Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07230


This item is only available as the following downloads:


Full Text
-
Anno
r
XXVI
I 11*1111

Sabbado
"I i i i'
fABTIDAl OS COBBXIOS.
Goiauua c PaVahlba, s segundas e sextas felras.
Kio-Graode-do-Norie, todas ai quintas reiras ao
alo-din. u-
Serinhem, Kiu-Formoso, Porto-Cairo e
:ei, nul.'.a II e 21 de cada uici.
.aranbuns e Bonito, a 8 e 23.
Itoa-VUta e Florea, a 13 e 2b.
Victoria, s quintas feiras.
O.lnda, lodos os din.
tMSnMB!
Phasej Di LA.
SFHEMiaiBEa.
Nova, a 3, as 2 e 56 m. da t.
Cresc. a 11, as ti h. e 17 m. da t.
Chela, a 19, aa 2 b. e 3Sni.da.iu.
Mlog. a 25, s 6 h. 54 m. da t.
VKEAMAR SK KOJK.
Primeira aa 7 horas 42 minutos da manhaa
Segnoda as 8 horas 6 minutos da urde.
de Dezembro de 1850.
N. 278.
CBEOO DA ftCBSOftirglo.
Por tres meses (adlautadosj -i<000
Por seis mezes 8/000
Por um auno 15J-000
DAS DA IMAKA.
2 Seg. S. Bibiana.
3 Tere. S. Francisco Xavier. And. do J. da 2.
' v. do cirel.edo dosTeitosda faienda.
Quart. 8. Barbara. Aud. do i. da 9. v. do clvel.
5 Qulnt. Geraldo. Aud. do J. dos orf. e do
in. da 1. v.
6 Sest. S. Nicolao. Aud. do J. da 1 v. c. e do
doa feilos da faienda
7 Sab. 8, Ambrosio. Aud. da Chae. do J.
da 2. v. do civi'l.
8 Dom. Conceifo de Nossa Senhora.
CAMBIO EM BX 8 MIIMBBO.
Sobre Londres, a29 1|2 t 30 d. p. I/XJO ra. 60 dia
Paris; 333 por Sr.
Lisboa, 100. por cento.
Ouro. Oncas hespanholas ..... 29/500 a 30/080
Moedas de 6/100 velhas. 16/200 a I6#&0(
de 6/400 novas l#OO0 a 16*200
de4000....... 9/00 a 9/20O
Prata.Pataces brasiltiro.... l/60 a 1/980
Peaos columnarios..... 1/960 a l/>
Ditos mexicanos........ 1/700 a 1/7*
4RI0 DE
PARTE FflCUL
GOVERNODA PROVINCIA.
expediente do da 30 de novembro.
OrUcio. Ao com mandan te daa arma,
dizendoquevai solicitar a viuda para rala
fovincia vio lenle coronel graduado Jos
to da Silv, iflm de tomar conla do com-
ndo do primeiro bstalhSo de ccadores,
para que oi nnmeado, e que, emquanlo ea-
se nflleisl se tilo vrresent, pie cnndir in-
lerinaaienta o rommamlo do referido na-
lalbilo ao major Jo9o Nepotnuceno da Silva
Portilla.
l>Ho. A thuouraria de fazenda, trans-
tnittjodo o aviso de urna leltra na impor-
tancia de 871,700 rs sacada pela thesou-
raria do Rio Grande do Norte sobre a dest
e a favor de Antonio liento da Cunta.
Participou-seaoExm. presidente daquella
provincia.
Dito. An commendador Francisco An-
tonio'de Oliveira, recomien Jando que faca
entregar a administradlo dos estabeleci-
mentos de car i dada, para ser applicada a
obrado grande hospital Pedro II, iiommi
que resta e.o seu poder dos dinheiros d-
sulrscripcflo agenciada na corle om benefi-
cio das vluvas e orphSos desvalidos dos que
perecern) eui defesa da constituidlo e or-
den, publica, e dos que pelo mesmo nioti-
vn licaram inutilisa los, visto ser este o pa-
recer da resppct1 va commissAo, e hem as-
sim quecommunique a presidencia qual a
su imrnrlancia. Neste sentido olllciou-
se a referida adminislracflq.
Dito. A pagadura militar, para que, -
visla da coola qu remelle documentada,
mande pagar ao director das obras publi
cas a quantia de 62,280 rs. em que impor-
tam os objeclos que por elle se nunlou
comprar a rcquQSo do capitflo de enge-
nheiros ChrisanorareiiajaeAaeredo Cnu-
tinlio. Inlelligenciou-se ao mesmo di-
rector. .
Diio. Ao arsenal de marinha, dizendo
que i orle fazer seguir para as Alagoss a bar.
baca Primavera, adra ile trazer um carrega-
monlode rnaderas
Dito. A tnesoursria da faienda provin-
cial, para que, avista do certificado paasa-
do ielo director das obras publicas, mande
pagar ao arrematante do primeiro laen do
eniharrean' uto da estrada dosul Jo-quim
Ctrneiro de Sguza Lacerda a importancia da
segunda prestatario do sru coulralo. Com-
municoii-se ao referido director.
Dito. A mesma, ordenando que, ivista
do certificado passalo pelo director das
obras publicas, mand pagar ao arrematan-
te da obra da continuatfli) do raes do lla-
mos Josfiomingues Codeceiraa importan-
cia da segunda preslscSo do seu contrato
' ptiflcou se ao mesmo director.
Ao primeiro supplente do juiz mu-
da primeira vara, iccusando recebi-
dss af guias dos sentenciados, vindos do
Cearcom destinos ilha de Fernando afim
de cumpnrem all suas seutencas, e dizen-
do queoppnrtuuamento Ihe ser communi-
cada a partida do navio, em que devem ser
elles transporlados para a mesoia iiha.
Poitaria Mandando por em liberdade
orecrula llerrulano da Itocba Wanderley,
que apresentou isencao legal.
[lila. Ordenando aocommandante Jo
brigue Culiope, que quaodo seguir psra a
corle, nSo havendo inconveniente, trans-
porte para alija, Francisco Xavier Cavalcao-
li de Albuquerque, Paulo Chaumau, niada-
inii lloealia Cauville coui tres filos e um
aV-
Dita. -- Ao mesmo, psra que transporte
psra a corte a Flix de Olivena Paz, que te-
ve liana do servico do exercito.
Dita. O presidente da provincia de Per-
Tian.buco em execucBo do artigo 6.* do re-
gulamenlo que baixnu com o decreto n.
689 de 30 de julho de 1850, oomea par aer-
viremde peritos ou pratieos do commercio
as questoes de que trata o 5.'do artigo
i.*don>smo regulamenlo, os negociantes
constantes da seguinte relscSo, sssgnada
pelo olllcial maior da secretaria da presi-
denci-; e manda que a dita relacSo aeja re-
mellida a tbesouraria de fazi'oda desta ci-
dade para te^ o s- u effeilo.
l Antonio liotelho Pinto de Mtsquit, Anio-
asa Francisco Pe re ira, Antonio Joaquim de
Sonza Ribeiio, Antonio Jos Rodrigues de
Souza Jnior, Antonio Marques de Amorim,
Antonio Vslentim d Silva Barroca, Bartho-
iomeo francisco de hnuza, Caelano d Cus
ta Morena, Ignacio Manoel Viegas, Juto
Baptista Fragoso, JoUo Cardoso Ayres, Joan
FraBBWeo da Cruz, JoSo Jos de Carvalho
Morai-s.JoiO Jos da Cruz, Judo Piulo df
leo**, Jolio Pinto de Lemos Jnior, Joa-
quim'de Almelia Pinto, Joaquim Jos de
Amorim, Joaquim Jos Pinto GuimarSes,
Jos Anlonio Bistos, Jos Candido de llsr-
ros, Jos l)iss da Silva, Jos Comes Leal,
JosfWo de Ainorlm, Jost.uiz Pereira, Jo'
s l'reira da Junha, Jos Rodrigues Perei-
ra, Jos dos Santos Nees, Luiz Antonio de
Siqueii, Maooer Duarie Rodrigues, Maittiel
Cmicalves da Silva, Manoel Ignacio de Oli-
veira, Manoel Joaquim Ramos e Silva, Tlio-
mtz dewqulno Fonsec, Thomaide Aqui-
no Fonseca Jnior e Vicente Jos de llrito
-- Reaietteu-se copia da relacao supra ao
inspector d th'esourarla de fazends.
bro, tudo desio anno, com as declaraces
exigidas por V. Exc.
Daos guarde a V. Exc. Quartel do com-
mando da fortaleza do Brum, 1* de dezem-
bro de 1850. lllm. aExm. Sr. commen-
dador Jos Ildefonso de Souza Hamos, pre-
sidente da provincia.
Antonio Comei Leal,
Tenente-coronel e commandnte.
a. o, a a. o. a.
Sffffl
.D.Q.Q.O.
f n *
e S "5-'
e 2q =
~ n a H
o. o. o-a ao-3
i* n i ** 2
S5-i.??s
3 ?:
*
1
o. S
5
I f
?
a. B
2. >
8 ?
3 9-
ti 82
- o X' .
1 c a
?*
1 = 5:
> 13
.. C) O -J ..
k> si ^ ^ a ot
^j3'A.^ !Zv*-
Ti eram para o
deposito.
Foram posto em
liberdade.
22SSS25;
Rrgiinental
Oe Marinha
1
R estavara
apurado.
Jt
?'"*
*S2
iJ
siit
m
til
i*
if
'i'
in
*o.S-
M
t]
^FRNAMBUrO
M*. t Fzm. Sr. Em observancia so
o flelo de V. Exc de lioutem datado, tenho
honra de aprsenla a V. Exc. o mapps dos
individuos, que tero sido racrulados, e re-
uicttidoa para o deposito dests fortaleza,
desde 18 de msio at o ultimo de novem-
CAMAHA MUNICIPAL DO BECIFB.
SISSAO EXTSAORDINtaU DI 18 DI NOVIMBaO
bs 1850.
Prtildencia do Sr. Olivara.
Presentes ns Srs. Berros, Carneiro Montei-
ro, Mamede.Vianna.e Pires Ferreir faltando
com causa participado o Sr. Figuairedo,
e scni ells o S/. Moraes, abrio-se a sessSo, e
foi lida a approvart* anta da antecedente.
Foi lido > seguinte expediente :
Um cilicio do Exm. presidente ds provin-
cia, commuhicando ter recommendado [ao
inspector ds tbesouraria da fazeoda a ex-
nedico de suss ordens, no sentido de serem
despachados isentus" de direites, nos ter-
mos do 3 srt. 1 do regulamenlo n. 633 de
28 de agosto do anno prximo pastado as
50 barricas de cimento iiue se acham na sl-
fandega, vindas de Hsmburgo por coola
desta esmara. Inteirsda.
Ootro, antorisainlo a esta cmara adaras
providencias necessarias para que as ses-
sdes do tribunal dos jurados deste tero o,
tenhim lugar no edificio em que actual-
mente est a vaccina, urna vez que destine
na c*>a de suas sesses urna sala sufliciente
psra nella se effectuar a vaccina : que se res-
ponderse a S. Exc nlo ae poder effectuar a
mu linca do tribunal para o edificio indi-
cado, por isso que a cass da cmara nBo
lem capacidade para acommodar a vaccina.
Oulro, autorizando a cmara a despender
al s qusntia de 3 660,000 rs. com a con-
elusfio da obra do aqueducto do pateo do
Carmo, visto se ter com ella esgotsdo todo
o emprestimo de 8.000,000 rs. feito pela
tbesouraria ds fazenda provincial. E que
se communicasse ao procurador e contador.
Oulro, approvando as despezas que por
ordem desta cmara se fiscam no anno
municipal prximo lindo, na importancia
de 637,620 com clcamentos de ras even-
tuseseoutras pelos saldos de outrss ver-
bas, visto se lerem esgotado as respectivas
quo as, antes de se lindar o mesmo snno
que se participasse ao contador e procu-
rador.
Oulro, do chefede polica interino da pro-
vincia, participando tardado ordem ao sub-
delegado da freguezia de San-Jor para
fazer evacuar o quarto da ribeira da mes-
ma freguezia, destinado para recolbimento
das medidas de farinlia e dos objeclos dos
vendedores deste genero, o qusl se acha oc-
cupado pela guarda de polica, ah postada:
Inte irada.
Oulro, do procurador pedindo autorisa-
clo para provero tribunal dos jurados dos
objeclos que forem requisitados pelos jul-
zes, presidentes do mesmo. Autorisou-se.
tmt'o do mesmo, pedindo que se reco-
Ihesseao cofre a quantia de 12:000 000 rs.,
que recebera da tbesouraria provincial no
lia 15 do correte por conta do emprestimo
de 40:000,000 rs. para as obras do cemite-
no publico:-- Que se recolhesse.
Ontro do escrivSo interino do-tribunal
do jury desla cidade, requisilando novo li-
vro para as setas das sesses do mesmo por
se ter findo o que serva. Que o procura-
dor foi necease.
Foi approvado um parecer ds commissfio
da polica, dando por conferidas e exacias
as conlas da receita e despeza municipal,
no mez prximo findo apresentsdas pelo
procurador com o respectivo bslancete.
Mandou-se scientificar ao mesmo procu-
rador.
Foi igualmente approvado oulro parecer
da commiss9o encarregada de examinar a
reedificarlo que na ra ds Alegra est fa-
zeno Miguel Felicio ds Silva. E de con-
formidade com o mesmo parecerse delirio
a peticBo do reqoerente.
Mandou-se expedir ordem ao procurador
para fornecer o dinheiro preciso aos concer-
tos e augmento da ponte do Montei ro.
Compnreceu e presin o juramento do
estallo Jos Mara Geraldas primeiro sup-
liente dos juizesde paz do segundo des-
trelo dos Afogsdos.
Mandou-se remetter a commssSo de edi-
fieacRo, os requrimentos vindos d presi-
dencia para s cmara informar, de Thomaz
de Carvalho Paz de Andrade, de Ignacio Fi'-
mo Xavier, de Firmioo Joe de Oliveira, de
Francisco das Cftg, de Ceido Perer
Dutra, de Basilio Magno dos Santos, de
Jos Henrique Longuinho e suas IrmSas,
todos pedindo aforsmentos de terrenos de
marinha.
Despchram-se as petlcSes de I). Antonio
de l.ocio e Silbes, de Anrigio Jos da Silva,
de Domingos Francisco Tsvares, de Gulher-
me da Silv GuimarSes, de Jscintho Jos do
Souza, de Jos Bernardo Salgueiro, da Jos
Gomes ds Silva, de Manoel Antonio Pereira
Rsmos, de Miguel Felicio da Silva, de Se-
verino Henrique de Castro Pimental, de Vi-
cente Ferreir a dos Sanios e levsntou-se a
sesso. Eu. Manoel Ferreira Accioli, se-
cretario interino s escrevi.
Declaro em lempo que nSo se adiando
presente um dos clavicularlos do cofre, o
Sr presidente recebeu e levou os 12:000,000
rs. recebidos da tbesouraria provincial.
Accioli, o declarnu. Barros, pro-presiden-
nte.Vianna. Mamule.l.anieiro Monleiro
ferrrra ^____________
JURY DO HKUIFE.
4." SESSAO ORDIIURIA DESTE ANNO.
Presidencia do Sr. lir. Res e Silva.
Dia 29 de novembro de 1850.
A's onza horas da msnhSa, faz-se a cha-
mada e acham-se presentes 41 Srs. ju-
rados.
O Sr. Presidente sbre s sessflo, multando
aos Srs. que deixiram de comparecer sem
causa Justificada.
Procede-se ao sorteio do coocelho, que
tem de julgsr a r Florencia Mua da Con-
ceicfio, aecusada de haver asssssinsdo a seu
marido com urna, faesda no peito esquer-
do. da qual-succiimbio immediatamente.
Fica constituido o concelhocom os Srs.:
l'mlieliiin Guedes de Mello, Firmino Jas
de Oliveira, Anlonio Epaminoodas de Mello,
Victorino Jos da Souza Travassoa, Manoel
Luiz da Veig, JoSo llinize Sijva, Domin-
gos Antunes Villaca, Frederico Auguato de
l.emos, Jos Verissimo dos Aojos, Jos Can-
dido Gomes de Sa, Francisco de Paula Ma-
chado eJoSo Baptista de Araujo.
Prstamo juramento do estvloe em se-
guida he interrogada a r pela" manen a se-
guinte^
JttiS"Como se chima ?
H Florencia Mara da ConceicSo.
JuisSabe porque foi presa e proces-
sda ?
*~Sr. nflo.
JuisQuando a piendersm nSolhe disse-
ra m a rasSo porque.'
RQuando me prenderam disserim, que
me prendan.'.
JuisMas porque
RN3o me disseram, nSo
JuisNSo ourio diier porque a pren-
diam ?
JM--()uvi dizer.
Juis-Porque ?
R--Alguem est livreda um falso T
JwisMas qual foi o falso ? Onde a pren-
deram ?
R NSo me prendern em casa porque
eu tinha ido para outra casa.
JuisMas porque s prenderam *
R NSo me disseram.
Jui'2--Mas nio ouvio dizer porque era
presa ?
ROuv dizer.
luizEntilo qusl foi o motivo t,
RPorque dizem, que meu marido tinha
morrido e eu nSo vi, oem sei.
Juil.embra-se do dia em que morreu
leu marido, segundo dizem .'
RNSo me lembro.
Jur'sSsbe que seu marido foi morto com
urna facada ?
e--N8o sei nSo ; se eu nSo vi.
JuisAonde eslava na occasilio em qoa
mataram seu marido, j llnha chegado de
fra ? Soub ) quem O matou f
R -NSo sei, nSo.
JisEm que lugar foi morto sea ma-
rido f
REu sei elle em que lugar foi morto ?
Eu nSo vi como hai da dizer f
JuizComo se chamava seu marido?
RChsmavs-se Vicente Ferreira.
JiH'a Foi presa no dia em que morreu seu
marido, ou depois?
REu sei se elle morreu oeste dis, ou
nSo .' Eu sel que me prenderam.
JaiDj que morreu seu marido?
Je-Eu sei elle de que morreu ?
Jur--Sahe escrevert
BSr. nSo.
A interrogada be prela, representa ter 45
annos ; he aecusada de haver assinado a seu
msrido, nSo ha testemunbss de vista, mas
algumas se referem ao dito do filbo menor
da aecusada, que na occasiio do conflicto
salura, dizendo miaba mSi matou a meu
pai, lendo a l depois disso se evadido pa-
ra osa de um seu prente onde foi presa,
sendo encontrada no acto da pristo com os
peitos ensanguentados.
Procede-se a leitura das pecas do pro-
cesso e Ondas as sllegices pi e contra
a r
0 Sr. f residente faz o relatorio ds caasa
e entrega ao concelho os seguiotes
QssUos.
1 A r Florencia Maria da Conceico
praticou o facto de que he aecusads de ha-
ver dado urna facada em seu marido, da
qual Ihe resultou a morte ?
2. A r commetteu o mencionado cri-
me cora a cireumstancia aggravaute de a-
buso de ennfianca nella pota 1
3.* A r commetteu o mencionado crime
com s cireumstancia aggravsnte de ser im-
nellida por motivo frivolo?
4.* A r cnmmnnlau o mencionado cri-
me com a cireumstancia aggravante do ser
em lunar ermo ?
5 i Existam circumstancias attenuaates
a favor da r ?
O jury remitiendo sala das conferen-
cias, volta pouco depois. responden lo sim
quantn so primeiro quesito por 11 votos, e
nSo quanto aos nutros por unanimidade.
O Sr. Presidente conformando-se com a
decisSo do jury, condemus r a 14 annos
de prsSo simples, grao medio do art. 193
do cdigo penal. Levsntou-se s sessSo is
5 horas da tarde,)
Dimit HE PMHBDCO.
r.cirr, 6 de dezembbo di tss.
Em outro lugar damos publicidade ao
mapps dos recrutss que desde 18 de main,
(data da actual adminstracSo provincial)
atoulti-no do mez prximamente findo,
entraram para o deposito, dos que foram
postos em liberdade, dos que fallecern!, e
jos que restavam api tirados. Temos ouvido
clamar contra o rigor do recrutamento, e
portento chamamos a attencSo publica so-
bre esse documento ; enmquanto esteja-
mos persuadidos de que urna censura justa
nflo assentarii no numero dos recrutas,
otas sim as sus qualidsdee circumstsn-
oas. NSo he bastante dizer-setem-se re-
crutado umita gente, seria necessario mos-
trarle que tem se deixado de attender as
isencOes recommeodadas na lai. Os leito-
res estarSo lembra los de que a presiden-
cia recoinmendou, as pecas que em occa-
slflo opportuna publicamos, a maior cir-
cumspQSo para se nSo'coniprehender no re-
crutamento n3o lentos iulividuos isentos
pela lei, como mesmo aquelles que vivendo
le hon"sto trabalho poJassnm fazer falta
a commercio, a lavour, industria Ha
de presumir-se que tenha h ,vi lo exempl
da parte das autori ladea no appurar os re
rru: as em sen s districtos.e entretanto o map-
pa que publicamos da um terco dos recru-
tas escusos pela presidencia, o que deixa
patente a moleracSo com que neste obj>c-
to ba procedido o goverun da provincia
Em mais de seis mezes tm si loappura los
320 recrutas, e postos em liberdade 158.
SSo mohecidos de todos os esforcosque o
governotem eropregado, sem resullalo al-
gum, para obler voluntarios, he manifesta a
necessi lade, na falta de voluntarios, de re-
correr ao recrutamento, nSo s para com-
pletar-se o quadro do exe>cilo elevando a
forrea ao computo votado.como psra supprir
as vagas occasionadas por morta e diserco
e por haverem pragas completa lo n seu
lempo da servico. as circumstancias em
que se lem achado o paz, ameacado de
urna guerra com |o estrangeiro, nSo erra-
mos por exgerados, pensando que o go-
verno precisa de mais dez mil pracas ; e
sendo esta provincia a terceira em popula-
cho, qualquer com prebendar, quo se se
lizesse s distribuicSo dos recrutas propor-
conalmanle, nSo Ihecaberia contribuir em
urna ra.-flo mais favuravol. Fazemos votos
para que cesse a necessidade do recuta-
mento : sentimos no fundo de nosso cora-
cHo, sempre que algum de nossos patricius
he conslrangidoa um servim, que nSo esta
nos nossos hbitos, e para o qual todos tm
repugnancia, mas nSo podemos deixrde
censurar esse clamor que ISo injustamente
se procura entreter boje, dando lugar a en-
lrevar-se um syslhema de indispor o povu
contra o governo, o povo por cuja sorte o
governo tanto se mostra interessar. Se se
consultar os dados estslisticos ver-so-ha,
que anteriormente nos lempos ordinarios,
quando as circumstancias nSo urgiam lan-
o, se faza nesta provincia o recrutameniu
pouco mais, ou menos nests proporcSo.
NSo ha muito lempo lemos em urna folln,
que s na capital se poderia appurar para
mais do 200 recrutas lirados dos mocos que
serviram no corpo de voluntarios; se as-
sim se abunda de pessoas nss circumstan-
cias de serem recrutados, como eiri.jr-;c
que em mais de seis meses se tenha appu-
rado em toda a provincia 320 recrutas ?
Foi nomesdo, e tomou conta da regencia
do graude hospital de caridade o Sr. l-
ente coronel reformado Autonio Germano
Cavalcanti: a esculla nSo poda recahir em
pesso* mss proba, e de melbor capacidade
para seoielbante lagar.
Domingo, 8 do torrente, pelas 3 e mei
horas da tarde lera lugar a ollocacao da
primeira pedra da nova casa ce deienc&o,
que se vai edeliear.
Correspondencias.
.Sr. Redactor. Desde que se tratou da
escolbados depulados commerciantes, que
teerji de compor o tribunal do commercio
desta provincia, a opioiSo publica, unifor-
me como o pensar de um s homem apon-
tou os Srs. Jos Pires Ferreira, Manoel
Conslves da Silva, Jofio Pinto de Lemos
Jnior e Jos Jernimo Monleiro; e tao
acertada me pareceu a escolba neste senti-
do, que apezar de abundar o corpo do com-
mercio de capacidades, que perfeitamente
satisfazem todas as eondices da elegihi-
lidade, psra logo fiz o proposito de formar
com aquelles nomesa minha lista ; tenhn
porm ouviio que alguna elaitoras. qun
lis astSo comnleUmehte convencidos da?
eTcetlentes qualidades qae recornTiendaTi
o Sr. Pires Ferreira para lugar lio i nnortan-
t\ nutrem duvUas sobre a lagali laJn do
sua eleicSo, e sendo estas infundadas, jul-
io conveniente instituir dlscmfto a*tn
ewapeito, ns vistas de a-ralar o inconve-
niente que se d^ria, de ficar o tribunal pri-
vado de um tilo conspicuo membro, por
urna errada anpticacSo ds lei.
Os que pensam qna o Sr. Pir"s Ferreira
nSo devo ser votado, invocam a ultim psr-
edoart 3. do decreto n. 696 da 5 de se-
tembro ultimo que diz assim.
as primeiras eleigoas que se proen-
ler, se algum negociante, cuj nomo mo
tenha sido inscripto na lista geral ( art. 5 )
POrsenSo adiar matriculado na junta do
commercio, obtivar maioria tal de votos,
que Ihe competira ser deputado ou sup-
olenle, se mstriculado fosse na referida jun-
te, a sua eleiQlo ser valida, mas s poder
tomar assento no tribqnsl do commercio
respectivo, depoi que nelle se hoover ma-
triculado :
F. srgumentam do seguinte modo :
Segundo esta dsposieflo, o Sr. Pires
Ferreira que nSo ha negociante matricula-
do na junta do commercio, urna vezeleit>
deputado, nSo podar tomar assento no tri-
bunal sem que primeiro sa matriculo, mas
oara matricular-se alguem no tribunal do
commercio, exige o art. 4. do respectivo
co ligo, qu faca da mancanc i o'ofia.s.i ha-
bitual, o que n.lo se da i respailo do Sr, Pi
res Ferreira, e portanlo, nfio poder matri-
cular-se, e consequenlamenle nem tomar
assento no tribunal, cireumstancia em qun
ne intil sua eleicSoe nSo deve ser vo-
tado.
Esta argumentac.lo he palpavelmente vi-
ciosa ese as regrasda logici nflo falham,
conseguiremos mostra-lo com a maior cla-
iesa, e evidencia.
Note-se primeiramenle, que a disposiQSn
do regulamenlo que cima copiamos, sup-
pfl o caso de haverem negociantes matri-
culado em numero suffieante para a com-
posico do colljio elaiinral, enSolieap-
olicavel nossa bypntheso,em que se at-
mltio votar negociantes nSo matricula-
dos por Torca da disposfcSo do art. (4 do
titulo nico do co 1. do com.acarea da a Im.
la j'ist. nos negocios e causas co-nmerciaes:
St algum negociante, diz o regulam-nlo.cujo
nome n/tn tenha sido Inscripto na lisia geral
por se nao achar matriculado na mita do com-
mercio, obtiver maiorla tal ds votos, ele po-
der tornar assento no tribunal do commercio
respectivo, depois que etc., mas o Sr Pires
Ferreira nao deixou de sar incluido na lista
geral, ao contrario foi nella contempla lo,
e nSo o po leria ser desde que nlo ti esse as
habilitacOes de negociante. Demais o ait.
4 do citado regsjlamento muito expressa-
'u en le diz o seguinte :
Tolos os commerciantes que tam voto
activo p lem ser votados no coilegiocom-
nercial do destricto de seu domicilio,
comanlo que lenham 30 annos de idide,
' 5 de proflssSo habitual do comme'Cio.
Assim, pois, as nicas exceptes postas aos
volantes para nSo -ere n v da los limitam-sa
a idade da 30 annos, e 5 annos de pros-
sfln habitual do commercio : ninguem con-
testa ao Sr. Pires a idade de 30 annos, nflo
trataremos pois disso, quinto segunda
excepcHo nSo se verifica a seu resueno ; ou
i) la tem muitos annos de proflssSo habi-
tual do c immercio, OU nSo he negociante,
visto nunca ter alterado sus posicln uoiia
praca, mas sa nflo he negociante, eutflo nflo
lavia ser inscripto na lista dos votantes.
Considera-lo como negociante para volar ,
eexclui-lo de negociante para ser votado,
ne um contrasenso, que silla aos olhos da
lodos.
Daremos fita as ohservacOes que nos nc-
corre n sobre este punto da queslflo, ex-
ooodo que na bypothese, que se ver fica,
le estar s lista formada com negociantes
nflo matriculados, pdera os deputados to-
mar assento aoles de matricular-se, nflo
porque o regulamenlo trata de outra es-
pecie, como porque, devenios matricula
ser feita parante o tribunal, nSo havendo
uegociantes matriculados ja, como se ins-
tallana este ?
Agcr pssssrcnios 5 cc"s;.of qaio
debaixo de outro ponto de vista.
Admittimos queoSr. Pires Ferreira he
negociante (e se o nSo he nflo podia aer
inscripto como votante, he esta urna qus-
iflu de faci explcitamente decidida pela
commissflo da pra^a do commercio j a con-
cedemos que actualmente nto faz damcrcan-
cia prossio habitual ; concedemos mais
que para lomar assento no tribunal do com-
mercio, quando eleito para isso, deva pri-
meiramenle matricular-se ; mas pegun-
taremos, o Sr. Pires Ferreira nSo pode ma-
tricular-se no tribunal respectivo ?
O art. 4.* do coJ. com. invocado pelos .
que d'.zemque nfio, dispoein assim.
Ninguem he reputado commerciante
para efleito de gozar da protecco, que este
cdigo liberaliza em favor do Cummercio,
sem que se tenha matriculado era algum
dos tribunaes do commercio 4o imperio, e
fca da mercanca profisafio habitual
art. O.'a)
Desta aimplea expsito resulta coan a
clareza da luz do meic-dia, que psJe-ae
ser matriculado sem fazer da mercanca
profissflo habitual. O exercicio da mer-
canca he urna condiecSo independen' do


I- -
!.
------
^
negociante matriculado, que le exige
posteriormente i matricula par* que aquel-
lo poswgozr di protervo, que o cdigo
liberalisa ; e que dentis h maisse presu-
me desde a publicaeSo da matricula como,
lie expresso no arl. 9.* referido, que diz
assitn:
Oexerccio effectivo do commercio pa-
ra todos os effeitos legacs presume-se co-
mecar desde dala da publicando da ma-
tricula.
I". lnto he assim que o arl. 5., especifi-
canilo os requesitos da peticto de matricu-
la nflo contempla o de que temos fallado
Consulte-se ainda o art. 6.' que manda ma-
l iuular a quem mostrar que lem capaci-
daJe legal para poder commerciar, e nSo
smente para continuar no effectivo ejer-
cicio do commercio.
Como quer que so encare a questSo, nem
urna so objeccSo plausive I se po Jo offerecer
eleicSo do Sr. I'ires Ferreira, e conveo-
cido il j quaiito lucrar o commercio, e o
un smo tribunal com a sna eleicSo continuo
no firme proposito de levar urna no da
8 a mulla lista tal qual ennunciei composta
dos Srs. :
Jos Pires Ferreira
,Muof-l Concalves da Silva
JoSo Cinto de Lemos Jnior
Jos Jeronymo Monteiro
Quieto aos supplenles, respailo dos
U'i <, a itlencSo do commercio ainda
nao ao fixou, ouvirei amanhSa a opiniSo
dos collegas, e unirei o meo voto aos da
maioria.
A insereno destas linhas muilo obriga-
iii ii meleitorcommtrcianlt
Sr. redactor.Tenha a bon la lo de publi-
car esse ufllcio do Sr. Antonio Borges da
Kunceca ao Sr. tenente coronel Ildefonso,
commandanle da ilha de Fernando, relati-
vamente ao (relmanlo homoeopalhico.
Cor este favor Iho ficar muilo agradecido o
Dr. Sabmo Olegario Ludgero Pinho.
Illm. Sr.-lncloso achara V.S. o mappa, o
quil me pareceu conveneute remeltcr-lhe,
para que possa V.S. com a verdade dos fac-
tos pedir ao F.iin. Sr. presidente da provin
cia as providencias] que reclama o estado
desta ilha dianle da terrivel epedemia, que
a lem consternado.
A febre imirelli.que tantos malesha fei-
to no continente, a(.pareceu aqu em dias
desetembio do correle atino, e alguna ca-
sos graves deram lug r a ser eu consultado
pelo cirurgiSo do presidio, urna vez que
com vantajem me havia eu servido da lio-
mceoplhia em casos ct inicos, e alguns
agudos ; sendo feliz na cura delles, eni-
mei-me a tratar o que Toram sendo ac-
eonimetl iilns; que a neetstidade mel a
lebie a camin/in.
Has ueste empenhoeu pouco aproveita-
ria a nflo ser o zelo de V S. pelo bem estar
dos desgranados confiados a sua prudente
administrado. V. S. se dignou logo a es-
tabelecer urna enfermara homceupatnica,
e prestar-lbe lodos os soccorros de que ella
necessitava. Os amigos da homceopathia, e
mais inda os infelizes se lembraiSo aeni-
pre deste acto meritorio de V. S.
Assim liquei eu habilitado pira curar a
t. -1 i '.',! resultnu que snos hoapilaes loram
tratados de differentes molestias 121 desde
o dia 6 de set-mbro at hoje, eslando cu-
rados 101, e apenas existindo 20 nos hos-
hospilaes.
Cumpre porm observar a V. S. que dis-
tes 20, o primeiro te trata desde o dia 15
de ulceras chrouicas naa pernas, sendo que
se cha quasi sflo ; o segundo, se aclia em
convajecensa ; o terceiro, entrado no dia 7,
tendu t:do alta Iret vezea, e tres vejes re-
cabido, etendo recebuo todos os Sacra
nimios na ultima, em conaequencia de vo-
mito' prelos por dois dias, tambm se acha
em convalecen*, ou antes perfeilaiiiente
sflo, nao querendo eu dar-lle alta receos
de nova tecahida for quebtameuto de res-
guardo, como Ihe lem senrp e acontecido :
oquarto, he um dos curados aloptica-
mente, e que o recebi j no ultimo periodo
da felne, islo he, com vmitos i reos, es
lando hoje sflo, mas em coiivalecensa, por
se Icr levantado muito debilitado ; o quin-
to, tendo sido curado allopalimeiite vollo
n cabido, c depois de sSo da febre tem sido
accooimeitido de varias informidades, das
quaes ha silo sucessivamenle curado,
achando-seagora em convalecens; o sexio,
solTrendo a muilo, e ja com ambas as per-
nas muito nuda, se acha hoje com urna se-
dse quase sflo; o stimo, oitavo e nono,
e!Uo convalecendo; o dcimo, estando
com vatios tumores as pernaa, ae trata
di-lles estando mullo melhorado ; o dcimo
primeiro, Marcolino Jo Antonio he um
dos que oais tem soffrido, e Ulvez a ma-
nhflajnSo exista. A nfeimidade pros-
in.u-o, uo dia 20 leve vmitos beliosos,
ue sederam a una indicacSo, no dia 23 Vu-
milos prelos, o mesnio resultado, no lia 22
vomilos de sangue, no dia 2i voo.ilo* e
urina de sangue, que tambera cedern a
urna oolra indicacSo, psssando bem os oas
2* e 25, mas boje amauhectu inteiraa.enle
exnime e cadavrico, quise defunio; pro-
sigo as applicecea a ver se anda o salvo ;
mas conr tal desanimo, que pens so Dos 0
podera curar; o dcimo seguudo, leudo
sabido no Jia de l.ontem perfeitamenlo *ao,
__u-t....... ... -ec" '"i recahidn. al
gravemente; os demais se achaui quaai
Sos.
Alera dos que conslam do mappa, lenho
curado de varia molestias e da febre a mais
60, sendo do numero desles o comiuaadaule
do destacamento, que se acha perfeilameu-
te sflo ; o facultativo do lugar, sua aeubora
e dous lilho, ao meu compaiiheiro e amigo
o Dr. Vilella, isaim como ao esenvao da
liba.
A febre continua, e nSo podemos ape-
rar qoenoadeixe anteado invern, e agora
enm mals intenaiiaueegrevldade, que nflo
no-principio, pelo que me parece que a so-
licitud* de V. S. oSo pode deixar de pedu
ao governo da provincia prompios e irome-
diatos soccoiros; taea como :-l.. urna bo-
tica bonceopaUrca sufllcienlo para lodo
os casos oceurrentea, valo como o ealad
unitario da ilha he o peior ; 8.*, urna por-
cSo de galtntias para o tratamento, visto nao
haver na ilha ; S., reoieaaas ue fanuhaa
sSa, a nfiu podres como um vindo, sendo
esaaa remessas leila o nienos para tre
meze; i o, a iiileua prohibicflo da venda
de liebidaaalcooiicaa, noque val utilidade,
nflo se egieue, como a polica; a. {acui-
dad para vouder o gado vacum e langero,
aos que em taes circurostancus carecer,
liento a difllculdade do se haver aqui o ne-
cessario para sustentar a dieta.
Parecer extraordinario que um degra-
dado, um rescripto, assim se ivenha, ma
n humanidade esta cima de ludo, e diante
dos males que acabrunhanr, olio prevale-
cen) consideraces subalternas. Eu mo j')l-
ijo feliz por ter podido neste roebedo ser
til aos meu semelhant. s, e bem que me
pese a molestia da quadra pelo mal que faz,
a tenho aceitado como occasiSo, que me
quiz dar a Providencia, para logo no comes-
so da adniinislracSo de V. S., eu poder sig-
uilicar-lhe quanto "Ihe estou penhorado, e
porlanto quanto disposto a V. S. prestar-
me em qualquer posicJo em que me ache.
Daos guarde a V. S. Ilha de Fernando,
26 do oulubro de 1850.-Illm. Sr. lenle
coronel Jos Mara II lefonso Jacome da
Veiga Pesaos. Antonio Borgtt da Foneeca.
f.l.l.NICA IIOMoEOI'ATlHCA DO CR.
MOSCOSO.
Joanna, creoula, de 30 annos, escrava do
Sr. JoSo Francisco Duarte, morador na ra
do Hospicio, achava-se aneciada a olio das
de ourinas de sangue sem padecimentos
quedenotassem grave inllaniarflo na bexi-
ga aurinaria : no da 22 a noile toma urna
dse de acn ; e, no outio di a ourina
principia a ser menos oarregada de sangue,
que antes sabia at emooaltios, que custa-
vam a vadiar a melhra. Achando-se a lar-
de consideravelmente melhorada desse pa-
dec ment, e a poderida de um movimento
colorico o qual faz-lhe appareoer novamen-
te o sangue em grande quantidade, nma dor
violenta no ventre que a nSo deixava des
canear um momento, produzindo vmitos,
e oulros encommodos, cu|os symptonjas
eram iguaes aos da belladoua : a larde lo-
ma urna dse deste medicamento, e tendo
apparecido alguma raelhora, a ncite toma
24 acha-se boa desses
EDITAES.
O Dr. Alexanirt Bernardina ato.' *' Silva
,uis d tlireilo da segunda mra do erimeth
comarcado Rteift, por S, AT. o Imperador,
a quem D$o$ guarde, tic.
Faco sabor, que no di 16 do correle bei
le brir correicJJo nesta cidade, e ordeno
que os escrivSes, que servetn no crime pa-
rante os juizes municipaes, delegados e
subdelegados entreguem 0.0 minha prsen-
ca ao escrivSo da correiQSo.
1.a Osseus ttulos.
2 a Todos os procesaos, lano pendentes,
como Ando*, nSo vistos em eorreicBo, acom-
panhados de um rol em duplcala.
3.a O rol de culpadoa, os livros do tr-
ros de naneas, e quaesquer oulros a cargo
dos mes nos escrivfles.
E para que nflo se chamen a ignorincia
do presente edita!, mando que o eaorivo
da correicSo notifique pessoalmente aos re-
fe idos escrivSes ocontedo delle, sendo af-
iliado nos lugares nuis pblicos, e publi-
cado pela imorenaa. Dado e pastado uesta
citada do Recife, a os 5 da dezembro de
1850. Eu, Aprigio Jos da 8ilva, eaorivSo
interino o escrevi. '
Jlexandre Bernardina doi Reii e Silva.
Perante a cantara municipal desta Ci-
dade estar em prac publica nos das 6, 7
e 9 do crrante, para ser arrematado a quem
por menos lizer, a obra de duas casa ao la-
do do portSo do ceroiterio publico, cujo or
ca ment se acha patente na casa das sessOes
da mesma cmara, para ser consultado pe-
los interessados, o qoaes poderSo compa-
recer nos dias indicados, munidos de flan-
ea idnea pin poderem lindar. E para
constar se mandou publicar o presante. Pa-
co da cmara municipal do Recife, em ses-
sflo de 4 de dezemhrb de 1850. Franciico
Antonio di Oliveira, presidente. -- Manoel
Sr. redactor. Como seu constante leitor,
deparei as pagiuaa do seu acreditado jor- bilos todo* oaquedeixarem da pagar.
Jeclarayes.
outra dse : No da -.
encommodos que sobrevieram : no entan- Ferreira Accioli, secr momio.
lo, as ouriniscontinuavim com muilo sin-
gue, e dores lerriveis na occasiSo de ex-
, elli-ls : a noile continua com o primei-
ro un difmenlo, e no dia 26 acha-so per-
reiamente resiabelecida. Achava-ae esta
1 reta amamenlando urna billa de Cinco
mezes, e com quanto a allopathia lveise
aconselhadoaceasasflodesia funccSo como
necessaria ao curativo, e ella restabejeceu-.
se todava, e contina sem embargos exer-
cer tilo nobre dever da naturaza.
Pela aegunda secgflo da mesa do con
sulado provincial ae faz publico, que o 3o
dias que a le lera designado para o paga-
mento a bocea do cofre, da decima do pre-
dios urbanos dos bairros desta ciJade, do
primeiro semestre de 1850 a 1851, se prin-
cipia a contar do dia 3 de dezerabro pr-
ximo, e que lindo esta prazo incorrem na
mulla de S por ceoto sob o valor de seu de-
>
Prefot.
2.'e3.ordem de galeras---------- 3.000
Pist----------..........2,000
4.'ordem de galera......- 2.000
I .......2,000
PublicaQo Iliteraria,
Historia de Portugal, por Alaxandre
Hercolano, chegou o terceiro volume.
Dita do Cerco do Porto, dous volumes.
Conlos do SerSo, um dilo.
Almanak popular.
Revista militar, de ns. 1 a 12.
Jornal das Bellas artes.
Alheneu, jornal luterano, chegaram os
primeiro nmeros al 26.
Semana, jornal litterario, chegaram 01
primeiro numerp* at 96.
Revista universal Lisbonense.
Mellil opera.
Graramaticas Francezas.
Meihodoa facilimos.
Na caaa n. 6, defronte do Trapiche fvovo
nal de 5 do correte, com um commuuica-
lo, que chamava a altancSo do publico pa-
ra a eslra e beneficio do aclor Francisco de
SalesGuimarSe e C.uuha, segonda-feira 9
do correte, no Uiealro de Apollo ; a como
sem re dei a Dos o que he de .'os. e a Ce-
zar o que he de Cezar, nao quero lainbem
deixar de izer, aiuda que em poucas li-
onas, alguma cousa a respeito do Sr. Gui-
marSes e Cunha.
Este moco, filho de urna das melhore fa-
milias do Para, eq e ( como bam de peito
sei ] recebeu urna delicada educacSo na Eu-
ropa, he em verdade digno de espe-
cial eslima, j pela sua capacidade po-
tica, como se v por alguns escriplos que
lem publicado, j pelo seu alto merecimen-
lo artstico ; a eu que, como por forluin,
._ liveo suoimo goslo de o ver tralulliar,
tanto na capital da llshia, como na corto 00
ihealro do numeroso JoSo Caelano, posso
lespido de tola a lisonja djzerque, o Sr.
GuimarSes, he um dos nossos melhorea ac
lores, e como tal merecedor de juslissimus
encomios. Oh! quanla s nsacSo me nSo cau-
sou elle na Uahia no diflicil papel de I). JoSo
do MaranS a naluralidade com que desen-
volva as scenas de grande execueflo, a mu-
an ,a repentina ile carcter, ora corlezSo,
ora furioso, meigo eseusivel, srdente, se-
ductor e apaixonado, o seu garboso pejar
no paleo, a facilidade do su accionad, tu-
to, ludo eml'un, encantava, extasiava oh !
quanto arrebatamiento e enlhusiasmo nSo
despeitou elle noiheatro deS. Januariono
Rio de Janeiro, na interess^nlissima parte
do Judeu Samuel dos Dous Renegados, em-
liora ja executada por uniros grandes ar
tistas .'.....(i publico fluminense o vicloriou
como d va, com innmeros applausot
sin, repilo, e ainda com efervescencia,
que, o Sr. GuimarSes, he um dos no sos me-
lhore actores, e como tal merecedor de
justissimos encomios : e por isso uno a mi-
nha voz 1 do autor do coinm>inicado de
quinla-feira, para pedir ao illustrado pu-
blico pernambucano, que nSo deixe de ir
gozar do talento e bellezas dramticas do
Sr. GuimarSes, que ncontestavelmente ha
le salisfazer aos seus espectadores, como o
Bf. Germano satisfaz na sua primeira repre-
senlacSo nesta ci.la e. /. A. f.
Corpo policial de Pernambuco.
Ollloi. Sr. lenenle-coronel, commandan-
le do corpo de polica, autorisado pelo ar-
tigo 1 da le n. 215 de 21 da majo do an-
uo prximo passado, convida aos ci ladSos
que se quizerem engajar como praca do
mesmo corpo, a comparecerem na secreta-
ria, munidos dos competentes certificados
que exige o artigo 104 do regulamenlo do
corpo. Secretaria do corpo da polica, ( de
de^embro da 1850. secretario,
Augusto Carlot dt Lemot Pacheco.
wvfw f t ? tttf ffw? s*f fff
i* Coiupanhlu lo liebeHbe. j
0 caixa da companhia acha se au- *j
lorisado s fazer o quinto dividendo : J
os Srs. accionilas podem mnda-lo ^
roceber, aegundo a marcha estbala- ^
cida. Escriplono da companhia, 28
, de oovembro de 1850. -41
fnSkM Ati*AAA
COM^E^CBO.
ALFANDEGA.
Ilendiroentododia 6 ... .17:650,905
Detcarregam aoje 7 de dezembro
Brigue -- llichelieu vnilio, fariuha, papel
e massas.
Ilriguo -- Corageuio farinha e conservas.
I'oiaca Uathilde farinha e conservas
Rugue Emelie -- taimado.
HriKUC l.'Qo -- sahn, fumo e loucinlio,
Uarca -- Honila mercadorias.
aia Flor da 'mua coa e celiuUa.
Haladlo llaika farinha de trigo.
CONSULADO CEI'.AC.
Keudimento do dia 6
Diversa provincias .
3:496.594
3t2,454
3:839,048
EXPORTACAO.
Despacho martimo no dia 6
Buenos-Ayres, polaca rd General Ga-
ribaldi, de 203 tonelada : condui o seguin-
te : I 400 barricas com 10,611 arro.bas e 13
libras de assucar
RCEBIiDuRIA DE RENDAS GEHAES
INTSaYNAet
Rendimenlo do di 6......1:284,851
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimenlo do da ......2 542,474

Movimento do porto.
Theatro de Santa-Isabel.
! RECITA DA ASSIGNATURA.
Boje, 7 ate dezembro de 1850.
Tendo a adininislraclo do theatro con-
vencionado eom a bailarina Mademoiselle
Alie Moreau Irabalhar durante o lempo
que falta para"Completir-e o auno do con
trato da empreza, pela quantia de 100,000
rs. mensaes, e meio beneficio, a tendo
rnesmadedaroseu debut no ospeetseulo
de hoje, como foi auounoiado, acooleceu
que depois deasa conveocSo entre Made-
moiselle Mareau e a adminislracSo exigiste
ella a quantia da 100,000 rs. por cada noile,
o que nSo he poasivel empreza,ficando as-
ani de nenhum efleitu o que *e havia tra-
tado ; 1 vista do que o administrador m-
prazario prevne ao respeitavel publio flne
nSo haver a deoca aniiunciada, e aquellas
pessoas, que ja compraran camarotes, 0S0
querendo assistrao espectculo sem danca,
poderSo dirigir-e ao tbaatro para racebe-
rem o importe dos aiosuios. O epCtaculo
ser o seguidla :
Depois da execucSo da ouvertura Gemina
de Vergi, a companhia nacional representa-
ra o bello drama em 5 acto, ornado de m-
sica
D CEZAlt DE BAZAN.
0 papel do marquez de UonleOore ser
representado pelo aclor Coimbra, que len-
do-o recebido hontem, pede ao respeitavel
publico desculpa so inco.rer em alguma
falU. -*p-
Terminar o espectculo com a graciosa
farca
O juiz le paz la roca.
Comessar s 8 horas.
Os bilhetes acham-se venda no lugar do
coslume.
TUBAlUU DE APOLLO
SECUNDA-FEIRA, 9 DO CORRENTE.
Magnifico esnectaculo em beneficio do
actor"Francisco de Salles GuimarSes a Cu-
nha.
Depois de um brilhante ouverlura subi-
1 scena o muto aoplaudi1 lo drama
UM 6E CAMOES
A dlstribuicSo das partes ser a mesma
ja feila peloSr. Germano, fazenJo o bene-
ficiado o papel de CamOes.
NointervelloTlbdrams oSr. Raymtindo
Jos de Araujo tSo aceito do publico, canta-
r a jocosa aria do
PETI-HA1TRE A POLKA.
Findaro divertinieuto com a bellissima
comedia
O litglez iiiiicliiiifsfn.
O beneficiado que pela primeira vez tem
a honra de apreaeolar seus Ira bal los so il-
lustrado publico pernambucano, emprega-
r lodo o seu mesquinho talento aflm de em
ludo merecer apoiu e proteccSo.
Os bithetes de gatera e platea acham-se
venda na ra da Cdela de Santo Antonio
n. 13, primeiro andar.
O heueliciado previne que a segn la a
lerccira urdem das galeras serSo oceu-
padas pelaa familias, indo os chafes destas
tomar assenlo na mesma ordena, fie ndo
Avisos martimos.
uma! 1 aMaaaafaaaaiaaaaiaa.aaa|aa
Fara a cidade do Porto sahe,
com muita brevidade, a veleira e
bem conbecida barca portugueza
S.-Crut: quem na mesma quizer
carregar, ou ir de passegetn, pava
0 que tem excellentes commodos,
dirija-se ao eu consignatario
Francisco A Ivs da Cunha, na ra
do Vigario, n. u, primeiro andar.
Para o Havre com escala pe-
la Parahiba, pretende seguir via-
gem nfallivelmente no dia
crrente a muito conhecida bar-
ca francesa Crnte Roger, recebe
alguma carga, passigeiros pira o
que tem excedentes commodos.
Os pretendentes dirijam-se a jua
do Trapiche n. 11.
.. Para o Rio de Janeiro sahe com brevi-
dade, por ter a inaior parte de sua carga, o
brigue San Manoel Augusto, eapilfio Jos da
Cunha Jnior : quem quizer carregar, em-
barcar escravos ou ir de pissagem, trate
com Manoel Ignacio de Oliveira na praca do
Commercio n. 6. ou com o capitSo.
-Para o Rio de Janeiro sahe no dia 8 do
correnta o patacho nacional Curoto, capi-
tSo Manoel Rodriguo Faneoo, por ter o seu
carregamenlo quasi completo : para o res-
tante e pssageiros, trata-se com o oonsig-
naUrio l.uizJoadeS Araujo, na ra da
Cruz n. 3.
Para o Para com escala pelo Ceara pre-
tenda sabir impretarivelmente at 8 do de-
zembro a escuna nacional /ari'o Firmna,
capitSo e pratico JoSo Bernardo da Rosa,
por ter o seu carregamenlo quasi comple-
to 1 para o restante para um a oulro porto e
oaigageiros, traa-se com o consignatario,
l.uiz Jos de S Araujo, na ra da Cruz nu-
mero 33
Para a Baha aahe qodi-9do crrante
o hiate Ligeiro: para o resto da carga e pas-
sigeiroa, trata-so na ru da Vigario n. 5.
Cear filara alai c Para
sahe, coma maior brevidade pos-
sivel, por ja ter a roaior parte da
carga prompta, o bei
brigue escuna nacional La*Tat+i-
ra o resto da carga e passageiro^
trata -se eom o capitSo a bordo, ou
com Novan*k C na ruado Tra-
piche, n. 34-
Para a Baha
sahe, com a maior brevidade pos-
aivel, por j ter prompta parte da
carga, o hiate nacional Amelia:
para o resto da carga e pasaagei-
ros, trata-se com Movaes ck C. ,
na ra do Trapiche, n.3l.
Para o Rio de Janeiro sihi em poucos
dias o brigue ero recabe carga a frele e
escravns : quem quizar aarregar trate coa
Leopoldo Jos da Costa Araujo, ou com No-
vaes & Companhia.
A escona Afar.'ii Firmina, CapitSo e pra-
tico JoSo Bernardo da Roza, segu neales
dias para o Par tocando no Cear, e pode
tocar no MinnhSo se bouver pissageiros,
para o que tem sulllcientes commodos :
quem convier ir da paseagem, poda enten-
der-se com o conaignatano da mesma escu-
na. Luiz Jor de Sa Araujo. na ra da Cruz
numero 33.
Para o Cear.
Espera-se com toda a brevidade de Lis-
boa com destino ao Caar, o brigue nacio-
nal Empresa, forrado a encavilhado de co-
bre e de superior marcha; demorar-se-ha
aqui lidias, e recebar carga a pasaagei-
rns ; trata-se na rus da Cadea do Recife n.
17, segundo andar.
rara i isba.
Sahe com a maior brevidade o velleiro
brigue porlupuezTawa/o/J/, ciplt&o Fran-
cisco Antonio de Almeida : quem no mes-
mo quizer carregar ou ir de pasaagem, pa-
ra o que offerece os mais excellentes com-
modos, dirija-se so mesmo capillo, na pra-
ca, ou a seu consigna lati Manoel Joaquim
Ramoa e Silva, na ra da Cadeii do Recife
n. 38
JLeilo.
Naviui uhidot ne dia 6.
Buenos-Avre Polaca ssrda General Gari-
baldi, eapilfio Antonio Corsauego, caiga
1,400 barricas de assucar.
Parahiba Lincha nacional AY. S. ai />-
ves, intalfo Delinque de Suuza Mafr?, car- ..
Ka varios gneros Passageiro, Manuel da a quarta ao diapor de lodo aquello que l
Silva Pinto. qu" '
O corretor Oliveira far leillo de um
escravo 01050 com oflicio de pedreiro, um
dito cosinheiroe refinador de assucar, uu>
dito para todo o tervico, urna negrinha cos-
tureira, e outra com habilidades e sem al-
ias ; assim como de urna porcSo de mobi-
lia para ultimar contis, consislindo em
um bonito aparador quasi novo, um leilu
inglez pan cassdos, mesa redonda deaaeio
de sala, dita comprida para cha, camap,
cadairas, lavatorio, Um excelieote relogio
de cima de masa, nutro proprio para escrip-
lorio, repailicflo publica ou pira casa de
campo, mangas de vidro. copos lapidados
para agoa a para.vinho, canaieiro da ttiouo,
quadros, um berco, cadeiriuhi da Babia,
mezas pequeas, um guirda-roupa com ti
holeirot, a mais artigos qus se patentea-
rSo : quarta feir, 11 do correnta, s 10 ho-
ras da manhSa, no eu escriptorio, rui da
Cadi.
Avisos diversos.
A capataz 1 da alfandega precisa da Irav
balhadores robusto, a quem paga. 6W r.
lisrios. Ocspstsz, Jos Tkomat de Cam-
pos Quaresma.
-- Offerece-se psrs caixeiro de qualquer
estabeleciment, excepto venda, urna p"*-
soa com habililacOes, 0 qual d fiador a mi 1
conducta : quem o pretender, dirija-se
ra Nova o. 50, ou annuneia.
-- Em eonsequencia do aanoncio supri,
o Motel Commercio precisi denm rapz sem
familia, pata caixeiro de balefio : a tratar
na ra Velha n. 65, no mesmo Hola). ,.
Precisa-ae alugar una preta para o ser-
vico de urna caaa de pouea familia : na ra
larga do Rozarlo, loja de miudezis a. 28.
A procissflo da imagem de N. S. da Coo-
ceicSo da matriz da Boa VisU, annnciada
para o da 8 do correrte, (lea transferida pa-
ra o dia 15, em rasfio de inconveniente so-
brevindos.
No Aterro da 80a Vista, loja de miu-
dezasn.79, ae dir quem d 600.000 rafa
premio com hypotheca em casas terreas.
-- No dia 10 do correte, pelaa cinco ho-
ras da Urde, na porla do Sr. Dr. juiz de di-
reilo do civel Custedlo Minoet da Silva Cu-
marSes, vil praca, eela ultima es, um ai-
to na eslrsda do Rozarinbo, avllalo por
6:000.000 re., por execucSo de Antonio
Luiz Concalves Ferreira contra Antonio Mu-
a Pereira.
Desappareceu do sitio do Sn Schramm,
na Passagem da Magdalena, um caxorro
prelo de raca ingleza : quem achar leve-o
ra do Trapiche n. 19, que ser bem reoom-
paVssdo.
-- Antonio Jos Arantes, Portugus, reli-
ra-se para Maceio.
Itecebe-se um ou daos rapazea para
aprenderem o oflicio de selleiro, sendo dos
que chegaram agora do Porto: ni na No-
va n. 89, loja de selleiro.
Precisa-ae de um caixeiro deetes che-
gados ba pouco do Pono : na ra da Flo-
rentina n. 30.
Uabaixo assignado muito agradece a
todos os Srs. militares a paisanos que o
honraran em acompauli rera o enterro da
seu fallecido filno, especialmente ao Illm.
Sr. lenenle-coronel commandante d2*ha-
talhSo da caca lores Antonio Mara de .{jau-
ta, a .quem o abaixo te coufaasa etexm-
m ?nle penhorado, tanto pelo modo apari-
toao cora que S. S. cornparecau, acompa-
nliado dos Srs. olliciaes e cadetes do bata-
Ihfio de seu commando, como por lar man-
dado a msica, sem que fosse precisopedir-
Ihe ; sendo asa mais urna accSo da honda-
da, daquellaa que S. S. costuma praticar
com seus subordinados, os quaes nSo ces-
sim de louvar a civiliJade de S. S. ba mui-
lo conhecida por lodos aquellas que loi
servido sOb seu commando, a oulros que
no exercito lem observado, e em ambos os
nmeros se considera o mesmo abaixo
assignado. O lenle quarlel-meslre,
luis Jeronymo Ignacio dos Santos.
Dse ja-so fallar a Sra. I). Anua Joa-
quina Peroira de Mello a negocio de muito
niterease para a mesma Sra., e como se ig-
nora sua morada, por isso roga-ae a queira
anounciar.
A' companhia dramtica da S.-Isabel.
O actor Francisco de Salea GuimarSes e
Cunha cordial meute agradece aoagau col-
legas do tbeatro S.-Isabel, o alto .obsequio
de com tanta facilidade a benevolencia se
lia verein prestado para o seu beoeli
vor este que indelevelmenle Picar
no seu coracSo.
Deseja-ao saber quem he o correspon-
dente nesta praca do Sr. Jos Joaquim das
Cbagas, ou alguem que faga suas vezas : is-
lo a negocio de seu inloresse.
l'recisa-se de um rapaz porluguez, de
19 a 14 annda, para caixeiro de urna venda :
no paleo da l'enha, n. 10.
__Jos Joaquim di Costa, subdito portu-
guez, faz scieule ao publico que de hoja em
dianle se assigoar por Joa Joaquim da
Cosa Maciel
A Illm. Sra. Anua Pulquera da Al-
meida Albuquerque, ou D. Mariana de Al-
meida Albuquerque Mello lem urna carta,
vinda do ho-de-Jinelro : ra do Collegio,
n. 8, primeiro audar.
Medicina opertoria.
Operado da cataracta.
Observado. Antonio, de *0 annos de
i Jade, escravo do major Cosme Joaquim da
Fonseca CalySo, morador em Marn-Fari-
nha, achaado-se ha tempos cgo de cilarac-
tas, foi por seu senbor enviado s osla.cidi-
de, afim de aer traUdo desta afOiciiva en-
fermidade ; e, em Janeiro do correnle an-
uo, o Sr. Jos Francisco Piolo GuimarSes
depois de t-lo elhlerisado por meio do r.hlo-
rophorme, nSo lauto para sublrabi-lo aos
solTrimentosd operacSo, se nSo por avilar
os effeilos da indcil 1 lado que costumam
apresenlar os doeules de urna rasfio pouco
cultivado como aSo os prelos; pratiooif-lhe
a uperacSo da calaracta pelo nieihodo da
abaiimeulo ; e com ifio bom resulta 10, que
boje asta vendo sem auxilio de oculos Oi-
e. ni vetos, con turma reclamen a maior pif-
io daa essas curadas desta eofermiaade.
Assim foi restituido ao paciente o prliaeiro
do aaniidosKcuja parda, depois 4a vida, be
a que mais seuaivel se loma para o Nemem.
Por um das auioUntrn.
--Nnmeros do bilhelesda Ureatra;quar-
ta parle da terca nona lotera de N. S. do
Livramauto da ci lade do Recie, veitilidas
na loja de cambio da ra da Ca lea, n. 94,
da viuva Vieira &Fil|ios, os premios segua-
le : 289, aoo,0t0 r*. 299, )t5,000 r*. J. it.
25.U0O 1.; 219, p,0O0 rs. ; 305. 25,009, rs
208, a,oO ; 816, 5.003,000 d rs.; _t,0J7,
5u,OUrs ; eiiurneusos de 5,000 rs.
-- Aiogui-e, por prego cuiiiu.Oiio, os ar-
niazeus da casada ra nova do llruin, pK-
tenceutus a Francisco Alves da ClaW, Pr0;
prios para armizem de assucar, com oacs-
na ra do Vigario, 0. II, primeiro aadar>
lieuuia k
- Aluga-se a segundo andar a aatiocor-
rido do sobrado amarello da roa Augusta,
o sitio da eatrada do Cordeiro, proartc.p
uesso que tenha iraUmento; um ouiro n
campia da Casa-Forte, com casa oove.w
versa
UriSa> Uliat au p3S$i S Ovi i
tita, n. 15.


1,1

m
miau as ;
im do <
lcvin-io-
umn Uta
Roubo.
Jos Pereira Cozar faz publico que foi roo-
hado hnntem 2 do crranle das 9 horas da ma-
nlila s 3 da larde.na caa de sua monda n*
Queimado n. 32, primeiro ndar :
-Ihe o ladrSo ou ladroe o sngninte:
a de (landres por pintar, felchada
com um cadeado, conteni sclecentos e
quarenta e tantos mil ris.em umi aedula de
200.000 rs. i urna de lon.oeo rs ; qualro do
50,00 rs. ; cinco de 20,000 fi. ; "e o mais
em diversas miudas, e qualro mondas de pa-
taca etn prata ; betn como una lel'a aceilta
por Casimiro dos Reis Gomes, de 14,000 rs.;
urna de Manool Dias de Toledo, de 6,000
rs.; urna de Domingos Jos Consalves de
2(55.340 rs. ; um* de .Clara Cavalcanlo de
Albuquerque, de 113,2*0 rs ; urna de An-
tonia Francisca (!anvl Pinto, de 101,870
rs.; urna de Manoel Francisco da (tocha, de
66,7*2 H.; urna de Paulo Caetano de Albu-
qnerqae Francisco Paea Brrelo, de,rs.
413 915 ama de Jos Francisco Montteiro,
de 233,3*0 rs. ; orna da Antonio da Rocha
Accioli e Manoel Ouarque de MacJo de Li-
m, de 536,249 rs. : ma de Julio Jos doa
Pasaos, de 554,931 r. ; orna do padre Jos
Alhanaaio de Jess, de 200,000 rs.; urna de
Francisco Jos de Si. de 40,000 rs. ; urna
detLuiz Jos da Silva Burgos, de 1:428,500
rs. fduas de Itaphael Pernandes Porto e
Francisco Alves de Moura, urna de 1I28.870
rs. o oulra de 4:198.000 r. ; urna de Manoel
Pernandes Cmara, .le 631,925 rs, ; uma de
Mamml Jos Comes 110.00 rs urna de Ma-
noel Buarque de Macedo l.ima, de 1:074,450
rs. ; uma.de Thomaz Barbosa da Costa, de
70,620 rs.; una de Guilherme Augusto Ro-
drigues Selle, de 600,000 rs. Levarain mais
una bengnlinha de estoque, um chapeo do
chlli salo, um dito de castor branca usado
com cala verde francesa, deiiaraot um
chapeo do chille vellio e sujo. 0 aanun-
ciaate roga as autoridades policiaca o dea
cobrimento desle roubo, e proinelte boa
recompensa e segredo a quem Ihe deseo-
brir, ou dr alguna uoticia apesar-de jase
supattsr quem fui o autor desemelliante
roubo.
mmmmmm mmmmmmmmmm
Consultorio hoffloeopathico.
Ilua do Hospicio, n. 56.
O doulor Moscoso di consultas lo-
dos os illas.
Os pobres sBo tratados graluita-
hter.le.
--Rogase a Indagas pessoas que esto
deventldnS (averna da ra da Aurora n. 48,
liajam de ir itisfazer seus i'cbitos no rra-
zode orto* das; do contrario lero de ver
cus nomes por extenso nesta f..lha.
-- O abaixni assignado faz sciente ao res-
peitavel publico, que apporecendo ama let-
tra de nnle e tantos mil rs. na mflo de Ma-
noel Jone d Silva Marques,- a qual diz elle
estar assignada pelo balito assignado. e
passada em 1848 ou 1844. e como nlo fosse
possivet o abaixo assignado v-la, protesta
o mesmo abaixo assignado n8o pagar dita
lettra por ser vecontrecldamenle falsa ; e
para quen*9ubajam engaos para o futuro
faz o presente anntmrio.
Bernardina ]os da Silva.
Um'pei degenerse familia pedeen-
caricidamenle ao Sr. T. fllho da Sarde-
nba, que explique a maneira por que enn-
qnicau 13o riepreaaa aera em vender gne-
ros iiacioTiaes ou erveja hsmburgueza ?
Preclse-tse de urna ama de boa con-
ducta, pre/erindorse eserava: na ra do
Hospicio n. 7.
w Um Jacrt.
No dra99 do mez prximo passado indo
um preto rom nm panacum de gallinhas
para o sillo o* Torre levar um casal deja-
Cph elle ler voado um pira dentro de
eaWitio.e quenSn 0 pJe pegar: adverte-se
a quem o pegou ou oella der noticia certa
na ra do Livrsnento o. J4, receberi 5,000
rs. de graiifiragJo, assim como roga-se a
quem por ventura o tenha comprado, que-
rendo-o restituir, lova-loa mesma ra ci-
ma, que, alem de se dar o duplo, se icar
eternamente agradecido.
Atiendo.
A mesa regedora da irmandade
de N. S. da Gonceico da Con-
gregis convida aos innos da
nestiia irmandade a rennirem-se
no dia 8 do coi rente, pelas- 9 lio-
ras da.manhaa, no consistorio d
mesma Igfeja, para s proceder
em mesa geral a eleic3o da nova
mesa, na certeza de que urna hora
dpois da marcada, se proceder
a eleicao com os ir roaos presentes.
Como em poucos dias deve flear promp-
ta a prlmeira ciaste, que tem estado ap-
pr.-ndendo escripturagao mercantil por par-
tidas dubradas com o abalxo assignado, e
como elle seprui/oe a abrir logoem segui-
da uutra, nos mesmoa termos da ptimeira,
o fax pulilico, para que aquellas pessoas
que a quizerem frequenlar, ae sirvam logo
procura-lo, para escrever seus 11.unes, no
riptorio dos Sra. C. Slarr & Companbia
ua da Aurora, vi da Maya.
O Sr. l.uiz Jos de Caali o tem urna car-
la oa ra Diraila n. 131, botica de Torrea &
L-a.irn.ui-ironle de n. x, do Terco.
Preciaa-ae de urna ama que seiba co-
zinhar e ongommnr, para casa de homem
solleiro : em Fra de Portas, ra do Pilar,
n. 32.
t*** ??#
i'anlo Gnlg-nnux, dentista <
I franecz. offereee sen prest- ti
mono publico para todosom
(?pode ser profiirado a qnal- 9
9 ejncr hora em nna casa, na a,
run 111 rgado Hozarlo, 1. 36, *
segundo andar. m
wr9 i^eaoSr. lir. Honorio f. S. Vas
Cura'Btt)ue venlia ou mande pagar a sua
lettra onde rlflo ignora ; do contrario tera
d ver aempre o seo nomo tiesta folha.
-- l'rcciaa-sealugar un molccote esperto
e de boa conducta para o servieo interno dr
nina casa ingleza : paga-se bem : quem ti-
ver, annuncis.
Na ra do Sol junio ao porto das ca-
ndas da ponte da Bo Visla n. 23, apromp-
lain-se jantares rom multo asseio e perfei-l
o, s eVtsmo dos fregaezes, rusodindo-l
$
se levar a casa daquellas pessoas, que nSo
tiverem quem os venha buscar o dono pols
leste novo estabelecimenlo espera merecer
4 conlianca do publico, attento o esforco
que tdi empregado sempre para agradar
aoi concurrentes.
1 -- Domingo it\ do corrente,
perdeu-se des le a Passagem da
Magdalena ale a ra do Gollegio
urna pulceirade diamantes cnfla-
in em peroles ou aljfar : quem
a tiver ochado e quizer restituta,
dirijase a ra da Gadeia do Re-
cile, primeiro andar da casa n
38, que ser gratificado com a
quantia que valer a mesma ataca.
Hoga-se ao Sr. Manoel Mendes da Sil-
va Barang o favor de vir a rqa da Cadeia
de Santo Antonio n. 13, para negocio que
nSo ignora.
OSr. Joflo Cavalcanli de Albuquerque,
senbordo engenho Canto-Escuro, em Sa-
rinhSem, por si, ou por sea correspon-
dente nesta cidade, qocira dirigir-se i ra
la Cadeia-Velha, n. 24, para se Ihe entre-
gar urna carta de seu particular interesse,
inda da villa do Pombal.
O O eirurgiBo Francisco Jos llodri- O
0 gues mudou sua residencia para.de- O
O fronte da matriz da Boa-Vista, casa O
Q amarella, terceiro an lar, aonde pode O
<} ser procurado alejas 4 horas da tarde. Q
O0OO>0OOOOS>>O3OS>
Aluga-se pelo lempo da festa ou an-
nualmente a casa d te da S. SebastiSo em Ohuda, com commo-
dos para grande familia : a tratar na mes-
ma casa, ou na ra da Cadeia do R .-cife, lo-
ja n. 50.
Eogomma-se e lava-se toda a qualida-
ile de roupa com tolo asseio e muita promp-
lidlo, por preco mais commoJo do queem
outra qualquer parte : na ra de Agoas-Ver-
des, n. 26.
Aluga-se o segundo andar do sobrado
da ra Direita n. 20. com comino lo para
grande familia : na ra Direita n. 93, pri-
meiro andar.
Precisa-sealugar urna eserava para
ervico externo de urna casa de familia : na
ra larga do Ruzariu n. 48, segundo andar.
Chapeos de sol.
Ra do Passeio, n 5.
Nesta fabrica ha presentemente um rico
sortimento destes objectos de todas as co-
res e'qualidades, tanto de seda como de
panninho, por preeos cornmodos ; ditos pa-
ra senhora, de bom gosto -. estes chapeos
sSo fritos pela ultima moda ; seda adamas
cada com ricos franjas de rtroz. Na mesma
casa se a.cha igual sortimento de sedas e
panninho imitando sedas, para cobnr ar-
rnar;0es servidas : todas estas fazendas ven
dem-se em porco e a retalho : lambem se
concerta qualquer chapeo de sol, tanto de
basteas de ferro como de balis, assim eomo
umbelas de igrejas: ludo por preco com-
11101I0. Na mesma casa ha chapeos de sol,
ile marca maior, de panno e de seda, pro-
prios para feitores de engenho, por seren
dos mais fortes que se pdem fabricar,
A It os eir,
romance muito interessante, principalmen-
te aos meninos, porser muito moral, e tor-
il ar-se recommendavel aos Sra. chefes d<
familias .* na hvraria do pateo do Collegio,
n. 6, de Jqjlo da Costa Dourado.
Frecisa-se de um feitor que
seja hoi telao e jardineiro: no
primeiro sitio Je p rto de ferro,
na estrada dos Mili dos, passando
o becco do Espinheiro, ou na roa
da Cruz, n. 4 (i.
-- Precia-se de urna ama forra ou captiva
para o servicoainterno e externo de urna ca-
sa de pouca familia : no Aterro da Boa Vis-
ta, toja de miudezas, n. 72.
Deseja arYumar-se em loje de fazendas
ou miudezas um menino porluguez,-de 12
anuos, chegado ha pouco do Porto : quem
pretender, dirlja-se ao largo do Livrameu-
lo n. 20, casa de Joaqun Cortea de Itezen-
de Reg.
Tendo entregado no armazem doSr
Jos Goncalves da Fonle urna carta, aflm
do ser remellid ao Sr. Jo3o Velho Brrelo,
Sr. do engenho Malarizinbo, cobre negocios
do meu sogro, Jos Antonio Alves da Silva,
qeiihuma resposta teoho recebi lo, e por
isso fr,o ver ao dito Sr. que na partilha que
se procedeu de alguos bens do dito Alves
da Silva, tocou-mea quantia de 141,756 rs.,
quaita parte do total da divida deacripla
pela senhora inventarente, que declarou
ser devedor o dito Sr. na conla fechada em
30 de igosta de 1848. Acrescem mais sobre
osla quanlia os juros de um e meio poi
cenlo ao mrz, desde a data da conla fecha-
da al o da m que for embolcado, j tendo
vencido 27 mezes at 30 de novembro d.
anno corrente, que alo de juros 58,375, to-
tal 901,131 rs liesculpe-mo o dito Sr. de fa-
zer o presente annuncio, pois antes de o
1 uhlicar, tratei do endager no meamoarma-
zem do niesmo Sr. Kontes, -onde era o lu-
gar do seu engenho, e nfio me disse^am ;
S&slssssis rege ss ii'.o *. baja de mandar
ou vir eutender-se com o abaixo assignado,
morador na Boa-Vista, ra da Alegra,
n. 34 Uaretlltno Jotf Lopts.
O abaixo assignado rog* aoa Sra. que
Ihe esto a dever diuheiro decorativos, te-
nham a bondade de quaolo antes manda-
ren! salisfajer Ihe, pelo que I lies Acara
muito agradecido, podep^o ser procurado
na'ra do Hospicio n. 56.
Dr. I'tiro de A tHayde Lobo Motcoso.
Abrem-se e impriinem-se bilhetra de
visita em qualquer.caracler, rtulos e lodos
osohjectos que demandam preceitos calli-
grapiiicos, retratos e quaesijuer deseuhos,
sinetes typos emblemticos, ornamentos
pera capas de livros, e aflnal todos oa ob-
jectos da arte de gravura em alto e baixo
relevo, e com delicadesa. Aa pessuas que
pretenderen] algunas dealas cousas, diri-
ja m-ae a ra do llrum, def onle da fuudi-
t;fto iiiglezs, ou as segointes lojas de li-
vros : na ra da Cruz n. 56, na praca da In-
dependencia 11. 6 e8, e no patea do Colle-
gio. n, t, onde se for miater poderdodeixai
acus uomes morada para seren (procu-
radas. -,.
Na ra do So! fF7 se dir quem tem
"5

para dar dinheiro o premi 1 0J1 penhores de
ouroou prata. .
Para festn.
Aluga-se pelo lempo de fesia urna boa ca
sa de pedra e cal, no lugar da Torre, a qual
estar prompta vespera de S. Tliom, com
duas salas, qualro quartos n cozinha fra,
o se o randoiro tiver cavalln di-se capim
durante o lempo do arrendamunto, confor
me o cobre : a tratsr na Torre, no sitio do
LeSo.
OSr. Manoel Joaquim Soares, que foi
ou he testamenteiro do fallecido beiclnho,
queira annunciar sua residencia nesta ci-
dade, e a hora em que se deve encontra-lo.
A Inga-seo segundo ailar do sobrado
atris da matriz da Boa Vista n. 26, com
cornmodos para grande Tamba : a tratar na
meima ra-n. 92.
- No dia 3 do corrente, is 4 horas da tar-
de, perdeu-se da ra da Cadeia do Itecife
at a ra do Queimado ai seguintes obras
de ouro : um irancelim Ono bastante usado,
duas voltas de oordSo grosso, urna imagein
da ConeeicSo e um coraclo j velho : roga-
se a pessoa queachou que dirija-se i cas-
de Jos Goncalves Torres, na ra da Cadeia
doRecif, que ser bem recompensado.
-r- Domingos Antonio Gomes
CuimarSes declara ao respeitavel
publico ter cassado a seu irmao
J080 Anto.iio Gomes GutmarSes os
poderes que Iheconcedeu por pro-
curado bastante, Picando em vir-
lude do presente enhibido de fa-
zer o dito Gnimares uso legal da
dita procurado. Reciie, 3 de
dezembro de 185o.
Kelojoeiro.
Na ra larga do Rozario, ao p da botica
de Jos Marta Concalves Ramos, roncera iri-
se relngios de todas as qualidades, por pre-
co commodo, e com proniptid.it>.
O U Medico do Fovo
** jornal da propaganda bomoaopa- 9
O linca distribue-se gralit na luja de O
fazendas do Sr. A. F. Pereira, na ra O
O do Cresno, n. 4. 0
Francisca Ismael de Arrud, tendo de
lepafar-se de seu marido Flix Camello de
Moura, parlbanlo-se os bens exislenies no
casa|, por n3o existirem herdeiros necessa-
rios, assim o visa aos crodores do mesmo
casal, para que no pr..zo de 20 dias, a con-
tar da data deste, se apresenlem ou consti-
inam seus procuradores nesta cidade phra
liquidaco desuas contas com o mesmo ca-
sal. A annunciante se n9o reaponsabilla
por quaesquer dividas umavez que se te-
nha eflectuado a partilha, como faz certo
desdeja ; e para que se nlo chamen! a igno-
rancia fazo presente aviso. Cidade de Coi-
anna, 29 de novembro de 1850.
Aluga-se um ptimo armazem coro
porto de embarque, sito na ra da Moda.
n. 5 : a tralla na ra do S.-GonQalo, n. 29.
. -- Arrenda-seo segundo andar do sobra
do 11. 13, da ra da Lapa, n'bairro do Ite.ri-
f.i : para ver, as cliavet estBo 110 primeiro
andar, e para tratar, na praaa da Boa-Vis-
ta, n 7.
No dia 3 do corrento, estando a mudar-
se os trastea de urna casa, um dos pretos
que os condnzia, furtou una espora de pra -
ta de corrente. Roga-se a pessoa a quem
for offerecida, o favor de apprehende-la e
avisar a F. A. de S. Barreto, que he seu le-
gitimo dono, e se fr pessoa que queira
achado dar-se-lhe-ha.
Jos Pereira Cezir, ten lo sido mu ha-
do em sua casa no dia 2 do corrente, como
ja annunciou poresle Diario de 3, em adi-
tamento a esse annuncio declara, que Ihe
roubaram mais diversas pefasde roupa dos
seus caixeiros, um relogio de piaia grande,
um chapeo de seda preta e mais oulrosob
jectos O annunciante offerece todo o di-
nheiro e todos estes objectos, e s pede a
resliluicfio das lettraa e mais papis que es-
lavaui dentro da lata, e que a ninguem
absolutamente pdem servir senSo ao mes-
mo annunciante, polendo para mais facili-
dadeserem esses papis laucados por bai-
xo da porta de sua casa, ou da sua luja na
ra do Queimado, n. 21, ou de oulra qual-
quer forma que Ihe possam vir i m9o, pro-
metiendo guardar aegredo, e nSo proceder
contra, anda mesmo sabendo quem foi o
roubador.
Arrenda-se o sobrado sito na ra da
Senzalla-Nova, n. 16, por preco commodo :
a tratar na ra estrella do Rozarlo, no se-
gundo andar por cima da luja de trastes du
Sr. Moreira.
Alugam-se duasescravas para -Tende-
ren fructas: quem as tlvcr, dlrija-se a
ra Nova, n. 53.
Compras.
Com jira m-se escra vos de am
bos os sexos; na roa da Cadeia do
Kecife, n. 5t, piimeiro andar.
Vendas.
. 11 im 11 s
>'ii tes;
Na liviaria da pracs da lude
pendencia, ns. 6 e S, vendem-se
rolliiiiliusdu algihi irae porta pu-
ra o anno qne vein.
-- Vende-se, ou arrenda-se urna morada
de caaa no lugar do Cachang, a melhoi
que naquelle lugar existe, por licar ao 1 da
ponte, com seis quaitos, duas grandes sa-
las, corredor lavado, quintal com algumas
fruleiras, banho no luudo ; bencomo urna
morada de casa na ra do Padre-lloriano,
d. 57 : ambas por preco commodo : na Can-
boa do Carmo, o. 33.
Uctilos para tneutro.
Oculos os meldores que nest
genero tem apparecido, e qne sao
muito necesaarios para o bom tom
do theatro S.-Uubtl : vendem-sr
muito em conta : no paleo do Col-
legio, n. 6, livrana de Jo5o da
Costa Dourado.
- Vendem-se queijos londrinos, gruier,
prato.llamengos, presuntos parttlflamh^
ditos para panella, paios, nhouricos, con-
servas, sardinhas, bervilhas, vinhos de Lis-
boa, Porto particular, champaoba, madei-
ra, cherez, moscatel de SetubaJ. dito fran-
ez, Bordeaux, carcavellos, bucellas, cog-
nac, licores de marrasquino e de outras
lualidadea, marmelada e ginja em latas, e
oulros miiiios gneros na ra Nova, n. 3,
averna de Antonio Ferreira Lima & C.
-- Vende-se espirito de 36 graos : na ra
Nova, n. 3, taverna de Antonio Ferreira Li-
ma & C.
Lotera d > Rio de Janeiro.
Aos ao:ooo,ooo de rs.
Na praca da Independen ;ia, n.
4, loj de miudezas, venJem-se
bilhetes e meioi ditos di decim
oterii a beneficio das obras do SS.
Sacramento da corte, cajas listas
levem chegar no primeiro, vspor.
Na mestni loj i recebem-se bilhe-
tes premiados em troca dos que
seteem a venda.
Ven lem-se listas da lotera de N. S do
l.ivriimeni 1 que acaba de correr, a 10 rs.
no paleo do Collegio, casa do livro azul.
-- Vende-so un moleque crioulo, de 18
auno-, ptimo para pdgem : na ra do Li-
vramenlo, n. 1, segn lo an lar.
Ven lem-se oculos para todas as Ja-
les ;'BJ ra larga do Rozario, loja de miu-
dezas n. 26.
-Ven ie-se simento de llamburgn, gar-
rafas prelas vasias, phosphoros, tintas de
o'eo, latnparinas e colxetes : na ra do Tra-
piche n. 14.
-- Ven lem-se arreios para carros de um e
dous cavallos, do quali lade muito supe-
rior : em casa de llnry Gibson, ra da Ca-
lis do Racife n. 60.
--Vendem-se superiores colleras e ele-
gantes I11111 .n-oes para carros de duas e qua-
lro rodas : em casa do lleury Gibson, ra da
Cadeii do Recife n. 60.
-- Ven le-se couro de porco inglez, loros e
silbas: em casa de IIjihv Gibson, ra da
Cadeia du Recife n. 60.
At que a eertarain.
SapatOes de orelha e salto alto, feitos a
capricho no Aracaly a nnilacfio dos de cou-
ro de lustro: este calcado depois de abitua-
do a legitima graxa inglea n. 97, imita
exactamente ao de pulimento: tamben che-
gara m dosoutros sem orcinas, que se ven-
dem a 800 rs. : na ra larga do Rozario, n.
J5, loja do Lody.
--Vende-se, ou aluga-se um sitio em Api-
pucos, com cxc-llenii: casa para gran le fa-
milia, por ter duas salas, 6 quartos, cozinba
fra, estribarla, e, aln do famoso banho
nerto da casi, urna cacimba de cristalina
agoa potavel : notrapichi do Pelourinho,
das 8 horas da manhSa as 4 da tirde.
i'otaa da Itnssta.
Vende-se potassa da Russia, recentemen-
te che/ada, e de muito superior qualidade :
na ra do Trapiche, n. 17.
Cousa rica.
Vende-se ma igreginha com 4 palmos de
altura, 3 de fundo e 2 e meio de largura,
feila com muito gosto, prooria para o fes-
l-ji> do Natal ConceijBo, por ter este mes-
mo titulo; s pJe dir-lhe apreco quem
a vir : tamhem se vende urna sabia da mal-
ta, ptima cantadeira : na ra do Noguei-
ra, n. 32.
Vende-se urna preta da Costs, de 30 an-
uos pouco mais ou menos, s*m vicios nem
achaques, e com algumas habili lades .- em
I-o 1 a- le -Portas, rua do Pilar, n. 8S
-- Vende-se uma preta da Costa, muito
gentil e perfeita, he boa vendedeira de rua,
n.lo tem vicio elgum : o motivo por que se
vende lio por ter dormido fra da casa do
nlior iluas ve/es, mas vmdo para casa sem
empenhos e com o diuheiro da venda sem-
pre ceno: isto se iilianca ao comprador,
assim como o nSo beber espritus : no lar-
go da Trempe, sobrado 11.1, que tem venda
por baixo.
Vende-se, por ter o dono de retirar-se
para o Rio-Grande do sul, uma excellente
casa terrea, sita na rua do Alegra, n. 5, com
muilo bous comino los, p opria para gran-
de familia, e que rende mensa luiente 12,000
rs : a tratar na mesma rua, 11. 1, sobraJo.
Itom e barato
Vende-se a bordo do brigue /-do, Ion lia-
do junto ao Ti rpiche do algodSo, muito boa
tarinha de S.-Catharin <, a prego de sute pa-
tacas o alqueira da medida velha, vende-se
por menos prego porcSo gradde, por ja ter
parte della vendida.
Na ruado Crespo, n. 11, vende-se li-
nda de n. 30 a 70, a 10 rs. o novelo, e a 80
rs. a ca xa ; pegas de fita de linbo estreita
com 10 varas, a 40 rs. a pega ; linha preta,
a 10 rs ; grvalas francezas, a 1,000 rs.; e
nutras mullas miudezas por todo O prego
em rasSo de se precisar de dinheiro para a
festa.
Trancas e franjas,
pata enfeites de vestidos e manteletes : na
rua do Queimado, n. 24, loja de miudezas,
de J. J. Comes.
I.olera de N. S. do l.ivi-ainente.
Na rua da Cadeia, n. 46, loja de miudezas,
ven ile 111-so os mi u i tos afortunados mejos lii-
Ihetes, decimos e vigsimos da mesma lo-
teria, que corre i.dpreterivelmente no dial
24 do corrente. Nos vigsimos ns. 836'sahioj
o premio dos o.CCO.CC'-* z r;. ioieria do
l.ivramenlo que correu no dia 30 do passa-
do. Meiosa 5,500rs. decimos, a 1,100rs. ;
vigsimos, a 600 rs,
Na rua do Crespo, loja 11, 4, ha
boticas bomosopathlcas,
de 24, 36 60 tubos grandes e pequeos,
com os livros necessarios ao estudu e a pra-
tica da bou (Cipiitliia, viudas do Rio de Ja-
neiro do Krande laboratorio central da rua
de S.-Jos, n. 59.
tiiiin admirar venba ver o com-
piar, na rua do Crespo, loja da'
esquina ojiie volta para a Ca-
de! ^,
Panno fino preto muito bom, a 3,000 e
3,600 rs. ; dilo muito superior, a 4,500 e
5.0110 rs. ; dito azul muito lino a 3,000 e
5,500 rs. ; casemira preta, a 5,000 re. o ir-
te ; dita n:mto superior, a 10,000 rs.; cr-
tes de fuslilo a 320 a 600 rs. ; ditos muito
bonitos, a 800 rs ditos desetim de cores,
i 1,600 rs..; ditos de gorgurfio, a 1,980 ra. ;
cassas de coros Mas e de bonitos padres,
a 240 e 280 rs. e envado ; cortes de casaa
preta,a27feOi,. ditaea 140 rs. o covado;
ftacado delinho azul, a 940 rs.; corte de
brimde linho, a 1,600 ra, ; ditos muilo
bons, at,809 e 2.0D0; ditos superiores, a
1,289 e 1.600 rs. a vara ; lencos de seda de
cores, muito bonitos, a 1,000 ra. ; ditos pa-
ra grvala, a 1,000 e 1,280 rs. ; ditos de
casaa com listras de cores, a 240 e 320 ri. ;
ditos com listras de seda, a 500 rs. ; algo-
dio azul de vara de largura, a 200 rs. 0 co-
vado ; dito lurta-cros, a 200 rs. ; picote
muito encorpado, proprio para escravos, a
200 ra. j riseado de algodSo americano, a
140 rs.; cortes de brim de listras, a 1,000
rs. ; chitas de cores filas e de bonitos pa-
dreas, a 140, 160,180 e 200 rs. o covado;
riscados monatros, a 220 rs.; cambraias de
quadros, a 2.720 rs. a pega; corles de case-
mira de algodSo, a 1,600 rs.; cassas fran-
cezas muilo bonitas, a 320 rs. o covado ;
chapeos de sol, com asteas de baleia, a 1,800
rs. ; e outras militas fazenJas por prego
commodo.
Grande deposito de carvlo
saceos grandes a 5oo rs. .-
vende-se no antigo armazem de
capim, na rua do Sol n. i5.
Loteria de N. S. do Livramento.
Na prag da Independencia, n. 4, loja de
miudezas, vnden-se os afortunados bi-
lhetes, meios, quartos, decimos e vigsimos
da loteria de N. S. do Livramento, que cor-
re inpreterivelneute 00 dia 24 do corrente.
Bilheles 11,0111)
Meios 5,500
Quartos 2,600
Decimos 1,100
Vigsimos 600
Grande deposito de chi.
No pateo do Collegio, casa do livro azul.
Chi hysson superior 2,400
Dito aljfar, brasileiro 2,200
Dito paquequer 2,000
Ditos de outras qualidades 2 000
Vende-se cobre, metal amarello, e pre-
gos para torro de navios, por preco com-
modo : em casa de A. V da Silva Barroca,
na ra da Cadeia do Recife, n. 42,
-- Vende-se um negio pega de idade de
24 annos, bastante possante, prourio para o
servigo do campo : na rua do Crespo loja
da esqoina que volta para a cadeia.
Ggarrilhos hesoanhes.
SSo ch-gados os excellentes cigarrilhoa
hespaobes aodeposito da rua da Cruz, no
Recife,, n. 40.
Lotera do Rio-de-Janeiro.
Aos 2i,:000,00o de ruis.
Na rua estreita do Rozario, travessa do
Queimado, loj 1 de mili bazas n. 2 A, de Joa-
quim F- dos Santos Maya, ven lem-se oa
muilo afortunados billetes, meios, quartos,
oitavos e vigsimos da decima loteria a be-
neficio da fregoezia do SS. Sacramento da
corte: na mesma loja .est ptente alis-
ta da 12 loteria das casas do caritate, e
tambem recebitm-se bilhetes premia los em
troca dos da loteria cima dita.
Agencia
da fundigoLow-Moor.
aOA. DA SKNZAIXA-NOVA, N. 4*.
Ne3te estahelecimento conti-
nua a ha ver um completo s'.rti-
nento de moendas e meias moen-
I', pira engenho; machinas de
vapor, e tachas de ferro batido
odo, de tolos os timanhos,
pira dito.
Vende-se um muito bonito noleque
cripulo, de 18 annos, nuito robusto e sa lio,
sem vicio algum, e que aabe bem cozi-
nhar, engommar liso, coser de alfaiate,
com principios de saoateirn, bom destila-
dor, licorista, faz vanas qualida les de xaro
pes! chocolate eiodo o mais servigo de uma
casa do familia juma casa terrea de pe 1ra
e cal, em muito bom estado, com duas sa-
las, 3 quartos, cozinha grande e Tora, quin-
tal grande com cacimba, na rua de 8.-Mi-
guel dos Afoga los ; um sitio com 425 pal -
mosde frente e 1,200 le fundo, com ami-
tos arvuredos d 1 fructo, pasto para duas
vaccas anuualmenle,lerra para planUr.com
uma pequea familia, e boa agoa de beber,
na estrada de Belem : ludo por prego rom-
modo : a tratar com seu proprielario Ir-
lenco Chaves, morador no Alerro-da-Boa-
Vista, n 17.
Vende-se um moleque de 9 para 10
annos, de bonita figura, ou troca-se por
uma negrinha: na rua do Encantamento,
11. 13.
Grandes retratos de S. M. I.
D. Pedro II, proprios para as re-
partieres pnblicas, ou ricas salas :
vendem-se m> pateo do Gollegio,
casa do livro aiul.
Vndese uma batelSo para quem se
quizer divertir pelo rio Capiharibe, novo
e pintado, com remos, vela, o carrega 4
pessoas adultas : em s.-Amarinho, a fallar
com Manoel l.uiz da Veiga.
-- Vende-se um eseravo mogo, muito sa-
ilio, submisso, de boa conducta, e sem
defeiius : na rua da Aurora, primeiro andar
da terceira casa em que mora o Sr. Dr. Fran-
el.ro de Caula Biptista.
Na rua das Crutes n. 22, segundo an-
dar, vende-se urna bonita pirda de 26 an-
nos, que engomna, cose chito, cozinha e
lava desahSo ; duas pretas tanda urna 24 e
a outra 30 annos, que cozinliam, lavan de
sabSo e efio quitandeiras ; um eseravo cri-
oulo, bonita (gura, de 22 annos e meio of-
ficial de ferreiro ; e o-atro dito da nagito,
prourio para todo o servigo da praga oa de
oanpo.
Vende-se uma preta de elegante figu-
ra, boa oozinheira e eogonmadeira; una
dita do servigo decampo; um moleque de
18 anoos, coziobeiroe copeiro ; un mula-
tintio de tai annos ; um pardo moco e. car-
reiro : no pateo da matriz da Santo Anto-
nio, sobrado n. 4, as dir quem vende.
Vende-se um ptimo eseravo de 16 a
18 annos de i ladee iie muito bonita figura :
a tratar com JoSo Feruaudes Parele Vian-
na, na rua >ova 0.20.
Chocolate homoeopatliico.
Vende-so no Aterrada Boa Vista, fabrica
de licores n. 17.
10,000 rs. a Hacia.
Verdadeiroe legitimo ebanpaBhe A T aun
casa de Avrial & IrmSos 1 rua da cruz n. 9*


Segundo as ultimas noticias recebidsl
de Franca, os novos procesaos para a ex-
IraccSo do asaucar, assim de canna como
de beterraba, de que as gazelas t-em fl-
l.i l<> Unto, ha perto de 18 mezes, *rham-s*
sempre no inesmo estado, isto he. estSo
sendo ainda estudados; todos os fabrican-
tes d assurar em Frange persisten) portan-
ln no pinprego de carvSo animal em grSo, o
qual continua a dar os resillados mais sa-
tisfactorios. A vista disso ciemos fazer utn
servido aossenhores deengenho desta pro-
vincia annunciando o Manual ortico do fa-
lineante de astucar composto por A. Som-
mier e traduzido em vulgar por *
Este manual ensina a msneirs pela qual
os rubricantes de assucar devem servir se
do carvSo animal em grSo, e bein assim os
mcios pelos quaes cvitarSo os accidentes
que pdem acontecer pela prepararlo dos
filtros ruis bu menos bem feita, a maneira
de tomar o ponto, cousa muito importante
relativamente ao producto, os cuidados que
deverSo ser tomados para evitar a fermen-
tacSo do caldo da canna, antes de sua depn-
racSo, etc.
Vende-se a 3,000 rs. na fabrica de carvSo
animal, na ra da Concordia, n. 8, e na
praca ua Independencia, Imana ns. 6 e 8
Na rmt Nova, n. 8, loja de Jos
Joaquina Moreira Se r. ,
vendem-ae muito boas grvalas de mola, de
qualquer cor, pelo bsratissimo preco de
2,000 rs.; chapeos da verdadeira palha da
Italia para senhora ; ditos abertos ou arren-
dados do mellior goslo possivel; ditos para
iiieniiias, tambem tbertos e lisos; capoli-
nhos mos de chamalule, que se venden)
por menos preco do que em oulra parte ;
cu H cjs/inlios de seda desabados que ser-
vein para mancas deum a 12 mezes; bo-
netes de panno para homem, chegados pe-
lo ultimo navio de Franca ; mantas de gar-
fa, brancas e proprias para noivas ; (lores
brancas para enleites de vestidos de casa-
menlos; bicos de seda brsncos, largos e
imitando o mellior possivel os do blonde ;
lnvas de pellica para homem e senhora ;
excellente couro de lustro francez ; zapa-
tos de marroqu ni preto para senhora, a
1,200 rs. o par; ditos de couro de lustro
muito uovos, a 2,000 rs. o par; loucadoies
de Jacaranda, proprios para rapazea soltei-
ros, a 4,000 rs.; e outras muitas fazeudas
por prego commodo.
Vendem-se colleecoes com
inais de seis lindas vistas, repre-
sentando a ponte do liecile com a
allanriega, a ponte da Boa-Vista,
a cidade de Olinda, a ponte do Ca-
chang, Poco-da-Panella, e a ra
da Cruz como arco do Bom-Jesus;
bem como duas grandes vistas de
Pernambuco: -na ra da Cruz, n.
lo. casa de Kalkinanns Irmo.
-- Vendc-se um grande sitio no lugar do
Manguinho, que lica del ron lo dos sitios dos
Srs. Carneiios, com gi ande casa de viven-
da, de quatro agoas, grande sonzalla, co-
cheira, estriban*, baixa de capim que sus-
tenta 3 a cavados, grande cacimba, rom
bomba e tanque cuberlo para banho bai-
lantes arvoredos de fructo : na ra da Con-
cordia, primeiro sobrado novo de um andar.
quarto e em pipas, chegado ltimamente ;
peneiras de rame; cevada ; arcos para pi-
pas e barricas ; lio porrete ; pregos de to-
das as qualidades, por preco commodo : na
ruado Vigario, n, 11, armazem .de Francis-
co Alvos da Cunha.
Vende-se chumbo em barra, sulphato
de quina, e gomma arabia em partida maior
ou menor : oa ra do Amorim, n. 15.
Ne ruado Passeio-Publico, n. ig
oa um rico sortimento deespelhos de Fran-
ca com quadros douradoe de todos os l-
mannos ; camas francezas de mogno e de
Jacaranda do ultimo goslo, cpulas, cor-
iiliuados e mosqueleiros para cama, tpe-
les, colchas de damasco, pecas de cassa ada-
macadas para cortinados, guarnieres com-
pletas | ara janellas, meiaa de algodSo para
iiomem, ditas para senhora, luvas de re-
troz branco e preto, franjas e cordOes de
diflVrentes cores.
,4,
*-
A CIDADE DE PAR \S.
de n .
tena do Collogto 11. 4.
Neste novo estabelecimelo se acha sem-
pre um grande e rico sortimento de chs
posde sol, dos msis modernos e variados,
para homens e senhoras, tanto de seda co-
mo de panninho ; lindo sortimento de ar-
macOes de baieia com cabo de marlim, 1
outras para se cobrirem de seda, que hfli
de agradar aos compradores ; chapeos de
sol, para homem, de chamalote decores e
pretns ; ditos de seda de cores, preto, la-
vrados e lisos, de 4.0O rs. para cima ; ditos
com armacSo de ac, muito fortes, de seda
e de chamalote ; ricos chapeos de sol, para
senhora, de lindas sedas e franjas, todos
forrados por dentro e com cabos de mar-
lim, os mais bonitos que se pdem desejar,
e proprios para presentes de festa ; ditos
mais imples de seda com franjas e singel-
los. de 4,000rs para cima; ditos de pan-
ninho imitando seda, com franjas e sem el-
las, de 2.000 a 3,500 rs. proprios para me-
ninas andarem na escola ; chai eos de sol,
de panno para homens, de todas as coros e
qualidades, lano de armacSo de ico como
de baieia, de 2,000 a 3,500 rs. ; ditos panno trancado, muito grandes e fortes,
com cabos de latSo e de madeira, proprios
para senhures e fuitores de engenho ; gran-
de sortimento de sedase pannos em pecas,
de todaa as cOres e qualidades, para cobrir
armacOes servidas ; variado sortimento de
cabos de maifim dos mais ricos, e de oulraa
mullas qualidades para chapeos de sol, de
mmelo iga aOilli'lvIil vcijgniao i
chicotes. Tambem se concertad) e conrem-
se todas as qualidades de chaios de sol e
bengalas. Iodos estes objeclos se vende m
em porcSo e a reta I no, por menos preco do
(jueem oulra qualquer parle.
Loleria do ltio de Janeiro.
Aos 20:000,000 rs.
Na ra larga do llozario, botica n. 42,
recebeu-se a lisia da loleria das casas de
caridade, e ah foram vendidos os segua-
les nmeros que sahiram premiados, a sa-
ber : 1,950, 4:000,000 rs., vigsimo ; 2,672,
1:000,000 rs., quarto ; 5,029, 100,000 rs. ,
inteiro ; 1.S62, 100,000 rs. vigsimo ; bem
como bilbetesds decima lotera a beneficio
da freguezia do SS. Sacramento do II i o de
Janeiro, que ge vendem pelos precos se-
guales: bilheles, a 92,000 rs. ; meios, a
11,000 r. ; quarto, a 5.800 rs.; oi la vos, a
2,900rs.; vigeaimos, a 1,400 rs.
Vendm-se reiogios de on-
ro e preta, patente ingiez : na ra
da Senzalla-Nova, n. 4a.
Vende-ae vinlio do Porto em barril de
* Deposito geral do superior ra-
^ p Areia-Freta da fabrica |j
9 de Gantois Pailhet & G. o
g na Babia.
? Domingos AlvesMatheus, agente da
? fabrica de rap superior Areia-Preta da
VBaliia, tem aberlo um deposito na ra
Wda Cruz, no Recite, n. 52, primeiro an-
Odar, onde se achara sempre deste ex->
Ocelleuleemaia acreditado rap: ven-O
Qde-se em boles de urna e meia libra,O
<)por preco commodo. <>
oooooooooooooogoo
llap a me ri can o.
Vende-se este rap, que ha de agradar as
pessoag que gostam da boa pitada : a rola-
Ihoi no Recife, em casa dos Srs. Davis & C,
ltaymond& C. e Fonles & IrmSo; em S.-
Anionio, em casa do Sr. Lody, na ra larga
do Rozario, n. 35 ; no Aterru-da-Boa-Vista,
casa do Sr. Manuel Jos Guedes Magalhflcs;
e poralacado.no Recife, ra do Trapiche,
n. 14, segundo andar.
Na ra Nova, n. 8, loja de Jos
Joaquim Moreira & C. ,
vende-se um rico sortimento de
franjas pretas para manteletes e
capotinhos, por preco rasoavel.
lacinia ile Edwln tlaw.
Ra de Apollo, n. 6, armazem de Me. Cal-
moni & Compendia, fazem ver aos Sra. de
engenho e aos aeus correspondentes nesla
praca, que no seu esta beleci ment se acha
constantemente bum sortimento de moen-
uas todas de ferro para animaes, agoa, etc.;
meiasditas para armar em madeira; ma-
chinas para vapor com torca de 4 cavalloa ;
taixas de difieren tes modelos e de todos os
lamaiihos e grossuras, tanto de ferro batido
como coado ; espumsdeiras, cocos, etc., de
ferro estanbado ; safras para ferreiros : lu-
do mudo hom e or barato preco.
Joao Keller& 1 onipabia, na
111a da Cruz, n. 55,
Vendem a procos commodos, vinbo mus-
calel de Selubal, em caixas de urna du-
zia ; dito muito bom de Lavradi e Col-
lares, em barris de quinto ; dito de Cham-
panha, da mais acreditada marca ; dito lin-
io de Corlaillod, de superior qualidade;
extracto de absynth e kirsch ligilimo da
Suissa, em caixas de una duzia ; verdadei-
ro cognac voltio, e da mellior fabrica de
Franca, em barris de 80 garrafas pouco
mais ou menos : tambem se vendem por
preco u.uilo rasoavel velas de stearina ,em
caixas de 32 libras ; charutos da Babia de
uito boa qualidade.
Loja de seis portas em frente do
Linimiento.
0 administrador desta loja lem a dar ba-
taneo no lim de dezembro, e como lenha
restos de alcaides, quer acabar com ellos,
Irocando-os por sedulas, sendo o proco o
mais rasoavel possivel, como sejam : pecas
de madapolSo com 12 jardas, por sete pata-
cas ; chales de chita, a 480, 640 e 1,000 rs.;
ditos pretos de rede, a meia pataca cassa
preta, a 120 rs. ocovado; conos do chita
pela rom 11 covados, por 1,280 rs.; ruca-
dos nionstros, a 260 rs. o covado ; chitas, a
120, 140, 160, 180, 200, 240 e 320 rs larga
franceza ; brtni'braiico de listras, a 200 rs. o
covado ; e outras muitas fazeodas por pre-
cos que coadjuvam a economia.
O bom e barato.
No Passeo-Publico, loja n.9, de Albino
Jos l.eite, vende-se um completo sorti-
mento de chitas, a 120 rs. c covado ; cassa
para babados, a 240 rs. a vara; riscado fran-
cez largo, a 200 rs. ocovado ; cobertores do
algodSo grosso para escraves, a 720 rs ;
u adapolflo, a 100 rs. a vara ; riscados de
linhomiudiuhos, a 320 rs. o covado; len-
cos du seda de cores, a l.ouo rs ; e outras
muitas fazendas que nflo he possivel an-
uunciar para nSo oceupar lempo.
Vendem-se cincuenta 011(18 hespanho
laa : na ra da Cruz n. 51, no escriplorio do
primeiro andar.
Globos de vldi-o.
Vendem-se globos de vidro proprios para
escada e corredores, e mesmo para illuuii-
naces por serem niuilo commodos em la-
manlio : na la do Trapiche 11. 10.
Gal e potassa.
Vende-se a mais nova e superior potassa
que iia no mercado, e cai virgen) em peora,
chegada pelo ultimo navio de Lisboa, por
preco commodo : na ra da Cadeia do Re-
cife, n. 50, a fallar com Cunha & Amorim ;
assim con o um restante de barris da mes-
ma cai, que lcou da safra paseada, por ba-
rato preco.
Vendem-ae sabooetes higinicos, o
mais superiores que teem vindoaeste mer-
cado, assim como outras pe fumarias muito
finas: na ra da Cadeia Vclna n. 24, pri-
meiro andar.
Lotera do l'.io de Janeiro.
Aos 20;ooo,ouo de rs.
Nos quatro-canlos da ma do Queimado,
loja de fazendas,n. 20,vendem-se o> mullos
afortunados bilhalea, meios, quarlos, oj-
iaros e vigsimos Ua 10.' loleria do 88. Sa-
cramento ; bem como da 25.a loleria do
monte pi, cujas listas devem chegar no pri-
meiro vapor. Na mesma loja se irocam lii-
llielea premiados de qualquer loleria, e se
uiostra a lisia das casaa da caridade.
Vende-se fejSo mulalinbo, a 5,000 rs.
a sacca ; e rajado, a 4,000 rs. : ne armazem
de Antonia Aunes, junio a escadiuha.
8 e 10,
de
do
de
por
Bombas de ferro.
Vendem-se botabas de repuxo,
pndulas e picota para cacimba :
na ra do Bruui, ns. 6,
fundicao de ferro.
Arados de ferro.
Vendem-se arados de ferro
differentes modelos : na ra
Brum,ns. 6, 8 e 10, fabrica
machinas e fundclo de ferro.
Vende-ae urna sextante nova feita
um dos melhores autores de Londres e tam-
bem um orisonte artificial e um theodilele :
oa ra do Traoiche armazem n. 44.
Nao he exaajeracAo.
Vendem-se sapa loes de couro de lastro,
obra muito boa, a 9,500, 3,060 e 3,500 rs. :
na roa da Cadeia do Itecife. loja a. 9.
Cobertores de tapete para
escravos.
J se venden os acreditados cobertores
de tapete para escravos, a 780 ra. cada um
por isso venham s ellos antes que se aca-
ben), ou passeo par mais alto preco : na
ra do Crespo, loja da esquina que volla
para a cadeia.
Uapc Paulo-Gordeiro.
Vende-se efectivamente este excellente
rap, na ra da Cadeia do Recita, n. SO, le-
la de Cunba & Amorim.
Loterio do Kio de Janeiro.
Aos -.10:000,oon de rs.
Na praca da Independencia, n. 3, confron-
te a ra do Crespo e Queimado, vendem-se
bllheles, meios, qusrlos, oilavos e vigsi-
mos da decima lotera a beneficio da fre-
Kuezia do SS. Sacramento do Rio de Janei-
ro vindos no ultimo"vapor. Na mesma loja
se'mostram as listas desqueja correram.
Vende-se urna bonita mulata de 20 an-
nos, que pode servir de ama de leite, por
estar criando urna ilha de 3 mezes; um
prelo cozinheiro, de boa ligura, moco e re-
busto, e que tambem be caneeiro; urna
muUlinha de 10 annos, de liada figura : na
rus larga do Rozario, o. 48, primeiro andar,
se dir quem vende.
A 1,600 rs.
Vendem-se novos cortes de bnm tranca-
do escuro com duas varas e meia cada corte,
a 1,600; cassa franceza de bom goslo, 9,600
pec,as de esguiBo de algodSo com
Vendem-se saccas de gomma;
chapeos de palh e palos, por
preco commodo l jia ra da Ca-
deia do Becife, n. 9, hia.
Papel ronmnuao
bordado e colorido, de differentes formatos
e de superior qualidade, proprio para car-
tinha de amisade ou versos de sympsthia
Este pspel, ultimo goslo de Paria, be sim-
ples e bonito ao mesmo lempo, tanto o co-
lorido como o dourado, servindo ao mea-
lempo para desenlias que se collocam as
folhas dos slbuns dsa possoas de bom goslo:
vende-se ns livraria do pateo do Collegie
n. 6, de Jlo da Costa Dourado
Vendem-se superiores lingoicas do ser-
illo feitas de carne de gado, assim como car-
ne do sertSo: ludo cousa o melhor possivel:
na rus Augusta, venda de Victorino Jos
CorreiadeS.
Vendem-se 6 escravas, 3 engommam e
cozinham. urna be perfeila engommadeiri,
e que cose e cpzioha, veste e penteia urna
senhora, as oulras sSo boas quitandeiraa ;
urna mulitinha de 18 annos, que cose, en-
gomla e faz o mais servico de urna casa ; 1
preto que serve muito bem a urna casa e ga-
n na ra 640 rs. por dia ; um moleque de
5 aonos, muito lindo e esperto : na ra do
Collegio, n. 21, primeiro andar, ae dir
quem vende.
Vendlrsriu?.rsTe.1ede0lo?ca.".s me- J**-i barato preco que
inore, quese pode ,neo...r.r poique Pre- % '*: j f.br.c. de c.ldeirei-
cot de 1,000 ris e 800 ris: na ra do Quei- I^^V2mfJli2a a am mmmmmm.
mado, loja de miudezas junto a de cera n. 9 -
ras, a 60 rs. o papel; pentes finos para ali-
sar, a 360 rs. ; meias brancas para senho-
ra, a :wors. o par ; bengalinhas de junco,
'00 rs.; maracas para meninos, a 300 rs.;
touquinhasde seda preta para enancas, a
500 rs. ; caivetes finos de aparar pesas, a
200 rs. ; requifes para enfeites de vestidos,
a 200 rs, s vsra ; agulheiros de vidro, a 200
ra.; e oulras muitas coosas que plo dimi-
nuto preco nSo deixaroo de agradar aos
compradores, e para que conhecam que lu-
do isto he bom e barato, se darlo as amos-
tras : na roa do Queimado, o, SS, loja de
miudezas, junto a de cera.
Meias Vendem-se meias de laia para padres, as
mais superiores que se podem encontrar,
pelo diminuto preco de 2,000 rs. : na ra
do Queimado, loja de miudezas, junto i de
cera, n. 33.
loo saceos novos de estopa.
Vendem-se 100 saceos novos de estopa e
algodSo, por atacado a 320 ra. cada um : na
ra larga do Rozario, n. 48, primeiro an-
dar.
Boa carnauba.
Vende-ae a relalho. na ra da Cruz n. 57,
a melhor carnauba que ha no mercado, e
mais barato que em oulra parte.
Cobre de forro para navios.
Vende-se cobre de forro para navios
de (superior qualidade, em porcSoea re-
19
varas, a' 2,400 rs. a pega ; cobertores de al-
godSo de cures, a 720 rs. : na ra do Cres-
po, n. 6, loja ao p do lampeSo.
Pecas de esgui3oa q,5oo rs.
Na loja da ra do Queimado, p. 17, ao p
da botica, anda tem para vender pelo ba-
rato preco de 2,500 rs.; pecas de esguiSo de
algodSo, com 12 jardas, muito proprio pa-
ra camisas de senhora, por ser msis largo
que o madapolSo.
Para acabar vendem-se,
na ra do Queimado, loja n. 17, caasas fran-
cesas de lia abertas, e de padrOes muito
delicados, a 400 rs. o covado ; cambraias
de cOres modernas, a b60 rs. a vara ; Chitaa
francezas do melhor goslo que tem vindoa
este mercado, a 320 360 0 covado. D3o-se
as amostras.
--Vende-se cobre em folhs para forrar
navio, ferro ingiez em barras, arcos, chum-
bo de municSo sortido : em casa de Me.
Calmont & C na praca do Commercio,
n. II.
Deposito de cal vliecin.
Na ra do Torres, n. 19, ha muito supe-
rior cal nova em pedra, chegeda ltima-
mente de Lisboa no brigue Tarvjo-Ttrctiro.
Linas multo baratas.
Vendem-se lavas decores, fio de escocia
sem defeitoalgum proprias para montara,
pelo baralissimo preco de 320 rs. o par: na
ra do Queimado loja de miudezas. junto
a de cera n. 33 nos quatro cantos.
1'uto de tartaruga para mar-
rafa.
Vendem-se excellentes pentes de tartaru-
ga para marraras, a 800 rs. o par; na ra do
Queimado loja de miudezas, junto a de cera
n.33
Cabecadas Inglesas.
Vendem-se cabecadas inglezas roliess e
chatas, loros e silbas de 18 : na ra do Tra-
piche n. 10.
Sapi los do Aracaty.
Vendem-se aapatos do Aracaiy, por me-
nos preco do que em oulra qualquer parte :
na ruada Cadeia, 11. 23.
Superior velas de carnauba a pre-
co commodo:
vende-ae na ra da Cadeia, n. 23.
-- Vendem-se 200 barricas vasias que fo-
ram de farnha do reino, todas americanas,
e por proco mais commodo do que se eslo
vendendo raspad arias, isto por se querer
desoecupar a casa onde ellas estilo, e a vis-
das ditaa se far todo o negocio : quem
as prelender, dirija-se a ra das Trinchei-
ras 0. 9. -
A 3$ftoo rs. o eento.
Vendem-se superiores charutos de S. Fe-
ix : na ra do Cabuga, loja do Duarte.
- Vendem-se ricas touess para baptisa-
do : na ra do Cabuga, loja do Duarte.
Na loja de allaiute, na ra
Nova, n. 'j, de jaciaiho Soares
de Menezes, ha um grande ecom-
pleto sortimento de obras feitas de
todas as qualidades ; st>sim como
se recebe toda e qualquer encom-
mciida, para o que tem boas fa-
zendas e habis olficiaes, por iiao
se promette dar com a maior pres-
teza possivel: tudo por proco
mais commodo do que em oulra
qualquer parto.
Vende-se, para fra da pro-
vincia, um bonito escravo, offi-
cial de mai ceneiro : na ra Nova,
ruiazem de trastes, defronte da
ra de S.- A maro.
-- Vende-se urna preta de bonita figura,
SS, nos quatro cantos.
Tre mocos.
Vendem se saccas com muito superiores
tremoco: na rea da Cruz n. 57, por com-
modo preco.
Vende-se um escravo de elegante figu-
ra, excellonte carreiro, e ptimo para todo
o servico, principalmente o do campo, por
preco mdico : na roa do Hospicio n. 9.
Vendem-ae as decadas de JoSo de Bar-
ros e Cooto, o primeiro he melhor elassico
da lingoa portugueza em 27 volumes ; geo-
graphia de Cau'ltier, 1 vol.; historia sagra-
da por Dernardino, 2 vol.; poesiaa do Dr.
loo de Barros : no atierro da Boa-Vista, lo-
ja do Sr. Estima.
Vende-se superior e muito
nova farinha de mandioca, cbsga-
da agora do S.-Gatharina pelo bri-
zne Soares, ancorado na volta do
Forte-do-Maltos: quem a quizer
comprar por menos do que em ou-
tra qualquer parte.dirija-se a bordo
do mesmo navio, ou ao escriptorio
de Oliveira, Paiva ck G., na ra
da Alfandega-Velhs, n. 5.
Vende-se urna prela com urna cria de
5 annos, moilo liada : a prela engomma,
cozinha, cose e faz o mais servico de urna
casa de familia ; urna moleca de 11 a 12 an-
nos : na ra do logo, n. 23, se.dir quem
rende.
Lavas de pellea.
Vendem-se luvas de pelica para senhora",
pelo preco de 2,000 ris e 1,980 ris ; ditas
de ponto ingiez para homem, o melhor pos-
sivel. a 1,800 ria preco que ninguem ven-
de : na ra doQuei'nado, loja de miudezas
unto s de cera n. 33.
- O gerente do contrato do rap de Lis-
boa contina a vender em sua luja este ra-
p, e desejando salisfazer aos freguezes,
lem seguido por a ven la o mais moderno,
por julgar ser o mais fresco, a vista do que
declara que se nSo responsabelis por qual-
quer motivo que se queira allegar, afim de
que se receba o rap depois de vendido.
A sorte grande.
Bilhetese cautelas da lotera de N. S. do
Livramento, cujas rodss andam infallivel-
mentenodia 24 do corrente : vendem-se
no pateo do Collegio, casa do, livro azul.
Sapates de luatro.
Vendem-se sapsloes de couro de lustro
para homem a 2,500, 3,000 e 4.000 rs. o par,
obra boa; no Aterro da Boa Vista, loja de
sapatos n. 58, junto a deselleiro.
Molas para gravatas.
Vendem-se mola*para gravatas, por pre-
co que nSo deixar de agradar ao compra-
dor : na roa do Queimado, n. SS, loja de
miudezas, junio de cera.
Vendem-se 4 lindos moloques de 8 a
18 annos ; 6 pretos, sendo dous ptimos sa-
paleiros e um cozinheiro ; 4 pardos de 12 a
30 annos, lendo um bons principios de cao
pina ; duas pardas de 15 a 16 annos, com
habilidades; 6 pretas de 19 a 25 annos, com
Igumas habilidades, e que slo proprias
para todo o servico r oa ra do Collegio, n. 3
Gravatas de mola.
Vendem-se ricas grvalas de mola pre-
tas e de cures, pelo diminuto preco de 1,600
e 2,000 rs.: na ra do Queimado, n. 33, lo-
ja de miudezas, junto a de cera, nos qua-
Iro-cantos.
Carnauba de primeira sorte,
um escravo de bonita figura e muito pos-
sanie, sapatos do Aracaty para homem e
meninos de 10 annos, sapatos de couro de
lustro em porcSo, esleirs, chapeos, couri-
uhos miudos, pennas de ema, caixas com
7c! : iio cSgvJc r.o !:sl f>wiM#
vendem-se na ra da Cruz, n. 24.
Cartas para logar.
Vendem-se flnlssimas orlas francezas
para voltarele, chrgadas ltimamente de
Kranca, por prefo multo barato; ditas [or-
tuguezas, a 500 rs. o baralno : na ra do
Queimado, n. 33, loja de miudezas, junto a
de cera, nos quairo-caotoa.
Um preto bom cozinheiro.
Vende-se um preto de bonita figura, bom
cozinheiro e melhor comprador, cabellerei-
ro e barbetro, e he de boa conduela : na
ra larga do Rozario, n. 48, primeiro andar,
se dir quem vende.
Borne barato.
Vendem-se sapalinhos para mancas; sus-
pensorios para meninos, a 80 rs.; cartoiri-
nlias com agulhas, a 320 rs.; caixiulist
com agulhas francezas, a 320 rs.; ditas com
brioquedos para meninos, a 480 rs. ; fran-
jas para cortinados de cama, por preco que
ninguem vende; finissiiuss tesouras ingle-
que cozinha, engomma perfeila mente eco- zaa, a 500 rs.; superiores escovmhas para
se: o motivo por que ae vende se dir ao jdeules, a 160 rs. ; quadroszinhos dourados
comprador: na ruada Aurora, n. 50. |com estampas de sanies, a 120 rs.; lionas
Vende-se por prego commodo urna 9
9 por^So de carvSo artificial, quem o 4
9 prelender : dirlja-se ao escriptorio i)
f) de A. S. Corbett, na ra da Cadeia >.<
do Recife n. 48. s>
*##
Vende-se um sobrado de um andar na
ra da Calcada, acabado a poueo de concer-
lar-se: a tratar na ra das Larangeiras n. 18.
No sobrado da esquina, junio o trapi-
che do Ramos, vende-ae doce muito bem
feitd, tanto secco coa.o de calda de todas as
qualidades, tanto em porcSo como a reta-
lhn, por prego commodo, e tambem se en-
hilan) bocetaa a vontade dos compradores.
Vende-ae milho moido em sacras de 4
arrobas, pelo diminuto preco de 9,560 rs.
a.'sacca, muilo proprio. para cavallos, assim
como farinha de todas as qualidades: na
ra do Brum n. 28.
Vende-ae um preto de nacSo, moco
muilo bonita figura, da-se em con la por ha-
ver preciaSo ; urna dita, alta, boa quitan-
deira, sem vicios nem achaques ; urna pre-
linha com prmcipioa de costura 1 na ra do
Itangel 11. 38, segundo andar se dir quem
vende.
Vende-se urna taverna com poneos fun-
dos, na ra daSansalia Velha o, 48: quem
a pretender dirija-se a mesma a tratar com
Domingos Jos Moreira.
Bom negocio.
Vende-se ou' troca-se por casas terreas,
um terreno em frente do quarlel do Hos-
picio, o qual tem urna olaria ; lendo da
frente 107 palmos e de fundos desde a ra
da Aurora at a do Hospicio: este terreno
lem logar para se edificar 15 moradas de
casas com mais de 30 palmo* de frente, e
200 de fundos ; faz-se negocio com todo o
terreno ou com melado : na prtc da Inde-
pendencia n. 17, para lrUr.
Na ra Nova n. 4, loja dealfaialede
Augusto Colombier, vendem-ae palitos de
I i litio de difieren tes psdrOes, proprios para
a festa, a 5000 rs.
-- Vendem-se 60 saccas de gomms muito
boaealva, lambem vende-ae st ama sac-
ca : na ra do Cabuga n. 9.
sjm~--- w^mmmmmm
Escravos fgidos
Kugio, a preta Jacintha, de nacSo Con-
go, cara um tanto upado, cor fula, falta de
denles na frente, ps apalhelados e gros-
sos, e lie bem fallante. Iloga-seasautorida-
des policiaes e cspilSes de campo que o
apprehendam e levem-naa ra do Hospicia,
n. 36.
Fugio, no dia 28 do novembro prxi-
mo passado, do engenho Guararapes, o es-
cravo Mailiias, pertencenle a D. Jeronyma
Samicoda Silva Mello, de altura regular,
rosto muilo lustroso, cor um tsnto fula,
bastante ladino, de 30 annos pouco mais ou
menos; e he carreiro : quem o pegar leve-o
ao dito engenho, a sua senhora, que grati-
ficar.
Fugio, no dia 26 de novembro prximo
passado, o escravo Camillo, de nacXo Ango-
la, o qual representa ter 30 a 35 unos, al-
tura regular, cheiodo corpo, um tanto ful-
la e olbos avermelhados ; ha noticias de o
terem visto pelas ras do Itecife e Santo An-
tonio : pede-se ss autoridades policiaes e
eapilflesde campo que o apprehendam e le-
vem-no a ra do Trapiche, armazem n. 6,
ou na ra do Rozario larga n. 46, venda, que
se gratificar.
Fugio, no dia 22 do prximo passado, a
eserava Clara.de 30 annos pouco mais ou
menos, de cor Ido fula que parece mulata,
aecca do corpo, de estatura regular, rosto
comprido, com falta de denles na frente :
3uem a pegr leve-a a l.uiz Epifanio, na ra
a Florentina, defronle do tbeatro novo, oa
seu aenhor, o tenente-coronel JoSo Flo-
rentino Cavalcanti de Albuquerque, no en-
genho Recanlo, em BerinhSem ; assim co-
oceulta.
Gratlflea-se bem.
Fugio no dia 94, do corrente mex de no-
vembro, o prelo Antonio do naci Calinda,
fue representa ler 45 annos de idade, altu-
ra regular, chelo do corpo, cara abocetada,
com bstanles cabellos brancos na cabeca,
muilo cabelludo nos peiios, levou calca e
jaquel de ganga asul, he ollicial de caldei-
reiro da fabrica da ra do Brum n. 28;
desconfia-se que lenha ido para o mato por
ter j estado fgido perto deum annea
algum engenho: roga-ae pois a quem o
aprehender leve-o aos Sra. do mesmo es-
cravo Metquila & Dulra na dita fabrica qe*
serSo generosamente recompensados.
100,000 rs. de gratiQcaeflo
a quem pegar o mulato Venancio, baixo, re-
toreado ; loi escravo de Diugo Jos da Cos-
ta, e que esleve nos mezas de julho. agosto,
selembro e oulubro am casa do Baixa no
Mouteiro, e o levar roa da Cadeia do Re-
cife, n. 37, ao Sr. Antonio Machado Gomes
da Silva.
'


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EM3EOX4UF_JOZYNI INGEST_TIME 2013-04-24T20:27:38Z PACKAGE AA00011611_07230
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES