Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07222


This item is only available as the following downloads:


Full Text
XXIV.
QuiDla-feira 28
r
Golanna c Parabia*, t tfunjas e kUu felras.
iijo-Grande-do-Horte, toda as ilutlas feirA au
melo-dlv
Cabo, SerinhSeiu, Ulo-Farmoso, Porto-CaWo r
Miceld, nol.'.a II e 21 de callamos.
Caraabuna e Bonito, 8 e 23.
Hu-Vista a Florea, a 13 c 98.
\ ictoril, t quintil fcirai.
Olinda, tallos os dU>.
*-" ^-JaWBPM
-Nova, a 4, ios 30 ni. da m.
___. ... iCreic. a 11, aa 8 h. e 55m. da t
Pn.su ds Wi.jchei,. i9, i b. e 15 o>. dat.
\Mlng. a 26, 10 h. 13 da m,
raiMAB DCHOJJE.
Prlmelra aoi 30 minutos da Urde.
Segnnda aoi 54 minutos da manba
de Novembro de 1850.
N. 270.
VBE0O DA n7U.I,Olo.
IPor tres meses (adiantado) 4*000
Por seis mezea a/"**
Por um anno 15*000
SIAS da semana.
25 Seg. S. Catharina. Aud. do J. dosorf. edo m.
26 Tere. S. Pedro Alejandrino. Aud. do J. da 2.
v. do civel.e do dos feilosda faienda.
27 Quirt. Margar ida de Saboia. Aud. do i. da
9. v. do civel.
28 Qulnt. Gregorio III. Aud. do J. dot orf. e
do ni. da 1- v.
29 Sest. S. Saturnino. Aud. do J. da 1 v. c. e do
dol feitoa da fazenda
30 Sab. S. Andr.
1 Dom. S. Eloy.
CAMBIO BM 27 DE WTMBBO.
Sobre Londres, a 28 I|2 d. por 1/000 n. a 60 das
Paris, 333 pir Sr.
Lisboa. 100. por cento. .,vi,i
Ouro. -Oncaa heipanhola.....29/500 a 30/000
Moeda.de'6*100 velhaa. 16/000 a 6*500
. de 6/400 novas lb/000 a 1b2
deJOOO....... 9/OOa 9/20
Prata.-Patacoe brasileiros.... A60 a 1/WjO
Pesos columnarios..... I/** a 'C
Ditos mejicano........ 1/700 a 1/7*1
fe*
IARIO PE
iMMtMdil,
ttfcdeBi
di Bim
roe* Srtem
llel por b
MINISTERIO DA FAZENDA-
DECRETO N. 7tt.DE 9 DE NOVEMBRO
DE 1850.
Altera ai dspoiicdis do decreto de 2* de
-a.. A~ .OA n Kttt -n.nl Am nwr..-
Uimm\v v *, -...- .^.^vi". ."i.-
0c de vaJea e pruo dos decontos do ban-
co do MirinhSo.
AtlettMdo ao que me representou a di-
recca* do heneo oonimerci! do MinnhSo.
e lando utido a sereflo de CazeBilado con-
*elho4eestido : heipor bem, alterando as
disposicOes do dercreto n. 597 de94 de mar-
co dessjtt, ampliar a emisssao do* ales a
DieUajRp capital eRVctrvo do benco, e o
r*oT*ei*exe.
Joaquim Jet ftodrigaes Torres, do meu
consrlho, senador do imperio, ministro e secre-
tarlo de estado dos negocios da fazenda e pre-
sidente do tribunal do theaouro publico nacio-
nal, asslm o tenha entendido e fafa ejecutar
Palacio da Rio de Janeiro, em 0 de novembro
de MBO. vigeslme-nouo da independencia e do
Imperto.
Cotn a rubrica de S. M. o Imperador toa-
DECRETO N. 728, DE 9 DE NOVEMBRO
DE t8M.
AUej diipoiicOe do art. 102 do regula-
B3 de Jullio de 1836. a respeito
axenigem do deposito dos volu.
encentea ao* carregamentos de
es arribadas.
por bem, alterando o disposto no
art- 119 do regularaanlo de 92 de junho de
1819, determinar que a iroiizenagem dos
volumes pertencmles sos carregamentos
das embsrcaoOet arrbalas saja cobrada na
raslo de 80 rt. otarios por tonelada de r-
queaco, contada do da em que o navio
acabar* descarga pata o deposito da slfui-
Joaquim Jos Rodrigue* Torres, do neu
consclbo,, senador do imperio, ministro e
secretario de estado dos negocios da fazen-
da, e presidente do tribunal do Ihosouro
publico nacional, issim o tenha entendido
e faca circular. Palacio do Ro de Janeiro,
em 9 da novembro de 1860. vigesimo-nono
di independencia edo imperio.
Cotn e rubrica de S. M. o Imperador.
Joaquim Jos*' Rodriauti Tornt.
EXTRACTO DO EXPEDIENTE DO DA 8
DE NOVEMBIIO.
A'Uboaouraria do llio de Janeiro, ao ofll-
cio de 24 deketembro, em que propOe dun-
das ; 1.a te nao sendo obrigsdos os livros
das distrlbuidoresi imposto slgura antes do
regulamento do sello de 10 de julho, estan-
do elles ji rubricados, e em parte escritu-
rados, snles d* execuco do dito reguls-
mento, estSo sujeilss so sello lodis as fo-
lln, ou smenle n que esliverem em brsn-
coja.^.se lies livros eoolros que deviam ser
sellado* mesmo snte di execucSu do regu-
senlo de 2* de ibril de 1844, mis qne o
nao fonni, esto sujeitos I revulidicSo no
todoouem ptrte, qumdo se tenhi nelles
continuado a escripturicSo intes de hiver-
se psgoo sello ; respondo-so : 1*, que estan-
do compreliendidos na disposicfto do srt
51 do regoltmento de 10 de julho os livros
deque trata o art. 37, pira a respeito delle*
ser observado o slvira de 17 de junho de
1809, a que implicitimente se refere
o art. 14, S i.,, n. 1 da lei de 21 de ou-
lubro de 1843, a*vem ns livros dos deposi-
tarios genes, distribuidores e contadores
judiases, que d'inles nloertm sujeitos ao
pigimento do ello, piger o ello actual,
em quslquer estado em que se (ebem, nflo
se podendo eicrever, ou continan escre
ver nelles, tem esse pegamento, nos termos
do sobredilo ilvits, $ 2., e os que nel-
Ples Ond o preso de lempo estshlecido,
escreverem, ou continuarem a escrever seon
o devido pegamento do sello, incorrerlo..
--; mas qne serSo selladas smente as (Mits
fultias quo te tcliavatn em brinco ao lempo
da publicicilo do presente regulamento; 9.*,
Iueos livros que js antes do regulamento
q 26 'le abril de 1844 estavsm sujeitos ao
sello, e iiBufuram sellados, deverflo pegar
o sello s que eslevsm sujeitos o lempo di
saa dxpedieflo, no caso de se ter nelles co-
uieftdu escripturs(3o, antes do referido
regu lmenlo: se estavam todo* em brinco,
posto que numerados e rubricados, id tem
po do regulamento de 1844, nao forini
sclltdus u* conformidtde delle, e sem pa-
0:svww '? s*- estSc e^.Kb^lpeiitn m.
niecou nenes Jijrros t escripturico serlo
sujeitos revWicfio; seos mesmo* livros,
indi que anteriormente numerados e ru
bricadoi, eSo tiverem I ido uso, por nelles
oto te lereous algomi escnpiundo, de-
verlo pigsr o sollo aclual
MIHiSTEhlU DA JtSTICA
DECRETO N. 719, DE 20 DE OUTUBRO
DU 1850.
Regula o modo porque deven ser procedi-
dos os deudos e trros de olcio, cujo co-
nlieclmento petlence lo supremo tribu-
mi de justlct, ou is relscoe*.
Ilei por bem, usando da altribuicSo que
meeonfere o srt. 102, 12 da constlluicSo,
decretar o seguinte :
ArL 1. No delicio e *rro* de olllcio, de
que pe* eonsliuicfio deve conbecer o su-
premo tribnn*! dejusti?, e no* delicio co-
jo eonhecitnento pertence s relac/Je, o mi-
nistro a quem o felto tocar por distribui-
cllo ordeuar o proessso, fizendo utoaris
p*4*s inslructivss, e procedando todisss
diligencia**c**rii, doooi* ireienta-
lo-ha em mesa pira relaU-lo, na frma que
Ostcntpaa srs- 20 s 25 da !e de 18 d-
seUmbrode1(f9,eo**r(s. 164 eH2doco-
digo do proeoaso, erlmiml.
Art. 2. 0 presidente do respectivo tri-
bunil designar es** mesma sessSo pan
propflr-sa o Teito, e immedliUmente e*co-
Iher-se-bBo por sD*jH tres mi nutro*, o*
quiei, depois de inllruidos do processo,
pissirto em icio nVc*lvn, e em sesillo do
tribunal que tlver de cosdieeer do foito, a
ni* n o denunciado, ou aqoelle oontri
quem se houver dado a queiaa, deve ou iS
**r pronunciado.
Art. 3. Todo o acto* mencionados no
litigo antecedente serio feitoa em sesslo
pablica do respectivo tribunal no* easos em
qe o denunciado, ou aqoelle eonlr* quem
buver quelx*. estiver preso, ou quando o
crime fftr finc*vel.
Art. 4 Nos cssos em que o denunciado,
ou iquelle contr* quem houver queixa, nao
ftstiver preo. e o crlme for Intflincivel, o
relitorio do feito e o sorteio dos tres minis-
tro para pronunci lerSo faltos em ses-
sSo publica do tribunal, procedendo-sede-
pois a julgar sobre a pronuncis em sesillo
secreta ns presenc* dos ministros do tribu-
nal e do secretario.
Art. 5. Os ministros que tiverem de Jul-
gar sobre a pronuncia, ns forma prescripta
no* artigo* *ntecedenies,poderlio sotes dis-
to conferenciar particularmente sobre o fel-
to, comanlo, que n* mesma sesslo se jul-
gue'sobre pronuncia, como determina o
art. 2.
Eusebia de Qaelroi Coutlnho Matoso (ama-
ra, do inru consrlho, ministro e tecretirlo de
estado dos negocio! da juatlca, o tenha asslm
entendido e faca ejecutar. Palacio do Rio de
Janeiro, em 10 de outubro de 1850, vigesimo-
nono da independencia e do Imperio.
Com a rubrica de S. M. o Imperador. En-
tibio di Qucirox Comlimko Matow Cmara.
GOVERNO DA PKOVINCIA
EXPEDIENTE DO DA 29 DE NOVEMBRO.
Olcio.--Ao cemmtndiifte das armas,
remetiendo copia do aviso do ministerio ds
guerra datado de 30 de outubro ultimo, fin
dB que, fletnio inteirado da iiitorisacrio
conferjda> pelo governo imperial em ordem
n facilitar nestl provincia o engajamento
dB individuos pin o servico do exerclto,
empregue os mel* nece*ssrios|para oblar-
se de conformi Jide com o citado aviso, e o
de4 de setembro deste anno, o maior nu-
mero de engajados, que for possivel.
Dito.Ao juiz relator da junta de justica,
remeltendo os processo verbses fetos tos
soldados llaymumlo Pereira da Cruza Do-
mingos Antonio'Simes, este da companhia
deariifices, e iquelle d* decavallari* (im
de seren presentados em sessBo da mesma
jpnta Cominunicou-se o commaoJo da*
armas.
Dito.A' pagadoria militar, aulorisindo-i
a mandar ptgtra Francisco Ferreirt da llo-
clla a quintia de 499,982 re*, en que*e-
guudo t cotila a papis que remelle, impor-
tis os genero*, que miudou cumprir pan
a illia de Fernando.
Dito.A' mesma, inteirando-a da llave
rea de cooformidade com o decreto e regu-
limento de 18 de novembro de 1848, contri*
tido pa'i servir no exercito,os psissnos Mi-
guel Romeu Duartee Jote Francisco ds Cruz
que foram alistados no segundo bstslhSo
4e catadores, e squelle no primeiro ds mes-
mi arma, e ordenando que mande alionar a
qada un dos referidos paisanos a gralilioa-
0Bo de 150,600 ris, sendo 50,000 ris i vis-
ta, e o resto em ptestaees mensaes de lis
10,000. Ulelligeuciou-se so cummandu
jai armas.
DitoA' mesn, pin mandar pigar, es-
tando conforme con la que remelle em
duplicila ni importincii e 104,160 ris de
despexa feila pelo lenente-curonel coni-
niindiule do segundo bitilbBo de arlilhi-
ria a p.com a mudenca do mesmo batalhfio
do quartel da Soledads par o di Gloria, e] comervidi.loleirou-ae ao chefe
Qooi o transporte ds respective begagem
pira difTerentea lugares.Scientificoue ao
commitido dis armis.
Dito.A' mesma, pin que i visti da ciu-
lella que remelle, mando abonar ao com
aldanle do segundo bitalbSo de ntillii-
ria p a quanlii de 4:231,000 ris, para
gimento dos vencimenlos do referido
alslhSo em o mez correle, sendo a tnes-
mi quintil entregue *o egundo-tenente
Euartel-mestre Mauoel de Atevedo do Nas-
imeulo. Intoirou-se ao commiodo dis
armas.
Dito.A' thesounrii di fizendi provin-
cial,pira mandar sdiaotsr ao secretario da
di eeloria das obras publicas, coniormexe-
fuisila o respectivo director, a quaotia dej
00,000 ris pan occorrer as despeii* do
expediente e isseio da asa.
Dito.A mea ni a, pan que estando coa-
forme, mande pagar a oaixa do oitsvo bata-
ItiBo de csrsdores a cuanta de 78,733 ris,
em que segundo a cunta que remella, i re-
porta m as despezis feiUs com o sustento
dos presos pobres di cd m- do Brejo.e com
p fornacimeoto de lats a mesata cideii.-
jnlelligenciou-se io commindo dts armas.
Dilo. A administracSo doi eslibeleci-
mentos de caridade, recommendindo a ei-
pedicao de suas ordena no sentido de ser
(ritido no hospital dos I azi ros o soldido do
primeiro bataihio de cicadores Vctor di
Silva Campos, que ser reasetlido pelo
cotnniaudo das arma, por se acbar doente
de elephantiases dosgregos, e prerenindo-a
de que a despeza do curativo do referido
soldado deve ser feila cusa dos seus veo-
eimenlo*. Neste sentido ofllciou-se ao
uie.nio cumulando das arma*.
> Dito- Aocapilflo de eegaehairo* Chrii-
liaooPereira de Axeredo Coutinho.Cum-
prinllo aue Vmc. siga quinto antes pin as
'giitai u'Agoa Fren, afim de desempeuiar a
ommisso de que fol ooo*rregdo pelo go-
verno imperid, conforme me foi commn-
nicado por sviso expedido pela secretaria
de est*do dos negocios d* guerrs em diti
de 11 de setembro do eorrenle inno, que
pin sui lotelltgencl* e execucSo Ihe re-
metto porTcpii, recommendo-lh9 que se
dirija'para o lugir 6*0 eo destino com *
possivel brevid*de, visto que js deve ter
Vmc. receido o Sr.StrO!"""*" "fertsosque
pe* directorli dss obras public* Ihe m*n-
d*l fornecer, dvertindOTO porm, qoe si-
tisfico is requlslcfies feitis por Vme. em
seti oIBelo de 13 do torrente pela mirlelri
seguinte :
Quinto a primeir, expelo ordem lio
eommmdinte di *rm8 prs-p6r ua dis-
posiQo as duis praca* de rivallarii, afim
de o acompanhir na iui jornia* pin i villa
d'Agoi Preti, assim como pelos lugares dss
mita que houver de percorrrr.
Qumlo segunds e terceirs, mindo-lhe
abonar 50,000 ris psrs ajuda de custo, e
adianttr dous mezes dos seo* vencimentos,
nos quses secomprehendem 30,000 ris de
transporte.
Quintos ultlm, expeco ordem o cen-
mandanle do corpo de batednres em serv
co dis mitas, pin que Ihe forneci i ferri
menta precisa pira aberturas de picadas ;
assim como a gente necessarii par esse
lim, e offico so commsndsnte do segundo
bstslhSo de artilhiria i p para Ihe prestar
o auxilio, de que Vmc. precisar, podendo
depois que chegir so lugar pira onde tem
de seguir, requisiiar o mus de que por ven-
tura cireca.
Purtiria.C.oncedendo Raymundo No-
nato Sclnlk dlspenss que pedio do lugar
de praticinte di thesounria di fazendi
provincial. Communicou-ie *o inspector
di themurii.
DitaNomeando a Eduirdo Mirtins Ri-
beiro pin o lugar de pnticinte di thesou-
nria da fazenda provincial.Inlelligenci-
ou-se io respectivo inspector.
Dita.Ordenando io cipitSo da patacho
Pirapama, que transporte psra a ilhi de
Fernando o segundo cidete do segundo ha -
tilhllo de irlilharia a p, Hereulano Miciel
ila Silva, que Ihe ser mindido ipresentir
pelo conmindinte dn srm*.Inteirou-se
so mesmo commindante dis Irmas.
Dita.--Ao mesmo, determinando que siga
minhfii pin i iltn de Fernando,on le des-
embircirk i farinhi e miis objeclos que
con luz para serem entregues, e depois de
recebera correspondencia ofllcial do com-
mindinle di mesrra, regresse io porto des-
tl cidide.()lliciou-se io coxmandinte di
referidi ilhi.
DEM DO DA 23.
Olllcio.A'thesounris de fazendi, tnns-
millindo o iviso de umi lettri ni impor-
tancia de 714,000 ris, sacada pel thesou-
nria de fazenda do Rio Gnnde do norte,
sobre t desti, e i fivor de Manoel Joiquim
de Araujo.-Pirlicipou-ie io Exm. presiden-
jtediquella provincia.
Dito --A pagadura militar, remetiendo
nnvimente os prsts c retardes dos venc'
mantos que se estilo s dever as pricas da
guarda nacional, que estiveram destacadas
de 11 197 de novembro de 1848, no lugar
denominado Morojo, comarca de Nizirnth,
afim de que mande prncessir essi divida,
de conformidide cotti a circular do thrsou-
ro publico mcional de 6 de agosto dejl847,
fazendo-se o abite de 118,320 ris, de que
trata a sui informacdlo.Scientilicou-se so
respectivo delegado.
Dito.A idminislrscao dos estabeleci-
mentoa de ciridade, recomaendindo a ex-
pedicBo de suas ordens no sentido de ser
tratada no hospital de caridade a ileoadi,
que pira ter esse destino sen pin ili alin-
dada pelo chefe de polica interino, visto
nSo hiver ouiro lugar onde possi serells
de p-
denles ou pelas autoridades, a quem oncar-
regarem de fiz-lo; os individuos que obti-
verem taea pissagens se designarSo por
pisugeiro* do governo.
Art. 2.' Tsnto uns como outros pissa-
gBiros entregirflo antes de desembarcar
urna oiutelli agsignada em que declirem o
nome di birce, o fporto d'onde sshram,
801 qsc dsts o nnrln dn pij destino, e es-
pecifiquem se forini transportados como
pisiigeros do governo.
Art. 3. Os cemmandsnles de tropas
transportados entregarse os daS bircls,
otes de seu desembarque, urna eiutelli
por ellas assigni la, em que sb declare o nu-
mero de pracas, os dias e lugsr do embar-
que e desembarque e se foram abonidoi
de comedoriis.
Art. 4.'Quando a tropa fracompinhada
de familias de ofUciaes, e ds soldados, o
commaiidinle da loica declarar especifici-
lamente ni ciulella do desembarque as pes-
soss dequese composenm essss familias,
sendo as dos soldados consideradas como
pracas de pret, e as dos olficiies segundo
s cithegoriis de seus chefes.
Art. 5.' As ordens para o embarque de
tropa comprehendem implicitimente o nu-
mero de mulheres que costumam icomp-
nha-lo quando dellas nSo se fica especial
ntesAfo,
Art. 6. Quando as pracas que passarem
rus barca, nSo forem cummsndadas por
algum olllcisl, ou inferior, o tteslado de
emhirqoe ser* passado pel pessos compe-
tente utorisidi pr is receber no porto do
desembsrque.
Art. 7.a Quiesquer individuos, que nSo
sejapm pr*Qis do exercito, e quem o
ministerio da guerra conceder trans-
porte nos paquetes, sSo competentes psrs
pissir os altestados do seu proprio desem-
bsrque, e quando nao souberem escrever,
assignar alguem por elle.perante duastes-
temunliss d'entre i guirnicSo, ou pissagei-
ros do navio
Art. 8.' Os primeiros e segundos cadetes
serSo considerados como ofllcises pira o pi-
gimentodas suaspasssgens,quando aordem
pira o embarque nSo declarar o contrario.
Art. 3." Todis as vezes que durante a
viagem. desembarcar ilgumi praca em por-
to que, uo for o do seu destino, ou se dr
substitiico de individuo, s.-rSo essis alte-
raqoes declandis pelo commandanle dt
forc, qumdo o nao houver pelo com-
mandanle ou nilotodi barca.
Art. 10.* Smenle receber a companhia
i bordo das bares, i titulo de pissagem ,
qullo que rigonsamente pertencer como
tal is pmcas que transportar, e hunc se
Ihe permiltii levar miior numero de volu-
mos do que sos outros pissigeiros ds com-
pinhii, sslvo ocaso de pigirem o compe-
tente frete.
Art. 11. A companhia presentar as mis
conlas documeritidis com as ordens origi-
naes, segundas viss ou certidOes inthenti-
css psra o embarque, e is csttellss de des-
embarque.
Art. 12. Nos casos de transporte de trop,
pracis .le pret, recrutis, familiis, ou corpo
quilquer de individuos, compmhii nSo
sin obrigadi ipresentir listi nomiml de
ties pssssgeiros, quando mesmo ordem
pira o embarque faca mencSo delli, e aim
nicamente ilteslido do numero dos indi-
viduos ilesembircados.
Art- 13 Os alistados ou csutellss de
desembarque pissadoi com as formalidades
dis presentes instruCQOes so os documen-
tos competentes pan a nionlidide dis
contis di compinhii, que lera direito io
pagamento verillcado o desembarque
Paco em 29 de outubro de 1850. -- Afa
noel Filiiardo de Sousae Millo. Conforme.
I.ibuitio .uqvslo da Cunha latios. Con
forme. -Antonio Leit dt PitAo. >
licii.
Dito.A Manoel Florencio Alves de No-
raes, devolveudo o plano para i extriccflo
de umi quinta parle da lotera concedida
em beneficio do hospital Pedro II, lini de
3ue o reforme, tendo em visli disposicBo
o S *5, art. 9 ds lei o. 555 de 15 de Junho
deste inno, que rege o exercicio eorrenle,
que nSo repro luzo i respeito deste estsbe-
leci ment a disposicSo do srt. 38 d* de nu-
mero 514.________________
CommaiHlo dat armas.
Quartel d eomnando iat arimu na ridadt do
R*ti(:, sm 3! i: f!n"6ro di 1850.
OROfiM DO DA N. 5.
O Illa). Sr. coronel Jos Vlceale d Amo-
rim llizern comminJmte dasirmis, par
eonheci ment da guarnieao, manda trans-
crever ni presente ordem do di, is-imo
officio. que ni data de 19 do crrante Ihe di-
rigi O Em. Sr. presidente deeti provincii
^nitruccOs e tabellas a que se re-
fere.
Officio. -- lllm. Sr. Transmiti i V. S.
pira seu coQhecimenlo e direccSo, as inclu-
I* copiaa do aviso circular expedido pela
secretaria de estado dos negocios da guer-
ra com data de 29 de outubro ultimo, bem
como das instruccOes e tabellas, que se
refere o citado aviso.
Daos gurde V. S. Palacio do governo
de Pernambuco, 19 de novembro de 1850.--
Jet lliefonto dt Sonta fiama, Sr, com-
mindinte dis trmis.
InatruccOe pira xeeucSo do contracto Tei-
to pelo ministerio da guerra oom a com-
panhia do paquetes de vipor.
Art 1.* As orden* pin pi*sigens nos pi-
quetes d* compinhi, qie houverem de
ter pagos pelo ministerio dt guerra, serno
expedidle n* cU pc!s rcspeetiT* *ecr*U-
ri* de ettttjo, e nis provincii* petos preai-

5SS sf
ol*"_______
llll^llll
. a _
a
JI
7)

21
os:
X 8.2
*2 1fl)
. Conforme.-O officll-malor, 4anol Ce-
me* lino Car mito da Cunda.
enlomo Mariu Rabillo,
capitao ajudaote de ordens.
TRIBUNAL DA RKL\CAO.
SESSAO' DE 26 DE NOVEMBRO DE i850.
raESlMNCIA DO KXM. 81SB0 COSSELHE1SO
A7F.VEDO.
A' 10 hora da inanhSa. achando-se presen-
tes os senbore desembargadores Villares, Bas-
tos, Leio, Soma, Kabello, LuuaFreire.eTelles.
o Sr. presdeme declara aberta asesso.
JULGAMEM'OS.
Aggttvoe.
Aggravante, Gullherme Augusto Rodrigues Se-
te aggravido, HenriqueGibiun.Negaraui
frnvimrmo ae aggravo.
eitos que sendo marcado o dia de boje pa-
ra julgainento foram julgados.
Appellanle, o promotor publico ; appellado.
Manoel Antonio da Cuuha. Mandaram a
novojury.
Appellante, o juiso ; appellado, Manoel da Sil-
va Guirabira Julgarain procedente a ap-
pcll.ifao c empuieraiu a pena de gales per-
petua.
Appellante, o julio ; appellado, Alejandre An
Ionio Soares. Mandaram a novo Jury.
Appellaciii riten.
Appellante, D Rachel Caelana Alejandrina
de Mello; appellados. Joaquim Pedro do Re-
g i.avalcaute e tua uiulber. Despresaram
os embargos.
Appellante, Nudo Mara deSeixas; appellados,
. os credores disidentes do mesum. Despre-
saram os embargos.
Appellante, Jo Rodrigues do Paco; appella-
do, Ma,noel de Squia Guimaraes. Confir-
uiaram a aenieaf i.
appellante, Jos Feij de Mello; appellados,
Jos Gabriel de Moraes Mayer e outroi.
Julgarain adeaistencia por seulenca.
DILIGIMCItl.
Appellante, Antonio Alves Vianna ; appellada.a
faxenda nacional. Mandaram com vista ao
Sr. deseuibargador procurador da cora.
Aripelianle, Anna Maria de|Miranda Castro e
muros; appellada, Joanna Maria de Miranda
Castro e outro. dem.
Appellante, bernardo Antonio de Miranda; ap-
pellado, JoaquUu Jos de Miranda. Hauda-
raiii coui viala ao curador geni, e ao Sr. des-
rrabargador procurador da cora.
KVISES.
Paasaram do Sr. deseuibargador Villares ao
Sr. desemb-rgador Bastoa as aeguiotei appel-
latfles em que sao :
Appellante, N. O. Bieber U C; appellados, os
adiniaistradore do patrimonio dos orpbuos
deiti cidade. ,. .
Appellante, rranoUcc ic Priis; f'"""'
Joo AuaaUcio da Cuoba.
Appellante, FranciicoJos Pereirl; appellado,
Martiulio de Borges.
Appellantei, Lula Bruguire e outros; appel-
lados, Avriai S( Irinios e outros.
Pasaaram do Sr. desembargador Bastos ao
Sr. deseuibargador Leao as leguintes appella-
ees em que sao :
Appellante, Jos Francisco Teiielra; appella-
do, ojuio.
Appellaute, Joaquina Carneiro de bouza Lacer-
da; appellados, Francia Maria dos Aojos,
Passaram do Sr. desembargador Lelo ao Sr.
deseuibargador Soma a seguinte appeilapocs
em que sao:
Appellante, Joi Velloso Soares; ippelUdo,
Luli Gomes Ferreira.
Appellante, Francisco Antonio Fernandes; ap-
pellado, Jos Antonio de Magathaes Bastos.
Appellante, Antonio Ricardo do Reg; appelr
lado, Pedro Beierra de Araujo Beltrio.
Passaram do Sr. jtaieinbargador Souza ao Sr.
desembargador lUmell
ello aaieguiutes appella-
cea eui que So :
ppellaole, Franclica Thomazia da Concelcao
Lunha; appelladoi, Joio KellerSt C.
Appellanle, rraoclico Jos de Albuquerque
Pioto; appellado, Luia de Albuquerqne Ba-
BSMi
AppelUnte, Manoel Pires Ferreira; appellado


'-----
Fernando Francisco de Agolar Montan ojos.
Appellante, Joaqnlin Jos de Faria; appellados,
Jame Orabtree & C.
Appellante, o fcxm. barao de Suasiuna ; apprl-
lados, Manoel Pire Ferreira e otaros.
Passou do Sr. desembargador Rabello aoSr.
desembargador Luna Freir a seguinte appel
lacio rin que lio:
Appcllante, Manoel Antonio Gomes Ribeiro
appellado, Querino Antonio.
Passarain do Sr. desembargador Tclles ao Sr.
desembargador Villares as seguintci appeila-
coes em que sao :
Appellante, Antonio Francisco Cordeiro de
Carvalho; appellado, Francisco Manoel da
Silva Tavaras.
Appellante, Poumateau ; appellado, F. Poivler.
Appellante, J >sc Antonio acuosa ; appellado,
Vicente Jos de llritu.
Appellante, Elias foelbo Cintra; appellado,
Agoitinho Henriqucs da Silva.
DimiiuicOia.
Ao Sr. desembargador fastos a seguale
appellaco em que sao:
Appellante, Jos Felli dt> Espirito Santo ; ap
pella Jo, o julio.
Ao Sr. desembargador Rabello a teguln"
te appellacao em qae sio:
Appellante, Antonio JosGurjao; appelUdos,
Joaquim de Albuquerque e outros.
Dia de apparecer do Julio do civel dcsta el
uae mi que sao :
Appellante, Jos Moreira da Silva; appellados,
lie I lina Rosa da Folicea e outros.
Feltos dos quaes era relator o fallecido Sr.
desembargador Ramos e que sao novamenle
deslribuidos, a saber.
AoSr. desembargador Luna Freir a seguin-
tes appellaeo em que sao I
Appellante, Manoel Nuces de Sarros; appella-
dos, Antonio Nunes de Sarros e outros,
Ao Sr. desembargador Talles a seguinte ap-
pellaco em que sio :
Appellante, Alexandre Jos Gomes; appella-
dos, Jos Antonio Gomes Jnior por si e teus
filhos e outros.
Levantou-se a sessao a urna hora da tarde.
1
-
!>'
m
Communicado
Sociedade Nova Thalia.
Domingo, 24 do corrente. leve lugar pri-
meira recita ila socieda le Nova Thalia. O
imuienso e brilbante concurso de povo,
que ella reuni em seu seio, valeo o penoso
traealho. que liveram os seus membros, os
quaes, depois devencerem (odas as difli-
culdades que encontraran! no desempanho
do seu pensamenlo, obveram gloriosa-
mente as paliii?s do mais completo trium-
pho. Bem pouco lisongeiros foram os pn-
ineiros dias dessa sociedade ; lerriveis ma-
quinicOes tentaran) contra a aua existen-
cia ; porm nnaltneute appareceu em todo
o vigor de una juventud, quemuito pro-
meta, cheia de gala, e de harmona, rica
de ornatos e primores.
Natceu ella dos mais ardentes desejos;
tem a sua base oo corado ; por isso he de
supporque seus dias sejam duradouros.
Digamos agora duas palacras sobre a sua
prmeira recita. O drama s-nilu foi bem
escolliido, ao menos eslava proporcionado
capacidado desses jovens brasilciros, que
inflammados no santo amor das arles, de-
sejarn concorrer com o que pdem para a
grande obra da civilisacSo. He verdade
que nSo foi completamente desempenha-
do ; poim o que se devia esperar de man-
cebos enexperienles, que desamparados de
todos os recursos, atirarani-se pela primei-
ra vez no agitado mundo das artes ? O bom
gosto, podemos dize-lo com algum orgu-
Ino.ja entre nos se vai desenvolvendo de
urna maneira espantosa, e o tbeatro, esse
poderoso vehculo da civilisagSo, esse cam-
po em que se crusam todas as paixes, tem
entre nos asseulado o seu fundamento, e a
prova de quanto avancamos est nesse ge-
neroso impulso que move os brasileiros a
vida dramtica. Amigos do tbeatro, d8o
podemos deixar de applaudir qualquor ten-
tativa que appareca nesle sentido ; por isso
tribuamos todos os louvores essa moci-
dade briosa, a cuja influencia devemos a
existencia da Nova Tbalia. Em geral, e pa-
ra dizermos ludo em poucas patavras, este
theatrinbo est o melhor possivel, e jul-
garmos da sua sorle futura pela sua pri-
meira recita, podemos affirmar que muilos
prazeres lemos de gozar no seio de tSo bri-
llante sociedade. Oxala que os seus mern-
bros nunca desanimem.
lo o Silva, Joaquiru Florido Ferreira Lima,
'>.miingos Iio-lrigues da Coala, Jos Dias de
Souza Jorge, Jos Mara Pestana, louo Pe-
rolr.i Rebollo Braga, Jos Jo-.quim da Silva
Rraga, Francisco Jos Machado, Braz Jos
Voltio de Lima, Jos Fernandos Lima, Luii
da Silva Baplista, Antonio Jos Gomes de
l'.iria, Miguel Antonio Riheiro, Constantino
Je Mattos Lima, Jos Jacintho dos liis, An
ionio JoSo llamos, Jos Joaquim Poixolo de
Miranda Manriques, Jos da Costa Ferraz,
JoSo joaquim do Araujo, Jos Carreiro Es-
trella, Joaquim Jos llodrigues da Cunha,
Matheos Vaz deOliveira, Francisco Fernan-
das Lima, Francisco Xavier Dias, Francisco
deS Pereira, Felicio Jos Vaz de Oliveira,
Joo Baplista de Queiruz, Joaquim Pacheco
Borges, Antonio Moreira Ferreira, JoSo Jo-
s deMedeiros, Antonio de Souza e Silva.
Senhor.Diz Anna Elisabet Adelle Poir-
son, que dos autoa de revista civel n. 4265
em que a supplioante he recorrida e recr-
rante Affonso Saint Martina precisa por cer-
tidSo o teor da accordllo que negou a re-
vista.
P. a V. M. Imperial se digne mandar-lbe
passar a certido requerida.E II. M.--ltio
de Janeiro, 25 de outubro de 1850.O pro-
curador dasuppiicauie, Aitieniv ummi Cur-
deiro.
P. Rio 29 de outubro de 185(1. Cuarto, p.
Km observancia do despacho retro oer
tilico que revendo o livro sexto do reglsto
das senlencas ci veis, nelle a folhas 88 verso,
consta a seu lenca o teor, forma e manei-
ra seguinte:
Vistos, expostos e relatados estes au-
tos civeis enlre partes recorrerte Affonso
Saint Martios, e recorrida Anna Elisabet
Adell Poirson, negara a pedida reviati por
nflo haver nullidade manifesta, uem injus-
lica notoria oo accordflo, de queae recorre.
Kegressem os autos ao juiz, onde foram
sentenciados pagas pelo recurrente as cui-
tas. Rio, 25 de outubro de 1850.Duarte,
presidente.Nabuco.--Pinto.Mallos.-- Car-
neiro. C. Franca.--Peijanha.--Alme.ida.--
Campos.Siqueira.-Veiga. Perdigfio Ma-
heiros.
He quanto consta do mencionado regis-
tro d'onde ae extrahio a preseule certida j.
Secretaria do supremo tribunal de juslica,
em 30 de outubro de 1850.-lio, Cyritu An-
tonio de Lemoa a suscrevi e assigoo.- U se-
cretario, Cyrino Antonio de Lemos.
rouxe dos porto; do norte para os do tul
leva a gou bordo ; Joaquim Ferreira Rn-
daira com 1 escravo, Domingos Jas 'da
Silva Coutn, Cypriano de Almeida Sibron,
Cr. PeJro F,. da Silva DurSe eom eecra-
vo, Clanpano Pilangnari de Araujo com 1
escravo, Dr. los Joaquim dos Res Leasa
com sua familia a urna escrava, Jos de
l.i na Nohre, JoSo Pedro Alvos de Lima
Gordelhocomt escravo. Candido Augus-
to Pereira Franca, Jos Domiogues Perei-
ra d Mallos, JoSo l.nlislo Japiais Fi-
gueira de Mello, Manoel Pinto de Souza
Dantas, Frazebulo de Oliveira Passos oom
t escravo, Jos Pereira d Silva Moraes,
Dr. CsrlSerpfb, Jos Rernardino de Fi-
gueiredo, Jos Caetano de Araujo, Ma-
noel Vctor de Souza Montefro com 2 es-
cravro e Flix da Costa Moraes.

Oeclaraijoes.
aqu 12 das, e recebara carga e passagei-
ro: trata-so ni ra da Cadea do Recife n
17, segundo andar.
-Para Lisboa o brlgue portuguez Conctitat
de Mara, sahira Impreterivelmenle no dia 8
ile dezombro : para o resto da carga e pas-
geiros trata-se com Thomaz de Aquino
Fonseca & Fllho, ra do Vigario n. 19, pri-
mairo anlar, ou com o capitSo, na praca.
l'ede-se aosSrs. earregadores queiram le-
var os seus conhaclmenlos i casa indicada
al o dia 3 do prximo futuro.
--Para o Rio de Janeiro sahira em pou-
cos das o brigue Niro : recebe carga fro-
te assim como escravos: quem quizer car-
regar, trate com Leopoldo Jos da Costa.
Araujo, ou com Ncvaes& Companhia.
Para Luanda com escala por Henguella
o brigue portuguez Oritnt* pretende seguir
con a maior brevidade possivel, por ter o
seu carregaraento completo, apenas recebe
alguma carga miuda e passsgeiros, para o
que oTerece os melhores commodos : trata-
se com os consignatarios T. de Aquino Fon-
seca t Filbo, na ra do Vigario n 19, pr-
meiro andar, ou com dropitfio na praca.
ParaoAracaty sabe,^io dia 28 do cr-
ranle, o hiate Angelina, por ter j parte da
- 0 lllm. Sr. director do arsenal de guer-
ra contrata olDJciaes de serralheiros, es-
plngardeiros, coronheiros psra irem traba-
Ihar no arsenal de guerra da corte, pelo
lempo que se convencionar, sendo os jor-
oses nos das em que trab.lharem de 2,000 prompta : para o restante e passagei -
rs.: para os primeiros oUlniaoa. de 1.60I___._;,._./, 1 _.
1800 rs. para os segundos ditos ; tudo "
conforme o aviso circular do ministerio da
guerra de 31 de outubro ultimo, e ordera da
presidencia deala provincia, de 18 de no-
ven) bro corrente.
Arsenal de guerra de Pernambuco, 22 de
novembro de 1850. O escripturaro- -- F.
Sera/ico de Auis Carualho.
Pela segunda secco da mesa do con
sulado provincial se faz publico, qae os 30
das que a lei tem designado para o paga-
mento a bocea du cofre, da dcima dos pre-
lios urbanos dos bairroa deata ci Ja de, do
primeiro semestre de 1850 a 1851, ae prin-
cipia a contar do dia 3 de dezembro pr-
ximo, e que Ando este prazo iucorrem na
multa de 3 por canto sb o valor ;de seus d-
bitos todos os que deixarem de pagar.

fe Per-
PublicaQoes pedido.
Felicitadlo dirigida pelos subditos potu-
guezes residentes na cidadeda Parahiba,
do norte, ao lllm. Sr. Pedro Antonio Rer-
nardino, por haver sido nomeado pelo
governo de S M. F. vice-coosul portu-
guez naquella provincia.
Animados do mais vivo seotimenlo de aa-
tisfacSo e regozjo, pela eleicflo que o go-
verno deS. M. Fidelissima houve por bem
fazer de V S., para vice-consul portuguez
neaia provincia ; os abaixo assignados, sub-
ditos portoguezes residentes nesta cidade,
se apressam em dirigir-Ule suaa felicitacfies
convencidos como. ostSo, de que urna tal
nomeacSo nSo poda rrcahir com mais acer-
t do que na pesaos de V. S.
Os abaixo assignados devidamente apre-
ciando as eslimaveis qualldades sociaes
Atiento o procedmento dos Srs. Joaquim
Jos Ferreira da Rocha, e Joaquim Innocen-
cio Comes, os quaes afirmaran! que eu nSo
era competente para receber os ren lmen-
los do patrimonio da irmanJade das almas,
erecta na igreja matriz de Sanio Antonio, e
de que se haviam constitu Jo procurador o
primeiro, e o segundo thesoureiro, vej-
me impelldoi publicar o documento at-ai-
xo, do qual se v, que nem o Sr. Gomes
hsejLhesoureiro da mesma irmandaJe e
nem o Sr. Rocha procurador i Sou eu o
legitimo thesoureiro, e o nico competante
para receber esses rend.Tientos o pelo pre-
sente caco qualquer autonsic.lo quo por-
ventura dsse qualquer rmSo.
Ilemardino de Sena i Silva.
Caldillo TemstoclesCabral da Vasconcel-
los, escrivo vitalicio de capellas, resi-
duos e ausentes nesta ciJade do Recifd de
Pernambuco, e seu termo, etc.
Certifico, que revendo o livro de ter-
mos da irmandade das almas erecta na igre-
ja matriz de Santo Antonio, qua me foi a-
presentado pelo supplicante, delles consta
que a'ultima elec,9o daquella irmandade,
fui procedida no dia 28 de outubro de 1818;
nSo tendo havido depois disto outra eleicSo
pelo que se acham em exercco os inesmos
funecionarios juiz,escrivo, e thesoureiro e
mais oiesaros;n3o sendocontemplado entre
os praeros funecionarios Joaquim Jos
Ferreira da Rocha e sim como mesarlo O
referido be verdade e consta do livroa que
me reporto.
< Itecife, 26 de novembro de 1850, fiz es-
crever e assignei.Em f de verdade. Gal-
dino Temiitoclti Cabral de Vnsconcelloi.
a Certifico mais a vista do livro j decla-
rado, que o juiz da irmandade, he JoSo Mo-
reira Marques, escrivo Domingos Ferreira
Jorge, e thesoureiro Bernardino da Sena e
Silva e procurador Joaquim Innocencio
Gomes.
Itecife, era ut retro. Em f de verdade,
-- Galdino Temltlocki Cabral de Vaicoucellos
COMMEttCIO.
' ALFANDEGA.
itendimentododia 27.....12:668,51*
Ueicarrefam hoje 28 de novembro.
Brigue Taruo III lagedo.
Brigue -- S. Belene ferro e carvflo.
Patacho oeeph Proeper mercaduras.
Brigue -- Gugleelmo -- familia de trigo.
Brigue Emelie-- laboado.
Barca -- Wiltiain Huitelt n cnadonaso.
Barca. 'jtnle Roqer bacalho, farinha
cal e smenlo.
Brigue Luie-- mercadorias.
Rrieue Carnlita hacalh*
que oenoDrfcem, secomprazem ae que y.i^ : ,. \"~
cargoquno govem Pstacbo Bemsmiiaaa f.nnha
8. fazendo honra ao
deS. M Fidelssima llie coullou, ter so-
mente occasiSo de Ihe dar provea do seu
prudente ejudicioso procedmento no des-
empenho de seus deveres.
Digne-se, pois, V. S. aceitar esta franca
declaradlo, como um reconhecimento da
alta considerado e eslima que os abaixo
assignsdos conssgrsm a pessoa da V. S., a
quem Dos guarde.
Parahiba, 18 de novembro de 1850.lllm.
Sr. Pedro Antonio Bernardino, dignissimo
vice-aonsol de S. M. Fidelssima na Para-
hiba.Francisco Ferreira da Novaea, Jos
da Silva Coelho, Antonio Hapbael Calvao,
JoSo Vieira de Azevedo, Joto Jos de Me-
deiros Corris, Jacintho Jos de Medeiros
Crrela, Custodio Domingues dos Santos,
Manoel da Costa Lima, Joaquim Jos de Me-
deiros Corris, Jos Antonio Pereira Gul-
mares, Manoel Pereira de Araujo Vianna,
Fernando Antonio de Menezes, Vicente Jos
da Silva Lima, Jos Teixeira Leite, Joaquim
Marques Damazio, Luiz Ribeiro da Costa,
Antonio Jacintho do Ama ral ArsgSo, Manoel
Francisco Angoiras, Jos Luiz da Costa, Ma-
nuel Francisco de Oliveira Jnior, Jua ei
Azevedo Maya, Danto Jos da Costa, Jote
Gomes de Araujo Quintilla, Jos de Azere-j
CONSULADO GERAL.
Reudimento do dia 27.....
Diversas provincias ......
de trigo.
2.092,987
120,061
2:213,050
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendlmento do dia 27......1:000,314
Associaco comuiercial
nambaco.
A direccSo da associacSo commercial de-
ta praca faz publico, que desde o dia 21 de
novembro prximo passado se scha aiflxa-
na porta da mosma associaco a lista
geral dos negociantes habilitados para vo-
lar e serem votados na eleicSo para deputa-
los e supplentes do tribunal do commercio,
a que, em cumprimenlo da resolucSo do
Exm. Sr. presidente da provincia, se hade
prjeader no dia 8 de dezembro do corren-
te sano, pelas 9 lloras da mioha, na sala
la mesma associarjSo, no largo do Corpo
Pernambuco, 26de novembro de 1850.--
Manoel Ignacio de Oliveira, vice-presideate.
Antonio Valenlim da Silva Barroca, secre-
tario.
Britlsii Consalate.
The Subjecht of Her Brilsuic Majesly
qualilled unlerltie act. Gao: 4. cap. 87
are invited lo au extraordinary general
meetiog on matters regarding Ihe Cewe
tery, &c. on Wednesday the 4 ti. i)ec.' oext
atnoonalthis Consalate. Pernambuco, 24
\ov,r 1850. ttij Ckristophire, vice-consul.
Consulado llrttannico.
Os subditos deS. M. 4*rilannica, qualifi-
cados pelo acto 6eo: 4 cap. 87 rSo convi
dados 4 um ajuntmento geral extraordina-
rio, aobre negocios do cemterio, etc., pa-
ra quarla-feira, 4de dezembro prximo, ao
meio-dia, neste consulado- Pern.mbuco,
2 de novembro de 1850. ffy Chrhupltert,
vice-consul.
V Companhia ilo llebci-lbe. *
* O caixa da companhia acha se au- *
J torissdoa fazer o quinto dividendo : J
' os Srs. accionistas podem manda-lo 2
J recebar, segundo a marcha estbale- ^
j^ cida. Esswiptonu da companhia, 28 . de novesabro de 1850. <#
*Af****** ***********
Tlicairo de S.-Francisco.
BELLAS ARTES.
Quinta mudanca dai noveu vittai do co$-
moratna.
A galera ptica continuar
os dias com ss seguintes
cosmoraxa, a saber:
A galera nacional, em Londres.
A grande procissSo de Corput Chritti, em
Sevilha.
A ra d'Alcala; em Madrid.
O lago llosobella, em noite de la,
Italia.
A praca Del Poplo, em Roma.
A retirada de NapoleSo sobre o rio,
Berrisen.
A cidsdede Doblio, na Irlanda.
Zuricb, naSuissa.
A cscala d Maximiliano, em Tyrol.
Aliona, nos suburbios de liamburgo.
O interior da gruta Azul, em Cepri,
Italia.
O director pretende a presentar as vistas
scims at domingo I.* de dozembro, e des-
la dala em diaole tem de fechar a galera,
em consequeucia da pouca concurrenc
3ue lem tido, o que nSo chega nem para as
espezaa. A nova abertura sers annunciada
aberta todos
vistis novas do
na
na
-- mi* irtrnal
vb, FSi5"75v5Si iiiwiliu .ua^uim ODIO na
ra da Cadeia do Recife n. 49, ou com o mos-
tr Jos Joaquim Alves da Silva, notrapiohe
do algodSo.
Para a Babia segu em poneos dias por
j ter parte de seu earregament engajado
o hiata Ugeiro forrado e pregado de cobre,
ara o resto e passigeros, dirijam-se a roa
do Vigario n. 5.
- Para o Para com escala pelo Ciar pre-
tende sabir improterivelmente al 8 de de-
zembro a escuna nicional Mara Firmina,
capillo e pralico JoSo Bernardo da Rosa,
por ter o seu carregamento quasi comple-
to : pari o restante psra um e oulro porto e
passageiros, trata-se com o consignatario,
Luiz Jos de S Araujo, ni rus da Cruz nu-
mero 33
Para o Rio de Janeiro pretende sabir
at o dia 8 da dezembro o patacho nacional
Curioso, capillo Mano il Rodrigues Faneco,
por ter quasi O seu carregamento prompto :
para o restante, passsgeiros e escravos a
frete trata-se com o consignatario, Luiz Jo-
s de.S Araujo, na ra da Cruz n. 33.
Para o Aracaty tem de sahir b-eve o
biate Novo Otinda, por ter j parte do sau
csrregamento engajada : quem nelle mais
pretender carregarou Ir de passagem, en-
tenda-se com o respectivo mestre, Antonio
Jos Vianna, no trapiche do algodSo, ou na
ra da Cadeia-Velha n. 17, segundo andar.
Sabesexta-feira. 29 do corrente, para
a Baha o hiate S, Jo&o, e so receba passa-
geiros, para o que trata-se no Forte do
Mallos, rus do Amorim n. 36.
Para a cidade do Porto sahe,
com milita brevidade, veleira e
bem conheeida barca portugueza
S.-Cruz : quem na mesma quizer
carregar, on ir de piss,igem, para
o que tem excedentes commodos,
dirija-se ao en consignatario
francisco Alves da Cunha, na ra
do Vigario, n. I I, primeiro andar.
Para o Rio de Janeiro segu com mul-
ta brevidade, por ter parte de aua carga
prompta, o brigue nscionst Cantina,, de
excellente marcha : para o restante da car-
ga, passageiros e escravos, trata-se no es-
criptorio da viuva Gaudino & Filho, atrs
do Corpo Santo n. 66.
O brigue-escuna Grama, que segu
muito breve para Buenos-Ayreg, recebe pas-
sageros, para oque tem excellentea com-
ino los : quom pretender seguir 'para aquel-
la lugar, dirija-se so csptSo a bordo, ou no
esenptorio da viuva Gaudino & Filbo, atrs
do Corpo Santa) n. 66.
Os bilhetes para a recita de 1 de dezem-
bro serSo distribuidos nos das 30 o I.* al
o meio-dia, no salSo do theatro.
JuliSoPorlella da Silva, morador nes-
ta cidade, embarca para o Ro de Janeiro a
sua escrava de nome Luisa.
Aluga-se para todo o seryieo interno
de urna casa, menoa o de cotinhar, ama
preta captiva, acoslumada a servir em casa
estrangeira : na roa do Vigario n 8.
O Oneracoe de catarata. t>
A JoJo Vlceute MarUns, devendo reti- q
a rar-se dests eidade e, Janeiro pro- q
X limo futuro, previne que so at ao g.
5 dia 20 de dezembro podar pralicar Q
de catarata, mi X
O
letras im-
com JoJo
m
Leiles.
Publicaeo litteraria.
Movimento do porto.
Navio entrado no dia 27.
liba de Fernando 3 dias, brigue-escuna
nacional Canopo, com mandante o primei-
ro lenle Jos de Mello Chrisla d'Ouro.
Conduz o preso poltico Henrique Perei-
ra de Lucena, o lenle da quarta classe
Manoel Bezeira do Valle com sua familia,
2 sentenciados e 3 soldados. Velo des-
arvorado.
Savios eakidos im memo dia.
Baha Brigue ingles Sprag, capitSo Ar-
chol Steel, em lastro.
Puitua do aul Paquete de vapor lmpcf-
dor, commandanie o primeiro lente I.
E. Tarares. Alera dos passsgeiros quo
Historia de Portugal, por Alexandre
Herculano, chegou o tercero volume.
Dita do Cerco do Porto, dous voluntes.
Conloa do SerSo, um dito.
Almansk porular.
Revista militar, da os. 1 a 12.
Jornal das Bellas artes.
Atheneu, jorual Iliterario, chrgaram os
primairos nmeros al 24.
Semana, jornal litterario, chegaram os
priaieiros nmeros at 24.
Revista universal Lisbonense.
Msllil opera.
Granrmaticas Franeezss.
Melhodos facilimc-S.
Na eaaa n. 6, de fronte do Trapiche Novo.
Avisos marilimos.
Para j Cear.
Espers-se com toda a brevidade de Lias-1
dino>Caer, brigue naciu-
nal Empreta, forrado e encavilhado de co-
bre e de superior marcha; domorar-se-ha
~ Ocorretor Miguel Carneiro, far leilSo
no dia 28 do corrente s 10 horas em pon-
to, no seu srmazem na ruado Trapiche n.
40, de urna porcSo da fsrinha de mandioca
com toque de avaria, arroz de casca e pi-
lado.
O corrector Oliveira far toilSo porauto-
rlssc&odo lllm. Sr. juiz de orphSos, e a re-
querimento do tutor dos orpbSos filhos do
BnsdoJos Rsmos deOliveirs, ds mobiliae
mais Irem da casa deste, consist ndo em
mesas redondas de meto de salla com lam-
pos de pedrs e outros de madeira, cadeiras
de madeira de mogno e de oulras madeiras
da differentes padrOes, bsness de jogo, so-
f>s, consolos com magnficos espetos, um
gran lo trem com ptimo espelho. csndei-
ros dourados para cima de mesa, jarros com
flores artificiase de pennas e mangas de v-
dro, mangas de vldro, um relogio de bron-
ze com figuras emblemticas muito elegan-
te, um lustre ricamente dourado para oilo
luiee com mangas, tres pares de dirandel-
lasdetres luzes cada urna, tambem linda-
mente douradas e com mangas, guerda-
roupas com vidracas e sem ellas, guarda-
lou(r grande, mesa psra escrlptorio, mesa
de iiioirno elstica para jan'ar. um esplen-
dido lelto franceza de Jacaranda e com
cu.tula, berpos, esleirs de forra de sals,
lavatorios, e muitoa outros objectos uteis,
como saja urna linda cadeirinba em pouco
uso e com a caixa correspondente para
guardar-se, etc.: sabbsdo, 30 do corrente
Ss 10 horas da manliSa em ponto, no Atier-
ro da toa Vista casa n. 15.
Avisos diversos.
-- Domingo a4 do corrente,
perdeu-se desde a I'assagem da
Magdalena at a ra de Collegio
urna puiceira de diamantes enfia-
da em perolas ou aljofares : quem
a tiver adiado e quizer res ti tui-la,
dirija-se ra da Cadei i do Re-
cile, primeiro andar da casa n,
38, que aer gratificado com a
valer a mesma ataca.
:ga do nozario, oja de miu-
elss-se de um caixeiro que
do mesino negocio,
* alffnmaa nneracAe.a
ou'tras que' exi'jsm as molestias de
O continua s destribuir remdlosHV *j*
O mcoopalhicos de gracs sos pobres nb O
41 consultorio da ra da Apollo n. 84. O
O torios os das u(eis sle 1 hora da O
O tarde. i* ___ O
No dia 20 deste mez perdeu^l^Bme
osrtera com a quantia de 10,000 rs. e um
maio buriato da loteria de N. S. do Livra-
mento, com o n. 496 : roga-se ao Sr. ihe-
soureiro da diU lotera que nflo pagua sen-
da que sais alguma coua oo dilo mnete
o eujo bilbate est osscostss essignado por
Filippe de Paulo Arrulae Manoel Joaquim
Ribeiro, com letra de Upes.
Roga-se a pessoa que fez o aviso das
lelras J. C. L, O favor do declarar, ae
o aonneio publicado no Disrt de VI do cor-
rente, em o qual moncionou as letras im-
nicaes I. C. L., se se enliade
Carlos l.umachi.
Precisa-sede um pequeo para
ro de urna eonfeitaria : quer aoja
ro ou mesmo portuguez, s tratar
treita do Rosarle a. 43 lo|a.
Precsa-se de um horneas que esibs
resillar sgo'ardente para um enganho par-
to desta cida le : quam estiver nesta caso,
procure na ra do Vigario n. 4. ou no Ater-
ro da Boa Visla n. 18, primeiro andar, para
ajuslar.
Alugam-se, por preco eommodo, os sr-
mazens ds casa da ra nova do Brum, per-
tencentss s Franeiaeo Alves ds Cunha, pro-
prios para armaze0>4esuear, aom caea :
na ra do Vigario, II, primeiro andar.
Aluga-se o segando andar e eetfoeor-
rido do sobrado amirello da ra Augasla ;
o sitio da estrada Oo Cordeiro, pro ario para
pessoa que tenha traUmento; um outro na
campia d Casa-Frle, eom caaa nova, co-
cheira, uvattrice, e diversas cssas pro-
prias para se paesr a fesla : na fu do Amo-
nm, n. 15.
A abaixo aasignado, viuva do fallec Jo
Caetano Luiz Ferreira, avisa aos credores
do mesmo, que a |oja o Aterro da Boa Vis-
ta, se acha penhorade por um dnlles ; por
cuja raso faz o presente aununco, para
que oa mais credores facam o mesmo para
leretn diroilo ao rateio.-- Rufina Jnlnne*
de Oliveira,
- Aluga-se peln lempo da fesla, ou por
anno, urna casa com muilos comoio los pa-
ragrande familia.e um pequeo sillo, no
Poco da Panells, defronte da g'eja : quen
o pretender, falle com Domiagus Aflonso
Nery Ferreira.
. Frederico Augusto" Rodrigues, relira-ia
para fra da provincia.
Precisa-ae alagar um moleqoa para
servico de urna caaa que oo lenha vicio, e
que seja flei: na ra larga do Rozario a.
32, fabrica de charutos.
0OOOQOOOOGOOOOOO
Q vitcncio. &
S Mademoisselle Moreaux profassora
O de daoca, chegada ltimamente a es- W
O ts cidade, offerece-se para dar lica* w
O por casas particulares ecollegios: as O
O pessoas que a quizerem honrar com O
O sua conflanca. teiSo a bondade de O
O dirigir-se ao llolel Franolsco. fj>
OOOOOOOOd&OOO&ddOO
Pr ocisa-se de 2:000,000 rs. a juros, dan-
do-se em garanta um predio, cajo valor
exeede do que ae pede dez vezes, e inteira-
mate desempedido: quem afSjbiegocio
quizer fszer, aununcie sua morad^u diri-
ja-se ra Nova o. 67, segundo andar, que
achara com quem tratar.
Deseja-se fallar com o Sr Jtygino de
Carvalho Couto, ou com a,|gum seu parea-
te, ou pessoa que faca ausrvefM nesta prs-
ca : na ra Nova n. 67, segunsjpauJar, ou
annuociesua morada.
Aluga-se o armazem da casa de dous
andares, sits ns roa do Raogel, n. 36 : quem
o pretender, dirija se ra Dirfta, n. 4, se-
gundo andar.
A caaa ingleza que precisa de um mo-
iequoais o; co,ct- p.^^ii^eai, s*uue
procurar S Manoel Antonio 6Silva Molts,
para o ajuste, e que se dar a copenlo.
I'recisa-se de um forneiro que sailia
desempenbar as suaa obrigacOe*. e de um
caixeiro, ambos para padaria: na praca da
S.-Crua, debaixodo sobrado n. 104.
-Precisa-eealugarum piano bom : quam
ttiver annuncie, _
--Aluga-se um sitio a Capunga, com
bastantes arvoredos d crudo, cacimba e
tanque para banho, com eonimodos para fa-
milia, e he muito parto do rio : a tratar oa
ra do Caldeireiro, airas dos alartyiios,
n. 46.
Aluga-se urna casa propria para nego-
cio, por ser muito afreguezada, na estrada
dos AllictQs: a fallar na mesma estrada,
defronte do Sitio do Sr. Josquim de Olivei-
ra, como Dr. Sirnes, ou no Itecife, na pra-
ca do Corpo-Santo. n. 9. No mesmo lugar
vande-sa um bom carado de eslribaris,
por prego commoJo.
Desappareceu oa dia 36, as tres horas da
Urde, pouco mais ou menos, um cavallo casSa-
nbo cellado e enrelado, o dito cavallo .Igual
ue teus be aea> .capada, e duas mareas jase o
ano ignuraas: aneas o achar n.i.Uentr'rar
no Sr. Joaqun Ferratra Aa.isos oua.Sv. Ae-
tunio Cavares Vellos, ou ao Scbasliao Josda
Silva Braga, que receberi boa giaiicato.


, i tl-V V
-?
Sr. ridaelor.Na qualidade do tutor dos
lllhos menor* do Tullecido JoSo Carlos da
Siivg fiuimerffM, julgo-me habilitado pa'a
presentar to reapriiavel publico a injnsli-
ca que sus "m aoITrido do joizo do civ^l
do termo dc Cabo, dando motivo a que en
prosiga em um dispendioso pleito, oque
teri evitado, se o mesmo uiz obrasse com
parcialldade e justlea na execucflo que con-
trsaB mr-us tutelado* movem oa credorea do
casal do mesmo finado, que no me oppnn-
do en, na cobranza da exceggiva esecucKn,
sondo citado para dar bena penhora, no-
iniei 01 engenhos Limeiraee Canoa Grande
para paga ment, por screm sufficieotea,
porm os credorea deaistindo delta, pedirn)
e alcancaratn no eaesmo juizo, aer effcc-
tuada nova penhora pealo engenho SebirO
do Cavalcanti{ ao que oppondo me eu le-
galmente em nada fui attendido, esendo
elevarlo a praca esto engenho, foi adjudi-
cado.
A visla diato appellei para o tribuoal da
TelarUo, donde espero que o mesmo obran
do com a juslica que aampre coatuma, pos
a obtaroqua no pade conseguir neste
termo em favonios meamos orphfioa.
Sou Sr. redafor, aeu venerador e criado
Jnao Manoil de lltrroe Wanierlei Um
Eagenhn ShiriS An ravalr.anli. 22 de Do
novrmbrr e 185.
BT= Rnga-ae ao Sr. engenhelro, admlaiitra-
docjtas obras publica, queira mandar tomar
ai ag-aai do rio Peberibr,paarqua oa habitantri
da ineima cidade tcnhaiu agoa para tomar um
lianjio ptlo natal, pola eaiitindo no lugar do
rrombu o material preciso para ae elle fechar,
nfin pode Jvar mala que dous dlaa a mo
d'tu, lito Ibe pede encarecidamente o
< tininu:
' Joaquim da Costa Vieira avisa aos
ra. queteem penhoresem aeu poder, ba-
ja m de os ir tirar no prazo de (5 das con-
tados drata data [ 28 docorrente]; do con
trario, terSo vendidos para seo pagamento.
Segundo as ultimas noticias recebidas
de Fringa, os noves procesaos para a ex-
traccSo do assucar, assm do canna codo
do beternba, deque as galotas teem fal-
lado tanto, ha perto de 18 mezas, acham-se
aempre no aneamo estado, lato he, estSo
sendo anda estudados; todos os fabrican-
aseuearem Franca persisten).portan-
mprego de carvflo animal em grSo, o
Mtlinua a dar os resultados miis si-
rios. A vista disso eremos fazer utn
eos senhores de engenho desta pro-
vincia annunciando o Manual pratieo da fa-
t brcenle oV tunear eomposlo por A. Som-
mier traduti Jo em vulgar por ** *
Ksle manual ensina a msnera pote qua
os fabricaulea de assucar devem servir se
do carvo animal em grdo, o bean aasim os
meios pelos quses evitaran os accidentes
que pdem acontecer pela prepara;* dos
filtros mais ou menos bem feita, a rainaiti
da tomar o ponto, cousa muito importante
relativamente ao producto, os cuidados que
deverlo ser tomados para evitar a fermen-
lacSo do caldo da caima, anteada-Baja depo-
ra oJo, te.
Convite.
Tendo-se concluido oa concertos o pin-
tura do altar da Senhora da Conceicao do
Carmo desta cidade ; o abano sssignsdo
convida aoa devotos da sesma Senhora,
que 18o beuignameiite u coadjuvaram para
este lim, a sssi.slirem a solemne bencSo das,
Imageos Jaquelle altar, que tere lugar aab-
ba Jo, 30 do corren te. pelas 4 horas da tarde.
Ir. loto da Auumpsto Muura.
--Antonio Joaquim de bouza rotira-se
para Tora da provincia a tratar de sua smdn.
Precisa-so de um caixeiro que tenba
prstica de venda : a fallar na ra do Hoza-
rlo Larga n. 46.
-- Precisa-sede m pequeo de 13 a 14
annos para caixeiro de urna venda : na ra
da Cruz do Recife, esquina da Litigela, nu-
mero 41.
*g Chapeos de so!. ^t
3K Ra do Passeio, o 5. ><
Nesta fabrica ha presentemente um rico
sorlimenlo denles objectosde todas as c-
rese quididades, Unto de seda como de
panninho, por precos commodos; ditos pa-
ra senhora, da bora gosto: estes chapeos
fio feitos pela ultima moda ; aeda adamas-
cada com ricas franjas de retroz. Na mesma
casa se acha igual sortimento de sedas e
panninho imitando eedaa, para cobrir ar-
ma cOes servidas : todas tatas fazendaa ven-
dem-se em porfo e a retalho : tambem se
concerta qualquar chapeo de aol, tanto de
basteas de ferro como de baleia, assiin como
O theaoureiro da soeledade Progre
o TlicaJtral comprou por conta da mes-
mao bilheto inteiro de 10 lotera a bene-
ficio da freguerh do SS Sacramento do Rio
le Janeiro n. 4241, e maia tres meios da
mesma lotera na. 1895, 3569 e 4142.
.- No dia quarla-feira, SO do correnta
mez de novembro, fuitaraam da casan. 8
Jo largo da Igreja de N. 8 do Pilar, em F-
ra da Portas, ladoesquerdo : I par de brin-
cos de filagran, 1 dos brincos j tem urna
falla em baixo, e no outro em urna argolla a
filagran est arrancada eoa brincos slguma
cousa sujos, tem suas pedrinhas brancas ;
por este annuncio previoe-se aos Srs. ouri-
ves o mais particularmente ao publico a
quem for olTerecido este par de brincos
Lou quem os tiver com prado ou empeohsdo,
os venht restituir na dita casa n.8que
se pagar, ou a compra ou o empenho.
- Como etn poucoa diaa dte flear promp-
ta a primeira classo, que tem estado ap-
prendendoescripluracSo mercantil por par-
tidas dobradas com o abaixo assignado, e
como elle se propoe a abrir logo em segui-
da outra, nos mesmos termos da primeira,
o faz publico, para que aquellas pessoas
que a quizerem frequentar, so sirvam lugo
procura-lo, para escrever seus nomea, no
escriptorio dos Srs. C. Starr & Compnhis
na ra da Aurora.
ti da Vaya.
O secretario da irmandade de Nossa
Senhora da ConceioBo doa Militares, em
vista do titulo 5, art. 18 dos estatutos que
regera a mesma, avisa a todos os irmaos da
dita irmandade para que as 8 horas do dia
primeiro de dezembro comparecam no con-
sistorio da referida irmandade, ao de ele-
ger-ae o presidente que ha de servir no an-
uo de 1831.
Roga-se aoSr. ala noel alendes da Sil-
lia rang o favor de vira ra da Cadeia
de Santo Antonio n. 13, para negocio que
u3o ignora.
Quem precisar de um cozioheiro para
qualquer parte, dirija-se ra Velha, n. 75
-- Antonio de Andrade faz scienta ao res-
peitavei publico que, por baver outro de
igual nome, da hoje em diaote aa assignara
Antonio Pacheco de Andrade.
Precisa-ae slugar urna reta captiva
para o aervico de una casa, que atiba cozi-
uhar, lavar e engommar para duaa pessoss:
quem' tirar dirija-se praca da independen-
cia n. 89.
--OSr.J. C. L. quaira quanto antea sa-
lisfazer a sua conta que deve no armazem
n. 34 da ra do Trapiche ; do contrario, te-
rao deagosto de vero aeu nome por exten-
so nesta ful ha.
Aluga-se um sitio no Afogados, na ra
Je S Miguel ti. 39 : a tratar na ra da Con-
ceicSo da Boa Visla u. 58.
,'--Alugam-seoa sagundo e tercoiru an-
dares da oasa da roa U'Aurora, U. 58, com
commodos para grande familia : a tratar
oa mesma casa.
--Aluga-se urna casa de sobrado de dous
andares, pa ra -do Range.1, com quintal
murado, cacimba, a estribara : a tratar oa
ra da Aurora, n. 58.
v.
I
do sobrado
-- Aluga-se o sog'ui '>
da ra Direita n 20. cu n coinn>1o para
grande familia : m r.ia Im-ita n 93, pri-
meiro andar.
# l'aulo <.'nlgaoii\. denttstn *
6i fi-ancez. oltpiecc aen pi-t-sti- 9
^ mono iitibflro pnrn todo* os -9
& myaterjUM Ib ana proflsso : *
^> ptle ser iit'ucurntlo a qiial- 9
A qncr hora em smi casa, na 0 rtin larca to Hozarlo, n. :i(i,
9, si iiiido aullar. %
Na ra estreita do Rozario, n. 28, se-
gundo andar, se dir quem di drnheiro a
premio. Na mesma caaa se vendem obras de
oroe prata; urna bandeira nacional; seda
preta lisa e lavrada muito larga, propria pa-
ra luto, a 1,280 rs.
-- precisa-ae alugar um moiecote esperto
e de boa conducta para o servico interno de
urna casa ingleza : paga-se bem : quem ti-
ver, annuqcie
mm
Compras.
a
s
o
o

*
Corapra-ae um relogio patente de pra-
ta, estando em bom uso, por preco regu-
!sr: amada Senxalla-Vellia. n. 100, a
dir quem compra.
Compr-seum sellim inglez em meio
uso: na ra do Queiruado, n. 28, primeiro
andar.
Compra-se o Diartt Novo a. 122, de 2
de novembro de 1849 : na ra das Cruzes,
n. to.
Compram-se, para urna encommen la,
escravoa do ambos os sexos: na rus do Li-
vramenlo, n. 4.
Compra-se a obra de Jos Daniel Ro-
drigues da Costa, intitulada Passa lempo,
ou as ooites divertidas para o invern, leu-
do a conlisso do maruro e taful almofado :
na ra da Praia, n. 46.
Compra-se um tonel grande, que sirva
para deposito de urna canoa d'agoa.ou ou-
tra qualquer vazilha que airva para o mes-
mo elfeilo : em Ssnlo Amaro, venda ao p
da casa do Sr. Cardoso, ou anuuncie.
Compra-se urna carleira de urna so fa-
ce: em Sanio Amaro, venda ao p do Sr.
Cerdoso, ou aanuncie.
Compram-se escravos de am-
bos os sexos na ra da Cadeia do
Uecife, a. 5i, primeiro an-lar.
Compram-se os livros seguintes em
mel oso : compendio de geographia por
Gaultier ; dito, por Vellez ; historia sagrada
por Oernardino ; dita, universal por Hous-
sue : na ra da ConreicSo da Boa-Vista
n. 68.
1
Vendas.
ISM".....!.....
FOI.HIMIAS PARA 1851.
Na llvraria da praca da Inde-
pendencia, na. 6 e 8, Tendein.se
folliintins de alsibelr e porta pa-
ra o tumo que vea.
Lotera do Mi de J
o
o
o.
8
5 >- t>
5 8
9 m
- '
b 8
o
B m
B c
ti
umbelas de igrejas: tudo per preco com* 80l'n'a e francez : quem de seu prest!mo se
modo. Na mesma casa ha chapds de sol,
, da marea maior, de panno e de seda, pro-
prioa parafeitoresde engenho, por aerea
dos mais tortee qee se pdem fabricar.
Novo Cotabclrcliucnto de entela.
rratflna, rna Nova n. 36.
Jos Pfadioes.cotilelr o earmeiro, psrtici
pa ao respeitavel publico desla cidade, e
priocipalqdinte, a seus freguezes, que mu-
doj o estabeleciojento que tinha oa ra lar-
ga do Ruzafft para ra Nova n. 36, confron-
te a igreja eVConceicfio, aoode o acbarfio
promplo a ejecutar qualquer encommendi
d sua arte com a maior perfeicSo' posaivel
a pelos precos mais baratos do que em ou-
trs psrtv Oannunriaiile leudo ltimamen-
te recebido do Franca um grande aorlimen-
to deobjectua desua arte aeha que seris
r>aiiiu>u rm tile meilWnar oa seguintes; aavsfhas
su^rioreaas que tem vindo at agora, te-
souras para alfatates, costureirss o cabol-
lereiro, um lindo aortimento de tesouras
Unas para aenboras, ferros de cirurgia, ditos
de dentiala, canivetea de urna al seis fo-
Ihas. lesourasde hortelfioe facas de mesa.
Lile tem tambem lodos oa pseparos neces-
sarios aos cacadajas, como* sejam : espin-
srda, sacatrape, polvarinhoa, boleas de
ca<;a,'sp0.eta. ouvidos de epingards, etc.,
at. ,etc Nfio se Talla da qualidade desses
diversos objectos, que o annunciante afll-
anca ser superior, elle tem um grande sor-
tlMontode fuadss, e tem ti-o superior e run-
dido de todas aa grossuras. Todos esses ob-
jectos serio patentes aoa compradores e hflo
da agradar pelos pircos rasaveie. O an-
nunciante para accelerar a execuefio das en-
coiBmendaa que se IheDzer mandou vir um
i.llicial de Franca, o qual chegou no brigue
t'eaar, t se acha em exercicio no estabela-
ci ment cima. Amolase sempre as ter-
gks-fairas, quintas e sabbados.
- Preclsa-se de um csixeiro qua tenha
pralica de venda, para tomar conla do urna
una por oaianco: no largo da ribeira de.
Josn. t.
a. Z O
- Aluga-se urna casa terrea na ra atrs
da matriz da lloi-Vista, com grande quin-
tal murado, cacimba, e cozioba fra, com
qusrtos e duas salas : a tratar na ra da
Aurora, n. 58.
--0 bacharel A. R.'de Torres Bandeira,
substituto de rtietnrica e geographia no I y-
ceu desta c;da nesmas disciplinas, e hm assm de philo-
quizer ulilisar, dirija-se a casa de sua re-
sidencia, na ra estreita do Rozario, n. 41,
segundo sndsr.
-- Aluga-se um sobrado oa ra da Unifio,
oem excedente vista, muito fresco, e com
os melhores commodos para urna ou duaa
familias: os pretendontes dirijam-ae a Ma-
noel Alves Guerra Jnior, ou ao bacharel
Christovfio Xavier Lopes.
Jos Matheus Ferreira retira-se para
torada provincia.
O Sr. Antonio Rodrigues Baracho quei-
ra mandar, ou ir ao Alerro-da-Boa-Vista,
n. 10, sobrado, receber urna carta.
O Sr. Jos Alves Tenorio haja de se di-
rigir a praca da Boa-Vista, botica o. 6, a
negocio que lite diz reapeilo.
Aluga-se o lercoiro andar da casa do
i.rgc i ZiiiCumm u. 2 f:!!;r "opi Ina-
quim Francisco da Alm, no Forte do
Mattos.
Severino Antonio Ribetro Vianna va
ao Itio de Janeiro.
_Wa ra Nfeva, n. 35, loja de
iro.
Aos 30:000,000 de ra.
Na praca da Independencia,
n. 4, loja demiudezas, venrJem-se
os. afortunados bilhetes, meios,
quartos, oitavos e vigsimos da
25.* lotera do monte pi, da qual
se espeta a lista noaarimeiro navio;
tambem ae receliem bilhetes pre-
miados em troco dos que esto a
vend. Nesta loja vendeu-aeo nu-
mero 1 ,g5o da w.a lotera das
casas de caridade, que tere o pre-
mio de 4-'000,000 de rs.
Vende-se urna preta da Cosa, do meia
idade, sadia, e que he boa quitandeira : na
ra deS.-Jus, n. 60.
-- Vendem-89 diversos pertenece psrs l-
venla, como sejam : canteiros, medidas e
caixes para amostras: na ra da Cruz, n.
14, armazem.
Vendem-ae doua escravos muito bons
serradores, n de multo bonitas figuras : na
do Livramento, n. 4, se dir quem
>*
precisa-se de clliciaes de
HHmiudas.
Aluga-se, pelo lempo de festa, ou sn-
nualmentea casa de dous andares, defron-
te de S.-Sentalllo, em Olinda, com com-
modos para grande familia : a tratar na
mesma casa, ou na ra da Cadeia do Reci-
fe, n. 50, loja.
Aluga-se urna canoa aborta, que carre-
gue de 900 a 1,000 lijlos de alveoarla :
quem a tiver e a quizer alugtr, falle eoin
los Concalves Ferreira Costa, em S.-AMu-
rinho, que dir quean precias.
- Engoinma-se a lava-s toda a qualida-
le de roupa com toloaaseio e muila promp-
tidfio, por prefomaiacommoJo do quee
outra qualquer parte : oa ra de
des, n.24. .
- Sr. Msnoel Vaz de Souzi
ou mande pagar a sua letra__
i: noYetnbro dp auno prximo
ra do Crespo, loja u. 12.
ra
vende.
Vende-se a 2,00b rs. na fabrica de carvfio
animal, na ra da Concordia, n. 8, e na
praca da Independencia, ltvraria us. 6 e 8.
.*:* ajujaajail
Vendem-se quatro boniloa moleco-
I les, sendo um dellea bom cozinhei-
! o outro com principios desapaleiro ;
3 negros da 22 annos, de bonitas n-
__ guraa, de ptimas conducta, sendo
um delles bom sapateiro, de corlar
e fazer toda obra ; um prelo de 35 an-
nos, bonita ligura.opllmo pedreiro; 9
pretos pr todo o servico; um lin-
do moleque de novo annos, ptimo
para aprender algutn ollicio, por ser
! muito habilidoso,- 4 negras mocas de
de bonitas figuras, com algumas ha-
bilidades de engommar; coser e co-
ziabar ; 2 uegras de 30 annos, muito
Sera conta, orna dellas cozinha muito
b?n: s; ,"; a:s L^raneairaa^ n. j#
g segundo andar. 9
9wmmmwmmmm wajaH^;
Vende-se urna porcSo de rotim prepa-
rado, chegado ltimamente a este merca-
do, vinda no brigue-escuna Grasnm : qUem
pretender, dirija-se ao escriptorio da viuva
Caudino de Filho, atrs do Corpo Santo
o. 66. '
-Vendem-se seis duzias de coueaeiras
de Jacaranda, o melhur que tem vindo a es-
te mercado: quem pretender, dirija-se ao
escriptorio da viuva Caudino & Filho oara
tratar. '
Vende-so um sellim novo coa todos
oa srreios por preco com modo : na ra da
Cadeia do Recife n. 38.
Vendem-ae duas canosa que pegam mil
lUolosde alvenaria, sendo urna nova e ou-
tra usada : na ra Imperial, a. 125.
Na roa estreita do Rozario n. 15, veo-
de-se muito em conla os livros segoinles 1
Manual Pratieo e judicial 1 v. Claases dos
Crimes por Pereira eSouza.l,v.; Linhas
obre o processo criminal palo mesmo 1 v. -
Poesiaa de Diniz v.; ditas de Costa e8ou-
ta 9 v.; o Hvsope Poema lv., Braaeliada
I v. ; SauaauD. u* Bernaruio Ribeira 1 v
Prosodia latina 1 v. {Horacio, dos granaos
v.; Prstics Criminal 1 v. ; Tratado de Coo-
graphia por Balbi 2 v, ; Orthographia Por-
lugueza por Ventura 1 v. ; Nossa Senhora
los Cuararapes, (romance) 1 v. : e muitos
livros precos commodos.
Para acabar factura.
A ttenrao ao barato.
Vendem-se cortes de vestidos de cam-
braia de seda com listras e quadros, a 4,000
rs. ; ditos de cassa francezas, bordadas de
seda, a 3,500 ra.; merinos finos de duas
larguras e de diversas cores, com listras e
quadros de seda, a 2,000 rs. o corado ; pe-
cas de esguiSo de algodo con 12 jardas, a
3.000 rs. ; tafel cor de rosa encorpado, a
400 rs. o covsdo; lencos de seda de bonitos
padrdes e grandes, 640 rs. ; pecas de mada-
polUo entestado e lino, a 4,000 rs. ; dito fl-
oissimo, a 5,500 rs dito para forro, po-
rm largo, a 2,000 rs ; lencos de cassa li-
na, brancos e com cercadura, a 2,400 ra. a
duzia ; panno fino azul e preto, proprios
para (ardas de pagens, a 3,600 rs o covsdo;
chitas escuras, pecas de 38 covados, a 4,600
rs.; ditas de riscadinhos claros e fixos, pe-
cas de 38 covados, a 5,700 rs.,- chapeos
francezes finos do ultimo gosto, a 7,000 ra.;
alpaca preta fina e de duas larguras, t 600
rs. o covado ; algodSo trancado azul claro e
de listras, proprios para escravos, a iSrs.
o covado ; cortes de alcinas dos melhores
padroes, a 3,800 rs. ; pecas de panno de li-
nbo com 18 varas, e uiuilo fino, a 800 rs. a
vara ; bem como um completo aortimento
defazendas finas e grossas por baralissimo
preco, proprias para negocio ; um novo
aortimento de luvas de loreal, fetas em
Lisboa, para senhora e meninas; tapetes
de oleado com franjas de laa para mangas,
candioiros, casticaes, lanternas, etc., de fei-
tio triangulares, quadradose redondos: na
ra do Queimado, 11. 27, armazem de fa-
zeudas de haymundo Carlos Leite, nos
qualro-canlos.
Salsa-parrilhn de Sums
para remover curar radicalmente todas as,
enfermidades que proceden) da impureza
do sangue, ou habito do systema.
Esta medicina est operando constante-
mente curas quasi incriveis, de molestias
que procedem da impureza do aangne. A
1.feliz victima de molestias hereditarias
com glndulas indiadas, ervos encolhi
dos, e os ossos meios srruinados, ficou res-
tabelecida com toda sua sa le e forcas. O
doente escrofuloso, coberto de chagas, cau-
sando nojo a si mesmo, e a quem o servia,
ficou perfeilo. Centenares de pessoas que
linham soflrido ; por annos, a ponto de
desesperaren) da sua surle) molestias cu-
tneas, glndulas, rheumatismo chrouicu
e militas outras enfermidades procedentes
do.desarranjodos orgSos de secreto e da
cireulaefio, teem-se erguido quasi milagro-
samente do leito da .-norte, e hoje, com
constiluices regeneradas, com prazer at-
iestan) a efllcacia desta ioeslimavel prepa-
rado.
Comquanto tenham apparecido grandes
curas at aqui produzidas pelo uso desta
estimavel medicina, comtudo a experiencia
diaria aprsenla resultados mais notareis,
a New-York, 22 de abril de 1848..
Srs. A. B. e D. Sands. Julgando ser
um dever para com vosco e para com o pu-
blico em geral,roinello-vos este certificado
daa grandes virtudes da vossa salsa-parri-
Iha, para que outrus que hoje estSo sof-
frendoestabelecam melhorasua confiauca
e facam setu demora uso da vossa medi-
cina.
Vi-me perseguido com urna grande fe-
rida no loruozelo, que seeslendia pela ca-
nda cima al o joelho, lancava grande
porcSo de nojeuta materia, com comichees
que me privavam muilas nuiles do meo des-
canso, e eraui muito peuosas de suppor-
lar a
v OSr. Diogo H. Connel, que havia sido
curado com a vossa salsa-parrilha, recom-
mendou-meque eu flzesse uso della, e de-
pois de haver tomado cinco garrafas fiquei
i crfeitarnenle curado.
a Tenho demorado um anno mandar-vos
um certificado, para reconhecer com cer-
teza se a cura era permanente, e leudo ago-
ra a maior sslisfacBoem declarar que nSo
tonho visto, nem sentido cousa alguma du-
rante todo este lempo, e acho-me perfeita-
metite restabelecido. Sou vossa, etc.
a Sarah M. hilirt.
a 240, ra Delancey.
Nesta provincia o nico agente deste ma-
ravilloso remedio he Vici-nte Jos de Unto,
com botica na ra da Cadeia do Uecife.
40.000 rs. a dnzia.
Verdadeiro e legitimo champanhe A Y em
casa de Avrisl & rmeos : ra da Cruz n. 20.
Vende-se urna cadeirinha da Baha, em
bom estado, por preco commodo: na ra
da Guia, o. 7, armazem.
Lotera do Uio-de-Janeiro.
Aos il:000,00o de ris.
Na ra estreita do Rozario, travessa do
Queimado, loja de miudezas n. 2 A, de Joa-
quim F. dos Saotos Maya, vendem-se os
muito afortunados bilhetes, meios, quartos,
oitavos* vigsimos da decima loteria a be-
neficio da freguezia doSS. Sacramento da
corte : na mesma loja est patente a lis-
ta da 12 loteria das casas de caridade, e
tambem recebem-se bilhetes premiados em
inca dos da loteria cima dita
- Vendem-se 4 carros de 4 rodas por pre-'
co commodo : da coche!ri da ra da Roda a
Miar com o Sr. Menardo a qualquer hora
do dia .
Lotera da igreja de N. S. do U-
vrainento.
Aos 5:ooo$oeo rs.
Na praca da Independencia n. 4, loja de
miudezas, vendem-se bilhetes, meios, quar-
tos, decimos e vigsimos desta loteria, que
corre Impreterivelmente no dia 30 do 'cr-
rante.
Bilheles 11,000
Meios 5,500
Quartoa 2 60o
Decimos 1,106
Vigsimos 600
Na ra do Vigario, n. 19, ptimeiro an-
dar, vendem-se pecas de ouro Jde 4 oitavas
de cuiiho velho.
- Vende-ge urna preta crioula, bonita fi-
gura, idade de 19 annos, cosinha odiarlo de
Urna casa : na ra Velha n, 43.
-- Vendem-se 2 lindas oegrinhas de 10 a
13 annos, com principios de, habilidades, e
ptimas para dar a qualquer menina, 9 pre-
taa boasquitanrie'r.^ de todo oasis ser-
vico; 1 preta de meia idade boa para cam-
po muito em coala, l parda de exemplar
conducta, que enzomma perfeitanunK co-
se e faz tolo oarranjo de uua-cisso ha
muito carinhosa para meninos, 4 pretos
muito mocos bons pira campo ou ra, as-
sim como outros muitos escravos : na ruj
da Cadeia do Recife n. 51, prineiro andar.
0f jff ff pyf f l^fff |ff fff
:

a>
Hecebeu-se de Faris
seguinte obra :

* Melodas romnticas para
canto e plano.
'T Bellissima colleccSo de deliciosos
if. romanceada un estylo expressivo,
i> originariamente compostos em por
tuguez e traduzilos em italiano,'
perfeitamente gravados, de modo a
poder-se cantar a vootade em qual-
quer das duas lingoas : este lbum,
pelas bellezas poticas e musieses
que encerra he digno de figurar na <5
estante do piano de to las as senho- #?
. ras de bom goslo : no pateo do Col- <
. llegin, casado llvro azul. Na mes-
m
as
m
ma livraris veode-ss a Sonmbula,
e ilpirita,,opera de Belline; Erna-
ni, opera de Verdi Belliaario e An- ^
na Boleoa, de Donezetti ; os cele- ~
bres duelos do moinnno e a pobre, *
e do M. a vivandeira, modinhas, 3
qudrilhas,etc;, ludo para Jriano. ^^
Vendem-se 2 prelos da Cosa do boni-
tas figuras, muito mocos, dilo-se em conta,
t dita alia moca boa quitandeira, e 1 preti-
nha deponca i Jada: na ra do Rangel n.
38, segundo andar, se dira-quem vende.
--Vende-sea teverna da esquinado becco
Largo, com poucos fundos, bem afregueza-
da para a trra, e sem alcaides : quem a pre-
tender falle com Jos Mureira da Silva, no
caes da alfanJega a. 20.
Vndese um outanle pequeo mui-
to bom : quem o quizer dirija-se a ra do
Itozario estreita n. 2.
Pretende-se vender 200 barricas vasias
todas americanas e oovas, por preco. com-
modo, por se querer desoccopar a casa on-
de ellas estSo ; e or isso ao oflerece a quem
as prelender.de lirigir-se defronte da ribei-
ra da farinha de San Jos n. 3,que llie
quem as vende.
Na fabrica de charutos da ra Nova,
n. 56, acha-se um grande e novo sorlimen-
lo de charutos, chegados pelo ultimo na-
vio da Babia :'o dono deste estabelecimen-
to, pela gran le prova que tem tido do pu-
blico e de Mus freguezes, espera que n.io
se demorenra-avallar esta boa fazenla, co-
mo sejam : fama da baha, quem fumar sa-
liera, especiares, provar, regala de S.-Fe-
lix, regala e regalos da tlavans, defenso-
res da patria, liberaes, mimos, afama voa,
acadmicos, yiya, cacadores da Baha', fa-
ma, deputados, cavalheiros de llavana, ci-
garros de la Havam, pastores, e outras qua-
lldades que serSo patentes.
I a n ma- baratas sem defeito-
Oplimo hrim trancado de pao de
lii.ho pardo, corte 1,600
Novo brim lona branca para calca,
vara 2,000
As melhores casemirss de lislra de
cores, corte 6,000
l.indos.lencos de cassa finos proprios
para meninos, co 11 bonitas cerca-
duras, dona 2,400
Algodo encorpado para sacos, peca
de 32jardas, com pequeo toque .
de avaris, jarda 170
ptimos cobertores de paps, um 1,800
Novos guardanapos de panno de li-
nho com lista asul, um 800
Luvas de troca! para meninas, chapeo de
castor branco patente inglez com aba gran-
de o pequea, os melhores cortes do fustSo
de moderno goslo, bem como um completo
sorlimenlo de fazendas finas e grossas por
barato prec : no armazem de fazendas de
Raymundo Carlos Leite na ra do Queima-
do n. 27, quatro cantos casa encarnada.
Saputes de lustro.
Vendem-se sapalOes de couro de lustro
para homem a 2,500, 3,000 e 4,000 rs. o par,
obra boa .-no Aterro da Boa Vista, loja de
sapatos n. 58, junto a de selleiro.
Grande deposito de carvSo
saceos grandes a 5oo rs. :
vende-se no~ antigo armazem de
capim, na ra do Soi n. t5.
-- Vende-se fiinha de mandioca a 2,200
ris a sacca, ditas com milho a 2 000 res e
de tudo se afianca a boa qualidade. ven-
dem se pot ISo diminuto preco por ser res-
to : no armazem de Aulooio Atines, no caes
da Alfandega-
Vende-se superior panno de
linho do Porto, em pecas, muito
proprio para casas de familia; beta
como nu'i is de linho finas : tudo
por preco commodo : na ra do
Queimado, n. 17, loja.
Deposito dn fabrica de Todos os
Santos na Baha.
Vende-se em casa de iVO. Bieber & C.
aa ra da Cruz, n. 4, algodSo trancado
aquella fabrica, muito proprio para saceos
a* aaaiiMF roupa de e para redes da pescar, por prego muito com-
modo. *
Cigamihos hesuanhes.
S.liich'gados os excellentes cigarrilhos
hespanhes ao deposito da ra da Cruz, no
Recife,, n. 49.
Arttios de ferro.
Na fundico da Aurora em S.-Amaro ,
vendem-se arados de ferro de diversos m-
telos.
ISa fabrica de charutos da ra
Nova, n. 56,
acha-se um sorlimenlo de charutos, vindoa
da provincia da Rahia pelo ultimo navio,
coolendo as seguintes qualidades S.-F-
lix, de Brandto, a experiencia provar,
quem fumar saber, fama da Baha, caVa-
Ineros.liberaes,defensores da patria, acad-
micos, regalos, fama voa, mimo? de Ve-
nus, deputados, yay, regali de diversas
marcas, fama e outras mais qualidades, qua
se venderfio por commodo preco.
Moendas superiores.
Na fundico de C. Starr A Companbia ,
cu". S.-ABiaro, aciasai-Ss voeda u.ccsja
de caima, todas de ferro, de um modelo o
construcoflo muito [superior,


Vendem-se animi de ferro: na rni
da Senzella-Nova, n. 42.
Redes.
Vendem-se redes multo bonitas, de va-
rios goslos e precos, proprias para quem
for passar n testa dcscancar ao fresco de-
bsixode arvoredos : na ra do Queimado,
n. 1*.
Vend-se excellenie farinha
de S.-Cal ha ria, a bordo da ga-
llla Santissimn-Trinda deada defronte do caes do Colle-
gio, por preco commodo: a tra-
tar na ra do Vigario, n. n, ou
a bordo com o capillo da moma
galiota.
Slmriito.
Vendem-se barricas com superior simen-
tn, chegado no ultimo navio d Hamhurgo :
na ra do Amorim, n. 35, armazem de J. J.
Tasso Jnior.
comida para animaes;
vende-ae na ra da Cruz, no Recife, n. 13,
armazem
- 0 propietario doengenho Tabatinga,
sito ao norte da barra deCoianna, tendo de
elitar-sede muda para a cidade do Recita,
vende oengenho moente e correte, com
grandes obras de podra e cal, bois, beatas e
at a safra que est principiando a colher :
quem Ihe convier, entenda-se com o dito
proprietario no mesmo engenho, ou com o
seu correspondente na ciade do Recife, Jo-
s Antonio Basto.
Foges para cozinha.
mullo proprios para sitios e qual-
qualquer logar aonde nio ha cozi-
nha, por preco commodo .- ven-
dem-se na ra da Gru, n. lo,
casa de Kalkmann Irmaos.
fff fff.fffffffWfff fM
-i deposito da ra da Moda, n. 15,
i> ha para vender superior cal em pe-
? dri, receutemenle chfgada de l.is-
* boa, em o brigue Conctifo-de-Ma-
1* fia, por preco rasoavel : tamben) ahi
se vendem pesos de duas e da urna
arroba, ror preco commodo; ha
tambem effectivamente no mesmo
euibar-
effectivamente no
& deposito barris de mel para
que. +
9m
Vinho de Bordeaux:
vende-se na ra da Cruz, n, io,
casa de Kalkmann I raos.
Fazenda iiova.
Vendem-se gangas amarella e crdecin-
za, fazenda mijito fina, propria para pali-
tos de meninos, e mesmo para roupOes de
senhoras, pelo baralissimo preco de 200 rs.
o covado : no Aterro da Boa Vista, loja nu-
mero 18.
m & ####
SRetroz da fabrica do Siqueira.J
m no Porto: #
9 vende-sena ruado Vigario, B
? n. li), segumio andar, es- a
* criptorio de Machado & Pi-
19 nheiro.
4e ## #!
Chitas limpis a i3o rs. o covado.
Vendem-se chitaa limpaa rosas, a 4,600
rs. ,e a 130 rs. a retalho ; cortes de cam-
braiaa com 6 varas, muilo larga, de bonitos
padrese cores fixas, a 2,800 rs : na rus
larga do Rozano, n. 48, primeiro andar.
Chai tilos de Ha vana.
de superior qoalidade : vendem-
se na ra da Cruz, n. io, casa de
Kalkmann Irmaos.
Mlllio novo a 2$ooo rs.
cada sueca.
Vende-se no armazem do Braguez, ao p
do arco da ConreicSo.
Rs gil lo de algodo a *$.oo a
peca de i o varas.
Vende-se e.-guiHo de algodSo com 4 pal-
mos etneio de largara, a 2,500 rs. : esta
fazenda he mnito propria para lenc,es, ca-
misas, ele. : na ra do Crespo, loja da es-
quina que volta para a cadea.
Vende-se a loja da ra do Queimado n.
23, com poucos fundos, e com urna das's-
niores armacOes toda envernizada, os pre-
tendentes dirijam-se ao Passeio Publiblico,
n. II, que se I ara todo o negocio.
Vendem-se 3 pretas de nac.lo, sendo
umademeia idade, que lava bem de var-
rella e sabo, cozinha o diario de urna casa:
na ra da Concordia, quem veru da pontea
esquerda, segunda caa terrea.
Vendem-se 10 acc,0>s da companhia de
Beberibe na ruajlargn do Mazar iu, n. 46,
laverna.
Vende-se um ptimo mulatinho, pro-
prio para pagem : na ra da AssumpcSo,
n. 4, caaa das aerices.
Vendem-se 6 apolicea do theatro de
Apollo, das primeiras a que dito thealro ea-
u hypoutecaoo, por auu.uou rs. as quaes
com o juro que vencem de meiu por rento,
inontam em oito reatos e tantos mil rs.:
na ra da Cruz, n. 40.
Clinnlio le mun ira6.
Vende-se no armazem de J. J. Tasso J-
nior, ra do Amonan, n. 35.
Vende-S't urna por<;flo de figuras para
presepes, muilo bem feita< viadas ultima-
mente da Baha : na ra da Cruz, n. 64.
No becco do Concalves, ar-
mazem do raujo, e na la da
Cruz, armazem de S Araujo,
vende-se superior farinha em sac-
cas, por preco mais commodo do
que em outra qualqner parte : bem
como lijlo de Lisboa para limpar
metaes ; sola, couros de cabra t
sa patos.
Vende-se um jogo de mesas de mogno,
de ncostar na parede, he de abrir para oa
lados, muito perfeilas, de bom gosto. e com
muto pouro uso, pelo preco muito emj
Na ra da Cadeia do Recita, loja de cam
ilion 24, soacham a venda os afortunados
hilbetes e ineios a favor das obras da igreja
le N. Sra. do Livramemtos, sendo pelos
presos correntes :
Brinetes inteiros 10,060
Meios 5,000
Vendem-se dous lindos roolequee, de
12 a 14 annos ; um escravo de 20 anuos, de
elegante figura, com principios de tanoeiro;
urna prela moca, perfeita engommaJeira
coslureira ; urna dita do servico de campo :
no pateo da matriz de S.-Anlonio, sobrado
n. 4, se dir quem vende.
Vende-se urna escrava moca, de boni-
ta figura, que cozinha o diario de urna caaa,
engomme, ensates e cose pouco : na rus
Direila, n. Si, segundo andar.
Vende-se, ou aluga-se uina canoa aber
la de carga de 600 a 700 lijlos de a I vena-
ra : na ra da Aurora, n. 46, taverna.
-- Vende-se uma parda escura, fiel o aa-
dia.com algumas habilidades) um mole-
que de 15 annos : na ra do Fogo, n. 23, se
dir quem vende.
Madama Hosa Hardy, modista
nrastleira, na rua Nova, n. 34.
Madama Rosa Hardy novamente tem
salisfacSode annunciar ao respeilavel pu-
blico, que recentemente acaba de despa-
char um luzido sorlimento de varias fazeo-
das, proprias dse usarem na prxima fes-
ta, consistindo em ricoschapoa de seda de
dilFemites cores e com en tai tes mais ele-
liantes possiveis para seohoras; ditos de
rica ralhinhada Italia, rendados e tacha-
dos, tanto para senhora eomo para meninas
e de varios taannos, com enfeites e sem
elle-i; chaposzinhos de abas largas e en-
feitados, proprios para meninos ; ditos de
Ihinha redondos eenfeitados para ditos
ditos de seda com lindo* enfeites, para me-
ninos e meninas de 6 mezes a 3 annos, do
mais rico gosto possivel; rlquissimas Ion
cas de superior seda, feilas em Franca e pro
priss para creancas de 6 mezesa 2 annos
ricos manteletes e capotiuhos de gros de
aples furla-cdres o relos ; ditos de fil
de lioho preto de gosto o mais moderno
possivrl ; capotinhos de fil de seda, tanto
Crneos cono pretos, para senhoras eme-
ninas ; brilhanlisslmas capailas para senho-
ras, proprias para casamentos e bailes ; su-
periores veos de seda, proprios para ditos ;
ricos pescocinhos de lildellnho bordados
parasenhoras, do gosto o mais rico que
tem vindo de Franca ; camitinhas de cam-
braia bordadas para senhoras, com golla de
rambraia de linlio; espartilhos de mola,
os melhores que teem apparecido oesta
praca ; um variado sorlimento de trancas
de seda ; fil de hnho e de seda ; sapatoa de
setim brancoa ; luvas de pellica para senho-
ra ; ditos de seda de malha para ditas ; di-
tas de seda prota para horuem ; ricos gres
de aples pretos afurta-cres, que se ven-
den) aos covadosa vontade do comprador;
chamalole preto de grande consistencia
para manteletes ; um completo sorlimento
de perfumaras finas; e oulras muilas di-
versas fazendas. Na mesma casa se fazem
manteletes e capotinhos para senhora e me-
ninas, assim romo chspos de crep pretn
com toda a pertaicBo : ludo por prego mais
commodo do que em outra qualquer parte.
Xarope do bosque.
SALVACAO DE MAIS UMA VIDA.
Eu abaixo assignado, morador na rua da Val-
ia, n. 10, tendo padecido por espado de 13 an-
uos do mal de asuma, proveniente de urna
constipado <|ue apanhei quando inore! no Iu
gar chamado Ponta-Negra, no distrlcto de Ma
rle, durante eale lempo nunc; cciaei de to-
mar remedios, um applicados por amigos
uii'us. outros por prolessorea a quem cnsul-
tei; por fin deaengarain-me que o meu mal
uo linha cura, por aer j mullo antigo ; eu
neata triste situaco, com oa ataques continuos
que me perseguan) eiu todas aa inudaocaa da
la, e com o desengao de nao poder aer mais
curado, esperara a morte a todos os momentos
em que me vinham os ataques, porque fleava
lo suftbcado,q'je perda a respiraco ; e assim
que me passava a maior forja do ataque corue-
cava-u>e ento urna tosse lio forte.que nem dei
lado, nem de maneira alguina poda aocrgar
e para descansar algumas poucas horas, paasa
va recostado na cabeceira da cama. Ha aete
annos para c, quando viin para acorte, fui
aconsrlliado para ir residir fura da cidade, e de
(ornar de lempos em teropoa vomitorios de
poaia : assim fu, porin ludo Ib i intil. Coo-
linuavam os meamos ataques da mesma manei-
ra: j cansado de Untos sorTrhneotoa vollei
para a cidade : nesta occasio disserain-ine
que havia um novo remedio que curava a
asthma, e que se venda na rua do Hospicio,
n. -n. (lia, in leud j gastado tanto dnbeiro,
e nao tendo obtido resultado algum favoravel,
punco caperava do tal remedio da rua do Hos-
picio, n. 40 ; porin nio fol o que eu esprrava,
foia ni i iili. aalvacfio. Coniprei uma garrafa do
xarope do bosque, que he o tal remedio que l.i
se vende ; principie! a lomar eale precioso e
ui|idi;avci ienieaio : ese o aia em que piiu-
cipiei a tomar a primrira dote logo senil que o
remedio comecava a fazer-me bem nao me
enganel, fui todos os das a melhorar al aca-
bar uina garrafa, e baj um inri que nao sel o
2ue he ataque de asinina. Dos prolongue os
iaa de vida ao descobrldor desle lo precioso
reme io para bem da humanidade sofl'redora,
assim como eu ; digo, e sempre o direi, que o
aarope do bosque lie um grande e excellenie
remedio para as molestias de pello.
Ksia miiiha declara; ao fol fella de muito mi-
nha livre vonude, e em reconheclmento ao
bom effeiio; pori-nio, recoininendo a to-
dos oa que sonreren), assim como eu softri,
que Dio percam lempo em Irein rua do Hos-
picio, n. 40, comprar o Incoinparavcl xarope
do bosque, para gozaren) do que eslou gozan-
do, que he de mlnha perfeita aade.
Todo o cima referido juro aos santos evan-
gelhosque he rerdade tereu sotfrido.
Hio-de-Janeiro, 14 de agosto de 1848.Jo
Antonio da Silva.
Ilecunlieco verdadeiro o signal supra fallo
perante nilni.Joaqum Jv$i di Castro.
Vende-se naruadosQuarteis, n. 13.
Gal e potaaaa.
Vende-se a mais nova e superior potasas
que ha no mercado, e cal virgem em pedra,
chegada pelo ultimo navio de Lisboa, por
oreco commodo : na rua da Cadeia do Re-
cife, n.50, a fallar com Cunha & Amorim ;
assim como um restante de barris da mes-
ma cal, que flcou da safra passada, por ba-
rato preco.
Vende-se uma parda escura, com ha-
bilidades : ni rua larga do Rozario, n. 33.
Vendem-se sabonetes higinicos, o
mais superiores que teem vindo i este mer-
cado, assim como outras perfumarlas muilo
finas : na rua da Cadeia Velba n. 94, pri-
meiro andar.
Bombas de ferro.
Vendem-se bombas de repuxo,
pndulas e picota para cacimba :
na rua do Brota, ns. 6, 9 e io,
fundicao de ferro.
Arados de ferro.
Vendem-ss arados de ferro de
differentes modelos : na roa do
Rruoi,ns. 6, 8 e io, fabrica de
machinas e lundicao de ferro.
Vende-se urna sextante nova taita por
um dos melhores autores de Londres e tam-
bem umorisoote artificial e um theodilete:
na rua do Trapiche armazem n. 44.
Lotera da igreja de N. S. do l.ivramento.
Aos 5000,000de rs.
Na rua da Cadeia, n. 46, loja de miude-
Zas, vendem-ae meiqs bilhetes, decimos e
vigsimos desla lotera, que corre impre-
terivelmenie no dia SO do crrente.
Meios 5,500
Decimos 1,100
Vigsimos 600
Couros miudon ;
vendem-se na rua da Cadeia, n. 23, arma-
zem.
Sapatos do Aracaty,
vendem-se por menos do que em outra
qualquer parte : na rila da Cadeia, o. 93,
armazem.
Velas de carnauba,
em porclo e a retalho i vendem-se na rua
da Cadeia. n. 93, armazem.
Nao he exageraran.
Vendem-se aapaloes de couro de lustro,
obra muito boa, a 2,500, 3,000 e 3,500 rs.:
na rua da Cadeia do Recita, loja n. 9.
Farinha de mandioca.
Vendem-se sacas com farinba de mandio-
ca muito alva.e bem torrada a melhorque
ha no mercado por nSo ter cheiro de barco
e ter bom gosto e por preco commodo : na
rua do Queimado n, 14,
Cobertores de tapete para
escravos
Ja se vendem os acreditados cobertores
de tapete para esoravos, a 720rs. cada um ;
por iaso venham a riles antes que se aca-
ben), ou psssesn para mais alto preco : na
rua do Crespa, loja da esquina que volta
para a cadeia.
Na rua das Cruzes, n. 99, segundo an-
dar, vende-ae orna parda moca, com habi-
lidades que se uirflo ao comprador; 3 pre-
tas mocas, ptimas quitandeiras e com al-
gumas habilidades ; e um escravo de boa
figura, oplimo para todo o servigo.
Loleria do Nio de Janeiro.
Aos 20.-000,000 rs.
Na rua larga do Rosario, botiea n. 42,
recebeu-se a lista da loteria das casas de
caridade, e abi foram vendidos os seguin-
les nmeros qunsahiram premiarlos, a sa-
ber : 1,950, 4:000,000 rs., vigsimo ; 9,672,
1:000,000 ra., qosrto 5,099, 100,000 rs. ,
inteiro ; t,asa, iso.ooo rs. vigsimo ; bem
como liillietsda decima loteria a beneficio
da freguezia do SS. Sacramento do Rio de
Janeiro, que se vendem pelos precos se-
guintes: Inlhetes. a 22,000 rs. ; meios,
11.000 rs. ; quartos, a 5,800 rs ; oilsvos,
2,900 rs.; vigsimos, a 1,400 re.
Vende-se a taverna da rua larga do.Ro-
zarlo, n. 37, com poueos fundos, propria
para qualquer principiante : s tratar na
rua estreita do Rozario, n. 93, botica.
Deposito geral do superior ra-
q p Areia-Preta da fabrica S>
Q deUantois l'ailhetck C.
na Baha.
O
ST Domingos Alves Matheus, agente daV
^fabrica de rap superior Areia-Preta daw
yBalim, tem aberto um deposito na ruaV
e: ven-v
i.Wg
Bolinhos pata cha.
Na confeitiria da roa estreita do liozario, I
JJJda Cruz, no Recife, n. 59, primeiro an-w
Vdar, onde se achara sempre deste ex-O
Ocellentee mais acreditado rap: ven-
Qde-se em botes de uma e meia
53por preco commodo.
O00000000 Vendem-se relagis de on-
ro e prsta, patente inglez ; na rua
da Senzalla-rSova, n. l\i.
Vende-se vintM do Porto em barris de
Idus rio e em pipas, chraado ullimasnenle :
peneiras de rame ; eevada ; reos pasa pi-
pas e barricas; fio porrete ; pregos de to-
das as qualidailes, por pie^o commodo : na
roado Vigario, n. II, armazem de Francis-
co Alves da Cunts.
Vende-se chumbo em barra, sulphato
de quina, e gomma arabia em partida maior
ou menor : na rua do Amorim, n. 15.
Na rua Nova, n. 8, loja de Jos
Joaqum Moreira & C. ,
vende-se um rico sortitnento de
franjas pretas para manteletes e
capotinhos, por preco rasoavel.
O ultimo rtavio de Lisboa
trouxe o folheto publicado este
anno pelo duque de Saldanha, era
que se l ti vida niysteriosa, as
horrorosas ladreeira* e baixesa da,
admmislracao presente dos Ca-
bra e* : vende-se no pateo do Col-
Vinhos superiores
recentemente chegados de Inglaterra pela
Miera ingleza Steord-FItk, Xeres, Ma-
delra c Porto, Unto em barris peque-
nos, como engarrafado, em caixas de uma
duzia : os pretendentes, dirijam-se ao es-
criptorio de Eduardo II. Wyslt, rus do Trs-
piche-Novo, n. 18.
-Vende-se espirito de 38 graos: no pa-
teo do Para izo, n. 90.
Charutos de Havana. .,
Vendem-se charutos de lia va na, de supe-
rior qualidade : na rna da Cadeia do Reci-
fe, n. 9.
Kap Paulo-Cordeiro.
Vende-se effectivamente este excellenie
rap, na rua da Cadeia do Recita, a. 50, lo-
lade;Cunha& Amorfo.
Champagne.
Vende-se moito superior vlnho de Cha 111-
pasjme, recebido ha poucos dias pelo
emord-ff*: em casa de Eduardo H. rVyatt,
na rua do Trapiche-Novo, n. 18, e existe
ainda uma pequea porclo deste vinho em
garrafas pequeas.
Vendem-se 4 escravis, duis cosem
engommam, cozinham e fazem o miis ser-
vico de nma casa ; duas ditas boas quitan-
deiras ; uma mulalinh de 19 mnni. qun
cose, engomma, veste uma senhora, e nSo
tem falta alguma ; um preto de 30 annos,
ptimo para servir um casa e ganhar na
rua; um moleque de 18 annos, de muito
bonita figura ; um dito de b annos, muito :
esperto e lindo : na ruado Collegio, n. 91, [
primeiro andar, se dir quem vende.
Chitas para coberta.
Vendem-se chitas para coberta, de cores
escuras, fixas, e de gosto turco, pelo toara-
tissimo preco de 900 ra. o covado: no Ater-
ro-iia-boa-Visla, n, 18 loja.
Loja de seis portas em frente do
Livramento.
O administrador desla loja tem a dar ba-
taneo no Oa de dezembro, e eomo tenha
realoe de alcaides, quer acabar com elles,
Irocando-os por sedulas, seatdo o prr;o o
mais rasoavel possivel, come aejssa : pecas
de mada pella com 1S jardas, por sete peta-
cas ; chales de hits, a 480, 640 e 1,000 ra.;
dilos pretoede rede, a meia pateca ; csea
prela, a 190 rs. o covado ; cortea de chita'
preta com 11 covados, por 1,980 rs.; risca-
dos monatros.e 960 rs. o covado; chitas, a
190, 140, 160, 180, 900, 940 ,e 390 rs larga
francesa ; brim branco de lislras, a 900 rs. o
covado ; e oulras muilas faieodas por pro-
cos que coadjuvam a economa.
o 00000 oooooooooooo
O Rap americano. O
Q Vende-se este rap, que ta de agr- o
0 dar aS pessoas que gostam ds boa pi- Q
A tada : a rols-lho, no Recife, em casa q
? dos Srs. Ilavis & C. Itaymond & C. q
2 e Fonles & IrmBo ; no Aterro-da- ^T
O Boa-Vista, casa do Sr. Ilanoel Jos w
O Cuedes Magalhilos; e por atacado, O
O no Recife, rua do Trapiche, n. 14, O
O segundo andar.
OOO&OOOOO *>*9O90O O
Vendem-se, por preco com-
modo, saccas com farinha de man-
dioca ; potassa em barriquinhas ;
fumo em folha para capa e mi-
lo de charutos : pos armaiens de
G ouveia & Das, no caes da Al-
fandega, e de Das Ferrera, ou
a tratar com Novaea & C. na
rua do Trapiche, n. 34-
Animaes para engenho.
Vendem-se 8 a 19 animaes ptimos moe-
dores, por preco mais commodo que he
po.'sivrl: no engenho Cerabe, ou na tra-
vefsa dasCrusaa, n. 4.
Vende-sewa esdravs de meia idade,
perita cozlnheira, por preco commodo : na.
rua do Raogel, n. 57.
Vendem-se tres lernns de medidas de
rnllus j uzados: ns venda da quina da rua
do Kangel de Jos Rodrigues Coelho.
- Vendem-se quairo lindos moleques de
8 a 18 annos ; tres pretos, sendo um ptimo
cozinheiro, e dous peritos sapateiros ; dons
pardos de 19 a 18 annos, tendo um bons
principios decarpinleiro; duas pardas de
15 a 17 annos, com habilidades; e seis pre-
tas de 19 a 95 annos. algumas com habili-
dades e propriss psrs todo o servico : na rna
do Collegio n. 3.
ffftffftfffffftfffff
a> Attencao.
s> Vendem-se ou eroram-se 1500 pal- j
jf" moa de Ierra no Atierro dos Afoga- J
S dos proprio para algum sitio, ou pa- J
dos proprio para algum sitio, ou pa-
ra edificar casas, por ser o lugar mui-
J to bom e sadio, vende-se por preco
fm. commodo : a tratar na rua na rua da
a> Cadeia de Santo Antonio n. 9. -
**A**AA
Vendem-se seis a setecentas varas de pan-
no de algodSo da Ierra, muito bom, a 900
rs. e-vara a quem tomar todo : na rua do Li-
vraaienlo, loja n. 16.
Loterio dtjirvlo da Janeiro.
Aos ao:000,00a de rs.
Ns praes da Independencia,'n. 3, confron-
te a rua do Crespo e Queimado, vendem-se
bilhetes, meios, quartos, o i la vos e vigsi-
mos da decima lotera a beneficio da ira.
guezia do SS. Sacramento do Rio de Janei-
ro, vindos no ultimo vapor. Na mesma loja
se mostram as listas das queja correram.
-- Vende-se um relogio sabonete depu-
ro, patonte suisso, muito bom regulador:
aa praca da Independencia, n. 95.
A 3,ooo rs.
Vendem-se palles de bezerro de lustro, a
3,000 rs., marca castalio : na rus do Quei-
mado, n. 94, loja de mludezas.
~ Vnde-se um moleque d 9 a 10 annos,
sem vicios nem achaques, ou trocase por
uma negrinha: o motivo por que se vende
se dir ao comprador : na ruado Encanta-
mento, n. 13, armazem.
Na rua Nov, n. %, leja de alfaia-
te de Augusto Clombier,
vendem-se palitos de linho de dif-
iere nt es padr6es, proprios para a
festa, a 5,oeo rs.
Vende-se uma parte de uma casa tar-
rea na rua DiteiU, n. 105 : a tratar com ioa-
Suina Marta da Peona, dafronte dos arcos
a Trocir da Boa-Vista, n. 58,
A 2oo ra. o covado.
Vende-se madapollo jie cores, proprio
para camisas, peto baratisslQo preco de 900
rs. o covado; bem como ainda rTsUm a|-
sUm
.algos)
gumas pecas de chilar de linho yalgoao,
com 40 covados cada urna, a 5,600 rs. :
Aterrr>daBoa-Vl8ta, n. 18. loja.
no
Eseravos fgidos.
ou ves-
i
Fugio, no dia 97 do crrante, pelas 4
horas da mddrugada, a escrava Isabel, ato
nscio S.-Thom, de 35 a 36 annos, baixa,
corpo, regular, um tanto fula ; be bem fal-
lante, denles escures e iberios; tem as
coalas da mRo direila oa esquerda uma
queimadura fresca, pes cortos ; levou ves-
tido de chita azul com ramagem j deab
da, e panno da Coala velho sem franja
tro novo, levou mais uma trouxa de
de seu uso : quem s pegar leve-ca rs
Coxo em Olinda, n. 9, ou no Recife,
Senzalla-Vellu, n. I4S, primeiro andar, que
Ser bem recompensado.
Desappareceu, no dia 96 do corrate,
da rua Nova, em direrco a estrada do Man- -
guinbo, is 8 para s 9 horas da manilla, um
preto da Costa, idoso, magro, ladino e cal-
vo, de nomo Caetano, conduzndo um ca-
vallo easUnho sellado e enfreailo, com
manta de brim branco trancado, cujo es-
vallo est ripado de novo : quem der noti-
cia, tanto do escaso cmodo i-avallo, sera
generosamente recompensado por seu sa-
ri hor, o major Jos Ignacio Sos res de Nace-
do, em seu sitio em S.-Jos-do-Manguioho,
Du na rua Nova, sobrado o. 46, defronta da
botica do Sr. Pinto.
Fogio, no dia 96 do crvente, um es-
cravo rrioulo, sertarfejo, de 94 annos, esta-
tura regular, bem parecido, sem barba;
levou caifas velhas, camisa e ceronlas, cha-
peo de couro e calcado de chinelas : quem
o pegar leve-o ao Forle-do-Hattos, prensa do
Joaqum Jos Ferrera, que ser gratificado.
Anda fgido, desde o dia 17 do corren-
te, o escravo Rento, de naci Nag, com ta-
inas pelos rosto, signal de soa naci, de
boa estatura, bem preto, bracos compridos,
pernas finas; representa ler 3a a 35 annos;
he bem parecido, muito ladino e esperto;
quasi nunca est calado : quem o pegsr le-
ve-o rna da Aurora, n. 19, que ser bem
recompensado.
Pngio, no dia 94 do crrante, o .preto
Antonio, de nacBo Cabinda, cheio do cor-
po, cara abocetada, cabellos brancos, ps
Um pouco apapagaiados, altura regular ; ha
oflirjalde caldeireiro : quem o pegar le-
ve-o rua do Brum, a. 98, que ser grati-
nes do.
No dia 94 do crvente, desappareceu,
do sitio de Manoel Paulo Quintella, aa es-
trsda dos Afilelos, o erioulo Constancio.
natural de l'ianc, oque j ealeve enr Cari-
rys-Novos, de boa estatura, heleos rosaos,
bocra rasgada; tem o dedo immedialo ao
mnima da mo esquerda cortado pela pri
melra junta ; levou calcas amarellae com
lislras escuras pelas costuras dos lados, ja-
Bueta de plalilha;branca, eehapo de timb
no: quem o pegar leve-o ao dito sitio, que
ser gensteaemente recompensado.
Fugio de bordo do brigue Carolina, usa
icravo dame Kilippe.de necio locam-
bique, de 36 annos, barba serrada, baixo e
cheio do corpo; levou camisa braava com
rJS azul por baixo,calcas azues de algodSo
trancado: quem o pegar leve-o ao sacriplo-
r io d viuva Csudino & Filho, ouV bordo
do Dirimo brigue, que ser recompensado.
No dia ISdo correntes regio uma es-
crava, levsndo cotnsigo mn laboleiro, do
nonieAnna.de necSo Coala, a 45 annos
pouco mais ou menos, cor prela, ps gran-
des e feios, peroas finas; tem em urna das
pernas marcas de queimadura ; levou ca-
rnea de algodSozinho, saia de aaila encar-
--Vendem-ae terrenos prorrrplos a edHl- nada de coberta ecom bshado: esU esera-
oarem-ae.ceeriviveirosdepeixe j (ritos, e ,r.oi di"* de ^q"" deLingola
em .ao. prapiW.. i.... c i.,.uoi !* **-*>hafnar-se Therets.^aa Undo-sa
Luiz da Veiga, em 6^A*e.inho. arrematada poz-se-lhe o sobs^ome de Ao-
Loteria do Kio de Janeiro.
Aos ao:000,000 de rs.
Nos austro-cantos da rua do Queimado,
loja de fzenda*,n. 90,*endem-se os muilus
sfortuasdos bilhetes, meios, quartos, oi-
tavose vigsimos da 10.'loteria do SS. Sa-
cramento ; bem como da 25.a loleria do
monte pi, cujas listas devem chegar no pri-
meiro vapor. .Na mesma loja se lrocam bi-
lhetes premiados de qualquer loleria, e se
mostra a lista das casaa da caridade.
-- Veodem-se pipas, quarlolas e barris,
proprios para azeile : na rua ds Praia-de-
8. Rila, n. IT.
Gomma superior e moinhos.
Na confeitaria da rua estreita do Rosario,
na; quem a pegar leve-a a Belm, no sitio
Tolre. "**
Fugio, no dia 14 do corrrenle, uma
preta denome Rufina, crioula, da 17 aa-'
nos. rr fula, rosto prqueno, beicos gros-
* os, de bos estatura, necea do corpo, peitos
pequeos e em p'; levou vestido de chita,
panno fino preta com oretat anda calcada :
esta escrava quando aahiOrfe casa foi,.com
urna bandeja de bolinhos, que linha d coa-
turne vender na rua as tardes. Roga-se ss
autoridades policiaca e cepilles de campo,
que a apprebndam e levem-na so pateo do
Tergo, n 8, sobrado, que serlo generosa-
mente gratificados.
Fugio, bontem da manbSa, o pardo Ve-
nancio, escuro, reforcado, falla* bem ; foi
escravo do Sr. Diogo Jos ds Costa, que o
n. 43, vendem-se saccas com gomma, por vendeu ha omanno : esteva nos mezes de
preco con.modo ; bem come dous moinhos. julho, agoslo, seiembro e oultibro prximo
- Vende-se uma esarava ainda moca, de paseado em casa do Sr. Baixa, no Monleiro :
boa conducta, e que he boa quitandelra
conta de 95,000
64, (averna.
rs.: rus
. 43, vendem-se boliabus de todas aa qua-I|ego CMa ,|0 |vr0 a,Q|% k Q0 [a jribe, junto do porto da Mad
dades para cha ; bem como easiauaas { -. coh. Ksnce! Antes: da Svs
Cinco-Fonias, n.iidades
(confeilos para presesHes.
'Icada
um.
na rua Verba, n. 71.
Vende-se o sillo Agoazinha em Bebe-
Madeira : a tratar
otts.a.-us
Buotn o pegar leve-o a caaa doSr. Ricnardo
dyle, n rua da Cadeia, n. 37, a entregar a
Antonio alachado Come d Silva, que re-
compensar.
asa^saaBl
C. HiZZZ: .-.=WBKJ SS SirVS BOUS, Sa rUS l^LOLmiL SSSS'SSwmtmlm^m.JmimmmZ
de Apotro, o. 34, qae feri todo o negocio. IIMaMwia^sMa^iaifJ^BJTnilfl^


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EVE7MAVB8_ENT9Q1 INGEST_TIME 2013-04-24T17:45:10Z PACKAGE AA00011611_07222
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES