Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07234


This item is only available as the following downloads:


Full Text
npt0
boin
> Pi-
n.
Boa.
por-
umi
s es-
Ir 88
offl-
di-j
nos,
lilis
ubi-
t*
Fm.
M.L
)
tu-
um
Anuo XXVI
________-JLJi
Quinta-fcira
PARTIDAS DO COBMIOS.
^segundas e sextas felras.
Odas as quintas felras at>
jiann* e Parahfta, isi
lo-Grande-do-Nortei^B
melo-dla. ^-
abo, SerlnMerri, sFormoio, Porlo-Calvo e
Macelo, nol.*, a 1 fWil de cada mea.
iranbuns o Hooilo, a 8e 23.
oa-VIa e Floros, a 13 o 28.
i, loria, ijulU feiras.
linda, todos os da.
1 "'jmwm^SSSSSS
imaminH.
-Nova, a 3, aa 2 e 50 m. da t.
l )Cresc. a 11, aa 6 h. e 17 m. da t.
Piusas D w.ja,e|,. a 19, 2 h. e 35 m. dan.,
VMlng. a 25, a 6 b. 54 m. da t.
de Dezembro de 1850.
N. 282.
Prlmelra
ud.
TBXUila DI HOJ*.
as 11 horas 42 minutos da manhaa
as 12 horas 6 minutos da urde.
PBECO DA 8TJB8bl9lo.
Ppr tres meses (adiaBtados) 4/000
Por seis mezer B/000
Por aun nnno 15|00U
OIAI Di SEMANA.
9 Seg. S. Leocsdla. Aud. do J. dos orf. do m.
10 Tere. S. Melquades. Aud. do J. da 2. v. do
civel, e do dos feltotda faseoda.
11 uart. S. Damazo. Aud. do 1. da?, v. do cirel.
12 Qulnt. S. Justino. Aud. do J. dos or. e do
- m. da 1. t.
13 Seat. S. Luzla. '
14 sab. S. Angello Aud. da Chae, e do J. da
2. v. do civel.
15 Dom. S. Kuiebio Verselensc.
i ii ~-
CAMBIO EM DE 11 DKECMBaO.
Sobre Londres, 29 3|4 a 0 d. p.l/M ra. 60 dU.
. Parla, 320 por fr.
. Lisboa, 85 a 90 onawi
Ouro. Oncaa hespanholas.....?!:D(? a SfSnn
Moedas de 6/400 velhas. 16/OiH) a 16*200
. de 6/100 oras 16000 a lb|0
, deifoOO....... 9*)00a 9/HW
Prata.-Patacoe. braailelro..... 1/gO a 1#
Peaoa columnarlo..... J/O0 a 1/
Ditos mexicanos........ l/b80 a 1/70D
H!e
U9S-
por
ote
i di
'isla
|>tra
dic
Boi
der-
l>a-
eco
n u-
fcoVEBiNO DA PHOViStiU.
EXPEDIENTE DO DA 7 DE DEZEMBRO.
Offlele.Ao eominando das armas, inlelran-
lo-o de hever a eoinmandanle do rapbr l^-a.
illiaialnlrilT TI" por leradoecldo o saldado
la corta flo *m Plauhy Viciar Modesto, ore-
neliera plt eeapiUldle.snarloba acompa-
ihadada
ho-
n-
ins,
cor-
len-
ros-
tido
an-
re-a
aro-
mo
ote
nlo
ni
rou
i-a-
O!
e o
ira
ilo
|U-
ita-
i Con-
n.eo uuia g.
lm e asslstlr a fcst *efloW fcnbera a Con
:eicSo, que deye *r IslaMr'no mesmo dia, a
(jnal devera permanecer al at o lm do 1>-
Dlto! Ao ealdaat do tribunal do cosn-
nercio, esteniljteandn-o de ter I Assoclacio
coiiinierdnl pardPndo que franqueara a sAr
Is Je as seasoes para nella ie proceder a e(el-
co dos depntados e suppientes d'aquellc tribu-
nal, q'O dere ter lugar amanilla pelas nore
lloras ddi*,'! bes asaim u* mandar afflsar
coiu a conTenlnte antecipacSo a lista geral
doa negoclantea habilitados para votar ser
dor iqua
DU.
iiideroulsar ,
,vo balalhjadeoaca-
280 r que segundo a
n aupllcaia, se deapendeu
com alnhumic* do. cadveres do iuslco An-
tonio tiasdoto e do soldado Joao Crrela de
Araujo.antBOd pertrocentea lo infamo batalhSo.
_ lntrlllgenclou.se o coinmaado das armrii.
Ulta. Asi knas>eotor do arsenal de marinlia,
intelrando-o de iiarer espedido orden a llie-
sourarla daaienda porincial e beiu asiicu
pagador! militar.para uiandarcm ludcreolsar
quflle arsenal a prlmelra da quantla d 5.119
r. e a segunda da de 5,300 r., em que Uupor-
tafin: mantlmrntos forneeidos pelo coni-
inindantedo brlgue-ecuna OaHopo um preso
poliiica, dods sentenciados t tres praf as de
pretque vierasn da llha de Fernando abordo
do aacftno bxlgsie-eacuiia. Mate aontido w-
pedlram se as qpowoseotM ordens.
Uilo." A cmara do lioife. fcm resposla
ooOcio^ua Vine, me dirigirain eom data ds
A doerrca>l, pondeinndo que a visla da arti-
go 4? da lei do.prJnielrotde outubro de 1828, a
obra da apella do ceinilerio publico desia oi-
dade au 4e* ar feiU por adminislraco, co-
HMfni|K)e director das ebras publicaa, no
ca O a pr5 neohaer.quem a queira
arnWlir,. tsabo, Arser-lb* que a obra de
M. III IWi> *** Pr n*or perfeicao que nao
"' J seria l| fcil neise caso, como representouo
.. I eogeabeirodirector daqurlln reparti(ao ; mas
1 siui porque easa cmara i2o lem o n
rcredata. aassa .oeoorrs toda a dearaw
re le sano, dereade dispender smente oque
esllver a seu alcance, esperando boto crdito,
segundo oque a asseinbiea provincial sob sisa
peuposta entender oooveoteute, senda neceua-
rio parAtedrr.se a eaUxircumsUocl come-
car se a obra a jornal, Ultra wm este procedl-
ineolo se otTende a teW que dlspoudo geral-
niesrte, nio poda descer a lodaS as partlcalarl-
dadaMccurrentes
Circular. Aoa commandantfl superiores
da guarda nacional da proviso*. Kemriio-
Ibe para leu couliacimenlo e para serem dis-
tribuidos pelos presidentes dos canselhos de
qualificacao da guarda nacional, sujeita a seo
comiaaiido' Superior, or inclusos cxeraplares da
les affl de 19 de Miembro' dille anno e res-
pectlrll lostruccdei. dando nova organisacao
compinhi dos tetlos olllclies e guirdis,
que|ertecro'm I Cidi mi das parochiil
pon disUnecao do eervlco ordinario e de
resm --Offlcou-e nest sentido todi
iciroiri'e labdfllegados da provincl.
Prtirii,Concedend i demlisao que
pedio o pl>e Virienl Ferreln di> Rgo do
lugar do capellao do presidio militar de
Fernando o'nomeindo pin o snbstiluir o
totbfdrtdo 'loaqlni di Cunhi Catilcmll.
pediraoj-se M conveniente! cemmunica-
IsM'pora o cargo do delega-
do do termo de Colinni o reipertivo pr'i-
meiro soopletite.Antonio mnciico Perein,
e pin o lugir deste a JoBo Joiqalndo Re-
g Birroi.--Coiiimunicoo-e chefe de
polica. '
KUKATA.
Ni legandi eoUtmni do Diario n. 280 9
do ir. *, ni Urcein linhi.-em lugir de g
|0leirio8 llj-ni rneimi, 2 ni nllion
inhs, lea-se recommeodidi em lugir de
fecom mandad ai.
TAUtORL DA. RKIi^GAO'.
SESSAO'DB 10 DB OGZBM8ROTW 1850.
ragSioalftiA do kxW. sikbO comelhbiso
iVKDO.
A's 10 botas d mabh'l. achando-se pretfo-
tesos snhoVe deseinbargadores Haitos, Leao,
Soaza. Mebel. Luna Freir, eTelles, faltando
con. cauta o 8r. desembargador Villares, o8r.
presidente dedara'lberla a lesslo.
jdlgeNtos.
Appella(e$ civeii.
Appellaote, ^ose Diogo da lira; appellado,
Jos Antonio Lopes. Nao toinaram conhe-
clmertto por ter sido apresentada fra do ter-
mo legal. "
Appellante e appellado, Francisco Carneiro da
Silva e Jos Francisco raneo. Foi desig-
nado o da de lioje, e sendo propostos dei-
prezaram os embargos.
Ilabeat-corpm.
De Tbeodoro Marques Vlelra. lapdaram pe-
dir aovos esclareclmentoS para serem aprl-
senudos na msso de 14 do corrate,
niuciacui.
Appellante. ojolto appellada, D. Josefa Netta
I Ferreira de Jess. Mandaram coin Ula ao
Sr desembargador procarador da cor
Appllantes, os Imlios de Arronches appella-
doa o vlava e herdekos de Joaqolm Lope de
Abren.
DisiGMigOaa.
Appellante, loa* Rodrlgae Ferreira; appel-
' liso.
EVIOSS.
a laesna guarda. I a
OnfM abn, para a ei
lei e Inslrucces. II
wscycaa da mencionada
Hiendo que eipessa
a* providenciaa a leU'JBBwce. afim de que se
reuua coi cada parocro comprebeudida no
dlsircto de seu cominaido superior,um conse-
lhade qualifloaco e no-municiplo um conse-
IhodwreVisla, pira faterein o novoallslamento
l-
II-
lado, o juio.
,n!IIUI!!U
mi, aeoSo tama corijOn oofltridicao eiso
espirito de prooigmd boli|oai, reliqm
riViesdo epirilo revftlocionsno, e que o
urna ilmdtmonoonorKicae pocifica
oodir repeMIr par o fundtfdoi coriQOe."
Que en o lyrtomi de reglUncii.aonao (im
iicriflcta)-premedita Jo e U heroico abasi-
-kwio dewa populsridade embrisginte, que
tinhi-ilii"rdO'o reino i Hoje, no meio
la repobliea, exaltam- Jo|mente algons
horneo* de corsgem, que outr'ors f7iam
ipeeiMcao I poltica do re, Pr resislirem
profrono ctBo s i t2Si5;":*;
Porel quetiBha a rtiptilWoiTWnT anim
de ler lyitem, porqoo is piiioei o itlri
builm i inlTuencia di sua ioiciilivi, o
re que ofTria i peni dlle perinte is
faccoei, poii n ciribinas regicida, opon-
tiTim Unto aosyslem, comojao homem ,
nao Ihe deven hojepertencer'i.este rei i
gloria do sysleB ios olhos do todos? H
deipotisque l'onm repulido grande*e fl
tiram guerra contra vontade do s^u ro-
vo e para Irruina-lo, e nSo llavera grande-
za no rei conittuoioml, que deu a paz A
nac.lo contra vontade dalla, para salva-la ?
He verdede, sabrnoslo, quo o rei l.niz Phi-
lippo tintn tomidoem serii'ConsideruBo,
e quelhedivim grinde cuididoesses ipe-
tiles materia**, que, por oro estranho ic-
crdocomisvelleulides bellicos e liberar
da nona poca, agUavaraa sociedade frsn-
cn: Tinha-Ihes iicrillcsdo, nao digo lu-
do o Miado, mu linha-lhes concedido
muito. lio ao que se deu o nome da a rei-
nado do dinhciro, adoracBo do bezerro de
ouro cortamente nisto nSo baria gran'-
dexa, mis-de quem i culpi ? U rei l.uiz
Philippe nao qoererii dsr ioi
tbeilro. Hsvia um rei, bom poltico, sem
nada de chsrlHao, ario e positivo, mui ac-
tivo a previdente, contantmdo-se de go-
vernir ni conformidade dls leis, de prote-
ger todos 08 interesses, que dizia ao povo
Vive tranquillo, aemeii, trab'alhal, com-
mereeai. trocai, enriquecei-oi. Fazei li-
vros, tratai de escreverem bom francez ;
fazei pinturas, trazeirii meus museos
9de livrea rospeitalo a liberdade! Sede
religiosos respailando aaconseieneiis S-
le liberiei, sem perturbirdes o estado !
JiJe rnirrnaailtaa, aO vvi SBTSt, SS3 ve
quo o morror rao-correanaa*boa.
Mas que! Um rei que fall semelhint*
lingoigem, que nflo querido povo miis que
o povo sej feliz ; que Ihe nao da espetaco-
lo nlgum eilraord nario ; nenhumi emo-
qSo fora do oommnra ; que no sabe inven-
tar o impnsiivel ; nemiritrs dll chime-
ras; exsllaeoque genio conheee ; um rei
fnneo, sincero, pratico, rei legal de urna
nseflo livre! Um tal rgimen durar 18 an-
uos i N3' he muito .' Qiierei gaberas wer-
dadeiras causas da revolucao de fevereiro,
foram estas !
O rei aabis-o. Ilavia loucura na nielo, e
a loucuno-gnaeOes tem souti remedio,
a ruini; poig qoe he a uirica licSo que en-
tendem. Lancam em roato ao rai, no hi-
rer puchado pela espada. Puchar di eapl-
di contn a demenoi* do povo.' Um tyran-
no assentirli canhOes de metralha em to-
das ig i venidas do pslicio. Podis-o fazer
oxel Lniz Philippe? Se o podeise, quere-
rii faz-lo ? He verdade que nio cahlo
como rei, como en monarcha dai mir-
gens da lodo de beroismo classico, mas
interesse acabou como sabio Contra urna inaurrei-
passou do Sr. desembargador Baatoa ao Sr.
deMmbargador Leao a aeguioW appeltacao em
Ippe'flante, Jos Flix d E.pirlto Santo;, ap
AnPpe'lad('e! FrToclfco JosPerein appellado,
Maninho de tiorges.
Appellante. N. o'aleber S. C; appellada^
dministracao do patrimonio dos orpbS
Apane"|1|ante*Pedro da Cunha e Albuquerque e
outros ippellado, JosFernande. da Crui.
Paisou do Sr. desembsrgador LeSo ao Sr.
desembargador Rabello a seguinle appellacao
pisunte! Francisco AntenloFernwdeaap-
nelUdo, Jos Antonio de alagalhies Bastos.
Paiaaram do Sr. desembarg*-3or Souza ao Sr.
aesenalafgador Rabello asseguintes appelU-
des aal^e sao:
Appellante. Francisco
do Prado; appellado,
e claaalBcacao dos guardas nacloiiaes, devendo job Anaslacio da Cunha. ___
e jaquim Jos Ferreira. /
Joaquim de Albuquerque e outros.
Anpelfania, Francisco Joa de Albuquerque
Pinto; appellaoo, Luis de Albuqwrqn
AppeUanie.ojuiso; appellados, Joao da Silva
llego Meo eonlros.
Passou doSr.^eMinbargador Luna Freir ao
8r. deaembargador Ttlles a Mgulnleappella-
A^elanlwtu'juUo; appellado, Apollnirlo Fer-
reir da Cosu.
antioicoa
Ao Sr deaerobargador baalos as aeguiales
tffi Z$ t anexes Wasconeello,
Pde Drumond; ippellado, Manoel WonawGon
apSiu- uSgo *> ifiT!' *ppeU"
dos, Jaquim Lufa dos Sanie** C
,.c. .i.^.v..__.^. r" a aaaolate ap-
Ao Or. uwttHw.ifc.
rp'^ntemjqorW.d.Siir.i.ppeli.do.Jb..
quim da Silva Mourao-
ho 8r. deMMUiargadoa Soaua a Mguinte
iPpPp:tt^ai.WUminad.R.goGomM
aVpellados. Joaqulm Aurelio Perelra de C.r-
valbo e sua mulher.
Ao Sr. deMinbargador Rabello a seguin-
^Xle!F^^r,o^^ve..Lin,;
appellado, Joaqoi- Jos deSonia.
Ao Sr. desembargador Telles seguinle ap-
^.^;.PP.do.A.ex.ndred.
Nao'foramialgados oa demals felloi cora da
iataoaVipeUfluJmeuolfa(ifc
Uranwu-se a .eaaao.a rela bora da Uaoe.
quem delega a fauuidAde que a Id we coiileje.
nmteiwr. do ^isposlp oo acligo g,uudo das
inenciunadat iniiruccdes. e este compoiio de
confonnidade a dlsposlcaq do artigo das toes-
idas InstrnccOes.
A* cmara iunlclpal e subdelegados resuec-
tivoa, recoiusaendo nesta data o cumprimento
do qae Ifcea 'ocaanbe o artigo 12 daa nslrnc-
ce, e convsnque, atai de pubcada em or-
dem do dia, lhes rjaceinaiuuicada I npmea-t
caojoa cansellioa de qualiftcacSp.e porquanlo
nesO provincia, atienta a dwpasjcao da le pro-
vincial n. iSde 14 de abril de I83ff, que aW.ago-
ra vteorou,'devem exfstlr em poder dos coin-
inandantes do corpos os livros de matricula,
providencie Vine, emjirdem a serrn reineltl-
os com orgeacla aoa presidentes dos conse-
Ihos ale qualicaejo, assim como urna retacao
porcouipanhiasdos acluaes officiaes c guardan
que perieucerem a cada una das paiochlas
' coin dJsflnccSo do servlco ordinario e de re-
,eWta-i-Aoi chefei de legilo dos munici-
pios do Cibo, Nixsrelh e Po d'Alho.Re-
melto Vmc. para leocpnbecimenlo.eiflrji
de lerem dMribuldo pelos conselhos de
ouslrflcc3o da guarda nacional desse mu-
u.c!;u,!>e!"goseieninl"te2 ?1"I n fiftJ
de l1Silerabro deste anno, erespectiv
ioslroecow. dando nova orgamiacHo e
giiaVoa nacional do imperio. Outrositn par
execuefio da mencionada lei iqslrucsoe,
rrcommeodo-Ri que nos termos do artigo
2 e eeguiutes das mesa, proponha cotn
urgeneii, para seren Approvidoi por est
preiidencii. os otticiae oye devem compor
oiconseihoadequalincacao dai vrodf\u
desse municipio, norneiudo o oiuciai qui
tem de servir no conseibo de revista.
A tama aiunicip.l e subdelegados rei-
pecliyos. refloromendoneli u1?*um1p.r':
minio do que Ihe incua.fle 0 artigo 12 dis
ioitruc^cotivemque, iflrt de publi-
csdM7oVdeiodo dji, 'he1*|J!:onl,m"-
Sfta noBcAo doa conaelhos dequal -
licKio, e. ( irdjuaulo neiti protjqcia.^at-
teSTa diiposicBo da Mprovincial d. de
U deal.nl da 1*36, que ate agn *"
dataaaj xalitaW pud$r dos eommmdantei
dbiSrpoii SiStm da molHcu^providon-
c* me. ras nHM > aerem reaa4Q*Mto
urgencli ios preaidentea doi eltaollios de
qusliflcaclo; asiim como una relelo por
j II i ii.....II I l
EXTERIOR.

maleriaes Oais do qoe a plrte,que lhes toca
di direate na ailminitricBo de um gratula
imperio,, e afta Immenie". -Ma onde
adiara elle meios de conler a*ua expancBo
excitada pela paz a todas as"cubicas da eivi-
IisacSo ? Daveria faier guerra i Europa
ira dir liedes de prudencia a induslira
franceza e despedazar os Ira ti dos pin
pregir urna peca soibanqueiros de Paril. e
car a carta para socegar a belea ? Es-
___iho remedio para o mal que se deplora!
tteosystema pacifico era o triumpho dos
Inter'essges maleriaes do paiz, que meio,
excepto a guerra, tinha um rei constitucio-
nal para embargar-lhes o progresso .' Ti-
nha por ventura o poder de eo pira di-
zer ao Ouxo da prospridade publica que
continuadamente engrosssva a NSo pana-
rls daqifl* -uj i,
Esta expinsBo de interesses positivos fa-
vorecida pela poltica do rei Lulz Philippe
acabou por tornar-se independen te dalle e
mili forte que elle. A sui aceto dominav
o ministros, impellil is cmaras. 0 rei
nio a poda conter. So urna revoluQio o
poderia faxer, e a de fevereiro o fez
em grande escala. Tm-se sonsurado o
ultimo reinado pela corrupQo da prospri-
dade publica. No governo republicano te-
mos a cocrupcSo da miseria geni. O paiz
julgar qual dosdouaiystemaa mostra mais
grandeza, qual contribue mais para a mora-
li la Je da especie humana
Oh Semduvida, seo rei Luiz Philippe
fosae miis compLaceote com os deffeitos
lo seu lempo, se houveri no fundo daquel-
la alma menos desea flirnesa inaaeesaivel,
menos em um ponto j tocado, iojus-
lica das opiniOes Iluminas; se essa cons-
ciencia que sobre tudo buscava a sua
sstisfsco e que- a adiar, como bem
inostrou perante i morle, foise mais zeloss
da approvicSo dol outros.no Ihe exproba-
riam hoje, anda no tmulo, apenag fecha-
do, ag virtudes que maia honram a sua me-
moria .' NBo busquis outra cauaa desses
falsos joizos mais qoe este antagonismo qoe
issigoalamoa, e que conim o segrado des-
si causa. O rei Luia-Philippe leve a sorte
de Arisiides. Enfadaram-sc de ouvir cha-
mar-Ule justo.
PermitU-ee urna reOMo. Se o rei Luir
Philippe, aa vex de subir ao Ihrono miis
perigosoda Europ, em Idade em que quisi
lodos buscim o repouso, fosse em 1830, nSo
esse prudente mancebo do 18 innos, que a
revolucao de 1789 xrrsstou no'momento em
que rebenlou sem o turprehender, e que
converleu sem exslta-lo, mu um desaea jo-
vena res vidos de rama, impacientes de
repouso, avnhido em conquisas, que se
julgam abafados no enligo muhdo.
. aual infeliz augasli.ilmme mundi, que
veriamoi?l)milenlaiivs bellicosa di Fran
ca seguida do tuna derrota ioetitavel e de
urna cstastroptie immens; p*og que em
I8S0 nflo estafamos preparaoS par a gua-
ra eom Europa; e o gederal Civaigiisc,
prvveimeote, no-nos cisvi: K! """
preparadoi em 1818; porqae foi surd a lo-
lieitecio 4a Italia comiO methor exereiio
do mundo. Como querTjue seis, em 1830,
o paiz pobre S humilnado levantara altares
so rei bstalbador. O rei pacifico morre ri
exilio, navtndo conlrshido para servir o
Stsdo urna tHtda pessoal de trinta mi-
Oes, e nfio tendo um canto para tmulo
nesae solo immenso que enriquecer fe-
cundara !
A revolucio de fevereiro foi i xplosSo
de longo lempo prevista delta impopula-
ridade do re, qoe pelos Bns do seu remado
se formara muigeral emui sopeificisl, co-
mo ie diminuir de profundidido exteo-
Jenlo-se. Que haria nessa impopulsri ld
que Paz aocobrar um throno era um abys-
mo sem futido, onde de balde procurmios
s sois reliquias ? Hsvia, apenas, ouso di-
zfi.o, 0 dspeilo de urna nacBo por ter um
reimaiaaabiodoque elia. liara urna 80-
Iciedade, que se enojara da ser governada
Icom prudencie, a qual'nfib basUvam as
- do
CO moral, dizi 'lepois. aun ha ataque nem
defasi. Dizenlqoe dei ordem de nSo itinr.
He falso. Mas deque lervirii essi ordem ?
Era no ar...
Que en poii, reduzid a este termos
InsorreiccBo moral, a dos espiritos eegos e
opiniOes porverlidag contri a politics do
rei LuixFhilippe Menos qu* nidi as cau-
sas, irresistivel nos effeitos NBo qoeriim
bem o aei, miis que arraslar o rei ao mo-
vi-neoto, e melter-lhe na mBo, como por
brinqusdo, ao sahir de um banquete-, a pe-
na reformadora ; como haviam pOsto dous
mazos antea de o derriba rem o barrete ver-
melho na cbaca de Luiz 16. Mas assim as
monarcliias, ainda ss mais solidas desl-
oara. A repblica he frici, dizia o rei.
ntto he eese motivo pin oareeer. 0< go-
vernoa em Franca tem mais facilidade em
estabelecerem-se sendo fraco, do que em
durar sendo forte. Sendo fraco, tudo os
ajuda. Os burguezes de Paris nSo me der-
ribaran), se me nBo julgassem inabalsvel
Dito justo e profundo, a vista do qual nada
mais ha que diz^rde urna revoluQo en
que aa rene o odioso da cstastroptie com
o rediculo do logro.
Tentei de pintar a physionomia do re
ir,
escudos, descontando, emquanto reinara, os
lucros da reales, e chelo de inedo. no 41a da
era este rei lio calumniado! Maa ao menos nln-
guein Ihe recusou o dora de rar* previdenoia..
Ora bem Se foi o mala previdente, foi lambem
o mais generoso dos homens, Pois revolucao,
/joe o faria rei com eondiedes.que hoje ne per-
inittido julgar onerosas, e i cinta de prnvas
(erriveis, de tudo, fortunar porvir, fairtllla re
aacrlcio; tinha rasao: mas porque se dlsse
em 18 annos o contrario?
Para austentar o esplendor da corda, euja
base as paUOes polticas minavara consMnle-
ot e senta a tremer rm po de tamos
__l*aaa-t ata* amo dea lealea con Ir ala
urna divida de 30 niilhoes acnsta-dos Irens-par-
liculares da sua familia, e fazia bem. Mas por-
que a graildao publica Ihe nio ba de levar isso
em coma 1 Na aby-mo de gracaa, em que ca-
hi com mlnha familia, escrevlaelle declare-
inont, aclio consolacao em "poder dizer a inim
mesmo que a Franca goza, e que sent orgulho
por se haverem feito essas despezas, c que lia-
lima anUrgamente qae cessassein.... o uoico
erro, edesse so meus lilhos se podem queitar,
foi paasar os limites dos meus recursos pira sa-
tisfacer as obrigaedea dadignidade, a que o vo-
l da nacao me elevara, e de me haver lisongea-
do de que a Franca nao deizaria cahir o seu
peso no patrimonio dos meus lilhos.
Mas nao, nao se lisongeara, escuta! o que dt-
lia em outro da. Jogo pelo estado contra os
anarchistas. Vejamos aa entradas. Entro com '
vWa. a inlnha fortuna, a de meus filhos. e, o
que anda lie mais. com o repouso e felleldade
da minha patria E elle 1 Nada mais que algu-
ina audacia. Tentara duas, trea. quatro vetes
destruir o governo. No dia era que o conse-
guireto; ganhara-i tudo, e o estado perder
ludo. Kmquanlo o n.io conseguem, correra o
risco das prisdes, onde entran) aosom das mu-
sicas populares. Tem o apolo dos peridicos,
dos partidos, dos estadistas da oppoiicSo, cuja
poltica consiste Minpre em reclamar amnistas
p.ra pregaren! peea aoa ministros. Talo jogo
dos anarchistas contra o estado. Gaoha-se sera-
pre tendo paciencia ; eutra-se s com a_liber-
dade ; mas sem conseguir urna revolucao que
vos laca ministro, eoro&l de legiao ou presi-
dente da aaseinbin nacional. (Ob! propheta. 1
ganha-se a celebridadede grande valor que da
a falsa popularidade, na falta de gloria. Quem
alo for Mirabeau. ser Harbs. Assim failava
o rei. Nobre e tocante Incaoseqneucla. o re
que failava assim, assignava a amnista
( Coaliounr-M-Ao)
(Do Peridico iot Pobttt no Porto)
MARIO. HE PRMRRIM
azetre, 11 di sssaacBBO z> tasa.
Hoje nBo hoova sess3"dojury, por falta
de numero sulicienle de juizes dn ficto.
Publicacao a pedido.
Para desengao dos Srs. aulladores de
agoardente de consumo, que nada Ihedeve,
porque nBo devo ser conectado, por nSo
vender nem nunca ler vendidoaemelhanla
lidades, a que as suas relaijOel comopoli-
lis, o doro maravilhoso das lingoas, cerlo
veruiz bntannico mais de hibito que de
sentimento, nada tiravam do au sber in-
teinmente francez. 0 rei Luiz Philippe se-
rla, na cmara dos lords, um leader emi-
nente Era n'um salBo francez um con-
versador espirituoso e enancado. O que
"^"n.7o.^K ceT'prt dequirent Veis por e.n.d, de bebidas os-
te franceza que appli- pintuoiai. fabr.eadss com agurdenle quai-
Ulm.Sr.ingoectorda thesouraria provin-
cial.-Jaquim Lobato Ferreira, propietario
de urna fabrica de bebidas espirituosas nes-
ta cidade, i bem seu.'precisa que V. S. se
digne declararse o imposto de 30 porcento
sobre igoardente do consummo de que tra-
ta o art. 34 U.deveser pago pelos meamos
fabricantes, ji honendos com o imposto
fusilo verdideirimenle franceza que appli
cava a ludo, nSoiem conta, mas com um
discernimento qne Ihe augmentava o va-
lor. Era ineisgotavel nessas praticis em
que a abundancia das circunstancias se
liga ao delicado da expressSo, a certeza da
mamaria e variedade curiosa das recorda-;---
r"eT anedoticaa Era magnifica na repre- leudos; este genero nBo esta su.e.io ao im-
sentac'o hospiUle.ro com esplendor, os posto de qu.rent. res que deve ser cob .-
mus saloes eTavtm sempre aberios a tod.s| do de ouUos espritus que fabncain.
as classes da sociedade, tinha mesa
0 REI LUIZ PHILIPPE.
e ^.^rTo^"*pV,^,lln, ^r^rV o7rmsn"5903 escandalos
es
plendida, convidados sempre em grande
numero. Fulgir de dar as suas festas pro-
porcOes desconhecidis intes do seu rema-
do, e pin celebrar essa festa do coracSo, o
casamento do seu urlmogenilo coro a pnn
ceza Helena, objecto de tantas esueraness,
asquaes nem todas. Daos destruio, imagi-
nou eaaa imuguracBo popular do museu
de Vorsailles, em que dous mil dos nobili-
Udos da todas as profissOes utois e liba-
nes da socieJade franceza, foram servidos
corno o mesmo rei, no palacio de Luiz XIV.
Assim t achavam nele as qualidadrs ex-
pansivas d6 nosso carcter nacional. Tinha a
aniig* delicadea deste, a sua benvola cauti-
ciadc, e "neci.aento das lniuli. i b?=d
de franca e fcil, a att'abilidade alt'ectuosa e ob-
sequioso Suuposerara-lhe aotlpalhias pessoaes,
que nunca leve. Viveu em boa lalelligencia
eom todo os ministros que scolheu vuque
leve; nao ha homem poltico de alguma. Im-
portaucia. ainda dessa parcialidad uiesqmnba
e Intrigante que Ihe suscilava tantos obstcu-
los que nao fosse acolbldo por elle honrosa-
mente. Aquelles que mediara o seu odio pelo
que Insplravaiu, perdiain a peno. O re, seria
frc>ueia, nunca pdde odear ninguein, nem an-
da a Mr. finvergier de llauranne. No lempo
cm que a Snprens regicida o designara todo
os das, com a provocaco e ultraje, ao punhal
dos ssasslnos. Cuuiprc que todos vlvam- dl-
ria elle. Km uina de suaa viagens. entrando
em uina cidade de provincia, vio no meio un
desses emblemas grotescos, cm que a sua no-
bre figura se achava groascirainente desbgura-
d .olll disse incliuando-se com sorriso ao ou-
vido de un dos seus ajudaates de campo, Ha
vieram antes de nos l*
Tal era o rei, digno, a deapeito desle ultra-
jes, de seu av Heurique IV pela rlsonha intre-
pidez de sua alma, pela penelracao incompa-
ravel do mu espirito ; este rei que representa-
run estpidamente acocorado era um aacco de
quer.-P. a V. S. se digno diferir na forma
requerida-E. R. Me.
Os fabricantes pagam o imposto de
20 por cento de agoardente quevenderern
para consummo, e nfio daquella que vende-
rn! para negocio, e assim devem ser col-
o o fo est sujeito a
ris aue deve ser c
The-
souraria da fazenda provincial de Pernam-
buco, 9 de dezembro do 1850
a Silea.
a Certifico que citei ao aupplicado Luiz
Aolonio de Mosquita FalcBo, arrematante
do imposto de vin'e por cento das agoar-
deotes, em sua propria pesso, docouleu-
do da pelicBo, despacho e documento re-
tro, do que llcou entendido. Ilecife, 11 de
dezembro de 1850, em f da verdade.
Jodo Bflisia hurlado, ollicial de justica.
ioaquim Lobato ftmira.
VaRIEDUIU
suiAES DA VID\ DE UM HOMEM SOL-
TEIKO.
16 annos.O seo corelo comeca a pil-
piur com violencia, quando ve r*>arigas
novas, unda que sej ao longe. .
17 Perturba-se o ruborisa-ae ao Tallar
con ellas, ainda que aej de cousis indif-
ferantes. .
l8.-GomeQi a ter lereotdade quando so
encoutracom ellas. ^.L^.
19.Agaats-aw seriamente se coanece
que is mulhores o trtala anda como se
fosse uriTk creanca.
20.Tem a conviccio do seu mrito pes-
goal e de seus atractivos.
41. Um espelho he para elle a eouaa mais
preciosa, porqae preciaa admirar-.
2i.-HiTura fatuo, insuporlaval oo mais
alto grao. ,
9g.-Nenbuma mulher, no aen entender
he digna de possui-lo.
24.(*um moaonto de deacaldo cine
no laco, qoe Ihe arma b am*r.
25 A sua fiUlidade deslfo n'um mo-
melo 8 reiic/Jes que ntl contraUido,
i


que
me-
26 --Treta com altivez impertinente o
objecto dos seus galanteios, conjo se a po-
bre menina devesso estar orgulhosa com a
sun preferencie.
27--Namora outra muther com o fin de
mortificar "que ahandonou.
28.Soflre desprezos, qoe Ihe causan
tanta raiv* como humlliacflo.
29 Falta mil de todas as mulheres em
particular, e de todo o sexo reminino em
geral.
30Toda a conversacSo que trata do ca-
samento o enfastia e incomoioda.
SI.Cometa a cooslderar o casamento
Jebaixo de um ponto de vista mu diferen-
te, que antes.
i?4.A ro^mos,,^, nSo Ihe parece como
alo ali urna qualidade indispeosavel para a
mulher com quem se casa.
35*.Julga-se anda a proposito para ser
um marido muito conveniente.
34.Por eonsegointe. nao davida
poder* unir-se com alguma formoss
.Enamora-se vira e profundamente
de uro* linda menina de 17 annos.
36.lie repelido vergonhosamente e es-
ta nova injuria o deixa na mais viva deses-
peracSo.
37.-Entrega-ge por consoledlo a todo o
genero de desordena e dissipacoes.
38.As mulheres honradas enojem-no.
3 vivos remorsose frequentes desgostos,
40.Apresenlam-se-lhe do novo ima-
ginadlo algunas ideas matrimoniaes.
41.Urna viuva joven e fotmosa occupa
OS seus ponsamontos.
42 Depois de vacilar um pouco deler-
mina-se a tributar-lhe obsequios que Ihe
silo inspirados pelo amor e pelo interesse.
43.O interesse e o egosmo predomi-
nan! na sua imaginado, e Ihe inspiran! re-
flexoes prudentes.
*4.A viuvinlia que lie muito sagaz di-
verle-se sua custa, e o vai suavemente af-
fastando do sau lado.
45.Sent augmentar progressivamente
o seu odio s mulheres.
46. Comee* a sentir alguns ataques de
gota e de rheumalismo.
47.Considera com desassocegoqual se-
da a sua situscSo quando se ache velho e
onfsrmo.
2[
Silva Porto, loiquim Amaro de Souza los dosSrs.asagnantes, e rnosmo a ataior
Paraso. Francisco Jos da Rocha e Deo- parle dosamaloresdo theatro, o empresi-
nizio Eleuterio de Menezes.
Portos do*Sul Paqnete inglez Ptterel,
commandante o lente Craser. ~ Fez-
a vella hontem daa 4 para 5 horas da
larde.
ED1TAES.
.*Pensa que nada ha mais triste que o
viver inteirament* s.
49.Itesolve-sea ter em cua companhia
una mulher judiciosa, mas anda moca
para que Ihe governe a sua casa eo trale.
50.A gola e o rheumalismo adquirom
mais inleuaidade.
51.- Est contentissimo da sua nova go-
vernante, o quer para imlrs urna criada.
52. Conieja aquella mulher a inspirar-
Ihe sent vientos de outra nalureza.
53.Rebella-se o seu orgulbo perantea
idea de casar-.se com urna criada.
54 Est muito indeciso sobre o partido
que ha de tomar.
55.Acha-se totalmente sb o dominio
da sua etweraMft, e he summameole des-
gratado.
56A idea de separar-se desta mulher
causa-lhe urna agitado violenta e crueis io-
somnias.
57.Esta mulher declara-lhe com pejo
que a sua conscicncia e o cuidado da sua
reputac9o Ihe no permiltem continuar, vi-
vendo i- 'in um homarn solleiro.
58.A sua gota, o seu rhiMimatis.no, o o
seu mo humor tem chegado ao ultimo pe-
riodo.
59 Sente-so enriquecido e quasi an-
niquillado : chama aquella mulher para o
ladodesut cama e declara-lhe a sua inten-
t3o de casar com olla.
60 A sua situatfio e as suas doentas ag-
gravam-s, e morre, deixan lo a sua futura
em projecto ludo o que possuia.
{O' Espectador.)
(fo Peridico dos Pobres no Pono )
CMME8C.
ALFANDEGA.
Jtondimnntndodi* II.....14:093,426
Desearregam Aoje 12 dt dezembro.
Brigue Malhldc mercadorias.
Xirigue halla Buockh familia e caixas
com amendoas.
Briguo Courageute Fuginiemurciorits.
Brigue l*Qo -gneros do paiz.
Brigue-- llenry Mathtus gelo.
lu i ;ue llicaelieu vinho e azeite.
CONSULADO UEHAX.
Rendimeqto do da II.....4:204 903
liiveraaa provincias...... 64^305
4:269,208
EXPORTACAO.
Despacho martimo no da ti
Havre com escala pela Parahiba, barca
franceza Cont Boger, de 317 toneladas
ennduz o seguinte : 1,700 saceos com 8.500
arrobas de assucar, 514 sacras com 2,482
arrobas e 24 I liras de algodo, 1,214 cou-
ros com 38 070 lil.ras. 1.600 ponas, 21 ar-
robas d'ossos, 20 arrobas robre velho, 2
liarncas, 2 caixas c 55 fechos com 178 ar-
robas e 93 libras de cobre velho, 1 caxa es-
tribos e esporas, I embrulho liejoulerias,
1 bah a 2 malas roupa de uso e 1 caixa ef-
lulos de dito.
KECEBEDORIA DE RENDAS GERAES
NTER "SAS.
iMiilimenln do d! 1!......376 q4
CONSOLA DO-PROVINCIAL.
Hendimento do da 11......2.784,578
Si
O Coronel Francisco Mamede de Almeida,
jniz de paz presidente da justa qualifica-
dora da freguezia de S. Fre Pedro Gon-
tslvesdo termo da cidadedo Recife, ete.
Fato sabor que lendo de proceder-so na
terceira dominga de Janeiro prximo futu-
ro, a formadlo da junta qualilicadora desta
rregoezia, em observancia ao disposto no
art. 25 da le de 19 de agosto de 1846.convo-
co por isso de cooformiJade com o art. 4
da citada lei aos eleitores esupplentes bai-
\o declarados, alim de que pelas 9 horas da
mantisa da indicada terceira Dominga,
comparecamna respectiva igreja matriz,sb
as penas da mesma lei.
F.leilores.
Os Srs Tenente coronel Antonio Gomes
Leal, Jofio Francisco Teixeira, Jos Francis-
co Marinhn, Jos Paulo da Fonseca, Francis-
co Mamede de Almeida Jnior, padre Fran-
cisco Jos Tavares da Gama, eommendador
Manoel Goncalves da Silva. Jos Rodrigues
Pereirs, J080 Marques Corris, JoSo llaptis-
ta Fragozo, padre Primo Filiciano Tavares,
Mannel Estanislao da Costa, Joaqun) Alvea
la Silva, Jes Ribeiro de Brilo, Vicente Car-
dlo A y res, Elias Ignacio de Oiiveira e Do-
mingos Soriano Concalves Ferreirs.
Supplenles.
Os Srs.Jos Joaquim deOliveira, Anto-
nio Jos de Castro, vigario Francisco Fer-
reira Rarreto, Luis de Franca e Mello Jnior,
Francisco Jos Silvelra, Luiz Antonio Viei-
Usnoel Antonio da Silva AnUineS, Jos Joa-
quim de Lima, J0S0 Carduzo Ayres, Domin-
ios Alves Malheus, Bernardo Cardozo Ay-
res, 'Joaquim Cardlo Ayres, Salustiniano
de Aquino Ferreira.l.uiz Antonio desiquei-
rs, padre Ignacio Francisco dos Santos, An-
tonio Henriques Mafra e Jos Bernardo de
Souza.
E para constar mandei lavrar o presente;
que ser publicsdo pels imprenta e aluzado
no lugar do costume.Freguezia de S.
Frei Pedro Contal ves do Recife, 10 de de-
zembro de 1850.
F.u, Manoel Joaquim da Silva Ribeiro, ,es-
crivSo o escrevi.
Francltto Mamede de Almeida.
Pela inspectora da alfandegasefaz pu-
blico que, no da 16do correte, se ha de
arrematar em hasta publica a porta da
mesma depois do meio-dis, 1 meio barril
eom manteiga com 30 libras, no valor de
400 rs. a libra, total 12,000 rs. ; 1 fogareiro
le ferro coado, pesando 16 libras, no valor
le 63 rs. s librs, total l'OOO rs. ; spprrhen-
lidos na conferencia do manifest ds gslera
ingle/a Strap/iina pelos escripturarios, Mo-
ldo a arremtatelo livres de direitos.
AlfandeKs de Pernambuco. II de dezem-
brode!850. O inspector interino, Beato
/os Fernandet Barros.
Pela inspectora daalfandega se fazpu-
blico que, no dia 16 do corrente, se ha de
arrematar em hasta publica porta da mes-
ma, depois do aneo-dta, 9 relogios de ouro
le patente guisao. no valor de 100,000 ra.
cada um^putal 200,000 rs ; I dito de prata
de dito, dito no valor de 50,000 rs.; appre-
hendidos pelo ajudanle do guarda-mr a
bordo do patacho dinamarqus Sueeours,
por nBo se scharem manifestados sendo a
arrematado livre de direitos.
Alfandega de Pernambuco, 11 de dezem-
brode 1850. o inspector interino, Bento
Jos Vernandes Barros.
Pela inspectora da alfan lega se fas pu-
blico que, no dia 16 do corrente, se ha do
arrematar em hasta publica a porta da mes-
ma depois de meio-dia ; 4 duzias de gar-
rafas com cerveja com 12 medJas no valor
de 1.000 rs. cada medida, total 12,000 rs. ;
apprehendidas pelos escriplurorios na con-
ferencia do brigue inglez Bichard, vinrig de
Liverpool, sendo a arrematado livre de di-
reitos.
Alfandega de Pernambuco,! I de dezembro
de 1850.--O inspector interino, Bento los
Fernanda Barros.
riojolgou conveniente suspender os espeo
taoulos stjsneiro do prximo futuro au-
no, que de novo continuar com seus tra-
balhos, dando assim ferias so respeitavel
publico, aajuom nlo rallar intretenimen-
tos e dUtraccOes durante a fasta.
Avisos maritimos.
Para a cidade do Porto sahe,
com muita brevidade, a veleira e
bem condecida barca portuguesa
S.-Cruz : quem na mesma quizer
carregar, ou ir de paaaagem, para
o que tem excedentes commodos,
dirija-se ao seu consignatario
Francisco AI res da Cunta, na ra
do Vigario, o. ti, primeiro andar.
Para I isba sega* viagem at 18 do
correte mei o berganlim portuguez lam-
i I, capitSo Mtnoel de Oiiveira Faneco:
quem no mesmo quizer carregar ou ir de
pasasgm, psra o que tem os mais excellen-
tes commodos. dirija-se ao mesmo capillo,
od a seu consignatario, Manoel Joaquim Ra-
moseSilTa. aso&jecos que demandara preo
rara O ato de Janeiro stM. BNphicos, retratos equaesquer desenhos.
rom a maior brevidade nonsiva! Ll* e lyp.* mblomaiioos, ornamentos
COin a maiorreviuauepossivel, jipara capas Ja livroa, e .fin.I todos os ob-
brtgue nacional Firma : quem no'Jeios relevo, com delicadesa. As
_____..... "
qoatroroin.cdmbuxas pslentes, ds'me-
Ihorconstructflo possivel, e muito supe-
rior is que teto appsreci.lo ou possam p-
psrecer, visto nlo se haver poupado despe-
za psra qoe a sua construccBo fosse eve e
combmsdacomarortaleza; carregs faell-
mr-nte o peso de quatrocentas arrobas; roi
o ,l,-in* 'n8,,terr expressamonte para o
Brasil, e he de grande apret para o senhor
oeengenho que possua partidos em var-
gens, ou propriedades prximas a estradas :
nao sotTrecomparacSo com hs obras fran-
zinase com rerragens defeituosas, qusesse
construem em alguns engenhos, e to for-
te he, qoe nSo pode deseoncertar-seou inu-
tilissr-se, sem que por muitos sobos teolia
prestado aturados servljos. Igualmente se
venderSo duas carrot*novas, de duas ro-
das, om cavado, carrinhos de mflo, arreaos
psra carrota, e muitos outros objeolos
Uteis : terca-relra, 17 do corrente, is 10 ho-
rss ds snsnhSa, no Giqui, dentro do sitio
da Estancia ;esdverte-se que, em conse-
quencla do vendedor estar prximo a se-
gUi,,f Ti,8em forcoso Ibe ser* vender ludo
Miro pagavel no arto da entrega.
Preciaa-se de um caixeiro portuguez
que tenhapralica de venda ^na rus Direi.'
ts, psdsria n. 26, se dina quem preeisa.
orferecs-se psrs Sxeiro de qualqu
estabelocim nto, a expjsjcSo de venia, umi
pessoa com habiitstaBnlando dador sui
conducta : qunm pratepdar, dirija-sa rus
Nova n. 60, primeiro andar.
No dia 16 do corrente mei se ha de r-
rentalsr em prata publica de Sr. Dr. juiz
de orphttos, a renda aaoual do trapiche de-
nominado Trapichado Ramo*--, na r:ij
nova da Praia, o qual compOe-se de um
grandearmazom, qio Hca us fundos de
outros que alli existem. lendo para dito ar-
mazem entrada independente dos outros
lilos guindastes na freniedo ciea e da dita
*; avaliacoo heMa ren.la anaual de
oMwntos mil ris, que vaOLpraca a eaquo-
rimanto do tutor dos orphflTn, fllbos do r, 1.
lecido Jos Rsmos deOliveira : he a ultima.
?" i
O sbsixo ssslgnsdo pede s WgaM o
credores da venda da ra do Lvra mentar
30, qoe gyra debaixo da (Irma de prado &
Companhia, hajam de apresentar suas con-
tas correntes 00 prszo de cinodias para o
fecho de contas da liquidado da toetaatade,
I***'1" """" nSo devero confiar *b*m -
- Abrem-so e imprimem-se biliietes delneros paras dita venda da data desta em
visita em qualquer carcter, rtulos e todos I diante, pois que o abaixn assignfdo *e nSo
S viecLoa aue flAm.ndftm >ii.^. s: r^-r^.-...hiit-. .....i...u ..___ _.
Avisos diversos
Oecliirayes.
Movimento do porto.
Navios sahidos no din\\.
Itia> de Jsneiro Patacho nacional Curioso,
meslre Manoel Rodrigues Faneco, erg*
algodSo e assucar. Pssaageiros, Jos
Fini isco Lopes da Costa, 1'mhr-lino Go-
mes ds Silva Saboia, Bento (ioncalves e
3 e sera vos a entregar.
Par pelo Cear -Escuna nacional Mara
Firtnina, meslre J0S0 Bernardo da Rosa,
carga tarios gneros. Passageiros, Este-
v3o Antonio Calvfio, Francisco Fidelio
Barroso, Joto de Maredo Pimenlel, Vi-
cente A Ivas de Pauls Pessoa e Leocadio
de AndTaJe Pessoa.
-Pela segunda sectSo da mesa do con-
sulado provincial se faz publico, que os 30
lias que a lei tem desuado para o paga-
mento a bocea do cofre, da decima dos pre-
dios urbanos dos hairros desta cidade, do
primeiro semestre de 1850 a 1851, se prin-
cipia a contar do dia 3 de dezembro pr-
ximo, e que lindo este prazo incorrem na
multa de 3 por cento sb o valor de seus d-
bitos todos os que deixarem de pagar.
-- Pela subdelegada da freguezia dos Ali-
gados roi adiado um menino do non e Jos
com um cavallo castanho, diz o menino mo-
rar seu pai uo ngenho Miimolengue : quem
sejulgarcom direito aodito meuino, com-
pareta na mesma subdelegada.
-Pela sublelegada deS Jos do Recite
foi apprchendido, por andar fgido, um
prelo de nome Pedro, Angola, que decla-
rou ser escraio de Joaquim Marinho Caval-
canli, morador no engenho Penedo de Bai-
lo : seu legitimo senhor apresenle-se com
O Seu titulo para I lie ser entrevio'
mesmo quier carregar, ir de pas-
sageu, ou embarcar escravos a
frete, dirijn-se ao capitao a bordo,
ou a Novaes 8c C. na ra do
Trapiche n. 34.
Para o Rio de Janeiro
sahe, por estes 4 ou 5 das, o bri-
gue nacional Conceicdo, por ter
quasi toda carga prompta ; quem
quixer carregar o resto, embar-
car escravos a frete, ou ir de pas-
sagem, falle com Manoel Alves
Guerra Jnior, na ra da Cruz,
no Recife, n. 4o, ou com o capi-
18o, Manoel Francisco dos Rea.
Para o Rio de Janeiro sahe com brevi-
dade, por ter a maior parta de sua carga, o
brigae Sttn Manoel Augusto, capilSo Jos da
Cunha Jnior : quem quizer carregar, em-
barcar escravos 00 ir de passagem, trate
com Manoel Ignaaio de Oiiveira aa praca do
Commercio n. 6. ou com o capito.
Cear Maranhio e Para
sahe, coma maior brevidade pos-
sivel, por ja ter a maior parte da
carga prompta, o bem conheco
brigue escuna nacional Latir: pa-
ra o resto da carga e passageiros,
trata-se com o capitao a bordo, ou
com Novaes & C., na ra do Tra-
piche, n. 34>'
Parala Baha
sahe, com a maior brevidade pos-
sivel, por j ter prompta parte da
carga, ohiate nacional Amelia :
pira o resto da carga e passagei-
ros, trata-se com Novaes & C. ,
na ra do Trapiche, n. 34.
I'ara o Cear.
Espera-se com toda a brevidade de Lis-
boa eom deslino so Cesri, o brigae nacio-
nal Empresa, forrado e encivilliado do co-
bre e de superior marcha; demorar-se-ba
aqu 12 dias, e receber carga e passagei-
ros : trata-se ns ra ds Cadeia Jo Recife n.
17. secundo andar.
Leiles.
Hahia- Hiele nacional Ltgtiro, mestre Joa-
quim JoiAUua das Nevea, carga vario*
generas. PafflagPlroa, es acadmicos Josrl
Antonio Fjelo BrandSo, Agrario de Sou-I
za Menezes, Anlero Sirio de Assis, Mauoellcostume.
Carvslbo da Costa. Crstuliano Jos di! Por s retirarsm para f.-a i cidade mui-
Thealro de Santa-Isabel.
35.' RECITA DA ASSIClVATtlRA E ULTI-
MA DESTE ANNO HE 1850.
Boje, 19 de dezembro de 1850,
a companhia nscionsl representara o excel-
lente e muito applsudido drama em 5 se-
tos, ornado de msica
A GUACA DE DOS-
O administrador emprexsrio, por satisfa-
zer osdesejosdealgumas pessoas que an-
da no poderam assistir a representseflo
desle bello drama, lancou mlo dello, jul-
gando assim demonstrar o muito que pro-
cura em ludo agradar ao publico que o hon-
ra, e a quem tanto deve.
No fim do drama o actor Santa Rosa
Ur a engracada ana da Polka.
Terminara o espectculo com o bello e
gracioso duelo, cantado palos artistas hay-
mundo eJoanna Januarie,
O MHriiiho e a I'bre.
Cooiecara s 8 horas.
Os bilhetes scham-se i venda
can-
no lugar do
O corretor Oiiveira fr leillo de um
escravo moto eom oficio do pedreir, um
dito rozinlieirne refinador de assucar, um
ditopara todo o sjervico, urna negrlnlia de
11 annos, costureira, e outros escravos eom
habilidades-e sem ellas; assim como de
grande porcSo de boa mobilia para ultimar
cintas, consistindo em um magnifico lou-
cero, trems com pedra msrmore, um leilo
francs, um dito inglez para casados, mesa
redon la de meio de sala, dita cosnprida pa-
ra cha. camap, cadeiras, um aparador qua-
si novo um relogio de cima de masa com fi-
guras de bronze de ezquisito goslo, nutro
proprio psrs escriplorio, reparticOo publica
ou casa do campo, candieiros de globo,
quadros, berco, orna cadeirinha da Bahia,
orna dita para hombros com correias, lava-
torios, muitas garrafas e copos de cristal
lapidados, vasos dou'ados para flores, es-
lieses com mangas, etc. e muitas obras de
prata, como sejem 1 salvas, casticaes, om
spparelho para cha e cafe do meIhor livor,
e um faqueiro completo eom facas de folha
de prata, e de ISo rico feitia, qual nao se
encontr igual fcilmente.'lendo cuatado
m! francos em Franca, ele: quinla-foira, 19
do rorrele, s 10 doras da manhfla, no seu
escriptorio, ru da Cadeis.
- (1 corretor Miguel Carneiro fari leilBo
no da 13 do correle, s 10 horas da ma-
ntilla, no seu armazero, na ra do Trapiche
n *. de diversos trastes, loucs com ricos
salaros, ob'as de prata, relogios, sellins,
espingardas inglrzas e estojos matbemati-
cos ; alm destea ohjeclos ter um rico pia-
no e um famoso bilbar : quem tiver preci-
sSo que venhs comprar.
- 0 engenheiro civil De Mornay fsr lei-
18o, por inteivencJo do corretor Oiiveira,
de muitas ranetas do melhor- gado inglez
de rata p ira, sendo todas, com urna s e*-
eepeflo, cresulas, o por isso livres do risco
que corre o gado reeam-chegsdo por causa
de mudante de clima, do psslo, etc. ; des-
necessario he conimeotsr mais sobre a re-
conhecida bondade desle gado, j pela
abundancia do leite que d, ja pela sua
mansdsoe particularidad* de dar leite in-
dependente de bezorro, como pelo lado van-
te joso de se pode
ciotu, pcoiu uencaaesa. As pessoas que
pretendereanslgumas destaa cousas, diri-
jam-ae rus do Brum, defronte da fundi.
c8o ingleza, ou as seguintes lojas de li-
yros : na ra da Cruz 0. 56, na prata da In-
dependencia ns. 6 e 8, e no patee do Colle-
gio n, 6, onde sefor mister poderlo deiisr
seusnomes e morada para serem procu-
radas.
lugsm-se, por proco commodo, os sr-
mazens da casa da ra nova do Brum, per-
lencenless Francisco Alves da Cunha, pro
prlos para armazem de assucar, com caes
na ra do Vigario, n. II, primeiro aodar.
Aluga-se o segundo andar e solsocor-
rido do sobrado ama re lo da ra Augusta -
o sitio da estrada do Cordeiro, proprio para
pessoa que tenha tratamenlo; um outro na
campia da Casa-Forte, com cass nova, co-
eheirs, cavallance, e diversas casas pro-
prias para se pissar s festa : os ra do Amo-
rim, n. IS.
Aluga-se urna casa no Poco ds Panel-
la com' bons commodos para grande familia,
eslribsria para qoatro cavallos, boa agoa de'
beber, e jardflb na frente ; sdverte-se mais
que edita casa be murada em roda o tem
u m grande copiar tapado com frente e sa-
bida para o rio.- s\ tratar na rus do Trapiche,
armazem o. 44.
--Roga-soeoSr. Msnoel Filippe Santia-
go queira vir fallar na venda da ra do Hos-
picio do Leflo d'Ouroa negocio que n3o ig-
nora, pois j se tem procurado por varias
vezes em sus cass.
-- Itoga-se ao Sr. Manoel Ferrelra da Cos-
ta snnuncie sua morad* para ser procurado.
- No dia 17 do corrate, em prata do Sr.
juu do civel da primeara aja*, se ha de ar-
rematar, por aer a ullirrw'fNlda, as fazen-
das e armado da loja, que foi do finado
Joaquim Rodrigues Costa, a requeriment
do respectivo teatameatairo Manoel Rodri-
gue* Cosls.
A mesa regedora do glorioso patrisr-
chaS. Jos de Riba Maroaavila a lodos os
irmSos para, no dia 15 do corrente mez, ha-
ver urna mess geral.
Castalia Rrasllelra.
Desta publicataosahirar ltimamente os
5."e6. nmeros, lendo por fim reunir lu-
do quanto ha de mais precioso na posis
biasileira, ella conta em os poucos nme-
ros publicado* composcOes de subido m-
rito : suhscreve-se nesta prata as lojas de
livros do paleo do Collegio ; ds rus do Col-
legio, n. 9 ; do Sr. Cirdoso Hyres ; e do Sr
padre Ignacio. Neslrs lugares acham-se al-
guns eiemplare* dos os. publicados. Preto
da assignalura 9,000 rs. por oito nmeros.
Os Sr*. a-signantes acadmicos, que por se
haverem formado nSo voltsram, podem s
todo o lempo mandar procurar os nmeros
que Ibe faltam, mediante um bilhetede sua
assignalo'a.
Doabaixo acsjgnsndo fuglo, em 6 de
dezembro do corrente anno, o seu esersvo
crioulo de nome Antonio, de trints annos
pouco mais 011 menos, estatura regular,
corpo ebeio, olhos amortecidos e falla des-
cantada : este escravo foi comprado a Mi-
noel Galdino Wanderley t.ins, morador no
engenho Urejo Novo, em SerinhSem ; dizem
que rOra quem o seduzio par* rugir, e qoe
olem lidoe contina a ter am seu poder,
ora no drto engenho Brejo Novo, ora no de-
nominado Pao Sangue, tambem em Seri-
nhfiein, de propriedade de um seu prente
Roga, porta nlo, o mesmo abano issignado
a apprehensfio do dito eaaravo, rogando-a
tambem a qualquer particular, a quem pro-
meti a gralificato de 50.000 rs. logo que
Ihe entregue o dito escravo. na ra Direit*
desta cidade, sobrado n. 191, ou no enge
nho dos Pintos, riegueiia de Saalo Amaro
de Jabosl.lo. Jos Fernnndes da Crttt.
yuem precisar para eaix-irode lojs de
fazendas de um menino brasileiro com 14
annos e com alguna ortica desta negocio,
por leraidn csijsjrouo iua loja na cidade
da Parahiba, dirija-se ra Nova n. 49, lo-
ja de alfa ialeao p da Conceicio dos M Ha-
lares ; sdverte-se que o menino he lilho da
praia de Lucena, muito bem educado e
aqu nests cidade nao tem prente algurn, a
excepeflo de um lio, nlo lera conheclnSen
tose uemamizade com pessoa alguma.
Madaane Dalairac previne aos Srs. 00-
leolores ou arromalant^s das agoas-arden-
les de produejo brasileirs, que nlo vende,
nem nunca vendeu, no seu estabelecimenlo
da ra Nova n. 67, a dita producfBo.
Precisa-se slugar um prelo captivo ou '
rorro,que seja fiel: no bilbsr rrancez da
rus Nova.
-- Precisa-se slugar um preto. para ven-
der fazendas em um taboleiro : na ra ds
Cadeia, n 95, defronte do Boceo Largo.
A pessoa que precisar da verbutina
prata e azul, dirija-se a travesea do Rozado,
luja de cera n. 3, que acitara com quem
tratar.
Precisa-* de
'cspnsatiilisa por qualquer oonii que se
Ihe apresentar, devendo as contas correntes
Ihe serem entregues em sua mo para se-
rem examinadas. Itecife, 9 de dezembro de
1850. Francisco do Prado.
Preciss-se de um* ama saca* para o
servito de urna casa de pouca familia: al
ra Nova, loja de chapeos n. 46.
Roga-se ao non plus ultra enredador,
quedeize-se de andar fallando por bote-
quins, vendas e esquinas da vida alheia,
busque slgura meio de vida e cohiba-ss de
praticar la es vi Mezas; do contrario ter de
ver em lettra redonda a explicato da sua
varnha mgica, que em todo he igual de
0. Jos de San tar ti e D. Cezar de Batan,
entende Sr. C. t- O inimieo 4os folladora.
Preciss-sa slugar dom preto* sadios
para trabalharerri em um armazem de com-
pras e vendas de assucar: qu*m os tiver,
dirija-se ra da Cruz, do Beeite, araaa-
zens n. 5 00 ti, para tratar do juste
Precisa-se de urna ama de leite: o*
Boa Vala, ra de Santa Croa n. 8.
Attenco.
Preciss-se de um pequeo brssileira au
potogoat par* caixeiro d urna confeito-
ria : na ra do Rozarlo estreita n. 41
D-sa dinbeiro a premio em pequeas
quantias sOb pe nho res de ouro : ns ra do
Cabug, loja n. I C, de Joaquim Jos da Cos-
ta Fajoies.
Tendo al do encarregado pelo Sr bernar-
do Joa da Cmara de dirigir |oa ir abalboa do
escriptorio da tvpographi* nacional, a vend-
me agora forfado a deiiar a trela per me aer
impoaaivel sujrllar-ineao que de ulmeiiglo o
meaino Sr.; e comprehendendo o lugar que eu
eiercla recebiineolo da ataigoaturaa, ele., etc.,
rogo ao senhor redactor a publfcacio ato doeu-
meoto junto, com o qual provo que nenbum
alcance Uve com a casa, para arredar qualquer
uapeita que poaaa motivar a mulita 1
Jos Raymundo ia NativiiiU
Ueclaio que havendo mltter que
encarregada deata lypographia aeja conataate
aella dede tnanhia aedo at a nolie a hora
de aer entregue oa jornaea ao, deitrlbuldorea,
e nao podendo oSr. Saldanha, como di.*, aak-
metter-se a laao. he o motivo porque p.ffaaxi a
aer aubatltuldo por outra pessoa, aja tendo at
o presente descoberto taita da parle 4* enramo
aenlior. Recife 10 de deiembr* de 1850. --ter-
nario Jote t* Cmara. Eatara reeoabeciaa.
Sorvf$es.
De boje em rilante llavera ptimos sosa-
te* de variss frutas, daa 6 horas e raerfr-da
tarde em dame : na ra Nova n. 60primei-
ro andar, com entrada pela ruado Sol, con-
fronte ao chafariz; assim como tambem no
hotel commerejo.
Na ra da Conceicgo da Boa Vista n.
II precisi-se da urna ama para comprar e
coslnhar, psra urna esa* de pouca familia.
D'sappareceu no dia 10 do corrente
mez de dezembro, um preto por nomeaJMb
Mariano, reprsenla lar 95 annos de idade,
estatura regular, crioulo, reforcado. rosto
grande, tem um* marca de golpe de espada
no pescoco, e outra no olbo direito, no qual
tem uros belide.be bem talante, levou calca
atroata
' conseguir a approprjads
uiMiuraeom o gado da terr*. para produ-
zir ptimos bois de carro maiores e m.is nr.. e engomnii o diario
fortes. Tsmbem se vender urna carroc* de 'gio n. 25, segundo andar.
um amasssdor e corla-
dor de massas : na rus do Rosario estreita.
padaria o. II.
~Mu#**ii umg aprata ma> lava, cod
Ua rii5 ds "v"b-
hranea e camisa asul, um honet, urna
atada em um lento amsrello : quem o achar
podc-o levar a ra Velha n. 61, ou na po-
voacilo do Montelro.caaa terrea junto ao so-
brado, que ser recompensado.
Precisa-se de nm bom connheiro. pra-
ferindo se casado, para urna es* estran-
geira : a fallar oa rus do Trapichen. 40.
-- Alugs-se, pelo lampo da reata, um sitio
pequeo na Capunga, com bastantes arvo-
redos de fruclo, a casa para ramilia, com
cacimba de boa agoa de beber e tanque ps-
ra bsnho, e muito perlo do rio ; atrs dos
Martyrios, ruado Calleireiro, o. 46.
Precisa-se de um* pret* forra para todo
o servito interno a externo de um* oas* Ha
homem solleiro : n* rus estreita do Roza-*
rio, loja demiudezas, n 9 A.
Na roa da Praia, becco do Carioca so-
brado ds esquine, faz-se almoco e jantar
para rra com muito asseio e perfeicSoa
contento dos freguezes, mandsndo-se lavar
a casa daquellaa pessoa* quenSo tiverem
quem os vanha buscar.
Sarrete.
Ti hfjs es diaiiie naver* sorvele eom.
todo o asseio, no caf do* arcos junto ao
tliealro velno, daa hora* amela da arde
em diante.
-- Preciss-se de um Portuguez, prefatin-
do-sedas iloas, para feitor de um engatillo
na provincia daa Aiagoas : quem ealiver
nestas circumstancias, dirlja-se ra da Ca-
deia de S.-Aotoaio, sobrado ao p da guar-
da, que achara com quem tratar.
Ns rus do Cabug n. 1 E se dir quem
d 5004000 rs. a juros de a por cento ao mez,
obre hypullioca em casas torreas nesU
prata.
Lua da Silva Oiiveira Csmaello retira-
se para fra do imperio.
- Precisa-se de um rapaz de 19 15 au-
no* para caixeiro da ra : a tratar ni ra No-
va n. 39. a fc
Quem far dono de doua cava 11 os, djaV
J-se so sitio Cspetlinha, jtie, datada *s
*ignsea e pagando as despea e daatrtJefo
que fizeram, Ibe serfio entregues. I
consultorio homcc>pa(hico
do Dr. Alotcoso mudou-se par a
ra do Csegio, n. 25, primeiro
aodar.
%
I


de gro Portuguez citado, pi-
tido perto deita praca : na

-- Antonio Candido de Miranda, ni qua-
lidade de-tutor do menor Manoel do Niaol-
ntenlo, noto _bi;rdefro do fallecido Jlo
Leitao FiguelK fiz publico, que por pirte
do ieu tuteleMp'ocedeu, pelo juizo dos or-
phffos destn eliJide, a sequeslro em todoa os
bens movis, semovcntos e de raiz, que fi-
caramnor morte d Josu de Jess Jardim,
fillio fomesmo Flgueira, por estarem oa
mesmos fcens protdevuo. E para que cha-
ge so conhecfment de todoi, e se obviem
questoes para o futuro, faz o presento an-
nuncio.
- Precisase de
ra feltorde um aillo perto
rui Nova, n. 46, foja.
:-Oabmxo|hsignado deixou da jar eal-
^T."JaB,l'i,,0Sr J" de C. Monea,
desde, p Wr do corrente : aprovelta-ae do
ensejo para agradecer io meimo Sr. o bom
'"Tit1*0 e '"">"* jaMMo. .. oto Antonio di Mora*,.
^Wi sbaixo assignados fizem scienteeo.-
J!?^^m,l^r,,8 d>coi><)mode ago'ar- uma loja de miudezaa: no Aterro
ZZ Produ,,vlf b">silelra, que nunca Viata n. 79.
venoeram ties eaplritos em aua caaa, sita na
ra larga do Rozario, n. 97, equea penho-
ra que aolfreram do semestre
--------------TV
verdideiros
gues e Antonio Bislos, seus
possuidores como provam.
Aluga-se um preto para alguma pada-
ria ou renacBo, sendo Umbem bom cano-
elro : quem delle precinr, dirija-se a pra-
ea da Independencia, toja n. 14, ou em Olin-
di, na ladeira da Misericordia, caaa que
tica contigua a-um .obrado de um andar
que nestes logares acharflo con quem
tratar.
Precisa-se de um liomem qne trabilhe
de enjada, entenda de viccas etire leite :
na Magdalena, estrada nova, primeiro por-
18o de ferro. No mesmo lugar lambem pre-
cisa-se de um bolieiro.
Aluga-se um segundo andar e solflo, o
qual lem commodos para familia ; adverte-
se que esta casa foi reedificada de novo,
tem viata para o mar e he bastante fresca :
na ra do Pilar, em Fra de Portas, n. 145
Precisa-se de um Portuguez de 10 a 19
annosde idade, preferindo-se Jos chegados
ltimamente do Porto, para caixeiro de
da Boa
que se vene
roram conectados, nem podiam aer, por
que inflo o mem0 -resalante em aua a.
f* p"u\.V, coU'eliT, Ibe fizara ver que
ues bebidas nSo vendiam. como podem
prov.r se noeeaaarioTr ; continu o 8r. ar-
reo aunt com ealaa arbitrariedades que
.?" M,,dg' <|uo pode Pra-U0
rremalou multo caro: e para quesenflo
chame a Ignorancia, fazem o presente an-
nuncw. .inumio Bentode raujo & C. .
-Arrenda-ae, pelo lempo da fesla, orna
casa oo Pote-da-Panella, com commodos
K?sur,a!-,h",,"s /"" Cora M,noel
da bilva Neves, na ra do Pilar.
.."L,!.,"S""M de .u,n r,P,z brazileiro
ou portugus que tenba bastante ortica de
pauana, para for deaU cidada, quem eati-
r."f "XZTSSP^ de bWB de*>mpenhar
este trafiet procure na ra do Crespo em
caaadeXisto Vieira Coeltio que ahi acitara
ooaa ajean tratar.
-?Prearisa-ae de ama ama que saibi co-
lara eugommir, p.ra caaa de homem
aolteira : em Fra de Porlas. ru do Pilar.
Queimado, n, 33, lja de n udezas, junto a
de cera.
fmmmmmm &m>mmmmm
ttf* loja do sobrado amarello nos
quatro cintos da ra do Queimado n.
f9, vende-se o seguinte .-
Cortes de calce de casemira,
padrdes novoa
| Ditos de dita de brirr. tran-
cado decores, puro lioho
I Alpaca de cores propria pa-
ga ra casaca e palito, covado
m Chapos de massa,francezes
S Lencos de seda para grvala
m 800 ris e
Sl-uvas finas de Do da Escocia
para homem
g. Corles de tapete para sapa-
5 los, gosto a' Turca
m Cravatinhas de seda para so-
nbora
Chapeos de sol de seda para
m saohora a 9,500 e
Pecas de chita com 38 covs.
Ditas de cassa de quadro
com 8 1|9 varis
I Cortes de eassa de cores
I Lencos de cambraia de seda
de franja, para aenbora
MeJos chales de seda .
4,000
3.000
800
6,000
1,000
390
800
1,000
6,000
5,000
1,280
9,000
800
6,000
Ma padaria nova do Manguinho, ao vi-
rar para Baixa-Verde, precisa-ae de urna
pessoa para vender pues em um quirlo :
quem neste caso eativer, dirija-se a meama
padaria que achar com quem tratar.
Aluga-so Urceiro indar da Cata d
ra do Oueimado com commodos para urna
grande fimiha : na ra do Passeio, loja
mero 91.
JoSo Marques dsSvs Henrjques reti-
ra-se para fra do imperio : quemse julgar.
aeu credor, apreaenl-se na ra Bella, n. 4. Iz,, m11" flno <'ue 8e P',e encontrar, e
Quem liver duascanoas aberUS e aa|por Pre<"e no deixarao de agradaraos
queira alugar, dirila-se ra da Praia, n. |f.mP/"orea : oa ra do Qoeimado, n. 3S,
95, primeiro indar. I0J* e niudezaa, junto a de cera.
Bom e barato.
a festa, a 2,000 rs. ; ditos de velludo e pan-
no fino para meninos, a 800 rs.: na ra do
Queimado, n. 33, luja de miudezas, junto a
de cera, nos quatro-cantos.
Vende-se, por preco coro-
modo, tima porcao de carvao arti-
ficial : na ra da C'adeia, n. 4&>
escriptorio de A. S. Corbett.
Vendem-se charutos de boa
qualidade, em caixas de cem, os
melr-ores que reem vindo da fia
liia : na rua da Gadeia, n 48, es-
Cartas finissimas parajogar.
Vendem-se cartas franceas e portugue-

l_nulo Gnlgnoux, dentista
iramcer, otTcrece sen prest- #
i nio ao publico para todos os
m mlstercs de sna proflsso:
pde ser procurado a qual- f
2:Se ftorl* e,n saa ea8a b
tinalaitndo Hozarlo, n. 36,
arfando andar. '
**_
--Priaa-sealugar um molecoUesperto
e de boa conducta pera o seriSo interno de
uma casa maleza : paga-se bem : quem ti-
aer, annuncie.
Don.ingo *4 do corrente,
perdau-ae desde a Passagem da
Magdalena at a rua do Collegio
urna pulceira de diamantes enfia-
- a tver adiado e quizer restitui-Ia,
dirija-ew a rua da. Cadeia do Re-
cile, primeiro andar da casa n
38, que ser gratificado com a
quantia que valer a mesma ataca.
-- Quem quizer ooflprar um eacravo de
naeUA.com 30 annoe de idade, bastante pos-
sintfWperito oflicial de c.laraje, e bom
ciuoeiro; dirija-e rua do Appollo, ar-
ma zem n, 8, que se dir quem o vende.
-Pade-o8r. Maninhoda Silva Costa,
director que foi do collegio S.nto Antonio,
de ler aboodade de mandar pagar o restin-
te de una letra proveniente do alugoel da
risa id que esteve o mesmo collegio.
Aluga-se uma caaa terrea na roa da
Clonadla Boa Vala n. 6, com bons commo-
dos: quem pretender dirija-se 10 Itecife
rua da Snnzalla veiba n. 70
Precisa-se de um caixejro que d fia-
dor aua conduce, para entregar po a uma
freguezia com um preto: nSo ae reaponsa-
belisa pelo fiado : na padaria do pateo da
8.-Cruz, n. 6.
Afe.iicao.
O arrematante das ifericSo deste muni-
cipio scienlifici pela terceira vez, que icha-
sa quaaiesgotado o'lampo marcado para
aferirom iquelles que nos annoa anteriores
teemaferido.
Precisa-se de um bom coii-
nheiro na rua das Trincheiraa.
sobrado de dons andares, n. 19.
Precisa-se de um criado na-
cional, ou estrangeiro, que d
boas informaedrs de aua conducta :
na rua das Trincbeiras^ n. 19, so-
brado de a andares.
Oibaixo assignado, roga as autorida-
des policiaes ou cap 1 fies decampo que vi-
rem a escrava crioula de Dome Aona, de
idade 40 anns pouco mala ou menos, oola
foi escrava do Sr. Manoel Joaquim do Rgo,
senhor de engenho Pires fugio no dis 9 do
'orrcnteis 3 horas da tarde, levou vestido
ja vejho de chita, panno da costa cara
comprids, nariz chato, chela do corpo, um
tanto barriguda, btstaqte preguieosa : a
pessoa que a pegar dirija ae a rua Direiti
n. 3, que aer generosamente gratificado.
Jos da Fornico Silva.
Fz publico o ablixo assignado, aos
seua freguezca deata provincia e das cir-
cumvislnhas.que na sua loja da rua Nova
deata cidade, n. 23, novamntee estabeleci-
da, existe um grande sortimento de fazen-
dis inglezas, francezaa e de to;!is as mais
nsgOes, por precos muito em conta ; e para
a mais prompla liquidarlo das fazendas
rrincez8squoseacfcivam no'dito estbele
cimento, ni occisfSo da compra, vendem-
se por menos de uma terga parte do primi-
tivo custo as fazendas seguinles: cun-
de viriis cores e livndos, meias de sedo
para homem e aenbora de lodos os Uma-
ohos, brancas e pretas, corles de vestidos
de seda e de lanzinhas, bicoa de Blonda de
todas as Isrguras e suparior qualidade.cam-
'"a de cores Dnai, perfumaras luvasdr
seda e de pellica, de lodos os gostos e tama-
itos, meiaa de ilgodSo e de fio daescori.
Jilos, chapeos de sol para homem e aenho-
Vendem-se cartei rinhas com agulhas fran-
cezas, a 380 rs.; ditas em caixinhaa, a 320
rs.; caixinhaa com brinqedos pira meni-
nos, a MOrs.; ricas franjas proprias para
ortlnadoa de camas, por preco que nin-
guem vende; tesourinhas inglezas muito
Unas, a 500 rs.; superiores escovinhas pa-
ra dentea, a 160 rs.; quadroszinhos doura-
dos com estampas de santos, a 120 rs li-
nha de peso, a 60 rs. a seiada; agulhas can-
toras, a 60 rs. o papel; penses finos de ali-
aar.a 360 rs.; bengalinhasde junco, a 200
rs. ; agulheirinhos de vidro, a 900 rs. : ba-
badoa abarloa de lioho, a 190 rs a vira
oaeas brancas psra senhora, a 320 rs. e
outras auitai cousas que palo diminuto
.reco nlo deiajarSo do agradar aos compra-
dores; na rua do Queimado, n. 33, loja de
miudezas, junto a de cera, nos quitro-
cantos.
Vende-se um'* lindo pardo
escuro, de 20 annos, bom fornei-
rot e que sabe fazer pi de todas
asqualidades e bolinbos : na rua
daa Larangeira, n. 14, segundo
andar.
Vendem-se caixinhaa
costura ou para guardar
guarnecidas de metal, com boas
fechaduras de duas molas, conten-
do cado1 uma viute c tantos frascos
de
joiaa,
criptoriode A. S. Corbett.
Vende-se I lindo moleqo de 18 annos,
coainheiro e copeiro, proprio para pigem;
2 pretas engommandeiras e cosinheins; 2
ditis deservicode campo; 1 pardo carrei-
ro 1 preto de 20 annos, tanoeiro ; 1 dito,
de servico de campo i no pateo da matriz
de Santo Antonio, sobrado n. 4, se dir
quem vende.
-- Vende-se um rico cavillo bom estra-
deiro, gordo, e bonita figura : quem pre-
tender dirija-se a cocheira atraz da rua No-
va, travessa da rua do Sol, que estar
i patente para quem liver bom gosto.
Luvasde pellica.
Vendem-se muito superiores luvas de
pellica de ponto inglez para homem, a 1,800
rs : na rua do Queimado, n. 33, loja de
miudezas, junto a de cera, nos quatro-
cantos.
Luvas de torca I para aenbora.
Vendem-se ai mais superiores luvas de
torcal que ae pode encontrar, a 1,000 rs.
par : na rua do Queimado, n. 33, loja de
miudezas, junio a de cera, nos quatro-
danlos
Meias de laia para padres.
Vendem-se superiores meias de laia para
padres, celo baralissimo preco de ,000 rs. :
na rua do Queimado, n. 33. loja de miude-
zas, junto a de cera, nos quatro-cantos.
Gomma superior.
Ni eonfeitoria da rua estreita do Rozario,
n. 43, vende-se saccas com gomma, 1 6# rs
Vende-se um preto donacSo Mozam-
bique, i|:o, de bom corpo, d-se em conta
por haver precisSo para acudir pagamento;
uma pretinhi com principios de costura,
ambos sem vicio: ni ruado Rangel n. 38,
segundo andar, se dir quem vende.
Globos de vidro.
Anda resta para vender-se alguns globos
de vidro proprios para escada, corredores e
mesmo para illuininacOes por serem muito
commodos em timando : ni rus do Trapi-
che-Noto n. 10
Vende-se uma canoa de carreira que
carrega 8 a 10 pessoas. por preco muito
commodo : a tratar defronte do quartel de
polica o. 3.
rua da ConceicSo da Boa-Vista, n. ,9. Na
meama casa arrenda-se, ou vende-se um
grande sitio, com muitos arvoredos, duas
laixas comcapim de planta e pasto para 4
ou mais viccis.
FOMilMIAS I'AIIA 1851.
Xa llvrarla da praca da Inde-
pendencia, ns G e 8, vendena-wi
lillii 11 has de algibeira e porta, pa-
ra o anno que vena.
--Vende-se, ou arrenda-se uma monda
de casa no logar do Cacbaog, a melhor
que naqualle lugar existe, por flear ao da
ponte, com seis quartos, duas grandes sa-
ls, corredor lvido, quintal com algumas
fruteiras, banho no fuodo ; bem como uma
morada le casa na rua do Padre-Floriano,
n. 57 : ambas por preco commodo: na Gam-
boa do Carino, o. 38.
Feijio mulatinbo em saccant
de alqueire.
Vendem-se, por preco muito bsralo, sac
cas com feijffo niulilinho, ebegado lia pou-
cosdias, pan fecher coritas : no caes da
Alfandega, armazem de Dias Ferreira.
Fumo em folha para chirutoa.
Vende-se, por barato preco, fumo em fo-
lha para capae milo de charutos: no caes
da Alfandeea, armazem de Dss Fcrrctrs, ou
na rua do Trapiche, o. 34, a tratar com No-
vaos & C.
Cera em velas.
Vendem-se velas de cera, chegadas lti-
mamente do Rio de Janeiro, milito bom
sortimento: no caes da Alfandega, arma-
zem de Dias Ferreira, ou na rua do Trapi-
che, n. 34. a tratar com Novaes & C.
Offf*fff=fff:ffff?ff5
Na loja do sobrado amarello nos

8>

i
0

m
K,. A., a 1 I ~~i-* v..-|#.w U6 bui umim tiutjirin esc
.l.. co.rre",e o frrenle des-K, varias oftres. Antonio Come, Villar.
appareccu um menino de idade 8 annosfma-
lutojdatme JoSo Joa, flhode JoSo Fr-
vidas Vieira, moradores em Mamulenga ;
mffhlno eslava guardando um cavallo e
tambem desappareceu o dito cavalfo, cor
easlanjio, ferrado dos dois quartol; roga-
se portan 1 o a quem sober do dito menino
qoeiradirigr-sea rua do Crespo, loja n. 4
lcaraqH"" n* 8lV* C,ltro' Prr^nlb,l,,?: MB'< omprou ao Sr
Pedro Dunnoll a su. tavarna alta na rua da
^f~u -5'pr iM" <"d""" quem
pertencer que so mo responsabiliaa por du-
vida alnmicontrabida ate eati dalaV Re-
cite, i de dezembro de 1850.
CuilAnm llrankmann.
Aluga-se pelo tempo da festa ou an-
?.UfSfn.'V "/ d' dU8 n'f". defron
w ''e S. SebasiiH em lmda, com commo-
dos para grande familia : a traur na mea-
m" c"- ou 'ua da Cadeia do Ricifo, lo-
-Eogomma-se e lava-so toda a qoalida-
e de roupa com lodo asseio e muita promp-
">o, por preco mais commodo do queem
;ulra qualquer parte : na roa de Agoas-Ver-
ei, n. 24.
A!aSS?B efundo andar do sobrado
rua IHfcita n. 90, com commodo para
Branae familia : na rua Direila n. 83, pri-
"eiroandr. v
Pre'cist-M de uma ama para casa de
pouca famlll, sendo para servico de porlas
rtentroie de rua : as Cinco Ponas, casa
errea daifonte de uoi sobrado de dota an-
pires, qdepor bilxo lem fabrica de vinagre.
1 -- Prevasie^s aq pjb|ico. que ninguem fa-
1 contrato de nalureza alguma com Jua-
luim ftunes da Silva, principalmente ao-
Miguel da Cunba faz scienleao Sr. ar-
rematante de agc'rdenle de produceflo
brasileira, que nfio vende lal genero em sua
casa, na travessa do Queimado, n. 7, e que
pigou hontem injustamente ao uieamo ar-
rematante a quantia de 17,750 rs. sem ser
de perfumara muito fina, pelo di-
minuto preco de 8, 10 e l,ooo
ra. conforme o tamsnho : no
pateo do Collegio, casa do livro
azul.
Por barato preep, vende-se 2 vacea
de leite a paridas a poucos diaa comera
romea, outra prxima a parir : ambas muito
nansas, e do pasto o vendedor aOanca a
bondade : quem a pretender dirija-sa a
rua da Concordia que ah as achara, ele e
com quem tratar das 9 horas em diante.''
-- Vende-se 1 negrinha de 15 annos pou-
co mais ou menos, hbil para qualquer
cousa que a queiram applioir : na rua do
Queimado n. 38.
rtiess gravatas de mola.
Vendem-se ricas gravatas de mola pretas
e de cores, pelo diminuto preco de 1,600 e
2,000 rs. : na rua do Qoeimado, n. 33. loi
de miudezas, junto a de cera.
Molas para gravatas.
Vendem-se molas para grvalas, por pre-
Compras.
m
tre urna casa que possue na rua do Apollo
17, poia o dilo Joaquina Munea da silva
Icha-se completamente louoo. Unto que
*m dado consumo a todos os moveia da
aia ; proieadndp-ae caade j annoller-se
lualquer contrato a respailo de dita casa
?n.ia que a molher do metano asaigoe es-
t cooiraa ; pois Snija o flzer he por meio
1 forca;~ Mtmoit Martin, de Urvlhi.
I- Hoga-ae aoaSrs. tendedoreBde bilhe-
^ ou a ouUa qualquer pessoa de nSo fater
antaceflo alguma, no caso de sabir pre-
ludo, cuann quarto n. 976 d* 1." lotera do
^Sacramento do Rio de Janeiro, poiso dl-
I nilhetatej fosrtMdo, e setM-aai assisnado
ri os nones de Joaquim Antonio Rodri-
collectado, i pela generosiade do mesmo Ic0 arremaUnte. |dores: na rua do Queimado, n. 33, loja de
miudezas, junio a de cera, nos quitro-
cintos.
Fentes de tartaruga.
Vendem-se superiores pentes de tartaru-
ga pan marraras, pelo diminuto preco de
800 rs. o par : na rua do Queimado, n. 33
loja de miudezaa, junto a de cera.
Vendem-se ricoaappareihos
para jantar, de muito boa louca,
mitando a porcellana.- na roa da
Cadeia, n.j8, escriptorio de A. S.
Corbett. '-
No eacriptorio de S. Cor-
bett, na rua da Cadeia, n. 48,
vende-ae chumbo ingle* de muni-
9o, muito bem aortido,' em por-
idea de cem quintaes para cima,
por preco muito commodo.
-- Vendem-se 8 escravos, sendo 1 liada
mulatinba recolbida de 18 annos, perfeila
engommadeira, costureln e fas 0 mais ar-
ranjo de uma Casa, muito diligente ; 1 dita
de 30 annos que engomma e cose e he boa
|regelra de uma casa, e ambas de exem-
'Compra-se um cordSo que
tenfta 6 palmos, e um ponteiro
ludo de bom ouro, sem fe i lio, e
que tenba 25 o,ta,vas pouo mais
ou menoa.ambia as cousas : na rua
das Larangeiras, n. 14, segundo
andar.
i- Compram-ie duss roJss de carroca : na
rua do Hospicio, tiverna do lelo de ouro.
Compra-ae um pianito forte em bom cata-
da: na rua do Prea n. 17.
- Compra-se uma canoa grande, nova e
bem construida, que carreguede um a dois
mil lijollosdea!sr.srU ; Umbem tirona
por outra maior ou menor, voltindooin-
ounciante quilquer differenc rasoavel em
dinheiro : a quem convier este negocio di-
riji-ao a rua do Sol n. SS. [a rallar com
AntonloJaafatho.
- Comprain-se escravos de am-
bos os sexos: na rua da Cadeia do
Uecife, n. 5i, primeiro andar.
--Compra-se um braco de balance Ro-|plar conducta, que seaDan"ca7Tmoleq"rde
rsque aleja em bomllO annoa muilo esperto e de bonita lisura-
para curar da phtysica em lodos os seuf
diferentes graos ou motivada por consti
pacOes. tosse, asthma, pleuriz, escarrosde
sangue, drde costase pcitos, palpitacAo
no corncSo, coqueluche, bronchites dOi
na garganta e lodas as molestias dos orgSos
pulmonares.
De todas as molestias que porheranca li-
camao corpo humano, nenhuma ha que
mais destruitiva lonba sido, ou que tenha
zombado dos esforcos dos homens mai>
eminentes em medicina, do que aquella
que he geralmente conhecida por moles-
tia no bofe. Em varias pocas do se-
cuto nsssado, tendo-se offerecido ao publi-
co difTerentes remedios com altestados das
extraordinarias curas que elle tem feito
porm qnasi queem todos os casos a ilsff
tem sido apenas passageira e o doente
torna 8 recahir em peor estado do que se
achava antes do applicar o remedio 18o re-
commendado outro tanto nSo acontece
com este extraordinario
Xarope do bosque.
Novaes Si Companhia, os nicos agentes
nesla cidade e provincia, noimados pelos
Snrs. R. c. Yates & Companhia agentes
geraea no Rio-de-Janeiro mudaram o de-
posito deste xarope para a botica do Snr
JosMariaG. Ramos, na rua dosQusrteis, n
1, junto ao quartel de polica, onde sempre
acharSo o nico e verdadeiro, a 5,500 rs.
cada garrafa.
Luvas de (oresd o da Escocia.
quatro cantos da rua do Queimado n.
29, lera para vender um completo
so'timento dec'tes de vestidos de
seda, e brancas, fazenda superior em
gosto e qualidade; dilo< de cambraia
de seda de 7,000 a 13,000 res ; ditos
de ca ni lira ia de cores, a berta nassas
de cores, gostos novos; chita fran-
ceza, padrOesdcassa ; sela de fur-
ia cores, propria para mteteles e
capolinhos; tensos bordados de cam-
* braia de linho, muito ricos, proprios
t> para noivs ; pino de linho adamas-
9* cado escuro, com 9 palmos de largu-
'* ra, fazenda inleirameote nova, pro-
* pria para cobrir mesas; e outras
* muitas fazendas finas de gosto e pre-
J co muito commodo.
Lotera de N. S. do Llvraraente.
Ni rua da Csdaia, n. 46, loja de miudezas
vendein-soos muitos afortunados atejos bi-
Ihetes, decimos e vigsimos da mesma lo-
tera, que corre i.iiprelerivelmenta no dia
24 do corrente. Nos vigsimos ns. 836 sabio
o premio dos 5:000,000 de ri. da lotera do
l.ivramento que correu no dia 30 do passa-
do. Meios a 5,500 rs. ; decimos, a 1,100 rs. ;
vigsimos, a 600 rs.
Vendem-seamarras de ferro: na ras
Ja Senzalla-Nova, n. 42.
Vende-so um moleque crioulo, de 18
anoos, ptimo para p^gem : na rua do I.i-
vramento, n. I, segundo andar.
JXovidade.
iNo Aterro-da-Boa-vista,
n. 53, vai-se abrir, nestes 8
dias, titn deposito dos mais
variados, ricos e modernos
gostos em obras de alabas-
tro, marmore, pedia agatha;
bem como um sortimento de
outras variadas e elegantes
obras em barro cozido e
envernizado, representando
estatuas, lees, globos, va-
sos e cut os muitos objec*
tos para adornos de jardini,
salas e palacios, tudo do
mais apurado gosto e viu-
dos ltimamente da Italia,
e que por j ler (ido uma
grande aceHaco as pracis
do Rio de Janeiro e Babia,
esperase que igualmente
nao deixar de a ter nesta
praca de Pemambuco : to-
das estas novidades se vn*
dem por preco commodo.
Vende-se cobre, metal amarello, e pre-
mio & C., usado, mas
estado : quem liver annuncie.
-- No armazem do caea do Ramos n. 2,
compram-sefOrmasde fazer velas de car
nsba. de todos os lmannos.
Vendas,
BB>
lie baratiaaiuio.
Vendem-sn ricos cbeoliolios, s 600 e 800
ra. ; ci.aruteircs dourades, fazenda muito
superior, i.aoo ra. ; pentea com espelho,
proprios para suiaaaa, a 320 rs. ; escovas fi-
nas com aspelho, para caliect a 1,000 rs.;
carteiras com mola para guardar dinho, a
640rs.; vlinlia doorarJa* orateadas
pira collele e calcas, a 200 rs. : na rua do
_ ligura:
pretos muito mocos, bons para todo o
servico; na rua da Cadeia do Reoife. n. 51
primeiro andar.
Vendem-se 2 vaccis paridla a m
diaa e muito boas : na SoieJade, aitio do
Sr. Herculano, ou no pateo do l'araizo n. 20.
Caivetes de machina.
Vendem-se superiores cioivetesde ma-
china de apparar peonas, ptimos para
qnom fOr curto da vista, pelo baralissimo
preco de 800 ra cada um : na rua do Quei-
mado, n. 33, loja de miudezas, junto a de
cera, nba quatro-cantos.
He muito barato.
Vendem-se bonete* franeezos da panno
uno para homem, ptimos para quem passa
lo barato preco de 320 rs. o pir : ni ra do
Queimado, o. 33, loja do miudezas, junto a
de cera.
Carapucas de seda preta.
Vendem-se carapucas de seda preta para
homem. a 640 rs., pre?o este que faz ed-
mirar: na rua do Queimado, n. 33, loja de
miudezas, junto a de cera.
Tiucas de
Vendem-se luvsade fio da Escocia, sumaos para forro de navios, por ni
i.f i?" i '!u,">PfPi'''sspar montarla, pe-[modo :em caaa de A. V da Silva Barroca,
na rua de Cadeia do Recife, n. 42.
Vende-se um negio peca de idade de
24 annos, bstanle possante, proprio para o
servico do campo : na rua do Crespo loja
da esquina que volti para a cadeia.
Kleas titas.
Vendem-se fitas lavndas para cinteiro a
para enfeites de chapeos de senhora ; ditas
lisaa de todas as larguras e cores, por preco
mais commodo do que em outra qualquer
parto : na rua do Queimado, n. 16, loja do
Jos Dias Simes.
Grande deposito de cha.
No pateo do Collegio, casa do livro azal.
Cha hvsson superior 2,400
Dito aljfar, brasileira **
Dito paquequer 2,000
Ditos de outras qualidadas a'ooo *
Charutos de Ha vana,
de superior qualidade : vendem-
se na rua da Cruz, n. io, caaa de
Kalkmann IrmSos.
pretas para
enancas.
Vendem-se toucas de aeda preta para
enancas, pelo diminuto preco de 500 rs -
niruidoQ-ieimido, n. 33, loja de miude-
zas, justo a de cera.
Vende-se uma taverna na rua do Forte
n. 9. muitoafreguezada para a trra, com os
undosde 200,000rs. e armacSo muito en.
conta : a tratar na mesma tiverna.
,~.V"nde,""se' na rut do Civramento, n,
26, 10 saccaa com arroz branco pilado, e 10
ditas eom feijo tnulitiobo: imbos este.
gneros sao de muito boa qualidade
riT?d!l",ie Um IC*'"enle P^to 'mestr.
retlnador deassucar, muito bom trabalha-
dor deenxada.cozinhaodiariode uma cala
e he muito iei-------"----
he por nSo querer
Arados de ferro.
m


*. A*.Hfnwrh
Vende-se cera de carnauba : na rus da
Madre-de-Deos, n. 3*
- Vende-so ieite de andiroba muito su-
perior ae de coco, n3o s por ntto ter aquel-
la moeheiro, como porque da urna melhor
Ju2, aaaeio e durc8o, a 480 rs a garrara :
no paleo do Terco, taverna n. 7.
-- Vndese gangas trancadas, alto rs
lizas, a 100 ra.; chitas decoberta, a 200 rs
de vestidb. a 160 rs. ; fuslOes, a 400 rs. e
240 rs. ; risca'dos de caifas, a 240 rs,; cas-
sas de diversas qoelidada ; 1 mesa de meio
de sal* i 1 cama de angico ; 1 lustro
commoda ; 1 aeereta ; 12 cadeitas ; 4 toca-
dor : n> rna das Laranjeins n. 99.
Vende-se um sellhn novo esom muito
poaco uso, para montara de menino em
carneiro : na ru Uireito, n. 10.
Na roa larga do Rozario, n. 22,
vende-* urna muletinha de 19 annos, mui-
edu-
ma
preUcrioula.de 20 annos, que engomma,
cose cozinha ; e 8 pretos ptimos traba-
jadores de enxsds.
Vende-se urna escrava moca, muito boa,
sem vicio algum, e multo propria par o
srrvic de una casa : narua Bella, n. 16
Vende-se um nioleque de 15 annos,
coas principio <1* arateiro; umdito de
nca> multo bom serrador : na ra do Li-
vramento, n. 4, se dir quem vende.
-- Na roa do Vigerio, n. 21, primeiro an-
dar, vendem-se superiores vinboa engarra-
fado, chegados ltimamente, como sejam :
moscatel, carcavellos, etc.: tambem se ven-
de marmelada mullo hem acondicionada ;
retro sortido de muito boa qualidade ;
mercurio doceem Isliuhat de duas libras.
Vendem-se bonitos mo!e-
trabalho de
venue-e una diuiiiiii* ub ..-, --.
to linde e recolhidn, propria para se ed
car, pola j* lem principios de costura ; ut
volta

9
m
m
*

r
cues, ptimos para o
armazem de assucar, por seren
muito fortes ; 3 pretas de meia
idade, muito baratas j e duas pre-
taa mocas : ludo em atonta .* na ra
das Larangeiras, n. i/|, segundo
andar. <
-Na ra das Cruzas, n. 23, segundo an-
dar, vende-se urna escrava parda, que en-
gomma, cozinha, coae e lava ; una negro-
la crioule, ilc 14 anuos, com principios de
habilidades ; duas pretas de nacSo, de 20
a 24 annos, que cozmham, engommam liso
elavamdesabso; urna dita do servico de
campo ; dous pretos de uacSo, ptimos ga-
nhaiores de ra.
*## *>
Cera em velas.
Vendem-se caixas com ce-
*j ra em velas de 3 al 16 em
* libra, fabricada no Rio de
"* Janeiro, por f reco mais ba-
rato do qoc em oulra qnal-
quer parte: trata-se com
Machado & l'inheiro, na ra
do Vigario, n. 19, segundo
anda.
>># > #j)
Vende-se cha hysson de superior qua-
lidade, e do melhor que lem vindo a este
mercado ; caiaas com velas de espermace-
te americano; meias barricas de farinln
gariego, a mais nova : na ra da Alfairlega-
Volha, n.36. t f
Vende-se umo porcSode on-
9as hespanholas, vinho Cham-
pagne muito superior; dito Bor-
deanxeni quarilas, dilo Moscatel
em caixas de 18 garrafas, azule-
jos, cimento, oca, almagre, cal hy-
diulica, verde francex em p,
cabos de linho : na ra do Trapi-
che n. 11.
Vende-se superior fuiinlin
gallega,en nietos barricas : no escrlplorio
de leme Yiile & C., ou em seus armazens
do becco'do Goncalves-
Oculos para tbeatro.
Oculos os melbores que neste
genero teovapparecido, e que sao
inuito necessarios para o bom tom
tfo theatro S.-lsub?i : vendem-se
muito em conta : no pateo do Col-
ico, n. 6, livrana de Joao da
Costa Uourado.
hoja de seis portas em frente do
Livramento.
Oadroinistrsdordesta toja tem a dar ba-
lancono m de dezembr, e como ton ha
resloade alcaides, q'oer acabar com elles,
trocando-oaporsedutos, sendo o preco o
mais rVsoaVfl iqssive, como sejam : pecas
de maa>,p9(?p ?*m |g jardas, por ele pata-
cas; chales de chita, 480, 640 e 1,000 ra.;
d^ospreioademle. W pataca ; una
preto. a 120 rs. ocovailo; corlea do chila
prelaconilluvadoa, por 1,280 rk. ; rlcs-
uo iiiumius, 269 r,. o C0V-do ; chitas,
120, 140, 160, ISO, 200, 240 e 320 rg larga
frano-za ; brim branco de lislras. a 200 ra. o
ovado ; e oulras multas fazeudss por prc-
Cosquecuadjuvan a economa.
O bom barato.
No Pesseo-Publlco, toja n.9, de Albino
Jos Leite, vende-se um completo eorli-
mento de chitas, a 120 rs. c covajlo; caesa
para hatiados.a 240.rs. a vara; riscado fran-
cer largo, a 200 rs. ocovado ; cobertores de
algodSo groaab para esciavcs, a 720 rs ;
sida potito; a 100 rs. a vara ; riscados de
Iinhbmiodiuhos, a S40 rs. o covado; len-
cos de seda de cores, a 1,000 rs ; e oulras
muitas fazandas que upo' he possrvel an-
nuuciir para nSo oceupsr lempo.
Globos de yidro.
em-se globos d.e vidro proprios para
. e corredores, e mesnio pura illumi-
spor serem uto. cpmoiodo9 em U-
o : na ra do Trapiche n. 10.
eodem-sa sabootMes higinicos,
mais snjferiores que teem vindo a cate mer-
cado, Msim como outraa peifumariaa muito
finas: narua daadeia Velhi n. 94, prl-
nseirs nStr-
Cal e potassa.
Veode-se mais nova e superior potassa
_l. Uh 1 "j'T^
que ha no mercado, e cal virgem em pedra
chegada peto ultimo navio de Lisboa, por
>reco commodo: na na da Cadeia do fe-
cife, n. 50, a fallar com Cunta & Amorim ;
ssoj como um restante de barris da mes-
.nocal.que ncou da safra passada, por ba-
topreco.
Bombas de Ierro.
Vendem-se bombas de repuxo,
pndulas e picota para cacimba :
na ra do Bruui, ns. 6, 8 e 10,
tpndi?5o de ferro.
Arados de ferro.
Vendem-se arados de ferro de
deferentes modelos : na rua do
Brum,ns. 6, 8 e lo, fabrica de
machinas e lundicSo de ferro.
- Vende-se urna sextante nova feita por
um doa melhorea autores de Londres e tam-
bem um orisooWarMQcial e um theodllete !
oa rua dn Trapiche armazem n. 44.
Nao he exagerac&o.
Vendem-se sspatOea de couro de lustro,
obra muito boa, a 4.S00. 3,000 e J.500 rs. 1
as rus da Gadela do Hccifo, loja n. 9.
Cobertores de tapete para
esc'ravos.
Jseveodem os acradltados cobertoroLji
de tapete para escravos, a 720 rs. cada un
por ssovenhama elles sntes que se ace-
bm, ou passem para maia alto preco : na
rua do Crespo, loja da eaquina que
para a Cadeia.
I\ap Paiilo-Gordeiro.
Vende-se effeclivamente este excellente
rsp. na rua da Cadeia do Recri, n. 50, lo-
Ude Cunha& Amorim.
A 1,600 rs.
Vendem-se novos cortes de brim tranca-
do escuro com duas varas e meia cada corte,
a 1,600: cassa franceza de bom gnsto.a 2,600
rs. pee*8 de esguio de algodBo com 12
varas, a 9,400rs. a peca ; cobeflorea de al-
godBo fc cores, a 720 rs. : na rua do Cres-
po, n'. *, loja ao p do lampeao.
Fccas de esguiSoa a,5op rs.
Na loja da rua do Queimado, n, 17, ao p
da botica, ainda tem para vender pelo ba-
rat preco de 2,500 rs. ; pecas de esguiSo de
algodflo.com 12 jardas, muito proprio pa-
ra camisas de senbors, por ser mus largo
que o madapolflo.
Para acabar vendem-se,
na rua do Queimado, loja n. 17, cassas fran-
cezasde 19a abertas, e de padrOes muito
delicados, a 400 ra. o covado ; cambraias
de cores modernas, a >60 rs. a vara ; chitas
francezas do melhor gosto que tem vindoa
este mercado, a 320 e 360 o covado. Dilo-se
aa amostras.
Deposito de eal virgen.
Narua do Torres, n. 12, ha muito supe-
rior cal nova em pedra, chegel ltima-
mente de Lisboa no brigue Toryo-I crenro.
Cnbecadus inglezait.
Vendem-se becadas mglezas rollcis e
chataa, loros e silhw de 13 : na rua do Tra-
piche n. 10.
Superior velas de carnauba a pre-
co commodo:
vende-se na rua da Cadeia, n. 23
Veode-se um escravo de elegante ligu-
ra, excelonle carreiro, e ptimo para lodo
o servico, principalmente o do campo, por
preco mdico : na rua do Hospicio n. 9.
Vendem-se as decadas de Julio de Bar-
ros e Coulo, o primeiro he melhor classico
da lingoa portugueza em 27 volumea ; geo-
graphia de Gaullier, 1 vol. ; historia sagra-
da por Bernardino, 2 vol. ; poesa do Dr.
Joo de Barros : no atierro da Boa-Vista, lo-
ja do Sr. Estima.
Vende-se superior e muito
nova familia de mandioca, chega-
da agora doS.-Catharina pelobri-
gne ooares, ancorado na volta do
Forte-do-Maltos: quem a quixer
comprar por menos do que em ou
Ira qualquer parte,dirija-se a bordo
do mesmo navio, ou ao escriptorio
de Oliveira, Paiva & C., na rua
da Alfandtga-Vellia, n. 5.
--0 gerente do contrato .lo rap de Lis-
boa contina a vender em sua loja este ra-
p, e deseando saiisfazer aos freguezea,
tem s'-guioo por a vm la o mais moderno,
cor julgar ser o mais fresco, a vista do que
declara que ae nao reaponsabelisa por qual-
quer motivo que se queira allegar, afiui de
quese receba o,rap depois de vendido.
Vendem se peotea de tartaruga da mo-
da, liaos, e de duaa e 3 trancas ; dilos de
marrafas: tambem se faz o ae concert
qualquer obra desle genero: no pateo do
Carmo, n 2, loja de tarlarugueiro, na es-
quina que volt para a rua das Trinrheiras
Vende-se um par de jarros de p del
pedra com relevos, os competentes cachas,1
peaoba e mangas, por melada do custo : n
rus da Concordia, primeira caaa sem uu-
me-o.
Vcndo-so, ou 00 troca-se por um npgro
um nioleque de nove annoa, bem parecido,
uiuito servic*! para urna casa, n he muit
cuiioso para meninoi: ao comprador se di-
r o motivo por que se vende : na rua do
Col vello, ns. 29, e 31.
Veude-se, para fra da provincia, urna
negriiha de 16 auno, sadia e acostumd
a fazer u servico de uoia casa : oa Boa-Vis-
ta, rua da Maugueira, n. 11.
Vendem-se billieles da lote-
ra de S. 8. do Livramento : no
pateo do Collegio, casa do livro
tttxA.
Vende-se yma | casa terrea na rua da
Senzlla-Noja. n. em chos foreipos a
cmara d'UHfc no largo du Carmo, o. 14.
-- Veode-se um moleque de 12 annos,
,por preco commodo: na rua da Piaia, 11.
3i; bem como m cavalfo proprio para
menino, que carrrga bai'xo'at meio.
.4 t ,ae a eeitnrm.
; SapatOes de oriha e sallo alto, feitos s
capricho no Aracaiy a imilacSo dos de cau-
ro do lustro; est calcado depois de atoiiua-
du lagiRma grsxs mglew n. 7, isniu
exactamente ao de pulimento: tambem che-
garam dos oulros .sem orellias, que se veo-
dema800rs. na rua larga do Rozarlo, n.
SS.IojadoLody.
A sorte grande.
Bilhetese Wutelasda tetarla da N. 8. do.
Livramento. co|s rodas andam, mrall.v.l-
mentenodia 24 do corrpnte: vendem-se
no psteo do Collegio, casa do llvro azul.
Carnauba de primeira aorte,
um eseravo de bonita ngura e multe pos-
sante.sapatos do Ancaty para hometl e
meninos de le ahilos, sapatos de couro de
lustro em poreBo; esleir, chapeos, coorl-
nhos miudos, pennas de ema, calxae com
velas : tudo chegsak) no hwte Dswfttow, e
vendem-se na raada Cruz, n. 24.
m pret bom oofinh^ro
Vende-se um preto de bonita ngura, bom
cozinheiro e melhor comprador, abelteret-
he de boa conducta
almos
relia
msssa
agalhSes;

, copa redonda a 8,000 rts : parase-
rdioras. chapeos de palha com tosido de ca-
bellos6,000iris; ditos de renda branca a
7 000r's; ditps de, P|ha para mcoinata
500 ris'; ^.Pos de seds par. sdl. 7000
'8.090ria; ditos pamfeabo a*<***>'
SlST/. .P.W.M5pdlo muito fino. 3,000 j^jfeW para cura da phthlicla ero todft o seus dlffe-
rente grio, qur motivada payonstttiacae,
toase, aalhma, pleurli, eacarroade aangtie.dOr
de cotudo c pello, palpllacao no coracSo, co-
queluche, bronchlte, dr na garganw e toda
orgos palmoaarea^'^
;ris j dinheiro i vUta.
I Veirde-se bteliat pretas grandes da au-
tperior qealiU.de por ameUde do preeo que
ob.rbeir alugam; na roa IfcCadea do
lleoife n. 2.
Na loja n. 9, atrs da matrli, na- 9a ove,
vendeoM oaleado fraiwez barato.___
Botlns do doraqu preto aspeado de^oMi-
ro de iusto pira homem
apato d marroqulm do coro para
^hora
a
>m
lando te to.J;j^------W* g.oonpol.rooonto.cous.
J "1 Jll^ll TrZTde lustro com tola reiatrvam.t. ao" prodoe
fo;; p-.Ve;diar 15 mortdM da ^^
com mais de M palmos de tronto, lo se veno mru [ni*o, etc. .
Vende-se s 1,000 rs. na fabrica do earvSo
aarimal, na rua da Concordia, n. 8, e na
(\ia Independencia; linaria nr. e 8.
Vendem-ae auperterea e moder-
nos chapeos enreroisados para pa-
, chegados reetntemento, por preeo
commodo: oa pra ma roa 24, 26 e 28.
ro e barbeiro, -.
rua larga do Rozarlo, n. 48, pna!r(r, Jeito"pretos
h dir quem venda. Rile* n> eoor de lustro
100 saceos ovode estopa. ritot^SfilSSa,
Vendem-ae 100 saccoa notos ae estopa "
'L..,. -TKasr---.. 5=s..
um terreno em fretfte d ouartel do Hos-
picio, o qual teas orna olaria;
frT.^. 7d.SS& ^S
lem
casas w
200 de fundos j faz-ao negocio cor todo o
terreno ou com motado : na praca da Inde-
pendencia n. 17, para tratar.
N. rua Nova n. 4, loja de al'aiato de
Augusto Colombter, vendem-se palitos de
linbo de dlfferentee padrees, proprios psra
fesls, sSOOOrs.
--Vende-se rsp superior de Piulo Cor.
derro: na tua da Cadete do rterife loja de
Joto los de CarvalUo Moraes, e igualmen-
te se vende na m*sma loja penas de euro
com hiros de diamantes.
A ellas antes quese acabem.
Chegaraoi oa procurados sanatoa de cou-
ro de Tuslro de ofelbaa. de 2,000 a 2,400 rs ,
obra forte: na rua da Cadeia do Recife n.
',oi'- sssr.
Farinba nova d. marca SSSF, chegada
ulmmente : na roa do Amorim n. 3$, ar-
mazem de J. J, 1 asso Junios.
Noves eambralas.
Vendem-se ricos cortos de catmbraia aber-
tas com 6 varia e 8|4, de listos e ramagem
de cor, fazenda muito Una de lindos gostoe,
pelo barato precO de 4,000 ra. ocrte, chi-
ta dn cores muito mudinhis, pannos mui-
t finos, cores Gias; "00 rs. o covado; -
brins de linho amarallo, cor de ganga, lista, T arelo a 4,000 T8.
ao lado, fazenda muito fina, pelo baretissi-*
mo preco de 9,00078. o crle: na ru* d
Creapa n. 14, loja de Joa Francisco Olas.,
lotnssmlu Kussla.
Vende-se potaasa da Ruasis, recentemen-
te chegada, e da muito superior qualidade :
na rua do Trapiche, n. 17.
Altencao.
4,0000
i,4a
-segundo aa ollimas noticlss recebidsi
defranoa, os novos procesBOS psra a M-
tracedo do assucar, assim do csnns eowo
de betorrsbs, daq'oe aa gaaetos teem fal-
lado trato, ha perto de 18 metas, acnam-se
sempre no mesmo estado, lito he. esto
ardo anda studadoa j todolMf fabrica n-
U de seaucarem 1'ranga persItem portan-
tono emlrrego de cartohrmarfm gto.o
arc^l^adar 1,980 tiafaotrtoe. A visto disto oremos" tater ,fim
oto
9.40
9,909
00
.4,440
^,900
i,ae*
700
servico eeSaaWisresaa**"Jg.
teeiiaimuetando o tumi prmho'WJ*
knirnth fammr eompost por^A. Sp*-
tor treduzido em vlfar por *
. Esto manoal nsins s maneira pete qu-5
oa fabricantes de sssor*d*vem servirse
o csrvSo animal em grBo, e bem atsini os
_eios pelo qbae evitarlo o accidentes
que peem acontecer pela preparatlo dos
astros mais ou menos bem feita, a maneira
a muiio Qiportanlc
eto, os coid.dosque
fermen-
|relativamente .
6,seo 'deverRo aer lomados para evitar a
Charutos
de 81 Fella, oe melhores que se podem en-
contrsrem aroms, sano o perfa.clo 00
rmszem de Campello FihVo, rea da Cadeia
doReeifen 64.
- Veode-se muit em conta palba pre-
parada para cadelras, em poreBo e a reta-
Iho i na rua da Cadeia de Santo Antonio nu-
mero 90
Vende-e urna preta criou-
lade 16 a 17 annos, aem vicio
nem achaques', de bonita figura,
com principios de costura, en-
gomma e corinhe : na roa da Ca-
deiado Kecife, n. 6, kje.
Chapeos de sol.
Vendem-seohapoide sold seda preta
e de corea, a 6,000 ra ; ditos de pepninbo
para liomens. senhorss e meninos, por pre-
go mais commodo do qu em outra qual-
quer parte: ni rua do Passeio a. 5.
Ceblas a 800 rs.
o ceoto: vende-se no srmszem de, Cao pol-
lo Filho, na roada Cadeia do Recife n. 64.
Ecfatos fgido*,
*r
Yende-se urna casa terrea mul-
to grande, com seis qoarlos, duas
salas e um quintal, com 3oo pal-
mos de fundo, chSo proprio, sita
na da Boa-Hora emlinf : a tra-
tar mesmo em Oli.ida nos Quatro
Cantos com o Sr. J0S0 L.uiz de
Almeida, ou no Recife narua do
Queimado loja de miudeaa n. a5.
- Vende-ae um bote de 13 palmos de
comprimen e 4 ditos de bocea, prompt
. l---------- .^i.. tambem
se-
meios, s
o i t vos, s
de toito os seus peitences e vetss:
se vende urna c.rleir. de viagem, de bom
tamanhn: em Fra-de-Portas, rua do I
' sabonele grande n 80 w.
Vendem-sesa bonetes gran Jes, s
froco, s 100 rs. a vara: no Aterro
Visla, n. 48. teja. A lies que he pouca por-
? -1 Ka rua do Pirea, n. 19, veodt-ee urna
bonita mulata com habilidades, e dous,es-
pteos grandes, proprio psrs vestir ae
ubora. m
- Vendem-se 14 escravos, sendo um olb-
cial de pedrrro, de bonita figura ; no di-
to carrerro ; om nioleque de 8 a 9 rtOH,
muito lindo } 6 escravas asocis, da benitas
fisuras, entre as quaesnlgumss com hsbt-
lidades ; 2 escr.vos do servico de campo : na
rua Direila, n. 3. .
- Na cidade de Olinda, roa do Bpm-Fim,
casa da residencia de Manoel Nuneg do Mel-
lo, vnde-se doce bem reito de vanas qos-
lidades ; bemeomo doce de csjli secco. lu-
do por preco commodo.
-Na rea de Apollo, n. ft.vcnde-fe urna
"^-Vendem-se missae* novos e oulros usa-
dos : ns rus d Cacimba, no armazem pOY
bsixo do sobrado do Sr. vigar'P Brrelo.
-. Venden orna taverna sil. na Boa Visto
ero bom lugar, a qnal vende multo pira
ierra : o. motivo por qoese vende so dir
ao comprador: s trslar no Aterro da Boa
*'' n 66 a u^-. n.
- Vende-se ums escrava de botana figu-
ra, de naco, da 93 a 24 annos, multo liel e
aem vicios, com principios de cozinha, e he
quitandeira : aa rna de leimedb, n.
I'-i-iuiJum Ria menteleleav
Vendem-se franjas para manteletes, pelo
barato preco da 50 rs. a vara : na ra lit-
as d6 Rozario, n. fc.loia tfe mlullezas.
Ns pr.c< da independencia, n. 4. 10]a de
miodez.s, vendem-*e os aforturiados bl-
Ihetes, meios, quattos, decimos e vigetoios
ds loteri de N?s. do Livramento. que cor-
re impreieriveteieote no dia 24 do corrente.
Bilheles 'j0'
Meios .500
Ouartos z.eo"
Decimos 1,100
Vigsimos *0
- Vmdt-sa om pardo de ptima Iigura,
bom ofBalal de elWato e bolh>ire> eseelten
le para pagem : quem o pretender, procure
sua seuliora, aa rua de Uorlas, sotraoo
de uo andar n. 106.
Chapeos-
a teja o. 2 na rila Nova, vdem-se :
chapeos fraoczes pira bOrW'a 7,000 e
7,500 ris: ditos aV'trerlrfo prt' em
molla a 6,000 ri ', dlWS do bfoco dito
dito 6,000 rete; ditos de castor branco uois-
t ->ie*i
Tuces com 96 Hbrss : veode-sa no sros-
zem de Campello Fiibo, oa rua da Cadeia
do Recito n. 64.
Cha nacional
em caixlnhas de 4 a 100 libraa : vende-se no
armazem de Compeli Filho, rua da Cadeia
do Reciten. 64.
Lotera do Rio de Janeiro.
Aoa ?o.-ooo,ooo rs.
Na rua larga do notario, botica n. 42,
recbeu-se alista da lotera das caaas de
caridad, e abi foram vendidos os seguin-
les nmeros qunsahiram premiados, a sa-
ber : 1,950, 4:000,000 rs., Vigsimo ; 2,672,
1:000 000'rs., quartrt ; 5,029, 100.000 rs. ,
inteiro ; 1,669, 100,000 rs. vigsimo ; bem
Como bilhetesda deciroa>teria 1, beneficio
da freguezi doSS. SafcSmenlo do Rio de
Janeiro, que se vendem petes precos
guintes: bilhetos. e 22,000 rs.
11.000 rs. ; qoartos, a 5,800 rs ;
8,900 rs. i vigsimos, a 1.400 rs.
. Vende-se chumbo em barra, sulphsio
'de quina, e gomma arabia em partida oalor
ou menor : na rna do Amorim, n. 15.
Ne ruado Passeio-Pullico, n. 19,
"o rs ha umrico sortimento deespelhos de'Fran-
-da-Boa- ca com quadros dourados de todos os ta-
n.nhos ; oamaa franoezas de mogno e de
caranda do utlimo gosto, cpulas, cor-
linadosemosqueteiros pare cama, tape-
tea, colchas de danueco, pecas de cassa ada-
macadaa para cortinados, guarnicoes com-
pletos 1 ara janellas.meas de algodJo para
liomom, ditas pare eenliora, luvaa de re-
troz brseco e preto, fxadias cordOes de
differeutes curas. .
Vendem-se relogios de on-
ro e prata, patente ingle: na rua
daSenralla-ova, n. 4'
Vende-se vinho do Porto em barrlsde
usrlo e em pipas, chegado uliimameBte ;
eneiraftle rame ; cevada ; arcos para p-
as e barricas; lio porrete; pregos ue 10-
das as quaiidades, por preco commodo na
ru.doVigrio,ri. Il.ermszem do Frsncli-
to Alveada Canes __-.'-
00000000000009*
eposito geral do superior ra
p Areia-J'rela da febr
de Cantis Failhet & G. ,
CaiVI a-TJ
fabrica S
na Babia.
Domingos Al i*Mca de rap superior Area-Preto deW,
hialem aberlo um depoailo aS ^^jx
_. eras, o Bwife, n. 59, prime.ro an-g^
dar. ondeseachar sempre OCsteex-V
oallenieemsls screditodo rap: wn*g
de-ae emboles de urna e ma Ubre,
Bor preco com modo.
0000000004M>pO
{sTroeNava, 11. 8. loja de J-Joa-
W qnlniMoreiradC.
tendem-se touquinhaa de IBa froesdes^peta
beira, a mil rs.; bonetes de pateteha de
fccdelloaesquiailos.eoqup tom spp%recl.
do de melnor e do mais spursd#toio po-
rm saervem paramenieoadea, 4,5 es
nkMS. por menos do que realmente elle
\m ; palroatoiiea de essquifib Bnis-
_jMKtee pere piano^ e parapuerto
ITwiie solte.ros, S.OOtoi- da uros;
roulrsTmuitasf.i^trevgo.to e quali-
5ade. que se venderea conformo as r
umsunciia.to eswptader.
ItapaBfterieaao.
f Veede-se esle rap, que faa de agradar as
nessoas que ostom de bos pilada : reto-
Eo, no Recibenees,dosSrs. liavisit..,
rTaymofl-.i C etonta 4 toma* em .-
._;i m c.do Sr.Lody, na roa larga
do Resurto, n. 88 ; 00 Atorro-da-Boa-Visie,
-Cosme, esersvo de Msnoel Verid
Pinho, morador na cidade do Peoedo, fugio
df Colinguih ( do porto rande, rio Japa-
ntub.) em fevereiro de ISiO: este esersvo.
he pardo alvo, ou asss, de 91 a 34 aoooa,
baiio, ebeio do corpo, parees usa poeeo
torlaa e grossas, cabellos un poneo duros e
ruivos; lem um tolho ero umdossobr olbos,
outroopdoscabelloaeel^ons na cabe-
Ca ; lem signaes d Crrela as nadegas,
por fugidaa que lem teito; nasceu no ler-
mo da villa Nova, provincia de Sergipe ; oi
esersvo Jo slfsresJoo de Dos do Amparo,
senhor do engenho na ilbs dos Bois, tormo
da dita villa, e sogro do dllo Plnbo ; j ro
preso em rio Resl, com ouuo parcelro, por
terem d'ahi sabido fugidoa em unja, canoa,
e aqui a portsdos ; he um poueo pschoto, o
ssbesffeeisr de homem livre, Ux todo o
servico de roci, peacaria e affecto de mari-
oheiro ( marujo ); nSo toan 0IIW0, ms* he
algums couse hsbilidoso, e per tase lefse-
hs dado a algum; elle tem urna irro8ecra-
va do dito Amparo; a qual tom. dous Wlios,
que elle disse sm rio Resl os Unta eoa<>
go. e,a quem sustenlsvs ; oaoueHe Iuger ja
esteva com passsporle como forro psra a Ba-
ha ; tem na Orete do qeeixo superior uoi
denle principiando apodreeer; esto prin-
cipiando a barbar; he de suppor que tenhs
mudsdode nomo como fez no rio Real :
quem o pegar leve-o a seu eenhor.ee cida-
de do Penedo, ao Dr. Jos Setinando Avel-
lino Pinho, ou a seo jpai.o Sr; Pedro Jos
Pinli*. em Macei ; Dr.Sabwo Olegario
Ludgerio Pinho, em PeTn*mbuco, ten o
Trapiche-Novo, n. 15 ; ou a Manoel ln
Moieira Jnior, na Babia, ultima loja do
coberto pequeo, que ser grstiBcado com
50,000 rs. .
100,000 rs. de graticacflo
a quem pegar o mulato Vehaiicio, bao, re-
forcido ; foi escravo de Diogo Jos da Cos-
to, e que estove noa mezes de julho, sgoslo,
getembro e outubro esa casa do Baixa no
Monteiro, e o levar* rna da Cadia ee"e-
cife, n. 37, ao Sr. Antonio alachado Gomes
da Silva. .
eratlflea-se bem.
Fugio no flia 94 do corrente roex de ao-
vembro, o preto Antonio de 0ae,30 6eJ#di,
que represents ter 45 snnos de idsasaJM-
ra recular, chelo do corpo, cara ebocetadi,
com bajtontoa bellos branco na eaneoi.
muito cabelludo nos pellos, o gf*
jaqueta de ganga asul, be oOteial de ealdjj
re.ro da fabrica da rm do Brum 28,
esconfti-se que-tenhi Ido para o m.to fot
Ut j catado lugido perto de um anno en
IguO engenho : roga-se pol a quem o
aprehender leve-o aos Srs. do ramo es-
ersvo Mosquito 1 Dutoa ns dita fabrica qaa
serSo generossmenterecompenssdoa.
-- Fuglo, no dia 26 do novcmbro prximo
iassado, o escravo Camil|o, de nacSo Aego-
1, o qoat representa ler 30 s 35 annos, al-
kan Mular, chio do corpo, nm tanto ful
la e olbos vermelhadoa ; ha noUcus e o
terem visto pelas russ'do Recife eSsnto An-
tonio : pede-se ss autoridades polica*
cspilBes de campo que o apprehendam e H-
vem-no a rua do Trapiche, armazem n. l,
ou na rua do Rozario larga n. 46, venda, qu
egrilificar.
-- Fogio, no di 28 do novembro proxi
mo passdo, do 'rgenho Gararapes, o es-
- n Jlroiiyi"
jar,
foto,
tom (
c
.TOasVtfS!, pertenc-m- n. Jroiis
Samicod. Ria ello, de sltuaj -rag
rosto milit lslroso, eOr um tanto
bastanteladino.de30 annos pouco msis ou
menos; e hecerrelro : quemo*etar lave-
ao dito eogrbo, a sua seuhor*, 6r'"
((ere *,ieWj
- Fglo, no dia 2* de nove)ro ftov
mo paMado, urna preto Qrioole, i0'1
Florencia, de 40 e tantea annos. de H""
corpo reguliret, nariz chalo; quaodo '-
treme com a caneca ; tetti o dedo mmi
da mflo direlta eneolhido eje nfio o e> .
bem; letousaia de chita e cabegAo
gmJloxfnho; he bao f.U.nto A****,J *
Ser leve-a ao altio dos a na Casi-'0' d
to, ou na rua do Arsglo, n. 8, que ri
compensado. .,,| p
--rugte.doej^ohoj^luj|o, no dii^j
4 S '
KM* *
tos, corpo regular,
irendcHtrialMie
Wode ierra,ctai^epAajae^
una marca ee fea^e eotamlJi^luJ*rt
limpo doa pea : quem o pegar leve-o
" H.
{


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EPBV1ZPR8_QCFBT4 INGEST_TIME 2013-04-24T17:25:13Z PACKAGE AA00011611_07234
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES