Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07044


This item is only available as the following downloads:


Full Text
i.v..
.-3fc.^Cr ;.jc^BaRspu.n-k^sasi!-^ajsii
Auno XXVI.
Quarta-feira 28
PAHTIBAI DOS OO&KtlO*.
"
Goianna e Parhlba. t legunda e sexta felra.
Bio-Grande-do-Norte, todas ai quintil feirn o
meio-dla.
Cabo, Serinhacm, Rin-Formoso, Porto-Calvo e
Ma.eld, no I.*, a II e 21 de cada uiei.
Garanbuiii e hoalto, a 8 e ?.'),
Bua-VUia e Fluiva, a 13 c 28.
Victoria, quintas latra. \
Oliuda, todoi o< di.?.
Paain di loa.
MHIMtBtDEI.
!'lova, a 6, aoi 86 m. da t.
Grite, a 13, aoi 10 m. da ni.
Chela, a ti. ao 16 in. dam.
allng. a 28, M 2 horas da t.
nuMn o ioji.
Primrlra al 6 horas e54 minuto da minha.
Srgnada at 7 hora e 8 minutos da Urde.
de Outubrode 1850.
_____' L----
N. 24 0
mico na tV*CKITQ.O.
Por tres innei (adlantadosj 41000
Por arla mezea e./<>00
Por un anno > l&jOOO
das da rema va.
MH.'.i.. ~r-*
21 Seg. S. Urtula. And.do J. dos orf edo ru.lv.
33 Tero. 8. Mara Salom Au.l. io J. da 2. v.
da civrl. e do dot fritos da fas nda.
23 (JUart t>. Joiio i.apistraiui. au 1. do i. da 2. v.
24 uiiiL 8. Raphael Arcbanjo. Aud.do J. dosorf.
rdoui.de I. v.
25 Sext. 8. Crlspim e '-riiplnlano. Aud. do J. da
1. t. c. e do dos f'ltoi dafazenda.
26 Mb 8 Evaristo, Aud. da Uianc. e do J. da 2.
v. doclvel.
27 IXmu. S. Elesbo, ____ ._______
CAMBIO BM 22 DI ODTDBB.O.
Sobre Londres. 2*l|2 d. por 1,1*000 rs. a 60 dial.
> Parla, 333 por Sr
> Lisboa, 100. por cento.
Onro.-Onca helpanholas .... MfWO a 30/000
MoeoaideSrluOvelhaa. lo*.HJ0 a IdiiiO
de 8/40 i novas 16/iDO a 16'00
a del 000....... 9/100 a VfiDO
PraU.PatacOe hrasilYro*.... 1/6(1 a 1/liSO
Pesos coliim..arloa..... 1/160 a 1/980
Ditos mexicano........ I**a00 a If&tO
S9!
ffi&
DIARIO BE PERMMBICO.

m?
PARTROFFIC1AL.
MIMSTBBIQ DOS NBVOCIOS ES-
THANcertus.
(Ctnltntiatdi 9 *. 28.;
L*?ac8o Argentina. Viv a ronf'dBric.So
Ante-ntina .' Rio de Janeiro. 28 i junho
e 1830. anno I da librdade, 35 da in-
ep*udencia e 91 da coufederaclo Argen-
tina.
Illro. eExm. Sr. Paulino Ins Snareg d-
Sonzs, do consriho de S. U. o Imperador,
mini-irn e secretario da eitado doi negocio-
estrangeiroi.
0 ah.ixoagsignarfo tero a honra de Iran
miltir S. Exc. o Sr. Paulino Jos Soares de1
Souia a ola original com documentos que
acaba d- reoelirr do Etti. Sr. presidente da
republca Oriental du Uruguay, general I)
Manuel Oiib n qual S. Exc. concordand
completamente coro na principio! e vistas
do govrrnn da Confederarlo Argentina,
acerca da atroz iirupcBo do barfiode Jacu-
liy,eda regponsabilidade de seus consenti-
dores e complica*, adhere plenamente i re-
solucSo adoptada pelo mencionado gover-
nd.de que pata legacSo, em nome das du.-
repblicas) de Re> ata PraU, dirija ao gover-
o de S. M. Impasto) ai suss Justas reclama -
coes, iffm da saretn promptamente desag-
gravada* a rayinada as otTenus s gravea
prejuizo* eaussnis ambos os piizei pela
ggregafio ralla i 0180 armida pelo bando
rebelde que sthira do Brasil para fazer a
gnerri na Banda Oriental.
Eteudo-sejio ibaixo asltgnario occupa-
do extensamente eom este objecto, na nota
dirigida ao Sr. ministra ns data de 16 do
corrate, espera queS. Exc. considerara
presente eoraoaddiciona I aquella.
Dios guarda a V. Exc. amitos anuos,
7'Aomsi trado.
Viv a Confeiieraco Argentina Morram o
iebraaeos anttarios !Qaaftel-general tk
Carrito da Victoria, Tdejulho de 1850
minitro dos negocios estrangeiros do
Estido Oriental de Uruguay, ao Exm. Sr.
enviado extraordinario e anitro plenipo-
tenciario da Confederaclo- Argentina junto
ao toverno do Rio de Janeiro, general 1
Thomiz Guido
Oabaiso assignado recebeu ordem do
Exm. 8r. .presidente da repblica, brsmdei-
ro-genefal D. Minoel Ofib, para TOdtrTgir
s V. Exc, como tcm a bonra de fazcr trans-
mitlindo-ine a copla legalisadi annexa da
nota que por intermedio dete ministerio, o
magui Sr. presidente paison io Exm. Sr.
governador capitao-general di provincia de
Hueoos-Ayre, enoarregado das rela^Oes ex-
terms o generil em chele do exeroito unido
da ConwacSo Argentina, brigadeiro-gene-
ral U JoitWslamoel de Ilesas, per oecaslko
dos graves allenlados commetlidis por nma
horda de salteadores b'asileiros e selvagen-
unitarios emigrados para o territorio riri-
graadense, e que canHaneaslos peto coronel
Francisco Peswo de Abreu, berSode Jecuhy,
invailiram armados o territorio de repbli-
ca, staasado II toreas estacionadas sobre
as fruitaakas do Sallo e Taquaremb, rou-
baodo M fz.earfas, a exercendo todos os
vexaaaeSO depredaces que Ibes foi possivel
praticar contra as pesaoas e propriedades
dos pacficos habitantes do Estado residen-
tes as litas (roateirai. As partes ofll-
ciaesa que a mencionada nota se refere, s&u
al qe a V. Exe. se remeitem adjuntas por
copias.
Em consequeeeia do expendido Bella o
Exm. Sr. guvernador, brigadeiro-general D.
JoBo Majioel de Rosas honre por hem res-
Conder ao Exm. Sr. presidente desti repu-
lica, general D. Manoel Oribe, pelo miois-
terio competente, nos termos constantes di
sua nota de 15 de miio, cuja copia devida-
mente leglitada esta acorrjpanha, enviin-
do-lbe s que na mesma dita diriga a V.
Exc/, que lie a mesma que tamben) se Ibe
transmute.
A'vista de ludo quinto o Exm. Sr. gover-
nidor da provincia de Buenoi-Ayres, encir
regado da relacAes externas di Coufede-
/ice Argentina, se servio expender ao
Exm. Sr. presidente da repblica, brigadei-
r-genersl p Manoel Oribe, respondendot
soa precitada nota de 93 de jeneiro do anno
crrante, e da regoluc,So communicida i V
Ex.' em dala de 15 de maio ; ordenou S
Exe. lo abaixo assignado expressasse a V.
r.xc que concordando completamente este
govarno com os principios deJustica e icer-
ladas vistas do Exm. de Buenos-Ayres,
sobre o que miia convm i dlgjiidade e
inieresses /eridos pelo* proeedintentcsei-
cafldaloso e atroaasdesubdilos brasileros
que sahinm do territorio do imperio pira
o perpetrar a mo armada no desta repu-
^M conira geus pactfice mornorea, e
contri fo. ;a eucarregada de velrsela se-
gurase* publica, se** fue as aolorhUdes do
referido imperio tintiarn adoptado OMdidas
se oppoiessem
resolueu adherir
laaaloptou
Vivarnos defentofes italrr! Morra-n oi Jelrs-
?ena unitarios I paco de Rirardloo no Qua-
alin.Ode lanerredt1 r850.
O coinmanlairte gersl do d^rUrttfnHito d"
*Ho ao Sr. general da Pircal ao norte do Blo-
Grairde, D. Servartdo fime.
' V'ucinnpflr o dever de dar doflta elreams
lanclldainente a T. S, do succeN > de arniaa
que tevelng.ir 3 do eorrett* enlr parte da
Hvljio de mea com mando r cifll i de altea-
dore cfite cap'taireSv* O eerdoW Imperial, ba-
rio de. Jaruhy, Prnrieo Pedro de fWeen.
No dlaf 3, ao erurecer, nrarchel fla meo cam
lw Vi immve ae^rtrrmeea*e n*
dli i era approilmar-inr ao campo que aqarF-
ie bandido* nccupavain; quandn clarrou
da 5. eu i tinha em frente, eiri numero de
160, em policio nos esrabro-o qnebrarlM que
formiin as ponas das Tre< Crtttea Grandes.
Mande! logo ro.itra elle una gnerrllha de
16 carabinetr-'S do regiment a. %de Oenos-
Ayreg. commandada pelo alferes do mesmn
rorpo B. Jlo Cainlnligi, e protegida iinme-
liat unenle pm*2l guarda naclonaes do quir-
t > deairicio da aeguud aerean, e 9 soldado do
eiqiiadrao de dragea orientar do n I da le-
giao Pldelidade, com un oftVial de cada um
loa ditos corpos, commandados peloineuaju-
" Pedro Na-
dante de ordeus ajudame-inalor D.
varrete.
O reato .da miaba forca oonalstla em urna lo-
lunuia de mel eiquadsdea em liaba, compoa-
u de IOS individuos de tropa, com 9 offldae
do regiment n. 3 de Buenoa-Ayrea, divididos
em dous raeio esqnndrei, acodo um eom-
iu*nddo pelo capalio D. Joa Aanilar, o ouiro
pelo espacio 0. Jone Corra, e Mi a forca pelo
teoeotocoroael D: Paacaal Pereda 30 bamem
de tropa ooin 9 omcilea do reglmeuio ,. 2 de
nueoo-Ajre, formando doua mel eigua-
dSe commandados pelos caplle D. Jnio
Francisco Cufr e D. Manoel Reyna, s orden
do aargeaio-mr D. Dionizio Sagaale; e ineio
esquadrio composto de 18 houiens de fopa do
regiment a 3, com um officlal do regiment
n. 3 i e 50 guarda aacMiiaea do quinto dlitric-
to da segunda icccao, com qualro odlclac da
mesma, coauataudados pelo, lente do eqna-
drao de dragoea orieaiaes n. 1 da leglao FtdcTI-
dade.D. Dionizio TriUo. '
Nesta ordem avancaiuo* CMit^a o Inlinlgo, a
passo de Irole, que atatnrehendilu rcilrar-sede
baiio do fogo doa aoasos arabineiros. A esca-
brosidade do campo retardou a persegaieao
porespaco de Irea legoas; at que tendo al-
canzado aa verteotea do Catalao, onde o cam-
po melhova eonsideravclmcnte, pudo laacar a
mluha columna a todo galope, e eipedir o l-
ente O. Dionizio Trillo com o mel eaquadrao
do aeu commando, com ordem de acutllar o
inimigo, como com efi'elto se veriftcoa imme-
dl a lamente que esta forca auginrntou o nume-
DeBI guarde a Y. S. OMlItos anno. Diogo
lamii. He copla -- rraDad- Coat.
Vivara os defensores das Vil! Morram o 'l-
vagiten t}nltario. Qeguay, i9 de jancl-
ro'de ISftf).
O general Chee da foroaa ao noria .do Rio-
Negro, ao F.sm. Sr. pvealdenle aja repblica,
general em chefe do esercito, brlfaatrtro gene-
ral D. Manuel Oribe.
Tenho a honra de levar ao nperlor conheel-
nenlo de V. F.xc a parte clrrumalanclada que
-ontein recebi do Sr. cnroeel D Dtogntainas.
pelo or me de off-naas physica leves.
Sorteado o coocelho, snem escolhidos ns
Sr* Onofre Jos da r.o, Manoel Antonio
Ferreira (lamn, Jos Mara da firut, Joa-
lUim Jos Ferreira da Penha, Jos 0orraf
Leal, Joaquim Carlozo Ayres, B'rnarJo <*
0ota Texi'a, Francisco Augu-to da Costa
r.inmarS-s, Tnomxde \quino F'msoca J-
nior, Manoel Uarte, Jo \fTbnao Ferreirl e
oflo de Pintio iiorges, os quaes prestam o
urament do esiyto.
pelaqnal ijaillelpa re*a*| Tanaoeaao Slo lid as necsi do proceiso, das qoaea
que leve lugsr a 5 sMcorrentrlnl %mpo dofponsta ques rtivera urna brig ro-n Mara
lusa do Espirito-Santo, o que ests flera
tontos*.
C'iialao Grande. 8* do raen dever rroammea
dar -lia consideradlo de V. Rae. o Comporta-
meato do mencionado Sr. coronel Lamas, e
los nuiros senhore efcefe, omclae e tropa
que lireran parte n.iquellc succeaio, devido
ii-iiviii.vip e bravura coui que todos se tem sa-
bido condntlr.
Seja-me permllda a honra de felicitara V
F.lc. em meu nome. e no do corpo doeaercilo
|ue eal dsininhas orden, por ter sido lao me-
lecidamepteeaoannentad >, o grupo de aaltea-
dorea queouaou temeririamenie profioar com
a i'ua preaenca o territorio da repnbllca.
Dos guarde aV. Ele. inultos anno. S/r-
vonto (iomu.
G0VER0DA I'KOVINCIA.
EXPEWE!TE DO WA 19 DO CORHETTE.
OflTcio.Ao Inspector da thesouraria de
faienda, recomsoendanJo em vista do que
representoa o inspector do arsenal de ma-
rnbi acerca' ds insufllcienca da qasntia
votada para as despezas das rubricas pha-
rol, coroo d'irmida e barca de soccorro, e
do qne S. S. Informou respeito, que man-
de lupprir soh sresponabilidade da presi-
dencia nos termos do decreto de 7 de maio
de 18*8, aquello arsenal enm a quantia de
391,150 rs., correspondente a 12* parte do
angminto de crdito, qne se faz necees-
rio para as despszss das mencionadas ru-
bricas, i flm de serem pagas ss do mez de
Isetembro ultimo. Fizeram-se is conve-
nientes communicacOes.
Dito.Ao mesmo Inleiraodo-o de hiver o
juiz de direileda comarca do Rio Formoso,
entrado no exercicio do seu cirgo no da 16
do crranla por se ter lindado a liceoca que
(ora concedida pela presidencia.
no da que persegua de mal parlo. O qualro
qaadratM retttawi titeram o laiadu naj'Wi
rem oombater seua coiupanbeiros setu ter com
quem uediasam as lances.
Cootlnuou-se a perseguan al o Quaraim,
em distancia de cloc ou eis legoas, e nesse
etpaco flearam mala de 40 cadveres daquelle
bandidos, e os reatantes espavoridos e total-
nenie dispersos, encontraran! a salvacao no
territorio do Brasil.
Kicou em noaso poder algum armamento, os
pouco* cavadlo* que liahaui arreiadoa, mul-
to ensilhados.
Eotravam no numero dos individuos deaia
cabla o tsente-coronel do Imperio Antonio
Fernande Lima e outros varios ofBciaes de
cle Uistinctai do mesmoeiercito.
Tetaos a lamentar a morte de trea soldados do
regiment n. e forain fertdoa tres loldado
d inramo corpo, nm do quadrao de drague
orieaane, a, Ida legiao Fideldade, um oS-
cie) e aui aoldado da guarda naciuoal.
, Sao diguos da mala alta recommendaeao os
aenbare chefe*, omelaes e tropa que me cou-
be a honra de eominandar aeata acrao, na qual
deaempenharam com a aclividade necestaria
as funcefle de ajadaote de ordeas, o alferes D
Vctor Barba!, o thuincto D. Damin OliveJra,
e iiib-colleclor I). Joao Manoel Zorrilha.
lAueoto ter de auiiuuciar a V a. a perda do
alferes D. Justo ganclici do regimeolo dos au-
xiliaras dos Andea, o qual, em consequencla
de orden que Ibe tnandel expedir no primeiro
do correte, proceras a encorporar-se a miui
00 dia 2 ; mas tendo-se por faulldade adiaota-
do da aua partida, acoinpanhado smente por
dous homens, encontrou-se com nove salteado-
res e fot assassinada.
Deua guarde afK~ 9. mellos anno Diogo
asu>. Kl onabnue, Ootncial-Baior
do* uegoeios eilraogeiro Jo< A. Jrurilaya.
Vivara al defetiaore* das le! Morraraos selva-
gens uoiuitoa I --Pintado, 9 de Janeiro de
O Sr. Pmidmt* faz i r o segu nte
Interrogatorio.
JuizComo echama ?
RMonnara Mari* da ConceicSo.
JuisSabe porque foi processada .y
ig-NSo se, nflo. Se.
JaisSabe porque foi presa ?
#M--|Sa Sr V. S. dir
Ju'S-Cunhoce aliara Rosa do Espirito-
Santo?
le-Conhco,ajm,Sr.
JuizNunca leve com ella ilgumi brig ?
R- Nao, Sr.
Jai':Nunca a ferio ?
HV--NSO, Sr.
JaisQuando foi presa nSo indigou o mo-
tivo da prisSo ?
R-Mo, Sr- : mindaram-me para a ca-
dea sem me dizerem porque, ncm porque
nSo
Findoo interrogado, fazem breves refle-
xfles os Srs. promotor e advogado.
OSr. Presidente faz o rea torio di caus,
e entrega ao concelho os seguintes
Quuitoi.
1.' A r Donnaria Mara da ConceicBo
priticou o Tacto, de que he arcuasda, de fa-
zer olTeBsns physicas em Hara Rosa do Es-
pirito-Santo?
8 A r tinha superoridide em forcijs,
ira maneiri que a offendida nHo podessn de-
fander-se com probabilidade de repellir a
ofTens'i ?
3.* Exstem circumilancias atteouintes i
favor da re t
Dito.Aojoiz relator da janta de juslica, O ju.y, reeolhan-lo-se i sal das conferen-
transmitlndo para ser apresentado em sei- ,s. volta pouco depois, responden lo ne-
sSo da mesma junta e proceso vn'bal felto
ao soldado do oitavo bataltrao de cicadores
taltn dos Sanios Ferreir.f^ommoeieot se
ao Exm. commandante dasarmas.
Dito.Ao inspector da pagailoria militar,
scienlificando-o de haver o soldado do pri-
meiro balalhlo de caladores Joaquim Jos
depois de Ando o seu lempo de
regu
lamento de 18 de novemhro de 18*8 para
continuar no mesmo servido, mediante agra-
tifica(9o de 170$ rs. e ordenando que man-
de pagar ao mesmo soldado a mencionada
grallicac,flo sendo 50/rs. a vista a o resto
cativa nenie a lodos os quesitos, por una-
nimidade de votos:
O Sr PrtsUenie, conformando-se com
nota
njue s
'a maio, ji
governo arnentin
i Onenul do Uro"
, radas ss uiTanaas e g'ai
que e ciusaram i este panes
O aballo assignado, por este motivo,
asatiaaclo de reuo.v*r e V. Ex
enloHfrtua bm perfetta estima e bm-
unoto ipr*jo.--i...V. riuoaiatoro*.
mandante geral do departamento do
ao Sr. general daa forjas do norte do
ICO, D. Servando Gomes.
I 2do crreme, eui cumprlmento daa
Pajae eipedf a 1 do mesmo, procarava
encorporar-se contigo o alferes (fe regiment
de auxiliare da Anda, D. Justo Sancbea, mas
tendo-se alie por fatalidade adiaulado da sua
partida coiu dous liowena tmeate, eacootrou
em sau tranitocoio uove (altoadore, os quae
o aisaasluaram.
Remeti junto, para que V. S. se sirva dar
Ibes o destino competente, am par de estribo,
na par de esporas amn punhal, tudb de prata;
tna* ofa< *e o uro, ama par deboidesde pe
so* fokr, cuja aaUecU e dlohaira pe re n-
eiain ao failaalds aifre* SaaoiWa : unu pouca
de roupa, inri appareibo de montar mel usado
e ele cavalloa q>ue perleuciam ao uiciuio. des-
iribui por um- official do uieuio ragimeuto,
e pelasua ordenanza.
Dos guarde a T. S. mnltos snnos. Toyo
Ltwuu. He copla. tiowm.
Vivairr o defeasore da* lela Morram oa el-
vagen uiiilario! Pintado, II de Janeiro
1850 (as 8 boras da maubaa.)
anjodaite geral do departamento do
do norte do
Segundo julgamenlo.
O Sr. Presidente :Va i-ge proceder ao gor"
i ..' contratado nos termos do decreto e regu- _...,.
presentes
Sorteado o concelho, sahem escolhidos
os Srs. : i.uiz Antonio Vieira, JoSo Francis-
co Pardelhas, Manoel Coello Cintra, Ma-
noel deAlmeida Lima, Francisco Mamede
. ideAlmerda Jnior, Joaquim Alves da Silva,
^."i68 "rr'8!0'.^- 2^1: if* Carlos desonza libo. Francisco 0.-'
genciou-fi ao
armas.
Exm. commandante das
Cummnndo das ann is.
Quarlti mural as eiduii io Red fe, em 21 de
o*facrod*l850.
ORDEM DO DIA H. 110.
OSr. marechal da campo graduado An-
tonio Corre* Sera commandante das ar-
mas, mindi declarar que se apresentou pa-
raosemoo no da M do correte, o Sr. vem responder neste tribunil ?
alferes do quinto bstalhSo de fuzleiros Ao-*
valcanti de Mello, JoSo Mara de Albuquer-
que Oliveira, Bernardo da Costa Teixeira,
Jos tioncalves Torres e Manoel Duarte Ro-
drigues, os quaes prestam o juramento do
eilylo.
O Sr. Pr ttidente faz so primeiro reo o se-
guinte
Interrogatorio
JaisComo se chama ?
/?eoManoel Francisco da Silva Novaes.
Juii--SBbo porque se acha processado, e
tt^jeaeral da forca*
.Servando Gomes.
Mana
el
de fallar-me um aju-
rrror do qulrto regiment
KVIolbripaN., a parti-
da lferldv aen fcgjar,
tal naai* danaauay, D
qua segu* prata pa-
arrttMiardo por ni
^^g^ialis
" nao Uve
avm,
conhe-
tonio Jos Ba,lisia Canvaeho Jnior, que
resignou ante a presidencia desta provincia
a licenca que obtivera para ir a corte do
Rio de Janeiro.
O mesmo Sr. genersl ordena que o fur-
riel do prioieirtT bata Hilo de cacadoreg
AoistlCio Joaquim Das seja rebiixado para
simples soldado, vislo provar-se em conce-
lho de investigarlo, qnenlo se acha va no
corpo di guarda do hospital regimeutal, na
uccisiloem que a mesma fr rondada pelo
oQicial de visita em a noite de 16 do corre-
le mez.
Frontino Carloi Rumo Duckmmps,
Capillo ajudanle de ordeas.
litst, 88 de outubrode 1850.
ORDEM DOMAN. IIt:
O Sr. marechal de campo graduado Anto-
nio Corris Sflra commandante das armas,
em virtude dtrimperial aviso de dese-
tembro ultima), pelo qual foi permittido que
o Sr. alferaa d; Comnanhia fixa do R'
Grande do norte Heorique Eduardo da Cos-
ta Gama, viesse residir nesta provincia poi
espaggode quatro mezes, fazende o gervic,o
que conipstivel fosse com o aeu estado de
saude, determina que omeguflHii alferes,
nesta conformldade passe a servir como ad-
dido no primeiro bala.hSo de cacadoree.
Francisco Carlos Bueno Deicamps,
capillo ajudanle de ordena. ^
PEtiNAMBUCO
JUHYDO RECIPE.
3. SESSAO ORDINARIA DESTS ANNO.
Presidencia do Sr. Dr. Pirita.
Dia 15 da outubro de 1850.
A"* orse fcors da rambla, feilt a clia-
mala. acham-se preiDnles 39 Srs. ju-
rados.
O Sr. Pruidente abre sessSo.
Slo aprrgoados os reos e lestemunhas.
O Sr. PrtstdinU : Vai pioceder-se io
sortelo do concelho, que tem de julgar a
r Donnarh. Mins na CunceijBo, sccosida
JfaoSei, sim, Sr
JaisTenha a bondade de dizer ?
/--Recebi escravos, que me foram man
didos da Baha ronsgnaflo, com passa-
poi te* legacs dados pela polica, como cons-
ta dor documentos que esto juntos aos
autos.
juiz-.Vio esses escravos ? Eram novos, ou
chamados vulgarmente novos?
ReoEram ladinos.
JuisSabe se fallavam a lingos do paz?
/(--Sim, Sr., fallavam.
JmmO Sr. dase que os escravos que re-
cebeu, eram ladinos ; mas, coma sendo el-
les ladinos foram apprehendidog ?
ReoPorque a autoridad que os sppre-
hendeu, sssim os nfio qnalificou.
Juis Eram crioulos, ou da costa d-
Alrica ?
Reollavii de un e de outros.
Jus Quem Ih'os remetteu em consig-
narlo ?
AAS PC2SCS!, C'-'j CSTtS 6 oroa
esto juntas sos sutos; lodss estabelecidas
na Baha.
JuiaSabe quando foram importados d
costa d'Africa para o Brasil esses escravos 1
ReoIgnoro, Sr.
JaisPara que lm Ihe frsm remetlidos
estes escravos .'
WoPara os vender.
JaisVeodeu alguns alm dos apprehen-
didog?
RioSim, senhor,
Juz-Ouinlos vendeu ?
ReoNfio me record ; 5 ou 8.
Jus--A quem os vendeu .'
Reo- -A pessoas do mallo.
JaisE esseseiam todos ladinos .'
--Crioulos e ladinos.
JaisEcn que navio vieram esses Afri-
canos?
Ro-fto hiate Ameha.
J: -QtRtos fr.rni raer
Reo33 por lodos, para diversas pessoas.
JuisEolio lodos nSo foram eonsigoidos
aoSr.
Reo -NSo, Sr.
JaisE quantos teram pan o Sr.
0-83.
Jaas-E todos esaes foram aprehendidos ?
Rio-NS\ Sr. gmente 7.
JuisSabe do nome degges, 71.
RtiSo me recordp; mas ciuigti dos
aulus
Jais -Foram apprehendidos na cisa do
Sr. o na de nutro ?
REm cusa de Antonio Ricrdo do Re-
g, que m'pa vepdia de commissflo.
Ja<:--Const-lhe so essas nssos q-ne Ihe
rejn'teram os escravos, eram importadores
de Africanos?
Aro-N9o, Sr.
Segunde r,
Jws.-Cnmo se ch ima?
PeoAntonio Ricardo do Reg.
Juii -s-he no'que est proeeianlo e vem
a e-te tribu al ?
Reo Constv-ihe que por uns escravos,
que sea JuijF.ram d> Sr. ou alguem Ih'os ti-
nha nnsio em casa ?
Ro-0 Sr. N ivaes he (jue os tinha posto
l para eu os ven Jota.Para que lint foram postosem sua
casa '
R':" -l'ara os vender, lendo eu disso cam-
in.safio.
Ju>:--Eram pretos, ou deque cor?
ReoEram pretos.
JairCrioulos, ou da Costa d'Africa '!
/-Alguns crioulos, outros d'Africa.
JaisEgseg pretos eram ladinos, om Afri-
canos btjcseg ?
fleoBastantes ladinos.
JuizEntSo fallavam a lingoa do paizP
U'-' iSun, senhor.
Ju/---Si' lies eram ladinos segundo o se-
nhor diz, cmno Ihe forana apprebindidos
peii polica ?
/feoNao sei, senhor, nSo sei a rasfio por
que foram ap >rehen Jais-Record tese da ida Je, pouoo maisou
menos, que leriim esses pretos ?
Reo-Nlo posso dizer, porque he muito
diflicil calctilar-se a idade.
JuiaSibe como vieram ellos ter ao poder
do Sr. No va es ?
ReoVieram da Babia remetlidos a sua
congignaefio.
JaisQoantos prelos Ihe foram appre-
henilidos?
RaflNSu estou bem certo.
JaisSabe se Novaes he interesado no
trafico de imporiar;3o de Africanos ?
Reo nlo me consta, senhor.
S-guem-S" a le tura das peras do proces-
go e s allegacOes pro e contra o reo.
O Sr. Presidente faz o relatorio da causa
) entrega ao conselho os seguintes
Quesitos.
1.* Oreo Minoel Francisco da Silva No-
vaes recebeu para vender, como escravos
vindos da Babia, os Africanos Tito, Deme-
trio, Rodrigo, Joaquim, Marinho e Felici-
dad" ? .
8. F.sses Africanos foram imporUdog no
Brasil depois da le de 7 de novembro de
1831 ?
3." O reo sabs que esses Africanos ti-
nbam sido importados no Brasil depois ds
le de sete de novembro de 1831 ?
* O roo deva saber que esses Africanos
ti oh ni si'lo importados no Brasil depois da
le de 7 de nove uhro de 1831, em rasfio da
p'eggoa de quem os recebeu ?
5.a Deu-se no reo a premedtsefio ?
6 Procedeu ajuste entre o reo e outros
individuos para o fin de comnielter-se o
prime ?
7.* Existemcircu instancias altenuantesa
favor do reo ?
Segunda quritto.
l.'Quisito. O ico Amonio Ricardo de Reg
recebeu, para vender.coino escravos vlodos da
//.iln.i, os Africano Flicidade, Rachel'e os J
nencionados cima ?J
8.a Esses Afrlc-nns foram Importadono Bra-
sil depois da le de 7 de novembro de I8SI ?
3.* O reo sabia que eases Africanos foram im-
portados no brasil depois dessa lei ?
4 O reo devia saber que ese Africanos tl-
nhaoi sido importados no Hraiil depois da let
de 7 de novembro de 1831 ein raso da peno
de quem o recebeu ?
5. Deu-e no reo a premedita cao '.'
6." Precedeu ajuslainento entre o reo e ou-
tros individuos para ofim decominetter-seo
crlme?
7.' Kiiatem circunstancia attenuantvs a fa-
vor do reo?
O conselho recolhendo-ae sala daa confe-
rencias, sai depois, reapondendo pela forma
seguate:
Ouauto au primeiro quiaito da primeira ques-
tao, si ni por unanimidade ; quanto ao segun-
ii, ai,,. ,.r 7 wvia* i ,|uuuw ao lerceiro, uau
por unanlmldade; quanto aoquarto, nao por
unanimidade quanto ao quinto, nao por una-
nimidade; quanto aa sexto, nao por unanimi-
dade ; quanto ao aelimo nao por unanimidade.
Quanto ao primeiro quilto da segunda qoes-
tao, sim por unanimidade ; quanto ao segundo,
im por aete votoa ; qaanto ao tercetro, alo
por unanimidade ; quant ao quarto, nao por
unanimidade; quaoto ao quinto, oo por una-
niiuidadu ; quanto o aeito, nao por unani-
midade; quanto'ao aelimo, nao por unanimi-
dade.
O Sr, Presidente conformando-se cora a decl-
ino do jury, absolve os reos.
Tu*
-SfJSann)nn*nnnnnnnnnnTnniainnnTnnn1
Corr spondencias.
Snrs. Redactores. Nunca pensei qne hou-
vesse um homem, que sem ter o menor
motivo, se atrevesse a insultar outro por um
jornal s para lar o satnico presar de fe-
rir a reputaco aeia; mas os insuios
que sobre mim iancou o communcador da
Imprencaf papel) em o n 38 de 15 do cor-
rete acabaran) de oonvencer-rad que ha
homens capazas de praticar ai raaiores in-
famias para alcanzaren caitos fins, que
nunca noderei COmneAhfHnr.
Logo* que appareceu na Imprenta essa


p
v*x**h A-***'
.*. ..*, ^fc
communicado, scntindo-mo oflendiilo pn"
Sucamente pelas calumnias, que me diri-
gi o omni-sr7en ao publico, snspendesse a este respailo Jo
scu juizo, e convidei ao meu aggres-o'
gratuito a assignar seu nome para que eu
poilesse responder-lho acerca do que elle,
trataulo-me por meu p'oprio nome, de
mim rlisse, mas n3o s nSo satisfez ao meu
pedido, deixando de assgnar-s, e protes-
tando que j mais o fazia, cuino om urna
corrsepoiuleuc que fez publicar na Im-
prenta n 35, de 18 do corronle quiz dr
a entender nflo se lar positivamente di-
rigido a mim, e 8m laucado urna cara
luir, que julguei ser um solideo: Coi
urna escapatoria bem miseravel.
liem podera eu responder satisfatoria-
mente; porm, como nflo desejo entrar
em polmicas com pessoa alguma, e s
tive em vistas distruir quanto odiosamente
disse de mim esse homem encapotado, li-
mito-me a Wirar ao publici da suspensilo
em que o colloquei, podendn esto fazero
seu juizo a rospeito de um individuo que
ferio a minh reputacilo sem tera coragem
de se dosmascarar, assumelliaudo-se ao co-
varde nssassino que espera de enboscada
a sua v ctima incauta para com certeira
inflo priva-la da exi-t.-ncia.
Prometi nada mais diser sobro este fac-
i, o qual com quanto muito me olfendes-
se, todava nflo moda o direito de terodio
ao sou aullior, nflo; antes mo compadeco
da sua mizoria, mas sompre o voto ao
dospreso, que mo moroce.
Peco-llies Snrs. Redactores, o obsequio
de publicarem por esta ultima vez estas
toscas linhas, que, si'm pretender arrogar-
me a repulagflo de litterato, escrevo, s para
dar urna satisfacHo ao publico, a quem
mullo res.ieito. O P. Joi> Capistrano de
Mendoiicu
Srs. Redactares. Sain lo na partielpaclo
da policia o meu nome como de preso por
tal -idado, lomeu rigoroso devir pateo-
tearao respeitavel publico os motivos que
derm lugar a niesma prisflo e elle ajuisa
r qum seja o falsario. Sendo eu cscrevenle
juramentadlo do escrivflo da provederia des-
ia cidade, em diti cartorio apareca sem-
pre o Sr. I). Antonio de Lucio eSilbes escri-
vflo do subdelegado Ha freguizia de S. J >s,
o em huma dasoccasioes em das deste anno.
ali pedio-me que assignasse como testerou-
nha por inora forma I idade n'unt interroga-
torio que linha sido fi'ito perante seu juiz.
que entflo era o Sr. Francisco Carneiro da
Silva. Entre as pessrias do foro judicial
reina urna tal boa fe que lodos assignao-,
uns dos outros como testemunlia qualquer
termo feito por qualquer dos escrivfles que,
entre nos servem, alguns sem que ao menos
l.'inii e ate o presento inda .iflo havia
npparecido compremelimentn algnm ; snp-
pondo cu que o Sr. D Antonio t una a pro -
bidadequu caracterisa a todos os maisem-
pregados ilo foro, as-ignei-me no referido
papel sem ler, e mais nutros assignaria na
niesma occasiflo, so elle mo pedisse. Apon-
eos das bem tran guillo eslava, quando no
carlorio appareceo-me o Sr. Antonio Jorge
llibeiro de Brillo perguniando se cu havia
presenciado um enterrogatorio'feito a nma
mu icr pelo Sr. subdelegado da freguezia
deS. Jos, no quai estava en assignado co-
mo testemunba respondi-lbequc havia assi-
gnado Un interrogatorio cono lostemii-
nha no carlorio do Sr. escrivflo. de quem
sou juramentado, a pedido do Sr. I). An-
tonio, e quo nada havia presenciado e
queestva prompto a islo mesmo dizercm
qualquer parte, caso livesse o Sr. b Antonio
abusado de minha poa f. Passei logo a
endagar e foi quando vim a sabe que o en
terrogatoro era feito a huma inulher a res-
peitod'um roubo, que a mulhernunra com-
pareceo em juiso, que hum nllii-i.il de jusli-
ca que assignou a rogo da tnesma, nflo a via
oassignou quaseobrigado peloSr. I). Anlo-
i io. c finalmente que este abusara de minha
boa-f. No dia 12 do correntc fui chamado
por parle do Reo perante o Tribunal dos
jurado em virtude do enterrogatorio, e ali
prestando juramento declarui que havia
assignado pela forma aqui relatada ; lam
bem compreceoa mulhere declavou que
nem sabia onde morava o Sr. subdelegado.
Todos os lllustres juises de fado mostraram
se satisfei os com a mmi>a declararlo por
conhecerem que era pura verdade, mxime
a vista do meu regular compor amento, nflo
s como escrevente juramentado, como
actualmentede fiscal supplonle em exercf-
cio da iiicsuia freguezia. Mas quando eu
suppunha que o Sr. I)r. Promotor publico,
llano I de Souz.i Garcia licasse salsfeilo
com o meu depoimenlo por se descobrir a
verdade. he quando ello requer aoSr. juiz
presidente do jury fosse eu preso por \er-
juro, e posto em custodia al que por um
processo se vinlilasse I sendo huma tal
requisigflo quase por todos sensurada, e
nflo obslanle todos os Srs. adevog idos
presentes faserem a minha defesa, fui con-
duzidoparao quaitel de policia e rccolhi-
do ao -stado maior, e para ser sollo no da
16 foi nessario prestar nanea .'? Nada mais
digo por agora, e peco ao respeitavel pu-
blico, ao conhecimento de quem submelto
os motivos que ecca ntaran a miaba prisfl
disculpe ler eu sido mais exlenco. Reci-
fe i9de Oulubrode 1850. Henrique Jorge de
Brtiiu e Araujo.
VjR1E1>AIJ1<'.
CARTA DEHRAZ TIZAN*, RO ICARIO DE
LISBOA, AO BARBE1RO.
Jolho 23
Man cher. Continua o bnalo de recom-
posicfioiiiinisleril; julgo que anda he ce
do. Sua Mg-(ladea conliiiuam em Cintra
onde goam saude. Esperam-s- na capit.l
para o beija nao do dia 31, anniversano do
juramento da carta e no imscimi nto da im-
peralnz Aoieli, que nascru em 1812. Ni.
dia 23 fez 4 annos o infante I). Fernando .
queja aprende a ler com sua augusta mSi.
Em Cintra acha-se o corpo diplomtico, va-
rios grandes do reino, negociantes e es
trangmios. Tambem esl em Ciolra Sua Al
teza a infante O. Izabel Maris.
O prior de San-Pedro em Cintra fez urna
detota procissflo de penitencia com a ima-
gem do Senhor dos Pasaos, para se acabar
a epi demia no Brasil. Nos circuios minale
nacorra a noticia de que os anarchis a>
mandam para as provincias emmiasarios
_____ .. l>arleain ciinlre > '*ifti_
para o povss *.,...-----m contra -.-----
lo das notas e declsraces das dcimas! I
:2<
Qiem boa cama flrer nella se deit'ra. Ig-
noro a extensflo desle boatos, e nflo creio
que a Mara da Fonte nos incommde, coai
u lo, ha desgostoe materia disposta.
Tambem se diz qus o vapor de guerra '-
fante D I.uis ir levar arlilharia de guerr
i M n'eii'a 1 .' Quere'flo os Americanos ou
is Inglezes dvertir-se comoosco ? A 11"in
loga grando desta captol remito este anno
econmico menos de 113:985 981 rs. qu
anuo passalo Porm computada com a ci-
f a do mi; iiiiiMito ion leu mais 22:766,9^1
rs. Parace que a diminui;9o he attribuida
ao augmento progressivo da nossa imlus
tra, que nxclue ja o uso d j muitus gneros
dstrangeiros.
0 general Pava foi mandado retirar de
ta Ird, e foi para as Canarias !! O general
\rjona, tambem foi manda lo oara B^rcalo-
na por medida preventiva /! Toem sido, co-
no era de esperar, apprehandidos em Mj-
Irid alguns joruaes por inetterem o nariz
na quesillo de palacio, e fazerern observa-
des sob e o parlo di rainha, cujo fatal suc-
eesso se attririiio a ignorancia do facultati-
vo! O RobeilO Palequa il-u a bengalada
na cabega da rainha Victoria, foi degra lado
oor seto anuos.' A co nmissflj Ja assem
bla frani--'/.a pureca nflo an iuo a que o ce
lobre Abdel-Kvler fosse pira Alexandria,
ou S.-Joflo de Acre O Mouro tom de aca-
bir os seus dias e;n Franr<, a cuja genero-
si lado se entregara Naste artigo a Franga
H 'imiiiIic un sague o* conselnos da Franca
Monarchica !
Dt'sconfla-so que o clebre general lly-
nau cthira no desagra lo do imperador de
vustna, que aciba de Ihe tirar o governo
la ll.iii-n Chegou a l.isliot oconselhei-
r.) II i yor lo, que linlu ido visitar a provin-
cia do M mu : a sua ilig-nsslo foi ass.is eco-
nmica, o Bayardo nflo li homem de osten-
i igflo. Ilojo ue o annive'Sano da entrada do
luqu d* Terceira nesta capital: nflo hou-
*e ilomoost agflo de regosijo paro nflo as-
iii or os hooiens do Cargo do Intend-in-
to Sihioa maior parle da esj.ua Ira io-
i liarte para GibralUr.
O governo inglez ofTereceu o Paralo ao
(lino mais velho ilo fallecido IMel este nflo
ir mo i en rasflo da seu pai ter prohibido
i ii" a familia aceitasse boiras e distinc
ces .' O meu praticante assistio na noite 19
o concert ordinorio da ac lamia Melpo-
menense : o rapaz, que pesca de msica
lora ti, na diz que o concert estivera
bom, m is que f a pouco concorri Jo. O Sil-
voiro T.ybner deiiou boa fortum, n eon-
lemplou no seu lesamento con 400 000 rs.
os religiosos frncezinlios, que a falUr a
ver lade eslflo pobrissimos I As luzes i o s-
culo nflo permuten! quaos religiosos te-
uiiam que comer !.'
Assisti ao beneficio do actor Epipbanio
no Ihentro de ouro: o hom^rn E liphanio
leu-nos outr vez o Icaid i de Faro do nos-
so Cascaes : houvo euchente. Casou a lilla
I) alfaiato Airollescom um alfaiate fr-rn-
coz ; ao deseer da sege chio do estribo no
idro da igrej, que eia a dos Marlyres .' In-
felizmente 'leu com os pellos nos degrios,
a ficou bastante molestada .' Ilontem se dis-
se no parlamento Mmare quecerto Jornal
lesta capital recebe urnas r.-iigalhas dos co-
fres russos I
A imprensa minsteral de Madrid esta de-
sesperaU como rei de .Manles por eausn
do casamento da irmfla com o conde de Mon-
i: ..iilin A lalimprensa ataca Sua Mages-
lade Napolitana sem ceremonia, api-zar d.
ser um testa coroada .'! At Ihe cham
ingrato!! EoameaQ* com a perda da co
roa siciliana O Santo Padre, que nflo es
t muilo abun lanle de pintos, langou um
conlribuicSo aos seus clrigos, que estSc-
por isso desesperados !
Dizem queobisnn de Malaca vai gover-
ur o a niiisiiado de Co I.' Tambem se diz
que os Imperadores de Austria e Rossia e o
rei de aples foram os que dotaran*, o con-
de de Montemolin, e Ihe asseguraram urna
renda de 5 mil libras esterlinas I Nodo-
mingo 21 leve lugar na igrejt do Sacramen-
to, como j lh duse, a festa de Corana
C'irisii : a reja estava bem armada ; a nvi-
ciea foi do Pinto nn intervallo do serrnfl
h uno urna pega concertante ohrigada a
dar a, tocada pelo C.nsaul Jnior, que pro-
duzio l>m elTeilo. ITegou o padre Jos An-
tonio Silva, e o seu discurso agradou De
arde sabio a procissflo, a qnl levava tres
irmandade, a ds Alfs. Snln-Ch'i*to e
do San' is-irim ; audnres H, e bem ornados, e
as imagens iam ricas ; anjos 12, vertidos
moda do Brasil, e iam bonitos e rirafc : 40
nadres de pluviaes, 21 de sobrepelliz; iam
os cantores da palrrchl ontoando por
msica na hymnos reliniosos. As lanlernas
ila procissflo eram 46, e todas de prata ; fe-
chava a procissflo a guara de honra da mu
nicipal, composta de 12 porta-machados ao
lado -lo pallio ; era commandada por ui
capillo, o contva do 100 prac/as com a
competente msica ; e no fim um piquete
decavallaria da me-ma guarda. Foi gran-
de fiiiirgflo e grande concurrencia I
A uniflo do padre Jos diz aos pas da pa-
tria quo nflo se tnverfjonh'in de apparece
oia-ile dos Mus ro'-slilii-niea, pois muin
menweram d patria :! i A lamparina da
roa dos Douradores descolp as varadas de
Pemmacor com asqueo Antas fizera dar
___o...(.r.m < > !; <*/. Ilr.v. >Arn
4o presidente do conselho, diz que as re-
elamagfles ame'icanas sflo obra de Mr. Clay,
que quer fazer urna aceto de estrenuo para
pnar um envermcho em um dos Estados
da nflo! .'1 llebenichada Foi absolvi-
lo pelo jury e nuichi, presijenle da commissflo das barri-
cadas !
Tivemos dous combates de touros, um
na praga do Campo de Sanls-Anna e outro
en Aliada: aquelle fui em beneficio do
Sedovem, que foi bom : este em pruveito
do Almirante Sslier, victima dos ltimos
acontecimenlos O salter leve a piaga cheia ;
toureou de cavalleiro o digno Pardo Reino
conde de Vinios : houveram maisdoui ca
v.lleirosde proli-sflo : acompanhia dos va-
pores venden 1,500 burieles nessa larde :
corrida foi boa, segundo aflirmam pessnas
intelligentea. Assisti ao debate do cales
uno no Gymnasio : o Celestino loi bem re-
cebidoe agradou. Nos das 27, 28 e 29 ha
grande funcgflo em Bemfica ; silojuizes o
marquez de Fronteira e o irmflo, jui/.a a ba-
foneza ro Jos Mara Lessa foi recolhido ao hospi-
tal do* siiessdo* m HiiiifolB. onde he
bem tratado.
Sou, em nome da nagfloe d rainha,
Saude patacos Stfu amigo
e fralarnidade. I.e liitoyei,
lirax Tisana. .
l.(|)arti PARTE DO DIA2IHE OUTUBRO DE 1850.
Frai.) presos: ordem do subdelega-
do da fregu>zia de S.-Frei-Padro-Gongal-
veg do Recifa, o manijo Hespanhol Andr
Maz"ts, a requisigflo do respectivo cnsul:
a erdem do subdelegado da freguezia de S
Antonio o preto alinoel, por ter sido encon-
trado com um bayoneta ordem do sub-
delegado da frpgifnzia de S. Jos, Maria, es-
crava de Jos Feliciano Portell,eFrancisco,
escravo de I). Maria Fnncisc. por briga ;
o Antonio de Alleluia, por olTensas ptiisi
'as : a ord.-m do suli li-Mga lo da fieguezi
da Ba-Vista, Victorino Rimo* das Virg-iis
e Catnarina Quaresma, para correcgfl-i; e
loSo. escravo de Antonio Vasconcellos Me-
nezes de Drummund, a requisigflo de seu
senhor : e do subdelegado do segundo
dislricto da freguezia dos Afogados, Joa-
|iiim de Anlrade l.emos, para correcgflo.
--Precisa-ae alujar um moloque de 16
annos pouco mais ou msnos, para o serri-
go de urna casa estrangeira : na ra da
Cruz do Recife o 2
VJ^MirtlrlJ.
ALFANDEGA.
Itendimento do dia 2a.....14:102,289
Deicarregnm koje 23 de oulubro.
Barca americana Conrado- farinha e bo-
laxinha.
Brigue francez Beauieu --mercadoras.
Escuna brasileira Berinice fumo e cha-
rutos.
Barca americana -- Joivi-- farinha de trigo.
Brigue porluguez Coneeieo de Mara
meresdorias.
Patacho porluguez Despique de llelri,..
ceblas.
Barca sarda -- iffonio I. mercadoras.
Brigue portoju-z --Sin-Vanoe /-dem.
CONSULADO CEU AL.
Itendimento do dia 22 ... 902,282
EXPUKTACAO.
Despachos martimos no dia 22
Rio de Janeiro, brigue brasileiro Principe D.
I/J'.nio, ciuiilm legillnle :
I.8H7 alqueire aal, 5.002 meloa de vaquel-,
10 saccaa de algudao. 150 molhai palha de ear-
ii nili i, 98 laboai, '234 dutia de cocol da be-
ber agoa, 3 calas rap, 40 ditas vaziaa, 110 ro-
da de arco de pao, 2 caiaai falendas.
Ais. pulac.i nuioii-l .Vuiu lenh-jra duCarmo,
de 195 e uiei.1 tunelada, uuduz o irguinte :
L na sacca arrot, 2 duzlai de caneco de fo-
lli.i, uni i saccac-f, 5 barrica bolaxa, 8 taboas
le cmtado, un bah roupa, 15 cadenas, um
jugo de bancas, uina mesa redonda um uf,
i< colio, um illlio, dou Unpedes de
vidro, tren arrobas e meia de caf, Ires
duiia de copo de folba, 3 garrafn e uina
i ni o i,o.i bebidas espirituosa, 3 barrls plvora,
2 caixdes iniuJeia, um fardo e uina cala fa-
lenda, lObirricis fariuna de Irigo, II calzas
.alian, '.' liarris inlnleiga, um i barrica cerveja,
una caisa cha, um g\go, 1 calas aiu lian II
I mol. Ulll jarrarn .mole-.],ice, 2 barris e um
arralao vinho, 3 ancoreus dem, um barril
ii ,i;ii-, um i barrica genebra e ferraguns, uui
caliao lauteruaaecopo.
RECEBEDORIA DE RENDAS CERAES
I iNT ERNAS.
itendimento do dia 22.....332,308
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendlmento do da 22......592.036
oviment do *orto.
Navios entrados no dia 22.
Camaragibe--2 das, ljate nacional Novo-
lUstino, de 21 tnreladas, rnesire Estevlo
Rheiro, eq lipagem 3, carga couros e ma-
deir<8 ; a Jos Manoel Martin*. Passagei-
ros, l'rahcisco Ignacio Ribeiro, Gualter
Martina, Joaquim Jos Altes Jnior, Mar-
celino Jos de Mullo, Vicente Ferreira, An-
tonio Jorge Boirigues.
Silvias sahldot no mesmo dia.
Par pelo Maraiimiovapor de guerra na-
cional Guapmi'. commandaule o pri-
nii'i'o lenle Joflo da Silva Urlico.
Barcelanab Filippe Cosa, carga algoJSo
liba de Barbadabrigue inglez Runnyme-
de, t-ipiiflu Samuel l'iowse, em lastro.
iJiiTAKS." "^
0 lllm Sr. Inspector da thesouraria da
fazenda provincial, em cumprimenlo da re-
sol ug.lo do tribunal administrativo de lOdo
eorrente, manda fazer publico que, perante
o mesmo tribunal, se ha de arrematar nos
das 22, 23 e 24 do correte por venda, a
quem mais der, os litro* constantes da re-
lagflo ahaixo copiada.
As pessoai que se propozerem a esta ar-
remaiagflo corjiparegam na sfla das seeses
do mesmo tribunal, nos dasacim mencio-
nados, i elo meio-dia. ^ ^
E i#ra consLar o lii.iiuuu aui*nr c pre-
sente e publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da fazenda pro-
vincial de Penumbuco, U de oulubro de
1850 O secretario, Antonio remira a"n-
nuiciaco. ,
Hetaco dos lluros que teem dtser arrematados.
l.-is ordenagoe* do reino, s 12,000 rs.
000 rs.; 7 obras de Luiz Teixeira sobre
Rilo civil a 12,800 rs., 89,600 rs. ; 5 ditas
leOriolam, leuislacSo penal comparada, a
j,t,oo is. -25,000 rs.; 35 ditas, segundos
cautos de Da, a n.OoO rs., 70,000 rs. ; 7 di-
tas, livrarias classicaC purluguezas, a 8,400
rs., 58,800 rs ; urna dita, collecgflo de le-
Kialagflo portuguesa, por 108,000 rs ; 4 di-
las, repertorio de Fernando Tbomaz, a
ii,sou rs. 27.200 rs. ; 54 ditas, burros de sa
iusio, a 900 rs. 48,600 rs. ; 6 ditas, cons
s.-l .o do puvo, a 3,500 rs. 21,004 rs.; 30
ditas, liouiim, cdigo penal, a 2,000 rs.,
iiu.ou ra. ; i i dltS ue Ciiavion, a 2,000 rs.,
211,000 rs. ; 410 ditas, direilo natural do
Autrau, a l,jul) r., 643.000r. ; 200 ditas
de Ortelan a I,OJO r 2n0,000 rs. ; loo d-
as, pnilusupliia de C-'usiu em porluguez, a
600 rs., 60,o0j r*.; ,70 ditas, licoes en mi-
ra ; 1 dlla de Malvina, por mailame Coten,
p ir 3,800 rs Conforme. 0 secretario,
infamo Perrtlra d' AnnunciacHo.
O lllm. Sr. inspector da thesooraris da
fazenda provincial, em cumprimento da re-
^nlugflo do tribunal administrativo de 10
do eorrente, o em virlude da le do orgamen-
i i vigente art. 34, $ 20, manda fazer publi-
co que. perante o mesmo tribun..l se ha de.
a. remalar nos dias 22, 23 e 24 do eorrente,
por venda a quem mais der o proprio pro-
vincial denominado Jardim Botnico na ci-
dade de Olinda, avaliado em 2:800,000 rs.
As pessos que se propozerem a ests arre-
matagflo comparegaro na sala das sessOes
lo mosmo tribunal nos das cima mencio-
nados pelo meio-dia. F para constar se
manduu allixar o presente e publicar pelo
Diario.
Secretaria q* thesouraria da fazanda pro-
vincial de Pernambuco, 12 da outubro de
1850 -O secretario, Anlonio ftrreira d'An-
nunoiaclo.
O lllm. Sr. Inspector da thesouraria da fa
zeoda provincial, em cumprimento da ordem
do Eiiu Sr. presidente da provincia de 26 do
crreme, manda fazer publico que nos da 12,
211 e 24 de oulubro prximo futuro ir a prara
para ser arrematado a quem por menos flxer,
perante o tribunal administrativo da inrsiua
thesouraria, a obra da ponte de Iguarass, ava-
llada em 2i.188,700 rs. e sob as clausula espe-
ciaos abalso declaradas.
Os pretndeme! comparecam na aala da
aes%f do sobredito tribunal nos das cima
Indicados, pelo meloda, coinne teateineote ha-
bilitados na forma do artigo 24 do regulainen-
to de 7 de inaio do eorrente anno.
E para constar se mandou aflixar o presente
e publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da fazenda provin-
cial de Pernambuco, 28 dr aetembro de 1850.
O secretarlo,
.Ininaio Perrtlra d'Annunciacdo.
Clauiulai upteioet da arrrmataco:
1.' As obras da ponte de Iguarasa, serio
feitas pela forma, sob as condicSes do modo in-
dicado no risco e orcaineoto juntos, appro-
vado pela directora em conselho, c apresenta-
do o Enn. Sr. presidente da provincia pelo
preeo de 2:388,700 rs.
2. As obras principiarlo no praso de um
inrz, e aerao concluidas no de quatro inezcs,
ambos coudos da entrega do termo d arre-
inaiacAo. ...
.1." O pagamento sera feito de conformidade
com o artigo 38 capitulo 3.' do regulatnents de
7 deinalo de 1850.
4.* Para ludo o mais que nflo est determi-
nado as presentes clausulas segulr-se-ba o
que dUpoe o regulamento de 7 de inaio de 1850.
Recilc, 14 de setembro de 1850.
O engenheiro chefe da 2.* sesao,
Joo uii Fletar Lieulhier.
Approvada pela directora em couselho, em
sesaaodo dia 16 de setembro de 1850.-O direc-
tor, J Mamtde Alvtt Ptrreira. H. A. Uiltl.
J. L ficto> Lifthitr.
Apnrovo. Palacio do governo de Pernambu-
co, 25 de setembro de 1850. Sonsa Jtamrx.
Conforme. No Impedimento do ollicial-
ma|or, oofllcial, ifcasiago Jote Soarts,
Oeclaraijoes.
uaes. a 2.000 ra. 140,000 rs. ; 200 ditas. ..
grammatica de Salvador, a 200 rs., 40,0001 milo Benincio, Josi Custodi Santos","Jos
CONSULADO DE PORTUGAL EM PERNAM-
BUCO.
Joaquim Raptista Moreira, bacharel forma-
do em direilo, cavalleiro da ordem de
Christo e cnsul de Portugal em Pernam-
buco por S. M Fidelissima a Senhor 1).
Maria II, que Dens guardo.
Pago saber a todos os meus compatrolas
residentes nests cidade e provincia, que por
ordem superior, queme foi trsnsmiltida.ej
es lecialmente recommendad, para o fim
de se poder dar o conveniente cumprimen
to as disposicOes sobre estatistica, e outras,
sedevem apresentar oeste consulado todos
os subditos portuguez-s, que, tendo aqu
fixado a sua morada, anda se nflo houve-
rem nelle matriculado, como Ibes cumpre,
nSo s pars a devi.'a regularidade, mas pa-
ra que assim se posea mais promptamenle
.lar a compalivel proteceflo desta consu-
lado
Convidando, pois, os meus compatriotas
ao cumprimento destedever, no mais breve
espigo de lempo, lhes Inoibro tambem po<
esta occasiflo o dever que igualmente lem de
se munirem dos resaectitos ttulos de re-
sidencia, na f- ma dos regulamenlos poli-
cises deste imperio, para se livrarem dos
embaracos que Ibes pode causar a falta dal-
les, e melhor e msis peritamente terem o
direito competente garanta das autorida-
des brasileiras, e s respectivas isengoes co-
mo eslrsngeiros. Consulado de Portugal em
Pernambuco, aos 17 de julho de 1850. -
Joaquim Baptisla Moreira, cnsul.
Lista geral das cartas que fcaram em ser nos
meses de julho a setembro de 1850.
( Cuntinuagflo do n. 233 )
Joanna Joaquina da Silva, Joflo d'Amor-
Divinn, Joflo Augusto Sbu/.a Lcflo, Joflo
Alves Honorio, Joflo Antonio Oliveira Lima,
Joflo Antonio llfiz, Joflo Baptista Carneiro
Cavalcantc, Joflo Barbosa Dantas, Joflo
Baptista Fernandes, Joflo Bolelho Fsria,
Joflo Bernardo Silva S. Joflo Carlos Caval-
cante d'Albuauerque, Joflo Cergueira Per-
nio, Joflo (orillo Lima, Joflo Carneiro
Moraes, Joflo Ccreia Silva, Joflo Domin
gos Pereira, Joflo Domingos Ramos, Joflo
Fernandos Baplists, Joflo Ferreira Prea,
Joflo Felippe Souza Leflo, Joflo Ferreira
Silva, Joflo Ferreira de Vasconcellos, Joflo
Francisco Altes Monteiro, Joflo Francisco
ruca uanciu, joao rio
Gomes Calheira, Joflo Comes Penba, Joflo
Gongalfes Netto, Joflo Ignacio Comes, Joflo
Joaquim Souza Poreira, Joflo Jos Luiz Bas-
tos, Joflo Ladislsu Cunha, Joflo Maria Al-
mida, Joflo Mara Pereira Araujo, Joflo
Mendes Almeida, Joao Martina Barros, Jlo
Mauricio Cavalcaote, Joflo Oliveira (luc-
ilos, Joflo Paula M. M. Joflo P. Xavier Sal-
lea, Joflo Pires Gomes, Joflo Ricardo Ca-
y-aleante D. Joflo Reis Souza Dantas, Joflo
Silva Borges, Joflo Silva Cu i oanles, Joflo
Silva Nazareth, Joflo Souza Reis, Joao Sou
za Sanios, Joflo Cbagas Lima, Jezuina Ma-
ria Craca, Josefa Lourentina Lima, Joflo
Maria Goms, Joflo Vareza Souza, Jos Azr-
vedo Andrade, Jos Angelo M Reg, Jos
Albano Vanderley, Jos Alnixo Ribeiro,
Jos Almeida Piulo, Jos Anastacio Albu-
querque, Jos Antonio Araujo, Jos Anto-
nio Falcflo B. Jos Antonio Bernardino.
Jos Anlonio ferreira, Jos Antonio Fer-
reira Araujo, Jos Antonio Magalhilcs, Jos
Anlonio Mendonc, Jos Antonio Moura,
Jos Ant olio Piulo Guimarfles, Jos Amo-
nio Rodrigues, Jos Antonio Siqucira, Jos
Antonio Souza. Jos Barros, Jos Baptisla
Ribeiro S. Jos luriiri 0!i*ain. i*r-
Cardozo Catalcante Silva, Jos Crrela Oli-
veira, Jos Campos Silva.
flCoMlnar--Aa.)
Theatro de S. Isabel.
86 a RECITA DA ASSIGNATURA.
Hoit, 23 de outubro de -1850.
Representar-stT'ha o drsms em 3 actos e
6 quadros
OS SEIS DEGRAOS DO CRIME.
Terminar* o espectculo com s graciosa
farsa
O Chapeo pardo.
A parte de I,poni seta feita pelo actor
Raymundo, que cantara com a aclris Joanna
Januaria,
0 FANDANGO SAL01O.
Comecara is 8 horas.
Os bilhetes acbsm-se a venda no lugar do
costume.
Theatro de S.-Franciaco.
BELLAS ARTES,
lioje qusrta-feira, he o ultimo da em que
aparecem as terceiras vistas dp eosmorama,
e da manliSs em diante estar a galera ro-
chada por alguns dias, psra se poder tratsr
los ensaios dss phiaicas,qne breve serlo an-
nunciados por esta folha.
FublicuySes liuerarios.
l'ara qnantos presaui a rellgiao,
a ptedadee os bons coeturues.
Sahio Analmente i luz ojS annuociado"
oduscoIo com o titulo Observares cri-
ticas sobre o romanee do Sr. Ka-
genio Sin-, o .luden Krrantc, onde
se mostram as impiedades, e o rancor desta
obra contra a sscrossnota religiSo de noa-
sos psis, e faz-se a victorioaa defeza da
mui digna, e prestimosa companhia d^ Je-
ss. Vende-se em S.-Antonioaa ioja de li-
vro azul, no pateo do Collegio, e na Boi-
Vista, botica do Sr. Gameiro, a dez tuates
cada exemplsr.
A famosa ligflo sobre a pena de morte com-
posta, adietada na uuiversidaJede Pisa pe-
lo respeitavel Carmignani um dos maiores
criminalistas da Europa, sta tra luzida do
italiano em vulgar pelo padre Lopes Gama.
Vende-se em Santo-Antonio na Ioja de li-
vros que foi do fallecido Dr. Couliuho, na
esquina do Collegio ; no bairro do Recife,
na Ioja de livros do Sr. padre Ignacio; na
Roa-Vista, na botica do Sr. Gameiro; em
Olinda, ra do Amparo, botica do Sr. Ra-
poso. Prego dez tostos.
Pnbllcacas commereial.
lmprime-.se na cidade da Babia um pe-
ridico em inglez eportuguei, quedaeon-
ta dos movimentos mercantis daqualla pra-
ga, traz os prego dos piincipaes gneros de
imporUgflo a,exi'origSo, lista dos navios
surtos no porto, cambios, etc., ele.
Subscreve-se nesta cidade em casa do Sr.
F.ll. Lultkeus, ra do Trapiche.
iiMcasjEm^mmmmaa
Avisos martimos.
Para o Ajatcaty segne tlagem at o Os
do corrate mea tt.Wate Duvidoso, para car-
ga e pissageiros, trsla-se com Jos Ma noel
Marlins'ao lado do Corpo Sitito, Ioja de
magamesvn. 23.
Para o Bio-rle-Janeirosalir,
com a maior brevidade possivel,
por j ter parle da carga engaja-
da, o patacho nacional Nereide :
quem no mesmo quier carregar,
ou ir de passagem, dirija-se ao
ea[lilao na prac* do commcrcio, ou
a ovaes & C., na ra -do Trapi-
che, n. 34.
. Para o Ceara segu em poucos dias o
hiele Uatlro: quem quizer carregar ou Ir
de passagem, dirija-sai rus do Vlgario n. 5.
Psra o Rio Grande do Sul, segu com
brevidade a escuna nactnaal Santa-Cruz,
eapitBo Manoel Pereira de S, rvc^w.algu-
m carga e encavo* a frete, a Tallar com
Joflo Francisco ds Cruz na roa da Cruz,
0.7.
Para a Babia pretende seguir viSgem
com brevidade a sumaca nacional Carlota,
mestre Jos Gongalves Simas : psra carga e
passageiros Irata-se com o mesmo mestre,
ou com Luiz Jos de 8 Araujo, rus ds Cruz
numero 33.
Para o Maranho e Para
segoe, com a maior brevidade possivel, a
escuna nacional Emilia, de que he capilflo
e pralico Antonio Silveira Msciel Jnior :
quem na mesma quizer carregar ou ir de
passagetn, entenia-secom Joflo Carlos Au-
gusto da Silva, ou com capillo, na rus da
Cruz, armazem n. 13.
-Segce para Macei a bsrcca Ftkii-
c. boje at 2 horas da tarde : quem quizer
ir de passsgem, dirijs-sea bordo, no Forte
do Mallos, ou na ra da Cadeia do Recife,
n. 54.
O veleiro e bem conhecido patacho na-
cional .1 Ifrtdo segu viagatn para a Baha
at o dia 30 do crranle, imprelerivelmen-
te, por ja ter a bordo doua tercos do sea
carregamento: para o resto da carga e pss-
pseeiros. pars os quaes offerece exceden-
tes commodos, trata-se com o oepuio, ou
na ra do Vigario, a. ti, escriptorio de
Francisco Alves da Cunha.
Pera o Havre pretende aa-
hir, na terca-feira, 29 do crrente,
o muito conhecido brigue lrancez
Beaujeu, s recebe passageiros,
para o que lem cxcellentes com-
modos.
Leifes,
-- 0 Sr. E. Comber, socio da I
casa dos Srs. Johnston Pater & r "desta
praga, ordenou ao corrector Oliveira, pre-
viamente i sus retirada para a Inglaterra,
o leilao de toda a mobilia e mais adoros 4a
casa de sua residencia no campo, consistin-
io em sofs, mezas, cadeiras, tanto usuaes
le bragos, como de balsngo, tapetes e mais
enf utes de sais de visitas, mesas de charlo
cadas, lampeo-s de bronzeeom vi-
dros, esstigses com msngas, mesafl'costu-
rs enm loso cnmnlrtode chdrsj Mhunria-
nas, reogio de clms de mesa com corda



-<

9
V'
para 14 diss, mappn geographicos, um so-
berbo telescopio o oielhor nestt cidade e
adnptido rara obiervacoes astronmicas,
itosi elstica para jantar. aparador de mog-
no, guarde-Iouca, cadeiras e mala artigo*
para sala de juntar, esleiraa denla e para
outras salas, galhaleirasde gosto, bandejas
dech*rBo, e oulrasqualidades, facas egar-
fo, cabos de marOm, coberlee- para pratos.
caf'teira e bule, outrs partes de metal
correspondentes, um esplendido bilhar com
todos nsseus pertencrs, inclusive lampeoes
e mobifia, proprla para o lugar obde acha
ou possa aer collocado, urna linda carteira
de mogno con) gavetas, armario para livros,
um Jogo de basatella, dous globos terrestre
e armillar indispensaveis para oestudo da
gongraphia e astronoma com o respectivo
compendio impresso, composto pelo afu-
mado author Keith, carteira porttil, jogo
chlnez pa'a chadrez, lanterna mgica com
]iiula vistas, cadeiras ile molino, comino-
das r tnucadorra diversos, lelto par* caaados.
escadinhe do dito, guirdo-veetidoi, lava-
torios) com pedra tnarrpore e sem ella, toi-
lete comeapelho, aof de clina, bercos, bi-
d, poltronas, mesas grandes e pequeas
para quartos, Urna gaiola grande para mui-
tos pulsaros, um carrinho de rodas para
meninos, machina para engommarutenci-
liosde eos I n ha td loa pan jardai.vasog para
florea, cavalloa, arrelos, selllna, brides, cria-
taee de todas as qualidades, aervicoa de por-
cellana e outros para mesa, sobremesa, cha
e eafe\ e numerosos oulros objectoa que
a estrllela de um annuneio nSo permit"
designar, maa taes quaes usava peasoa de
goslo e delicado trato. Ter pois lugar o
referido lelIBo, princioiaailo pelo trertl de
costana, utenellioa agrcolas e cavalloa etc ,
segunda-feira 28 do crranle, s 10 horaahla
manhfia impreterivelmente, no sitio do
lllm Sr. Dr. Jos Beato da Cynha Figueire-
do, oonliguoe immediato ao do Sr. Hanry
Cibaon, na Ponte de tlxoa.
- Adamson Howie & C, fardo lelfio por
intervengo do corrector Olvera, de um
esplendido sonianenlo de fazaodas ingleza*
todas propriasdo mercado : quinta-feira 34
do corrate, as lOlioris, (no seu armazem,
ra do Trapiche N070.
do imperio, por commodo preco : na ral
do Rsngel, n. 57.
Lotetlado Ro de Janeiro
Premios vendidos na loja de cam-
bio da viuva Vleira de Pulios, oa roa da
Cadela do Recife, o 9i.
Theatrode'S. I'edrode Alcntara.
nSo podar encontrar orrtbar.icos na'pra-
A agencia promo7e os rnteresses lcitos,
taito dos subditos brssileiros no reino de
i'.'.ogal, como do subditos portuguezes
i ii.iperin .lo Brasil; prosegue reclama-
do- n< particulares, que bejam de ser fei-
S55 400 000 r. 1,787, 10,000 rs. 8,176, i si f ..nbos os paizes; lenta composicOes,
O0 000rs,; 1,619.100,000 rs. 4,730. 40,000 i ,fUra e segu procedanlos judiciae
rs. '; 5,762,100,000 rs ; 2,096, 100,090 rs. ; piuce te a pesquiza
acere* da existencia,
TmWM^*jfa\w}fon?^m\\mA*i>+ de domicilio ou fallecimeotoi
tooors 5.207, 0,000 rs. ; 586, 40,000 sollicita o cumpnmeoto de rogatorios, mao-
rs 776. 40.000 rs.; 2,081, 100,000 ti, ;
3 744. 200,000 rs. ; 4,197, 40,001) rs. ; 586,
10 000 r. J 980, 40,000 rs. 589, 200.000
rs. ; 3,435,40.000 rs. j 4,195, l:0o0,000 de
rs ; 3.694, 40.000 rs.
Declma-prlmelra lotera do thea-
tro ti. Pedro de Alcadtara.
2 377, 400,000 rs.; 4,105. 290,000 r. 900,
40 000 rs. 323, 200,000 rs. 2,836, 100.01)0
rs. 3.363. 40,000 rs.; 3481, 40,000 rs.;
865, 40,000 rr.
Fugio, oa noite do dia 16 do crrante,
o prelo l.uiz, criou lo, representa 28 annoa,
de eatatvra e corpo regulares, um pouco
da assistra pracas agencia compra e ven-
da de predios urbanos ou rsticos; viga
por interesaos de herdeiros, faz manifestos
e registra hypothecas ; administra casas e
propiedades ; cobra rendlmentos ejuros,
manda tirar folbas corridas, passa portes e
documentos daseeta<;Oes publicas; requer
quaesquer pretencoes juilas do governo *
recebe consignaefles era* cumprir ordena
commnrciaes; compra e vende papis de
credio, fazeodo transaoeOes de banco, etc
O escriptorio central beyo ltiu-de-Jaa*i-
ro. ru do Rozarlo, n. 68}- o director he o
Sr. Dr. Jos Feliciano de Castilho Brrelo e
M.Tofhos" ouTpo'uco encovados, tea. f.l- Noronta : eo'**yJ%Z9ZlZ
l. d 2 denles do ..do supe ior, pouc. bar- j^a- ^ W.^D Ajjlua
correspondente naquella cldade he o Sr
Avise di
a-sede um
ba, coro algumas ccatrizes pelas costas e
um taino as costas da mo esquerda ; le-
vou eamisa braoca e caleta de riacado de
algodSo cOr de caf, chapeo de paiha ja
usado : este eacravo tem principios deae-
pateiroj heofllcial da colchoeiro e Ira ba-
rba tambero de selleiro ; ha noticias que ha
poucos das paaaou em Goanna, intitulan-
do-se tangedor de boada e levava aguiada
na mOo ; desconfia-seque elle siga para o
centro, aoride elle tem conhecimeotos, e
mesmo ser natural do serillo; Roga-se aa
autoridades policiaca e capilSes de canpo,
que o appreheniam e levem-no roa do
cabuga, n. 3, loja de selleiro, de Antonio
Ferreira da Costa Braga, que gratificar com
a quantia a cima.
!$-- Sr. Vulichard ( sem ser o da ra Nova )
queira epparecer na ra da Cadeia de Santo
Antonio n. 13 a negocio que nSo ignora, do
contrario se publicar qual o negocio
versos.

Piecia-8edMim criado para cocheira "
quem pretender dirija-se ra da Roda uu-
mero 15
Perdeu-se na noite de sexta-fera 18 do
correte, no caminho entre a residencia do
Sr. cnsul Inglez na estrada de Beln), e a
ponte do Hanguioho, um chicote de earro,
com cabo prelo guarnecido com metal bran-
co, quem oachou querendo restituir ao do
na, lee-ona ra doTrapixe n. 8, quesera
be o recompensado.
-- Piecisa se de urna ama de lete, sem fl-
lho : na Boa Viita, ra da Santa Cruz, n. 38.
Quinta-feira, 91 do crrante estSo
venda dous cavalloa novoa rudados.proprios
para cerro, tododous nao fazem msis que
una pintura : o* roa Nova ao peda ponte,
das 10 horas a a meio-dia.
i Acha-se fgido desde satembro do auno
pas-i lo,l bivio da Costa,de nome Victorino,
fllcial de carpioa, que representa 30 annos
de idade, con lalhos no rosto do uso de sua
trra, coaita andar trabalhan lo oceulto era
algumas obras, intitulanlo-se forro; este
eacravo rol da fallecida D Marlanna Thereza
de Jezus Siqueira .* roga-se a todas as auto-
ridades policiaes o apreheildam e levsm-no
def'onl i de S. Francisco, casa n. 7, por cima
da cocheira do Sr. Frederico.
- a firmado Athayle Ferreira, aoha-
se amifcavelaiente e de commum accordo
exmela acaule 22 do correte mez de oulu-
bro, a qual periencia o eatabelecimento
de urna loja de lazendas, cita na ra do
Collexio n. 3, flcaoito as fazendas e o de
bilo activo em poder do socio Sr. Athay le.
pa-a proceder a venda daa fazendas e rece-
bimento activo, para com ella aatisfazer o
debito pasaivo, a que a meama flrma'esta
sujeita, Sean lo todava aoihos, cada um in-
soll :o responsaveis ao sobrehilo pagamento
passivo, ro no hjs exi.rekaoaa* cuntas que
ambos aasignarm em duplcala.--vai at
daCuU Fwreirm.-MtnO Francitto de Alhaydt
--Aluga-seo 2." andar do"abbndo n. 86
na ra d'Agoaa Verdes : a tratar na ra
Direa, loja de fazendas o. 7.
-; Madama Porta, mudou-se do Aterro da
Boavsta casa n. 6 para a den. 12.
Jote Lu'z Innocencio Pogge Jnior, faz
SCieole que|deade o dia 21 do Correte OUtu-
bro, driiou de aer caixfciro da cas* Viuva
GauUiii Filho
Aluga-se urna casa para se passar a
fasta, com bastantes com molos, e com si-
tio, boa cacimba, e muito bum banlio : i
tratar na ru Imperial, u. 87, ou na ra do
Cotovello, n. 89.
Deseja-8e fallar com o Sr. Flix da Cu-
nta Navarro 1,10*5 para se ultimar com o
mesmo Sr. um negocio que I lie diz respai-
lo : na roa larga do Rozario, n. 1, segundo
andar.
T-ito SO do correnle A porla do lllm
Srapr, juix muoicipal da segunda vara,
substituto da priateira vara docivel, oa ra
daa Cruzes, seho de arrematar os escr*-
vos Na noel e Jaciotho, ofltciaea de maree,
neiro, penhorados por execueflo de Ansel-
mo Cojicalves Pereira contra JoaquimCar-
neiro, por ser a ultima prsca.
-Vaao Aracaty Esteva.. iln Anlos da
forcincuia.
N* roa eslreita do Rozario, n. 88, se-
gundo andar, a* dir que.n da dioheiro *
premio.
JuSo Marques da Silva Henrique e Ber-
nardino Nuoes da Conceicflo, sub utos por-
tuguezes, retira m-se para o Rio-de-iaoeiro.
Quem precisar de urna ama para p ser-
vito de urna can, dirija-se ra do Ale-
crim, o. 8, sobrado.
-Quem precisar de urna ama com boro
leite. dinja-aea ra dos Pecadores,
Precna-ae de uaaa ao* parda o
que enlend* de cozinha e eogommado,
jim casa de pequea familia : no
Aterro da-Bua-Vsla,n 39. segundo andar
Innocencio Ernesto Vdolpfco avisa ao
|lM*t publico que ninguein contrate
s
:
ncgOcTb algum coro sua rnulner, por se ter
de desquitar dalla, em rulo de I ti lar da-
do motivo para iao
-- A luga-se urna casa trras, cora bastan-
tes cumiiodos para familia : na ruada Joflo
Marja, por detrs doSr. deiembargador Ita-
moa a tratar oa ra do Crespo, n. II.
Agencia do passa portes.
Tiram-*e pasaaoon nara dentro fra
Paulo Galgnoux-I dentista
france/., offereee aeu presti-
no ao pnbiieo para todos oa
nij-steiios de mi proflsao :
pode ger procurado a qnal>
qiier liora em ana casa, na #
na luisa do Hozarlo, n. 36, 0
9 seniliido andar. %
a
Aluga-se para passar a festa urna casa
na pnvoaco do Monteiro, com duas salas,
quatro quaitos, cozinha fra, estribara pa-
ra dous cavados, quirtos pira escravos,
lous quintara murados, leudo um delles ca-
cimba, e com sabida para o rio : na travessa
do Veras n. 15.
0$OOQQOOO909QQ9OO>
O O Dr. J. S.Santos Jnior, O
r medico bomoeopatha puro ,
3 mudou sua residencia da ra q
do Crespo, n. lo, para a O
2 ra Nova, n. 58, primeiro ;
rj andar. q
-- Preclsa-se alagar orna Ima .forra ou
captiva, que saiba engommar e cozinhar,
para casa de pouca familia, e que olo (em
crianzas: na rus do Pilar n. 72, segundo
andar, em Fra-de-Portas.
OSr Joaquim Joa dos Santos Barraca
queira ir pagara quantia de 33.160 rs. do
que comeu sonde nSo ignora ; do contrario,
ter de ser semore lembrado nesla folha,
0 bacharel formado Jofio Florines Das
Brrelo advoga no civel e no crme : as
pesroas que de seu presllmo se quizerem
uti'lisar, o pdeo procurar a qualquer hora
lo dia na' eaaa de sus residencia, na ra
.Nova, a. 52.
O abaixo asignado, estando desem-
baraca.lo desde 3 al s 6 horas da tarde, e
tosejando em pregar utilmente este lempo,
vai abrir no primeiro denovembro, na casa
a. M da ra do Pilar, em Fra da Portas,
uaaa aula, aonde se propon a receher um
ueraaero determinado de meninos, para
Ihes ensiar o inglez, franrez, arilhme-
tliC*, escrpturacSo mercantili, e em orna
palavra ludo puanto deve constilu-los
a otos para aeguirem a carreira commercial.
O abano asaignado espera que os seus ami-
gos Ihe fr3o a justica de o acreditar, quan-
de elle solemnemente declara que se com-
promelle a empregar com assiduidade to-
dos os seus esforcos para o adianlamenlo
dos meninos cuja educacSo Ihe fr couOa-
da. A meosslidade be nicamente de cinco
mil rs. Os pais que quizerem ma-
tricular aeus (Unos se servirSo enlender-se
com o abaixo asaignado no escriptorio dos
Srs. C. Slarr Ir C. na ra da Aurora, das 9
horas da mauhSa at i 2 lio ra da larde.
Jo da Hoya
Alugam-se os segundo e ffeeiro nda-
me da casa do largo da Aseembla o, 8 : a
Miar com Joaqun) Francisco de Alm, no
Fo'te-do-Uattoa, ou com Praxede* d* Fon-
seca Coutinho, seu proprielario.
Precisa-sede um trabalbador deema-
da, e que saiba tirar leto em vaccas : na
Magdalena, estrada nova, primeiro sitio de
portSo de ferro. No mesmo precisase de
um liolieiro.
Quem qoizer comprar urna lettra da
quantia de 56,060 rs. do Sr. Josa Brazalino
da Silva, auparec* na ra da Cadeia de S
Antonio, n. 13, que todo o negocio se far.
Agencia de negocios entre o
lliusil e i'ortiigal.
Eteriplorio provincittl em l'irnambuco. Ra
eitrtila do Hozario, n 41, segundo andar.
Delegado o bacharel A. R. de Torres
Bandeira.
'dir s cmprez< uteis figura o estabe-
mento da agencia de negocios entre o
Brasil e Portugal, que se scha confiado ha
dous annos entra nos ao Sr. Dr: Joa Felicia-
no de CastilHo Barreto e Noronha, residen-
te no Rio-de-Janeiro. Esta empreza tem usa
lim louvavel, equo est muito em harmo-
na com os interesses dss duas rtacoes : o
coramercio principalmente, esse ramo po-
deroso de riqueza publica e da civssqBo,
.Jc colher graodissimas vantageos, todas
as vezas que se Ine proporcionar a soIuqSo
le queslOes iuiportanlea, que, lalvez, a uilo
Thumaz Antonio de Paiva, ra Ferregial d-
cima, n. 2. Ao Sr. Dr. Caililho, como drecj
lor da agencia, cabe o dimito de eslabelecer
delegados nos pontos do imperio que os pre-
cisaren), em confurmidadrleo'u a autoris-
r9o que Ihe he concedida pelo artigo 27 do
regulamento da mesma agencia ; e he por
Uso que o dous escriptorios do Rio e de
Lisboa, beca orgsnisa Jos, t-iem estabelecido
delegares om lodos os pontos mais impor-
tantes dos dous estados ; de sorte que qual
quer requisicSo, que Ihes diga respeito, he
levada a'eflicaz aodamento desde o dia em
que se recebe o encargo. Pelo Sr. Castilho,
como director, foi nomeado delegado da
agencia, nest* provincia, o bafbarel A. R
de Torres Bandeira, que tratar de empre-
gar todos os esforcos para levar a effeito
condices litadas no regulamento respec-
tivo.
O delegado, deaejoso de Cumprir as or-
dena emanadas do escriptorio central, no
Rio-de-Janeiro, tem estabelecido um escrip-
LOTEBIjV DA M\T!\1ZDA
'BOA VISTA.
AOS 10:000,000 de ris.
As 8 horas da manhSa do da
3i docorrente, e noconiistorio da
respectiva igreja matriz andam in-
fallivelmente as rodas desta lote-
ra. O resto de bilhetes acha-se a
venda nos lugares seguintes : ra
da Cadeia do Kecife, loja da vinva
Vieira & Filhos ; S.-Antonio,
Jo3o Moreira Marques, pateo da
matriz; Fortunato Pereira Bistos,
praca da Independencia ; Bernar-
dino Jos Monteiro, praca do. Li-
vramento/ Francisco Antonio das
Chagas, rui dita ; Boa-Vista, An-
tonio da Silva Guimaraes, ra do
Aterro.O thesoureiro, Manoel
Goncalves da Silva.
Aon Srs. militare d primetra II-
nha e guarda nacional.
Sahio A luz.InstruccO'i para o snrvicn
das guardas da guar ic9o de Pernamburo,
exirahidas do regulamento, e accommo la-
das a disciplina que.se pratica no exercito
brasileiro. Este follielo he essencialmante
necessario a todos os que tem d* exercoi
o servico militar 1 venJe-se a 320 ris Cada
exemplar : na livraria n. 6 e 8 na piafa da
Indepencia.
Os devedores da loja do fallecido Jos
Pinto da Fonceca e Silva na ru Nova n. 11
queiram vr pagar seus dbitos no prazo de
oito das conlndos de hoje. fiudos as quaes
serSo chamados nominalmente por este
mesmo Piario, e executados os remissos.
Aluga-se o segundo andar da casa n.
25, da ra Nova : a tratar na loja do mes-
mo sobrado, ou na ra da Cadeia do Reci-
fe, n. 42, escriptorio de Antonio Valcotim
da Silva Barroca.
Jos Adolpho de Barros Corris resi-
dente em Porto Calvo, faz publico para
' Comprara-se adragonss e bandas de
ofUciaes, de fio ou canutlho dourado, em
b im e mo estado: na praca da Independen-
cia n. 19 ,_ ,
- Comoram-se escravos de 10 a 30 an-
nos, de bonitas figuras, para dentro e fra
la provincia : na ra la'ga do Rozario, n.
48, primeiro andar, tolos os das dis 6 As
1 horas da mantilla e dlD 2 s 5 da tarde.
Vendas.
torio.provincial, na casa de sua residencie, nhecimento dequem conver, que em seo
u.estreitada&nzario.n.Al. segundo an- poder existe em deposito por ordem da de-
legaca urna escrava cnoula que representa
ter de idade 25 annos, e diz chamar-se
Thomazia, e ser pertencente ao Sr. Anto-
dar. As pessoasque liverem interesses a tra-
tar por meio da agencia, poderSo dingir-se
aquello escriptorio, das oito horas da ma-
nhSa at s 10. a das 2 da tarda at s 5.
Precisa-se engajttr alguns ofliciaes de
caldeireiro para trabalharem em caldeiras
de vapor, sendo arrebiladorM, ( a que os lo-
glezes cliamam lliveters dando garanta
sua conducta : paga-sa o jornal de 3,500 poi
da, a da-ae paesagem gratuita para o Rio d>
Janeiro, onde irBo trabalhar na oflicna da
com panlna brasilera de paquetes de vapor ;
advertindo, porm, que se depois de all
ebegarem, rom uro mez de experiencia,
provarem incapacidade, serSo conduzidos
para aqu igualmente nlo pagando oassa-
gem. Quem estiver neslas circumstancias,
e quizero dilo eogajameulo, pode dirigi'-
aeao agentada dita companhu, na ra do
Trapiche, n. 40.
A asgociaco commercial de
Prriiainlnico.
Tendo a direccio da aaaociacSo commer-
cial, cmexecucSo das ordena do Ecn. Sr
presidente ds provincia, de organisir a lis-
ta geral doa commercianles aqui es'abeleci-
dos, puese acharen) naa crcumsiancias de
volar eserem votados as el ices pra de
putados e suplientes dolnbiiii.l lo com-
mercio, em cnnformid'ade das-inslruccoes
do decreto 11. 696 de b da setembro ultimo,
e Ignorando a mesma direccSo o numero
de commercianles brasileiros matricula-
dos no tribunal da junta do commercio aqui
residentes, convida sos mesmos senhores a
apresentarem-se no prazo de cinco das na
sala da mesma nssoclaqSo munidos de seus
risoectivos ttulos para serem admiitidos !
flcando certoa de que na sua fR* aera a lis-
ta orgsnisada coi os negociantes raencio
nados na segunda* parte do art. 14 do til.
nico da admiuislracSo de justica nos ne-
gocios ecausas commeeiaes do coligo do
commerc. Sala da aUuaNafSo commercial
de Pernambnco, en> )H de outubro de 1850.
A, V. da Silva Barroca, secretario.
O Sr. Manoel Antonio Baptista quora
ter a bondade de apparecer na ra do Pas-
seio, loja n. 21, a negocio do seu interesse
O Sr. acadmico Lobato Jnior do Ma-
raohSo, queira apparecer a ra da Cadeia
do Santo Antonio n. 13, a negocio que nSo
ignora.
Oabaixoassigralo n.1o aceltou a no-
meac&o e procuracSo que Ihe conferirn
os actusea admin'stradores ds liquidaco
dos fuodos da extincta compsohia geral
desta piovncia,
lose Antonio i Soma Hachado.
Da-se 400,000 ris a premio com pinho-
ras de ouro ou prata : no Atierro da Ba-
Vilta, loja a, 1. se dir quem di. _
Os-Srs. Antonio do Reg Mel i ros 0
J080 Rodrigues Vclloco, lera cartas na ra
do Viga, o 11 7.
Prensa-se alugar um cilio no Capunga,
ou rasa que aeja grande, que- lenha bueno,
ou nos lugares do Monlei.o e Caldereiro : a
tratar na ra da Cadeia de Recife, ou an-
nuncie por ella folha.
RogaVie ao fiscal do bairro da Boa Vis-
.., iauceiuis vistas su. miai Aurora,
onde andio cabras e bois sollos dislruindo
os arvoredos que ali plaalSooi particulares
para o bem publico, e ponha em execu(So
nesta parte as posturas rnunicipaes.
O figilanlt.
Na confeiUria da ra do Rozario es-
trella n. 43, se encontrar urna pessoa que
se encarrega de tomar arrola ment de
qualquer quarteirfio, 1)80 ao desla ci.lade,
como de seus arredores, e a prompiilicir os
mappas que devem ser reaMitidoe a secre-
taria de polica, couforme os modellos lti-
mamente baxados daquella 'aecretaria,
muita rapidez e perfeicSo, muito commo-
do preco, acbario os que da san prestio su
quizerem utilisar.
A negocio de interesse ae precisa fal-
lar con o Sr. Andr Pirai Vilgueira: no
Alerro-da-Boa-Viita, sobrado n. 17, ou an-
nuuuio.
Qualquer homem solteiro que quizer
alagar urna aala com dous quanos do um
primeiro andar, no paleo do Collegio, di-
nio Praca, portuguez que leve armazem de
marceneiria na ra da Cadeia de Santo An-
tonio, de cujo poder se evadir em 1848,
e esleve muito lempo presa ; protesta-se
pelas despezas que tem sido faite com a
mesma al o da da entrega dola a pessoa
que se a.resenlar munida com os ttulos
legaes de seu dominio
Precisa-se um caixeiro dos chegados
agora do Porto : a falar na 1 ua da Gloria n.
14, refinacSo.
Os Srs. J0S0 Lete Res Aires Pinto e Jos
l.uiz leem cartas viudas do Porto: na ra do
Crespo n 19.
' Limos Amaral & Companhia, fazem
.cente ao respeilavel publico que ten lo-se
Ibe desencan.intmdo urna lettra ssccada por
elese ac-la pelo Sr. Jeronymo Emiliano
Gomes da Fonsca da quantia de 171,240 rs
fica de nenhum effeilo a mencionada, po>
ter o dito ec itante assignido mitra com da-
ta de 9 de outibro de 1850
Tendo-se desehcammhado urna letlra
da quantia de 125,40o rs. sacada por Ce-
sar K'iiger, e aceita pelos Srs. Joaquim
Monteiro ds Cruz &C. Roga-se a quem a
tiver achado o obsequio de a restituir poi.
que com a dita lettra nenhuma trans8cc,So
se poder fazer, por ja estarem prevenidos
os aceitantes
Offeieoe-se um Portuguez para' fornei-
ro de padara, o qual tem muita pratica :
na travessa das Cruzes, n. 10, laverna.
O abaixo assignado pretendendo faze'
urna viagem ao sol do imperio deixa poi
seu* bastantes procuradores seu lilho Ma-
noel Alves Guerra Jnior e genro ChristovSo
Xavier Lopes. Arreada a casa da ra da Au-
rora, n 4, com cxcellenles commodos pe-
ra mais de 40 pessoas. Vende sua casi e si-
tio na Passagem, outra de 2 andares poi
detrs da matriz da Boa-Vista, n. 28, com
gran le quintal como sitio ; a casa da praca
do Commercio, onde se acha o consulado
.'ral ; a casa ou prensa do Forte-do-Ma-
ttos, junto a alfandega, n. 20, com 110 pa'-
mos de fundo e 75 de frente, que anliga-
mente foi estaleiro, e he capaz de recebe
gran les maslros, etc. ,e desta maneira se,
evMar o andarem pelas ras, onde o I.....-
poba consume e ncornmnda o publico.
Manoel Alves Guerra.
OSr. J0S0 Francisco de Souza queira
mandar recebar duas cartas da ilha de S-
Mguel. na ra da Guia, n 9, que foram ti-
radas do correio, por pessoa de igual nome.
e nes'a occasillo concordar-se quem deve
mudar de sohrenome, para n3u tornar ha
ver outro engao.
Cbristovo Jos Pereira faz sconte ao
publico que mudou o seu oome paraCnris-
tovSo Pereira Campos, por haver outro de
igual nomo.
S'no so tomlo reunido, no dia 21 do
corrente, os credo:es do fallecido Manoel
Joaquim Conexiva* e Silva, como ae linha
annunciado, avisa-se novamente aos mes-
mos Srs. para coa)parecerem no dia 23, pe-
las quatro horas da tarde, em casa de JoSo
0a I.O.Mrt ....C. Jullui.
sar eate meio, flcarum no eaquecimento. Na rija-se a ra Nova, o. 63, segundo audar
parte do utilidad, ella sa dirige taotoom I Joo Xavier da Maia subdito Portu-
como ostro p:r> 1 considerada desle modo guez, rctira-se para o Rio de Janeiro.
Compras.
Compra-se urna escrava moca, qoesai
ba coziohar, eogommar e seja de casa : na
ra do Queimado, n. 9.
Compra-so orillos de panno : na praca
da Independencia n. 19.
-- Compra-se urna bomba de ferro para
cacimba, que esteja em bom estado : na
rus da Cadeia relha, casa n. 94.
Compraui-se obras de ouro sem feilio.
una escrava de Angola de idade de12t
16 annos: na roa do Livrame.ilo n. 20.
Cuinpraiii-soalgumas formas de fazei
velas, marmita, bancos eos mais pertences:
na ra Augusta, n. 33. Na merma casa pre-
cisa-se alugar urna ou duas pretas que es-
t-jan acostumadas a vonderem, e que nSu
nam neo Lb.rn.
compra-se urna preta que nSo seja
velha e nflo lenha vicios cni.hecidus, qu
en^omwe, cosa e cozinhe beui ; tambem
se co..ipra um prelo pedreiro, para um en
genho : na praca da Boa-Vista, n. 12, so-
brado de um andar de veranda de pao.
Loter'udo Rio-de-Janeiro.
Aos 20:000,000 de rs.
Na praca da Independencia, n. 4, loja de
miudezas, vendem-se bilhetes, meios,
quartos, oitavos e vigsimas da pnmeira
lotera a beneficio do llosoital Pedro II.
-Vende-se urna pr.-ta de 20 annos, d bo-
nita ligura. que eugomma, cose e cozinha;
irn molequepeca de 18 annos, sem Mita
aluma ; 2 prelos pecs para carregarem
iialanquiineganharemna ra, por darem
640 rs, oor dia ; um mulatinho de 10 anuos:
naruadoCollegio, n. 21, primeiro andar,
se dir quem vende.
Vende-se um esersvo moco, fiel, e que
he bom olTicial de pedreiro. por mdico
preco : no becco de Jos-la-Costa, n. 6.
Roupa feita.
Nalojadealfaiate de Jaciniho Soaras do
Mneres, na ra Nova, n 35. ha um com-
pleto sortimenio de casacas e sobre-casacas
e panno lino, ditas de m-arm e palitos,
Has debrimdelinhopardoe de qualois.
laqu^las de panno, merino, al.iaca, brinae
rcalos, colletea de seda e fasUo, caica*
le o uni, casemira, ISa, bim de liubi,
riscado, eoutras muitas uhraa; assimcino
azendaspor preco muilo barato com di-
oheiro a vista : tambem se aprom da toda
o qualquer obra que se ene 1 omeiide con
multa pres'eza e ultimo gosto.
taoterladn matriz da Boa-Vista
Aos 1 km >S >o)
Na loja de miulz.s da prarja da Inde-
uendencia, n. 4, vendem-se bilhetes, meios,
luarlos, decimos e vigsimos desta lotera
iue corre impreterivelmente no da 31 de
tutubro.
Bilhetes 10,000
Meios 5.000
Quartos 2,600
Decimos 1.100
Vigsimos 600
200S0011.
-Vende-se um almofiriz grande de bron-
ze; no Aterro-da-Boa-Visla, n. 65, luja de
funileiro com urna porta larga.
Vendein-sedous relogios, patentes da
ouro, una corrente, urna dita para seoho-
a, brincos, aiinelO-s, cor 10-s, medalhas,
nnelflaa, crdzes, bulcs de punh'< e abar-
tura, arbolas, una mo.la guarnecida, um
apparelho de prala para cha ; um. faqueiro,
2 salvas, castiQaes. esporas, urna bride, urna
jatena, e outras obras de ouro e prata ; na
ra estrella do Rozaaio, n. 28, segundo
andar.
Vende-se urna excellente casa de cam-
po, sita na margem do rio. cunten lo duas
s.las grandes, dous gabinetes, duas aleo-
vas, tres quartos e cosinha, com um Ierre ao
adjacenle, que ter cerca de mil palmas em
frente do no, e una baixa de capini que
fomeca para mais jo trnta fdixos diario!
.0 verSu, tem bonita vista, ar sau iavel,
a parto da praca por sr antes de ch->gar ao
Poco da Panella : afiliar ua ra de Santo
xmaro o. 16, ou na ra da Cadeia do Recife,
com o Sr. Manoel Goncalves da Silva.
Verdadeiros charutos de s. Fells
a 3,5oo rs. a caixa.
Vende-se na ra da Cadaia do Recife,
n.40.
-- Vende-se urna parda de 30 an. os que
engomma, cose, e com muilo bom leiie,
propria para criar : na ra da Aurora, o. 50.
Xarope lo bosque.
GRA.NDR CURA.
Nao pudendo de 0111ra maneira faier mais pu-
blica a ni 111I1.1 gralid.) pelo bom resultado que
oblive de em ponto teinpo e debaixo sempre
de urna m eala?5o, como a que tem sido estes
ultiiiiot .ua-.. s, lempo eniqueprlnciplel a cu-
rar-ine de uina enfermidade lusiinle grave
|ue ja a mais de nove meiea a si.rlria
Una impertinente toase que fea-ine passar
bastantes noltea em quasi poder recoociliaro
......n ; nao obstaule que leinpreestiresae em
uso de remedios nunca pude ver-me livre de
lo alllictiva molestia, a continuaco da tosse
acarretou-me outra uioleatia, que juntas cau-
. iv 1 ni-me tantossoll'rimentoa, a tal ponto que
julguei mullas veies o fatal termo de minha
existencia, que era na occasia.i da tosse vi-
rein-me vmitos de sanguc vendo-me nessa
triste siloapao pouco esperanijosa, ouvi fallar,
c fui .n-.i 11 -1 Ili.nl.i que loinasse o xarupe do bos-
que que se vende na ra do Hospicio, u 40,
nao tive logo multo desejo de o tomar, quiz
n ni, un i,mu o conse llio de algum prnfessor,
lirigl-me a um bein acreditado nesla corle,
i-xpui-lhe o estado de mlnha molestia, ouvio-
me, eilisse-me que o meu mal necesaltava aer
curado com bastante cuidado, porque era 1110-
leatia que de em pouco lempo ae tornara mul-
lo atis grave, pelguntel-lhe o que diila do xa-
rope do bosque ae eria bom, respondeu-me
que Baease uapdelle, pola que julgava-o inulto
couvenienle para ininha cura ; dirigi-me iin-
nir.1i.ita.....iiti- aobredita caaa da ra do Hos-
picio, n. 40, compre! urna garrafa do dito xa-
rope, assim que cheguei minha casa tomel
urna dote desie sempre precioso remedio, por
incsmo na caaa do profestor ter deitado cin sua
presenta uina porfo de aangue, e uiuilaa ve-
- *2 t!v- A*'-* ;l:*"j'>a naa ruase em caaaa de
alguns doa meua ainigoa que se aduiiravain
como eu anda podia viver com seinelbanie
molestia ; coiilinuri a tomar com a grava de
eos, e o bom clicito que produtlo o iarnpe
do bosque, em menos de oito das ja nao dei-
tava mala aangue pela bocea, a t'.ase j era
muito menos, j podia dormir soSriveliuenle,
con ti nuc sempre a usar do xarope, nSo preci-
sei mais do que duaa garrafas deate precioso
remedio para ver-me pcrfeltamente bom eu
o menor iocommodo, e rejlabelecldo ao meu
antigo estado de sade do que poucaa eaperan-
fas linha da recnpera;So della, o que agora
jioiso ducr s.'in lisonja, que o xarope do bo-
que he din insigne remedio contra as moles-
tias il,o peito, p.'iis que ames do uso .1. lie com
iieiilium doa que tomel acbe! o menor allivio,
porm coin o xarope do boaqiie achei o que
julgava perdido, que era minha aaude.
tsia mlnha declara{an foi felta de mlnha
muilo livre vontade, e offerecida aea Srs. pos-
auidore do xarope do bosque,para ser publica-
da da maneira que Ibes conver,para que lodas
as pessoas que tiverem a Inl'elidae or sollie-
rem o que eu aoflri, aabeicm aonde ho de
a.-har o allivio de aeus malea assim como eu
Rlo-de-Janelro, SS de outubro de 1848Boa
de Mata-Cavallos, n. 164. /. J. Pdala.
Vende-se na ra doa.Quarteia, n. l.


-
__ Vnrtm-< auiirn nri> de rTIhn
d amarelln. rm moiin bntn nsn. pro-rin
para jnells d peitnril mrui do Vigar-
n. 19. ** d'Tk <|liem vende.
Wniiei> s mei'agnss no beceo do
FiIcSo : ni rua Imperial, n. 31.
V^nde-se iim rnvnlln qu ands'baixn
e esquina : ,'. i ru da Ilnio, por d'lri di:
palacete do fxm. Sr. Buri d Rn-v;sts.
Pnrn fon da provinel
vende-si um< bonita eaerafw prionla de 1
trinos, que corta P faz vertidos, e camisas
de ho^-oi, heentcommaleira e mnilo fiel
um mn|qiie le d-iftl nonos, milito esperto.
fiiho de mepni escrava : na ra larga do
Rozario, n 48. pnmlrn an'iar.
A> madernlama.
Na rua do Q'ieimdn n. 17. vendem-ee as
mais modern s camhraias abertas de Illa o
ceda, ve'dadeiramente chamado haUarine*
(refradr-fi e costo mnitn d' lirados," 500 rs.
o rn*a pet'Pt pinhor.
Vende-se urna bonita ecrv crinla,
que abo hem iwinhar. enajomiear e coer,
afianca-ae a boa con Inda e nerfeiln pelado
de saude, vende- por motivo particular :
na rua do Rosario n. 32.
Vende a um* clarinete nava, por me.
Mde de sen valor : na rua 4o Crespo, loja
de livros n II.
Vende-so urna bonita eacrava de narSn,
de 90 a nos, boa ajnitandeira, de excellen-
te conducta : na rua do Rargel n. 57.
Superior carnauba.
Vende-sn cera de c.rnaoh. : "a rua d>
Senz'lla velha, armazem ,de hola n. 100.
9,r00 >s arroba a dinherro de rnntadn.
- Vcndem-se sapeas eom um alqueir* de
farinha de muito boa qiiali lado e por preco
commndo: n na da Praia n. 39.
Vende-se um sitio na estrada d'Agna-
Fria, eom casa de vvenda de pedraecl,
coo bastante commodo, tem u tima para plantar capia, e bstanle trra
de plantar : quem o qnier romprr dirija-
ge a loja de chapeos na rua Nova n. 46.
Foges para co/inha
muito proprios pura silios e qual-
qualquer lugar aonde n8o ha co7-
nlia, por preco commodo .- ven-
dem-se na rua da Gru, n. lo
casa de Kalkmann lrmaos.
Vende-se muito superior farinha gale-
ga em melas barricas: no escnptorio de
Dea-ne Youledt Comnanhia, ou em seus ar-
mazeiis do becco de Goncelves.
Ven lein-se franjas il" relroz para man
teleles a 440 rs. a vara, dita para sapatos i
20 rs : na praca da Independencia n 19.
-- Na loja de miudezas da rua da Cadeia,
n. 46, vendem-se cautelas da lotera da ma-
triz da Ros-Vista, que corre mprcterivel
menteno >lia 31 docorrente mez Aellas,
antes que seacabem. Preco: qua tosa 2,600,
decimos a 1,100 e vigsimos a 600 rs.
Travessa ra 1*1 arlre-d e-Dees, ar-
inazem. n. 5,
Acha-se estabelecido um deposito, onda
eneontraro os fregiiezes um bom sorti-
mento de licores, espirito de vinho, e lo
das as mus quali Jadea; superior vinho de
caj; chmate; eliacasde virae, a preco
moderados.
Tnlxax para engenho.
Na fundico de ferro da rua do Brum,
acaba-se de receber um completo sortmon-
to de taixes de 4 a 8 palmos de bocea as
8 e io.
de
do
de
Bombas o> ferro.
Vendem-se bombas de repuxo,
teiduhr* e picota para cacimba t
na roa do Bruta, os. 6,
fundic&o de ferro.
Arados de ferro.
Vendem-se arados de ferro
ifferentes modelos : na rua
Rrtm),ns. 6, 8 e io, fabrica
machinas e lundicSo de ferro.
Vendem-se 20 escavos, sen lo nm p-
tico earre-iro e mesire de assucar ; 3 mole-
cotes, sndo um dolles b'Mfl bolieiro, de 18
sones, minio lindo e de boa conduca; B
pscruvo*, entre ellos um IJnm oleiro, e de
bonita figura ; 2 pardos de 21 annns ; duas
muliitrnhaa recoUtidas, de 18 a 14 annos,
nuilo lindas, que cosem, engommam, mar
.m de llnha e fazem lavarinto ; 6 -sCravns
nocas, sendo duas boas engommadetraa, e
a ulras de todo o servico : na rua Direi-
ta, n. 3.
Vende-se o engenho suero, no lunar
delpnjac, de excellenlea ierras: a tratar no
mos'iio ongenho.
Antigo deposita de cal
viiiem.
Na rus do Trapiche, n. 17, he
muito superior cal virgem de Lis-
boa, por preco muito commodo.
Capotinltos e manteletes.
Na rua Nuva n. 6, luja de Maya hamos & C,
acaba-se de reCeher capolinnos e man
teleles Je can.hrala branca borlada, da ul
lima moda, e muito beni guarnecidos com
luco a iniitacSode Monde : os piesos cou-
vidam aos compradores
Vendciii-M-, na rua da Mnda, armazem
11. 15, nii-ias barricas com cal virgem de
Lisboa, a mais nova queba no mercado, por
preco commodo.
-Vende-se urna neg'inha de 12 annos,
recolhida, propria para se educar : na ruu
do Rangel, n. 38, segundo andar, se dir
quem vende.
Ka rua Nova. 1. 6, loja de .Muya
1 uno- & t:.,
vende-se. alm dos livros jt annunciades
por este jornal, o novo romance intitulado
Orna familia corsa obra do insigne au-
lurAlexandre Dumas, muito bem traduzi-
do, 1 v., por mil rs.
Lotera do Rio de Janeiro.
Aos ao:ooo,ooo de rs.
Na rua estreita do Rozario, traessa do
Queimado, lojt de miudezas 11. 2 A de Joa-
quina Francisco dos Sanios Maya, vende-se
bilheles, meios, quartos, oilavos e vigsi-
mos da vigesima-quarU lotera a beneficio
do Mnnle-I'io lier! de economa dos servi
dores do estado : na mesma lojs est paten-
te a lista da decima-primeira luleria do
theatro deS. Pedro de Alcntara
AvisoaosSrs.de engenhode
Goianna.
Na loja de J0S0 Nicolio Gomes da Molta,
no becco do PavSo, n. 2, vende-se cal vir-
gem de Lisboa, e pipas vssias.
Vende-se, por 300,000 rs.. urna mula-
ta de meia iJade, que cozinha, engomma
-. Vende-se urna preli da Coala, que cose,
lava e engo-rTma liso, tambei corintia e he
tina quiln 1%Jr, o -rotivod venia se dir
Mocomprado: na rua da Cruz n. 9, r-
IM'. <,-
.Milito e arroz coau casca a25oo
M. cada saoca.
Vendp-ae no armazem do Brsguez, so p
do arco da ConceicS".
< I111111 >i> de mu 11 i can.
Vende-se no armazem d^ J. J. Taaso J-
nior, rua do AVmorim, n. 35.
- Vendem-se a narras u ferro: na rn*
la Serrzalla-Nova, n. 49.
2 Cera em velas.
O Vendem-sc canas com ce- O
^ ra em veU, fabricadas no
q Rio de Janeiro, muito bem <>
<3 sortija, por ser de nmiaG
<* 16 em libra, por preco mais ^
barato do que emoulra pial* q
5
aoaes acham-se a venda por preco coro- jos Ue urna casa: no Aterro-da-Boa-Viala,
n. 78
NaruadaCruz, n. 10,
casa de Kalkmann
lrmaos,
vende-se um grande sortimento de
instrumentos de msica, cora se
modo e com promptidSo em barca m-se,
ou carregam-seem carros sem despezas ao
comprador.
Deposito de potassa e cal
Vende-so muito nova e superior potassa
e cal virgem de Lisboa, em pedra : ludo em
berris pequeos de 4 arrobas, por preco ra-
soavel: na rua da Cadeia do Recife, n. 12,
rr maletas.
Vende-se por muito commodo preco,
una rice secretara com estsnles pare li-
vros, bastante grande, propria para advo-
gado, sendo de amerello e anda nova ; as-
sim como, seis cadeiras e duas meaiobsi
de abr r r. rea estreita do Rozario, n,
28; ultimo andar, des 2 horas da tarde em
dianto.
Farinha de TnpuyiV
igualmente em sabor, finura e eflr a de Mu-
r i beca, propria par* mesa : vende-se na
me da Crue, neRecife, armazem n. 13.
Oeposfio da fulirifa de Todos os
Santos na Rahia. a
Vende-se em casa iii^.u. liieber & C.
a me da Cruz, n. 4, aUtodao trancado
daquelia fabrica, muito pioprio para saceos
deaseacar, roupe de escravos efioproprio
para reires de pescar, por prteo muito com-
morlo.
Tecfdo de nlgoilo trancado na
fabrica de Todos os Santos.
a ra da Cadeia n. 52.
vandem-se por aiacado duas qualidades,
propria pera saceos de assucar e roupa de
osera vos.
Arados de ferro.
Na fundifBu ra Aurora em S.-Amaro ,
VHDilem-se arados de ferro de diversos m-
telos.
.Moi.uduH superiores.
Ni fundicode C. Starr Jt Companhia ,
em S.-Amaro acham-so i vende moendas
de canna, totre de /erro, de um modelo
onstruccao muio superior.
Para os 8rs. alfaifftes.
Vende-so estopa com alima svaria, a
80 e 1901 rs. a vara : na rua larga do Roza-
rlo, n. 48, primeiro andar.
raro quesa ojailaser ter bom.
Venriem-se um relngio suisso minio bom
regulador, sabonete de ourn, hnrisontal, e
trabalba sobre quiltro rubins, por pteijD
commodo.- na praca da Boa-Visls, n. 17.
Aoh enhorca de engenho.
vendem-se cobertores escures de algo-
dSo proprios para escravoa, por serem de
muitaduracffo, pelo diminuto preso de 64i
rs. cada um : ns rua do Crespo, esquina
que volts para a cadeia.
t'Ortes de ea>lea* a mil ris.
Ven'dem-se brins eom listras ao lado,
braneos e de cores, a dez tustOes o corte de
c;!c2j : es rps1 do Qjisimifo a. S, ijg coa,
Trfile a botica.
Venda-se farinlia de SanU-Catliarina,
qoer : aa rua do Vigario, n.
19, segunda andar, a fallar
com Machado fc FinKeiro.
000<5OvQi3090>OGOO
Vende-sn um prca* de na9o Mina.
muilo moa e visteas, que engomma, eo-
/uh e faz lodo 9 maia servico de urna ca-
sa : na rua de Amoro, n. 15.
Corda" para vtolAo raheca.
iSa rua estrella do Rozario. tmvessa do
Queimado, n. 2 A, de Juaquin Francisco
los Santos Maya, vendem-se as maito su-
nnriorps cordas es para violSu e ra-
beca, pnr preco mais commodo do que em
oan quslquer parle.
Vende se urna cass na Boa-vists, rua
doTambia, n. 13; em S.-Aidono, urna di-
ta na travessa da Bomba n. 10; urna dita na
rua dos l'escadores, n. 31; urna dita na rua
de s -Rita, n 84: na roa do Cabug, botica
doSr. J080 Moieira Marques, qua se dir
quem vende.
Joao Keller & Companltfa, na
rita da Cruz, 11. 55,
Vendcm a pregos com modos, vinho flns-
catel de Setubal, em caitas de una du-
zia; dito muito bom de Lavradio e Col-
lares, em harris de quinto; dilo de Cham-
panha, da mais acreditada marca ; dito tin-
to de Cortaillod, de superior qualldade;
extracto de ahsyntli e kirsch ligilimo da
Suissa, em canas de urna duzia ; verdadei-
ro cognac velho, e da melhor fabrica de
Frange, em barra de 80 garrafas ponco
mais ou menos : tambem se vrndetn por
preco inuito rasoavel velas de stesrina ,em
caixas de 32 libras ; charutos da Babia de
muilo boa quahdade.
Vende-se vinn do Porto em barris de
quarto e quinto ; azeiionas superiores ar-
cos para barricas e pipas ; farinha de Irigo
em barricas e meias ditas ; fo porrete ; ce-
vada; pregoa de todas as qua lidades,em bar-
ricas ; enxa Jas do Porto ; coeiros de algo-
dSo ; relroz fino do Porto : tudo por preco
commodo : na rua do Vigario, n. 11, arma-
zem de Francisco Alves da Cunha.
-- Na rua da Cadeia-Velha, primeiro an-
dar da casa n. 24, de Manoel Antonio da Sil
va Antunes, vende-se um rico sortimento
de chapeos de palha de Italia, abertos, para
ileri-
Hegrande pechncha.
A 2oo e 4 r8*
Vende-se urna porQjo de chitas frneezs,
de 4 palmos do largura, rotas, de eores fl-
xas, s 800 rs. 0 CovadO ; cassss Frsndezas
de bonitos padifiw, a 240 rs. o covalo : pa
rua do Crespo n. 14, loja de Jos Frsaclseo
Dias.
Cha a 5oo rs. ai lthra.
Vende-se cha hyss'm. de muilo boa ojia
lidade, a 500 rs. a libra
n 23.
Manteletes e capotinhos.
Na rua Nova n. 6, loja de Mya Ramos & C.,
acaba se de receber Je'Frange um sortimen-
to de manteletes e capotinhos de seda la-
vrada e lisa, da ultima moda, e que se ven-
den) muilo em ennta.
Para vesti tos de senhoras.
Vendem-se os mais aesetados manguitos
para vestidos de senhora : na rea do Quei-
mado n. ?.
S OOOOOO OO OOOOOOOOO
Vende-se farinha de man- O
* dioca muito barata em sac- ^
cas : na rua da Cadeia n. 1.
OOOOOOOOOOOOOOOOOO
-*- Vendem-se 6 bonitos es-
cravos (fe ? anuos, sendo um
dellcs bommasseiro ; i dito bom
carreiro ; un dito bom bolieiro,
e que tanibeni eitende maito del
cledade ou au'a, por menos de sea valor :
'o theatro da rua d P'ais, a hilar eom
GuilhermeSette: tamhem se vende bast-
ores, pannos, e tudo o mais relativo a
heairo.
Lotera do Rio-de-Janeiro.
Aos 2G:000,00o de iis.
Na loja de miadetas da praca da
Independencia, n. 4, vendem-se
na rua do Crespo, los afortunados billiclesK meios,
(tiartos e vigsimos da a4-a lote-
ra a beneficio do mont pi.
Chegaram do rtio-drjaneiro algons re-
tractos de S M. o Imperador, litografados
mrin corpe, e os mais bpm parecidos que
na'rorte actualmente existen), proprios pa-
ra reparticflo publica ou Salto Sua Magos-
tada esta fardado da geoerslissimo, conj
sita con.menda do cruzeiro: cada retrato
i-ts 12,ojo rs. : aa rua do Trapiche o. *0,
2.* andar.
Confeltarlm Cearense.
Na ennfeitaria da rua do Rozario estreita
n. 43, vendem-e boliohoa de todas aa qua-
lidades, bem feitos. pronrios para Cha. C"*-
anhasennfeitadas eronfeitns rara presen-
tp : bem como carnauba a 8.00o ' roba, e dois mniihos por preco commodo,
Veo 'se ama preU de uafSu, com bo-
nitaHgura.da 18 a 20 annos, sem vicios
nem achaques, e qno engomma bem, cose
choe cotiuhai' na rua d Apollo, n. 2,
armazem.
A 4,ooora-o par.
senhoras ; camizetas de cambraia, COM
cose, he muilo Tiel e ptima para os arran- n0*. romeiras. n.angultoa, punbos, tttdo
_ *..___ j^. i\ *:_._ iiUVlliftlainianta hArdmia Kia<*f\fi finlnatimatal
jatn
Caix'sde guerra, e tambores.
Zabumbas e pandeiros.
Arcos de campainba, e pratos.
liaixos de liarmoni, trob5es.
Trompas, pistes e clarins.
Cornetas, flautas, e pfanos.
Clarinetas, e requintas.
Violdes.
miiitos outros instrumentos.
Vende-se um preto de nacSo de 30 an-
nos, ganhador, bom Irabalhador de ama-
da : quem o prentenier comprar dirija-se a
padaria do paleo da Santa Cruz n. 6, que
se dir quem vende.
DIVINA IIOMGEPATIIIA.
1 literata aot Srt- de engenho.
Vendem-se horcas homccpaticas, conten-
do 120 e lautos mediemetilos, acompanha-
das dos competentes livros : na Iravessa da
Madre de Ueos n. 5.
Charutos de S. Flix s 3,500 rs. o cenlo.
Vendem-se estes bem cculiccidos charu-
tos : na rua do Cabug, loja do Duaite uu-
mero 1. C.
Na rua do Cahuga loja de 4 portas do
Duarle : vendem-se toucas de silln pro-
prias para baqlizados, ^capotinhos de fil
preto para sentiora, ludo por treco com-
modo.
lans-N i pretos ie a i ju anuos,
bons para lodo o servico ; urna negrnha
de 10 annos, eom principio de abilidades ;
urna parda ue 25 annos, que engomma per-
fritamente, co/.e e faz lodo o arranjo de
casa, lie minio canudos para meninos;
urna preta de meia idade, por 250,000 ris ;
tres pretas que cosjnham e sao boas qui-
landeiras: na rua da Cadeia do Ittcife n. 51,
primeiro andar.
Bom e barato.
Na rua do Passeio-Publico, loja n. 9, de
Albino JosLeite, vendem-se lencos de se-
da de core, a 1,000 rs. ; riscados francezes
largos, a 200 rs ; cOrtes de brim de listras
brancas, a 1,000 rs.; chales braneos de cas-
as, a 840 re ; ditos de f hita azul, a 500 rs.;
corles de colleles de fnstflo amarello e
de cores, a 1,000 res; chales de larlala-
ua, a 800 ria ; riscados imitando a li-
ntio, a 160 rs. dito de lintio puro, a- 400
rs.; chitas de diversua padrees, a 160, 180,
200e240rs. o covado; cassa de quadrue
proprias para babados, a 240 rs. a vara
muito superior, s bordo da galeota SuarfisaaV lencos euearnados da labriCB, a 200 rs. ; e
rjaa-JWaarrB, fundeada junio ao caes do (futas muitas fazendas por menos preco do
Collrgro |qu em oulra qualquer parle.
xcellenlemente bordado, bicos finissimos,
rica fitas, a outros objectos de gosto; bem
como um completo sortimento de fszendaa).
ludo se vende por procos mtlitos rasoaveis
OO0O0O0O0000OO0O00
O Deposito geral do superior ra-O
"> Areia-I'ieta da fabrica ^
de Gastois l'ailbet & 0. O
na Babia.
homiagoa Alves Matheus, agente da
fbrle de rap superior Arcia Treta da
OBahia, (em aberlo un deposito na rua
Oda Cruz, no Hecife, n. SS, primeiro au-Q
Odar, onde se achara sempre deste ex-O
Ocellenlee mala acreditado rap: ven-O
Qde-se em botes de urna e meia libra,O
(jjpur pre^o commodo. O
OOOOOO0O000O0O0O0O
Vinho de Bordeaux :
vende-se na- rua da Cruz, n. io,
casa de Kalkmann lrmaos
Charutos de llavami,
de superior quattdade : vendem-
se na rua da Cruz, n. io, casa de
Kalkmann lrm5os.
lioui e barato.
Vende-se caaemirass 4,000 rs. o or* ,
ditas linas da lindos padrr.es a 6,00o ; ei-
roulas de meia a 1,000 rs. o par; chapeos
francezes linos a 6,800 ; css/s chitas lina
a 2i0 rs. o covado, lencos braneos de caaaa
a 200 rs. cada'um : e outras muitas fazendas
por preco commpdo : nos austro cantos da
rua do Queimado, n. SO.
-- Vende-se um pardo de 20 aunos,' de
muito boa figura, perfeito bolieiro e cochei-
ro, vindo do Kio-de-Jneiro: na ruado
Collegio, n. 21, primeiro andar, se dir
U..MI VU1JUU. ^
A 2,24o rs. asace-a.
Na rua da Cruz, no Recife, armazem o.
13, ena rua da Cadeia, armazem de Cam-
pello Filho, vende-se farinha de mandio-
ca do Cear, de excelleiite qualidade, a
2,240 rs. 8'sacca.
- Vendem-se afladores de navalhas muito
bem preparados,e tambem se amfllam nava-
llias com todo zelo; ns loja de barbeiro, na
rua estreita do [lozano h. 21.
liixiulas calsadae da> ac.
Sflochegadrt novamenle a rua Nova, loja
de ferragws n. 20 de Joao Fernandos Psren-
le Viaii'-a, s acreditadas enxadas calsadas
de ago, os Srs. que Dzeram eucomtnendas,
queiram mand-las buscar logo solea que
seacabem.
Vendem-se 5 liados molequ.es de 10 a
17 anuos; 6 prelos de 20 a 25 anuos, seudo
um delles ptimo sapateiro e outro cozi-
nheiro ; um pardo de 18 annos. com prin-
cipios decarpina ; 2 pardas de *4 a 16 an-
nos, com algumaa habilidades ; 8 pretas de
12 a 25 annos, algunas deltas com habili-
dades, oque sao propria para todo o ser-
vico : na ruado CotteglO, o. 3.
tratar de horta, ou sitio ; 2 pretas vendem-se sapaioes da lustro psra no-
mem, muito hem feitos, a 4,000 rs, 0 par:
no Aterro-da-Boa-Visla, n. 58, loja da cal-
cado, junto a de sellelro.
ynpatdes para meninos.
Vendem-se sapaitVs para meninos de 6
a 12 annos, muito bem feitos: no Aterro-
ds Boa-Vista, n. 58, leja do calcado, junto
a de selleiro.
Vende-se, por o doo ler
outro negocio, ama taberna mui-
to acreditada, e com poucos fun-
dos, na rua de S.-Ttoerea : a tra-
tar na mesma taberna.
Vendem-se^Micas com gam-
ma superior, a i': em tVra-dc-
Portas. rua 'o Pilar, n. ro^.
Manteletes e capotinhos.
Vendem-se, por 46,00 ra. a otis as-
seiados manteletes e capotinhos i na rua do
Queimado, n. 9. H
Uoga-s aoa fregu rea |r*e t enliam
loa alteneio para o nove sor-
IIment que existe aa loja da
ruado Crespo, a. O, ao p do
lampe!*.
Vendem-socassas pintadas de eres fixas,
a 2*0e 280 rs. o covado; corles de brim
braneodelinho puro, a 1,0*0 rs. ; ditos de
fystSo muito fia es, m Wf 40 rs. ; eassa
preta propria para lato aliviado, a IM rs. o
covado ; zuarle decr, a *8 rs. ; risoado
de Uuho para casaca, a 40 rs. o-aovad", o
outras a>uitaa fazendas por preco Oommodo.
Operas completa para piano e ,
canto,
chegadas ltimamente, e ricamente enca-
lernadaa.-deDeHini, Soanaamibala e II Pa-
rala ; de Vurui, Kraani; de Dorlizelti,. Ao-
rta Bolena e Bellisario : vendem-se no ps-
leodo Collegio,asado livroszul.
Pechineha para a pohreaa.
Ne armazem da na do Rangel, v. 36,
veaW-se fartaaa da SvCatbarina, a i.soo
ra a sacea ; arroz de caeos do mellior que
ha presenUmeate, a j\Nftr). a aacca ; mi-
llio, a 2,360 rs.; arroa plado, aacca gran-
des, a 6,5*0 ra.
Vendem-se, ns confeitsria da rua es-
treil do Itoiano, n. W, folhasde papel de
llollanda para a role meato de inapeelorcs
de quarlearSo, segum o o moaklo dado pa-
l secretaria de polica.
Vende-se urna bonita pardiaha da 16
annos, cum habilidades propriaa para mu-
cama, a oiltsa de 34 anaos, propria para
rua per sec^a bea canduau : aa na) lar-
a do llosario, a. 15, laja.
Ala rua do Crespo, u. la,
vende-se um oavallo casianho, aMbaaita fi-
gura, anda bem debaizo a meio, pelo bara-
lissmo preajo de 180,000 rs._____________
de 2o annos ; um dita de a5 an-
uos, que engomma e cozinba; urna
muatinha de i(i annos, que en-
gomma, cose e cozinha ; 3 pardas
com habilidades : todos por pre-
co muito em conla : na rua das
Larangeras, n. i4> segundo an-
*r-
Vende-se, ou permuta-se por esersvos,
um sitie no Ilamedio, margem do rio, em
terrea proprias, com boa casa, cacimba'
grande com boa agoa, portee ir ar a tod
hora : na rua do Rangel, n. 54, a tratar con
Victorino Francisco dos Santos.
Lotera da Rto-de-Janetro.
Aos 2oiooo$ooo.
Na rua larga do Rozara, botica n. 42,
vendem-se bilheles da 24." lotera do Rio-
de-Janeiro a beneficio do Monte-Pio, a sa-
ber : inteiros 22,0000 rs. meios 11,000 rs.
quartos 5.700 rs. oitavos 2,800 rs. e vig-
simos 1,400 rs.
Vend '-se, ns rua da Cadeia do Recife,
n. 38, cha hysson em caixas grandes, de S.-
Paulo, muito bom, por preco commodo.
Vende-secbi de S.-Paulo, deprimeira
sorte, o melhor que tem squi spparecido, m
2,000 rs. a libra : ni rua do liozano, n. 1,
taverna do Pocss.
AGENCIA
da fundicao Low-Moor,
BOA DA SKNZAI.T.A-NOVA, N. ^1.
Neste estabelecimento conti-
na a ha ver um completo sorti-
mento de moendas meias moen-
das, par* engenho; machinas de
ferro batido a
os Unannos,
vapor, e tachas de
eoado, da todos
.ara dito.
A elles que sio baratasirnos.
Vendem-se sapal5ea de lustro, a
3,000 e a,5oo rs. o que valem
de feito : na rua da Cadeia do Re-
cife, n. 9. loja.
-Vendem-se 8 escravos de 95 annos, de
lindas ligura-, muilo corpolenlos e fortes,
proprine para armazem de assucar : na tua
das Larangers, n. 14, segundo andar.
Vende-se, por preco com-
modo, palbinha para cadeiras;
chapeos do Chile muito bons, de
tres qualidades .* a tratar na roa
do Trapiche, n. 34, com Novaes
6c Companhia.
Vende-se, por preco com*
modo, fumo emfolha para charu-
tos, muito superior, e para mi-
lo, mais ordinario; farinha de
mandioca em saccas ; potassa em
barriqninhas : no caes da Alfan-
dega, armazem de Dias Ferreira,
ou atraM.com Novaes&C. na
rua do Trapiche, n. 3'|.
Saceos novos de estopa.
Vendem-se 120 aseos coros deestops,
esda um com duas varas : na rua larga dd,
Rozario, n. 48, primeiro andar.
Urna eacrava parda de boa
conducta.
Vende urna mulata de 34 annos. insigne
costureira, pois corta e fan camlaaa p
hojnem e vestido para saahera, cose |
lils, colletas e calcas, be boa engomma
detrae ptima comaradriras muilo fiel,
nSo bebe espirites ; tfl bonita e reforca-
da escrava engoaat Bttra e cozinlicira,
: na rua larga do
andar.
Escravos Fgidos.
- Fugiram, do engenho Cuareripes, Ja
(reguaaia da Muriheca, dous escravos, sen-
do um de nome Job, de 20 annos pouco
maisou menos ; he alio e cheio do corpo,
com falta de um dedo em um dos ps : e
o outro, de nome Alfonso, de 18 annos, pou-
co msis ou menos, rosto bonito e leve-
mente talhado, de altara regular, corpo
bem feilo : aanbos sauilo estpidos: quem
o pegar leve-oao dito engenho,
Fuciram de bordo Jo Pife0*
Sem-Par, vindo do. Bo-de-Janei-
rsij, dous eseravoa, aendo um da
nome Sabino, de cor parda,rj esta-
tura regular, de ao annos pouco
en menos : fevou eal^; -
camisa atoes, e bonete encarnado:
o outro de nome Euzebio, criou-
lo, de a4 annos poocc mais ou
menos, estatura aha; levou calcas,
cate. e bonete nes. Roga-se as
cuja conducta a
Rozsro, n. 48, prWiro andar. dadea policiaca e capitaes de
- Vende-se oms escrava de 24 a a campo, que os apprehendam o le-
os, de bonita figura : no Aterro-ds- o /
v.sta, n. 78. taverna. ryem-nos roa d> Trapiche, n. 34
- Vende-se urna preta por 250,00 B(8 de Novaes 8c Companhia, q#
le meia idfde, que cozinha, 1T ililililfcaim,oa,i
bem serta* urna casa, estupra 1 jpmpensard.
urna dita da Costs,*^^^Hser qultandaj % FugirSo, do ngenbo Ilha-das-Meroez,
ra, pois be psra o qusTOboas estas etcrtfHt pretos Candido, orioulo, de meia idade,
vsstnarus do Collegio, n. 21, primeiro **>; tem dousdedeeda mao diraits eo-
ndar, se dir quem vende. asida* da mcend* do engenho ; tem ae per- .
- Vende-se umesersvo de ptima figurs, as arqueadas : Coavado, baiio, com ',
meilre carreiro, e ryi" en eicellenla psra msces do rnatn haatantaaa uUantvs, nariz'
todo o servico de campo : na rua do Hospi- chab ; suppOa-a* laraat s*udo pata Paja-
do, n. 9, se dir quem veade. 'burde-flores: quem o* pagar leve-o O
Huncos. [dito engenho, qua ser gratificado coa)
Vendem-se Bancos de palllinhs, com 1 50.000 r por cad.
assenlos, divisffo d ferro, slguns envar- I OaWtai|
forzados, proprios para agam theatro, so* IPaaa.: ha ttf. dbm. i. aasuau.. 1850


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E5IIWS379_DA9J68 INGEST_TIME 2013-04-24T15:32:40Z PACKAGE AA00011611_07044
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES