Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07040


This item is only available as the following downloads:


Full Text

Anno XXVI.
........_!_ .!. I
Sexta-feira
16
-ABTiDA soi coaasioa.
fioianna e Parahiba, ai segundas a icxtas felrai.
lUo-Ciande-do-Nurlc, toda* ai quintas fciras aa
inelo-dia.
Cabo, Serinhaem, Rlo-Formosp, Pprto-Calvo e
Macelo, no I.*, a II e 21 de cada mei.
Garaiihuns e Honito, a 8 e 23.
Hoa-Vlita e Flor*, a 13 e 28.
Victoria, i quinta feirai.
Olinda, todo oi"
snEnnion.
-Nova, a 8, aoi 36 m. da t.
_ JCreic. a 13, aoi 10 m. da m.
Phiiis d ".< chela, a 21, aoi 15 ni. dam.
IMing. a 28, i 2 horai.da c.
r&UMAB DI bmi.
Prlmeira ai 2 horas e M minutos da Urde.
Srgnnda ai 3 horas e 18 mlnutu da manbja.
ti* Otubro de f 850.
N. 236.
nuco da ezmaCTioio.
Por tres mcies (adlantados) 4100
Por ael niexes ij^H
Por um auno lojOuO
DA da. szmawa.
\1 Sea. S. Calisto. Aud.do J. doi orf edo na. 1 V.
15 Tec. S. Thereaa de Jeius. Aud. do 1. da 2. v.
do olvel. e dodoi feltoida faienda.
16 Ouart. S. Maillolano. And. do i. da 2. v. do c.
17 Vunt. S. Heduvlgei. Aud.doJ. doiorf.edom.
18 Sott. S. Lucai. Aud. do J. da 1. v. c. e do doi
feitoi dafaxeodi.
19 aV S. redro d'Alcntara. Aud. da Chae, e do
J. da 2. v doclvel.
20 THjsu. S. Jlo Canelo.
cambio UI17BI oirriiaao.
Sobre Londrei. a 281|2 d. por 1/0OO n. a 60 da.
Paria, 346.
Lisboa, 100 por cento. __.--
(taro. -flacas hesp.nhola......W-000 a W00O
Moedas de ui400 velhai. 16/000 a 18400
. de 6/40H norai. 16/100 a 16*200
de4|000......i
Prata.Patacn brasileros....
Peos columnarlos
Ditos mcilcanos. ....
9/100 a
1/m60 a
OBM a
1/800 a
9/200
1/9
1/980
i/8to
PAHTF/OFFfClAL.
Mllreti tiS NEGOCOS ES-
TrUPiGEIdOS.
j.icic*a acKaTfm. Kim CosylaVrifjo
d,HJKr3Td2 uXIXfi.'Hi SToni
lederafSo Argentina. .,
lili, e fcxm. Sr. Paulino Jo Soareide Sou-
za, dacctnSUtfdcg. M. o Imperador, ihlni.tfn
e ecretarsodeetado. dw acanale earMMei-
ros. fie., etc.. etc.
O m.Sr. WjWo'loaj Sonre de Souaa, re-
poodenil. ean prrnieiro de julho ultimo i nou
do aballo uigoad* d 30.de abril, em que la-
ve a honra de pedir a explicacao da declaracao
de S, tic. o senado em 23 desse mesmo niex.ee
ierra convidar aoabaiso aiiignado a recorrer
varios' lctos e diversos documentos dlplo-
roaiicui, coiiio a outras lautas faates deque
dertva-se aaiaerce do gavera* imperial lobre
Mr a eVaae f ranliao a i.drpeaatraeta da ptidila
O abalxo aaaignado recortar per sua ordem
a cluciies can .se ae apoiao Sr. mioiilro dos
negocio etlraagf iros. A prlmeira lie a do art.
i."da convencaude29 de oiilubro em 1840 en-
tre a Confeder^io Argentina c a FraUc. Els-
aqui leu testo r
t O governo de Huenoi-Ayres continuara a
considerar etn eM'ado de pericia e absoluta In-
dependencia repblica Oriental do Uruguay
da waaeira por que a estipulon na convenci
preliminar de pal concluid*, a 27 de agosto de
1828 coro o impeli do Hraill, aem prejuUo de
eus direitos naturas, toda a vez que o exijan)
a juillca, baaira e seguraoca da CdnQderacao
Argfnfina.li
Sem ter que torcer o sentido genuino deste
artiga, UeUeseTc evidentrmente que o gover-
no argentino nao fez ao da Franca concessao
alguiuaespvclal.aemfoi estipulada interferen-
cia algunu da parte deiu naci sobre a eii-
tencia polilica da repblica do Uruguay. Por
ate argo a Franca na se obriga a sustentar a
independencia tt*t *fdo, t leria absurdo
supporqueagovWaoai'ieBtiabhouvesse divi-
dido coro ella dlrelto d'urna gaaniiaTeier-
vada tambera ao llrasil, contrauodo km no-
cla e sea ooaaennieuio do imperio uiaa iri-
plice ingereacia. tan apoio de umaaoberaiil
poiitic* ooHncada $ab a salvaguarda de duas
potenciaasneWfaaas. aem iuvlda beinsiilB-
clentes paraeeude-U contra todoi o auiques
ealerno.
USoie traa no referido artigo de um facto
ave, neta de restabelecer b qne hivl Ocado
acto. Toda oulra luterpretacao para fMra-
'da artigo o Aindamenlo legal de tuna nter,
vessto, aak qualquer (urina, bqi aaaaaaHfa
do ka tada OriMUJ^ba ere Mita,, falsa bsiai A.
O governo rgessiina nein bavia jamis violado
a independencia do Estado Uricatal do Uru-
guay, nein condescendera, em caso algum,
eiu que urna naci eitrihha i conveo(io preli-
minar, eii vlitai plitica que fuadarain eisa
nov repblica, auuuilsie a (aculdide de ins-
peccionar a execueao do pacto- que tiaou leu
dritioo.
Auacnca.daladependencia oriental na arti-
go 4-* e siuipleiipenU a eonqnciacao de un
tacto f luiente cooserv4o e que nao se sanar
clonava, neiii ae allerav, heift e forulrcla
coin a mera rcordaeo de sua existencia hist-
rica.
O segnodo memoro do artigo importa urna
reminiscencia conveniente dos direitoada Coa-
lider. guerra chegaiet a ser urna oecesiidade na-
cional. ,. .,
U governo argentino tem eaercido enes dl-
relto d'cnte'nda a que lo! proVocado por teus
inlmtaS da Bapda Oriental, setn ter que dar
railo a dlnguem de aaa appllcacio icno ao
governo g. brasil,
A nou de i% dV feveveir de 1843 ds legacao
argeotioa ao Sr. CarueJro teao, compulsada
pele S>. Paulina, di literalmente:
u He queatio, Sr. ministro, se drpois da so-
Itmuidide dos compromisos oontrabidoi pe-
los gov'ernos signatarios da convenci de paz
de 27de agoito de 1828. lob a inediacao da In-
flaterra, reiterado! pela confideraciio ante a
ranea a* convenci de 29 de outubm de 1840,
ae eiige algufua blra pra anadear a valldade
eiubtislencia daquelle pacto: e uqaudo algu-
inaa garantas te tlvent de addicionar mutu-
nieute, anda rilo fbrim discutidas, nein se
riau.icguudo o entender doabaizu assiguado
de facll-desenvolvlmenio.
Negoa por conieguime o aballo assignado
cntiOr aenio nega agora, que eiistlssem outraa
sraoti-s para a Independencia oriental alem
I que realtam da convenci preliminar:
nega que se hajam discutido outrai poiteridr-
menle so aooo de 4828, e apenas se refere
coiitlagenda de addlcionar-ie rpuluamenle as
Iue pudeisem emanar de urna reconalderae*o
quelle cbrenla pelo governo argentina e o
de S. U. o imperador, e .elusivamente por
elle.,
A deelaracio de lord Poinsouby. ministro de
g / KuZZiu. Usn o> T? n >
agoito de 1828, aos plenlpoieuciarrus argenti-
nos liesU corte, slrao acaar-s eaMrssaaa /ro
farmirir yut/ar timmti o raudo ds pat i
tri reftsMica arfraluta Vtasii, clue a lo-,
glaterra da reipooaabllldade e da prerOgatlv
de uina garanta ; equando ena nacao, cujos
bous olucios se empregaram efficaaweole eiu
approiiuiaraos belllgeraateida paz que ioau-
gurou a republicd oriental, Be privada de lo-
das e de cada urna das brlgacdei determinada!
"*~|as al tai contracta ule, nao ser i
,el couceder Franf nein aceitar luper.
dencia da sua parte em uurslo alguma
eitlca oueaieraa do Hio da Prata.
j abaiao signado repelle a declaracao de
bloiiueip de lWneloi pleuipot.eociario da In-
glaterra e Fraqea, lembrada pelo ir. Pa.ulin*
amo bate de qualquer direilo dos interveoto-
>M, (igVoO i oftpiadSo t-aorte do E,udo
Oriptal, eoSrtolnlsto le ilrvrra ter presente
aoetodoi ot'prletto* Invenudos para luipor
.BSloqueio Ibram victerio.au.euie rebatido
pelo jwoorlo rtfrinlinu da A'raara m Bueau.
Alta*. Uae acto da iujuilileave prepnieaoa
ser julgado pela posteridade tao severamente
orno tem sido pelos contemporneo.
O abaiao aaiif nado lluiiu ie a oppor ante
fallo do grtrno luineriai a convenci de paz
aire rbSa'^^Kfflrla-rttUlia, Mifg-
ada em 31 ro de 1849, e confia po-
aaaasB breve invosr uu igoai arraajo com a
^o,ka fraatlanu O Sr. Ini.tr. J* pdd
deicobrlr no acto diplomticos, de* que tem
pleno cophrolmeotn. a verdaejeiraorlgeio eex-
tencao do titulo allegadoi para easai medida*
coercitiva! na Intervengo europa, e a attltu-
de Irem JeBnlda da OmWeraeao Argentina
quanto ao eiUdo do Uruguay.
Pelo que diz respeilo i olai do antecesso-
res do Se. ministro, nio sendo porS. Co. espe-
rJcasd, he Impoisivel an abalxo assignado
rectificar presentemente s Idela errnnea do
governo imperial. e algumaa houverani. po-
rm. que no duvfaa que foem opportuna-
mente elucidadas pe a IcRacao argerltloa.
Quanto s dUcunuJes da cinaras francezas
e ineletae oare oe negocios do Prata. o Sr.
Paulino pennillira que o aballo amgnado ai
considere completamente louteia, como aitto-
ridade, para decidir lobre o tratados, e obre
a poltica da repblica Argentina: completa-
meute'lnulRelente para destruir os facoi rea-
litados, e multo mals para iotroduslr eua pre-
tendida garanta que o abalxo assignado, em
noine do seu governo, deiconhece pereutpto-
riamene em qualquer outra potencia que nao
seja a Confederacio e S. M o Imperador do
Brasil.
Deo guarde a V. Exo. multni annoi.
Tkoiaei (rado.
3.' suS a 20. Hio-di-Juneiro. ~ Mitu$ltrp
do jociui euranjeirot, i de Miembro de
1850.
0 abaiio (.signado, do cooselbo de S. M.
o Imperador, seoidor do imperio, ministro
e secretario de estado dos negocios esiran-
geiros, recebeu a nnta que, em dala de 2
le agosto prximo psssado Iba dirigi oSr.
0. Thomaz Guido, enviado extraordinario e
ministro plenipotenciario da GoiilulericSo
Argentina, em resposta a do abaixo asaig-
mdo do |. de jullio prximo pasiado.
k transcrip{io que o Sr. Guido-faz do artigo
4.' da convenci de S de outubro de 1840, ais-
pensa o abaixo assignado de entrar em qual-
quer deseiivolvimento. Por lsoliinltar-ie-ha
a obiervarque, obrlgando-e nelle a Conflde-
racio Argentina a continuar a considerar em
estado de perteita e absoluta independencia
a repblica Oriental do Uruguay, pela manci-
ra porque o eatipulou aa convenci prelimi-
nar de paz concluida em 27 de agosto de 1828
com o Imperio do llrasil, corresponde a esaa
obrigacao um direilo da parte da Franja, noi
tennoi da referida convenci preliminar. Kie
artigo comprehendr portadlo um comprima-
lo, all seria completamente intil, e nSo he
de crer que ie escreveiie em um tratado um
artigo com referencia aquella conveneao. In-
til e em alcalice, e que nlo eatabelecesse dl-
reilo e *aigac6e alguma entre o conlralau-
lei relathrassseale ao objecto da couieiida.
Isa tu|goado nao esamiar aqu por-
que nao be o caso par IssO a naturexa e a ex-
teusan do dlreiloxe obrigac--s d, Frauca quan-
lo sustentar'a ludeprndencla da repblica
Oriental. O que elle d aqu por certa e ave-
rigoado he que o governo argentino se obiigou
para com a Franca a continuar a considerar
em estado de perf. ita e absoluta independencia
aquella repblica.
mo provdeque aquelles governo* eo-
iditoMB convenc/Jef dt 1819 e de 1840 do
nao modo que o abaixo assign'do. Diz
iQUelU decUracSo : 0 plenipotenciario
bsixo ssjgndos reeeburain a raiss3o le
realabeleoer paz eoUT as repblicas do
PrsU, assegurando a perfeita e shsoluta in-
feoeniieuois do Estado do 'ugusy. Tal he
o nbjacto expresso nos tratidos de 1828 e
1840, firmados pelo governo de Buenos-
\yres.
O abalxo assignado nSo tem iqm por (1 m
proniineiar um juizo qualqaer jobre o blo-
queio e sobre iolervenco, e produx esias
CiUcOes smenU psra justificar i intelli-
gencla que d o feverno imperial aquellas
conveneoes Nffo he tambetn de seu propo-
to examinar e aqu.latr os fundamentos
em que se baseou squnlla declarar;5o de
bloqueio, cuja procedencia ou Improceden-
cia oBo poderia alterar os lreilos ohriga-
cOes resultantes dis eonuafsCues citadas
Pouco importa para a questab que occupi o
baixo assignado que o bario de Mireuil
livesse feito ao governo argentino declsra-
COes contradictorias aquellas com que o ba-
rita DrtlTaudis juslilicou squeile bloqueio
A convenci celebrada por Mr. Southern,
e qualquer negocuK&o que 0 governo ar-
gentino concloa com a Franca, aSo podem
alterar direitos obrigacoos resultantes de
convengues anteriores, seno derogando as
xpressaoienle, ou cometido doulrinas e
clausulas que as deslruam.
O abaixo assignado julga desnecesstrio
citar todas as nolis de seus antecessores a
que Iludi, e que farm dirig las ao Sr.
Guido, que tem dellas perfeito coulieci men-
t. Limitar-se-hj a lembralho que na
antiga e longa discussSi relativa missSo
dovisconde de Abrumes, o gdarno impe-
rial sustentou sempre que esteva no seu di-
reilo procurando saber de go ver nos, tam-
bem compromettidos a garaniir a iodepen-
Jencia da Montevideo, o seu pensamento
sobre circunulancias e acontecimentos que
podem aTecU-li. Esss tvlssao, portante,
fundava-se na conviccSo em que eslava,
tem estado, e est o governo imperial de
que a Franca e a Inglaterra estilo compro-
metidas a garantir aquella independencia.
Uto tem sido dito multas veiei legacao
argentina pelo governo imperial, a especial-
mente as discussoes relativas aquella
missSo. |-
Al diacussOes dis cmaras franaazas a in-
glnzasaobre estes pontos nSosflo por curto
sullcientes para estabelecer direitoseobri-
,'aces internacionaes. Mas prece aa abaixo
assignado que a opiniSo de liomeos de as-
tado eminentes,que teem estado no governo
Jo senjMiz, que se tem occupaloe tem to-
mado parle nestas qu-st0's, pote sobre
ellas derramar milita luz, e ser invocada
a palvra continuar o indica. A Contide-
raeio Argentina linha se abrigado peU con-
veutao preliminar de 27 de agosto de 1828, para
con* o brasil a considerar e a minter a Inde-
pendencia da repblica Oriental; obiigou se
depoia ao mesiuu para com franca, e nos ter-
mus daquelia couvenci, pela de 29 de outubro
de 1840. Nao ha faci novo, mas ha coinpro-
mlsifl novo e alasi do que istia com o llra-
sil, ha outro com a Frauca.
Hj he na coovenede que e eacreve a his-
toria. Onde se vio fazer-se couvencdei lim-
plesmenle para enunciar e conservar factos,
sem llgar-lhei ou derivar dellei dlreitoi e obrl-'
gacei algumai ? E s* o artigo 4. da conven-
cao de 29 de outubro de 1840 nao cstabelece di-
reitos e obrlgaces algumas entre a Franca e a
6'onlidericao Argentina, qual lieoieufim, e
que alcance tem?
O trecho di nota da legacao argentina de
de levereiro de 1843, traoicripto pelo Si Gui-
do, talla de solemnes comproinissos contrata-
dos pelo* goveruos signatario da convenci
dc27 de agosio de 1828 fo brasil' a Confede-
racio Argentina}, debaiio da ipediacao da In-
glaterra, reiterado pela Coofederaco ante a
Franca na conveneao de 29 de outubro de 1840
eslat palavrai e citacdei referetnie evidente-
mente i Independencia da repblica Oriental.
Ilecouhccein portauto que os coiungoiniiios
conirahidos entre o Hrail e a CoulBIeraciH,
relaiivamenle a e independencia, foram rei-
terado pela Confideraco ante a Franca, pela
coavenc^o de 29 de cutubro de 1840. Coufir-
iiiam portadlo o que o aballo signado cima'
deiteudlib. E e le palavras uno teem essa
referencia e alcioce, a qne se referem ellas,
que slgnideacao tem ? O Sr. Guido nio podera
apontar outra. 4
DizoSr Guido que aegou ento, corno nega
agora, que isiissem outras garanliaa para a
independencia oriental, aleu di* qu,e ie*ul-
lam da convenci prellaiuar. Fui bem. Maa
viiU; ~u; cc:f5si::i" :c!;:r"" 3" ene'
Con"tialiido! pero'Brasil e 2 o'federacao argen-
tina, reiterados poreiu peranlea Franca? le
que tratan, aqae e referem, em que parte,
ro que artigo da convenci de 29 de outubro
e acnam elle reiterados? lie o que coiupna
ao r. Guido declarar e explicar.
As declarares de lord Ponsombj, de qua
falla o Sr.Guido,e as que fez em Iiueuoa-Ay-
res, nao sla basta ules para dar a urna cou-
veneflo um iotellisjeucia diversa daquelia,
que em pegas oillciaes, ihe tem dado seu go-
verno, ou seus agentes com approvc3o sua.
K aluda mesmo que, cono pretende o ar.
Guido, lugUterra nao livesse garantido a
indepedeucia tje MoJlteyiduo pala SU* inge-
rencia no arraajo celebrado pela coovejea.o
preliminar de 27 de agosto, nao se seguira
dabi que a Franca nao a Uvasse garantido;
pela convenci de oulubro. 0e um con-
venci no se pode concluir psra a outra.
Pe uio lor feito a Inglaterra uva oouss.ofiq
sp seguirla que Franca a nao lizess. aq
he por ILcoes somelbaulos que se devem,
entender os, tratados, mas pelo que soso q
alcancam suas disposicoes.
Oabaixuastignsdo cilou a declaracao da
bloqueio de 1815, ssignada pelos plempo;
Umioua aja aiassn* ss!---* ?*r?|
corrtsbofa o que aelai cau *ilo, istoha,'
Dito.Ao director do arsenal de guerrs,
par mandar concertar nsquelle arsenal as
Cincoents armM, de que trata a requisicSo
que remette. pertencentes ao tercelro bata-
IhSo de artilbaria a p.~Coramunicou-se|ao
Exm. commsnlsntedss arrhss.
Oito.-Ao inspector da thesoursn* ds fa-
ienda provincial, para que mande adisnlar
ao engenheiro Jobo Luiz Vietor Lieuiier,
visto ssim o requisltar o director das obras
ooblicas, a quantla de quatro contos de rs ,
sendo dous corri pora a obra da ponte de
Goianoa, a oaoutros dous psrs os reparos
ds segunde psrte do SXto lanco di estra-
da do Po d'Alho. Inlelligenciou-se so
mesmo director. ,
Dito --Ao mesmo, trsnsmittindo copias
do orcamento e clausules, que pprovoo
para fictur dos concertos, de qpe neces-
sit a ponte do Anjo, iifim de que ponh
em arremetacSe os referidos concertos.
Uomioqnicou-se so director dss obras pu-
blicas.
Dito.Ao msmo, psra que estando con-
formes, mande pagar Joaquim Correi
de Rezende Rgo. s dus coalas que re-
meta na impnrtinci de 36,480 li da
ilespez fett com o sustento e luies pr os
presos pobres da cadeia do Bonito, nos me-
zes da agosto e seteiubro do correte anno.
-Inteirou-se ao delegsdo supplente daquel-
le turnio.
Dito Ao mesmo ordenando que mande
adiantar ao enginheiro H. A. Milet, confor-
me requisita o director dis obras publicas,
quatro contos de rs.,senio dous psra con-
nuicSo das obras do vigsimo-quinto laoco
da estrada da Victoria; 1:500.000 rs para os
reparos ds dita estrada ; e 500,0J0 ris pira
os estudos graphicos da mes na estrada.--
Scientiflcou-se ao referido director.
Dito.Ao cirurgiao-mr do corpo de po-
lica, em diligencia na comarca de Flores,
dizendo que deve Smc. conservarse por em
quanto naquells comarca, atienta a nec-
sidaJe d seus servicos no tratamento das
pracas qua all se cliam doentes.Intelli-
genciou-se ao commandante do referido
corpo.
l)ito.-io delegado do termo do Ouncury,
dizendo que visto ter sido ltimamente re-
formada a lei da guarda nacional, cumpre)
esperar pela execucio da nova lei, psra nos
termos della fazer-so as nomeacOe que
Smc. pede, para os postos vagos d olciaes
superiores da guarda nacional daquelle mu-
nicipio.
Portara.-NomeandO o Jhiz municipal da
segunda vara desla cidade, psra presidir
iixtraccHo da lotera concodida a favor das
obras da matriz da Ba-Vista, squal tem de
correr no dis 31 do correte.Communi-
cou se ao thesoureiro da masra* lotera.
aaaaaaiaasss,
por mais de um vez ; ell tinha-lhe po-
recido freqoentemente no decurso de su
tormentos crreirs, menos brinda de se
ver, e mais terrivel de se soffrer. Nessa
occasiSo e i despeito d mirguri ciusad
por um paiz ingnlo e uzente, esse mag-
nnimo rei conlr o qosl o furor dss ac-
C0e* e o fogo dis carabins regecidas se ti-
nh.m exiiauriiio, norre ohcio de ar.nos,
cercado de su familia, com o corito chelo
le seotimentos teroos, coosclenci satis-
feita e o espirito tranquillo. Porque raso
poissquallesque perturbaram seu reinado
com tantos ultrages. revoltee e violenciss,
uerein Iho disputsr sioda esssa bella e ad-
miravel morteque Uo digomente corooo
urna viJ nobre ?
(Joarna/deiCioai.)
Em urna cari escripia de Cliremont a
27 do corrale l-se o seguate :
Quando o rei terminou sua confissSo, pe-
lio que Ihe fosse tdmninlrsdo o Santissi-
mo Sacramento na presenca de todos os
seus lllios. mas nfio obstante ictur-se ella
anda no pleno goso de todas s suas fscul-
dades intellectuaes. morle apresntou-sa
tilo reoentinsmente.qu fui necesaano ir-so
buscar os seus nelos so parque on le esta-
vam dirign lo os preparativos para urna
pequea festa dada ao principe de Con <
por oocssiSo ds fest da Sin Luiz. O rei
recebeu aF.xtrenu-UuccSo em presenca de
todos, depois pedio que aada um delles I be
fosse leveilo por su vex, a sendo isso feito,
abrscou-us e abencoou-os, senlado em Sda
ollrona com um sorrisa nos lsbios e pro-
feria lo doces e atlectuosas pslavras, como
aquellos das 4e fesU, ou auniversario,
uus quaes costumava recebar cun uo co-
ragocoeio le prazer e fecd serenad as
cougrjtulacoesdasua numerosa familia.
' Glvtie)
PEi.NAMBUO
Nao ba com elfrilo aqu Cacto algum novo, e l0 nolUM ptra corroborar s inlelligiocia
que se d a convencOes em que seus res-
pectivos governos tiveram parte.
O abaiao assignado aproveita a opportu-
nidade pira renovar ao Sr. Guido os protes-
i perfeits estima e distincts consi-
tos de i
derscfJ
Paulino JosSoare de Souza.
GO
EX PE
Ofllc
Hitar,
orac*
res o
ERNOD\ PHOVWCIA.
IENTE DO DA 15 DO COMIENTE.
.Ao inspector da pagsdori mi-
iiiteiran lo-o de tai ver ssientado
no primeiro bataltalo de cac*do-
_ paisano Miguel Corren A< Uueiroz
Barros, que dp^onfornudade ao decr>>o e
regulimer.'io da 48 de novemBro de t848, s
oirereeeu pri o servco do exercito, mo-
lante i, gratiflcacSo de 150,000 ris, e or-
denando que mande pgr o referido pti-
sano ntenconad gratiflcacllo, sendo ris
50,000 vista, e o resto em prestares men
saes de 10,000 ris.Iale|.genciou-se o
Eim. co.mmindanie das armas
Dito.-Cao mesmo, remetiendo o requer--
mentod'e julo los de Almaida, hem como
copiado olllcio do Exm. uejiaminJanls da
irmas, e o que este dirigir o mjrr com-
mndnte do primeiro bUlh3o de jacido-
ttst, escliVecendosduvids por umelban-
tes propoias. llm da que man e pogir o
rafmido lijia Jos de Almaida rquanta de
CfjMO rlirr.rn que importa < eteite e alg-
goilOo, que forneceau para as.bies do quar-
tel do mencionado b'^talhilo, de 1 de gosto
de 1849 ao ultimo de junno do correle
anno.
Dito.Ao mesmo, scienlfieando-o de te-
rem as iw ( nrimeir linha. indle'l
na relarjlo'que remelle, depais de conclui-
do o seu lempo de servico, contralado de
conformidade com o decreto e legulamenlo
de ISdenovembro de 1848, para continuar
no mesmo servico.medsiiio as graliilcscotts
declaradas ni supradita relarjo, e ordenan-
do qne mande pagar s referids prcs s
meocionds grtlBoCes. enJo S"009 r>-
visl, e o resto em pristieres meusaes de
10,000 resInteirou-se o Exm. comman-
dante drma.
Relocto a que ti rtfere 3 ofifio cima.
Primeiro batalluu de cagadores.
Msico de segunda elsase Jos Lou-
reac 80'000
Segundo hllh*" de caesdores.
Soldado JoBo toa Santos Pelaire 160,000
Oitivo bililhfip de aajadores.
Cibo da eaquadra Francisco Perir
da Almeld 800,000
AnepecadaMiguel Carao iso.ouo
a Vieante Ferre.r di Silva laO.OOO
VraucisooJosdeArrada I80.000
SoldadaAntonio touieoc ftaJ.ooo
Sabino Hispo 180,000
Joisquios FranciacodeA-
vevodo ,
Masvwl Jos dos sotoa i7,ooo
EXTERIO
LTIMOS slOMfiNTOS DO CONDE DE
NEULLV EX-REI DOS FBANCEZES.
Sabbado ai do correte (igosto ) o re
leve um preientimento da gnvidade di mo-
lestia, a qual em ter tacado nenhtim dos
ornaos essjnciaes vids, como j noticia-
mos, iosensivelmente a foi destruiodo. O
re nunca su queixou senio de urna decli-
nacilo gradual d forjas, ou como isso tem
sido denominado de urna impossibildade
de vver. Durante o da, o sugusto invalido
sendo a seu pedido levsdo par debaixo do
prtico do cstello em lempo em que o sol
resplandeci brillantemente sobr'elle, nSo
(bstatite sua flaqueza ter augmentado
luitodesle a noite precedente, sentio si-
gu allivio oom este movmento e pode s-
sistir, si-o comtudo tomsr parte nell, ao
janear da familia. A noite elle a passou d
Win maneira mu agitada desorle quecon-
sid-rou-se necesssrio informs-lo do estado
real de sua saude e remover de seu espirito
qualquer esperanca de silvamonto qne nel-
le podesse ter flcado. Foi a piopria rainba
que se encarregou dessa triste missio, dig-
na de sua piedide e lamben, olio obstante
ser penosa, de sus ternun. O re recebf
a
I (inill,., UVJUB w...w.-. V----
noticie da seu prximo lim com lirmes
de um philosophn, porm disse que quena
ouvir conflrmecao do perigo em que se
achava da proprla bocea de seu medico.
Mr. Cuenaiu de Mussy foi enlao inlro luz-
do, e perguutsndo-lhe o rei u opiniao.
o ooulor respondeu-lne vecilsnte e pertur-
bado. .Entrado, meu charo doulor, disse o
re! jSfrgiM. vne it q? :rs pre:'"'1"-
m pira partir .' Algn minutos depois o
genersl Humas eolrou no quarto e o re
diclou-lhe com urna lucidez de espirito
dmirvel a uKima pagina de suas memo-
ria, a qual termloou urna narraefio que li-
nha sido nterrompida nos quatro mezes
ltimamente passados. O re niandou de-
pois chamar o aeo capellSo, o abade Guelle
e apenas este se foi aproximando, elle Ihe
disse 1 Estuu calmo, acho-me uo pleno gpso
de minbas lculJsdes e consegutntemente
etou perHeiUmenie bem disposto par con-
vertir can V. Bm. A enlrevisU durou l-
gum lempo, e o re respoodeu da cor o:
races do abade. Quando a entrevista fui
acabada e depois que o rei cumprio com
nobre e simples firmes lodos os deveres de
um christao. Amelia disse elle, estis sstis-
foita ? dirigindo ao mesmo lempo psra a
rainh um olhar no qul eslsvsm mistura-
j. a tif;5o Jo icr comprido um dever
eum sentimenlo de couGsoca a affeicSo
delicada.
Durante noite seguinte o rei nSo leve
d>"8Cco, porm su clm nunc odes-
mparou, e quando pe mnhia a morle
aaweraceu. achou n moribundo prometo. O
ra lioha visto a morle aproximar-ae dola
CMARA MUNICIPAL DO REC4FB.
stssaO EXTaaoao! *> M saiamao
D 1850.
Preildeneia do$f. Olivara.
Presentes os Srs. Mimede, Garneiro Mou-
teiro, Moraes, Vianna, Pires Ferrain e Fi-
xueiredo', luo-se sessSo, e fji lio e p-
provada a acta di antecdanla.
ai Jilo o seguinte expediente :
ra oITlcio do Exm. presidente di provin-
cia, remetiendo nm exemplar da falla com
que S. M. o Imperador encerrou nodtitl
do correte a segunda sessSo da oitiva la-
gislatun.Inteirada.
Quito, do subdelegado do bairro d B-
Vist, remetiendo 80,000 rs. de mull que
pigou Gregorio Garca, com venda oa en-
crusilbada de Belm, por vender garipa
ocada ; e pedindo que a cmara dessa or-
lem a que fossem minislradas msis algu-
mis medidas psra prsca de hnnh do
nesmo biirro por no sersulllceote um
terno que li eiiste.-Que fosse s mu ti en-
tregue io procundor. se paflicipasse a con-
tadona, e se respondesse so subdelegado
que o procursdor informsr ter fornecido
ao arrematante d mesm prcs, tnts
medidas quintas elle disse que eram preci-
sas, masque se anda essas nao bsstassem,
jodis elle subdelegado requisilar mus, de-
clarando o numero.
Foi pprov*do um parecer da comtnissSo
encarregadi de indicir o meio de se fizer a
arrecadacSo do imposto de 500 rs. por ca-
beci de gado viccutn as freguezias ruraes,
sendo de opioiSo, que as freguezias do
Poco e Afogidos, fosse ella feta pelos ras-
peclivos fiseaes, pondrenlo, luda vis, a
conveniencia de ser esss ramo de receila
municipal arrematado, ou vendido as fre-
guezas de for, e em consequoncia a cma-
ra encarregou ao Bseal dos Afogados de ar-
recadar o referido imposto nesta freguezia,
e as de Jaboato e Mun beca ; eao do Po-
co, nesla freguezia e as d Varze eS.-
Lourenco, percebendo por esse trabaiho
provisorio o que a mesm cmara julgr
conveniente que se Ihes deve dr, e flcan-
do obrigados a entregar ao procurador na
segnJs-feras a importancia que recebe-
rem semaoalmente com um mapo das ro-
zes mor ts e dos lugiras onde o forom.
Foi iinmeado o cididao Sevenno llenrt-
ques de Castro Pimenlel pr receber o
mencionado imposto no maladouro desla
enfada, nercebondn a por canto do aue ar-
recadar, e apreeentanlo Orne idoue, com
a obrigacao de azer os pagamentos uoe
meemos diss aira, e da presentir uo
Dippi dss rezes que forem mortis diana-
mema.
Fram encarregados os iiseses dests -
lade de receber por inlerroelio de aessoa*
de sus escolha, aquem pagara a cmara o
queiulgar conyeuienle, o imposto de 800
rs. pur cabega de gado suiuo, o loo r. da
uveihum, que entrar para ser veoduo ua-
. cidade.devendoos liscaes dr carlOes por
elle assiguaJos aus incumbidos da cob'an-
ca do imposto, ptr eles os entregarem aos
donos desse gado, logo que pagarem a im-
posico aflm de com elle poderam transi-
tar de um pr outra freguexi, sem exi-
gencia do novo pgmento.
Foi pprovdo um precer d comminuVa
de polici, relativo o ollrto do. procuradqr
uuiicia, li.'""------r-'.r:
"s.srs de 9& do crranle lido em i
sao"de"S; e mndbu-se remeltar copia
delle ao memo procurador pare seu go-
verno.
lUodourie remeltar a commissSo da
edicacflo os requermeotos 4a .M"*1
Crdozoda Foaaecaede Miguel Fihc.o da
Silvs.


*i>*
.Ski* Jliili*.
' A. **-ja
*U-
Daliberou a cmara que se pedisse auto-
risagfio o governo da provincia para se
mandar fazer a dspeza precisa con o do-
cl para o retrato de S. M. o Imperador, que
lom de ser collocado na sala de su as ss-
sflee, vindo dn Ido de-Ianeiro oxpensas
desens n embros.
Mandou-se ordem tos claviclanos para
tirarem do cofre e entregaren) procura-
dor as leltras que se vencem hoje, una do
contrato de afe'gBo de 3:900,000 rs. outr
do impnslo das medidas de farinha de re
2.000,0000 e b ultima de 68:333 rs. da arre-
ni-tagSo da ribeira do peixe, bem como rs.
500,000 par as despezis j feilas do aque-
duelo do pateo do Carino.
Des iacliaraiii-so as peligres de Antonio
da Silva Angelo, de Antonio Roberto, de
Bernardino Jone LeitSo, de Filippe de San-
tiago, de Francisco Gomes de Santa Rosa,
de I) Mara de l'inho Itorges ; e levanlou-
se aaessSo
Cu Manuel Ferreira Accioli, secretario in-
terinu a escrevi.
Declaro em lempo que a cmara delibe-
ran que us fiscaes enrarregados de recebe-
re m o imposto de 500 rs. por cubeca de ga-
do vaceum devem declarar no mappa, que
di ruin u nomo dos donas das rezes que se
Balaren"!. Accioli, o derialu. Oiiveira,
presidente. Pianna. --Mamedt.Ferrcira.
Carntiro Monteiro.
CorrespoiKleiiMas.
Tendo apparecido publicada no Diario de
Peruambvco, de 11 do correnle a portara
da presidencia, dirigida ao inspector inte-
rino de arsenal de guerra pr .este fazer
rccolher tos pais da fortaleza do Itrum,
al ulterior deliberagflo, 18 saceos de xum-
boe 67 barris de plvora que linham sido
apprehenddos na ra das Laranjeiras em
casa de Manoel Jos de Magalbfles Bastos,
e estando bem evidente que o proposito da-
qnella publicagSo com as notas e observa-
res que Ihe foram l'eiUs, nSo he outro.se-
nHo prejudicar o dito MagalhSes Bastos na
justa pretendi de cobrar do governo o im-
porte daquella sua plvora e chumb con-
sumido, sem ordem do mesmo gnveruo, pe-
lo director du arsenal de guerra, he justo e
conveniente que tambem appareca publi-
cada a Seguinte certidSo extrahida fielmen-
te dos autos judiciaes respectivos, da qual
consta que a apprcliens.lo dos referidos ob-
jeclos Tora realmente effectuada aosl7de
outubro, como pareceu affirmar o incg-
nito autor daquella publicagSo.
I'ortaoto, aquello que. informando o re-
querimento de Manoel Jos de MagalhSes
Bastos dirigido ao Esm. Sr. presidente ,
reflrio-se aquella data de 17 do outubro.
em vez de fazer o papel de dvogadu, como
allirmou O incgnito agente daquella pu-
blicarlo, ao contrario apresentou o papel
de um empregado imparcial e amigo da
verdade.
O papel de aecusador parcial e despei-
toso, sim, apresentou aquelle que, tendo de
informar o requerimento do mesmo Maga-
lhSes Bastos, sabio deaua esphera de infor-
mante para intromelter-se em quesoes de
direito (do que nada enteode ) para desna-
turar os Tartos, e julgar-se superior is de-
cisoes da justica, a qual tendo conhecido
do negocio, julgou apenas MagalhSes Bas-
tos como infractor de urna das posturas da
municip ilidede, persisiindo assim o direito
de sua proprirdale sobre os res Tridos ob-
jectos apprehen idusem sua casa. .
i Diremos inda mais que mao papel repre-
sentou aquelle que, ao paseo que deu urna
inTormagSo parcial e exhorliiUnte contra
MagalhSes Bastos, declarou que consumir
a plvora, sem todavia apresi-sntar or fem
de sui'Cnor legitimo para este lim, existn-
du antes a portarla da presidencia, que or-
denava, que a plvora e chumbo flcassem
em deposito al ulterior deliberado.
Recife, 16 de outubro de 1850. -- Manoel
ot de MagalhSes Batios.
Fransisco Ignacio de Alhayde, escrivSo
vitalicio do juizo municipal da segunda
vara neata cidade do llecife, etc.
Certifico que revendo os autos de sum-
tnario em que sSo reos Manoel Jos de Ma-
galhSes Bastos, e Antonio Francisco Hono-
rato, dos meamos consta a pega de que fax
menelo a pelgSo supra,cuja peca he da for-
ma e uianeira seguinle :
Auto de ochada.
Anno do nascimentode Nosso Senho
Jesus-Christo de mil oilocentos e quarenta
eoito, nesta cidade do llecife, ao< desasse-
te de outubro do dito annoem a ra das
Larangeiras no bairro de Santo-Antonio
sonde veio o delegado o Iir. Francisco de
Paula Rodrigues de Almeida commigoes-
crivflo a bailo assignado, ecorrendo o mes-
mo delegado a casa de morada de Manoel
Jos de MagalhSes Basto ahi se achou desoi-
to saceos com chumbo, e dous barris tam-
bem com chumbo, misturado com plvora,
e paseando o dito a correr a casa de mol-
dado alfaiale Antonio Francisco Honorato
junio a casa do referido MagalhSes Bastos
ahi acliou-se sessenta e sete barris de pl-
vora, no solSo da casa, e lugo pelo dito An-
tonio Francisco Honorato fui declarado,
que os setenta e cinco barris de polvo a que
se lu va achado em sua casa perlenciam ao
supradito Manoel Jos de MagalhSes Bas-
tos, que noiileni a noite 15 do correnle o
mesmo MagalhSes Bastos seu vizinho Ihe
havia pedido que Iheguardasse a plvora
adiada : de que para constar mandara o
dito delegado fazer este auto em que as-
signou'como dito Antonio Francisco Ho-
norato, e as testemunbas abaxo assig-
nadas que presenciaran! o cuoledo no
presente auto, e eu, l.uiz Francisco Cor-
rea de Brillo, escrivao o escrevi.Aimeida.
Antonio Francisco Honorato --leferino Lei-
t> ile .Sonad Alvares Manoel Antunei Coito.
-Cundido lote Hibeire.
Nada oais se continha em dita peca a
que tiansoripta, que eu escrivSo no princi-
pio desla declarado eabaixo assignado bem
e fielmente liz tirar por certdSo dos pro-
prios autos de summario rontra os reos Ma-
noel Jos de MagalhSes Bastos e Antonio
Francisco Honorato, ao qual me reporto, e
Tai cuta na vor Jado sem cuuaa que duvida
far;a conferida econcertada na forma doee-
tylo, e por man subscripta e aasignada nes-
ta cidade do Recife de Pernambuco, aos 15
de outubro do anno do uascimento de Nos-
so SeDlior Jrsus-Christo de 1850, vigesimo-
nono do imperio I do Brasil. Fiz escrever a
ssignei. Em f de verdade. O escrivSo,
iiancisco Ignacio de Alhayde.
Sr. Redactores. Lando hoje urna do-
elaragSo assignada por mim. e publicada na
Imprenta de 10 do lindante mez, nSo posan
deixar de protestar contra, a perfidia cot
que se abusou da minha boa f.
Sendo eu tSoobrigado aoSr. Itvm.* padre
Joaquim Pinto de Campos uSo poderia ja-
mis em boa consciencia dilacerar a sua re-
pulagSo, involvendo-oem um aconteeimen
to em que smente elle enlrou para obstai
os estragos que os salteadores Moraes o ou-
tros pretendan) faier na povoacSo de Pa-
nollas, por cujo motivo licaram olio* muito
enfurecidos contra o dito Sr. padre Campos,
dequemrecebi entSo avisos que o> dito
malvados me queriam assassinar.
Esse Tacto tem sido muito desfigurado, e
mais desfigurado sahio elle na Imprenta,
quanloopapel que se me apresentou pa-
ra eu assignar nSo cuidei que contivesse
laes falsidades, e nisso houve muita frau-
de!!/ I
Desejarei que paremos sobre esse ponto,
do contrario talvez a verdade appareca cora
mais Torca em Tavor do Sr. Campos. Forta-
leza do Bru, 13 de outubro de 1850.
Jodo Cavalcanli d* Atbuquerque Moror.
Vm testenranho de raconhecl.
ment.
Doze annos lutei com o sotfrimento de
urna fstula na perna direila, sem que os di-
versos facultativos a quem recorr podes-
sem por termo a mea mal; nesta siluacAo
deliberei dar urna viagom a Portugal, nes-
se paiz fiquei bom. Regressei a esta cidade,
porm infelizmente se me renovou o mal, e
de tal maneiraquese descobrio o osso da
canella .' Nesta alternttva me aconselha
meu man, que consultasse o lllm Sr.
Francisco Jos Cynlo l.eal, annui: elle o
mana chamar,esuas palavras consolado-
ras me animam e me dSo esperangas /.' Sim
ellas nilu foram frustradas ; hoje me acho
bom, gragtsa pericia com que exerce a sus
arte, eos seus atila Jos conheei montos. Mil
louvores receba elle, e crea que eterna ser
a gratidSo deste seu admirador
oaquim francisco Has.
$cHu|>.
ALFANDEGA.
Kendimento do da 17.....93 059,0*9
Deicarreyam hoje 18 de oulubro.
Brgue Kunnymedi carvSo.
Barca Rover farinha de trigo.
CONSULADO GERAL.
RendimoQto do dia 17.....1:681,317
Diversas provincias...... 30,688
1:712.005
RECEBEDORIA DE RENDAS GEIIAES
INTERNAS.
Rendimento do dia 17......506,736
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia VI......1:444,216
V.ovimento do Porto.
yavos entrados no dia 17.
Pa rali iba 2* horas, lancha nacional Nova
Santa Crut, de 22 toneladas, meslro An-
tonio Manoel Alfonso, equipagem 5, car-
ga loros de mangue; ao mesmo mostr.
Passagei'os, o Porluguez Antonio Perei-
rade Aguiar, e o lliasileiro Joio Nepo-
mueeno Cezar.
Angola 28 dits, brigue porluguez Oriente.
de 114 toneladas, capitSo Domingos Jos
de Haras, equipagem II, em lastro; *
Tliomaz de AquinoFonseca & Filho. Pas-
sageiro, o Brssileiro Albino Cuelho Fer-
reira.
.'Viuioi taludas no mesmo dia.
Sag-Haibor Patacho americano Chief, ca-
pitSo Jonph, carga azeile.
Rio de Janeiro Escuna Galante Mara.
mestre Jos Mendes de Souza, carga va-
rios gneros. Passsgeiros, os Porluguezes
Carlos AlbertuGomes, JoSo Lucio, Manoel
Alves Dias. Domingos Jos de An Irade,
Francisco Joaquim Fernandos, Antonio
da Custa Ramos. Manoel da Costa, Jos
Francisco de Souza, Francisco da Silva,
o Genovez Medula Cbeghi, e o major Josl
Gabriel de Moraes Mayer com 1 criado.
Mlll'fAKM.
O lllm. Sr. inspector da Ihesouraria da
fazenla provincial, em cuinprimento da or-
dem doExm.Sr. presidente da provincia de
15 do correnle, manda fazer publico, que
nos dias 29, 30 e 31 do mesmo ir praQ*,
oeranle o tribunal administrativo da mes-
ni.i Ihesouraria, para ser arrematado
quem por menos lizer, a obra dos concert
da ponte do Anjo, sobre o rio SeriuhSem,
avaliadaem 939,400 rs. sobas clausulas
especiaes abaixo declaradas.
As peasoaa que se propozerem 1 esta ar-
remataQSo comparecen) na sala das sessOes
ilo mesmo tribunal, nos dias cima mencio-
nados, pelo meio-dia, competentemente ha-
bilitadas na forma do artigo 21 do regula-
menlode 7 de maio do correnle anno.
E para constar se mandou afufar o pre-
sente e publicar pelo Diario.
Secretan i da tli.-sjurara 'la fa/.en la pro
vincial do Pernsmbuco, 16 de oulubro de
1850. O secretario, Antonio remira d'An-
nunclcllo.
Clausulas eipecet da arrematara!.
1.' As obras dependentes desta arrema-
tacSo, serSo feitas de coaTormidade com o
ornamento, aprosentado nesta dala ao Ezm.
Sr. presidente desta provincia pelo prego
de 939,400 rs.
2.a O arrematante corregir as obras no
pra/o de um mez, contado da data da parti-
cipagSo que Ihe for Teitada approvagSo da
arrematacSo pelo governo ; e as concluir
no praio de qualro mezes, ambos contados
da mes na partlcipagSo.
3* A imnurlancirt il'arremaUrSn ser na-
ga em duas lestagoes iguaes, a prmeira
depols de ter Teito metade da obra, e a se-
gn la depols de lavrar o termo do recebi-
aienlodefeuitivo
4 Para tudo mais que nSo est determi-
nado pelas presentes clausulas, aeuuir-ae-
ha inteiramente o que dispoe o regulamen-
to das arrema taces de 7 de maio de 1850.
Ponte dos Car-alhos, 28* de setembro de
1850. -- O engmheiro chefe da quarta sec-
(.So, l'lorianno Delir Portier. -- ApprovadoS
pela directora em conselho no di* 14 de ou-
tubro de 1850. O director, J. M Alves
ferreira. -- J. L. Vctor Ueuthier. H. A
Mlet. Floranno Delir Portier. Appro-
vo. Palacio do governo da provincia, 15
de oulubro de 1850. Souza Ramos.
Conforme. O oflicial-maior, Manoel Cle-
mentino Carntiro da Cunha. Conforme.
O secretario, dniano Ferreira t Annunciaeio
.j- Perante a cmara municipal desta ci-
Isde estat anca nos dias 16, 16 e 21 do
correnle a ribeira da fregdezta da Boa-Vis-
ta, e o Imposto de 509 rs. por cabeca de ga-
do vaceum consumido nss Treguezias dos
ATogados, Varzea, Poco, Muribeca, JaboatSo
e S.-Louren^o. Os licitantes pdemeompa-
recer na casa da^sessoes da meseta cma-
ra, nos indicados dias, munidos de fiadores
idneos.
E, para que chegue ao conhecimento de
quem convier, se mandou publicar o pre-
sente. Pago da cmara municipal do Recife,
em sessSo de 14 de outubro de 1850.
Francisco Antonio dt Oiiveira,
presidente.
oai los Ferrtira d Aguiar,
secretarlo.
a
Declara^ad.
Itiltlsh Concllale Pernambuco.
The Subjectsof ther Britanic Majesty here
resident. qualiGsd under the act 6 Geo 4. ,
cap. 87, are inniled to an extraordinary
ceneral meetiog, on matters rngardfng the
llosnilal and Csmetery, lo be held on tri
<1.y the 25.th instaot, al noon al this con-
solis. Pernambueo, 16 october 1850. Hy
Christopkert, vice- cnsul.
Cononlado Brltannteo em Per-
nambuco.
Os subditos de S. M. Britannica aqu re-
sidentes, qualificados pelo acto 6 Geo 4.*,
cap. 87, silo convidados a um ajuntamento
geral extraordinario, para negocios relati-
vos ao hospital e o cemilerio, que ter lu-
gar na sexta-TeirS, 35 do correnle, ao meio-
dia, ueste consulado. Pernambuco, 16 de
outubro de 1850. Hy Chrislophers, vice
cnsul.
' I". O'
Theatro de S. Isabel.
95" RECITA DA ASIGNATURA.
Saboaio, 19 4* outubro di 1850.
Depois da execucSo de urna agradavel ou-
vertura, representar-se-ha o drama em 3
actos e 6quadros
OS SEIS DEGRAOS 00 CHIME.
Dtnominacat dosiuadros.
1 A occiosidade.
2 As mulheres.
3 O Jogo.
4.* O roubo.
5.' O assasainato.
6.* O cadafalso.
Pertonagens.
Julio Dormel Germano.
Francisco Costa.
Fernando, a migo de Julio Rarmundo.
Carlos, doSilvestre.
Migul-V)biS'iflo.
LacailleMltRfmhra.
Roberto Gabral.
Luiza Emilia
Madama Doucet -- Joanna.
Elomira Rita.
Fany Soledade.
Jos Santa Roza.
Bertier Jos Alves,
Um commissano de polica. Cunha.
Um ban iueiro da casa de jogo Cabral
Soldados, convidados, jogadores, etc.
Terminar o espectculo com a graciosa
commedia em um acto
O inglez maquinista.
Comecari is 8 horas.
Os bilhetes acham-se venda no lagar do
coslume.
Teatro de ^-Francisco.
BELLAS ARTESA.
Continan) todos os diis as seguidles vis-
tas novas do cosmorama, a saber :
O monumento que fui enllocado.'m Lu-
cerna, ( na Suissa { em memoria daf tropas
suissas por occasiSo da revolug.lo ifanceza,
em 10 de agosto de 179..
O Ilota-Fugo, junto ao Rio-de-Ja.
O interior da matriz nova de Sao
Uelife, em Pernambuco.
AsTuIherias, em Pars.
A praga de San-Marcos, em Ven
O hainuele dos frailes, em um
na Belgiot.
O nauTrazio da fragata Trance:
cujas viclmas andaram i quina
postas s furia d ondas wm- comer noni
beber. ~
Conslantinopa, pel* lado do mar Mr-
mara.
Um Bazar, na Italia.
O interior das pyramides do Egypto.
A cidade de Londres, pelo Tamisa.
ai gaiena estar abena as lloras ao eos-
turne.
PublicucSes Iliterarias.
ro.
os do
a.
onvento
Medusa,
dias ex-
Pura qiinntos prenatn a vellglo,
u pi-ilule e os bous costumes.
Sahio linalmenU*. i luz o ja annunciado
opsculo com o titulo Obserracei* erl-
tlcassobre o romance lo Sr. En-
genlo Sue, o Jutlcii Krrnnte, onde
se niostram as Impiedades,te o rancor desla
obra contra a sasrosncta religiSo de nos-
sos pas, e faz-se s victorioss defeza da
niui digna, e prestmos! companhia d. Je-
ss. Vende-ae em S.-Antonio na loja do II-
vroazul.no pajeo do Collaglo, e na Boa-
Vista, botica do Sr. Gameiro, a des lueloes
cada exemplar.
A famosa icosobfe a pana do morio cum-
posla, adietada na univenida le de Pisa pe-
lo respailavel Carmiguani DO) dos maiores
criminalistas da Europa, esta Ira luziJa do
italiano em vulgar pelo padre Lopes Gama
Vende-se em Santo Antonio, na loja de II-
vros que foi do fallecido Dr. Coutiuhn. na
esquina do Collegio; no bairro do llecife,
na loja de livros do Sr. padre Ignacio; na
rioa-Vlata, na botica doSr. Gimeiro; em
Diinda, ra do Amparo, bolica do Sr. Ra-
oso. Prego dez lostOes.
Avisos martimos.
Para o Cear segu em poneos dias o
hiato igtro -. quem quizer carregar ou Ir
de passagem, dirija-s a ra do Vigario n. 5.
Para o Rio Grande do Sul, segu com
brevidade a escuna nacional Santa-Cruz,
capitSo Manoel Pereira de Si, recebe algu-
ma carga e escravos a frele, a fallar com
loSo Francisco da Cruz, na ra da Cruz,
n. 7.
Para a Bahia pretende seguir visgem
com brevidade a sumaca nacional Cariota,
meslre Jos Goncalves Simas : para|carga e
passageiros trata-se com o mesmo mestre,
ou com Luiz Jos de Sa Araujo, ra da Cruz
numero 33.
Para o MaranhSo e Para
segu, com a maior brevidade possivel, a
escuna nacional Emilia, de que he capilSu
e pralico Antonio Silveira Maoial Jnior :
quem na mesma quizer carregar ou ir de
passagem, entenda-se com JoSo Carlos Au-
gusto da Silva, ou com o capitSo, na ra da
Cruz, armazem n. 13.
Vende-se a barcassa urora Feliz, que
pega em 40 caixaa; prompta para fazer
viagem, multo segura, bem apparelbada e
ptima de vella ; eaU ancorada no Torta do
Matloa: quema pretender diraja-se a ra
da Moda, armasem .que deita para o forte
lo Mattos, do Sr. Vianna, ou a ra Angus-
is, n.26.
Leiles.
Ed Bolli Tari leilSo, por intervengSo do
corretor Oiiveira, para liquidagSode contas,
e por todo o prego, dos srtigos seguinles :
12relogios dp prata orisoniaes e patentes
iiovos em perfeito estado, 1 dito de ouro,
17 de prata o 6 de cobre, 6 ditos usados de
caixs de pao para parede, um sortimento de
pertences e accessorios para relojoeiro, urna
collecgSode estampas, retratos, paisagens
etc., lithograTados, urna caixa de varias
miudezas, Terragens, botdes de osso, pen-
tes, flvellss, ferros de goivss, brinque ios
d'osso, crueifixos, ele. garraflnhas com
tinta encarnada para escrever, letlrss im-
pressas ein Trances, bilhetes de enterro, r-
tulos para livros, 52 pegas de renda grossa
de algodfc, orna burra grossa de Trro ba-
tido, livros impressos em Trance? e enea ler-
nados, oa quaes tratam de viagens e de ma-
terias instructivas : sexla-Teira, 18 do cor-
rente, as 10 horas da manliSa, no seu e.-
eriptorio, ra da Cruz.
O Dr. Pedro Pereira da Silva GuimarSes
Tari le 15o, por intarvenglo do corretor Oii-
veira, e psra liquidagSo, de diversos escra-
vos, mocos e velhos, com habilidades e sem
ellas ; o que tudo melhor se explicara no
acto ds arrematacSo sabbado, 19 do cor-
reate, as laboras da mauhSa ea ponto, na
rus d'Apollo n. 14.
Richard Royle Tari leillo, por interven-
gSo do corretor Oiiveira, de grande e varia-
do sortimento defazeudas inglezas, todas
propras do mercado : segunda-feira, 21 do
corrente, is 10 horas da manhSa, no seu ar-
mazem, ra da Cseia.
Mademoiselle Quenlin tendo de seguir
para Frange no primeiro nivis, Tari leilflo,
por inter vneto do cqrretor Oiiveira, de um
ptimo armario pata modista, dito para
roupa, orna commoda co u espelho, sof,
mesas e cadeiras de Jacaranda, ditas de bra-
^os, caixa de costura, um espelho grande
muito rico, vasos de cristal psra perfumes,
om porta-licor, um galbeleiro e urna nian-
teigueira miaito ricos; asis como de all
nales de euro com camspbeos. e de urna
porgSo de Tazendas, como seja suspenso-
rios finos, grvalas, escoras, perfumaras,
He. : terga-Teira, 22 do correnta, is 10 horas
da manhSa, no primeiro andar da casa n.
26, Aterro da Boa-Vista.
Avisos diversos.
Ao respeitavel publico.
Como ha quem julgue ser eu o autor do
artigo sobre o theatro, que se l ns Im-
prenta u. 32, por sso rogo aquelles Srs. re-
dactores aedignem declarar a bem da ver-
dade se eu C nio obstante ter sido muito
urovocado pelos Tolhetinislas ) tenho di-
recta, ou indirectamente escripto qualquer
artigo sobre o theatro : outro sim, permit-
a ro que Ibes negu que o poete adulador
do Freitaa, o Tosse meu, so contrario, gran-
de antagonista, e que nunca recebi elogios
de particulares, poie os padroVs da verda-
dera gloria a que sempre aspirei desde
1827 at 1848 em que reg o theatro, acham-
se registrados na secretaria do governo da
provincia de Pernambuco, onde he bem
conhecido. Francisco dt Frats Gamboa.
Precisa-se tomar ara cont de riis a
premio de um e mel por cento por tempo
de um anno, pagando-se o premia mensal-
meme sobre garanta em um predio de
muito mais valor : quem tal negocio Iba
convier dinjs-se a praca da Independencia
loja de relojoeiro n. 36, que achara quem
pretende este negocio,
ricCia- iiiir uegrua <|u
entendam de tribalhar em armazem de as-
sucar : na ra da Cadeia Velha n. 17, se diri
quem precisa.
Aluga-se o segundo sndar da casa n.
25, da ra Nova : a tratar na loja do mes-
mo sobrado, ou na ra da Cadeia do Reci-
fe, n 42, escriptorio de Anlonio Valentn)
da Silva Barroca.
Precisa-se de urna ama que aeja boa en-
gommadeira e cozmheira, para casa de pou-
ca Tamilta : quem quizer, dirija-se ao paleo
da matriz de Santo Antonio, sobrado o. 3.
Avisa-se ao? irmSos profesaos da ordem
tereeira do Carmo que comparegam hoje, is
7 oras da manhSa, em dita ordem, para
volarem aa eleigSo de novo prior, visto ofio
ter aceitado o que foi eleio
Johnston Paler& C. remettem para a
Babia as eaeravas Virginia e Guilherinina,
esta crioula, pertenceule ao Snr. Eduardo
Cumber, e aqueiia de nagso, do sr. Andi
Comber, em vrtude de ordena dos meamos
srs. acompanbadas cada urna de urna fi-
I ha menor.
Deseja-se adouirir urna imagem muito
perfeita deN. S. das Dores, de vulto de um
Mimo, einda que aoja *m a.mita m|
ilO Ate'rro-da-Boa-Vis'ta', casa amarella aa-
fronle da matriz, ou aunuucie.
LOTERA DA ftlATRIZ DA
BOA Y18TA.
AOS 10:000,000 de ris.
Aa 8 horas da manhSa do dia
31 do corrente, e no consistorio da
respectiva greja matriz andam in-
fallivelmente as rodas desta lote-
ra, aeja qual lor o numero de bi-
Ihe estes que posaa ficar: se porm
tes se acabarem antes daquelle dia,
o referido andamento se realisar
tambem antes do da prefixa e in-
variavelmente disignado. O resto
de bilhetes acha-ae a venda no*
lugares segu tea : ra da Cadeia
do Recife, loja da vinva Vieira &
Filhos ; S.-Antonio, JoSo Morei-
ra Marques, pateo da matriz ; For-
tunato Feretra Bistos, praca da
Independencia ; Bernardino Jos
naOutCrO. pFyS u LiTrureStO ,'
Francisco Antonio das Gbagas,
ra dita ; Boa-Vista, Antonio da
Silva GuimarSes, ra do Aterro.
Precisa-ae de urna ama que tenlu bas-
tante leile, e que seja livre e desembaraga-
da i na ra da Cadeia-Velha, n. 94.
Precisa-se arrumar em ama boa ven-
da um pequeo brasileiro, qne tem bas-
tante pralica deste negocio, e dar Tudor i
toa conducta-1 quem precisar annuocle.
Na ra de S.-Amaro, o. 14, offerece-se
urna aras para o servico de unta oast ds
homem solteiro, ou de pouca familia, a
qual lava e engomte.
Aluga-se urna casa Ierres) aa roa Im-
perial, n. 104, com mullos comaaoios, por
barato aluguel: na ra Augusto, n. 95.
Manoel Jos Lopes mudou a sua loja
de miudezas da rus eslreita do Rosario,
n. 18, para a ra >arge do Rozario, n. 40,
on le todos os seus freguezes o echarlo
sempre prompto para os bem servir com
todo o sortimento de miudezas : ledo pelo
mais barato prego do que era atura qual-
quer parte.
% mesa actual da veneravel ordem ter-
eeira de N. S. no Carmo convida nova men-
te a todas os seus irmSos professas, para
que comparegam no dia 18, as 7 novas da
manhSa, para a conclusSo da eteigSo do
novo prior.
Precisa-sealugar um molequs, ou ne-
gro para fazer o servico de asa e roa, que
seja fiel : na ruada Cruz, armazem n. 48.
A pesaos qu cerregou em urna em-
barcaeflo para os portos do norle no snno
de 1845 a 184*,' um oaixAo com diverso*
objectos, com a marca a margem MD, dando
10,000 rs. se diri aonde existe dito eai-
xSo : na roa de Hortas, o. 110, a tallar com
JoSo da Silva l.oureiro.
No dis 18 do corrente, petas 4 horas da
tarde, na porta do lllm. Sr. doutor juz da
priineira vara do civel.se ha de arrematar uSs
rande le reno com boa casa de moraoav
t->la no Atnrro-dos-Afogados, por aseeugSo
de JoSo Fortunato Saavedra contra Alvaro
Fortunato JordSo: he a Ultima praca.
No dia 91 do correla, i porta do lllm.
Sr. Dr. juiz municipal da segunda vara, se
hSo de arrematar, pelas 4 horas da Urde,
dous escravos. por esecugSo de Avrial Ir-
mSos contra Gabriel Ah*oaso Rigueira: he
a ultima praca.
-OescrivSo da irmandade de N. 8. dt
ConceigSo da CongregtgSo scientiliea / to-
dos os irmSos, que domingo, 90 do corren-
te, pelas 10 hojas da manhSa, e devem
reunir no consistorio da igreja, afim de se
proceder em mesa geral a eleigSo da nova
mesa, na certeza de que se Tari a eleigSo
rom os que se acharem presentes urna hora
depois, de conTormid.de com o compro-
misso.
Aluga-se um sitio com eicellente casa
de vivends, proprio para pasear a Tesis, e
ter-senelle a8 vaceas de leite, no lugar
da Magdalena, na estrada que va i para o
Lucas : s tratar na mesmo lugar com JoSo
Anasiacio Camello Pesaos Jnior.
-Precisa-se de un.a ama de leite que se-
ja Torra, psra acabar de criar um menino,
porm que seja de boa conducta : na roa do
Queimado, n- 6, se diri quem precisa.
U secretario da irmandade
de N. S. do Terco convida, pelo
presento anuuncio, a todos os ir-
maos da mesma irmandade, para
que hdjam de comparecer no do-
mingo, ao do corrente, no respec-
tivo consistorio, pelas 9 horas da
manhSa, alim de reunidos em me-
sa geral proceder-se a eleicSo da
nova mesa.
Arreoda-sa, pelo lampo ds Tesis, on
por mais lempo, um tilio entre as duas pon
tes ds Passagem da Magdalena, com al-
gumas larangeiras, urna bella mangueir,
l..n.lM. nntianna bteachis, a maior parte com fruclo, e 014-
tras arvoes : na ra da Cadeia de S.-Aoto-
uio, n. 14.
Perdeu-se um cordSo de ouro e usas
rodoma, o cordSo tem de peso 18 eitavaa,
e duas vsras e urna terga de eomprido, a ro-
doma dSo se sabe do pato, mas o ouro 4*
ambos sSo de le. perdeu-se desde o prin-
cipio da ra da Floresta de Olinda al 1
ra da Gloria na Itoa-Visla, ah no sob
n. 88; poderi entregar a pa
que sera bem recompanai
rass ao collector das renda
Manoel Maxlmi(^B~~
de-Janeiro, a dsts^H
nesta cidade aoSr.JjM|
sideote na ra ds OH
esta occasiSo em raaeo ds vidadc da sua
viagem, que seus amigos h
por este jornal se aaa^sa^dsa^ulH, e laes
prestimos.
Aluga-se o tereeiro andar do sobrado
Ja ra da Senzalla-Velba n. 70, com muitos
eommodos, frescos, por barat prego;
no primeiro andar do mesmo..
Muea-as n turealr andar da casa m.
40 da ru da Cruz no Recife: .a. tratar, aa
insama casa.


$
7
M _
Preciss-se alagar umi ama secca de
bons costumes, qua saiba hom cozinhar, pa-
ra urna caaa do pona familia. Dirigir-M i'
ra das Trinche ras n. 19, sobrado.
~ Preciss-se de urna mulher que eateja
nocaao no muito mo;i : di-so born tratamento :
naSoledade n. 12.
Aluga-se o segando andar do sobrado
da ra do Queimado n. 8 : a tratar na loja
do mesino sobrado.
Desaparecen no dia 16 do correte, da
casa da uva de Heroutano Jos de Frritas,
aeu crioulo, com os signaos seguintes :
diama-ae llanoel, vulgarmente conhecido
per cadete, da dada 18 annos, anda dSo
tem barba, be aprenda de aapatero, alto,
oorpo regular, falla muito desembarazado,
levou vestido calsa preta ja rota, (aqueta
preta e chapeo tambem prato com fumo, e
como talvez queira se intitular por forro;
porltso roga-so as autoridades pollciaes, e
aoa Srs. capillas da campo, que o prendam
c o levem a rus do Rozario estreita, sobrado
de tres andana, por cima da loja de trastes
do Sr. Morera, que aer generosamente re-
compensado.
Pela primeira vara do cvel, escrvSo
Baptiata ae ha de arrematar por tres pracas
o escrsTS psshcrsds s -'os* I-uiz rcccrss
Pogg*? Por execuclo de JoSo Morera Mar-
ques, sendo s ultima praca no dia 92 do
correla.
I.embre-se so Sr. Joaquim Corres de
Araujo, morador na povoaicSo doa Afoga-
dos, de vir acabar o negocio que lera na
ra Nova, loja n. 9.
Pede-se so Sr. Antonio Ales Pimen-
tel morador na povoacSo do lltemedio, de
apparecer na rna Nova,loja n. 9, para nego-
cio de seu interesse.
* !
5 fif medios de graca os pobres
i
:
Novo consultorio homceopalhico de
Z Jouo Vicente Martina.
4) Hu de Apollon. 2*.
^ lodos os disa uteis desde s 8 horas
Z da manhfia al 1 da tarde improroga-
7 velmente. Pora denlas horas n8o i -
f deoSr. J. V. Martias reeeber visita
alguma, por estar oceupa lo em com-
por e escrever s cuarta edicSo da
pretlem eUmantar da homaopttfiia e
40) outras doras Quandu leutia mais
adiaptada a contpicRo deslas obras
a poder destinar algum lempo pra-
ticar opcraoOes de citarecta, ou ou-
A Iraa que eiigero aa molestias da
f| olhos especialmente, no xito das
$s) quaes tem sido, mere* de Dos, mui-
m to feliz. m
**.*****
Aluga-ae ama casa terrea com solo
do sitio do Cordairo, i margem do rio Capi-
baribe,aom commodos para grande familia,
cozinha fra. quitto par criado, estribara,
cocheia para cairo, etc.; urna dita mais
peqnana alafcinrto do mesmo sitio : a tratar
no p{eo do Carmo o. 17, com Gabriel An-
tean.
Cut>at|odo ao abaixo assignado que a
vvtodaJoIo Cirios Augusto de Barros, I).
Irtftljfcri- de Hallo, pretende vender os
foros, na Bea-Visla, e mais bem que herdou
aeu pi JoSo Harinho FalcSo, e daquelle
I waride, actinio o abaixo assignado le-
la execucio pelo cartorio do rat*-
ge. contra.* nig casal, de mais de
quarenta cunta* de ris, previne ao respei-
lavrf iMtMitp, pan que ninguera contrate
coa Ues bae. Gabriel Antonio.
O Sr. VeajB'S Joaquim da Hoza h.aja de
vir pagar najeida Crujo. 9, equanla que
nlo ignora jwo contrario, lera de ver neata
olha o aeu nome at que pague.
. r- Aluga-se o piimeiro andar da casa n.
3l da ra u Trapicha ; a tratar no armazem
do mesmo.
Por engieo trocou-se uta chapeo novo
por un velho, ama uoile da 12 do corrente,
na aocedade Apolnea: quean fr seu do-
ne, procure na secretaria do quarlel do
oorpo de polica, que, dando oa signaos cer-
toa, a entregando o chapeo velho, lhe ser
entregue o> novo.
Precia-sa da un trabalhador: na ra
Diraita.padaran. 94
Sabe-se por seus camarades o dizerem
que Jos Borgea de Mederos he socio ( mas
particular por asaim lhe convier) na lerce-
ra venda do lado direito alm do araenal
de marinli, mas como poucaa vezes se en-
contr o tal Madeiros em dita venda, forco-
zo se faz ,a declaraco Je sua residencia ,
isto quaolo antes ; do contrario, se tornar
suspeito.
O Sr. Jos Antonio Teixeira, queira ap-
parecer na ra da Crtra, no Itecife, n. 49,
loja.
Quem annunciou querer comprar urna
escrava moca, quesaiba engommar, lavare
cjznhar, dirija-te ra larga do Ilozario,
n. 48, segundo andar.
Prvlne-se ao publico pars que nin-
guem faca negocio algum com a casa ter-
rea n. Si da ra da Guia, a qual se acha pe-
nhorada para pagamento da quanlia de
1:104,811 ra. reato da nevante que coube
por 'fallacimeoto de D. Mariana Joaquiua
Posaidonia de Jess, aos herdeiros 'ran-
klim Heijamim Theolonio Peixoto e Cenui-
no Augusto Theotonio Peixuto.
-Queru annunciou querer comprar a
obra de Cicero, em born estado, dirija-se
-- M.M..MV-I.WW l
No da IS do crranle furlaram da ca-
sa de Jos da Rocba Paranhos, um relogio
de ourosaboneta patente inglez. com cor-
rele, n. 9,048, fabricante J. Jackson Liner-
pool; quem o appreheuder ou delie der
noticiaaoanuunciante, aer recompensado.
t**
'aillo Gaignour, dentista
francs, offerecr, sen prest- ni o ao publico para turtos oa V
de ana profleaao
V potle ser procurado a qnal- *j>
quer hora eui sua casa, na m
m ra larga do Koxurlo, h. Mi, aj
srgundo andar. 9
- Jos Mandes de Fraitss embarca aera,
o Hio Grande do sul os seus escravos cabras
Jofto e Francisco.
Trocarse urna imagen do Sr. cruciflea-
do de marllm, muito bem feita, de palmo e
n-.eio, com o ase competente resplandor,
urna Saiit'Auna de pedra, un Menino Dos :
em' Santo Amaro, na venda ao i> do Sr.
Caldoso.
fcitfrr8 g?x&
tanteacommodoa tem born assei'o, tendoa
sala e alcova forradas-de papel : trala-se na
meama ra, lojan. 37 A.
Aluga-se urna bos esersva por preco
commodo : na ra Direita n. 20, segundo
andsr, junto refloacBo.
Precisa-se de um amassador para urna
padaria no Rio-Formoso : quem estiver nes-
tas ercumstancias, dirija-se rus .la Praia
n. 90, que l achar com quem tratar.
Offerece-se urna multier para cozinhar
para fra com muito asseio : quem se qui-
zer utilisar de seu preslimo, dirijs-se ra
das Ursngerss n. 3.
-- Aluga-se para passar a fosta orna casa
na povoacflo do Monleiro, com duas salas,
quatroquartos, cozinba fra, estribara pa-
ra doua cavallos, quartos para escravos,
dous quiotaes mursdos, teodo um delles ca-
cimba, e com sabida para o rio : na travessa
do Veras n. 15.
-- Msnoel Teixeira faz sciente ao publico
que por baver outro de igual nome, de hoja
em diante se sgsignar Msnoel Teixeirs de
Andrsde.
Precisa-se de urna sms de leite para
criar, que o lenha bastante e born, forra ou
captiva, e se nSo tiver flllio melhor : quem
quizer, dirija-se i ra Augusta, casa terrea
defronte da de n. 18, para tratar.
Fugo ssbbado 12 do corrente, urna preta
da Coala de nome Anna Hita, cor fula, he
alegre, noca e baixa do corpo, levou vesti-
do camisa e saia branca ja usads, com lis-
tras encarnadas e pao tambem de listras
brancas, asees e encarnadas : quem a pegar
oo dr noticias certas; ns rus do Apollo n.
19, ser recompensado.
Alte tjao.
Precisa-se alugar utm\ preta de
nacao, que seja liel e que saiba la-
var e engommar ( prefere-se que
s ja captiva i: na ra Nova n. 58,
primeiro andar.
Henrique Jos da Cunta e JoSo da Cos-
ta Lima Jun-or, como procuradores dos
herdeiros do fallec Jo Manorl Joaquim Gon-
cslves e Silva, avsam a todos os credo'es
ueste psrs auresentsrem suss cootss at o
dia 90do corrente, afim dse examinar o
estado da casa e tratar-ee dess llquidagflo.
As contas deverlo ser entregues em ca-
sa de Lima Jnior.
090090000900009000
O O.Dr. J. S.Santos Jnior, O
2 medico homceopatha puro r
9 mudou sua residencia da ra o
O do Crespo, n. lo, para a O
: rus Nova, n. 58, primeiro ?
$ andar. q
&0000 OOOOGOOOO 0 O
O abaixo assignado participa aoa pas
de seus alumnos, que mudou a sua residen-
cia para o segundo sndsr do sobrado n. 36
da mesma ra Direita, onde morava ; e co-
mo continu a ensinsr primeirss ledras a
grammatlea latina, repeliendo tambem al-
guna pensionistaa, offerece de novo o aeu
preslimo a aqnelles que dalle se quizerem
ulilisar. Afronto us de Olivara.
Precsa-se alugar um moleque de boa
conducta para o servido externo: na praca
de Corpo-Santo n. 9.
Aluga-se um molecole bom eozinhei-
ro, faz diversos bolos e pudins, sqs de for-
uo, e sem vicios: na ra dasCruzes n. 40
Precisa-se slugar urna ama forra ou
captiva, que saibs engommar e cozinhar,
para casa de pouea familia, e que riSo tem
enancas : na ra do Pilar n. 72, segundo
sudar, em Fra-de-Porlas.
--O Sr. Joaquim Jos dos Santos Barraca
queira ir pagara quantia de 33,460 rs. do
que comeu aonde nSo ignora ; do contrario,
tar de ser sempre lembrsdo nesta folha.
Ulysse Droz, relojoeiro suis-
so, de passagem por esta praca,
onde tenciona demorar-se 5 ou 6
mexes smente, concerta toda e
qualquer qualidade de relogios
eem qualquer estado em que se
acbem ; asiim como tem para ven-
der relogios de ouro e prata dos
melhores fabricanles: na ra da
Cruz, n. 44) primeiro andar.
O bacliarel formado Jofio Floripes Diss
Brrelo advoga no civel e nocrime: as
passoasque de seu preatimo se quizerem
utilissr, o pdem procurar a qualquer hora
do dia na caaa de sua residencia, na ra
Nova, n. 52
i'reciss-se alugar urna preta que saiba
cosinhar o diario de urna cesa e engomme,
preferindo-se esptivs : quem tiver e quizer
alugar, annuncie por esta folha para ser
procursdoe tratar do ajuste.
O sbaixo sssignado, estsndo desem-
barcado desde 3 at s6 horss ds tsrde, e
desejando empregar utilmente este lempo,
val abrir no primeiro de novembro, na caaa
n. 40 da ra do Pilar, em Fra de Portas,,
urna aula, aonde se prupOe s reeeber um
numero determinado de meninos, para
Ihes ensinar o inglez, francez, arlhme-
lica, escripturseflo meresntili, e em urna
palavra ludo puaoto uevo toiti'.ui-'.c:
aptos pira seguirem a carreira commercial.
O abaiio assigna Jo espera que os seus ami-
gos lhe farlo s juslica de o acreditar, quan-
do elle solemnemente declsrs que se com-
promeite a empregar com assidudade to-
dos os seus esforcos psra o adianlameiito
dos meninos cuja eduracSo lhe fOr confia-
da. A mensalidade he nicamente de cinco
mil rs. Us pais que quizerem ma-
tricular seus Olhos se servirSo enlendar-se
com o sbsixo sssignado no escriplorio dos
Srs C. Starr & C. na ra da Aurora, daa 9
horas ds mauhSa al s 9 horss da larde.
Jo da Maya.
Alugam-ae os segundo e terceiro anda-
rea da eaaa do largo da Assembls n. 8: a
fallar com Joaquim Francisco de Alm, no
Forle-do-Hattos, ou com Prxedes da Fon-'
seca Coutinho, seu propietario.
-. Pro^U'-u da, e que saiba tirar leite em raccas: na
Magdalena, aslrsda nota, primeiro sitio de
pon So de ferro, fio mesmo precisa 4e de
um bolieiro.
Quem quizer comprar urna lettra da
quantia de 56,060 rs. do Sr. Jos Brszalino
i SVi, .Hpiriyin; .",' da Cadeia des...
Antonio, o. it, que lodo o negocio se far.
'5'
-- Quem quizer comp'sr um lettra do Sr. ]
Dr. Honorio F. de Sigaringa Vaa Curado
da quantia de 110,280 re. annuncie para
ser procurado, que lodo negocio se fsr.
-- Rogs-se ao Sr. segundo lente Jos de
Cerqueira Lima; da Baha, que mande pagar
orna lettra, que se acha vencida ha oito me-
zes; do contrsrio, tere de ver sempre o seu
nome nesta folha.
0 encarregado do reconhecimento e
medicSo dos terrenos de marinhs convida
aos Srs. Jos Goncslves Ferreira da Costa e
Antonio Lopes CumarSes a comparecerem
na casa de sua residencie na ra Direita,
o
Compra-se, e paga-so bem, urna can-
nade Angola, para tipoia, que esteja em
muito bom eslsdo : na ra estrella do Ro-
zario, n. 31, a fallar com Jos Moreirs ds
Silva. ...
Compram-se adragonas e bandas de
ofliciaes, de fio ou canulilho dourado, em
bom e meo estado: na praca da Independen-
cia n. 19 ,
Compra-sea obra que tem por titulo
Oracoes de Sierro em latim, sinda que sej
asada. ,
Comprase 9 vHos de caixilhos pro-
priospara varanda. inda mesmo nao tendo
n.78, parase Ihes marcar o da em que vdros queestejamom bom estado: na roa
teem de assistirsmedieloe demarcado dos da Croz do Recife n. 31. venda, ou no pn-
seus terrenos, afim de eerem paSssdos os ti- mero andar
lulos de aforamento pele thesouraris ds
fszends.
Precisa-se alugar urna es-
crava para cozinbar, e sahir a al-
guna mandados, sendo fiel e de
boa conducta, para urna casa de
pouca familia : na ra Nova n. a3,
loja.
Precisa-se fallar com o Sr.
Miguel Garcez, morador no enge-
nho IIha das Cobras, no Cabo j na
ra da Cadeia do Recife, o. 55.
i O abaixo assignado com eatabelecimen-
to de molhados ns ra da Cruz do Recife
i n. 14, julgando liquidadas e justas suas
contas com os Srs. armazenarios do trapi-
che ou slfandege, onde s julga dever ao
Sr. Vicente Ferreira da Casta, eeata divida
j em laUras, querendo surtir de novo seu
estabelecimento, e ao mesmo lempo preve-
nir duvidss para o futuro, roga sos Srs. ar-
mazenarios do trapiche que se julgarem
ere lores do ref-ri lo estabelecnTento ba-
jara de spresentar no mesmo suas contas no
prszo de tres das ds data' desle, ab pena
de confrmacSo do que fica dito, e o abaixo
assignado isento de toda e qualquer resoon-
sabilidade a respeito Recife, 16 dd oitu-
hro de 1850. Francisco de Paula Vertir
de Kndrad'.
OSr. Rodrigo de Frailas Pires Cuma-
rSes, caso lhe falle alguma encommenda,
vinda na primeira viagetn da barca .S;mo-
Crus, dirija-se defront" da rbeira dopeixe
n. 3,a fallar com Jos Esteres Vianna
0 abaixo assignado responde so ca-
lumnioso annuncio do Sr. JoSo da Cuuha
Res, quesssevers ha ver o abaixo assigna-
do oceultado os lucros da venda de que fra
caixeiro : l., que se deu balauco com toda
a especificado perante teslemunhas, e a
quelle Sr se deu por sstisfeilo, nSo fazendo
reclamac&o alguma: 2.*, quedepos destese-
to he sem fundamento o que assevera e Sr.
liis, e se elle ousar intentar a accSo o abai-
xo assignado mostrar a (alsidade dest
imputaco : 3 que o Sr. Res se figura lu-
cros imaginarios, que alm de nSo seren or-
dinarios, se nlo podism obter pelo sorti-
mento esessso ds taberna. Por amor de ineu
crdito me apreco a' fazer esta declaracSo
para que nSo passedesap^rcebido o cavilo
so annuncio do Sr. Reis Recife, II deou-
tiro de 1850. ot Borgetde Medtirot.
Anda est fgida, desde o dia 26 de
junbo, prximo pasando, a' escreii crioula
de nome Mara, moca, de altura regular,
corpo reforcado, cadeiras groases e um tan-
to saludas psra fra, bocea regular, beicox
grossos, ps e mSos grossas z tem marcas
de bexigas no rosto e em todo corpo, peitos
pequeos e cabidos, nariz grosso, olhos
carnudos, orelbas na parte do enfeite gros
sas e viradas um tanto para cima ; tem urna
marca de ferida de caustico do lado dreiio
ou eaquerdo, talvez que pouco ja se devul-
gue das costellas psra os vssios ; levou ves-
t Jo de chits ja ussdo, psnno da Costa,
um tabolero com milbo e arroz que venda
oo dia que fgio : esta negrs segundo os
seus costumes de srdilosa, pode ter muda-
Ido o nome e mesmo usar de qualquer ou-
tro desfarce para nfio ser conheoids, pois
consta andar dizendo ser forra e que a que
rem caplivar : foi de Macei e aqu vendida
ielo Sr. Antonio da Silva Cusmlo ao ja Cal-
ecido Jos Antonio da Silva Costa, tendo
no poder do dito fallecido 3 lilhos, Candida,
' Luiz e Marcolino ; pode esta negra sb pre-
texto est oceulta em cssa de alguem, ou
em algum calugi, o que se vai escrupulosa-
mente endagar pars se proceder contra
quem a tiver oceulta : D-se ums boa re-
compensa s quem della der noticia certa,
ou a pegare levar ra d Dorias, n. 114,
casa de Antonio Caldas da Silva.
Chapeos de sol. a
Ra do Passeio, o 5. >a'
Nesta fabrica ha presentemente um rico
sortimento desles objectos de lodss ss co-
res e qualidades, tanto de seda como de
panninho, por precoa commodos ; ditos pa-
ra seoburs, de bom gosto: estes chapeos
sfio fritos pela ultima moda ; seda adamas
cada com ricas franjas de retroz. Na mesma
caaa se acha igual sortimento de sedes e
paaninno imitando sedss, para cobrir ar-
maedes servidas : todas estas fszendaa ven
dem-se em porco e a retalho : tambem se
concerta qualquer chapeo de sol, tanto de
hasteas de ferro como de baleia, assim como
umbelas de igrejis : ludo por preco com-
modo. Ns mesma casa ha chapeos de sol.
de marca matinal de osuno e de wJ^ pro-
prios psra feitores de engenho, por serem
dos mais lories que se pdem fabricar.
Preciss-sa engajar alguna ofliciaes de
caldeireiro para irabalharem em caldeirss
de vapor, aendo arrebiadom, ( a que os In-
glezes chamam Bivelcrt i dando garantia S
sus conduela : paga-se o jornal de 3,500 por
da, e da-ae passagem gratuita para o Rio d>
Janeiro, onde iifio trabalhar na ollicina da
campanilla brasileira de paquetea de vapor ;
advertidlo, porm, que se depoia de all
ebegarem, rom um mez de experiencia,
provarem incapacidade, serlo conduzidos
para aqu igualmente nlo pagando passa-
gem. Quem estiver neslas circunstancias,
e quizer o dito engajameulo, pode dirigie-
se ao agente da dita companhia, na ra do
Trapiche, n. 40.
3E
Compras.
1 MUTILADO I
-Compram-se escravos de 10 a 30 an-
nos, de bonitas figuras, para dentro e fra
da proviucia ; na ra larga do Rozario, n
48, primeiro andar, todos os das das 6
11 horas da mauhfla e das 9 s i da Urde
~ Comora-se orellos de nanan : na nra da Independencia n. 19.
______
Compram-se os qustro voluntes da obra
ntitulada Oa Tres Mosqueteros : quem os
tiver, dirija-se ra do Crespo n. 16, ou
snnuncie psra ser procurado.
Comprs-se um csixo grande para de-
posito de assucar : na ra Direita n. 32.
-Compram-se9casas terreas, cujo vs-
lor sejs um cont de ris cada urna, para
menos : quem tiver snnuncie.
Comprem-se casas terreas no bairrode
S. Antonio, no excedendo a 800,000 ris
quem tiver annuncie.
Vendas.
Vendem-se brides de eco polido, mui-
to bem feitsse maneiras : na rus Nova, loja
de ferrages n. 16, de Jos Luiz Pereira.
Vende-se um bonito mula-
to de ao a 21 annos, muito pro-
priopara pagem, ou outro qual-
quer servico: ni ra do Crespo,
n. 16, lojaida esquinada ra das
Cruzes.
Vende-se um cavallo oastanho, de bo-
nita figura, com muilo bons andares, mui-
to manteudoe novo : no principio da es-
trada que vai para o Manguinho, em um
sitio que tem em cima das columnas dos
portos qualro lides, acnario com quem
tratar a qualquer horado dia.
-- Vende-si u(h grande sitio com casa de
taipa, pruna para familia, na povoncSodo
Monleiro, indo pelo becco do Quiabo at
a ladeira do Mudo, conten lo immensi lados
de fructeiras, e bello pasto pars 3 ou 4 vac-
cas, duas burs balxas com capim de planta,
urna soffrivel estribara junio da dita casa :
faz-se lodo o negocio com o mesmo: na
ra da Concec/io da Boa-Visla, n. 9.
Vende-se um pardo de 20 aunos, de
muito boa figura, perfeitQ bolieiro e cochei-
ro, vindo do Ro-de-Janeiro: na ra do
Collegio, n. 21, primeiro andar, se dir
quem vende.
Vendem-se pernas de cortinas, saneas,
eduas colchas, ludo He aasseo encarna-
do, em uso; proprio para alg&ma capella
do mallo, por preco muito commoio: na
ma do Livramento, loja n. 34, se dir quem
vende.
-- Acaba de sahir do prelo no Rio-ae-Ja-
neiroa seguinteobra importante offerecida
as senhoras brasileras .
.Mimo ii mi ol ii n lata.
Collfcc.3o de bordados modernissimos
con teodo os mais lindos desenhos a mode-
los de bor lados para lencos, cabecOes, lou-
cas, manteletes, veos, roupOes, saias de-
halxo, camisas de dormir, aliuofada, chine -
l-s, vestidos de baplisado, suspensorios,
colletes e esmisa do homem, Cilcas de
cranr-a, tapecarias. abedanos e algarismos
Estes desenhos feitos por mi de mestre e
do msis delicado gosto, proporcionare as
seihorasum til e sgiadavel passatempo.
He tal a diversidade de objectos, que a pre-
sente collecco contem para cima de 200
desenhos. Vende-se por 10,000 rs., no pa-
teo do Collegio, casa do livro azul.
Vende-se urna escrava criouls, de 18
snnos, de bonita figura, de excellenle con-
ducta, equeengomma, lava, cozinba e cose
pouco : na ra larga do Rozaiio, n. 48, se-
gundo andar.
Vende-se urna cadeirinha de arruar i
na ra Nova, n. 27
Ven le-se muito superior fs
ga em meias barress: no e.r
Desne Youledt Companhia, o ... i
mazens do becco do Goncalves. V
. Na rus Nova, loja de alfaiate n. 14, Vi A
dem-se obras feitas de todas as qualidades,
como sejs ; camisas brancas, a 2.000 rs.: di-
tas com peiios de esguillo, a 3,(00 rs. ;
cicas decasemira, a 9,500 rs. ; palitos de
riscado de linho, a 5,000 rs.; e outras mui-
tas obias por presos commodos Ns mesma
fazem-se casacas e sobrecasacas de panno
fino a 12,000 rs ; caifas de casemra a 2,000
rs. jaquetas e calcas de brim a 1,500 rs
No dia que se promeite nBo se falla.
Vende-se urna escrava crioula com urna
cria de idade de 8 mezas, na ra da Cadeia
n. 1,
Vende-se um slmofariz grande de bron-
ve em perfeito estado : no Aterro da Boa
Vista, loja de funileiro n 65, que tem urna
porta larga.
Lotera do Itlo-dc-Janelro.
Aoe 2o:ooo$ooo.
Na ru da Cadeia do Recife n. 24, loja de
cambio, acaha-se de reeeber pelo vapor
Ilahiana, entrado nesta porto a 15 do cor-
rente, a lista da 11.* lotera a beneficio do
theatro de S.-Pedro de Alcntara, e junta-
mente grandesorlimenlo de bilhetes, tneios,
quartos.oitavos e vigsimos da 24.* lotera
a beneficio do moute po geral da econo-
ma dos servidores do estado, cujas rodas
deviam ter corrillo 8 do corrente mez.
Vende-se urna preta por 250,000 rs. ,
de meia idade, que cozinba, Uva muilo
bem serve a urna casa, compra e vende ;
uma ra, pois be para o que alo boas estas escra-
vas:narua do Collegio, n. 91, primeiro
j Isr, se dirt quss saoUe.
I Vndese cb preto : no armazem de
Hay-moa,'' & Companhia, ra do Trapiche
Lotera da matriz: da Boa-Vista.
Aoe 1 o;oooj>ooo e 5:ooo Na loja de miudezaa ds pracs ds Inde-
pendencia, n. 4, vendem-se bilhetes, meios,
quartos, decimos e vigsimos deata lotera
que corre impreterivolmente no da 31 de
outubro. ou antes se se acabarem os bilhe-
tes. Aellesantesqueseacabem, para nao
comprarem mais caro, como tem aconte-
cido em outras loteriss.
Bilhetes 10,000
Meios 5,000
Quartos 2.600
Decimos '100
Vigsimos MO
Folhlnhasdo Rio-de-Janelro pa-
ra o anno de 1851 vende-se
na loja de llvros do pateo do
Collegio n. 6, de Joo da Costa
Domado.
Folbi nha da sina contando a arte de cada
nm lera sus sina sem msis trsbalboque sa-
ber a quantosdo mez n Dita theatral, contando o proverbio em
um acto, nSo ha mal que se nJo cure, e ou-
tra a poslQo systanutica.
Dita critica e divertida dos nomes dos
homens eontenJo o espelho dos homens
que fielmente mostra suas virtudes e deiei-
qualidade em quadra reinadas.
Dita, critica divertida dos nomes dss se-
nhoras, contando o mesmo.
Dia, doforo.contendo o cdigo do proces-
so criminal.
Dita, da justic com as reformas do pro-
cesso criminal.
Dita, novella, conteni cootos, novallas
e romances escolhi los.
Dits, pratica brasilera, conten lo a hislo
ria do Brasil em verso, reinado por J. N i-
berioe Silva. ,
Dita, Popular, contando instrucefles po-
ouUres sobre varalos objtctos de scien-
ciss industria e conhecimentos uteis e
proveitaveis para tolaclasse do povo.
Historia com a vJa e retrato de D. Pe-
dro I.
Dita, d.is sete sainos da Grecia.
Dita, da saude, conlendo tratado de fac-
turas, desleselo torceduras, queimadu-
ras, etc.
Dita, Mara da Ponte, contando o retra-
to e a conic. certu envenlo verdadeiro da
Mara da Fonle.
Dita, negro-manto, contando urna linda
colleccSo de sorle para noites de San JoBo,
Santo Antonio, San Pedro e Santa Anna.
Dita, historia natural com nocOes dos tres
reinos.
Dita, historia de NapoleSo com estampas
de pelhricas conteni urna reuniSo de pe-
lonas, noticias, casos, snedotase bons ditos
capazes de azerem occultsr barrigadas de
sizo dos mais serios.
Dita, dos namorados, contendo o diccio-
nario de flores, das cores da pedra da fine-
za, do telegrapbo de amor e varias outras
C04U4A.
Dita, do baradisls contendo um cofre
de charadas, eiigTMs e sdvohac.oes, etc.
Dita, da Buenadicba.""""
Dita, de cupido. ~*
Tolas eslasfolhinhfscontiinoorncijio
o exactissimo calendario com lodos seus
perlences, a canara dos sena lores e de-
DUtados, corpo dmlu natieo e consular bra-
sileiro e estrangeiro, a augustissima casa
imperial, crnica nacional de 1819 i 50, um
interessanlissimo artigo sobre a febre a-
marella e oulras muitas noticias.
Calcado.
Vendem-se sapatos de courn da lustro pa-
ra homem, a 6,500 rs ; holins dd dur'liie
oreto e gaspeados psra senho's, a 4,000 rs ;
sapatos de setim branco, a 9,500 rs.; ditos
de duraque preto, a 2,200 rs ; sspatos de
lustro para senhora, a 9,000 rs.; ditos para
meninas, a 1.600 rs.; botins para ditas, de
duraque de cores egaspeados de lustro, a
1.0 JO rs. ; sapatos dd mar 0|Uim preto pa-
ra senhora, a 1 280; ditos de cures, a 1,440
rs.; ditos de dursque de cores para senho-
ra, a 800 rs. ; ditos para meninas, 700 rs.;
titos de marroquim para meninas, a 640
rs. ; botins de marroquim para meninas, a
800 rs. ; chinelas de marroquim para bo-
n, a 1,500 rs. ; ditos de tapeta para bo-
bine senhora, a 1,500 rs a dinheiro a
Uta : oa ra Nova n. 2, loja atrs da ma-
triz.
Na rna Nova n. 2, loja atrs da
matriz,
vendem lencos de seda, a 1,000 rs. ; ditos
escocezes. de linho com sede, s 1,000 rs.;
utos de algodSo. pequeos que servem pa-
ra meninas, a 240 rs ; ditos finos, a 500 rs.;
Utos de cambraia branca lisos a 500 rs.;
grvalas de seda para homem, a 1,000 rs ;
lencos de seda de cordSo, a 800 rs ; ditos
de csssa, a 040 rs.; ditos pintados, s 480
rs. ditosde seda para algibeira, a 1,600
rs. ; ditos para hombro de senhora, a 1,600
rs. ; ditos de cambraia de linho finse bor-
dados com bico em roda, a 10,000 rs. a di-
nheiro a vista.
BRESTOL SALSA PARRILHA AMERICANA
Altlkor i mait extraordinaria do mtmdo.
Prese! val va infallivel 3ontra aafebrea.
A. aalaa parrilba original egeuuia de tires-
lol poasue imlas aa virtudes para curar todas
as enferinidadea que provea de um estad" de
impureza de aaogue daa aecreedes morvidaa do
ligado e estomago, e em lodos oa casos aue ne-
cessiuin remedios para purmear robustecer
o sistema Em todos oa caaoa de eacrophulaa,
erisipelas, liaba, erupcoea cutneas, iiiaucuaa,
bilis, eouainafo e debliidade nos olboa, eu-
cliaco aaa giaudolaa, dorea lombares, ail'ec-
cuea rbeumaiicaa, dores nos oasoa e as juntas
hidropesa, deapepsia, asthuia, dtarrbea, dea-
euteria, loase, resfriados, eiiDaiuinacio dos
piiliii.-s phibiaica quando provui da obalru*
fo doabroncbtoa em pessoas escrophuloaaa,
eiilluenza, iodigcsiao, ictericia debllldade ge-
ral do sysiema nervoao, febrea agudas, calores,
eufermidades daa molherea, eul'criuidadea be-
liosas, e em todas asaieccea proveuieuleade
uso moderado do mercurio, ata aalaa parri-
lba se einprega com emeacia em todoa os ao-
brediloa casos, a he reconbecida como a me-
lhor medicina que eiiale. Ot fraacoa de salsa
de bristol leen) mala de quatro tainanb** dos
de aalaa de Sanda entretanto que o de Metal
ae venden, por 5,080 ra. e oa de Sanda por 3,0o
ra. Deposito central no Rlo-de-Jauelro, casa de
Vital I.ipupe, e em Pernambuco na botica de
Jc; Mri" Goejatve" Hsoim, aa ;~ 4o? o*ssr=
lela pegado ao quarlel da polica.
Capos de pal lia
Vendem-se a ts.ooo ra. esnto, caixas
com superioies vel.s do Aracaty brancas e
amarellas, sapalinnos da menino* em por-
(lo, couros, aolla, farioha de AraruU, bar-
Cas Cuiii bou 5 soStvjs aurrau ua ra
da Cruz do Recife a. 24.



**-
-m XJ&tum,------&/<*
---
s*p
A 1,600 n.
Democracia la Franca,
I Vende-ge por prego commodo fsrinha
milito superior, bordo da garoneira /V. S.
.m.,iiVhnm nnell*,PeB*8. chegada do Porto-Seeuro, a Ira-
trapecio Prt J,ftj-g lar a bordo da mesma. com Nov.es ft C.
e Tos impresSo
legio, loja de livros de J080 da Costa Dou-
rado.
A Ion* mil rs. a libra.
ven 'em-sc obreias muito bo8 e sortidss,
at meia auarta : no paleo do Collegio n
6, loja de livros, de JoSo da Costa Domado
- Vendem-se franjas de retroz para man-
teletes a 448 rs. a vara, dita pr sapa tos a
200 rs.: na praga da Independencia n. 19.
Na ra do Cabuga loja de linarle, van-
dem-se suspensorios de seda, ditos borda-
dados a seda, vazos de vidro de diversas
cores, chicotes inglezes para carros, ditos
para cavallos.
Bonetes de panno a 2ooo.
Vendero-se bonetes francezas, de panno
muito Dio e forrados Je seda, para bo-
rnese meninos : na uua do Queimade n.
16, loja de Jos DiasSimOes.
* Na loja do sobrado amarello, nos
Sqtiatro-centos da ra do Queimado
n. 99, vendem-se as seguiotes fa-
w zondas: ,
W C'tes de calcas de casemira a 3,500, J
5,000 e 7,000 rs.
* Ditos de dita de algodSo, a
9 Dilosdecolletesde fuslflo de
* cOres e branco,a
Ditos de dito superiores, bor-
O dados, a
Dilos de velludo de cores, a
''% Ditos de gorgurSo de seda com
* listras, a
m Lencos de teda de cores pira
-' grvala, a 800,1,000 e
>) l.uvas de algodfto, fo da Esco-
la ca, para homem, a
41 Ditas de torca I, a
9 Alpaca de slgodSo para casa-
* cas e palitos, ocovsdo a 300 9
4, Chapeos francezes finos, a 6 e 7,000 9
2000
1,000
2.400
4,000
2,000
1,500
400
1,000
t
"Vende-se farinha ile S.-Matlieus, mui-
to boa, e qun n9o faz differenga a de S -Ca-
tharinha : a bordo do patacho lima, ou da
sumaca Billa-Carolina, defronte do trapi-
che, ou ao lado do Corpo-Santo n. 25.
Farinha ile inniidlocn.
Na ra da Cruz, no Recife, armazem n.
13. o na ra da Cadeia, armazem de Cani-
iielto Fillio, vende-se farinha de mandio-
ca do Cears, muita alva, goromosa e de ex-
celletite goslo, tanto em pequeas como
em grandes porgues, por prego commodo.
Travessa da 1*1 adre-de-Dos, ar-
mazem. 11. 5,
Acha-se estabelecido um deposilo, onde
encontraran os freguezes um bom sorti-
mento rte licores, espirito de vicho, e to-
das as mats qualidades ; superior vinho de
caj; r hmate; e hacas de vime, a pregos
moderados.
Tal xas para engenho.
Na funilicau de ferro da ra dQ..Brufl,i
raba-so de receber um como|pk-- .. '
toda taix.s do4 a -Jrtfr-u !?,?
quaes .cb.m.^..v- r-,mo ue bocca **
^.^J^St^n^m por prego com-
JiCSt e com promptidSo embarcam-se,
<'U carrepam-seem carros sem despezas ao
comprador.
Deposito de potassa e cal
Vemle-sn muit" nova e superior potassa
ecai virgem de I isboa, em pedra : tudo em
barris pequeos de 4 arrobas, por prego rs-
soavel : na ra da Cadeia do Recife, n. 12,
armazem.
Vende-se por muito commodo prego,
urna rica secretaria com estantes para li-
vros, bastante grande, propria para advo-
gado, sendo de an.a relio e anida nova ; is-
sini cpmo, seis cadeiras e duas mesiiibas
de abrir : na ra eslreita do Rozario, n.
28, ultimo andar, das 2 horas da larde em
diante.
lu inliu de Tapuyr
igualmente em sabor, finura e cor a de Mu -
ribeca, propria para mesa : vende-se na
ra da Cruz, no Recife, armazem n. 13.
Deposito da fabrica de Toda* os,
Santos 11a Babia.
Vende-se em casa de N. O. IJieber & C
a ra da Cruz, n. 4, algodSo trancad
daqnella fabrica, maito proprio para s
de assucar, roupa de escravos e fio propv
para redes de pescar, por prego muito conK^
modo.
Tecldo de nlsrodo trancado na
fabrica de Todos os Santos.
Na roa da Cadeia n. 52.
vendem-se por atacado duas qualidades,
proprias para saceos de assucar e roupa de
escravos.
Arados de ferro.
Na fundigSo da Aurora em S.-Amaro ,
vendem-se arados de ferro de diversos m-
telos.
Moendas superiores.
Na fundigSo de C. Starr & Companhia ,
em S.-Amaro, acham-se 4 venda moendas
de canna, todas de ferro, de um modelo e
onstrucgSo muito Isuperior.
Mnssa de vapor.
Acha-se abena a padaria da ra do Bur-
gos, Forte do Mallos, na qual se achara
diariamente todas as qualidades de massaa
finas, Irabalhadas por machinismo ; tam-
bera ae fabricar excellente p8o e bolax
ma de araruia, iiaa ingiezaa, uiaiues
quadrados e redondos, e outras mais mas-
as* tudo obra prima : as mesmas seacharSo
no deposito do paleo doTergo, n. 10.
Aos seiiboi'cs le engenbo.
vendem-se cobertores escuroa de algo-
dSo' proprios para e.-cravos, por serem de
muda duragflo, pelo diminuto prego do 640
rs. cada um : na ra do Crespo, esquina
que volta para a cadeia.
Cortes de calen* a mil ris.
Vendem-se brins Com listras ao lado,
breocos e do corea, a dez tustoes o corte de
caiga : na ra do tjueimado n. 8, loja con-
fronte a botica.
Vende-se farinha de Sanla-Catharina,
multo superior, a bordo da galeota Santiisi-
mn-Trindade, fundeada junto ao caes do
"Col|egn>.
-- Veiidem-se na ra do Cabug loja de 4
porl.; do usrU. sculo: de lois as grs-
duagoes. por preco maia commodo que em
uir* qualquev parle, oinieiros de couro de
lustro ara horaeoa e meninos.
--V 4 000 rs. a vara ; na ra Nova n. 8.
'-- Vende-*alidjre de curtiga, muito
proprios para oasatnas e barba: na ra
estreila do RosarTt. 91) loja de barbeiro.
na ra do Traplxe n. 34.
Na ra da Cruz, armazem de S Aran
jo, vendem-se ssccs *oni superior milho.
vindo do Cear, couros miudos, sapatos,
chapeos, etc.
Bombas de ferro.
Vendem-se bombas de repuxo,
pndulas e picota para cacimba :
na ra do Brutu, ns. 6, 8 e 10,
fundicao de ferro.
Arados de ferro.
Vendem-se arados de ferro de
rlifferentes modelos : na ra do
Brutn, ns. 6,8 e 10, fabrica de
machinas e fundicSo de ferro.
JA o barato causa admlraco !
Uto acontece na ra do Crespo,
n. 6, loja ao p do lampeao
Vendem-se cassa-chitas de muito bom
gosto, a 840 rs.; cortes da ditasdo melhor
gosto que leem apparecido, a 2400 rs,; Ciar
tas finas de boas tintas, a 160 e 180 r*> o
covado riscado americano, a 140 e lfjft ra-;
dito trancado, a 180 e 200 rs.; algoMo
mesclado, a 200 rs. ; zuarte azul com 5 pal-
mos, a 200 rs. ; dito de cores, a 200 rs.
cassa preta para luto, a 120 rs. o covado
corles de fuslSo muito boos, a 560 rs.; cha-
les de lailatana, a 340 e 1.280 rs.; coberto-
res de algodSo de cor. mullo eucurpados e
proprios para escravos por serem muito
quenles, a 640 r. ; alpaca preta de cordSo,
com 7 palmos de largura, a 1,1)80 rs. ; ns-
cadosde purolinho, a 240 e 360 rs. o co-
vado.
Antigo deposito de cal
virgem
M11 lio e arroz com case* a 2ft5oo
rs. cada sacea.
Vende-se no armazem do Braguez, ao p
do arco da ConeeigSo. .
Chumbo le munlcao.
Vende-seno armazem de J. ). Tasso J-
nior, ra do Amoro), n. 35.
.-Vendem-se amarras au ferro: na ra
la Senzalla-Nova, n. 48.
f30OOO000<4>OOQ
g Cera em velas.
O Vendem-se caixas com ce- O
^ raem velas, fabricadas no
O
O
O
O
O
O
Na ra do Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal virgem de Lis-
boa, por preco muito commodo.
Cnpotlnlios e manteletes.
Na ra Nova n. 6, luja de Maya hamos & C,
acaba-se de receber capolinbos e mau
teleles de can.brala branca bordada, da ul-
tima moda, e muito beni guarnecidos com
luco a imitagSo de blondo : os piegos con-
vida m ao compradores.
Vende-se um sonimento de vidroe de
cores para mesas, sendo copos para vinho u
para agoa, campoteias, garralas, fruteiras
e palos, por prego commodo: na ruado
CabugS loja de 4 portas de liuarte.
Vendem-se, na ra da Moda, armazem
b**;..j, "om cal virgem de
11. 10, niem "*, "i" ."Bou. o oulia qu
"--y tis-ova que ttmS^SiSS. -J^
VreC, commodo.
"" 1 j^Rap Paci Cordeiro :^f
venda-se na ra da Cadeia do Recife, n. 51,
luja de fazendas, de JoSo da Cunha Maga-
1,,9es-
Na ra Nova. 11. 6, loja de Maya
Hamos 8l v, l
vende-se. alm dos livros ja annunciados
por este jornal, o novo romance intitulado
- Urna fan.ilia cursa obra do insigne au-
tor Alexandro Humas, muito bem traduzi-
do, 1 v. ,por mil r*.
rECMNCtU l'ARA A 1-OBRF.SA.
Na ra do Rangel armazem n. 36, ven-
dem-se sacas com farinha de Santa Calhari-
na a 1,500 rcis, ditas com arroz de casca
superior a 2,300 ris, ditas com milho a
2 300ris epilado saca grandes 6,500 teis.
CAMllEIRO FRANCS.
Na confeitona da ruado Rozario estreila
n. 43, vende-se um candieiro com pouco
uso, pelo prego de 3,000 lis, jumamente 50
barricas de trigo a 400 lis.
Lotera do l'iiode Janeiro.
Aos 10:000,000 de r.
Na ra estreila do Rozario, travessa do
1 islmado, loja de miudezas n. 2 A de Joa-
"-ncisco dos Sanios May, vende-sn
meios, quarlos, oitavose vigesi-
sima-quarta loleria a beneficio
...-> ) heral de economia dosservi-
.sdoesiado: na mesma lojs esta paten
a lista da deciaia-pnmeira loleria do
Iheatro deS. Pedro de Alcntara.
Aviso aosSr*. de cug;cnliode
Culmina.
Na luja de JoSo Nicolao Comes da Molla,
no becco do PavSo, n. 2, vende-se cal vir-
gem de Lisboa, e pipas va.sias.
Na la da Cadeia-Velha, primeiro ao-
lar da casa n 24, de Manoel Antonio da Sil-
va Antunes, vende-se um rico sortimento
de chapeos de palha de llalia.abertos, para
senhoras ; camizetia de cambraia, colerl-
nhos, romeiras, manguitos, punhos, tudo
excellenlemenle bordado, bicos finisaimos,
ricas fitas, e outros objeclos degusto; bem
como um completo .sortimento de fazendas .
ludo se vende por prego* muilos rasoaveis
Vende-se urna linda c.-crav de 20 an-
uos e de nsgfto, propria para todo oservigo :
na ruado Rangel a. 57
Vendem-se duas rotulas em muilo bom
q Bio de Janeiro, muito bem q
O sortida, por ser de urna a O
16 em libra, por pre?o mais ^
barato do que emoatratfdal-
quer : na ua do Vigarlo, n.
19, segundo andar, a fallar
com Machado & Pinheiro. ^
OOOOOOOOOOOOOOOOOO
Vende-se um prela de nagSo Mina,
muito moga e vistosa, que engorama, co-
zinba e faz todo o mais servigo de urna ca-
sa : ns rus do Amorio*! n. 15.
Panno verde escura.
Vende-se panno lino verde escuro, pelo
diminuto prego de 4,000 rs. o covado : an-
da rasta algumas chitas francezaa, com al-
gnm mofo, que sevenderSo a quem cpm-
uor pega, a 14o rs., o a retalho a 16o rs. n
covado: no Allerr-da-Roa-Vista n. 18,
Os verdadelrosriscados niontdros
a 2Co rs. o covado.
Na loja da ra do Queimado u. 3, ven-
dem-se riscados monstros de quatro palmos
meio de largura, pelo baralisslmo prego
de 260 rs. o covado.
Vciidem-se sapa tees
ebegados agora mesmo do Aracaty, feitos
a .capricho, segundo as recommendages
que para la se lem feito, por mdico prego,
para se liquidar : aa ra larga do Rozario
11. 35.
Vendem-se dous pretoa os mais pro-
prios para carregar palanqun! que p le ha-
ver, e que ganhaui na ra por da 640 rs.;
um cabrinha de 14 annos, omito lindo para
pagem ; um dito de 10 annos, que serve
bem a urna casa ; un moleque de 16 annos,
muito linda pega; urna preta de 30 anuos,
quecozinha, lava e cose : na ra do Colle-
gio, n. 91, primeiro andar, se dir quem
vende.
Cordas pura viola e rabeea.
iva ra estrella do Rozario, travesa do
Queimado, n, 3 A, de Joaqun Francisco
dos Santos Maya, vendem-se as muito su-
periores cordas e bordOes para.jnoJSo e ra-
beea, por prego maijaftafiJcio"do"trUS en>
ullj^,iWff17r7e. ^s
oo Keller & COmpanhla, na
Vende-se urna preta de nagSo, ptima
engommadeira, coznhelra elavadeira, sem
vicios nem achaques : na rus da Cruz p. 1T,
terceiro andar.
A 18600 o covado.
Na loja n. 3, defronte do becco do Peixe-
Frito, vendem-se casemiras escuras de bo-
nitos desenhos em jadrez, ptimas para
pannos dcima debaness, a cinco patacas
o covado ,: est faztmda torna-se multo re-
commendavel pelo seu modernismo.
Vende-ae a taverna da ra
do Padre-Floriano n. 7a, com
poucos fondea, o qual fa* 10 a
ia,ooo ra. por da ; a tratar na
traveaaa da Concordia;, sobrado
n. 5, das 6 s 8 horas da manhaa,
e das 4 s G da tarde.
He grande pechincha.
A 2oo e a4o rs.
Vende-se urna porgSo de chita*francezas,
de 4 palmos do largura, rxa, d,e cores fi-
za*, a 200 r. o covado ; cassa* francezas
de bonitos padroes, a 24 rs. o covado ; pa
ra do Crespo n. 14, loja de Jos Frnciscb
Das.
A 46o rs. o eovado.
Defronte do becco do Peize-Frito, loja n.
3, vende-se ganga amarella de listras, pelo
baratissimo prego de 460 ris: sata fa-
zenda torna-ae jiuito recommendavel por
ser muilo lina e de padrOes agradaveis.
Cha a 5oo rs. a libra.
Vende-se cha hysson, de muilo boa qua-
ltdade, a 500 rs. a libra: na ra do Crespo,
n 83.
Vende-te urna anuala que corta e bz
camisas de hornam, coSe com toda a perlei-
gSo costuras dealfaiato, islo he palitos, cal-
cas, jaquela* colletes, engommadeira, boa
cozinheira do diario de una casa, 11S0 be-
be espirito de qualidade alguma, he muito
fiel e boacompraueira ; una preta da An-
gola, de bonita figura, moga, sem achaques,
boa engommadeira a com outras habilida-
des que se informarlo; u..ia mulatinha de
10a II annoa, com principios da costura, a
de bonita figura : na ra larga do Rosario
n. 48, primeiro andar
Manteletes e cnpotiiihos.
Na roa Nova n. 6, loja de Maya fiamos & C ,
acaba se de receber de Frange um sortimen-
to de manteletes e capotinho do seda ia-
vrada e lisa, da ultima moda, e qu se ven-
dem muito em corita.
:
e da
: no
livro
ra da Cruz, u. 55,
Vendem a pregos commodoa, vinho mos-
catel de Setubal, em caisas de urna du-
zia; dito muilo bom de Lavradio e Col-
lares, em barris de quinto; dito de Cham-
paBha, da mais acreditada marca ; dito lin-
io de Cortaillod, de superior qualidade;
extracto de ab&ynth e kirsch ligilimo da
Suissa, em caizas de urna duza ; verdadei-
ro cognac velho, e da melhor fabrica de
Frange, em barris de 80 garrafas pouco
mais ou menos : tambero se vendem por
prego muito rasoavel velas de stearina ,em
caixas de 33 libras; charutos da Babia de
muilo boa qualidade.
Ven Je-e vnno do Porto em barris de
quarto e quinto azeilonas superiores ; ar-
cos para barricas e pipas ; fariuhe de trigo
em barricas e meias ditas ; fio porrete; ca-
vada; pregos delodasasqualldades.em bar-
ricas ; enxa las do Porto ; coeiros de algo-
dSo ; retroz Qm du Porto : tudo por prego
commodo : na ra do Vigarlo, n. 11, arma-
zem de Francisco Alve ds Cuuha.
ooooooooooooooooo^
^Deposito geral do auperior ra-
% p Areia-I'ieta da fabrica e
O deCantois l'ailhet & O. O
O na Babia.
X Domingos AlvesNatheus, agente da.
Ofabrica de rap superior Areia-Preta dag
Oeatiia, lem aberto um deposito na ra*
Oda Cruz, no Recife, a. 53, primeiro en-w
Odar, ondeseachar* setnpre deste ex-VJ
Ocellentee mais acreditado rap: ven-O
Ode-se em botes de urna e meia librii*
G por prego commodo.
cjoooooooooooooooo
-- Vende-se um prelo com oflicio de co-
ziheiro,dq,bonita figuraemoco: a tratar
com F. Pires.
Vendes* urna casa na Bos-vlta, ra
doTambi, u. 13;em S.-Aiitoqio, Us di-
ta os travs** da Bomba n. 10 j urna dita na
ra dos Pescadores, n. 31 i urna dita na ra
de S.-Rila, o 84 : na ra do Cabuga, botica
do Sr. JoSo Moieira Marques, que se dir
quem vende.
- Vende-ae excellente bolacha muilo
bem fabricadsrpelo prego de 8,840 rs. a ar-
roba, e de segunda qualidade a uove pata-
Cha auperior.
Cha superior, brasijeiro,
India a 3,000 ra. a libra
pateo do Collegio, caaa do
ajul.
Psrs vestido* de senhoras.
VenJem-*eos mais asseisdo* manguitos
paTvrTlW^aenhor* : na ra do Quei-
mado n. 9. ^--.
! vendem-seiiuas roiuiaa em muuo Dom ="" "'"" 1------;- : ; .
- estado, por prego commodo : na obra junto cas ; biscoulmbo doce, a 210 ''"** ia-
i- inre* de SauU-RiU. | nuh* de Irigo marca Barn, a 19.0UO rs.^, a
Novenas.
N* loja de liviosdo pateo do Collegio de
JoSo da Costa Dourado, vende-se as segua-
les novellas, regulando os voluntes a 1,000
r*. caJaum: Joaquina e Roza, Cypriano,
A nobra Venezianu, o Bandoleiro dos Ape-
nericS, Segredo de Tiimphar, Manual dos
jogus de Sociedade, Elogio de Marco Aure-
lio, Conatancia, Emilia, ViagenadeTrislSo
da Cunha, Henriquinho, Recreios de Euge-
nia, Passaro Azul ou.anSo amarello, Ac-
cidentes da infancia, U. Farperro, Acabaa
da India ou caf de Surate, Conloa de Fadas1,
Historia de Carlos Magno em dous volumen,
RoldSo Amoroso novella de Bocacio, novel-
las de Contos.A vida d Pedrilho.Nuuia Pon
pilio a Hobsou de doze annos, Armazem de
Meninos,Bm baresque, H. Hay mundo Aguiar
A ventura de l.azanlho de Tornee, O Dote
d Suzauinha, GusmSo de Alfarache em 3
voluuies, Guslav&o Boopega, Renegado em 4
volumes, A ventura de Robisoo de Crogo,
Viageusde Anlenor, e outras muita, que
vende-ae por commodo prego,
4^Vende-se urna escraya de nsgSo 11 o-
caaibique. de bonita figura, de 20 a 25 an-
uos, boa cozinheira, veudejeira, e que en-
iene e euguuiioadu : no nieuu-a-uua
Vista, n. 59.
lia 111. .. m- u
ue M&ar, a in.auu
sano, n. 48, padaria.
Vende-see um moiuho e torrador, em
perfeito estado: na ra larga do Rozario,
n. 48, padaria.
Vende-se um brinha de 9 a 10 an-
nos, muito esperto : no Becco-Largo, n. 1,
taberna.
Qt Vende-se farinha de mtfrr-S
? dioca muito barata em aac- 2
0 cas : na ra da Cadeia n. 1. q
OOOOOOOO OOOOOOOOOO
Vendem-se fucss para mesa e aoEre
mesa com cabos de marlira e de osso, mui-
lo linas ; culneres de metal de principe pa-
ra terrina, soupa, cha e assucar; chaleiras,
panellas, fregideiras e cassarolas de ferro
forradas de poicellana ; bules e cafeteiras
de metal ; machinas de fazer caf : armas
finas para caca ; echaduras finas com 2
chaves para porta* de salas : na ra Nova
o. 1, loja de ferrageiis, de Jos Luiz Pe-
reira.
Um par por 6,5oo rs.
Vendero-se sapatos de couro ds lustro fran-
cezes, de forma e sola inglesa, pelo dimi-
nuto prego de 6,500 rs. o par; canna da
India verdsdeirs, para fazer bengalas ; cha
pos de Manilhs finos : na ra Nova, n. 9
Vendem-se, a dinbeiro a vista, superio-
res chapeo* de castor branco, pelo diminu-
to prego de 10,000 rs : na roa Nova, n. ,
atrs dsmstrix.
Vendem-se os mais superiores charu-
tos de 8,-Felii, que at agora teem vindo,
os quaes os apreciadores poderSo ver na rus
do Cabuga, loja do Duarle.
Vendem-se, por commodo prego, duas
estolss brsnc* e prela bordada de ouro: na
ra do (Jueimao, 0. 37.
--Vendem-se superiores velas de carnau-
ba, a 860 rs. a libia, e arroba a 8,000 rs.:
na venda da ribeira da Boi-Vista, n. a.
Vende-se urna robusta e sadia preta de
38 annos, de nagSo Nag : na ra do Quei-
mado, loja n. 37 A.
A 12o rs. o quartelrfto.
Vendem-se peonas muito boas: no pateo
do Collegio, n. 6, lojs de livros, de JoSo da
Costa Dourada
-- Vendem-se meia de aeda brancas
para meninas ; sapalintios de couro de lus-
tro para meninas ; ditos de duraque, a 800
rs.; botina aspeados com dursque de co-
res psrs meninas na rus Nova, lojs n. 3,
aira da matriz.
Narualargradq li tizarlo, n. 22,
ven le-se urna negra de 20 aunos, de boa
"""docta, o niie ae alianga ao comprador,
a qusl cose e"engomma com perfeigAo, e he
recolhida ; um molecote de 18 snoos, de
uagSo Angola, de linda figura, e boa con-
ducta.
Vendem-se curtes de couro do lustro
se e engomma ; 9 escravas mogas de bo-
nitas figuras, que cosem bem e ngom-
raam ; 5 ditas de todo o. servigo ; na rus
Dlreita, n. 3.
A 10,000 rs.
Vendem-se linternas com p de casqul
nh, pelo diminuto prego de 10,000 ri. o
par : n ru Nov* n. 3, lojs strs da nutriz.
Vendem-se chapeo* de sol, da eds
para homem, a 7 e 8,000 rs.; dilos de psn-
no com srmago de balis, s 3,000 : ns ra
Novs n. a, loja.
Vendem-se 6 bonitos es-
cravos de aa annoa, ,avado um
dellcs bom masseiro ; t dito bom
carreiro ; om dito bom boeiro,
e que tambem entende muito de
tratar de horta, ou sitio ; 2 PntM*
de 2o annos ; um dita de o5 an-
noa, que engomma e cozinha; urna
mulatinha d 16 annoa, qu en-
gomma, cose e coz.inha ; 3pardaa
com habilidades : todos por pre-
co mujto em cobta : na ra das
Larangeiras, n. 14, segando an-
dar.
Vende-se sal muito bom, s bordo do
hiate Anglica, cor bsrsto prego : tratar
na ru* d* Cadeijdo Hecif, n. 49,
VeuoVse, ou permuta-se por escravos,
um sitio no Remedio, s margen lio na, em
trras propria, com boa cass, cacimba
grande con boa agoa, porto e rrar a toda
hora : na rus do Rangel, 0. 64, a tratar com
Victorino Francisco dos Santos. > >
-- Vende-se urna veneciana para veranda,
por prego commbdb: na ra das Cruzes n. *
Vende-se um prsta de nagSo Coala,
muito gentil, fax toda a qualidade da at-
ad* psrs vendar na prsg*, que he pro-
pria psrs engenho, por ser mullo orgosa :
Trompe; sobrado n. t.

Carites snperflnas #
Spara voltarste 1 na ra do 'Quima- W
do, a. 95, loja de miudezas.
Vende -#e om moWquIoho da^TOlfca a
um* negrinh* de 7 annos, de sabfto bonita;
figuras e esparto*: o m-ttlv* por que se
vendem he por seu senhor sabir para fra
da provincia -.ra r* da Concordia, vindo
da ponte, esquerda, segunda Casa tenes,
se dir quem vende.
-- Vende-se rap Paulo-Cordeiro a 1,440
rs o bote : ns ra do (Encantamento, arma-
zem n. II, por baixo "oo sobrado do reve-
rendo vigarlo do Recife.
i.otrria do ltle-de-Janeiro.
Ao 2otoaWo.
Na ra larga do Rozario, botica n, 42,
vendem-se bilhele da 94.' lotera da Rio-
de-Janoiro a beneficio do Monte-Po a ss-
ber : inteirds 99.0000 rs. meias-M^s rs,,
quarlos 5.700r*., oitsfos 9,aeO rs. e vlga-
Contina** a vender manlalga iafle-
zVhWV.-T'WRITa -,-wtt n traA,*.* rs. j
bom cb,s 1,9 rs.: no pateo, do termo,
n. 9, vends nova.
Vendem-se esteirss da pslbs de car-
nauba : courinhos de cabra ; sapatos na
couro de lastro,* 3,000 ra. o par, ehag*-
do*doArcaly : o* ra da Cadaia do Re-
cife, n. 49. .
-- Vende-se urna sersva cnoula de 00-
nita figura, de 24 a 9J ando, faz doCe* de
todas ss qualidades,.refina assucar, cose,
engomma; coztatia, fa renda e- os mais r-
ranjos do ubi cas*: tudo eom perfeigSo :
no principio da estrada dos AfflitIO*, an-
meira cas terrea com soto a varanda do
ferro, dolado direito.
Vende-se um grande sitio no lugar do
Manguind, que fica defronte do* Sitios dos
Srs. Csrneiros.com grsnde casa fle viven-
da, de quatro agoas, grande sonzall, o-
cheira, estribara, baixadeoanim que Bus-
tonta 3 s esvsllos, grande cacimba, im
bomba e tanque coberto para baa bai-
lantes arvoredos de fructo : na ra d* Con-
cordia, primeiro sobrado novO de um aadar.
Vend i-se, na ra da Cadeia do Recite,
a. 39, cha hysson em ealtsB grandes, o.-
Pauld, muilo bom, por prego boromosje.
-Vendem-se escravos de ambos os se,
novos e velhes : ns rus de Apollo n. 1*. da
9 horas da nianhS* as 4 da larde : 0 motivo
da venda he para liquidagao de inventarlo,
para sapaies : na ra Nova n 90, loja.
Vende-se farinha da Ierra, em barra,
"er"*- __... ,.-.., ... rll. iu. por prego muito commodo: ns rus larga
- Vende-se u j0 *Qrl0 ^ ,o]i ue miudez( de V|c-
loriuo & CumiarSes.
Vende-se urna excellente casa de cara-
guat, n. 20, grandes bem construida, com
quintal murado, cacimba, porlSo, e que
rende 12,000 rs. mensaes } uns dita larrea,
na ra de b.-Cecilia n. 14, com commodos,
quintal e cacimba, e qua rende 8,000 r
mensaes ; a quinta parle do sobrado de 2
audarea no largo do Carmo, n. 1, para ajus-
te de conlas : os ra do Crespo n. 10, loja.
Na ra do tabugs, lojs de Moreira &
Dutra, vende-se um bom relogio patente
iuglez.
Na ra da Cruies, o..99, segundo su-
dar, vender ume pards de 26 anus, que
engomma, coaecliOa, co/iuha e ly. de s-
blo; duapretasdnsg8o, ds 18 s 90 an-
uos, com aa mesoias habilidades urna Oe-
grinha de 12 auno, com principio de ha-
bilidades ; urna ascrav de nacflo Moaanibi-
((c. de ^ ar =*:, 9"- >'"
gumms pouco a venfto na ra.
po, sita* margeni do rio, com 9 grandes
salas, 2 gabinetes, 2 alcovas. 3 quarto, a,
cziuh, com uro terreno adjaceote qu lar'
ra cerca de mil palmos, uma baixa de ca-
pia), ja plantada qoaforoece para mii* de
30 fexes diarlo no verSo, pdenlo se
acrscenlar anda mais a planta, com vista
muito agradavel, ar muilo saidavel, a he
parlo da praga, por ser antes de cliegar o
J'CQ ds PalMill S! fftade S. Amaro n. 18,
ou na ra da CSdela do' Reclla, a fallar com
o Sr. Manoel Congalve* ds Silva.
Veudem-se 16 escravos, eado um bom
carreiro e mealro de purgar ; 3 dito* de to-
lo o er,vic.o; 2 mulatinhps d < *nno i 2
diina de lodo o icrvico de campo; mi _
mUlloiia recolhida, de 14 *uno, qua co- fasa.
Escrayes rugido.
- No dis 3 ds sgosto proxi.no passado,
fugio, do sitio da Sibsstiao dos Oculo Ar-
cp-Verde Pernambuco no lugar da C-
pellinhadoMondego.oseu escravo da-
me Sabino, crioulo, de 94. annos, estatura
regular, reforgado do corpo, tests redpnda,
dentea mos, beigos grossos, bem faaUate
e filis brsnds ; be nslur.l do Mrnhso;
foi escravo do fallecido Antonio Rodrigue
de Mirand. a foi mandado vender neat* ci-
dade pelo tssurantoiro : que o Bg*r le-
ve-o ao dito sitio so snnuncisnte, qdo gra-
tmc,rJf!n^,8Cfata 7 d irreal
te mi'do e'genho Velho de lboatflo. o
prelo Filippe, de naglo Congo, de 30 son
pouco mais ou menos, altura a corpo re-
gulares, olhos pequeo, c*W O0^. *
lares ; levou camisa e ceroulss de kigodao,
com ..rc. F aa abertaf*,teito da pon K
o na peina da oerouls a meama lalln'J"
linha encarnada ; lem o andar uai pooc"
halangado, ou fargola ; cotoma a un*'
eingida a cintura urna patrona.. W '
ru cabellos no bago e na qgeixo, d
feio da p e pernaa. cor Uafl *"*
atibada : quem o pegr nU*"" JL.
proprietario do inesreo engenho, sera r
neroaarr ente gratificado.
os pretos Csndiilo, noulo, fl* n*** w
calvo ; lem douadedtetffe mo f",u *jl
mido ds moends do eogeoho ; te a f"
nwarque.da: Conrado, baiio, J0*,^
Pajv
Conrado,
magaes do roaio bnaUuaa .
elalo ; uppfle-e terem segu
h-de-Flore* : quem o* g. --
dito eogeono, que sera gratiBcaao
50,000 rs por cada.
ao


r. PSF4KM.
Ibl
II ii T11 a n n


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EX9HG4VRE_0SKAMF INGEST_TIME 2013-04-24T19:42:42Z PACKAGE AA00011611_07040
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES