Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07232


This item is only available as the following downloads:


Full Text
V

Terca-fcira 10
PARTIDAS do coaaEoi.
SolannasJParahlba, s segunda e icxti felr.i.
lo-Grade-do-Norte, todat ai quintas felra ao
melo-dli.
Cabo, -Scrlnliem, Rio-Korrnoio, Porto-Calvo e
Macelo, nol.*,a 11 e 21 de cada nti,
Garanhuns e HoniU), a 8 a 92.
Itoa-VUla e Flore, a 13 e 28.
Victoria, i quinta ieira.
Orfcda, lodo o dlu.
Wn a
KVKD1IB1DZI.
-Nova, a 3, aa 2 c !*> tri. da U .
Phiim w. UHng. a 25, i 6 h. 54 m. da I.
>riraelra
legnnda
nialUB de aoje.
a* 10 borai 6 minuto da miaba*
ai 10 hora 30 minuto da tarde.
de Dezembro de 1850.
N-280,
L
._ wmmfo ba innn ipoao .
Por tre raiMawSJatJatatado) 41000
Por ie raezei 8/000
Por um son J- 15#000
DAS DA EVAVA.
9"Seg. S. Leocadia. Aud. do J. do orf. e do m.
- 4a I t.
10 Tero. 8. Melquades. Aud. do J. da 2. v. do
cirel.e do do felto da hienda.
11 uirt. 8. Dinno, Aud. do 1. da?, r. do ctvel.
19 Oulni. S. Justino. Aud, do J. do orf. e do
Hi. da 1. v.
13 Seit. S. Luzla.
14 ->ab. 8. Aagello. Aud. da Cbanc. e do J. da
do civel.
S. Eutebio Verielenae.
CAMBIO EM* DE SU
Sobre Londre, a 211 l|S 30d. p. L4D00 n.6> di*
Parla, 333 por Sr.
Litaos, 1O0. por cento.
Ouro. Onca hespanhola ....
Moeda de 6/400 reira.
de 8/400 noval.
de4|000.......
Prata.Patacei brasileiroi....
Peso columuarios.....
Dito mexicano.......
20/500 attWMO
16/200 a 16500
16/000 a 18#*0O
8/U00 a 9/WO
l/u0 a 1/980
1/960 a 1/980
1/700 a 1/780
ffTMi MiiiAriafea
paute orrtcuL.
GOVEJtJNODA rMiOVNciA
O presidente 'da prolnci, em execucgo
* dispnsto no $2 do rt. 13 da le provin-
cial n. 21 de 96 de lunho do crremele
anuo, resalvo que saja observado o seguin-
regulamento, defenindo as ittribuicOes ds
directora e do adminislrador do tbetro
Jbn.. A..,. .:=.
Palacio do goverpo da provnola imbuco, 9 de d**embro de 1850.
Jote IMifomo de Souza Hamos.
RECULAMENT0.
Art. t.* 0 idmimstrador do Iheatro pu-
blico de fia cidide, que he o mesmo empre-
zirio, (lei provincial n. 261 art. 15 g I ) lera
a seu cargo 6 fiel, e exicto desempenho das
ohrigaefies, que Ihe resultan) do contrato
celebrado com o governo da provincia em
10 de maio do correte son, pelo que de-
ver :
i.' Zelar, conservar e reparar todo o ms-
chinismo, mobili, decorarlo, lustres, cin-
dieiros e lampeo?, e todos os ootros ob-
jectos pertenfentes o Iheatro, que Iho fa-
rad) entregues pelo engenheiro encirrega-
do da obras do mesmo thestro, do maneiri
a seiem restituidos em bom estado, liado o
lempo de tu* scminhatricSo :
. 8.' Conservar no maior aceio e limpeza,
o eilificio, vigiando que nSo se arruine por
qualquer mancira, e pedindo a directora
as providencias, que excederem ao seu con-
trato, no cuso da neCessidade de reparacao.
Iguslnnnte provera que as noite de es-
pectculo o theilro se conserve convenien-
temente Iluminado :
3.* Fornecer todo o vestuario que for ne-
ceisario para os diversos dramas, que bou-
ver de levar a seena, sendo tudo i carcter
segundo a ndole chronologla e miis con-
deesd scco representad; issim como
jrgmisir as decoracoesem pei-reito ijusU-
ttinento com as meims condicOei, segun-
do o (tatema adoptado as existentes de-
comcOi's, e a cipseidade do edificio. A
guarda e conveniente eccomodicSo de ties
objectos ficam umbem a seu csrgo, forne-
cendu para isso os mofis necesssarios:
4.* Mandar engajar novos artistas logo
que a eompantria actual se mostr insulli-
eiente para aalisfizer as rasoaveis exigen-
cias do publico, elbe for proscripto pela
dirertorii :
5* liar regularmente quatro repreaenta-
SQis mensaes o menos, e mais urna se a
rectora o exigir :
4.' Aprsrntar rias referidas representa-
rles pelo menos vinte dramas novos Je sus
escolhi, contanto que sejam antes appro-
vidos i>elu cHefe de polica, e exijam varie-
dade de scena e de trajos, Neste numero se
contarflo os dramas que forcm designados
pelo presidente da provincia por interme-
dio da dlreclorii :
?.* Fazer representar durante a quires-
roa pecis annalogs a poca, devendo reci-
bir a escoHia sobre aquellas que coslumirn
ser levada acea nos melhores theilros
em tal lempo :
8.* Diligenciar variar o espectculo pro-
corando ngajar artistas, que nos interme-
dios representen) pecas de canto e danza-
dos; coaservando oulro sim urna orches
tra detnuta msicos pelo menos :
." Por todo o cuidado e diligencia en
qu os artistas guardem o conveniente res-
pinito ao pubiiao, e nunca baja falte as suas
proniessas, e as do emprezario, devendo
Kujeitar-ge na falta de regula ment espe-
cial as admoestsfes e prcscnpcOis da ire-
toria:
10. Dispr em todas as ordens de cama-
rotes, dtvum e outro lado, srvenles cim-
roteiros, que evitem nos corredores a ag-
glomratao de pessosa extraiihas as fami-
lias, que tivrem ilugido os camarotes, ou
que no venbam de visita 4 ilgum delles ;
impedindo outro sim, que ihi se reanaai
escravos 0U domsticos, se fume, tnve-s
risa, ou Se faca bulla, que poska perluibn
o espectculo, ou IncommoJar os especti-
doies :
11. Aprescnlir i directora no lim de no-
ve metes, inventario de tudo que liver feilo
em beneficio do tbeilroj tanto do sceuirio
como do guirda-roupi:
12 Ministrar em qualquer occisilo as
infoirDifOes esclirecimentos que furem
exigidos pela directora, e no fjmde su id-
niinistrigao dr-lhe Contas del!i, comps-
nliadas de um inventario geni, tanto dui
irligus que liouver felto, Como dos que ti-
ver rveebiiln a hm aadini ^^; qt'^dre
dos dramas que bou ve re m sido levados,
scena:
18. Vedar pelos meios seu alcanso, que
pessoss xtsat\his negociem e especulem
cojj a venda 4os bilhrtes, a lim de que nSo
sejam estes vendidos por preco mus eleva-
do que o fixido, obsrvandu-se S tsbella
infrs :
t ordrm de esmore* 4,000
8. dita 10,000
9.a dita 8,000
4 dita 4,000
Platea superior oucsdeirs 2,000
l'Uta geral 1,000
'Art tora a islisfifto lias obngues expresss-
dssnosrtlgu antecednie, recebis o em-
presario como subsidio para suxilio-lo no
desesapapiio dellasa quan'tU de um cont
1.* sujaila o empresario conveliente Io-
damnlsico.
Art. 4 A' dirertoria compete fizer que o
"mpresario administrador cumpra exacta e
fielmente todas ss obrigacOes. i que est
(.jeito, e bom ssim tomar contas de sus
administriQo, para o que
1.a Vigiar com egsidqidade o seu proce-
Hmento qur como empresario, qur como
administrador, faiendo-lhe Ss adcaoesti-
**5es uc iuHscr nccft?s?r2s :
ministraco, reeebendo o inventarlo de que
trata o 10 do artigo I ", far examinar por
p-rilos as deco'iQfles e vistuario em nrdem
conlieeer, se aquellas fonm feitas pelo
mesmo systema das que j se achavtm no
thestro, e se este he do melhor oslo pos-
sive, e outro sim s correspoodem em sus
quaotidad- variedade dos dramas recom-
mepdados no 6. do mencionado artigo:
3,* Exigir, lindo o lempo do contrato,
nm inventario geni das decorares, ves-
tuario e movis, que o empresario tiver fei-
to, e procedeodo aos necessarios exames
decidir sen contrato foi ou nSo satlsfeto
com pontuilidade nesta parle, e recebando
ties objectos, comonjopriedide do Iheatro,
haver o adminiSHor como desoRerado
das obrigarjAes relilms no ctso afllrmatiro,
e no outrO caso representara ao presidente
da provincia sobre a Importancia da in-
demnsimo, que ao mesmo lliealro compe-
tir ; semolhmtemente proceder para veri-
ficar o recebimento dos objectos de qoa tra-
ta o 1. do artigo i., para o que em tem-
po Ihe serflo ministrados os precisos docu-
mentos.
Art, 5. Convindo que os me moros da
directoris sssistsm a todas as recitas, terflo
elles no Iheatro um lugtr reservado, que
ser um cimaltole de sus escolha.
Art. 6." Para suas deliberaQOes sereoni-
amente porque este tiflaps contra si o odio
de Mr. Changarnier, stajs tambero porque
era conlieclilo por nm rtJiador, estiva mil
visto da assemb', Iftni' scolhia milito
ma} ol pTojertos rTe Terpor elle aprederita-
ls-e lm disso porquejle, mesmo d/seji-
s aaciasamente suDt(#$lr-se s fadigas de
su ass adminjstracaQ. Foi por estas,ra-
ijos que Luiz Boniparie areitou a ilexns-
sAodeMr de llaotnoul, qual de mais re-
"etss arr: ~Mlca eiBion'BMQ.'is. pnis
S-' b'fnde doto meis da setaat ad- ssjli OV^erriaJaf ata4 A* -Al-
gerls.
Se Mr. Changarnier s ileerou com a
queda de seu adversario, su ilegrii foi de
curta durc3o. 0 presidente escolheu pan
ministro da guerr o Sr. general Schramm,
veterano ro imperio, o qual na ida le de 93
afinos ji er general da brigada, pss
por um dos homens msis enrgicos de nos-
so tempo. Apenas elevado ao ministerio,
o" general Schramm dirigi ao eiVcito
urna orderrt do dia para leobrr-lhe os de-
veres da disciplina, deveres dos quaas seus
chefe sao obrigados a dr-|ie o Ssspm-
plo. Esti lingosgem do ministro era Omi
censara viva conducta qu tivera o ge-
neral Oriingmi?r, o todo o SBUndooeom-
prehendeu.
Koi entflo queaconteceu oesso do gene-
ral Neumiyer. Mr. Changarnier teve dous
dissabores em vez de un, i seus amigos
que gritim muito ns impretsa. qui/oram
fazer deste incidente urna grande questio
poltica. AcommissSo permaoenl, ds'qual
i tnnho fallado a Vine, e que eslan lo mu
to indiaposta eom o presidente, acolbe de
boa vontade todos os novo pretextos de
questao. reunio-se outr vez. O ministerio,
sendo chamado para explicir-se perante a
mesma, II nitou-sea responder que demit-
lindo o general Neumayer pao tintn fetto
aenSo usar de seu direilo, e que oinguem
rilo, quando julgirem conveniente, no lu- era obrigadoadar conU dos motivos q ie
gar que designarem, podando ssr no salSo o liaviam determinado a tomar esta medida
do mesmo Iheatro.
Art, 7.'* A directora exercer por dele-
gsgSo as prerogativas, que no contrato de
10 de maio do correlo auno forgm reserva-
das so presidente da provincia, devendo re-
presentar este todas ss vezes que para me-
lhor exeu?3o do contrato eatenJer conve-
niente a saa intervengan.
Art. 8. Logo que a directora houver lo-
mado cunts S actual administrado far
ao presidente da provincia um relatorio cir-
cumslauciado, em que expnoba rom preci-
san o icu juizo subreo modo, por que fo| o
contrato executtdb, e na mesma ocrasISo
indicar, seconvmou nao, queseja reno-
vado, e com que alterarjOes; ptopondo ao
mesmo lempo lo Jos os melhoramentos, que
entender possiveis e proprios para serem
adoptados, com o que se haver por fiada
a sua commisso.
Palacio do governo da provincia de Per-
nimbuco, 9 de dezembro de 1850.
Jos Ildefonso de Soasa Ramos.
EXTERIOR.
CORRESPO.NDENCIA IK) DIARIO DE PER"
NAMBUCO.
Par/i, 3 4e novtmbro de 1850.
Passsmos em Franca de um agitaclo a
oulrs. J del conta a Vmc-das revistas e
ilos gritos de Viva o imperador, que pozersm
em erboolo os partidos, e quasi que produ-
zem um rompimento entre o presidente e
a commisso permanente que repicseuta a;
issernbls ; hoje a sgitsr;8o tom por pre-
texto um ficto que tem relajo com essas
revistas. Eis-qui o que se tem pissado :
O Sr. general Neumy*r, um dos que
commabdam em Paris d-bsixo dss orden
cias de sus dlvisSo i impedirm os bla-
los de gntr. o governo tefe eonhecimen-
to desle fcto, e como elle er contrario s
nstruccOes Jo ministro da guerr, as ques
prrscreveo tos >ifllc;.ieg generaes que nSo
provoquen nem impecam nenhuma mani-
festico legal da parte dis tropas, o con-
selho dos ministros tomsndo-o em consi-
1erar;!Io, decidlo quo o generar fosad demit-
tido do seu commando.
Emapparencia nada era miis simples do
que sta medida, a qusl n3o devi dr lu-
gar a nenhumi critica, porque o governo
tem 0 incoulestavel direilo de dar e tinr, fu general, e ratn coor.otUo qu. te P.r
duietiles ecicuenli mil
nieiisalinenlr
felocbf^fcpvincul, ssim mais qun
ia di: ceiMo e cincuenta mil ris como or-
denado detdmiuistrador.
Art, 3.' A falta de cumprimeoto da obri-
gaffio imposta aos 1.", 2, 3.1 do
os commandos militares, mi devo diier
a Vmc. que o general Neumayer, o qual
desagradara ao presidente, igrada muito
ao general Changarnier, comoiandante su-
perior do exerciio de -Paris, cuja posicSo
ejevaija vicuo aoi iwj CS Ci;-
raolo.
Esta general recl*mou vivimente contra
la medid que fere oso subordinado, mas
o presidente e seu ministerio tem permane-
cido iuOuxiveis. Mr. Neumayer recebeu
ur.iem de ir lomar o commando de urna di-
visfiu militar esUcionad s cem leguas de
Caris.
NSo he esta a primeira vea que o ganertl
Changarnier entra em lula com o presi-
IbiiIh ; nesta quinzeoa j um primeiro con-
flicto teve lugar, no qual o presidente da
'epnblici teve a condescendencia de dei-
xsr-ihe toda a vanlagem entretanto nSu
se trativi de nada menos do que da aubs-
tiiuicto do ministro di guerra. O Sr-ge-
neral de Hautpoul que oecupa este poslo ti-
nha lido em muita occasiOes vinas ques-
oes cem o commtndanta em ehefe do
exercito de Pan, o qul cr-so um perso-
uageni de tanli nnportancl que n4o deve
obedecer a um simples ministro. Conh-
(o o presidente, e sel que be incapaz da re-
A fommisso nSoouaou passar *\->.nt, e bem
que houvesse quera propozesse convocar
extraordiniriamente I sserabl, o nego-
cio ficou ah.
Communico-lhe esta particularidades,
porque ellas tomarilo cerlamente urna
grande importancia logo que a asssembla
se reunir, Bem como j parlioipe a Vmc.
h no seio dessaeorporacSo um partido po-
deroso, o qual quer lodo o custo despo-
pularisar o presidente, e tornar tmpossivel,
a prorogacSo de seus .poder* : este parti-
do he o ligltirhiati. At. hoje filtava-lhe
um homorn quo tivesse um vilor Incontes-
tados e que pdense servir como hoiiiem de
acc9o em um isssilio. Elle er ter achulo
esse hornero no general Changirnier, e eis-
qui como pretende obrar com o soccorro
da montanos, e de alguna descontentes da
maior. Envenenindo a dlfferenca exis-
tente entre o presidente e o honrado gene-
ral, exiliando vaidide e ambiguo desle
ultimo, as qaes so exossivis, esperam os
'egitimistas conduzr SS cousas so ponto
de ser ioevitsvel um ron ral Changarnier derer entilo dar ou rece-
ber sua demissSo. Logo que Ibe estiver
llvre de todos os lieos para com o po 1er,
intriga legitimista espera manobrar sabia-
mente pira o fim de fazer que elle spja con-
fiado o commando das forjas encarregidas
do proteger a assemblf. Importa que
Vmc. saiba queanossa eonstituigSo d ao
presidente da assembls odireito de desig-
nar por si mesmo o official encarregado
dessa misSfio e que ella aotoris esse offi-
cial a requerer todas as tropas que julgar
necessinis pira defest. as mffos do ge-
neral Chmgarnier um lateo nmmdo toma-
ra a maior importancia,eternar-se-hia um
perigo mui serio pira o poder t-xecutivo,
lo qual elle tifio dependera mais.
Elle be o plano do partido legitimista, e s
Deo labe que eperancai culpavel nao tunda
rile obre u reallaco ; roas declaro a Vine,
que cite plmo nao pode ler bem luccedldo,
Uso por rarla raide. A primeira, porque me
parece liupoativel que se acbe um presidente
da asiemblea que copiinta em apola-lo. 0
presidente actual Mr Hupln, se recusar cer-
lamente a Isso, e duvido que os legtstiinfata
potiam conseguir fazer notnear outro em seu
lugar. A argunda, porqc o presidente, o
qual he do carcter o mal determinado, nao
ceder a nenhuma especie de inlimtdaco : elle
utar com tada sua forja ooura a asienablea
li a imuienia maioria do exerclto. A terceira
finalmente, porque a oplnita publica e re vol-
taria contra etiai loucura parlainentare, e o
povo em caio de aeceisidade botarla o repre-
sentantes pela porta a fon.
Poneos din faltara para que M toroe a rea-
--------iVisn e na |,:::c!*';e rfcrrv, a
Vmc. creio que poderei diier-lhe le aailitude
dos repreientanteihe bastante aaaeacadora pa-
ra faaer ternero conflictos violento! que a In-
triga legitimista qulzer provocar, este c-
menos vemos de vex em quando rebeotarem
alguna trainlnha dos revolucionarlo, oiquaei
nao ceiairi JraalS de conspirar. Anda nao
ha multo, a polica agarrou eui I.yo a 30 rrpu-
bllcuio vermelhoa, eaprebiodeu o arua pa-
pel, pelo nielo do quae veio ao oonheciineu
to de que eiaei bandidos estavam organisaudo
uina inaurreicia geral no nielo dia da Franca.
Prisdes tcciu aidorOeltuadasem varias cidades
importante, e tudo anouuciaqueeia revolla
nov fr preparada -pejos proprlo oabeca da
lcelo, abrigados em Londres e Genebra. Km
a uoasa poueaio africana da Algerla o aoar-
cbislasurdiram umbem um trama, o qual aco-
do deacobrrto, acaba de le julgado. Quaii
todoi o aecuaados feram condewnadoi a pe-
na mal ou ineuoi fortei.
O preiidente da repblica, legando um uio
iiitigu, tein o.dlretu de enviar por aiinieimo
aos cardeaes novameute noiiieaaos o Oarrete
remetlldo pelo papa. Ella cerasaonla acaba
de ier celebrada em 51. Clamd codl muUa pom-
cuar, quaedo tem por si o direilo ; se elle pl. o aencio do papa e um grande numero
(MBtlaou o geaanl 'Uautpual, ato fui de peraoaagens diiiiactti anisUram a ella.
Doi tres eardlae que fonm revitidx> da pur-
pura romana, tmente dous rstireraui presen-
Ira ; o tareelro aoha-ie retido em uidlocese
pela eafennididc de *u Mad ayancada.
Ui/. Iqnaaarle reipondeu oom muito acert
aos dlacuMM que 01 aoai prelada! abe dirigi-
rn!.
rnelo fnebre em memoria da rainal da
Belga tem aido celebrados era todas al princi-
pies cldadii de Franca. O presidenta envlou
um doi iros pdanle le rocas par aailitlr
ao me iecrleUr-0 em Parla. A rainh Mirla
\u,eiU r trttt ttlbo palturmn de firiiullai de
Volt para CTaretnont no ala it O oatabro pr-
ximo naisado.
Negocios da AlUmnnha. Ao imperador da
Russia d muito cuidado o que se pssss na
Allemsnh, e se o patriotismo germnico
corre slgum porigo em que um to podero-
so vjsinho se intrometla nos negocios d
confe leriQo, cumpre timbem confesur
que esses negocio estfio longe de mirchu
sos, e que se.forem deixadoa smente
decisSo dos prine ves sllemfis, termina-
r3o em um confusftO espsntosi e ti Ivs
que em conflictos sanguinosos. Neste mo-
mento o czar seiba de se transportar a Var-
sovls sflm de conferenciar com os repre-
sentante das cortes de Vienni e Berlim para
deliberar sobre os meios de por termo a
ssa ridiculs queslSo de llesse cleiloral, a
qual tem ja costado rios de tinta sos dipl-
malas de Alem-Rheno, sem dar um s pu-
so pira sus solucSo. O prim >iro ministro
do imperador da Austria, parti para Varso-
vii onde est o czar, e o nroprio Imperador
Francisco Josnph healli esperado. Porou-
tr parte o re di Prussia enviou 10 Czar o
seu primeiro ministro, o con le de Brande-
burgo o seu irroSo, o princip Carlos. Vmc.
sabe que os dous gabinetes de Vienna e
Kerlim tem sobre esta qnestfio ideias ntel-
ramente oppostis. Em Berlim di-se rssSo
sos vassiios do groo duque, e de bom gra-
do se laucara mo da armas para ohrigar
este a observar a constituido que jurara.
Em Vienna, pelo contrario defendem os di-
re i tos do grfio duque, o qual rollooam de-
baixo da proteefio da dieta de Franhofurl, e
ameic. m fizer invadir O grim ducado por
um exercilo bivaro, se os seus habitantes
nSo se submetterem promplsmentsK" O la-
do grave desle negocio he que elle pie
lar lugar a um rompimento entre a Aus-
tria e a Prussia, e he isso o que o Czsr
quer imnerlr ajoto o custo no que tem
toda a rasSo. O autcrata de todas ss llus-
siis h alm disso inleiramente partidario
la snlucfio iutrica. tule ofio gosti das
ennstituices, detesta os povos que se re-
voltam, e he muito spaixonido pelos trata-
dos de 1815, queorganisanm i Alleminhi.
por isso pronuncia-semuito enrgicamente
contra as prelencOes da Prussia, e tudo le-
va crer que esta ce lera.
lia ns Allemanh urna oulra contplica-
cSo, a queslSo de Sleswig-Holslein a qual
dura, ha bem dous afanos, e que se aproxi-
ma em fim de sua solucSo. J por vezes
tenho fallado a Vmc. desta questSo que a
ambicio da Prussia sscitou. Quando se
quiz constituir a unidade germnica, pro-
curou-se quaes os portos do imperio no
mar do norte,e noseichou nenhum. En-
tSo percebeu-se que a Dinamarca tiuha pos-
sessfles meia illemSes, qneenm banhsdss
pelumar e que tiuhim muito bons portos
e resolveu-se roubir-lhe essas possessoes,
oropoo lo-se pira isso a Dinamarca o que
entre nos ss chima um queslSo de al-
leroBo.
Foi assim que s guerra rebentoo, e ha av
sim que ella se tem sustentado, ha dous
anuos, no meio de cnllisOes sanguinolen-
tas, mas i Dinamarca tem-se defendido
com energa, contra seus alversarios; e
fez iiltimnmeule vitas reclima(0esas gran-
des potencias europeas que sao gamites
los tratados em vlrtude dos quaes ella pos-
sue o< ducados de Sleswige Holstnin. Os
pleni.iotenciarios ds Franca, da Russia e
da Inglaterra proclaminm em um proto-
colo issignado em Londres, os direitos da
Dinamarca. I) s le essa poca s Prussia foi
obrigsd a renunciar (for sua conta a urna
guerra injusta, mas a insurreivfio de llols-
tein conlinuou sempre, eutrelid pela as-
sistencia secreta dos estados sllemSes e dm
propria Prussia As grandes poteneiis re-
correram entilo s oul'is medidis mais effi-
cizes, e recen'emenlenoiis comcninitoria.-
tem sido dirigidas pela Russia, Franca c In-
glaterra aos governos da Allemanba en
gin lo a prompla cessit}3o dss hostili lides
Esta denionslraclo tem produzido todo o
ell'eito que se linha dircitb de esperar del I
O governo prussiano acab de envitr aos
Maneto*)* ri llnlstein 0 general HirVn n.-
r* os convidar a concluir um irmisticio
com o general dimroarquez. Da outro lado
a dieta de r> aiikfort, onde domina a influ-
encia austriac, fez partir um cummissario
encarregado de levir ao governo insurgen-
tea ordeni de largar sa arma imroediata-
mente. Se os habitantes de Holsleinse re-
cusarem a isso, um corvo de trinta mil ho-
mens dever marchar sobre os ducados pa-
ra fazer executar o desarmimeoto. Ha lodi
a risflo para esverar que essas demonstra-
^des significativas poro GmaumaluU ao
niesnio lempo sanguinos e ridicula.
Inglaterra.Reina neste momelo em In-
glaterra urna mui grande egitagao, ell>
tem por causa a bulla do pipi, que cris no
reino unido qualorze hispidos. Hir-se-his
que todisfjp pandea religiosas do tempo
de Heurique VIH e de Cro nwell se despera
iirirn com s noticia desse ido da corte de
Roma. De lodss as parles as gazet.
lem Icvantido com violencia cunlra a in-
daCia do padre santo, o qual dispfie 4
igrej da rainh Vctorii 0 faMs que gui
sempre 4 oftiaMo pabiioa pox-ae mote
ds crosada religiosa, e um desees diee a-
meirou o pipi com um evo careo de Ro-
Sa. 0 clero anglicaoo, oquil cr-se cha-
do a defender seus privilegios contribu*
i'sr entreter a efervescencia ds 'opiniBo
publica elle j se reuni em meeling oir
asseutir em ums representaclo ao hispo
de Londres, conjuran to-o a impedir o tri-
umphoda idolatria : ( ocatholeeismo he aos
olhos dos sngliesnos urna idolatria !) ou-
tr02 SXfrfloa nrAp-;m o t que u governo ser obrigado a tomar parte
no mnvimnnto, ainda que seja smente pa-
ra o dirigir.
Estr nho povo he esse povo Inglez f Ello
tolera tolas ss liberdades, ainda mesmo
aquellas que pod-ra mais comp-ometter o
repouso do mundo e o seu pronrio ; elle
deixa reunir-se em 'leu seio, e conspirar 3s
claras os demagogos do mundo ipleiro ;
elle tem um impr-nsquepo ledize* lu lo
impunemente ; elle tem um ponulacno vil,
que pode oltrajar e baleros estrsntrangei-
rojos mais illuslres, sem ter que temeros
tribunaes e com todis essas liberdades e
todas essas licencas, no quer permiltir
aos catholicos, ainda mesmo ingleses, o ex-
ercico pacifico do sen culto .'
Note bem Vmc. que o breva do pepa con-
tra o qual protestara com tmti violencia os
puritanos do sogltcsnismo, resuena escru-
pulosamente os direilos do estado e di igre-
j eslabelecjda. Elle cria, heverdade, qua-
lorze hispidos, mi esses bispos sao pa-
gos pelos fiis, a nflo lem jurisdiefio senio
sobre is cousas espirituaes. A igrej pro-
testante continua n eosse de suas ricas
omlas, e s corte de Roms efio tem a pre-
tencSo de usurpar o seu dominio.
A' vista do carcter iggressivo do povo
Inglez, nao se sabe oa le ir parar a igiti-
c<> que iceba de comedir, e he pera temer
que ella se assignale por perturbabas, co-
mo t devastacSu das capellis citliolicis.
Hi na plebe preconceitos e pai^kis religio-
sas que a aristocracia entretera cuida losa-
mente, porque deilas-lira proveito. Se essas
oaixes vierem arrebenlir coaita OS catho-
licos. podo-so temer setos de vandalismo a
de barbaria.
Portugal $ Hespanha. Um dos homens
mais emineeties da diplomacia europea, o
Sr. duque del'almella, falleceu ultirnimen-
te em Lisboa. As coi les nespanholis de-
viam reunir-se ll es oatabro. Annua-
cia-se de ttadrid que o S: Luiz Neayns,
queja fon ministro da estado, ser nomes- -
do presidente da camera dos diputados cora
grande maioria.
Boleiim da Boina.A poltica exerceu em
o mez passado urna grande influencia so-
bre os fuios pblicos, os quaes tiveraui
fortes movimentos de all e baix*.
Os 5 por cenlo francezes depois de subi-
rero a 93 fr. e 70 cent., desceran at 91, e
ficims 90 fr. e 95 cent.
Os 3 por cotilo depois de subirem a 58
fr., descerara s 55 fr. e 30 cen., e ficam a
57 fr.
Os consolidsdos ngleies ficam, de97 i\-
i 96 3|8. __________^
PEflNAMBUCO
JKY DO KKCIFE.
4." SESSAO ORDINARIA DESTE ASMO.
Presidencia do Sr. Dr. Res e Silva.
Dis 3 de dezembro de 1850.
A's onze horas ds msnhSs, fiz-se s chi-
mada e schsm-se presentes 41 Srs. ju-
rados,
O Sr. Presidente abre s sess.lo, multindo
sos Srs. que deixinm de comparecer sem
motivo j u si i fie do.
O Sr. Presidente vsi-se proceder ao sor-
leodo concelho, que tem de julgir 10 roa
resente, iscusido pelo crime de home-
cidio
Sortesdo o concelho, sabem escolhidos
os seguimos Srs. : Luiz de Veig Pesso,
Monoel Jos de Santa-Ann Araujo, Tnemo-
leo Pinto Leil, Jos Jeronymo Correa, Fran-
csco de Paul Machido, Jos Mariano da
Albuquerque, Luiz de Pintlb Borgea, Joi-
ijiftm Codho Cintra, Domingos Henrique
Mafra. Manoel Luiz da Veig, Jos da Ro-
cha Paranhos e H Prestado o juramento doestylo, he o r'
interrogado pela maneia seguinte :
JtsizComo se chima ?
Reo Pedro Jos da Silva.
Juz Sabe porque comparece neste tri-
bunal .'
Reo--Sr. foi por umi calumnia, que me
levanisrsm. mais nada, nen cousissima ne-
JaisMas, que calumnii beesss, que loe
levanUram *
/f#o--Appreceu um negro morto, e vsi
um, que tinh* rafva de mim por causa de
um* cabra bixo, que desappireceu do si-
tio e vsi entflo, quiz-se vingarde mim.
JaisQueaj he que Ibeattnbue a mora
do preto ? ^^
Mo-Foi um, que morav no mestat^V
to de meu amo, chamado Antonio.
JaisEsse Antonio da que falla he seu
inimigop.
/feo--He meu i ni migo capital; ndaaa dl-
zeodo, que me bavia de milir seaJJPfP*'
rece esta vingance
Ju'-Duude porm essa iaipiside ?
ReoVia causa de urna eaur bixo, que
elle tino n oo sitio e de l se sumi.
Jais Lerabrs-se sonde eslaaa na oolte do
dia 3 de jalao desle auno i
Reo- Ku fui preso ao 1.* de ja Iho.
JaisMis onde eslava na noite de do
jwiho r f
' oEslsv em cata do Sr. FreaVico
Chavea.
i
*


^
mrm
.._

#
iuizNessa noite disparou um divinte
no nreto Andr ?
J?eV>--N8o sr.
Jvi's Sabe quem niatou ao preto An-
dr P
Feotifo Sr., eu eslava em minha cisf
lavando os ps, por signal eu estiva para
ni" deitar quando ouvi urn tiro perto da>
8 horas la para a banda da estrada f
JutaCostumava a dar tiros de noite ?
Reo N8o Sr. foi arma que nunca pos-
sui.
JU'Sabe escrever P
UsoNao Sr.
He accusado o reo presente por se sus-
peitar haver elle assaeainado ao preto An-
dr, sendo aa nicas provas ter .ido encon-
trado o cadver do mencionado preto na
estrada perto da cerca do sitio onde o ri>
era fetor, sen) que se deixasse ver rasto al
gum de singue ; e o ter-se encontrado em
casa do patrio do roo, uoi clavinote des-
ea rregado.
Silo lidas as pecas do processo e findas as
allegacrtes pro e contra.
O Sr. Presidente faz o relalorio da cauta e
entrega ao concelho os seguintes
Quesitoe.
I.' O reo praticou o Tacto de que he ac-
cusado de tor disparado um tiro no preto
Andr?
2. O roo pralioou o mencionado fado
c.im a circumstancia aggravante da noite?
3,* F.xistem ciicumstancias alleuuanless
favor do io?
Tendo o jury respondido a todos o
quositos negativamente e por unanimi-
dad
O Sr. Prndente rnnformando-.se com a
decisflo do jury, alisla*! o reo, mandando
paga' as cusas pela munieipalidade.
e os dous emeiopor cento hollandezes
57 8/4. ____________
IHMIfl HE PRSAMDCO.
aeciri, 9 ai dezembro ai lase.
Foram nom>>ados membros da directora
do thealro publico, conforme o regulsmen-
to que publicamos em lugar competente os
Sis. conselheiro Antonio Peregrino Mariel
Mootelro, l)r Jos Beinardo Galvo Alco-
forado, e coronel Domingos Alfonso Nery
Ferreira.
Pelo vapor inglez Petrel chegado hoje
de Falmout recebemos a carta do nosso
correspondente de Paria, que os leiloies
acharflo eatampada em outro lugar, e
bem assim vaiiaa gaielas inglesas que al-
cancam a de novemtuo prximo passado.
Ao que nos commuuica o referido nosso
correspondente accresceotareu.os apenas o
segu nte:
O incidente relativo ao general Neumayer
pode ser considerado como lerminsdo.visto
ter o general CorrelM, que o substituir no
com mando da prinisira divisiio do exercito
de P*ris, ateaocailo ltimamente com o ge-
neral Cliangarnier conimandanle em chefe
do mesnio exercito, moatrando-se ambos
mu satisfeitos um do ouirajt
Cartas da Snisia annunoiam que o gover-
no federal notiQr'a aos refugiados polti-
cos actualmente reunidos emCenebra que
ae persenli5sem em agitar os departamentos
franrezos junto da fronleira, seriam imme-
dialamente removidos para o interior. A
mean a mtimaeSo f a feila aos refugiados
p^lo chef* do governo -le Geoebra.
O ministerio liaiovonano dera a sua de-
missfto, o rei aceitando-a declarou que o
fazia constiangidamenie. Tanta era a con
Canea que elle depositava nos seus mnis-
nistros que os nomeou membros de seu
conselho p'ivado.
O novo gabinete acha-se orgsnisado da
maneira aeguinte: presidente do conse-
lho e ministro dos negocios rstraogeiros.
burilo de Munch-hausen ; ministro u> inte-
rior, Lindemann ; n inislro da Justina, la-
rilo de Rossing : ministro da guerra, major
general Jahobs;, ministro da iustrncfSo
publica, l.andaronl Meyor.
As lTopas ile llesse evacuaram a capital
dquelle ducado no dia 28de outubro pr-
ximo passado, e reliraram-se "para liman,
onde foram desarmadas e licenciadas. ().-
rfflciars i o iiram todos a sua demissSo. A
cidade ile llesse ia ser oceupada pelas tro
pas havaras, senundp as determinarles da
dieta de FiaiikTort, mas cria-se que a Prus
sia se nppnria a isso, mesmo com armas, se
fo.'Se pn cito, para oque tlnha pVompto um
girnde exercito junto da fronteira. A Aus
tiia por sua paite ordenara ltimamente a
inairha detianiirs cci'pi s de tropas, tanto
da Hungiia romo da Italia, para apo:ar as
fdress da Gaviera. As fortalezas da Lom
liaylia esto sendo postas em estado de de-
fesa, e o governo decietou um recrutsmen-
to de 60 a 70,000 homens.
O correspondente do Kolner Ztitung diz.
que a guerra h*.inteiran>enle impossivel da
parte da Austria sem uuia bancaiola nacio-
nal ; qu o primeiio canliflo que ella dispa-
rar contra a f'ruasia sera o signal para a
depreciado de auas (Inanias ; que suas nu-
las seiflo repudiada*, e que nem mesmo
annzade da Itussia t poden valer em sua
penosa posico, pois a Itussia pode dar-lhe
can lujes e balunetas, anas jnflo dinheiro ;
' que pulanlo, ao aeu ver, a guerra nao lea
lugar.
U i leiior de llesse aterroiisado pelos pe-
rigoa que poderiam resultar para elle da
entrada das tropas federacs nos seus ton i-
uorios, irotestou solemnemente contra
te, quando menas se eaperava, elle e seus
ministros mudaram de (opiniSo, e deram o
aeu coiisemimento a essa entrada. -
O Egypto ficara em paz, e o goajferno es-
foicava-se pur promover o bem-estar dos
habitantes duqueHe pafz. Dea jovens ari-
bes e turcos ficavim a partir para Paria a-
lim oe frequeiilarem a escola de medieina
aquella cidade a cuata do eslajto.
echa, leudo noticia de que eram pre-
alguua alabastros orienlaes para se le-
vantar um momento em Roma, ordenuu
que seia dos mais linos e der majpiea di-
meoes uaa.ni renieitidos para-'Alexan-
dilaflfude la seren transportados a Ko
mi cofioum presente por elle euvudo lo
padre santo.
Na India nl4.de extraordinario liaba ti-
dO lugar. w *
Em Londres os aonaolidados flcsrim, d.
B7 1/8 a 7 1/4 ; os fundoa brairitVoi, a 89
3/4 os pequeos, a 90 1/2 ; o Cinco poi
cento poilugnezes a 88 ovquatro por cen-
to ditos, de 34 1/4 a 3#f us qualru e met
por. Denlo russus, de 96 3/4 a 97 ; os qatro
e mcio por cento belgn, de 88 1/4 a 89 3/41
Com municado
Quando um Jornal pouro etcrupuloao em
examinar aa noticia! que recebe, tranamile-a>
em diacernlmento aoa arus lellores ; quando
na narracao doa facloa que aprsenla nao pre-
side a verdade, fnrfoao be que ae palentee que
ene jornal est illudindo; e qu.ndo por entre
o que e dlx nota-ie uina lotenjao de faaer ln-
-innaroea malvolas, enlao o3o se dave delxai
paaaar em alinelo falsldadea, que uina alma
pervertida pude inventar e enlreter. Foldit
em o n 26 do Echo Ptrnambucnno que no Apol-
lo, tlieatro doa Portugueiea, deu-ae no priinel-
ro do cerwnte niei um etpectaculo, appareceu
nretractode. M.l euin Portugus deu trea
vlvaa: viva o Imperador, o ministerio eo pre-
sidente da provincia ; mal em turto iatoba inex
actidao, e nota-e um deaejo de chamar o odio.
ao aobre a aociedade deaae thealro. Duaa Vetea
vena nesiai llnnai o termo porluaxt; e as ten-
lenciai que seinpre tem mostrado a redar so
do Echo, que he urna transfiguracaoda Foi ata
llranl t Fifi noa fazem crer que nao he aera
intcnco, que em lao poucas linhasae livesse
servido deaae termo. Nao ha deshonra em ser
Portuguet, aabeinoa, e ae nem todos ae condu-
zem no Brasil como devera, e nao ao reconhe-
cidoa hospilalidade que recebem, nao be lito
raaao para que alrva-ie a redaccao do Echo dea-
ae termo, como para menoipresar a aociedade
do theatro de Apollo, procurando torna la odio-
sa. A aociedade do theatro de Apolla tem 200
inembroa, sendo um lngtei, dous Franceses,
ires Allemaes e 76 Portuguezea, inaa o numero
de Brasilelroi eleva-ae a 118: sua direefao he
composta de olto membroa, mal seis sao Bra-
ailelroi.
Na noite do primelro do correte derain-ae
vlvaa e verdade; mas a S. M. I., a familia i tu
peiial, i comlliuicao e ao presidente da pro-
vincia e foram dadoa por ura Prnaa>6vcano.
J ae v pois que o theatro de Apollo nao he de
Portugueiea, nem Portugez he, quem deu oa
vlvaa ; e em frente deasaa provaa faca o publi-
co o julio que quiaer do crdito que merece o
Echo rernambucuno que aisoalha falaidadea
taea.____________________
COMMEft-CIG.
ALFANDEGA.
Itendmenlododii9.....19:934,302
Deicarreaam Ao;>10 d$ deumbro.
Polaca Uathildt farlnba de trigo e vi-
iihn.
Brigue- Iriffo flooeiA farinhi de trigo.
Krwue Kichc.Ueu merca dorias.
Marca Flor da Main dem.
Barca Bonita ferro em barra.
Brigue-- Heory Matheui gelo e maciles.
Brigue Jto fumo, salan e toucinho.
Briguo Fugtnle mercadorias.
CONSULADO GERAL.
Rendimeoto do dia 9.....5:8H,758
Diversas provincias...... 270,828
6:182,586
EXPORTACAO.
Despachos mmrltimot no afa 9
Pinhiba, hiate nacional Repodarte, de 27
toneladas : coaduz o seguinte : 71 voluntes
f-zendaa. 2 dites facas. 4 ditos drogas, i
barril breu, 2 caixas miudezas, t dita en-
xadas de chumbo, 2 pipas e 1 barril vinho,
5 barris bolirhiiihis, 1 caixa queijoa, 11 di-
tas passss, 2 barris manteira, 1 gigo louca,
1 canastra ceblas. 4 volme* f.rragens, 100
arrobas carne secca, 5tfqunlees Oe ferro,
24chaleiras, 10 resmas papel de embrulho,'
12 garrafas oleo de recio, 1 peneira, 1 cai-
ca rap, 23 podras de in, 1 rolo de salsa e
i duzias de chapeos
Philadelvhii, patacho americano Waee,
le 228 toneladas: conduz oseguinle: 200
barricas e 2,600 saceos com 14,518 arrobas
e 14 lib'is de assucar.
RKCKBEDORIA lE RENDAS GEHAES
INTERNAS.
Itendimeoto do dia 9......524,246
CONSULAmi PROVINCIAL.
Bendlmento do dia 9.....13555,764
NOTIi IAS COMMERCIAR.
li'irpool. 2 da otai6ro dt 1850.
Ilgndo. O mercado do algodio ealevr mu
sncegado durante a semana, poato que le fizea-
te uina lumina mu favoravel de negocio por
todaa as classes de compradores. Oa poasulda-
res doa da Ameiica inostraram una grande
vnlade em rffeituar vendas, e aubmetteram a
urna baln de 1/8 d. por libra para ai qualida-
des medianas e mala baiaa. Os do Hi asi I e do
f.gypto permanecem aeui alteracao ; o pri-
meiroa na realldade ae cnmervain firmes, e oa
de Macri lomaram se mais caroi l;li d. por li-
bra. O das lndiaa Urlentaea eitao morosos
as vendas, poim leiu alteracao no valor. A
inipnrtae.il, at esta data orcava por 1,37.'l,963
aceaa. O conmino ate hoje he 1,193,550 lac-
ea!. A ixportacao al ene dia montava em
204.110 laccaa. Odepoaito he estimado at ho-
je en, 453,880 aaccas. Ai vendas de hoje sao
dt 5,000 saccaa. Pata especularlo durante esta
semana 1 950 aaccaa da America, 3,400 do Ara-
sil, 100 do Egypto e 1,740 de Surrate. Para
cxporiacao l.tizt) aaccaa da Amarlca, 60 do flra
sil, 20 do Egypto, e 3,080 de Surrate. O na
vioa chrgadaa e nao mencionados foram 4 da
America Septentrional e nm do Egyptu.
Aseucar. A procura fot lenos animada i o
que nal semanas paaaadas, e oiprecoi mot-
il ani uina redcelo ar 6 d. por alguna unan-
les, pono que o mercarlo aprsenle anda urna
apuarencia partlcBlaruieule firme. Ai vendas
das Indias Occirtentaes ae llinitarain a prefi s
chelos, o importadores mosiram rvidrme,nen-
ie mulla iirmesa, bom' triguriro de Jamai-
ca pdde anda aer colado a 38 i. Hd. o bailo
para ai qualidadea mediana! do retinado, 38 a
39 a. 8 d. ISO aacca de arbaddes foram sera
aaeaceole foi veudldo aoa ltimos precos da ae-
mana panada, bom ao lino, 42 a 43 i. h d,.
balso a ibom amarillo, 38 a 41 a.Od. Aiche-
gadaa de todaa aa iones roratn particularmen-
te pequenas. Durante a aemana pasaada, as en-
trega! foram rmes, calculando a 4,212 tone-
ladas, faiendo urna diminuico neate poato,
drade 1.' de Janeiro a dala actual, smente
1910 toneladaa A lolalidade do depoaito he
de 71,399 loneladaa ou 12,468 tonelada, menos
do que em 1819 no periodo correspondente.
Esiite um dficit nos dss Indias r ccidentaea
de 5,804 tonelada! 5,734 aacca, 24 caisai daa
Mauriciai acharara principalmente comprado-
rea, ai aorlea traicndo o precos anteriores, po-
rui ai qualidadea mail baixai lo uirnos pro-
curada! e mala faceta venda: bom do uno
amareilo, 40 a. 6 d. a 42 a. 6d. balso ao me-
diano 37 a. 6 d. a 40 s. balso as tone fortei e
nedlanas para se refinar, 37 a 30 a. ti d.; o trl-
gueiro 31 a 35 i.; bom 38 a. a3s. 6 d. por
quintal. O depoaito comparado aain o do an-
uo pastad i, u.oitra ama dimluolfao pouco
mala ou menos de 3,500 toneladas. Aenga-
la chegouatu grande luprimenio, conaisiindo
priuci|>aliiieute nal iones daa Manrlclase Date,
que declinaramG d., parlicularinenle u.ais que
autalade de 8)34 laceas forana veodidai. A qna-
lldade amarella daa Uaurlslaa, mediano ao li-
no, 38 s. ti d. a 431.; balvo V a38s.; 9sume-
no 37 a 40 1.; bom ao fino aecco mmenoi e
branco 40 s. 8 d. a43s.; o amareilo brando e
somenos 35 a 38 1. (id.; bom ao fino brando
imarello, 40 a. 8 d. a 43 s ; aVtrlguelro forte 35
1 37 a.; brando 30 a 35 a.iifSamarella e some-
nns chelo de arela. medlaVo ao bota 89 a 41 s.
3 d.: o branco de Henares 43 s. 6 d. por quintal
por um lote.
Madras. 180 saceos de assucar hmido trl-
ueiro e amareilo forana vendido! ein parte de
) a 33 1.
Eitrangeiro. As traniaedVs por negocia-
cao particular eata lemana limltain-ae, peuco
mal 011 inenoa a 700raisaa de Havana amareilo
a 41 a. 940 felaes e 350 barricas do Porto-Rico
foratu vendidas, pouco mala ou menos de me-
tade em venda publica a precoi crelos; a qua-
lidade mediana a boa 39 a. ti d. a 43 a fino 44 a
4 a., baiio ao fino smenos 38 a42a.,oirl-
gueiro 37 a 38 1., 1,380 calas de Havana foram
vendidas pela maior parte aballo da valor de
39 a 44 s. para o bom irlguetro ao mediano
amareilo, 176 calas de Macelo foram tamben
tonudas, o somenos e branco 40 a 43 I., o ama-
relio 38 a 431.; 940 aaccaa de assucar amareilo
brando de Manilla pouco mal ou menos 42 1.
por quintal.
Cafe __O precoi tornaram a declinar, na
auaencia continua da procura especulativa, po-
rm oa posiuidores oio eatao deiejoioi a for-
jar avuluda vendn i coUcOei presentes.
Nao ae faz negocio alguin no donativo de 6'ey-
lon desde hontem, .VKlsaccai.foram vendida
em lebao a 54 s. para o bom ordinario, e 600
saccaa depoli em basta publica, eitabelecendo
uma reduc{5o de 4 i aopreco maior pago ha
pouco lempo. 17 uccii, 103 barrais grandes
da Pianiafao far ain aumente em pane vendidas
a precos mili faeelsi baixa mediano s quali-
dadea medianil de 6) a 65 a, 8 d. Nada ae fes
nieclpadamenle O estrangeiro esta em cal-
na- l)e7,7"8 aaccas de Coila-Rica pouco mala
ou menos 4,500 sacoaa lorain lomadas, prlncl-
patiucnla pelos carregadorea, a ma baixa de
I a. 'los precos da semana untada. Poucoa lo-
tes 48 a 49 s. 591 barttoaa e 97 aaccas de Porto-
Rico foram veudidaade 53 a 55 s. por quintal.
Os bilheteaaoham-se venda no logar do
costuma.
Por se retirarem para fra da cidade mui-
tos dos Srs.assignantes, e mesmo a maior
parte dos ama lores do theatro, o empresa-
rio julgou conveniente suipender os espec-
tculos at Janeiro do prximo futuro an-
no, que de novo continuara com seus tra-
tiallios, dando assim ferias ao respoitivel
publico, a quem nBo fallir' intrelenlmen-
toaa distraer,Oes durante a fe/sta.
Aviso martimos.
Movifiiento do porto.
Navioi entrados no da 9..
lito da Janeiro 15 das, brigue bespaobol
Jtrea)iuS|, cipitSo Francisco Miristiny,
equiptgem 13, em listro ; a viuva Amo-
riui & Filho. Condal siguas gneros
para o Rio da Prati.
Ftlmouih, mideiri e Canarias 31 das e
do ultimo porto 16 1/2. paquete inglez
Petrel, commandanlB Creser._________
EDITA L.
Ignacio Jos Pinta, seal da freguetla da
Boa-Vista, em virtude da Iti, ele.
Faz publico aos- proprietanos das casas
situadas na referi la freguezii, as dispoii
cOes dos arligos 18 e 18 do titulo 7.* das
posturss municipaes vigentes :
Art. 18. Todas as casaa arruadas s?r!e
guarnecidas de paaseios de dez palmos di
largura as ruis, e de seis palmos as tra-
vesas ; os proprieta 1 ios serfio obrigsdos s
conoerta-los todas aa vezea que flearem ar-
ruinadas : os contraventores ar3o mlta-
los em 4,000 rs., seudo o concert feito a
cuata delles.
> Art. 19. Nos passeios ja existentes, se-
r observsdo o nivelamenlo do maior nu-
mero das casas que houverem na ra, sea-
do os prop leanos obrigsdos a abaixa-loa,
para que cliegue ao movimento : os infrac-
tores lieain sulijeitus aa penas do artigo an-
tecedente, e a obra ser feila a sua cusa. *
E para que nfo aleguem ignorancia vai
publicado pela imprnsa. Frngueria da Boa
Vista, 6 de dezembro de 1850 O fiscal,
Ignacio Jos Pinto.
Oeclji'uyes.
Pel segunda secc.Ho da mesa do con-
sulsdo provincial se faz publico, que os 30
liaa que a lei tem designado para o paga-
mento a bocea do cofre, da decima doa pre-
lios urbanos dos bairros desta cidade, do
primeiro semestre de 1850 a 1851, se prin-
cipia a contar do dia 3 de dezembro pr-
ximo, e que rindo este prazo incorrem na
mulla de 3 por canto sob o valor de aeus d-
bitos todos oa que deixsrem de pagar.
Corpo policial de Pernambuco.
tilil o. Sr.lente-coronel, commandan-
le do corpo de polirii, aulorisado pelo ar-
tigo 1 ra lei n. 215 de 21 de maio do an-
uo prximo paseado, convida aos ctdados
que se quizerem engajar como prace do
mesmo corpo, a comparecerem na secreta-
ria, munidos dos competentes certificados
que exige o artigo 104 do regulamento do
corpo. Secretaria do corpo de polica, 6 de
dezembro de UUO. Oaecretario,
Augusto Carlos de Lemas Pacheco.
f V? fffff fVfff ttfV f f f *
Compauliiii l Ueberibe. 46
& O caixa tl cumpanhia acha se su- 4
* torisado a fazar o quinto dividendo : J
t* os Srs. sccionislas podem manda-lo *
receber, segundo a marcha estbale- ^
!> ciia. Kseriptono da companhia, 28 4j
%y re novembro de 1850. -sK
iAAAf****** ***********
Pela sub lelegacia de S Jos do Recite
foi approhendido, por andar fgido, um
nreto de nome Pedro, Angola; que decla-
rou ser esrravo de Joaquim Marinho Caval-
canti, morador no engenho Penado de Bal-
so i aeu legitlirrosennor spresente-se cum
o o titulo para rb> ser enfegue.
As malas qu tem de conduzir o paque-
te Inglez Peterel para o Rio de Janeiro e 8a-
O patacho nacional Curioso, capitSo
Manoel Rodrigaste Fsneco, recabe a mala ps
ra o Rio de Janeiro hoje, 10 do correte.
A escuna nacional Mana Firmina, ca-
pillo J0S0 Bernardo da Roza, recebe aa ma-
lea para o Cear e Para boje, 10 do cr-
rante.
-- Par* I iaba segu viagem at 18 do
corrente mes o bergantn) portugez 7aru-
jo I, capillo Manoel de Oliveira Faneco :
quem no meamo quizar carregar ou ir de
passigem, para o que tem os msis excellea-
tes commodos, dfriji-se so mesmo cipito,
ou a aeu consignatario, Mandel Joiquim Ra-
mos e Silva.
Para a cidade do Porto sane,
com milita hrevidade, a veleira
bem conhecida barca portugez
S.-Cruz : quem na mesma quixer
carregar, ouir de paassgem, para
o que tem exceiientes commodos,
diriju-se ao seu consignatario
Francisco A Ivs da Cunta, na ra
do Viga rio, o. 11, primeiro andar.
Para o Rio de Janeiro sahe,
com a maior brevidade possivel, o
brigue nacional Firma : quem no
mesmo quixer carregar, ir de pas-
sagem, oa embarcar escravos a
frete, dirija-se atepito a bordo,
ou a Kovaes & CT na ra do
Trapiche; n. 34.
Para o Rio de Janeiro
sabe, por estes 4 ou 5 das, o bri-
gue nacional Conceicdo, por ter
quasi toda carga prompta : quem
quizer carregar o resto, embar-
car escravos a frete. ou ir de pas-
sagem, falle com Maaoel Alves
Guerra Jnior, na ra da Cruz,
no ltecife, n. 4o, ou com o capi-
tSo,"Manoel Francisco dos Beis.
Sahe impieterivelmeote para, o Rio de
Janeiro, no dia 14 do correte, o brigue na-
cional Carolina, o qual anula recebe carga,
aassageiros e escravos : quem pretender,
lirija-seaoescriptorio da viuva Gaudinoet
Filho, atrs do Corpo Ssnlo n. 66, para
traUr.
Para o Rio de Janeiro sahe com brevi-
dade, por ter a maior parte de sua carga, o
brigue San Manoel Augusto, capitBo Jos da
Cunta Jnior : quem quizer carregar, em-
barcar esersvos ou ir de passagetn, trate
com Manoel Ignacio deOlivelra na praga do
Commercio n. 6, ou com o capitSo.
Cear txlaranhSq e Para
sabe, com a maior brevidade pos-
sivel, por j ter a maior parte da
carga prompta, o bem conhecido
brigue escuna nacional Laura: pa-
ra o resto da carga e passageiros,
trata-se com o capitSo a bordo, ou
com No va es & C., na ra do Tra-
piche, n. 34.
Para a Babia
sahe, com a maior brevidade pos-
sivel, por j ter prompta parte da
carga, o hiate nacional Amelia :
para o resto da carga e passagei-
ros, trata-se com Novaes k 0. ,
na rita do Trapiche, n. 34.
Para o Rio de Janeiro saln a em pouco*
das o brigue ero ; recebe carga a frete
escravos : quem quizer carregar trate com
Leopoldo Jos da Costa Araujo, ou com No-
vaes & Companhia.
Para o Cear.
Espera-se coa toda a brevidade de Lis-
boa com destino ao Cear, o brigue nacio-
nal Empreea, forrado e encavilhado de co-
bre e de superior marcha; demorar-se-ha
aqui 12 das, e receber carga e paasagei
roa 1 trata-se na ra da Cadeia do Reeife a.
(7, segundo andar.
de prati, e de IBo rico feitio, qual nlo se
encontr igual fcilmente, tendo custado
mil fnneos enfr"ranci, ele: quinta-feira, 12
do crrante, s 10 horas di minhlt*, no seu
escriptorio, roa da Cadeia.
O corretorMiguel Cameiro far InilSo
no dia 13 do corrale, *S*0 horas da ma-
nilla, no sen irmatenS, na ra do Trapiche
n. 40, de diversos trastes, louca com ricos
saleiros, obras de prsta, relogios, sellan,
espingardas inglezas e estojo* msthemaii-
cos ; alm dwtes ob)ee(s ter o vi tico pia-
no e um famoso bilhar : quem ti ver preci-
sSo que venha comprar. ,
-Oengenbeiro riyil DaMnrniy far lei-
19o, jpof intervenido do corretor OllfJBira,
de muitas esbe^as do melhor gado inglez
re raca para, sendo todaa, com uma s ex-
ceptu, cresulu, e ror Isso livres do risco
que corre o gsdo recem-ehegsdo por caus
de mudenca de tlima, do pasto, etc. j des-
necessario be commentir mais sobre re-
conhecida bondade doito sido, j pela
abundancia do laite que da, ja 'pela aua
minsidfio e puticulariaade de dar leite in-
deoendente de bezerro, como palo lido #n-
tajoso dse poder conseguir a appropradi
mlsiun.com o gado da trra, para pro.iu-
zir ptimos bois deoirro miiores e mtis
fortes. Tamben se vender urna oarroca de
quatro rodas, com buxis patentes, ds me-
lhor construceflo possivel, e muito suae-
rior a que tem appsrecl 10 ou possim as-
pa recer, visto nflo se haver poupsdo despe-
za para que a aua construccSo fosse leve e
combinada com a fortaleta ; earrega faeil-
m'nte o peao de qualrocentis arrobas; foi
feila na Inglaterra ex presas mente para o
Brasil, e he de grande aprerjo para o senhor
de engeoho que possua partidos em var-
gens, ou propriedsdea prximas a estradas :
nSo soffre com di t(io 6m ss obras fran-
zioaa e com ferrageos defectuosas, quiea sa
construem em tlguns engenhos, e to for-
te he, que nSo pode desconcertarse 011 inu-
tilisar-se, sem que por muitol anuos tocha
prestido aturados servieds. Igualmente se
veoderlo duas carrosas novas, de duas ro-
das, um cavallo, carrinhos de nido, a-reios
para carroc, e muitos outros ohjectos
uteis : terca-feira, 17 do corrente, s 10 ho-
ras da manhSa, no Gqui, deotr do sitio
da Eslaaeia ; e adverte-se que, eia conse-
quencia do vendedor estar prximo a se-
guir viagem, forcoso Ihe aera vender ludo
a dinhuiro Bag|vel no acto da eutrejta_
Leiles.
Quirta-feira, ti do corrent, ba leilSo
no caes da alfandega de uma por^Qo de
manleiga frincezi em btrris intelros e
hia principiam-sea fechar hoje ( 10 ) a uma m ios. ede40 garrafoescom ervilhas, che-
hon di Urde, e receiie-se coirespondenciis
com o porte duplo atis 8 horas.
Theatro Je Santa-Isabel.
35 RF.CITA DA SIGNATURA E ULTI-
MA DESTK ANIO DE 1850.
Quinta eir, it de ietembro de 1850,
a companhia nacional representara o encl-
lenle e muito applaodido drama em 5 ac-
tos, ornado de msica
A CUAQA DE DOS.
O administrador'Oaprexario, por sstisfa-
zer oa delejos de algumaa pessoia que an-
da nSo poderam ssaistir a' reotientaflIo
desle bello drama, lancou mSo dallo, jul-
gindosssm demoostrar o multo que pro-
cura em ludo agradar ao publico que o hon-
ra, e a quero lauto deva.
No fim do drama o actor Santa Rosa can-
tar a eogracadi ana da Polka.
Tiriaiaara o espectculo com o bailo e
gracioso Junto, cantado pelos irlislal ilay-
mundo e Joanua Jaiiuiria,
O >1( liltitto e a Pobre.
Cmala r s 8 horas.
gadaa ltimamente de llamburgo, muito
verdea e frescas : ludo em lotes a vonlade
doa compradores.
0 corretor Oliveirs far leilSo de um
escravo mogo com offlelo de pedreiro, um
dito cozinheiroe refinador de assucar, um
dito psrs todo o servido, uma negrinha da
11 anuos, costureirs, e outros escnvos com
hibilidades e sem ellas ; assim como de
grande porclo de boa n.obilia para ultimar
contas, conaisiindo em um magnifico lou-
ceiro, trems com pedra marmore, um leitn
franeez, um dito inglez para calidos, meas
redon la de meio de sala, dita comprida pa-
ra cha camap, cadeiras, um aparador qua-
si novo um relogio de cima de mesa com fi-
guras de bronze de ezquisito gosto, outro
proprio pin escriptorio, repsrticSo publica
|oa csa de campo, candieiios de globo,
quadros, berco, uma cadeirinha da Babia,
orna dita para hombros com correiis, lava-
torios, muitas garrafas e copos de cristal
lapidados, vasos domados para Dores, cas-
11 cae com mangas, ele. e muitas obras de
prala, como sejatn : salvas, ca>ticaes, um
apparelho para cha e cafe do melhor livor,
e um faqueiro completo coa facae de folba
Avisos diversos.
1 a^aaaai^
MadMoiselle Alie Moraau fas publi-
co, que ella-aSo exigi do Sr Germano oam
mil ris por cada noite, o si ai cen mil ris
pels noite de aakbado 7 do crrante, visto
que o Sr. r.ermao nflo llie quiz attignsr o
contrato de ce >(! ris por mez, dorante
quttro mezesVMm que n!lo tivesse. oluco
de umi companhia lrica que eaperava do
Rio de Janeiro.
-O abaixoassignado rogiiosVa. que
Ihe estao a dever diunejrode curativos, te-
nhim 1 bondide deoiiSnlo mies mindi-
rem satisfazer Ihe, J|W> quf lhes ficar
muito agradeeidoijpaenn' ser procurado
oa ra do llospiow*ti- 56.
Dr.-Pedro ie Athdfde Veto Hoscoso.
Abrem-se e imprimem-se bilbetea de
visita em qualquer carcter, rtulos e todos
os oiijeclos que demandm preceitos calli-
grapbicos, retratos e quaesqu r desenhos,
sineles typos emblanaaticos, ornamentos
psra'cspas de lvroa, e afinal todos os ob-
eclos da arte de aravura em alto e baixo
relevo, e com derlcidesa. As pessoas que
prelenderem algumis destas cousas, cliri-
jam-ae ra do llrum, defronte da fundi-
Vuo inglozs, ou nis seguintes lojas de li-
vros : na ra da Cruz n. 5.6, na praca da In-
dependencia ns. 6 e 8, e no palea do Colle-
gio n, 6, onde ae for mister poderlo daixir
aeus nomes e morada para sern ipracu-
radas.
Precisa-se alugar uma preta pira ten-
der na ra : paga-ae bem : na praca da In-
dependencia a. 27.
Senzalla-Nova, n. --, em chaos foreiros a
cmara d'Oindi: no largo do Carmo, n. 14.
'recisa-se de um bom coii-
nheiro : na ra das Trincheiras,
sobrodo de dans andares, n. 19.
Precisa-se de unj criado na-
cional, ou estrangeiro., quo d
boas informacops de sua conducta :
na ra das Trinchciras, n. 19, so-
brado de a andares.
Precisa-se de serventes : na
obra da igreja matriz de S. Jos
do Reeife : paga-se a 64o rs
A pessos que sejulgar com direito a
un esciavo alto, de 50 annos, o qual enteo-
le alguma co isi do offlcio de lanoeiro, e
julga-se estar fgido de 9 a lOinnus, cgo
de um olho com um tledo de menos, din-
ja-se rui do Cabuga, loja de ourives do
Sr. Manoel Antonio Goncalves, que ah
achsra uma pessoa ((ue dan informa;0ea.
Oabaixo assignido pede a todos es
oredoresda venda da ra do Livrim'-nto n.
3), que gyra debaixo da firma de Prado &
Companhia, hajain de apreseottr mas coo-
tas da liquidafo da sociedad!, aasim .como
nflo devero couli ir alais gneros pira a di-
la venda da data desle em diante, pois que
o abatgp assigaado ss 0S0 reiponsibiiisi
por quslquer cunta que se Ihe ipreseutsr,
deveudo aa coalas correntas Ihe serem en-
tregues em aua mSo pea serem exami-
nadas. Reeife, 9 de dezembro da 1850.
Franaieco do Prado.
Jlo Marques ds Silva Manriques reti-
ra-se para fra do imperio : quem s-i julgar
eu credor, apresente-se na ra Valla, o. 4.
Aluga-se a casa 11. 18 da ra do Noguei-
ra, prepra para familia : a tratar ao pateo
de S.-Pedro, n. 11, lado da Viracao.
- Quem liver duascinoas iberias e '
queira alugar, dirija-se a rus da l'raia, o.
ii, primeiro an lar.
Precisa-se de um caijairo que d fia-
dor aua conduce, para entregar po a umi
freguezia com um preto: nlo se reiponsi-
beliaa peto fiado : na uadaria do piteo di
S -Cruz, n. 6.
Afeiicao.
Oirremitintedss afericUo. diaajie muni-
cipio scientifica pola tercaira vez, que icb-
i quasi esgotario o lempo marcado psrl
aferiioa aquellos que 004 mito anterioras
ja teem aferido.


-
*
5
Novo estabeleelonento de entela-
rla Una, ra Nova n. 30.
Jos l'radines.culileiro e armeiro, partici-
pa o respeltsvel publico desta ciliado, e
principalmente a seus fregueze, que mn-
dnu O cslabeleekneato que tinlia na ra lar-
ga do Rozario nara ra Nova n. 36, confron-
te a igreja da Concicflo, aoode o ch*r3o
prnmpto executar qualquer encommeuda
desua arte com a maior perfeicSo poaaivol
e pelos preco* mala baratoa do que em ou-
tr oarta O annonciaote temi ullimaoien-
tn recehido do Franca um grande gortioien-
tn de objectos de sua arte acha que seria
fastidioso de oa enumerar neata Jolha, po-
rm elle mencionara orseguinte* : aavalhaa
superiores as.que tem vindo al agora, le-
souras para alfaiates, coslyreiras e caliol-
lereiro, um lindo sorlimenxo de lesouras
fins para sentaras, ferros de eirurgia, ditos
do dentista, caivetes de urna at seis fu-
Ihas, lesouras de hortelSoe Caca* de mesa.
KIU> totn tambem todos os preparos neces-
sario* aos oteadores, como sejam : espin-
gardas, sacatrapos, polvarinhoa, boleas de
caga, espoletas, otividos de espingarda, etc.,
etc. ele. NSo se falla da qualidade deasea
divetaos objectos, que o annuncianle alli-
anca ser superior, elle tem um grande sor-
timento da fundas, e tem 50 superior e fun-
dido de lo-fas as grotsuras. Todos esees ob-
jectos serflo patentes aos compradores e hito
lie agradar peius presos rasoaveis. O an-
nuociante para accelerara execucSodaa n-
cominnndaa que s* Iheflzer mandou vir um
odlcial de Franca, o qual cliegiti no brigue
Casar, ese lena em ejercicio no estabele-
ci ment cima. Amolase sempre as ter-
cas-foiras, quintas e sa libados.
l\oubo.
Domingo, 1 do'correnle met, roubaram
do segundo andar da casa n, 0 da ra do
Trarlcheosseguimos objectos: I bahusi-
nlio de tartaruga com dobradica e fechidu-
ra -lo prata, e espelho d'ouro, ps do bron-
ze dourado, tendo dentro urna facha de seda
encarnada forrada de preto, e bardada com
emblemas de ouro e prata ; um avental de
setim branco forrado de preto, igualmente
bordado com os meamos emblema"* na fren-
te e guarnecido 'encarnado ; alguns fo-
Ihelus impressos e papis manuscriptos, o
dte bahuslnho te.m signaes de fugo de um
lado y urna colza de cama de setim ama rol -
lo, guarnecida de encarnado, muito usada ;
11 m vestido de seda cor de vinho, ja usado ;
um asido de bengala, de prata, Uvrado e
oitavado, sem firma ; algumas costuras la-
Iharias como carnizas de homem, de mada-
polfli); e algumas nutras iniudezas, que
por muito insignificantes nSo se mencio-
nan!. A vista do signaos dos objectos cima
mencionados, roga-so a qualquer pessoa a
quem forern offereridos, de OS iio com-
prar, e aviaar na dita casa, que posto baja
fundada iuspeit* de quem seja o ratoneiru,
prreisa-se da oroya, e promeile-se urna gra-
tificarlo a quera descubrir o dito roubo,
todo 00 patte.
Roubo.
Jos'Poreira Ceiar faz publico quefoi rou-
bado hontem 2 do crreme das 9 huras da ma-
ntisa s 3 da tardo,na casa de sua morada na
ra do Queimado n 32, primeiro andar :
levan lo-llie o ladrSo ou ladros o seguinte:
urna lata de (landres por pintar, feichada
com um cadeado, contend) seteceatos e
quarentao tantos mi! rfs.em urna sedula de
Oo.OOOr. iimiJa IOO,O"0 ra j quatro de
50,000 rs. ; cinco de 20,000 rs.; e o mais
em diversas miudas, e qualro nmedas de pa-
taca em prala ; bem como urna let'a acolita
por Caailbiro dus Iteis Gomen, do 14,000 ra ;
uma de Manool Das de Toledo, de 16.000
rs.; uma da Domingos Jo.- Consalves de
265,840 rs,; urna de Clara Cavalcanto de
Altiuquerque, de 113,210 rs ; uma de An-
tonia Francisca Can.val Pinto, de 101,870
rs. ; uma de Manoel Francisco da Rocha, de
66,742 rs. ; uma de Paulo Caelano de Albu-
queique a Francisco Paes lUrrelo, de rs.
413.91* uma de Jos Francisco .MonUriro,
de 233,300 rs. ; ama de Antonio da Rocha
Accioli o Manoel Buarque de Macelo de Li-
ma, de 536,242 rs. : umadeJuSo Jos dos
Passo, de 554,931 r. ; orna do padre Jos
Alhanasio de Jess, de 200,000 rs. ; uma de
Francisca) Jos de Sa. de 40,000 rs. ; uma
de I.Ui Jos da Silva Uurgus, de 1:428,500
r*.; duas de Raphael Fernando* Porto e
Francisco Alves de SI mira, uma de 1M28.870
rs. e outra de 11128,000 rs. ; uma de Manuel
lema mies Cmara, de 631.925 rs, ; uma de
Manoel Jos Comea 110 000 rs ; uma de Ma-
nuel liuaique de Macedo Lima, do 1:074,450
rs. ; uma de Thomaz turbosa da Costa, de
70,620 ra.; uma doGuilheruie Augusto Ro-
drigues Selle, de 600,000rs. Levaram maia
uma bengalintia de Batuque, mu chapeo do
chili usado, um dito de castor branco usado
com caita verde francesa, deizaram um
chapeo do chille velho e sujo. O annun-
cianle raga as autoridades policlaes o des
cobrj ment desle roubo, e pro met te boa
recompensa e segredo a quem Ihe descu-
brir, ou dr alguma uolicia apesar do jase
supeittr quem fui o autor desemelbante
roobo.
f^ Gbapoadesol. ^
^K Itua do Passeio, 11 5. 28v
Nesta fabrica ha presentemente um rico
sortimento desles objectos de todas as co-
res e qualidade*, tanto de seda como de
panninho, por proco vommodos ; dilos pa-
ra senhora, da bono gosto: estes chapeos
s8o feitojjjela ultima moda; seda adsmss
Cmmm lui riCUS lianja uu rlCZ. ?.2 J?e?2?2
cssa se sena >gnl sortimento de sedas e
panninho imitando sedas, para cubrir ar-
roscos servidas : todas asas fazendas ven*
dem-se em ppreSoe a retalho : tambem se
concerla qualquer cbapo de sol, lanto de
baateas de ferro com} de baleia, assim como
umbelas de igrejas: ludo por prego com-
modo. Na mesms casa ha chapeos d sol,
de marca maior, de panno a de aeda, pro-
prios para feitoresde engenbo, por serem
dos mais fortes qoe se pdem fabricar.
Alnga-so pelo temi da festa um iIio
pequeo, na Capunga, com basta 11 tus ar-
vuredos de fruto e casa par* familia,
com cacimba, ogoa de beber, tanque para
baolio e muito porto do rio atrs dos alar-
lyrios, ra do Caldeireiro, n. 46.
Offeiece-se para caizeire de qualquer
estabejecimento, excepto venda, uma pes-
soa cora habilitacoes, o qual di fiador a sus
conducUattLqueai o psatender, dirija-se a
ra NovaTC 50, ou mnuncie.
Precisa-se slugar uma preta para o ser-
vico de uma cssa de pouca familias: na rus
larga do Rozarlo, loj de miudezas a. 26.
No Aterrada Boa Vista, Inja de miu-
tezss.'q, 79, sedlriquem d 600,000 rs. s
prmiQcnm hypQtbecaom casas terreas.
No di a lodo crrante, pelas cinco ho-
ras ds tsrde, na'porta do Sr. Dr. juiz de di
reito docivel Custodio M1 noel da Silva Gui-
marSes, vai A prar;a, cola ultima vez, um sl-
lio na estrada do Rozarinho, avalia lo por
6000 000 rs., por execuclo do Antonio
l.uiz GoncalvesFerrelra contra Antonip Mu-
nizPereira.
riesappareceu do sitio do Sr. Schramm,
na Tasssgem da Magdalena, um caxorro
preto de M* ingleza : quem echar leve-o a
ra do Trapiche n. 19, que ser bem recom-
pensado. .
Antonio Jos Arantes, Portuguez, reli-
rs-so para Macei.
Recebe-so um ou aprender*) o officio de selleiro, sendo dos
que cheiaram agora do Porto : na roa No
va n. 29. Iflja de selleiro.
Deseja-se saber quem he o correspon-
dente nesta praca do 9r. Jos Joaquim das
Chagas, ou alguemque faca suasvezes : is-
to s negocio de seu intoresse. -
nmerns dos hilhetes da terceira quar-
ta parte da terca nona lotera de N. S. do
Livramento da ci lado do Reelfe, vendidos
na loja de cambio da ra da Ca leia, n. 94,
da viuva Vieira & Filhos, os premios seguin-
tes : 289, 900,000 rs.; 299, 25,000 rs.; 251,
25,000 is. ; 219, 40,000 rs. ; 205. 25,000 rs.;
208. 23,000 ; 836, 5:009,000 de rs.; 1,03
50,000 rs. ; e immensos de 5,000 rs.
Um Jen-
No di* 99 do mat ajeajmo passado indo
um preto com um f/JHeum de gallinhas
paraosilioda Torre levar umcasal deja-
cs, diz elle ter voado um para dentro de
um sitio.o quenBu o ple pegar: adverte-se
a iiuem o neuuu Q*Jleile der noticia certa
na ra do Livrfljlo n. 14, receber 5,000
rs. de gratiflcacle);' assim como roga-se
quem por ventura o tenha comprado, que-
ren lo-o restituir, leva-loa mesm* ra ci-
ma, que, alem de sedar o duplo, se Acara
eternamenlo agradecido.
Precisa-se de uma ama que saiba co-
ziuliar e engommar, para casa de homeai
solteiro : em Fra djaortas, ra do Pilar,
11 32.
l'aulA l.alKnoilx, rtenllsta
franeez, otTcreee seu prest-
nio ao publico para todos os *
misteres le ana proflssao : V
piule ser procurado qual- ff
quer hora em sua casa, ua (fe
ra larga do Hozarlo, n. 36,
9 segundo andar.
!!
l'rccisa-sealugar um molecoteesperto
e de boa conducta para o servico interno de
uma casa ingleza : pag*-se bem : quem ti-
ver, snnuecie.
Na rua do Sol junto ao porto das ca-
noas da ponte da Boa vjala n. 98, apromp-
lam-se jaiitire* rom muito asseio e perfei-
(,-ao, a contento dos freguezes, mandadon-
se. levar a casa daquellas pessoas, que nao
tiverem quem os veoha buacar : o dono pota
desle novo estabelecimenlo espera merecer
a coDlianca do publico, aliento o- esforco
que Um empregado sempre para agradar
aos concurrentes.
Domingo a4 do correle,
perileu-6C des le a J'a.ssagem da
Magdalena at a rua do Coilegio
urna pu Ice ira de diamantes eniia-
da em perolas ou aljfar :. quem
h liver ucliado e qoizer restitui-Ia,
lirija-se a rua da Cadeii do Be-
cile, primeiro andar da caga n
38, que ser gratificado com
quantia que valer a meama ataca.
lioga-se ao Sr. Manoel Mendos da Sil-
va Barang o favor de vir a rua da Cadeia
de Sanio Antonio n. 13, para negocio que
nflo ignora.
A Roseir,
romance muito fntaresssnle, principalmen-
te ansmeninos, por ser milito morsl, e tor-
nar-se recommendavel aos Sis chefes d-
familias: na livraria do paleo do Collegio,
a. 6, de Jofio da Coala Dourado.
Precisa-.se de um eitor que
seja horteiSo e jardineiro: n<
primeiro sitio de p rto de ferro
na estrada dos Affli tos, passando
o becco do Espinheiro, ou na ru
da Gnu, n. 46.
Kelojoeiro
N* rua larga do Rozario, ao p da botica
de Jos Mara Goncelvea Ramos, coucertani-
se relogios de todas squalidsdes, por pre
co commodo, e com prumplidflo.
Jos Pereira Cezar, ten lo sido rouba-
do em sua casa 00 dia 2 do correte, como
ja annunciou por este Diario de 3, em adi-
tamento a esse annuncio declara, que.Ihe
roubaram mais diversas pecas de roupa dos
seuscaiseiros, uro relogio de praia grande,
um chapeo de seda preta Amis outros ob-
jectos. 0 annuncianle offerece todo o di-
nbeiro e todos'esles objectos, o s pede a
restituicSo das letlras o mais papis que ea-
lavam dentro da lata, e que a ninguem
absolutamente pdem servir senBo ao mes-
iu annuncianle, pudsr.ds rara mts facili
dadoseremesses papis laucados por mi-
zo da porta dess casa, ou da sua luja na
rua do Queimado, n 21, ou deoulra qual-
quer frm que Ihe possaro vir a- mSo, pro
mellando guardar segredo, e nSo proceder
contra, ninda eaesmo sabendo quem fui o
roubador.
i-A capatezii da alfandea1 precisa de
trabalhadorea que sejam homn.lires e
robustos, par* serem pagos effectivaenenle
a 640 rs. pOTdia : quem se quizer engajai
compare? iriWirta da alfandega, seguoaa-
feira, a 7 horas da menliBa, na certeza que
d'ora em diante sempie ser p*g* MaJ-f*
O capataz, Joi Tkovtai d* Campos Ouamftta.
Quem quizer eoipprar um *scrvo d
or;flo com SO unos de*l8lue, bstanle poa-
santo, perito oflicial de calafate, e bom
canoeiro : dlrija-se a ru do Appollo, *r-
mazom n. 34, que se dir quem o vende.
Pele-so ao Sr. Marlinbo da Silva Cosa,
director que foi do collegio Sanio Antonio,
le ter abondsde de mandar pagar o restan-
te de uma letra proveniente do aluguel da
casa em que esteve o. mesmo collegio.
'-- Francisco loi do Son -1 portuguez re-
tira-so psra fra do inpvno a tralar de sua
lude,
Alugam-se, por nrecu commodo, os ar-
mazens da cas d* siMpova do Brum, per-
tencentea a Francisco Alvo da Cunha, pro-
orlos par* armazem de assucir, com ees:
ni ru do Vigario, n. 11, primeiro andar.
Aluga-se o segundo andar o sotSocor-
rido do sobrado amaroln da rua Augusta;
o sillo da estrada do Cordeiro, proprio para
peasoa que tenha tratamenlo; um outro na
ampina da Cas*-Fote, com casa nova, co-
choirg, cavallariee, e diversas casas pro-
prias para se psssar a fasta t na rua do Amo-
rim, n. 15.
Previne-se ao publico, que ninguem fa-
ca contrato de natureza alguma com Joa-
quim Nunes da Silva,'principalmente so-
ore uma casa que possue na rua do Apollo
11 17, pois o dito Joaquim Nunes da Silva
acha-se completamente lauco, tanto que
tem dsdu consumo a todo* os movis da
Cas ; protestandO-ae desdes ja anniillar-an
qualquer contrato a respeilo e dita casa-,
ainda que a mulber do mes"o assigne a es-
se contrato ; pois se ella o flzer he por meio
ds forca. IHanetl Mortins ,ie Caroalho.
O fiscal da freguezi d S Jos preci-
sa de tres trabalhadores livres ou e.-cravos,
quese empreguem nos 'rebalhos do asseio
das ras d mesm freguezia, medanlo
naga de 640 rs. por dia.
~ Aluga-se am preto paca alguma pada-
ria Ou renacSo, sendo tambem bom car-
reiro : quem delle precisar, dinja-se pra-
ca da Independencia, loja n. 14, ou em (Uni-
da, ns ladeira da Misericordia, casa que
lica contigua um sobrado de um andar,
le nestes lugares achar9o com quem
tratar.
Roga-se aosSrs. vendedores de buh-
les ou a outra qualquer pesso de no fazer
transicclo alguma, no caso de sabir pre-
miado, edm o quarto 11. 976 da 1.a lotera do
SS. Sacramento do Rio de Janeiro, pois o di-
to bilnete foi roubado," o acha-se assignado
com os numes de Joaquim Antonio Rodri-
gues e Antonio Bastos, seus verdidiros
possuidorescomo piovam.
-- Precisa-sede um horneoque trahalhe
de enzada, entenda de va ceas etire leite
na Magdalena, estrada nova, primeiro por-
teo do ferro. No mesmo lugar tambem pre-
isa-ee de um bolieiro.
Aluga-se um segundo andar e sold, o
qual tem commdos para familia ; adverte-
tem vista pari mar o he bastante fresca :
na rua do Pilar, em Fra do Portas, n. 145
--Precisa-se de um Portuguez do 10a 19
nnosde Hade, proferindu-se los chegados
ltimamente do Pono, para' oaizeiro de
urna |oja da miudezas : no Aterro da Boa
Vista 11. 72
Na padarla nova do Manguind, ao vi-
nr par Baixa-Vorde, precisa-s de um*
nessoa par* vender pes em Um quarto :
quem neste Caso estiver, dirija-so a mesms
padaria que achara com quem tratar.
Attenrao.
Precisa-so de um pequeo que tenha 10
19annos, par caixeiro de uma confeila-
ri : na rua estrella do Rozario, n. 43.
Aluga-se o terceiro anclar da cas da
rua do Queimado com commodos par* uma
grande familia : ni rua do Passeio, loje nu-
mero 21. .
Sabbado, 7 do correntonas 6 hora* e
moia da tarde, pordeu-ao na prapa do Com-
mercio, confronte a igreja do Corpo-Santo,
uma casaca nova do panno fino preto, que
ia dentro de urna -calza : quem a achou,
querendo restituir, dirija-sea rua do Brum,
armazem de Antonio Martina Carvalho, que
gratificar._______________________
Compras.

Compram-se escravos de am
boa os sexos'.- na rua da Cadeia do
Kecife, n. 5t, primeiro andar.
Compra-se uma duzra de cadeiras e um
par de bsnoas em meio uso : na ru* da Ca-
deia de Santo-Antonio n. 18, ou troca-se
uor novas.
Compra-se um braco de balance Ro-
mSo 4 C., usado, usque esteja em bom
estado: quem livor annuncio.
No armazem do caes do Ramos n. 2,
fontpram-sefOrmasde fazer velas de car-
nauba de tudos os tamaitos.
Vendas.
Vende-se, ou ou troca-se por ota negro
um molequo de nova annos, bem parecido,
muito servio*! para uma casa, he muito
curioso para meninos: *o comprador se di-
r o motivo porque ae vende: na rua do
Cotovello, ns. 29, e 31.
Vende-se, para fra da provincia, uma
negrinha de 18 annos, sadia e acostumad*
a fazer o servico de uma casa : na Boa-Vis-
ta, rua da Mangueira, n. 11.
Vende-se cera de carnauba : n* rua da
Madre-de IK'os, n. 34
Vende-so azeite de andiroba muito su-
perior o de coco, nfio s por nSo ter aquel-
la in*o etieiro, como porque d uma melhor
luz, asseio e duracilo, a 480 rs. a garrafa :
no pateo do Terco, Uvera n. 7.
Veiidem-se missaes novos e outros usi-
dos : na rua da Cacimba, no armazem por
baixo do sobrado do Sr. vigario Barrlo.
sm*mmmmm*mmmmmumm
N* laja do sobrado marello nos
quatro cantos da rua do Queimado n.
29; vende-se o seguinte :
cortes de calca de cssemira,
padroes novos 4,000
Ditos de dila debrirr, tran-
cado decores, puro linho 3.000
Alpaca de cores, propria pa-
ra casaca e palito, covado 800
Chapos de msssa.francezes 6,000
Lencos de seds par* gravata
SOOrise t.Ooo
1 Luva Una de fio da F.seocia
para homem 320
Cortes de tapete para spa-
los, goslo a Turca 800
Gravatinhas de sed para se-
nhora
I
Chpeos de sol de seda par
senhora2,500e
Pecas de chita com 38 covs.
Ditas de cassa de quadro
com 8 l|2covados
m Cortes de cassa de cores
el Lencos de cambraia de seda
1$ de franja, para senhora
i Meios chales de seda
1,000
6,000
5,000
1,280
2,000
800
6,000
mmmmmwwiwimBwmmwmwmB *
Ven le-se couru de po-co inglez, loros e
silbas em casa de llanry Gibson, rua da
Cadeia do Recife n. 60.
-- Vende-se uma laverna sita na Boa Vista
era bom lugar, a qnal vende muito para
ierra : o motivo por que se vende se dir
ao comprador : a tratar no Aterro d* Boa
Vista, u 66.
JL,
FOLI1IMIAS PARA 1851.
Na liviariii da pracn da Inde-
pendencia, ns. G v, X, veudem-sc
folliiulias de algibelra c porta pa-
ra o anuo que vem.
Vende-se, ou rrendt-se uma morada
do casa no lugar do Cachang, a melhor
que naquelle lugar existe, por licar ao i u da
punte, com seis quartus, duas grandes sa-
las, corredor lavado, quintal com algumas
fruteirss, banho no fundo ; bem corno urna
morad* le casa na rua Jo Padre-Floriino,\
a. 57 : ambas por preco commodo: na Gam-
boa do Carmo, o. 33.
Jabonete grande n So re.
Vendem-sa saboneles grandes, a 80 rs. ;
troco, a 100r. a vara: no Aterro-da-Bna-
Vista, n. 48, loja. A ellesque he pbuca por-
CSo.
Vende-se um moleque de 12 annos
por preco commodo: na rua da Praia, 11
32; bem como um cavallo proprio para
menino, que carrega baixo ate meio.
Na ruado Mires, n. 19, vende-se uma
bonita mulata com habilidades, e doua e->-
pelbos grandes, proprios para vestir se-
nhora
Vltt-se um bote de 13 palmos de
comirinenlo o 4 dilos de bocea, prompto
de todos os seus perlences e vetas: tambem
su vende uma calelra de viagem, de bom
laminho : em Fra-de-Portss, rua do Pi-
lar, o. 145.
-- Vencm-sc 14 escravos, sendo um fil-
cisl de pedreiro, de bonita figura ; um di-
to carreiro ; um moleque de 8 a 9 annos,
minio lindo ; 6 escravas mocas, de bonita
;urs, entres* quaes ulgumas com habi-
ades ; 9 escravos do servic decampo : na
rua Direita, n. 3.
Na cidade de Oflnda, ru* do Bom-Fim,
casa da residencia do Manoel Nunes de Mel-
lo, vende-se doce bem feito de vanas qua-
idades ; bem como doce de caj secco: lu-
jo por preco caMnmodo.
- Na ruteMApollo, ai. Vende-se uma
uegriaoji. '
Vendem-se superiores e moder-
nos charos envernisidos para pi-
gens, chegados recentemente, por preco
commodo : na praga da Independencia nu-
meras 24, 26 e 28
Novidade.
No Aterro-da-Boa-vsta,
n 53, vai-se abrir, uestes 8
das, um deposito dos mais
variados, ricos e modernos
gostos em obras de alabas-
tro, marmore, pddra agatha ;
Ijem comoum sortimento de
ontras variadas e elegantes
obras em baci*o cozitJo
envernizado, representando
estatuas, lees, globos, va*
sos e outros muitos objec-
tos para adornos de jardn,
salas e palacios, tudo do
mais apurado gosto e vin
dos ltimamente da Italia
e que por j ter tido uma
grande aceitaco as prac
do Kio de Janeiro e Baha,
espera-se que igualmente]
nao deixar de a ter nesta
praca de Pe/nambuco : to-
das estas novi,lades se ven-
dem por preco commodo.
Ven '-se u-i'i escrava de bonita figu-
ra, do nac,9o, de 23* 24 annos, muito fele
sem vicios, com principios de cozioha, e he
quitandeira : na rna do Queimado, n. 20
lia nja- para manteletes.
Ven lem-se franjas para manteletes, pelo
barato preco da 560 rs. a vara : na rua lar-
ga do Rozario, n. 26, loja de miudezas.
.Na loja n. 2, atrs da matriz,-j)a ru* Nova,
vendem-se calcado frasee? barato
liotlns do duraqiio preto gaspeado de cou-
ro de lusto para homem 4,01)00
Sapatos de marroqum decores par*
' senhora 1,440
Dilos prelos 1,980
lutos de couro de lustra 9,000
nitos de setim branco 9.500
Ditos de duraque preto 9 qhj
Ditos de duraque decOres 800
Dilos de tapate para seohora 1,440
Dilos para homem 1,500
Dilos de marroqoim 1,50u
Dilos de Dusaque de cores para me-
ninas
Botins de duraque de cores gaspea-
dos para meninas 3,00o
Sapalos de couro de lustro com sola
franceza para homem 6,500
NSo se venda fiado e si m dlnheiro a vista.
At que a certarum.
SapalOes de orelha e sallo alto, feito
capnoho ne Aracaty a imilacSo dos de coaj-
ro de lustra: este calcado depois de abilua-
do a legitima grax* ingleza n. 97, imita
exactamente ao de pulimento: tambem che
Saram dqaoulros .sem oreltiss, que se veu-
em a 800 rs. : na rua larga do Rozario, n.
35, loja do Lody.
Vende-so um pardo de ptima figura,
bom oflicial de alfaiatee bolieiro, eicelien
le para pagem : quem o pretender, procure
* sus senhora, naj.u de Horlas, sobrado
Be um andar n,
1
41
5

m
Napra'cidalnderondoncia. n. 4, 0] de
miudezas, vendom-se os afortunados t>i-
Ihetes, rteios, quartos, decimos e vigsimos
la lotera de N. S. do Livramento. que cor-
re impreterivelmente no dia 94 do oo-renle.
Billietes H.ooo
Meios 5.5*
Quartos 2,600
Decimos 1>,0
Vigsimos 600
Chapeos.
Na loja n. 2 na rtfe Nov, vendom-se :
Chapeos franozes para hornera, a 7,000 n
* 7,500 ris ; ditos de mo'in preto oom
molla s 6.009 res ; ditos dito branco dito
dito 6,000 ris; ditos de castor branco fiuis-
simos 10,000 reis; dilos do palha fina mu-
ralla a 4,000, 5,000 o 6,000 ris; ditos de
masaa alvadi, pasa campanil*, com aba lar-
ga e copa redonda a 3,000 ris : par* se-
nhora*, chapeos* do palha com tecido do ca-
bellos 6,000 ris ; ditos de renda branca a
7,000 res; ditos de palha para meninas a
1,500 ris ; chapeos de seda para sol a 7000
e 8.000 ris; ditos para sentior 5.000 r' ;
dito de pao de IgodBo muito fios 3,000
ris ; dmheiro vista.
ffffffft'fff:ffWWt
J* N* loj do sobrarlo *mrorto nos J
J qustro c*ntos da rus do Queimado n. _.
i 29, tem p*r* vender um completo
so tmenlo de cortes de vestidos de
0- cores o brancos, ftzenda superior
i> goslo e quailidad"; dilo a> de seda de 7,000 a 12,000 ris"; ditos
* do cambraia de cores, berta, cassas
* de cores, gostos novos ; chita fran-
ceza, padres da cassa; se la defur-
% ta cores, propria pira mateleles e
capotintio; lensof bordados*Jpcm-
> braia de linho, muito ricos, proprios
> para noiva ; pao de linho adamas-
cado escuro, com 9 palmos de lrgu- r, fazenda inteiremaote nova, pro- 4
pna para cobrir mesas; e oulras
muitas fazendas finas de gosto e pro-
co muito commodo.
Vende-so bichas preUs grao les de su-
perior qualidade poramottde do proco que
os birbeiros lugam; na rua da Csdeia do
Recifa n. 2.
Charutos
deS Flix, os meihores que se podem en-
contrar em aroma, sabor e perfeicSo : no
armazem de Campello Flbo, rua da Cadeia
do Recife n 64.
Ven le-se muito em conta palha pre-
parada para cdiras, em por$So e a reta-
lho na rua da Cadera de Santo Antonio nu-
mera 20
Vende-se una preta cnou-
la de 16 a 17 aunes, sem vicios
netn achaques, de bonita figura,
com principios de oslura, eo-
gomma c coziqha : na rua da Ca-
deia do Kecife, n. 6, loja.
Ceblas a 800 rs.
o cento : vende-se no armazem de Campel:
lo Filho, na ru da Cdei do Recife n. 64.
Farelo a 4.00 rs-
a sacc com 96 libra : vende-se no rm-
zem do Campello Filho, na voa da Cadeia
do Recife n. *.
Cha nacional
emeixlali,sde4 100 libras: vende-se no
ar'tzerad Campello Filho, rua da Cadei*
do Re. ife n. 4.
I oteri' do Kio de Janeiro.
Aos 10:000,000 de rs.
Na 1 rae ida Independen a, n.
4, loj de miudezas, venJetn-se
billit'tes e meio* ditos d decima
loterU a beneficio das obras do SS.
Sacramento da corte, cujas listas
devein chegar no primeiro, vipor.
LNa inesma loj* recebem-se bilhe-
tes piemiados em (roca dos que
se teem a venda.
Chitas limpas aiao rs. o covado.
Vendem-e chitas limpa roxaa, a 4,400
rs., e a 130 rs a ratalbo ; corles de cam-
braias com 6 varas, muilo larga, de bonito
padroes e cores filas, a 2,560 ra : na rua
larga do Rozario, n. 48, p'imeiro andar.
Charutos de Havana.
de superior qoalidade : vendem-
se na rua da Crui, n. 10, casa de
Kslkmann lrmaos. a}.
Lotera le N. S. do Llvramente-
Na ru* da Cadeia, n. 46, loja de miudezas.
vendem-so os muitos fortun*dos mejos hi-
lhetes, decimos e vigsimos da mesm* lo-
tera, qu corre i.uprejerivelmente no da
24 do crrenle. Nos vigsimos ns. 836 sahio
0 premio dos 5:000,000 de x*. da lotera do
l.ivraroenlo que correu no dia 30 do passa-
do. Meios a 5,500 rs. ; decimos, a 1,100 rs ;
vigsimos, a 600 rs.
Vendem-se amarras ae ferro: na rua
4a Senzalla-Mova, n. 42.
Redes.
1 Vendem-se redes muito bonitas, de va-
^ro gostos e precos, prqsrias para quem
for pasear a feU iiecancr o rreco de-
baixo do rvoredos : os ra* do Queimado,
n. 14w %- ,
Vende-se um* pardaescur, fiel e li-
dia, com Igumas habilW* que do 15 annos : na rua do Fogo, o. 23, se
dir quem vende.
Champan ha C & C.
Vende-so* verdadeir champanh* dJMa^
marca, rinda pelo ullimoyievio do MatW :
em casa de He. Calmonl C., na praca do
tommesjCio, n II.Tem-se encontrado por
ah champanha ordinaria com esDTbejl CQ-
nlkfcida marca C ct C felsificad, WBum-
pradores de champanha devedFter 10tela.
Vende-se uma mulatiuh de 9 10 an-
nos, aemJicio netll alMlqjl^ na ru Au-
gualanTw.
Chapeos de sal.
Vendem-se chapeos de sold seda preta
i de cores, 6,000rs ; ditos de panninho
par* liomens. se ojiaras e meninos, por pre-
CO mais commodo 00 que em oulra qual-
quer parle: n* rua do psseio o. 5.


Vendem-se 2pretos de mgo, proprios
pira tolo o servigo, urna preta tambem de
nagfin, urna parda escura que engomm
bcm, cosinha e lava, propria para algum
engenho pnr ser de bonita figura ; urna
pretinha com principios ife costura : na ra
do Itaiige.l n. 38, segundo andar se dir
quem vende.
Vende-se por precisan um escravo pe-
rita cozihhelro e muito diligente, sabe ta-
zar todo o arranjo de urna casa, melhor que
unta mulher, tanto que sabe engommar
mnito hem: na rtf da Cruz n. 15 no terce-
ro andar. .
-- Vende-se a taberna n. 5, da traverssa
16 primeiro andar.
He chegado a esta praga o admirave
licor artta-sypsjsttico, de JoSn Pses de Fi-
gueiredo, se vende engarrafas a 5.0H0 re-
cada urna na ra da Madre-de-Deos, botica
de Weitck Bravo & C. : as enfermidades a
que ella sa tem applicado, e na* quaos tem
obtido favoraveis resultado, s9o as segra-
la* r esquinencias, pleurces, apostemai In-
ternas a esteris e outroa quaesquer tu-
mores e inflamagoes, quedas, contusOes,
pootadas, clicas do estomago e baixo ven-
ere retenges de orinas, constipaos, ma-
lignas, febres, anciedade e faltas de respi-
rado, apoplejas, paraliciaa ou estupores,
tosses e grandes defiuxos, amas ou pula-
mentos de peitos, dores reumticas e gli-
cas, molestias glicas ou venpraes. anavar-
cns, hydropesiaa, abscissos, dores sciaticas,
te, ele, ; facilita os parios lentos e acci-
dentaes, promove a meostruago, cura as
constipaobe* e malignas sobre os partes,
atores de madre e mais eneommo ios que a-
tor menta m as paridas, e he tambem appli-
cavel at as crianzas recem-nascidag, ca-
jo melhodo minucioso de applicar-se *-
companhAs respectivas garrafas, que a to-
dos se recomroendam.
Por ser a diuheiro a vista vende-
se barato.
Manteiga ingleza da melhor, a 640, 80 e
330 rs.; dita franceza, a 560 rs.; cha, a
1,620 rs. ; velas de espermaceti de Se 7 em
libra, a7Qr ; ditas a 640 rs. ; fannha de
araruta, a MO rs. ; dfta do M.rmhSo, a 120
rs. ; maeartSo e talharim, a 200'rs.; aletria.
a30rs.; bolachinl.a Ingiera, a 3*0 rs ;
bauha de porco, a SSO rs ; caf de carco, a
2o0 re. ; milho alpista, a MO rs. a cuia r-
ros de case, 120 rs.; siroz pilado, a 380
ra., a a libra a 70 rs. : no Alerro-da-Boa-
Visia, d. 54, e na rus Nova, n. 7*1, Ubarna
ao pe da ponte.


13)
m
l
i
9
Cera em velas.
Vendem-se caitas com ce-
ra em velas de 3 al 6 em
I libra, fabricada no Rio de
2 Janeiro, por r.reco mala ba-
rato do que em outra qnal-
quer parte: trata-se com
Machado & I'inbeiro, na ra
do Vgario, n, ig, segundo
anda.
**?*?*> ? **<>>* a
Vende-se fh hyssort de superior qua-
lidade, e do melhor que tem vindo a este
mercado; ranas com velas de es. ermace.
le-americano; meias barricas de farinhs
gallego,a mais nova: na ra da Alianlega-
Velha, n. 36.
He baratsimo.
Vendem-se ricos chicolinhos, t 600 o 800
rs ; charuteiras finas douradas, a 1,800 rs ,
pentes com espedios, proprios para suissas,
a 380 is. ; escovas linas com es'p'efho para
cabello, a 1,000 rs. carteirasebm mollas
para guardar diuheiro, a 640 rs. Superio-
res caixas para ra a 3,000 ra. ; flvelinhas
do,iradas e praleadas para calcas e colirios,
a 300 rs.; rheias cruss para liooiem, a 180
rs.; ditas de cares, a 340 rs. : na rus do
Queimado, loja de miudezas, junto de ce-
ra, D. 33.
Vende-se umaporcaode on-
caa bespanholas, vinho Cham-
pagne muito superior; dito Bor-
deaux em quartolas, dito Moscatel
em caixas de 18 garrafas, azule-
jos, cimento, oca, alm drulica, verde francez em p,
cabos de Hubo : na ra do Trapi-
che n. ti.
Veode-aeumaescrcva de ida do de 30
annos que lava, cozinha e engo-rima ouia-
rlo de urna casa : na rea das lioias", o pri-
meiro sobrado esqeurda e no Forte do
Mallos.
vendem-a 10 escravo*, sendo um pe-
dreiro, de 18 anuos ; um dito carreiro, mo-
CO e de bonita figura ; um dito oilicial de
oleiro ; um moleque crioulu, de 10 annos ;
6escravas mogas, com boas habilidades, e
de bonitas iigures: na ra Direita, n. 3.
Vende-de superior foliaba
gallega, em meias barricas : no escriptorio
de eane jTaule & C o"u em seus armszens
do becco dp Conga I ves.
Oc tilos para tbcetro.
Ocalos os melhores que neste
genero tea apparecido, e qne sSo
uresis stsssssriss pira o bsrs tosv
do tbeatro S.-Isabel : vendem-se
muito emeonta : no pateo do Col-
legio, n. 6, liviana de Jsjo da
Got.taDourado.
* Vendem-se queijos londrinoa, griiier,
pralo, flamengos, presuntas para Hambre,
diloa para panella, paioa, otjauricos, con-
fp>aa, ssrdiubas, bervilhss, vinhosde Lis-
Wt Porto particular, champauha, madei-
, efirez, moscatel de Setubal, dito fran-
cez, Bordeaux, carcavellos, bucellas, cog-
"~ de niarraquioo e fle outra
rr armelada e ginja em lalas,
" i gneros a* ra Nova, flT 3,
tumo Ferrewa Lima & C.
irilo de 36 graus : na ra
a de Antonio Urreira Li-
Loja de seis portas em frente do
Livramento.
0 administrador desta loja tem a dar ba-
langonnflm de dezmbro, e como (enrli
restos de alcaides, quer acabar com lies,
'rocando-os porsedulas, sendo o prego' o
mais resoavel ppssivel, como sejBm : pecas
le msdapolSo com 19jardas, por seta pata-
cas ; chales de chita, a 480,640 e 1,000 rs.;
ditos pretos de rede, s meia pataca ; casia
preta, a 190 rs. o covr.do ; cortes de chita
preta com II covados, por 1,980 rs.; rlsca-
los monstros, a 260 rs. o covado ; chitas, a
120, 140, 160, 180, 900, 240 e 390 rs larga
franceza ; brim branco de listras, a 200 rs. o
covado e oulras multas fazendas por pre-
gos quecoadjuvam a oconomia.
' O bom.e barato.
No Psexeio-Publico, loja n. 9, de Albino
Jos Leite, veode-se um completo sorli-
mento de chitas, a 190 rs. c covado ; cassa
para babados, a 240 rs. a vara; riscado fran-
cs largo, a 200 rs. o covado; cobertores do
algodao grosao para escravo*, a 790 rs.;
madapolo, a 100 rs. a vara ; riscados de
Moho miudinhos, a 390 rs. o covado; len-
cos de seda de cores, a 1,000 r* ; e outras
muilas fazendas que nSo he posstvel an-
nunciar para nSo oceupar lempo.
~ Vendem-se ciiicoenta oncaa bespanho-
las : na ra da Cruz o. 51, no escriptorio do
primeare andar.
Globos de vidro.
Vendem-se globos de vidro proprios para
escoda e corredores, e mes ni o para illumi-
naces por seren mullo commodos em ta-
manbo : na ra do Trapiche a. 10.
Gal e potasas.
Vende-so a mais nova e superior potassa
que ba no mercado, e cal vitgem em pdra,
chegada pelo ultimo navio de Lisboa, por
prego commodo na ra da Cadeia do Re-
cife, n. 50, S fallar coa Cunha & Amorim ;
assim como um restante de barra da mes-
ma cal, que lcou da safra paseada, por ba-
rato prego.
Vendem-se sabooeles higinicos, o
maiS superiores queleem vindo tste mer-
cado, assim como outraa perfumaras multo
finas: aa ra da Cadeia Velha n. pri-
meiro andar.
Vende-se fcijBo ulatinho, a 5,000 rs.
a sacca ; e rajado, a 4,000 rs. : o rnazem
de Amonio Ahhes, jurfto a escadinha.
Bombas de ferro.
Vendem-se bombas de reptixo,
pndulas e picota para cacimba :
na roa do Bruui, ns. 6, 8 e io,
fundicSo de ferro.
Arados de ferro.
Vendem-se arados de ferro
differenes modelos : na ra
Brum, os. 6, 8 e io, fabrica
machinas e lundicaode ferro.
Vende-se urna sextante nova feila
um do* melhores autores de Londres e Um-
hern om orlsonle artillcal e um theodlfete :
na rus dn Trapiche armazem n. 44.
\io he exagerago.
Vendem-.-e sapalOes de couro de lustro,
obra muito boa, a 9,500, 3,000 e 3,500 rs.:
na rus da Cadeia do Itecifr, loja n. 9.
Cobertores de tapete para
escravos.
J se vendeni os acreditados cobertores
de tapete para escrajjos, a 720 rs. cada um ;
por issovenham a Ules sntes que se aca-
bem, ou passem para mais alto prego : na
ra do Crespo, loja da esquina que volts
para a cadeia.
Itap Faulo-Cordeiro.
Vende-se efleclivamente este excedente
rap, na ra d Cadeia do hecife, tu 50, lu-
la de Cunha & Amonm.
-- V'-eiide-se una bbnlla mulata de 20 an-
nos, que pode servir de sma de leite, por
etar criaftdb urna filha ile 3 thezes; um
preto cozinheiro, de boa ligura, mugo e re-
busto, e qbe tambem he canbeiro; urna
miiUlinlia dn 10 anuos, de linda Ggura I na
ra larga do Rozarlo, n. 48, primeiro ahdar,
se dir quem vende.
A i ,6oo rs.
v>ndem-se nvos cortea d brim tranga-
do escuro com duas varas e meia cada corte,
a 1,600; cassa franceza de bom goslo.a 9,600
rs.; pegas de esguiSo de algodBo com 12
varas, a 2,400 rs. a pega ; cobertores de
godSo d Ares, a 73t ri. : na' rda de Cres-
po, n, 6, loja ao p de- Umpeaq.
Pecas de esgulo a,5oo rs.
."a loja da rus do Qeimsdo, a. 17, ao p
da botica, anda tem para vender pelo ba-
rato prego de 2,500 rs.; pecas Je esguifiu de
algodso, com 12 jardas, muito proprio pa-
ra camisas de senbora, por ser mais largo
que o mdapolSo.
Para acabar vendem-se,
na ra do Queimado, loja n. 17, cassas fran-
cezasde la aberlss, e de padrOes muito
delicados, a 400 rs. o envido ; cambraias
de cores moderuos, a 560 rs. tara ; chitas
francezas do medrar gosto que tem vindoa
este mercado, a StO e 360 o covado. Dao-se
as amostras.
Deposito de cal vlrg-em.
Ns ras do Torres, n 12, ha muito supe-
rior cal nova em pedra, chegeda ultima-
4.
. Vende-se una prets de bonita tjgurs,
que cozinha, engomma perfeitameoW e co-
se : o motivo por que aa vende se dir ao
comprador ; na ra da Aurora, n. 50.
Papel rmuantijo
bordado e colorido, fjpifferentes formatos
o de superior quaiidaJe, proprio para cir-
tinha de amisa le ou versos de sympathia
Este panel, ultimo gofllo de Pari, he sim-
ples e bonito ao masmo lempo. Unto o co-
lor lo como o Jourado, aerviodo ao mes-
lempo psra desenhos que se cnllocam Das
folhas dos albuns da* pessoas de bom gosto?
veode-se na tWraria do pateo do Collegio
ii. 6, de JoSofda Costa Dourado
-- Vendem-se 6 elcrsvss', 3 engommam p
cozinham, urna ho per feila engommadeira,
e que cose e cozinha, vespa e penteia orna
senhora, a* oulras sSo boas quitapdeiraa ;
nina mulalinhade l8anno, que cose, en-
gomma e faz o mais servlflo de urna cala ; i
preto que serve muito bem a urna casa e ga-
nha na rus 640 rs. por dia ; um moleque de
5 nnos, muito iodo e esperto na rut do
Collegio, t. 21, primeiro ahdar, se dir
|uem vende.
Vende-se gm escravo de elegante figu-
, excellohle carfejra, e ptimo par* todo"
Madama llosa IJardy, modista
brasllplrR, na raa Nova, n. 34.
Madama Rosa llardy novamento tem a
satisfagSodahnunciar ao respeitavel pu-
blico, que recentemente acaba de despa-
char um lozidp sorlimertto de varias fazen-
das, proprlas de se osaren) na prox'ma fes-
ta, consistindo em ricos Chapeos de seda do
differentes cores e cotn enfeites ma|s ele-
gantes possiveis para aenhoras; ditos du
rica palhinha da Ilalii, rendados a fecha-
dos, tanto para senbora como para mejanas
e de varios tarMinhos, com enfeites sem
elle.); cbiposzinhosdeabas largas e en-
fadados, proprios par meninos ditos do
palhiuh'a redondos eenfeitados para ditos ;
titos de sedcom Modos enfeites, para me-
ninos e meninas de 6 mezas a 3 annos, do
ma,is rico gosto possivel; riquissimas tou-
cas de iaperlor seda, feila pm Fringa e pro-
prias pars creangs de 6 mezess 2 a o nos ;
ricos manteletes e espolinos de gros fe
asaaaaaaaaaaBUiifli
V
de
do
de
ror
ra, eicellohle carfeiro, e ptimo para todo
o se'rvljo, principalmente o do campo, por
prego mdico : na ra do Hospicio q. 9.
Vendem-se as dcadas de Joo de Bar-
ro* e Coulo, o primeiro he melhor classico
da lingos portuguza em 27 vol'umes ; geo-
graphia de Caultier, 1 vol. ; historia sagra-
da por Ucrnardlno, 2 vol.; poesas do Dr.
loao de barrea : no atierro da Bl-Vists, lo-
ja do Sr. Estima.
Vende-se superior e muito
nova farinha de mandioca, chaga-
da agora doS.-Catharina pelo bri-
goe Soares, ancorado oa volt do
Forte-do-Mittos; qnem a quizer
comprar por menos do que em ou
traqualqtierparte,dirija-sea bordo
domesino navio, ou ao escriptorio
de Oiiveira, Parva & C., na ra
da Allandega-Vellia, n. 5.
0 gerenta do contrato do rap de l.is-
bpa contina a vender ero sua lo^a este ra-
pe, e Jesejando satisfazer aos freguazes,
tem seguido pora veo-la o mola moderno,
por julgar ser o mais fresco, a vista do que
declara que se alo responaabelisa por quai-
quer motivo que aeqoeira allegar, aOm queso recaba o rap depoiade vendido.
A sorte grande.
Bilhetese cautelas'ja lotera de N. S. do
Livramento, cujas rodas andam infallivel-
mente no dia 24 do corrente : vendem-se
uo pateo do Collegio, casa do llvro azul
Vendem-se 4 lindos moloques de B* a
18 annos ; 6 pretos, sendo doqs ptimos sa
paleirose um coziuheiro: 4" pardos de 12 a
30 annos, leudo um bons principios de c>r-
pina ; duas pardas de 15 a 16 annoj, com
habilidades; 6 prelss de 14 a 25 anuos, com
Igumas habilidades, e que sao propriaa
para todo o servigo.' ba ra do Collegio, n. 3
Carnauba de primeira sorte,
um escravo de bonita figura a inuil pos-
sanie, sapatos do Aracatv para humem
broncos coajrj pretos, parasenhoras eme-
ainas; brilhanlisslmas capellas para senho-
ras.proprlasparacasanientos e bailes: su-
periuresvos OtMi. proprios para diloa;
reos peCoc|Dhbs de fil de llnho bordados
psra senhoraa, dp gpsto o mais rico que
3 k W Franca ; cam(iinh.s de cam-
bria bordadas pan senhoraa. com colla de
a d lintiu ; espariilhos de moda,
conservas de dlITorentes quilidadcs ingle
zas/ francezas, Istas com msrmelada, ditos
com ameim francezas, garrafas com mn.
telga frpscr:viphoseiigsrrafsdQs de diferon
tes qualidades, sndo Porto, Madeira, secen
muscatel de. Setubal, Collares, Lavradio
Cberey, Bucellas, Carasfvelfos brinco e tn'
to, Bordeaux, champagne C & C, e agor
dente de Frangs, Porto particular, cha pre.
to ; ludo de superior qualidade : na ra di
Cadeia do Itecife n. 2, venda de Folie
Irmfio.
-Vende-se, ou slaga-se um sillo tm Ap|.
pucos, com ascellenle casa psra gran le ti-
milla, por ter duas sa(|8, 6quarlos, cozini
foro, estribara, e, alm do famoso banho
pertodlxasB, urna calmta d cristalina
agoapSUvel: no trapiche do Petourinhn
das8 boras dajbtnhSo *sda tard.
i ojasadn UdMa,
Vende-se potas* da HusPs, recentemen-
te chegada, e de muito superior quildade
AS roa do Trapiche,, n. 17.
Ceuta ric.
Vendo-se m* igreginha com 4 pitaos de
altura, 8 defundo e 2 e n.eio de largura
feila com Mudo gosto, proprla para o fes!
tejo do Natal e Coneeigflo, por ter este mes-
motiiulo ; s pode dar-lhe aprego quam
vir: tambem se vende usa sabia da mal-
ta, ptima canladeira : na rus do Noguei-
ro, n. 2.
Gonima superior.
Na confeitor da ra estreita do Rozarlo n.
os melhores que tcem apparecido nest *' ?*nde-*e gomma, pelo prrgo de 6000 rs.
praga ; um variaba sortimanto de trancas ,ea ">'pbo4Por PvO commodo.
do seda ; fl| do jpho e de seda ; aapatoade '. A ttencSo.
- Vende-se urna cas. terrea mui.
to grande, com seis quartos, duas
diUs,
ricos
di-
r ; dito* de teda de malha para
tas de seda preta para bomem ; ri
de aples pretos e furia-cores, que se ven-
demsos covados a vootade do comprador-
cbamalote preto de grande consistencia'
psrs manteletes ; um completo sortimento
de perfumaras unas; e oulras multas di-
versas fazendas. Na mesma casa se fazem
manteletes e capoliobos para senbora e me-
ninas, assim como chapeos de crep preto
com toda a perfeico: tudo por prego mais
commodo da que em outra qualquer parte.
Vendem-|a> relogios de on-
ro e prata, paterne inglez : na ra
da ^enxalla-Nova, p. 4a.
Vende-sa vinho do Porto em harria de
quarto e em pipas, chegado ltimamente ;
peneiras desrame; cevada ; arcos para pi-
pas e barricaa lio porrele ; pregos de to-
das as qualidades, por prego commodo : na
ruado v garlo, o. 11, armazem de Francis-
co Alves da Cunhs.
Lotera do H o de Janeiro.
Aos
nac, licores
qUotUodes
outrpPiDi!
tavrna de
Vende-
Nva, I,
ma& C.
- Veado-ieum escravo mogo, muito sa- se P>inette dar com a maior prea-
dio, sbsnisko, u boa conduela, e -sem I lea poivel : tildo por proco
defeilo: Wrna da Aurorsiapriroeiro ai.dar|maj8 coa,mQdo do que em Outra
datereeinaaemquaalaorao Sr. I>r. Frsn-I
ciswdeulaBaiUsta\ Iqualquer parta-, .
Cabegadaa inarlcza*.
Vendem-se cabegsdos mglezas roligaa e
anatas, loros e ailbaa de II : na ra do Tra-
piche o. 10.
Superior velas de carnauba a pr-
} 90 commodo :
vende-se no ra da Cadeia, n. 9S.
Ka loja de alfaiate, na ra
Nova, n. 35, de Jacintho Soares
de llenezes, ba um grande eccm-
plcto sortimento de obras feitas de
Ijadas as qualidades ; assim como
se recebe toda e qualquer encom-
menda, para o que tem boas fa-
zen las e habis olliciaes, or Uso
meninos de 10 anuos, sapatos de couro de
lustro em porglo, esleirs, cbspoa, cuuri
ihos muidos, peonas de emo, caixas com
velas : ludo chegado no hule Dvvidow, t
vendem-se ns ra da Cruz, o. 94.
Um preto bom cozinheiro.
Vende-se um preto de bonita figura, bom
cozinheiro e melhor comprador, cabellerei-
ro e barbeiro, e he da boa conducta : na
ra larga do Rosario, n. 48, primeiro andar,
se dir quem vende.
100 sarcos novos de eotopa.
Vendem-se loo saceos novos da estops e
algodSo, por alocado a 320 rs. cada um : na
ra larga do Rozarlo, n. 48, primeiro an-
dar.
Cobre de forro para navios.
Vende-se cobre de forro pora navios
d superior qualidade, em porgfio e a re-
tadlo, pelo mais barsto prego que tem vin-
do s este morcado : na fabrica de caldeirei-
ro. rus do Brum 11. 28.
**
a Vende-se por prego commodo urna */
SJ porgSo d carvo artificial, quem o SJ)
pretender : dirija-so ao escriptorio 4
4 de A. S Corbbit, no rus da Cadeia Sj
0 do Hecife n. 48.. >
No sobrada da esquina, junto o trapi-
cha do damos, vende-so doce omito bem
re i t", tanto secco cono de calda de lodaa os
qualidades, tanto em porglo como a reta-
dlo, por prego commodo, e tambem se en-
foiiam bocctaa.a vuntade dos compradores.
Bom negocio.
Vende-se ou troca-se por cosas terreas,
um terreno em freule do, quartel do llos-
iicio, o qual teui urna olaria ; tondo.de
rente 107 palmos e d fundos desde o ra
da Aurora at a do Hospicio: est terreno
letn logar para se odiucar 15 moradas de
casas com mais ue 39 palmo* de frente, e
200de fundos; foz-se negocio com lodo o
terreuu ou com melado; na praga da ludo-
pendencia 0. 17, para iralar.
Na ra Nova n. 4, luja de alfaiate de
Augusto Colombler, vehdefn-se palitos de
Iiiiiio de dillorentes padroes, proprio* para
* resta, s 5000 rs.
Vendem-se 60 sseess de gomma niuiio
boa slva, tambem vende-e ale urna sac-
ca : na ra do Cahug o. 9.
--Vande-se urna excedente cata de cam-
po, margi'iu do rq, cum commodos poro
grande familia, porto da praga por ser auieS
d* chegor au Hoco-da -Pauella : o* rus de
Santo-Amaro n. 1*.
Vende-se rap superior d paulo Cor -
deiro; na ma da Cadeia do Hecife loja de
JuSo Jos de Carvalbo Moraes, e igualmen-
te e vende na o>eania fuja penas de ouro
cum bicos de diaaMajiM.
Vende-se urna canoa aberla, da 1,400
lijollos : quem pretender dnija-se a ra do
Praia de Saula Bita n, 25 primeiro andar.
Veude-se niqit barata Unja armagio
que fui de fabuco de cus r utos no becco lar-
go n. 1: laz-se todo Ddoociu, trato-so na es-
quiua a Liuguetv SSJSjaa. 30
A ellas anU* qase acabem.
20.000,oao rs.
Ns rus Isrgs do Mozario, botica n. 42,
recebeu-se a lista da lotera das cssss de
caridade, e abi foram vendidos Hit segua-
les numeras quitsahiram premiados, a sa-
bor : 1,050, 4:000,000 rs., vigsimo ; 9,67,
1:000,000 rs., qoarto -, 5.02, 100,000 rs. ,
inteiro ; 1,66S, 180,000 rs. vigsimo ; bem
como brlhetesda decima lotera a beneficio
da freguezia do SS. Sacramento da Rio de
Janeiro, que se yendem pelos pregos Se-
guales: bilheles, a 99,000 rs. ; meios, a
11,000 rs. ; quartos, a 5,800 rs ; oitavos, a
2,900 rs. ; vigsimos, a 1,400 rs.
Vende-se chumbo ero barro, aulphalo
de quino, e gomma arabia em partida maior
ou menor : ua ra do Aroorim, n. 15.
Na ruado Fasseio-Pubrlco, n. 19,
ha um rico sortimento de espedios de Fro-
ga com quadros douraJos de todos os t-
mannos ; camas francezas de mogno e d
Jacaranda do ultimo gosto, cpulas, eor-
ulinados e mosqueteiios para cama, tape-
tes, culchas de damasco, pegas de cassa ada-
uiScadas para cortinados, guarhigdes com-
pletas 1 ara janellas, meias de algodSo para
nomom, ditas para seuhors, luvas de re-
troz branco e preto, franjas e corddes de
diffiTeutes edre*
salas e um quintal, com 3oo pal-
mos de fundo, cKSo proprio, sita
na da Boa-Hora em linda : a tra-
tar mesmo em Oli.ida nos Qnatro
Cantos com o Sr. Jo3o Luiz de
Almeida, ou no Uccife na rita do
Queimado loja de miudezas n. a5.
A Com n.
Vendem-se superiores o moderno* cha-
peos francezes, a ,000 rs. : o* praca da In-
dependencia, ns. 24. 26 e 28.
Vendem-se oculos para todas as ida-
des : na r ua larga do Roza ro, loja de nuu
dezas n. 96.
Vendem-se superiores colleirss o ele-
gantes Ismpeps para corro do duas.equi-
tro rodas : em casa de lleory Cibson, ra di
Cadeia do Reoife n. 60.
Estiraros fgidos
^Deposito geral do superior ra-O
- p Areia-Hreta da fabrica S
deaotois HaHhet & C. 0
na Babia. O
Domingos Alves Matheus, agente da
^fabrica de rap superior Areia-I'reta da
Baha, tem aborto um deposito no ra
da Cruz, no Hecife, n. 52, primeiro ao-
Vdar, onde se adrara sempre des te ex-0
Ocellenteemais acreditado rap: ven-
Ode-se em botes de ums e meia libra,
por prego commodo. o
Hap nmt rlcHiio. ,
Vende-se este rap, que ha de agradar as
peasoas que gostam da boa pitada : a rola-
Iho, no Hecife, em casa dos Srs. Divis ii C,
Kaymond & C e Fonles & Irmlo ; em S.-
Antonio, em casado Sr. Lody, na ra larga
do Rozario, n $5 ; no Aterro-da-Boa-Vista,
casa do Sr. llanoel Jos fiuedes Magalhflos;
e por atacado, no Hecife, rus do Trapiche,
u. 14, segundo andar.
vendem-se uperiores chapese ama-
zonas, para senhora, de diflerentes edres :
ni praga da ludependencia ns. 94,26 a 28.
A elles.
Acabam de chegar os muito* desojados e
superiores chapeo* de cailor genoveses,
pretos e brancose cor de ganga, com pello
' sem elle, para bomena e meninos, por
r-'v itauave : u piav* ua luowvucuca
os. 24, 26 28.
SS''.
Farinha nova da mares SSSF, chegada
ltimamente : ni rui do Amori-n o. 35, ar-
mazem de J. J Tasso Junios.
Novas eambralas.
Vendem-se ricos cortes de cambraia abor-
tas com 6 varis o 3|4, de listas e ramagem
de cor, fazenda muito Gna de lindos gostos,
pelo barato prego de 4,000 rs. o corto, chi-
ta dacores muito miudinlHs, pannos mui-
lo 'finos, core* Asas, a 200 rs. o covado
bros da liubo amarello, cor de ganga, lisia
ho lao, fazeuda muito tina, palo baraiissr-
rno prego de 2,000 rs o corle : na ra do
Crespo n. 14, loja d Jos Francisco Das.
l'ara a rapastada de bem gosto.
Vende-se emendos conreitod.s em fras-
co e em caixas com lindas eaiampaa, pro-
priaa para mimos de sinhi: ni ra da Ca-
deia do Hecife n. 9
Fugio, do engeobo Santiago, no da 15
do Corrente, o moleque Antonio, de 14 an-
uos, corpo regular, rosto redondo, olb.01
grandes e bulante braneos, camisa de algo-
dSo da trra, chato de palha ja osado; lem
urna marca de ferida no hombro eaauerdo,
limpo do* pos : quem o pegar leve-b i ra
do Apollo, n. 15.
Fugio, no dia 90 de novenbro prxi-
mo passado, urna preta crioula, de noni*
Florencia, de 40 e tantos annos, de altura *
eorpo regulare*, nariz chato; quando Ma
treme com a cobego ; tem o dedo mnimo
da mflo direita encolhido que nflo o eatira
bem; lavouaaia de chita e cabrgSo do al-
godfiozinho ; he bem fallante : quem a pa-
gar leve-a ao silfo dos Arcos na Casa-For-
te, ou na ra ddTtragBo, n. 8, que sera re-
compenssdo.
Fugio, s preta Jacintha, de nsgSo Con-
go, cara um tanto upado, cor fula, faite d*
denles os frente, ptis apalholodos o gros-
sos, 0 he bom fallarle. Iloga-seasautori la-
des policiars e capilSes de campo que a
apprehendam e levem-na S ra do Hospicia,
n. 36.
Fugio, no dii 28 do novembro prxi-
mo passido, do engenho Cuarara, es, o es-
cravdMilhiis, pertencente a D. Jeronyma
Samiro da Silva Mello, de altura regular,
rosto muito lustroso, cor 101 tanto fula,
bstame ladino, de 30 annos pouco mais ou
menos; e hecarrelro : quem o pegar leve-o
ao dito engenho, 1 sua seuhura, que grati-
fica rs.
Fugio, do dia 96 de novembro prximo
passado, o escravo Cantillo, de nogjo Ango-
la, o qual representa ter SO 135 annos, al*
turo regular,'cheio do corpa, um tanto ful-
la e odios avermelhador; ha noticias de o
terem visto pela ruis do Recite e Santu An-
tonio: pede-so ss autoridades policiaca t
ripiles de campo que o apprehendam 0 le-
ven-no a ra do Trapiche, armazem n. 1,
ou na rus do Rozarlo larga n. 46, venda, que
ae gratificara.
Fgio, no di* 99dd prximo paisado, 1
eserava Ciar*, de 30 annos pouco. mais ou
menos, de cOr iflo tula que parece mulita,
secca do corpo, d estatura regular, rosto
comprido, com falla de denles ns fronte :
quem s pegir tove-s s Luiz Epifinto, ns rus
da Florentina, defronte do ilieatro novo, ou
aeu senhor, o tenente-coronel Julo Flo-
rentino Cavalcanti do Aibuquetque, no en-
genho Kecanlo, em Sernhaem ; assim co-
mo se protesta contra a pesaos que a tver
oeeults.
Gratlflca-se bem.
Fugio no dis 34 do corrente mez de no-
vembro, o preto Antonio do nsgu Cabinda,
que reprsenla ter 45 annos de idade, altu-
ra recular. **;< do c""", sr; oc?!da:
com bastiles cabellos brseos na- cabega,
mullo cabelludo nos peitos, levou caiga
[(aqueta de ganga asul, he ofilcial de caldei-
reiro da fabrica da ra do Brum n. 28;
desconfla-se que tenha (do pan o malo por
ter jl estado fgido porto de um snno es)
algum engenho: roga-ie pol a quem o
aprehender leve-o aos Srs. do meamo es-
cravo esquita & Dutra na dita fabrica que
serio generosamente recompensados.
100,000 rs. de graiiflcagao
a quem pegar o mulato Venancio, baixo, re-
forgado ; fot escravo de liiugo Jos di Cos-
ta, e qoe estove Do* mezes de julho, agosto,
sotembro e outubro em tasa'do Baixa no
outeiro, e o levar ra da Cadia do R-
cire, n. 37, ao Sr. Antonio Machado Comes
da Silva.
Maagaaaasss.....timmmmmmm
ERRATA
Ha set ds cmara monicipal publicada
Un.
1 no IHaHo de bontem^ao *"enultia**linha do
^i^JluJtol 1LC-1 ^ndem-ie queijoalondrlnos, prezun- tercelro para^raLho^lV lugar da pl*vn
obr?f1rrf rS^
Jt,j. V
1 da Cadeia do Recifo b. batas nglezai, latas com bolaxinhas ditas,
*> llingoss de dls.caixmhas com masas finas,
.V.afFA
y


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQRPBTWZ4_HIDKHS INGEST_TIME 2013-04-24T19:50:45Z PACKAGE AA00011611_07232
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES