Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07048


This item is only available as the following downloads:


Full Text
T
..11..... .,
mmmmm
"
Anno XXVI.
Sepnda-feira
PABTIDAI DOS COR B 101
Goianna e Parahlbn, i segundas e icxU feiras.
lllo-Gr*ndc-do-Norte, todas a quintas feiras ao
uieio-dla. -
Cabo, Sorinhaein, Ilio-Formoso, Porto-Calvo e
Macelo, no 1.*, a II e 21 de cada mci.
Garanhuns e Bonito, a 8 e 23.
H*a-Vislac Florea, a 13 e 28.
Victoria, s quintas feiras.
Ollnda, todos os das.
EFHEMIBIDES
e Oulubro de 1850.
J. 244.
S'Wova, a ft, aos 36 m. da t.
Creso, a 13, ao, 10 rn.dam.
Chela, a 21, aos 15 m. 'dain.
Mlog. a 28, s 2 horas d* t.
FBEAMAH DEHOJE.
Priineira as 10 horas e 54 minutos da manhaa.
Segnnda as 11 horas e 18 minutos di Urde.
vbeoo da Mscairolo.
Por tres meses' (adiahiados) 4|000
Por seis inp7.es 8/II0O
Pot un anno 15000
da* da semana.
28 Seg. Simio e S. Judas Tbadeo.
29 Tere. S. Feliciano. Aud. do 1. da 2. v. do
civel. e do dos fritos da fasenda.
30 '.hiarl S. Serapiao. Aud. do i. da 2. v.
31 Qulni. S. Quiut.no. Aud. do J. dos orf. e do
in. da 1. T.
1 Seat. Ififf Festa de Tolos os Santos.
2 Sab. Comincmoi-arao dos Defuntos. Feriado.
3 Dora. S. Malaquiaa.
CAMBIO EM 36 DE OOTBBBO.
Sobre Londres, a38li2d. por 1/000 rs. atMMias.
* Pars, 333 por Sr.
Lisboa, 100. por cento.
Ouro. Oncashespanholas..... 3A/uOO a 30/500
Moedas de 6*400 vellias. l^ion a I6j500
de o/iOil novas 16/000 a 10(1200
de4|000....... 9/100 a 9/200
l'rata.Patacfles brasllelroa ... l/<70 a 1/989
Pesos coluuiuarios..... 1/970 a 1/980
Ditos mexicanos........ 1/760 a 1/780
UBICO
HHTlll t]9\ IIIH i II lili H> III W i III III
PARTE OFFfClAL.
"YERNO DA FJVINGlA
EXPEDENTE DO DFA 24 DO CBRENTE.
Odleo.-- Ao Etm. commandante das ar-
ma, recommendando i e*nedic!Io dn >iii
ordons psra qiie no dia 28 do eos-rente siga
novaper ftelii, o contingente doS bata-
ihan de artilharia a p que tem de ron ler
o ilo 9.* da mesma trina, que se aclis as
Aj Roas.
Ililo.-Ao inspector* da Uiesonrarla de f-
zenda, inteirandn-o de haver o liaclire| Al-
varo Bsrbalhn lichoa Cavalcante parlicipa-
doque no dia 23 do Torrente entrara no
gr de juii do feilos da fazmda.
Dito. Ao inspector da pagador! militar
para, que, i vista du documento, qu remet-
te em duplcala, mande pagar a Pedro Joa-
qtlim d Silva, a quanlia de 36 "00 rs por
Imvpr elle eonduside em sua barcada Nova
Mauricio, para os pomos d- Serinhaem e
Tsnnda' as pracas demarinha, ntenein-
das em dito documento. liiielligeireiou-
seao inspector do arsenal demarinha.
D1I0..--A0 mesmo. inteirando-ode have-
renvas pracas de 1," linha indicadas na re-
lacSo que remelle, (lii-disado o seu tmoo
de aervico, e contraalo nos termos do de
creto e regulamenlo de 18 do novemhro de
1848, para continuar, no mesmo servico e
ordenando que man le abonar as mesmas
Pr8C8aa gratificos declara la* na referida
relacjo, sendo 50.000 rs. a vista, e o resto
em premlaroe* m-nsaea dn lo 000 rs. --
Scienllucdl-se ao Exm. commaudanle da*
armas
Relscflo a que se rofere o oflleio cima.
Frimtiro balalh*o dt eacadortt
Soldado, Goncalo Vieira 180,000
Oitam balalkoS di cncndortl.
Sargento ajudant". Jos Justinisno
de oraos 200,000
Soldado, Vicente Rodrigues dos
"j S'hloa 180.000
Ts Cnlisto Ferreira 180 001
Tilo Braz Cantoio 180.000
Appellante, Ignacio Manoel Viegas ; appetla-
do, Jnaquim Vlegss.
Appellante, Manoel da Silva Lopes ;appellados,
o curador heranca jacente de Fr. Caetano
de Santa Engracia Muir, c outros.
ai vis es.
Passram-,do" Sr. drsrmbargador Hamos ao
sr. d'mhargdnr Villares as eguintes ap-
eguintes ap
Joao Prancis-
peilsciJes em que sao :
Appellante, o jui/.o ; appellido
co Tarares.
Appellante, o jaizo ; appellado, Francisco An-
tonio.
Hcarfmtm* rraMVido. .prtw*i mnrmlaj.
Carino da hahia e Jaquim Jos de Aranjo.
?asaram do Sr. desembargador Vlllare i._
Sr. desemb-rgador Rastos as seguintes appel-
lacdes em que sao :
Appellante. a Justica ; appellados, Damlgo Soa-
res da Hora e nutro.
Appellante, o jui/.o ; appellado, Manoel Valen-I
tiiu Francisco
Appellante, o juito ; appellado, Antonio Josi1
de Rosas.
Passram dn.Sr. desembargador Pastos ao
Sr. desembargador I.cao as segulntes appella-
ces em que sao :
pppellaale, o julio; appellado, Manoel Jos
G'incalvcSda Silva.
Appellante, Joaqulin Galdino da Silva : appel-
lado, Rolinn Jos Corren de Alinelda.
Appellante, Francisco Cavalcante de Mello; ap-
pellado, Jos Francisco Goncnlves.
Appellante, Joan Daniel Wnlphp &r C ; appel-
lados, a viuva de Jos Francisco de llorja e
qut-o
Appeilanic, Jos Rodrigues Ferreira; appel-
lado, ojuito.
I'assoii do Sr. desembargador Leiio ao Sr.
desembargador Soua a seguinte ppellacla
eui que sao:
Appellanie, oEsm. barao de Suassuna; appel-
lados, Manoel Pirea Fe reir e otaros.
Passnram do Sr. desembargador Souxa ao Sr.
deaembargador Rabello asaeguiules appella-
cn em que sao :
Appellante, o julio; appellado, Antonio Jos
dos Santos Retalho.
Appellanie, o julio; appellados, Antonio Jos
Francisco e outros.
Appellante e appellado, D. Iiabel Rarbnsa Ro-
drigues Machado Freir e Francisco Machado
Teixeira Cavalcante.
vou comunicar oque ltimamente occar-|relalar-lhas mais nolaveis das ultimas
reo all. Tendo o delegado de polica feito loccurrencias.
capturar um do socios da qtiadrilha, del A epidemia, de que tratei cm minha cor-
nome Simplicio de Barros, os de mais qua-jrespondencia datadade23 do agosto ultimo,
drilheiro. se reuniram, preter lendo com Jeque a principio 11I0 pareca ser mais que
nflo armada libertarseti companheiro dnfum forte defluxo, ultimamonte tem mos-
poder da justica, *S 9 horas da noite ilu I Irado 11111 carcter muitO mais assustador,
Dte
Passram do Sr. desembargador Rabello ao
Paulo Jos dos Santos 6o!oo Sr- desembargador Luna Freir as segulntes
o. Ao commandante da fortaleza do PPP|II1" r"1ue'"".L /.,
Appellante, Filas Coelho Cintra; appellado,
Agostintio llenriqui's da Silva.
Appellante, D Rnchaella Caetana Alexandrina
de Mello ; appellados. Joaqulm Pedro do Re-
g Cavalcante e sua inulber.
Pasasrain .lu Sr. deseiubargador I.una Freir
ao Sr. desembargador Telles as segulntes ap-
pcllacdes m queso:
Appellante, Jos da Silva Sisoeiro Guimaraes;
appellado, Leopoldo Cavo de Mello Guara-
Brum ordenando, que. no caso de se ve-
rificar a identuiada de prssoa, ponha a
disposicndo comandante do brigueCn/li'o-
pe, o preso Manual Francisco, que Ihe cons-
ta existir entra os recrutas ahi depnsita.los,
visto ser elle do corpo de imperaes mari-
nheiros, e ter desertado daquelle navio.
Cenimunicou-se ao commandante do mes-
mo brigue.
Goramando das armas.
Quarlil geiurai na cidadt do Itecife, im 27 de
'' nutubro dt 1850.
RDKM DO 1)1 A N. 112.
f O balalhio quinto de fuzileiros do eiercito,
em vii lude de ordem do governo Imperial em-
barca para a corte do Rio-de-Janeiro.
Ao deixar a guarnlclo desta provlocio, sent
te marechal de campo graduado comman-
dante das armas armis viva satisfacao em de-
clarar que durante o lempo em quanlo este ba-
talhao esteve debaixo de tilas ordens, se hon-
re com aquella regularidad* deaeiplinaque
o fe distinelo na crlte melindrosa por que esta
prpvlncia ltimamente passou, na uual deu ir-
refragaveis provas de bravura e nao menos de
leald>de a peisoa augusta de S. M. o Imperador
e as Instltuicdes jdr.das. Este brioso compor-
tamento dos omciaes e dos soldadoa. reflecte
al i reclamante sobre o seu digno commandante
0 Sr. t-neule coronel Feliciano Antonio Falcio,
em quem o marechal pelo diuturno habito do
caminando, dlvisou sempre aquellas qualida-
des que tornam recoaamendavel a um com-
mandante de corpo ; Isto he, lotrpidei, inlel-
ligencla, honra a telo pelo servico nacional.
Antonio Corra Se Ara.
TRIBUNAL DA M.H<\0\
SESSAODE 26 DE OTUBRO DE*I850.
raesibsaciA do rxw. siaiim coiseuiemo
IZRVr.DO.
A'a 10 lloras da inauh'.a. acliando-ie presen'
tes os senhorrs deseinbargadores Ramos. Villa
res, Haatos.Leo, Soma, llabello, Luna Frei-
r e Telles, fallando com cansa o Sr. desem-
bargadore Puuce, o Sr. presidente declara a-
lieruasessao.
JOLC.MENTOS
Uabtaicorfui.
De Juao Severa Gomes. Nandaram onvlr o
cUIrgado de Santo-AnsSo aj o da 9 de no-
vemoro prximo luiuiu. r 1
AppeUaciei eireii.
Appellante, Aernardluo de Sena; appellado,
Jos JrapilslaBibeiro de Faria. Conttrma-
rain a senleuca.
Appellante, o Julio; appellada Francisca
Mara. Cnnrinarain a sentenca.
Appellante, o julio; appellado, Antonio Lnu-
renco de Almrlda Martina. dem.
Appellante, F. Poivirr; appellado, Pouinateau.
Rcioriuaram a sentenca.
Appell'nles, o padre Raphael Antonio 6'oelho e
ouiroa; appellada, Mariana Theodora Coelho.
dem.
Apprnarile, Jcaqillm Perelra Hoinem; ; pel-
rado, Jos Leopoldo da Silva e ontros Nao
tomaraiii conheelinento da appellacao por
aer apreaentada lora 4c tenipo.
Appellanie, Keancisco Carneiro a Silva ; ap-
pellado, Joa) Alves de Carvalbo Cexar. Fo-
ram recbra)N.pa embargos.
Appellante,Gervasio de -puia Raposo; appcl-
arlo. Manoel Ferreira do Nasciineiiio. --Ues-
pinaram OS embargos.
Appellante, JoS Ferreira do Santos; appella
do, Jos Joaquim de Mesqulsla. dem.
rema.
AppePante, Mara da Maternidadeda Invencao
da Santa 6'rui; appellada, Mara Manoela de
Jess.
/ Appellante, o julio; appellado, Joaoescravo
do padre Jos Crrela de Araujo.
Appellante, Jos Diogenes de Bourbon; appella-
do, o julio.
Passram do Sr. desembargador Telles ao Sr.
desembargador Ramos as segulntes appella-
Srs em que sao :
.ppellanie, ajnsllca ;.appellado, Barnab Pe-
relra da Rocha Calheiros.
Appellante, o juio; appellado, Joao Evangelis-
ta da Costa.
Appellanles, Antonio Fabio de alendonca e
aua mulher; appellados, Estevao Jos Pacs
Brrelo e sua iimlher. rerem assm prolongr-fe por mais
Appellanie, Jos Rodrigues do Paco; appella-
do, Manoel de So usa Gu i maraes.
Appellanie, Manoel Jos Soares de Avillar ; ap-
. pellado, Dumlngoa Jos Marques.
no mesmo .Sr. ao Sr. desembargador Villa-
res a seguinte ajipelLcao em que sao:
Appellanie, a adminislracao do patrimonio dos
orphos desuelda Je ; appellado, o Exm. bis
po de Marianna.
PISTBIBUICOES.
Ao Sr. desembargador Leo a seguinte ap-
pellacao em que sao:
Appellante, Albino Jos Plmentel; appellado,
Manoel Thomai Perelra.
Ao Sr. desembargador Souia as segulntes
causas em que sao :
Agpravante Jos de Alenquer Simdra do Ama
ral; aggravado, Jos Alves Guerra.
Appellante, o julio; appellados, Joo Jos Io-
nucencio Pngge e ouira?'
Ao Sr. desembargador | "a
appellacao em que sao:
ablp. a seguinte
1 que sao: J
app. liante, Saluttlano "'"'o Pimeru d'
Suufi Pire t appllador*L!ftoci J^.(uiin Ra-
mos e Silva.
Ao Sr. desembargador Luna Freir a seguin-
te appellaeio em que sao:
Appellante o juizo; appellada, Mara Fcrnan-
ls.
ao Sr. drsemnarg(iiui Tco iguiste ap
ellafio em que sao :
Appellanles, Amelia Josephina de Mello Accio-
lv e outros; appellados, Manoel Marquesd
6'uiia Soares e sua mulher.
Ao nr. desembargador Rainoa a seguinte
appellacao eiu que sao :
Appellaotr, Fraucisco JosTheoAlo; appella-
da, Innocencia Mara de Azevedo.
Levantou-se a sessao a urna hura da larde.
INTERIOR.
DlGVACOES.
Appellante, Floreada Mara ; appellada, a juS'
Aasjratnnte. Jos AAart de Onveira t igueuado;
l appellado, o jsjizo.
i-_
CORRESPO.NDENCIA DO DIARIO DE PEII-
NAMBUCO.
Otara 30 de oulubro dt 1850.
Nflo ha por aqu novdade importante a
nflo ser o incremento, que vi tomando a
audacia d<> eriininn>oa. Tendo tislo cm
seu Diario transcriptas as noliciss, que as
lolliasdesla provincia teeiu dado sobre o>
reyelldos roubos e violencias pralicad>
por urna quadrilba ds ladies ns comarc.
ciar a ^seus leitores at que ponto aquellea
a.ibco 1, ievsuu uorcpcit^, 50
publico as lutoridadades e por isso Ihe
dia 28 do rnez pasdn, aecuo!meter*ni a na-
dis da villa da Cranja, e leriam sem ilu-
vida si lo bem succedido, se bro acaso fe-
liz para a justica os nflo tivesse denuncia-
4 : naquella mesma oc/iSo tinha ode-
lesado i lo i prizo to "ar certa providen-
cia, quandoal estando, ouvinbater a pe-
Ira de urna arma, que menlo figo, nm
consequencia do que chamou a guarda
arma, e elle m-smo foi i ca< chamar
Dais genle, quando em sua ausencia foi a
uirdaacommeltila porum grupnarmado
aven lo fogode partes parte, o qual logo,
eessou por ter mmelia'amente acudido p
ref.irco, que levou o delegado, fugindo os
quadrlheros sem que h>uvs'> rori"i'ii-
loalgum entre a guar, nen entre el'es
O Mendes, apenas recfjheu communica-
co de urna tal occorrencia mandou para a
Cranj, um'pequeo destacamento, com-
mandad po' um alferes ; medida osla que
leve provavelment fa?"r co-sir o terror
de que se aclis apodera.la a populacflo da
luelle tormo. m.< que nSo aunonnho suf-
ficiPiitnara destruir com lelamente all o
foco da hd'oeira ; por quanto o qua Irlhe-
rn przo sendo interrogado confessou qu
quadrilb era capitaneada, bu d'igiils por
um tal Francco Elias, p'-ssoa de boa fatni-
lia e relacionada por armzaden crnln que
tamherri por parentesco com algumas ds
aulhordadesda Granja, que o prolese; por
cujo motivo tornan lo-si) difOcil a captura
e punicfln, defle, julgo quenflo desappare-
eer de todo a quadrilha em quanto o che-
Te delta gozar de atgum imunidale. A
deslituicSo da aulhordades, que o prot-
gefn, e augmento de forja lie o qu" me pa-
rece indisperisaval, tanto mais quanlo e-
xislerp-na Granja criminosos de altos cri-
nes, e que goza* de igual prnteeijo.
Alin do que acontece na Granj', tam-
hem nos domis pontos da provincia a prn-
oriedadee a vida docidadSo nflqgpzam de
garanta. O pmprlo *auremo, que div-
nlsa a interina administracSo do alendes, ha
pouco fez Urna confissitn, que revella a
pene seguranca, que hoje ha no Gear, e
fot dizor que o visita ior Piolo la Mn lon-
e; rig'o >Ut Qtfaixeramohfm. acha-s
nest ci.lade s* po ler voltar para sua fr-
guezis pelo receio dn sor assassinado no
camnho.
esta proposlcflo, por quanto se um"per-
sonagem queexerco a maior ascendencia,
sobre o animo do vice-presidente nflo node
viajar sem risco de vida o que nflo acon-
tecer aos que teem a infelicidad* de en-
eorrer no desfavor de S. Exc. ?E entr-
is nlo mulos destea ltimos am la vaj.m
por toda parte, em bora Ihes seja preciso
lomar suas cautelas.
Anda nflo he chegado o presilente desta
provincia o DrSilveira da Molla, ea ponas o
vapor que liontom aqui chegou, nos troux<-
a noticia deja ler elle fleado em Maranhflo.
S. Exc era por todos esperado neste vapor,
e ao verilcar-se que nflo viera, os equili-
brisiui so felictavam uns aos outros por
algum
lesapo o gaverno do Mendes, quo os tem
encnido de todas as grscas As dimiasOns
sobraos taquartmas teem continuado: en-
tre as que ltimamente tem havi.io sito
soh e ludo nolaveis aa do promotor do
Crato Miguel Xavier Henrque de Olvrt e,
los delegados de polica do jardm, e de S
Bernardo, por seiem homens de moita
consider*cflo entie o partido carangueiio o
I.' he deputado provincial, e a 1.' inllu-
neia de toda a comarca do Grato. Os
equilibrista* nflo cabem em si de contenas,
seinpreque se cneme applaudem a di-
mi.ss.3n de qualquer caranfueijo : parece 1er-
ad na physionomia de cada um o regosijo
com que se exprima o porte latino. Dtut
nobii hoc otia ftcil
O Mendes, irritado com a opposicSo, que
Ihe tem foito o Pedro II, araba.de lomar
contra esta folha urna vioganc<, que mus-
ir ao mesmo lempo o seu pouco cavalh-i-.
rismo, e a consriencia de sua nenhuma fur
Ci moral para usar dus aiems legaes. O
llr Fausto contrariara con aquelle peri-
dico a impigssflo dus aclos do governo da
provincia, durante Indo este anno median-
te ouu.uuu rs., mas fez pender a validado
do contracto da ainirov.cSo da assembla
provincial, por nflo haver no orcamento
verba para este lioi ; contracto este que a
aasembla approvou por urna resoluc.lo
que o l)r. Fausto sanecionou, e que o
oorlaria aiiullando o referido coul'acUi
pelo frivolo preteito da perlencer a lypo-
gravhia ao inspector da lUeaouraria po
viucial, nflo obstante ja ler o mesmo
H -lides reconhecido a validade do con-
tracto, dtiraote os uiezcs de agosto e se-
lombro, altestaudo ler a typographia cum-
prido aa condiccflea qne se obrigou e
mao lando pagar-lhe a respectiva mensa-
lidade. Tiraudo do Pedro II. o expediente,
o Mendes o mandou para o taqmremn,
cuja typographia be de propriedade delle.
Adeos aloulravez.
dencia que nflo possodesculpar, e que min-
ias vezes particularmente Ihe censure! i nflo
deu um passo alai resuelto o muito digno
dclegido supplento, oSr.Joflo l.in de Al-
buquorqiie, a qunm se nflo pode nogar mo-
deraeflo e espirito ante-perseguidor, nflo
obstante ver o precedimento das aiitorida-
leSSUliei'iortW, rrCiauiu a clife de poii-
cia contra um tal -escndalo ; e, niloque-
rendoeste tomar medida alguma, delibe-
rou-se a ir pesso lmenle fallar ao Etm. pre-
tos negros Verdade ho que por c nos taoi sidenle ; o o resultado dessa conferencia
ellt atacado com menos rigor, de modo que Tuque voltou o Sr. t.ins ilisnosto a pedir
presentando os mosmos sycnntomas o pro-
duzindo os mesinos olTeitos da terrivol fe-
bre qtiegrassou nessa provincia ; e at sen-
t algumas vezes acompanhadas do v 'mi-
entre os adultos poucas victimas tem feilo,
causando muito maior estrago as enan-
cas : mais somente na capital, j l vflo por-
to deses-cnta pessoas, que tem feilo des-
cor sepultura. K nflo permita Dos que
anda continu, e proguid 1 esso mal, que
nflo he o nico que afflige esta pobre pro-
vincia.
A paz, o Iranquilldade, qtn pareciam
irstatioli-i las entre nos, como qu de um
momento para outro nos vflo fugindo o o es-
pirito de desordem comeca a perturbar o
socego dos Rio-Grandenscs. Scenas bem
tristes teem ultimamonte apuarocido, e
actos se vflo reproduzindo, qne, continua-
rom, dentro em pouco nos levarffo ao te -
rivol estado em que nos achamos no lem-
po em que o mais scelcrato e corrompido
los magistrados oceupou nosta pronincia
o cargo de chelo de polica.
Sup'pondo eu pacificara a comarca da
Maioridadccom a ausoncia do Amaro, o com
esforco das autoridades quo para all fo-
ram nomeadas pelo Sr. Wanderley, tive o
dissabor de ver novainenle alterada a paz
da quelle po'to da provincia por successos
sua dimissflo, oque n'o rcalisou por con-
cordar com alguns do seus amigos, quu a
isto so opposeram.
Quandn foi - Manoel Gom-sF'lhoiros, o Sr Cunha i010
nodiatamenle olficiou -o chofo de polica
pora que mandasse suspender todo e qual-
quer procodimento judicial, dando a-.su
lempo quese evadissem os criminosos, e
so tirnasse'm as circumsiancias mais favo-
raveis. Chog o cliefo de polica, o Sr Dr.
lia [dista e entrando no excretlo desso car-
go, or.lenou ao Sr Dr. tirito, que na qnali-
dado de juiz municipal, seguisse para a cais-
sasa, a lim de tirar o competente processo
por aquelle er no : eassim oSr. Dr. Brito,
que oiitr'ra nflo mereca a confianca do go-
verno, ja agora he cncarr'ogado dessa la>e-
fa : mais o nosso amigo, dando parte de
lente, dirigio-se oSr. Dr. Baptista ande-
legado supplcnte o Sr, Lins, o qual, prepa-
rndole para cumprir a ordem do cbofe,
na vesporu da sua partida, recebou um olli- ,
co dete, einoqual Ihe declarava nao s.-.t
mais precisa a sua ida ra elle mesmo a ca-
issara. Foi com effeito o cliefo e oacompa-
bein desastrosos, que nflo pode impedir a-/nliou o seu predilecto.-' Quaes os crimiiio-
..,,.. I......... ,ln......4...I.I...I rv...l 1^.., -i TI.. -?.1____.- __________ .!__ n .
vigilancia das autoridades. (Juan.lo o
Exm. Sr. Cunta mando 1 para aquelle lu-
lugar um destacamento commandado por
um celebre tcnente de primeiina linha, ge-
ralmonle condecido pelo nome de llelain-
pago.eu nflo dexe de prognosticarum tris-
te resultado ; e assim nflo poda deixar de
suecuder, pois um homemde ndole e cos-
lumas di relmpago lio um verdadero ele-
mento de desordem, e ningem do que ello
menos apto para urna coiumissflo tilo impor
lanie. Nflo lardn milito que se roalisasse
o ineu prauostico. Duas mortes liveram
lugar na Maioridndo por cauza desse revo-
lucionario,quu ja bem conhecido devera ser
10 govci-iio pelas suas facafilias em goani-
iiniii.i e em oulros lugares, onde se ha tor-
nado notavcl por sen genio intrigante.c por
sua despejada iminoialidade. Mas taes
Verdado beque acho exagera- foram as insinuar;0es e esforcos dos algosos
da lei, einimigos da ordem que consegui-
raui du Sr. Cuulia, que fosse-essa vbora a
rulinnr os uspinlos, sustentar a paz naqueila
comarca. f por certo que lem cumprido
iiciu a sua missflo, e vai satisfazendo exa-
tamento as vistas dos nartistas. lndispon-
lo-se Bolampago com um tal Itrilliante,
mandou embosca-lo por um assassino do
lugar, o por um soldado do destacamento
se-i camarada,que, vestido paisano, o a-
companhou na diligencia; constando 11 o 1! i-
lliauteque assim se preparavam esses mal-
vados para roubar-lhe a vida, reccorreu ao
inspeclor de quarteirflo, que, acompanha'
do de uma pairulba, procurouo lugar onde
os faccinoras se acliavam de emboscada :
querendo elle prndelos, resisliram, o do
conllicio, que enire elles houve, resultou a
ni.u-ie do soldado e seu coiiipanheiio, cho-
ga esta noticia ao prizidente da provincia,
e o que faz elle? Dimiltc as autoridades
do lugar, subslilue os d miltidos pelos
mais Ircnelicos nortistas, conserva o Re-
lmpago no cominando do destacamento,
o qual he aiuda reforjado por mais vinte
pracas .' E o que quer isso dizer ? lie
fcil a resposta, he inevilavel a desordem :
a Maioridade eata com II a grada. Nada le-
nho sabido do que depois disso se tem
passado, porm he iccef que no.os desas-
tres U-iiliaui api rcenlo. Com laes dados
nem so pode tirar outra consequencia.
Nflo he assim que S. Exc. ha de sustentar
aoriem na provincia : nflo he prestando
ouvidos a homens apaixonados, c guian-
do-se por calieras estouieadas, que con
seguir em sementantes casos um xito
r tiz
Quando o Sr. Cunha chegou esta pro-
vincia, quiz mostrar-se um modellode im-
pare ili.la le. conservou os sulistas as po-
sices olliciaes, e declarou que os nflo di-
'."".i.. ni n ha.n ottm
Itio-Gnndt, do Norte 17 de Oulubro de 1850.
Atacado da epidemia que j vai grassan
do por diversos pontos deta provincia;
da Granja, creio nao desestimar de noli- nio me foi possivol pelos ous ultimo va-
pores dar-lhes noticias do quede novo por
5 '.Sui oncorriiiu sss le.-.Jo esappareci-
do o motivo que a isso rae obrigava passo
seus deveres, procurando as novas no-
meacoes smetilo o mrito, onde querque
so ello achasse. Com isso ficamos salisfei -
tos, porque nos, os sutislut nflo queremos
delle mais do que a justica. Coinquanlo,
porm, conservasse elle as autoridades
lomeadas polo Sr. Wanderley, lod.via
nunca o tivemos por nosso amigo, mais
n es em seus aclos de alguma surto se re
velavam as suas nslencOes einfavor da fac-
Cflo, que nos he adversa. Eis a prova. O ce-
ubre Amaro tlezerra, juiz municipal do
'termo da Imperalriz, achando-se pronun-
ciado por chines de sedicflo e tentativa de
morte, leve a coragem de apresentar-se a
qualquei hora as ras mais-publicas desta
ciliado, frequenlando o palacio da presi
dencia e ate por vezes indo assistir aos tia-
ioMoa da assemhlea provincial !! Escn-
dalo inaudito Isto be que he desmorali-
zar :
sos? Foram smente pronunciidos Fran-
cisco de Assis e Jos Leandro, os quaes com
a tr.-go.-i que Ibes deu S. Exc liveram lem-
po bastante para ausentar-soda provincia :
porm Caxo cSeverinu nflo podiam soffrer
urna pronuncia, porque o primeiro h"o eflo
de fila dos nortlstas na Caissara, e o segun-
do he um importante partidario, aquelle
mesmo quo presidio a doplicata nortista
nesta capital, por occasiflo da ullima nlei-
eflo do eleilores para senador o tflo r.-le-
v .ules sefvicos nflo pdem ser despros idos.
Taes sflo os milagres de Lol Taes pla-
nos deu e taes habilidades dcsenvolvo.i, que
os seus comparsas nflo furflo pronunciados!
He voz geral qu- o Sr cliefe de polica nada
faz e nada rosolvesem consultar o desinio-
lado Lolo, que he o seu conselheiro e o sea
guia. Se he assim, esi servido, poique o
tal jiivi'in he bda pizta Polo que di.emos
adiante, so vera que nilo he sem fundamento
eslas opposiQflo.
Teem sido ltimamente dimitlidas va-
rias autoridades tmlMat e creio que em
breve nflo existir um supplento de sub-
delegado, que nflo seja nortUti, forjam de-
mittidos, alm dos subdelegado e delegado
da Imperalriz, os subdelegados de Touros
e Mancaja, o o 1." supplcnte do delegado
de Coianiuha. As novas aulorida los d Im-
peralriz sflo liomnes de gueira, o propMos
pura so/focarem a desordem, que all comee
a apparecer ; para Touros foi nomcado o fo-
gueleiro Joflo Anlutiea da Costa, e para Ma-
acaja um pobre ourives do nomo Anto-
nio de Moraos, miseravel analphaboto, sera
una qualidade que o recommende. Para
Coianinha, em lugar do Sr. David Manoel
la silva l.eilao Jnior, hornero abastado e
ligno de loda a cousideraeflo, foi nomlMdo
um celebre Manuel Andr, espoleta do Bor-
dos, o qual ja esteve na ea lea por enuie de
tentativa de morte e que, alm dis o, foi
subdelegado no lempo da polica Vieira, o
que jabastava para seu descrdito.
O nosso amigo o Sr. major Pelincs, sem
Invida porvor iuena qna Ira aclti.l nflo po-
da occopar cargo algum de polica, pedio
a sua demiasflo de subdelegado, e de 4.
suopleote du delegado do termo dst ca"-
ulal. e sendo exonerado de un e ontri lu-
jar, foram nomeadospara sublelegnili um
miseravel taverneiro, e para suoule .le do
lelegado um qudam de nome Antonio Cu-
nes, s clebre pela sua devassidflo. Nflo
levemos deixar em silencio ms autoridades
ovamente nomeadas para a Caissara, rl li-
culas nulli lades que, por sua supina igno-
-aoci 1, sflo os mais proprios para instru-
mentos da ficcflo. 0 Sr. chefe de polica
|ue tem f-io tflu boa prpostas, creio que,
...... ..(..,. w, ,.^.Mu..d, Z ^C unu tina
informado das btllat qu di la les que os a-
'lornam : porm 113n deixo de censura-lo ,
p:ir deixir-se levar pelas persuasOes de um
noca estonteaas*, que a lo lo o pieco, e am-
ia mesmo servindu-se da meios baixose
vergonhosos, m lem em vista exercer ac-
tos de vinganc,a e de perseguan contra
is seos adversarips. O Sr. Dr. Baptis'a ,
se nflo seguir outro camnho, *.n muito
nal ,- aos l.nltis pouco impuila complicar a
iquellea queui tralam por amigos, uma
vez que consigam os seusfius.
Bem sci que as autoridades policiaes
eram nfjstas, e porissu poderflo objetar-me
'os nortisius que a ellos compela lomar as
providencias Qeccssarias: be verdade e o
Sr. Dr. tirito, enlflo se achava interina-
mente soi viudo de uiioo ue polica, e por'
condescendencia com sua Exc. (condescen-
Antes de dar lim i prsenle exposicSo.
convem fazer algumas breves reflexOosa-
cerca do commuaicado que se 16 em o n.
295, da faino, relativamente minha pri-
meara correspondencia. O edbre commu-
nicante, depon de coropromelter-se a mos-
trar ao publico as falsidades de todas as tni-
nhss correspondar.ciis quo uOvsr, ser publicadas ( que tal ), procura negar
"S verdades, que refere minha caria j
citada. Cortamente nflo se p-le mentir.nflo
se podo calumniar mais despejadamente!
rlflo me be possivel acompanbar o tal cotn-
muuicante rospondomlo a todas as menti-
ras, calumnias e immoraiuades que re-
cheiaui o immundo commanicado Causa-


:%
me al nojo occupar-me com elle algnns
momentos; porem, vencendo a minha re-
puanancia, direi a respailo duas palavras.
Seria loocuri minlu cansar a paciencia
lo publico, reapondendo ao que diz o mise-
ravel communicante ce-ca do envenena-
jnenlo do Exm. Dr NeveR, assim como das
jno. les dos soldados, que houvoram luger
em Cnianninha. A respeito de om e oulro
objecto j bastante se tem demonstrado,
|Ue tudo quanto tem dito oa nossos ioimi-
m.gos nflo passa de calumnias e infamias.;
e teiiho inleira conviccflo de que neohum
homem dotado de senso commum dar cre-
lilo a tilo grosseiras mentiras adrede en-
gendradas para desacreditar os honrados
tulislas. Dize-me agora, oh detractor atroz,
quaes sBo eases barbaros e horriveis assasi
natos e outros on mes monstruosos com -
metiidos em grande escala pelos sullslas,
pelas proprias autoridades ero diligencia?
ynpse#ses crimes de que fazes mauQ.lo,
mas que le nflo atreves a apontar ? Ser por-
venlura o assassinatn do sempre chorado
subdelegado Manoei Gomes Fsliiei'Os, per
prtrado pelos Assiz, Caxos e Sevennos
membroade tua faccfio? Serio por ven tura
as emboscadas faitea por o'dem de Relm-
pago* e seus amigos da Maioridade? Ser
a se.licoaii! promovida pelos Amaros ePe-
nag t Quaes esses crimes ? Quaes s9o es-
ses assassipalos ? Agora sim, he que
comees a desordem ase estabelecer a estn-
deros seus dominios com as autoridades
que vilo sendo Horneadas, agora he que
vejo ennegrecerse o horisnnte, e temo do
futuro da minha trra 0 ridiculo commu-
nicanie, depois de vomitar toda a soite de
injurias cm geral contra o lado i que lenho
a honra de perlencer. volta-se particular-
mente contra o Sr. Wanderley, qum at-
tribue a minha correspondencia, e baldo de
rases e provas com q- as verdades aUi publicadas, contenta-se em
trata-lo de vil, de abj.-to, e finalmente de
ludo, quanlo pJe occorrer niaginac.So,
de um eslonieado e de um louco. Misera-
vel 1 O Sr. wanderley e todos os tuliilta*
desprezam os teus latidos, e estilo multo
altos parase'recelaren) de toas settas im-
mun las He o que me cabe dizer-te; en
meus amigos rallare! com estes bellos ver-
sos de insigne poeta Le Drum.
.....Clise graoder l'envie,
C'ist l'ommagedesa terrear;
Qu'peut sur Cecial de la vie
Son obscuro et lache fureur..'
No bastn ao Insolente communicante
atirartodaa so'tede injurias contra os seu.-
adversarios polticos, mas al, transpondo
os limites da decencia e decoro, depois de
injuriar aquelles, pretenden nodoar a re-
putarlo de suas familias! No baile que te-
ve lugar oesta cidadr, qundo nos cnegou
a noticia de ter sido o Se. I>. Manoei esco
Iludo senador por esta provincia, diz o
oommunicadoa.'ii-ama/u muala capti-
vas e prostitutas- ()' infames, atnonJe le-
vareis o vossoarrojo ? SO um genio de v-
bora, urna educcfio de lupanares pdem
dar laesfiuclos !
NSo para qui o arrojo do insemato com
mullicante; depois de tantas infamias e tor-
peza!, no contente de desacatar os vivos,
vai revolver as cozas dos morios. O respei-
tavel e beneme'to coronel Joflo de Oliveira
Mendes. c o distincto Manuel Gomes Falhei-
ros, anda depois de morios, sSo calumnia-
dos e ultrajados. Uiz-se que aquelle era um
feroz assassino, e este uin facinoioao e um
miseio sapateiro!.' O' infames, anda no
basta? Ogeloda morie, que levou o pri-
meiro sepulto ja, nfioapegou o vosso fu rm
saianico, e o sangue que derramasles ao se-
gundo, e que Ihe estancou a vida, nfio sa-
ciou a vossa sede infernal ? I
dem, 80 de outubro de 1850.
Novas noticias acaham de chegar-nos ti*
Maioridade a carta absixo transcripta, que
mjMiirigto pessoa fldedigua, residente n-
flKla corrmarca, dar ao publico um
ideia do estado melindroso, em que ella se
acha': os Relmpagos, os Pomlios, os l'i
naja nfio encontram obstculos aos seus
desatinos; ludo marcha as mil marwilhas ,
e, o que he mais, Amaro chegou esta ca-
pital, eest seguir, s-gundo se diz, para
a maioridade. lie o oleo derramado sobre
fngueira ; he desgrana sobre desgrana. Se S.
EzcnSocontiver esses d'smiolaos,que sem
freossuaspaixes ludo empreheiidem, e
tudo fazem, para flagellar e exlermihar os
boinens pacficos e honestos ; se em tempu
Tifio ccordar do lelhargo em que se acha,
fe deix.irque otmorlislas consigan) venda
Ihe o- ulhos, nfio sei aondeiremos parar!...
Inclinn-mea crer que S. Kxc. nflo ten m-
inlencOes, ms beni o diz l.a Mennis nto
he coai iniences e desejos que se gover
na, he mister que essea dcsejo e essas in-
tensoesse manifrfsiem pelo fados, a Espe-
remos que o mal anda tem cura.
Meu bom amigue Sr.--.....Vou dar-lhe
algumas ideias do que se passa nesta trra,
que parece haver sido escolhida, em toda
provincia, pelo n o fado, para ser o thea
tro das | erseguicoes, das malv. rsacoes e do
arbitrio. O celebre lente Relmpago, a-
pregoandp alio e bom soni, que veioa esta
eidadc munido de aulhorisacSo do Exm. Sr.
presidente, paravpolieiar inuependente dar
aullioridades policiaes, pozos em duviua
se deveriamos acredita-lo, ou confiar na
:... |ia An nl*i t|.a.lana a I* !<_
a -----, '-o" a- ---
nos convencidos da verdade que enuncia-
va ; orquanio, passanalo elle das palavras
s obras, desaprareceu a duvida. O Sr. t-
renle hedelegado, subdelegado, juiz,parte,
accusador e emfim ludo, lando por insepu-
raveis concelheiros o l'inag e o prom.u.h
doria. Na cudeia desla cidade fazem dous
n.se'raveis, iresos pelo lente; unid-al
cidade, casado, laborioso e pacifico, ao p
lo cnmedecensnra-lo quanuo ella e-reav
o varejaVa slguo as cagas nesta cidade^e sei.
1*1 prrr i ouiro de Portalegre, por -
sir agiadsr sucia. Os sol isdOs sdrraram,
jutiin aos quait., uaia mullier, as 5 lior.-
n mantiAado di* 30 daale : man do u o dito
llelampago um soldado, o seu camarade, *
um ciliraarmados.e disfaiQados a uprtilur a
Jos llrilliante, eut sua casa, oito Irgoas f
ra desla. odMM, terrivei espioes o que
deu lugar seren mortual Dos me livrv
eia, prinoipalmente nesta comarca, que he
o ponto mais agitado da provincia porque]
nSo revale de toda s conflanca e forca a
uro Miguel Esteves a um JoSo Francisco de
Queirs e outros ? Porque nSo sollicils a
ramocSo do juis dedireito, que, sendo pre-
netico pan darlo, nSo pode deixar de fo-
mentar a imriga, pela sua oega predilccSo
poruns,e despresos por outros? Porqne
nSo considera o Sr. Relmpago, como dis-
te, mero execulor de ordens das autorida-
des do termo ? Diz v. que elle presidente
nSo se demina por espirito da partido, que
he avesso as intrigas, e dado aos seus cal-
culos de roathemalica, oxal que assim fos-
se Eu teris nisso muito gosto, porm, os
Tactos aqui como que vam revelando o con-
trario. Nfio quero e tem devo, meu amigo,
leslruir suas conviccO >s a este respeitu ;
s quero excitar suas serias refleiOes acerca
.lo nosso estado melindroso: o presidente
j le ter muito bom corceo, p le ser mes-
uio muito imparcial e justiceiro, porm est
no caso de poder ser (Iludido, e at mesmo
arrastrado pela babilissinia gente dos mre-
los. Basta, meu amigo.....Imperairiz,
3t de agosto de 1850.

N. B. Vicente pombo, irmfio de Anto-
nio jioiuoo, esUnuu nos PCOS, dlatfitd
urna legoa desla cidade, ensnan lo uns me-
ninos a ler, tlrou-se de seus cuidados, e fui
a oasa de um pobre, homem, manso e paci-
fico, eom urna numerosa familia, e lancou
iSo de urna fillia daquello pobre, e a eon-
luzio pata o seu aposento : no caminho Ihe
sahioopaia tomar sua Qlha, eelle resiste
lancando-se ao pai da moca com urna faca :
aqualle rebateu sua. furia, dando-lhe com
urna fouce, de panos, o que deu lugar a cor-
ar-lne um dedo da mfio direila ; apenas se
vio ferido corre, e o pai cooduz sua (liba
para casa. Na ooite do da aeguinte Antonio
tombo ajuntou algumas pessoas, sem or-
den) de aulhoridade alguma, direge-se i
casa do miseravel Manoei Pedro, pai da di-
la mofa, fra de horas, rodela a casa, e fax
logo ao dito homem, o qual felizmente
,.de escapar de suas mflos, licaodo em seu
odr um seu fllho, que com mais outre
homem foram conduzidos presos, e reco-
ihidos a prisSo, dizendo elle que.tambem be
autondade. a
o mandou chibatear pelo collega, at que
Ihe comet as carnes das costas e nadegas .'
Quando o largu aroeacou-o do que, so
descobrisse quetinha apanhado, oiorreria
infallivol mente.-
No oulro dia foi ver a sua victima, e
perguntar-lhe como tinha passad; e, ven-
do quo o caso eslava doscoborto, mostrou
intontos d acabar com a vida do infeliz,
mais foi obstado pelos collegas dello. a
Em l'arahiba nada notavel occorrera.
Pelo vapor Imperador, chegado hoje dos
porlosdo sul,recebemosjornees Qumineoses
at 17, e bahlanos al 44 do correte.
A carta que, sob a data de 18 deate mez,
eacrevra ao Mmaniil da Baha o seu eor-
respondenle da corte, e que ora vamos co-
piar, pora os leitores ao correte do que
abi havia de mala importante :
Anda que nSo .leixe de haver materia
interessante, e noticias, eom que ntrete-
nha a correspondencia, que prometti diri-
gir-lhe por todas as barcas, que desla capi-
lla partam para esse porlo, nflo poderei
desvanecer-mo de mandar-lhe nesta occasiSo
novidades, que surprendam aatteoofio pu-
blica.
SS. MM., e angosta familia imperial es-
to iz pcrfejts uuie, como he mister psr:
a conservacSo da paz, e seguranca do nos-
so paix. Ilontem. dia de grande gala por
les M.a
Mr o da Santa
l)l\R
10 I.K PKK^NROCO.
BSWirK, 37 BI OOTUSIBO D 1IM.
llovido que n presidente o autorisasse pai a
tanta Meu amigo, por mais que eu queira
acreditar mis boas mtei^oea qu voc di.
ler u uoaso presdeme, dv, por meio de jua
tl(a e moderacao, reslapelecer na provincia
a paz, nfio posso crer a vala do que manda
aqui obrar o llelampago. ora, se o presi-
dente quer. como disse, o beui da provio-
0 vapor San-Salvador, chegado honlem
dos portns do noite, trouxe-nos asearlas
los nossos correspondentes do Cear e llio-
Orande, que inserimos neste numero do
Diario, e bem assim jornaes do Par at 5,
leMaranhfin ale 13, de Ceari at 19 e da
l'arahiba at 95 do correnle.
Para (cara em.plena tranquilidade.
A 1 do corren te encelara a assembla le-
gislativa dessa provincia os trabalbos da
primeira sessllo da sua stima legislatura,
recebendo do Sr, Fausto de Aguiar, no-
brevisaimo relatorio que Ihe fet com refe-
rencia aos do Sr. Coelho, que aquelle eon-
fessa serem a htloria completa de tua lio h-
bil, quanlo desvelada adminietracio, a ts-
gradavel nutiria de haverem reapparecido
as fcliies em Braganga.
Ao paaso que o Sr. Coelho via-se elogia-
do pelo seu suecessor em o documento oRI-
cil que acabamos de citar, era menoa pre-
z*do e redicolarlsado pelo Telho Brada do
-Imozonaa, que, em seu furor a desconcei-
tuar, lamhem seatirava sobre o bom prela-
do parense, e, com a animosidad do par-
tidisda phrenelico, aconselhava ao Sr.
Kausto de Aguiar, que, abandonando a po-
ltica de loteratiQ e uilica, Ifio prudente e
abiamente seguida pelo seu antecessor,
ex.ellisse das eslacea publicas lodos os
e npregados que o collega nflo tem por seus
Correligionarios, comecaodo pelo secretario
da provincia,e pelu ollicisl-maior da respec-
tiva s-cretana. Permita Deoaque S. Exc.
iiSu adopie tal conselho
Em o mez de ae.tembro ultimo a mesa de
rendas internas geraes do Para arrecadtra
5:991,883 rs. ; o a recebedria das rendas
proviuciaes, I3.'69i,438 1|2 s.
MaranhSo nata sull'rm quanlo tranquil-
Iidade publica ; mas, quanlo a seguranca
individual e de propriedaae, sua ailuacSo
era assaz critica : assassuialoa, espanca-
menlo.>,roubos,suscedi~m-se una aos outros,
principalmente em C.xias ; eu treta n tu, aa
folhas governislas do lugar aaaaveiam que a
polica se nSo niustra negligente na repres-
sfio docrime, deixando o esta arle a perce-
uer que a immoralidade lavia abi de modo
a zouibar dos inelhores eaforfus daaulori-
dade publica
No correr do mez que flndou, o tbesouro
ouhlico provincial niaranhense arrecadara
5:488,168 rs.
Uuanlo a Cear, algnma cousa accrescen-
taremos ao que diz o nosso correspondente.
Iiiiijuuava a dissidencia entre os earan-
qutijos e OS equilibrista, sendo estes prute-
gidoa pelo actual vice-pi estlenle, que an-
da se couserovava na adn.loistracao da pro-
vincia, por ae ler recusado a asumir as la-
deas uo goveruo o Sr. Paula Peaaoa a cuja
miu quizera aquelle Sr. passa-las no dia
inmediato ao em que cbegou'ell da corle.
a id uu orii icuut.iii u sr. Dr.
Francisco uou.ingues da Silva o exercii io
do cargo de ebefe de polica daquella pro-
vincia.
No Sai/uarcma, de 16 do passado lmos o
segu ii L--1
a Informam-nos do seguinte fseto, ha
pouco uccorrido no lugar chamado Cajasei-
ras, collegio partieolar do padre uiestre
ltoulin, no termo do Hio-do-l'eixe.
a leudo havido certa dilferenca entre
dous esludanles, um fllho do .Sr. Jos Pinto
Noguuira, negociatile rico, e oulro sobri-
nho ou li 1 lio do leuente-coronel l.ourcnco
Alvus de Castro, fdZeadoiro dos Inhemuns;
este a nuile.fui a casa do fllho do Sr. Pinto,
e batendo a porta com palavras de paz, o
fezabrila, eap. nasentr u pnz-lhe umuu-
nhal aos peitos, dando-lhe a escollier, ou
inorrer ou acoiiipanha-lo.
* Cotn c :cio dn vierte psferio ?* Infe-
liz ocoinpauha-lo at cario lugar distante,
onde j se adiara urna poreflo de chbalas
promplas, a prsenle o fllho ou sobrinho
com quain o lufeiiz Hulla ti :reoc.
. AUi propoz-lbe ilon^Hbl ou
morrer, ou sersurrado; pPHPf Olea
surra, mandou que se praataaaa por ierra
de brujos; e pondo-llie o panbal na cerril,
como oa do irmio mais banemerllo; dos asua
deipqjoa uiortac Qieram.ha poueo, como que
reliquia lagradas ; e, quaodo o bravo vetera-
no da Independencia inoitra as cicalrlzea ga-
ohadas noa campos de Plraj, ufana-ae eaa re-
cordar que foi cominandado pelo general ta-
iiatut. Cito este eaemplo por ser o mala fri-
aanle; poderla citar muitoa de outras na(dea,
qur antlgoa, qur modernoi. Nole-ae que tra-
ta-se de guerra eaterna : eu tainbem nao ad-
miti que Uraalleiro aeja batido icnio por Bra-
allalro.
Arguem o tTrown de velbo, dando-ae-lbe
a idade de 76 annos. NSo aei quandu oaaccu,
maa vejo-o muito bem dliposto, mostrando pos-
ulr uina tempera vigorla, e anda bastante
agllldade. Nao preciso lembrar a Idade de Ra-
detikl, que acabou de fazer proeaas na Italia,
presumo qae temoa eiemplo em caaa. 0 mala
velbo general que Ovemos do Rio-Grande du-
rante a rebelllio, foi Manoei Jorge Rodrlguea ;
oa mala mocos nao vlram all queiuiar lantai
escorvas 0100 elle; dlgam ai margeoa do Ta
quarl, cujo barooato foi uina justa retribulcio
do aeu valor, e da ana pericia real
Qaerem al faxer carga ao Brown da perda
da batalha do Pano-do-llosario em 1827, quan-
do todoa aabem que ae eate desastre deve ser
altrlbuldo a alguem, a fama o reclama para o
inaiquez de Harbacena, general em chele qua
por demala era inlinlgo do Brown, por aer eate
dtslinido t insubordinado, como Ibe chainavam
oa marecbaea que nao querlam marchar, e oa
rlgadelros que nao goatavaro de brigar.
Tambe.11 argumenta.n contra a admlisao
da Brown com atdeia de econoroia, como ae
esiadevaarr reclamada quando ae trata de
caraprlr ohrlgaco> perfeiu, 0 me oul4 da d-
tela do pala ameacado pelo Inlinlgo. O que
caupre lodagar-ae he ae o rown tinha un
, mesmo quanlo he justo o amor qae tribu-
conlrato como Braiil; ae a delpelts da ledo ,._ ,,, j'__..i,w
contrato nodia pile .er deipedldo ; aelem di- > o melhor dos monarcMs.
-i. ,,.'i>.r cooir. r,k viciiencj. .i. ihe 0 vapor de guerra tuciona
da augusto nome
imperatriz, houve cortejo no pasao da r/r
dade, e a noite tive a honra de oa ver no
theatro de San Pedro, on la cantoa a com-
nanhia lrica italiana a beilissima peca- os
Puritanos, precedendo o competente hym-
no nscional, e os vivas do costume, corre-1
p'ondulos enthusiaaticamenle.
a 0 ministerio continua sem a menor
qaehri na conII05a da coros, unido e Ar-
me no pensamento de sustentar s Institui-
ciJes juradas, e desempenhar o programma
de juslu;a e tolerancia. Dous annos de
existencia, urna disaolucllo da cmara, urna
nova eleicfio, urna pacifica cao de tremen i
rebellio, duas ses>0es legislativas, ques-
tfies da anaior contideraeflo com o estrsn-
geiro, digam oque quizerem, n3o se atra-
vessa com a mesma forca moral, i a mes-
nia unif.irmidade sem multa capacidade,
sem muila dedicaeflo, sem muito-mereel-
meoto.
a Depois da retirada do ministro da
Buenos-Ajrres.e do que ntfio se disse.nada
mais tem uccorrido a tal respeito. 0 gover
no do imperador, comquai.to seja o pri
meiro intaresssda na paz, como o principal
elemento da prosperidade da nacfio, no
olvida que deve ter os olhos aberto 1 sobre
o vizinho, que dos incuinmoda, e altanad
nos ameaea ; e se alituma cousa de mais
eflicsz se deve empregar para conter o
odio, e aggresso-da parla de llosas contra
o Brasil, he o preparativo para a guerra.
Euquesou um apostlo ds psz, que consi-
dero a guerra como urna das ano res cala-
midades ; que prevejo os riscos em que es-
so recurso extremo peda lanzar um paiz
como o nosso, dividido em partidos e mal-
querencae Uo profundas, nfio cessarei de
animar o governo a preparar-se para a de-
fesa do nosso territorio, da honra e da di-
guidade nacional; e entilo, quanlo mala
preparado vir eu o governo para a guerra,
mais aeguro eslarei na opiniSo, que lenho
emitlido : nfiu leromos guerra.
a Nflo se diga que Bolas nos nSo ha de
temer, assim cuino nfio lemeu a Inglaterra,
e a Kran(a reunidas na inlervenciio dos ne-
gocios do Rio da Prala ; porquanto, pres-
cindiud dascircumstaneiss deestarem es-
sasduas nacoes a mais de duas mil legoas
de dislsncia, nunca quizeram ellas acabar
com as republiqueles; vigavam-se mutua
mente, e tralavam de illudirem-se recipro-
camente, querendo cada qual obter para
si a manir tomma de influencia. Quem sa-
be mesmo, se para seus planos de desgranar
o Brasil conveio a Inglaterra em nfio su-
plantar o-dictador de Buenos-Aves?...
u Crrelo Mercantil, publicando sgaos ar-
tigo acerca das lelsroes do Brssil coa a
confederat}ilo argentina, leva oieu zelo pela
paz a ponto de 1 roclamar a ideia de um
pedido de meiacao estrang.-ira para ter-
minarem-se as quesloes suscitadas. Nfioln-
preciso daroni-se mullos tratos inlrlh
geucia para percelier-se que a folha susten-
tada pela legacjlo tirita.mica pretende que o
governo im, erial Jirij i-se a lord Palniers-
lon, e Ihe diga : acuda-nos pelo amor de
Oeos, peca ao llosas que nos deixe viv-r
socegados. Ueste conselho mercantil resul-
tara infallivelmeiite de duas una : ou
Palmerslun responda eomo fez agora a
Portugal, quando Ihe pedio a mediacSo
subre as r eclamicOes dos estados Ui. i ios:
--11S0 me presto a isso, porque lenho tam-
Dem de ajustar conlas comvosco : e en a
forca moral do Brasil eatragada, crescendo
na rasfio inversa, a audacia do dictador ar-
gentino : ou, aceitando a Inglaterra o pa-
pel de mediador, engiria por ease aervico a
bsgalella do tratado de commereio, por
que tanto almeja, litando o llrusil de bracos
alados para cuidar livreraente di protecflo
e sua industria, e dos seus meios liuan-
ceiros segundo as diversas oceurrencias
A asee canto driesra mercantil respon-
deu o peno lico Brasil excellenlemeuie, maa
queimporlam raaOea a quem vive apaixona-
da? Sea legarlo mgleza he Ifio geueros;s.
ha esoerancaade uua ella ain.U ha da obri-
gara uuia miliiur dislnbuicfio de pastas ?
A noticia que del do chauamenlo do mi-
recbal brown, e nomeaco para o coiiuuand*
do rarrcito na pVoviucla do Rio Grande, nao foi
destituida de liiudaiumto, neni aluda a posso
retirar, pono que al agora nao lenha appace
cido ofticial meiiie. O Currriu da Tarde a deu
por inriu de um conala que fvi iraoicriplo
no Diario, t mil 'e Crrelo Mercantil; e, por
uaii que ae lenha fallado a ru resucito, uo
apparrceu quem deaueutllie a noticia. U
inuiiigoi (emulu arria mais prr-prlu) do bravo
ulular tevaiilaraui una ceicuiua desabrida,e in-
cuiiraui no animo decenos officlaea ealileotei
oa corte Uina oppoalclo essa uomeac.io que
quast toca a raiaa de peiiaamento cedicioao. O
l> de caoliga be o alio da nacioualldade ofendi-
da pelo couimaiido do eaereilo da frontelra io-
cumbido a u.u ealrangairo que, em bom direi
lo pnente ao eaereilo braaileiro poj um con-
trato, e j ua guerra do lu derrainou aeu aan-
Kue noservicu do Braall Kilraugelro era Pedro
Lsbatt!J.e foi ci,g^*Spa o serlcc ds Hszi,
a loitv nomeado general em chrfe do eaercllu
(MCUicador da provincia da llalli a na lula da
mdepeiideucia. Aaua lealdade, oa leuaiervi-
cui graiigeaiam-lbe luvej.i que liieram ludia;
clpliuar o eaereilo, que sem elle, Ulvaa.ae nao
uilaeaise uti ealadeun que fea frente asa Lu- .
alanos; maa oa bahianoi. que a nloKuein ce- nraaemeote uo jury { e.eio que lufluio para
demnoi leniimeotoa de nacioualldade, reco- **"' uiiatio oppwsicvo' qa lazotlt ao
iberam 01 lumoe alalos do general Labaiui PimeuU Bueuo.
a No da 13 tornou o por Imperairlt
para o Rio-Craridelevando parte doquinto
batalhSo de cscaderes: o resWnte, bem
como um cottttgente de srtilharhi.ncou para
irdep-iicom o tenente-ceronel comman-
daale Tamarindo, que pordoentede febres
nffo pode seguir tiesta vex. Psreee-me que
forsm perto de 400 prscaa: Achando se
quede balalhlo na Praia-Vermelha foi 8.
M. o Imperador, na mantisa do dia tO, acom-
panhado do ministro da guerra, ajudante de
campo Galmon Csbral, comBmanle das
armas, eto.t aquelle lugar pamr rerista; o
qu j fez dando mostraa do maor interesse
pela disciplina ; examinou o traUmentodoa
soldados ; visitou o hospital, informndo-
se cuididosame He sobre |o seu estado ; e,
sabendo que o tenente-ooronel Tamarin lo
astava enfermo, o mandou visitar de sua
parle.
a Tanta bondade sem desmerecimento
le um spice'da grsvidsde monarehiea, tan-
ta sulicitude pela melhor direcfio dos ne-
gocios publjcos, Unto intereise V*,*'JKn-t*
de seus subditos, coostituem o laiperTtlo
objeeto de admiraeflo, e um idole de qnan-
tos team a ventura de o eonhecerem de maia
perto.
Consla-me que 8S. MM. II. ja disseram
que para o annn fariam o sacrificio de visi-
tar a Baha e Perntmbuco, e tarvez outras
provincias mais do norte. Eu desejo arden-
temente que essa augusta visita se realise
quanlo otos, Bm de qne os Brasileima
lesse Isdo do imperio reconhecam por si
relio a reclaanar contra casa violencia que Ihe
aerara i e, se reintegrado ou readinlttldu uo
tarrctlo, oonvm a sua noiiieaea para com-
iiiaodar a* forja i da fronteira do imperio as
aciuaea circuuiitaaciaa a bem da disciplina e
do eaito de urna guerra que aejulgi Imuiinea-
te ou provavel. Os caprichos, velenladea ou
melindre deste ou daquelle individuo nio lio
01 principios ein que se deve batear a declio
de tao importante materia.
a As folhas acreditadas destacone nao teem
esposado a causa dos inimigoi do distincto mi-
rechai; disse-iue peaioa competente que a re-
daccao do Crralo Mercantil foi rogada para es-
crever, contra a adiolsio de Urouvrn, mas de
balde,' porque uin dos principan redactores
desaa folha, o Jos Mana Prannos, como inein-
iro dacoiiiinlsio de marl.m e guerra, na c-
mara dos deputadoi em |848, deu um parecer
aullo favoravel ao inaraebal,
a Repellidos aaaiiuoa inliulgos do Broten, ti-
zerain Imprimir una arllgos arulaos e asigna-
dos pelo pieudontmo um olticlal braalloiro
que pouca ou nenhuma aceltacio tivera.n,
at por lerem mlieravelmeiiie redigldos e nao
cometido mais do que aa argucias que cima
enmignei
Curreu que alguoi geneiaea foram aS.Cbris-
tovab repreaeotar pessoaluieiite ao Imperador
contra a dtuisaao do niarechal; mas eaie boato
f ,1 invrnlado para dar 111.ior vulto opposico;
sendo poi n cei lo que nos das posteriores
ao consta do Crrelo da Tarda notou-ae urna
ceita dierenca ( para mais ) de visitas ao
paco imperial, cerno que cuidndose que
seriam todos consultados sobre a asignatu-
ra do decreto : perderam seu lempo. Em
S. Christovfio ha mais senso e iutelligencia
do que talvez pensaasem. A cora lem o
conselho de seus ministros, tem o conselho
de calado para consultar quando se da oc
casifio, e nfio recebe nsinuacoea ou alvilres
deapeitosos e incompetentes de quem qur
queseji. O conselho de eslado sis, foi ou
vido, com loe ser em materias gravea, maa
isso leve lugar mullo independente, e an-
tes ua cBieuma, eoque resuliou ainda ae
no asbe. w
c Tenho ouvdo a pessoas do Rio Orando,
pertencentes a um e a oulro credo poltico,
euuco de lodos que o marechal Brown, se
for para aquella provincia, ser recebido
com salisfacfio plena, viudo a ser talvez,
as acluaes circunstancias, o general que
maior eomrna de aympalhias pussa carear ;
istoj o havia aqu dlloobarfie de Jacubv
antes de retirar-te.
a O conselbeiro SebastiSo do Rogo Barros
j parti para a Europa em commissSo, qae
se diz, de contractar forca estrangeira para
oempiego da deleza da nossa fronteira,
segundo a autorisaefio que se deu ao gofliv
quele ioglez Express, qu daqui largou na
manbSa do da il deslo mez.
Esta commissflo ufio podis ser incum-
bida a peaaoa mais competente, do que
a eate illuatre Peinan.buca.io, que possue
paliiulismo e honradez no mais elevado
grao.
A 8 e a 10 do correnle ebegaram do Rio
Grande os vapores da cumpanhia. Impera-
tris e Imperador, que para all haviam coa
duzido o segundo batallifio de fuzileros. A
provincia achava-se em paz, lendu-se des-
vanec Jo os boaloa de tentativa de levollav
que espslharam pelo municipio de Jagua-
ifio, respeito do que o presidente deu pro-
videncias, expedinJo ordens pira se lomar
conliecioienio de quaes eram os agentes de
laea intrigas, e preqd-lu*. Pasis por certo
queludo iss.ifoi ma1'j-'os inimigosdaim
perie,querenddarllP'Ca aoeslrangeiro.e es-
mortce. os Brasileir|oi lu quadra em que se
trata 01 def.za Ua In inr* "digoidade nacio-
nal uo presdeme Pedro Ferrrira ainda era
ignorada uaqueila proviucia, poaqua at a
sabida do Imperador nao havia Chegado o
faquele do Sul, que levara a noticia, maa
coulav .-ae de ceno com a mudanca do 1*1-
meuta Bueuo, que linlia pedido a eua d-
uiiss com luaiauuta ni, t|uo pauujetiia
relirar-se.pataaudo a aduiinisirsctso ao vice
presidei)le,se,lho nfio luandassom.successor.
No uia primeiru abri elle a astembls
provincial com um discuiso importanlissi-
tno e tico de ideas goveruainentaes e de na
conalisuio ; u.s, ae permsuecesse na pre-
sidencia, leiiade sotlrer grande opposicHo,
porque seus actos nfio agiadavaw as iuflu
encas e a maioiia dos meuibros da assem-
bla, talvez porque aua poltica resentia-s.
ua fraqueza e dubied.de do seu carcter
No syaliiein repieseiilativuem geral, e es-
peCiainieiiie us lempos do crise, he preciso
que o governo, paia ter furca, ae apote leal
e li ticamente uu part Jo, cujas Ideas o ele
varam e u deveiu sustentar. Esta duulnna
uo exelue os deveres de justica, neai urna
certa e conveniente moderacilo.
c O Pedro Cnave^loi eleuu presidenta da
assembla provincial, comuoudo-se as com-
uiisaOasde debutados ligados a elle inleira-
uieolu. llut.uuiUu.iaa aquello digno H10-
oiaudeiue urna da* priucipaes iuilueucia
da piovincia.
a u redactor do fharoi foi abaolvide una-
por de guerra nacional Urania deu
logar urna nove press de embarcaefio ne-
tando s cruzar na Urde do dia 3 do corren-
te, avislou na altura deCib.i-Frioum Hale
que, por fuglr apenas pereebeu o vapor,
loruou-se sus jeito. O Urania dea caca Im-
me ultmente, mas 0 hiate pO le escapar
* perseguido refugiando-ae em Macab,
onde o mesmo vapor o foi encontrar, no da
seguinte encalhaJo, e em poder das autho-
ridadrs ; porque, ao entrar acodadamente
naque He porte, o hiate varn perto da for-
taleza, e as pessoss que se spressaram a
soccorrft-lo, vendo que havia cietrabiirto,
aporrhenderam-ocom a guarnicio e Aii-
canus : entregando tudo no dia aeguinie
aocommandatedo Urania, que os coudu-
zio para esta capital. 0 hiate denomiua-se
HofAa, os Africanos!foram 208, alm dos
quaes trouxe o Urania mais quslap.' encon-
trados em um Garoptira que registara ao
iiurle'de Cabo-Crio.
Tendo-seachadoa bordo do Rolka, entre
outros papis, urna carta dirigida a Joaquim
Pinto da Koiiseca, como consignatario do
niate, foi logo exped la ordem da prislo
contra elle, a qual eff ctuou-se prompta
.nente, apezar do rrmllo do opulento om-
meicianle tiesta praca, Manoei Pintd da
Konseca, de muitas reacOes, estimado
geralmante por seu cavstheiiismo. Consta
jua ochefe de polica, a cuj ordem se fez
1 pristo, remetiera o Joaquim Piole; mes-
tre a IripolsQo aojuz comnetenle com aa
paf is que dizem servir de base para o pro-
cesso. Alguem tem posto em quesillo a
competencis do juizo, dizendo que o Pinto
da Konseca nfio pode ser julgado pelo au-
ditorio da marioha, nfio s porque a lei ul-
l.fiis oontra a rsprobsAo do tralioo precisa
para sai execucfiodoreaulamento do go-
verno, que anda nfio foi dado ; como por-
que a meama lei nfio [alia de consigniario
quando eslabelece a autora nasta especie
de contrabando. U que me parece beque o
luaquioi Pinto ds Fonseca, ou por essa In-
competencia, sebe que a le deveasr assim
entendida, ou por falta de provea, tem da
ser absurvido, senfio despronunciado ; por
isso que ums carta dirigida a qualquer ne-
gociante, consignando-lne a veuda de qual-
quer genero, nfio pode fazer prova contra
esto, eoiquanto a consigmefio nfio he aeeila
ese Ihe di principie de execurjflo. Todava
nfio censuro o governo por ter feito meter
em processo o aupposto cansignatorio do
navio negreiro, porque a caria he um indi-
e crime, que exige averiguacOes da
nona ultima lei do orga ment j foi no pa- parte ti dietario mediante o pro-
le um attodo rigor, nfio ha duvida ;
uiaaWgoverno deve ser rigoroso nesta par-
le, tem de daraiiisfHtfio ao paize aos de-
veres provenientes dos tratados
c A opposicfio nada tem aventurado a-
ccrca da prisfio do Pinto da Fonceca; guar-
da-se para o resultado : j ae sabe ; se hou-
ver pronuncia, gritar : injuslica per.
scguicSo! Se for atrito : patronato! Con-
nivencia !
U governo faca o seu dever; os ho-
menssensatos reOttam sobr as circums-
lanciasda silu-Qflo; nflo se dixm levar
por essas declamaces vagas de inimigos
rencorosos da poltica que subi ao poder
em 9 de setemb o de 1848; veiam que a-
trz de algn, opposicioni las de oda f es-
ta um grande numero de velhaoos e tratan-
tes, a quem se pode dizer;
l'airiola nfio me engaas;
Tu procuras para ti I
Na Urde do dia 6 sahio o vtfmtd
guerra I). Jfotuo em commissflo ; e%pl-
lliou-se no dia segiplo que tinha ido a
l'eruambuco buscar o 8. batalnSo de caca-
dures. Esta nolc a foi perfectamente dos-
inculida, porque na noite de 13 entrou or O.
i/fnnso, e para logo soube-se que havia
saludo s cruzar.
< Acommissfio da pra^a do commereio
desla corle dirigi urna represeiitacflo ao
iiiinistru da fazonda sobre alguna inconve-
nientes havi ios na pratica de Carlos regu-
la menloi Uscaea; eos negociadlesInglezes
reuniram-se hontem pira o Um de resolve-
rem sobre u meo de melhor conseauirem
a modificarlo desses mesmo* regula mea-
tos. Depois de afumas obaervaces li-
tara m em iioinear urna de-
v. ra sr presentada ao gVf nt JHaTperial
pelu ministro brilatiulco. U-.dq esperar que
sejam allendidas ?+$*: nto
quanlo so lornoin compalK'eM ct?in a nece-
-aria liscalisacJlu e arrecadadiB rendas
publicas.
. Pizeram-a nmlcinco, ou seis nomee-
ces de einpregados para estaalfandega, e
caixada aaioiliaacfio i dizem que o ins-
.--"- .i .ir....t-u. redama aluumaa de-
~r"V----------------"
inissoes.
a Na madrugada da hontem tantarn)
roubai a casa da cmara municipal; mais
polica obalou a lempo. Urna pauulha
roadauls obaervou luz no interior tt etii-
IICIO, a lllljo llllllloia.Cutv psf_* 15"
subdelegado, appsreceu este da proa
Qpto,



^wn ..mm*

aco*penb,aiV de foros. Os roubadores, 80 j
entirem que esterara com aiustica a porta
fugiam precintado, sem poderera levar ao;
rnenosaprata de casa; o lempo em que
illi sstiveram creio que foi empregado em
esforcos pera arrombarem p corre. Sup-
poe.se terem-ae evadido os IsdrOas trans-
pondoomuro, mai qo ae lera ainda co-
nhecimeolo do modo da entrada, e ignoro
ae he indicios contra elguem ; a polica oc-
ctlpe-secom ipdegec5,'8, e Dor M,e '*ct0
dee redrobar a sua ectivilade e vigilancia.
Algons rouboe de grejas leem havldo
pelo interior da provincia, o dizem que
Jara iaso formare-ee urna quadrllha de mal
altores qoej tem levado a ousadia a pon-
to de acoommeltimento de fazendas, rou-
bando a preprielarios. O governo tem
darto providenciad a polica eorpragado os
jipos de perseguidlo e reppreasSo de taes
ctimiooaoa. Alguna dos indiciados no
roubo de igreja mala prximas, acham-
ee presos, e formaodo-se-lhes o competente
procfsso.
TJm estucante do curso jurdico de S.
Paulo Kuiccidou-se a 9( do tner rassado pro-
pinando-se veneno, por efleito de urna
paixSo amorosa. A cidade a academia
possuiram-se da mala profonda consterna-
do, porque ai bellas qoalidades, extraor-
dinario talento e eaiuios aqumie acad-
mico, o tornavam recommendado a quin-
tos o conheciam principalmente aos colle-
peae aos lentes. Formava-se osle a.nno, e j
Minas-Geraes como que se ufanara em con-
templer neste joven un comprovinciano de
grandes esperances na Jurisprudencia, na
liiteraturj, e notavelmente na eloquenci,
segundo a fama doa primeiros ensaioa aue
s (avia frito. Filho do cnmmendador Ve-
IcianoCnelho Duarie da cidade de Barba-
ceoe, tlnba o nome de seu ni, pesaos res-
peitavel por sua fortuna, ligacoes e boas
parles.
Urna folha paulistans, Ypirangn, dando
esta Ismenlavol nova, diz que o joven Feli-
ciano Cnelho Ojiarte fra atacado de urna
violenta enfermidade gaslrira. que em me-
nta de 50 hora o fez suecumbir entre ra-
decaienios intensos Este diagnostico
psrec-nie que nao pxolue a causa da en-
emiidade, occultsndo-a de proposito s-
quelle jornalista para evitar escandidos
achando-re tilo pertp das peasoas que se
terism de magoar rom a poblicaco pola
imprenaa. Ivz meisa mesma fulna quea
clasae acadmica em suas manifestaces de
pezar dedicis ao fin>do discursos, e poe-
sas fnebres, que foram recitadas ante o
fe etro.
a noticia Je que o 'aldante ae envene-
nou corre aqu geralmenle como certa,
lia inespio no Mercantil da cidado de
Santos, creio que o foranga a quiz con-
firmar fazen o mencAo entre outrs qua-
lidsdes, da extrema sensibilidade e paixOes
prafundae, qu Ineerain naturaes.
Nu enterro fez-Be muito reparo em urna
ciicumslaocia casual, e que nSo escapou a
mencHo jornalistica :--. entre aa duaa alas,
que formavem o immenso cortejo fnebre ,
caminhiva o meama direccAo, e espont-
neamente, urna ovelha negra, dando bali-
dos irisi asimos de es paco em espado :
E o barro mo'tal oa.lrisle lila.
Tombou aem forga e em campa regelada
1 fnram Ilutos la foi-so a vida.
Uuanlo ao qub diz rospeitu ao Itio-Gran-
do sul, na a a corearen taremos por agora ao
que ae ron toro na caila que lica transcrip-
ta ; acerca, porm, de noticias da corte, di-
remos iinda alguuia cousa.
Corra que oS'. Dr. Joflo Manoei Pereira
da Silva eslava orneado para um dos luna-
res de vice-presidenle da provincia do Rio-
de-Janeiro.
F'i convocado o collego commercal
da corto para *s 9 horas da rasnhfla da pri-
meira doming de dezembro piotimo futu-
ro reunirse na praca do coinnu-rri aflu
de i-iegerussfis depulados oommrrciantes,
e tres supplenles que devera com por o tri-
bunal do cummercio daquella capital. JmmviMa- m iiimiy..-.-----------i-
No Diario do fte de' 10 do corrente lemas ae acliam os partidos extro.uos.
oseen i ii lo
PPHH-H
esprenos de um 'arranjo amigavel entre
is duas grandes aecfoes em ama pslsvra,
os olhos de multa gente a adocSo do bil
sssegurava a paz da da UnlSo. Assim,
mu grande foi o desapontamento quando
se soube que tinha sido rejeitado aquillo
que i quasi ae considerava como palladlo
Ja UniSo A InquietacSo seguio-*e logo e
ao desapontamento, e os orgflos daopini-
1o publica deitram escapar quenas e ac
eusacOas amargas, Nossa conviccSo, brad-
o Repubtican de Savannsb, he que are
iaiQSo do ajuate senatorial alaca seriamen-
te a eslabilidade do governo. |E o Re-
publican, exprimlndo-ee assim. nao he se-
nt o eco de quasi lodos os jornaes mo-
dralos do sul.
Ao ledo dos receios que de novo sssal-
tiram os espirilos, e que sSo jl om grande
mal, renascem as esperantes smbiciosas,
s pretences absolutas, as doutrinas ex-
tremas, mal seguramente muito mais gra-
ve. As disposicoes do bil marcavBo os
ltimos limites a que o sul consenta che-
nar; va nesse bil, sendo concessOea da
osrte do norte, ao menos garantas ; e hoje
que estas Ihe fogem, teme novss inrvasoes,
novas exigencias, que ameagarsm directa-
mente os previlegios que queriam conser-
var ou pelos qusee aceilavam compen-
Este sentimento de desconiianv que
reina no sul va tSo longe. que a Georgia,
Filado que por sua posleo e importan-
cia deva repreaeotai o papel de modera-
dor, esta prometa aaaeeter agora aquillo
que a convenci d Nahvi|le quiz outr
ora iwpOr ao Estado de Tennesseo. Cum-
orelembrar que a legialatura da Georgia,
no principio da crise, declarou que o go-
renador en vocera urna convenci em
nualro evntualidades dalas. V prlmeira
.tolas eventualidades est ara dar-se ;
fallamos da sdmissSo da California com a
constilucSo e limites que ella mesma si
Ha anda homens judciosos que le-
vantara a voz pra impedir que a Geor-
gia tome essa altitud hostil: mas quem
ede assegurar queserSn ouvidos-no meio
da effervescoii'ia quasi geral que reina na
c'ualidade? Qu-ni p le aasegurar aobru-
tulo que outros F.stados, mais irritados
anda do que Ceorgia, nao farSo de-
moislracOM que poro realmente a UniSo
em perigo ? Rata reerud-acenci da criae
pode ser mullo malsperigoss do que fo-
ram ns primeirns al ques
Qnanto sorle que ao bili da admi la California esta reservada na cmara dos
reoresentantes, diz o mesroo Courritr ion
SUi-BH:
Nos ltimos das da semana passad,
certo numero de representantes do sul.
evidentemente sob o imperio dos a-nti-
mentos que agitare os seos reapactivos
Estados, reuniram-se em asse-nhla parti-
cular e adoptararo-se as reaoloc<5s pro-
postas por urna commsso de quinze
uih nhros. as quis se etabelece o aeu
ultimtum. Nata de admissSo da Califor
na, se o limite meridional do F.sta lo n3o
parar na linba do Missonri; nada de cea-
sSo de lerrKorio da parte de Texas era-
qganto as questOes territoriaea no forem
ajustadas. Eis-ail o aeu prograrama, ees-
t-s seohores contam empr 'garito los os re-
cursos da tctica parlamentar para fazorem
calilr as medidas que nSoealiverem dentro
de9las con licgOeS.
Verdade beque nem todos os repre-
sentantes do sal entram nest especie de
coalicAo : mas por parcial que seja, nSo
deixa de causar in |uietacOes. Entre
os boiiensdo norte pro lazio urna sensa-
co penosa, no momento meseao em que,
uor urna coincidencia desgracad*, a ten-
tativa de roubo dos esoravos dos Srs.
Toombs e Satephons lancavs no sul novos
germens de rritacSo. A semana parla-
mentar abro-se sob o peso deates dous
lamentaveis epiaotios, cade um do seu
genero, mas qu" cumpre dizto, nSo silo
aenao a traduccSodas disoosicOea em que
3'
jje foi poeta sobre os picadeiroe dr> ,
ro da Cotila d'Area a quilha, roda
sle de um n por man-
Novoa, chefe aUpremo da departamento de
Pichincha. Cblinboraie, t.nbabura, Zoja e
Guuvaquil. Pel iraUdo celebrado na Florida,
canto de Dante, aofj de julho prozimo paa.
lado, peio nlenlpotenctacloa daquellea doua
potentado, reconhecem-e mutuamente auto-
rldaiet .unreina nos dlelrlc'os qne governaia,
corhpromeUem-ie a nao admluir nenhum ou-
tro pretndeme, e a comprimir todo oa pro-
nunciamento que poiiam perturbar eate
iik- 3U"
. folha de lu o* '"m aobre aal-
tuacao do Per. Segundo cartaa parllcularea.
quatro ism o. prelendende ao governo da re-
publlca.e ha um partido que quer a prorogacao
da actual prealdeacla.
Da Solivia nada bada evo.
sgatelas de Monii fideo alcancavan ao
te do correte..
Nada de importancia occorrra na praja
nem na campia oriental.
Dizia-seemBuenos-Ayres que Rosas or-
denara ao capillo do porto contralaaae ma-
'inheiros eatrangeiroe ; e comprasse tres
vasos eslrangei'oa e bem assim que toa-
do o general Urqui recebido ordem do,
dictador para marchar aobre o Paragay, Ihe
declarara que alo podia mover-se a falta de
cavallos. .
Da Bahia nada recebemos que posea ints-
ressar sos nosso leitores.
i i
Temen noticias dof'EstadrM Unidos at
41 e Agosto prximo paasado.
Tolo aquello paiz flclra tranquillo, nada
de extraordinario teedotido lugar a ti essa
lata.
O gabinete achava-se ja completo ;
oaata da guerra fflra confiada ao Sr, Conrad
d< Luissiana, e a do interior ao Sr. M.
Kennan de Pensylvena.
O senado tinha ltimamente feto mais
trabalho do que durante os oito mezes pre-
cedentes da sesaSo ; elle approvara um
projecto de le pelo qual he concedido a
litan um governo territorial, outro que
determina oa limites de Texas e bem assim
somma que esse estado dever receber
pela renuncia de seusdirettos ao districlo
lisjutado, outro que admllte a California
no numero dos estados da Unido sobre as
condioo>t por ella propostas., outro final-
mente que eatabelece um governo territo-
rial no Novo .Mxico; este projoctos fi-
c i rara para ser submettidoe considera-
(.to da casa dos representantes.
Corra queum arranjamemo tinha sido
concluido com o ministro portuguez em
Washington, o qual restablecer aa rela-
Cfles amigaveis entre os dpus paizes- Se-
gundo esse arrenjamentrV o governo ame-
ricano acceita o pagamento das quatro re-
limacoes admiltidas pelo conde Tojal
i on'-O'da em que seja subnWlida a decisSo
de um arbitro a qne Ozera pela deslruicau
do corsario genital Armitronge.
Os fundos americanos tinham tido urna
alta de 1|9 por centn,e o cambio sobre
Londres ticra em New York, de 109 t|9 a
t0l|9__________________________________

Hoj
estatuir
ocadasle
dado construir polo gov< lo igual ao Pe-
drq 2." os com i simples alteracilo de
ter huin ou tiois pi callar menos
umpedug ^Hpo leve
principio em ju HHBanno ej.i'
si acliao galvadas a maior parto das pecas
de sua ossada, e rounidas algumas cavernas
o completo d'esla reuniSo e armal-as nos
seus respectivos lugares ou casas ser, se-
gundo nos informan!, trapallio de todo o
presente mcz.
As diinensOas. forc e arllheria do
Pedro i.' s2o as seguintoa : comprman-
lo total 196 ps ingluzos, de quilha limpa
169, de altura a meto 17, e sua maior boca
26 1/9. A lonelagcm he de 615, e cala n'agua
eui carga 13 14 Monta dois grandes ro-
dizios de libre 68 nglezes e quatro obu-
zes de 32, ao lodo seis pec,as iguaes a do
vapor Alfonso As divisdes interos
Ue maneira a receber comb .slivol para
diae, ou 300 toneladas de carvilo, e inan-
timentoa e aguada para 500 a 601 pravas por
igual lempo, maqumismo he oscilante,
com afnrca.de 220 cavallos; as caldeiras
silo tubulares, das mais econmicas. Foi
feltuem Inglaterra na offleina deMiller.
- e.i.Mimr h. experiencia" no llm do corrente mez. >
Havu ful ha de N. w Yutk al 17 de agoalo,
' aa noticias com que nella depa-
rara, diz o Jor do Coumercto em seu n
974:
0 bll de lranfsc.c,Bo proposto pelo Sr
Cluy para esulver a queslAo da escravidflu
nlo passou no sonado federal, como di
sernos no Joma/ do Commerelo de 81 do
passado, referm lo-nos ao Times. O bil
que passou por m.ioiia da 14 votos eomu
Jlla aquella fn'b, rtf> n que a.lmilte
California como Estado Ja U.'n3o sein a me-
nor reslrictjSi). U bilt pioposto pelo Sr.
Clay Tui reieitado em 31 de julho.
Solare e$te acoiitvclroeiito diz o Cour-
rie' doi /((- Uni$ de 17 de agosto o se-
gu'nie :
Neo devemos diasimular que a rejel-
Clo do bil doSr. Clay cauaou no paiz a
mais profunda sensaco; no aul sobretudo
produzio urna impreaeio sabremodo de-
plur.vol. A maioria in populvSo, demo-
craU e Vfhig, trama acallado eaae projectu
de iransaccae, perqaanto, meo grauo aa
censuras que podia fazer a alguus dos
CO? HERCIO.
Algodflo- Os procos continuaren! a
declinar, e as vendas da se-
mana no obtveram mata
de 6,600 i 6,700 ris a ar-
roba de primeirs aorte, e
6,800 a 6,300 res a de se-
gunda ; entraram 1,065
saccas.
Assucar As entradas vsm augmen-
mentando : mu pequea
vendas tem havido do bran-
co. e este mesmo para oa
porto do Imperio ; o mas-
cavado obteve de 1,550
1,600 ria a arroba.
Couros-----------Os salgados obliveram lia
l|la 115 ris a linra.
Azeitedepexe-Veodeu-ee a 1,400 re o
?19o.
iveaios uro csrregamento
de 2.600 barricas, que foi
vendido de 11,800 a 13,000
ris a barrica; as vendas a
retalho variaran) de 12,500
i 13,000 ris; fleando em
ser cerca de 4,500 barricas.
Carne secca NSo ha nenhuma.
Farinha de trigo'O mercado foi suppndo com
6,410 barricas em tres car-
regaroentos; um delles
irocedente de Richmond,
o comprado por especu-
ladores a 16,000 ris: a
existente monta a 0.500
barricas, tendo-M retalna-
a 17.000 rs a de Richmond.
19,000 rs.a de Trieste SSSE,
e de 18,000 a 19,000 ris a
franceza, marca Barn.
Manteiga--------Vendou-se a ingleze de 380
4.'0 ris a libra, a franceza
a 320 ris.
Machados O do Porto obtveram de
520 600 res um.
Passas.....Venderara se a 5,000 ris
a caxa.
Pregos dem, a 8,900 ris o milhei-
ro dos eaixares, e 4,400 ris
dos caibraros.
Vinagre---------dem, de 80,000 92,000
ria a pipa do de Portugal.
Vinhos____- O da marca PRR obteve ris
160,000 a pipa.
Ficaram no pono 48 embercacOas, sondo
31 brasiieiras,9francezas, 1 hespaohole, 4
nglezas, 3 porluguezas e 1 sarda. *i
Movimento do porto.
da msDbSa.e depois dessa bora s se reoebe-
rocartas com porte daplo alis 11 horas.
Andas as quaes no se receberlo mais. .
as*js*?a\-i. as malas aue tem de cooau-
zirovapor Imperador paraos
porto fio oorte principiam-se
a feixar hoje (28) aa 10 horas,e
s se receberflo as correspondencias com o
porte duplo ate as 11 horas.
Theatro de S.-Francisco.
BF.1XA9 ARTES.
A manhla terca-feira 2 de outabro,
acha-se a galera ptica aberta, com a re-
presentadlo das pblsicas experimentaes
em I actos, os intervallos serlo preeochi-
das com urna bands de msica militar.
Prteo dea comaroiei
I." ordem de lado
Ditos de frente
9.a ordem de lado
Ditos de frente
S. ordem de ledo
Dito de frente
Bil heles de platea
Ditos de veranda
O bilhetes estarlo a
theatro.
Principiar as 8 horas.
4,0-H)-
5.000
5,000
8,000
2,000
3,000
1,000
500
venda no ases oso
Avisos martimos.
Para a Baha sae em poucos das por
se echar com parte da carga prompta a u-
inca nacional Calla, para o restante da car-
ga e passageiros trata-se com 0 consignata-
rio da mesis Luiz Jos de Si Araujo, na
ra da Cruz n. 33
Lelo.
O correlor OliveiriTar leilflo, por orJem
do agente do consulado franeei, em pre-
senc dochancellor do mesmo consulado,
e porennta das liquilscOesdos finados Pe-
dro Trbate JolqDubois, subditos france-
zos. do u.na porclo de roup branca, so-
bre-casaca de panno, diversos palitos, um
elogio de cima de qsesa, urna cama de fer-
ro, urna commoda, um par da botOas de
uuro, variaa rolodezas, e urna burra de fer-
ro pequea : quarta-feira, 30 do corrente,
referido consulado, na roa do Trapiche-No-
vo, na meama cas do cnuldo americano.
Avisos diversos.
ALFANDEGA.
Kendimento do dia 26.....13-350.090
Detearregam koif 98 ola outubro.
rigue portugus Hara FeUt mercado-
riaa. !
llrigue americano Gynihia farinha de
trigo.
Brigue inglez-- Emma- bacalhio.
Brgue portuguez Conceicio de Mara
mercodoras.
CONSULADO GER4L.
Hendimeato do da 96..... 050,820
Diversas provincias...... 8,054
658.874
EXPORTACAO.
k Deepaehoi ajori timos no dia 96
i Havre por Parahvba, barca Franceza Havre,
^..Accusando dalas de Valparaizo ate 31 da j^ 180 tonelada, coodttioaeguinle:
gosto, a redacclu do citado Jorua escreve 30accacoin 155 arrobas e26 libra de algo-
em O n. 279 : diio, 1,200 acea com 0,000 arrobaa de aasucar
. Approi,nava-.e no Chile a poca da elei- ma.cavado. 3*0 .conrea .ecco a.lg.doa. 2 .,c-
.andl^e.iden.edarepubl.cacuao^giuen-l-
lava o ciciainenlo poltico. A opposlisAo apr
aenlra como candidato o general Pinto, j>a-
draalo do preablente actual. Apena, porm, o
"jornre oppoiicionlltas apreientram ella can-,
dldatura, publicou o general Pinto a aeguiate
declaraceo :
A minhaa -elafOe de familia cora o aciual
presidente o general Buloea. tornar! un impol-
tico e de luo eaemplu para a republlca.que eu
Ihe iuccedesie no goveruo, que poderla cha-
uar->e herancaMe ramilla.
S por nina deaaa cmnblnaroei e- oceur-
ren las extraordinaria que aorm acontecer
em poca rleitoraea, una inaioria de rleitore
e fliaeie em mira parapreil lente da repbli-
ca, pdr-me-hia naindiap.navrl ueceuidadede
e>patiiar-iue al que foaac noiueado outro
presidente. .
-O governo chileuo Unha apreaentido ao con-
grea.o alguna projecto de le importante,
entre ellea o da nlurina nioneiaria, iulrodu-
alndo o ytteina declin 1 no eunho clilleoo A
uelJade do novo ayatema monetario que pro-
le o governo, o peso de viole he cinco grani-
iMitiu qulnhenloa groa de pelo e le de 768
niilleiimo, iiibdivididu em cen centavo, ai
n-ieda de ouro serao de 5, 10 e 20 pesos, cita
tillim i cen a denominaco de Cndor, e pao
eapecifieo de 611 graos r8l iiiilleaimoa e le de
nove d'clmn. Kte projecto de reforma fot fe-
ralmente bem auticv.
a Da nova G-aaada neohan iolereaae oflere-
cin ai noticia. O congreaso occupava-e can
a dlai iisso das lela de organisacao poltica e
de rgimen municipal.
a He Venezuela anuunciam que candidatura
do general viunaga para a futura presidencia
encontrara grande oppo.ico. Deiejava-e que
a rlelcau recahiisc em algum cidaao nao mi-
lilar, e ap.ralava^e o jomalista U. Lercadio
Guoiiiil como aquelle que arovavelinenle ob-
i ria o maior numero de votoa. O-Sr. Guarnan
foi cliefe da aublevaco da que resoltou o dea-
Ierro do general Paet #
aHo Mxicorecelava-ie nma revoiut.o em u-
vor do general Sant'Anua. O cholera morbus
continuara a declinar a populacao da capital,
e a eitradas eiuvatn Infciiadas por bandos de
ilteadorea que atacavam lodo oa comblo,
comiuerciaes, sera eacepluar aneiino os qne
lo escoltados.por tropa.
Do Centro America nada ha de imporlanoia.
Oa balados de Honduras, Salvador, e .Nicaragua,
ssiiiaip sus federsr-se, mas eaeantravaui fui t-
reslateacla da parte de Guatiiuala e Coala Risa
para o retubeleelinento da ex-repuOllca de
o America.
Halado do Kquadoreitava reiUbalecida
a traoquiUidade pnbllca, por terem chazado a
umaccordo o general fcllxalde.govaraador do
d.rum.n. lavas de prala, 4 ditacora objecto de blaloria
natural
Klo-Grande do tul,, eicuna naciopal Sania
V u, de 115 tonelada, cuuduc p leguinle :
950 alqucirea de al, 375 barrica de asaucar
branco pelando 1.258>arrobas e 8libras, 50 bar-
r de doce cora 400 libras, um callao com 50
libra de rap, 2 caixdec cora 4,750 charutos.
um bahde folha de t-landres cum um vaatua-
rlo completo para aojo, um casal de bonrcoa,
lina feixadura de porta, um einbrulho com 55
cocol de cambraia de aeda.
KKCKBEUUKlA DE RENDAS CEBAOS
INTERNAS.
Rendimenlo do da 96.....904,098
CONSULADO PROVINCIA!.
A'ao entrado no dia 26.
Para 16 da e 6 hora e do ultime parto 2
horai. paquete de vapor Sen- ialvaior, de 350
toneladas, ciminandante o pimetro lente
Antonio Carlos de Alfredo Conlinho, equi-
pageia99. Paiaageiro. para eU provincia,
Joo Manoei de Lima, ana Alba D Umbelina
e 6 osera vos, Jos Gane e maaeohnra D. Ma-
ra Emilia. Dr. J >5o Coelho de Souza. Joi
Roberto deS Rlbelroedoui eicravoa, Fran-
cklln Washington de Souxa Nevei. Sllverio
MarianoQuelroxLacerda. o Alemn Henrique
Brunlt eo Braiilelro* Canuto HiofonaOiF.me-
nrclano, Thomaz Gome da Silva, Antonio
Francisco de Oliveira, Antonio Joaquina Vi
dal, 7 eicravos i entregar e um deertor: pa
ra o Rlo-de-laoeiro, o deemhargador F
Carnelro P. V. Je Mello, aeu rilho Lulx e 2
eicravoj. Candido Narbal, na ta. D. Haxilia
Rosa Painpolooa e quairofllboa, Joaquiui J-
le da Crux, o lenle Felllbrrlo Augusto de
Soma, oalfere Joao Joi de Bruce, 74 pra-
ca> do corpo flxo do Cear e 7 inulhere doa
soldados, o priraelro cadete Ainalio Mala e
34 recruUs para o eiercito, 5 dltoa para a mi-
rlnha, dous deaer lores leudo um de marinha
e 4 eicravos i entregar.
Wavio eahido mamona dia.
AM //rlgue nacin! Aero, capillo Joi Joa-
quira Pereira, em lailro cora alguna genero!.
Paisagf Iroi. Irenclo Sutercario Wanderley,
Geremlai Gome doi Santoi, Antonio do Ro-
tarlo, Franclacoda Roa.
Manos entrados ao da 97.
Hambargo 43 das, brlgue meco Solee, de
259 tonrladaa, capiao G. Lofgren, equipagem
8 carga varioa gneros, a Kalkman -v lrinaos
Paiiagelro, H. T- Proewlg. JahameiPrae-
er, e o Dr. em medicina Carlos Supfle.
Macelo 38 horai, galera Ingiera Columbas, de
319 tonoladal, capllSoGoWe, eqalpagein2i.
oarea algodio e assucar a Me. Calmont %
C. Paiaagelro, Eduard de mornayciua fa-
Rlo-de-Janelroe portoi Intermedio! 9 da e
II horai e do ulilino porto 16 horai, barca
tOdo vapor Impernd-tr. couunandante o prl-
meiro ente I E. Tavare, Pauagelroa. pa-
ra eilanrovincla. o altere Joaqun. Joie de
Magalolei. Jlo Lourenco Seliaa Ju.uor, D.
Franclaca Umbelina Dinla!, Joaquim Ella-
nlsloCavalcaoie de Albuquerque. Firmlno
ManoolNunei d.ii Sinloi. o Puriuguer. loa-
nuim ernard i da Cunta, o Hiuovniiio
J Henrigae Wlntor e if u eacravo Cexar.
policlaciconduiindo 2 lentenciados, um ex-
soldado, im dese.lordc artilb*rla, 39 recru-
tas, 7 oscravo entregar, Dionisio Rodri-
s-ue Mello Castro, Jos Cuede Nogueiia. A-
.. -. ._ nt..L_. -....-. i)ft c&n-
Rend'lmenlo do dia 96
150,569
R10-DB-JANE1RO.
can no no ia 16 as oomiio.
Cambioi aobre Londre Wl/4a28 3j4
a Liiboa 92
Varia S*
Hamburgo 619
Motaoi. Oocaa heapauhlaa 3i*W0 a 31/200
da patria .
Peca de 6/400, velase. I
; s,.; :* '.**> -
Peoa neapauhoea. .
da patria .
Patacdea
Apolle de 6 por cento .
provincia
cAMiiea
Londres. .....
Pars........
Hamburgo......
Liiboa e Porto.
arria!. Uaeas hcspaunolas
. mexicana!
Peca de 6/400 ....
. noval .....
Moda de 4/000. .
Patace brailleiroi.
heipanbea .
a mexicano!
2/000
1A33
1/950
85 1,4
84
(JoreoJ do Commtrcio )
BAHA.
no au 93 na otrroaao.
.... 98 Arme.
S43
635
lOOp. c.
3C/5O0 a 31
3O0O0 a -
. 16/200 a 1
, 16/000 a II
. 9/0O0 a 9/-2O0
1/900 a l/UBO
. 1/960 al
1/940 a i
( MeremtU. )
|Dt
U thesourriro di loteri em
beneficio da9 obras da Matriz da
B*oa-vita, avisa ao respeitavel pu-
blico, que no dia quarta-feira 3o
lo corrente, vai tomar contas aos
tenhores vendedores de bilhetes da
mesma loleria, e se nessa occasiao
ainda houverem alguus bilhetes
por vender e que com elle* fiquetn
os mesmos vendedores, os podero
negociar pelo pre?o que quize-
retn ; e at essa occasiao se acham
vend nos lugares" annuneiados,
pelo seu justo valor de io rs. os
ioteiros, e 58 rs. os meios. O an-
damento das ro las he no dia j ati-
no n ciado 31 do corrente 8
horas da manhaa no consistorio da
mesma matriz. Pernambuco a8
de outubro de 18 5o. U the-
soureiro, Manoei Goncalves da
Silva.
O Telegrapho n. i4-
Acha-se a venda este interessai "
ro : na rns estrrita do Rozario
Aterro ds Boa Vista n. 58. e noReeueluja
do Bourgard, depois de meio-dia em vanle.
Antonio Jos Soares vai a Bahia.
He ella a bella Marmota que sahio
-le-t< vez guapa, e refinada, contendo um
lindo artigo descreptivo da Passagera-da-
Magdilena acabando eom colcneas ao mote
As menims da Passagem
Tem olhos d'agoa de Uor
Um artigo de fundo sobre ss novidades do
letn.io, chegadas dos deputadoa; etc.; ou-
tro artigo sobre a ingratidao, alm de ou-
irosesiriptos novse inlereassnles, e ludo
por 80 rs. 1 !'. Esta a venda nos tugares do
eosiume.
A cidade de Pars.
Fabrica le chapeo de sol tle S.
Falque, na (lo Colloglo n. 4.
Neste novo estabelecimenlo se seha um
ate-
r, no
gn Olimpio Paula Uoreira
- Navios salidos ao mesmn dia.
Havre pela Parahyb Sarca francesa Hawr,
capHSo I P. Mouier, carga aasucar o alg.xlao.
Jaltimore Pl Hlo-de-Janelrn Barca ame-
ricana Joita, eaplLio W G. Coffln. em lauro.
Rlode-Jaueiro arca aarda / tio P. R. /Janano, carga parte da que trouxe.

delino Elplno Piuho: paraonorte _..-----.
dldo ende de Almeida, tua seuhora e dous I grande e rico sortimento de cnapos de sol
eicravoi, oeaoelvao da armada Ignacio Au-l,ios mais modernos e variado, para no-
gusio|Vrlra de Soaia, o primeiro cadete 1 la- mens e *enhoras, de seda e de paniuho, sor-
tmenlo de sedas e panos en poca para co-
lirir armacOes servidas, igualmente benga-
las e chicotea, vendem-se em poreSo e a re-
tarno. tainliem se concerla qualquer quali-
Jade de chapeos de sol e bengalas, ludo
com brevidade, e por meos preco do que
em Outra qualquer parte.
O airemaUate dss aeric5es
deste municipio fu certo a quem iuteressar
que nao un ae poasive iaapacbar a tauiws
esa iflo poucoidjdias, visto todos guardarem-
se para os ltimos das, pois esta se finali-
saii lo o lempo marcado por lei, e o depois
no "se disculpen com o mesmo ar rema-
taote.
0 alteres Antonio Jos Baptista Cama-
oho Junior.-retiraniopara o Rio de Janeiro,
e|nfiu podendo dispedir-se de cada urna das
paaunai que ueste provincia Ihe prodigali-
aarain e mnenles Tavores, ouVece-lnee sea
presumo naquella corle.
lieclaracoes.
PRAGA DO REliirE, e t)E 0UIJMO
1850. A' i lltAS
Revista semanal.
Cambios Fixernn-se transacooss re-
gulares s 28 !|* d. por 1,000
ris,
O Sr. director do lyceu manda fazer
publico, que o< exames do lyceu dovero
principiar do dia 4 de nnvombro futuro em
diante, e os exames de latim das aulas da
cidade, seruo feitos no lyceu no* mesmos
liasem que se. procederem os da mesma
disciplina do lycoat. Secretaria do lyceu,
-26 de outubro de 1850. ianuirio AleximUn-
no da Silva Rabillo Caneca, profesnur de de-
senlio e secretario.
Cartas seguras [vindas no vapor Impe-
radorj para os Srs, Antonio Mara de Soma,
Antonio Peregrino Hacel Honleiro, Fran-
ciscu Ribeiro PavBo, P Xavier Cavalcanti
Albuquerque, Jacinto Soares de MenezeS.Je-
ronymo MelqajaaaaaFerreira Silva, Joaquim
Cavalcanti AM|uerque. Joao C. Maga-
lliaes, Jote Igoaciode Abreu Lima, J JRibei
ro Pereira UuimarSes Jnior, Luiz Antonio
Siqueira, Manuel Joaquim Hamos e Silva ti
canas) i. Tliereza Kuiiha de Medeiros e Vi-
uva Vieir* Fiiin
________ Aa mallas que tem de oon-
'aer S. Salvador para
lOSf sul, piiucipiam-
ae a feeoor boje M ss lOhoraa
Compras.
- Com ra-se a obra intitulada Mil e ama
noite, Mysterioe de Pars, e um diccionario
Portuguez do autor Constancio, nao se
achaudu ditas obras estragadas : os ra de
Rozarlo larga a. 48.
Vencicis.
Na roa do Rosario, venda n. 48, ven-
dse presunt osdo Porte, a libra 898 res
para acabar.
.
-
-


,_sr
'
Grande sortimento da chipos de sol
de pinna trancado, muito grandes, com sr-
macSesdebate) das mais fortes, cabos de
UIDo de peo, proprios para senbores e le-
toras de engenho. A eidide de Pars, ra do
Collegio, n. 4.
superior carnauba.
Vonde-se cera de carnauba : na ra da
Senzalla vellia, armazem de boina n. 100,
a 9,000 ris arroba a dinheiro de contado.
Fogoes para cozinha.
muito proprios para sitios e qual-
qualquer lugar aonde nao ha cozi-
nha, por preco com modo : ven-
deni-se na ra da Gru, n. lo,
casa de Kalkmann lrmaos.
- Na leja de miudezas da ra da Cadeia,
n. 46. vendem-se cautelas da lotera da ma-
triz iia Boa-Vista, que porra impreterivel-
mente no da SI do crrante mez Aellas,
antas que seacabem. Preco: qua'tos a 2,600,
decimos a 1,100 e vigsimos a 600 rs.
Travesta da Madre-de-Deos, ar-
mazem. n. 5,
Aoha-se estabelecido um deposito, onde
encontrarlo os freguezes um bom sorti-
mento da licores, espirito da vinho, a to-
das as mala qualidadea; superior vinho de
- Vnde-se farinha de Santa-Catharina,
muito superior, a bordo da galeota Santiiti-
ma-TrtndtnU, fondeada' junio so caes do
Collegio.
Bombas de ferro.
Vendem-se bombes de repuxo,
pndulas e picota para cacimba :
na ra do Bruta, ns. 6, 8 e io,
fundicSo de ferro.
Arados de ferro.
Vendem-se arados de ferro de
rlifferentes modelos : na ra do
Brum, ns. 6, 8 e io, fabrica de
machinas e fundidlo de ferro.
Vende-se urna preta de 80 annos, de bo-
nita figura, que engomma, cose e cozinha ,
um inolequepeca de 18 aunos, sem falta
atguma ; 2 pretos pecas para carregarem
pilanquim e ganhirero na ra, por darem
6(0 rs, por dia ; um mulatioho de 10 annos:
ni ru do Collegio. n. 91, primeiro andar,
se dir quem vende.
Capotinhos e manteletes.
Na rus Nova o. 6, loja de Maya Kamos & C,
acaba-se de receber capotinbos a man
e.jTcM^;c;.dr;toe;a^oi ?l.tde cambraia branca bordada, da ul-
modradoa '"**" mw.fv uma moda, o muito beni guarnecidos com
precos con-
moderados.
Tlxas para encenho.
Na fundicao de farro da ra do B.
acaba-se de receber um completo sortimen-
to de taias de 4 a 8 palmos da bocea, as
quaes achanirse a venda por preco com-
modo e com promptidao embarcam-se,
ou earregam-se em carros sem despezas ao
comorador.
<4><
Deposito de potassa e cal.
Vende-se muito nova a superior potassa,
assini como cal virgem em podra, recenle-
meutechegadi de Lisboa, por prego risot-
vel: na rus ds Cidela do Reclfe, n. 12, ar-
mazem.
Vende-se por muito commodo prego,
urna rica secretaria com estantes para li-
vros, bastante grande, propria para edvo-
nico a imiUgo de blonda : os
vdam aos compradores.
%m' Na na Nova. i. 6, loja de ,>layn
' liamos Se V.,
vende-sa. alm dos hvroa ji annunciados
por este jornal, o novo romance intitulado
lima familia corsa obra do insigne au-
tor Alexindre Dumas, muito bem traduzi-
do, 1 v. por mil rs.
sim como, seis esdeiras a duas mesiobas
da abrir: na ra estreta do Rozario, o.
28, ultimo andar, das 3 boras da tarde em
dunte.
Farinha de Tupuy-
igualmente em sabor, finura e cor a de Mu-
ribeca, propria para mesa: vende-so ns
ra da Crac, no Recife, armazem n. 13.
Deposito da fabrica de Todos os
llantos na Babia.
Vende-se em casa de o. uieber & C.
s ra da Cruz, n. 4, algodSo trancado
aquella fabrica, muito proprio para saceos
de assuoar, roupa de escravos a Bo proprio
para redes de pescar, por preco muito com-
modo.
Teeido de algodo trancado na
fabrica de Todos oh Santos.
Na ra da Cadeia n. 5 2.
vendem-se por atacado duas qualidadea,
proprias para saceos de sssucar e roupa de
escravos.
Arados de ferro.
Na fandicSo da Aurora em S.-Amaro
vendem-se srsdos de ferro de diversos mo-
loloa.
Alpendas superiores.
Na fun cSo de C. SUrr Je Companhia
em S.-Amaro, acham-se venda tnoendts
de carma. todas de ferro, de um modelo a
construccSo muito Isuperior,
Para os Srs. alfaiates.
Vende-se estopa com alg ma avaria, a
80 a 120 rs. s vara : na ra larga do Roza-
rio, n. 48, primeiro andar.
Aos babores de encenho.
vendem-se cobertores escuros de algo-
da proprios para escravoa, por serem de
niuila duregflo, pelo diminuto prego de 640
rs.'easjr m : na ra do Crespo, esquina
que vtiRa para s cadeia.
-Vinho de Bordeaux:
vende-se na ra da Cruz, n. io
casa de Kelkmann lrmaos.
Vendem-se missaesnovos e outros asa-
des, para dizerem as missas da Testa : na
ra da Cacimba, por btixo do sobrado do
Sr. vigario Brrelo.
Vende-se orna preta criouls, de 20 an-
nos, ptima engommadeira e cozinheira, e
que cose chao; ama dita de 10 a 12 annos,
com principios de costura, propris para um
pai da-la a urna fllha : na rus do Rangel, n.
38, segundo andar, se dir que vende.
Boirt e barato.
Vende-se casennraa a 4,00 rs. o corte,
ditas finas de lindos padroea a 6,00o; ci-
rculas de meia a 1,000 ra. o par; chapeos
franceses finesa 6,800 ; cassas chitas finas
a 2*0 rs. o covsdo, lencos brancos de cassa
a 200 rs. esda ore : outraa mantas fazendas
por prego commodo : nos quatro cintos da
ra do Queimado, o. 30.
t Vende-se cha preto : na ra do Trapi-
che, n 34, armazem de liaymond & C.
Vendem-se velas de ornaubs da S em
libra, eos caitas de urna arroba, de muito
boa qusltdsde : na ra {da Penha, o. 7, do
lado da ijreja do Livramento.
AU MI) thRIS#0.
Lotera do Rio de Janeiro.
Aos 20:000,000 de rs.
Na ras estreta do Rozario, travessa do
Queimado, loja de miudezas n. 2 A de Joa-
quim Francisco dos Ssntos Maya, vende-se
bilhetM, meios, quarlos, oitavose vigsi-
mos da vigesima-qutrtl lotera a beneficio
do Monte-Pio heral de economa dos ssrvi-
gado, sendo de smarello e anda nova ; as- dores do estado : na mesma lojs est paten-
te a lista da declms-prmeira lotera do
Ihealro deS. Pedro de Alcntara,
Na ra da Cruz, n. 10, casa
de Kalkmann Irmos.
vende-te tim grande sortimento de
instrumentos de msica, com se-
jain :
Caixasde guerra, e tamboree.
Zabumbas -e paudeiros.
Arcos de campainhn, e pratos.
fiaixos de harmonio, trobdes.
Trompas, pistdes e clarins.
Cornetas, flautas, e pfanos.
Clarinetes, e requintas.
V olOes.
C mu i tos outros instrumentos.
estampas de santos, s 190 rs. ctrapueis
S retas de seda para horneo, s 1,000 rs.;
tas brancas de algodflo, a 330 rs ; rosts
brancas para senhora, a 390 rs.; franjas de
algodflo; e outras umitas cousas barata*i
na ra do Queimado, n, 33, loja de miude-
zas, junto a de cera.
Vende-se um escravo mogo, fiel, e que
He bom oITlcial de pedreiro. por mdico
preco : no bocee da Jos-da-Costa, n. 6.
Chapeos de sol para.senboras.
Vendem-se chapeos da sol de seda com
franjas, muito ricos, com cabos de marfim
o dos mais modernos. A cidade de Parts,
ra do Collegio, b. 4.
BRESTOL SALSA PAHUILUA AMERICANA
Afeitar t mtti txtraordinaria So mundo.
PreaervtUva lofallivrl aontra aliebres.
A aalia parrllba original egeanla de Urct-
lol poaiue lodaa aa virtudes para curar todas
aa cnferiuidadea -que provm de UBI estado de
Impureza da sangue das secretes morvidaa do
ligado e estomago, e em todos os caaos que ne-
ccasitain remedios para purificar robualecer
alaterna. Km todos os casos de escrophulas,
erisipelas, tlnha. crup(Aea cutneas, maocbas,
bilis, eafUmacao e debilidad* nos olbos, en-
chapo dai glandolas, dorea lombares, affeo-
t4es rheumatlcas, dorea nos oasoa e naa jumas
ydropesia, despepite, aalboia, dtarrbea, des-
euteria, toase, resfriados, eaflammaco doa
pulmes phlblaioa quandp provui da obstru-
fo doabrouchloa cm pesaoaa eicropbulotas,
rnlluenta, Ddigestao. ictericia debilidad* ge-
ial uu .ysiema nevvaso, tebret agudas, calores,
enferuiidadcs daa inolheres, euieriuldadej be-
llosas, e o todas aa ajecfe a provenientes de
lo moderado do mercarlo Esta salsa parrl-
la se eniprega com efAcacia em todoa os lo-
breditos casos, e he reconhecida como a ine-
Ihur medicina que eaiste. Os fraicoa deaalsa
de Hristol teeni mais de quatro taiiianhus doa
(le aalaa de Sandi entretanto que os de Urislol
se vendem por 9,06" ra. e os de Saods por 3,000
rs. Deposito central no Hlo-de-Janriro, casa de
Vital lapupe, e em Pernanibucs aa htica de
los Mara Goncalvea Ramas, na roa dos Quar-
teis pegado ao quartel de polica.
Vn letn-se chpeos de sol de seda pre-
ls e de cores a 4.500, 5,000 e 5,500 rs. es la
UI", com armaefio de balis e muito bons.
A Cidade de Pars, ros do Collegio, n. 4.
5>
=5=
He grande pechincha.
A 2oo e a4o rs.
Vende-se urna porcto de chitas francezas,
de 4 palmos do largura, rosas, de cores fi-
lis, a 900 rs. o Covsdo ; cassas francezas
de bonitos padrOes, a 240 rs. o covsdo : na r
fts do Crespo n. 14, lojs de Jos Francisco jar so melbor fsbricante de Lisboa
UflOs *
Cha a 5oo rs. a libra. **
Vende-se cha hysson, de multo boigvans-
lldade, a 500 rs. a libra ; na ra do CrC^Sb,
n 23. -"
Manteletes e capotlnhos.
Na ra Nova n. 6, loja de Maya Ramos ctC,
acaba.se de recebar de Franca um sortimen-
to de manteletes e capotinhos do seda la-
vrada e lisa, da ultima moda, o qne se ven-
dem muito em conta.
Psra vestidos de senhoras.
Vendem-se os mais asseisdos msngultos
psrs vestidos de senhora : na roa do Quei-
mado n. 9.
A boa pitada.
Chegou\oovamente do Rio-de-Janeiro
o famoso rap princeza, em botes a meios.
ditos : sus quslidade encllente se torna
desnecessarla expeciflcar, porque j he bs-
tenlo garantida aonde*he eonhecida, tendo
por ultimo a d izer-se que nada ha em dese-
Jar ao melbor fabricante de Lisboa : vende-
se na rus do Queimado, n. 25, e na rus da
Cadeia, n. 49, a 1,300 rs. de 5 libras para
cima, e 1,400 rs.em libra, |
Agencia
da fundicSo Low-Moor.
ROA DA 8ENZAIXA-N0VA, N. [I.
. Neste estabelecimento conti
na a haver un completo sorti-
mento de moendas e meias moen-
das, para engenho ; machinas de
vapor, e tachas de ferro batido
coado, de todoa ea tamanhos,
para dito.
A elles que sao baralissimos.
Vendem-se sapatdesde lustro, a
a,ono e a,5oo rs. o que valem
Vende-se urna parda de 90 annos, com
urna cria da 2 mezes, e com muito bom
leile, proprio para criar: tambern se troca
por urna preta reeolhida : o motivo por que
se vende se diri ao comprador : na ra da
Madre-de-Deos, armazem de VicenteFerrei-
ra da Costa.
-- Vendem-se meiis de algoJSo grpssss,
muito durareis, felas a agulha, ptimas
para conservaren! a ssude : he ponto este
em medicina, em que nHo divirgam os di-
versos autores que teem escripto al lioje ;
isto he, ps quentes, ventre desimpedido,
cabeca fresca, sSo os signaes evidentes' de
perfeita saude, e be por seo que satas
meias sSo recommendadas por todos os m-
dicos, n3o exceptuando OS dignos discpu-
los de llannemsn : quem ss quizer vi i ra
larga do Rosario, n. 35, loja
--Vende-se um escravo de nacflo, muito
bom serrador; na dito de 15 annos ; um
dito de 9 annos, bom sapateiro. e con.
principios de pedreiro ; urna escrava de na-
cflo, boa para o servieo de campo, be qui-
tandeira e lava ; urna negrinha de 10an-
uos : todos de muito bonita figuras: na
ra do Livramento, n. 4, se dir qoem
vende.
-- Vende-se um bonito escravo de 16
18 annos, proprio para pagem, por ser mui-
to esperto: na rus do Queimado, a. 14, se
dir qoem vende,
Vcrdudelros chnrutesdc a. Fells
a 3,5oors aestlxa.
Vende-se na ra da Cdeia do Recife,
a. 50.
Milboe arroz ooiueasea a2$5oo
rs. curia saeoa.
Vende-ge no aravaiem do Braguez, so p
do arco da Corrceiclo.
Ohnmbo de munlcad.
Vende-se no arriizcnr de J. J. Tasso J-
nior, ra do Amorim, n. 35.
- Vendeai-si amarras ue ferro: ns naa
da Seozalla-Nova, o. 49.
Veade-se um preta do uaoso Mina,
muito moca e viatoaa, que engomma, co-
zinfta efaz todoo mais servido ds urna ca-
sa : na ra do Amorim, n. IS.
Vendem-se cabecadas rodease chatas,
le silbas de lia e loros .na ra do Tra-
Deposito geral do superior ra-O
p Areia-I'reta da fabrica S
deGantois l'aIhet& C. e
na Baha;
DomingosAlvesIjstheuS, agente da"
fabrica de rap superior Areia-Preta da
Baha, tem aherlo um deposito na ra
da Cruz, no Reoife, n. 39, primetro an-
dar, onde so adiar sempre dette ex-O
cellentee mais acreditado rap: ven-
de-se em botes de urna e meia libra,O
por prego commodo.
O0000
-Vende-se orna mobilia bem Tai-
ta de jscarand, a saber : 18 ca-
deiras, 9 ditas de bracos, dous
consolos com lampo de pedra,
asa esa redonda com, lampo
de pedra, um sof, urna secretaria com urna
estante duas cadeiras Ja bataneo, um toca-
dor, una cama franeeta com toaos os seus
perlences de Jacaranda na roa da Cadeia de
S. Antonio n. 18.
Na ra di Cadeia-Velha, primeiro an-
dar da casa n. 94, de Manuel Antonio da Sil-
va Antones, vamle-M um ateo sortimento
de chapeos de palha da Italia, abortos, para
senhoras; camisetas-de cambraia, coleri-
nhos, romeiras, manguitos, punhos, ludo
excelentemente bordado, bicos finissimos,
riess fitas, e outros ohjetcs de gosto; bom
como um completo sortimento de fazendas .
ludo se vende por prefos muitos raoaveis
Modas frapcesasi rtia Novan. 34.
Madame Rosa Hardy, modista brasileira,
novamente participa a seus freguezes que
recebeu um lindo sortimento de chapeos
desoja e de palha de Italia, para senhoras
e para meninas, tem igualmente chapeos
de palha de llalla finos pa-a meninos, en-
fpitados e por enfeitir, novos capotinhos de
de feitio : na ra da Cadeia do Re-
cife, n. 9, toja.
Saceos novos de estopa.
Vendem-se 190 saceos novos de estopa,
cada um com duas varas : ns rus larga do
Rosario, u. 48, primeiro andar.
Urna escrava parda de boa
con lucia.
Venda urna mulata de 34 annos, insigne
costureira, pois eorla e faz camisas para
hornea) e vestidos para senhora, cosa: Pa-
litos, eolletes a caifas, he boa engomma-
deira e ptima compradeira, muito fiel.e
nlu beba esplritos ; una bonita e reforja-
da ascrava engomma lelra o cozinhelra,
Cuja conducta se adanes : na ra larga do
Rozario, n. 48, primeiro andar.
Bancos.
Vendem-se bsneos de pslhinhs, com 7
assentos, divisao da ferro, o 'slguns enver-
uizados, proprios para algum Ihealro, so-
eiedsde oo au*a, por menos da seu valor :
notheniroda rus da Piaia, a fallar com
GuithermeSella: tambern se vende basti-
dores, pannos, ludo o mais relativo s
Ihealro.
Lotera do Rio-de-Janeiro.
Aos 3<>:ooo,ooo de ris.
Na loja de miudezas da praca da
Independencia, n. 4, vendem-se
os afot tunados bilbetes, meios,
qusrtos e vigsimos da a/,.-1 lote-
ra a beneficio do monte pi.
A 4,ooors. o par.
'Vendem-se sapalOes de lustro psra ho-
rnero, muito bem feitos, a 4,000 rs. o par :
no Aterro-da-Boa-Vista, n. 58, loja de oil-
cado, junio a de selleiro.
Sapat 6s para meninos.
Vendem-se sspstdes para meninos de 6
a 19 annos, muito bem feitos: no Aterro-
da-Boa-Vista, n. 58, loja de calcado, junto
a de selleiro.
ttogn-se aos freguezes qne tenhnni
totla nttcncTio para o novo sor-
chamalole, gros de napias e filo de saeta, tmenlo qie existe mi loja da
manteletes de furta cores para senhar e rnn to Crespo, n. G, ao p to
meninas de 8 a 19 annos, transas de seda a1 t lampen o.
Ha ra do Queimado. !<; =. uicbe-Novn n sn p... h. josc; r>.
17, vendem-se as mais modernas
cambraias abertas de la
e seda,
verdadeiramente chamadas balza-
rinas, de padres e goatos muito
delicados, a 5oo rs. covado,
JJae-ae a. anwalws com os comp* SIT"? fifi- ^pS .'t?/.'
lentes penbores.
Charutos de Havana.
de superior qualidade : vendem-
se na ra da Orux, n. 10, casa de
Karkmems lrmaos.
Veode-se urna escrava mor;a, que ser*
ve para o servioo de ra ; sem achaque al-
gum : no pateo de S -Pedro, o, 3, sobrado.
< artas ate Jotrar.
vendem-fe efbt4slnte*Jzas para voltsre
te, a tafl ra o baralho; ditas mais orjiua.
ras, a 540 ra.: na ra do Queimado, n. 33
lajale ouuazaa, junto a de cera. 11
bVU O.
- Chapeos de sul de panninho com arma-
eflo de baleia, pelo diminuto preco de 2,000
rs. esda um. Acidada de Pars, ras do Col-
legio, n. 4.
Bom e barato.
Vooaem-se requifes par* enfaites de ves-
tidos, a 200 e 240 rs. s -vara ; carteirinhss
roaiada ; tesuurinhas muito finas, s 5dO rs.;
sasaliuhos de 18a para enancas, a 400 rs.;
escuviuias linas para liantes, a 160 ra.; cai-
xinbaa com briquedoa para meninos, a 480
ra.; boueles da velludo para meninos, a
S40 ti ; camisas de meia, fazenda muito
superior, a 1,280 rs.; auapsanorios para ma-
naos, a 8* rs. o par ; baba dos abarlos, a
190rs. a vara ; meias cruas para bomem, a
ISO rs. o par; peales abarlos para prender
cabelle, a SSO rs, ; ditos finos de slisar, a
I 900
rs ; dtlos de machi cas jju so iuta a peo- j
i
de lt,perfumarlas, biros, fitas, luvaa, sneias,
sapatos, fil de'sede de todas aa>-eores, cre-
p, camisinHas de cambraia e fil de linho
para senhoiss, s 9,000 rs. e mi i las outras
fazendas de gosto que vende por prego
commodo, n das quaes, d amostras a paa-
soas roiiuecidas ou con) penhores. Tambern
empiesta a seos freguesas os figsriama da
mJa recentessante chagadoa; e fat vesti-
dos de seda, toueados* e vest linhos psra
criangas, manteletes e capotinhos pars se-
nhoras e para meninas, na ultima mJa
e com perfetcSo.
Vende-se, na ras do Vigario n. II, ar-
mazem de Francisco Al ves da Cunta, osse-
guiles gneros, lodos de superior q..ali-
dade, e por menos preso do que em outra
qualquer parte : szeilonas em ancoretss, vi
ntio do Porto em bairls da diTarentes ta-
manhos, cevada. esl virgem de Lisboa, ar-
cos pars pipas e harria, fio porrele, retroz
deSiqueira, cha de San-Paulo, eanaatras
com alhoa e ditas com rolhas.
Vendem-se cassas pintadas de cOres fixss,
a 260 e 280 rs. o cavado; cortes de
X boa, em o brigue Conoti$io-6-Ma-
a. r>c, por prego rasoavel: tambern abi _
0. se vendem pesos de duas e de urna 2
S arroba, por preco commodo ; ha .g
tambern .elTectivamente no mesmo ^sj
a> deposito barris da mal para dmbar-
Aii
Vende-se, por 300,000 rs., urna estra-
ve parda, que cozinha o diario de urna casa,
cose bem qualquer enstura, he muito dili-
gente no ser-vico de cata, e propria para ca-
sa de pouea familia, ou para ama da bomem
solteiro, por ser muito fiel: na ra do Quei-
mado, n. 14, se dir quem vende.
Na ra do Crespo, n. lo,
loja ile 1). Anna Mara ilna Paos CShS
CimarSos, vende-te panno preto, pelo ba-
ratsimo preco de 3,500, 4, e 5,000 rs.; cor-
tes de casemira deouadros, a 3,500 es.; di-
ta muito bonitas de quadioa, ratead* mo-
(dernissims, intilulsda pasta fela, pelo ba-
rato pre^o de 4,000 rs.; cortes de casineta
para colleles, por 800 rs.; pegas de panni-
nho com 10 viras, 19,500 rs.; dita de es-
guiiro de tlgodfio, com 12 jardas, a 3,000 ra.;
outras muilas fatendas por diminua pro-
co. Aos roes de collete, freguezes, soles
que se tcabem, pois he pecbiuciia.
-Vendem-se8 bonitos escrtvot, sendo,
um dellesde 18 annos, bom btrbeiro e jar-
dineiro ; um dito bom sapateiro, de 99 an-
nos, este he bonits peca ; um dito de &an-
nos, bom mteseiro ; umdito da 16 annos,
cotinhflifo ; um moleqoede 8 ansas, mui-
to lindo; 5 escravos de 96 annos. que ser-
ven! para o campo, ou armazem da assuoar,
por serem muilo furtose sadios para qual-
quer servieo pesado ; urna liutla negrinha
da 14 anuos, que j coseeanauja unta sala;,
urna mulalinha de IS annos, qoa engom-
ma, eos*,, cozinha, e ha da boa Conduela 1
4 escravas mogas, coa slgumss habilida-
des ; lodos se vendem muilo em coala: na
ra das laraugeiras, n 14, segundo andar.
Vcnde-so;uma mulata de 25 annos pou-
comaisou menos, de bonita figura; um
adereco completo : na ra Kormosa, ler-
caira casa.
Antas que se acabem.
Novo sortimento da lindos tapetes da to-
dos os tamanhos e cores-; grande quantida-
de de lovas psrs senhors e meninas, do ver-
dadeiro torzal : ludo rhegado ltimamen-
te ; bem como uu completo sortimento tfe-:
fazendas finas egrnssss, e o verdadiro pan-
no da linbo enfestado, a 800 rs. a vara, tn
pegas de 18 vsrsse meia: na roa ala Quei-
mado, n. JT, armazem de fazendas,de Ray-
mundo Carlos l.ete.
Vendem-se 3 casas de talps no Aterro-*
dos-Afogados. com 90 palmos de frente,
quintil e fruteiras, por 500,000 rs. : a tri-
sar na SBSVtna ra, n. 10.
Fniinhn de mandioca.
Vende-te farinba de mandioca muito al-,
vi e bem trrida, a mellior que tem viudo
ao mercado, por ter.fabricada na serrada'
Meruoca t n ra do Queimado, n. 14.
m--------
Escravos ugidot.
Xaropp do bosque
para cura da phlhiscia esn lodus oa aeui difl'e
rente groa, qur luoijvada por coostlpafra,
toaae, asthma, pleurii, teatros de aangne.dur
de castado e prito, palpllayaa no cortfiu, co-
queluche, bronclnte, doc ua garganta e todas
as molestias das igaos padioonares.
Vnidr-u na ra doa lri*is. u. 12
O Antigo barateiro do l'asseio-
Pubhco, Firmiano Jos Rodri-
gues Ferreira
Participa aos seus freguezes qu.o
lem o mais rico sortimento de chi-
tas francezas largas do mellior gos-
to que presentemente lia hoje no
mercada, e que as /andera por
precos que agradarlo sendo as
amostras francas, ten Jo outras
umitas fazendas de gostos proprios1
do lempo.
- Vende-se a muito acreditada loja de cal-
cado a couros dt ra Direiti, o. 65, com oa
rn. nr h.ijo de lid! sohradoi
brinco da Hoho poro, a 1,990 ra.; ditos de
futido multo linos, a 560 e 640 rs.; csea
preta propria para luto aliviado, a 190 rs. o
covado; zuarle de cor, a 900 rs. ; riscado
le linho para casacas, a 210 rs. o covado, e
outras muitas fazendas i or preco commodo.
-- Vende-se urna bonita pardinha de 16
annos, com habilidades propriaa para mu-
cama; e outra de 35 annos, propris para
rus por ser de boa conducta: na ra lar-
gado Rozario, n. 35, loja. .
Antigo deposita de cal
virgem.
Na ruado Trapiche, n. 17, ha
mtijto superior cal nova em pedra,
chegada ltimamente de Lisboa
no brigue Conceico-de-Maria.
Vendem-se smarras de ferro, ancoras,
ftteilas, e estanto em verguinha : ni rus
do Trapiche, n. 10, casa de Jones Patn U C.
A 2,14o r*. a aneen.
Narus da Cruz, no tlecife,-armazem n.
13, e na ra dS Cadeia, armazem de ram-
pollo Flho, vende-se farinha de mandio-
ca do Cear. de excellenle noalidade.
2,240 rs. a ateca.
Vende-ae orna parda da 9 ani os, que
engomma, cose, e com multa bom leile,
prupria para criar : na na da Aurora, nv 50.
-Vende-si um almofariz grande de bron-
z; no Atrro-da-Boa-Visia, n. 65, loja da
funilerocom urna poiia larga.
Vendem-se dous relogios, patentes de
ouro, urna corrate, urna tilla para senho-
ra, brincos, annelO>s, conloas, medalhas,
annel6es, crines, bolOc de punhn e aber-
tura, argolas, urna mods guarnecida, um
appirelho de pnla para cha ; um faqueiro,
i salvas, cistictes, esporas, urna bride, urna
patena, e outras obras de ouro e prala ; na
ra estreta du Koaitio, n. 28, segundo
a adir.
Vende-se a|laverna da ra Augusta, n.
9i* ttmbem se vende msntaiga ingleaa
Fugio, em flns de 1847Tb rhullto Jacob,
quedeve hoje representar 20 a 21 annos,
seccodo corpo e espigado; lem cabellos
estirados, e falla de denles ns frente ; lem
um pequeo talho ns macSa do rosto a a
marea de um csustico as costas : quem o
legar leve-o ra Nova, loja de ferrageni,
de Jaal.uiz Pereirs, que gratificar.
f ugio, na noiie do dia 7 de seletobro
brim inda fazer o despeijo, a parda ioanna, de
95 a So finos, alta, cheia do corpo, cara re-
donda, bltros grandes, desdentada na fren-
te, pellos cshidos a ctiaios, mSos e ps gran-
des e grossos: levou vestido de chita verd*
js ussdo, urnas rosetas fiaucezas as ore-
lhs : quem s pegar leve-a roa- Direia,
n. 7, lerceiro andar, com a entrtdt pela i'ua
da Penha, que ser generosamente recom-
penssdo.
Fu gira m, do rhgenho Cuara rapes, da
freguezia da Muriheca, dous esersvos, sen-
do um de nomo Job, de 90 snnos pouco
msisou menos; be alio e chelo do corpo,
com falta de um dedo em um doa es : a
0 onlro, de nome Affonso, de 18 snnos, npu-
co mais ou menos, rosto bonito a lVe-
1 file ttlhado, de altura regular, corpo
bem Teilo : ambos truito estpidos: quem
os pegar leve-o ao ditu engenho.
ba-e safes aparada, a i;S0O rs.; beugalinhas
da joaaa, a 249 r.; maracas p
a >M rs.; quadrossinhos d
1 400 rs. ; dita frtneeze, a S20"r.<. ; cr. su-
perior: 1 1-600 9,020 rs.; cs, i-JM ti.i
in morar quem compnr alfintio, 200 e 210 rs. a garnta e todoj qt
i msala loja. i mus gneros muilo em con ti, poit nSo $
-sa salitre refinido di melhor|"K'lt dinheiro.
ididoque hi no asercido, por preco j Vaodaoa-te. pipas da tr'rtdsntii da
Fugiram de bordo do brigue
Sem-Par, viudo do Hio-de-Jaoei-
i-o, dous escravas, sendo um de
nome Sabino, de cor parda,a esla-
ura regular, de ao annos pouco
mais ou meos ; ievou calcas e
camisa azues, e bonete encarnado:
o outro de nome Euzebio, criou-
lo.de a4 annos poucc mais ou
menos, estatura alia; Ievou calcas,
camisa e bonete azues. Roga-se as
autoridades policiaes e capitSes de
campo, que os spprehendam e le-
vem-nos ruado Trapiche, n. 34,
casa de Novase & Companhia, qa
recompensar.
-- Fugie, no dii|primeiro do correle, do
engenho Ongit-Velliis, do Sr. Antonio l'e-
reirtdt (.amara Urna, um preto ds nome
Thomiz, da esltura alta, elfuma couza
magro, ooo falla de cor, falla branda, o
cauaiiuaoa; desronlla-ae que ettejt tiesta
praca : quetu o sgsr !oa-o so diio ruge-
ano, ou nosti praca, na roa da Prait, n. 50.
da joaaa, a 4 rs..; maracas P**^^MWtK*
Rleoaamodo:'narut das Urangeiris, i. U(ims'|ua4iaaa%rna^a'dollaspioto, d.
-Nodis0
asa
S
nU, fot comprada a
P. : tu tt. d m. ?. at i-*ia. M50


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EAJ3AN2Z2_YOXVDC INGEST_TIME 2013-04-24T19:19:01Z PACKAGE AA00011611_07048
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES