Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07225


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno XXIV.
Scgunda-feira 2
PAtlTllJAB DOS COBMIOI,
Golanua e Parahiba, s segundas e sextas reirs..
llio-Grande-do-Norte, toda ti quintas feirai ao
melo-dla.
tJabo, SerihhSem, Rlo-Formoio, Porto-Caivo e
Macelo, no!.',a II e 21 de cada mes.
Garanbuns e bonito, a 8 33.
Boa-Vina e Florea, a 13 e 38.
Victoria, quinta* feira.
OliniWtWoi oadijs. -m.
iratiiniKi.
/Nova, a 3, ai 2 e 58 ra. da t.
p..h a*, mi )Gre,c- II. a h.e 17 roldad
PH.ia.-aT ..jo,,,,, ,a, ai3 e 35ra.dam.
(Vflng. i 25, as 6 h. M m. da., t.
niUMiB m ao.
Priineira ai 2 horas 42 minutos da tarde. "V
Segnoda as 4 horas 6 minutos da uianha
de Dezembro de 1850.
N. 273.
*azoo da uaMWiygAo.
Par tres meses (aJTautados) 4J000
Pataeis.mezea W 8/000
Pos; trai anno ) 15|000
DUI DA SIMAN A.
2 Seg. S. Bibiana.
3 Tero. 8. Francisco Xavier. Aud. do J. da 2.
v. do civel.e do dos feitoida fasenda.
4 (Juan. 8. Barbara. Aud. d 5 Qulnt. Geraldo. Aud. do J. dol orf. e do
"i. da 1. v.
6 Sext. S. Nicolao. Aud. do J. da 1 y. c. e do
dos feilos da fazenda
7 bab. 8. Ambrosio. Aud. da Cbanc. e do I.
da 2. r. do civel.
8 Doro. Coucelcao de Nossa Senhora.
CAMBIO ZM 39 DI MOVIKBHO.
Sobre Londres, a 29 M2 30 d. p. 1/000 rs. 60 dia
Paris, 333 por Sr.
. Lisboa, 100. por cento. _.
Oiiro. Onca hespanholas..... 29/500 a 30/D0p
Moedas de 67400 velhs5. 16/200 a 16j500
> de 6/400 nova*. 16/000 a 16M00
de4|000....... 9/WX a 9/200
Prata.Patacdes brasilelro..... 1*%M a 1/980
Peso colulunarios..... 1/980 A 1/1180
Ditos mejicanos........ 1/700 a 1/780
5
PABTE OFFICUL.
MimSTfRIOBA JUSTICIA.
' Lei n. 602,
DE O DE MTE1IBR0 DE 150.
V 0V*_O8CiNISC*0 A" CUADA (UCIOllAL
. ***; do iupeio.
f CoOftantaoWa sHnstaro emtxdtnle.j
CAPITULO ni.
"Da* atnr**, wjwiasa, *;prd* dt poiloi.
Art. 6*. ta-OfflclaesAthtkarda nacional go
sr0 dM rrmaias honras que compru-m nos
do rti(i su perdera os pastos, por de-
missio a sea pedido, ou os casos, e pela ma-
nrira marcada na presante lei.
Art. 61. Quando convler ao servico poder
o govrrno demltllr ojTjfficlaes do exercito de
qaariquer postos que occuparein na guarda
nacional. .-
Tambera poder dispensar de todo exerci-
c|o por tempo indeterminado, continuando
todava a gozsr.es honras inherentes a seuscos-
tos, os commandantes superiores e os cocfcs
(Testado malor que nao forem officiaes do ex-
ercito, os tecretarlptgeraei, os aldanles de or-
dena, e os commandantes dos balalhoes, cor-
pas, leccflesde baialhio c esquadrOes avulsos.
Art. flj. Durante a diipensa serao substitu-
dos ajgaamandantes superiores peloi cbefei
d'esiadHBalor, e estes, asaiin cerno os aju-
danles le ordens e aecretarioa geraes, pelos
officia'e* que o goveroo ou os presidentes de
signaren).
Os cominandaotea dos batalhflee, corpos
irccOee de batalho e esquadrde* serio subs-
tituidos -relos ieui immcdialoi, ea respeilo
dos majoiesc ajudanlca obsrrvar-se-ha a di-
posif ao do rtico 49 d'esla lei, pudendo tan.
bem os ffresldenles noinear inleriiiaiaente
ouiros otliclaes do eaeretto para fasverem tuas
vezes, se as circunstancias exiglresa.
Arl, 03. NSsTaxi os ettciae* mencionados no
argo Olenas todos os outros, poderO ser
suspensos do exerclcio de seus postos pelo go-
veroo e pelos presidentes de provincia, quan-
do coinmeiterem falla pelas quae devo res-
ponder a conselho de disciplina, e eni lal caso
obscrvar-ie-hio as mesmas regras que fico es-
tabeleclila* a reipeiioda sulistituico.
Ari. 64. Quando for dlssolvida a guarda
despachados para outroa, reformados ou de-
ittidos, como parecer, justo ao governo e
aos presidente, que terao em conslderacio
os Bons servlcos anteriormente prestados.
Os acluaes chefes de legrio, qoe forera no-
useed** commandantes d batalhe* ou corno,
ou chefes d'eatade maior, conasssvar n'esse
exerciejo a gradaeco de coronel.
Os arl Mu *jore, que forem noinrados
pregada deiilro do proprlomunicipio em ser-
viso ordinario, para o qustttevein ser chama-
das diarlameute, e por escala, todas as pra-
Ica exlsteutes no mesmo lugar, mo percebe-
reVveucl ment algum. ,
Art. 87. A guarda nacional deve fornecer
deitacamento dentro ou for dos rcipeclivos
municipios nos srguintefrcaaos:
i 1. Quando fallar a Uopa de Unir e de
nacional de algum logar, como permute o ar-
tigo 4.', iicai os ufliciae suspensos do exer-
clcio de seus postos; mas o governo poder de-
terminar que todos, ou algun d'ellei, conll-
I uueiu a servir como addloos a oulro corpo,
ae o Julear convrnienie.
A>, fi* O governo oa presidentes da pro-
) vincla poderO, por urna ordem motivada, pil-
I var dos pollas os ofllciae de sua noaueaco,
nos seguales caaos;
j>-1. Quando nao procurarem as patentes
ou nao se apresentarem fardados c promptos
nos prazos marcados pelo regulamento.
2. Quando se ausentaren! do dlstricto do
; sen corto por mala de seis metes, sem licenca.
S. Quando anudaren! de domicilio para
fiira de dlstrseto (bavendo espera de seis me-
iei) sean lereni ahi servido quatro annes a
menos como ofticiaes, ou descomo guardas.
Oa olTiclaes de que trata este parsgrapho,
se nao forem privados dos pollos, ncar ag-
gregadoi ao carpo que houver no logar de
I sua nova residencia,anda qu seja em diversa
[proTincia.
Art. 66. Oofllcial ter baixa do posto:
$ 1. Qaanae for coodemaado por seotenfa
da auioridade -civil panada em julgado par
crime contra aindependencia, iulegridade e
dignidade da ua(o, contra a conslitui(ao do
imperio aJoruia do scu governo, contra o che-
fe do injino governo, c contra o livre exer-
clcio dos poderes politices; pelos de contpl-
ra{5o, rebelliao, sediego, InsurreicSo, hemi-
cidio, raitidade, mneda falsa, reaiilenela, lint,
da de presos daoodrr da justlca, arroiaba-
tuento de cadeas, pelu, luborua, irregular!
dade de conducta, furto, bancarou fraudu-
lenta, roubo, e fabrico de instrumentos paral
roubar: ou por algum outro que osujeilei
pen d gals por qualquer lempo, ou de
pristo por dous ouinals anuos.
? i. Quando ae achar comprehendido em al
guia das dlspesicdes doailigo 99 da presente
Ate- 9 bn qualquer dos caaos a que
refere o 2. do artiga antecedente ser o ne-
gocio subractlido ao conseibo de disciplina,
que allcudende sua gravidade e clrcuuisuo-
clas, poder Impor a pena de baixa do posto,
ou i de prisao, consterne a ditposlco do arti
ciPniLo ir.
P riftrm doi oglciaet.
Art. 68. Os sflicujes da gnala nacional,
que como laes houvevem servido por mais de
viole annos, os que tiverem mals de cincoenta
anno* de Idade, e de dei de servlfo, e os que
pac occasiao do.servlfo bauvereui adquirido
te molestia oh leaao, podero ser refbrma-
I ase pasto* que nqeuparem.
Os que^chsaijD-se n'estas circimstarjclaa
^ llXItw MI.MSUIUU |^. -* -* .
dade a.serelccv e principalmente na inatruc-
cao da guarda nacional, ou por donativos fel-
tas para ais deipeaas d'ella, poderfi ser refor-
mados coa am pesio de accesse.
Art, 60. O olnclaei do terrifo activo que
foreuf reformados, a. as que por idade aven-
tada ou molestias se aqhareni inespazes para
esie tcrvi(0,nio tendo porm os annos ne-
rlos para a, poder obler pas'-
precados laesinos postos. ou I
Art. 70. A TtTarma ser-concedida pelo go-
verna ittM preasdeales d
mesika aaastlra e aasn n ursuta
desdss, nomcac.i*i. aobranrf^
roetayle, dajaBFtti^o
A/t.7. As disposicOes d'esla lei cosicer-
nenles ao proviinrnto e vllllcledd* do* poi-
toi da guarda nacional, e a reiorma doi offi-
clae* slo applicaveis Bornale sos que forem
nomeaSdo* e execufo, e n s>trflrs<*sle
dawunii.
O* existentes aa tempo da sua promulga-
cao seraovaein dependencia de proposla a
orem datcceiso, confirmados aospojasl
oceupaftm, pusandorie-lhea norai patente*,)
W -
Be tml/orjas^ortaameiite ; yr^^'la.
Art. 7i. O governo autortsado a designar
Como mals convier o uniforme e distiocti-
voi da guarda nacional, que so poder ser
alteradoa por decreto.
Os Infractores sero punidos com a pena de
reprehenso, ou prisao, podendo esta nos ca-
sos de reincidencia elevar-se at quinte das.
Art. 73. As armas de guerra terao ministra-
das guarda nacional a cusa do estado, sen-
do marcadas e numeradas; e a sua entrega
constar de registros assignados pelos guardas
que aa receberem. iicsndo estes obrlgados a
conserva-laa em i'om estado, c a restitu-las
como propriedade da naci.
Art. 74. tioi regulamentos que expedir a
respeitb da dlitrlbulfao e comervacao do ar-
mamento, corrame, munlcoei e Imlrumen-
toi, livros, bandtlraa e mals objeetos forneci-
dos guarda nacional, da responsabiildade dos
ofticiaes e guardas pela conservaco d'esses
objeetos, e da maucira de promover a indein-
nisacao devlda fasenda publica, poder o go-
verno comminar a pena de prisao at trlnta
dias.
Arl. 75. 0* corpas da guarda nacional per-
lencenlc a diversas armas observarad entre si
ai inesmai precedencias que se observo entre
os corpos das diversas armas de linba.
Art. 76. Sempre que a guarda nacional can-
Correr com tropas de liaba tomar o logar mais
distlncto.
O commando, as feslas, ou ceremonias
elvis perleucer ao ofcial mal* graduado,
e, dada a Igualdade de graduacoes, ao mals an-
capitaea de cemnanhia, cooserrarO tainbeus. po'llcia para o servlfo oasfcrlo da guarn-
a graduacaa deque j gozan
CAPITULO V.
ar para outro
qnaesquer ef-
provincia,
ligo no posto, ou ao mals reino em idade, caso pracas desde o primeiro dia da reuniao, ou
desde aqtielle em que cada um aahir da sua
casa, feita a conta dos que forem necessarlos
SoT
lenho sido nomeados no mesmo dia.
CAPITULO IV.
Da intlructa f aaraa nacional,
Arl. 77. Os mejores e ajudanles serio Ins-
Iruclore dos corpos a que pertencerrm, e
perceberO, como ae eslivessem empregados em
um corpo de linba, o sida a mais venc memos
proprios das patentes que tirerem no exercito,
sendo aquellc pago pelo ministerio da guerra
e estes pelo da justlca.
Nos corpos que nao tiverem mejores, neui
ajudanles, flear a instruceo a cargo dos res-
pectivos oaxtamandanles e ofnciaes, que por laso
nao perceberfl vencimento algum.
Art. 78. Os cheO. d'eatada maior aerrirO
de InsKuctores gersrs dos corpos comprehen-
dido* no districto de cada commando auperlor ;
e ie forem officiaes do exercito, perceberd o
sold e mais vcnciiuentos proprios de suas pa-
tentes, conforme a dlsposicao do artigo ante-
cedente
Art. 79. Em circumstancias ordinarias nao
se pagar sold nem gratiHca(o aoa cornetas,
clarlus e tambores dos corpos que nao tiverem
mais de metade de sua* pracas armadas e far-
dadas.
Nao haveddo na guarda nacional Individuos
idneos par este servico, poderO ser recruta-
dos ou destacados dos corpos de linba,
CAPITULO Vil.
Das inftuu V f aartfa ecitmel, s ia< admini-
trato
ArL 80 As desperas da guarda nacional
comanla i
J 1. Do forneclmento das armas de guerra,
corrame, bandelrai, tambores, cornetas e
clarn*.
2. Do fbrnecimento do papel necessario
para registros, ofncios, uuppas e processo;
dos eeuaselhos de disciplina, de livros para o
alislameato e classificaco das pracas. e do
cartuxame para os exercicios de fogo.
. 3. Do Mido ou gralilieacao que o gover-
oo arbitrar aos cornetas, clarlns e tambores,
quando o sen servico nao possa ser gratuito.
4. Das gratlficaces que bouverem de
vencer os majares e ajudanles, e os comman-
dantes .superiores e chefes d'estado maior que
forem ofilciaei do exercito.
Toda* estas despeas sero pagas pela nacao.
Art. 81. O governo mandar crear Conae-
Ihos de adiiiirnstracao nos corpos, e regular
a sua organiaac.o e altribuicori, preicreven-
aii a maoeira pela qual devao ier fornecida
a* quanlias necesssrias para as despeas, e a
sua fiscaliaacao. r^
TITULO IV.
Da ordem e qualidade do servido.
CAPITULO I.
A* ordtm do urvlf.
Art, 82. O* regulamentos relativos ordem
do aerrico, poca* da* revistas e exercicios,
e ao tempo que hio de durar, serio feilos
pelo governo e pero* presidentes sobre li.for-
inacoes doa chefes da guarda nacional.
Os commandantes podero faier todas as
dlsposicdea e dar todas aa ordens relativas ao
servico, as revistas e ae* exercicios em eon-
com os respectivo* regulamentos,
e se**) requiico particular, ma* depoi* de
havereaa revinido as autoridades civis.
Arl. 83. Quando convir a suipcosao tem-
poraria dos exerciejo* e revistas em algum
logar, o governo poder determnala, bem
i le de provincia, que em
^^^Hnerno immediata coma
. lmenlo.
i e da igualdade
aa Uis tribu icio do servico, o
Iro sargento de eada comnanbia for-
mar um regiairo, assignado pelu cAuilio,
ia em que cada guarda d'essa
companbla houver prestado algum servico.
ude a gurala nacional' estu
^^^HQBr* ou corpo*, o*
ajudan BH||>-fCgfslroi por couipa-
nhiai, q irvirpara verificar oa doipri-
uielroaMrgei
ArL 86. Todo o guarda nacional, a quem
for determinado algum servico, dever obe-
decer, fit.iido-ibe salvo o dirdtu de fl pc-
rante chele at suas reclainacdes.
CAHTBLO II.
nrif ordinario, t i* intaetmtni:
Afl. 86. Qundo> guarda lucl'easl for era-
co. para eioollar de,
as remeses* de din'" *
sWtos perten
Va (,im corir, >L
nados e quassssjslfrnairi'n* pYeso*.
2. Para soccorrer algum municipio da
mesma ou de diversa provincia, no ciso de
er perturbado, ou ameacado de sedlcio, in-
lurreieSo, rebelliao, ou qualquer eutra com.
niocao, ou de incurale de ladrOes, ou malfei-
tores.
Art. 88. O* destacamentos que forem for-
aecldns para os fin* declarado* no 2. do
artigo antecedente, nao poderO ser empre-
gados alm dos llmltesdo territorio em que
tiver jurlsdiccao a autoridade que oa mandar
u requlsltar. -Exceptuo-se os casos em que
as lei* permlttem aos jurzesa entrada dentro
dos limites de jurisdkcao alliela.
Art. 89. Em todo o caso o* deatacamentos
da guarda nacional nao deixar de estar
ujeitos autoridade civil.
A autoridade militar nao tomar o com-
mando da guarda nacional para manuten-
cao da seginanca pliblica lenio requisicio
da competente autoridade civil.
Art. 90. A requiico e orden* pelas quaes
a guarda nacional for chamada a fazer o ser-
vico de destaca mentes drver declarar o
numero de homens necessarlos.
Tees destacamentos poderddnraremquanlo
aa necessidades publicas o exigirem, dlsiri-
buindo-se o servifo com a malor igualdade
pouivel.
Art- 91 Quando a guarda nacional forera-
pregada, na.forma do arligo 87. em virlude
de ordem, ou autorisacao da governo, ou
doi presidentes, abonar-ie-ha aos officiaes e
para a marcha, o* meamos sidos, elspes e
mal vencimentos, que compelirem tropa de
altas.
A despesa ser feita pelos cofres geraes, ou
provinciaes, conforme a nalureza do servico
a que se destinar a Torca.
TITULO V.
Parle peual.
CAPITULO i
Dos pinas a que fica iu;eila a guarda nacional em
irrita ordinario, > ale drifacaaawalos.
Art. 92. Os commandantes de postos ou
guardas poderO enpregar contra oa guardas
auciooaes em lervico as seguales penas :
1. PoderO fazer dobrar senlinella, haven-
do todava a folga de urna hora entre urna e
outra, a qualquer guarda nacional que no
tiver acudido ao chamamento, ou se tiver au-
sentado do posto sem ordem. ,
2. Poder reter presos no corpo da
guarda, at o seu rcndlmento, aquelles quei
CAPITULO II.
Dtt conielhos de diiciplina, forma do profuso.
Art. 102. Formar le-ha conseibo de discipli-
na logo que occorra algum caso que, segundo
as disposeif s d'esla lei, deve ser por elle jul-
gado ; e constar de um presidente major ou
capilo, e de qualro vogaes, a saber, um capi-
tn, e um leneate on alferes, um sargento ou
cabo, e uan guarda nacional.
Na mesma occasiao nomear-ie-ha um pro-
motor, que pOder ser um inferior, cabo ou
guarda ; e o meoi graduado dos vogaes ser
o secretario. ... .
Art. 103. Se o reo for ofriclal, em logar dos
dous ltimos vogaes entrarn dous ofticiaes do
posto do reo. Se o reo, for official superior, o
conselho se eompor de um presidente que
tenha a graduacao de coronel ou' tenente co-
ronel, e de qualro vogaes officiaes superiores
ou capilar*.
Em qualquer d'estes casos o promotor tam-
ben, devera ser official, mais de graduacao in-
ferior do presidente do conselho.
Art. 104. Compete ab promotor fazer a ac-
cusaeo peranteo conselho pela mancira ad-
ente declarada, e ao secretarlo eterever* no
processo.
Art. 105. Logo que a autoridade competente
tiver nomeado o conseibo de disciplina remet-
iera ao promotor a nomeacao, as partes, quel-
xas, rrpresentacoe*, ofncios, e quaesquer ou-
tros documentos que provem os factos sujeltos
a julgainento.
Art. 106. 0 promotor accordar com o pre-
sidente do conselho sobre o dia da prlmeira
sesso, entregar ao secretario todos os papel
para oa autoar, e mandar citar o re pera
comparecer na priineira sessao, por si ou por
leu procurador.
Art. 107. Comparecendo o reo ou seu pro
curador, em aetso publica, o promotor es-
pora o objecto do conselho, e o vogal mais
graduado interrogar o reo sobre as paites,
queixas ou represeniaces, fazendo tambem as
perguntas que o promotor requerer que se
faci.
O secretarlo escrever todas as perguntas e
respostas, e na mesma sosao, ounas srguintes,
serao pergtintadas testemunhas, se forem ne-
eessariaa para prova dos factos sujeitos a con-
selho, e depois a* que u reo apreaentar em sua
defesa ; podendo urnas e outra* ser contesta-
das pelo promotor e pelo reo.
Art. 108 Recolhidas as provas, o promotor
far um relatorio verbal do processo. concluln-
do a sua exposicao com a indicaco do arti-
go ou artigas d'esla lei em que o ro eativer
comprehendido. .
Art. 109. O reo por si ou por outrem, pode-
r defend-r-se tambem verbalmente, linio o
que se retirar o reo, o promotor, e todos
os espectadores ; e tornando-se a sessio secre-
ta, o conselho deliberar, propondo o presl
denle em primeiro logar a seguinte queslao ,
E.tA provada a culpa argida ao reo ?
Decidindo o consello pela alnnativa, o pre-
sidente perguntar qual a pena que se deve
impr ; e em conformidade da decisio o secre-
tarlo lavrar a senlenca, que ter asilgnada pe-
lo presidente e vogaes.
Art. 110 Seo rea, ou seu procurador, nao
comparecer no dia determinado pela citacao.
se tiverem embriagado, ou que fizerem alarido, ou- n5 A" legitima escusa, o conselho, vista
empregarem viaa de facto, ou provocaren! a
desorden* ou violencia*, sem prejuizo da re-
messa ao conselho de disciplina, quando pela
fallaconmettida tenhaincorridoemmaiorpena
Art. 93. Alm do Ifcrvico regularmente de-
terminado, que todo o guarda nacional, cabo
ou inferior deve executar, sero obrigades a
mentar guarda, sem Ibes tocar, quando o che-
fe do corpa assian o ordene por haverein fal-
lado afpuma vez.
Art. 94. No caso* de que trata o o* artigos
96, 96 e 97, poderO o* commandantea supe-
rlorese os chefes dos balalhoes, corpos, iccces
de batalhei, esquadroes ecosnpanhiaa avulsas
impar aa* officiaes e pracas sujeilas ao seu
commando as srguintes pena* :
jj 1. Rrprehensao simples.
2. ileprehento com mencao na ordem do
dia.
53. Prisao at oito dia*.
rt. 95. Ser punido com reprehenso sim
pies o official, official infeajor, cabo ou guar-
da nacional que tiver commetlido qualquer leve
infraccao daa regras do servico.
Arl. 96. Ser punido com reprehenso men-
cionada na ordem do dia o official, official in-
ferior, cabo ou guarda nacional, que estando
de servico ou em uniforme, tiver um proeje*
dimento que pona icr prejudicial disciplina,
ou ordem publica.
Art. 97. Ser punido cosa priao at oito
dias, segundo a gravidade do caso, o official,
official inferior, cabo ou guarda, que estando
em servivo, se tornar culpado :
1. De desobediencia WWtMobordlnaco
2. De falla derespelte. ouempregodepala-
vraioft'enslvasouiajurli jjameus superiores.
$ 3. De (nasaltos ou ii Bk aos seus subor-
dinados, oule abuso de^aMBrWade.
$ 4. De omissao de algum servico determi-
nado ou infraccao das regras do servico. -
5. De embriaguez.
Arl. 98. Quando em qualquer dos casos do
arligo antecedente o crime for aaaravado pela
reincidencia, ou por alguina circumitancia
que requeira malor ruulco, ser o negocio
rt-iiiitiao ao conseibo de uiii|Muai que pode-
r impr a pena de prisao ate' dous ntezes
Art. 99. Ser "Julgado pelo conseibo de dis-
ciplina o official, efcial inferior, cabo ou
guarda nacional, quando culpado :
$ I. De abandono dea armas, ou do seu pos-
to, sntes de ser rendido
t. De falla de comparecimento quando
for designado para o servico do destacamento,
ou de ausencia estando j em effectivo servir o.
$ 3. De nSo satisfazer, como eoromandante
de corpo, deilaoaiaento ou paite, a* ordena
e reqislrAei daa autoridades que tetn direito
de requlaiur a torca publica.
f 4. Ele reunir a forca de seu couunando
sem ordem ou requisicio de autoridade com-
petente, ou lora doa casos previstos pelas lei
e reglame)
Arl. 11 jualquer doa casos do arligo
der o conselho de discipliua
impOr a* segutntes penal :
j 1. Priao ata dous metes.
$ I. Hall do posto aos officlaei.
Art. 101. A appllcacu ii penas estabeleci.
itsi n'esta lei nao isents os efllclae, officiaes
Inferiores, cabos e guardas aactonae de qual-
m que locorrcrcnt por crime de
diversa nalureza, ainda que comettido era acto
Hf fvlfo..
da ccrlidaoda citacao, progredir c sentencia-
r o reo revelia.
Arl. 111. Daa sentenca do conselhoj de
disc plina que Impoierem a pena de prisao
at 15 das nao haver recurso algum. Das
que a Impoierem por maior prazo, ou a de
baixa do poato, conccder-ie-ha appellacao pa-
ra uina junta compoita de tres officiaes da guar-
da nacional dos mais graduados da comarca
da capital da provincia, do Juiz de direito res-
pectivo, que servir de relator com voto e do
presidente da provincia, que tambem votar
em caso de empate. Da tentencas de absol-
vieo haver appellacao ex-officio para a mes-
ma junta, ficando em qualquer dos casos sus-
penso o reo do exerclcio do posto desde a ac-
cusacio al a confiranacao ou revogafio,
Art. 112.0 conselho. de disciplina que bou-
ver de julgar os commandantes superiores se-
r composto de quatro officiaes da guarda na-
cional do* mais graduados da capital da pro-
vincia, e do Juiz de direito, que_ servir de
auditor com voto, sendo aaeomacao feita pelo
promotor publico.
A forma do processo n'este conselho sera a
mesma queprescrevem os artigos anteceden tes;
e de lus sentenca, anda que so iinponhio a
penas de prisao at 15 dias, haver as mesmas
appellacOes para o conselho supremo militar,
ou para na Juntas de )usticaonde existimo.
Art. 113. Aos commandantes dos corpos com-
pete comear os conselhos de disciplina para o
julgamento doi seus officiaes e pracas ; ao go-
verno na corle, e aos presidentes as provin-
cias para o dos commandantes superiores; e
a estes para o dos officiaes doseu estado maior,
e dos commandantea dos batalhdes, corpos,
seccOes de balalhio, eaquadres, e couipa-
nhias arulsaa. Onde nao houver coraman-
dante auperlor aera esla attribuico exercida
pelo presidente da provincia.
Nao havendo no municipio o* officiaes ne-
cessarios requisilar-se-hio doa municipios vi-
alnhos. -
Art. 114. A cada conselho de disciplina se
dar um ordenanca guarda nacional, que ser-
vir par 7*-cr ~ ^ii^u u reo, e cumprir as
mala orden do conselho.
Ao presidente compete aanter a ordem na*
euoca.
de de lei especial. Dado porra o cato de re-
belliao, ou de Invasio repentina de inimigoa
no intenrallo das sessOes da assembla geral,
o poderO ser, por decreto do governo no mu-
nicipio da corte, e por ordem dos presidente
as provincia, dando-se conta assembla
geral logo que estlver reunida.
Art. 119. A le, decreto, ou ordem pela qual
e determinar que a guarda nacional forneca
corpoa destacados para o servico de guerra,
dever fixar o numero de homens e a duraco
do servico.
CArlTULO II.
Da iesignjS Jos /antes naeisttaes para a eeei-
poeieo de cornos deilaeadoe.
Art. 120. Pars a composicao dos corpos des-
tacados serio preferido o guarda nacionaes
|ue se apresentarem voluntariamente, e qije
orem julgados proprios para esse servico.
Art. 121. Se o numero de voluntarlos niofor
sufhciente para completar o contingente eaigi-
do, sero designados os guardas que hio de
fazer parte do corpos destacados d'enlre o
eotnprehendidosna lista do servico activo, que
nao estiverrtn dispensados em virtude d'esla
lei, classincando-se iodos na orden seguinte;
I. Os sol lei ros.
J 2. Os viuvos sem filhoi.
3. Os casados sem filbos.
4. Os casados com fllhoi,
'5. Os viuvos com filhos.
Art. 122. A designacio principiar pela prl-
meira classe, c nao se pastar segunda sem
esiarem designados todos os da priineira, e
Ssim por diante. Era cada una das classes se
principiar pelos mala mocos, seguindo-ie a
ordem das idade*. .
Art. 123. O irmo mai velbo de orphaoa
menores de pal e mi, o lllho uuico, ou o
mais vellio dos filiaos, ou do* netos de urna
viuva, ou d'um ceg, aleijado, ou sexagenario
( quando Ihe tervirem de amparo) entrar na
ciasse dos casados com filhos.
Art. 124. A designaco ser feita conforme
o* regulamento* do governo pelo conselho de
qtraiificaco, com recurso para o couselho de
revista, de Cujas deciies tambem haver re-
curso para o governo na corte, e para os pre-
sidentes as provincias.
Arl. 125. Nao sao proprios para o aervico
de corpos destacados:
1. Os que se acbarem inhabilitados fjaar
molestia.
5 2. Os que nao tiverem a altura do eitalao
que se houver eslabelecido.
Art. 126. 0 guarda nacional designado para
fazer parte de um corpo destacado pode dar
em leu logar um substituto, com t.nto que
seja eidadao brasiliro, e que tenha a idade de
18 a 40 annos.
Art. 127. Se o substituto for tambem desig-
nado-para servir em corpa destacado o substi-
tuido dever marchar, ou apreaentar outro
em seu logar.
Art. 128. O guarda naclonel que tiver subs-
tituto noi corpos destacados nio flear isenlo
do servico oidinsrio da guarda nacional.
CAPITULO III.
Da ormaco, administrado i vemcimenloi dos cor-
pos (Orlara Jo.
Art. 129. Os corpo* que desjacarein para.o
servico de guerra conservarO a sua organisa-
co sempre que n'isso nio houver inconveni-
ente. No caso contrario dar-lhes-ba o gover-
no ou o presidente da provincia, a orgaulsacao
provisoria que for mais adequada circiuni-
tanciai e necessidades do servico.
Art. 130. A designaco dos officiaes que
houverem de servir nos corpos destacados ser
feita pelo governo, ou pelo* presidentes, que
poderO escolhe-los d'entre os da guarda na-
cional, ainda que nio pertenco aos meiuios
corpos que tiverem de dar os contingente*, ou
dos do exercito.
Art 131 O. corpos destacado da guarda na-
cional receber os mestaios s Idos, etanes e
mas* vencimentos que compelirem aos de li-
nba.
Art. 132. A naci fornecer o armamento a
equipamento aos corpos destacados, bem come
o f.irdamenlo aos guardas que o nio tiverem,
nem ineios para o lazer sua fusta.
CArlTULO IV.
Da Ueeiplina dos corpoi deilacadoi.
Arl. 133. O guarda nacional que recusar fa-
ier o servico de corpos destacados, que tlirci-
tamente lhe competir, ser obrigado a servir
no exercito o dobro do tempo que durar o des- .
tacamento, ou accrulado le nao tiver motivo
legal de isencao .
Arl. 134. Logo que o* corpo* deitacados da
guarda nacional eillverem organitadoi, lica-
r sujeitos ao nieinio regulamento c discipli-
na do exercito de lioha.
TITULO Vil.
DisposicOes diversas.
poder legislativo
Art. 116. O procenos do conseibo de disci-
plina nao sao sujeitos ao aeilo.
Art, 116. A pena de prliio Imposta aos offi-
ciaes, officiaes infeiiores, cabos e guardas na-
cionaes ser cumprida na* cdelas publicas
onde nio houver fortalesas, quarleis, casas de
eamsra, ou outros edificio* que se potojo des-
tinar a esse ti ni.
O* ofticiaes podero trr por prisas as suas
proprias casa*, te o permiltiresn oa respectiva*
cbele, alienta a la conduela, a a* eircums-
tanciai do caso.
TITULO VI.
Dos corpos destacados da guarda nacional
para o sci vico de guerra.
CAPITULO i.
ofAamaawnlo e reir *> corpa deiteaioe.
Ari. 117. A guarde nacional deve fornecer
corpoi deatacadoa nara Tender aa pracas,
frejpeiras e costas ca imperio como auxiliares
'el{o de linba.
Art, 118. Os corpos deilaoadoasBao podera
ser tirados da guarda nacional ellao en virtu-
Art. 135. O poder legislativo decretar as
recompensas que ho de ler oa officiaes epra
vas da guarda nacional que receberem ferldas
no servico ordinario, de destacamento, ou de
guerra.
Art. 136. Os officiaes do exercito que serv.
re na guarda nacional nao acarad por liso
prejudicadoi no direito que tiverem pronto,
ci militar. As disposicOes d'eata le a re-
peilo da ma nomeacao e vencimentoi ajo tam-
bem appllcave* ao* daa extlnctaa milicias que
vencena sold, .
Art. 137. Ros regulamentos que expedir
para execucio d'eala lei poder o governo com-
minar multa* de50/ al 200/ rs. ae* seus infrac-
tores.
A importancia d'eitai inulta* ser exclusiva-
mente appllcada i deipezai da guarda nacio-
nal ; e as ordens do ministro da jutlica, do
paClldente da provincia, ou da autoridade que
o* regulamentos designaren), terao ferca de
sentenca para a cobranca. s >
Art. 138. Fica eiu vigor a resolucao n. 520
de 14 de fevereiro de 1850, que aulorisa o go-
verno a dar urna orgaulsacao especial aguarda
nacional das frontelrai, e revogadoa lodos os
actos legislativos provinciaes concernen les
guarda nacional, como se de cada um d'ella*
se fizesse rxpressa mencao, e quaesquer ou-
tta% disposicOes eso contrario presente lei.
Mandamos portento toda* ss aulboriJade*
a quem o conhecimento e execucio da refe-
rida lei pertencer, que a cujopro e faci cum-
prir e guardar tao intelramrute come n'ella
se contiiwO secretarlo dVatado do nego-
cio* da jnala faca imprimir, nagtollcar e oor-
rer. Dada no palacio do Hio de Janeiro, ao
desenove de letembro de nHi oitocantos e cin-


coi'iitn, vigsimo nuno da independencia e do
imperio.
Imperador eom rubrica e guarda.
Eutehiode Queiroi Coilinho Mall-iio Cmara.
Carla de lei, pela qual Voisa Magestade Im-
perial manda rxecutaro decreto da asaeinbla
geral, que houve porbem sanecionar, aobre a
guarda nacional do Imperio, na forma cima
declarada.
Para Vossa Magestade Imperial ver. Anto-
nio Alvares de Miranda Varrjao a fez. t
Kwrliiodt Quiirot Cnilt'nho Mattoso Camira
Sellada na chancellara do imperio era 24
de setembro de 1850.
Jotino do HoscimenloSilva.
Publicada n'esla secretaria d'estado dos ne-
gocio! da justtea (ni 24 de setembro de 1850.
Jotino do Ifaicimenlo Silva.
Registrada no livro de leis e decretoj.
Joii Tibureio Coraeiro di Campot.
"MAMO M flIMIBUCI)."
rer, 1 de DiiiMano u Uta.
As gaze'as que nos trouxe t barca Bonito,
chegada honlem da Liverpool, alcancam a
25 de mimbro prximo pausado, istoh1),
luis ilias apenas adianle daquelle, a que
chegaram as que ltimamente recebemos
Wiltiam lluuell. As noticias que ellas con-
ten sflo cm resuma as seguintes :
A Franca ficra ti anquilla, mas este feliz
estado parece que no ser de luuga dura-
rflo. O pomo de discordia he a prolonga -
cao dos poderes do presidente; osBoua-
parfistas ardentemente a desejam e susten-
tan ao passo que o TitrtParti, os Legiti-
mistas e os socialistas a reprovam e comba-
ten). Estes ltimos al proefamam em suas
fiilhas que qualquer tentativa para a revisBo
da conslituicSo, a tiBo ser pela maneira por
ella determinada, dar necessariamente lu-
gar a urna rovolucSo.
Se algum membro da maioria, diz urea
dessas folhas, propozera prolongaco dos
poderes de Luz NapoleJo Bonaparte, oSr.
general Cavaignac nao smente ha de corn-
bater esta proposta, seoSo tamban ha de
declarar que se a despeito de sua incona-
titucionihdade, ella fr adoptada pela as-
sembla, elle far un appello ao patriotis-
mo de todos os Franc'ezes, aos quaesaas-
Sbla nacional conllou a guarda da cons-
icSo de 14 da novembro, e se collocara
frente de todo os cidadSos que quizerem
levantar-se para defende-la.
O Sr. general Cavaignac tem-se ex-
pressado sobre este ponto de urna maneira
que nSo deixa oenbuma duvida acerca de
sua determinacao, n nSo tememos enga-
nar-nos, acrescentaudo que elle est com-
pletamente de accordoaestereapeito com
o Sr. general Lamoricire. O Sr. general
liedeau ainda nSo declarou-se 19o formal-
mente como osseus collegas; porm, jul-
gando Dor sua conducta previa, eremos po-
der alrmar que elle nao hesitar em dizer
que em urna tal emergencia fara causa
commum com os mesmos para defender a
conslituicSo, ae esta for nconstilucioiial-
mente atacada, e especialmente para com-
bater a proposta relativa a urna prolonga-
Co de poderes, se urna proposta deste ge-
nero achar defensores entre os represen-
tantes do paiz. Porlanlo, pojemos estar
seguros de que em todo o caso oSr. gene-
ral Cavaignac fara una canipaoha impor-
tante durante a prxima futura sessfio. Elle
sent toda a necessidade disso, nBo Unto
pelo seu proprio interesse pessosl.como pe-
lo interesse da repblica j pois he cdegaJo
finalmente o lempo de defende-la de urna
maneira decidida contra homens que tam
aberlamente Irabalhsm por derriba-la.
O general de Hautpoul, ministro da guer-
ra fura demiilido deste posto, passaudo a
respectiva reparticipacao a aer dirigida pelo
general Scliaramm, veterano do exercilo da
frica. Assguram una que a demissBo do
general de Hautpoul fOra occasionada por
desintelligenciss existentes entre elle e o ge-
neral Cliangarnier; oulros porm asseveram
que fura motivada pela censura que Ihe
zea a coincnisslu permaneule da assembl
por causa de nao impedir que os soldados,
quando em forma ou em marcha, dessem
gritos contrarios constituido, e conside-
ra m esta demissSo como urna salisfacBu
dada pelo presidente da repblica a dita
commissSu.
Em Trie) a polica apprehendeu nina grande
quanlidade d armas e munijao, e bem assim
varios folbetos polticos com os seguiules liiu-
los: L$ bal A Guillotina ; Salul por Union,
Huini par Divisin; I.'lal grund Capitaliili ;
Apptlaux Rrpublicains, ele. r'oram laiubem all
avhadus retratos de Barbis, e diflerentes em-
blemas sediciosos.
Ero Tibei val, Pitsy e Conllaas foraui igual-
mente aprehendidos varios folheios sediciosos,
* acbaudo-se em Andilly 100 wedalhas de bron-
zccom aerTigiede Leiu jioliin.
Ito dia 88 de outubro fatteceu o Sr. bispo de
Blnis. Mr. Lassagoi, presidente da Cour de Cai-
tation, nao podeudo maii detempenhar as func-
(des do seu cargo por causa de so* dade pro-
vecta, pedir ltimamente a sua demlsso, e
corra que Mr. Perml, o qual fra inluislro da
jusnea uo lempo "do relLuii Filippe, seria Ho-
rneado para o substituir.
U papa tinlia ltimamente restabelecido a
bierarchia episcopal naGr-Bretanha, Bornean-
do para essa liba doze bispos e um arcebispo-
F.sla medida levantara all no partido da igre-
Ja nacional urna irrltacao inmensa, aqual tein
aidoeipressa pelas mais violentas declaniacOes.
O arcebspo nsineado be o Dr. WisemaD, car-
deal de WesimliHler, o qual partir ltima-
mente de Florenca para Munich para de l .
transportar sua ade.
O cholera eslava faiendo estragos em Gorthe
boig, Malmoe, Ronneby e Raae, na Suecia e
bem assim em Hreusen, Strasluud, Griefstrald,
Hamburgo e Poiaerania.
Peno de Solion*, na Hespanha, apparecera
ltimamente um novo bando de Carlista, mas
estes sendo logo atacados, foram batidos e des-
penados. Cinco dellet, feitosprisioneiros, lo-
ra ni no mesmo lugar arcabusadoa.
OarcebUpo de lurim, mnaseohor Franzonl,
achava-se ltimamente em Genebra e cohlo
.rae dalH mesmo pretenda goveraar a sua dio-
cese.
Em Londres os consolidados ficaram de 97
l;8aU7i}4; os fundos brasileiro, de 90 a 90
3j8 ; os argentino! a 58 oa 4 IjJ por cenia rus-
ios a 973)4 ; os qualro por cenlo portugueie
a34 1)2; c os dous e mel por cento bollaode-
, lee de 57 3)4 a 5o*.______________'
commtwo.
Brigue Pi m F. Jone farinha e bolachi-
n he.
Hiate Du biIoio geu/ros do paiz.
RENDIME NTO NO MEZ DE NOVEMBRO
DE 4850.
rtendimento total......391'7IMi,
UestituicOes. v - 391:471.208
fiireitos de consumo........383:652,*9'
Ditos de 1 por cento dereexpor-
tacno para os portos do im-
perio ................
Expediente de 5 por *|o dos g-
neros com carta de guia. .
Dito de i/i por cento dos gene-
roa do paiz.........
Dito de meio por cento dos
gneros livres..........
Armazenagem del por cento das
mercadorias...........
Dita de i por cento da polv ora. .
Premio dos assignadot -da meio
por oento .............
Multas ealcul%das nos despachos
Ditas diversas.............
Patentes dos despachantes ge-
raes ........-........
Feilio dos ttulos dos mesmos,
dos caixeiros despachantes o
ajudantes dilu......
Taxa do sello dos n\esmos ttulos
Emolumentos de certidOes. ..
Decima 'lo? predios urbanos 6:438,920
Mela 8za dos eacravos 1:079,766
Sello do 'oerangas e legados 2.093
5,006 por escravos despachados *5,l
Emolumentos de polica
20 por 0|0 do consumo" d'agoar-
dente
Imposto de 12,800
N ovos e vertios direitor
Multas
Juros
30,162
462,395
- 306,041
64,531
1:510,559
142,171
MH.SW
175,751
300,700
300,009
2,*UU
,160
22,20!)
Rs____391:471,208
Nasseguintts eiptciet
Em diulieiro.....156:276,696
Em assignados. 335:194,512
Rrctila extraordinaria.
Novoi e velhos di-
reitos recebidos
dos empregados 57,000
rVstluic3ofeitapor
um particular.. 351,000
408,000
Pepinitos.
Em bataneo no ulti-
mo de outubro,. 3:563,206
Entrados no corrente
mez. ....... ... 257,025
Saludos.
3:820,231
246,800
Existentes. 3:573,431
Noi Hfuintes eipeciei.
Em dinheiro..... 739,821
Em leilras...... 3:833,610
AlfandegadePernambuco, 30 de novem-
bro de 1850.O escrivao interino, Francisco
4c Paula Ooncalvcs da Silva.
CONSULADO GERAL.
Rendimento do dia 30..... 596,189
Diversas provincias...... 3,175
598,364
RENDIMENTO. NO MEZ DE NOVEMBRO
DE 1850.
Consulado dsete por
cenlo 28:452,112
Dito de li2 por cento 30,500
--------------28:482,612
Ancoragem para fra
do imperio. 3:226,275
Dita para dentro do
dito 404,535
Direitos de 5 por cento 315,000
Expediente da capalasta 68.260
Sellos 787,686
Emolumentos de certi-
dOes 14,520
RestituicOes
Divinal provincial.
Dizimo do algodno do
Cear 2.370
Dito dito da Parahyba 1:082,767
Dito do assucar das
5:436,276
33:918,888
413,775
33:505,113
333
. **& 102.560
20,605
31:863,600
mfmammfgfgflamgBSSSSBBSBSBS!
Cameragibe Hlate nacional rVoro Dulino,
mestre EstevSo Rlbeiro, carga varios g-
neros. Passageiros, Manoel. Vieira de
Sampaio, Emilio Marques de Santiago, >-
cintho Alves da Silva,- Vicente Frreir,
Marcellino Jos de Bello eFelismina Ma-
rlada Anniinciacao com 1 criado,
Decanles.

Mesa do coonsulado provincial de Per-
nambuco, 30 de novembro de 1850.
0 escrv.1i> da prmeira sec;So,
Joao Ignacio do Higo.
PKAGA DO HKCItt, 30 DE NOVEMBRO DE
1850. A'S 3 HORAS DA TARDE.
Jteviifa lemanal.
Cambios Fizeram-se traRSaccOes a
29i|2 e30 d. por 1,000 rs.
Algodlo- Entraran! 1,160 sacess, que
foram vendidas de 6,900 a
7,000 rs. a arroba de pri-
mara sorte, e de 6,500 a
* 6,600 rs. o de segunda.
Assucar--------As entradas foram avalla-
das, e os Unos foram mais
procurados que os ordina-
rios. O iiiauco eusauuau
embirricado vendeu-se
de 1,900 a 2,900 rs. a arro-
ba, eo maaeavado de 1,60C
a 1,700 rs.
Couros Venderam-se a 120 rs. a li-
bra dos seceos salgados.
Arcos de ferro dem a 7,000 rs. o quinUl.
Bacalho O mercado foi supprido
com 2,166 barricas, sendo
483 com escama. Este car-
regamento foi vendido en-
tra 11,000 e 13,000 rs., ten-
do-se rettlhado de 12,000
a 13,000 rs. a barrica, fl-
etado em ser cerca de 7,500
barricas.
Barricas vasits Venderam-se de 400 a 500
rs as levanUdas, e 300 rs.
as abatidas.
Carne secca Entraran quatro carrega-
mentos, e as vendas da se-
mana regularan) de 2,800 a
3,400 rs. a arroba da do
Rio Grande, e de 3,200 a
2,800 rs. a de Buenos-Ay-
res. Ficaram em ser 40
mil arrobas.
Chumbo Vendeu-se de ris 13,000 a
14,000 o quintal em lenco!.
Farinha de trigoTivemos dous carregaaten-
tos dos quaes um veio de
Pliiladelphia, e foi vendido
Cor atacado a 14.000 rs. .a
arries. -- Retalbou-se a
17,000 rs. a de Richmond,
14,000 rs. a de Ballimore,
14,500 a 16,000 rs. a de
Philadelpbia, 17,000 rs. a
de Trieste SSSF, e 14.000 a
16,500 a franceza, marca
Barn. -- A existente anda
por dea mil barricas. .
Msnteigs-------Vendeu-se de 340 a 400 rs.
a libra.
Vellasdesebo-dem a 8,0o0 rs. a arroba.
Kicarara no pono 64embtrcac0es, sendo
I austraca, 3 americanas, 20 brasileirss,
4 dinamarquezas, 4 l'rancezas, 3 hespanho-
as, 10 inglezss, 9 poiluguezss, 1 peruvi
una, 3 suecas e 3 sardas. ______________
-O Illm. Sr. director doarsensl de guer-
ra contrata ofmclaes de serralh'eirps, es-
pingirdeiros, coronheiros para irera trabi-
Ihar no arsensl de guerra da corte, pelo
lempo que se convencionar, sendo sjor-
naes nos dias em que trabilharem de 2,000
rs.; para os prlmeiros 016cmes. e de 1,600
1800 rs. para os segundos ditos ludo
conforme o aviso circular do ministerio d
guerrs de 31 de outubro ultimo, e ordera ds
presidencia desta provincia, de 18 de no-
vembro corrente.
Arsenal de guerra de Pernatnbuco, 92 de
novembro de 1850.-- O escrlpturario.- F.
Ssra/ico di Aiiit Carualho.
Tendo o inspector do srsenal de mari-
nha de remellar para a provincia da Bahia
i entregar na respectiva Intendencia, em
vlrtude de ordem ooExm. Sr. presidente de
25 do corrente, urna sntena de pinho ds
Nova-Zelandia, illm de servir no brigue
que se est construindo nsquells provincia,
convida, em consequencia, aos capilBes ou
mestres dos navios mercanlis, que se desti-
nen) squelle porto, e que tendo oa preci-
sos comraodos a queiram con'duzir freto,
_.. _.- .
hlr o programma, annunclsndo o diverti-
mento.: os camarotes e bilbetes estsm a
vende no mesmo theatro. ^^^^^^^^^
Alagoas
Depsitos saludos
Hitos existontes.
747,916
-------------- 1:833,053
35:338,166
176.780
1:238,569

AsWANIIEGA.
Rendimento do dia 30.....19:767,563
De**at* para o dia 3 t/fUfcwioro.
Brigue Lum cimento.
Brigue ErntH* ferro e verga.
Mest do consulsdo de Pernambuco, 30 de
novembro de 1850.
O escrivao,
Jacome Gerardo Mara Lumachi de Mello.
KXPOItTACAl).
Deipackoi marittmvi no dia 39
Bahia, hiate fcrasileiro San iodo, de 44 to-
neladaa : conduz o seguinle : 20 barricas
alvaiade, 8 volumes com calungas, colxe-
tes e botOes, 1 caixa fazendss, 1 volume eom
2 cadeiras de balanco, 100 couros de cabra,
18 pipas, 18 quailolaa e 74 harria azeite de
carrapato, 6Scaixas velas de carnauba, 2
pipas cera de dita, 1 caixote assucar candi,
20 rolos de salsa, 1 caixa calcado, 2 ditas
espanadores, 7 ditas raj e 200 caixinhss
charutos.
Genova, palarho sardo Fradtrieo. de 147
toneladas .conduz o seguinle : 1,742 cou-
ros seceos salgados, 3,000 ponas de boi,
1,380 saceos com 6,900 arrobas de estucar.
Parahiba, brigue ioglez Carolina, de 257
toneladas: con luz o seguinle : 640 barri-
cas com bacalho.
dem do dia 30.
Santa Catlurini, patacho nacional Livra-
mento, de 119 toneladas : comluz o segua-
te : 1,400 alqueires de sal, 1,400 cocos com
casca, 150 mlhos de palha de carnauba, 50
duzias de cocos de beber agoa, 96 barricas
e 4 latas com 490 arrobas e 16 libras de as-
sucar, 5 barris com azeite de carrapato,
marquezas, 4 mesas, 10 cadoiras e 1 mela
usada.
RECCBEDORIA DE RESIDAS GEH A ES
INTERNAS.
Rendimento do dia 30.....616,950
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia30.. .'. 451,633
RENDIMENTO NO MEZ DE NOVEMBRO
DE 1850;
Direitos di eXportafau de 3 *(, 1*101,502
Ditos de Ato*e5'[. t-.tti.iM
Capa!'a 887,6801
Movimeuto do porto.
Navioi enlradoi no dia 30.
MarsnhSo com eacaU pelo Ceara 45 dias
e do ultimo porto 7, brigue-escuns bra-
sileiro laura, de 160 toneladas, capitSo
Francisco Solano da Fonseca Jnior, e-
quipagem 14, consignatario Novaes & C*
Passageiros do MarauhSo, os Porluguezes
Msnoel Antonio de Morses, Alexandre de
Souza Nevea e JoSo Antonio Lopes* Car-
neiro,eos Brasileiros Daniel Cezar Ra-
mos e Auna Rila com aua mS: ditos do
Cear, os Brasileiros Theodoro Ernesto de
Castro, o cadete Denaiti da Silva Santia-
go com sua mana Mara Iconegunde de
Santiagos II escravos.
Aractty 10dias, hiate nacional Dutido
ao, de 43 1/4 tonelsdss, mestre JoSo llen-
riques da Alnieda, equipagem 7, carga
varios gneros; a Jos Manoel Merlina.
Patsageiros, o Uortuguez Jos da Rocha
Sinies, os Brasileiros Joao Nepomuceno
Pereira, Antonio da Rocha de Oliveirs,
D. Mara de Jess Freitai com 1 menor e
2 escravos entregar.
Parahiba 34 horas, lancha nacional /. 5.
dai Neve, de 19 1/2 toneladas, mestre
llenrique de Souza Mafn, equipagem 4,
carga teros de mengue; a Jos da Silva
Mendonca Vianna. Passageiro, o Brasi-
leim Antonio Alves de Oliveira.
placa strda Aqui-
Dodero
lastro
A ii-
ltio de Janeiro -22 dias
la. de 250 tonel
Ionio, equipa
Scliramm. _
Liverpool- 34 WM s^HP*2* BonUa-
,!e 299 tonelads-Vji pKilley, equipa-
gem 17, carga fazoMP ">: gneros ;
a Deane Youle & Companhia. Passagei-
ros, David WilliamBovfmancomsua fa-
milra e Eduardo Candido de Oliveira.
iu o ..iro 23 diS, triju: ?o.-tuSuc
7'amie /, de 233 loaeladas, capitao Manoel
d Oliveira Faneeo, equipagom 15, carga
assucar, madeira e lastro ; a Manoel Joa-
qun) Ramosa Silva.
Navios lakidoi no mesmo dia.
Parahiba Lancha nacional Nova Santa
Crus, mestre Antonio Manoel Afronto,
ctrga varios gneros. Passageiros, Manoel
Porfirio AranbaeJoSo Jos ds Silva.
Aracaiy -Dale nacional Anglica, mestre
Jos Joaquim Aires da Silva, carga vanos
gneros. Paassgeiros, Jos Vicente Duar-
le BrendSo, Bernardo Duarle Brandu J-
nior aom 1 escrtvvo. Custodio Jos Alves
Jnior, Jos Marliniaoo da Costs c
entenderem-se com elle, alisa de ajusta-
rom convenientemente. A sntena existe
neste arsenal, e pode ser previamente exa-
minada pelos mesmos eapilSes ou mestres.
Inspectora do arsenal de marinha de
Pernambuco, 39 de novembro da 1850.
Rodrigo Theodoro de Freitai, inspector.
Pela segunda seccf o ds mesa do con*
sulado provincial se ftz publico, que os 80
diss que a lei tem designado para o paga-
mento a bocea do cofre, da decima dos pre-
dios urbanos dos bsirros dests ciJade, do
prmeiro semestre de 1850 a 4851, se prin-
cipia a contar do dia 3 de dezembro pr-
ximo, e qna lindo este praio incorrem na
multa de 3 por cento sb o valor de seus d-
bitos todos os que deixarem de pagar.
-- Osdministrsdordsvrecebedoris de ren-
das internes gorses declara, que (Indo o
mez de dezembro do corrente anno serflo
remettiJaspsrs joixoss relaces dos deve-
dores dos impostos de lojas, de cssts de
modas, de calcado estrangeiro, de perfuma-
ras, de btreos do interior e de seges, do
snno de 18*950, afim de se promover s
cobranza executiva dos mesmos impostos.
Recebedoria, 30 de novembro de 1850. O
administrador, Manoel Carneiro de Souxa
laceria.
AssocUcfio commercial do Per-
nambuco.
A direccBo da aasociacBo commercial des-
ts prses fax publico, que desde o dis vinte
a um do corrente mez se seba aulla-
da na porta da mesms associacSo a lista
geral dos negociantes habilitados para vo-
tar e serem votsdos na eleico para deputa-
dos e supplentes do tribunal docommercio,
a que, era cumprlmenlo da resoluQo du
Exm. Sr. presidente da provincia, se hade
pr>ceJer no dia 8 de dezembro do corren-
te anno, pelaa 9 huras da maohSa, na sala
da mesma associaeSo, no largo do Corpo
Santo. Sala da assooitcSo commercial de
Pernambuco, 28 de novembro de 1850.
Manoel Ignacio d Oliveira, vlce-presidente.
Antonio Valentitn da Silva Barroca, secre-
tario.
f f f f f ff f *f f *f W fVVVfS
Companhia do lieberibe.
O calis da companhia arha-se au-
i torisadoa fater o quinto dividendo :
* os Srs. accionistas podem msnds-lo ^
? recaber, segundo a marcha estbale- ^
J cda. Escriplono da companhia, 28 ^
> de novembro de 1858. -sg
***Af****** ***********
O brigue de guerra Caliape recebe a
ala pira o to de Janeiro boje (2 da de-
zembro )ao meio-dia.
O vapor de guerra Afomo
recebe as malas psra os por-
tos do sul no dia4ao meio-
_________dia : as correspondencias
que vierem depos dests hora at urna pa-
garfio o porte duplo.______________^___
Alisos martimos.
A a y V '" "
Para o Cear.
Espera-se com toda s brevidsde de Lis-
boa com deslino ao Cesri, o brigue^nseo-
nal Emprea, tortdto e encivilhadoTJijjpo-
breede superior marcha; demoMr-slrha
aqu 12 dias, e recebar carga e passagrj.
ros : trata-so na ru ds Cadete do Recife n.
17. segundo andar.,
. -Para Lisboa o brigue portuguez Conceien,)
[de Mara, sshir mpreterivelmonle no dia 5
de,dezembru : pira o reato da carga e pas-
sageiros trats-se com Thomsz ds Aqtfino
Fonsect & Filio, rus do Vigsrio n. 19, pr-
meiro andar, ou com o capilBo, na praca.
Peda-te aos Srs. carregadores queiram le-
var os seus conrmclmentos ctsa Indicada
at o dit 3 do prximo futuro.
Para o Ro de Janeiro aahe no dia 8 do
corrente o alacho nacional Curioso, cipi-
tdo Manoel Rodrigues Faneeo, por lar o seu
earregimento quasi completo : para o res-
tante e patsageiros, trata-seeom o consig-
natario LuizJosdsS Arsujo, nt ra ds
Cruz n. 33.
psra a Babia segu em poucos diss por
ji ter parte de seu oarregment engajado
a inste lgiiro torrado e pregado do cobre,
pars o resto a patsageiros, dirijam-te a ra
do Vigsrio n. 5.
Pars o Para com escala pelo Cear pre-
tende ssbir improlerivelmente at 8 de de-
zembro a escuna nacional Mara Firmina,
capito a pralico Joo Bernardo da Rosa,
por ter o aau carregamento quasi comple-
to : para o restante para um e outro port e
pasaageiros. trata-se com o consignatario,
Lulz Jos de Si AraUjo, na rus da Cruz nu-
mero 83.
Frets-se para o Aracaly, Cear ou At-
sa btreasa Nova Feperanca, de Iota de 45
csixss : a tratar na ra da Madre de Daoa,
lojt B. 34.
Pars I itboa.
Sabe com a maior brevidade o velleiro
brigue portuguez Tanjo III, capllOo Fran-
cisco Antonio da Almeids : quem no mes-
mo quizar carregtr on ir da pesesg
rs o que offereee os mais axcellen
modos, dirija-seso mesmo cspitStL,
es, ou a seu consignatario Manoel Joaqui
Ramos e Silva, ns rus da Cadeia do Recife
n. 38
1
eteravo e o Portuguez Jos Joaquim I.eile
Btslot.
Genova Palaeba. ssrdo Frederieo, mestre
G. Gamba, carga laucar e couro.
Parahiba-Brigue fogt" Caraltni, eapiJSo
W. Nant. carga bscalho.
Btbia Ilute neeioual S. iodo, mestre Joa-
quim Antonio de Kiguei is va-
nos gneros. Passageiros, Jobo FerrSira
WMoeAlexandriua Mara da Com
com 1 lilho.
Theatro de Santa-Isabel.
33.' RECITA DA ASSIGNATURA.
J?o/, 2 ais ditembro de 1850.
Em foslejo so nstsllcio reliz de S. M. I. o
Sr. R. Pedro II, o artista administrador em-
prezario tem honra de apresentsr o espec-
tculo seguinle :
Logo que S Exc o Sr. presidente ds pro-
vincia lenba comparecido na tribuna, a or-
chestra executari urna brilhsnle ouverlu-
rs, linda a qual abrir-se-ha a scens, a pa-
rante s efJlgie de S. M. I. a compauhia dra
males cantar o
HIMNO NACIONAK
Seguir-se-ha a represenlscflo do bello
drama, ornado de msica, em 3 actos
A GRA^A BE DOS.
lllSTaiB0ig*O DO MAMA.
V .uiiiillCllUaUUI uv 'mu Dvsiuaiiiu.
Msrquez da Syvry, debaiso do noms de
Andr CtisU. J^.
isUlot, pai deMaria Rtymundo.
Pedriaho, cabreiro dai monlanhas -- Sil-
vestre, ijf.
Cura CoatJ^^H
liara, Joven aldeBa Emilia.
Chonebaa, dem Joaam Janu
llarqueza de
Jacob, aldea
Cita:
laroque, ktm
(.amponezes, criados, convidados, ele.
Os bilhetes de platasj jrenJer-se-i
dia do espectculo noj
Theatro de ^.-Francisco.
BELLAS ARTES.
Quarta-feira, 4 de ditmbre.
nette theatro urna representtcBo dss
^^^^nerlmenlses, o director ueste
dis tnm despretentar ao retpeitavel publi-
co ama grande porcao da figuras moj^^H
ca em pnantaamagoria, com ditarsos
vimentol multo jocosos; na terca-feire sa-
ri no roea-
Mg|,a-
ensjjbcom-
il Joaquim
Leiles.
Kallcmann IrmSot farSo feilo, por in-
tervencSo do corretor Oliveirs, de grande
sortmentode ferragens e miudezss, con-
sistindo aa> lesourss, caivetes, cordas, fa-
enes, parnahibas, agulhas. espelhos de ga-
veta e de damas, metas, tuipensorios.bicos,
Vendes, perfumaras, bocetas de faia e ba-
Ms, caitas para rap, cadafeos, grande ser-
limento de litas lavradas, de setm liso a de
retroz, luvas deaigodSo ede seda, franjas,
trancas e requifes, palitos de fogo, sgulhei-
ros, lapis, bolfjes da osso, de madreperola,
de seds e de doraque, oceutos, contas, pa-
pel de peso a almaco, li.ihat portuguezaa,
de novello a de marcar, lamparines, liria-
quedos e muitos outros srligOs: lerca-feirt,
3 de dezembro, t 10 horas da mantilla em
ponto, no seu srmacem, raa da Cruz
O corretor Miguel Carneiray fara leillo
no dia 3 do crrante s 10 horas da manhJa
no seu armszem na rus do Trspisho n. 48,
de um completo sortimenlo de fazendat
contitlindo em rieas catsst, cortas de col-
las, lencos de seds pars grvalas e slgibeira,
crspeos do chili ate todas chegadas l-
timamente para a festa : ales daslaa fa-
zendss algtmas oulrn atistem com pe-
queo toque de ararla. Nao percaraa occa-
sido que antes da festa nflo lerfio outrt
moncBo. ^.
O corrector Oliveirs, continuar por
sutorisacBo do Illm. Sr. juiz da orshBos, ea
requeriauenlo do lutor dos orpbfios llios
do tinado Jos Rsmos de Olivalfa.o Uillo dt
mobilia, e maia objeotos ds caca deste, con-
sisiiodo em masa redonda, bancas de Jogo,
sofs, cadeiras, consolos maguiOaos espe-
lhos, um grande trem com optimates pe lio
csndieiro douradu para cima de atiba, jar-
ros, com flores artifteiees, mangas da vidro,
um ralogioda bronaacom figurasensblema-
ticas, um esplendido leilo a francesa de Ja-
caranda e com eupula, etieiras de forro ds
salla, assim como um optna.piano iaglez,
duas eadeirinhas em poucg uso, a com cal-
zas correspondentes e oolrot muitps objec-
los sssaz ecass'*os; quints-fsirt, O do
corrale, ss 10 horas da manbBa sm ponto:
no atierro da Boa-Vista casan. 15.
C. I- Astley & C. CbsJo leito por Inter-
venfBo do corretor Miguel Cartraro, dt
grsnds sortimanto da fazendas inglazaat
francezas chegsdas ullimsmenta e as mait
propriaa desta mercado, sendo algmas del-
tas psra bichar contBSjjamo tambera ricas
fazendas para fesla : sjjjajlf a 8 do crranle do
seu armazem na rus ajo Trapiche n. 8.
Avisos diversos. *
Aula particular.
A professora que reside -no primeiro an-
dar do sobrado novo do pateo do Carpi,
n. 2. ja bem conbecida do, rospeitavel pu-
blico, razsciente aos dlgtjat) pait de uat
aulumnu, que d ferias novia 7 do corren-
te, e que no da 7 da Janeiro de 1851, achar-
se-hs aberta a sua aula, sonde coolinutri
a receber alumnss, e a eosinsaacom zelo
ler, escrever, contar, grsmmsfica notiu-
2, francs, doutrnavehristfia, coser, bor-
la todss ss qualidades insrcar, fszer
Into, e ludo o mais cooeernenie s eJu-
9 urna delicada menina : tanateo
mistas, e roeiaspensionistas.
nternascomoexteruts, sor um ei-
HH rasosvel.
Precita-se de um feltor portuguez. qu
sarvoredo, verdftlTe florea,
tsUnta dests praca:
ouemestiver nestas clrcumsiBacias, b'PP'-
reoa na ra do Trapiche NftvW^aJf lgua-
do sodar, para tratar, do ajuste.
e por favor a qualquer peaso
qoe tirar pegado um sabia da mata, qu
fugiode urna gainla rib da SO do aVoximo
pastada novembro, a que tem bastante fugo,
a pontos da partir, de a levar na ra do
Queimadu n. 88%qua aera recompensado.
tria Goocalves retirt- sg para f-
ra do imperio.

.'-


'5
Amaro Jos.de Cnuto faz saber qoe na-
da deve a JoOo Luiz Vianna, por uso que
eslapago de quatro valles que Ihe era deve-
dordeedeodia9do mevproximo pasea-
do ; epara que nSo baja engao sclentiuea
por esta follia.
-Cm Jac.
No da 29 do niez prximo pifiado indo
um preto com nm panacum de galllnhas
pars o sillo da Torre levar um casal deja-
cs, elle ter voado unrp*ra dentro de
u* stiio.e quendo o pode pegar: sdyerte-se
aqnemo pegououdelle der noticia certa
na ra doLivrsmento n. i, recebera 5,000
rs. de graliflragSo, assim coma roga-se a
quem por ventura o tenlia comprado, que-
rendo-o restituir, levadlo a mesma ra ci-
ma, que, alem de se dar o duplo, se (cara
eternamente agradecido.
H"lc9o doi'premlos venitwos na loja
de cambio da vluv Vieira & Filhoe, ra da
Cadela n. SI, da 19* lotera das casas de ca-
ridad* :
383810:000,000
53S4 1:000,0(10
S679 11000,000
2375-
899-
4517-^
54*8-
191
4787
900,000
100,000
100,000
100,000
40,000
40,000
9801 100,000
4908- 100,0*0
149S 100,000
201 40.000
1437 40,000
5489 40,000
Prceiu-se alugar um preto captivo pa-
r Iniln servico. nn ;;bs "ntinhar o rtj-
rio de urna casa q'uem tiver dirija-so i ra
do Rangel n. II.
Aluga-se urna preta ptima cozinbeira
por proco commodo, e peto tempo que se
convencldnar : quem a pretender, dirija-se
i rui da Gloria n. 18.
- Como em poueoa das deve ficar promp-
ta a primeira classe, que lera estado ap-
prendendo escriptursgfo mercantil por par-
tidas dobradascomo abaixo assignado, e
como elle ae propOe a abrir logo em segui-
da outra, nos mesmos termos da primeira,
o faz publico, para qoe aquellas pessoas
que a quizerem frequeatar, se sirvam logo
procura-lo, para eserever seos nomes, no
escriptorlo dos Srs. C. Starr & Compnnia
Ba ra da Aurora. ot da Haya.
Faz-se publico'que o Sr. James Uellor
de,l.iverpooI retirou-ae da firma social de
RuaseH Mellors & Companhia desla praga,
desde Qulia 31 de dezembro de 1849.
ijKa-ie ama casa terrea em Olinda,
nos Arntnbados, com commodos sufflcien-
tes para urna familia, com quintal, cacimba
e portfio ao lado para um dos beccos : qoem
a pretender, dtrja-se i Fra de Portas, ra
do Ptnar.n. 70.
A nlngueni lntcressn.
Quem achou duas cartas inclusss nums
sobre-capa sem direcglo, pode entrega-las
ao Sr. Constantino Braga, na roa Nova n.
14, que ser* bem recompensado.
4 A *aU* A* A* A A** **
4t Consultas e remedios homceopalhi- s>
40 eos degraga para os pobres, no con- ?
4B sultono bomcBopatbico do faculta ti- a>
l voJ.lt. Casanova, ra da Cadeia de ft>
4> Santo Antonio n. 99. mi
O Sr Jos Carlos de Mendonga Vascon-
celos, lavrador no engenho Santo Elias,
queira por favor mandar pagar a quantia
de 8o,000 rs que deve a mais do 5 aonos :
Da ra da Praia, a l.ulz Marques da Silva
Mello conforme provaen as suas cartas, im-
Crle de carne seca que com Unta franqueza
cnnnou,nunca perauadindo-se oslar boje
no lieserubolgo, e quaudo assim o n3o faca ,
passar pelo desgoslo do ver o seu Borne
jtuitas vezea oeste JVr*o
A direccao da asssociagflo da f cetho-
lica, convida os Srs. associadoa para assisli-
rem snissa aolemne que se ha de celebrar
no da 3 do crrenle dezembro na igreja le
San Pedro.
--Fugio nodia 87denovembro de 1848,
dosillo Mueambo, no termo da Villa d'Aoa-
lia da provincia d'Aligas, dous escravos
dos signaes seguintes : Bernardo cabra, al-
tura regular, muito paxolla, fumador de
charuto, lem 94 annos de idede, pouco mais
ou menos, bom official de sapiteiro, lem
urna pequea sicalriz no rosto como marca
de urna espiaba. Simplicia, cabra baixa,
grosaa cabellos crupos, Mtam-lhe denles
na frente, lem 2 a 88 annos da iJade pouco
mais ou senos, estes escravos rugir ni sol-
teiror, elie de presumir que hoja estejem
passando por casetVet forros, Quem os
capturar elevar ao saencionado sitio tem a
gratifieagao de 300,000 rs.
Desde o da 99 da aelembro prximo
paseado deixou de ser procurador de Nuno
Maris de Seixas, nos auditorios desla da-
da o Sr. Jofio Paulo Javier de Salles, es-
tanta pago ateo da 19 do dito mez, como
consta do seu reeibo. <
Ocsoltllista Salusliano de Aquino Fer-
reira, paga na loja da praca da Independen-
cia nr*, as csutellas da lotera do Livra-
mento que sshiram premiadas assim que
sabir s lista da mesma lotera.
- 0 abaJxo assignado eecrivOo da arma-
da, retirando-so use o Rio de Janeiro no
da 4 de dezembfh no brigua de guerra Cal-
caso a I gero ae Julgue aeu credor deve
aprasontar suas conlas na ra da Cadeia
n. M. Franico Dit dm Mltm Fraufa.
Preciss-se de um eriado, nacional ou
eslrsngeiro, que d boss informagoes de
sua conduca, para urna casa de ppuca fa-
milia. Dirigir-ae t ra dea Trincheiras, so-
brado Di t
Djlfesperar que termine o mea
uu*ii|U
por nSo poij
( a vista da precisSo que por ventura posea
ter), quizer rebaier o seu sold mediante
um diminuto inleresse, queira dirigir-se t
ra dojPartyrios n. 3*, excepto aqutllea
qualm por coslumeo fszer a duas, tres e
m a i pessoas.
-Manuel Ignacio de Oliveira
para o Rio < ciotho, do Angolla.
OSr. I.uiz Jos de
ta na rila Uirjita n. III, botica de T
.t
- precisa se de urna ama que saina co-
zinhar e eugomn lomem
solleiro : em Fra de Portas, ra do Pilar,
n 39.
OSr. quenodis 93 do correte foi a
eaixa d*agoa, na ru do Pires, e esrregou
um caapo novo, queira tei a bonda
prazo Aoito diu, |de o levar ; do contra-
rio teri o desgosto de ver o seu nome por
extenso nesta folha.
Iloga-se so Sr. Msnoel Machado Revo-
redo o favor de ir ou mandar buscar urna
carta, no Alerto de Boa Viste, sobrado n. 10.
-- Preciss-se alugar urna ama de leite,
que seja csptivs : na rurdo Rozsrio estrel-
la n. 34. **
Roflf-se to Sr. T)r. Honorio F. S. Vas
Curado, qoe venhe ou mande psgsr a sus
lettra onde nSo ignora ; do contrario teta
de ver aempre o seu nome nesta folha.
O Sr. los de Souza Moreira, que mo-
rou muilos annos eds*ravstt, tenba a bon-
dade de dirigir-se ao Atorro da Boa Vista
n. 14, sflm de remir a sua lettra de 8fi,300
rs, vencida em 97 de.fevereiro de 1844.
-- Preeiaa-se de um bom ofllcial de tano-
eiro, capaz de fazr obras novss: na resti-
lacSo de Franca & IrmBo, na ra da Praia
deSantalRila. ,
Preciss-se de nm menino que tuba ler
eescrever, e que queira aprender o offlcio
de barbeiro : na loja da roa da Cruz do Re-
cir n. 43. Na mesma loja vendem-se e alu-
gam-so as verdadeiras bichas de Ilsmburgo.
Preciss-ee de um pequeo que tenha
pratics de phsrmscis e que d Dador a sua
conducta : quem esliver nestss circunstan-
cias, dirija-se a praca da Boa Viats, botica
o. 32. Na mesma vende-seo excellente re-
medio contra os embriagados, chegado l-
timamente do Rio de Janeo, e que tem
produzido admirivets eeiioa, o listara de
osna romana.
Precisa-se arrendar annualmente um
sitio bem perto desta cidade, que tenha
plsnta de capim para dous csvalls, anda'
mesmo principisndo o arrenJamento de Ja-
neiro ou fevereiro em disnte: qoem o tlver
nnuncie.
Apanbou-se um batelSo grande, que
hedealgumhiate, oqual la pela barra f-
ra : quem for seu dono, dirija-se i Fra de
Portas n. 95, que pegando as despezss Ihe
seri entregue.
Quem achou 105,000 rs., sendo ums
aodula de 100,000 e outra de 5,000 rs. do
principio da ra da Cadeia at a prica do
Commerclo, ouat a porta do Sr. Msnoel
Igoacio de Oliveira, onde foi recebida esas
quantia as tO horas do da 99 do correte
novembro, querendo restitui-los, pode en-
tender-se coro o mesmo Sr. liveirs, que
sabe a quem pertencem, e tem orden do
dono para gratificar a quem quer qoe os
hou.
A pesaos que schou um mel bilhete
da 95.' lotera do monte po do Ro de Janei-
ro n. 900 e tantos ou 600 e tantos, queren-
do-o restituir daodo-se de gratificarlo
5,000 rs., o pode fszer ns serrara do abal-
xo assignado, quereceberi dita quantia.
Antonio Diu da Silva Cordial.
Casa em Santo Amaro.
Aluga-se a casa de sobrado que foi do fi-
nado Pedro Dias dos Santos, com commo-
dos sufucientes para urna grande familia,
com sitio e viveiro pertencente e mesma :
a tratar na mesma casa, on na ra de Santa
Hita n. 3.
Aluga-se um sobrado na ra da UniSo,
com excellente viste, muito fresco, e com
os melhores commodos para urna ou duas
ramillas: os pretendeotes dirijsm-se a Ma-
noel Alves Guerra Jnior, ou ao bacharel
Cbristovflo Xavier Lopes.
OSr. Jos Alves Tenorio ha ja de se di-
rigir a pra$s da Boa-Vista, botica n. 6, a
negocio que Ihe dii respailo.
O Attenrao. O
|j Mademoisselle Moreaux professora
O de danca, chegada ltimamente a es- w
O ts cidade, offerece-se pars dar licOes O
O por casaa particulares ecollegios: as G
O pessoas qoe a quizerem honrar com O
O sus conOanca, lerfio a hondada de Q
Q dirigir-se so Hotel Francisco. O
O0O'/GrOO
O bacharel A. R. de Torres Bandeira,
substituto de rnetorica e geographia no ly^
ceu desla cidade, propoe-se a dar lices das
mesma* ditciplioas, e bem assim de philo-
sopbia e fraocez : quem de seu preslimo se
quizer utilissr, dirija-se a cssa de sua re-
sidencie, na fu estrella do Rozar i o, n. 41,
segundo andar.
Aluga-se o tercoro andar da casa do
largo da assembia o. 8, a fallar com Joa-
quim Francisco de Alm, no Forte do
MaltOf. .
Eogomma-se e Isva-se toda a qoalida-
de de roupa com todo asseio e muits promp-
tidflo, por preco mais commoJo do queem
outra-qualquer parte : na ra de Agoas-Ver-
des, n. 91.
Aluga-fe o segundo sndar do sobrado
da ra Uireila n. 90, com commodo para
grande ramilia : [na ra Oireita n. 93, pri-
meiro andar.
Paulo Gnlgnoux, dentista
francez, offerece sea presu-
mo ao publico para todos os
luyetenos de sna proflsso j
pode aer procurado a qual-
quer ora em sua easa, na
ra larga do Kuzirio, u. 36,
| seguijdo^audar.
wejpwstie^wwww
~ Ns ra eeUeita do Rozario, n. 28, !
guodo andar, se dir quem dt dinheiro
prettio. Na metsaa casa se veodem obres de
ouro eprata ; urna bsndeira nacional; seda
preta lisa e Isvrsda muito Itrgs, propria pa-
ra uto. a i.Or..
a-ae alugar um molecoteesperto
edji iducta para o servico interno de
se bem : quem ti-
|unto ao porto das ca-
f Vista n. 83, apromp-
muito ssseio e perfei-
freguezea. Mandndo-
les pessoas, que nao
buscar: o dono pois
lio espera merecer
a t tent o es forjo
Ipre para agradar
.. 32, preciss-se Tallar
Romano de Garvalho.
iza Maya : a negocio
^oeste professor de
Uuribeca, e aquelle
os cono!
_ Na
oamos |
Silvano
qutnSo
prime^^L,---------
conynandante do forte do Pto-Amarello.
Gratlca-se bni
sido eorreili
vembro, o prelo Antonio de nar
que reprsenla ter 45 annos de idade, aitun
re regulirJj^^^^^^^Mrl abocetada.

com bastantes cibellos lirancos na csbeija,
muito cabelludo nos pellos, levou caiga e
jaquela de ganga asul, he ofllcial de caldei-
rero da fabrica da ra do Brum n. 98;
desconfis-se que tenha Ido para o malo por
ter jfc estado fogido perto de um anno em
algum engenbo: roga-se pois a quem o
aprehender leve-o aos Srs. do mesmo es-
cravo Mesqoite & Dutra na dita rabrica que
aero generosameote ifeompensados.
Preciis-se de urna ama que saiba cosi-
nhsr: na ra do Rozario n. 46, segundo
andsr.
Domingo a4 a0 correte,
perdeu-se desde a Passagem da
Magdalena at ra do Collegio
urna pulceira de diamantes enfia-
da em perol ou aljfar : quem
a tiver adiado e quizer restitui-ta,
dirija-se a ra da Cadeia do Re-
cife, primeiro andar da casa n
38, que ser gratificado com a
quantia que valer a mesma ataca.
00OQOQO9&0000
O Operacoes de catarata., O
Jo3o Viceute Martins, devendo ret- rj>
O rsr-se dests cidade em Janeiro pro- Q
X limo futuro, previne que s at ao q
P, dia 20 de dezemhro,oaera praticar q
r algumss operecOT--si'.ii.a, ou _.
s outras que exijanr as molestias de X
g Continua a destribuir remedios ho- J>
2 mceopathicos de grsca aos pobres no -
O consultorio ds ra de Apollo n. 24, O
O todos os dias uteis st 1 hora da
O tarde.
QOOOOQO0OQO0OQGQ
Preciss-se alugar um sotSo ou fundos
de urna cass bem clara, prxima a ra No-
va : a tratar na mesma ra, venda n. 63.
Preciss-se de um feitor para tratar de
um sitio em Beberibe : quem estivernestas
circunstancias, dirija-se so Aterro da Boa
Vista, terceiro andsr do sobrado n. 37.
-- Aluga-se o segundo sndar e sotSo da
ra do Rsngel n. 11, com commodos para
familia, excellentes vistas para lodosos 4
lados, muito fresco e asseiado, com aals
forrada de papel etc.: trata-se no largo do
Corpo-Santo n. 9.
--Ninguem compre a taberna da esquina
do Becco Largo, annuncisda A venda no
Diario de honlem, porque elle se acha ar-
restada pelo fu Izo da primeira vara, escrl-
vSo Santos, a requerimenlo de Candido Al-
berto Sodr da Motta.
-- O abaixo assignsdo roga sos Srs. que
Ihe estSo a dever dinheiro de curativos, te-
nhafh a bondade dequanto antes manda-
re m sstisfazer-lhe, pelo que lhes ficari
muito agradecido, podendo ser procurado
na ra do Hospicio n. 50.
Dr. Pedro di Athayde Lobo Moscoso.
Deseja-se fallar com o Sr. Francisco de
Salles Azevedo Crrela : na ra da Cadeis
do Recife, escriptorio do Sr. Jos Antonio
Basto, ou snnuncie.
Precisa-sede urna pessoa que entends
bastante de psdaria para a administrar t
quem se scbar neste caso, dirija-se ao Man-
gsjinho, em urna das casas so virar pare a
liaixa Verde, que abi achara com quem
tratar.
Preciss-se de um bomforneiro e de um
masseiro : quem estiver neste caso, dirija-
se so Manguind, na nova padaria ao virar
para a Baixa Verde.
Constando a abaixo assignada que a
Sra. viuva do finado Gaspar Jos dos Res
eslt vendendo os terrenos que tem na .ra
nova dos Cusrarapes, declare em tempo, e
para evitar questOes no futuro, que o terre-
no que demarca com oqne a abaixo assig-
nada principiou a edificar ao lado do oortr
do seu sobrado nto lem direito ao meio II-
jollo do que se acha levantado, por oSo ler
o finado e a senbore viuva al hoje compri-
do a condicto com que Ihe era rdldo o
meio lijo!lo do que esta edificad, cuja con-
dicBo se v na segunde escultura de 16 de
fevereiro de 1844, no carlorio do Sr. Gui-
Iherme Patricio liezerra Cavalcanli.
francisca Emilia dt .Wntquerquc Maranhdo.
A inda se dse ja fallar ao Sr. Jos Fran-
cisco da Costa GuimarSes : na ra do Cres-
po, n, 16. i
Preciss-se de urna ama para o servido
de urna casa de pouca familia : na ra do
Fogo, confronte ao becco da Bomba.
ArremalacBo judicial.
No dii 3 de dezembro, pelas 4 horss da
tarde, na ra das Floree, se ha de arrema-
tar na pra^a do juiz do civel da primeira
vara; a parte de urna morada de casa de so-
brado de 3 andares, com solio e trepeirs,
sita na ruadaSenzslla-Velhs, n. 119, com
93 palmoa de frente, e 99 de rundo, cozinha
nos andaras, quintal murado, portSo, ca-
cimba meieira, e em chos proprios, avalla-
da toda casa em 8:000,000 de rs., sendo a
parte que lem de ser arrematad da quan-
tia de 4:530,708 rs. bem como um terreno
Jueiicaslm do quintal da dita casa, parte
oqual eslt aterrado o parte em alagado,
sendo foreiro, svaliadeem 250.000 rs. cu-
jos heos vfos praca por *xecu?So de D. Ca-
tharina Francisca do Bielrito Santo contra
Jos da Silva Braga, escrivo Cunha.
No enligo deposito de bichas da ra
estrella do Rozario, n. 11, chegou um no-
vo sortimento de bichas hamburguesas que
sa vendem e alugam-se por mais commodo
nearrt Hq uo tui rs qoalaaier ottli*.
genho, tanto para o sul como pan o norte,
para o Que dart fiador a sua conducta, diri-
a-se t ra Direlta, n. 30.
--Quem quizer alugar ums ptima ams
deleite, ptima em todqs os sentidos, di-
rija-se ao principio da ruada Aurors, no
primeiro andar da terceira casa em que
mora o Dr. Francisco de Paula Baptista.
Compras.
Gompram-se escravos dezm-
os os sexos.- na ra da Cadeia do
Recife, n. 5i, primeiro andar.
Compra-se urna mobila simples e em
bom uso : quem a tiver annuncie.
Compra-se um sellin inglez em bom
uso : quem o tiver, dirija se rus do Ca-
bugt, loja de miudezas n 1 C.
>- Compram-se 6 garrafes, mesmo usa-
dos o que sejam grandes, assim como uoi
pilSo grande : na praca da Boa Vista n. 17.
Compram-se 80 covados de panno pre-
to de 1,600 rs. o corado : na ra do Crespo
n. 3, loja de Cuilherme da Silva Guimarges
Vendas.
Conauliorio liomoeopalhco.
Itua do Hospicio, n. 56.
O doutor Moscoso dt consultas to-
dos os dias.
Os pobres alo tratados gratuita-
mente.
^^^m^^Mui tfaaaaaaiNBBfeaMaaaaiMviiaa^
lloga-se soSr. ManoelMendes da Sil-
va Rara ng o favor de vira ra da Cadeia
de Santo Antonion. 13, para negocio que
nSo ignora.
Precisa-se de um forneiro que saiba
desempenhar as auas obrgacOet, e de un
caixeiro, ambos para padaria : na praca da
S.-Crui, debaixo do sobrado n. 106.
-- OSr. Jofio Cavalcanli de Albuquerque,
seuliordo engeaho Canio-Escuro, em Se-
rinhSem, por si, ou por seu correspon-
da, n. 54, pera se lie entre-
a cariada seu particular inleresse.
la villa do Pombal.
Quem precisar de um oaixeiro|para en-
FOM1INHAS PAHA 1851.
Na li vi ai i da praca da Inde-
pendencia, ns. 6 e 8, vendem-se
rolh i n has de alglbelra e porta p.
i-a o ivn i qne vrm
Vende-se urna eacrava moca, com urna
cria (macho) de 9 annos, cozeeeogomms
perfeitamente, tambem cosinhs, e tem ou-
tras habilidades; quem a pretender saliera
o porque se vende: na Boa Vista, primeira
casa terrea da ra Furmoza, que faz esqui-
na para a da Unifio.
Chapeos de sol.
Vendem-se chapeos de sold seda preta
e de cores, a 6,000 rs ; ditos de panninho
para homens, senboras e meninos, por pre-
co mais commodo do que em outra qual-
quer parte : na ra do Passeio n. 5.
Vende-se urna escrava de 'idade, que
sabe lavar e serve tsmbem para rus, por
preco commodo : na ra do Nogueira nu-
mero 44.
Couro de lustro a 3,ooo rs a pelle.
Vende-se couro de lustro a 3,000 rs. a
pelle, e msrroquim do melhor que ha no
mercado i no Aterro da Boa Vista, loja n.
58, junto t de aelleiro.
Vende-se urna preta de Angola, muito
mo;a e de bonita ligara, que cozinha o dia-
rio e lava de sabSo : em Fra de Portas, la-
do do me.r, atrs da igreja, n. 24.
Vendem-se superiores charutos de San
Flix a 9,500 rs. a caixa de 100 : na ra do
Queimado, loja n. 10.
Iva Ponte Vellia, venda n. 33, se dir
quem tem alguns trastes usados.
Vendem-se cincuenta oiiqus hespanho-
las : ns ra da Cruz n. 51, no escriptorio do
primeiro andar.
Lotera do Kio de Janeiro.
Aos 30:000,000 de rs.
Na praca da Independencia,
n. 4, loja demiudeas, vendem-se
os afortunados bilhetes, meios,
quartos, oitavos e vigsimos da
25.a lotera do monte pi, da qual
se espera a lista no primeiro navio,-
tambem se recebem bilhetes pre-
miados em troco dos que estao a
venda. Nesta loja vendeu-se o nu-
mero '1,950 da 1 a.a lotera das
casas de ciriclade, que teve o pre-
mio de 4:000,000 de rs. ;e do Li-
vramento, n. 836, 5:ooo 000.
-- Na enliga venda qoe foi de Nicolao Ro-
drigues da Cunha na ra do Mundo Novo n.
16, continua a vender-secsl branca e preta;
as pessoas que quizerem, dirijam-se a mes-
ma venda scims, que se vende por menos
do que em outra qualquer parte.
1.11 vas limito liaratus.
Vendem-se luvas decores, fio de escocia
sem deleito algum proprias para montaria,
pelo baralissimo proco de 390 rs o par : na
ra do Queimado loja de miudezas. junto
a de cera n. 33 nos qualro cantos.
l'entes de tartaruga para mar-
ra la.
Vendem-se excellentes pentes de tartaru-
ga para marrafas, a 800 rs. o psr; ns rus do
Queimado loja de miudezet, junto a de cera
n. 33.
Globos de vldro.
Vendem-se globos de vldro proprios psrs
escada e corredores, e mesmo para illumi-
nar,es por serem muito commodos em ta-
manho : na ra do Trapiche n. 10.
Cabecadas Inglezas.
Vendem-se cabezadas inglezss roligas e
chelas, loros e silhas de 13 : na ra do Tra-
piche o. 10.
Veode-se um negro peca de idade de
94 aonos, bstanle possante, proprio para o
servico do campe : na ra do Crespo loja
da esquina que bota para a cadeia.
IIup americano.
Vende-se este rap, que ha de agradar as
pessoas que gostsm da bos pitada : a reta-
Iho, no Hecile, em casa dos Srs. Davis&C,
llaymoiid & C. e Foules & Irmfio ; em S.-
.'."'.ar.io, c:n css do Sr. Lodv. ne ini !iri
do Rozario, n. 33 ; oo Aterr-da-Boa-Vista,
casa do Sr. Manuel Jos Guedes Magalhfios;
e por atacado, no Recite, ra do Trapiche,
n. 14, segundo andar.
Na rus da Praia n. 39, vendem-se sac-
ras com alqueire de farinha de superior
qualidade, e por menos do que cm outra
qualquer parte.
Vende-se um sitio na rujjj dos Pires
que fez esquina para o corredor do Bispo, o
qual lem boa cass, cozinha fra, casa paia
prelos, estribsris, cocheira, um bom parrei-
ral, e borta, e ouiras multas arfores de
fructa, boa agoa, em chSos proprios : quem
o pretender, entende-se com Jos Antonio
Corris Jnior, ou na ra da Praia n. 32.
Cobre de forro para navios.
Vende-se cobre de forro psra navios
ido superior qualidade, em porcSo e a re-
talbo, pelqunais barato preco que lem vin-
como farinha de todas as qualidado i na
ra do Brum n. 98.
Lotera do lUo-de-Janeiro.
Aos 2<>:ooo,ooo de ris.
Netrua estreita do Rozsrio, travessa do
Queimado, loja de miudezas n. 2 A, de Jos-
quim F. dos Santos Maya, vendem-se os
muito afortunados bilhetes, meios, quartos,
oitavos e vigsimos da decima lotera a be-
neficio da rreguezia do SS. Sacramento da
corte : na mesma loja est patente a lis-
ta da 19'Joteria das casas de candado, e
tambem recebem-se bilhetes premiados em
troca dos da lotera cima dita.
Grasas a Dos queja ebegaram.
Caussva pena veruin pobre miope quasi
aos trambolhOea, mogos ou velhos, porque
esta molestia nSo respeits a idades, devagar
pelas ruase de loja em loja a procura de
um par de oculos para vista curta, para po-
der ler, escrever, ir aos nossos theatros,
sonde s por informagOes sabia do seu es-
pantoso progresan, e voltar na mesma, por-
que os no hsvia neste mercado ; se recor-
ra a medicina encontrava-se uuitas vezes
com um igual paciente a quem de balde se
queixavs, e ao ouvir ver as lamiinas.quei-
xas e caricaturas qoe reciprocamente se
faziam, perdera de riso so homem mais ta-
citurno que de parte este dislogo ouvisse;
porque esta molestia nSo s zomba com os
allopattus, como st mesmo com os ho-
meopata. que multes delles esoffreajj jo-
rm gracasa Deosquechegaram os tao de-
sejados oculos por especial encommenda
quedellessefizeram e ae vendem na ra
larga do Rozario, n. 35, loja.
Vendem-se espnnadores
e mel de abelha, d superior qualidade, em
porefio e a retallie, por prego commodo : na
ra da Cadeia, n. 23, armazem.
l'a/.i' nlas baratas sem defelto.
ptimo brim trancado de pao de
linho pardo, corte
Novo brim lona branca para caiga,
vara
As melhores casemiras de listra de
cores, corle
Lio Jos, lengos de cassa finos proprios
para meninos, com bonitas cerca-
duras, duza
Algodo encorpado para sacos, pega
de 32 jardas, com pequeo loque
desvara, jarda *
ptimos cobertores de papa, um
Novos guardanapos de panno de li-
nho com lista asul, um
Luvas de trogal para meninas, chspo de
castor branco patente inglez com aba gran-
de e pequea, os melhores cortes de rus tao
de moilerno gosto, bom como um completo
sortimento de fazendas finas egrossss por
barato prego no armazem de fazendas de
Raymundo Carlos Leite na ra do Queima-
do n. 97, quatro cantos casa encarnada.
Na ra da Praia becco do Carioca jun-
io ao tanoeiro, vendem-se sacos comlsri-
nha de Santa Catharina a 2,000 ris, arroz
pilado muito em conts, assim como urna
porgfio de sscos de estopa vssos 'por prego
commodo.
Luvas de pellea.
Vendem-se luvas de pelics para senhora,
pelo prego de 2,000 ris e 1,280 ris ; dilas
de ponto ingle para homem, o melhor pos-
sivei. a 1,800 ris prego que ninguem veo-
de : na ra do Quei-nado, loja de miudezas
1,600
9,000
6,000
2,400
170
1,
800
si, ou pur aeu curreapoiir taino, pelojnais Daralo prego que lem vin-
esta cidade, queira dirl^ir-se t ra do a esle overeado : na rabrica de caldeirei-
ro, ra do Brao n. 28.
. Vende-se miilio moido em secess de 4
arrobas, pelo diminuto prego de 9,560 rs.
saces, rnuil^ proprio |frs oavallos, assim
junto a de cera n. 33.
I uvas pretas de torcal.
Vendem-se luvas pretss de trogal as me-
lhores que se pode encontrare porque pre-
go? de 1,000 ris e 800 ris: na ra do Quei-
mado, loja de miudezas junio a de cera n.
33, nos quatro cantos.
Vendem-se as partes que tem os her-
deiros do fallecido Francisco Pereirs Tho-
me 00 sitio Bom-Sucesso, juoto ao Mangui
nho, no principio da estrada dos Afilelos :
aos herdeiros pertence mais de melado
do referido sitio e pelo que pertence a viu-
va tem esta declarado que tambem vende-
r : na ra Vellia, n. 63. que a vista do mes-
mo sitio se tratara do ajuste.
Vendem-se, por todo o prego, duas
carrogas de sicupira : na ra do Cresoo, >n.
16, esquina da ra dat Cruzas.
Vende-se um carro de 4 rodas, em
muito bom estado, com arreios para um
cavallo : quem o pretender, pde-se infor-
mar 110 armazem de RomSo & C 00 Pe-
lourinho.
Vendem-se, por commodo irego, 4 cs-
vsllos de ambas as sellas: na cavallarice
atrs do theatro. V
*** *
9 Vende se urna escrava moga, com f$
0 muito bom loile, e que cozinha per- 9
reitamente, lava, cose, be de bonl- a)
% ta figura : ns rus da Cadeia do S.-An- #
a Ionio, n. 9, casa da viuva Cunha Gui- $
Vende-se u.na escrava de nagao, peca,
que ongonima bem, ensabos, cose chfio, he
quilandeira.e faz ludo o mais arranjo de
urna casa : o motivo por que se vende se
dirt ao comprador : no paleo de S.-Pedro,
n. 7.
Melas de lata para padree.
Vendem-se meias de laia para padres, as
mais superiores que se podem encontrar,
pelo diminuto prego de 9,000 rs.: na ra
do Queimado, loja de miudezas, junto t de
de cera, n. 33.
Vendem-se 2 lindas negrinhss de 10 a
19 annos, com principios de habilidades, o
ptimas para tiai qusiquer 3, 5 pre-
tas boaa quilandeiras, e de todo o mais ser-
vigo, 1 preta de meis idade boa psra cam-
po muite em cont, 1 parda de exemplar
conducta, que engomma perfeitamente, co-
se e faz todo o arranjo de urna casa e be
muito carinhosa para meninos, 4 pretos
muito mogos bons para campo ou ra, as-
sim como outros muitos escravos : ne ra
da Cadeia do Recife n. 51, primeiro andar.
Vende-se um outante pequeo,mul-
lo bom : quem o quizer dirija-se a ra do
Rozario estreita n. 9. -
iSapatoes de lustro.
Vendem-se sspatOes de couro de lustro
pars homem a 9,500, 3,000 e 4,000 rs. o par,
obra boa; no Aterro da Boa Vista, loja dr,
sapatos n. 58, junto a de selleiro.
Grande deposito de carvSo
saceos grandes a 5oo rs. .*
vende-se no anttgo armazem de
capim, na ra do JJoi n. i5.
Vnte-se a taberna da travessa do Quei-
mado n. 5: a tratar na mesma.


Vende-se excellente farinha
de S.-('alharina, a bordo da ga-
liota Santissima-Trindade, fon-
deada defronte do caes do Colle-
gio, por preco commodo: a tra-
tar na ra do Vigario, n. II, ou
a bordo com o capitSo da tnesma
galiota.
SInicnto.
Vendem-se barricas com superior simen-
to, chegado no ultimo navio de Hamburgo :
na ra do Amorim, n. 35, armizem de J. J.
fasso Jnior.
< oniidn para nnlmaes;
vende-se na ra da Cruz, no Recife, n. 13,
armazem.
Fogoes para cozinha.
muito proprios para sitios e qual-
qualquer lugar aonde nSo ha cot-
nha, por preco commodo : ven-
dem-se na ra da Cruz, n. lo,
casa de">Kalkmann 1 rmaos.
N-i deposito da ra da Moda, n. 15,
SJ. h nara venclnr superior cal i'm no-
?> dra, recentemente chegada de Uis-
*** boa, em o brigue Conceifo-de-Ma-
ra, por preco rasoavel: tambem ahi
9" se vendem pesos de chas e de urna
| arroba, por preco commodo; ha

tambem efectivamente no mesmo
&. deposito barris de mel para embar-
ga, que.
Vinho de Bordeaux:
vende-se na ra da Cruz, n. io,
casa de Kalkmann Irmos.
Fazenda nova.
Vendem-se gangas amarellae crdecin-
za, fazenda muito fina, propria para pali-
tos de meninos, e mesmo para roupoes de
senhora*, pelo baratissimo preco de 200 rs.
o covado : no Aterro da Boa Vala, loja nu-
mero 18.
* etroz da fabrica do Siqucira,*
no Porto:
vende-se na ra do Vigario, .
n. l i, segundo andar, es-
criptorio de Machado & Pi-
nheiro.
r.
Chitas limpas a i3o rs. o covado.
Vendem-se chitas limpas rosas, a 4,600
rs. |f at30rs a relalho ; cortes de cam-
bra!? com 6 varas, muito larga, de bonitos
padrOese cores Gxas, a 2,800 rs : na ra
larga do Hozano, n. 48, primeiro andar.
Charutos de JHavana.
de superior quaiidade : vendem-
se na ra da Cruz, n. io, casa de
Kalkmann Irmaos.
!Mlllio novo a 2l$ooo rs.
Cada surca.
Vende-se no armazem do Braguez, ao p
do arco da ConceicSo.
Kftgulao de algodao a 2$5oo a
peca.de Jo vnrae.
Vende-se esguiSo de algodSo com 4 pal-
mos e meio de largura, a 2,500 rs. : esta
fazenda he muito propria para lentes, ca-
misas, etc. : na ra do Crespo, loja da es-
quina que volta para a cadeia.
Vende-se a loja da ra do Queimado n.
99, com poucos fundos, e com urna das 'me-
lhores armaqfies toda envernizada, os pre-
tenderes dirijam-se ao l'asseio l'ubliblico,
n. 11, que se far todo o negocio.
Vende-se um ptimo mulatinho, pro-
prio para pagem : na roa da Assumpco,
n. 4, casa das afericoes.
Vendem-se 5 apolices do lliealro de
Apollo, das primeiras a que dito thealro es-
ta hypothecado, por 500,000 rs., as quaes
com o juro que vencem do meio por cento,
montara em oito centos e tantos mil rs. .-
na ra da Cruz, n. 40.
Cliniiilio de iiun iiao.
Vende-seno armazem de J. J. Tasso J-
nior, ra do Amorim, n. 35.
< No becco do Goncalves, ar-
mazem do Araujo, e na ra da
Cruz, armazem de S Ara jo,
vende-se superior farinha em sao-
cas, por preco mais commodo do
que em outra qualqner parte : bem
como lijlo de Lisboa para limpar
metaes ; sola, couros de cabra o
sapatos.
Vendem-seamarras ae ferro: na ra
da Seuz*Ha-Nova. n. 42.
Redes.
Vendem-se redes muito bonitas, de va-
nos gostos e preces, proprias para qnem
for passar a (esta descantar ao fresco de
baixo de arvoredos : na ra do Queimado,
Vende-se, oualuga-se urna canoa aber-
ta de carga de 600a 700 lijlos de alvena-
ria : na ra da Aurora, n. 46, taveroa.
Vende-se urna parda escura, (el e si-
dia, com alguma* habilidades ; um mole-
quede 16 anuos i na ra do Fogo, a. 23, se
dir quem vende.
Vnde-se cera de carnauba : na ra da
Madre de Otos, loja n. 34.
Vendem-se una alicerces de urna casa,
na ra da l'irauga nos Afwgados, com 42
palmos de frente, o terreno fie foreiro ao
IIIra. Sr. Frsneiaco Carneiro Machado Hios:
quero pretender dirtja-se a ra larga do Ho-
zarlo n. 22, segundo andar, que se vend
muito emeonta.
<*# $
> I'ara pagena. )
9 Chapeos envernisados para pagens <
aV de forma moderna : vendem-se na ca-
W sa de slrgueiro, ra do Qrreimado nu- iM
maro 19. A
. ? #*>
veo le-se urna casa terrea na ra da
J'raia, e ulna batanea grande com seu com-
1 lente braco e petan de 2 arrobas at 8 li-
bra* : no paievi fi h. 30/ venda. i
Madama Rosa Ilardy, modista
brasllelrn, na rna Nova, n. 34.
Madama llosa Ilardy novamente tero a
satisfagUode annunciar ao respeitavel pu-
blico, que recentemente acaba de despa-
char um luzido sortimento de varias fazen-
las, propriasdese usarem na protima fes-
ta, consistindoem ricos chapeos de seda de
differentes cores e com enfeites mais ele-
fantes possiveis para senhoras; ditos de
rica palhinha da Italia, rendados e fecha-
dos, tanto para senhora como para meninas
e de varios tamanhos, com enfeites e sem
elles; chaposzinhosde abas largas e en-
feitados, proprios para meninos ; ditos de
palhinha redondos eenfeitados para ditos ;
Utos de seda com lindos enfeites, para me-
ninos e meninas de 6 mezes a 3 annos, do
mais rico gesto possivel; riquissimas tou-
cas de superior seda, feitas em Franca e pro-
prias para mancaste 6 mezesa 2 annos ;
ricos mantelete* e capotinhos de gros de
aples furta-cres e pretos ; ditos de fil
delinho preto de gosto o mais moderno
possivel; capotinhos de Al de seda, tanto
brancos como pretos, para senhoras e me-
ninas ; brillianlissimas capailas para senho-
ras, proprias para oasamentos e bailes; su-
periores veos de seda, proprios para ditos;
ricos pescocinhos de tilo de linho bordados
para senhoras, do gosto o mais rico que
iem vindode Fraoca ; camisinhss de cam-
braia bordadas para senhoras, com golla de
cambraia de Itabo,'; esparlilhos de mola,
os melbores que teem apparecido nesta
praca ; um variado sortimento de trancas
de seda ; fil de linbo de seda ; sapatos de
setim bi ancos ; luvas de pellica para senho-
ra ; ditos de seda de na Iba para ditas ; di-
tas de seda preta para ho-nem ; ricos gros
de aples pretos e furln-cres, que se ven-
dem aos covados a vontade do comprador ;
ehamalote preto de grande consistencia
para manteletes ; um completo sortimento
de perfumarlas finas; e outras militas di-
versas fazendas. Na mesma casa se fazem
manteletes e capotinhos para senhora e me-
ninas, assim como chapeos de crep preto
rom toda a perfeicSo : ludo por preco mais
commodo do que em outra qualquer parte
Na ra Nova, n. 8, loja de J- loa-
quii Moreira & C.
vendem-se touquinhas de 18a frocadas pela
beira, a mil rs.; bonetes de palhinha de
modellosesquisitos, eoque tcm appareci-
do de melhore do mais apurado gosto; po
rom s servem para meninos de2, 3, 4, 5 e 8
annos, por menos do que realmente elles
merecem ; palmatorias de casquinha flnis-
sima, proprias para piano, e para quartos
de rapazes solteiros, a 5,000 rs. cada urna
e outras muitas fazendas de gosto e quaii-
dade, que se venderSo conforme as cir-
cunstancias do comprador.
Na ra da Cadeia- Velha, primeiro an-
dar da casa n. 24, de Manuel Antonio da Sil-
va Antunes, vende-se um rico sortimento
de chapeos de palha da Italia, iberios para
senhoras, camisola de cambraia, colari-
nhos, romeiras, manguitos, punhos, tudo
excelentemente bordado, bicos (inissimos,
ricas lilas, capotinhos e manteletes de lilo
e de seda pretos, e outros objectos de gos-
to ; bem como um completo sortimento de
fazendas : ludo se vende por precos muitos
rasoaveis.
*Depoitoda fabrica de
de Brlatol tcem mala de quatro tamanhoa doa
de salsa de Sanda entretanto que oa de Iirulol
se vendem por 5,000 r. e oa de Sanda por 3,000
r*. Deposito central no Rlo-de-Janeiro, caa de
Vital Ijpupe, e em Pernarobuco na hotica de
Jos Mara Gon,alvea llamos, na ra doa Quar-
tels pegado ao quartel de polica.
Cal e potassa.
Vender a mais nov* e superior potassa
qneba no mercado, e cal virgem em podra,
chegada pelo ultimo navio de Lisboa, por
preco commodo : na rti da Cadeia do Be-
clfe, n. 50, a fallar com Cunta & Amorim ;
assim como um restante de barris da mes-
ma cal, que flcou da safra passada, ipor ba-
rato preco.
Vendem-se sabooeles higinicos, o
mais superiores que teem vindoeste mer-
cado, assim como outras perfumaras muito
finas : na ra da Cadeia Velhi n. 34, pri-
meiro andar.
Bombas de ferro.
Todos os Santos, na
Babia.
> Vende-se, em casa de Domingos AI--
sves Matheus, na ra da Cruz, n. 59,jr
?primeiro audar, algodSo trancado da-^
quella fabrica, muito proprio para sac-
- pos e roupa de escravos; bem como^
Jlio proprio para redes de pescare pa-^j
avos para velas, por preco commodo..*
tA**A**A*A**A*AA9
Na loja de Moreira & C. na ra
Nove, n, 8,
vendem-se cortes de gorgurSo de
seda para collete, a i,5oo ra. o
corte de covado e meio.
Joao Kellcr& Conipanhla, na
ra da Cruz, n. 55,
Vendem a precos commodos, vinho mos-
catel de Selultal, em caixas de urna dn-
zia; dito muito liom de Lavradiu e Col-
uro, em barris de quinto; dilo de Cham-
panha, da mais acreditada marca ; dito tin-
to do Cortaillod, de superior quaiidade;
extracto de absynth e kirsch ligitimo da
Suissa, em caixas de urna duzia ; verdadei-
ro cognac velho, e da melhor fabrica de
Franca, em barris de 80 garrafas pouco
mais ou menos : tambem se vendem per
preco multo rasoavel velas de stearina ,em
caixas de 32 libras ; charutos da Babia de
muito boa quaiidade.
Agencia de Edwin Maw.
Ra de Apollo, n. 6, armazem de Me. Cal-
moni & Companhia, fazem ver aos Srs. de
engenho e aos seus correspondentes nesta
pra(s, que noseu estabelecimenlo se aclis
constantemente bom sortimento de mocn>
uas todas de ferro para ahmaes, agoa, etc.;
meiasditas para armar em madeiri; mar
chinas para vapor com forc de 4 cavallo* ;
taixa* d 'ffereotea mniUtna t\n lodos 01
t mi ulos o grossuras, tanto de ferro balido
como coado ; espumadeiras, cocos, etc., de
ferroestanhado ; safras para ferreiros : lu-
do muito bom e or barato preco.
BRESTOI. SALSA PARRILHA AMERICANA.
Melhor mais txlraordinaria do mua.
Preaervaliva nl'allivrl aootra aafebres.
A salaa parrilba original egeouia de l.rrs-
lol possue todas as virtudes para corar lodaa
as enfermdadea que provin de um calado de
impureza de sangue das aecrecdei mu votas do
ligado e estomago, e em todos oa casos que n-
oessilam remedios para purificar t robualecer
o sUtaina. Km todos oa casos de escropbulas,
erisipelas, tinba, erupedes cutneas, manchas,
bilis, enlUmacau e debilidade noa olboa, rn-
cba(o das glndulas, dorea lombares, allce-
ces rbeumacas, dorea noa oaaos ena juntas
nydropesia, dcapepsia, aalbnia, dtarrbca, dts-
enceria, toase, resfriados, cnflainmacn do
pulmdea phtbisica quando provm da obslru
cao doa bronchios em peasoaa eacrnphulosas,
enlluenta, iudlgesio, ictericia debilidade ge-
ral do sj siiina uervoso, febres acudas, calores,
enfermidades das molherea, eurerinidadea bi-
liosas, e em todas as alecces proveoieutesde
uto moderado do mercurio. Esta salta pnui-
Iha ae emprega com riftcacia em todos os a-
bredlloa Casos, e he reconbecida como a me-
lhor mcdioiha que existe, trascas de salla
Vendem-se bombas de repuso,
pndulas o picota para cacimba i
na ra do Bruui, na. 6, 8 e 10,
fundicao de ferro.
Arados de ferro.
Yendem-se arados de ferro
differentes modelos : na ra
Brum,ns. 6, e io, fabrica
de
do
de
s
machinas e lundicSo de ferro.
Vende-se urna sextante nova fei ta por
um dos melbores autores de Londres e tam-
bem um orisonle artificial e um tbeodilele !
na ra do Trapiche armazem n. 44.
Nao he exageracao.
Vendem-se sspatoes de couro de lustro,
obra muito boa, a 9,500, 3,000 e 3,500 rs.:
na ra da Cadeia do Itecife, loja n. 9.
Familia de mandioca.
Vendem-se saca* com farinha de mandio-
ca muito alva.e bem torrada a melhorque
ha no mercado por nSo ter chairo de barco
e ter bom gosto e por preco commodo na
ra do Queimado n, 14,
Cobertores de tapete para
escravos.
Ji ae vendem ou acreditado* cobertores
de tapete para escravos, a 720 rs. cada um ;
por issovenham a elle* antes que se aca-
bero, ou passem para mais alto preco : ni
ra do Crespo, loja da esquina que volta
para cadeia.
Bep Faulo-Cordeiro.
Vende-se effectivamente este excedente
rap, na ruada Cadeia do Recife, o. 50, to-
la de Cunta & Amorim.
Loja de seis portas em frente do
Livramento.
O administrador desU loja tem dar bi-
lanconofim de dezerobro, e como tenha
restos de alcaides, quer acabar com elles,
trocando-osporsedulas, sendo o preco
mais rasoavel possivel, como sejam : pecas
de madapolSo com 12 jardas, por sete pala
cas ; chales de chita, 480, 640 e 1,000 rs.;
ditos pretos de rede, meii pataca ; cassa
prels, a 120 rs. o covado; cortes do cinta
preta com 11 covsdos, por 1,280 rs.; rispa-
dos monstros, a 260 rs. o covado ; chitas, a
120, 140, 160, 180, 200,- 210 ku 320 rs. larg
franceza ; brim brinco de listras, a 200 rs. o
covado ; e outras muitas fazendas por pro-
cos que coadjuvam a oconomia.
Vendem-se, por pre$o com-
modo, saccas com farinha de man-
dioca ; potassa em barriquinhas ;
fumo em folha para capa e mi-
lo de charutos : nos armazen de
Gouveta & Das, no caes da Al-
ia n ciega, e de Di as Ferr ir a, ou
a tratar com iNovaes & C na
ra do Trapiche, n. 34-
Loterio do Bio de Janeiro.
Aos ao:ooo,ooo de rs.
Na praca da Independencia,'n. 3,confron-
te a ra do Crespo e Queimado, vondet-se
bilhetes, meios, quartos, oitavos e vigsi-
mos da decima lotera a beneficio da fre-
guezia do SS. Sacramento do Ro de Janei-
ro, vindos no ultimo vapor. Na mesma loja
se mostrsm ii listas dig que ji correram.
He cliegado a esta praca o admirave|
licor alte-sypbilitico, de JoSoPaesde Fi-
gueiredo, e se vende em garrafas a 5,000 rs-
cada urna na ra da Madre-de-Deos, botica
de Weilclt Bravo & C.: as enfermdadea a
que elle se lem applicado, e as quaes tem
oblido favoraveis resultados, sfio as seguin-
tes : esquinencias, pleurices, apostemas in-
ternas e externai, e outros quaesquer tu-
mores eiullamafOes, quodas, contusOei,
ponladas, clicas do estomigo e baixo ven-
tre retences de orinas, constipicdas, ma-
lignas, febres, inciedide e fallas de respi-
raefio, ipoplexias, parslizat ou estupores,
tosses e grandes dcfluxos, asmas ou puia-
mentos de pellos, dores reumticas e gli-
cas, molestias glicas ou venera**, anavar-
cas, bydrop.'sia.i, abscissos, dores scialicas,
etc., ele, ; facilita oa patrios lentos e acci-
dentaes, promove a menstruaco, cura as
coiislipatO*s e malignas sobre o partos,
itii da iiie e mili encommoios que i-
tormentam as paridas, e he tambem appli-
cavel li as crunca reeem-niscidas, cu-
jo metlKxlo minucioao de .applicar-M a-
cuinpanba as respectivas garrafas, que a to-
dos se recommendam.
Una do Hozarlo larga n. ''i-
Vende-se urna molalinha de 19 annos,
muito linda, propria para mucama, lem
priocipio de costura, he muito umilde e d*
bom genio, o molivo porque se vende be po andar,
preciado.
Cartas para jogar.
Vendem-se Ouissimaa cartas franceza*
para vollarete, cliegadas ltimamente di
Franca, por proco muito barato, tambem s*
vendem vortugueaa* a 500 res o baralho
na ra do Queimado, loja de miudezas junta
a de cera o. 33, quatro canto*.
Gravatis de mola.
Vendem-se ricas grvalas de piola, pela
diminuto preco de 2,000 ruis el,600 riik
na ra do Quintado, loja de miudeaa juul*
a de cera n. 33, nos quatro canto*
Vende-se urna porco da caixoes dt
folba para Istoeiroj um* porc8o de pao|
e sieupira, que loram debartiy i uai^-
grde* de po, que forim d* eicrlptorlo ;
urnas janellas velhss, quo lindi podem ler-
fir par ilgumi obra ; urna prensa de peo
para apertar fardos de fazendas ; dual quar-
lolas vasias, que foram deaaeite depeixe;
orna porefio de ferros.velhos, que foram de
navio ; orna bule* milito bem feila, propria
para navio ou casa de f*milia,-Tpor levar
mal de dez canecos d'agoa; e maja urna
porcSo de taboas da assoalho e coiffdinbo
de amarello : ludo por preco commodo :
na ru* da Cadeia do Recife n. 54.
<9iVNM4HaMMR
Vendem-se quitro^raitoi moleco-
tei, sendo um delle* bom eoznbei-
e outro com principios desapatelro ;
3 negros de 22 annos, de bonitas fi-
guras, de ptimas conducta, sendo
um delle* bom sapateiro, de cortar
e fazer toda obra; um preto de 95 an-
nos, boniU llgura,optimo pedreiro; B
pretoi pin todo o servico ; um lin-
do moleque de nove annos, ptimo
pin aprender algum olllcio, por ser
muito habilidoso ; 4 uegra* mocas de
de bonita* figuras, com algumas ha-
bilidades de engommar, coser e co-
znhar ; 2 negraa de 30 annos, muito
em conta, nma delta*/cozinha muito
bem : na ra das Larangeiras, n. 14,
segundo indar.
*4J.-.a 'af tfia.a.JHB.'tf i
Lotera do Bio de Janeiro.
Aos 20:000,000 de r.
Nos qualro-caotosda ra do Queimado,
leja de fazendas,n. 20,vendem-se os muitos
afortunados bilhetes, meios, quartos, oi-
tavos e vigsimos da 10.a lotera do SS. Sa-
cramento ; bem como da 95.a lotera do
monte pi, cujas listas devem chegar no pri-
meiro vapor. Na mesma loja se trocam bi-
lhetes premiados de qualquer lotera, e se
moslr* lista da* cu** da etridide.
Na ra Nova, n. 4 loja de alfaia-
te de Augusto Colombier,
vendem-se palitos de linho de dif-
ferentes padres, proprios para a
lesta, a 5,ooo rs.
A 2oo rs. o covado.
Vende-se madepoIBo de cores, proprio
para camisas, pelo baratissimo preco de 900
rs. o covado ; bem como ainda reatara al-
gumas peo** de chila de'lmlio e algodo,
com 40 covados cada urna, a 5,600 rs. : no
Alerro-da-lioa-Vista, n. 18, loja.
Sabio.
Vende-se sabio do Rio, a 3,520 re. ar-
roba ; dilo da trra, a 3,200 rs. : no arma-
zem de Campcllo Filho, na ra di Cadeia
do Recife, n. 64.
Vende-se urna bonila mulata de 20 an-
nos, que pode servir de ima de leite, por
estir criando urna filha de 3 mezes; um
prelo cozinhero, de boa ligura, moco e ro-
busto, e que tambem he cinoeiro; umi
mulklinhi de 10 anuos, de linde ligura : ni
ra larga de Rozario. n. 48, primeiro andar,
se diri quem vende.
Vende-se um r*fogio patente, com cal-
a de prats : na ra Nova, n. 16,
Charutos.
Vendem-ae charutoa chegados ltima-
mente da Babia, por. barato preco : no ar-
mazem de Campello Filho, na ra da Cadeia
do Itecife, n. 64.
Chitas para coberta.
Vendem-se chitas para coberta, de cores
escoras, Oxai, e de gosto turro, pelo bara-
tissimo preco de 200 rs. o covado: no Ater-
ro da-Boa-Viita, n. 18 loja.
Vende-se urna boniti escrivi moca,
de Angola, que cozinha, engomim bem, co-
se, e entende muito do servico interno de
umi casi. o motivo por que se vende se
dir ao comprador : na ra da Cadoia-Ve-
Iha, n. 24, primeiro anlar.
Farinha.
Vende-se farinha, a l.tOOr*. a ucea, em
bom estado: no armazem de Campello Fi-
lho, na ra da CadaiSr no Recife, n. 64.
A 1,600 ni'
Vendem-se novo* cortes de brim tranca-
do escuro com dual viril e meia cida corte,
11,600; cassa franceza de bom gosto,a 9,600
rs.; pecas de esguSo de algodSo com 12
vara*, a 2,400rs. a peca ; cobertores de al-
godSo de cores, a 720 rs. : na ra do Cres-
po, n. 6, loja aop do lampeSo.
A 800 rs.
0 cento de ceblas : no armazem de Cam-
pello Filho, na ru* da Cadeia do Recife,
a. 6.
-Vendem-se dous lindos moleque*, de
12a 14annos; umescravode20 annos, d*
elegante figura, com principios de tsnoeiro;
urna preta moca, perfeita engommadeira e
costureirs ; urna dita do servico de campo:
no paleo da matriz de S.-Antonio, sobrado
n. 4, te diri quem vende.
Vendem-se saccas de muito
superior farinha de S.-Catharina,
por pret;o commodo ; a fallar com
Manoel A Ivs Guerra Jnior, ou
na ra da Cadeia do Becife, n.
38, primeiro andar.
Yenue-ie um* di* melbores casas ter-
reas, lilas na ra do Meio da cidade de Goi-
annn. 93, de pedra e cal, com portadas de
pedn, com duaa salas na frente, doii cor-
redores, tai* camarinbas, dosa salas de de-
trs, cozinha fura, fogoes c srnos de assa-
dos, cacimba de boa agoa e quintal grande,
1 or preco commodo : quem a pretender, di-
rija-so ao seu proprelario, morador no lle-
ra, ra Direita, sobrado 11. 88, terceiro
penas, e por que preco ?. a 800 rs.., poli nfJo
lia cous melhor para quem he curto da vis*
ti: na ra do Queimado, loja do miudezas,
junto do cera, n. 33.
le barato. .
Vendem-se bonets de panno, de gosto
moderno, a 2,000 rs.; ditos de velludo e
panno lino para meninos, a 800 e 500 rs. :
na ra do Queimado, loja de roiuduzas, jun-
to! de cera n. 33, nos quatro calilos.
Vendem-se os apreciaveis chirutM de
llavana La Noma: na ra da Cadeia
rr. 1.
Focas de esguiSo a 3,5oO rs.
Na loja da ra do Queimado, n. 17, 10 p
da botica, ainda tem para vender pelo ba-
rato preco de 2,500 rs.; pecas de esguiSo de
algodflo, com 12 jardas, muito-proprio pa-
ra camisas de senhora, por ser mais largo
qua o madapolSo.
Molas para gravatas
Vendem-se molas pan gravatas por pre-
co qui nao deisara de agradar aos compra-
dore* : na ru* do Queimado loja de miude-
zas junto de cera n. 33..
Novldade.
ptimos cortes de chitas fina ese-
guras, de lindoa padrOes, com 12 co-
vados cada um, pero diminuto preco
de 9,500 r*. por estarem devidtdas em
alguna retalhos, um
ovas cambraia pintadas eo bir-'
ra, de novo* padroos, proprias para
dous vestidos, por terem mais de 10
9,500
.rarase* palmos de largo, cores Uxas
te peca*
fino sem
,00o
-m .
He baratissimo.
Vendem-se ricos chicotnkos, 600 e 800
rs. ; charuteiris finas douradas, 1,800 r* ,
pente* com espelho*. proprio* para suissas,
320 rs.; escovss fina* com cspelbo pin
cabello, 11,000 rs.; carteij com molla*
para guardar dinheiro, 10 ra. ; supeso-
res caixas para rap, a 9,000 rs. ; fivelinha*
dojradaseprateadas para caifas ecolletes,
* 200 rs.; tnelae cruas psra hmete, io
rs.; ditas de cores, 94* ".:'*,* do
Queimado, loja de miudezas, junto a d* ce-
ra, n. 33.
Caivetes de machina.
Vendem-se uperiores caivetes de na-
i pata com milita facilidad ae pirsr
500
3,800
1.600
1,000
ptimo franckliti preto,
defeito o covado 1
Grande* lenco* de sed* ou meio*
chales, vindos da ludia, para hom-
bros, um
Novo* padrOes de lenco* de seda
para mfio, fino* tamben da India,
um
Nov* lila franceza larga, preferivel
ao lapim, Onissim, covado
Assim como toda o completo sortimento
de fazendas fins grossas, por binto preco
no armazen de fazendaide Hay mundo Car-
lea Leite, mi do Queimado u. 97, nos qua-
tro cintos, casa encarnada. J^
A 3,000 e a,4oo ra, a peca.
Na ra do Queimado, n. 17, veajarn-se
pegas de madapolSo entrefino, pebJBimi-
nulo preco de 2,000 e 9,400 rs, por ter um
pequeo toque de avaria de agoa doce. A
ellas antes que *e acabem, pois sSo mullo
pouca*.
Para acabar vendem-se,
na ra do Queimado, loja n. 17, eassis fran-
cezaade Illa abertal, e de padroe* muito
delicados, a 400 rs. O covado ; cambraia
de cores moderna*, a 560 rs. a vara ; chitas
francezas do melhor gosto quo. tcm vindoa
este mercado, a 320 e 360 o covado. Dlo-s*
a* amostras.
fumo em Folha.
Vende-se fumo de primeira e segunda
sortea, por preco commodo, em porcto e
a relalho: na ra larga do Hozarlo, n. 39,
fabrica de charuto*.
Escravos fgidos
50,000 rs. de ratiflcacio
a quem apprehender um escravo marinhel-
ro, de nome Filippe, de hicllo Mocambique,
de 35 annos pouco mais ou menos, biiio,
cheio do corpo, barba serrada, nariz chalo,
falla bem ; fugiode bordo do brigue Caro-
lina, no da 24 do crrante, e fei encontra-
do para as banda* de Dunda ; levou cami-
sa branca e outra de riscado azul e branco
com botfles branco* dos lados, e chapen dt
palha : e levar aoescrlptorio da ViovaGau-
dinq & Filho, ou a bordo do dito brigue,
fondeado defronte do arsenal de guerra.
Fugio, no dia 29 do corrente, pelas 4
horas da tarde, urna cabra mucama de que-
si 40 annos, altura regular, bastante secc*
do corpo, com falta de denles na frenle;
levou as orelh'as brincos de pedra, vestido
Je casss-chita, chale* de 13a lxa, e sspi-
to* de couro; julg*-se andar mesmo nesla
cidade, por ter dou fllhos eservos de ou-
tra pessoa: quema pegar leve-a ao se* se-
nhor, oienenle-coronel Jlo Florentino Ca-
valcantlde Albuquerque, no engento R-
cenlo, em Serlnha'em, ou a seu corrtspon-
ente, ni ra da Florentina, casa da qui-
na confrqnle ao theatfo noto, que 1* bem
recompensado.
Andi fgido, desde o dia 17 do corren-
te, o escravo Bento, de naeSo NagO, com ta-
Iho* pelos rosto, signal de aua nacto, de
boa estatura, bem preto, bracos compridos,
pernas finas; representa ter 3s a 35 100* j
he bem parecido, muito ladino e esperto;
quasi nunca eata calado : quem o pegar le-
ve-o ru* da Aurora, n. 19, que seri bem
recompensado.
Fugio, hontem de manhSa, o pardo Ve-
nancio, eacuro, reforcado, falla bem; foi
esersvo do Sr. Diogo Jos da Costa, que o
vendeu ha um anno ; eatfve nos mezes de
iulho, agosto, setembro t outubro prolimo
passado em can do Sr. Baixa, no Montelro :
quera n*gar lev*-o a casa do Sr. llichardo
Royle, na ra da Cade a, n. M, a entregar a
Antonio Bachado-omej da Silva, que ro-
compen*ri.
Deaf pfcareceu, 00 di* 96 do corrente,
1 ruaJtoia. em direcelo a eatrada do Man-
gulpna*. Aa nari for. c;sn!;5;, "
preto da Costa, idoso. magro. Mino e cal-
vo, de nome Caetano, condojundo um es-
vallo eastanh sellado e nfreado, com
manta de brim braneo trancado, cojo ca-
vallo est ripado de novo : quem der noti-
cia, tanto do e*c*evo como do cMtto, ser
generosamente recompensado poMieu se-
nhor, o major Jos Ignacio Soares de Mace-
do, em seu sitio ero S.-Jos-do-Manguinlio,
ou na ra Nova, sobradan. 4*, defronls da
botica do Sr. Pinto.
--Fegio, no dia 97. do correte, pelas 4
horas da mddrugada, a escrava laabel, da
naci S.-Thom, de S5 a 36 neos, baixa,
corpo, regular, um Unto fula; he bem fal-
late, dintel escuro* e iberios; tem as
stas da mfio direita ou esqutrdi urna
queiaudura fresca, p* curios^ levou ves-
tido de aita azul com rimagemii desbola-
H da Casta velho sem franja e ou-
tro a*jjf|inou snim um* trooxa de roup*
de sea eso : quem pegar leve-a a roa do
1.0x0 *Olinda,n. 2,ou no Recife, raid*
Senzalta-Vetha, n. 149, primeiro andar, qua
ser* bem raajompeoaido.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EBM3ES2BP_Z263VA INGEST_TIME 2013-04-24T20:15:05Z PACKAGE AA00011611_07225
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES