Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07216


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XXVI.
Mi
PABTIDAS SOS OOBBaUO*.
Goiaana e Parahlb, Segundas e scxtai felrei.
Rio-Grande-do-Norte, toda a* quintas feiral ao
meio-dia.
Cabo,' SerlnhSem, Rro-Formoio, Porro-Caiyo. e
Macelo, nol.'.a 11 e 21 de cada niei.
Garanbuns e Uonllo, a 8 e 513.
Koa-Villa e Florea, a 13 e 28.
Victoria, i quinta letras.
Oilnda, todoi os diai.
*
Quinta-feira 21
IPHCMIBIDE9
-Kova, a i, aoi 20 m. di iu.
n...... ... ,. jCreic. a 11, iSh.eMm. di I.
Piusas d wa. cbe,,,. ,9> 9 h. e 15m. da.
iMlag. a 20, i 10 h. 13 da m.
IBUN1B DI MOJE.
Prlinelra ai (i horas e 51 mlmitoi" da ina'nbaa
Signada ai 7 horas e 18 minuto! da tarde.
de Novembro de 1850.
N.264.
.lv.
do
HUSO XA *tT SCB-IrOAO.
Por trt meaes (adanlado} 4#000
Por kU roews 8/000
Por un auno 15/000
irl il \i ii i
BXAS DA SEMANA.
18 Seg. S. Uomao. Aud.do J. doiprf. edain,
19 Tere. S. Izabel. Aud. do J. da 2. v.
clvel, e do doi feitos da hienda.
20 Quart. S. Flix de Valois. Aud. do J. da 2. v.
21 Qulnt. Apresemaco de Nos Senhora. Aud.
do J. dos or. e do m. da 1. V,
22 Seat. S. Cecilia. Aud. do J. da 1 v. c. e do doi
feltoi da fazenda
23 Sab. S. Clemente de Lagoi. Aud. da Chae, e
do J. da 2 r. do clvel.
E4Dom. S.Joaoda.C^,,
E KOimBBO.
Uufllaf0 das
CAMBIO EM 20 DE
Sobre Londres, a 29 d. por 1
Pars, 333 por Sr.
Lisboa, 100. por cento..
Ouro.-Oncashrspanliolas.....*W600 a 30/000
Mocdas de 6/400 velhas. -16/200 a lBjftOO
de 6/4011 novas 16/000 a IBjihi
de 4(000....... 9/o0Oa 9/200
Prata.Patacdea brasileiros.... l/9sVa 1/080
Pesos columnarios..... 1/960 a 1/080
Dito mexicanos........ 1/700 a 1/780
__________ _^
.9
IMEnV
Oftlelo.
PUVINGlA.t
^ -DA 16 DE NOVEMBRO.
o R*m. presidente do filo
Grande do ift'1. +eeam*o recebido dous
xemplare* do res tono, com quaawra i.
do corra* 8. *,' btt* ; sessflo da 4f
legisla tura d'ssst \mblea d'eauel ia provincia.
0t>~ A* Bxm 4r"1,J Antonio Co*-
re. Sera. Pelo **u felo daUdo dtjar-
je flquei iotetrado, de haver V. Exc. .^ft
cumplimento oft'ens do goverri0 impef
rial. ptraadb^o eotnmando da* arinas dest1
provincia o tiHort'hiUrVtemnpiiWtaL
im iWiWr.. Apf*V*Uri,MKlliJo par
agradecer a V.Bxc hi Ie**o*d4;ofic8o ab
Koverno da proviueia.e oa boo- iervic.oi,qub
prestbtt nefUtWmBissao.
Dito.-- Aooowm*id*nte lis armas trins-
rjrfttiBdrtB guia fc doeOordoa brtalhffb
decCdbres JoSo A-sUnrlo Teixaira qu Vii
MWattHo pele Ex-m. presidente da Baha a
bordo do vapor 1 'tnambueanm, aonde se
cha dsposi offletou-se io *jstr'dBonipdbitd,!br-
cas de vape*.
tfente, auando o substituir em suas faltas
Portarla. Mandando por em liberdade
o rocruta Vicenb Francisco, Visto tar -
presentado iserop?So legal.
'Orta, Conceddndo ao iTeras da com-
pa'nliia' flf* deNivaD.r.ia dest* provincia
I.uiz de Albuquerqu :Mir/nliSo tres mezes,
delicrica cm os venetmentos que por le)
Hie competrem para tratar de sua saude.-
Fizeram-se as convenkirtereom raunicicOes.
Commancio das armas, i
XJarUl do commando das armai na cidtdi'if
Reofc, em 90 le novembro i* 1850.
'ftRDEM DO DA N. *.
ti una certid'ao, a'lm de ser enviada ao
Exm. i.resldenle de Santa Cathsrins, que a
requisita, das ordena dos aiss 17 e 97 de fe-
vereiro de I8M, aliro de poder-se orgsnissf
a f de oDieio' do Jos LeitSo de Almeida ,
capitao do 6 o batalhao de cicadores, cuje
O coroneleoarartviBahte #frms,transr
cravendo na presente ordfm do dia o offl-
cioejue coo data de 16 do correnle Ihe en
derecon o rTxm. Sr.1 presidente da provinj
cia, otti como o aviso clrculir do ministe-
rio di "guerra de 24 de outubro, qoeam-
bnitrlhe reratteu olnetmo Ero. Sr. con)
oflloio firmado hontem, tem por c-bjetto daf
dlspSsIeOei de gryvenra imperial resfrie!
ta, e pontusl exeeucSo, e nesU'rotelligencif
os Sr*. offlelaes dd estiUo-mior d primeii
| iterrir nella com o procurador da oroa em que
Appeltote>ojui'u>; appellaaoi, JoSoJaaela-
nocnclo Pggi e.
anulis.
Pasioudo Sr. dreserobargsdot TUbuea ao Sr.
deiembargador Bastos a segulnte >ppellaco
ruque sao:
Appellante, Manot I Jos Soares de Aviliar; ap-
pellallo, Domina "> lote Marquei.
Passou' do Sr. desemblrgador Bastos ao Sr.
deiembargadr Ulio i seguinU appella(io em
Ap>elUnte.' aJMt; appcllao, Mlnoel Anto-
nio da Cunha.
Passaram dd Sr. desembargador Souza ao Sr.
deaembargador Habello asseguinles appella-
tde em que sao :
Appellante, Josa Rodrigues Ferrelra ; appel-
lado, o juizo da provedori.
Appellante, Manel Antonia Gomes Ribeiro;
>'
.1+
---------,_. ri eseguoda cNsseivetealbregidrjs.e iquel-
Wto Aomeem; ordenando que remetL leldol eorpo do OTercit0 qoe penhiheceni
abril do corTelrt inno na bsrra do Rp]
Grande do sul.
-Dito. Ao Baytmo, ioteirando-o do dis-
posto no aviso de roiaisterio da guerra til-
lado de 30 de setetribro ultimo, pelo quaj
fui nomeido como.indinte da fortileza do
Cabedello, na provincii da Pirahiba, o ma
jor do islido maior da 1." clase do xerci-
to Sergio Tertuliano Castello Branco. -- In-
lelligeikciou-ieao inspector da pagsdoris
miHHr.
Dito Ao mesmo, commusicando qua
se acba neet* provincia o capitSo Fernan-
do Antonio flasoura, due veio das Alagis i
bordo do vapor Perwnaotitxma, Scienli-
ficou-se ao inspector da pagadoria militar,
Dito Ao mesmo, remetiendo despacha-
do um requerimento do lenente-ebronel
Luiz Jos Ferreira, commindante do bitavo
likt.ibau do catadores, aflm delheir'en-
tregue.
Dito.Ao mesmo sdentifleando-o dote!
sido ordenado em aviso do ministerio
Scerra de 93 de outubro ulimo, que fa.
Bcoltier i Corte todos o* oBicises do esta
do anaior de primeira e segunda cliss^s qu
se acharen) nesta provincia desemprega
dos, com excepcSo do bardo da Boa-Vista
que esta com litbnt.
Dito. Ao Exm. conselheiro president
-de relicio, dizendocsr inteiradode haver
S. Exc. nomeado os desembargadores Fir-
mino Antonio, de Souza, Bernardo Rsbelld
da Silva Pe eir e Antonio Thomaz de Luna
Freir para servirem de vogaes da junta de
justica, competindo ao primeiro ser relif
tor pela sua aatiguidade.
Dito. Ao mesmo, dizertdo ficir sciente
de ter S. Exc. nomeado o desembardor Fir-
mino Antonio de Souza, para servir interi-
namente o lugar de procurador de cora so-,
berania e fazenda nacional, visto ter fal-
lecido o desembargador Domingos Nunes
llamoa Ferreira que o exercia.
Dito. Ao inspector- da thesouraria de
fazonda coromunicando que pordeereto de
19 de outubro ultimo, segundo foi declara-
do em aviso do ministerio da justica datado
de 94 do mesmo mea fon nomeado ojuiz
municipal e de orpbflos do termo da Nazi-
reth Jos Bandeira de Mello, pira o logar
de juizde direito ita carnerea do Principa
do l'iauhy. Nesle sentido fizeram-se as
convenientes communicaefles
Dito. Ao mesmo, inteirando-o de ha-
ver sido extiocto por decreto de 31 de outu-
bro ultimo conforme foi declarado em avi-
so ate ministerio da justica datado de 9 dd
corr.nie, o lugar de juis de direito do civel
da comarca do Cabo.Fizeram-se as neces-
BiriiscommuoicacOei.
Dito. Ao inspector da pagadoria mili-
tar,- scientilicando-o de ter o Exm. presi-
aVbta do Rio Grande do Sul, communicido
que mandara adiantar ao coronel Trajino
Cesar Burlmaque para aer descontada pela
quiata parte do seu sold, a quantia de rs.
300,000.
iui. m uidsoio, iDieirando-o de haver
atseniadopraoa no primeiro batalhOo daj ca-
cadores o paivano Jos Custodio dos SmVbs,
que contratara nos tormos do decreto re
gulamento de 18 de novembro de 1848 pira
servir no exercito como vaiuntuio median-
te a gralificacSo de 150,000 rs. e ordenand
que mande .pagar ao referido paisano a
mencionada Iritiflcaoflo, sendo 50,000 rs.
vista, e o resto em prestarles mensaes de
10,000 rs. Inlelligencioo ao cominsn-
ilanin das armis.
Dito Ao inspector do arsenal de mari
nha, dizendo ficar inteirado de te aclu1-
rem eanoarcados no patiobo Ptropam; 340
alqueire de farinha de mandioca, que com
os 80 ji renietlidoi pars a illia de Fernando
no bngua CaiHope, prrfizam os400qne
preiedeneia maudou comprar.ifim de serem
remettidos para aquella liba.
Dito, ao administrador do correio,
communicando que, segundo constou de
aviso do miuisterio dd imperio datado de
30 de outubro ultimo, fora nomeado Ma-
nel Una para o lugar vago de ejudante da
agaucia do correio da ciJade de hio-For-
moio con o veacimenlo do respectivo a-
em trrico na prnvincli dollio Grande do
sol, e nema se actiam actualmente, devetn
estar promptor Mguirparv a'tdrte ba'pri
ra occisiSo de transporte.
Declara nutro sim aignarncSo; qud S. M
-, o Imperador fbi servido por aviso de 98 de
archivo perdeu- ae no naufragio de 96 de, jeiembro permittlr que o Sr. tenante di
qmrta classe iro exercito Jos Cyrlaco For-
reira viene residir nesta provincia ; e por
decreto de 93 de outubro, tutfo do correte
anno, ti o uve por bem conceder passagem
para o sexto batalhSo de caijadores ao alfe<
/es ib oitavo d mesrha arma Francisco da
A.'sis GulmarSes, segundo rol declarado em
avK>o de 59 do referido mez de outubro.
Finalmente, o coronel cordmaodante das1
aroasJL'fsz sentir a guarnido que n9o lile
eoavpBWodo por tei o tratiment deExcel-
lencia^-e sFfn-odeSenhorila correapon*
dencla oflicia 'he seri dirigida com este, a
nlo comaqueHe tnlamento
Qfllcio___lllm. Sr. S. M. O imperador,
ordena que esta presidencia faca reeolher a
corte todos officiefs do estado-maior daj
primeira e aegunda clame, que aqu se
acbarem dsemprt'gao'o, com excepcSo da
barSo da Boi Vists, que est com I trenca j
conforma foi prticipaJo em aviao expedido
pela secretaria de eslailo dos negocio di
guerra com dita de 23 de outubro ultimo, o
que cotomonico i V. S. para sua iolelligon-
cf a e exeeueao.
s Dos guarde a V. S. Palacio governo dt
Pernambuco, 16 de novembro de 1850.-
JesJ lldefonto dt Souta Rom*'.Sr. commin-
dante das armas.
Circular.lllm. e Er.m. Sr.Determina
S. M. o Imperador, que .V.'Exc. expeca as
mais terminantes ordenn, para qua sigam a
reunir-se a seus cornos' na primeira occa:
siSo de IransporleosolHciaes pertencentei
sos que se acham na provincia de S Pedro
do-Rio Grande, que estejsfm shi, qer acci-
deutalmente, quer em servido, nflo idcail-
tindo escusa que nSo sejV de molestia gra-
apprHado, Queriuo Antonio.
Appellante, Joaquim Antonio dos Santos An-
drade; appellado, Antonio Bolclho Pinto de
Mesquita.
Appellante, Jos Felj de Mello; appellados,
Jos Gabriel de Morara Msyer e outros.
Appellanle, Manoel Lopes de Souza e outros;
anpellados, Jlo Zeferino de Ollvelra Caval-
' anle e sua mulber.
Appellante, Jokqu i m Antonio dos Sin tus An-
drade ; appellado, Antonio Botelho Pinto de
Muquir.
Passou do Sr. desembargador Rabello.aofir.
deiembargador Luna Freir a seguinte appel-
latio emqaesSo:
Appelrante, ojulzo; appellado, Vicente Jos
Teixeira.
Paliaran do Sr. deaenibargaf or Luna Freir
ao Sr. desembargador Tellei ai seguiite ap-
peUacdei em que sao :
Appellante, o julio; appellado, Alejandre An-
Ionio Soarea. ,. .
Appellante, Poumateau ; appellado, F. Polvier.
Appellante o juizo; appellada, Mari Feraaa-
Appellanle, nna Mara de Miranda Castro e
iiuiros; appellada, Joanna Mari de Miranda
Cuiro.
Appellante, Jos Antonio Barbosa ; appellado,
Vicente Joi de Brilo.
Appellante, II. Rachel Caelana Alexandrlna
de Mello ; appellado, Joaquina Pedro do Re-
g CaValcante e la oattlber.-
Passou do Sr. desemblrgador Telle ao Sr.
mundo di tanta importancia. Est marcado
o dia d' antanhSa para a posse de S. Bxc,
a quem queira a co esclarecer e guiar para
beneficio dos cearenses. Se seu governo
corresponder so prazer, com que todos os
habitantes desta cidde o yil-am ehegar. pa
provincia que o monarcha confiou a seus
cuidados, creio que ser mniloTeliz ; por-
que com efTeito a excepcSo do pequem>
grupo aquam o viep-presldente Mfcndes quer
dar importancia dmdo-the novas posiefias.
que lirou ao partido caranguejo, todos oa
mais consdersm o Sr. Silveira da Molla,
eomo um administrador animado das me-
Ihores intncOes, eencirregado da honrosa
missSo de fazer justicia todos, e julgam
que a provincia milito tem de melhorar, ss-
hindo dessa interinidade de dous mezes
enfraquecen lo os tacos
meio, que tanto
da autoridsile.
Urna ventigem sobre todo bem clsra-
menteantevejo que eolher o Ceara da ad-
ministrarlo do Sr. Silveirs da Jlotta, e he
a captura epunicSodos msis celebres cri-
minosos da provincia, porquanto habitan-
do estes pela maior parteas comal-cas da
Granja, Ip e Innamuns, limitrophes da
provincia do Piauhi, que S. Exc acaba de
administrar, ej conhecendo os recursos de
que elles lancam mil o pira se cscaparem di
acr;3o da justica, porque corri presidente
do Pauhv j fez perseguir aquelle, que
sfio seus consocios, e que enpestando parte
daquella provincia se homisiavam em ter-
ritorio do Cear ; est S. Exc. habilita lissi-
mo a cortar-lhes todos os recursos, e tan-
to mais quinto se u-nJo entendido com
seu sucressor o Dr. Siniva antes de partir
de Oeirss, -tie de supprque tenham com-
binado nos meios de acabar por urna vez
com q predominio dessps nimigos da go-
ciedade, que como feras despoem a seu ta-
lento da vida de seus semelhantes.
Ouvi dizer que o presidente vem muito
possuido do louvavet desejo de congrassar
com o partido caranguejo o grupo dos eque-
lebristas, visto que dizero ser tambem sa-
quiremas, e faco votos para que sej elle
bem succedido, o que me parece n3o ser
impossivel, apezar dos odios, que os divi-
den), logo que o presidente por seus actos
deiembargador JUitos a seguinte appellacao de energa convencer a uns e a outros, que
ve, verificada em nspeceflo de siude, 0
que communico a V. Ex. para sua intelli-
gencia e pontu.al xecucSb.
Dos gairde a V. Exc. Palacio do Rio
de. Janeiro, em 24 de outubro de 1850.
Manotl Ftzardn de Souia a Melh.Sr. pre-
sidente da provincia de Pernambuco.
Cumprs-su e registre->.Palacio do go-
vrno de Pernan-huco, 16 de novembro d
1850.Souza Ramoi
ot Fcente de kmorim Ileztrra.
TKl&UNAL DA RKLaCAO'.
SESSAO' DE 19 DE NOVEMHRO DE 1850.
pesidicia no m. sn.no WSEtmriiio
AZtVIOO.
A 10 horas da roaohSa. acbando-se preSd-
tei o lenbore deieinbargadorcs Villarej, Bas-
tos, Leao, Soaxa, lubello, Lona Fralre.e Telle,
oSr. prsldenaa declara abena iiisio.
JOLCiHWTOS.
Ilabf-corpui.
De An'dr tomei de Soma. Deiignau^e'a
ollura.
Mr***.
Aggrvante, Affonio5.'||rtlli; agaraVada, An-
na Elinbet Adelle Poflbb. Negaram pro-
vimentb
- Megiram
caetaae pmto de Ver.
p4"6timetiio.
ApptUtSe crimti-
Appellante, e julio ; appellado, Joio escrvo
do padre Jas Correja 4le Araujo. Julga
rain prooedeute appellacio. A
Appcllanle, Jos Diogenei de Bourbon; aapella-
do, o juiao. Julgaram procedente a appel-
lacio.
Retar* crimi.
Recrrante, o bacbarel Loureoco Beierra Ca-
TSleanu da Cunha; reorl*", Jolao; .Fl-
eou addlado para a prxima nao
nrtrmftcni.
Mandara* que faaiein com villa ao Sn des-
embargador da eoroa os seguinte feltoa:
Appellaate, e juito ; appeMado.-ABtonlo Jos
de Bota. ,
Appeilanw, a a*lnii4r*eedopilrimonlodoi
orpbaoideiucldade; appellido, o fcim.bl
podeMarlann. .
ApprutW; tf protjjfadbr Bical da flerMal p-
pellaq-, Jiq-ulm Rlbefrb Ponte** MiHb.
AppltHtes, o gnaMIl* do conVhtd ffSCa-
Fratteiito 4 i rotor da mebbrCarlota i appel-
lad, a fatchda natloan 1.
ij&msmmw^
em que iSo:
Appellante, o julio ; appellado, JoSo Franela-
coTavarei.
f/Sr. desembargador Telle preotou com
ace*rd#ui larrado para clvel da*anj Recorreote e recOrridor'o prior do convenio do
Carino da cidade da Baha e Jaqulm Joi de
Araujo.
MS-raiBlcis.
Ao Sr. desembargador Bastos a ifguinte
appellaja em que lio:
Appellante, Antonio Pire Ferreira e outros;
appellado, o Exm. bario de Suassuna.
A Sr. desembareador Leio a seguinte ap-
pellacao em que to:
Appellante, o procurador fiscal; appellado,
Jo'ao Pinto de Oliveira e Souza.
Ao Sr. desembargador Souza ai irgnintes
camas em qae sao :
Appellante, tVernardo Antonia de Miranda; ap-
Brilado, Joaquim Jos de Miranda.
ia de apparecer.do jnii do clvel da Paiahj -
pa em que lio :
Appellante, Joaquim Jaide Fari; appellados,
Jame Crabtree S C.
Ao Sr. desembargador Rabello a leguin-
te ai>pe|laeao em quo sao: -
Appellante, a fazenda; afrpeltadoi, JoSo Jos
lonocenclo Poggee outros.
AoSr. desembargador Luna Freir aseguln-
tei ippeilacOe emque lioi
AppelUntes, Uerculano Alve da Silva e sua
inulher; -pellada, a cmara municipal del-
ta cidade.
Feitps que existiam etn poder do Sr. desem-
bargador Ramos, cque sendo remettidos para
o tribunal-da relacao em vlrlude do fallecl-
mentododito Sr. desembargador foram des-
tribuidos oSr. desembargador Telle em que
aiog
Appellinie, o Jalao; appellado, JoSo Baptlita
de Vasconcelloi
Appellante, alrio it Macedo; appellada, Jo-
aefa Mirla de Jesui Couttnbo.
Os autos de appelliclo clvel do julio da fa-
aenda delta cidade, que se acharam com vista
ao fallecido Sr. desembargador Ramos como
procurador da coro* foram entregues ao escri-J
vio Postumo para os f.zer com viiU ao Sr. de-
embarfador procurador da Coroa nomeado em
que sao : ^a.
Appellante, a santa casa da Misericordia de
Lisboa e Adenlo Alve Vianna ; appellada, a
faaeuda nacional.
Levantou-se a aeiiao is dual horn da tarde.
tondoaquelles desejos, no est disposlo i
lisongeir as suas paixdes.
Adeos al oulYa vez.
i*
ERNAWBCO
CMARA MUNICIPAL DOBECIFE.
SissaO ElTaiORoisiatl nx 4 de kovembro
na 1850.
Presidencia do Sr. Olivtin.
^"f

iTEHiOR.
ruiamii niiiii'rri- i "ir f
CORRESl>ONDlflCA DO DIARIO DE PER-
NAMBUCO.
Cear, 15 di notw&ro aVtt!0.
Ern datado 1S do correte hi'indci Ihe a
nflriha correyrjohabcli, e tebd d'entSo pa-
ra c'a decbrridb tip poucos das, nem bm
oceurrncia ootivel tem por aqu appare-
cido, dicna ii Ihe ser communicicla. se
nao que 'hontem ehegou a este porto o va-
por S.-Sebaitio, trizendo seu bordo o
Exm. Sr. Dr. Silveira da Molla, presidente
desta provincia, o quit ipenas o vapor fun-
deoo saltn immediatamente, sem so fazer
nnunciir, e por conseguinle sem aquellas
formalidades aparatos, com qae nestis
occasioes costumam ser recebidai a* pes-
sois1 de sua posicSo, ficando assim per-
dido 0 IrafeMitiV-domulta feote que tinha
apromptado cavallos par* kcmpanhar a
S. Exc, etc., ele; Pala mio parte gostei
deste procedimento do presidente, que as-
sim moatrou ser homem ingknno e que nSo
ama aesUs vaidades humaqaa, a que este
Presentes os Srs. Barros, Mamede, Carnei-
ro Monteiro, Ur. Mones, Vianna, PiresFer-
roira o Figue.iredc, abrio-se a sesslo, e foi
lida e approvada a arta da antecadente.
Um oftlcio do Exm. presidente da provin-
cia, approvando a arrematadlo que flzera
Joaquim Fernandas de Azevedo, da ribeira
do bairroda Boa Vista por um tiiennio, pela
quantia de 800,000 ris annual.Inteirada,
e que se lavrisse o respectivo termo de con*
trato.
Outro do mesmo, verificando s utilidade
da demolicSo de urna parede solada, exis-
tente'na travessa da ra do Vigario.Que se
remettesse copia do oflicio ao procurador,
para promover o processo de desappropria-
c9o da mesma parede, nos termos da le o.
!29de2demaio de 1844.
Outro do juiz de direito da segunda vara
crime desta cidade, notando a falta de com-
modidades do edificio em que actualmente
funeciooa o tribunal do jury, e os graves
inconvenientes que podam resultar de sua
cootinuacSo ali, indicando a casa em que
est a vaccina, como mais propria para islo,
e requisilando duas duzias de cadeiras para
o mesmo tribunal, eo concert das que se
acham detereoradas Que se officissse ao
Exm. presidente da provincia, requisitando
o edificio indicado pelo referido juiz para
as sessOes do jury, e se Ibe responderse oes-
te sentido.
Outro do subdelegado do bairro do Ileci-
fe, participando quaes as mntlas que tinha
recebido de diversos, por soltarem foguotes
(buscaps) em a noile de S. JoSo, e quaes os
quedeixaram de pagar.Que ae remettesse
copia do oflicio ao procurador para receber
as mullas arrecadadas, e promover a co-
branza das por arrecadadar, e se ofllciasse
5 onhdpinBado para mmiai o nfmf>
procurador"os dados necessarios que ha-
biliten) a cobranca judicial das mesmas
multas.
Outro do engenheiro Jos Mamede, lem-
brando ser conveniente para maior utilida-
de da obra do aqueducto dos pateos do Car-
ino e S. Pedro, fazer-se na travessa da ra
das Flotes, um eanno de ramiflcic&o para a
ra do mesmo nome, com a extensSo de 90
bracas correles, que na rasSo de 40,000 ris
segundo o oicamebto geral poder* impor-
tar ern OO.CCO ris, o so fzer logo a Obra
Madnou-se remetter ao vereador C. Mon-
teiro, para entender-se a respeilo com o
mesmo engenheiro.
Oulrodo contador, mostrando repugnan-
cia em averbar certos documentos de des-
pezas feilas pelo procuaadorde orden des-
la cmara, os quaes conserva o mesmo pro-
curador em seu poder, como parte dosildo
do anno lindo, no qual se fizersm tsn des-
pezas.A' comuiissBo de pqlicia.
Outro do procurador, apresentando dozb
letlras do valor de 150,000 rs. cadajuma pro-
veniente do contrato da arremataco da ri-
beira da Boa Vista, feita por Joaquim Fer-
nandas de Azevedo, e pedindo se Ihe man-
dassa abonara quantia de 2,400 ris, que
ilespenoVu com o sello das mesmas. Man-
dotl-se reeolher ao cofre as lettras, e autori -
sou-se o abono requerido.
Oulros do fiscal de S. Antonio o do engi-
nheiro cord'eidor, ambos informando a pe-
ticSo de Bornardino Jos LeilSo, sobre urna
reedilicacSo na traveswdos Quarteis.In-
teirada.
Outro do fiscal da Boa Vista, em resposla
a oriom que teve para exigir de Bsnto Luiz
de Carvilho, o seu termo de exme de phar-
macia.--Inteirada, por j se achar sabr a
mesa dito termo, apresentado pelo seu pro-
prio dono, o qual mandou-se remetter a
quem o requisitou.
Outro do mesmo fiscal, participando ter
entregue ao procurador a quantia de 7,400
ris de'gado suinq e ovelbum, recebido nos
das 26 e 28 do mez (Indo.Inteirada, e que
se participarse a confadoria. ,
Huiro do fiscal do l'nco, participando ser
a importancia das multas do mez passado de
45,000 ris,Inteirada.
Putro do mesmo, informando o requeri-
mento de Jos Comes da Silva Portella, re-
lativo a urna casa de laipa na povoac3o do
Monteiro.Inteirad.*-
Outrodo mesmo,presentando dous map-
pas, um demonstrsclivo do imposto de 500
ris, irrecadado na mesma freguezia, e tas
Ja Verzea e S. Lourenco de 13 a 19 de outu-
tubro ultimo, na importancia de 29,000rs.,
a o outro tambem demonslraclivo. do mes-
no imposto, arrecadado .omento na, fregue-
zia do Po^o, de 27 do dito mez a 2 do cor--*
rente, na importancia de 23,000 ris, bem
como mais outro do imposto recebido ni
mesma freguezia de 20 a 26 do dito mez de
outubro, importando em 21,500 ris.--ln-
teirada.
Outro do fiscal dos Atojados, participan-
do ter entregue ao procurador a quantia do
22,000 ris do imposto mencionado,e reci-
bido de 13 de outubro a 2 do currante na
mesma freguezia.Que se parlicipasse a
contadoria.
Outro do engenheiro cordeador, infor-
mando favoravelmente a peticSo de D. Ma-
ra de Pinho Borges, relativa a mudenca <
supresso de soleiras do sobrado, no Atier-
ro di Boa Vista.-lnteirada.
Outro do mesmo, apresentando a plar.la
que levantara da freguezia do Poco com um
projecto de melhoramenlo para as estradas
n iravessas nena compreiiennioas.Que 9B
remettesse a commiss5o de edificacSo.
Outro do fiscal supplente da freguezia de
S.Jos,participando que as multas dadas
de I a 25 do passado, em que deixou de
funecionar, importaram em 191,000 ris, e
pedindo se mandasse pagar a j Dr. Manoel
Duarte de Faria a quantia de 12,000 ris, de
duas corridas de saude, e elle fiscal a de
5,120 ris que despender com a conducfSo
de um mendigo para o hospital de caridade,
de cadveres para os lugares de suas sepul-
turas, e com a lavagem da prac> de farinha.
Que se passisse mandado.
Foram tilos dous pareceres da commissHo
de eJificacSo, um sobre o requeritnento de
Miguel Jos Ferreira Machado, pedindo afo-
ra mmilo de terreno de marinhana cootinua-
c3o da ra da Aurora, e outro sobre o dos
possuidores de ditos terrenos na mesma ra,
requerendo prorogacSo do praso que Ihes
foi marcado para atterrar os mencionados
terrenos, e no sentido dos mesmos parece-
res se mindou informar o Eim. presidente
da provincia.
Mandou-se remetter ao vereador Mamede,
encarregado de contratar a compra do te-
Iheiro dos pretos canoeiros do bairro do Re-
cita, para informar o requeritnento de Agos-
tlnho dos Santos capataz do* mesmos pro-
tos, sobre o mesmo objecto.
Mandou-se remetter ao engenheiro Jos
Ma nede, a petifo de Joaquim Lopes l',-rei-
r GuimarSes, arrematante de um lauco do
muro docemiteno publico, pedindo proro-
gacSo por mais 20 dias do prazo da arre-
mataeo, fundando-se para islo em certas
rasfies, alim do mesmo engenheiro infor-
mar, se be exacto o que allega o peticio-
nario.
Mandou-se determinar ao procurador,
que de acebrdo com o fiscal do Recite, com-
prasse a pedra necessiria ao calcamenlo da
ru do passeio publico, pondo-a a disposi-
So dos cidadus Firmino Jos Rodrigues
erreira, Cuilharme da Silva GuimarSes,
Joaquim Manriques da Silva o JoSo Ilenri-
quesda Silva Jnior, assim se iha autori-
Om Cuuul iUUS perito, UUI po*jiflVy
outro carpina, para darem valor ao telheiro
dos prelos canoeiros do bairro do RecifTe.
Foi nomeada urna commissSo composta
dos Srs. Mamede, Dr. Moraes e Vianna, para
redigirem alguna arligos additivos de pos-
turas mnicipaes.
Mandou-se por a prara nos dias 8, 9 e 11
do correte as casinhas da ribeira da fre-
guezia de S. Jos ns. I2el4, para serem
arrematadas a dinheiro, pago a boci do
cofre,
DespaCbaram-se as peticOes de Antonio
da Silva Angelo, de Francisco de Assi* Ro-
drigues Pinto, de Franoisco Jos Rodrigues
Ferreira e odtroi, d* Jos Francisco Belm,
de Jos Feliciano Pprtelli, de Jos Pire* da
Cruz, de JoSo Cbrisslotno Fernanda Van-
se, de Manoel Antonio Goncalves, de Ma-
noel Figueira de Faria, de Maria de Pinho
Brirges, deMinoel TiVafes do Aquino, da
Manoel Ferreira Lamego, de Nicolao Cidan-
te, e levantou-se a sesafio.
Ea JoSo Jos Ferreira de Aguiar, afreU-
rioasnbscrevi.
Olivtira, presidente.Mamtde. -Viana.
'


MI
!2!
-_
m
Ferrtira.C.arneiro Monteiro.Burros.
jYeHIII_
IYDO REC1FE.
4.' SflSPPonniNAIIlA DESTE ANNO.
Pritidencia do Sr. Dr. Ksii e Silva.
. H Dia 19 de novembro de 185o.
A's onze bong dt manha, feita a cha-
mada, acham-se presentes 40 Srs. iu-
fjirados.
OSr. Pretidente abie a sessfio, multando
o Srs. que deixaram de comparecer, sem
excusa legal..
Procede-i ao sorteio do concelho esBo
escolhidos os Srs., Jos Harianno do Albu-
querque, Domingos llenriquo Marra, Ma-
noel Jos de Santa-Anua Araujo, Joio Atha-
nazio Botelho, Francisco de Paula Machado,
Manoel Rodrigues do Passo, Jlo Dinil da
Silva, Umbelino Guedes de Mello, Manoel
da Silva Neves, Dr. Antonio Epamloondas
de Mello, Luiz de Pinbo Borgea, Pedro Ig-
nacio llaptisla e Joa Francisco do Reg
Rangel. 8
Prestado o juramento do estylo.
O Sr. Presidente fiz a os reos o seguinte
Interrogatorio.
mikiuo aso.
JimsComo se chama ?
/feoFrincisco Antonio de Paula.
JuizSahe porque est processaJo, e
Vum responder boje a este tribunal ?
ReoSei, sim 8r.
Jk'j--Porque he ?
Rio Por un impute, que me imputaram
de una desorden, que appareceu na estra-
da da Torre, mas no fui eu.
Iw'zF.m que lugar se dea esse facto ?
ReoDizem, que foi na estrada da Torre.
Jm'Sabe quaesforam os autoras dessa
di'sordem ?
Mo-Nlo, Sr.
Ji:-.\eni ouvio dizer
Reoyem sei, nem ouvi diier.
luizConhece a Jos Nunes Branco t
Riolie vista, ronheco.
JuiKSo sabe de ouvlr dizer, que elle
foi espencsdo no dia 97 de marco de 1849 ?
SeoOuvi fallar, aira Sr.
Jm'iTe ve alguna desavenes ou briga
com esse Jos Nunes *
SeoMo, Sr.
Jui;Nunca teve ?
ReoN8o, Sr., nanea tire.
; Jai*Ouvio dizer quem tiuha espancado
a esse Jos Nunes ?
Sio-NSo, Sr.
Jui;-Era que dia desseaono foi preso, e
onde f
Reoto dia em que fui preso no me
lembra, mas fui preso na estrada nova ?
Jus*--Nlo se lembra do mez ?
Seo .Nlo. Sr.
JuizEntSo porque foi preso ; a causa da
sua pristo qual foi ?
RioHe pelo impele mesmo, que en ma-
nifestel a V. S.
Juiz- Por quem foi preso ?
SeoPor um inspector do quarteirSo on-
de e morava.
Jut'sSabe escrever.'
SeoUto, Sr.
SICD.UO RIO.
Jhi'jComn.nn chama >
Seo Joaquim Jos de Santa-Anna.
JimSabe porque foi preso ?
SeoEu estou preso por causa de um de-
licio, que auccedeu la na estrada da Torre,
porm nlo fuieuo autor delle, nem sei
qoem foi.
uiz Lembra-so aonde esteva no da T<
de marco do anno passado.'
Me-Me lembrosim, Sr.
luisAonde eslava neaaa noite ?
Seo Eslava em casa do Sr. Diogo.
luise. onde mora esse l>iogo ?
Stoy estrada nova.
uiz (.hama-se Diogo de que ?
Reoniogo Soares.
JimsSabe que nessa noite espancaram a
Jos Nones Branco ?
RioWjo dizer, mas que eu saiba nSo.
JaisA quem ouvio dizer ?
Reoouvi dizer a una presos
JtiisMas a quem ouvio dizer ?
Iii uouvi dizer la na cadeia a uns pre-
sos.
luisSabe quem foi o autor desses espan-
camenlos f ... >
Jhto--Sr., nSo.
Jm'*Nem ouvio dizer?
RioNem ouvi dizer.
imzEnti j i ouvio dizer na cadeia, que
tinha bavido oespancamento?
RioS; perguotei qoem tinha sido, mas
no me souberam dizer.
JsiU-Oonhece a Jos Naees Branco ?
SioConheco, Sr., sim.
Jtu'sEra amigo, ou inimigo delle ?
/feo-Era amigo.
luizTova com esle Jos Nunes alguna
desaveoca ?
Riotito, Sr. nunca tive desavenca ai
nliuma.
juas-Leiiibra-se do dia em que foi preso.
/o-Lembrc-me Sr. sim ; foi 00 dia 1*
de marco de 1849. ,
JimsSabe da raSo porque foi preso i
Riofui oreso por amor dste delicio que
me imputavam ter sido eu e meu camarade,
mas no fui u nem elle.
jKia-Em que lugar foi preso T
*** osz: .".ot;.
iuis Porquera ?
Sio-Feio subdelegado o Sr, Queiroz.
JutaQuando foi preso j se tinha da-
do o faclode ser espancado o Ul Jos
Nunes? .
SioSr. no; quando fui preso anda
no sabia.
JaisMas como aoube, que se deu esse
faci de espancamento?
Re,Quando me prendern ro eniao,
que aoube. ..
JaisO aubdeiegaeo nao me (fese o mi
tlvo da priso ?
SioFoi um inspector quem me pren-
deu. _
Jais-Mas quem Ihedissea rsso porque
o prendiam *
SinFoi o inspector.
luixSabe escrever 7
Rio-tilo, 8r.
O primeiro dos reos interrogados he par-
fc-escaro, bastante barbado, representa
*ler 40 anuos, altura regular, traja calca e
ja a neta branca : o segundo moslra ler 85
iinoe, mais claro, sem barba, altura tam-
bera regular, ven trejado da meama ma-
neirs.
Sfio acensados por haverem feitoftri- regulamento especial, e esle no consta des-
mentos graves no portuguez Jos Nunes trair a competencia do juizO que he a base
Branco, as testemnnhas nflo juram de vis- daquella decisSo, sendo que o advogado ar-
ti, mas sim deouvirem dizorao offendido,
que haviam sido os aecusados os autores do
a dentado.
Sio lidss as pecas do processo, e Ondas
as allegsooes pro e contra, sem que houves-
so replica
0 9r. Presidente faz o rotatorio da causa
e entrega ao concelho os seguintes
Quetttoi.
PRIMEIRO RIO.
I.' O reo Francisco AMonio de Paula pra-
ticou o fado de que hvaecusado de terfeito
offensas physicas na pessoa de Jos Nunes
Brinco?
9.* Esees ferimentos pro luziram no ofen-
dido grave encommodo de ssude por mais
de um mez t
3 0 reo commetteu o facto tendo supe-
rioridad* em armas.'
4.* O reo praticou noite *
5.* Hoove ajuate entre o reo e outros In-
dividuos para o fim de commetter-seo de-
licio?
6.* Existem dren instancias attenuantes a
favor do reo ?
Iguaes perguntas quanto ao reo Joaquim
Jos de Santa-Anna.
O jury recolhendo-se i sala dasdecisoes
volta pouco depon, respondendo negativa-
mente a todos os quesilos de ambos os
reos.
O Sr. Prndente absolve-os mandando
pagar as cuitas a municipalidade. ( Eran 3
horas da larde.)
DIARIO HE PERMiBUCI).
macira, is di xfov;
O di use.
Hoje entrou neste porto procedente dos
do norte o vapor S. Sebatlijet, que apenas
nostrouxedoMaranho umn. da Reviitd,
cuja data (8 do correte) sdisnta alguma
cousa mais *s dssootrss gazetas recebidas
pelo vapor passado, e do Ceara um n. do
Pedro II de 1S, e outro de Cearent de 13 do
corrente, assim como a carta do nosso cor-
respondente, que vai transcripta em lugar
competente.
Do Msrsiihflo sabemos nicamente de
mais, que teve lugar de 5 para t do corren-
to o julgamento dos reos implicados no
horroroso assassinio do negociante inglez
D. Tullock, de que os leilores estarflo bem
lembrados. O jury segundo referes Revista
esteve summamente importante pelos de*
bates, e especialmente pelos interrogato-
rios dos reos ; sendo que o mandante e, au-
tor do negro plano, Antonio de Oliveira,
ludo negava, quando os pretos executores
ludo confessavam. As galeras da casa do
jury estiveram sempre apinhadas de um
publico, queesperava, aocioso a deeiaSo'da
justlva. Presidio o tribunal o Sr. Dr Cuer-
ra, sendo advogadoi do reo Oliveira, o Sr.
Dr. Janaeo Pereira, dos outros o Sr. Do-
mingos Baptista da Silva. Fram condem-
nados i pena ultima os reos Antonio de
Oliveira, Martiobo e Eugenio, e a gales per-
petuas o reo Ernesto, tendo espacado i jus-
ta punico da lei o pardo Francisco, que
Umbem concorreu para a consumadlo do
llnl-J", pr |.r (.|l..;jo an hoplttl. A
rtecisSodo jury foi unnime : honra Iba saja
feita por assim ter desafrontado a lei e aa-
tisfeito a justa expectativa do publico.
.'cerca do Cear nada ha que referir,
alm da chegada do respeclivo presidente o
Sr. Dr. Silveira da Motls, e do bom aco-
Ihimento que leve, como melhor verSo os
leilores em a refeiida caria do nosso cor-
res pendente
Correspondencias.
rogando asi mais sciencia qne Dupln, no
combaten os fundamentos dessa deeislo,
antes conformou-se com ella, e basta que
um s delles subsista para que ella no pos
sa ser censurada. A circunstancia de mais
ou menos presteza na organisaco dos pro-
cessos, no influe no mrito da deoisio, em
relaQBo ao uso dos recursos, pois segundo o
mrito della, he que os advogados se de-
terminara a recorrer ou no ; e conseguin
tmente no justifica ao Dr. Baptista a alle-
garlo de no recorrer por contar com pres-
teza. No foi por esperar no recurso para
a relaefo, que o juiz o Dr. Neiva, proferio a
sua decalo; mais pela sua convicco, como
aiostrem os fundaqientos da sentanea, fan-
damentoa deduzidos, da legislaco patria e
doutrina de moderno jurisconsulto de nota,
qne eacreveu com muito senso, clareas preeiso. Ho falso que flquem sem ser jul-
gados os reos, s porque por alfuus das,
no se deu andamento ao processo, verdade
esta to maniresta que nlo precisa de de-
monstrseflo. Como ha no faro quem eom-
prehenda que a administraelo dajnstica,
consiste em favonearaeus interesses priva-
dos, por isso be que ella no satisfaz a
mu tos.
Se argumento, e no declamo, que im-
porta assignasse por extenso o nome ou
smente escreveaae as letras iniciaos t As
respoataa sao ao arguneotos, e nao as
pessoas. Sou Sr. Redactor seu constante
leitor. P. L. F.
CONSOLADO GERAI-.
Rendimento do dia 20..... 958,917
EXPORTACAO.
Despachos tnaritimol no di 19
Parahiba, hiate nacional Espadarle, de 97
toneladas : conduz c seguinte : 9 volumes
fazendas, 80 ditosjerragens, t dito miude-
zas, 80 barricas bacalhao,9barrisel anoo-'
reta vinagra, 9 barris, 3 pipas e 5 eslas vi-
ohos.icaixascha, 49 ditas pausa, *
5 ditas
Sr. Ridaclor. a estima em qne devo
ter a minha reputaefio. to ferozmente re-
talbaJa pelos viperios denles da calumnia
mais peconbenta, que o inferno poderia vo-
mitar, forca-me a efio perder occasiflo de
instruir cadveres mais a opinio do paiz
acerca dos dados poderoso?, que bssesm a
minha innocencia.
Lembra lo estar o reapritavel publico de
que os meus adversarios quando pela pri-
meira vez indigitaram-me como mndenle
do assassinalo do infeliz Cordeiro, entre as
grandeprovae a que recorreram para auto-
nsar as suaa asseredes, sppellaram sobre
ledo urna e muiUs vetes, e como mais en-
carecido Hinco, para urna carta miaa que
f6ra apanhada no bonete de soldado Mar-
lias resultando da reitirada meneflo dessa
carta que alguem aereditasse por momentos
que ella continua o qmer que fot* contra
num : entretanto, eoostando-me que a dita
carta se achava spensa ao processo, que se
instsuroo eontrs Msrtins, mandei tira-la
por oerlido. e ei-la em sus msior integri-
dade!
Chamare a allnelo de todos os herae-
neuthico, por ass austeros e axorupulo-
sos, para um exame demorado e eooseien-
cioso sobre o conteudo de to celebre carta,
afim de que seja desvendado qualquer mya-
terio tenebroso, que possam involvar tusa
expressoes, relativamente ao acto que pra-
ticrs o individu ^ue a cooduzia .'
Sem a guardar, porm a deciso dos se-
nhores hermeneulhicos, direi previamente
que a citada carta, bem looge de serum
corpo de delicio eoutra mim, no na mais
lo qne um protesto lavrado contra todos
aquella* que, trasbordando em maldade ,
exlralilrain della prelextoa para ferir a pre-
bidade don priqcipjoa moraaa^foreoe sem-
pre regule as mlnTre*. acedes ; sim, nlo he
posaivel que aa maldlcoes da sncivdade dei-
xem de cbover em grossas lorrentea sobre
os autores dessa incriminaco norrivel, que
se me lem feilo, sem outro 1 marease mais,
do que o da pantera, que quasi sempre ma-
la o que nlo ha de comer, porque lie
do seu instincto fszer mal.
A carU he que se segu. Recite, 19 de
novembro de 1850.
Joay-ui'm Pinto do Campos.
EUaa Francisco JUatoa segunde labelllio do
publico, judicial e Dotas e do regialro geni
daa l.ypothecaa, eacrivao' docrime e civel, a
privativo de jury e eiecttcoea, vitalicio do
termo e comarca do Krejo da Madre e Deoa,
por S. M. Imperial e C. que Deot guarde, etc.
Cerlilico que revendo oaautoa de aumav4*
crinie que a* cata procealaado contra o aoldaafd
do oiuvo bataibao de oacadorea Manoel Mar-
lina de Soma, neilea acbei a carta de que trata
o aupplicante em sua petico retro, de cujo
teor verbo eut arronaa he da forma e maoeira
eguinte:
Carla.
1 Um. Sr. Alferea Leito. Esta manbaa
eipedi una proprio ao Sr. chefe de |>ollcia. pe-
diodo-lbe a demlaiao do Joao Pir, cujoa dea-
uaDdaa e imuioralidadea de mu loa anuos pra-
tlcadaa, eilgeaa ama aevera puaicao. Esse de-
monio lem por veaea sollado presos mediante
o euborno; e ltimamente eiie lerla praticado
meamo, a nao aer a vigilancia do subdelegado:
portanto aiuto uao ser mala posaivel aervi-lo
Pretender Iludir ao publico com falsos
pretextos, spregosr-se superior a todos,
sem que relos debidamente apreciados ,
justifiquen! esse exaltado amor proprio he
sem duvida um disparate estpido, pois que
o publico illustrsdo encerra em seu seio
luzes bstanles, e imparcial sabe apreciar
os fados, as produeces e procedimento
dos individuos, de quem lhe cabe conhe-
cer, e em conclusBo f* jaslica -a todos.
Entendeu o advogado Baptista no meio do
enlhusissmo, que lhe occasioaou o orgulho
exaltado pelo interesse, que era um Achi-
les invulnersvel o dilemma que apreaeu-
tou na correspondencia publicada no Diario,
n. 961 de 18 do correte ; mas as 1 ta o Dr.
Baptiala, que o seu dilemma nenbuma Tor-
ca tem. Se a lei est publicada, surte seu
effeito, e he competente o joizo que ella de-
signou; e nem porque se procura accommo- INovaineote lhe recommendo toda armona"eoa
massas, 18 barris msnteigs, 1 caixa queiios,
9 balas papel, 3 volumes slhos e cebollas,
11 ditos genebra, 9 barricas cevadinhs, 1
barril paioa, 8 caixas ago'ardonte de Fran-
ca, 9 ditas folha de Flsndres, 6 bsrricas cer-
raja, 38 ditas plvora, 9 garrafOes erva-do-
cee ervilhss, 1 embrulbo rolbas, 9 volumes
vidros, 3 ditas mostarda e aardinba, 120 cal-
xas sabBo, 8 saccas caf, i barricas,garrafas
de licor, 10 aaccos bolacha, 48 chapeos de
maasa, 91 barricas asaucar, 1 caixa velas de
carnauba, 4 duelas quarlinbas, I alambique
de cobre e 19 saceos com 600,000 rs. em
moeda de cobre.
Rio Grande do Sul, patacho nacional Doui
Irmio, de 144 toneladas : conduz o segua-
te : 5C9 bsrricas com 4,17} arrobas e 94 li-
bres de assucar, 40 pipas ago'ardente, 900
cocos com cascso4 caixOescom 978 libras
de doce.
RECEBEDORIA DE RENDAS GERAES
INTERNAS.
Rendimenlo do dia 90......1:943,043
CON SU LA W) PROVINCIAL.
Readimento do dia 90......1:182,140
Conforme. 0 secretarlo, atonto Ftrrtira da
AnuuneeifAo: -'. .
DecIaraijSes.
^Zjk;
0 vice-consulsdo argenlino foi transfe-
rido para a ra da Cruz do Recife n. 40.
As malas do vapor S, Sebas-
tiSo para os perto do sul r-
cham-ie hojoso meio-dia. As
correspondencias psgsrSo o
porte duplo sl urna hora.
Theatro de Santa-Isabel.
floja 91 4 novembro da 1850.
Recita extraordinaria a beneficio da ac-
triz Joanna Januaria de Souza Bittencourt.
Logo que ornabais profeasoresa orches-
tra tenham execOlado urna bejam
vertura, abrlr-se-ha aseos, e jaj^H
te ou-
panhia
r
Movimento do porto.
Namios entrada* no dia 19.
Terra Nova -- 30 dias, brigue inglez Queen,
de 956 toneladas, capitBo John Squarey,
eqoipagem 19, carga 9,447 barricas com
bacalhao ; a Schramm & Companhia-
MaranbSo 9 dias e da Parahiba 9 horas,
paquete de vapor 5. SibastUo, de 300 to-
neladas, eom mandante o primeiro len-
te Antonio Xavier de Noronha Torralo,
equipegem 30. Passagtiros : para esta
provincia, Umbelino Mondes com i escra-
vo e Manoel Marques Cemacbo : para o
sul, Augusto Fraderico Colin com 1 cria-
do, o Dr. J0S0 da Cruz Sanios, Miguel
Marques de Souza, o lente Feliciano
Antonio Nanea Belford, 67 oracas do quin-
to batalhio de ftizileiros, 7 mulberes dos
soldados, 9 meninos, 3 recrutas para o
exercilo e 1 eecravo a entregar.
Rio Grande do Sal, arribando na Babia 50
dias e do uiymo porto 19, brigue brssi-
leiio Firma, de 172 toneladas, capito
Francisco Peixoto Guiarles, equ'
gem II, carga carne e sebo; a Novas &
Companhia.
Fiume-91 dias, polaca austraca Gugliil
me, de 974 toneladas, capillo Eraamo Si-
lenki, equipagem 12, carga faflnha de tr
go ; a N. O. Bieber et Companhia.
Cuernesey 41 dias, brigue inglez .IvWy,
de 194 toneladas, capito Thornad Psrdy,
equipagem 10, em lastro; a" Schramm &
Companhia.
fiaatei sakiies o aesmo Ha.
Parahiba Hiate nacional Espmdarte,
ir Victorino Jos Pereirs, carga varios
genera*. Paasageiro, o Brasileiro Manee!
Joaquim de Souza.
BaMa Sumaca nacional Carlota, anestra
Jos Concalves Simia, carga varios gene-
ros. Passageiros, os Brasileiros Francisco
Antonio de Borgea e Castro, Jlo Bapt-
ta da Silva Braga, e os padres Lino Reg
nsldo Alvm e Antonio da Rocha Vianna.
dramtica nacional riprejlj
te tragedia em 6 actos
ANTONIO
ou samla^"*.
O POETA E A l^aj^l^Bh-
No Bm da tragedla os rtiBlaa Silvestre
Francisco Meirs e Rsymunaolos de Arau-
jo, oasrtaraoo doeto jocoserio da opera Se-
neredtola
O BARA ENGAADO.
Vertido em portuguez.
Terminar* oespectacelo com a comedia
a* 1 oto
Fallar verdutTe a mentir.
Os bilhetes acham-se i venda em casa da
beoeOciada, rea bella n. 99.
Canecer es borea do costme.
30.' RECITA DA ASSIGiNATORA.
Sabbado, 93 att novembro de 1850.
Depols da execu co de ama bella ouver-
vertura, a companhia nacional representa-
ro drama em 3 actos
AFFONSO III OU 0 VALIDO DTI.-ltaW
No fim do drama os artistas Silvestre e
Kayntnndo cantaro e doeto do
bjraO engaado.
Terminar* o espectacolo eom a graciosa
uoaHedia em um acto
JCmllia trnveasa.
Comessar* ts 8 horas.
Os bilhetes acbam-se venda no logar do
costume.
Theatro de S.-Prancisco.
BEU.AS ArtTES. %
Quinta madanca dai novas vistas dooot-'
aorSM*.
Sexta-feira, 99 do corrente, seha-se a ga-
lera abarla com as riess vita* novas do
cosmorama, a saber :
A galera nacional, em Londres.
A grande procisslo de Corpua Christi, em
Sevilha.
A ra d'Alcals, em Madrid. '
O lego llosobella, em noite de loe, os
Italia.
4 praca Del Poplo, em Roma.
A retirada de Napoleo sobre o rio, na
Berriaen.
A cidadedeDublin, na Irlanda.
Zorich, na Suiasa
* cscate de Maximiu*uo, em Tyroi.
AHona, nos suburbios de Hamburgo.
0 interior da gruta Azul, em Capri, aa
EDITA KS.
Em cumprimente a portarla do Exm. Sr,
presidente da provincia de I* do crrante,
segundo o que lhe ro recommendsdo pelo
aviso expedido pela secretaria de estado dos
negocios da guerra com data de 31 deoutu-
bro prximo passado. se taz publico, d'or-
dem do Sr. Inspector da thesouraHs, qee D.
Ignez Felicia da Cunta, viuva do capito de
primeira linha Jo>0 Francisco Cavalcantf de
Albuquerque, deve habilitsr-se na forma de
fat, para poder er paga do sold que se fi-
eoo devendo ao seu fallecido marido, na
imlZrUtl*\tMn\i*to^\\u P'"8eros e eslavos a irele. traU-se com
ooTir,' roveV^T ?.'de'h^b?.JS K^l^^'-affiV^
"" V. '..Ii.. ir ... .... nnKLm.i dodEecife n 40, ou com o capito Manoel
dar a urna certa formula, sua execucSo, per-
de ella seu vigor e seu effeito. Deixar de
proseguir em um processo emquaoto se
recebe um regulamento, quej* existe, olo
he faz-lo dormir sotnno profundo, e repou-
sado; mes urna medida de prudencia, at
em beneficio dos meamos reos, que ente-
resssm nlo seja nullo o processo : be oms
suspensio limitadissima, e sem iojuslica ;
porque ae os reos foram pronunciados, e
consequentemenle obrigados a jusliflcarem-
se, quaesquer actos dos poderes pblicos,
para regularen! os meios do julgameuto ,
sem seo fundamento em rectos proprios,
assim declarados pela pronuncia. He fcil
mmnrah-ml.r ?0!5, QUC Z fU rOUlOa-
sa do regulamento, no se segu que (lej-
o s lei de ser lei, e coosequenlemente de
ter effeito nssociedsde.
Se, no houvesse sciencia da existencia des-
se regulamento, o joiso.proseguiris na exe-
cuco pelo regulamento de juizo de direilo;
porque era a norma de proceder neste juizo:
mas, havendo sciencia de outro regulamen-
to nlo devis abstrshir delle. No se segu
que a falta de remesas desse regulamento
suspenda a disposicJo geral da le, visto co-
mo esse falta nflo he urna abrogado a nem
derogaco da lei. Se, o regolameMo exis-
te, he claro que a lei est* em execuglo ; e,
se est* em execucSo, no pode contra ella
declarar-se qus outro he o joizo competen-
te. Serie um disparate estpido, dizer
que nlo esta em execucSo, urna le publi-
que ja lem seu regulamento espe-
peteotemeole feilo. Nem ha coa-
. a entre os doos despachos ; porque
m foproferido por effeito da lei snente.e
antes de hsver conhecimento de regulameo-
procease lioba
lo especial, caso em que o
de seguir s marcha, determinada nos outros
processos organisados pelo juio; e o segn Brigue Tanto III idem.
do. foi depois de cfflafeeer-e ensila Brigue- SantaCm- ider:
aa autoridadea policiaca, a cuja dispoaicio ah
se acba, evitando cooictos dejuriadicao ; do
contrario ba de aucceder a retirada de V. S.,
pola bem aabe que o goveroo nao ba de demit-
tir autoridadea urrltorlaea.e conaervar o com-
maodaate da guarulcao. Tolere que lie faca
eataa observacea que alo tllhaa daarolaade, e
V. S>. bem me eulende. lato he, deve conbecer
o que acabo de pouderar-Uw. Adeoa. Seu ami-
go venerador e criado. fsuo te Caaasei.a
Jirroaksciatmto.
< Keconbaeo a lelir* c arana retro aer do pro-
prio reverendo Joaquim Pinto de Lauapoa, por
ter della verdadalro copbecimento, do que
dou fe.
Villa do Brrjo, M de etembro de 1850.
Eetava o aigaial publico. Em teatemun,
ae veraaae o ubelluve pwoliua. Mliai Fran-
cisco tUs.
% E mais se ne cjeotiaba na dita certa aqu
IraacripUque beute Delinale eitrakl du pro-
prio original que se acha Junto aoa autoade
sumarlo crime, que se esta procedendo por este
Juiao contra o raje preso, o toldado do oiuvo
batalho de cacadores Manoel Manas de San-
ia, e vai oa verdade seiu couaa que duvida fa-
ca, c aoa quaea ma reporto, conferida c concer-
tada por mim eacrivio no principio desu na
forma do etylo, osU villa e comarca do Are jo
da 11 adre de Dos ao primeira dia do mea de
outnbro do anno do naacimeato de Nusao Se-
ulior Jetas Chriato de 1850, escrevl e aaalgnei
em ti de verdade.O eacrivio, sj tranch-
ea llmitol.*
aaBaaBHaaVaaraBaataVaaBBVMa1
COXHUfcirlCiO.
ALFANIrEGA. ""
Hendimento do da 90.....13:394,458
Descarriaam kaj 91 de novembro.
Urigue S. Heiene merendoriss.
Brigue Queta becalh*o.
Hrlgue Arago mereadorias.
que apresentou. E para seu conhecimento
ae faz a presente publicarlo. Secretaria da
thesouraria da razenda de l'ernambuco, 98
de novembro de 1850. No impedieaento do
odicial-'naior da secretaria, Antonio Im* do
Amorate Silva.
O lllin. Sr. Inspector da thesouraria da fa>
renda provincial, em cuinprlinento da ordena
do Eim. Sr.pretidente da provincia de i5de
outubro prximo paitado, manda faxer publi-
co, que vai novamente a praca perante o tribu-
nal administrativo da meama thesouraria, para
aer arrematado a quem por meaos flier no dia
i 1 do corrente a obra doaconcertoa da ponte do
Anjo. aobre o rio Serinhaem avallada em rla
939,400 e 10b ai clauaulaa eapeciaes abaixo de-
3 taradas.
Aa peaaoaa que e propoierem aratiarre-
inacao cbmparecain ua aala das tessdes do mes-
mo tribunal no dia cima mencionado, pelo
meio-dia, competentemente habilitadas na for-
ma do artigo 91 de regulamento de 7 de malo
do corrate anno.
E para constar ae mandou af&iar o present
e publicar pelo Uiaria.
Secretaria da theaouraria da taienda provin-
cial de Pernainbaaee, 0 d novembro de 1860.
. 0 secretarlo, HT^
jsnumia Penetra eTAmwneiaedl.
a CtansmUs esveeoes i arrvau
1.' As obras dependentes desta arrema
serio leltaa de 1 aasfisiiWdailt com o orcaa
apreaenudo neata data ao F.m. 8r. pre^^H
da provincia pelo prtfo de 930,400 rt.
?.' Oarieiualaateepmecar aa obraa no pra-
10 te um inri coatado da dau da perticipacfo
que lhe fr feita da anprovacao d'arremacao pe-
lo goveroo e aa concluir* ne prate de quatro
raeaea. ambos contados da mesuia parliclpacao.
3.' A lmportamcia da arreiuaus5o aera paga
em dua? preSUcSes Icuaes, a primeira denoli
de ter feito inctade da obra, e a segunda depeis
de lavraro termo do recebimeotodelollivo.
4."Para tudo o uiala gue nao est determl
iuteirameote o que dispfie o regulamento das
rreuatacdea de 7 de malo de 1820.
Ponte dos Oarvalboa, 98 de tetembro de 1850.
O engenbeiro chefe da 4.' aestao,
Fhriano Delir PoursUr.
Approvadaa pela directora em conselho, no
dia 14 de uotubro de 1850. O director, ioii
Naeuie Atves Pwrotra. l. L. ViemrLintktsr
B.A. Mitet. Floriant Desir Ponrliir.
Approvo. Palacio do goveroo da provincia-
de Pernainbuco, 25 de outnbro de 1850. Son-
Conforme. 0 omalal-maier, * ae tvanwira ale Ganas
:lor espera qus o respeitavel pobli-
ficex bastante satisfeto com as ri-
vislas dests mudenca.
u*mstsw^msm&st-&*?jsmmk^mr^&kmm
Avisos martimos.
Para o Rio de Janeiro segu em poueo
diss, por j* ter a maior parte de seu carre-
gamento engajada, o hiate ligeiro, forrado o
pregado de cobra: para o resto, trala-ae na
ruado Vi gario n. 5.
Para 0 Kio re Janeiro
segu viagem com muita brevidade p bri-
gue nacional Caneeioao, por ler parte do
carregameoto proinpta : para o restante,
capito
Francisco dos Reis.
Para o Para, tocando no Ceart, sshe
em poneos dias a escuna nacional Marta
Firmina, o p/alico Jlo Bernardo
ds Ross, nos. parte do seu carregamen-
toengajat larga para um e outro
portoepaa |eiroe irtta-se eom o consig-
ia Araujo, oa ra da
Cruz n. 33.
Rio dr). Janeiro.
0 patacho Sania Oeisegae oestes dias,
s recebe alguma car( niuda, pssssgeiros
e escravos a frete : W*o ado do Cor-
no Santo, loja de masssmes n. 95.
1 Para Ceara
segu viagem por toda a semsns o hiate Li-
geiro, por j* ter parte do seo cerrega ment :
para o resto ou passageiros, dirijan-se k
ra do Vigario n. 15.
Para Cotingoiba sshe oestes olto diss a
sumaca nacional Flor de Angelim, mate
Bernardo de Souza, por ler a carga protApta
pode recebar aigumaa miudezas e pssssgei-
ros, s tratar com o mesmo meatre, ou com
Luiz Jos de Araujo ns roa da Cruz n. 33.
rara o Porto.
0 brigue portuguez Marte Feiis, capillo
is do Csrmo: qoem no
mo quizer arrogar ou ir de passsgem,
dirija-se ao dito capillo na prata, ou ao
asignatario Antonio Joaquim de Soaza
Ribeiro. ?
Para a Baha sshe em poneos diaa o
beonhecido hiate San-JotU: para Carga
aasageiros trata-se ceas Antonio Jos Per-
Mes de Ctrvslbo, na rus Je Amori'm nu-
mero 38.
Para Luanda com esesla por Bengnella
O brigue portuguez Oriente pretende seguir
e.""Bva "sao o man gue oao esi ueieroii- .:,,, r ,nr t,J..a.ii. ..1..1 -. ... n
nado pelas preteotet clausulas gulr-ie-h. "" ,,l Wldade ppsslvel, por tero
seu carregai tito completo, apenes recebe
alguma carga miuda e passageiros, para o
(fes eom modos: trata-
se rom os consigna!frios T. de Aquinn Fon-
seca & Filho, ns ros do Vigario. n 19, pri-
meiro andar, 00 eom o capito na praca
Para o Arscaty sabe, no dia 98 do cr-
ranle, o hiate kngelica, por ter j* parle da
carga proa la : para o rstenle e passsgei -
com Antonio Joaqoim Ser na
Cadeia do Recife n. 49, ou com o mes-
tre Jos Joaquim Al vea da Sil, trapiche
Ido algodio.


"tf

>3
ssr~--
Para SsotaCatharina
sahe com brevidade o patacho nacional /.'-
vramnta, eapitSo Francisco Jos Ratea J-
nior : recebe carga e-esorsvo* a frete : qjem
quizer embarcar, falle com o dito capitQ,
ou com Manoel Ignacio de Olivelra, ni praga
lo Commercio, o. 6.
Para o Rio de Janeiro .sano em poucos
das o pataxo nacional Curioto, capilHoxHa-
noel Rodrigue* Feneco, por se aohir parte
da carga engajada, para o resienta e pas-
aageiroa trata-se com o consignatario Luiz
Jpse de 8a Araujo na roa da Cruz n. SS.
Panano C)ear6.
Espera-se com toda a brevidade de Lis-
boa rom destino ao Cear, abrigue nacio-
nal Emprea, forrado eocavilhado la co-
breede superior marcha; demorar-se-lia
aqu ladina, a receber*. carga e passagei-
roa; traite* na roa da Cadeia do Racife n
17. eegaado andar.
krigue portugus Conciifad
[ido seguir por todo o mez
ar a maior parta da car-
do mesmo qolzer carre-
gem, dirija-se aos seus
Jomaz de Aquino Fonaeca
4 Ffthn, ra do Vigario n. 19, primeiro
andar, ou ao capilSo, na prega
Leilo.
-Richard Royle fari leilflo, por interven
co do c'orretor Oliveire, de grande e es-
plendido sortimento de fazendas inglezafls
mais proprias do Aereado, inclusive brioa
transado brancos de linbo de todas as qua-
lidadea, e porfo de algodloziahos avaria-
doa : quinta-feira, 91 do corrate, as 10 ho-
ras da manhSa em ponto, no aeu armazem,
ra da Cadeia ; advertindo-se que nSo ca-
bendb no lempo ezpor i venda todaa aa qua-
lidades das referidaa fazendas, ser o leilSo
continuado no dia immediato, sexta-feira,
22 do cejronte.
Olllm. Sr. Acadmico Jos Liberato
.queira mandar i lypographia Imparcial
buscar 8 formas de urna obra intitulada o
Charm que all mandn imprimir, a pa-
gar o importe.
O Sr. Jos Raymundo da Natividade
Saldanha queira mandar salsfszer a quan-
tia de so.OOO ra., que eala derendo na typo-
graphia Imparcial.
0 escrivSo da-irmandade do Divino Es-
pirito Santo convida a todos os rmeos (com
eapecialidade a aquellas que leem capas em
atr poder ) a comparecerem no convento de
S. Francisco no dia 34 do correte, As i ho-
ras da tard para acompanhir a procissSo
de Cospus Qb-ri^siiH
Pedase aSr Lteanna Januaria, que
nos jueira dar o p*W*r de danzar o landum
no seu beneficio ; esperamos que satisfaga
o nosso deaejo. e que a isto nlo se opponba
o Sr. Germano Francisco de (Xiveira, valo
as .uar teugea aa em sempre de querer
agradar aopubltea, como nos tem dado im-
Bieoaaa provaa J7i atgmanti.
Drseja-se fallar com o correspondente
do Sr. Manoel Netto Carnelro LeSo, seohor
do engenho Pao Santo, para tomar coala de
um cavallo que existe na matriz da Virsea,
annuneie para ser procurado.
f...*.! -natcltr: Dfirjo ftt ira bem
concriluado jornal pcrgUDUr qncm leja
habituado para responder, se he licito em ton
fiscal, agarrar un encravo que val inrai
cuuipraa de uina caa, derramar o Icite qaacllc
leva para enlrrgar n dga catas aa IWetfe, e
de o Irazer preso Una lempo ne chega em
cal fura de hora com asditaa compras; eile
negro (todo de mal a inaudito que nao leva
va leite para vender na risa: Ha dial que te-
abo delxado da mandar IfVS para se vender na
ra. para evitar as repelidas veaacei ai quaes
eslava iiijeto
Quero aproveila-me Mata occaitia e respei-
toaainente ponderar aa competente a autorida-
des, quanio he necessarlo empregar nette aer-
vifo, pessoas Intelligentcs, clrcumsprcias e lin-
parcla'a, pola ao contrario servir esta fiscall-
acao de urna pela a industria, aeiu reallsar o
liui meditado.
Nao posiodelxar tambem de emitir a miaba
opluio a reipello : o mctbo'do de veriBcar-ie
a leite, se fol adulterado ou aSo, o sunento que
he iutelranicnle erroaeo, dea se pode pela gra-
vldade eapeciHca do (ella aaber ae o leite fol
adulterada, pola dlflPtrrniei gados e o meamo
gado debati de difireme! condi(es, d leite
com urna gravidads rspecitica. eia una casos
mui ill'ereutt s aos outros. llatt'inara dase que
todo leite conten ubis grande proporcao d'a-
goa, porera ^""^M>TFffiijWljl*fff do pasto he
elle mala ou menoi abunda !em a parte a
guosa ; e accreacenlo, tmbelo conforme a ra'
ca da vaoca, a a idade do arierro be elle mala
ou meos abuadanla em materia aolida, O
leite da vacca, conforme ai eiperfeociai do Or.
Lula, conten* em 12 ooca 13 dracbmas de ma-
teria solida, areilaati eo, a parte so-
lida contera nata ou n.atera oleosa e a coalba-
da ou caaeine; a parte olrcfce o casrioe alo
ambas mais lev* que a parte aguosa sendo
aisin, he evideoteqae lodo leite, meamo se|u
soll'rcr adulseracio, nao pude ter a meama gra-
vidade especifica.
Una vacca coca bexerro nova da leite com
malor proporcao da parle aguoaa, e leudo cata
urna gravidad especifica malor que aa parles
solidas, jj Instrumento boje usada laucado aca-
ta leite descua menos qut acontecera no leste
' de uina vaoca com beserro velbo ; indicando
ao fiscal que este leite fol adulterado; digo
anais ; mudando o gado de um pasto secco para
ouiro mala suceulealo, tari urna dUTereoca
csmlderavel as proporedea daa parles compo-
nentes do leite leudo ella sjeite caso mullo
mais peaado. No gado inglez tambem por ex-
periencia que lenho frito, achel urna dj^^^H
ca nao pequeaa as proporedrs daa tuafJ^^H
componentes, comparadas com gado lodigino;
o primeiro contetn igeal quamidade de uata,
porem coslderavelsucale meaos caseine; e
asi i m as partes salidas ou leves sendo em ma-
nos quantldade este Icite tsa urna gravidad
mais cresclda de que leite das vaccas iailmUg
Unto aaslia *e, aae para effeiluar a seafafafafafafJ
da sala do leite da ultimas, hemislcr anais do
dooro do teaipo que exig o leite daa vaccas in-
gletas.
Eilate aioda condicdei debaixo daa quaes fi-
ce iranstornado compltame!
mel hoja usado para conde
adulterado, pode, auando <
um lampo antes de f
tambera quaodo rcccli tialo durante i
tus conduelo : no prI' parle oleosa
aepara-ae das parles mal pesada, e nunca
mala Oca encorporada nellea, las fica com o
abalo em pequeas Aculas dlasemlnadas no li-
quido, ai quaei sendo mui leves, no memento
que ceisa o abalo, rem para a superficie ; de
manelra que o Instrumento usado para verifi-
car a boa qualldade do leite pea smenle a par-
te aguasa, a o casena que anda flea em solu-
>: do jegapis csie, s asu ob s sbils prs
dui urna especie de aime-manielga que se Uei-
cobre, nadando sobre o leite em pequeos bo-
lOes.
Parece-me que ae a fiscalliacao be instituida
para evitara fraude, lie injusto aonde a fraude
nao exilie que haja punlcao.
Queira, Sr. Radactor, inierir citas toscaa e
apreiiadamcnte escriptas llnba que multo
obrlgar a
Um auiqntnle.
- Retira-se para fra do imperio Ignacia
Maria do Rozarlo com sua filha Antonia Ma-
ra do Espirito Santo, levando em sua com-
panhia um moleque.
A pessoa a quero lhe faltar orna prets
da Costa moQB, dirija-so a ra Nova, yenda
n. 65, que ae dir onde existe, e a vista dos
signaes lhe ser* entregue.
Urna pesaos habilitada se offerece para
tirar passaportes, bilhetes de residencia e
despachos deescravos, por limitada paga de
seu irabalho : na ra do Vigario n. 13, pri-
meiro andar.
No dia 32ido.crranla, pelas + horas d.
tsrde, i porta da morada do Sr. Dr. juiz do
civel da 1.a vara, s ha de arrematar por
sera ultima pra(,uma caaa terrea na ra
Imperial n. 88, avallada por 800.000 rs.,
penhorada a Francisco Ribeiro PavBo e aua
mulher, por exeeuclo do padre Albino de
Carvalho Leasa.
Quem quiter comprar oleo de curar
glndulas, procure na ra dos Quarteis, no
ultimo sobrado n. 8.
Aluga-ae urna boa caaa na Capunga
propria para passar a fesla e por preoo com-
modo: a tratar no becao da Lingoeta n. 3.
Quem annuncioo querer comprar urna
taverna com poucos fondos, e em muito
bom lugar, dirija-sa ao becco da Lingoeta
n. 3, que se dir quem vende.
Arrenda-se o armazem grande da roa
da Moda n. 5, que tem servido para soca-
mento de atsucar, para o que olferece as
melhores propor(es, vendem-se tambem
todos os utensis que no mesmo existen),
pela maior parte novos : quem o pretender,
dirija-se ao Aterro da Boa Vista n. 13, pri-
meiro andar, que se fari todo e qualquer
negocio.
Pede-se ao lllm. Sr. subdelegado da fre-
;oezia de S Jos, que tenha a hondada de
anrjirsuas vistas sobre a arrecadagSo da
Sraca. da farinha, pois o Sr. arrematante co
ra dos matulos dez e doze vinteos, e quer
que elles lhe paguem ; j o Sr. arrematante
antigo tinha isto por coStume, porm va-
mos de mal a peior : espera-se de S. S. jus-
ti<;a reta para O malulo da Muribtca.
- Iloga-se ao Sr. Antonio alaximo de Bar-
ros Leite o favor de ir so Aterro da Boa Vis-
ta n. 10, sobrado.
D-se de comer e 10,000 rs. por mez a
um escravo, CjU escrava queleoha geito de
vender fructas e hortalice de um sitio mui-
to perto da prai;a : na ra da Cadeia do Re-
cife, o. 35, que se dir quem precisa.
Aluga-se urna casa na ra Imperial,
com muitobonscommodos, por bsrato pre-
cio : na ra Augusta, n. 35.
-Urna pessoa que tem as habilitaQes e
todos os oonhecimentos praticos de admi-
nistrarlo de engenho de fazer assucar, pois
se tem constantemente empre'gado neste
trabalho, e que, ilm disto, enteode de to-
das as obras respectivas, o do proceaso de
fazer assucar, ofT'recce o seu preatimo a
quem doliese queira utiliaar: a tratar no
paleo do Terco, n. 10.
-- O Sr. que anouociou querer comprar
urna taberna em s.-Antonio, ou Recife, di-
rija-ee 4 ra da Cruz, n. 14, primeiro andar,
das 6 horas da manha is 3 da tarde
-GuilhermeSelle, e Antonio de Souza
Barrajo compraram dousmeios bilhetes da
lotera, do Livramento de ns 136. e 511, de
sociedade entre si e ca pella de S. Miguel nos
Afogados.
Aluga-se um preto, ou moleque para
eonduxfr jantares fra : na ra larga do
Hozara, bptiquim defronte da botica.
Na ra estreita do Rolarlo, n. 38, se-
gundo andar, ae dir quem d dinheiro a
premio. Na mesma casa se vendem obras de
ouroeprata orna bandeira nacional; seda
preta tias e lavrada muito larga, -propria pa-
ra luto, a 1,380 rs.
Convida-se e roga-se a todo os ir-
mflos da irmandadedo SS. Sacramento da
freguezia de S.-Jos a omparecerem do-
mingo, 94 do correle, pelas 3 boras e meia
ila tarde, na igreja que hoj serve de ma-
triz, alim de ennorporidos a companharem
procissSo de Corpui-Chriiti.
Dao-se 900,000 rs. a premio sobre pe-
nliores 5 na ra da Gloria, n. 53.
Preciaa-se de orna preta idosa para to-
do o servir; interno e externo de urna casa
de homem solteiro : na ra do Rozarlo ea-
Ireits, travesss do Queimado, loja de miu-
dezss, n. 3 A.
-- Na ra Aogusts n. 33, precisa-se alu-
gar urna preta queseja boa veodedeira.
Precisa-se slugar urna ama seca, forra
ou cativa para crear um menino : quem es-
tiver nestas circumstancias, dirija-se a casa
n. 49, Trapiche Novo do Recife,
fel primeira vara do civel, escrivSo,
Molla, no dia 98 do crrante, pelaa 4 horas
da tarde, se ha de arrematar porta do Sr.
Dr. Custodio Manoel da Silva CuimarSes,
um sitio na estrada do Rosarinho, por exe-
cuflo de Antonio Luis Ferreira contra An-
tonio Muniz Pereira.
Aluga-se urna casa terrea na Ponte-Ve-
Iha, bastante frasca a com commodoe para
urna grande f.milia : a tratar na ra da Ca-
deia do Recite n. 34. *^aaaaW",*~
am-sn as lojas do sobrado da ra
45: a fallar com Guilherme
lo da Boa Visla n. 10.
iinunciqu querer comprar urna
bairro de Santo Autonio, que
nilo exceda de 800,0t0rs. dirlja-ae a ra
A uguate n. 93.
A mesa regedora da veneravel ordem
terceira de S. Francisco eonvida a todos os
seas irmfios, para o dia 31 do corrente, as 3
horas da tarde, comparecerem ornados da
scus hsilos, pir ire. iCoiupaniar a pro-
CiSfio de Corpa doOooS.
FelixJoseda8ilva.com loja de sapa-
teiro na ra larga do Rosario n. 44, partici-
pa aos seus freguezes e ao respeitevel publi-
co, que mudou a sua loja de sspsteiro para
a ra estreita do Rozarlo n. 37, aonde pro-
meti exfor;ar-se para bem servir os seos
fregueses com toda a promptidSo e commo-
didade possivel, como he coslume.
Em vlrtudedo artigo 173 doa estatutos,
a mesa regedora da veneravel ordem tercei-
ra de S. Franciseo, tem de celebrar a com-
memoraclo geral de aeoa irmaos fallecidoa,
no da 33 do correte, pelas boras da ma-
shSs ; por sao espers de seu: !rm5o
cumprimeutv do referido artigo.
No dia 8 do brrente, des-
apparecea deitdaixo Ja arcada
da alfandega, um barril com man-
teiga ingleza : rog^i se a qualquer
pessoa a quem for oll'erecido, de
o tomar e restitui-lo a seu dono,
na ra da Madre-de-Deo's, arma-
zem n. ao, que ae' recompen-
sada.
as Cinco Pontas 0.31, preciss-se de
um caixeiro, que tenha pratica de venda e
d dador a sua conducta.
Precisa-se d um oozinheiro forro ou
captivo, com boas recommendacOes. Diri-
gir-so a esta lypographia.
Attcncao.'
A antiga e bem conbeeida agencia da roa
a do Hangel, sobrado n. 9, contina.no mes-
o mo exercicio, de tirrsr passsaportes para
dentro e fra do imperio, despachar escra-
vos e solicitar ttulos de residencie, com
presteza e preto mnitocommodo.
0 abaixoassignsdo faz sciente as pes-
soss que receberam cartas para darem es-
molas para a fests de N. S. da Piedade, no
nicho da ra do Amorim, em cujas cartas o
mesmo abaixo assignado est aasignado co-
mo tliesoureiro, que nesta dala se desone-
ra de dito eargo, e por isso se nSo respon-
sabilisa por maia nada relativamente a fe-
ta, por circumstancias que Iba dizem res-
peito, e nesta dala faz entrega da quantia
de 8,000 rs. ao procurador Galdino Francis-
co do Rege S, de cuj quantia lhe tinha
passado recibo, e que nesta dala o recebe
na occasiSo da entrega do dinheiro. Per
nambuco, 19 de novembro de 1850.
Narciso Ferriira do Volli.
Precisa-se altigar um preto,
sendo fiel, para todo o servir de
urna casa estrangeira : na ra do
Trapiche, n. ll.
Preciss-se alugar urna preta para co-
zinhar em urna casa de pouea familia : na
ra larga do Rozario, loja de miudezas, nu-
mero 36.
Aluga-se o segundo andar do sobrado
da ra do Fogo n. 18 : para ver e tratar no
primeiro andar do mesmo sobrado.
Passaportes.
Tiram-se passaportes para dentro e fra
do imperio, correm-se folhas, despscham-
se escravos e tiram-se ttulos de residencia
para sempre : para este (isa prooura-se tu
praca da Independencia Irvraria na. 6 e 8,
e na ra do Queimado n. 25, loja de miu-
dezas do Sr. Joaqnim Monleiro da Cruz.
Mobliasd aluguel.
Alugam-se mobilias a vontade do aluga-
dor : tambem se alugam cadeiras para ofli-
cios e bailes: na ra Nova, loja de trastes
do Pinto, defronte da rus de S.-Amaro.
-- Precisa-se a lugar urna morada de cass
terrea, sendo que tenha sotfio, quintal, po-
co ecommodos psra grande familia, nlr
se procura localidad : na roa da Senzalla
Nova, a. 43, segundo andar
Aluga-se o segando andar da casa n. 90
da ra da Cadeia do Recife, com [commodos
para grande familia, com um grande so-
IBo para t-r fmulos separados e com urna
boa cacimba i trata-sena loja da mesma ca-
aa. aonde acbam-se as chaves ps ra se po-
der ver os commodos e srranjos da mestns.
Cabra bicho.
Dessppareceu urna cabra (bicho) no dia
16 do corrente, com os signaes seguintes :
cOr parda, lombo preto, pernas finas, barri-
ga preta, lem algumas pintas brancas pelas
pernas, unhas tortas, o peito grande com
quslro bicos, dos quses s dflo leite tres :
quem a liver adiado, leve-a ra do l'as-
seio n. 5, que ser generosamente recom-
pensado.
No dia 93 do corrente se ha de arre-
matar em prega publioa do Sr. Dr. juiz do
civel da primeira vara, orna casa terrea com
um telheiro e forno de cozer tijolos, no
lugar do Monleiro, ludo bastante arruina-
do, qor execu<;3o da administradora do
vinculo do Monleiro contra Joaqun de Al-
buquerque Fernandes (tama : he a ultima
praca.
No dia 9 do corrate se ha de arre-
matar, em praca publica do Sr. Dr. juiz do
civel da primeira vara, um sobrado de um
andar e sotfio, sito ua ra do Padre-Flo-
rlanno, n. 7, outro dilo de dous andares, si-
to na ra das Cruzes, n. 36, outro de um
andar na roa da Lapa, a. 1, por execuefiode
Nicolao O. Bieber & C. contra o fallecido
Josu de Jess Jardim : he a ultima prara.
?ffffffIVt**fVf%f
9- tiablncte portuguez de
teltura.
A directora convida aosSrs. socios
instaladores do gabinete,e a lodos os
Srs que se teem alistado, e que tam-
bem sfio considerados socios insta-
ladores, para comparecerem no as-
ilo do ibatro de Apollo, sexta-fei-
ra, 22 do correle, pelas 7 horas da
noite. Todos os membros da socie-
dade, que tiverem promptaa as suss
listaa de accionistas, lenhatn a hon-
dada de manda-las entregar at ?!
quinla-feirs, 31 do correle, s 11 S
tioras da manlifia, no primeiro au- ^
dar, da casa n. 6. defronle do trapi-
ene novo.
- Compra-se um bom cavallo com anda-
res proprios para senhora : paga-se bem :
na nasa das afariedes.
Vendas.
0-
*
9-

a>
s>


s>
I*
m

Compram-se escravos de ambos os se-
xos, de 10 a SO anoos, e de bonitas figuras :
na ra larga do Rozario, n. 48, primeiro
andar.
Compra-se um cavallo gordo com bons
andares ; na ra da Santa Cruz, na Boa Vis-
ta 3*.
Compra-te esersvos de ambos os sexos,
para urna enoommeoda : na ra do Livra-
mento, n. 4.
__Compra-ae urna relmac,3o, ou padana,
aendo em bom local: queaa ttver annuncie-
Compram-se traates usados de todas ss
qualidades : tambem se irocam por novos ;
na ra Nova, loja de trastes de Piolo, de-
fronte da ra tfe S.-Amaro. _
Crompram-se em segunda tofo dous
parea de brincos modernos de ouro da iei:
quem trver, dirija.se ra do Mondego n.
99, ou aonuneia aua morada.
-- Compra-se urna bitanga completa, e
nronrij psrs srs!!?!? da asanr.r ; ja
I da Cruz, n. 13, armazem.
I'oi.iiimias i'AUA 1851.
\a livrarla da praca la Inde-
pendencia, n*. 6 e 8, vendem-se
folliinha. de algibelru e porta pa-
ra o iinii qne vi-ni.
4o,ooo va. a dtizia.
Verdadeiro e legitimo champanhe A T em
casa de Avral & Irmfios : rus da Cruz n. 90.
Gracas a Dos queja chegaram.
Causara pena ver um pobre miope quasi
aos trsmbolhOes, mogos ou velhos, porque
esta molestia nilo respaila a idades, devagar
pelas russe de loja em loja a procura de
um par de oeiHos para vista curta, para po-
der ler, escrever, ir aos nossos theatros,
aonde s por ioformagOes sabis do seu es-
pantoso progresan, e voltsr na roesm, por-
que os nfio bavia neete mercado ; se recor-
ra a medicina encontrava-ae iruitae vezes
com um igual paciente a quem de balde se
queixava, e ao ouvir ver as lamuriaa.quei-
xaa e caricaturas que reciprocamente se
faziam, perdera de risoao homem maia ta-
citurno que de parte este dialogo ouvisse ;
porque esta molestia nfio s zomba com os
allopathas, cono at masmo com os ho-
mcepathas que rouitos delles asoffrem ; po-
rm gracas a Dos que ebegaram os tfio de-
sejados oculos por especial encommenda
que delles se fizeram' e se vendem aa ra
larga do Rozario, n. 35, loja.
Veade-se urna preta de nsgfio, de 85
anuos, que engomma com muita perfeigfio,
cotinba o diario de urna casa, cosa alguma
cousa esealiaoga sua conducta; urna dita
boa quitandeira ; urna pardinba de 9 a 10
annos, com principios de costura ; urna
pretiohadetSannos, que cose; um pardi-
obo de 8 anoos; um preto de nagSo, pro-
prio para todo o servigo; um crioulo sapa-
teiro, e que tambem trabalha de selleiro:
oa ra do Itangel, n. 38, segundo andar, se
dir quem vende.
(omina superior.
Na conciliaria da ra do Rozario estreil,
n. 43, veodem-se saccas com- gomma, por
prego commodo, o igualmente dous moi-
nhoa um grande e outro pequeo,
(mu comer taber.
Veodem-ae iiogoigas do serlfio a 320 ra. a
libra, e latas com marmelada de 2 e 4
libras : defronle da matriz da Boa Vists n
88, venda da esquina do Hospicio.
Vendc-se cera de carnauba : oa rus da
Madre de Dos, loja n. 34.
- Vendem-se superiores btalas em g-
gos e canastras defronle da escadinha, e su-
periores cebollas de Lisboa : no armazem
da ra da Cadeia, junto ao arco da Coocei-
<3o, por prego commodo.
. Veade-se um preto crioulo, bom trata-
dor do cavados e vaqueiro : na ra da Cruz
u. 4, primeiro andar.
A O publico.
Em mui creicldo numero contavam os medi-
coa at agora molestias incuravels, contra ai
quaes s era permlttido ao paciente reilgna-
cao para toffrer um mal de que j nao bavia
esperanzas de poder liberta-lo, e ao medico
phllantruptco ador de vr inultos de aeus se-
melhantcs victimas de eofermidades, cpnlm as
quaes se declarara impotente, podeodo apenas
lamentar a fraqoeza da Intelligcnci.i humana.
Mas, gracas aos progreasos da medicina, gra-
tas ao zelo de huim-ns incansavels, que, oao
desesperando da perfectibilidade da acieocia,
ae tein dedicado Investigac de remedios
quepoiiain alliviar a buinanidade de alguna
males que a alBigem, o numero das molestia!
reputada! incuravrii vai de dia em dia dimi-
nulndo. Assiiu, achar depois de longos traba-
Ihoi, de profunda medltacao e reiteradaa expe-
riencias, niedicanirnioa que noa resiiiuam o
uso dos dous mais importantes sentidos deque
he dotado o homem, quaodo estes j se acha-
vam oo supposlo estado de incurahjjidade e
inteiramente perdidos, he por certo nm doa
maiores servidos que se podia prestar buina-
nidade; els o que estar reservado a uin ho-
rnera philantropo da cidade de Draga, em Por-
tugal, cuja* selencia, cajo amor de seua seme-
Ihantea se teem feito geralinente conhecer. Oa
remedios que ora oftVrr ceios ao publico, nio
eolram na clatse daquelles que vido e ousa-
do charlatanismo inculca com raucos e dei-
compaisadoi brados, e que o crdulo vulgo
por ignorancia recebe na boa f e sem discer-
nlmenlo, achando-se depois llludido; tem, po-
rm, de oceupar mui dislinclo lugar entre os
medicamentos que maiores beneficios poestam
ao homem : conitam e'les dadissoluco aquo<
la de eitractoa de plantas rnedicinaes, de vir-
tudes mu) reconhecldaa verificadas. O longo
uso, as continuadas e severas experiencias,
que por todaa parte teem riles sido submelti-
dos, sem que una s vex hajam falbade em
seus bons cuellos, e desmentido aa esperan;as
que sobre elles bavia fundado o aeu ioventor,
lhe teem grangeado constantes e repelidos elo-
gios dos mais sabios e respeitaveis mdicos,
assiin da Europa, como da America que unso-
nos abonara e proclamara aua aeco sempre
certa e benigna. Um desle licorea he desti-
nado a coinbalrr as molestias de ollios, e tero
por principal virtude restituir aoa orgos da vi-
sao suas funccdei; reanimar e faier reappare-
cer em la natural perfeicao a vista, quaodo
esta estiver fracaou quaai extincla ; contanto,
porm, que nao haja cegueira absoluta com
desorganisacao das partes; nao menos til e
enrgico he para desfaier as cataratas, destruir
aa nevonse de prompto debellar qualquer lo-
Qaininacao ou vermelhidao dos olhos. Nao
eausam dr nem estimulo na parte.
Outro liquido restitue a faculdade de ni*.i.
os sons ao ouviSo tocado de surdez, anda que
Inveterada ama vez que o mal nao leja de as -
cen(s, sem causar em lempo alguiii o menor
lncoinmodo ao doenie, e sem priva-lo de cui-
dar em aeus negocios.
INSTRUCCOKS PARVO USO DOS REMEDIOS
O'do olAos tmprf-ti.do modo ifuinlt:
O doenie pela mauha, em jejum, uina bora
pouco mais ou menos depois que erguer-se do
lelto, tomar sobre a palma da mo pequea
porco daquella.agoa ; e com ella moldar
bem os olhos, faiendo que algumas eolias
calara sobre o globo oceular : ain oa liinpar,
os conservar moldados al que naturalmente
rnxuguem: ao deitar-ae nolte praticar o
mesada : durante o lempo que uaar do reme-
dio evitar o calor, aeco de fuinaca e o vento;
far abstinencia de comidas salgadas, aiedas e
adubadas com especiarlas,
O rtmtdto dos ouviJos iir tppesuh da mido qiu
rao.
O doeute pela manha, urna hora ponen
mala ou menos depois de crguer-se, alada em
jejum, far derramar dentro dos ^^Hn qua-
tro ou cinco gotlas do liquida, tap^HHpfe--
poii com algodao em rama ; i nolte lio dellar-
se repetir a mesma oprracao. Durante o uso
do remedio evitar expor, oa ouvidos princi-
palmente, aeco do calor a do vento, afim de
evitar grande iranaoiraco, havendo cuidado
eu> nao moldar os A m agoa fra; finalmea-
otica de
larga
nam-
f euma
fia roa de S.
tedeveobster-sede comidas salgadas, azedas e
adubadas.
Estes remedios clao vend
Rarlholomeu Francisco dC Soua,
do Rosario, n. 'M\, nico aeposi({
duco, pelo prefo de 2,240 rs. OT
Vndem-se duas vergas {
rotula : ludo em bom estado i
Rilan. 14,
Vende-se cera de carnauba, em Mrgflo
nunca menos de 4 arrobaa : na ra dVSeri-
zalla-Vellia, n. 100.
Grande descobertas allemes. ja.
Acih i de clio^ -I") Rio urna descobertas-^
allcmfies p.ir.i a i; I n ir immadiatamente as
dores dos callos n ettirpa-los para sompre
em pouco lempo, fleandoo logar sSa e per-
feito como oo seu primitivo estado. Gran-
de aceitagfio mereceu no Ri esta desco-
cera como se observa dos jornaes e geral-
m en te se experimeotava seu efleito admi-
ravel : vende-se em um vidrinlio bem la-
crado por 3,000 rs. no pateo do Collegio, ca-
sa do livro azul. <
Vende-se um escravo de idsdede32
annos, com principio de pedreiro e cozi-
nheiro, que cozinha o diario de urna casa :
na ra do Cardeireiro u. 52, vista do com-
prador so dir o motivo.porque se vende.
Lotera do Ri de Janeiro.
Aos 20:000,000 rs.
Na praca da Independencia, loja n. 3, que
volta para a ra do Queimado e Crespo, ven -
lem-se os muito acreditados bilhetes,
neios, qusrlos, oitavose vigsimos da 12.*
loleria dacasa da candada do Itio de Jmni-
ro, cujas rodas andarara no dia 6 do corren-
te. Na mesma loja esta patente alista da
1.a loleria do Hospicio PeJro II.
Na ra do Vigario, n. 19, primeiro an-
dar, vendem-se pegas de ouro de 4 oitavas
de cunho velbo.
A 3,5oors. o cento.
Vendem-s superior charutos de S,-Flix:
na ra do Cabug, loja do Duarte.
Lotera do l'uo de Janeiro.
Aos 20:000,000 de rs.
Nos qtialro-cantosda ra do Queimado,
loja de fazendas,n.30,vendem'-se os muito-;
afortunados bilhetes, meios, quartos, oi-
tavose vigsimos da 85.' loleria do monte
pi geral, cujas listas devem chegar no pri-
meiro vapor. Na mesma loja se trocam bi-
lhetes premiados de qualquer lotera, e se
mostra a lista da primeira lotera do Hos-
picio de Pedro ll-
Gigarrilhos hesnanhes.
SSo chegados os excellentes cigarrilhos
hespaobes ao deposito da ruada Cruz, no
(tecfe,, n. 40.
At. A. S. Corbett's. Ra da Cadeia n. 45.
English jockey Saddles of lhe best quslity,
weighing, only 7 los complete.
A lurge assortment of Dressog Csses,
fited up with fine Shelfield cutlery.
Ctitelarias'.
Vendem-se muito bos cutelsrias : na ra
da Cadeia, n. 45, casa de A. S. Corbett.
Ferrageos.
Vende-se ferragens muito finas e do me-
Ihor gosto : na ra da Cadeia, n. 45.
Vende-se ago'ardente de Franca, mui-
to boa : na ra da Cadeia do Recife, n. 45,
casa de A. S. Corbett.
Vende-se chumbo de munigSo, de mui-
to boa qualidade, de n. I alo 8 : na ra da
Cadeia, n. 45.
-- Vende-se, ou aluga-se um grande sitio
em Beberibe, perto do Porto da Maderra,
com bastante pasto para vaccas, e coro
gunsarvoredos : a tratar com Mauoejg,
Ionio da Silva Motta, na ra da Cruz, 1
Na rila larga lo Rozarlo. 11.
vende-se urna bonita crioula, moga, que
engomma, cose e cozinha ; dous bonitos
moloques de 15 annos ; um mulatinho de
13 annos, pro >rio para pagem ; um preto
de nagSo Costa, mogo de bonita figura,
ptimo para cadeirinhs, por ser bastante al-
to; um dito ptimo para enxada ; um par-
do mogo, bom olficial de sapaleiro ; urna
preta moga e de bonita figura, boa quitan-
deira.
Arados de ferro
Na fundiglo da Aurora em S.-Amaro ,
vendem-se arados de ferro de diversos m-
telos.
Na fabrica de charutos da ra
Nova, n. 56,
acha-se um sortimento de charutos, vindos
da provincia da Baha pelo ultimo navio,
contendo as seguintes qualidades- S.-F-
lix, de Brandflo, a experiencia provar,
quem fumar saber, fama da Baha, cava
luciros,liberaos,defensores da patria, acad-
micos, regalos, afama voa, mimos de Ve-
nus, deputados, yay, rrgslis de diversas
marcas, fama eoulras mais qualidades, que
se vendero por prego commodo.
Fnzendns baratas sem defeito.
ptimo brim trangado de pao de
lindo pardo, corte 1,600
Novo brim lona branca para caiga,
vara 2,000
As melhores casemiras de listra do
cores, corte 6,000
Lindos lengos de cassa Anos proprios
para meninos, com bonitas cerca-
doras, duza 2,400
Algodao encorpado para sacos, pega
de 33 jardas, com pequeo toque
de avana, jarda 170
ptimos cobertores de papa, um 1,800
Novos guardanapos de panno de li-
ndo com lista esul, um 800
Luvas de trogal psrs meninss, chapeo de
castor branco patente inglez com aba gran-
de e pequea, os melhores cortes de fustSo
de moderno gosto, bem como um completo
soi lmenlo de fazendas finas e erossas por
barato prego : no armazem de fazendas de
Kayinundu Carlos Leite na ra do Queima-
do n. 27, qustro castos casa cnesrnada.
Vende-se farinha do mandioca a 3,200
riss sanes, ditas com.roilho a 2,000 rrs ; o
ile tuda se afiangs a boa qualidade, ven-
em-se por tSo diminuto prego por ser res-
to : no armazem de Antonio Annes, no caes
da Alfandega-
Cigarros hespanhes.
Avisa-se aos amantes deste? cigarros
que na ra larga do Rozario, o. 39*,' fabrica
de charutos, acha-se um soilimelo ebega-
do prximamente.
Na ra do Livramento 11.11 veodem-
se burzeguins franceses de fazendas da
cores, com biqueira de couro de lustro, pa-
ra criangas ; aapatoade duraqn nroln pgra
senhora ; e um par de brincos de ouro cora
ahjuus brilbanles.


*
r qualidade : vendem-
a Cruz, n. 10, casa de
Charutos de Havana.
de sift"
ge na fu* d
Ivilkajann Irmaos.
Vendem-se 130 saceos de estopa, com
duas varas cada um : na ra larga do Ro-
lara, n. 48, primeiro andar.
Mlllio nove a 2*?ooo rs.
cada saeca.
Vende-se no armazem do Brigue?, ao p
i do arco da ConceicSo.
Chumbo de mullicad*
Vende-se no armazem de J. J. Tasso J-
nior, ra do Amorim, n. 35.
Vendem-se amarras ao ferro : na ra
4a Senzalla-Nova, n. 49.
Redes.
Vendem-se redes muito bonitas, de vi-
rios gostos e presos, proprias para quem
for passar a fasta descancar ao fresco de-
baixo de arvoredos ; na ra do Queimado,
Vende-se excedente farinha
de S.-(atharina, a bordo da
liota Sanlissimu-Trindade^ Tun-
deada defronte do caes do Colle-
gio, por preco commodo ; a tra-
tar na ra do Vigario, n. n, ou
a bordo com o capilao da mesma
ge liota.
Smenlo.
Vendem-se barricas com superior simen-
to, chuflado no ultimo navio de Hamburgo :'
na ra do Amorim, o. 35, armazem de
Tsso Jnior.
Travesea da Madre-de-Dees, nr-
niiiz.iin. n. 5,
Achs-se estsbelecido um deposito, onde
encentrarSo os freguezes um bom sorti-
mento de licores, espirito de vinho, e te-
das as mals qualidade*; superior vinho de
caj ; cb mate; e liacas de vime.a preces
moderados.
CERA EN VELAS.
Vendem-se ce i xas cora cera em
velas, fabricadas no Rio-d-Janei-
ro, sortida ao gosto do compra-
dor, por preco mais barato do que
em outra qualquer parte ; na ra
do Vigario, n. 19, segundo andar.
Comida para anlmaen
vende-se na ra da Cruz, no Recife, o. 13,
armazem
> O proprieta rio doengenho Tabatioga,
sito ao norte da barra de Coianna, tendo de
retiiar-sede muda para a cidadedo Recife,
vende o engenho moenle e corrente, com
graodes obras de pedra e cal, bois, tostase
atea safra queest principiando a colher :
quem Ihe convier, entenda-se com o dito
proprietario no mesmo engenho, ou com o
aeu correspondente na cidide do Recife, Jo-
s Antonio Basto.
Vendem-se cabecadis inglezas, chatas
erolicu : aa ra da Cruz, n. 9,casa de Geo:
Kenworthy & C.
Vemlem-se silhoes para 'montara de
seohora : na ra da Cruz, n. 9, cas* de
Geo: Kenworthy t C.
Foges para cozinha.
muito proprios para sitios e qual-
qualquer lugar aondenSo ha cozi-
nha, por preco commodo : ven-
dem-se na ra da Cruz, n. lo,
casa de Kelkmann Irmaos.
fff|rWfmW*f?1r?t
a- N-i deposito da ra da atoda, n. 15,
ba para vender superior cal em pe-
dra, recentemente chegada de Lis-
boa, em o brigue Conef o-avila-
ra, por preco rasoavel: tambem ahi
^ se vendem pesos de duss e de urna
S arroba, por preco commodo ; ba
5 tambem etlecti va mente 110 mesmo
*> deposito barra de mel para embar-
t> que.
m
AO MODERNISMO.
Na ra do Queimado, loja n.
17, vendem-6e asmis modernas
cambraias abertas de ISa e seda,
verdadeiramente chamadas balza-
rinas, de padrSes e gostos muito
delicados, a 5oo rs. o covado.
Dao-se as amostras com os compe-
tentes penhores.
Na venda de Domingos da Silva Cam-
pos, na ra das Cruzes, n. 40, ba bichas
hamburguesas, das melhores que appara-
em no mercado a venJa, tanto por junto
orno a retalho : tambem se alugam.
Vinho de Bordeaux:
vende-se na ra da Cruz, n. 10,
casa de Kalkmann Irruios.
Charutos de S. Flix.
Vendem-se o* verdadeiros charutos da
regala di fabrica de S.-Feliz, a 9,800 rs. a
eaixa de 100 charutos : na ra do Queima-
do, n. 16, ioja de Jos Das Simea.
Vende-te ratroi sonido do Porto, e
mercurio, chegado ha poiico: ni ra do
Vigario, d. 19, primeiro andar.
Fazendn nova.
Vendem-se gaagas- amarella e cor de cia-
13, f.zfiuli muito lina, prapria para pati-
tos ato meninos, e mesmo para roupOes de
senhorai, pelo baratiasimo preco de 900 rs.
o covado 1 do Aterro da Boa Vista, loja nu-
mero 18.
jgMat
Uetroz da fabrica do Siqueira,
no Porto :
vende-se na ra do Vigario,
*>

a>
Xa ra Nova, n. 8, loja le Jos
loiuiulm Mor eir t C.,
rendem-se muito boas gravatas de mola, de
ruslquer cor, pelo bsratisslmo proco de
2.000 rs.; chapeos da vcrdideira palha d
Italia para seohora ; ditos abertos ou arren-
lados do melhor gosto possivel; ditos pan
meninas, tambem abertos e lisos; capoti-
llos pretos de chamalote, que se vendem
>or menos preco do que em outra parte';
chsposzinhos de seda desabados que ser-
vem para criancas deum a 12 mezes ; bo-
netes de panno para horneo), chegadot pe-
lo ultimo navio'de Franca ; mantas de gar-
fa, brancas e proprias para noivas ; flores
brancas para enfeites de vestidos de cssa-
meetos; bicos de seda brincos, largos a
imitando o melhor possivel os de blonde';
luvas de pellica para homem e aenhora ;
excedente couro de lustro frantez : sapa-
tos de marroquim preto para senhora, a
1,900 rs. o par; ditos da couro de lustro
muito novo, a 9,000 rs. o par; roncadores
te Jacaranda, proprios para ropszes soltei-
res, a 4,000 rs.; e outras maltas fazenda*
por prego commodo.
ga-h\ladnma Rbsa flni-riy, modista
brnatlelra, na ra Nova, n. 34.
Madama Rosa Ilardy novamenta tem a
satisfacSo de annuneiar ao respeitavel pu-
blico, que recentemente acaba de despa-
char um luzido sortimento de varias fjen-
las, proprias de se usarem na prxima tes-
ta, conslstlndo em ricos chapeos de seda de
differeOtes cores e com enfeites mais ele-
fantes possiveis para seuhoras ; ditos de
rica palhinha da Italia, rendados a fecha-
dos, tanto para senhora como para meninas
e de varios lmannos, cora enfeites a se ai
ellas; chaposzinhosde abas largas e en-
feilados, proprios pira meninos ; ditos de
palhiuha redondos eenfeilados para ditos;
ditos de seda com lindos enfeites, para me-
ninos e meninas de 6 mezes a 3 anuos, do
mais rico gosto possivel; rlquissimas tou-
cas de superior seda, feitas em Franca e pro-
prias para creancas.de 6 mezes a 9 anuos ;
ricos manteletes e capotiohos de gros de
aples furta-cOres e pretos ; ditos de fil
de linho preto de gosto o mais moderno
possivel; capotiohos de fil de seda, tanto
brancos como pretos, para senhoras e me-
ninas ; brilhanlisslmas capel las para senho-
ras, proprias para casamento! e bailes ; su-
periores veos de seda, proprios para ditos ;
ricos pescocinhos de tilo de linho bordados
para senhoras, do gosto o mais rico que
tem vindo de Fraoca ; camiiinhis de cm-
brala bordadas para senhoras, com golla de
cambraia de linho; espartillios de mola,
os melbores que teem apparecido nesta
praca ; un variado sor lmenlo de trancas
de seda ; fil de Mono e de seda ; sa patos de
setim breosa; luvas de pellica para senho-
ra ; ditos de aeda de malha para ditas ; di-
tas de seda preta para homem ; ricos groe
de aples pretos e rarta-cres, que se tn-
dem aos covadosa vontada do comprador;
chamalote preto de grande consistencia
para manteletes ; um completo sortimento
de perfumaras finas; e outras multas di-
versas hiendas. Na ai ama casa se ftzem
manteletes e espoliabas para senhora e me-
ninas, assim como chapeos de crep preto
tpm todas perfe<;So: ludo por proco mais
eommodo do que em outra qualquer parte.
Na loja de Moreir & C. na ra
Nova, a. 8,
vendem-se cortes de gorgurSo de
seda para collete, a i,5oo rs. o
corte de covado emeio.
Vende-se, na roa do Vigario n. 11, ar-
mazem de Francisco Alves da Cunhs, ot se-
guintes gneros, lodos de superior quali-
dade, e por menos preco do que em outra
qualquer parle : azeitooas ata ancorelas, vi
nbo do Porto em barra de difiranles ta-
m a 11 boa, cevada, cal virgem de Lisboa, ar-
os para pipas ebarris, fio porrete. relroz
doSiqneirs, chi de San-Paulo, canastros
com albose dilas com rolhas.
Vendem-se reiogios de on-
H-o e prata, patente ingles : na ra
da Senaalla-Novo, n. 43.
fio escrplorio de Francisco Alves da
Cunta, na ra do Vigario, n. II, vendem-
se as seguintes obras, viudas de Lisboa : a
l'alavra de Dos, regenerado da liumani-
dade pela revelacBo da organisaoSo social,
um volume de 350 paginas, por 9,560ra.; o
Mrquez de Letorere, de Eugenio Sue, por
1,600 rs.; Max, romance de,Frederico So-
li, por9,000 rs. Urna familia corsa, por
9 acadmicos de Coimbra, por 1,000 rs.,
lloras do ocio, por M. Mallos, por 600 rs.;
Um quarlo com duas camas, (arca, aa qual
representam s duas pessoas de sexo masco-
lino, por 500 rs. ; o Discurso do conde de
Lavradioem resposta a Costa Csbral, por
400rs.
'4
*
%
r.
# n. Ijfc segundo andar, ea-
crptorio de Machado & Fi-.
am nheiro.
Vende-se urna mulata cozinheira e en-
gommadeir : no pateo de S.-Pedro, n. 10,
Mgaado andar.
Deposito geral do superior ra-O
p Areia-I'reta da fabrica
<3 de antois Failhet & C. ,
na Babia.
g Domingos Alves Matheus, agente da
^fabrica de rap superior Areia-Preia daO
Babia, tem aberlo um deposito aa ruaw
da Cruz, ao Recife. n. 59. primeiro an-O
W*r, onde se achara aentpre deste ex-
cellenleeniaia acreditado rape: ven-
4>de-sc ean Ixites de urna e meia libra,
Qpor preca commodo. a
9OCO
Vende-se um cavallo roda-
do, muito grande e novo, carre-
ga baixo a esquinar, muito pro-
prio para carro, por ser muito bo-
uiiu: na ruando Queimado, 1. 10,
ioja.
SU loja amarella da ra do Cres-
po, n. 4,
veadem-secambraias francezas de padres
modaraos, a de corea Haas, a too rs. a >ara.
Grasa.
Veode-ee superier grasa ingleza em litas
a 1M ra. ; dita 97 em pasta, a 30rs. : na rus
Oireita, a. SI, teja de miooezas.
Veotfeee a taveroa da ra do Rangel,'
n. 4. cora poucos fundos, a dinhriro ou a
prazo sobre firmas a cosUat : a tratar na
menina Uvera*.
Gal e potassa.
Vende-aaa mala nova aoperior potan*
que ba no mercado, a cal virgem em pedra,
chegada pelo ultimo afio de Lisboa, por
preco commodo: na roa da Caidei* do Re*
cife, n. 50, fallar com Cunh* & Amorirri ;
assim como um restante de barris da mes-
ma cal, que flcou da safra passida, por ba-
rato preco.
Ainda vende-se a verdadeira farinha de
Tapuy : no etnizem da Antonio Aunes.
No mesmo armaiem ha milho multo novo a
9,500 rs. a sacca.
Vende-se urna psrda escura, com ha*
billdades: ni ru* larga do Rozarlo, n. 35.
oo
O Novo eetabeleeimento de
modaa,aua ra Nova u. 32,
de Hdame Theard.
Madame Ttieard, tem o prwer de
aanuaetar t#dos os saoa frogaeze*.
a mala respeitavel publico desta cl-
dade, qa* alm do bom ortrtnento
que ji exista era sus loja, baba da
recebar pelo oltltno mrvra viseo de
Fra-aea.es irais lindos otiipds de 2
~ seda, velado, parhnh* e flterrenda- X
dado* de palha, do mais modaroo a 5*
ultimo gosto de Pars ; mantelete*,
capotinbae e vesitas de grodenaple
9 preto a (artacores a de chamalote,
t& com as mais liadas gsrnic6> de-
d> franjado a tranca, q tem vmdo
0 eate mercado.; os mal liados enfai- Q
q tes psrs rabee parisiense ; as maie q
q modernas e delicadas capailas de fio- m
g rea artificiaes tsntopara norvado 00- g,
X aio para bailes; riqulssinwi gaarni- J
Z ces psra vestidos de senhoras; ro- g
^ metras, eolerlnhose cabeefles, eahil- Jr
jj setas, tinto pata paselo ou baile,co- *g
mo para montara, espartilbos, fio- *
0 res, luvas, leqne, seda e copas para C
O chapeos de aeaHora a oOtros im-
mensos objecloa que nio se snenoio-
o*m para nio cansar paciencia dos
0 am*dores;to smentese aaaaeWra *
q boa qualidade e bom gest de tudo
m por preco o mais raseawtl a ceti-
X lento dos compradores. Juntamente
** se fazem vestidos, manteletee cha-
pos; e tudo quinto fr tendente*
nada, com a maior brevidade a '*'
perfaiclo posaivel, por ter as met
O peritas oostureiraaque mu bem exe-
cutam sus arle.
09
Vende-se um cavallo bastante gordo,
e proprio para montara de menino, por
ser pequeo e manso : n* ru* da Aurora,
n. 46, laverna, se dir quem venda.
Vendem-se pipas de ago'ardente de
superior qualidade: na ruado Hospicio, n.
9, se dir quem vende.
Vende-se um escravo de elegante fi-
gura, ptimo carreiro, e proprio para todo
servico, principalmente o da campo, por
preco commodo : na ra do Hospicio, n.
9, se dir quem vende.
Lotera do Hio-de-Janeiro.
Aon 2o:ooo,ooo rs.
Na loja de miudezas da praca da Inde-
pendencia n. 4 vendem-se os afortunados
bi I helos intelros, tneios quartos, oitavos a
vigsimos a beneficio da 95a lotera do
Monte-Po.
Grande deposito de cha.
No pateo do Collegio, casa do livro
vende-ae
cha bysson superior
dito aljfar braiileiro
dito paquequer
dito de outras diversas qualidadei
Vende-se urna preta de naeBo,
cozinheira,equebe muito boa qutandei-
ra ; nSo teso vicios: ni ra da Pnis, a. 9,
armazem de cirne seeca.
Vendem-se sabonetas higinicos, o
mais superiores que teem vindo este mer-
cado, sssim como outras perfumaras muito
finas: na rae da Cadei*Vaina n. 94, pri-'
meiro andar.
Bombas de ferro.
Vende-*** tivern dai melhores do
biirro de S.-Jos, por 1er defronte do quar-
tal das Cinco Pontis, rauo afreguende
aera trra, e qoe veade diariamente 16 a
90.000 rs., como ae fin ver 10 cewprtdor,
he proprfi pan prinelpinte, por sattzer
negocio com poucos fundos: o mmfvo por
que se vende be por ter o dono oatro 'ne-
gocio : tratar na ra de S.-Ritl, n. 97. .
Vende-se ssl do Amu : bordo do bri-
gue S.-Mantl-Augvito, ou ni praca do Com-
mercio, n. 6,i fillir cora Jlinel Igoicio
de Oiiveira.
Nao he exageracao.
Vendem-se sapatOes de couro de lastro,
obra muito boa, a 9,500, S/KK) e 3,500 rs.:
na ra da Cadera do Recife, loja n. 9.
O corretor Oiiveira reeebeu ullirta-
menta, a Vende cobre de forro para navio,
com ds praiMi da compoiiclo correspon-
dentes.
Lotera do B io-de^Jeneiro.
A os ao:ooo,ooo de rea.
Na roa estreita do Ronre travesa do
Queimado leja de miudezas n. 9 a de Jos-
ouira F. doi Saatoi Maya, Tendera muito acreditadas bttetaa, maios, qoirtoi,
oitavos a vigeiimos da decini-segeeda M-
tara d* Santa Caa da Garidade do Rio de
Janeiro, cu}*! rodas indarlo no 'dia 6 do
corrente 1 na mesma leja est patente a lis-
ta d primeira lotera de Hospicio da Pe-
dro II.
Vende-se urna preta para todo o ser-
vico de csa e ru, e melhor para o servicu
decampo: na ra das Tarsngeirss, n. 2t.
iNa loja amarella da ra do Gres-
po, n. 4,
vendem-so c/Us de cssemiri enfestads, do
cores moderna! e romnticas, e de pura ISa,
a 6,000 rs. ; ditas de urna s largura, a 6,500
rs. ; panno fino Verde para fardOes milita-
res, e de outrss muitsi corek pur bantissi-
mo preco.
Vendem-se 90 esenvos, sendo um bom
oflTrlal de oleiro ; um dito de 30 innos, que
he carreiro e mestre de assucar; 6 ditos
mocos, d bom las figuras, e que sSo pti-
mos para todo o servico de campo; um mu-
latinho det5 annos, bom pagem ; urna li-
da mulatinha de 12 annos, recolhida, de
muito boa figura, que cose, faz ptimamen-
te ttvarnto, e miMa bem da lima; 10 es-
crava njocaa,. com varas dades; na
{Jarras. '
Vendeea-ae jarras, njaj nhas, t
garrafas finas Com prato-e nresfiar igos,
raae* par florea, **f**tS vidradoi de
lados ostmionos, baliio* pira nsinar
meninos andar, ditos cobertos pan com-
pras, dito* pira costura, condecas de todos
01 tamanhos : na rttfe da Cadeii-Velbi, n.
8, armazem.
Vende-se um carillo multo bom de
cirro, por proco cdmrnodo : na trsvessa do
~ ^U^r^^^^l!a^l^^ W^n. n. PM.-
que htm-dl-Migdalishi, fooi poucoi fui
00- perteneente igostinho di Silva Cu
a -!._- ^.; --vunoB-se nzr* xanerna sus na 1
ra tecer cadiras, o melhor que-^.aB.nggd*Mha, cora poticoi fuudos,
tem vindo a esta praea ,- bem
mo mais ordinario : na ra Nbva,
sul,
' 9,500
9,400
9.000
2,000
ptima
Vendem-se bombas de repuxo,
pndulas e picota para cacimba :
na ra do Bruta, na. 6, 8 e 10,
fundicSo de ferro.
Arados de ferro.
Yendem-se arados de ferro
differenles modelos : na roa
Brum.ns. 6, 8 e 10, fabrica
de
do
de
machinas e lundicao de ferro.
Vende-se ami sextante nova feita por
um dos melhores autores de Londres e tam-
bem um erisonte artificial e um tbeedllMe:
na ru* do Trapiche armazem n.
- Veiidem-aeiellinielaiucoaV "negados
agora : na ra di Cruz, n. 9, casa de Gao:
Kenworthy de C.
Lotera da igreja da N. do Lrvrameoto.
Aoi5:00,aoOdari.
Ni tui da C*deia, a. 46, lo** de miode-
zss, vendem-se meios btlbte, decimos e
vigsimos desta lotera, V>* *orra impre-
terivelmente no dia M 00 corrente.
Meios Sf**
Decimos 1,160
YigSimS *"*
Lotei i i do Rio-de-Janeiro.
Aos 10:000,000 de rs.
Pelo vapor PtrnamOuetm; chegado a as-
te parlo a 15 do correal*, recebemos a
lista da primeir lotera do hospicio de Pe-
dro ll,como|bem os sempre (fortunados bi-
Ihetes e cautelas 0* 13.' lotera (tas casis
de caridade, que se eitrahio a 5 do cor-
rete. Da 8 horas da manbla *s 6 ds tar-
de, achs-se venda ni loja de cimbio da
ra da Cides do Recife n. 94, da Viuva
Vielra & nibos.
loja de trentes de Pinto, defron-
te da ruadeS.-Amaro.
Vinhos superiores
recentemente chegidos de Inglaterra pela
galera iogleM Shrd-FUk, XeW, Ma-
delrn e Yerto, Unto em birria pegut-
nos, como engarrafado, em caixas de ama
duzi* : oa pretendentes, dirijam-se ao ea-
criptorto de Eduardo H. Wyatt, tu* do Tra-
piche-Novo, D. 18
O verdadeiro rape* Paulo-Coedeiro
Na roa da Cruz, n. 67, vande-*e rap Pau-
lo-Cordeiro, viajado do Para, roeponde-se
pela qualidade, 1,600 rs. libra.
- Vende-se s bordo do brigue (Viro, tun-
deado ao p do trapiche do irgodao, sal do
Ass, e palha da carnauba bem nova, por
preco em renta.
Barricas.
Vendem-ee algumn barticaa que ainda
reetam, por preco commodo no theatro da
ra da Praia, a fallar com Guilherme Sette,
ou no no Aterro-da-Boa-Viiia, n. 10.
No armazem de massamesde Bra-
ga & C. na ra do Vigario, n. 1,
extele constantemente a venda neste esla-
btacimento amarres de ferro, incoras de
diverso! tamanhos,(cabos de linho patente,
de todas as bitolas, lonas de todas as qua II-
dades, bros di Russia, bandelras imperiaes,
agulhssde marear, emili objectos concer-
nentes nrvegaco : tambera aa alugam
amarras e ancoras, por mdico proco.
Vendem-se 90 arrabal da carnauba,
eraconta paro acabar: na praca da Boa-
Vista, n. 17.
--Vende-se espirito de 38 graos:.no pa-
teo do Paraizo, a. 90.
Vendem-ie tres bois minso e dual
carrocas : na ra da matriz da Boa-Vista,
a. fifi.
^-Vendem-se eacca de multo luperor
farinha de S.-Catliarina : a fallir com Ma-
nuel Alves Guerra Jnior, on na ru* da Ca-
dei do Recife, n. 98.
Charutos de Havana.
VeDdem-se charutos de Havana, de aupe-
riorqualidade : narm da Cadeia do Reci-
te, n. 20.
~ Vendem-se queijos londrinos o pre-
suntos inglezes, conservas inglezas e fran-
cezas, liogoas inglzss, gigos com batatas
inglezas, latas com bolachinha ingleza, cb
preto, latas com marmelada, caixai com
missis Gnu : tuao de superior qualidade t
na ru di Cideia do Recife, n. 9.
Hep i'aulo-Cordeiro.
' Vende-se en>etivaavtite este excellente
rap, ni ra da Cadeia do Itecife, n. 50, to-
la deXunbeat Amorim.
Champagne.
Vende-se mnito superior vinho de Cham-
pagne, recebido ha poucoi dial pelo
guord-Fik : em casa de Eduardo H. Wyatt,
na ra do Trapiche-Novo, n. t8,e existe
ainda urna pequaae porefiodeste vinho am
garrafis pequeas.
Vendem-se dou* eavallos de carro : na
ra da Gloria, n.91.
Ilaretiaeimo
Ni ra do Crespo, n. 16, esquina que
olla pira a ra dea Cruzes, vendem-se ex-
cederte* cortes d* casemira, pelo barato
proco de 6,600 ra. e outras muus iazen-
da* per preco eommodo.
Vende-se urna mulatinha de 16 annos,
propria para o servico la campe,-por alo
ter habilidades; na ru* da Madra-de-Deo,
o. 36, dir quem venda.
Veade-se unta tipoia ara bom altado :
ne> }j p*flh tn 9^
VendaaB-se'a aaeiaves de muito boni-
tas figuras, cora oBcio de serrador, aera
vicios era achaque* t na roe de Livra-
mento, n. 4, le dir juera venda.
Vendem-se 4 escrsvss, duM cosen'
engommam, cozinham e fazem o mais ser-
vico de nma casa ; hias ditas boas quitan-
deiras ; urna ulatinh de 18 annos, que
cose, engomma, veste urna senhora, e nio
tem falu Iguma ; um pret de 30 annos,
oplimo para servir un casa gtnhar n*
ru* ; um moleque de 19 annos, de muito
bonita figura; um dito de 5 annos, muito
esperto a liado : ni ruado Collegio, o. 91,
piimeiro andar, se diri quera vende.
Vaede-ae, ou alwga-se a prensa que
Coi da Alexandre Lope* Hibe.ro no Forle-do-
Uattoi, cora 110 palmos de fando e 71 de
frento, propria para lecoAer raolbados, por
estar parto da ilfaudega e trapico* de em-
barque ; ou par* madaira por ser grauda; a
tratar na ra da Cruz, no Recife, n. 40.
Na loja amarella da ru do Cres-
po, n. 4
vendem-se chitas flnn; ricadinlioa fran-
ceses de cores filas e cora 4 palmos de lr-
goi, a 94 eso r. o corado.
rftt.-a tratar com Gardido Alberto Sodr
da aiotti, na ;trvesa da Midre-da-Deos,
n.17.
ti
Esoravos ragidos.
Fugio, no dii 18 do corrent#, a pret
Felizard, moca, de mcSo Costa, inSfe
causa bucal, reprei4at*i7 atines, alta, "coT-
poecOr regularas, cabello cortado baixo,
cota lilaos na cara, sima! de sua bic'Bo,
rosto comprido ; tem falta de dous denles
dolido inferior e am do lid superior, e
oulrojutltoiode clmi torio pin dentro,
com marcas de bexigas no rosto, peitoa pe-
queos em p, cora algumas marcas e sar-
mi principalmente as pamas a brocoa
levou vestido de chita rffxo claro de lstras,
camisa de algodlozinhod panno da Costa.
Rogi-sen autoridades, policias, capitSes
de campo e qualquer o'tr pessoa, que a
apprehendam e levem-na a la senhora,
Joaquina Mara da ConceicSo, na ra da
Florentina, n. 3&Y oa ao Sr. Domingos da
Silva Campos, ni ru dis Cruzes, b. 40, qus
serio grstifiesdos.
Desappareceu, no dia 19. do corrente,
um preta de Dome Thereza Jfc nacao An-
jela, de 30 anros pouco mainfo menos j ha
bilxi, ps grandes e mal teitos, como o
corpo ; levou vestido te riicadinho rxo a
panno di Costa : quera pegar l*e-a ra
do Pilar,n. 193, em ra-de-Portas, quese-
ra recompansado.
No da 19 do corrente, desappareceu,
da casa de Joao Jos de Carvarho Horaei,
um escravo crioulo, de nome Manuel, da
16 ianos : levou ealcasnvsede algodBozi-
nho azul, camisa branca, cbapo de palha
valbo : a* aoravo chegou da prximo a
eeta praoa, e'ibi remettido d villa do Cr.
lo, provincia do Cear, pelos Srs. Bilhar &
Irraao; foi encontrado aa mesmo dia na
Pa*aa<{em-da-ll*gdlenB, em companhu de
unseonvbetarroijHilga'-ie ler lidosedozi-
do : qoem o latir* dtti casa, ser recom-
pensado.
Em* noite deis do corrente tornOu
fugir o preto tossambique, de nome Do-
mingues, de boa figura, repres-nta 96 a
tantos annos; levou calcas bramas e ca-
misa de algodSo azul ; o signal mais visi-
vrquetemtieumimircide um lTho no
canto da bocea no beico inferior, qoe quan-
do Talla repuxa o beico; he roerceoeiro ; a
por iso desde ji o abaixe ailignido pro-
testa pelo jornal diario de 1,280 rs contra
qualquer nesso* qtie o tiverem aeu poder;
assim como pvomette gratificar f eneresa-
tients a truetetkl eirtrgirTra ru NOVa/n.
5, loja de traites. knttoio Dminput
Pinto.
-Fugio, no dia 16 do correle, pret*
Mara, de nac&OCoata, ha kem alta a gor-
da 1 tea es eeMoi grandci a cabidos ; levan
dous vestidos, um *z*l e entro de chita en-
csrnidi; coatarai tender wa rea hortalice
etroctis: qtt I pegat'lefvd- ra da
Cadeia ttd I fl*. n. 95, defTOrile lo Becco-
Largo, qoe ser recompensado.
Fugio do engeoho Caiapa d freguezia
de Iguarass, um escravo de nome Mximo,
be robra-negro, barbado, eheio Ao carpo,
olhos peqeenoee brincos, falla mansa; j
levou surra na grade, tem 35 annos de ida-
de e representa 6 ps com algumii racha-
duras ; fot eod irado Uta praea 1 Biy-
mundo Carlos Leite, vindo da villa do Gra-
to, e foi captivo do 8>. Antonio Luiz Alves
Pequeo Jnior ; suppoo-se que dito escra-
vo lean* ido para esees eertoe*: roga-ae por
tanto as autoridad polieiass a maie espi-
tara de eimpo que o ipetaneodan e lavera-
nO so mesmo engenho Ciiibr. ou nesta pra-
ea em cisa da VlUva Persirs da Cunh*. que
recoaaaenu r.
*. tftioin nty Ai ft^ di CU"bfA nrA?'!50
passadoT um reoleau* da opas Juveeio, de
1a 26 annos j levou oalea de casemira es-
cura, jaqaeto branca, ettapo braooo ecam
cordloeborli branca te eOps btita, dee*-
tatoro rcgrilar, rttbtcao, beico grosios,
niriz chalo, com algaba Signara de bexigas
no rosto, o qual 113o tendo sabido psra fura
da cidadi ,'suppoa-se estar aqu cculto ou
aos arrabaldes: suem o apprebeader leve-o
i casa da a*u aeahor, nagua Pormosi a. 9,
que ser geneomear^aliDfado.
DrMppsreeo de AUrro- padaria n. 66, o cabra de nome Leandro, da
20annos pouco maiiou menos: quem o le-
var diti pactar!*, ser recompensado.
Fugio, hontem ds manbaa, o pardo Ve-
nincio. escuro, reforoado, falla bao; foi
aacravedaSr. DtogoJoa ds Cesta, que o
veodeu haeminne-, aatevs no* aaeee* de
julho, *go*to, ictameroe outobro preaiao
pissado em esta 4o Sr, Baita, no IcHrtelrO:
qoem o peglr lrve-o s casa do Sr. Rlchardo
Rovle, ni roa da Cidel*. 0.87, a entragir 1
Antonio Machado Gorae da Sil, que re-
coapaoMr.
Pwi nn h '. r.
MfktU.
.iiO
L


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9J47KQXZ_L52ZHB INGEST_TIME 2013-04-24T17:14:56Z PACKAGE AA00011611_07216
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES