta-
dos, pela experiencia pura, que daa enfenni-
dadea ae transita i saude quasl um convale-
eenca tv
A allopalhia,
IX. Carece de atormentar i todos sena enfer-
mos eotn asquerosas tisanas, custicos, bichas,
ferro e fogo ana que val inort* :
A honiceopalhl,
IX. Nao carece de atormentar nMa crlanca
que loma com praxer vidamente o pequeniuo
glbulo homo;opathico em que val vida:
Aallopathia,
X. Nao cura doenca> ebroaicas, exacerbando
a todas ; cura appareniemente com extraordi-
naria lentidio e sem seguranca aa molestias
agudas, enfraqueeendo o doente exlraordlua-
rl amonte:
A homojopathla,
X. Cura a maior parte dasdoencaschronloas,
alliviaodo a todas cura radicalmente com ai-
traordiaaria rapides e seguraaca as molestias
agudas, sem enfraquecer enfermo seas!vei-
ntn le !
A allopalhia,
XI. Ros casos agudlsslmos e nas epidemias
perde 50 ouSO par cento de seus enfermos, cu-
ino consta de documentos e das publicacdn
quolidlaoas dos obtos, era que se v.eilraordi-
narla mortaudade, principales** de criaaCas:
o que evitara, afio seguinaV mprego sem
base; aem lei, de meios que deaesnhece:
A liomreupatbia,
XI. Nos oaso agudissiiuos e nas epidemial
nao perde mals de oilo por eeatfo de seos dacn-
lea, como consta de documentos officiaes pu-
blicados, e como se pode verificar exainlaando
os oblo diarios, princlpalinenta de crlaocas;
e cate numero nearia alada ais reduiido, se
fosse geral o uso de preservativos que bem co-
nbece:
A allopalhia.
XII. Ordenando dieta exquisita e seres, c
administrando mallos medicamentos, tlo po-
de sem grave damno aer eserclda por um pal
de lamilla ou chefe de estabeleciinenlo, on cu-
ras de almas:
A horneo; pato i,
XII. Ordenando dira sabra e frugal, e ad-
ministrando poucos medicamentos, pode din
umita vaolageui ser sofeixla por uui pal de fa-
milia, ou chefe de estabeleciinenlo, ou cura de
almas :
Qual he melhor?
:,_
O facultativo I. B. Cnsanova mudou
o seu consultorio hnmosbpathico da s)
D ra da Cadeia peca a ra das Cruzas
# n. 28, segundo andar, onde contina ..t
( a dar consultas Vados os diss. Os po- 9
t> bres serdo tratados gratuitamente.
HMIlHMItMMiM
O Sr. Manoel Franeiseo TeiX'ira, mo-
rador nesta praija, queira lera bondade de
dirigir-s > as Cinco Pontas, sobrado n. 62
at s 8 horas da manha, ou ao depois de
3 Moras da tarde, em qualquer dia que se
Ihe deseja fallar.
Adverte-9> a quem comprar a taveina
n. 30, sita na ra do l.ivrament, que o pro-
pietario precisa da loja
Na padarla nova do Manguinho preci-
ss-se de um bom forneiro: qnem estiver
nesle eso, dttja-se a mesma padaria, qus
achar com quem tratar.
Precisa-se de urna ama de leite forra ou
captiva : na ra da Aurora n. 44, segando
adir.
Francisco Joaquim Ouarte, Portiiguot,
morador na ra Direita, por haver outro da
igual nonie, de hoje em diante se sssigosr
Francisco Joaquim Teixeira.
Alug-se o primeiro andar do sobrado
da ra do Araorim n. 14.
- Preciaa-ae de um caixairo porluguez,
que lenba pratica de venda : na ra Direi-
ta, padaria n. 9, se dir quam precisa.
-- Deaappareceu ou furtaram ao p do ar-
co de Santo Antonia) um cavallo ru^o pora-
bo com pintas depedVes sobres anca,tea
na pa eaquerda urna marea aVe ferro : quero
o pegar ou delle der noticia na primeira
loja ao p do arco de Saalo Antonio ser
bem recompensado.
Os Srs. Dr. Antonio Borg-s Leal, Lul
de Molanla Cavslcenli de Albuquerque s
Joaquim alaquias Pacheco, q.ieram man-
dar buscar cartas e urna rricommenda aa rus
.Nova n. 19, primeiro andar, ousnouociem
suts moradas.
No dia 16 do cor-ente, as II horas U
nianliSa, sora vendida i quem mais der,
urna taverna que foi avahada em 300 e tan-
tos mil rs. sita os ra da Conceico da Boa-
Vista pertencenle a neranca do (lido Jua-
quim Antonio Themoleo, em prsenos da
lllm. Sr. l)r. juiz do cvel da segunda vari.
O eacripto se ach em mao do porteiro do
juxo.
--Preciss-seslugsr umi pret forra ou
escrava, para o aervigo da urna casi de pou-
ca familia,comanlo que ssiba cozinhir:
ns ra Nova, no segundo andar do sobrado
defronte da caas da caraira.
O escravo Luiz que fugio 00 dia 18 do
pruwu.0 p;~S- r.QSbro, h: sj!elaa ds
echarse nests capital lern 28 annos; hi I
crioulo.de eststura orliniris, feir,0 '"l
guiares; he bastante barbado, com bou r
denles, e finalmente um preto de bos pre-1
sanca, e ofucal de pedreiro : quem o pegir |
leve-o ao engenho Ct
-- Fugio, no dia 6 do corrente, um ssen-
vo de nome Jos, de 111580 CabinJa ; vindo I
ha poucoa dias das AlsgOas; lem urna bs-
lida em um oltio ; levou camisa de algodao-
zinho, calcas de brim e cbapo de pello, lu-
do velho quem o pegar leve-o a ru Far-
inosa, sobrado por cima do cartorio do |
crivSo Cardozo.
Precisa-se de 010 homem >ra feitor I
de um sitio porto 4a praca, deieudo su-1
jelar-se s irabalbar da enxada,- que su-
ba plantar srvoredos, flores verduras:
agradando, paga-so com geoerosldsda
fallar no. primeiro sitio, na estrada dos
Aro icios, ao lado direito.
I)a-se dinheiro a premio em pequeas
Suaniiss s6b penhores de ouroj na nw
ihugi. loja 11.1 C, deJoaquim JosdLO-1
la Fajozes,


8
Novo eata*>oleeimento de entela-
rla Una, na Novan. 36.
JoPridne,eutilrlroe armeiro, partici-
pa ao rspeltavel publico desta cidade, e
principalmente a seus tregeles, que jnu-
dou oestabelecimento que tlnha na ra lar
ga do Rozario rara ra Nova n. 36, confron-
te a igreja da Cnnceico, aoode o acharSo
prometo a executar qualquer encommenda
de ana arle com a maior perfelcSo possivel
pelos precos oais baratos do que em ou-
tra parla. O annunciante tendo ltimamen-
te receido da Franca un grande sortimen-
to de objectos de sua arte acha que seria
fastidioso de os enumerar nesta folha, po-
rm elle mencionar.os seguintos : navalhag
superiores as que tem vindo al agora, te-
sonrai para alfa lates, costureiras e cabel-
leruiro, um lindo sortimento de tesouraa
fina para senboraa, ferro de eirurgla, dito*
de dentista, caivetes de urna at seis fo-
Ihas, teeouras de hortelfioe facas de mesa.
Elle tem tambero todoa oa preparo necei-
sarios aos cacadores, como scjam : espin-
garda*, aacatrapos, polvarinboa, bolea* de
eeca, espoletas, ouvido deepingarda, etc.,
etc., ate Mo se falla da qualidade dease*
diferios objectoa, que o annunciante ad-
ame er superior, elle tem um grande sor-
timento de fondas, e tem ac superior e fun-
dido de toda* as groasura*. Todos esses ob-
Sectos-ierfio patentes aoa compradores'e hilo
le agradar pelea precos rssoaveis. O an-
nunciante para aceelerar a execucSo das en-
coromendas que se Itie flzer mandou vir um
ofllcial de Franca, oqualchngou no brigue
Catar, e se lefia em exercicio no estabele-
cimento cima. Amolase sempre as ler-
ca-feir*a, quiotes e aabbsdos.
Roubo.
Jos Pareira Cezar faz publico quefoi roo-
bado hontem 2 do crreme da* I horas da me-
phOa as S da tarde.na caaa da aua morada na
ra do Queimado n. 39, primeiroandar:
levan lo-lhe o ladrfio ou ladrOes oieguinte:
urna lata de flandre* por pintar, feichada
com um calleado, contendo setecentos e
quarenla e tantos mil ris.em urna seduta de
900,000 rs. ; urna de 10O.MO r* ; quatro de
50,000 rs. ; cinco de 30,000 rs.; o mais
em diversas miudaa, e quatro mnedas de pa-
taca em prata ; bem como urna letra aceilta
.por Casimiro dos Rea Gomen, de 14,000 r*.;
urna de Manool Diaa de Toledo, de 16,000
rs.; urna de Domingos Jos Consalve de
265.3*0 rg.; urna de Clara Cavalcante de
Albuquerque, de 113,810 r* ; urna de An-
tonia Francisca Cenital Pinto, de 101,870
rs. ; urna de Manoel Francisco da Rocha, de
66,749 re.; urna de Paulo Caetano de Albu-
querque e Franciaco Paea Brrelo, de ra.
413.915 urna de Jos Francisco Monltciro,
de 333,300 rs.; orna de Antonio da Rocha
Acciolie Manoel Ruarque de Mac 'o de Li-
ma, de 536,343 re. : urna de Julio Jos dos
Pasaos, de 554,931 r. ; orna do padre Jos
Allianasio de Jess, de 900,000 rs. ; urna de
Francisco Jos de 84. de 40,000 rs. ; urna
de Luiz Jos da Silva Burgos, de 1:438,500
-rs.; duas de Raphael Fernandes Porto c
Fraoelsoo Alvea deMojjra, urna de IM:i8,870
re. e oulra de 1:198,000 rs. ; urna de Manoel
Fernandes Camaia, de 631,925 rs, j urna de
Hsnoel Jos Gomes IfOOUO rs ; urna de Ma-
noel Buarque de Macedo l.ima, de 1:074,450
rs. ; urna de Thomaz Barbosa da Costa, de
70,690 r*.,- urna de GuIherme Augusto Ho-
irtguea Selle, de 600,000 ra. I.evarain mal*
urna bengalinha de estoque, uui chapeo Jo
chili usaiio, um dito de castor brancu usado
couj osisa verde francesa, duixaram um
chapeo do chille velbo e sujo. 0. amiun-
cianie roga as autoridades policiaes o de*
cobrimenlo desle roubo, e promette boa
recompensa e segredo a quem Ibe deseo
brir, ou dr alguma noticia apesar de jase
supeilsr quem foi o autor desemelhante
roubo.
^te Chapeos de sol. ^g*.
** RuadoPasseio.n 5. JJt
Nesta fabrica ha presentemente um rico
sortimento destes objectos de todas as co-
res equalidades, lanto de seda como df
pertninho, por precos eommodos; ditos pa-
ra senhora, de bom gosto: estes charos
sSo fetos pela ultima moda ; teda adamas
cada com ricas franjas de retroz. Na mesma
caaa se acha 'gual aortimento de sedas e
panninho imitando sedas, para cobrir ar-
marles servidas : todas estas fazendas ven-
dem-se em poreflo e a retalho : tambem se
concert qualquer chapeo de sol, tanto de
basteas de ferro como de haleie, assim como
umbelas de igreja*: ludo por preco com-
modo. Na mesma casa ba chapeos de sol,
de marca maior, de panno de seda, pro-
Srios para feitorea de engenbo, por seren
oa mais fortes que fe pdem fabricar.
- Antonio Candido da Miranda, na qts-
lnl.de de Utor do menor Manoel do Naaci-
menlo. qeto e herdeiro do fallecido Joflo
Leilfio Figueira, Tac publico, que por parte
do seu tutelado p'ocedru, pelo juizo do* or-
Enaos desta cidade, a lequesiroea, lodosos
en motis, emovento* e de raz, que ti-
ca ram por rdorlede Josu de Jess Jardim,
fillio no mesmo Figueira, por esteren) os
mesmos bena fromdnito. E para que che-
gue ao conhecmriate da todoa, se obvie
que*[oei para o futuro, faz o prosete an-
DttOClO.
Precia* aada um Portuguez osudo, pa-
ra feilor da usa aiiio pe/lo deata praca : na
ra Nova, n. 46, loje.
Os abaixo essignadot fazem sciente ao
Sr. arrematante do consummo de ago'ar-
.1^.-------.-,.., ^u>. r..,..
t encera ni taea espirito em sua casa, sita na
ra larga do Rozario, n. 97, e que a penho-
requeaofjrerem do semestre que se vence
ero Si do torrente, he injusta, por que nSo
fram conectados, nem podan ser, por
que indo o mesmo arremtame em sua ca-
sa para oa colleclar, Ibe flzeram ver qoa
taes bebidas nlo vendan,- como poden
provar se necessario fOr ; continu o Sr. ar-
rematante com esta* arbitrariedades que
tmiito o abonan, e diga que pode porque
trremalou muito caio: e para que se nfio
chame a ignorancia. Tatem o presente an-
nuneio. Antonio Henlo ato Aramio k C.
arrenda-ae, pelo lempo da fests, orna
cesa no Poco-da Panella, com eommodos
para grande familia : a fallar com Manoel
da Silva Nev, oa ra do Pilar.
--Precisase de urna ama que saibaco-
zinhar e engommar, para casa de horneo
solteiro: em Frade Portas, ruido Pilar,
n 33.
*>< ### 9*99
? Paulo Galgnoiix, dentista **
3 frunce/., offereee non prest-
9 iiio ao publico para tonos os V
mlsterea de ana proflssao : 9
t> piulo ser procurado a qual- #
9 -qner hora em sflfa casa, na #
t# ra larga do Hozarlo, n. 30, %
<> segrundo andar. %
Precisa-sealugar um molecote esperto
e de boa conducta para o servico interno de
urna casa ingleza : paga-se bem : quem li-
vor, innuncie.
Don.ingo a4 do correte,
perdeu-se desde a Passagem da
Magdalena at a ra do Collegio
urna pulceira de diamantes enfa-
da em peroles ou aljfar : quem
a tiver adiado e quizer restilui-la,
dirija-se a ra da Cadeii do Re-
cite, primeiro andar da casa n.
38, que ser gratificado com a
quantia que valer a mesma ataca.
Alaga-se peto tannn de festa ou an-
nualmente a caaa de doua andares, defron
te de 8. SebastiSo em Olinda, com commo-
&'
m
noel Gsldino Wnlor|ey l.ins, morador no
engenho B{ejo Novo, i Sennhem ; dizem
que fra quem o seduzio para fogir, e que
otem tido e eontini a ti>r coi seu podr-r,
>r*a no dito engeulm Hrejo Noto, ora no de-
nominado Pao Sangue, tambem em Seri-
ohflem, de propriadade de um seu prente.
Roga, portanto, o meamo abaixo asignado
a apprehensSo do dito escravo, rogando-a
lambem a qualquer particular, a quem pro-
meta a gratificarlo de 50.000 rs. logo que
ihe entregue o dito escravo. na ra Direita
lesta cidado, sobrado n. 131, ou no enge
nho dos Pintos, freguezia de Sanio Amaro
de Jihoitfio. loii Fernandes da Cms.
Quem precissr pira c fazendas de um menino brasileiro com 14
atinos e com alguma pratica deste negocio,
por teraido ciixeiro de urna loja na cidade
da Parahiba, dirija-se i ra Nova n. 49. lo-
ja de alfaiateao p da ConceicSo dos Mus-
ieres ; ailverle-se que O menino he filho da
praia de Lucena, ramio bem educado e
aqoi nesta cidade no tem prentealgum, a,
excepc.lo de um tio, nSo tem conbecimen
loienem amizade com pessoa alguma.
- Madame Dalairac previne aos Srs. co-
lectores ou arrematantes das agoas-arden-
tes de prodcelo brasileira, que n3o vende,
nem nunca vendeu.no seu eatabelecimento
da ra Nova n. 67, a dita produccjlo.
Precisa-se alugar um preto captivo ou
forro, que seja fiel : no bilbar francez da
rui Nova.
Precisa-se alugar um preto para ven-
der fazendas em um taholeiro : na ra da
do para grande familia : a tratar na me- iCadeia.'n 35, defronte do Becco Largo.
mi r>o* .tu fio rita ma cusa, ou na roa daCadeia do Recife, lo-
ja n. 50.
Engomma-se e lava-se toda a qoalids-
de de roupa com todo asseio e muiti promp-
lidilo, por prego mais commo Jo do que em
outra qualquer pnrle : na roa de Agoas-Ver-
des, n. 96.
-- Aluna-so o segundo andar do sobrado
da ra Direita n. 30, com commodo para
grande familia : na ra Direita n. 93, pri-
meiro andar.
Precisa-se de um homem que trabalhe
de enxeda, enlenda de vaccas e tire leite :
na Magdalena, estrada nova, primeiro por-
tSo de ferro. No mesmo lugar tambem pre-
cisa-se de um bolieiro.
Alnga-se um segundo aoilar e sorlo, o
qual tem eommodos para familia ; adverte-
se que esta casa foi reedificada de novo,
tem vista para o mar e he bastante fresca :
oa ra do Pilar, em Fra de Portas, n. 145
Precisa-so de um Portuguez de ta 13
iinno* de i lade, preferndo-se los chegados
ultima-mente do Porto, para caixeiro de
'urna loja de miudezas : no Aterro da 6o
Vista n. 73.
-- Na psdaria nova do Manguinho, ao vi-
rar para Biixi-Vorde, precisa-se de urna
pessoa para vender pSea em um quaitio :
quem uesle caso estivar, dirija-se a mesma
|iadaria que achar com quem tratar.
Aluga-aeo terceiro andar da casa da
ra do Queimado com eommodos per* urna
grande familia : na ra do 1'asacio. luja nu-
mero 21.
~ JoSo Marques da Silva Manriques reti-
ra-te para fra do imperio : quem sa julgar
seu credor, apresente-se nt ra Relia, n. 4.
--Quem tiver dus canoas abertaa e as
queira alugar, dinja-sq ra da Praia, n.
25, primeiro andar.
--'Precisa-se de um cafxciro que d fia-
dor i sua conduce, para entregar p3o a urna'
freguezia com um preto: nSo se responsa-
belisa pete (lado : ns padaria do piteo da
S.-Crux, n.6.~
Oabiixo assignsdo, roga as autorida-
des policiaes ou capiSes de campo que vi-
ren! a escrava crioula re oome Amia, de
idade 40 anuos pouco maisou menos,'cuja
foi escrava do Sr. Manoel.Joaqutm do Rgo,
senhor de engenbo Pires ; fugio no dia 9 do
correte as 3 horas da tarde, levou vestido
j velho de chita, panno da costa cara
compnda. nariz chato, cheia*do corpo, um
lauto barriguda, bstanle preguC"*a : a
pessoa que a pegar dirija ae a fu Direita
n. 3, que ser generosamente gratificado.
Jote da Fon i eca Silva.
Faz publico o abaixo assignsdo, ao
seus frrgueze desta provincia e das cir-
cumvisinhss,que na sua loja da ra Nova
desta eidade, n. 93, novamnlee estabeleci-
da, exiale um grande sortimento de fazen-
das inglezas, francezaa edeUr!>s asmis
asedes, por precos muito em conta ; e pata
a mais prompla llquidaclo das fazendas
francezaa que se acbatam no dito estabele-
rimenlo, na occasiSo da compra, ven dem-
se por menos de urna terca parle do primi-
tivo custo ai fazendas seguintes: selins
de veras cores e lavrados, meias de seda
para homem e senhora de todos os tama-
ndoa, brancas a pretas, corles dj vestidos
-- Preciss-se de um amassador e corta-
dor de massas : na ra do Rozario estrella
padaria n. 13.
No dia 16 do corrente mez se ha de ar-
rematar em praca publicado Br. Dr. juiz
de orphSos, a renda annual do trapiche de-
a massa denominada asphalto, por ter ella
mesma consistencia do pe ira, deveril m os
Srs. proprletarlos apnroteitar o tempo
le verflo por ser mais faoll a ajwlicaelo da
referida massa, o prego he o mis commodo
possivel, por cuja rasSo era boa occasiSo
para aperfeicoarem- o pisseios di ruis da
bella venesa brasileira.
--Offerece-se para caixeiro de'qualquer
estahelecim 'tito, a excepQSo de venda, urna
pessoa oom hahiliticOes, dando fiador sua
conducta : quam pretender, dirija-se i ra
Nova n. 60, primeiro andar.
Desappareceu, no dia 11 do corrente,
da ra larga do Rozario, um civallo mela-
do, grande, de cangalhi, com crintg e cau-
da pretas, e castrado : quem o tiver em aeu
poder baja de o mandar na ra do Queima-
do, n. 10, ou no engenho Taquary, Jos
Francisco da Silva, que pagar toda ades-
peza.
-- Precisa-se arrendar annuilmente um
sitio bem perto da praca, tendo planta de
capim para dous cavados, ainla mesmo
principiando o arrendamenloem Janeiro ou
fevereiro em diante : quem tiver innuncie
Fazem-se com muita perfeico doces
de todas as qualdsdes, lanto de calda como
secco, por preco commodo : no Aterro-da-
Roa-Vista, u 19, primeiro andar.
Consultorio homceopathlco S
Do Dr. P. de /. Lobo Uoteoio. 9
0 Dr. Musgoso d consultas todos os
das Os doentes pobres serSo trata-
$ dos.d grici. S serfio visitados em
4f sua's casas aquolles que nSo poderem 9
f vir ao consultorio, ou que suas mo- ft
Slestias nSo possam dispensar a pre- jt
senca do medico. ij
nmmwmwmwm mvwwmmtmw
Jo8o Jnaquim de Souza retin-se para
uo uiun.iiis, o iciiu animal uu iiaucun lie- n-.l....l I... Jo ai,. .....Ia
nominado-Trapiche do Rimos--, na ra Portugal a tratar de sua saude
nova da Praia, o qual compe-se de um Alu8"se c"8' terre" n' "
grandearmazem, que Rea nos fundos de
de seda ede lanzinhii, bicos de Blonde de
Prcriss-e de um rapaz brazileiro
ou portuguez que tenba bastante pratioe de
padaria, paia fura desta cidade, quem esli-
vr na circumslincia de bem desempenhai
eitp Iraflco procure na ru do Crespo em
casadeXislo Vieira Coelho que chi achara
oom quem tratar.
todas aa larguras e superior qualidade,cim-
braias de cres unas, perfumaras luvasde
aeda e de pellica, de lodo* o* gostos e tama-
itos, meias de algodSo e de fio da escocia
dito, chapeos de sol para homem e senho-
ra, vari core. Antonia (iotnu Villar.
Niguel da Cunha faz tcienle ao Sr. ar-
reo alante de age'erdeote de prodcelo
brasileira, que nflo vende tal genero em aua
caaa, na travesea do Queimado, n. 7, e que
pato* bonica injustamente ao mesmo ar-
remtenle a quantia de 17,750 ra., em ser
colleclado, s pela generosiuide do mesmo
arrees. Unte.
--Aluga-se urna casa no Poco da Panel,
la com boaa commodo* para grande famllia-
eairiaria parat|uaUvS"S!!C3, boa gos d
beber, a jardim na frente ; adverle-se mais
que a dita casa he murada em roda e tem
um grande copiar lapada com frente e sa-
bida para o rio: a tratar di ra do Trapiche,
armazem n. 44.
- I!oga-se so Sr. Manoel Filippe Santia-
go queira vir fallar na venda da ra do Hos-
picio do Lefio d'Ouro i negocio que nSo ig-
nora, nois jase lom procurado por varias
vezestm sua caaa.
Roga-se ao Sr. Manoel Ferreira da Coa-
la anouncie aua morada para ser procurado.
No da 17 do corrente, em praca do Sr.
juiz-docivel da primeira vara, se ha de ar-
rematar, .por ser a ultima praca, a fazen-
das e armar.no da loja, que foi do finado I
Joaqun Rodrigues Costa, a requeriaento
do respectivo leitameoleiro Manoel Rodn
|i* Guata.
-Do abaixo assignando fugio, emSde
dezembro docorreuieii.no, o aeu escravo
crioulo de oome Antonio, de triula annos
pouco mal, ou menos, estatura regular,
corpo eheio, oihoa acnoi teeidos e falla des-
oulros que all existem, tendo psra dito ar-
mazem entrada Independente dos oulros,
dous guindastes ni frente do ci e di dita
entndi; a aviliicfio he da renda annual de
oitocentos mil reis, que vai a praca a reque-
rimento do tutor dos orphfios, filho do fal-
lecido Joa Ramo de Oliveira : he a ultima
praca.
O abaixo assignado pede a todos os
credores ds vendada ra doLivramento n
30,.que gyra debaixo da firma de Prado &
Companhia, hajam de apresenttr suas con-
t corrente no prazo de cinco das para o
fecho de cuntas da liquidacfio da sociedade,
assim como nflo deverSo confiar miis g-
neros psra a dita venda da data deste, em
liante, poia que o abaixo assignado se nfio
rosponsablisa por qualquer cunt que se
Ihe apresenlar, devendo as conlns corrente
Ihe seren entregues em sua mfio para se-
ren examinadas. Recife, 9 d dezembro de
1850. -- Francisco do Prado.
-- Preciai-se de uim ama sreca pan o
sorvico do uoia casa de pouca fimilia : di
rui Nova, loja de chapeo n. 46.
Precisa-se alugar dous preto sadios
para trabalharem em um armazem de com-
pras o vendas de assucar : quem os tiver,
dirija-se a rus di Cruz, no Recife, arir.a-
zens n. 5 ou 13, pira tratar do ajuste
Preciaa-se de urna ama de leite: na
Boa Vista, rus de Santa Cruz n 38.
Tendo sido rncarregado pela Sr /femar-
do Jos da Cmara de dirigir ,os Ir abalhoa do
escripcorio da lypugrapliia nacional, e vend-
me agora forjado a deixar a tarefa por me ser
liupoaaivel aujeilar-me ao que de inini exigi o
mesmo Sr,; c compreheodeado o lugar que eu
ejerca recebhnento de asslgnaturas, etc., efe,
rogo ao senhor redactor a publicado do docu-
neoto junto, com o qual provo que nenhum
alcance Uve com a caaa, para arredarqualquer
auapeila que possa motltar a inhiba retirada.
Jote Haymuvdo da Salnidatle Saldunha.
Declaio que havendo miiler que a pessoa
encarregada desta lypograpbia aeja consianle
nella desde uianha ardo al noite a hora
de ser entregue a jornaes aos deslribuidores,
e oaopodrndo oSr. Saldanlia, como diaae, sub-
inetier-se a isso, be o motivo porque p-ssou a
arrsubstituido per oulra pessoa, uo leudo al
o prsenle deacobertu tolla da parte do tueanio
srnlior Recife 10 d detrnibro de I86U. Ber-
nardo Jus da Cmara. Estata reconbecido.
Na ra da Conceico da BOa Vista n.
II preciaa-se de urna ama para comprar e
coainhar, para urna casa de pouca familia.
Desappareceu no da 10 do corrente
mez de dezembro, um preto por i.ome Jofio
Mariano, npresenta ter 25 annos de idade,
estatura regular, crioulo, relorcado, rosto
grande, lem urna marca de golpe de espida
no pescoco, e oulra no olio direito, no qual
lem urna bebde,he bem faliule, levou calca
branca e camisa asul, um bonet, urna trocha
atada en um lenco amarello : quera o ichar
podc-o levar i ra Velhi n. 61, ou ni po-
vosefio do Monleiro.casa terrea junto ao so-
brado, que ser recompensado.
Alugi-se, pelo tempo di festa, um sitio
pequeo na Capunga, com bastantes arvo-
redis de fiucto, e casa para familia, com
cacimba de boa agoa de beber e tanque pa-
ra banbo, e muito perto do tio: air* dos
Mai lynos, ra do CaideireirO, n. 46.
Precisa-se de una prta forra para todo
O servido inte/no e externo de urna casa de
homem solteiro : na la eslreita do Reza-
rlo, loja de miudezas, a. 9 A.
I'iecisa-sede um Poiluguez, preferin-
do-sedas iibas, pan feilor de um engenho
na provincia di Alagla : quem estiver
netas circumslancias, dinja-ie a ra da Ca-
deia de S.-Amtonio, sobrado ao p da guar-
da, que echar com quem tratar.
" i"J^ ***u" c- E s dir quem
d 500,000 rs. a juros de 9 por centoao mez,
sobre hypolhoca em casas terreas nesu
pnce.
Luiz da Silva Oliveira Campello retira-
se para lora do Imperio.
-- Quem for dono de dous cava los, diri-
ja-se ao filio Capellinha, que, dando os
signaes e pagando as despez e destruido
que lizeram, Ibe serfio entregues.
Manoel Luiz Ferreua da Silva, mora-
dor no engenbo Harmona, e socio no mes-
mo engenho, faz cenle a toda as pessuas
que elle pretende deixar a sociedade, para
administraclo de engenho, entrando elle
com 6 escravos seus : a pessoa que com elle
quizer lazer negocio, dirija-se ao referido
engenho freguezia da escada em casa du
sua residencia no mesmo engenbo.
fabrica de aspbalto, om Kra de
Portas, cui frente do ehafaiiz
da ra do Ui um.
Para ladrilhar casa* terreas, trricos pas-
seios de ras, soleiras de jaoejlas qun se acham rotas, pela m qualidade da pe-
ga-sea casa terrea n. 5, na ra dos
Copiares, com commodo para familia : na
ra da Aurora, n. 44.
Frecisa-se de urna ama para casa de
pouca familii: na ra doFogo, n. 35, casa
ierres, junto ao sobradinho.
Para a fe>ta.
Aluga-se, pelo tempo da festa, urna boa
casa de-pedra e cal, no lugar da Torre, a
qual estar prompta na vespera de S. Tho-
m, com 3 salas, 4 quartos, cozinhs fra ; e
ae o renleiro tiver cavallo, dar-se-ha capim
durante o lempo do arreo^amenlo, do que
tiver no sitie, conforme o trato : tratar na
Torre, no sitio do Lal. du no armazem de
lijlos .1 rua da C*'lia.
U primeiro secrelario scienlilica aos Srs
socio, que a recita extraordinaria ter lu-
gar no dia 14 do corrente. a:>rn*eitindo-se
a sociedade do obsxquoso offerecimelo
luelhe fez Mademoisello Alie Moreau de
daocar pela primeira vez em seu Iheatro.
Os bilhetesdstribueai-se nos das 13 e 14
no salan do Ibeilro.
Compras.
l'ompa-se nai cordao que
tenlia 6 palmus, c um pontoii o
tud de bom ouro, sem le tio, e
que tenha 25 oitavas pouc mais
ou menos ambis as cousas : na rua
das Laiangeiras, n. l.'i, segundo
andar.
- Compram-se duas rodas de carroca : na
rua do lluspicio, (averna do lefio de ouro.
Compra-so una rina grande, nova e
hem construida, que cxrregue de um a dois
mil tijollo de alveniria ; tambem se troca
por outia maior ou menor, voltando o an-
nunciante qualquer iliITcn-nc rasoavel em
dinheiro a quem convier este negocio di-
rijl-Sb l rua do Sol n. 35, a ,fallar con
Antonio Jacinlho.
Compram-se escravos de am-
bos os sez< s na rua da Cadeia do
Recife, n. ai, primeiro andar.
Compra-se um braco de balanca Ro-
mfio & C., usado, retaque etleja em bom
cstailo; quem tiver annuncie?
Coinpn-se o 1 e 5. numero do pe-
ridico o Uedico do Pavo em Pernambuco :
os praca da Independencia, n. 6 e 8.
Compra- ae um pelo que tenha 40 an-
nos, em vicios nem cinques ; na rua lar-
ga do Rozario, n. 36, loja de miudezas.
e Compra-se um par do brincos de ouro
que seja moderno : na rua Nova n. 16.
Vendas.
saneada: este eteravo foi comprado a M-'dia, nSo ba compoic,ao molhor do que eja
.
I OI.H1MI VS I".Vil A 1851.
Xa llvraria da praca da Inde-.
pendencia, ns. O e 8, vendem-ne
foi 1iiilias de alglbeira e porta pa-
ra o auno qne veni.
Na rua Nova, n. 8, loja de Jo.-
Joaquim Aloreira & C. .
vendem-se f.mosos chapeos franeezes par
homem, de frmas mu lindas e moderna,
e de oidinii pe lucia.
I lanoeiro, de Antonio do Espirito-Santo Se-
na, vendem-se birria de mel novo, proprio
para embarque, por preco rasoavel.
Jo Joaquim Aloreira & C., com
loja na rua Nova, n. 8,
annunciam para vender por preco mdico
os seguinles objectos : jabecoes de fil de
linlio pi m fora de vestidos, cousa de ges-
to e iiiltirainenle nova no mercado; cami-
sinhuscom auas gollinhas, o nlais bem bor-
dado i o-sivel, manguitos e meias mangas
de c-*n bn,a e lil de linhu; gollinhas de
til liso guarnecidas de fila cor de rota ; la-
ihus tje bico de seda, brancos e prrlos e ou-
iros malizados de cor de tosa ; pentea de
artarug* p*ra prender cabello, que sem
exageraeflo se pode dizer serem os melhores
que aqu leen viudo.
Vendem-se o verdadeiro e aprecia-
reis ohiruto de Hivioa la-Norma : na rua
la Cruz, i\. 1.
Superiores vinho.
Na rua da Cadeia, n. f,
vendem-se excellenlesvnhode|di-
verus quililides. Unto engarra-
fado, como em barris, sdodo do
Porto, Figueira, Bucelas, Madeira,
Cracavelo, Colares, Moscatel de Setubal.
etc. ; assim como outros muito gneros de
ptimas qualidadeg, e de que sempre est
prevenido este estabeleci ment.
Vendem-se 10 apolicea da oompanhia
de Bebaribe, com algum prejuizo : na roa
larga do Rozario, n. 46, loja.
Veode-se um jogo de gamSo ; 30 pal-
mos do sacada; e 40 cascos de pipas de Lis-
boa : na rua da Praia-de-S.-Rita, ns. 10 e
13, defronte da ribeira.
Vende-se urna escrava ptima cozinhel-
ra, sem vicios, por preco commodo : na rua
do Rangel, n. 57, sobrado.
Vendem-se as bem conhe-
cidas punas de Morison : no es-
criptorio de A. S. Corbett, na
rua da Cadeia, n. 48-
Vende-se I negrinha de 15 annos pou-
co mais ou menos ,m hbil para qualquer
couaa que a queinm applicar : na rua do
Queimado n. 38.
Vende-se superior vinho de
Ghampanha A Y, o mellior que ha
no mercado, por pfecu commodo.*
emeasa de P. Adour&C, na rua
da Cadeia do Recife, n. 52.
Vende-se um moleque de 10 a 19 an-
nos, ou troca-se por urna negra que seja
boa quitandeira : na rua de Hurtas, n. 59.
Vende-se ums rica toilha de lavarinto,
e de muilo boi fizenda: na rua do Cabuga,
loja n. 9.
Vende-se espingardas finas pira cica
ni rui A va, loja de ferngens de Jos Luiz
Pereira.
Novo trem de coainha.
Chaleiras, fregideira, panella ecassiro-
las de ferro forradas de porcelana, facas
com cabos de marfim e tambero de osso
muito fina, bules e cafeteiras de metal,
bacia de rame para ps e binho, maquinas
pan caf : venle-se na rua Nova loja de
ferragens n. 16 de Jos Luiz Pereira.
O Mudan Thear.i rua Nova, n. 33 &
S Madame Thear I avisa a todas as su- ^
*U as freguens e pessoasde boro gosto w
O que acaba de receber um lindo aor-
O tmenlo de chapeos, vin lo de frene O
O de seda de variadas cores cm enjei- O
etj tes mais elegantes que aqui tem ap- O
fi parecido no aereado. O
llebrard, rua do Trapiche, novo, n. 92,
tem um deposito de {raa americana em
caizinha, vende-se pelo preco de 600 rs.
uxa duza, e por 500 em norefio.
Espirito de 38 graos.
Vende-se espirito de 38 graos a retalho a
1,000 rs. a caada : na deslilacSo da traver-
sa da Concordia.
Cheguem ao birato.
Vonde-se muito boa farjnlia de Santa Ca-
tharina : a bordo do brigue Ledo, fundeado
o p do trapiche do algodSo, a sete pata-
cas o alqueire, medida velha, e sendo por-
efio ila-s a 9,000 rs.
Vendem-se mappas para inspectores de
quarteirfio a 100 rs. : na praca da Indepen-
dencia n. 34.
Ma loja de Jos Joaquim Moreira
& C'ompanhia, na rua Novan. 8,
vendem-se
luvas de torcal de superior qualidade para
senhora, a 1,000 r. f par; bengallis de
canna di India com ricos caslOe, Unto
grossas como finas, a 1, 3 e 4,000 r*.
VenJe-se um piano hauburguez em
bom uso, por preco commodo, e muilo pru-
prio para quem qHiizer aprender : na rua
Nova, no primeiro andar do sobrado n. ,
confronte a casa da cmara.
- Vende-se um bom carro de duas roda,
pintado e envernisido de novo, com os sea*
competentes arreios : ludo em bom estado
pin se desfrutar, sem que se f?a despeza
ilgumi com elle. Timbem vende-se um
bom cavallo para o mesmo carro: na casa
do sitio do Campo Verde.
'IVovidade.
No Aterr-da-Boa-vista,
n. 53, vai se abrir, uestes 8
dias, um deposito dos mais
variados, ricos e modernos
"ostos em obras de alabas-
tro, marmore, pedra agatha;
bem como um sortimento de
outras variadas e elegantes
obras em barro cozido e
cnvcrnizadc, representando
estatuas, lenes, globos, va-
sos e outros muilos objec-
tos para adornos de jardn,
salas e palacios, tudo do
mais apurado gosto e vin-
dos ltimamente da Italia,
e que por j ter tido urna
grandeaceitaco as pracas
do Rio de Janeiro e Babia,
espera-se que igualmente
nao deixar de a ter nesta
praca de Peaiambuco : to-
das estas noviades se ven*
dem por preco commodo.
i


Cortes de Asentir, a 3,5ooo
a 4,ooo r,
Vende-n-ge corte de cisemira de cores,
a 3.500 e 4,000 r?. ; advertindo eos amantes
do bota e barato que esta fazenda he ilo-
mnlhcres gotos que t-m vindo ao mercado,
por raso recnmmpnda-se qtj venhim a' ellas
lante* que se acibem : na rut do Crespo,
ioja da esquina que volla para a Cadeia.
Trancas e frnjate.
paia enfeites de vestidos e manteletes : na
ra do Quemado, n. 2*, Ioja de miudezas,
de I. 1. Gomes.
Eaejalo de algodao a 2$5oo a
peca de lo varas.
Vende-* esguio de algodSo com 4 pal-
mos e on-io de largura, a 2,500 rs. : esta
fazenda he milito propria para lenc,es, ca-
misas, etc. r na ra do Crespo, Ioja da es-
quina que tolla para a cadeia.
Cbutubo de munlca.
Vende-seno armazem de i. i. Tasso J-
nior, ra do Aronrim, n. 35.
Cigarrilho8 liesoanlies.
S80 chegados os otrellentes cigarrilhos
hespanlies ao deposito da ra da Cruz, no
Recife,, n. 49.
Bom e barato.
Vende-sea bordo do brigue LeSo, funda-
do junto aoTrrpicbe do algodflo, muito boa
f.-irinda de S -Cachano*, a preco de sete pa-
tacas O alquelra da medida velha, vende-se
por menos preco porcSo gradde, por j ter
liria della vendida.
Na ruado Crespo, n. tt, vende-se li-
11 lia de o. 30 a 70, a 10 rs o novelo, e a 80
rs. a caisa ; pecas de (lia de linho estreita
com 10 varas, a 40 rj. a peca ; tinlia pVeta,
a 10 rs ; grvalas francezas, a 1,000 re.; e
outras muitas miudezas por todo o preco
em ras3o de se precisar de dinheiro para a
Testa.
Vcnde-se urna preta da Costa, multo
gentil eperfeita, he boa vendedeira de ra,
n.lo tem vicio algn) : o motivo por que se
vende lie por ter dormido Tora da casa do
nhor dras vezes, mas viudo para casa sem
empenhos e com o dinheiro da venda sero-
precerto : isto gn afianza ao comprador,
assim como o no beber espirito* : no lar-
goda Trempe, sobrado n, 1, que tem venda
por baixo.
Vende-se, por ter o dono de retirar-se
para o Rio-Grande do sul, urna excedente
casa terrea, sita.na ra do Alecrlm, n. 5,com
muilo bons commodos, p-opria para gran-
de familia, e que rende mensalmente 12,000
rs : a t'alar na mesma ra, n. t, sobra Jo.
Alllho novo a 2*000 rs.
cada sacra.
Vende-se no armazem do Braguez, ao p
ilo arco da ConceicSo.
Vende-se urna preta da Costs, de 30 an-
uos pouco mais ou menos, sem vicios nem
achaques, e com algumas habilidades ; em
Fra-de-l'ortas, ra do Pilar, n. 88.
I o. o un rs. a Verdadeiro e legitimo champanhe A Y en
casa de Avrisl & IrmSos : ra da Cruz n. 20
Calcado.
NO Ali iin-(la-l!na-\ Ista. de-
t'ronte da boncea,
he rhegado, pelo ultimo navio francez, um
novo e completo sortimento de calcado de
todas asqualidades, tanto para homem co-
mo para senhora o meninas de todas as ida-
des ; assim como os bem conhecidos sapa-
tOea do Aracaty, t.nlo para homem como
para meninos: ludo por preco mais eom-
inoilu do que em oulra qualquer parte.
Vende-se urna preta de elegante figu-
ra, boa cozinlreira e engommadeira ; urna
dita de servico decampo; um molequede
18 anuos, cotmbeiro ecopeiro ; um mula-
tinho de 14 anuos ; um pardo moco e car-
reiro : no paleo da malriz de Santo Anto-
nio, sobrado n. 4, st> dir quem vende.
fenca
iivire ver asa
qeixva, e ao ouvir ver as lamurias.qnei-
is e caricaturas que reciprocamente se
raziam, perdera de riso ao homem mais ti-
ilurao que de parte esle dialogo ouvisse ;
porque esta molestia nSo s zomba rom os
illonalhas, como ate mesmo com os ho-
mcenathas que muito delles asolTrem ; po-
rm grecas a Dos que chegsrara os tSo de-
sojados oculos por especial encommenda
|ue dolles se flzeram e se vendem na ra
larga do Rozario, n. 35, Ioja.
Vende-se excellente farinha
de S.-('alharina, a bordo da
I iota Santtssima-Trindade, fun-
deada defronte do caes do Colle
commodo: a tra-
..4,.
a
11,
011
da fundQoLow-Moor.
HA Da SKHZAIXA-NOVA, N. t\%.
Neate estabelecimento conti
na a haver um completo sarti-
m?n>o de moendas e meias moen
is, para enyerbo ; machinas d*
yapor, e taclias de ferro batido t
coado, de todos os tamanhos,
para dito.
* *#>
gRelroz da fabrica do Squeira.f
o no Porto:
vende-se na ra do Vigario, X
n. Ig, segundo andar, fia- >
J criptrjo Je Machado & Fi- 9
e> nheiro,
;4 ***<># me *>*+
Jhogqes-para cpzihlist.
mnito proprios para salios quaJ-
quer lugar aonde n3o ba cn-
rlha, por preco'commodo .- ven-
deni-A na'ra da Cruz, n. lo,
M* de ftlk*9ann Umios.
*f rf par* ventor superior cal em pe- *
* OTa,reicentefnen(e clie'gafa de lis- **
K. ^eano brigue "-. !,nr prnen rssnare! : mtuam .1.1 '
^ e vendem peso He doas e dun J
ag, arroba, \r 'preco commodo: ba 2
3 t.n.luun AfVn.i:_J__I__t_l _rf ^
taorbnrn efferli.am'enW iW
mpsmo
em ber-
ilo barr de niel pura
_ MimAi
vende-se na ra da (Jruz, n. io,
caVlade KaTkmann Irniaos
(iracas a Deos'quej cngaram.
Causara pena verum pobre miope qussi
aos IrambolliOe, mocos 014 vellios, porque
estaradrejstra h8o respaila a ida'ds, devagar
Sflfl T*} o de It'jaem Ioja procura dr
uro par de oculos para vista curta, para po-
^*iAtWver, >'* noasos Uieatros,
aonde por ibTormaoobs sabia do aeu es-
piatetb prtfgressu, VlirWa 'mes**; p/-
que os no bavta nesle nmrca'do ; se recor-
ria'afliewein WiCoiitrav-so iruiUsvezes
gio, por preco
tar na ra do VigBrio, n.
a bordo com o capitao da mestoa
galiota.
Cimento.
Vendem-se barricas eom superior smen-
lo, rlu'gsdono ottimo navl de Hamburgo
na ruado Amorm, n. 35, armazem de J.'J.
Tasso Jnior.
JMdendas superiores. .
Nafundl^ode' C. Starr A Companhi
em S.-Amaro acham-se i venda moendas
de canna, todas de (erro, de um modelo e
constraccSo muilo Isuperior.
Deposito de potassa e cal.
Vende-se inuit' nova e superior potasss,
assim como cal virgem em pudra, recenle-
meutecbegada de Lisboa, por preco rasos-
vel: na ra da Ctdeia do Recite, n. 12, ar-
mazem.
Tecldo de algmlao trancado na
fabrica de Todos os Santos.
Na rna da Cadeia n. 52.
venixni-se por atacado duas qualidades,
propras para saceos de assucar e roupa de
escravos.
KogR.se ros frririh-7.cs que Iniliam
toda nttcnco pura o novo ser-
ti mi-uto que existe na Ioja dn
ruado Crespo, 11. 6, o p do
lainpefto.
Vendem-se cassas pintadas de cores fixas,
a 260 e 280 rs. o covado ; corles de brm
brinco de Moho puro, a 1,920 rs.;,ditos d
fu si,lo mu ilo linos, a 560 e 640 rs. ; cassa
pretil propria para lulo aliviado, a 120 rs. o
eovado; zaarie de cor, a 200 rs.; riscado
de linho para casacas, a 210 rs. o covado, e
outras muitas lazendas i'or pre^o commodo.
A t trucan-
Aos Srs. chefs de reparlices.
Na livraria do paleo do Collegio, n. 6, de
Joto da Cosa Dourado, vendem-se os ge-
gulnles olijeetos precisos pira e expediente
das repartVcOes':
Paperalmaco perlina com li.-lra de agoa,
apar.de '* 8' 1*00
Dito demac|iinade tOOcidernos, de p'
muito boa quahdade 3,000
Dffo'afmaeo de pri marra sorte, apara-
do, de llnlib -*} 3*00
Dito de peso de superior aualidade,
inglez '-"''5,000
Dito de mais inferior qualidade 3,5*00
Lspis finos e envernizados, a duzia 700
Penas de secretaria, o milheiro 10,000
Ditas meia secretaria, o milheiro 8,000
Gummi graxaem (rasquinhos, raspadeiras,
caivetes de dilTerentes qualidades, peo-
nas de a {o, borracha, tinta rarmim, dila
azul, dita preta muito boa, pennaa de palo
aparadas em caixinhas, canelas demsrGm,
facas para papel, peso para dito, e outros
mullos objectos de secretaria e escriplono:
tambem se aproplam encnmmendas para
outras provincias com presteza ; e para as
repartieres desla provincia se mandam as
amostras, e se obriga a por qualquer objec-
lo as rcpartices, sem que estas paguem
carretos. ?
Tai xas para r 11 ir i-1111 o.
Na fundido de ferro da ra do Hrum,
^caba-se de roceber um completo sortimen-
tode laixas de 4 a 8 palmos de bocea, as
luaes cnam-se a venda por preco com-
nodo e com promptidSo embarcam-se,
ou carregam-seem carros sem despezas ao
comprador.
Antigo deposita de cal
virgem.
Na ra do Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal nova em pedra,
chegada ltimamente de Lisboa
no brigue lami III.
Na ra do Crespo, Ioja n, 4, ha
botica* bonioeopatlilcns,
de 24, 30 60 tubos grandes e pequeos
eom os hvros necessarius ao estudu e a pra-
tica da homcBopathia, viudas do Itio de Ja-
neiro do grande laboratorio central da ru
le S-Jos, n. 59.
Quera admirar venhn ver c com-
prar, na ra do Crespo, Ioja da
esquina que volta para a Ca-
defu.
Panno fino prelo muilo bom, a 3,000 e
3,600 rs. ; dito muito superior, 4,500 e
5,000 rs. ; dito azul muilo Ario, a 3,000 e
5,500 rs. ; caaemira preta, a 5;000 rs. o cor-
le ; dita muito superior, a 10,000 rs. ; cr-
les de fustflo a 320 a 600 ra. ; ditos muito
bonitos, a 800 rs. ; ditos de selim de corea,
a 1,600 rs. ; ditos de gorgurSo.a 1,280 r*. ;
Cassas de coros tizas e de bonitos padrdes,
a 240 e 280 rs. covado ; Jrtea de cassa
preta, a 2.200 r. ; ditas a 140 rs. n novado ;
riacado de linho azul, a 240 rs.; corle de
brhn de linho, a 1600 rs.; ditos muito
bons, a 1,800 e 2.000; ditos superiores, a
1,280 e 1.600 rs. a vara ; lencos de seda de
cores, muilo bonitos, a t .000 ra. ; dito* pa
ra grvala, a 1,000 e 1,280 ra. ; ditos de
cassa com listrasde cores, a 240 e 320 ra. ;
ditos coro listrasde seda, a 500 ra.; algo-
dao azul da vara de largura, a 200 ra. o eo-
vado ; dito fuita-cros, a 200 rs.; picle
muito encorpado, proprio para escravos. a
200 rs. ; riscado de algodSo anincano, a
140 ra.; corles de brim de lislras, a 1,000
rs.; chitas de corea fixas e de bonitos pa-
dres, a 140,160,180 e 200 rs. o covado;
recados monstrua, a 220 rs. ; cambraias de
quadros, a 2,720 is. a peca; cortea d case-
mira de algodSo, a 1,600 rs. ; cassas fran-
cezas muilo bonitas, a 320 ra. o ovado -
chapeos de sol, com astea* de baleia, a 1,801)
rs.; outras muitas fazeadas por preco
commodo. .
Por barato preco, vende-se 2 vacea
de leite, 3 parida* a poneos diaa com ctii
.nutra prxima a parir : ambii muito
mansas, e do pasto o vftidedor afiance a
bandado : quem a pretender drija-se a
ra da Concordia que ah as achar, ele, i
com quem tratar das 9 horas em dianle. '
lie baratissimo.
Vendem-se ricos chicolinbos, a 600 e 800
rs.; charuleirag douradas, fazenda multd
auperior, a 1,800 rg.; pentas com espelho,
proprios para suiasss, a 320 rs. ; escovas fi'
aaa com espeltie, para cabeea a 1,000 rs. ;
oarteiras com mol para guardar dnho, i
640 rg. ; flvelinrias dooridas prateada
para collele e calcas, a 200 rs. : na roa do
Ouoimado, n, 33, lo.ia de mindezis, junto
de cera,
* tMsfj
Na Ioja do sobrado amarello nos
quatro cantos da roa do Quelmado n.
29, vende-se o soguinte ;
Cortes da calca de caemira,
padrOeg novos
Ditos de dita de brim tran-
cado de cores, por llano
I Alpaca de cores propria pt-
1ra casaca e palito, eovado
Chapeos de massa.franczes
Lencos de seda para gravita
SOOriae <
m Lu vas finas de fio da F.scocia
I* para homem v,>
Cortes de tapete para sspa-
. tos. goslo'Turca '"
* Cravatinhas de seda para e-
nhora
He mnito barato.
i
4,000
3,000
800
6,*
1,000
320
800
Vendem-sa bonetes fraacezea de panno
tinopsra homem, ptimos para qaem passa
a festa, a 2,000 rs. ; ditos io fino para meninos, a800 rs.: ns rus do
Queimado, n. 33, Ioja de miudezas, juntos
le cera, nos quatro-oantos.
I* ~ Vende-se, por preco com-
modo, nma porfSo e ;carv5o arti-
licial : na ra da Cadeia, n. 48>
escriptorio de A. S. Gorbett.
Vendem-se charutos de boa
qualidade, em caixas de cem, os.
melbores que teera vindo da Bar
hia : na ra da Cadeia, n. 46, es-
criptpripdeA.S. Corbett.
Vende-se 1 linio moleque de 18 annos,
coainhairn e copeiro, proprio para pagam;
i pretas engomrnandeiras ecosinheiras; 2
ditas desrtico Je campo; 1 pardo earrel-
ro'jl relo le gwvico de ampo no pateo da matriz
la Saqto Antoae, sobrado n. 4, se dir
inenitende. > '"
ponte, com sata quartos, duas grandes ai.
las, corredor lavado, quintil .com alguls
frutelras, bsOh no fundo ; bem como urna
mora-da ^e cit os rus do Padre-Floriano
n. 57: ambas por pre< commodo: na Caa-
boa do Carmo, o. 33.
.Madama Kosa Hardy, modista
brasllelra, na rna Nova, n. 34,
Madama llosa llardy novamente tem a
salisfacaode ahnujiciar ao respeilavel pu-
blico, que recenlemente acaba de despa-
char um luzido sorlimento de varias fazee-
das, propras de se usaren) na prozima fes-
la, coosistiii'doem ricos chapeos de seda de
dilTerentes cores e com enfeites mais e|.
Simes possiveis para senbpras; ditos de
ca.pajhinha da Italia, rendado e fecha-
dos, tanto para senbora como para montis
e de varios lamanbos, com entallas e Mn
alies: chspoazinhoS de aba* lata* iu.
feitados, proprios para meninos iitei de
Chapeos deso de seda para
senbora a 2,500 0 ''
Pecas de chita Con 38 covs.
Ditos de cassa de quadro
com 8 1|2 varas
Cortes de cassa de Corea
Lencos de cambria de seda
de franja, para senhora
Meios chales de seda
1,000
1,000
5,000
1,280
9,000
Cartas fiilssi papa joga,iV
Vendem-se carta* francezas e porlugue-
zas, o mais fino que te p le encontrar, e
por precos que nao deixarjo de agradar aos
compradores : na ra do Queinjido, o. 33,
toja de miudezas, junto a de cara.
Bom e barato.
Vendem-se carteirinhs eom agulhas fran-
cezas, a 380 rs. ; ditas em caixintias, a 320
rs. ; caixinhas com brinquedoi para meni-
nos, a 480 rs.; ricas franjas propras para
cortinados de camas, por preeo que uin-
guem vende; tesourinhas ingieras muilo
linas, a 500 rs. ; superiores escovinhss pa-
ra denles, a 160 rs. ; quadroszinlms doura-
dos com estampas de santos, a 120 rs.; |i-
nha de peso,a 60 rs. a meiada; agulhas can-
toras, a 60 rs. o papel; nenies finos de ali-
sar, 360 rs.; bengalinhas de junco, a 200
rs.; agulheirinhos de vidro, a 200 rs. : ba-
ilados a herios de linho, 120 rs. a vara;
meias brancas para senhora, a 320 rs.; e
outras muitas cousas que pelo diminuto
preco nSo defxarfio de agradar ios compra-
dores : ha ru* do Quelmado, n. 33, toja de
miudezas, junto a de cera, nos qostro-
esntos.
Vende-se um lindo pardo
escuro, de ao annos, bom fornei-
rp, e que sabe fater p3o de todas
asqualidades e bolinhos : na ra
das Larangeiras, n. '4, segundo
andar.
' Vendem-se caixinlias de
costura ou para guardar jotas.
guarnecidas de metal, com boa;-
(echaduras de duas molas, conten
do cado urna yinte c tantos frascos
de perfumara muito lina, pelo di-
minuto preco'de 8, loe I a,000
rs. conforme 9 tanjaptoo : n>
pateo do
azul.
Colle
V
10,
do liyro
Micas grvalas de mola.
Vendem-se ricas grvalas da mola pretas
e de cores, pelo diminuto preco dA 1,600 e
2,000 rs. : n ru do Quelmado, ti. 33, loia
de miudezas, junto a de cera.
Molas para grvalas
Vendem-se motas para grvalas, por pre-
co que nao denara de agradar aos compra-
doras : na ra do Queimado, n. 83, 'ioja' de
miudezas, junto a' de cera, nos qualro-
cantos. -
l'entes de tartaruga.
Vendem-se superiores peales de tartaru-
ga para inirrifas, pelo diminuto preco de
800 rs. o par : na ra do Queimado. n. 33,
luja de miudezas, junto a ue cera.
Vendem-se ricos apparelho
parajantar, de muito boa louca,
imitando a porcellana ; ha rus da
Cadeia, n. 48, escriptorio de A. S.
Corbett. *,
No escriptorio de A. S. Cor-
bett, na ra da C|i vende-se chambo ingles de muni-
cao, muilo bem Sorfiao, em por-
tos de cem quiilaes para cima,
'ii. 1;
por preco murto commodo,
Vndm-s 8 escravos, sendo 1 lida
muUliuba reculhida de 18 anuos, pereila
engiimmdeira, cosiureira e faz o maia ar-
ranio de urna casa, muito diligente ; 1 dita
de 30 aunes que engomen* e cote he boa
regedeira de ama ca*, e ambas de exerb-
ptar conducto, que se afianza ; 1 moleque de
10 annos muilo esierloe de bonita Ugur;
3 pretus muito mofos, bons para lodo o
servico: na ra da Cadeia do KeCife, n. 51,
primeiro andar.
--Vendem-se 2 vaccas parid** Poucos
dWs "nilfilo boas : na Sole^'^ litio 4o
8t. llerCula'Bo, ou ao paleo do l'araizo n. J.
Caivetes de machina.
Vendem-se superiores ci'nlvtesde ma"
china de apparar peonas, ptimos para
qnem fur curto da vit, peio baratissimo
pn-fo de 800 rs cada UTO : lia ra do Quui-
mailo, a. SS, Ioja de miudeza. Junto a de
cera, aos qaatro-ca6tc%." "^ ib
Vende-*e um rico civallo bom **lr-
deiro, gordo, e bonita figura : quem pre-
tender dirrja-*e ccelrf raz da rOa No-
va, traveasa da ra do 'Sol, qoe estar
pilante par* quem tiver boro gosto.
Luyas de pellica.
Vendem-ie muito auporiore lava* 4n
pellica de ponto inglez para homem, a 1,800
ra.: na ra-do Queimado, n. 38, Ioja de
miudezas, junto a de cera, nos qualro-
cahtos.
i.uvas de torcal para senhora.
Vendem-se as mais suneriores luvas de
torcal que ge pode encontrar, a 1,000 rg o
par; na ra do Quelmado, n. 83, Ioja de
miudezas, junto a de cera, nos quatro-.
dantos.
Mejas de laia para padres.
Vendem-se superiores meias de laia para
padres, pelo baratissimo preco de e.ooo rs. :
oaruadoQuoimado, o. 33, Ioja de miude-
zas, junto a de cera, dos quatro-cantos.
Gamma superior.
Na confeitoria da ra estrella do Rozario,!
0. 43, vende-so saccas com gomma, a 6| ra '
Vende-se um prelo de nacSo Mocam-
bique, ilto, de bom corpo, d-se em coat
por haver precislo pira acudir pagamento;
urna pretnha Com principios de costura,
ambos sem vicio : ni ra do Rangel n. 38,
segundo andar, se dir quem vende.
Globos deVidro
Ainda reata para vender-se alguns globos
de vdro proprios psra escida, corredores e
encimo para illuminacOes por serem mqito
commodos em tamaito : na ra do Trapi-
che-Novo n. 10.
Luvas de torea de fio da Escocia.
Vendem-se lvas de fio da Escocia, lem
deleito ilgum, propriig para montarii, pe-
lo barato preco de 320 rg. o par: na roa do
Queimado, a. 33, Ioja da miudezas, junto a
de cera.
Carapuces de seda preta.
Vendem-se carapucas de seda prela para
homem, a 610 rs., prego este que faz ad-
mirar: na ra Jo Queimado, n. 33, Ioja de
miudezas. junt a de cera.
Toucas de eda pretas para
cria ocas.
Vendom-se toucis de sed* prela para
crianzas, pelo diminuto prego de 500 rs. :
na ru do Queimado, o. 33, Ioja do miude-
zas, junto a de cera.
Vende-se urna taverna na ra do Forte,
o 2 muitofregoezeda para a (erra, coro o
fundos d* 3W)!pQ0 ri. a armcao muito em'
conta a tratar da rnesma taverna.
Vendem-se, na fui do Livramento, n,
36, io siccis com irroz branco pilado, e 10
itiscom feMSo u.ulaiinho: ambos estos
gneros s5o de mqito boa qualidade.
Charutos de Havana.
de superiqr qualidade : vendem-
se na ra da Cruz, n. io, casa de
Kslkmann IrmSos.
Arados de ferro.
Na fundi^ao da Aurora, eoi S. -Amaro ,
rendem-se arados da ferro de diversos m-
talo*.
Vende-se cobre, metal imirello, e Dra-
gos par* forro de .navios, por preco com-
modo : em cas* de A. V da Silva Barroca,
na ra da Cadeia do Recito, n. 42.
- Vende-se um negro peca de idade de
21 annos, bastante possanie, proprio para o
servico do campo : na ra do Crespo Ioja
da esquina que volta para a cadeia.
Ideas fita
Vendem-se fitas lavradae para cinlairo c
para enfeites de chapeos da senhora ; dita*
Jisas de todas ss largona a cores, por preco
nais commodo do que em uutra qualqaar
parle: na ra do Queimado, n. JO, Ioja da
Joi OasiSimOea. ,
Feijio mulatiho em saccas
d 'tjlqueire.
yeoJem-se, por pra_co omito \*t*io, sae
cas com feijSo muiatiplto, hegailo in pou-
coa din, para feco*r contoa ; no cae* da
Al/andega, armazem de Das Kerreira.
Fumo em folha para charutos.
Venda-se, por barato preco, fumo em fo-
llia para apae milo da charutos : oo aaV
da ifaiidega, mu.iea la Ps Fcrrcirs, ou
na ra do Trapiche, o. 81. a Ira lar coas No-
vaos* C.
Cera em Telas.
pilhlulia redondos eenreitodos par ditos-
*Mt W ed. om ,,Hdo nWlji. para ok-
nlrios meninas de 6 roezes a 3 ani
ma rtcp gostp posivp|; riquissimas 'toa-
bil de upenor s.ed,a, feilasqm $rWia apre-
pras par* cre*nca.de 6 mezea* BB-#:
rico* roaptoietos e capotiohos de groa de
aples furto-core* reto*; dito* de fil
de linho prelo da gosto o mais moderno
possivel; capotiohos de fil de seda* tonto
brancos con.* prelo, par senhora* ame-
binas ; bnlhinlisslmas capaila* psra senhq-
ris, prqprja para casaoteptos e bailes} a-
per|orevos de seda, proprios para ditos;
rjeqa peicociohoa de U| da Imbe bardados
pira senbora, do goalo o mai rico que
lem viudo i|e Franca ; camiginba de cam-
braia bordadas para senbora, com gila e
cambraia de linhu; espirtillios de mol,
oa melhores que teem apparecido nrsta
prac ; um variado sorlimento de trancas
de seda ; fil de Imbo e de seda ; iapatos de
selim brancas; luvaa de pellica para seuhi-
ra ; d i tos de leda de ma Iba para di tas ; di-
la de seda preta para hornea ; ricos er
de aples pretos e furi-cre, que ge ven-
dem sos eovado* a vontade 'do comprador1
cbamalole prelo da grande Coaaiateocia'
para manleleie ; um complato sortimetiro
da perfumaras finas; a outrai murts ai-
rara** faze odas. Na rnesma casa se'fazem
manteletes e capolinhos para senhots e me-
nina, assim como cbapod de crep prelo
com taita a perfeicao i ludo por preco mais
commodo do que em outrt qualquer parte.
Jpoiioda labrca de2
X lodosos Santos, na %
t ahia. *
1> Vende-se, em esas ae Domingo* Al--
a>ve Natheus, ns rui ds Cruz, b. S2,
aa-primeiro audar, algodflo trancado da-f
aquella fabrica, muito proprio para ac-J
eos e roupa de escravos} bem como*
.no proprio para redea de pascare pa-j
^viog para velas, por preco commodo.^
Vende-ae urna canoa de carreira que'
carrega 8 a 10 pessoaa, por preco- aauito
commodo : a tratar Jefronle do quartol de
polica p. S...... i
Escravos fifgclos.
50,000 ra. de (tralJlicaco
a quem apprehender um escravo marinbei-
ro, de noin Filippe, de nacq Mos-ambi-
Jue ; he bailo, barbado, nariz chalo, de
6 annos, Ma bem ; fugio de bordo do
brigue t'arofaa, no da 24 de novemkro;
foi encontrado para aa banda* de Olinda ;
levoo urna camisa branca e oulra de risca-
do azul e branco por fra ; calcas de algo-
dSo azul cem bolOe* braqeos dos lados, e
chipo de palha, e levar ao escriptorio da
viuva Gaudiao & Kilho, ou a bordo do dito
brigue, fuadiido defronte do arsenal de
guerra.
Fugio, no da 3 do correte, o prelo
Jos, crioulo, ofilcial de marreneiro, de 20
annos pouco mais ou menos; ho alio, de
corpo retorcido, beifos grandes, nariz cha-
to : quem o pegar leve-o a ru* ds Cruz, no
Recito, n. 12, cas* de Jlo Leite Pita Ortl-
goeira.
No dia primeiro do corrento, fugio, do
sitio da Roseiras; do major Joaquim Elias
de Moura, o aeu escravo Jacob, de 30 an-
nos pouco mais ou menos, de estatura pe-
quena, cor fula, lesti grande, ovado e com
urna cicatriz, olho* afumosnos e visto Il-
la, setn btrba; quaod'fall coo'rahe os
beicos e mostri oi dentes, peitos irqr.eidos
para fra, pernas finas e metas tortas, pea
grandes e as dedos grsndes dos meimos
abarloa : quem o pegir leve-o ao dilo sitio
a sea aenhor qoe sera gratificado. '
Ao ammhecer do dia 4 do crrante, fu-
gio o escravo Joaquim, erlbulo, de 24 annos
pouco maisou menoi, bem a figurado ees-
radaudo, olbos grandes, nariz e 'bocea re-
guiares, eom buco de barba, mSo* bem fri-
tas, p* pequeos a mal feiios ; he cozi-
nheiro ; acbava-sa ha mais de 3 metes ilu-
gsdo a Joaquim Corma, con venda e mo-
rador na ra do Livramento, acontece que
nlo convindo osenhor a eoaerva-lo em po-
der do dito Corrata, por man lampo, o re-
tiro u, poim esle no lio da 3 dia, sem o
mepor aioiivo auseolou-s* da casa, levando
toda roupa e obra de 20 lbraa ae carne see-
ca : quem o pegar leve-o a ra Kovty'a aeu
senhor, que gratificar.
- Fugio, no da 82 do prximo pastado, a
escrava Clara, de 3 annos pouco mam ou
nieuq, de cor Uo ful*, que paraca murato,
ffiSI PQ C9T'>' Af aa.Ulura regular,, rosto
compndo, com falla de dente aa frente :
quem a pegrr leve- a l.uiz Epifana, aa ra
da Kloreiiuua, defronto do llicatio aovo, ou
a
Vendem-se velas de cera, ehegadas lti-
mamente do Rio de Janeiro, mnito B'dm a seu'sVnbdr, o Icnepto-curonei Joto Flo-
sortimenlo: nb caes da Alfandega, arma- r*ntno Cvi,lcipli de Albuaueraae, no eo-
zemdeDias Ferrelra, ou na ra do Trapt- genqo Recanlo, em Serinbm ; aeerm co-
coe, n. 34, a tratar com Novaee & C. mo se protoato cunta a petaca que a tiver
Lotera de N. S. do Llvi-niueiite- o'ccnlia.
Na ra da Caduia, n. 46,1 cija de madA, Fugio, 00 dia 12 de novembro, urna
veudes-so oa mu'rtos afortunados mejus bi-
Ihetes, dcimo* e vigsimos di mesroa lo-
tera, que corre i..ipreierlvelmente rio dia
24 do crrenle. Nos vigsimos ns. 36 Sanie
o premio dos 5:000,000 do ri. di loteria d
l.ivnmento'qtie correo no da 30 do plaga-
do, Meios a 5500 rs. ( decimos, a 1,106 rs. :
ygesinrtJS.aOoPrg'. '
Vendem-se a mama ae ferro: na na
ia Seocalto-Nbva, n. 48.
-- Vanda-se, ou arreeda-se urna morada
de ci no lugar do Cetiang, a melber
aaoawqualle tugar existo; portiear ao [4 da
prela de nome sria Benedicto, de aejo
Congo, de 40 50innoi,de estatura regu-
lar, rpslo coutpriajo q diwcirnido, deadaata-
do p freoto, P* 0 Coa bi|Unl grande ;
loma perna eaqyerd aASisgroaa* qaaa ou-
Ir, com atou uta ooaunzei; ba asauio dea-
farcada no talUr; la* u> piaba da cabel-
los brancos oa caforina ; lem o andar cho-
peiro; leroe aaia ou vestido da- chito na-
dos qum a nsg r le ve-a 4 ra do asgo!,
o. 15, sobrado, que aera raeoapansada.*
,, .
! ,-i a*WV ^]iTT-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EO6CWP091_DZF5QU INGEST_TIME 2013-04-24T20:10:33Z PACKAGE AA00011611_07235
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES