Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07226


This item is only available as the following downloads:


Full Text
XXIV.
Terca-feira Z
PAnTIDA SOS MMUMOS.
fiolanna e Parahlb, l segunda e icxlai felras.
Ulo-Grande-do-Nurle, todas s quintal felrai ao
ipeio-dla.
Cabo, Serlnhiem, Rlo-Fortnoto, Porto-Calvo e
Macelo, nol.'.a II e 21 de cadauies.
Giranhun* Bonito, a 8 e 23.
Iloa-Vhua c Florea, a 13 e 28.
Vlctopa, ai quintal feiraa.
Olindo*, todos os dial.
FKEMBBtSE. i *
rNova, a 3, m3 e58 ib. dal.
Cresc. a 11, a*6 h.el7m. d* I.
Ptusx* d i, chei- 19, al2 b. e 35ra.d*ra.
iMlngT a 25, 6 b. 54 ut. da t.
. rMAMAB. DI aWKf*.
Prlmeira ai 4 horas 30 minutos da tarde.
Srgnnda aa 4 horaa 64 minutos da manbia
de Dezembro de 1850.
N.294.
MUKJO A BBlO"IP(?Ic_
Por tre mese (adiaBtados) 4f000
Por acia raezes f
Por um anuo
DIA8 DA naUWl.
2 Sea. 8. Bibiana. ,. .- -
3 Tefc. 8. Francisco Xavier. Aud. do J. da 2.
v. do cirel, e do dos felto* da faxenda. _
4 Quart. 8. Barbar*. Aud. do J. da?, v. do clvel.
5 Qulnt. Geraldo. Aud. do J. dos or. e do
in. da 1. v.
6 Seat. S. Nicolao. Aud. do J. da 1 v. c. s do
do* feltos da fazenda
7 Sab. 8. Ambrozio. Aud. da Chae, e do I.
da 2. T. do oivel.
8 Dora. Ceaceicio de Nossa Senhora
CAMBIO XHIBI
Sobre Londres, a 29 1[2 00 rs.60 das
Pars, 3.13 por Sr.
Lisboa, 100. por cento. ._-. anjnnn
-S de"h;;:.g
. de6*4Moovaa. 18*000 a 181200
. d.4|000....... MD00- 9/200
PraU.-Pattcde* braallelros.... J/0 W""
Pesos coluranarios..... 1/660 a j/w"
Ditos mexicanos........ /?00 a 1/7WI
DIARIO DE
4
guardas me pertencerem parochla, coa* dl*-
tlnccio dos do *rvi*o ordinario da reaerva ;
o tai dar pai do diatrlclo sW matrli, e os das
capillas turadas os lirros da matricula da guar-
da nacional, que se acharen nos respectivos
cartorios ero vlrlude do artigo 17 da le de 18
de agosto de 1831 ; o presidente da cmara mu-
niclna uma copla uthenllr.* da ultima lista
dea cldadlo* votantes da parochia, estreida
da) llvro que deve existir no ae u archivo, como
sVeteraiaM o artigo 37 da lei de 19 de agosto de
1846; e o subdelegado de pulida de cada dl-
uacto da mesana parochla ama relacao nomi-
nal. orgaulaada.par aaasMaicOaa. rdem
aipbabetica. dos cidadaos nella residentes, que
tlverem a Idade de 18 a 80 annos, declarando
a proflisao, renda e estado de cada usa; ae
ten, ou nlo ftlhos, sendo casado ou vluvo ; ae
fbr filbo familia sem renda propria, o nome do
pal e a sua renda ; se for administrador ou le-
torde fabrica, nu fazenda rual, ou de fazenda
de gado, ou calxero de casa de commerclo, o
aoiue deseu asno ou patrio.
Os presidentes de provincia faro as conve-
nientes recominendacOes aos funccionarlos
cima mencionados para que nao liaja falla!
nem demora nocumprlmento deste dever.
Art. 18. O* llvros e inais papeis.de que tra-
ta o artigo antecedente, servirn de Informa-
-_ ci e de bate ao* trabalhos do conselho; mas
inslruccdes. espedirs as ordena necessarlaa a falu dequaiquer delles nao obstara as suas
a firo de que se rena ein cada parochla ua dallberacoe*.
conselho de quallflcaclo, e ira cada municipio p4ra apurar a qualificaco e classlficsco
MISTE OFFICIH-
MIN1STEMO DA JUS+f CA.
Decreto n. 722,
DE: 25 DE OTITUBRO DE 1850.
liosn-a WoiliOeBa ** A X*CC?>0 Si }-
H. 0>>M 49M aWtMO > MU AUNO, QUE
m mn f>*am*0* a' odma MaotosUL.
Usando da altrlbulcSo que me confere o
artigo 102. 12 da conriitulcio, e para exe-
cucio da let-saj B02 de 4 de elea-beo d eile
anno, hel por bem que se observen ASSegulu-
tes instructor.
TITULO I.
Do alistamento o cl-ssiflcai-So dos guir
das nocionaes.
GAPITOLO I.
Jta trgatUifo i (re-talaos doi cohmUhm i* qut-
, lifittt&o.
Art. 1. Os presiden de provincia, logo que
recebercru officlalmente a lei n. 602 de 19 i*
seteuibro do eorsenta asao* ora as presentes
uln conselho de revlata, para faacrein o novo
aliataioent e cUistncaffio dos guardas a
knKetdens serio expedida*- pelo minis-
terio da justica para o municipio da cirle.
Ait. 2. O conselho de qualificafSo constar
de cinco dos actuaos officiaes da guarda an-
-ional, qur cflFrctlvos, qur reformados, sen-
do a sua nomeacu felta no municipio da corte
pelo gpferno e na* provincias pelos presiden-
tes, que podero delegar esta aculdade ao*
coinniandanies superiores, le o julgsrem con-
venlenle.
Art. 3. rtao podera ser membro do con-
selho de qualiflcacao oomcialmais graduado,
do inunicipse, nem qualquer oulr que tenlia
de fazrr parte do conselho de revista, nomo
juii muni'ipal, ou vereador.
Art. 4. Nio baveodo no municipio o necea-
saiin numero de oltictae* em eiroumstancias de
servir, poderd oa con seibos ser coisafaoatoa
de trea meanbro* siuente : e Se ainda nao for
passlvei aerao nemeadoa offic(aea Inferiores,
cabos oj gualdas para spprircm a falta, com
tanto qitejephSo asqualidsd.es que a le exige
para ser onSclal.
As noaeaco*,,tbi- aienibros de cad con-
selho serio iiiimediatamenle publicada* em
orden do dia. e pela Impreusa oude a houver.
Art. 5. Ser presidente do conselho o ofi-
cial mas graduado, dentre os presentes, e da
ds a Igualdad de g'duacS" o mala migo no
pol>, uu o insis velhiiem Idade.
Din dos outro nieriibroa designado pelopre
sldente servtri tte lecrelario, podeodo ser
eoadjuvado nos trabara** de escripturacno por
pessoa de sua escolba, eil por algum officlal
inferior, cabo, ou guarda nacional, cuja no-
nieacao aera requisitada pelo presidente do
conselho au coinmandanle do corpo, compa-
nbia, ou seccoo que bouver na parnchia.
Art. 6 Para haver sessio he indlspensavel a
presenca de tre* inembros. Incluido o presi-
dente, que volar eiu caso de empale, ouno
de Imposlco de mulla.
Se se tratar de multar algum dos inembros
do conselho que esteja presente, nao poder
rsae membro votar, nem asslsllr votaeo,
nem sr lubsllluido : em Ul caso ser valida
a delibcracao que iniiiarrm os oulros, anda
qu sefio souiente dous j c sempre que bou-
ver empate idbre a imposlco de multa coa-
siderar-se-ha rrjeitada a prnnoiicao.
Art. 7. Seas sessdes se interromnerem por
nao rssar e%snplelo o numero de tres, os dous
que caaaparecerem convocarn um oraclal, e
na suafalU um inferior, caboou guarda, ojac
tenba as quolldades de officlal e se compa-
recer um a graduado omcial efleclivo, que houver no mu-
nicipio, para que faca a uoineacao de dan*.
O* inembros assios noaneido servirn Id que
comparece* os impedidos, ou que nova ava-
ineacao seja eiu pa corle pelo governo, e na
provincias pelos presidente!, ou pelo! com-
mnndanles superiores a eujo coubecimento
se far logo chegar O'occorrido.
Os das de interrupclo nao serla contados
no prazo de que Irato os artiga* 10 e 33 des-
iss Instruccdei.
Art >. presidente do conseibo logo que
reerber a sua nooicacao coui a* ordena com
ptentelas communlcar-aos outros membros
e expedir edllaja^guc serio afAxadbs na por
a da matriz, e Ssjrliveraoa districtoa da paro
cha, e publicados pela imprensa, se for possl
vel, annunciando a reunlao que dever come
car no IS.'dla.contado daslalsdoa snesma edi-
ues, avisando as parle* inleceasadaa na qua-
liflcncio para que allegase** seu* dlreitos na
forma prescrlpta pela* presentei lulruccdei.
Arl. I. O conseibo reuoir-se-ha aa casa ds
cmara municipal, no consistorio da mstriz,
ou ero algum outro tdleio pubilce, que de-
vrr* er-lbe fraanueado neta ssHSK com-
petente a rrquhlfio do en pretiaVaSr.
Nio bavenie edificio publico, ue. seja pro-
prlo para e*le Cm, ervlri *|guHia casa part.
cnlardealgnada pelo uieimo preaidenie, prefe-
. 11 ndo-se as que estiverein situadas cm povoado,
maiafMroilmas s matriws.
OkfViia icuuioaer lambeni indicado nos
edltar
Art. 10. Cad* conselho de qualifcsco de-
vela concluir os sen* trabalho* da prlmeira
rcunto no rspacn A* 16 das ao mala lardar,
funcclooaailo d laiiamente desde a 9 horaa da
inanhaaai sdaasds tarde, edas4 s6. s* a,
atuuenela de egocial o exigir.
Ai aesso>sero sempre celebradas fl^H
abertas,'iidiuillindo-sk eipeciadorra, cu
lo que nin perlurhem, nem eatoivem a regu-
laridade dos libamos.
Art. II. Do qle occorrer de
cada M*s>4llaila fat o *e-
pronrlo un apoiilstnento. qui
por todos os membros, para se
redseco dss duas acta)*, de
go40.
A rt. 12. Ol cnmoiaodanle* sn|>crn.res, en
chrfes de legiees, nos munlcisajtai-a *ua resi-
dencia, r nos oalroa caenaiassdantes dos eor-
pos, ttccoes e oompanhiss avulaaa rem
ao presMenidcadaaeoarlho, n>lJHH
relacao por companblas do* acluaei
* *
dos guardas nacionaes dever o conselho nio
dlriglr-se pelo eonheclinenlo que liver da*
circumslancias de cada um individuo, mas
tambem receber. para srr tomado na conslde-
raco de que for digno, o rrquerioienlo de
iualquar cidadio que se julgue com dlrello a
SSudo, excluido, ou dispensado do serv-
1* guarda nacional, ou que queira renun-
ciar a dispensa que a lei Ihe concede ; e alnd*
exigir a* informavde* que julgar nrce**arias
do* parnchos, Juizes de paz, delegados, aub-
delogados, c de quaesquer oulros funrclona-
rlo* pblicos, que em rasio do seu omclode-
vWneesta-laa.
Estes funccionarlos poderd faze-lo por cs-
dem ajphabetica em cadnam d'elle, e ntt-
merlca do princapi ao Usa de cada lisia, de
aoite quen ultimo numero Indique o total do*
allitado*. Ha prlmeira cas* Inacrever-ac-ha
o numero corretpondente a cad* Individuo ;
na segunda o seu nome par Intelro ; na teey
ceiva a Idade ; na quarta eiiido, declaran-
do-ie te tem, ou nio, aiho* ae for c*ado,
viuvo ; e o nome de pal e *ua renda, se
for iilbo fsiiiili* sem renda propria ; na quin-
ta a proflsio u empreg, inenci, naodo-*e
o posto que por ventura Ja aecupe na eu.irda
nacional : *e be aataalsftrador, ou feitor
de fabrica-,' ou iliaenisi rural, ou de (aseada
de gado, ou caixelro de casa de commercio,
o nome do amo, ou patrio, e o capital co-
uhecldo, ou preiumldo da mesma caa ; e na
extaa renda; ficando por ultimo uma casa
para obiervacSe
Quando o cidadio for Incluido na lista de
reaerva, por padecer molestia que o impossi-
bilue para o servico activo, lar-se-la d'isso
expreasa inencio na casa de abservacSea, de-
clarndole a naturesa da molestia, e o nome
de quein houver passado a allestaco.
Ait. 23. Se o conselho conhecer que o ci-
dadio quallficado guarda nacional deve ser
dispensado de todo o servico, ou aomente do
activo, por achar-se coinprehendido naa dis-
posl9e* de algum do* paragraphus dos artl-
5na 24 e 25 das prsenles Instruccoes, rara
'Isso expressa inencao na caa de observa-
efles da respectiva lisia, aixtdaqueapartein-
teressad. o nio requeira. E se esta nzer
constar ao conselho que renuncia a dispensa
que a le Ihe concede ser iaao igualmente
declarado.
Se o guarda nacional quallficado para o
servie.0 activo for o irmio inais velbo de or-
phios menores de pai e mil, o nlho nico,
ou o mal* velbo dos fllhos, ou dos neto* de
uma vluva, ou deum ceg, aleijado, ou se-
xagenario, a quem sirva de amparo, *er Isla
lamben declarado na casa de observacoes,
para que se faca rflfectlvo o favor que Ihe
concede o artigo 123 da lei quando tenha de
ser designado para servir em algum corpo
destacado.
Arl. 24. Serio dispeniadoa de todo o servico
\0 cidadio. br..iIelro. re.ldenle. napa- clararen._ ao concibo que se preslio volun-
rochla, que tlverem a renda liquida de 200/)00 u,1,,e"i':-..,,
rs. annuaes por bens de raz, Industria, com-1 > O depulad
mpreg.; e". Idade maior da 18, fc/deer?0 d'
menor de 60 anuo*.
2. OscidadCoslhos faailliaa que
o assembla geral legisla-
asiemblai provio-
rcni como lael reconhe-
IIverem a \ci^*
sd.de"\Z'Z: no" S sScST .VndTqu. O. Julze. de nrphao. promotore. pub.i-
m ^l.ll 11,1, .
is. a cada um.
Arl. 15. A avaliacae da renda liquida ser
fella segundo as regras elal>eleclde tin virlu-
de da le regulamenlar das elel{6es. e nao po-
der ser dispensado da guarda nacional pre-
texto de falla de renda o cidadio que se ach.r
Incluido na Mata dos volantes ultl mmente feila.
Arl. 16. O filhos familias, a quem, dividida
a renda paterna, nao couber a quantia de rs.
2001000 como exige o $2do art. 14. nao seria
alistados, e em tal caso dar-se-ha ao pai a fa-
culdade de preferir a Isencao da sua proprl-
clna, seminarlos e'piscupaes e oulras acade-
mias, ou escolas publicas, eom.lanto que effec
tivainenle as rrequenlem ;.e os dos colleglos
ou escolas particulares a bem das quaes for
concedida pelo governo igual isencao.
4. As pessoas effectivimenie cinpregada* no
trrico nteroo dos iiospiats e oulros eata-
belectincnto* de carldadc, salva a limitacao
do art. 60.
5. O* officiaes honorarios do exrrcllo e do
corpo de municipaes permanentes da curte, os
pi.o.,Yu do filhoouflltio.qne designar era | daa extinclas milicias que nio vencem sold,
------>tw a~ ii- os de ordenanzas e da guardade honra, que
al em
eurat^eskdaslefni}
S
requerimeato dirigido ao conselho de quali-
ficacio.
O pai que nio usar deata faculdade, sera
alistado com o filho ou filho* mal velbo*, at
o numero que corresponder a renda
Art. 17. Exceptaao-te do alistamento :
1. O que por molestias neuraveis se scha-
rcm inhabiliUdo* para qualquer servico.
2. Os senadores do imperio.
3. Os mililitros, os eOnselbelroa de estade e
os presidentes de provlhela.
4. Ol offiesCaat M Bracas eSeclivas do exer-
cilo e armada, do* corpo* policiaei pagos, e da
imperial guarda de arcbelroi.
Al nraca* reformada*ehonoraria* *erio In-
cluidas na lisia do servico activo, ou da reser-
va, conforme a iua idade, renda e mal cir-
cumslancias.
5 Oiclerlgoi de ordena sacras, e o
jos de todas as ordens.
B. Os magistrado* perpetuos.
7. Os cafeereiios e seus ajudintei.
8. Os individuos matriculados na* capitanas
dns porto*, conforme ai condicdei que em-
belcete* o* reglame utos do governo.
Art. 18.'De todoi ol guardas qualificados
(comprenendendose tambera osactuaeiolBT
ciaes )oigansar-se-ho duas Halas, aendo uma
dos quedeverem perlencer ao servico activo,
e outrados da reserva. Todoi aqurllea que nio
se acharen comprebendidoa nal excepcdci do
artigo antecedente, nem forera incluidos aa
Hila de reaerva, pertencerad do servico
activo.
Art. 19. Ka Usa de reierva lerao ia
cluidos:
1. O* que por molestiaIaeaeaveis cacha
rem Inorases para o servico activo.
2. Oa malares de 60 amas. *
3. Oajaize* municipae* e de orpbaoi, i
promotore* pblicos.
4. O tabelllie* eescrivaes.
5". Os lospeciorea de qusrlelrio e oaaclaes
de jusllca, salvo a lmilacaodo artigo 60.
6 Os advogados, mdicos, clrurgies, e bo
ttoartoe, aa tlverem titulo tegiiiuiu, ,;;:
verem W i eafcetivo exerclcio de sua* pro-
listdcs,
no* 2 e 6 d'este artigo
na lilla do servico ac-
__m por cicripto ao con-
selho, di-cli ramio que renunclio a dispona
qe a lei Ibes concede. J^
^mnmmal f pudendo o eonaelko taber
O* iMgfaiaaado* nos
podedf^^^^HnldoB
rgniererein
^^^fc> que
bsiean ced
le do 1
flear, ou ecllr da guarda nal dera igualmente deaignar o vaouei
irque mencione na matricula a ou feitor,que devaser com prerere
__que__
ltsdaax*BX*aJuirovavel, e a parle interca-
lada ern inoslrar o contrario deveri faic-lo
le baplUmo, oa jaillAcacan
Art. i pacidade proveniente de uto-
lestlai dse constar de Uestacdes jurada* de
l Ate funccionarlos publ'
carcter liadas, *e o" Ir*
^^^H^^^Kki mas o
xlglr qae o preprlo IndtvT-
para ser inspeccionado
ae >*a>L'_VB^Kailo.
rgloes aa guarda r.acioaii
ouutoa iaeultallvM, que Mll-
^W ida reunlao dos conaelhoa.

couvi-
ZnmSS^S^BmiKUHi, ;:s-'ndo-#* *. -
nao liverem legalmente perdido as auaa pa-
leles bem como os guarda* de honra ( por
cotnpelir-lhes a giaduacio de alferes ), salvo
a caso previsto no artigo 56 da lei.
Os juizes municipaes, delegado! e subde-
legados de polica, e oa julxei de paz dei-
xard. durante o efleclivo exeiciclo de irui
cargo!, de servir na guarda nacional, qur
como simples guardas, qur como officiaes,
na forma do que dispoc o artigo 16 da le.
Arl. 25. Serlo dispensados do servico aclivo,
pao obstante acharem-se comprehendido* na
lista respectiva, se nio declararen ao con-
elho qu* ae preitio voluntariamente :
1. Os vereadores efl'eciivos das cmaras mu-
nicipaes, durante o qualriennio da aua ser-
venta, e o* seus apalales em quanto o
subslituirem.
2. Os empregados da* administra-de* e
agencias dosconeio* daa cidade* e villas, com-
prehendido* o* caiteiro! e serventes, e lodos
os conductores de malas.
3. O proprietario, ou um administrador, ou
feitor de cada fabrica, oa fazenda rural, que
contiver vinte ou inaii trabalhadore, livre
ou cscravoi, efl'ectlvamenle empregados.
4. Uin vaquelro, cpalas, ou feitor de cada
fazenda de gada, que produzrr clacoenla, ou
tnais crias animalmente.
5. At tres cslxelros de cada uma casa de
commerclo, nacional ouestrangeira. confor-
me o disposto no artigo 28.
Art. 26. A reipeito das pessoas mencionadas
nos jj 3 e 4 do artigo antecedente observar-
e-ho a* segulnle* legras :
S I. 0 proprietario da fabrica, ou fazenda
rural, que n'eJla residir.ter a faculdade de pre-
feriradispenia dasaapropria pesaoa.oa a doad-
miuialradae.ou feitor que designar mrequeri-
mento dirigido ao conselho dequaltficacio.
Na falta d'eila designaco ser o mesino
proprietario o dispensado.
S 2. Se o proprietario nio reildir na fabrica,
oa fazenda, nio poder gozar pesioalmente
lo rTr Si !~!, Scin^n-lhe todava a faeniH.-
de designar o administrador ou feitor, que
deva aer com preferencia dispensado, quando
tenha mal* de um.
3. Se o proprietario exercer emprego pu-
blico que ihe d dlreito a aer dispensado do
errico d guarda nacional, nem por isao'deixa
de poder a -lo a adtninitrador, ou uu feitor
i Sua eicolba.
4. O proprietario da fazenda de gado na-
iro, capataz,
ocia dispen-
sado, quando tenha mala de um e ae o nio
fizer er preferido o mala velho em Idade.
Art. 47. S peder aer reconbecida como
caa de commercio, para que quera oa *eus
caixelro* dispensados do aervico da guarda na-
cional, aquella, cajo dono ae achar matricula
do em algum doi tribunaei do commercio do
imperio, na forma do cdigo reapectivo. e fizer
da mercanca ptvafiaiao habitual.
So peder ser teconhectdo como calxeiro,
ou guardamvroa, aqu.lle que aver reaebido,
C felto insciever cm algum do* tribuoae* do
commercio uma neaBeacio poreaerlplodoieu
patrio, a prepaneate, na forma dtcrmlnada
pelo mermo cdigo,
Arl. Ua casa de commercio qne liver.
traa o artigo 1, ouse presumir ter, de capital at20:O00f ser
Kde mappaij dl*pa*ado do cvico .etlva da guarda na
85! '-s eaixeiro ; da que tlver mal* de 20 al
60:000/ don* calxelros j e da qae tlver mala de
60:080/ tro* calxeiro. Has cidades porm
do Rio de Janeiro, Bahia. Itecife e Maraohao
ser necessario o dobro de cada uma d'eata*
quantia* para que tenhio lagar a* ineamas dis-
pensas.
Art. 29. O Steho da ca*a, ou *oclo gerente,
le ella pertencer a uma ociedade, lera a facul-
dade de designar o cafieiro. ou calieroi, que
deviso com preferencia aer dispensados, quan-
do o oo poaea ser todos, e na falta de desig-
naco serio preferido o* snais velho* em i nada,
ua guaia-K". i-iiu para este m cunai-
derados comocaixeiros.
Art. 30. F.m quanto nao f6r posslvel o Intel
ro cumprlmento dos tre arligos antecedentes,
por depender da execucio do cdigo, os con-
sellms de qualificaco e de revista considera-
rs como casas de cminerclo aquellas que *e
acbarem abenas cora licenca daa respectiva*
cmaras municipae*. e houverein pago o* Im-
porto* devldo* i e como caixelro* o* individuo*
que se achrelo empregados oo lervlco com-
inercial da* dita* caas, ou forem declarado*
lae* em alteitacSes do* eu* dooo* a**ignadas
com duas lestemunhaa ; masnenlitinia dellbe-
racio tomavii lobre a dlspenaa doi meimoi
calxelros.
O ministro da justica no municipio da corte,
e oa presidentes naa provincias, expedirn as
convenientes ordens aos chefes da guarda na-
cional para que essa dispensase verifique logo
que comece a execucio do cdigo, e que as par-
les Inlereifadat o requelrio na forma devida.
Arl. 31. As dua* lisias, de trata o artigo 22,
depois de assignadas por todo* o* membro* do
conselho Acarad em poder do lecrelario, eae-
rao transcriptas em edliaes igualmente signa-
do*, para seren affixados no interior da igreja
matriz, e no de cada uma da* capellas flliaei,
em lugar conveniente, e vista de todos, sen-
do tambera publicados pela imprensa se for
posiivel.
Os edltae* que houverein de ser publicados
era cada capella filial serio enviados, ao res-
pectivo capcllio, ou ao subdelegado, ou ao
juii de paz, ou a algum official da guarda na-
cional, cora olliclo do presidente do conselho
recommendando a sua affixacao.
Arl. 32. Affixados so edilaes, e assignada a
acta de todas as sessdes da prlmeira reumao,
ne deve fer lavrada como determina o artigo
I, inlerromper o conselho os seus trabalhos
por espaco de 15 dia*; ficando o presidente
durante esse lempo obrigado a Inspeccionar
se os dilos edltae* se conservio nos lugares
proprioi, e a faze-loi substituir por oulroi
idntico! quando le tenhio extraviado, ou es-
tragado.
Igual obrigacio ter o funecionario, a quem
forera remedido os edilaes que houverein de
ser affixadus em cada capella, derendo pedir
outros ao presidente do conselho quando os
primeiros ae extravien, ou estrsguem.
O secrtalo passar gratuitamente, e sera
dependencia de despacho do presidente, as
cerliddes que as partes interessadas requere-
rera com o lira de saber, ou de provar que
algum nome est, Incluido em qualquer das
listas existentes em seu poder.
Arl. 33. Findo os quinte dias reunlr-se-ha
iiovaiiieute o conselho por ura espaco que nao
poder exceder a dozc dias, para rever as lis-
tas, atlendendoas reclainacdes, nio sd dos ci-
dadaos que forera pesioalmente fnteressados,
mas tamben de qualquer official, ou guarda,
sobre os seguiotrs casos : 1, qualificacio de
individuo que nio esleja era eiroumstancias de
ser guarda nacional : 2, omisso, ou excluso
do que deve ser quallficado : 3, cla**ificaco
na lisia da reserva do que dever pertencer a
do aervico activo, ou n'eila do que dever^per-
tencer aquella 4, conce*aio, ou denegacao da
dispensa de todo o rvico, ou smente do
activo, contra a* dUposlcet da le, ou da*
presentes instruccoes.
Art. 34. A* reclainacoe i *erio admitlida*
quando fella* por meio de requeriraento* assig-
nados pelo* reclamante*, ou seus procuradores;
e o presidente, ou o secretario do conselho,
pastar recibos d'ellcs is parles, mencionando
os documentos, que o Inslruirrm, ou decla-
rando que neiiliiiiu docuraenlo se ajuotou.
Art. 35. Qualquer dellberacio que o conse-
lho tomar a respelto de cada reclaiaacao sera
declarada em despacho escrlpto sobre o re-
querlmenlo do reclamante, e assignado ( cora
o apellido tmenle ) por todos os membros:
se ella for favoravel bastar que o despacho se
limite palavra Deferido e le detfavora-
v.-l dever o conselho expressar a* razde* do
indeferiinento.
Todo* o* requeriraento*- flearad em poder do
lecrelario at que tenhio o destino indicado
no artigo 42.
Arl. 36. Conforme o deferimento que der a
cada uma dai reclainacei, paliar o conselho
a alterar a lista, ou lista* sobre que ellas ver-
saren i e dos cidadio* respelto dos quaes re-
formar as deliberacdes tomadas na primeira
reunlao, ou que Incluir na matricula em vir-
lude das ineamas red macaca, far uma nova
lista semelhsnie s anteriores, ( mencionando
na cala das observacoes a ultima deciso con-
cernente a cada nome, e oa motivo* d'ella) para
aer publicada por mel de oulro edital afiliado
na porta da Igreja roatrl*, ou da casa nnde esii-
ver reunido o conselho, e laiubem iinpre*ao*e
- -0..iv.l
Esta pabllcacio ser felta al o 5.a dia da 2.a
reunlao. e o secretario, que deve igualmente
conservar em seu poper o original da lercelrr
lista, passar a ceido que a* parte* reque
reren, como dispoc o artigo 32.
Arl. 37. O reclamante, a quem constar pelo
edita| ou pela cerlidao, de que trata o artigo
antecedente, que o seu requerimenlo.foi iode-
ferido, assiui como o official ou guarda, que
quizer usar do dlreito que lei Ihe concede
contra qualquer d.s decises proferid** pelo
conselho de qualificacio em virtude da* recla-
inacoes, poder recorrer para o coaaelhu de
revista.
Arl. 38. O recurso devs ser iuterposto den-
tro dos tres dia* immediatos pubiieacao do
edital, por meio de ura requerimenlo dirigido
ao conselho de revista, e apreenUdo ao con-
selho de qualiiiccx>. para o fazer chegar ao
teu destino com > dodataanto* que o recr-
reme j houver nroduzido em abono da aua
reclaniacao indefVlda, e com quaesquer oulros
qae baja de produzir de novo.
Se porm o recorrenle nio livor ainda (ello
recUmagaa algum* obre o menuo objecto do
recuiso, nem tlver documento* a apresenlar
ao aclo da sua inlerposicio, poder feter no
proprlo requerimenlo o proiestodaeapeclflcar,
e provar o* matos perante o coaaema de re-
vista.
O preilBenle. ou ecrctarlo do conselho de
qmlificacSo, dar tamben a cada recorrente
ura recibo do *eu requerisneolo, como deter-
mina o artiga 34. '
Arl. 39. Depoli de publicado o edital, deque
trata o artigo 36, nio poder o conselho de
qualificacio fazer alter.cio algumi na listas.
Seus trabalho* no da* que reslarem d re-
do consist r6 : 1. em receber e examinar os
requerliqenlos de recurso, que Ihe forera apre-
entados: 2, em Informar os ranino reque-
rimentos. *e Ihe parecer neersaario. para se-
rem rrrrf*t ao eoBelh de r^**ia, lniii-
do-lhe o* outros que as pune* uwreo anterior
menle felto aobre o mesmo objecto, e iut*i--
uer docuraenlo* que Ihe *ejau eoncernente ;
. finalmente, em fazer redigir acia de to-
das as sessoes da segunda reuniao para ser
Iraocripta no Mvro prnpro.
Aa infonuafes de que trata este artigo so
erio ecripia em eparado, e era forma do
officio dirigido ao conaelho de revista, quando
nao couberem na margein, e no veno do* pro-
prlo* requeriraento* de recurso.
Todo* os membros do conselho de qualifi-
cacio deverd asslgna-las, podeodo declarar-se
vencido o que ao se couformar com o pare-
cer da inaioria.
Art. 40. De todas as sessdes diarias, que o
conselho de qualificacio celebrar era cada uin
dos prazo* de que lrlio os artigo* 10 e 33,
lavrar-se-ha Ulna ( acta vista do* apogta-
tamenlo*. de que trata o artigo 11, contendo
a historia resumida dos seus trabalhos, cora a*
explicacoe* lodiapentavei* para que se poisa
conhecer se a le, e a* prsenle* Intrucce*
forio fielmente observadas, como lejio, v. g..
a declaracao de cada da e hora* em que o con-
selho tlver celebrado **ssio, e dos motivos de
qualquer lnlerrupcio que baja ; os nomes.
e poslos dos membros que concurrem as sessdes
diarias, ditliiiguindo-se o presidente, o que
servir de ecreurlo, e o que f6r chsmado para
suppi ir o impedimento ou falta de outro. que
j tenha lomado aucnto ; o dia em que forera
publicada* as liria*, de que trata o artigo 31,
e interrompida* as seufies; o dia em que bou-
vera I." sessio da 2.* reunlao ; o da em que for
publicada alista da* alterasoet, de que trata
o artigo 36; o* nomes daa pessoas qi.eanresen-
tarem rrquerlmentos de recurso na forma do
artigo 38; as mullas Impostas pelo coiafelbo
Je qualificacio, com declaracao da importan-
cia e motivo* de cada uma, e do nome da pe-
soa multada; a declaracao resumida do voto
de algum membro que nio se conformar com
as dellberacei da maiorla, *e elle requerer
que ul declaracao *ej felta, ele, etc.
Art. 41. As acta* erio laucada* nal. e se-
grate folha do Uvro. e assignadas por todos
o* membro* do conselho, e depois delta* a lista
dos guardas qualificados para o servico aclivo,
14 apurada, como dclertnina o artigo 36.
A lista da reierva ser transcripta em outro
livro, sendo ambas igualmente assigosda*.
Art. 42 O secretalio paliar vista da acia
uma cerlidao das mullas impostas, para ter o
destino que determina o artigo 36, e os llvros
serio (inmediatamente remettido* coro toda a
seguran;* ao conselho de revista, acorapa-
nhados de officio do conselho de qualificacio,
de todos os requerimeutos de reclainacao e
de recuno, e de quaesquer outros que ihe te-
nhio sido dirigidos pelas partes, com as la-
formaedes e documentos que os Inslruirem,
assim como dos livro* e panel*, de que faz
meneio o artigo 12. ...
O conselho de qualificacio dirigir finalmen-
te um officio ao presidente da provincia, oa ao
ministro de justica, se fr do municipio da
corte, participando o cumprlmento deste ar-
tigo, e expirado as faltas commeilldas por qual-
quer dos funccionarioi a quera e*ta* Insiruccoe*
inipe deveres, quando nio eja de sua com-
petencia multa-lo* ; e dlssolver-se-ha, dando
por Andos os seus trabalhos
( Continuar-se-ha.)
GOVERNO DA Pl.UVINCU.
EXPEDIENTE DO DIA 26 DE NOVEMBItO.
Officio. Ao commandante da* arma*, re-
commendando em cumprlmento ao avilo ex-
pedido pela ecreiarla de criado do* negocios
di guerra com dau de 8 do correle, que re-
mella d'ora em diaole cdpla das ordena dadla,
para seren enviadas aquella secretaria de es-
tado.
Dito. Ao me*roo,inleirando-odeh*ver-se
concedido ao capitio do quinto batalh.o de
cacadore Manuel Jos de Espludola, egundo
fui declarado em avl*o do mloiriario da guerra
datado de 15 do correte, permissio para tari
eata provincia buacar u.i familia ; e ordenan-
do que faca conalar ao referido capitio que elle
deve regreaar para a corte no vapor Jfjnio.-r-
Officiou-sc ao commandante do mesmo vapor,
para dar passagera ao mencionado capitio.
DitoAo mesmo, recommendando era cum-
plimento ao aviso do ministerio da guerra da-
tado de 15 do corrale, que faca embarcar no
rapor A/fonio, na vespera de aua partida, afira
de seguir para a corte, o soldado doprimeiro
batalho de cacadores Desiderio Francisco de
Oltseira.- Neate sentido expedio-se a conve-
niente ordeui.
pito. Ao mesmo, inteirando-o da disposi-
co do arito do ministerio da guerra de 4 do
correle, pelo quat le conceder, por um mez
com loldo simples, prorogscio da licenca com
que *e actaa na corle, n primeiro lente do
terceiro batalho de arlilharia a pe Manoel >oa-
qulm de Barras, aflm de tratar de sua saudc.
Intelllgenciou se a psgadorla militar.
Dito. Ao mesmo, commuoicando que, se-
gundo fol declarado em aviso do ministerio da
guerra datado de 8 do correte, e expedir or-
den preridenci da Baha, para fazer seguir
para esta provincia na prlmeira opporlunidade
desertor d egundo batalho de arlilharia a
p Manoel Fraucisco do* Santos, que como re-
oruta fra remettido para alli da provincia daa
Dila, -'- Ao mesmo, nleirando-o do dlipoito
no avTo expedido pela secretaria de elado do*
negocio! da guerra era o mez corrale, cora-
inuolcaado, qua por decreto de II do mesmo
mez. panaram para a terreara classe do.offi-
ciaei do exercilo. no* lemos do artigo l.'.ps-
ragrapho 2.' n. 2 do decrelo u, 260 do primeiro
de deiembro de 1841, o capitio Clemenaiao An-
tonio Delgado, e o seguado lente Antonio
Caelano da Silva Kellyi ambo* do teierlroba-
lalhio de arlilharia a p, os qaaes torata oon-
deranado* por aenleaca a Junu de jailica
desia provincia a vlnte mesa* 4c prsao, por
culpaa grave contra a dralplUia millur. In-
tolllf cnoiva-se pagador militar,


"
DUo. A theaourarla de fatenda, para que
vina da cooia que remelle, mande Indemni-
zar ao arsenal de marinna daquanlia de 58.490
ya., que se (Impenden coin o concert do esc
ler da repartir ao da aaude. Communlcou-ie
ao Inspector do mrsnio arsenal.
Dito. Ao director do lyoii. recomineodan-
doemcumprlmento aoaris expedido pela se-
cretaria de catado doi negocios do Imperio com
data de 12 do crreme, que remeta uina rela-
tan das aulas publicas. Unto primarias, como
secundarias que se acham Aba sua jurlsdicao,
com declaracao do numero de alumnos dcuin
e outro sexo, que as frequentarain no crreme
anno, am deaer enviada at o mez de marco
futuro .aquella secretaria de estado. Officiou-
se ao Exm. director da curso jurdico de Olin-
da. acerca das aulas s6b a sua di reccao.
Dito. Ao juis relator da junta dejustlea,
trausmiltindo os procesaos verbaes feitos aos
soldados do segundo batalhao de anudarla a
p Jos Rodrigues Hotao e Joao dos neis Son-
res, atim de seren apresentados em sessao da
iiirsnia junta. Intelligenciou-se ao coininan-
dante das armas-
Dito. A' pagadorla militar, para mandar
imleiiinisara calla do primeir i batalhao de ca-
>adores daquanlia de6,640 rs., ein que, se-
gundo o recibo que remette ein duplcala, im-
portou a iohumacao do cadver do soldado do
quinto da mesma arma Julio Caetano. Sclen-
liHcou-sc. ao commando das armas.
Dito A mesilla, pan que mande pagar
ao t-apian eommariiUiiii! interino do pri-
mo-ro halalhfio de caladores a gralificaco
de' 15,000 ris mensaos, que Ilie nega por
entender, que he gmente concedida aos
majorca fiscees, visto que esaa g-atilc*c3o,
concedida aos majares fiscaes doa eorpos
por decreto de 31 de malo deste anno, deve
ser abonada ao oulcial de qualquer patente
qun ezercer esse cargo.Intelligenciou-se
ao commando das armas.
Kilo Ao arsenal de marinna, dizendo
que para no ler dar r.umprimenloao aviso do
ministerio da asarinha datado de 8 docor-
renle, faz-se nrcestario que informe sobre
o estado da conslrucc^o do brigue, que se
sclm no eslaWiro daquelle arsenal.
111I0.--A0 juiz de direilo Alfonso Artor-de
Almeidae Allmqueique.iiiteirandododispo-
to do aviso do ministerio da Justina datado
do 31 da oulubro ultimo, commumeando
que, por decreto de 29 do mesmo mez, fre
Smc. removido do lugar de juiz direito do
civel da comarca do Cabo para a prime ira
vara crime da capital do Para, e ordenando
que siga para aquella provincia a entrar no
exercicto do dito eni prego no prazo de qua-
tro mezes, marcados em o segundo mem-
bro do artigo 17 do decreto 11. 687 de 26 de
iunho do correnteanno.
_ Dilo.A thesouraria da fazenda provin-
cial, para mandar adisnlar ao engenneiro
J0B0 l.uiz Viclor Lieuthier, Conforme requi-
sita o director das obras publicas a quantia
de 8000,000 ris, para dar principio a cons-
trucefio do decimn-quarto lanco da estrada
do Pao d'Alho.lotelligenciou-se ao mes-
mo are clor.
luto.a mioma, para que mande adan-
Ur ao director das obras publicas, que as-
sim o requesila, a quantia de 8:000,000 ris
para pagamento de madeiras compradas, e
continuado das obras da casa de delenefio.
--Scienlilicou-se ao mesmo director.
Hilo.A provedoria da saude, inleiran-
do-a de haver o cnsul geral encarregado
dos negocios do Brasil, as cidades Ames-
ticas participado que por ter o cholera mor
bus desapparecido inteiramente da cidade
de llamburgo e suas visinhas, principiava
de novo a dar cartas de saude Cimpas aos
navios com destino para este porto e outros
do imperio.Neste sentido offic'ioii-se so
presidente do conselho de salubridade
respondeu-se ao referido cnsul.
lulo,A delegacia d'Ouricury, declarando
que os soldados do corpo de polica, que
L-oinmetlcrem crimes civis, (icsm a desposi-
Cio das autoridades que os hooverem pro
cessado e pronunciado por esses crimes, e
Din dos respectivos coromandantes.
Dito.A cmara municipal do Pi d'Alho,
concedendo a aulorlsacfio que pedio para
construir um acougue naquella villa, e pre-
veniodo-a de que e.-si obra deve ser feila
poradtninislracSo, tndo-se em visla o cr-
dito para ella alieno.
Diio Ao empresario do theatro de Santa
lsab-1, para que entemla-se com o director
das obras publicas, afim de lavrar-se o ter-
mo de recebimento das obras e decorarles
do saino do mesmo theatro, que sa acharo
concluidas desde o principio desie mez, e
ser-lhe entregue a chave do dito salfio.
Portara.--Concedenlo a demissSo que
pedio o hachara! Jos Bernardo Galvfio Al-
canforado do lugar de procurador fiscal da
thesouraria da hienda provincial, e co-
meando para o substituir o hacharel Cy-
priano Fenelou Cuedes Alcanforado.--Com
ruunlcou-se ao inspector da ursina thesou-
raria.
Dita.--alendando dar transporte para a
fsSiviticia das Alagoas como passageiro do
governo no vapor Imperador ao capilfio de
engenheiros Cliristiano l'ereira de Azeredo
Coutiuho.
IIIAB10 BE PERMIBUCO.
azorra, a ai dexembbo di usa.
Foi lioje labrado o anniversario natali-
cio de S. M. o Imperador com a parada do
rnstome. e cortejo a efugio do mesmo au-
gusto Senhor ; o quai uesta vez lava lugar
ni sala da Roltcfio, no anligo palacio da
presidencia, porcaachar o outro em con-
cert. Salvaram as fortalezas e 1 navios de
guerra fondeados no porto,lendo em a noito
de non tero percorrido diversas roas desta
cidade com foguetes do ar a banda de mu-
sica militar dos a prend zea menores do ar-
senal de guerra, e de outroa eorpos de
pruncire linha e polica. ___
Movimento do porto.
Novios entrado! no din 1.
Liverpool 41 das, brigue ioglez*lfi7/iam
Carrey, de 948 toneladas, capillo Ceorge
Tosh, equipagem 11, carga ctrvfio de pe.
dra ; a Ridwav Jamirsson 4 Companhia.
Da commlsllo-- Escuna nacional Lindla,
eommsndanle o piloto Joaquim Alvea
Moreira.
Navio takido na meim dia.
Santa Calhanna -- Patacho nacional Livra-
menio, mestre Francisco Jos Prats, carga
varios gneros.
Navio* mirados na dia 2.
pirshibs 9* hnr. hiato nacional Etpa-
dartt, de 27 toneladas, oestro Victoria
Jos Perelrs, equipagem 4, carga toros de
mangue; a Vidal & Companhia.
li ilia 8 dias, galera ingleza Emprus, de
332 toneladas, capito W. Mardon. equi-
pagem 18, em lastro; a Jolinston Pater &
Companhia.
Terra Nova 36 dias, escuna ingleza Ultit,
de 111 toneladas, capilfio Charles Fre-
garthan, equipagem 7, carga 1,583 bar-
ricas com bacalhio ; a Johnston Palor &
Companhia.
Richmond 57 dias, patacho americano
Itaika, de 193 toneladas, caplto I. I. Pir-
ren, equipagem 7, carga fazendas e mais
gneros ; a llenry Forster & Companhia.
Boston -- 55 dias, brigue americano Nep-
luno, do 196 toneladas, capilfio Bejtmim
F. Basford, equipagem 9, em lastro; a
Manrique Foster.
Navio takido no mamo dia.
California por Valparaizo Vapor ameri-
cano Vntlo, ca piteo I. Mariis, carga a mes-
ma que trouxe. _____
i ____ "MBea
EDITA L
Ignacio los finio fiscal da fregu ia da Boa
Visla em virtud* da lei.
Faz publico para que ten ha m o devido
cumprimento as dispoicOes dos artigos
abaizo transcriptos das posturas mnniei-
paes vigentes :
TITULO IV.
> Art. 10. Os conductores de boiadas da
verfio eotrar com ellas e recolh-las aos
corraes das Cinco Ponas da meia noite at
as 6 horas da manhfia : os infractores pa-
garSo a multa de 4,000 ris.
TITULO VI.
Art. 4. As pessoas que derrubarem
matos nos lugares por onde passam as agoas
crranles, ou langarem pelas estradas arvo-
res, ramos ou espinos, que incommodom
e privem o tranzito publico, ou possam em-
barazar o escoamenlo das agoas da chuva,
ou conservaren as estradas dos seus si-
tios malos ou arvores que lancem ramos
para aa estradas, e que possam incommo-
dar ao publico: serfio multados em 4,000
ris.
E para que nSo alegues ignorancia vai
publicado pela aprensa. Freguezia da
Boa Vista, 28 de novembro de 1850.-0 fis-
cal, Ignacio Jote Pinto. ____________^
Declara y oes.
0 III m Sr. director do arsenal de guer-
ra contrata ofliicises de serralheiros, es-
pingarderos, coronheiros para irem traba-
Ihar no arsenal de guerra da corte, pelo
lempo que se convencionar, sendo osjor-
naes nos dias em que Irabalharem de 2,000
rs. ; para os primeiros officiaes, e de 1,600
1800 rs. para os segundos ditos ; ludo
conforme o aviso circular do ministerio da
guerra de 31 de oulubro ultimo, e ordem da
presidencia desta provincia, de 18 de no-
vembro corrente.
Arsenal de guerra de Pernambuco, 22 oV
novembro de 1850. O escriturario.- F.
Serfico de Aitiz Caruatho.
Tundo o inapector do arsenal de mari-
nha de remeller para a provincia da Baha
a entregar na respectiva intendencia, em
virtude de ordem do Exon. Sr. presidente di-
25 do correte, urna antena de pinho da
Nova-Zelandia, afim de servir no brigue
que se esta conslruindo naquella provincia,
convida, em consequencia, aos capilSea ou
mestres dos navios mercanlis, que se desti-
nem aquello porto, e quo lendo os preci-
sos commodos a queiram conduzir frete,
a entenderem-se com elle, afim de ajusta-
ren convenientes.ente. A antena existe
nestearsenal, pode ser previamente exa-
minada pelos mesmos capilHes ou mestres.
Inspectora do arsenal de marinha de
Pernambuco, '9 de novembro de 1850.
Rodrigo Theodoro de Freitat, inspector.
Pela segunda secgao da mesa do con-
sulado provincial se faz publico, que os 30
dias que a lei tem designado para o paga-
mento a bocea do cofre, da decima dos pre-
dios urbanos dos bsirros desta ci.lad?, do
primeiro semestre de 1850 a 1851, se prin-
cipia a contar dodia 3 de dezetnbro pr-
ximo, e que (Indo este prazo incorrem na
multa de 3 por cento sob o valor de seus d-
bitos todos os que deixarem de pagar.
Hrittsli Coiisiilate.
The Subjechl o 11er Britaoic Majesty
qiulilied under Ihe act. Geo: 4. cap. 87
are invted lo au exlraordiosry general
meeting on maiters regarding the Cewe-
lery.&c. on Wednesday the 4.tl> Dec' nexl
atnoonalthis Consalale. Pernambuco, 26
Nov,' 1850. -- //_'/ Chrislophere, vice-consul.
Conaiiliiiio llritannieo.
Os subditos de S. M. Brilannica*, qualili-
cados pelo acto 6 Geo: 4 cap. 87 So convi-
dados um ajunlamenlo geral extraordina-
rio, sobre negocios do cemilerio, ele,, pa-
ra quarta-feira, 4de dezembro prximo, ao
meio-dia, neste consulado. Pernambuco,
26 de novembro de 1850. //y Chrittop/tere,
vice-consul
C'oiupuulalH O caixa da companhia acba se su-
torissdoa fazer o quinto dividendo :
os Srs. accionistas poden manda-lo
receber, segundo a marcha eslabele- =
cida. Escriptorio da companhia, 28 2
tf. s nevemhro de 1850.
AMfAA*j.Aa>A***A
Theatro de Santa-Isabel.
33." RECITA DA ASSIC.NATURA.
Quarla-feira, 4 de dezembro de 1830.
Depois de urna escolbida ouvertura, a
companhia nacional representar o drama
em 5 actos, ornado de msica
A GRA Rematara o espectculo com a graciosa
faran
O etaapo pardo.
Comessar s 8 horas.
Os bilbeles acham-se venda no lugar do
costume.
---------------_-a__--------- _
Theatro de S.-Franci9co,
Terca-Jeira, 4 de deumtro.
Represeulsc,o em phisicssoxperimenlaes
ero 3 actos.
A primeira parle, appareceo relratod
S. M oSr. D. Pedro 2 acompaens-Jo com
o bymno nacional.
PRIEIRO ACTO.
hm guaira do nuvent.
Diversos rogos artificiaos, em phanta-
masgorias, e caricatura.
1 A ponte de Sighs em Venesa.
2 Balbea, vista da fonle em noits de la.
3 A esa do nasciment deNosso Senhor
em Belm. :
4 O palacio de verlo do imperador da
China, l,
5 A ciiede de Londres com a ponte de
Ivatercra.
6 O castello da Catz, no llheoonolurno
em relmpagos.
7 A cidade da aples e o monto Vezuvio.
8 Dito, dito em noite de la.
9 A entrada do palacio do Doges em Ve-
neza.
10 0 Ligo Isolabolla na Italia.
11 o castello de Siolsenfelt no Rhano.
12 A vista d'olhus do conde Otto a sua
mulher.
13 Aylmcr no alto caada em vario., de-
pola cahir a nev, e transformar! a viata
no invern.
14 Um moioho d'agua no Rheno.
Diversos fogos ariiliciaes em phantamas-
goras.
SEGUNDO ACTO.
Em quriro do nuvens em phantamatgoria *
taricatura.
I As ruinas da oapella do Holgroct ni Es-
cocia. >'
i Thun. naSoissa.
3 As ruinas do templo de>moa eaa The-
bes no Egipto-
4 O templo do Sanio Sepulchro da N. S
em Jerusalem
i Dito, dito no interior.
6 Pelago junto de Florensa em Italia.
7 Urna au brasileira nos mares, em noi-
te de la.
8 Dito, do dito naufragio.
9 Dito, do dito dito, o bote de salvacSo.
Diversos fugos artificiaos em phantamas-
goria, e caricatura.
10 A cithedral de Maryens no Rheno.
II O interior da igreja da Santa Mara de
Carmine em aples.
12 Ua molnho de vento na Blgica.
13 A grande sala dosseoadores no palacio
do Dogea em- Venexa.
14 O palacio de Glige em Larina na Italia.
15 A entrada da calbedral em Linelo.
16 O retrato de Frederico II rei da Prussla.
17 O retrato de Napolefio Bonaparte.
Diversos jogos arliflciacs em phanlasma-
goriaectricaturas.
TERCEfRO ACTO.
Em guaira di aawni.
1 A cidadella Cedom.
2 O templo de Joujernart na tadia.
3 A mosquita Omour em Jaruzalem.
4 Dita dita em noite de la com illumi-
nacSo no iuterior.
5 O interior do Santo Sepulchro de Noasa
Sennora eos Jerusalem.
< As ruinas do templo de Alemnoa en
Thebes.
7 O palacio do Doges em Venoza.
8 Um porto na Turqua com um vapor
em movimento.
9 O interior da calbedral de MilSo.
10 Um caminho de ferro locomotivo, em
movimento.
Diverso fogos artificiaos em phantasma-
gora e caricatura.
11 Acidada deCedon.
120 interior da mesquita santa Sopbia, em
conslantinopla.
13 Gcaaleilo de S.Bernardo com eclipse
da la.
14 O templo apolinopolis no Egipto.
15 O castello da Jaro, no monte Vensa em
porto mi.
16 O templo de Sibil, om Tirolg na Italia.
17 AspyramidasdeSpklHnoEgypto.
Diversos fogos arliflciacs em puanlaama-
goria e caricatura. _..____^__^^
Fublicaco litteraria.
Historia de Portugal, por Alexandre
llerculano, ebegou o terceiro volumo.
Dita do Cerco do Porto, dous volumes.
Conlos do Serlo, um dito.
AI mana It popular.
Revista militar, de ns. 1 a 19.
Jornal das Bellas artes.
Alheneu, jornal littorario, chegaram os
primeiros nmeros at2.
Semana, jornal Iliterario, chegaram os
primeiros nmeros al 26.
Revista universal Lisbonense.
Meliii opera.
(.ra ruma ticas Francezas.
Methodos facilimos.
Na casa n. 6, defronie do Trapiche Novo.
saaWsaWpaajsjsixWBBSsaa
Avisos martimos.
Gear tVlaranliSo Para
salie, coma niaior brevidade pos-
si vel, por j ter a maior parte da
carga protnpta, htm conhecido
brigue nacional ^.aitra : para o
resto da carga e pauageirov, tra-
ta-se com o capito a bordo, ou
com Novaes & C. na ra do Tra-
piche, n. 34.
Para a Baha
sabe, com a maior brevidade pos-
si vel, por j ter prompta parte da
carga, o biate nacional Jntclia :
para e resto da carga e passagei-
ros, irata-se com Novaes & C. ,
na ra do Trapiche, n. 34.
Fara a cidade do Porto sabe,
com muita brevidade, a veleira e
bem conhecida barca portuguesa]
S.-Cu : queaa na mesma quier)
carregar, ouir de pass*gem, par'
o que tem excellente* commodos,
dirijo-se ao .seu consignatario
fraueiac-o A Ivs da C'unha, na ra
tio Vigario, o. 11, primeiro andar.
-- Pareo Itio de Janeiro sahiiem poucos
A escuna */Wa Firmina, capito e pra-
lico J0S9 Bernardo da Roza, aegue uestes
dias para o Para tocando no Ceara, e pode
tocar no MaranhSo se houver passigeiros,
para o que lem sufllcientes commodos :
quem convier ir de passsgem, pode enien-
der-se com o conaignalano da mesma escu-
na, l.uiz Jos deSa Araujo, narua da Cruz
numero 33.
Pitra Pnrablbn
sabe por toda esta semana o hiato nacional
Espadarte, por ter a maior parte da carga :
para o restante trata-se com o mestre Vc-<
ferino Jos Pereira no trapiche doalgodo,
ou na ra da Cideia n. 93.
Para o Ceara.
Espera-se com toda a brevidade de Lis-
boa com destino ao Cear, o brigue nacio-
nal Empresa, forrado e enesvilhado do co-
bre e da superior marcha ; demorar-se-ha
aqui 12 dias, e recebar carga e passagei-
roa.- trata-ae na ra da Cadeia do Recife n.
17, segando andar.
-Para Lisboa o brigue portuguez Concseeat
de Mario, sahiri impreterivelroente no dia S
de dezembro; para o resto da carga epas-
sageiros trsta-se com Tbomax de Aquino
Fonaeca & Filbo, ra do Vigario n. 19, pri-
meiro andar, ou com o capillo, na praca.
Pede-so aoaSrs. carregadorea queiram le-
var os seus eonhecimentos i casa indicada
al o dia 3 do prximo futuro.
Para o Rio de Janeiro sabe no dia 8 do
corrente o patacho nacional Curioso, capi-
llo Manoel Rodrigues Faneco, por ter o aeu
carregamento quasi completo : para o rea-
tanto e passageiroa, trata-se com o consig-
natario Luiz Jos da Si Araujo, na ra da
Cruzo. 33.
Para o Par com escala pelo Ceari pre-
tende sabir impreterivelmente at 8 de de-
zembro a escuna nacional Mara Firmina,
capillo e pralico Jlo Bernardo da Rosa,
por ter o sen carregamento quasi comple-
to : para o restante para ume outro porto e
oassageiros, trata-se com o consignatario,
Luiz Jos de SA Araujo, na na da Cruz nu-
mero 33.
Freta-se para o Aracaty, Cear ou As-
s a barcaca Nova Etperanca, do lote de 46
calas : a tratar na ra da Madre de Daos,
loja n. 34.
Para I isboe.
Sabe com a maior brevidade o velleiro
brigue portuguez Tanjo III, capilfio Fran-
cisco Antonio de Almeida : quem na mes-
mo quizer carregar ou ir de passageea, pa-
reo que oflerece os mais excedenteseaas-
modos, dirija-se ao mesmo capito, na Bra-
ca, ou a aeu consignatario Manoel Joaquim
Ramos e Silva, na roa da Cadeia do Recife
nM ..
Roubo.
Jos Pereira Cesar faz publico que foi rou-
bado hontem2 do correutedas9 horas da mi-
nhfia s 3 da tarde.na caaa de sua morada na
ra do Queimado n. 32,.primeiro andar
levando-lhe o ladrfio ou ladros o seguiole:
urna lata de fWnires por pintar, feichada
com um cadeado, contando aelecenloa o
qu aren la atan tos mil ris.em urna seduLa do
200,000 rs. ; urna de loo.ono rs ; qualro d
50,000 rs. ; cinco de 20,000 rs.; o o mais
em diversas miudas, e qualro moadas de pa-
taca em prata ; bem como urna letra aceiita
por Casimiro doa Rea Gomas, de 14,000 rs ;
urna do Manool Diaa de Toledo, de 16,030
rs.; urna de Domingos Jos Gonsalves de
265.340 rs.; urna de Clara fuicante de
Albuquerque, de 113,940 re'; urna de An-
tonia Francisca Canaval Pinto, de 101,870
rs. ; urna do Manoel Francisco da Rocha, de
66,742 rs.; urna de Paulo Caetano de Albu-
Iuerque a Francisca Paes Barrete, de rs.
13,915 ; umi de Jos Francisco Mootteiro,
de 933,300 rs.; ama de Antonio da Rocba
Accioli a Manoel Buarquede MscJo de Li-
ma, de 536,249 rs. : urna do Joto Jos dos
Psssos, de 554,931 r. ; ama do padre Jos
Albanasio de Jess, de 200,000 rs.; urna de
Francisco Jos de S. de 40,000 rs, ; urna
de Luiz Jos da Silva Burgos, de 1:498,500
rs.; duas d ltapbael Fernandes Parto o
Francisco Alves de Meare, urna de 128.870
rs. e outra de 1:128,000 re. ; urna da Manoel
Fernandes Cmara, de 631,925 rs.; urna de
Manoel Jos Comea 110,000 rs. ; urna da Ma-
noel Buarque de Macado LieMgle 1:074,450
rs. ; urna de Thomaz Barbosa da Costa, da
70,620 rs.; urna de Guilherme Augusto ito-
drigaes Sette.de 600,000rs. Levaram ais
urna bengalinha de estoque, um chapeo do
chili usado, um dito d castor braneo usado
com caixa verde francesa, deixaraaa um
chapeo do chille velho e sujo. O annuu
oante roga as autoridades poltciaes o de
Oobrimento desle roubo, e proniette boa
recompensa e segredo a quem Ihe deseo-
brir, ou dr algunia noticia apesar de j te
tupeltir quem foi o autor esemelhanto
Leiles.
Kalgmann Irmaos farfio leilfio, por in-
tervengo do corretor Ofiveira, de grande
surt ment de ferragens e mludezas, con
sistindo em tesouras, caivetes, cordas, fa-
co>s, parnsbibas, agulnas, espelhos de ga-
veta e de damas, meias, suspensorios,bcos,
rendes, perfumaras, boceles da faia e ba-
hs, caixa* para rap, eadarcos, grande sor
tmenlo de fitas lavradas, de aetim liso e de
relrox, luvss de algodfio e de seda, franjas,
trancase requifes, palitos de fugo, sgulhoi-
ros, lapis, botOes de osso, de madreperola.
Je seda ededuraque, oceuloa, cotilas, pa-
pel de peco e almaco, lionas porlugueas,
de novelloe de marcar, lamparillas, orn-
quedos e muitos outros artigos: lerfa-feira,
3 de dezembro, s 10 horas da manhfia em
ponto, no aeu armazem, ra daC>uz.
t- O corretor Miguel Carneiro, far leilfio
no dia 3 do corrente s 10 horas ds msnba
no aeu armazem na ra do Trapiche n. 40,
de um completo sortimento de fazendas
consislindo em ricas cseas, cortes de cot-
es, lencos de seda para grvalas e algibeira,
chapeos do chili ele., todas chegsdas l-
timamente para a fasta : alcm destas fa-
zendas algtmas otras existem com pe-
queo toque de avalla. NSo percam a occa-
sio que antes de Jesl nfio lerSo outr*
moncJo.
O corrector Oliveira, continuar por
autorisaco do Illa. Sr. juiz de orphfios, ea
requermenlo do tutor dos orphfios filhos
do finado Jos Ramos de (Miveira.o leilfio da
moliilia, a mais objeclos da casa desle, con-
sislindo em mesa redonda, bancas de jogo,
safas, cadeirat, consolos maguiflcoa espe-
lhos, uro grande Ireni com ptimo espelho
candieiro dourado para cima de mesa, jar-
ros, coro flores artiflciaes, mangas de vidre,
um relogio de brome com figuras emblem-
ticas, um esplendido leito a franceza de Ja-
caranda e com cpula, esleirs de forro de
salla, assim como um ptimo piano ingles,
duas cadeirinhss ea pouco uso, e com cai-
xa* correspondentes e outros muitos objec-
los aasaz neeeasarios; qunla-feira, 3 do
corrente, as 10 liosas da manhfia em ponto:
no atierro da Boa-ffsts casa n. 15.
C. J. Astley & C. fsrfio leilfio por inter-
veiiQfio do corretor Miguel Carneiro, de
grande sortimento de fazendas inglesase
francezaa anegadas ltimamente eaa maia
proprias deste atareado, sendo algumasdal-
las para feieber eonlas, como tamben ricas
fazendas para festa : no dia 5 do corrente no
seu armazem na ra do Trapiche n. 3.
Avisos diversos.
- De novo te lembra so enesrregada da
lapsgen do rombo do Astude represador
das. aguas do rio Beberibe, que de nada
serve o eolanlamento das obras de ctrpina
se nfio f6r acompanhtda de entulho para
lomar a agua, para esta ter tempo de se
jentar na represa, e haveragoa para a fet-
la ; Sr administrador, as corse tem muila
ares, nfio falla canoas, ponha-te eoi acli-
vidade, e d-nos o goato de ver acabar eaia
obra, alias muila gente dir que he OJtem
deaeju spontar mutoa dias, mas nsuj-W^
OoU "
Eu abaixo assignsdo, deixei
Precisa-so de urna ama para ama casa
aje pouca familia, a qual seiba cozmhar o
angommar: no Mangulnho, em urna das
casas ad virar para a Baxa-Verde. a
Jofio Rodrigues Velloso relira-A pira
onde Ibe convier.
Roga-se a quem levou as amostras de
fitat da loja de miudezaa da ra dos Quar-
teis, n. 94. o favor do as levar, pois sfio
muito precisas
precita-se de um feiter pare ra sitio
pettoda praca : na ra de S-Amaro, na
venda que faz esquina na praca de capim.
Ao Mentor.
Tendo encontrado com pequeo trexo no
Diario de Pernambuco a. 179 fPnelle estas
pslsvras con,elha prudente, logo colligi ser
de inleresso o CoaUnuei a ler, e ltimamen-
te disse commigo mesmo hoijde de cifrar o
enigma ; e depois de muilo cutio a certei.
e caso nfio saja o seguate, responda o Men-
tor: o tal Mentor fie loffp ou procurador
da causa ; e emqoanlo ao Sr. F... ter sido o
autor de hoja andar talo, tul fguem, he
falto, porque ttase algzrem eat no tul, he
por ter commetMdo cnotea, que deviam ser
punidos coro maitar aifor do que foram :
isto decifrou o
Inimiap dvconselkos prudentes.
Roga-se ao autor de ansrancio inserto
no Diario de Pemambueoa. 979 com otilu-
lo d conselho prudenteeawignado o Men-
tor, que baja de declarar sa se enteade com
Joaquim Antonio da Foroo.
-Jos Joaquim da Coste Maya, r.ompron
e tem em leu podar done meioe hilhetes da
decima lotera a favor do SS. Sacrimnato
do Rio de Janeiro, de ns. 9,971'e 9,fTjaiS
sociedade com Jos Vicenta Duarle Bran-
dfio do Ico.
A pessoa que snnuneioa querer aarea-
larum sitio com duat btixtt de capim de
plaa, quetutleote dous cavsllos, qaeren-
do um na povoagfio do Monteiro, ao boceo
do uabo,-dirjase ra da Coacoic'o da
Boa-Vitla, n. 9; assim como lambem so
vende o mesmo silio por 800,000 rs-, preco
este muito diminuto, s visla da grandeza a
boa qualidade do terreno e abundancia de
arvoredot.
Precisa-ae comprar um eetmonma de
regular tamsnbo, com as competentes vis-
tas : quem o liver anuuucie.
AJuga-te, pelo lempo da festa, uro sitio
pequeo na Capunga, coro batanles arvo-
redoa de fructo, casa fara familia, cacimba
ceta boa agoa de beber, tanque para bt-
oho, e muilo perlo do rio : atrs doa Mar-
^Baixei-
lo akanoa o dia
tyrioa, ra do Caldeireiro, n. 46.
O Jjacharel Cypriano Fenelon Cuedes
Alcanforado, procurador fiscal da thesoura-
ria provincial e advogado nos aqdiloriu
desta cidade, muJou o seu escriptorio para
a cata em que ora retido nt ra Nova n. 50,
primeiro andar, onde poJe ter procurado
das 9 bortt da manhfia al s 4 da tarde.
Jos Mara Confutes, eaUbelecido
neeta cidade, com venda defronie da matriz
da Boi Vistee ra da Aurore, vendq otn-
nuocio da rerada para (Ara do imperio do
aeu nome, e como se na Mande com alia,
ejulgando haver outro da igual nome, do
hoje em diante muda o sou nomo para Jos
Mara Gonealvos Vioira Culmarfies.
O Dr. J. S. SaotosJnior,
medico homcoopatha mora
O na ra Nora,n. 58, primei-
S ro andar. ^^ q
-- Alugam-ae. por proco commolo, oa ar-
mazena da cau da rus aeva "do Bruta, per-
lencentetaFranciaeoArlvesda Cunha, pro-
priot para araaeaem deassucar, com caes:
na roa do Vigario, n. II, primeiro todar,
Aluga-to o segando andar o aotJocor-
rido do sobrado aroarello da ra Aggusls ;
o litio da eatrada do Cordeiro, proprio para
petsoa que lenha Iralamento ; um outrq na


o
das o brigue ero; recebe carga a frele e
escravoa : quem quizar carregar Irate com
Leopoldo Jos da Costa Araujo, OU coro No-
vaes & Companliii.
Iralamento durante o lempo oai que___
em sua case Isemardimo Cario Per reir Sii,
helojoeiro.
Na
daJoi
te re
Co com
A quem co
de armatmJ|^^L
rasa n. 66, da ra dt 8J
ribeira.
3 dos Srs. Monteiro A IraUoL,
de novembro, ag radacondo-lh bem cim7i"nVde"caa^-Forte,"com 'caaa.sjata.ee
Ir^lanainln liirastla nloan. ____- aaaaaaaaaaal I *
4'"
t
defronte da
ivallarice, e divertae caat P'O"
iriss pi a se passar a festa : ua ra do Amo-
Ttm, 15.
^U-sodeom follar portugaez, qu
saibs tratir de arvoredo, verdura a HrM
ara um sitio pouco disienta dsta praca.
quem estiver neste* circumsttneiss, app-
reca na rae do Trapicho Novo n 18, segun-
do andar, pere tratar de ajuste.
-.Jos Maris Goocelvet relra-te para tu-
ra do Imperio.



FllgiO,
00 di. M dr5fn?*r?Je!! 1?.^Heo".
,.ss.do. o cr.,0 C^^-n. Angc- Castro, defronte
,u.l represente WSO. 35 .ano. .1
W.d.rMN^. 52 com forrad, de papel .le.: irata-aSno largo do
la. o qu representa <~ -*-:"-,' ,
tur. regular, cheio do corpo. um tonto rui-
i". olhos .v.rmelWrfo., h. noli. de o
tererovisto pe ruaado Reoife.e Santo An-
tn": pede-se s toridade. POI.C..0. e
espitaes de campo que o ppraheodera e le-
vem-no a ni. do Trapiche, arraazem n. 6,
oun. roa do Roz.rio l.rg. n. 46, tonda, W.
se gratifica. _, j
-Francisca Ismael de arriae. lando de
*p.r.r-se de aeo marido MU Camello de
Mour., p.rillh.r.do-1. o*ea exwlente no
c.aal, por d8o exfttirem harde.ro necesa-
rio, aasiffl oeviae aoaoradores do meain
casal, p.ra que 00 prazodo 20 diaa, a con-
tar d. d.t. dito, M .pre.eotem pu cooan-
tuam seua^docoradore. nesla cid.de para
liquidacBo de suaa contaa coro o roesmo ca-
sal. A ennunciante se nao reeponeabil U
ror qnequer divida urna vea que e to-
nha elTecto.do a pertim, como fai certo
desde i* ) e par. que se nSo chame a igno-
ranciafz o presente viso. Cidade deGoi-
anna, 29 de noveeabro de 1850.
Os Srs. Joaaotm Bernardo d. Cunb .
Bernardo Antonio, de Oliveira, que dizem
estouesteve no eng.nho NovodoCiDo,
qoeir.m vir ou ...nd.r receber carta fle
su. f.milia de Portugal atr. do tbeatro,
armaaam d. toboaa de pinlio.
A viura Quinteiro & Filho. cordeal-
me.te igradeoem a toda aa pesaoas
que UvereeaoBiedede de esitr, nfio
so aX.n.raft. como as exequias, que
noOsOlmo di. se Dieran) por seu fina-
do filho e irmUo Vicenta Ferreira d.
Luna Qumleiro. A m8i e irraaos do
fallecido, cheios de eterno recooheci-
mento, fervorosamente supplicam a
Dos para quea pessoas, que ae digna-
ra m ebeequ-los, desfructem no gozo
da g.od.e prosperidfs,tanto .0001 de
ida qu. o nlo poesa contar.
1*
"^- Relacao dos premios vendidos n loja
d. cambio da vuv* Vieira & Filhos, ra da
Cadeia n. 2*, de 12> lotera dae casa de ce-
rWadft
K
2801-
*90-
1423-
,201
1437
5489.
-10:000.000
1:000,000
26721:000,000
100,000
100.0(0
100,000
40,000
40,000
40,000
2375-
882-
4517^
5448-
191-
4787
200,000
100,000
100,000
100,000
40.000
40,000
Aluga-se aloja-------
a irm.cao. e t.mbam .vende armacSo
da magma : a tratar com o proprietano no
terceiro.nd.r.
precis.-.e de um. ama que saiba co-
linhareeogommar. para can de hornero
golteiro em Forado Portas, ra doPil.r,
n 12
.. Sr. que oo di. 23 do correte fol .
caix d'.goa, na ra do Pire, e carregou
un chapeo novo, queira tai a bond.de, no
nrazodeoitodi, de o lev.r ; do contra-
rio tera o desgosto de ver o sea nome por
estenso neta folh.
"_- precisa-e lugar urna ama de leite,
que sejieaptive : na ra do Rozario eetrei-
U."*Rog-.e.o8r.Dr. Honorio F. S. Va
Corado, que venha ou mande pegar a ui
leltra onde nflo ignor. ; do contrario ter.
de ver .empre o seu nome nesta ralba.
O Sr. Jos de Souza Moreira, que mo-
rou muitos anoos em Grvala, tonba a bon-
dedededirigir-se ao Atorro da Boa Vista
n U afim de remlr u. letlr. de 86,300
tg vencida em 27 de fevereiro de 1814.
-- precisa-se de um bom oflicial de Uno-
airo, capaz de fazrobrea novas: na resti-
l.cflo de Franca & IrmBo, oa roa da Praia
deS.nt.lRiU.
Precia-e de om menino que sub.ier
eescrever.e que queira aprender o offleio
de barbeiro t n. loja da roa da Cruz do Re-
cifen. 43. Na meama loj veodem-se e.lu-
e.m-soa. verdadeira bichas de Hamburgo.
_Precisa-. rrendr .anualmente um
sitio bem perto desta cidade, que tenb
oanla de capia para dou c.v.llos, anda
mesmo principiando o rreuJamenlo de j.-
oelro ou fevereiro em dilato: qaem o tiver
.anuncie. .... .
-Apanhou-se uro b.telo grande, que
he de algum biale, o qual ia pela barra f
ra : quero for *eu dono, dinja-se a Fra de
Porlaa n. 95, que pgando as despezas Ihe
ser entregue.
~ Quem achou 105,000 rs., seodo um.
r-dula de 100,000 e outr. de 5,000 r., do
principio da ra da Cadeia al a prc. do
Cooimerclo, ou at porta do Sr. Manoel
Ignacio de Oliveira, onde foi recebida essa
qu.nli. slO hora do da 29 do corrate
novembro, quereado reslitui-los, pJe en-
tender-te com o mesmo Sr. Oliveira, que
quem perteneca, e tem orjeai do
donj|>ara gratificar a quem quer que os
- Prccisa-aelugar um preto captivo pa-
ra lodo o servico, que ssiba cozinhar o dia-
rio de um. cas. : quem tiver dirij.-so i roa
do Rangel n. 11.
Aluga-se urna preta ptima cozmheira
por preco cooirnodo, e pelo lempo que se
convencionar': quem a pretender, dirija-e
i ra da Gloria o. 18.
Aula pnrticulnv.
A proesor que reside no primeiro an-
dar do sobrado novo do paleo [do C.rmo,
n. 2, ja bem condecida do reapeltavel pu-
blieo, fa scienle o dignos pai de iui
nlumnas, que di ferial no dia 7 do corren-
te,, que no dia 7 de Janeiro de 1851, achar-
ae-h. aberta a sua aula, .onde continuar
a receber .lumn.s. e a ensloar com aelo
a ler, esciever. contar, gr.mm.tica portu
guez, frea, doulrina chrlalSa, coser, bor-
dar de todas as quilidades m.rc.r, f.zer
lavarinto, e ludo o m.it concernente ed-
celo de urna delicada meoioa : tambero
receber pensionistas, e meias pensionistas,
Unto internas como externas, por um ei
tipcfldio raaoave!.
i- a Jac.
Mt No dia 20 do mez prximo pastado indo
^Mim prelo com um p.oacom de gallinbas
para o sitio da Torre levar um casal deja-
cs, diz elle ter voado um para dentro de
um sitio.e quenSo o pode peg.r: dverte-e
a quem o ppgououdelle der noticia certa
n. ru doLivr.oieDto n. 14, receberi 5,000
r. de gr.iific.QSo, assim como roga-se a
quem por ventura o tenlia comprado, que-
rendo-o restiluir, leva-lo a mesm. ru ci-
ma, que,.lem desed.ro duplo, te (cara
eterpamen.l. agradecido.
Como em poueo di.s deve uc.r promp-
ta a primeir* classe, que tem esl.do ap-
prendendo escr ptur.cflo mercantil por par-
tidas doliradas com o abaixo assign.do,
como lie se propoe abrir logo om segui-
da outr., nos mesraot termo d. primeir.,
o f.z publico, p.ra que aquella pesaoas
qu. a quizerem freqnentar, se sirvam logo
procura-lo, p.r. escreve seus nomo, no
eacriptorio dos Srs. C. Sl.rr & Cotopinhia
na ra da Aurora. )m da Mtya.
Fai-se publico queoSr. lame llellor
de Liverpool retirou-se de"firme social de
Ilutsell Mellors & Coropaabi. desla praca,
desde o da 31 d. dezemoro daJbYtv.
Alugs-se ama casa larrea em,Olinda,
no Arrumbados, con oommodos sufficien-
tes para urna familia, com quintal/cacimba
e portfio ao 'Mn* p.ra um dos hecco : quem
a pretender, dirija-sa* Fr. d Portas, ru.
do Pillar, o. 76. *
O Sr^os Crios d. Mendonea V.scon-
ccllo. latrador no engenho Santo Ekaa,
uueira por favor mandar pagar a quantia
de8o,000rs qoe deve rrais de 5 annos :
na roa da Praia, a Luiz Marque da Silva
Mello conforme pro.am as ,ut cartas. Im-
porte de ceroeaace que com taot franquez.
Xu. ._., no deaeoabto, equando assiro o nao laca ,
..asar pelo desguato de ver o se
muilas veze ne*le l'iari.
.Ile.de o dia 22 de lelerobro prximo
aflpo delxou de ser procurador de Muo
tvjndo Seix.s, no auditorios desta cida-
de o Sr. Joao Pauto Javier d. Salles, es-
tando pago ateo di. 12 do dito mea, como
constado gtrrecibo.
Preciaa-se d. oes criado, oaeion.1 ou
estratlgetro, que d boa inforoiatjoe.
ai-conduca, pac*, una rasa de pouca
tilNV Dirigir*** ra das Tnnclieir.s,
braaao.. .
Qualquer Sr. oflicial reformado,
por nlo poder aperar que
i a jala da precisSo que
le'Tiquier rebaier oiJ
um diminuto,interesae,
ra dos Martyrios n. 36, e:
que lm por costame o fazer
li. pessoas.
Manoel Ignacio d. OUvtir. n1
para o Rio Graude do Stl o seu e*cr
cialtio, do Anguila.
-- r/Sr. Luis Jos d. Castro tem una cal
asgo, que achou um meio bilhete
d. iS.toieria do monte pi do Rio de Janei-
ro b.4b* Unto ou 600 e tantos, qoeren-
do-o roslitulr d.ndo-se de gratificas
5.0001*., O pode fazer na serrara do abi-
xo aaiigado, que recebar dila qu.nt.ia.
' jtelearfo Has da Silva Cordial.
Caen Santo Amaro
Aluat*aa> e.s. de sobrado qoe fot do ti-
nado Pedro Da dos Santos, com oommo-
dos suffl'ootes p.ra urna r.ode faroili.
comsUio fiveiro parlencenle a meama
tratar na meama cas., ou na ru. de Santa
Rita n. 3. ...
Aluga-se um sobrado na ra da Uoiso,
com excelleote vista, muilo freaeo, e com
os melhorescommodospera urna ou du.s
familias : os prtendentesdipiam-se a Ma-
noel Alve Guerra Jnior, ou ao oacnare
GhristovSo Xavier Lopes.
O Sr. Jos Aire Tenorio baja de se di-
rigir praca da Boa-Vista, botica u. 6, a
negocio que Ihe diz reapeito.
0 hachare! A. R. de Torrea Bandeira,
substituto de rhetorica e geograpbia no ly-
ceu dest cid.de, propoe-se a dar liedet das
mesmasdisciplinas, e bem aaiim de philo-
sophia e francez : quem de au prettimo e
quizer otilisar, dirija-se a cart da aua re-
sidencia, na ra eslreita do Rosario, n. 41,
segundo andar.
Aluga-se o lerceiro andar d. esa do
largo da assembia n. 8, a fallar com Joa-
quim Francito. aa Alm, no Forte do
Mallos.
Eogomma-te e lava-se toda a qualida-
de de roupa com lodoatseio emuit. promp-
tidSo, pororeco maja commoJo do queem
outra quatquer parte : na ra de Agoas-Ver-
des, n. 2.
Aluga-se o segundo andar do sobrado
d. roa Dir.lt n. 20, com commodo p.r.
grande familia : na ra Direita* n. 93, pri-
meiro andar.
Corpo-S.nto n. a.
- Domingo a4 do correte,
perdeu-se desde a Passagem da
Magdalena at a ra do Gollegio
urna pulceifa de diamantes tifia-
da em perolaa oa aljotar : quem
a tiver schado e quier resti tw-Ia,
dirija-se a ra da Cadeia dwRe-
cife, prinWiro andar da casa n.
38, que ser gratificado com a
quantia que valer a mesma ataca.
Operacie. de catarata. Q
_ Joao Vicnate Martins, devendo ret- Q
X rar-se desU Cidade em Janeiro pro- Q
X ximo futuro, previne que s al .o
X di. 20 de dezembro poder praticar m
g algumaa oper.oe de ntirata, ou
outra que exijan a molestia, d. g
O Ocoolina a destrlbalr remedios bo-
O rnoeop.thicos de graca aos pobres no J3
O consultorio da ra d. Apollo n. 24, ^
0 lodos os dia utei te 1 hora da O
O t.rdfc. --*.*.*.-$
-Precna-aealugar amaolSo ou fundos
de urna esa bem clara, prxima a ru No-
v. : a Ir.t.r na mesm. ra, renda n. 65.
-- Precis.-se de um feitor par. tratar de
um sitio em Beberibe : quem estiver oest.g
circumstiricU, dtrij.-se .o Aterro d. Bo.
Viste, lerceiro andar do sobrado n. 37.
Arrem.tar3o judicial.
No di. 3 de dezembro, pela 4 hor di
Urde, na ra da Flores, se ha do arrem-
t.r n. praca do juiz do civel d. primeir
vira, a parte de urna morada de casa de so-
brado de 3 andares, com oUo e trepeir,
sita na ra da Senzalla-Velha, n. 119, com
23 palmos de frente, e 92 de fundo, cozinh.
nos andares, q.iutal murado, ,porl3o, ca-
cimba meieira, e em cbSos propriot, avaha-
da toda esa em 8:000,000 d. r., aendo .
parte que tem de er arrematada da quan-
tia de 4:510,708 r., bem como um terreno
3ue Oca alm do quinUl da dita caai, parte
oqu.l et .terradoe parte em alagado,
tendo foreiro, avallado em 250.000 r., cu-
jos beps vSoa praca por execucSo de D. Ca-
tharin'a Francisca do Espirito Santo contra
Jos da Sibra Brag, escrivaoCunha.
mmmmmmmmmmmmmmmmmm
Coaaullorio homcoopatbico.
Ra do Hospicio, n. 50.
O dootor Mocoao d consultas lo- I
do. o di.s.
Os pobre alo tratados gratuita- |
l^mSmmmmwmmwmmmmfA
hoga-e o Sr. Manoel Hondea d Sil-
va Barang o T.vor de vir a rao da Cadeia
d. S.nto Antonio n. 13, pora negocio que
nSo ignora.
Precls-se de um forneiro que aiti
desempeab.ra ui obrig\cOea, o deum
caixeiro, ambos para pederiel-oa pr.ea da
S.-Crui, debaixo do sobrado n. 106.
C\Sr. Jaflo Cavalcanti de Albuquerque,
senbor do engenho Cania-Escuro, em Se-
rinhSem, por si, ou por seu correspon-
dente nesta cidade, queira dirigir-se i ra;
da Cadeia-Velha, o. 54, p.r. se Ibe entre-
gar urna carta de mu particular interesse,
vinda da villa do rombal.
-- Quem quizer alugar urna ptima ama
de leite, ptima em lodos os eotidos, di-
rija-se ao principio da ruada Aurora, no
primeiro andr da lerceir caaa em que
mora o Dr. Francisco de Paula Baptista.
qmlldades, tanto em porreo como a reta-
|hn, por preco commodo, e tarabem aeen-
feitam bocetos, vtntade dos compradores.
--Vende-sesupeilorvinho de Ch.mp.-
nha AY, o melhor que ha no mercado, por
preco commodo : em cas. de J. P Adour &
C., n. ra da Cadeia do Recife, n. 52.
O bom e barato.
No Paeseo-Publico, loj n.9, de Albino
Jos Leite, veode-se um completo sorli-
menlo de chites, a 120 rs. o cov.do ; c.ss.
par. b.b.do, a 210 rs. a vr; nsc.do rr.n-
cez l.rgo, 200 rs. o covado ; cobertores de
aleodao grosso p.ra escravos, a 720 rs.;
madapolSo, a 100 ra. a vara; rispados de
linhomiudinhos. a 320 rs. o eovadjo ; leq-
Cos de seda de core, a 1,000 r. ;*? o uto
muitas fazendas que nao he possivel an-
nunciar para nSo oceupar lempo.
Calcado.
No Aterro-rta-Boa-Vl.ta, de-
fronte da boneca,
he chegado, pelo ultimo n.vio francez, un
novo e completo aortiment de calcado de
todas asqualid.des, Unto p.ra hornero co-
mo p.ra senhor omenin.s detod.s as ida-
des : aasira como os bem conhecidos sapa-
loe do Aracly. Unto p.ra homem como
para menino: ludo por preco mata com-
modo do que em outr qualquer prte.
Vendem-se ricas caixa pi-
ra costura, ou para guardar joias.
com fecbaduras de ferro" e chaves
de duas voltas, contendo cada urna
vinte frascos de perlamaria, pe-
lo diminuto preco de 5,ooo rs ca-
da urna caixa : no pateo do Col-
legio, cisa do livroazul.
Chapeos da sol.
Vendem-se chapeos de ol de sed preta
e de core, a 6,000 rs ; dllos de panomho
para homen. senhoras e meninos, por pre-
co mais commodo do que em outra qual-
quer parte na ra do P.sseio n. 5.
Couro de lustro a 3,ooo rs a pelle.
Vndese eouro de lustro a 3.000 rs. a
pelle, e mrroquim do melhor que ha no
mercado : no Aterro da Boa Vial, loja n.
58, junto Je selleiro.
Veode-se urna preta de Angola, muilo
moca e de bonita lignra, que cozinha o dia-
rio q lava de sabo : em Fura de PorUs, li
do do mar, atrs da igreja, n. 24.
Vendem-se superiores charutos de !>an
Flix a 2,500 rs. a caixa de 100 : na ra do
Queiraado, lojan. 10
Attencao-
Aos Srs. ehefes de repartieses.
Na livrari. do p.teo do C'.ollegio, n. 6, de
Joao d. Cosa Dour.do, vendem-se os se-
guimos objectos preciso p.ra o expediente
das repartirles :
Pepel almaco perlina com listras de ago,
ap.r.do 3'600
Dito dem.chio.de 100cjdernos.de
muito boa qulidade 3.000
Dilo almco de primeir sorte, apara-
do.delinho 3.600
Dito de peso de superior qolidde
inglez 5'000
Dito de maia inferior qulidde 3,500
Lipis Uno e enverniidos, duzi 700
Penas de secreUrii, o milheiro to.oon
Dila meia secret.ri, o milheiro s.wi
Deposito de potassa
ecal.
.ssim como c.l virgem em P^"^19,.
meutechegada de LiibOa. PO'P"0 Z"0
vel: na ru.d.Cideia do Recife, n. 12, r
S de algodao trancado na
fabrica de lodos os Santos.
Na ra da Cadela n. .
vendem-se por atacado dua qualidades,
PSprtoa par. saceos de assucar e roup. de
"tluern admirar venha ver e com.
nrar, na roa do Crespo, loja da
csanlna que volta para a Ca-
dela. ., _
Piono fino preto muito bom,
3 600 rs. ; dito muito superior
5000 rs.: dito zu
muilo libo,
a 3.000 e
a 4,500 e
a 3,000 e
S c w ra" pret.; 5.000 rs. o cr-
?9 dito -utosuperior. Vtfioan.; cr-
l'defustao.S-iO. 600 rs.-.ditos multo
Inios .OOrs. ;ditodesetim de cOres,
t JS m. ; ditos de gorgurao,. 1.280 r. ;
M'-Tr.ucroaOi.iod. bonitos padrdM.
Compras.
Paulo Satenoux, dentista
francez, offereee seu prest-
mono publico para tollosos
uiysterios de sna pronsso :
pode ser procurado a qnal-
quer hora em sna casa, na
# ra largado Kosario,. Jb, a>
Precis.-se lugar um molecote eperlo
e 3e bo conducl pra o s.rvifjo interno de
um. caa Inglez : pg-ae bem : quem ti-,
W, affnuncie.
Na ra doiol junio ao porto oa ca-
naa da ponte d Bo. YieU o. 23, apromp-
lam-se jantores com muito ssseio e perfei-
c5o, aeootentodoe feagoezes, mandndo-
se levar a casa daqu.llas pessoas, que nao
tiverem quem os venba buscar : o dono pois
deU novo estabelecimenlo esperajnerecer
a conllanc do publico, .ttento *T esforqo
que t^m empreg.do aempre para agradar
ao coocurrentes. .
Na ra u. ?, 5. 3i, -rpci.a-se fallar
com os Sr Pompeo Itonwno de Carvaino,
Silvano Thomaz de SouzMaya: negocio
que nao ignoram, seodo esto profesaor de
primeiraa lettras em Muribcca, e aquella
comm.ndantedo furte do_Pip-Amarello.
Gratlflca-sejnena.
Fuglo no dia 94 do correle mea de oo-
vemaro, o prelo Antonio de naao Camoda,
queropreaenta ter 45 annos de idade, altu-
cheio do corpo, cara abocetada,
cabellos brancos na cabeee,
jo no peiios, levuu cal(. e
Baoga asul, he oflicial de caldei-
a fabrica da roa do Broa n. 28
taeonlla-se que tenha ido par
Ur ja estado fgido perto da um auno em
^^H e pois a quem o
^^H^do mesmo es-
ita fabrica que
dos.
que sai a cosi-
:. 46, segundo
o an lar e sotSo da
, com commodos para
Compram-oeescravos de am-
bos os sexos .- na ra da Cadeia do
Recife, n. 5i, primeiro andar.
Compra-se urna Dobilia simples e em
bom uso : quem a tiver annuncie.
Compra-se um aellin inglez em bom
uso : quem o tiver, dirija se ru do C-
buga, loj de miudeza n 1 C.
.-Compr.m-se 6 garr.foes, mesmo usa-
dos e que ejam grandes, asstm como um
pilfio grande : na pre> d Bo Vista n. 17.
Compram-e80covados de panno pre-
to do 1,600 rs. o covado : na roa do Crespo
n 3, loja de Cuilhrfte d. Silv. Guim.rSes.
Compra-se um sellim inglez. us.do,
m.s em bom estado: n roa da Cdeia do
Recife, n. 50, loja.
Compra-se anua duza decsdeiras eum
psr de banca* em meio uso : na ra da Ca-
deia de Santo Antonio n. 18,oa troc.-s por
novos.____ ____^_____
Vendas.
FOL.H1NHAS l'AKA 1851.
Na livrari d praca pendencia, ns.. e S, vendem-se
folhlnhas de algibelra e portu pa-
ra o anno que vm.
Vende-se orna escreva moca, com um
cria (macho) de 2 anno, cozoeengomma
perfeitimonte, tmbem cosnh, e tem ou-
tns habilidades; quem a pretender saber
o porque se vende : ne Boa Vista, pnmeira
casa letro da ra Formte, que faz esqui-
r. para a u> .'t'!8'1
Lotera de N. S. do Livramento.
Na praca da independencia, n. 4, loj da
miudezts, vndem-se os afortunados bi-
Ihetee, meios, quartos, decimos e vigsimos
da lotera d. N. S. do Livramento, que cor-
re impreterivelmente no dia 24 do corronte.
Bithetes iMft0
Meio 5,500
Qurlo 2-600
Decimos i,"
Vigsimos 600
Grande deposito,de cha.
No pateo do Collegio, casadlo livro
Ch hysson superior
Dito aljfar, brasileiro
Dilo paquequer .
Ditos de outras qualidado.
- Vehde-se cobre, meUI smarello, a. pre-
go para Torro de navio., por proco-com-
modo : em cas de A. V da Silva Brroca,
na roa da Cadeia do Recife, n. 42.
-- No sobrado d esquina, junto o trapi-
che do Ramos, veude-e doce muilo bem
feito, Unto secco como de calda de tods as
azul
2,400
2,200
9.000
2,000
Jila, mu" wv ---
;omma graxaem frasquinbos, raspdeirs,
nivele de difiranles qualidades, pen-
naade ac, borracha, tinta carmim, dita
azul, dita preta muito bo, pennas de pto
.piradas em caixinh, cnels denwlim,
facas para papel, peso para dito, o oulros
muitos objectos de secrelari e escriptono:
Utnbem se apropian enoommentl.s p.ra
outras provincias com presteza ; e para as
reparlicoes desta provincia se mandan as
amostras, e se obriga a por qualquer objec
lo as rep.rlicOes, sem que estas p.guem
carrelos.
t 0,000 rs. a duzia.
Verd.deiro e legitimo champaohe A Y eii.
cas. de Avri.l & IrmSos : ru. da Cruz n. 20.
Arados de ferro.
Na fundirjo da Aurora em S.-Amaro
vendem-se arados de ierro de diversos m-
telos.
Moendas superiores.
Na fun.uc.no de C. Starr A Companhia ,
em S.-Amaro, acham-se a venda moendas
Je canna, todas de ierro, de um modelo e
csnstrucqSo muito Isuperior.
Talxas parn engenho.
Na fandicSo de ferro da ra Jo Brum,
-cb.-se de receber um completo sortimeo-
>.ode taix.s de 4 a 8 palmos de bocea a*
aaes acham-se a venda por preco com-
tiodo e com promptidSo embarcam-se,
ou carregam-se em carros sem despezas ao
comprador.
Antigo deposito de cal
virgem.
Na ruado Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal nova em pedra,
chegada ltimamente de Lisboa
no brigue Conceico-de-Maria.
Vendem-se 20 escravos, sendo 2 pti-
mos ca reros, e de bonitas figura ; 2 ditos
offlciaeg de pedreiro ; um dito oleiro ; 5 di-
tos de todo o servico de campo ; um mula-
tinho de 14 anuos, ptimo para qualquer
ollicio. ou para pagem : um linda mulati-
nha recolhida, que cose, faz bem lavarinto
o marca de iinli, de 12 anno ; 2 escravas
mocas.com muito boas qualidades; um
escravo que cozinha bem o diario de urna
casa, e he de muilo bo conducta : na ra
Direila, n. 3.
Agencia
da fundigoLow-Moor.
RUS. DA SKNZAl.LA.-NOV., N. 4a-
Neste estabelecimento conti-
iiia a haver um completo aorti-
nento de moendas t meias moen-
Jaa, para engenho ; machinas de
vapor, e tachas efe ferro batido o
coado, de todoa oa tamanhos,
para dito.
as Vende-se um negro per;, de idsdede
d anno, batanle posstnte, proprio para o
servico do campa : na ra do Crespo loja
da eaquina que volU para a cadeia.
ca's.s de cdrosnx.se.
a 210 e 280 rs. o corado corles de c.ss.
oreto 2 200 rs.; ditas. 140 rs. o covado;
i^r^^dKorr8pd:
:rcolm^istrVs7ecU.^0e320r,;
ddlo .zuTdl'rd: E5.ro. ^r.'. o c -
v.do;dto furU-cro. 200 rs.; pICote
muito encorpado.proprio par. escravos a
200 rs. ; risc.do d algodao omericono. o
l0 rs.; cortes de br.m de listru, a 1.000
s ; chitas de cores fixag e de bon.tos pa-
drVes .140.160,180 e 200 rs. o covdo;
riscados monstros. a 220 rs. a; mbrai.s de
qu.dros, a 2.720 rs. a oecji; cortes de case-
mir.de.lgodao.a l.OOOrs.; c.ssas fran-
cez.s muito bonitas, a 8W rs. o covado ;
chapeos de sol, com asteas do balea, a 1,800
rs. ; e outras muiU fazendas por pre commodo. __, ,',.'....
Ilogu-se aos freguezes que tenham
toda attenco para o novo soi-
llmenlo que existe na loja da
na do Cespo, n. 6, ao p do
lampeo.
Vendem-se css pintadas de crea fizas,
a 260e280 rs. o covado; corte dei brin
brancodelioho puro, a 1.920 rs.; dito de
fustSo muito finos, a 560 e 640 rs. ; caasa
preta propri para lutolivido, a 120 rs o
cov.do toarte de cc-r, a 200 rs.; r.scado
de linho pjra casacas, i 20 rs. o cov.do, e
outras muiU* fazendas por pre?o commodo.
Para acabar factura.
Attenco ao barato.
Vendem-se cortes de vestido de cam-
braia de se rs. ; ditos de casa fr.nceza, bordadas de
seda, a 3,500 rs.; merios unos d> duas
hrgur.se de divers. coreo, com Hstraa o
qu.dros de seda, a 2.000 rs. o covado ; pe-
cas de esguiSo de algodo com 12 j.rds, a
3,000 rs. ;tafetc0r de rosa encornado, a
400 rs. o covado ; lencos de seda de bonitos
padrea e grandes, 640 ra. ; pecsde mda-
poiao enestadoe lino, a 4.000 rs. ; dito n-
oissimo. 5,500 r dito para forro, po-
rcm largo.. 2.000 rs ; loncos n brancas e com cercadura, a 2,oo rs. a
dj.ie! peono lino azul o prelo, propnoa
para Tardas de p.gens a 2 600 do;
chitas escuras, pecas de 38 corados, a 4,600
ditas de risoadinhos claros e flxos, pe-
ca* do 38covados. a 5.700 rs..- chapeos
francezes finos do ullimo gosto. a 7.000 ra^.
alpaca pret. ioeedg duas larguras. 600
rs o cov.do ; .IgodSo Ueocedo azul claro e
do llslras, proprios para escravos, a 189 rs.
o covado ; cortes de lemas dos melhores
o.dres, a 2.800 r. ; pecas de panno de li-
nho com 18 varas, e muilo Bno, a 800 rs. a
vara ; bem como um completo sorliraento
de fazendas finas e grossas por baratiss.mo
preco, proprias para negocio ; um novo
sortimento de luvas de loreal, faiteo em
Lisboa, para senhora e menina; peles
de oleado com franjas de 13 para mangas,
candieiros. castices, l.ntern.s. etc., de fe-
lio triangulare, quadrados e redondos : na
ra do Qoeimado, n. 27, arroazero de fa-
zendas de haymundo Crios Leite, nos
quatro-caalos.
Deposito da fabriea de Todos oo
Santos na Uahiu.
Vende-se em casa deW.O Bieber & C.
, roa da Cruz, o. 4, algodao trauco
laouella fabrica, muito propno pare saceos
Je assucar, roupa de escravos eBo propno
para rede de pescar, por proco muito com-
modo.
Ciearrilhos hespanhes.
Sfiochfgdo os excellenles cigsrrilbos
hespanhes o deposito d ra da Cruz, no
riecife,, n. 49. ... *
Lotera do Rio-de-Janeiro.
Aos ac:ooo,ooo de ris.
Na ru eotreila do Rozario, travessa do
Oueimado, loj. de miudezas n. 2 A, de Joa-
quim F. dos Santos May, vendem-se os
muilo aforlunadoa bilbelea. meios, quartos,
oitavos e vigsimo da decim lotera a be-
neficio d freguezi doSS. Sacramento da
corle : na mesma loja esta patente e lis-
ta da 12 lotera das casas de ceridade, o
tambero recebem-ee bilhetes premiados em
troca dos da lolerie cima dito.
a.** ?O aa ao *
Vende e urna eoerava mog., com
muilo bom leite, e que cozinh. per-
m feitooienU, lava, cose,be de boni-
U ngura : n ru da Cadeia do S.-An-
ionio, n. 9, casa da viuva Cunha Gu.-
f m.rSes
ni- mw
n
9
Meias de laiapara padres.
Venderpse meiss de laia poro padre, a
maissupfriores qoe se poden encontrar,
pelo diminuto preco de 2,000 rs.: na ru.
do Queim.do, loja de*miudeza, junto i do
de cera, n. 33. ... .
- Vendem-ge 2 lindasnegrinh de 10 a
12 annos, com principios de habalid.des. o
oplimas para dar qualquer menina, a pre-
Ua boasquiUodeira, e de todo o mais ser-
vico. 1 preta de me. id.de boa para cam-
po muito ero cante, 1 parda de emplar
conduela, que engomroa perfelUmente, co-
se e faz todo o arrapjo d urna os e ha
muilo carinbos pr menino, 4 preto
muilo mocos bous para campo ou ra, aa-
sim como oulros muilo escravos: a ra
da Cadeia do ReafTu. 51, primeiro andar.


Vcnde-se excellente farinha
de S.-Catbarina, a bordo da ca-
lila Sontissima-Trindade, Tun-
deada defronte do caes do Colle-
gio, por preco commodo: a tra-
tar na ra do Vigario, n. n, ou
a bordo com o capito da mesma
galiota.
Smenlo.
Vendem-se barricas com superior simcn-
to, rli,'pnilo no ultimo navio de Himhurgo
na rut do Amorim, n. 35, armazem de J. J.
l'asso Jnior.
comida para aniuncs:
vende-se na ra da Cruz, no Recife, n. 13,
armazem.
Fogoes para cozinha.
muito proprios para sitios ..e qnal-
qualquer lugar aonde n9o ha cozi-
nha, por preco commodo : ven-
dem-se na ra da Cruz, n.
casa dexKalkmann Irmiios.
;.> N-i deposito da ra da Moda, n. 15,
i he para vender superior cal em pe-
|> dra, rerenlemente rhegada de l.is-
bds, era O brigue Conceic"o-de-Ua-
2 "'" Pf pre<;n rasoavel : tamben) ah
^ se vendem pesos de duas e de una
g^ arrolia, ;or prego commodo ; ha
> lamben) efieclitaoiente no mesmo
j> deposito barris de niel para emhar-
p. que
10,
m
1
m
Vinlio de Bortleaux:
vende-se na rua da Cruz, n. io,
casa de KalLmann limaos.
I'a/oxli nova.
Vendem-se gangas amarellae crdecin-
za, fazenria muito fina, propria para pali-
tos do meninos, e mosmo para roupoes de
senhoras, pelo baratissimo prego de 200 rs.
o cnvado : no Aterro da Boa Vista, loja nu-
mero 18.
# m &# ##
SRelroz da fabrica do Siqueira.
no Porto: {
* vende-se na rua do Vigario, 2
lo, segundo andar, es- *
criptorio de Alachado & Pi- i
ev nlieiro. 2
Chitas limpas a i -jo rs. o covado.
Vendem-se chitas limpas rxas, a 4,400
rs. ,e a 130 rs. a telalho ; corles de cam-
brasaeom 6 varas, muito larga, de bonitoi
padrdes e corea fizas, a 2,560 rs : na rua
larga do Hozario, n. 48, primeiro andar.
Charutos tic Havana.
de superior qualidade : vendem-
se na rua da Cruz, n. io, casa de
Kalkmann limaos.
IWillio novo n 'Kiinii v.
Cntln Miera.
Vende-se no armazem do Braguez, ao p
do arco da ConcecSo.
I -Siiiao de nlgoilao a 2$->oo a
peca de i o vnrn*.
Vende-se esguiflo do algodflo com pal-
mos e mel de largu/s, a 2,500 rs. : esta
fazenda he muito propria para lenges, ca-
misas, etc. : na rua do Crespo, loja da es-
quina que Tolla para a cadeia
Veiiie-se a loja 22, com poucos Tundes, e cooi urna das'ne-
Ihores armacov* luda envcrnizada, os pre-
tenderles dirijam-se ao l'asseio Publiblico,
n. 11, que se Tara todo o negocio.
burubo de iniinlcno.
Vende-se lio armazem de J. J. Tasso J-
nior, rua do Anioiim, n. 35.
No hecco do Goncalves, ar-
mazem do Araujo, e na rua da
Cruz, aimazem de Araujo,
vende-se superior farinha em sac-
cas, por preco mais commodo do
que em oulra qualqncr parte : bem
como lijlo de Lisboa para limpai
metaes ; sola, couros de cabra i
sapatos.
- Vendem-se amarras au ferro: na rua
da Sen zalla-tova, n. 42.
Redes.
Vendem-se redes muito bonitas, de va-
rios, gustos e fregns, proprias para queni
for passar a testa discantar ao fresco de-
baixo de arvoredos ; ns rua do Queimado.
n. 14.
Vende-se, ou aluga-s urna canoa aber
la de carga de 600 a 700 lijlos de al vena-
ra : na rua da Aurora, n. 46, taverni.
-- Vende-se urna parda escura, fiel e sa-
dia, com algumas habilidades; um molc-
Jue de 15 anuos : na rua do Fogo, n. 23, se
irn quem vende.
-- Vende-se cera de carnauba : na rua da
Madre de Dios, loja n. 84.
-- Vendem-se una alicerces de urna casi,
na aua da l'jranga nos Argados, com 42
uaiuiua de i en te, i terreno lie loreiro ao
Illm. Sr. Frsncisco Carneiro alachado Hios :
que pretender dirija-se a rua larga do Ho-
zarlo n. 22, segundo andar, queso vende
muito emeonta.
* ** # Para pagciis. *
# Chapeos nvernisados para pagena aV de foro: a moderna : vendem-se na ca- #
# aa de airgueiro, rua do Queimado nu- *
# mero 19. ta
s tftftCi !#
Vende-se urna casa terrea na rua da
I'i ais, e urna bilanga grande com seu com-
petente braco e (.esos de 2 arrobas al 8 li-
bros] : no paleo do Paraizo n. 30, venda.
A o bom gosto.
Vendem-se balainhos com um cacho de
uvas e outras mais troclas artificiaos ; pra-
tinlios com um s cacho, obra mais delira-
da posaivel, e multo proprio para infeites
de mesas e consolos de urna rala : n rua
do Queimado, n. 16, loja de Jos Ufas
raes.
Na rua Nova, n. 8, laja de Jos
Joaquim Moreira& C.,
vende-se um rico sortimento de
franjas pretas para manteletes e
capotinhos, por preco rasoavel.
Vende-se vinho do Porto em barris de
quirlo e em pipas, chegado ltimamente ;
oeneiras de rame; cevada ; arcos para pi-
jas e barricas ; fio porrete; pregos de to-
las as qualidades. por preco commodo : n
ruado Vigario, n. II, armazem do Francis-
co AlvesdaCunha.
Vende-se chumbo em barra, sulphato
leequuiaf* gomma arabia em partida maior
ou menor : na rua do Amorim, n. 15.
Lotera do *Itio de Janeiro.
A os ao.oon, ooo rs.
Na'rua larga do llozario, botica n. 42,
recebeu-se a lista da lotera das casas de
caridade, e abi foram vendidos o seguin-
les nmeros que sahiram premiados, a sa-
ber : 1,950, 4:000,000 rs., vigsimo ; 2,679,
1:000,000 rs., quarto ; 5,029, 100,000 rs. ,
inteiro ; 1,662, 100,000 rs. vigsimo ; bem
como bilhelesda decima lotera a beneficio
da freguezia do SS. Sacramento dn Rio de
Janeiro, que se vendem pelos precos se-
guinles: bilhetes, a 22,000 rs. ; meios, a
11.000 rs. ; quartos, a 5,800 rs. ; oitavos, a
2,900 rs. ; vigsimos, a 1,400 rs.
Vendem-se relogios de on-
ro e prata, patente inglez na rua
da Senzalla-Nova, n. !\i.
Segundo as ultimas noticias receidas
de Franca, os novos processos pira a ex-
Iraccflo do assucar, assim do canna cono
de beterraba, deque as- gazelas teem fal-
lado tanto, ha porto de 18 mezes, acham-se
seropre no raesmo estado, Islo he, estSo
sendo anda estudidos; lodos os fabrican-
tes de assucar em Franca persistem porta n-
to no emprego de car vilo animal em grSo, o
qual continua a dar os resultados mais sa-
tisfactorios. A vista disso eremos fazer um
servido aos senhores de engenho desta pro-
vincia annunciando o Manual pralico do fa-
bricante dt attucar com posto por A. Som-
mier e traduziilo em vulgar por *
Esle manual ensina a mam-ira pela qual
os fabricantes de assucar devem servirse
do carvSo animal em grfio, e bem assim oa
meios pelos quaes cvitarSo os accidentes
que rdem acontecer pela preparado dos
filtros mais ou menos bem taita, a maneira
de tomar o ponto, cousa muito imprtame
relativamente ao producto, os cuidados que
deverSo ser tomados para evitar a fermen-
lac.au do caldo da canna, antes de sua depu-
radlo, etc.
Vende-se a 2,000 rs. na fabrica de carvJo
animal, na rua da Concordia, n. 8, e ni
praca da Independencia, livraria ns. 6 e 8.
Deposito geral do superior ra-O
p Areia-Preta da fabrica
de Gantois Failhet & C. $
na fiahia. 3
Domingos Alvesltatheus, agente da
~fabrica de rap superior Areia-Prela da
vli.iiiia, ti-m aberto um deposito na ruaO
Vda Cruz, no Itecife, n. 52,4rmeiro an-ti
vJir, onde se achara sempre desle ex-C
cellenlee mais acreditado rap: ven-O
()de-se em botes de urna e rucia libra,Q
Qpor prego commodo. {$
Cal e potassa.
Vende-se a ritis nova e superior polassi
que ba no mercado, e cal virgem em pedra,
chegada pelo ultimo navio de Lisboa, por
prego commodo : na rua da Cadeia do Re-
cito, n. 50, a filiar com Cunha & Amorim ;
assim como um restante de barril da raes*
ma eal.jue flcou da safra paseada, |por ba-
rato prero.
Vendem-se sibonetea higinicos, o
mais superiores que teem vindoa este mer-
cado, aaaim como outras perfumiriis muito
linas : -na rua da Cadeia Velba n. 24, pri-
meiro andir. mL
Bombas de ferro.
Vendem-se bombas de repazo,
pndulas e picota para cacimba :
6, 8
'
O
0
na rua do Bruui, ns.
fundicao de ferro.
Arados de ferro.
Vendem-se arados de ferro de
differetites modelos : na rua do
lrum,ns. 6,8 t lo, fabrica de
machinas e tundidlo de ferro.
Vende-se urna sextante nova feita por
um dos melhores autores de Londres e tam-
ben) um orisonte artificial e um theodilele:
na roa dn Trapiche armizem n. 44.
Nao e exagerado.
Vendem-se sapales de couro de lustro,
obra muito boa, a 2,500, 3,000 e 1,500 rs.:
ua rua da Cadeia da Itecife, loja o. 9.
Farinha de mandioca.
Vendam-ae sacas com farinha de mandio-
ca muito alva.e bem torrada amelhorque
ha no mercado por nao ter cheiro de barco
e ter bom gosto e por preco commodo ni
rua do Queimido n, 14,
Cobertores de tapete
esc favos.
Ji se venden) oa acreditados cobertores
de pele pan eicravos, a T20 rs. cida um ;
por Isso venhain a files antes que se aca-
ben), ou passem para mais alto prego : na
rua do Crespo, loja da esquina que volla
pan a' cadeii.
llap Paulo-Cordtiro,
Vende-se efectivamente eate excelleoe
rap, na. rua da Cadeia do Recife, o. 50, to-
la de Cunha & Amorim.
Vendem-se, por preco com-
modo, saccas com farinha de man-
dioca ; potassa em barriquinlias ;
fumo em folha para capa e mi-
lo de charutos : nos armazens de
Gouveia & Das, no caes da Al-
l'andega, e de Das Ferreira, ou
Na rua Nova, n. 4i loja de alfaia-
te de Augusto Colombier,
vendem-se palitos de linho de de-
ferentes padrees, proprios para a
festa, a 5,ooo rs.
A 2oo rs. o ovado.
Vende-se madapollo de cores, proprio
para camisas, pelo baratissimo preco de 200
ra. o aovado; bem como ainda reates al*
gumas pecas de chila de linho e aigodSo.
com 40 covados cada urna, a 5,600 rs. : no
Aterro-da-Boa-Vista, n. 18, loja.
SabSo.
Vende-se sabio do Rio, a 8,590 rt. a ar-
roba ; dito da terri, a 3,900 ra. : no armi-
'.J*em de Campello Filho, na rua da Cadeia
10, (do Recife. n. 64.
Vende-se urna bonita mulata de 20 in-
nos, que pode servir de ama de leite, por
estar criando urna til lia de 8 mezes; um
preto coiintieiro, de boa figura, moco e ro-
busto, e que tambem he canoeiro; urna
muMinha de 10 annos, de linda figura : na
rua larga do Rozarlo, n. 48, primeiro andar,
se dir quem vende.
Charutos.
Vendem-se charutos chegadoa ultima-
mente da Babia, por barato preco : no ar-
mazem de Campello Filho, na rua da Cadeia
do Recife, n. 61.
Chitas para coherla.
f Charutos de San-Felix
a a,{too rs. a caixa.
Vende-ae esta superior quilidade de cha.
rutos de Sin-Felix, ni roa do Qoimido,
. 16, loja de Jos Das SimOes.
Negocio vantajoso.
Dominga, 1 de dezembro, fecha-se a pa.
dara em Santo Amaro, qne foi do Sr. Ve.
ga, por seu dono nao querer continuar
mais com ella, e por iaso declara aos Sr,
que pretendan) dita pidiria, bijam de di-
ngir-se a mesmi, em Santo Amaro, que
K leas n tas
Vendem-se fitas lanadas para cinteiro o
para enfeiles de chapeos de seohora ; ditas
Usas de todas as largaras a eflres, por preco
maia commodo do que em oajra qualquer
PW|e:naroa do Queimad, fi.l, loja de
Jos Das Si atoes. m
Deposito de cal virgem.
_ Na rua do Torrea, n. 19, ba muito sope-
norcal nova em pedra. chegeda ltima-
mente de Lisboa no brigue rera{;-rro.
Kleaa bengala.
Na rua do Qoeimado, o, 4, loja de Jos
DlasSimoea, vendem-se bengalas de mu la
superior qualidade, e com casiOea de diver-
sos gostos, por mdico prego, que muito
eonvidar ao comprador.
Bom e barato.
Sipalinhos de ISa para crianc** MS rs
suspeesorioa para maninoa a 80 ra., oarlei-
rinhas com agulhis i 320 rs. caixinhaa cora
agulhaa fraocezasa 320 rs., caixinhas con
Vendein-sechiUapara oobeaia, de corea .brinquedoa para nios a 48rs.. franjea
J',*^Vr*"'_ P_x_*s'^* -?.8?"10 lor* P*' *"- Wpriss para eorlinadea e rama por pre-
para
17 en-
terco,
Loterii do Uio-de-Janeiro.
Aos 20:000,000 de rs.
Pelo vapor S.Salvador recebeu-se os
muitos afoitunados Inllietes e cautelas da
10.' lotera a beneficio da freguezia do |SS.
Sacramento da corte do Rio de Janeiro : ven-
dem-se ni rua da Cadeia do Itecife, n 24 lo-
ja de cambio. '
llicas luvas de pellica.
Vendem-se ricas luvas de pellica enfri
tadis para senhora; ditas de torc! com
palmas, com dedos e sem elles, e de ou-
tras mais qualidades, por mdico preco : na
rua do Queimado, n. 16, loja de Jos ia
Simes.
Vende-so urna preta crioula de
nos, com habilidades: no paleo do
n. 18, sobrado.
Champanha C& C.
Vende-se a verdadeira champanha desta
rnaica, viuda pelo ultimo navio do Havre
eiu casa de Jlc. Caluioiit & C., na praca d<
i-ommercio, n II.Tem-se encontrado por
ah cbampanba ordiuaria com esta bem co-
nhrcida marca C & C falsificad., us com-
pradores de champanha devem ler cautela.
A a,400 rs. a duzia.
^..,. .... .,,w i,, > uu.i. un nielas
de algodao cru e muito encorpadas, pro-
prias pan livrar a humidade dos pea a
quem paacco de molestias interiores : na
rui doQueimido, n. 16, loja de Jos Das
SimOes.
Trancinhas de la a 60 rs a peca.
Vendnm-se traciuhas de 13a de todas aa
cores, pelo mdico piec,o de 60 rs. a peca,
muito proprias para enfeitea de vestidos,
ou para oulra qualquer cousa que se queira
applicar : na rua do Queimado, n. 16, loja
de Jos Das Sin.Oes.
I rseos de agoa de Colonia
a 5oo rs.
a tratar com Novaes & C. na
rua do Trapiche, n. 34-
Lo te rio do Bio de Janeiro.
Aos 20:000,000 de rs.
Na prar;a da Independencia, n. 3,confron-
te a rua do Creapo e Uueimado, vendem-se
bilhetes, meios, quartos, oitavos e vigsi-
mos da derima lotera a beneficio da fre-
i'inzia do SS. Sacramento do Rio de Janei-
ro, viodoa no ultimo vapor. N* oiesma loja
se niostrem as listas das queja correrani.
l nu lo Hozarlo larga n. WJ.
Vende-se urna tooliUnbe de 19 annos,
muilo linda, propria para mucama, ten
principio de costuri, he muito umilde e de
bom genio, o motivo porque se vende he por
precinto.
Cartas para jogar.
Vendem-se fliiissimas carias francezis
para vollarete, ehegadaa ltimamente de
Franca, por proco iduIo barato, tambera se
vendem portugueziaa 500 ris o baralho :
na rua do Queimado, loja de miudezas junio
a de cera o. 33, quatro cantos.
Grvalas de mola.
Vendem-se ricas grvalas de mola, pelo
diminuto preco de 2,000reise 1,600 ris:
oa rua doQuimado, leja de miudezas junto
de cera n. 33, nos qualro cantos
Vende-se una porc.So de caixOes de
folha para liloeiro; urna porefio de paos
de sicupin, que foram de bareaca ; urnas
grides de pao, que foram de esciptorio ;
tissimo preco da 200 ra. o eovado: no Ater-
ro da-Boa-Vista, n. 18 loja.
Vende-se UM bonita escrav moca,
de Angola, quecopinlia, engomma bem, co-
se, e entende multo do servico Interno de
uros casa o motivo por que se vende se
dir ao comprador : na rua da Cadoia-Ve-
Iha, n. 94, prubeiro anlar.
Farinha.
Vende-se farinha, a 1,600 rs. a sicci, em
bota estado : no armazem de Campello Fi-
lho, aa rui da Cadeia no Recife, n. 61.
A 1,600 rs.
Vendem-se novos cortes de brira trenes-
do escuro com duas varas e mela cada corte,
a 1,600; casss tranceza de bom gosto.i 9,600
rs.; pecas de esguiSo de algodlo com 19
varas, a 9,400 rs. a peca ; cobertores de al-
godSo de cores, 1 720 rs. : ni rui do Cres-
po, o. 6, loja ao p do lampelo.
A 800 rs,
o cenlo de ceblas : no armazem de Cam-
pello Filho, na rua da Cadeia do Recife,
A. 64.
Vendem-se dous lindos moloques, de
12 a 14 annos; um escravo de 90 annos, de
elegante figura, com principios de tinoeiro;
umi preta moga, perfeila engomma ieira o
coalureira; urna dita do servico de campo :
no pateo da matriz de S.-Antonio, sobrado
n. 4, si dir* quem vende.
Vendem-se saccas da muito
superior farinha de S.-Cathmna,
por preco commodo 1 a fallar com
Manoel A Ivs Guerra Jnior, ou
na rua da Cadeia do Recife, n.
38, primeiro andar.
He baratissimo.
Vendem-se reos cbicotinhos, a 600 e 800
rs ; charuteiraa finas dswradas, a 1,800 rs ,
pentea com espelhos. proprios para suissas,
a 390 rs.; ese-ovas finas com espelho para 1
cabello, a 1,000 rs.; carteiras com mollas
para guardar dinheiro, a 640 rs. ; superio-
res caitas para rap, a 9,000 rs. ; fivelnhas
lloaradas e praleadas para caigas e colleles,
a 200 rs.; atetas cruas para homem, a 180
rs. ; ditas decores, a 940 rs. : na rua do
Queimado, loja de miudezas, junto a de ce-
ra, n. 33.
Caivetes da machina.
Vendem-se superiores caivetes de ma-
china para com muita feeilidade se aparar
penal, e por que prego ? a 800 rs. pois nSo
I11 cous melhor pin quem he curio di vis-
ta : ni rua do Queimado, loja de miudezas,
junto i de cera, n. 33.
He barato.
Vendem-se bonets de psnno, de gosto
moderno, a 2,000 rs.; ditos de velludo e
panno Uno para meninos, a 800 e 500 rs. 1
o que maguen vende, UMsoutinhas iu-
glezas finississis a 500 rs., supastana es-
covinhas para denles s 160 rs., qoadrozi-
Obos dourados com estampas" de santos a
20 rs.linhaa de peso a SOrs. a miada,
agulha cantofa a 60 rs. o papal, coatoa fi-
aos de alisar a 3(0 rs., meias brancas para
aenbora a 390 rs. o par, bengalinhaa de jun-
co a 2,000 ra., maracas para meninoa a 36
rs., toucazinhas de sedas relas para crian-
gas a 500 rs., caivetes finos de aparar pi-
al a 9M rs., waalWispaweaasiiijede ves-
tidos 1 900 rs. a vara, agulheiros de vidro a
900 rs., e outras muilaa rousai qne pelo di-
minuto preco nSo detxirflO d agradar aos
compradores, e para que conbegam que
tudo isto he bom e barato d-se para a-
moslras : na rua do Queimado loja ate miu-
dezas junto a de ceran. aa, nos quatro
cantos.
-- Vende-se um moinho novo, e outro em
SDein uso, de moer caf ; e urna porglo de
siccos vesios : ni rus Direiti, o. 69.
Sapi tos do Aracaty.
Vendom-sc sapatos do Areeiiy, por me-
aos prego do que em oulra qualquer parle:
oa ruada Cadeia, n. 93.
Superior velas de carnauba a pre-
co com mado :
vende-se na rae da Cadeia, ni 93.
Esuravos fgidos.
Vendem-se frascosde agoa de Colonia, a
5(10,800, 1,000 elpMfJTrs., do bem couhe-
cido autor L. T. Piver : afianca-se a sua u-
peiioridade; na rea do Queimado, o. 16,
loja de Jos Diss SinOes.
--Vende-se um terreno no Aterro-dos
A fugados, e um sobraau de dous andares
tolas vasas, que foram de azeite de peize ;
urna porgSo de ferros velhoi, que foram de
navio ; nina bulga muilo bem feita, propria
para navio ou.casa de familia, por levir
mais de dez canecos d'agoa; e mais urna
porc.'io de tabo'ss de assoi'ho e costsdinho
de amirello : tudo por prego commodo :
na rua da Cadeia do Itecife u. 54.
a&ftjMft !
Vendem-se qualro bonitos moleeo-
tes, sendo um delles bom cozinbei-
e oulro com principios deaapateiro ;
3 negros de 22 anuos, de bonitas fi-
guras, de ptimas conducta, sendo
um delles bom sipaleiro, de cortar
e Tazer loda obra ; um preto de 25 an-
nos, bonita finura,ptimo pedrero; 9
prein para lodo 9 servico ; um lin-
do moleque de novo annos, ptimo
(i para aprender algn oQicio, por ser
.-"-j'.c ^.;b:':'___' ";".": ------
de bonitas figuras, com algumas ha-
bilidades de engommar, coser e co-
zinhar ; 2 negras de 30 annos, muito
em conta. nina deltas cozinha muito
bem: na rua dasLsrsngeiras, n. 14
tegondo andar.
#MiHKtfl9Naaitw
Lotera do Mo de Janeiro.
Aos 30:000,000 de rs.
fio* quatro-cantosda la do Queimado,
loja de fazenoas.n. 90, vendem -se os muitos
fortunados bilhetes, meios, quartos, oi-
tavos e vigsimos da W.' lotera do SS. Sa-
cramento ; bem como da 25.' lotera do
monte po, cujas lisias devem cliegar no pri-
meiro vapor. Ka mesma loja se trocam bi-
lhetes premiasen de qualquer loteril, e se
moslra a lala das casaa da caridade.
aixas de cochetes a 76 rs.
Vendem-se caitas de clcheles, a 70 rs.
cada una : a ellas antee que se icabem : na
n. 1.
8i-,n..ru.4doFagund.s; na ,u. ^U^X^U^Zll^i^^ &tDfttT^^t C
Peca* de esguiSo a a,5oo rs.
Na loja da rua do Queimado, n. 17, ao p
da botica, linda tem para vender pelo ba-
rato prego de 9,500 ra.; pegas de esguiSo de
algodflo, com 12 jardas, muito proprio pa-
ra camisas de senhors, por ser miis largo
que o midapolSo.
Molas para gravatas
Vendem-se molai pera gravatas por pre-
go que nlo deisar de agradar aos compra-
dores : na rua do Queimado loja de miude-
zas juntos decena. SS.
A 9,000 e 2,400 rs. a peca.
Na rua do Queimado, n. 17, vendem-se
pegaa.de madapolSo entrelio, pelo dimi-
nuto prego de 9,000 e 2.400 rs, por ter um
pequeo loquo de aviria de igoa doce. A
ellas antes que se icabem, pois sao muito
pescas.
Para acabar vendem-se,
na rua do Queimado, loja n. 17, casis fran-
cezaede ISa aberlas, e de padrOea muito
delicados, a 400 rs. o covado ; caiubraii
de cores modernas, a 560 rs. a vara ; chitaa
franceas do melhor gosto que lem vindoa
este mercado, a 320 e 360 o covado. Do-se
ai imoslras. .
O'uma a>m KnlK* I ,& *,P",hados, cara escarnida, olhos
v.d. 1SV '"*"'pouM b'rb, "" bef,t,r Per"
vende-se fumo de pnmeira e aagunda bs*erqueadae; temes dndoi grandes dos
aorlos.por prego commosjsv ero-porelo e fdsabertos.^wJo mal feilo deeorpo ; qoan-
t. 11 l* fU.' I,rg* *0Mri. n 39, O anda acumpar.h. com os bracos ss^ pas-
fabriea de cn.ruios. ladea ; f.z-se moito umilde; be n.lu..| de
Vende-se potassa da Russia, c,r,,rT-Velhos ; foi escravo d Francisco
cimento de Hjmbnrgo, e garra- Vi'^Tl^^^V.
tas pretas inglesas : na rua do "es poticiata e capisee da campo, que o
Trapiche, n. i4, (pprebeadeai e levem-ee ao dilo engenho
Venae-sa cobre* aa ralba a. r___ s"'>*Vio, ou so engenho Canoaaau di
n.vio, Wn^^^X^'.
100,000 rs. de gratificacSaat
a quem pegar o maleta Venancio, bi izo, re-
forgado ; foi escravo de Diego Jos da Coa-
t, e que esteve nm mezes de julho. agosto,
setembro e outubro em casa do Baixs no
Monte! ro, e o levar i rua da Cadeia do Re-
cife, n. 37, ao Sr. Antonio Machado Comes
da Silva. -_
50,000 rs. de gralifleatao
quem apprehender um escravo saarinhel-
ro, de nome Filippe, de nicSo Mogimbique,
de 35 mnos pouco mais ou menos, bailo,
oheio do corpo, barba lerrada, nariz chito,
falla bem ; fugio de bordo do brigue Caro-
lina, no da 24 do correle, e foi encontra-
do pira as bandas de (Huida ; levou cami-
sa branca e oulra de riscado azul e branca
com bolei brincos dos lados, e chopeo do
palha : e levar ao escritorio da Viifei Gau-
dino & Filho, ou a bordo do dito brigue,
tundeado defronte |do arsenal de guerra.
Fugio, no dia 99 do correte, pelas 4
horas da larde, una cabra mucama de qua-
si 40 annos, altura regular, bstanle aeeca
do corpo, com falta de denles ns frente ;
levou ass orelhss brincos de pedra, vestido
de casea-chila, chales de 18a rxa, e sapa-
tos de couro ; julga-se sndsr mesma nesta
cidade, por ler dous filhos escravos de ou-
lra pessoa : q uem a pegar leve-a ao seu se-
ntaor, o tenenie-coronel Joo Florentino Ca-
valcanti de Albuquerque, no engenho Re-
canto, em Serinhem, ou a seu correspon-
dente, na rua da Florentina, eass da eiqoi-
a eeafronteao iheatro aovo, que ierl bem
recompensado.
Andi fgido, desde o dia 17 do corren-
te, o escravo Dente, de nagSo Neg, com ta-
inos pelos rosto, signal de sua nicffo, de
boa estatura, bem preto, bragas compridos,
per as finas ; representa ler 3* a 35 abos;
he bem parecido, muito ladino e esperlo ;
quasimmci est rilado 1 quem o pegir le-
ve-oi rua da Aurora, n. 19, que ser bem
recompensado.
Fugio, a preta Jicinthi, de naggo Con-
go, ciri um tanto Opado, edr tula, ralla da
dentes na frente, ps apilhetados e groi-
soe, e he bem fallante. Iioga-se as autorida-
des polieiaes e espilles de campo que a
apprehen lem e levem-oa i rua do Rospieio,
a. 36.
Fugio, no dls 92 do conente, urna es-
crav di Cojti, de nome l.uzn, de sltura
regular, de meia idade, bem prela, com um
talho no rosto, olhos paqueaos e fondo,
peaina pequeiius, uurpa mediano ; lem urna
argoli no bngo ; levou vestido de riscido
com palmas encarnadas e chale do chita
com urna barra em roda : quem a pajar la-
va-a a rua Bella, n. 16.
Fugio, no dia 25 de outubro |aWmo
nassado, do engenho Sitlo-do-Meio, da ri-
beira de Una, o mulato Benedicto, de 95 an-
nos, de altura regular, grosso do aorpo,- ci-
Caldas da Silva, na rua dos Nartyrios, O.
14, que ero gr-lflcadoi.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EE86WJN1F_QJIZJ1 INGEST_TIME 2013-04-24T18:23:00Z PACKAGE AA00011611_07226
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES