Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07039


This item is only available as the following downloads:


Full Text
T5T
^^
.
Aimo XXVI.
Quinta-feira 7
VARTIDAS DOS 00BBEI08.
Goianna c Parahiba, s segunda! e sextas ff Iras.
Hlo-flrande-do-Norte, todas as quimas felfas ao
inelo-dla.
Cabo, Serinhaem, Rio-Formoso, Porto-Cairo e
Macelo, no 1., a II e 21 de cada mes.
Garanbunl e bonito, a 8 e 23.
Boa-Viata e Flores, a 13 e 28.
Victoria, s quintas felras.
Olinda, todos os dlts.
iraumiDEs.
-Nova, a 5, aoa 36 in. da t.
o JCresc. a 13, aos 11 ra. d in.
Piusas d loa. Chelj a 2Ii ao, |ft m dlm
Uling. a 28, s 3horas da t.
raUHSR DE HOJE.
Primeira as 2 horas e 6 minutos da tarde.
Segnnda as 2 horas e 30 minutos da manbaa.
Je Outubro de 1850.
N. 235.
rateo da tracen I I-CO.
Por trea meses (aflamados) 1000
Por seis mezes 8/000
Por um anuo 1i1000
das da semana.
11 Seg. S. (.alisto. Aud.do i. dos orf. edo ra. 1 v.
15 Tere. S.Therea de Jess. Aud. do I. da 2. v.
do eivcl. e do dos feitos da fasenda.
16 ','ii.irt. 9. Mariinlano. Aud. do J. da 2. v. do c.
17 Oulnl. 8. Heduviges. Aud.do J. dos orf. edom.
de 1. r.
18 Sest. S. Lucas. Aud. do J. da 1. v. c. e do dos
feitos dafazenda.
19 Sab S. fedro d'Alcntara. Aud. Ja Chae, e do
J. da 2. v. docivel.
20 Dom. S. JoSo Canelo.
CAMBIO EN 16 DE 0UTDBU.O,
Sobre Londres, a28 ii2 i. por /fOOO rs. a 60 das.
> Pars, 316.
i) Lisboa, 100 por cent.
Ouro. Oncas hespanholas.....29/000 a 30/000
Moedasdc6V<00vellias. 16/000 a lOjiOO
de MO novas 16/100 a HW200
delfOOO....... 9/100 a 9/200
PraU.-Pataci.es brasileiros.... i/60 a 1/980
Peso columoarios.,... 1/960 a 1/980
Ditos mexicanos........ 1/800 a 1/820
-
DIARIO m
PARTE OFFIC1AL.
MINISTERIO DA JUST1CA.
DECRETO N. 696, DE 5 DE SETEMBRO
lE 1850.
Di nstrucpOes para a eleicSo dos depuia-
dos e supplentes dos tribunaes do com-
mercio.
Hei por bem, usando da altribuIcSo que
me contare o art. 102 12 da coosliluipSo
do imperio, derretir o seguinte :
Art. i. Os collegios comroerciaes deverSo
reunir-se ordinariamente de dous em dous
annos, no (lia e lugar que os tribunaes do
comuercio, cada um noseu dstricto, desig-
naren! ; eextraordinari mente nos cisos de
vaga de algum lugtr de deputado ou sup
pente. (Til. nico di adininistrapao da jus-
tipa nos nogocios e causis commerciaes,
rts. 4 e 16.)
A de.signapfio do da e lugar da primeira
eleipSo a que se proceder ser taita pelo mi-
nistro do imperio na corte, e pelos presi-
dentes as provincias. (Til. Citado, art. 16.
Arl. 2 Na referida primeira eleicSo deve-
rSo eleger-se no collegio commercial do Rio
de Janeiro sois denotados etres supplcjntes,
e nos da Babia e Pernambuco quatro depu-
tados e dous supplentes. Ns eleipSo sub-
sequente, que deveri ser lugar no anno de
1852, eleger-se-h3o no collegio do Rio de
Janeiro tres deputados, e nos da Bahia e
Pernambuco dous. E assim successivs-
rjiente, por forma que os deputados se re-
novem por melade de dous em dous annos,
e os supplentes de quatro em quatro, na
conformidade do til. citado, art. 4.
Art. 3. Podm votar nos collegios com-
merciaes todos os commerciantes ( C-
digo commercial, artigo 4.) estabelecidos
no dislricto commercial do lugar da elei-
cSo, urna vez que sejam cidadSos brasi-
leiroi e se acbem no livre ejercicio de
sdus drreitoscivise polticos, anda que te-
nham doixado de fazer profissSo habitual
no commercio. Excepluam-se os que hou-
verem sido convencido de perjurio, falsida-
de, ou quebra com culpa ou fraudulenta,
anda que tepham cumprido as seotenpas
que os condemnaram. e se achem rehabili-
tados. (Til. citado, art 14.)
Art. 4. Todos os commerciantes que tem
voto activo poded ser votados no collegio
commercial do districto do seu domicilio,
Comanlo que ienbam trila a a eos de jd.de
e chico de proflesSo taahitusl do eomnercio
(Til. citado, arts. 14 e 15 J
as primeiras el> qObs a que se proceder,
se algum negociante, cujo nome nSo tenh
sido inscripto na lista geral (art. 5i, pors-
dSo eh.r matriculado na junta do rom-
mercin.olitiver maioria tal de volos.que Ihe
presidente, e a sua decIsSo ser termi-
nante.
Art. 10. Recobidas as cdulas, as mandar*
o presidente contar pelos escrutadores, e
publicar e escrever o seu numero na acta.
Passando-se em seguida apuracSo da
mearpas cdulas, firarflo eleitos deputados
os commerciantes elegiris que oblivererp a
maioria absoluta de votos. Se nenhum, ou
s alguna obtiver, enlrarBo em segundo
escrutinio os mais votados em numero du
po dos deputados que nelle deverem ser
eleitos t aseando no safando- escrutinio se
tifio possa obter maioria absoluta, ficsrffrt
eleitos os mais votados, decidindo a sorte
no caso da igualdade de votos.
Art. it. Terminada a apurspfio, se tsvrari
a competente aets. Isnpando-se nella os no-
notnes de todos os votados, e ser assigna-
da pelo presidente, escrutadoras, secreta-;
rios, e eleitores presonles.
Art. 12. Concluida a elelco dos deputa-
dos, se passar immediatamente i dos sup-
plentes, nos casos em que esta tiver lugar
tari. 2)e nella se guardarSo as disposipoes
dos artigoso, 10 e II.
Arl. 13. Das actas do recebimento e apu-
rapfiodas listas se extrahiram tantas copias,
conferidas e assignadas pelo presidente, es-
crutadores e secretarios, quantos forem os
deputados e supplentes eleitos,pa ra seu titu-
lo, e mais duas, urna das quaes seri logo
remetlida ao ministro da justica na corte,
e aos presidentes as provincias, e outra ao
tribunal do commercio respectivo.
Art. 14. Os livros das eleipes commer-
ciaes serflo fornecidos pelos tribunaes do
commercio, abejlose encerrados, nomera-
dos e rubricados pelos presidentes, e gusr-
dados nos archivos das secretarias dos mes-
los tribunaes.
Euxebio de Queiroz Couilnbo Ma lioso Cma-
ra, do meu consclho, ministro e secretario de
estado dos negocios da justica, assim o trnha
entendido e faca execntar. Palacio doHiode
.'Janeiro,em 5 de setembrode looO.vIgesImo-n-
no da independencia e do imperio.
Com a rubrica de S. M. o Imperador. Euir-
bio de Qaeirpt Coutinho Maloio Cmara.
novar-1 he oa protestos d sua perfeila estir
a e distiocta consideradlo.
Paulino Jot Soara ie Sonta.
GOVER1NODA PROVINCIA.
EXPEDIOTE DO DA 14 DO CORRENTE.
Oftleio. Ao Exm. commandante das ar-
mas inteirando-o de haver concedido dous
mezes de licen^a com oa vencimentos que
Ihe competirem ao alferes do 5.* batalhSo
de fuzleiro Jos Joaquim da Silva Rosa,
srftai da trata* 4 na **.foialiajen- radoa.
MINISTERIO DOS NEGOCIOS ES-
TRANGEIBOS.
LECif a aacENTiNt. Vita la ConfderafSo
Aratnlinal
Rio-de-Janeiro, 30deabrilde '850, anno 41
da llbrrdade, 35da iudepeudencia e JI da con-
federado Argentina.
Illin. e Clin. Sr. PasritBO Jos Snarea de tom-
za, doconselho dcS. M., ministril e secretario
de estado dos negocios rstraogriros. Na ses-
siodo senado de 23 de abril, o Sr. sena-'.or Can-
dido Baptiata de Ollveira, chamando aattrn-
co do gabisiete Imperial aobre o Rlo-da-l'ra-
ta, npinouque devlam pedir-se eiplicacAes ao
governo francez acerca da expedico que ha
destinado para Montevideo, e o F.xin. Sr. ml-
comp. lena ser deputado ou supplente, sei nlstro dos negocios elrangeirns respondeu a io-
mairiculado fosse na referida junta, a sua
eleicSo sera valida, mas s po lera tomar as-
senlo no tribunal do commercio respectivo
depoisque nelle se houver matriculado.
Art. 5. Os tribunaes do commercio, quin-
ze dias antes do que for designado para
a eleicSo, mandarSo alisar, na prafa do
Commercio do lugar da reuniSo do collegio
commercial, a lista geral dos coininercian-
tes estabelecidos nos seus districlo.t, que se
acharein as circumslancias legues de po-
derem votare ser votados, assignada pelo
olllctal-mainr da secretaria do respectivo
tribunal. as primeiras eloigfles sera est
lisia organtsada palas comuiissOi's das pra-
(as do commercio onde tiver lugar a reu-
niSo dos collegios commerciaes, devendo
conformar-se oa sua organisa^Su com as
legras prsenlas no art. 1* do titulo nico
cilado.
Art. i. No di apresado para a eleicSo,
pelas nove horas da manbfla, se reunir o
collgio commarcial no lugar que houver
sido designado) ait 1), presidido pelo pre-
sidente do tribunal do commercio ( lit. ci-
tado, arl. 16;, tomando este assento ca-
beceira da mesa, e os eleitores nos lugares
(1 ue Ibes foram destinados, sem prece-
dencia.
Art 7. O presdante, dapois de fazer a
leilura das presentes instruccOes, nomear
dous. eleitores para sevirom, um de escruta-
dor e outro de secretario interinos, e to-
maudu atelo o primeiro i direits e o se-
gundo esquerda do mesmo prea'deolo, su
proceder a nomeacAo de dous escrutado-
fet'fi dous secretarios, por escrutinio secre-
to, o serflo eleilos os que obtiverea plurali-
dade de votos. O presidente, o os escruta-
dores a secroiarioi uiuiaui a mesa do col-
legio commercial
-*.rt. LaiiB<4au mw>a a formaQQO da
mesa, que ser Msignada pelo presidente,
escrutador e secretario' interinos, pergun-
tarornesmo presidente se algum eleitor
lem que leclamsr contra a exactidBo da lis-
ta geral aixada na Praca doXommercio,
ou algum facto de suborno que denunciar;
le alguma reclama(So ou denuncia s
apreseutar, ser decidida terminantemente
pelo collegio commercial.
Arl, 9. NSo se oirereeendo duvidas, ou of-
fereoeado-se, decididas ellas, sendo de di-
reilo, pelo presidente, e se forem de faci,
porvotacSodo collegio commeacial, proce-
iler-se-ba ao recebimento das cdulas para
a eleico dos deputidos, as quaes serflo lan-
zadas em urna urna, que deveri achar-se
collocada sobre mesa, pelos proprioa elei-
tores, lazen Jo o 1.* secretario a sua chamada
por urna lisia igual a que houver sido afil-
iad na prava do commercio ; e cada clula
devrra come* tamos nomes.de commeici-
smes elegiveis (arl. 4.; quantos forem os
deputados que livamm de ser eleitos (art 2)
Se houver queatlo aobre aerara de direito
ou da Tacto as duvidas suscitadas, decidir
dicaco do orador com o seguinte
a O notare senador que fui ministro dos nego-
cios estrangeirot, nao pode ignorar que em ou
Ira poca a legaco argenlins, fundando-se
na convencao preliminar de pac de 1828, esigia
que o Brasil se declarasse contra a intervencao
da Franca no Rio-da-Prata O nobre senador
deve tambein saber que o governo brasileiro
decllnoo essa exigencia por varias ratdes, que
nao eiporri aqui porque as notas que contera
essa discussao andam iinpressas nos relalorios
de ineus antecessores, porni he urna dellas
ler-se a Franca comproraetlidn garautir a in
dependencia da repblica do Uruguay
Km presenca desta declara(3o ao senado, o
aballo as-ilgnado julga de seu estricto dever so-
licitar doSr. ministro dos negocios estrangei-
ros alguma informacao acerca do coinpromisso
da Fr.uici invocado por S. Eac.
O que a legaco argentina sabe, e o governo
de S. M. nao Ignora, he que o governo francez
Intentou fundar no tratado de 1840 com a Con-
fidrracao, direlto para intervir na Banda Orien-
tal ; porem rrpelllda essa descomedida prelen-
(ao pelo governo argentino, em virtude do le
lo claro e genuino daquelle pacto, fcou a Frail-
ea exerceiido urna coaeco aitenlaluria contri a
repblica de Uruguay, que acaba de aggravar
com a remessa de tropas de terra. Nao preten-
de o abaixo asslgoado renovar urna discussao a
cspetlo da posifao que o governo imperial pre
ferio tomar nessa conlenda, mas sim que Ihe
seja dadocomprehender a neulralidade do tira-
sil entre as forjas francesas que actualmente
subjugam a capital do Uruguay e os goveroos
do Prata, que defeodeiu a naciunalidade orien-
tal, cioge se a pedir ao Sr. ministro noticia do
coinpromisso da Franca para urna garanta re-
servada i Conlidcracao e ao imperio, e nunca
edida nem estipulada com outra alguma po-
tencia.
Dos guarde a V. Exc. inultos annos. (As-
signado) Tknmat Unido.
y. 17. Hio-di-Jatuiro. Miliario dot
niaociot estranaeirot. em o 1.' de julho de
1850.
O abaixo assignado, do conselho deS. M.
o Imperador, senador do imperio, ministro
e secretarlo de estado dos negocios estran-
guiros, recebeu a nota que, em data de 30
de abril prximo passado, Ihe dirigi o Sr
I). Thomaz Guillo, enviado extraordinario e
ministro plenipotenciario ds Confederado
Argentina, e na qual, reforindo-se s pata-
rras pronunciadas pelo abaixo assignado
na sessflo do sensdo de 33 do dito mez, pe-
de que Ihe d noticia do coinpromisso da
Franja para a sustentadlo da independencia
da repblica oriental do Uruguay.
Como o Sr. Guido nflo pode deixar de en-
contrar a noticia que pede no arl. 4." da.
cooveneflo de 29 de outubro de 1840, na
sua nota de 12 de fevereiro de 1813 a o Sr.
Carneiro Lefio, na declararlo de bloqueio,
pelos plenipotenciarios das potencias me-
diadoras em isrdesetenitvo de 184% na
notas dos antecessores do abaixo assignado,
e naa discussOes das Cmaras franceas o
ingiezas, o abaixo assignado, esperando.
que o Sr. Guido lera a bondade de recorrer,
a essas feo tea, aprotei ta a occaaifio pan re-
ciou-se so inspector da pagadoria militar
Dito. Ao inspector do arsenal de marl-
nhs. Scienliflcando-o de ter o Etm. pre-
sidente das Alagas communicado que a
barcada Primavera, segua para esta pro-
vincia trazendo somente a seu bordo 9 paos
de sicupira, por serem estes os que se en-
contraran! no respectivo deposito que com-
binassem com a requisicSo de Smc.
Dito. Ao inspector da pagadoria militar
para que, estando conformes, psndft cagar
so commandante superior ds guarda na-
cional do municipio do Bonito Francisco
Antonio de Barros e Silva o* prets e rela-
Qes de moslra, que remelle, das pracas da
columna mandada organisar por portara
de 28 de Janeiro deste anno para sb o
mando delle operar na referida commarca
e as do Brejo e Gsranhuus, bem como al-
guna documentos de despezas feitas com
fretes de animaos para condcelo da baga-
gem da mesms columa.
Dito. Ao mesmo transmllliudo copia
do ollicio que o commandante do 2.( bata-
lhSo do art 11 hara a p dirigi ao Exm, com-
mandante das armas, esclarecendo as du-
vidas por Smc. prnposlss em sua informa
eflo acerca do pagamento da despeza feila,
segundo a conta que remelle, com azeite e
fio de algodflo para luzes do qusrtel do
mesmo batalhSo.
Dito. Ao mesmo para que mande in-
dem nsiar ao te nenie-coronel commandante
lo 2.* batalhSo de capadores Antonio Maria
le Souza da quanlia de 6,640 raque dispen-
len com o enterramento do soldado do 5 *
batalhSo da mesms arma Justino Francisco
oomo se ve da conta que remelle em du-
plcala. Communicou-se ao Exm. com
manitaonte daa armas.
Dito, -- A mesmo intelran lo-o de have-
recn as prapas de 1.a luiba mencionadas na
relapSo, que remelle, depnli de concluido o
sea lempo te servico, eontracladj de con-
formidade com o decreto e regulamenlo
de 18 de novembro de 1818 para continuat
no mesmo servico mediante as gratiflea-
ces indicadas na sobredit relapso, e or-
lenan lo que mande pagar as referidas pra-
Cl as ditas gratilicapOes seudu 50,000 rs.
vista e o resto etn preslspOes mensaes de
I0;000 rs.
Relapflo a que se refere o ollicio cima.
Segundo batalhoo dt ailharia a p.
1* cadete, 2.* sargento Ma noel Fernn
des Mello 200.000
Soldado, Manoel Caetano da Silva 170,000
Quinto baiaihaO Cabo de esqusdra Donato Jos lli-
beiro 180:000
Soldado, Antonio da Silva Ribeiro 180,000
* Lourenpo JostioMno 180.00o
Gabriel dos liis 180,000
Raimundo Jos dos San-
tos 180,000
Segundo batalho de cacadore
Anspepads, JoSo I.amego 180,001
Soldado, Jos Rodrigues da Costa 180.000
> Francisco de Aguiur 180,000
Manoel Theodo 170,000
Oilarv balalhai de catadora.
Soldado, JoSo Pinto Ribeiro 170,000
Companhia de arlificrs.
Anspepada, Antonio Francjsco de Barros,
180,000 js.-lnlelligencou-se ao Exm. com-
mandante das armas.
Dito. Ao inspector da Ihesourara da
fozenda provincial para que, i vista do cer-
tificado passado pelo director das obras
publicas, mande pagar ao arrematante da
continuapSo do caes denominadoHamos.
--Jos Domingues Codiceira, a importancia
Ja primeira prestapSn de sua arremlsp.ln,
por lisver elle] feto a 3 parte da mencio
nada obra. Communicm-se ao mesmo
director.
Dito. Ao mesmo para mandar pagar, a
Jos Gonpalves da Porciuncula arrematan-
te da obra do caes e rampa do porto das ca-
noas, i vista do certificado passado pelo di-
rector das obrss publicas, a importancia da
piiii.ciri p,caiapSo de tua arremauyau por
lisver elle f.'ito a 3.'parte da mencionada
obra.-Cnnimutiicou-se ao referido director.
Portara. Ordenando ao commandante
do vapor Guapiass, que transporte para o
MaranhSo na barca sb son commando a
Jos Manoel Garcez, ex-soldado de 5.* bata-
lhSo de fuzileiros.
JURY DO REG1FE.
3. SESSAO ORDINARIA DESTE ANNO.
Preeideneia do Sr. Dr. Ntiva.
Da 11 de outubro de 1850.
A's onze horas da manhSa, feita a cha-
mada, acham-se prsenles 39 Srs. ju-
O.Sr. Preeidenle abre a sesslo.
SSo apregoados os reos testemonhss.
O Sr. Prei'denle : Vai proeder-se ao
snrteio do conreino, que tem dejulgar n
reo Antonio Ribeiro da ResurreieflO, acen-
sado pelo orioie de uso, sem licenpa, de ar-
mas prohibidas (faca de ponta.)
Sorteado o concelho, sahm escolhidos os
Srs. : Joaquim Francisco de Alhnquerqu
Santiago. Manoel Perera Caldas, Francisen
Manoel da Cruz Coito. Joaquina. Alvns da Sil-
va, Firmno Jos Flix da Rosa, Jofio Alves
leCarvalho Porto, Jos Gonpalves Torres.
Manoel Coelho Cintra, JoSn de Pinho Bor-
ges, Candido Thomaz Perera Dulra, Jos
todrgues Pcreira e Joflo Francisco Parde-
Ihas, os quaes prestam o juramento do es-
lylo.
O Sr. Presidente faz so reo o seguinte
Interrogatorio.
Jirt'zComo se chama ?
Ko--Antonio Ribeiro da ResorreipSo.
Jtii'iSabe porque fo processado e vem
a este tribunal ?
ReoSei. sim Sr. ; fo por um quec, aoe
or esquecimenlo levei para casa ; mas nSo
que eu quizesse ofTender alguom.
luis--Quando foi preso ?
3. Existen) circumitanclasattenuaotes a
favor da r.
O ju ry, tendo-se recolbido sala das con-
ferencias, voltou pouco depois, responden*
lo oegstivamente a lodosos quesitos.
O Sr. Prndente absolve a r e levanta a
sessflo. ( Eram 2 horas da tarde. )
Oarrespoiuleucia.
J**o-A 15 |
luiz-f'.
Ro-ie i
Jui's--A qn
nVo-llavJ
Jui:--Essa
j ti ii lio
te, ou de dia ?
Cominandu i\\s armas.
Quartet general na eidade do Recife, em 16 de
outubro de ISjO.
RDKM DODIA N. 105.
O marechal de campo graduado, Anto-
nio Correa Seara, commandante das armas,
manda fazer publico na guarnicSo, que o
Exm. Sr. presidente desta provincia e o por-
tara de 14 do aorrnte, sobre inspecefio da
junta de sade, concedeu dous mezes de
licenpa para se tratar, com os vencimentos
que enrr-ptirem na forma daa imperiaes
disposipOes, ao Sr. alferes do quinto bata-
liiuo de fuzileiros Jos Joaquitn da Silva
Reza.
Francisco Carloi Bueno Detcnampt,
CapilSo ajudanle de ordens.
ras?
ie ser 9 horas ds noite.
Tara, que Ihe fo encontrada,
linha ou nflo tinha ponta?
ReoNflo tinha ponta ; nSo, Sr.
Jais -- NSo Ihe foi apresentada essa faca
quando foi processado ?
RioSim, Sr.
Jwis--liecnnheceu ser a mesma ?
Wo-Sm, Sr.
l-'indo o interrogatorio, psssa-se i leilu-
ra daa |iepa do processo, e depois a breves
ren^xAes dos Srs. promotor e advogado.
OSr. Presidente fsz o relatorio da causa,
e entrega ao concelho os seguntes
Queiilot
1. O reo Antonio Ribeiro da Resurre-
pSo praticou o facto, de que he aecusado,
de uso, sein licenpa, de faca de pona ?
2. O reo praticou o facto de uso de ins-
trumento oerfurante ?
3 O reo praticou o facto de noite?
4.* Existen) circumstancias altenuantes
s favor do reo ?
O concelho, tendo-se recolhido sala das
conferencias, voltou pouco depois, respon-
derlo : quanto ao primeiro quesito nSo por
8 votos Quanto ao segundo, nflo por 8 vo-
tos. Quanto ao torceiro, nflo por 8 volos.
E quanto ao quarto, nflo por 8 votos.
O Sr Presidente, conformando-se com a
decisflo do jury absolve o reo, mandando se
Ihe passe alvars de soltura.
Segundo julgamento.
OSr. Presidente: Vai-se proceder so sor-
teio do concelho que tem de julgar a r Mar-
t nh. Maria dos Anjos.
Sahem sorteados os Srs. loflo Arceoio
Barhoza, Manoel Coelho Cintra, Jos Maria
da Cruz, Jos (.onpalves Torres, Jos Correa
Leal, JoSo Alves de Carvalho Porto, Manoel
de Almejda Urna, JoSo Mara de Albuquer-
que Oliveira, Firmno Jos Flix da Ros<,
Francisco Jos da Silveira e Joflo Antonio
da Silva Grillo, os quaes prestam o jura-
mento do eslylo.
O Sr. l'reiidenle faz a r o seguinte
Interrogatorio.
luisComo se chama ?
/( -Marlinlia Mara dos Aojos.
Jtii:--Sab3 porque foi processada '!
R-Mo, Sr.
Juit--uu!iii a processou ?
R-0 sblelegado da Ba-Vista.
wz~E nflo Ihe disae porque a proces-
sava ?
RFoi por um falso que me levanta-
ra tn.
Juis E qual foi esse falso ?
"'--uia,,:;'-? r-" flSSr -S foriuiou0
em um soldado.
Jui-Conio se chama va esse soldado ?
fe--Conlleco, sim, Sr.
luis--Como se chsmavs esse soldado ?
/(' -Anioniu Jos dos liis.
luis Foi esse o ferido ?
R-Mo, Sr.
luisAonde seachava quando foi presa ?
RNa ra do Hospicio fui presa s 5
horas da larde.
Jii Sabe a que horas foi ferido a sol-
dado?
W-Nflo, Sr.
Findo o interrogatorio, pasta-se a leilura
das pepas do processo, i qual seguem-se
breves reflexes dos Srs. promolpr e adro-
gado.
O Sr. Presidente faz o relatorio da causa
e entrega ao concelho os seguinles .
Quesito*.
1.* A r Marttnha Mara dos Anjos prati-
cou o faci, de que he acensada, de fazer
otTensas physicas notoldado Aulonio Jos
tom mf
3.* A r praticou o fado i noite ?
Srs. redactores Um dos maores servipos
nata tifio prestado a eala provincia o Sr. Ho-
norio e seu suecessor, o Sr. Souza Ramos,
foi proporcionar aos nossos patricios neces-
itados meios honestos de subsistencia por
va das obras publicas, executadas por ad-
ninlstrapSo; o meo amigo, o ng-nhero
Milet, que, pela palavra e imprnns i sempre
ndvogra esse syatema, j co-no meu col-
lega na rodaceflo do Progresto. j como re-
lator da commissSo, nomeada pelo Sr. Tos-
la, para tratar da reforma das obras publi-
cas, foi encarregado pelos fina de agosto do
anno preximo passado de pft-lo emexecu-
pSo na principal estrada desta provincia, na
estrada da Victoria.
Entretanto, estou cabalmente informado
|ue de entflo para ci se ha desenvolvido
em dita estrada urna actividade at aquel-
la poca desconhecida ; (nata reparadas e
postas em bom estado 1000 brapis de estra-
la que o abandono em que ja?lam tornara
quasi ititransitaveis, em consequencia do
malo harer invadido os empedramentos, e
rees. Executou-sn por adminisirapio o lau-
co Je S.-Amaro-Jabnalao, o qual, nomo nfio
fra concluido pelo respaolivo arrematan-
te, inutili.iava os Isnpos seguinles para o
transito dos carros. Delerminou-se a di-
'ecpflo geral daestrala nova as cinco le-
goas e nicia que, separavam o ultimo lanpo,
(XV) do da entrada da eidade da Victoria.
Organisaram-se os orpamenlos dos lanpos
16.', 17.', 18.e25., e foram poslosemau-
lamenlo com tal actividade que, sem em-
bargo da revolta e do rigor do invern, j
se acha concluido o 16." lanpo, o 17 esta em
vespera de acabar-sa e o 25 j tem meio
caminho andado. Alm disso acha-se
promploo orpamento do lanpo 24 *, eslflo
em andamento os estudos graphicos do 19.a
e 23 os quaes lalvez fiquem orpados e
poslos em a tula motilo antes que se acabe o
auno.
negados a esto ponto s faltarflo os lan-
pos So.*, 21. e 22.*, por conseguinte pode-
mos esperar quepelo meiado de 1851 este-
jim concluidos ou em execupSo os onze
lanpos que ainda faltavam a 28 de agosto do
anno passado, quando o meu amigo foi en-
gajado para o servipoda provincia.
y uanto ao modo de execupSo por brapos
livres, prova a experiencia dos trsbalhos
que se vSo executando que, dando-se boa
liscalisapSo, semeltiante processo sobre ser
mais rpido, he menos dispendioso que o
lias arrematapOes ; e, como tem a immensa
vantagem de proporcionar meios de subsis-
tencia s grande numero dos nossos patri-
cios pobres, (* ) he inconlestsvcl que deve
ser pieferido todas as vezes que o governo
tiver para executar as ebras engenheiros
activos, Ilustrados, probse dedicados ao
servtpo publico como he o meu amigo, o Sr.
Milet.
Sirvam estas linhss de resposta is calum-
nias dos inimigos que Ibe ha grangeado a
firmeza cora que tem elle sustentado os in-
leresses da provincia contra os dos particu-
lares. Sou, Srs. redactores, ele ate.
A. P. de Figueirado.
15 de outubro de 1850.
VaU1KAI>-.
Uail Sr. Braiilicus, e moii monopolio Jai carne
terlee.
Sou tao justo para com os meus proprlos ad-
versarios, que crrlo estar o Sr. Brasilicus em
ni o lo boa t na defeza que tem feito dos mar-
chames. Sim este Sr. nao sabe do que passa a
resprito das carnes verdes nesla capital; e por
isso he que nega a ps juntos a exi'tenrU des-
sa coinpanliia de famlicos, e desapiedAdos mo-
nopolistas. F.lles coulain-lhe as cousas a seu
geito, ocultara as Rircumstanclaa e einba(ain o
seu advogado. como pretenden) einbacar o rrs-
peitavet publico. Mas eu afinal quero abrir
osolhos ao Sr. Braslllus. e provar-lhe clara e
irrecusaveluiente a existencia desse furibundo
conluio, verdadrira peste e llagello do pobre
povo. Teuha S. S. a bondade de allender ao
que passo a referir.
Os cotractadores do imposto de 2,500 ra.
por caneca de gado do consumo desea eidade
':!!r' !!: !::..w ..- riJo c ?C ia
Eor dia. Mas a companhia dis marchames nw
i/.ia conta, senao matar 40boi. diariamente,
-IIsi* de causar falta de caroe, e conserv-la,
sempre no alto preco, porque a poserain. Ora,
esia diminuifn quotldiana de malauca preju-
dicava conslderavelinenle ana referidos cun-
(ractadorea, os quaes, entendeodo-se cora os
marchantes, aiueacarara-no* de limbcm man-
dar vir gados, e picar por sua conta, anuida
mi soBrerem tamanho prejuito, K o que res-
ponderam a isso os innocrnlee i.archaoles? Coia-
pioiiietterain-se a faier-lhe boa a Importancia
do imposto de 70 buis por da: econseguido
esle ajuste, nao houve mais embaraco, e con-
tinuarain aflagellar o povo, matando s 40 bota
diarios e conservando o preco da carue a 12 e
14 patacas. Isto he tao verdade, como que os
trea ngulos de qualquer triangulo sao Iguaea
a dous ngulos rectos.
Agora, Sr. Braslliciis, l val tambera o meu
dilemina terrier!. Ou os pbilantropicos mu-
chantes matando s 40 bola, e pagando diaria-
mente aos oantratadores mala 75,000 rs. para
i." .n.i-11-iiio numero de 70, sao ooinpieaineu-
te loucos, e nao poderiam ausuutar-se era tal
negocio ofin por ura mei.oucjt demonstrado
( j Cerca de mil homens ss acham hoje
empregado Das obras publicas da provincia.


'it -&&<.

_ .. *-.-*_
<*
o horroroso monopolio. Que lhe prete esta
inlnhn argumentado? Sempre esla inail con-
forme i regrat da dialctica, do que aquelle
m'u incomparavel dllemma, que S. S. chamo
lerrlvel.eque tanto tne deu no goto, que ainda
me provoca o rlo, por me parecer (perdoe a
comparac.no) syllogismo de fre Gerundio de
Campa ca.
Que exlate es-a companhla de monopolistas
da carne he cousa j liio notoria que ninguem
inais ae arever a contestar. Almdeise Tacto
admiravel de sv matarem 40 rezes por da, e pa-
garen! o imprsto na rasao de 70 tabease inais,
que a companhiadoa marchantes pagam a cor-
lo su jeito, ha dous annos, os alugueis de urna
casa, que elle possue dentro do Recite, e que
era um anligo e afregueado talho de carne
verde con ti condicao de a ter fechada. O mes-
1110 fas com outras casas na ra do Rangel.
tem uin pobre marchante de Hebiribe recebia
os seus 30,000 rs. da caixa marchama! para nao
ter talho! pode porcia conseguir de um seu
compadre o cederein-lhe um bolzinhopor da
para seusarranjos: mas como constasse inexo-
ravel cnnipvihia que o siijeito eslava renden-
do ein Deberlbe carne aoito patacas, iminedla-
tamente tiraram-lhe os 30,000 rs., e nunca mais
leve rez para matar.
Sabe-se mala, que to consideraveis sao os
lucros da cala pa dos respeitaveis monopolis-
tas, que, deduzidas todas as despezas, cabem
nn dividendo nao fenos de 60 a 80,000 rs. dia-
rios a cada socio. Um negocio destes he sem
duvlda multo superior a Ir tirar ouro na Cali-
fornia. E o pov>i que se cale, que gema, que
soQVa.quearrebente para enriquecer illiclta e
desmesuradamente a urna duzia de tratantes
cupidos r insaciavei. Eu nao conhefo povo
mais manso, mais dcil, mais pacieate que o
nos9o. Ah ; se tal acontecesse em Inglaterra,
cm Krsnca, o quesera de semelhante compa-
nhla?
O I >m. Sr. presidente (Dos o ajadej mostra
o melhores desejos de acabar com esse horro-
roso monopolio; e a illuslrissima cmara mu-
nicipal est Incumbida de apresentar-lheo scu
plano a este respeito. Nao aei qual elle seja :
mas a minha humilde opinio (que a lenho j
de -unos) be a creaco de um monopolio de
direito para dar cabo do monopolio de faci,
istolie; formar-se urna companhla comupre-
viiegio de so ella fornecer de carnes verdes o
municipio do Recite, tasado o preco assim pa-
ra o invern como para o verao. Nao desco-
nheco que tal medida ser altamente reprova-
da por todos os Idolatras da economa polilica
da Uvros : mas a respeito de gneros de pri-
meira necessidade a minha economa polilica
he a das localidades e dos factos ; eestou pro-
fundamente convencido que a todo e qua quer
gnverno corre estrella obrigaco de proporcio-
nar aos seus governados os meios de subsis-
tencia.
Nao desconheco tambem que o estabeleci-
mrntoe permanencia dessa companhla ort'ere-
ce suas difculdades, seus inconvenientes, que
multo convm estudare ponderar*: mas quer-
me parecer que todos estes reunidos serio
seinpre males muito menores, do que os que
estamos padecendo por causa do inevltavel con-
liici da potencia marcha mal Ouiros sao de
opiniao que se estabeleca a concurrencia entre
o marchantes e a cmara municipal, encarre-
gando-se esla de fao*/ comprar gados, e pca-
los inais baratos, etV: mas temo que esta me-
dida veuha aggravar o mal por que releva
conclderar que o circulo inarchuntal he un
polrpo de inultos bracos e mullas pernaa que
os agentes, que a cmara houver de empregar
nesse tranco, bein podem deixar-se aeduzir
daquillo a que os Francezea cha ma m ir aps rfu
gain ; bem podem dar-se as mos com oa mar-
chantes para encarrntar o preco das carnes,
bein podem ein summa eslabelecer um novo
conluio de monopolistas, it trit, como diz o
evangelha, noviiiimm error prjor priori, ou vul-
garmente, a emciula ncar peior que o soneto,
Ki a i .i ..ni por que insisto na Ideia da tasa ;
etanlo mais quanlo observo que cm Franca,
em Inglaterra, ein todas as grandes cidades da
Europa (onde se pesca alguina cousa da scien-
cla econmica, ao menos tanto, quanto em Per-
nambuco) dase sima concurrencia nos gene-
ros de priineira necessidade ; mas o preco he
tasado pelas administrarles municipaes. Em
urna palavra sem o elucaz remedio da laxa do
genero parece-me suminamente difncil, srno
impossivel, acabar com o monopolio d'especu-
ladores particulares.
Mas doutorea tein a santa madre igreja, e es-
tes snbrando-iue muito em luzes, em talentos
e experiencia, melbor elucidarao a materia, e
marcharo com acert. Seja, pois, qual for a
medida, u que mais que muito se deseja he
que appareca um remedio a esse mal do mo-
nopolio indubitavelmente mais lerrivrl do que
o terrlvel dileinma do nosso amavel Dr. Hrasi-
licus. Overio est comnosco; e se seno ti-
rar essa grande mama ao conluio dos mar-
chantes, tiremos pelo natal a carne a 20, a 25 c
a 30 patacas; e lalo be na realldade matar o
povo. Essa sacia de monopolistas he to ma-
treira, que agora, porque v que se Ihe deu
na meigueira e S. Exc. o Sr. presidente tem
ofciado a esse respeito a cmara municipal,
etc etc., abaixou um pouquinho o piren
corne, pondo-a a3;200rs. At aqui (disse o
Sr hrasilicus) que os angilicos marchantes
nao podiam vender a carne por menos de 12 a
14 patacas, por causa anda dos elfeiioi da sec-
ca de 48, e pelo alio preco do gado na felra. A-
COMMERCIO.
ALFANDEGA.
Kendimentododia 16.....21:573,606
Desearrefam hoje \7de outubro.
liare* Eldoraio bacalho.
Barca Rover farinli de trigo.
CONSULADO (ERAL.
Kendimento do da 1..... 4*0,169
EXPORTACAO;
Despaches martimos no dia 18.
Rio-de-Janeiro, escuna nacional Galante
Mara, de 149 3/4 toneladas : conduz o se-
guinte: 6.6J0 meios desoa, 1,250 elquei-
resdesal,53l duziaa de cocos para beber
sgoa. 300 mlnos palha de carnauba, 2 ga-
melas de cera marella, 166 pSes de dita, 3
pipas azeite de peixe, 2 ditas dl'o de palma.
Sig-Harbor, patacho americano Chlef, de
164 toneladas : conduz o seguate : 163 cas-
cos com 36,035 medidas de azeite.
RECEBEDORIA OE RENDAS GEHAES
INTERNAS.
Reodimento do dia 16......948,411
CONSULADO PROVINCIAL.
Reodimento do dia 16.....54)6,616
Slovimento do Porto.
Navios tahidnt no dia II.
Rio de Janeiro Barca americana E.-
Wright-lunior, capitfio W. Ilaverill,. em
lastro.
IJem Patacho nacional Valente, medir
Fructuoso Jos Pereira Dulra, carga va-
rios gneros. Passageiros, Franklin Ame-
rico Eustaquio Gomes, Manoel Maximian-
no Cueles, JoSo Caralcsnti de Albuquer-
qu, o segn lo tenente Francisco Gomes
da Silva, Clara Felicia da AnnuncacSo
i'ntn filhos mi'iion-s, Luiza Mara do-Ss-
crsmento e 3 setavos a entregar.
Portos do norte Paquete de vapor Bahi
anna, coramandante o primeiro tenente
Segundino. Alm dos passageiros que
trouxe dos portos do sul para os do norte
leva a seu bordo: para Parahibs, Pe Un
Antonio Bernardino, Francisco Ferreira
de Novaes, Antonio Joiquim Vidal, JoSo
Ribeiro de Vascoacellos Pesso: para Ma -
ranhSo, FilippeGoncalves Martins Vieira
deSouza.
Observafdo.
Tendo-se feito de vela para o Rio de Ja-
noiro a escuna Galante-Hara, enirou para
o Mosqueiro;por falla de vento.
Lisia giral das carlai que fcaram em ser no
meses de julho a settmbro de 1850.
(ContinoacBo don. 231. )
Joanna Joaquina da Silva, JoSo do Amor
Divino, JoSo Auguro Souze l.eJo, JoSo Al-
ves Honorio, JoSo Anton'o Oliveira L.,Jofio
Antonio Heis,' JoSo Bsptista Carneiro Cu-
nha, JoSo.Barbosa Dantas, JoSo Baplista
Fernandas, JoSo Bolelho Faria, JoSo Ber-
nardino Silva S., JoSo Carlos Cavslcanti A.,
JoSo Cerqoeira FerrSo, JoSo Cerillo Lima,
JoSo Carneiro Moraes, JoSo Corra Silva,
JoSo Das Pereira, JoSo Dominguera Ramos,
JoSo Fernades Baplisia, JoSo Ferreia Fon-
tes, JoSo Felippe Souza LeSo, JoSoFerreira
Silva, JoSo Ferreira Vcasconcellos, JoSo
Francisco Araujo Mello, JoSo Francisco Paes
Brrelo, JoSo Francisco Pereira, JoSo Go-
mes r.alheiro, JoSo Gomes Penha, JoSo Gon-
alves .Netto, JoSo Ignacio Gomes, JoSo
aq.uim Souza P., JoSo Jos Luiz B, JoSo
LaJislau Cunhi, JoSo Mafia Almeida, JoSo
Maris Pereira Araujo, JoSo Mandes Almei-
da, JoSo Martins liirros, JoSo Mauricio Ca-
valcante, JoSo Oliveira GuimarSes, JoSo
Paulo M. M., JoSo Paulo Xavier Salles, Jle
Pires Gome*.
;Conii'niar-M-A.J
ti IT AIX
--o llliu Sr. inspector ds thesouraria da
far.iiii la provincial, en cumprimento da re
soIuqSo do tribunal administrativo de 10 do
correle, manda lazar publico que, peraote
o niesmn Iribunal, te ha de arrematar DOS
lias 22,88 e 24 do torrente por venda, a
queni mais der, os livros constantes da re-
lacSoabaixo copiada.
As pessoa- que se propozerem esta ar-
rpinalacSocomparefam na sala das sessOes
do mesiui) tribunal, nos das cima meocio-
riados, pelo meio-dia-
E para constar se mandn afi jar o pre-
sente a publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da fazenda pro-
vincial de Pernambuco, 14 de outuhro de
1850. O secretatio, Antonio Ferreira d'An-
nundacio.
Helaclo dos livros que ieem de ser arrematados.
l.-is ordenacOes do reino, a 12,000 rs.
72,000 rs.; 7 obras de Luiz Teixejra sobre
direito civil a 12,800 rs., 89,600 rs. ; 5 ditas
deOrlolam, legitsQlO penal comparada, a
5,000 rs. 25,000 rs. ; 35 ditas, segundos
cantos de Das, a 2,000 rs., 70,000 rs. ; 7 di-
tas, llvrarias classicas porluguezas, a 8,400
rs., 58,800 rs ; urna dita, cnlInccSn de le-
gislacSn portugueza, or 108,000 rs. ; 4 di-
las, reporlorin de Fernando Thomaz, a
i,800 rs. 27.200 rs. ; 54 ditas, burros de sa
lustio, a 900 rs. 48.600 rs. ; 6 ditas, cons
selno do povo, a 3,500 rs. 21,00) rs. ; 30
ditas, Uorniii, cdigo penal, a 2,000 rs.,
60.000 rs. ; 14 ditas de Chavion, a 2,000 rs.,
28,000 rs. ; 410 ditas, direito natural do
Aulran, a 1,500 rs., 643.000 rs. ; 200 ditas
deOrlelan a 1,000 rs 200,000 rs. ; 100 di-
tas, philosophia de Cousin em porluguez, a
600 rs., 60,000 rs. ; 70 ditas, ligos crimi-
iiiie-, a 2.0U0 rs. 140,000rs. ; 200 ditas,
(,'ramm itic.i de Salvador, a 200 rs., 40,000
lita de Malvina, pormadame Coten.
rs : 1 dita de Malvina, por m----..... .....,,,
gorajaasecca melhorou, assim como a cares- m Conforme. O secretario,
lia das rezes, e jase pode vender a rarne i.(, 0H0 '" ." .... j. ._. '
rs.! Ah! maganoe.: quem vos nao conhecer *"'<""!? ttrr'"a d A"""**?; ,
iiiaganOes: quem
que vos compre!
Nos clculos e combinaefies que a illuslrlssi-
ma cmara houver de fazer de acord com o
Exm. Sr. presidente abram bem os olhos, e
deem as precisas providencias de maneira que
ponhain embaracos as machinacdes.eesperte-
j. Perante a cmara municipal desta ci-
dade estala a praga nos diis 16, 18 e 21 do
correnle a ribeira da Ireguezia da Boa-Vis-
la, e o imposto de 503 rs. por cabera de ga-
do raecum consumido as freguezias dos
Afogados, Varzea, Poqo, Muribeca, JaboalSo
aasdos marchantes monopolisUs, recordando- e s.-l.ourenr;i>. 0j lidiantes pdem compa-
se que esta genle j fez baquear urna poderosa
companhla de proprietarios que se propozeram
a abastecer o povo de carne barata. Vejan que
providencia tomain a respeito dos canipinos,
que he gente de.bico revolio, e nnii.i e cama
cun os iiiarrhantes.''Finalmente o que Indos
desejainos he, que cesse esse escandaloso e
boirivel mouipolio ; pois o preco que lem che-
Jado a carne sem motivo alguin qt.te njnsii-
que. he urna calamldade publica, he quasi
* na especie de febre amarelia. O eainn Sr.
siih-us por ora Iludido, e apaisonado quan-
poder comprar carne a 6, a 7, at 8 patacas,
ia de applaudlr, ba de postar, ha de dar mil
Duvores ao Exm. administrador da provincia
t dir ao menos l coinsigo : tinha raso, ea
este respeito escreveu acertadamente o
.traer icm
z
Kcpartiyao da polici.
' PARTE DO DIA 14 DE OUTUBRO DE 1850.
Fram presos : ordem do juiz munici-
pal da primelra vara Francisco das Cbagas
lo Natcimento, por crime de perjurio : a
ordem do juiz municipal da segunda vara,
Delinque Jorge de Brito, pelo mesmo mo-
tivo ; a ordem do subdelegado d* f'eguezia
de S.-Frei-Pedro-Concalveado Recife, o pre-
to Manoel, por desorden) : a ordem do sub-
delegado da freguezia de Santo-Antonio,
Carlos Martina, e Flix, escravo de Firmiuo
Candido de Oliveira, pelo mesmo motivo : e
s do subdelegado da freguezia da Vanea,
Jo Mendonca, por offenaas.
recer ni casa daiscssOes da mesma cma-
ra, nos indicados das, munidos de (adores
idneos.
E, par* que chegue o conhecimento de
quem couvier, so mandou publicar o pre-
sente. Pago da cmara municipal do Recife,
em scssDo de 14 de outubro de 1850.
Francisco Antonio de Otveira,
presidente.
Juo tose rerreira t> Aguiar,
secretario.
Deolaraijoes.
Iltitisli Confuate Pernambuco.
The Subjecisof tber Britanic Majesty here
rsident. qualifled uudi-r Ihe act 6 Geo 4. ,
rap. 87, are Inniled to an extraordinary
general meeling, on matters regarding the
Hospital and Cemetery, to be held on tri-
dy the 85 th instan!, at noon al this con-
sulale. Pernambuco, 16 october 1850. lly
Christophers, vice- cnsul.
Cononlatlo Itritauniio em l'cv-
narabnco.
Os subditos deS. M. Britannica aqu re-
sidentes, qualificailos pelo acto 6 Geo I.',
cap 87, So convidados a um sjunlsmealo
-geral extraordinario, para negocios relati-
vos ao hospital e o cmiterio, que ter lu-
gar na sexta-feira, 25 do crrante, ao melo-
da, ueste consulado. Pernambuco, 16 de
outubiode 1850 Hv Christophers, vice-
cnsul.
Theatro de 8. Isabel.
25.' RECITA DA ASSIGNATDRA.
Sabbadot 19 k outubro 4t 1850.
Dapois da exeodtjSo de urna agiradavel on-
verlura, representar-ae-ha o drama am 8
actos e 6 quadros'"
OS SEIS DUCHAOS DO CRIME.
DenominacaO dos quadros.
1 A oeciosulade.
9.*jM mulhera*.
rm
5.* Oasaassinato.
6.' O cadafalso.
*MB*tBariia.
Julio Dormely -- Germano.
Francisco Costa.
Fernando, amigo de Julio Rajmundo.
Carlos, dito Silvestre.
Miguel SebialiSo.
Lacaille Coimbra.
Rollarlo -- Cabral.
kiza Emilia.
dame Donce^ Joanoa.
Elomira Hit*.
Fany -- Soledad.
Jos Santa Rdaa.
Bcrtier Jos Aires.
Um commisssrio de polica Cunba.
Um bao,(uriro da casa de jogo Cabral fier-se nelle 6 a 8 vac'cas de leite, no lugar
Soldados, convidados, jogaatores, ele.
Terminara o eapectaculo com a graciosa
commedia em umaaio e
O Ingles maqalnlata.
Comecari is 8 hora*.
Os bilhetes acham-se A renda no logar do
cosluma.
colleccSode estampas, retratos, paisagens
Me., lithografados, urna caita de varias
niudezas, ferragens, botOes deosso, pen-
ls, flvella, ferros de goivas, brlnquedos
d'osso, cruciflxos, etc., gsrralrnhss eom
tinta encimada para nscrever, latirs im
uressas em Irencez. bilhetes de enterro, ro-
tulos para livros, 52 pe^as de renda grossa
le algod.ln, urna burra grossa de ferro ba-
lido, livros impressosem fraacer. o encader-
nados, os quaes tratam de viagens e de ma-
terias instructivas : sexta-feira, 18 do cor-
renle, s 10 horas da manhSa, no seu ee-
criptorin, ra da Cruz.
O Dr. Pedro Pereira da Silva GuimarSea
far lailSo, por intervenr;Sodo corretor Oli-
veira, e para liquidacSo, de diversos escra-
os, mocse velhos, com habilidades e sem
ella*; o que ludo melhor se explicar no
seto da arremalafSo : sabbado, 19 do cor-
rente, as 10 horas da manhSa em ponto, na
ra d'Apollon. 14.
m
Avisos diversos.
Pela inesperada morte do impressor,
e outros imprevistos enconvenlentes nSo
pOde a l'nlfio publicar os seus dous n-
meros de ter^-feira e de hoj, aperando
os sega redactores a devida indulgencia dos
seus subscriptores promettem elles prxi-
mamente urna indemnisacSo por essa pe-
quea falta, e a cootiiiacSo regular da
mesma folha. OsR.B.
No pateo das Cinco-pontas, n. 87, en-
(tomma-se por preco coramodo.
No dis 18 do correnle, pelas 4 horas da
tarde, na porta do Illm. Sr. doutor juiz da
priineira varado civel.se ha ilearremalarum
grande terreno com boa casa de morada,
tita no Aterro-dos-Afogados, por execuflo
a JoSo Fortunato Saaredra contra Alvaro
Dftunalo JordSo: be a ultima praci.
No dia 21 do correnle, porta do Illm.
Sr. Dr. juiz municipal da segunda vara, se
hSo de arrematar, pelas 4 horas da tarde,
dous escravos, por execu^So de Avrial Ir-
mBos contra Gabriel Alfonso Rigueira : he
a ultima pTaca.
O escrivSo da rmandade de N. S. dt
ConceicSo da Congregarlo scientilica a to-
los os iraaSos, que domingo, 20 do corren-
te, pelas 10 hojas da manhSa, se devem
reunir no consistorio da igreja, aflm de se
proceder em mesa geral a ejeicSo da nova
meaa, na certeza de que se far a eleicSo
rom os que se acharein presentes urna hora
depoia, de couformidade com o compro-
misso.
Aluga-se uro sitio com exccllente casa
le riretiila, prpprio para passar a festa, e
Theatro de S.-Francisco.
BELLAS ARTES.
Cnntinuam lodos os dias as seguihtes vis
tas novas docossnorama, a saber;
O monumento que foi col locado em Lu-
cerna, ( na Suissa ) em memoria das tropas
suissaa por occasiSo da revoluQSo franceza,
em 10 de agosto de 1792.
O Bota-Fogo, junto ao Rio-de-Janeiro.
O interior da matriz nova de San-los do
ReciO, em Pernambuco.
AsTuIheriaa, em Paria.
A pra;a de San-Marcos, em Veneza.
O banquete dos frades, en um coorenlo
na Blgica.
O naufragio da fragata franceza Medusa,
cujas victimas andarn quinze dias ex-
postas s furias das ondas sem comer nem
beber.
Coostanlinopla, pelo lado do mar Mar-
mati. '
Um Bazar, na Italia.
O interior dasiyramides do Egypto.
A cidsde de Londres, pelo Tamisa.
A exposicSo destas vistas contina todos
os dias, esperando o director que os Srs. es-
pectadores liqueni bastante satisfeitos com
as vistas mencionadas.
A galera estar aberta s horas do cos-
tme.____________________________
aaajtsajBaaaBapaiaajaaaBaaBBasM
Avisos martimos.
Para o Rio Grande do Sul, segu com
brevidade a escuna nacional Santa-Cruz.
capitSo ManoelJ'ereira de S, recebe algu-
ma carga e escravos a frele, a fallar com
loSo Francisco da Cruz, na ra da Cruz,
o. 7.
O veleiroe bem conbecido patacho na-
cional Alfredo segu parra Baha em poucos
das, por j lera maiorparte da sus carga
prompla : para o resto e passageiros, para o
que offerece exc dientes cmmodos : trata-
se com Francisco Alvaada Cunha, na ra do
Vigario n. II. ou com O CapitSo.
Para a Baha pretende seguir viagem
com brevidade J sumaca nacional Carlota,
meslre Jos Goncalvea Simas : para|carga e
passageiros Irate-se com o mesmo mestre,
ou com Luiz Jos de S Araujo, ra da Cruz
numero 33.
,_ Ma...<-> !"_,
' ... w -->"""' c i asa
segu, com a maior brevidade possirel, a
escuna nacional Emilia, de que he capitSo
e pratico Antonio Silveira Maciel Jnior :
quem na mesma qulzer carregar ou ir de
passagem, entenda-se com JoSo Carlos Au-
gusto da Silva, ou com o capitSo, na ra da
Cruz, armazem n. 13.
Vende-se a barcassa iluroro Felit, que
pega em 40 caixas ; prompla para fazer
viagem, muito segura, bem apparelbada e
oplima de vella ; est ancorada no forte do
Mallos: quema pretender diraja-ae a ra
da Moda, armajem que deita para o forte
do Mallos, do Sr. Vianna, ou a ra Angus-
ta,n.26.
Ed Bolli far lailflo, por inlerven^So do
corretor iiveira, para iiqimiaco de contaa.
e por lodo o preco, dos sitigos seguinles :
12 relogios de vala oriaontaes e patentes
n.ivos ein perfeito estade, 1 dito de- ouro,
17 de prata e 6 de cobre, 6 ditos usados de
la Magdalena, na estrada que ra para o
Lucas : a tratar no mesmo lugar com JoSo
Ansslacio Camello Pesaoa Jnior
Precisa-se de urna ama de leite que se-
ja forra, para acabar de criar um menino,
oorm que aeja de boa conducta : na ra do
Queimado, n. 8, ae dir quem precisa.
O secretario da irmanlade
Je N. S. do Tei-90 convida, peto
presento annuncio, a todos os ir-
maos da mesma irmsndade, para
que lujam de comparecer no do-
mingo, ao do corrente, no respec-
tivo consistorio, pelas g horas da
manhla, afun de reunidos em me-
sa geral proceder-ae cleicao da
nova mesa.
Arreiida-sc, pelo tempo da festa, ou
por inais lempo, um silio entre asduas pon-
tes da Passagem da Magdalena, rom al-
gumas larangeiras, urna bella mangueira,
jaqueiras, ptimos cajueiros, 160 ps de
ahacschis, a maior parte com fructo, e ou-
tras errores : na ra da Cadeia de S.-Anto-
uio, n. 14.
Perdeu-se um cordSo de ouro e urna
rodoma, o cordSo tem de peso 18 oitavas,
e duas raras e urna ture; de comprido, a ro-
dme nSo se sabe do peso, mas o ouro de
ambos sSo de le. perdeu-se desde o prin-
cipio da roa da Floresta de Olinda al a
ra da Gloria oa Boa-Viata, ah no sobrado
n. 88; poJer entregar a pesaoa que o achou,
que ser bem recompensado, ou em Igus-
rass ao collector das rendas geraes.
- Manoel Maximiano Guedes ra ao Rio-
de-Janeiro., e deixa por seu procurador
nests cidade ao Sr. Leonardo Schuler re-
sidente na ra da Cruz n. 55, e approveita
esta occaaiSo em rasBo da brevidade da sua
viagem, quo seus amigos hsjam de aceitar
por esla jornal as suas despedidas, e Ihes
ofTerece naquella cidade os saus dobeis
prestimos.
al leitura do annuncio publicado no
Diario de Pernambuco n. 228 excitou-me o
desejo de pratiear um acto de caridade, avi-
sando ao proprietario do aillo da travessa
do Remedio n. 21. que me dizem seren os
ladrfles que fram ao dito sitio na madru-
gada do dia 10 do corrente, e Ibe furlaram
os ps de craveros e alecrioi, os mesmo
que eclupuram o marlallinho que pregn a
gaiolinha no eoqueirink. muito antes de Ihe
Curiaren) as galliuhaa, laranjas, goiabas a
cnbolinhos, e no silio de seu vizinlip oa sa-
potis e os enserados, a ilie despescaram o
viveiro ; pois que sendo um delles faltor de
um sitio na ponte d'Uciioa ae urna tal Sra.
D. Annay, j eram ambos pai e lillio lara-
pios de proflssSo, habilidade que for^ou o
primeiro a dar as gambias l de atte reino
da Enropa para o nosso Pernambuco, para
nSo sercompellido a ter oa morada per-
petua nosobeibo e gradeado palacio doLi-
mneiro. Ainda me disaeram que, quando
feitor na Ponte de Uclia deu seus assaltos
passeios noulurnos, e nelles insensivel-
menle foi ailrahido pelo poderoso Ima dos
viveiros, alirando-ae ao do Sr. Carneiro e
a outroa, em um dos quaea foi guindado co-
mo sapo em alagOa, e sacudido da lama com
duas bellas e macias escovas de pitia-mar-
(im, sendo depois desta utilisslma sacud-
delta enviados o pai Zumba a o. fillio Manue-
Imho, com ricas pulseiras de casca de em-
lieribs, para o sobrado onde se mora sem
deapeza de aluguei, para seren enviados, o
pai como ptimo coionio para Moasamedes.
e o 11II10 como carecido da empregar-ae com
vanlagem do publico aerviob, para bordo de
alguna dos nanos de guerra Uo precisados
da grumetes; sendo para laatimar que oam
urna nem ojlra cousa se realisasse, sem du-
caixa de pao para pereda, um sor ti manto de vida porque a perversidade sempre encon-
perteoces e atvwgsQrios psr rslsjoers, ass. t? pretsc?5o. Me'ttrsss-sse por dcsisi a
caixola qne os taes gatunos alllrmaram, que
a escoradelln de peti nSo havia sido feta
pa>la8 taes digressoes nouturnas, porque as
sabiam pratiear sem serem apercibidos, o
sim poresuss de certa msmaluquinha fllha
de urna preta nascids em trras de Mosst-
medes, que havia desapparecido de casa do
pai Zumba com um molecote captivo em oc-
casfSo que o Manuelinho e o Zumbinha ha-
viam sabido s suas costumadas pesearias.
Finalmente dizem-me queoa taes ladres re-
finados acham-se acoulados em certa ilha,
Ignorando o dono della as qualidades de
que ellas se revestem, o que eelou, breve
sebera, porque, como quer que na tal ilha
hajem tijollqs, gallinhas eviveiros, eos la-
rapios tenham jangadas, tarrafas, redes,
pussaes e samburaes, elles dario a obra. A
plvora ao p do fono arde ; o ladrSo junto
ao viveiro pasoa. Todas estas cousas sSo
bem difflceHi | arer, lando nos urna polica
como temos i q|o bou eu que ate metts a
aurmar estas factos, a refiro sement o que
me dizem. NSo tenho alada ama convicio
de'laa. ainquaotonSosouber dos verdadei-
ros n es desses eclypsadores dos bens
alheios, e da veraCidpda de seus feitos, o
qua conseguido prometi bater s ponas da
polica para que delles tome sonta. Entre-
tanto roa conversar com o Joca do caval-
iu da caasambas; e com o meu viziono o
Joca da renda, o qual me parece ter escapa-
do alguma rapinagem por miufta causa,
pois sempre alerta rve
A erus da estrada.
Precisa-sede urna mulher que eiteja
no caso de ser ama aecca, que aeja farra e
nao muito moca: d-sa bom trsUawlo :
na Soledada n. 12.
Aluga-se o tercairo andar do sobrado
da ra da Senzalla-Velha n. 70, com muitos
com modo, frascos, e por barato prego :
no primeiro andar do mesmo.
--O retratista Carvalho mudou sua resi-
dencia da rus Nova para a ra do Collegio
n. 9.
Aluga-se o segundo andar do sobrado
da ra do Queimado n. 8 : a tratar na loja
do mesmo sobrado.
JJosaparoceu no dia 16 do corrente, da
casa aa viuva de Herculaoo Jos de Frailas,
o seu crioulo, com os signaos seguintes :
chama-se Manoel, vulgarmente contiendo
por cadete, de idade 18 annos, anda nSo
tem barba, he aprendiz da sapateiro, alto,
aorpo regular, falla muilo desembarazado,
levou vestido calsa preta ja rota, aqueta
preta e chapeo tambem preto com fumo, a
como talvex queira se intitular por forro;
poritso roga-se as autoridades policiaes, e
aoa Srs. capitSes de campo, que o prendam
c o levem a ra do Rozarlo estreita, sobrado
de tres andares, por cima da loja de trastes
lo Sr. Moreira, que ser generosamente re-
compensado. I
-- Pela primeira rara do civel, escrivSo
ilaptista se lia de arrematar por trea) prsCSs
o escravo penhorado a Jos Luiz Innoceneio
l'ogge, por execuc.80 de JoSo Moreira Mar-
ques, sendo a ultima prsca no dia 22 do
crreme. "
I.embra-se ao Sr. Joaquim Corre* de
Araujo, morador na povoacSo dos Afoga-
dos de vir acabar o negooio que tem na
ra Nova, loja n. 9.
Pede-se so Sr. Antonio Aires Piolan-
te! morador na povoacSo do (Remedio, de
apparecerna roa Nova,loja n. 9, para nego-
cio de seu 1 ulerease.
*** .***
5 Remedios de graca os pobres
Novo consultorio hooiceopathieo de ^
Joo Vicente Martina.
Roa de Apollo o. 24.
todoa os dias uleis desde as 8 boraa
da manhSa at 1 da tarda itnproroga-
relmente. Fra destas horas nSo po-
de o Sr. J. V. Martina recebar risita
aigunia, por estar oceupado em com- w
por e escrever a quarta edicSo da #
pratiea e.lemantar da homaopathia a M
outras obras Quando lenha mais A
adiantada acomposicBo destas obras Jjp
poder destinar algura tempo pra- tt
ticar operacOes de calaraota, ou ou-
tras qua exigem aa molestias da %
olhos especialmente, no xito daa ay
quaes tem sido, mero de Daos, mu- ft
to feliz. 1
**
Modas franceza*. roa Nova n. 34.
Madame llosa llardy, modista brasileira,
novamente participa a seua fregueses que
recebeu um lindo sortiavento de chapeos
de seda e de palha de Italia, para aenhoras
psra meninas, lem igualmente chapeos
de palha de Italia finos pa'a meninos, en-
feilados e por enfeitsr, novoscapolinhoa de
chamelote, groa da naples e 010 de seda,
manteletes de furia cores para aenhora e
meninas ale 8 a 12 annos, transas de seda e
de 13,perfumaras, blcos, fitas, luvaa, meias,
spalos, fil de sed* de todas as cores, cre-
p, eamisinhas de eambraia aillo daiinho
para senhoras, a 2,000 rs. e invitas outras
fazenda* de goato que rende por preco
commodo, e das quaes, d amostras a pes-
soas ronhecidss ou com penhores. Tambem
empresta a seus freguezes os Qgurinos da
nio la recentemenle chegados; e faz vest-
do da seda, loucadoa e reitidiobos para
crianesa, manteleteare capotinhoa para se-
nhoras e para meninas, na ultima moda
e com perfat;So.
Aluga-se ama casa terrea com sotSo
_ i uu u CuiJsii v, inargeni uo rio Gapi-
baribe, com comraodos para grande familia,
Cozinha fra, quartapara criado, estribara,
cocheira psra cairo, etc.; urna dita mais
pequea no fundo do mesmo sitio : a tratar
no pateo do Carmo n. 17, com Gabriel An-
tonio, y-
Preciss-se alugar urna ama para ldii
pequea familia estrangeira : na ra da Ca-
deia de Santo-Antonio n. 22.
Constando ao abaixo essignado que a
viura de JoSo Carlos Augusto de Barros, l>
Isabel Mara de Mello, pretende rendar os
foros, na Boa-VIsts, e mais bem que herdou
de seu pai JoSo Marinbo FalcSo, edaquelle
seu marido, e como.o abaixo assignado te-
nlis urna execur,So pelo cartorio do escri-
vSo llego, contra o mesmo cassl, de mais de
quarenla contos de ris, prerioe so respei-
tavel publico, psra que ninguem contrate
com taes bens. Gabriel Antonio.
C Sr. Yivura jonqi da noza 11 aja de
vir pagar narua da Cruz n. 19, a quaulia qua
11S0 ignora ; do contrario, tara de ver neala
folha o aeu nome at que pague.
--Aluga-se o primeiro-andar da casan.
34 da ra do Trapiche: a tratar no armazem
liu uicamu. V
9
9
i
V
>.
MUTI


*r-
A ^v^jiiSr
31 .
*-. .... .

. .v FjS -* -

-Preciea-sesluar urna ama secca delestadods casa e tratar-se dess liquidsgSo.
bon.coat.fmes q?Siba7.om caznh.r.p.-Us conta,. -arfo ser bregues ame-
ra urna ca de pouca familia. Dirigir-ae 4 a jjfi"""^"0,1;
ra das Trincheiris n. 19, sobrado.
'5'
Por engao Irocou-se um chapeo novo
por um velho, em a noile de 19 do correnle,
na sociedade Apolinea : quem for seu do-
no, procure na secretaria do quarlel do
corpo de polieia, que, dando os signaes cor-
tos, e entregando o cbapo velho
entregue o novo.
Precisa-ae de un trabalhador: n roa
Direita, parlaran. 2*.
Quem quizer dar 160,000 rs. para rec-
beme cidde do Rk> Grande 900,000, dan-
do-seto laa as garantas, annuncie por es-
ta folha para aer procurado.
Subc-se por aeus camaradas o dizerem
que Jote liorgei de Medeiros he socio ( mas
particular por aasim Ihe convier) na terec-
ra venda do lado djreito alm do trienal
de marintie, mas cmo poucas vezas eeen-
contn o tal Medeiros em dita venda, tore-
lo se faz a declaradla de aua residencia .
Uto quaoloantes; do contrario, se tornar
soepeito.
-- O Sr. Jo Antonio Tefleirj, queira ap-
parecer na ra da Cruz, no Recito, n. 49,
loja.
Quem annunciou querer comprar ama
escrava moca, quetaiba eugotuuiar, iavare
coiinhar, dirija-se i fu larga do Rozarlo,
o. 48, segundo andar.
OSr. Maya qu tem aerjMo as estreo-
cOea de diOerntea loteras. Rnha a bonda-
de de dirigir-se ao Alerro-da-Boa-Vista, so-
bradon. &, ondeae Ibe deseje fallar em ne-
gocio que todo Ihe interesaa.
Previne-ae ao publieo para que nin-
guem fa^a negocio algum com a casa ter-
rea n. 19 da ra da Guia, a qual ae acha pe-
nborada pira pagamento da quantia de
1:109,831 rs. reato da heranca que coube
por fallecimento de D. Mariana Joaquina
Jtossidooia de Jesua, aog berdeiros Kran-
Jtlim Beijamirn Theotonio Peixoto e Genui-
no Augusto Theotonio Peixoto.
Um tributo le gratldao-
Sempre que a sociedade de Apollo pre-
tende con louvavel empeuho dislrabir o
publico oom aeus divert mentes, temos ti-
doa fo/tuna de deparar com um amigo
que nos faculte algum convite, motivo por
que temos presenciado qnlsi todos os di-
vertiaaenlos scenicos dessa sociedade ; e na
verdade, alguna nos teem agradado bastan-
temente, porm aquella que ltimamente
assistimos em a noite do da 19 do correte,
nos detxou IBo selisfeilo, que nos obriga
atributar a Ilustre direcgSo oa ecomios de
que be digna. Receba-os ella, e acredite a
elnceridade de Vm convidado.
Quem annunciou querer comprar a
obra de Cicero, em bom estado, dirija-se 6
ra do Mundo-NOvo n. 30.
o dia 13 do correte furtaram da ca-
sa de Jos da Rocha Paraobos, um relogio
ale ouro aabojtele patente inglez, com cor-
rente, n. 9,068, fabricante J. Jackson Liver-
pool : quem o apprehender ou delle der
noticia aoannunciante, aer recompensado.
2 1'aiilo Galgnour, dentista
francez, offerece seu prest
no ao publico para todos os
mysterlos de na proftas&o : f
pode ser procurado a qual- #>
quer bora ein sua casa, na
:w
j ra largado Hozarlo,
v si nudo andar.
*?
Jnaquim de Azevedo Pereira Naya ex-
porta para o Rio de Janeiro o aeu escravo
Custodio, pardo.
Jos lleuda de Kreilas embarca para
o Hio Grande do sol os seul escravoa cabras
JoSo e Kran cisco.
Troca-se urna imagem do Sr. crucifica-
do de marfim, afoito bem feita, de palmo e
rceio, oom o aeu competente resplandor,
urna Sanl'Anna depeJr, a*n Menino Dos ;
ero Santo Amaro, na venda ao v do Sr.
Ctrdoso. i
Aluga-se o tereeiro andar com sotSo
da caaa da ra de-Queiroado n. 98, com bas-
tantes commodos e em bom asseio, ten Jo a
sala e alcove forradas de papel : trala-se na
. misma ra, loja n 37 A.
Aluga-se urna boa escrava por prego
commodo: na ra Direita n. 90, segundo
andar, junto a reQnacfio.
Precisa-sede um amassador para urna
padaria no Rio-Foroioso : quem esliver nes-
taa circumstancias, dirija-se ra Ja l'rai
n. 90, que li achara com quem tratar.
Onerece-ae urna mulner para coziohar
para fra com muito asseio : quem se qui-
zer ulilisar deseu preslimo, dirija-se i ru
das Larangeirae n. 3.
Aluga-se para pasear a feata urna casa
na povoaefio do tlonteiro, oom duaa aalas,
quatro quaitos, cozinba fra, estribarla pa-
ra clous cavados, quartos para escravos,
dous quintara murados, tendo um dellea ca-
cimba, e com sabida para o rio : na travessi
do Veras n. 15.
-' Manoel Teixeira faz seiente a*> publico
que por haver oulro de igual nome, de hoja
emdiaute se amgnar Manoel .Teixeira de
Andrade.
Precisa -ae da u ora ama de leite para
criar, que o tenlia bastante e bom, forra ou
captiva, e se nfio livor illiio melbor : quem
quizer, dinja-se A roa Auguste, caaa terrea
derronte da de n. 18, para tratar.
Precisa-ae de 2*0,000 ra. a premio
quem oa tiver, annuncie por este Diario.
Precisa-ae de urna mulber desempedi-
da e de boa conducta, para tratar de urna
doenle : na Gamboa do Carmo ii. 14.
Fugio aabbado lado corrente, urna prela
da Costa de nome Mara Rila, cor fula, he
alegre, mota e haixa do corpo, levou vesti-
do camisa e saia branca ja usada, coro lis-
tras encarnadas e pao tambem de listras
brancas, azuea e enearuadas -. quem a pegar
ou dr noticias serlas ; na ra do Apollo n.
19, sera recompensado.
Attej.go.
Precisa-se alugar umu preta de
na^o, que-teja hel e que saiba la-
var e engotntnar (prefere-se que
teja captiva) ; na ra Nova n. 58,
primeiro andar.
-- llenrique Jos da Gunha e JoSo da Coa
ta Lima Jnior, como procuradores do.
berdeiros do fallec Jo Manoel Joaquim Con
Iilves e Silvaaaaam a todoa oa credores
este para aprawntarera auas contss at
dia 9* do corrate, afim dse examinar
O Q Dr. J. S.Santos Jnior, O
J? medico homceopsllia puro ?
<9 mudou sua residencia da ra q
> do Crespo, n. lo, para a O
| ruiNova, n. 58, primeiro
q andar. q
O abaixoassignsdo participa aos pas
de seos alumnos, que mudou a sua residen-
cia para o segundo andar do sobrado n. 36
da mesma ra Direita, onde morava ; e co-
mo continu a ensinar primeiras lettras e
grammatica latina, recebendo tambem al-
guns pensionistas, offerece de novo o aeu
preslimo a aquellas que delle se quizerem
utilisar. Affotuo ot de Olivara.
Precisa-ae alugar um moleque de boa
conducta para o servido externo : na praga
do Corpo-Santo n. 9
Aluga-se um molecote bom cozinhei-
ro, faz diversos bolos e pudins, aga de tor-
no, esem vicios: na ra das Cruzes n. 40.
Deseja-se fallar comoSr. Joaquim da
Cruz Sees a oegucio de ioterease : na r
das larangeiras n. 14, segundo andar,
anouncle sua morada.
Precisa-se alugar urna ama forra ou
captiva, que saiba eogommar o coznnar,
para casa de pouca amilia, e que nSo tem
enancas: ns ra do Pilar n. 79, segundo
andar, om Kra-de-Porlaa.
- Oabaixo assignado cqm loja de mar-
cioeiro na Camboa-do-Carmo, avisa ao pu-
blico que nSose assigna porJoo Gongal-
ves, e sim JoSo Gongalves Lucas Lisboa.
botera la Matriz da Boa vista.
0 reatante dos bilheles desta lotera, que
corre nfalivelmente no flm do corrente
mez, fiquem oa bilheles que licarem, ven-
de-se, alm de outros lugares, na loja de
Bernardino Jos Monleiro, ra do Queimado.
O Sr. Joaquim Jos dos Santos Barraca
queira ir pagar a quanlia de 33,460 rs. do
que comeu aoode nSo ignora ; do contrario,
lera de ser sempre lembrado neata" l'olha.
Precisa-se alugar um moleque ou pre-
to para fazer o aervigo de casa e ra, que
seja del : na ra da Cruz, armazem n. 48.
Ulysse Droi, relojoeiro suis-
so, de passagem por esta praca,
onde tcnciona demorar-se 5 ou 6
mezes sinente, concerta toda e
qualquer qualidade de relogios
e em qualquer estado em que sr
achem ; assim como tem para ven-
der relogios de ouro e prata dos
mel liores fabricantes : na ra da
Cruz, n. 44* pmeiro andar.
0 tiacharel formado JoSo Floripes Ded
Brrelo advoga no civel e no crime : as
peasoas que de seu preatimo se quizerem
uulisar, o pdeni procurar a qualquer hora
lo diana casa de sua realdencia, na ra
Nova, n. 59.
Precisa-se alugar urna preta que saiba
coslnhar o diario de urna cesa e engomme,
pulenuJo-se captiva: quem tiver e quizer
allgar, annuncie por esta folha para sei
procurado e tratar do ajuste.
Precisa-se alugar urna preta para o ser-
vico de urna caaa eatrangeira : na ra da
Concordia n. 8.
.. P' ecisa-se alugar um moleque ou preto
que s'j fiel, para fazer o aervigo de caaa :
na ra d* Cruz n. 38.
_ 0 abaixo aasignado, estando desero-
haraga Jo desde 3 al as 6 horas da tarde, e
desejando empregar utilmente este lempo,
vai abrir no primeiro de novembro, na caaa
n. 40 da ra do Pilar, em Fra do Portas,
urna aula, aonde se propOe a recabar um
numero determinado de meninos, para
Ihes enainar o inglez, francez, arithme
tica, escripturagKo mercaotili, e em urna
palavra ludo puanto ve coalitu-los
aotos para segurem a c. ira commercial.
O abaiio aasignado espe. |ue os seus ami-
gos Ihe faro a juslga d .creditar, quan-
do elle solemnemente declara que se com-
prometa a empregar com assiduidade to-
dos os seus esforgos para o adlantamento
dos meninos cuja educagSo Ihe tor conDa-
da. A meosalidade he nicamente de cinco
mil rs. Os pais que quizerem ma-
tricular seus lilhos se servirSo enlender-se
com o abaixo aasignado no escriptorio dos
Sra. C. Slarr & C., na ra da Aurora, das 9
horas da mauhSa al s 9 liorss da tarde.
Jos da Moya,
Aluga-se o tereeiro sndar da casa n
40 da ra da Cruz no Recito: a tratar na
mesma casa.
Precisa-se de um forneiro que ajude
na masseira por ae fazez muito pouco ser-
vico : ns ra do Coluvtllo n 99.
Alugam-se os segundo e tereeiro anda-
res da casa do largo da Assemblca n. 8 : a
fallar com Joaquim Francisco de Alm, Bo
Forte-do-Maltos, eu com Prxedes da Fon
aeca Coutinho, aeu proprietario.
Lotera da matriz da Boa-Visto.
No dia 31 do correle andain impreleri-
velmente as rodas desta lotera, seja qual
for o numero da aleles que llcar, e mes-
,U se scswsrsi ci b:!ht, pomo ha
eaperangas. O hm para que foi concedida
esta loterja nfio pode ser mais justo, e ella
deve ser preferida a outra qualquer, por-
quaatsstemos de presenciar o em prego do
seu nteresae: o reatante doa bilheles a-
cham-se.i venda nos lugares j aonuu-
ciados
Precisa-se de um trabalhador deenxa-
da, rque Saiba tirar leite em vaccas : na
Magdalena, estrada nova, primeiro sitio de
por i fio de torro. No mesmo precisa-se de
um bolieiro.
Quem quizer comprar ama lettra da
quantia de 56,060 rs. doSr. Jos Brazalino
da Silva, apparega na ra da Cadeia de S.-
Antonio, o. 13, que todo o negocio se tara.
Quem quizer comprar urna latir do Sr.
Dr. Honorio F. de Sigmaringa Vas Curado
da quanlia de 110,980 rs.. annuncie para
ser procurado, que lodo negocio se tor.
Rns-a.u n Sr. ngiindo lente Jo* de
Cerqueira Lima, da Babia, que mande pagai
urna leltra, que se acha vencida ha oilo m.-
zea; do cuairario, teri de ver sempre o sei
uome neala folba.
O euottregado do raconheoimento_
medigfio dea terrena 4 marioha convida
aos Srs. Joa Gongalvrs Ferreira da Costa e
Antonio Lopes GuimsrSes a comparecerem
na casa de sua residencia na ra Direita,
n. 78, para se Ihes marcar o da eni que
teem de assistir a medigfio e demarcagfio dos
aeus terrenos, afim de serem passados os t-
tulos de aforamento pela thesouraria da
fazenda.
I'rccisa-se alugar urna es-
crava para coiinbar, e sabir ja al-
guna mandados, sendo fiel e de
boa conducta, para urna casa de
pouca familia : na ra Nova n. a3,
PrfCisa-se fallar com o Sr.
Miguel Garcez, morador no enge-
nho liba das Cobra, no Cabo .- na
da Cadeia do Kecife, n. 55.
quer servico; na ra do Crespo,
n. 16, loja da esquinada ra das
Cruzes.
Vende-se urna preta por 950,000 rs,,
le meia idade, que cozinha, lava muito
bem serve a ama casa, compra e vende ;
urna dita da Cosa, boa para ser qultandei-
ra, po'isne para o que sSo boas estas osera-
ras: narua do-Collegio, n. 91, primeiro
indar, se dir quem vende.
ra
O abaixo assignado com esta belec I mea-
to de molhsdoa na ra da Cruz do liecife
n. 14, julgando liquidadas justas suas
contta com os Srs. armazenarios do trapi-
che ou aUaadega, onde aO julga daver ao
Sr. Vicente Ferreira da Costa, eeeta divida
j em lettras, querendo surtir de novo aeu
eslabelecimento, eao mesmo tempo preve-
nir duvidas para o futuro, rogaaos Srs. ar-
mazenarios do trapiche que ae julgarem
credores do referido estabelecimenlo ha-
jam de apresentar no mesmo suas contas oo
urazo de tras dias da dad deste, sb pena
de conflrmagSo do que lica dito, e o abaixo
assignado isentode toda e qualquer respou-
sabilidade a respeito Recito, 16 de outu-
bro de 18$*. tymuieo do Paula Pereira
de kniradr.
O Sr. Rodrigo de FreitSS Pires Cuima-
rfies, caso Ibe falte aiguma encommeoda,
vinda oa prlmeira vigem da barca Santa-
Crui, dirija-se defronte da ribeira do peixe
n. S, a fallar com Jos E Compras.
Compram-se escravos da 10 a 30 an-
nos, de bonitos figuras, para dentro e fra
da provincia : na ra larga do Rozario, n.
48, primeiro andar, todos os dias das 6 s
11 horas da manbfia e das 9 s 5 da larde
Compra-se urna bomba de ferro, que
estoja em bom estado: no pateo do Paraizo
o. 90, ou annuncie.
Compra-se urna negra ssdia e sem vi-
cios, que saiba eoziobir, ensaboar e en-
gommar : quem a tiver anuuoci por este
jornal.
Compra-se orellos de panno: na praga
da Independencia n. 19
Compra ni-se adragonas e bandas de
oulciaes, deoou canutilbo dourado, em
bom e mo estado: na praga da Independen*
ca n. 19
Compra-se a obra que tem por titulo
UragOes de Sierro em latim, aipda que seja
usada.
Comprase 9 vSos de csixilhos pro-
prios para veranda inda mesmo nfio tendo
vidros que estejam em bom estado : na ra
la Cruz do Recito o. 31. venda, ou no pri-
meiro andar
' -- Compram-se os quatro volumea da obra
intitulada Oa Ties Mosqueleiros : quem o*
tiver,dinja-ae ra lo Crespo n. 16, ou
.nuuucid para aer procurado.
-- Compra-se um caixfio grande para de-
posito de aasucar : na ra Direita n. 39.
Compra-se o melbodo de danta, em
bom estado : no Aterro-da-Boa-Vista o. 90,
sobrado.
-Compram-se 2 casas terreas, cujo va-
lor seja um cont de ris cada urna, para
menos : quem livor annuncie.
Compram-se casas terreas no bairro de
S. Antonio, nfio excedendo a 800,000 ria
quem tiver annuncie.
Vendas.
--Vende-se um preta de nagfio Costa,
muito gentil, faz toda a qualidade de co-
mida para vender na praca, e que he' pro-
pria paraengenho, por ser muito torgosa
na Trerope, sobrado n. 1.
Vende se um molaquinho de8 annosje
urna negrinha de 7 anuos, de muito bonita;
ligurase esperlos : o motivo por que se
vendem be por seu senhor sahir para fra
da provincia : na ra da Concordia, viudo
da ponte, esquerda, segunda casa terrea,
se dir quem vende.
Vende-se rap Paulo-Cordeiro a 1,140
rs. o bote : oa ra do lEncantamenlo, arma-
zem n. II, por baixo do sobrado do reve-
rendo vigario do Recito.
botera do Klo-dc-.l uui-lro.
Aos 2o:oooboo.
Na rus larga do Rozario, botica n. 49,
vendem-se bilheles da 94.' lotera do Rio-
de-Janeiro a beoelcio do Monte-Po, a sa-
ber : inleiros 99,0000 rs. meios 11,000 rs.,
auartos 5,700 rs. oitevos 9,800 rs. e vig-
simos 1,400 rs.
Contina-se a vender manteiga ingie-
za nova, a 400 rs ; cafe em grao, a 160 rs.;
bom cha, a 1,990 rs.: no pateo do Carmo,
n.9, venda nova. *.
-- Vendem-se esleirs,de pslhs de car-
nauba ; courinbos de cabra ; sapalos de
couro de luslro, a 3,000 rs. o par, chega-
do do Aracaly : na ra da Cadeia do Re-
cito, n. 49.
Vesd-w> uuia caen" -i siglo
cambique, de bonita figura, de 90 a 95 an-
uos, bos cozinbeira, veudeaeira, e que en-
tende de engommado : no Aterro-da-Boa-
Visla,n.59.
Vende-se una escrava crioula de bo-
nita figura, de 94 a 95 annos, faz doces de
todaa aa qualidades, refina assucar, cose,
engomms, cozoha, faz renda e .os mais ar-
ranjoa de urna casa : ludo com perfligfio :
no principio da estrada dos Alicios. pri-
meira casa larrea com sollo e varanda de
Ierro, do lado direito.
?*
X Cartas superfinas <4
0 para vaMerele : na ra. do Quaima- %
aj do, u, 98), loja de miudezas.
* *
-Vende-se urna veneriana para varanda,
por prego commodo: ns ra das Cruzes n. 8
Vendem-se brides de ago polido. mui-
to bem leitaa e maoeirva ra Nova, loja
de ferrages n. 16, de Jos Loiz Pereira.
Vende-se um bonito mula-
to deao a aa aonos, muito pro-
priopara pagem, ou oulro qual-
Loterlado Rlo-rte-Janelro.
Aos 2o:ooo9ooo.
Na ru. da Cadeia do Recife n. 94, loja de
cambio, acaba-ae de recebar pelo vapor
flahiana, entrado neste porto a 15 do cor-
rente, a lista da 11.* lotera a beneficio do
theatro de S.-Pedro de Alcntara, e junta-
mente grandesortimento de bilheles, meios,
quartos,oitavos e vigsimos da 94.a lotera1'
a beneficio do monte po geral da econo-
ma dos servidores do estado, cojas rodas
Jeviam ter corrido a 8 do cerrante mez.
l'Olliiiihus do lt lii-ilc-,I aiiiho pu-
ra o anuo de 1851 vende>sc>
na loja de Iivros do pateo do
Colleglo n. 6, de Joo da Costa
Dourado.
Folhioha da sina contendo a arte de cada
nm lera sua sina sem mais trabalboque sa-
ber a quantosdo mez n Dita llieatral, contendo o proverbio em
um acto, nfio ha mal que se nSo cure, e ou-
tra a poslgo systemlica.
Dita critica e divertida dos nomes dos
liomens jonten lo o espelho dos homens
jue fielmente mostr suas virtudes e defei-
qoalidade em quadra reinadas.
Dita, C'itica divertida dos nomes das se-
nhoras, contando o mesmo.
Dlra, doforo,conlendo o cdigo do proces-
so criminal.
Dita, da justica com as reformas do pro-
cesso criminal.
Dita, novella, contendo conlos, novellaa
romances escolhi Jos.
Dita, pratica brasileira, conten lo a histo-
ria do Brasil em versos, reinado por J. No-
berioe Silva,
Dita, Popular, contendo instrueges po-
pulares sobre variados obj-ctos descien-
cias, induslria e conbecimenlos uteis e
proveitaveis para toda clssse do povo.
Historia com a vida e retrato de D. Pe-
dro I.
Dita, dn^selesabios da Grecia.
Dita, da saude, contendo tratado de fac-
turas, deslocagfio torgeduras, queimadu-
ras. ele.
Hila, Mara da Fonte, contendo o retra-
to e a cnica, certo envento verdadeiro da
Mara da Fonte.
Dita, iiegrii-manto, contendo urna linda
collecgfio de sorte para noites de San JoSo,
Santo Antonio, San Pedro e Santa Anna.
Dia, historia natural com nogOes dos tres
reinos.
Dita, historia de NapoleSo com estampas
de pelhricas conten lo urna reunlfio de pa-
leras, noticias, casos, auedotas e bous ditos
capazes de fazerein oceultr barrigadas de
sizo dos mais serios.
Dita, ilos nauorados, contendo o diccio-
nario de flores, das cores da pedra da fine-
za, do telegrapbo de amor e varias oulras
cousas.
Dita, do charadista contendo um cofre
Je charadas, enigmas e advinhages, etc.
Dita, da Buenadicha.
Dita, de cupido.
Todas estas folhinhrs conlm no principio
o exactissimo calendario com todos seus
pertences a cmara dos senadores e de-
putados, corpo diplomtico e consular bra-
sileiro e eslrangeiro, a augustissima casa
imperial, crnica nacional de 1819 a 50, um
inleressanlissimo artigo sobre a febre a-
(narella e oulras nimias noticias.
= Vende-se na loja de miudezas e qulnquilha-
riaa de Victorino o. Guiiiaries na ra larga do
Rosario a. 22, antipamenle ruadosQuarteia oj
suri menlos aballo declarados e alm diaio un-
irs minias diversas cousa propriaa do dito es-
lalielei'imrnm,e ludo se vende por preco mullo
em conta: bicosde lioho largos e eatreitos e di-
tos pretoi para 40, 60 e 80 ra. a v-ra; reodas
de linliu largas e estrellas, franjas para corliaa-
dor editas para toalhas, frocoa para vestidos de
todaa as cores,bailados de luho largo para toa-
lhas e lancoea, guardanapos para mesa, toalhas
de mesa de duas e tres varas, fitas de veludn
preto e de corea, dius de seda litas e lavradas
largaa e estrellas, ditas multo finas de aetiin,
ineias brancas e azuea e cruaa uara boinem, di-
us brancaa para menina, carnizas de meia pa-
ra dentro, barretes de la de cores para velha,
ditos pretos de aeda para padrea, atacadores
para broaegulns, litas proprUs de relogio e go-
Iriro de padres, dlias de la e retroz para dr-
bruui de aapatus, ditas de linho branco, encar-
nada e rousas e de cs larga, e estrella, dilaa
largaa para suspensorios, ligaa de aeda de co-
ra, encarnada, verde e antarrlla que he bra.
aileira, couroade luslro peles grandea e peque-
as, aasim como escoras de denles e ditas inul-
to finas cabo de balela, dlua de calcado, roupa
e cabello, litas de aeda brancas com cores ei-
inaliadas proprias para aintelros de meninos e
suspensorios, suspensorios ordinarios,e ditos
linos de aeda e laa, trancas de la de coica para
vestidos, trance I lins, retroz proprio para obras
de al Tlate, advertlndo que he do verdadeiro
retroz. luvas de seda curlaa para senhoras e
meninas, liabas de miada dr peso, dius inia-
dlnhas pequeas de corea preta e branca, ditas
de cabeca branca edita de cabera encarnada.
Srocas, e finas de caiubraia. dilaa de carrlteis
e corea, dita de novaloa de cores e brancas
de n. 16 a 120 sorlidas, dius da marca encarna-
da e azul lina e groaaa, retrot preto e azule de
diveraaa corea, volantes largos e estrello, cor-
deles para venidos finos egroasos, proprlos pa-
ra oa aenborea padres da ordein lerceira de S.
Francisco, medidaa de aifaiate, esumpas de
differenles lmannos para 10, 20, 40, 80 e 800
rs., peiilea de coco de u .vos padrOes, ditos de
iraresaas de lariarno para Biarrafa. dllns de
alisar ordinarios e baleia, irancellius de bor-
racha, alfinetes de cabeca pieU em caiainhas.
agulhas de n. t a 12, ditas franertas de n. 4 a
liou 14, caixaa de rap de varias qualidadrs,
botdet finos de oaao, ditos de madre-peroia e
loucapara camisa, diloa para abertura de di-
versos padres, agulhas croatas para chapeo.
penas finas de ato, chapeos pretos de cattor,
nic.ngas grosaas para padre-nosso de rosarlo,
oaneus de meul e de outras realidades, cani-
veies para penna de urna e duas folbaa, lesou-
ras luvas de 16 pretas e dius de seda de cor ue
carne, tetoura de unhaa, penlea de marrara de
aeo, boiaes de meul para calca, brincos de
ouro francez de diversos padrOes, ditos mal
ordinarios de outras mullaa qualidades, brin-
cos pretos devidro e arame.garganlilha.de
dito e de filigrana com brinco e sem elle. Ol-
las de vidro, clcheles, botea de louca e vldro
eomp paraveaUdosde senliora, ealojos de na-
valhas, abotoaduraa de masas, velludo e seda
para oaaaca, rotarlo e tercos de ac, palhiiei-
roi de louca e didae fino para meninas, aljo-
fares de novo padres, fivellas para eos de c-
lete e calca muito finas, cartelras de mola
Brandes e pequeas para miliur e menino,
chave para relogios, volantes largos e eslrei-
los, relogios para meninos a 80 rs., bonete de
panno feltos na trra e ditos francete. eape-
Ihos de capa, parede e gaveta todos ordinario,
boloe derelroz e maca para farda do corpo de
polica e guarda nacional, caitas de palito de
rogo e ditos para denles, papel almaco de peto
e dllot de coret, dilot ein l'olha separadas pa-
ra capa de Iivros, ocios de aro preto para se-
nhora e ditos de armacio para vista de senho-
ra e homeui de inultas qualidades, caoulllbo
crespo! e Utos e oiubra de core, vldro de
tinta encarnada para riacar livro, llvrinho de
meninas aprender a marcar e diloa para meni-
nos com alguna figurina, torcida para cande-
eirot franceset, escovaadeourivej, brela em
catinha, fio de sapateiro muito forte, cru e a-
marello, brota fundida* e batida e aeda para
dita, lapea de lisia, caftetea e cordo de ouro
raucez, dito para vessado sendo ll.o e bandas,
linteiro de vidro de core, diveno coirte
pretos fino, rap cm llbraa, gasse fino, grosso
e meio-grosso e arela preta, canelas, bucetaa
.le pinho grandes e pequea, roseu de pedra
de variaa qualidades, magos de conta do Hio
.tourada, peona lapes ordinarias e finas,
nielis de Hubo para boinem, colhere de me-
tal de cha e opa, ditas de lati para topa, di
las grandes de tirar sopa, alfinetes para arina-
co de greja, llhozea para aervlr ao rnelo de
aifaiate e aapateiro. peote de coco virado e di-
tos arrendado do uto, linhat de coret_ a 1,000
ra. a libra, barretea brancos de algodo, faca*
linas para sapateiro, dius llamengat, gramnat,
laneras de cabo de chifre para sangrar, didiet
de aifaiate forrado!, cordal de viola e gulurra,
bordn, retroz e rame, marca de cubrir
grande e pequeas, caltat amarellat de raz
para rap, diua redondas com retrato.
Lotera da matriz da Boa-Vista.
Aor lo:oool(oooe 5:ooo$ooo.
Na loja de miud-zes d* praga da Inde-
oendencia, n. 4. vendem-se bilheles, meios,
luartos, decimos e vigsimos desta lotera
i ue corre impreteri velmen'e no dis 31 de
lulubro. ou sotes se se acabirem os bilhe-
les. A elles antes que se acabara, para nfio
compraren) mais caro, como lem aconte-
cido em outras loteras.
Bilbetes 10,000
Meios 5.0*0
Quartos '. 9,00
Decimos 1>I00
Vigsimos 600
Gal#o.
Vendem-se sapatos deouro de lustro pa-
ra hornero, a 6,500 rs. ; botins de duraque
ireto e gasoeados para senhora, a 4,000 rs ;
sapalos de setim branco, a 9,500 rs.; ditos
le duraque preto, a 2,900 rs ; sapalos de
lustro para senhora, a 2.000 rs.; ditos para
neninas, a 1.60o rs. i bolins para ditas, de
loraiue de crese Raspeados de lustre, a
i 000 rs.; sapalos de mar o juira prelo pa-
ra senhora, a 1 280; ditos de cores, a 1,440
rs.; ditoa-jejluraque de cores psra senho-
ra, a 800 rs. ; ditos para meninas, 700 rs. ;
ditos de msrroquim para menioas, a 640
rs.; botins de marroquim para meninas, a
800 rs. ; chinelas de marroquim para bo-
raem, a 1,500 rs. ditosde tapete para ho-
rnera e senhora, a 1,500 rs. a dinheiro a
vista : na ra Nova o. 9, loja atrs da ma-
triz.
Na ra Nova n. 2, loja atrs da
matriz,
vendem longos de seda, a 1,000 rs. ; ditos
escocezes, de linho com sede, a 1,000 rs.;
ditos de algodfio, pequeos que servero pa-
ra meninas, a 240 rs ; ditos finos, a 500 rs.;
ditos de cambraia branca lisos a 500 rs.;
grvalas de seda para homem, a 1,000 rs. ;
lengos de seda de cordfio, a 800 rs.; ditos
de cassa, a 640 rs.; ditos pintados, a 480
rs. ditos de seda para algibeira, a 1,600
rs.; ditos para hombro de senhora, a 1,600
rs.; ditos de cambraia de linho linos e bor-
dados com bico em roda, a 10,000 rs. a di-
nheiro a vista.
Bom e barato.
Na ra Nova n. 12, vendem-se cortes de
casimira lisas, a 5,000 rs.; ditos de ISa, a
1,980,1,600 e a 9,000 rs.; panno mesetado,
a 3,i00 rs. o covado; dito preto, a 4,000 e a
4,800 rs.; dito cor de caf, a 6,000 rs.; cor-
tes de casemira preta, a 2,000 rs ; cam-
braias, a 240 rs a vara ; toalhas para mesa,
a 4,000 rs.; algodfio liso de listras, proprio
para escravos, a 160 rs. a vara ; e chapeos
de castor, a 1,500 e a 2,000 rs.
Gravatas de mola.
Vendem-se grvala de trola pretas e de
cores, fazenda que nfio deixara de agradar
aos compradores, por ser muito barata
e de mui boa qualidade : na ra do Queima-
do, loja de miudezas, junto i de cera n. 33.
-- Vendem-se queijos londrinos, ditos
prato, sulsse parmezao, presuntos inglezes,
toucinho dito, Islas de bolachinha mgleza,
dilasdesardinha, hervilhaa, salmfio, con-
servas malezas,salame,garrafas de manteiga
fresca,viuhos engarrafado, sendo Porto,ma-
deira, muscatel, Selubal, carcavelos bran-
l-u o liuv, ureaux, corares, lavradio, ou-
cellas, cheiy, malvasit, ago'ardente de
Franca, passas inglezas para puditn, canas
commassas finas, lingoas inglezas: ludo
de superior qualidade: na ra da Cadeia
do Recife o- 9.
Capeos de pallia
Vendem-se a I,000 rs. o cento, carxas
com superioies velas do Aracaly brancas a
amarellas, sapatinnos de meninos en por-
gfio, couros, sola, farnha de Araruta, bar-
ricas com sebo e couros surrados : na ra
da Cruz do Recife o. 94.
Vendem-se 14 cadeiras de Jacaranda, 1
par de bancas de dito, 1 mesa de meio do
sala de dito, 1 canap de dito, 4 iteiros do
amarello, propros para loja de miudezas, I
mesa de meio de sala de angico em bom es-
lado : tambem se vendem 18 cadeiras de ja-
caranda nov s, por preco commodo : na ra
da Cadeia de Santo-Antonio n. 18.
VcndGS-so ccrivu de auios o setos,
nnvos e velhos : na ra de Apollo n. 14, das
9 horas da mantilla as 4 da tarde: o motivo
da venda he para Mqui lago de inventario.
Vndese cha preto : no armazem de
Rayraond & Companbia, ra do Trapiche
a. 34.
LADO




I
i
i
#
1,000
2.400 *
4,000 9
2,000
1,500
A 1,6oo rs.
Democracia da' Franca,
trsducgto portuguesa em muito bom papel
e boa impresSo : vende-so no pateo do Col-
legjo, loja de livros do JoSo di Costa Don-
rdo.
A dous mil rs. a libra.
vendem-se obreias muito boas e sortidas,
t meia quarta : no psteo do Collegio n
6, loja de livros, de Joflo da Costa Deurado
--vendem-se franjas dnretroz para man-
teletes a 440 rs. a vara, dita para sapatos a
200 rs.: na praca da Independencia n. 19.
Na roa do Cabug loja de Imarte, van-
dcni-so suspensorios de seda, ditos borda-
dados a soda, vazos de vidro de diversas
cdres, chicotes inglezes para carros, dito
para cavallos.
Bonetes de panno a Sftooo.
Vendem-se bonetes francezes, de panno
muito 0 o e forrados Je seda, para ho-
mens e meninos : na jua do Queimade n.
16, loja de Jos PiasSimOes.
fMtNMHHM*ON
Na loja do sobrad smsrello, nos*
quatro-cantos da ra do Queimado y
n. 99, vendem-se as seguintes fa- 8
V zendas :
Cortes de caigas de casemira a 3,500,
5.000 e 7,000 rs.
C Hilos de dita de aigodo, a
2 T)itos de cuteles' de fustflo de
cores e brinco, .
Ditos de dito supriores, bor-
I dados, a
Dilos de velludo de cores, a
Ditos de gorgurSo de seda com
listras,a
Lencos de seda de cures para
gravis,a 800,1,000 e
Q l.uvss de algodflo, (lo da Esco-
A ca, para homem, a
W Ditas de lorcal, a
A Al i ac de slgodffo para casa-
t cas e palitos, o covado a
ttf Chapeos francezes finos, a 6 e 7,000 afl
-^Venfle-se farinha de S.-Mtheus, mui-
to boa, e que nflo faz differenga a de S.-Ca-
tharinha : a bordo do patacho Lima, ou da
sumaca Otila-Carolina, defronte do trapi-
che, ou ao lado do Corpo-Sanlo n. 25.
Farinha de mandioca.
Na ra da Cruz, no Recife, armszem n.
13,ena ra da Cadeia, arroazem de Cam-
pillo KilliD, vend-se farinha de mandio-
ca do Ceari, milita aira, gommosa e de ex-
cellente gosto, tanto em pequeas como
em grandes porgues, por prego commodo.
Travesea da Madre-de-Deos, ar-
iii/ciii. n. 5,
Acba-se Pslabelecido um deposito, onde
encontrarlo os freguezes um bom sorii-
menlo de licores, espirito de vinho, e to-
das as mals qualiJadaa; superior vinho de
caj; chmate; o Hagas de vime, a pregos
moderados.
Taixas para engcnho.
Na fundigSu do ferro da ra do Brom,
acaba-ge de receber um comploto sortimen-
tode taixas de 4 a 8 palmos do bocea as
qoaes acham-se a venda por prego com-
modo e com promptido embarcam-se,
ou csrregam-se em carros sem despezas ao
comprador.
Deposito de potassa e cal
Vende-ge muito nova e superior potassa
ecal virgem do Lisboa, em pedra : ludo em
barris pequeos de 4 arrobas, por prego rs-
- Recife, n. 12,
i
1
m
400 m
1,000 fti
-
300 0f
-- Vende-se por prego commodo farinha
mnito superior, a bordo .i garopeira N. S.
la Ptnha, chogerfa do Porlo-Sezuro, a tra-
tar a bordo da mesilla, ou com Novaes & C.
na ra do Trapixe n. .14.
Na ra da Cruz, armazem de S Arsu-
o, vendem-se sacras cot superior milho,
vindo do Cear, couros miudos, sapatos,
chapeos, etc.
Bombas de ferro.
Vendem-se bombas de repoxo,
pndulas e picota para cacimba :
na ra-do Bruui, ns. 6, 8 *4o,
fundicSo de ferro.
Arados e ferro.
Vendem-se arados de ferro de
riifferetiles modelos : na ra do
Brum, ns. 6,8 e xo, fabrica de
machinas e fundicSo de ferro.
Ja o barato causa admlraco !
Isto acontece na ra do Crespo,
n. 6, loja ao p do lampeSo
Vendem-se caass-chitss de muito bom
gosto, a 240 rs.; cortes da ditas do melbor
oslo que teem eppsrccido, s 2400 rs.; chi-
tas finas de boas tintas, a 160 e 180 rs. o
covado ; riscado americano, a 140 e 160 rs.;
lito trancado, a 180 e 200 rs.; algodflo
nesclado, a 200 rs. ; zuarte azul com 5 pal-
mos, a 200 rs. ; dito de cores, a 200 rs. ;
casas prela para luto, a 120 rs. o covado;
cortes de fustSo muito bons, a 560 rs.; cha-
les de tarlatsns, a 320 e 1,280 rs. ; coberto-
res de algolflo de cor, muito oncurpados e
proprios para escravo's por serem multo
quentes, a 640 rs.; alpaca preta de cordo,
com7 palmos de largura,a 1,280 rs. ; Ma-
cados de puro linho, a 240 e 360 rs. o co-
vado.
A>.ligo deposito de cal
virgem.
ia ruado Trapiche, n. 17, bn
milito superior cal virgem de Lis-'
boa, por preco muito commodo.
^Depositoda fabrica d<\
% lodosos Sanios, na 2
* Babia. 3|
? Vende-se, em casa de Domingos Al-<8
*>ves Matheus, na ra da Cruz, n. 52,*
*pnmciro auder, algodflo trancado da-*
aquella fabrica, muilo proprio para ssc-j?
bem como^
<*
O
o
Milito e tsnaz com casos a2$5oo
rs. cada sacra.
Vende-se no armszem do Rrsguez, so p
do arco da ConoeigSo.
Chumbo de munlcaO.
Vende-te no armazem de J. J. Tasso J-
nior, ra do Amorim, n. 35.
v Vendem-se amarras uo ferro: na ra
la Senzalla-Nova, n. 48.
i?OOOOO0OOOOOOO0
Certem velas.
O Vendem-se caixas com ce- O
[ ra em velas, fabricadas no j
(f Hio de Janeiro, muito bem g
) sortida, por ser de urna a <
' 16 em libra, por preco mais
q birato do que em outra qual-
O quer : na ra do Vigario, n
| 19, segundo andar, a fallar
j com Machado & Pinheiro. 5
O0000<3000000000
Vende-se Um preta de nacSo Mina,
muito moga e viatosa, que engomma, co-
zinha e faz todo o mais servico da urna ca-
sa : na rus do Amorim, n. 15.
Panno verde escuro.
Vende-se nsnno fino verde escuro, pelo
diminuto prego de 4,000 rs. o covado: an-
da resta algumas editas francezas, com al-
gnm mofo, que se yenderSo a quem com-
por peca, a 4o rs., o a retalhoa 16o rs. o
covado: no Atterro-da-Uoa-Vista n. 18,
Os verdadelroa triscados monxtros
a 20o ra. o covado.
Um loja da ra do Queimado n. 3, ven-
dem-se riscados monstrua de qustro palmos
meio de Isrgurs, pelo barallsslmo prego
de 260 rs. o covsto.
Veudeiavae sapates
chegsdos agora mesmo do Aracsty, feitos
s capricho, segundo ss recommendages
que para la se tein feito, por mdico prego,
psra se liquidar! na ra larga do Rozarlo
n. 35.
grluhs de 19 snnos, com principios de ha-
bilidades ; ums etersva de nscSo Mogambi-
que, de boa figura, que cozinhs, lava, en-
gomma pouco e vende na ra.
Vender urna preta de oscilo, optims
rngommadeirs, ozinhefra e lsvadeirs, sem
vicios nem achaques i ns rus ds Cruz n. 17,
terceiro sndsr.
A I $600 o covado.
Ns loja n. 3, defronte do becco do Peixe-
Prito, vendem-se casemiras escurss de bo-
nitos desenhos em xadrez, ptimas para
pannos de cima de bancas, a cinco patacas
o covado : esta fazonda torns-se muito re-
commendavel pelo seu modernismo.
-r Vende-se a taverna da ra
do PaJre-Floriano a. 7a, com
ucos fundos, a qual ht 10 a
2,000 rs. por dia; a tratar na
iravessa da Concordia, sobrado
n- 5, das G s 8 boras da manhaa,
e das 4 as 6 da tarde.
He grande pecbincha.
A 2oo 6 340 rs.
Vende-se urna porgSo de chitas francezas,
de palmos de largura, rxss, de cores fi-
zas, uto rs. o covsdo ; csssas rrsncezas
de bonitos padrOts, a 240 rs. o covsdo : na
ruado Crespo n. 14, loja de Jos Frsnciseo
Diss.
A 46o rs. o covado.
Defronte do becco do Peixe-Frito, loja
csri meninas; sspatlnhos de couro de lus-
ro psrs meninas ; ditos de duraque, a 800
rs.; botins gspesdoscom duraqun de co-
res psra menioas : ns rus Nova, loja o. 2,
atrs da matriz.
.Va ra larga do Hozarlo, n. 22,i
ven le-se urna negra de 90 annos, de boa
conducs, oque se sfianga so comprador,
a qual cose e engomma com perfeigflo, e lie
reeolhida ; um molecote de 18 snnos, de
oagSo Angola, de linds figura, e bos con-
ducs.
lvros modernos offereeidos a
povo brasllelro.
O Libello do l'ovo por Timandro
AcartilhsdoPovo por FrsLklio
O Advogsdo do Povo
0 Contelheiro fiel do Povo
A guis prstica do Povo, 00 foro civil
e crine
Ot Misterios do Povo, por E. Sue
\ Phllotopbia Popular
Vende-se no psteo do Collegio, cata do
litro azul.
Vendem-se cortes de couro 4o lustro
psrs sapatoea : os rus Nova n 20, loja.
-Vende-se farinha da trra, em barris,
por prego moito commodo : ns rus larga
do Rozarlo n. iS, loja d miudezss, de Vic-
torino 61 Guiarles
Vende-se urna excellentecisa de cam-
po, sita i margem do rio, com 9 grandes
sslss, 9 gabinetes, 2 alcovas, 3 quarlos, e
cozinhs, com um terreno adjscante qu le-
ra cerca de mil pal mq, urna baixa de ca-
1. .pim, j plantada que fornece para mala de
S, vende-se ganga amarella de listras, pelo 1,30 feries disrios no verlo, ppdendo-se
bsrslissimo prego de 460 res: esta fa- scresceniar anda mais-s planUdajs^jritta
-
1.500
1,000
4,000
5,000
6.000
3,000
9,000
.eos e roupa de escravus
sosvel: na ra da Cadeia do
armazem.
Vende-se por muito commodo prego,
urna rica secretaria com estantes para li-
vros, bastante grande, propria para advo-
gado, sendo de amarello e ainda nova ; as-
sim como, seis esdeirs e duas mesinhas
de abrir : na ra eslreita do Rozario, n.
28, ultimo andar, das 2 boras da tarde em
diante.
Farinha de TaptiyiV
igualmente em sabor, finura e cor a de Nu-
ri beca, propria psra mess : venJe-se na
rus da Cruz, no Recife, armazem n. 13.
DepoMto da fabrica d- Todos os
Santos na Itahia.
Vende-se em casa de V u. leber & C.
a- ra da Cruz, n. 4, algodflo trangado
daquella fabrica, muito proprio para saceos
deassucar, roups de escravos e fio proprio
para redes de pescar, por prego muito com-
modo.
Iicldo de aigodo trancado na
fabrica de Todos os Santos.
Na rna da Cadeia n. 52.
vendem-se por siseado duas qualidades,
propriss para ssccos de assucar e roupa de
osera vos:
Arado* de ferro.
Na randigo da Aurora em S.-Amaro ,
vendem-se arados de ferro de diversos m-
telos.
M pendas superiores.
Nsfundigaode C. Starr 4 Compsnhis
em S.-Amaro schsm-se a vends mendss
de cshns, todas de ferro, de um modelo e
nstrucgSo muito superior.
Maesa de vapor.
Achs-se aliena a padaria da ruadoRor-
gos. Forle do Mellos, na qual se achar
diariamente todas as qualidades de msssss
linas, trahalliadas por mactiinisuio ; tum-
bea so fsbriram eic-llenle po e l>olaxi-
nbs de arail, ditas inglezas, bolnxes
quadrados e redondos, e oulras mais mss-
sss ludo nhra nriui rr:rc^:::j SC tSiiaiM]
DO deposito do 1 aleo doTeigo, 11 10.
Aos genitores de engenho.
vendem-se coberlores escuros de slgo-
dSn piopriosprs esclavos, por serem de
moila duragilo, pelo diminuto prego de 640
rs. cada ur : na ra do Crespo, esquina
que volts psra a cadeia.
. (o les de caigas a mil rlu.
Veii'iem-se. brins com listras ao lado,
brsneos e de cO'es, a dez tuslOes o corte d
caigas : na ra do Queimado n. 8, loja con
fronte a botica.
Vende-se fsrinlis de Ssnts-Csthsrins,
Quito superior, s bordo da galeota Sanlini-
mi-Tri*de, Tundeada junto ao caea do
Collegio.
-- Vendem-se ns rus do Caboga loja de 4
orlas do Duartv, oceulos de todas as gra-
uagfles, por prego mais eonunodo que em
outra qualquer parle, cinteiros de couro de
iusi'u 1 i iiomense meninos.
Vende-se caoibrais de linho fina, a
4,000 rs. s vara ; na ra Nova n. 2.
Vende-se afiadnres de curliga, muito
proprios psrs naValhss de barba : na ra
estrella do Rozario n. 21, loja de barbeiro,
,^lio proprio para redes de pescare pa-^g
jja>vios para velas, por prego commodo.<|
AA**
Capotlnho-s v manteletes.
Na rus Nuva n. 6, loja de Naya kamos & C,
acaba-se de receber capolinbos o man
leletes de can.hrsls brsncs bordada, da ul-
lima moda, e muito bem guarrlecidot com
luco a imilagSo de blonde : os pregos con-
vidan sos compradores.
vende-se um sortimento de vidros de
cores para mesas, sendo copos psra vinho
para agoa, campoteiras, garrafas, fruteims
e pistos, por prego commodo : ns rus do
Cahugi loja d 4 portas de Ouarte.
Vendem-se, na ra da Moda, armazem
n. 15, meias barricas com esl virgem de
Lisboa, s mais novs que ha no mercado, por
prego rom modo.
st^Rap Paulo Cordeiro :^J
vende-se na ra da Cadeia do Recife, n. 51,
loja de fazeudas, de JoSo da Cunha Maes-
Ihfles.
Vendem-se relogios de on-
ro e prata, patente inglez : na ra
da Senzalla-Nova, n.'*4a.
Chapeos de sol pnra scnlioras.
Vendem-se eliai cus de sol de seda con.
franjas, muito ricos, com cabos de marlim
e dos mais modernos. A cidade de Pars,
ra do Collegio, n. 4.
Vendem-se chapeos de sol de seda pre-
ta e de cores a 4 500, 5,000 e 5,500 rs. cada
um, com armag.to de balcia e muito bons.
A cidsde de l'aris, rus do Collegio, 11. 4.
Agencia de Id ni 11 lian.
Ra ile Apollo, 11. 6, armazem de Me. Cal-
moni & Companhia, fazem ver aos Srs. de
engenho e aos seus corrcspondenles nesta
prag, que no seu estabeleciment se scha
constantemente bom sortimento de moen-
nas todas de Ierro para animaos, agoa, etc.;
meias ditas para armar em madeua ; ma-
chinas para vapor com Torga de 4 cavallos
taixas de differentes modelos e de lodos os
taannos e grossurss, tsnto de ferro batidn
como cuado ; espumadeiras, cocos, etc., de
ferro estaahado ; safras para ferreiros : lu-
do muito bom e por barato prego.
\'a rna Nova. n. 6, loja de Mnya
Kanio- S C. ,
vende-se. alm dos livros j annunciados
por este jornal, o novo romaneo intitulado
Urna fdu.ilia corsa obra do insigne au-
tor Alexandru lluiuas, muilo bem Iraduzi-
lo, 1 v.. por mil rs.
PEUIINCIU PARA APOBRESA.
Ns rus do Rangel armazem n. 36, ven-
dem-se sacas cum farinha de Santa Cathari-
... i,<;oO ris. :t;s c^:r. &/,-, de cc.
superior s 2,300 ris, diiss com milho a
2,300 ris e pilado saca grande a 6,500 leis.
CAMilhIHU FRANCS.
Na confeilona da ra do Rozario estreils
n. 43, vende-se um candioiro com pouco
uso, pe Id prego de 3,000 ris, jumamente 50
barricas de trigo 400 lis.
Lotera do l'.io de Janeiro.
Aos 30:000,000 de rs.
Na rna estreits do Rozario, travesss do
Queintsdo, loj de miudezas n. 2 A de Joa-
quim Francisco dos Ssntos May, vende-sa
liilheies, meios, quarlos, oilavose vigsi-
mos da vigetima-qusrta lotera a beneficio
do Monte-Pio herl de econoiiia dos servi-
dores do estado : na mesnia lojs est paten-
te a lista da decima-primeira lotera do
thealro deS. Pedro de Alcntara.
Vende-se una ciiouliuha com princi-
oioa de coaiiira| .j dsds ts 13 ats : u
Iravessa da matriz de Santo Antonio n. 20.
Aviso aos srs. de engenbode
polanna.
Na loja de JoSo Nicolao Comes ds Molla,
no becco do Pavu, n. 2, vende-se Cal vir-
gen) de Lisboa, e pipas vssiss.
a>

#

Of Vff f f t f tf f ff f **f
Na loja do sobrado amtrello, nos "*
quatro-cantos da ra do Queimado
n. 29, von-:em-se cortes de vestidos ^
decasss-seds com flores, a 7,000 rs. 4*
cada corte ; dltns de cambraia bran- ^
et com bsrra bordada eaaamascsds, -sg
s 6,000 rs.; ditos de cambraia-seda, 4
ricos e de ni ito modernos gostos, -^
por differentes pregos, havendo de ^
ludo grande sortimento psrs se esco- ~j
llior ; cortes de Vestidos de seda, de 2j
gosto muilo modernos, e por prego ^
0. em conta ; eoutras fszendss Gnas e ^
Ji de gosto. -ai
AAAAA* ** ****A4s*Al*0
Vendem-se dous prelos os msis pro-
prios psrs srregsr palanquim que p le lis-
ver, e que ginham ns ra pordia 640 rs..'
uro cabrinhi de 14 snnos, mnito lindo psrs
psgem ; um dito de 10 snnos, que serve
bem a urna cass ; um moleque de 16 annos,
muito linda pega ; urna preta de 20 annos,
queeoiioba. Uva e cose < na ruado Colle-
gio, n. 21, primeiro andar, se dir quem
vende.
Corda- p ira violiim iiibcca.
Na ra estrella do Rozario, Iravessa dq
Queimado, n, 9 A, de Joaquim Francisco
dos Santos Maya, vendem-se as muito su-
periores cordas e bordOes psra violSo e ral
beca, por prego mais commodo do que em
outrs qualquer parle.
Vende-se. um carro de carregar na aW
fandega : ns iravessa do Veras, n. 15.
Vende-se urna morada de cass Ierres,
sita ns ra Rods n. 24, com cozinhs fra,
quintal murado, com corlo para o becco
tapadoe cacimba propria, e que rende li/
mensaes quem a quizer p le ir corre-la, e
tratar na ra do Collegio n. 19, primeiro
andar.
Vende-se, na ra do Vigario n. II, ar.
mazem de Francisco Alves da Cuoha, os se-
uintes gneros, todos de superior qsli-
dade, e por menos prego-do que em outra
qualquer parte : azeilonas em ancorelas, vi
nho do Porlo em barris de differentes ta->
manhos, cevsds. cal virgem de l.isbs, ar*
cus para pipas e barris, fio purrete, relroi
deSiqueira, cha de San-Paulo, canastras
com alhos e ditss com rollias.
-- Chapeos de aol de panninho coro arma-
gSo de baleia, pelo diminuio prego de 9,000
rs. cada um. A cidade de Pars, ra do Col-
legio, n. 4.
Grande sortimento de chapeos de sol
de psnno trangado, muito grandes, com sr-
magdes de balis das mais fortes, cabos do
latflo e de pao, proprios pars sennores e fe-
toros de engenho. A cidade de Pars, roa do
Collegio, n 4.
Vende-se MSB preto rom odelo de co
ziuheiro, de bonita figura e mego : a iratar
com F. Pires.
Vende se urna raaa na Boa-visla, ra
doTambiS, u. 13; em S.-Autonio, urna di*
ta ua Iravessa da Horqba. n. 10; urna dila na
ra dos Pescadores, n. SI juma dita na rus
de S.-Rita, n 84 na ra do Cabug, botica
do sr. Joflo Moiara Marques, qua se dir
quem vende.
-- Vende-se encllente bolacha muito
li.im fsbiicsda, pelo prego de 3,640 rs. fl ar-
roba, cue ar^uit* uuailiiauD nuio paia-
cas ; biscoulioho doce, a 240 rs. s libra, fa-
rinha de trigo marca liaron, a 19,000 rs., e
dehSSK, a 19.500 rs. I na ra larga do Ro-
zario, 11. 48, padaria.
Vende-see um moinlio e lorrsdor, em
pe feito estado: na ra larga do Rozario,
u. 48, padaria.
Vende-se um csbclnhs de 9 s 10 an-
nos, muilo esperto i 10 Becco-Largo, o. I,
laliefna.
Vende-se urna cass terrea na ra Au-
gusta, n. 20, grande e bem construida, com
quintal murado, cacimba, porlSo, e que
rendo 12,000 rs. mensaes ; ums dits terrea,
ns rus de S.-Cecilis o. 14, com commodoaj
quintal e cacimba, e",que rende 8,000 rs,
mensaes ; a quinta parle do sobrado de 2
andares no largo do Carino, n. 7, para ajus-
te do comas : na ra do Crespo n. 10, loja.
- Na ra do Csbogs, loja de Moreira c*
D'JtfS, VCuc-90 uT. buui rlugi pstoiq
inglez.
Na rus das Cruzas, n. 22, segundo an-
dar, vende-se uma parda de 26 auiius, que
engomma, cusa etilo, co'iuha e htVa de na-;
bfto; duas prelas de uagflo, de 18 a 20 au |
zenda torna-se iriuito recommendavel por
ser muito fina e do padrees agradaveis.
Cha a Soo rs. a libra.
Vende-se cha liysson, de moito boa qus-
lldade, a 500 rs. s librs ; na rus do Crespo,
n 93.
Vende-se ums mulata que corta e faz
camisas de homem, cose com toda a perfei-
gflo costuras de slfsiate, isto he palitos, cal-
gas, jsquetss e colletes, eogommsdeira, boa
cozinheira do diario de uma casa, uflo be-
be espirito de quslidsde slgums, be muito
fiel bos comprsdeira ; uma preta de An-
gola, de bonita figura, moga, sem achaques,
boa eogommsdeira e com oulras habilida-
des que se informarflo; uns mulatiuha de
10a II annos, com principios de costura, e
de bonita figura : na ra larga do Rozario
n. 48, primeiro andar
Manteletes e eanotlnhos.
Na ra Nova n. 6, loja de Maya Ramos & C.,
acaba se de receber de Franca um sortimen-
to de manteletes e capotiAhos do seds la-
vrada e I isa, da ultima moda, e que se ven-
dem muitoem conts.
Cha superior.
Cha superior, brasileiro, e da
India a 3,000 rs. a libra : no
pateo do Collegio. casa do livro
azul
Psrs vestidos de senhoras.
Vendem-se os mais ssseados manguitos
psrs vestidos de senhora : ns rus do Quei-
mado n. 9.
S OOOOOOOOOOOOOOOOO
Vende-se farinha de man- O
2 dioca muito barata em sc- *
q cas: na ra da Cadeia n. t. q
30000000OOOOOOOOOO
Sapillos baratos.
Vendem-se borzeguins psra homem, a
7,000 rs. o par ; sapa tos de Na ules, a 5,000
rs.; ditos de lustro de uma sola, a 4,000 rs.
AellesquesSo baralissimose poucos: no
Vterro da Boa Vista n. 58, loja junto a de
sellelro.
Vendem-se fsess para mess e sobre
mesa com cabos de marlim e du osto, mui-
to iinss ; cnlneres de melsl de principe ps-
rs terrina, soues, cha e assucsr ; chaleirss,
panellas, fregideiras e cass,irolas de ferro
forradas de po de melsl ; machinas de fazer cafe : armas
linas psrs cag* fechaduras linas coro 9
chaves para poi de salas : na ra Nova
o. 16, loja de f agens, de Jos Luiz l'e-
teira.
-- Vende-se, irs frs ds provincia, ou
psrs o interior, um bonito esersvo de 25
unos, crioulo : o motivo porque se vende
ss dir ao compeador : na ra larga do Ro-
zario n 36, botica de Uartholomeu Francis-
co de Souzs.
Na fabrica de carros nos oelhOs,
defrontc do hospital novo,
vende-se um csbriolet descoberto, novo e
coro os perlences tambeui uovos, do melbor
gosto.
Um par por 6,5oo ra.
Vendem-se sspalos de couro da lustro frsn-
eezes, ilejrma e sola ingleza, pelo dimi-
nuto prego de 6,500 rs. o par; ranna da
India verdadeira, para fazer bengalas ; cha
pos de Maoilha finos : ns ra ova, e. 2.
Vende-se uma preta moga com cria,
para fra da praga ; uma dita sem eria, que
lie cozioheira ; porm queso quer servir
quem s msndsr para a ra : ua roa do Cres-
po, n 17.
-- Vende-se um eteravo muito bom ser-
rador ; umdito sapaleiro, com principio!
ito boi
mnito Hgradavel, ar multo saudavel, e he
perto da praca,* por ser sotes de chegar o
Pogo ds Panells : ns rns de S. Amaro n. 18,
ou na ra da Cadeia do Recife, a fallar com
o Sr. Manosl Congalves da Silva.
-Vendem-se 16 escravos, ssndo.um bom
csrreiro e mestre d purgar ; J ditos de to-
llo o servigo ; 9 mulstinhos de 16 annos 2
ditos de todo o servico de campo ; ums
mulatioha reeolhida,de 14 snnos, que co-
se e engomas ; 2 escrsvss mocas de bo-
nitas figuras, que cpsem bem e engom-
rotm ; 5 ditas de todo 0 ssrvigo ; os rus
DireiU, n. 3.
A lo*ooo rs.
Vendem-se Isnlernas com p de cssqul
nha, pelo diminuto prego de 10,000 rs. o
par : ns ra Nova n. 2, loja airas ds matriz.
- Vendem-se chspos de.sol, de seds
psrs homem, a 7 e 8,000 rs.; ditos de pao-
no com armagflo de balis, a-3,000 : na ra
Novs n. 9, loja.
Vendem-se 6 bonitos es-
cravos de a a snnos, sendo'nm
dellcs bommasseiro ; 1 dito bom
carreiro ; um dtp bom bolieiro,
e que tam bem r ntende muito de
tratar de borla, ou sitio ;-2 pretas
de 2o tnnos ; um dita de a5. an-
nos, que engomma e cozinba ; uma
que en-
3 pardas
mulatinba dei6 annos,
gnrjima, cose e cozinha ;
com habilidades : todos pr pre-
co muito en conla : iia Tua data
Larangeiras, n. i4 segundo an-
dar.
Vende- se ssl muito bom, a bordo do
hisle Anetlica, por bsrsto prego : a Irstsr
ns rus da Cadeia do Recife, n. 49
*
o
de pedreiro, e he muifSJiom csiador, d
-.....,.-..... <-----. 4 *---------- 4-......
bonita figura; uros escrava com uma cria
femea de 3 anuos ; una dita do servico de J
campe, he muito boa quitandeira e lava
bem : na ra do l, va ment, o. '4, se dir
quero vende.
Vendem-se, a dinheiro a vista, superio-
res chapeos de castor branco, pelo diminu-
to prego de 10,000 rs : na re ffiyva, n. 8,
atrs da matriz.
Vendem-se os mais superiores charu-
tos deS.-Kelii, quesl agora teem vindo,
os quaes os sprecisdores poderfio ver na rus
do Cabug, loja do usrle.
Vendem-se, por commodo prego, duss
estolas branca o prela bordada de ouro; na
' ua do Queimado, u. 37.
Vendem-se superiores volas de carnau-
ba, a 960 rs. a libra, e arroba a 8,000 rs. 1
ns venda ds nbeira da Boa-Vista, n. 6.
Vende-se uma robusta e ssdit preta da
28 :25o;. de BaeSaJtsfQ: p- rus d Qei-
rnado, loja o. 37 A.
A I 'o rs. o quartelrao.
Vendem-se peonas uuilo boas: no pateo
lo Collegio, n. 6, loja da -livros, de JoSo da
Cusa.Ouurada.
Escravos Fgidos.
Fugio, nndia 11 do correte, o prelo
Jote, de 18 snnos, alio, secco, bem prelo,
pernas compridss e algbma cousa tortas,
ps grandes, rosto pouco redondo e buebei-
zudn, beigoa grossos, denles chslos ; levou
camisa de algodo trangado brsnco, caigas
azues de algodflo. Itoga-se ss autoridades
policiaca e cspitfles de campe, que o sp-
prehendsme Isvrm-no s ruaAugusls, casa
terrea defronte do numero II, que serio
recompensados.
Acha-se fgido, desde tetembro do
annopassaJo, um prelo ds Coila de nomo
Victorino, ofllcial de carpina, que represen-
la 30 snnos, com talliQs ao rosto, uso de
sua trra ; consta andar trabalhande occul-
lo em algumas obrss s titulo de forro ; este
esersvo l'oi da fallecida D. Mariapa Ibereza
de Jess Siqueirs : quem o pegar leve-o
defronte de S.-Francisco, o. 7, por cima da
ehocheira do Sr. Frederlco.
No da 3 da agesto prximo pastado,
fugio, do sitio de Sebsstiao dos Oculos Ar-
co-Verde I'ernambuco 00 lugar da Cs-
pollinha do Mondego, o teu esersvo de li-
me Sabino, crioulo, de 9* snnos, eststurs
rsgular, reforesdo do corpo, testa redonda,
denles roaos, beigos grossos, bem hilante
falla brsnda ; he natural do llaraiihflo;
foi esersvo do fallecido Antonio Rodrigues
de Mirands, e foi mandado vender Beata ci-
dade pelo lestamenleiro : quem o pegar le-
ve-o ao dito sitio so snnuncisnte, que gra-
tificart generosamente.
--Fugio, na manhSs do dis 7 do corren]
--- .J --u-
prelo Filippe, de nsgSo Congo, de 30 snnos
(>ueo mais ou menos, sltura e corpo r-
ulares, olhos pequeos, cara comprida e
larga; lavou .misa ceroulas de algodflo,
com a mares F ns abertura, feito de ponto,
1 ns perns ds cerouls s mesms letlrs'F de
linha encarnada ; lem o sndar um pouco
balangado, ou (srgola; costums a trazer
ciugida s cintura uma palrona ; tem al-
guna cabellos 00 bugo e no quelxo, bem
feito de p e pernas, cor um pQuca avate
nielhada : quero o pegar entrega ndo a o
proprietario do mesmo engenho, ser
nerosaii.ente gratificado.
-- FugirSo, do engenho
os prelos Candido, en J
cslvo ; tem dous 1
rodos da moenos.
nss srquesdss : Conrado,
mages do rosto batanles
Cuito i SU""6->" lerCm 5iyiuuyi rij
h-de-Flores : quem os pegar leve-os so
dito engenno, que ter gratificado com
50,OUOipor cada.
s-Mercez,
Jdsde,
reita cp-
tem as pr-
eom si
ft "
com ss mesmss bsbilidades t ums ae-li -- Vendem-se meist de seds branca
MUTILADO l


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EF30Q70PW_2JXXBO INGEST_TIME 2013-04-24T17:44:20Z PACKAGE AA00011611_07039
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES