Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07214


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XXVI
Ter$a-feiral9
FABTIDAS 901 OOHaiIOS.
sextas felras.
lulas felral ao
Golanna e Parahibi, i segn ,
Hio-Grande-do-N'orte, todas al
roeio-dla.
Cabo, Serlnhem, RlO-Formoio, Porto-Cairo e
Macelo, nol.',a 11 e 21 de cada utci.
Garanhuns JJonilo, a 8 e 23.
Itoa-Vlila e Florea, a 13 e 2,
Victoria, ai quintas felrai.
Dunda, todos ot diai.
ZrHBMIBIDES.
'Nova, a 4, aoi 20 m. da ni.
. |Creic.'a 11, nBh.e55ra.djl.
Ptuau d BA-jcheu. 19i ,,2 a 15m. dat.
iMing. a 26, a 10)h. 13 da m.
nmma mi
Primeira ai 5 borai e 18 minutos da mauba
Segunda ai 5 horas c 42 minutos da tarde.
de Novembro de 1850.
N2&2.
VBSOO XA BXUCHljrCAO.
Por tres meses (adlanttdos) 41000
Por aeis mezes .jCH
Por un anno 1j|006
DAS DA BHAWA.
18 Seg. S. Romao. Aud.do i. doiorf. e do ni. 1 v.
1 Tere. 8. Izabel. Aud. do i. da 2. y. 'do
civel, e do dos fcitos da fazenda.
20 Quart. Flix de Valois. Aud. do J. da 2. v.
21 Qulnt. Apresentaeao de Nosa Senhora. Aud.
do J. do orf. e db ni. da 1. v.
22 Sezt. S. Cecilia. Aud. do J. da 1 v. c. e do dos
le toa da fazenda
23 Sab. S. Clemente de Lagos. Aud. da Lhanc. e
do J. da 2 v. do civel.
24 Dom. S. Joo da Cruz.
CAMBIO KM 1 X WTIMBBO.
Sobre Londres, a 29 d. por 1/M0 rs. a 60 d
Pars, 333 por Sr.
Lisboa, 100. por cento.
Ouro. Oncas licspanholas..... 29500 a
Mocdas de 67400 velhas. 16/200 a
de 6/10(1 noval 16/900 a
de4|O0....... 0/000 a
Prata.Pataces braillelroi.... '/* a
Pesos coluiuuarios...- '/*?' a
Dito raexlcanoi........ 1/700 a
ias 1
30/001
ljftOO
10J200
9/200
1/1180
1/980
1/780
FERIO'DO IMPERIO.
TO Nf*06, DF. 8 DE OUTBflO
' DE 1850.
Declara que as.fabricas para se conaidera-
rem nscionae nSo carecem de graos ou
merc do goferoo, be&taudo q'l* sejam
estabelecidas dentro do imparto; sem
quacoailudo a simples quah dade de na-
eionaea as habilite gozarem de prif lle-
igio da iseocSo de direiloe de materias
Pf'aiaa. ..
C.onformando-me por Immediatn resolu-
co de 2 do corrente, proferida em consulta
da seecdo do imperio do. conselho de esta-
do de 5 do paisado, com o parecer da mes-
niesma aeceflo sobre os requerimentos em
que Bente ioa Fernandes e Joa Francisco
Rodrigues da Silva pedem que sejam consi-
deradas como fabricas oaciooaea as de sa-
lan, dequesfio propietarios, estabelecidas
Ssla cidade: hei por .bem declarar que,
3V serem consideradas nacionaes as fa-
bricas dos supplicaiites, e quaesquer ou-
tras em idenlieas circumstanciss, uno ca-
recesdat*eica ou meroe do goveroo impe-
rial, poioque, pelo decreto o. 526 de 28 de
ks/hode 1847, est terminantemente decidi-
do aun aara e*re consideradae laes, beata
que sejam atoDelocldaa dentro do imperio;
ficando porm reservado ao ministerio da
fazenda, na conformidade das respectivas
leiseregulameotos, odeferiroento da pre-
tencao aue liverem para gozarem do privi-
legio da iseocBo de direiloa de materias pri-
mas, a que a simple qualidade de nacio-
naes Ibes nao di direito. .
O viecoude de Monl'Alegre, conseiheiro
de estado, presidente do conselho de minis-
tros, ministro e secretario de estado dos ne-
gocios do imperio, assim o tenhs entendido
e fc executar. Palacio do Kio de Janeiro,
em 8 de outubro da 1860, vigesimo-noiio
da independencia a do imperiu.-Com a ru-
brica de Sua Mageslede o imperador./Ni-
reaeV i H*fAlegro. ,
VJNISTERU) DA FaZBNDA.
trACTO DO EXCEDIENTE DO DA 16
DE OUTUBRO.
Ao inspector da elaiuUga participando
que o rvnusr!ment de Hoatum liulton e C.
foi deferido, com a deca recio de que a or-
dem do thewureiro, a que se referism, nS
os olirigava a reexportaren! dentro de
dias as mercadofias arbitrada, na frm
do regulamento de 50 de jullio mas sim a
declararen! dentro de 8 das se queriam ou
nSo reexporta-tes,, Pelo que toca ao lempo
e modo da reexportaco, estSo em vigor as
diaposicOes dos regulamentos.
Ao administrador do consulado, pan
adoiitlir a J.lo Frias. consignatario do ber-
gantn nacional Previdencia, a prestar nan-
ce para dentro de un praso rasoavel pre-
sentar a declsracflo que exige o art. 186 do
regulamento de 30 de maio de 1836, a res-
peilo dos gneros nacionaes exportados pa-
ra o Wo Grande a 25 de junbo do peasado.
1IIK11 DO DA 92.
Ao inspector da slfsndega, para mandar
annular as letras de reexportseso ns. 147S,
1*79,1485 75 e 79,acetss por JoSo Fries,vslo
que a respeilo das tres primeiras os docu
melos foram, epresentados lempo le-
Sal.e os das duas ultimasaeacbam na alfao-
ega de muito antas dos aeua vencimantos,
anda que nao apresentadoa por elle, rele-
vada a falla de nada ter declarado ou re-
querido em,tempo.
Ao oiesino, ordenando que, para evitar
quesles que se lem suscitado sobre letras
de reexportaQo, devem laes letras ser an-
* nolladas logo que forem preaeulados pelas
partes os ducnmeolos de que trata o art
S(0 do regulamento de 82 de junho de 1836;
eque, . mediatamente, por ser preciso proceder
* eximes aobre os mesmos documentos,
se d aa partea recibos da entrega del-
tas, que serio substituidos pelas cetelas da
* anmillaolo.___________^^^
MINISTERIO DA JUST1CA.
DECRETO N. 75, DE 1 DE OUTUBRO
DE 1850.
dem de 25 do dito, permiltindo a Fran-
cisco da Mello Franco, serventuario vitalicio
doofflcio de escrivfio da provedoria, capel-
ina e residuos, e Francisco Luiz da Silva,
serventuario vitalicio do ofllcio de escrivBo
da tercelra vara do civel do municipio da
corte, que troquem entre ai os respectivas
offlcios.
dem de 25 do dito, aceitando a desisten-
cia que faz Joaqun Manoel de Si do officio
de primeito, tabellllo do publico jorticiil e
unjes da villa de Pirahy, na provincia do

/aviase un |**
de MaranliBo, da Paranabyba. e da Caro-
lina, creadas na provincia de Goyaz.
Hei por bem, em execucSo do art. 1 da
resolucSo n. 559 de 29 de junho, e do art. 7
do respectivo regelanento n. 687 de 26 de
do corrate anno, decrolar o le-
guinle: '
Artigo nico. Ficim consideradas de pri-
meira entrela as tres comarcas de Uara-
bobo, Paranabyba e Carolina, ^creadas na
provincia de Covaz.
eaitebte de Qualrea Cautlolio Maloio (ama-
ra, do iaec*uilbe ; utlaialio e secretario de
estado doa negocWa d# Juallca, o lenlia aaiim
entendido e faca executar. Palacio do Rio de
Janciio, em lOdft ouiubro de la50, vigeiimo-
nono da independencia e do Imperio.
, Com a rubrica de S. o Imperador. Jfti-
wMoaVOaarroi Ceeliitao afaloas Ganara.
UOcreto de 19 de oolubro.rromeaiidtfo juii
municipal edeorphBosa Antonio Augusto
l'ereira da Cunha, Juis de direito da comar-
ca de Mallo Groaso.
dem de 8 do dito, fazendo mare a
Francisco Possidonio de Brito da aervenMa
Vitalia do ofllcio de partidor o julio OMini-
clpare de orpbSos do termo de Mogiminm,
da provincia u S. Paulo.
Decrolo de 19 de outubro, removendol o
juiz de direito-Antronlo Francisco de Salles
da comarca do Principe Imperial para a da
Parnahyba, na provincia do Piauhy, por
assim o hsver pedido.
dem, nomoando o juiz municipal e de
orphfios, Hermano Domingues do C.outo,
juiz de direito da comarca de MaranhBo, da
provincia de Goyaz.
dem, idem o juiz municipal bscharel
Rufino Theotonio Segurado para o lugar de
juiz de direito da comarca da Carolina, da
provincia de Goyaz.
dem, dem o juiz monicipal e de orphBos,
Jos Innocencio de Campos, juiz de direito
da comarca de Giquilinbonba, da provincia
de Minas Ceraes.
I lem. ordenando que o jais de direito
Joflo Bonifacio Gomes de Siqueira continne
servir o seu lugar na comarca do Santa
Cruz, da provincia de Goyaz.
dem, dem que o juiz de direito Antonio
Ouarte Movaes continu a servir o seu lu-
gar na comarca de Porto Imperial, da pro-
vincia de Goyaz.
dem, idem que o juiz de direito Eatevlo
llibeiro de Rezende continu a servir o seu
lugar na comarca de Goyaz.
Idem,idem que o juiz de direitor Francis-
co Marianiii continua a servir o seu lugar na
comarca de Cavalcante, da provincia de
Goyaz. ____,
GOVERNODA KHOVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 14 DE NOVEMBRO.
Ollicio. Ao Exm. presidente doCesra,
devolvendo julgados pela junta de justice
os procsaos dos soldados do corpo fixo da-
quella provincia Jos Pereira do Nascimen-
to e tus Vicente Ferreira.
Dito. Ao Exm. commandanle das ar-
mas, devolvendo vjnle e um procesios das
l>rc do primeira linda mencionadas na
relacSo que remelle, atim de que faca cum-
prir as sentencia da junta dejuslicj
RELACAO A' QUE SE REFERE O OFFICIO
CIMA.
Primeira batalko de encadares.
Soldados Vicente Ferreira, Jos Joa-
quim da Silva, Innocencio Machado, Jos da
Cruz, Ismael dos Santos Nonato. Jos Arran-i
ci, JoBo Damasceno, Izidoro Vieira Lopes,
Francisco do Espirito Santo, Jos Fillppe do
.Nascimento eCaetino Mauricio.
, Corneta JoSo Basilio dos Reia.
Oilavo batalh&o d eacadorei.
' Soldados -- ItomSo Josquim, Frederico
Carlas de Araujo, Joaquim Lopes, Joilo dos
Santos Ferreira, Innocencio Pereira da Sil
va Antonio Joaquim l'rimeiro e Adelo
Elias de Santa Auna.
Segunda batalko d arMkaria jar.
Tambor Manoel Antonio dos Sanios.
lerceiro balullido de artilharia a p.
Tapbor Pedro Antonio Soares.
Dito. --Ao mesmo, recommendando a ex-
pedieSo desuas ordens para que os corpos
da guarnicBo desta cidade, no dia 24 do cor-
rente, a hora do costume, marchen, sob o
commando de S. Exc. e reunidos a guar-
da nacional deste municipio, a acompanhar
a proclasSode Corpus Chrisli ; e prevenin-
do-o de haver determinado ao commandan-
le superior da referida guarda nacional que,
nSo so fifa reuni-la no lugar e hora que S.
Exc. houver de indicar, como tambem que
mande apresentar-lhe as preces que nSo
poderam marchar, alim de fazerem a guar-
uir;flo da praca no mencionado da, unidas
so primeiro batalblo ds legiSo do Olinda.
-- Neate sentido deram-se aa providencias
necessarias.
Dito. Ao inspector da thesouraria de
fazenda, communicando, aflm deque o fa-
ca constar ao administrador da mesa do
consulado, que conoefleu tres mezes de II-
cenca com vencimentos ao porteiro do mes-
mo consulado, Manoel Simplicio Corris
Leal, para tratar de sua aado.
Dito. Ao commandanle superior da
guarda uaviSSSli de P.csife, rmmandn-
do a expedicio de anas ordena no sentido
de ser despensado do servico activo o guar-
da do esquadrSo de cavallana Jos Joaquim
SimOes do Amaral, visto ter sido nomeado
inspector de quarteirBo na freguezia de S.
Joa. Cotnmunicou-seao chefe de polica
Dito. -- Ao inspector da pagadoria mili-
tar, para que, a vista do recibo que remel-
le em duplicis, mande indemoisar a eaixa
do oilavo batalliSo di cacidores da quanlia
de 11,520 ra., que se despendeu com duas
cavalgaduraa, jc conduzranidoii sc'.ds
dos doentes da villa do Brejo para a enfer-
mara estabelecida na do Bonito, quando
ltimamente dalli regressou o destacamen-
to commandado pelo alferes Jofio Antonio
LeitBo. -- Intolligenciou-sc ao Exm. com
mandante daa armas.
Dilo.Ao mesmo, Inleirendo-o de haver o
soldado do segundo baUlbBo de artilharia
a p Manoel Correia daa Trevas, depois de
Hndo o seu lempo de servico contratada,
nos termos do decreto regulamento da 18
de noveaabro de 1848, paia continuar no
mesmo servico, mediante a gralkAoacflo de
180,000 ra.; a ordenando qua Ihe mande
Fsgar s reterid gr#i|lcacflo asado 50,000
ri. a Tifia e o reato ira prestarles mensaes
pe 10,000 r.Scientiflcou-ae ao Exm. com-
mandanle daa armas.
Dito. Ao mesmo, remetiendo a conta
em duplcala, na importancia de 695,600 rs.
dos objeelos fornecidos ao hospital regi-
mental desta cidade, aflm de que faca trans-
ferir essa quantia da corlsignacSo da verba
hoapitaea para a do arsenaea --, con-
forme requisita 6 director do arsenal de
guerra. loteirou-se a mesmo director.
Dito. Ao inspector da thesouraria da
fazenda provincial, para qne, avista das
contas que remelle, mande indemnisar o ar-
senal de guerra da quantia de 316,200 rs.,
importancia dos objectos fornecidos para
servico provincial. Iotelligenciou-se ao
respectivo director.
Dito. Ao juiz municipal do Brejo.
Receb o seu ofllcio de 8 do crrante, em que
Vmc. di parte dealgumas OCCurrencias re-
lativas ao proceaso, que est formando pe-
lo asssssinato do lenento-coronel Antonio
Francisco Cordeiro de Carvalho, e sobre s-
to leoho a recommendar-lbe, que. logo que
Vmc o bija flnalisado, remeta i esta pre-
sidencia ama copia das pecas principara do
mesmo, isto be, corpo de delicio, depoi-
mento das teslemunhas, Ihterrogatorio, do-
cuaaentos (se os bouverem ) e sua sen tenca.
Portarla. Mandando por em Mbrdade
da recrutas Pedro Celestino e Jos Pereira
da Silva, visto terem a presentado isencoes
legaes.
IDEM DO DIA 15.
(Juicio. Ao Exm, commandanle dai armas,
inteirando-o de haver chegado aeita capital o
coronel Jos Vicente de Amorim Uezerra que te
acha nomeado coinuiandante daa anus desta
provincia, legundo constado aviso que remet
te por copia, do ministerio da guer de it de
outubro ultimo, e ord-nando que paise a elle
o referido coiumando, am de poder S. Exc. ar-
gir par/i a corle cumprir as ordens do go-
verfto imperial. Neste sentido ofllciou-se ao
inspector da pagadoria militar.
Dito. Ao director do monte pi doa lervi-
dores do estado, transmitlindo urna lettra do
saque da vIUVa Gaudino & Fllho sobre Ti oco i
Medetro e favor do tbesonreiro d'arjuelle ei-
tabelecimento da quantia de 490,645 ra., em
que Importam ai contribaiefies pagas ltima-
mente pelas penosa meaclonadaa narelaeao
que reinette. lotellgeneiou-ie ao inspector
da thesouraria de fazenda.
Dito. Ao inspector da pagadoria militar,
scienti&cando-o de ter doipaebado favoravel-
uiente o requerlinento em que Jos Ignacio de
Medeiros llego Monlaiio lenle do citado
maior do exerciio etddMv segundo bata
Ihao de artilharia a pr, pede aer transferido
para a coinpanhia lixa de cavallarla desta puar-
nico. Blclou-ie neite tentido ao Exm-
commandanle dai armas.
Dito. Ao mesmo, transinlttlndo copla do
offlciu do Kxin. marecbal commandanle daa
armas, bem como- o do commandanle do oila-
vo batalbao de caradores, a que elle se refere,
lo que pedio para despender a quantia de
3:660,000 rs. com a conclusSo da obra do
aqueducto dos pateos do Carmo e 8.-Pedro,
visto se haver esgotadoa de 8:000,000 rs.
que pela thesouraria da fazenda provincial
foi emprestada pars a dita obra.
""exterior.
CORRESPONDENCIA 1)0 MARIO DE PER-
NAMBUCO.
Liib'i, 17 de nlembro de 1850.
Agora sim, agora he que a crlse ministerial
eiteve linininente.'
Em Portugal o ministerios temem-se pouco
da oplniao publics, quasi nada do desagrado
do Paco, porm multo do desfavor do banco.
Quando le publico no Diario do (ioverno a
portarla que aballo transcreverel, dirigida
direccao daquelle eitabeleclmento, todos sup-
punham que desta fella o ministerio la ser sa-
crilicado pelo banco que tantas vezei lbe tinba
valido!
O motivo deite romplmento entre o banco e
gabinete foi oieguinte:
O governo necessltou de fazer um empresti-
ino de 400 contos, e propoi na forma do cost-
me, esta operacao ao banco, o qual uo aquir.
effrcluar lenao com juro superior ao que at
all tiiiha levado. O ministro da fazenda Com.
Avila, loman islo como um Insulto ao crdito
floancelro da luaaduilnistracio, e tratou logo
de se vlngar do banco, encarregando o empres-
tinio junta do crdito publico, e expedindo
contra o banco a tal portarla, que deu motivo
aos boatos, que por muitoi das clrcularam, de
que a esta nao resista o ministerio. Mas resis-
ti est de pedra e cal. Depois das pyraini-
des do Egypto be a crise mais solida e lnoaba-
lavel que se lem visto !
E ntese que o presidente do conselho, con-
de de Thomar, est a bandos as Caldas : tudo
isto lem sido obra do t-oin. Avila, que abaixo
delle he o que lem algum valor politico no ml-
nlsterio, os mal sio verbos de encher. Vir-
gilio dit que Geryao liona tres corpos. Elle
milagre oslamos nos presenciando. Os minis-
tros noininalinentc sio is, mas cuectlvainen-
te dom, < abril e Avila: isto be, dousGeryes,
com Irt corpos cada um, que fai a conta dos
eeit.
Vel V. agora a famosa portarla:
Hiveudo j noticia de ter entrado nos co-
fres do banco de Portugal, desde letembro de
1849 at hoje, a quantia de rii 828:929.348, pe-
los rendimentoi hypotbecadis a difl'erentes
operaces do governo, a saber 765:372,843
na typographia que elle tlnha eitabelecido na-
quetta llha um drama Intitulado Ctma'ei, com
algumas 120 paginas de olas, de multa eru-
JicSoe primor. Este llvro he dedicado a S. M.
o lenhor D. Pedro 11 Imperador do /rasrK A
dedicatoria he era versoalezandrio.0, soberbo
trecho de poesa, tanto no eogenho como na
versifccao.hc magnifica. N'ama das notas ciu
que faz urna brlfuSute narrarrVa do talento c
lettras do 1 mperador ie le o leguinle:
0 primeiro ouvlnte deste poema foi S. 51.
imperial, que na ma chcara de Santa-Crua te-
ve a bondade de permlttlr le lessc, lnteiro e de
um SO folego, na sea nugosta preaenea ; e con-
sinta-se-ove a gloriosa revelatjao, o honron com
rcfleifles, ao mesmo lempo de profundo juiz e
de prolector benvolo, permittindo alinal que
sob tal e tamanho nona, e auspicios tao fausto-
sos saisse, como sai, a publico.
Caililho va agora fundar neila capital un
collegio de educacao moral e lltterarla deno-
minado o Prtico, culo programma mando pela
conveniencia que acno de que esta inslituifiio
seja conhecida no ffrasil,donde veem tanioi ra-
paies de talento a educarem^ie_ejn_Por^ugal_.
ERNAMBUOQ___
JKYDO RECIPE.
4. SESSAO ORDINARIA DESTE ANNO.
Presidencia do Sr. Dr. Reit e Silva.
Dia 18 de novembro de 185o.
A's onze horas ds msnhBa, feiti a cha-
mada, acham-se presentes 40 Srs. ju-
rados.
OSr. Preiideute abie a sessSo, multando
os Srs. que deixarsm de compirecer, sem
excusa legal.
S3o apregoados os reos o testemunbas,
l ni- teem de responder nesta sesso, e dis-
solve-se s reuniSo, sendo convidados os
Srs. presentes a comparecerem amanhBa,
( Era 1 hora da Urde. j_____^_^___
D1AHI0 DE PIBSIlBnCO.
axwxrst, ib ai motembbo di me.
Teve hoje lugar, como haviamos annun-
ciado, o embarque do Exm. Sr. marechat
Antonio Correia Seira, i quem o vapor fa-
ts, para o embolso das operaedes autorisadas /,ana deve conluzir ao aul do imperio. S.
peloi decretos de 28 de agosto de 1849. e20de1gs(, 0 jjr presidente da provincia, O Sr.
fevereiro del850,ua Importancia de 760:000,000 comm,nJ,nte gup0fior da guarda nacional,
aflm de que de conformidade com o que pro-
p> o mesmo marecbal, faca descontar dos ven-
cimentos dos omelaes do mencionado batallio
as quanlias em que Imporlam as races de car-
ne e l'ariiiha, que alm da etipe, forain abona-
das indirldameiite a cada um doa ditos ofBolaes
t'ommunicou-se ao referido marecbal.
Dito. Ao director do arsenal de guerra,
para que faca alistar nacompaabla de aprend-
sea daquelle arsenal, depois de lavrado o ter-
mo, de qae trata artigo 4 do decreto n. 113 de
3 de Janeiro de 184t o menor Francelino doi
San tos e Araujo, que Use ser mandado apre-
lentar pelo chefe de polica interino. Neste
sentido ofllciou-e ao juii de orphaoi, e coin-
municou-se ao meimo chefe de polica.
Dito. Ao mesmo, aulorisando-o a despen-
der a quantia de 3i,400 rs., sendo 23,400 rs.
cora a compra de duas arrobas e 14 librai de
cobre velho para os trabalhos da oliicina de la-
loelro, fundidores da qtiarla classe daquelle
arsenal,e o resto com a aequisico de nina bau-
deira imperial de um panno de Alete para as
bandeirolas de continencia. Intelligenciou-
te ao inspector da pagadoria militar.
Dito. Ao commandanle do vapor Theiii,
duendo que deve sustar o pagamento dos ven-
cimentos do grumette daquelle vapor Thtiii,
at que se decida aer elle ou nao eacravo de
Joo de Freitaa Nogueira.
Dito.Ao agente da compsnhia das bar-
cas de vapor para que mande dar passagem
para a Babia no vapor que se espera do nor-
te ao capitSo Francisco Carlos Bueno Des-
champa, e para a ottee aquella provincia
as prscas de pret, que Ihe forem mandadaa
apreeenlar pelo Exm marecbal comman-
danle das armaa.-lnlalliganciou-se ao mes
mo mareohal.
Dito,Ao inspector da thesouraria da fa-
zenda provincial, para que, oslando con-
forme, mande pagar ao carcereiro da cadeia
de Igusrsssft a conta que remelle na impor-
tancia de 19,900 '" que foi despendida oom
o auslento dos presos pobres da mesms ca-
deia no* mezas de maio e junbo do coi ren-
te anno. -- Inteirou-sa ao chefe de po-
lica.
Dito.Ao mesmo, declarando que a mul-
la imposta ao arrematante da obra da se-
gunda parle do nono lineo da estrada d
Victoria por nSo ter acabado no devido
lempo a referida obra, deve reduzir-se
decima parle do seu prego, depois que se
mandou supprimir os tres arcos, que esla-
va a cviuprenendidos a: srrcisstscSo.
Dito.A cmara municipal do Recife, ac-
cusando recebido o ofllcio, em que partici-
pa que auppoato estivessem esgoladss an-
tes de Sfludaro annofinanceiro munici-
pal prximo passsdo aa quanlias designa-
das para certas despezas cargo da mesma
cmara. Upa como cal(ameDlo de ras,
eventuaea e outras, comtudo fez continuar
as mesmss despezas pelo saldos de outras
verbas e pelos dinbeiros recebidos, impor-
tando aa sommas assim despendidas em rs
657,6110, a declarando que approva geme-
Ihantes despezas, que serio incluidas nol
saldos do referido anno.
Dito.a mesma, coacedeudo > autoria-
rs, e63:556,505 rs. para o embolso da operacao
aulorlsada pelo decreto de Z4 de maio ultimo,
na minina de 400:000,000 de rs., e montando a
importancia das obrigacdei reipectivas as duas
primeiras operaedes, vencidas at boje, soin-
na de .'60:000 (00 de ri. a qual s le pode ajun-
lar a de 80:000,000 de rs. relativa as qualro se-
rles, que o banco est obrigado a descontar por
virtude dos contratos autorisados pelos referi-
doi decretos ; do que resulla que anda raesiuo
no ultimo caso ha em disponibllidade nos co-
fres do banco a somina de 188 929,348 rs. que
he sumeiente para satisfazer todas as lettras,
que ainda restara das duas primeiras opera-
edes, e a primeira serie dis da terceira, restan-
do ainda a lomma de 28:929,348 rs.; e nao ha-
vendo vaniagem alguiua para o thesouro em
que aquella souima esteja relida nos cofre do
banco sem a menor appllcacao: ordena S M. a
rainba que a direccao do banco de Portugal fa-
ja annnnciar, desde logo, que desconla por
conta do governo ao premio de cinco por cento
ao anno todas as lettras que ainda restara das
duas primeiras operaedes, e aprimeira serie da
terceira que pan esse Um lbe for apresentadas;
ficando a dlreec-o na inlelligencia deque as-
sim dever proceder auccessivamente logo que
for ir nd i em ser a importancia correspondente
a cada urna das prestacea seguintes. E por-
que aquella consideravcl soiniua de 818.929,34S
rs. lem sido recebida na sua quasi tolalidade
em metal, quando o governo s tera obrigaco
de pagar as lettras cora tres quariai parles era
metal e urna em notas : manda outro sim a
mesilla augusta lenliora, que a direccao preeu-
cha as notas que faltarein para prefazer aquel
la quaria parte era notas do tbesouro que all se
achara icrvindode bynoiheca aos eraprestiinos
de 10 de outubro de 1849 e 14 de marco deste
auno,depositando era seu lugar o metal corres-
Soudente ,o valor das mesiuas notai.narasaode
1 por cenlo, por que eslao empenbadas; e an
ouuciando Igualmente que aoi portadores dai
lellras correspondentes serao estas diconla-
das por conta do governo,. no caso que assim
Ihes convenba, na raaio de cinco por cenlo ao
anno.
Paco das Necessidades, 6 de setembro de
1850 enlomo JoiitTApiu. Para a direccao
do baneo de Portugal
Diga-ie porm a verdade, talvez lito ae de-
vesse fazer lera cauar o estrepito que tem fei-
to, mas a portarla be justa, e o banco nele ne-
Socio bouve-se cora a costumada livlaudade
ias habitadlreccdei. Dlsae-* "" '"-
va (,'abral tiulia inlluido para que o banco (co-
mo presidente que he da assewbla geral) ne-
gaste eite einprestimo ao governo: leoho, po-
rm. fundamento para asseverar que foi ou
quiz ser eilrauboa Ul deliberacao, nao obstan-
te estar cada vez acirrado contra seu irraao, co-
mo te v dol ulliuioi do Eitandtrlc, que fere
loto coulra o governo.
A crtM 6aneal porm passou como fumo ; a
junta encarrrgou-ie de promover o empreili-
no cora boai garantas, a inscrlpco doi rau-
lunlcs completou-se era poucoi dial, entrando
uclle iiiuito dos subdli"l>raileirosque vle-
rain fgidos da febre ainarella.
conde de Thoinar teve licenca para Ir to-
mar os baiihos dai < aldas, e ir paliar a calma
no leu caitello de Thomar, ficando o ministro
da juillca. Fella Pereira, com a pasta do reino
Acouipauhou-o Mr. LOinonoiobY, ministro da
Hussla, a cuja amiade devem talvez o conde
ter sido aggraciado, ba poucoi das, pelo im-
perador cora a graa-ciut da Aguia-branca.
A familia real que passou este vero em Cin-
tra e Mafra, recolbcu-ie corte no dia 4, por
oocaiiio da ebegada de S. M. 1. a seubora du-
quesa de Braganca e sua tilba.que recolberauv
es da sua.looga viagem.
Tambem recolbeu-se da iiha de San-Miguel,
e diversas pessoes gradas o accompsnha-
ram ao logar do embarque, onde eslava
formado o segundo bstalhSo de catadores,
que Ihe prestou as honras divi las.
S. Exc. auzentando-se ainda por esta vez
da sua trra natal, deixou nos a grata sstis-
facSo de haver desempenhado, como sem-
pre, da manera a mais satisfactoria os de-
veres Inherentes ao cargo de commandanle
das srmas, maniendo sempre com discreto
rigor a disciplina militar, e regularissndo
com inlelligencia o servico das tropas con-
fiadas ao seu commando. Ascircumstan-
iss difllceis, em que se acha o imperio re-
clamara do S. Exc. os valiosps serviros que
le sua coragem e talentos, militares reco-
nhecdos s3u de esperar. Prospera lbe seja
a viagem, e prospero o resultado de sua ida.
Pelo brigue portuguez Tarujo III, chopa-
do nonlem, e pela barca porlugueza Sania
Cru>. chegada hoje, ambos de Lisboa rece-
bemos a carta do nosso correspondente da-
quelle cidade, a qual fies estampada no lu-
gar competente e bem assim varios peridi-
cos que alcance ni a 19 de setembro prxi-
mo passado.
No dia 13 de outubro pelas 5 1/2 horas
> tardo fallecer em Lisboa o distincto
portuguez duque de Palmella na Idade de
69 annos e 5 mezes. 0 Ilustre finado pres-
tara como se sabe, grandes servico* ao seu
paiz, principalmente i causa eao throno
la actual rainlu a Sr.' I, alaria II e por is-
so sua morte fdra geralmente sentida. Elle
era conseiheiro de estado, presidenta da c-
mara dos pares, capitSoda guarda real por-
lugueza.
Morrra tambem em Macau no dia 6 de
julho do corrate anno o conseiheiro Pe-
dro Alexandrino da Cunha governador da-
quelle cidade.
Eis-aqui o que s este respailo se 16 no
Diario do Cseme de 29 ds setembro :
A cidade de Maco tornou a passar por
urna perda, que enebeu de consternaco todos
os habitante!, e que o nono paiz nao pode dei-
xar de deplorar profundamente.
. vtrt annelle nn**. cctrlsldo poli
norte do goveiuador Amaral, e atenuado por
diversas circunstancias, que acompanharam e
eguiram quelle trgico auocesso, se comer.a-
va a reanimar e cobrar alalo com a pretenda
do digno substituto daquelle (uacciooano, que
tantos beneficios lbe fe, e cuja perda tao sen-
tidamente cliorou, veio a inoitc ariebalar-lbe o
novo governador, oconielbeiro Pedro Alexan-
drino da Cunba uo dia 6 de julho do corrente
anuo, pelas tres horas etneia da Urde, aviv.ui-
do-ltte assim fcrldas, que anda ssngravain,
nurchaudo-lbe esperanzas que prinelpiavam a
renascer!
Tanto as participafes omciaei como di-
versas cartas de pesaoaa reipeitaveis que temos
avista, lo coutoruies em asseverar, que este
aconieciuieuto causou eiu tuda a cidade a mais
viva dor pelo multo que lodos ah tihain ap-
plaudido a escolha da pesio, que S. M. a cu-
carregra de preildir aoi destinos daquelle es-
tabeleciraento, em urna das mais dificeis po-
ca t porque tem paasado.
Apenas constou a morte do governador reu-
nio-se inimeialaueatc o cooseiba do goveroo
para asiuotir a direccao dos negocios uiJjs80*>
conforme as disposijOei eitabelecida j
occorrer a semclbanie eveutualldade.
Ciliadas auas primeiras medidas foi
onde esteve 3 annos, o nosso Insigne e loiuiia-ldar fazer a autopsia do cadver, afira de socce-
vel poeu A. Feliciano de Castilho. Imprimi I gar o publico, que aobre eatremauenle oons-


!2!
./.;
ternado le Indignara por causa dos boatos, que
logo le espalharam de proplnscan de veneno.
Tendo-se procedido autopsia no dia se-
gululc, resultou drste exame cnnhecer-se que
mi havia fundamenta pira tal luspaili. A ciu-
sa da mortc fot attribulda a un gastro enten-
te chronlca, aggravada depois por varias cir-
cutnstancias on influencias meto rologicas,
que produiiram um ataque fortissimo que du
tou 13 boras, no liin das quaes succumbio o
enfermo, Meando inuteis lodosos soccorros da
arte, todos os esforcos emprehendldos para o
salvar-
Na Urde do dia 7 tiveram lugar os fuoeraes,
prestando-se ao Ilustre nado todas as honras
que erain devidas ao alto cargo que oceupava.
O corpo foi depositado em um carnelro na ca-
pella do cemiterio de San-Paulo.
Desl'arle a cidade de Maco perdeu dentro
em curto praio dous governadores. Um qus
inuito se empentara para fser llorecenle, e
3ue soubera merecer estima e respeito de to-
a a povoaco. Outro que muito de si pro-
inetlia, que inultas esperanzas alentara, eque
desde logo attrshira as sympathias de urna cl-
dade, cujo procediiui'iitd durante crises melin-
drosas, lbe adquirir, a diversos respeilos, um
lugar distincto em a nossa moderna historia.
Asslm tambero a marino. portugueza per-
deu em lo pequeo espaco de lempo dousof-
ficiaes, lio dlstiuctos pela sua intelligencia e
bravura, como dignos de honrosa memoria pe-
lo telo coi que scrviraui o seu paiz, pelo mor
e dedicaco que sempre mostraiam paracom
a Ierra que Ihe servio de berco \
O conselho de governo tinha tomado as ne-
crssarias providencias para que os negocios p-
blicos conliuuasseiu no seu andamento regu-
lar. Conservava-se' inalleravel soccego, e nao
havia o menor receto de que a trauquillidade
fosse alterada.
Ficavam tundeadas naquelle porto a fraga
ta D. Mara II, e a corveta D. Joo /.
Havia alli chegado nos principios de julbo
novojuis dedlrelto, o Sr. bequeira Pinto, que
tuiuuu posse do seu lugar no dia 17 do mesino
un.
A Hespsnhs Gcri tranquilla. A ranilla
por decreto de 8 de oulubro encsrregra
novamente do ministerio nos negocios do
reino, o mesmo ministro que obtivera li-
cenrja para ir provincia de Cuenca, sendo
exonerado deste cargo qoe par provisoria-
mente fora nomeadn o ministro de com-
mercio D. Manuel Seijas I.o>ano.
U opilSo genal da ilha de Cuba D. Jos
de la Concha, sabio a 12 de oulubro de Ma-
drid, com direccSo a Cadix, pira embarcar-
se naquella prac^ no meiado do mesmo mez
UO vapor Caledonea.
Do Popular de 7 de oulubro Irincrevemos
o seguinte artigo : ,
Sabbado passado dizia um dos nossos
collegas :
Houtem complelou 3 annos de existen-
cia a admiulstra8o presidida pelo Duquo
de Valencia. Nenhum gabinete tem litio
t.lo larga vida em Hespanha, desde que
existe nella o governo representativo. He
verdade que nenhum governo tem feito
cousas maia grandiosas no nosso paiz ba
muitos annos. Tsrminou a guerra civil,
(leu a amnista mais ampia que conturu os
factos da historia ; venceu a revolucSo e a
anarchia, quando uniaeoulra seassenho-
reavam da Europa e da sociedade ; creou ,
digamo-lo asaim, o prestigio, a forcaeo
princio do governo, toroando-o compalivel
com a librdade ; e levou ao cabo a reorga-
nisacSo em grande parte da nossa fazeuda,
e a primeira rel'rnia as nuasas pautas ;
estreitou as relscOes da Hespanha com a
Europa, e as desla ufSo calhotica com a ca-
beca da igreja: creou utna marinha, me-
Ihorou muitissiinoo nosso exercito, e res-
labeleceu o norae, a cousi Jerac5o e a im-
portancia do nosso paiz aos olhos do
mundo.
Abie-se hoje um segundo periodo as
vistas do gabinete Narvaez periodo que
deve ser de grande e constante progresso
material. Que na queslio econmica, con-
siderada em todas as suas phases seja 13o
feliz como o tem sido no campo da poltica,
be lodo o nosso anhelo, ehe lambom anos-
rt esperanza.
O Peridico dos Pobres de 19 de oulubro,
referinde-se a noticias recebidas de Pars
expressa-seda manera seguinte:
< Diz-ae em um ou dous dos crculos po-
lticos de Pars que alguna representantes
lein intenso de propora assembla nacio-
nal urna proposta, para que os restos mor-
Uea de l.uiz Filippesejam enterrados em
lireux. Diz-se que provavelmente o gover-
no se n8o oppor, e que atapoiar. Para
que se n&o perca lempo, as pessoas que in
teutam fazer a proposts, cuidam tambern
de como se ha de praticar as ceremonias
Mas a vinda dos restos mortaes seria incom-
pleta, ee nao lora acoinpanhada pelos mem-
bros da familia do re. Por isso na propos-
ta se comprehendera tambern a aulorisaeflo
da assembla para que os principes aconi-
panhem as cinzas de seu pai easaialamas
ultimas solemnidades. Concedida a licen-
ta, propor-se-ha que se escolha cerlo nu-
mero de ofciaes superiores para sssistirem
ao sahimento fnebre desde que desembar-
car o caixao, aervindo como de guarda de
honra, e para remover ao mesme lempo to-
do o receiode msnireslacao poltica.
0 manifest de Wicebaden e a revista de
Versailles foram urna mina para os peri-
dicos de Paria ; mas a materia esta quasi
de todo exhaurida, e difliciimente ae acha-
ra que se poaaa ainda dizer a este res-
pailo. ,
O mesmo peridico, tratando do arcebis-
po de Tunm diz o seguinie :
O arcebispo deTurin 080 embarcou para
Civila-Vecha, como o de Calieri, mas re
tirou-se para a Franca. No dia 30 de selem-
bro sahio da Briaucon, e parti para Hap
(noa Altoa Alpe) onde fui cordealmente
recebdo pelo bispo e clero. Havendo.se
demorado dous diaa em Gap, parlio para
l.ySo, onde tenclona fixar a sua diocese, se
o governo sardo o nao impedir. Presme-
se que o arcebispo nSo ira nesta occasiao a
Taris, nSo obstante o que disseram alguna
peridicos. Conla-se que, pediodo o go-
verno sardo a II. Fernando Barrot, minis-
tro da Franca em Turn, passaportes para o
arcebispo, o ministro recusara pass-los
urna vez que nao fossem pedidos pelo mes-
mo arcebispo.
Urna carta de Hamburgo datada de 2 de
oulubro diz o seguale acerca da ultima sc-
c2o asir aa tropas de Scheleswig-lloles-
tein e osOinamarquezea :
a Ha (1.' de oulubro ) tres lias que dura
Bque "da Frederichatadl; no da ante
a tropas dinamarquezaa que tnhan
do o fiyder, vollaiam novamente
rgem do cul, tendo aido bem succedi-
das na* uperatOes contra Tonoing e Oar-
do, que esto novamente efll poder dos
DiMBiu-queses, o quaes estao agota do
minando todo o terreno ao nordeste do Fre-
dcrichstadlu. Hontem nada se fez mais que
impedir os do Unisteis de construir as suas
f rtificicGes campis. O fogocomecou no-
amerite hoje s 9 da manhia. Srgundc as
"oticiasdo dia 2 o fogo conlinuava anda,
n ardiam alguns edificios da cidade.
O eleitor de Hesse-Cassel transferio a so-
da do governo para llainan. Eis-aqui o
oonteudo da ordem por elle publicada, se-
gundo a tradcelo feta pelo Peridico doi
Pobres:
Frederico Cuilherme primeiro eleitor,
etc. Fajemos saber :
a A resistencia que a maior parte das au-
toridades superiores de Cassel, opposeram
s nossas ordens ennstitucionaes do dia 4 e
7 de setembro, violando da maneira a mais
flagrante os deveres do servico publico, ea
digndade do nosso governo no permittin-
do que continuassemos a residir no mesmo
lugir.ero qua esto os subdhos rebeldes,
lomos obrigados a eslabelecer em outra
partea sede do governo, at que as autori-
dades de que fallamos tornera a entrar noa
seus devores
Potemos toda a noasa solicitude em
tnanler a expedidlo regular dos negocios,
e esperamos da lealdade dos nossos subdi-
tos que hilo Jo secundar nossos esforcos
pela sslvaco da coiistiinicHo e da forma
mouarchica, de que depende a constituirlo,
e para manutenerlo da ordem legal, condi-
(3o uecessaria de toda a forma de governo.
Propomo-nos tomarsem demora tolas
as medidas necessaras para rnanter o res-
peito sleis, e por em andamento os ne-
gocios pblicos ; e exhortamos para que
entrera em seu dever todas aa autoridades e
funecionarios, e ao mesmo tempo seprevi-
nam contra asconsequencias nevilaveisda
resistencia s nossas ordens eonstilucio-
naes.
a Conformando-nos com o nosso conse-
lho de ministros, ordenamos o seguinte -.
a A ade do nosso governo be transferida
para o Wilhemsbad.
Assigoado pela nossa augusta assigna-
tura, e sellado com o sello do ealado.
Wilhensbad, 17 de seletnbro. Frede-
rico Guillarme. Hattenplfug, Haynau,
Raumbach.
No Diario do Governo de 1 de outubro la-
se o seguinte:
a No groo-ducado de Meklemburgo Sche-
werim foi definitivamente abolido o syste-
nia representativo. A nobresa tinha repre-
sentado contra a constituidlo do anno lin-
do,e pedido ser absolv Ja do juramento que
Ihes prestir. O tribunal de abitros acce-
dendo aos desejos da nobresa, declarou nul-
la de direito a constiluicSo. Esta senten-
ga he acompanhada de um decreto do
gra-duque derogando a le fundamental
promulgada em 10 de outubro de 1839
dissolvendo a reprecenlaqUo nacional, e
desobrigando os empregados do juramento
que prestaran! a constiluicSo. >
Copenhage 49 das, brigue dlnamarqnez
Charlou Hage, d 300 toneladas, capitSo
II. P. Doek, equipagem 19, carga carvSo a
taboado; i Me. Galmont & Companhia.
Navios sahidos no metmo dia.
Liverpool pela Parahiba -- Brigue ingle*
Richard, rapiao William Whiie, carga sl-
godSo eassucar.
Portos do sol -- Paquele de vapor Bahiana,
crunmandanle o primeiro tenante Segun-
dino. Alera dos passageiros que Irouxe
dos portos do norte para os do aul leva a
seu bordo: o Exm. marechal decampo
Antonio Corris Ser com ana familia,
Francisco Kafael de Mello Reg, o ten-
te Joaquim Francisco de Paula Moreira,
Jos Pedro Ribeiro de Aguilar, 3 pracas
do exercito. 4 escravos a entregar, o ea-
pitSo Francisco parios Bueno Deschampa
com aua familia, Luiz Jos da Cerqueira
Mandes, Daroioo Axiolis de Azevedo, F-
lix Ferreira de Mallos, Sebastiao Crdoso,
Manoel Pedro Alves Moreira, Villaboio,
Romualdo Antonio de Seixas, Jos Za-
charias de Carvalho, Cincinato Mavignier,
Joaquim de Mello Rocha, Archias do Es-
pirito Santo Menexes. Artbur do Espirito
Santo Menezes, Fraucisco Baptiata da Co-
nha Madureira, Antonio M. de Moura J-
nior, Jos Martin's Alves, 1 segundo sar-
gento, 1 cadete, um furriel, 1 soldado com
sua mulber, Pedro Fracelino GuimarSes,
Joaquim Carneirode Campos, JoSo Jos
de Oliveira Junqueira, Fernando da Silva
Deir, Prospero l)inix e Antonio Jos Uu-
arte da Silva Braga.
ObseruacOes.
Fez-sede vela do Lameirilo a corvet* in-
gleza Tiweta, commandante lord Francis
Kussell. Ignora-se o aeu destino.
Segnio para Liverpool o brigue inglez
Emma, que tinha vindo de Macei.
Fundeou no Lameirgo um brigue aueco
r P
se mostram as impiedades, e o rancor detts)
obra contra a sacrosancta religiSo de nos-
sos pais, e faz-se a victoriosa defeza da
mu digna, e prestimosa companhia de Je-
ss. Vende-se em S.-Antonio na loja do li-
vroazul.no pateo do Collegio, e na Boa-
Vista, botica do Sr. Gameiro, a dez tustes
cada exemplar.
Chronicada rebellio praieira em 1848
e;i849, pelo Sr. desembsrgador Jeronymo
Mariitiiaoo Figueira de Mello, chefe de ro-
licia da provincia de Peroambuco, 6 por es-
ta depulado a assembla garal legislativa do
imperio, offerecida aos Pernambunos de-
fensores da ordem; 1 vol. de maia de 600
paginas em 19 mximo : vndese na ra da
Cruz do' bairro do Recife, livraria n. 56, em
brochura a 4,000 ris. ^_______
iai-
aasfa?
Avisos martimos.
ItITAES.
PublicaQo pedido.
/Um. Sr. N3o me convindo mais servir
oo em prego de escriv3o desla subdelegacia,
asaim o participo a V. S. para que ss sirva
Jeobter do Sr. delegado a miriha detnissflo
nos termos do art. 44 do regulamento de 31
le Janeiro de 1842, oomeando entretanto,
quera exerca o referido emprego e tome
cotila do cartorio. Dos guarde a V. S.,
Recife, 13 do novembro de 1850.
Uliii. Sr. Francisco Raplisla de Almetda.
digno subdelegado supplentede S. Jos do
Recife. D. Knlonio de Locio e Silbes.
Tendo considerarlo ao merecimento e
mais parles, que concorrem na pessoa do
cidado Jo3o Soares da Fonseca Velloso, e
a vista da demissSo que pelira do emprego
de escrivSo desla subdelegacia o serventua
rio I). Antonio d.i Locio e Silbes, e de con-
formiJade com o artigo 44 do regulamento
de 31 de Janeiro de 1842, tenbo nesta data
nomeado para servir interinamente o mes-
mo lugar de escrivSo desta subdelegacia ao
sobredilo JoSo Soares da Fonseca Velloso a
cujo emprego servir com honra e /ello e
havera das partes os emolumentes, que
pelo regiment que regula o salario dos em-
pregados da fustica Ihes competir. Em
firmeza do exposto passei "presente em
que me assigno, devendo o nomeado pres-
tar primeiramente o juramento do estyllo.
Subdelegada de S. Jos do Recife, 13 de
novembro de 1850. O subdelegado sup-
plente em exercicio, Francisco Baptista de
Almiida.
cowmmuh
ALFANDEGA.
Rendimentododia 18.....17:042,418
lie curre gam hoje 19 dt novembro.
Brigue S. IItiene -- mercaduras.
Brigue -- General Worth farinha e ceblas.
Brigue -- Taruje III mercaduras.
CONSULADO GEKAL.
Rendimento do dia 18.....1:038,590
EXPORTACAO.
Despachos martimos no dia 18-
Rio de Janeiro, barca nacional America,
de 916 toneladas : conduz o seguinte : 9,000
saceos, 174 barricas e 4 caixas com 11,494
arrobas a 3 libras de asauvir, S.uo meios
de vaquetas, 40 saccas com 244arrobase 25
libras de lgodSo, 200 mluos couro de ca-
bra, 24 tahuas de amarello e 56 barricas de
sebo.
Liverpool por Parahiba brigue inglez J?i-
hard, de 459 3/4 toneladas : conduz o se-
guinte 1,655 saccas com 8,651 arrobas e 16
libras de algodo e 2,210 saceos com 11,050
arrobas de assqcar.
RECEBEDORIA DE RENDAS GERAES
INTERNAS.
Rendimento do dia 18......423,148
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 19......992,859
Movimento do porto.
Navios entrados no dia 18.
porto 25 dias, barca portugueza Sania
Cruz, de 229 toneladas, capilSo DamiSo
da Costa Roaa, equipagem 21, carga aal,
vinhoe mais gneros; a Francisco Alves
da Cunta. Passageiros : os Portugueses
Antonio Francisco de Carvalbo, Jos An-
tonio de Moraes, Joaquim de QueirozMon-
teiro, Jos CGjsrVes dos Reis, Josi
mes da Fonseca e Antonio Jos de Arbo-
rifls.
O lilil. Sr. Inspector da Iheaourarla da fa-
lenda provincial, em cumplimento da ordem
do Eain. Sr. presidente da provincia de i5 de
outubro prximo passado, manda fazer publi-
co, que val novamente a praca peranle o tribu-
nal administrativo da mesma tbeaourarla, par
aer arrematado a queiu por menos fuer no dia
21 do corrente a obra dos concertos da ponte do
Aojo, sobre o rio SeriohSem avallada em rls
939,400 e sb as clausulas especiaes abano de-
alaradas.
As pessoas que se propozerem aestaarre-
uu(o coiuparecam oa sala das stsses do ines-
uo tribunal no dia cima mencionado, pele
uieio-dia, competentemente habilitadas na for-
ma do artigo 24 do regulamento de 7 de malo
do corrente anno.
E para constar se inandou af&xar o presente
e publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria dafazenda provin-
cial de Pernambuco, 9 de novembro de 1H50.
O secretarlo,
Amonio Ftrrtira fAnsnneiaedo.
Clausulas tipteiots da arrota loco:
1.* As obras dependentes desta arremataco
sero felfas de coolormidade coro o orcaineoto,
apreaenUdo neaU daU ao fcxm. Sr. presidente
da provincia pelo preco de 939,400 ra.
J." O anematanie comecar as obras no pra-
so de um met coudo da dau da partlcipaco
que lhe Mr feila da approva9ao d'arreinacao pe-
lo governo e as concluir no praso de quatro
metes, ambos cont idos da mesuia parllclpscao.
3.' A importancia da arrematadlo ser paga
em dua prestacoes Iguaes. a jjrlmeira depol
de ter feilo melade da obra, e a segunda depois
de lavraro termo do reeebinaento definitivo.
4." Para ludo o tuais gue nao est determi-
nado pelas presentes clausulas seguir-se-hs
Inteirainenle oque dispde o regulamento das
arremauedes de 7 de maio de 1820.
Ponte dos Csrvalbos, 28 de setembro de [850.
O engenbeiro chefe da 4.a sessao,
Plorismt Detir Pourlitr.
Approvadas pela dltectoria em conselho, no
da 14 de uolubro de i850. O director, los
Mamede Alets Ftrreir*. 1L. Hclo> Luuthur.
H. A. Miltl. Floriono Huir PourUtr.
Approvo. Palacio do governo da provincia
de Pernambuco, 25 de oulubro de 1850. Son-
sa Hamos.
Conforme. 0 offlcial-malor, mauotl Utmtnlt-
no Curneiro da Cunka.
Conforme. OaecreUrio, Ankmio Ftrrtira a
Anunttaco.
Para conhecimento de quem poass n-
ter essar, mands olllm. Sr. cspitSo do por-
to desls provincia publicar o oIRcio abat-
xo transcripto, que lhe dirigir o capitao
Jo porto do MaranhSo, datado de 30 de ou-
tubro prximo passado.
Secretaria da capitana do porto de Per-
nambuco, 18 de novembro de 1850^-0 se-
cretario interino, Joi Marclilino hlves da
Fonseca.
llltn. Sr. Tendo em daU de 15 de ju-
Iho deale anno participado a V. S. que se
lna dar principio a reelifleaeflo do phsrol
do llaculumin, e que por consequencia apa-
gava-se a luz do mesmo pbarol; cumpre-
me agora communicar-lhe que, no dia 19
do corrente mez reappareceu a dita luz ;
rogando a V. 8. aa sirva dar toda a publici-
dade, para conhecimento dos navegantes
que demandaren o porto desta provincia.
Dos guarde a V. S. capitana do porto
do Maranho, em 30 de oulubro de 1850.
lllm. Sr. Rodrigo Theodoro da Freilaa, ca-
pillo de mar a guerra, e iqapector do arse-
nal, e capilSo do porto.--*** Caelanodt hl-
mtida, capitao do porlo.Cunforme.O se-
cretario interino, los Manilltno A/cea a Fonseca._____________
lieclara<;oe8.
COMPANHIA DO BEBER1BE
NSo lando comparecido numero sufOcien-
te de accionistas da companhia do Beberi-
be para haver assembla geral no da 15, o
director coovida de novo os Srs. accionistas
para que hajam de reunir-so impreterivel-
mentequarla-feira, 80 do corente, as dze
horas da manhSa, no criptorio da com-
panhia.
--Pela subdelegscia de San-Jos deata
cidade foi apprehendido um pequeo relo-
gio de parede, com falta dos ponteiro, a um
preloque oandava vendendo pela quanlia
de 160 rs : quem fr seu legitimo dono,
procure-o na mesma subdelegacia, que,
dando os sigoses cerlos, lhe ser entregue.
l'iibliccoes litterarias.
Para quantoa presara a rellglo,
a pjeaatle e os bona ceKtuiuea.
Sahlo finalmente i luz oji annunciado
opuaculo com o titule Obserya^ocs eri-
tleaasoi>re o romanee lo sr.JCn-
gtnlo ssue, u juden Errante, onde
Para o Hlo de Janeiro
segu viagem coro mita brevidade o bri-
gue nacional .Cemcticio, por ter parte do
carreganiento prompta : para o restante,
passageiros e eacravoa a frele, trata-se com
Manoel Alves Guerra Jnior, na ra da Cruz
do Recife n 40, ou cora o capillo Manoel
Francisco dos Reis.
Para o Para, tocando no Ceara, Mlie
em poucos dias a escuna nacional Mara
Firmina, capitao e pratico JoSo Bernardo
da Rosa, por ter paite do seo csrregsmen-
loaogsjada : par carga para um osssro
porto e passageiros Irata-se com o consig-
natario, Luiz Jos de S Araujo, na ra da
Crus n. 33.
Para o asmi
segu no dia 19 do correla) o hiato Flor de
Cururipe : quem quizer carregar ou ir de
passagom, dira-se i roa do Vigario n. 5. 1
lio de Janeiro.
O patacho Santa Crm Segu uestes dias,
s recebe alguna carga miuda, passsgeiros
e escravos a frea : trata-se so Isdo do Cor-
po Santo, loja de massames n. 95.
Para o Ceara
segu viagem por loda a semana o hiate L-
qtiro, por j ter parte do seu csrregsmento :
para o reato ou passageiros, dinjam-se
ra do Vigario n. 15.
" Parara Babia aahe impreterivelmente
no dia terca-feira 19 do corrente a sumaca
nacional Carlota, para receber algumas
miudezas e passageiros, trata-se com o con-
signatario Luis Jos de S Araujo na raa da
Crns n. 33.
Para Cotinguiba sahe nestes oito dias a
sumaca nacional Flor do Kngelitn, mostr
Bernardo deSouza, por ter a carga prompta
pode receber algunas miudezaa e passagei
ros, a tratar com o mesmo mestre; ou com
l.uiz Jos de Araujo na ra da Cruz n. 33.
Para o Porto
O brigue portuguez Maa Felit, capitSo
l.ourenco Fe'nandes do Carrno : quero no
mesmo quizer carrogar ou ir de passsgem,
dirija-se ao dito capilSo na praca, ou ao
consignatario Anto'nio Joaquim de Souza
Ribeiro.
Para a Baha sahe em poucos dias o
bem oonhecido hiate San-Iodo : para- carga
e passageiros trata-se com Antonio Jos Fer-
nandas de Csrvslbo, na ra de Amorim nu-
mero 36.
Para Luanda com escala por Benguell
o brigue portuguez Oritnli pretende seguir
com a maior brevidade posslvel, por ter o
seu carrogamento completo, apenas recebe
alguma carga miuda e passageiros, para o
que olTerece os melhores comroodos : trata-
se com os consignatarios T. de Aquino Fon-
seca & Filho, na ra do Vigario n. 19, pri-
meiro andar, ou com o capillo na praca
Para o Aracaly sahe, no dia 28 do cor-
rele, o huta Anglica, portar j parte da
carga prompta : para o restante e passagei
ros, trata-so com Antonio Joaquim Seve na
ra da Cadeia do Recife n. 49, ou com o mes-
tre Jos Joaquim Alves da Silva, no trapiche
do algodSo.
Para Santa Qatharina
sahe com brevidade o patacho nacional Li-
vramento, capilSo Francisco Jos Ratea Ja-
nior i recebe carga e escravos a frele : qaem
quizer embarcar, falle com o dito capitSo,
ou cora Manoel Ignacio de Oliveira, na praca
do Commercio, n. 6.
Para o Rio de Janeiro
sahe, uestes 3 dias, o brigue nacional Valli.
recebe passageiros a escravos a frele : quom
pretender, falle com o capitao na praca, ou
com Manoel Ignacio de Oliveira, na praca
do Commercio, n. 6.
-Para o Kio de Janeiro sahe em poucos
dias o pataxo nacional Curtoio, capitao Ma-
noel Rodrigues Faneco, por se adiar parte
da carga engajada, para o restante e pas-
sageiros trala-se com o consignatario Luiz
Jos de S Araujo na ra da Cruz n. 33.
Para o Ceara.
Espera-se com toda a brevidade de Lis-
boa com destino ao Cear, o brigue nacio-
nal Empresa, forrado e encavilhado de co-
bre e de superior marcha; demorsr-se-ha
aqu 19 diaa, a receber carga e passagei-
ros : trata-se na ra da Cadeia do Recife n-
17, segundo andar.
Para Lisboa o brigue portuguez Coneeicad
dt Maria, pretende seguir por tojo o mez
de novornbro, por ter a maior parla da car-
ga prompta, quem no mesmo quizer carre-
gar ou ir de passsgem, dirija-se aos seus
i '"!',5;!:r:c: T!:c::::z de Aauioo Fonseca
iFiho, ra do Vigario n.'!9, primeiro
andar, ou ao capilSo, oa praca



a>

3-
t
Leiles.
Ridgway Jamieson & Companhia farfio
leilSo, por nlervencBo do correlor Oliveira,
de variedade de fazendas inglezas, para fe-
char cotilas: terca-feira, 19 do corronte, s
10 horas da manhSa, no seu srmazem, ra
do Trapiche-Novo.
O correter Oliveira far leilio, por au-
torisacSo do lllm. Sr. juiz de orphSos, e a
requerimenlo do tutor dos orphSos tilhos
do finado Jos Ramos de Oliveirs, de loda
a mobilia e mais Irem da casa deale quar-
ta-feira, 20 do corrente, s 10 horas da ma-
nhSa em ponto, no Aterro da Boa-Vista, ca-
sa n. 15.

Avisos diversos.
Preciss-ae de urna preta idosa para to-
do o servico interno e externe de urna easa
de homem soiteiru : S iu> Jo Rszariv es-
treita, travessa de Queimado, loja de miu-
dezas, II. 2 A.
Aluga-se o segundo andar da casa n. 20
da ra da Cadeia do Recife, cora commodos
para grsnde fstfivia, com um grande so-
lio parajlT famolos separados e com una
boa cacimba : tratarse na loja da mesma ca-
sa, eondeacham-se as chavea para ae po-
der veros commodos e arranjos da masioa.
-- Precisa-se alugar urna preta para co-
zinhar em urna easa da poucs familias na
ra larga do Rozarlo, loja do miudezas, nu-
mero 26.
Innocencio Antones de Fariaa pode ser
Eroonrado nos Afogadoa, ra de Motocolom-
n. 18, ou do contrario quem deaeja fal-
lar-Ule, annunciepara ser procurado.
Alugs-se o segundo andar do sobr
da ra do Fogo n. 18 para ver e tratas
primeiro andar do mesmo sobrado.
Cnlira bicho.
Desappareceu una cabra (I
16 do corrente, com os signan
cor parJa> tombo preto, pera
ga prets, tem algumas pi*-'
pernaa, unhas tortas, o p
quatro bicos, dos quaes s
quem a tiver sehado, leve-a 1
seio n. 5, que ser geuerosasjx
panssdo.
Aluga-se um sitio na Capunga, com ca-
ss par: fsrfr, pelo tcfflpo de feata, muito
perto do rio, com bastantes arvoredos da
fructos, cscimba e tanque >ara banho:
atrs dos Mariyrios, ra do Caldeireiro, nu-
mero 46.
O sWico do Povo O
Sroal da propaganda homasopa- O
ea diatribue-ae tratif na loja de v
\ do Crespo, n. 4. O
ooooooooooooooooo
-OSr Filippe Benicio Cavalcanll quei-
ra lera hondada de dirigir-ap i roa larga
do Rozario, n. 38, segundo anJar, ou an-
nuocie sua morada, que se lhe deseja fsl^
Pergunta-se quem soriber .,
quem he o provedor, thtsonreiro
e. mais irmaos da mesa da irmanda-
de do Sr. Bom Jess das Dores,
erecta na igreja de S.-Gonzalo :
sto deseja saber um irmSo da
mesma.
-- No dia 93 do correte se ha de arre-
matar em praca publica do Sr. Dr. juiz do
civel da primeira vara, urna casa terrea com
um telheiro a forno de coxer lijlos, no
ugsr do Monteiro, ludo bastante arruina-
do, qor execucfio da administradora do
vinculo do Monteiro contra Joaquim de Al-
buquerqua Fernanda* Gama : he a ultima
praca.
-No dia ando corrente se ha de arre-
matar, em praca publica do Sr. Dr. juiz do
civeLda primeira vara, um sobraJp de um
andar e solSo, silo ua tua do Padre-Flo-
riauoo, u. 7, outro dito de doa andaras, ai-
lona rus das Cruzes, n. 96, Outro de um
andar na ra da Lapa, n. I, por execucSo de
Nicolao O. Bichar & C. contra o fai[eojdo
Josu de Jess Jardirn ha a ultima praca.
Vf Vtf VVWVftf 9tf f f f f *
t> Jublnete portuguez de -03
Ct< Htliu -
A directora coovida aos Srs> socios
* instaladores do gabioete,ea todos os J
*J Srs. que se teem alistado, a que tara- j
bem 3o considerados socios insta-
ladores, para compareeerero no sa-
Ifio do thealro de Apollo, sexta-fei-
ra, 92 do corrente, pelas 7 borss da
noile. Todos os atembros da socio- *
dade, que livarem prouipla as suas
listas de accionistas, tenhain a boo- ^
dade de manda-las entregar at j
qainla-feira, 21 do crrante, as II 1
horas da mauliSa, no primeiro an-J
dar, da casa n. 6, dofronte do trapi- ^
che novo. -#
A AA kMm
Recummenda-se aos Srs. tiscaea, e ao
Sr. capillo do porto, que lenham a honda-
da de anearen) suas vistas na esersvatura o
homena forros que se lavam descaradamen-
te no caes da Liogota, aonde moram fa-
milias : tsmbem se recommanda ao Sr. ca-
pataz do mesmo caes.
Um morador no mesmo bairro.
Jos Cypriano de Motees Lima fax
scienta a quem couvier que vendau ao Sr.
Jos Leite de S, a sua taverna, Sita na ra
estreita do Rozario, n. 38, licando o com-
prador obrigado a pagar praca o que a
meama casa deva ate o presenta. ; )>
Oabaixo assignado fsz publico que a
crioula Mara da PaixSo, escrava da Senbo.
ra Domingas Francisea do Rozario, mora- <
dora era JaboatSo, ba forra deade o dia ta
da fevereiro de 1843, no qual a meama se-
nhora recebeu do abaixo aastgnadejg im-
portancia da seu valor.em conaaqueacia dos
servicos que lhe preatara criand* um da
seus Filhos, o que prova pela carta d'alfor-
ria que existe em aeu poder, e exarada uo
livro daa notas do labelliSo Coelho, porten-
to, lodo o negocio oito a respailo da mea-
ros, be inteiramente nullo. -- J. P, Eira.
Attencao.
Roga-saa um tal Francisco Simoee da
Silva, aue se julga r su'.nr dasaea aojen.
toa annuocios que team publicado nesta fo-
Ibs, ch-mando o Sr. tente Jos Cerquei-
ra Lima, que quanlo antes comparece ua
ra larga do Rozario, n. 30, aagundo andar ;
por isso que urna pesioa chegada ltima-
mente da curta lhe deseja fallar com urgen-
cia, e n&o saben do porque lugar o procure,
fas o presente snnuncio.
Perguuia-se ao Sr. J J. T. o motivo por
que anda desacreditando os principiantes ...
em negocio f Se he para lhe ofio travesear
o negocio daa bicUaa do papo amarello, vin-
daade Hamburgo ; naquera quer ster, pa.
ra por asta meio aorequicer aiitaasjde lempo,
O Dr. J. S. Santos J unior,
O medico homoeopatlia mora
9 Da ra Nova, n. 58, primeir j
m ro andar.
OOOOQOQOOCtf)OOOvS
Ofterece-ae um moco para oaixeiro. de
quslquar esubalecimanio, da idaJe 1* an-
nos, o qual lera boa conducta a da,fiador
meama, querno aa prsi;sG sifluizer
utillaar: dirija-se ao atierro da Boa-Vista
n. 54.
r


y-
*
Novo cstabeleclmcnto de ctela-
rinfliia, ra Nova u. 36.
Jos Pndines.cutileir o earmesjro, partici-
pa 10 respeitivel publico desta cidsde%e
principalmente a leug freguezes, que mu-
dou o estabelecimenlo que tinlia na ra lar-
ga do Rozario pata ra Nova n. 36, confron-
te a igreja da ConcsicSo, aoode o acbarSo
prompto a executar qualquer encommendi
degua arf com a maior perfeicSo possivel
e pelos presos rnais baratos do que em ou-
tra parte. O annuncianle tendo ullimameii-
te recebidb de Franca um grande sorliroen-
to de objecto de sua arte acba que seria
fastidioso Je os enumerar nesta folha, po-
rm mh mencionar o seg\iintes : navilhaa
le'rlesiesaa que leen vindo al agora, te-
Ifaiates, costureiras e cabel-
sortimsnto de tesourss
ferros de eirurga, ditos
de urna at seis fo-
jo e Cacas de mesa,
j Bteparos neces-
como sejsm : espu-
TWarinhos, boleas de
de espingarda, etc.,
da qualidade desses
o aonuncisnte am-
anea er lopeifor; elle tem um grande aor-
timeotode fundas, e tem ac superior e fun-
dido de todas as grossurss. Todos essea ob-
yectos serBo patentes aoa compradores e bao
de agradar palos preoos rasoaveis. O an-
nunciante para accelerar a execuefo das en-
commendaa que se Ibe. izer mandou vir um
oficial de Franca, o qual chegou no brigue
Citar, e se acba em exercicio no estabele-
ciment cima. Amola-ao sempre nss ter-
cas-felrss, quintas e sabbados.
Chapeos de sol.
Ra do Passeio, n 5.
4 N^sta fabrica ha presentemente um rico
ortimenlo desles objeclos de todas as co-
res e qualidades, tanto de seda como de
pauninho, por precos commodos; ditos pa-
raflhhora, de bom gosto: estes chapeos
sSMeito pala ultima moda seda adamas-
cada com ricas franjas de retroz. Ha mesma
casase cha igual sorlimento de sedas e
pannioho imitando sedas, para cobrir ar-
ma cOes servidas : todas estas fazendas ven-
dem-se em porfo e a retalbo: tambem se
concerta qualquer etiapo de sol, tanto de
basteas de ferro como do baleia, assim como
umbelas de grojas: ludo por preco com-
modo. Na misma casa ha chapeos de sol,
de marca maior, de panno e de seda, pro-
prios para feitores de engenbo, por serem
dos (Dais fortes que se pdem fabricar.
Preclss-ge alugar urna morada de ca-
sa d um. andar e solSo para grande fami-
lia, d-se preferencia a urna que tambem se
Ibes ceda as lojas.com tanto quetenba po-
to Com agos, ou mesmo um segundo andar
leudo os commodos exigidos ; se porm o
proprielario duvidar do inquilmo offerece-
se as garantas que exigir: ua ra da Sen-
zalla Nova n.,*2.
Agencia de nassaporteg.
Tirauj-se passajiorter para dentro e fora
do imperio com presteza e commodo preco :
na ra do Rangel o. 57
--Na ra das Triiicheiras, n. 28, se dir
quem Mulnheiro a premio com penhores,
hypuiliccacm casas terreas, e descontam-
se letlraa de firmas conliecidas, e que agra-
dem.
ri cci-m da Kia m de le le forra ou
Captiya, que seja sadia: na ra Velha n. 102.
O Sr. Francisco Antonio da Silva, que
levo Jeja de louca na ra du Itangel, queira
mandar recebar urna encommenda, na pra-
ca da Independencia ns. e 8.
Precisa-se de prelas para venderem
azeite do carrapalo, pagando-se 400 rs. por
caada, oais do que em oulra qualquer
partft: na ra do Aguas Verdes o. 62.
Precisa-so alugar um pelo para o ser-
vico de um pequeo sitio : paga-se bem :
ua ra do Trapiche Novon. 10.
Precisa-se alugar um molecote esperto
e do boa conducta para o stjrvico interno de
urna casa ingleza : paga-se bem : quem ti-
ver, annuncie.
IMMMiti
S Paulo Galgnoiix, dentista
francez, offereee cu prest-
# juo ao publico para todos os
# luyatenos de sua proflss&o :
*t pude ser procurado a qual-
9 quer hora ein sua casa, na
J> ra larga do Hozarlo, n. 36,
j segundo andar. *j>
Rogase ao Sr. segundo-tenente da Ba-
bia los* de Cerqueira Lima, que mande
pagar o que comeo, o qual nfio ignora anu-
de, etc.
OSr. ilferes Antonio de Matozo, se-
cretario do primeire balalbode cacadores.
qoelra mandar pagar ua ra do Livramen-
lo, a. 38, a quanlia de 15,000 rs.; do con-
trario, tej ua ver sempre o seu nome nes-
U folhaT
A sbsixo aasignada sendo senhora e
potsuMori de um coobeclmento da divida
PUWjisdeata provincia o. 132 da quanlia de
9p*rT55 rs. inscripto no .livro auxiliar do
grande livro da divida publica o perder, e
como lenha de requerer a thesouraria a
respectiva apolice em troca do dito conhe-
ci ment, sede a quem quer que por ventu-
ra o lenba echado, o baja de entregar a an-
nuucianle, porque so a ella poder* servir 0
mencionado conhecimento, ou ser entre-
gue a apolice, que tem de ser substituida
pelo dito eonbeciment. klexamjrina
Franckca Remanm de Soma.
* SAPATEIRO.
Precisa-seda um oDIcial desapatoiro pa-
ra trabalhar em aapaloa da seuiora : d-se-
Ihe todos oaeviamenioe: no Atorro de Roa
VieU, loja n. 58, junto A de cera.
uiz Epifanio Mauricio Wanderley. que
ha snnos se oceupa em agenciar os negocios
de varios Su. de engeoho nesta praca, a-
chando-se mroilitndo para recebar maior nu-
mero de correspondencias se offerece para
agenciar a venda dos assucares dsquelles
Sto; que se dignareis conslgner-ha'os pelos
mjiores precos da praca, comprar-Ibes to-
eaMs Micommendas, sejam de que nature-
z4or*th, pelos menores precos possiveis y
e mesmo fornecer-lh'ss a prszo, tendo case
preparada para as soas assistenciat e de
seus recommendados, e eumprmdo todaa
as auas orde*s : ludo tato sem inleresse al-
gum, tirando apenas aommlsslo de dous
mito sobre a venda dos assucares : na
i.ii., casi:esquina eonfroo-
| do iheatro noto, cuja casa tem
re janellas ec vi drscsdis,
Quem quizer comprar um lettra do
Sr. Dr- Honorio Fiel Sigmaringa Vss Cura-
do da quantia de 110,280 rs, annuncie pa-
ra ser procurado, que todo negocio se fsr.
O abaixo assignado previne ao publi-
co, e com particularidade aos senhores,
que negociam com billietos das lotorias do
Rio de* Janeiro, que se extraviara! bon-
lem de sua casa seis bilhetes inteiros, vin-
te e tres meios, e sete quartos, pertencen-
les 12*. lotera, concedida a beneficio
das casas de caridade do Rio de Janeiro ;
cuja lotera ficava a correr no da 5 do pre-
sente mez, e bem assim, um bilhete in-
teiro da Ioleria de Nossa Senhora do Li-
vramepto. que tem de ser extrada pr-
ximamente. A saber cinco inteiros cornos
nmeros 620,2317, 3225, 3226 e 43*4 ; doze
meios, com os nmeros 1240,1372, 1374,
1380, 1579. 2415, 2829, 3124, 3126, 3127,
4738 e 6822 ; e cinco quartos com os n-
meros 964, 966, 1179, 1263 e 3143, com-
prados em 29 de outubro prximo passa-
do, na loja do Sr. Francisco Goncalves da
Silva Pereira; um imeiro de numero 1074,
comprado na loja do Sr. Jos Joaqnim
Rorges de Castro; dez meios com os n-
meros 481, 976, 600, 2072, 2424, 2426,
2438, 3166. 3659 e 3851; e dous quartos
os nmeros 1315, o 2653, comprados
na loja do Sr. JoSo da Cunha Magalhiles
Jnior; um meio de numero 144, com-
prado na loja do Sr. Antonio dosSantos Vi-
eira. Advertc-se, que todos os bilhetes
cima mencionados, estao rubricados na
frente com F. o Lobo, e assignados por
extenso no versajcom o nome do annun-
ciante, por ser o nico dono dos meamos
bilhetes : assim como, declara, que o bi-
lhete inteiro da Ioleria de Nossa Senhora
do Livramenlo, tem o numero lili esta
rubricado, e assignado da mesma manelra,
que os outros referidos; e alm da dita fir-
ma, tem igualmente assignatura do 8r.
Francisco Antonio das Chagas, por ter nelle
tSo gmente sociedade. Offerece 50/000
ris a quem apresentar algum dos ditos
bilhetes, com Unto que declare de quem
o recebeu; e bem assim protesta de man-
dar udiciar a qualquer pessoa, que flzer
negocio, ou pagar algum dos ditos bilhe-
tes, no caso de sairem premiados. Frun-
citco Joaquim Vertir Lobo.
Quem quizer arrendar algum ollicio de
escrivlo na praca ou fura delta, em lugar
perto, annuncie para ser procurado.
- Roga-se ao Sr. Tbeodoro Rabello da
Luz. que anda trabalhando de macliinismo
pelos eogenhos do Cabo, o favor de mandar
ou vir pagar 94,500 rs. da obrfgacfio que
tem vencida desde 24 de outubro de 1819.
Aviso tnteressante.
O proprietario do mnibus avisa ao res-
peilavel publico, e especialmente aos cos-
tumtdos sssignantes, que na segunda-feira,
18 de novembro, principiar a trabalhar o
mnibus quotidianamente do Recife ao Api-
puco, como tem sido o costume, sahindo
do pateo da matriz de Santo Antonio s 5
horas da tarde, edo Aplpucos s 7 horas:
advertindo queosSrs. que se inscreverem
como sssignantes deverflo pagar um mez
idiantado, nSo por desconfianca do paga-
mento, mas porque tem acontecido que al-
guna Srs se insrreva e preenchem os luga-
res, e no fim de dous ou tres das lirgim, fa-
zendo assim o proprietario soffrer um grave
prajuia*.
-- Precisa-se de um cslxeiro brasileiro ou
portuguez, que tenha pratica de venda, d
fiadora sua conducta, deidade de 16 a 40
snnos e que seja solteiro : no pateo do Ter-
co, vend n. 7.
Os Srs. slferes Antonio Mattoso e Jorge
Sidreir queiram vir loja n. 6 do pateo do
Cullegio, a negocio que ofio ignoram.
A pessoa que ba dias annunciou urna
vacca mansa de corda para vender, com bi-
zerro novo, caso anda a tenha, ou mesmo
outra qualquer pessoa que tenba para ven-
der, dlrija-se 4 ru do Passeio, loja n. SI.
Precisa-se de um rapaz para tomar con -
ta de urna vend, tendo j pratica deale ne-
gocie e sendo de boa conducta, dirija-se
lojinha delivros di ra do Rozarlo eatreita
n. 15, que ahi se dir quem pretende.
O abaixo assignado avisa ao publico,
que urna lettra passada por Antonio Pereira
Cinto de Ferias da quanlia de l:0S0,0OOrs.,
em queapparece a assignatura do mesmo
abaixo assignado, nSo he wrdadeira, pelo
que ninguem contrate a dita lettra; pois
que pretende o abaixo assignado oppOr-se
ao seu pagamento, e mostrar que a sua as-
signatura u9o he verdadeiro.
' Judo de Ai/i ,5o Ci tmeiro.
Precisa-se de costureiras que saibsm
bem cozer, assim como de urna criada que
tambem ssiba bem coser e engommar: na
ra Nova n. 32.
Precisa-sede urna ama secca que co-
zinbe e face o tnais arranjo de portas par
dentro : na roa do Rangel, n. 36.
Precisa-se de um bom cozinheiro, po-
rm que seis esersvo : na ra do Queimado
n. 18, loja da esquina.
*- Jlo Soares da Fonseca Velloso parti-
cipa s quem interesstr, que se acha Hornea-
do scrivSo interino da subdeiegacia de 8
Jos desta oidide, e reside ns rus do l'adre
Floriinno, casi n. 33.
N rui de Sinla-Therezi n. 21, promp-
tam-se com tods perreieao comidas par
aualniier ras particular, conforme o ajuste.
-Clara alaria deMoura embarca para o
Rio de Janeiro, e leva em sua companhia o
seu fllho menor de nome Antonio e sua es-
crsva crioula. de nome Igmcia.
Precisa-se de urna ama para o servicn
de urna casa de familia : na ra de Itort,
n. 54, casa terrea na esquina que volla pa-
ma de S.-Thereza, Na mesma cssa se dfio
bolos de veudagem a prelas que sejsm fiis:
tambem se spromplsm bandejas de encom-
menda.
--Precias : de um pequeo brspsnbc!,
ou portuguez, de 19 a 14 anuos, para criado
de urna casa de pouca familia, e que d fia-
dor sua conducta : na ra das Trincbeiras,
sobrsdo n-19, s quilquer hora.
O abaixo assignado, morador na Cin-
co-Pontea, n 4, co obsUnte fazer o seo
ajuste a reto fechado, com toda e qualquer
pessoa que Ihe empenba objecto vocal-
mente, ou com papel cocotudo, para que
ninguem posa allegar Ignorancia, que des-
tes ba muitos, tas publico a todas as pes-
soa que liverem objeclos em seu poder, se
jaquel or o trato e qualidade do objeclo,
najam deosresgalar no pnzo de 30 di,
ulauoa da dla 6S'.8 ( 18 (C Cfrente )
do contrario, o abaixo sssigasdo passa
vendo-ios pera se pignCeut, lito milito
5:
constrsngido, pdrjoe s os role vender
por menos de seu vo I oro sem fcitlo, e des-
ta forma oais servutn pira seos dorios, do
que para o abaixo assignado, oque faz pu-
blico pelo presente ptra san recalvi.--Ma-
noel Joaquim Pinto Machado GuimarSei.
O abaixo assignado pede a todos os
seus e collegas, que nfio Ihe sendo possivet
fazer seuscumprimentos ne occasifio de su
partida para i corte do Rio de Janeiro, es-
per de todos desculpa, e offerece seu li-
mitado prestimo na mesms. ou- Qontal-
vet da Silva., "
PergiMla-seao Sr. M. S. S. quando veio
de Msceio o motivo por que mudou o nome?
D. Matbildes da Roa-Ventura Pereira,
recommenda aos capules de campo que
appreheoderem um seu escravo por nome
Antonio Angoli,com idade de 50 60 anuos,
velbo, quebrado, consta estar no Ronito,por
ter sido comprado na queda Villa : quem o
troxer ser bem recompensado,leve-o a sua
casna ra do Nogueira n-19.
Achando-se em andamento as obras da
Igreja N. S. da Paz, nos Afogidos, precisa-
se de alguna serventes forro ou escravo,
psga-se bem : em casa das sferices.
Itespeitavel publico.
He tempo de mostrsrvos todos bons fei-
tos do multo digno e hooroso commsndo
dolllm. Sr. capitOo Cirios de Morios Ci-
mizSo, commindinte di companhia de ar-
tfices desta provincia I Tendo issumido o
dito commando satisfactoriamente e desun
Dentudo honrosamente esta commisslo que
Ihe fra confiad pelo goverr.o imperial, de-
veis ter em memoria o grande esmero e
zllo, quetom tido o mesmo Sr. capitSo ,
em formoiear a sua companhi, e tambem
o modo benigno com que trata aoa seus
subordinados, infundindo nelleso amor di
disciplina, que tanto importa no carcter
militar. E tendo eate senhor.de seguir pa-
ra a corte, Deus Ihe queira conceder feliz
viagem, ao lugar de seu destino
De um curio $o.
Antonio Alves Birboza faz scienle a
quem convier, que desde junbo do crrenle
anno, deixou de ser csixeiro da casa com-
mercisl dos Srs. Jobnston Palor & C., e que
contina como al aqui a negociar no seu
eataoelecimento deinnazem de sssucorsob
i firma de Barboza etOliveira.
Eugonimi-se roupi, tanto de bomem
como de senbor a, com toda a perfeicSo, e
por preco commodo : na ra de S.-Tbere-
za, n. 3.
Quem precisar de um enano de cobre
undo para padaria, refinacSo ou outra
qualquer fabrica, procure na fundirlo dos
Srs. Metquita & Dutra, que se vender* por
commodo preco : s Irstir ns ru da Cdei
numero 23.
-- O Sr. Innocencio Anluoes de Fsrias an-
nuncie a sua morada par ser procurado.
Precisa-se de urna ama para urna casa
de pouca familia, a quil ssiba engommar e
fazer o mai aervico : em Fra-de -Portas,
ra do Pilar, n. 72, segundo andar.
--Precisa-se alugar um moleque, ou pre-
to para o servico de urna casa de pouca fa-
milia : na ra da Cruz, n. 48. armazem
A Srs. viuva ou berdeiros de um logis-
taque leve lojas de fazendas, e que tem
uma lettra aceita por Pedro Alexandre, que
morou no Allinbo, annuncie sua morada,
ou dirija-so i ra Direiti, venda n. 93, a
tratar deserto negocio de seus intaresses.
Alegam-se os segundo e tereeiro inda-
res di cisi di rui do Amor i ni n. 46 : s tra-
tar os rui ds Cideii n. 18.
-- O corretor Oliveira aluga, pelo tempo
da festa ou ateo fim de selembro do anno
prximo, a sua grande casa decampo, sita
na povoacSo do Poco da Panella, a qual tem
os meliiores commodos para qualquer fa-
milia por numerosa que seja, e no quintal,
plantado de arvoredos, tem cacimba com
muito boa agoi, a respectiva bomba, um p-
timo bshheiro de pedra (nfio obstante es-
tar a cass perto do rio), cocheira e estri-
bara espseosas.- OS pretndanles dirijam-
se ao mesmo para o arrenJmenlo, e ao Sr.
J. C. Carnero llonteiro, na dita povoacSo,
psralhas fornecer as chaves para o esame.
A mobilia existente nadita cas, e instru-
mentos proprios para sitio tambem podem
fazer parte do arrendamento.
Tnspassa'm-se as chaves da loja de don-
rador com muito boa irmic3o : na ra No-
va n. 59.
Antonio Joaquim Vidal & Companhia
mudsram o seu eslabeUciment da ra do
Amorim para a ra da Cadeia n. 23, onde
se ich gynndo debaixo da firma de Anto-
nio da Costa Ferreira Estrelle.
Lotera da matriz da Boa Vista.
O thesoureiro desta Ioleria faz scienle ao
respeitsvel publico queeoulina s pagar os
premios da mesms lodos os d ias uteis, des-
de as 10 horas da nianha at s duss da
tarde, no eu escriplorio da rus da Cadeia
do Recife n. 36.
Engomma-se e lava-se toda a qualida-
de de roups[com todo asseio e muita promp-
tidflo, por preco mi*.commodo do queem
outra qualquer parte : na ra de Agoas-Ver-
dea, n. 26.
Preciss-se de um Portuguez psra esi-
leirodeengenho, preferindo-se cbegsdo de
prximo a este imperio i ns ra do Livra-
menlo n. 20.
Quem annunciou querer comprar uma
casa terrea por 800,000 ris, dirijs-se ao pa
UC C LiVrament 0. segnu andar.
Precisa-se de uma ama de seite : no pa-
teo da ribeira n. 23. _______ ______
res proprios para senbora : piga-se bem
na cas das afe-rices.
al
Vendas.
Compras.
Compnm-se escravo de ambos os se-
xos, de 10 s 30 snnos, e de bonitas figuras
na ra larga do Rozario, n. 48, primeiro
andar.
- Compra-so um cabriole! que tenba co-
leria, e quesirv para um c.vaiio ; iguai-
skenle comprs-se um csvallo para o mesmo-.
ni ra da Cadeia do Recife n. 54.
Compra-se um ornamento rxo para
se poder dizer as missssdo sdvento, que es-
leja em bom uso : quem liver annuncie, oo
dirija-se ru Direil, vende n. 93.
Compra-se uma mesa de jantar, aendo
de amarello: na ra do Cabuga, loja de
Joaquim Jos da Cosa Fijozo.
Compri-se un balanca completa, e
Sroprii pin irmizem de assucir: ns ra
i Cruz, n. 13, armazem.
' ~ Compra-se uma duzia de colheres de
soupa, e Uma collierfin de prala sem faitio
um ocuts }c ver ;c OPge, err. bom u : u-
ru do Collegio, 21, primeiro andar.
Compr-ie um bom cy11o com soda
40,000 rs. a duzla.
Verdadeiro e legitimo champanhe A Y em
cass de Avrial & IrmSos i ra da Cruz n. 20.
Lotera da igreja de N. S. do Li-
vramento.
Aos 5sooo$oeo rs.
Na praca da Independencia n. 4, loja de
miudezas, vendem-se bilhetes, meios, quar-
tos, decimos e vigsimos desla lotera, que
corre impreterivelmente no dia 30 do cor-
rente.
Bilhetes 11.000
Meios 5,500
Quartos 2,60o
Decimos 1.100
Vigsimos 600
-- Vende-se um osenvo de nome Miguel
com22 annosde rdade sem vicio algum, o
qual se vende por precisSo : quem preten-
der comprar dirija-sa a ra do Cildeirero,
casa n. 52.
Ricas caetas de marfim de dif-
lere.ites gostos.
A 1 i vi aria n. 6 do pateo do lol-
legio, de JoSo da Costa Dourado,
acaba de receber o que ueste ge-
nero ha de melhor para se fazer
um presente.
Na ra das Cruzes n. 22, segundo an-
dar, vende-so uma parda de bonita figura,
que engomma, cose chao, cozinh elava;
uma criouli de 15 anuos com habilidades ;
duas prelas de nicSo, que engommim liso,
cozinbam e lavam de sab&o ; e um moleco-
te peca para todo o servico.
Cigarros hespanhes.
Avsa-se aos amantes desles cigarros
que na ra larga do Rozario, n. 32, fabrica
de charutos, acha-se um sortimento chega-
do prximamente.
Vende-se uma parte da casa e sitio que
fica ao lado da capella do Mouteiro, e que
outr'ora pertenceu ao teen te-coronel Jos
do Reg Barros: ni ruado Cildeirero, n
12, segundo indar.
JNa fabrica de charutos da ra
Nova, n. 56,
ichs-se um sortimento de charutos, vindos
da provincia da Baha pelo ultimo navio,
conlendo as seguintes qualidades S.-F-
lix, de Brandlo, a experiencia provar,
quem fumar saliera, faina di Babia, cifVa-
In. iroy.liberaes,defensores da patria, acad-
micos, regalos, fama voa, mimos de Ve-
nus, deputados, yay, regala de diversas
marcas, faina e oulris mais qualidades, que
se venderSo por preco commodo.
Vendem-se cigarros de pa-
llia, chegados ultimamenta do Kio
de Janeiro, por preco commodo
na rui larga do Rozario, n 3a.
Grande deposito de carvao
.saceos grandes a 5oo rs. ;
vende-se no ntigo armazem de
capiui, na ra do Soi a. i5.
Vende-se superior panno
linho do Porto, em pecas, muito
propriopara casas de familia; bem
como meias de linho finas : tudo
por preco commodo : na ra do
Queimado, n 17, luja.
Pannos linos baratisslmos..
Vende-se psunu fino verde-escuro linis-
simo por estar algum cousa secco, a 4,600
rs ; dito prelo, a 3,000 rs. em peca ; e a re-
tallio, a 3,-200 rs. o covado : no Aterro d
Do Vista, loja n 18.
Vende-se um pir de mangas de vidro
lavrado de muilo bonito gosto, e um par de
castices de dito : na ra da Gloria n. 18.
Attenco.
JoSo Luiz dos Santos, tendo de relirar-se
para fra da provincia a tratar de sua sa-
de, d. si ja vender o seu pequeo estabele-
cimento, com pobcos fundos presentemen-
te, na ra do Rozario estreti n. 43, proprio
para ilguuii pessoa que queira principiar,
no s pela localidad, como pelas boas fre-
guezias que lem adquirido: a tratar no
mesmo eslibelecimento.
Sapntdcs de lustro.
Vendem-se sipites de couro de lustro
para humem a 2,500, 3,000 e 4,000 rs. o par,
obra boa : no Aterro da Boa Vista, loja de
gapalea n. 58, junto a de selleiro.
Vende-se uma rica toalha bem feita de
lavirintbo : na ra do Csbug n. 9.
Vende-ge urna eacrava cortada, muilo
sadia, a qual vende na ra, he muito fiel e
cozinba o diario de uma caaa : quem a pre-
tender, dirija-se a Fora de Portas n. 95, que
se dir o motivo por que se vende.
Vende-se papel phantezia,
o melhor que tem vindo neste ge-
nero : no pateo do Collegio, n. 6,
loja de livros de JoSo da Costa
Dourado.
No escriplorio de Francisco Severiano
Rabello & Filho, no largo da Assemblca-
Provinciat, n. 4, vende-se um lavatorio de
marmore, pedras compridas e redondas pa-
ra meio desala, tudo de marmoree de bo-
nitas cores; assim como uma concha de
pedra livnda, que serve psrs ermids: tudo
por preco commodo.
Calcado.
Vendem-sesipales de couro de lustro
pin bomem, 3,000, 3,500, 4,000, 5,000 e
7,000 rs. ; ditos de bezerro frsncez, a 2,800,
4,000 e 5,000 rs.; borseguins de duraque
com pona de lustro, a 4,000 rs.; ditos da
l'aliii, a 5,000 rs ; sapsioa de couro de lus-
tro para senbora, a 1,000,1,600 e 2,000 rs.;
ditos de cordavto, a l.tOO, 1,200 e 1,400 rs.;
ditos de durique de Lisboa, a 800 e 1,000
rs.; e eticados psra meninos emeninaa de
lodosos lamanlios, por preco commodo:
os praca da Independencia, na. 13 e 15, lo-
ja do Arantes.
-- Vendem-se cinco paos de 29] palmos de
comprido e palmo e meio de largura, pro-
piiospara bucafdas decanOas, barcici e
mcsAC psrs usvios pwi sui ein de volla ; no
estaleiro junto casa de Manoel Firmiuo
Ferreira, ra da Concordia.
' Vendem-se bicos e rendas
de fil de linho de muito bom
gosto, ede um dedo de largura a
um palmo : na praca da Indepen-
dencia, loja de miudezas n (. Nt\
mesma loja do-se amostras para
ver.
Vende-se u m sobreessaca militar: na
ra do Rozario larga n. 8, loja de pintor e
vidneeiro ; issim como um gran le sorti-
mento do vidros, imagen, oratorios, Meni-
nos Dos e figuras para presepe.
Vende-se uma escrava moca de nacSo,
J bonita figura e que fsz todo o servico de
uma casa : na ra da Penba n. 23, primeiro
elidir.
Lotera do Rio d Janeiro.
Aos 20:000,000 rs.
Ni prici da Independeneii, loja n. 3, que
volta pirs a ra do (Jueimado e Crespo, ven-
dem-se os muilo acreditados bilhetes,
meios, quartos, oilavose vigsimos da 12*
lotera da casa da canda Je do Rio d Janei-
ro, cujas rodas andaram no dia 6 do corren-
te. N mesma loja est patente a lista d a
1 loteris do Hospicio Pedro II.
-- Na ra do Vigario, n. 19, primeiro an-
dar, vendem-se pecas de ouro de 4 oitivs
de cuuho velho.
A 3,5oors. o ccato.
Vendem-se superior charutos de S.-Flix:
na ra do Cibug, loja do lijarle.
Vende-se, ou sluga-se um grande sitio
em Beberibe, perlo do Porto di Mideira,
com bastante pasto pira vaccas, e com al-
guna arvoredos :'a tratar com Manoel An-
tonio di Silva Molla, na ra da Cruz, n. 32.
\';i mu lurjii do Rozarlo, n. 212,
vende-sa umi bonita crioula. moca, que
engomma, cose e cbzinlu ; dous bonitos
moleques de 15 innos ; um mulatinho de
13 annos, proprio para pagem; um preto
de nacSo Costa, mogo da bonita figura,
ptimo para cadeirinha, por ser bastante al-
to; um dito ptimo para enxida; um par-
do moco, bom ofiicial de sapatoiro ; uma
prela moca e de bonita figura, boa quilan-
deira.
Lotera do Rio de Janeiro.
Aos 30:000,000 de rs.
Nos qualro-caotos da ra do Queimado,
loja de fazendas,n. 20,vendem-se os muitos
afortunados bilhetes, meios, quartos, oi-
lavose vigsimos da 25." lotera do monte
oio geni, cujas listas devem chegar no pri-
meiro vipor. Na mesma loja se trocam bi-
lhetes premiados de qualquer lotera, e se
mostra alista da'primeira lotera do Hos-
picio de Pedro II
Cigarrilhos hespanhes.'
S3o ch gados os excellenleg cigarrilhos
hespanhes ao deposito d ruam Cruz, no
Recife,, n. 49.
Al A. S. Corbetts 45 ra da Cadeia,
Euglishjickey Ssldlesortha best guality,
hiriphing only 7 Ihs completo.
A lurge issortment of dressinq cases
filted up iretli fine eoglish cuttery.
Ctela ras'.
Vendem-se muito bos entelaras : na ra
da Cadeia, n. 45, casa de A. S. Corbett.
Kerrageus.
Vende-se ferragens muilo fins e do me-
lhor gosto : na ra da Cadeia, n. 45.
Vende-se igo'irdente de Franca, mui-
to boa : na rui da Cadei do Recife, n. 45,
casa de A. S. Corbett.
Vende-se chumbo de municSo, de mui-
to bo qualidade, de n. late 8: na ra da
Cadeia, n. 45.
-Vende-so muito superior tinta de es-
crever em garrafa : na rus larga do Rozario
o.36.
Agencia
da fundicoLow-Moor.
RO LIA si:nz'.i.i.*->ov, n. 4?.
Reste estabelecimento conti-
na a ha ver um completo sorti-
mento de moendas e meias rnen-
las, para engenho; machinas de
vapor, c tachas de ferro batido
co^do, de todos os tamaitos,
para dito.
Deposito de potassa e cal.
Vende-se muito nova e superior potassa,
assim como cal vlrgem em pedra, recenle-
meutechegidi de Lisboa, por preco rasoa-
vel: na ra da Cadeia do Recife, n. 12, ar-
mazem.
Deposito da fabrica de Todos os
Santos na Babia.
Vende-se un. ciss de N. O. Rieber & C.
aa ra da Cruz, n. 4, algodSo trancado
laquella fabrica, muito proprio para saceos
ieassucar, roupi de esersvos e lio proprio
psrs redes de pescar, por preco muito com-
modo.
'(Yeldo de aigodao trancado na
fabrica de Todos os Santos.
Na ra da Cadeia n. 52.
vendem-se oor atacado duas qualidades,
proprias pasa saecua escravo.
Arados de ferro.
Na fundiclo da Aurora em S.-Amiro ,
vendem-se srsdos de ferro de diversos m-
telos.
Moendas superiores.
NifundcSode C. Starr & Companhis ,
em S.-Amaro, acham-se i venda anoeudss
de csnns, todss de ferro, de um modelo
construccSo muito Isuperior.
Aos senhores de engenno.
vendem-se cobertores oscuros de algo-
dSo proprios para escravos, por serem de
muita duracSo, pelo diminuto preco de 640
rs. cada um : na ra do Crespo, esquina
que volla para a cadeia.
Aotigo deposito de cal
virgen.
Ha ra do Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal nova em pedra,
chegada ltimamente da LisJfe.
no brgoe ConceicOo-dg-Ma^g^ i
Veniie-M uma ineu commodi de mog-
no, e um cabriolet descoberlo, 0001 csval-
lo : ni ra de S.-Freocco, n. lo.


Charutos de Havana.
de superior qoalidade : vendem-
se na ra da Cruz, n. 10, casa de
Kaikmann I maos.
Vendem-se 120 saceos de estopa, com
duis varas cada un : na ra larga do Ro-
zara, n. 48, primeiro andar.
Vendem-se uos (bnelos que tem por
titulo InspirscOes poticas, e duqueza
do lirapanca conferido 939 paginas, obra
esta escripia pelo muilo digno e Ilustre
Maranhense o Sr. bacbarl Frewico Jos
Correia ; na ra larga do Rozario, n. 48,
primeiro andar.
Milito novo a 3 cada sacra.
Vende-se no armazem do Ilraguez, ao p
do arco da Conceicfio.
Chumbo de ntunicad.
Vende-so no armazem de J. J. Tasto J-
nior, ra do Amorim, n. 35.
Vendem-se marras ae ferro: ni nn
4a Sen za I la-No va, n. 42.
Redes.
Vendem-se redes muilo bonitas, de Ta-
rtos gostos e preces, proprias para qnem
l'or passar a Testa descansar ao fresco de-
baizo de arvoredos na ra do Queimado,
n. 14,
Vende-se excellente farinha
de S.-( alharina, a bordo da ga-
lio la Santissima-Trindade, fon-
deada defronte do caes do C'olle-
gio, por preco commodo : a tra-
tar na ra do Vigario., n. II, ou
a bordo com o capilao da me-ma
galiota.
lie grande pechincha.
A 2oo e a4 rs-
Vende-se urna porcSo de chitas francezas,
de 4 palmos do largura,rosas, de cores li-
las, a 200 rs. o covado ; cassas francezas
de bonitos padrSes, a 240 rs. o covado : na
ra do Crespo n. 14, loja de Jos Francisco
Das.
Smenlo.
Vendem-se barricas com superior simen-
to, chegado no ultimo navio de Hamburgo :
na ra do Amorim, n. 35, armazem de J. J.
Tasso Jnior.
Traveasa da Madre-de-Deos, ar
nazem. n. 5,
Acha-se eslabelecido um deposito, onde
encontrarSo os freguezes um bom sorli-
mento de licores, espirito de vinho, e to-
dasas mala qualidades; superior vinho de
caj; ebi mate ; e Hacas de vime,aprecos
moderados.
-- Vendem-se eapanndores e me
de pi de superior quahdade, em porefio e
a retalho, por preco commodo : na ra da
Cadeia n. 23, armazem.
CERA EM VELAS.
Vendem-se ceixas com cera em
velas, fabricadas no Rio-de-Janei-
ro, sortida ao gosto do compra-
dor, por preco mais barato do que
em outra qualqnT parte ; na ra
do Vigario, n. 19, segundo andar.
'0111 i da para aniniac.:
vende-se na ra da Cruz, no Recife, n. 13,
armazem.
O proprietario doengenho Tabatinga,
sito ao norte da barra da Coanns, tendo de
retiiar-sede moda para a cidadedo Recife,
vende o engenho moente e correnle, com
grandes obras de pedra e cal, bois, bestas e
lea safra que esta principiando a colher :
quem Ihe ronvier, .entenda-se com o dito
proprietario no mesmo engenho, ou com o
seu correspondente na cldade do Recife, Jo-
s Antonio Basto.
Vende-se feijao mulatinbo
em saccas grandes, por preco
commodo : no armazem de Dias
Ferreira, no caes da Alfandega, ou
na ra do Trapiche, n. 34, a fal-
lar com Novaes & C.
Krins barato.
Vendem-se brins de linho de quadrinhos,
a 280 rs. o covado : anda reslam algumas
pecas de algodSo largo e com algum mofo,
pelo baratissimo preco de 2,800 rs. cada
urna : no Aterro-da-lloa-Visla, n. 18
Vendem-se cabecadas inglezas, chatas
e rolicas : na ra da Cruz, n. 2, casa de Ceo:
Kenworthy & C. <
Vendem-se slhfles para montaiia de
senhora : na ra da Cruz, n. 2, caa de
Ceo: Kenworlhy & C.
Fogcjs para cozinha.
muito proprios para sitios e qual-
qualquer lugar aondenSo ha coii-
nha, por preco commodo ; ven-
dem-se na ra da Gru, n. lo,
casa de Kaikmann IrmSos.
fff fVfffffffWrffff W
a> N-i deposito da ra da Moda, n. 15, *
a> ha para vender superior cal em pe- **}
*" i, iceeuiempiue ebegada de- Lis- 2
boa, emo brigue Conctifo-de-Mu- 2
rm, por preco rasosvel : tambem ah *J
se vendem pesos de duas e de urna 2
m


arroba, por preco commodo; ba
tambem effeclivamenle no mesmo 4
10. deposito barra de mel para embar- ^
9Al AOMDERHISMO.
Na ra do Queimado, loja u.
17, vendem-se as mais modernas
cambraias abertas de la e seda,
verdadeiramente chamadas balza-
1 inas, de padroes e goatos muito
delicados, a 5oo rs. o covado.
Dao-se as amostras com os compe-
tentes penbores.
Na venda da Domingos da Silva Cam-
pos, na ra das Cruzes, n. 40, hl biebaa
liajnburguezas, dasmeihotes que appare-jza, fazenda mitcTms, propra para pali-
cem no aereado a venda, Unto por junto I tos do meninos, e mesmo para roupoes dai
Vende-se sag da prlmelra sorte, gom-
an de araruta, tapioca do MsrsnhSo, ceva-
dinba de Franca, e cavada, por prego com-
modo : na ra das|Cruzes, n. 40.
Vinho de Bordeaux:
vende-se na rus da Cruz, n. 10,
casa de Kaikmann Irniaos.
Charutos de S. Feliz.
Vendem-se os verdadeiros charutos de
regala da fabrica de S.-Feliz, a 2,800 rs. a
caiza de 100 charutos: na ra do Queima-
do, n. 16, loja de Jos Dias Simaos.
BRESTOL SALSA PARRILBA AMERICANA.
Uelhor mai clraordinaria do mundo.
Preservativo iofallivel oontra asfebrea.
A aalaa parrllha original egenuia de Urrs-
lel poasue todas aa virtudes para curar todas
a* enfermidades que provm de um estada de
impureza de aangue das secreces morvidas do
ligado e estomago, e em todos os caaos que ne-
crssitain remedios para purificar robustecer
o alaterna. Em todos oa caaos de escropbulas,
erisipelas, tinha, erupedea cutneas, manchas,
bilis, endamacio e debilidade nos olbos, en-
chafSo das glndulas, dores lomeares, aSec-
cOea rbeumaticaa, dorea noa oaaoa e naa juntas
hydropesia, deapepsia, asthiua, dearrhea, dea-
enteria, toase, resfriados, enflammaeso do
puluiea pbtblsica quando provm da obsiru-
c.o doabroacbioa ciu pesaoaa eacrophuloaai,
enfiuenza, iadlgetto. Ictericia debilidade ge-
ral do aysteina nervoso, febres aguda, calores,
enfermidades daa molherea, enfermidades be-
liosas, e em todas as alecces provenientes de
uso moderado do mercurio. sta salsa parrl-
lha se emprega com efflcacia em todos os so-
bredilos casos, e he reconbecida como a me-
llior medicina que exiate. Oa fraaeoa deaalsa
de Uristol teem mais de quatro lmannos doa
de salsa de Sauda entretanto que oa de Uristol
se vendem por 5,000 rs. e os de Sands por 3,000
rs. Deposito central no Rlo-de-Janeiro, casa de
Vital Ijipupe, e em Pernambuoo na hotica de
Jos Mara Goncalvcs Ramos, na ra dos Quar-
teia pegado ao quartel de polica.
Na loja de Moreir & 0. na ru$
Nova, a. 8,
vendem-se cortes de gorgurSo de
seda para col lele, a i,5oo rs o
corte de covado e meio.
Vende-se, na ra do Vigario n. 11, ar-
mazem de Francisco Alves da Cunba, os se-
guintes gneros, lodos de superior quali-
dade, e por menos preco do que em outra
qualquer parle : azeitonas em ancoretss, vi
nho do Porto em barris de diflerentes l-
mannos, cevada, cal virgem de Lisboa, ar-
cos para pipas e hsrris, lio porrete, retroz
deSiqueira, cha de San-Paulo, eanastras
com albos e ditas com rolhas.
Vendem-se relogios de on-
ro e prata, patente inglez na ra
da Senzalla-Nova, n. !i.
Noescrptorio de Francisco Alves da
Cunha, oa ra do Vigario, n. 11, vendem-
se as seguinles obras, vindaa de Lisboa: a
Palavra de Dos, regeneraefio da humani-
dade pola revelacSo da organisaco social,
um volume de 350 paginas, por 2,500 rs.; o
Mrquez de Letoriere, de Eugenio Suc, por
1,500 rs ; Max, romance de Frederieo So-
li, por 2,000 rs. ; Urna familia corsa, por
2 acadmicos de Coimbra, por 1,000 rs.
Horas do ocio, por M. Mallos, por 600 rs.
Um quarto com duss camas, frc, na qual
representam so duas pessoss de sexo masco-
lino, por 500 rs.; o Discurso do conde de
Lavraioem resposla a Costa Cabral, por
400 rs.
Q&Q000QQQQO00QO90G
Deposito geral do superior ra-
q p Areia-Freta da fabrica .
O deCantois l'ailhetck C.
na Rabia.
2 Domingos Alves Mathous, agente da
^fabrica de rap superior Areia-Preta da
WBshia, tem aberto um deposito na ra
da Cruz, no Recife, n. 52, primeiro ao-
Vdar, onde se achara sempre deste ez-G
Ocellenlee mais acreditado rap: ven-O
Ode-se em botes de urna e meia libra,O
Qpor prec,o commodo. Q
ejoo
Madama Kosa llai'dy, modista
l>i a.-ileira, ua ra Nova, 11. 34.
Madama Rosa llardy novamente lem a
sssfagSode annunciar ao respeilavel pu-
blico, que recentemenle acaba de despa-
char um luzido sorlimento de varias fazen-
das, proprias de se usaren) na proima fes-
la, consistindo em ricos chapeos de seda de
diflerentes cores e com enfeites mais ele-
gantespossiveis para seohoras; ditos de
rica plhinha da Italia, rendados e fecha-
dos, tanto para senhora como para meninas
e de varios lamauhos, com enfeites e sem
elles ; cbaposzinbos de abas largas e en-
feilados, proprios para meninos ; ditos de
palhinha redondose enfeiladospara Jilos ;
ditos de sada com lindos enfeites, para me-
ninos e meninis de 6 mezes a 3 anuos, do
mais rico gosto possivel j riquissimas lou-
cas de superior seda, feilas em Franca e pro-
prias para creancas de 6 mezes a 2 aooos;
ricos manteletes e eapotiobos de gros de
aples furla-cres t> relos ; ditos de fil
de linho preto de gosto o mais moderno
possivel capotinhos de file! de seda, tanto
brancos como prelos, psrasenhoras eme-
ninas ; brilhanlisslmas capailas para senho-
"i, pi'upi iaa para casanieulos e bailes ; su-
periores veos de seda, proprios para ditos
ricos pescucmlios de lil de linho bordados
para seohoras, do gosto o mais rico que
lem viudo de Franca ; camisinhas de cam-
braia bordadas para senboras, com golla d
cambraia de linho; esparlilhos de mola,
os melhores que teem apparecido nesta
praca ; um variado sorlimento de trancas
de seda ; lil de linbo e de seda ; sapatos de
setim brancos ; luvas de pellica para senho-
ra ; ditoa de seda de melha para ditas ; di-
las de seda preta para homem ; ricos gros
de aples pretos e furta-cres, que se ven-
dem aos covados s volitada do comprador;
chama lote preto de grande consistencia
para manteletes ; um completo sorlimento
de perfumaras boas ; e ootras muilas di-
versas fazendas. Na tnesma casa se fazem
manteletes e capotinhos para senhora e me
nina*), assim como chapeos de crep preto
oom toda a perfeirfio : tudo par preco mai)
commodo do que em outra qualquer parte.
Fazenda nova.
Vendem-se gangas amaraila e crdecln-j
,4,
o covado: no Aterro da Boa Vista, loja nu-
mero 18.
Cal e potassa.
Vende-se a mais novs e superior potassa
qoeha no mercado, e cal virgem em pedra,
ebegada-pelo ultimo navio de Lisboa, por
preco commodo: na ra da Cadeia do Re-
cife, n. 50, a fallar com Cunha & Amorim ;
assim como um restante de barris da mes-
ma cal, que flooo da safra pasaada, por ba-
rato preco.
Anda vende-se a verdadeira farinha de
Tapuy : no armazem de Antonia Annes.
No mesmo armazem ha milho multo novo a
2,500 rs. a sacca.
Vende-se una escrava de 30 annos, bas-
tante sadla e robusta : na roa Velha n. 71.
Venderse doce da calda em barra, e
gnleia em latas, da casa da viuva de Ha-
noel Ferreira Piolo, por preco commodo t
na ra do Encantamento, n. 10, tatema.
Vende-se orna parda escura, com ha-
bilidades : na ra larga do Rozarlo, n. 85.
Novo eatnlicleclmentn de
Q iiiodas.nn ra Nova n. 33, Q
0 de Madame Theard. Q
O Hdame Theard, tem o prazer de
0 annunciar a todos os seus freguezes. Q
a e msis respeilavel publico desla ci- 0
q dade, que alm do bom sorlimento }
p, que j exista em sua loja, acaba de 0
: receber pelo ultimo navio vindo de f\
Franca, oa mais lindos chapeos de q
^ sed, veludo, plhinha e lil arrenda- ,
3 dados do palha, do msis'modernoe Jf:
ultimo gosto de.Pars manteletes, ?
capotinhos e vesilas de grodeoaple JjJ
O preto e furlscores e de chaoialoto, O
eom as mais lindas guarnifOes de- O
0 franjado e tranca, que tem vindo O
Q este mercado ; os mais lindos enfei- fj
onetes
- Vendem-se saboSens higinicos, o
msis superiores que teem vindo i este- mer-
cado, assim como outras perfumsrias mnito
linas: na ra da Cadeia Veiba n. 2*, pri-
meiro andar.
Bombas de ferro.
Vendem-se bombas de repuso,
pndulas e picota para cacimba:
na roa djs Bruiu, ns. 6, 8 e 10,
fundico de ferro.
Arados de ferro.
Vendem-se arados de ferro de
differentes modelos : na- ru do
Bruno, na. 6, 8 e 10, fabrica de
machinas e lundicao de ferro.
- Vende-e urna seztante nova feita por
um dos memores autores de Londres* tam-
bem um brMole artificial e um theodileta 1
na ra dn Trapiche armazem n.
A o pintores.
Tinta verdo a 100 rs. a Hbra :
vende-se no deposito de caldelreiro, na ra'
Novs, n. 97, em barris de 16 a 20 libras.
- Vendem-se sellins elsticos, ehegados
agora : na ra da Cruz, n. 2, casa do Ceo:
Eeoworthy & C.
Loteiadai|reja> N. S. do Llvrameoto.
Aos 5:066,000 de rs.
Na ra da Cadeia, n. 46, loja d miado*
bilhete, decimos
gociohe fitost que s preta pague com
seus servidos este diulieiro, e depois rece-
bar a carta d'alforrria, que be o penhor em
rnUo de quearder este dinheiro : 00 largo
do la/eo, taberna n. 1*1, se dir quem faz
estifajegocio.
Nao he exageraco. ^^
Vendem-se sspatAes de couro de lustro,
obra muilo boa, a 2,500, 3,000 e 3,500rs,:
qa roa da Cadeia do Recife, loja n. 9.
O corretor Oliveira recebeu ltima-
mente, e vende cobre de forro para navio,
com os pregos de composiedo correspon-
dente.
G vapor trouxe do Rio o
quarto e quint1 volumes dos Mis-
terios do Povo, por EugerjjMjfte,
a I,oto rs. o volume ,
no pateo do Collegio,
vro azul.
Lotera do Rirj
Aos ac:000,0c
Na ra aatreila do ^
Queimado loja do a Mi
quim F. doa Santoa
muito acreditados bilrteTeS, lliavajsl, quarl
oitavos e vigsimos da dcima-segunda lo-
tera da Santa Cesa da Cardade do Rio de
Janeiro, cujas rodas andarfionodia t do
correte : na mesma loja est patente a lis-
ta da primeira lotcria do Hospicio de Pe*
dro 11.
tu, vendean-ae meioa biliielea, doemoa
Vigsimos d*sta lotera, qe corra fmp/e-. vtnd-t, urj frti, muito superjor,
terrelmeate ao da SO do QerWntb. g^ COT|ldo Mlim de ,ct0( ji80u 0
corle; corteada brim do linbo, a4,440;
Meioa w 5,560
Docimoa 1,100
Vigsimos 600
- He ebegado a esta praca o admiravel
lioor adto-ayphlHico, de Julio Paes de Fi-
guairedo, o se A tes psra cabeca a parisiense ; as mais Q ctt urn, na ra da Madre-de-Deo?, botica
X modernas e delicadas capailas de fio- q e Weitck Bravo &C.: as enfermidades a
*"* nlrtiano I an 11\ naii* nriivarlrt a**n_ k. a a_____*.- ^ n r (l.4n aa>ao mi n* I a m
g, res artiliciaes lanto para noivado co- q
Sv mo para bailes; riquissimas gusrni- p\
(Oes para vestidos de senhorss; ro- 2
meiras, colerinbos e cabecees, cami- *
V setas, tanto para paaseia ou baile,co- jj
O mo para montara, esparlilhos, Bo- 9
Q res, luvas, leque, soda copas para
O chapeos de senhora a outros im- O
$ mensos objeclos que nSo se mencio-
Q nam para nSo cansar a paciencia dos 0
q amadores;lso smente se asssevera s ^
n boa qualidado o bom gosto de tudo e\
q por preco o mais rasoavel a con- q
f lento dos compradores. Juntamente ?
X se fazem vestidos, manteletes echa- *J
j pos; e ludo qusnto frtendentes ^
O modas, com a maior brevidade e ^
O perfeico possivel, por ter as mais O
Q peritas costureirss que mui bem ese- O
O cutam sua arte. Q
00000000000000000
Vende-se um cavallo bstanla gordo,
e proprio para montara de menino, por
ser pequeo e manso : ns .ra da Aurora,
n. 46, taverna, se dir quem vende.
Vende-se urna parda do 11 12 annoa :
na roa doa Tanoeiros, n. i, primeiro andar.
Vendem-se pipas de sgo'ardente de
superior qualidade : na ruado Hospicio, n.
9, se dir quem vende.
t Vende-se um escravo de alegante fi-
gura, ptimo carrelro, e proprio psrs todo
servico, principalmente o de campo, por
preQO commodo : na rus do Hospicio, n.
9, se dir quem vende.
Lotria do Hio-de-Janeiro.
Aos 20:000,000 rs.
Na loja de miudezas da praca da Inle-
Eendencia n. 4, vendem-se os afortunados
ilnetes inlelros, meios quartos, oitavos o
vigsimos a beneficio da 25* loteria do
Monte-Po
Musen Pittoresco histrico e Ili-
terario, ou
livro recreativo das familias, con-
tentlo a descripcSo 'de monumen-
to^ e de factos histricos ; grande
copias de novellas muraes e inle-
qae elle so toar appficado, e as quaes tem
obtido favoraveis resultados, so as seguin-
tes : esquinencias, pleurices, apostemas in-
ternas e externas o outros quaesquer tu-
mores einflaroacOes. quedas, cotitusfles,
puntadas, clicas do estomago e baizo von-
tre retenefles de orinas, constipacas, ma-
lignas, febres, anciedade e faltas de respi-
rac.no, apoplexias, paralizia's ou estupores,
toases e grandes defluzos, asmas ou puza-
mentos de peitos, dorea reumticas e gli-
cas, molestias glicas ou venerses, anavar-
ca's, hydropcsias, abscsos, dures seistiess,
etc., etc,; facilita os partos lentos o acci-
dentaes, promove a menstruacSo, cura as
conslipaces e malignas sobre os partos,
dores de madre o maia encommoJos que a-
tormentsm as paridas, o he tambem appli-
cavel at as criancaa roeem-naseida, co-
jo methodo minucioso de applicar-se a-
compsnhs aa respectiva* garrafas, que a lo-
dos se recommendsm.
Domingos Alves Hstheus, lem para
vender no seu escriptorio na ruada Cruz do
Recife n. Si, mol superiores o verdadeiros
chirutos de Havana, a proco de 7,000 rs. ca-
da cento.
Araruta a 3,500 rs.
Vende-se farinha de araruta, a 3,500 ra. a
arroba, muito nova : no armazem de Dias
Ferreira, no caes da Alfaudega.
lencos de seda finos, a 1,500; corles de Ida,
a 1,920 ; ditos de cassa-chila, a 8,000 ; o ou-
tras multas fazendas por precos mui bara-
tos: na rusdfQueimsdo, loja n. II.
Escravos fgidos.

1-
Loteri 1 do Rio-de-Janeiro.
Aos 30:000,000 de rs.
Pelo vapor Ptnambucana, onegado a as-
ir porto a 15 do corrente, recebemos a
ressantes, tanto nacionaes como Ust da pnmeira lotera do hospicio de Pe
_.j...:j. j 11 ___.,,1.,,,, droll.comolbom os sempre afortunados bi-
traduzdas dos melhores autores lh ,,,. ^ ,,.ri. ,,. _
Irancezes, inglezes e HeroSes ,
variedades, ancdotas e poesas,
3 v. bem cncadernados em folio,
com 418 pag. cada volume orna-
dos com 96 estampas.
Esta preciosa obra em formato grsnde,
impressa no Rio de Janeiro com typo novo,
em ezcelleMe papel, o ornada da gravuras
de tal finesa qae pdem soffrer oompara-
cSo com as msis bellas e illustiadasedicoes
da Europa, offerece'ao reapeitavel publico
Brasileiro, amante de leituras inlertsssntes,
variadas e instructivas, um verJadeiro the-
souro de divortimento, como ae encootra
em poucas horas escripias no idioma por-
tugus : veode-se cada volume -por 6,000
rs., ou os 3 volumes por 15,000 rs., no pa-
teo do Collegio, casa do livro azul.
Grande deposito de cha.
No pateo do Collegio, cass do livro azul,
vendabas)
cb hysson superior 2,500
dito aljfar braaitair 9, 00
dito paquequer 9,000
dito de outras diversas qualidades 2,000
U vapor trouxe do Rio novas mu-
sicsa para piannos.
0 Meirinhoeapobtt, duelto jocoso, brssi
leiro, arranjado para pianno e canto :
Como poderei fWer,
Sem as esmolas dos fiis
Senbor meiribtro v se embota
E me d alguos dez ris.
Harche j'mlnha devota
Tonho ord'eos spertsdss,
Velbas, lontas, mocas, tortas
Irflo todas amsrradus.
O Militar 1 a ftomitira: romanea e
duetto.
A nova lyrs. Ilymno da independencia,
composlo porS. H. Pedro I. AsProvinciaes,
o maltas quadrilhas : vende-se no pateo do
Collegio, casa do livro azul.
-- Vende-se urna preta do nac,3o, ptima
cozinheira, equehe muito boa quitandei-
nSo tem vicios: as fu ds Prsu, 0. 9,
[senboras, pelo baratissimo preco de20 T$M armazem de cama occa.
de cardade, que se eitrahio a 5 do cor-
rente. Das 8 horas da manhSa s 6 da tar-
de, aoba-ao venda na loja de cambio da
ra da Codea do Recife n. 24, da Viuva
Viera & Flhos.
-- Vende-se sete de carrapato, a 200 rs.
a garrafa; macarrSo e lalharim, a 160 rs. s
libra ; msnteiga ingleza nova, a 400 rs.;
cevsds, s 80 rs.: gomma fina para engom-
mar, a (0 rs. a libra : no pateo do Carmo,
n. 2, venda nova.
-- Vende-se urna tavarna das melhores do
bairro da S.-Jos, por sar defronte do quar-
tel das Cinco Ponas, muito afregqezada
para a trra, e que vende diariamente 15 a
20,000 rs. como se far ver ao comprador,
be propria para principiante, por se fazer
negocio com poucos fundos : o motivo por
que se vende he por ter o dono outro ne-
gocio : s tratar na ra de S.-Rita, n. 97.
Voodea-ae duas prelas de nacSo, sendo
oms de meia idade, que lava bsm de varre-
la, cozinha o diario de urna caaa, o eotende
do servido de campo; ea outra de 18 an-
nos, boa quitandelia, e nfio lem vicios nem
-CifQM^G : TCmuOiTi
dividas
.... pagaiuemu ue
na ra da Concordia, quem vem
da ponte a csqu'erds, segunda casa terrea,
se dir quem venda.
Vende-se guandos em libras : este le-
gumelie a imitacSo de hervilhas, muito
proprio para guisar e muito saboroso, viu-
do prximamente do ltio-dc Janeiro, a 1
rs. a libra : na travessa do Queimado, n.
taverna.
Vendem-se 2 moleques de bonitas fi-
guras, proprios psrs qualquer offlcio : na
ra do Kogo, n. 23, se dir quem vende.
Vende-se ummolequede 12 a 13 an-
uos : na ra de Hurlas, n. 54, casa da esqui-
na que voltapsra a ra deS.-Thereza.
Vende-se sal do Asa : a bordo do bri-
gue S.-Manii-AugvHo, ou na praca do Com- ]
mercio, n. 6, a fallar eom Manoel Ignacio
de Oliveira.
-Vende-se um ptimo oculo de ver ao \
longe : na ra do Queimado, n. 87 A, loja.
Vendem-se pesos de duaa arrobas no-
voa, proprios para armazem de assucar : na
ra (las Larangeiraa, n. 18.
Bom negoeiocom pouoodinbeii
Vende-te urna preta, cortada no valor
nicamente de 120,000 rs., que cozinha
Ib un, engomnia t cose lotTrivel: site ne-
Ausenlou-se no rila 8 do corrente, j
canoeiro de canoa de lijlo de oom I
quim de nacSo Cacange, estatura regular-
dado 24 a 26 snnos, cara redonda, o picada,
de bexigas, nsriz chato o todo arrapanhado
em roda que parece queimadora, cor una
pouco fula, pouca barba e he quebrado de
urna das virlhas, levou camisa o caroulas
compridss deslgodlo entrancado ; quem o
pegar leve-o a roa larga do Razarlo o. 18,
que ser gratificado generosamente.
Fugio do engenho Caiape di fregoezla
de Iguarasa, um escravo de nomo Mximo,
he cabra-negro, barbado, cheio do corpo,
olhns pequeos e brancos. falla Mansa : j
levou surra na grade, tem 35 annos de ida-
de e representa os ps com algumas radia-
dores ; foi comprado nesta praca a Ray-
mundo Carlos Leite, vindo da villa do Gra-
to, o foi captivo do Sr. Antonio Luiz Alves
Pequeo Jnior; suppOe-se que dito escra-
vo tenha ido para esses serloes: roga.se por
tanto as autoridades policiaes o maia capi-
tSes de campo qne o 4>pprehendsm o levem-
no ao mesmo engenho Caiape, ou nesta pra-
ca em casa da Viuva Peroira da Cunba, que
recompensar.
Fugio, no (lia -97 de outubro prximo
passsdo, um moleque de nome Juvencio, de
18 a 20 annos ; levou calca de casemira es-
cura, jaquel branca, chapeo branco com
cordo e borla branca de copa baixs, de es-
tatura regular, reforcado, beicos grossoa,
nariz chato, com alguna signaes de besigas
no rosto, o qual nSo tendo sabido para fra
da cidade, suppOe-se estar aqu oceulto ou
nos arrnhaldes : qnem O apprehender leve-o
a casa de seu senbor, na roa Formosa n. 9,
que ser generosamente gratificado.
Fugio, nodia 15do crranle, pelasqua-
tro horas da tarde, um negro do naato lie-
bolo, de nomo Jos, de 40annos pouco man
ou menos, altnra ordinaria, corpo, largo o
seceo, rosto tambem secco, ps largos, po-
de tambem se reconhecer por ser quebrado
e levar urna funda anda nova ; esle escravo
foi comprado ha quatro mezes ao Sr. Fran-
cisco Romes Ferreira C.uerra, morador no
engenho Aurora, comarca do l.imoeiro. fre-
guezia do Bom Jardn, o qual aenbor este-
va no Recife de segunds-feira at sexta-
feira, tS do corrente, que se foi. O escravo
cima foi visto caminbando com o comblo
do mesmo Sr. na estrada de Santo Amaro,
seraduvids que foi scoropanhando por ser
casado rom urna negra escrava do mesmo
aenhor, o ezislente no mesmo engenho ci-
ma : quem o apprehender bu delle der noti-
cia no Aterro da Boa Vista, padaria france-
za n. 50,-ser recompensado.
Desappareceu do Aterro-da-Boa-Vista,
padaria n. 66, o cabra de arome Leandro, do
20 annos pouco mais ou nanos: quem o le-
var a dita padaria, ser recompensado.
Fugio, hontem de manhS. o psrdo Ve-
nancio, escuro, reforcado, falla bem; foi
escravo do Sr. Diogo Jos da Costa, que o
vendeu ha um anno ; aleve noa mezes do
julho, agosto, setembro o outubrt* prozimo
passado em casa do Sr. Baisa, no Honlerro:
qnem o pegar leve-o a caaa do Sr. Richardo
Royle, na ra da Cadeia, n. 17, a entregara
Antonio Machado Gome da Silva, oaje.se-
co mpenser.
- Fugio, no dia 95 de outubro prximo
passado, do engenho Sitio-do-Meio, da ri-
heira de Una, o mulato Benedicto, de 25 an-
nos, de sltura regular, grosao do> corpo, ea-
h|5- c:r.~isb:dc* csr; c:c:r=;; olliu
fundos, pouca barba, denlos abarloa, or-
nas arqueadas ; tem os dedos grandes doa
ps abertos, lodo msl felto decOrpo ; quan-
do anda scompanha eom 01 bracos as pas-
sadas ; faz-se mnito umilde ; he natural de
Carerys-Velhos ; foi escravo da Francisco
Be zana de Vaaoonsellos o Silva, do Catinga
Vermelba de Grvala. Roga-#e as autorida-
des policiaes e capules do campo, jan o
apprehendaaa e levem-no ao dito engenho
Sitlo-do-steio, ou ao euenba) Carauasa da
mesma riheira, ou ao Recife, a Antonio
Caldas da Silva, na ra das aiartyrios, n.
14, que serSo gratificados.
- Fugio, 00 dia 40 do corrente, o escra-
vo Tliomaz, de na$.1o Angola, de estatura
regular, sem barba; tem talla de 'denlas oa
frente ; representa lar 18 a 20 annos ( le-
vou calcas da panno fino azul, camisa da
algodo trancado, jaquela de alpaca, cor de
vinho. Roga-aess autoridades policiaes e
capitaes decampo, qne o apprebandam e
levem-no ao Aterro-da-Boa-Vista, n. 43, ou
na Passagem-da-Magdalens, ailio do fiuado
Dr. Brito, que serio gratificados.
Paaa. : na ttt. di m. r. ds faria. 1860


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EN4GKZ86W_GVOY6U INGEST_TIME 2013-04-24T17:20:00Z PACKAGE AA00011611_07214
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES