Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07042


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Adho AA V la

.Segtinda-eira 2
'..... ^-----y ; --------
ABTI*^J0* OOBBEIOS.
Gnlolma e l'nrahlb?. srgunda e seztas felras. '
IUo-Orande-do-Norie, tocas as quintas fetrai ai.
lUCIU-'MA.
l*bo, Seiuihin, R i o. ""o r maso, Porto-Calvo e
Macelo, no 1.*, a II e 2l de Cadaucz.
O.ir.-iuliiins < liunliu, g S c B.
hua-Vista e Florea, a 13 e 2d.
Viotoria, as quintas felras,
liuda, todos oa das.
Pitusa D
S__
ephemibidks.
!Crec. a 13, aoa 10 m. da m.
Orla, a II, aoa I in. da ni.
>ling. a 28, s i horas da t.
FBIaMAR DXHOJC.
as 0 horas e tS minutos da maobaa.
ja 6 horas e 42 minutos da Urde.
Ouubro de 1850.
_________'___
RIIJO DA S-SORIFOAO.
Por tres metes (aAsajUdos) 4|000
Por seis incxei tyUOO
Por un auno 15)000

N. 238.
._________!L~
das da skmawa.
SI Seg. S. rsula. Aud. do J. dos or. eilo m. 1 v.
22 Tere. 8. arla Salom. Aud. .lo J. da 2. v.
do civel. e do dos frito* da f.iz>'iida.
23 <,luart. 3. Juiq caplstrano. Aud. do J. da 2. v.
14 yurnt. S. Raphael Archanjo. Aud.do J. dosorf.
edoin.de 1- v.
25 Sest. S. Crispina e '"rispiniano, Aud. do J. da
1. v. c. e do dos feilos dafazeaat*.
26 Sab S. Evaristo. Aud. Ja Chae, e do J. da 2.
v. do civel.
27 Dom. S. Eleabo.
' CAMBtO KM 19 D OBIBBBO,
Sobre Londrea', a28 Ii2 d. por 1/000 rs. a 60 das.
Paris, 333 por Sr.
> LUhoa, 100. por ornto.
Ouro. Oncas hespanholas .... 29/000 a 30/000
Mocoas deOflOOvclhaa. 16/000 a IOj-oO
de 6/40il aovas 16/100 a lli-'IRl
a de4a00u....... 0/100 a 8/200
Prata.Patacfies lirastk*W... IjMtt a >1)80
Pesos columoOP..... 1/860 a 1/880
Ditos mexicanos........ 1/800 a 1/82"
PART tQWrciA L.
GOVERitODA FKOVlC 1 k.
EXPEDIENTE BqDIA 17 00 CORRENTE.
Cilicio -w Ao doirtor Antonio Jos Cnelho;
dizendo ficar sciente De te achar S. S. in-
terinamente noexeicicio d ilireclor .la a-
cademi de Olimla no impedimento do Extp.
Vlsentld do Goimna.
Dito. Ao inspector da nagadorlg irril'iUr
para qua tac fai**ri quenti
rs. que o colrTmandante interino do 1." ba-
talhSo de catadores tem de recolher a-
quella pagadniia, proveniente do descont
feio a algumns pracas de pret do megmn
balalhao pelouartuxame que extraviaran,.
--Communicou-se ao Enix. commendanle
dat arma.
Dito.Ao dlreretor do arsenal de gera,
communicando que S, M. o Imperador hou-
ve por bem aposentar por decreto de 31
desetembro ultimo segundo fot declarado
ero. aviso do ministerio da guerra datado
de 26 do mesmo mez, a JuBo Francisco
tastos no lugar de escrivSo daqoelle arse-
nal coni o ordenado- conespondeote ao
tempe de servico, dependendo esta, merc
da approraeBo da rssemhlea gural legislati-
va. Fizeratn-se as conrenientcs commu-
DoacOM.
Uno. Ao mesmo autori der a quantia de 938,800 rs. com a compra
dos obj. dos neressarios para a promplifi-
ca$Jo dt.s arigos, de que trata o pedido,
3ue devolve, assignado pelo commandantar
o 3." batalnilo de artilharia a p. Intel-
ligenciou-s ao inspector da pgadoria mi
litar.
Dito. Ao mesmo, intelrando-o de ha-
ver S. M. o la.perador, por decreto de 30 de
setembro ultimo ; confurme fol declarado
em aviso do minlsle de 4 do rorrete, numeado a Thomaz Anto
nio MacTel Monteiro para o lugar de rscu-
vBo daquelle arsenal, e ordenando em cum-
pnuienlo ao citado aviso que I lie de posse
do referido emi reg a visir do respetivo
Ululo. Scfntificou-se 0 inspector da paga-
doria militar.
Dito.--Ao inspector da thesouraria da
fazenda provincial para que vista di con*
t* que remetle, mande iqdenuiisar a eaixa
docrpo de polica da quantia de 4,160eui
3ue importa as r*i,-s fornecidas do 1
e j ii I lio ao ultimo de trtemhro .lo Correte
auno o eeii'eiicidoarTilario>J.Severino da
Cruz, Elias Pereira IljUa e Joaquim dos
RBculdade, ou facilidada do
Bando ao mesmo temoo, se as
Ris pertencem a nacllo, ou *
ares ; besa eomo, os meios mais
PM pira su* conservaeSo e couts-
m Neste sentido ofilciou-sa os de-
gados de Iguirassi, Goisnna, Cabo, Seri
htaein, Rio-Kormoso, Agoa-I'reta, Bonito e
SnoAnt3o.
rVrlari* Ordenan lo ao eonmandanU'
o brigiie escuna Canipo, qu qusnlo t.ve
para lihaVll Fernando, reetvba
sen Sordo e transporte aquella lina a
Francisca Rosa d Lima, seus filhos, urna
eava esua hagagem.
Dita. O Presidente da provincia em
cumprimentn ao aviso, que Ihn foi expe-
dido pola secretaria de estado dos negocios
do imperio con data de 91 de setembro
prximo psssado, e de conformidade com
proposta do inspector da thesnuaaria de
fazenda contid* em officlO-de hon'em, r*-
solve nomear ao primeiro etcripturario da
contadoria da referida thesourari* Joaquim
Jos de Abren Jnior, par* conferir a causa
da administrarlo do correio desta provin-
cia Meando autorlsado o mesmo escri,itu
rario nUn t para fazer colher nos ter-
mos do citado aviso quslquer quantia, qu
encontrar e que n5o seja de absoluta n-i
cessidade para as despezas da m-sm ad-
niinistrac.lo, comotarabem pt'aassignar os
termos que for preciso lavrar. ltemet>eu-
se copia da portara cima ao inspector d
thesouraria de fazenda e ao admioisfrtdor
interino do correio.
Circular.Illm. e Exm. Sr. De ordem de
S. M. o Imperador declaro a V Etc. que pelo
minist-rio da guerra no deveni vencer
quaesquer vantagens, a h-m do sol lo. os
Santos Kaymundo.-':ToWoil-se io com- nfllciaes engenheiros nioempregados efTec
Dinudailtu do referido corpo.
Commindo das armus>.
'QtiarM getral na cldadi do Rectfe, em 18 ie
nutubro de 1830.
0RDKM DO DA N. 108
O Sr. marechal de campo graduado An-
tonio Corroa Seira commandanle das ar-
mas, manda para conhrcimento da giasr-
nicJo, IranscreVer na presente ordem do
da os avizns ci.eular- s do ministerio da
gue.ra.de 26*e 30 de setembro uliiuo, que
por copia Iba foram enderrexdoa celo Exm.
Sr. i resid-nte dest* provincia com ofllcio
de 16 e 17 do crrente.
AVISOS.
TRIBUNAL D\ fRL'CW.
SESSAO DE 18 DE OUttTORO DE 1850.
rSESlDBSCIA DO KXM SS0 CONSELHEiaO
AZaveoo.
A'a 10 hora da manh!, acbando-se presen-
tea os senjiore* deaembartrado'es Ramos. Villa
res. Leao. Soma, Mabello, tuna Freir e Tel-
le, fallando com causa o* Sr*. desembarcado-
re* Ponce e Hastos, o Sr. presidente declara a-
berta a aetslo.
Kerain-se era meaa os dow se gu i otea avisos:
! eecno. Ula mT0l iBeir4V^tftaa,rerio *
negocios da jiisllfa em 3 Ue outubro d 1850.
Tendo S. M. o Imperador por sna iinmediatt
resnlucao de 8 do nasaado. tomada sobre con-
sulta da leceo de Juatlc* dn eonselho de esta-
do, reconheeldo oa dlcliadores de fazenda
deven^SAT provlinentos tenipora'loa, eque n.i
.leveaalHpversolicitadores cpeciaes de segun-
da insatach, devendo aer enes enipregoa ser-
vido* conjuntamente com o de sol itador da
primeira instancia, aendo entretanto mantillos
em seus d irrito* aquelles que at boje f.rain
prvidos de outra mauelra ; asalnr o commu-
nlco a V. E*c. para ana Intelligencla eetecucn
na parte |te Hie toca, e para que no caso de
vagar o dito lugar, de conlorniulid- cim esti
rasnluco, iotVirine quando a eie respailo f ,r
ouvid'i. Cuinpre-me accresceniar a V. F.xc
|ue fica lainbrm declarado, qne para promo-
veros fellos na primeira e segunda instancia
snlicitadorea perceberao os venciinentas que
preferlrem, mas no os acumularan.
Deoa guarde a V. Kc. Huttbio de (hsriros
CnuUnho A/nloaij.Coiaaro. Sr. presWeute da
rclaco de Pernrmbuco.
I.* seccao. Rio-da-Janeiro. -- Manialerio do*
negocios da Justica em 4deoutubru de 1650.
Havendo Pedro Jos Cardoao escrivan dos
(Vitos da faienda da provincia de Heroautbuco,
requerido que ni> kjouvesse dlsuibinca > eutre
ap-
Appellante, Francisco Carneiro da Silva
pellado, Joo Alves de Carvatho Gestar.
Appellanle, Jeaqulin Pereira Hoinem ; appel-
lado, Jos Leopoldo da Silva e outro.
Apprllante, o juizo; appellada Francisca
Mara.
Appellanle, Rernardino de Sen; appellado,
Jos Uaptista Ribeiro de Faria.
iWlSflM.
Passaram do Sr, deaemhargador Ramo* ao
Sr. deaembargador Villares as aeguiotea ap-
prllaroea eu qtle :
viva o presidente ; e tnmou assento no roeio
do inaior applauao. No meio do banquete
um individuo eftclamou da janulla com voz
de stentor : viva Napolego.
Posto o djzer M. Julio Serrgenwald che-
non o meio da sal com um copo elieio de
vinhn, e pedia os conviva* que enchessem
os seus para urna ande. Dirigindo-se en-
13o ao presidente, dlsse :
Sr. iire-idenle. ja em urna oecaiSo do
grande solenmiiUdo dssetn : Nio rxei-
[temos tvfls espeirapcaa, mas i'sfnrcein.>40os
Diio Ao promotor publico da comnvrca
de Nazareili. Tendo sido assassinado nes-
s* commarca as 8 horas da noite do dia 9
do crrente Miguel Gabriel Pereira de Lira
f I lio do Sr. de engenbu Gamba, compre
qu- Vmc, em desempe.nho do seu dever pro-
tivasnente no serviijo dense niinUterio: e
assim V. Exc. o t-ru entendido, e far pon-
ina i mente cumprir, Picando por lanto pre-
venido, de que nenliuma desueza feita com
n abono de taes vantagens, fra do caso de
clarado, ser approvada.
Dos guarde a V. Exc. Palacio do Rio de
cure porom* investigacSo muilo escrpulo- Janeiro, em 26 desetomhro de l850.il/ so a activa descobnr 08 delincuentes, nao
poupando aforeos pa a colher as provas
nec-ssarias, com que deve re-juerer a sua
prisflo, o diligentemente promove'r am juiso
a sua arci'Sa(3o,lnterpondu para os superio
res Irgiiimos os recursos,que a lei permitle
sempre que a jusilla no psliver satisfeita.
O que |he bei por muito recomraeiidado, e
Vino, darioaportunamenle couta duresul-
do desta diligencia
Dito. ao delegado do termo de Naza-
reth, recomnien.iaoiiu lOda a diligencia e
uctividade na formarlo do processo e pri-
silo dos delinquemes pela murte de Miguel
noel Filitardo de Souza e Millo.St. presi
denle da provincia dePernambuco.
Cumpra-se e registe-se. Palacio do go-
rmo de Pemambuco, 16 de outubro de
l850.-5psa /f.ioioi.
Circular.-Illin. n Exm. Sr.Convinlo qne
a reparlicSo a meu cargo tenha pleno co
nhecimento d s altera^Oes e mais circums-
lancias dos oiTiciso* de tolas as classes do
exercito. Determida S. M. o Imperador que
quando por ventura algum dos ditos ofli
Ciaes tenha de ser ahi process* lo no foro
militar ou civel, o communique V. Exc.
imnieiliatamente a esta secretaria de esta lo
Gabriel Pereira de I.ira, lilho do Snnhur dold"s negocios da guerra, declaran lo qual o
eugenho Gamba, em ordem a n0o flear im-ldlllc' 1" deu lugar a tal proce lmenlo.
pone Crime de sementante grandade. D''0* guarde a V. Exc. Palacio do Rio de
Dito. Ao delegado do termo de Olinda,|JanTO, em 30 de setembro de 1850.--Ma
dizeudo que para poder cumprir o aviso! *oel FMiardodt Sanio e Mello. Sr. presi-
circular expedi Jo pela secretaria de estado
dos negocios da marinha com data de 39 de
setembro ultimo; faz-se necessario que
Smc. envi com brevidadeumsioformacSo,
circumstancida acerca das maltas daquel-
le termo, que cotilm madeiras de lei no
litoral, ou a margem de ria, da exlensilo
dente da provincia de Pernambucu.
Cumpra-se e registre-se. Palacio do go-
verno de Pemambuco, 16 de outubro de
185U Souso Bawoi.
Iranciieo Carloi Bueno Deieharnpi,
Capjifie ajudante de ordeos.
FOLUGT1M.
TIIEATRO DE SANTA ISABEL.
mol espectculo algum: un Inesperado Inci-
dente deu lugar a isto; Sra. Joanna fui re-
SentliiaBTente aooinmetilda de nina forlssima
or que a proiiron por alguna dias.e coinquan-
to oio eativesse aioda bem reatabelrclda, toda-
va so para que o publico nao aentisse por mais
lempo a falla deaae diverliineuto, a que ja se
tem habituado, fea Uiu esforco e appareceu
logo que entio alguina lurlhora do nial que
soifria, a do da 12 do crreme fol levada a ice
na a comedia eut trea actos Al memorias Jo
fiase. Firme* em nosso proposito ramo* dar
ao publico a noticia daeircucJo riessa coinme-
dia, que uo* pareoeu boa. Ja sabe o publico
que alo historiamos o drama, a so nos limita
nio* loforma-lo da sua boa ou m eiecucao .
liaremos peta baronesa de Ronqueval-
lea a Sra, Joanna) detempenhuu casa parte,
3uc para,rita adiamos fraca, com a naturalida-
e que aempre lhe temo* admirado ; estevr
um poucu fra, raaa foi lato effeito do grave p-
deciinento que sost'reu, e cujaa cootequeucias
aluda arme, l'rriiiiiia-ooa, poia, que lhe Oiga-
mos que deve mullo presar a sua saude, e nao
* eapur Aasioi depols de una miilealia de que
alada ae nao acna bem curada, a esceaso* que
Ibe podara aecarrciar malote* males, e talvez
por em pe igo a su* vida ; ntaiuoa persuadi-
dos que ae vier a faltar a Sra, Joanna ao nosao
UieairulfiM*! Utsiiwix, cal* falU lit-uoa lao
uvavei quall coma u pruprio ci. ucuunuu,
a verdade do queaoabamos de dlzer est beta
recsmbeclda, adoece a Sra; Joanua, delxa logo
de haver espectculo porque uo lia quem sup-
lir a sua falta de inaueira, a satisfazer eoiuo
a primeira dam*. '
Amella (a Sra. Emilia) ral oorreapondendo a
nossa expeclacao, e temos o prazer de ver ca-
li-a Jos os nossos desejos a respelto do melho-
r iiucnto dest* dama, que com pralica e mais
algosa estudo, ha de ser muito boa actriz. Es-
Sinwia 3n*n*t4A* que nao he de principio
que pode qualquer aer peafeilo, anda quaoao
tenha rara habilidadr, e a Sra Emilia que ala-
da na abertura do theatro de Santa I>abel inoa-
trava grande acauliamento, e a aua be|| i
presenca agradava, fazendo inorrer a esperan-
za do espectador, noje, gracis a sua docilidu-
de em receber nossas hiiinildes reltaxoca, e aa
liedea que lea tomado da Sra. Joanna c mais
do Sr. Germano, j vai altrahindo a atlencao
do publico e ganhando admiradores : "no ulti-
mo acto oiivimos a sua voz, quando canlou o
romance da misteriosa campauhia, e Meamos
aatlafitos; peosavainos que nao cautasae, mas
fouios Iludidos ueste pensamento, e couiessa-
uioa iogenuameatc que Resino* sati.feil.is.
6'ualiuur a Sra. Emilia, e nao d ouvldos iiem
aoa (cu* detractores, mu ie Iluda com os scus
falsos lisongelro*
6'athariiia (a sra. Rita) agradou-no* aparte
qne represeniou fui do aeu carcter acenico, e
aempre nos merecer aiteucao, eiuquaoto oio
albir deaae carcter.
A condrasa de Crruy 'a Sra. Julia! fez neaae
dia o
seu es
o escrives da relncao daqurlla provlnci nos
Altos da faienda, que a ella h uverein de aer
lubmrltldos, do mesmo modo jue ae pralica
no Riode-Janeiro onde o escriva. d > Julio dos
fritos da fazenda eerevc privativamente na
primeira e na segn la Instancia em processo.
em que he parle a faienda publica, c sendo
ouvido o cnnselheiro procurador da corda, de-
ferio o governo imperial na forma requerida
i'onf.iniiando-se com o seu parecer, e com a
opiuiao enjillida em 0 de abril de 1847 pela sec-
cao do eonselho de estado dos negocios tica, e principalmente coma decisao tonuda
pela cmara do* senhores depuladoa em 26 de
malo de 1848, estabelecendo qu* os escrives
dos feitos da fazenda, nos lugares em que bou-
ver relaco airvam taipbem na segunda instan-
cia como earrlvea de appclj.ice* as causa
4a fazenda. O qiiseecniiiuuiw a V. S. para sua
iatrlligencia e eierucao.
lieos guarde a V. Exc. Entibio de Qwirot
Couiinao Matn Cantare. Sr. presdeme da
reacio de Pcrnambiico.
JDLOaMENTOS
llebeai-eorpui.
De Domingos Comes. Denegaran) a ordem
de soltura.
Reeurio erlmi. ,
Recorrentes, ojuizo e Lula de Albuquerque
harros: recorrido, Henrique Jos Hraraer de
Souza Raogel. Julgatam improcedente o
recurso.
Appella(tt eiviii.
Appellantes, Francisco Carneiro Machado Ros;
appellado, Manuel Joaquim do liego e Albu-
querque. Conlirmaraui a arntenca.
Appellantes, Joaquim Goncalres VieiraGulina
raes ; appellada, a administra;"o dos eatabe-
Ircluientus de caridade deata cidade. Des-
presaram os embargos,
Appellanle, Antonio Germano das Neves ; ap-
pelladoi, Me. Calinont U C. Desprcsaram
os embargos.
DILIcaMCISS.
alppellante, o juizo da fazenda ; appellados, Se-
bastiao Anlooio Paes f/arrrtn e outros.
Mandarain com vista ao Sr. desembargadoi
procurador da coros.
Appellautea, Affonao Jos de Albuquerque e
Mello e outros; appellados, os ludios de Ar-
ronches. Mandaran! JuTaineiitaro advoga-
do dos apabilados para diser como curador a
lide aos inesnioa.
DRiGiiic;uas.
Appellanle. ojuizo; appellado, Antonio Lou-
reoco de Almelda Manas.
Appellantes, n padre Raphael Antonio 6'oelho e
outroa; appellada, MarianaTheodoraCuelbo.
'' i ______^^e^-^ggi^
nelhor, sua falla foi mais moderada, e aua voz
nais intelligivel; o Sr. Costa lem anda inul-
tos defeitos que precita corrtgir, o que de cer-
co conseguir porque auppoiuna aer dcil, r
acolnrr as advertencias que *e lhe f.ueni.
Ocovalheiro Rapluiere (o Sr. II lymundo'
brilhou lie nconlesi.iv. I o mrito destear-
llsta em seu genero ; os numerosos appiaiuos
que receben do publico conflrtuam o que dize-
0 conde de Cerny (o Sr. Silvetlre) sri nos me-
rece elogio*, he o dign<> discpulo do Sr. Ger-
mano, e no carcter em .pi- representou eaia
parte {he opinin nossa' tocn a perfeicao; nes-
tes papel* o Sr. Silvestre ganha *empre victo-
ria* e confunde asaim ansque nao aabeodo o
que aria theatro, ou dominados p.r particula-
res paisdea intentan! escurreer seu merllo.
Joan Gaiithirr (o Sr. Coimbra) agradou-nns
multo, aim muito. A parte que represeotoi fi
assis diuicil, e desempenhou-a com geral sa-
tisfaclo. Oque era o Sr. Coimbra n iheairo
Je San Francisco? Nada: apenas um mojo
com .ligninas. hablitacoe para a scena, mas o
que lie boje? um artista t.onique aurahe a at-
tencodo publico,* isto he incuatcaiavelmen-
le divido ao seu estudo e as licOeaque temre-
rebido do Sr. Germano, e bem podemos diser
31" ue o Sr. Coimbra, como o Sr. Silvestre he um
igno discpulo do insigne ai lista fluminense,
lie um novo (torio que se ajunta a enroa de glo
ra do Sr. Germano, e um motivo de confuso.>
Damiao Soarea da Ora e muro,
tppellante, Mnoe| Nones de Ha ros; appella-
dos, Antonio runesde Marros eoutro.
Passar.im do Sri desembargador I.eao an Sr.
drsembargador Souza as seguate* appellacdcs
ein que sao :
\pnciiante, o juizo; appellado, Antonio Jos
dos Santos
Appellaate, Florencia Mara; appellada, a jus-
tica.
I'assaram do Sr. desembargador Souza an Sr.
leseinbargador Uabcllo as seguiutes appella-
edes em que s;lo :
appellmte, O Rnchaella Caetana alejandrina
de Mello ; appellado*, Joaquim Pedro do Re-
g i acalcante
\ppellaute, J.t Ferreira do* dantos; appella-
do, los Joaquim de Mesquisla.
Appelhnle, Maooelda Silva Lopes ; appellado*,
o curador heranca j cente dFr. Caetano
de Sania Engracia Muniz c nuiros.
Patsarsnr do Sr. desembarg-dor Rabello ao
Sr. desembargador I.nna Freir seguiutes
anpellaeeseinque sao:
Appellsnte, ajnstica; appellado, Manoel Joa-
quim Paea "arreo.
Appellanle, Jos Diogenesde Hourbon; appella-
do. o juizo.
Apncllaote. o juizo; appellado, Joao cscravo
do paijre Jo Crrela de Aranjo.
Appellarile e appellado,, Franrisco Carneiro
da Silva c Jos Francisco Branco.
Pa*siram do Sr. desembargador Luna Freir
ao Sr. desemhargadur Tellcs as seguales ap-
pellacdes em .pie sao :
Appellanle. ojuizo; appellao, Joao Evangelis-
ta da Costa.
Vppellaute. a jusiica ; appellado, Rarnab Pe-
reira da Rocha 6'alheiros e nnlros.
Vppelluiie, Jos Rodrigues do Pa90 appella-
do, Manoel de Souza r,uimaraes.
Vpiieliinti'. Manoel Jos Soarea de Avillar ; ap-
pellado, Domingos Jos Marques.
\ppelhnte. a administraeo do patrimonio dos
orpli.s desta cidade ; appellado, o Esin. bis
po de Marianna.
P*sson do Hr. desembargador Telles ao Sr
deaembargador Ramos a segulule appeliacao
em que sao :
ppellanle, Gervasio de >'ouza Raposo; appel-
lado, Manoel Ferreira do Nasciiuento.
lio mesmo Sr. ao Sr. desembargador Villares
a seguinte appeliacao em que sao : .
Appellanle, o juize ; appellado, Antonio Jos
da Rosa.
tllSTBIBDICllES.
Ao appeliacao em que sao :
appellanle, ojuizo ; appellado, Joao Baptlsla
de Vascnncellos
Ao Sr. ilrseiiiharpador Lean a quelsa do
E*m. vice-presidente do Oara contra o juizde
direiln dn Aracaly Goncalo da Silva Pono.
Nao foram julgados os deinais feitos com dia
assignado pelas faltas j mencionadas.
Levantou-se a scsso depols do mel dia.
xppellaote, o promotor publico; ppenadoi, 4Br rBifrrsar to.|..s as eapararrfas rasrlaveis.
EXTEBIO
Segundo o correspondente do Times, que
acnmoanba a* jomados do presidente par
informar de como he recehido il"S diff-ren
te. I"cali 'sdes, a recepfiio em Straiburgo
foi magnifica.
Oc irpn do com oaerc'0 deu-lhe um ban-
quete, f"i tal a concurrencia que foi n"-
essaario alargar o espaco, que primiro s-
lestinra. A hora mrcala para o bmque-
'a era ts seis da tarde, mas eoi cnnsquen-
cia da revista, o presi lente so piid-* cliegar
is ste aeomnanita lo da escolla o-dinann e
los ministros da guerra, commereion ohra
oiihlicas. Ao entrar resoavam os vivas a..
oresi lente, e laniherfi alguns repblica
\o entrar no salan os convivas ncclesiasti-
i, civis e militares der.im tres gritos :
seu debut, puderamol logo aer francos al para os seusraivosu drssfeeioo. N clti.llu .el
'speito, mas.... acuardauu is para adi-1 quando Rabia pronuncia as Ires palacras c-
ame, por agora deis___
juizo ; fol a prlmeii
cer em acea, tgnoi
sentado; a*)v.
impaiciae* e
W pu'.ON, COIUB,
mas de concorrer J^^^H
0 marquez tflj^H
a oU'eoder.
meato.
to*, at o fim oSr, coimbra trabalhou
f ni que rxeituU-iios os seutlmentos de ter-
'la* lagrimas se ve teraui Invnluu
lia ot- nossos parabens.
r. Germano) saiiafez-noacoinple-
aua appariean 0 nrlmelro aeln
!l<4~.#,A
_^^mm^m^^a^^^^^^^^^mmmw turaiiyo" a*-*
I ios a mais perlcttt llluslo, qaaado
acuda o attapao c o capote qua estaram mo-
l al .s, a maneira por que e aqueceii cha-
niiu. asmas diRerentes rroslce, foi ludo fe-
I > com a mais perfeila naturalidad-. He aasm
jue o Sr. G -ruiano confunde os sena misera-
veis delraclores, he as-liu que os faz rail ir de
ralva, he assim que ha de fazer calar a essea
que so querem as f indangadas de mitro tempn
e que para serem ap .litados Ihes lie preciso
roubar o crdito alheio depri-nlndo o merh
sefvin'lo se para > >> ,,"-.ui*ante* ca-
lumnias, A aeu trmpo serao desincnlidos
Uo d o Sr Germano o menor cavaen, enlre-
gue-ns ao despreso, e ande aeu caoiinho segu-
ro do concelto que goza para com o pulilie
sensato ejucioso dePernambuco. Nansa.
ib nossas pala veta que faiein o merllo deste
exlmiii arliata, aotes he f seu mrito reconhe-
eldo do publico, e que j mais ser .listroit
pelos gritos desentoadoft de inela duzia ilelo-
vejos >s, que escils era nos o aenlioieoto que
.iianifeatamas por nossas paUvrsn; nao bao de
sr lao bem as njmtis censuras, ou antes as
deacominuoaea deacomposliiras de algueiii
que odeia ao Sr. Germano por lhe nao ler dadaJ
uiii camarote de segunda ordem, que o f ir.io
perder a estima c considera?ao em que o taui
o publico.
Valentina fo Sr. Santa Rosa). lea ainda neaae
lia alguina* caretas, e de tal maneira se pin-
lou que a sua bocea nos paaji axcesalvaineii-
te rasgada, mas j na rrpv-ffl a comedia no
dia 16 estere muito iiirllmf 3
Findoii o esnectaeolo ""^H^f*?"* --?"""
ca* qutr ciia que ful prlinorosatneute jese-
cntada. No da It) llvemos a repeticioda mea-
lua comedia, c coi nada desmerecen da psi
oielra,.e s temos a accrescentar que a Sra.
Joanna pareceu-uns j no ruar tfio debilitada,
o Sr. Germano e Sia. Kiiulia cantaran! inclhor
o roraauce da misteriosa campanilla
Nao no* eaqueceremos do Sr. Orales digas*,
simo director da orchestra ; tocou notamente
Sr. estas nohres pxNvras so o pr.ia*ranma
do vosso governo. Eocerram pro nesga
dn lo los os vnrllinraaaentos possiveis e a
condemoaeflo daniieH-s utnas, que re-
lardam e prejcrn a veri'eir lilier.ia-
dn em vez de prnmov-ls. O coTnorcin o
in Inslria, obstruidos algum lemnp enm es-
ses sy'emss, que impscim a base da a.e-
ma socic.ladp, coTiecaram a reassiimir api.
vi lade, qiiamlo esse grand acto naci nal
de 10 In de/embrn abri & Franca urna no-
va era. .Vh iran se entilo s fontes da pro-
duce.!.., e c-.m ellas popul ijio, que vivn
lo Irahilho, a in lusirit. enioreg >, co'if.r-
to, da qual a ora vimos os represent>nt"g
de lo la a elasse e grailuac^o cercr-vos.
Sabis, satino", que nnhum oreco. por
gran le qu- aej i, pode comprar o corc0es
leste novo qiip. vos deu OS seus livres rolos.
lie este sntime.lo que vos trounn ei'tr
nos V'iestes para examinar nossos d's jos,
nossas necessidades, e para alentar com a
vossa pre.,nca os amigos da ordem edas
leis. llanin-vos sinceros agrailecimentos
pelo lenles f'ilo; o commereio e indus>ri"a
lo Raiso Rliin reenrlsr-se-h por muito
Kvnnii da dislincta honra, que lhe fez o
cliefe cutis! M ueioiicl da gran te familia fran-
ceza em vir senlar-se nesta mesa e em nos
ermillir que o recbessemos de mu lo .Ii -
no de anliga hospitali lade da AlsfCia f'.a-
vallelros, bebamos a ssude do presJente
da repblica !
A este discurso seguir*m-se estron Insos
ipplnuscjs, que foram reprodu2iJos fra, e
os c.invitas dcstiejaram os conos.
I.evantou-se Luiz ,Napole3n, o de novo re-
bentaram os ap:.lauos, que por algum tetn-
p o impediram d-> fallar.
Cavalleiros P. qo-v s que sceiteis os
meus sinceros aera uc.tientos pela franca
corlealidade com que me luveis racabido.
A niaior fest* coni que me poleis nhseqaiar
he t r..m. Hondo, como baveis f-ito, que
liareis de cooperar enmmigo na lula entre
s Iheiirias visionarias e as solidas e uteis
reformas. > Grnidn applausoe ). Antes da
sabir de Pariz li/eram-se grandes esforcos
parame dissuadirem de vir Alsacia. Di-
tiam : eerto seris mal recebi lo, nSo se-
ris all bem vtn lo ( grito, nio no), esta
rovincia prevertida por emissarios estran-
geirfls,jase nSo record* daquelles nobre
s*nl.neotos de honra e patria associalosao
seu no ne, i; que por 49 anuos lhe fizeram
palpitar ocorafSo.
O povo d'Alsaciasem o saber he escravo
le liomens que ahusam da sua li.ii fe, e os
Alsacienses recusaram ver noeleito da n<-
c;io o legitimo representante Aa tolos os
di-eilos e do todos os interesses. A isto re-
.liquei : he dever meu ir a toda a parte,
ande houver perigosas illusues a disgipar e
hones'os cidados a alentar. ( Kpplautos).
Cilomiii un a velha Alsacia f Croudes ap-
plautoi) Sim I nesta Ierra classica de glo-
riosas renordace.s, e de nobres e pstrioti-
c is senlimenlos : acharei. estou certo quu
aeharei cor-ciies que sy npalisem com a
niiiiia m'is1o o con a minha dedic<<;So
sus patria .' ( Gramil e continuarlo applauso ).
Cavill iros n!io meengams. Kra impossi-
vejVque poneos mezes transfor.nassem urna
^ulaco at agora tilo inlimam'eiil itn-
b lid nts solidas virtu les do gnerreiro e
eidaiflo em um povo hostil religgo,
ir Inni e a propriedade. C pnrgunt>i-v.is,
c que tu.so mal recbido? Que ha vi en tai*
tu, que me tornasse indigno da vossa con-
i----------------------
as suas v.ii i.ivo s, e em seguida u Uell i 4i
Jetu de um mido anda entre nds n.iu visto.
Peni merecidas f.iram as capaila* coiu que l'oi
coroad o seu raro taleuto.
Deu lin no da 16 ao espectculo a farra -.
O reino perieguito nao etevc nial desempe-
uhada; peta segunda vez vimos o Sr. l-igurire-
doeuisceiia, e parece-nos aer j tempn de o
chamar acontas. Vmhac, Sr. i.aciano, por-
iu<- uu .,. .iie: : fjz v:-.i p;r; p-rd..- ..;;_
nuionia que a acompauha? para que suspende
acida palavra os lincus em furnia de quein
quervoar? que modo de fazer cortezla na des-
pedida das visitas he cale aeu arraslandn os ps,
e curvindoas peinas para traz? aomle vio ou
ipren.leu una aemelhaute forma de corl jo ?
.Sent lo Sr. (.aciano, nussomos justos, ouvio.',..
Misericordia! San liento. Sama llarbira,
San Jeronyiuo, .S.n.-.n De i, Stncus Farlil,
Sanrlai Imaio talii, miserere nobis ... que me-
iloulia teiiipestade .'.... que horrorosa trovoa-
dal.... que chuva de ralos !.... mas oque?....
qne tempestad!- he esta?aoodeappareceelli?...
lie... he .. heoarlig counniinicalo ou cousa
que o valba, que vrin na Imprenta (oapel) prin-
cipiado eiu o o lunero .12 de IJ do crrenle, e
acabado em o numero 31 de 17, coque he eaae
cominuoicado ou moxiuifida? he um nionto
depalavras, um moniao de porcus insultos dig-
nos smenle de i|ueui os escreveu, he o odi, a
inveja be... basu ; Oh! aun J aabeiiios; giiimi,
lilluii, nao: herrn, persunalisou, atirou-se
lodo aobre o oosarrn|heiini. atiribui a uUlro.
a qu. ni fez viclnna de seu odio e raucor, o que
nos i ni nosso din tu eicrevenio, e nada diue:
ful em verdade urna ayancada de leao, e lina
parada de rndeiro. Por falta de lempo e mes-
mo de espaco no jornal nada diremoa boje,
mas no aegulnte folheiim sempre lhe ha de di-
ser alguuia cousa, Sr, yiajaue uuiversal.o
'M
_____
__________________________________________________________________________________


w
flanea? Poto quasi poruomime vontade
da iran a Trente de um gnverno leeal-
meiito limitado, mas immenso pela influ-
encia moral ilu Ma origem, dcixni-mo ja-
01'iis seduzir pela ideia. oo cnnrelho de
atacara constituicSn. organisada como ae
noli contra mim ? Nfio, cavalleirns, respei-
lei e respeitirei semoraal-aoberania do po-
vo, ninda quando se falsifique 011 se torne
hostil a su espressfio. { Tremendo e tonga-
mente continuado applouso). Tenho assim
procedido, cavalleiros, porque o titulo que
milis ambiciono lio o o de hornero de bem.
Nada conllevo cima do dever. [Repetido
applausos. )
Tenho a ventura de ver, povo de Strabur-
go, que entre vos e mim ha sentimenlos
communs. Desejaiscomo eu que a nossa
patria seja grande, poderosa e respailada.
( Sim. tim ; i/randeapplnuso ).
Iiesrjo. como vos, que a Alsacia recupere
a auaanliga posicfio; que venha a ser o que
lo i muios annos, uma das mais nomeadas
provincias, cscolhendo para seus represen-
tantes os seus mais dignos ciladfios, e ga-
nhando renome pelo valor dos seas guer-
reros. Bebo a Alsacia, a cidade de Stra-
burgo!
O ontousissmo que q'iasi cada phrase es-
cilava e que era difllcil conter ao pronun-
cia la, communicou-se (ora, e duraram por
mullo lempo os estrondosos applausos e os
gritos no viv a Alsacia, viva Straburgo de
mistura com viva o presidente, viva Napo-
li'.i.i. Serviu-se o caf, a as 9 relirou-se o
presidente, havendo feto visita a sua ta, a
gran-duqueza Estephaoia. qus mora no
mes i o palncio, em que Tora o banquete.
Ao ir para a l'refeilura uma duzia de indi-
viduos, que apparecem em todas as cir
cumsiancias, o seguio gritando viva a re-
pblica, mas as massas nSo fsziam coro
com elles.
As 10 menos um quarto apareceu nolhea-
tro o presidente com a gran-duqueza, para
assistir.a um baile que Ihe dava a cidade.
NSo obstante o tiiealro s r grande nSo era
suflicienle para quanlos queriam ter entra-
da. A sal oBerecia o aspecto de um lindo
jardim ; e diier que eslava cheio nfio espri-
me esat-lamente como estaa gente api liba-
da. O presidente danCnu duas qud ilhas
com asSras. dos prefeito do Alto e tlaixo
lihin. Relirou-secom a gran-duqueza as
It horas, maso baile conunuou anda por
nimias horas.
No da ern que clipgou o presidente spre-
sentaram-se Ihe 150 veteranos, meoibros
da legiflo de honra. Como algunseramj
vvIIhh, e Ih-s custava a subir as encadas, o
presidente veioahaiSO conveisar com elles.
O maia interessante ersro os maires do cam-
po, vestidos ao molo das suas Ierras, e que
talvez nunca ouviram fallar de repblica,
mas qui vinham ver o--Luig B'imparso-
brinhu do Imperador. Ao lavam por una
duzentos, que se viam espantados de se-
ren recebido eui esplendidos saloes, mas
aos quaes uma palavra afTectuuBa, ou um
sor riso do presidente tirava da nerl urbaclu
em que se acliavam Ficavam muito conten
tes vendo que oLuig--fallava o palois del-
les, e por isso todos queriam conversar; a
rer-epcfio levou muito lempo. A populacho
do campo s- gundo o co respondenle do Ti-
me lem muita affeisSo ao presidente.
Passou revista as tropas da guarnicSo e
guarda nacional, acompanhado de um cor-
tejo immenso de seges com senhnras e lio
mcns a cavallo, entra os quaes muilos es-
trangeiros Ilustres. Como no da antece-
dente as ras, por onde o cortejo passava,
estavam adornadas com lnindeiras, e algu-
nas com grinaldas de flores%Oucoroas de
folhas de carvalho. O ejercicio foi uma fin-
g'da batalba e uma tentativa de tomar por
.salto Straburgo. Durou algumw boras.
No dia seguinte recebeu a despedida das
autoridades as lie meia foi a Calhe.lral
ottvir missa antes de partir, e is duas par-
ti para Sarreburga ao toque de sinos e sal-
vas de artilharia, acompanhado das autori-
dades e destacamentos de tropas.
U correspondente do 7iwe termina assim
a relacSo de como o presidente fora recebi-
do em Straburgo. Assim fot recebido l.uis
Napolefio em Straburgo. A'sua entrada lia-
via, como j disso, frieza em uus.e decidida
liostiltdadeem outros da|uilima lasse. Mas
foi-ae desvanecendo rpidamente este sen
tmenlo, e prororQo que ia correntio o
tempo vinham nascendo mais bf-nevolos
sentimentos. Pelos mais dislinclos repio-
sentantes do roramercioe industria foi re-
cebido como Gca dito- Sfio fados que se
nSo pdero contrariar. Dos sentimentos a
seu favor as povoac.des ruraes, e nos sin-
ceros e incorruptos habitantes dos campos
e montanhas ha multas provas.a
{l'eriodia, do Pobres no Porto.)
PEuNAMBUCO
CMARA MUNICIPAL DOBECIFE.
sissvO ESTaaoaomaau Di 7 de outubro
de IH50.
Presidencia doSr. Oliveira.
Presotrtes o' Sis. Mainede, Vianna, Car-
neiro Monteiro e Pires Ferreira, Miando
com eausa participada o Sr. Figueiredo. o
aem ella os maia senhores, abiio-se a sesso,
e fi.| lina e approvadaa acuda antecedente.
Foi IHo o seguinte espediente:
Un: ::??!**'. < cia, esiondendo ao drta cmara do 30 de
selen hro ultimo, e anlhurisaudo-a a man-
dar preparr i docel para ser collorado o
re'alo de S. M. o Imperador na sal desusa
sesso s.sm'oa deapeza que se houver de
faiei cie. om-smo, leila pela verba even-
to, s --Inteirada.
(lulro do mesmo, remettendo um esem-
plar do Iriutio d Pernambuco u. 222, con-
lendo o decreto n. 691 de 14 de agosto ul-
tioio, e o inaliumi moa que se elle lefere
do r>coiiiici enio da piinceza Imperial a
Sra. t. Izatiel, como successora no trono e
cor desle inipeno, aflm de que a cau.ar
Ihe desae toda a publieidade.-lnleirada, e
que ae publicasse pelo Diario, e se ofllciasse
a todas as cmaras da provincia neste sen-
tido. {
Uulro do procurador delta cmara spre-
seniaudo o balanco da receila e despeza da
frmmm Ci-- tr.cz ds SSjsSl-.
A eumniiaafio de polica,
Oulro do mesmo, lemhranlo nfio ter at
o pieseute appaieddo licitantes a arream-
tacflu da ribeira da B.-Viala.-Que ae en-
carregasse ao mesmo procurador de arren-
dar as casinhasda mencionada ribeira con-
Outro do mesmo, participando ooccorn-
do sobre a multa imposta ao Hnspanhol Joo
Martina como incubo no lit A art. 11 das
posturas monicipea em vinor, e pedindo
esclarecimentos resoelto.Que se consul-
tasse ao advngadn, remeltM.do-se-lhe nSo
s n ofllcio do proourador, como tambero
outro do Tiscal da freguzia de S. Antonio do
mesmo teor.
Outro do liscal supptente 'da f'eguezia
de S. Jos participando que as multas im-
postas na mesma freguezia, por nrracc.8o as
postoras no mez desetembro ultimo, im-
portaran na quanlia de 231.000 rs.; assim
como que havia arrecadado e entregue ao
procuradora quanlia de 1,500 rs. proveni-
entes do imposto degadosuino o de ove-
lhum, pedindo a cmara maodasse indem-
nisr a Manoel Duarte de Fari da quan'ia
de 18,000 rs. provenientes de tres corridas
desaudeque cora elle fizera. Inteirada,
e mandoo-se passar mandada.
Oulro do mesmo, pedindo a indemnisa-
tfloquejulga pertencer-lhe como fiscal sup-
plente em esercicio na mesma freguezia,
desde dous al o ultimo de setembro. --
Mandou-seouvir ao advogado.
Outrb do fiscal da frgueziaBoa daVista.par-
tiei jando que as multas na mesma fregue-
zia, por infracto as posturas municipaes,
no mez de setembro prximo (indo, impor-
tarlo na quantia de 148,000 rs., e pedindo
a cmara mandasse indemnizar a Manoel
Duarte de Feriada quanlia de 6.000 rs.
provenientes de uma corrida de saude que
cun elle fizara.Inteirada,o mandou-se pas-
sar man lado.
Oulro do mesmo, participando ter entre-
gue ao procurador a quantia de 2,400 rs.,
provenientes de arrecadacJo que lizera do
imposto de gado suino e de ovelhum, e que
nSo encontrar quom se quizesse in-
cumbir de semelhiute ai-recadadlo In-
teirada.
Oulro do mesmo, roquesitanlo para a
fieguezin da BOa Vista um xepezador. ~
Adido para a primeir sessJo,
Oulro do fiscal do i'ocu, participando que
as mullas dada nesta freguezia, por infrac-
(,-flo as posturas municipaes lio mez de se
tembr.i ultimo, importarSo na quantia de
52,00i> rs.Inteirada.
Outro do mesmo, dando conta da quin
lia de 30,000 rs., que arrecadara do im-
posto de 5 j0 ri. por cabeca de gado vacum,
consumido as fregueztas dft. Poqo, Sinr]
Lourenco Varzea.e emilliod diversis opt-
uflesacerca da diflir.uldado que encontrara
-mfjzora dita arrecada(3o.--A commissSo
especial encrr>gada de cogitar medidas
tendentes a prohibir o monopolio de car-
nes verdes.
Outro do fiscal dos Affogados, no mesmo
sentido, e participando ter entregue ao
procurador a quantia de 4,000 rs. prove-
nientes de igual arreca lacSo que lizera as
freguezias dos Aflog-idos, Munbeca e laboa-
lio Deu-se-lhe o mesmo destino
Oulro do fiscal da fregue/ia de S. Anto-
nio, ilizen lo que aa mullas dadas na mes na
freguezia por iufraccAu as pusluras, em vi-
gor importaram no ...../ de setembro ulti-
mo na quanlia de 445,000 rs Inteirada.
Foi remelltda a coinmissao de edilIcacS
a peticlo de Antonio da Silva Alflalo, e o
especial a de Joo Xavier Vidal, pedindo
fique de nenhuin elTeilo a arremalacSo que
(izera de um dus tallios da ribeira, vista
mo ter anda assignado o respectivo ter-
mo, e aceeitado s lelir** do contrato, e
obr(gando-se a pagar o aluguel vencido do 1*
do correle ale esta dala.
Determtuou-se ao procurador que esigia-
se do arrematante das medidas de tai una,
e.enlregasse ao subdelegado da Boa-Vista
aa medidas que se lizeram para a prega da
ribeira da freguezia da Ba-Vista.
Despacharam-se as petiges de Ignacio de
Albuquerque Mello, de Jos Libralo Cal
v3o, de Fraocisco Carneiro da Silva, de An-
tonio de Araujo Pessoa de Mello, de Fran-
cisco Xavier dasChagas, de Francisca llri-
sida de Mello, de Manoel Joaquim do Nas-
ciment, de Manoel Sabino da Costa, de
Manoel Antonio Coatjalves e de Thereza
Concalve Jess Azevedo; e Icvantou-se
sess3o.
Eu Targino Gomes Pereira, no impedi-
mento do secretario interino a escrevt.
Utiveira, presidente. Hanna.ltlamede.--
Ferreira.Carneiro Uonteiro.
ju/g...Ness*a occasifies, em qua la a ca-
si tolla, nflo Ihe levava alguna objectos de
oum oara ell guardar t
JWo-NRo, Sr.
Jais-Sabe se foram adiados em caa des-
) dizm furtados?
ReoSel. airo, Sr.
JmiK esses objectos apprehendidos nSo
foram entreguea a ella pelo 8r. ?
Ro-En citumava ter meu negocio do
dar diuheiro a premio sobre penhores, e
en por isso que g'iirdava alguns delles
JUKYDO hECIFE.
S. SESSAO ORDINAIIIA DESTE AN.NO.
Presidencia do Sr. Dr. Seiva.
Dia 12 de outubro de 1850.
A's onza hora da manhfla, feilaa chi
mada, acham-se presentes 38 S'rs. ju-
rados.
O Sr. Presidente abB a sesso.
Silo apregoados os reos e teslemunhas.
O Sr Pres denle : Vai proceder se ao
sorteio do concelho, que lem dejulgar i
reo presente, acensado pelo crime de roubo
Sorteado o concelho, sahem escolhidos os
S>s : Manoel do Almeida l.ima, (innfro Jos
da Costa, Firmino Jos l'elis da Bos, Ber-
nardo da Cunta Teiseira, Jos Mari da Cruz
Jos Correa Leal, Francisco Mamede de Al-
meida Jnior, Joaquim Francisco de Albu-
querque Santiago, JoSo Arcenio Barbuza,
Joo Alves de Crvlno Porto, J is Carlos
Teiseira, o quaes presta o juramento do
esiyio. >.
U Sr. Presidente faz ao reo o seguinte
Interrogatorio.
JuraComo se chama ?
AeV.-joSo Ribeiro.de Britto.
Jmi'sSabe porque fot processado e vem a
esle tribonal ?
Ru-Kto. Sr.
Ji-.\unfti tratou de indagar o motivo
de sua priaSo *
Uav-riao.Sr.
| Joiz-Nunca comparecou parante o sub-
delegado ?
re'u--Compircci, sim, Sr.
iuizV. ueasa occasiio nSo Ihe dissera ni o
mol ivo de sua prisAo t
RoVo\ por terem sido achados uns ob-
jectos de ouro em csa de uma mulher.
JusFreqtMnlava a casa desaa mulhar ?
Reola la as vezes; ma u3o que moras-
ae ia.
luis -NSo foi o Sr. por diversas vezes em
alta noile lrVar-lbe alguns objectos de ou-
ro paia guardar ? *
ReoO mais tarda que eu la ia, era al as
nove boras aa noile, porque sou fitho fa-
milia, enSopodia dormir tora da casa de
forme foiie til ao inlereaso municipaes. I meu pai e minha m8i.
14.
JuMas pergunto-lhese esses objectos,
que foram achados om casa dessa mulher,
nSo foram entregues pelo Sr. ?
ffa'oSim.Sr.
lu: EntSo o Sr. tinhi esses objectos,
que Ihe haviam sido enmendados em rasSo
de dar dinheiro .juros ?
ReoSim, Sr.
j;-Qual era o seu meio de vida F
/fi-Trabalhava em chapeloiro.
Jus-Tinha entao alguma oflicioa sua,
ou trabalhava na de outrom ?
ReoTrabalnava de ufllcial.
Juii-0 Sr, tetn tido tratos illcitos com
eisa Francisca das Chagas ?
Reo-o que tinha era frequen lar a casa del-
ta algumas vetes. .
Jui--Porguiito se tem tido rela(0es lili
citas cora ssa mulher; nSo sei ia mecom-
pretienile t
Ro-Ho.Sr. .
JuraTem tido tratos com essa mulher?
Ro-Sim, Sr., tenho.
Jui";Niio se recOrda de haver entrado al-
guma* vezes em casa dessa mulher fora de
horas ?
WoN5o, Sr.
Jiiia-Sabequaemcaii de Domingos Can-
di lo Xivier r.irun encontrados alguns ob-
jectos furlado ?
ReoIgnoro.
iuizSabe que appareceu dono a esses
objectos, achados em casa de Francisca das
Cnagas ?
ReaOuvi dizer que tinha appirecido.
Jui'3-Lembra-se, de quaes foram os do-
nos desses obj-dos ?
AtoNfio, Sr
Jui;--Kin que lugar foi preso ?
Ri-H* ra das Agoas- Verdes.
. JiiijEmcsa de quern f
JI~Na ra.
' Jan: .\ossa occasio oruJe morava essa
Francisca das Chagas ?
Rio--tii travessa do Caldeireiro.
uiiO Sr. cuslumava sempre a estar com'
Domingos Candido Xavier ?
fleo-Nao, Sr.
JuiaEntfio eslava com elle poucas ve-
zes ?
RioS6 as vezei fallav com elle quando
o encomia va na ra, porque servimos jun-
tos no carpo de polica, mas nSoque eu
pas&cassa com elle.
Fin io o interrogato'lo, ato lidas as pecas
do procesno, e em seguida oram os Srs. pro-
motor publico e advogado do reo.
sflo inqueridas duas lesiemunhas dede-
fesa:
A primeira he Henrique Jorge de Brillo
Ai aojo ; a segunda Francisca das Chagas do
NaSC ment.
Entre as pegas do prooesio he .lidt a se-
guinte :
Aos quatro de abril le 1850, axsta fre-
guezia de S -Jos do llocife. em casa da re-
ailencia do subdelegadod mesma, o ma-
jor Francisco Carneiro da Silva, oide eu
escrivfio de seu Carito me achava, e sendo
alii presente a'dita Francisca das Chagas do
Nascimento, o dito subdelegado inlerrogou-
a da uuneira seguinte :
a Foi-llie perguntado se conhecia i JoSo
Bibeiro u< Britto, respondeu que o conhe-
cia por morar com elle em casa ; foi-lhe
mais perguntado se vira o dito Britto sabir
fora de horas e entrar Tora de horas com ob-
jectos de suspeita ; respoodeu que s vezes
a altas horas de noile vinha baler-lhe na por
la Domingos Candido Xavier, depois de
conversareui particularmente sahiam, e de-
pois vuitava o dito Brillo trazan lo objec-
tos que guardava-os e dizia a ella respon-
denle que os havia comprado. Foi-lhe mais
perguntado quaes as pessoascom quom ella
respondenle va dito Britto ter mais atni-
za e ; reapondeu que das amizades ou pas-
soas com quem elle tratava por fra nSo
sabe responder, mas quedos que ella va
ter com elle mais intima e particular ami-
-ade, eram o Ja mencionado Domingos Can-
dido Xavier, Manoel da Hora, pardo alfaiai*
e JoSo de tal, violeiro, que mora na ra das
Ti inciieiras. Foi-liie mais perguntado don-
de lio uve os bicos e ren las, que foram acha-
dos e um Sanlo-lnofre ; reapondeu que di-
to Brito ib' os deu, ha um mez pouco mais
ou menos. Foi-lhe mais perguntado se ti-
nha lembrancas de quando vio dito Britto
entrar com osobjectus do prata e ouro, os
quaes eslo apprehendidos; reapondeu, que
os de praia haviam pouco das,mas que se
nSo l.imtii ava do lempo ; e do de ouro s
se r. cordava que no domingo de Paschoa
tinha elle entrado cum um alOneto de ouro
novo com diamante, digo, que no domingo
de Pascnoa de man na cedo foi que vira o
fallado alnele ra gaveta. Foi-lhe mais
perguntado se vira nesta mesma manhaa
sabir elle Brillo com o alfinete oo peito ;
reapondeu que oto, mesmo nem elle pode-
na s.hir com o allineie no peito. porque era
de seohora.
E mais nSo disse, por, digoe por nSo
ter mais que perguularou interrogar, man-
dou dito subdelegado fazer o presente, e
assignou o suli lelegado e a roga do inter-
rogado ?sr>iguou Francisco JoSo Honorato
Surragraiide com as teslemunhas seguinles :
e eu, D. Antonio de torio e Silbes, eacri-
v9o o escrevi.francisco Joao Honorato Ser-
rutjrandt.- -tote Alfredo ds Carvalho.--Ben-
rique Jorge de Brillo* /lrau/o.--Camro
A tesleiuunha Herifiqua lorge de Brito
lo e Araujo be iuteirogail pela forma se-
guinte :
U Sr. iuiz 'residente -Assignou o in-
terrogatorio qua acaba de ser lidu ?
Teslemunha :Asaignei um papel que D
Antonio me pedk, ho cartono ondeescre-
vu, assignasse por ser urna mera formal i-
dade; maa nao li, nem seioqneelle cuu-
lem. iguoro, yis, lado qusfttQ hi e "Cus
escriplo.
O r. Dr. Promotor faz a testeraunha as
aeguiuU perguutas :
O br. r. Promotor : O Sr. escreve em
carlono ?
Teslemunha : Sim, Sr.; 00 da Galdioo Natos
inemisiuciaa Cibral O Vasconcajlioi. rYi-VGi>"
O Sr. Dr. Promotor : Sabe on deve saber
oque he um papel publico: sabe ou deve
saber, que com elle e deve ter toda a cau
tela, pois que elle merece toda a impor-
tancia.
Tli/nAa -.Sir. Sr.
O Sr. Dr. Promotor : F.nto nfio devia
ignorar o que continha esae papel que as-
signou ou nfio dovia assigna-lo sem saber o
que elle continha ; nSo he assim ?
( A testemunhet nada responde.)
OSr Dr. Promotor :NSo ihlagou de 1).
\ntonio o que continha esse papel, ou esae
termo .*
Teslemunha:Disse-me que era um in-
terrogatorio; que era um documento que
>or formalidade, precisava de mais uma tes-
lemunha alora das duasque ja o tinbam as-
signado.
OSr. Dr. Promotor,requer.a bem di jul'.i-
ca, e em vista do conceito qua merece o ca-
rcter do julz, e a que da direilo o axerci;
co das funcefles publicas, quo elleeserce,
que a teslemunha seja posu em custodie,
uor Isso que o seu depoimenlo verbal se
acha em opposicSo com o que assignou nos
autos, al que ae verifique minuciosamente
se a tntemunha lie perjura, ou se a autorl-
dade prevaricou.
OSr. J< manda escrever o depoimenlo
la teslemunha.
O Sr. advogado do reo oppe-w ao requert-
mento da promotoria.
O Sr. luis defere o requerimenlo do sr.
DI. promotor, nfio s quanlo atestemtioh
cima, maa com relelo outra, Franciaca
las Chagas do Nascimento, que tambera da-
clarou nao couhecer o sub .alegado, nunca
tr ido casa dalle, nem ttr feilo declara-
efio alguma pro ou contra o reo.
Continuam as allegace ; e. tendo o |U-
y declarado por seu veridiel, que nao po-
lis tomar conhecimento do processo pelo
incidente occorrK.
O Sr. uis Presidente levanta a sessao, re-
nettendo as testemunhasao juizo munici-
pal para proceder como for conveniente, e
devolvendo o reo prisfio, para ser submel-
tido a aovo julgameulo. (Eram 6 horas da
larde.)_________
MAttl DE PEUNiVIBCO
com, M a)S OOTVBBO lili.
Os jornaes que recebamos do Havre palo
brigue francez Bnujeu, de Lisboa pelo bri-
gue portugus ConeelfO de Marta e do
i'orto, pelo patacho Despique de Betris, sn
le data mais remota do que os qua ha va
nos recebido da ultima cidade pelo brig i
.San-Manoel, i.' e conseguintemente nad
ndianam as noticias ja publicadas no nu-
mero antecedente.
i
lt parli^o da |)olici.i.
PARTE DO DIA 19 DE OUTUBRO HE 1850.
FOram presos: i ordem do delegado,
0 prelo Jos, eicravo de I). Atina de til, por
letnrdelro i ordem do subdelegado d
f eguezia deS.-Fre>-Pedro-Concalvesdo lie-
dle, Raymundo Rodrigues do Santos, sem
1 no o motivo fosse declarado : i ordem do
sublelrgado da freguezia |de S Jos, Jos
Fidelis Ferreira, sera que o motivo tifosa*
sido declara lo : ordem do subdelegado
di freguezia di Boa-Vista, o preto Samu-I.
esOfavo de Manoel da Cunha Oliveira, pan
eorreCQfio : e t do subdelegado do s*gun lo
lis'ricio da freguezia dos Afogados, Jos
Thendoro, por desobediente.
CUifl Wl tM UI o.
ALFANIIECA.
Rendimentododia 19.....5 398,422
Desearregam hoje 21 de outubro.
Barca sarda -- A/fonto I. mercadorias.
Brigue francez Beauieu dem.
Brigue portugus -- San-Manoel dem.
CONSULADO GERAL.
Kendimenlo do dia 19..... 484,001
EXPU HTACAO.
Despachos mar limos no dia le*
Bio-de-Janeiro barca americana Rover,
307 tonelada!, conduz. o seguinte:
1,050 barrlcaa de farlnha de trigo.
BECtBEDOBIA DE RENDAS CERAES
INTERNAS.
Kendimenlo do dia 19......725,900
CONSULADO PROVINCIAL.
Kendimenlo do dia 19. .. 405,873
de
ilL i 'ii 9m
aujue, de 138 tonaladaij^apitSo Sprmont,
'quipagam 15, carga ffln tas e mais g-
neros ; a viuva de B Lasserre & Co npi-
nhia. Passagelros, M.Oiy, Monford Al.
fred.Poirson.
Lisboa40 dias, b'igue.portuguaz ConeeicSo
de Mana, de M3 toneladas, cajltfio Ale- -
ssndre Bras de M*t)oa, equipagnm 18,
carga vinho o mis genaro; iTaanni
de Aqntno Fonsecs & Ftlho. Pass giros,.
Domingos Soriano Concalvas Ferroi'j
Brasiletro, Portugueies, Joaquim Jos
Rodrigues da Cunha, O.uilriarrotna Her-
menegiMa Mtyer, Augosto Jos dos San-
tos Miranda, Jos Ro Irigue. Joaqolm Izi-
doro dos Santos, Jof da Silva Vellos,
Jofio LourenfO Lago.
Porto 45 diaspatacho liortugnez Deepique
de Heinz, <\e 185 toneladas, CapitfioJos
Fernanoes Ferreira, equipagem 20,carga
?nho e mail gneros a ordem; 14 passa-
8 ai ros.com pasaaporiei.JosLoppBjFerrelra
imo,Domingos Alves ds Costa.padre Ni-
colao Teiseira, Manoel Farnandas Ferreira*
Jos Martina, Joaquim Marti o, Domingos
Francisco Paredes, Mmoel Luis Coslho,
Manoel Fernn les da Costa. Jos Rodri-
gues Magalnies, Joaquim C naalves, Mi-
noel de Azevedo Almaldi, Jos Juaquin
Fernn les, Manoel Vicente de Lima J-
nior Sem pusiportes, Domingos da gil-
va Marques, Francisco da Silva, Antonio
da Fonseei Coelho, Jos Ro Irigues, Ma-
noel Joiq'uim dos Santo, Antonio Do-
mingos Marques, Jos Francisco Gomes.
Navio eahido no mtemt atta.
Rio-de-JeneiroBrca americana 307 toneladas, capitfio II iralio Nelsoa,
equipagem 13, carga 1000 hertha cora
farinna de trigo. Passageiro. o Aosvioa-
noFellsKihd.
ParahibaLancha naclonil Coneeeo Flor
das Virtudes, de 93 3/4 ton-ladas, mestr
Elias do Rozario, equipagem *, carga vl-
nbo e mais gneros.
Navio entrado no dia 90.
Phitadelphla 47 dias, barca americana Con-
rea, de 345 toneladas, caplt3o Sinack, eriur-
paeein 15. carga farlnha de trigo e mil g-
neros; Matheus Ausiln & C. Pasaagefn.
o cnsul americano para cala provincia, Ja-
mes R. Gorlng. Henry Chapina.
(Vowo saAlate no mesmo dia. '
Ali Pataca braaller I*. Sra. dotarme, ca-
nillo Jo Antonio do Haacluieoto, carga va-
rios generse lasiro Puaagelrot braaiteira
Jui Alvo da Co ciico de Mara Nobre.
EDITAGS.

Pela inspectoria ds alfiodega se faz
publico, que ao dia 21 do correte se ha de
rremalar em pista publica, ni porta da
nsma, depois do melo-dia, 85 ceblas no
valor, segundo a tarifa de 80 ris, apre-
tn lidajf pela pakulha de ronda aa Oito
B^^V correte, no lugar denominado
i-'ujjpdo Mallo. a.ajMi marujo em acto de
{sembarque, jtaoo a arrematadlo llvrede
lireitosaoariemalanle.
Alfanl*n,del'inirobuco,17deoutnbro,,
le 1860.O esorlvflo interino, Beato ionr
remandes Barr.
.h Parante a.cmara municipal delta ei-
ladeeaU a prafa oos dial 16. 18 e 21 do
-orrenle a ribeira. da freguezia da Boa-Vis-
ta, e o impostjinajfr) r. por cabe; de ga-
lo vsecum esmsWnWb >* freguezia dos
ifogdos. Versea, Pi&; Muribeca, Ja boa 13 j
e S.-Lourengo. 0* liailanie pq-lm compa-
recer na casa daiesscs da mesma cma-
ra, no* in licadoa dias, munidos de fiadores
dneos, que mostreo) por telo d certifca-
los nfio Ueveram nada a telenda publica,
geral e provincial.
E, para qu cliegue ao conhecimento de
iiuera convier, so oandou publicar o pre-
sente. Paco da cmara municipal do Reare,
em sesso de 14 de outubro de 1850.
Francisco Kntonlo do Otiveita,
presidente.
loa los Ferreira de Aguiar,
secretario.
Declarai?ad.
PRACA DO RECIPE, 19 DE OUTUBRO DE
1850. A'S 3 HORAS DA TARDE.
Aevi'tia tnerantii.
Cambios Fizersm se trsnsicgOei i-
voltada a 38 l|2 d. por ris
1,000, e ha lel-as offereci-
daa a este cambio.
AlgodSo-- Entrsram 987 sacess, qu
foram .vendutas a 7,000 ri
a arioba de primria sorte.
Assucar* Tem chegado mais algum
da nova sufra, e ou varan.
vends }lo maseavado por
esporUcflode 1,500a t,55o
rS. a arnha* iln hrari^A 5i,'
ha pre;o, por Taita de tran-
saeges.
Bacalbio Ficaram boje para retalhai
5500 barricas,incluiudo um
carregamento entrado de-
pois da ultima revista : he
de suppor qoe tenha mu
rpida eslracc3o em con-
sequencia de nfio haver car-
ne secca, nem meios de su-
pri-la : relalnou-se de rjs
12 000 13,000 a barrica.
Carne secca Nfio na nenhuma no mer-
cado.
Farinha de trigo Tivemoi um carregamento
de Kicliimoud, com o qual
licaram hojeem ser cerca de
3850 barricas,os presos nao
sofrram alteiarJio.
Ficaram no porto 46 embarcares, sendo
33 brasiieiras, 2 inucvia, 3 iieapanh!*, *
inglesas, 3 portuguezas e 1 sarda.
. _------ __----------------Km
Tioviiueui du l*urto.
entrados no Ha 19.
uiaa> brigue francez ae-
Theatro de 8. Isabel.
26 a RECITA DA ASSIGtlATURA.
Quirta-fira, 23 outubro til 1850.
Kepresentar-se-ha o drama 00 3 actos e
6'quidros Hb,
OS SEIS DEGRAOS DO CRIME.
Terminara o espectculo cota a graciosa
farca
O Chapa-a parata.
A parte de Liponio ser feils pelo acter
Raymundo, que cmiar com a actr Joanna
/anuaria.
0 FANDANGO SaLOIO. '
Comecara al S aori.
Osbilhetesicham-seaveoda no lugar do
costume. .^^^ n^^^^^^
"ubliccoes liuerurius.
Tara qnantos preiw,iu a religto,
a plertarlee oa bon coatnmea. >
Sabio linalmente luz o ja aaauaeiadq
oDusculocom o molo Jtoaerradea eri-
tlcaaaobre o romanee do S. En-
cent Me. o Jurteu Krraate, onde
se mostrara as impiedades, e o ranear denla
obra contra a sacroaanca raiigiu e nos-
sos pais, e fat-se a victoriosa defeza da
mui digna, e prestimos compaohta d. Je-
ss. Veode-se em S.-Antonio na toja do li-
vro azul, no pateo do Collegio, e na Boa-
Vista, bolica do Sr. Carneiro, a destutdes
cada esemplar.
A famosa liefiosobres pena de morte com-
posta, e dictada na universidadede Pisa pe-
lo respeitavel Carmignani um dos maiores
criminalistas du Europa, esta ira luzida do
italiano em vulgar pelo padre Lopes Gama.
Vende-se em Santo-Antonio, na Injdeli-
vros que foi do fallecido Dr. Coutinho, na
esquina do Collegio ; no bairro do Reclfe,
na loja de livros do Sr. psdre Ignacio; na
Roa-Vista, na boriea do Sr. Gameiro; em
Olinda, roa do Amparo, botica do Br. Ra-
poso. Preco dez loetoe.
Pnblleacfto coniinereial.
lmnr|m-i.M 55 C'isd di fi?t*S ? n*-
riodicoeai inglez epurtoguez, quo di con-
ta dos movimenloi mercauti daquella pra-
t;a, trazoa preco dotpiiucipaes genero*de
iuiporlacfio e esporUcfio, lisia do navios
surtos no porto, cambios, etc., etc.
Subscreve-se nesta cidade em casa doSr.
r.H. Luiikaa, fu o Trpiciio.
J


Y
-"^'

Avisos martimos.
__Para o Rio-de-Janeirosahe,
com a maior brevidade possivel,
por j ter parte da carga engji-
da, o patacho nacional Nereide
quero no mesma quizer carrejar,
ou ir de passagem, dir.ija-se ao
capilona pra;a do commerrio, ou
a Novae* & C na roa do Trapi-
che, n. 34.
--Para o Cear segu em poneos diaso
liiate ligeiro:.quem quizer carrear ou ir
de pasaagem, dirja-an i rlia do Vigano n. 5.
Para o Rio Grande do Sul, segu com
brevidade a encuna nacional Santa-Crus,
capilfio Manuel Pereira de Ss, recebe algu-
na carga e eseravos a frete, a fallar com
JoSo Francisco da Cruz na ra da Cruz,
-Para a Babia pretende seguir viagem
com brevidade a sumaca nacional Carlota,
mestre Jos Gonpalves Simas : parajearga e
paaaageiros trala-aa com o mesmo mestre.
ou com l.uht Jos da 8* Araujo, ra da Cruz
numero 83. <-'
Para o Maranhao e Para
aegue, com a maior brevidade possivel, a
escuna nacional Emilia, de que he capitn
e pralieo. Antonio SlUeira Maelel Jnior
quem na meame quizer carregar ou ir de
passagem, entenda-aecom JoSo Carloa Au-
gusto da Silva, ou com o capilfio, na ra da
Cruz, armazem n. 13.______
Leiles.
-- Richard Royle fari leilso, por interven-
SHo do corretor Olivira, de grande e vana-
osorlimento de fazendas inglezas, toda
prooriss do mercado : segunda-feira, 91 do
corante, ia 10 horas da manbfia, no leu ar-
ma, ra da Cadeia.
Mademoiselle Quentin tendo (Je seguir
rara Franca no priaaeiro navio, fr leilao,
por Btervencodocorr^orOliwjra, de un.
ptimo armario para.odisla, dito par.
roupe, urna commodi.K-n espelho, sola,
mesas ecadeiras de Jacaranda, dle de bra-
cos, cau de coatura, un eapelhe grande
muito rico, vaso de cristal .pera perfumea
un porta-licor, ompRVteiro *na nf-
teigueira muito riea )*..* de a
netes de ouro eom camapnens, e de W
porpSo de fbzendas, como seja suspenso-
rios linos, grarat, escoras, perfumarlas,
etc.: teree-reira, 34do coiWB^a,iO_hora
da manha, no winaeiro
SC, Aterro da Boa-Vi*.
Avisos diversos.
LOTERIA.DA RUTRIZDA_
BOA YISTN.
AOS io:ooo,ooo de ris.
As 8 horas da manhia do dia
3i do corrente, e no consistorio da
respecliva ig'eja mttritaodam in-
l'allivelmente as rodas desta lote-
ra. O resto de bilhetes acha-se a
venda nos lugares seguintes : ra
,1a Cadeia do Recife, loja da vinva
Vieira & Filhos ; S.-Antonio.
JoSo Moreira Marques, pateo da
matri; fortnalo Pereira Bastos,
praca da Independencia ; Bernar-
lioo Jos" Monteiro, praca do L-
vramento; Francisco Antonio das
Ghagas, ra dita ; Boa-Vista, An-
tonio da Silva GuimarSe, ra do
Aterro.
l.embre-*e ao Sr. Joaquim Correa de
Araujo, morador na povoacfio do Afoga-
ls, de vir acabar o negocio que tem na
roa Nova, loja n. 9.
Peda-ge ao Sr. Antonio Alvea Pimen-
lel morador na povoapSo. do iliemedio. de
pparecer na rpa Nova.loja n. 9, para nego-
cio de seu interease. "
Deseja-se fallar com o r.
mejor Joaqui* da Crui Neves, ou
com algum aeu prente, ou pessoa
que faca suas vezes nesta praca
na ra das Larangeiras, n. i4, se-
guodo andar, oirui^uneie sua
asorada. I
Aluga-se pelos 4 mezes de fesla una
casa teres nos arrombados em 01 in I, com
commodos aufilcientes para urna familia,
com quintal murado, eom cacimba de boa
e portan*o lado para dispejo : quem
der ilirija-ae a Fra da PorUs ra do
eimmodos. fresco, e por barato prego:
no prlmeiro aodar do rnesroo.
Aluga-ae olerceiro andsr da casa n
40 da ra da Cruz no Uecifra : a tratar n
mesma casa. ,.
Aluga-ae urna casa larrea com sotao
no sitio do Cordeiro, a- margem do no CDi-
baribe, com c mmo los para grande familia,
cozinha fra, quarto para criado, eatribari,
cochera Pra carro, etc ; urna dita oais
pequea nn fundo do mesmo s.tio : a tratar
no pateo do Carino n. 17, com Gabriel Au-
toolo. ...
O Sr. Ventura Joaquim da Hoza haja de
vir pagar na ra da Cruz n. 49, a auantU que
nSo ignora ; do contrario, tara de ver neata
folha o seu nome at que pague.
A,lug-sn o primeiro andar da casa n.
Si da ra do Trapiche : a tratar no armazem
do mesmo.
No dia 13 do correte furtaratn da ca-
sa de Jos da Rocha Parenos, ura relogio
de ouro sabonete ostente Inglez. com cor-
rente, n. 9,068, fabricante J- Jackson Liver-
pool : quem o apprehender ou delle der
noticia ao annunciaote, aera recompensado.
*t#
* "Paulo Galgnonr, dentista
ti francs, offereee sen prest- m
mo ao publico para todos os
<* mysterlos de aun proflssio : #
4 prle ser procurado a qnal- #
% quer hora em su casa, na %
9 rualanrado ito/.iirlo. i. 36, %
m secundo andar. #
*#
Preclsa-se de um amissador para urna
padaria no Rio-Formoso : quem estiver nes-
tas circumatancia, dirija-se ra "a Praia
n. 80, que l achar com quem tratar.
Ahaga-ae para passar a festa urna casa
na Dovoacfio do Monteiro, com duas salas,
quatro qu.itos, cozinha fra, estribara pa-
ra doua cavallos, quartos para escravos.
ia ra do
m
tnaan.
3
>o modernismo.
Na ra do Qneimad n. 17. vendem-se as
mais modernas cambraias aberta* da ISa e
ceda, verdadeiramente chamados balsarinas
eJpadrO'S e gosto muito d-licdos,a 500 rs.
ocovado. Dam-se as amostras com o cotn-
ot-nt pinhor.
Vende-ae urna bonita escrava cnoula,
que aabe bem co Cianea-s a'boa con lucia eperfeilo estado
e saude, vende-se por motivo particular :
na ra do Rosario n. 22.
Ven le-se urna mobilia bem fe-
ta de Jacaranda, a ssher : 18 ca-
deiras, 2 ditas de bracos, dous
consolos com tampo de pedra,
urna mesa redonda com lampo
le pedra, um sof, urna secretaria com urna
estante duas cedeiras Je balenco, um toca-
dor, urna cama franceza com todos os seus
uertences de Jacaranda na ra da Cadei de
S Antonio n. 18.
Vende-se um preto de naijo de 30 an-
noa, gnhador, bom trabalhador de eoxa-
da : quem o prentender comprar dirija-se a
pad ra do paleo da Santa Cruz n. 6, que
se dir quem vende.
DIVINA IIOVOEPATHIA.
ntereisa tiot Sri- de engenha.
Vendem-se bot'cas homoepaticas, conten-
do 120 e tantos medicamentos, aoompanha-
la dos competentes livros : na travessa da
Mulro de Dos n. 5.
Charutos de S. Flix a 3,500 ra. o cenlo.
Vendem-se estes bem cenhecidos charu-
tos : na ra do Cabug. loja do Duaite nu-
mero I. C.
Na ra do Cahug loja de 4 portas do
Ruarte : vendem-se toucas de sitim pro-
i.rias para baqtizados, caootinhos de fil
preto para senhora, tudo por prego com-
modo
- Vendem-se 5 pretos de 20 a 30 annos,
bons para tolo o servico; urna negrinha
le 10 annos, com princijio de abilidades
ra dous cvanos, quinos p ostravii, .ie 10 alios, com prnici j.u un re... >
dousauintaeg murados, tendo um delles ca-|uma parla .te 25 annos, que engomma p.-r-
Aos Srs. mllltares.d prlmelr U-
nha e guarda nacional.
Sabio loz.-lostrucQOS para o servico
das guarda da goar i?So de Pernamburo,
exirahidaa do regulamenlo, e accommo.la-
das a disciplina que se pratica no exercito
brasiletro. Este fulheto he essencialmente
neceasario a lodo oa que tem de exerco.
o serv.co miliUr : vende-ae a 320 ris cad.
exemplar : na litrarl n. e 8 oa praca da
Independa. .
.- PedeW ao Sr. ilscl da freguezia da
Boa-Vista, que por caridade e desempenho
de seus deveie, multe a um Alemllo de fi-
me Nicolao, que tem urna pequea venda i.
e.tra.ia doa Afllicto defronle do Sr. Joa
uim de Olivira, por veuder constante .
diariamente agoardenle aos pretos tsc a
vos, quaai sempro a troco de frutas fua-
das nos cilios de seus aenhore ponto d-
j haverem diferentes ecravos aleijadoa .
iuuulisa.ios por bebedeirasal cahin-mro-
mo morios na mesma estrada, e sando ad-
vertido, dizqueseuoimporta com postu-
ras, pois he f8se o aeu negocio, visto sereu.
oa seuhoreoa preju lica.los, ao menos lu-
cre a cmara eaa-a multas, isto pede urna
das vitimas 0r. flacal pdo-e informa.
deala ve dade. ...... .
Oa drvedores da loja do fallecido Jos
Pinto da Fonceca e Silva na ra Nova n. II
queiram vir pagar seus dbitos no prazo de
oiio diaa contados de hoje. flndos as quae
serflo cban.ados nomioalmente por esli
mesmo IHario, executados oa remisso.
Oabsizo assignado faz sciente ao Sr
arrrmatante do consumo das egoaaardente-
e esLiritos de producefio brasileira, qu-
deixou de vender o lito genero desde o dia
SO de oulubode 1850, na sus laverna da
ruauaPraia n. 82.
Mnnoel lote de Mallo.
HOTEL COMMEKCIO.
Ana da Cadeia n. IS.
Ueste eslatieleci ment desenceminharam-
se 6 carneiros, eutre ellas um capado, sex-
ta-feira a tarde, foram vialos na ra Nova,
roga-sea pessoa que delles souber d no-
ticia na casa cima, que je reeoropensara.
A pes*oa que aonuciou querer 60,000
ri a premio, dirija-*e a ra da Cadei de
S. Anloiiio n. 14, uo seguudo andar do ao-
brado da esquina que e dir quem di dita
quaatia.
O lbum.
O autor do srtiao osyslem penal no
brasildo stimo numero, deparando nelle
muuoa rro typograpbi<> urejuuicaiu,pau u ni .IcrCSCiSUpr:-:
com auaa inteligencias, at que posea sabir
emoulro numero um errata.
Joao Xavier da Mai subdito Porli
guez, retira-ae para o Hio de Jaueiro.
Joao da Coala Lima Juuior e llenrique
Jos da Cunna, aviaam aos credores elU-
noel Joaquim tiooclves a Silva, paracom-
pareoem em cas do primeiro, boje C,2t) as
10 horaa da ananhaa.
A peaaoa que annunciou querer 60,000
ris a Juros sobre pennores, dirija-se ru.
da Alegra n. %i, que ae dir quem da.
yuem aunuuciuu (or esta follia quere
comprar casas terrea no baiiro e S.-Aulo-
nio no valor de um cont de li e de oiiu
ceios miniis, dirijam-se a ra Auguata n
23, caa terrea, que ae dir quem vende.
Aluga-se urna prel escrava, que aabt
coainbar e engommar : quem a pieulendei
dinja-ae praca d ludepeudenci luja o. 1
Franclaco da Silva Avelleda, embarc,
para o hio de Janeiro a sua escrava pard de
nona Luna.
)8r. Manoel Fiiippe Santiago fflestr.
da mtuMa do oiuvo, queira dirigir-se a
r.inen-i>niaR n. al ana ae Ihe dezeia fallar.
pila n. 68. PL
-Domingos A. de Ohveir retira-sadas-
ta provincia.
Ai.tonifPereir de Olivira faz scien-
fle ao respesavel publico, que, por haver
ulro de igual nome.de hoje em diante ae
ignara por Antn Pereira de Olivira
Offerece-se urna mulher para ama de
asa de homem solteiro ou de pouca fami-
Ih, a qnal da fiador* sua conducta : quem
leseu prestiaao se quizer uliiisar, dirija-se
i ra d laeiUs, n. 144.
OfTereoe-se, para ama de urna caca,
urna cnoula aoiteira,-ejue fngomma, lava
e cozinha diario de uaaa casa: quem a
uretender, dirija-se ra das CinCo-Pon-
tas, ii. 66.
E adas da semana panzada quebraram
o cadeado e furlaram urna canoa de carrei-
ra.de ums pao de cedro, no lugar dos
Remedios, qual anda nSo appareu : qum
lella der noticia, ou leva la seu dono, o
Uacamblra, morador no mesmp lugar do
Remedios, sera gratificado.
Precisa-se de 80 OoO rs. a premio so-
bre penhores de ouro: quem quizer dar
aoounrie. **,.
__E>tando-sa procedendo o Inventario
losbensquo fleararo por falleeimento de
I). Igiucia H'isi la de Mello pelo juizo dos
otpi.Sos,avisa-sea todas* peasoaa que se
julgaiem ere toras da dita finad a apresen-
.arem seus documentos no prazo de oito
as, a contar de hoje, n* ra das Larangei-
>as n. 2l,a(im de poderem aer allendidas
io mesmo inventario. Recife, 17 de outu-
bro de 1850.
Huasell Mellors & Companhia mudaram
seu escriptorio e armazem de fazendas da
ra do Trapiche para o lado oppoato da
mesma ra, casa n. 32, na esquina da Lin-
*oe,* I A
Precisa-sede um caixeiro para loja de
sapatos : na praca da Boa Vista, a primeira,
junto a venda da esquina.
Na ra Nova, oa loja do sobrado n. 59,
precisa-se de urna ama de le.lo.
-- Preciaa-se de um forneiro, que ajude
na masaeira por se fazer pouco servico : na
rea do Coto vello n. 29.
Precisa-se aiugar urna escrava para o
servico externo do collegio das orpbSas : os
.retenientes dirijan.-se ao referido collo-
{iu, a fallar com o director.
Um preto perdeu ou vendeu um dia-
mante de coitar vidros, cabo torneado e o
quadrado de ferru dejogar e tirar fra, sen-
lo ja bastinle usado : ruga-se, pois, a quem
o acnar, leve-o a fabrica de caldeireiro, rut
do Brum n. 28, que ser* recompensado.
Johnston Pater & C. remettem para a
Hahia as eacravas Virginia e Cuilhermina,
esta cnoula, perlencente ao Snr. Eduardo
Con.ber.e aquella de nacSn, do Sr. Andi
Comber, em virtude de ordens doa mesmos
Srs. acompanhadas cada urna de urna fi-
Iha menor.
-- Precisa-aeaiugar urna ama secca de
bons costume, quesaiba bem coziohar, pa-
ra urna casa de pouca familia. Dirigir-ae A
.ua das Trincheiras n. 19, sobrado.
Aluga-se o segundo andar da casa o.
25, da ra Nova : a tratar na loja do mes-
en ba", e com sahida para o rio : na travessa
do Veras n. 15.
Q O Ur. J. S. Santos Jnior, O
medico homceopatha puro
q mudou sua residencia da ra q
do Crespo, n. lo, para a
S ru. Nova, n. 58, primeiro *
^ andar. q
t>0000000 0
Y- Precisa-se aiugar urna ama forra ou
captiva, que saiba engommar e cozinhar.
para cata de pouca familia, e que d3o tem
eriancaa: na Na do Pilar n. 72, segundo
andar, em flarn-de-Porias.
o Sr. Joaquim Jos dos Santos Barraca
queira ir pagara quantia de 33.460 rs. d.<
que comeu aoode nSo ignora; do contrario,
lera de ser aeroere iambradn n^sta folha.
O becbarel formado Joto Floripes Diaa
Barreto alvog nocivel n.nocrime : as
pes-osque de seu prest Sf quiz-rem
utilisar, o pdi-nl procurar a.qualq.ier lior
lo dia na esa de sua residencia, na ra
Nova, n. 52.
afeaixn assignado, estando desem-
l.arc.lonea.ie3l as 6 borasda larde, e
tesejadnempregar utilmente este lempo,
val abrir no primeiro da novembro, na casa
n. 40 da ra do Pilar, em Fra de Portas,
urna aula, aon le se propde a reeeber um
numero determinado de meninoa, para
Ihes eosinar o inlez, franrez, arillime-
lica, eacripturacSo n.ercantili, e em urna
palavra ludo puanto deve eonslitui-bs
otos para aeguirem a carreira coramerciai.
0 alia un a ..signa lo espera que OS seus ami-
bos Ihe farao a juslica de o acreditar, quan-
lo elle solemnemente declara que se com-
promette a empregar com assiduidade to-
dos os seus esforcos para o adianlamento
ios meninos cuja eduracSo ihe fOr cm.fi.-
la. A meosalidade be.nicamente de cinco
mil rs. Os pas que quizerem ma-
tricular seus filhos se servirlo eulender-se
com o abaixo assignado no escriptorio dos
Srs C. Starr & C. na ra da Aurora, das 9
horas da mauh&a at sShorss da larde
Josi da Vaya
Alugam-se os segundo e terceiro anda-
res d casa do largo da Assembla n. 8 : a
fallar com Joaquim Francisco de Alm, no
Foite-do-Maltos, ou com Prxedes da Fon
seca Coutinho, seu proprielaiio.
Precisa-se de um trabalhador deenxa-
d, e que saiba tirar leite em vaccas : na
Magdalena, estrada nova, primeiro sitio de
pon So de ferro. No meseco precisa-se d
um bolieiro.
--Quem quizer comprar urna lettra da
quantia de 56,060 rs. do Sr. Jos Brazalino
ia Silva, appareca na ra da Cadeia deS.
Antonio, n. 13, que todo o negocio se fara.
Roga-se ao Sr. segundo lente Jos de
Cerqueira Lima, da Babia, que mande pagar
urna lettra, que se acba vencida ha oito tnr-
zes j do contrario, lera de ver sempre o seu
nome nesta folha.
aniaajaeaae^eB
reilamenle, co/.e e f casa, he muito caminos para meninos;
urna preta de meia ida le, por 250.000 ris ;
tres p'reas que cosinham e sS.i b. qui-
iandeira<: na ra da Cadeia do Recife n. 51,
primeiro andar.
Bom e barato.
Vende-secas-mirass 4,000 rs. o corta,
litas finas .le linios oa.ires a 6.00o; Ci-
roulas de m-ia a I 090 rs o par; cnapos
froncezes finos a 6.80 i ; c.ssas c lilas finas
< M rs. o coVadu, lenQ.is brancos ^e cassa
a 200 rs. cada'un:: e oulras multasTazen Jas
por preco cummo lo : nos quatro cintos da
ra do Quemado, n. 20.
- Vende-se um pari de 90 aunns, de
muito boi figura, perfeiio bolieiro e cochei-
vinlo do Rio-de-J .neiro : na ruado
21, primeiro andar, se dir
mo sobrado, ou na ra da Cadeia do Reci-
te, n. 42, eacripiorio e Au.35s s!c.';,.!",>
da Silva Barroca.
Iieseja-se adquirir uma imagem muito
perfeita de N. S. das Dores, de vulto de um
palmo, anda que sejs em seguoda mSo :
no Alerro-da-Boa-Vista, casa aniarella de-
Ironie da matriz, ou aununcie.
Precisa-se de uma ama que tenha bas-
ante leite, e que seja livre e desembarca-
da na ra da Cadeia-Velba, n. 24.
luga-se ums cas terrea na ra Im-
perial, n. 104, com mudos commodos, por
barato aluguel: na ra Augusto, o. 2.
Manoel Jos Lopes mudou a sua loja
de miudezas da ra eatreila do Rozario,
ii. 18, para a ra .arga do Rozario, n. 40,
aoode lodos oa seus freguezes o scharau
sempre promplo para oa bem servir com
lodo oaortimento de miudezas : todo pelo
uais btalo preco do que em outra qual-
iiuer parle.
-Preclsa-se de un. ama de leite que se-
ia furia, para acabar de criar um menino,
.oim que aeja de boa conducta : na ra do
Queimado, n. 6, ae dua quem precisa.
Aluga-ae o terceiro andar do sobrado
da ra da Sanzalla-Velba n. 70, com muito
Compras.
- Compram-se e>cr*)s de 10 a 30 an-
nos, de bonitas finuras, para dentro fr
da proviucia : na ra larga do Rozario, n
48, primeiro andar, todo os das daS6 4
II ho4sdamanhaaedaaS*s S da larde
-- Compra-se orellos de panno : oa praca
d !-v!sp:r.cr.c!s n ,9-
Compra-se, e paga-se bem, um can-
na do Angola, para lipoia, que esleja em
muito bom estado : na ra ealreita do Ro-
sario, n. 31, fallar com Jos Moreira da
Silva.
Compram-se adragonas e bandas de
officiaes, uefloou canuiiibo dourado, em
bom e mo estado: oa praca da Independen-
cia n. 19
Vendas.
r
Vende-ae uma clarinet nova, por me-
lado de aeu valor : na ru do Crespa}, loja
ie livros n 11.
Vande-so uma bonita escrava de nacan,
de 20 annos, boa quitandeira, ede escolen-
le conduele : na ra do Rangel n. 57.
superior carnauba.
Vende-so cera de carnauba : na ra d>
-.entalla velha, armazem de bola xa o. 10.
i 9,000 lis arroba a diDhfiro de contado
Vendem-se aaccas com um alqueire di
farinba da muito boa qualidade a por preco
commodo: na ra da Praia n. 82.
ro,
Collegio, n.
quem cude
Vende-se, por preco com
modo, pdhinha para cadei ras-,
cliapoi do Chile muito bous, de
tres qualilades : a tratar na ra
.lo Trapiche, n. 3J, com Novaes
k Companhia.
Vende-se, por preco com-
mo lo, fumo emfolhi pira charu-
tos, muito superior, e para mi-
lo, tnais ordinario ; farinha de
mandioca em saccas ; potassa em
bariiqumhaa : no caes da Alfan-
lega, armazem de Dias Ferreira,
ou a tratar com Novaes & C. ni
ra do Trapiche, n. 3).
Ven 'em-se, por commolo preco, duas
estolas, branca e prela bordada de ouro :
na ra do Queimado, n. 37.
Saceos no vos de estopa.
Vendem-se, a 120 rs., saceos novos de
eslop., cada um co*m duas varas : na ra
larga do Rozario, n. 48, primeiro andar.
I,n escrava parda de boa
coniucta.
Vende uma mulata de 34 annos, insigne
costureira, pois corta e faz camisas para
homem e vestidos para senhora, cose pa-
litos, cohetes e calcas, he boa engomma-
deira e ptima compradeira, muilo fiel, e
nSo bebe espilos uma bonita e refuta-
da escrava engomma leira e cozinhelra,
cuja conducta se allane a : na ra larga do
Rozarin, n. 48, primeiro andar.
Vende-se uma escrava de 24 a 25 an-
nos, de bonita figura: no Aterro-da-Boa-
Vista, n. 78. taverna.
-- Vende-se un escravo muito bom ser-
rsdor ; um dito de 15 annos, muilo bom sa-
paleiro ; uma escrava do servico de cam-
po, e que he muito bta lavadeira e quitan-
deira ; uma escrava com uma filha de 5 an
nos, muilo boa coziuheira, e que engom-
ma e cose chao: na ra do Livramento,
4, se dir quem vende
Vende-se uma prela por 250,000 rs.,
de meia ida le, que cozinha, Uva muito
bem S'rve a uma casa, c impra e vende ;
urna dita da Cosa, boa para ser quitandei-
ra, pois be para o que sSo boas estas escra-
vas:narua do Collegio, n. 21, primeiro
andar, se dir quem vende.
Lotera da matriz da Boa-Vista.
Aos I o:oOO*oo c nnnlooo.
Na loja de miud z.s da praca da Inde-
pendencia, n. 4, vendem-se bilhetes, meios,
quartos, decimos e vigsimos deota loteiia
que corre ioipreterivelmeme no dia 31 de
oulubro, ou antes se se acabaren) os bilhe-
tes. A clles antes que seacabem, para nSo
compraren! mais caro, como tem aconte-
cido em outras loteras. ^
Bilhetes
Meios
Quartos
Decimos
Vigsimos
Capeos de palha
-Vendem-se a l,000 rs. o c-nto, caixas
com supenoies vel-s do Arscaly brncas e
amarellas, sapalinoos de meninos em por-
co, couros, sola, f-rinha de Araiuta, bar-
ricas com sebo e couros serrados : na ra
da Cruz do Recife n. 94.
Acsbe de siir do pre'o ne Rio-d-js-
neiro a aeguintebra importante offeiecida
as aenhoraa brasileiras
Vende-se uma escrava crioula coa uma
cria de ldade de 8 mezes, na roa da Gadeia
ni.
10,000
5,000
2,600
1,100
600
Venle-seura pardo da bonita figura,
muito moco, proprio oara pagem, eque nSo
tem vicios: na ra daCadsia-Velna, o. 33.
Lotera do Hio-de-Jane.ro.
Aos ao:ooo,ooo de ris.
Na loja de miudezas da praca da
Independencia, n. 4, vendem-se
os afortunados bilhetes, meios,
quartos e vigsimos da a4-a lote-
ra a beneficio do monte pi.
6> f ff ff *! f f f f VVf WtVf O
Madama Theard, ru Nova n. 32,
> vendeos manteletes de 30,000 rs. por -g
16,000 rs., os chapos de seda de JS
k. 20,000 rs. por 10,000 rs. e os dito de 3
S palna enfeitados de 12,000 rs. por J[
a. 5.000 rs. -*3
AA*A*A* k *** *******
Vendem-se as seguintes obras com pou-
co uso, e dos melhores autores, oa ru do
Amorim n. 33. a saber : Quintino Durward
i volumes. mysterios de Pars 10 ditos, ge-
orgeta 4 dito, menina emigrada 3 ditos,
donzella 4 diloa, os dols Robisons 3 ditos, o
solitario 2 ditos, a estrangeira 2 ditos, ro-
chedo dos amores 2 dito, novo compadre
Matieus3ditos.Galuxo 4 ditos, Paoorama
1837 9 1838 2 ditos.
Vende-se um moleque de 17 a 18 an-
nos e de bonita figura sera vicios nem a-
chaques : na ra do Amorim n. 33.
Ctiegaram do Rio-deJaneiro alguns re-
tractos de S M. o Imperador, litogr.fa.los
a mein corpe, e os mais bom parecidos que
na corte actualmente existem, propnn* pa-
ra repirticflo publica ou salo Sua Mages-
tade eati fardBdj de geiie'alissi.no. com
sua commenda do cruzeiro : cada retratj
i.ti H.ojO rs. : ni ra Jo Trapiche n. 4J,
2. an lar.
_ Vende-sn uma excellentecanoa de car-
reira muito b.im construida, caUfataJt e
iintad de nov.i com m-i'to bom gto,
qul pea dez pessoas a vontade, por pr*co
muito cummo lo : na ru doa Coilhos n. 18.
Vende-s-i un. baca de aram-, que le-
va dous tres can-CO d'agoa, Um u n ne-
queio defeito: na ra da Senzalla velna
venda n. 15.
Vendase um balcSo qu) serve pra
venia ou para talho de apangue, pO'sor
eneonta : na ra da Senzalla velna venia
numero 15.
Acbadesahiraluz no Rio-de-Jauei-
rr a importante obra
Tralndoree-niare pratleode tes-
lamentos esneessoes, on
comnen lio me.ho lico das principan regras
e principios que se pdem de luzr das le
testamentarias, tanto patrias cono subse-
diarias illus'ralos e aclarados com as cuin-
netentes notas, por Antonio Joaquim de
Gouveia Pinto, sexta edipSo mai* correcta,
conidervelmnie augm-ntada Cfim a le-
gispSo brasil-ira, promulgida desde a evo-
ca da in lependencla e exjresamente ac-
commo lada ao foro do Bril, pelo dawttor
Furtadode Menlonca, lente da aoademia
deS.-Paulo, 1 volume de 468 pagina : ven-
de-se uo pteo do Collegio, cs do livro
azul. ,
Guia dos naniorados.
Guia dos nmorados, ou vocabulario da
flores, das co'es e das pedra preciosas,
com a lista atpnabetica das suas significa-
cOes : a Infria, o jo< i d is finezas; o ora-
culo das Flores; a lotera e o lelegrapho de
amor; e varias poesas sobre o mesmo s-
sumpto Segn la edipSo augmentada Un
elegante volume niti lamente imjresao,
com a seguinte ejigraf*. O amor be una
gota celeste, que a pro'ilencia verteu no
calix da vida para Ihe corregir o amargor.
Vende-se no pateo do Collegio, casa do li-
vro azul.
Vendem-se 5 lindos moloques de 10 a
17 annos ; 6 pretos de 20 a 25 annos, sendo
u o delles ptimo sapateiro e outro coz-
nheiro ; um pardo de 18 annos. com prin-
cipios decarpina ; 9 pardas de 15 a 16 an-
nos, com algumas Habilidades ; 8 pretas de
t2 a 25 annos, algumas dellas com habili-
dades, eque sSo proprias para todo o ser-
vipo -. na ra do Collegio, n. 3.
- Vendem-se mergulhos de parreira |j
capazes de serem mudados, e pszinhos de
goiaba branca de Caianna, de bons lma-
nnos]: na ra do Rozario da Boa-Vista, n. 9.
Veio do Kio a seguinte obra im-
portante, Segredo da geracSo,
ou a'te de procrear raparigas ou rapazas es-
pirituosos, de orna-los com o dom da bel-
leza, de have-los sadios e robustos ; prece-
didas da descrippSo das partes naturaes do
homem e da mulher, com a indicapfio do
uso particular de cada uma dellas, termi-
nadas pela exoosipSo dos meios hygienicns
a conservar grande potencia em amor at
a mais svanpada ldade. Por Moral de Itu-
bempr, medica pela facullale lo l'.iis. 1
v. grosso, por 4,000 rs .- vende-se no pateo
do Collegiu, casa do livro azul.
Vende-se uma parelha de cavallos sssos,
Dous IrmSos em Apipucos : a tratar con
o dono do engenho.
Ven te-se uma preta de napSo, com bo-
nita figura, da 18 a 90 anno, sera vicios
nom achaqies, e que engomma bem, cose
ciio e cozinha: na ra de Apollo, n. 9,
armazem.
A 4,ooors o par.
Vendem-se sapatOes de lustro par ho-
___..i..-. ..: a. a m" rs. O "*"r '
o A7ro^ViJoa-Visl,'n. M, loja de cal-
cado, junto a de aelleiro.
Mipniots para meninos.
Vendem-se sapalfles par meninos de <
a 12 annos, muito ben feitos : no AUrro-
da-Boa-Vista, n.58, loja de calcado, junto
a Je aelleiro. ,., .
Vendem-se brides de spo polido, mul-
to bem feilaa e maneiras : na ra Nova, loja
de ferragea n 16, de J.-s Luiz Pereira-
Vende-se um cavallo c.stanho, de bo-
nita figura, com muilo bons andarea, mui-
to manteado e novo : no principio da es-
trada que vai para o Manguinbo, em um
sitio que tem em cima das columnas dos
porlOes quat tratar a qualquer hora do dia.
Veode-sa am grande sitio com casa da
taipa, propria para familia, na pooapaodo
Montero, indo pelo becco do Quiabo at
i.deira doaiudu, couirnd .iii.T.rui. la.ie
de fructeiras, e bello psto para S ou 4 vac-
cas, duas bors balxas eom capnn de flauta,
urna aoO'rivel estribara junto da dita casa -
faz-se todo o negocio com o meamo
ru da Conceipflo da Boa-Vista, n
na
9.


200O

1,000 ;*
i
9.100 *
5,1100

2,000
9
1,500

400 9
1,000 -
9
300 *
-- Vende-se um sitio di estrada d'*gus-
Fria, com casa de vvenos de pedra eol,
cera bastante commodo, tem urna balxa p-
tima para plantar canim. e bastante t in-
da plantar : quem o qnizftr comprr dirja-
se a toja de chapeos na ra Nova n. 46.
Fogoes para cozinha
muito proprios para sitios e qual-
qtialquer lugar nonde nao ha cozi-
nha, por preco com modo ven-
clcm-se na ra da Crjaz, n. lo,
casa de Kslkmannlrmaos.
Ven4e-se multo superior farinha gale-
ga em metas barricaa: no escriptorio de
imana Youleck Companhia, ou em seusar-
r.azens do becco do Concalves.
A I ,(>oo I1-.
Deniorracia da Franca,
traducco portugueza em muito bom papel
e boa impresSo : vende-se no pateo do Col-
legio, loja de livros de JoSo da Costa Dou-
rado.
A doiiH mil -s. a libra.
vefidcm-se ohreias muito boas e sortidaa,
at meis quarla : no pateo do Collegio n.
6, loja Ven lero-se franjas d retroz para mao-
teletea a 440 rs. a vara, dita para sapalos a
2(10 rs.: na praca da Independencia n. 19.
999m%m9M99>99999>mm09m
* N toja do sobrado smarollo, nos
- quatrn-caritos da ra do Qupimado
_* n. 29, vendem-se as seguales fa- ,
# zt-ndas :
w Cotes de raleas de casemira a 3,500, W
# 5,000 e 7,000 rs.
* Dilps de dita de algodSo, a
# Ditos de cllales do fusto de
9> cores e branco, a
i* Ditos de dito superiores, bor-
# dados, a
Ditos de vedado de cores, a
& Ditos de gorgurSo de seda com
# listos, a
9 Lencos de f eda de cores para
? grvala, n &<(), 1.000 e
tj Luvas de algodflo, lio da Esco-
* ci, para homem, a
9 Ditas do torcal, a
# Al ac ile slgudfio para casa-
9 cas e pnlils, o evado a
O Chalos frencezes linos, a 6 e 7,000 9
09mtt9999m9999j9999mm
Kartnlia de mandioca.
Na ra da Cruz, no Recito, armazem n.
13, ena ra ila Cadeia, armazem de Cam-
pello Filho, vende-se farinha de mandio-
ca do Ceaia, muila alvs, gnmrrosa e de ex-
cellcnte gostu, Unto em pequeas como
em grandes porches, por preco com modo.
'I'ravrssi da Mtille-tlc-1)<()-. nr-
niazem. n. 5,
Acha-se estahelecido um deposilo, o"dp
encontraran os frpgiiP7Ps un bom soiti-
mento de licores, espirito de vinho. e lo-!
das s mals qualdades; superior vinho de
caj; chmale; o Hagas de vinie, a presos
moderados.
Tai xa* para engenlio.
Na fuudic.Ho de forro da ra do Brum,
icaha-se do receber um completo .-orlimon-
tode taixas do4 a 8 palmos de bocea, as
qates acham-se a venda por preco com-
modo e com promplido embarcam-se,
ou carregam-seeni carrossem despozas ao
comprador.
Deposito de potnssa e ca
Vende-se muito nova e superior potassa
eral virgem de Lisboa, pm pedra : tudo pm
barris pequeos de 4 arrobad; por preco ra-
soavel: na ra da Cadeia do Recito, n. 12,
rmazem.
Vende-se por muito commodo preco,
urna rica secretaria com estantes para li-
vros, bastante grande, propria para advo-
gado, sendo de amarello e ainda nova ; as-
sim como, seis cadeiras e duas mesiohas
de abrir : na ra estreita do Rozario, n.
28, ultimo andar, das 2 horas da tarde em
dlante.
Farinha de Tapnyiv
igualmente em sabor, finura e cor a de Mu-
ribeea, propria para n.esa : vtnde-se na
ra da Cruz, do Recito, armazem n. i:i.
Deposito da fabrica de Todos os
Santos na liahia.
Vende-se em casa de IV o. dieber t C.
a rna da Cruz, n. 4, algodo trancad.
aquella fabrica, muito proprio para saceos
deasaucar, roupa de escravos e fio proprio
para redes de pescar, por preco muito com-
al orfi.
Teeldo de nlgorlao trancado un
fabrica de Todos os Mantos.
Na roa da Cadeia n. 52.
vendem-se por atacado duas qualidades,
proprias para saceos de assucar e roupa de
escravos.
Arados de ferro.
Nafundicao da Aurora, em S.-Amaro1,
vandem-aw arados de ferro de diveraos m-
telos.
Moendas superiores.
Na fundicSo de C. 8tarr 4 Companhia",
em >.-Amaro, acham-se i venda oioendas
re canoa, lotfaa de torro,_ de um modelo e
onstrucelo multo 'superior.
Paraos Srs. alfaiales.
Vendo-se estopa com alterna avaria, a
80 o 120 rs a vara : na ras larga d<> Roza-
rlo, n. 48. prfnviro andar.
f'nift nn eaHv.fr o 5;..,
Vendem-sum raiogio snisso muito bom '
regulador, alinete de ouro, honsontal, e
trImllia sobre quairo rubina, por p?ejo
eommodo: na prac;a da Boa-Vista, n. 17.
Aos senhores de ennrenho.
vendem-se cobertores escurns de algo-
dil'i propriospara e>ciavos, por seren de
mulla iluraj3o, pelo diminuto preco de 64<>
rs. cada um : na ra do Crespo, esquina
que vulta para a cadeia.
Cortes de calcas a mil rls.
Vendem-se brns cum lislras ao lado,
brarcos e de cores, a dez tusloes o corle de
calcas: na ra do Queiinadon. 8, loja con
fronte a botica.
Vende-se farinha de Santa-Calharina.
muito superior, a bordo da galeota Saniiut-
ma-Trndade, Tundeada junio ao caes du
Coltogiu.
feno.
aa.
(Ir
do
de
Bombas de
Vendem-se bombas de repaso,
oeadulas e picota para cacimba :
na ra do Brnu, ns. 6, 8 e io,
fundicSo de ferro.
Arados de farro.
Vendem-se arados de ferro
tiffercnles modelos : na ra
Brum,ns. G, 8 e to, fabrica
machinas e fundicSo de ferro.
Vendem-se 20 escravos, sendo um p-
timo carreiro e mestre de assucar; 3 mole-
cotes, sendo um delles bom bolieiro, de 18
annos, muito lindo e de boa conducta; 6
escravos, entro elles um bom oleiro, e de
bonita figura ; 2 pardos de 24 annos; ddas
mulatinhas recolhidas, de 13 a 14 a'nnos,
muito lindas, que cosem, engommam, mar
eam de linluo fazem lavarinto ; 6 escravos
mocas, sendo duas boas engommadelras, e
s outras de todo o servico : na ra Direi-
la, n. 3.
A negocio de Interpsse se precisa fal-
lar com o*8r. Andr Pires Vilgueira : no
Aterrn-da-Boa-Vista, sobrado n. 17, ou an-
nuncie.
Vende-se o engenho saceo, no lugar
ilelpnjuca, de excedentes trras: a tratar no
iiios'iio engenho.
Antigo deposito de cal
virgem.
Na ra do Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal virgem de Lis-
boa, por preco muito commodo.
Capotinlios e manteletes.
Na ra Nova o. C, luja de Maya Kanios & C,
acaba-se de recebar capulniios e man
leletrsde can.braia branca bnnada, da ul-
tima moda, e muito bem guarnecidos com
Pico a nntacHo de hlunde : os piceos con-
vidam aos compradores.
Veudem-se, na ra da Mnda, armazem
n. 15, metas barucas com cal virgem de
Lisboa, a mais nova quena no mercado, por
preco commodo.
(t^Kap Paulo Cordairo :^j
vende-se na ra da Cadeia do Recito, n. 51,
luja de fszeudas, de Jofio da Cumia alaga-
Ihfles.
Na rna Nova. 11. G, loja de Maya
liamos & i .,
vende-se. Slm dos livros ji annunciados
por este jornal, o novo ronianco intitulado
Urna fui illa corsa obra do insigue au-
tor Mexandie Domas, muilo bem traduz-
do, 1 f., por mil rs.
PR(III.\(.1I\ PARA A POBRESA.
Na ra do ngel armazem 11. 36, ven-1
di ni-se Saras com fari> ha de Santa l^athari-
na a 1,500 rnis, ditas com arroz de casca
mi eri t a 2,300 ris, ditas com milnoa
2,300ris epiUdo saca grandes 6,500 icis.
Loteiia do lo de Janeiro.
Aos ao:00o,000 de rs.
Na ra rslreita do Rozario, tra>essa do
Quelmado, loja de miudezas 11 2 A de Joa-
1) ci i ni Francisco dos Santos May, vende-se
bllhetes, meio, quarlos, ojluvose vkps-
111 os ila vigesiaia-quarta lotera a beneficio
do Munte-Pio licral de economa dos servi-
dores do esl'ado : na mesriia lojs est paten
te a lista da deciita-primeira lotera do
thealro deS. Pedro de Alcntara.
Aviso aos Srs. de cngcntio de
Gciianna.
Na loja de Jo.lo Nicolao Comes da Motta,
no becco do PavSo, n. 2, vende-se cal vir-
gem de Lisboa, e pipas vasits.
Modas francezus. rna \oran.34.
Madame Rosa llardy, modista brasileira,
novamenle participa a, seus Deguezesque
ecebeu um lindo sortimento de chapeos
de seda e de palha de Italia, para srnboras
e para meninas, lem igualmonte rhappos
de palha de Italia linos pa'a meninos, en-
tonados a por enfeiUr, novos capolinhns ile
chaualole, gros de na|les e fil de seda,
manteletes de furia cores para srnhora e
meninas alo 8 a 12 annos, Ir. usas de seda e
de 19,perfmanos, bicos, lilas, luvas, rucias
sapalos, fil do seda de todas as cores, cre-
p, cau.simias de cambraia e fil de linho
uara senlioras, a 2,000 rs. o m-cilas outrs
fazendas de goslo que vende por preco
commodo, n das quaes, d mi uslras a pea-
soas conhecidas ou rom penhores. Tamben
empiesla a seus freguezes os figulinos d>
u.o la recenten eme chegaoos;e faz vesti-
dos de seda, toucadua e veldinhos para
Ciiancas, manteletes e capulinhoa para se-
nlioras e .para meninas, na ultima moda
e com per tolcSo.
Venie so, por 300,000 rs., urna mula-
ta de meia ijade, que cozinha, engomma,
co.-.e, lie muilo liel e ptima para os arran-
joMiuuma Casa: no Aterro-Ja-Roa-Vista
11. 78
1 "* r.r?.--.-
Na ra da Cruz, n 10,
casa de Kaikinami
Ir nios,
vende-seum grande sortimento de
nstrumentos de msica, com se-
aui :
Caixisde guerra, e tambores.
Zabumbas e pandeiros.
Aicns de CHni|iamli', e pratos.
Baixos de harmona, trobdes.
Trompas, |iiat5es e cfarins.
Cornetas, flautas, e planos.
Lirmelas, e requintas.
Vildes.
muitos outros instrumentos.
Operas completns, piano e canto,
A casa de livro azul acaba de
receber as tnelhores edices das
operas seguntes, com eucaderna-
cSo soliel e elegante, a saber
Minio e arroz ooro casca a 2$5oo
rs. cada aaeoa.
Vende-sa no armazem do Braguez, ao p
do arco da Comcic3o.
i I.umlo de mnnicno.
Vende-seno armazem da J. J. Tasso Ju-
nior, ra do Amuriin, n. 35.
Vendem-se a marras ua ferro: na roa
la Senzalla-Nova. n. 42.
t?(j>0Q9C9Q090e<90Q
Cera em velas.
O Vendem-se caixas com ce- O
ra em velas fabricadas no x
q Bio de Janeiro, muito bem
O sortideT, por ser de unta a O
O 16 em jibra, por pre90 mais j
barato do que em outra qual- q
O quer : na rna do Vigario, n. O
2 191 segundo andar, a fallar
m com Machado & Pinheiio. %
JOOOOOGOOOOOOOOGOO
Vende-se um preta de nacSo Mina,
muilo moca vistosa, que engomma, co-
zinha e faz todo o mais servico de ama ca-
sa : na ra do Amoricn, n. 15.
Veudeni-se sapatdea
chegados agora mesmo do Aracaty, feitos
a capricho, segando as recommrndaces
que para l se lem toito, por mdico preco,
para se liquidar : na ra larga do Rozario
11 35.
('ardas pura violane rabeea.
rea ra estrella do Rozario, travessa do
Queimado, n. 2 A, de- Joaquim Francisco
los Santos Maya, vendem-se as mallo su-
periores corda's e bordes pira violo a ra-
beea, por preco mis commodo do que em
outra qualquer parle.
BRESTOL SALSA PARRILHA AMERICANA
Mtlhor 1 maii extraordinaria do mundo.
Preaervativa lofallivel suntra aitobres.
A salsa parrilha original egrnula de Prei-
ml possue luriaa aa viriudes para curar luda
aa eiiferniid.ides que provin de um estado de
impurea de n.ingaa das secrefdes momitas do
lig.wu e esloiiiagove em todos os casos que ne-
i-essii un remrdioa para pin ruar e robualrcer
o sisiciua. Km ludoa oa casos de escrophulas.
rrlaipclas. Unba. erupfea cuiaoeas, inauclias,
bilia, eiiflamacu edrbllldade nos oabos, ru-
chafSo oas glanilolas, dores loinbaret, aec-
coes rbeuinalicas, dore nos ossoa e naa jumas
nydropetia, dctpepaia, asihina, dtarrbea, dea-
emecia, los.e, resfiladus, rnflaminacan dos
pulindei (ihihlsica quado provin di obstru-
cao doabrouchius em pesaoas escrnphulosas,
nfluenza, imligeaiao. ictericia detilldade ge-
ral do aysirma nervoso, febrea agudas, calores,
enferuiidadcs das liiolhrres, anf-riiiidadra pe-
iiosas, e em ludas ai aleccdei provenir ules de
noderado du mercurio sta salsa parri-
lha se emprega com elHcacia etn tudos 01 io-
brediios ca.os, e he reconbecida como a me-
Ihur medicina que caale. Os fraicoa de salsa
de nrisiul UTiii mala de quairo tamaiiboa dos
de sal.a de Sands entretanto que oa de lirislol
ae vrndem por 5,00" ra. r. 01 de satvda por 3,000
ra. Depofitu central no lliu-de-Jauriro, caja de
Viial I .ijiupe, e em Peruaubuco na botica de
Jos Mara Goncalre Ramos, na roado(Juar-
icls pegado ao quartcl de polica.
Vende se urna casa na Hoa-visla, ra
do Tamliia, o. 13; em S.-Ai tonio, orna di-
ta na travessa da bomba n. 10; lima dita na
ra dos l'escadoies, n.3l ; urna dita na ra
de s -Rita, n 84: na ra to Cabug, botica
quein vende.
Vende-se urna casa terrea na ra Au-
gusta, n. U0, grande e bem construida, com
quintal murado, cacimba, porto, e que
rende 12,oOOjs. meusaes ; ama dita terrea,
na ra de S.-Cecilia n. 14, com commndos,
quintal e cacimba, e que rende 8,000 rs
uieusaes ; a quinta parte do sobrado de II
andares no largo do Carino, n. 7, para ajus-
te de cuntas : na ra do Crespo n. 10, loja.
.111:111 KellerJt COmpanliia, na
na da Cruz, n. 55,
Vendem a precos com modos, vinho mus-
cal.I de Setubal, em caixas de una dn-
zia; dito muito bom de l.avradiu e Col-
lares, em barris de quinto; dito de Chain-
panba, da mais acreuilada marca ; dito tin-
to de Corlaillod, de superior qualidade;
extracto de absyulh a kirsch ligilimo da
Suissa, em caixas de umaduzia; verdadei-
ro cognac velho, e da m. Kran^a, em barris de 80 garrafas pouco
mais ou menos : tambem se vendem por
neo nuilo rasoavel velas de stearina ,em
caixns de 32 libras ; charutos da Babia de
muito boa qualidade.
Ven le-ge vinho do Porto em barris de
quartu e quinto ; azeitonas superiores ; ar-
cos para barricas e pipas; fariha de Higo
eai barricas a meiasdlas ; lio porreta ; co-
vada; prrgos de lod-s as qualidades.em bar-
ricas ; enxa laado Porto coeiros de algo-
diio ; relroz linu du Pm lo : ludo por precu
commodo : na ra do Vigario, n. 11, arma-
ztm de Francisco Alvs da Cunha.
Na ra da Cadeia-Velha. primeiro an-
dar da casa n 24, de Manuel Antonio da Sil
va Antones, vende-se um rico sortimento
de chapeos de palha de Italia, abeitos, para
senlioras; camizcUs de cambraia, coleri-
iilios, remellas, 'manguitos, punhos, tudo
1 xcellenleiueiile bordado, bicos liuissimns,
na lilas, e oiiiios ohjecios desuno; bem
como uui Completo norlimemo de fazendas .
ludo se vende por tretcis muitos rasoaveis
He grande pechincha.
A 2ooea4o rs.
Vende-se urna portjSo de chitas francMag,
le 4 palmos do largura, roas, de cores fi-
tas, a 800 rs. o covadn ; cassas francezas
le bonitos padroes, a 240 rs. o envado : pa
ra do Crespo'n. 14, loja da Jos Francisco
Dias.
Cha a 5oo rs. a libra.
Vende-se cha hyssun, de muito boa qua-
lidade, a 500 rs. a libra.- na ra do Crespo,
n 23.
Manteletes e capotlnhos.
Na roa Nova n. 6, loja de Maya Ramos & C ,
acaba se de receber de Franca um sortimen-
to do manteletes e capotinhos do seda la-
vrada e lisa, da ultima -moda, e que se ven-
dem muito eraconta.
I'ara vestidos de senhoras.
Vendem-se os mais asseiados manguitos
para vestidos de senhora : n ra do Quei-
mado n..
0909900009 O9QO9QQ0
3 Vende-se farinha de man- O
r dioca muito nimia em sac- jj
Q tM : na ruada Cadeia n. 1, %
300000 A 1 2ors. o ciuaitrlrao.
Vendem-se pennas muito boas: no pateo
do Collegio, n. 6, toja de livros, de JoSo da
Costa Dourada.
Vendem-se 6 bonitos es-
cravos de a a annos, sendo um
delles bom massero \ i dito bom
carreiro ; um dito Am bolieiro,
e que tambem entende muito de
tratar de horta, ou sitio ; 2 pretas
de 2o annoj
nos, que e
mulatinha
ranjos do urna caa : todo com pe. f '?'*:
4no principio da estrada doa Allliclos. r
meira nasa terrea com soto e vare ma de
ferro,' dolado dimito.
- Ven annos, COiR habilidades propria para mu-
cama ; urna dita de 35 annos, propriu para
rus, por ser de boa conducta: na ra lar-
ga do Rozario, o. 35, loja.
- Vend --se, na ra d Cadeia do Recife,
n. 89, cha bysson em eslas grandes, de S.-
Paulo, muito'bom, por preco commodo.
~ Vende-se cb de S.-Psulo, de primeira
sorte, o melhor que lem aqu apparecido, a
8,000rs. a libra : na ra do Ruzario, n. i,
taverna do Pocas.
- Vende-sa urna casa com multa planta e
bom banh0.no Maaguinho, n.85 ; una ca-
sa no Po?o, a dinheiro, ou troca-se por urna
negra.- a tratar na mesma casa.
AGENCIA
fia fundido Low-Moor,
ROA DA SENZALtA-HOYA, H. 4>>
Ueste estabelecimento conti-
aa a haver um completo sorti-
mento de moendas e meiaa moen-
das, para engenho; machinas de
vapor, e tachas de ferro batido
coado, de todos oa tamaitos,
para dito.
Chocolate de Hiiiiilc.
I De todas as substancias alimentares, que
endo em seu principio consideradas como
cousas de luxo, tornam-se pelo lempo
adisnte denso garsl, o chocolate rdeseni
contradicclo, oceupar o primeiro lugar. Ef-
fectivamenta quanlas pesaoas ufio vamos
nos preferir hoja ao uso do quaote caf,
o uso do chocolate, a niaio seguir a
opinilo doa mdicos mais celebres, que
d,e commum accordo sobre tusa precio-
sas qualidades, o indicio como uuidoj
nossos melhores estomticos quallas
pessoas cuja saude he Jebll a delica.i
l'rescreveiu-iio aos seus doenles, aconce-
lhSo-no aoa,.velhos, a o recommendSo a>
milis de familia para seus filhos. Km urna
palavra, o consumo verdaileiramrnle extra-
ordinario a>a todas aaclasses da luciedade
fazern deste lioiento, he o mais bello elo-
gio que nos Ihe podemos fazer. Clietiou do
wanajacro boa agoa, porto e a ar a i0j;i|rsnb8o. aonde fabricado, um novo sot-
bora : na ra do Raiigel, n. 54, a tratar cotn *
Victorino Irancisco doa Santos.
annos
rvdita de a5 an-
ma e cozinha; urna
que en-
; 3 pardas
Jpor pre-
rua date
do an-
gomma, cose e cozinha
com habilidades : todo
co muito em conta
Larange^aatln. 14,
dart > HfU4
Vende-aaTou permuta-se por escravos,
um sitio no Remedio, margem do rio, eniaj
terraa proprias, com boa casa, cacimba
auto deste chocolata, ja bem conheci-
do testa provincia por multas pessoas que
-Vende-se urna veneviana .ara v.randa, S !?!'[e.llol?.; '!n:,'J,0,l5i'.r a
por preco commodo: na ra das Cruzes n. 40
Vende-fe uu preta de nacSo Costa,
muilo gen il.faz toda a qualidade de co-
mida para vender n praca, e que he pro-
pria para engenho, por ser multo forgosa :
na Treoipe, sobrado n. 1.
SaUa-parrilba de Sands
para remover e curar radicalmente todas as
enfermulades que procedem da impureza
do sangue, ou habito do sy-tema.
Esta medicina esta operando constante-
mente curas quasi derivis, de molestias
que procedem da impureza do sangue. A
infeliz victima de molestias hereditarias
com glndulas indiadas, Vervos encolhi-
doe, e os ossos meios arruinados, ficou res-
tablecida com toda sua sade a torcas,
lente escrofuloso, coberlo de chagas, cau-
sando uojo a si mesmo, e a quetn o servia,
licnu perfeito. Centenares de pasaoaa qun
linham SofTrido ( por annos, a poato de
desesperaren! da sua sor te ) molestias cu-
taneaes, glndulas, rheumatisrno chronico
e muitasoutras enfermidadea procedentes
do desarranjodos orgSos de secrecSo eda
circula-jilo, leem-seerguido quasi milagro-
samente do leito da morir, e boje, com
constituicOes regeneradas, com prazer at-
iestan) a ellicacia deala ineatimavel prepa-
ra;9o.
Comqaanto tenham apparecido grandes'
curas al aqu produzidas pelo uto desta
es'limavel medicina, comludo a experiencia
diaria aprsenla resoltados mais notaveis.
a New-Yurk, 22 de abril de 1848
Srs. A. B. a D. Sands Juigando aar
um daver para com vosco e para com o pu-
blico em geral, rometto-vos esta certificada
das grandes virtudes da vossa salsa-parri-
iba, para que uulrus que hoje estilo sof-
custome, na venda da ra da Cadeia
Recife, dtfronte do Uecco-largo, n. 22
A elles que sao baralissimes.
Vendem-se sapal&esde lustro, a
a,ono e a,5oo rs., o que velcm
de feitio : na ra da Cadeia do Re-
cife, n. 9. loja.
-Vendem-se 8 escravos de S annos, de
lindas Alturas, muito corpobutose fortes
proprios para armazem de assucar : na ra
das l.arangeiras, n. 14. segundo andar.
SI
Escravos Ftigidos.
freiidoealabeler;am melboraaua cunfiaoca
e facam sem demora uso da vossa medi-
cina.
A. 5 I Oonezellu Xst-li&aric
.c<^u CUIIIIIIwuO |
muilo superior. bordo d gampeira A. 5 I uonezclU. iclisano ,
da l'em/ia, cnegaiia do Porlu-Seguro, a tra-l Pirn(a P Si.nnmluiln
tar a bardo da oresma, ou com rfovaes C. r\'raia.e '""''o
ns ri de Tsiafxe n. 34. |lienani
de bialini,
de Verdi,
^ ^cpviiu erai ao superior ra-O
- n Areia-Preia da labr1"- '
deCiuutois l'ailhetft J.
na Baha.
. Domingos AlvesMatheus, sgente da|
^fabrica de lape superior Areia-Prela da
vBalu, lem aberlu um deposito oa ruaW
Vda Cruz, no Recife, o. 52, primeiro an-Q
Odar, onde se achara sempre dele ex-<
0cellenlee mais acreditado rap: ven-0
yde-oe eui boles de urna ,e meia libra,0
por preto commodo. Q
0OOsi>vv\>>00OOOOOOOO<
Vinho i|e Bordeuux ;
vende-se na ra da Cruz, n. i casa de Kalkinann Irmos,
Charutos de Suva na,
de superior qualidade : vendem-
se na ra da truz, n. io, casa de
Kalkinann Irniios.
a Vi-me perseguido com urna grande fe-
rela no lornozelo, que ae aatendia pela ca-
nalla cima al o joeliiu, lancava grande
port;o de nojenia materia, com comichees
que me privavam muiias nuiles do meu des-
canso, a eram muito penosas de auppor-
lar. a
OSr. biogo M. Connel, qoe havla sido
curado com a vossa stlsa-parrilha, racom-
mendou-meque eu Uzease uso delia,e de-
pois da haver turnado cinco garrafas flquei
per leiiamenle curado. > .
a Tenho demorado um Ano mandar-vo
um cei tilicado, para reconnecer com cer-
teza sea cuia era permanente, e tendo ago-
ra a maior satiafacto etn declarar que nao
tenho visto, neui sentido coeaaalguma du-
rante lodu eale lempo, e acbo-nie perfeita-
iiienii! reslabelecida. Son vossa, ele. >
5aruA *. InUri.
. 84u, ra Delancey.
Nesta provincia o nico ageute deste ma-
T'lfs^p ~?'?dG tf, ViCiiU Jo. oe uni,
com botica na ra da Cadeia du Recife.
#** rterar*
at (artas siipertliiaa $j
para voltaiete : na ra do fjuaima- %
tj do, ii. 25, luja de miudezas. a
999999999 9 9 t**9999*
Vende-se rap l'aulu-Cordeiro a 1,(4*
ra. o bole : na la do Liicanlamento, arina-
zem ii. II, por baixo do sobrado do reve-
rendo vigario du Hecire,
l.otciiii Aos 2o:oooi$ooo.
Na ra larga do Rotauo, botica n. 42,
vendem-se btltietes da 24.a lotera do Hio-
de-Janciro a bellelirio du Monte-Po, a aa
ber: inieiros 22.000o rs., meios 11,000 rs.,
quartos 6.700 is. oilavus 2,800 rs. e vig-
simos 1,4u0 rs.
-Coiiiiiia-se a vender manteiga ingle-
za uova, a 400 a ; caf om irrAo. a 160 rs. ;
o.u cu, a i,zu rs. : no palco do Camio,'
il. 2, venda uova.
-- Vriide-seuma escrava crioula de bo
Iuilaliguia, deia 2ianii8aJ, laz doces dk
ludas as qo. rena assucar, cose,
engomma, ceziraJta, fas renda e oa mais ar? i
- Fugiram, do engenho Cuararapes, da
freguezia da Muriheca, doua escravos, sen-
do um de noine Jub, da 20 annos pouco
tnajsou menos; he alto a cbaio do corpo,
Com flta de um dedo em um doa ps : a
o oulro, denotne Alfonso, de 18 annos, pou-
co mais ou menos, rosto bonito a leve-
mente lilhado, de altura regular, corpo
bem feito : ambos muito estpidos: quem
os pegar leve-o ao dito engaito.
Fugio, aa noile do dia 16 do correrle,
n prelo Luir, ciiuu lo, representa 2a anuos;
he baixq,cheic do corpo, um pouco futo,
nariz chato, olhos um pouco encovados,
Com faltas de denles, cabellos grandes a
com urna raforina pequea; lem algumat
Ciotrizes pelas costas, 6 um taino .naa eos-
las da mao rsqoerda ; levoo camisa e carea-
ras de risesdo de algodfio azul, lloga-se ai
autoridades policiaca a capases da can po,
que o apprehenam a leveni-no t la do
Catinga, n. 8, loja da selleiro, de Antonio
Ferreira da Coala Biafa, que graHBcara. <
seoo^ouo.
Fugiram de bordo do brigua
Sem-Par, vindo do Hio-de-Janei-
ro, doua escravos, sendo um de
nonie Sabino, de cor parda, esta-
tura regular, de ao annos poseo
mais ou menos ; levou calcas e
camisa azues, e bonete encarnado:
o outro de nome Enzebie, criou-
lo,de a4 aunos poucc mais ou
menos, estatura alia; levou calcas,
camisa e bonete azues. Roga-se as
autoridades- policiaes e capltfies de
campo, que os apprehendam e le-
veui-nos ruado Trapiche, n. 34,
casa de Novaes 6c Companhia, tfua
recompnsala.
( Fugio, na manhSa do da 7 do corren]
.c ,, uu eiiK*-iiitv Vriiio ue Japuatao, O
prelo Filippe, de afio Congo, de 30 aonoa
pouco mais ou menos, altura e corpo re-
gulares, olhos pequeos, cara comprida a
larga ; levou &.niisa e ceroulas da algodM,
cum a marca V na abertura, feito da ponto,
enapernadaceroulaa mesma letira F da
linha encarnada; lem o andar um puoco
balancado, ou farculs; costuma a trazer
cmgida a cintura urna patrona ; la al-
guna cabellos no buco e no quei*o, bem
feito de pea e peritas, cor um poaaaf
melhida: quem o pegar antrafai ao
proprietarlo do mesmo engenho, si
nerosamenie gratificado.
- Fugiru, do engenho Hha-das-M.iS7,
os preloa Candido, cnoulo, de meia uade,
calvo ; tem deus dedoM ^Bh' dirdita ce-
rnidos da mo naa do esfmho ; tem as par-
tas arqueadas : Conrado,' baln, cura as
macles du rusto haatairtea aaliei.i!, *sri* '
t-lialo | upp0e-se terem seguido paia Paja-
b-de-Fiarca : quem oa pagar leve-us ao
uno enako, que aera graiiticadManan
rs^pr cada.
50.0UOI
PilDt. ilUTTP. DKM. I. DI FaRIA 1*0
mi^Wk
________


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EF6K1689M_ZGEL9Q INGEST_TIME 2013-04-24T18:21:56Z PACKAGE AA00011611_07042
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES