Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07147


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO XXXIV N. 272.
SEXTA FEIRA U DE MIEMBRO DE 1858.
Por 5 mezes adiantadoi *#000
Por 3 mezet vencidoi 5J000.
Por anno adiantado 15,5000.
Porte franco para o subscriptor;
ENCARREADOS DA SUBSCRIPCA'O DO NORTE.
Finhibi, Sr. Jai* lodolph* 6omM ; Nuil, Senhor An-
lanio Mirones di lili* ; Ararat;, Ir. A. d Lamo* Bna ;
CMri, Si. J. iat di liinri ; Maraohao, a Ir. Joi* Taiaira
da llalla Fuuhj, a Ir. Jora Joaquim Avelhno ; Pirt. Si.
/uMiaa I. lamo*; Abmkdii, a Ir. Jireajme da Caita.
PARTIDA DOSCOBREIOS.
Olinila todoi os da*, ne mei h*ra* do du.
fgtiaraaao', Gd^di farad iba n.i* aet(un S. AnIJo, DajumMi Bonil*. Caruaru', Allinho o Garandan* : na terfa-feira,
S. Lourenco, l'ao d'Alho, S'aaareih, Luini-iro, Breja, Peaujoeira, Ingaiei-
ra. Florea, VrJla-BelIa, Boi-Viila, Ouricury E*u\ ta* qaartaa-feiraf>
Cabo, Ipo/uca, SerinMeiB, Rio For mino, Una, Barreiroa, Agoa-Prata,
Pinenteiras .\au/; umafj.i-fciraa.
(Todoa oacorrei* parlan a 10 aorai da anh'a.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal da eommarda : segundas a quimil.
lelaca Icrcar fairai a ubbadoi.
Fanndi : quariar a ubbadoi ai 10 hora*.-
Jua do eommarcia: iigunda ai 10 horaa a oolaMl ia Bala dli.
Duo da arphisa : sagundil a quimil ai 10 ora*.
Primiin ?ara da cml; aagundu a laxiu aa maia da..
Segunda ara da mal : quarUi a labbidor aa mala da.
EPHEMERIDES DO MEZ DE NOVEMBRO.
5 La nota ai 2 horai a 29 minuto* da manhaa.
13 Quino crarciou ai 6 borii a 23 minuioi da Urda.
*1 La cbafa aoi 5 miouioi da manhaa.
27 Quaria minguaoaa 3 borai a 19 minuioi da manhaa,
PREAMAK DE llOJE.
Primalra as 8 bom a 30 minutoe da manbaa.
legunda as 9 boras e 18 minuioi da urda.
DAS DA SEMANA.
22 Segunda. 8. Cecilia v. m.: S. Pbilcmon m.; S. Pregmacio.
-I Terca. S. Clemente p. m.; S. Cbrjsgono m.; S. Flora M.
24 Quina. 8. Jobo da Cruz c; S. Felicidade m.; 8. Cesino m.
'2' Quinta. S. S. Catbarina v. m. : Ss. Erasmo aoldado ui.
26 Seiu. 8. 8. Pedro Alexandrino b. ni.: S. Delphina v.
27 Sabbido. 8. Margarida de Saboia .; Josaphal m.
28 Domingo. 1.' do advento. S. Jacob da Marca I.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCA'O DO SUL.
Aligoai, a Ir. Claudina FaIcio Dlai; Babia, Ir. D. Dupna
BJa da Janaira, o Br. Joao Paran Mariis*.
EM PERNAHBUCO.
O Preprliiarle de DIARIO Manoal Figulina da lula, na ama
linaria, prica daIndapandancia ni. I i 8.
B AfaS HMIaflYLaT l'VJ coiDraamiaiite superior em ollioio n. SI .le 17 .ie do Corrale. Commuoicou-se ao cbefe
|T jm JA I BB U W FiII 1. oUobro ullirno, resolve noi termos do arl. iX .la le noliria
'* **" n. 602 da 19 de lelembro da 1850. nomear para of- V rj;,' n
de
QUVEKMO DA PROVINCIA
4.* seecao.Secretaria do governo de Pernam-
buco. 2i de novembro de 1858.
De ordem de S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia se faz publico que no dia 2 de dezembro
Lobalo.
fici es do relindo batalhao oa ci.la.iaoi segoiotis
ijniri.i eompanhla.
lenle o alteres da merina.Antonio Vitalicio
de Mello.
Sexta companliia.
Capillo o lenla da qaarla. Unifique da Silva
prximo vindottro, annWersario natalicio de S, i
C. ... rv j Teoeuta o alfere Manoal Jusliuiano Bezerra Ca-
M. o imperador, havera cortejo a elbgte do raesmo valcanti.
augusto Senhor no palacio do governo s 5 horas Alteres Juvenal Florindo do Anjoi.('.iniinuni-
da larde 0 secretario do governo, Jos Bento ao commaod.nl. loperior da .ard nacional l^^TSXnR.'rrn*
da Cunha Figueiredo Jnior. de ("ranhl""- dedaraado-se-lhe que d.ve r pro-16 jos
Dresidente da provincia, consi-
derando Yagos os lugares de 2 3,*- e 6*.
sapplentes do subdelegado da freguezia do
Poco da Canda, resolve, na conformidade
da proposta do cbefe sob n 1.026, nomear para os mestnos lugares
os cjilaiMos abaiso declarados.
i 2-. Dr. Joaquim Fraucisco de Miranda.
i 3*. Francisco de Paula Reg Barros.
*. Jo3o Luiz Vctor Lieuthier.
poalo para tenante quartel-maitra un to* alfere do .
baulliao, e que ot mail individuo pioposloa nao iao '
pruviJi'S por ja ler alfares cadi ama dai companliiai. '
Hxociientc do lecretano do governo.
i lili -lo do chefe de polica.S. Eic. o Sr. preii- '
Gipidimi do da 10 ale novembro de 1858,
OHici> ao eomroandanta tupirior da tzoiirda oa-
ciooal do maniciplo do Recife.Qoeira V. Etc. in- '
formar sobra o qua pada Jos Pedro do Reg Jo- denle da provincia manda accaiar a recepta do olli-
Dior no incluso lequehmenti. i ci, qoa V. 8. Ihe dirigi honiem, sob u. 102"), cmn
Dito ao roeiroo. Haja V. Exc. da informar so- referencia a participado do joiz de direito il.i co-
bre o qoa peda Jos Jac'ollio Coaiho da Silva no ; marca do Cb >, dsqaal coma que nao "i uive Iraba-
raquenmenlo incluio,
Dita ao inspeetpr da Iheiooraria da faienda.
Ordene V. S. qoe ia me aprsente, para ohjirtu de
aarviQo publico, o escriturario dessa thesourana,
Jo I rantuco de Sale Bavira.
Dito ao tenante-coronal chefe do estadu-maior a
eoinmaiidania superior nterin da guarda nacional
da comarca de Garantaos. Kaspondendo an olii-
Ihos da respectiva promoluna publica no miz de ae-
lambrii ultimo.
Dito eo inspector da Ihesouria de fazenda.S.
Etc. o Sr, prtiidenle da provincia manda daclarar-
Cominuriiciiu-se ao chefe de polica.
Expediente do secretario do governo.
OfTicio ao commanilanle aparior di guarda ni-
eional do municipio do Recife.S. Etc. o Sr. pre-
sidente da provineia manda cominumcar a V. Exc.
qua, por despacho dasia data, auiorisou o inspector
da thesourasia da fatenda a manier pagar como V.
Exc. dos vencimeolos dos olliciaes de primaira linha em-
pragados na gaerda nacional desle municipio, bem
como dos respectivos enmelas, ala-mis eUmlure,
e do aluguil da casa,que nrve de maudo luperior, rclalivamaule ao mn de outubro
liieqoe livaram o convenante deslino osollicios, que | ultimo, lado na importancia <'e reis ii,'l", 'i.
acompiDharam oda V. S. de (> a 9 do crranla, 10b D'to ao chefe da polica.O Em. Sr. prtidnte
ns. 502, -"ii i i a 05. da prnvincia
ilo o joiz de dirailo da comarca do Bonito.
l-.v-. o Sr. presidenta da provincia manda acci
publicas, informando o requarlmento de D. Mara
do Roiario dat Virgans e Joio Braz da Vaseoucel-
loi. Informa o Sr. Dr. juiz de dirailo da comarca
do Bonito.
19
Raqaerimanto da Florencia lirsola Mara da Mol-
ienda, padindo a entrega da sua irm.la Arqoelina
Msria de llollanda, educanda do collegio das or-
pli.lai.Informe oconselho adminitlralivo do patri-
monio dos urphaos.
UilodeJu.lo Itaptiita Nanas, padindo sa mande
admillir no eollegio das orphaai, a msiior da nome
Senhorinha, qoe tam em seu podar.Por ora nao lia
lagar.
Dito do baeharel Jlo Francisco da Silva Braga,
juiz'munieipsl do termo de Bezerroi, padindo 2 mi-
zei de licenri com veurimenlos para vir a esta capi-
tal tratar de sua saude. Nao precisa de tcenla.
D>to le Manoal Ferreira de Mandones, carcerairo
da p.idea do termo de Iguaraisu', pidiodo o paga-
mento da seos ordenados vencidos de ti da favereim
a 9 de Miembro ultimo. Informa o Sr. Dr. chefa
de polica
I' ln de Chriitovio de llollanda Ctvalcanli Millo,
arrematante da caa da barrena de Tapacura',
Paasa portara coucedende a prorogac.au reque-
rida.
Oilitio n.lisl, dn tenante general commiodanle
das armas, traiismittindo o do leoente-coronal aom-
maudante do 9. batalhao de iufantaria, declarando
| da prnvincia manda aecosar a reoepcao do oflicio Oilu haver sido bam comprehendido,na raquliicaoque
to.S.' n. 1020, qua V. >. Iha dirigi honlsm com o map- : zera acerca da latrina do reipeclivo qaartel ; por-
cuiar a pai dos aslrangsircs, qoa auiraram nula proviucia, | qaaulo nao taia inleuc,ao de pedir a coustrocrao de
co qoa V. S. dir uiu-ma em i de ootubro prximo ,
finio, lenho a declarar-lhe qoe o casamsulo que recepetto do ofQcio, qoa X. S. Ihe dirigi em S do {*dis qases sahiram dorauta o miz de outubro al-i ama nova latrina, mai o concert do qaarto da que
effeituou Jos Marlmi da Coila, depon de recrotado, j crranla com us mappas e nao poda aximi-lo do airvijo do axercilo, em qui
xistena nimias proras casadas, mas visto o que pon-
dera V. S. em aeii citado ofticb, poda-ie remeller
oalro reerata em lugar daqaalle.
Dito ao mismo. Ao seu officin de de oatubro
ultimo, sob n. 36, respoalo declarando qua deve
aar restituida a importancia dos vencimeolos rece-
bidoa pela escolta dasliuada a eouduzir om reerata
que evadio-sa qoando tiuha de sigair para aila
capital.
Dilo ao eoramandante snperior da guirda naaio-
ual doi municipios da Olin la a laarasi.Accu-
s.io ordinaria do jury do termo do Bouilu no corren
la auno.
Dilo ao inspector da Ihesoarari.i provincial.11
Etm. Sr. preiMenle da provineia manda cominau-
c r .i V. S. que com o sea ofTi io de 2 do correle,
sob n, 382. receben os balancetes da reciita e dei-
paza dessa Iheiouraria, verificadas uo me/, da oulu-
bro ultimo.
Dito eo collector de rendas do muDicipio do Bui-
qae.S. Etc o Sr. presidente da provincia maula
d-i-larar a V.S. qoa remellea a Iheiouraria de fazan-
da a olTicio, qua V. S. Ihe dirigi em 28 de setem-
aando a reeepcao do ollicto que V. S. me dirigi em bru alliino com ai relac,oei dos vencimeuloi, na im
16 de ouluhro prolimo lindo com as copias das
qjililicar;dss da guarda nacional dos municipios de
Olinda a Igoarasni, devo!vo-lha, para serera la-
Ih'nlicadas, nao s as copia
guarda nacional das freguezia
poriauea de 1i6s'.rOO abonados n.i > s aos reeralas
Juaqonn Castao da Moraea a Jos Msrlius da Costa
qoe io vadiraru viudo pira esta capital, mas tara-
das qualificsees da i bem as 6 pregas da guarda nacional, que escollaran) vinci manda declarar a V. S. m reipotla ao lea
perlencentes ao se- 1 '" 'efi'idos recrotas. | ollicio desta data que tica inieiralo de se haver de-
Dito ao inspector da Ihasuoraria provincial.
8. Exc. o Sr. presidenta da provincia manda acen-
sar a jecepc-iu do i llicio, que V. S. Ibe dirigi em
ll de oulubro ultimo, sob n S54, com as dimons-
traeei dos saldos existeutas ms differenles caitas
a cargo do Ihesoarairo dessa repartido no da 9
do citado miz.
Dito ao capito do porto.S. Etc. o Sr. presi-
dente da provincia manda aicusir a recenco do of-
Ocio, qoe V. S. Ule dirigi boutem com duai rala-
ees. nai quars se mi>ocionam os reeralas Manoel
tionralve Cabra), Manuel de Consto e Manoel Joa-
qaim, quesaguiram para a corle, no vapor l'rin-
ceza de Joinvilleu.
Dilo ao eucarragado da gerencia da Companhia
Pernainbucaua.S. Exc. o Sr. preiidenta da pro-
gando deaiei municipios, mas lambim urna oulra, Dito ao director do arsenal de guerra.S. Exc. o
qoe, alein da falla da asiigualura, n.l> se echa aa- ; &* prnidaule da provincia man ls aecusar a raeap-
Ihanlicada, nein conten ao menos a deiignacao da S;'" do oftlcio, que V. S. Ihe dirigi honiem, lob u
freguezia coja qaalilioac.Ao menciona-se. Fazendo
sanar os defeilns que se notam as (res copias refe-
ridas, haja V. S. de informar se raauiose o conse-
Iho de revisls no municipio de Igaarais, visto que
dedas nada consta a semelhante respailo.
203, com as copias dos termos de entrega dos objac-
los comprados pelo conselho administrativo para for-
nicimeulo desie arsenal no mez da outubro pruiimo
lindo,
ilo ao representante da astiada de ferro Ricardo
Dito ao joiz de direito da comarca de Garanhuns, Auslin.S. Etc. o Sr. presidente da provincia man-
Com o sea oflcio de 23 de ootubro foram-me j da aecusar o recebimenlo mi ollieio dn Sr. Ricardo
presentes as copias dos provimanlos giraos da cor- | Aost n de 6 do crrente com o rilalono do Sr. Pi-
rai^ao feita por Vine, nos termos de Garanliuns e uisloii, ai-nn como a mforiuacjio do sjr. Bay'iss, que
Buiqoa, as quais transmiti ao governo inip.nal. | 'he foi leinetli 11 hoja, davendu ser prsenles un e
No provimenlo publicado no encerrainculo da outro documentos a coniniusao consullaliva para a-
eorrei;ao de Buique daclarou Vine, que essi lirmo 1al S. Exc. tslara' prompto dipois il'aiiianii,i i. 12
nao era reunido ao de tjaranhun*, e detarminou i '', aorraulr, as l> horas da tarde ; nutro lim recabeu
qoa o respectivo juiz lapplinle etercesse a sua ju--i a# cuntas do mez lido, as quaes passam a ser eta-
nsdiccJo plena, sem depindiucia do ju1/. munn-..... minadas, a manda reintttir as doi oito mezes anli-
letrado da (jarinlium, qoe at euta estendia a
Buiqoea ana junsdic{ao, na roiiformilade do de-
creto n. 276 de 2 de marco de 18i3.
No seo citado officio assignsla Vine. esa provi-
dencia tomada para corrigir o abuio aiiitente, po-
rein nam no mismo provimenlo, nein uo sea olli-
eio se encontra a juitificacan deite provimenlo.
O artigo 3 do decreto n. 171 de 17 de maio de
1842 craou um juiz minicipal para o termo de ln-
rauliuns ; euiao esse lermo comprelieudta a frague-
zia, hoje municipio, do Buique ; depon da le pr>-
vincial n. 337 de 12 da maio de IN>, qui ereou
a villa a mamcipio do Baiqoe nao foi aquella de-
arelo alterado, a portaolu a auloridada do joiz mu-
nicipal da Garanhoni eonliaaoa abran.en lo o roes-
mo territorio ; io o governo imperial poda reslrin-
gi-la ao municipio de Garanliuns disaiinsxaudo-o
do Buique, e enllocando este sob a jurudicjo dos
supplsnles, na conformidade da segunda parla do
arl. 33 do regulameolo o. 120 da 31 da Janeiro de
1842.
Os mappas auoexos aoi nlalorios do rainiterio
da jaslice, nos quaos apoia-sa V rae, nao slo docu-
mentos legislativos, mas apenas infnrraacoei, as va-
xas inaxaelai a que precisara de correcto.
Portanto, lieaodo suspensa assa parte do provi-
miuto da correicio de Buique d 15 dejalho dnte
auno, tanho reulvldo que continu, como al en-
tao, o joiz municipal ellaclivu do termo de Gara-
nhuns a exarcer no de Buique, reunido qaell'ou-
Iro, a iumdici;tn qua Ihe compete na conformidads
do decreto de 24 de marco de 1843, limilando-se o
auppleole d? Buique a exircer a u-siin;.l>, que
Iha be dala palo mesina decreto, a e dicisao do go-
verno Imperial, a quem submello o relindo provi-
menlo, e esta minlia resoluto : o que Ihe cora c-
nico para asa indiligencia e eiocugao, a Vme. o ta-
ra emular au joiz municipal da Giranhum a aos
lupplenti de um e ontro termo.
Dilo ao director girat da in-irncro publica.Ao
oflieio qoa Vme, dirigio-ma em 14 de oolubro ol-
limo, sob n. 124, respondo declarando que n.l > se
pode alteoder ao pedido, que faz o professor publico
de iti.siruec.ao primaria da freeuezia da S. Jos,
para ser reparada, a costa dos eofrss provincia, a
.caa em qoa d aula o referido profenor.
Dito ao conselho administralivo para forneci-
m'iilo do arsenal de guerra.Recommendo ao con-
seli'io administrativo qoa, independeotemenle de an-
uuncius, eompre para foriiecimeulo do arsenal de
guerra os 81 covados de panno fino cor de rap, de
que traa o pedido junto.Communicoa-ia ao ins-
pector da Ihesouraria de fazanda.
Dito cmara municipal de.V uarolb.Tomando
em considerado oque me repreienlou acamara
mooicipal de IV'azarelh, era oflieio de 16 da julhn
nllirno, tenho resolvido, na conformidade do arl. 21)
da lei do orcamenlo monicipal n. i, autorisa-la a
contratar a venda da casa, em que aclualineule faz
oas sesies, a compra ds qua sa offerace nos ter-
mos da ii.form ica i junta, ministrada pela repartirlo
das obras pub'icas, fazendo-sa ua ultima das refe-
ridas easas, que se daiiina para par;o da misma c-
mara, as obras indicadas na planta a orcamenlo,
que aeompanhstu este officio.
Dilo a cmara municipal do Bouilo.Devolvo i
samara monicipal do Bonito, afira de ser conve-
nientemente aailieutirada, urna das copias de actos,
qoe acompanharam o no oflieio de 23 da outubro
prximo hndo.
Portara.O presidente da provineia, vista a in-
formarlo do director das obras publicas, resolve
que as repartiris competentes se observa a in-
closa tabella da ilulribuu.i des fondos qoe, pelo ;
5 do art. 12 da lei provincial n. 52 de 21 da jauhu
oltimo, foram consignado! para as nnras publicas
desla provincia no anno de 1858 a 1858.Commu-
riicoii-i ao inspector da Ihesouraria proviucial a ao
director interino das obras publicas.
signado para o dia 15 do correnle a sabida do vapor
nCersiiiungai) para os porto! o o sui. aliento o moti-
vo que no mismo oflisiua-se declsrir.
Despachos do dia 13 di novembro.
Reqnerimento do deseinbargadur D. Francisco
Bi ia-,ir d. Silveira, pe luido Iras mezas de llcm-
s.Pasee portara na forma reqmrida, devendo o
supplicanle cniueear a gozer a licencia Ueutro de 30
diai.
Dito de Jos l.uiz da Silva, recrulado, pidindu ter
posto em iiberdaJe.Informe o Sr. Ur. chefe de
pol'cia.
Dito de Jos Felia da Cosa, ex-pra;a do etercilo,
ultimo com o sustento dos presos pobres
da cadeia do termo de Garanbuns, na im-
portancia de 2150200 rs.--RemeUido ao Sr.
inspector da ttwsourarla
O Sr. Ministro da Fizenla :(Junio veio '.'
O Sr. Aogasto de Oliveira :Nao posso precisar
a poca. Este trabalho foi futo por vinoi neo-
cianlas ; e versando elles sobre inlereises commer-
tnspector da thesourarla provincial para i *: f *e,"",)0 enes s..nre imereises commer-
Dito do Dr juiz de orpbSos, solicitando! aingar n..t. discussao, dei.ae. d. in.i.i.r ..bre
se manda recolber ao arsenal de marinba o
menor Jacintho, lho de Manoel Francisco
do Nasci rento.Informe o Sr inspector do
arsenal de marinha a quem se manda apre-
sentar o menor.
Dilo n. 314, do inspector do arsenal de
marinha, informan lo o requerimento de
Fransisco Ignacio de Medeiros.Informe O i ra mostrar o grande progresso que tam lulo a Venda
Sr. inspector da tbesouraria de fazenda. |daalfaudeia da minha proviucia, por ser om fado
Dito n. 354, do director da repartirlo das \ conslante de lodos os bslanros a orr;amsulos da nos
obras publicas, informando o requerimento isa deipeza e rece de Belchior dos Res Cavalcanti,Informe o Ia Pr.yi"c'ai <' Baha era iquilla que depoii da
tpicos principaes dista represinta;ao ; content-
me em rogar a S. Etc. que a lome em considara-
;51, adoptando ao depols aquellas reformas que jai
gsr cun venientes, a lim de ir fazendo desappare-
cer essi desigual la ls coutra as provincial, qoe
julzo exiitir na cobranza dos direilos de impor-
tado.
Nao gailarei moilss palavras, Sr. presidente, pa-
Sr. Dr. chefe de polica.
ITIRiaR.
da corte contribua com maior reuda para os cofres
poblisos ; mas de cerlu lempo a esta parle o pro-
gresso da renda da Peroambuco lem sido tal. que no
ejercicio lin lo a renda da alfandega daquella pro-
vincia foi de perlo de 2,000:0009 mais qua a da Ba-
bia.....
O Sr. Sampaio Vianna :Nos aminores, me-
nos.
:> Sr. Augusto de Ollveira :Parece.me que
das obras militares.
ilo do commandauls snperior da guarda nacio-
nal dos municipios de Olin 1a e Igoarasiu', expli-
caodo a razao porque anda ie uao reeolheu a
Ihesouraria a qoanlia de 1985000 ra., que da mais se
receben para pagamento do pral do destacamento
da me-raa gaarda nacional, vencido do l. a 15 de
agosto ultimo.Informe o Sr. inspector da Ihesoara-
rarii da fazeuda, recomraeudando ao reipeolivo
agenta da fazeuda nacioual as deligenciae convs-
nienlis.
Dito da regador do gymnaso, apreieotando a eon-
ta de divanai despezas futas com movis a com o
musea do eilabeleciment". Hemiltido ao Sr. ins-
pector da thesoararia provineial para maular entre-
gar ao regedor do gymnasio a qoautia da 92^480 rs.
para as despezas com u museo.
Dito da cmara munic pal do Iteeifi, pedindo au-
lorisaeau para augmentar a quola de aventuaes, pel
qual se fa/am ai despezas com o inaladouro publico
da Cabanga e pagameulo dos ordeuados dos adminis-
tra torc doi arrugues pblicos. Volte a' cmara
municipal para declarar o augmento ou excesso que
precisa de sir aolonsado.
20
Requerimento do marecluil de campo Francisco
Sergio da Uliveia, reclsmaudu acerca do pagamento
das Cavalgaduras que Ihe mmueleui.luforme o Sr.
inspietor n Ihesouraria de fazanda.
Dito de Joaquim Antonio de Santiago I.esa, pa-
dindo ur reformado uo poilo de alferesqoe occopoa
RIO DE JANEIRO.
CAMAitA DOS SKS. DEI'UTAOOS.
Discurso do Snr. deputado Augusto de
Oliveia, pin iniciado na sessio de 31 ; """ par!e a ?ah" i?,a fora de combata mi reia-
A j j- j to "'enda publica, lomando, porem, por lemo
de agosto, por OCCastaO da dlSCUSSaO do de compararlo a propna alfandega da corle, ve-se
orramento da l'azenda. qoe o progresso da renda em Pernsmboco lem
U Sr'. Augoslo de Oliveira : Pejo a palavra. *'? proporciaualmenta maior do qoe mismo a da
O Sr. Presdanla : Tem a palavra e Sr. Augusto
de Ollveira.
" Sr. Ai^nto da Oiiveira : Posto qoa eu recn-
nlieea, Sr. presidente, que o minilenu da fazeoda,
am coiilraiti com a estril.idade dos oulros minuti-
ci'irle.
OSr. Sampiio Vianna :Conforme os annos.
O Sr. Augoslo de Oliveira :Citarai o etemplo
de 20 annos. A renda da alfandega da corte no anno
de 1837 a 1838 foi de 4,lJC3:00O3, temo sido a de
nos. aprsenla urna fertiliidade de actos, e de actos j {"""""""co 1,lbl:00ii3 ; islo he, a renda da al-
eroinemeemiule prejudioiaes, e que por esse motivo | fandega da coile regnlou em 3,49 0|0 mais que a
oUerece campo vailo para se dirgirem as censaras as i d! Pernamboco, no etarclcio lindo da 1857 a 1858 ;
pedindo se Ihe mande patar o sold que se Iha licoo 0o qoarlo batalhao da enliga guarda nacional.-Vis-
a d.ver.-ReraetlUo ao f3r. inspector da Ihesouraria lo o artigo 83 do decreto numero 722 da 25 de oulu-
de fazenla.
ores para a iigualura do Sr. Peoislon, e aarade-
ce so Sr. R. Auslin os seus Baldados pira que sijam
lalisfitai as requisli'nes do goveruo.|
11
fGcio ao Exm. presidente da provincia da
Parabiba.Passo as maos de V. Exc, para os
convenientes exames, copia do lermo de entrega e
as primeiras vas dos conhecimcnios dos objectos,
que recebeu no arsenal de guerra o agente Jos Joa-
ijuim de Lima, para seren enviados ao nieio ba-
talhao dessa provincia. Olliciou-se ao director do
arsenal de guerra aecusando-se a reeepcao da copia
Jo termo de entrega e as primeiras vias cima men-
cionadas.
Dito ao marecbal de caijpo commandante das
armas interino.Queira V. Exc. informar so-
bre o que propu o director das obras militares no
oflieio junto, desla dala, sob n. 386.
Dilo ao mesmo.Haja V. Exc. de expedir as
ordens necessarias para que a forja, que achava-
se destacada na villa do Ouricury.e que devera re-
collier-se com o respectivo eoramandante, que foi
rendido, passe para a villa de Ingazeira, onde se
torna de necessiJado a seguranza do termo.
Dilo ao befe de polica. Ilaja X. S. de faier
as necessariasrecomraen dacoes as autoridades poli-
ciaes, afim de que as escollas, que conduzirem pre-
sos e recrutas, se componham do menor numero de
pracas que for possivel, nao excedendo de 2 o nu-
mero de pravas de qualquerclasse, por cada preso,
nem 3 quando nao conlu/.irem mais de 1.
Ditoao director interino das obras publicas.
Approvando a planta e orcamenlo dos concertos,
de que precisa a casa que serve de cadeia equartel
na cidade de -Nazaretli : assim o communico a
Vme. em resposia ao seu ollicio de 8 do correnle,
prevenindo de que ao juiz de direilo da comarca
Nazareib remeti nesla dala o orramento e planta
de que se trata, alim de ser esta devidamente exe-
cutada.OffJciou-sa aojuiz de direilo de Naiaretb
a semelhante respeito.
Dito ao cousul da Blgica.Em additamenio
ao seu ollicio de C do correnle transmiti aoSr.
Luiz Antonio Siqueira, cnsul da Blgica, e con-
la que me foi remedida pela gerencia da companliia
I ernambucana, conprehendendo a importancia das
passagens dadas a bordo do vapor Iguarass, a
diversas pessoas da tripularlo da barca franceza
Escuna & Malhilde.
Satisfazendo assim aos desejos do Sr. cnsul,
resta-rae nesla eccasio renovar-lhe os protestos de
tninba estima e considerariio.Communicou-se
ao gerente da companhia Pernambucana.
Dito ao commandante do corpo da polica.
Haja Vme. de ordenar que sigam para a freguezia
TABELLA da distribuico dos fundos consigna-
dos para as obras publicas pesia pro-
vincia pelo cap. 4 art. 12 5 da lei
provincial o. 452 de 21 de junho de
1858, para o anno fioaoceirode 1858
;.' 1859.
CnniignacSo da lai :W0.C0t50tJ0
DISTftlBiCAO*.
*c o
* o TS <
es ^rr o . B
-o e*ej -2
a 3 o _ S 3
o 3 a-o
i? S .=> 5


N ^ Q &
Arl. 12 RS 1 Uoipitil Pedro II . 30:0 v i o Reparo a conservado ..... 100:0^)03000
B i 3 Casa da detengo 50:0005000
B )) i 4 Estados graphir-s . 6:000!;000
B B > b Pretac9o dai obras arrematadas que devem realiiar-se dmlro do presente etarcieio. . 80:1723171
B B i V Convenio da Igua-rasi..... 2:0005000
a n * V Obras novas a companhia de opea-rius..... 25:8279829
300.01)00000
Diti.--0 presdanle da provincia, tendo em vista
a prop mi a do leoenia coronel cummandaute do bata-
i da 1850, nao lem lugar.
Dito da Piolo Soare da 1-onseca, prac.a do corpo D,l0 de Joaquim Jos de Amorim, carcereiro in-
da indicia, pedindo ser alistado no exercilo.Apre- termo da cadeia da villa do l.imoeiro. Vistas ai
"JU rS"?""0 ql"'rl ""a""'' a i 'leci'0e, du "nV,r" *'"""'" de '' ,Dai le 1853
Dito de Augusto Broc. operario do arienal de ma-le 27 de novembro de 1855, i.3o tem lugar o paga-
iha.Kiroellido an jr. impector do arsenal de I ment requerido.
marinha pira ajostar com o lupplicanle a rescisAo do
eu contrato, correado por coula do supplicaule a
despezs com ioa viagim.
Dito de Bernardo da Veiga Leilflo Arnoio, ax-ho-
ticario do presidio de Firmado,Remetlido an Sr.
impecliir da Ihesouraria de fazenda para inaudaj
pagar sob miulia reipons-bilidade.
15
Requcrinianlo de Francisco Antonio de Sa' 11 s-
t'-, capitn do corpo da polica, pedindo 8 das da
hcen^
OfRcio n. luii'.i. do Dr. chife de polica, informan-
do o requei menlo de Joso Mana Cavalcanti.lu-
forma o Sr. Dr. )aiz municipal da primeira Vara.
22
Reqosrimmto do capitao Antonio Francisco de
Soaza Magaliltea, padiudo ser Humeado para o lugar
vago da membro do comelho adiniuiilrativo para
foruecimeiito do arsenal de guerra.O lugar Ja fui
prvido interinamente.
Dilo do baeharel Aulonio l.uiz Cavalcanti da Al-
Sr. ministro da razenda. Se oolro tos'se o mo de- I "or ,a P0'13"1. o progreuo da renda de Per-
sigui, pricedido como tenho lido na tribuna por I ",mbc lem sido maior.
lautoi dislinclos oradores qoe tao brilhanlemenle I 1>ao "! e,,a cornparatSo lenSo para azir sbre-
se uecuparam esses nobres amigos e cllegas a quem I "r i,a8nln"' renda daquella provineia, lera
me retiro. Tomando parte nula debate, o meu lim i qi" S-'Virno tenha cnnlnbuido para semelhante
principal ha oocopar-me ligairameula de duai quei- ", l,d0, A medida que man poda concorrer para
lois que inleressam de pirto a provincia qoe lenho a "esenvolvimento e prospendade do elemento com-
haura de representar ; preenclndo asse fim principal merc'al a m'nl> provincia he seguramente a obra
aproveilar rae-hei da opporlunidade para arriscar r'""I")3'" u" melhoraminto do seu imrio ; mas
breves consi lerates em ordem a eooneiar a minha I' e ler P"r m,ls de uma v,z Prvado nesla cmara
humilde opima., acerca de algamas qneilon econo- aa* S"1""mame raelhoramenlo nao lem sido curado
micas que di cirio lempo a aeta parle 13o vivamente al,,"u'ao P' g'verno com aquella solicito la que
preoceopam o espirito publico, procoraudo ao mes- "'em na '" m de nlilidade publica que alia
ioo lempo dar uma breva resposla a algumis propo-, *8.P^0f*u salisazer, aorao anda a importancia po-
sites eroilli las pelo nobre deputado pelo Rio-C-rna- j .'"" come'Cial da localidade a qoe mais de per-
de do Sul qua me preeedeo na tribuna. lo intirassa.
Ai doas que.lis de que pretendo oceupir-me, e I "' ministro da marmita loi 13o infeliz nesla
que iniere-s-m de perlo a minha provincia, iao a i", par que eterclc' hndo, em qoa fez excessivas
o modo por que all se cobram os direitos ds iropor- 1 f enor,n" dispezai na raparligao da marinha, quan-
lasSo ; a a, tu tola especial alfandiga da maima | aa obra propnameute diiai daqaelle milhora-
provincia.
Comquantn, Sr. presidente, ni tarifas das nossas
alfaudegas runsagrera o principio da iguallade de
ment, despendea menos do que n> exercicio ante-
rior ; de modo que vamos de mal a peior. Ha diz
anuos qua ie zncelaram os Iraball.os daqaille me-
direitos para iodo o imperio ; isln he, que uma mes- ''""""lo. a a associacao commercial de Peroim-
nia niercadorla, seja qual for a ioa procedencia, pa- em *eu ullin> relalorin qoe pouco ou nadi
gue sempre os meamos direilos em qoalqoer logar '" ,e"1 iell. Pncas vaulagem lem colindo o com-
... i. -. ...... ^ ^ ,p. lliprna rln, niir.t -ilo !.>... r.li...
se para servir no evircitoApresentese a iuspecjao
no quarlel general.
Dilo de J ,1o Valentina Villela.Nao lem lugar.
Dito de Manoel Olegario da Fousica.Vistas as
info'maces, nao ha que deferir.
Ollicio n. 1038, do Dr. chefe de polieia, apresen-
laudo a r-l.icl.i das diarias abonadas ao remita
Francisco \avier de Lima, viudo da cidadada G >i-
nna.Kemellido para o fira conveniente ao Sr.
impeclor da Ihesouraria de faziuda que licara' na
inlelligeocia de ler deilinado para o axercilo o ra-
crula de que la trota.
10
Itequerimenlo de Fraunsca do Nascimanlo Lima,
peimdo dispensa do ra seo lillu Francisco Xavier das Chagas.Raqoei-
ra o alistado, instrunido o siu requerimento oa for-
ma do arl. 42 do decreto de 12 da marjo de 1853.
Dllietuju. 10118, do Dr. chifi de polica, apraseu-
i ii io a cania da despezs feita com o restante dos
presos pobres da aadea do lermo do Bonito.Ke-
mellido ao Sr. impeclor da Ihesouraria provincial
para mandar pagar, estando nos termos legae*.
Itequerimenlo de Baziliu M noel de Jmos, pedin-
do ser uomeado guarda da alfandega.Ja fui pr-
vido o logar.
Dilo de Francisca Iguaeio de Medeiros, i> escrip-
tur.irin da Ihesouraria de fazeula, pudn lo sa sub-
metla ao governo imperial o rei|iiertraenlo, em que
solicita se Ihe abone uma gratifieacia, em compen-
sadlo, nao i dos sirvios quo presta como ancarre-
gado de proceder ao inventan.) do material dos di-
versos estahelacimentos do arsen.il de guerra, como
da pj do da de 20-J mensais que soirre na Ihesoura-
ria por achar-ia na mencionada cnniini'-a i.Infor-
me o 8r. o Sr. inspector da iheioQrana de fazenda.
Dilo de Joaquim Jos de Amorim, carcereiro da
cadeia da villa do Limoeiro, pedindo o pagamento
negado pela Ihesouraria de fazeuda, da ssus orde-
nados vencidoi de 27 de marco do crrante anno
at o prsenle.Informe o Sr. iuspeclor da Iheiou-
raria de fazsnda.
Dito do baeharel Joaquim de Paula Pessoa da La-
cerda, juiz municipal du lermo do Cabo, padindo ie
prorogue por 2 mezes o prazo concedido para a
apresenla(ao da respectiva caria.Coucedo a pro-
rogacao por 2 mezes na forma requerida.
Ollicio n. 198, do commandante superior da guar-
da nacional do municipio do Itacife, Iransmillindo
o do eommandauta interino do batalhao de aitl-
Iharia, colorn.lo a represenlaco que Ihe dirigir o
capiao do mesmo li.ii-lli.in Jo, Domiogoes Codece-
io, a respeito do proredimento quo ,-om elle liveram
,i,"n.A n___i,. s. alguna msicos do corpo de pul ca.luforme o Sr
do 1 oco da Panella, mais 5 pracas do corpo de j commandante d corpo da polica,
seu commando. afim de auxiliarem o servido da Dilo n. 20!, do mesmo, apreientando a filiagao do
cmela Alfonso Valerio di S. F, que ss contraan
para servir no 5- batalhao da infamara. Kemetii-
com sold.Como requer.
Dito de Manoel F.l.ppe da tranca, offereeendo- ^^l'^^i P "' co,1'e, Rw,fe'
, .i^ nadindo Ire mezes ds licenra para tratar de seus io-
policia, a disposieao do sub-delegado respectivo.
Dito ao conseibo adroinistratifo para for
necimento do arsenal de guerra.Recom-
mendo ao cousolbo administrativo para for-
necimento do arsenal de guerra, que laQa
apromptar, aflm de serum enviadas ao com-
mandante do presidio de Fernando 1,000 al-
tas eoutros tantos mappas impressosde con-
formidade cora os modelos juntos.Com-
municou-se ao iuspeclor da thesouraria de
fazenda e ao commandante do presidio de
Fernando.
PortaraO Sr. agente da companhia bra-
stleira de paquetes a vapor mande dar trans-
porte para a provincia da Baha, no vapor
que se espera do norte, ao desertor do '2'-
batalhao de infantera Antonio Jos Cam-
pello, em lugar de coovez destinado para
passageiro de estado, pagas as come loria-;
por coota do ministerio da guerra, e n5o
bavendo lugar vago ser o transporte reali-
sado porcouta do mesmo ministerio.
Dita,O Sr. agente da companhia brasi-
leira de paquetes a vapor, mande dar trans-
porte para a provincia da Parahiba, no vapor
que se espera do sul, ao desertor do mel
batalhSo daquella provincia Angelo Custodio
de Albuqunrque Calheiros, em Itigsr de coa-
voz destinado oara passageiro de estalo, pa-
gas as comedorias por conta do ministerio
da guerra, e nao havendo lugar vago sera o
transporte realisado por conta do mesmo
ministerio Com-nunicou-se ao marechal
decampo commandante das armas interino.
Dita--OSr. agente da companhia brasi-
leira de paquetes a vapor mande dar trans-
porte ao criminoso Manoel (lomes dos San-
tos para a provincia do Maranbao, onde ser
paga a importancia da respectiva passagem,
eda de tres pracas do corpo de polica, que
da Parahiha o devem acompanhar al aquel-
Ihao n. 3 0 de iuTanlaria da goaria nacional do mu- la provincia, e sSo os mesmos a que se re-
nieipio do Buiqut, acarea da qual iuformea o respac-1 fere a orjem espedida a essa agencia en 9
do ao Sr. inspeclur da Ihesouraria de fazenda para
mandar abrir o competente apontsmento,
Dilo n. 1051, do Dr. chefe de polica, lolieilaodo
as eonveninles ordens no sentido de ler concertado
o macliiiiinri i di limptza, aaibomba e depsitos
d'agua da casa de detengo.Informe o Sr. directos
da repartieSo da ebras publicas*
Dilo do eapitao do porto, pedindo aotorisar,ao pa-
ra razar carregar ao palrSo mi-, ficaodo sob a vir
gilancia a responsabilidade do mesmo, mediante a
gratificarlo mensal de 20?, paga pelo cofra das inul-
ta! da capitana, as bombase balizas que por conta
da mesma forem foruecidas pelo arsenal da mari-
nha.Informe o Sr. |inspactor do arsenal de nia-
rinlia.
18
Kequirminto da Joaqoim Thaolouio Soares de
Avallar, ollirecando preslar ieui servidos gratuita-
mente na repartida das Ierras publicas.Informa o
Sr. delegado da ieparlc,ao especial das tenas pu-
blicas.
Ditu da mesa regadora da imperial capilla de N.
S. das Fromeiras, pedindo sa mande extrahir uma
parte das duas loteras concedidas pela le provincial
o. 330.Nao ha lugsr por ora, atientas as loteras
preferidas por le e as oecessidadei dos estabeleci-
mentoi pos.
Dilo de Manoel Fue.lino do Itigo Valencg.Seja
salimillido ao governo imperial.
Dito da Manoal Francisco Teixeira. Sir, pagos
os diraitoi nacionais, deven lo o comprador solicitar
o naeessario titulo no prazo de 3 mezes, sob pena da
se proceder na forma da lai.
Oflieio n. 1055. do Dr.cbefe de polia, aprevenan-
lo a i elacao das diarias abanadas pela cnllecloria de
raudas gerics do mouicipio de Caraarta' ao rearis
pira a armada Jos Marlim Civalcauli.Volle ao
Sr.Dr. chefe de polica para dirlarar ie o reirula de
qoe se Irala he o meitno que evadio-se do poder da
escolta, como consta de seu oflieio de IG do currante,
sol numero 1052.
Dilo n. 1050 do mesmu. apriseulando as contas
da dispeza feita nos mezei de junho e olho ltimos
eom o iiin.nlo dos presos pobres da eadeia do lermo
de Caruaro', na importancia de liu.ritli) rs___Kemst-
lido ao Sr. iuspeclor da lliis.urana pruvioeial para
mandar pagar, estando no- termos legaes.
Dito do delegado da repartido especial das Ierras
. para tratar de seus in
tarases.Passe portara coucedeodo a liceoca re-
querida sem ordenado.
Dito da Carloi Coliool, engenheiro mecnico do
arsenal de marinha, pedindo se receba o protesto
queja fez e agora reuova, de se nao responsabilisar
pelo remlla io qualquer das maehinai da respictiva
ofliciua, que foram montadas contra o seu parecer e
sob a direccaa e ordins verbaas do inspector do ar-
senal.luforme o Sr. inspector do arsenil de ma-
rinha.
Dilo de Chrislovao Santiago da Oliveira, terceiro
eicnpluririo da Ihesouraria de fazeuda, pedindo tres
mezes de liceuca com vincimenlos para tratar da
au ie. Informe o Sr. inspector da Iheiouraria de
lazeoda.
Dito dos direitores da companhia nacional de I o-
mandar e La, padindo se submelta ao governo
imperial o requerimento em que solicitara a appru-
va;3o dos seus estatuios. Junlem os doeumiulos
comprobatorios da enrorporaed i da sociadade, na
couformidade do aitigo 3.' do dicrelo da 10 de Ja-
neiro de 1818.
Dito de Frederico Chavas, pedindo se submetla ao
governo imperial o raquerimanlo em que solicita ser
prvido no ollicio de e>crivo du joizo doi feitns da
fazenda.Informe o Sr. Dr. joiz dos feilos da fazan-
da nacional.
Dito de Francisco Pereira da Costa, alfares do ba-
talhao de reserva numero.... do municipio do Boni-
to, pedindo sa Ihe man la passsr a patente, que por
molestia denou de solicitar uo devido lempo.In-
forme o Sr. seciatario.
Dito de Francisco Jos Marlios Penna, chefe da
seee.lo da thesouraria de fazenda, pedindo tres me-
zes de licein.a com vencimeolos para tratar da lau-
de. liilorma o Sr. inspector da Iheiooraria de fa-
zeuda.
Dito de Joaquina Mara da ConceicJSo, pclinlosi
maule pi'ir em liberdade seu lilho Francelino Lins,
que leudo .i io escosa da companhia de aprendizes I
marmliairoi. onde estava alistado, fura preso palo I
delegado de Seriubaem como deierlor. Informe o
Sr. inspector do arsenal de marinha.
Dito de Jos Antonio Pereira, pedin lo a
entrega do requerimento em que propoz
encarregar-se da factura da estrada do sul.
Entreguo-se,
Dito de Jos Correia Pessoa de Mello,
pedindo se man ie proceder as necessarias
diligencias aflm de conceder-se-lhe ou o
aforamento perpetuo oa a venda do terre-
no, de 600 bragas de extenQSo, situado en-
tre os engenhos Verde e Verde de Cima na
comarca do Bonito, do qual comprara a!
posse a Bernardino Alves da Silva. N3o
tem lugar.
Dito do Manoel (.ornes l.eal, pronunciado'
como cum^lice na bancarrota de Jo3o Mo-I
reir Lopes, pendo se submetta ao gorer-
no impeial o requerimento em que implo- <
ra o perd3o da pena qoe Ihe falta cumprir,'
ou que se faga remissSo do tempo quo ex-
ceder de quatorze mezes do pnsiio, a que
foi con lemnado, contados da dita em que
se reeolheu a prisSo. Informe o Sr. Dr.
juiz de direilo da segunda vara.
Dito de Sabino Vaz Raphael, engenbeiro
da repartirlo das obras publica, pedindo se ,
de por Ando o seu eogejamento.Informe o,
Sr. director da reparticSo das obras pu-j
blicas.
Dito de Claulino dos Santos Lopes Cas-!
tello Branco, orolessor de instrucgao ele-
mentar da villa do Cabo N3o tem logar
em face da lei do ornamento.
Dito ae Dermino Domingos dos Santos.
N3o ha que ni lemnisar.
Dito de Francisco Antonio de Carvalho Si-
queira. N3o ha que indemnisar.
Dito de Jo3o Jos Rodrigues Coellio, mu -
jor da antiga guarda nacional da comarca da
Boa-Vista.Ja foi concedida a reforma.
Dito do Jos Luiz da Silva, rocrutado. ,
.N3o prova i.s-nc/ao legal
Dito de Jos Paulino de Almeida.Visto
o 1 da art 1 da lei n 350 de 22 de maio i
de 1854, n3o pole ser deferido
Dito de Miguel dos Santos Malheiros.------
Vista a inl'orTiactfo n3o tem lugar.
Ollicio a 781, do Dr. chefe de polica,
propondo que o fornecimento dos presos
pobres da cadeia do torm do Nazareth seja
le i lo pela collectoria de rendas daquelle mu-
niciplo, visto n3o haver quem se queira en-
carregar delle Inlorme o Sr. inspector da
thesouraria de fazenda.
Dito n. 1071, do mesmo, aaresentando a
conta da despeza feita no mez de oulubro I
memo dai obras ale hoje feilai.
Ve-ie, poie, que tendo razio de dizer que S. Exc.
o nobre ministro da fazenda e seus collegas em na la
do imposto a que esta sojeila Vea depe'ndenlVo'a'clas : C8,lco"'ara para a pro-penda Je do comroercio da
silicacao da su i qualidade, essa clamlicarao da" lu- V"VmBt* de ernamboco, nao lando conseguido dar
gar a nbusus e embarazos contra o commerciu impor m8'.0r ""P"1" Irabalhos de uma obra l,lo m-
lador. I PO'lanle que pode lano contribuir para o augmento
da renda publica.
Por outro lado obierva-ia que o edificio em que
fnneetoaa a alfandega daquella proviucia fora ra-
adilicado ha perlo de 20 anuos, uo leenpo da admi-
nislrajii i do Sr. barao da Boa-Vista. Posto que essa
recou.irucc > nao fnsse feita coni vistas aeauhadas,
todava o progreiso da renda daquella alfandeg
lem excedido por tal forma lodos us ealcul. s, que
certameule lornam-se hoje uecessrras algumas me-
didas em urdim a fazer com que o edificio ie preste
a todas as neceisi lades do commarcio. Releva aula
observar que esta reconsiruegao reienle-ie doi er-
r.is da poca em que fora feita, o seu madeiramenlo
em grande parte ln de pinho, de modo que o eu-
pim tem ah om puuso certo, causando assim por
vezee estragos uas fazenda--.
t.uinpre lambem altender que o eerviro da capa-
tazia da alfandega tam aidn feito da certo lempo a
! asta parle com ama tal irregularidade, que lem da-
do com-
ondeseja recebida, todava na praliea essa iguildade
doisa de existir.
Podas as vezas qoe uma merca doria na cobranea
O empregados do fisco, naturalmente levadoi pe-
lo desejo de pugnar p'los inleresses da fazenda pu-
blica, quan lempre proemam dar a elassicarao de
modo qoe mbre a meraadoria recaa a maior nnpo-
1(30. De varias represenlac,6ei dirigida em poeai
divinas ao governo pilo corpo do commercio da mi-
nha provincia se da pr. lien Je que lai he a discordan-
cia que te d em sameihante servido,qoe mullas vi-
res a mesma mircadoria igoal qaanto a estamoa, |
qualidade e prei;o de factura, paga dous direilos no
i inaimo des, acbo, por ler sido claiiificada parle co-
mo ordinaria e parle como superior, ao passo que
depois he vendida no commereio pelo mesmo preco.
Oe empregaaos da alfandega ale cerlu poni sao
desculpaveis ; roas ueise siu zilo utm lempre apre-
ciaos o grave prejui cio. Os negociantes por sua parle preferem pagar
calado- ana exorbilauca de direilos a recorrer ao
eipe liante fastidioso e moroso da appeHarao
Esse inconveniente, Sr. pnsidenle, ja "em parle lugar v,rla* ."P'M">lac5n por parte
fui removido quanlo a um artigo da grande coosa- ">"c">- A morosidade he tal. que mullas vezes um
mo, islo he, o madapaiao. leudo, am virlode da nav'"'e,n demorado perto de um mez na descir-
nova paula,o imposto sobra esse artigo de eir obra- r1' "' S8 S'verno tem lomado medidas alim
do pela contagem dos fioi da toa urdidura, ia nao ner as juilas reclamacin do commercio ; o
..... I mil nussi Ks.i'war.r 1.a .,,.- .. C.>.. ... _._k_ j_
qoe posso a- everar he
atiste usa desigualdade qoe anteriormente"havia. !NU" v'"'a "si"e"r q o facto qoe acabo de
Porem, quanlo aos oolros arl.gos, anda nao (o re- "P'"en'ar "1" documenloi.
movido eses inconveniente, porque, seiihores, qoasi i L,,la ,,' "am'n'slraoes panadas, a do Sr. raar-
lempra as lanas das nossas alfaudegas sao urgamsa-' qu" ''! l """' de saudosa memoria, eipedio algu-
das alientas as eireu.natalicias peoulares de mercado ""' ,,rde"9 Para 8e 'aier alguna accrescentimenloi
do Rio da Janeiro, e nao dos das provincias. Sime- a"aaie?a. parecendo-ma ser da ulilidada evi-
ihanle desigualdide de dirailoi nao so elisia na hy- i ""ul* <> "ecessidade urgente o Iralar-sa de aog-
polhese que ha pouco figorai, isto he, quindo a mer- m""ar dl" maiores proporeei a ponte da desem-
eadoria paga direilus em villa da aua qualidade, 0irau i Pore,n "le hoJa semilhanle obra esl por
mas anda quando piga direilos Gius resultantes de!" ''z"'< a,nJa mesmus inconveniente! conli-
ama porcenlagem calculada sobre o valor que Ihe, l,"la,D p*s,i0 Ia*' augmeutandu a renda, crescen-
ba dado na paula. Poda para eiemplilicar, eilar 8omnlfcio, como sabemos, cumpna qoa o ao-
varlos arligos ; mas conteolome com umchapeo i Y"no aC8nlP'Uhssie esle progresso com as medidas
de seda de fabrica fiauezade qua lodos nos noi
servimos.
O chapeo de seda qoe noi vem de franja paga
entre ni pila nova paula 1530o, isto ha, 30 por
cenln, calculados sobre o valor da 59 ; ao passo que
o chapeo de leda de primeira qualidade, q ie ha con
sumido uo mere do oo Itio de Janeiro, cusa em
tranca, como veritiquei pelel prefos d'S facturas,
I2lraueos, o que vai para Peruamboce oulras
provincias cusa, como sendo de primeira qualidade,
apenasSaO francos. Islo posso aneverar, porque
o venli^uei pelos precos de factura de varios nago-
cjanles.
O Sr. Simpaio Vianna : O prejoi sJa diversos,
loma-se o lermo medio.
convenieuter.
Porm, Sr. praiidente, eo creio que islo ha mate-
ria qui lalvez nao mereja cmsideracAo da parte do
Sr. ministro da fazenda ; S. Ezc. oceupa-sa com as-
sumplos maia elevados...
O Sr. Ministro da Fazenda : Com lodos os ai-
sumplos.
O Sr. Aaguslo de Oliveira : Bem ; o nobre mi-
niitro se oceupa com lodos o assumptos ; mas por-
que razao S. Ec. nao quiz mandar a' cmara copia
dos dous ltimos relalorios do iuspeclor da alfan le-
ga de Pernambuco, como Ihe foi pedido em uma re-
quiieao da cmara '.' E-larao lodos lembrados qoe
eu em um requenmento que submelli a approvaeao
da cmara pe n esses documentos para me servir del-
O Sr. Augusto de Olivara : Hoje aSo tem mais ile.' n!',a ""***' P0^clu djava apoiir eom mi-
i< .--r. .iuio oe uuviim :no e neo lem mais ,,,. ,,,---------, ----- -i------ "
logar esse termo medio, pnrquanlo.eistindO fabiioas s' *oz ir"13' ,n811idas que me parecessam
necessarias em beneficio do coinmcrcio da minha
provincia ; entretanto, o Sr. ministro da fazeuda an-
no paiz, s couveiu mandar vir do eslrangeiro cha-
peos de seda de qualidade superior ; mas esse arti-
go que vam para ,'- provnole*, compiralivaroenle
com o que vem para o mercado do Rio de Janeiro,
he de qualidade interior e de menor cutio. Islo he
fcil de verificar iudo-se a qualquer dos eitabalect-
mi'nios commerciaes que recebeiu esse artigo.
O inipo.lo, de iraportaco ja olfereeem o grande
lendeu conveniente nao manda-Ios.
Nao be a primeira vez que S. Esc. e seus colle-
gas assim procedem, demorando a remessa de cerlos
documentos que s sa apresentam em occaiiao em
qoe nao ser vem mais. Eu ereio que leudo a csraa-
! ra pedido essas informai;9es, devendo elles servir na
inconveniente, na opiniSo de varios ascriptores, de
nem seinpra recabirera sobre a verdadair.i riqueza ;
ree.ihem minias vezei sobre as classe Liis ueceiii-
(adas da lociidade.
O Sr. Ministro da Fazenda
reitus nem esportajao nem de importaban !
O Sr. Augusto de Oliveira : Nao estou dizendo
ato ; oque quero he igualdade de direilo para todo
o imperio, que as provincias uao pagueiu mais do
que 8 corle e provincia do Kio de Janeiro ; he esto o
diiru-.'i > du on; menlo, versando subre materia im-
portante, por lerem referencia com a primeira re-
partido fiscal de Pernambuco, nao devtam ser de-
moradas, tanto mais quanlo nada havia a eile res-
peito da poltico : ndo quera prevalicer-me deises
Nao qutirem di- e-elarecimeulos para fazer censuras a S. E. ; ape-
nas qoeria chamar a soa allencAo sobre este ou
aquel le ponto que me pirecessa razoavel.
Porem, Sr. presidente, o governo entre nos nega
iimpre o esclarecimenlos qoa lo nicassanoi a' c-
mara, principalmente o Sr. ministro da fazenda ;
ponto principal. Nao eilou por esta forma impug- depois, quando os depotados pedem a palavra e fa-
llando os direilos de imporlacio ; pelo contrario,'le,n alguma censora, dizemhe declamarao ; ha
.__i__________-. .___^._______ ;_,'________. asa n A.lnl.,11... a.. I...I... .. > ... .;:.i_^.
conhi(o que elles sao mcessarioi, indispenaaveis .
mu se sa considerara os impoilns pilo modo por que
sao ciliados entre nos ara relac io ao casto primiti-
vo das mercaduras, consumido as provincias qoali-
dades inferioiei s que sao consumidas no mercado
do Kio de Janeiro, ve-se que ha despropo.-r.ao mullo
grande.
O Sr. Sampaio Vianna : lila o proponha orna
tarifa espacial para cada provincia.
O Sr. Augustu de Oliveira :Nao proponbo ;
asle o eitribilho de lodos os Srs. ministros.
En nao quero por minha conta e risco apresenlar
algumas ideas eobra reformas qui emendo necessa-
rias ; quera nesta parle ir de aecordo al cora o ins-
pector daquella reparlic/iu, porque o comidero um
empregado zeloso e intelligente. Estou persuadido
que elle deva ler pedido algumas providencias ao
governo.
Oulr'ora membro da maioria, em vista de docu-
mentos que me eram particularmente ministrados.
mas julgue. dev.r fazer essas observaces, qrua na "!' P'"-8 n*"8 para p.dir algumas ma-
sao 6 biaba*. Lavando ella, sido ralla, pelo corpo ^/Z'LTTT '' eM""n,U lem ,br-
do commercio da minha provincia re.tero-as p.Va "! '""" "?'"> d*r- ""I"1 ,>ara"-' al"-
qoe ... revisao da tarifa a procure adopl ir a. me- "" J para aque la "P^'S*- ""J8- I"8 *
desigaal iade.
Da mesma manelra qoe se pode pr termo aos in-
convenientes que se notsvam a respeito dos mada-
poles, pode-se procurar fazer deiapparecer a disi-
t ^... .. ,... i,,.,, gug uifiKauu *.u alio desla IriliiiiM a
reqotrer as medidas qae julgo necessarias para a mi-
nha proviucia-
Kequari que ma fossam enviados esies eiclanei-
gualdade que sa d quanlo ans mais arligoi. por- ; mantos, pois que nao he licito, estando na opposic,io,
que o que he cario he que todos que quizire.o an- ir a casa do Sr. ministro pedir ene lome certas pro-
Irar no aonliscimenlo profundo desla materia, ven- videncias que julgo necessarias e uteis minha pro-
do ai facturas dos ohjeclos qoe veem para o eonsa- tiacia ; mas esses esalarecimentoi nao me foram
mo do mercado do Uto de Janeiro corle, e os dos dados.
mesmoi objectoi que vao para ai provincias, con-1 Eu nanea pensei Sr. presdanle, qu* ma con- '
cordaraa em que ha grande ditTerinc,a no seo coito besseo dmabor de ur adversario do nobre ministro,
primitivo, ao passo que todos pagam us me.-mos di- ao menos as qoestoes relativa! ao ministerio da fa- <
''l"*. zanla; pelo contrario, semine sappoz, qoe fus-
Eu reeonheen que a materia em si he dilliiil ;' ie qu -I fosie n pensamenlo politioo du gabinete de
qoe u3u ha obra de um dia slabelecar um syslema : que fizeise parte, me coubesse a honra e a ventara
geral de impoiloi juito, igoal ; mu lambem enien- j de ser um dus seus partidarios mais aolhusiai- '
do que se deve ir colhendo informi^es, adaptando- lieos.
se gradualmente aquellas reformas que foiem jul-' Os precedentes di >. Exr. como membro da op-!
gadas c inveniente., alim da ie eslabelecer igualdade i psito me razian) conc*ber li.. lisongeira piran-
da direilos para lodos. I 5a. Collega como fui de S. Em. em orna ou duas;
A a-- iciaeilo comnercial da minha provincia di- legislaturas, liv* por mais de uma vez ocaiiijode ad-1
rigi ao governo imperial ama represen!,ic.lo a res-: mirar applaodir o evloreos que S. Eic. Iizia pira
peito dos deftilos que ella julga tuuler a tarifa da* qu* fossam applicados com lodo o rigor os principio*
alfandtgai. da economa na* despwas do Estado, ao pasio qae
por maii da ama vez ao ovi S. Etc. lamanlar o*
immeaioi onus qoe piuvim sobre o povo, de quem
s- pede tanto em favor do qual ie r tao pouco.
Mai iinhores, qejil nao foi a minha* dc*pr;ao qaan-
do, deilano os nlhns sobra ooicimanlu di despeza
organisido pilo nobre ministro, vi que S. El*, nao
Iralava nem pedia a diminuicau de uma s da* des-
pezas que alia aulr'ora lauto Impagnava !
Anda maii, e nobre roioiilro nao s peda a cou-
servaeso de todas ai despezas anterior, como anda
Ihe cibe a grande gloria de ler sido o ministro da fa-
zenda qoe entra nos reiliioo o orcaminto de des-
peza, como foi o do etarcieio rindo, cajo algariirao
he o mais lavado a que jamiii lanha chegado um
orcamenlo entre nos. Da iudo qua o nobre minia-
tro quando membro da oppo*ic,ao apreienlava-se o-
mo o homem man econmico, lobindo ao poder ha
0 ministro qae no noiso paiz tara realisado a* mno-
rei deipeza* !
Palo qoe diz respailo aos impoitoi, a cmara tem
oovido a S. Ex*. : S. Eic. nem mesmo aonue a lop-
presi.iu dos 2 por canto da exportar^ao.
O Sr. Sergio de Maeedo : Apoiado.
O Sr. Aoguilo de Oliveira : Ha mito ama In-
coherencia, Sr. presidile, qoa ha digna de ter no-
tada, a he qae o nobre mioiilro da razenda quando
membro da opoosigio enlendia que deviam ser *op-
prnnidoi o imposto*, au passo que ella mesmo era
0 prmeiro a pronosticar dficits no* orc,im*n(oi ;
islo be, S. Exc. qoeria restringir o recursos do Ih*-
sooro qoaudo era o prmeiro a reeonhecer que o Ihe-
lonro nao tiuha raeioi para fazir faca a's daipeaa
decretadas ; hoja, qoe S. Exc. pinta o estado da
finaoeii eom cre la lisougeiras, e qae por man
de ama vez noi lem rallado nenes graodie sal-
dos S. Exc. nlo quer, enlnianlo, anoair em
reJuccao algoma no* impoiloi Realmente a mul-
to pode ehagar a incoherencia dos hornea* na-
blicoi.
En eomprehendo, sinhores, qa* oulr'ora, villa
dos escassos recursos do thesooro e dos iraminso*
onus qoe sobre alie peiavam, a cmara nao pudeiia
annuir na sappressao de impottoi ; porm hoje qoa
os recorso sao abundantes, exislindo nidos reae*.
| parece qu* o prmeiro allivio a dar em malaria de
jdiminai(>> de imposloi devia ier a favor da nosia
principal fonla de riqueza, a gricultora, qoe he a
| qa* mais reclama, por ser a industria aoe est* em
estado de soffrimenlo. ( Apoiados. ) As razies pre-
sentadas pelo nobra deputado que ma preceda real-
mente nao i3o procedcntei.
Ea nao estaria longa de dar o mea voto pira a
conservarlo desla imposto com applicacao immadia-
lae obras das provinci ia ; porm, aanhorai, iito
oo he mail do qoe ums nova embagadella, porque
j nem o governo tem reeurioi, mm est em estado da
poder fazer convenientemente la applicacdJo.
O Sr. Ministro da Fazenda :Si nao tem recar-
| so, eniao nao poda redazir o imposto.
OSr. Aaguslo de Oliveira :A prova da qae lia
nao lem os recursos para fazar assa applicacilo he
que o actual mimilrio, de uma verba;de 1,500:0003
qoa foi volada na lei do orcamenlo do exercicio fia-
do para auxilio! de obras provinciaes, segundo ia de-
preiiende do relatorio do nobre ministro do imperio,
1 apena* distribus a quaotla -210:0003 por todo o Im-
j perio, tendo locado a' minha provincia em 18o ma-
gra partilha a insignificante quaotia de 0:0003.
Uma provincia como he Paroamboeo, qua lem
ame alfandega rujo rendimenlo mensal chega ai ve-
za* a perlo da 800:0009. paraca qae devera ler maior
auxilio para as iuai obras, a nao apenas 20:0003.
Se continuar o imposto de 2 por cinto com sta ap-
plicdcan, o resollado ha de ur o mesmo : lodo* o*
qae votaren) aqu na prxima sissao bao da ver a
ciitiiniac o da mesma desigaal a.le oessa dislriboi-
So, islo he, qu* as pobres provincias nao de ser
sempre asquecidas, pois qua da ama verba da
1 ,.)ilii:iM)ii,> apenas *a dulribuio, como disse, a quan-
Oa de 2iO:000-3 : iar>endo-se qoe ha provincias pe-
queas qoe neuhum reeuno tem, ao pasio qae o
governo naoqaiz fazer urna partilha mail larga, lan-
do alias sido 1,11 prodigo a oulroi respeiloi.
O Sr. Ministro da Fazenda : Em qae ".'
O Sr. Augusto de Oliveira :Sa o uabre minis-
tro quer qua eo Iraga para a diseassao a reparticao
da marinba,.mostrarei qae houve multa* prodigali-
dades.
O Sr. Miaiilro da Faziuda :Nauhnma, poda
moilrar.
O Sr. Aaguslo d* Oliveira:llim ; se o nnbra mi-
nistra da fazenda emende qua o govarno nao fui pro-
digo, porque nao remelleu a cmara as informacOes
qoa ea pidi aesrea deiias metmas quaotia* qua ae
mandn dar eos olliiiaes maio.es das teeretnria* da
estado para dupezaieem deiignacijo da fim '.'
Por astas informagoes he que aa poda provar a
prodigalidada dos Srs. mloistroi, por ser esse o ca-
nal por onde ie eornrnellim os maiores abasos, pa-
gandu-se ordenados ou veucimenlos a empregados
nao creados por lei, e dando-se ualmenU ajada*
de coila axtraordiniriai presideules.
O Sr. Ministro da Fazende :A ninham.
O Sr. A agallo de Olivaira :Nao quarc eolrar em
qaesiao individnal.
O Sr. Pas Brrelo :Ja qae falla de um fado,
dava ser explcito.
O Sr. C.iriao :Apoiado ; he um* quistao po-
blir., deva apresenlar algara exemplu,
O Sr. Augasto de Oliveira :Sa o nobra minis-
tro nega que tenha dado algum praiidente da
provincia urna ajada da casto maior do que a mar-
cada na lei...
O Sr. ministro da fazeuda : Agora ja' ba a
algum.
O Sr. Augoslo da Oliveira : Nega qae teoln
dado a algum "....
O Sr. ministro da fazenda :Tem-se dado aju-
da de cuito que a lai marra.
O Sr. Aogasto da Oliveira : Nao dio mais
nada '.'
O Sr. ministro da razenda :Nao, sinhor.
O Sr. Auguilo de Oliveira :E o minislero ".'
O Sr. inumiro da fazeoda :Tambam nao.
O Sr. Augasto de Oliveira :Bem ; contenlo-rn*
com esta mgaliva : o oobre ministro nega qoa te-
nha dado aoi presidente! da provincia orna ajada
de casto maior do qae a qoe esta' marcada na lei ;
poito que au tenha informarles am contrario, o qoa
alias he publico e notorio, nao quero deiautonsar
j a palavre de um mioistro da corda era aitamplo Lio
too melindroso ; todava fica consignada negativa
do oobre ministro, pila qual lie sera a lodo lem-
po responsavel.
Porlanlo, senhores, j v a cmara qae o nobre
mililitro di fazeoda eolende que naosa deva dimi-
nuir o onus qoa peiam lobre o povo, qoa nao
Ihe deva dar allivio algum.
O Sr. ministro da fazanda:O govirno lem dado
tantos, como diz u nobre dtputado qae nao quer dar
alfium ? *
OSr. Augoslo de Oliveira :Nieta occasiio, Sr.
presidente, nao posso deixar de insistir em um pon-
to, a respeito o qual ja' uma vez fallei nesla c-
mara ; he >iibr,' a ficoldade que S. Exc. ie arro-
gou de lupprimir impoilo*.
S. Exc. lappriraio o impoito sobra o (arvao da
pedra, dando para isio ama explicado lai no seu
relatorio, qu* eu pejo licem. i para nao lomar era
considerac.ao, porque realmeute ma parece qoe S.
Exc, lindo recouheeido o erro que commetteo
julgou dever esrrever estas palavras oo sao relato-
rio desculpar-se ; sim, S. Exe., Mostrado como
he, a de concordar qae nao lem juslificacao o stu
acto.
O Sr. Ministro da l'azenda :A chamar a radar.
i;3u desse direilo.
O Sr. Augasto d* Oliveira : N?o filio da redac-
cao era si, trato da llegalidade do aelo.
Esle he qua he o ponto principal da quesLlu, por-
que, senhores, a iniciativa de impostos he uma altri-
Iiiiiimo privativa da cmara Jos deputa loe, nBo de-
ven) os Sr. ministros jolgar-se eom o direilo de lop-
prirnir impostos, embor* seraelhanles suppressoef
oo redurees sejam felai as melhores miencoes.
lie preciso, seohores, deixar cmara aquillo que
a eoiisiiiuii.au Ihe deu ; ja hasta qoe o poder eseco-
livo lenh.i invad lo lodo, ja basta qae os noisns or-
iamentos nao sejam senfin uma menlira, oa phraie
do uobre mioiilro da fazenda qoando membro da
ayp isica.....
O Sr. Minislro da Fazmda:Foi'.do Sr. Bernar-
do Pereira de Vaiconrellos.
O Sr. oVuguilo de Oliveira :.... conierva-s* ao
menos a cmara monicipal oma das tuaa atlribui-
c,n A razo qoe S. Exc. dea toi que desejava a-
companhar o pensamenlo du corpo legulalivu qoan-
do leve em vistas beneficiar a lavoura, inpprimindo
os impostos sobra algum initrameolos a machinas.
Nesta intuito enl.lo poda o governo sopprimir todos
os unp -i.is que ie referisssm a lavoura.
Era nutra occaiio ja liz ver atinara que, sa por
ventora o Sr. mioistro da fazendo entenda .que o
carv.io da larra ara o cumbuslival Decenario para
esse machioumoi, na lavoura do assocar, qae he a-
quella a qua ie deilioa a maior pon.Ao .lenes micbi-
aismoi, nao emprega como comboilivel o carvgo da
ierra, mas sim a tenha e o bagado da canna. Forja,
pois, he reeonhecer que S. Exe. nena parte crame!
lea uma violado maoifesla da cooslituicao, nao po-
deudo jaman S. Exc. dasculpar-si, lejitn quac* lo-
rm ai soas boas ioleneOas.
Digomaimo qu* aa vasstmos o sjitama repra-
A -
Tfr


s
DIARIO DE PERNAMBCO SEXTA FEIRA 26 DE NOVEMBRO DE 1858.
aculan* era toda a iua poraza, S. Eie. 11S0 devia
ar tmenla eaosurailo na tribuns, mas talver lof-
fratte urna aecusa^o, rumo daterroina a le.
O >. Mmialro dd l-'.i/m.l.i :Por ter redolido
om imposto ''
O Sr. Aogoslo d Olvaira :Nao, srnlior, por ler
violad* a couaniuir,ao, por ler ullrapastado assim o
limite marcarlo as lei* do orrimento de 18il a
1815, para as reduc;0ei dolanlas, qoe he de _' a CU
por rento.
OSr. Ministro da Fiieoda :A lei da 1848 nao
marca limite algum.
O Sr. Augoslo da Olivaira : Eim li refare-se as
anteriores, que riiaram o limite qoo acabo de lutn-
con.ir.
O Sr. Mimllro da Kazenda :Tanto olo ha limita
mareado, que o decreto de -28 de marco, que nao he
ilo aoloal minuleriu, raodiiKou a tarifa al a lomar
livres algoiu objtclo*.
Sr. Torrea Iiotaem :U can 3o de pedra, nS,
mbar,
O Sr. Ministro da Faienila :Enllo a prohibirlo
era s qoanlo ao ear9o de peilra '.' Ilouvc a redc-
elo am dezoilo p*rgrapbo* .livtrsos.
( C.oiitiuudr-ae-ha. )
AVUU AGINA
'MU. BUA\ J
Os empregados pblicos e o jury.Parada qlir
aqurlla* cu 'do aubsiuiadi'd pelo liado, e que no
\-rciciu Je foncrCn gratuitai ua la perdem de seos
veneimentos ; eram ann duvida oa mait proprios p*-
ra o $ertc,o do jury, afim de tornar all menor a ue-
eissiJale de passoaa de urcupaee* pailieulares, qu
no nercicio ile jurado*, nao se veein obrigados a
'|l',r l1'1 din commooo* habitan, como lainbem a
lazar o grande tacnlicio do seu* inleresaes. No en-
Irci.mili ass? ii i-.ii pensar, queo leinos por muilo ra-
sonel, he inle ramele conlroriado prloa elides das
repartiese* publicas, que no i> zelo pelo serv; d 1-
laa, M* admilltm qu s*ua subordinados un nm o
importante dirnlo da juiz de laclo, porque apena!
ta elles sortea los, lanas .lo aa raqutico.s, to
gramlst sao as nece-sid des do servirlo da repartir:).
lana he a falla que faztia os taes einoitgados, qua
uj h.i reine lio tanSo dispensa-loe! No entretanto
quando apparecrm as grabas das licencias, quamlo oa
empegados pblicos fallaiu ao trabalho da reparti-
do por eipajo inaior qoe ca 'a sasao do jury ; o
eerviro publico nada tore, e lodo o etnedienle con-
tinua, sen, alierarjio, a coirer bem .' Etn materias de
jiny e goarda nacional, nflo ha couta inellior do que
aai einpregado publico. Sobre isso he qaa niugoeui
falla.
Anda o pardo Ignacio.Iulormam-noa que as
obiervucdes que en, oulra occa.iaj litemos tonra a
praca a que loi leeado esse pobre pardo, apezar das i Ihadas, lendo as primeiras a larcura \ariavelenlre
...... i.,.. .._ ,-i.._j_j_ ______ i.___________ .._... r *'
as a estraogeiros, a commiasei, pediudo malri-
eolar-ae.
Oulro de Manoel Alves Ferreira a Manoel da
Cosa Lima, em satisfago do despasho deste Irib-
nal de 11 do crranle.
Huiro de (oes ,\ Bastos, pedindo o registro do seo
contracto social.
Nao havendo mais nada a tratar, o Sr. presi-
dente encerrla a sessao
(g^mmunicofro.
NavBGaca.
Os progressos serios que a navegaco ja deve as
execucoes do hiate Paraliibano, sao milito esti-
maveis.para que o noroe do seu digno commandan-
te.o Sr. 1- leDenie M. A. "Vital de Oliveira.possa
ser esquecido. Sabe-se coro effeilo, quanlos'serti-
cos imporiatilas se devem ja' a este jovem de um la-
lento raro, que os felizes disposirjs do espurio
rene uma execugo fcil o urna apulicacaoesme-
rada. Dispensando-nos de apresenlar outros dos
seus muilos e variados Iraballios, a que o overno
imperial lem sabido dar o valor e o preco, offero-
cemos aos peritos e entendedores a seguinie doscrip-
ro das Roccas, sobre cujas bases fot levantada a
plaa, louvada em ordem do dia pelo merilissimo
chefe da estac-ao naval d'esia provincia.
He esta a descripcao, tracada no mosqueiro de
Pernambuco, aos 15 de selenibro, pelo Sr. 1 l-
ente M. A. Vital de Oliveira :
Descripcao das lluecas, 011 Baixo das Cabras.
Por 8?. NO na distancia de 78 milhas da Illia
de Fernando de Noronha, jazem as pedras deno-
minadas Roccas ou Baixo das Cabras. No pon-
to escollado para centro das observares, obteve-ge
para laiiiude 3o, 52', 40" S e longitude de 9,
20', 20" a E, do observatorio do lio de Janeiro.
Sua coiifigurar;ao, que a simples intuirlo parece
circular, he de forma elliptica, tendo em sua maior
exiencao (E*E OSO) 3,;>00 bracas, e em largura
(NO SE) 2700.
Apreseniim as Roccas na baixa-mar uma mas-
sa edraordinarla de pedras, que nos quaJranles de
NO e SO sao compactas ; nos oppostos, porem ao
pssso que mais separadas, lem maior elevacao, e
algumas existem no quadranie do NK, queo prat-
mar as syzygyas nao cobre Todas estas pedras Sao
acompanhadas de oulras prximas sempre me;_,,i-
cond.qoes de iib.rdade qoe .e dSo em seu laver. m i0 a 2a0 bracas, e formam uma especie de ba-
neiihuina eonsiderar;ao forera tomadas pur aqueles .__j. j. ,"___j___ a____ ..... .:
a queru euuipria a venlica^ao deasaa meamas con-
1ii;6ea. De ooeo volUraus a carga, chamando a el-
ten^ao da aotoriddiie cuiupeleule, em quanlo procu-
rauus informaroes cxacla<, para coin criterio podar
usar da ceoiuras enrgicas, se em Uesprezo litar o
que desla vez diz-mos.
Capunga.Pessoa de consideraco qaeixa-se de
carto eslraogelro, moradur a mirgem do Capiba-
ribo ne> lugar, que lem por cotlume banhar se
em dia claro, passeando n pelo areidl do rio, sem
a menor atiendo familias honetlas que habildm
Do Udo opposio. Sera' bom que esse 9nhor se
cohiba desse coslurne iudeceule, ou que a polica
do lugar acaba com ell*.
Afogaioi.Temos informaces que a polica ms-
se pevoade nao corre bem. i) u- sujeilos embriaga-
dos ihvadiram uma padaria na madrugada da -I do
crreme, pretendendj eiburduar o padeiro, e issn
eum lal alarido, <|ue daeparlou a vizinhanr-a. O ins-
pector de quarli-ii.il! nao app^receu. Este inesmo ou
oulro inspector, diz-se que invadir a casa de uma
pobre viuva, e all espaneara orna rapariga honesta.
Doue sojeilot armados da ponlues, accominelteram,
as 2 horas da larde, a uio ootro, sera qoe o iuspeclor
eumprisie o sen dever. Pedimos, por laulo, ao res-
pectivo eobdelegado, de quera f^rmaraoi o Dom
cooceilo, que eaamine esies faetos, por que a serera
verdadeiroe, 01 puna eoiivenieulemenle.
Diccionario Indgena.No eCorreio Mercantilv
do K10 da Janeiro, se l o senuiule :
o Ora, com effeilo, os noss.-s aborignes tinham
suas eiquisilicee 1 Cliamavam a barriga da inarica,
a cabera de aciinsa la AsMsn nos diz o nosso illualra-.
ilo escriptor U unlm Das, no ezcellenle e traba- |
Ihado Uiccionano da llngua lupy, impreaso t-le
anuo era Leipsick.
c Este diccienario deve ser consallado por lodos.
Os pblicos hilo de all encontrar queaabaelii quer
dizer hornera abalisado, os rapazes licaui aabeudo
qoe ajimina he um abra;o, e as morcas aprender
qoe inendar lie casar.
" Mas, volliuido ao mrito da pobliesrilo, diremos
que, alem de ser e diccionario um liabalho ulii pa-
ra os esludioios, he lembem uma recreac,ao para os
que teem a curiosidade de decifrar oa uomea indge-
nas de noS4as povoaqea, ros, silios ele. etc. 11
Jury.Anda honlein n.lo hoove i>ss3o, por
falla de uumero ufficieole de jurados. A' chamdda
mi coinparcceram 22 ; pelo que houve um novo
sorleio na urna supplemenlar, de 2G nomes. A faci-
lidad* em oblerem os sorteados allealaqOes de doen-
le, deta sem duvida minio coucorrer para retar
dar as funceftes do Iriliuual.
Maiadouro publico. Ualaram-se nn dia 2
do correnle para o consumo dista cidade, .">',) rezes,
a saber ;
Urna sociedade maln 12, oulra 10, JcSo Jos
d'Albuquerque (i. Jo-e Lucio l.ins 5, Jos Francisco
de Suuza Lima \ Filho e Bernardiuo Amancio Ao-
guslo o'Araujo, 4 cada um, Manoel Jos Unasle e
Suoza a Luiz Jo- Lacas de Mellj. t cada om, Ma-
nuel da S oiza l'avaras, Francwro Candido da Paz e
Juaquim Piulo, 2 cada um. Chriilosao de Sanliago
Leisa, Jo- Mauricio dos Santos, Luiz de Que*roz
H imn, Mmoel Jm da Kes laidrro da Silva e Jlauoel Joi Fiusa Lima, 1 ca-
da ora.
Hospital de caridad (2 da noverabra.)
Eiisiem 42 hom-ns U mulheres, nacionaes ;
2_hoinena eslrangeiro>, e 3 homens e>cravos ; total
117. Foram visitadas as eufenuarias : pelo cirorgiao
Finio, os C horas 1 2 da manhaa, pelo Hr. Uornellas,
cia, onde dentro licam duas dunas e areia e di-
versos seceos. Alem do cordao principal destas pe-
dras existem mais algumas lases destacadas, po-
rem so no lado do NE : N e do N : NNO he que
ellas se apartam mais (quasi urna milha passando
o fundo ahi rapidamenlo de 50 bragas para duas
ou duas e meia.
Desde o extremo O para o S, e deste volteando
por E al ao NiNO a lioreac,o he constante, tor-
nando-se alterosa logo que as brisas do S : e SE,
sopram com mais vehemenencia ; todava do NNE
at NNO a arrebentago ho menor.
_Pelo lado do N O nao ha a nnn pequea llarea-
co, e encootia-se bom desembarque para escalera*.
Prese que a Provideucia, ven lo ser este logar 13o
perigosu, e onde i,1u conlinuadoa naufragios se tsm
dadu, e que, se a arrebenl.icAo fosse neral, a rao-le
seria inevitavel para oa de*omr;ados que all finrm
per 1,-r-se, puis leriam de liuscir o continente em
eaenleree oa jangadas qoe o mar deipedacaria, Ibes
prnporciooou este lado perfeilamanle manso pora
poderem sahir. Por este lado as pedras descobrem
na ha \ i-niar d'agua9 vivas 3 a 3, 5 palmus no
quadranie do S O ellas ja licam mais alias, pelu
lado de N E : N pedras eiistern que emer^ern alguns
15 palmos cima do nivel do mar (na baila mar.
A florearlo ha visivel em hora lemnn na distancia
de i e 4 inilhaa, e com a altura de fit) palmos [vatM
do inanro grande do Inale) percebeu-ie de (i a 7 nn
llia, Alm das lacea destacnd is do la lo de N E : H
nao se deve raceiar i-niio da arrebenla<-3o, e aquellas
se evilaram goerdaiidn-se a distancia da 2, 5 a .1 ml-
Ihas da oreafao geral.
O centro ou a baca formada por osla eadeia de
pedras ollerac* Ires planos dihVrenies; o prtmairo e
o 111111 superior silo duas dunas ou oileiros de aieia
(prolimos an etlremo NO da* pedrae) fcanda um
mais ao norte segurado a direecao de jti SO comC70
limaos de stena.lo sob'e 81 de largo ; e o outro ia-
gutndo o rumo de 2> SE com 400 brabas de cumpri-
menlo e cun pouco mais largura.
K-ti dunae de uma areia alvissima estilo 20 pal-
mo cima do nivel do prea-mar das mares dBs sy-
zygias ; sao chales na parle superior, e deipilas "je
vegelarAo ; apenas em um oa oulro losar se encon-
tra algum hredobeidroegaa sylveslras na primei-
re, e na segunda v se alsuni cupim E.lds aieia>
s3o de urna qualidade especial caucha triturada
e de forma esphenca, o que de aLum*. uianer
pruva queja' o mar lavoo-,is por algurn lempo.
Procedendo-sa a pequeas esravaedes obsarvou-se,
qoe logo na profundidade de II patino, se enconlra-
va areia corrinuin, e mais abaixo brrenla, al 15
palmos de fundu-a u.,o se aclioa pedra, e que nao
daita de suspender pela m-ssa pedregosa de que sflo
cercadas, pareeerein as aias eslar iinmedialamecle
sobre ellas.
Os dous oileiros dislam do primeiro da pedra (pe-
lo Mi 2o0 bracas havendo entre eslaa e aquelles ou-
lro aspado de 8i breis igualmente de areia, pouco
man elevado que a pedra. No segundo plano veern-
se (sempre nabaia-mari diveraas cias de areia,
que, cun quanlo muilo mais baitas que ss .luna.
mencionadas, sao todava de nivel superior ;is pe-
dras menos elevadas, acontecen ij que as irnrnedia-
tas aoa uileiros logo Com um Ierro de va-ante deico
brem, e s3o ellas de areia i-russa envolla cun pedras
em diversos lugares. Por ultimo nota se un lircei
ro plano e ha o mais ezteuso : ha lugares que sac-
ra inale -Sfrino aliuura que lic.itn ellas na diilan-
eia de 87- NO.
A visla da expo.ic.10 aeiraa se conhecera' da dif-
liculdade de eccolher qualquer das peii{9sj, quan-
do pelos meamos observadores se nolam as difle-
raiifat que licam nponladas. mencionam elles o
qnanlo silo perigoins esles baixos e anjeilns a in-
fluencia de eilraonlinarias correnlezas. Ne.le em
barafu Iratei de proceder, como qualquer o faria, e
principiei pur buscar as menores distancia! apre-
sentadas. lito posto, as 13 horaa do dia 6 de agosto
suspend do sncoradouro de Fernn lo e seguio ao
romo de t>9- SO dando descont aa enrenles para o
Nt), como dizem at roleiros. As 2i hor-s dele mea
mo dia tlnha andado 10,7 milhas para o sol a 50,7
para oesle ; e lendo espeiimeniado a primeira das
dislancias e nada encontrado pelai earlas da Nuri*
devia estar com as Hccas, e tingrei par o norte.
Chalas, poim, a islilude longilude e nao leu lo o
menor indicio de pro>iinac,3o de pedras ou Ierra,
conlinoei a navegar A oeste, boleando a putic3o
dada por Roussiu.
Com pnoeo caminho mai* andado principiaran! a
apparecer alguna passaros aqualtcos (raombebos) e
segurado a mesina direcc3o.
Uepois de navegadas 12.3 para oesle descobriram-
se do maslro grande ai dunas de areie em nma s
11 silia, bem como a pyiamide de pao que au longe
parece um navio a' vela), e pouco depois ludo fui h-
vi.ta.tu do couvez, na distancia pouco mais ou msuus
de 5 milhas.
Pelo i.oulo eslimado 'por nao termos 10I ness dia.
ao chegar no ancoradouio, liv*mo de lalilude 3* 35'
10" S e longilude 0 30'3H" E do Hio de Janeiro,
qua comparada com a que resullou do gropo das <>b-
servac,es all lilas, que apreseutami a no princi-
pio, se encomia uma diffrrenc.a de 3.3 milhas paia o
mul, e 10,5 milhaa para ueste, que se pode supuor
influencia de crescenles.
S o lempo eslivesse claro e bonanza, creio que as
dunas ou oileiros, e principelmeule a pyramide sc-
n-ni avistadas em muilo maior distancia.
lleve-.e prucurar sempre demandar *s*ss baiios
pelo rumo ja ap nl-do ; poique eniao osmleir.s
pela sua pomelo rnoslrasse maior eileimao por paro-
cerem anide*. A II reac3o he visivel em mais da
legua de di'lancia, e a n3u ser pelo lado do >!',. em
qualquer oulio lo^ar pode-se passar na distaucia de
milha.
O nico venlo periizoso nesle ancoradooro he O
ou NO, mas esle* larissima* veze* appareceui. .
I lliinainente foriim cincoenla pes de coqueiroa
planlados nos oileiros, bem coniu varios pos de rou-
lu'i, lia e Eiiin.lleiras. A balita ou nyrannde de na-
lena all construid!, pelo biinue aSiren.n fui reedi-
ficada e pintada ; esle ella 3f palmus scima do ni-
vel da piea-mar e 3fi superior superhcie do <>i-
leiro.
Todo* os romos apuntados ilo verdadeiros, e a va-
riarlo da asuilii foi adiada !l" 30' Nu.
U palmus mencionados sao os de dez em braca
braaileia.
Bardo dn l,iiie aParahibann, lorio no mosqaniro
de Pernambuco, em 13 de selembro de 1838.Ma-
nuel Aiiiiiino Vilol de Oliveira, prinjeiio leuenle
cuinraandaiile.
&orr?g:p0tt&t?nc. h's 8 horas e 10 minuloa da manbla, e pelo Or. Fu- "'"' V"1 1ae ,ic8m ">m 1 pilmoa. e pioximo
roo ai 5 horas da tarde de hoiilem. :" P<,," P"5"s com I e 20 palmo de tundo. Pelo
Mortalldade do dia 25 de novembro :
Maiia FtanciHi dos Pfaaarn, paidd, sulleira, 17
annos ; ataque cerebral.
Manoel, pardo, 1 mez ; br ncliiles.
Jo3o, branco, (> mezes ; bexiK.s.
Benedicta M noi; molestia de peito.
Al amanhda.
CfIKOMC.V DICIARIA.
TBIBXJNAZ. SO COMMEaGIO.
SESSAO'CO.N CENCIOSA EM 23 DE NOVEMBRO
DE 1858.
Presidencia do Hrm. Sr.desembargador
Souza.
(Secretario, Dr. Aprigio Guimaraes.)
A* boras do c -turne, loi aberla a sea-ao, estaodo
presentes lodus os membroi do tribunal.
O Eim. S'. presidente negou provirntnlo ao do
juizo iiecin entre parte* :
Aocravanles, B.rios \ C. ; aggravaJos, Soares
& C
Nada mais houve a tratar.
SESSAO" ADMINISTRATIVA. EM 23 DE NO-
VEMBRO DE 1838.
Presidencia do Hxm. Sr. desembargador
Souza.
As 10 horas da manhaa, achando-se presentes
os Senhores depulados Reg, Rastos, Lemos e suu-
plenio Ramos e Silva, o senlior presidente declarou
aberia a Mao.
Forara lidas e approvadas as actas das duas ul-
timas.
Leu-se o seguinie
EXPEDIENTE.
Foi presente a cotacao oficial dos prejos corron-
lesdapraea, relativas as duas semanas lindas.
Mande u-se archivar.
L'm ofllcio do bacharel Joaquim de Sooza Reis,
datado de 20 do correnle, commaoicando ter entra-
do nesla dala em eiercici de candor geral dtste
Isrino.Accuse-se a recepso.
DESPACHOS.
Lm reqaerimento de Jonquim Francisco de Alem,
padiudo o registro da procurarlo que junta.Ue-
gistie-se.
Ootro de Jos Jernimo Monteiro, entrevando a
caria de registro da polaca uailoual a/.elosa II, e
pedindo lesuiieravo de sua responsabilidade, visto
ler ella pasiado a oulro propnelario.Cumo reqoar.
Oolro de Jos Joaquim de Miranda, entregando a
caria de registro da escuna nacional /.losa, e pe-
dindo descuerarn de sua reepousebilnlade por ler-
na perdido no Riu (jrande do Sol, legando o docu-
mente qoe jui.ld.Como requer.
Com informarlo do Sr. desembargador fiscal, os
segoitile n-iiuHiuueiii.il :
l'm de Francisco de Assis Brilo e Jos Paitlo da
l'onneca, pedindo o reg^iru do sao contrato d* 0-
cied.ide.Cumo requeren!.
Oulro de Jos (oii;ilve* Malveira, subre a pelicao
de morar ra de Manuel Antonio Sopar lo.Informe
o juiz do procssio mina a nieumpelenria dus credo-
ras nomeados para nrgsnUarem o b lan{ da eaa
falhila de Manoel Antonio Supardo, detendo re-
menee ao lribun.il os raspecliios autos venfieaudo-
se a incompelencia a legada.
Eroqoanlo a' seganda parle do reqiariment do
sopplicanle, o arl. SI9 combinado rom o Kiil do
cod. eommercial, ni ia respailo a's asecures u3o
aos procusos criminaee.
Uuim de J.1.1 I r. iKi-ni d8 Sa'
matriculare.Ma|iicule-ae.
lado rio N O a pedra he mais igoal, poiem luda so-
lapada, apressnlsndo grandei fornaa 00 lonas ; nos
oulros quadraules sao, eum.. j,' lica dilo, :osts al-
lernsaa e nao conservara ullifuiini.lade.
A entrada, em qualquer euibarcaeao pequea, pare
dentro da baca ja citada, e pelu N, o que s se 1 le
f-zer cora o lempo muilo lumnica, e inesmo asura o
mar tica bstanle srosso. Nesle luear eiiconlra-sa
til e 12 palmos eraciui* da pedra, havendo em qua I-'
quer oolro lugar rneni protaudidade e auebenli-
i^.j Cunlinuada.
Enste no* dous oileiros ama qoanlidade etlraor- I
dinaiia de pastaros aqualtcosviuvase mombebul
bem cumo abundancia de ceiangueijos. as pruii-
midados anda boje se vem mullos deilrocns de na-
vios, lleno de dar orna idea dos paisaios cima,
porque *3o da mesilla qualiJade dos da Iiha de Fer
Hondo, que -ao multo eunhecidus. Nilo ubslsnte al-
gumas eacavai.e, uao se encoulroa a^ua clavel em
parle alguma.
O ancoradouro das Roccas e pelo NO dos oi-
leiro* de meia. Em distancia de 1 milhas a cuma
amida de 15 e 17 bracas se principia claramente a
ver tundo, que he alnuma cousa pedrejado. Pmcu-
rando-se e-le* baizos ao O. NO NO, da bat/..
de mndeira qoe Rlate 110 oileuo mais do nurle, l-
car na dislanaia de menos de milha, onde se encon-
tra 10 brarn o'agua. E precisa algum cuidado m
laigar u fero pelas inultas lages solas que eiisle no
fundo.
Ua neile ancoradouro om conlinuado joeo da
mar, e he elle desabrigado. As aguas ua pronmi-
dade das pedras ficain aro pouco mais claras, Inr-
nando-se alguma cuod esverdiuhadas junio dallas.
Shem as inara 13 palmos naasyzyaiai, havendo a
ilitlercnca de 13 paiinoi desias mares para as das
qoadraluras, efT'Cloando-ae es pnm*iras s 5 h.
15'. Eiiale na* linceas urna corranleza emulante de
18 a 2 milhas por hora, sempre na direcrOo de O :
O. NO.
Cartas do ainifjo X esenptas do Red fe ao
seu amigo Z doCeara' sobre as preten-
res e prodceles scientilicas do pa-
dre Pompeo.
Vil.
Sobie a lij.1 i*, dos Elementos.
ce Ve qin sira qun-rasu...
Recife 2 de novembro de 1858.
Amigo/.....
lie li'in ex!r,iva.- ni'. charo im la uual o infeliz pedagogo Cearenaa se exprimene*-
la lijilo aeerca da* diveitaa eipheras comquo oa as-
tniniiinos custuraam lepresent-r os ceos e a Ierra !
Nao he preciso cerlamenle ser-e faino para m>-
lar-se o disprale que ahi se conlem, na para eoro-
preheudera que das duas eapbara* ariificines
euncenlricas, 11 por elle arranjadaa, uma he inlei-
1.un.ule iriniitil sob qua'quer ponto de vi.la, por
que lica bermelicameute fechada e ncculla no inte-
rior da oulra, a menos qu asa nao seja de vidro,
ou de qualquer oulra malaria transparente, que per-
mita vr-e eu-ire daquella, alravez de sua eu-
perliein I!. Se fosse puisivel dr-aa ao meuoa que
o dpsditoau astrouumo quizera referir-se i es|iherei
onalura**, le>ra e a abobada cele-te, nada llie
diramos, porque estas podem-se com effeilo eunsi-
derar iicuucentricas sem aquella riico ; ma* nesle
panto eua ignorancia be beso aiplicita, aM alio
bem claro* e plenles as suas atllflalao* Ib Talvez
elle quizmse fallar da esphera armili.ir.n porem
neisa n3u ha propnainente duas Mphara* coneeo-
Incas.n e eim ((ama que figura a Ierra ou o sol, se-
cundo he frita pelo syslema de l't loineu oa pelo de
Copermco, collocaria no cenlro de um apparelliu
de circulu* que re|.reseDlam os da esphera celesle;D
urna eousa Ui-la lano da uutra, quanlo o pedantis-
mo dala da scieucia.
\ ej nnos agora o circuios grandes e pequeos das
e-p.'ier-s do aulur dos Elementos.
O inernliaiio, nos diz elle, corla a esphera em
doas partes Ignara, sem dizer-nns, porra. que pas-
a pelo zentlhii e pelo aadir, e tambem pelos
pnlu*, quando islo ao menos, he indispeniavel em
definido de semelhanle circulo ; nu< no seu caso
uSo o emitllriames ; assira cuino no lugar em qua
elle diz que o meridiano he corlado em aliglos ree
los u3o dallaramos da por adianle docollado
as pajavras por elle. (meridianos) oa oulras
tquivalenles, p-rqoe embora nao preiendamo* uma
repula;3o de acouciso e elegante em materia de es-
lylo, todava respenamoa muilu aa regraa da gram-
inalica, e a lingagem dus no-sos avs. 3z-nos por
lint ne-le inesmo panudo o padre inc-lre, que i.obre
u meridiano roulam-se os graos de lalilude, que
as caitas raarrara-se de 15" em 13 eu menos, e
que conta-se do primeiro meridiano para o Oriente
e para o Occidente al 180". Segundo a legencia
natural das oracoes deste periodo, aqoelle mar-
caiu-sepa>ece rep*lir-se a graos de lalilude, e
idinbem aquetlconta-se, e islo seriam rnantfo*-
los nisproposiloa. Talvez o noaso padre nos iepl que
que esse periodo dos seos Elementse he lirado,
como qua,1 ludo, do ablia la ti uitiier ; he uma ver-
lade, mas e.te na.i ei.eaisou no me u do *eu esses
graos de lalilude, deiando-os para u fim, de
modo que licaram iictn claras as suas tefeienciaa aos
ineridianus ; ao paiso que a pequea alleraijao
sem criterio pelo reverendo, luiuuu a sua cu-
nme, porque o sol paraca parar pelos diversos cir-
culse, quo descreve como se exprime 11 nosso il-
loslre pedagogo ; ni* apenas porque elle parece
parar ou rrlroetder qoaudo descreve um oa ualro
trpica, soroenie elles.
Os circulo* polares do amavsl reverenda -ei -
v*m piles de qualquer cnculo sao don* pontos iniltie-
malicos, como he que don* circuios 13o eilensos co-
mo aquelles de 7 graos de dimetro, podem servir
da polus ao circulo que a Ierra descreve no *eu mo-
vimeiito annual onde lea ido o piofundissimo
' h-rli l,io o que elle lea e nao cnlendeo.o que de-
vora ilizer nao dieta, he que os polo* da eclvp-
lica s.lo il,ii|. pantos que acharo-se sobre a* circun-
ferencias desses circuios, um era cada um.
Sobre as diviies que formara os qualro circuios
menores de que lemos Iralado, nada diremos pr
ora, porque na soa lic,ao oilava o discpulo do nus-
ro padre fu oulra vez a seu respeilo a mesmiesima
pergunla que aqu, e para enl3o gu.rdamos
quaeequer ubservares que lenhumua a f-zer-lhe* ;
n.lo queiemos cahir em repelicne 13o aicusadas co-
mo as do sabio preceptor.
Vejamos quaes sao aa Imhas que se toppOe traba-
das na esphera, u mais que acerca das mesraas nos
diz o aolor doi Elimenlos.
O aeizuu do mundo que be orna dellas, be na
mente do padre meslie, o dimetro da revu'uc.io
dioru da esphera celeste : como islo he pnrm uao
seberaus ; na compreben lemos bem, em aomma, o
que 11,11 quer elle dizereom rtao. 1.1 aerera' dar-ous
a enleiider que o eixu do mondo he o dimetro ilo
circulo da eaphera em cojo sentido se faz a sua re-
oliseaa dlnrna 'f mas este circoli he o eqoador, e
o alio do mundo que Ihe he perpendicular,nao poda
ser dimetro seo. Quesera' d zer-nus simplesmente
queo en he o di.rael'O da eaphera ero torno do
qoal ella eiecula o son movimenlo de r.itac.i, mas
i>o ilin de eslar impliclamenle cunt lo na pro
pria nuci de enn, na he realmente o que elle no*
dise. Nilo ha dovida qua o tallan de orna e.phera
qoalquir he o dimetro da mesma etn redor do qual
ella roda, mai isso n.lo uloiisa a rliama-lo dime-
tro da eua rrvnlucao diurna, porque he dar-se aos
termos lechnico* da scieuei* sign licar;0ei arbitra-
rias.
Liaba vertical, segando o nosso sabio, ha o
dimetro do meridiano, que 1 i--a pelo puni da
lena, de que elle lia veilical. E*le elle he ver-
tical a que termo se refere na orago, a Imhii-
Iro, a amariil auu ou a pantof Escilh-inla o
mais favoravel ao nosio reverendo, lapponhamtn
que he a dimetro. Anda a--nn a deliuicao lie
pessima : a vertical na he um dimetro, podara
ser, quando muilo. um laerat-diaroatr*, uin raio
do ni-i i lian,,, porque ella termina no losar em que
se arha o observa inr na superficie da Ierra, nao a
atravessa para enconlrar-se na regnlo inferior do co
coro a nrcuu l'-rencM daquelle circulo. D-'inji.,
e*sa nlliroa palavra avarlicalu posta na .11 Tunca.! do
que seja liuha fortieal, como esplica^ao distu, n.lo
*er um verdadeiro qni iru quo ., om eirculo vi-
cioso ; Perra nSo imiellremoi mais nesles peque-
nos escurregos do padre ; relevainoa-lbo eslas in-
significantes fallas cunlra a Inica em alieneio ao
aduiirdvel encadearuenlo das sensaborias a parvo)
ees que consiilueiii a sua prcciusiisima obra que
analysamia.
lenus linalroente em nossa p'esenca os ponto,
prmcipaes da esphera do reverendo ; elles sao ape-
nas 4, a saber : unirte, sol, leste e oeileu ; qoan-
lo ao zenilli!! e ao nadir, alo sao conla 'o ueste
mi 1 tro, pnis rnenle os menciona nn paragrapho
legoiute, e em rtapaola a nma inlerpallaca dille-
leule que ah Ihe be dirigida pelo sea inleresianle
Jtscipulo. Da mesma aorta n.lo Ihe merecer-m as
huillas de pontos principaes da etphera os pulu,
ni eqiiinoxii.i.ii e 01 olalrtroe, que alias lio lio
importantes e 13o dislincloe, quer ua esphera celes-
te, quer na (arreste .' loi orna verdadeira degula-
v.a-1 de innocenle \ He verdade qce o nono padre
j t Iralou dalle* em entras parles, roas aiuda aaiim
nao e-I,na aotorlaada a altiuiud-los de uma clasia
em que ellet esiao I ircu.a e iialuralmenie rorapre-
lie nidos: se n.'u p" na n ser ah menciinados sem
repelic.'iu, ou sem qualquer oulro inconveniente, a
1 n impute ; mas nao he por ahi que se explica se-
medanle, iiuolaC,3o de pontos, porque o noeao ho-
rnera nao he de recuar dimite de taes dilllcoldadee,
man de umt ,tI ,, |em demumlialu e o uemouilra-
111 ainda.
Al.FANDEGA.
Roadlmanto do dia I a 21. .
Mam do tila 25.....,
579:752*129
20:42115000
609:172|195
Descarregam hnj* 20 de novembro.
(jalera americanaCalifornia Parkat-boado.
Ilrisu* americanoKolling 11 r .1(.1 /.aulas
Polaca hesponhi 11 Pasin ala vtulio.
Galera inglezsD. Diogofazendat.
Va pur brasileoUua'asau'fatenda*.
Iliiau* dinamarquezEleonor e Sophtaiderc.
alilVIMKMO DA ALFaNDEUA.
Volme* entrados e m (tu 1 ,
a a cora genero* ....
Total
140
274
414
Velamai aahldo* aom fazenda*
a eom genero*
. 190
. 1,293
Total 1,485
Rendimauti
dem do dia 25.
CONSULADO GERAL
do dia 1 a :4. .
50.95J900
2:IGi:'JH8
53:110{888
DIVERSAS PROVINCIAS.
Readimanto do da 1 a 21. 2:33IJ820
Utm do da 23....... 1819304
2:5l3sl2i
DESPACHO DE XPORTACAO PELA MUSA
DO CONSULADO DESTA CIDADE NO DlA
25 DE NOVEMBRO DE 1S58.
LisboaBriuoe portuituer. Flormda, J. de Aqui-
no Fonseca 11)0 siccus assucar.
Il-vrellrntue francez aCesra, N. O. Oieber rjj
C, 62 laceo* assocar.
Ph ladrlplnaB-rca americana .dineiota, Johos-
lon Paler i C., 400 tacana ateneas.
LiverpoolCre ingirza Jhn Marllmii, S'ulhall.
Mellor i\ C, 507 aeraa alaodgo.
EXPOP.TAgAO".
Rio Gran le do Sol, brigue brasiliiro D. Affon-
so, de 21^ toneladas, ronduzo o seguinie : 2
cunheles ferrasens, 1,250 alqutires de sal, 1 caija
lazendas, 5 000 cocos, 9 barr* espirito, 5 pipa*
'gurdenle, llit barricas, II meias uilas e 7,657
Saceos assucar.
Aom' e Aracafy, hiale nacional Flor Anaelieaa,
de 43 tunela.ia-, con Inzio o segainte : 655 velu-
mes lleneros estrangeiroa, -30 ditas riitu* nacionaes.
KECEBrDORIA DE RENDAS INTERNAS (jK-
RAES DE PERSAMBL'CO.
Rendimento do dia 1 a 2. ... 15:6009307
dem do dia 25....... 98l45l
ra 24 dfl novembro fie 1858.Bento Jos La-
mentia Lins, csronel presidente, Francis-
co Joaquim Pereir Lobo, vog| secretario.
A .UrecQSn da niimpanhia Utilidade Pu-
blica, convtla aos Srs. accionistas compa-
recerem no dia 30 do corrente ao meio dia
em punto, no esciptorio da mesma, tara
determinaren] o divt lenio na cooformidade
do ari 41 dos 'statutos. Recife 25 de do-
vembro de 1858 O director,
_________ Mnrel Joaquioi Ramos eSilv
THEATEO
SANTA ISABEL
COMPV.MIIA LYRIfA 1TVLLVM
DE
G- MAR1NANGELI.
SABBADO 27 DE NOVEMBRO.
hECITA EXTRAORDINARIA.
ULTIMA REPRESENTACAO DO
Na qoal os senhores assignante* lerao a preferen-
cia ale u dia 26.
Os bilhele* ettarAo a' venda no dia do espectculo
no escripiorlo do Ihealro, das 9 hora* da manhaa em
dia 11 le.
Principiara' as oilo horas.
1:1:5815758
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento da dta I a 24.
Idom da dia 25. .
30-.238J82
1:574(1224
J1A12JV406
*$& .*
Navios entrado no na 25.
Maranhuo.-ti ias.va.ior atrericano de guer-
ra Hprrlet Line, comman inte Faunce.
Parahib.-24 doras, hiate brasileim Fiordo
Brasil, de 28 toneladas. capitSo J0S0 Fran-
cisco Martina, equipagem 5, ca ga toros
de m-ngue : a Justino da Silva Boa-Vista.
Pertence a Pernambuco,
Dunkerque-48 das, b igue francez Herr
le Grand, ne 220 toneladas, capitSo Blom-
nie, equipagem 10, carga simenlo. bata-
tas e mais gneros ; a ordem. Pertence a
Dunkerque
Nano sahido no mesmo dia.
secinda-feira 29 do corrente.
BEjNKFICIO
dos
KSTABELECIMEMOS POS DE CAMDADE.
Represonlar-se ha
LUCRECIAJWM1A.
EslSo-se entaiando aa orantes tperas em 4 actos,
com dans.idos, do inaeslro VERI
Maraniao e
para.
O novo eveleiropatacho Alfredo, capitSo
Antonio Travigsos da Rusa, segu nestes
diaspara os portot indicados, os senhores
que preterJereni canegar no mesmo navio
queiram enlender-se co,-' os consignatarios
Almeid* Gomes, Alves & C. ra da Cruz nu-
tn-ru 27.
Rio de Ja-
neiro.
Sahe com muita brevidade a bem co-
tilleada barca nacional Recife, de pri-
meira marcha, a qual ja tem a maior
parte da carga prompta. para o reato e
passageirospara o que tem aceiados com-
modos trata-se com Manoel Francisco da
Silva Garrico na ra do Vigario n. 17
primeiro andar ou com o capitao Manoel
Jos Kibeiio.
Para o Rio
de Janeiro
Segu com brevidade o brigue nacional
.mirante, por ter parte de seu carregamen-
to prompto; para o resto, pessageiros e es-
crsviis a frea, para o qoal tem excellentes
commodos, tnta-se com os consignatarios
los Joaquim Das Feruandes & Filtius. ra
da Cadeia do Recife n. 63.
E O
ACBETH.
A primeira deslas duaa operas sera' representada
para lesleiar o dia
DOUS DE DEZEMBRO.
'Jiiinla feira.J
O bilheles doria ooile*er|e vendidne Dor tres ra-

COMPANHIA
Per iisi robu (ana.
O vgoor nacional P-rsinunga, eomman-
dan'e o segundo lpente Moreira sabir pa-
ra os portos do sul de sua escala no dia 26
eilas e o* -endures a,sienai.les serao preferidos al o f as 5 oras da tirde ; recebe carga at o dia
da r au meio-dia. 21 g0 me0 dJ8j 08 ;ete8 ga0 pag08 njl
O empresario ahaiio aaaignado aproveila esta oc-
canjo para tubular ea teus mait amceros agiadeci-
inenlos aot enhor.s assiiinanies un pancula', e a- >
mais Irequenladores das upera. lyrie-s, que Ine fie-
ram a liuura de encorajar r.s BOU* esfurjua eom ivos
i applaoios e eqnente concurau em lodas as cpeas e
a toda a companliii, leudo .lie a raUefafia de pider
liaer qoe nSo po.ipou nem tlespeas, alm de suas
Eiiifiui, o qoe at aqui lemos ansheado dos nEle-1 Rio Grande do Sul B igue hrasileiro' >.
nieuios de Geo"rap!nao do padre mestr* do >ceu Affonso, capito Manoel Antonio Marquen
cearense, e o mullo d* iuual e de melbnr goslo ajo* -----
temos .nula de ver, nos ubngam a faier deltas da
inlelligencia do seu autor uma bem triste idea ; e a
ni'-iiia (ara qualquer boinein de elsurna cullura de
espirito que leuh* a coragem de ler seeuidaiiienle,
e com alnuma aiieneio, esse (0(0 pedestal de toa
preauin|ico e iusoleucia. (3)
., ^ ----- ----------1----------------------------------( ~~ i.a.iaiai ne PA*
llamarara--Brtgue jnglez MellllS.CspiljO Re- torcat, nem trballios insanos para cumorir coro auat
chard Kesritev, em lutro. obiigmOas ; prometleodo demostrar sua graldSo
Dio s com paiavraa, maa sim com o augmento me-
llioraineiiln de oa corn[isnhia paro o ann vinlmio
carga assucar e mais gneros.
Para se demandar as Iloccas.
Demnndaudo-se a* Roccas be coiiveuienle pri-
meirameule buscar a lilia do teman .0 de No-
ronha.
Nao me era' por cerlo passivel apiesenlar uma
navegaeao segara para aportar a estes baitos, ja por-
que em orna s viagno nao so podem desenvolver
lodas estas contrariedades que toam apparecer no
alio mar. Como por eslsrem elles sujeilus a diver-
sas influencias, rumo correntezas iues; eradas, ven-
idla
pa digna de sua pabrissima cabera.
O o equadur do nosso sabio ei-direclor da ins-
IroecAa publica deesa provincia, cbama-se tambem
Inili,1 equino!,1 mu eqninoiioi. Sua' islo eiac-
10 .' o eqoador eliamir-se-ba buha equinoiial. .ci-
menta not pimas uu as pocas dos equiuoiioso "'
He uma nova descoberla ; porque le aqu o equa-
dur cliamiivi-se assim em luda sua (Xlentlo, o em
11 las as pocas de caila auno ; a d-se-lhe esse mi-
me em reiSo do os cquinoiio* lerem lugar sobre elle,
i-to lie quandu o -ol se a lia nu* puntos de suas In-
lereofOo* com a Eclyplica. Ora, htm vei, meu /....
que islo he causa muilo difluente daquillo I
Ainda legando as idat do t.ipienlitsimn prnfessor
1 cearense, t ha (horitonle visual onde ha umari)
vi'to que elle he a cireulo em cujas eilremidales
abubada de Saplnra parece encoutrar-secoin o verde
liquido aumento. 1) pobroacrlaaejo, mosaao aquel-
le que lem a liherdade de eepraiar aa u.n villas por
uma Campia exlrtsa oin lodo* ossenlnlua, n.lo uoiii
es-e bonsonle. No enlrelanto que luis pen.ava-
inoi que o horisoule visoal era o circulo em eo)a
aireueafereoela, quer o ornara quer a ierre, aalvea
as deeiuualdadesdesla.parecem unir-so as reames ce-
lestes. Na opima 1 do rumio illuslrado reiarendo, S
o mar lem aquella privilegio Nos poelirua lempos
da mytologia loto Ihe Valeria d Nepluno pelo inenoi,
as linnras de TrvUnn.
DoiXOmo* de partea Eclyptie.i dos Eleiiienloss,
aperar de aindi alo p>ssar all aqui de urna tappa-
renci.iii, quando altea j.i era lempo, e esle o lagar
mais promno para dlur-oa o que ella he na reaii-
dade ; 11A0 faCamo* disto queslo ; he l'lolomeo que
anula desla vei falla pela bacca de um Cuperni-
cano.
O ccolnrosn nSu serD final de Coala* doos me- I di ti), pe
ridlano* "'
d
il
s&ublicaca0 a e)ii)>.
Um pedido aos metu amigos, connccidos
eaquellas petsoas dotadas de umeorn-
raogeneoso e benelicente.
Ha seto annos que sup iorto os mais crueis
lortnentoa causa los pela mais nefanda en-
fetmilade a eleohantiasis ; soffrenlo dupli-
cadamentn pea falta de recursos a que me
re tuzio to gran te llagello. Sim, senhores,
foi no anno ue 1851, que me accommntleu
este horrivel mal ; mal que me sequeslrou
da socieda :e, e obrigoa-me a abandonar o
trabalho ilo qual tirava a minha subsistencia.
Ojpiin'iJo pela molestia, pela estrema po-
breza em que esta me coilocou e por mil
1 tiferetiii-s desgostos.eis senhores, a vida que
ha sle annns experimento.
Abandonado de to los, entregue somenta
a minha dor, tenho sortrido at o presente
cam a maior reaignac9o a minha triste sor-
le ; mas J n3j tanhi) forjas para su jporta-
la por mais lampo ; e quanio pens nies-
ladobeJIonlo e miseravel a que talvez t-
nho dechegar; quando pens no nesro fu-
turo que e aguarda, esmoreco e preliro an-
tes urna nidrio prematura,a realisacSo Je t3o
horroroso pensamento........
He em t3o desespera la posiQSo em qu> me
acho, que vejo publicado nos jornies desta
capital, a noticia do haver-se uescoberto na
provincia do Para, o remaiio inlallivel para
o mal que rr.e acabrunba, milicia que todos
1 I r AS 5 s 0 3 5' B f S t- SO 3i 1 ea lloras.
BBt b3 c B Atmosphera. c e: tr.
c *. 5--> 5 5 ss 0 c 2. n 0 S- B B -i I 8B-| DirecrSo. 0 << 0 PS
Inlensi dale.
lw IC l IC l. 1 P**.*. Cenllerado -1 w r-. 3 2 0 3 5
eT ^ 5 2 a s IC SO K- M. li. r'rf'rra Reaomnr. ? c r-c
ti- -^* C 0 - E-55S. Fahreuheil c F. > cr.
oi -i-i. Hygromelro.
-1 -1 c. ? 1 Baromelr 1 0.
e o toccsiivo ; eousa hoje inevilavel, vislo ler se
de-envolvid siimmamanl* o uotto pela musir (do
qoe elle hnha a eoiloia), o que prov* a graode ci-
vilisiro desla illoslie tapital.
li. Mariuan^eli.
'Ji de novembro.

A administriQ3o geral dos estabeleci-
meutos de cnd*de manda fazer publico,
que o betiecio concedido pelo Sr. Marinan
geli aos eslabeleci-nentos de carida le lera
lugar 00 da 29 .lo corrente ; bem como que
o resto dos bil .el^s de cadeiras e de piales
geral estar3o a venda no mencionado dia,
das 9 horas da maniSa as 3 da tarde, no lu-
gar do costume Oulro sim previne a ".es-
nia administrarlo as essoas que se digna-
rerxi do ac llar bilheles para o referido be-
I necio, que os de cam< rotes ser3o reeebi-
dos, o seu im.ioite, pur duas expostas a-
Baile nacional
masqu
SabbarJo 27 do correnle, haver um baile
nacional masqu no gran le sr 13o do caes de
.\pollo, sen 100 mesmo com mascaras e sem
ellas, para qum quizer dangar sem ser mas-
O carado; o i-reco dos bilheles para bomem
20 e para senhura graiis.
1.a sec;3o. Secretaria da provincia de Per-
nambuco 25 de setemb o de 1*58.
O Dr. chefe que 00 baile masqu que se der no s!3o
au caes de rollo, se observe o seguinie
REGDLAMENTO:
Art. 1. N3o he permittido a pesaoa algu-
ms, lano niasi-ara^a como a paisana, diri-
gir pilavras msultuos"s directa ou indirec-
tamente a ouu.m ; equem o contrario pla-
ticar sera advert 10, e n3o se corrigindo
Sera mandado rerar imme 'laiamente do
salo pelo respectivo administrador, que
Ioko ler flirtea autori;ade policial que se
Jachar na casa, para s^r ella comijuvaJo
Art 2. Tola equalquer p.-ssua que per-
turbar o socego e or lem do baile n3o po le-
ra tur mais ng'esso na casa: e lo la a vez
que se apresentar com bilhele, ser esle to-
mado e restituido o seu importe
rencia.
companhia
Brasilera de paquetes a
vapor
O vapor Cruzeiro do Sul, commandante o
capitSo de mar e guerra G.tvso Mancebo,
espera-se dos pocos do norte em seguimen-
to aos do sul at > dia 29 do cj rente mez.
Recebe-se desde ja passageiros, fretes da
dinheiro e encommendas e eng ga que o vaor poder cooluztr seo lo os vo-
luntes desjachalos com antecedencia al a
espora de sua chegada : agencia ra do
Trapichen. 40.
-C_.m_i"
companhia
de paquetes ing-Iezes
a vapor
At o lia 29 deste mez espera-se da Eu-
ropa um dos vapores desta civnianhia, o
Art 3. Os mascaras nao uolerSo usar de j qoal depois da dirnora do costme sgnira
com anhadas das senhorss dos Srs. Antonio
vH*; u ,f.S,.t.e"''f." e n3 Made.P'S V 'os C ..res do Crrelo e Joao Kioto de Le-
nom.. h Vheac'la,d'',,porse,rcon'rnl':a>"s Jnior, eos de cadeiras por umdos
EX* oh n, esdc,r.c,8?r,C8 d,,que"a \ r?Uoi da mpsma -^'1^ l* ^
xttstf:pez,r rfthe t l ss- Wisass. issnx
m fa Ll nJZ.?i,n nm^, i ovembro de 185-i O escr.v3o, Antonio
infallive psra o meu mal, vejo me na im- Js Go,ns rto Corrilio
possibtliJade do o poder apencar por me
laltarem os recursos necessarios para tal
lim ? Quo desejos, senhores, nao terei de
vor-niu livre de uma enfenni ade que me
\ expulsou da sociedade f yual se o meio que
eu deixe do empregr par* a conseguir ainda
que mecusteo maior sacrificio'.'
I'ortanto, senhores, pieciso transportar-
TRIHU.NAL 00 COMMERC10.
Por esla secretaria se faz publico, qua na
data infra fui inscipto no livro conippiente,
o contrato de socieJade celebra lo por l-'.an-
cisen de Assis linio e Jos Peixoto da Konse-
ca, domiciliados e estabelecidos nesta cida-
de, sob a lirma de Brito Peixoto ; a qual
sociedade durara do 1.* 00 corrente ai 31
caracteres allustvos a religiSo 00 a pessoas
designadas, e bem assim .le armas que niio
s'-jam de papeldo ou ma leira frgil.
Art. 4. He prohibido fumar-se no quadro
d) baile, f.zer agguada ou dar gritos, e pro-
curar aescobrr o segrelo dos mascaras,
bem coraoenl'ar no toilette das senhoras.
Arl. 5. No principio eflm do baile ser
mrcalo pela ,essoa que exerce-as futiCQes
de mestr e-sal, o que sera aununciado por
um carlaz allixado na po. tu 'o sl5o.
Arl. 6 Sem jislincca.) de pessoa ou sexo,
sSoobrigalos lodus os que requemaren.) o
baile a porlar-se. com toda a decencia, p u-
denci, civililade, molt-ra53o e honestida-
le, afim de ser conservada a melhor ordem
para o Rio de Janeiro locando na Bahia
para passsgens ele trala-se com os agentes
Adamson, Howie\ C, ra do Trapiche rio-
vo n. *2.
*mt
Leilo
A 26 do corrente.
SifiTSlti^iE enl"r em!^^^'8V9 etJmoca a^3'oO .
ZfSS^m^SSSS,'m d,CUr' e 0^!or.Dr.Aprigo Cuimar3ef
ra-- .ni pur esses ponlos, nao ha iluvnla ; se porcn a
na 111 --au, o ecu destino be marra-las. iguoramo
porque na verdade somos molo innoranles. Apostas
sabemu que os rquinuxios s3o mar a la. pela* 111-
lerioefOei do cquador coa a eclyplica, o quo os Slos-
licios o sao pelo cnnlaclo desla "c 111 os trpicos : he
s ate ah que vai a musa exigua ciencia.
A icuoraucia do domo autor crate, como vamos
ver, ua ralla luversa dut circulo* das suas espitara*:
Sim, espero que vos comadecais de meu
ti islo oslado e tenia piedade de um infeliz,
qur, em qualquer estado a que a p ovidencia
lor servil leva-lo, n9o cessaraue hem di-
zer a vossa cndale.
N3o me sendo possivel.em consequencia
do meu est
to los aq
6
.lomo de Ai mijo e
mo ajudarem, os
iin-me encarregar-se ile 13o
--- A cmara municipal ao Recite, mi
cumplimento lo art. 31 la lei vo orQamenlo trausito dos mascaras pelas ruis a qualque
Harry che seroan, capitSo da baca ingle-
za Ben Mutck. luui fara leilSo por auto-
possivel ; equando alguem se desviar desle i"iar;3o do lllm. Sr. inspector da alfandeg
proce lmenlo, sera advertido pela autonda-|
de, que poaera fazer sabir os que se mos-
trare n indoceis.
Art. 7 A directo que dever dar-s* ao en-
Ireleiimento e mais economa interna sera
iocumbi la aos encarregalos do baile, que
poier3o formular u n regiment interno,
sujeitando-o a aporovac3o desta rejarliQSo
Art. 8. I'ica exp essameoto prohibido o
municipal vigente 11. 451, tm marcado o
prazido 18 mezes, contados ilesla data, pa-
ira os pro. rietarios de tr-rienos n3o edilic -
dos, dent'o da cidaie, e nos seus suburbios, to de Almeida,
cora, e bem assim o logresso de esc'ravos.
Agoslinho l.uiz da Gama.
Conforme.O secretario, Rufino Augus-
.r.d ii 1 consequencia murR.lS ou cerca-los como br.ga o arl
u ntV. V. "''"a" 6- "essoal,nPle 2.- das poataraa a Jdicionaea de lOje novem-
uelles a queo dirijo o presente pe- bro d<> ,855> e nnJo eneiOMllo s0
. !i os meiis amigos OS s. AutontO I nrnr-rlr. a. ir___...... V ,'..1 *!
idlano* porque razo nao havia o 11 isso padre de Jo-e le .iiquira Jos An
erlara-lo; Servir., elle, c,,,. elleilo de marcar o. jose |j,jr|e Jun.'or, .ara
"".:''". 'c.'? lL?T"V.rrx,r" (Jl" tlles quaes promeueraw-me er
proceder contra os infractores. Pago da
cmara municipal ?0 Recife em sessSo de 24
Je novembro ile 1858 -Joaquim Lucio Mon-
teiro da Franca, pro-prosidente. Manoel
-
ardua urefa, pelos desejos que teem de me Ferreira AcciolI.'secretario
serem uteis.
francisco Jos de Paula.
Recif 2i de novembro de 1858-
lama* etc. ; limitar-me-hei porm a mostrar a ua- | ella be tanto maior quanlc aquelles sito menores.
vejni;i'io (eita por esle Imite na tua eiplorai.io.
S-inln muilas as posir^des apreseutidas por moilo*
roleiros naveadoras acerca das llueca*, nao dei-
io de bear embarazado oa esculla de urna dellas
para demanda-la ; e para se faier uma idea preci-
sa nm -irarei at illen ule- dislaocias a rumos dadus
da* K i-eas cm relae.io a l-'eruando.
Das lalilude* e lunaituiles ebstrvadss por w. fia-
rie (e qoe te > na collactao de suns tabeas) se de-
doz qoe ai Rnccaa correm por 85 NO ua dislaneia
no 51 milhas da liba de Femaudo. Do mesmo W.
Norie. no ieo roteire (Uirtctiont for sailina lo and
Irom lite cuasi o! Brasil, ele, te coliite qoe pelat
A re'peilo dos Iropicos, por eiamplu, ili/.-uosqoe
elles servem do minear n teneno de inclin.icao do
ral, ao norte e ao sul do eqoador, ou rn-is propria-
inenlo a inclinarao do eisi da Ierra. V, meo /...,
que enormisaimn deslanipiilorio. misero ailrono-
u:n do lyceo chama ln*|inB(oa rio sol, aqollo que
tu lingoangoia da scieucia se chaina a su. xleclinn-
Clo, o confunde as-un duat cousa* inteirameiile
disididas o que n.lo lra lelacfto aluoma eulre si !
rUicliiia^ao.! do sol be asna distancia mniur 00
menor a respeito do equador celeste do lado do nor-
ledou do ul do mesmo ; e a sua iiincliuar,Aoii, he o
ngulo qoe forma o ato propno equadur com o pa-

-
1

observarles de llonli urgh detnnrain a mesmas p- 1 nu da eclvplica ; este lie stmpre de 7 31)' pouco
dras por 8."i NO na distanri de :!!! milhas, notin-
do-se a diflerenija de 12 mtlha>.
S-eunlo J. l'urdy no *eu roleiro (Tho Brasilian
navDilor oraailini directory (or al tli* coala of
Brasil, ale.) temes que pelas loiiRiludes o Islilude*
qoe elle p le colher do divrsns observadores, as
ItiVcas damoraea Dor 8'J" NO na distancia de (il
milhas Je tmanlo, nu pnc 88- NO na di-lancia
de 58 milhas, domie se \c a diITcronra extraordi-
naria deslas doat posiees.
Polo barao de Rousnn (no seu ole Pilledu Bre-
I al)o licam olla* situadas 75 millua ao occiJente de
I.- ul", podiodo t Fernando.
No roteiro de Pimenlel correm ellas por 86" NO
mais ou menos, e aquella no ten mai uno he de 23
Xf, Igual a' inclioarjaon do eiio da Ierra tobre a-
qoelle mesmo plano'. olluaulo o tol cbeg.t nelles
(si iropco"). cunlinua u nosso padre, cliania-s,
i-ol-iiciuB, islo be, ordrn Rr.immatical), o mol
chaina a* aolrtaeio quandu ch.ga no* Iropics.
Oa, alTiancu-le meu amigo, qu* he a primeira
ver. em minliii vida que ouc,i> clt-mar ao sol de
o-olslicii, ; eos puni* he qu* eile cltoea, nu quaes
a eclyplica tica os lropi'-o>, e que mu temos aai-
dn sempre dar-se ess* ame ; assim como lambetn
nunca iiuvimni der que se lhes da' es-a inesmo
PRAVA 1)0 BECIFE, 25 DE NOVEMBKO DE
1858.
A'S 3 BOBAS DA TARDE.
Colares oDlciae*.
I're(n de assucar le uin pnrlo de lora para o Canal
pira Orem'I7|(i 5 0,1) a Inntlacla.
Cambio auhre l.oimres Ut)d|v. 7|8 dinheiro.
Cambio sobre Liverpool, latir de lora J7 d.
9 IdIV.
Fred. RobtUiard, presidente,
P. Burees, secrel.irlo.
i-3 de Janeiro
Segne com brevidale a barca Cecilia, re-
cebe carita a freto. a tratar com (.aelano Cy-
riaco da C II., ao lado do Corpo S^nto n.
; 25, primeiro andar.
io de Janeiro
I na distancia de 45 militas. Costa e Almeida (Ro-
I), referindo se a' llo>*biiugti
iis Raca na baixo das Cahras
O nn Uaslancia de lili millma. di-
Oulro de Francisco B lelho de Andrade a Vicenta
l.icinio da C la Campellu, salislatendn o dispacho [ leiro geial do Bra
leste tribunal, do 18 do c orante, pedindo o registro como Noiie, d'i qo
lu eu cuolralu *octsl.Kegittre- Foram com visla ao Sr. deitmbargador fiscal, 01 i iea4o por ulliino qua, qoer segundo Arrow Sinilh,
requeriinenlina-guinle*: 1 quer por Heatbe* ellas Osara ao occidente de Fer-
L'id de Jo-e Francisco do Sa' LeilAo, hrasileiro, de I nando, por esle na 1 idaotia do 101 militas, e por
:I0 annos da idade, morador o otlabalecido ua ra I aqoelle 98 milha*.
da Cade* do Ricif*, com negocia di gtnuoi naci- Lliimamcuii o oramiudiut* do brigua de guer
(I) Es*a eiphera arlilicial terrestre concntrica
a' oulra lamhcm aartiflaial celeste do n>.....padre,
lemlira-noa a anecila muilo fbula do tiortu.que
pedio a uin pintor que o pinlasse em um qnadro,
mas de modu que BiaRaem o vi-se ; a lal iresphera
du cenlro esla' exactamente nesle cao.
li) O nosso padre quir. duer quando o ol ebe-
ga a ellei ; o'ahi piilo ser que >eja a.im nies-
mo, por alguma regra uova sobra a' coucisao e a
elegaucia do tivlo.
CONSELHO ADMINISTRATIVO.
O conselho admimslrativo, para forneci-
mento Jo arsenal de guerra, em cumorinien-
10 iio-n. 22 ,!0 regulamento de 14 de de-
zembro de 1852, f*z publico, que fo am acei-
tas as propostas fie Francisco Jos Baptist*
e Jos da Crui Santos O brigue esenna Carolina, seguc com bre-
O I.' Para o presidio de Fernn lo, 1000 vade.para carga e passageiros tr-ta-se com
altas e IO00 mappas por 2S550, sen lo ob i- i Pantano Cyriaco da C. M.t ao lado do Copo
gado a entregar ditos imyressos no dia 3 de i Sanio n. 25, primeiro andar, ou eom o capi-
dezembro prximo vndouro. to Jotquim Antonio Coof Ivs Sanios.
O- Os medicamentos pedidos para o! |-*i,r ft Ar.Citv
los it.l regimenial a cargo dolOV baUlhBo; e A i.l^Lliy.
de inrantaria por 499}96o, com a cond.cSo Segu na presente semsna o hiate Capi-
de rccolhec no dia 26 de novembro anian- baribe, mestre Trajn Anlunes da Cosa,
I l'ara que fiqu*s sabendo hem ale que punto
tilas cliegam uu nosso pa ira, chimaremos a tua al-
inelo, meu ami"o, pira o tCenrentea n. Il, da
II oe agosto de-le anuo, pug, 2*, columna Je. no
qoal vem publicada 01111 parle du seu Irahalho ts-
l.iuslirii tdbr* essa provincia. All elle desculpa-s*
de nilo l.r calculadii aa corralo* almusphertea*
por talla de uin b ir- meinm. eumo *e i.lo fasse pira
seus bigodet, uu paro ns de qualquer ignorante. A
eale respailo di/. Arago no i- votnine de su ts o-
licia* Bi igrapbica*, pags. 01 e t, o icgoiolo : ..*
rorreiiies almosphericat delermioadas por deaigual-
dailes de prcoao le temperatura, ele, ele., sao
mais ditlirtis de calcular->e que o curso inageslnso
de Jopicr, de Saturno uu de l rano !a lie nina da*
mais oilll-eis qusli>es da alia pbyiita e ,1a niallie-
miilica, a cu|a snlueao applicou-.e o imm rl.il Am-
per-, qu qmi eicloiivaroonle se oceopava com o
qua havia de mais Ini-cen tente ms'ai scieneiat |
ta -era' pola digno de eterna ala om eharlallo
do calibre ilo nosso padre, que labiado de malhe-
IDeliCk* pouco mala quo as quado upereces de ari-
lliinelica, qui< persuadii-nos que s* tu esse a' sua
dispotic.au uin barumetio rssnlveria aquelle gniid*
problema '.'!
por ja ler alguma carga para o resto e pas-
sageiros trata-se na ra to Vigario n o.
te, os objectos que ven lea ;or dita quantta
Sala das sessoes do conselho administra-
tivo, rara fornecimento do arsenal de guer-
ra 2 de novemb o de 1858 Francisco Joa-
quim Pereira cobo, secretaria
CONSELHO ADMINISTRATIVO.
O conselho adminisi ativo, para forneci-
mento do arsenal de guerra, tem de COUa-l
prar com urgencia o seguinie :
Panno ver e par dillerents corpos, co-
vados .'76 ; dito alvadiopara provimento'lo!
arsenal de guerra, covados*2; casia ira metra fluvcha, o qual a "tem a
branca para dito de dilo, covados 30 ; ban '
Para o-/to
DE
Sulteoom muita brevidade o bein cc-
nliccido brigue nacional Sagitario de pri-
maior
desla cidade, em presenta do Sr. agenle de
Lioyds. por intervencao do agenle Oliveir,
e conta e risco de quero perteocer de diver-
sas portjps de vinho, gurdente, biscoi-
tos, farii.ha de trigo, carrinbos, tintas,
oleo do nnhaca, carnes de poro e de vacca
em sslmoura, cerveja e outr-os artigos, para
occorrer aos gastos com o salvamento, re-
paros, costeio, e mais despezas com dito
navio, encalhado poximameule na cosa
da ilha de Itimarsca ao norte deste porto,
ondeaRnal arribounasua recente viageni
proce lente do Lon Ires com dei-tino a Santa
Helena : sexla-ftira 26 do corrente as 10
horas da inanh3a a porta da alfandega desta
1LEILAO DE IAER4SQIN0
Segunda-fcira 29 do cor-
rente.
PELO AGENTE
Pestaa
o referido agenle pelas 10 horas do man-
cionado dia a porta do armazem do >r.
.nnos defronte da alfanJega fira leilSo por
conta te qusm pertencer
De:
OOcaixascom ve'daieiro e superior mar-
rasquino ebegado r^centemente a esle
mercado.
Leilo
DE
CARNE SECCA
para o* meamos inferiores 2; reguaa para | Manoel Fiuza.
aula ilos menores 'o arsenal de guara 20
Ouem quizer ven ler ditos objectos apr-
sente as suas proposlas em caria fechada na
secretaria Jo conselho as 10 horas da ma-
nhaa rio dia 29 -o correnle mez.
Sala das sessdes do conseibo administra-
tivo para fornecimento do arsenal de guer-
Geare Ac raen'.
re^e seguir at o dia 10 -le dezctnbro vin-
douro o patacho KmulacSo para carga e
pa ou no escriptorio de Manoel Gonga-lves da
Silva.
AO MEIO DIA EM PONTO
IARLISS M liiUA
de ordm do /xm, Sr.
Dr.juiz especial do com-
mercio.a requerimentode
.Manoel Alves Guerra, fa-
r leilo de uma grande

Til i
1T
TT
li
i% #1


V
/
porga,-) de carne secca,
restante do carreg-ameoto
DIABIO DE PERNAMBDCO SEXTA FE1RA 26 DE NOVEMBRO DE 1858.
- rva rua da (aleia do Recie, luja de
ferr.gensn. 53, de Sara cali, Silva >v C ha
constantemente paira vender-se gua'da CO-
An U~'_ ._ i midas de arau e del todos os tamannos, pe-
40 bngUe naCllial .AOi-'neiras Parame
pno, em d iversos lotes
em a iversos lotes e
a praxo: Iioje, ao nueio
da em ponto, na ra da
JPraia n. 7, armazem de
Joaquisn Goncal ves .Fer-
reira.
GRANDE LEILAO
DE
MOVIS.
NA PONTE DE L'CMOA
A 29 do correte.
O Dr. Lacerja Werneck, tendo da reti-
rar-aecom sua familia brevemente, para o
Rio de i neiro, far leiLSo por intervengflo
do agente Marcolioo de Borja, de todos os
seus -ovis, consietindo em excellente DO-
bilia de nogio, U egaria, candelabro, ser-
pentinas de vi 1ro, vasos de lorcellana e
crystal, relogiog de cima de mesa e prele,
qualrose outros adornos do sal, secreta-
ria, estantes para livros, tageres, mobilia
genovesa para gabinete, guar la-roupas, ca-
bi tes, portateis, rica cama francez a com
cor{ini los, marquezas de dormir, comino-
das, mesas de charSo para eaf, radeiras e
bancas de diversos futios, mesa elstica de
jantar, aparadores, guarJa-louga, lavatorios
com peira e sem ella, aparelhos de fina
porcelana par. almoco e jantar, ditos para
n servigo diario, viJros ds diversas quaii-
d*des, utencilios in lispensave's diferentes pegas de prata. e outros muitos
objectos degosto ele ; e bem assiro 2 boni-
tos cavados ile estribara bons andadores
completa* ente arrealos segun1a-r-ira 29
do corrente as ll horas em ponto da ma-
Dh3a, ni Ponte de Ucboa.s'to do Exm. Sr.
conselheiro Jos Beato da Cunha e Figuei-
redo. l. B. Aiverto-se que havera pira
maior commodi 'ade de alguns dos Sr. pre-
tendentes u o mnibus para ida e volta, o
qual partir as 10 1|2 horas da maulla da
esquina da ra do Crespo
Lelao
para reflneSo e padaria,
bombas de repuerjo das melliores que ha
vio o ao mecado.i canos de chumbo de to
das as grossnras, jfoles e turnos de 16 a ICO
libras para fe-reiro, ser ras linas de ago. fer-
ragens finas para urlves, trem para cosi-
nbar forrado de porcelana e estanbado, e
outros muitos objectos que seria fasti liozo
enumerar-se que tdo vende-se por mdico
iprego
Offerece-so ujna pessoa para adminis
trar um engenho o|i um sitio grande, mais
que Sfja perto da draga, pois tnlende bem
destes >ervic.os, levando com sigo dous es-
era os, e it fiador a sua con lucta : quera
delle precisar dirija-so a ra do M'in io Novo
o. 23, pois achara com quera tratara qutl-
quer hora do da.
Nos dias 23, 26 e 30 do eorrente mez,
tem de ser arrematdo por arrendamento a
reqiiertm-nto do tqtor o sitio denominado
do Viveiro, sito na ra Imperial, com casa
de sobrado, e seozallas no tundo do sobrado
com as condtges que se acnam descriptas
noescriptoem m3d do po teiro do juizode
orphaos Amaro Antonio de barias, o sobrado
le ura andar com gran le solio luja e quin-
tal com porto i ara a ra do Ouro, sito na
ru Augusta n 76, pertencentes aos orpUSos
do finado Josc Mara de J<-sus Muoiz, e sua
mulher, sendo a arrematado cfl'ectiiada na
ultima praea de 30 do corrate na sala das
audiencias.
-- O abaixo assignado, descj'ndo servir
bem as pessoasquo teai mandado e so dig-
nareo mandu rtoentes p--ra ser^m tratados
m su casa de saue da Passagem da Mu-i
dalena, tem credo; iara melhura&eiilo c.i-
Iovon armazenis
Precisa-se alugar urna ama para an- Na ra do Hospicio n. 32, alaga-se urna
dar com uma crianc/ ha pouco desmamada : 1 escrava q ie ozinha sol, i ve I mente o diario
Na rua Hora n, 24 e na ra da Cadea de
Santo Antonio esquina dos sobrados
novo do Senhor Gomes Ferrara.
DE
MilOEL ANTONIO DOS PSSOS OLIYSIRA & C.
Nestes dous establec rentos achaia o respoitavel publico um es-
plend lo sortimento de mobilias, e uma numerosa qiiantilade de obras
avulsas, sendo tolas estas obra* muito recommendaveis por sua segu-
ranca, gusto e elegancia, e ain la mais porque ludo ser vendido por
menos ireco do que era outra qunlquer parle.
meo do sea esthelecimonto, o lugar de me
lico consultante, o qual he occuyado pelo
DO
EECXFE A iS. FEAITCISOO
Pela supe Inten'enca da mesma se faz publico que do da |- de novembro prximo
I futuro em diante, i actual tabella Jos precos de passagins sera snbstitoida pela seguale.
a saber :
111 ni Sr. I)r. Jos J
naquim de Moraes Sar-
SEXTA-FEIRA 26
RENTE
no armazem do
DOCOIt-
agente
Pestaa
O referida agtol vendara' n.tle da lem lim>'e
de prf^of ricas mobilias de jacaranriri' moco",
2u.r t vililoi, liiil, r-a ;eir.is nmlvn, i'ofAi,
coii.dlc, mwii, lnuf idre, e|ielh.n, loilelet,
quarlinheir.v, r-hiles e inuilo* oulm. bjeclji.
Vaml.ra' lambcrn na mem> occiSu 40 cina
com t r.jHs mullo noV4* fre-rd-,
I'iocipiar.' o leilaj as 10 lloras da rr^nliSa.
Precis*-se de um homem para distn-!
buidordeste Diario, o qual deve saber ler e
nao ler achaques peridicos: na luja de
livros n. 6 e 8 da prer;a di In lepen lencia.
ailSO DE IMIU FRANCB4
Das 8 as 9 horas da noite,
_ PARA AS I'KSSOAS
OLE Rli P0K1I riftHJENTAI DE DA
Jos Soaies de Azevcdo, profeisor de'
lingua e litteratura naciorial no gvmna-j
ment, cujas attrifyuic.cs s!lo visitar o esta-
belecimento, com.arecer as conferencus e
operai;oes, ce etc.
Dr. Ignacio Firmo Xavier.
Precisa-se alujgar um preto escravo ou
homem rorro para ii ser ti cu lolerou de cs.
de touca familia ; na mesma se precisa de
uma mulher de meia idade para tooiar coti-
la de um sobra lo, e que cozinhe o diario
tu lo isto a tratar pa la _o Padre Flotiano
Q 32.
OFFICUES DE PERREIRO.
Na fundicSo da rija do Brum n. 2S, preci-
sa-so de um perfei|.o ollici.il iie ferei'O de
forja para obras d navios.
--- Precisa-se dfj una ama que tenha bom
c abundante leite : na ra Bella sobrado nu-
mero 14,
Clchete
Jos AWes da Siiva GuimarSes, tem fie-
vado a sua fabrica de clcheles a um ponto !
de poder sapprir todo o merca io oesta pro-
vincia, assim ct)m Ccar, Parahiba, Ala-[
goas e Baha e oulfas, pera o que sumpie
lera proa pto nSo meaos de 6 ou 8 mil du-
zias de caixlnlias com clcheles de to los os
nmeros, -oga pois a todos os seus fregue-
zes nao so destas provincias como das mais
que precisem ueste genero diugir-se ao de-
i'osito na iua do (aboga n. 1 K, que ac^a-
rao sempre um completo sorlitnenlo pron-
tifScaodo-se a fazef qualquer remessa que se
llies pessatn tatito a dinbeiro como a prazo,
seodo de pessoes capaies, alem de se achar
bem montada a di|a saa fabrica'.in la espe-
ra no pi nne>ro ria>io cueuir de Franga o
novo machinisraoperfeirjoaiio aiim de que
seus freguezes sejam bem servidos.
NOVOBANCO
D
Des Cinco Pontas e rol- Do Cabo e TO
la em 24 horas, a CLASSES. horas, a
1.a 2 3-
Afolados. 1,000 800 400 liba.
Prazeres 9.C00 1,600 500 i'ontezinha.
Ponte/.inha. 3,600 2 800 i,500 Prazeres.
liba. 4,000 3,200 1.700 Afogados.
Cabo 5,000 4,000 2,10. trinco Ponas.
Das i.inco l'ontas a Do Cabo a
1." 2 3 a
Afogados. 700 500 300 llha.
Pr>zeres. 1,400 MOh 600 i'o.tezinha.
Pontezinba. 2 400 1,900 1,000 Prazeres.
lili-.. 2,700 2 200 1,ll0 Afogadoa.
Cabo. 3,400 2,700 1,400 <;inco Pontss.
em 24
CLASSES.
t. 2."
i,000 800
1,500 1,200
3,100 2.400
4,000 3,200
5,000 4,000
!. 2"
700 500
1,000 800
2.000 1,600
2,700 2,200
3,400 2,700
na ra do Hospicio casa terrea confronte ao
collegio de N S. do Bom Couselho.
-- Aluga-se umsilio na imperial matriz
de N. S. do Rosario da Varzea a margen do
apiharibe, com boa cas, duas sals, dous
quarlos, cosinht fora, dispensa e bastantes
rvoredos : a tratar na ruado Cotovello n.
36 ou na do Cano n 32.
Attenc&o.
O dono do holel Aurora do pateo da Santa
Cruz, participa tos seus freguez.es e ao pu-
blico, que fornece coxid para fora, e no
mesmo a tola e qualquer hora tem comida
posta, e aos domingos llavera boa mSo de
vecca ; assim como tem diversos quarlos
com janella para a ra, oque os aluga s
pessoasque necessitarem da comida do mes-
mo hotel; lava e engomma para fora, tinge
de diversas cores, por diminuto preco, com
aceio e presteza, tambem aluga a primera
sala para qualquer pessoa que uecessitar de
daralgum baile com decencia.
Attenc&o
Perdeu-se um rou iulio de vestido de
montara, de panno azul, da roa Im, erial
at a ra estrella do Rosario : a pessoa que
o achou, ple ir entregar na la Di.eiia n.
76, que sen generosamente recompensado
No dia 22 do corrente fugio o escravo
Antonio, cabra, pertencente ao Sr. Manoel
da Costa Albuquerque. e que outr'ora ja
peateuceu ao Sr, Jos Ferreira da Silva oo
lugar de Guarabira, o qual escravo tem os
signaes seguintes : cor pirda. alto, pes
grandes, com as costas picadas de relho, le-
vou calca de nsc lo e camis*. de algodao
grosso : qoem o pegar, Ive a ra larga do
Rosario n. 22, que seri -onerosamente re-
compensado.
Desappareceu do e o IVasceuc,! de
Una, termo de Mamangu i, provincia da
Parahiba do Norte, no da 18 de outubro do
crreme anoo, dous escravos do idieie 20
anuos, pouco mais ou menos; um cabra por
noroe Lourenco, mais condecido pelo appnl-
lido de Coringa, com os siguaes seguintes :
estatura regular, cabello carauinhado, cor
alaranjada, denles limado-, ni a os grussas,
pernas finas, ps torios, nariz K'Osso, uma
cicatriz em um petto. e outra em um brac/n,
enlende de sapateiro ; outro. crioulo, ful,
por nome Caelano, estatura regolar, secco,
40oic,r* com niarcas < , (1|l i na frente do lado '" cima : quero os pegar
1 100 e os 'cv,ir mencionado engenho, perten-
'centeaoSr Antonio Ribeiro Pessoa de La-
3."
400
600
1,300
1,700
2,100
3.
300
de uma casa.
9o
Compram-sa vinte acertes do novo hin-
co : a tratar na pra$a da I j.lepen lencia n. 3.
Compram-se 2 carros para boi, que es-
tejam em bom estado : na ra Direita n. 72.
Compra-ae um porlSo ja osado : na
ra Direita n. 82, pa jaria da viuva Machado.
Na praga da lioa-Vista, sobrado n. 8,
compram-se 200 palhas decoqueiro.
2jp i'>*.-: -;>
A ,000,. srjcea
Vendam-se saceos com faritih.i da mandioca fina
alva a 8 o saces na ra da Cadaia do Recite
loja n. 6i, a tralac com Iuaocoucio da C. Gotauna
Juuior.
Sellins ingleses
Dos melbores que se fazem na Inglaterra,
endem-se em osa de Augusto C. de Abreu,
ra da Cadeia do Recife n. 36.
Linha de eores0
Em novellos, venJe-seem casa de Augus-
to C de Ah cu,ra da Cadeia do Recife n. 36,
Vende-se um pianno de forma moder-
na e de excellente voz. do bem acreditado
fabricante Collars & Collard, por prego com- j
molo t no aterro da Boa-Vista n. 31.
Cocheira.
Vende-se a cocheira confroote a ordem
terceira de S. Francisco : a llratar na mesma.
Vende-se um bonito cabriolet de duas
rolas, forrado e pintado de novo, com todos
os arreios, e um bom cavalln ou sem elle :
a flgodao da B -
>v N?*0. 4*f
OUEIMADO
lll
1,400
ESTRADA DE FE&&U
DE
AVISO
Rogft-se aos senhores que tiverem concer-
tosdacaa eos na loja da viuva de Jos Ri-
beiro da Costa, na prc;a da In le'en lencia
ns. 93e25. osveobam buscar al 10 de de-
zembro prosiTo foluro oo contrario n3o compras de gneros
cerda, lera a k'ralilicacao de 400->O00.
Os curadoras fiscaes da fallencia de No-
vies & ('... competente e devilamenle aulo-
nsados pelo Kxn. Sr Dr. juis le lireito es-
cecial do commercio, scientificam a lodos
os sanhores deveiores massa fallida, por
dinbeiro, que devem
Na ra da Cadeia do Recife, loja n. 50,
esquina de fronte da ra da Madre de Dos,
na para vender pe?* a pega o bem conbeci-
do e acreditado algodao da Bohia, o mais
proprio para conducho deassucar dos eoge-
onos para esta cidade, e para roupa de es-
cravos, assim como um ouUo a Imitaco, e
mais baralo prego.
se responsabiliza mais peios mesTios.pois se lal,! o dia 7 de dezembro prximo viadouro
rSo vend ios para seu p ga,-.etilo.
ia
de
eit
e.
Pem^mbu
A dircccio convida o Srs. acclonis-
sio provincial dePernambiJCO,temaber- te$a lL,1|is;ircm 3 lem.u prestarao do
lo cm sua casa pateo do Collegio n 37. 25 por cento sobe o valor de sua! res-
segundo andar, uro curso de lingua ran- ,.ctivis acc,-jel> u|e 0 dia 4 de draembl0
ceza, especialmente dedcalo as pessoas rprox\m<^ |5ecile $ ac outub|.0 de 1858.
do comuierc.o e oulras. que desejando;_Manoe, j ,a(,u|,n Kamos e Silva,
coohecire (aliar esta lingua, a nao po-
dem com ludo estudar de dia. A inscre-
ver-se na reerida residencia, a qualquer
hora da tarde.
Offerecem-se duas amas seccas, de boa con-
ducta, sendo uma para engommsr e outra para
i-usinhar : quem precisar, dirija-se a ra das
Trinxeiras n. 23, casa terrea.
Offerece-se para feitor de ura lio um
homem portuguez com todas as hahilitacoes | encarrega-se igu
por ter muita pratica : quemo relender, I cominela para a
ainim riamos e Si
ltittil i.Offl' Z
O proorietario desie estabelicimento tem a
honra de p evenir* ao respeitavel publico,
que elle acaba de obter um exci-llente cosi-
nbeiro francez. 0| proprieurlose prope a
dar petisens de 9 dp novembro em diante a
loia e qual juer pessoa que se dignar honrf-
lo com a su pres^nga, (.clian lo das 8 horas
da mnh:1 as 8 da noite que poder oesejar,
jmente de qualquer en-
ri'iadi" e >!! qualquer es-
dirija-se a ra da Cadeia do Recife n.7, lo- pecie do massns; varios salOs sSo reserva-
ja, para tratar. dos para as pessoas que quizereni comer sos.
Na livraria n. 6 e 8 da praga da Inie- O bem conhacido dept si
pendencia, precisa-se fa II r o Sr l.uiz Jos !tassa da ruado At pollo n. 2
de Oliveira Diniz, e como se ignore onde
mora, pede-se queira annunciar, ou dirigir-
se a mesa a livraria.
Atencao.
Desej-se fallar cim o S'. eb?sti?o Anto-
nio, e rogase a quem delle souher de dar
noticias na ra Diteita n. 2, pois he negocio
de seu Interesse, o consta que tem familia
no pateo deS Pedro.
Manoel de Azeveio Pontes faz vera to-
dos os afilhados de baptismo do fallecido Joa-
qoim Ribei'O Pontes, qne se faz necessa'io
qoe cada um delles se mostr devilamenle
habilitados camas respectivas certiJOes.pa-
ra o flm de receberem em lempo o legado
deixado pelo mesmo tinado, e isso ateo iitn
do prximo mez de de/.emb o: na ra da
Cadeia do Recife n 54
Consulado de
Franca.
Sabbado 27 do coirentemfZ a uma hora
de tarde, no consola lo francez ra Trapichen 14, roceder-se-ha a adjudica-
C3o por carta lechada do lornecimenio dos
fundos iifcessarios ao costeio do b igua de
guerra francez L'Entrepunont por lodo o
tempo que elle s ilemo ar neste porto : as
cessoas que quizerrm concorrer para esta
arrematacSo polem desde ja tomar conne-
cimento das cargas e condicgfies da adjudi-
t-!C3o, cada proposta fecnada devera ser en-
tregue no dito consulado uma hora antes
da kdjii iicagSo.
D-sedinheiro a premio sobre penho-
res de ouro : a trttar no l'asseio, loja o. 5
ia.
O Couselho ireclor da com janma nacio-
nal de Tamandar e Una previne aos Srs
ac lontslas 'esta emp-eza que de confb'OII-
dade com os estatuios matcou o prazo de
30 'jas contados do t- do novembro do cor-
rete uno para ontrada da I-1 prest.ago de
i o 0| Jd importancia das suas assicnaturas.
Os ttulos proviso-ios dos quaes constar a
entrada da prestagSo serSo entregues nesta
0'(' no escriptono do thnsoureiro proviso-
rio Antonio Valenta da Silva Barroca, em
Tamainjire na do eogeribeiro lleurique Au-
gustolilet.
Recife 22 deoulubro de 1858
Os directores.
Precisa-se alugar uma preta para ven-
der f'/eu u.s pelas ras cora outra pessoa : a
tratar na ra dos Marlyrios n. 36.
Aluga-se uma casa moderna ree-
dificada, catada e pintada de novo, com
quintal c cacimba, bons cominudos, por-
to de desembarque no fundo, muito
lese,i por ler do lado da sombra e nao
ter cusas delronte, sil? na ra Real pr-
xima :;o Mangiii.ilio ii. ~>l : a trata i na
mesma ra sabrado n. 6.
Roga-seao ^r. Jos Ignacio do Monte,
ourives, morador no aterro da Boa-Vista <'e
virou man lar entregar at o hm do cor-
rente mez, na ra do Pilar n. 37, o trnce-
linideouroe par de argoias que recebeo
para concertara mtis de 6 mezes.
.jiMij); f>es (l para Iluminarlo e brlbantismo de qual-
quer fetividade religiosa ou profana : na
rua Direita n. 47.
o de cal e po-
i!, muioii->e\mmmwz^M-$m"
Prccisa-se de uma ama que tenha bom e
bstanle letle, forra ou captiva ; paga se
bem : na rua pa V.adeia do Recfe, em frente
ao becen da Cacimba, loja n. 46.
Quem precisar de titn h:>m tano^iro
para trabalhar cm algum eng"tiho, dir>ja-
sa a roa Direita n. 08. que se dir quem he
esta pessoa.
Da se 1:500*1 premio sobre hvpolhe-
ca em -relio: na rua eslreita do "Rosario
a 29. S8 dir quem d.
O abaixo assigoado recebendo pelse
seja
entrar com as quantum que estiverera a de-
ver, as quaes Ibes sero exigidas pelos Sis.
Carneiro \ Ramos, actuaes depositarios da
mesma massa : eertos de que tindoesse in-
terregno, seraoesses dbitos cobrados judi-
cial.- ente.
i'recisa-se alugar um preto que
possante ; no pateo do Tergo n 21.
No dia 25 do crrenla desde as 5 at,
as 6 horas da tar le, do aterro dos abogados i
al o pnrtSo do <;iqui desspparecau um ca '
Vallo quariao com os stgnaes seguintes : cor |
Castanho, com os dous pes calcados de bran-
co, ten lo as clinas e cau la azjla las ; lem |
^asso bat io curto, e ha muito ardigo : ro-
ga-se a qualquer pessoa que o tiveracnado, |
decebidas etn direitura
de Pars.
Ricos vsstilos de seda de cor com
babados *
Ditos ditos de dita de cor com ba-
bados brancos o
Lindos cortes de vestidos bordados
ao lado
G'osdenaples lisos de todas as co-
res, corado
Dito de cor de quadriohos, covado
Dito pr-to liso, covado 1/600 a
- SeJas de qaadros largos mui lin-
das, covado
Mauritania de serta com 5 palmos de
largura, covado
Belleza daChiaa de sela, covado
lollar de Paris de seda, cavado
Chaly <>> flores de lindos padrss,
covado
Settm da Escocia e diana de seda,
covado
Popelina do seda de listas, covado
Iiuqueza de seda de liados gostos,
covado
Prondelina de seda, covado
Chitas francezas claras e escuras,
covado 280 a
Rarege de seda de qoadros. covado
Meio velludo de cores e preto, co-
vado
Velbutina decores e preta covado
A'landys de novos desenhos, vara
'-assas francezas finas, vara 320 a
Chales de merino estampados de
4/500 a
Tutos de dito franja de sola
Ditos de dito franja de laa
Ditos de dilo burlados
Ditos de dito bordado a velludo
Di los de seda de cor, pretos e roxos
Enfeites para cabega de froco e llo-
res
Luves de seda para sennons e me-
nina
r.olmhas, eotromeios e tiras borda-
das
na cochei-
ifies.no se-
d is curraesda illi de Itamaraca at Taba-11*'*-!** Correia ti IrmSoa na rua do Livra-
unga, fz sciente a todas as pessoas que o munto n. 20, que ser recompensado,
queiram comprar, que poden procurar por' Preparain-se bandejas com bolliohos
tola esta seman, de manhaa as 6 toras, e I de todas as qualidades escolhi at
em
agulhas e agulhao de tarde das 2 horas
as 4, que he quanio as redes chegam :
rora de Portas, casa n. 95
OSr. A P. s <:. queira mandar pagar o
resto do relogio que comprou, e se o n3o
fizer da data desto na 3 dias, vera seu nome
por extenso nesta folha.
Precisa-se de
tiva
ges de castellos, pyran les e oitav idas cora
o centro eleva to, para servirem nos bailes,
casamentas, festas ns igrejas, formaturas
de b chareis, e mais qualquer outro di-
verti-ento que nouver fora ou dentro da
cidade, por precoa os mis razoaveis que se
encontrara, a visla das .superiores qualida-
uttia ama forra ou cap- 'es que muito se deseja ueste geuero ; as-
pa a lodo oservico de uma casa te fa- sim como tambem rrjarara-se vestidos
mlia : na rua larga do Rosario, sobrado Psr* senhoras do diverso gostos modernos
n. 28, segundo anjar. para todos os divortimeutos de soares, pas-
At.^nfcLO seiosele cora agradavel perfeigao no gos-
'V toeobru. ^s pessoas que quizerem qual-
\a rua da Cadeia de Santo Antonio nalquer dos ohjecios cima offerecidos, diri-
casa pertencente aoSr. (Jomes Ferreira. ar-I jam-se a rua da Penha n. 25, primeiro ao-
mazero n. 11 C, veo1em-se urnas 30 a 40 pi- lar, para tratar-se.
pascom vinbo ds superior qualilade che-j Aluga-a uma casa para passar a fasta em
gado ltimamente de Franca tanto em pi- I Santa Anua re rimlro, cam bi.trille commodi pa-
4 500 rs.
o par.
Luvas brancas de algodSo para os senho-
res guaras uacionaes que tem de marchar
no dia 2 de dazembro; na roa do Collegio,
loja n. 9.
Vende-se ura bom cavallo que anda de! Paletots do alpaca pretos e de co-
baixoa rjeio o melhor possivel :
radoSr. Motta aiusta-secom o
nhor, ou na rua de Borlas r>. 14.
-- Vende-se uma escrava de i.lade de 30
annos, perita cozinheira e engommadeira :
a tratar na rua Nova n. <9.
Charutos.
Na lja do Bourgard, rua da Cadeia do Re-
cite n. 5, encontra-s sempre o mais esco-
Ihido e variado sortimento de superiores
charutos da Bahia, por muito menos prego
do que em outra qualquer parte, aangan-
do-se a qualldade
Fumo francez
Caporal, maryland e da Blgica, e morla-
Ihas tara cigarros : na rua da Cadeia do Be-
cife n. 15, loja do Bourgard.
Cigarros bo-
3
13800
11700
2^800
2^800
ltOO
13500
13400
13200
13000
l-rOoo
000
800
640
560
360
600
13400
720
1CJ00
800
63000
63000
4>8Ui>
8*000

9
3
9
9
res, forrados
Ditos de italiana de seda decore
pretos
Ditos da alpaca preta com gol la de
velludo
1 Ditos de brim branco e de cor finas
Ditos de alpaca de cor com golla do
velludo
Ditos de alpaca prela fina
Passando o becco da Congregado, do lado
direitoem seguimento para o Livramento a
q.arta loja de tres portas com rtulos bran-
cos
73000
93CO0
8800O
630uo
500O
3C800
para a mi-sma rua arni/em n. 16, junio ao & Convidam-se aos llltns. Sis. es-
quinto anuo da Fa-
culdaile de Dircito do Hecile a vi-
rem comprar litas para suas
cartas de hachareis : na rua Nova
n. >, aira/, da matriz loja de \a-

thealro ; os fregones encontrarao ahi eem-IKj t.idantesdo
.re a boa cl de Liiboa eai pedra, assim co- I Jg
mo a vcr'adeira piitassa da Russia e do Rio $
de Janeiro, sendo o prego desla a 240 res < j
libra. i kj
Precisa-se a ura ama de leite, dan-! j^
do-se prt-ferenci- a'captiva : na rua das ('.ru- i >% boco&C.
izesn II, segundo!"andar. ICS^t2SS^?JK-2!K?-fc;:
tt:.''C:C-X%GQGOQOG"Z; ": Nn rundido d-mn.ra rm sanio A maro
Manoel Ene tino rio Kego va', oiga, ^ i precisa-se de ofliciaes peritos ce csrpina.
douior em meqicioa,
co dests ri ladt)
Cruz n. 49 on
do .arao.xereiciode sua prolisso. G'?.>$ Paulo Galenooxdentlata, ru. da Laran- 06
C alis aos pobres. c.lra, n.i:., na mesn.acasa tero agoa e poa
G
G
G
i
GABIIETE PORTG'Z
SEGE C0NTK4 0 FOGO.
COMPANHIA
8^.
stabeie -. [da et Lo
U
e
ico ra iioiv
ara
A veleira e bem conhecila sumaca na-
cional Horleocia, preten le sguircom mui-
la brevidade, lem a seu bordo dous tergos
de seu carregametilo, para o resto que ihe
llt. trata-se cora o seu coosiguatario An-
tonio Luiz de Oliveira A.evejo rua da Cruz
"rLHIHHS PIBA 1859
Acham-se a venda na livraria n 6 e S da
praga da Independencia, as folninh.i< io an-
no de 189, para as provincias de Pernam-
bnco, Citara, Kio Crande do .Norte,Parahiba e
Alagoas, das seguintes auMidades :
Folhinba do propiieiario agrenla
conteudo alem das materias do cos-
turne, as leis e regulamentos das tr-
ras publicas, notadas com todos os
avisos e ordena que as tem espllcado
e ampliado at o mez de sete : bro ul-
timo, celo Sr. Br. Amonio Vascon-
celos M nezes de Drummond Estas
folhiuies s3o essenciblmente necessa-
rias a todas as pessoasque possuem ele '
um palmo deterra para mais, pois om
ella estSo habilitados para u3o cam-
rem em multas e nao serem Iludidos:
prego rs................. 500
Folhinha religiosa, a qual alm
das materias do eos turne, cor.tetn
oBicios, exercicio >ra galibar o juby-
li-o, modo de visitar as inifgcns do
Senhor, je Nossa Senhora, c qu-lquiT
santo ou santa, e oraglo de S. Bene-
dicto e a se i ana meditativa, e diffe-
novenas. prego rs.......... 320
Folhinha de porta rs........ 160
Folhinha ecclesistia ou de resa fei-
ta pelo Kvm i. Sr. conego penitencia-
do da S de Olinda, segundo a rubri-
ca eordens da Saula S rs........ 400
DE
Bogo aos sniores subscriptores do Gabi-
nete Poriuguez de; l.eitura para d-irom rum-
prtmen'o do #2.'ido art. 14 dos estatutos
que dte-min-' seja prevenida a directora
com antecelencia'de 30 dlis qu*nd > quei-
ra m desligar-so do Gabinete, r^ecietna da
directora em "J3 de novembro do 1858. (I
1.' secretario, JoSo Ouirino de Aguilar.
P.-
Uma riquissima camisa de camhraia (?e
liuho toila aberla do l-.by-iruho propria
i-ara noiva, obra interessant.e no gosto e
perfeigao: na roa ido ^ueimalo n. 46 loja
de a. Bezerra de M. Lyra.
Na mi do Bangel n. 48 ven ie so su-
pr>rior vinho a 400 rs. a garrt fa, presunto a
560 a lib s.quejo a 1,8(0, cna muito lino
a 2.560 a libra, arroza ISO a libra, fa inba
a 8,80 a sacca de 24 ciias e oulras muits
coosas por barato .reg sendo a dinbeiro a
vista.
Timm Mo-s'ln & Vinassa, administra-
dores noxea ios a massa filuda de Domin-
g-iS Jo'.ia Costa, adve ten a todos os so- ,
nbores credoies da inlicala massa, que de-1 liStil Ol It'CKl' na Cltltill (IO
vero, no prazo de 8 dias, ap esenlaretn-lhes ; ij
os seus ttulos dele edito, tim de polo etn OFIO,
procoler a classilicagao na forma do art. 859 ; A agencia desta comaanhia, no scri to-
do coligo do commercio. rio de Thomaz do Aquino l'onseca & l'ilho,
Perdeu-se uma pulseira de ouro do na rua do Vigario n. 19, eftectua qualquer
feitiodo aljoyare* ou coalas, plas 8 horas seguro martimo por premios os mais favo-
da noite d"2 dolcorrale, desle o e liiicio I javeis.
pas como em moias, quanos. quintos e de
cimos por prego muito commodo para fe-
char cuntas, tambem se venie a retalbo em
caada sendo tinto a 3.000 e o b anco a
3,100 e quem quizer ver a boa pinga mande
vir uma garrafa i>or 480 e oitnde o casco.
Na rua do Pillar n. til, t-oca-se di-
nheiro de cobre a 6 por cento, todos os
das.
Aluga-se o primeiro andar n 9 na rua
Direita, com fundos para a rua da Penha.
Vfn1em-se saceos muito grandes com
faiinha de mandioca, vlnda de Gnianoa, por
prego cimmo lo: na rua do A mor o n. 48.
Arreuda-se urna rasa granda e outra peque-
a, rom bons rommodos, para pastar a feeta es-
tribara e capitn |iara cavallo, sitas etn Beberibe
unto a pon'e : a Iralar no mesnio silio, adierlu-sc
que landii'in anenda-e separadas.
Piecisa se de urna ama secea para casa
de pouc familia, que saiaa cozuihar : na
rua imperial n. 153,
-- Precisa se de um menino de 14 a
minos par, urna taberna: a trttar no aterro
da los-Vista n 38.
Precisa-se alugar 'im negro, que seja ro-
busto e trababa desenibaracadameow : na rua Di-
reda n. 72.
r^ runda o lugar lie u maH audav! e bauho pello
l,i eaaa : a Iratav na roa emla do Rotarlo n. 29.
-- Aluga-se uma casa terrea propria para
grande familia, na rua du Brum, passanlo o
coafartza segunda casa a esquerda : a tratar
na rua dos Guaratapes n. 20.
Olferece-se uma pessoa habilitada para
caixeiro de escripia : quem precisar 'annun-
cie para ser procurado.
Aviso.
Estrada de ferro de Ta
mandar.
Ficoa transferido para o mz de dezem-
bro o passeio no vapor C.aniaragibe annun-
ciado nos uumeros 26i, 265 e 266 deste
161 DI arlo.
Aos Sps. cn-
sules .
NA
casi de banlios
baver todos os dias, das C s 9 horas dJ noite,
CAPITAL
CINCO MILIJO'ES E LIBRAS ES-
TERLINAS.
Saundors, Broihers i C. tem a honra de
informar os senhores negociantes, propie-
tarios de casas, p s quem mal co vi-r, que
fsto plenamente sotorisados ^cla dita com-
nanliia pars eftectuar seguros sobre edifi-
cios de ti jlo e pedra, cobertos detel!:a, e
igualmente sobre os objectos qne contive-
rem os mesmos edificios, quer consista em
lia, oo em fazendas de qualquer qua-
ta-fogo.
De papel branco : na loja do Bourgard,
rna da Cadeia do Recife n. 15.
-- Vende-se sunerjor vinho de Abein a
25560 a caoada, e 400 rs. a garrafa : na rua
Nov n 55..
MetVs de bor-
racha
Ainda existe um resto destas encllenles
meias para erisipella : na rua da Cadeia do
Becife n. 15, l.ija.
Forte piano.
Hechegado pelo ultimo navio do Havre
um excellente e forte piano, con tres cor-
das, fabric-lo por Mr. Debain, um dos me-
lbores fabricantes de Paris; vende-se pnr
prego mdico : tratar na rua da Cadeia do
liecif*, armazem n 30.
CASAYEOES DE FSTAO
A lOijiiOO cada um : na rua da Cadeia do
Becife n. 48, loja de Leite & irmilo.
O Sra. conaules mi s.ieili de fonsulad qni-
rain mandar alinanak, a' eala Ijpoaraphia.
No da 26, as II horas, na sala das au-
diencias, lera lugar a arrematago do pardo
Jos, pertencente a heranga do finado Joa-; da tahi-rna do becco da
qiiim dos Santos Leal, comoahaiimeuto da a gairefa
Acba-se venda na rua da Cadeia do Ite-
cil'n ii. 15, loja do Bourgard, o Jiimeiroanno
do lbum do Gremio Cinerario Portuguez,
no Kio de Janeiro, conteni os retratos dos
Srs. Alexanire Hercotano e Almeiia Garrett
em um volme de 269 paginas por 33 00.
No dia 2t> vende-se leite puro sem mis-
tura alguma : na rua da Cruz, na esquina
Lingoeta, a 320 rs.
Loja n. 57
Na rua do Queimado de
quatio portas empana-
nada encamada.
Becebeu pelo ultimo vapor vino do Ha-
vre, ricos corles de vestidos de phantasia
dos melhores gostos que tem viudo ao mer-
ca .o, prego de 18, 28,*e 30 cada um, ca-
veques de fusto e de cambraia ricamente
entena 'os a 189 e 20 cada um.saias borda-
das a 49 e a 6 cada urca, goliu.las de pon-
to irlao lez a 500 rs. cada uma. ditas france-
z*sa80n, 1 e 1.200 cada uma, ditas de
pontosuoenira 4, 58 e a f-, cada uma,
raangi,itos com pu ,hos borlados a 1,800 e
a 2,-200 o ^ar, un dito de manquitos e goli-
nha ricamente bordados a 45. 5/, 69 89,109 e
a lajeada um, grande sortimento de tiras
borJads franceza e ingleza o entre meios
e jregos baratos, eneites para senhora de
Pocos avelu lados de sutenor qualldade t
89ca.ia uj,,grosdenaule decores cora al-
gumas pintas de mofo a 1,600 o covado, dito
perfeito muno superior a '9 o covado, dito
pi oto de todos os pregos a saber de 1.500 at
3a o covado, casses francezas a 400, 500,
6u e70iis. a var, chaly matisado a 900
e a 19 o covado, rico sortimento de chapeos
do soi de seda para senhora, dit's para ho-
mem, chapeos enfeitacos para senhora,
grande soriimeotode paletots de panno.di-
t.is de c-semira e de brim, cortes de vesti-
dos de se la com algumas pintas de mofo,
cortes de ditos de baregeque ludo se veo le-
ra a vootade do feomp*ador, assim el!e te-
ma de comprar que n3o sane sem fazenda.
F-iano
sorvele para as pessoasque visitanni o eslabeleci- quinta pirle ",o valor por que fo> a praca no
SElROS E0UDADE.
que se est fazenln para o Gymnsio em se-
guimento da rua Ida Aurora, ponte, ruado
Sol al a roa Bella ; quem a tiver acha o,
po lera leva-U a casa t.rrea junto ao s.ihra-
do de 5 varandus, visinho ao mesmo edificio
do Gymnasio, qiin sora gratifica lo
-- Fugio a 10 di) crreme o esc avo criou-
lo, Roque, com idjade de 20 a 23 anuos, has-
taute fula, com mp dente tirado na frente,
estatura regular, |com principio de barba,
nenias ap-lhetadas, levando camisa e caiga
br< nca e chaceo preto baixo : quem o ap-
prehender, dl prensa n 14, ourua Augusla n. 24, a en-
o cale
'os arcos precisa-se de um caixelro para
bilhar, e que este tenha boa coalucla.
Aviso
aos Sis* logist se parti-
culares.
Na rua da Cadeia do Becife n. 11 2.'ailar
aprontam-se vestidos para noivas, ditos para bailes
o, e-i azenda Urob, e Psssei03> dil Para une*8 se baptisar, chapeos
mente recoraoensado. jde todas as qualidades, para meninas e senhoras,
25 do corrente um preto Itneitas para cabega, casaveque, obras do bordados
nagSo Costa, porm nao e ludo n mais que for proprios para senhoras, as-
tuostra lalho, allijra regolar, grosso do cor- !sim como llores de panno, froco e vuludo.
oo, temas uadegas empinadas, pcsaplne- Precisa-sede uma ama para
lados anda da .-io*-vista alo Apipucosj le-; firra.oii c-|.liva |.-ara casa de pouca familia .
vou chapeo de castor btanec. e tambera uma : paga-si bem, na rua da Cruz, n. 94, botica,
carapuca encarnada: quem o pegar leve a -- Precisa- se de un peqi.euo pa-a c.ixei-
ruado Amorim n.j 25, que ser recompon-ro de taberna, o qual tenha frailea da Uies-
sado. i ma : a tratar na rua Velha n. 67.
Carlos de Souza Lobo, e
o coronel
leader-se com Jos
na freguezia do Bim-Jar 'mi com
JoSo Pereira Fros
que ser enerosa
Fugio n<> da
por nome Jaco, d<
memo.
Dezeja mudar do arrurnagao, para qual-
quer casa de molfiados, um rapaz, que se acha ar-
rumada, sabe oceupar seu lugar, e d canheci-
menlo de sua conducta, quem de seu preslimo se
quizar ulilisar, aanuneie por esta lollia, sendo la-
berna, prefcie-se para osarrabaldes Ja cidade, 1 a
8 leguas.
SocieJade das cirnes verles en liqui-
. dago
T.jndo-se feito em outubro linio o tercei-
ro rateiu dos fon os da conipnina existen
les em cixa, e fallando somonte recebercji
os oilo sej,'jnites"Srs Manoel J iaquiin Bap-
ttsta, Jos Francisco Souli Lima, Manoel
J is Sooz> Lina, e por estarem f a da ci ta-
le os Srs Ignacio Ferrdira Guim'rSes, An-
tonio da Costa Alecriai, Virginio II iracio de
Freilas e Thom Lo.es de Sen,, s,io onvi-
dados a esse rfcebimijnto, na mo Jo actual
caixa ; bem como o socios.-. Belarmino Al-
ves de i\roucha he convi lado a vi.* ajusiar a
sua cont-, do que he devedor a liquiJagao
da mesma socie.Ia.ie.
Compaiiliia das caroes verdes em
llquidaeSo.
Silo convidados os 60 socios da mesma
socieJa le para reuniSo em assambla geral
p.o lia s-'Xta-feira, 3 de dazembro prximo,
"fira de ab tomarem as me li las ntcessarias
sobre a final Itqui tagiio Jo pOUC ) restante ;
i para a p>estagfiO de cont s dos liqui lantes
la mesma sociedade: na rua da Cideia de
Santo Antonio n. 13, pcl sil lloras da ma-
uhaa
Oahaixo assignado chama a attengSo
da polica do termo da Victoria, pira que
entre na inlagtgo das notas falsas da 90jj
lo thcsnuro, bancas, 5a e 2a, prata de 29 e
19, e moe la de ouro de I0s e 209 que se es-
to inlrodizn to na circulagSo do commer-
cio, as quaes apparccem ja bastantes nos
dias sabbados ; e como talvez to las as auto-
ridafes n3o tenham sciencia leste facto fago
o prsenle. -Manoel Jos Poteira Borges.
-- O abaixo assignado avisa que pessoa
alguma contrate com Manoel Gomes da Sil-
va, morador o-, cidade deGoianna, uma let
tra da quanlia de 610} por elle aceita, a fa-
vor dest, a vencer-se no ultimo de dezem-
! bro do corrente ann-.i, por isso que n3o ser
cosinhar, piga por se achar lettgiosa.
I! mto Jos das .Ncves Wanlerley.
- Aluga-se uma preta moga e saJia que
sabe cosinhar o diario de una c-s<. ensa-
lma e lava de varrela : quem a pretender di-
nja-se alojada rua do Collegio n. 3.
da 23. depois de Anda a audiencia do Sr.
I)r. juiz de ausentes.
Ir.mnJade de Nossa Seniora d Conceigo
dos Militares.
De orJem da m".a rege lora e na eonfor-
imitadedoart 18 dos estatutos, sSo pilo
Ipresenle convidados todos os membros da
mes na irman lado, pira com jareceretn no
consistorio da respectiva isreja, no ;ia do-
mingo 28 do correte mez de novembro,
pelas 9 horas da m .nh5a, e em mesa geral
ellegerem o presidente da mosa qu ha de
reger a irmandade no futuro anno de 1859
A mesa actual esi'S'a que tolos os irmnos
se prest-'m ao cumpiiuiento desse dever.
Mauoel Joso Victoriano de Borba.
Secretario.
Aos religiosos.
Faz-se capa, balina, chamarra e capa via-
toria : na rua de Apollo n 29.
Precisa-se -le um ciixeiro, na rua larga
do Rosario n. 20. loja de cagalo: e tam-
bera se da sociedade : quera pretender, di-
rija-se a mesma
Vende-se realejos de virios tamanbos,
tanto harmnicos, como de cannos, com ex-
cellentes pegas condecidas no paz : na fa-
brica de orgos, aterro da Boa Vista n. 31
Ven le.n-st duas mora tas de cas s ter-
reas as ras do Brum e Ciiararap s, nlre
jando-so livre de qualquer trahalho ao com-
prador : a tratar na rua dos Guararapes n. 20
Na casa de Kthm, Jaquinot < ia Cruz do Re<*ife n. 18, vendem-se supe-
riores relogios soissos de ouro, prata dou*
rada e orsla branca, patentes e horizontaes-
Vende-se umi casa terrea pequea por
traz da roa da Gloria, em chaos proprios : a
tratar no deposito da rna da Santa Cruz
n. 60.
-- Vende-se uma loja de fazendas com
muito poucos fuii los, para qualquer princi-
piante, na rui Direila n. 85: a tratar na
mesma loja.
-- Ven ie se um bote de bom tamanho,
projrio para o trafico do mirto ; a tratar na
rua da S-Mizala Velha, taberna n 50.
Vende-se no deposito da rua Direita,
quina do becco do Serigado n. 93, arroz de
Precisa-se do n-a ama de letle em li- | pre.ja a 80 rs. a libra, tanto em porcSo como
Iho; na ,caca da lndepen lencia n. 36 e 38.
Precisa-se|de um amassador que enten la perfeilamenla do trafico de
padaria, assim como de um rapaz para en-
tregar pilo a uma freguezia na rua com um
preto : aquello que esliver as circunstan-
cias pode 1irigir-se a rua dos Quarleis pa-
daria n. 18. que achara com quem tratar.
Precisa-se alugar uma preta escrava
que sniha iralar de meninos, e do servido
Interna de uma casa : quem a tiver entenda-
se com Caelano Pinto de Veras, na altan ie-
ga oesta cidade, ou no sobrado da rua de S.
Francisco n. 8, como quera vai para a rua
Bella das 6 a 7 horas da mantia, e das 4 a 6
da tarde.
GSGGGi. )-&m
^ O ahaixo assigiudo participi aos a
a* pais de seus alumnos quo ja se aeda gr?.
^ restabelecido de sua molestia, e **
^ linuar as funcgOes de seu magisterio @
f^ Francisco Deodat.o Lins. 3*
:GGGG
Precisa-se de 300.-> a juros de 2 por
cento ao mez, daudo-se por garanta uma
casa fo a lesta cidade. quo val;- tois do du-
plo, e paga-se o juro adiantado
Precisa-se de um mogo de 18 a 20 annos
que saiba ler e escrever, dos chegaios ha
pouco de Portugal, para scguulo caixeiroda
padaria do palto da Santa Cruz n. 55.
a retalho, assim oo :o manteiga ingleza a
19 a libra.
Alenda > ila Baliia.
Proprio para roupa de escrtvos e ssecos
de assuear : vende-ss no escriptorio de A
L. deliveira Azeveio rua da Cruz n. 1.
> i erior Jacaranda
Tem para ven ier Antonio Luiz de Olivei-
ra Azeve lo oo seu armazem da rua do Viga-
rio o. 22, para tratar no seu escriptorio rua
ia Cruz o. 1.
Vendem-se duas escravas mogas, uma
perita costureira, engommadeira, cozinhei-
ra, docelra, e faz to lo o servigo de uma cas?;
bem como outra que co'inha, lava, e tam-
bem faz o servigo interno e extern de uma
i casa, e tem uTia cria de idade do 20 mezes :
I na rua do Sebo n. 3.
-- Vendem-se uns penences de uma fa-
i brica montada na melhor orden para sapa-
1 tos de tolas asqualilades para senhora,
as Cinco Pontas u. 140 : a tratar ba rua do
Livramento n. 5
'trastes para vende'.
.Na camena do Carmo, em casa do Jos Bi-
: car o, cabello eiro, casa de duas portas,
veudem-* os seguiutes trastes: 1 mesado
sala, I sof, 4 caderas, I cama franceza, I
car de cousolos, 1 pa- de laiuernts, 1 espe-
Iho, etc.. todos no melhor estado : a ttatar
com a mesma aquilina.
mechanica.
Pelo ultimo navio do Havre chegou um
piano mechanico de no7a inveaco, com a
qual Mr. Debaio, seu au'or, recebeu o pre-
mio maisronroso na ultima exposigSo da
Kuropa ; este piano torna-se muito recom-
' men-lavel pela sua excellente qualidade, e
por poder ser toca 'o nSo s relo antigo sis-
terna pelos professiouaes, como por inter-
medio 4h mechanica o ser pelas pessoas que
gnorem os mais simples principios musi-
caes ; ven te-se por prego mdico a tratar
na rua da Cadeii do Kecifo, armazem n 80.
ROA )0 QL'F.IMiOO .\ 37.
Loja r*o qut'o ponas, empnala encarnada.
Venle-se organd' escuro a 800 rs. a vara,
dito a 900 rs ola.iaioas de qua iros de su-
perior qualiiade a 500 rs. o covado, cam-
braia e aeda de cor transpa.onte a 640 o co-
va !o. musselinss escuras, muito boa faa.'ii-
ia a 320 o covado, sedas de qusdrinhos a
1MC0 1910,1 o covado, grvalas de sola a
600, 800 e I; oda uma, chajeos francezes
de si erior qualilaie de 7 a 9* eda nm,
ditos a Pio muito linos a Os. um completo
sonimeiito de chales le merino bordados e
lisos, eetaoM a ios. para todos ns rregos, rico
sonimento de chitas linas escuras rara 200
rs o covado c a 2W, ditas francezas para
210, 280 e 323 o covado, um completo sor-
timento de panno fioo preto que se promeite
V< n ler mais em cotila que em outra qual-
quer parte ; s se deseja que os frepuezes
n -rarecam ; chapeos de feliro muito linos a
o e a 59500 cada um
Vioho.
Vnie-se vinho suoerior rolo baratissimo
prego de 400 res a garrafa ; a elle antes que
se acabe : ns Ciuco Puntas, taberna n. 152,
iltfronte aestrala da fe^ro.
Venle-se ura cabriolet de duas rodas,
cotn arteios trovos, e um ptimo cavallo ru-
go, muito uanso : os preten lentes dirljam-
se a rua da Cadea do Becife, loja n. 6.
Vendem-se (jorcos muito go-dos e por
piego commodo : a bordo do patacho Erau-
lago.
Vende-se superior vinho de Bordeaux
engarrafado : em casa de Kthm, Jaquinoltv
C, rua da Cruz do Becife n 18.
5
Farioh
e feij
a
milho
o.
\ ndcm-5B 4fpo com feriaba de mandioca su-
perior qnali.iade, sacecu com laijo mnlatinho. dlln
com mdlio, Roana le Lthoa, baa eafaira da dita, queijoa da eaalka,
'ourmlios ds cbra, rap iiimi.hu |.,.|o prafa que
'e viMhle no .icpusilo garal ; ludo fe venda pjr me-
nos de que am ouiia quulqaar parte : lia rua e-
Ireili .lu ltnarii> hiiikimii n. I
Ven Je-se vinho a 2J00 t caoada, e a
32J a garrafa, assim coa.o mais gneros por
prnco commodo : no aterro da Boa-Vista n.
88, delronte da matriz.
>
I
TP


DIARIO DE PKKNAMBUCO SEXTA FF.1RA 20 DL NOVEMBKO DE 1858.
FABRICA <.e FELTROS............FLORENTIN A
Numero 14, Especialidade de CHAPEOS detodasasquadadesN.f 4L
MACHINAS DE COSER. GARANTIDAS
Chapeleiro, selleiro, eostureira, sa pleito, alfaiate, etc.
agencia
lia fiiiidic&u Low-M w,
rua da Senzala Nova
n. 42.
Malte estabeleclmentoconllnB'aahavtr
um completo sortimento demoenuase
moias moondas paraongenho, machinasde
vapore taixas de ferro batido coado d*
1 iosostffrnanhosDara dito.
51 RtV DO OimiUiO. 37
Loja de quatro portas da
empanad encarnada.
Recebea-se pelo ultimo va^or vinilo do
Havre, ticos cortes de vestidos da phantasia
dos melbores gostos que tem vindo ao mer-
cado para 20o, 30o e 35^000, casaveques bran-
cos todos bordaJos, muito hoa fvzenda de
fustSo, e de cambraia de 203 a 259 cada um,
saias bordaoas a 4 e 69 cada una, golinhas
de cont irbndez a 500 res, ditas francezas
a 800 res, 19 e 19200, dilas inglezas de tras-
passo, superior fazeuda a 49, 59 e 69. man-
guitos de punbus bordados a 29, ditos com
golinhas bordadas a 59, 69, 83 e 12j> muito
boas fazendas, tiras bordadas de todas as
larguras, inglezas e fiancezas. Entre meios
de grosdenaple preto e de cores, sortlmento
de fazendas unas e por prego com modo.
Aviso aos senhores de engenno.
Cal nova de Lishoa, em barricas e en an-
coras, muito propria para couducgSo de
agurdente oumel: na ra da Cadea, de-
fronte da Rclacao n. 28.
Cheguein ao ba-
rato na loja da boa f.
Mada.iolSo para forro a 29*00 a pega, di-
to entrelio a 3a200 a peca, dito fino a 4o,
di te. tino e largo a 43*00, 49600 e 49800, e
muito fino a 59, panno fino preto a 29, 3,
49, e muito superior a 5 o covado, dito azul
a 2.500 e muito Gnoa 59 o covado, casimira
preta muito fioa a 2,500 o covado, ditas es-
curas com duas larguras muito \ roprias pa-
ra palatots, caigas e colletes a 2,400 o cova-
do, cortes de dita fina a 5c e multo superio-
res a 63, cortes de colletes de gorgurao ore-
! V seda com palmichas osalpicosa 39500,
ditos de velludo de padres muito bonitos a
7~. gorguro de linho e sda com quadri-
nhos pretos fazen la muito forte e de muito
gosto propria para paletols, calcas e colle-
tes a 19 o covado, briin branco de linno,
trancado muito fino a 1,280 a vara, dito
nardo trancado de linho a 800 rs. a vara, di-
to pardo de quadros f'zenJa de inuia d'ira-
g.lo a 600 rs a v ra, ganga amarella frtnce-
za muito lina a 320 rs. o covado, meias de
algo Jio crua a 1,800, 29, 2,400, 39 43, e in-
glezas muito superiores > 53 a duzia, grava-
tas de seda e de setim pre.tas e de cores de
muitas dualidades de 1? a 23, lencos pretos
de setim muito superiores a 3,500, ditos de
grosdenaples pretos muito linos a 2,500,
chapeos de fellro muito finos a 69, leques
muitosn. inores a 4,500, luvas de seda com
borlotas, ..'ra sinhora a 1 280 o par, ditas
borladas a 1,800, ditas enfeiladas com guar-
nieres de bico de blonde a 23, ditas pretas de
or-1 muito superiores a 19, ditas de fo da
Escossia brancas proprias para os Srs. ofli-
ciaes militares a 800 r o par, camisas de
riscadinho muito bem feitasa 1,500, esguiSo
de puro linho muito lino a 16$ a pega com
12 jardas, dito de algodSo muito lino a 3,200
a pega tamben com 12 jardas, bengalas de
junco e de cana mnito fk.as com lindos cas-
i'V.-s a 19, 2f, 2,500, 5- e muito supe-iores a
"2, chapeos do sol de seda pequeos pro-
priospara menioas a 2,500, ditos grandes
de panno com cabo de canna muito forte a
2,800. corles de cassa pintada muito fina
com 7 varas a 29200, brim liso muito tino a
ti; e a 109 a pega com 20 veras e alem disto
um completo sortlmento de fazendas linas
egrossasque se vender por pregos muito
razoaveis na loja da boa fe na ra do Quei-
mado n. 99
TACHASPARA ENGENHO
Da fundiqao de ferro de- W. Bowman
na ra do Bium, passando o chafa-
riz, continua a haver um completosorti-
mento de taclias deferro fundido e bati-
do, de5 a 8 palmos de bica, as quaesse
echa m a venda por preco commodoecom
promptidao,embarcam-se ou carregam-
se em carro em despezas aocomprador
perfumaras inglezas.
endem-se sabonetas inglezes muito finos e gran-
des a 19200 a duzia, boies de porcelana com
banha de urgoeoulras qualidades muitissimo finas
a 640 res, sgoa de Colonia a 15 o frasco, dita
de Lavander a 800 res, vinagre aromtico pro-
prio para dores de cabega a 800 res, diversas qua-
lidades de extractos muitissimo bons e baratos, sa-
bo de ceme de amendoas com caixa a 13200,
opiata em caixos grandes de porcelana a 800 re-
s, e outras muitissimas qualidades de perfumaras
todas das melbores qualidades que se podo encon-
trar, na ra do Queimado, na bem conhecida loja
de miudezas da boa fama n. 33.
PERFUMARAS francezas
\ ende-se a bem conhecida agoa de Colonia do
Piver em frascos grandes e pquenos,quadradoi,ga-
ranlido a qualidade a 50O e 19 res o frasco, sa-
bonetas a 15 a dusia, canudos de pomada muitissi-
mo lina a 100 160 res, ditos mulos grandes a
600 res, oleo debaboza verdadeiracom muito bons
aromas, em frascos grandes e bonitos a 1, ex-
cencia de rosa em frasquinhos peqnenos a 200 reis,
opiata muito fina para os denles, em tubos gran-
des de metal a 800 e 1$ res, pos para denles, ba-
nha muitissimo fina em vasos riquissimos e de diver-
sos gostos, extratos finissimos em viJros brancos e
de cores, de cristal e de bonitos e diversos gostos,
e outras muitas diversidades de perfumaras que
queni as vir nao deixar de comprar na na do
Queimado na bem conhecida loja de miudezas da
boa fama n. 33.
J. PBAEGER & C.
Una da Cruz n 11,
Avisam aos seus freguezes e ao publi-
co em geral, que pelos ltimos navios
chegados de Inglaterra, Franca e Ham-
burgo receberain um esplendido sorti
ment de gneros de todas as qualidades
como :
Vinlio Bnrdcaux em bairis de quarto e
era cai\as de urna duzia, sendo as
marcas seguintes : P.ic'ion Louguevil-
le, Cliateau Leoville, Wantfarrant, St.
Estephe, St. Julieti.
Vinho do Porto de tres qualidades, sen-
do urna dellas a m"* superior possivel.
Madeia verdadeiro embarris e engarra-
fado.
Shery dito dito.
SparlilingMosell, em tai xas de 1 duzia'
Vinlio do Rlieno.
Champanlie das mais acreditadas mar-
cas : Eugene Cliquot e Brucli l'ou-
cher i C.
Agurdente de Franca.
Cognac (Pal Brandy) de primeira quali-
dade em caixas de 1 duzia e em barra.
Rumda Jamaica.
Licores em garrafas modernas com le-
treiro dourado.
Ditos da bem conhecida marca de Ri-
voire fires Marseille.
Agua mineral de Selters.
Punch de arrac e de Rum da Jamaica.
Xarope de vinagre.
Conservas em frascos (mixeds pieles) cai-
xas de 1 duzia.
Mostarda ingleza em frascos pequeos
caixas de 1 duna.
Molhos inglezes para todas as comidas co-
mo soupa, carne, peixe etc.
Azeite doce.
Fructasem calda de todas as qualidades.
Frvilhas (petits pois) em meias latas.
Conservas alimenticias em grande sortl-
mento entre ellas as deliciosas saucis-
ses, patstrulls, boudin blanc, asper-
ges, llaricots verdes e muitas outras
quaUdades de lioitalice.
Arenques e sardinhas ein sal, em peque-
nos barra.
Presuutos da Westfaa.
Salames de llamburgo.
Biscoito de soda ingle/..
Chocolate francez.
Cha preto, souchon e j>ecco de opti ma
qualidade.
Toallsas, guarda na pos e
ien^oes
Novo sortimento destes artigos, e outras
fazendas qae na loja do Cuntate Silva na ra
da Cadeia do Kecife n 50, esquina defronte
da ra da Madre de Dos, se vendem por ba-
ratsimos pregos,i ha vendo toalhas de linho
adamascadas para mesa de jntr de 2 al 5
varas pelo barato prego de 4 a 129 cada urna,
ditas do algodSo alcoxoados tambem para
mesa de juntar de I at 2 varas e de a .">;
a duzia, guardanapos de algodao alcoxoados
a 2/400, 29800 e 39OOO a duzia, ditos de linho
a 4# o 53 a duzia, atoaihados de linhos
Fazendas
baratas.
Na loja n. 50 da ra da Cadeia do Recife,
esquina defronte da roa da Madre de Dos,
vendem-se fazendas por pregos baratos, e
estando-se acabando os curtes de cassa chita
de cores fixas com 6 1|2 varas pelo diminuto
prego de 13600, cassa de cores lamben) li-
las de diversos par1 Vs a 320 400, 440 e 59
a pega, pegas de braia lisa para vestido a
23600, 20000, .'i 200. chitas de diversas
qualidades c co ..xas a 160 e 200 rs. n co-
va Jo, ditas largas francezas a 260, 280, 300 e
323 o covado, musselinas brancas e de cores
a 32o o covado, chitas para coberta boas a
180, 220 e 260 o covado, golliohas de cam-
braia tinas bordadas e adamascadas a 19600
e 39200, manguitos de cambraia bordados a
33600, cassa para babado a 240 a vara e 1J800
a pega com 8 1|2 varas, grava tas de seda de
quadrinhosa 640. novo sortlmento de gan-
gas finas francezas de cores para caiga e pa-
letota 25400, brim trangado pardo de puro
linho a 800 rs. a vara ou 29 o curte de caiga,
brim branco trancado bom a 19200 e 19400 a
vara, cortes de casemira escara a 49 e 9500,
e outras muitas fazendas que se vendem por
baratissimos pregos, e dSo-se amostras.
i\ao ha iii-iior
peehincka.
no aterro da uoa-vista n.
8, defronte da boneca,
vonde-se o afamado vinho do Porto cbamis-
so voltio, pelo barato prego de 19 a garrafa,
dito cherez a 19500, dito de Lisboa a 40o rs.,
dito Ma leira Secca, dito Bordeaux, cham-
pagne fina, doces de todas as qualidades,
bolachinua de soda em latas, biscoitos finos
para cha, massas tinas para sopa, de todas
as qualidades, azeite doce, urna garrafa o jo,
vinagre dita 20, e mu i tos outros gneros
aue seria impossivel menciona-los. a occa-
siao be propria para fazer sorlimento cara
passar a fesla, e nao se dcixade fazer nego-
cio vista do freguez.
1 ~ No deposito do ra do Trapiche, arma-.
zemjn. 9, tem para vender potassa da Rus-
facaas.
' sia superior, dita do Rio de Janeiro superior,
Chegon a lina I a occasiSo a qual nao se cal virgen) de Lisboa, e panno de algodSo,
deve perder dse mimosear os compadres, da hahi, tudo por menos do que em outra \ o bem_conhecido_e acreditado deposito
comadres, amigos etc. : no deposito do ge- qualquer parta.
lo no caes do Apollo, acham-se a venia bar- j Vende-se em casa do S. P. Jonhston &
riquinbas com magSas vindasno mesmo e C, ra da Seuzala Nova n. 42, o seguinte:
proprias para o lim cima pois estSo madu- sellios inglezes e silhdes. relogios de ouro
rasecheirosas que laz gosto. de patente inglez, candielros e casticaes
'Ooi.nc i bronzeados, arreios para carro, lonas ingle-
_ *" "^ zas. fo de vela, graxa para arreios.
Cognac superior em caixas de I duzia, ]
vende-se em casa de llenry Brunn <\ C. ra
da Cruz n. 10.
m
&
OlisS,,
3 ^3
:,-!
s, v uo cia fcio.\ri unra nrri'no.
Farinha de
d Riissia e
ainericaiiH
Vende-se potassa da Russia su-
nerior por menos do que em
qualquer parte e dita americana
superior de barato preco <* 180
rs. a libra: na ra do Trapiche
'.11 armazem do Fonseca.
Enfeitesechalvs
V
Vendem-se ricos e modernos enfeites do
froco, flores e lilas para cabega de senhora,
assitn como c ta I y de cores com bonitos de-
senos pira vestido, por pregos commodos:
na loja do Cunba e Silva, ra da Cadeia do
Recife n. 50, esquina.
para fardao.
Vende-se panno azul superior em cor e
qualidade para fardao e casacos militares,
por menos que em outras parles, assim co-
mo panno lino preto, verde, cor de caf, e
broozeado, de muito boas qualidades, por
pregos commodos : na loja do Cunha e Sil-
va, na ra da Cadeia do Recife n. 50, defron-
te da ra da Madre de Dos.
AL1EIDAG0IES, ALVESj-C-
\ endem no seu armazem
27 RA DA CRUZ 27
CHAPEOS de feltro sorti los da fabrica me-
ditada de Carvalho Pinto do Rio de Ja-
neiro
\ Bao' das fabricas do Rio de Janeiro.
VIMlo de champagne de superior qualidade
SALVAS, bandeijas e outras obras de prata
Attencao
Vende-se graude sorlimento de roupa
feiti, caigas, jaquetas e camisas a 19 cadi
pega : na ra do Collegio loja n 9.
Vende-se saceos de alqueirescom fari-
nha de mandioca muito boa, a prego de 0/ :
no caes do Ramns.armazem da esquina n. 1.
cobertos a descobertos, pequeos a gran-
des, de ouro patente inglez, para homet-
0 senhora, de um dos melhores fabricantes
de Liverpool, vindos pelo altivo paajuete
inglez : em casa de Southall Mellor c
ra so Torres 11. 38.
Despejo de casa
.O he desejo de perder
dnbeiro, ioas forra
ttialor me obriza.
Manoel Rodrigues Costa lagalhaes, com
loja de ferragens e miudezas na ra do Quei-
modo n. 30, sendo forgado a entregar as cha-
ves soa proorietaria uestes poucos dias,
resolve vende-las com o abate de 10 a 20
por cento, assim coito seja papel almago a
2950O, ede peso a 2600, facas de balango
de dous botoes por 5j500, cravadas a 292C0,
muito boas, e de nutras quali lades at 15200
a duzia, pegas de fitas de velludo, estreitas e
largas a 19300, bules e cafeleiras de metal a
4e 6?, apparelhos de dito, sorlimento de
brndejas, uanellos, chaleiras e fogareiros,
colheres, litas, bicos, e outras muitas ferra-
gens e miudezas que se deixa de mencionar
por se tornar muito massante.
1 .o.v.i-.S* AMAy
Pe ntes de tar-
Potassa da Russia e cal
de Lisboa.
da ra da Cadeia do Recife n. 12, ha para
vender potassa da Russia e da do Rio de Ja-
neiro, no*a e de superior qualidade, assim
como tambem cal virgem em pedra, tudo
por pregos muito razoaveis.
i|< Vendeoi-se titas para certas de ba- Jj
iJ^: rilareis na ra [Nova n. 2, loja de jj
iNabuco & C. s
M
Relogios
Vendem-se relogios do ouro, inglezes de
patente: no armazem de Augusto C. da A-
breu, ra da Cadeia do Recife n. 36.
Vende-sa superior linba da algodSo
brancas e de cores, em novello, para costu-
ra : em casa de Southall, Mellor t C, roa
do Torres n. 38:
LIVRARIA ECONMICA
Defronte do arco de Santo Antonio.
Manual
DE
COFSTAS
mandioca
SACGOS GRANDES
a 8 000.
I Nos armrzens de Tasso lrmiios na praga
da ponte Nova.
Vende-se no armazem da ra da Cruz
n. 26 de Jos Antonio Moreira Dias Si C-, o
seguinte :
Cera de Lisboa em velas.
Mercarlo doce.
Lona larga.
I.inhas em nvelos.
Salitre refinado
Folhas de flandres.
Chumbo emlengol.
AGDIi BRNCi
Vende-se muito bonitrs bonets de palha
alva para meninos, enfeitados com ricas li- i par* a comPra ou Pn,la assucar, algodao,
tas e plumas pelo barallssimo prego de 29 o couros e miras mercadonas de peso ; obra
2,500. assim como chapeos de palhinha de-! mu,l rccommendavel a todas as pessoas que
sbados para meninas com ricos enfeites de I npgoc,m coa essPS Roneros, assim como
fitas, flores e bicos e outros mui proprios pa-1 aos sf?nnores de engenhos, por quanto de
ra baptisados a 4;> e 59. Estes objectos sao um so relnce de vista podo saber-se o im-
incontestavejmente baratissimos a vista de orl de c'UBlluer ""mero de arrobas eli-
suas perfeigOes as quaes infuem a comprar \, as 1ue pel. melhodo usual levara muito
aindn mesmo a aquellas pessoas que poucol 'emp0- Est* "ra em utn volme bem enca-
desejo tiverem, e porque a festa esta perto ; derna(lor acha-se a venda na livraria men-
aproveilero a occasiao do comprar o bom, Cl0na(la ruado Crespo n.,2, pelo prego de
bonito e barato : vende-se tambem muibo-I59 -
nitas pulceiras e gravatas de Troco pelo di-I Carro novo,
minuto prego de 39 cada cousa, assim como vende-se um excellente carro inglez, no-
golinhas tambem de froco guarnecidas de ivo p,r* e 2 cavallos : na ra de Santo A-
jdumas a 59, ditas gran les que acoropanham maro ^'undo Novo) n. 6.
as capas ou sabidas de baile, obrado subli- AVS--i.
me gosto a 73, capellas mui lindas e ricas1 n___
com bonitos caixos do flores para noi as a ; ^ Wn *r. ",em ^ Adamson Howie & G., ra
7?e95, bonitos caisos de llores para ;hs- 1 2n rap,che "V l2' w>f!.>-M *\\\m para
nomc-m e senhora, a-reios prstiados pars
2,500 J5^ 2,500
Na loja da praga da Independencia n. 36 e
38 acaba de receber nova remessa de cha-
peos do Chili para diminuto prego de 2,500.
Loja nova
completamente sortida.
Calgado francez escolbido as melhores e mais
acreditadas fabricas de Pars e mais em cunta tanto
em porgues como a retalho : na loja Jatahy & C.
na ra Novan. 7.
Labyrinthos.
Ricos lenges para cama, toalhas redon-
da se de ponas, saias, fronhas, bicos e ren-
das largos e estreitos, para todo prego : na
ra da Cadeia do Recife n. 60, primeiro an-
dar.
la loja
das seis portas
EM FRENTE DO LlVRAMETVf
Cortes de seda com b abados e com 27 co-
vadosa 209, ditos com 19 covndos por 188,
ditos de 13a, fazenda nova, com 19 covados a
5#, manguitos bordados a 59500, gollmhas
finas a 19600, ditos a 19, camisinhis cora
gollmhas a 29, lengos de seda encarnados e
brancos a 800 rs., Ol de linho preto de sal-
pico muito tino a 1 200 a vara. DSo-se amos-
tras com penhor; a loja esta aberta at as
9 horas da noite.
PECHINCHA
Seda de quadrinhos de lindos gostos a 60
rs. o covado: na ra da Cadeia do Recife n.
48, loja de Leite & IrmSo.
f $*t$t*$ fw
1
taruga.



peosa 1,500 e 29, fitas laigas para dito1 de
cabriolet, chicotes para carro, coleiras para
Relogios.
Vende-se orna maracaj domesticad*:
atraz da igreja do Pillar, casa de Manoel Jos
de Bastos
Verdadeira fari-
nha de an-irota.
Vende-se na run da Ca leia do Recife n. 1,
egaran'e-se a qur.lidede.
Vendse superior vinho a 360 a garra-
fa, massas linas a 3^0 a libra, sendo dnbeiro
muido, e outras imillas cousas, tudo por
diminuto preco, que he ^ara fechar cotilas :
no largo la Kibeira, deposito u. lo.
- Veodem-s 12 a 16 bois muito bons,
dando-se ao comprador a escolha em 40,
lo los mansos e proprios para carros : quem
pieten !er, poden eatender-ae com Joaquim !
es deSaot'Anna Reg, ou com sen ir-
mo Mauor-I Comes do Reg, 110 eugenho'
Roa-Vi^l freguezia de sauto anlao.
NA LOJA DA GUIA BRANCA
Vendem-se caixinhas de madeira com
pegas de dita para construcgSo ou levanta-
inento de palacetes e capellas cuj.is bonitos
deseohos acompanham : estas obras por seus
bons e modernos gostns gotheticos s3o de
summa utilidade aos mestres architectos e
bastante curiosas e divertidas para enlrete-
nimento de senhoras Dlos baratissimos
pregos de 1,500, 29. 39 e 4/, ditas com taboas
do cores tambem mui proprias para as se-
nhoras dntreterem-se em formar quadros de
diversos gostos e cores a 29. ditas para di-
vertimento de roeninns e meninas tendo dif-
ferentes figuras e caracteres pintados re-
presentando bellas e jocozas vistas a 1,500,
29 e 2,500, dilas mu proprias para brin-
quedos do meninas por serem bonecas com
VENP-EM-SE E CONCERTAM-SE.
Jos Joaquim da Cunba Cuimaraes
com loja de lartarugueiro da ra
das Trincheras n. 8 com a frente
da casa pintada de verde, quem en-
tra dolado da nutriz segunda loja *
de lartarugueiro, avisa as senhoras Si
que tem de mandar comprar pentes :.',j?
de tartaruga, que recebeu pelo ul- J^
timo navio ebegado dn Pranga um -.
i] bom sortimento de pentes de dille- |;
^j rentes gostos que esta venden do i l
fmais barato do que em outra parte, ? 5
manda-os ei-.i casa para as senhoras ':
, iscolherem a seu gosto.
"'S i?
i*i!Si^'",:4i:''iIS'ii Sff'-*->2i''*iii2iS:**."-' !*
aWWSJKTKK-i.JKKTK KttSTilUiJtIK'i/
haceos de milho
\ 8,000,
Nosarmazens de Tasso Irmos ao pe da
ponte nova.
Chapeos para
meninas.
Vende-se chapeos de palhinha para meni-
nas e ryiennos, com enfeites de tolas as co-
res ; ditos para baptisados de muito gosto,
bonets de palhinha para meninos com en-
feites de cores, tudo se vende por barato
prego e <)3o-se a ostras co:' penhor: na
ra do Queimado n. 25, loja de miudezas de
Gouveia & Araujo.
Vendem-se suecos muito grandes
com superior inilho e por preco coinrno-
do: na ra do Amorim n. 48.
Venie-se esoirito de vinbo a 29 a ca-
ada e sendo garrafa a 280 rs manteiga
ingleta 800 rs. a libra : no pateo doTergo
@ ATTEIUtAO* t
jj Kissel, relojoeiro francez, vende pg,
% relogios de ouro e prata, concerta ?
3 rol^^.-, ;~:~------.;... .quj ne ?
habita
mui delicados padroes e superior qualidade i ";ou"",c
a 1,280, 2oe 2,500 avara, ditas de velludo vel* "
recortadas e matisadaa, de differentes, larau-1
rase pregos, ditas de garsa mu bonitas e
proprias para laeos, enfeites etc. Alem disso ,.
urna iofinidade de miudezas que enumera- vende-se um lindo sortimento de relogios
las se tornarla mfadouho, mais quo serao : da ouro prala dourados, para todos os ire-
franqueadas aos compradores, com agrado e'0S* p*'a nomem e senhora : na ra da Cruz
siocendade na loja da aguia branca nos do Kecife u- 50, primeiro andar.
cuatro cantos 'la ru.i do Queimado n. 16. t\f i'
** Brilhantes, ouro e prata.
|| Rf a 1I0 Cabug n. II.
LOJA DE OURIVES
DE
serafim & miniao'
Neste estabelecimonto o publico
achara sempre as mais novas e deli-
cadas obras de brilbantes, ouro e
Cortes de chita de Darra a 200O0 o corte
na ra do Crespo, esquina que volta para a
ra da Cadela.
ua da Cadeia do Recife
11. 48
O Leite & Irmau eitao torrando.
Toalhas para mesa um 49.
Algod3n monstro com 8 palmos de largura,
vara 560.
Bramante de linho com 4 ditos de dita, vara
prata, dos melhores gostos vindos da v?| 700 rs.
Europa, e mais em ennta do que em %', \ Meias pretas de laia para padre por 19
outras partes, garantidas com reci-
bos especificad jo a qualidade.
$5 i Ricos chapeos de sol de seda para senhora.
Q Tapetes para sala um I98OO.
i l'alets de alpaca um 295I
J.
otassa
50o e muito bons a 69.
Tapetes para entrada desala um 4a.
Lengos de linho duzia 29500, 39200 e 49500.
Cortes de colletes de cachemira um 19.
Meias finas para senhora, duzia 39800.
Vende-se potassa americana da mais Espartilhos para senhora um 4>, 60 e 89.
nova que lia no mercado, e por preco Len?0*.j?J?r""
zia 2/800.
Cobertores de algodSo com pello a 19280.
Alem das fazendas cima mencionadas ba
um completo sorlimento de boas fazendas,
que se vende por barato prego e de tudo se
dar amostras.
Algodao monstro
Vende-se algodSo monstro com 8 palmos
de largura, muito proprio para loabaltias e
lengoesa 600 rs. a vara : na ra do Quei-
mado n. 22, na loja da Boa F,
^elogios.
1 oosooo
de "rtieaco
a quem der noticia certa, ou apprehender
qualquer dos escravos seguintes : JoSo, mu-
lato, idade de 28 a 30 anuos, altura regular,
cheio do corpo. ps um pouco crescidos,
suissa por baixo do queixo, nariz chalo,
olhos pequeos e um tanto vermelhos, ca-
bellos crespos, levou roupa de algodSo azul.
chapeo de pello e capote ; este mulato foi
escravo primeirameute do Sr. Francisco San-
tiago Ramos, propietario doengenho Tim-
biri, e depois nesta praga escravo do Sr, JoSo
Augusto Bandeira de Mello, a quemo abai-
xo assignado comprou-o ; e julga-se ter se-
guido para a I eguezia de L'na, onde consta
ter pai: e Severino, aabra, idade de 25 a 28
annos, altura regular, corpo tambem regu-
lar, tem pouca barba e conserva suissa por
baixo do queixo, tem a ponta do dedo
pollegir cortada, e cabellos carapinbos; e
consta com certeza que se acha na freguezia
de Agua-Preta : o primeiro fugio 00 dia 4
denovembro desle anno ; e o segnndo no
da 13 de seterobro de 1857 : quem os appre-
hender ou der noticia certa dos ditos es-
cravos poder dirigir-se nesta praga aos Srs.
; Lemos Jnior & Leal Reis ou a seu senbor no
engenho agua-Fria na freguezia de S Lou-
reugo da M lia, que ser recompensado com
a quanlia cima Manoel Thomaz da Albu-
querque MtranbSo.
200$000
commodo : na ra do Trapiche n. 15,
armazem de Bastos limaos.
Espelhos gran-
des.
Vendem-se ricos espelhos em ponto gran-
de proprios para lujas oa mesmo salfs, pelo
barato prego de 25,000 cada um: na ra do
Queimado loja de miudezas da boa fama
n. 33.
c
arros novos
muitos e diversos vestidos, chapeos etc ,
ada- j ele, na mu langa dos quaes se torna aprasi-
tnescados de duas larguras para toalhas de vel pela transformagSo queanparece na mes-
' ma figura a 29 e 39 a caixinha, muito bonl-
mesa, fazenda muito superior a 29240 a va-
ra, dito de algodSo tambem adamascado a
l:00a vara, toalhasde linho para maos e
rosto a 89000 a dgzia, dilas de dito finas com
labyrintho e bico as pontas a 59, pegas de
panno de linho do Porto bom de 600 a 900
res a vara, pegas de hamburgo ou brim I wo
bom para toalhas, lengoes e seroulas a 99 a
pega com 20 varas, algodSo de duas larguras
proprio para lengoes a 560 a vara e a I3p a
pega com 25 varas, panno de linho lino de
lengoes o meihor que ha para este lim, por
ser muito fresco e que com I l|4, 1 112 e I
Cortes do harege com bsrra borda-
da a seda,15 c(vados por
LSazinha de cor de bom gosto para
vestido, o covado a
Pegas cor, rom 8 1|2 varas por
tas caixas para costura de senhoras, com le- Cambraia de organdy de bom gos-
relogios, joiase msicas, ja
?g! conbecido ha muitos annos,
no paleo do Hospital n. 17. ^
Pechiocha.
Vendem-se
muito bons
carros mo-
dernos de 4 assentos maneiros com seos
competentes arreios: veudeoi-se tambem
muitos preparos para carros com eixos;
molas, lanternas boas. galSo, encerado, co-
leiras boas proprias para carro de peso e
tudo por prego commodo : na cocheira de
Adolphe Rourgeois na rua Nova n. 61.
Vende-se feijSo branco de superior
chadura e chave a 29, ditas muito ricas com
molduras para navalhas o mais arranjos pa-
ra barba pelo baratl.ssimo prego de 39, mui
ricas cbaruteirss ou deposito de charutos pa-
ra cima de mesa com molduras obra mui
bem acabada, ditas de jacaraud com mi-
chlnismo para trancaros charutos, caixas
mui bonitas e bem feitas com tentos para
voltarelea 4je 5g, ditas maioros matisadas
e do meihor gosto que he possivel haver a
I2s. E muitos outros objectos de gosto que
3|4 varas faz-se um excelleute leugol a 2/400! os bons freguezes acharSo a vista : na loja
a vara.
No escriptorio de Domingos Alves
Mutlieus na rua d'Apollo n. 23 Um para
vender o seguinte :
Bicos e ciegan tes pianos.
Panno de algodao da Babia.
Linlia de ro s.
Cocliins de linho para montara-
Mercurio doce.
Capsulas ecupaiba.
Euchadas portuguezas.
'k-os portugueses do varias qualidades.
I
Ricas mobilias de mogno.
Papel pautado para livros.
Con 1 o de lustre marca grande, cujo ai>
tigos vende por menos doqueem ou-
tra bualquer parte.
Telfias de vidro.
Na na do Rosario estreita n. 25, loja de
da aguia branca nos quatro cantos na rua do
Queimado n. 16.
Na rua do Queimado loja de ferragens
n. 13, tem para vender um grande brago de
ItomSo, corruules de ferro e alguns pezos,
tudo proprio para algum estabelecimento ou
engenho, e se vende por prego commodo.
Vende-se, arrenda-se, ou permula-se
por casas nesta praga, um sitio no lugar na
Magdalena, no principio da travessa do L-
ea, chSo.sproprios.com casa de pedra e cal,
cosinha fora e casa para pretos, cacimba e 2
tanques, 1 grande para banhos, e outro pe-
qoeno.com 700plamos de frente e I.OOe tan-
tos de fundo : quem quizer fazer negocio
com dito sitio, entenda-se com Antonio No-
bre de Almeida.^morador na rua Augusta,
casa u. 17 l".

Em casadeRabcScutnottau &Companhia,
- Vende-seeffectivamente farilo de Lis- funileiro, vendem-se telhas de vidro muito" rua da Cadeia n. 37, veudom-seoiegani
i pianos do afai
'da llamburao.
hoa, as Cinco Pontos n. 3, por menos do I boas e grossas.e mais baratas que em outra I pianos do afamado fabricante Traumann
que em oulra qualqur parle. 'qutlquer parte.
4,500
400
1,500
1,000
1,000
5.0U0
6,000
qualidade, em saceos grandes a 85000, ditos muit0 ricos> "'np'"* a 40 rs. o mago, colxe-
com lavas a 69 : no armarem de A. J Alvcs tes em cartSo p caixa a 70 rs boies para
Teixeira, esquina do arco da ConceigSo.
Vende-se qnartolas de coslado de ama-
relio, que serviram de deposito de azeite, e
que levam de 300ra 40o caadas : no caes do
liamos, armazem da esquina n. 1.
eite& irmo, que es-
ta<> torrando*
Ba da Cadeia do Becii'e n. 8.
\ O
No dia 14 de agosto deste corrente an-
no fugiram do engenho Sete Banchos,
freguezia de N. S. da Escada, comarca
Lengos brancos com lindas cercaduras, du- ^a cidade da Victoria, os escravos seguin-
tes : Damiao, crioulo, de 25 annos de
idade, pouco mais ou menos, cor ula,
beicos grossos e meio arrebitados, tem
urna cicatriz na testa de um coice de ani-
mal, pernas finas e alguma cousa ar-
queadas para fora, esmalmado, espadan-
do, altura regular, e esta' binando ago-
ra; Jacintho, crioulo, de 28 annos de
idade pouco mais ou menos, altura regu-
lar, cor preta, pouca barba, beicos gros-
sos, e fazcerto geito na bocea quandofal-
Vende-se em casa de Saundcrs Brothers i ^ c
a C. praca do Corpo Santo, relogios do afa-1la'tem ,uma ctcaUlz em uma d faces,
mado fabricante Roskell. por pregos commo-! penas linas, esmalmado, fuma, tocador
dos e tambem trancellins e cadeias para os de viola. O primeiro foi comprado ao Sr.
Joao Francisco Barbosa da Silva Cumaru'
ilho do Sr. major Antonio Gomes da
Silva Cumaru', e o segundo diz que foi
escravo da familia do Sr. Joao Nunes da
fazenda do Sitio, em Pageu' de Flore, e
comprado na praqa de Pernambuco.
Consta que ditos escravos estao em Pageu'
de Flores por portadores que mandei e
de la' vicram : roga-se as autoridades po-
liciaes e capites de campo, de os pegar
elevar ao referido engenho a Bernardino
Barbosa da Silva, ou na praca de Per-
nambuco ao lllm. Sr. Manoel Alves Fer-
reira, que serao recompensados com a-
mesmos de excellente oslo.
^o barato
Meias cruas para hornea) a 120, 160, 240,
320 e 400 rs. o par, (lilas de cor a 160, 240,
320 e 400 rs., ditas para senhora a 240, 280,
320 e 400 rs, pentes para amarrar cabello a
200 rs., ditos de maaaa abe 19280, ditos de
tnrUruea a 4 e 4;500, ditos de bleia para
alisar a 280 e 500 rs.. enfeites de velludo
3-, 3-;200, 49500 e 69, cailes de tartaruga a
4?, ditas de massa a 19280, ligas de seda a
320 o par, ni'iito ricas luvas de soda preta
I para senhora e homem a 19280, cartas fran-
Chitafrancezacores lixas, o corado 220. 240,! cezas muito lints a 330 e 400 rs. o baralDo,
260 e 210.
c^lga a 240 a groza, borracha de 13a e seda
preta para calcado a 29400 a vara, dita de
cores a i3, cuuro de lustre francez a 1/000,
1950o e 23 a pelle, tr-petes para sapatos a 280
e 360, bandejas muito finas a 49, estojos de' quantia de 200,000.
ito linas a 2, facas e garfos a j Fugio no dia 21 do corrente um escra-
vo cabra de nome Faustino, porem costuma
a mudar o nome, o mesmo tem os signaes
seguintes : estatura regalar, sobre o olho
esquerdo uma pequea cicatriz o um lobi-
to, f vira a
Chaly de corcom listras de se '.a. o
covado a
Cortes de caigas de casemira do
cor por
Ditos de dita dita de supennr qua-
lidade por
Rels do um so p?:nn acolcnoa-
das, por
Cortes de colletes do gorgorSo do
cor a 2.500 e
Ditos de dito de velludo superior
por
Ditos de caigas de meia casemira
de cor por 2,000
E outras muitas fazendas por pregos com-
modos : vende-se na rua do Crespo, loja da
esquina joe volta para a rua da Cadeia.
Musselina toda encarnada, covado 220
Meias de cores para meninos, duzia 2)>.
Saias para senhora uma 19600 e bordadas a
39H00.
Cort-s de barege com 17 covados a 53 o 63.
Ditos de dito com 20 ditos a 83.
Ditos de chaly com 10 lilos a 5500.
Chales de tnquint a 63 e 183.
i Ditos de dito p.-etosa 209.
lulos de merino lisos a 4CS00.
20,000 : Dilos de rilo bordados a 69800.
Madapoln a 23800, 39200, 39600, SfgQA,
49200,49800, 5/200 e mnito lino a 69 a pega
de 20 vares
Chitas oscuras nrl 200 res o covado.
3,000
7.000
a
Entremeios e tiras bordadas.
Chales de cambraia do ultimo gosto un 9.
De tudo da-se amostras com penhor.
Aviso importante
Cheouem
peehincha.
Nova frrinha de mandioca, milho e feijSo,
saceos grandes e baratos, para se acabar :
na rua .10 Queimado n 14, loja de ferrageos tio.'e queTeha de vir ao Recife todo
de Jos Ro logues forrera. djas a r,||ar no aterro da Boa-Vista, loja
.sgu,la": Ido miudezas n. 58, o carro he de const'uc-
Vende-se esgu.ao de linho muito lino a I gSo igual o do Sr. M. t.ongalves da Silva.
169 a pega, com 12 jardas : na rut do uel- ... ^ 1
mado n. 22, n. loja da Hoa F. NOVl ii>US lie lllillitOHl
Venle-seum cabriolet de duas rodas Vende-se esta agua a meihor que teas p-
com arreios ecavallo, sendo este bom trota- parecido para tingir o cabello a suissas de
dor, ou sera elle, conforme a volitado do preto :na livraria universal rua do Colleg:o
comprador: para ver e tratar, na rua do: n. 20, d-sejunto um impresso gratis ons:
Hrum n. 28. Inando a forma de applicar.
muito ricos leques a 23. luvas do pellica a
19800, tesouras e litas de todas as qnalida-
des ; de tudo se da amostra, no aterro da
Boa-Vista, loia de miudezas n. 78.
ATTEN^O.
Ricas facas cabos de me
tal do principe
Vende-se requissimas facas e garfos de
cabos de metal do principe para mesa a du-
zia a I6-3, ditas ditas do sobre mesa a 14-3, as-
sim como de cabos de ago para mesa de
differentes pregos e juntanv-nle cabos de
Cambraia lisa lina pega de 8 e meia varas a chifre de vudo e de cabos de marfm de mui-
33800. tas qualidades, assim como trinchantes de
Ditas de salpicos pega de 8 e meia varas a : differentes cabos e juntamente differentes
3-^00. i qualidades de colheres de metal do principe
lucasgollinhas bordadas uma 39500. tanto para sopa, cha, assuc-.reiro, arroz e
terrina e alinal nesta estabelecimento os
freguezes do bom e barato acharSo um
completo sortimento de todas as qualidades
do cutilarias, assim como completo sorti-
mento de trem de cosinha, vendendo-se por
Vende-so um carro americano muito forte, j menos vinte por cento do que em outra
pintado e forrado de novo e com gosto, poId qualqusr iaile e quem duvidar venha a
andar com um ou dous cavallos, be proprio ; rua do Queimado n. 28 loja de ferragens de
para algum Sr. negociante que more em si- Santos uliveira & C:
Vinho Bordeaux.
Em casa de Heory lirunn >\ C. rua da
Cruz n. 10, ven ie-se vintio Bordeaux de dif-
ferentes qualidades como Lafalles Ch. Leo-
vilte, S Julien em caixas de I duzia por ba-
rato prego.
Escravo pega.
Vende-se um escravo mualo, ptima fi-
gura, e ptimo boleeiro na rua de Santo
Amaro (Mundo Piovo> n. 6.
nho, tem em um brago uma figura e tres
letras A B L, no outro brago tem tres sinos
salomSo, sendo um grande e dous peque-
Res, tem no peitosigoaes de ventosa a nss
costas marcas de chicotes, desconlia-se que
foi para a villa do Cabo ou para a provincia
da Parahiba : quem o pegar leve-u ao seu
senbor na ma das Cinco Ponas n. 64, que
sera generosamente recompensado,
No da 3 do corrente fugio o escravo
de nome Jo de nagSo, ja velbo. grosso,
rosto regulare quando esla bebado emper-
tiga-se todo e abre muito os olbos para dis-
ta rcar a bebedeira, chega muitas vezes a
cahir, costuma a fazer e vender vassouras '
de palha, usa as vezes paletot cor do vinbo,
caiga azul de algodSo ou de riscado, usa de
bonet de panno ou barrete, consta que an-
dou ltimamente pelo Monteiro e Apipocos
e talvez se encontr por aquelles arredores
ou Caxang, e ter talvez i 1o para o mallo, .
recommenda-se aos capitSes de canuo que
o peguem e o levem ao sitio de Ensebio
Kaphael Rabello no Caldereiro ou no es-* _
criptorio de Francisco Severiano Rabello &' ^
Filho no largo da tssembla que serSo re-
compensados e mesmo so gratificar a
quem der noticia delle.
Fuf;io no dia 1S do correnle maz, o preto
Antonio, com idade de 28 a 30 annos com os si "-
naes seguintes : as pernas nm tanto /umbelas tem
falla de denles na frente da parte da cima, o nariz
um pouco incitado, com umaempinge, tem um dos
joellios alejado pouca altura, andar banzeiro, os
peis um tanto apalhetados, saino de carniza encar-
nada, e caiga branca, tem os dedos das mos cheios
de calos proveniente de ser amagador : assim pe-
de-se a quem o pegar o leve na padaria da rua da>
l.araiigeiras n. 28, que ser bem recompen-
gado. ,
FERN. TYF. DE M. F; DE FARIA: m, I SM
"S~5"
w


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EKO57JPLC_F2QICC INGEST_TIME 2013-04-24T18:22:29Z PACKAGE AA00011611_07147
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES