Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07233


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno. XXVi
Quajru-fpira 11
rA&TIDAf Oi C0B.RXI0S
Golanna e Parahlb, i segundas e tcxtaa felrat.
Hlo-Qrande-do-Norte, todas ai quimas felraa ao
uirlo-tlte.
Cabo, SerlnhcisjE Rlo-Formoto, Porto-Calvo e
Macelo, uol.,all e 21 ct cada mez.
Garaahuus e Honito, a 8 e 23.
H.ia-Viia e Flores, a 13 e 20.
Victoria, t quima* felras.
Oliajda, todos os dlu.
Piusas D LD.
rrHEMIRIDC*.
Nova, a 3, aa 2 e 30 m. da t.
Crcac. a II, aa 0 h. e 17 m. da t.
ChHa. a I*, ai 2 ti. e 35in.dam.
Mlng. a 25, s 0 h. 54 aa. da t.
rnuMn di mo.
Prlmelra aa 10
Srgirada aa II
horas 54 minutos da maoba
horas 3 intnujoa da Urde.
de Dezembro tle 0850.
N-281.
utos da nvwtcm.irqio.
Por tres roetea (adlaUdo.) 4f000
Por acia nnn 8/1)00
Por uin auno 16UO0
OKPERX
'.....- .i,ir ~
Hla.8 DA natAWA.
9 Seg. S. Leocadia. Aud. do 1. doa orf. e do m.
i I v.
ere. S. Melquades. Aud. do J. da 2. v. do
civ.l, r di do feltoada fatenda.
II Quart ;. Oamazo. Aud. do J. da?. T. do jirel.
1? Qulnt. S. Justino. Aud. do J. doa orf. e do
lo. (la 1. T.
13 Seat. S. LuzJa. ,
14 sab S. Augello. Aud. da Chano, e do J. da
2. v. do civel.
15 Bom. S. Kuzebio Verselense.
CAMBIO Xtt DI 1*
Sobre Londrea, a 29 l|2 30 d. p.l/)00 r, 80 da.
* Pars, 333 por Sr.
* Lisboa, 100. por canto.
Ouro. Oncat hetpanholaa ..
Mocias de 67*00 velhas
de 6/40 uovat
dedjOOO......
Prata.-Patacoes braaileiroa...
Pesos coluiuuariot...
Ditos mexicanos.......
20/500
liJ/SiM)
16/000
1A60
1/960
1/700
30/000
a I6500
a 16M00
: W
:S8
PWff GFFtCUL.
O)VEI,NOD\ HitOVlNOU.
expediente no tha 4 m dezembro.
(inicio.-A theaouraria de fazenda, anto-
ris*n lo-a maridar abonar a pagadoria mi-
litar a quanlia te 44:521.(62 para a dHtr-
zasaea'go dsquella reparlicSo em o me/
correte.
IMlo.A meam, cnmmunicinlo nfim de
que o faca Constar so especio* da alfande,,
ga, qu ennceile dois (fieles de licenca
com venr-lmentos, para r a provincia da
Baha ao feltor contaren! da mesma alfan-
deg J.ioHermenegil lo Bordea Dinir.
Wto.AO jui.relator da jimia de ine.
trensmitiindo para serem aprsenlains em
sessAo ''a imbis Junta os i>rocssoa verhae-
felo os soldados -lo primeiro batalhao de
cacads-rM Jos <1a Silva e Pedro Antonio Ha
noel --loteHigenclou-se o caminando das
arog.
DitoA pagadoria miliUr, para mandar
inJemnisar a caifa do prianeirn bat-lliiln
de cacadore, da qnantia de 6.64a) ri, que se
despenden, rom inhumarlo do cadver do
cabo de asqoadra de- quinto de furileroa
Jote Alborto da Souza, como consta do reci-
bo que remolle em duplcala.Scientiflcou-
se ao commanloiias aravss.
Biio --A sarama, ordenando que mande
abonar ao ajddante da exlincta srganda li-
nha Antonio de Sonto Goodim, que rom li-
cenca segu para a coi le no vapor Affonio, a
quanlia de 50,000 res para Ihe ser descon-
tada da que elle eonsignou nesta provincia
seu procurador.
Dito.A mesms. pera mandar abonar ao
coronel do estado maior de primeira classi
Cypriauo Jos de Almeida, e socapiUo do
qumlo baltlhSo de cacadores Jas Ignacio
Teixeira da Feotes, que aeguem para a
carie, em cumplimento aoa avisos do mi-
nisterio da guerra datados de iS e 34 de
oulubro ultimo, a importancia das comodo-
nas, que rlies coropelirom, fazendo-se as
convenientes declararles as respectivas
guias.
Dilo.--A mesma, dizendo que deve man-
dar abonar ao capillo do quinto batalhao
de cacadoiea Manoel Jos Ksoindola, que
segoe para a curte no vapor Afamo, a quan-
tia 90,000 rls de comodonas para si, sua
mulher, a urna lilha maior, ua rasSo da
quarta parte da que fui mareada para pas-
eagem dos olUeiaes nos vaporea da compa-
nhia, ordenando que remella urna nota da
importancia deste abono para ser enviada a
secretaria de estsdo dos negocios da guerra.
lulo --A lliesouraria da f.zenda provin-
cial, para que a vi-ln do cerlilicado passsdo
pelo director das obras publicas, mande
pagar ao arrematante dos reparos da ponte-!
zinha do Luca a i-mo-laocia dadilaarre-
matac&o por ter elle concluido os mencio-
nados raparos.--Neate sentido ofllciou-se
ao mesnio iliroelor.
Dito. A niesnia, para mandar adiantar
ao enginiieiro Mill-t, vistoassimo requlsi-
Ur odirerlor das obras puhlicis, a quaotia
de 4 000,01 0 res, s-ndo 9:000.000 ris para
conliiiur;:1o da obra do deri no mtavo Unco
da estrada da Victoria, 800,000 lis para os
reparos do dcimo segundo lanco que foi
incampado ; 600,000 ris p*.ra o estudo
graplncos da eslra la da E>ca la, e igula
quanlia para os da eslrala da Victoria.--
Gomaiumciiii-se so referido director,
hito A mesma, para que S vista do cer-
tifleado pansa lo pelo iiirector das obras pu-
blicas, mande entregar ao Jos Pedro de
Parias a qu-na ds |00,00i res, como in-
daaiuisaQiio dos prejuisus que soffreu em
sua propriedade com a obra da estrada dos
ilemeiiios.Iiileirouso aa mencionado di-
rector. A 9k
Uno.--* administradlo dos eslalabeleci-
ineolos de carida.te, scienti(ic ver approvsdo a propona que fez Un len-
te corunrl Antonio Germano Cavalcanti
nars etercer o cargo de regeule do grande
hospital de candad.
I'urlaria.-E(ineiando do lugar de conU-
nuo da s-cretaiia ds presidencia a Antonio
Paulino A Silva, por sssiai o lia ver pedido,
e noaaran lo para o substituir a Inuucencin
Antonio de Parias.
Ilil..EioiiTando dos cargps policiaea,
da fregtiezia de aluriliera abajxo declarados
oscidauflos seguimos
Svbitiado.
, Agosliiiho Bezrrra Cvalcanti da Silva.
Suppltmto.
I Bacharel Auloino Cuelbo de Si Albu-
nueiniiM.
' i *'JuAo Manoel Carneiro ds Cunha.
. lilla."Plumeando para o csrgos policiaca
4a freguezia de Munbeca abano declara-1
dos oa cldadfius seguintes t
uMtUgad.
Francia* de Pmiuo Bprgas.
UJfpUntn,
I.* Francisco Pi-dr oarea Bramillo.
1.' Paulo Cartanoda Albuquerque.
Inteirou-ie ao ctiefe de polica.
. IDKSl DO 1)IA 5.
Ofleio. Ao cuminandu das armas para
mandar |,r a dlsposiclo do segundo sop*
plante do juiz municipal da segunda vara
um soldado da avalUria, para por elle en-
viar aoa divesos aublelegsdos deste termo
osedilaesda ronvoocSo do jury. Inlelli-
genciou-se ae'o Dito. A thesoursria de (azeode, dizen-
do q^ejura poder rcnlver em vista do pa-
recer 7 prucuraiior fiscal da mesma tlie-
souitria a irspeito dos rrquerimentos que
reo tile de Niculsu Gadnle Alvaro Fortu-
nato JoidQo, faz-ae mialer. qu mande a-
vaJIar eompetenUmenlo os dous terrenos
de marinha que pretendam ce-lar o p'i-
meiro. a Franciscq Martina Raposo, e o -
gundn, a D. Amalia Auiusta,
Dito. -- A mesma, recom oedicJo de suas ord -na o Inspector da sl-
f n lega para ,iu consinlt no despacho li-
vre de direitus da consumo de urna man-
ueira desolada aoagar Incenn com to-
lo os nertennes 120 jarlas de tapete, SI
pecas de flllrl, a-n escaler com lo los oa
nerlences, 900 vroes da ferro em 16 e n-
brulhos, 721 v dondo nen burras, nma amarra de ferro
le SO bracas. 1 caico com 300 atns com sa
iiatilh.is e 54 sa ..atilhos, 1 saco com 150 s-
patiibns e S P^cas de cabo de maoilha de 6
>(>legadas, cojos objecios chozrsm de Li-
verpool na galera Ingiera S-ntita, or n-
eo -n nen la que faz, por intermedio do res-
pectivo cspitilo, o inspector do arsenal de
marinha. -- Scientiflcou-se ao inesmo ins-
pector.
Hito A mesms, inleirando-s de havr
concedido dous mezes de licenca aam or-
lenado ao juiz municipal e de orphlos do
(emo de Santo AntSo, bacharel Gaspar de
Metieres Vascoocellos de D umon. Neilr
sentido flzeram-se as outras communi-
caedes.
lito.--Ao mesmo, para que sob a respon
sabiltdade da presidencia nos termo* do da
creto'de7de maio de 1812, mande supprir
o arsenal da'mariuha com 391,150 rs psrs
oeoorer o pagamento das despezas feltas
com aa verbas Farol, corpo da armada e
barcas de soccorro em o mez de novjmbro
nlmo, visto como declara o respectivo ins
pector, serem insufioientes-as quantias de-
signadas para laes v-nbas na oislribuiQii
Jo crdito para ss desperas do ministerio
da marinba nesta provincia.--Conamuoi-
cou-se ao mesmo inspector e ao contador
de marinba.
Dito. A arsenal de guerra, para man
dar ahilar na companhia de aaredizes da-
quelle arsenal, depoisde lavredo o termo
de que trata o sil 4. do regulamento
de 3 de Janeiro de 1842, o menor Manoel
Francisco dos Santos om Ihe ser apre-
seolado. Ofllciou-se naste santido ao
primeiro supplente do juiz de orphos des-
te termo.
Dito. A tbesoararia da fszends provin-
cial, para que manda adiantar ao enge-
nheiro Florianno Diser Portier, a quanlia
dettOeo.OOO rs a saber 1:000,000 rs. para
continuacSodos reparos da estrada do sul;
400,000 para continuar os estudos grapln-
cos da mesms estrada e o resto para os da
ponte do Molocolomb, conforme requisita
o director das obras publicas.
Dilo. A sssociscjlo commercial, dizen-
do que vai ser transnitlido a S. M. o I. o
requerimento, em que pelo ao mesnio Au-
gusto Senhor *a graca d nomear para as-
sistir por parte do imperio a grande ezpo-
sic.au de industria, que teri lugar em Lon-
dres no anno de 1851, ao cousul geral do
Brazil na Prussia J. Sturz.
Portara. O presidente da provincia ten
do em vista o requerimento do padre Jer-
nimo Barreiros llangel, arrematante do 12*
lanr;o da estrada da Victoria, no qual pede
a revoga(8o da portara de 9 de setembro
deste anuo, e attendendo ao que a respeito
informou o eogenheiro director das obras
publicas em seu officio de 27 de novembro
ultimo, resolven dispensar o referido arre-
matante do 11 lauco da estraja da Victo-
ria, e seu Dador Jos Dusrte llangel da
multa, quelite era imposta pelo art. I.'da
dita porteril, licaado o mais que nella se de-
termina em seu iuieiro vigor. Fizersm-
se as convenientes corumumca{oes.
DEM DO DA 6
Ollicio. Ao commsndo das armas re-
metiendo para qne leuham o conveniente
destino 4 desertores que foram enviados
pelo comniaiiilintu do desUcainento da
Cscada.lntelligeuciou-se ao mesmo com-
mandanle'.
lino.-- Ao mesmo, inteirao lo-o de haver
deferido o requerimento do alfares do esta-
do maior de segunda chute db ezercilo An-
tonio Jos de Santa Auna,mandando pagar-
Iheelape a conlar do 1" de jullio-desle ao
no em diante.
Hito, A Ihesouraris de fazenla arcu-
saudo recebido o olUcio, com que remelleu
oulro do primeiro eacripturano daquella
Ihesouraris Joaquim Jos de Abreu Jnior,
e o resultado da conferencis da caita da aa-
ininislracSo do correio desla cidade.
Dilo. A pagadoria militar, devolvendn
as relases de moslra e recibos a-que se re-
fere o seuolcio de 29 de novembro deste
ol uno, ain ue que uiauc fiS1-'- A5"1'-
nho Eduardo Piua sua importancia cou-
l'orme requisita o delegado de Flores.-Com
muuicou-se ao mesmo delegado.
Dito. A mesma para qu visla da cun-
ta que remelle em duplcala, mande iudem-
nisor a caita do 8.haUlhSo de cava lores da
qnantis de 15,000 rs que por ella foiam
despendidos com o aluuel de 3 cavados,
que conduzram da villa do Buio para es-
la cidade, 3 pracaa doeoles do referido ba-
talhflo. Sciemilicou-seao comiuaiuu das
armas.
Dito. --A mesma, autorisandu-a a sus-
pender a coosignaefio memial de 10,000 rs.
deixada nesta ciJade pelfjalferes do quar-
to balalliBo de catadores (Jarlos Fiedrico de
Brilo lnglex, a preveniudo-a.de que deve
remetler a pagidoria militar do Para, onde
se acba o dilo alferes. a competente gua
para receber-o seu sold por inleiro.
Hito.-- A mesma, irantnuttindoduas con
las em duplcala assignada a de o. t por
Autopio Simplicio de Barrse a da a a pe-
lo boticario Lu* Pedro das Dievee, eiin de
que mande pagar ao primeiro a quanlia de.
7A.339 rs. etn que imnortarsm as dietas for.
e.ccidss sos merntaa do atterciti, que ati-
veram recoltridos a arfrmeria de marinha
em o mx ie novembro oltimo.e ao segundo
a de 53.726 rs. da rame-tiM cara os reNri-
los recnitas, como oonet do r-ceiiuario
|ir> tamhem remett. lnteiroa-se so Ins-
iiPCtor do arsenal de marinha.
Oto. A cama rnnawipal do Racife,
linndo q-ie em "rala draque informou n
inspector da thwaarri_ d farenda, o arra-
rnalanla do im OSO di aS'C'" doln mu-
nicipio, na potoanr ego orara faetmt pu-
hhca nacional do importe da aflricJo das
balances e pesos ds alfand'gs a ntnsa do
consula io geral sem or iem positiva do go
vnrno imperial.
Dito. A cmara municinsl de Santo A-
ilo sccusanlo reoehi lo o olUcio. s que vin-
rem annexos aaoontas daquella cmara n<>
mno (Inanceiro municipal ultimo, o orce-
mento da receita a despera para o de 1851
1852, da relacSo los snus davednres, bem
como dos documentos qiul"galisam re-
feridas ci.ntas que opporlunamente lerlo o
conveniente destino.
Commando das armas.
Quarlel ti* comma* Hetiff, tm 28 de novembro 4* 1850.
OlDF.M DO DA N. 10.
O lllm. Sr. coronel commaadante daa armas,
manda declarar a guarnicao rfoe o Enn. 8r.
presidente deaia provincia por ofncioa datados
de lionteni. Ihe communlcou a argate:
l.* Que M. o Imperador honre por bem
mandar annutiar por decreto de 12 deste mez
a remocio do Inspector da pagadoria militar
lesta provincia O Sr coronel Jo de Srlio In-
Slez, para a pagadoria militar da de San-Pedro
o Hi i-Grande do aul, coufonne fot participa-
do eua aviso da repartido da guerra de 14 do
crreme.
3." Q.ie o inesmo Em Sr. presidente defe-
rlndn a'supplica do Sr. alferes do segundo ba-
(alhSo de catadores Augusto Perelra Ramalho,
ae pela juma de aaude, ein aesaao de 9 tam
em do correte mes, tora considerado incapaz
do activaaervica,Ihe penniltio que fosse resi-
dir e tratar-so a provincia das Atagoas, at ul-
terior deliberacao.
O mesmo lllm. Sr. coronel ordena, que no
da primeiro de dezembro prxima viadouro.
sejain deaannezadas do segundo batalhao de
cacadores todaa as prafas dos cornos de arti-
Iharia esiatentea nesta capital, as quaes a6b o
colimando do Sr. primeiro lente Angelo S--
inlSo da Silva, formarlo um contiogente que
aeallojara, no quartel daSoledade e seinelhaa-
icincau que todas aa ptacan aqui etlsienlea,
pertenceotes a corpos de iafautaria que ae a-
chaui fdra da cidade c da provincia liquem ao-
aeaa ao referido segundo batalhao de cafado-
res ; conaegulmeinente desanneadas de mitro
Sualquer batalhao, aquellas que na confarini-
ade ckna eslirerem como taes consideradas.
Antonio .Varia Rabello
capitao ajudaotede ordeai Interino.
Hem, do din 30.
ORDEM DO DI A N. 12.
Em additamento a ordem do dia n. II,
ltala de hontern. detalhanlo a gran lo
parada do da 2 de dezemhro prximo vin-
louro, nomeio-para commandanle da ter-
ceira brigada, o Sr. tenente-coronel do es-
tado maior Antonio Gomes Leal, e para
comman lar a quarta brigada, ambas da se-
gunda dlvisflo, o 8r. teoeete-coronel com-
mandanle do oilavo de cacadores l.uiz Jos
Rerreira.
Deii-rmino que o Sr. tenente da quarta
alaste dos offtciaesdo exercito Manoel Jos
la Silva Leite, seja no t* de dezembro em-
pregado na fortaleza do llrum, aflm de
coadjuvar o servico da sua guarnidlo, que
nSo pode na acluali lade ser bem e conve-
nientemente desempenhsdo por um s of
Acial, segundo representou o Sr. tenente-
coronel commandanle.
<"om o Um de n8o tirar ao hospital reg-
menta! da cidade, os precisos acommola-
nentos queseriam restringidos se porven-
lura o contingente das pragas dnartiltiaria
exislantes nesta capital por allojir-ae na
Soledad e slm deoulraa resOes tandcniui a
salubri lade da tropa, determino que essn
contingente em vez de ae aquartellar all,
como foi ordenado, vi allojir-se no quarlcl
lo Hospicio que nflo oCTerece os iuconve-
uieuies aponlados.
ot Vieentt dt Amoriin B$strra
dem do dia I* it OKI1E.M DODU 13
Sendo da maior conveniencia paraadis-
eiolinfc, boa ordem, o-regolaiidade do ser-
vido, que or corpos de exercitosejam com-
man la los por oMciaes superiores, e mo se
tendo ainia apresenlado o Sr. lenente-co o
nal graduado Jos Pinto da Silvasj nomeadu
comman.iante para o primeiro batallilo de
cacadores em aervico nei guarnicao, au-
torisado pelo Etna Se p'eal-anto deala pro-
vincia em officio de hooten datado, deter-
mino que p Sr. mejor do segundo batalhao
da mesma arma JoBo Nepomuceno da Silva
l'ortelU passe neeti dala a comman Jar in-
terinamente o referido primeiro batalhao.
recabando o commando com as formalida-
les que sao de riatillo.
Determino tambem, que na mantilla do
lia 3 do crrante, os corpos do ex'-rcilo
exilenles neala capital, paaaem revota de
mostr noa aeus respectivos quaiteis, se-
gundo o delalhe que se segoe :
As 5 horas, o primeiro batalhao, e aa 5
l|3 o oitaro, ambos de caladores, al 6 o
contingenta de arlilharia squartellado no
Hospicio, as e til, o segundo de cacado
res, aa 7, a companhia de artlleos ; as 7 e
i|J de ca vallara ; e as 8. os recrutas em
jeposito na fortaleza do Brum.
JoiYientt de Amorm fisaarra.
skai ata alia 4.
ORDEM llODIAN. 14.
Haveade S. H. e Imperador por bem, por de-
creto de 2*de ontubro ultimo conceder passa-
gem nra n taiarto regiment de cavallarla II-
gelra do eaerclto aoSr. tenente da companhia
Usa i mfsma arma o>sw gnamh;ao, Juatlnlano
S ilil no da Rocha; para o stimo batalhao de
saUrtroi ao9r alferea do oluvo de caeadorea
Oullherme Uirques de S mu e finalmente pa-
ran deposito A*, recrulia di corte ao Sr. alfe-
res d i primeiro batalhao tanibem de cacado-
res, Pranciaco Mat Sr. coronl comman4inte das armas aaslm o
niud declarar a guarnlc para oatina enn-
venlent-a, e mala qae por nviio do nilnlaterio
ti guerraeafkS"tid*i no inri de novembro pro-
lm i Itiiio, foi e ineamo anguato ^r. servido
conce ler um mes de licenca com o sold sim-
ples pan estar nesti provincia, ao Sr. alferes
lo corpo fto do'Ceari JoSo Carlos de L 'do c
Alateldi, cuj licenca tem vigor, a contardo
prlioeiro deate tnet, srn-lnestadianoslcjo com-
jniinlca la cotn ofBclo da presidencia de 28 do
rferido mea de novembro, e aquellas em offi-
cio de 3 do corrrnte.
Antonio Mura Rabillo.
d'apitao ajudante de ordena.
EXTERIOR.
O 11 Kl LUIZ PHILIPPE.
('^ontinuacao do u. 368.)
Um orgao eminente e seriada publicldadc,
tractandn recntenteme de julgar o re Luiz.
Philippe, censurava-o, rm rslylo indigno da
redaecSo, de se haver estragarlo com a experi-
encia. Orto nSo se far semelhante censura
nossa patria. Na Franca eaquece-se tudo, e na-
da se aprende. O rei Luis Ptillinpe era exacta-
mente dotado da qualidade opposta a este de-
rrito. Aqu*lfe. a quem se ouaava chamar -nui
atigiiaio aventurcirn> era dos horneas que me-
nos avcntiiravS e que.menas deixava ao acaso.
Sendo o progreaso da nossa pocha caprichoso,
romntico, ceg, inmoderado, o progressodel-
le era commedldo, pacifico, presidente. Se-
villa s o progreaso de bout cunhn, e por moti-
vos serios. Di'.ia um dia a os Franceses Jul-
ga passsr n termo he men n que toca-lo. Dliia
lambem a um .te sena ministros que se ganava
de ser fino. Sou ent mais fino que vos, pois
me nao gibo. Havia urna nica colisa deque
gostava de tirar vantagem, e tinha rasio por
Ihe ter ticado bem cara, de que fallava conti-
nuad miente e at no enmeco do sea reinado
a a sus velhs experiencia. Em verdade coine-
vou para elle na Idade em que se despresa, e
el 11 tinha marcad com o seu sello a augusta e
reflexiva iniridade do re.
Km tirio aaliia discernir com admiravel lan-
ce de vista o poaslvel. que a nossa pocha co-
nhece too pnuco. Niaio conaislia a ua snpe-
rlorldade. He f,c| fliter em da de batilha,
quand-i tendea valenlea que vos firo ter mi
nn ruinas sangulonlentaa de um reducto a a
pilavra luinoasivel nao he francesa Nao he o
mesmo em dia de eaciirtlnio e a mesa do con-
selho Se o rei Luis Philippe nao tivesse essa
auperloridade que nasee d'iuna alma apaixona
da pelo pnaalvel. sobre um p ivo que o be tao
pouno, dltel, duraria a realesa de jiilho 18 an-
noa H verdade que i-errceu. mas duran.
Viv disla Sieyes, sos que Ihe perguntavam
o que fitera no reinado do terror. Dure! di-
r o rei. quando a historia o interrogar acerca
do seu reln ido. eot'e um povo, on.de nada du
ra. O que o fes durar foi o dominar, s pelo
ascendente do bom senso pratico, os esplritos,
os mala engenhosos, malsouaados, mais auste-
ros, mais fecundos. Nao dUia M. Codeia com
o acento da slnceridade philantroplca que. o
distingue, no mesmo momento em que cahia o
ministerio de qu o Ilustre professor fazia par-
te, ao dizla. He mestre de nos todos?
Seja verdadelra on falsa a anedota, o dito he
verdadeiro. O rei Lola Philippe teve minis-
tros de nobre independencia e de talento illus-
tre, domiiiava-oi. sem os escravisar. Empe-
nhados neaaa lucia sem rrpnuao da vida parla-
mentar, feridos cedadla nocoinbale, vinham
ao re) buscar a forra, de que os mais eminen-
tes eaplrltns careclam para tornar ao combate.
O re Inaplrava-lhes a vlrtude que menos ae
com muir, especialmente no nosso palz, a pa-
ciencia : pols era paciente; sabia esperar, e at
sabia reder, qne he a metade do merecimento
d'iim rei constitucional. Maa tinha outro, re
aistia. A ana paciencia nao era a do Dos Ter-
mo; e posto que disseste : O mea primeiro
mi o si ro he o tempo Ki recusara a lucta,
poderla at crr-se qne gostava ilella. Tenho
visto mitras era a su* expreasao favorita.
He nada resistir aoi adversarios, dala elle ou-
tras vetes; todo* sabnn liso ; cuinpre saber
resistir ans amigos.. Quantos ministros ojo
iliavam fiz-ln t aua paciencia nao exclua
certa ousadia espirituosa e moderada, nunca
aggresaiva. que parecera s veies paiao, se o
fund d'alma nao estlrera em socego. Asslm
atraveaaou tantas orlsrs perlgosaa misturando
a usadla rom a contemporliaeio, a decisao
com a prudencia, adiando a raso tranquilla a
unta vivesa chela de encantos e as vezes de jo-
vialid.de, pondo ao aervico do qne nesse tem-
po se chamava idela immntavel todoa oa re-
cursoad'uuia elnqueacla original, e d'uina la-
inlliaridade iiue capttvava, aempre benvolo
as mala Involuotrlas Irregularidades, a que
o ev* CC~:"CJ-, TMa|rc a"* nlilaiji C
reapeltavrl nos mais facis arrebaumealoa da
ana h-mdadr ; pois o re era doa rae ae pdatein
ultrajar de ioure, atrs d'um jornal. De perto
ningueiu o ouaarla. O que a altlvea farla ein
outro, certa elevaen de bondade o operava
iu-lle. A aua benevolencia infunda respeito.
Nao eserevo urna bingraphla. Tent, em fa-
vor da verdade, restabelecer algumas fcices
d'uma phyalonomia que eslraohaiueole deafi-
gu'aram. Do que tica dito conhece-se j em
que o rei Luis Philippe ae parecia com a sen
seculo. e aqutlln em qne detle delerla. O re
nao cuidara em encubrir eala dltTerencas. Ds-
tia militas vetea .son homein do meu tempo;
maasirvo ao bom gealo da miaba naci oantra
o ino o avo gen vlngou-se. Eatraobe des-
tlBO deste excrllrnte.rel! A cada unra das qua-
lidades quemis mereciam as syupathias da
aua patria, a InDrilbilldade do seu bom senso
oppnnha urna reaerva, que Ihe arruinara todo
o eBrilo popular, toda a forca do prestigio r
expansln. Sabla-o, e rrlgnava-se. Amava
a|>aixnnademente a gloria daa ooasas armas,
levara heroicamente o tope revolucionarlo par
I entre o fogo dos Prasslanos, sabe-te que Du-
iiioiirler eacrevia delle, depola da batilha de
Talmy.a Kmbaracado com a eaoolha, conten-
awi mr htl oom mencionar, entre os qne mais
valoroaaoseiite se comporuram. a Mr. d Chai -
tres e o aeu ajudante de camno Mr. de Mont-
pensier, cuja onienca de ttpit tn so meio de ama
du astil furioi ii ronhonidoi orid. A* "ni no-
tnvel na i idade.- Orel nao era. pols. siiapel-
to nrn como patriota, nem como anidado; e
demila. mandara buacar aSanU lllenaoa res-
tos uiortaes do impera l.T Nanoleao acahira
o arco de trimnnho da eaSrelli, creara o masen
nacional e iniilitr de Versaillea. Todavia o in-
teiricimento 15 querido dos Francezes. cau-
sava-lhe profundo tedio. Por outri parle ama-
va o povo : aabr-ae a ana beneficencia ; aabia-
ae menos da aua prodigali'tade,inaqueiu hojo
.liivlda dHa ? R era ao povo, aoa obreiroa do
iodos corpos do estado que prodlgalisaca
como rei, uo a as quantias sceoanuladas ante de 1830 pela economa do principe, ms demai-.
'os recursos ruinosos de um inmenso crdito.
F.ra esmnlrr, benfasejo, philantropo na mais
nobre aceocao do termo; mas nao havfa for-
cas humanas que o fizestem ler ama passageiu
de Mr Luiz Hlaac. de Mr..Fierre Le l'.oux, d.-
dr. Iluehet ou de Mr Prodhon. K era Ilite-
rato e Iliterato de boa escola; Mr. Casimiro
de li Vigne sabia algu-iia cousa disao; est
m certo dia, em ana accesso de Imparclalida-
de litteraria, nom'ou a Mr Victor Hago, par
de Franca. Mas anda que Ihe custasse a corda,
mo applauderia um drama romntico. Era
partid inu sincero do governo representativo,
assoclavs-se de coree lo a todos os actos das c-
maras, e entra va leal men le no accordo. que IR
annos ntera a sua forca; mas exceptuando al-
guns bons discursos, que Ihe lia a Irma queri-
da, inoslrav pouco gsto da loquacidadc par-
lameniar ; era a alguna respeitoa sempre o
inesmo homem que depois do 10 de agosto di-
tia. qu indo Roberto Keraglio loe fazia a pro-
posta para sei eleito convenci. Prefiro ao
assento no banco do legislador a adiado meu
cavado n
Tinha por fim. o que he anda mala serio,
am profundo senliuiento di utilida-le da iui-
preasa, qurria-a livre, sabia de que importan
ala era no esta lo, mas (era forca ou fraquera?)
aao lia os perlo ticos. Tinha redactores aos
seas ministerios, nos seus pi-ii lirios, tlnha-
t at, como crelo, em aua casa. Todava su-
lla os peridicos inglezea, e cates A hora ein
qne, depois dejantar, tinha o habito de dor-
mir....
Havia motivo para Isto: o re sabia qne sen
aome e sua pessoa, o seus actos eram diaria-
mente ultrajados e desfigurados pela) imprenta
de cerla cor experimentava eerto prazer do
deadem de fazer que os aeus eches Ihe uso che-
gassem aoa ouvidos. Mr. Gui'.ot dissera aos
que o insultaviui que as Iniurlis delles aao
igualavam o quaato as detpresava O re po-
da dlter dos sena que os ullrages nao chega-
vam t esphera serena e tranquilla, on le reti-
lia a tita Inviol blllda te. A um a genero de
SefamacSo era o rei arnatvel. aeuaacao de des-
humano. Maa ulngiiem In'a fitia. Singular
cousa! a vlrtude qumenos Ihe disnutavam,
era todava a de que se mostrara mais cioao.
Oir-ae liia que carecia de dar todos ot das pro-
vt de 'i i nin llade. e elle procuran fite-lo,
revolven 11 todot oa diaa ot proceaaoa dos coa-
deiiiiiidiii .i pena ultima com o religioso cui-
dado do e uifessor que ouve a ultima conrisaio.
Tod it os din. e em toda as ooraald>i que for-
necia a poltica (ah! quantaa vezea) protestava
do horror i|iie Ihe causara a elfusao de sangur
humano. Sibe-ie que tinha um registro p ir
partidas dobrad.t das conlemnacfles executa-
dat edas gracas que con-edia ; de nina parte
as condeinnaco>s, e da outra as gracas. no 6m
doannn, quando asomina das gracas era maior
era bom anno, ainda que Ihe livestem atirado
duas ou tres vetes.
Lembro-me a este respeito que um da o re
me mandnu chamar, pirecla preta de certo
embaraco. Pegai, 1ede a disse-me dndo-
me nm peridico que cinheci, com c infusan,
ter agaieta allemaa de Angsburgo, e detcul-
pando-me. Ora! ouvl a e leu-me ein francez
o artigo da gai.i-ta, que o censurara poe haver
deixado levantar o cadaialto para o regicida
Alibaud. Retpondei, acrescentou com vre-
la singular, que tou rei constitucional ( que;
tenho ministros; que tcohodireito deperdoai-
aconselhau lo-o ellet, que as gracas se discu-
ten! no coaselho, e que tenho s um vote.....
Hat sbela lato tao bem como cu. Ditei-lhe
que nao ton tenhor. Se o fra !.... Pode lr-
ae no .Jornal doi Oetefet de 23 de julho de I8S5
esta protcstacao do re, qne nao fl* mala que;
escrever, como a dictava.
He o mesmo sentimeuto qne Ihe nsplrou a
bella resposta a Mr. Vlclor Haigo.que Ibe pedia
o perdi de Mr. Barbea : ^niecipel-me. Nr
momento em que me peds rata graca. j r
mea coraeSo a tinha feito. FtHa-ne a vtiM-a.
Recordel etta re.potu j citada, e eis por-
que; minifeau. por assiaa dlzer, urna parte:
uo comprehendida da alma do rei. Moatra
nelle aquella elevacao, que os tnetmos amigos
algumas vexes aao comprehenderam, porque:
praticava tcriaiucnte o inltlcr de re. ese na
eolregava a aventuras chlmericas; era homem
d bem, e nao loiic i sublime oti ridiculo ; ou
o que he o inesmo, um prodigo intelligente, e
o-i um diaaipador fastoso e estril. He verda-
de, ouvl sempre diapalar-lhe a elevacao Taima,
porque a aao tinha aem aventurse aetn ro-
manlica ; nrgavam-lhe a grandeta ; lOTrque o
pedestal ero qoe c elerava, em vez de nuctuar
ao vacuo, aasentava na trra. O pertlBoao eon-
UCIIIiiau iailtfsn,, v Mwe ientw 2* -'-
cedido, era acto de um coraco magnnimo,
aoie-sa que era inlinigo do seu throno e da sua
pesioa/adverfiasrlo lrreconcillavel.'.... Mis que
importa ? Nao se conteuta com anoiar o per-
di, aoliclla-o. Oadc el a graodea ? se uo
he oslo ? De cerlo que a poltica acontelhava
ontra cousa
lu-iitl nlgt*, por ser urna nova maoifestacau
de urna daa qualldadrs que mais negaraaja ao
rei l.uiz Philippe. Enganavam-se: o aatPMo
era s humano, era generoso Nao erada) ale
aalureta liberal, intelllf ente e boa per exoel-
ieacia, ei a tambem de aatureu elevada.
(CeaJS*
(De Peridico i
naiuma eievapa,
i.oli.Mar-as-Jjal^,
pEB*iiaU0
JUKY DO KKOIPP.
4* SESSAO ORDINARIA DEST8 ANNO.
Pretidenoi* do Sr. Or. Ittti i Stlom.
Da 4 de dezembro de tSSO.
A's ouz* horas da ntaaaaa, f-z-se a cha-
mada e aoham-se pteeautes 49 Srs. ju-
rados.


^
UL.I m^mmma.
O Sr. Prndenle abre a sesudo, multtmlo
os Sr. que delxa,rm de comparecer aero
excusa legal.
Procede-se ao sorlelo do concelho, qup
tcmde jugaran* reos Domingos Candido
Xavier c Jofio Ribeiro de Brillo, eccusado>
pelo crimedn rouho.
S'> sorteados oa seguintes Srs. : Victo-
rino Jos de Souza Travaaao, Joa Venssi-
mo doa Anjos, Francisco de Paula Machado.
Antonio Kpamifiondas do Mello, Pedro |).ir-
fiellee Pesaos, Ignacio de. llarros Belo
uuior, Firmino Jos de Oliveira, Jofio Pe-
dro Maduro da Fonseca, Jos Alves de Sou-
7a l.nvel, F ederiro Augusto de l.emos or fu,to ao escr.vo 1 por Mcida le ;
mJ,iJ_L!:nnque M"fra e francisco Eu- oor tirada de preaose 2 fw>r crl.ne d roubo
'2-
zebio de Fari
Prestado o jorarnento doealylo.
OSr. Presidente interroga au'ijrimeiro reo
pela nianeii a seguinte :
JuisComo se chama ?
Rn- Jdo Hibeiro de Brillo.
JmzStbfi porque esta proceatado, e
vem a eate tribunal J"
JrVoNao Sr.
Juis N-m ouvio dizer?
/o--Ouvi dizer, que linha sido por cau-
sa do una objecin, que foram encontrados.
Jw'sNa occasifio em que compareceu
peraute a autor I Ude que Ihe fumum a
culpa, tifio Ihe diaseram o motivo de sua
prian f
RioOuvi dizer, que era por causa de
uns ohjriclu* que ruram adiados em cas.
d' u'ua s para guardar.
wzQif objeclos era ni esse?
Reo Erain una objecloa de prata e
ouro.
Jm;--Quem era a senhora em po 1er, de
quem f ma echados es-es objeclos de prata
e ouro ?
/('"-Era Francisca das Chagas do Nasci-
menlo.
Ju sMorava com ella ?
/ L'dag as pecas do processo e Andas as al- situadas na refer la freguezia, as diapasi-
leg-cocs pro e contra.
0 Sr. Presidente faz o relatnrio da causa e
"iilrrga ao concelho os quasitos, aos quaer
o jury responde negativamente.
0 Sr. Presidente cnnformiind-se com
lerisfio do jury, absnWe os reos, mandando
pagar as cusas pela muiiiein ahilado.
~ da
Coropletnram-se os lbalh .s da quarta
essflo ordinaria deste auno do tribunal do-
Mirados : compareceram perantn elle 1 j
reo; aando. 5 por crime de homicidio
uro por tentativa do mesmo crime; por
'(Tensas physicas ; 1 por ast*lli malo; t
or furto do escravos; t por falciJ
houve esses objectoa t
MoFui eu que Ih'os dei.
JuisComo adquerio eases objectos de
ouro o prata ?
lto Esta va m empenbados em miaba
mi.
Jui;Como se chama a peasoa que lbe
empenhou essea otijeclos ?
Rio Ha no* I Joaqun da llora.
Jmi'iSabia secases objectoseram de Ma-
noel Joaquim da llora, ou de ootra qual-
qoer peasoa ?
nVo--8e eu souhesae, queeramd* oulra
pesaoa nSo os empenhava.
Jm'aCoubece a Dominga Candido Xa-
vier f i ,i- Ti '
ReoSim Sr. .0*
JhisFoi elle alguna.vetes alta noite a
sua casa? *
Reo.Nfio Sr. neui eu morava em casa
dessa senbura.
JuisAndou algumas vezes com esse Do-
mingos Candido Xavier '.'
Reo-XAo Sr
JuloSabe, que Os objectos de ouro e pra-
ta que eslavaniem puder de Francisca Mara
das Chagas eram furia dos ?
Reo- Nfio Sr.
Juis.\fio ouvio dizer, que esses objec-
in foram entregues a seus donos pela auto-
Jidade policial T
Reo- Mito 8r.
Ju*--Sabe escrever P
Reo--Siiii Sr.
O segundo reo he interrogado pela ma-
neira s.-guinle :
Ju'sComo se chama ?
eoDomingos Candido Xavier,
Ju/2--Saba a ras5o porque fui preso *
Reo Ignoro Sr.
/uts-.Quando fui processado t
Royso me recurdo.
Jui;-->3o compertceu peraulc 0 juiz que
lbe f.irmou a culpa ?
JiroSim Sr.
Juis-ISesaa occasifio nSo soube porque
eslava preso ?
li'--Disseram-rnc, sim Sr.
luisE que motivo Ihe derim para a sua
prisfio ?
Rio-0 motivo, que mederam, foi, que
elle fez-me varias pergunlas e como eu ala-
se queflp sabia, dase que eu bavia de auf-
frer rtfmo o ouiro.
l'itzConhece a Jofio Ribero de Brillo ?
lien Conlicro. aiin Sr.
luisHu algurpas vezes alta noite a casa
dalle para saturen) junios ?
o--.NSoSf'.
AisConhece a Francisca das Chagas do
Na aciment?
JMa- Conheco de vista.
JutaFul algumas vezes a casa della ?
Reo Fui, sim Sr.
JaraSabe se ella linha uns objeclos de
ouro c prata ? V
Reo Eu saba que l exista orna porcSo
de ouro, porque cualuinava empeuhar.
Juis ijueni be que coslumava empe
nhar.
Ro--Qnem era nSo sei.
JuraEmpeoharam ella ?
Reo -A Jo3o Itibeiro de liritto.
Juis-- A pergunla que Ule flz fol a respei-
to ue Francisca das Chagas do Naaci-
menlo.
Jtau-Ella nao linha nada, era de JoSo Ki
beiro (le Brillo
juisSi.be ou ouvio dizer, que esses ob-
jectoa adiados em casa de Francisca -das
Chaca eram furtadua T
RioDepoisde preso he que fui Informa-
do disst.
JaisComo sabe, que algumas pesaoa
en l, iro ile Brillo.
Reo- Una vez o vi empeuhar um alliiie-
te a urnas o orjas na ra de Hoilas.e laeabeii
por otra vez oulrog objeclos.
JViaHe amigo Ioiimo de Joo Rlkei'u
deasjJmiu e com .lie eslava coaa.nle-
n,ei*e?
JmsSabe escrever.' -"
Reo r& sim Sr.
0> nTriogados accusadospelcrime de
ii.ubo ja coiiipareceiaqj passada sessao
do jury, nao tomando este enlao conheci-
nwiHuda cauaa.porsipOr em duvidaa ve
rac*dde de urttv4l)i,^o proceaew.
i.eta foi julgada ilegal Dor se nao dareu
certas rdrri1afra.le!,.'!?yi,
! I ) ConsUpfv, que o Sf. r. promotor,
tom.DdoA'si uiguciu ua devida considera-
5.io, ra proceder contra as autoridades que
labncaraai esaa peca do processo.
D'entre todos foram apenas coiidemnados
'urna mulher a 1tannosd4 prisflo pur
hanar assassinado o ma' lo. o um ofDcial
de justica a 60 das, por \s elliona'o.
RELIflIAt)' E HtlMOMll'ATHl.V.
IIIti. Sr. li.. Pedro de Alhayde Lolio
Moscoso. A oarla e ohs-rtsQ'S hnniem
pul licadas no Diaria n. S37, fio convencer
nelhor do que eu fa.ia, multoa incrdulos
- abalar muitas convicios. Essa carta a ou-
lra particular que V. S. me dirigi, e que
cu conservo como precosidade, honram-
ne soh'e maneira e me pennoram de tal
sorte, que, se eu oto tive-ss j mullos mo-
tivos de felicitar-me pela ininha viuda a esla
ni.iade, e se acasu em vez do prazer que
i nii.> i i.lo de aqu residir estes poucos das,
ncontraasi maiores contrariedades, ou
grandes desgostos, essas carias suaa basta-
vm para indemnisar-me e dar por bem
empregado o lempo que acaso perdoasn.
Mas nao perd por curio o nreu 4empo, visto
luei minha retirada por sem duvlda que a
homocnpalliia contar nmor numero de
iingos : e indemmsadn me consideio tam-
bem a todos os resuellos, ji pela generosi-
lade dos enfermos que me honraram rom a
sua confianza, |a pelo bom acolhimento
|ue se me tem feto talca urna insigmf-
ym--Sabe de que maneira essa mulherP,"''"""a W. Resta-me um pesar ;
la nain maaiwte* l>n a n at tr iatai annra nnaa
mas esse mesuio he suavisado agora por
urna esperanza, o pesar que me resta he
o de nSo ter podido conseguir a organisa-
cflo de um rmanJade de S. Vicente de
Paulo, com o fim de mandar vir para casas
de asylo e hotpltaea pblicos de Pernambuco
aa irmati da eariiade, esaaa virtuosas inulberes
que ha 300 anuos sao pelas suaa virtudes urna
demonitracao pratlca prssoal das sublimes
doutrlnaa do evangelho: levo com este pesar
e para o minorar, urna esperaoca fundada u i
telo religioso do Eaiu. Sr bispo diocesano, e
de auat eicellenclaa ot aenhorea barao da tfoa-
Vlsta e presidente da provincia; e agora esta
esperanza mala se avigora p. la couverso de
V. S. i sublime sciencia de llanbemann ; pola
devert V. S. considerar agora como aluda tuals
digna de aua aollcitude a organuacao deasa ir-
uiaudade, e a acqulsica > das irmai da caridad;
noporque as crea IdeoliHcar coinaa dontri-
nas ou pralica da homoeopathia; mas porque,
se V. S adoptando a iiomicopalhia abri dian-
te de si um caininbo to recio que o coudu t ao
bem doa homrns e a prosperldade do seu pala,
essa prosperldade nao pode ser estavel sein o
engrandeciiiieuto da religiio ; o bem dos bo-
rneo* nao pode vir de oirs o.aos, que njose-
jain aa que eiercem a carldade evanglica ; e
cima de todas as imiiiuices buinauas a ios-
tituicao das rmu da eariiade he a priuieira, e
a todas superior, na qual a carldade evangli-
ca he posta eiu accao pelas mos inais puras.
Illin. Sr. Dr. P. A. L. Moscoso, a bem da hu-
nanidade e pelo amor de Dos, tu lbe rogo e
Ihe supplico Iuslaueinenie que abrace a Ideta
de organisar 11111.1 irinaudade que lenh.i por
hu maodar vir para IYrn.uo buco as irmjai da
earidade; mas eu Ihe digo que nao contie tau-
10 nas proinesaai oicloaai que ihe tlierein co-
mo na energa de aua vootade; e quandosua
vootade se enfraquecer no combate que hade
ter contra a inercia e indiHereuca dus hoioeus,
e aioda inais contra o cjtoismo de algum bobo
choca'relro, que uada tome a serio, eu lbe ie-
cominendo que lance osolhos para a /rabia, e
veja o que tem fello o nosso coilega Dr. A. J.
Mello Moraes. meu partlculai amigo, em quem
possue aquella provincia um verdadeiro me-
dico dos pobres, um dilecto lilho da Igreja, um
advogado zeloso dos iafelizes.
Prosa a Deoique com tauta justica outro tan-
to se diga sempre de V. S. de quem aou uinito
alterno venerador e collega.
Joio Viente Uartint.
"mmwKci]"
ALFANDEGA.
Rendmentndodia 10.....18:527,740
Descarregam hojeH de de sembr
Bruue Riekelieu mercaduras. _
Rriguo Couraqeute Eugtnie idem
Brigue Lnlla Roorkh farinha de trigo.
Hriguo -- Henry Malheus gelo e macAes.
Polaca UalhUde farinha, violto, albos e
massas.
Brigue IMo merctdorlis.
CONSULADO CGKAL.
cOes dos artigo 18 e 19 do titulo 7.* das
costuras municinaes vigentes
. Art. 18. Todas as casa arruadas rSo
riiarnecidas de passeio de dez palmos de
srcura nas ra, o de seis palmos nag ira-
/essas ; os propietarios aerfio ohrlgadot a
oncerta-los todas a vezee quedcarem r-
uiindas : os contraventores sirfio mulli-
os em 4,000 ra., sendo o concert foito a
rusta delles.
Art. 19 Nos passoioa j existentes, observado o nivelamenlo do maior nu-
mero das casa que houverem na roa, gen-
io os prnpiietarios ohrigados a abaixa-fos,
.ara que chegue ao movimeuto : os infrac-
tores lleam suhjeitos as peni do artigo an-
tecedente, e a obra ser* fetta .a aua cusa, *
. E cara que nao aleguem, ignorancia vai
ouhlicado pela im .rema. Fregu/, i a da Boa
Vista, 6 de dezembro de 1850 5- O Osea I,
Ignacio Jote Pinto.
0 lente coronel Antonio Carneiro Macha-
do llios, jais de paz do primeiro distrioto
d fregueti do Sintissmo Sacramento
do hairro da Boa Vala, termo da cidade
da Recife de Perntmbuco, em rirtude da
le etc.
Paco saber que em conformidade do art.
-25 ca. 9 da le n. 387 de 19 de agosto do
anuo .1 1816, convoco o cidadios eleito-
res esuplientes desla freguezia, para que
na lerceira domlnga do mez de Janeiro pr-
ximo futuro, comparecam no corpn da igre-
ja mtn/, alim de proeeder-se a formaefio
Ja junta qualicadora para rever a Data gs-
ral dos culadfios que.lees direito a volar na
elei(3o de eletlore, jtiites de paz a varea-
dores.
RUilorm.
Os Srs.Dr. Antonio Peregrino Msciel
Mooteiro, Karflo de Capibaribe, Antonio
Carlos de l'in'.o Borges, Jos Marque da
Cotia Suarns.Auguito Frederico de Oliveira,
Amaro da Barros Crrela, Francisco Ignacio
de Alhayde, Vicente Antonio do Espirito
Santo, Luiz Antonio Rodrigue de Almeida,
Dezembargador Jeroeymo Martiniano Fi-
gueira de Mello, JoSodoRego Barros Fa I -
cSo, Jos Antonio dos Sntos e Silva, Ce-
tano Mande di Cunh Azevedo, padre Al-
bino de Carvalho Lesjaa, Marcelino Jos Lo
pes, Jos Marinho Pereira dos Santos, Sim-
plicio Jos de Mello, Francisco Antonio Ca-
valcanti Cousseiro, padre Francisco Alves
de branles, Jos GoncalvesAt Silva, Bento
dos Santos Ramos, Joaquim Jos Ferreira
da Penha, Joaquim Rodrigues Pinheiro, Jo-
s Mara de Albuquerque, Dr. Jos Quintmo
de Castro l.eflo, Jos Joaquim Antunes, Jo-
s Maria Freir Gameiro, Antonio Jos de
Oliveira Miranda, Rufino Jos Corroa de
Almeida, Anaclem Jos de Mendonca, Pedro
Jo>6 Cardozo, Maximlano Francisco Duarte,
Tbeotooio Tiliurtino Couro d'Autas, Jor-
ge Vtcior Ferreira Lopes e Jofio Pinto de
Lemos.
SuppienUt.
Dr. Alexiadre beinardioo do Reae Sil-
va, Bernardo Jos Marti ns r>ereira, Igna-
cio Joa da Assumpcfo, Antonio Pereira de
Souza, Miguel it 1 huiro do Amaral, Rento de
Barros Falello de l.acerda, Jlo Policarpo
dos Santos Campos, Francisco Jorge de
Souza, Pedro Alfonso Regueira, Antonio
Germano Cavalcanii de Albuquerque. An-
tonio Lopes Guimarfie, M.Linas Jos da
Lapa, Manuel Caelano Barboza, Franciseo
de Lomos Duarte, Francisco Lopes Vianna,
Jos l'auiuo da Silva, Joa de Barros Cor-
ris Sette, Antonio Pires Galvfio, Alexan ir
dos Santo Barro, Aleixo Soarea Pereira,
Joaquim Jos de Sania Auna, Jofiu do Monte
do Jezus, Julo Fraucisco da Lapa, Antonio
Bernardinodos Res e Silva, Joaquim Hile
toMureira, Joa Thumaz da Silva, Zicariss
doa Santos Barros, Jofio Miguel Teixeirs de
Lima, Jus Xavier Faualinu Kamos, Luiz da
Veiga Pesao., Tnemoieo Pinto Leal Jnior,
Amonio Augusto da Cmara Rodrigues Sel-
la, Thornaz Antonio Maciel Monteiro, Gui-
iheriiiiuo de Albuquerque Martina Pereira,
Joae Ignacio Soare de Macedo, Caelano Au -
re.iaiio de Carvalho Cuuto e Antonio Macha-
do Pereira Vianna.
Os quaes deverfio comparecer impreleri-
velincmo as 9 horas da manilla do referido
da ; llcando os que deixarem de compare-
cer sem motivo I gal, sujeilo a multa com-
mtnada no arl. 126 5 u. 3 da dita le, e
para cunsitr minJei passar o presento; que
sera all\ado no lugar do cosame e publi-
ca lo pela imprenta.Primeiro dittricto da
freguezia da Boa Vista, 7 de dezembro de
1850.
Ka, Francisco de- Barros Corris, escri-
vSo o escrevi.
Antonio Carneiro Mochado Rio/.
' ...... f ________ =
da nflo po.Ieram stsistir representa ca
deste bello drama, Isnrjou mSo delln, jul-
gindoassim demonstrar o muilo que pro-
cura em tudo agradar ao publico que o hon-
ra,-e a quem lano .leve.
No fim do drama oidor Ssnti Rosa can-
tar a engractdt aria da Polka.
Terminar o espectculo com o bello e
gracioso duelo, cantado pelos artistas Ray-
mundo e Jnanna Januiria,
O Mirf ntio e a Pobre. m
Comecar as 8 horas.
Os bilhetes acham-se venda no lugar do
coitume.
Por se retirarem pira fra di cidade mni-
tos -los Srs.iasignante, e mesmo maior
parte dos ama tores do theatro, o empr. si-
rio julgou convenieile uspender o ep0-
tacoloa at Janeiro do prximo futuro an-
uo, que de novo continuar com seus tn-
balhns, dando assim ferias ao reapeitavel
publico, a quem nfio faltar intretenimen-
iose distraecOes durante a festa.
~",~i 1 '.
Avisos
aasavHw
martimos.
Rondiment do di 10.
Diversa provincia. .
4:728.178
228,875
4957,053
EXPORTACAO.
Despachos martimos no iia fO
Bahl, hiale Ligeiro : condnz o eguinte :
31 pipa, 54 barris e 4? quarlolas szeile de
carrapalo, 81 eaixas velas de urnaba, 88
mlhos de palha de dila. 20 saceos cera de
dita. fiO barricas farinha de trigo, I caixa
rolletes, 9 Caixas velas de composieflo, 20
arrobas garras de couro, 50 fechos arcos de
pao, 9 volumes cabos linos, 3 ditos veonei-
ros e louca, 3 caitas chapeos, 3 ditas papel
e 1 dita peonas d'acD,
Rio de Janeiro, pancho nacional Curioso,
dello toneladas : cofiduz o seginnto : lio
a>avrfese 1,080 sCeo com o,5 arrollas
11 libree de assncar, 79 arrobas e 4 libras
le doce, 809 meios de sulla e 30 saccat com
#63 arrobaseis libras de algodfio.
' RECEBEDRIA DE RENDAS GERAES
1.1, INTERNAS.
lleiidiroenlododi 10 ..... 502,727
XINSULADO PROVINCIAL,
rtendlmento do da 10 ... 3 692,990
___i Li ranirri
Movimeuto Jo porto.
-T-
Navios sahidos no iia 10.
I'hiladelphia Patacho americano Wase,
meelre William Johne, carga assucar.
Parihibi Ilute nacional Espadarte, mes-
tre Victorino Jos Pereira, carga vario
geneio. Passageims, Jo lltbeifo Gul
maifiea e Jos Alves Ribero._________
JBDlTAfcW.

Ignacio Jote Pinto, fiscal da freguetta da
lina-Vista, em virtud da lei, etc.
Faz publico aoa proprieUrius das casa
Oeclarayes.
Pe* segunda seceso di mesa do cn-
sul lo provincial se faz publico, que os 30
lias que a lei tem designado para o paga-
mento a bocea do cofre, da decima doa pre-
dios urbano dos burros desta cidade, do
primeiro emeslre de 1850 a 1851, se prin-
cipia s contar do di 3 de dezembro pr-
ximo, e que Ando este prazo Incorrem na
multa de 3 por canto sebo vlor de leus d-
bitos todos o que deixirem de pagar
Pela sub lelefaciaala S. Js*a do Recife
foi ippmhendido, por andar fgido, um
prelo de nome Pedro, Angola, que decla-
rou ser escroo de Josqaim Marinho Caval-
canti, morador no engenho Penedo de Rai-
zo: aeu legtimo senhor apretente-se com
o aeu titulo par I lie ter entregue.
Pe subdelegada da freguezia dos Afo-
gadoa foi adiado um menino de nome Joa
com um cavallocatlanbo. diz o menino mo-
rar seu pai uo iiigeoho Mamolengue : quem
se julgar com diroilo aodito menino, com-
parega na mesma subdelegacia.
Pela subdeleg>cia da Varzea ae faz pu-
blico, que foi presa urna preta de nome Ma-
ria, que diz ser escrava de Jos Joaqun) das
Chagas, morador na freguezia de Santo
Amaro JaboaUo : quem ae julgar com di-
reito a dila preta, apresente-ae a esta sub-
delegacia com competente justificarlo.
Pr I tbo segu vlsgem t 18 do
corrente mez o hergantim portuguez Torti-
;'o /, capitfio Manoel de Oliveira Faneco :
quem no metmoqulzer carregir ou ir de
piasagem, para o que tem os mais excellen-
tes commodos. dnja-se 10 mesmo capitfio,
ou a seu consignatario, Manoel Joaquim Ra-
mos e Silva.
Har o Rio de Janeiro atabe,
cotn a maior brevidade possivel, o
brigue nacional Firma : quem no
mesmo quizer carrtgar, ir de pas-
agem, ou embarcar escravos a
(Vete, dirija-se ao capitao a bordo,
ou a Novaes & C. na ra do
Trapiche, n. 34.
Para o Rio de Janeiro
salte, por estes 4 ou 5 das, o bri-
gue nacional ConceicHo, por ter
quasi toda carga prompta .* quem
quixer carregar o resto, embar-
car escravos a frete, ou ir de pas-
sagetn, falle com Manoel Alves
Guerra Jnior, na, ra da Cruz,
no Hecife, n. 4> ou com o capi-
tfio, Manoel Francisco dos Beis.
Sahn imorelerivelmente ptra o Rio de
Janeiro, no da 14 do corrente, o brigue na-
cional Carolina, o qual ainda recebe carga,
passageiros e escravos : quem pretender,
lirija-se ao escritorio da viuva Gaudino &
Filho, atrs do Corpo Santo n. 66, para
tratar.
Para o Rio de Janeiro lahe com brevi-
dade, por ter a maior parte de ua carga, o
brigue San Manoel Augusto, capitfio Jos da
Cuuha Jnior: quem quizer carregar, em-
barcar escravos ou ir de paaaagem, trate
com Manoel Ignacio de Oliveira na praca do
Commercio n. 6. ou com o capitfio.
Gear Maranliao e Para
sabe, coma maior brevidade pos-
sivel, por ja ter a maior parte da
carga prompta, o bem conhecido
brigue escuna nacional Laura: pt-
ra o resto da carga e passageiros-,
trata-se como capitao a bordo, ou
com Novaes & C., na ra do Tra-
piche, n. 3$.
Para a Baha
sabe, com a maior brevidade pos-
sivel, por j ter prompta parte da
carga, o biate nacional Amelia
--0 engertheiro civil DMorniy fr lei-
11o, ,pnr inlerVflncJo do corredor llllveira,
de muitas rabeis do melhor gado inglez
de raca p ira, sendo todas, com urna s ex-
cepto, cresula, e por isso livre do rltco
que. corre o gado recom^egado por cama
de mudanc de clima, do*paBto, ele ; des-
necessirin he commeotar mais sobre a re-
conheclda bnndide deate gado, ja pela
abundancia do leite que d, ja pela sui
mansidfio e paiticularidade de dar Inite'in-
denendente de bezerrn, como pelo ldo van-
tajoso de q poda conseguir a appropria I
mistura com O gdo da trra, par pro lu-
vir ptimos bol d parro maiores mais
fortes Tambem se vender urna carroca de
quatro rolas, com buiss patentes, da me-
lhor construcefiujiossi'el, e muito auue-
rior ti que tem ajppareci ou pnssim ap-
pirecer, vigto nfio se Raver pqjgi>ido despe-
za para que a tua construcffia foase leve e
combinada com a fortaleza ; carrega fcil-
mente o peso de qoatrocentasarrobas; foi
frita na Inglaterra expresamente para o
Brasil, e be de grande aprecu para 11 senhoi
de engenho que posu partido em Var-
gen, ou propriedade prxima estradas :
nfio loffrecomuaracfto enm at obrat fran-
zinas e com ferrageo defe'tuos, qu<*a aa
coottruem em alguna engenho, Uo for-
te he, que n*o pode dearoneertar-ae no. in-
til isar-ge, em que por mu tos. anaoa to lia
prestado aturados servieos. Igualmente ae
venderfio duas carrocas noval, de ilusa ro-
das, um cavallo, carrinho de nifio, reos
para carroca, e minios out'os ohjeeloa
uteis : lerca-feira, 17 do crranle, i ho-
ra da minlifia, no Giquit, dentro do sitio
d Estancia; e dverle-se que, en conse-
quencia do vendedor estar prximo a se-
guir viagem, forcoao Ihe aer vender tudo
a dinheiro pagavel no a.to da entrega.
riiTT-n-JT~~'''i'i" -rjBBmtm
Avisos diversos.
para o resto da carga e passagei-
ros, trata-se com Novaes & O. ?
na ra do Trapiche, n. 34.
Para o CearA.
Espera-ee com toda a brevidade de Lis-
boa com destino ao Ceari, o Wtgue nacio-
nal Empresa, forrado e ncivilhido de co-
bre e de superior mtrcht; demorar-se-ha
aqui 12 dia, e recebara carga e passage
roa." trata-se na ra da Cadeia do' Recife n.
17. segundo andar.
"^"""Tel
loes.
Theatro de Santa-Isabel.
35.' RECITA DA ASSIGNATURA, E ULTI-
MA OESTE ANNtf DE l&SO.
Quinta [eir, \i de iesembro d 1850,
acompala naciuntl representara o excel-
ente e muito appiaudi jo drama em 5 ac-
tos, ornado de miialca
A ClugA DE DOS.
O idminislrador empresario, por salisfa-
zer os dmejo de algpmjl pasto quo ain-
Quarta-feira, 11 do corrente, ha leilfio
no cae da alfandega de urna porcHo de
manteiga franceza em barril inlelros e
m 'ios, e de 40*garrafOes com ervilhis, che-
gadas ltimamente de llamburgo, muito
vertiese frescas : tuaVt>m lotes s vontade
dos compradores.
O cor/ator Oliveira fari leilfio de um
escravo mofo com nfflcio de pedreiro, um
ilito cozinheiro e refinador de assucar, un.
dilo psra lodo o tervico, um negrinha de
11 annn, costureir, e outro escravos com
habilidades e sem ellas ; asaim como de
grande porclo de boa mobilia para ultimar
coutas, consiatindo em um magnifico loo-
ceiro, iremos com pedra marmore, umleitn
francei, um dito ingles pira citado, mes
redon de meio desili. dit comprida pa-
ta cha. camap, cadeins, pmipiridor qua-
,-----------..I.WI* J Mn< *- *- t.nm f
01 VU1U UHI ICIU gorai de bronze de exquisito gosto, nutre
proprio pin escriptorio, repirtir;9n publica
ou caaa de campo, candieiros de globo,
qudroa, berco, orna cadeirinha da Baha,
urna dita para hombro com correin, lava-
lori. s, muitas garrafas e copos de cristal
lapidado, vato do'ado para flores, ce*-
tifaet com mangas, ele. e mulla obras de
prata, como sejam : salvas, caslicies, um
apparelho para en e cafe do m. Ihor lavor,
e um faqueiro completo com facas de follia
de prata, e de tilo rico feilio, qual nfio ae
enc'iiitr igual fcilmente, leudo r.uatado
mil francos em Franca, ele: quinta feira, \-i
do corrente, s 10 horas da manbfia, no (eu
escriptorio, ra* da Cadd.
t> correlor Miguel Carneiro fari leillr
no dia 13 do corrente, ae 10 hora di mi-
nhl, no eu irmazem, na ra do Trapiche
n 0, de diversos Irssles, louf com rico
salelro, obra de prata, relogios, sellms.
espingarda iiigltzis e ettojos mathematl-
cos; alm desloa objeclos lera u n leo pia-
no e um famoso bilbar: quem tiver preci-
slo que veaba comprar.
Preoita-sa da orna preta forra para todo
0 tervico interno e externo de umt casa de
homem olteiro : ha ru estrella do Rota-
rio, loj de miudeza, s. 9 A.
Na ra da Prai, beeco do Carioca o-
brado da esqnina, faz-se almoco e jantar
para fra com multo isseio e perfeicio a
contento dos freguezes, msndindo-e levr
t csa daquell peason qae nfio tiverem
qaem o venha buscar.
Srvete.
re boje em diante haver trrete eom
todo o aaeio, no cal dos arcos junto ao
theatro velbo, das horase mea da tarde
em diante.
Cortes de easemlra, a 3,5-000
a 4,000 ra.
Vendem-ae cortes de easemlra da cores,
a 3.500 e 4,000 re ; advertin.lo aos amante
lo bom e barato que esta fazenla be dot
melheres goatol que tem vindo ao mercado,
por isso racommendi-se que ven ha m a ellas
antes que se acabein : na ra do Crespo,
1 o ja da esquina que volt para a Cadeia.
Precisa-sede um Portoguez, preferin-
do-andaa ilhas, para f-itordeum engenho
na provincia dea Aligoas : quem astiver
nestascircumslancias, dirija-e raa da Ca-
deia de S.-Antonio, sobrado aop da guar-
da, que achara com quem tratar.
Na roa do Caboga n. I E te dir quem
di 500,000 rs. t jurot da 9 por centoao mez,
sobre hypothoea em casas terreaa nesta
prac.
Luiz da Silva Oliveira Campello retra-
la para fra do Imperio.
--Precisa-se de om rapaz de 19 a 15 an-
uo para oaixelro de ra : a tratar na roa No-
va n. 3
Antonio Candido de Miranda, na qua-
lidade de tutor do menor Mannel do Naael-
menlo, neto o herdeiro do fallecido JoSo
Leilfio Figueira, fax publico, que por parte
do seu tutelado procedeu, peto juizo dot or-
phfios desta cidade, a sequestro em lodo ot
ben moveit, temoventos e de rsiz, que 8-
caram por morte de Josu de Jetus JartHm,
lilho do mesmo Figurn, por ettarera ot
metmot bens jiro indeviso. E ptra que cha-
ge 10 coiiheeimento de todos, e se obviem
questOes para o futuro, faz o presente an-
ouncio.
*opu|ii(jop |asg o
Roga-te ao Sr. fiscal dodiairicto do ma-
tadouroda* Cinco Pontaa que ponha suat
vittti nt machina de vapor, que ainda te
contina a vender carne verde ao povo
sem haver quem mate as rezea, porque ain-
da hontetn, nove do corrate, pusando en
no lugar do mercado, ah enconlrei un
poucos de carniceros disputando un com
outro, porque a nfio queriam lalhir, eom
medo que Ihe Uzease mal, por ter da tal
qneaeachav do drincipio. al dez; como
be Uto t Queta quizar que adivinbe.
O obtsrvador.
Quem for dono de dout cavailos, d i ri-
ja-so ao sitio Ca pelln ha, que, dan-te os
sigues e pigtnda a* detpez e dettrui{8o
que flzeram, lbe terfio entregue.
Precinte de um Porlnguex cuido, pa-
ra feitorde um aillo perto desta praca : na
ra Nova, n. 46, loja.
Oabaixo atsignido deixou de aer cal-
xeiro de aeu lio, o Sr. J. J. de C. Monea,
desde 0 dia 7 de corrente : aproveita-se do
entejo para agradecer ao mesmo Sr. bom
tratamento e favores que Ihe penboram
agraldfio. lodo Antonio di Maraes.
Os sbsixo aaslgnados fazom aoiente ao
Sr. arrematante do coosummo de ago'ar-
denio de.producefio brasileira, que nunca
venderam taes espirites em sua casa, sita na
?iiz \z'Z- do f*o?r!c 27 k.
ra que solTreram do semestre que te vence
em 31 do correte, he injusta, por que nflo
fram collectado, nem podiam ser, por
Sue indo o meante arrematante m tua ca-
1 para os colleclar, Ihe flzeram ver qae
tae bebidas nfio vendiim como podem
provar ae noretsirio fr ; continu o Sr. ar-
rematante eom esta arbitrariedades que
muito oabonam, e diga que pode porque
arremalou muito caro: e pira que so nfio
chame a ignorancia, fazem o presente an-
nuncio. -- .intunw Bento de Araujo k C.
Arredda-ae, pelo lempo da festa. uma
eaaa 00 Poco-da Panel la, com commodos
para grande familia: a fallar com Manoel
i Silva Nev-s, oa ra do Pilar.
Jote Manoel da Silva Oliveira retirase
para a cidade do Pono. -3
Veetsa-ie de um rapaz brasiliro
ou portuguez que leona bastante pralica da
paoai ta, para lora sala ci laai, quem eati-
ver na ciroumetaucta de bem dasempeuiiar
ete trauco procure na ra do Crespo em
(saJeXiato V'icira Coellio que ah adiari
com quem tratar.


Oftarece-se Pro caiieiro Je qualquer
estabelecimento, asceplo venda, umi pes-
fiO com habilitscoei, o qual da fiador a sus
comlucta : anem o pretender, dirija-se
ra Nova n. 50, ouSnnum o.
Francisco loaade Suuza portuguez re-
tira-eptra fraWlmperio a traiar de sua
sauta. -
rrecUa-ee de ama ama que aaiba co-
zinhar fi engommar, para csaa de homem
solteiro : em Fra de Purles, ra do Pilar,
h 39.
i
i'nnlo t.'ntgnoux, dentista
i francs, offereee sen prest-
m mo no pnlilleo para todo os
9 mlleros de lia proflasno :
1 pode ser procura* a qual-
qnrr hora em ana casa, na
r\ia larawdo itoxiirlo, n. 36,
ft tugando andar.
Mrtf lltMIMti
precia-sa alugar um molcula esperto
a dni ha ronducta para o servico interno de
im> raa invleza : paga-as bem : quem li-
W, annuncie.
Na ra do Sol junto ao porto da* ra-
ndas da ponte da Boa Vala n. 23. apromp-
taoi-se jaiilnre rom muilo asgeio n peitai-
CtTo, a contento do freguezes, inunda lon-
se levar a rasa daquellaa pessoag, que nfln
tiverem quem os venha buscar: o dono pola
dente novo estaheleeimenio espera merecer
ronfunc* do publico, tiento o esforco
que tdm empregado aampra para agradar
os concurrentes.
--' Domingo a4 do corrente,
perdeu-se desde a Paesagem da
Magdalena at ra -do Collegio
una pulceira de diamantes enria-
da em peroles ou aljfar : quem
a tiverachado e quizf r restilui-ia,
dirija-se ra da Cadeia do Re-
cita, primeiro andar da casa n.
38, que ser gratificado com a
quantia que valer a mesma ataca.
Hogn-ge ao Sr. alanoel Mandes da Sil-
va Barang o favor de vir a ra da Cadeia
da Santo Antonio n. 13, .para negocio que
nSo ignora.
Jos Pereira Ceiar, lento sido rouba-
do em sua casa no dia a do corrente, como
ja annunciou por este Otario de 3, em adi-
tamento a esse annuncio declara, que Ihe
roubaram mais diversas pecas de xoupa dos
seus caiieiros, um relogio de praia grande,
um chapeo de aada prela e mais outros ob-
jectes. O snnunciante nfferece todo o di-
nh'iro e tolos estes objectos, e so pelea
reatituico das ledras e mais papeia que es-
tavam dentro da lata, e que a ninguem
absolutamente pdem servir senfio ao mes-
mu annuncianle, podando para mais facili-
dadaserem ases papis Untados por bai-
lo da pqrta de sua casa, ou da sua luja na
ra do Queimado, n. 1, ou de oulra qual-
quer forma que Ihe possam vir a mSo, pro-
metiendo guardar sesredo, e nSo proceder
contra, anda mesino Babeado quem foi o
roo bador.
-- A cepatazii da alfandega precisa de
trabalhadorea quesejam homens livres e
robustos, para serein pagos effoctivamente
a 646 rs. por dia : quem se quizer engajar
compareca na porta da altan lega, segn Ja-
feira, s7 horas da mantisa, na certeza que
d'ora. em di lite gempre ser a paga 610 rs
0 capataz, Jos 1 Homaz de Campos Quaresma.
Quem quizer comprar um escravo de
oac3o com 30 anuos de idade, bastante pos-
sania, perito oflicial de calafate, e bum
CHiKaairo : dirija-se a ra do Appollo. tr-
mazem n. 34, que se dir quem o vende.
Pe le-ae ao Sr Meriinhoda Silva Costa,
director qua foi do collegia Smto Antonio,
de ter ahondado de mandar pagar o rest.n-
te de una letra proveniente do aluguel da
rasa etn que esteve o mesmo cullegio.
~ Aluga-se urna casa terrea na ra da
Gloria da Boa Vista n. 6, com bou* comino
alus: quem pretender dirija-se ao Hecife,
ra di Sanzalla velha n. 70
No dia do corrente do corrente des-
apparereu um menino de idade 8 aruius("ma-
tulo) de iioine Jofio Jos, filho de JnSo Fer-
nandas Vieira, moradures em Mamulenga ;
o menino eslava guardando um cavado, e
tambem dessppareceu o dito cavalio, cor
caslanho, ferrado dos dois quarlo* ; roga-
se portanto a quem sober do dito menino,
Sueira dirigir-se a ra do Crespo, loja n. 4,
e Joaquini pa Silva Castro, que se gr.ti-
llcara.
0 abaixo assignsdo comprou ao Sr
Pedro Donoell a sua taverna sita na ra da
I.iugoeula n. 5, por isso que declara a quem
perlencer ajue se nilo rrsixmsabilisa por du-
vida algnuia cnutrabida al esta data. Re-
cita, 4 de dezembrod 1650.
GuUkermt Ilrankmann.
O Medico do Povo O
* jornal da propaganda homceopa-
O nica distribue-so eralii na loja de O
0 rzendaa do Sr. A. F. Pereira, na roa O
O do Cresoo, n. 4.
QOOQO0QQ09999090O9
Aluga-se pelo lempo da fes|a ou an-
nualmenle a casa do dous andares, defrou
te deS. Sebastifioem Ulinda, com commn-
dps para grande familia : a traiar na mes-
ma casa, ou na rus da Cadeia do R cita, lo-
ja n. 50^
w,vihim-h ti tmtm-mv iwu. ..--
de de roupa com lodo asseio e muila promp-
tidlo, por precuoiais couimoJo do queem
oulra qualquer ajarla : oa ra de Agoas-Ver-
des, n. M.
Aluga-aa o segundo andar do sobrsdo
da rUa l'ireila n. 80, com commodo para
grande familia ; ua ra pireila n. 93, pri-
meiro andar.
- l'recs -se de ums ana para casa de
nuca (auiilia, sendu para servido de portas
entro e Ue ra : pas Cuco Ponas, casa
terrea detrmtte de um sobrado de dois *n-
dares,'gJM]pOr eirso lem fabrica de vinagre.
ugio na noiledodi i do crrante um
cavalio russo grauje, caiuudo, dinas alvas,
cabera grande, rabJo. auda bano, com as
coila* um poueo pellada : quem o a^pre-
ntiewr podera entregar na ra da Auror,
n 70, que recompensara.
r Pretme-sa ao p jblieo, que ninguem fa-
ca contrato de uatureza al^uma com Joa-
quina ,\unes da Silva, principalfliMle tm-
tireurna casa ajiViisue as ra I pollo
n. 17, poia o cfrlo Josquim NunlTlr'Bilva
acha-sn completsmente louco, tanto que
tem dado consumo a todos os movis da.
casa ; protestando-se desde j snnullar-ae
qualquer contrato s respeito de dita casa,
ainda que a mullier do mesmo sssigne a es-
4H contrato ; pois se ella o fizer lie por meiu
da forija. Manotl Martins de Caroalho.
Aluga-se um preto para alguma paila-
ra ou refinacSo, sendo tambem bom car-
reiro i quem delle precisar, dinja-ses prs-
pawla Independencia, loja n. 14, ou em Olin-
illy na ladeira da Misericordia, casa que
tica contigua a um sobrado de um andar,
que nestes lugares acharSo com quem
tratar.
-- Itoga-se aosSrs. vendedores de bilhe-
tes ou a ouUa qualquer pessoa de nSo fazer
tranaaccfio alguma^ no caso de sabir pre-
miado, com o quarto n. A76 da 1.a lotera do
S8. Sacramento do Ilio de Janeiro, pois o di-
to bilnele foi roubado, e acpa-se asaignado
com osnomes de Joaquim Antonio Rodri-
gues e Antonio Bastos, seus verdadeiros
posauidores como piovam.
ammmmmmm mmmmmm*MM9
Consultorio homcoopalhico.
Rus do Hospicio, n. 56.
I O doulor Hoscoso d consultas to-
do* es das.
Os pobres ato tratados gratuita-
mente.
-- Procisa-se de um horoem que tr.balhe
de anaaila, enLenda da vaccas e tire leite i
na Magdalena, estrada nova, primeiro por-
t8o de ferro. No mesmo lugar tambem pre-
cis's-se de um bolieiro.
Aluga-se um segundo andar esotflo, o
qual tem commodos para familia ; adverle-
se que esta casa foi reedificada de novo,
lem vista para o mar e he bastante frasea :
na ra do Pilar, em Fra de Portas, n. 145
Precisa-se de um Po'rtuguez dn 10 a M
annosde idade, preferindo-se los chegados
ltimamente do Porto, para caiieiro de
urna loja de miudezas : no Aterro da Boa
Vista n. 72
Na padaria nova do Manguinho, ao vi-
rar para Bsiza-Verde, precisa-se de um*
pessoa pira vender pSes em um quartto s
quem neste caso estiver, dirija-se a mesms
padaria que achara com quem tratar.
Aluga-se o terceiro andar da casa da
ra do Oueimado com commodos para urna
grande familia : na rus doPasseio, loja nu
mero 21.
4* ******* ************
Consultas e remedios homoeopalhi- v
^ eos degraca para os pobres, no con- at^
4t sullono homcoopalhico do faculta ti- a>
g vo J. B. Casanova, ra da Cadeia de s>
Sanio Antonio n. 22. s>
ffffffffff-fffffffffff
Joto Marques da Silva Henriques retl-
ra-se par* fra do imperio ; quem s* julgar
seu credor, spresente-serra roa Bella, n. 4
Quemliver duas canoas abarlas esa
queira alugar, dirija-se i ra da Praia, n.
25, primeiro an lar.
Precisa-se de um caiieiro que d fla-
lor i sua conduca, para entregar pfio a urna
fregueziacom um preto : nSo se responsa-
balisa pelo dado : na padaria do piteo da
8-Cruz, n. 6.
Afericao.
O arrematante das af cipio scien ti Rea pela terceira vez, que adia-
se quasl eagolad o lampo mateado- para
ferireo) qiiollaa^ee nos annos anteriores
a teem aferido.
I'recisa-ae de um bom cozi-
nheiro .- na ra das Trincheiras
sobrado de otts andares, n. I9.
Precisa-se de um criado na-
cional, ou estrangeiro, que d
boas informacSrs de sua conducta .-
na ra das Trincheiras, n. 19, a-
orado de 1 andar*.
Oebaixo assignsdo, rogs as sutorlda-
les policiaes nu capilSes de campp que vi
rem escraVa crioula de oome Anua, de
idade 40 anns pouco mais ou menos, euja
foi escrava do Sr, Manoel Joaquim do R-gn,
senhor de engenho Pires ; fugio no dia 9 do
corrente as 3 horas da tarde, levou vestid
ia velho de obila, panno da cosa csra
comprida, nariz chato, cheia do corpo, un.
lauto.harriguda, bastante preguicoa : a
pessoa que a pegar dirija se a ra DireiU
o. 3, que ser generosamente gratificado.
Jos da I'omtca Silva.
Faz publico o abaizo assignsdo, aos
aeua freguezes desla provincia e das cir-
cuuivisinhas, que na sua loja da ra Nova
desla cidade, n. 93, novamente estabeleci-
da, existo um grande sorlimento de fazen-
das inglezas, francezaa e de todas as ms>
uacOes, por precos muilo em conta ; e para
a mais prompta liquidadlo das fazendas
franoezas que se acbavam no dito estbale
cimento, na ocoasISo da compra, vendem-
se por menos de um 1 terca parlado primi-
tivo custo as fazendas seaadMea: selin-
de varias cores e lavrados, oSB de seda
para bomem e aenhora de leaMs os la ma-
ullos, branca 4 prulas, corlea de vestido
le seda e de lanzuihas, bicos de Blond* de
todas aa largona e superior qu*lidade,cam-
liraias de coras (lnas, perfumaras luvasdr
seda e de pellica', de lodos os gostos e lma-
nnos, meia dVl|od3o e de lio da escocia
ditos, chapMata) sol para homem e senho-
ra, varias OreS. Antonio Comes Villar.
Miguel da Cunta taz scienle ao Sr. ar-
remtame de ago'ardente de produceSo
tr;:is'.r;, qus aSo vsads la' gsfr* em sua
casa, na travessa do yueimado, n. 7, e que
pagou hontem injustamente ao mesmo ar-
rematante t quantia de 17,750 rs., sem ser
cullectadu, a peJa generosidade do mesmo
arremata 11 tr
5
m
Vende-se t oariorao de caco, nos jor nlo ter aquel-
la -michairo, como porq ie la ums melhor
luz, asseio e duraeflo. a 480 rs a garrafa.:
lo pateo do Ter^o, taverna n. 7.
Vendeae gangas trancadas, a 140 rs.
lizas, a 100 rs.; chftss de*onerta, a.900 rs.
de vestido, a 160 rs. ; fustoes, a 400 rs. e
40 rs,; r i sea'dos de calcas, a 240 ra, ; cas-
ias de diversas quali ladea ; I mesa de meio
le gala ; 1 cama de angico; 1 lustro ; 1
com moda ; 1 secreta ; 12 cedeiras ; 1 toca-
dor : na rus das Larsnjeiras n. 99
Vende-se um sellim novo e com multo
pouco uso, pars montara de menino em
csrneiro : na rus Direita, n. 10,
Na ra larga do Itozario, n. 92,
vende-se urna mulatinha de 12 annos, mui-
10 linda e recolhida, propria para se edu-
car, pois j-i toas principios de costura ; urna
oreta crioula.de 20 anuos, -que engomma,
cose e cozinlia ; e 3 pretos ptimos iraba-
Ihadores de euxada.
Vende-se urna elcrave Btoca, muilo boa,
sem vicio algum, e multo propria para o
servico de urna casa : na ru Bella, n. 16
Vende-se um moleqUe de 15 afinos,
oom principios de sapatero; um dito de
narflo, mllo bom serrador : na ra do Li-
vramentn, n. 4, se rtiri quem vende.
Na ra do Vigario, n. 91, primeiro an-
dar, vendem-se superiores vinhos engarra-
fados, chegados ltimamente, como sejam
moscatel, earcavellos, etc.: tambem se ven-
de fflsrmelsda muito bem amn Hc!aT!d"
retroz sorti lo de muito boa qualida te ;
mercurio doce em latinhas de duas libras.
- Na ra das Crozas, n. 2, segundo an-
dar, vende-se urna esersva parla, que en-
gomma, eozinha, eose e lata ; urna negro-
ta crioula, de 14 annos, com principios de
Habilidades; duas pretas de na;So, de 90
a 94 annos, qocreoznham, engommam liso
-< lavam de sabflo; urna dita do servico de
campo ; dous pretos de nacdfo, ptimos ga-
nhadores de ra.
Vendem-se bonitos mole-
coes, ptimos para o trabalho de
assucar, por serem
armazem de
muito fortes ; 3 pretas de meta
idade, muito baratas ; e doas pre-
tas mocas :. tudo em conta ; na ra
das Larangeirai, n. i4> segundo
dntjar.
Vendem ** penles de tartaruga da mo-
da, |isos, e de duas e 3 trancas ; ditos de
narrafas: tamoem se faz e se concerta
lualquer opra deste genero : no pateo do
Carino, n. 2, luja de lartaruguero, na es-
quina qu volta para a ra das Trincheiras
Vende-se um par de jarros da p de
podra com relevos, os competentes cachos,
(leanha e mangas, por metade do custo : na
ra da Concordia, primeira casa sem nu-
me'o.
Vedd-ae, ou ou Iroca-se por um negro
um moleqne de nove annos, bem parecido,
mullo servida! para urna casa, e he muilo
curioso para meninos: ao comprador se di-
r o motivo por que se vende: na ra do
Colovello, ns. 99, e 31.
Vende-se, para fra ds provincis, urna
negrinha de 16 annos, sadia e acostumad*
a fazer o servido de urna casa : na Boa-Vis-
ia. ra da Ueagueire, n. 14.
Vendem-se uiihetes da lote-
ra d II S. do Livramento : no
pateo di 1 Collegio, casa do livro
izul.
Vende-se urna casa terrea na ra da
Senzalla-.Nova, n. era chaos foreiros a
cmara d'Uinda : no largo do Carino, n. 14.
Vende-ae um moleque de 12 annos
por preco commodo: na ra da Praia, n
39; bem como um cavalio proprio para
uenino, que carrega baixo at meio.'
1 IM.IIIMI \S l'AK.V ISl.
Na llvraria da .prara da laide-
penitencta, n. 6 e 8, vendem-se
folliinlias de algllielra e porta pa-
ra o anno que vein.
Vende-se, ou arrenda-se urna morada
Je cas* no lugar do Cachanga, a melhor
que naquello lugar existe, por Bear ao p da
auarfe, com seis qusrtos, duas grandes sa-
na, corredor lavado, quintal com algumas
fruleiras, banho no fundo ; bem como urna
morada le casa na ra do Psdre-Floriano,
1. 57 : ambas por preco commodo: na Cam-
noa do Carmo, o. 99.

ompras.
Gompram-se escravos de am
bos os sexos.- na ra da Cadeia do
Hecife, n. 5i, primeiro anda/.
Compra-se um braco da balance Re-
lalo & C., usado, mes que. eateja eaa pon.
Hedu 1 quem liver annuncie.
* No armazem do caes do llamos 9,
.i|(M)mpram-.*e foimas da fazer velas de ttt-
kVda tudot os tamandoa.
Vendas.
Vende-iaoera de carnauba : na ra da
Madre-de-f|, a. 34. '
Na loja do sobrado amarellB nos
quatro cantos da ra do Queimauo n.
29, vende-ae o segualo :
Corles de calca de cesemira,
padroes novos 4,000
Ditos de dita de brirr, iran-
caih) decores, puro linho 3.000
Alpaca de cores, propria pa-
ra casaca e palito, eovado 800
Chapeos de massa,francezes 6,000
Lencos de seda para grvala
800rise 1,000
Luvaa linas de fio da Escoda
para hornero 390
Cortea de pele para spa-
los, gosto a Tures 8*0
Gravatinhas de seda para ae-
nhora 1,000
Chapeos de sol de soda para
aenhora a 2,500 e 6,000
Pecas de chita com 38 cove. 5,000
Ditas da oaeea de quadro :
Cun l I* -vanas *,SS
Cortes de cassa de corea 9,800
Cneos de eambraia de seda
de franja, para senhora
Meios chales de seda
I
800 ft
6,000 I
wmmmtwmwwmm*
Vende-ae urna escrava de bonita figu-
ra, de naolo, de 93a 94 annos, multo fiel e
sem vicios, com principios de cozinhs, e he
quitandoira : na rna do Oueimado, n. 90.
Franjas para manteletes.
: Vendem-se franjas para manteletes, pelo
haraio preco da 560 rs. a vara : oa ra lar-
ga do Rozarlo, n. 96, loja de miudezas.
At que a certa rain.
SapatOes de orelhae sallo alto, feitoa a
Capricho no Aracaly a imilacEo dos de coo-
ro de lustro: este calcado depois de abilua-
do a legtima graxa ingleza n. 97, imita
exactamente ao de pulimento; tambem che
garam doa outros .sem oreltias, que se ven-
dem a 800 rs.: na ra lsrga do Rozara, n.
35, loja do Lody.
Na prsca da Independencia, n. 4, loja de
miudezas, vendem-se ns afortunados bi-
Ihetes, meios, quartos, decimos e vigsimos
da lotera de N. S. do Livramento, qua cor-
re impreterivelmente no dia 94 do correte,
mdeles 11,000
Meios 5.500
Quartos 9,600
Decimos 1,100
Vigsimos 600
Vrndn-se um psrdo de ptima figura,
bom oflicial de alfaiatee bolieiro, escollen-
te para pagem : quem o pretender, procure
a sua senhora, na ra de Hortas, sobrado
de um andar n. IOS.
Noviciado.
No Aterro-da-Boa-v.sta,
n. 53, vaise abrir, uestes 8
(lias-, um deposito dos mais
variados, ricos e modernos
gostos em obras de alabas-
tro, marmore, pedra agatha;
bem como um sortimento de
oulras variadas e elegantes
obras em barro cbzido e
envemiza'lo, representando
estatuas, ledes, globos, va*
sos e outros/muitos objec-
tos para adornos de jarciis,
salas e palacios, tudo do
mais apurado gosto e vin-
dos ltimamente da Italia,
e que por j ter tido urna
grande aceitaco as pracas
do Rio de Janeiro e Babia,
espera-se que igualmente
nao deixar de a ter nesta
praca de Pemambuco : to-
das estas novi.iades se ven-
dem por preco commodo.
Na loja n. 9, aUs da matriz, na ra Nova,
vendem-se calcado francez barato.
Botina do dursque preto gaspesdo de cou-
ro de lusto pars homem 4,0u00
Spalos de marroquim decores para
senhora' 1,440
Di los pretos 1.980
Hito de cnuro de lustro 9.O0
Hitos de setim brenco 9.500
Ditos de duraque preto 2,90
D'los deduraquedecores 800
Ditos de tapate para aenhora 1,440
Ditoa para homem 1,500
Ditos dn marroquim 1,50u
Ditos de Dussque de cOres para me-
ninas 700
Botina de duraque de cores Raspea-
dos para meninas 3,00
Sapatos de couro de lustro com sola
franceza para homem 6,500
Nlo se vende fia lo e sim a dloheiro a vista.
Chapeos.
Na roja n. 9 na ra Nova, vendem-se
chapeos francezes para homem, a 7,000 e
a 7.5O0 ris ; ditos de me>in preto com
molla a 6 000 ris ; ditos dito brsnco dito
dito 6.uno ris; ditos de castor brinco finis-
simos 10,000 ris; ditos do palha fina ama-
relia a 4.000, 5.000 e 6,000 ris; ditos de
masas alvadi*, para campanha, com aba lar-
Ka e copa redonda a 3,000 ris: pirase-
nboras, chapeos de palha com tecido de ca-
bellos 6,000 ris ditos de renda branca s
7,000 res; ditos de palha para meninas a
1,500 icis ; chapeos de seda para sol a 7000
e 8,000 ris ; dilos para senhora 5,000 ris ;
ditos de pao de algodto muilo finos 3,000
ris ; dmlieiro i vista.
Vende-ae bichas pretas grandes de su
periorqualidade por amelado do preco que
esb>rbeiros alugam; na ra da Cadeia do
Recitan.*.
Charutos
deS Flix, os melhores que se podem en
eontrar em aroma, sabor e perfeicSo : no
armazem de Campellu I'.'lho, ra da Cadeia
do Recite n 64.
Vende-se muilo em conta palba pre-
parada para radeiras, em porcllo e a rela-
Iho : na ra da Cadeia de Santo Antonio nu-
mero 90.
Vrnde-se urna preta criou-
la de t6 a 17 annos, sem vicios
nem achaques, de bonita figura,
com principios de costura, en-
omma c eozinha : na ra da Ca-
deia do rieciff, n. 6, loja.
-- Vende-se ums mulatinha de 9 a 10 an
nos, sem vicio nem achaque: na ra Au-
gusta o. 96.
Chapeos de sol.
Vemlem-se chapeos de gol de seda preta
e de cores, a 6,000 rs ; ditos de panniohn
para hornera, aenhoras e meninos, por pre-
quer parte : na ra do Passeio n. 5.
Ceblas a 800 rs.
cento : vende-se no armazem de Campel-
lo Filho, na ra da Cadeia do Kecife a. 64.
r- arelo a 4.000 rs.
a ssecs com 96 libras : vende-se no arma-
zem de Campello Filho, ns ra da CadeuT
do Hecife rt. 64.
Cha nocional
ero caiziobas de 4 a 100 libras : vende-se 004
armazem de Campello Filho, ra da Cadeia
do Hecife n. 64.
Lotera do Hio de Janeiro,
os 30:000,000 de rs.
Na praca da Independencia, n.
4, loj de miudezas, vendem-se
bilhetese meios ditos d dcima
lotera a.beneficio das obras do SS.
Sacramento da corte, cujas listas
levetn chegtr no primeiro, vapor.
Xa ineamilnjt recebem-se btlhe-
tes premiados em troca dos que
se teem a venda.
> Na loja do sobrado amarello nos *
* qoatrocantosdaruadoQueimadoo. J
? 99, tem para vender um completo J
i su timealo dec les de vestidos de 2
Z seds, e brancos, fazenda superior em ^
gosto e qualidade; dito* de cmbrala ^
a> de seda de 7,000 a 19,000 ris ; ditos -af
a> de eambraia de corea, aborta, eassag
*> de cores, goalos novos; Ohita fran- ^
* ceza, padroes di csea; se la de fur- j
la cures, propria para mteteles e 3
espolinos; lensos bordados de cam- 2
brsia de linho, muito ricos, proprios ^
para noiva ; pao de Imito adamas- 2
cado escuro, com 9-palmos de largu- M
ra, fazenda inteiremente nova, pro- 41
pria para cohrir "mesaa; e ostras <
muitas fazendas finas de gosto e pre- J
i (o muilo commodo. 2
9A*aMl|:**>*U**t>*irf
Charutos de Havana.
de superior qualidade : vendem-
se na ra da Cruz, n. 10, casa de
Kalkmann Irmios.
Loteri de N. S. do Uvratnsnte
Na ra da Cadiia, n. 46. loja dn aniu laxas.
vendem-so os mitos af irtunados anejos hi-
Ihetes, decimos e vigsimo* da megma lo-
tera, que corre i..ioreterivelimnte no dia
H lo correle. Nos vigsimos ns. 836 sahio
o premio dos 5:000,00d de r. da lotera 4o
Livramento qu<* correu no dia 30 do passa-
lo. Meios a 5,500 rs. ; decimos, a 1,100 rs.;
vigsimos, a 600 rs.
Vendem-se amarras ae ferro: tu rus
la Senzalla-Nova. n. 49,
Redes.
Vendem-se redes muilo bonitas, de va-
rios gostos e precoa, propnas para quem
for passar a tasU desesn^ar ao fresco de-
baizo de srvoredos : oa ra do Queimado,
Vende-se um moleque crioulo, de 18
anno, ptimo para pagem : na ra do Li-
vramento, n. 1, segundo andar.
Vende-se cimento de Hsmburgo, gar-
rafas pretss vasias, phosphoros, Untas de
o'eo, lamparines e colietes : na ra do Tra-
piche n. 14.
.- Vendem-se arreos para carros de um e
dous oavallos. do quali lade muito auoe-
rior: em casa de Hen'y Gibson, ra da Ca-
deia do Racife n. 60.
A o bom gosto.
Vendem-se balainhoscom um cacho da
uvas e oulras mais frnds artiflciaes ; pra-
tinhos eom um s cacho, obra mais delica-
da possivel, a muito proprio para intaites
de mesas e consolos de urna sala: na roa
do Queimado, n. 16, loja de Jos Olas 81-
raes. .11-
Bicas luvas de pellica.
Vendem-se ricas luvas de pellica ental-
ladas para senhora ; ditas de torcal com
palmas, com'dedos e sem elles, e de ou-
lra mais qnalidades, por modieo prono : na
ra do Queimado, n. 16, loja de oee Das
Simoes.
Ricas Utas.
Vendem-se litas lavradas psra cinteiro o
para enleites de chapeos de senhora ; ditas
lisas de 'odas as largurase cores, por preco
mais cu ninodo do que em outra qualquer
parte : n?. ra do Queimado, n. 16, loja de
JosDiasSimOes.
G mide deposito de cha.
No pateo do Collegio, cssa do livro azul.
Cha hysson superior 9,400
Dito aljfar, brasileiro 9,900
Dito paquequer 9,00
Ditos de outrss qnalidades 9 000
Vende-se cobre, metal amarello, p pre-
gos para forro de navios, por preco com-
modo : em casa de A. V da Silva Barroca,
na ra da Cadeia do Recite, n. 49.
Vende-se um negio pega de idade de
94 annos, bastante possanie, proprio para o
servico do campo : na ra do Crespo loja
da esquina que volta para a cadeia.
Attencao.
Aos Sra. cheles de repartieses.
Na livraria do pateo do Collegio, n. C, de
J0S0 da Costa Dourado, vendem-se os ae-
guinlea objedoa precisos para o espediente
das repartios :
Papel almaco perlina com lietras de agoa,
aparado 3,600
Dito de machioa de 100 cidernos, de
muito boa qualidade 3,000
Dito almaco de primeira sorte,apara-
do, de linho 3.600
Dito de peso de superior qualidade,
ingle 5,00a
Dito de mais inferior qualidade 3,500
Lapis finos e envernizados, s duzia 70p
Penas de secretaria, o milbeiro 10,060
Plitas meia secretaria, O milheiro 8,000
Cun roa grasa em frasquinhos, raspadeirag,
caivetes de diferentes qualidades, "peo-
nas de ac, borracha, tinta carmim, dit
azul, dita preta muito boa, pennaa de pato
aparadas em caisinbas, caetas de maraes,
facas para papel, peso para dito, o outros
muitos objectos de secretaria e escriplorio:
tambera se apropian encnmmenas para
outres provinciae com presteza ; e para as
repartieres desta provincia se mandam ss
*'as..~-:, "*'!?! r^r i:!ivr mjcs
10 nas reparlicOes, sem que estas paguam
qarretos.
Tatxaa para engenho.
Na luiidiclo de ferro da ra ao Brum,
icaba-se de receber um completo sortimen-
to de taixas de 4 a 8 palmos de bocea, as
uaes ac*iam-se a venda por preco oajsa-
aodo e com proniptidSo embarcana^e,
iu carregam-seem carros sem deapezaa ao
comprador.
Antigo deposit de cal
virgem.
Na ra do Trapiche,
n. 17, ha
muito superior cal tova em pedra,
chegada ltimamente de Lisboa
no brigue larnjo 111.--------
Arados der "ierro.
Na fundiefio da Aurora, em S.-Amaro ,
vendem-se arados de forro de diversos m-
talos. *^^


Vendem-se 2 pretos de nacSn, propro?
para todo o serrino, una prela tninluMii d<
nacho, urna parda esou-a que engomm-
bera, costaba e lava, prnpria para algn
engenhn por ser de bonita lisura; un"
prelinha com principio* ^e costura : na rito
do RangH n. 38, segundo andar se dir
quem vende.
Vende-se por precisSo um escravo pe-
rito cozinheiro e muilo illiaente, sabe fa-
zer lodo o arranjo de urna rasa, melhor que
orna mulhnr, tanto que sube'engommar
muito bem: na ra da Cruz n. 15 no tercei-
ro andar.
-- V.nle-sea taberna n. 5, da traverssa
da Lingoeta : na ra da Cadeia do Recito, n.
16 primeiro andar.
He rhegado a esta praca o admirsve
licor a'Ue-ayphililico, de JoflnPaes de F-
gueirerto, e se vende em garra fus a 5,0"0rs-
cala una na ra da Madre-de-Deos, botica
de YVeitck Bravo & C. : as enfermidades a
que elle se tero applicado, e as quaes tero
obtido favoravi>is resultados, silo as s<-guio-
tea: esquinencias, pleurices, apostemas in-
ternas e externt, eoutros quaesquer tu-
inore e inllamacflps. quedas, conlusOes ,
ponladas, col.icas do estomago c haixo ven-
be retencoes de orinaa, constipacds, ma-
lignas, Cabres, ancia racSo', apoplrxias, paralizias ou estupores,
toss e grandes defluxos, asmas ou puxa-
mentos de peitos, dore reumticas e gli-
cas, molestia* glicas ou veneraes. anasar-
cas, hydropesias, abscissos, dores scialicas,
de
do
de
por
etc. ele,; fc>lita os partos lentos eacci-
denlaes, promove a menstruacSo, cura as
conslipacOes e malignas sobre os parios,
dores de madre e mais encommo los que a-
tormentam as paridas, e he lambem appli-
cavel al as crianzas recem-nascidas, cu-
jo oielhodo minucioso de applicar-se a-
companba as respectivas garrafas, que a to-
dos se recommendam.
Por ser ndlnhelroa vista vnde-
se barato.
Menteiga ingleza da melhnr, a 610, 480 e
320 rs.; dita francesa, a 560 rs.; cha, a
1.620 rs ; velas de espermacetede 6e 7em
libra, a 790 rs ; ditas a 640 rs. ; familia de
araruta, a 900 rs. ; dita do MaranhSo, a 190
rs. ; macarrSo e Ulharim, a 900 rs.; alelria,
eSlOrs. ; bolachinha ingle?a, a 390 rs ;
nanita de porco, a 360 rs.; caf de caroco, a
200 rs. ; milho alpiste, a 960 rs. a cuia ar-
roz de casca, a 120 rs.; airoz pilado, a 3o
rs. e a libra a 70 rs. : no Alerro-da-Boa-
Viata, n. 54, e na ra Nova, n. 71, taberna
ao p da ponte.
S



9
9
9

i
i
1
Cera em velas.
Yendem-se caixas com ce-
ra em velas de 8 al \Q, em
libra, fabricada no Rio de
Janeiro, por | reco mais ba-
rato do que em oulra qnal-
oner parte: trata-se com
Machado & Pinheiro, na ra
do Vigario, n. 19, segundo
anda. J
*># *> v9ui>a>a**t9 f
Vende-serba hyssonde superior qua-
lidade, e do melhor que tem vinilo a este
mercado ; caitas com velas de es ermace
te americano ; meias barricas de farinha
llena, a mais nova : na ru da Alfan lega-
Blha, n. 36.
Vende-se urna porrao de on-
cas bespauliolas, vinho Cham-
pagne muito superior,- dito Bor-
deaux em quirtoUs, dilo Muscatel
em caixas de 18 garrofas, tsbla-
jos, cimento, oca, almagre, cal hy
di ulica, verde franccz em p,
cabos de linho : na tua do Trapi-
che n. II.
Vende-se superior farinba
gallega, em meias barricas : no esciiptorio
de Deanc Yon le & C ou em seus armazens
do liecco do Go oes Ivs.
Uculos para theatro.
Uculos os melborrs que ueste
genero tem apparecido, e qne s3o
muito necessarios para o bom tom
do theatro S.-lsJu I : vendem-se
muito em conta : no pateo do Col-
leglo, n. 6, livrana de Joo da
Costa Dourado.
Loja de seis portas em frente do
Livramento.
O administrador desta hija (em a dar ba-
lando no I'im de dezemhrn, e como tenha
restos de alcaides, quer acabar com elles
trocando-os porsedulas, sendo o preco
mais rasoavel \ ossivel, como sejam : pecas
de madapolSo com 19 jardas, pur sele pala-
cas ; chales de chita, a 480, 640 e 1,000 ra.;
ditos pretos de rede, a meia pataca ; cansa
preta. a 120 rs. o covado ; corles do chiU
preta cornil covailos, po' 1,280 rs. ; risca-
dos monstros, a 260 rs o cov.do ; chitas a
ISO, 140, 160, 180, 200, 210 e 320 rs larga
francesa ; brim branco de listras a 200 rs o
Covado ; e outras multas hiendas por pro-
cos que coidjuvam a ocouomia.
bom e barato. .['
NoPasae.o-Publico.loja 9, de AlblnoP \ZlT*'%
1 orlr- ~" .nt>-*
loe. ba no mercado, e cal virgem em pedra
negada pelo ultimo navio de Lisboa, por
reco cnnimodo : na rua da Cadeia do Ile-
'ife, n. 50, a-fallar com Cunha & Amorta)
issini como um restante de barris da nies-
na cal, que flcouda safra passada, por ba-
sto preQo.
Bombas de ferro.
Vendem-se bombas de repuxo
pndulas e picota para cacimba
aa rua do Brutn, ns. 6, 8 e 10
fundirao de ferro.
Arados de ierro.
Yendem-se arados de ferro
diffrenles modelos : ha rua
Hiurh, ns. 6,8 e 10, fabrica
machinas e tundirn de forro.
- Vemlc-se urna sextante nova feita
um dos melhores autores de Londrese tam
bem um orisonte artificial e um theodilele :
na rua do Trapiche armazem n. 44.
Nao he exageracao.
Vendem-se sapsloes de cnuio de lustro,
obra muilo boa, a 2,500, 3,000 e 3,500 rs.
aa rua da Cadeia do llecife, loja n. 9.
Cobertores de tapete para
escravos
Ja se vendem 03 sonedtadoe cobertores
de.tpele para escravos, a720rs. carta um';
por isso venham a elles antes que se ac.
trem, ou pastero para mais alto preco .: na
rua do Crespo, loja da esquina que volta
para a cadeia.
Hap Paulo-Cordeiro.
Vende-se effectivamente osle excellente
rap, na rua da Cadeia do Recife, n. 50, le-
la de Cunha & Amoro).
A 1,600 rs.
Vendem-se novos cortes de brim tranca-
do escuro com duas varas e meia cada corta,
a 1,600; cassa francesa de bom gosio.a 9,600
rs.; pecas de esguiSo de algodao com 19
varas, a 2,400 rs; a peca ; cobertores de al-
godSo de cores, a 790 rs ; na rua do Cres-
po, n. 6, loja ao p do latnpefio.
Pecas de esguioa a,5oo rs.
Na loja da rua do Queimado, n. 17, ao p
da botica, anda tem para vender pelo ba-
rato preco de 2,500 rs. ; pecas de esguiSode
algoso, cora 12 jardas, muilo prouiio pa-
ra camisas de senhora, tor ser mais largo
que o madapolSo.
Para acabar vendem-se,
na ruado Oueimado, loja n. 17, cassas fran-
cesas de Ifta aherlas, e de padroes muilo
delicados, a-400 rs. o covado ; cambraias
de cores modernas, a 560 rs. a vara ; cintas
francesas do melhor gosloque tem vindoa
este mercado, a 390 e 360 o cuvado. DAo-se
as amostras.
Deposito de cal vlrgeai.
Na rua do Torres, n. 12, ha muito supe-
rior cal nova em pedra, chegeda ltima-
mente de Lisboa no brigue Tumjn-'Ierceiro.
Cabecadaa insle/.ns.
Vendem-se cabecalas inglesas rolicas e
chatas, loros e silhas de 19 : na rua do Tra-
piche n. 10.
Superior velas de carnauba a pre-
f co comino u :
vende-se na rua da Cadeia, n. 93.
Na loj.i de allante, na rua
Nova, n. 35, de Jacintbo Soarra
de Metieses, ha um grande e com-
pleto sorti ment de obras feitas de
todas as qualidades ; assim como
se recebe toda e qua.lqucr encom-
menda, para o que tem boas fa-
zenlas e habis olficiaes, por isso
se promette dar com a maior pres-
teza possivel : ludo por proco
mais commodo do que em oulra
qualquer parte.
l'apel ro 1111111 i.>n
bordado e colorido, dedifleranles formatos
e de superior qualidade, propro para cr-
tinha de amisade ou ver.-os de sympathia
Este papel, ultimo goslo de Paria, he sim-
ples e bonito ao mesnio lempo, tanto o co-
lon lo como o dourado, servindo ao mea-
lempo para desenhos que se enllocan) as
Tullas dos albuns das pessoas de bom posto:
vende-se na livrana do pateo do Coltegio
n. 6, de Julio da Costa Dourado
Vendem-se 6 escrava, 3 engommam e
cozinham, urna he prrfeita engommadeira,
e que coae e cozinha, vate e penleia urna
senhora, as oulras silo boas quitandeiras .
urna mulalinhade 18 annoa, que cose, en
gomma e faz o mais servido de urna casa I
preio que serve muito bem a urna casa e ga-
uha na rua 640 rs. por di ; um moleque de
i annos, muito lindo e esperto : na rua do
liliegm, n. 91, primeiro andar, se dir
quem vende.
Vende-se um escravo de elegante figu-
ra, excedente rarreiro, e ptimo para todo
oservico, principalmente o j0 can o, poi
preto mdico : na rua do-Hospicio n. 9.
-- Vendem-se as decadas de J. fio de Bar-
ros e Coulo, o primeiro he meihor classico
Ja lingoa porlugueza em 27 volumea ;geo-
graplua do (;aulliar, I vul. ; -historia sagra-
da por Bernardino, 9 vul. ; poesas do Dr.
tthn Am uz:T^i n, t'errG d .-vio- i~
las, de 2,000 a 3,500 rs. proprios para me-
ninas andarem na escola ; chai eos de so
de panno para homens, de todas as corea e
qualidades. tanto de armacSo de ac como
de baleia, de 9,000 a 3,500 rs.; ditos e
panno trancado, moito gran les e fortes,
com cabos ue latflo e de -madeira, proprios
para senhores e feitores de engenho ; gran-
de sortimenlo de sedase pannos empeces,
de todas as cores e qualidades, para cobro
armac,0es servidas ; variado sortimenlo de
cabos de maifim dos mais ricos, e de ou(f&e
mullas qualidades para chapeos de sol, de
humem; igual sortimenlo de bengalas e
chicotes. Tambem se concertam e cobrem-
ae ludas as qualidades de chapeos de sol e
bengalas. Todos estesobjedos se vendem
em poroto e a relalho, por menos prego do
que ero oulra qualquer parte.
Na rua Nova, n. 8, loja de Jos
Joaquim More ira & C. ,
vende-se um rico sortimenlo de
franjas pretas para manteletes e
capotinhos, por preco rasoavel.
A cbela de Kdwln Maw.
Rua de Apollo, n. 6, armazem de Me. Cal-
moni & Compantiia, fazem ver aos Srs. de
engenJio e aus seus correspondentes nesla
praca, que no >eu estabeleciment se acha
cuiisiaiiiemente bom ao> lmenlo de moen-
uas todas de ferro para animaes, agoa, etc.;
mias ditas para armar em madena ; ma-
chinas para vapor com forc da 4 ravallps ;
Unas de difTereotea modelos ede lodos
do muilo bom or barato proco.
Joao Keller & Couipanbla, na
rna da Cru, n. 55,
Vendem a precos commodos, vinbo mus-
calel de Selubal, em caixas de urna du-
LU---------1------LJZ|, III -Jg
po, i margem do rio, com commodos pira
grande familia, perto da praca.por ser antes
de chegar ao Poco-da -Panella : na rua de
Santo-Amaro n. 16.
sorte grande.
Bilhetese cautelas da lotera de N. S. do
Livramento, cujas rodas andam Infallvel-
ment do dia 94 do corrate : vendem-se
ao pate do Collegio, casa do livro azul
Carnauba de primeira sorte,
um escravo de bonita figura e muito pos-
sanie, sapatos do Aracaty para hornero, e
meninos de 10 annos, sapatos de couro de
lustro em poreSo, esleirs, chapeos, couri-
ohos miodos, pennss de ema, caixas com
velas : ludo chegado no hiale Ouvidoto, e
vendem-se na rua da Cruz, n. 94.
Um preto bom cozinheiro.
Vende-se um preto de bonita figura, bnm
cozinheiro e melhor comprador, cabellerei-
ro e barbeiro, e he de boa conducta : na
rua larga do Hozarlo, n. 48, primeiro andar,
se dir quena vende.
100 sarcos nvos de e.-topa.
Vendem-se 100 saceos novos de estopa e
algodao, por alara lo a 390 rs.cada um : na
rua larga do Rosario, n. 48, primeiro an-
dar.
(obre de forro para navios.
Vende-se cobre de forro para avos
de superior qualilade, em porc.Uo e a re-
talho, pelo mais barato prego que tam vin-
do'a este niercs*|o : na fabrica de caldeirei-
ro, rua do Brum n. 28.'
No sobrado ida esquina, junto .0 trapi-
che do Ramos, vende-se doce muilo bem
fe i tn, tanto secco cou.o de calda de todas as
dualidades, tanto em porrjSo como a reta-
Iho, por prego commodo, e tambem aeen-
feitam bocetasa voniada dos compradoies.
Bom negocia.
Vende-se ou troca-se por casas terreas,
um terrnu em freule do quarlei do H"t-iza; dilo muilo'bom de Lavradio e Coi-
plcio. q. qual tea urna otaria; leudo de|lres, em barris de quinto; dito de Cham-
rrente 107 palmos de fundos desde a rualpauha, da mais acreditada marca ; dito lia-
da Aurora ale a de Hospicio: este lerrenoK,, de CorUillod, de aupeilor qualidade;
tem logar para se edificar 15 moradas deliracto de absynth e kirsch ligitimo da
casas con mais de 30 palmos de renU, e suissa, em caixas de urna duzia ; verdadei-
400 de fundos; faz-se negocio com todo o
terreno ou cora metsde : na praca da lude-
pendencia n. 17, para tratar.
Na rua Nova n. 4, loja de airante de
Augusto Colombiaf, vendem-se palitos de
linho de diferentes psdrOes, proprios para
a festa, a 5000 rs.
-- Vende-se rap superior de Paulo Cor.
deiro; na ruada Cadeia do llecife toja de
Jobo Jos de Carvalbo Moraes, e igualmea-
te se vende na meama loja penas de ouro
com leos de diamantes.
Vende-se muito barata urna armacSo
que fui defabiica de charutos do becco lar-
go a. 1: faz-se todo neaocio, traa-so na es-
quina da Liugoeta, vende n. 14
A ellas antes que se ac bem.
Chegaram os procurados sapatos de cou-
ro de lustro de orelbas de 9,000 a 9,400 ra ,
ibra forte: na rua da Cadeia do Recife n.
9, loja.
Vendem-se superiores chapese ama-
zonas, para senhora, de differenles. cores
na praQa da Independencia ns. 94,96 e 98.
A elles.
Acabam de chegar os muitos desejados e
superiores chapeos de castor geooveses,
pretos e brancos e cr de ganga, cora pello
e aero elle, para' homens e meninos, por
oreen rasoavel: na praca da Independencia
ns. 24, 26 e 98.
SSSF. .,
Farinlis nova da marca SSSP, chegada
ltimamente : na rua do Amorim n. 35, ar-
mazem de J. J Tasso Junios.
Novas cambraias.
Vendem-se ricos cortes de cambra ia a ber-
tas com 6 varas e 3|4, de listas e ramagem
de cor, fazenda muilo tina de lindos gqstna,
pelo barato preco de 4,000 rs. o corle,' chi-
ta decores muito miudmhas, pannos mui-
to linos, cores fitas, a 900 rs. o covado;
brins de linho amare lio, cor de ganga, lista
ao lado, fazeada mullo fina, pelo baraiissi-
m preco de 9,000 rs o corle : ns rua do
Crespo n. 14, loja de Jos Francisco Das.
I'otasaada Itussin.
...... ,'
comprmento e 4 ditos de bocea, Ipomptrj
de tono os seus pertences e velas: lambem
se vende una cartelra de*viagem, de bom
tamanho: am Fra-tle-Porta, ru do p.
lar, n. 145.
Nnbonete grande n Sora.
Vendem-se saboneleMpnJes, a SO rs
froco, a lOOia. a vara : Wo Aterro-dt-Bna-
Vista, n. 48, loja. A elles que he pouce por-
eflo.
Na rua do Pires, n. 19, vende-se um
bonita mulita com habilidades, edouses-
pelhoa grandes, proprios para vestir
ahora
Vendem-se 14 esersvos, sendo om offl.
cial de pedreiro, de bonita figura ; um di-
to carreiro ; um moleque da 8 a 9 annos '
muito lindo;6escravas mocas, de bonitas
figuras, entre as quaes akf urnas* com habi-
lidades ; 9 escravos do servieo de campo: ta
rua Direila, n 3. f>
Na eidade de Oliuda, rua do Bom-Fim
casa da residencia de Manoel Nunes de Me
o, vende-se doce bem feitode vana.qua-
lidades ; bem como doce Je caj lu-
do por preco commodo.
-- Na tua de Apollo, n. 81, vende-te um
negrinba.
Vendem-se missaes novos e ouiros usa-
dos : na rua da Carimba, no armazem por
haixo do sobrado do Sr. vigario Brrelo.
' Vende-se couro de porco ingbz, loros e
silhas emrasa de llanry Cibsun, rua di
Cadeia do llecife n. 60.
Vende-se urna inverna sita a Boa Vista
em bom lugar, a qoal vende muito par*
os
lmannos egrossuras, lano de rorro batido |,erri :0 "olivo por quese vende se dlrfc
cumocoado; espumadeiras, cocos, etc., de ao comprador : a tratar no Aterro da B01
ferro estanbaalo ; safras para ferreros : tu- Vista, n. 6.
JL
ro cognac valbo, e da melhor fabrica de
Franca, em barris de 80 garrafas pouco
mais otl menos : tambem se vendem por
prego muito rasoavel velas de sleerina ,em
caixas de 32 libras ; charutos da Baha de
muilo boa qualidade.
^Depositoda fabrica de*
Todos os Santos, na
Babia. t
Vende-se, em cssa de Domingos AI--
a>ve* Matheus, na rua da Cruz, n. 52,-
primeiro sudar, algodao trancado da-J
aquella fabrica, muito propro para sac-s
Jfose roupa de escravos; bem comoj
^lio propro para redes de pescare pa-^
^.vios para velas, por preco commodo..j
9******9
A a,4oo rs. a duzia.
Vendem-se a 9,400 rs. a duzia de meias
de algodao cr e muito encorpadas, pro-
prias para livrar a bumidade dos ps a
quem paacce de molestias interiores: ns
rua do Queimado, n. 16, loja de Jos Oas
simoes.
Trancinhas de laa a 60 rs. a peca.
Vendem-se trariobssde ISa de todas as
cores pelo mdico prego de 60 rs. a pega,
muilo propria para enfeiles de vestidos,
ou para outra qualquer cousa que se queira
applicar : na roa do Queimado, n. 16, loja
de Jos Das Simoes.
Frascos de agoa de Colonia
5oo rs*
Vendem-se frsscos de sgoa de Colonia, a
500,800, 1 ,H00 e 1,500 rs., do bem conhe-
cido autor L. T Piver : alianca-se a ana su-
lerioridade : na rua do Queimado, o. 16,
toja de Jos Dias Simoes.
Caixas de clcheles a 70 ra.
Vendem-se superiores e moder-
nos ctfateos envernisados para pa-
gens, chegsdos recenlemente, por preco
commodo : ns praca da Independencia n-
meros 94, 96 e 98 .

te chegada, ede muito superior qualidade
na rua do Trapiche, n. 17.
Attenelo.
Vende-ae urna casa terrea anui-
to grande, aom seis quartos, duas
salas e om quintal, com 3oo pal-
mos de fundo, thSo propro, sita
na da Boa-llora em Olinda : a tra-
ar mesmo em Oli.ida nos Quatro
Cantos com o Sr. J0S0 Luiz de
Almeida, ou no Recife na rua do
Queimado loj de miudezas n. a5.
a tj,oeo rs.
Vendem-aa superiores a moderaos cha-
1 eos francezes, a 6,000 rs. : ns praca da In-
eemlencia, ns. 24. 26 e 98. _______
\CIDADEDF, PARS.
v\\n\vV C\\w\t >\t bs\,
Jos Le i te, veame-se um completo sorti-
menlo de chitas, a 1*1 rs. c covado ; casta
para babados, a 240 rs. a v.ra; riscado fran-
cez largo, a 900 ra. o covado ; cubei lores de
algodao groaao para esciavcs, a 720 is ;
n.adapolflo, a 100 rs. a vara; riscados de
iinbo uiiudiuhos. a 390 rs. o covadu; Jen-
Sos de seda de cores, a 1,000 rs ; outras
muitaafaxeiidas que nrto he posaivel an-
nunciar para nao oceupar tempo.
('lohoi de vldio.
Veodem-ae globos Ue vldro proprios para
escada e corredores, e mesnio para illumi
nacrapor serem o uilo commodos em ta-
nianno ; na rua do Trapicue n. 10.
Vendem-se sa bonetes higinicos, o
maisaupefioresqueteeo vindu a rale mer-
cado, asaim como outras oeifumai las muilo
fiM r na rua da t;adeia Vcina n. 24, prl-
niairo andar
Cal e potasas.
se superior e muilo
nova farinha de mandioca, chega-
da agora doS.-Catharina pelo bri-
gne Soares, ancorado na volta do
Forte-do-Mattos.- quema quizer
comprar por menos do que em ou-
tra qualquer parte,dirija- se a bordo
do mesmo navio, ou ao escriplorio
de Ol i ve ira, l'aiva 6c C. na rua
da Alfandfga-Velha, n. 5.
O gerente do contrato do rap de Lis-
boa contina a vendar em sua I. ja este ra-
p, e desejando satisfazer aos frefuezes,
tems-gui.10 pora venia o mar moderno,
p 01 juigar ser o mais fresco, a vista do que
declara que se n3o respousaheliSa por qul-
q'>er motivo que se queira allegar, aliin de
quese receba o rap depon da vendido.
Vendem-se caixas de clcheles, a 70 rs.
cada ama : a ellas antes que se sea bem : na
Vcnde-se'notassa da Rusala, reeentomen- fu do Queimado, n. 16, loja de Jos Das
Simoes.
Charutos de San-Felix
. a 3,800 rs. a.caixa.
Vende-ae eaUauperiur qualidade de cha-
rutos de San-Felix, na rua do Quintado,
o. 16, luja de Joabiaa Simoes.
Klt-as bengalas.
Na rua do Queimado, u. 16, loja de Jos
DiasSin.es, \eodem-so bengalas de muito
superior qualidade, e com castoes de diver-
sos gostos, por mdico p>eco, que muito
convidara ao comprador
SREMOI. SALSA l'AHRILUA AMERICANA.
Mtlkor 1 manixrturdxttrm du aMinia.
Prearrvativa infaltivrl ooutra aafebres.
A aalaa pairilba original egrnuia de lirea-
rol poaaue todaa aa virtudes para curar todas
rs rnfernilda,dea que provm de un calado de
mpurrza de Mague das rcrejes morvldaa do
fnjailo e rasMaSo, e em lodo o caaoa que ne-
iTaaluu rraaNfos para purificar c robustecer
0 aistcina Em todos oa casos V escrophulaa,
triaipelas. ttnlia, erupc&rs cuUoeaa, maacbaa,
pilia, riiilamacao e drbllidade oca olhoa, rn-
ctiacio uaa glaodolai, dore* loiubarea, atlcc-
cra rhrumaiica, dores nos osaoa c naa juntas
aydropeiia, dcapcpiia, astbuia, diarrbea, dea-
tuieria, loase,, rrslriados, rbflaiaoiacto do
uloira phllilaica quando provlm daobstru-
ao doabroucblaa can Maesas aacropbuloaas,
ollucoia, Inuigcilao. ictericia drbllldade ge-
tai t, iptii sSTTSan febrea agudas, calores,
aoferuifdadea das uiolsierea, f ulrrmidadr be-
liosas, e eiu todas as altcjOei provtnitnleaat
uto moderado do mercurio. Esta salsa parri-
lia se emprega com emeacia em todos os ao-
irrditoa caaos, e he reconhecida como a me-
hor medicina que existe. Os fraacoa de taba
He hrlilol leeni luala de quatro lamanhoa dos
de aalaa de Saada entreunto qe os de Hrltlul
)e vendem pur 6,00" ra. e os de Dandi por 3,000
ra. Deposito central no Rio-de-Janrlro, casa de
Vital Ijipupr. e em Pernambuco oa botica de
/os Maris Goocatves Ramoi, na rua dos Quar-
lela pegado ao quartel de polica.
. Na tuada Cadeia \elhs, primeiro an-
dar da casa n. 24, de Manoel Antonio da Sil-
Esera vos fgidos
No dia 10 de setea bro de 1850, as 7 ho-
ras ds noile, desappareceo orna aolata, In-
do faxer despejo hs piala, de noma Jo-nni,
reprsenla 25 a $0 annos, sita, obela do cor-
no, olbos grandes, bocea regular, desden-
tada na frente, mise ps grandes e gros-
sos, peitos fallidos echeios ; levou vestido
de cbils verde j velho, urna* rosetas fran-
cezaa lambem velhas: quem a pagar leve-a
rua de Agoas-Verdes, o. 01, que serlo ge-
nero smente recompensado.
No dja lOdo corren te, desappareceo o
preto Ventura, de nacSo, etcessivamente
baixo e refnrcado do carpo, ts um Unto
redondos; tem (alia de dous denles na
frente, sem baiba. cabello aparado ; levou
calcas dealgodSo de listrss, Camisa de ma-
dapolSo com algumas marcas da alcairflo ;
e he bastante ladino : quem o pegar leve o
i rua do Vigario, n. i, armaiem de cabos,
de Braga & C. que gratificar generosa-
mente.
Fugio, 00 dia 12 de novembro, uva
preta de nomo Mara Benedicta, de nacSo
Congo, de 40 a 50 annos, de estatura retn'
lar, rosto comprlo descarnado, desdenta-
do na frente, ps e mos bstanla grandes ;
tem a perna eaquerda mais grossa que a nu-
tra, com slgumas cicstrlzes 1 he muilo <'es-
farcada no fallar ; tea urna pinna da cabel-
los biancos na caforina ; tem o andar cho-
peiro ; levou aaia ou vestido de chita usa- j
dos .- quema pegar leve-ai rua do Ranga!,
n. 15, sobrado, que ser i recompensado.
Fugio, no da 28 do pn ximo pastado, a
escrava Clara, de SO annos pouco mais ou
menos, de cor Iflu fule que parece mulata,
secca do corpo, de estatura regular, losto
eomprdo, com falla de denles na resale :
quem a pegar leve-a s Luiz fcpifamo, na rua
da Florentina, defronle do Uieatro novo, ou
a seu senhor, o lenenls-eoronel Josa Flo-
renlino Cavalosnti de Albuquerque, no en-
genho Recanto, em Serinhtem ; assim co-
mo se protesta contra a pessea que a t ver
occulle.
5o,000 rs. de sratiicecao.
Fugio, no dls 11 deaWril do prsenla so-
n, a prela Mara Joaquina,de napo Congo,
, batts f
Itna do Collaglo n. 4.
Neale ovo estabelacimento se seba sem-
ore um grande e rico sortimenlo de cha-
peos de sol, dos mais modernos e variados,
para homens e senborss, tanto de seds co-
mo depanninho; lindo sortimenlo de ar-
macOes de baleia com cabo de maifim. e
oulras para se coerirem de seda, que hBo
de agradar sos compradores ; chapeos de
sol. para homem, de chamelote decores e
pretos; ditos de seda de cores, preto, la-
vrados e lisos, de 4.00 rs. para cima j dito
com armacSo de ac, muilo fortes, de seds
ede cha malote ; ricos chapeos de sol, para
senhora, de lindas sedas e frsnja, todos
forrados por dentro e com cabos de mar-
fim, os mais bonitos que aa podem desejar,
e proprios para presentes de festa ; ditos
mais imples de seda com franj-s e sngel-
de'SOa 40snnos, harta echis do corpo,cara
larga, rOr retia, olbos vivos e melos gran-
des, feiefies gross'irss ; tem um pequeo
signsl de carne sobre o beit-n snpenor do
lado direltodo naiiz. Esta prel j ful ea-
crava deengenho.e oanno passadu era -de
uros criouls de nome Felicidsde com quem
dita prela andava pelo mallo vndendo
miudezas, por rujo niolivoella sabia quasi
Indas as pnvoaco>s des's provincia; hs
muito ardilosae capaz de illudir a q<4lq;ier
pessoa qne a nflo conheca, |d-> icobrir a
fuga rom o negocio de miudezas, pi-ls
Ij oulra vez que fugio fni pegada nn enge-
nhe 8 -Anns enm um bslaio demiudezas
que andava vemlendo. Quem a pegar |e*e-a
a praca da Independencia, n. 17, que rrce-
herl 50 000 rs. de grat|flcacSo, e quem del-
ta der noticia certa, recebis 20,0" 6 rs.
Ao amanhecer do da 4 do corlate, fu-
gio o escravo Joaquim, cnoulo. de 24 anuas
pouco msisou menos, bem a figurados es-
radaudo, nlhosgrsndes, nariz e bucea re-
gulares, rom buco de hrrbs, mos bem 'el-
las, 1 s 1 equeiio e mal feims ; be con',
nheiro ; achsvs-so ha mais de S mezes alo-
gado a Joaquim Crrela, com venda e mo-
rador na rua do livramento, acontece que
tifio eonvindo ofenhor a conaerva-lo em po
der do dlln Corre ia, por mais lempo, o re<
firnu, porm este no fim de i rt- a#m o
menor motivo auseninu-s de casa,'levando
loda roupa eohra de 20 libras de carne sec-
os : qoetn o pegar leve-o a rua Nova, a u
senhor, que gratificar*.
No os primeiro do correnle, fugio, do
sitio das Roseiras, do msjor Joaquim Eltss
de Moura, o feu escravo Jacob, de 30 an-
nos pouco msis ou menos, de estatura pe-
quea, cor fula, tests giande, ovado e com
urna ciratrii, olhdt afuniacado* e vista II-
xa.sem barba; quande falla conirahe os
beicoee mostra os dente?, peitos arqueados
para lera, pernas finss e meias tortas, p*
grandes e os dsdos grande dos mesmo*
abertos : quem peg> r leve-o ao dilo sillo
e mais nova esunerinr n,i... Iq rec?D ""ee depota de vendido. loa, de 4,000 ra. para Olma; di loe de pan- rasi
mais novs e superior potassa I Vende-se urna excellente casa do can- nioho imitando seas, coas franjas e sem el-1 -
ra Antones, venderse um lico sortimenlo
de CQ*|os de paliis da Italia, aberlos para' seu senhor que sers gratificado.
enhoras, camisetas de cambraia, colar- Fugio, no dia S do corrente, o preto
Ehos, romeiras, manguitos, punhos ludo Jote, cnoulo, ofllcul de maireneiro. e 80
xcelleiiiemenie burdauo, bicos linissimos, annos pouco mais nn merics; he a|vde
ricas lilas, cspoluihos e manteletes de filo eurpo reforcido, bei?o.s grandes, nariz ch-
e de seda pretos, e outros objectos de gos- : qoain o prgsr Uve-o a rua di Cruz, no
lo ; bem como uq complet torlimenlo de Recife, o. 19, casa de Joo l.eite Pila rll
fszendas : ludo se vende por precos muitos gueirs.
Vende-se usa bota de 11 palmos de


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQFYC6MYH_4W6P8B INGEST_TIME 2013-04-24T15:33:57Z PACKAGE AA00011611_07233
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES