Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07120


This item is only available as the following downloads:


Full Text
a fcfi r$

.
Aiin' XXVI.

Segnnda-feira 2
PAATIB SOS
oomm
noi.
Golanaa e Parahlba, segundas escitas feiras.
Rlo-Grande-d"-Norte, quintal feiras ao melo-
da.
Cabo, Serinhienr, Ro-Formoso, Porto-Calvo
Macelo, nol.*, a II, 91 decadamez.
Garanhuns e Bonito, a 8 e 23.
Boa-Vista e Florea, a 13 e 28.
Victoria. > qulntaa feiraa.
Ollnda, todoa o Hlaa.
in.
/Mlng. a l,as2h.eo7m.dara.
, tHova a 7. oi 7h.eHm. da l*
^"""""MCrescaU, ai3 h.27m. da t.
(Chela a 22, i 6 h. 2 m. da t
Ming. a 311 as 11 h,cM m. da m.
PBIMAB DI lOn,
Primeira ai 7 horas e 42 minute* da manha.
Segunda as 8 horas e (i minutos da urde.
de Agosto de 1850.
N. 190.
rasos si aVaMoaipplo.
Portresmeze (titittadoij 4/000
Por seis mezes 8/000
Por uui anno / 15/000
n na iisiiMSgiBiiii mi
SIAB BjArUfABrA.
2ti Seg. S. Zefcrino. Aud. doJ. dos or. e in. da 1. v.
27 Tere. S. Jos deCalazans. Aud. do chae., doJ.
da I. v.do civ. e do dos feitos da fazenda.
28 Quart S, Agoslinho..Aud. do J.da2. v.docivel.
29 Quint S. Adolfo. Aud. do J. dos orf.'e do m.
dil.T-
30 Seit 8. Roza de Lima. Aud. do J. da 1. v. do
civ. e do dos feitos da fazeda.
31 Sab. S. Ravmundo Nonato. Aud. da Chae, e do
J. da 2. v. do erlme.
1 Dora. Wossa Senhora da Penha. _____
CAMBIOS BM 24 DI AGOSTO.
SobreLondres. 27'/,e27'/'d.por 1/000rs. afJOdiu
Paris, 346.
Lisboa, 100 par cento.
Ouro.-Oncas hespslhoes.........-MOliO *#W
Moedas de 6*400 velhas.. K/WO a 16/700
de 6/400 novas.. 16/100 a Ui#20"
de 4/000........... 9/100 a 9/-2(>
PrtU Patacoes brasilelros...... 1^*0 a l/9f(
Pesos columnarios....... 1/160 l/9ka
Ditos mexicanos.......... 1/800 a l/zi
DIARIO DE PEMMBim
PARTE 0FFIC1AL.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 17 DE AGOSTO.
OBIcio. AO Exm. commsndsnle dsi r-
msi inteirsndo-o dehaver deferido favor1-
vnlmenl* os requer ment, em que os alte-
re do primeiro bstilhBo de cacado/es Jos
Francisco do Moraes Vascoocellos e Josquim
Cietano dos Rois, pedism tres mezes de sol-
do diablados, do conformidad com a li
n. 514 de 28 da oulubro de 1848.
Dlo.--Ao inspector JaJIhesouraria jie fa-
zenda, sclentifiando-o, aflm de que fie*
constar ao inspector da alfandega desli ci-
clado, de ter o Exm. 8r ministro b Secreta-
rio de estado doa negocios dt fizend, de-
clarado por aviso datado desude junho ul-
timo, que ipprovra as nomeacOes feitas
por esta presidencia, i'e JoSo Xavier e Silva
e Joaquim da Motta Silva, para guardas
da sBMtna ilfandega.
Dito.Ao juiz relictor.d junta de usti-
c, Iranasaitlin lo para ser itresentsdo em
seaaji I aaesnta junla, os processos ver-
tMsas^aVMaos soldados do oitavo balalho
da catadoras Ignacio Jos Ildefonso, e ao
cometa do pnaaeiro da inesma arma l.uiz
Francisco da Conceitflo.-Con>municou-se ao
Exm. commandanle das arlas.
Dilo.Ao inspector da pagsdori mili-
tar, [autorisando-o a mandar pagar i Ha-
noel Joaquim Csroeiro Leal, i vista da cori-
ta o documentos que devolve, a quanlia de
2:1*7,040 ris,em que importamosobjectos
meocionadoa em dita conla, os quaes fram
cumprado para a ilha de Fernando.
asmo, para que mande in-
senal de marinhi da quantia
is, em que segando a conla que
(torta i peca de cabo de man -
peclor.do mesmo arsenal for-
nrteu para ser enviada so com mandante da
ilha da Fernando.
DitoAo inspector da thosouraria da fa-
zeada par* man Jar aJemnsar ao arsenal
de guerra da quanlia de 136,000 ris, em
que aguado a conta que remelle, importa
urna mes con prensa para sollo, que por
...dual Ueaui piulu..<,,, foi furnecida ao
lycee desla oidide.Scienliiicou-ie ao di-
sector do referido arson.il.
DEM DO DA 19.
Offlco.Ao presidente da Relsco, ceaK
mullicando que, segundo foi declarado ene
1?
sentido as necesarias
pedinm-se neste
communicacoes.
Dito.Ao inspector da Ihesouraria da fa-
zenda para mandar pagar ao arrematante
da obra da segunda parte do decimo-sexto
lanco di estrada da Victoria, em presenca
do certificado, de que trata o art. 71 do
regulamento dts obras publicas, a impor-
tancia da ultima prestacSo de au arremata-
rlo, teto ser entregue defenlllvamente a
retaras obrs, conformo deelarou o enge-
nlieiro director daqoella ropsrticSo em odi-
cio de 16 do corrente.
Portaria.-Dispensando .do cargo de sub-
delegado da freguezla de Mnriheca por ss-
Sim o baver pedido, a Joaquim Machado
l'ortella, e nomeando de conformidade com
proposta do chefe polica, para o substi-
tuir o coronel Agoslinho Ilezerra d Silva
Ctvslcinli, que era primeiro supplenle.
Inleirou-se ao mesmo chefe de polica.
Hit.O presidente da provincia, con for-
ma ndo-se com-a proposta docliefe de poli-
cio interino datada de 5 do crrante, resol-
ve demillir dos cargos d lereeiro supplen-
le de subdelegado da freguezia deMuribe-
ca t JoSo Carneiro Rodrigues Cani'pello, de
qoarto Pedro Joaquim Gomes, de quinto a
Miguel Mandes da Silva, e| de sexto a EuM-
bio Pinto, e noma para supplentes do re-
ferido subdelegado os cidadSos abatfo de-
clarado*:
I.* Dr. Antonio Coelho de S e Albuquer-
que, que era segundo supplenta.
2 Jo*o Hanoel Carneiro de l.aeerdi.
4. Mariano de Si Albuquerque.
5." Joaquim de Albuquerque Cavalcanti.
6' /snisuio Ferreir de Barros Campello.
Scierttilrcou-se ao mesmo chefe de
licia.
Passiram do Sr. desembargador Villares ao
Sr. desembargador fastos ai seguintes appel-
lacdes em que ao :
Appellaute, o julo appellada Francisca
Mara.
Appellsntes, AnnaGodIves Vielra e outroa ;
appellado, Pedro Martina de Araujo Veras.
Apprllante, Ellas Coelho Cintra ; appellado,
Domingos Caldas PiresFerreijai
. Patiaram do Sr. desembargador Lelo ao Sr.
feembargador Souia as siguite appellaccs
ni que saa : -
Appellante, o julio; appellado, Domingos Al-
ves da Silva.
Appellante, Antonio da Silva Glquirl; appel-
ado, Manoel Corra de Mello Jnior
PO-
avasodo ministerio da juslca dslado de
de julbo ultimo, S. M. o ImperMor, por de
cretos de 10, houvera por bem remover do
termo do Sobral no Cear para o do Cabo
oesta provincia, o juiz municipal e de or-
1i3oi o bacharel Manoel Firmino de Mello,
a nomear para* igual lugar no termo Je S.-
AnlOo ao bicRbrel Gaspar de Menezes Vas-
oonceUos de Drumond, e preveoindo-o de
baver ordenado sos referidos bacbareis,
que entreo em exorcio, independenie da
apresentscon do respectivos ttulos, que
devem solicilar no praio de quilro mezas.
Neste .sontdo fizramle as cnvenionles
cumrauujcage.
Dito.Ao juiz relator da junta de justi-
c, transmittiudo para ser spresentado em
sesiflo da mesma junta, o processo do
soldado do primeiro batalliSo de cacado-
res Josu de Jezus Jardim*- (lommoni-
cou-se a o Exm. commandante das armas.
Dito.- aieaOoi- do arsenil de guerra,
psr mandar aproruplsr-naquelle arsenal,
em consjtuienjy de requisigo do Exm.
Comou *a|ptfi armas, urna larlmba vo-
lante par prisSo esUbelecida na casa que
actualmente serve dequirtel ao primeiro
?S? de cacadores.-Scientri}eou-se ao
reWddo commandante" das armas.
Wto'.~Ao bactiaael Jos Filippe de Souza
Leflo,. inleirando-o de ter S. M. o Impera-
dor, segundo constou de aviso do ministe-
rio da justica, nomeado-ojuizde diraitodo
criroe di comarca de Flores, e prevenTndo-o
de que deve entrar em exercicio indepen-
dente da piesentr;ao do respectivo titulo,
que levara solicitar posteriormente.Ex-
TR1BUNAL DA BELACAO'.
SESSAO DB 23 DE AGOSTO DE 1850.
MESIDBNCfi 0X. SNno SOJB.
BBLHRIIO AZEVKDO.
A's 10 horas d inanhaa, acbsndo-se presen-
tes oa Srs. deseinbargadores II iiiim, Villares,
Bastos, Leio, Souza, Rebello, Lona Freir e
Tellea, faltando com caua o Sr. desembarga-
dor Ponce, o Sr. presidente declara abena
asstalo.
O Sr. desembargador Telles apresentou a sna
Carta de sello peotjente para o lugar de desein
A,rlAr.UjlLt.A,V",'reS: ",pellad0',0! .prot^^oqoe^bvcrde^X^dU
-i
Appellante, F. Poirier; appellado, Tomateau.
Passaram do Sr. delembargador Souza ao Sr
desembargador Hebello as seguintes appclla-
ces em que sao ;
Appellante o julzo de auzcntes appellado,
Antonio Joaquim Gmiralres Guimaries.
Appellante, Antonio Gomes Villar, appellado,
Domingos Francisco 'lavares.
Appellante, Nuno Maria de Sellas; appellado,
os redores dlssidcnles do mesmo.
P.ssou doSr. 4eaeinbaigado'r Rebello ao Sr
desembargador Luna Freir aseguinte appel-
lacio em yue sio :
Appellante, o juio da faicnda; appellado, WII-
llan Wilcox.
Passou do Sr. desembargador Luna Freir
ti Sr. desembargador Telles a seguintc api.el-
lacao em que sio :
ABxUa*Ue, Joa Malhers; appellado, JiiliSo
Tlgctinier.
Passou do Sr. desembargador Telles ao Sr.
desembargador Ramos a srajiinte aspellaco
em que sao :^ "" .w
Appellante, Asma Joaquina da Silva /arres,
appellada, Mara Joaquina dos Anjos.
^^^m osiBiaiiicdi.
AoSl Mam>bu&t!0oujA>i segulnte ap-
ptlll|iolB|ii: '>*-
Appellante. Whi^TO1 AnlonleCoelho r oulr.l ;
appelladj, Mariauna Tlicodor Coelho,
Levantou-se a essao.
eslrangeiro que entra pin nm estado sobe- I nSo eslava ni carruagem, bem como tnha
rio, livre e independente, est sujeito s presumido vista da libr do coclieiro e do
snas leis, e, assim como gozadas vantagens I lacjio, o mancho retirou-seipressadimen-
sociies o tero garantidos sus pessa e hens, I te_e pireceu querer dirigir-se para i roa
tsmbem tero i rigorosa obrigae&o de nSolMiromesnil; mas seus passos suspetns li-
desrespeitsr as autoridades,e nSo perturbar I nhim sido observados, e um agente poli-
asociedaile e destruir as garantas eslabele-1 cial dispondo-se a embargar-llie a passa-
cidas paransoutros membros da associa- [gem, entriq elle mesmo encaminhando-sa
QIo, nacionaes estrangeiros.
. Toda i vez, pois, que se separa da nor-
ma de conducta que pelas leis da socieJado
Ihe he tracada, e perturba o bem ser di so-
sociedade, tem cessado desde entilo as ni -
li'iK.'oi's de hospitalidade, e prevalece o di-
reito e dover de conservsQSo da sociedade e
OVARIO DE PRRN1IBUC0.
.TOLHETllI.
ANDA
Atrelleioesq.ie
ilv airo, tirarain-n
ATRO.
ne fiz relativamente ao nosso
rain-me pelo deicjo de ajniltir a
^liiuha humilde opiniao sobre as duaa escolas
lio porfiadas de otatsiooa c romnticos. Estas
duii litlrjilura de naturcia opposta recebo
ramos aeus nomrs dos riiiicos alleinaes, que
vivanieufe se prooiinciaram pe genero ro-
inailtsn1! e flzeramcunsiderar cuino consequen-
cla^u.it aratema o qiu antes dellearra ildu
1*1
vi
d
rouMHtieapI
modernas, absurdo
jnlga-lapor oulras i
piloa escrlplores.
hipme de romntico foi lirado do da llngoa
romana, que aaacera da mistura do latim com
o anllfo lltiuo; pelo que os costumes ro-
'lipiiiihain-se dos habllot dos po-
i c das reliquias da civilisacao ro-
inaflT ,i'' explkam a dilTereofa en-
tre os antlgos.'ou cla:-icos e os modernos ou
pela diflrrcnca de religo. Dizein
[ osjirlineiros com um culto material
poesa nos semidos ; e os se-1
_J religo he toda espiritual, aasen-
tarn a sua poesa us embates <
alma. M.s esta origemdas duas poesa na-
ta lirmerdoa-
y fofeoto he
- SeicW. boje
a (Tas nacOes
tdra querer
as seguidas
***** Jl**"i* ""'
rm mesa ule ortelo do r.xm. Sr. presidente di
provincia, em que communlca ter concedido
um mea de liceuca com seus vencimentoa ao
bacharel Caetano Jos da Silva Santiago )ulz
de dlreito do Rio-Forinoso.
JLOSMBHTOS.
Afftllafii erlnt.
Appellante, o julzo; appellado. Joaquim das
Moc.is Tlmbauba. Julgarain procedente a
aprellacia.
ppelli)c Appeltnle, Joaquim Galdino Alves da Silva ;
appellado, Ronoo Jos Correa de Almeida.
Continuaran! a BBnten(a.
Appellante, ojulzodaJatenda ; appellado, Ma-
noel Joaquim, do Befo e Alboquerque. Fo-
rain rccebldos os embargos.
Apprll.uile e.appellados, Hento Jos da Costa
e Jos Joaquim Beserra Cavalcaulc. Fraui
despresados os embargos.
mucaficu.
Appellante, Joao Hplisu Uves Monteiro; ap-
pellado, Domingos Carneiro de LimaMan-
daram ouvlr ao curador geral.
Appellaulc, Joo Ferreir dosSantos; appel-
lado, Jos Joaquim de Mesqeita. dem.
bzsignicSis.
Recorrcntes, Jos Tullv di t*. e outro ; recorr"
dos Kelly Castello S'C e olUros.
Appellante, Francisco carneiro da Silva ap-
pellado, Joao Alves Carneiro Cezar.
AppWtaute,- PedroSoares de Mello Jnior e sua
inullier ; appellado,*Jos Monteiro Torres.
Appellante, Francisco de Paul Pires Ramos;
appellado, Manoel Alves Guerra.
fcipe as DI AOOSTO bi lis.
TemosrSvisla jornaes d Rio-Crande do
^*~* -miizKuym o.primeironuwiin*p,
Iraiendo datas de Poito-Alegre al 18 do
passido.
A provincia de San-Pedro llcira em plena
tranquillidade.
A prisio do Francez Dubreuil fAra ososa
para o Pharol redobnr de ardideza em
desacatar a primeira autoridade da provjn-
cia mis o Corrtio-ile Porto- Uri/rt respon-
deu-lhe, de modo que nos parece satisfac-
torio, em o artigo infra :
A pritdo do Francez Dubreuil.
A prisSo deste eslrangeiro revollo he
um dos lliemas da discussio do l'harol, que
i tudo v pelo prisma de suis piixOes e ii>-
teresses mis o que niiie nos tem admira-
do he i ignorancia que panlenta dis nos-
sas leis do processo ;e pan que nSo con-
tinuo a facer um tilo triste c miseravel pa-
pel, Ihe aconselhinios de consultar algum
advqgado entendido e experimentado, que
Iho iqdique os arligos de nossas leis em que
se biseim os actos da presidencia, que sem
xorbitir deltas, tem anda feito inuitoem
reitos in iividuies e s garanlias socaes es-
tsbelecidas.
Porlinto, o estrangllro que, por ineio
di i i: prensa, concurre para que a primeira
auteridailc da provincia seja desabridamen-
te desrespcilada, que procura tirar-Ihe o
prestigio e considerado propria e devida, e
concorre para o deseovolvimento e a real-
saefio prslica de principios criminosos que
Unto affictsm a orilTm publica e os gran-
des interesses brasileros internos e exter-
nos, tem aliado aos deveres de hospelee
protegido, tem alienido de si as considera-
rles e protec?5o que Ihe serism devidas, se
fosse pfeificoe onensivo causa publica ;
colloca por'consegsjinle o governo na nde-
clinavel uecessdade de remove-lo do lugar,
da provincia onde proceda por tal maneira;
e o governo que tal nilo fizesse en respon-
savel por tiiu illega! e injuslifical proceder.
Isto posto, teve ou nSo o governo, pala-|
sua stipprema inspecclio, pela sua categora
de lita polica da sociedade, o direilo ,]p
deportar o eslrangeiro Dubreuil ? Qual seria
o meio mas elllcaz, alm do da prisilo, para
por a bom recado um estrmgeiro desse
jaez?
Sehaalgurn outro; que no-lo indique
o P/iarol.
Ao publicar o lereeiro numero, declara a
Fstrella-do-Sul que suspenda, indefini J-
menle a sua publicai;flo.
A instalacHo do urna alfandega em S.-Jos
ilo norte, dra lugar ippariflo desse pe-
ridico que, supposto se proclamasse gover-
nisla, 11 v i a opposQilo ao Sr. ministro da fa-
zenda, sen lo i cada passo contrariado pela
mprensa rio-grandense que sustenta po-
ltica dorniimnffl.

BBVIldl,
Pasiou do Sr. desembargador Ramos ao Sr.
desembargador Villares a seguios appellacad
em que sio :
Appellante. Joao Jos, Jos Jola e outros; ap-
pello, Leltheller Uttle. ________
rece-me sujeila a grav*s objecefles ; pon|ue
he de notar, que na p*ca em que nasceu a
poesa romntica, nesses seculos de sunersli-
cocs e ignoraqda ainda o calhoiicisuio nao ti-
nba forca bastante pa ecclipsar a oulra poe-
sa que antes dellevottava.
Seja, porm, comTor relatlvameote sua
origem, o ceno he. aue bem se percebe o flm
uiiierenle em os pactas das duas epui-as. O;
hl'antigaidada querlam excitar a admiracao
pela belleaa e ayineiria oa dos lempos moder-
nos pretendeiu aballar pelos sr alimentos do
coracao ou pelo curso inesperado'doa successos.
Os pytneiro deram inuilo mais importancia
ao tdarB; os Segundos ao eil'eiio etn alguus de-,
talhes Miso certo he, rrue loda as bellas ar-
tes, para serem ues, releva que procurem tra
car as forma primitivas da belleza que nao
lein igual no mundo cujo cunho, porto, foi
sravadoem nosso caracao, como tvpd ou ino-
dllo a que tudo devenas JssBipar'ar. lie um
erro o dlicr, que VenuailtApelIcs, por eiein-
jilo, nao l'oi mais do que cqllecjao do que cs-1
se plmor achara de inalsrballo as mais bellas
mulbcres do scu lempo ; nao; porque aquella
linagem exista no cerebroato grande artista
flUleriormente a essa self cf do'; e segundo esta
niageui Interior he, que elle escollna nnidellos
para a. diversas rintl^^mt^KKK^M
slm lainbtm, para a belly-
a belleza Ido procri
peJi^stt qa-
me lia um id
verso indi vi.
vacio, da compara. .
e como ama especie Muase da nosw coscieul
cia potica.
Segundo este principios, que leabo por
favor do re
que ainda \
odo.
Pret
que doporC
actor c proprietario do Phtrol,
[ por itso (car agraie-
> nnpi^ue, ttfzenfJb S. Exc
JpWfobredilo eslrangeiro, ex-
erci iurlsdicgo fri da provincj do Itio-
Graode dosul !! !
Riium teuealit.. ?
Pois devoras deportar tem essa signilica-
?So ? He doutrini nova, que n.lo eRtinte
n3o deve causar-grande esiranheza, porque
lem-se feito tantos progressos que nSo he
multo queasciencia cnminil Umbemfsea
o seu uo meio do movmenlsp geral.
a Mas he sempre bom que se convence de
que semelhanteaccepc3o.be umerro e urna
aso.... Segundo os principios mais corri-
quviros do direito publico internacional, o
bbbbM
llontem pelis 2 l|2 horas d noile, incen-
dou-se urna porcSo da cavacos em a serra
ra do Sr. Constantino, siti na rui di Priia;
mis antes de chegarcm as bombas do arse-
nal de guerra, j o fogo havia sido apagado,
tendo apenas estragado dous pranches.
Tendoobtido algumas gizetas francezas
que ilcan^im i 8 de julho prximo pissa-
do, vimos communicsr aos nossos nitores
o que nellas encentramos de mais impor-
tincii.
Franca.
Discutia-senaissembla legislativa des-
te paiy nina proposta do governo execulvo
estibelecondo o sello sobre i| ga7otis, qm-
si toda a imprensa parisiense tinba protes-
tado contra semelhante medi Ja ; mas Uso
nflo obstante, cria-se geralmente que ella
seria adoptada.
Os socialistas baviam alcanzado urna no-
va victoria, eleon lo o bom'conticcido re-
dactor k Pruse, Emilio C.irarJin, para
memliro da ssembla nacional ; porm o
luo fazia mas bulla em Paris era i deseo-
berta de um projtcto de assassinito contra
o presidente da repblica. Eis-aqui como a
(aela do$ Tribunau llonlm ( 5 de julbo ) pelas duas horas
di tarde, no momento.em que o8r. coronel
Vaudrey, ajudanle de campo dcs^rosidente
Mk>repblica, sabia do pateo dop*Mo, um
Tnancebo, em cuja presenc o inqaThtJfin
os.militares do guarda e os agentes policiies
ilpservicoa entrada da ra do balrro de
Saint-Honor linhim j rapando, lancou-se
precipitada Diente para a carxdBgem, cao
passo que ollftva anciosament^lara dentro
del la, #om a mb direitt meltida na algi-
beirle seu palito, pareca procurar ahi um
ohjeclo nceulto. Vendo qoe o presidente
l.io, a*oluco mas limpies, mataSBrgur.i e un
conforme a verdaqj he: que eiBs|k|talquer ge-
nero de liueralurar assim como B^siiiiura,
em inuslci. cir rsciilplura. em rCTiiieiiir.i
etc., etc., su pd.e viver seniprejoda a compo-
slfao que respirar o sentiinento liuuiutavel e
inalteravel do verdadelro, do bom, do bello,
que for a expressio eslhetica da natureza in-
ri" C Ct..nui.
Talve que por falla dcslas nofdes ou pelas
transcurar alguns pretendan! alardear de ro-
mntico assim na materia, como na forma ou
csiylo, usando em tudo, e por tudo de um mo-
do de diier, que elles bapUsao em romanlismn.
e que reatmeuie nao be, senio nauseabunda
pcdanlaria. E o que ve ni a ser para esses se-
nhorea o esiylo romntico? Um mosaico de
ponlos de reticencia, d'aposlrophes, d'excla-
ma(es, urnas prosopopeas d'eaergumeno ou
una conceitos d'alfenim, ninas meiaphoras
exquisitas, urnas iinageus gigatescas s pro-
prias d'od.s piudarieas, uni-
do novelUa e toda esta larr
rm urna Arla familiar, em
timenlallsinu
umitas vezea
seriaeo es-
icrologia de
o esiylo su-
ylo aleve de
estepede
6 coQ*JB)en-
classlca e roinanlica. Quando me dei ao eslu-
do da potica, fueram-me decorar urnas regri-
olas solo e o poema dramtico, que por serem
outros titftos caones irrevogaveis e lae* eram
os das duas hnida4es de temp" e de lug.n, '
deveremos hoje estar por isso? Com a de
venia, eti eni^nrtn*ja ^s- : p = ; ~. ~
nao esio fundada* narasao d'arle,. nem resul-
tain da ndole desse poema ; senao que vieram
ma autoridade nao bem entendida, e (Se
par o dito agente, assim Ihe fallou :
OSr. est deservico aqu, no he s-
sm? Pois bem qoein prender-me. lie esta
segunda vez que erro tj golpe, cumpro
pornto acabar com isso. Eo tnha vindo
aqu para assassnar o presidente, desdo
meio- lia que o espero, a sorte, pelo quo pa-
rece, n.lo quer que mou designio se oxen-
le, pois quando, ha pouco, una primoira
carruagem sabio, nrmei a minha pistola, e
a dispara-la, quando vi que no era o pre-
sidente quem nella ia, e sim outra pessoa.
Estis palavns fftnm pronunciadas com
um voz tremola c entrecortada que revela-
va urna extrema agitar;!lo. O agente policial,
o Sr. Lambfrt, para convencar-sa de quo
u5o eslava fallando com um lonco, apalpou
exleriormonle o lugir do palito que o man-
cebo linli. indicado com o gesto, quando
dissera que armara a pistola, ecom effeito
siinlio ahi a presenc de urna irms, da quil
se apoderou, era urna pistola cirregada com
bala, e nstava escorvad e armada.
Conduzipo logo i presenca docomms-
sariode polica da seccilo di presidencia, o
mancebo deelarou chamar-se Cenrges-AI-
fred Walter, terdezesete annos de idade,
ser compositor lypographo de proflssao, e
iH'.ir na ruaCherubni, n. 3, eni casado
seus pas.
Sendo interrogado sobre os motivos que
o levaram a conceber o pensamento do at-
tentado qoe confessav ter estado a ponto
d commeller, respondeu com bastante cal-
'na quo havia j alttum lempo que rehectia
neste projecto, e que linh tido sonhos que
Ihe demonstravam que seu destino o imoel-
lia fatalmente aattentar contra a ida do
presidente. Que entretanto em dilTerentes
nccasiOes tnha observado quo a vida do
presidente pareca sor protegida contra el-
lo por alguma influencia mais poderosa que
sua vonlade. Que o que se passra naquel-
lodia por duas vezes difTerentes, qaando
crondo v-lo sabir do Elyseo, tinhi reconhe-
cido que as carrua^ mis erara oceupadas por
outras i '.ssoas, linlia-llio provado que o
I ne illi- cia estar em seu destino n3o de-
va offectuar-se, e que isso ii tinha decidi-
do a iMitr.'[;ar-se voluntariamente prisio.
Elle deelarou depois que fn ni lojadoir-
meiro l.efaucheux, a qual fica na ra Vivi-
enne.^uc carregara com baila a sua pisto-
la na noile do ala aiilecedeole.
A respeito de suas opinies polticas,
elle disse que posto tivesse smente deze-
sete annos de idade, todivia depois dos
icontecim'ntos de fevereiro tnha sido um
dos ouvintes issiduos dos clubs lilauqui,
Itarlii e Viliin. Que desde entilo continua-
ra a ler hibitualmente as folhis as mais
x.lilailas. Elleiflirmou nSo ter communi-
cado a ninguem o projecfb do asstssinito
que formara, asserqilo esta qrle foi confir-
mada por Mr. li' i ere, em cuta casi traba-
Ibava, e onde so olisenruatMuo, deixando
Je trabilbir muitos dii.~ VHru .recebindii
por conseguinle ordinariamnnt anfio urna
quantia mui pequea, todava tiqha sernpro
dinheiro, e fazia grandes dwpezas. *.
Georges-AII'reil Walkur foi posto a dispo-
sifSo da polica.
Inglaterra.
O ministerio inglez tinJiMoTiiJo umi no-
va derrrot na eamagiJjssJHprds, a propo-
sito da discusso do fonBs1^'>Mleitores
parlamentares da Irlanda. ^^
O marque/, de l.ansJownaiBropoz que o
ininirtum do censo para caoerir aos pro-
pnetarios Irlandezes o direito de votar, fos-
se Oxido em 8 libras esterliuas ; mas a c-
mara adoptou a propostl de lord D jsart, que
(xa essfjBjpiii imum eoi 15libras.
O mirrterio procurou a principio transi-
gir sobro a somma primitiva, elevando-a a
12 libras ; mas levo o mesmo successo em
sua segunda proposta qu na primeira.
" A maioria quo pronunciou-sn pela emen-
i---------------- .-3ZB
9-~
t>i incipios arbitrarios.
Cdh "
e este pe
convenii
orBlorii
colar, en) um artigo ou em
peridico, tflzein que ado;
bliine, sem- attenderem que
harmonisar com o assumplo;
rasgos sublimes, o esiylo prop__
t he o simples e desfiido deaiavtos OFfWriol
pois, aelocu^ao, einpregar imagens,
ver slcetos^para diser coeaasordin.-irisv
s e comeslnhas, o mesinoJM, que veatir-
ama em grande loilc para ir tomar
o no rio.
Has uca cada qual o q'entender; qu'eu
^^Hfero nem avro arvorar-uie em palmito
ra do inundo ; e dciiaudq, essea pealo* um
controversos, parece-e qu''sobr'cM ques^*pouco cspluhosos, continuemos com a poesa
. i'll'eiio a iinidade de lugar nasceu da
naior parte das tragcola* gregas ituilaieni nina
acfo que se completa em um sd lugar, e do
prrennecilo de que o ieatro grego he uin ej-
emplar perpetuo e exclusivo de perfei(o dra-
mtica. A unldade de lempo leve origem em
una pasaageiiLdo referido Aristteles, o qua
eoiuo mi beui pondera Schleger no seu eursn
tlt lilitralura dramtica, naocoulm picceito se-
o .simples nlu i. d'un laclo, isto he ; da
pratica mais geral do theatro. grego; pois que
iffo grande phlloaopho quizesse realmente es-
Tabelccer una regrad'arte, esta sua frase teria
dous inconvenientes, o de nao exprimir urna
idela precita, eyie nao vir acpmpanbada de
neohuin raciocinio,
Quando ao depoisappareceram hoinens, que
nao se cruzando a autoridades, ped iran ara-
sao dessas regias, os seus fautores nao soube-
ranz dar, Seweo esta : que como quer que o es-
pectador fjftata realmente i represenlafo
de umaacepb, lorna-se para este inverosmil
que as dirers.it panes desta succedam em di-
versos lugares, e que a mesma necio dure or
longo teenpo, alias sabendo elle que est fixo
em um lugar, e que so poucas horas tem gas-
to em observa-la. Esu rasao fuoda-se evideu-
ii- as julgauVwfl
IragediaUlUltas^jj
simis, qvfjkfjiP
teniente em um falso supposto, e vem a ser;
|ue o espectador all esl como parte da ac
V.io,i quando pelo contrario este nao he seno,
por assim dizer, urna mente extrnseca, que a
contempla : pelo que a verosimethanca nao
deve nascer nelle das relaedea a'acfo coiu o
seu modo actual de se; mas das relaves que
.tra as oivciaas panes u ac(.-i i.
do, pois, se considera que o espectador
lora desta, desfaz-se todo o argumento em
r.ivn'dSk unidades.
Aluvdisto, essas regras nao ^fl^ftm analo
g!.l com os outros principio* d'avSbMttidos
por aqucll*>a_iuesinos que
i ias. E em en*J|)Ja.na trage
se adinttem eptu Veros'
i i.iiii, se se Ihcs applicasse o principiosubre o
qual se estabelece a necessidade das duas uni-
dades, isto he; que no drama representado so
sao verosneis aquelles factos, quede tal arte
ariiiouisjiu com a presenta do espectador, que
Ihe possam par*ecer reaes. Quera dissesse, por
exempio. Aquellas duaa personageirs que,
fall.nu entre si sobre cousas secretissiinas, ai-
severando eslarein' sos, desdroem toda a illu-
s.io.- porque eu sintg que Ibes estou visivel-
mente presente, c os vejo expostos aos Iras
d'uina mullidao siiu quem tal disicssc, (aria
a inesma objecfSo que fazem esses crticos aos
dramas, einque se despresam as duas unida-
des. A esse hornera s una ret
dar, e be ; a platea, o auditorio nao entrara na
pe(a. Aquelle que procuraaae e motivo, por
que o falso principio tambera se nao tenha ex-
tendido a estes casos, impondo-so usis esse
jugo arte, relo nio o encontrara, senao era
se dizer, que para taes casos nao havia periodo
algum em Aristteles.
(enirr-*i.)
r- -~""W


. rf.,,y:-'


!2!
da ile lord Desart, e contra as proposU do
govcrno, foi de 72 votos contra 50.
Ao passo que o governo inglez fora assim
derrotado na cmara don lord., a cmara
doscommuns'tpprovra depois da urna ca-
lorossima discussflo, a proposta de Mr.
Itoebuck, dando usi voto do confianca ao
mesmo governo.
Trosentos e dez membros votaram om fa-
vor da proposla e 264 contra ella.
Kobert Pate, o individuo que atacara lti-
mamente a rainha, he geralmente conside-
rado como louco. Eis-aqui o que aseu res-
peito se IC no Norning-Herald :
Nos primeiros momentos de sua trasla-
dado para a casa dedetenefio, Itobert Pate
permanecen mui sombro. Elle pareceu ad-
mirado de sercollocado em urna celia ordi-
naria. Ilontem perguntaodo o que o pu-
blico pensava deste negocio, accreacentou
a Sem duvida as gazetas fallaran) milito
nelle. *
Pate parece sobretudo atacado da mana
de fazer fallar de si; pois ha tres para qnatro
annos, fez correr na cidade circulares pelas
quaes reclamava a cora de Inglaterra, em
qualidade dn descendente em I i n ta recta de
llcnrique VIH.
Esta elucubracS, a qual foi afiliada
as portas de Temp/-arcootnha um gran-
de numero de citaces tiradas da escritura,
efoi geralmente considerada como obrado
um louco.
Este desgranado era lambem muito co-
nhecidoem seu distrielo ; porquanto fazia
parar as senboras mais respeilaveis ; per-
gunlava-lhes seus nomes, e depois olbndo-
ascom ar espantado as impeda de repente
para longo de si. Estas dillerenles cir-
cumstancias, e sua attldude ordinaria as
roas faziam-no passar.por uiua iutelligen-
cia frica.
Bussia.
A Priue de Brumn annuncia que o impe-
rador Nicolao resolver formalmente abdi-
car a corda da Itussia no primeiro de de-
zembro prximo futuro em favor de seu i-
Iho, o berdeiro presumplivo da mesma.
motivo desla resolucSo dizem que he o de-
sejo que tem o Czar de que seu tilho suba
desde ja ao throno, a fin de que sendo as-
sislido por seus conselhos ataqese ache
em estado de dirigir-se por si mesmo, pos
sa nao ficar exposto ao perigode vir a ser
preza de partidos odiosos que na Itussia
sempre se tem formado por oecasiSo da
elevaeflo ao throno de cada soberano novlV
Outros dizem que o motivo desta resolu-
cSo do Ciar he a crema em que est o povo
russo, fundada om a profeca de um mouge,
que nenhum soberano pode reinar mais de
vinte e cinco annos, sob pena de perecer d
roortc violenta.
Finalmente dizem tambem outros que o
motivo da resoluto do Czar he o desejo
que elle tem de gozar das locuras da vida
privada, e aflirmam que fallando recente-
mente em Varsovia com um personagem
distincto, se expressra da maneira seguin-
te:-- Estou fatigado,aos mocos que hito de
tomar depois de intm as redeas do governo
toca resolver semelhantes dillculdades ; po-
rm isso quanto antes, pois releva urna
prompta resolucio.a
Dinamarca e Pruuia.
Esta finalmente, concluida a paz entre
estas duas potencias.
Eisaqui algumas das lisposices do tra-
tado celebrado entre ellas, segundo com -
municou Independence ttgt, o seu, cor-
respoudente de Uerlin :
As tropas neutraa tanto prussia as. co-
mo suecas, evacuartm os ducados. Orei de
Dinamarca podera portento occuparSchle-
swing e administra-lo ; mas nSo podera
oceupar llolalein.
Se dentro do prazo de|tres semanas os
estados da confederado nfio liverem rectifi-
cado a paz, haver guerra entre a Dinamar-
ca e a confederacBo. *
...Um protocolo relativo > questSo dina-
marquesa, foi assignado em Londres pelos
plenipotenciarios da Franca, Itussia e In-
glaterra. ^S '
Kste protocolo garante primeramente ao
re d Dinamarca a integridade de seus es-
tajaos, e depois approva a negociado abert
)p*a. jiiesnio parachegar a esle llui.
%> prncipe de llesse devei renunciar seus
diXilotrao tlirOeo de Dinamarce. Os direi-
tos das familias de AOgdslembtirgo eGlais-
berg silo postos de parte, duque de 01-
demburgo lie qem dever succeder sii-
mente ao throno T|**iesmo piiz.
A Prenla per sua parte renuncia suas
preleucOes sobre urna paite dos ducados
em qualidade He representante de ramo de
llolstein-Cotlorp.
As potencias signatarias, obrigam-se li
plmenle a concorrer para a conclusio da
paz. -v
A Suecia e a Dinamarca sssigUtram o
E retoclo; porm, a Prussia refusa. O em-
aixador da Austria pedio inslruccOes sua
corle para saber como dever obrar neste
negocio.
perdoar, e dfficil em sevingar. NSo se de-
ve maravilhar alguem de o nosso csro ami-
go contar alguna desairelos, a drspeito de
tro brlhantes quilidades : a poca o a pol-
tica explica m esse phenomeno, e quando
nSo concorrosse a poltica, o seu merec-
mento pouco vulgar bastara para osalra-
hir. Um dos maiores benemritos de Roma,
passeava em suas pravas cabisbaixo, o de-
plorando niio ler inimigos; porque, dizia
elle, he urna prova nflo equivoca de que os
nious talentos, e virtudes nSo sSotle gran-
des quilates. Immiando a Cincinatoo nos-
so amigo, jamis foi surdo aosbradosdi
patria !
Quantas vezes deixou seos trabalbos a-
gricolas para acudir aos seus reclamos,e de-
pois volva a elles contente, sem voltar um
squeixme, sem fazer urna s exigencia.
Ob .' niio he possivel morrer-se mais cober-
to de beneflo Morrer I Um da tocar a
todos ; mais morrer assim, nom todos mor-
rerfioi
Consola-te, familia amargurada .' porque
tiveste a dita de ter um tal chefe que vlveu
bem, e bem morrou, abencoado por ti, por
seus parentes, a quem honrou, por seus a-
migos a quem muito amou, e pela patria a
quem servio at o seu passamento, (cando
sua memoria enobliterada na ierra que o vio
nascer. Daos de AbrahSo, de lsacc e de Ja-
cob, s indulgente, perda suas culpas.
F.
Repartir o da polica.
PAUTE DO DA 24 DE ACOST DE 1850.
Fram presos : -ordena do sublelegado
da freguezia de S -Frei-Pedro-Coiiijalves do
Kecife, Joflo 11 i ti>L.i, "por furto; Luiza
Mara da Conceiclo, por briga : e ordem
do subdelegado da freguezia da Boa-Vista,
Jos Pedrozo de Almeida, por estar armado
com urna faca de pona.
*SSHSHHBBHBB
COMMEifrCIC.
ALFANOEOA.
Rendimento do da 24 .... 14:802,801
Oescurregam hoje 26"de agosto,
arca Wi//a!/i-/mse/**mercidoras.
Brigue Aron dem.
Brigue -- Tolof farioha.
CONSULADO CERAL.
Rendimento do da 24 .
Diversas provincias .
120,545
6J34
126,679
Communicado.
l.ma mui umtida lagrima pelo pai de familia
modulo, pelo amigo raro, peto cidudio pris-
lantissimo!
l Z?. iZiupi "" uu OS V'
lea, o Sr. commendador Jos Mara de B
Brrelo .''No da 20 de agosto, um al _
apopleticoJhearrebatou a preciosa existen-
cia aos 57jH|osde sua idade,deixando mer-
guljaajai dor, uiiia mui dgita esposa,
aaptyljsnoanira, e tres lilhpa*ue llie her-
ram s virtudes. Oh trea le da morte.
icoJbe
To aml
>s vrt
qum jamis escapou ao leu imperio I Era
cedo ou nunca seria tarde Sua fam lia tu
^^^ da esperava muito delle seus amigos inda
T nfio Ihe lisAam pago a immensa divida de
Wr^ graldSo, ea palria inda iifio eslava satisfei-
W la com o relevantes servidos ja prestados'
L #niuda esperava muito desse tilho bem amadoi
~- Em 1793, nasceu o nosso sempre lempra-
do amigo de pas mais Ilustres por suas
ccoaa, que por nascmeuto, e depois da pr-
meira educacSo literaria assenlou, segn -
lo o exemplo de seus maiores, dedicar-se
vida agrcola ; na qual, entrando com nin-
goaiiua ccurs, po forja de trabalho
iudefeaao adquirir alguma fortuna, que
seria mui avultada, se elle nSo fra do-
tado peloa ecos de um corac.no nimiamente
aenaivi'l.e extraordinariamente valedor. Al.!
digam os pobres que a elle se aoecorreram,
e (ligara os amigos que dillocireceram !
Como amigo era extremoso, ecomoinin.-
go era meaos tem vel, porque era fcil em
EXPORTACAO.
Despacho martimo no Ha 21
Bar.'ido ia, polaca hespanhola Carinhosa,
de 161 toneladas : conduz o seguale : 534
saccas com 3,050 arrobas e 17 libras de al-
godSo e 25 cauros seceos.
RECEBEDORIA DE RENDAS GERAES
INTERNAS.
Rendimento do da 24......363,031
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do da 2'i......449,233
PRAQA DO RECIFE, 24 DE AGOSTO DE
1H0. AS 3 IIOIIAS liA TAIIDIi.
Reviila semanal.
Cambios As transacr,Oes da semanf1
effectuaram-se a 27 1/2 d.
por 1,000 rs. tendo a the-
sourara de fazenda tomado
oilo mil libras sterlinas.
AlgodBo---------Foi procurado e obieve o
prec.o de 7,000 a 7,200 rs
por arroba o de prmeira
sorte, e de 6,600 a 6,800 rs.
o de segn la.
Assucar- Os precos sSo nominaes
em cousequencia de baver
mui pouco, resto da safra
Onda.
Bacalbo Retalharam-se cerca de 500
barricas aos precos deII a
12,000 rs. Ficaram om ser
1,500 ditas.
Ureu ----- Vendeu-se a 5,800 rs. o
barril.
Bolacbioha -dem a 5,000 por barriqui-
ntia, dos EsladM-Unidos.
Carne secca Rom que chegasse um car-
t regao-ento de 11,000 arro-
bas, os precos mellioraram
e obieve do 2,600 a 2.80O rs
por arroba. O consumo
foi regular.
Carv3o de pedra Vendeu-sc a 10,000 rs. por
M tonelada.
Chumbo -flV OderaunicBo foven-lidoa
16,000 rs. por quintal.
Cobre---------- Vendeu-se a 660 rs. por-li-
lira oe cildeireiro.
Farioha de IrgD O deposito monta a 2,400
barricas, inclusive 600 che-
gadas de tranca, ofio ha-
vetido no' mercadeada de
Philadelpliia nem da de Bal-
timore.
Louca Vendeu-ae de 215 a 220 por
ceuto de premio sobre a
factura, da ingleza ordi-
naria.
Manteiga-------dem de 480 a 500 rs. por
. libra da ingleza, e de 400 a
,_ 410 rs. a da franceza.
aWnart nnrln t J*fcnrvni(ln Ja
{/vios, apenas temos no afll'oralouro 37, sen-
Vraf do : 2 americanos, 27 brasileiros, 2 trance-
zea, 2 hespinhes, 3 nglezes el porlugue*.
6; o mascavdo, 36 a 3; baixo trjgueiro, 97
6 a 28. Os de Madras sfio geralmente des-
pezados, as nicas boas qualidade* live-
ram sabida de 3,300 saceos de brancoflno
a sli. 43 6. Os assurares estrangeiros per-
manecem firmes, posto que com menos ne-
gocio. Cotaram-se, esta semana um carro-
gamento de asaucar branco da Babia, a sh,
23 o quintal; algumas mil caixas da lla-
v.nina dispotiivein, aos ltimos prados;
1600 caixas dito a remetter para um porto
visinlio, a sh. 20 6; 2,700 caixas dito flore-
te, a sh. 22 ; 4,000 saceos dePernambucoa
16, 6; 8,000 saceos de Ma nilha, a 17 3,1,221
barricas de Porto Ricco, de sh. 36 a 43 pelo
trigueiro de qualidade boa de especiara.
O nosso deposito esta avahado em 43,921
lonneladas de aassurar colonial, e 33,174
tonneladas de asaucar estrangeiro, contra
40,895, e27,200 toneladas em 1849.
Ilojeteve lugar, conforme a legislacBoero
vigor, urna redcelo de sh. 1 e 16 sobre os
diretos de entrada que se Jxaram ago-
ra a sh. II paraoassucar inglez, sh. 17
por quintal para o assucar estrangeiro.
Caf
A procura conservu-.se bastante frequen-
tada anda que sem grande entrada, porm
os precos permanecen) mui firmes, com
pouco genero venda. Trataram-se, esta
samana, cerca de 5,000 a 6,000 saccas de ca-
f nativo de CeylSo, sobre a'base de ah
43 6 para o bom ordinario; quer 6 dinheiros
cima da cotaco precedente.
As boas qualidades das plantacOes foram
assaz procuradas, aos preces de sh 65 a 76
friura o bom ao fino colorido, e at sh. 81
para as bbas marcas; as aortes mediocres
valen) sh. 54 a 63, e os ordinarios, 43 a 63
Moka, sh. 55 a 75, com algum negocio. Oa
outros provenientes de paz estrangeiro es-
tilo em calma ; so se cita um carregamento
de 6000 saccas de San Domingos, tratado
para llamburgo, a sh. 38. Deposito 14,164
harneas, 100, 162 saceos de Ovlflo, con-
tra 3,208 barricas 95,479 saccas, no anno
passado.
AlgodSo.
Os negocios foram anda activssmos esta
semana, principalmente desde a chega Jo da
mala hebdomadaria dos Estados-Unidos.
I'agou-se, nestes ultimo* das um adianla-
mente dn l|8 pelos algodOes de Surrate, e
l|8 a 1|4 pelos de Madras. Annunciam-se
em praca publica, para o da 11 do correle,
1,300 saccas de Surrate 150 saccas ds Ame-
rica.
Vendas da semana ; 900 saccas da Ame-
ric^miJdijng atniddling faiaj.de 7a 7 l|4
irnheiro ; 6,450 saccas de Surrsto, middli n-
a gwod fair de 4 5|8 a 5 5|8, e 50O Saccas de
Madras, middliog a gwod fair Tiiieveitv de
5 3|8 a 5 7|8. *^*^ ^>,
luipurtaces em junbo, emafliadres: 5,649
caixaa, contra 4,502 em 1849 : sabidas di-
to : 3,545 caixas das quaes 3,853 para a ex-
portado }, contra 1,972 em 1849. Deposito
existente no mercado, at SO de junbo:
29,064 caixas, das quaes metade pouco mais
ou menos em segunda,mSocoulra 31365 cai-
xas, o anno passado. Em assucar de Rngala,
temos 25,184 caixas, contra 27,083 ao 1.* de
jultio de 1849. ImporiacOes do semestre:
16,225 caixas contra 17.251 em 184, tf
I2,5;<8ea) 1840 a consumo dito: 12,197 cai-
(dfq5 11,370 (rara ma>rlo contra 14,8481 das ,,USM |O,067 para a ex-
portado ) em 1849. Resulla deslas cifras
que o consumo foi um pouco menor esle n
no, porm a exporlac&o de 1,500 caixas
uaior.
.Da safra de 1849, foram mandadas para
Londres 20,000 caixas, das quaes 12,500 re-
cebdis, e 7,500 anda por receber; dtqui
a dous mezes, nSo se esperan), todava mais
le 1,000 s 2,000 caixaa. Da safra de 1848,
foram enviadas 26,000 csixas para Londres,
e falla-nos a receber, na mesma poca,
5,600 caixas smento. O deposito remanes-
cante em Galcults, as ultimas datas, era
cerca de 2,000 caixas, saldo da presente
campaoba. Nada se pode alada dizer da sa-
fra futura.
lo corrente, sendo a arrematacBo sujeita
diretos.
Alfandega de Pcrnambueo, 24 de agosto
de 1850.O inspector interino, Dent loti
Fim/itidii Barros.
JDeolnragdes.
NOTICIAS COMHERCIAES.
Londres, 0 dijulho.
Assucar.
Foram menos activas, nesta semana, as
procuras para o consumo e especulacSo
todiVia, houve transacOea asss considefe-
veis, sendo parte para a reexportacSo, a
Lprecos mui sustentados. Nos de nossaa An-
tilhas, nSo, estado o morcado bem abasleei-
do pelos possuidore, fizeram-se vendas so4
mente de 95 barricas, porm aos precos
extremos da ultima cotacSo, e at mes-
ma occasional mente a favtfr de sb 36 a 39 o
quintal pelo baixo a bom medtanno, e de
39 6 a 43 pelo bom ao lino. Dos ds% Mauricias,
veniiersm-se em'eilSo.poucomais oumenos
9,000 accos, a prec.os firmes pelasboas qua-
lidades, porm um pouco fracoajppelos ou-
tros: assucar de batanea.baixo aoordinario,
sh 36 a 36 6,dito de relinaria, 30 a 36. Os de
Bengala tiveram sabida de 6,500 saceos, os
brancos de llenares conservaran) bons pre-
(Oi, mas tambem baixaram as qualidades
inferiles. 0 brauco de Benarcs, sb. 38 a 42
oviDjento do 'orlo.
Nato sahide no da 24. ,
Barcellona Sumaca hespanhola Carinho-
sa, capilfio Thomas Fabregas, carga al-
godflO. ^^
Navios entrados j^g^tD.
Baha 9 das, InalejsjHRll San-Joio, de
41 toneladas,inestrVVroo Vioente Ferreira
Pasaos, equipagem 7, carga varios gene-
ros ; a Antonio Jos Kernsn.des de Garva-
Iho. Passageiros, os Brasilejros Ignacio
Manoel do Coulo e Anastacio Jos.
Rio-de-Janeiro 20 diaa, barca ingleza Car-
Moa,'de 40* toneladas, capillo Gsorge
Jonnes, equipagem 15, em lastro ; a Ja-
mes Ryder & Companhia.
Parahiba 2 das, hste nacional Nosia-
Senhora-ffhNevts, de 1*. 1/2 toneladas,
meslre lleBTique de Spuza Mafra, equpa-
fem 4, carga toros de maugue ; a Jos da
Uva Mendonca Vlanna. Passageiro,
Brasilelro Antonia. Toleutino de Mello.
Navio sahif no mesmo da.
Ro-Grande Jo aul Patacho nacional, pa-
ireo, mestrffJq<|.lgoacjjpFerrers, carga
assucar.
Ob$trvacies.
Fica a entrar na barra o brlgne-escuna de
guerra Caliope, que vem do Fernando.
que nSo Uve comuouuieai;fiu com a Ierra.
KD1TAKS.
--Peranle acamara municipal desla ci-
dade ir nica nos das 18,19 e 26 do cor-
rente, para ser arrematada por quem me-
nos fizor a ohra de um cano de pedra e cal,
na estrada denominada-Cruz d'almas.-- Os
inleressados pdeui comparecer nos men-
cionados das na Casa da mesma cmara,
onde se Ins apresentar o respectivo orca-
inenlo.
E para que chegue a conhecimento de
q'jeui convier,*e mandou publicar o pre-
sente.
Hago ila cmara municipal do Recife, em
sessedes de agosto de 1850. Frantiieo
Anlonio de Otwelft, presidente.Mmo* |-
rsira Aerioli, ssertr< interino.
Pela inspealoria da alfandega se U
blico, quenodik 27 do crrante na ra
ds9iema, depois do meio-da, se hSode
arrematar em hasta publica, 356 volumes
impressos, de diversas obras, por factura
um 1,094 res, total 280,064 rea ; impugna-
do pelo ajudante dos coafcrouiet .Firminu
Jos de Olireira, no despacho n. 270 de 32

De ordem de S. Etc. o Sr. presidente da
provinoia.o Sr. director do lyceu manda por
a concurso as substituyos das esdeiras de
latim ede philosopliia do mesmo lyceu, e
bem assim s substituido de primeirss let-
tras do sexo feminino desta cidade, e na or-
dem seguinte : a de latim com o prazo de
30 dias, a de philosophia com o de 50 e a de
primeras latirs com o de 60 : todos conta-
dos da data deste. Adverte-se, que ooppo-
sitor i substituicSo de latim tem de ser exa-
minado tambem em llngoa nacional, e o
subsliluico de philusophis igualmente em
arithmtlca, algebra, geometra e trigono-
metra. Secretarla do lyceu, 19 de agosto
da 1850. ~ Januoro Alixandrino da Silva lla-
btllo Caneca, professor de desenho e secre-
tario.
Pela segunda secelo do consulado pro-
vincial annuncia-se sos Jevedores do im-
posto de 20 por cento sobre o consumo d'a-
go'ardente, que o mesmo se schs a (cobrar,
sobre a base de 400 rs. por caada, na for-
ma da decisfio do Exm. presidente da pro-
vincia ao recurso que hsvia a semelhaote
respeito.
Tendo o inspector do arsenal de mari-
nha de contratar em virtude de ordem de
S.Exc. o Sr. presidento da provincia, a re-
messa de varios objeclos viudos da corte,
para seren enviados s provincias da Para-
hiba e Rio Grande do Norte* convida aos
capitula ou mestres das embarcacOes mer-
cantes nacionaes ou estraogeiras quo se
destinen) s ditas provincias, e queiram
tronsporlarjjS frete os citados gneros,
cutendereni eom elle, aliin de contratarem
a raipeito.
InspeccBO do arsenal de marnba de Per-
nambuco, 22de a gosto. de 1850.
O arsenal de guerra contrata a compra
de barretinas e bonetes para s companliia de
cavalluja de linba desta provincia, assim
como panno azul para fardamento da mes-
ma, brim branco para calcas, pares de co-
turnos, esteirss de Angola e luvas brancas
de algodSo trancado : a quem convier com-
prela com sua proposla, na sala da dinee-
toria do mesmo, no da 26 do corrate, ao
meio-da.
Pela subdelegada do Recife se fez pu-
blico, que no da 30 do corralo- foi recoihi-
do cadea o prelo Juo, o qual diz ser es-
crsvo ds viuvs de Manoel Cavatcauti do Gi-
qui. O seu verdadeiro drftio dirija-se i
mesma subdelegacis com o respectivos ti
lulos, para Ihe sor entregue. .
Trleatro de Isabel.
15.' RECflTA DA ASSIGNATURA.
Quarta-frbrn, 38 de atollo de 1850.
Representar-se-ba depois da execueflo
de orna agradavel ouvsjpra, o eicellente
is^u
drama em cinco actos eum prologo
PEDRO CEM, i
gm itr^levt e agora nao Itm.
A parte de talvina filha de Pedro, ser
feU pela Srs. Felismna Mara Sabina da
Gama. I.
Rematar o espectaculq a graciosa e nte-
ressaute comedia em 1 acto
OSIRMA'OS DAS ALNAS.
Comecar s 8 horas.
Os bi Dictes acia m-se a vonda no lugar do
costume.
Ib i ca cao litie r a r i a.
jibe
Acaba de ebegar de Aisboa o excellonle
romauce ^
Christina de Staiaville
ou
Os effeitosda boa on m educacao:
Este romance mereceu tanta aceitacSo
naquella cidaaVa, que em poucos diaa se ex-
trahira'a) o mehorde mil exemplaros : ven-
de-se a 2.000 rs. os dous volumes, ni livrs-
ria da Independencia, ns."6 e 8______-
Avisos mar i timos.
Sague visgem, em poucos dias, para o
Rio-Grande do sul o brigue nacional Maga
no, novo'e deauperior marcha : recebe car-
ga a frete rasoavel, e lelo asseiados commo-
dos pasa passsgeiros : Irala-se com o con-
signatario, Leopoldo Jos da Costa Araujo,
na ra da Moda, n. 7.
Para o Cear, seguo st 31 do crrante
s escuna nacional Emilia, de que he cap-
tilo e pratlco, Antonio Silveira Macel Jnior,
coma carga que al essa dala tiver a seu
bordo : quem na mesma pretender carregar
ou r de passagetn, entenda-se com Joiio
Carros Augusto da Iva, na ra da Cruz,
armazem n. 13, ou com o capitBo a bordo.
Freta-se para oa portos de Inglaterra,
ou Mediterrneo o brigue inglez Avon, de
primeirs clssse e do Iota de 181 tonelladss :
trata-se com as coiiss-aatarios Rozas Braga
" Vende-ae urna barcaca nova, construi-
da em um estaleiro particular, em Cururi-
pe: os uretendenles dirijam-se ao-Forte-do-
Matlos, onde se acba tundeada, ou na ra
do Codorniz, taberna n. 10,
Para Rabia sahe em poucos dias o, bem
conhecido hiato San-lodo : para cargas pas-
sageiros, trata-se no Forte-do-Maltos, com
Anlonio Jos Fernandes de Csrvalho.
aflaaaHaiiiiiiiii ........ aa
Leilo.
' No da 36 do.caf renie, se ha de arrema-
tar em leilSo a porta do armazem, n. 14, na
ra da Madre-da-D.'oa, todos os gneros
molbados nelles existentes, bem como to-
los os hers nioveis.eseravos, joias, ele, per-
Domingos Jos, da Cu-
uaes bens sSo.vendidos
cradores, ccao foi de-
o juizo da prmeira vara do
s que qulzerem tancar, de
recer em a manbSa do mencio-
10 horas do lia.
;rstfGompinhia faroUl-
po, ppr intrveiiQilo do corretor Oliveira,
de um sorlimento gerai de fazendis .ingle-
zas as mais propriits do morcado : segunda-
cvel : as
nado da,
Itusse
feira, 9J5 do corrite, s 10 horas ds ma-
nhSa em ponto, no sou armazem da ra do
Trapiche-Novo.
Leilo de rmnteiga francezi.
Terca-faira, 27 do corrente, se far leilio
de 40 bsrrls e 60 meios de'mantoiga, de-
fronte da porta da Alfandega, (as 10 horas)
em lotes de 3 barris e tres meios : roga-se
aos protendentes que nSo se esquegam de
apparecer.
Jolo Keller cV Companhia farflo leilSo,
por intervencSo do corretor Oliveira, de um
completo sortiment de fazendas de seda,
"inlio, ISa e de algodSo, todas proprias do
mrcalo: quarta-feira, 28 do corrente, s
10 horas da manhfla, no sea armazem da
ra da Cruz.
D. W. Baynou, cirurgiBo dentista, den-
tista, leudo de retirar-se brevemente para
fra da provincia, far leilSo, por interven-
go do corretor Oliveira, de toda a raobi-
lia do sua casa, consistilo em mess de
meio de sala, soph, bancas de jogo, cadei-
ras usuaes, ditas de bataneo, ditas de bra-
fos, aparadores, marquezas, mess de jan-
lar, quadros, jelusias, toucadores, mesas
de differentes tamanhos, um sellim, um
silhflo, loucas, vidros, objecto de cozinhs,
relogio deouro, dous pares-de brincos de
diamantes, e muilos outros objectos uteis :
sexta-feira, 30 do corrente, s 10 horas da
iiianlma, oa ra do Trapiche-Novo, n. 14,
nos terceiro e quarto andares.
Avisos diversos.
m
No fia 34 do corrente furtaram do sitio da
estrada do Pombal, de Joaquim Fernandes
de Azevddo, unicavallo alaaSo, carregador
baixo, bastante faca, com urna eafoladura
na miio direitaaje urna queda que ha multo
lovou, e urna outra no espinhaco, procu-
rando a anca. Este cavaliu foi tirado da es-
tribara com selim e freio Inglez anda ero
muito bom estado, e isto pelas tres horas
da larde por um cabra que trabalbava no
mesmo sitio, de-oome Filipe, o qual levou
caiga de algodSozliiho azul coa titiras
brancas, camisa demadapolii e chapeo de
palha j velho e grande. Roga-se s todas as
autoridades policaca hajam de reparar e
capturar este ladrfio l&o audaz, e qualquer
pessoa que encontrar dito esvailo o levar
ao mesmo sitio, ou na ra do Crespo, a Ma-
noel fjoaquin Fernandes de Azevedo, que
ser g ral idead a.
Aluga-ae acasa da ra doMondego, n.
56, com quatro grandes salas, cinco quar-
tos grandes, sendo estes com janelias, am
sollo com os meamos quartos ejanellas o
quatro saldes, urna grande cozaka fra com
tres janelias e urna porta, dous rogjs, sen-
do um delles de ferro le duas chapa o o
outro de pedra e cal, tres fornos, Cando um
delles de ferro e os dous de podra a eal com
portaa do ferro, grande quintal murado com
flores, larangeiras, pinheiras, flgueiraa, ro-
meisa, bananeirase canelleira, quarto. pa-
ra feitor, dito para pretos, eslribsria para
trea cavallos, um grande galinheiro de pu-
dra e cal, latrina de aboboda a cacimba com
boa agoa : quem o pretender, dirija-se
mesma casa. qu w^*_*""*. i1^T"i",
I O pr. J. S. Santos Jnior,
*medrco homueopatha, ullima-2
atente chegado esta cidade,*
"li consultas todos o dias otis*
em sua oasa na .ra do Crespo,e>
n. lo, primeiro andar, desde*
fas 7 iteras da inanhaa at s a5
da tarde.
* N. B.ipobres scrao lra-J
Stados e visitados gratuitamente.a
?
Qaem precisar de urna criada portugue-
sa, proximamonte chegada, com idade de
40 annos, propria para aeger urna casa de
homem viuvoou d~po*ea familia, dirija-se
ra da Cadea de Santo-Antonio, a. 21,
segundo andar.
-- Manoel Jos Pereira, sus mulher Rosa
de Medelros, e seus (litios menores Hara,
Eufrazia, Maris Luduyioa, Antonia a- Jos,
todos subditos portuguezes, retiram-se pa-
ra Mossamedes. ,
Precisa-se de um caixairopara tomar
conta de urna venda, e que d fiador aua
conducta : no lurgo da Hibeir JdsjaJjan-Jost',
n. 3.
A pessoa que no /Jimio de sabbado n.
189 sonuuciou querer saber demorada -de
Antonio Pereira do Uliverr* Ramos e de Do-
mingos Jos Ferreira, queira dirigir-se
praca da Independencia, Foja n 19, ou an-
nunce a sua morada para aer procurado.
Precisa-se de um rspsz porluguez, de
14 a rf annos pouco mais ou menos, para
caixeiro le urna casa de negocio de fazen-
das e molbados em itio-Formoso, e que d
fiador a sua conducta : quem estiver neslas
circunstancias, dirija-se ao largo doLvra-
ment, n. 20, a tratar con Joaqun Correia
de Itezende llego. |
Telegrapho.
O n. 6 deste peridico est intoressantis-
simo : vende-se nos lugarerj annuuciados.
Precisa-se 4j) juas pequea que tenba
.. --.:,. Iw.T/-. ... ,,, ,|. >..-
... k'-"--------:sh: w -----
Vista, n-32. ^*".
Aluga-se um armazem proprio para
qualquer atabelecmemo, na rus do Eu-
eantamento : a tratar na ra da Cadea do
Itecife, n. 3, botica p
NaoccasISoque se balanciava hontam
a taberna da Cinco-Paotas, > 9S, desap-
pareceu, delta, ou na conduccSo da taberna
a casa n. 67 da mesma ra, um l*ro de
coutas crranles, perlencente a lo
do lioado Manoel Ferreira Dinia,
alem dd serncadernado, lenVu
brim paulo liso ja algum tanto 6,
ainla tem a maior parte das folha
co ; e como de sjajuiira alguma possa in-
teressraoutreaqua,uaosejs do, casal do
finado Diniz, roga-se a quem o ten ha era
seu poder de o mandar levar a* Cinco-PWi-
las, o. 67, ou 83, onde se dar por elle urna
gratliicacao bastalemente goneroaa, mi
a ni....ca. IWCtfe, 22 de agosto
O Zoilo.
, Sabio luz o primeiro numero
'rladico, e vende-sa a 200 rs. o
ivrarias da rus do Collegio n. 9, o do pateo
Urgi', livro azul. as mismas lujas
assigna-so a 500 rs. por tres oumeros.
.
i 11 r a i v r i


"
mi";
Babia,-por
-- Dfio 900,000 r. i premio lo dous por
canto ao mez, sobre penhores do our: no
paleo do Carmo, n. 3, loj, se dir quem di.
Precisa-so de um bomem para feilor de
nmsilioe trabalharde enxada : na ruado
Co'legio, n. 3 __
**mmmmwwwm wmmwm*
Flomoeopathiu.
Na Bahia escreve o l)r. Mello MoraesiJt
Eum. jornal homceopathico intitulado
IMKDICO DO POVO, no qual se doseuvol-
svem as quesles da medicina homceo-fc
fpathica, e se dio preceitos praticos pa-fi
rao curativo daa enfermidadea.
. |d Pernsmbuco, ra do Trapiche-|
i.Novo, n. 15. recebem-se assigoaturaaa
jpira este jornal, a 2,000 rs. por tri-j
mestre. J
99 -Quem* precisar de dous moleques para
todo o servico, dirija-se a ra Velha, n. 77,
segundo andar.
No Aterro-doi-Afogados, caa terrea
n. 80, enaina-se primeiras lettras com to-
da a perfsicflo desvelo : os cheles de fami-
lia que quizerem confiar seus filhos, diri-
jam-sea refeiida casa, a qualquer hora do
dia, que encontrar com quom tratar, po
dendo-se asseverar o maior esmero no
adiantameulo dos meninos, e o maior des-
nteresse no ajuste do estipendio, ou paga.
Na praca do Sr. doutor juiz de orphSos,
na ra ealreita do llo/.ario, s 4 horas da
lardo do da 26 do correte, se ha de arre-
matar de renda triOnal, um sitio no lugar
dos Aflictos, a requehinento da Sra. b. Ma-
ra Carolina Ferraifa de Oarvalho, viuva de
Victorino Ferreira de Carvalho, como tuto-
xa do seus filhos, a quom pertence o dito
nitro. *
Manoel Ferreira da Cunba, subdito por-
tuguez, retira-se jura fra do imperio.
Charutos de S.-Felix
No deposito de charutos finos da Babia,
ida Cruz, no Recife, n. *9, vendem-se
qualidades de bous charutos da
,-yir maia barato preco do que'em
ontra qualquer parte, em rasSo de se man-
dar vir de conta : afianr;a-se aos comprado-
res pela qualidade, notndo-se que aempre
e est recebando novos e variados sorti-
mentos das melhore qualidades que li se
fabrica m.
Latera da matriz da Boa-
Vista.
thesoureiro desla lotera annuncia ao
respeiUveleublicu, que inulto breve tem
de marcar o dia do andamento das rodas:
as pessoas ua leem bilhetes apartados os
no ba ejuanlo antes, do contrario se-
rflo venda. O restante doa meamos a-
coam-se a venda nos lugares j aonuucia-
dos.
A cidade de Pars.
Fabrica de chapeos de sol, ra do
Colregio, n !\.
i, raiquu pi tic.;,,. .<. .oapailavel publico
desla cidade, quo ella abri o aeu novo es-
U balee i ment, onde sa encontrar seniora
um grande e bonito sorlimenlo denles ob-
jectos dos mais modernos e variados, como
sajara : chapeos de sol para lionieus de se-
das chaoialotadas e lizas, de corea e prelos,
ditos de armacSo d'ago muito fortes com
sedal de lodaa as cores, dito para senhoras
de sedas lavradas e lisas.com franjas a soro
ellas, cures muito bonitas, dito* ditos de
panno imitando teda, com franja esera el-
la, ditos de panninbo para homem com ar-
mado rica e ordinaria, sorlimenlo de ben-
galas de todas aa qualidade*, balaras para
vestidos, colletcs e esparllhos para senhu-
ra. Na meama casa concertase o cobre-se
toda a qualidade de chapeos de sol e benga-
la, para os quaea leu boas sedas e pannos
erq pecas : todos estes objeclos vendem-se
em porcSo e a relalho, por menos preco do
que em outra qualquer parte.
A luja de fazendas da ru a do Crespo,
n. 10, do meu finado marido J os Joaquim
da FreilasGuimaraes, contina a girar de-
bailo da firma da abaixo asjignada, a sOba
gerencia a admioilrc;3o do caixeiro e in-
tnressado o Sr.Manoel Comes Fernaode Leal,
paraseguimeulo da liquidacSo, poraecrdo
dos Sra. Credores do casal com a annun-
ciante, ficando o dito Sr. Leal competente-
mente habilitado, para comprar e vender,
pagr e proceder ao recehimento doactivo
como gerente da sobreditta luja, sol ini-
mediaia inspeccSo da abaixo assignada, e
dos Srs. credores : adverte-se aoa devedo-
res da loja, liajam de.salisfazer seus dbitos
com proinplidil.para evitar o uso do meios
coercitivos.queso de dispendios e odiosos.
Anna Mara iltt l'anoi Cunha Guimaits
- O arrematante do impostle 30 por
cenlo, sobre o consumo de agurdente de
Eroducco brasileira, declara que tum esla-
elecido o seu escriptorio na ra do Itangel,
0.8, piimeiro andar, onde poje ser pruau
rado par a qualquer redainacSo, todos os
dial uteis das 2 horas s 5 da tarde.
Precisa-se de um feilor que emenda
de bortalice, pomar e enchertar : no Ater-
ro-da-lloa-Vista, n. 43.
SL ttfcrul fin* Afnr dos.
Perlence a capella deste miraculoao Ar-
danlo o'meio bilhrle da lerreira lotera a
beneficio da matriz da Boa-Vista, n. 133,
ofTereeido por CuilhermeSette a Bernardo
Carduzo.
O abaixo asiignadn, tendo-se propos-
to a ensinar latine primeiras lettras, sa of-
fereco a aceitar alguns alumnos, a cujo res-
4Bito poderHo dirigir-se ra do Pilar, so-
rado n. 5, em Fra-de-Portas, aquellas
assnaa a quem seu p'estimo convier
O padre Luis dt Franja .Sonso halda.
Koga-se an thesoureiro d| lotera da
matriz da lloa-Vista, que no pague o que
por sorte sabir a umrtKio bilhete, assgna-
do no verso com o nome de Barros, nao se
declara o humero do mesmo prtalo se ter
, lumhrauca se he 1234 ou 1834, o qual
lio cosa a carteira, comeado mais
reparis
noel da Costa, subdito portuguez,
blico, que, por baver outrO de igual
e, se assignar de boje em diante M-
Luiz da Costa.
Na ra do Sol, u. 9, precisa-se Miar ao
Sr. padre Vicente Ferreira da Cruz*, para se
lllllijlllafai'ua. caria viuda do malo.
tnciu-t <>40tt faitores, Beodo um
para um engenho no Cabo, e outro pan tra-
tar de um sitio perto desta praca quem e.<-
tiver habilitado para estes servidos, dirija-
se ao Aterro-da-Boa-Vista, loja de miude-
sas, n. 54.
-- Como hoje chegou venda do Victori-
no na ra Augusta, um sortiment de carne
do serlflo, a mais corda possivel, por isso se
recomenda aos freguezes, que gost9o do
bom pelisco, que se surtam antes que se
acabem as melhores mantas.
-- Aluga-se, vende-so ou permuta-so urna
casa em terreno proprio, sita entre as duas
pontea'da passagem da Magdalena ; a quem
convier algum dos referidos negocios : di-
rija so ao segundo andar da casa na ra
Nova, o. 47, ou annuncie por este Diarlo.
Outro sim, tambem permutam-se casas ter-
reas por algum sobrado no bairro de Santo
Antonio, que tenha commodo sulficienle
para urna familia: idemnieaodo-se o exce-
dente do valor.
Marcellina da ConceicSo Amorim faz
sciento ao respeitavel publico que nin-
gaexn fa;a negocio com urna casa terrea sita
na ra da Praiade Santa Kita,n. 29dequehe
proprietaria a Sra. D. Anna Joaquina Perei-
ra de Mello, que a dita casa se acha hipo-
thecada na mSo da annancianle ; pois que,
uinguem a poder comprar sem que pri-
meiro se emenda com a dita Sra.- emsua
casa nobecco da ViracBo, o. V
Precisa-se de um caixeiro pira padaria,
que seja maior de 20 annos, e que tenha
pratca, para o que se dar solTrivel ordena-
do, abonando sua capacidade ; e lamben)
precisa sede um preto para o servido ordi-
nario de padaria, porm que nSo beba mul-
ta ago'ardente, d-se-lho 12,000 rs. men-
saes e o sustento : na praca da S.-Cruz, pa-
daria por bailo do sobrado n. 106. Na mes-
illa padaria compra-se papel de embrulho
(diarios) a 3,200 rs. a arroba.
-Aluga-se a casa da ra Imperial, n.
104, com commodos para grande familia :
na rus Augusta, n. 23.
Precisa-se de 900,000 rs., pagando-sr
o premio de um e meio por cenlo, sobre li y
potheca em 6 escravos e urna fazenda de ga-
do, bens estes livres e desembarazados, or
prazo de 18 a 24 mezes ; sendo preciso pira
este empreslimo maior garanta, sujeila-se
mais escravos bypolheca, e d-se firma
de um proprieta rio aqui na praca, e al se
remette assucares em commissSo a quem
tal em restimo flzer, pois quem di lie pre-
cisa he agricultor e morador nesta praca.
Aluga-se urna casa terrea, no pateo de
S.-Jos, n. 41, com duas salas, dous quar-
los, cosinha fra. quintal e cacimba : a tra-
tar na pract da Independencia, ns. 24 e 26
-- F. Itegord & Companhia arisam a (odas
as pessoas que teem penhores em sua inflo
dos ir tirar no prazo de oito das, conta-
dos da data deste ; do contrario, sero ven-
didos para seu pagamento, podendo os mes-
mos procurarem-uo na ra da Cru^n. 1,
vislo lr vendido a sua loja da riflrova,
n. 17. Recife, 23 de agosto de 1850.
l'ara algum principiante.
Aluga-se urna casa terrea na ra Direita
da povoacjlo dos Afogados, cujo local he o
melhor para quatner eslabelccimento, por
ppeco muito conapbdo : quem pretender,
dirija-se casa das aferi{0es.
iMw'isa-sa aluiar uma_OSCrava jiara
vender : quem a liver annuncie por esta fo-
Iha, ou dirija-se ra da Mangueira, n. 1
F.ngomuia-se roupa com toda perfei^fio
para homem e senhora -. na ra do Vigario,
n. 22, primeiro andar.
Urna senhora portuguezi se encirrega
de tratar da roupa de qualquer estrangeiro,
con acein e promplidSo ; nu ra do Vigario,
o. 22, primeiro andar.
Quem precisar de um homem com 12
annos de pratica na chicana da juslica, o
qual escrevsolTrivel e com algum acert :
olTerece-se paraazer qualquer escriplura-
cSo, dirija-se ra do Fogo. n. 13, que ahi
achara com quein tratar a respeilo.
JoSo Kvangalisla Pires, Porluguez, re-
lira-se cons-sua rnulher Joaquina Mara Pi-
ras, Brasileira, para fra do imperio
Antonio Aroz relira-se para fra do
imperio.
Peranle o Sr. Dr. juiz de ausentes, se
ha de arrematar em praca publica duas mo-
ra las de casas terreas de.pedr e cal em
mo estado,avahadas em 350,000 rs. .sitas
na cidade de Olinda ra do amparo : segn-
da-feira. 26 do correnle pelas 4 horas da
tarde, a requerimento de Manoel Firmino
Ferreira, como testamenteiro de Jos da
Silva Botolho.
Alerro-di-Boa-Vsta, n. a6.
Madama Quenlin, modista franceza, cne-
gada ultimainenle de Pars, tem a honra de
avisar aa elegantes senhoras desta cidade,
que ella possueum variado sorlimenlo de
objectos de gosto, os mais modernos par
senhora, e fabrica com especialidade e per-
feic.To chapos segundo a ultima moda
para qualquer destes fins, pode ser procu-
rada desde as 10 horas da manlifli al as t>
da noile dos diis uleis, na casa a cima dita.
I'recisa-se alugar um sobrado de um
andar, com commodo para grande familia,
enaa seguintesruas ; Direita, Terco, Nova,
Uueimado, Cruzese Cadeia de S.-Antonio i
quem tiver annuncie.
Joaquim l'ereira da Silva deixou de ser
caixeirn, desde o dia 21 de agosto do cor-
rrnla nnn Ant &r* Vrtamn & l.ima. de
que sSo procuradores do estabelecimenlo
do Sr. Manoel Joaquim Goncalves e Silva.
' Paulo tiaignouv, dentista francez,*
Srecenchcgado uesl capital, offerecej
Sseu prestimo ao pnblico para todos os^
Vnysteres de sua profissfio, querextra-^
Chindo, limpando e chumbando os den-*
ia>les naluraes, quer substiluindo-os por*
s>outios arliliciaes, para a que tem os*
*melhoresapparelbos. PTle ser procu-
As-
rado a qualquer hora era sua casa, na
36, segundo^
Xrua larga do Hozarlo, u
Sandar.
%
A pessoa que no Diario de sabbado an-
nunciou estar no caso de ser. caixeiro de
venda, haja de ie dirigir ao largo da ribei-
ra de San-Jos, casa 1t 3.
PiYCUa-se lgi'Uill Casa i# i an-
dares cm alguma das principaes ruis do
bairro do ftecie, preferindo-l a da Ceuz,
arrenda-se toda a casa alloT e baixos,
vindo ao proprielario, e afianca-se a boa
conaervaffio e ano no predio : quem tive
anouncie.
Precisa-se alugar orna prela, que aeja
boa quitandeira, pagando-se 12,000. men-
sa ca.-quero a tiver, diria-so ra da
sumpc!n, n. 16. +
Fugirain, do engenho Ca-
tende, freguezia de Jaboatflo, os aeguintes
oscraVos : Jos, m ionio, que representa ter
25 annos, baixo, grosso, muito fallante,
olhos peqaenos, roslo redondo, pamas pro-
oorcionaes, pos bem feitos, Irabalha de car-
reiro, enxada o fouce; foglo no mez de Ja-
neiro do corronte anno, vindo para esta ci-
dade, aonde esteva homiziado, e depois
seausentou: Domingos, crioulo, que re-
presenta 35 annos, um pouco mais alto que
o primeiro, grosso do corpo, fallante, olhos
pequeos, rosto redondo, pernas bastantes
zrossas, ps grandes e mal feitos, traba-
Iha de carpina e em casa de caldeiras ; tam-
bem fugio no mez de Janeiro do rorrente
anno : quem os pegar leve-os ao dito en-
genho, que ser recompensado com 100/
oor cada um e 200,000 ra. por ambos.
A o publico.
Faz-se ver que ninauem faca negocio com
Jofio de l.ima Bastoscom urna casa de laipa
depropriedadosua, sita no Barro, pois o
mesmo hedevedor ao abaixoassignado da
quanlia de 278,670 rs., principal e juros,
como musir por documentos, que o mesmo
abaixo assignado tem em seu poder, e por
rujaquaotia o mesmo se aclia em litigio ;{e
para que em todo o lempo pessoa alguma se
chame ignorancia, faz o presente. Fran-
cco los dt Campos.
Tcndo apparecido no sitio de Manool
los da Silva Braga, defionte.da igreja da
Estancia, no da 21 do rorrente, as 6 horas
da tarde, um crioulo de idade de 12 annos,
uoutto mais ou menos, e diz ser forro, e que
he lillio da villa d Cabo, que tendo vindo
em companhia de sua m3i Isabel de Santa
Anua, se perdeu na Passagem da Magdale-
na, por isso a pessoa inleressada no dito
crioulo dirija-se no forte do Mallos, prensa
le algodo no largo d i assembla, n. 1, ou
no sitio cima quesera entregue, e nSo cor-
rendo risco de alguma fuga do mesmo
crloato.
O abaixo assignado declara queha mui-
to ae assigna com o nome de Ponciano l.ou-
renco da Silva, e por nao ter guardado os
diarios, fazo presenteannuncio.
-Oirerece.so um rapaz brasileiro de 15
anuos de idade para caixeiro*de loja de fa-
zendas, armazem de assucar ou carne, o
qual d fiador de sua conduela : a tintar no
caes da Alfandega com Antonio Aunes lce-
me Pires.
Os abaixo assignados, procuradores de
Manoel Joaquim Goncalvds eSilva, decla-
ram que o annuncio inserto nesie Diario,
honlem 22, em que o Sr. Joaquim Perera
da Silva se d cont desembarazado da ven-
da daquelle^r. azeddo que deixou de ser
seu caixeiro desde o dia 21 fo correnle, nSo
tem validade, porquanto o Sr. Pereira a lo-
mou por balanco, e existe sOb sua respon-
sabilidado at o acto da entrega pela mes-
ata lrma a pessoa por nos autorisada para
esse fim. Joo liaptista- Fragoso. lodo da
Cofia Lima Jnior.
-JoSo Alvesde Miranda retira-se para Mos-
latnedes na Drachareme : quem com elle ti-
ver algurhnegocio, dirija-se ruado Viga-
rio, n. 22. segundo andar.
Di-seja-se saber da morada dos Srs. 1)0-
mm^in /se r'erroria, JOSO rrttmi Ur.K.
lunior e Antonio Pereira de Oliveira llamo,
a negocio.
Engomma-se roupa com toda a perfoi-
cSo e aceio : na ra do Rangel, n. 55.
Da-se a juros de dous por cenlo ao mez
e com penhores de ouro ou prala a quanlia
de 400,000 rs. : na ra dos Marlyrios, n. 36,
se oir quem os d.
I le fin a cao.
Precisa-se de urna tessoa que siiba refinar
assucar, ecompra-se um escravq,refinador:
na ra da Cadeia do Recife. n. 50.
Precisa-se de um offlcial de carpina pa-
ra trabalharem urna obra simples e parti-
cular: oque esliver neslas circunstancias,
e queira annulr a este convite, dirija-se
ra da Senzalla-Nova, n. 42, segundo an-
dar, todos os das al s 9 horas da ma-
ntisa, ou das 3 da tarde em,diante, alim de
tratar do ajuste.
Domingos Martina Pontes declara que
deixou de ser caixeiro da Sia. D. Anna Isa-
bel de Souza l.eflo. Recife, 22 de agosto de
1850. %.
Um Brasileiro c,om 16 annos de idade se
offerece para caixeiro de armazem de assu-
car, ob mesmo de fazendas, anda que d
algum tempe gratis : quem de seu presumo
sequizer ulilisar, Jirija-se ao caes do Ra-
mo, armazem de reeolher sola, do Sr. Ile-
melerio Maciel da Silva.
Itoga-se ao Sr. B. A F. C., morador na
estrada de Belem, que venha pagar a quan-
lia de 15,000 ris, proveniente de um val-
le que o Sr. passia, do que nSo ignoraru;
do contrario ver o seu nome por extenso
nesta folha.
__JVoga-fe ao Sr. Jlo Anto-
nio Pires o favor de dirigir-se
roa do Vigario, n. ig, ou annun-
cie sua morada.
O abaifeo assignado, estabelecido nes-
ta praca com taberna no paleo de S.-Pedro,
ii. 1, avisa aos seus conhecidos da fregue-
.',. C r.'.-5.-da-r.scaiia, u Cite, c G.-/u-
19o, sendo senhores de engenho e lav ado-
res, que estando breve a ebegar as safras,
que aquellesque quizerem mandar entre-
gar os seus assucares de commissSo, diri-
jam-se a lodo lempo que quizerem; pois no
s vender assucar, como comprar o qun
as suisrelacOesmaiulaiem,pois afianza que
ninguem melhor Ibes vender e comprar
do que o abaixo assignado; em lim quem
se proposer aber so lica ou nao satisfeito.
Jos Antonio da Cunha.
Deseja-se alugar Irs escravos para o
servico de campo, muito perto da cidade :
na ra do Trapiche, o 8.
ooooooeooaooooooc
O O consultorio homueopatliico O
9da ra da Cadeia de S.-Antonio, o. 22,^
dirigido pelo facultativo!. B. Casano-O
Ova, Diudou-se para o segundo andar doO
vmviiu sobrado. f?.
cjoooooeoooooooooeo
Faz-ce iodo o negocio e vendem-se wui-
ffto barato dins lettras aceitas pelo Sr. Ma-
noel Pereira Cuimarflea, senhor do engenho
Aratanj, ambas no valor de 3:120,000 res,
principal ejuroa al hoje, vencidas em ju-
nho de 1843 : na ra da Cruz, armazem, nu-
mero ra.
'- Na ra da ConceicSo, n. 32, d-se urna
poreflo de lijlos quebrados, que pode en-
cher 6a8carrocas.
Est justo por compra um
sitio no lugar do Itio-Doce, deno-
minado Bocca-do-Hio, termo da
cidade de Olinda : quem sobre o
mesmo tiver direito, ou alguma
duvida a respeito de cuas estre-
mas, lia i de reclamar dentro de
ludias, a contar da data deste.
Recife, aa de agosto de l85o.
Precisa-se alugar um sitio perto da pra-
ca, quo tenha boa casa earvoredos : quem
o tiver equizer alugar, dirija-se ra da
Cruz, no hecife, n. 27, escriplorio de Croc-
c i & Companhia.
Roga-seaoSr. Joaquim Jos dos San-
tos, empregado na capatazia do consulado
geral que venha pagar a quanlia de 33,460
rs., a quem nSo ignora ; do contrario, ter
de ver o seu nome sempre nesta folha.
Aluga-se o primeiro andar
da casa n. 46, da ra da Cadeia do
Kerile : a tratar na mesma ra, lo-
ja de ferragens, n. 44-
Em 31 de julho, perdeu-se urna lettra
da quanlia de 2:833,440 rs., sacada pelo Sr.
Manoel Alves Guerra em ol.de junho de
1849 a 2V meses, e aceita pelo Sr. Jos Pinto
da Fnnseca e Silva, e endocada, pelos Srs.
loio Keller & Companhia ; por isso se pre-
vino, tanto ao aceitante com ao eodocante
e sacador, uSo TaQam negocio algum com
dita lettra, a no ser con o possoidor loSo
los de Carvalho Moraes, e desde j se pre-
vine, e se porventura algueai adiar dita le-
tra e a quizer restituir ao dito Moraes ser
gratificado com generosidade.
Aluga-se o tercelro andar do sobrado
o. 42 da ra da Cruz : a tratar no primeiro
andar, escriptorio de lames Crabtree & C.
Olfure-se um rapaz brasileiro que es-
creve o conta soffrivel, para caixeiro de
engenho. do que tem bastante pratica, ou
para qualquer estabeleciment : na praca da
Boa-Vista, n. 24, botica.
I'recisa-se de.dous andares com com-
modos para duas familias, cm urna das ras
seguinles : Cruz do Recife, Cadeia de San-
to-Anlonio, Crespo, Collegio e ra Nova:
quem tiver para alugar annuncie por esta
foiha para ser procurado.
Aluga-se urna grando casa e sitio que
vai at o rio, na povoacfto do tlonteiro : a
Ira lar na ra da Cadeia do Recite, n. 55, com
foSo los de Carvalho Moraes.
mmmmsnmmB*saasmmfBtmms>mm
trespalmoa*meio; bem como um com-
pleto sorti ment de fazendas finas o ordina-
rias : na ra do Queimade, n. 27, armazem
de fazendas, de Raymundo Carlos Leite.
Na ra do Cabug, loja do Duarle,
vendem-sn trinas, volantes, galfles, espe-
guilhas e rendas proprias para-armadonn,
por prego mais commodo do que em oulrn
qnalquor parte.
Vende-sepo palixandre para embutir
e marxetar : na ra Nova, n. 45, casa de I..
Pugi.
Vende-se, por precisSo, urna preta mo-
ca, do bonita figura, que entendo alguma
cousa dn cozinha, engomma, cose pouco e
lava bem de sabSo ; nSo tem vicios nem
achaques; um uioleque do 18 a20 annos,
do boa figura e bem sadio, proprio para
qualquer servico, tanto do campo, por en-
tender alguma cousa do plantacOes, como
para o servico da praca : na ra d Colle-
gio, n. 10, primeiro andar, por cima da
botica..
Na ra do Cabug, loja do Ruarte,
vendem-so icsouras para harbeiro.alfaiale,
para costura eunhas, fabricadas pelo me-
lhor cutileiro de CuimarSes; caivetes li-
nos, espevitadores-de casquinha, ciiumbei-
ras de 2 canos, polvarinhos e frasco com
seu copo, espoletas, bandejas de 6 ate 24
pollegadas, candieiro para escada, a 1,00!)
rs. chicotes inglezes para carro, a 4.000
rs., pannos de oleado de bom gosto, luvas
le algodo para montana, a 200 rs. O par,
charuteiras finas, e chapeos para menino*.
Vende-se urna prcla moca, que engom-
ma, cozinha e lava ; nSo tem vicios nem
achaques : na ra de llorlas, n. 66, loja.
Vendem-se laternas de reverbero para
carros e cabriolis, as mais ricas que ueste
genero leu vindo a esta praca, as quaes
com luz dentro apresenlnni bellas o varia-
das cores: na ruado Crespo, n. 11.
1#*%V****
Compras.
Comprim-se [ossos : na ra da Concor-
dia, tab' ir i de carvSo animal.
Compra-se um fole redondo, usado,
mas que nSo esteja inutilisado : na ra es-
treita do Rozarlo, n. 8.
Compra-so urna escrava, que seja de
boa conducta e tenha alguma pralica de co-
zinhar e de engommar, e de meia idade : na
ra das Flores, n. 9. se .tira quem quer.
Compra-se ulna casa terrea, nSo sen-
itn rmiiin peqtiHii, ft gnu lenlm boa* rom-
modos : na ra de Apollo, u. 30, se dir
quem compra.
Compra-se um silhSo para montara
desanlior, quo esleja em bou uso: na
ra do Quei uado, n. 2.
Compra-se um boi manso para crni-
ca, que seja novo e forte: na ra de S.-
Aniaro, n. 16.
Compra-se um braco de balan(a que
pegue em 16 arrobas, com conchas, ou sem
ellas : no Aleno-da llo.i-Vista, n. 14, ou an-
nuncie.
Compnm-sn escravos de bonitas figu-
ras, mocos, e com habilidades, para fra da
provincia na ra largado Rozario, n. 48,
primeiro andar.
VeiidhN.
Vende-se um palanquim de rebuco,
chegado recentemento da Baha, completa-
renle-novoe muito bonito : na ra da Ca-
Ideia do Recife, n. 3* ,
Vende-s um piano forte, de muito boa
qualid.de e de excedentes vozes, e que ape-
nas servio tres me/es: na praca da Bou-
Vista, n. 2, segundo andar.
Cha mate.
Vende-se o verdadeiro do Paranagu,
viiibu de caj fabricado em 1845, espirito de
vinho Je 37 graos : no Recife, travessa da
Hadre-de-Deos, armazem n. 5, de Franca &
IrmSo.
Faiinlia para escravos.
Na ra do Rangel, n. 36, vendem-se sac-
eos com faiinlia, a 2,000 rs.
-- Ven Ic-se urna mesa e duas bancas de
Jacaranda, em muito bom uso : na ra
Augusta, defronte da casa u. 17.
Aos Srs. chefes de fa-
milia.
Avisa o novo administrador da loja, n. 3,
defronte do neceo do l'eixe-Frito, que tem
um ennirileto sort'mento de fazendas. p
passa a i'csignar o pre^o de algumas dallas :
riscadinbos frfncezes linos de difirenos
padrOes pelo baratsimo preco de 160 res
o covado, riscados de algodo de difieren-
tes qualidades a 200 risncovado, cam-
brataskdl California a 320 riso covado, di-
tas parisienses de differenles dezenhos a
l-'O res o covado, lencos do cambraia de
cores muito finas a 500 Mis, grvalas bran-
cas de finissima cambraia a 1,000 res, cor-
tes de eastorim para calca de tres e meio
covado; a 1,120 ris, e outras fazendas pelo
mais diminuto pieco possivel.
Vende-se, ou permuta-se por predios
nesta praca o engenho lina, ni freguezia de
S.-Antlo, com lenas suflietei.tes para plan-
tacOes, com boa casa de vi venda, e todos
os mais perlences: na ra da Paz, ou do
Cano, n. 40.
llmljurgo a 260 rs a
vara.
Vende-se novo hamburgo com lislias de
cores, proprio para lences, colxoes, 1ra-
vessoiros, empalmadas, ele., pelo barato
preco de 260 rs. a vara ; lencos de cusa com
cercadura de cOr, de bonito gosto, para se-
ohora, a 240 rs.; madapolSo de 24 jardas, a
2,000 rs. o a 120 rs, a vara, e de largura de
para curar da phtysica' em lodos os seus
differenles graos ou motivada por consti-
pares, tosse, asthma, pleuriz, escarrosdo
sangue, dorde costase peitus, palptalo
no coracSo, coqueluche bronchites dr
na garganta e todas as molestias dos orgos
pulmonares.
De todas as molestias que por heranca li-
cam'eo corpo humano, nenhuma ha quo
mais deslruitiva tonlia sido, ou quo tenha
zoinhado dos esforcos dos homens mais
eminentes em medicina do que aquella
que he geralmcntc condecida por moles-
tia no bofe. Em varias pocas do se-
cuto passado, 'tendo-se ofTereeido ao publi-
co extraordinarias curas que elle tem Jeito ;
porm quasi que em lodos os casos a ilusSo
lem sido apenas passageira e o doento
torna a recahir em peor estado do que se
achava antes de applicar o remedio l re-
commendado ouiro tanto nSo acontece
com es te extraordinario
Xarope.do Bosque.
Novaes & Companhia, os nicos agentes
nesta cidade e provincia, nom. mos pelos
Snrs. R. C. Vales & Companhia agentes
geraes no Rio-de-laneiro mudaram o 'de-
posito deste xaropeparaa bolica dd'"6or
los Mari.i C. Ramos, n'a ra dos Quarleis, n.
12, junio ao quartel de polica, onde sempre
achanto o nico o verdadeiro, a 5,500 rs
cada garrafa.
Vcnde-se.na loja da ra do Crespo, n.
II, as obras completas de Boileux, e Varios
compendios para as aulas. Cantos Sagrado-,
por 100 rs.; Lnsaios sobre a reselo d
mondo, por 80 ra. ; o Cernido d'Alana, por
SO rs ; o Panorama por 3,000 rs.; dicciona-
rio geographico o commercianto em fran-
co/) t volumes, por 1,000 rs. ; atlas do
Simcncouit, por 6,000 rs. ; Magnumlexi-
com, a 5,000 o a 3,000 rs.
Na ra do Cabug, loja do Duarle,
vendem-se holOes Pedro II; ditos para ca-
vallaria ; ditos para infamarla ; ditos pre-
tos e amarellos para casaca ; ditos de ma-
dre-perola ; ditos para en fui tes de palitOs
de meninos ; ditos brancos e amarello para
libr de pagens;e ditos bron zoados.
Cartas francezase portu-
guezas para jogar.
Vendem-se finissimas carias portugnezas
e francezas para voltrete e por preco com-
modo : na ra do Queimado, loja de miude-
zas, junto de cera, n 33.
Na ma do Cabug, loia do Duarle.
vendem-se quadros de santos con5mul-
duras douradus, a 500, 600 e 800 rs. ; calim-
bas de vidro de diversas qualidades ; tran-
ca de lila para enfeitesde vestidos; grava-
li nlias desetim;e enfeitesde vestidos de se-
nhora. -
Ao bom e morier|p.
Na rua'-do Queimado, n.^,
vendem-se as verdadeiras cambraias prin-
cesinas, de di Reren les desenhos e do me-
lhor goslo que tem vindo ao mercado, a
800 rs. a varas. Ilo-se as amostras. "aji;
Vende-se a rasa terreada ra dos Pes-
cador s, n. 23, e metide de outra na mes-
ma ru, n. 25, asquaes tem bous commo-
dos c liom quintal e cacimba: na ra da
Cruz, no Recife, 64.
Vende-se, por preco commedo, fari-
nha de mandioca muito superior; fumo em
folha para charutos : no armazem do Das
Ferreira, no caes da Alfandega. Palhioha
para caieiras ; chapeos do Chile; cordo
prelo de retroi: na ra do Trapicne, casa
de Novaes & Companhia.
Vendem-se 8 pretos mocos, proprios
para todo o servico, por preco commodo :
ua ra do Rangel, u. 38, segundo andar,
se dir quem vende.


i *vt*'*--**,1
Moendas superiores.
Nsfundigflode C. Starr & Compinhii,
ein S.-Amaro, acham-se i venda moendas
de can na, todas de ferro, de um modelo e
oonstruccSo muito (superior.
\ rudos de ferro.
Na fondigao da Aurora eni S.-Amaro ,
vendem-se arados de ferro de diversos mo-
delos.
Yende-se farinha de man-
dioca, vinda de S.-Gatharioa no
patacho Nereide, Tundeado de-
fronte do caes do Gollegio, a mais
superior que ha no porto, por
mais barato preco do que em ou-
tra qualquer parte : trata-se a
bordo do mesmo patacho, ou com
Novaes & C., na ra do Trapiche,
n. 34.
Vendeiu-se bezerros para
calcado, cliegados agora : na roa
da Cruz, n. 3, casa deGeo: Ken-
worthy & C.
Novo trenx e cozinha.
Veodem so ehaleiras, psneljas, fregidei-
rt'%, e cassarolas de ferro forradas de por-
rellana ; bules ecafeleiras de metal, e ma-
chinas para fazer caf : na ra Nova, n. 16,
toja de ferragens, de Jos Luiz Pereira.
Yende-se assido sulphurico.
aa4ors. a libra : na ra do Ca-
linga, loja do Duarte.
Cbegaram novamente i ra da Sen-
zalla-Nova, n. 42, relogios de ouro e pnta
patente inj;lez, para bomem e senbora.
-Vendem-seamarras ae ferro: na ra
da Senzalla-Nova, n. 48.
Farinha deS.-Catharina.

eto., por Chernoviz, doutor em medicirrs,
segunda edicSo, augmentada e inleiramen-
te reformada : vende-se no pateo do Colle
gio, casa dolivroaral.
Vende-se um cavallo de estribara mul-
lo novo, de bonita figura, o carrogador: na
ra Augusta, n. 60.
00 T Deposito geral do superior ra-
3 p Areia-Freta da fabrica
de Gantois Pailhet & C.
naBahia.
Domingos AlvesMatheus, agente ds2
Xfabrica de rap superior Areia-Preta da*
Baha, tem aberto um deposito na ra
Jirda Cruz, no Recife, n. 59, primeiro an-
*\lar, onde se achara sempre deste ex-O
relentee mais acreditado rap: ven-
de-se em botes de urna e meia libra,
por preco commodo.
c
-- Vendem-se dous pretos pecas, muito
mocos, proprios para todo o servico, tanto
da praca como do matto ; um moleque de
10 anuos, muito esperto, e que serves urna
casa muito bem; urna preta com a condi-
gno de ir para o mallo, e que cozinha, en-
gomma e faz todo o servico de urna casa :
na ra do Collegio, n 21, primeiro andar,
se dir quem vende.
?f fVf W ff
* Vendem-se, ou aforam-se 1,500 pal-*
*mos de terreno, no Aterro-dos-Afog-*
3
4
Xdos, proprios para se edificar casas,"ou2
jw para algum sitio, por ser o lugar mu-2
?lo bom ; na ra da Cadela do S.-Anto-3j
#.nio, n. 9, ou na ra do Crespo, n. 10..*$
Vende-se o engenho Sebir do tsvsl-
canti, por conveneflo do tutor dos orphSos
do casal do fallecido Jofio Carlos da Silva
uimarfles, e para pagamento dos credores
do mesmo casal: este engenho be um dos
melhores da provineia, moe com agoa e
tem encllenles obras, o trras para se le-
vantar outro engenho ; he situado em Se-
Vende-so a bordo do brigue Valle, chega-lrinhaem, e tem'o rio junto do engenho:
do em direitura de S.-Cathartna, farinha Jquem o pretender, dirija-a ao mesmo en-
muito superior, est fondeado defronte do
caes do Ramos ; lambem se trata na pracaJ
doeommercio, n. 6, primeiro andar, com
Manoel Ignacio de Oliveira.
Vende-se farinha de Santa-Calharina,
muito superior, a bordo da galeota Santiui-
ma-Trindade, fundeada junio ao caes do
Collegio.
Vende-se um escravo moco, de bonita
ligura, bom oflicial de pedreiro ; urna prela
alta, moca, de bonita figura, ptima engom-
madeira e cozinbeira com perfeicBo do dia-
rio de urna casa : na ra larga do Rozarlo,
n. 48, primeiro andar.
#####? #
a) Na loja do sobrado amarello, nos
8 qualro cantos da ra do Queimado,
n. 2, vendem-se os muito procura-
ai dos cortes de tapete para sapatos 9)
ao goslo lurco, a 800 rs. o par. aj
No armazem da ra da Moda, n. 7,
contiha-sea vender saccaa com superior
colla das fabricas do Rio-Grande do sul, por
oreco em conta.
Vendem-se rodas de arcos de pao para
pipa e barricas ; do purrete do Porto ; prc-
gosripares para barrios: na ra da Cruz,
n. 49, primeiro andar.
Vendem-se espadas prileadas para
ofllciaes de guarda nacional; urna barreti-
na com chorfio para oflicial de cavallaria :
na ra Nova, n. 16.
Cha liysson muito bom :
vende-se as loja de livros do pateo do Col-
legio, n. 6, doDourado.'
lia pe Paulo Cordeiro,
viajado do Rio ao Para e do Para a Pernam-
buco vende-se na ra da Cruz, no Recife,
n. 49, loja.
Vende-se um moleque de 12 annos, bo-
nito e proprio para qualquer servido, por
ser muito humilde e bem .criado : na ra
1 irga do Rozario, n. 35, loja.

g Douralinas
5? de seda, mu transparentes, desubli- i?
j mes gestos, com cores graves e pa- jf
** droesescolhidospor urna aenhora do
grande tom em Pris, que as dono- O
minou Dovralinai, pelo briiho de O
seus desenlio*: vende-se na ra do
Crespo, n. 11. g
o $
Vende-se, por precisflo, um moleque
mocoesadio, proprio para qualquer servi-
co, e que trabalha bem de enxada ; urna
prela moca, de bonita figura, que cozinha :
na boa-Viata, ra da Mangueira, n. 9.
Vende-se carvfio de pedra de muito boa
qualidade, e que he proprio para ferreiros,
polo barato preco de 180 rs. a arroba, ou
anda mais em conta tomando-se maior
jiorcflo : na ra da Cruz, n. 15.
Aeaba de chegar
loja da ra do Crespo, n. 6, um
noy sortimento de lazendas ba-
ratas,
como sejam : cassa-chilas muito finas, de
cores fizas e com 4 palmos de largura, a
320 rs. o covado ; cortes de ditas a 2,000 e
2,400 rs. ;-r8cado de. linho, a 240 rs. o co-
vado ; dito de"algod3o americano para es-
cravos, a 140 e 160 rs. o covado; dito mons-
tro cofn 4 palmos, a 200 rs.; zusrte azul, a
200 rs. o novado ; dito furia cores, a 200
rs.; chitas de cores Gxas e de bonitos pa-
drees, a 160 e 180 rs. o covado; cortes de
fuslfio, 600 rs.; chales de tarlalana, a
-1,280 rs.; meses ditos, a 320 rs.; coberto-
res deelgodfio de cor, a 640; alpaca prela de
cordo e eom sete palmos de largura, a
1,2*0 rs.o covado; e outras muitas fazen-
dasean conta.
Para os Srs. de engenho.
Fornolaro ou guia medica que contem
a deseripefo de todos oa medicamentos,
sua propriedades, os casos.em que ae em-
pregarosuaadses, as substancias incom-
pativeiscomelles, ainJicacSo das plantas
medicinaes indgenas e das agoas mineraes
genbo, a fallar com o referido tutor Jos o
Manoel de Barros Wanderley, ou nests pra-
ca, com Manoel Ignacio en Oliveira, na pra-
ca do Commercio, n. 6.
Livros no vos.
A'loja da ra Nova, n. 6, de Jos Joaquim
Maya Ramos & Companhia, cbegaram re-
centemente os seguintes livros, que se ven-
den! por preco muito commodo, a saber :
Obras originaos portuguezas:
Poesas de Alcpe, 6 volumes escriptos
pela marqueza de Aloma.
Ditas de Alexandre Herculano, 1 volme.
Obras poticas de Almeida Carret, 7 v.
Historia das iuquisigdes da Italia, llesps-
nha e Portugal, nova edigflo, 2 v.
A desmoralisagSo e o secuto, fragmentos
por Sebastian Jos Ribeiro de S, 1 volume.
Eduardo, ou os mystenos do Limoeiro,
por J C. deCarvslho, 4 v.
A Feiticeira do Douro, romance, 1 volume
OsSele peccados moitaes, 2 tomos em 1
volme.
O Menino perdido, romance para a ins-
irurcao da mocidade, otTerecido as boas
m.1is de familia, 1 volume.
O Cozinheh'o completo, ou nova arte do
cozinheiro e copeiro, 1 volume.
ONovojardineiro, ou modo de cultivaros
jardins, se'gunda edieflo augmentada, 1 v.
Tradceles de Lisboa :
Portugal piltoresco com estampas, por
FerdinanJ lleins, 4 v.
Ilisioria da revolugflo franceza, por M. A
Thiers,6v.
Dita deNapoleSo, por Mr. Norvins, 4 v.
Rapbael, paginas do vigsimo anuo, por
A. Lamartine, 2 v.
A Soberba, por Eugene Sue, 4 volumes.
A Inveja pelo mesmo, 3 v.
A Luxuria pelo mesmo, 2 v.
A Ira pelo mesmo, 1 v.
O Padraslo, por Charles de Bernard, 3 v.
Mauricio ou o mancebo alucinado, por
Eugenio Scribe, 1 v.
A Melharoorphosesda mulher, ou a con-
quista de urna agoa furtada, por amtine,
1 v.
Jerbnymo Paturot, em procura de urna
posigSo social, por llyppolto Rolle, I v.
Historia dos 3 uias de fevereiro de 1848
em Paris, por Eugenio Palletan.
O Tres mosqueteiros de Alexandre Du-
mas, 4 v.
Maria, ou as Hollandczas, 3 v.
A Rodada fortuna, por Mr. Aug. Arnauld,
1 volume.
O Anticbrlsto, por Julio de Fouroefort,
2 volumes.
O Cavalleiro de llarmenlal, por Alexan-
dre uumas, 4 v.
Dos o quer, pelo visconde de Arlincourt,
1 volume.
Physiologia do liomeni casado, por Pau-
lo de Kock, J v.
Beatriz e o aventureiro, por Guilh. Cen-
4azz, 2 v.
A Salamandra, por Eugenio Sue, 3 v.
Mais obras originaos :
l'ensamentse mximas, pelo cavalheiro
nalo,2 v.
O Monee H 0i''; por A'K&r cr-
culano, 2~v.
Medilacoe e discursos religiosos, pelo
eonselheiro Bastos, i v.
O Panorama encadernado em 8 volumes.
Msicas e retratos.
Qualro nmeros da Revista musical,
conteudo duraremos pecas de mnsica para
piano, modernas e dos melhores autores.
O Beijo, farca lyrica, n'um acto, para
canto e piano, vulgarmente Saloia.
Valsa brilhante tirada do profeta, por
Fred llurgmuller.
Dita composta por Jullien.
Polka nova composta pelo dito.
Retratos de lodos os res de Portugal,
vendem-se em clleccSo completa, muito
em conta, e lambem avulsos.
Retratos de varias notabilidades portu-
guezas,,vendem-se muito baratos para fe-
char contas.
Vslaa de Portugal, urna colleccSo de 5 es-
lampas.
Tudo vende-se na ra Nova, e. 6, loja de
Maya Kauos & Cooipaoliia.
Na rus do Qeimado, loja n. 19, vendem-
melhores formulas, um memorial tbera-lpara meninas, de diQerentes tamanhos, or
poulico, a clasaificacSo dos medicamentos, Ipreco commodo. *
Na Loja da ra do Queimado,
nuaicro 3,
defronte do becco do Peixe-Frito.
O novo adminislrsdor est resolvido
vender as fszendas pelo mais diminuto pre-
go possivel; e para maior commodidade es-
tar a loja a berta at s 9 horas ds noite.
No armazem da ra da Moda, n. 7, ven-
de-se sal en pequeas porcOes.
Vende-se
um preto maco, de bonita figura, bom ca-
noeiroo trabalhador de p, coja conduela
se afianca ; urna canoa de carga de mil li-
jlos, em muito bom estado: na ra larga
do Rozario, n. 48, primeiro andar.
Lotera i a matriz da
Boa-Vista.
Aos 10:000,000 de rs.
Na loja de miudezas da praca da Inde-
pendencia, n. 4, vendem-se bilhetes intei-
ros e meios ditos da loteris a beneficio da
matriz da Boa-Vista, que est prxima a
correr. Bilhetes inteiros s 10,000 rs. e
meio ditos s 5,000 rs. g
Vendem-se duas escravas, urna de 1,
annos,e a nutra de 29. de bonitas figuras
que cozinham o diario de urna casa, lavam
desabam evarrellae cosem;: o motivo por
que se vende se dir so comprador : na rus1
da Cadeia de S.-Antonio, rro primeiro andar
do sobrado da viuva Cunha CuimarSes.
Vendem-se superiores lonas,
as melhores que ha no mercado ;
bem como brinzao, proprio para
velas.- na ra da Cruz, n. a, casa
de Geo: Renworthy & C.
- Na ra do Queimado, loja n. 19, ven-
dem-se bicos com tres dedos de largura a
120 rs. a vara ; chitas de cores fixas, a 160
rs. o covado; e para cobertas, lambem de
cores fixas, a 200 rs.
Instrumentos de msica,
como sejam : caixas de guerra, zabumhas,
tambores, pratos, psndeiros, arcos de cam-
painhas, baixos de harmona com 10 cha-
ves. trombOes. trompas, pistos, clsrins li-
sos, ditos de chaves, cornetas simples, ditas
de chaves, flautas de todaa as qualidades,
pfanos, clarinetas finas e ordinarias, re-
quintas, evioles: tudo ltimamente che-
gado, e vendem-se em casa de Kalkmann
IrmSo, na ra da Cruz.
Vende-se superior rap de Lisboa, em
frascos, vindo agora na barca portugueza
Ligeira : no largo da Assambla, n. 4.
ft&&0fjFOO$
Para militaresV
Vendem-se luvasde camurfshran-
ca : na ra do Queimado, n. 19, Basa
O de sirgueiro. \,
o
Vende-se o .engenho Armecega, na
margem do rio de Una, freguezia de A'.ioa-
Preta ; bem como ama propriedade an/iexa
ao mesmo engenho, com meia la de
fundo e maltas com madeira yara toda
conslruccfio : na ra do Fogo, i'- 40, das
7 s 9 horas da manh8a,[ou ao c/. Jos Mar-
aues da Cos Sj"1**. "><^'fi^j^- g
Vendem-se sellins
elsticos, de cabecadas e couro de
porco : na ra da Cruz, n. a, caaa
deGeo: Kenwortby & G.
Na taberna de Domingos da Silva Cam-
pos, na ra das Cruzes, n 40, ha bixas !Im
burguezas para vender alugar, tanto por
junto como a relalho.
No armaztm de Das Ferreira, ao p ds
alfandega. vende-se sal em paneiros, vindo
do MaranbSo.
He muito barato.
Esguiao IIonstro.
Vende-se esguiSo de algodflo com qua-
lro palmos e meio de largura, pegas de 10
varas, a 3,000 rs.; dito de muito superior
qualidade, a 5,ooo rs. a peca; alpaca de
quadros muito Tina, e de assento escuro,
muito propria para vestidos, s 280 rs. o co-
vado : na ra do Crespo, n. 14, loja de Jos
Francisco Das.
Vendem-se relogios de ou-
ro abnete, patente inglez: na
ra da Cruz, n. a, casa de Geo:
K.enworthy& C.
Vendem-se. ricos apparelhos
de metal para cha; na ra da Cruz,
n. a, casa de Geo: Kenwortby'
8c Companhia.
Farinha de Tapuy,
igual em ssbor, finura e cor a da Muiibeca,
e propria para mesa : yende-se na ra da
Cruz, no Recife, n. 13 No mesmo armazem
vende-se igualmente farinha, nSo to su-
perior, mas muito clara e gommosa, tan-
to em saccas como em alquelres, e a prego
mais commodo do upe em oulra qualquor
parte, anda mesmo a bordo.
Farinha d mandino.
Vende-se superior farinha de S.-Matheus,
por preco commodo : a bordo da sumaca
.S.-/l/irciii>, fundeada em frente do Collegio,
ou ao lado do Corpo-Sanlo, n. 25, loja de
massames.
Pecas de algodSoziobo muito largo.
Vendem-se pegas de algodOoziubo muito
largo e muito tapado, com alguina avaria,
a 1,280 rs., e timbe do'mesmo, a 1,560rs-,
e a relalho, a 100 e a 180 rs. a vara : na ra
Larga do Rozario, n. 48, primeiro andar.
Kasoea de revista
quo apreseotaram os doulorea Filippe Lo-
pes Nato, Jeronymo Villela de Caaire Ta-
vares, Feliciano Joaquim dos Santos, Anto-
nio Borgea da Fonsece, Antonio Feiloza de
Mallo, Leandro Cesar Paes Bairelo, e Anto-
nio Corris Pessoa de Mello, no reenrso
que para o supremo tribunal de Justica in-
terposcram do accordSo da relacito de Per-
iiaiiinco que co.ilirmou a sentenga que
contra elles proferiu 0 jury desta cidade no
procetso ofllcialnieute orgsnisado pelo che-
le de polica, Jeronymo Martiniano Figuei-
ra de Mello, por occasiSo da revolta de Per-
nasafaueo: vende-se no pateo do Collegio
Camboa-do-Carmo, n. 44, junto a taberna
da esqoins que volta para o pateo dito.
Vende-se superio'rfio de la-
godSb, propino para pavios de ve-
las, e redes de pescara : na ra
da Cruz, n. a, casa de Geo: Ren-
worthy & C.
Cambraietas tinissimas de
puro linho, com 6 varas, por 7, 8 e
9,000 rs. a pega : vende-se na ra do #
_Crespo, n. 11. ^
Vendem-se, na rus ds Mods, armazem
n. 15, meias barricas com cal virgem de
Lisboa, a mais nova que ha no mercado, por
prego commodo.
Caf.
Caf com casca, muito novo, por prego
commodo : na ra do Amorim, n. 35, arma-
zem de J. J. Tasso Jnior.
He muito barato.
Chitas monstros, a 80.
Vendem-se finas chitas frsneezss muito
largas,,cor de rosa, szues o cor de ganga,
degostos inteiramonte novos e de cores
muito fixas, a 28p e,320 rs. o covado: as
mais finas cassas Irancausque lettaa appa-
recido, goslos inteirsmenle novos, de todas
i$ cores e de tintas muito fixas, s 720 rs. a
vara ; hamburgo muito fino, com tres
mos e mel de largura, a 320 rs. a vara :
ra do Crespo, n. 14, loja de Jos Francis-
co Dias. 0
Arados de ftyTO.
Vendem-se arados de ferro de
diferentes modelos : na ra do
lirum,ns. 6, 8 e 10, fabrica* de
machinas e iundico de ferro.
Bombas de repuxo.
Vendem-se bombas de repuxo,
pndulas e picota para cacimba :
na ra do Bruui, ns. 6,8 e io,
fundicao de ferro.
Nova Pechincha. ,
Na ra do Queimado, n. 17,
vendem-se chspos de sol, de seds cor de
caf, a 4,000 rs., e preto s 5.000 rs.; esse-
mireta preta para caigas e palitos de homem
e menino, a 1,000 ra. o covado; merino pre-
lo entrefino, a 8,400 rs. o covado ; esguiSo
fino de puro linho, a 1,410 rs. a vara : e ou-
tras fazendaa por barato preco.
m lnleres.se.
Negocio ventajoso para quem quizer em-
palar pooco dinheiro, ou mesmo algma
casa para trocar por um terreno na ra da
Aurora, que tem de frente 107 palmos,
fundos at a ra do Hospicio; como se pre-
cisa de dinheiro, ou coJUque o renda, faz-
se negocio yantajoso t^Rlratar, na prsga
da Independencia, n. 17.
rlticil^fiu.
Vendem-se macrlinaa de metal branco.pa-
raTSzerfale com aimaior facilidade possi*
vel, e pelo b_aratiisimos pregos de I.BOV
2,000 2,200, 2,400 \s. cada urna: na ra do
Queimado, loja n. 87 A.
#ffffV9ffVftffVfVfff
vida; Ceometria do Lzcroix e Trigaom.
tria : Fonseca, diccionario lalino e portu-
gue#: na praga da Independencia, n. 12.
Vendem-se 5 lindos moleques de'tiaa
16anno84 pretos de 20 a 25 annos, sendo
um deltas ptimo sapateiro ; um gardo de
18 annos, com bons principios de carpini
8pretascom algumas habilidades, e qu
So proprias para todo o servigo : na ra
do Collegio, n. 3.
Rclogio patente inglez.
Na ra do Rangel, armazem n. 36, ven-
de-se um excellente relogio, por prego
commodo.
Presuntos do Porto,
de superior qualidade, a 8,000 rs. s srroba :
vendem-so no armazem de Joaquim di
Silva Lopes, na ra da Madro-de-Deo.
Cal e potarfsa.
Vendem-se bsrris com cal de Lisboa, pe-
lo diminuto prego de 3,000 rs. o barril; di-
tos da mais nova e mais superior potassa do
Rio de-Janeiro, por barato preco: tta ra
da Cadeia do Recite, n. 50.
Rovidade.
Novo sortimento de panno de linbo do
Porto, em pecas de 18 varas, a 800 rs. s va-
ra : na ra do Queimado, n, 27, armazem de
Kaymundo Carlos Leite.
~ Vendem-se, em conts, 15 caixilhos en-
vldteoados, que foram de loja : na roa es-
trella do RozsVio, n. 23.'
1" i "*. Vender9e urB escAva de 20 snnos, de
pal-(muito bonita figora, fom principios de
costura e engomo ado, he rendeira e faz
bem varrella e ensaboaalo: ns roa do Li-
vramento, n. 4, se'dfr tfuem vende.
--Na cocheira do 8r. Sebastio Lopes
GuimsrUes,vende-se um casal de burros
dos que ltimamente chegaram de fra. "
Predios venda.
A tratar na ra do Crespo,
n. 11, qualquer do* predios
seguintes :
do Colfeeio, ns.
SsfBaA
1 ea.
c=3" Ra Nova, ns. 54e\5G.
Ba da Aurora, n. ro.
AAAAAAAA **Mi *
Attenco. \
Na rus do Queimado, loja de ferragenk
de Antonio Jnslodrigues do Souza Jnior,
n. 37, A, vende-se o seguinte por pregos
muito couimodos: as mais superiores bri-
des que tem sppsrecido para cavallos, um
excellente oculo de ver ao longe, ricos es-
tojos em csixas de Jacaranda para barba ,
com seus pertences, urna espada de bsinba
Escravos Fgidos.
Cratiflca-sea quem pegar o escravo
Manoel, crioulo, de 30 annos pooco oais ou
menos ; com alguns denles quebradga. cor
reljnta, baixo, ehcio do corpo, bJSante
retinto, andar aparaltado ; he bem fallante:
qnem o pegar- leve-o a ra do Trapiche,
n. 7, armazem de assucar, de Reg ale-
deiros.
Fogio, nodis 14 do corrale, do en-
engenho liruae, da comarca de Goianna,
o crioulo Luiz, representa ter 25 a 30 annos,
cor prela, bastante ladino ; costuma a in-
titular-se forro. Roga-se as autoridades
pohciaesecapitfJes de campo, que o ap-
prehendam e levem-no ao dito engenho,
le serfio gratificados, alm dase pagareui
todas as despezss.
- Fugio, ao anoitecer dq
rente, estando a lavar roui
escrava Isabel, magra, cor '
ma a trazer sempre um IenegrajB ca-
bega ; levou chale com campo azul-ferrete
com flores.crjr de ouro:|quem a pegar leve-a
a ra Nova, n. 91, primeiro andar, que se-
ra gratificado.
100,000 rs.
Fugio, do engenho 8.-J0S0 do Caho. no
da 13 do aon-cnte, um escravo de lime
caaa do livro azul.
- Vende-se urca preta de uagto, de 90 a<
29 aunos, sem victos uem achaque* na
prateada para oflicial de lileira, ricas pal-
matorias de superior casquinha para velas,
excellentes bengallas debelis para aassaio
' -- Vende-se um bonito preto mogo, sem
vicios nem achaques : ns rus do Collegio,
n. 15, segundo andar.
Vende-se 1 preto de 20 annos, perito
olucial de aapaloiro de toda obra ; nao tem
vicios nem achaques: o moti ro por que se
vende se dir ao comprador: na travessa do
Corpo-Sanlo, n. loja de sapateiro.
Vende-ae um moleque de 18 a 20 an-
uos, de boa figura, e he muito bom traba-
lhador de enxada : na rae do Queimado, o.
14, ae dir quem vende.
Fazendas baratsimas.
. ....v-Mi i..sa-Li,ii, a *.u ra. 1 isviuua
monstros e frsncezes de 4 pal mos de largu-
ra, a 220 rs.,- casamirs preta mesclada, a
1,000 rs. ; dita de cores, propria para forro
de carros, a2,000 rs. o covado; cassas lisas e
de quadros, a 2,500 rs. a pega : no Aterro-
Ja-Boa-Vista, n. 18, loja.,
~ Vendc-se um grande sitio no lugar' do
Manguinho, que tica defronte dos sitios dos
Srs. Carnoiros, com grande casa de viven-
da, de qualro agoas, grande senzalla, co-
cheira, estribara, bsixa de capim que sus-
tenta 3 a 4 cavBlos, grande cacimba com
bomba e tanque coberto para banlio, bas-
tantes arvoredos de fructo : na rus da Coa-
coruia, primeiro sobrado novo de um auda
Vende-ae urna parda de 20 annos O
* pooco mais ou menos, perfeita mu- 0
Q cama, e excelentemente prendada a 0
Q respailo dd todo Qservigo do Inlorior
\> da tuna casa, sendA para o mallo, ou Q
0 (Ore da provincia : H ra do Kangel, Q
11. 11,-de manhfla at s 9 horas, e s m
pardo daa lia disnie. X
dO000000QO009QO00
-- Vendem-se os seguiutes livros: Diccio-
nario fram es por Fonseca Lobao, segun-
las lieUas; a Virgem da Polonia j Nova
lesUuitotu ; ilaguum Lexicou ; Meslre da
Sansflo, da Costa, muito bem feito de cor-
po 1 rai-ae bem eonhecido pela sua altura
mais do que a regular; tem bons denles, e
urna marca de ferida em urna das canellas;
levou camisa de mangas curtas e ceroulas
de algodflo da Haba e caigas de briol par-
do com um remend o mesmo panno na
peros esquerda ; carregou dous cobertores
de algodflo que ae vendem para fabrica:
quem o pegar leve-o ao dito engenho S.-
Joflo do Cabo, que recebar cem mil rs. de
gratificagflo, ou no Mondego, em casa do
commendador Luiz Gomes.Ferreira.
Nodis 12docorrente, pelas 8 horas 6a
nolte, desapparecersm, da casa de Jos An-
tonio Basto, na roa da Cadeia do Recife,
n. 34, dous escravos, a ssber: Zeferiuo,
psrdo, de altura regular, representa SS s 30
annos, cheio do corpo, pooca barba, olhus
pardos : Adriano, preto crioulo, represen-
ta 22 a 25 annos ; bea|{U>, secco, bem retin-
to, a barbado: rsfW escravos vieran) do
Cear no vapor Ptrnamiucana, remanidos
por Domingos Jos Pereira Pacheco, du
Aracaty ; sfio naturaes da cidade do Ico,
rtencentes a Vicente Ferreira Chaves :
os pegar leve-os a dita ds rus ds Ca-
ou ao Aracaty, a Domingos Jos Perei-
ra PJfBbaeo, que se gratificar generosa-
mente. \Advertindo-se mais que os ditos p
craitos aaV ofllciaes de pedreiro, o pardo
mesVbr ojcial que o preto.
rugio^nodia 18 do corrente, do en-
genho Diamante, da freguezia da tseada,
o preto Jeronymo, que representa 30 si
grosso do corpio, pernas finas, olhus um
tanto vermelhos A tem um (albo na ponte do
queixo inferior proveniente de orna Jqueda :
este escravo em sa fgida conduzio um
cavallo castanho-esVuro; presnme-se ter
procurado o Aracaty, onde tem os seusan-
tigos senhores. Roga-ae as autorldsdes po-
licii.es e capites de campo, que o sppre-
hendame levem-no aoSdilo engenho, ou
nests praga, a ra das Trincheiras, n. 44), a
Bernardino Francisco da'. Azevado Campos,
que gratifcala generosarnVnle.
Fugio, do Itio-de-laniriro, e suppfie-se
ter vindo oara eala ninvlnla. n nrain iin.
nio, escravo de Delarliino de Arruda C-
mara, o qual lem os signaos seguintes : es-
tatura regular ia meio calvo, barba serrada,
com suissas, falto de denles na frente, bi-
gos ponderados, nsrix halo, representa ser
de anaiw idade ; quando falla tem o coslu-
me de revirar um lento 09 olhos: quemo
pegar leve-o s Manoel F. I i/as de Mours, ns
praga ds Bos-Vista, que tsrh autorisagflo do
senhordo mencionado escravo psrs bem re-
compensar s quem o pegar.
Fugio, do engenho S.-Joo do Cabo,
pela segunda vez, no dia 17 de julhe psssj^L
010 passado, o escravo Valerio, teBdo*s)^B
ja um vez pegado em Mena-Farinha, d-
pois de alguns dias d fgida ; he alto, eor-
polento, cara curU e lars.*, ps seceos, ten-
do muito abertos os 'd*do grandes de am-
bos os tefe, a pella* eti rugada e spera:
quem o pegar leve-o ao/di'o engenho, ou no
Recife, e casa do Sr,' e::BSjjsss:dwSw i.u
Comea Ferreira, que R/alifisar com Sfflfe
rs. : Uambeni se gratrticara a quem dSjfMr
ticias-do'ditoeserat'o.
,"l"B^^^^RJtA,fA^""B,,,lp,,
Na reUcao dos bitos, dia 14, JoaqutjjK
raootoro
Barros'Rgo; fallecen- com sacra
nflo sem elles, eo.no se publicou.
Irans, x vtt. su nitu.r, mmmi ^'gio


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E54YRI5VL_ES7LW8 INGEST_TIME 2013-04-24T15:40:04Z PACKAGE AA00011611_07120
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES