Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07041


This item is only available as the following downloads:


Full Text
i
hnno XXVF.
Sabbado
PARTIDAS DOS OOBBEKM.
Colanna c Parahlba, t egundas c cxta feiras.
ltio-Orande-do-Norle, todas ai quintal felrai ao
ineio-dia. .
Cabo, Serlnhaem, RIo-Formoio, Porto-Cairo c
Macelo, no 1., a II e 21 de cada ni,
(lar.inbu.'ii e bonito, a 8 e 9-3,
Hoa-Vlita c Florea, a I3e 28.
Victoria, t quintas felrai.
Ollnda, todos os diu. -
EPHEMiniDEl
Nova, a 5, aos 3t ui. da t.
n .. jCreic. a 13, ao 10 m. da m.
\Mlng. a 28, s 2 horas da t.
pniAHAU BMBOU.
Primeira as .3 horas e 42 minutos da tarde.
Segnoda f 4 horas ct minutos da raanhu.
tle Outubro d 1850.
N. 237.
PRECO DA MJBlCBIppO.
Por tres mexes (adlaBtados) 4|000
Por aeis raezes 8/uOO
Por un anno lfifO
DA BA SEMANA,
14 Seg. S. Calisto. Aud.do J. dos orf edo m. 1 v.
6 Tere. 8. Thereu de Jess. Aud. do J. da 2. v.
do clvel. e do do feito da fazenda.
16 Quart. S. Martlnlano. Aud. do J. da 2. v. da c.
17 $ulnt. S. Heduvigcs. Aud.do i. doorf. edoin.
de I. T.
18 Seit. S. Lucas. Aud. do J. da 1. v. c. e do do
l'eitos dafaieoda.
19 ,-ab S. l'cdro d'Alcntara. Aud. Ja Chae, e do
J. da 2. v do civil.
20 Dom. S. Joao Canelo.
CAMBIO EH 18 DE OtTTUBB.0.
Sobre Landre, a28 lr2 d. por l000 r. a 60 das.
Pars, 316.
Lisboa. 100 por cenlo.
Ouro. (locas hespsnholas.....S9#000
Mocda de 6*400 velha. lb/OOO
de f}/40;> nova 16*10
de4f000....... it/100
Prata.Patate braailelro.... JjMJ
Pesos columbarios.....' 'a**
Dito mexicano.....-.. 1*800
a 30/000
a I6j100
a 16*200
a 9/200
a 1/980
a 1/980
a J/82U
ERRATA.
Na acia do trabaIho da cmara,municipal,
publicada hontem, na segunda pagina, pri-
ineira columna e linhas 13. em lugar de
2:000,000 de rs., lela-s 200,000 r.
m
PAR
i iii
T
ROFPIGIAL.
tyifUSlKIUtf VO lMl'fcttiO.
JMP*KIO..-l>r-cier a]ue-a Mima, cmara mu-
BrorpMti*tc1dide'ii> deire conceder li-
eenca para depositaren! ou conservarem
madeiras e mitro objeetos as praig e
cees, sena aequiescencia da capitana do
porto.
Segunda ecflo.IMo de Janeiro.--Minis-
terio dos negocios do imperio, em 2 de
agosto de 850.
Sendo presente 8 M. 0 I. o officio'ds lllma.
cmara municipal desta eidade de18 deabrH
ultimo, expendo a cotlisfio que existe en-
tre as use atlriboicflcs eosquese setis ex-
ereendo s espitania do porto a respeilo d
coneessSo de licenpas para se depositaren)
oh coniervarem dss praias e eaee madeiras
e ootros objeetos ; convindo por termo ans
cosflietos que i tem havidu, e fogosa-
mente contimjarao a dar-se emquanto se
nte conciliarem as attnbnipoes conferidas
capitana do porto com as que sflo da pri-
vativa competencia da referida cmara : ha
o mestno augusto senhor por bem que a
dita cmara em nenhum caso de lieenca,
querido loe for requerida para les depsi-
tos, sen acquiescencia da capitana do
porto.aquem para essefim sempre derer
previamente ouvir. O que manda commu-
nicar mesma cmara para sen conheci-
mento e eiecucJo prevenin.lo-a de que
ltala data se roga ao ministerio da min-
nha haja lambem de expedir aa precisas
ordena i capitana do porto para que asiim
seje por ella entendida a disposipSo de art.
14 do regaiamrnto n. 4*T de 19 de maio de
1840. licando na intelligeneia de que su
deaU modo, epela referida cmara, sarao
d'ora em diente concedidas aa.mencionadas
lictmeae.-^tacent/a de Mont'Kleri.
EXTRACTO DO EXPBDrBNTE DO DA 10
I1K SKI KMHltO.
Circular aos presidentes das provincias,
ordenando-se-lbes, que qutndo tiverem de
Tazer retardar o techamento das malas na
rcap'Ctlvas edministrapOes dos correros,'
avlsem disto aos competentes administ ra
dores por ordem escupa,t m que Ihes mar-
quen o prazo da demora, para que estes
possam publicar semethante deliberapSo,
ein.eonformldade do art. 111 do regulemen-
todeV de dezembro de 1644.Commuoi-
cou-se *o director geral do correio.
MIN1STEK1UD\ FAZENDA.
LF.l I*. Sil DE 1S DE SETEMBRO DE 1850
j46r endito ao governo para o pagamento de
divida di nereidos fiado.
D. Pedro II, por grapa de Dos e unnime
acclemspo dos potos, imperador constitu-
cional e defensor perpetuo do Brasil: fsze-
uros saber a lodos os nossos subditos que a
assembla geral legislativa decrelou, o nos
queremos a I-i seguinte :
Art. 1. He abenoao governo iim crdito
de 388:149,645 rii, para pagamento da di-
vida dos exercit i os lindos, desde o anno de
1828 aloflm do exerciciode 1848 a 1849,
liquidada i.t 10 de junho de 1850, e cons-
tante da seguinte tabella :
1'ertencentes a annos anteriores
au de 1*26.......1:323,0(0
de das sentencas do poder iudicjsrio que
condemnaram a fazenda publica, a pagar es-
las quanlUs.
Art. 5. Moapplicaveis sos crditos con-
cedidos por Uta lei as disnosico'es dos arts.
3. 4, 5 e ido decreto n. 462 de 11 do setem-
bro de 1846, fleando o governo autorisado a
realisar, por meio de preslaces, semais
conviar aos lateresses da fazenda, a indem-
nj4arfio a thesourarias orovinciacs, o os pa-
mentos a particulares queae-aobam nella
com templad os.
Art. A autorisacSo concedida ao gover-
no na lei do orcamenlo do exercicio de 1851
a 1852, para pagar as dividas de exercicio
(indos que se forem liquidan lo da 27 de ju-
Iho do corrente anno em dianta, at a im-
portancia dos crditos votados para paga-
mento de dividas desta especie, nlo lie ex-
tensiva a provenientes de despezas extra-
ordinarias occasionadas pelas rebellides
que liveram lugar em diversas provincias,
as quaes so ser 9o pagas depois que os fun-
dos forem votados pelo poder legislativo.
O governo apresentsri assembia geral
prxima futura sesslo a liquidacte das
dividas desta origom.
Art. 7. EslSo em vigor os crditos abor-
tos pelas resoluedes de 7 de novembro de
1831, e 23 le oulubro da 1832.
Art. aVFicam revogadas aa disposicoes
em contrario.
Mandamos porta uto a todas as autorida-
des a quem o conheciment e execu^So da
referida lei pertencer, que a cumpram e fa-
cain eumprir e guardar lio inteiramente
como nella se conten. O secreta, io d* es-
lado des negocios d fazenda a faca impri-
mir, publicar e correr. Dada no palacio do
Itio de Janeiro, aos 16 das do mez de se-
tembro do anno do 1850, vigesimo-nono da
independencia e do imperio.Imperador,
com rubrica e guarda.loaquim os Rodri-
gue Torre.
Carta de lei pela qual Vossa Magestade 1 n-
perial manda executa o decreto da assem-
bia geral legislativa que houve por bem
sanceonar, abrindo crdito ao governo
para pagamento de divids de eiercicios
lidos e dando outras providencias, como
nella se declara. Para Vossa Magestade
Imperial vr, Jos Julio Dreys a fez.Ense-
bio de Queiroz Coutinhp 511 lioso Cmara.
mellada na ciiaucellaria do imperio, em 19
Jeselembro de 1850 -Josino do Nascimen-
lo Sil va. Publicada na secretaria de Estado
o negocios da fazenda, em 27 de setembro
do I8UJos Sevuriano da Mocha, servlndo
de oflicial-maior.--Registrada na secretan
de estado dos negocios da fazenda no iivro
competente, lito de Janeiro, erp 27 de se-
tembro de 1*50. ~ Bernardo Rodrigue de
furia.
io anno de 1826-27
1827-28
a 18)8-29
> 1829-30
1830-31
1831-32
183233
a 1833-34
1834-35
1835-36
1836 37
1837-38
a 1838-39
1839-40
1840-41
a 1841-42
>' 184a43
1843-44
1844-45
a 1845-46
. RlC i-r
1847-48
1848-49
888,613
932,436
1:555,910
9:934,641
4:863,553
9:350,401
5:250,638
9:251 286
6:774,223
51:584,258
68:827.921
32597,363
50:655,654
18:555,655
15:067,963
32:091,720
2S.C""- 2
32!25623
12:844,658
386.149,615
Art. 2. He da mesma forma aberlo um
crdito de lia. 94.886,441 paia pagamento de
dividas da mesma nalmesa liquidadas de 10
dejolbo at 97 de junio de 1850.
Art. 3. Estes crditos serio distribuidos
pelo ministro da fazenda do moJo seguinte:
GOVERNO DA HUVlNCIA
EXPEDIENTE DO D/A 18 DO CORRENTE.
OlDcio.-- AoExrp. commandanle das ar-
mas commnicando que 8. M. o Imperador.
s.igundo fui declarado em aviso do minis-
terio da guerra datado de 21 de selembn
ultimo, mtuve por bem prorogar por tres
mezes com sold simples a Iiconc, com
que se acha na corte, para tratar de suasau-
de, o capitflodo 2.' batalh&odeartilhari a
p Antonio Alves Carqueija. -- Intalligen-
con-se ao inspector da pagador! militar.
Dito. Ao mesmo inleiraodo-o de haver
S. M. o Imperador, por deorelo de 21 de se-
tembro ultimo, segundo fot declarado em
aviso do ministerio da guerra datado de 26
do mesmo mez, concedido passagem para o
5 blalli3ode caradores ao tenente do Io
da mesm arma Candido Francisco de San-
267,954 la Anua quo se acha na corle Comrau-
709,308 nicou-se ao inspector da pagadoria militar.
722,845 Dito. Ao mesmo, scientincendo-o de
767.650 ler S. M. o Imperador, conforme fui decla-
addidnsaqui ao contingente de artilhari
Parlicipou-seao Exm. vice-presidente das
Magis.
Dito. Ao mesmo commnicando qoe S.
51. o Imperador, houve por bem mandar
ossar para o 7." bataihSo de fuzileirn>,
conforme foi declarado em viso do minis-
terio da guerra datado de 26 de aetembro
ultimo, o sargento sjudante Leoncio Jos
Rarbos o cabo de esquadra Aonllinarm
los Ferreira e o soldado Manoal r'erreira
todos perlencentea ao 8.a batalhSo de 01-
rjldo'es.
Dito. Ao mesmo declarando qoe S. 51.
o Imperador, segundo cnnstou de aviso do
ministerio da guerra de 20 de setembro ul-
timo, houve por bem mandar dar baixa
do servico ao cadete do 2. tutalho de ar-
tilhiria a p Carlos Augusto Lins de Souza.
Dito. A o mesmo, scimitifca ndo-o de ha-
ver S. 51. o Imperador segundo foi decla-
rado em aviso expedido pela secretaria de
estado dos negocios d guerra com data de
31 de agosto ultimo prorogailo por tres
mezes com sold simples a liconca, com
que se acha na corte para tratar de sua san-
ie, o l. tenente do 2." bslalhSo de artillu-
ria a p, addido an I.* da mesen arma Car-
los Bernardino de Moura. -- Inteirou-sc ao
inspector da pagadoria militar.
Dito. Ao mesmo commnicando, que S.
51. o Imperad.ir, segundo conslou de aviso
de ministerio da guerra datado de [20 de
setembro ultimo, houve por bem mandar
le se ass'nto praca no 2." hatalbio de ar.
Miliaria a p aos fllhos do major Felippe
Duarte Pereira de nomes A meneo domen-
uno Duarle, e Felippe Duarte Pereira J-
nior, devendo-os considerar com lieenca
registrada nesta provincia para continuar
a esluJar preparatorios
Dito. Ao inspector da thesouraria de
fazenda commnicando que por aviso do
ministerio da justiga datado de 25 de se-'^VVuena'^
'emhro ultimo, foi declarado que o gover-j^g ge(em|)ro:
Dito. Ao director das obras publica,
dizendo que pode mandar tirar no arrecife
do porto desta cidade a pedra de cantan
que fer precisa para o caes junto ao arco d-
ConceicRo, pura a casa de delenQSo e para
nutras obras de urgente neceas! ladea csrgn
daquella reparticSo, entenden lose primni-
ramente com o capitBo do porlft para Ihe
indicar as parles do mesmo arrecife donde
ileve erell tirada. Communicou-se ao
reeii- epii5o do porto.
Comm;ii(!o das armas.
Quarle general na eidade do Recife, em T de
nulubro de 1850.
ORDEM DO DA N. 108.
0 Sr. marechal de campo graduado, Anto-
nio Correa Sera, commamlante das armas,
em vista de commnnicacAes que Ihe foram
fritas na data de hnnlnm pelo ICxm. Sr. pre-
sidente desta provincia, manda publicar pa-
ra conhecimenlo da guarnic.a'o :
1 Que S. M. o Imperador houve por bem
or decretos de 21 de setembro nltimo, con
ceder ao Sr. tenente-coron -1 grailuado do
orimeiro lialalhilo de carjadores JoSo Cui-
llierme de Broce passagem para o stimo
liatallio de fuzileirns, e ao Sr. tenente-co-
ron-'l grad'iado rio estado-maior da primei-
ra classe do exercito Jos Pinto da Silva pa-
ra o referido primeiro batalhilo decapado-
res, sezun lo foi d -clarado em avisos rio
ministerio da guerra de 30 do ctalo mez :
2 Qie por decretos, tamborn de 21 dp
setembro, o mesmo augusto Senhor foi ser-
vido conceder passagem para o quinto ba-
talhSo de capadores, aos Srs capilSo ilanoel
Jos de EspinJola e lente Candido Fran-
cisco de S nta-vma e Oliveira, sendo -
luelle para a tnreeira co-npanhia, confor-
me se deelarou em avisos do mesmo minis-
no imperial conceder um anno de lieenca
com vencimento de mei congrua ao cone-
jo da S de Oliada Francisco Jos Peixoto.
para tratar de sua saude. Inlelligenciou-
seao DeSo da mesma Se.
Dito. Ao director do lycen, dizendo
3.* Qui o governo imperial houve por
bem conceder seis mezes de licenoa com
sold simples ao Sr. canitiTo do quinto ba-
talhilo de fuzileirns Firmino Jos da Silva
llraga ; Ires raezes com sol lo simples para
vir a esta provincia ao Sr. alferes do stimo
flcar sciente de que no dia 18 do corrente haU|ni ue fuzileirns EslevSo- Jos Paes
lever proce ler-se ao concurso da substi-
tuido das eiden.is de primeiras letras do
sexo femininn desla eidade.
Dito. Ao juiz relalor dafjunta de jusli-
ca transmittiiiilo para ser-arpresentado em
sessao da mesma juma os processos fetos
aos soldados Jos da Cruz, Jos Amajicio e
RemSo Joaquim, este do 8." batalhSo de
capadores, e aquellos do 1." da mesma ar-
ma. Intelligenciou-se ao Exm. comman-
danle das armas.
Dito. Ao inspector da pagadoria mili
Barrito; prorogar por tres mezes com sol-
d simples a licenpa com que si acha na
corle, para tralardesua sarie, ao Sr. pri-
meiro tenente do segundo batalhilo de ar-
tilhari) a p addhlo ao iirimeiro da mesna
arma Carlos Bernardino de 5loura ; e final-
mente prorogir tamhem por tres mezes
.....ii sold simples a iicenpa que goza na
CiVle para tratamento de sua sa le o Sr.
r i |iiia" do mesmo balalhSo segundo Anto-
nio Alves Cargu"ja, sendo a primeira destas
disposiertes declarada em aviso da renarti-
tar, mteiran lo-o de havorem o cabo d'es- .5jt Kprril de 5, a segunda de 26, a ter-
. un I i>< ilii .iiiiiiii .tu ha I a I K ft itn iMnailni'ii.< > .
Ao mii.terlo du imperio.
da justiga.
dos negocios es-
trani^eiros. .
da mantilla.
da guerra .
da fazenda. .
19 780.151
26:139,052
2:069.305
21:578,891
244:715,809
166:721,772
481:036,086

Art. 4. He, igualmente concedido ao go-
verno um creuitu de 5:376 610 ris, para pa-
gn.emo de 2:080,000 lis os lierdeiros do
Haaoel Jos Machado; e de 3:29.6,610 ris
visconde do Rio Vermelho, em ,virJ,uv
rado em aviso do ministerio da guerra de
26 de aguato prximo lindo concedido tros
mezes de licenpa com sold simples para
vira esta provincia ao alferes do 7.* bata-
lhilo de fuzileiros E-tevflo Jos Paes Brre-
lo loteirou-se ao inspector da pagadoria
militar.
Dilo. Ao mesmo commnicando que
por decreto de 21 de setembro ultimo, se-
gando foi declarado em aviso do ministerio
da guerra datado de 30 do citado mez, S. 51
o Imperador, houve por bem conceder pas-
sagem para o 7btalliSa de fuzileiros ao
lenente-coronel graduado do l. de capado-
res JoSo Guilherme de Bruce, e para este
batalhSo o tenente-corouel graduado do
esds s:;:cr ds !." cUodo eierci*" in*
Pinto da Silva. Scientillcou-se ao inspec-
tor da pagadoria militar.
Dito. Ao mesmo, intelligencUndo-o de
tar S. M, o Imperador, por decreto de 21 de
setembro ultimo, segundo conslou de aniso
do ministerio da guerra de 26 do mesmo
jaez, concedido passagem para a 3 com-
panhia do 5.a balalhSo de capadores ao ca-
pilSo do 1 da mesma arma Manoel Jos
Kspindola. Communicou-se ao inspector
da pagadoria militar.
Dito.-- Ao mesmo inteirando-o de haver
S. M. o Imperador, conforme fui declarado
em aviso do ministerio da guerra datado
de 5 de agosto prximo lindo ; concedido
seis mezes de lieenca com sold simples o
capitSodo 5. batalhSo de fuzileiros Fumi-
no Jos da Silva Braga. Inlelligeaciou-se
ae inspector da pagadoria militar.
Dilo. -- Ao mesmo transmitlindo, para os
lins convenientes, as partes aecusatonas e
mquiripOea acerca das diserpoes dos sqlda-
des Vicenta Ferrol ra LimaeMmoal Pereira
dp 3.a bauliuu de arlunariaa p, lUyiniiu-
d da Santos Fernando, e corneta Jlo
lujptisu de Carvalho do 2," dneapadoras.
lUadra do segundo balalhSo de capadores
JofiuGualberlo deMeatsias eo soldado do
quinto de fuzileiros Gervasio Antonio Pre-
go, depois de concluido o seu lempo de pr>-
pa contratado, no* termos do decreto e re-
gulameulo de 18 de novembro de 1818 para
continuar no servipo do exercito, o primei-
ro mediante a gralidcapSo de 180,000 ra. e
o lagundo pela de 200,000 rs ; e ordenando
que liles mande pagar aa referidas gratili-
caces, sendo 59,000 ra A vial e o resto em
prestapOes meusaes de 10,000 rs. Com-
municou-se ao Exm. commandanle das ar-
mas.
Dito. Ao mesmo, para que mande in-
deiiiuisar a caixa do oilavo batalhSo de ca-
padores da quintia de 10.560 rs. que se-
gn Jo os recibos que remelle em duplica
ta, se despenleu com a iahumapSo dos ca-
dveres do corneta Coral lo Corroa do Arpa-
ral e do soldado Antonio Francisco de I.una,
ambos do mesmo balalhlo. -- Inteirou-se
ao Exm. commandanle das armas
Dito. A Jos de Brito Inglez, transmit-
lindo copia du aviso expedido pela secreta-
ria de estado dos negocios da guerra com
data de 30 de setembro ultimo, do qual
consta que S. 51. o Imperador houve por
bem, por decreto da 24 do mesmo mez,
transferir S. me. da inspectora da paga-
doria militar desla provincia para igual lu-
gar na de S. Pe tro do Rio Grande do Sul em
substituipSo do actual inspector daquella
iiagadoria Luiz Cesar deAlliayde, quepas-
si a ter o mesmo exercicio na 'aqui, e or-
denando, em cumnrimenlo do referido avi-
so, que solicite o seu Ululo, e passe a ins-
pectora a seu cargo ao dito Athayde logo
que elle pira isso so aprsente, Neste sen-
tido olllciou-se ao Exm. cummandanle das
arm>; o O opCCi?* da tbesourarj; (
zenda. i
Dito. Ao inspector do arsenal de tnari-
nh, remetiendo copia do aviso do minis-
terio da ma-inha com data de 30 de setem-
bro ultimo, no qual se exige urna informa
pto circumslanciada do estado daquella
inspoepSo comas declarapOss mencionadas
ea\ dito aviso.
Dito. Ao inspector da thesouraria da
fazenda provincial, para que, vista do al-
testado passado pelo director das obras pu
tilicas, mande pagar ao arrematante do 10.
lanpo da estrada do Paod'Alho Jos Xiviej
Caroeiro Rodrigues Cm, ello a importancia
da ultima prestapo delianpa, a que elle
tem direito por ter sido a mencionada obra
receida definitivamente. -- Scienlilicou-se
ao mesmo director.
Dito. Ao agente d compaohia das bar-
irdenaudo, em cumplimente
le avisou miiiislci io d: g^Sira datado d.-
8 de setembro deste anno, quemando dai
passagem para a corle por couta do estado
ue primeira vapor que seguir para o sol a
faanilia do tenenle-coronel graduado JoSo
GiriMierme de Bruce.
ceira de 31 ludo de agosto, e a quarta de 2
do i rnximo passado tu -z :
O mesmo Sr. marecial determina por
tanto, que o Sr. capilSo )l.......I Jos de Ks-
pindola, passe o commando interino do ba-
talhSo primriru de capadores ao Sr. CapitSo
JoSo dos Passos N .omneeno.
Irancisro Cario Bueno Dtsehampt,
CapilSo ajudante de rdeos.
EXTrtlO
O FALLECIDO CO.MIF. DF. NFTJIXY, EX-REI
DOSFIUNCEZES.
O fallecido conde de Neully Luiz Filippe nas-
ceu em Parla a 6 de outubro de 1773 e era o
primognito de Filippe Jos, duque de Orleana.
vulgarmente chamado Filippe Kg ilite*. e de .Ma-
lla lilha do duque de Penlhlvrc. I'.-I.i- i I por
pais cuidadoso e benvolos, o futuro rei aslg-
nalou a sua juventude por muito actos de be-
nevolencia que revelarain um caraetc snlli-
cienta para merecer a alta recoinuiendacao di
celebre madama de Genli. A educafiio sabia
ejudiciosa dada por esta senhura era bem cal-
culada para fazer desabrochar <|Uaeaquer boas
qiialidades talentos no espiritas das pessoas
cillocadas debaiio de sua dlreccao, O diario
do duque de Cbartre moslra que elle nao foi
iiiteir luiente isi'nt-i das il-niirin is revoluciona-
rias, e esa< ideias foram mui aniiuad.i9 pela
sua liga, como club Jacobino.
Em 1791 o joven duque o qual previamente
tlnha recebido a nomeacao de coronel para o
14.* regiment de drage, a&sumio o comman-
do dcae corpo, e quaai o piimeiro acto de ua
autoridade fui (alvar do furor da caualha a
dom clrigos que, como oulros muitos ti-
nham revisado prestar o Juramento exigida
pela constitulcao. O duque de Chartres dea-
euvlvcu nessa ncasiao inuita corageui pessoal,
e leual tacto em guiar us senlimentos da caua-
lha enfureciua. lie igual coragrm deu elle pro
va i.ilvando de er afogado a Mr. de Siret de
Vendme, engenheiro de pontes e calcada pe-
lo que a cmara municipal daquella eidade Ibe
fez presente de uina corda cvica.
Em agosto de 1791 o duque de Chartre a-
li i ile Vendme coia.o seu regiment pr Va-
leociennea, e fe sua primeira campvnha em
abril de 1792 quaodo a Franca deelarou guerra
a Austria. Elle cotnbateu em Valuiy frente
das tropas que Ihe loram confiadas por Keller-
iii.in a 20 de sei-mbro de 1792, e depui a (i de
novembro debaiio daordena der Dumourler
em Jeinapnc. Durante o periodo no qual o
duque de Chartre etteve einpenhadu em suas
operacoes mllltaie, a re'volufao foi camiuhan-
do apreada para a sua en.se. O decreto de
banlmenlo contra a familia Bourbon Capel,
logo depol revogado, parece .ter aasuttado o
espirito do duque, o qual inatou com iru pal
para qoe fotieui procurar asylo em una prala
estrangeira, visto ser nina desgrapa ler elle de
tomar parle no julgamentode Luiz XVI. O du-
que de Orlean< ::;o deu attfacSa 2 "tas reprr-
senlaedt, e o duque de Chames, vendo que
nao era attendido, vollou para o eu posto no
eaercilo. A eaecucao do duque de Urlean, a
qu*l leve lugar a 21 de Jaueiro de 1793 verlfl-
cou logo depois a anlccipaces melanclicas
dofilho. Sete mezes depois da morte de seu
pai, o duque de Chartres e o general Dnmou-
rler foram chamados perante a commlsaao de
lalnpa publica, e ambos conhecendo a natu-
resa sanguinaria desse trihunal fugiram ins-
tantaneamente para a fronteira. A deapelto
-tas deligeneia que foram felfas para o* apa-
ohar, elle poderam ambos eCapar-se r/ira os
paiie Aalios, enlSo debaiio da denowinacao
la Austria. As autoridade austracas oonvl-
darain o duque para entrar em 'en aervlcn, po-
rm elle, recusando honrosamente pegar em
armas contra U'* patria, rrtlrotl-se rar vldi
particular, dirigindo-se como viajante a Mx-
la-CUapelle, e CobleoU com destino Snissa,
nao obstante ter comsigo mui poueo dlnheiro
e achar-se de hora em hora cercado de perigos.
Mademolselle Adrlalde de Orleans fugio para o
mesmo pal com sua ala madama deGenlis. e
encontrando a seu irmao em Schafhausen a-
companhouo a /urieh. Os fllhos mais mno5s
do duque de Orleans foram postos em liberda-
de depois de uina prliao de tres annos, sobre a
proinessade se transportarem para os Estados-
Unidos.
Cli'gaudo a eidade de Zurich, o duque de
Chartres achou os emigrados fraocezes desfa-
voravelmente dipostos par com a casa de Or-
leans e os magistrado do Cantar, nao quizeram
conceder refugio aos fugitivos, teniendo a vln-
ganca da Franca. Deisaudo portanto a eidade
-te Zurich o mais particularmente que Ihes foi
posslvel, elle pasar*in-sc paraZug, onde al-
lugaram uina pequen casa, mas sendo logo
degeobertos, obtiveram por inlercesso de n.
le tlontesquiou ser adiniltidos no convento de
Santa Clara junto de Haumgarten, atravessan-
11 o duque de Chartres os differenies paizes
11 Europa, fallo dos recursos necessarios.
Depois de visitar Haailea. onde vendeu os
seu cavallos. elle alravessou i Suissa aeoinpa-
nhado p^lo seu servo fiel It.iudoln. Os recur-
.os do infell viajante decrescam de dia ein di i.
e pareca que elle seria brevemente obrigado
i trabalhar para ganhar o seu pao quotidi.no'
quaodo recebeu uina ca-ta de M. de Mootes-
quiou nformando-o de que Ihe tinha arranja-
-io o lugar de prnfessor na academia de Relche-
uau, villi ao sud-ste da Suissa. Chegando a
esta I 111-I lile, elle foi csailliuado e enill no-
iie.nlii professor. nao obstante ter menos de 20
annos de idade. AH tomou elle o nomc de
'.h iliiu I 1. 11 .ni-, e oube pela primeira vez da
sorte de eu pai. Ein consequencia de alguui
agitacao nos Grises, mademoiselle de Orleans
I-i v ni o seu retiro em Baumgarten e procu-
rou a piule,-, ni de sua tia, a princea de Contt
na Hungra. Ao mesmo tempo Mr. de Slontes-
quiou olTereceuan duque de Chartres um asy-
11 em sua propria casa ein Baumgarten._onde
elle perui mecen debaino do lime de Gorbv
at ao fin de I7J4, quando fot obrlgado a dei-
xareste lugar por ter sido descoberto.
O fugitivo tent ni eutiio ir para a America, e
resolveodo embarcar em Jlamburgo, dirigi se
para aquella cidide onde chegou no principio
de 1795; mas por falla de meios foi obrigado a
abandnnar este prnjecto. Sendo prvido de
una letra de cambio sobre um banqueiro de
Copenhague, elle alravesaou a p a Suecia e a
Noroega, e chegou aocabo do norte em agosto
de 179 i. IVala volt iu logo depois para Tornea,
donde passou para Abo eatravess u a Finlan-
dia evitando sempre a Russia por inedo da ni
peratriz Catharina. Dep lis de completar sua
viagens pela Noruega e Suecia e de ter sido re-
couherido ein Storkolmn, elle atravesiou a Di-
namarca del> ii vi de um nome suppnsto.
N goeiapties fd'a u enlSo abenas pil par-
te do directorio, o qual d bal le tinha ten-
tado descobrir o lugar do exilio do joven
nrincipe, para in luzi-lo a ir para os Esta-
dos-Unidos, prometiendo no caso de elle
eslar por isso, que a concpSo da duque-
za de Orleans seria melhorada, e que seria
permitiido aosseus irmfios mais mopos o
tem para a sua companhia. Foi por inter-
medio de Mr. We.-tf.u d de Hsmburgo que
esta carta chegou s mSos do duque, o qual
aceitando sem hesitapSo os.termos que Ihe
fonm proposlos, emb-rcou-se no American
o fazendo-se de vella di embocadura do El-
ba com oeeu servo llsndoin a 24 de setem-
bro de 1796, chegou a Philadelpbia 27 das
depois.
Em novembro seguinte o joven principe
recebeu all os seus dous irmSos vi idos de
Marsella, e lodos tres passaram junios o in-
vern naquella eidade. Depois elles visi-
taram 51nnte Vernon, onde contrahiram in-
tima amizade com o genoral Washington,
viajando pelas partos occidenlaes do paiz,
v illar.iiii Piula ielphia depois de urna lon-
ga e fatigadora jornada Elles visilaram
\ ivj-iirii-ans e passaram-se para II vana
em um mvio inglez, ms a falta de delica-
deza com quefram tratados pelas autori-
dades hes-iaiholss obrigou-osa s (aquella ilha e a passar-ae para as ilhas Ba-
tanlas, onde o duque de Kenl os tralou
C un milita beuiguidade, entreunto como
esle nSo e-iives-e aulorisado para dar-lhes
passagem para a Inglaterra em urna fraga-
ta inglez, elles embarcaram-se para Neiv-
York, e dalli t!zeram-se de vella em um na-
vic .! psrs Ing'.tcr.-i, ;!i:r.Js
em Falmoulh no me/, de fevereiro de 1800.
Di Falmoulh elles dirigir n-se para Lon-
dres e f'am residir em Twickenha n, onde
por algum tempo viveram tranquillos, sen-
do trata-Ios com distiucpSo por tolas as
chsses sociedade. Todava ssbendo que
a duqueza de rleans eslava detida em Hes-
panha, elles solicitaram e obtiveram do go-
verno inglez peruiissilo de ir a Minores em
urna fragata ingleza.
O estado perturbado em que se achava a
ilespanha nesse tempo nSo Ihes permiltio
alcanparem o seu fim, e depois de urna via-
gem incommoda os tres irmSos regressa-
ram para Twickeuham, onde se entregaram
ao esludo, e nenhum suocessode impor-
tancia perturbou o seu retiro al a morte
do duque de Montpensier, a qual leve lugar
a 18 de maio de 1807. Este piiucipe foi se-
pultado na Abbadia de Weslminster.
A ade do cumio uaujolilu COSSyOB
logo depois a declinar do mesmo modo que
a de seu irmSo. Os mdicos fOram de opi-
niSo que elle devia ir residir em um clima
mais quente e or isso foi elle obrigado a
partir para Malta, onde morrea em 1808,


. -- .-o -
-T-TS-!-
sendo sepultado ni Igreja de S.-JoSo de Va-
letta.
O duquo de Orletns, delxando entSo Ml-
ta, parti para Messina na Sicilia, em con-
sequencia de um convite que rerebra do
rei Fernando. Durante a sin residencia em
Palermo, elloganhouas m-ocOf da prin-
cesa Amelia e com o consentimento lo rei
e da duqu7a de Orleans, casou com ella
noannn de 1809.
Nenhum acontecimento importante as-
signalou a vida do joven por at o anno de
1814, no qual ga annuncinu em Palermo
que NapoleSo tinha abdicado o throno, e
que a restauragflo da familia Bourbon ia
ser elTeituada. O duque embarcou-se lm-
medialamante para a Franca e chegou a Pa-
rs 18 de maio, sndo-lhe restituido pou-
co tempo depois o gozo das honras que elle
tambem mereca.
A volta de Napolefio em 1815 perturbou
logo a sua Iranqulllidade, e tendo mandado
sua familia para a Inglaterra, elle passou a
tomar o commando do exercilo do norte
r.iTa o qual tinha sido nomeado por Luiz
XVIII. Nesla atuagflo pemsneceu ateo dia
24 de margo de 1815, no qual entregou este
cocnmandoao duque de Treviso e retirou-se
para Twiclcenham.
Quando, depois dos 100 dias, Luiz XVIII
ordenou que todos os principes de sangtu
fossem occupar os seusassentos na cmara
dos pares, o duque recollieu-se Franca,
mas por suaa opiniOfs liheraes, tornou-se
ISo pouco agradavel administracSo que
julgou prudente rollar outra ve para a In-
glaterra, onde p-rmaneceu at 1827.
N'esse anno elle voltou para a Franca, n
alli viveu particularmente at revolugSo
de 1830.
Nflo julgamos necessario referir circums-
laociadamenlaosaconteciaienjos deslo pe-
riodo terrivel queiterminou com a collo-
cagflo de Luiz Filippe sobre o throno da
Franca e bem assim a historia subsequente
do mu reinado, porquanto taes aoonleci-
mentos sflo bem conhecidos a dispensam
toda a rocapttulagilo.
( Timia.)
........ mi
M.MIII ii-pmwwiii:
limoso cidadSo o ente coronel Antonio
Francesco Cordeiro da Carvalho. O brasei-
ro a m i (jo Q> sua patria, o empregado probo
e justiceiro, o hom lilbo.bom pai, bom es-
pnso e bom amigo, o protector da huma-
niilade, ja no exifte. Fol no da 12 do se-
tembro atrozmente aeaattinado porum sol-
dado de primeirn llnhe do destacamento
na villa do Brejo.que o olecalhava amargem
do rio Tabocas. A mais rcesquioha intriga,
e a inveja urdirn o mais Injusto dos pro-
cesaos, como virtuoso amigo foi langado na
lista dos culpados/ mas vendo-se que sua
innocenceia o salvara do rigor das leis,rec-
corremamais barbara das vingnngas. Oh!
immoralidade.' Oh.' perrersidade e covardia!
o que (/.estes? Arrojastes i sepultura o ho-
meni sem mancha, aquella que era todo
probiila le Feras sdenlas de sanguehu-
mano / at quando caminliareis impunes
na estrada dos crimes ? lieos justo, mandai
sobre a cabera do pervarco a espada da jus-
tic, castiga os roubadores de tflo preciosa
existencia, Oh .' patria oh liberdade, per-
deste um corajoso defensor; aquella mes-
nio que por vezes impunhou as armas, e
que em tua deles regou a trra com seu
angue, ja no existe Sim, charo amigo,
j nflo existes ; mas, tua memoria existir
sempre nos corachas de teus fiis amigos,
os quaes derramando sobre leu tmulo co-
piosas lagrimas, nflo cessardo de em leu
favor dirigir ao Altissimo fervorosas pre-
ces Repousa alma pura l nessa celestial
liabitagSo dos justos, e li mesmo dessa eter-
uldade aceita um ai maguado, ouve um sus-
piro de quem sempre-te cousagrou a mais
fiel amisade.
iodo Florentino Cavbante de Albuqueque.

>2<
Obsirvacdo.
Fez-se a vela a corveta ngleza Twied.
enmmandante Lord Francis Russell,
cruzar.

KDI'TAES.
~r
Com sponde.icia.
HICIFC, 18 DI ODTBBnO DE lt.
Temosa vista algnns ejemplares dos Pe-
rmitiros dos pobres no Porto que alcangam
a 13 le selemb'o.earcusam dalas de Lisboa
al 7, do II spanha e Frang at 6 e delu-
diste r at 7.
l'i'tugal ficra plenamente tranquillo.
Deso>brira-s na allandega grande urna
porgan de volumes de lencos de algodSo,
qoe inte- meados de alguns le se la, U i vi mi
ido a despacho, como se fossem todos da-
que-lla quali lade.
Em MoncSo hnuve um horrivel incendio
un convente dos extinclos paires da Cnn-
gregagflo do Oratorio ; e a pesar do zelo e
ar-tidado das autoridades, apenas se pode
salvar a igreja a a parle do edificio qua lie*
ao nnrlH :
llespanha gosiva desneg.
A 2* lo agosto deviam de trocar-se as
raticagoes dos tratados de es-tradicgflo dos
criminosos entre a Franca e a Hespanha pe!n
rmhaixador-da repblica franceza e por
Mr. 1'iJad ministro dos negocios eslran-
geiros.
Era a cada momento esperado em Porto-
I.bao. Mr Rarlholomi, portador da urna
espa.fa que Inven lo pe'lencido ao Impera
dor Na >oleflo, fra mandada do prsenle ao
general Narvaez pelo o actual presidente
oa repblica franceza. T8o subido testemu
nlio da estima e eon.siil-r.igno que ao nu-
bre general hespanhol vota oprimeiro ma-
gislra lo da Frang, echuberantemenle pro-
va a harmona que rema entre o governo
dos dous paizes.
Eslavain lindas as eleigOcs ; os progressis-
tis apenas poderSo mandar as corles um
pequeo numero de seus aliados; sendo
ilno nan conseguiram a eleigSo de Co-linas,
Olomaga, San Miguel, Sagarle, M 'ndis.bal
Entretanto, como tioham liavido eleiges
duplas e trplices, conlavase com 17 vaca-
turas no congresso, logo que se elle reu-
niese.
Srs redactores.A homenagem que devo
a verdade, me i>nr Oo o sagrado dever de dar
a Dos o que pertenec a Daos, e a Cezar, o
que he de Cezar. Acliaurto-tiio preso a mu-
tos dias ruis cadeias de-te cidada?, e na..
tendo quem para meu livramento promo-
vesse um s passo, hel encontrado no tl-
lustre Sr. I)r. promotor nflo um frreo ac-
cusador como fiscal da jusliga, mas um pro-
lector, um pai, um amigo, que mostr.i s
anhelar, proligalisar-me eom humano e
hrasileiro coragJo. j requereudo aos meus
joizes, e ja influndo no avance do meu pro-
cesso ; tenlio ja recebido de sua ptliian-
tro >ia todas as munificencias de tama alma
nobre e cavalheirismo nflo meoMa. Hon-
ra e glora sej i dalo ao mu IKnstre Sr
lir. promotor, prosiga S. S a trilhar estaS
honorfica estrada digna do alto 'lugar que
necupa, que eslou cerlo sra pretor da es-
tima de lodosos ho'iions huiiestos, huma-
nos e alvies : e os cos Ibes derramara suaa*
eeb'Sliaes InMigflos.
Ileeslaa simples lingoagem da verlale,
a do meu deliil roconbeciment : praza aos
oos, que todos quaulos drigam a florida
vara da jusliga o s jam com tanta mparcia-
lidade, quanlo lenlio recoultecdo na sila
consciencia do Ilustro Sr. |)r. promotor pa-
ra com a mirilla causa em questiu.
Sirvam-se, Srs. redactores, dar publri-
la le a estas linhas, do seu Veiioradur e obri-
gado.
Theodoro Marque Vieira.
l(epartir;<1o da polica.
Tinha sido preso em Placencia, por auto ju-
dicial, o uiarquei de Albarda, demcrata exa-
gerado.
Em Franca contlnuavam a dominar a prin-
cipios de ordeni: oa vennelhoa commoDjta< e
socialistas viain a cada pasio fruitados os seus
melhores esforcos.
O presidente prosegua em suas visitas aos
departamentos ; e no de Caen, onde enlrava no
dia 4 do passado as 6 3;4 horas da tarde, fura
recebido no mel de vivas ao presidente, a
Hapolelo.
Tinham-se tambem manifestado pela unio
da constituicao oa conselhos dos departamen-
tos de Air, Cote-d'or, Sena inferior e Meuse.
Aps um banquete desordenado que ouvera
lugar em Mirabel alguns socialistas que nelle
convlveram foram em bando a residencia dn
parodio do lugar e abi atroaram os ares com
cantigas indecentes.
A 6 de setembro selebrara-se em Pars, na
cape lia das Tulherias um omcio pelo rrpouso
da alma de Luiz Filippe.
*"Oj-_.. ...
" < .. ,mi>in.i V ICguuiM .
O presidente da republica escrereu rai-
nha Amella annuociando-llie que elle autori-
aava a familia de Orleans a laier conduzlr para
Franca o corpo do rei, e que nermiltia a iodo,
os meisbros da familia o escoltarein os despo-
jos mortaes do ene fe da casa de Orleans, com
condico de que oa principes deUariam a Fran-
ja eui a inesuaa nolte daiohuina;o do corpo
do re atas catacumbas ala caprlla de Drena
Rrspondeu-sr negativamente a esta propo-
aico.a
As noticias de Inglaterra nada adiinlam as
que publicamos can o Diaria n. 282 de M do
crreme.
PAUTE DO DIA 16 DE OUTURRO DE 1850.
Foram presos : a ordem do delegado ilo prl-
meiro districto do terinn do Reclfe os Portu-
gueses Antonio Jos Perrlra de Miranda e Juao
Fredenco de Abreu Reg, como indiciado em
crime de reduzir a eacr e Antonio Luir da Silva por crime de rouoo : a
"'I..... do subdelegado da frcgueia de Sin-
Frei-Pedro-Goncalves do Reclfe Manuel Cerla-
co da Fonsrcae Antonio Prreirados Santos por
i'itareaa armados: a ordem do subdelegado da
freguetia de Santo-Antonio os esludautea do
lyceu l.ino.irio AlesandrinO Caneca e Jos Sil.
vano de Vascnocellos. por brigj; a ordem do
subdelegado da fregueila da lloa-Vista Joo
JosO Correa por crime ,le offensas physicas. e
Mara Joaquina do Espirito Santo, para cor-
reicao e a do subdelegado do prlmel'O uistric- ..
toda freguetia dus Alagados Jos l.uii, para 'jh oo(
averigoajdes polieiaes.
dem do da 17
Foram presos : a ordem do subdelegado da
fregueiia de San-Frei-Pedro-Oincalves do Re-
clfe o marujo Jos Telxeira, por crime de con-
trabando, Brasilina Mana da Conccic.io e Se-
iilioinib. Maria do Itosarlo, para corre^o.
dem do dia 18.
Foram presos: a ordem do subdelegado
do primeirodistrito Miguel Joaquim das Chi-
cas para corri-ccao; a do subdelegado da
fiegiiezia de Sin-Frei-Pedro-G-ncalve do Re.
cifa M.mo I Francisco de Mello, para averi-
goacrs polieiaes ; a ordem do subdelegado
da frrgueiia de S.uUo-.lnionio Jos Theo-
doro Pereira da Silva, por ebrio; e a do
subdelegado da fre^uezia de San-Jos o preto
s. luso.), escravo de D. Maria Rila de Mello,
para arrrlgoafes polieiaes.
'-
alfam>e<;a.
cudniento do dia 18.....9:996,430
. CONSULADO GRIUL.
Riidim-nto. do dia 18. ... *7J,38J
RECRUEDORIA DE RENDAS CERaE
I\.TI.;;v^.
Rendimento do dia 18......380,060
CONSULADO PROVINCIAL,
Rendlmunto ro dia 18......598,913
Sfl?"
mmmmm*smmmm ui
Coiliu.unicailo.
l'ma lg;rimi obre o tutnalo de
um amigo.
QuarenU annos da orna eatraita, e oun-
ii inlerrompida amisade foi tempo bstan-
lo para bem conhecer as virtudes do pres-
*3ov.meiito
"
do aborto.
Olllm. Sr. inspector da thesouraria d
(szenda provincial, ero cumprimento da or-
lem do Exm. Sr. presidente da provincia da
15 do crrante, manda fazer publico, que
nos dias 99, 30 a SI uo mesmo Ira praga,
oerante o tribunal administrativo da mes-
ma thesouraria, para sor arrematado a
quem por menos !l?er. a obra dos conenrtos
da ponte do Anjo, sobre o rio Serinhfiem,
avahada em 939,400 rs., e- sobas clausulas
esaeriaes abaixo declaradas.
As pessoas que se propozerem a esti sr-
rematagSo compareg do mesmo tribunal, nos das cima mencio-
nados, pelo meio-ds, competentemente ha-
bilitadas na forma do artigo 24 do regttla-
mentode 7 de tnaio do crrante anno.
E para constar semandou aluzar o pre-
sente a publicar pelo Diario.
Secretan i da thesouraria da fazanda pro-
vincial do Pernambuco, 16 da outubro de
1850. O secretario, iiMa Fe/retra d"A*-
nuncic/lo
Clausulas etpeciaes da arrematacSo.
' As obras dependentes desU arrema-
tago, serSo feitas de runformidada corrro
orgamento, apreaentado nesta dala ao Exm.
Sr. presidente desla provincia pelo prego
le 939,400 rs.
2*0 arrematante comegtr as obras no
[>ra /o de um mez. contado da datarla part-
cipago que Ihe fot fetadi approvagflo da
arremstagflo pelo "gobern ; e as concluir
no praio de quatro mezes, ambos contados
da mesma partlcipago.
3 A importancia d'arrematagSo sari pa-
ga em duas estagfies guaes, a primeira
lepds de ter frito metade da obra, a a se-
gn la depois de lanar o termo do rocebi-
tienlodefenitivo
4 Para tudo mais qua nSo esli determi-
nado pelas presantes clausulas, aeguir-se-
hs inteiramenle o que dispoe o regulamen-
lo das ar em itages de 7 de maio de 1850.
Ponte dos Carvalhos. 28 de setembro de
1850.Oeng-nheiro chele da qmrta see-
llo, Florianno Delir Portier. -- Aaprovados
pela directora em conseibo no dia 14 de ou-
tubro de 1850. O director, 1. M Alw
Firrttra. i. L. Vctor euthier. H. A.
tlilet. Florianno Delir Portier. Appro-
vo. Palacio do itoveroo da provincia, 15
>le outubro da 1850 Souia Ramo.
Conforme. o ofilcial- naior, Manoel Cle-
mentino Carneiro da Cunha. Conforme.
O secretario, Antonio Ferreira d'Annunoiaclo.
--Olllm Sr. inspector da thesouraria da
fazenda provincial, en rumprimento da re-
solugflo do tribunal administrativo de lOdo
(Mrente, manda fazer publico que, parante
i mesmo tribunal, ta ha de arrematar nos
lias 92, 23 a 21 do crrante por venda, a
quem mais dar, os livros constantes da re-
lagSo abaixo copiada.
As pessoas que se propozerem a eata ar-
ramalagflo comparegam na sala das sessOes
di mesmo tribunal, nos dias cima mencie-
na ios, pelo meo-dia-
E para constar semandou afiliar o pre-
sente e publicar telo Diario.
Secretaria da thesouraria da faienda pro-
vincial de Pernambuco, 14 de outubro de
1850 O secretario, Anlonio Ferreira d'An-
nunciafio.
Helaco do livrot que teem de ter arrematado.
l.-is odaiiagdes do reino, a 12,000 rs
72,000 rs. ; 7 obras de Luiz Teii-ia sobre
direilo civil a 12,800 rs., 89,600 rs. ; 5 ditas
d Ortolain, leiislagio penal comparada,
5,000 rs. 25,000 rs.; 35 ditas, segundo-
cantos de Das, a 2,000 rs., 70,000 rs. ; 7 di-
tas, livrarias classicas porluguezas, a 8,400
rs., 58,800 rs ; urna dita, coll-cgao de l-
gislagflo portugueza, nor 108,000 rs ; 4 di-
tas, reporiorio de Fernando Thotnaz, s
,800 rs. 27.200 rs. ; 54 dita, burros de sa
nsito, a 900 C|. 48.600 rs. ; ditas, con-
s-l iO do povo.j 3,500 rs. 21,00) rs ; 30
ditas, Ito.nim, cdigo penal, a 2,000 rs ,
60.000 rs.: 14 ditas de (Uiavion, a 2.009N.,
rs/; 410 ditas, direito natural do
Autran,\l,5i)0 rs., 643.6tWra. ; 20 dita,
le Ortelan a 1,000 rs 21)0,600 rs. ; 104 di
tas, philosophia de Cousin em porluguez, ,
600 rs., 6O,O04Lr. ; 70 ditas, ligues erimi-
naes, a9.0J4rTS. 140.000 rs. ; 200 ditas,
grammatioa da Salvador, a 200 rs., 40,00u
rs ; 1 dita da Malvina, por madama Cuten.
por 3.800 ra Conforme. O aecretario,
Antonia Fnrtt'a d'Annuneiardo.
Olllm. Sr. inspector da ihsoeraria da
fazenda provincial, em cumprimento da re-
solugflo do tribunal a tmiuistrafivo do lo
do correte, e em virlude da lei do oreal
lo vigonio art. 34, *i '20, manda fazer publi-
co que. parante o mesmo tribunal se Ir d
arrematar nos dias 22, 23 e 24 do crranle,
por venda a quem mais der o prop'rio pro
vincial den-miina lo Jirliui Botnico na ci-
dade da Olinda, avahado em 2:800,000 rs.
As pessoas que se propozerem a esta arre-
matagSo comparegam na sala das sessoe-
do inosmo tribunal nos das cima mencio-
nados pelo ineo-lia, F para constar se
mandou allixar o p.asenta a publicar pelo
(Diario.
Secretaria qa thesouraria da fazenda pro-
vincial de Pernambuco. 12 d outubro de
1850 O secretario 4*itnnrn FTTCirz *,--
staaenirdo.
que hoja, depois da yisita ordinaria, eslara
aberto o grande hospital da caridade, cuja
entrada ser franca a quem o quizar visi-
tar, como o determina o artigo 161 do re-
gulamento. AdministracSo geral dos esta-
beiecimentos de caridade, 18 de outubro de
1850. OeserivBo da administragSo, Anto-
nio Jote Gome do Crrelo.
Theatro de 8. Isabel.
25.' RECITA DA ASSIGNATURA.
Boie, Mdeoutubro de 1850.
Dapois da axecugSo de urna agradavel ou-
erlura, represantar-se-ha o drama em 3
actos e 6 quadros
OS SEIS DEGRAOS DO CRIME.
Denominabas dos quadrot.
1 A occiosidade.
9 As mulheres.
3 O jogo.
4.' O roubo.
5.* O asssssinato.
6.a O cada'also.
Pertonagtnt.
Julio Dormely Germano.
Francisco Costa.
Fernando, amigo de Julio Raymundo.
Carlos, dito -- Silvestre.
Migu-I SebasiiSo.
Lacaille Coimbra.
Roberto -- Cabral.
i.ui/a Emilia."
Madama Doncel ~ loanna.
Elomira Rita.
Fany Soledade.
Jos Santa Roza.
Rertier Jos Alves.
Um commissario de polica Cunha.
Um lian iweiro da casa de jogo Cabral.
Soldados, convidados, jogadores, etc.
Terminar o espectculo com a graciosa
commedi* em um acto
O inglez maquinista.
Comegar s 8 lloras.
Os bilhetes acham-te renda no lugar do
watome.
Avisos diversos.
I'iil)lic;w;oi-s liUeaius.
^uvioi entrado no da 18.
Ceoovs por Malaga 67 das, a do ultimo
porto 41, barca sarda Affanio I, de 196 to-
neladas, capillo Rafael Bozzano, equipa-
gein 15, carga vinho o mais .gneros ; a
tliveira& limloa.
Poilo II das, brigue porluguez S. Ma-
nuel I, de 168 toneladas, capilo Jos
Krauciaco Carneiro, equipagem 25, carga
vinho a mala gneros ; a Manuel Joaquim
liamos e Silva. PassagetrOs, o Dr Epifa-
nio Astudelb e Busou com sua familia,
Juuya Stivs legadas, Manuel Pereira de
Carvalho, Antonio Un Silva Pereira e Ap-
lomo Jos oa Silva borges.
/Vano luhidono memo dia.
Rio de Janeiro Barca americana F.ldoraA --A administracao geral (loa estbale
do, capilfio James Etchberger, em lastro, [mentos de candado manda Tazar publico,
- Peranln a cimara^uniepal desta ci-
daaS cstai a praga noa diis 16, 18 a 21 do
correle a ribeira da freguezta da Boa-Vis-
ta, e o imposto de 500 rs. por cabega de ga-
do vaceum consumido as Tragueadas dos
ATogados, Varzea, Popo, Muribeca, Jaboat3>
o S.-I.ourengo. Os licitantes pdem compa-
recer na casa da i scssOes da mesma cma-
ra, nos in Itcados dias, munidos de iladores
donena, que nmstram por meio de certifica-
do nio ileveoin uada a Tazebda publica,
geral e provincial. '
E, para que cliegue ao conhecimento de
quem convier, su mandou publicar o pre-
sente. Pago da cmara municipal do Itccile,
em sessflodo U de outubl^-de 1850.
Francisco Anlonio de Otwckf,
presdeme.
loo oimm^dj Aauiaf',
Para aciantos presaui a rellglao,
a piedadee os bous costnnieH.
Sahio finalmente luz oj annunciado
opsculo com o titulo < >lsci arocs cri-
ticas sobre o romance do Si*. i:ti-
t-iiio Site, o Jndeu Krrnnte, onde
-e mostram as impiedades, e o rencor desta
)bra contra a sacrosancla religiSo de nos-
sos pas, e faz-se a victoriosa defeza da
mui digna, e prestimosa companhia d. Je-
ss. Vende-se em S.-Antonio na loja do li-
tro azul, no piteo do Collegio;*e na Boi-
vista, botica do Sr. Gimeiro, a dex lusloes
cada exemplar.
A famosa ligio sobre a pena de morte com-
posta, edictada na universida le de Pisa pe-
lo respeilavel Carmignaoi um dos maiores
criminalistas da Europa, est Iraluzida do
italiano em vulgar pelo padre Lopes Gama.
Venda-sa em Santo- Antonio, na loja de li-
vros qua foi do fallecido Dr. Coutinho, na
esquina do Collego ; no bairro do Recife,
na loja de livros do Sr. padre Ignacio; na
Roa-Vala, na botica do Sr. Gamero; em
Olinda, ra do Amparo, botica do Sr. Ra-
poso. Prego dez lostOea.
Piiblleacat* rnmmereinl.
Imprime-* nacidade da Baha om pe-
ridico em inglex e porluguez, quo da con-
ta dos movimentos mercantia dsauella pra-
ga, traz os preoos dos principaes gneros de
imporlagSoeexportagflo, lisU dos navios
surtos no porto, cambios, etc. ele.
Subscreve-se neata cdade em casa do Sr.
F. II Luttkens, ra do Trapiche.
Avises martimos.
~ Para o Cear segu em poucos diag o
hiate /ijsirotquem quizer carregar ou ir
de paasagem, dirija-so a rus do Vigario n. 5.
Para o Rio Grande do Sul, segu com
brevidade a escuna nacional Santa-Cruz,
capltflo Manoel Pereira de Sa, receba algu-
ma carga a escravos a frete, a Tallar com
loSo Francisco da Cruz na ra da Cruz,
n. 7.
Para a Baha prelende seguir viagem
com brevlda.le a sumaca nacional Carlota,
m "Slre Jos Congalves Simas : para(carga e
passageiroa trla-se com o mesmo meslre,
ou com l.uiz Jos de S Araujo, ra da Crui
numero 33..
Para o MaranhSo e Para
segu, eom a maior bravidada possivel. a
escuna nacional Emilia, da que he capitn
a pralco Antonio Silveira Macel Jnior
|Uem na mesma quizer carregar ou ir de
paasagem, entenda-ae com JoiJo Carlos Au-
gusto da Silva, ou com o cspiUo, na ra da
Cruz, armazem n. 13.
Leil
oes.
Decir^nd.
O Dr. Pedro Pereira da Silva CulmarSaa
far leilfio. por intervengcrdo enrretor Oli-
"rs ~ n*;rs !!rt,jd5f*Sc d* '*'"""so (-(-
vos, m ogoa e velhos, com babilidadea e sem
eila' o que ludo melhor se explicar no
acto da arrematagflo : sabbado, 19 do cor-
rete, aa 10 horas da manilla em ponto, na
ra d'Apollo n. 14.
Richard Royle Tara leilo, por intervao-
gSo do corretor Oliveira, de grande e varia-
do sor tmenlo de Tazendas iuglezas, todas
propriasdo mercado : segunda-Teira, 21 do
crrente, s 10 boras da manhfla, no seu sr-
maze ri, ra da Cadeia.
MaJemoiselle tjuentin tendo de seguir
paaaFranga no primeiro navio, far le 18o,
por nter venglo do corretor Oliveira, de um
ptimo armario para modista, dito para
roupa, urna commoda coa espelho, sof,
tesas e esderas de Jacaranda, ditas de bra-
gos, calxa de costura, um espelho grande
rico, vasos de cristal para perfumes,
um porta-licor, um galheleiro e urna man-
;;' iuiio rics iaun como uu aii
de ouro com catnspheos, o de urna
urgflo de Tazendaa, como seja suspenso-
rios finos, grvalas, escovas, perfumaras,
te. : lerca-feire, 22 do corradle, s'10 horas
da manbfla, no primeiro andar da casa n
26, Aterro tfi Boa-Vista.'.
Os abaixo assignados declaram a quem
convier, e com ospecialldaje aos Srs. nego-
ciantes deata praga, que a pessoa eooarre-
gada para em seus nomes fazer compras pa-
ra seu estabelecimento (las Cinco-Pontas n.
93, e por cujas compras a crdito os sbixo
assignados se responsabllsam, ha o admi-
nistrador do mesmo estabelecimento o Sr.
Florencio Jos de Oliveira Figueiredo ; aem
que todava os annuocianles aslejam mal sa-
tisfaitos com as compras que outras pessoas
anteriormente a esta data Ihes faziam para
dito estabelecimento; approveitando os an-
nunciantes o ensejo para com especialidade
agradecern) ao Sr. Jos Carreiro da Silva
os favores que Ihes devem pelas boas cotD-
prase cuntas do dito Sr. Carneiro, comas
quaes estOo os annunciantes mui sitisfeitos,
e Ihes votam sincera grati Iffo.
1'uua Dinit l Filhos.
- NSo ba duvidd, Sr, Dr. engenheiro, qua
a dirergSoe perfegSoque tem levado a es-
trada dos Remedios muto acredita a V. S. e
aos Srs. arrematantes, estes pelo esmero e
perTeigo que a levam, e a V. S, pela direc-
gSo que Ihe lem dado; e deixe l o Sr. 06-
itrvador sein conhecimento de cansa notar
a curva que se Ihe deu ; mas, tu he Tardado
o que ae diz, quo V. S. pretatse abrir u mu*
rodo fallecido Canuto por poupar umania-
ria de ndernnisacSo, largV a recta; formar
urna curva, sabir a Trente ao oilfio da urna
casa, podando aar dita sahi ia seiapre recta
at o pateo da igreja matriz, e assim reunir
o ulil com o agradavel, se isto ae realisar
( o qua se diz ) entSo rasflo ter nSo a Sr.
Obiemador como todo o publico ala o cen-
surar, e com muita rasSo dizerem que po-
dem seus autorea llmpar as mos a pareJe.
Um dos tan.
Aluga-se pelos 4 mazas da fasta orna
casa tarea nos arrombados era Olio la, com
commodos sufleienies para urna familia,
com quintal murado, eom cacimba de boa
agua e portSo ao lado para dispejo : quem
pretender dirija-so a Fra de Portas ra da
Pilar n. 68.
-Roga-se ao Sr. Meireles, acadmico,
natural da Baha, que tanda a bo idade de
ir pagar o que devea Madama Dailairac,an-
tea que se retire para a mesma provincia.
Domingos A. de Oliveira retira-se des-
ta provincia.
Antonio Pereira de Oliveira faz tlen-
le ao respeilavel publico, que, por ha ver
outro de igusl nome, de hoje em diante ae
assignar por Anto'tio Pereira de Oliveira
Maya.
-- Perdau-sa, no domingo, 17 do crrante,
urna loneta da ouro, Isvrada : quema tiver
achado e quizer restituir, dirija-se i ra da
Vigario, r 91, primeiro andar, casa do ei-
r rgflo Silva.
-Oflerece-seuma mulher para ama de
casa de homem soltelro ou de pouca fami-
lia, a qual d fiador sua conducta : quem
de se prest mo te quizer ulilissr, dinja-aa
a ra de Horls, n. 144.
Offerece-se, para ama de orna oasa,
urna crioula solteira, que engomma, lava
ecoznhao diario de urna casa: quem a
pretender, dirija-se ra das Cinco-Pon-
tas, n. 66.
- Em dias da semana psssada quebraram
o cadeado e Turtaram urna canoa de carrei-
ra, de um s pao do cedro, no lugar dos
Remedios, a qual anda nflo appareu : quem
dalla der noticia, ou lera-la a seu dono, o
Macambra, morador no mesmp lugar dos
Remedios, ser gratificado.
No dn quinta-feira, 17 do corrente,
ao meio dia, voou para as partes da ribeira
umpapagaio, levando urna corrente uo p
esquerdo.elnha algumas peonas amarel-
las pelas coatas : quem o pagar leve-o ra
Direita, n. 79. padara, que ser gratificado.
I'recisa-se de 60,0o0 rs. a premio so-
bre penhores do ouro: quem quizer dar
annuncie.
-- Pede-se ao 8r. administrador dos bol-
Ditaes de caridade, que estiver de aemaoa,
qua visite com mais frequencla o hospital
e casa doseapostos, principalmente a horas
desencontradas, pois assim cotivem ao bom
andamento daqunllaa casas.
Estando-SH procelento ao inventaro
dosbensque ficaram por fallecimento de
D. Un.ca BrisJa de Mello pelo juizo dos
orptilos, avlsa-se a todas as pessoas que aa
julgarem oradoras da dita finada a apresen-
tarem seus documentos no prazo de otto
Mas,a contar de hoja, na ra das Larangei-
ras n. 9l,afim de poderem aar alten lidas
oo meamo inventario. Recifo, 17 de oulu-
bro de 1850.
-OguardiSoacluil do convento da N. S.
das Naves da eidade de Olinda, proxima-
naente a ratirar-se do seu em prego, nflo pu- .
lando faz-lo pessoalmente, vara por meio
deste agradecer a todas as pessoas que o
coaljuvaram na present administragSo
com auas asmlas e mais servigos pessoaes,
conjunctametile ofiereco o seu acanhado
presumo em qualquer lugar que a Divina
Providencia o houver de collocar Reoifa,
16 de outubro da 1850. Fr. oto Baplitta
do Espirito Sanio.
Russell Mellors & Companhia mudaram
seu escrptorio earntazem de fazeodaa da
ra do Trapiche para o lado oppoato da
mesma ra, casa n. 32, na esquina da Lin-
guete.
Preciaa-ae de um caixeiro para loja 'de
anana o; ...-,... ,| Un,
u(..- m;mbi.-
junto a venda da esquina.
Na ra Nova, na luja do sobrado n. 52,
preciaa-ae da urna ama de laite.
--Preoisa-sa deum forneiro, que aiule
na maasara por se fazer pouco servlgo : na
r:a do Colovello n. 99.
--Precisa-ae alugar urna sacra va para o
servtgo externo do collegio daa orphflas : oa
..rolenlentes dirijam-se ao referido colla-
gio, a fallar com o director.
-Um preto perdeu ou vendeu um dia-
mante de cortar fidros, cabo torneado e o
qusdrado de ferro de jogar a tirar fra, sen-
do ja bastante usado roga-se, pois, a quem
o acnar, leve-o fabrica de caldereiro, rus
lo Brum n. 98, que ser recompensado.
Jolinslon Paler & C. remetiera para a
Hahia aa eaeravaa Virginia e Cuilherraina,
esta crioula, partenceate ao Snr. Eduardo
Combar, a aquella de naci, do Sr. Andr
Cooibof, sm .iiluiio o uiciis dos raesmos
Srs. acompanbadss cada urna de urna ft-
llia menor.
Precias-ae alugar tres negroa que
entendam de trbalhar em armazem de as-
sucar : aa ra da Cadeia Velha ti. t7, te dir
2S2! nfaelaa


'*
Precisn-sn alugar urna ama Secca de
bons costomes, que sa'ha bem eotiobir, pa-
ra urna casa de pouca familia. Dirigir-se
ra das Trineheiraa n. 19, sobrado.
Aluga-se o segundo indar da caaa n.
25, da ra Nova : a tratar na loja do mea-
Jifl aobrado, nu na roa da Cadeia do Reci-
fe, n. *9, escrlptdrio de Antonio Valcntim
la Silva Barroca.
D>seja-se adquirir orna Imagem moito
perfeita rieN. S. das Dores, de vulto deam
palmo, anda que seja em segunda mo :
no Aterro-da-Boa-Vlata, casa amirella de-
fronte da matriz, ou annuncie.
lotera da matuizda
BOA V1ST\.
A OS 10:000,000 de res.
As 8 horas da manliSa do dia
31 do corren te, e no consistorio da
respectiva igreja matriz andam in-
nlliveimente as rodas desta lote-
ra, seja qual lor o numero de b-
I lie tes que possa ficar: se porm es-
tes se acabarem antes daquelle di9,
o referido andamento se realisar
tambem antes do din preflxa e in-
variavelmente disignado. O resto
de bilhetes scha-se a venda nos
lugares seguintes : ra da Cedeia
do Hecife, loja da vinva Vieira &
Fhos ; S.-Antonio, Joo Morei-
ra Marques, pateo da matriz ; For-
tunato l'ereira B-stos, praca da
Independencia ; Bernardioo Jos
Monteiro, praca do Livramento ;
Francisco Antonio das Cbagas,
rui dita ; Boa-Vista, Antonio da
SilvaGuimare?, ra do Aterro.
Precisa-se de urna ama que tenha bas-
ante leite, e que seja livre e deseinbaraca-
da .' na ra da Cadeia- Vellia, n. 94.
Na ra deS.-Amaro, n. 1*. olTerece-se
urna ama para o servico de urna caaa de
bonem soltairo, ou de pouca familia, a
qual lava e engomma.
Aluga-sa urna casa terrea na ra Im-
Eerial, n. 101, cum muitos commodoa, por
arato aluguel: na ra Augusto, u. 25.
Manoel Jos Lopes mudou a gua loja
de miudezas da ra estrella do notario,
n. 18, para a ra .arga do Rozario, n. 40,
aonde todos os seus freguezea o acharo
sempre prompto para os bem servir com
todo oiortimento de miudezas : ludo pelo
mais barato preco do que em outra qual-
quer parle.
A peasoa que carregou em urna em-
barcacflo para oa porlos do norte no anno
de 1843 a 1846, um caixo com diverso
objeetoa, com a marca a margem MD, dando
10,000 rs. ,aa dir aonde existe dito ca
sao : na ra de Hurtas, n. 110, a fallar com
J0S0 -- No dia 93 do eorrenle, porta do lili
Sr. Dr. juiz municipal da segunda vara, se
b8o de arrematar, pelas 4 horas da larde,
doUs escravos, por execugSo de Avrial lr-
n.Sos contra Gabriel Affonao lligueira : he
a ultima praca.
O esprjvo da irmandade de N. S. ds
CbnceicSo da CongrrgscSo scientilica a to-
dos os irmflos, que domingo, 20 do corren-
te, p." las 10 hojas da manliSa; ae devem
reunir no consistorio da igreja, a fien de ae
proceder em mesa geral a eleicSo da nova
mesa, na certeza de que se tari a eleitflo
rofti oa que se acharen presentes urna hora
depola, do couformldade com o compro-
miso.
--Aluga-se um sitio com excdlenje casa
de vivenda, proprio para passar a fesla, e
ter-senellea vaccas de leite, no lugar
da Magdalena, SU estrada que vai par o
Lucas : a tratar na niesoio lugar com Joflo
Aimslacio CaMtHlu Pessoa Jnior.
- Precisa-ie de un.a ama de leite que se-
ja forra, para acabar de criaf um menino,
porm que jeja de boa conducta : na ra do
Queimado, n- 8, se dir quem precisa.
0 secretario da irmandade
de N. S. do Terco convida, pelo
presento anuuncio, a todos os ir-
mSos da mesma irmandade, para
que hajam de comparecer no do-
mingo, ao do eorrenle, no respec-
tivo consistorio, pelas 9 horas da
manbaa, ufini de reunidos em me-
sa geral proceder-se a eleico da
nova mesa.




m
m
9

la m
m
*
m
m
*

poritso roga-seas autoridades policiaeg, e
aosSrs. capilfles de campo, que o prndate
c o levem a ra do Rozario ostreita, sobrado
de tres andares, por cims da loja de trastes
do Sr. Moreira, que ser generosamente re-
compensado.
-- l.embra-se ao Sr. Joaquim Correa de
Araujo, morador na povoar;.1o dos Afoga-
los de vir acabar o negocio que tem oa
ra Nova, loja n. 9.
Pede-seso Sr. Antonio Alves Pmen-
tel morador na povoacSo do IHemedio. de
apparecer na rna Nova,loja n. 9, para nego-
cio de seu interesse.
**
Remedios de graca os pobres J
Novo consultorio homceopathico de '
.loa" Vicente Martin.
Roa de Apollo o. 24.
todos os dias uteis desde s 8 horas
da manhSa at 1 da tarde irnprnroga-
velmente. Fra destas horas nSo po-
de o Sr. i. V. Martina receber viaita
aiguma, por estar oceupa lo em com-
por e eacrever a quarta edcSo da
* pralica elemantar da homtxopathta e 9
<* outras obras Quando tenha mais S
lt adiantada a composico destas obraa
poder destinar algum tempo pra-
ticar opfacCes de cataracla, ou ou-
traa que exignm as molestias de
olhos especialmente, no xito daa
quaes tem sido, merco, de Dos, mui-
to feliz.
Alugs-se urna caaa terrea com sotSo
no sitio do Cordeiro, margem do rio Caoi-
baribe, enm commo los para grande familia,
cozinha fra, quarto para criado, estribara,
cocheira para carro, etc.; urna dita mais
pequea no fundo do mesmo sitio : a tratar
no pateo do Carmo n. 17, com Gabriel An-
tonio.
O Sr. Ventura Joaquim da Koza haja de
vir pagar na ra da Cruz n. 49, a quantia que
no ignora ; do contrario, ter de ver nesta
folha o seu nome at que pague.
Alugs-se o primeiro andar da casa n.
34 da ra do Trapiche : arralar no armazem
do mesmo.
Preciss-se de um trabalbador: na roa
Direita, padariao. 94
O Sr. Jos Antonio Teixeira, queira ap-
parecer na ra da Cruz, no Hecife, n. 49,
toja.
Quem annunciou querer comprar urna
escrava moca, que saina engommar, lavare
cozinhar, dirija-se ra larga do Rozario,
n. 48, segundo andar.
Previne-se ao publico para que nin-
guem faca negocio algum com a casa ter-
rea n. 32 da ra da Guia, a qual se acha pe-
nhorada pira pagamento da quantia de
1:102,834 rs. resto da heranca que coube
por fallecimento de D. Mariana Joaquina
Possidonia de. Jess, sos herdeiros Fran-
klim UeijamimTheotonio Peixoto e Genui-
no Augusto Theotonin Peixoto.
-Quem annunciou querer comprar a
obra de Cicero, em bom estado, dirija-se
ra do Mundo-Novo n. 30.
No dia 13 do correte furtaram da ca-
sa de Jos da Rocha Paranhos, um relogio
ie ourossboneie patente inglez. com cor-
rente, n. 9,068, fabricante J. Jackson Liver-
pool : quem o apprehender ou delle der
noticia ao annunciante, ser recompensado.
%
Precisa-so de um trurwlhn t>- de enxa-
da, t qoe saibs tirar I ito e-n vaccas: na
Magdalena, estrada no primeiro sitio de
portSo de fefro. N mesmo precisa-se de
um bolieiro.
Quem quizer comprar urna lettra da
quaeta de 56,060 rs. do Sr. Jos Brazalino
oa Silva, appareca na ra da Cadeia de S.-
Antonio, n. 13, que todo o negncio se far.
Quem quizer comprar urna lettra do Sr,
Dr. Honorio F. de Sigmarioga Vas Curado
da quantia de 110,280 ra. .annuncie para
ser procurado, que lodo negocio se fsr.
Roga-se ao Sr. segundo tenenle Jos de
Cerqueim Lima, da Babia, que mande pagar
urna lettra, que se acha vencida ha oito me-
zesjdo contrario, ter de ver sempre o seu
nome nesta folba.
Ainda esta fugids, desde o dia 26 de
junho, prximo passsdo, a esersva crioula
de nome Mara, mofa, de altura regular ,
corpo reforjado, cadeiraa grossas e um tan-
to sabidas para fra, bocea regular, beicos
mm
*
coda 12,000 rs. : na ra do Trapiche n. 40,
2.' andar.
Vende-se urna expeliente canoa do car-
reira muito bem construida, calafetada e
pintada de novo com muito bom gosto, a
i|ual pega dez pessoas a vontade, por preco
muito commodo : na ra dos Coelnos n. 18
--Vende-se urna baca de rame, que le-
va dos a tres canecos d'sgoa, tem um pe-
queo dofeito : na ra da Senzalla velha
venda n. 15.
Vende-se um balcSo que serve para
venda ou para talho de ai;ougue, por ser
enconta : na ra da Senzalla velha venda
numero 15.
--Acaba de sabir luz no Rio-de-Janei-
ro a importante obra
Tratado regalar e praticode ten-
ta nclitos c iiirrsMM's OU
compendio meihndico das principis regras
e principios que se pdem deduzr das leis
testamentarias, tanto patrias como suhsn-
diarias Ilustrados e aclarados com as com-
petentes notas, por Antonio Joaquim de
Couveia Pinto, sexta ediejio mais correcta,
a le-
epo-
crossos, ps e mfios grossas ; tem msress
de bexigas no rosto e em todo corpo, peitos
pequeos e cabidos, nariz grosso, olhos [consideravelmenle augmentada com
carnudos, orelhas na parte do enfeite gros I gisQSo brasileira. promulgada desde a
sase viradas um tanto para cima ; temiuma, ra da independencia e expressamenle ac-
marca de ferida de caustico do lado direito ^ommodsda ao foro do Brasil, pelo doutor
ouesquerdo, talvez que poucoja se devul-, Furtado de Mondones, lente da academia
gue das coslellas para os vasios ; levou ves- de S.-Paulo, 1 volume de 468 paginas : ven-
ti lo de chita ja ussdo, pauno da Costa, e de-se np pateo do Collegio, casa do livro
azul.
tillla dos 1111 monillo*.
m
Arrenda-se, pelo lempo da resta, ou
por mais lempo, um sitio entre as duss pon -
les da Paasagem da Magdalena, com al-
gumaa larangeiraa, urna bella mangueira,
jaquei-as, ptimos cajueiros. 160 ps de
ahacachis, a maior palle cum fructo, e ou-
traaarvorea 1 na ra da Cadeia de 8.-A0I0-
uio, n. 14.
-- Manoel MaximianoGoedesvaiao Rio-
de- Janeiro, e deixa tor aeu procurador
nesta cidade ao Sr. Leonardo Schuler re-
sideute oa tua da Cruz n. 55, e approveita
cji.Is es: ::s!o Ji icriuaoc Uasua
viagem, quo aeus amigos hajam de aceitar
por esta jornal aa susa despedidas, e Ibes
ofcrece uaquella cidade os s^us dobeis
prestimos.
Alujase o terceiro andar do sobrado
da ra da Senzalla-Velha n. 70, com muitos
commodqs. frescos, e por barato preco
uo primeiro andar do mesmo.
.a"" AIu*:m Isrceiro andar da casa n
40 ds ra da Crux no Recite: a tratar n,
mesma csaa.
it.Vt.ti'^h"?*" *"' docWel wcrivfio
HapliaUaehade rremaiar por tres pracas
o escravo penhorado a Jos Luiz Inaocencio
Pogge, por txccmflo de Jo3o Moreira Mar-
ques, sendo a ultima prac,a no dia 22 do
crreme.
Desapareceu no da 16 do eorrenle, da
casa da vmva de Herculaoo Jos de Freius, o
'^"h.*0 C,?U|. C0B* M signaos seguln-
/il!."2!af'?* ""ur'i vulgarmente connoci-
'J*! ,n" prendiz de sapateiro, alto,
aa,or*c.',nu,,u,)t
preta
c
; I,?.-,}'< '"'muito desembaracado
er.'iU i'**" ,r,U J rota, ajuma
i.tal,.0taB! pret0 "nfumo.e
> talvez quaira a Ioiii.i--_____-
? rmilo Gnlgnour, dentista
' fraiircz.offeri'rc seu prest.
9 1110 ao publico para todos os
? mysterlos de. siia proflssao:
**-! pode ser procurado a qual-
f) qner hora em sna casa, na
9 rna larga do Hozarlo, 11. 36, #
? segundo andar. m
*mmmmmmmmm9&mmmm*
Preciss-se de un amsssador para urna
nadara no Rio-Formoso : quem esliver nes-
tis circumstanciss, dirija-se i ra 'a Traa
n. 20, que l achara com quem tratar.
Aluga-se para passsr a fesla urna casa
na povoacSo do Monteiro, com duas aalas,
quiltro quartos, cozinha fra, estribarla pa-
ra dous cavallos, quartos para escravos,
ilous quintara murados, tendo um delles ca-
cimba, e com sabida para o rio : na travessa
do Veras n. 15.
OOO0OOOOOOOOCJO?O
O Dr. J. S. SantoJnior, O
q medico homceopalha puro .
q mudou sua residencia da ra 0
0 do Crespo, n. lo', para a
^ rus. Nova, n. 58, primeiro jj|
(^ andar.
OGOPOOO>00000 00
Preciss-se alugar urna ama forra ou
captiva, que saiba engommar e cozinhar,
para casa de pouca familia, e que 0S0 tem
criancas : na ra do Pilar n. 72, segundo'
andar, om Fra-de-Porlas.
O r. Joaquim Jos dos Sanios Barraca
queira ir pagara quantia de 33,460 rs. 1I0
que comeu aonde nlio ignora ; do contrario,
ter de ser sempre lem tirado nesta l'olha.
O bacharel formado J0S0 Floripes Oas
Brrelo a Ivoga no civel a nocrime; as
pessossque de seu prestimo se quizerem
utilissr, o pdem procurar a qualquer hora
do dia na casa de sua residencia, na ra
Nova, n. 52.
O abaixo assisnado. estando desem-
baracado desde 3 al s 6 horas da larde, e
desejandoempregar utilmente este tempo,
vai abrir no primeiro de novembro, na casa
n. 40 da ra do Pilar, em Fra de Portas,
urna aula, aonde se propoe a receber um
numero determinado de meninos, para
Ihes ensinsr o inglez, francez, arithme-
lica, escripturscSo mercantili, e em urna
palavra ludo puanlo deve constitui-lns
a otos para seguirem s csrrera commercial.
O abaiio assignado espera que oa aeus ami-
gos Ihe farSo a justica de o acreditar, quan-
do elle solemnemente declars que.se com-
promelle a empregar com assiduidade to-
dos os seus esforcos psra o adianlamento
loa meninos cuja eduesefio Ihe fr confia-
da. A meosalidade he nicamente de cincp
mil rs. Os psis que quizerem ma-
tricular seus fllboa se servirlo entender-se!
com o abaixo assignado no escriptorio dos
um taboleiro com milbo e arroz que venda
no dia que fgo : esta negra segundo os
seus costumes de ardilosa, pode ler muda-
do o nome e mesmo usar de qualquer ou-
tro desfarce para nSo ser conheoida, poi
consta andar dzendo ser forra e que a que-
rem captivar: foi de Macei e aqu vendida
pelo Sr. Antonio da Silva Gusm&o ao ja fal-
lecido Jos Antonio da Silva Costa, tend.
00 poder do dito fallecido 3 fllhos, Candida,
l.uiz e Marcolino ; p le ests negra sol pre-
texto est oceulta em Csss de al gue m, ou
em algum calugi, o que se vai escrupulosa-
mente endagar para se proceder contra
quem a tiver oceulta : a-se urna boa re-
compenss a qoem delta der noticia certa,
ou a pegare levar ra de Hurlas, o. 114,
casa de Antonio Caldas da Silva.
Chapeos de sol. afe
Ra do Passeio, n 5. ><
Nesta fabrica ha presentemente um rico
sortimento destes objectosde todas as co-
res e qualidadas, lanto de seda como de
psnninho, por procos com modos; ditos pa-
ra senhors, de bom gosto: estes chapeos
silo feitos pela ultima moda ; seJa adamas
cada com ricas franjas de retroz. Na mesma
casa se acha gusl sortimento de sedas e
psnninho imitsndo sedas, para cobrir ar-
ma(es servidas : todas estas Tazendas ven-
dem-se em porcjo e a retalho : tambem se
concerta qualquer cbapo de sol, tanto de
basteas de ferro como de baleia, aasim como
umbelas de igrrjss : tudo por preco com-
modo. Na mesma casa ha chapeos de sol.
de marca maior, de panno e de aeda, pro-
pros para feitores de engenho, por seren
dos mais fortes que se pdem fabricar.
Compra*.
Compram-se escravos de 10 a 30 an-
nos, de bonitas figuras, psrs dentro e fra
da provincia : na ra larga do Rozario, n
48, primeiro andar, lodos of dias das 6 i
II horas da manhSa e das 2 ss 5 da larde
Compra-se orellos de panno : na prar;
da Independencia n. 19.
~ Compra-se, e psga-se bem, urna can-
nado Angola, para tipoia. que esteja em
muito bom eslado : na ra estreita 00 Ro-
zario, n. 31, a fallar com Jos Moreira da
Silva.
Compram-se adragocas e bandas de
ofliciaes, iic fio ou canulilbo dourado, em
bom e mo estado : na praca da Independen-
cia n. 19
Compram-se 2 casaa terreas, cujo va-
lor seja um cont de rea cada urna, para
menos : quem livor annuncie.
Compram-se casas terreas no hairrode
S. Antonio, nflo excedendo a 800,000 res
quem tiver annuncie.
Guia dos n.imorados, ou vocabulario das
flores, das crtres e das pedras preciosas,
cuma lista alphabetica das suas significa'
coes : a lotera,o jo culo das Flores ; a lotera e o tolegrapho de
amor ; e varias poesas sobre o mesmo as-
sumpio Segunda edicSo augmentada r n
elegante volume niti lamente impresso,
com a seguale epgrafe, a O amor he urna
gota celeste, que a providencia verteu no
caln da vida para Ihe corregir o amargor. >
Vfliideni-se 5 lindos niiileques do 10 a
17 annos ; 6 p'etos de 20 a 25 annos, sendo
u i delles ptimo sapateiro e nutro cozi-
nheiro ; uro pardo de 18 annos. com prin-
1 pos de carpira ; 2 pardas de 15 a 16 an-
nos, coro algumas habilidades ; 8 pretas de
12 a 25 sanos, algumas dolas com habili-
dades, e que sSo proprias para todo o ser-
vico : na ra do Collegio, o. 3.
Vendem-se mergulhos de parreira |j
capa zea de seren mudados, e pszinhos de
oiababranca de Caianna, de bons lama-
niiusj: na roa do Rjzario da B ia-Vista, n. 2.
VeiodoKioa seguinte obra im-
portante, Segredo di geracJSo,
ou arte de procrear raparigas ou rapzes es-
pirituosos, de orna-Ios com o dom da bel-
leza, de have-los sadios e robustos ; prere-
liilasdadescripQ3odas partes naturaes do
homeme da mulher, com a indicacSo do
uso particular de cada urna dellas, termi-
nadas pela expsito dos meios hygencos
a conservar grande potencia em amor al
a maisavancada idade. Por Moral de Ru-
bemprc, medico pela facultado .e Pars, 1
v. grosso, por 4,000 rs : vende-se no psteo
do Collegiu.flsa do livro azu"
bem serve a urna casa, compra e vendas
urna dita da Costa, boa para ser qultandei-
ra, pois he para oquesSo boas estas escra-
vas:narua do Collegio, n. 21, primeiro
andar, se dir quem vende.
Lotera dn matriz da Boa-Vista.
A os lo:ooo9oooe 5:ooo$ooo.
Na loja de miudezas da praca da Inde-
pendencia, n. 4, vendem-se bilhetes, meios,
quartos, decimos e vigsimos desta lotera
que con e impreterivelmenie no dia 31 de
outubro, ou antes se se aesbarem os bilhe-
tes. A elles antes que soacabera, para nSo
compraren! mais caro, como tem aconte-
cido em outras loteras.
Bilhetes
Meios
Quartos
Decimos
Vigsimos
10,000
5.000
2,600
1,100
600
Lotera do Itio-de-Jnueiro.
.tos 2ii:oi)0iiiio.
Na ru da Cadeia doHecife n. 24, loja de
cambio, acaba-se de recebar pelo vapor
liahiana, entrado nesta porto a 15 do cor-
rente, a lista da M.a lotera a beneficio do
Iheatro daS.-Pelro de Alcntara, e junta-
mente gran lesortimenlo de bilhets, meios,
quartoa.nitavos e vigsimos da 24.' lotera
a benelirio do monte pi geral da econo-
ma dos servidores do estado, cijas rodas
deviam ter corrido a 8 do corrente mez.
'0II1 i nlins do If in-ilc -Janeiro pu-
ra o anno de I 85 I rende-se
na loja de livros do pateo do
Collegio 11. 6, de Joo da Costa
Dourado.
1 Fnliiiiiha da sina conten lo a arte de cada
nm lera sua sina seai mais trabalboque sa-
ber a quantosdo mez 11 >sc-'ii.
Dita iheatral, contendo o proverbio em
um acto, riS't lia mal que se n3o cure, e ou-
tra a posicSo system.tica.
Dita critica o diviirii la dos nomes dos
liomeaM oonten lo o espelho dos homens
que fielmente mostra suas virtudes e dtfi-
qualidadn em quadra reinadas.
Dita, critica divertida dos nomes das se-
nhoras, conteni o mesmo.
Dita, lofiro,conten lo o cdigo do proces-
an criminal.
a Dits, da justica com ss reformas do pro-
cesso criminal.
Dita, novella, contendo contos, novadas
e romances escolhi los.
Dita, pratica brasileira, contento a hiato
ria do Brasil em versos, reinado por 1. No-
1 borlo e Silva.
";,!r "r"!'!11'p,re,lh* de CaV8ll0S ,SS08' I DitB- POP"!', contendo instrueces po-
Sm.irniV.' g i *" en,,nn0 ulares sobre varalos obj ctos de scien-
oTonodegenho l'll,UC0S: co;nlc'as industria e conhecimentos uteis e
Venie-se urna preta de naci, com bo-
nila figura, de 18 a 20 annos, sem vicio
Vendas,
Tara quem tiver bom gosto.
AmanhSa. domingo, 20 do corrente, ha-
ver carne de vilella e de carneiro, muito
gorda, por preco commodo : no acougue
do pateo do Paraizo, esquina do becco do
Ouvdor.
Vende-se um pardo de bonita figura,
muito moco, proprio para pagem, e que nSo
tem vicios: na rna da Cadaa-Veilia, n. 33.
Lotera do Hio-de-Janeiro.
A os at.000,000 de res.
Na loja de miudezas da praca da
Independencia, n. 4,. vendem-se

os afoitunados billieics, meios,
quartos e vigsimos da 24.* lote-
ra a beneficio do monte po.
<&f Vf f ff y f VVVff ffff fvo
' Madama llieard, ra Nova n. 32, 41
vende oa manteletes de 30,000 rs. por *
16,000 rs., os chapeos de seda de *
20,000 rs. por 10,000 is. e os dito de 2
>*. paltia enfeitados de 12,000 rs, or 2
AaiA AA A AA AAAAAAt
Vendem-se as seguintes obras con, po-
co uso, e dos melhores autores, na ra do
Amorimji. 33, a saber : Quinlno Durward
4 volumes, mysterios de Pars 10 ditos, gc-
orgets 4 ditos, menina emigrada 3 ditos,
donzella 4ditos, osdois Robisons 3 ditos,
solitario 2 ditos, a estrangei'a 2 ditos, ro-
chado dos amores 9 ditos, "ovo compadre
MaP>eua3diios, Galuxo 4ditos, Panorama
1837 9 1838 2 ditos.
-- Vende-se om moleque de 17 a 18 ai
nos e de bonita figura sem vicios nem a-
chaques : na ra do Amorim n. 83.
-- Vende-se um aitio na estrada d'Agua-
Fris, com casa de vivenda de pedra e cal,
eos bastante commodo, lem urna baixa p-
tima para plantar capim, e bastante trra
horas da manhSa al s 2 horss da tarde. Cbegaram''doio-deJanelro"'alns re-
ii-. JosaM, .tractos de S M. o imperador, lilografiJo'
rea'da e.21a1^M5U^Ji^,r ^d'" ">rpc, e os mais bom parecidos qu.
fi~ lf*itT6* AuemhJ6t,? 8 : corte actualmente' exislem, proprios p-
'l I i,... Hq,"m Fr,ne.'8C '^ AUTi. D0 raJre' rl"io Pu,,li ou O. Sua Mages ... 1,
Fo.te-do-Mattos,ou com Prxedes daFon-jtade est fardado de gensr.Msimo.'" I Venden om.
... oommenda ao cruzeiro: cada retratol de meia idade,
nem achaques, e quo engomma bem, cose
chSoe co/iuha: na ra de Apollo, n. 2,
armazem.
A 4,ooo rs. o par.
Vendem-se sapates de lustro para ho-
mem, muito bem feitos, a 4,000 rs. o par :
no Alerio-da-Boa-Visla, n. 58, loa decal-
cado, junio a de selleiro.
Sapatoes para meninos.
Vendem se sapaldes par. meninos de 6
a 12 annos, muito bem feitos: no Aterro-
da-Boa-Vsts, n. 58, loja de calcado, justo
a de selleiro.
Vendem-se brides de ac polillo, mui-
to bem feitas e maneiras : na ra Nova, loja
da ferrages n 16, de Jos Luiz Pereira.
Vende-se um cavallo castanho, de bo-
nita figura, com muito bons andares, mui-
to manteudoe novo : no principio da es-
trada que vai para o Manguinho, em um
sitio que lem em cima das columnas dos
porlfles quatro lies, acharflo com quem
tratar a qualquer hora do dia.
Vende-se um grande sitio com casa de
taipa, propria para familia, na poroacSodo
Monteiro, indo pelo becco do Quiabo at
aladeira do Mudo, contendo immensilades
de fructeiras, e bello pasto para 3 ou 4 vac-
cas, d"ss bors baixas com rapiro de planta,
urna soll'rivel estribara junto da dita casa :
faz-se todo o negocio com o mesmo : na
ra da Conceic/io da Boa-Vista, n. 9.
Vendem-se pernas de cortinas, stnefas,
e duas colchas, tudo de damasco encarna-
do, em uso, proprio para aiguma capella
do mallo, por preco muito commodo: na
1 ua do Livramento, loja n. 34, se dir quem
vende.
Acaba de sabir do prelo no Rio-de-Ja-
neiroa seguinte obra importante ofTerecida
as senderas brasileiras
Mimo niiiilni fllha.
' Colleci;8ode bordados modernissimos
contenios mais lindos desenos n mode-
los de bordados para Icncrfc, cabeces, tou- .
cas. manteletes, veos, rouiOes, Salas de- I ra. a 800 rs. : ditos nara
-iu,i-ami.aueuur.iiir,*iwoiaaa,chiue- ditos de marroquim pal
las. vestidos de bapliaado, suspensorios, rs. ; bolins de marroqu
clleles e camisa do homem, cicas de
crian?, tapecanas, abodarios e algarisnios
Estes desenhos feitos por mo de mestre o
do mais delicado gosto, proporcionan) as
seohoiasum til e agisdavel passatempo.
Ilet*l a divetsidaefc.de ohjectos. que a pre-
sente rolleccilo contem para cima de 200
desenhos. Vender por 10,000 rs. uo pa-
leo do Collegio. casa do livro azul.
Vende-se um. cadeirinha de arruar:
na ra Nova, n. 27
-- Na ra Nova, loja dealfaiate n. 14. ven-
dem-se obras feitas de todas as qualidades,
romo seja ; camisas brancas, a 2,000 rs: di-
tas com peitos de esguiflo, a 3,100 rs. ;
calcas.de casemira, a 9,500 rs ; palitos de
rtscado de linho, a 5,000 is. e outras mui-
tas obras por precos coinmodos. Na mesma
fazem-se casacas e sobrecasacas de panno
lino 12,000 r. caicas de casemira a 9,000
rs., jaqueUa e calcas de brim a 1,500 rs.
No da que se promette nflo ae falta.
-- Vende-se urna escrava crioula com urna
cria de idado de 8 mezes, na ra da Cadeia
prets por 350,00o ra.,
que cozinha, lava muito
proveitaveis para toda classe do povo.
Historia com a vi la e retrato de I). Pe-
dro I.
Dits, dus sete sabios da Grecia.
Dita, da saude, contendo tratado de fac-
turas, deslesela lorcedurss, queimadu-
ras. etc. .
Pila, Mara da Fonte, contendo o retra-
to e a crooica.certo enventu verdaloiro Ja
Maria da Fonte.
Dita, negro-manto, contendo urna lnla
colleccflo de sorte para noites de San JoSo,
Santo Antonio, San Pe lro e Santa Anna.
Di la, historia natural com nocOes dos tres
reinos.
Dita, historia de Napoleo com estampas
de pelbrlcas conteni urna reuniSo de pe-
lmas, noticias, casos, anedotas e bons ditos
capnzes de fazerem occultar barrigadas de
sizo dos triis serios.
Dita, dos namorados. contendo o diccio-
nario de flores, das cores da pe Ira da fine-
za, do lelegrapbo de amor e varias outras
cousas.
Dita, do char.dista, contendo um cofre
de charadas, enigmas e advinhaces, etc.
Dita, da Buenadicha.
Dita, lie cupido.
Todas estas folhinhrs coutm no princi3o
o exactissimo calendario com todos seus
perlences a cmara dos sena lores e de-
pulsados, corpo diplomtico e consular bra-
sleiro e eslmngeiro, a auguslissima casa
imperial, crnica nacional de 1819 a 50. um
interessanlissimn artigo sobre a febre a-
marella e outras muitas noliciss.
Calcado.
Vendem-se sapatos de couro de lustro pa-
ra homem, a 0,500 rs. ; botins de duraque
prelo e gaspeados.para senhnra, a 4,000 rs.;
sapstos de setim branco, a 2,500 rs.; ditos
de duraque preto, a 2,200 rs ; sapatos de
lustro para senhnra, a 2.000 rs.; ditos para
meninas, a 1.600 rs.; botins para ditas, de
duraque de crese gaspeados de lustro, a
3,000 rs. ; sapatos de mar o )uim preto pa-
ra senhora, a 1 280 ; ditos de cores, a 1,440
fs.; ditos de duraque de cores para senho-
ineninau 7AA rm.
ra menioas, a 640
marroquim para meninas, a
800 rs. ; chinelas de marroquim para ho-
mem, a 1,500 rs. ; ditos de tapete para ho-
mem e senhora, a 1,500 rs. a dnheiro a
vista : na ra Nova n. 9, loja atrs da ma-
triz.
Na ra Nova n. 2, loja atrs da
matriz,
vendem lencos de seda, a 1,000 rs. ; ditos
escocezes, de linho com seda, a 1,000 rs. ;
ditos de algodfio, pequeos que servem pa-
ra meninas, a 240 rs ; di toa linos, a 500 rs.;
ditos de cambraia branca lisos a 500 rs.;
grvalas de seda para homem, a 1,000 rs ;
lencos deseda de cordflo, a 800rs.; dito*
decassa.a 040 rs.; ditos pintados, a 480
rs. ; ditos de seda para algibeira, a 1,600
rs. ; ditos para hombro de senhora, a 1,600
rs. ; ditos de cambraia de linho finos e bor-
dados com bino m rod*, a 10,000rs. s i-
nheiroa'vista.
Capeos de pul ha
Vendem-se a t,000 rs. o ceolo, caixas
com superiores velas do Aracaly brancaa e
amarellas, sapatinnos de meninos em por-
CSo, couros, sola, farinha de Ararula. bar-
ricas com seno e couros surrados : na rus
da Cruz do Recife n. 94.


HJ<**|W
-"**
w
atUha
- Vende-*e muito superior farinha gale-
ga em meias barricas : no escriptorio de
Deane Youleci Comnanhia, ou em seusar-
n azens do becco do Gongalves.
A l.Ooo rs.
Democracia la Franco.
IraduccSo portugueza em muito bom papel
e boa impresSo : vende-se no pateo do Col-
legio, loja de livros de JoBo da Costa Dou-
rado.
A dons mil rs. a libra.
vendem-se obreias muito bos e ortidas,
*t meia qaarta : no paleo do Collegio n.
6, loja de linos, de JoSo da Costa usurado.
Ven'lem-se franjas de retroz para man-
teletes a 440 rs. a vara, dita para sapatos a
200 rs.: na praca da Independencia u. 19.
Na ra do Cabug loja de (marte, ven-
dem-se suspensorios de seda, ditos borda-
dados a seJ, vazos de vidro da diversas
cores, chicotes inglezes para carros, ditos
para cava I loa.
Hoiicto le panno a 2ooo.
Vendem-se bonetes francezes, de panno
muito 8. o e Torrados de sede, para bo-
ro ena e meninos : os. joa .lo Qweimade n.
16, lojadeJoa DiasSimes.
Sf!O
JSaloja.do sobrado amarello, nos m
^ quetro-canto da ra do Quetroado
n. 99, vendem-se as sagutotes fa-
zendaa :
C-tes de calesa de casemira a 3,500,
* 5.000 e 7,000 rs.
? Hitos de dita de algodSo, a
9> j)iios decollles de fusISo de
cores e branco, a

2 000
1,000
c
i'
*j> Ditos de dito superiores, bor-
dados, a 2.100
* Ditos de velludo de cores, a 4,000 ff
"? iiitos de gorgurSo de seda com
@ listr.s.a 2,000 9
9 Lencos de seda de cores para
i) grvala, a 800,1,000 e 1,500
i Luvas de algodfio, fio da Esco- 9
W ci, para homem, a 400 #
'Q Ditas de torcal, a 1,000 P
? Al, ac de i-lgodSo para casa- *
9 cas e palits, o covado a 300 f?
Chapeos francezes finos, a 6 e 7,000 *
****(** *?#<*
Fnrinlia le mandioca-
Na ra da Cruz, no Itecife, armazem n.
13, e na ra da Cadeia, aro-azem de Cam-
pello Filho, vende-se farinha de mandio-
ca do Ceara, muita alva, gnmnmsa e de es*
relente goslo, tinto em pequeas como
em grandes porces, por preso commodo.
Travessa da Madre-dc-Deos, nr-
ina/iiii. n. 5,
Acha-se estabelecido um deposito, onde
encontrarSo ot freguezes um bom soni-
mento de licores, espirito de vinho, e to-
das as mals qualidades j superior vinho de
caj ; cb mate ; e hagas de vime, a precos
moderados.
Taixas para engenho.
Na fundic2o de ferro da ra do Brum,
acaba-se de recebar um completo sortimen-
todo taixas de 4 a 8 palmos de bocea as
quaos acham-se a venda por preco com-
modo e com promptidlo embarcam-se,
ou carregam-seem carros sem despezas o
comprador.
Deposito de potassa e cal
Vende-se muito nova e superior potassa
ecal'virgem de Lisboa, em pedra : ludo em
harns pequenos de 4 arrobas, por preco ra-
soavel: na ra da Cadeia do Itecife, o. 12,
armazem.
-- Vende-se por muito commodo preco,
urna rica secretaria com estantea para li-
vros, bastante grande, propria para advo-
gado, sendo de amarello e ainda nova ; as-
sim como, seis cadeiras e duas mesinbaa
de abrir : na ra estrella do Rozario, n.
28, ultimo andar, das 2 boras da tarde en>
(liante.
Farinha de Tapny-
igualmente em sabor, finura e cor a de Mu-
ribeca, propria para mesa : venJe-se na
ra da Cruz, no Itecife, armazem n. 13.
Deposito da fabrica d<> lodos >
Sontos na Huilla.
Verde-so em casa detN.U. Uieber & C.
a ra da Cruz, n. 4, aleodSo trancado
dajuella fabrica, muito ptoprio para sacro
de assucar, roupa ds escravos e fio proorn
para redes de pescar, por preco muito com-
modo.
Tecldo de alffodao trancado na
fabrica de Todos OH Sanios.
Ka roa da Cadeia n. 52.
vendem-se por atacado duas qualidades,
proprias para saceos de assucar 4 roupa de
escravos.
A ra ilos i c f( r i o.
Na fuodicBo da Aurora eui S.-Amaro ,
verulem-se arados de ferro de diversos mo-
lelos.
Moendas snpcrlure*.
Na fon ticSo de C. Starr A Companhia
em S.-Amaro acham-se a venda moendas
de csnjia, todas de ferro, de um modelo e
onstrucgo muito Isuperior.
Massa i vapor.
Acha-se aherta a padaria da ra do Bur-
gos, Forle do Mallos, na qual se achara
diariamente lodss as qualidades de massas
linas, trshalhada por machinisuie ; tam-
bem se fabricum eicellente po e holaxi-
uia iie aramia, i ingiezas, mi anjea
qu adrados e redondos, e outras mais mas-
sai ludo obra prima : as meninas seacharSo
no deposito do pateo do Terco, n. 10.
Aoe senhores le engenho.
vendem-se cobertores eseuros de algo-
dio proprios para escravos, por serem de
multa duraeflo, pelo diminuto proco de 640
rs. cada um : na ra do Crespo, esquina
que volta pera a cadeia.
Curtes de calcas a mil rl.
Vendem-se brins com lislras ao lado,
brancos e de cores, a-de* tusles o corte de
cateas : na ra do Queimado o. 8, loja con
fronte a botica.
Vende-se farinha de Sania-Catharina.
muito superior, a bordo da galeota Suntiui-
mi-Trindade, fundeada junto ao caes do
Collegio.
Vendem-se na ra do Cabug loja de 4
port.-.s do D'J.-tr, occulosdc todii. 8i.-
duacOes, por prego mais commodo quo em
OOtra qualquer parte, cinleiros de couro de
lustro para homenae meninos.
Vende-se por prego commodo farinha
muito superior, bordo da garopeira N. S.
da I'enha. cliegada do.Porto-Seguro, a tra-
tar a bordo da mesma, ou com Novaes & C.
na ra do Trapixe n. 34.
Bombas de ferro.
Vendem-se bombas de repuso,
pndulas e picota para cacimba :
na ra do Brum, ns. 6, 8 e ir,
fundico de ferro,
Aradofrde ferro.
Vendem-se arados de ferro de
ifferenles modelos : na ra do
Brum, ns. 6, 8 e io, fabrica de
machinas e fundico de ferro.'
.l o barato causa admiracio !
Istoacontece na ra do Crespo,
n. 6, loja ao p do lampeio.
Vendem-se cassa-chitas de moito bom
goslo, a 240 rs.; cortes da ditas do ruelbor
goslo que leem apparecido, a 2400 rs.; chi-
tas finas de boas tintas, a 160 e 180 rs. o
covado ; riscado americano, a 140 e 160 rs.;
dito trancado, a 180 e 200 rs.; algodSo
mesclado. a 200rs.; zuarle azul com 5 pal-
mos, a 200 rs. ; dito de cores, a 200 rs.
cassa prela para luto, a 120 rs. o covado
cortes de fusto muito boos, a 560 rs.; cha-
lea de tarlsUna, a 3S0 o 1,280 rs.; coberto-
res de algodflo de cor. muito encorpados e
proprios para escravos por serem muito
quentes, a 640 r.; alpaca preta de cordfio,
com 7 palmos de largura, a 1,280 rs. ; ris-
cados de puro nho, a 210 e 360 rs. o co-
vado.
Antigo deposit de cal
virgen..
Na ruado Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal virgen de Lis-
boa, por preco^ muito commodo.
Capotinbos c mantelete-.
Na ra Nova n. 6, luja de Maya kamus & C,
acaba-se de receuer capotlnnos o man
teleles de can.brala branca borlado, da ul-
tima moda, e muito bem guarnecidos com
bico a tniilagao do blonda : os pregos con-
vidsm sos compradores.
Vende-se um sortiment de vidros de
cOres para mesas, sendo copos para vinho e
paraagoa, campteiras, garrafas, fruletrus
e palos, por prego commodo: na ruado
Cabug loja de 4 portas Je Duarle.
Vendem-se, na ra da Moda, armazem
n. 15, meias balices com cal virgem de
Lisboa, a mais nova que ha no mercado, por
prego commodo.
Canap Paulo Cordairo :^f
vende-se na ra da Cadeia do Itecife, n. 51,
aja de fazendas, de JoSo da Cunta Maga-
Ihles. M
Na rna Nova. 11. O, loja de .Maya
lia 111 >- S (' ,
vende-se, alm dos livros j* annuncialos
"por este jornal, o novo romance intitulado
- Urna finilia corsa obra do insigne au-
tor Alexantlre Dumas, muilo bem traduzi-
do, 1 v., por mil rs.
PECIIINCHA CARA A POBRES A.
Na ra do llangel armazem Tf. 3*. ven-
dem-se sacas com farinha de Santa Calhari-
na a 1,500 ris, ditas com arroz de casca
superior a 2,300 ris, ditas com milho a
2,300 ris e pilado saca grande a 6,500 leis.
CANDIEIRO FKANCES.
Na confeilona da ra do Rozario estreila
n. 43, vende-se um candieiro com pouco
uso, pelo preco de 3,000 lis, jumamente 50
barricas de lugo a 400 lis.
Loteiia do Hio de Janeiro.
Aob 20:000,000 de m.
Na ra eslreila do Rozario, tmessa do
Queimado, roja de miudezas 11. 2 A de Joa -
quim Francisco dos Santos May, vende-s*
bilbetes, meioa, quarlos, oitavose vigsi-
mos da vigesima-quarta lotera a benefici-
lo Monte-Pio heral de economa dos servi-
dores do estado : na mesma lojs esta paten-
te a lista da decitna-primeira lotera do
theatro deS. Pedro do Alcntara.
Aviso nos Sra. de eiitrcnlto de
Goianna.
Na loja de Joo Nicolao (Tomes ds Molla,
no becco do Pavfio, n. 2, vende-se cal vir
geni ile Lisboa, e pipas vasias.
-- Vende-se urna linda scrava de 20 an.
nos e de nacflo, propria para todo o sirvico :
na ra do Rangel n. 57
Vendem-se duas rotulas em muito bom
estado, por pre?o commodo : na obra junto
i igreja de Santa-Rita,
vi mas r Ya 1 ice/.as. ra Novan. 34.
Mailame llosa Hardy, modista brasileira,
novamente participa a seus freguezes que
recebeu um lindo sortimento de chapeos
de seda e de palha de Italia, para senhoras
e para meninas, tem igualmente chapeos
de palha de Italia linos para meninos, en-
colados e por enfeitar, novos canotinhos de
chaoialote, gros de naples e fil de seda,
manteletes de furia cores para senhora e
meninas ale 8 a 12 minos, transas de seda e
de IS,perfumaras, bicos, fitas, luvas, meias,
sapatos, fil de seda de todas as cores, ere-
pe, caa'isinOas de rambraia e filo ds linho
para senhuias, a 2,000 rs. e tniilas outras
l'.izcn las de goslo que vente por preco
commodo, e das quaes, d an ostras a pe>-
soas contiendas ou COOI penlinres. Tambem
"SS'VM m Sdim urga^i-a usiif|uimua a
mola recenteaienle ebegados; e faz vesti-
dos de eda, toucadoa e veslidinhos para
criancas, manteletes e capotinhos para ser.
nhoras e para meninas, na ultima mola
e com perfebgao.
Vende-se urna escrava de nc.3o Mo>
(ambique, de bonita figura, de 20 a 25 an-
uos, boa cozinhena, vende leira, e qu en-
tende de engoinmaJo : ns Aterro-da- Boa-
Vista, n. 59.
Verulem-se reiogios de on-
ro e prata, patente inglez : na ra
4a Senzalla-Nova, n. 4a.
Chapeos de sol para srnliora.s.
Vendem-se chapeos de sol de seda com
franjas, muito ricos, com cabos de marlim
e dos mais modernos. A ctdadu de Parla,
ra do Collegio, n. i.
Mllho e arroE com csea a 2f 5oo
rs. cada eacca.
Vende-se no armazem do Bragucz, ao p
do arco da CoDcic9o.
Chambo de nranlcao.
Vende-se no armazem de I. J. Tasso J-
nior, ra do Amorim, n. 35.
.-Vendem-saamarras ai ferro: na roa
li Senzalla-Nova, n. 49.
2 Cera em velas.
O Vendem-se canas com ce-
ra em velas, fabricadas no
q Bio de Janeiro, muito bem
0 sortida, por ser de urna a
1 i6tm libra, por preco mais
q barato do que em outra qual-
O quer : na ra do Yigario, n
q com Machado & Pinheiro. ^
Vende-se um preta de naci Mina,
muito mij?a e vistosa, que engomma, co-
zinha e faz todo o mais servico de urna ca-
ga : na ra do Amorim, n. 15.
Panno verde escuro.
Vende-se panno fino verde escuro, palo
diminuto preco de 4,000 rs. o covado : ain-
da resta algumas chitas francezas, com al-
gnmmofo, que sevenderflo a quem com-
por peca, a lorj.,ea retalhoa 16o rs. o
covado: no Allerro-da-Boa-Visla n. 18,
Os vcidodciiosrisroilon nonslros
a 26o n. o covado. ^
Na loja da ra do Queimado n. mhm-
dem-se riscados moastros da quatro pranos
e meio de largura, pelo baralisslmo preco
de260rs. o covado.
Vendem-se sopo toes
chegados agora mesmo do Aracaty, feitos
a capricho, segundo as recommendacOes
que para la se tem feito, por mdico preco,
para se liquidar : na roa larga do Rozario
n. 35.
Vendem-se dous preto* os mais pro-
prios para ca regar palanquim que p le ha-
ver, e que ganham na ra por da 640 rs.;
um cabrinln de 14 anuos, muito lindo para
pagem ; um dito de 10 auno, que serve
bem a urna casa ; um molequede 16 annos,
multo linda peca ; urna prela de 20 annos,
que cozioha. lava e cote : na ra do Colle-
gio, n. 21, primeiro andar, se dita quem
vende.
i (irilas pura violtao e, rabeca.
Na ra estrella do Rozario, travessa do
Queimado, n. 2 A, de Joaquia Francisco
dos Santos Maya, vendem-se as muito su-
periores cordas e bordoes para violjo e ra-
beca, por preco mais commodo do que em
oulra qualquer parle.
Depositoda fabrica ele*
lodosos 8anlos, na
Baha.
I Uahia.
a> Vende-se, em casa de Domingos Al-
ves Matbeus, ria ra da Crua, n. 52.J
da-l'
Vriinuj-iC CicpCOa uc SOl u SG p"-
la e de cores a 4.500, 5,000 e 5,500 rs. rada
um, com armacSo de balcia e muilo bona.
A cidade de Paris, ra do Collegio, n. 4.
-- Vende-se urna escrava crtoula, de 18
anuos, de bonita ligura, d eicellmiln con-
ducta, equeenuomiua, lava, eozinha e coae
pouco ; na rus larga do Rozario, n. 48, se- /.'
gando andar. lOruzes.
?primeiro auda), algodSo (randado
*quella fabrica,^iuitu profiri para sac-,^
cose roupa da escravos; bem cuoiu^
fio propno para redes de pescare v-m
vios para velas, por preco commodo.41
*
Agencia de l.ilwin Ma*.
Ra de Apollo, n. 6, armazem de Me. Cal-
mont & Companhia, fazcm ver aos Srs. de
engeubo e aos seus cnricspondenles neala
prat;a, que iioauestabelecimenlo se acha
constantemente bom aoilmenlo de moen-
uas (odas de farro para animaes, agoa, ele;
meias ditas para armar em madeira ; ma-
chinas para vapor com forqs de 4 cavellus ;
taixas de difiranles modelos e de lodos os
lmannos e giossuras, Unto de ferro balido
como coado ; espumaderas, cacos, rtc, de
ferro eslaiihado ; safras para ferreiros : lu-
do muilo bom e Dor barato proejo.
Huirs de ferro.
do muito boa qualtdade, ecom segredo pa-
ra as abrir : vendem-se na ra da Cruz, n
10, casa de Kalkmann IrmSos.
-- Vende-se um preto l'ODJ ofllcio de co-
ziiiheiro.daBpoila figura a moto: a tratar
coui F. Pir'av
Vende se urna casa na Boa-vista, ra
doTambia, n IS;em S.-Antonio, urna di-
ta na travessa da Bomba n. 10; urna dita na
ra dos Pescadores, n. SI; urna dita na roa
de S -Rita, n 84 na ra do Cabuga, botica
10 Sr. JoSo Moreira Marques, que se dir
quem vende.
-- Vende-*e encllenle bolacha muito
bem fabricada, pelo preco de 3,840 rg.a ar-
roba, e de segunda qualidade a aova pata-
cas ; liiscouliobo doce, a 240 rs. a libra, fa-
rinha de trigo marca Barn, a 19,000 ra., e
deSSSK, a 19.500 rs. : na ra larga do R>
zano, n. 48, padaria.
Vende-seeummoiohoe torrador, em
perfeilo estado: na ra larga do Rozario,
u. 48, padaria.
Vende-se um cabriaha de 9 a 10 an
noa, muilo esparlo : no liecco-Largo, n. 1,
taberna.
.. y.i.jn.. ..mm mm irre. na rna Au-
gusta, n. 20, grande e bem construida, com
quintal murado, cacimba, porlSo, a que
rende 12,000 rs. musaes ; urna dita terrea,
na ra des.-Cecilia n. 14, com commodos,
quintal e cacimba, e que rende 8,000 rs
mensaes ; a quinta parle do sobrado de !
andares no largo do Carmo, n. 7, para ajus-
te de contas : na ra do Crespo n. 10, loja.
-- Na ra do Cabuga, loja de Moreira &
Huta, vende-se um bom relogio patente
inglez.
Na ra das Cruzas, 0. 42, segundo an-
dar, vende-se urna parda de 26 annos, que
engomma, coseclifio, coiiuha e lava.den
bo; duas prttas de nacSo, de 18 a 20 an-
nos, com as niesmasliatiilidades i urna ne-
grinha de 12 annos, com principios de ha-
bilidades ; urna escrava de nacSo Mocamb-
i|ue, de boa ligura, que eozinha, lava, en-
gomma pouco e venia na ra.
Vende-se um bonito mula-
to de ao a 23 annos, muito pro-
priopara pagem, ou outro qual-
rjuer servico; im ra do Crespo,
. t Iaiq /!.. ocnuina \a rna Haih
Vende-se a taverps da ra
do Padre-Floriano n. 7a, com
poucos fundos, a qoal Uz ie a
12,000 rs.. por dia ; a tratar na
iravessa da Concordia, sobrado
n. 5, daa 6 s 8 boraa da manha,
e das 4 6 da tarde.
He grande pechincha.
A 2oo ea4o rs.
Vende-se urna porcSo de chitas francezas,
de 4 palmos de largura, rOxai, de cores fl-
xas. a 900 ra. o covado ; cassas francezas
de bonitos padrees, a240rs. o covado : na
ra do Crespo n. 14, loja de Jo** Francisco
Dias. .
A 46 rs. o covado.
Defronte do becco do Peixe-FritO; loja n.
3, vende-se ganga amarell* da listras, palo
baratissimo preco de 460 ris: ata fa-
zenda torna-se muito recommetajiOTal por
ser muito fina a da padrOes agradaveis.
Cha a ftoo rs. a libra.
Venda-as cb hysson, da muito boa qua-
ltdade, a 500 ra. a libra.- aa ra do Crespo,
n 93.
Manteletes e capotinhos.
Na ra Nova n. 8, loja de Maya Ramoi & C,
acaba se de recebar de Franca um sortimen-
to de manteletes a capotinhos de seda la-
vrada e lisa, da ultima moda, e que se ven-
den) muilo em couta.
Para vestidos de Senhoras.
Vendem-se os mais asselados manguitos I
para vestidos de senhora na ra do Quei-
mado o. 9-
fjooooaoooEs 00000000
O Vende-se farinha de man-
dioca muito barata em snc- g
1 cas : na ra da Cadeia n. 1. o
OOOOOOOOOOOOOOOOO
A I So rs. o qnoitclrai.
Vendem-se pennas multo boas: no pateo
do Collegio, n. 8, loja de livros, de JoSo da
Coala Dourada.
-- Vendem-se meias da seda brancas
para meninas ; sapatlnhos da couro de lus-
tro para meninas ; ditos da duraque, a 800
ra.; botina (aspeados com dursque de co-
res para meninas : na ra Nova, loja n. 9,
atrs da matriz.
-- Vende-se, na roa do Vigario n. II, ar-
mazem de Francisco Alvas da Cunta, osse-
guintes gneros, todos de superior qoali-
lade, e por menos preco do que em outra
qualquer parle : azeitonas em ancorelas, vi
nho do Porto em barrls de differentea ta-
maitos, cevada, cal virgem de Lisboa, ar-
cos para pipas e barris, fio porreta, retroz
.le Siqoeira, cha de San-Paulo, canaatras
com albos e ditas com rolhas.
Chapeos de sol de panninho com arma-
dlo da balea, palo diminua preco de 2,000
rs. esda um. A eidade de Palis.jua do Col-
legio, n. 4.
Grande sortimento de chapeo* de sol
de panno trancado, muito grandes, com ar-
roscos de balea das mais fortes, eabos de
latfio e da pao, proprios para senhores e fei-
tores de eugenho. A cidade de Paris, ra do
Collegio, n. 4.
Vendem-se colleecSes com
mais de seis lindas vistas, repre-
sentando a ponte do Keciie com a
alfandega, a ponte da Boa-Vista,
a cidade de Olinda, a ponte do Ca-
banga, l'oco-da-l'anella, e a ra
da Cruz com o arco do Bom-Jesus;
bem como duas grandes vistas de
Pernainbuco: na ra da Cruz, n.
10. casa de Kelkmanns Irmio.
Vendem-se cortas de couro do lustro
para sapalOes : na ra Nova n 20, loja.
Vende-se farinha da Ierra, em barris,
por preco muilo commodo : na rila larga
do Itozario n. 82, loja de miudezas, de Vic-
torino & GuimarSes >
Vendem-se 16 escravos, tndo um bom
carreiro e mestre de purgar ; 3 ditos de to-
do o servicu ; 2 mu latinos de 16 annos; 9
ditos de todo o servico de campo ; urna
mulatiuha recolbida, de 14 annos, que co-
se a engomma ; 2 escrava* moga* de bo-
nitas figuras, que cosem bem e engom-
an ; 5 ditas do todo o servico ; na ra
Direita, n. 3.
A lo,ooo rs.
Veodem-lanlernascom p da casqol-
nha, pelo diminuto preco de 10,000 r*. o
par : na ra Nova n. 2, loja atrs da matriz.
Vendem-se chapos de sol, de sada
para homem, a 7 e 8,000 rs.; ditos de pan-
no com armac.no de balea, a 3,000: na ra
Nova n. 2, loja.
Vendem-se 6 bonitos es-
cravos de aa annos, sendo um
driles bom masseiro ; l dito bom
venden bnporseu senhor sabir para fra
da provincia : na ra da,- Concordia, vindo
da ponte, esquerda, segunda casa terrea,
se dir quem vende.
ttftf i
Cartas snperflnaa "
para voltarste : oa ra do Queima- t)
do, n. 85, loja de miudezas. 9
** #*
- Vende-se rsp Paulo-Cordeiro a 1,440-
r*. o bote : na ra .do Encantamento, arma-
zem n. II, por baixo do sobrado do reve-
rendo vigario do Recite.
Lotera do io-de-Janelro.
Aos 2otooofooi>.
Na ra larga do Rozario, botica n. 4,
vendem-se bilhetes da 84.* lotera do Rio-
de-Janciro a beneficio do Monte-Plo, a sa-
ber : inteiroa 92.0000 rs., malos 11,000 rs.,
quarlos 5,700 r. oiUvo* 2,800 rs. a vig-
simos 1,400 rs.
Conlin6-*e a vender manteiga ingie-
za nova, a 400 ra ; caf em grao, a 169 ra.;.
bom cha, a 1,90 rs.: no pateo dQ Carmo,
n. 9, venia nova.
Vendem-se e*teirs d paltoa de car-
nauba ; courinbo de cabra; espatos de
couro de lustro, a 3,000 ra. o nal-, chega-
dos do Araoaty : na ros 4a Cadeia do Ae-
cife, n. 49. .
Vendc-se urna ejeravs crtoola de bo-
nita figure, de 94 a 95 annos, faz doces de
todas a* qualidades, fena assucar, coa*,
engomma,-coznha, faz renda e o* mais ar-
ranjosdeuma casa: tudo com perfeilo:
no principio da estrada doa AfUictoi. aci-
. .meira cas* terrea pom sptSo a ,f randa de
rnaaguito* lferro, dolado direito.
de 2o annos ;um dita de 15

carreiro ; um dito bom bolieiro,
e que tambem entende muito de
tratar de borla, ou sitio ; 2 pretas
an-1
.,uo, Hii= viBo-.-.,,. eozinha; hep
mulatinha de 16 annos, que en-
gomma, cose e cozioha ; S pardas
com habilidades : todos por pre-
co muito em couta : ua ra das
Larangeiras, n. 14> segundo an-
dar.
- Venda-se sal muito bom, a bordo do
biale Anglica, por barato preco : a tratar
na ra da Cadeia do liecile, n. 49.
Vende-se, ou permuta-se por escravos,
um sitio no Remedio, margem do no, em
erra* proprias, com boa casa, cacimba
grande com boa agoa, porto e a ar a toda
hor* : na ra uo llangel, n. 54, a tratar com
Vctor inc Francisco do* Sanio*.
Vende-se una veneciana para viraoda,
por prego comipata-na ra das Cruzes n. 40
^^H >*t *s &Syo viU,
qusltdaae de co-
1, e que ha pro-
muilo furiosa :
-r Vend 14a, oa ra da Cadeia do Recife,
n. 39, cha hysson em can* grande, de S.-
Paulo, muito bom, por preso commodo.
Vendem-se escravo* da ambos os aeos
noyos e velhos : na ra de Apollo n. 44, daa
9 boras da manhSs as 4 da larde: o motivo
da venda he para MquidacBo de inventario.
Gravataa de mola.
Vendem-se gravataa da mola preta* a de
cores, fazenda que nlo deixar de agradar
aos compradores, par ser multo barata
0 de mu boa qualidade : ua ra do tjuaima-
do.lpja de miudezas, junio i datera n. 38.
Vendemaa queyo* londrino, dito
prato, sulsae parmezo, prsiunloa ifglflces,
toucinbo dito, Utas de bolacbioba ia*)Uz*,
ditas da ardinha, horvilhas, salmto, coa-
servas inglezas,salame,garraf da manteiga
fresca,vinho engarrafado, sendo Porto.nia-
deira, muscatel, Selubal, carca velos biso-
co e linio, ordeaux, colare*, lavradio, bu-
cellas, clteiy, malvasia, ago'ardente de
Franca, passas inglez** para pudim, caixas
com massas linas, lingoaa nglezas s ludo
de superior qualidade : na rus da Cadeia
do Recife n. 9.
Vendem-se 14 cadeiras de Jacaranda, 1
par de bancas de dito, 1 masa da meio de
sala de dito, 1 canap de dito, iQleiro* da
amarello, proprios para loja da miudezas, 4
mesa de meio desalada ngico em bom es-
tado : tambero se Tndem 18 cadeiras deja-
caranda nova, por preco eommada : na tus
d* Cadeia de Santo-Antonio n. 18.
Operas completas, piano e can lo.
A casa de livro aznl acaba de
receber as melbores edices das
operas seguintes, com encaderna-
co solida e elegante, a saber : Je
Uonezetti. Belisario ;" do ItilKni,
Pirata e Sonambulo ; de. Verdi,
Lenani ,
-- Vende-se che de S.-Paulo, deprimeira
aorte, o melhor que tem aqu apparecido, a
2,000 rs. a libra : na ra do Rozario, n.i,
taverna do Po;S.
Vende-se urna cas* com umita planta a
bom banbo, no Manguinhn, n. $4 ; urna ca-
sa no Poco, a dinheiro, ou lroc*-*e por urna
negra : a tratar na mesma casa.
Escravos Futidos.
Ai a
-J-
na da
1------
urna negrm
figrate e
uinbode annos e _
^W uiuilu buinia; jj
uro por que sal?*
Fugio. na noite do dia 1 da frrente,
o preto t.u7,ciioulo, representa 96 annos;
he baixo, cheit. do corno, um pouco fulo,
nariz chato, olhos um pouca encovada*,
com fallas de denles, caballos grandes a
com urna caforina pequea; tem algumas
cicilrzes pelas costa*, e um lalho ns* coi-
la* da mo esquerda ; levou camisa a cerou-
ras de riscado dealgodSo azul. Roga-sa aa
auloridades pollciaes e capitSe de campo,
que o apprehendam e levea-no i ra ao
Cabug, n. 3, loja de elleiro, de Autopio
Ferreira^da Cesta Braga, que gratificar.
No dia 3 da agosto prximo pastado,
ogio, do sitio de Sebastiffo dos fJeulot Ar*
co-Verde Pernmbuco, no lugar d* Ca-
pellinha do Mondego, o *au escravo de no-
mo Sabino, crioulo, de 94 annos, estatura
ragular, reforcado do corpo, testa redopda,
dentes mios, baleo grosoa, bem fallante
ralla branda ; be natural do Uaranhfio;
foi escravo do fallecido Antonio Rodrigues
de Miranda, e foi mandado vender neta ci-
dade pelo leslamenteiro : quem o pegar le-
v-o ao dito sitio ao annunciaote, que gra-
tificar generosamente.
Fugio, na raaohSa do a.ia 7 do corren]
la maz, do engenho Velho de Jabeatfo, o
preto Flippe, de naofio Congo, de 3 annoa
pouco maia ou menos, altura a corpa re-
gulares, olbo* pequenos, cata comprida a
larga ; levou ci.miia a ceroulas da algodSo,
com a merca F na abertura, ftko da ponto,
e. na per na da ceroula a mesma latir F da
linha encarnada ; tem o andar um pouoa
bataneado, ou farcola ; cnstuma a trazer
cingida a cintura urna patrona ; tai al-
guna cabello* no buco e no jueixo, bem
faiio de pa e pernsa, cOr um pouca aver-
melhada : quem o pegar entregando ao
proprielario do mesmo engenho, sari ge-
neroaarrente gratificado.
-- PuglrSo, do engenho llha-daa-Mereaz,
oa prelos Candido, crioulo, de meia jdade,
calvo ; tem dous dedos da mflo direit* co-
mido da mo oda do engenho ; tem a per-
raiiM.J.. ; Conrado, balan. 00*1 *
rnacae* do roato bastante* saliente, usria
chalo ; ujppoa-e tarem safatdo para 9*S*'
h-de-Florrs : qnam o pegar leve*) ao
dito engenno, que tara gratificado com
sp.OuOr por cada.
s ttp. dkm. r, ds r*4*. '*
________


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E6928U9ED_YCRAT1 INGEST_TIME 2013-04-24T16:44:52Z PACKAGE AA00011611_07041
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES