Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07229


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XIV.
Sexta-feira
PARTIDAS DOS OOSKEIOI,
Golaona e Parahib*. s segundas e sextas feiras.
Rio-Grande-do-Norle, todas ai quintas feiras ao
melo-dia.
Cabo, Serinhein, lUo-Korrnoso, Porto-Calvo e
Macelo, nol.'.a 11 e 21 de cada mea.
r,araj)hiuis e Bonito, a 8 e 23.
Hoa-VIsia e Flores, a 13e38.
Victoria, ai quintas feiras.
Ollnda, todos os das.
IMWI IBIDES.
'Nora, a X as 2 e 56 m. da t.
p.... n in, )Crsc. a 1 1. as U h. e 17 m. da t.
Ph.s.s d ''{chela, a 1.1, a. 2 h. e 35m.dam.
Uling. a 25, as 6 b. 54 m. da t,
ruaiua de hoje
Primcira as 0 horas 54 minutos da manhaa
Segunda aa 7 boraa 18 minutos da tarde.
de Dezembro de 1850.
N. 277.
fkeoo si trjucrtipgio
Por tres roetes (adlantadosj 41000
Por seis mezes 8/000
Por uin anno 15/000
das da siniNi
2 Seg. 8. Bibiana.
3 Tere. S. Francisco Xavier. And. do J. da 2.
v. do civel, e do dos Cellos da faienda.
4 Quart. S. Karbars. Aud. do i. da?, v. do civel.
5 QuIoL Geraldo. And. do J. doa orf. e do
in. da 1. v.
6 Sen. S. Nicolao. Aud. do J. da 1 v. c. e do
dos feltos da faienda
7 hab. S. Ambrollo. Aud. da Cbanc. e do J.
da 2. v. do civel.
8 Dora. Conceicao de Nosia Senhora.
CAMBIO EM S SI DHIMBHO.
Sobre Londres, a 29 I|2 130 d. p. 1/100 rs.60 dia*
Pars, 333 por Sr.
Lisboa, 100. por cento.
Ouro.-Oncas hesnanholas .... 20/500 a 30/060
Moedas de 67400 velhas. 16/200 a 16j500
de 6/1011 novas 16/000 a 16*200
de4|000....... 9/WO a 9/20O
Prata.Pataces brasileiroa.... 1/vr a I/18O
Pesos coluinnarios..... 1/960 a 1/980
Ditos mexicanos........ 1/700 a 1/780
paute orricuL.
GOVERNODA PUOVISCM.
EXPF.DIENT DO DA 39 DE N0VEM8R0
(inicio.--A thesouraria de fazenda trans-
miltindno aviso d urna letra Aa importan-
cia de 1:000,000 rs. sacada pela thesouraria
doRio Grsnde do norte sobre a dista, e s
fftjSr de Profiri Antonio do Amar!. Par-
ttcipou-seao Exm. presidente daquelli pro-
vincia
DitoA masms, rrcommendando a ex-
pedicSo de soas ordeos ao inspector d'al-
fsndega para que consinta no despacho li-
vre de dirilos de quatro vergontea de pi-
nho, qua fo'am comprada pelo inspector
do .arsenal de maripha. ao capitSo do brigue
sueco Emilia, Willian Banch, para os navios
d'rrmada. Intelligcnciou-se SO referido
inspector.
Dito. Ao commenJador Francisco Anto-
nio de Ollveirs, para mandar entregar ao
tenente-coronel JoSo Leite Torres Galliodn
director dos Indios de Cimbres, s qusntia
de 200,000 rs., sflm de ser dsda aos dous
indios menores de nome Lesndro e Filippp
irmflos jie Francisco Danieno que morreu
no laque do dia 28 de Janeiro do corrente
a mo em defeca do governo.
^sflto. A pagadoria militar, para que
vista da cunta e mala papis que remelle,
mande pagar ao boticario Julio Sous, a
quantiade 1:068,400 rs, em que i m porta m
os m.rdicamr-iitos que loe vendeu pira a
ilha Je Femado.
Dito. -- Ao mesmo, dizendo, que vislo teri
de seguir para as Alagas, onde vi residir oj
alferes do segundo batalhSo de cacadores
Augusto Pereira Ramalho, mande ajustar asj
suas cuntas aui de seibo passar a compe-
tente guia, devendo elle ir pago de seo sol-
do at o-ultimo do mez corrente.
dispenseiro do mesmo vapor, Pram tiaco Al-
ves de Olivira, dispenseiro do brig ue escu-
na Canopo, Joa.jom Carcis dos Ssnl os, sar-
gento do segn lo batalhSo de art'ilhtris a
p Joflo Fernendes Lopes, segundo sargento
do tnreeiro batalhSo de artillara a pe.Joan-
na Maria da ConceicSo trmaa do reeruta
Herculano da Rocha Warrderley.
TRIBUNAL DA RKLACUO'.
SESSAO' DE 3 DE DEZEMBRO D E 850.
emasiDXKci* do na. swOa ooasi imaiao
azavEoo.
A's 10 horas da manhSa. achando-se presen-
tea os senhoret deseinbargadores Bastos, Lelo,
Souza, llebello, Luna Freir, eTelles, faltando
com causa o Sr, desembargador Villares, o Sr.
presidente declara aberta asestan. .
JOLGiHERTOS.
A froto,
Aggravante, D. Maria Francisca de Soma Ra-
mos; aggravado, Jos Mara Gonca I ves Ra-
mo. Negaram provimento ao aggravo.
Transporte
Des pea no corrente me
157.127.684
55:400,788
Salda
101:726,896
Saldo em lettras em 31
de oulubro
Receita no corrente mes
Despeta do corrente m.
Km cobre
Notas
Lrllras vencidas
a vencer em
narco
a era abril
5:678,610
-i.
5:678.810
/
-----------5:678.610
MfteBMM
107,896
101:619,000
4:630.250
718,688
329,672
-.-------5:678,610
(So das dses : linda hs bem pouco lempo I res em oito das cicatrisou-se de todo; o
que comecei a experimentar o systhema, jhubflo syphilitico, tSo difficl as vozes da
que cerlamente tem de fazer mui breve jcurar-se pela alopathia, resolveu-se om
revolucflo complete na arle de curar, [poneos diss ; o cancro venreo, em menos
otsioiucOss.
Appeilante, o juizo ; appellado, Joio Francis-
co Tavares.
Appeilante, Manoel Jos Soares de Avellar; ap-
pellado, Domingos Jos Marques.
O Sr. desembargador Souia pedio nova des-
tribuicao para as don srguintes apbellicdes
daa quaes era relator o fallecido Sr. desembar-
gador Ramos em que s:lo :
Appeilante, Francisco Cavalcante de Helio; ap-
pellado, Jos Francisco Goncalvee.
Appeilante. Francisco Antonio Fernandes; ap-
pellado, Jos Antonio d Magalbaea Batios.
mvisOes.
Passaram do Sr. desembargador Vastos ao
Sr. desembargador Leo a seguinle appella-
cea em que sao :
Appeilante, Luiz Pruguler e outros ; appella-I
dos, Avrial & lrmos.
Apprliaute, Francisco do Prado; appellado,
Joa
107:405,506
O thesourero.
Thomat joti da Silfo Guimio Jnior.
O eserivRo ds receita,
A ntonio Cardan de Queiroz Fonetca Jnior.
emoniraco do taldo exklenit na caixa
depoiitoi 1 30 de novtmtro de 1850.
Saldo en lettras em 31 -,'
de outnbro p.p. 21:696,000
Receita no corrate m. /
de
Despera no corrente ro.
Em lettras a vencer em
1851 a Ko2
Em lettras a vencer em
1852 a 1853
21:696.000
_#
Saldo 2J i696.000
20:675,000
:02l.000
------------21:696,000
e se todos os nossos collegas se dessem ao
trabalho de experimentar rom prudencia,
e acurado zelo o poder das dses inlinilissi
mas. certamente muito diminuto seria boje
o numero dsquelles que quizessem conti-
nuara insistir ns antiga crenca das asque-
rosas, e enjostivas beberagens, que quando
nflo curam a molestia em pouco lempo, tem
habilldade de pela continuarlo produzi-
rem ouiras, que ainda por mais lempo
conservan! os doentes no leilo da dor. A
homoenpathia quando nSo cure, mal ne-
nlium faz, a excepto dos casos em que he
imprudentemente applicsda, e por aso se
torna bem perigosa as mflos dos charls-
ISes, que sem conhecerem o valor dos
symptomas para os poder bem classificar,
nSo podem formar um juizo exacto, ou ao
menos approiimsdo do remedio, que devem
escolher. Ha muitos anuos dezejava expe
rimentar o systhema homoeopathicoi pois
como todos os"sllopathas julgava inexacto,
falso, c infundado ludo quanio se tem dito
acerca des prodigiosos ( rom admiraclo o
'ligo) efTeitosdas dses infinitissimas, urna
clnica bastante crescida e alm disso o em-
pri'go no hospital' militar, no da csridade,
e dos lazaros, roubavam-me o lempo, e im-
possibilitavsm-me deenlregsr-me a um es-
ludo e pralica, que exigiam urna attenfo
bastante seria para poder observar o que se
psssava dtpois das applicacOes ; e de mais
serrpro persvsdir-me, que foss 1 perdido o
lempo, que gantasse em tes experiencias,
de quinte dias etc., etc.; a bronchile que
affeetou a'maior parle dos doentes do hos-
pital, e muita gente da villa, apresentando
symptomas muito fortes, nSo resisti sejio
rara vez a segunda dse liomccothica; a
pleoropneumonite aguda, curada em oito
dias, sem precisar convalescenga, agastrte
da mesma forma, e emlim sem numero de
doentes, cuja cura deixavam-me ciieio de
admiraco, eabalavam extraordinariamen-
te a minha crenca. Mo fim de poneos das
era tal o prove to, que ia tirando da homa-o-
psrhia, que julguei escusa lo empregar mais
a allopathia, principalmente porque as ve-
zes cuslava-rae isso o no pequeo tra-
balho de ir ao fogo fazer preparacoes phar-
maceutic.s, sendo alias bem melindroso o
meu estado de saude. Aasim continuei as
minlus observarles, e experiencias, leudo
lodos os dias de agradecer a Providencia
Divina, e aos dois meus amigos de terem
me induzipo a pralicar urna sciencia, que
cura com promptidfio esoavidade, poupan-
io ao doente, pelo menos o encommndo do
ingerir urna beberagem, cuja vista smente
asvezes he capaz de produzir maor^a iri-
commodos do que os que j se solTrem.
Hoje declaro, que as molestias agudas a
liomoeopathia cura prompta a enrgica-
mente, e si as rhronicas seu efOilo he
mais lento, porm mullas veze< mno-. que
llopathia, compensa mui bem a demora
com a suavidade : os incommodos que pro-
duz urna dse homoeopalhica, sSo quasi
.oaiD Anaataciu da Cunha.
Dito-A mesma, para que, a vista dore- AppeilantTMaooel Maria Ferreira da Cunha;
cibn que remelle em duplcala, mande in-
demnisar a caixa do oitavo balalh9o de ca-
ladores da quantia de 6,610 rs. que se des-
penileti com a iuhumacao do cadver do sol-
dados) terreiro batalbo d'arlDharia a p
MaoafP Sigsesra. Oommunicou-se ao
eommanaleT^^^^Hpta.,
Dito. A sn a, inlekando-a de ha ver
fallecido no da 26 do corrente, o majoi* gra-
duado da quarls classe do exercitoJos dei]
Olivera dos Prazeres. ScientiOcuu-se ao'
commaodo das armaa.
Dito. ao director do arsenal de guerra,
cilnrU.n.lo-ii a doapender a quantia de>
S 1,580 rs. com a compra dos obj-rtos pre-
sos para a aula de primeiras letras doa
edurandos do mesmo arsenal. lutelligen-
ciou-se.a ptoadoria militar.
lulo.Ao mesmo para mandar fornecer.
ao corno de polica, que tem de entraren
paiada no dia 2 de dozembm prximo futu-
ro, oitocentos cartuxos de salva. Intei-
n-se ao commandante do mesmo corpo.
o. -- A thesouraria da fazanda provin-
cial para que mande entregar ao comman-
dante do corpo de polica, a quantia precisa
para a itluminacflo, que deve tor lugar no
Suartel dsquelte corpo m os dias le 2 de
ezembro prximo futuro, conforme requi-
sita o n esnio commandante. Neste senti-
do oIRciou-so ao referido commandante.
Dito. Ao commandante do brigue Cal-
liop para mandar desembarcar o segunJo
msrinheiro do mesmo briguo Manoel Joa-
rrr, visto ter elle sido julgado incapaz do
ri(o pela junta de saude.
Dito. A direcloria das obras publicas,
concedendo autoricacSo'que pedio para so-
lemnisar convenientemente o acto da rollo-
cacSo da primeira pedra da casa de deten
(So, que ter lugar no dia 8 de dezembro
prximo futuro e bem assim para mandar
cunhar as medalhas, de que faz menco em
seu ofllcio de 25 do corrente, as quaes deve-
rao ser de co^re.
Dito.-Ao delegado do termo de Nazarellt
para que, logo que esteja concluido o pro-
cesso instaurado naquella delegada pelo s-
cassinslo de Miguel Uabriaf Pereira de Lira,
remeta urea cerlidfio das perjss principaes
do mesmo proceaso isto he, auto de corpo
de delicio, nape-miento de lestemunhas, do
cumenios (se os houverem ) interrgalo
rio dos reos, t centenes de pronuncia e sus
confirma ello
Portara. Exonerando do emprego d*
regento do hospital de caridad o padre
Albino de Carvitho Lesss por assim o ha-
ver pedido. Oommunicou-se a adruinis-
traeflo dos ritabelecimentos e caridade.
' Dita Concedendo a demissSo, que pedio
do emprego de ajudantn do procurador fis-
cal da thesouraria da razenda provincial, no
ici uiw wG C.uu BO bacila 1 vi Juu ru,0 lizv.
teiro de Andrade. Fizeram-se as conve-
nientes communieacOes.
Dita. Demililndo do lugar de segundo
cupplMl do subdelegado da fregu> zia do
Saigu^fcjp Antonio Coriolano Riheiro
Cranja^j^tuteando para o substituir a An-
tonio Ferreira da Cunha. Scieutilicuu-si
soenefade polica.
Dita -'Mandando por em liberdade o re-
eruta ioaquim Jo> ue Santa Auna, vislo ter
aprraeniado siiyipcSo legal.
Dita. -- Ao commandante do vapor Af-
fM, mudando dar passagem para a Baha
a Heragnegirdo Jos Alves, que leve baixa
do seMRo do oitavo batalhSo lie caladores.
KHa. Ao mesmo, ordenando que irans-
porta {tara a corle os oiliciaes e mais pis-
soas mencionadas na relac3o que remetle
Retacto i que te refere a portara aetma.
PrmHro lente da armad, Fernando
Alves deOliveirs, espilao do quinto bata-
ihfio de catadores Jos Ignacio'Teixrira da
Foneeca, Francise Dios da Mota, escrivlo
do vapor T/niit, Bernardo Joaqun Pinto,|
appellado, Antonio Galdino Aires da Silva
e outro.
Passou do Sr. desembargador Souza ao Sr.
desembargador Rabello a seguinle appella(ao
em que sao ;
Appeilante, o julio; appellados, Joao daSilva
Reg Mello e outros.
Passaram do Sr. desembargador Bebefle ao
Sr. desembargador Luna Freir as aeguintes
appellacdes ein que sao:
Appeilante, Manoel Pires Ferreira; appellado,
Fernando Francisco de Aguiar Mantarrovas.
appeilante, o juiao ; appellado, Antonio Joa
da Roaa.
Appeilante. a admlnis'tracfo do patrimonio doa
orpbaosdesucidade; appellado, o Eim-bie-
po de Mariamia.
Appeilante, Joaqulu Jos de Faria; appellados,
James Grabtree & C.
Apprllantes, Dellina Rosa da Fomeca e oulra ;
appellado, Jos Morelra da Silva.
Appeilante, o juizo ; appellada, Aguida da Sil
va Maya.
Appeilante, Joaquim Antonio dos Santo An-
drade"; appeiiado, Antonio lioielbo Pial* de
Mesquit
Appellaotes, Antonio Ferreira do Valle c ou-
tros; appellado, Eugenio Jos de Santa Rita
e outros.
Appeilante, Joaquim Antonio dos Santos An-
drade ; appeiiado, Antonio Botelho Pinto de
Mesquita.
Passaram do Sr. desembargador Luna Freir
ao Sr. desembargador Telles as seguinles ap-
pellaf oes em que sao:
Appeilanu, Estevao Cavalcante deAlbuquer-
que e sua mulber: appellados, Jrrouyiuo de
Albuquerque de Oliveirae sua mulber.
Anpellaot, Jos Diogo da Silva; appellado,
Jos Antonio Lopes.
Appeilante, D..Marla Felismina do Reg Go-
mes ; appellados, "Joaquim Aurelio Pereira
de Ca valho e sua mulber.
Appeilante, Antonio da 1 uuha Soares Guima-
raes : appeiiado, Jos Jacoine Tasso Jnior
distsiaoics.
Ao Sr. desembargador bastos a seguinte
appellacSo em que sao:
Appeilante, os Indios de Arronches ; appella-
dos, Joaquim Lopes de Abren, sua mulber e
outros.
A Sr. desembargador Leao a seguinte ap-
pellacSo em que sao:
Appeilante, Jos Antonio da CosU ; appeiiado,
Antonio Jos de Medelros Btaocourt.
o Sr. desembargador Souza a seguinte
appellaco ein que sao :
Appeilante, Franci-co Geraldo Moreira Tempo-
ral como tutor dos orphos Albos do finado
Joio Ignacio Itibeiro Roma ; appellado, Joa-
quim Antonio da Silva."
Levantou-je a sessao a mela hora da tarde.
O thesnureiro,
Thoma* Jo$ti da Silra Guimio Jnior.
O escrivSo da recela,
Antonio Cardozo de Queiroz Fomeca Jnior.
Dentn/tracto do saldo existente na caixa do
exercicio do 1850 a 1851 em 30 de noremttro
Saldo em 31 de oulubro
P- p. 29:643/2o3
Receita no corrate mez 87:258|7l6
-----i-------H6 901/999
Oespeza no corrente me/. 90:006/149
Saldo 26:895/850
Saldo em lettras ein 31
de oulubro p. p. 111:705484
Receita 00 corrente mee 600/001)
112:3051284
Deapeza ao correle mez f
-------------112:305/284
Bis
Esa cobre.......
Notae.......
Lettras vencidas.....
Lettraa a vencer am dezembro.
em Janeiro. .
ein marco .
em abril. .
emjunho .
i-lll Jlllllu .
139:201/134
41/850
. 26-854/l'00
4:630/250
3:126/950
32:389*250
. 3:125/250
. 32:989/250
. 4:714/034
. 31:332 000
139:201/134
O ttsesoureiro,
ITaomoi Joi dtSilea GumSo Jnior.
O esorkvio da recelta,
Antonio Cardoto di Queiro: Fornica Jnior.
Correspondencia.
prevenido como esta va, mormenle nflo ten- |sem: 10 muito suin rt-veis, eemgeral pou-
do eu 1 resAncisdo fado algum que podesse
persuaiijr-me ao menos, que a honiceopa-
thia algum efTeilo produzisse. Nesta crenca
eslava quando em julho chegando a villa do
Bonito o oitavo batalhSo de cacadores, ti ve
de ser forlemente instsdo para praticara
hnmuMiaihia pelos meusamigosoSr.es-
pilflo G egorio,e o Sr. lente Castro do di-
to betalhn, que se tem. dedicado a pralica
da meoiciua hnmacopathica, e com oque
lem prestado nflo pequeos servidos pelos
lugares onde leem andado, nflo s ao povo,
como aos soldados, porque dursnte todo o
lempo que no centro esteve este batalhSo,
nflo leve facultativo que o eurasse, sendo o
incatisavel zelo, e dedicaeflo desses dois
honrado* militares, quem cooperou para a
salvacBo de vidas, alias bem importantes,
como si j.-im as dos servidores do estado,
que no campo da honra extOe a vida pela
gloria da nscSo I! A falta total de recur-
so* a que sn vio reduzido o meu amigo e
collpga o lr. Pedro Tito Reges do terreiro
baialhao deartilharia, tambem obrigou-oa
experimentara homceopalhia, e fazer a sua
abjuraeflo da antiga f, e com quanto o col-
lega trabalhasse muito por convencer-me
dos oiilspres homceopathicos, todava jui-
co duraduuros, osesBo um pouco graves
tem se prompt recurso nos andi.lotos, que
os destroem immediatamente: nSo silo
para comparar-se com urna inflammacSo
astro ntertinal p'Oluzida pelo uso dos
drsticos, pela digitalis, e por ootrss dro-
gas multo activas ; co n o effeito que pro-
duz a cantliarida sobre a bexiga urinaria, e
das dores que geram um vesicatorio, um
cauterio etc., ele a homceopalhia despen-
sa meios taiii dolorosos, e incommodos, e
que ss vezes produzem aleijes, deformi-
dades etc., qual ser a jovem delicada e mi-
mosa, que consinta sem absoluta necessi-
Isde por um visicaloro na nuca, ou em ou-
tro lugar, que depois aprsente urna cica-
triz, que iudelevel doixou o remedio que
llie applicaram : qual deixar de tomar
urna dse liumceopathica.quncura instanca-
mente urna dor de denles para eocher a lin-
da bocea de fedorento creosoto,ououtra en-
joativa droga, que as mais das vezes nSo faz
senflo aggravar a dor, e obrigar mais de-
pressa a pi ivar-se de um dos mais bellos
ornatos, com que a nalureza mimosiou-nos.
Qual sera a joven delicada, e susceplivel de
solfrer seus fanicos de vez em quante, qua
antes queira cheirar um pouco de -anco-
guei prudente conservar as mi ollas ideiasjniaco, ou beber urna das calmantes pocOes,
dquiridss na escolia, ataque por mim li-
rasse a piova dessas verdades. Chegidos
que fossem os ditos Srs. ofiiciaes do oitavo,
que :i tanto tempo pediam-me, queexperi-
nienlas.se a homocopathi, live de ceder as
suas instancias, e entSo, como he de costu-
me nestas occasies, procurei doentes j em
desespero de cura para fazer ss primeiras
experiencias; dois phtysicos e urna hy-
dropica, a quem ninguem poJeiia suppor
dois dias de vida, lizeram o objeclo dos
meus prirreirrs etisaios : os phtysicos sol
do que tomar urna dse homoeopathica
que em poucos instantes a pein em estado
de contar as suas amigas, ou ao primo mais
familiar que eslava a ponto de suecumbir
de uin accidente, que sofTreu, e que se nSj
fosse urna dse liomu;palluca que log.>
llie fui spplicada, teria sem duvida deixa-'
do de existir ? Por todos os lados as vanta-
gensda botnceopathia sSo muito insis ele-
vadus : a facilidade com que o doente toma
o remedio salta aos olhos ainde Jos mais
incrdulos, o he a de maior vantagein para
dados do lerceiro batalhSo de arlilharia a as crianzas : o doente muitas veze-de quei-
^ERNAMBUCO
THESOURARIA DA FAZKNDA PROVINCIAL-
Utmonslracdo do taldo exilente na caixa do
exercicio de 184? a 18*8 en oC o miSitri
de 1850.
Saldo eju 31 de outubro
p.p. 6-952.325
Recelta no corrente in. /
------------- 6:952.325
Despezas no correle mes 1:000,000
Saldo 5:952.325
CONVERSOS A' HOW0EOPATHIA.
tllm- Sn. retocfor.Rogo-lhes o obsequio
de mandar publicar no seu Diario as inclu
sss carta e observaces clnicas do lllm. Sr.
Dr. Pedro de Athsyde Lobo Mescozo, as
quaes eu tinh reservado psra mais tarde
publicar, mas que be misler publicar j,
visto que O lllm Sr. Dr. Moscozo se scha
agora nesta cidade escercendo a homceo-
palhia.
A conversflo deste medico distincto
homceopalhia, a maneira porque ella se ef-
fectuou, e os teslemunhos que em seu abo-
no tem, dSo-me a esperanca de ver ero bre-
ve abracada a houiCBopathla pela maior par-
te dos habitantes, nSo s da cidade como
tambem da provincia, e ainda mais por al-
guna mdicos distincto, nomeadamente
pelo lllm. Sr. Dr. Sarment, a quem desde
ja dirijo os meus cumprimentos pelos ser-
vicos indirectos que bomesopathia tem
feito.
Em quanto s replicas do Sr. padre M. S.
Lopes Cama, ellas vam sendo analisadas no
Medico do Poro, e hflo de fazer com que S, ,,.
ai. anda contra sus vonlsde alguma cons* I...... ,
p, morreram logo d'ahi a dias, lendo um
apenas experimentado melhors, que mu
pouco durou : a hydropiea, que eu med-
cay* a tres mezes, ecom quem j tinha es-
cotado todos es recursos, a ponto dea ter
prohibido muitos dias de tomsr remedios,
xos serrados loma o remedio 18o fcilmen-
te, como se por sua vontade o fizesse :
dous doentes na villa do Bonito achavam-se
neste estado, e inlroduzindo urna pequea
colher no canto da boca, urna pequea
qusnldade de liquido medicamentoso cor-
por so Ihe fazerem mal, contra a expeclati-i reu na mucosa, e mmediatamente torna-
Em cobre
Notas
7,325
5:945,1)00
------------ 5:952,325
O thesoureiro,
Thomaz Josi da Silva GutmSo Jnior.
O escrivSo da leceils,
atona Cardoto de Queiro* Fonetca Jnior.
Jemonitracao do taldo exilente na caixa do
exercicio te 1849 1850 em 30 itnovembro
de 1850 ,v
Saldo em 31 d oulubro
p. p. 148:315,633
Recelta no correle mes 8:812,051
-------------157:127,684
escreva ou diga a ra> seu veneradoi
e criado/Jo Titente .Vartint.
a lllm. Sr. Joflo Vicente Martins.A che-
gada de V. 8. a esta provincia, por sem du-
vida ser por lodos abencoado : bem preci-
so era, qu um dos principaes propagado-
res da sciencia dellanemann virase visitar-
nos, ecommunicar-noa talvez nflo pequea
so ni m a de conheomentos theoricos, e pra-
ticos a respeito desss sciencia, cujo pro-
gresso vai sempre avante, superando altiva,
e audaz todas as barreiras, que os espirilos
inimigos de reconhecerem verdade s por-
que nao se dsm so trabalho de os pesqui-
sar, de proposito -Ihe anleiOem : baldados
sSo porm esfoigosaes : a scirueia lion cao-
patblca sobranceira a lodos os obstculos,
segu impvida o caminh da gloria, e su-
peciosidsde que Ihe esta destinado, e nada
se oppOe a sua brilhante csrreira. Bem pe-
zar causa-ma 1180 poder desde j ouvir V.
S. sobre alguns pontos da nova sciencia,
sobre que meu espirito sinda vacilla, prin-
cipalmente pelo que diz respeito a applica-
vs minha e de todas as pessoBs que eram
lestemunhas do seu padecer, leve de em
poucos dias de apresentar melhoras, nflo
duvidosas, rom duas dses de arsnico, e
vendo que este medicamento nflo abrangia
todas as indicarles live de recorrer a qui-
na, com que em menos de 15 dias drsappa-
receu todo o liquido, que era tanto, que
pareca impossivel, que o ventre podesse
destender-se mais urna linha. Esta observa-
dlo,como a maia importante aprsenlo a V.S.
em primeirolugar: dahi principiei a fazer
outro juizo acerca da aceflo dos medica-
mentos hoa ceopathicos, e ao pssso que es-
ta senhora eslava debaixo das minhas mais
escropulosss indagarles, outros muitos
lenles tomavam a homceopalhia, e lodos
os das havism casos de curas rpidas e vio
lentas, a ponto de fazerem urna Crie tal,
?r fastidioso enu'c:;r. Er.irsfiier
bem de perlo tocou-me o de um escravu do
Sr. major Virginio Cazado Lima, que ae
achando com urna hernia inguinal eslran?
guiada, tn tieshotss fui de lodo iccolhida
.eni se Ihe fazer a menor appicacSo ma-
nual ) Com duas dses de acnito : confesso
que mullo me admirou lai resultado 1.' .\n
hosplial regimental do Bonito, exisliam 66
doentes, quando principiei a empregar a
hmoeopaibia, eeniSo Uve de obseivarem
maior escalla os efTeilos das dses : ulceras
que pelo ouiro tyslnma gsstarsm oito a dez
mezes para ae curar, e algumas nSo se cu-
raran*, tres das depois ue urna dse ho-
moeopalhca de calcrea, ou silich, ou ou-
tro n.edicament, apresentivam-se lotiil-
mente limpas, ecom urna granulacflo tal,
que em poucos dias excediam as boidas da
ulcere, e no lim de trila a quaienta acha-
vam-se cic.irisadas : Ineiras em todos os
dedos, e grande iuOaminacSo nos ps desap-
pareceram 10 lim de tres, qu'.ro dias; urna
ulcera que* abrangia todo o calcatibar de
um toldado do oitavo batalhSo de cacado-
rain a si do estado de immobilidade, em
que se acbavam. A conservarlo dos reme-
dios be outra, que se torna mui apreciavel
aos olhos do medico : os remedios bomceo-
ptthicos nSo se corromperse nSo por mui-
to desleixo : a homceopalhia bem acondi-
cionada nos seus vidros nSo se ferminta,
como os xaropes, nSo se mofa, como os ex-
tractos, oseleituarios, nSo a podrece como
as hervas, e se nSoba promplos recursos o
doente toma um cosimenlo de berva podro
com xarope fermentado, e extracto mu,
do : da homceopalhia toma sempre urna 1
se perfeila, e que em vez de fazer-lhe mal,
como a tal mesturada repugnante, cura sua
molestia. O transporte da allopathia he cus-
loso e arriscado : eai quanto que sSo pre-
cisos muitos cavallos ou carros para con-
duiir urna incompleta ambulancia allopa-
ihiria. oue "jits; TCZ c.'::'s; luear
cum muitas garrafas quebradas, eos lqui-
dos den amados estraga m as outras drogas,
urna botica ho.mceopalhica eouduz-se em
urna algibeira, e escusa de panelias, foga-
1 .iros, e uulros objectos iguaes para se pre-
parar qualquer poQo : um pouco de agua
pura he bstanle para o doente lomar seu
remedio, e se nao a bouver (grande desgra-
na sera ) nenhuma falta fara, lorqueo do-
ente toma-o sem sgoa : se he preciso grao-
des capitaes para obter urna boa botica al-
lopathica, o poila-la para onde fr conve-
niente, sendo prec so reforma-la cooslan-
lemenle, poique muita* prapara^oes ealra-
gam-se com facilidade, com mu pouco di-
ulieiro, comparalivao,ente obtem-se urna
honiceopathica, que s precisa de reforma
quando se ac ta m os remedios, que pela
quaulidade diminutisaima, que se da de
cada vez, dura muitu tempo, e que nSo se
corrompa como cima fiz ver. A quatro
mezes que estoit curando homcoopaihica-
mente, inda nflo consum urna botica,
dando remedios a todos os doeoles do hos-


pital rocimcnt'l, com o que naco nBo
tem despendido um re I, e a todas as pes-
soas d (iovo. queme tem procurado, sflo
vantagens estas, que nlo prrcisam de com-
mentarios, pois ao alcance de todos estilo
avaliadas, alm de que os progressoa, que
tem l'riio a homceopalhia nestes ultimo*
fio taes, que oscusado he duvidarque ella
possa retrogradar um palmo do terreno que
tem vencido. Quanto a mim, desde que co-
inecei a por em pratica este methodo oe-
iilniirt caso houve, que podesse por um mo-
mento fazer-m varillante acerca de suas
vantagens, e da energa e rapidez com que
cura.
Convencido, pois, das verdades da ho-
moeopathia continuo a p-la em pratica,
observando cada dia seus e(Taitos, e procu-
rando pela experiencia e observarlo co-
nhecer melhor aspropriedades de cada me-
dicamento, e logo que me seja fcil, pro-
curarei experimentar algumas drogas no
homem sflo, pois a scienria tena ludo a ga-
nhar, e he preciso, que todo aquelle que
reconhece a homceopathia como o melhor
methodo decuiar, concorra com quanto
poder para seu engrandecimento.
Passo as mSos .te V. S. algumas observa--
(Oes, de que tonho tomado notas, e conti-
nuarei a envia-las, caso V. S. queira se dar
ao trabalho de as ler.
Digne-se, pois, V. S. contar com o pouco
presumo que lenho, e aceitar meus since-
los protestos de estima o considerarlo, e
crea, quj em mim achara a melhor dispo-
sieflo para trabalhar pelo progresso da ho-
mreopatriia.
Sou, de V. S. muito atiento venerador e
collega.
Pedro de Alhaydt Lobo Moscoto.
Primeira obstreaeao'.
A Sra. D. Anna Joaquina Cavalcante morado-
ra na villa do Bonito, Idade de 50 anuos, ha aeii
annos tendn rrcebido a noticia da inorl* de
uina tiln, foi atacada de uina violenta dor no
estomago, e de enlio lornou-sesuscrpllvel de
assustar-se pelas mala Insignificantes cauaai.
Um auno drpciis fol atacada de grande febre,
fastio, bocea amarga, e dous diaa drpois lan,ou
grande quantidade de aangue pela bocea, que
seguudo refere a doente, indicava ser do esto-
mago. Dahi em vante perio ticamente soffrl i
iguars incuiniiiodus, durando cada ataque err-
ca d* trea arman is Em principio de malo do
corrale anuo sentio grande encoinmodo no
estomago, com grinde senaibllidade ao tocar,
e como se n vetare tivesie augmentado de vo
lunie, e durou eate soUTriine nio qualro titas, e
no ultimo deiinu grande quantidade de aan-
gue, que reconheci ser do estomago Fui cha-
mado para receita-la, e a do ler visto casos
iguaes, terla-me espantado da enorme quanti-
dade de aangue que esaa srqhora lancou. Ap-
l-li>|iiei-lite unta fraca de itlasntucode agoade
Ilut!, com que no fian de 84 horas parou a eva-
cuado de sangue, aahindo apenas alguna coa-
]hoa em putrefaccao naa dejecfea alvinas, o
que coiuinu.iu por alguna diaa, havendo febre,
sede, seuao e sensibilidade ao abdomen, etc.
O estado de abatnenlo da enferma, resul-
tado de uto amigo padecer, e da enorme quan-
lidade de siegue que perdeu, rlzerain-me re-
celar o apparecimeoto de algoma Mydropesia,
recelo esae que por prevengo patenteel apes-
soaa de aua amisade. visto como em dous casoa
idrnlicos fra ella a consequencia: quinte dias
depois de ler-ine despedido da dita senhora,
por siippo-l i boa, fui novamente chamado pa-
ra v-la, e de ficto j entao liavla grande quan-
tidade de liquido no peritonio, receilei-the um
grao de digialis. e seis de nitrato de potassa
para tomar por dien de inanhaa edenolte:
ao segundo papelinlio appareceram dijefes al-
vinas em tal abundancia, que foi preciao sus-
pender o remedio, e doua dias depois j nao
havia liquido, e asahn a doente suppot-ae boa:
mas a causa da hydropesia desappareceu ? Nao:
porque a ahstrurcao do ligado e baco persls-
tiam: poucos dias depois reappareceu o liqui-
do, c en la > nada mals foi capaz de o faaer des
apparecer, e o ventre cada da tornava-se mals
tenso, e grande, couio anclas terrlvela, insoui-
nia aein din, Inquietado ratrema a nolle, a
ponto de receiar-se pela vida, etc., ecl.
. Por fin depois de por em pratica todos os
meios, que a allopathia em taes casos aconse-
Iha, nao exceptuando us repelidos vesicatorios
e at o sedenho, quiz experimentar a hoinreo-
palhia. certo de que a mente nao ae poda es-
perar inulto, ecom efteilo se ella livease lugar,
ru nao culpara ascienda de llauhemanii. >d-
ministrei urna dse de arsnico no dia 20 de
julho: nenhumeOettoproduiio: nada confian
trou a appareeer melhora, bein que a doente
uo livease conslencia della : coinecou a dor-
mir e ter desejo de comer, e a ancia diminuio
notavehnente: usslin se passaraiu 30 das ao
tina dos quaes a melhora era extraordinaria,
tendo o venire-deminuido mais deaiiietadc:
norin iinaia candado no poder das infinitsi-
mas loses, a vista do resultado que se la mos-
trando contra a mlnha expectacao, e Julgando
que o medicamento nao preenehia todas as in-
dcaedes, dei-lhe uina dos de quina, cora que
desappareeeran nio s o resto da agoa, como
todos os outros inconunodos que veixavain a
nuciente, e ella ditia que quanto mais das ae
paasava-n, tanto maiores erara os beneficios
que experimentava : live de retirar-me da villa
do bonito, e delicia nease estado todo de espe.
raneas, e informaiu-ine que a dila seuhora val
cada vei melhor, e nao deisa de endeosar uina
ineiliciiia que a curoii sem a atormentar, sen-
tindo nao a ter einpregado desde o principio
de sua molestia para ter poupado Untos mar-
tirios da allopathia.
Arguntia onfrtwirao .
F. no dia 20 de julho eatando suada sabio ao
Suiui.il, estando achuviacar, ImuiediaUuente
i asaaltada de una dor pungente no epigastrio,
com grande anxieilade, dlfnculdadede respirar
e de faier o mais pequeno moviinenlo, poia
com elle a dor se exacerbava, pclle secca
queme, febre e sede, coustipacau' de ventre*
Una dse de noz vmica fol applicada as duas
horas da larde, as qualro tiuhaui desappareci-
do lodos oa incoiiimouos, e a doente mais aua
aentia.
Teretiraobservafio. I
F. moradora jio Bonito aeu que precedesaa
motivo su'Ricicute fol subiameu.e aucada da
molestia que a pos da manelra segutnte : esta-
do coinoloso, e insensiblidade complet. de .lo.
do o corpa,- regldez dos ineiiibrosr e contraccau
dos msculos, a ponto de nao se Ihe poVr ti-
rnr urna chave que tlnha em urna inaa, rila-
da soore o dorso, resplracao curta cegada,
ii, lie queme e aecca, pupillas dilatadas: n*o
ttc iba pudendo abrir o queixos eiu consequen-
ci.do aperto. derra i el una dse de bellado-
na por sobra a mucosa buccal: iiiinedialameii-
te coinecou a doente a moverse e d'abl ha pou-
co tiulia recobrado todba OS sentidoi, e acha-
va-a llvre de todoa os sotfrl meatos. Ao oulro
dia s Ihe reslava alguino raolesa no corpo.
Quarta observacio.
Leocadia "<' 36 anuos de idade, parda, no
dia 27 de iulho a noite achava-se Com gran-
de febr.puUo che o aturte, dr de cabe-
ca aguda, corogie, losse secca, e imperti-
nente, grande auciedade, mpossibilidade
de do-mir, apezar di tVsomno, grande
'dosassocegd etc.: as 9 horas da noite loma
nina dse de chamomilla : pooc depois
Uornie socegada, tosse cessa de importu-
na-la, e amaohece sem neohum dos encotn-
modos da veapera ; apenas continua peque-
a ronquido, que desspparece ao oulro
lia. Como este muitos outros casos houve-
ram ao mesmo lempo, qoe todos tveram
termlnapSo igualmente prompl, por ter
reinado a bronchte epidmicamente.
Quinfa obiirvaelo.
Luiz Francisco Comes, cabo ds quinta
comoanhia do segundo baulho de artt-
Iharia a p achava-se em curativo no hos-
pital do Bonito desde 16 de fevereiro do
correte anno por causa de ulceras de na-
tureza syphilitica naa pernas: at o da 9
de julho. cinco mezes de estada no nosoi-
tal, nenhuma melhora constante tinhalt-
do as ulceras ; e foi assaltado de febre.
fro, dores pelo corpo, ele, delirio, etc ,
ate Tomou urna poco sudorfica, e come-
csrarn a apparecer beiigas do carcter das
chamadas pelle de lixa; queso densenvol-
viam mui lentamente, circunstancia esla
para n.im sempre de muilo m*o agouro.
Nos das seRUinlesdiminuio-se a febre, bem
que o delirio nBo tivesse-o deixado uro ins-
tante : desacor?oado de nada conseguir, ou
poder esperar, pois a observacio de talvez
mais de 2,000 bexiguentos, que tenho tra-
tado, me tem ensillado a conhecer. logo
nos primeros dias, os que rnorrem, e os
que escaoam, recorr a homrjj'ipilhia a ver
o que della poda tirar de proveito. No da
14 a erupcSo pouco tinha-se adiantado : a
noilc toma o doente urna dse de sulphur :
no dia 15 e 16 nenhuma mulanea obser-
vou-se : repele-se o medicatnenlo. Nj dia
17 o doente falla com acert, e deseja co-
mer, e a bexiga est mais elevada No da
18 o doente amanhece muito mil, passou
a noite ere continuo movimento e delirio
exaltado : toma a noite urna dse de bella-
dona : no dia 19 amanheca sam delirio,
durmi bem, diz sentir multa fume, abre
os olhos, ed grandes indicios e esperan-
cas de restabeleciment, a|heiga segu be-
nigno curso, e scea sem fazer ulceraces,
musa para mi muilo rara em casos de
igual natureza. As ulceras trru'.oaram-se
muito : no dia 28 appresenlam mo aspecto,
e o doente queixa-se de muila fraqueza nos
membros, em consequencia do que dou-lhe
urna dse de calcares : no dia 15 de agosto
acham-se as feridas inteiramenie cicalri-
sadas, com grande adniiMsSo de lodos.
Confesso, que por na la esperar des doen-
le recorr a homoeojalha, pois ainda ne-
nhuma fe me merecera, e o resulta io ines-
perado, que coroou esla molestia, deixnu-
me ebeiode a lmiraco, eomejou a aba-
Isr muito a minha anliga re. Foram preci-
sos casos desta natureza p*Of mini mesmo
observados para fazerem-me aereditar na ac-
c3o dos medicamentos homoeopalbicos.
a Srxta obiervacau'.
* D. Emilia Glyceriade Ibuquerque, Idade
13 annos, soltelra, moradora no Honlto, no dia
18 de agosto as olio horas da manhaa, he au-
cada de uina violenta dor, que se eslende do
quadrila lodaa per na dirella, exacerbando-se
pelo inovimento, e entao lornando-se forlissi-
iii.i em o osao; a noite exacerba-se a ponto de
a privar de dormir fazendo-a paaiar a noite em
continuos gemidos, e grlloa: no dia Jl applic
Ihe urna il, de acnito, a qual tomou em duas
partes una as 5 horas da Urde, contra as olio
horas da nolle : no dia Ji a doente pode se le-
vantar da cama e pasaear por casa, o que al
enlao Ihe era linposaivel, e no da 23 fai todoa
oa inoviinenlos com liberdade eadorteinde
todo deaapparecido.
Stima obeervacSo
JoSo Ferreira l.eite, soldado da sexta
companhia do primeiro balalh.lo de cacado
res, (dade 29 annos, branco, achava-se em
tratamenlo no hospital por causa de urna
grande ulcera na perna, a qual seachava
quasi boa, devldo asapplicaces hooioeo-
pathicas por ler resistido muito lempo as
allopathicas. No dia 26 de agosto as o tu
horas da noite, depois de ler lomado cha
milito quenle, bebe agoa fria, e logo cahe
sem sentidos, e seu estado he o seguinte :
ftegidez de todo o corpo, hracns fortemen
le contrahidos e applicados sobre o epi-
gastrio, eas m3os pegadas a camisa, a per-
io dos queixos insuperavel, olhoa abertos
immoveis, olhar fixo, pupilar muilo dilata-
das, escuma na horca, resairaco anciosa,
pequeos movimenlos laleraes da cabeca,
ventre lympanico e duro. A mesma hora
foi applicada una dse de belladona, que
fiz dar as colheres de 6 em 6 horas por nao
ter logo apparreido melhora, no dia 27 as
8 horas percebe elle o que se Ihe pergunia,
mas nSo falla : os outros symptomas conli-
nuam como na espera : o doente conserva
as m3os suplicadas sobre o epigastrio, em
que nSo consente que se Ihe loque : as 10
oras do dia indo a enfermaiia, logo que
elle sentio rumor, voltou-se para mim, e
dirig'ndo-lhe algumas perguntas respon-
teu acar-se muito melhor, e sentir ape-
nas alguma dr no estomago, e apetlp no-
lueixus e gulas. No da 28 continua a mo-
Ihora sem mais applicacSo de remedio; e
no da 29 o doente diz estar bom, e nada
ti,ais sollrer.
taria da polica dePernambueo. 3 de dezorri-
bro de 1850. Jote Nieola tguetr* Cuta,
chefe de polica interino. Sr. delegado
do termo de.....
COMMERCIO.
ALFA.NDEGA.
Ilendimentododia 5.....20:290,968
Deecarregan hoie 6 de decembro.
Barca -- r'tor da Mata mercaduras.
Barca Bonita idem
Patacho Itatka larinlia de trigo.
Brigue Coraaektt viuho.
Brigue /.do aabSo e toucinho.
lingue Emelie taboailo.
CONSULADOCEUAL.
Rendimento do dia 5.....9:800,555
Diversas provincias....... 214,990
3.1)45,545
EXPORTACAO.
Dtspaoh martimo no 4* 5.
Ilavana, polaca hespanlioia Joss/a, de 200
toneladas : conduz o seguinte i 2,800 quin-
taos de carne secca e 87 surres de sebo.
RECEBEDORIA I)K RENDAS CERAES
INTERNAS.
Rendimento do dia 5......766,448
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 5 .'. .3 213 061
Movimento do porto.
no Corroa de Brlto, major Bento Jo-
ai Fefnandes Barros, alfertt Jas Alves
Guerra, Dr. Ignacio N.^ry da Fonaeca Dr.
Francisco Carlos Bnndo.empregado publi-
co Antonio Pedro tjfflgueiredo.major Anto-
nio Jo*.deOIvira,tpregado publicoFran-
cisco SirnOes da Silva, empregado publioo
Jlo Francisco de Araujo.capitSo Firmino
Josde Oliveira.foronel Jos Bento da Costa,
negocio Jos Ribeiro SimOea, proprietario
Antonio da Silva C.usmflo Jnior, negocian-
te Joaquim Francisco de Torres Gallindo,
negociante Antonio deOlivera eMaia, ne-
gocio los Mendea Cuimartes, capilflo Joa-
quim Teixeira Peixoto, tenente Caelaoo de
Asslz Campos, lente Joaqun llenrique da
Silva, escrivfio Antonio Ignacio de Torrea
Bindeira, padre Vicente Ferreira de Siquei-
ra VarejSo, major Antonio Francisco de
Moura, capitSo Francisco de Paulo Q. Fon-
seca, negociante Prxedes da Silva Gutmflo,
negocio Miguel Carneiro da Cunba, nego-
cio Joaquim Antonio Carneiro.
Os quaes todos deverBo comparecer im-
preterivelmente as 9 horas da manha, H-
cando os que deixarem de o faterseo es-
cusa ligitima, subjeilos a multa commina-
da no art. 127 o. 9, o que para constar
mandei fazer o presente edilal que sera afil-
iado nos lugares mais pblicos desta fre-
guezia, e publicado pela imprensa. Primei-
ro destricto da fregueza de Santo Antonio
lo Recite,Sde dezembro de 1850. Eu Joa-
quim da Silva Reg, escrvBo escrivi.
tato Valtntim ViUela.
Navios enradoi no da 5.
Parahiba 2diis, lancha nacional Cuneei-
co fiordos Virtudes, de 2} 3/4 tonela-
das, meatre Elias do Rozarlo, equipagem
5, carga loros da mangue ; a Paulo Jos
Baptists.
Genova por Marsella 44 dsa do ultimo
porto, polaca sirda Hathilde, de 144 to-
neladas, caimSo P. Narizana, equipagem
10, carga varios ganaros ; a Giuseppe Sa-
porti.
Marseile 50 diaa, bsrea franceza Richeli-
eie, de 176 toneladas, capillo Rat Pierre,
equipagem 11, carga varios gneros; a
N. O. Bieber i Companhia.
New-Redford 51 das, galera americana
li. Il'i'rr, de 387 toneladas, capitSo Q. Fi-
ciier, equipagem 99, carga pelrechoa da
pescara ; ao mesmo capitSo.
Cibraltar 29 das, brigue inglex halla
Hookk, de 171 toneladas, capitao J. Mu-
cirouch, equipagem 10, carga Uriana da
trigo ; a Nascimento & Amoritn. Paaaa-
geiros, Mr. Juan de Lima e Zafirino
Manta.
. Navios sabidos no mesmo dia.
Lisboa Brigue porluguez Conceicio de
Marta, capitSo Alexaodre Brax de Mal-
los, carga assucara mais ganaros, l'assa-
geiros, Pergenlino da Aquino Foneca,
IgnaCia Mara do Rolrio con sua Qlaae
urna criada.
Ilavana Polaca liespanhola ttpha, capi-
tao Carlos F. Ilosse, carga a meama que
troaxe.
Rio Crande do sul Brigue-osouns S. afasia
Vencedor, capitao Manoel Joaquim Lea*,
to, carga assucar. Conduz 1 eacravo a
entregar.________________________
Publicatjoes pedido.
Conta deroonstrativa do alternado e lotrlnsecn
valor, lucro e perda de uina aceao da compa-
nhia de Heberibe; assim como do seu lucro
liquido, e a que rasa por ceuto est o capl<
Ul, ou valor da ac(o, em o semestre pro
linio nodo.
Quinto nmii'ri.
Valor Intrnseco da aeco em\
nitlnm aemeaire H^^orrlilot
desde o primeiro de malo ao ul j
limo de outubro de 1850. /
Lucro da aeco durante o tnesiuo i
aeniealre cima referido i
A aeco perde todo o aeu valor
iolrinaeco em o p-aio de 55 annos.
perde logo em cada seinealre
Tirada do lucro a perda da accao J
ca liquido
Tendo ris 40.172 Vii
em seis metes rs. 2,118 ,,
de lucro esta por cenlo na
raaao de
Oeclar96e8.
O lllm. Sr inspector da theeouraru da
fazenda provincial manda fazer publico, que
lo dia 9 do crrante mez por dianta pa-
gara-seos ordenados mais deapezas pro-
vincaes, vencidas no mez de novemhro pr-
ximo pastado. Secretaria da thesouraria da
fazenda provincial de l'ernambuco, 5 de de-
zembro de 1850. -- O secretario, Antonio
Ferreira d'Annuneiacdo.
Pela segunda seccSo da mesa do con-
sulado provincial ae faz publico, que os so
lias que a lei tem designado para o paga-
mento a bocea do cofre, da decima dos pre-
lios urbanos dos bairros desta cdade, do
primeiro semestre de 1850 a 1851, se prin-
cipia a contar do dia S de dezembro pr-
ximo, e que findo este prazo incorrem na
mulla de 3 por cento sb o valor de seus d-
bitos todos os que deixarem de pegar.
KllAliS.
w.av Vii
2,500
381 /
2.118 V.i
K7- 872 "/
Ae. C.
KepirliQo da Polica.
Circular.-Tomando em con-ideracSo o
que me expoz o Exm. bispo deocesano em
iillieio de 30 do mez prximo passado. le-
nho resolvido prohibir coma nena de dea-
obediencia as represnteles sacras, que
sb o nome de presepes cosiumam ler lu-
gar pelo lempo da Testa do natal, o que par-
ticipo a Vmc. aflm ae que transmittlndo-o
aos aeus subdelegados flquem todos dissu
entendidos, e o facam execular na parle mndador
que Ibes loca. Daos guarde a Vmc. Sec.-e-
Perante a cmara municipal desta ci-
dade estar em praca publica nos das 6, 7
e 9 do correnta, para ser arrematado a quem
por menos fizer, a obra de duaa casas ao la-
do do porlSo do cemitario publico, cuju.or-
ea ment se acba patenta na casa das sesses
la mesma cmara, para aer consultado pe-
tos interessados, os quaes podarlo compa-
recer nos dias indicados, munidos do llan-
ca, idnea pira poderem leneer. E para
constar se mandn publicar o presante. Pa-
co da cmara municipal do Recife, em ses-
sfio de 4 de dezembro de 1850. Francisco
Antonio de Ollveira, presidente. Manoel
Ferreira Accioti, secretario interino.
O major Ju;1o Valentitn Vlllela, julz de paz
do primeiro districto da frrguezia do
Santissimo Sacramento do bairro de San-
to Antonio da cidade do Recife, provin-
cia de l'ernambuco, em virlu Je da lei,
etc., etc.
Faco saber que, em Conformdada dd art.
25, do cap. 2.* da lei n. 387 da 19 de agosto
do anno de 1846, a ordem da presidencia
que me foram iransmittidos pela cmara
municipal em olDciode 99 do mez prximo
pass-do, convoco os cidadSoa abaixo decla-
rados, os primeros na qualidade de eleito-
res, e os segundo na de supplentes de elei-
lores de toda a parocliia desta fregueza da
Santo Antonio do Recife, para que na tar-
eeira dominga do mez de Janeiro prximo
futuro comparecam no corpo a igreja ma-
triz desla fregueza, aflm de proceder-
se a formaclo da junta qualiflcadora para
rever a lisia geral dos cidadBosque teem
direito de volar na eleicS de eleitores, jui-
zes de paz, e vareadores.
ELEITORES.
OsSrs. Com afeudador Venancio Manri-
que de Re/ende, commendador Antonio
luaquim de MMo tenante-coronel Domin-
gos Alfonso Nry Ferreira tenente-coronel
Hodolpho loSo Barata Ja Almeida, Dr. Joa-
quim Jos da Konseca, Dr. JoBo Jos Ferrei-
ra de Aguiar, capillo Claudluo Bmicio Ma-
chado, tenente-coronel JoSo Pedro de Arau-
jo e Aguiar, capilflo Caetano Pinto de Ve-
r. Ilr MssfJs_jA _55s Ksis ps Jrc
Jlo Jos da Coala Ribeiro, coronel Francis-
co Joaquim Pereira Lobo, empregado publi-
co Francisco de Paula Machado, alteres JuSo
Antonio de Paula Rodrigues, major Subes-
timo Lopes Cuimarfle*, prufessor Manoel An-
tonio de Jess Jnior, alferes Franciaco
Lucas Farreira, empregado publico Joaquim
da Molla e Souza, negocio Manoel Norberto
Jorge GonsaIvs, empregado publico JoSo
Alhanazio Botelho, negocio Francisco "ran-
eo Dr. Angelo Manrique da Silva, alfares
Caetano Jos Mendos, negociante Jofio da
Cosa Dourado, padre Jos Ildefonso Rodri-
gues da Silva Dutra, empregado publico
Joflo Perreira da Silveira, negocio Geraldo
Cunea Lima, alferes Antonio Jos Rodri-
gue te Souza Juoior, empregado publico
Caetano Gomes de Sa, artista Bartholomeu
tiuedes de Mello, major Luiz Auloui j Alves
M s w #? Iw t
SUPPL.vTES DE ELEITORES.
Os Sra. Major Jos Bigidlo Ferreira, ad-
vogao Jos Narcizo Camello, proprietario
Manoel Alves Guerra Jnior, empregado pu-
blioo Joflo llermengildo B. Dimz, com-
dor Vicente Thomaz Pires de
Figuairedo Camargo, eacrivio Flufiaa-
Theatro de Santa-Isabel.
4- RECITA DA ASSIGNATURA.
Sabbado, 7 de ietembro de 1850.
Debut da snademoiselle Alina Moreau.
primeira bailarina do theatro da S. Pedro
de Alcntara. w
Depois da eXecucSo da ouvertura hemma
i Yirgi. a companhia nacional representa-
ra o bello drama em 5 actos, ornado de mu-
sica
D. CEZAH DE BAZAN.
No primeiro acto mademoiselle A. Mo-
reau dancari entre o grupo de Caatelha-
nos os -
Boteras d* Cktret.
No tereeiro acto, durante o festejo no cas-
tello ilo marques de Monlefiore, danzar o
mui elegante
Pasto Noble.
Terminar o espectculo coma gracioaa
terca
O Juls de paz la roca.
Comessar a 8 horas.
Os bilhetes aeham-se i venda no lugar do
coatume.
THEATKU K APOLLO
SEGUNDA-FEIRA, 9 DO CORRENTE.
Magnifico espectculo em henelicio do
actor Franciaco de Sallas GoimarBes a Cu-
nta.
Dopoiedeoma brilhanle ouvertura subi-
i a scena o muito applaudi lo drama
LUIZ DE CAMOES.
A distribuieflo das partea ser a mesma
ja feita peloSr. Germano, fazendo o bene-
ficiado o papel de Csmoes.
No intervello do drama o Sr. Raymundo
Jos de Araujo tSo aceito do publico, canta-
r a jocosa aria do
PET1-UAITRE A POLKA.
Findaraodiverlimentocom a bellssima
comedia .
O Ingles maelilniata. .
0 beneficiado que pela primeira vez tem
a honra de apresenlar aeus Irabalhos ao il-
lostrailo publico pemarabucano, emprega-
r todo o seu mesquinho talento alim de em
turto merecer apoiu e proteceflo.
Os bilhetes de galena e platea acham-se
a venda na roa da Cadeia de Santo Antonio
n. 13, primeiro andar.
0 beneficiado previne qoe a segunda a
terceira ordem das galeras s serflo oceu-
padas pelas familias, iodo os chafes destsa
tomar assenlo na primeira ordem. Picando
a quarta ao diapor de todo aquelle que l
queira ir.
Prtcot.
9.' e 8.' ordem de galeras 3,000
Platea -............- 2,000
4.* ordem de galera ------- 2,000
1 ________ ------.... 2,000
Avisos martimos.
carregamenlr/quasi completo : para o res-
tante e psssagsjiros, trata-ee com o consig-
natario Luiz Jos de S Araujo, na ra da
Cruzn. 3S. .
para o Par* com escala pelo Ceera pre-
tende sabir impreterivelmente at 8 dode-
lembro a escuna nacional Mara fimttna,
capilBo e pratico JoSo Bernardo da Rosa,
por ter o seu cerregamenlo quaai comple-
to : para o restante para um e oulro porto e
passageiroS, trala-se com o consignatario,
Luiz Jos de Si Araujo, oa roa da Cruz nu-
mero 33
Para a Baha sabe no da 9 do corrente
o biale JU'aefro -. para o resto da carga e pas-
sigeiros, trata-ae na rna do Vlgarlo n. 5.
Para Itio de Janeiro,
sahe, com brevidade o brigue na-
cional ConceicSo, por ter parte da
carga prompta : quem no mesmo
quizer carregar o restante, assim
como escravos a frete, ou ir de
passagem, dirija-se a Manoel Al-
ves Guerra Jnior, oa ra d
Crui, no Recife, n. 4o, primeiro
andar, ou ao cipitSo, MaUjU
Francisco dos Beis. ^
Cear KLaranliSo e Para.
sahe, coma maior brevidade pos-
sivel, por ja ter a maior prte da
carga prompta, o bem conhecido
brigue escuna nacional Latir: pa-
ra o resto (la carga e passageiros,
trata-se com o capitao a bordo, ou
com Novaes & C., na ra do Tra-
piche, n. 34-
Para a Babia
sahe, com a maior brevidade pos-
si ve!, por j ter prompta parte da
carga, o h'iate nacional Amdi* :
para o resto da carga e passagei-
ros, trata-se com Novaes 8 C. ,
na ra do Trapiche, n. 34.
Para O Rio de Janeiro sahiiem poucos
das o brigue ero ; recebe carga a frete e
escravos : qoem quizer earregar trate com
Leopoldo Jo j da Costa Araujo, ou com No-
vaes & Companhia.
A escuna Mara Firmina, capitSo e pra-
tico Jofio Bernardo da Hoza, aegus oestes
dias para o l'ar tocando no Caar, e pede
tocar no Maranhfio ae houvor passageiros,
para o que tem sufUcientes commodos:
quam convier r de passagem. p le enlen-
der-se com o consignatario da mesma escu-
na, Luiz Jos da Sa Araujo. na roa da Cruz
numero 33.
Para o Cear.
Espera-se com toda a bravidada da lis-
boa com destino ao Ceari, o brigue nacio-
nal Empresa, forrado a encavilhado de co-
bre a de superior marcha ; demorar-se-ha
aqu 12 dias, e recebar carga e passagei-
ros ; trata-ae na ra da Cadeia do Recife n.
17, aegundo andar.
Para I isbna.
Sahe com a maior brevidade o vellejfn
brigue porluguez Tanjo III, capillo Fran-
cisco Antonio de Almeida : quem no mes-
mo quizer carregar ou ir de passagem, pa-
ra o que offerece os mais excedentes com-
nodos, dirija-se ao mesmo capitSo, na pra-
ca, 00 a seu consignatario Manoel Joaquim
Ramos a Silva, na ra da Cadeia do Recite
n. 38
Avisos diversos.
Para o Havre com escala pe"
la Parahiba, pretende seguir va-
ge m infallivelmente no dia 10 do
corrente, a muito conhecida bar-
ca francesa Cornte oger, recebe
algumi carga, passigeiros para o
que tem excedentes commodos.
s pretendentes dirijam se a ra'
do Trapiche n. 1 1.
Para o Rio de Janeiro sahe com brevi-
dade, por ter a maior parte de sua carga, o
brigue San Manoel Augusto, capitSo Joa
Cunta Jnior : quem quizer carregar, em-
barcar escravos oa r da passagem, trata
com Manoel Ignacio da Olivelra na praca do
Comniercio n. 6, ou com o capillo.
i'iii-u Parahiba
saha por toda esta semana o hisle nacional
Espadarle, por ter a maior parte da carga 1
para o restante trata-se com o meatre Vic-
torino Jos Pereira no trapiche do algodSo,
ou na ra ds Cadeia a. 23.
Para o Rio da Janeiro sahe no da 8 do
corrente o patacho nacional Curioto, capi-
lflo Manoel Rodrigues Faneco, por lar o seu
OfTerece-se para caixeiro Je qualque
esta bel ecioiento, excepto venda, urna pea"
sos com habilitacOes. o qual di lia 'or a aua
conducta : quem o pretender, dirija-se a
ra INow n. 50, ou annuncie.
Rogase a todas aa pessoas queestSo
devendo na laverna da ra da Aurora n. 48.
hajam de ir satisfazer seus dbitos no pra-
zo de oilo diaa ; do contrario lerSo da ver
seus nomes por eilenso neala fulba.
-- 0 abaixo assignado faz sciaate ao res-
peitavei publico, que appareceodo urna lat-
ir de vintee tantos mil ra. na inflo 4a Ma-
noel Jos da Silva Marques, a qual diz elle
estar assignada pelo abaixo assignado, e
passada em 1843 ou 1844. e como nSo fosse
posaivel o abaixo assignado v-la, protesta
o mesmo abaixo assignado nBo pagar dita
letlra por ser recoiihecidamejite falsa ; e
para que nSo bajam engaos para o futuro
faz o presente annuncio.
Btrnardiao Jote da Silva.
Um pai de numerosa familia pode en-
carecidamente ao Sr. T., filho da Sarde-
nha, que explique a mandrra por que eori-
quiceu tflo depreasa ; sera ata vender gne-
ros nacionaes ou cerveja hamburgueza ?
Precisa-s de urna ama de boa con-
duela, preferindo-se escrava: na roa do
Hospicio, n. 7.
Roga-se ao Sr. que saxta-faira da sema-
na prxima passada mandou por aeu eacra-
vo buscar urna cela de cha, haja da mandar
restituir a louca e caixa ; do contrario ser
chamado pelo nome por extenso para pa-
M O T*norleda ilil" l"ea. ooia nrnnnu-
i'or da ceia deixou o nome de quam a man-
dou buscar, assim como que torna-se mais
conbecido pelo brinco que traz oa orelhs.
Attencio.
A mesa regedora da rmaodade
de R. S. da Concco*Ja*.Con-
gregaefio convida aos irtnaos da
mesma irmandade a rennirem-se
no dia 8 do corrente, pelas 9 ho-
ras da manhaa, no consistorio d
mesma igreja, para se proceder
crn. mesa geral a elei?8o dJPnov
mesa,'na certeza de que urna hora
depois da marcada, se proceder
a eleic3o com os irmSoi presentes-
O bacbarel Cypriano Fenelon Guede
Alcanforado, procurador Gscal da thesoura-
ria provincial e advogado nos aodltort"'
desta cidade. mudouo seu escriploro pa
a rasa em que Ora reside na roa Nova n. 5>
primeiro andar, oude pJe sor procurado
das 9 oras da mach at a 4 da tarde-


^
m
A'ovo stabcleclmento de ctela
iu liiiu. rna Nova u. 36.
Jos l'radirute.oulileiro e nrmeiro, partici-
pa ao respeitsvel publico deala ciliado, e
principelnrenin seus freguezes, que mu-
dou oestabeleciroentoque tinliana ra lar-
ga ato Hozar o para ra Nova n. 36, confron-
te igreja di Concedan, onda o acharSo
promplo execuUr qualquer eocoromenda
ile sua arte com a maior perfeieflo posaivel
e peloa precoa mais baratos do que em ou-
tra parte O nnunciante tendo ltimamen-
te recebido de Franca um grande sortimen-
to de objectos de sua arte acha que seria
fastidioso de os enumerar nesta folha, po-
rro elle mencionar os seguintes: navalhas
superiores as que tem vlndo al agora, le-
sourss para airatates, costureiras e cabol-
lereiro, um lindo sortimento de lesouras
finas para senhoras, ferros de cirurgia, ditoa
de dentista, caivetes de urna at seis fo-
Ihas, lesouras de hortelSoe facas de mesa.
Elle toro tambero todos os preparas neces-
sarios aos caladores, como sejsm : espin-
gardas, sacatrapos, polvarinhos, boleas de
cica, espoletas, ouv idos de espingarda, etc
e'lc-, etc. No se falla da qualidade desses
diversos objectos, que o annuncianle afll-
aaca ser superior, elle tem um grande sor-
timento de fundas, e tem a dkWde todas as grossuras. Todos esses ob-
jectos serfio patentes aos compradores e hSo
de agradar pelos presos rasoaveis. 0 n-
nuneiante para accelerar a eiecucAo 4es en-
eommendaa que se ihe fuer maadou vir um
offlrial de Franca, bqual chegou no brigue
Catar, ese acha em exercicio no estabele-
cas-fairas, quintas e sabbados.
;^ Chapeos de sol.
*&* llua doPasseio.o 5.
Nesta fabrica ha presentemente um rico
sortimento destas objectos de todas as c- ja n. 50.
tiverero quem os venba buscar: o dono pola
desle novo estabeleci ment espera merecer
a conllance do publico, attento o esforco
que tm empregado sempre para agradar
aos concurrentes.
Domingo 24 do corrate,
perdeu-se desde a Passagetn da
Magdalena at a rna do Collegio
urna pulceira de diamantes enria-
da em perolas ou aljfar : quem
a tiver achado e qnizer restitu-!a,
dirija-se a ra da Cadeia do Re-
cite, primeiro andar da casa n
38, que ser gratificado com a
quantia que valer a mesma ataca.
Roga-se aoSr. Manoel Mondes ds Sil-
va Barang o favor de vir a ra da Cadeia
de Santo Antonio n. 13, para negocio que
n8o ignora.
Sr. J0S0 Csvalcanti de Albuquerque,
senhordo engenho Canio-Escuro, em So-
rinhSem, por si, ou por seu correspon-
dente nesta cidade, queira dirigir-so rus
da Cadeia-Velha, n. 84, para se Ihe entre-
gar urna carta de seu particular interesse,
n inda da villa do Poro Ral.
CAAAAAAtVfcfft A*********
el Consultas e remedios horoceopalhl- m
_ eos degraca para oa pobres, no con- !e>
4E sul torio homosopathico do faculta ti- 9>
vo I. B. Casanova, ra da Cadeia de a>
Santo Antonio n. 99. a>
?f#%ffW*fffffff*#
Aluga-se pelo lempo da festa ou an-
nualmente a casa da duus andares, defron -
te de S. SebasliSo em Olinda, com commo-
dos para grande familia : a tratar na mes-
ma casa, ou na ra da Cadeia do Recife, lo-
? "
res qualidades, tanto de seda como de
pannlnho, por precos com modos; ditos pa-
ra senhora, de boro gosto; estes chapeos
sfio feitos pela ultima moda ; seda adamas-
cada com ricas franjas da rotroz. Na mesma
cas se ada igual .sortimento de sedss e
amurillo imitando sedas, para cobrir ar-
majos servidas : tJas estas fazendas ven-
deu|-e em porcoe a relalho : tambero se
conceita qualquer chapeo de sol, tanto de
basteas de ferro como do baleia, assim como
umbelas de grcjis : ludo por preco oom-
modo. Na mesma casa ha chapeos de sol,
de marca maior, de panno e de seda, pro-
prios para fritores de engenho, por seren
do mais fortes que se pdem fabricar,
lloubo.
Domingo, I do crranle me?, roobaram
do segundo andar da casa n. 40 da ra do
Trai iche os seguintes objectos: 1 hahusi-
nho de tartaruga coro lloaradles e fechadu-
rade prata, e espelhod'ouro, ps de bron-
zeduurado, tendo dentro nina facha do seda
encartada forrada de pr. t<>, e bardada com
emblemas de ouro e erata ; um avena! de
setim branco forrado de preto, igualmente
bordado coro.o meamos emblemas na fren-
te e g*a rasftiU) de encarnado ; alguna fo-
Ihetua impresaos o papis manuscriptos, o
dtef bahuainno tem siunaes de fogo de um
lado ; urna eolia de cama de setim amarel-
lo, guarnecida de enca nado, muito usada;
um vestido de seda cor de viudo, ja usado ;
um sillo de bengala, ds prata, lavrado
oitavado. sem tirina ; alguroaa costuras la-
loadas como carnizas de homem, de oada-
pblSo; e algumas oulrss miudezas, que
por muito insignificantes nSo so mencio-
nam. A vista dos s>gnaesdos objectos cima
mencionados, roga-se a qualquer pessoa a
quem .tirara offerecidos, dos nSo com-
prar, eavisar nadita casa, que posto baja
fundada suspeita de quem seja O raloneiro,
"RrfMsa-se de piova, e promette-se urna gra-
to a quem descubrir o dito roubo,
1 ou parte.
Comoein poucoadias devaficar promp-
ta a primeira classe, que tem estado ap-
prendendo escripturaclu mercantil por par-
tidas deliradas com o abaixO assignado, e
como elle se propOe a abrir logo em segui-
da oulra, nos meamos termos ds primeira,
o faz publico, para que aquellas pessoas
que a quizerem frequentsr, se sirvam logo
procura-lo, para escrever aeus nomes, no
escriptorio dos Srs. C. Starr & Corapnhia
m ra da Aurora. H da Maya.
O Sr. I.uiz Jos de Castro tem urna car-
ta na ra Direita n. 131, botica da Torres &
Castro, dnfronle da ti. S. do Toreo.
Precisa-se de ama ama que saiba co-
zinhar e eugommar, para caaa de homem
solteiro : em Forado Tortas, ra do Pilar,
n, 32.
-- lloga-se ao 8r. Dr. Honorio F. S. Vas
Curado, que venha ou mande pagar a sus
lettra onde 11S0 igrmra ; do contrario tera
de ver sempre o seu mime oesta folha.
Aluga-se um sobrado na ra da Unifio,
com excedente vista, multo fresco, e com
os nielhores commodos para urna ou duas
familias : os pretenderles dinjam-se a Ma-
noel AI vea Cuera Jnior, ou ao bacharel
CbnstovBo Xavier Lopes.
, U 8r. Jote Alves Tenorio haja de se di-
rigir a praca da Boa-Vista, botica n. 6, a
negocio que Ibe diz reapeilo.
Aluga-se o terceiro andar da casa do
largo da asaembta o. 8, a fallar com Joa-
qoim Francisco de Alero,, no Forte do
Mallos.
--Kngomma-se e lava-se toda s qualida-
de de raupa eom lodo ssseio e muita promp-
tiddo. por preco mais CominoJn dn nneni
outra qualquer parto : ua ra de Agoas-Ver-
des, n. 26.
Aluaa-se o segundo andsr do sobrado
da ra Uireiie n. 90, com commodo para
grande familia : na ra Uireila n. 93, pri-
Preciss-se de um pequeo para caixei-
ro : na ra do Rozario, padaria n. 48.
--Precisa-se a lugar urna escrava para o
servico externo de urna casa de familia : na
ra larga do Rozario n. 48, segundo andar.
Furtaram, nosabbado para domingo,
as quatro horas da madrugada, um ca vallo
mellado com crinas prelas, capado, peque-
no, andador de passo at meio, ferrado da
parte esquerda com um carimbo redondo
bastante grande; lem os dentes ds parte
inferior quebrados, miados os dous joelhos
das mfios, csuda corlada; lem tambero
ferro da parte direita, mas se mo est cer-
lo Jello ; foi furtado do sitio do Sr. Francis-
co das Chagas Cavalcaoti Pessoa, no Lucas :
quem o pegar, ou delle der noticia na pa-
daria da Passagem da Magdalena, sera bem
recompensado.
O Operacoes de catarata. q
0 Joo vlceute Marlins, devendo reti- q
fi zimo futuro, previne que so at ao .
g. dia 30 de dezembro podar pralicar m
if algumas operacOes de catarata, ou Z
~ outras que exijam as molostias de
% olhos. %
^J Continua a destribuir remedios ho- y>
v nicpopatliicos de graQa aos pobres no O
1 consultorio da ra de Apollo n. 94 O
O lodos os das uteis st 1 hora da O
O tarde.
ooooooooooooo
Precisa-a* de urna ama de Jeito : na
ra das Larangeiras, n, 10.
A Hoseira,
romance muito interessanle, principalmen-
te aos meninos, porser muito moral, o tor-
nar-se recommendavel aos Srs. chefes de
familias: na livraria do pateo do Collegio,
a. 6, de J080 da Costa Dourado.
I'recisa-se de um feitor
hortelao
meiro andsr.

l'nulo Unignoux, ilentiata #
^5fM*?>' offf f prest-
mono publico para tudos os
lulaterea de saua paroflsaao: i
jirte sir piucuiMrtu u qual- #
quer hora em sua casa, na )
na Inrg.i rti. Kn/.arlo, n. 36, ,
_ saanuiido aiirtnr. fk
PrecisS-sa alugar um molecote esperto
o da boa conducta para o servico interno de
urna casa Ingleza : paga-se bem quem ti-
ver, annuDcie.
que
seja hortelao e jardineiro: no
primeiro sitio de portao de ferro,
na estrada dos A lili dos, passando
o becco do Espinheiro, ou na roa
da Cruz, n. 46.
Aluga-se s casa terrea 11. 51, na rus
dos copiares, com commodos para familia :
a tratar na ra da Aurora, n. 44.
De novo se roga ao Sr. Francisco Xa-
vier Carneiro da Cunha Campello de an-
nunciar a sus morada, ou dirigir-so a ra
de S.-Rila, n. 85, a negocio que Ihe inte-
ressa.
Precia-se de ama ama forra ou capliv-
para o servico interno e externo de urna ca-
sa de pouca familia : no Aterro da Boa Vis-
ta, lOja de miudezas, n. 73.
Desoja arrumar-se em loje de fazendas
ou miudezas um menino portuguez, de 19
anuos, chegado ha pouco do Porto : quem
pretender, dirlja-se ao largo do Livramen-
lo n. 20, casa de Joaquim Correa de Rezen-
de Reg.
- No dia 9 do corrente desencaminhou-se
do porto da l.ingoeta um sacco com assucar
branco, sem remesss e com a marca PF ;
quem do mes mo souber, fara o obsequio de
dar parte na ra da Cruz n. 64.
Na ra do Sol n 7 so dir quem tem
para uar dinheiro a premiosob penbores de
ouroou prata. ,
Para feata.
Aluga-se pelo lempo de feata urna boa ca-
sa de pedra o cal, no lugar da Torre, a qual
estar prompta vos pera de S. Thom, com
duas salas, quatro quartos o cozinha fra,
eseorendeiro tiver cavallo d-se capim
du.-istc o temps ds ir.r.dirsrn'e, ssftfcr-
me o cobre : a tratar na Torre, no sitio do
Lelo.
OSr. Manoel Joaquim Snares, que foi
ou be testsmenteiro do fallecido beicinho,
queira annoociar sus residencia nesta ci-
dade, e a hora em que se deve encontra-lo.
Aluga-se o segundo andar do sobrado
atrs da matriz da Boa Vista n. 26, cora
commodos para grande familia : a tratar na
mesma ra n. 99.
Jo5o Antoaio f'iODie.i (itiiinarSesos
poderes que Ihe conceden por pro-
cura,$ao*bastante, (cando em vir-
tud* do presente euliibido de fa-
ier o dito Gnimaraes uso legal da
lita procuraco. Hecife, 3 de
dezembro de 165o.
Precisa-se de urna ama para urna casa
de pouca familia, a qual saiba cozmhar e
engommar: no Mangulnho, em urna das
casas ao virar para a Balxa-Verde.
Roga-se a quem levou as amostras de
fitas da loja de miudezas da ra dus Quer-
ais, n. 24. o favor de as levsr, pois. sSo
muito precisas
I'recisa-se de um feitor para m sitio
pe toda praca : na ra de S -Amaro, na
venda que faz esquina na praca de capim.
-- Procisa-se comprsr um cosmorama de
regular tamanbo, comas competentes vis-
tas: quem o tiver annuncie.
Aluga-se, pelo lempo da festa, um sitio
pequeo naCapunga, com bastantes arvo-
redos d (Vuelo, casa psrs familia, cacimba
com boa agoa de beber, tanque para ba-
nlio, e muito porto do rio : atrs dos Msr-
lyrios, rus do Caldeireiro, n. 46.
' Jos Maria Concalves, estabelecido
nesta cidade, eom venda defronle da matriz
da Boa Viata o ra da Aurora, vendo o an-
nuncio da retirada para-fra*to imperio do
seu nomo, o como se n8o enlende com elle,
ejulgando haveroutro de igual nome, de
hoje em (liante muda o seu nome para Jos
Maria Concalves Vieira Cuimares.
Precisa-se de um feitor porluguez, que
saiba tratar de arvoredo, verdura o flores,
para um aitio pouco distante desla praca :
quem esliver neslss circumstsncias, sppa-
reca na ra do Trapiche Novo n. 18, segun-
do sndsr, para tratar do ajuste.
Helojoeiro.
Na rus larga do Rozario, ao p da botica
de Jos Maria Concalves Rsmos, concertam-
se relngios de todas as qualidades, por pre-
co commodo, e com promptidfio.
A quem convier poralug el um gran-
de armazem na ra do Vigario, dirija-se
casa n. 66, da ra da S.-Cruz, defronte da
riboira.
-- Francises Ismael de Arruda, tendo de
nparar-se de seu marido Flix Camello de
Moura, partilhan 1o-se os bens existentes no
casal, por no exisiirom herdeiros necessa-
nos, aasim o avisa aos crodores do mesvo
casal, para que no prazode 90 diaa, a con-
tar da data desle, se apresentom ou consli-
tuam seus procuradores nesla cidade para
liquidacSo de suas contas com o mesmo ca-
sal. A annunciante se mo responsabilisa
por quaesquer dividas urna vez que se te-
nhe effectuado a parlilha, como faz certo
desdej ; opsra quese nochamem a igno-
rancia faz o presento aviso. Cidade de Coi-
anna, 29 de uovembro de 1850.
-OsSrs. Joaquim Bernardo da Cunha e
Bernardo Antonio de Oliveira, qua dizem
est ou esteve no engenho Novo do Cabo,
queiram vir ou mandar receber cartas de
sua familia de Portugal airas do thealro,
armazem de taboas de pinho.
Aluga-se um ptimo armazem com
porto de embarque, sito na ra da Moda.
n. 5 : a Iralra na roa de vConcalo, n. 29.
Arrenda-se o segundo andar do sobra -
do n. 13, da ra da Lapa, no bairro do Reci-
fd : para ver, as chaves estao no primeiro
andar, o para tratar, na praca da Boa-Vis-
ta, n. 7.
No dia 3 do corrento, estando a mudar-
se os trastes de urna casa, um dos pretos
que os conduzia, furtou urna espora de pra-
ta de corrente. Roga-ae a pessoa a quem
fr offerecida, o favor de apprehende-la e
avisara F. A. de S. Brrelo, que he seu le-
gitimo dono, e se fr pessoa que queira
achado dar-se-lhe-ha.
Jos Pereira Cezar, ten lo sido rouba-
1I0 em sua casa 00 dia 2 do corrente, como
j annunciou por este Diario de 3, em adi-
tamento a esse annuncio declara, que Ihe
roubaram mais diversas pecas de roupa dos
seus caixeiros, um relogio de prata grande,
um chapeo de seda preta < mais outros ob-
jectos. O annunciante offerece lodo o di-
nheiro e todos estes objectos, e s pede
reslituico das leltras o mais papis que es-
tavam dentro da lata, e que a ninguem
absolutamente pdem servir sen3o ao mes-
mo annunciante, po leudo para mais facili-
dadeserem esses papis (aneados por bai-
xo da porta de sua cass, ou da sua loja na
ra do Queimado, n.21, ou de oulra qual-
quer forma que Ihe posaam vir a mo, pro-
metiendo guardarsegredo.e nfio proceder
contra, anda mesmo sabendo quem foi o
roubador.
Arrenda-se o sobrado sito na ra da
Senzalla-Nova, n 16, por preco commodo
a tratar na ra estrella do Rozario, no se-
gundo andar por cima da loja de trastes do
Sr. More ira.
Alugam-se duss escravas para vende-
re m fruclas: quem as tiver, dinja-sa i
ra Nova, 0-53.
Compras.
- No dia S do corrente, s 4 horas da tar-
J porte st-r .procurado a fiiul- C de, perdeu-se da ra da Cadeia do Recie
quer hora em sua casa, na ) al a ra do Queimado as seguintes obras
aj> ra Inrga do Kokhto, ai. 36, de ouro : um irancelim fino bastante usado,
duas tollas de cordSo grosso, urna imageir
da ConcelcSo o um coracSo j velho : roga-
se a pessoa que achou que dirija-se casa
de JusConcalves Torres, na roa da Cadeia
do Recife, que ser bem recompensado.
Precisa-se de um bom olcial da cha-
, Na ra do Sol junto ao porto das ca- P'8"0 = va '
noas da ponteda Boa Visia 11. 93, apromp- Domingos Antonio tiotnes
ttl^'*lS$ZFXX&. Guintaraes declara ao respeitavel
se flevar a casa daquellas pessoas, que nao publico ter cassado a seu irmfio
Cumpra-se um prelo bolieiro, que se-
ja de bonita figura e sadio : oa ra da Ca-
deia do Itecifo 11. 54. Na mesma casa tam-
bero compra-s um cavallo, proprio para
caminho, que seja gordo, manso e novo.
Na ra da Cruz do Itecifo o. 64, com-
K5 uoas da pmiiu ui;J:; Je bo Qua-
lidade.
Compra-s um oratorio com quatro
pal moa de altura pouco mais ou meuos, e
um molecote peca, capaz da fazer os sorvi-
cos de urna caaa : na ra da Cadeia do Re-
cife, loja o. 50.
Compram-se cscravos de am-
bos os sexos; na ra da Cadeia do
Kecie, n. 5i, primeiro andar.
Compra-se um sellim ingle/, usado,
mas em bom oslado : na ra da Cadeia do
hecife, n. 50, loja.
Compra-ao urna carroca para cavallo
em bom uso"! quem tiver annuncie.
Vendas.
t-OI,lllMlA!S I'AUA 18161.
Na llvrarla da praca da lude-
cndcncla, ns. Ce, veudcm-sC
olhliilias de algiuelra e porta pa-
ra o anno qne vem. ._
Vende-se, ou arrenda-se urna morad |Mallos.
de cass no lugar do Cachang, a melhor
que niquelle lugar existe, por licar ao p ds
ponte, com seis quartos, duas grandes sa-
las, corredor lavado, quintal com algumas
fruteiras, hanho no fundo ; bem como orna
morada le casa na ra do Padre-Floriano,
n. 57 : ambss por preco commodo: na Gam-
boa do Carmo, n. 33.
Vende-se um muito bonito moleque
crioulo, de 18 annos, muito robusto e sadio,
sem vicio algum, e que sabe bem cozi-
nhar, engommar liso, coser de alfaiate,
com principios de saoateiro, bom destila-
dor, licorista, faz varias qualidades de xaro
.oes, chocolate o todo o mais servico de urna
casa do familia ; urna casa larrea de pe Ira
e cal, em muito bom estado, com duas sa-
las, 3 quartos, cozinha grande e fora, quin-
tal grande com cacimba, na ra de S.-Mi-
guel dos Afogados ; um sitio com 425 pal-
mos derrame e 1,200 de fundo.com mui-
tos arvoredos da fructo, pasto para duas
vaccas anuualmente,trra para plantar,com
urna pequea familia, e boa agoa de beber,
na estrada de Belem : ludo por preco com-
modo : a tratar com seu proprietario Fre-
ilerico Chaves, morador no Aterro-da-Boa-
Vists.n 17.
Vendo-se um moleque de 9 para 10
annos, de bonita figura, ou troca-se por
urna negrinha: na ra do Encantamento,
n. 13.
Grandes retratos de S. M. 1.
D. Pedro II, proprios para as re-
particoes publicas, ou ricas salas :
vendem-se no pateo do Collegio,
casa dolivro azul.
Vende se urna batelSo para quem se
quizer divertir pelo rio Capibaribe, novo
e pintado, com remos, vela, o carrega 4
pessoss adultas : em S.-Amarinho, a fallar
com Manoel Luiz da Veiga.
Vende-se um escravo moco, muito sa-
dio, submisso, de boa conducta, e sem
defeitos : na ra da Aurora, primeiro andar
da terceira casa em que mora o Sr. Dr. Fran-
cisco de Paula Baptisls.
Ns ra das Cruzes n. 22, 'segundo an-
dar, vende-se urna bonita parda de 26 sa-
nos, que engomma, cose chito, cozinha e
lava desabito ; duas prelas ten lo urna 24 t
a outra 30 annos, que cozinham, lavam de
sabaoe sSo quitandeiras ; um escravo cri-
oulo. bonita figura, de 29 annos e meio of-
ficial de ferreiro ; e ottro dilo do nacSo,
proprio para todo o servico da praca ou de
campo.
Vende-se ums preta de elegante figu
ra, boa cozinheira e eogommadeira ; urna
dita dn servico decampo; um moleque de
18 annos, cozinheiro e copeiro ; um mula-
tinho de 14 anuos ; um pardo moco o csr-
reiro : no pateo da matriz de Santo Anto-
nio, sobrado n. 4, ss dir quem vende.
Vende-se um ptimo esersvo de 16
18 annos de j ladee de muito bonita Ogura
a tratar com JoSo Fernandes Prente Vian-
na, na ra Nova n. 20.
(.'hocolate liomoeopatlilco.
Vende-se no Aterro da Boa Visti, fabrica
do licores n. 17.
Por ser a dinheiro a vista vnde-
se barato.
Manteiga ingleza da melhor, a 610, 480 e
390 rs.; dila franceza, a 560 rs.; cha,
1.020 rs ; velas de espermscete de 6 o 7 em
libra, a 720 ra ; ditas a 640 rs. ; farinha de
araruta, a 200 rs. ; dita do Maranhilo, a 120
rs.; macarrSo e taharim, a 200 rs.,- aletria,
a 210 rs. ; bolacbinha ingleza, a 320 rs ;
banha de porco, a 360 rs.; caf da caroco, a
200 rs. ; milho alpiste, a 960 rs. a cuia ar-
roz de casca, a 120 rs. ; airoz pilado, a 360
rs. o a libra a 70 rs. : no Alerro-da-Boa-
Vista, n. 54, o na ra Nova, n. 71, taberna
ao p da ponte
># aj)S
Cera em velas.
Vendem-se caixas com ce- I
ra em velas de 3 al 16 em 9
r libra, fabricada no Rio de
* Janeiro, por preco mais ba-
** ralo do que em outra qnal-
quer parte : trata-se com
9 Machado & Pinheiro, na ra
* do Vgario, n. 19, segundo
3 anda.
#** *(?****
Vende-se um preto coro muita habili-
dade de carpina, pedreiro, caiador, borra-
dor, oic., enlende de sitio, ven le na ra,
cozinha o diario de urna casa, ter 20 an-
nos, de boniu figura, nSo bebe e he muito
vorda leiro, vende-so por s qnerer vir para
casa s 9 horas da ooite, quaudo sahe a ven-
der ; seu preco he 700,000 rs. : os preten-
dentes dirijam-se ra do Vigario, a fallar
com oSr. JoSoSimSo, ou na Capuoga, ao
Sr. Antonio Jos de Oliveira Braga
Vende-se cha hy ;son do superior qua-
lidade, o do melhor que lem vindo a este
mercado ; caitas com velas de espermaca
te americano; nieias barricas de farinha
gallega, a mais nova : na ru da Alfanlega-
Velhs, n. 36.
lie baratissimo.
Vendem-se ricos chieotinhos, s 600 e 800
rs ; charuteiras finas douradas, s 1,800 rs.
pentes com espelnos, proprios para suissas,
a 320rs.; escovas Unas com espellio para

*ri:rs cun mullas
para guardar dinheiro, a 640 rs.; superio-
res caixas para rap, a 9,000 ra. ; fivelinhas
dojradas e prateadas para calcas e colietaa,
200 rs.; meias cruas para homem, a 189
rs.; ditas de cores, a 240 rs. : na ra do
Queimado, loja de miudezas, junto de ce-
ra, n. 33.
Vende-se urna porcode on-
cas bespanholas, vinho Cham-
pagne muito superior; dito Bor-
deaux em guarilas, dito Muscatel
em caixas de 18 garrafas, azule-
jos, cimento, oca, almagre, cal hy
draulica, verde francez em p,
cabos de linho : na ra do Trapi-
che n. 11.
Vende-se urna escrava de idade da 30
anuos qua lava, cozinha o engomma o dia-
rio de ma casa : na ra das Boiis, o pri-
I meiro sobrado esqeurda e no Forte do
'L __________ '
Grafas a Dos queja chegaram.
Causara pena ver um pobre miope quasi
aos trambolhoes, mocos ou velhos, porque
*sta molestia nSo respeita a dados, devagar
pelas ras e de loja em loja a procura de
uro par de oculos para vista curta, para po-
lerler, escrever, ir aos nossos theatros,
sonde s por oormav6es sabia do seu es-
pantoso progresso, e voltar na mesma, por-
ue os nSo bavia neste mercado ; se recor-
ra a medicina encontrava-so rruitas vezes
com um igual paciento a quem de baldo se
queixava, o .10 ouvir n ver as laraunas.quei-
xas e caricaturas que reciprocamente so
fazism, perdera de risoao homem mais ta-
citurno que departe esto dislogo ouvisso;
uorquo esta molestia nSo s zomba com os
llopalhas, co no at mesmo com os bo-
mcepathas que moilosdellos asoffrom; po-
rm graesss Daos que chegaram os 13o de-
sojados oculos por especial encommenda
que delles se (aerara o se vendera na ra
larga do Rozario, n. 35, loja.
Taixas para engenho.
Na fundicSo de ferro da ra do Brum,
caba-se de recebar um completo sortimen-
10 de taixas de 4 a 8 palmos de bocea, as
luaes acham-sa a venda por preco com-
nodo e com promptidSo embarcam-se,
iu carrega m-seem carros sem despezas ao
comprador.
Antigo deposito de cal
vir>;em.
Na ra do Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal nova em pedra,
clieada ltimamente de Lisboa
no brigue lartijo III.
Vendem-se 20 escravos, sendo 2 opti-
ms carreiros, o de bonitas figuras ; 2 ditos
nfflciaes de pedreiro; um dito oleiro ; 5 di-
tos de todo o servico de campo ; um mula-
tinho de 14 annos, ptimo para qualquer
oflicio, ou para pagem ; urna linda mulati-
nha recolhida, que cose, faz bem lavarioto
e marca de linh, de 19 annos ; 9 escravas
mocas, com muito boas qualidades; um
>scravo que cozinha bem o diario de urna
casa, e he de muito boa^onducta : na ra
Direita, n. 3.
Attencad.
Aos Srs. chefes de repartieses.
Na livraria do paleo do Collegio, n. 6, de
J0S0 da Cosa Dourado, vendem-se os se-
guintes objectos precisos para o expediente
das repartieses :
Papel almaco perlina com listras do agoa,
aparado 8,600
Dito de machina de 100 cidernos, de
muito boa qualidade 3,000
Olio almaco de primeira sorte.apara-
do, de linho 3,600
Dilo da peso de superior qualidade,
inglez 5,000
Dito de mais inferior qualidade 3,500
Lapis linos e envernizados, a duzia 700
Penas de secretaria, o milheiro 10.000
Ditas meia secretaria, o milheiro 8,000
Gomma grasa em fraaquinhos, raspadeiras,
caivetes de dilTereutes qualidades, peo-
nas de ac, borracha, tinta carmim, dila
azul, dila preta muito boa, pennas de pato
aparadas em caixinhas, caetas demarfim,
facas para papel, peso para dilo, e outros
mullos objectos de secretaria o escriptorio:
taiobem se apropian encommenlas para
outras provincias com presteza ; e para as
repartieres desta provincia ss mandam aa
amostras, o se obriga a por qualquer objee-
to as repartieres, sen que estas psgusm
carretos.
40,000 rs. a duzia.
Verdadeiro e legitimo champanhe A Y em
casa de Avrial & IrmSos : rus da Cruz n. 90.
Arados de ferro.
Na fundicSo da Aurora em S.-Amaro ,
vendem-se srados de ferro de diversos m-
telos.
.iionirtas superiores.
Na fundicSo de C. Starr A Companhia ,
em S.-Amaro acham-se venda moendas
de canna, todss de ferro, de um modelo
construccSo muito Isuperior.
Bichas grandes e baratus.
Na ra do AragSo, loja de barbelro do
Theofilo Jos Ferreira Sampaio, vendem-se
e alugam-se bichss de Hsmburgo, por pre-
co commodo.
Para o vollarete.
I*, cas caixinhas de Jacaranda
marchetadas de ouro com tentos
de inarlini para jogo de voltarete :
vendem-se no pateo do Collegio,
casa do livro azul.
Vendem-se 10 escravos, sendo um pe-
dreirn, d 18 annos ; um dito earreiro, mo-
co e de bonita figura ; um dito ofllcial de
oleiro ; um moleque crioulo, do 10 annoa;
6 escravas mocas, com boas habilidades, e
de bonitas figuras : na ra Direita, a. 3.
Vende-se superior faiinha
gallega, em meias barricas : no escriptorio
de Deane Voule & C., ou em seus armazona
do becco do Concalves.
Deposito de potassa e cal.
Vende-se muito nova o superior potassa,
assim como cal vlrgemem podra, recenle-
meutechegada de Lisboa, por preco rasoa-
vel: na ra da Cadeia do Reclre, n. 19, ar-
mazem.
'CCid* 1* Igndfio ?sseade S"
fabrica de "Todos os Santos.
N'a roa da Cadeia 11. 53.
'endem-.se por atacado duas qualidades,
proprias psra ssccos de assucar e roupa do
ascravot.
Uoga-ae aos freguezes que tenhnin
torta ttencao par o novo sor-
timento que existe na loja da
ruado Crespo, u. 6, ao p 4o
lampeao.
Vendem-se cassas pintadas do cores fizas,
a 260 o 980 rs. o covado; corlea do brim
branco de linho puro, a 1,990 ra.; ditos da
fuslfio muito finos, a 560 o 640 rs.; cassa
preta propria para luto aliviado, a 190 rs. o
covado; zuarte de cor, a 900 ra.; riscado
de linho para casacas, a 940 ra. o covado, o
outras muitas fazendas por preco commodo.
Caivete i de machinas.
Vendem so superiores caivetes de ma-
chinhas, para com muita facitidadeeeappa-
rar pennas,a 800 rs., pois nao ha couaa me-
lhor para quem be eurto da vista : aa ra
do Queimado, n. 33, loja de miudezas, jun-
to a do cera,


*>
Vende-se cxcellente farinha
de S.-Catharina, a bordo da ga-
llla Santissima-Trindade, fon-
deada defronte do caes do Colle-
gio, por preco comtnodo: a tra-
tar na ra do Vigario, n. n, ou
a bordo com o eapilio da me-ma
galiota.
Cimento.
Vendem-se barricas com superior smen-
lo, chegado no ultimo navio de Hamburgo :
na ruado Aniorim, n. 35, armazem de J.J.
fasso Jnior.
Vendem-se superiores charutos de San
Flix a 2,500 rs. a caita de 100 : na ra do
Quemado, luja n. 10.
Fogoes pera cozinha.
mnito proprios para sitios e qual-
quer lugar aonde nSo ha cozi-
nha, por preco com modo ven-
dem-se na ra da Gru, n. lo,
casa de Koikmann lrmaos.
N-> deposito da ra da Moda, n. 15,
* ha para vender superior cal em pe- *j
*? dra, receotemente rhegada de lis-
* boa, em o brigue Conctifo-de-Ma- 2
** Ha, por preco rasoavel: timbem ah ^
ly se vendem pesos de duas e de urna 2a
^ arroba, por. preco commodo ; ha 4*
a> lamben elTectivamente no mesmo <;'
j. deposito barris de mel para embar- <-.
que. m
Vinlio de Bordeaux:
vende-se na ra da Cruz, n. io,
cana de Koikmann lrmaos.
Fnzenda uova.
Vmdom-se gangas amarellae crdecin-
za, fazenda muito flna, propria para pali-
to* de meninos, e mesmo para roundes de
senhoras, pelo haratissimo prego de 200 rs.
o covado : no Aterro da Ba Vista, loja nu-
mero 18.
$ m ?
SRetrot da fabrica do Siqueira. j
m no Porto: g
* vende-se na ra do Vigario,
n. I o, segundo andar, es- m
criptorio de Machado 5c F-
0 nheiro.
Chitas limpes a taa rs. o covado.
Vendem-se chitas limpas r6sas, a 4,100
rs. ea130rs a retalho ; rentes de cam-
braias rom 6 varas, mnito larga, de honitoa
padrOes e cores (ixas, a 2,5*0 rs : na roa
larga do Kozario, n. 48, primeiro andar.
Charutos de Havana.
de superior qualidade : vendem-
se na ra da Cruz, n. 10, casa de
Kalkinariii lrmaos.
Mlllio novo a 2$ooo rs.
eartn MU-CU.
Vender no armazem do liraguez, ao p
do arco da Conceiclo.
Cagnlo de algodo n 2Jj5oo a
peca de Jo varas.
Vende-se esguiSo de algodSo com 4 pal-
mos emeio de largura, a 2,500 rs. : esta
fazenda he muilo propria para lencdes, ca-
misas, ele.: na ra do Crespo, loja da es-
quina que volla para a cadea.
Chumbo le munlr,ad.
Vende-se lio armazem de J. J. Tasso Ju-
Lijr, ra do Amoro), 35.
Vendem -se amarras ue ferro: na ra
da Senzalla-Nova, n. 42.
Redes.
Vendem-se redes muito bonitas, de va-
rios goslos e precos, propnas para quem
l'or passar a testa descantar ao fresco de-
baixo de arvoredos ; na ra do Quemado,
n. 14,
Vende-se urna parda escura, fiel e sa-
Jia.com algumas habilidades ; um mole-
que de 15 annos : na ra do Fogo, n. 23, se
dir quem vende.
* ####1
# Para picii. *
# Chapeos envernlsados para psgens
0 de Torva moderna : vendem-se na c- *
Jsa de si'gueiro, ra do Quemado nu-
mero 19. *
##?>
Champanha C & C.
Vende-se a verdadeira champanha desta
marca, viada pelo ultimo navio do Havre :
em casa de Nc. Calmonl & C. na praca do
Lummercio, n II.Tem-se encontrado por
hi champanha ordinaria com eals bem co-
nhecida marca C c C falsificada, os com-
pradores de champanha devetn ter cautela.
-- Vende-se urna inulatinha de 9 a 10 an-
uos seni vicio nem achaque : na ra Au-
gusta n. 26.
Vendem-se ricos raizas pa-
ra costura, ou para guardar joias.
com fechaduras de ferro e chaves
de duas voltas, contendocada urna
v:!w rseos de perfumara, pe-
lo diminuto preco de ~5,ooors ra-
da urna caisa : no pateo do Col
legio, casa do livro azul.
Chapeos de sol.
Vegdem-sa chapeos de sol de seda prela
e de cores, a 6,000 rs ; ditos de panninb
para humeas, senhoras e meninos, por pre-
co anaiscommodo do que em outra qual-
quer parte : na ra do l'asseio n. 5.
Couro de lustro a 3,ooo rs a pelle.
Veode-se couro de lustro a 3,000 rs.
pelle, e marroquim do melhor que ha no
mercado : no Aterro da Boa Vista, loja o.
58, junto i de selleiro.
Calcado.
No Ate-rro-da-Bou-Vista, de-
fronte da boucea,
be chegado, palo ultimo navio francez, um
novo e completo sor lmenlo de calcado de
todas as q utilidades, lauta) para horneen co-
s o para sanhora o meninas de todas as ida
loes do Aracaly, tanto pira homern como
nars meninos : tudo por preco mais com-
nodo do que em outra qualquer parle.
Madama llosa Hnrdy, modlatn
brasllelra, na ra Nova, n. 34.
Madama Rosa Ilardy novaroenle tem a
satisfagAo de annunciar ao respeitavel pu-
blico, que recentemente acaba de despa-
char um luzido sortimento de varias Tazed-
las, proprias de se usarem na proiirqa Tes-
ta, consistindo em ricos chapeos de seda de
differentes crese com onfoites mais ele-
fantes possiveis para senhoras ; ditos de
rica i alhinha da Italia, rendados e Tcha-
los, tanto para senhora como para meninas
e de varios tamanhos, com enfeites e sem
ellas ; chaposzinbosdeabas largas e en-
feitados, proprios para meninos ; ditos de
palhinha redondos e enfeilados para ditos ;
ditos de seda com lindos enfeites, para me-
ninos e meninas de 6 mezes a 3 annos, do
mais rico gosto possivel riquissimas tou-
cas de superior seda, feitas em Franca e pro-
prias para cranlas de 6 mezesa 2 annos;
ricos manteletes e espolinos de gros de
aples furia-cores e relos ; ditos de (li
delinho prelo de gosto o mais moderno
possivel ; capolinlios de fil de seda, tanto
brancos como pretos, para senhoras e me-
ninas ; brilhanlissimas capellas para senho-
ras, proprias para casanieutos e bailes ; su-
perior es veos de seda, proprios para ditos;
ricos pescocinhosde lilo de linho bordados
para senhoras, do gosto o mais rico que
lem vindo de Franca ; camisinhas de cam-
inis bordadas para senhoras, com gol la de
camtraia de liohu ; espartilbos de mola,
os melbores que teem apparecido nesta
prafa ; um variado sortimento de trancas
de seda ; fil de hnho e de seda ; sapalus de
setim brancos ; luvas de pellica para senho-
ra ; ditos de seda de malha para ditas ; di-
tas de seda preta para hornero ; ricos gros
de aples pretos e furta-cres, que se ven-
dem aos covados a vontade do comprador;
cha malote prelo de grande consistencia
para manteletes : um completo sortimento
de perfumaras finas; e outrss muitas di-
versas fazendas. Na mesma casa se fazein
manteletes e capotinhos para senhora e me-
ninas, assim como chapeos de crep prela
com toda a perfeicBo : tudo por preco mais
commodo do que em outra qualquer paite.
'4
ma cal, que flcou da saTra passada, por ba-
rato prego.
- Vendem-se sabonetas higinicos, o
mais superiores que teem vfhdo este mer-
cado, assim como nutras peifumaeias muilo
finas : na ra da Cadeia Velba n. 94, prl-
meiro andar. -
Bombas de ferro.
Vendem-se bombas de repuxo,
pndulas e picota para cacimba :
na ra do Bruui, ns. 6, 8 e io,
fundicSo de ferro,
Arados de ferro.
Ventlem-se arado*} de ferro
differentes modelos
na ra
lirum,ns. 6,8 e 10, fabrica
de
do
de
;
l.oleiiiilu liio-ile-Janeiro.
Aos 20:0011,000 de rs.
Pelo vapor s.-Salvador recebeu-se os
muilos afortunados bilhetes e cautelas da
10.a lotera a beneficio da Tregueza do SS.
Sacramento da corte do Ro de Janeiro ; ven-
dem-se na ra da Cadeia do llecife, n 24,1o-
ja de cambio.
^Depositoda fabrica de*
; lodosos Santos, na t
Baha. %
-> Vende-se, em casa de Domingos Al-<
ves Malheus, na ra da Cruz, n. 52,*
primeiro andar, algodSo trancado da-^
quella fabrica, muito proprio para 8c-2
?cos e roupa de escravos; bem como
s^fio proprio para redes de pescare pa-.j>
^vios para velas, por prego commodo.&
Loja de seis portas em frente do
Livramento.
O administrador desta loja tem a dar ba-
lancino fim de dezembro, e como tenha
restos de alcaides, quer acabar cum elles,
trocandu-os por sedulas, sendo o pre^o o
mais rasoavel (ossivel, como sejam : pecas
de madapolSu com 12 jardas, por sete pata-
cas ; chales de chita, a 480, 640 e 1,000 rs.;
ditos pretos de rede, a meia pataca ; cassa
preta, a 120 rs. o covado ; cortes do cinta
preta com 11 covados, por 1,280 rs.; mea-
dos mouslros, a 260 rs. o covado ; chitas, a
120, 140, 160, 180, 200, 210 e 320 rs larga
franceza ; brim branco de lislras, a 200 ra. o
covado ; o nutras multas fazondas por piu-
co-, que coadjuvam a economa.
-- Vende-se supeiior vinho de Champa-
nha av, o melhor que ha no mercado, por
pre^o commodo : em casa de J. I* Adour &
C., na ra da Cadeia du llecife, n. 52.
O bom e barato.
No Passeto-Publco, loja n. 9, de Albino
Jos I.eile, vende-se um completo sorti-
mento de chitas, a 120 rs. c covado ; cassa
i cez largo, a 200 rs. o covado ; cobertores do
algodo grosso para esoaves, a 720 is ;
madapolDo, a 100 rs. a vara ; piscados de
linho miudinhos, a 320 rs. o covado; len-
tos de seda de cores, a 1,000 rs ; e outras
muilas fazendas que mo he possivel an-
nunciar para nSo oceupar lempo.
Vende-se um sitio na ra do Pires
que faz esquina para o corredor do Rispo, o
qual tem boa casa, cozinha fr, rasa paia
(.reos, ealrbaiia, cocheira, um bom panei-
ral, e horla, e outias muitas aifoiea de
(rucia, boa agoa, em chSus proprios : quem
o pretender, entenda-se com Jos Antonio
Crrela Jnior, ou na tua da l'raia n. 32.
Vende-se a armacBo da venda da l.in-
goet, n. 2, faz-se lodo o negocio com o
comprador.
Vendem-se rincn ta on^as despalill-
las : na ra da Cruz n. 51, no escnplorio do
primeiro andar.
i.lolios tle vldro.
Vendem-se globoa de vidro proprioa para
escada e corredores, e mesmo para illuwi-
naces por ser. 111 muilo commodos em ta-
maito : na la do Trapiche o. 10.
Cal e potassa.
Vende-se a mais nova e superior potassa
que ba no mercado, e cal vigem em pedra,
ebegada pelo ultimo navio de Lisboa, por
yrec,o commodo : na ra da Cadeia do lie-
dle, n. 50, a fallar com Cunta & Amuron ;
machinan e fundicSo de ferro.
Vende-se urna sextante nova feita por
um dos melbores autores de Londres a tam-
ben) um orisonle arliOcial e um tbeodilete :
na ra d<> Trapiche armazem o. 41.
Nao he exagerac&o.
Vendem-se sapatOcs de couro de lustro,
obra muilo boa, a 2,500, 3,000 a 3,500 rs.:
na ra da Cadeia do llecife, toja n. 9.
Farinha de mandioca.
Vendem-se sacas com farinha da mandio-
ca muilo alva, bem torrada a melhorque
ba no mercado por nflo ter cheiro de barco
e ter bom gosto e por preco commodo: na
ra do Ouewnado a, 14>
Cobertores de tapete para
escravos.
J se vendem os acreditados cobertores
de tapete para escravos, a 730 rs. cada um ;
por isso venham a elles antes que aa aca-
ben), ou passem para mais alto preco : na
ra do Crespo, loja da esquina qua volla
para a cadeia.
Hap Paulo-Corileiro.
Vende-se elTectivamente esta excellente
rap, na ra da Cadeia do llecife, n. 50, to-
la de Cunha & Amorim.
Loterio do Itio de Janeiro.
Aos 30:000,000 de rs.
Na praqa da Independencia, n. 3,confron-
te a ra do Crespo e Quemado, vendem-se
slbeles, meios, qmrrlos, itero a vigsi-
mos da dcima lotera a beneficio da frs
guezia do SS. Sacramento do Rio de Janei-
ro, vindos no ultimo vapor. Na mesma loja
se moslram as listas das que ji corrern).
lina do Horario larga n. 2!l.
Vende-se uira molalinha de' 1-2 annos,
mnito linda, propria para mucama, tem
principio de costura, he muito umilde e de
bom genio, o motivo porque se vende he por
precisSo.
Vende-se urna porc.Bo de cazes de
folha para latoeiro; urna porreo de paos
de sicupira, que foram de barcada ; urnas
grades de pao, que foram de esclptorio ;
urnas janellas velhas, que anda podem ser-
vir para alguma obra ; urna prensa de pao
para aperlar fardos de fazendas ; duas quar-
lolas vasias, que foram deazeile de prisa ;
urna por^So de ferros velhos, que foram de
navio ; urna hulea muilo hem feita, propria
para navio ou casa de familia, por levar
mais de dez canecos d'agoa; e mais urna
poi r,Ro de taboas de assoalho e cosladinho
de amarello : tudo por preco commodo :
na ra da Cadeia do Recife n. 54.
mmzmm mmmmammm*
Vendem-se quatro bonitos moleco- 1
tes, sendo um dellesbom cozinhei- p
e outio com principios de sapaliro ;
3 negros de 22 annos, de bonitas fi-
guras, de ptimas conducs, sendo
um dellea bom sapaliro, de cortar
e fayer toda obra ; um preto de 25 an-
nos, bonita lisura,ptimo pedreiro; 9
I pretos para todo o servico ; um lin-
fdn moleque de nove annos, ptimo
para aprender algum odlcio. por ser
J muito habilidoso; 4 negras mocas de
de bonitas figuras, com algumas ha-
S bilidades de engummar, coser e co-
;| yinhar ; 2 negras de 30 annos, muito
Sem conla. nma deltas cozinha muito
bem : na ra aas Larangeiras, n. 14,
: segundo andar.
*** WlrlWiMhW
I,olera do Hiode Janeiro.
Aos 30:000,000de rs.
Nos qualro-cantosda ra do Quemado,
loja de fazendas,11. 20,endem-se os muitos
afortunado bilhetes, meios, quartos, gi-
tavose vigsimos da 10." lotera do SS. Sa-
cramento ; bem como da 25.a lotera do
monte pi, cujas listas devem chegar no pri
meiro vapor. Na mesma loja se trocam bi-
lhetes premiados de qualquer loteria, e se
mostra a lista das casas da candada.
A 2oo rs. o covado.
Vende-se madapolSo de corea, proprio
para camisas, pelo baralissimo preco de 200
ra. o covado bem como anda restam al
kjumas peinas de cbila de linho e algodSo,
cum 40 covados cada urna, a 5,600 rs. : no
Atcrro-da-Hoa-Visla, O. 18, loja.
Vende-se una bonita mulata de 20 an-
nos, que pode Servir de ama de lete, por
eslar criando urna flllia do 3 mezes; um
preto coznheiro, d boa llgura, mo(o e ro-
busto, e que tambero he caneelro; orna
muUtioha de 10 annos, de linda figura : na
rus \ngi 0 VtSZiTis^s. S, prl,T.c;rc ;si,
se dir quem venda.
A 1,60o rs.
Vendem-se novo cortes de brim tranca-
do esruiu com duas varase meia eada corte,
a 1,600; cassa franceza de bom gosto, 9,600
rs.; pecas de esguilo de algodfio com 19
varas, a 2,400 rs. a peca ; cobertores de al-
godSo de cores, a 790 rs. : na ra do Cres-
po, n. 6, luja ao pe do lampeSo.
V cndem-se saccas de muito
superior farinha de S.-Catharina,
por preco commodo i a fallar com
Manoel A Iveg Guerra Jnior, ou
na ra da Cadeia do ttecife, n
38, primeiro andar.
Vendem-se osapreciaveis charutos da
Havana La Norma : na ra da Cadeia
n. l.
Pecas de esguiSoa a,5oo rs.
Na loja da ra do Quemado, n. 17, ao p
da botica, anda tem para vender pelo ba-
algodllo, com 12 jardss, multo proprio pa-
ra camisas de senhora, por ser mais Isrgo
que o madapolSo.
Para acabar veodem-se,
na rus do Quemado, loja n. 17, cassas Tran-
cezas de 19a abertas, e de padroes muito
delicados, a 400 rs. o covado ; cambraias
decores modernas, a 560 rs. a vara ; chitas
francezas do melhor gosto que tem vindo a
este mercado, a 320 e 360 o covado. Dflo-ae
as amostras.
Fumo em Folha.
Venda-aa fumo de primeira e segunda
sortes, por preco commodo, em porfi e
a retalho na ra larga do Rozario, o. 32,
fabrica de charutos.
-- Vende-se cobre em folha para forrar
navio, ferro inglez em barras, arco, chum-
bo de munifSo sortido: em casa de He.
Calmont & C na prap do Commercio,
n. II.
Deposito de cal viraje 111.
Na cua do Torres, n. 19, ha muito supe-
rior cal nova em pedra, chegeda ultima
mente de Lisboa no brigue Tanijo-Tmnrt.
Venderse um moinho novo, a ouiro am
meio uso, de moer caf; a urna porclo de
saceos vasios : na ra Direita, n. 69.
. Luvaa multo baratas.
Vendem-se luvas decoras, fio de escocia
sem defeito algum propnas para montara,
pelo baralissimo preco de 390 rs. o par: na
ma do Quemado loja de mludezas. junto
a de cera n. 33 nos quatro cantos
Vende-se um escravo da eleaat* tigu-
rs, excellerria carreiro, e optimo^ra todo
o servico, principalmente o do camuo, por
preco mdico : na ra do Hospicio n."9.
Veodem-se aa decadas da J0S0 de Bar-
ros e Coulo, o primeiro he melhor clasaico
da lingoa portugueza em 27 volnmea; geo-
graphia de Caultier, 1 vol. ; historia sagra-
da por llernardino, 9 vol.; poesiaa da Itr.
loo de barros : no atierro da Dos-Vista, lo-
ja do 8r. Eslima.
Vende-ae superior e muito
oova farinha de mandioca, chaga-
da agora do S.-Catharina pelo bri-
gne Soares, ancorado na volta do
Forte-do-Mattos ; quem a quizer
comprar por menos do que em ou.
tra qualquer parte,dirija- se a bordo
do mesmo navio, ou ao escriptorio
de Oliveira, Paiva & C., na ra
da Alfandega-Velha, n. 5.
Vende-se urna preta com urna cria de
5annoa, muito linda : a preta engomma,
cozinha, cosa a faz o mais servico de urna
casa de familia; urna moleca de 11 a 12 an-
nos : na ra do Fogo, n. 98, se dir quem
vende.
Luvas de pellea. jt
Vendem-se luvas de ptica para senhora,
pelo preco de 9,000 ris e 1,980 rea ; ditas
Na anliga venda que foi de Nicolao Ro- de ponto inglez para homem, o melhor poa-
drigueada Cunha di ra do Mundo Novo n. aaivel. 1,800 ris prefo que nieguen ven-
16, continua a vender-seca! branca e preta; de : na ra do Quemado, Joja de miudezas
as pessoas que quizerem, dirijam-se a mes- junto a de cara n. 33.
- O gerente do contrato do rap de lis-
boa contina a vender em sus loja ata ra-
p, e desejando salisfazer aos freguazes,
tem seguido por a venda o mais moderno,
por julgar ser o mais fresco, a vista do que
declara que se nSo respoosabelisa por qual-
quer motivo que se queira allegar, aflm de
que se receba o rap depois de vendjdo.
lio. a cssa
tes; assim como os bem condecidos sapa- 'assim como um restante de barris da mes*-'rato preco de 2,500 rs.; pecas de esguiflode
ma venda cima, que se vende por menos
do que em outra qualquer parte,
rentes de tartaruga para mar-
rafa.
Vendem-se encllenles pntes de tartaru-
ga para marraras, a 800 rs. o par; na rus do
Quemado loja de miudezas, junto a de cera
n. 33
Cabecadas Inglezas.
Vendem-se cabecadas Inglezss rolicas e
chatas, loros a silbas da U : na ra do Tra-
picha n. 10
Na ra ds Praia n. 32, vendem-se sac-
ras com alqueire de farinha de auperior
qualidade, e por menos do qua em outra
qualquer parte.
Sapttos do Aracaly.
Vendem-so espatos do Aracaly, por me-
nos preco do que em outra qualquer parta :
na ruada Cadeia, n. 23.
Superior velas de carnauba a pre-
co rommoclo:
vende-se na ra da Cadeia, n. 23.
Vinho do Rheno superior.
Vende se em casa de Le Bretn Schramm
& Companhia, ra do Trapiche n. 19.
Vend.-m-se 200 barricas vasias que fo-
ram de farinha do reino, todas americanas,
e por preco mais commodo do que se estilo
veodendo naspadarias, isto por se querer
desoecupar a casa onde ellas estSo, a a vis-
ta das ditas se far lodo o negocio : quem
as pretender, dirijs-se i rus das Tr incliei-
ras n. 9.
A 3$5oo rs. o eento.
Vendem-se superiores charutos de S. F-
lix : na ra do Cabuga, loja do llnarto. 4
Vendem-se ricaa loucas para baptisa-
do : na ra do Cabuga, loja do Duarle.
Ha loja de alfaiale, na ra
Nova, n. 35, de Jacintho Sosres
de Menezes, ba um grande e com-
pleto sortimento de obras feitas de
todas as qualidades *, assim como
se recebe toda e qualquer encom-
menda, para o que tem boas fa-
zendas e habis oiliciaes, por isso
se promette dar com a maior pres-
teza possivel: tudo por proco
mais commodo do que em outra
qualquer parte.
Vende-se, para lora da pro-
vincia, um bonito escravo, oli-
cial de marceneiro : na ra Nova,
armazem de trastes defronte da
ra de S> A maro.
Vendem-se saccas de gomma;
chapeos de palha e sapatos, por
preco commodo.- na ra da Ca-
deia do Kecife, n. 9, loja.
Papel roma 11 ti jo
bordado e colorido, de diferentes formatos
e de superior quslidade, proprio para car-
tinba de amisade ou versos de sympathia.
Este papel, ultimo gosto de Psrs, he sim-
ples e bonito so mesmo lempo, Unto o co-
lorido como o doorado, servindo so mes-
lempo para desenhos que se enllocan) as
fulhaa dos albun das pessoas de bom gosto:
vende-se na llvraria do pateo do Collegio
u. 6, de JoSo da Costa Dourado.
Vendem-se superiores lingoicas do ser-
IBo feitas de carne degado, assim como car-
ne doserlDo: ludo-cousa o melhor possivel:
na rna Augusta, venda de Victorino Jos
CorreiadeS.
>- Vendem-se 6 escravas, 3 engommam a
cozinham. urna he perfeita engommadeira,
a que cose e cozinha, veste a prmeia nuia
senhora, as outras sSo boas quitandeiras ;
urna mulatinba de 18 annos, que cose, en-
gomma e faz o mais servico de ums casa; I
preio que serve muito bem a urna Casa e ga-
nha na ra 640 rs. por dia ; um moleque de
5 annos, muito lindo e esperto :. na ra do
Collegio, n. 91, primeiro andar, se dir
quem vende.
Anoz de cases egomms. lado direito do nariz.
Na confeitariada ra estrena do Rozario, rravade engeuhu, eaanno passado ara de
n 43, vendem-se saccas com superior ar- juma crioula de nome Felieidfda cosa quem
roz, s 2,200 rs. ; ditas com gomma, a 6,000. (dita rrela andava pelo mallo vendendo
Vendem-se 3t'0 parea de sapatos do miudezas, por rujo motivo ella sabia quisi
Aracaly : na ra 00 Encantamento, fabrica todas as povoc.0es drsla provincia ; ha
de babus ao p da cacimba. mullo ardiles e capaz de Iludir qgalqaer
luvas pretas de torcal. pessoa que anuo contiena, poda hmbrira
Vendem-se luvas pretss de torcal as me- *" f"8 rom o nagocio de aldete*. P0'5
Ihores que se pode encontrare porque pre- ja outra vez qua fugio foi pegada ">?"*'
CoT de 1,000 ris e 800 ris: na ra do Que- h 8-Anna com um balaio da miudea.
mado. loja de mludezss junto a de cera n. que andava vendendo. Quem a pegar leve-
33, nos quatro cantos. P"C da Independencia, n 17, ""-
Tremocos. I her 50,000 rs.de gralilicacflo, e quem del-
Vendem se aaecss com muilo superiores ,!er P)|fia certa recebe jQ.OnO rs.
trerooco : na ra da Cruz n. 57, por com- fnMMnKrjiaBjsi^^
modo preco. iufltiilwkinwiAvmmmnunwivtn+l
Escravos fgidos
Aoamanbeeerdn dia 4 do eoronte, fu-
gio o escravo Joaquim, crioolo, de 24 ajnos
pouco maison menos, bem a figurado* es-
padaudo, olhoa grandes, nariz e bocea re-
gulares, com buco de barba, mfioa bem fei-
tas, ps pequeos e mal fritos ; he coz-
nheiro ; achava-se ha mais de 3 mezes alu-
gado a Joaquim r.orrria, com venda e mo-
rador na ra do Livramento, acontece que
nSo con vindo o senhor a cnnserya-lo am po-
der do dito Correia, por mais lampo, O re-
tirou, poim este no flan de 3 dia, sem o
menor motivo ausentou-s de casa, levando
toda roupa o obra de 20 libras de carne sec-
ea : quem o pegar leve-o a ra Nova, a seu
senhor. que gratificar.
Fugio, no di9 do crrante,da povoa-
(flo da Iloa-Viagem, pelaa 8 horas meia
da nqile, unta escrava crioula, de nome
Maris, de 23 annos, de altura regular, ca-
bello corlado, olhos grande, meeles do
rosto lia, refrita do corpo, cor bea* preta,
pea pequeos; quand falla cante roa cru-
zar os bracos pela cintera, falla um tanto
grossa; levou vestido de chita de taimas
rotas, com assento branco j desbotado,
camisa de medepoIBo, panno novo da Cos-
a com franja branca, um eordSo 4a linha
no pearnco com urna madalha acilagrosa.
Eata escrava foi comprada eaa 19 de novem-
bro prximo passado, ao Sr. kanoel Joa-
quim Pascoal Ramos, que receben do Sr.
Dr. Vieenle Pareira do Reg para vende-la,
tendo j Sido escrava do Sr. Albino de Je-
ss Bandeira. Itoga-ae as autoridades poli-
ciaes e ca nicles de campo, que a prehen-
dm e levem-n ra d Praia, 39, se-
gundo andar, ou a roa do Collegio, a 1
do dito Sr. Pascoal Ramos, que sel '
Cea dos ; assim como' se protei
quem a tiver orcolta.
No dia primeiro do corrente, fugio, do
sitio das Rose-iras, do major Joaquim Elias
de Mours, o aeu esersvo Jacob, de 30 an-
nos pouco mais ou menos, de eslstura pe-
quena, cor fula, testa grande, ovado com
urna Cicatriz, olbo afumaoados e viata II-
sa.sem barba; qoando falla contrabe os
beicos e mostra o dente*, pe tos erqneados
para fra, pernas finas e melss tortas, ps
grandes e o dados grandes dos mesmos
a herios : quem o pegar leve-o o dito sitio
a aeu senhor que aert gratificado.
Fugiq, no d' do corrente, o preto
JoSo, crioolo, ofllcial de marceneiro, de 20
annos pooeo mais rm menos; He site, de
corpo.reforcado, beicos grandes, narix cha-
to : quem o pegar leve-o a roa dn Croz, no
Recife, n. 12, casa de Jlo lene Mta'Orli-
gneira.
Desde o dis 98 do mez protimo pasu-
do que fugio o consta attdsr pelas russ des-
ta cidade, um preto crioulo, de nome Lino,
de 29 snnos pouco mais ou menos ; levou
calcas prela, jaquetn de risrado e chapeo de
palha ; mas as vezes costuma mudar de tra-
jes : quem o pegar lete-o a capitana do
porto, pue se pagar bem o trabalho.
- Fugio, no dia 93 do proaimo passado,
o escravo l^andro, crioulo, cor fuls, de 22
annos pouco mais ou meno ; ha balso, ros-
to bem redondo, dente limados; andava
vendando leite ; consta que saguio a estrada
de Oolanna, e dirig se psra llabalana.
Rnga-seasautoridadeapoliriaes a capitSes
de campo, que oapnrehendam e tevem-no
a seu senhor, Jos rereuUno de Carvalbo,
nn Mnnlpirn Un H Ti;.lr Raaln. nne
aero gratifii ados.
5o,ooe rs. de gratificacSo.
Fugio, no dia II de abril do presante so-
no, a preta alaria Joaquina,de nacBo Congo,
de 30a 40 anios, baila e cheia do corpo.cari
larga, rr retinta, olhos vivos a meios gran-
des, feices grosseira ; lem um pequeo
sgnal de carne sobre O bco snprior do
Eata prela j foi es-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9TAK9C6U_766285 INGEST_TIME 2013-04-24T17:29:36Z PACKAGE AA00011611_07229
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES