Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07231


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XXV f
i
Se
gunda-
9
PARTIDAS OOS COB.REIOS.
(uianna c Painhiui, s secundas e sextas Iciraj.
llio-Grsndc-do-Norie, todas as quintas reiras ai>
ineio-alia.
Cabo, Serinhaeiu, llio-Formoso, Porto-Caito c
Mtelo, nol.",a 11 c '21 de cada luc.
Garanbuns c ho:iito, a 8 e 23.
Iioa-Vltla a Floros, a 13 e 28.
Victoria, s quintas feras.
Diinda, todos o dls.
iraiMiRlDM
\utpt
l e 56 id. 4a t. hktni'. i
-Nova, a 3, as 2
tCreic. > 11, t> a. e 17 m. da t.
Phasis d ""< ci,eia. a ,9> n.e 35 m. da ni.'
iMing. a'25, as G h. 54 m. da t.
PRAMAtl DE HOJE.
Primeira ai !> horas-16 minuto* da manha
Segnnda ai 9 horas 42 minutos da larde.
de De/.embro de 1850.
N' 279.
PREC/O DA 8JSOmiPi;AO.
Por tres meses (adiantados) 4(000
Por Mis mezes 8000
Por um anno a" 15^000
DAS DA SMAMA.
9 Seg. S. Leocadia. And. do J. des orf. e do ni.
da 1 t.
10 Tere. S. MeIquiades. Aud. do J. da 2. r. do
clvel.edo dos feitos da faienda.
11 (,>uart. > Damazo. Aud. do >. da?, v. do civel.
12 t)ulnt. S. Justino. Aud. do J. das orf. e do
ni. da 1. v.
13 Seit. S. Luzla.
14 Mb. S. Aagello. Aud. da Cliaac. e do J. da
2. v. do civel.
15 Dom. S. Euiebio Verselense.
J
CAMBIO DI til BUBtBBO,
Sobre Londres, a 29 112 e so d. p. 1/000 rs.
a Paria, 333 por Sr.
Lisboa, 100. por canto. __.
Ouro. Oncas hespanholas.....29/500 a
Moedas de 6/400 vellias. 16/200 a
de 6/400 novas 16/000 a
. de4j000....... 9/000
Prata.Patacdes brasllelros.... /O a
Pesos columnarlos..... /*
- Ditos mejicanos........ 1/7UO a
60 dU
30/000
161500
1I20O
9/200
1/980
1/980
1/780
paute orncuL.
GOVBNODA rM>VlNGlA
EXPEDIENTE DO DIA DE DE2EMB410.
Offleio.--A0 enramando das irmas,'in-
teirando-O do rlrsr.e*to no aviso do minis
terio da guerra,datado de 4 i!e norembro
ultiir-'O, cnmmunicsn'lo que por decreto de
28 de outubro do correte rtno, ge wapn-
**" irum*"1 i "'-'' regiment de
eavallaria ligira-ao tenante da companhs
lila de ciallaria denla provincia Jostiaiano
Sabino da I lucha, para o tetrao bataloao de
fuzileirosao alferes do oitavo de caladores
i.uilherme Marques de Souzi, e para o de-
posito de reculas da cOrte ao alferes do
primeiro dests arma Franoisco Mariano' de
siqueire. Inlelligenciou-se a pagadoris
militar.
Dito.A inspector dp arsenal de mari-
ntia, spprovando a deliheracao que tomou
de contratar t conduelo para n Babia en
navio mercantil, visto nao poder seguir no
vapor Affonso, da anima de Pinho da Nov
Zelandia, que tem de servir no brigue quo
se est conslruindo naquella provincia.
DitoAo meamo, declarando que o vs-
lof da cirne verde forneclda pelo almoxari-
fdo da ilhs de Fernando o brigue escuna
Campo deve ser igual ao prer;o da que se
compra nesss!repsrtirRo para fornecimento
das pracas de marinha.
Iiito.-A caiil'iiiiia do porto, direndo que
visto nao existir ordem do ministerio da
marinha, conforme consta do odlcio que de-
volvo do inspector da thesouraria de fazen-
da, para seren recolnidas a mesma theso-
raria ks multas arreeadades por aquella ca-
pitana, eni vlrtu le do decreto n. 417 de 19
de uisio de 1846 e respectivo regolamento,
deve a lar respeito aguardar a deris-ao do
governo imperial.
Dito.A pegadoria militar, intelrando-a
de haver mandado essenlar praca em um
dus corpos da guirnicSo dest* provincia ao
paisano Raymundo Comes AJho, que'con-
tratou servir ntf eiBroito por quatro annos,
mediantn agratificaefio de 100,000 re s us
termos do aviso do ministerio da guerra de
30 de outubro ultimo, e ordenando que Mu-
mande pagar a referida graliflcacflo, sendo
melado vista, e o resto em prestacOes
mensaea rio 10 800 res. -Conjujunicou-ae
ao commandanta das armas.
l>ito.-Ao arsenal de guerra, autorisando-o
a despandr quanlia d 709,300 ris com a
compra do* objectos, consuntos dos ped
dos que remelle, astlgnado pelo lente
coronel rommand de capadoroa.Inlelligenciou-se a pagado-
ria militar.
Dito.Ao chele de polica, dizendo em
resposta seu oflicio, que deve mandar pOr
en'llberdsde a prest Maris Josqulna, que
comqsutpeilt de ser escravs, sacha reco-
mida1 a cad.ia desla cidade, visto nao ter
apparecido, de. os de faites as respectivas
diligencias, quem a reclamssse.
Portarla.rieuaodo ao commandante
do vapor Affotuo, quo conduza para a corte
a disposicSo do Eim. uiinislro da guerra,
o primeiro sargento do primeiro batalhuo
de cr;iduies l.uiz Antonio Serra, e o sida
dona com. eolna fixa de eavallaria Vicente
Ferreira da Cunha, que Ibe serio manda-
dos apresenlar pelo commando das armas
-Inlelligenciou-se ao aiesmo commando
Dita.ao mesmo para que receba a seu
bordo e traosporle para a corte a Francisco
Jos Fialuo, sus niulher, e seus escravo
Elias, Joanns e L'altiarina
Dita Ao mesmo, para conduzlr para a
corte Antonio da Franca Alliayde Moscuso,
ux-praca do segundo bataUao de artilbaria
l.
Dita.Mandando por em liberdade o ro-
cruta Luiz Ferreira por lerapresenlado isen-
?So legal. ... _______________
TRlBDMt DA H1XACAO.
SBSSAO* DE 7 QE UfcZEMHHO DE i80.
raasiosNGiA no iw siaaon cossu.HBiao
AIBVIDO.
A's 10 horas da inaubila, acbaado-ie presen-
tes os senhores deseinbargadores Villares,
Leo.Souza, Luoa Freir, eTelles, fallando com
causa o Sr. desembargador bastos e Itebello,
Sr. presidente declara aberla aacasio.
' JULO4MSNT0S.
*" Habetl-corfus.
DeThaodoro Narques Vielra. Foi concedido
para a sess5o de JO do crrente, oulndo-se o
ebefe de polica al esse mesmo da.
Apinllanle, Franci-co Geraldo Moreira Teinpo
ral tutur dos menores filhos do Aado Joo
Ignacio Rlbrlro Roma ; appellado^Soaqmm
Antonio da Silva -, Mandaran! ourtr o cura
dor dos orphao.
DKlr>iQ0S.
Appellante, los Francisco Xavier; appella-
do, o julio.
Appellmr, Lu\t Bruguier e outros ; appena-
dos, Avrlal ti Irntloeoutroa.
Apa^llaoee, Jos Dlogo da Silva; appellado,
J" Amonio Lapea.
Appellaue, Jos da Silva Siineiro GuMuwaes;
appellado, Leopoldo Cayo da Mello Cuara-
.a?ma,
aevitts-
Passaram do 3r. dasembargador Leio o Sr
desembargador Souaa as segulnUa aopalUfOes
n que a u :
l'J
.o Anasiacio da'CunhS
Apprllaute, Jfiaqulm arn'elro de Souia Lacer-4
da; apprllailos. Francisca Mara don Anjos,
e Jo,|uliii Jos Ferrelia.
Passaram do Sr. desembargador Lufta Freir
ao ir. deaembaigodor Telles as segulnles ap-
pcllacdea em que ajo :
Appellante, o juUo appellado, Antonio Jos
da Rosa. .
Appellaue. a adminiuracao do patruuoni dos
orpbos destacidade ; appellado, o Esm.his-
po de Marianna.
Appellante, Manoel Pires Ferreira; appellado,
Fernando Francisco de Agular Moourroyos.
Apnellanie, o jubo appc4lada, Auada da S4I-
va Maya.
Dia de apparecer em que sao:
Appallaotea, James Crabtree & C. ; appellado,
Joaqolm os de Fari.________
Apnellanie, Jos Moreira da Silva ; sajaiMaiBa,
Dellina Rosa e outros.
Passaram do Sr. desembargador Telles ao Sr.
desembargador Villares as seguales appella-
edes em que alo :
Appellante, Antonio da Cunha Soare Guima-
res : appellado^ Jos Jacome Tasao Jnior.
Appellanle, Anna Elisabet Adelle Poerson ; ap-
pellado, Affonso S. Martin
Appellanle, Joao Manoel de Barros Wander-
ley, como tutor ; appelladoa, Manoel Igna-
cio de Olivelra e outros.
Appellante, Salustiano Augusto Plmenta de
Seu.a Peres ; appellado, Manoel Joaqulm
Ramos e Silva.
Appellante, B.iro & Macedo; appellada, Jo-
sefa Mara de Jeaus Coullnbo.
Appellante, Alejandre Jos Gomes; appella-
dos, Jos Antonio Gomes Jnior por si e seus
filhos e outros.
i>i.STsiauic,oo.
Ao Sr. desembargador Villares as seguintes
appellacoes em que sao : .
Appellante, uno Mara deSeUas ; appellada,
D. Mara Anna da Silva.
Appellante, o Esm. senador Francisco de Pau-
la Cavalcanle de Albuquerque appelladus,
os berdrfros de Gervasio Pires Ferreira.
Appellaotes, Andrada & Irnias appellado,
Antonio Ricardo do Reg.
Recrreme, Antonio Moreira da Costa Gulma-
res ; recorrida, a faienda publica.
AoSr. deseinnareador Leio a aeguinle ap-
pi llacao em que sao :
Appellante. Manoel Joaquim da Silva ; appel-
lado. o julio.
Ao Sr. desembargador Sonta a segulute
appellacao ein que so:
Appellante, o luito ; appellado. Jos* Mari* dos
Sanios Cavalcanle.
AoSr. desembargador Luna Freir a aeguin-
le appellacao em que alo i
Appellanle. o julio ; appellado, Apolinarlo Fer-
reira da Costa.
Ao Sr. desembargador Telles as segulnles
appellacao em que sao :
Appellanle, I). Driles Sebastiana de Moraes ;
appellado, Antonio Jos Peretra.
Appellaate. Jso i .pprll.a., iff. Htm Ji nUa Oo Poy
Ferreira de Jess.
Nao furain lulf'dos os demala feitos com da
asignados pelas Mitas j mencionadas.
Levanlou-se a sassao a meiahora da tarde.
ERNMABUCQ
O Sr. Carneiro*. decltroa que estando
a flndar-se a obra do es no do cateo do
Carmo, era necesssrin, qoe se oltlmasse a
obra do ealcatnepto do naeamo, porque *s
chuyas Jeverlo ser muilq prejadiciaes ao
mesqio cano. Es cmara Jioou inteiraria-
Antorisaai-se ao procurador a coaaprar
os livros preciso para a lisao da qualig-
caco do municipio, que deve ter lugar na
erceira dominga d Janeiro f o toro e para
regulamenio de ofQcios otoedidos adivar-
sos Dta cmara:
Despacharom-se as peticoeg de Antonio
Joaquim de MagalhSes de Eliss Emiliano
liamos, de Cuilherme da Silva CuimarHes.
da Jos Mara Placido MacalnSes, de JoBo
Benlo do Lago, de Jos Gomes de Souza, de
Luiz deCarvalho Paz de Andrade, de Maris
da AnnunciacBo I'asssos, de Miguel Jos da
Silva Braga, de Salvador Pernlra, Braga de
Vicente Ferreira da Costa, e levanlou-se a
sessfin.
Eu, Manoel Ferreira, sccioli a escrevi no
impedimento de secretario. .Otvtira.
FiYiana. Vamtde Figuriredo. Car-
neiro Monleiro. -- Moran.-- Ferrtira.
BALANCO D^RECEITA EDESPEZA f\ CA-
MAMA MUNICIPAL DO BECIFE DO !.
DE OUTUBRO DE 1849 A 30 DE SETEMBRO
DE 150.
Reetita.
Salda no a nno flnancelro de IM8 a
1S49
hnpMloa de mscales 236.000
tillo de cordea coe c I cencas 668,790
Dito de ajerilo 11:602,000
Oil de medidas de fari-
nha 700,000
ffemh'nsaio doi prtiioi municipal:
Pescada Independencia 5:' Casinha da rlbeira do S -
Joe
Dilas do mercado
Ditas da ribeira do peixe
Ditas da rna da Soledad-
Dita da polvera, no sier-
ro dos Afogados
780,327
------------ 13:206,720
3: i i2.800
800,000
820000
200,000
15.000
Mulla,.
ipnslas pelo fiscal da
freguezla de Santo-An-
tonio
Dlla dita do Recife
l)iia diada Boa-Vista
Dlu dita de S.-Jos.
------------ 10:539,620
1:888,000
1:165 000
1:050,000
1:044,000
livoo
112.000
4,000
1:305,000
sos Srs, que den i rain de comparecer sem
motivojnstilicsdo
Comparece para respomler parante o tri-
bunal, Gaudiano Perelrs Lima, branen, re-
presenta ter 19 annos, acensado por haver
falto offensas phyaicss em um matoto;
aehando-e pre*o'desde jonho deste anno.
Proced>-- o sortero do concelho, e sa-
hern escnlhidos o segunts Srs. : l.uiz da
Veiga P'SSoa, Jos Alves de Souza Rjngel,
CMARA MUNICIPAL DO RECIFE.
sssao extsaordintru os 25 de novemdro
de 850.
Prnideneia do Sr. Oiiviira.
Prsenles os Srs. Mamede, Carneiro Mon-
leiro, Vianna.e Pires Ferreira Tallando com
causa os ralis senhores sbrio-se a sessSo, e
foi lida e appiovada a acta da antecedeote.
Fqi lido o seguinte expediente :
Um ollico do Exni. presidente da provin-
cia, traiismittindo copia da planta e orca-
nenio da capella do cemiteio publico, e
das duas casas ao Isdo do port3o do mes-
mo para os guardas, e escriptorio da admi-
iislracHo, e declarando que a obra das di-
tas casa deva ser feita por arrouislacSo, e
a da cpela por administrafn, conforme
nropfJe o director das obras publicas. Iniei-
rsds.
Outro da cmara municipsl do Limoeiro,
accusanlo a recepc&o do desla, em que
llie remelteu um ejemplar do Dlariode Per-
nambuco, n. 223, contendo o dec. n. 691 de
14 de agosto ultimo, e o instrumento a que
elle se refera do reconheciment ds Prin-
cesa imperial s Srs. D. Izabel, como suc-
ci'ssura do tormo e coroa desto imperio.
Inteirada.
Outro do procurador, pediodp dinheiro
para colinua(3o das obras do ceoiiterio :
quo se llrasse do cofre e se Ibe enlregasse
a quantis do 2:200,000 rt. sendo 1:700,000
rs. para a compra de terrenos sonetos to
predio principal do mesmo cemiterio e rs-
500,000, para nutras despezas. Maodou-se
participara conlaJoria.
Outro do fiscal da Boa-Vista, participan-
do ter entreguado ao procurador a quanlia
de de 5,900 rs. de imposto de gado suno
e ovelhu, arreoadadn ns mesma fregue-
zia nos das 18, 2 e 83 do correte. Que
le inteirasse t conladoria.
uuiru u i'iaca qo Fiiyi. |,'tic:psr.d? lr
entregue ao procuradoor a quanlia de rs.
45,000 por cabeca de gado vaceum arroca-
dadn os messma freguezia as duas sema-
nas' ultimas. Que se iuteirasse s conta-
dura.
Oulrodo contador desla cmara, parti-
cipando tereni-so exarcebado considers-
velmenla seus padecinunlos, s ponto de
pilo poder andar, nao Ihe sendo assim pos-
sivel comparecer no seu lugar, --Quo se or-
denaste o ajudanle do porieiro Joaquim
Tararea Rodavalho pasassse S servir nter:
uamente do lugar, durante o impedimento
do seu propietario.
Foi apprnvado um parecer assigoado polo
vareado Mamede relativo s prelenclo de
Agoglinho dos Sanios cpalas dos preto<
caooeirss do hairro do Kecife. Maodou-se
informar i peliflodo mesmo capataz, feita
ao governo da provincia, pedindo-se ao
uiesnio governo. autorisafSo para poder a
cafflaia despender a quanlia de 430,000 rs.
em que est avallado o telheiro das mea-
mos prelos, existentes no enligo porto da
canoas, quo teja de t .
Dita dita dos Afogados
Dlla dita da Varzea
Hila do ebrfe de polica
Dlla do subdelegado da
frrguexla do Recife 511,000
Dita dita de Santo-A nlonio 24,000
Dita dita da Hoa-Vista 70.00o
Dita dita de S.-Jos 24.000
Dita dita do jury 32,300
Dita do couselho desalu-
bridade IMOO
Dita do Ezm. presidente da
provincia sobre elelcoes 100,000
Rtndimtntoi diversos.
Foros
Cusas
Tallios dos acouguea p-
blicos
Extraordinaria ("/
30,450
7,150
1:057.000
212,000
- 7:483,300
Deipeza. .
Gom os ordenadoa dos e pregados
Com o tribunal dos jurados e as
elelcoes .
Com as custaa criminaes e infrac-
ccs
allmpeza das ras
a ponte da rus da Aurora
o calca i.euto dos pateos do
Carmo c S.-Pedro nos oeset
de desembro e Janeiro, feito
por conta do rendlmento da
cmara, antes do eraprestluio
de>8:000/ felto pela tbesoura-
rla provincial no mei de fcve-
reiro do meamo anno
> o aluguel do Paco da mesma
cmara
> lutes paraacadeia desta cidade
o expediente e asselo da cata
a o concert dos predios muni-
cipaes
ii as evenluaes
a a decima dos predios munici-
paea
negocios forences
at eilraordioarlaa decretadas na
le do orcatnento
Balando a favor da receila em 38 de
eiembco protuoo passado
1:287,600
33:306,567
10:845,748
1:999,090
783,4 U
1:998,040
800,000
568.690
378 888
371,290
391.733
573,883
1:971,5.0
734.317
27,920
7:72a,78
,230
4.33&V337
5:300,507
Cmara municipal do Recife, 5 de outubro
de 1850. O procurador, Joro ffe'or Frrrtba
Lof- -
JKY OOBKCIFE..
*. SESSAO ORDINARIA DESTE ANNO.
I'rtiiiencia do Sr. I)r. Res Sttva,
Dia 30 de novembro de 1850.
A's onze horas da manhaa, faz-se a cha-
mada e aehsm-se presentes 40 Srs. ju-
rados. '
O Sr. Presidente abre a sessOo, multando
(*) Importancia de seis cadeirat' anti-
gs vendidas por
lodrinoisacao feila pelo arsenal de ma-
rinha -
Importancia de 10 canoas de lenba
Licenca queobleve Jos Antonio dos
Santoa Benfica
Imponencia dos tljollos vendidos a
Manoel do Carmo Ribelro
30.000
13,000
50,000
100.000
20,000
i.ooo
vam para indemnisar-me e dar por beni
empregado o lempo que scaso perdess.o
Mas nao perdi porce*to o meu lempo, visto
que minha retirada por sfm duvida que <
homceopsthia contara maior numero do
amigos : e indemmsadn me considero tam
bem a todos os resoeitos, j pela generosi-
dade dos enfermos qoe ate honraran rom a
sua oonflanes, | pelo bom scolhlmento
que se me tem feito salva urna insigniR-
Itoo-ings Anluuas. Villaa, Podro Dornellas eeiiKSima uecapeda. Resta-mn um prasr
P8oa, Manoel da Silva Nevea, Jofln Diniz ~
A Silva, Joaquim Coelho Cintra, Jos Flix
de Brillo Mcedo, Francisco Euiebio de Fe-
rias. Jos Joaquim Xavier Sobreira, Themo-
teo Piolo Leal e JoSu Pedro Maduro da Fon-
seca.
Prestado o juramento do estylo, he o reo
interrogado pela mancha seguinte :
Juiz Como te chama ?
Rea- Caiiiliano Pereira Lima.
yiz--Sabe porque est orocessado e vem
responder a esie trihnnal ?
We'o~Eo fui preso, porque meu mano
chamou um matulo de galinhns, comprou
e pagou ao malulo e em quanto vai dt*n-
tro buscar o cobre", que falta va dar, o matu-
lo diz, que elle I lio nao tinha pago e eu ti
nha vislo elle pagar ; depois eu sinto o hu-
millo e como vejo elles pegados, venho
com um pto de vassoura em de lesa do meu
mano, mas quando eu cheguei j o matulo
eslava forido sem que eu saiba como elle se
ferio.
Jm'sComo se chama o matulo ?
ttoEa donme delle nSosei.
JimsConhecis esse na luto '
/fe-N9oSr.
Jsussabe, que esse mstulo foi ferido ?
Reo.Nao sei como elle foi ferido, no
Sr
milNBo sabe, que elle foi ferido '.'
Am--NSosei, nfio Sr.
Jtu'tA contestacSo que seu mano teve
com o matulo foi smeme de bocea, ou fo-
ra ni-se as vas de fado .'
Aeo-Eu n:1o vi obarulhi, quanlo che-
guei j arhei o matul > ferido, mas no sei
como Toi que se fe io.
Jhi-Nt:iii sabe quem fez o ferimento no
matoto P
AsoNBo sei dizer, nSo Sr.
JtisUeu alguina pancada nesse ma-
tulo I' -
NeoNlo Sr.
Jm's Mas a rasSo porque Ihe nBo deu foi
por j se ter acabado a lula f
Reolisa tinha acabado, quando eu vim
para defender meu mano.
Ju' = sabe escrever *
-Sr. nBo.
Segue-se a leitura das pecas do processo
e depois de breves reffexes pro e contra.
O Sr. Presidente ti o relatorio ds causs e
entrega os quesitos.
Tendo o jury respondido negativamente
a tolos elles
O .Sr. Presidente conformando-se com es-
sa deciso absolve o reo.
Segundo julgumento.
SSo sorteados para o concelho os Srs.:
Jos Mniano de Albuquerque, JoSo Bau-
tista deAraujo, Firmino Jos de Ollveira,
Luiz de Pinho Bnrges, Umbelino Guedes de
Mello, Manoel Jos deSanta-Anna Araujo,
Ignacio de Barros Barreto Jnior, Victori
no Francisco dos Santos, Jos Verissimo
los Aojos, Antonio Egydio ds Silva e Jos
lerohymo Correa.
Prestado o juramento do estylo
OSr. Presidente interrogs o reo pela mt-
neira seguinle :
JiiiaComo se ohams ?
ItoLuiz BeltrSo Fernsndes ds Silva
Manta.
Juiz -Sabe porque comparece perante es-
te t'ihunal ?
Nfo-Sei, sim Sr.
Jais--Porque?
J?e'o--Por intrigas de partido.
Jm'sQue intrigss silo essas ?
UmII". que o Sr. subdelegado tomoo
odio de mim porque eu nBo quiz votsr nel-
le e vntei no Sr. Mamede. Aconteceu ha ve.
um btrulho em Frs-de-Portas," eu nSo v
nada, vi so urna questSo com 2 cadetes
taio para fura para desapartar, heao lempo
liio. chega a palmilla e diz o Sr. est pre-
so, porque be o autor do barulho. a
JuriO Sr. tomou paite nessa desorden)
que houve em Fra-de-Porlas ?
Ro-NBo Sr.
Jtn'sOuvio dizer, quem foi, que quiz
mpedir a prisSo do Luiz do Reg ?
/o--O autores do barblbo, forsm Jos
Comes com OS cadete
jmit__Tose.1 nart ,nr^*t 2Z p.'SO?
essa occasiSo?
Neo-NBo Sr. malmenle desapartlo ba-
rulho,
Jus-Sabe escrever ?
AsoSim Se
I. das as peces do processo e Ondas ss al-
legares pro e contra, he o reo sbsolvido
por nflo ter o jury achado crimioalidade.
Leva na-se a sessfio s 5 horas de tatde
RELIGIA'O E IIOMOEOPATHIA.
lilil. Sr.-Dr. Ped,ro do Alhshide Lobo
Hoscoso. A carta e observadlo hootem
puMicados no Diario n. 977, vBo convencei
melhor do que eu fs'is, muilos incrdulos
abalar muitss convictos. Essa carta e ou-
tra particular que V. S. me dirigi, c que
eu conservo como presiosidade, honram-
me solne mancira e me penboram de tal
sorte, que, se eu no tivesse j muilos mo-
tivos de felicitar pela minha vinds s esta
cidade, e se acaso em vez do prazer que
t-nho lido de aqu residir estes poucos dias,
encontrases maiores contrariedades, ou
grsndes desgostoa essas oarlassuas bsta-
nlas esse mesmo he snavisado agora por
urna espranos. O pesar que me res'a he
o de nBo ler podido conseguir a organisa-
(9o de urna irman lade del San Vjcent de
Paulo, como fm de mandar vir para rasas
de asylo c hoapltaes pblicos de Prrnambueo
as irmsi Je earidads, easaa virtuosas miilherec
que ha 200 annos sao pelaa suas virtudes nina
deinonstracao pratioa pessoal das sublimes
doutrinas do evangellio : levo com este pesar
e para o minorar, urna esperanca funda a lis-
elo religioso do F.m. Sr bispo diocesano, e
na de suas cxcrllencias os senhores b nao da
Noa-Vista e presidente da provincia ; e agora
esta esperanca mais se avigora pela conveisao
de V. S. sublime sciencla de Hanhcm-inn ;
pois dever V. S considerar agora como anda:
mais digna de sua aolicitnde a organisacao des-
sa irmandade, e a acqusicao das irasfos de cari-
iliiil'. nao porque as queira idenliliear com a
doulrinas ou pratica da homceopat',ia ; mas
porque, se V S. adoptando a hoino?"patiiia
abri diante d al um camlnho to recio que o
en mi o/ ao bem dos bonicos e properidade do
sen pais, essa proaperidade nao pd< serrata-
vel sem oengrandecimento darcllgio ; o bem
dos linineiis nao pude vir de outras inaos que
no sej un as que exercem a caridade evang-
lica ; e cinla de todas as nstituices humanas
a instituicao da iran" di caridade he a primei-
r.-i ,,-i todas superior, na qual a caridade evan-
glica he posta em aecao pelas maos mais
puras.
Illin Sr. Dr. P. A. L. Moscoso.a bem da bu
manidadr, e uelo amor de Deas, eu Ihe rogo e
Ihe supplico instantemente que abrace a
ideia de organisar urna irmandade que tenha
por fin mandar vir para Pernatnbuco as i'r-
maei de caridade; mas eu ihe digo que nao con-
fie tanto as promessas ofciosas que Use Hie-
ren! como naene>gia de sua voutade ; e quan-
do sua vontade se enfraquecer no combate que
ha de ler contra a inergia eindiferenca dosho-
mens, e anda mais contra o cynisino de alguiu
bobo chocarrelro, qoe nada tome a serio, eii
Ihe recommendo que lance os olhos para a Ba-
ha, e veja o que tem feito o nosso collega Dr.
A- J. Mello Moraes, meu particular amigo, em
-iiiein piip aiio'lli provnola "m verdadelro
medico dos pobres, um dilecto fillio da igreja,
um advocado zeloso dos infellies.
Prasa Dos que com Unta juslica outro tanto
se diga sempre de. V. S. de quem sou muito at-
iento, venerador e collega.
Jado Vicente Marlitu._________
aaasjaaajajapaaajjsfaj^a^saa^^asjaafaa^^
i)I\hih m mmmM.
1 Volos
18 m
l
13 a
II votos.
II a
BECIFE, 8 DE DtZEBBHO SK ISSt.
Reunirsm-se hoje pelo mcio-dia em a ca-
sa di respectiva associag.lo os Srs, eleilores
cnmmercises ( em numero de 21 ) sob a
presidencia do Sr. desembargador Rocha
Bastos, presidente nomeado para o tribu-
nal de commercio d'esta provincia, afim do
proceder-se a eleiQSo dos deputados e sup-
plentes, que hBodecoinpor o mesmo tri-
bunal.
0 Sr. presidente nomeou para secretario
interino o Sr, Antonio Valenlim da Silva
Barroca, e para escrutador o Sr. JoSo Pinto
le Lemos Jnior, os quaestomaram assen-
lo ; o passando-se logo s eleiQSo da mesa
s ihirani cleitos:
Secretarios os Srs.: Antonio Valentim da
Silva Barroca e Jos Jeronymo Monleiro, e
escrutadores os Srs. : Jos Pires Ferreira a
JoSo Ignacio de Meifeiros Rogo.
Proceden lo-se depois a eleicSo dos de-
putados e supplentes furam eleitos depi-
lados os quatro Srs. seguinte* :
los Jeronymo Monleiro
Jos Pires Ferreira
loo Pinto de Lemos
JoSo Ignacio dn Meleiros Reg
Supplentes os Srs.
Elias Baptists da Silva
Jos Antonio Bastos
Tambem teve lugar hoje pelas 4 horas da
tarde, segundo annunciamos em nosso nu-
mero antecedente, a cerimonia da colloca-
eflo da pedra fundamental da casa de de-
lencSo, que se vai construir por detrs da
ra da Concordia. O setoesteve solemne e
grande concurso de possoas aflluio para o
lugar onde elle seeffeituou. Havia ah um
llar decentemente paramentado debaixo
de um telheiro, com urna banda de msica
militar .na frente e urna orcheslra sobre
um crelo, s fcxa. Kvm." acompannado ao
seu clero pralicou a benefio da podra, que
foi assentada em o lugar competentemente
preparado para esse lim pelo Exm, presi-
dente de provincis o Sr. Dr. Souza Ramos-
Depois de concluida assim a cerimonia o
Sr. engeobeiro ebefe da terceira seccSo ro-
gou s S. E trabalhadores das estrada* seu cargo, os
quaes em numero superior a 300 se acha-
vam all postados e em boa ord m ; no que
sendo satisfeito, desfilaram os operarios,
levando cada um os instrumentos proprios
lo seu trabslho ; espectculo este que nos
pareceu inleressaiile pela sus natureza o
simplicidade.
Assisiio a toda cerimonia urna guards de
honra com a competente banda de msica;
e de tudo lavrou-se um termo eircumstan-
ciado, que abaixo publicamos, e que me-
lhor inlerar o* ieilores de todo O 00-
corrido :
Termo de aiienlasaenlu da pedra undamenll 4
casa de detenco delta cidade do Recife.
t NO anno do nasclmento de rtosso Senhoi


Jetm Chnsto de 1850, vlgesimo-nono da inde-
pendencia e do imperio do Brasil, aos oltodiaa
do inri de derembro, da de Notia Seohora da
. .'oncelcao padroeira deste imperio, pelas qua-
trohoraa da tarde, no logar, sobre margeni
do rio Caplbaribe, por detras da ra da i.on-
cardia, fregueaia do Sanlissiipo Sacramento bairro de Santo-Antonio desta cidade do Reci-
fe, capl'aldeata provincia de Pernambuco, vie-
ran! o 111 m. e Exm Sr. Dr.Jos Ildefonso de
Snuza Ramos, presidente da prnTiocia, o Exm.
eRvni.Sr D. Jlo da PurinVacao Marques Per-
digao, hispo deala dlocese de Pernainbuco, o
lllni. e un. Sr. roronrl Jos Vicente de Aun-
lim Rexerra, coimnandante das armaa, o lllm.
eEini. Sr. coronel Francisco Jaclnllio Prrcira,
couitnaudante superior da guarda uacional
deste municipio do Rrcife, c depuladoe aa-
serbla geral e provincial,verradore da canto
ra municipal desta cldade, o reverendo Clero e
os reverendo* prelados das tro* ordens religio-
sas regulares de Pioisa Senhora do Carino, de
Santo-Antonio e de Nossa Senhora da Penha,
cora os seua respectivos religiosos, dcsrinbar-
gadoreada relarjo.chefes de repartieres auto-
ridades, cidadioi dasta capital e provincia.com
aasiaienria do Sr. bacharel Jos Mauede Alves
Ferrrira, rngenlieiro director da reparticlo das
obras publicas, encarrrgado da construccao
deste edielo: para o rlm de solemnemente
benaer-se e collooar-se a podra fundamental da
casa de detencao desta cldade do Rrcife, man-
dada construir pela lei provincial de 16 de
agosto de 1848 n. 213, e pela portara de lt de
Janeiro da crreme anno, do lllm. e Exm. Sr.
senador do imperio e do conselho de estado,
llnmrio Hermeto 6'arneiro Leo, cntao presi-
ii n ti- desta provincia.
O Em. e Rvm. Sr. bispo diocesano be meo
solemnemente, acompanbado doseu clero, em
altar deacentemente paramentado para etse
acto, e o lllm. e Exm. .Sr. presidente da provin-
cia, collocou eaasentou a mencionada primei-
ra pedra da casa de detencao desta cidade, em
presenta das j mencionadas pessoas e do povo.
liia pedra fundamental foi collucada e
assentada no centro e base do alicoree em
local pifa esse lim disposto por baixo da
porta da entrad pira a sala central das pri-
sOps, onde ser o .observatorio geral d mesmas prisoes. Con te m ella em grossos
caracteres gravados e abertos sobre a face
polida da mesma pedra que he formada de
urna a lamina de marmore lino, a segnin-
te inscrli cSpNo feliz reinado do Senhor
11 Pedro II, no da 8 de dezembro de 1850
o lUm. Exm. Sr. Dr. Jos Ildefonso de
Souza Ramos, presidente dest provincia,
auentou esta primeira pedra da casa de de-
tenpAo, mandada construir pela lei provin-
cial de 16 de agoalo de 1848, numero 913, e
por portara de 16 de Janeiro dn 1850 do
lllm. e Exm. Sr. senador econselhtiro de
' esla lo, Honorio Hermto Carneiro Lefio,
entSo presidente di' provincia. 0 enge-
nheiro civil o bacharel Jos Mamede Al-
ves Ferreira, vai execiitar esta obra se-
gundo o plano por elle or'gauisado-So-
bre a niesnia podra, por baixo da inscrip-
(3o, se acha aborta omi cxcavacSo circu-
lar, e ah foi depositaba urna medalba de
prala do peso de 18 oitavas, a qual lem em
urna face representada em sito relevo a
perspectiva do edificio, tomada a poni de
vista em oosicjioobliqu*, e ni ouira face a
seguinte legenda, em tornoReinado do
Senhor D. Pedro IIe no centroA' funda-
rlo da caa de delencSo da cidade do lleci-
fe, nodia 8 de dezembro de 1850-Foi esta
pedra depositada em urna ciixa aberta" em
urna grande pedra de cantara e cubera por
ama outr, a qual foi precitamente collo-
cada no lugar cima mencionado, sendu to
das as juntas tomadas rom argamassi.
a Achavam-ee presentes tolos os engo-
lillaros da reparticlo das obras publicas, e
operarios da primeira e letceira sesso em
nup-e-o de terto de 600 homens livres
As insignias competentes e necesaarias
ao arto foram levadas pelas' pri neims
autoridades, que presentes se achavam.
A medalha fui carregada polo lllm. e
Kxm. Sr. coronel commandnte superior
da guarda nacional Francisco Jacintho Pe-
reira, e a pedra pelo lllm. e Exm. Sr. co-
ronel commanriaole das armas Jos Vicen-
te de Amorioi Rezerra, e oslllms. Srs cs-
pilDo de mar e guerra Rodrigo Theodoro
do Freilas, tenetite-coroifel Antonio Mana
de Souza, tonente-coronel Jn3o Pedro de
Araujo e Aguiar, lenente-roronel Antonio
Comes Leal, e o lennle-corouel Jo9o do
liego Barros Falefio.
F. para constar so mandou lavrar este
em livro t -roprio, em que assignaram todas
as pessois presentes, sendo referendado
Solo Sr. engenheiro director das obras pu-
hcas. Eu Joaquim Francisco de Mello San-
tos, secretario o escrovi e assignei.
( Seguiam-se as assignaturas.)
npanB^vsssttsa
Correspondencia.
Sr. redactor. -Aocioso ja me acho pela
rltcga I hora que lerei a honra de ver o
beneficio do nosso novo e digno Mars-
nhense, oSr. Guima'Sese Cunha, que pela
primeira vez vai trilhar os seus traba-
Ihos ueste caiilal de Pernambuco, dea-
necessario seii lecer uiainres elogios ao
Sr. Cuimarles eCunha, porque j be co-
nhecido pelo Ilustrado publico cotihece-
dor dos seus tlenlos, e da seus bridan-
tes lraha|hos, ja mostradus em diferen-
tes provincias do imperio por onde lem
andado e encontrado sompre aquellos gran-
des apt-lausos e entliusiumo geralmenle
acolhidos.
Tetemos de ver agora o thrairo de Ap-
pollo abrilhaalar mais coto i prosenra des-
te digno artista ; oala que Ihe fosse licito
-n.M..t- ------------- Santa Isabel, porm o Sr. Germano aaeen-
lou denlo o querer tadmiUirsm sau Ihea-
tro para |coadjuvar assim a um sao colle-
ga, (hem entendemos a causa que para
sso oeorre, o que com mais vagar iremos
conhecendo,) Sr. redactor, uno a minha
voz a do autores dos comaiunicado que
teem gahido, para pedir aos l'ernambura-
hi que nao deixe de coadjuvar a este
artista digno de'toda a eslima, e metmo
para posar os seus tlenlos e belezas dram-
ticas, que inconleslavelmente ha de sa-
tisfazer aos seus espectadores como he de
cestume : queira Sr, redactor euserir estas
Imhi-s, que ubrigado llie Picara este sen
constante leitor M. O P
B iguo -- Coragtute F.ugenie-- farinha e vi
nho.
Brioe Rickilleu vinho e farinha.
Brigue- Lalla Rooekh'-- farinha do trigo.
Ilarca Bonita -- ferro.
Patacho Itaika raercadorias
Hriguo ~ Ledo fumo, toucinho, sabio i
bolacha.
CONSULADO GERAL.
linndiroento do dia 7.....8:419,763
Diversas provincias...... 293,813
9:636,576
EXPORTACAO.
/Impacto martimos no dia 7
Rio de Janeiro, briue nacional ero, de
l3 1/4 toneladas: conduz o seguinte:
2,185 saceos com 10 915 arrobas de assucar
e 18 tabossde costado.
Canal, brigue inglez St. Helen. de 926 to-
neladas: conduz o sequile: 9,800 saceos
com 14 000 arrobas de assucar.
Philadelphia, rpitacho inglez Bermvdia-
na.de 139 toneladas : conduz o seguale
150 barricas e 1,160 saceos com 6,989 arro
base 2Tlibras de assucar.
Liverpool com escala por Macei, barca
ingleza Williom Rustell, do 441 toneladas:
condua o seguinte : 9,600 saceos com 10.500
arrobas de assucar e 094 sa*Cas com 3,S46
arrobas e 31 libras de algodao.
RECKBtiDOKIA DE KKNllAS GEKAES
INTERNAS.
leo di ment do dia 7......894,879
CONSOLAD" PROVINCIAL. .
Rendlmento dodla 7..... 2:194,819
PRACA DO RECIPE, 7 DK DEZEMBRO DE
1850. A'S S MORAS DA TARDE.
Reviiia temanat.
Cambios A trantacefles da semana vara-
rain entre 9 1,5, 99 3)4 e 30 d.
por i ,000 ra.
AlgodSo-------Entraram 1,025 aaccas, que fo-
ram vendidas de 6,900 a 7,000 ra.
por arroba de primeira aorte,
(i,500 a tt.600 o de segunda.
Assucar- Em consequeocia das grandes
entradas os precos decliuarain,
e as vendas do ensaccado e cm-
barricado regularan! das quali-
dades inferiores do branco de
1,900 a 9.900 r.| e dos finos de
2,500 a2,7u0rs. e do masca va-
do de 1,500 a I,ti 0 ra. por ar-
roba.
Couros Vcnderam-se a 120 rs. por libra.
"acalho Relalbou-se de 12/ 12,500 rs.,
e licaram em deposito 4,800 bar-
ricas.
Caroe-secca Venden-se de 1,800 a 2.8C0 rs.
por arroba da de Buenos A y res
e de 4.1-00 a 3,300 rs. a do Klo-
Grande : a existente monta a
32,100 arrobas.
Far. de trigo- Veodeu-se um carregameoto de
Trieste a 15,000 rs. a barrica : a
existente monta a 13,000 barri-
cas em primeira segunda nio.
Vi olios dem de 110/ a 145Jf_rs. por pipa
do da Fig-ieira.
frotes '____Para o Canal hoaveram a 55, 60
62 l;2.
Eslstem no porto 65 embarcaces : sendo 1
austraca, (americana, 21 tfraailelras, 3dina-
marquesas, 6 francetat, 4 hespa-ibolas, 12 in-
glesas, 9 portuguesas, 1 peruviana, 3 suecas e
2 sardas.
- S
i
IMovimeuto do porto.
/Vatii'ua entrarlos no illa 7.
Rio Grande doSul 39 dias, brigue naci
nal feos te Guarde, capitao Lauriano Ja-
cintho deCarvalho. equiltagem 13, carga
carne seres ; Rallhar & Oliveira. Pas-
sigeiro, Urbano Miguel da Costa.
Parahiba 24 ho-as, Isncia Tre Iudos.
mestre Jos Duarle deSbuza, equipagein
5, carga toros de mangue; a Joiquim
Duarle de Azevedo. Passsgniros, Antonio
Rufino Aranha e Canudo Jos dos Santos
Macei 2 1/2 dias, galera ingleza Swprd
Fish, capitao R- Creen, equipagem 22,
caiga assucar o algo lilo. Vcio ruceb.-r
Carlas esogue para Liverpool.
Parahiba 24 boras, bule nacional Para-
hibano. mestre Nicolao Francisco -la Cos-
ta, equ'pagem 4, carga toros de mangue ;
ao roesmo mestre. Passageiro, Joiquim
Pacheco llorges
/Vacio taido no ineimo dia.
Estados-Unidos Patacho ingloz Bremudia-
ne, capilSo P. S. Outerbindge, carga as-
sucar.
Navios entradoi no dia 8.
Parahiba 94 horas, Laocha nacional Nova
Santa Cruz, mestre Antonio Manoel Alfon-
so, equipagem 5, carga t os de mangue ;
ao mesmo meslre.
Boston 39 das, brigue americano Benry
Malheus, capitao I N. Harriman, equipa-
gem 8, carga farinha de Irigo e mais g-
neros ; a llenry Forster & Companhia.
atioi lahidoi no mesmo dia.
Liverpool com escala por Macei ~ Barca
inglez W-lliam Russell, ca..tilo I. Shol-
fuad, carga assucar e algodfio.
Rio de Janeiro -- Brigue nacional ero, ca-
pitao Manoel Jos Ribeiro, carga assucar.
Passageiros, Severino Antonio Kibairo
Vianna, Anna Rita Ribeirj do Amara),
Benedicta Maria da Silva.
Canal -- Brigue inglez St. Helen, CapitSo T
William. carga assucar.
tilUTAL
COMERCBO.
ALFANDECA.
Ilendimentododia 7.....25:456,684
Deicarregam huje 9 de detembro.
Barca Flor da Mata mercadorias.
Polaca MalhiUe farinha e azeile.
Ignacio Jote Pinto, tlteat da freguesia da
Boa- f isla, em virtude da le, ele.
Faz publico aos propietarios das casas
-; *#*! i- r--^^...,;, i-.i
coes dos artigo 18 e 19 do titulo 7.* das
posturas municipaes vigentes :
a Art. 18. Todas as casas anuadas SrSo
guarnecidas de passeios de dez palmos de
largura Das ras, e de seis palmos as tra-
vesa ; os propietarios serSo obrlgados a
concerta-lo lodas aa vezes que iloarem ar-
ruinadas : os contraventores siiSo multa-
dos em 4,000 rs., sendo o concert f-.-itu a
cusa delles.
a Art. 19 Nos passeios j existentes, se-
r observado o nivelamento do maior nu-
mero dss casas que houverem na ra, sen-
do 'os proprielarios obrigados a abaixa-los,
para que chegue ao movimonto : os infrac-
tores llcam subjeitos as penas do artigo an-
tecedente, e a obra ser feila a sua custa
E para que nSo aleguem Ignorancia vai
publicado pela im tensa. Freguezia da Boa
Vista, 6 de dezembro de 1850 o fiscal,
Ignacio Jos Pinto.
Ueclurat/es.
Pela segunda aeccSo da mesa do con
sulaJo provincial se fsz publico, que as 30
lias que alai lem designado para .o, pega-
mento a bocea do cofre, da decima dos pre-
dios urbanos dos bairroa desta cidado, do
primeiro semestre de 1850 a 1851, se prin-
cipia a contar do dia 3 de dezembro pr-
jimo, e que Ando este prszo incorrem na
inulta do 3 por cento sb o valor de seus de-
bito todos os que deixarem de bagar.
--A administrarn geral dos estabeleclinentos
de carldade manda faiar publico que nos dias 5,
0 e 16 do crreme Ir a praca pelo tempo que
decorrer do primeiro de Janeiro do anno pro-
timo futuro a 31 de detembro de 1853 a renda
das catas aballo declaradas! os pretendentee
dirijam-se a sala -las setset da mesma adiui-
nistrafio nos das cima mencionados pelas
ijuatro horas da tarde, munidos de seus fiado-
res, oh cartasdestes.
AdmlnlslracSo geral dos estabelecimentos
de carldade, 3 de desembrolle 1850.
O etcrlvo,
Anloai Jasa liorna do Crrelo.
Ra da Moeda n. 31 240,000
Dita dita n. 35 180,000
Dita do Azelte de Peixe n. 1 320.000
Dita do Pilar n. 73 96 000
Dita di la n. 70 "4.000
Dita da Cadela de Santo-Antonio n. 24 300.000
Dita do Queiinado n. 15 800,00o
Dita Dtreita n. 8 451.000
Dita dita n. 33 Jol.000
Dita do Padre-Floriano n. 17 90.000
Dita dita ii. 4) 72 000
Dita dita o. 45 96,000
Dita dita n. 47 96,000
Dita dita n. 49 100.000
Ditadilao 63 108.010
Dita dita sv 65 30.000
llecco da t.'arvallia n, 5 96,000
Una do Fagundes o. 32 84,000
I1.U dita 0.-34 84.000
Travesaa de San-Jose n. 6 96.000
Dita dita n. 7 98,00n
DitadosPescadoresn.il 121.000
Dita de Mannel-Coco n. 32 96 000
Dita dita u. 34 96.000
Dita dita o 36 96.000
Ditadiun 38, 100.000
Dita das Clnco-Ponlas n. 70 i32,000
l)Udltan.-98 109 000
Dita dita n. 116 145,000
OitadaViraco a. 7 121,0 0
Dita do Dorias n. 29 210.000
D.ia dita n. 94 2I6.0O0
Dita de Santa Tberesa n. 4 97,000
Ditadllan.5 100.000
Dita dita n. 7 96.000
Dita do Rosarlo larga n. 26 2:002 000
Dita da Roda n. 3 72.000
Dita dita o. 5 68,0n0
Ola dita n. 7 72.000
Dita dita (amiga eaa dos etpo.tos) o. 9 70o!oo Dita atrai do Oalhaboitca
Dita dita n. 18
Dita do Cabug n. 3
Dita Nova n 29
Dit. dita o, 57
Dita dita n. 43
Dita dltan 48
Aterro da Bo-Vlsla n. 6C
Ra da ConceicSo n 5
Travesa do Quiabo n. 8
Ra da Glorian. 65
Dita da Alegra o. 5
n. 2
98.000
158,000
871.800
300,000
351,000
501.000
601 000
168.000
96.000
96.000
96.000
144,000
Curpo policial de Pernambuco.
OIII n. Sr. tenenla-coronel, oomaiandan-
le'dncorpode polica, autorisado pelo ar-
tigo I da lei n. 915 de 91 da maio do an-
no prximo passado, convida aos ci Isdfios
que se quizerem engajar como praca do
nesmo corpo, a comparecerem na secreta-
ria, munidos dos competentes certificados
que exige o artigo 104 do regulamenlo do
eorpo. Secretaria UO corpo de polica, de
doembrode 1850 -- secretario,
Augusto Carloi de Lemoi Pacheco.
f f f f f f ?f Wf Wf ff #f
Compaialiiit lo llebci'lb.
O csix* da companhia acha aeau- 4
torisadoa fazer o quinlu dividendo : J
os Sr. accionistas po lem man la-lo 2
receber, segn lo a marchaestabele-
eila. Escriptono da companhia, 28 4
de novemhro de 1850. -#
*ftft!5)f ****** i***^*****
Tlieatro de Santa-Isabel
35 RECITA D\ ASSIGNATIIRA E ULTI-
MA DESTE ANNO I* 1850.
Ons'nta (tira, 19 de dezembro de 1850,
a comoanhia nacional representara o excel-
l-tite e milito applauli Jo drama em 5 ac-
tos, ornado de msica
A GIUQA DE DOS.
O administrador empresario, por satisfa-
zr os desejosdealgumas pessoss que an-
da n8o poderam aaststir s representacao
deste bello-drama, lancou m8o delle, jul-
gandoassim demonstrar o muito que pro-
cura em ludo agradar ao publico que o hon-
ra, o a queni tanto deve.
\ i lim do drama o actor Santa Rosa can-
tar a engrasada arta da Polka.
Terminar o espectculo com o bello e
gracioso duelo, cantado pelos artistas Ray-
ntundo e Joanna Januaria,
O Melrinho e a Pobre.
Comecar 8 horas.
Os bilbetas acha m-se i venda no lugar do
costme.
Por se reltrarem para fra da cidade mui-
tos dos Srs. sssiguante, e meamo a maior
paite do* ama torea do thealro. o empr. sa-
rio julgou conveniente suspender os espec-
tculos al Janeiro do prximo futuro an-
no, que de novo continuar* com seus 1ra-
balhos, dando assim ferias so respeitavel
publico, a quom nfio fallar* intrelenimen-
los e distrscOe* durante a festa.
THEAIKO E APOLLO
HOJE. DO CORRF.NTE.
Magnifico espectculo em beneficio do
actor Francisco desales cuimarueaeCu-
nha.
Dcpoisde urna brilhaote ouverlura subi-
a soena o muito applaudido drama
l.l.'IZ DE CAMES.
A ilistrihuigflo das psrtea ser a mesma
ja feia peloSr. Germano, fazendo o benc-
liciadoo papel de Camoes.
No intervello do drama oSr. Raf mundo
Jos de Araujo 18o aceito do publico, canta-
r a jocosa aria do
PETl-kUlTRE A POLKA.
Findar o diverlintento com a bellissms
comedia
O Ingles niacliInUta.
O beneficia-Jo que pela primeira ves lem
a honra de a preaeotar seua U balboa ao il-
lustrado publico peraambueano, emprega-
r lodo o seu mesjuihho talento a fin de ero
ludo merecer apoi e proteego.
Os Jjilhetes de galera e platea acbam-se
a venda na ra da Cadeia de Snto Anlonio
n. 13, primeiro andar.
O beneficiado previne que a segn Ja e
tereeira ordem das galeras a ser.lo oceu-
pades pelas familias, indo os cheles destss
tomar asento nss mesmas orden, ficando
a quarta ao dispor de todo aquello que l
queira ir.
J*r*fM.
9.a e3.'ordem de galeras 3.000
Pistes------------..........2,000
4." ordem de gelera -----------2,000
I --.....8,000
Avisos martimos.
-Salte iropreterivelmento para o Rio de
Janeiro, no dia 14 do corrate, o brigue na-
cional Carolina, o qual anda recebe carga,
passageiros e escravos : quem pretender,
dirija-se ao escritorio, da viuva Gaudino &
Filho, atrs do Corpo Santo n. 66, para
tratar. -
Para o Havre com efcala pe-
la Parahiba, pretende seguir via-
gem infailivelmente no dia io do
corrate a muito conhecida bar-
ca francesa Comte Roger, recebe
algumi carga, passsgeiros para o
que tem excellentes commodos.
Os prs/tndentea dirijam-se a ra
do Trapiche n. i i.
Para o Rio d Janeiro sshe com brevl-
lade, por ter a maior parte de sua carga, o
brigue Sen Manoel Augusto, capitao Jos da
Cunha Jnior : quem quizer oarregar, em-
barcar escravos ou ir de passagem, trate
com Manoel Ignacio de Oliveira na praca do
Commercio n. 6. ou com o capillo.
Gear MaranhSoe Para
sabe, com a maior brevidade poa-
sivel, por j ter a maior parte da
carga prompta, o bem eonhecido
brigue escuna nacional Laura: pa-
ra o resto da carga e passageiros,
trata-se com o capitao a bordo, ou
com NoTaee & C., na ra do Tra-
piche, n. 34* *
Para a Bahia
sabe, com a maior brevidade' pos-
sivel, por j ter prompta parte da
para o reato da carga e passagei-
ros, trata-**) com Novaee & 0.,
na ra do Trapiche, n. 34.
Psrs o Rio de Janeiro sibila em poucos
dias o brigue ero ; recebe carga a frele e
escravos : quem quizer carregar trate com
Leopoldo Jote da Costa Araujo, ou com No-
vaos & Companhia.
-A escuna Maria Firmino, capilfio e pra-
lico JoAo Bernardo da Roza, segu nestes
dias para o Para tocando no Cear, e pode
tocar no MaranhSo ae houver passageiros,
para o que lem sofflcientes commodos :
3uem convier ir de passagem. pJe enlen-
er-se com o consignslsrio da mesma escu-
na, Luz Jos de Sa Araujo, na ra da Cruz
numero 33.
Para o Cear.
Espera-** com toda a brevidade de Lis-
boa com deslino ao Cear, o brigue nacio-
nal Empresa, forrado o encivilhado de co-
bre e de superior marcha ; demorar-se-ha
aqui 19 dias, e recebar carga e passagei-
ros ; trata-se na ra da Cadeia do Recife n.
17, segundo andar.
Leiles.
Quarta-feira, 11 do corren te, ha leilflo
no caes da alfandega de um pore0o de
manteiga franceza em barris intelros e
mnins, e de 40 garrafOes com ervilbas, che-
ga-ls ltimamente de llamburgo, muito
verdes e frescas : ludo en lotes a vontade
dos compra-lores.
O corretor Oliveira far leilSo de um
escravo mnqo com nflicio de pedreiro, um
dito cozinheiroe refinador de assucar, Um
dilo para todo o servico, urna negrinha de
II annns, costureira, e ootros esersvos com
habilidades e sem ellas; sssim como de
grande porcSo de boa mobilia para ultimar
cuntas, coneistndo em um magnifico lou-
ceiro, trems com pedra mirmnre, uto leiln
frmcez, um dito inglez para calados, mesa
redonla de mel de sais, dita comprida pa-
ra cha, camap, cadeiras, um aparador qua-
si novo um relogio de cima de mesa com fi-
guras de bronze de ezqisito gosto, nutro
nroprio para escriptono, reparlicSo publica
ou cus de esmpo, candieiros de globo,
qiiadros, berco, ums cadeirinha di Bahia,
orna dita para hombros com crrelas, Isva-
torios, motis garrafas e copos de cristal
lapidados, vasos dou-ados psrs flores, cas-
Hcaes com mangas, etc e omitas obras de
prala,' como sejaro : salvas, casticaes, um
apparelho psra ch* e cafe do m Ihor lavor,
e um faqueiro completo com facas de folba
de prata, e de 18o rico feitio, qual nlo se
encontr igual fcilmente, tendo custsdo
mil francoaem Franca, ele: quinta-feira, 19
do correte, as 10 boras da nianhaa, no leu
escriptnrio, roa d Cadeia.
O engecheiro civil De Mornay far lei-
lSo, ,por ntetvencSo do corretor Oliveira,
de muitas rebecas do melhor gado inglez
de rapa para, sendo todas, com urna s ex-
cepQflo, cresulas, e por iaso livres do risco
que Corro u gaiau recoiu-ncgauo por causa
de mudenca de clima, do pisto, etc.; des-
necesrio he commeotar tnsis sobre a re-
conhecida bondade deste gado, j pela
abundancia do leite aue da, ja pela sus
mansidoe paiticularidade de dar leite in-
dependentede bezerro, como po lado ven-
tajoso de se poder conseguir a appropriada
mistura com o gado ds trra, para produ-
cir ptimos bois de carro maores e mais
fortes. Tambero se vender urna carrosa de
quslro rodas, com buzas pslentes, ds me-
lhor construccao possivel, e muito supe-
rior s que tem appsreci-lo ou posssm ip-
parecer, visto nSo se haver poupado despe-
a para que a sua construccSo fosse leve e
coaibinada com a fortaleza ; carrega fcil-
mente o peso de qualrocentas arrobas ; foi
feila aa Inglaterra espressamonte para o
Brasil, e he de grande apreco para oaenbor
de engenbo que possua partidos em var-
gens, ou propriedsdes prximas s eslrajtss:
nSo soffiecompsrafSq com ks obras fran-
zinas e com ferrageos defeituosss, quses se
eoostruem em alguna engenhos, e Uo for-
te he, que nao pode desconcertar-se ou iau-
Ulisar-ae, sem que por muitos anaos toaba
preatado aturados servidos. Igualmente se
vanderSo duas carrosas novas, de duas ro-
da, um cavallo, earrinbos de otilo, srreios
para carrosa, e muitos outros objectos
uteis : lerce-feira, 17 do correle, is 10 ho-
ras da manhfia, no Giqui, dentro do aitio
la Estancia ;e adverte-ee que, em conse-
cuencia do vendedor estsr prximo a se-
guir viagem, frcoso Ihe ser* vender ludo
a dinhwiro pagavel no aato-da entrega
Avisos diversos.
A capatazta da alfandega precisa de
trabalhadores qoe sejsm homens livres
robustos, para serem pagos effeetivsmente
s 640 rs. por dia : quem ae quizer engaju
comparece na porta da ITan lega, segunaa-
feirs, s 7 horss da manhSa, na certeza que
d'ora em di nte sempro ser a paga 610 rs.
i) capataz, Jote Thomas ds Campos Quaresmn.
= Aluga-se o aobrado de um andar; aotao e
trapelra. com bastantes com iudos para um>
grande familia, com sitio e vivelro em Santo-
Amaro, casado liuado Pedro Utas, aluga-se al-
tos e bailo ou o sobrado s ooino meltior con-
vier a peaaea que a pretender dlrlja-se rita da
Cadeia do Recife em casa do Sr. Manoel Con.
calve da Silva eu na ra da Prala de Santa n.
la, sobrado de um andar n. 3.
CONSULADO AFRICANO
ao rai'ao da Capuana.
O ehanceler por ordem do lllm. Sr. cnsul,
avisa a todoa o subditos dos diversos reinos
da Costa, d' frica, para se arpresenUrein no con-
sulado, an de ee proceder A execucao da lei
miope, relativo ao artigo 5,111 do cdigo lote-
ra paraerapho branco.
Br.OeliPdof.Uko.
t/haooiller.
Quem quizer comprar um escravo de
oacSo com 30 annos de idade, bastante pos-
sanie, perito ofllcial de calafate, e bom
canoeiro : dirija-se a roa do Appollo, r-
mazem n. 31, que se dir quem o ven-le.
Anlonio Jos de Arantes eaubelecido
na ra Oireita n. 4, vendo utn annuncio
neste Diario n. 978, do mesmo nome em
como ae relirava para Maeei, declara que
nao se entande com elle:
- Quem levou da toja de alfaiate urna ca-
deia de relogio de ouro por cassuada, hija
de restituir, sent ver* o seu nome por es-
cripio.
Peie-se ao Sr. Msrtinho da Silva Costa,
director que foi do collegie Smto Antonio,
le ter aboedade de mandar aager o reatan-
te de urna letra proveniente do alugoel da
casi em-que esteve o mesmo Collegio.
No dia do crranle 4o corrente des-
appireceu um menino de idade 8 annosf ma-
tulo) de nome JoSo Jos, fllho de Jle Fer-
nandes Vieira, moradores em Ifamuleaiga
o menino esteva guardando um cavallo. e
lambem desappareceu o dtto cavallo, cor
caslanho, ferrado dos dois quartos ; roga-
se prtenlo a quem sober do dito menino,
queira dirigir-se a ra do Crespo, loja n. 4,
de Joiquim na Silsa Cslro,.que se grati-
ficara.
O abaix aasignao comsrou ao Sr.
Pedro Donnoll a aua taverna sita na roa da
l.iugoenla n. 5, por iaso qoe declara a quem
periencer aue ae n.lo rea jonsabillsa por du-
vida algnma cnnlrahiita ate esta data. Re-
cife, 9 de dezembro de 1850.
Guilhtrml Brankmann.
Kugio na noiledodi* 5 do crrante um
cavallo russo grande-, carnudo, clioasalva,
cabofa grande, rabio, atida fcasiao, com as
costas um pouco pellada : quem o ajpre-
nhender podes* entregar na ra da Aurora
n 70, que recompensara.
- Preciai-se de urna ama para cisi de
pouca familia,. sendo psra servido de portas
dentro e de ra : as Cinco Ponas, casa
terrea defronte de um sobrado de dois an-
dares, que por baixo tem fabrica de vinagre,
-- Francisco Jos de Souza portuguez re-
tira-se psra fra do imperio a tratar de sui
ssuJe.
Aluga-se urna casa terrea na roa ds
Gloria da Boa Vista n. 6, com bon* comino-
-los: quem pretender dirija-se ao Recife,
ra da Sanzalla vellia n. 70.
Faz publico o abaixo aasignado aos
seus fregueses dosts provincia eeerconve-
/.inbos, que em sua loja sita na rus Nova n.
93, desta eidaie, exilie um grande sorti-
mento de fazendas Ingleza, franoezaa e da
lodas ss mais necees, tsnto de algodao co-
mo de seda e lia : ludo por muito comino-
do prego, bolinagaspiadoa para senhora
1,000 rs. o par, sipilos de selim prelo
1,000 rs,, sapalos ds bezerro para meoinus
a 610 rs., filas de sarja e de setiui, largas i
310 ra a vara, ditas de dedos de largura i
UO rs., ditas de 9 e 3 dedos a 190 e 160 rs.,
luvas de liiiho abortas al60rs., luvas de
seds curts abertas.brancas o de cores a
210 rs.,equlros muitos sr ti gos que i vala
convidar so comprsdor.
.Utomt Gomes Mllares.
*** mmmmmsmmmi
Cosallerio homoeopithico.
Ru do Hospicio, n. 56.
O doutor Moscoao d* consultas to-
dos os das.
Os pobres sflo tratadoa gratuita-
i mer.te,
immmmmmmwmmmmmmwmt9
Aluga-se pelo tempo da esl oo m-
nualmente a casa de dous sndarea, defron
te de S. SebastiSo em Olinda, com comaio-
dos psrs grande familia : a tratar na mes-
ma casa, ou na rus da Cadeia do Recife, lu-
ja n. 50
-Engomma-seelsvs-aetoda a qoalida-
,lo rfa mom rnm tolo aaaaln n mulla oromo*
UdBo, por preco msis eommo lo do que en
nutra qajalquer parte : na ra de Agos-Ver-
des, n. 9. .
Aluas-se o segn lo andar do sobriao
ds rus Direits n. 90, com commo lo par
grande familia: na ra Direita n, 93, Pn'
meiro andar.
Trecisa-seslugar omaescrava para
servico extorno de urna easa de familia s
ra larga do Rozario n. 48, segundo sndar.
-- Alugs-se um ptimo srmazetn cora
porto de embarque, sito na ruada MoeJi.
n. 6 : a tralla na ra de S.Goncalo, n.
.- Aluga-se o segundo andar d sebrieu
atrs da matriz da Boa Vala n 9. coi
commodos para grande fam lia : a trata* m
mesasa rus n. 99. ,
Arreoda-se o sobrsdo silo na roa i
Senzalla-Nova, n 16, por precocomiaot-
i tratar na ra estreila do Roa**, oo *
gundo indar por cima JaJoja dt traal
Sr. Moreira.
-. Algaot-aeduiseacrsvas psrs vende-
rem fruclss quem as tiver, dirija-.
ra Nov, o. 53.


--No da a do corrente desencemrnhoo-ge
do porto da Mngneta um saeeo com assuciir
brinco, em remessa e com a mure PF :
quem flo mesmo souber, far o obsequio de
dar parte na ro da Cruz n. 64.
Aluga-se pelo temen da fasta um sitio
pequeo, ni Capunge, com Distantes ar-
vnredos de fruto o casa para- famili
con cacimba, ogoa de beber, tanque para
ltanho uito perto do rio i atrs dos Mar-
tyrioa, ra do Clderelro, n. 46.
Offerece-se para calxeiro Je qualquer
stibsHacIrpento, excepto venda, urna pea-
soa com habilita gfias, o qual da fiador a su
conducta qnem o pretender, dirija-se
ra No>i ri. 50, ou annunrie.
Precisa-ge alugar urna creta para o ser-
vico i! urna casa de pouca familia : na ra
larga do Rozario, inji de miudezas n. 36. ...
No Aterro ila Doi Vista, loja de miu-
dezas n. 72, se dir quem d 600,000 rs. a
premio enm hypolheca em casas terreas.
No da todo correte, pelas cinco ho-
ras da tarde, na porta do Sr. Dr,)uiz de di
reito docivel Custodio Manoel da Silva Gui-
mirSes. v*i praca, cela ultima vez; um si-
tio na estrada do Rozarinho, avalialo por
6:000 000 rs., por exeoueflo de Anlonio
JLuiz CongalvesFerreira contra Antonio Mu-
Oiz Par'ejra.
Dessppareceu do sitio do Sn Schrimm,
na Passagem da Magdalena, um caxorm
preto de raga ingleza : quem achar leve-o t
ra do Trapiche n. 9, que sera bem recom-
pensado. "
Antonio Jos Arantes, Portuguez, reti-
ra-a a para Micei.
Recebe-se um ou dous rapizes para
aprenderem o olliciu deselleiro, sendo do
que chegrm agora do Porto : ni ra No
Va n. 99, loja de Selleiro. .
Precisa-ae de_am caixeiro deates che-
gdos ha poico do Porto : na ra da Fio
rentina n so.
-- Deseja-se saber quem he o correspon-
ente nesta prga doSr. Josa Joaquim das
higas, ou alguem qu faca auis vezes : is-
lo negocio de seu inloresse.
-- Nnmeros dos bilhetes da terceira quar-
ta parte la terca nona lotera de N. S. do
l.ivrauento da diada do Recite, vendidos
na loja de camino da ra da Ca leia. n. 94,
dviuva Vielra & Kilhos, os premios seguin-
tB : 989, 900,000 rs. ; 99, 25,000 rs. ; 951,
25,000 ra. ; 21$, 40.000 rs. ; 205, 25,000 rs.;
206. 25,000 ; 836, 5:000,000 de rs.; 1,037,
50,000 rs. ; e mmensos de 6,000 rs.
kiiV
'I Consultas e re-i.eeiog homceopaihi-->
-4H coa degraga para os pobres, no con- *
g suttono homoeopalhico do facullati- gr
4 vo J. B. Casanofa, ra da Gadeia de s>
4E Santo Antonio n. 32. .
f WfWH -ff fVf *f f Vf
Roga-se a iods as pessoas que estilo
devendo na (averna da ra da Aurora n. 48,
hejam de ir satisfazeraras dbitos no pra'
zo de oito diaa ; do contrario lerflo de ver
eua oomes por extenso nesta fulha.
O abaixo assignado faz aciente ao rea
peitavel publico, que appireceodo urna let-
tra de vate e tantas mil ra. na mSo de Ma-
noel Jos da Silva Marques, a qual diz elle
estar asaigaada pelo abaixo assignado, e
passada em 1843 ou 1841, e como uo fosse
possivel o abaixo assignado v-la, protesta
o mesmo abaixo assignado nfto pairar dit
ledra por ser reconhecidamrnle falsa ; e
para que nSo hajam anos para o futuro
Taz o presente annuncio.
llernardimo los da Silva.
Um pai de numerosa familia pede en-
carecidamente ao Sr. T. lilho da Sarde-
nha, que explique a mancira por que enri-
quiceu i3o depressa ; sera em vender gne-
ros nacionies ou oerveja hamburguezi ?
Precisa-se de urna ama de boa con-
duela, preferindo-se escrava : na ra do
Hospicio n. 7.
Um Jaci.
!" No dia 29 do mez prximo passado indo
um preto com um panacunr de gallinhas
para osilio da Torre levar um casal deja-
cus, diz elle ter voado um para dentro de
um silio.o qcieno o podo pegar: adverte-se
a quem o pegou ou delle der noticia certa
na ra do Livramenlo n. 14, recebar 5,000
i, de graliliciclo, assim como roga-se i
quem por ventura o (enlia comprado,- que
rendo-o restituir, leva-lo a meama ra ci-
ma, que, alem de se dar o duplo, te ficen
eteruamonie agradecido.
O Sr. I.uix Jos de (lastro lem urna car-
ta na ra Direita n. 131, botica de Torres &
Castro, uVfronle de N. S. do Terco.
--Precisa-ae de urna ama que gaiba co-
xinhar e engommar, para oaaa de hornern
sol le i ro : em Fra de Portas, ra do Pilar,
liwmnniiitMt
i'aulo Galgnoiix, dentista #
> friicoE. oflTereee sen prest- *
no ao publico para tocios os
* mlsteres de ana vi'otlssao : J
3 pode ser procmrat qnal-
qner hora em sO Casa, na o
ra larga do Hozarlo, n. 36, %
mimindo andar.
Iloes-se io Sr, Dr. Honorio F. S. VaaJ
Curado, ni venha ou mande pagar a sus
lelln onde nao Ignora ; do contrario tara
de ver aemprc o seu oome nesta folba.
--Precisa-se alugar um mulecote esperto
e de boa condacti para o servigo interno de
urna casa ingleza : paga-se bem : quem ti-
rar, aonuncie.
Na ra do Sol junto ao porto das ra-
>m a pumo a DO a vista II. H3, apromp-
las-ee jamares com muilo asaeio e perfei-
gSo, a contento doa freguezes, maodidon-
se (ver a cesa daquellas pessoas, que nao
tiverem quem os venha buscar : o dono pola
deste novo ealabeleciraenio espera merecer
a confianca do publico, atiento o esforco
que Iiii eoipregado sempre para agradar
aos concurrentes.
-- Don.ingo a4 do correte,
perded -se desde a l'assagern da
Magdalena at a ra do Coilegio
una pulceira de diamantes cnlia-
d a tiver echado e qjter restitui-!a,
dirija-se a ra da Cadeia do He-
cile, primeiro andar da casa n
38, que ser gratificado com a
quanlia que valer a mesma ataca.
Roga-se ao Sr. Manoel lien Jes da Sil-
va PaSaaaga o favor de vir a ra 4a Cadeia
de Santo Antonio n. 13, para negocio que
nSo ignora.
A Boseira,
romance muito Interessante, principalmen-
*e aos meninos, porser muitn moral, e tor-
nar-se recommendivel aos Srs. chefes.de
familias; na livraria do pateo do Coilegio,
a. 6, de Jofio da Costa Dourado.
- Precisa-se de um feitor
hortelSo
*n
que
seja horleao e jardineiro : no
primeiro sitio de pirtao de ferro,
na estrada dos Afilelos, passando
o becco do Espinheiro, ou na roa
da Gnu, n. 46.
Helojoeiro.
Na ra larga do Rozario, ao p da botica
de Jos Mara Concalves Ramos, conoertam-
se relogloa de todas asqualidades, por pre-
go commodo, e com promplidSo.
Arrenda-se o segundo andar do sbra-
lo n. 13, da ra da Lapa, no bairro do llcci-
U : para ver, as chave* estfio no primeiro
andar, e para tratar, na praga da Boa-Vis-
ta, n 7.
Jos Pereira Cezar, ten lo sido rooba-
lo em sua casa no dia 2 do correte, como
ja annunciou por este Diario de 3, em adi-
tamento a esse annuncio declara, que lite
roubaram mais diversas pecas de rqupa dos
seuscahxeiroa, um relogio de prata grande,
um chapeo de seda prela e mais outrosob-
jectos. O innuncimle nfferece todo o d-
nheiro e tolos estes objeclos, e s p Je
restiluiflo das ledras e mais ppela que es-
(avam dentro da lata, e que a nloguem
absolutamente pdem servir senflo ao mes-
mo annuncianle, podendo para mais facili-
lade-serem esses papis lanzados por bai-
xo da porta d soa casa, ou da sua loja na
ra do Queimado, n. ii, ou de outra qual-
quer forma que Ihe possam vir a mSo, pro-
metiendo guardar segredo. e nilo proceder
contra, anda mesmo sabendo quem foi o
roubador.
Ci
r
pas.
Compram-se escravos de am-
bos os sesos ; na ra da Cadeia do
Hecife, n. 51, primeiro andar.
Compra-se urna duzit de cideiras e um
par de bancas em meio uso: na rua*'da C-
lela de Santo-Anlonio n. 18, ou troca-se
oor novas.
Vendas.
I (.I.IIIMI AS l'AIJA 181,
Na livraria pi-ii rolhiiilias de algrlbelra c portapa
ra a anno qne vera.
Veude-se, ou arrenda-se urna morada
de-casa no lugar do Cachang, a melhor
que naquelle lugar existe, por licar ao j da
ponte, com seis quartos, duas grandes sa-
las, corredor lavado, quintal com algumaa
fruteirai, banho no fundo ; bem como urna
rada
morada le casi na ra Jo l'adre-Floriano,
n. 57: ambas por prego commodo: na Casa-
boa do Carino, n. 33. _
- Ven le-se urna eXcellente casa do cania IrambrrlhOsa, mocos ou ve I ios, porque
po, margeni do rio, com commodos pera
urande ramilla, perto da prag poraer antea
de chegar ao Poco-da -Panella :. na ra de
Santo-Amaro n. 16.
Vende-se rap superior de Paulo Cor-
deiro: na ra da Cadeia do Recite loja de
J"3o Jos de Carvalho Mores, e igualmen-
te se vende na meama loja penas de ouro
com bicos de diamantea.
Vende-sn urna canoa aberta, de 1,400
lijollos : quem pretender dirija-se a ra da
Praia de Santa Rita n. 25 primeiro andar.
Vende-se muito barata urna armicflo
que foi de fabrica de charutos no becco lar-
go n. I: faz-sii todo neaocio, trata-se na es-
quina da Liogoeti, venda n. 30
A 6,ooo rs.
Vendem-se superiores e modernos cha-
peos francezes, a 6,000 rs. : na prica da lu-
lependencia, ns, 94, 26 e 28.
Vendem-se superiores chapeos a ama-
zonas, para senhora, de diOerentes crea
na piafa da Independencia ns. 24,26 e 98.
A elles.
Acabam de chegar os muitos desejados e
superiores chpeos de. castor genoveses.
prelos e brincos e cor de ganga, com pello
e sem elle, para homens e meninos, por
preco rasoavel : ni praca da Independencia
ns. 24, 26 e 28.
SSSF.
Farinha nova da marca SSSF, chegadi
uKimiinente : na ra do Amorim n. 35, ar-
mazem de J. J Tasso Junios.
A ellas antes que se acabem.
Cbegaram oa procurados sipitos de cou-
rn de lustro de orelbas de 2,000 2,400 rs ,
obra forte: na ra da Cadeia do Recife n.
9, loja.
'-- Vende-se por preciso um escravo pe-
rito cozinhelro e muilo diligente, sabe fa-
zer lo lo o arraujo de urna caga, melhor que
urna mulher, tanlo que sabe engommar
muilo bem: na ra da Cruz n. 15 no tercei-
ro indar.
-- Vende-ge bichas pretil gnn fas de su-
perior qualidade porametade do prego qoe
os barbeiros alugain; na ra da Cadeia do
Itecifa n. 9.
Para a rapaslada de bom grosto.
vf*-5 n^.j-- cct|,***!* m fras-
cos e em caixas com lindas estampas, pro-
pras para mimos de aioh: na ra da Ca-
deia do Recife n. 9
-- Vendem-se queijos londrinos, prezun-
tos inglezes, toucinho dito, gigos com ba-
lataa Tnglexaa, lataa com bolaxinhaa ditas,
lingoaa de dita, caixinhss com massis linas,
conservas de diOerentes qoslidadeg ingle-
zas e francezas, latas com marmelada, ditos
com ameixas francezas, garrafas coro min-
teiga fresca, vinhas engarrafados de diferen-
tes qualidades, seodo Porto, Mide ira, secco
muscat'el de Setubal, Collares, Lavradio,
Cberey, Bucellas, Carcavellos branco e tin-
to, Bordeaux, champagne*C & C,'e agoar-
Jenle de Franca, Porto particular, cha pre-
to ; ludo de superior qualidade : di ra da
Cadeia do Recita a. 9, venda de Fonte dtj
Irmto.
Novas eambralas.
Vendem-se ricos cortes de cambraia iber-
ias com 6 viras e 34, de listas e ramagom
de cor, hienda multo fina de lindos goslos,
pelo barato preco de 4,000 rs. o corte, chi-
tas decoros muilo miudinhis, pannos mui-
to Aos, cores linss, i 208 rs. o covado;
brins de lioho smarelln, cor d,. izanga, lista
ao lado, fazenda muito fina, pelo baratssi-
mo prego de 9,000 rs ocne: na ra do
Crespo n. 14, loja de Jos Francisco Oiis.
Vendem-se 2 pretos de nicRo, proprios
para to lo o servico, urna prela tambera de
naco, urna parda escura que engomma
bem, coslnha e .lava, propria para algum
engenho por ser de bonita figura ; urna
nreliuha com principios *v costura : oa ra
do Rangel n, 38, segundo andar se dir
quem vende.
Carnauba relallio.
Na confeitoria da roa estreiti do Rozario,
n. 43, vende-se superior carnauba por pre-
go commodo.
-- Vende-se a taberna n. 5, da traverssa
da Lingoeta : na ra da Cadeia do Recife, n.
16 primeiro andar.
Goinuia superior.
Ni confeitor da ra estrella do Rozario n.
43, vende-se gomma, pelo prego de 6000 rs.
e2 moinbos por prego commodo.
AttencSo.
Vende-se urna casa terrea mu-
lo grande, com seis quartos, duas
salas c om quintal, com 3oo pal-
mos de fundo, chao proprio, sita
na da Boa-Hora em Ulinda : a tra-
ar mesmo em Oli.ida nos Q na tro
Cantos com o Sr. Joao Lniz de
Almeida, ou do Recife na ra do
Queimado loj de miudezas n. 25.
Arados de ferro.
Na fundigSo da Aurora em S.-Amaro ,
vendem-se arados de ferro de diversos m-
telos.
Moendas superiores.
Nafundigtode C. Starr Je Compinbia,
em S.-Amaro, acham-se venda moendas
de cinna, todas de ferro, de um modelo e
construcgSo muito (superior.
Deposito de potassa e cal.
Vende-se muito nova e superior potassa,
assim como cal virgem em pedra, recente-
meuteciiegada de Lisboa, por prego rasoa-
vel : na ra da Cadeia do Recife, n. 19, ar-
mazn).
Tecido de algodao trancado na
fabrica de Todos os Santos.
Na ma da Cadeia n. 52.
vsndem-se por atacado duas qualidades,
propnis para saceos de assucir e roupa de
escravos.
(toga-s aos fregueses que tenhain
toda attencao para o novo sor-
tlmcnto que existe ifa loja da
ra do Crespo, i. 6, ao p do
lampeo.
Vendem-se cisaas pintadig de cores fitas,
960e 980 rs. o covado; cortes de brim
branco de lioho puro, a 1,920 ra. ; dltog d
fustSo muito fieos, a 560 e 640 rg. ; cassa i
preta propria para luto aliviado, a 120 rg. o I
covado ; zuarte de cor, a 900 rs. ; riscado
de naso-para casacas, a 940 rg. o covado, e
nutras muitas fazendas por prego commodo.
Gracas a Dos queja che^arim.
Ciusivi pena ver uiu pobre miope quasi
esta molestia njo respeita a idades, devagar
pelas ruase de luja em loja a procura de
um par de culos para vista curt, pira po-
der ler, escrever, ir aos nossus theatros,
aonde s por informagOes sabia do seu es-
pantoso prpgresau, e voltir na mesma, por-
que os nSo bavia neste mercado ; se recor-
ra a medicina encon(rava-se rruilas vezes
com um igual paciento a quem de balde s
queixava, e ao ouvir ver as lamurias.quei-
xas e Caricaturas que recproca mente se
faziam, perdera de risoao hnmem mais ta-
citurno que de parto ente dialogo ouvisse ;
porque esta molestia DBo s zombg com os
allopathas, como at mesmo com os ho-
mospalhasque muitos delles asolTrem; pu-
rm gragaga lieos que chegaram os tflo de-
sejados oculos por especial encommenda
que delles se fizeram e se vendem na ra
larga do Rozario, n. 35, loja.
Attencao-
Aos Srs. cheles de reparticoes.
-Na livraria do paleo do Coilegio, n. 6, de
JoBo di Costa Dourado, vendem-se. os ge-
guintes ohjectos precigog para o expediente
dag rcpartigOes :
Papel almago perlina com lislras de agos,
aparado 3,600
Dito de machina de 100 eidernos, de
milito boa qualidade 3,000
Dito almsgq de primeira so'te, apara-
do, de linho 3,600
Dito de peso de superior qualidade,
oglez 5,000
Dito de mais inferior qualidade 3,500
Lapis linos e envernizados, a duzia 700
Penas de secretara, o milheiro 10.000
Ditas meia secretaria,o milheiro 8,000
Gomma graxa em frasquinhos, raspadeiras,
caivetes de differentes qualidades, peo-
nas de ago, borracha, tinta carmim, dita
azul, dita prela multo boa, peonas de pato
paradas em caixinhas, caetas demarfim,
facas para papel, peso para dito, o outros
muitos objectos de secretaria e escriplono:
tambem-se apropian encnnimen las para
outns provincias com presteza e para as
repartigOes desta provincia se mandim as
amostras, e se abriga a por qualquer objec-
to nka repirliges, sem que ealis paguem
Cirretos.
Tal xas para < u gen lio-
Na fundiglo de ferro da ra do Brum,
caba-se de receber um completogortimen-
tode taixas de 4 a 8 palmas de bocea as
qsaes acham-se a venda por prego com-
modo e com promptidSo embircim-se,
ou carregam-seem carros seta despezas ao
comprador.
Antigjo deposito de cal
virgem.
Na ruado Trapiche, n. i-j, ha
muito superior cal nova em pedra,
chegada ltimamente de Lis bou
no brigue Tartijo 111.
Vendem-se listas da lotera de N. S. do
Livramento que acaba de correr, a lao rs.
no paleo do Coilegio, casado livrn azul.'
-- Vende-so um moleque crioulo, de isf
annos, ptimo para pagoirr: na ra do Li-
vramento, n. 1, segundo indar.
-- Vende-se cimento de liam burgo, gar-
rafas pretas vasias, pboaphoros, tintas de
o'eo, larapanoai e colxeteg : na ra do Tra-
piche n. 14.
-- Vendem-se arrmos pera carros de um e
lous cavallos do quali lade muito suoe-
rior : em caga de Hen-y Gibson, roa da Ca-
lis do Racife n. 60.
Lotera do Kio de Janeiro.
Aos ao:ooo,ooo de rs.
Na praca di Independencia, .
4, loj de miudezas, vendem-se
bilhetes e meiov ditos dt decmi
lotera a beneficio das obras do SS.
Sacramento da corte, cujas listas
levem chegar no primeiro, vapor.
Na tnesnii loja recebem-se bilhe-
tes premiados em troca dos que
seteem a venda.
V- Vendem-se oculos para todas as ida-
des : na ra larga do Rozario, loja de miu-
dezas n. 26.
Vendem-se superiores colleras e ele-
gantes lampeos para carros de duas e qua-
iro rodas: em casa' do Henry Gibson, ra da
Cadei do Recife n. 60.
Ven le-se couro de porco nglez, lorog e
silbas: em casa de Ifanry Gibson, ra da
Cadeia do Recife n. 60.
At qne certaram-
Sapit0s de orelhae salto alto, feitos a
capricho no Aracaly a imitago dos de cou-
ro de lustro: este calgado depois de abitua-
doa legitima graxa ingleza n. 97, imita
exactamente aode pulimento: tamben che
girsm dos outros sem orelhag, que ge ven-
dem a 800 rg.: na ra larg do Rozrio, n.
35, loja do l.ody.
--Vende-ge, u alugi-se um sitio em Api-
pucos, com excedente casi para grande fa-
milia, por ter duas satas, 6 quartos, cozinba
fra, estribara, e, alm do famoso banho
perto da casa, urna cacimba de cristalina
agoa potivel : no trapiche do Pelourinho,
das 8 boras da mmhSas4da tirdu.
I'otassadat Kussla.
Vende-se potassa da Itussia, recentemen-
te chegada, e de muilo superior qualidade :
na ra do Trapiche, n. 17.
Cousa rica.
Vende-se "ma igreginha com 4 palmos de
altura, 3 de fundo e i e meio de largura,
faila com oiuijo gosto, pro.ira para o fes-
tejo do Natal e ConceigSo, por ter este mes-
mo titulo; s ple dir-lhe aprego quem
a vir : tambem se vende urna sabia de mal-
ta, ptima cantadeira na ra do Noguei-
n, n. 32.
Vende-se urna preta da Costs, de 30 an-
nospouco mils ou menos, sem vicios nem
achaques, e com algumas habilidades : em
Fora-de-Prtas, rus do Pilar, n. 85.
Vende-se urna preta da Costa, muilo
gentil e'perfeita, he boa ven ledeira de ra,
nlo tem vicio algum : o motivo por que se
vende he por ter dormido fra da casa do
nhor duas vezes, mas viudo para cisa sem
empnnhos ecom odinheiro da venda sem-
pre corto : isto se afianga ao comprador,
assim como o nSo beber espritus : no lar-
go ila Trempe, sobrado n. 1, que tem venda
por haixo.
Vende-se, por ter o dono de retirar-se
para o Itio-Grande do sol, urna excedente
casa terrea, sita na ra do Alegra, n. 5, com
muito b ios comino los, p opria para Rrgn
de familia, e que rende mensalmente 19,000
rs : a tratar na mesma ra, u. 1, sobrado.
lo ni e barato.
Vende-se a bordo do brigue I.'Jo, funda-
do junto ao Trrpiche do algodSo, muito boa
farinha de S -Calharin>, a prego de sete pa-
tacas o alqueira Ja medida velha, vende-se
por menos prego porgilo gradde, por j ter
parte della vendida.
Na ra do Crespo, n. 11, vende-se li-
ulia de n. 30 a 70, a 10 rs o novelo, o a 80
rs. ac i xa ; pegas de fu de linho estreit
com 10 varas, a40 rs. a pega; duba preta,
a 10 ra ; grvalas francezas, a 1,000 rs.; e
outras militas miudezas por todo o prego
em rasflo de se precisar de dinheiro pira a
fasta. <
Trangas a franjas,
para enfeites de vestidos e manteletes : ni
ra do (juemado, n. 24, loja de miudezas,
de J. J. Gomes.
Lotera de N. S. do Ltvrainentc.
Na ra di Cideia, n. 46, loja de miudezas,
vendem-soos muitos afortunados mejos bi-
Ihetes, decimos e vigsimos da mesma lo-
tera, que corre i.iipreierivelmenle no dia
24 do correte. Nos vigsimos ns. 836 sanio
o premio dos 5:000,000 de r<. da lotera do
l.ivramenio que correu no dia 30 do passa-
do. Meios a 5,500 rs. ; decimos, a 1,100 rs. ;
vigsimos, a 600 >s.
Na na do Crespo, loja n, 4 ha
boticas homoeoputliicas,
de 24, 36 60 tubos gnudes e pequeos,
cornos livros necessarius ao estudo ea pra-
tioa da homoeopathia, viudas do Rio de Ja-
neiro do grande laboratorio central da ra
de S.-Jose, n. 59.
Na pragt da Independencia, n. 4, loja de
miudezas, viniem-se os afortunados bi-
lletes, meios, quartoi.decimis e Regimos
da lotera de N. S. do Livramento, que cor-
re impreterivelmente no dia 94 do co'reote.
Bilhetes tl,
Meiog 5,500
Quartos 3,600
Decimos 1,10"
Vigsimos <>*
Grande deposito de cha.
No piteo do Coilegio, casa do llvro azul.
Cha hysson superior 2,400
Dito aljfar, brasileiro 2,20O
Di lo paquequer 2,000
Ditos de outras qualidades 2 000
Vende-se cobre, metal amarello, e pre-
gos para forro de niviosf por preco' com-
modo : em casi de A. V da Silva Barroca,
na ma da Cadeia do Recife, n.42.
Vende-se um negro pega de idade de
2i anno*, bstanle possante, proorio pira o
servigo do campo : na ra do Crespo loja
da esquina que volta para i cadeia.
Cigarrilhos hesoanhes.
S5och -gados os excedentes cigarrilbos
hespaohes ao deposito da ruada Cruz, no
Recife,, n. r*f
Lotera do Rio-de-Janeiro.
Aos ao:ooo,ooo de res.
Na rui estrella do Rozario, travessa do
Queimado, toja de min Incas n. 9 A, de Joi-
quim F. dos Santos Mtya, vanlem-se os
muito afortunados hilhutes. meos, quartos,
oitavos e vigsimos di decima lotera a be-
neficio da freguezia do SS Sacramento da
corte : na mesma loja est pitete a lis-
ia da 12." lotera das casai de carita le, o
tambem recebem-se bilhetes premalos em
troca dos da lotera cima dita.
Agencia
a da fundigoLow-Moor.
SO. Ol. 8KNZAr.T..-NOVA, N. 4>.
Neste estabelecimento conti-
ia a haver um completo sorti-,
ment de moendas e meias moen-
las, pira engenho; machinas de
vapor, e tachas de ferro batido
:onb, de todos oa hmanhos,
para dito.
Vende-se um muito bonito moleque
crioulo, de 18 anuos, muito robusto e sali,
sem vicio algum, e que sane bem eozi-
nhir, engommar liso, coser de alfaiate,
com principios de sasaUiro, bom destila-
dor, licorista, faz varias qualida les de xaro -
oes, c nimia le o lodo o m*is servigo de Urna
casa do familia ; urea casa terrea de pe Ira
e cal, em muito bom estado, com duas sa-
las, 3 quartos, cozinha grande e fora, quin-
til grande com cacimba, pa ra de S.-Mi-
guel dos Afogados; um sitio com 425 pal-
mos de frente e 1,200 de fundo, com mui-
lo arvoredos d; frucle, pisto para duis
vaccas anuualmente,terra par planlar.com
urna pequea familia, e boa agoi de beber,
estrada de Belem : tu lo por prego com-
legio.
(Ineni admirar venha ver e com-
piar, na ra do Crespo, loja da
egnulna que volta para a Ca-
rtel .i.
Panno fino preto ruito bom, a 3,000
3,600 rs. ; dito muito superior, a 4,500
5.000 re. ; dito azul muilo fino a 3,000 e
5,500 rg. ; caaemira prela, a 5,000 rs. o cor-
te ; dita rtiiito superior, a 10,000 rs. ; cor-
tes de (ustBo.a 320 a 600 rg. ; ditos muito
bonitos, a 80T> rs. : dilo 4; ;:t~ evif,
a 1,600 rs. ; ditos de gorgurflo, a 1,980 rs ;
cassasdn cores ligase de bonitos pdrOeg.
a 240 e 280 rs. o covado ; corles de Cass
preta, a 9,900rs.; dilasa 140 rs. o covado;
riscado de linho azul, a 940 rs.; corle de
brim de linho, a 1 600 rs. ; ditos muilo
bons, a 1,800 e 9.000; ditos superiores,a
1,980 e 1,600 rs. a vara ; lencos de seda de
cores, multo bonitos, a 1.000 rs. ; ditos pa
n gravita, a 1,000 e 1,980 rs. ; ditos de
cassa com listras de cOres, a 240 e 320 rs.
ditos com listras de seda, a 500 rs.; algo
do azul de vara de largura, i MO ra. o co-
vado ; dito furU-cros, a 200 rg,; picote
muilo enoorpado, proprio para esenvos, a
200 rs. ; riscado de algodflo americano, a
140 ra. corles de brim de listras, a 1,000
rs. ; chitas de cores (xas e de bonitos pa-
dces, a 140, 160, 180 e 900 rs. o corado
riscados monttros. a 220 rs. ; cimbraiag d
quadrus, a 9,728 rg. a pega; cortes de case
mira de abjodflo. a 1,60 rs. ; cassas fran
cezii muito bonltag, a 320 rs. o covado
chapeos degul, com asteas de balis, a 1,80ti
rav j e outras muitis fazendis por preco
commodo. ^ v
modo: a tratir com seu propretariu Fre-
lerico Chaves, morador no Alrro-da-Bos-
Vista.n 17.
Grandes retratos de S. M, I.
. Pedro II, proprios para as re-
particoes pnblicas, ou ricas salas :
vendem-se no pateo do Coll
casa do livro azul.
Vende se urna bitelBo para quem se
quzer divertir pelo rio Capibaribe, novo
e piulado, com remos, vela, e carrega 4
pessoas adultas: em S.-Amarinho, a fallar
com Manoel Luzda Veiga.
Na ra das Cruzes n. 22, segundo an-
dar, vende-se urna bonita parda de 96 an-
nos, que engomma, cose chBo, cozinba e
lava desabBo ; duas pretas ten lo urna 24 e
a outra SOannos, que cozioliim, lavan de
sabBoe sBo quitandeiras ; um escravo cri-
oulo, bonita figura, de 22 annos e meio of-
ficial de ferreiro ; e o-ilro dito de nagSo,
proprio pira todo o servigo da praga ou de
campo.
-- Vende-se urna preta de elegante figu-
ra, boa cozinheira e eogommadeira ; ama
lita de servigo decampo; um moleque de
18 annos, cozmheiroe copeiro ; um mula-
tinho de 14 innos ; um pirdo moco e car-
reiro : no pateo da matriz de Santo Anto-
nio, sobrado 11. 4, se dir quem vende.
Vende-ge um ptimo escravo de 16a
18 annos de idadee de muito bonita figura :
a tratar com JoBo Kernandes Prente Viao-
na, na roa Nova n. 90.
thoeolate homaeopathleo.
Vende-se no Aterro di Boa Vista, fabrica
de licores n. 17.
40.000 rs. a dnzla.
Verdadeiro e legitimo champanhe AYem
casa de Avrial & IrmBos : ra da Cruz n. 90.
A o bomgosto,
Vendem-se balainhoscom um cacho de
uvas e outras maig fruclas artificiaos ; pra-
linhos com um s cacho, obra mais delica-
da possivel, e muito proprio pera infeites
de megas e consolos de urna sala : aa ra
do Queimado, n. 16, loja de Jos Das si-
mes.
Ricas luvas de pellica.
Vendem-se ricas luvas de pellica enhi-
ladas para senhora !;? < i..r^.i ?e,
palmaa.com dedos e sem elles, e de ou-
tra mais qualidades, por mdico prego : na
ra da Queimado, o. 16, loja de Jos Diaa
Siaioei.
Kleas Utas.
Vendem-se fitas lavradag para cinteiro e
para enfeites de chapeos de senhora ; ditas
lisas de todas as larguras e cores, por pbVpo
usa conmodo do que em uutra qualquer
parte: na ra do Queimado, u. 16. loia de
JoaDiasSlmOes.
Galea do.
No AUi ro- fronte da boneca,
he chegado, pelo ultimo navio francez, um
novoe completo aorlimento de calgado de
todas as qualidades, libio pata;homem eo-
ao pira senhora o meuinis de todas ida-
es ; issim comp os bem conhecidos sapa-
lOea du Aracaly, Unto para humera como
para meninos: ludo por prego mais com-
modo do que em outra qualquer parte.
Milito novo a aijooo r.
cada nace.
Vend-ee noarmazem do Braguez, ao p
I do arco da Conceicflo. ^
____

nmM
_


Por ser a rtlnhetro a vista vencie-
ra barato.
Sluntei? ingleza dt molhor, 640, 480 <
20 rs.; dita francesa, 5*0 r.; cha, >
i.090 rs. ; telas do espermacete de 6 e 7 en
libra, a 790 r. 5 ditas a 640 rs.; ferinha de
iii-urula, a 900 rs. ; dita do MaranhSo. a 190
vs. ; maoarrSo e talharim, a 200 rs.; letria,
a 940 rs.; bolachinlia ingleza, a 390 rs ;
lianha de porco, a 360 rs.; caf da carogo, a
joo rs. ; milito alpina, a 960 rs. a coi*, ar-
roz, de casca, 120 rs.; arroz pilado, a 360
ra. e a libra a 70 rs. : no Alerro-da-Boa-
Vist, n. 54, en* ra Nova, n, 71, taberna
ao p' da ponte.
f # NI.N9H
Cera en velas.
Vendem-se caixas com ce-
2 ra em velas de 3 at 1C> em
libra, fabricada no Hio de
*, Janeiro, por pre^o mais ba-
f$ ralo do que em outra
quer partej trata-ae com t
m
j
is ba- a
qnal- |
Machado & Pinheiro, na ra
* do Vgario, n. 19, segundo J
ja anda.
Vcode-se um prcto com muila habil-
dade de carpina, pedreiro, eaiador, borra-
dor, ole., enlende de aillo, vende na ra,
cozinha o diario de urna casa, lera 20 an-
uos, de bonita lisura, nilo bebe e he muilo
verda leiro, veude-se por so qnerer vir pira
casi s 9 huras da noite, quando sabe a Ten-
der ; seu pic$o he 700,000 rs. : os pretn-
danles dirjam-se 4 ra do Vigario, a fallar
coro oSr. JoSoSiroSo, ou na Capuoga. ao
Sr. Antonio Jos de Oliveira Braga'
Vendt'-sctia bysayu dn superior qua-
lidade, e do melhor que lem viodo a este
mercado ; caiaas com velas de espermaam
te americano; nieiai barricas dn farinnl
gallego, a mais nova : na ra da Alian lega-
Velha, n. 36.
He baratissimo.
Vendem-se ricos chicotinhos, a 600 e 800
rs. ; charuteiras Anas douradas, a 1,800 rs
pentes com rspelhoa, proprios para suissss,
a agora.; eacovaa linas com eapelho para
cabello, a 1,000 ra.; carteras com molla
para guardar droheiro, 40 rs. ; superio-
res caias para rap, a 9,000 ra. ; fivrlinhas
dojradasepraleadis para calcas ecolletps,
a 200 ra. ; meias cruas para homem, a 180
rs. j ditas decores, a 240 r*. : na ra do
Queimado. luja de miudezs, junto de ce-
ra, o. 33, h .
Vende-se urna porcao de on-
cea hespanholas, vinlio Cham-
pagne muilo superior,- dito Bor-
deaux em quartolas, dito Musca te I
em caixas de 18 garr.ifas, azule-
jos, cimento, oca, almagre, cal hy-
iliaulica, verde francez em p,
cabos de linho : na ra do Trapi-
che n. 11.
Vende-se um* escrava de idade de 30
anuos que lava, cozinha e engosama o dia-
rio de urna casa: na ra das Boias, opr-
meiro sobrado esqeurda e no Forte do
Mallos.
Vendem-se 90 escrajo*. sendo 2 pti-
mos carreiros, e de bonitas Figuras ; 2 ditos
ufBciaes de pedreiro; um dito oleiro ; 5 di-
tos de todo o servigo de campa; um mula-
tinho de 14 annos. ptimo para qualquer
cilicio, ou para pegem ; urna linda mulati-
nha rrcolhida, que cose, faz bem lavarinto
e marca de linh, de 19 annos ; 9 escravas
mofas, com moilo boa* qualidades; um
egeravo que cozinha bem o diario de urna
ras, ene de muilo boa conducta : na ra
Direila, n 3.
Caivete* de machinas.
Vendem se superiores canivetea da ma-
ctiiuJiai, para com muita facilidade se appa-
rar pennas.a-SuOj* pois nflo ha cousa me-
iliur par* quem be curto da vista : na ra.
do Queima 10 n. 33, loja de miudezss, jun-
io a do cera.
-Vendem-se 10escravos,sendo um pe-
ilreini, de 18 annos ; um dito caireiru, mo-
go e de bonita figura ; um dito oflicial de
oleiro ; um moleaue crioulo, de 10 anuos ;
6 tscrava* mogas, qo boas habilidades, -
ile bonitas lisuras: na ra Direila, n. 3.
Veude-se superior faiinha
gaJIeg, em meis barricas : no esciiptono
de Urano YouLh t C ou em seus armazos
do berco do Gongadves,.
' llciiu* grandes e baratas.
Na ra do Arabio, toja de barbeiro de
Theolilu Jus. Ferris* Sampai->, veodem-se
isalugam-se bichas de Hamburgo, por pre-
go commoJo.
l'iira o voltarete.
Bicas caixinhaa de Jacaranda
marchetadas de otiro com teotos
de marfil para jogo de voltarete :
vendem-se no pateo do Collcgiu,
casa do livro azul.
Oculoe para Ibeatro.
culos os melLores que oeste
genero teui appareciv, pan aao
uiuito necessanos para o bom tom
do tbeatro S.-lsabel : vendem-se
muilo em coota.: oo pateo do Col-
leglo, n. 6, librara de Jo5o da
Co-ta DouraaV
Veo iam-se queijo* londrinos, gruier,
pesan, Bamaugos, presuntos itara Hambre,
ditos p*ra ** cooarigos, con-
servas, aandiohaa, ha4*Ols, vinhus de Lis-
boa, Porto particular, chasapanha, mdei-
t, eberez, moacatel da atabal, dito fran-
cs. Bordean, earcavejlut. bacallas, cog-
nac: licores de roarrajsq^oo e de outras
qualidades. a,*>rj.elad* e/gmj em Islas, e
dftro*'Wtos M"!* na ru* Nova, n
isyVrris d Antonio Ferreira Lima &, C.
- Vend-teVipirito de 36 grao* : na ra
Nova, n.If.Va.vei'Qade Anlpujo Ferwira Li-
"--Tende-se, um scravo moco, muilo sr
dio, submlso, de boa conducta, e sea
d reito": n na da Aurora, priineiro andar
la lercelra'cas* tn qu mora o Sr. Df. PTan-
ci-?c de l'su.'s Baplista.
------------
Loja de seis portas em frente do
Livramenta.
O administrador desta loja tem a dar ha-
anco no flm de dezembro, e como lenha
estos de alcaides, quer acabar com ellos,
rocando-os por sedulas, sendo o prego o
nais rasoavel possivel, como sejam : pegas
le madapolio com 12 jardas, por sete pata-
-m ; chales de cbila, a 480, 640 e 1,000 rs.;
ditos pretos de rede, s meia pataca ; cassa
jreta, a 190 rs. o covado ; cortes do chita
reta com 11 covados, por 1,280 rs. ; risca-
los monslros, a 260 rs.po covado ; chitas, a
190, 440, 160, 180, 200, 240 f 320 rs larga
franceza ; bnm branco de listm, 900 ra. o
covado ; e outras muitas fazendas por pre-
gos que coadjuran a economa.
O bom e barato.
No Pasaeo-Publico, loja n. 9, de Albino
Jos Leite, vende-se um completo sorti-
mento de chitas, a 190 rs. c covado; cassa
jara habidos, a 2*0 r*. a vara; riscado fran-
cs largo, a 900 rs. o covado ; cobertores de
algodo gro&so para esciavcs, a 790 rs ;
madapolAo, a 100 rs. a vara ; riscados da
linho miudinho, a 390 rs. o covado; ten-
eos de seda de cores, a 1,000 rs ; a outras
muitas fazendas que nfio he possivel an-
nunciar para n3o oceupar lempo.
Vendem-se cincuenta ongas hespanho-
las : na ra da Cruz n. 51, no encnptbrio do
primeiro andar.
Globos de vidro.
Vendem-se globos de vldro proprios para
oseada e corredores, e mesmo para illumi-
nagOes por serem muilo commodos em la-
manho : na ra do Tra'piche n. 10.
Cal e potassa.
Vende-se a mais nova e superior potassa
que ba ao mercado, e cal vjigem em pedra,
ebegada pelo ultimo navio de Lisboa, por
prego cummodo : na ra da Cadeia do Re-
cife, n. 50, a rallar coso Cunha & Amorim ;
assim como um restante de barris da ms-
ala cal, que ncou da safra passada, por ba-
rato prego.
Vendem-se saboneles higinicos, o
mais superiores que team vindo a este mer-
cado, asaim como outras pe fumarias muilo
finas: na ra da Cadei* Valba n. 24, pri-
meiro andar.
Lotera do Hio de Janeiro.
A os 30:000,000 de r*.
No* qualro-canlosda tua do Queimado,
loja de fazendas.n. 90,veodem-se os muitus
afortunados bilhetes, meios, quartos, oi-
tavos e vigsimos da 10.'lotera do SS Sa-
cramento ; bem como da 95.* lotera do
monte pi, cujas listas devem chegar no pri-
meiro vapor. Na mesma loja se uocam bi-
Ibeles premiados de qualquer lotera, e se
mostra a lista das casas da caridsde.
- Vende-se feijao mulatinbo, a 5,000 rs.
a sacca ; e rajado, a 4,(100 rs. : no armazesn
de Antonio Aunes, junto a escadinha.
Bombas de ferro.
Veodem-se bombas de repuxo,
pndulas e picota para cacimba :
na ra do Bruui, ns. 6, 8 e 10,
fundicao de ferro.
Arados de ferro.
Vendem-se arados de ferro de
difierenles modelos : na ra do
Brum,ns. 6, 8 e 10, fabrica de
machinas e tundicao de ferro.
Vende-se urna sextante nova feita po'
um dos melbores autores de Londres e tam-
bera um orisonle artificial e um theodilete '
na ra do Trapiche armazem n. 44.
Nao he exageracoo.
Vendam-ae sapalOes de cnuro de lustro,
obra muilo boa, a 2,500, 3,000 e 3,500 rs.
na ra da Cadeia do Recite, loja n. 9.
Cobertores de tapete para
escravos
Ja se vendem os acreditados cobertores
de tapete para escravos, a 720 rs. cada um ;
por isso venham a e[les antes que se aca-
liem, ou passem para mais alto prego : n
ra do Crespo, loja da esquina que volla
para a cadeia.
tap Faulo-Cordeiro.
Vende-se esTeclivamente este excellente
rap, na rus da Cadeia do Becife, n. 50, lo-
la de Cunha & Amorim.
Loterio do l io de Janeiro.
Aos 30:000,000 de rs.
Na praga da Independencia, n. 3, confron-
te a ra do Crespo e Queimado, vendem-se
bilhetes, meios, quarlos, oilavos e vigsi-
mos da decima lotera a beneficio da fre
goezia do SS. Sacramento do Bio de Janei-
ro, viudos no ullimo vapor. .Na mesma loja
se mostramas listas desqueja correram.
- Vende-se urna bonita mrala de 20 an-
nos, que pede servir de ama de leite, por
estar criando urna filha dn 3 mezes; um
prelo cozinheiro. de boa lgura, mogo e r-
busto, a que tambem he cauoairo; urna
mulatinha de 10 annoa, dH lin la figura : na
ru* larga do Boztata, n. 48, primeiro andar,
se dir quero vende. '
A 1,60o rs.
______|
riorcal nova em pedra, chegeda ltima-
mente de Lisboa no brigue reraj;o-7'rcira.
I.uvas multo barata.
Vendem-se luva de corea, fio de escocia
sem deleitoalgum propriaspera montana,
pelo ba-aliasimo prego de 390 rs. o par.: na
ra do Queimado loja de miudezas. junto
a de cera n. 3 nos gualro cantos.
Pentea de tartaruga par mar-
rafa.
Vendem-se exeellentes pentes da tartaru-
ga para marraba, a 8U0 rs. o par ; na ra do
Queimado loja de miudezas, junto a de cera
0.33
cabecadns Ingle!.
Vendem-se ceteesdas inglesas roligss e
chatis, loros e silbas de II : na ra do Tra-
piche n. 10.
Sapi tos do Aracaty.
Vendem-so sapatos do Araeaty, por me-
os prego do qne em outr* qualquer parte :
ha ra da Cadeia,ti. 93.
Superior veas de carnauba a pre-
50 commodo:
vende-se na ra da Cadeja., n. 23.
Vend*m-se 900 barricas vasls que fo-
ramdefarlnha do reino, todas americana*,
e por prego mais commodo do que *e estSo
veoderido as padarias, isto por se querer
desoceupar a casa ohde ella* asilo, e a vis-
ta das ditas se tari lodo o negocio : quem
ss pretender, dirija-se rus das Trinchei-
ras n. 9.
A 3$ Joo i-, o cenlo.
Vendem-se superiores charutos de S. F-
lix : na ra do Cebuga. loja do Duarto.
Vondem-te ricaa toucas pera baplsa-
do : na ra do Cabugi, loja do Huirle.
Na loj.-i de alfaiate, na ra
Nova, n. 35, de Jacintho Soarea
de Weneze*, ba um grande e com-
pleto sortintento de obras feitas de
toda* as qualidades ; assim como
se recebe toda e qualquer encotn-
mendfl, para o que tem boas fa-
zen las e habis oficiaes, por 'nao
se promette dar com a maior pres-
teza possivel t tudo por proco
maia commodo 4)0 ,ue em ntr*
qualquer parte.
. Vende-se um* pima de bonita figura,
que cozinha, enguanta perfaitamenta ao.
ae : o motivo por que so vende se dir ao
comprador : ns rus da Aurora, n. 50.
I'upil 10111 a 11 i jo
bordado e colorido, dedilTerenlos frmelos
e desuperioV qualidade, proprio para cr-
tinba de emisade ou versoa de sympathia.
Este papel, ullimo gosto de Pars, he sim-
ple* e bonito so mesmo lempo, tanto o co-
lorido como o dourado, servindo ao mes-
lempo para desenos que se collocam nss
folhas dos albuns das possoas de bom gosto:
vende-se ns livraris do paleo do Collegio
a. 6, deJofloda Costa Dourado
Veodem-se 6 etcravsa, 3 engommam e
cozinham, urna he perfeila engommadeira,
e que cose e cozinha, vest e penteia urna
senhort, as oulras so boas quiUndeira* ;
urna mulaiinha de 18 annos, que cose, en-
Cartas para jogar.
Vendem-se finlsslmss cartas francezaa
para voltarete, chegsdss liltimsmente da
Franga, por prego muilo barato; dilas por-
tuguezss, a 500 rs. o baralho : na ra do
Queimado, n. 83, loja de miudezas, junto a
de cera, nos qualro-cantos.
Um preto bom cozinheiro.
Vende-te um preto de bonita figura, bom
cozinheiro"e melhor comprador, csbellerei-
ro barbeiro, e he de boa conducta : na
ra larga do Rozsrio, n. 48, primeiro andar,
se dir quem*.ndn.
llom e barato,
Vendem-se sspetinhos para criangas; sus-
pensorios para meninos, s 80 ra.; csrleiri-
nhas com agulhas. a 390 rs.; caixinhas
com agulhas rrancezas, a 390 rs.; dilas com
brinquedos para meninos, a 480 rs. ; fran-
jas para cortinados de cama, por prego que
ninguem vende; finissimas tesourss ingle-
za*, s 500 rs. ; superiores eseovinhas par
denles, a 160 rs. ; quadroszinhos dourados
com eslampas de sanios, a 120 rs.; llnhaa
da peso, a 60 rs. a meiada ; agulhas canto-
fas, s 60 rs. o papel; pentes finos para ali-
sar, a 360 rs. ; meie* brancas para senho-
ra, a 3^0 rs. o par ; bengalinhas de junco,
akOOrs.; maracas para meninos, a 300 rs.;
touquinhas de seda preta para criangas, a
500 rs. ; caivetes finos de aparar penas, a
900 is ; icquifts para enfulles do vestidos,
a 200 rs. a vara ; agulheiros da vidro, a 200
r. ; outras muitas cousas que palo dimi- ,
nulo prego nSo dexsrfio de agradar aos.
compradores, e para q uo conhegam que tu-
do Isto he bom e barato, sa'dsrBo as amos-
Iras: na roa do Queimado, n. 33, loja de
miudezas, juoto a de cera.
Meiaa de lula para'padres..
Vendem se meias de lais para padres, as
mais superiores que se podem encontrar,
pelo diminuto prego de 2,000 rs.: na ra
do Queimado, loja de miudezas, junto de
cera, o. 33.
loo sarcosnovosde estopa.
Vendem-se 100 secos novos de estopa e.
algodSo, por atacado ajB rs. cada um : na
ra larga do Rozarlo, Sf8, primeiro an-
dar.
Boa carnauba.
Vende-se a retaln. na ra da Oro* n. *7
Na loja de Moreira & C. na ra
Nova, n. 8,
vendem-se cortes de .gorgilo de
seda para collete, a t,5oo rs. o
corte de covado e meio.
A a,.'ioo rs, a duzia.
Vendem-se a 2,400 rs. a duzia de meias
de algodSo cr o muito encorpadas, pro
priis para livrar a humidade dos ps a
quero pauece de molestias interiores: na
rui do Queimado, n. 10, loja de Jos Das
SimOes.
Trancinbas de lia a 6o rs. a peca.
Vendem-se traciobssdeis* de todas as
odres, pelo mdico prego de 60 rs. a pega,
mallo propriss para enfeiles de vestidos,
ou para outra qualquer cousa que se queira
epplicar : os ra do Queimado, n. 16, loja
de loso Oa* SimOes.
Frascos de agoa de Colonia
a 5oo ra.
Vendem-se frascos de sgoa da Cetonia, a
500,800, 1,000el,500 rs., do Mal conhe-
cido autor L. T. Piver: afUnca-se a sus s-
perioridade; na roa do Queimado, n. 16,
loja de Jos Dias Sime*.
Caixnde colchetesa 70 rs
Vendem-se caixas de clchete*, a 70 rs.
cada urna : a ellas ante* que se acabem : na
ra do Queimado. n. 16, loja de Jos Das
Charutos de San-Flix
a 3,800 rs. a canta.
Vende-se esta superior qualidade de cha-
rutos de San-Felix, os ra do Quimado,
0. 16, luja de Jo Diis SimOes.
It ten bengala.
Na ruado Queimado, n. 16, loja de Jos
Dias SimOes, vendero-so bengajas de muilo
superior qualidade, e coro castoeide diver-
sos gostos, por mdico preg, que muilo
convidar* so com orador.
M
a mibor caroaba que ba no mercado
maia barato que em outra parte.
Copre de forro par navios.
Vende-se cobre de forro para navios
4* superior qualidade, em porgSo e a re-
illio, pelo mais barato prego que tem vin-
0 a este mercado : na fabrica de caldeirei-
rj. ra do lirum n. 28.
>**>> # ###**
a) Vende-se por prego comasodo urna a
*j>. jjoseflo do oarvSo artificial, quem o
pretender : dirija-se ao escriptorio
O) de.A. 8. Corbott, na ra da Cadeia H
e doltecifen. 48. #
tf8ftltWtf>>
Vende-se um sobrado de um andar na
ra da Calcada, acabado a pouco de concer-
tarle: a tratar na ra da* Urangeirasn. 18
.No sobrado da esquina, junto o trapi-
che do Damos, vende-ae drice muito liem
le tu, tanto ecco coa o de calda de lodas as
qualidades, lano em porgSo como a reti-
llio, por prego commodo, e tambem sejen-
gomma e faz o mais servigo de urna cssa ; feitam bocetas a vontade dos compradores.
Vende-sa milho moldo em sacras de 4
preio que serve muito bem a orna casa ega-
11 lia na ra 640 rs. por dia ; um moleque de
afinos, muilo lindo e esperto : na ruado
Collegio, n. SI, primeiro andar, se dir*
quem vende.
TremOC*!.-
Vendem se saccas com multo superiores
tremogo: na ra da Cruz n. 57, por com-
modo prega.
-- Vende-** um esersvo de elegante ''gu-
ra, excellentecarr.iro, e ptimo P*f todo
o servigo, principalmente o do campo, por
prego mdico : na ra do Hospicio n. 9.
Vendem-se ss decada de JoSo de Bar-
ros e Couto, o primeiro he melhor classico
da lingos portogueza em 27 voluntes ; geo-
graphia de CsulTier, I vol.; hllons ssgra-
da por Bemardlno, 2 vol.; poesas do Qr.
loio de Barros : no atierro da Roa-Visla, lo-
ja do Sr. Estima.
Vende-se superior e muito
nova Carino de mandioca, chaga
da agora do S.-Catharina pelo bri-
gue ooares, ancorado na volla do
Forte-do-Atattos: quem a quizer
comprar por menos do que em ou
Ira qualquer parle,dirija- se a bordo
do mesmo navio, ou ao escriplorio
deOJiveira, PaivaSc 0., na rtta
daAlfandrga-Velha, n. 5.
O gerente do contrato do rap de Lis-
boa contina a vender em sua loja este ra-
p, e desrjndo satisfazer aos fregueze*,
tem seguido por a venda o mala moderno,
por julgar ser o mais fresco, a vista do que
declara que se nSo reponsabelisa por qual-
quer motivo que se queira allegar, afiui de
que se receba o rap depoisdo vendido.
A sbrteglande.
Bilhstese cauteUad* loteria de N. S. do
Livramenlo, cujas rodas andam infallivel-
menleoodia 24 do eorreote : vendem-se
V*adem-sa novos corles de bnm tranca- |l0 pBleo ^ Colleo, csa do livro azul.
Molas par grvalas,
Vendem-se molas para grvalas, por pre
co que nSodeixar* de agradar ao compra-
dor : na ra do Queimado, n. SS, loja de
miudezas, junto a de cera1.
Vendem-se 4 Hados moloques
do escuro com dusa varaae meia .cada corle,
4 Aft. -*--g f^i"?-?* H Kn. -n;tc *lA0
rs.; pegas de esguiBo de aiggdKo com 19
taras, a 9,400rs. s pega ; cobertores de al-
godSo de cores, s 720 rs. : na ra do Cres-
po, n. t, loja ao p do lampeSo.
Fecas de esguiao a q,5oo rs..
Na loja da ra do Queimado, n. 17, ao p
da botica, anda tem para vender pelo ba-
rato prego de 2,500 rs.; pegas de esguio de
algodSo, com 12 jardas, muito proprio pa-
ra camisas de senhura, por ser mais largo
que o msdpoISp.
Faca acabar vendem-se,
na ra do Queimado, loja n. 17, cassas fran-
cesas de lia ateras, e de padrfles muito
delicados, a 400 rs. o covado ; cambraias
de cores modernas, a >0 >s. a vara;chita
francezas do melhor gosto que lem vindoa
asta margado, a 320 e 360 o covado. l>Bo-se
as amostras.
- Vende-so cobre em folha para forrar
navio, ferro inglez em barras, arcos, cham-
bo de muoiaflo surtido : em cssa de No.
Calmoni & C aa praga do Commercio,
n. 11.
Pefpalt de cal virgeui.
Mj ru do Toma, n. 12. ha muito sosa.
de 8 a
18 annos ; 6 pretos, seodo dous" ptimos ss
psleiros e um cozinheiro ; 4 pardos de 19*
30 annos, leudo um bons principios de c.r-
pina ; duaa parda* de 15 a 16 annos, com
habilidades; 6 pratas de 12 a 25 aunes, com
algumss habilidades, e que aflo proprias
para lodo o servigo 1 os ra do Collegio, n. 3
.Grvalas de mola.
Veodem-se ricis grvala* de mola pre-
tas e de cores, pelo diminuto prego de 1,600
e 2,000 rs. : na rus do Queimsdo, n. 33, lo-
ja de miudezas, junto a de cera, no* oiia-
Iro-oanlo*.
Carnauba de primeira sorte,
um estrato de bonila figura, e muia po*T
sanie, espatos do y'acaty para honjem e
meoifios de 10 anuo*. saplo dp Couro de
lusiioem-porgSo, esleir*, chapaos, couri-
uhoamiudos, peona* d* em*, cana* com
velas : ludo ciiegado n hule UuviJote, e
vendem-se na rus da Cruz, o. 94.
arrnbas, pelo diminuto prego de 9,560 ra,
sacca, muito proprio para cavsllos, assim
como fariqba de todas ss qualidades : na
ra do Brun n. 28
Vende-se um preto de nsgSo, mogo
muilo bonita figura, di-se cm conla por ha-
ver precisBo ; urna dita, alta, boa quitan-
deira sem vicius nem achsqes ; ums pre-
tinha com principios de costura na ra do
Itangel n. 38, segundo andar sedirtquem
vende.
-- Vende-se urna taverna com poucos fun-
dos, na ra daSanzalfa Velha n, 48 : quem
a pretender di/ija-se a mesma a tratar com
Domingos Jos Moreira.
Bom negocio.
Vende-se ou Irocs-se por cssss Ierres*,
um terreno em frente do qiiarlel do Hos-
picio, o qual lem urna olaria ; tendo de
frente 107 palmos e de fundos desde a ra
da Aurora al a do Hospicio: este terreno
lem logar para so edificar 15, moradas de
casas com mais de 30 palmos de frente, e
200 de fundoa; faz-*e negocio com todo o
lerreno-ou com metade : na praga da Inde-
pendencia 11. 17, para tratar.
-- Na ra Nova n. 4, ioja de atraate de
Augusto Colombier, vendem-se palitos de
linho de difiranles padres, proprios psra
a festa, a 5000 rs.
Vendem-se 60 saccaa de gomma muito
boaeslva, tambem vende-se at ums ase-
es : na ra do Cabugi n. 9.
ffffffwimffwtfM
^Dt'poitoda fabrica cle|
% lodosos Santos, na
Baha.
Vende-se,, em f aa de Domingo* *&-\
ve* Malheus. na ra da Cruz, o. 52, J
f-prlmeiro eudar, algodjo trancado da-S
aquella fabrica, muito proprio para s*c-^
feos e roupa de escravos ; bem coino^,
fio proprio pira redes de pescare P*- gLvios para velas, por preco commodo.^
AAs*smAA**A**A*U*
He ebegado a cata praga o admiravci
licor adte-syphililioo, de JoSoPaesda F-
gueiredo, a aa vende em garrafas a 5,060ra-
caoa unta na ruada Madre-dr-iteos, botica
de Weilck Bravo & C. : as enfermidadeaa
q.ua elle se tem applicado, e naa quaea tem
obldo fa voraveis resultados, sao as segua-
les : esquines*Bias, pleurices, apostemas In-
ternas e esterara eoutros quaesquer tu-
luores e inflamagoes, quedas, contusOes ,
puntadas, clicas do estomago o baixn ven-
lio retengOsa de orinas, conslipagews, ma-
lignas, febres, SAciadade faltaa de respi-
ragSu, spoplrxias, psraliziss ou estupores,
toises e grandes defluxos, asmas ou puxs-
i.enlus de pellos, doiea reumticas e gli-
cas, molestias glica ou veneraes, aoavar-
cas, li>dropi'sias, abscissos, ddres scialiras,
ele, ele, ; facilita os partos lentos eacci-
(itnlsas, prpmova a meaatruacSo, cura aa
conslipagOes e malignas sobre os partos,
dores de madre e mala encommolos que a-
lonneotaui parida,s, e ha tambem ppli-
cavel al as mangas receni-nascidas, cu-
jo melliodo imuuciuso da applicr-se a-
companuaa respectivas garrafas, que a to-
|dus serecommejdso).

Ecravos fgidos
5o,ooe rs. de gratiiieaco.
Pglo, no dia 11 de abril do presente an-
eo, a preta Mafia Joaquina.de nacJo Congo,
de sos 40 annos, baixa e chela do esjrno.era
l.rga, 6r relima, olhos vivos matos gran-
des, feieoea grosseiras; tem um pequeo
aignsI deesrnesobra o beieo snperior ato
lado direito do nariz. Esta preta jToes-
rrava dn engenho, e o anno passado ra de
urna crioula denome Felieidade com quem
dita preta andava pelo mano vendendo
miudezas, por cojo molivo ella sabia quasi
todas as povoagde* desta provincia; he
muito ardiloaa capaz de rlludir qualquer
pesaos que a no conhega, pode incobrir a
sus fuga com o iwgocta de miudezas, pas
j oulra vez qne fogio foi pegada no enge-
nhe 8 -Anna cora um bala de miudezas
que andava vendendo. Quema pegar leve-a
a praga da Independencia, n. 17, que rrce-
bera 50,060 rs. de gratiflesefto, e quem del-
la der noticia certa recebe a 20,000 rs.
Desde o dia 98'do mez prximo passa-
do que rugioocoMla andar pelas ras des-
ta eidarfe, om preto crioulo, de oome Lino,
de 22 annos pouco maia eu menos ; levou
calcas preta, jaqueta de risesdoe chapeo de
palha ; masas vezea cosluma mudar da Ira-
jes : quem o pegsr leve-o a capitana do
porlo, eue se pagar bem o trabalho.
Kiigio, no dia 95 do prximo passado,
o eseravn Leandro, crioulo, cor fula, de 22
annos pouco mais ou menos ; he baixo, ros-
to bem redondo, denles limados; andava
vendendo leite ; consts que seguio a estrads
de Goanna, e diriga-se para ttabaiina.
Boga-se as autoridades polciae s cspilSes
de campo, qo o apprehendam e levam-ao
seu senhor, Jos HercolaOo de Carvalho,
no Monleiro, aillo de Telxeire Beato, que
serio gratificados.
No dia primeiro do crvente, fugio, do
sitio das Roseiras, do roajor Joaquim l-.lias
de Moura, o seu esersvo Jacob, de 30 an-
nos pouco maia ou menos, de estatura pe-
quena, er fula, testa grande, ovado e com
urna cicatriz, olhos afumacades e vista fi-
za, sem barba; quande falla contrabe os
heigos e mostra oa denles, peitos arc.r.eados
para fora, pernas finas e meias tortas, ps
grandes e os dedos grandes' dos mesmos
aberlos : qnem o pegar leve-o ao dilo sitio
seu senhor que ser* gratificado.
Fugio, no da 3 do corrate, o preto
Jos, crioulo, oflicial de marceneiro. de 20
annos pouco asis ou menos; he alto, de
corpo reforcado, beigosgrandes, nariz Chi-
to : quem o pegar leve-o a ra di ('ru*, no
Becife. o. 19, casa de Jlo Leite Pita Orti
gueira.
-- FogiO, no dia 2 do correte, da* povoa-
SBo da Boa-Viagem, pelas 8 horas e meia
a noite, urna escrava criouU, de oome
alaria, de 23annof, de altura regulas, ca-
bello cortado, olbos grandes, macaca do
rosto altas, refrita do corpo, cor bem preta,
ps pequeos; quando falla cosluma cru-
zar os bragos pela cintura, falla um lano
grossa; levou vestido de cbila de. palmas
rOxas, com asseulo brsneo ja desbotado,
camisa de madapolu, panno nnvo da Cos-
ta'com franja branca, um cordSo de lina*
no pesrogo com urna medalha milagrosa,
lisia escrava foi comprada em 12 de novem-
bro proxirr o passado, ao Sr. llaooel Jos-
auim Pascoil llamos, aue s receben do Sr.
Vit. Vicente Pereirs do flego.par vaode-la,
tendo j sido escrava do Sr. Albino de Jar
sus Dandi ra. Itoga-sea* autoridades pvli-
cises e capitSes de campo, que a, api rehen-
dan c levem-na la da l'raia, n. 39, se-
gundo andar, ou a ra do Collegio, a casa
do dito Sr. Pascoal Hamo*, queserSo grati-
ficados ; assim como se protesta conir
quem a liver orculla,
Ao amaiihecer do dia 4 do corrile, fu-
gio o escravo Joaquim, crioulo. de 24 auno*
pouco mais ou menos, bem a figurado > '*"
padaudo, olhos grandes, nariz e bocea re-
gulares, com buco de barba, roSn* hew ff|'
Us, ps peqnenos e mal feilos ; he coii-
uheiro ; schava-sc lia mais de 3 aiae* alu-
gado a Joaquina Currea, com renda e mo-
rador ha run ment, acontece qu
nSo convindo o saaeor a conserva-l em l-
der do dilo Corris, por mais lempo, o rt-
tiruu, poriri este 110 flm de 3 rites, sem o
menor motivo ausenton-a* de rneq lavando
lods roupa e ulirs de 20 libras de carne ate-
ca : quem o pegar leve-o a rus Nova, se"
senhor. que erallfiesr.
'


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E2B0KC9E5_96VQPL INGEST_TIME 2013-04-24T18:22:15Z PACKAGE AA00011611_07231
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES