Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07037


This item is only available as the following downloads:


Full Text
?:>
^^^5^^
Atino XXVI.
Tcr^a-fera
ABTIDAg DOS COaSIIOl,
Golanna e Parahiba, ,s segundas e sextas fciras.
Ilio-Grande-do-Norte, todas as quintas felrai ao
nieio-dia,
Cabo, Serinhacui, Kio-Formoso, Porto-Cairo e
Macelo, np 1.*, a 11 e 21 de cada mea.
Garinhuns e lionilo, a 8 e 23.
Moa'Vieta.c Floras, n )3"e 28.
Victoria, s quintal rcirai.
linda, todo o das.
v-^a-j^anpTr-iiiTOpaapagi
IPHEMIRIDI.
Nova,
) Creic.
a 5, os 3'. ni. da t.
a 13, aoa 10 ni. da- ni.
p,.*. i t.o. l.Ming. a 28, s 2 hora da t.
KlIAMAIt DI BOJI.
Printelra aoi 30 minutos da (arde.
Segnnda aos 54 minutos da manbaa.
Je OuCubro de J850.
N. m
pheoo da soacniFcAo.
Por tres rucies (adlaiilados} 4*000
Por seis mezes F 8/000
Por um anno 15J0OO
das da simava,
14 Seg. 5. Calisto. Aud.do J. dos orf. edo ni. 1 v.
15 Tero. S.Thcicia de Jess. Aud. do J. da 2. v.
do civel. e do dos fellos da faienda.
16 '.Man. S. Marllnlano. Aud. do J. da 2. v. do c,
17 <)ulnt. S. Hcduvigcs. Aud.do J. dos orf. edo in.
del. v.
18 Scst, S. Lucas. Aud. do J. da 1. v. c. e do dos
(Vitos da fazenda.
12 ab. S. Pedro d'Alcntara. Aud. Ja Chae, e do
J. da 2. v. doclvel.
20 Doro. S. Joo Canelo.
sa
CAMBIO CM 14 BE OCTOBBO.
Sobre Londres, a 28 I|2 d. por 1/000 rs. a 80 das.
i Pars, 346.
Lisboa, 100 por cento.
Ouro. -Oncas hespanholas .... 20/000 a 30/000
Mocdas de 6/400 vellias. 16/000 a 16X00
de 6/400 novas 16/100 a 1HJ200
de 4(000....... 9/100 a 9/200
Prata.Pataces brasileiros.... l/**0 a 1/980
Pesos coluinnarios..... 1/960 a 1/980
Ditos mexicanos........ 1/800 a 1/82'
PARTE OFFICIAL.
____tf_________________________
MINISTERIO DA FAZENDA.
LE N. 386 DE 6 DE SETEMBRO DE 185o'.
Msnda reger n o exercicio de 1851 a 1852
lei do otcamento n. 555 de 15 de iunho do
corrente anno.
Dom Pedro II por graca de Dos e unni-
me acclamacto dos poros, rnrperarior eons-
tituciooil e defensor perpetuo do Brasil :
FazemOs sal/er a tojos imssos sub Utos que
a assenihla geral legislativa decretou, e
nos queremos a lei seguinte : '
Arl. 1. le do ornamento n. 555 de 15 de
junho do corrente anno, decretada para o
exercicio de 1851 reger tambem no de 1851
1852 con as alterarles abaixo declaradas,
considera ndo-se como parte da mesma lei as
despezas nSo contempladas nella.mas auto-
risadas por nutras leis anteriores e posterio-
res a presente. Excepluam-se os crditos
abortos para servido limitados no exercicio
da referida lei n. 555, os quaes nSo conl-
noaro alm do seu termo, eomprehendrn-
do-ae atesta disposico o crdito aberto no
SO do art. 2.
'Arl. 2. O governo he autorisido :
1. A estabelecer desde ja no Amazonas,
eagoss do Par, a navegaefio por vapor,
que sirva para' correios, transportes e rebo-
cagem al as provincias visinhas, e territo-
rios esirangeiros confinantes, consignando
preslscfleaa quem se propuzer a manler a
dita navpgecOo, ou eonpregando embarca-
coes do eatado.
i A fzer abrir un estrada en a cida-
de de Caxias e a capital da provincia do Pa-
ra, por meio da concessAo Je previlegios
por lempo limitado, a part ularesou cotn-
panhlas.
S 3. A mandar proceder as provincias do
Cear. Parahiba e Rio Grande do norte,e es-
pecialmente us seus ros, aos exames con-
venientes, afim de conh cerom-seas provi-
dencias que deVam ser empreadas para
obstar aos assoladores eTttitos das seccas,
quando teapparecSo.
$ 4. A mandar fazer desde j os necesa-
rios reparos no palacio archiepiscopal da
Bahia.
Si A despender com o complemento do
. Relmete de physics da escola de medicina
do Rio de Jaetr -quanlia de 2,000,000 rs.
Art. s Da consignacS para as obraa pu -
tilicas do municipio da corle despender-se-
ha a qusntia que for neressaria para a con-
clutflo das da igreja matriz da freguezia do
engeubo Velbo.
Art 4. Pica outrosim autorissdo o gover-
no para mandar vender, pela maneira qu
jnIgar osis convenientaaos intersses da fa-
zeuda publica,os bens Ja capi-lla do Itamhe,
na provincia da Pernambuco, institu Ja por
Andr Vidal de Negteiros, e boje pertenen-
te a mesma fazenda ; e para tazar tojas ss
drspezss necessarias com o inventario
conveniente deinarcacu das trras, quando
nSo se fcam rom os compradores ajustes
taes qun exoneren! a fazenda de qualquer
responsabilidad'.
S 1. A venda sse lar em basta publica,
com as formalidades e caulellas exig las
nos contractos com s fazends, nao podehdo
osprazosdas letras recebidas en pagamento
exceder dez annos, quando nao sejs pos-
svel oo conveniente realisar a veo Ja a di-
nheiro de contado. ~.'
S 2. Berilo reservados as povosces e.fre-
guezlas os terrenos n cessariosj para logra-
douros pblicos o aberturs de estradas, li -
cando encorporados aos proprioj provin-
ciaes para que s assemblea legislativa d
trotinis dispooha do seu ren lmenlo em
enelicio das municipalidades, em cujos
districtos estiverem cbmprehendi Jos.
Arl. 5. Pica tambem aulorisado o gover-
no para mandar vender em hasta publica,
preceden Jo novas avaharles, os dois arma-
zeus que possue'o estado ns cidade do Itio
Crando do sul, sitos ns ra da l'raia.
Art. 6. O producto da venda dos bens de
que tralSo os arligos snlecedentes serS ap-
plicsdaao melhoramenlo do meio circulan-
te, ou empregado na compra de apolices
isra serem amorlisadas, como o governo
ulgar maisconveniente.
Arl 7. Fica elevado a 12,000 ris o impos-
to de polica que pagam as carrosas para a
renda da cmara municipal da corte, e a
16,000 iis o que pagam os carros, fszondo-
se a cobraoca em duas preslacfles Iguaea
ab guuuias c uiiiiuuus pagaiau na curie
(alm dos 12.800 pertencentes r ceit-i ge-
ral) o imposto de 96,600 ris ao cofre muni-
cipal. O producto das ImposicOesd que
trila este artigo sera applicado pela cmara
nicamente a construcco, reparo ecunsei-
vacao das calcadas da cidade, formando lu-
brica especial de reccita no scu orcamentu
e bataneo.
Art. 8 O governo he aulorisado a elevar
desde j os uireitos de navegago e alfande-
ga sobre as enibarcacOea e mercadorias in-
glesas.
Art, 9. Picam isenlas do imposto de 5 por
cenlo de compra e venda as embarcacOes
sabidas dos osialeiros que sinda nao live-
remfeito viaj-m.
A l. 10. A companhia imperial de miue-
ravfld brasileira do Congo Socco pagar des-
do js sobre o ouio que extrabir de suas mi-
nas os meamos direiios que pagam as ou-
traa compiniii .s estraiigeirs.
Arl. ||. A disposico do art.. 18 da lei o.
555 da 13 de junno do corrreute anno
cumureliende tambem as letras da ierra.
licaejo e obras de Igrejas, ficam isenlas do
(pjsosto de 8 pqr cento
Art. 13, O imposto sobre os cameiros he
extensivo so gsdo esbrum.
Art. 1. O rendirnento do eyeoto (lea
pertencendo 8 nerita provincial.
Art. i.: Os liv'ros de rseripturs^lo d
Ihesouro e Ihesorriss relativos ao exerci-
cio de 1851. continuaran abertos vor msis
um anno alm do praso marcado Do decreto
le 20 de feverciro de 1840, afim de liqui-
dar-se e pagar-se dorafite este lempo to lo
o passivo do thesouro existente no tim de
dezembro de 1851, ate a importancia dos
crditos abertos para os servicos respecti-
vos, dos saldos enlSo verificados no thesou-
ro e thesourarias, e dos crditos votados
para exeretcios (indos.
A disposicSo deste artigo comprehende
timbem a liquac3o e pagamento das di vi-
las de exercicios fiados existentes st o fim
de jolino de 1850.
Art. 16. As condecorsfOes concedidss sos
ofcises a mais pracas do exercito e armada
em remuneracSo de servidos militares, no
ser.lo sujeilas a imposto algum, nem a e-
nolumentos de secretaria.
Arl. 17. Fica o governo aulorisado :
1i Para despender a quantia de 500
contos de ris ni compra do edificio e ter-
reno do trapiche da cidade.
$ 2.* Para fazer as despezas necessarias
com a conlinuaco das obres do caes do
largo ijo Pago, e do novo maladouro, cele-
brando' a respeilo deltas os contractos de
mpresa que julgar convenientes, e pon-
Jo-os desde logo em execnc.'n, mas sojei-
i.an lo os approvacSo da assemblea g*ral
na parle depen lente demodila legislativa.
3.' Para despender o que nacessario for
afim de levar a eiTeito no menor praso pos-
sivel o censo geral do imperio, com especi-
ficacSo doque respeita a cada urna das pro-
vincias : e outro sim psra estabelecer regis-
tros regulares dos nascimenlos e bitos sn-
nuaes.
I.9 Para, em circumstancias extraordi-
narias, fazer as despezas necessarias afim
le elevar a 26 mil bornes a f irea de primea-
ra lintta, po leudo coatractar nacionaes ou
estrangniros, a distribuir-lhes Ierras segun-
lo o contracto.
Os estrangeiros s podero seremprega-
ilos as fronteiras.
As disposicOes des)e_iilerap_vijjor.desde
j.
Art. 18. Fica revogado o 6, do art. II
da lei n. 555, de 15 de julbo do corrente
nno.
Ficam, outro sim, revogados os arts. 27,
-28 e 29 da le n. 60, de oulubro de 1838
segunda parte dn 1 do arl. 9 da lei n 51 i
de 28 de. 20 oulubro de 184K,>'quaes Iras disposifCes em contrario pieseute
lei.
Mandamos, po'tsnto, a todas as autorida-
des a quem o conbecimento e ex'cu$So Ja
referida lei perieucer, que a cumpram e f<-
carn cumprir e guardar lio int-irament
valor su Hielen te. para seguranca do referido
empneatlmo.
Ar(. 2. Ficam revotadas as disposiees em
contrario.
Joaquliu Jos Rodrigues Torres, do meu
conselho, atnadordo Imperio, ministro e secre-
tarlo de estado do negtos da fhzenda e pre-
siden(e do (ribuoai do thesouro publico nacio-
nal, asslm o tenha entendido e faca esecular
com os despachos necessafoi Palacio do Rio
de Janeiro, em 9 de seteabro de 1850. vlgest-
mo-bono da Independencia e du Imperio.
Com a rubrica de S. M. o Imperador___Joaj-
ijuim Jo$ Rodriguei Terrt.
MINISTERIO DA JSTIQA.
DECRETO N 561, DE 10 DE Jlll.HO DE 1850.
Declara que o art. 10 d< disaosicSo proviso-
ria sobre a administradlo da juslica civil,
na parte em que abo'io a flanea s cusas,
nSo comprehende as demandas proposlas
por quaesquer autores nacionaes ou es-
trsngeiros residenles fra do imperio, ou
que delle se ausentarem durantes lide
llei por bem sartecicionar e aiandsr que
se execute a resoluclo seguinte da sssem-
bla geral legislativa :
Art. 1 O art. 10 la disposico provisoria
sobre a adniini.slrac.1n da juslica civil, na
parte em que obolio a banca s cusas,
nSo comprehende as demandas propostas
por quaesquer autores nacionaes ou esirsn-
geiros residentes fra do imperio, ou que
delle se ausentarem durante a lide.
Art. 2. Sendo os Jilos autores requeiilos,
Dio s prestaran fianca as cusas do proces-
so, mas tambem ao valor dos 2 por cenlo
substitutivo da dizima da chancellara ; e
quando a nfio prestem, serflo os respectivos
reos ahsnlvidos da instancia Jo jui/o Esta
disposicSo nfio cornTebender as pessoas
mi socavis que justificaren! perante o juiz
da causa a impossibidade, pela sua pobresa,
de prestar urna eoutra Cianea. Da declsfio
do juiz podeia parte interpr competente
recurso de aggravo..
Arl, 3 Estaa disposi(0es sao applicaveis
as kC(0es pendentes
Art. 4. Ficam revogadss ss disposigOes
em contrario.
Eusubio de Queiroz Coulinho Maitiso C-
mara do meu conselho, ministro o secreta-
rio de estado dos negocios da juslica, o te-
lilla assim entend lo e faea execular. Pa-
lacio do Itio de Janeiro, em 10 de julho de
1850, vigesiuio-iioiio da ioJepeiiiJencia e do
imperio.
Com a rubrica de S. M. o I mperador. Eu-
tebio de Quena: Funceca Mnttiito Cmara.
DECRETO N.6S6, DE 44 DE JCLHO DE 1850
Rene a vara de rpbaos municipal do termo
da Cachoeira da provincia da rabia.
Hei por bem decretar o seguinte :
Art nico. Fica reunida a vara de orpbaoi i
municipal do termo da Cachoeira da provincia
da Babia, e nesla parte revogado o artigo pri-
ueiro do decreto n. 170 de 15 de inaio de 1812.
I u;cl>io de Queiroz Couliuho Matoso (.'ama-
ra, do meu conselho, ministro e secretario de
eslalo doa negocios da juslica, o tenha assim
putendldo e faca esi-cutar. Palacio di Rio de
do dia em frente da igreja de Nossa Senhora do
Terco uina guarda de honra alim de aisistir a
festa do Sintissimn Sacramento, a qual dever
permanecer all at que se linde o Te Vtum a
nolis.
Diln. Ao ninmo, para mandar postar em
frente da igreja de S. Tnerea, no da 15 do cor-
rente as nove horas da inanliaa, afim deassi<-
1ra festa da mesma santa uina guarda de hon-
ra que Overa permanecer all at que ea finde
o TV Oeiim a ooile.
Dilo. \o In pector da (hesouraria de faien-
da, reme(u>ndo a conta docutaentada das des-
pejas feilas pi lo dlrectir das obras publicas
nos metes de agosto e seteuibro deslc anno
comosconce (os do palacio da presidencia, a-
lim de que estando conforme o mande acredi-
(ar na quanda de 3 1*3.600 rs.. em que i i.por
(un as referidas despenas. Intelligenciou-se
ao referido direcetor.
Dito. -- Ao mesmo. communlcando que o
governo Imperial por portaria de 12 de agosto
ultimo conceder (res mezes de licenca com os
respectivos venclinentos ao lancador da rece-
bedori de rendas internas desta provincia Jos
leronymn de Souza Limoelro, aflu de tratar
de ana saude.
Di(o. AojuU relator da junta dejustica,
transmiltindo para ser apresentadoeni sessao
da inesuia junta, o processo verbal feltn ao sol-
dado du oluvo batalhao de cacadores Frederi-
co Cirios de Arauju. -- Inteirou-se ao mesmo
commandantedas armas.
Dito. Ao director do arsenal de guerra,
aulorlsando-o a mandar alionar ao alinosarife
laquelle arsenal 118 caadas de aiei(e de car-
rapa(o, que se es(raviarau\ com a abertura de
una das suidas do deposito de fnlhas de Flan.
dre, em que se conserva vi o referido liquido,
lesdnadu ao forneciinen(odas eslacdes un lita-
res. Intelligenciou-sc ao inspector da paga-
Jo' ia militar.
Diln. Ao inspector da thesouraria da fa-
tenda provincial, para que a vista do respecti-
vo certificado, mande pagar a AiKonio Jos
Gomes do Correu, arreina(an(e da obra da
punte da la da Aurora, a importancia das
las primeiras prestaces do seu contracto,
vlslo ter elle concluido os dous lercoa da refe-
Penamacor, vol(a ao cominando de catadores
qua(ro.
IMnrreu o presdeme do conselho do imperio
celeste! (ainbein eslava bastante doente o no-
vo imperador O vice-preideole da repblica
dos Kslados-T'nidos, milord Kilinore que toraou
as redeas do governo da Uniao, pela morie do
general Taylor, he natural do estado de New-
York ; (em deidade 55 aonos, dequeemprr-
E"ii S5 na u.n ti-ir; pulltica : i1lm que lie
Whig moderado, e que em poltica (em ollio
niais fino que o seu successor 1 Ha de governar
at 4 de marco de 1853, se a marte nao dispo-
zer o contrario.
O celebre Mr. Postevin, que subi em Pars
aos ares no cavallinho branco, (em 40 annss de
idade, lie pequeo e delgado; Bas fcicocs an-
nunci.iin grande energa e grande resolucao!
elle bem se v. A colleccao celebre de mulbe-
res fraiicc; is que em bellas caladlas adornam
o j rdini de Luxeinburgo, vsi enriquecer-te
com a estatua de Matilde de Flandres, mulhe-
deGuilheriue o conquistador, duque da Nor-
mandiae rei de Inglaterra, depols da conquis-
ta. A estilua he de marmore Graneo e fin dous
metros e 50 cntimos de altura. Ella est apoia-
da sobre a espada victoriosa que derrubou a
dynasda Anglo-Saunnla. F.sla rainha merreu
em J denovemliro de 48M.
O conde das Alcacovas acompanhou na via-
gem Inglalerra su sogro o duque de i'almel-
la que acaba de fazer-se aos mares! Val (am-
b'in com S. F.xc. o seu s'Cretario Roberto, ir-
mao do Carlos Rento. Um snjeiio que reside
nos Estados-Unidos, e que ha 50 anuos se nao
nove da poltrona por cosa da gota, e do rheu-
malismo, acaba de casar com nina viuvs qur
pidece guac molestias,'de orle que he proel-
so transporta la de nuil para outra pinenn
um carroeo!! Perguutando-se ao marido a
causa dislo, respondeu nao quero molher
que ande uia's do que en I a defuota era (ao
amiga de correr que por fin se precipKou com
um caleccirn.
Chegou a Madrid o clebre dend'ula Carlos
Ko(h i no ar(igo denles dizem ser uina grande
noialiili lade! O Silverio Taibner deiiou a sua
pupila Adelaid do Nascimen(o Perelra. menor,
una casa e quinta em Pedroicos e det cou(os de
rida obia. Scienlirjcou-sc ao director das ris em inscripefies da junta do crdito publi-
obras publicas.
Dilo. -- Ao mesmo, para que a vista do res-
pectivo certificado mande pagar a Joaquim
Carariro de Souta Lacerda, arremtame do pri-
uelro lamo do embarreamento da estrada do
sul, o importe da priineira pres(acao do teu
eo. Appareceu na Persla uina nova sella: o
proplicti novo chaina-se Bal) Dizem que este
esdipendissimo prophe(a rscrevf ra um carla-
pacio para subsdiulro Koran. OSkabda Per-
sia, que nao be para eslas gracinhas, ni.ind >u
publicamente degolar 18 destes novos mente -
cou(racto, visto (er elle leito a quaria par(e da |cap(os! Parece que em um hospital de Lon
lita obra. (.ommunicou-se ao director das dres appareceram tres calos de cholera!!
bio de Qaeirot Coulinho Maloio C'aaura.
DECRETO N. 560, DE 28 DE JUNHO DE 1850
Estabelece os ordenados e gratiticac.des que de-
ni perceber os juizes de direito das comar-
s do imperio, e d outras providencias a
ven
cas ^
gu.raar in wimhw Ja em 24 de Jullio de ,850. vlgesimo-nu-
comonellisoconlem. 0 secretario de esta- 110da independencia e do imperio,
o dos negocios Ja f-zenda a faea imprimir, Coma rubrica de S. M. u Imperador. Buse-
publicar e correr. Di Ja no palicio Jo Hi-
lo Janeiro, aos C dias do mez de setembro
Iohiiii Ju 1850, vigesimo-nono da inde-
pendencia edo imperio. Imperador, com
dibrica e guarda. -- ioaquim Jote Rodrigues
Torres
Carla de lei pela qual V M. imperial man-
ta oxecular o decreto da sssemhlc geral
legislativa que houve por bem sa-iccionar,
mandando reger no exercicio de 1851 1852
a lei do nrcamenlo n. 555, de 15 de junho
do crrenle anno, e dando ontras provin-
lendias, cerno nella s declara.
Para V. M. Imperial ver, Joaquim Diniz
la Silva Farla a fez. -- Ensebio de Queiros
Coulinho Matloto Cantara
Sellada
Art. 12. as loteras concedidas pelas as-
sembleas leglslati
11 de setembro de |850. Jodo liara laco-
bina.
Registrada na mesma secretaria de esta-
jo a (1. 155 verso do livro 1." de cartas de
leis. Rio de Janeiro, em 17 de setembro de
850. -- ot lutioDrcys.
DECRETO n. 587, DE6DE SETEM1IRO DE
1850.
Aulorisa o governo para fazer operaces de
crdito, alim de sasfazer aos encargos dos
einprestimos externos de i823 e 1874.
Hei por bem saneciouar e mandar que se eje-
cute a resolucao seguinte da assemblea geral
legislativa:
Artigo I.' O governo Sea auaarisado para
fazer as operaces de crdito que Julgar necea-
:;r!=: ;.".;;; ; ;::!;f::cr, do ;.i= S*95! ero-
so i fazcuda nacional, os encargos provenien-
tes dos einprestimos externos contrabid .a pela
u.acao nos annos de 1823 c i824.
Art 2. Ficam rerbgadas ai disposicoes em
contrario.
Joaquim Jos Rodrigues Torres, do meu cou
seibo, senador do imperio, ministro e secreta-
rlo de estado dos negocios da fazenda e presi-
dente do tribunal do Itiesouio publico nacio-
nal assim o tenha entendido e faca esecular
com os despachos necessarios. Palacio do Rio
de Janeiro, ein 6 de setembro de 1850, vigeai
mo-nono da independencia e do imperio.
Com a rubrica de 3. M. o Imperador. Joa-
quim loi Hodriguti Torree.
DECRETO N. 588, DE 9 DE SETEMBRO DE 1850.
Aulorisa o governo para aceilar de Joaquim
Diogo llartley, caucao hypolliecaria, em lu-
gar da Adeijussoria, pa'ra seguranca do eiu-
presduio de cen coutos de res.
Hei por bem saneciouar, e mandar que se
eieculc a resolucao seguinte da assemblea ge-
ral legislativa:
Art. I. O governo tica aulorisado a aceitar
de Joaquim Diogo Hardey, para seguranca do
empresdmo de cen contos de reis concedido
pela reso uco de 28 de sctrinbro de 1847, cau-
ca bypotbecaria em lugar da fldrljussoria,
respeilo daquelles juizes que, sendo removi-
dos, nao entrarem logo em exercicio dos no-
vos lugares, ou declararon que nao os acei-
tara,
llei por bem saneciouar e mandar que se ex-
obras publicas.
Dilo. -- Ao juiz de direito da comarca do I.i -
noeiro dizeudoque o advogado Francisco Jo*
se de Figuri redo, por S. utc. uouieado para ej-
ercer as fuiicco>s de promotor pnblico daquel-
la comarca durante a ausencia do respectivo
proprielario, s deve prceber o ordenado do
lempo do seu exercicio.
Dito A' adniiuisiraca i do patrimonio dos
orpliaos, para que proponba pessoa capaz, e
com os precisos conhecimeutos, para oceupar
o emprego de professora de primeiras leitras
d. collcjo das orphas desla cidade, o qual se
n'lii vago em consequencia da demisso con-
cedida a Mara Throdora de Jess Cardoso.
Portara. Deinillindodo cargo de segundo
sopplenU* do subdelegado do priuieiro dislric
(o da freguezia de Golanna a Amonio Jos Sal-
gado e do di-quiuti a Ricardo Nuncs i.aval-
cante.
Dita. Nomeando para o cargo de segundo
aupplente do subdelegado do prmeiro distric-
(o da freguezia de Goianna a Manocl de Araujo
ilarrus e Albuquerque e pira o de quinto a An-
tonio Rofino da Silva Uarbosa Fizeram-scas
convenientes comintmicacdes.
lUTIl-IGAyAO
Aparte orbcial, na segunda colluna e ulti-
mo ullicio dirigido ao Dr Ignaclu Nery da Fon-
aeca. publicadohomciv, lermina u i oit.ua li-
nda na palav a c uumissn ; no perteucendo
ao snpracitado ofticio as demais linliasque se
ece a7esoT{5o sii^ali^tV'da astslfa^raatl*^"' m,e Pur erro 'ypographico foram pu-
leglslativa.
Art. I. Pelos cofres geraei se pagar aos jui-
zes de direito, sem distlncco de comarcas, o
ordenado annual de um cont arscenlos mil
ris, dependen l.> esta do eltcclivo exercicio do
juiz de direito, e passando para quem o aubs-
a chancellara do imperio, em '"ir. de sorte que em neolium caso, possam
os empedldos ou licenciados pelo goveruo ven-
scmblas^Teglsltivas proviiicises, e extra- mavVzque osbens que forem hypolliecadiis
b."Jsa fess rcspsctiTis prsriss!, psrs ctli j;r. livrc i >hs: calr obs, e seu
cer a gratificaciio.
Arl. 2. Os junes de direito removidos, que
dentro de um mez, contado do conhcclmenlo
oflicial da reinocao, dccluai em que aceitam o
uovo lugar, tero direito desde logo ao orde-
nado dcsf; e ajuda de custo que Ibes cou-
ber.
Arl 3. Os que o nao declararen! ou rrjeita-
rem o novo lugar, receberSo, durante os prl-
ineiros aeis mezes, uictade do ordenado. Os
que tendo aceitado, nao entrarem no eaercicio
effecdvo dos novos lugares, deutro do praso
para isso marcado ; resliiulro quaotn bouve-
rain recebldo em vivtude dadcclara(o ; salvo
o caso de linposslbilidade provada perante o
governo, o quatpodei prorogar aquelle praro
rasoaTelmeme, comanlo que nao eiceda a me-
(ade da nrl'^cio; ar""ie a nrorogacao
prazo, o juU de direito nao perceber venci-
meiiiu alguin.
Arl. 4. Os prazo; de que trata o artigo 3* se-
rio marcados em regulamento do governo, e
quando l'oreni alterados para menos, laes aile-
r.icoes s deverao ser applicadas. umanno de-
pols da sua publicacao : eslra praios decurren
do conbeciiiieutu ollici.il das remocrs.
I'ri. 5. Os juizes de direito removidos que re-
jeitarem os novos lugares, ot que nada decla-
raron, e os que tendo aceitado, no entrarem
em exercicio nos prasos marcados, serao con-
siderados avulsos, c nao se Ihes contar anti-
guidade do lempo em que assiui eslivcreiu fu-
ra do eierclcio.
Art. 6 Ficam revogadas aa disposicCes em
con ir lio.
Emeblo de Queiroz Coulinho Matoso Cma-
ra, do meu conselho ; ministro e secretario de
estado dos negocios dajusdca, o tenha assim
entendido e laca esecular. Palacio -do Rio de
Jauciro, em 28 de juuho de leoO, vigesiuio-
noiiii da independencia e do imperio.
Com a rubrica de k. *. Imperador. Bu-
tebio de Queiroi Coulinho Malino Cmara.
GOVEBiN\ FKOV1NG1A
EXPEDIENTE DO DIA H DO CORREXTE.
Cilicio. --Ao Kim. coiumandante das armas,
par cj2t SJode postar auianbaastssnv horas
bticadas.
VxHIKDtDla
CARTA DE BftAZ TIZAN*, BOTICARIO DE
LISUUA, AO BARUF.1RO.
Julho 31,.
Mon chtr. Hontem chagaram de Cintra suas
magestades paraasiistirein fesdvidade nacio-
nal do dia de hoje, anniversario da caria cons-
titucional, isto he, do seu juramento e dos an-
nos de S. M. Imperial a duqueza de Hraganc.a.
Teve boje lugai o beijamo, que esleve bs-
tanle coucorrido, nao obstante o .udente calor
ea falla de gente, pois quem tein posses esl
no i*i upo. Lisboa esl Insipi a e empoelrada /
a genlc nao faz seniio suar por todos os poros
em disponibilidade!
A nouieaco dos dous uovos consclheiros de
estado Avila e Catiro, contina a ser a ordem
10 dia dos bolequins c pasmitorlos o duque
do Saldanha, quanlo ministro, melteu o Avila
no conselho de estado estraordinario ; mal pen-
sarla S Etc. que o Avila Ihe havla de oceupar
o lugar, que ene e cus coiiegas liraram a o
Kic 1! Na verdade o Avila acceilando a cadeira
do duque no conselho, compurtoii-se como os
seus mus! o homem he das libas. (Jual-
quer dia o lemoi viscunde do Pampelido !
Saliera que na madrugada de 26 os senhores
11 Imes u i r un lia i .un a igreja matriz de Cabre-
la, termo de Montemr o novo, e roubarain o
que l.i acharam, como os vasos sagrados, co-
mas, enfeites Jos sautoa e varios paramentos I]
l'aubem roubaram as Igrejas de Santiago do
Kscourel e de San-Watheus! Isio nao admira
o eo he de quem o ganha, e o mundo de quem moii
npmha. Aeabaram os ti ali ilhos acadmicos da
Sra- D Polytechnica : houve aesso publica e
cathedratlca na casada uioeda, edistrlbuiram-
se os premios.
Espalliou se o boito de que o infante D Fer-
nando, lilho segundo de D. Carlos, casa com
una tilda do defuntu arclil-duque Carlos, Ir-
uio da rainba de aples!.' Os liberaes bes-
panhes descoufiam multo destes casameiKos,
queelles dlr.ein levam agoanobicol! tal vez
seaaa cnga."" Henteiu se dlsc uparipaiem
poltico do Poco -novo, que oSr. Jos da Silva
tiendes Leal Jnior, que desertara do Estan-
darte para a lei das merci, fora nomeado bl-
Uliutliecario iiir da bibliotbeca publica desta
capital! a ser assim o liomeui alendeschu-
chou sua posta, e fez elle muito bem. Tam-
bem lediza all Chegaram a esta capital os 4S candelabros
para iliu iimr a gaz a-praca do Cimmercio.
O nosso compatriota Jos Ignacio Roquete
aealia de- publicar e Pars u na nova gram-
natica franceza para os Portuguezes n Bra-
sileiros aprenderenffrancAz I Dizem que o
medio Jo he novo. Assignou-se hoje o de-
creto perJoan loe commulsnJo as penis a
16 reos con li' riti los ; Sua Mageslaie quiz
assim solsmnisar o lia da hoja. A commu-
l-ieo devia serem gran lo escala, mis o
conselho de estado nilo annuio a ests exi-
gencia Jo ministro da justiea !
Houve despachos Judciaes : foram no-
meados delegad >s para Chaves, Mid>s, Sa-
bugal o oulros O de Chaves linha sido spo-
sentsdo, o '!' Mi lOes tinha-se retirado para
o ouli o iniiu lo e O do Sabugal, linha silo
transferido. Houve concurso, e dizem que
as nomeiieOo! recahiram nos mais dignos;
fui rontuniplado um sohrinho doTio Ro-
drigo. l'.i nli-ni li i ive desiiacho deescri-
vfi's de direito. O Jorge Pimentel, que a
Sr Maris da Fonle expulsara de escrivSo
de Eslarrejs, e quu eslivera no cerco da In-
victa como lenle ajud inte do batallifio de
Coimhra, fui a final despachado. O To F-
lix nbrou cot juslica.
A rainha de Hespanha est j de tolo res
tabelecila, ej passeou no terraco. Diz o
Heraldo que Ibe par'c mi msis alta por Ihe
ter diminuido a barriga Parece uue o go -
verno inglez mandn fechar as porlas ao
club socialista dos e nmigrados franezes 1 !
El-rei Fernando fez presente a su madre po-
ltica rainha Chrislns de um retrato em
corpo nleiro do fallecido principe .las As-
turias, feitu pelo celebre pintor Madrazzo.
Em um canto do quadro leem-se estes dous
versos do l.ivro de Job
Pominue dedil. Domina* abetulit.
Sicut Domino placuil. Ha faetum esl.
Tornou a a'aparecer a cholera morbos em
Argel. A nossa Soberana esl grvida de tres
mezes ; j se mandaram fazer preces publi-
cas Augmentam-se as queixas contra o
gnverno pelo alrazo dos pagamentos Os
e npregadds pblicos nfio veetn vintem ha
mais de cincuenta das .' i Anda nfio Se con-
dujo o mez de agosto .' Quindo vira o se-
lembro ? Hontem r. v-ri" r.nriwinsi ou-
hlicas ouviram-se serias reclarnacOesa este
respeilo, e hoje se disse na botica que os
presidentes dos dous tribunaes da ustics e
refaci i'ram rom alguns membros deslcs
tribunaes representar ao ministro Avila es-
ie.s qoeixomi-s! Tambem se dizia que no
forainoem recebidos! I
Alguem diz qneo Avila depois que pi-
Ihou a pasta de conselheiro de estado com
os 2 contos e qoslrocenlos mil ris de chu-
chad o ra, desejs largara pasta da fazen-
da .' O, conde do Tliomsr msndou alistar
n> btalhSo nsval o seu primognito. Os
oulros audam nu Collegio : a mili esmera-
se em Ihes dsr bos educacao. Estiva doente
dos olhos com a multa poeira quese levan-
la por essss roas, apezar dos pipinhos Fei-
joos! A cmara municipal com efJeito
borrou so com a tal descoberta dos pi-
pinhos .'.'
uiUui iiiei mi barreiras: a cireaaiva-
laeSo contina em grande escala, spezar de
nao haver no orcacnento a verba animado-
ra As obrss da praQa do Commercio eoo-
liuuam paradas 1! U banco, uoaso Senhor,
aoda-se caiando de branco em vci de ama-
relio : veste camisa aova. dizem que o



mosmn farflo os arsenses, secretaras e ou-
tios edificios,' Nflo h;. quemjulguea ma-
tricida Mario Jos Todos ss derao de sus-
peilos. e os Substitutos nSo querem tomar
posse I.' Diz-se qu se mandn vir para is-
so un jmi de M'rau *s funccOes de Bem
Iica estiveran estrnndn*as
l'-'iidas de msica
2*
lloiive trifila
Purarm tres dias e
nesnoltes! Os mnibus, as seges, oscar-
rit.hnsdatodases idades and.ram em roda
viva Suas Magestades assisti'ama opera
cmica dotheatro do D. Femando.' Este
Iheatro parece pacsar a ser moda.
Suu, em nome da nacSo e da rainha,
Saude patacos Seu amigo
e rraternidade. LeCitoyen,
Draz Tizona.
l.< LK.rii^io da policio.
I HK OUTURRO llF. 1850.
ordem do delegado.
PARTE no DI*
1'Tunni presos
o pelo Miguel, escravo de Ignacio Auloui
Surges, para averiguares policiaes : a or-
den) do subJelgado da freguezia de S -Frei-
Pedro-Conealves do Recife, o Portuguez
Rernardino dos Santos e Silva, por briga; elvincial de Pernambuco, 1-2 de outubro^ de
o prelo Jos, escravo de llanoel Joaquim de 1850 O secretario, Antonio Ferreira d'An-
Oliveira. para averiguarnos policiaes: o nuneinciln.
K.tchberger, equpagom 11, carga baca- da Costa, Francisco Roberto Sancho, Fran-
Iho ; a Me. Calnionl& Companhla. cisco Silva Santos, Francisco Silva Avflida-
Observacdo.
0 brigue ogloz Flinl, que chegou hon-
t "ni de Macei, sigui para Liverpool boje,
com a mesma carga que trouxe.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria da
I:i7.ntln provincial, em cumprimento 4a re-
miIiic.:mi 4n tribunal administrativo de 10
do corrente, e em virl me da lei do oreamen-
to vigente art. 3, 20, manda fazer publi-
co que. perante o mesmo tribunal se ha de
arrematar nos dias 22, 23 e 24 do correnlr,
por venda a quem mais der o proprio pro-
vincial denominado Jardim Botnico na ci-
dade de Olinda, avahado em 2:800,900 rs.
As pessoas que se propozerem a esta arre-
matarlo compareQam na sala das sessOes
do mesmo tribunal nos das cima mencio-
nados pelo meio-dia. F para constar se
mandou allivar o presente e publicar pelo
Diario.
Secretaria qa thesouraria da fazenda pro-
do snbdelegado da freguezia do S. Jos,
Joaquim Ferreira de Moura, para o mesmo
Jim.
Koi de|.o parda a cabocolada Ignaci, escrava de Ma-
inel CuelhuCintra, afim de aveiiguar-sa se
ella lie livre, como declarou na deleguis.
O delegado do termo do Cabo por officio
de 3 do corrente parliclpou au chefe de po-
ln;!, que no dia 10 do me passado, fra
.issasinado com dois tiro* Antonio Francis-
co, e bem assim que no da 22 do ni asm o
rnez Joflo Lopes da Silva soffrera uro tiro de
emboscada do qual resultou subir grave-
mente ferido, no se tendo podido anda
descob' ir os aulhores de taes atteutados.
O delegado do termo de Igoartss tam-
l>em participou ao chefe de polica em cili-
cio de 28 do mez (Indo, que uin pardo co-
nhecido por Manoel dez ris, fizera diversos
feiiuienlos em Victorino de tal, Mara da l'e-
nha, Mara Luiza o Fulano de la Teixeira,
ao depois do que so pozera em fuga.
IOF.M 1)0 OA 12.
Fdram presos : a ordem do delegado do
primeiro disiricto, o Portuguez Jacintlio
SiaiOes, a requisigo do respectivo cnsul
para servir na niarinlia Purluguezn, vi,to
serincorregivel e ter pessima conducta ; e
o preto Benedicto por desobediencia : or-
dem do subdelgalo da freguezia de Santo
Antonio, o prelo Fernando, escravo de Ze-
verino Francisco da Silva, por briga : e do
subdelegado da reguezia di Ba-Vista,
Luiz, escravo de Antonio dos Santos Sa boia,
para averiguares policiaes.
*
i e &> 8 ve r
ALFANDEGA.
Rendimentododia 1*. 11-.170,177
De$earrgam naje 15 de ouiubro.
Galera Columbut merca lorias.
Ba'ca -- Eldorado beta linio.
Brigue llunmjmtde -- dem.
Polca *- N.-S.-do-Carmo .- mercadorias.
Hiato Anglica -z idem
CONSULADO GERAL.
Remlirneuto dotdia 14.. .
Diversas provincias ....
1:151,537
25,510
1:177,017
EXPORTACAO.
Despacho martimo no dia 1*
Barcellona, polaca hespanhola Despejada.
de 160- toneladas : conduz o seguidle : 50
sacos rom 2,861 arrobas e 11 libras de al-
godflo.
RbCKBEDORIA 0E RENDAS GEHAES
INTERNAS.
Ro.lmenlo dodial*......909,080
CONSULADO PROVINCIAL.
P.emllroento do dia 14......1:315,216

a*"
NOTICIAS COMMERCIlES.
Liverpool, 2 de ulembro de 1850.
klgnrfo a procura fui mui limitada no
principio da semana, e iis preces declna-
ram, i rincipalnicnle eoi conseqiluncia de
urna mu grande disposif lio as vendas. Com
tudn, oo dia seguinle o verendo reassumio
urna apparencia mais firoie; entretanto, as
presentes colarles, comparadas com as d
semana passsda.baixaram poucomaisou me-
nos 1/4 de d. em tolas as descripces da
America. Os algodOes do Brasil e do Egyp-
to fram menos procurados,a urna reduccao
semelbante e os de Surrate baixaram tam-
bem1|8 de d.slranseccO'-s montuna 23,210
saccas, ( das quaes 5,190da America e 8o de
SunalesSo para especular, com 1,180 da
America e80de, Surrate para exportado )
comprebeenilo240dB Se a Ulaud de 12
a 31 d, com 50 slained de 6 5/8 a 11 1/2.
4,900 Bowede 7/8 d. a 8 d., 4,530 Mobile,
Aiiimuia Tennessee 1/4 d. a 8 1/8 d.'
8.760 de ileanst 1/4 d a 8 3/4 d.. 400
de Pernambuco, faraiiiba, ele. 8 1/2 d. a 8
7/6 d., 850 da Babia e Macelo 8 1/4 d a 8
38 d., 200 Maranhao 7 7/8 d. a 9 d., 10 do
(.aithageia 5 1/2 d., 100 Dvnierara 7 i/4 d.-|
i 10 d. 600 do Egypto 7 7/8 d. a 9 1/2 d., e
2,490 de Surrate de 4 5/8 d. aft/4d. pur
libra.
,lnrar.Continua mu procurado, e os
precos subiram geralmente 6 d. por qumtal.
As .vendas runipieliendem 550 barricas da
plunlagao, 9.000 saceos de bengala e 900
caixOes das maurieias, lio mcluindo t00
caixase 300 saceos do Brasil, un canega-
uitiilo de assurar mascavado da Parahiba a
eliegr, e 370 barrifas de Porto-Rico ( Uni-
ijem a chegar) de 40 a 41 s. 9d. o quintal,
pasosos direitos.
Caf Sustenta-se (Irme; o negocio da
i minia comprebende40 suecas da Jamaica,
100 saccas cal nativo de Ceylon, 370 sacraa
deS. Domingos, de 420 a 450, e 380 saccas
ordinario de Laguira a 420 o quintal.
ni i i 'i r'-" "'i
flftjvimeito to aPorto.
/Yanto urrarfo me dia 14.
i ;;.r;.-,v ' durado, o 182 toneladas, capilfio Jamos
O lllm. Sr. Inspector da thesouraria da fa-
zenda provincial, em cuniprlinento da ordem
do Kxin. Sr. presidente da provincia de 26 do
correle, manda fazer publico que nos dias 32,
23 e 24 de ouiubro proiimo futuro ir a prara
para ser arrematado a quem por menos fizer,
perante o tribunal admiuislrativo da mesma
thesouraria, a bra da ponte de Iguirass, iva
liada em 2:388,700 ra. e sdb as clausulas espe-
ciaes abaixo declaradas.
Os preiendentes comparecam na sala das
srsaea do sobredito tribunal nos dias cima
Indicados, pelo inelo-dia, coinneteoleiueolc ha-
bililados na forma do artigo 24 do regulamen-
lo de 7 de inaio do correle anno.
E para constar se mandou afiliar o presente
e publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da fazenda provin-
cial de Pernambuco, 28 de srlembro de 1850.
O secretarlo,
.iii.'imi Femir.1 d'Annunciafdo.
Clauulai etpeeioei da ammataco:
1.* A obras da ponte de Iguarass, serio
feitas pela forma, sb as condiedesdo modo in-
dicado nos riscos e orcaiiicnto juntos, Sppro-
vado peU direi-torLi em ooiinelho, c apresenta-
do ao Exm. Sr. presidente da pruviucla pelo
preco de 2:388,700 ra.
2." As obras principiarao no praso de uin
niez. e seio concluidas uo de quatro mezes,
ambos contados da entrega do termo d ai n-
maiaco.
3. O pagamento ser feitn de conformidade
com o artigo 38 capitulo 3. do regulainenlo de
7 deiuaio de 1850.
4.* Para ludo o mais que nao est determi-
nado as presentes clausulas seguir-sr-ha o
que dispe o regulaincnto de 7 de maio de 1850.
Rccilc, 14 de selembro de 1850.
i O eugenheiro chefe da 2.a scsso,
Joo Luii Viciar Lieulhier.
Approvadas pela directora em couselho, em
sessodo dia ldesetembro de 1850.O direc-
tor, I ii Mamede Alcei Ftrreira----H. A. Miel.
J. /. Jicloi Lieulhier.
Approvo. Palacio do governo de Pernambu-
co, 25 de selembro de 1850. 5imsa Aamiu.
Conforme. No impedimento do oificial-
inaior, oofilcial, Ihmiugoi Joi Soaru,
de, Francisco Urbano Silva Ribeiro, Fran-
cisco Xavier Macdo.
Ceralda Mara Do'in, Gregorio Antonio
Silveira, Geo Baila, Gabriel Moreira Rangel
jnior, Gabriel Souza Guedes, Guilherme
Wellhausen.
Hermenegildo Antonio EncarnacSo.
Ignoz Felicia da Cunha, Ignacia Gomes
Porto, Izabel Mara CnnceicSo, Innocencia
Mara Jess, Ignacia Thereza C. Ivo Feman-
tes' Costa, innocencio Garca C Ignacio
Joaquim Souza Leilo, Ignacio Marinho Sil-
va, Ignacio Siqueira Le.lo Silva C, Ildefon-
so Souza Reis.
Julia Candida Souza M., Jacintho Silveira
Vicente, Joaquina Eugenia 4>oncei(.lo Silva,
Joaquim Augusto Forreira Jacobine, Joa-
quim Antonio Lima Pinto, Joaquim Antonio
Oliveira, Joaquim Antn o Rodrigues, Joa-
quim Bernardlno Ferreira, Joaquim Belfort
Gomes, Joaquim Carneiro Lial, Joaquim
Cavalcauli LisbOa, Joaquim Caotano Reis,
Joaquim Dias Azeve lo, Joaquim Fernandes
Almeida Joaquim Kranciso Cruz, Joaquim
Florido Ferreira Silva Joaquim Francis-
co Silva V., Joaquim Francisco Silva Jnior,
Joaquim Firmino Xavier, Joaquim C.oncal-
ves Meiielles, Joaquim Goncalves Maia,
loaquim Garca dos Santos, Joaquim JoSo
Ciraco, Joaquiro.JoSo Figueiredo, Joaquim
Jos Martina, Joaquim Jos Nevea, Joaquim
Jos Pinto, Joaquim Jos Pimental, Joa-
quim Jos Pereira C, Joaquim Jos de Sou-
za, Joaquim Lopes Costa Arauio, Joaquim
l.uiz Oliveira, Joaquim LourenrjO Castro e
Silva, Joaquim alendes Jnior, Joaquim
Pedro Brrelo M., Joaquim l'ereira da Silva,
Joaquim Queirnz Moaleiro, Joaquim Rolri-
gues Costa, Josquim Ramos de Oliveira
Jjaquim Silva Naves.
IContinuar-ie-ha.)
lueselhecfi'ereca para aquella porto, as-
torio de Francisco Alves da Cunha n. 11.
Veode-se a narcassa Aurora Feliz, que
oega em 40 caixas ; prompta para Tazar
viagera, mullo segura, bem apparelbada e
nplima de vella ; est ancorada no forte do
Mallos: quem a pretender diraja-se a ra
la Moda, armasem que deita para o forte
lo Mallos, do Sr. Vianna, ou a ra Angus-
ta. n.26.
Leil
oes,
iheatro de 8. Isabel.
8*' RECITA DA ASSIGNATURA.
Quartafeira, 16 de ouiubro de 1850.
comedia em tres
Represenlar-se-ba
actos
AS MEMORIAS DO DIABO.
No lim da comedia o Sr. Theodoro Oreste,
a pedido de alguns amigos, tocar! na sua ra-
lieci lin las varia(0es.
Terminara o espectculo a graciosa farja
O velho pri-M'^iiiilo,
que finalisar com o coro da galopa 'a.
Comeara as 8 horas.
Os bilhetes acham-se venda no lugar do
coslume.
Schafheitlin & Tobler faro leilo, por
intervengo do corretor Oliveira, de grande
e esplendido sortimento de fazendas de se-
Ja, ISa, lnho e dealgodSo, todas proprias
do mercado : quinla-feira, 17 de corrente,
a 10 horas da manbfia, no seu armazeui,
ra da Cruz.
Ed Bolli Tara leilSo, por intervencSo do
corretor Oliveira, para liquidarlo de contas,
e por todo o preco, dos artigos seguintes :
12relogios de prata oriaontaes e patentes
novos em perfeito eatade, 1 dito de ouro,
17 de prata e 6 de cobre, 6 ditos usados de
caixa de pao para parede, um sortimento de
perlences e accassorios para relojoeiro, urna
colleccode eslampas, retratos, paisagens,
etc. Ijlhografados, urna caixa de varias
miudezas, ferragens, botOea de osso, pon-
tea, fivellas, ferros de goivas, brinque los
d'osso, crucifixos, etc. garrafinhaa com
tinta encarnada para escrever, leliras im-
pressas em frencez, bilheles de enterro, r-
tulos para livros, 52 peras de renda grossa
le algo 13o, nma burra grossa de ferro ba-
lido, livros impressos em francez e encader-
nados, osquaes tralam de viagens e de ma-
terias instructivas : sexla-feira, 18 do cor-
rente, as 10 horas da manhSa, no seu es-
cripto.'io, ra da Cruz.
Avisos diversos.
Deca ruedes.
Theatro de S.-Francisco.
BELLAS ARTES.
Hoja terca-feira, 15 de outuhro, acha-se
a berta a galera, com as seguintes vistas no-
vas, a saber:
(l monumento que fui enllocado em Lu-
cerna, ( na Suissa ) em memoria daa tropas
suissas por orea em 10 de agosto de 1792.
O Bota-Fugo, Jjtnlo ao Rio-de-Janeiro.
O interior da matriz nova de San-Jos do
Recife, em P-rnambuco.
AsTulherias, em Pars.
A prac.i de S.n-Maicos, em Veneza.
O banquete dos iradas, a,n na convento
na Blgica.
0 naufragio da fragata franceta Medusa,
cujas victimas andaram quinzediaa ex-
postas as furias das ondas sem comer uem
beber.
Cooslantinopla, pelo lado do mar Mr-
mara.
Um Bazar, ns. Italia.
0 interior das pyramides do Egypto.
A ciilade de Londres, pelo Tamisa.
A exposicSo destas vistas contina todos
os dias, esperando o director que os Sr*. es-
pectadores flquem bastante salisleilos com
as vistas mencionadas.
A galera estar abarla s horas do cos-
tume.
Publicacad Iliteraria.
A famosa lifosobrea pena de mortec im-
posta, e dictada na u versida le de Pisa pe-
lo rcsii iliivul Carmignani u>n dos maiores
criminalistas da Europa, est traJuziJa do
italiano em volgar pelo padre Lopes Gama.
Vendase em Santo Antonio, na loja de li-
vros quo foi do fallecido Dr. Coutiuho, na
esquina do Collegio ; no bairro do Recife,
"na loja de livrns do Sr. padre Ignacio; na
Boa-Vista, na botica do Sr. Gameiro ; em
Olinda, ra do Amparo, botica do Sr. Ra
poso. Preco dez lostOes.
"iiaiaaaaiaaaiBaBaaajaiBajBaaaaajajBjSifBB
Avisos martimos.
CONSULADO DE PORTUGAL EM PERNAM-
BUCO.
Joaquim Bastilla Moreira, bacharel forma-
do em dlreito, cavalleiro da ordem de
Chrislo e cnsul de Portugal em Pernam-
buco por S. M Fidelssima a Senhora D.
Mara II, que Dos guarde.
Faco saber a todos os meus compatriotas
residentes nesta ridade e provincia, que por
o' dem superior, que me foi transmiltida, e
es ecialmente recommendada, para o lim
le se poder dar o eonvenienle eumprimen-
to as disposic/tes sobre estatialica, e nutras,
>o dove-n apresenlar neste Consulado todos
ns subditos portuguezes, que, tendo aqu
fizado a sua morada, anda se nSo houve-
rem nelle matriculado, como Ibes cumpre,
nflo s para a den i regularidade, mas pa-
ra que assim se possa mais prompta mente
lar a compalivel proteccSo desta consu-
lado
Convidando, pois, os meus compatriotas
ao cumprimento desle dever, no mais breve
rispado de lempo. Ibes lembro tambem por
esta occssUoo dever que igualmente tem de
se mumrem dos respectivos ttulos de te-
ndencia, na forma dos regula'mentos poli-
ciaes deste imperio, para se livrarem dos
miiaracos que Ibes pode causar a falla del-
les, melhor e mais perfeitaiuenle terem o
direito a com plente garanta das autorida-
les lirasileras, e as respectivas isenfOes co-
mo estrangeiros. Consulado de Portugal em
l'ernamhnco, ans 17 de julho de 1850.
Joaquim Baplisla Moreira, cnsul.
Lilia gerat das carias que ficaram em ser nos
mezes de julho a selembro de 1850.
( Conlinuacno don. 231. )
Envlia Amalia Azevedo C. ; K. Rufina Ca-
valeante ; Ernesto Alves Puntes ; Ernesto
Francisco Castro M. Fliseu Oliveira Bor-
ges Eduardo Gonsulves Valente, Estev.lo
Jm< Roza.
Felippa Benencia Silva, Fraocisca Rila
Uchis FT? lerico AiiBii'in Sr;'.'.'; j fre-
dericn Augusto Rodrigues, Faustino Xa-
vier Moracs, Flix Gome* de Lima, Fernan-
do Alves Oliveira P., Feliciano Ignacio
Maia, Felippe Gunsalves Martin V., Felis
Lourenco de Siqueira, Fellppe Multa Aze-
vedo C Felis Manoel de Jess, Francisco
Assiz Serfico, Francisco Assiz Oliveira M.,
Fiancisco Assiz Ferreira Fraucixco Anto-
nio Cona C, Fiai.ci-co Antonio Carvalho,
Francisco Antonio l'aizflo Eianci.co Bor-
ges Caminha, Francisco BarruzoSilva, Fran-
cisco Cunha Gaivu, Francisco Cordeiro Ca-
valcanle, Francisco Coelno da Costa, Fran-
cisco omingues Pereira, Francisco Alfonso
Francisco Feruades Paixo, Francisco Fer-
reira Confia, Francisco Gumes Ferreira
Pinto, Francisco Gomes Silva L., Francisco
Comes Silva, Francisco Joaquim Oliveira
Souza Francisco Jos Antuoea, Francisco
Jos Gomes, Francisco Jos Toleutino, Fran-
cisco Jos F-.rrcira V., FiauCi.co Jos Al-
meida e Cavalcanle Francisco Jos Paula,
Francisco Launano Figueira M. Francis-
co Luiz Marques, Francisco Marianno
iilva, Francisco tiendes Pereira, Franeisco
Manuel Almeida Araujo, Francisco Manuel
Maciel, Franeisru Paes Brrelo Franciaco A polaca nacional A".-V-Cs.-;=; se
StStea !,., Francisco Paula Souza LeSo gue para o Assu sexta-feira, 18 do corrente!
Francisco Paula Baplisla, Fraucisco Pereira |impreterivelmenle : recebe alguma carga
Para o Rio Grande do Sul, segu com
brevidade a escuna nacional Santa-Cruz,
capilo Manoel Pereira de S, recebe algu-
ma carga e escravos a frete, a fallar com
Joii Francisco da Cruz na ra da Cruz,
n. 7.
Para o Rio-de-Janeiro segu viagem, do
lia 16 do crrente, o berghiitim h''iUrrs
O.-Affunio, capillo Francisco da Silva Avel-
leda : quum nu mesmu quizer carregar ou
ic de pissagem, dirija se ao mesmo capitSo
ou ao escripiorio de Manoel Joaquim Ramos
e Silva.
O veleiro e bem conhecido patacho na-
cional Mfredu segu para a Babia em poucos
das, por ja lera maior parte de sua carga
i rompa : para o resto e passageiros, para o
ijue oll'erece excallentes cummodos : trata-
se com Francisco Alves da Cunha, na ra do
Vigario n. 11, ou com o capitSu.
Para a Babia pretende seguir viagem
com brevidade a su maca nacional Carlota,
inesini Jos Gonfalves Simas : para|carga e
passageiros trata-ae com o mesmo meslre,
ou com Luiz Jos de S Araujo, ra da Cruz
numero 33.
l'ara o Maranhao e Para
segu, com a maior brevidade possivel,
escuna nacional r.inlia, de que he capitn
e pratico Antouio Silveira Maciel Jnior:
quem na mesma quizer carregar ou ir de
pasaaguai, enlenda-se com JoSo Carlos Au-
gusto da Silva, ou com o capilo, ua ra da
Cruz, armazem II. 13.
- Declara-se ao carcundinha das Cinco-
Pontss, que depois da eleic.no dos irmSos
le certa ordem religiosa, tratar-se-hS de
indagar com veracida ie, ae o pai e o filho
nasceram de ventre captivo ; ese assim po-
da ser eleitor de certa cidaile muito linda.
Fugio sabbado 12 do correnta, urna preta
4a Gusta de nome Mara Rita, cOr fula, he
alegre, moca e baixa do corpo, levou vesti-
do camisa o ssia branca j usada, com lis-
tras encarnadas e psno tambem de listras
brancas, atues e encarnadas': quem a pegar
ou dr noticias certas ; na ra do Apollo n.
19, ser recompensado.
Precisa-se de uina ama de leite : na ra
Bella n 16.
-- Julgo um devar no homeni sensivel .
agradec-r os beneficios receidos, e publi-
car o nome do seu bemfeitor: nis o caso. O
abaixo assgnadn ten lo um filho de idada
le 9 annos. acontncau repentinamente ser
atacado de urna febrf 19o renitente, que
nSo Ihejulguou a vida, immediatamente re*
correu medicina alopatba, e no espaco de
20 das nem urna melhora obteve o pacien-
te, ei.loap.iellou para a me lieina hornee i
pathlca, convidou o Sr. Dr. Sabino Olegario
iue llie apphcou dous globos hiimcoipathi-
cos.como nSo conseguio melhora.foi tereni-
ra vez a casa do meacionado aenhor, niloo
enconlrou por ter ido para fOra da eidsde ,
vendo-se em tal coliso chamou o Sr. Pau-
I. Carneiro LeSo s que n mostruu o paciente
elle meanimou dizendoque mediante Dos
elle Ihe havia por boni o menino, applicou,
Ihe 2 e 4.* globos hornee i.iathcos com tal
habilidade, observaijiJes e alteracao da f-
iire que em poucos dias conseguio resta be-
ce r o menino, que s acha san e salvo; as-
siin diz qu-i mil louvores s-jam didosao
Sr. Paula Cara -Iro LeSo que com tanto zlo
e habilidade salvou a vida do seu filho Ru-
go-Ihe Srs. Rodadores, o favor demandar
inserir estas mal tragadas liuhas, lilh is do
prazer e da gralidllo e no mais son com
respailo de V. M. oto Chritoitomo Lim*.
Algurts meus desafTeicoados teem el-'
palhado que os annuncios do Diario nume-
ro 230 contra o meu amigo capiUo Rodrigo
Joaquim Correia he obra minba, r*~*
que jamis laucara inflo de um
to btixo quanto despresivel|para en
lhar urna pessoa que merece toda a consl-
deraco, e he digno de toda attencSo pelo
sea honrado comporta ment e boa f, con
qne he conhecido nesta praca. Recife, 13 de
OUtubro de 1850. ot Mara l'almeira.
Troca-se una imagem do Sr. crucilica-
do de marfim, muito bem foit,r de palmo e
rceio, com o seu competente resplandor,
urna Sant'Anna de pedra, um Menino Dos e
um Santo Amaro ; na venda ao i do Sr.
C. rdoso.
Aluga-se o terceiro andar com sntSo
da casa da ra do Queimado n. 28, com bas-
tantes commodos e em bom asseio, tendo a
sala e alcova forradas de papel : trala-se na
mesma ra, loja n 37 A.
* Aluga-se urna boa escrava por preco
commodo : na ra Direta n. 20, segundo
andar, junto reflnaclo.
Aluga-so urna ama para rma pequea
familia estrangeira : na ra da Gadaia de
Santo-Ant,anio n. 22.
Precisa-se de um amassador para urna
panana nu ;,o-rcra:o:o : ^-crr. aiiver ties-
tas circiimstancias, dirija-se ra la Praia
n. 20, que l achara com quem tratar.
Offerece-se urna mulner para coziohar
para fra com muito asseio : quem se qui-
zer utilisar deseu prest uo, dirijh-se ra
daa Larangeiras n. S.
~ Aluga-se para passar a festa urna casa
na povoacfio do Monteiro, com duas aalaa,
quatro quilos, coziuha fra, estribara pa-
nourigo
Atte cao.
Precisa-se alugnr um preto de
nat;5o, que seja iiel e que saiba co-
zinhar o ordinario de nint casa
( prefere-se queseja captivo ): na
ra Nova n. 58. primeiro andar-
O^baixo assigoado faz sciente ao Sr.
Jos de Almeida Lim, que nflo se responsa-
hilsa por qualqoer falta ou extravio que
possam ter as quatro tergas de pedra que
eslflo junto a sua obra da ra de Santa-Rita.
Paulo ot Gomes,
Henrique Jos da Cunha e JoSo da Cos-
ta Lima Jnior, como procuradores dos
herdeirosdo fallecido Manoel Joaquim Con-
Calves o Silva, avisam a todos os credo'es
dcste para apresentarem suas contas at o
dia 20 do crrente, allm dse examinar o
estado da casa e tratar-se de sua llquidagflo.
As contas deverSo ser entregues" em ca-
sa de Lima Jnior.
--0 abaixo assignado participa aos pas
de seus alumnos, que mudou a sus residen-
cia para o segundo andar do sobrado n. 86
da mesma rus Dirells, onde morsva ; e co-
mo continu a ensinsr primeiras leitras e
grammalica latina, recebando tambem al-
guna pensionistss, offerece de novo o seu
preslimo a aquelles que delle se quizerern
utilisar. Alfonso los de Oliveira.
A pessoa que tem cartas para Joaquim
Jos d" Siqueira, queira dirigir-se i rus No-
va, loja n. 41.
Precisa-se alugar um moleque de boa
conducta para o servico externo : na praca
do Corpo-Sanlo 2
Aluga-se um molecole bom cozinhei-
ro, faz diversos bolos e pudins, ac,a de (or-
no, e sem vicios: na ra das Cruzes n 40.
O O Dr. J. S. Santos Jnior, O
? medico homoeopatlia puro ,
q mudou sua residenciada ra q
do Crespo, n. lo, para a 9
A rut Nova, n. 58, primeiro ^
q andar, onde continuar a q
9 dar consultas todos os das O
: uteis desde s 7 horas da
q niatiiaa ate a umj hora da q
O tarde, e desta hora em dian- O
^ te visitar os doentes em 2
i$ seus domicilios.
O N. B. Us pobre sero
tratados e visitados gratnita-
mente.
Precisa-se de um padre para capellflo
de um etigeuho distante IS legoss dests
praca, e que seja habilitado a eosinar alguus
pieparalurios, principalmente o de latim o
francez : quem estivr tiestas cin umstan-
cias anuuncie por osta folha, ou dirija-s.i a
ra Nova n. 19, onde acbar com quem tra-
tar
Deseja-se fallar com o Sr. Joaquim da
Cruz Neves a negocio de ioteresse : ua ra
das Larangeiras 11. 14, segundar andar, ou
anuuncie sua morada.
0 Sr. Francisco de Paula e Albuquer-
que queira vir ou mandar buscara obra
que mandou fazer na loja do alfaiate da
ra Nova o. 35, desde Janeiro do correte
anno ,%
Precisa-se slugsr orna ama forra 0u
captiva, que saiba engommaf e coz i n ha r,
para casa de pouca familia, e que nflo ten)
criancas: na ra do Pilar n. 73, segundo
andar, ou Fra-de-Porlas.
Aluga-se um sitio no corredor ds Var-
ze, bem plantado e com boa casa de f ven-
da : os pretendenles dirijam-se rusta Ca-
deia-Velha, botica n. fi.
A pessoa que carregou em urna em-
barcaco para na porlos do norte no anno
de 1843 a 1816, um ciixflo com diversos
objectos, com amarca MD, dando 50,000
rs. se dir aonde existe o dito CiixSo: ua
ra de Hurtas n. 110, a fallar com JoSo da
Silva Loureiro.
>- O abaixo assignado com loja de mar-
tineiro na Camba-do-Carmo, avisa ao pu-
blico que nSo se assigns por JoSo Goncal-
ves, e sim JoSo Goncalves Lucaa Lisboa.
Na ana de Agoas-Verdes, casi terrea
n 26, lava-se e eogomma-se toda a qualida-
de de roupa, com asseio e promptidSo, por
preco mais commodo do que em .outra
qualquer parte.
Jos Adolpho de Barros Correia, resi-
dente ero Porto Calvo, faz publico, par* co-
nhecment de quem convier, que em seu
poder existe em deposito, por ordem da de-
legada, urna escrava crioula, que represen-
la ter 25 annos, diz chamarse Tbomasia e
-ser penalcente ao Sr. Portuguez Autonio
Praca, que leve armazem de marcenara em
a ra da Cadeia de Santo-Antonio, da cujo
poder se evadir em 1818, e esteva muito
lempo na prisSo ; protesta-se pelas despe-
zas que teem sido feitas com meama ate
o dia da entrega della a pesaoa qu se apre-
sentar munida cum os ttulos legaes de seu
dominio, e quem pretender algumas infor-
macoes nesta praca, dirija-se a- Bsatea tr
(.ongalves, na ra Caueta, loja a. 28.
Porto Calvo, 25 de selembro de 1850.
Lotera la Matriz d* Boa vlstn.
O restante dos bilheles desta lotera, qus
corre iufalivelmente no flu do corrente
o
o
o
omjsl ttquem os bilheles que llcarem, van-
de-%, alm de uniros lugares, na luja de
Ueroardiuo Jos Monteiro, ra do Queimado.
O ir. Joaquim Jos dos Sanios Barraca
queira ir pagara quantia de 33,4*0 rs. do
ra dous cavallos, quartoa para escravos, ",ln lr'"" ,^""n." UB "7* ""
dousquinlaes murados, tand. um delies ce-1* on,,u *nde "a Tl l ", r'^?. '
cimba, e com sabida par. o no : ,,. t .ves,. ,ari ?" *r temT l80,br4'Jo ?* "*
do Veras 11. 15. -- Precisa-se alugar um anoleque ou pre-
Manoel Teixeira faz sciente ao publico
que por haver oulro tle igual nome, de bojs
em dianle se assignsr Manoel Teixeira de
Andrade.
lo para fazer o servico de casa erua, que
seja fiel : na ra da Cruz, armazem n, 8.
Ulysse Drov relojoeiro su is-
- Precisa-se de um. .m. de leite para 8' de Pa"*gem. Por t. ptaea,
onde tenciona demorar-se 5 ou o
criar, que o lenha bastante e bom, forra ou
captiva, e se nflo tiver filho melhor : quem
quizer, dirija-se a ra Augusta, casa terrea
lelrome da den. 18, para tratar.
Precisa-se de 200,000 rs. a premio :
quem os liver, anuuncie por este Diario.
-- Precisa-sede urna mulner desempedi-
iu o de ba cuuducla, paia tratar de urna
inAnle na I!.minia rt
mete ninents, coscerts toda e
qualquer qualidade de relogios
eem qualqoer estado em que se
acheta ; asim como tem para ven-
der relogios de ouro e prata dos
; meihorco fabricantes : na ra da
O majorJoso Gabriel de Moraos Mayar.-, ,, ._
Ui o iiio-ae-Jaueiro. tirui, n. 44> pnmeiro andar.
i'j ;,.iino 11. 1*.
y 11 t 1 1


->" *
^ fc- *\,*.Sta: ; Mfc

^
B!
Offerece-se umi mulher pira imi sec-
ei do m pooc familia : na ra das Cru7es n. 18.
0 bacharel formado JoSo Floripes Dia
Barrito advnga no cival e aocrime: a
pesoajqoe de seu preatimo se quizerem
ulilisar, o pdem procurar aqualquer hora
do da na cssa de sua realdencia, n ra
Non, n. 52. .
Preciss-se slugaruins preta que san
cosinhar o diario de utt cesa e engomme,
preferindo-se captiva : ;ajem tiver e quizer
aliigar, snnuncie por el I folha para ser
procurado e tratar do ajuste. ..;An
Eu abajxo assignaM*tnva do fallecido
Marciano do Espirito 8 o, em reiposti aos
nnuncioa inseridos ftirDiario rfe Pernam-
buco. na. 227 e 229 paitos por Marciano do
Espirito Sanio, declaro que eu fui qoeiu
recebi o restante do dinheiro da casa ven-
dida aoSr. Bernardino Jos LeitBo, e nBo
o meu procurador, e islo fui em presenca
dos Sra> Joaquim Celestino Gon?alves e
BernardTio Jos LeiiBo : e, aera melhor que
o dito Marciano recolha-se aos bastidores,
senBo qu' que a annunciante faca ver ao
respeitavel publico a pessima conducta e
as escandalosas trafkmcias que lhe quena
fazer.bem como, a venda de urna casa de
sobrado de seu casal que vendeu como sua
ao Sr. Uernerdlno Jos Leitflo por escriplu-
ra celebrada pelocartorio do Sr. UbelliBo
Coelho, com a qual dizia ter-lhe tocado o
dito sobrado no inventario que se procede-
r pelo culorio de orphflos desta cidade,
a qual eaeriptura rol por elle e sua mulher
.asignada; e.tendo a annunciante disto no-
ticia por wn nnUcio que flzera pelo Dia-
rio de Pemambuco, o dito Sr. Leitno, entilo
para que o dito Marciano Dio sofTresse al-
guma denuncia, ronveio ella annunciante,
em que ae lizesse outra eseriptura de rati-
flcaSSo. na qual assignou com o dito Mar-
ciano e sua mulher ; e por ora nada mais
direi por me compadecer deste miseravel
aflirmando ao respeitavel publico que, pelo
cartorio do escrivBo Motta estou fazendo o
inventario dos peuetjs bena qi restam do
meu caaal. poisque fui at a pouco Iludida
pelo diloMarciano, que commigo tralou de
dividir-moa entre nos os bena do meu ca-
aal, 6 que deu lugar a fazer-mos pertilha
migavel; porm nao foi possivel o dito
Marcianos rsslgnar, em razBo ele querer
que cu pagasae ama divida que elle... etc.
e drt'rem si mais do que lhe tocou.Joan-
no Mara la Conctitio.
A vista dos knnuncios inseridos no
Diario di Pirnombuco, ns. 227 e 229 posto-
polo Sr. Marciano do Espirito Santo, nos
quaesdiz tor eu como teaiamenteiro do jal-
lecidoseu pai Mariano do Espirito Santo,
entregado ao procurador da viuva do dito
fallecido a quantia de 394,000 re. para mis-
las e mais despezas, eque al agora o dito
procurador nflo te nheiro ; sou a dizer com abono da verdade,
que nao eotreguei ao dito procurador esss
quantia, nem a poda entregar porque n9o
liaviam despezas que a tsnlo montassem,
sfiiilo por cons'f quencis menos exactos o.-
dilus annuneios, pois que o dito procurador
so recebeu de mi ni por ordem 'da viuva rs
49,370 para despezaa do inventario, e eu fui
qiii'ni despend com missaa, legados, de,n<,i
mi tuneiaes e contas do leslsmento ie
jl preitei desde 6 dejunho do auno e .'si-
mo paseado a quantia de 302,370 rs. rtaci-
fe, 11 de outubro de .1850. ouquim Clle-
lint Goncalvu.
Precisa-se alugar urna preta para o ser-
vido de urna, casa estrangeira: na ra da
Concordia n. 8.
Precisa-se .lugar um moleque ou pretn
que aeja liel, para fazer o servico de casa'.:
na ra dat'ruz n. 38.
Troca-se urna Imagerh qne represente
N. S. das ores, e um oratorio que esteja
esi liom uso, nao sendo muito pequeo : na
ra Nova n. 29
Oabaixo assignado declarou ha dias
ptssados por este jornal, que o seu ex-cai-
xeiro Medeiros lhe hBvia oceultado quasi to-
dos os lucros de sus vens, e hoje sustenta
que esse ladro o roubou completamente:
sim roubou-lhe, porque em outro lempo foi
osle mesmo Medeiros seu caixeiro, e em 7
rnezes ganhou 400 e tantos mil rs e muito
Oais ganhana ae eu estivessse administran-
do ; eate Medeiros aahto de minha casa em
companhia de outro meu caixeiro da pida-
rla, levando de fundos cento e tantos mil
rs. i ambos frarO para o sul com negocio d.'
carne, em o qual perderam no principal 12
mil e tantos rs. 0 Sr. Medeiros Ioko que
chegou do sul desprndeu com a liberdade
de urna aua filhinhs 100,000 rs. pouco ou
nada lhe poderla restar : veio de novo para
* niinha venda ganhando um terco dos lucros
pelo aeu trabalho : do entretanto que sabio
de minha venda em fins de junho passado,
e o seu inleresse apenas deveiia ser de 30
mil rs. em dividas, visto que pelo documen-
to junio, apero provado por peisoas fide-
dignas, casadas, pas de familia, e ao mes-
mo lempo todas negociantes, mis foi o con-
trario, usurpou-uie nflo pequea quantia a
Joflo Concalves da Silva Reis seu compa-
nheiro e sucio, na vlagem auaol emprestou
elle 100,000 rs,. emprestoo mais um seu
amigo, segundo dizem, n.aior quantia, en-
trn mais para certa ociedade com oulros
100,000 rs. eomprou algumas pecas d'ouro
e bstanle roupa, como tudo vou proyar
Am mhm< nin ol- -- p6 ucaiiicuwi r
e com mais vagar declarare) certa braoqui-
nha praticada pelo tal Medeiros, mal desta
a a polica dever lomar contal. Jo*o da
Cunha Mi.
Nos abaixo essignados declaramos, que
a pedido do Sr. JoSo da Cunha Reis e do
seu caixeiro Jos Bore.es de Medeiros lomos
assistir ao balanco que estes Sra." deram na
venda doSr liis eo os ltimos das do mez
de junho, e tan besa so ajuste de contal eom
o finadoManoel Pacheco, primo do caixeiro
e frilor do Sr. Heis. Quanio ao primeiro di-
remos que suaa entradas e os niaia asien-
tos conferiram com oa lancnenlos do pa-
trio, e oa Ueste con as comas do trapiche.
Com admiraejo enlBo vimos que os lucros
de vinte mez* pouco mais ou menos ful de
90,000 rs. eos dividas, Raspeito ao feitor,
segundos assentos e mais papis eslava pa-
go dos ordenados, ejiadiantado em 150,000
?i. K>oif". 4S iS SUf'hm de 1850. -Jo-I
Antonio Tuxeira. Jal Gomu da Silea Por
tilia JucmlAo di Sonta Traca**. Joi
Maaalkiti i* Silva Porto, a
- Joaqtm de Azevedo Pereira Maya ex-
porta para o Rio de Jaueiro o aeu eacravo
Cualn-jfc, psrdC. jm
i3 abaixo assignado, estando desem-
hri(*do desde 3 al as 6 hora* da Urde, e
desojando empregar utilmente este lempo,
vai abrir no primeiro de novembro, na casa
n. 40 da ra do Pilar, em Fra de Portas,
ums aula, aonde se propOe a recener um
numero determinado de meninos, para
,bes ensinar o ingle, franeez, anlbme-
lica, escripturacBo mercantil!, e em orna
palavra tudo puanlo deve constitui-los
aotos para seguirom a csrreira commercial
0 abado essigne lo espera que os seus sun-
gos lhe ftrBo a justica de o acreditar, quan-
do elle solemnemente declara que se com-1
nrometie a empregar com assiduidade to- i aj)
gem. Quem esli-er nejlfli cnciimstancias,
nquizeroditoeninjvnenio, lde dirge-
se ao agente da dita com anhia, na ra do
2 Remedios de gra?a os pobres ^
m. Novo consultorio homceoDathico de B
dos os seus esforcos psra o adianUmento
los meninos cuja educaQBo lhe for conli-
da. A mensslidade he nicamente de cinco
mil rs. por mez. s pas que quizerem ma-
triculsr seus fllhos se servirBo enlender-se
com o abaixo assignado no esenptorio dos
Srs. C. Starr & C. na ra oa Aurora, das 9
horas da manhSa al is 2 horas da tarde.
Joti da aya.
Estira novamenle aberto domingo, 13
do corrente, o botequim da ra do Trapi-
che n. 28, tendo no primeiro andar casa- de
pssto, aonde acharBo petiscos promptos a
qualquer bori i vontide dos compradores:
tudo por preco commodo e com asseio.
No dis 6 do corrente ausentou-ie o ei-
fe
Joao Vice-le Martn.
Ros ^e ...ollon. 24. #
todos os diss ulels dei'e as 8 horss m,
ds manhSa at 1 da Urde imororoga- Z
velmente. Fra deaUs horas nSo i -,
deoSr. J. V. Martn! receber visita
aiguma, por estar occupaloem com-
5 por e escrever a quirta edicto da >
~ pratica tlemantar da homaopathla e
outras obras Quando tenha mais
9 adiantada a CQmposicSo destas obrss
poder destinsr algum tempo i pra-
I ticar operares de cataracta, ou ou- 0
tras que exigem al molestias de a
olhos especislmente, no xito das a
quaes tem sido, merco de Deo, mu-
to feliz. #
fc fi-mmm m *
Preciss-se de um Iforneiro que ajude
namasseira porsefaze/muilo pouco ser-
vido : na ra do Cotuvello n 29.
.-Compra-seum csixBo grande para de-
oosito de assucar : na ra Direita n.
Vendas.
-- No da 6 do corrente auseniou-se o es- v- A, os Mgundo e tereeiro anda-
cravoDomiogoi.denacaoMoc.mb.que.re-\ do largo da Assembra n. 8 : a
.rescnt.20 e. l.nU..anno: b.rb.do. .||;Xcom joiqulm Francisco de Alm. no
Forte-do-Maltos, ou com Prxedes da Fon
seca Coutinho, seu propietario.
Lotera la matriz la Boa-Viutn.
boa figura ; temum signal bem visivel, que
he a marca de um Ulbo no beico inferior'
oo canto da bocea, que quando falla repa-
cha o beico ; levou calcss e camisa de *lgo-
ISozinho azuj coro liatras brancas : quem
o pegar leve-o a ra Nova, a entregara An-
tonio Domingos Pinto, qne gratificar* ; a-
sim como protesta contra qualquer pessoa
que o tiver oceulto.
__ Hoga-se a quem for con-se-
nhor da casa de um andar com so-
t3o, no becco tapado da Camboa-
do-Garmo, n. 5, que tenha a bon-
dade deeotender-se com Jos dos
Santos Neves, na ra do Crespo,
n. -i", ou declarar por este jor-
nal a sua residencia.
Aluga-se um moleque bom cozinheiro,
dando-se preferencis a casa estrangeira : a
tratar na ra da Praia, armazem n. 1.
Precisa-sede urna prela para o servi-
co de urna can : na prega da Independen-
cia n. 3, loja. s-%
Quem liverpara alugar urna oegrinha,
mulalinha, ou caboclinha de 8 annos, para
carregar urna enanca de poucos dias, e to-
mar sentido a outras duas meninas peque-
nss, dirija-se i ra da Aurora, n. 8, segun-
do andar.
Preciii-se ilugsr umi casa terrea, cu
joalugue nflo exceda de 12,000 rs. men-
saes, preferindo-se no bairro de S.-Anlonio:
na ra larga do Rozario, n. 26.
-- Aluga-se o tereeiro andar da casa n.
40 da ra da Cruz no Recife: a tratar na
iiiesina casa.
-O sbaiio assignado repone ao ca-
lumnioso annuncio do Sr. JoSo da Cunha
Reis, que assevera haver o abaixo assigna-
do pceultado os lucros da venda deque fra
caixeiro : 1.", que s deu baWnco com toda
a especificarlo peraote testemunhai, e -
.io.-ile Sr se deu por satisfeito, nSo faiendo
reclamacBo aiguma: 2, que depois deste ac-
to he sem fundamento o que assevera o Sr.
liis, e se elle ousar intenUr a accBo o abai-
xo assignado mostrar falsid-.de desta
imputacBo : 3 que o Sr. Reis se figura lu-
cros imaginarios, que slm de nSo seren or-
dinarios, senBo podiam obter pelo sorti-
mento esessso ds taberna. Por amor de meu
crdito me aprec.o a fazer esla declaracSo
para que nflo passedesap'rcebido o cavilo
so annuncio do Sr. Reis Recife, 11 deou-
bro de 1850. oii Borgeide Medtiroi.
Anda esU fgida, desde o da 26 de
jucho, prximo passado, a escrava crioula
denome Mara, moca, Ie altura regular,
corpo reforcado, cadeiras grossas e um Un-
to sabidas para fra, bocea regular, lricos
itrossos, ps e mflos grossas ; lem marcas
de bexigas no roslo e em todo corpo, peilos
pequeos e cabidos, nariz grosso, olhos
carnudos, orelhas na parle do enfeile gros
sase viradas um tanto para cima ; le%i urna
marca de ferida de caustico do lado direito
ou esquerdo, talvez que pouco ja se devul-
gue das costellaa para os vasios ; levou ves-
t to de chita ja uaado, panno da Costa, e
um taboleiro com niilho e arroz que venda
uo diaquefgio: esta negra segundo os
seus costumes de srdilosi, pode ler muda-
do o nome e mesmo usar de qualquer ou-
tro defarce para nSo ser condecida, pois
cousla andar dizendo ser forra e que a que-
rem caplivir: foi de Macei e aqu vendida
pelo Sr. Antonio da Silva GusmBo ao j fal-
lecido Jos Antonio da Silva Costa, tendo
uo poder do dito fallecido 3 filhos, Candida,
Luz e Marcolino ; pode esta negra sb pre-
texto est occulla em casa de alguem, ou
em algum calugi,oque se vai escrupulosa-
mente endsgar para se proceder conlra
quem a tiver occulla : U-se una boa re-
compensa a quem della der noticia certa,
ou a pegar e levar ra de Hurlas, n. 114,
casa de Antonio Caldas di Silva.
Chapeos de sol. -*.
Ra do P'asseio, n 5. 2HK.
Nesta fabrica ha presentemente uui lito
sorliroentodeslesobjectosde todas as c-
rese qualdades. Unto de seda como de
pauninho, por precos commodos; ditos pa-
ra senhora, de bum gostu: estes chapeos
sBo fritos pel ultima moda; seda adamas
cada com ricas franjas de retroz. Na mesma
rasa ae icha igual sorlimento de sodas e
panninho imitando sedas, para cobnr ar-
maces servidas : todas estas fazendas ven-
dem-se em poreflo e a reUiho : lambem se
concei la qualquer chapeo deso, tinto de
basteas de ferro como de baleia, assim como
umbelas de igrejas : tudo por prego com-
modo. Na meama casa ha chapeos de sol,
de marca maior, de panno e de aeda, pro-
pnos pin feilores de engenho, por serem
dos mais fortes que ae pdem fibricar.
- Precisa-sa engajar alguns oniciaes de
caldeireiro para trabalharem em caldeiras
de vipor, sendo ambiladoris, ( a que os In-
glezes chamam Riveteri) anao 8 sua couducla : paga-se o jornal de 3,500 poi
da, e d-se passagem gratuita para o Itio de
Janeiro, onde i Bolrabalhar na oflicina da
companhia brasileira de paquetes de vapor ;
.dvertindo, porm, que se depois de all
,'heuarnm i-m ura mez de experiencia,
provarem'incapacidade, aerflo coniiuxiuos
para aqui Igualmente '".lo pegando pissa-
No da 31 do corrente andam impreieri-
velmente as rodas desta lotera, seja qual
for o numero de bhetesque ficir, e mes-
mo antes se acabarem os bilhetes, como la
esperancas. O hm paraique foi concedida
esta lotera nSo p Je ser mais justo, e ella
deve ser preferids a outra qualquer, por-
quanlo temos de presenciar o emprego do
seu inlereise: o reslanle doi bilhetes -
chim-se i vend nos lugares j annun-
ciados
Precisa-se de um Irabalhador deenxa-
da, t que saiba tirar leite em vaccas : na
Magdalena, estrada nova, primeiro sitio de
porlfio de ferro. No mesmo precisa ae de
um bolieiro.
Alugi-se, por preco mdico, o tereeiro
andar do sobrado n. 20, na ra do Apollo:
a tratar com Antonio deMoraes Comes Fer-
reira, na mesma casa.
Aluga-se, por mdico preco um sitio
no lugar denominado Sanl'Anna-de-Den-
tro, com commodos psra grande familia,
baixa decapim, boa agoa, estribarla para
qualro cavallos e cocheira: a Iratar com
l.uiz Comes Ferreira, no Mondego, ou com
Antonio deMoraes Comes Ferreirs, na ra
le Apollo n. 20.
Quem quizer comprar urna ledra da
quantia de 56,060 rs. do Sr. Jos Brazalino
la Silva, appareceni ra di Cadeia de S.
Antonio, n. 13, que todo o negocio se far.
--Quem quizer comprar uma lettra do Sr.
Ilr. Honorio F. de Sigmaringa Vas Curado
da quanlia de 110,280 ra.. annuncie para
ser procurado, que tolo negocio se far.
-- Roga-se aoSr. segundo lenle Jos de
Cerqueira Lima, da Babia, que mande pagar
uma lettra, que seacha vencida ha oito rne-
zes; do contrario, ter de ver sempre o seu
nome nesU folha
Boubo.
Ainda se nBo descobrio o ladrBo, autor
do roubo feilo na loja n. 21 da praca da In-
dependencia, ao amanhecrr do da 5 de ou-
lubro, apenas ha bem fundadas suspeitas,
cunsla o dilo roubo de 40 chapeos do Chile,
duas peces de pelluca de seda com 50 cova-
dos pouco mais ou menos ; 7 duzas de cor-
des de retroz com borlas, para senhora ;
uniaporc8odegomma-lque e alguns bo-
netes e mais miudezas que exactamente se
nBo sabe. Roga-se as autoridades policiael,
a quem j se prevenio, toda a diligencia,
alndese descotirir esse roubo ; e outra
qualquer pessoa que denunciar com certe-
za aonde ae acha esse roubo, que anda por
400* pouco maia ou menos, receber a
quarla parte de seu vallor e se lhe guardar
todo o segredo.
Quem tiver duas pretas que as queira
alugar para venderem na ra, sendo fiis,
dirija-se a esta typographia, que se dir
que u quer.
Precisa-se alugar umi es-
crava para cozinhar, e subir a al-
guns mandados, sendo fiel e de
boa conducta, para uma casi de
pouca familia : na rus Nova n. a3,
loji.
0 encarregado do reconbecimenlo e
medicBo dos terrenos do marinha convida
aos Srs. Jos t'.oncalves Ferreira da Costa e
Antonio Lopes CuimarBes a comparece-em
na casa de sul residencia na ra Direita,
n. 78, parase Ihes marcar o da em que
$
fazenda.
Compras.
Compram-se escravos de 10 30 an-
nos, de bonitas figuras, pira dentro e fra
da provincia i na ra larga do Rozario, n
n nrime"j zv.izr, iodos os dial dase as
llhorasda'manhaae dass 5 da Urde
"Compra-seuma bomba de ferro, que
esteja em bom estado : no paleo do Paraizo
ii. 20, ou annuncie.
-- Compram-ae, para um encommend
escravos de ambos os sexo do 10 40 an-
nos : na ra do Rangel n. 57.
Compra-ae uma negra ssda e sem vi-
cios, que saiba cozinhar, ensaboar e en-
gommar : quema liver anuuuciepor este
jornal.
Compra-seorellos de panno : na praja
da Independencia n. 19
Compram-se adragoms e bandas de
ofliciaes, defioou canulilho dourado, em
bom e mo estado: na praca da Independen-
cia*. 19 .
Compra-sea obra que tem por titulo
OncOei de Sicero em lalim, ainda que aeja
usada. ...
Compre ae 9 vBos de caixilhoa pro-
..rios para'veranda inda mesmo nSo tend.
vidroa que eilrjaai em bom eitado : na ra
la Cruz do Recife n. 31. venda, ou no pri-
meiro andar
-- Compram-ae os qualro volumes da obra
intitulada O Tres MosqueUiros : quem o
tiver,dirija- rus anuunoie para ser procurado.
Lotera da matriz da Boa-Vlsta.
Aos 10:0008000 e 5:ooo8ooo.
Na loja de miudezas da praca da Inde-
pendencia, n. 4, vendem-se bilhetes, meios,
alarlos, decimos e vigsimos desta loteris
|uo corre impreterivelmente no da 31 de
outubro. ou antes se se acabarem os bilhe-
tes. A elles antes que se acabem, pira nBo
comprarem mais cero, como tem aconte-
cido em outras loteriss.
Bilhetes 10.000
Meios 5,000
Quartos 2,600
Decimos 1.100
Vigsimos 000
Lotera do Kio-de-Janelro.
Ao 2o:ooofc)ooo.
Na rus eslreila do Rosario, travessa do
Queimado, loja de miudezas, n. 2 A, de
Joaquim Francisco dos Santos Maya, exil-
ie anda um resto de cautelas da 11-* lotera
lo tbeatro de S. Pedro de Alcntara que se
oxtrahioi25 do prximo passado: tim-
bea! se rececebeu um sorlimento de bilhe-
tes, meios, quarlos, oitavos e vigsimos da
14.* lotera a beneficio do monta pi geral
la economa dos servidores do estado, e
para maior commodidade dos compradores
estar a loja abena at s 9 horas da noiu.
('or.lu* p:iru violan e rabeen.
Na ra estreita do Rozario, travessa do
Queimado, n. 2 A, de Joaquim Francisco
tos Santos Maya, vendem-se as muito su-
periores cordal e bordes para violSo e re-
beca, por preco oais commodo do que ero
outra qualquer parte.
Vende-se um carro de carregar na al-
fandega : na travessa do Veras, n. 15.
Vende-se uma"morada de casa terrea,
sita na ra Itoda n. 24, com cozinha fra,
luinlal murado, com portBo para o becco
Upado e cacimba propria, e que rende 12/
nensaes : quem quizer p le ir corre-la, e
tralar na ra do Collegio n 19, primeiro
andar.
Venle-se uma preta de nacSo, ptima
engommadeira, cozinheira e lava leira, sem
vicios nem achaques : oa rus da Cruz n. 17
tereeiro andar.
Vende-se um escravo muito bom ser-
rador ; um dito sapateiro, com principios
de pedreiro, e he muito bom caiidor, de 20
anuos ; um molecote de 15 anuos, de muito
honita figura; uma escrava com uma cria
Cernea de 3 anuos ; uma dita do servico de
ciinpo, he muito boa quitandoira e lava
bam : na ra do Lvrameulu, u. 4, so dir
quem vende.
Vendem-se, a dinheiro a vista, superio-
res chap-.- de castor branco, pelo diminu-
to preco de 10,000 rs : na ra Nova, 11. 2,
atris da matriz.
Vende o-se cortes de couro do lustro
para sapales 1 na ra Nova n 20, loja.
V para meninas ; sapaluhos de couro de lus-
tro para meninas ; utos do duraque, a 800
rs ; hotins jaspeados com duraque de co-
rea para meninas : ni ra Nova, loja n. 2,
atrs ila in ilrlz.
Vende-se farinha da Ierra, em barris,
por preco muito commodo : na rus larga
do Hozarlo n. 22, loja de miudezas, de Vic-
torino & CuimarBes
-Vende-se uma excellenle casa de cam-
po, sita margem do rio.com 2 grandes
1 lis, 2 gabinetes, 2 alcuvas, 3 quarlos, e
cozinha, com um terreno adjaceule que le-
ra cerca de mil pal-nos, uma baixa de ca-
pim, j plantada quefornece para mais de
ao tenes diarios no verSo, pdenlo se
acesceniar ainda mais a planta, com vista
muilo agradavel, ar muito saudavel, e he
perto da praca, por ser antes de chegar o
Poco da Panella : ns rna de S. Amaro 11. 16,
ou na ra da Cadeii do llocife, a fallar com
o Sr. Manoel Concalves da Silva.
VendeOJ-s.e 16 escravos, sendo um bom
carreiro e meStre de purgar ; 3 Jilos de lo-
do o servico ; 2 mulalinhos de 16 annos
ditos de lodo o servico de campo ; uma
mulalinha recolhi la, de 14 annos, que co-
se e e.1 guama ; 2 escravas mogas de bo
mtas figuras, que cosem bem e eugom
nam ; 5 ditas de todo o servifo ; na ra
Direita, n. 3.
A lo,ooo rs.
Vendem-se lanternas com p de casqul-
ola, pelo diminuto prego de 10,000 rs. o
par : na ra Nova n. 2, loja atrs da matriz
Vendem-se chapos de sol, de seda
para homem, a 7 e 8,000 rs.; ditos de pan-
no com armacBo de baleia, a 3,000 : na ra
dovt n. 2, loja.
Cilcado.
Vendem-se sapatos de couro de lustro pi-
ra homem, a 6,500 rs. ; butins de duraque
prelo c gaspeados psra senhora, a 4,1100 rs.;
; ditos
tos de
s para
meninas, a 1,600 rs. ; botins para ditas, de
duraque de cores e gaspeados de lustro, a
3,000 rs ; sapatos de mano |uim prelo pa-
ra senhora, a 1 280 ; ditos de cores, a 1,440
rs.; ditos de dursque de cores para senho-
ra, a 800 rs. ; ditos para meninas, 700 rs. ;
litos do marroquim para meninas, a 640
.; iioli.i de s::rrsqu:s p; iaiiiuas,
800 rs. ; chinelas de marroquim para ho-
mem, a 1,500 rs. ; ditos de tapete para lio
mein e senhora, a 1,500 rs a dinheiro a
isla : na ra Nova n. 2, loja atrs da ma-
triz.
Na rna Nova n. 2, loja atrs da
matriz.
venJem lencos de seda, a 1,000 rs. ; ditos
escocezes, de linhb com seda, a 1,000 ra.;
utos de algodSo, pequeos que lervera pa-
ra meninas, a 240 rs ; diloa linos, a 500 rs.;
d tos de cambraia branca lisos a 500 rs.;
gravataa de seda para homem, a 1,000 is ;
I-neos de seda de cor Jilo, a 800 rs ; ditos
de clisa, a 640 rs.; ditos pintados, 1 480
rs.; ditos de suda para algibeira, a 1,600
rs.; ditos para hombro de senhora, a 1,600
rs.; ditos de canibrua de linho linos e bor-
didos com bico em roda, a 10,000 n. a di-
nheiro vista.
A 1,600 rs.
Democracia da Franca,
traduccBo portugueza od muilo bom papel
e ba itnpresBo : vende-se no paleo do Col-
i^giu, loja de Irnos da Juu a CoaU Oou
rado.
X jass ra. a llora.
at meia qoarta : no piteo do CollfJgio
6 loja de livros, de Joflo da Costa Dou-a lo.
.-Vendem-se franjea da retroz para man-
leletea a 440 rs. vara diti para sapatos a
200 rs.: na praca da Independencia n. 19.
Bom e barato.
Na ra Novan.- 12, vendem-se cortes de
casemir. lisas, a_5.000rs 5 dilo. de 15. a
leem de aasistira medicSoe demarcado dos r ^ d seus terrenos, sfim de serem passados os til de (|ur lQ a>Q0 rs ,
tulos de afurameoto pela thesourana da |lislr0 pra s.M.hora, a 2.000 rs.; dito
braias, a 240 rs a vara ; toilhai pira mesa,
4 OO rs.: algodSo liso de listras. propno
' ..,--.. vira p.hint'a^
para escravos, a 160 ." eD*Pos
de castor, 1,500 e 2.000 rs.
- Vende-se uma linda escrava de 20 an-
nos e de nacSo, propria para todo o lervico:
na ra do Rangel n. 57 __i,Km
-Vendem-se duaa rotn>asemmo to bom
estado, por prerjo commodo : na obra junto
igreia de Santa-Rita.
Ivendem-se escravos de ambos os1 se.os
novoi e velhos : na ra de Apollo n. 14. da,
9 horas da manhSa as 4 da larde 1 o moliro
da venda he para iqui lacio de invenlario.
Capeos de paln
Vendem-se a u.000 n. o mbIj,*
com superiores velai do Aracity brancas e
amarellas, sapalinnos de meninos e por-
cSo, couros, aolla. f-rinhi de Araruta. bar-
ricas com sebo e couroi lurrados : ni ra
da Cadeia do Recife o. 24.
Vendem-se 14 cadeiras de jacirania,
par de bancas de dito, I miiidemeio de
"al. de dilo. 1 canap de dito. 4fiteiros de
amarillo, proprios para toja de miudezas, 1
.nesa de meio de sala de mgico cm *><><"**
Udo : timbero se vendem 18 cideiris de Ja-
caranda novas, por preco commodo : na ra
da Cadeia de Santo-Antonio o. l-
GravataH le mola.
Vendem-se grivilii de mol pretil e dn
cores, fazenda que nBo deixar* de K/ada
aos compradores, por ser muilo1 barata
e de mui boa qualidade : na rui do Queima-
do, loja de miudezas, junto 1 de cera n. as.
Vendem-se queijos londnnos, ditos
orato, suisse psrmezo, presuntos inglezes.
louci.iho dito, latas de bolachinha .oglezt,
ditas de sardinha, hervilhas, sa mo, con-
servas inglezas.salame.garrafasde manteiga
fresca.vinhos engarrafado, sendo Porlo.ma-
deira, muscatel, Selubal, circivelos bran-
co e tinto, Bordeaux. colares, 'radio bu-
cellas. chery. milvis... &"***d
Franca, pass.s ingl-zas para pudim. canas
com musas finas, lingos* ",'*
,le superior qualidade l na ra da Cadeia
do Recife n. 2 ... ,,. n_.
-Venle-se cambraia de linho lina,
4 000 rs. vira ; ni ra Nova n. 2.
'- Vende-se afiad.res de curti?., muito
proprios para n.valhas de barba : na ra
eslreit. do Rozario o.2l. loja f***"a
_ Vende-se uma robusta e sadia preta de
28annos.denacaoNag: ni ra do Quei-
mado. loja n. 37 A. .,___.,, oo
Na ra larga do Uozario, 11. 2/.
ven te-se uma negra'de 20 annos. de boa
conducta, o que ?e afiance ao-comprador,
a ou." cose eqcngomm. com perfe.cBo e he
recolhida ; um molecote de 18 annos, de
.SBo Angola, de linda figura, bo. con-
duela. _
\ 18o rs. o qnartelrao.
Vendm-se peonas muilu boas: no pateo
do Collegio, n.6,loj.de livros, deJoBod.
Cosa ourada. ____
lvros modernos offcreeldos ao
povo brasllclro.
O l.ibello do Povo por Timandro
A carlilha do Povo por Fratklio
O Advogado do Povo
O Conselheiro fiel do Povo
A guia pratica do Povo, 00 Toro civil
e crime
Os Misterios do Povo, por E. Sue
A Phil'isopbia Popular
Vende-se no pateo do Collegio, casa do
lirroazul.
Novellas.
Na loja de livros do pateo do Collegio de
JoBo da Costa Dourado, vende-se as seguin-
tes novellas, regulando os volumes a 1,000
rs caJa um : Joaquina e Roza, Cypriano,
A nobre Veneziana, o Bandoieiro dos Ap-
nenos, Segredo de Trimphar Manual dos
iogos de Sociedad?, Elogio de Marco Aure-
lio, ConsUncia, Emilia, Viagens de TristBo
da Cunha, Henriquiuho, Itecreos de Euge-
nia, O Passaro Azulou anSo amarello, Ac-
cidentes da infancia, Farperro, Acaban,
ila India ou caf de Surale, Contos de Fadu,
Historia de Crios Magno em dous volumes.
Rol 13o Amoroso novella de Rocano, novel-
las de Contos, A vi la de Pedrilho.Numa Pon-
pilioa Robson dedoze annos, Armazem de
Meninos,Barbaresque, D. IUymundo Aguiar
A ventura de Lazarilho de Tornes, O Dote
de Suzaninha, GusmBo de Alfaracoe em 3
volumes, Gustavo Boope?., Renegado em 4
volumes, A ventura de Robuon de Crogo,
Vilgensde Aotenor, eoutns muiUs, que
vende-se por commodo prec,o,
Ven le-se uma negrinha de 10 anoos.com
habilidades ; uma prela muito boi cozi-
nhein.lavadeira e que fiz O miis irrinjo de
umac-sa; dual dan bou quiUnleins;
una dila de meia dada, por 250 000 n ;
um. parda de 30 annos, de exemplar coua
ducU, e que cose muito bem, engomma
perfeilamente, ho muilo carinhosa para
meninos, e fazo mais arranjo de'uma casa;
pretos bous para iodo o servico; e outros
amitos escravos : na ra di Cadeia do Re-
cife n. SI, primeiro indar.
Ltieria do Kio de Janeiro.
Aos 30:000,000 de ra.
Na praca da Independencia n. 4>
vendem-se os afortunados bilhe-
tes, meios, quartos, oitavos e vi-
gsimos da 24.* lotera a benefi-
cio do monte pi. *. elles, qae j
lia poucos.
Agencia de Edwln Maw.
Rui de Apollo, o. irnuzem de Me. Cad-
mont & Companhia, fazem ver aos Srs. de
engenho e aos aeus correspondentes nesU
praca, que noieu eiUbelecimento se icha
constantemente bois.tetSsseato d njoen-
as lodas de ferro pira inimaea, agoa, etc.;
meias ditas para armar em madeira ; ma-
chinas para vapor com torca de 4 cavallos ;
laixis de difiranles modelle de lodos os
lmannos e groaaura. Unto de ferro batido
como coado; espumadeiraa. cocos, etc., de
ierro esUnhado ; aafrai para ferreiros : tu-
1.500
1,000
4.000
5,000
6003
3.000
2,000
I ssu:- iiiai rs. a llora. ierroesunaauo amr h. .
tendem-se obreias muito boas e surtida, 1 do uiuilu bom a por barato pte^o
1 a n n

. r


Na rui do Cabog loja de linarl, vsn-
dem-se suspensorios de seda, ditos horda-
dados a seia, vazos de vidro do diversas
cores, chicotes inglezcs para carros, ditos
para oavall"s.
Vendi-se una casa terrea feita a mo-
derna, sita na ra Velha do bairro da Ron-
vista n. 92: a tratar com Hypolito Jos
Elias, na mesma ra n. 105.
Vende-se urna grande porcllo de entu-
mo e estruoie : na ra da AssumpcSo n. 36.
-'- No depsito de ago'argeote, defronte
da igreja da Penha.n. 10, vendem-se todas
as qualidades de bebidas espirituosas, II-
vres do consumo quesedeve pagar ao es-
tado, principalmente as vendas que nSo o-
do custo, o importe do consumo.
Bonetes le panno a 2$ooo.
Vendem-se bonptes francezes, de panno
muo fi. o e forrados Je seda, para bo-
mens e meninos : na jua do Queimado n.
16, loja de Jos DiasSimes.
-- Vende-se por preco commodo farinh
nuito superior, a bordo da garopeira N. S.
la Penha, chegada do Porto-SeaUo, a tra-
tar a bordo da mesma, ou com Novaes & C.
na ra do Trapixe n. 3*.
lungOag, por preco mais commodo que em
utra qualquer parte, cinteiros de couro de
lustro para homense meninos.
Vende-se um preto cosinheiro de 22 a
23 annos de idade : quem precisar dirija-se
is Cinco-Pontas, venda defronte da forta-
leza n. 159.
~ Na ra da Cruz, armazem de S Arau-
o, vendern-se saccas com superior milho,
findo do Oear, couros miudos, sapatos,
chapeos, etc.
Chapeos de sol de panninho com arma-
cSo de baleia, pelo diminuto preco de 2,080
rs. rada um. A cidade de Paris, ra do Col-
legio, n. 4.
,
9

i
m
!000
1,000 %
2.400
4.000
2,000
1,500
400
1,000
300
7,000
Na loja do sobrado amarollo, nos *
quatro-cantos da ra do Queimado
n. 29, vendem-se as seguintes fa- *'
zondas: 9
C'tes de calcas de casemira a 3,500, 1
5.000 c 7,000 rs.
Ditos de dita de slgndo, a
Ditos de cllales de fusto de
crese branco, a
Ditos de dito superiores, bor-
dados, a
Ditos de velludo de cores, a
Hitos de gorgurSo de seda com
listrus, a
tW Lencos de seda decores para
< grvala, a 800, 1,000 e
;"> I. ivs de algodfio, (lo da Esco-
') ei, para homem, a
rJR Ditas de torcul, a
<" Al ac de slgodSo para casa-
cas e palitos, o covado a
Chapeos francezes finos, a 6 e
Vende-se barato, por tor um pequeo
. defeito, urna mulata que sabe cozinhar o
diario de urna casa, cose bem qualquer cos-
tura, he muito diligente no semen de ca-
sa, e propria p ara casadepouca familia, ou
para ama de um homem solleiro, por ser
muito Cel: amado Queimado n. 14, se
pira quem vende,
Vemle-se farinha de S -Mathrus, mui-
to boa, e que nSo faz dilTer<'nca a de S -Ca-
< tharinha : a burdo do patacho lima, ou da
sumaca Bella-Carolina, defronte do trapi-
che, ou ao lado do Corpo-Sanlo n. 25.
Faiinha de mandioca.
Na ra da Cruz, no Recife, armazem n.
13, ena ra da Cadeia, armazem de Cam-
; pello Filho, vende-se farinha de mandio-
,ca do CeaiA, muita alva, gommosa e de ex-
cellente goslo, tanto em pequeas como
em grandes porces, por preco commodo.
Travessa da Mndre-dc-Dcos, ar-
mazem. n. 5,
Acha-se establecido um deposilo, onde
encontrarlo os freguezes um bom sorti-
mento de licores, espirito de vinho, e to-
dasas mais qualidades ; superior vinho de
caj; chmate; eliacasde vime, a presos
moderados.
Talxas para cng;enho.
Na fondlcfio de ferro da ra do Brum,
acaba-se de receber um completo sortimen-
todo taixas de 4 a 8 palmos de bocea as
quaes acham-se'a venda por preco com-
modo e com promptidSo embarcam-se,
ou carregam-seem carros sera despezas ao
comprador.
Deposito de potassa e cal
Vende-se muito nova e superior potassa
e cal virgem de Lisboa, em pedra : ludo em
barris pequeos de 4 arrobas, por preco ra-
soavel : na ra da Cadeia do Recife, n. 12
armazem.
Vende-se por muito commodo preco,
urna rica secretaria com estantes para li-
vros, bastante grande, propria para advo-
gado, sendo de amarello e aiuda nova ; as-
sim como, seis cadeiras e duas mesinhas
de abrir : na ra estreita do Rozario, n.
28, ultimo andar, das 2 horas da larde em
diante.
I-'aiinlia de Tapny*
igualmente em sabor, finura e cor a de Mu-
ribeca, propria para mesa : vfnde-se na
ra da Cruz, no Recife, armazem n. 13,
Deposito da fabrica de Todos os
Santos na llaliia.
Vende-se eu. casa de ti, o. leber & C
a rua da Cruz, n. 4, aleod,1o trancado
daqiiella fabrica, muito proprio para saceos
deassucar, roupa de escravos e fi proprio
para redes de pescar, por preco muito com-
modo.
Tceido de. algodiio trancado na
fabrica de Todos os Santos.
Na rua da Cadeia n. 52.
vendem-se por atacado duas qualidades,
proprias para saceos de assucar e roupa de
escravos.
Arados de ferro.
Na fundico da Aurora em S.-Amaro
vendem-se arados de ferro de diversos mo-
delos.
Vn< ma- superiores.
Na furnia, 80 de C. starr & Companhia
em S.-Amaro, acham-se venda moendas
de canoa, todas de ferro, de um modelo e
construcco muito 'superior.
iVlassa de vapor
Acha-se aherta a padaria da rua do Bur-
go, Forte do Mallos, na qual se achara
diariamente lodas as qualidades de massas
finas, lrablhada8 por machinisrno ; tam-
bero se fabrieam excellenle pSo e bolaxi-
liha de araruta, ditas inglezas, bplaxes
quadrados e redondos, o outras maia mas-
sas todo obra prima :asmesmas seacharilo
no deposilo do paleo do Terco, 11. 10.
Aon senhores de < 11 u culi,,,
vendem-se cobertores escuros dealgo-
dS propriospars escravos, por gerem de
muita duracin, pelo diminuto preco de 640
rs. cada um : na rua do Crespo, esquina
que volta para'a cadeia.
Cortes de calcas a mitris.
Vendem-se brins com liatras ao lado
liraneos e de cores, a dea tustes o corte d
calcas : r.s rua do Queimado n. 8, ioja con-
fronte a botica.
Vende-se farinha de Santa-Catharina,
nuito superior, a bordo da gatela Sanlini-
mn-Trindade, fondeada junio ao caes do
Cllegio.
Vender.-ss ss rsa do Cabugs ejs de 4
^Deposito da fabrica def
Todos os Santos, na *
Baha.
--*
>
>
>
9" Vende-se, em casa de Domingos Al-1*
ves Malheus, na rua da Cruz, n. 52/J
Jprimeiro audar, algodflo trancado da-*
quolla fabrica, muito proprio para ssc-S
-COI e roupa de escravos; bem como,-
^fio proprio para redes de pescare pa-2
jjwvios para velas, por preco commodo.^
iA*
Vende-se, na rua do Vigarlo n. II, ar-
mazim de Francisco Alves da Cunha, os se-
auintes gneros, todos de superior quali-
dade, e por menos preco do que em outra
qualquer parte : azeitonas em ancorlas, vi
nho do Porlo em barris de diflerentes ta-
annos, cevada, cal virgem de Lisboa, ar-
cos para pipas e barr, fio porrete, relroz
deSiqueira, cha de San-Paulo, canastras
com allms e ditas cora rolhas.
Botubas de ferro.
Vendem-se bombas de repuxo.
pndulas e picota para cacimba 1
na rua do Bruui, ns. 6,8 e 10.
i'unilirao de ferro,
Arados de ferro.
Vendem-se arados de ferro
oifferenles modelos : na rua
Brum, ns. 6, 8 e 10, fabrica
machinas e iundicao de ferro,
l o barato cansa admlraco
Isto acontece na rua do Crespo,
n. fi, loja ao p do lampeSo
Vendem-se cassa-chitas de muilo bom
gosto, a 240 rs.; corles da .lilas do melhor
gosto que leem appaiecido, a 2400 rs.; chi-
tas finas de boas tintas, a 160 e 180 rs. o
covaoo ; riscado americano, a 140 e 160 rs.;
dito trancado, a 180 e 200 rs.; algodo
mesclado, a 200 rs.; zuarte azul com 5 pal-
mos, a 200 rs. ; dilo de cores, a 200 rs.:
cassapreta para lulo, a 120 rs o covado.
corles de fusllo muito bons, a 560 rs.; cha-
les de 1 m!: lana, a 320 e 1,280 rs.; cobeilo-
res de algodflo de cor, minio encorpados
Vendem-se, na rua da Moda, armazem
n. 15, meias barricas' com cal virgem de
Lisboa, a mais nova que ha no mercado, por
preco commodo.
-^Rap Paulo Cordeiro :^
vende-se na rua da Cadeia do Recife, n. 51,
loja de fazondas, do Joflo da Cunha llaga-
IhSes.
Feijo mulatinbo,
de superior qualidade e muito no-
vo, vende-se a 6,000 rs. a sacca .-
no armazem do Anne, r.ocaes da
Ajfandega, a tratar com Atanoel
di Silva Santos.
I'otetiitdi) Itio de Janeiro
Aos 2o:ooo8ooo*
Napraca da Independencia, loja r. 8, con-
fronte rua doOueimado, vendem-se bilhe-
tes, meios, quart", oitavos e vigsimos da
24.a loteria do Rio de Janeiro a beneficio do
monte po, viudos pelo ultimo vapor.
Milho e airo/ com csea a 2Sji.i o o
rs. cada sacea.
Vende-se no armazem do Braguez, ao p
do arco da Coneeicflo.
Chnmbo de uunlcad.
Vende-aeno armazem de J. J. Tasso J-
nior, rua do Amorim, n. 35.
Vende-se urna escrava boa quitandei-
ra, e quecozinha o diario de urna casa: na
rua de S.-Jos o. 7, confronte ao muro di
Penha. N
Por 3:000,000 de rs.
Vende-se um terreno com olaria e urna
casinha, tendo de frente 107 palmos, e de
fundos desde a rua da Aurora ate a ruado
Hospicio, ten lo frente para se edificar 15
moradas de casa: na praca da Indepen-
dencia, n. 17.
Foges para coxinha
muito proprios para sitios e qual-
qualquer lugar aonde nSo ha cozi-
rua
7a, com
faz 10 a
tratar na
sobrado
de
do
de
ta, por preco commodo : ven-
dem-se na rua da Cruz, n.
casa de KalkmannlrmSos.
-- Vendem-se amarras u ferro: na
la Senzalla-Mofa, n. 49.
lo,
rua
&
proprios para escravos por serem muito
quenles, a 640 r>. alpaca prela de cordSo,
com 7 palmos de largura, a 1,280 rs. ; ns-
cadosde puro linho, a 240 e 360 rs. o co-
vado.
Antigo deposita de cal
virgem.
Na ruado Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal virgem de Lis-
boa, por prefo muilo commodo.
Vendem-se relogios de ou-
ro sabonete patente inglez : na rua
da Cruz, n. 1, casa de Geo:
Kenworthy & C. ^ ,
Na rua da Cruz, n 10,
casa de Kalkmanu
Ir ruaos,
vende-se um grande sortimento de
inslrunientos de msica, com se-
I 'ni :
Gaixnsde guerra, e tambores.
Zabtimbas e pandeiros.
Arciisde campainba, e pralos.
Baixos de harmona, trobSes.
Trompas, pisles e clarins.
Cornetas, flautas, e pfanos.
Clarinelas, e requintas.
ViolSes.
E muitosoutios instrumentos.
^GliNCIA
da fundcao Low-Moor,
ROA DA. SKNZ*T,T *-NOVA, N. ^1,
Neste er:t,:!)eiecimento conti-
nua haver um completo st-rti-
mento de moendas e meias moen-
laa, i.ia engenho; machinas de
vapor, c tachas de Ierro batido c
eo-.do, de todos os tamanhas,
para dilo.
rnpotinlios e manteletes.
Na rua Nova n. 6, loja de Maya hamos & C
acaba-se de reccher c.polintios e man
teleles ile ca.brala branca bor.iada, da ul-
tima moda, e muito bem guarnecidos com
luco a inutacflo de blonde : os piecos con-
vidam aos compradores
A. Colombiez, com .oja na rua Nova,
airas da matriz, vai ter ellectivamente un
giande sortimento de ralcaJo para liomem
esenhora, que os vender mais barato, por
ter contratado com um dos melhores fa-
bricantes de Pun, Na m. |o| vend ro-
se pelles de couro do lustro ; bem como
cortes de sapatos ja feitos do mesmo couro.
a 1,000 rs.
Vende-se "um sortimento de vidros de
< uies par
para
Cera em velas.
Vendpm-secaixas com ce-
ra em vela, fabricadas no
q Kio de Janeiro, muito bem
<) sortija, por ser de umi a
Jj 16 em libra, por preco mais
barato do que em outra qual-
0 quer : .ia rua do Vigaro, n Q
^ 19, segundo andar, a fallar O
g com Michado & Pinheiro. 5
-- Vende-se um prela de nac.80 Mina,
muito mofa e vistosa, que engomma, co-
/inha e faz lodo o mais servigo de urna ca-
sa : na rua do Amorim, n. 15.
Charutos de Ha va na,
de superior \ qualidade : vendem-
.se na rua da Cruz, n. ro, casa de
Kalkmann lrmos.
Vinho de Borccaux:
vende-se na rua da Cruz, n. 10,
casa de Kalkmann Irmaos
Veniem-se silhdes ingle/es
para montara de senhora : na
rua da Cruz n. a, casa de Geo :
Kenworthy & C.
fauno verde escuro.
Vende-se iianno lino verde escuro, pelo
diminuto preco de 4,000 rs. o covado : an-
da resta algumas chitas francezas, rom al
gnm mofo, que se venderflo a quem enm-
i.or peca, a l4ors. ,oa reta I ho a ico rs. o
covado : no Allerro-da-Boa-Visla n. 18,
Em a nova refinacSo da rua do Vigaro
11.27, ha assucar refinado de diveras qua-
lidades, do melhor que tem viudo ao mer-
cailo.assim ron u,rale moido, etc.; ludo por
preco rom inodo.e a contento dos freguezes:
o dono destenovo estabelecimento espera
pela concurrencia dos freguezes, a quem
prometle agradar.
Os verdadelros rispados monatros
a 2 Na loja da rua du Queimado n. 3, ven-
dem-se riscados monstrua de quatro palmos
e iiieio de largura, pelo baratisslmo pre(o
de 260 rs. o covado.
Veudcm-s sapa toes
chegados agora mesmo do Aracaty, feitos
a capricho, segundo aa recommendaces
que para la se tem feito, por mdico preco,
parase liquidar : na rua larga do Rozario
n. 35.
He pechincha.
Vende-se urna canoa grande de carregar
ljolio por preco muito commodo, por ealar
com um pequeo defeito, e 1 alastro de 40
a 50 palmos de coniprisicsi, q^c ss.-tc ps-
>a qualquer embarcaefio : a tratar na rua
Nova, luja o. 35, ou na rua do Sebo n. 36.
OVf VVVV * Na loja do sobrado amarello, nos
^ quatro-canios da rua do Queimado
n. 29, ven-U-m-se cortes de vestidos
de cassa-seda com flores, a 7,000 rs.
cada corte ; ditos de cambraia bran-
ca com barra bordada e adamascada,
a 6,000 rs. ditos de cambraa-seda,
ricos e de m>>ilo modernos gostoa,
por diflerentea presos, havendo de
*T ludo grande sortimento para sa esco- 2
^ Iher ; cortes de vestidos de seda, de 2
y goslo muilo modernos, e por preco 2
g> em cunta ; e outras fazeudas finas e S
> de gosto. *
M k***4A*y
Vendem-se dous prelos os mais pro-
prios para carregar paianquiui que pode ha-
ver, e que ganham na rua por da 640 r. ;
um cabrinha de 14 annos, muilo lido para
pagem ; um dilo de 10 annos, que serve
neni a una casa : um molequede 16 anuos,
*
a>
- ---- a 11 Illa CaSrl um mvivuuuur iu ai
l. ,.. '. S' COf>u8 par* v'"'10 e n'u"" linda Pe' "ina prela de 20 annos,T
agoa, campoteiias, garralas,.fruteiias|uue cozmha l.y- m' na ruado Colle'l
K.oius, por preco commodo: na rua do/gio, n. 21,
A 186oo o covado.
u loja n. 3, defronte do becco do Peixe-
Frito, vendem-se casemiras escuras de bo-
lillos desenhos em zadrez, ptimas para
pannos de cima de bancas, a cinco patacas
o covado : esta fazenda torna-se muilo re-
coromendavel pelo seu modernismo.
* 90
9 Na loja do (obrado amarello, nos m
# qustro-cantoa da rua do Queimado %
% n. 29, |veudem-SQ aa mais modernas %
9 chapelinhas de seda de cores para se-
f; nliora, muito bem guarnocidas ; bem O
9 como manteletes de seda furia-core*, A
41 os Inais modernos qde ezistm : ludo f|
# por preco commodo. 9
*# t
Vende-se a taverna da
do Pailre-Floriano n,
poucos fundos, a qual
12,000 rs. por dia .- a
Ir.ivessa da Concordia,
n. 5, das 6 s 8 horas da manhaa,
e das 4 s G da tarde.
Vendem-se sellins inglezes
elsticos, chegados agora : na rua
da Cruz n. 2, casa de Geo: Ken-
worthy & C"
He grande pechincha.
A2oo e a4o rs.
Vende-se urna porgo de cbitas frincezis, '
de 4 palmos do largura, rozas, de cores fi-
zas, a 200 rs. o covado ; cassaa francezas
le bonitos padres, a 240 rs. o covado : na
rua do Crespo n. 14, loja de Jos Francisco
Diaa.
Lotera do Itio de Janeiro.
AOS 2(i:oiioSoii(i.
Na rua da Cadeia do Itecife n. 40, loja de
fazendas, de Francisco Goncalves da Silva,
vendem-se bilhetes, meios e quartos da 24.'
loteria do monte pi gnral do Rio-de-Janei-
ro, chegados no vapor S.SebatiiSo.
A 46o rs. o covado.
Defronte do becco do Peize-Frito, loja n.
3, vende-se ganga amarella de listras, pelo
baratissimo preco de 460 ris: esta fa-
zenda torna-se nuito recommendave! por
ser muilo fina e de padres agradaveis.
Cli a 5oo i -. a libra.
Vende-se cha hysson, de muito boa qua-
lidade, a 500 rs. a libra ; na rua do Crespo,
n 23.
Vende-se urna mulata que corta e faz
camisas de homem, cose com toda a perlei-
Cflo costuras de alfaiate, isto he palitos, cal-
cas, jaquetas e colletes, engommadeira, boa
cozinbeira do diario de urna casa, nflo be-
he espirito de qualidade alguma, he muilo
fiel e boa compradeira ; urna prela de An-
gola, de bonita figura, moca, sem achaques,
boa engommadeira e com outras habilida-
des que se nformarSo; u.iia mulatinba de
10a II annos, com principios de costura, e
le bonita figura : na rua larga do Rozario
n. 48, primeiro andar
Manteletes ecnnotlnlios.
Na rua Nova n. 6, loja de M.ya Ramos & C,
acaba se de receber de Franca um soriimon-
to de manteletes e capotamos do seda la-
vrada e lisa, da ultima moda, e que se ven-
dern muilo em coma.
Cha superior. '
Cha'superior, brasileiro, e da
ndia a 3,000 rs. a libra : no
pateo do Cllegio, casa do livro
azul
Para vestidos de senhoras.
Vendem-se os mais asseiados manguitos
para vestidos de senhora : na rua do Quei-
mado n. 9.
A pr ra em Fernambuco, pelo doutor
Urbano Sabino, ornada com o re-
trato do desembargador Nunes
Machado : vende-se no pateo do
Cllegio, casa do livro azul.
Veude-se urna bonita crioula de17an-
nosf que engomma, cozinha e faz lavarinto;
atrs do- Marlyrios, 1 ua do Caldeiro, n. 46.
-- G/ande sortimento de chapeos de sol
de panno trancado, muilo glandes, com ar-
maces de baleia das mais fortes, cabos de
latao e de pao, proprios para senhores e fei-
tores de eugenho. A cidade de Pars, rua do
Cllegio, n. 4.
Vendem-se relogios de on-
ro e prata, patente inglez ; na rua
da Senzalla-ova, n. 42.
1 11 a pro* de sol para -culi 01 as.
Vendem-se chapeos de sol de seda com
franjas, muito ricos, com cabos de raarfim
e dos mais modernos. A cidade de Paria
rua do Cllegio, n. 4.
Vendem-se chapeos de sol de seda pre-
la e de cores a 4,500, 5,000 e 5,500 rs. cada
um, com armac&o de baleia e muilo bons.
A cidade de Pars, rua do Cllegio, n. 4.
OQOQOOOQOOOOQOOOQO
O Vende-se farinha de man- O
dioca muito bureta en: suc Jj> '
q cas : na rua da Cadeia n. 1. ^
0Q9OQ9Q 3OQ0OOQ9Q9
-- Vendem-se 3 mei'agoas no becco do
Falcfio : na rua Imperial n. 34.
Vende-ae urna escrava crioula de 16 a
18 annos, que engomma, cose e cozinha :
na rua do Fogo u. 23, se dir quem vende.
palos liai alos.
Vendem-se borzeguins para homem, a
7,000 rs. o par ; sapatos de Na ules, a 5,000
rs. ; ditos de lustro de urna sola, a 4,000 rs.
Aellesqueso baralissimose poucos: no
ylerro ua Boa Vista n. 58, loja junto a de
selleiro.
--Vendem-se facas para mesa e sobre
mesa com cabos de marlim e de osso, mui-
tu linas ; c. li.en s de metal de principe pa-
ra letrina, suupa, cha e assucar ; chaleirss,
panellas, fregideiras e cassarolas de ferro
torradas de poicellan bules e cafoleu.s
-le metal ; machinas de lazer caf : armas
linas para cafa ; fecliaduras linas com 2
chaves para portas de salas : ua rua Nova
16, loja de feragens, de Jos Luiz Pe-
lr I I I .^
rato pre?o, a tratar na rua da Ca.
deu do Hecife, n. 49.
Na loja amarella da roa do Crcs.
pon. 4,
vendem-se chapeos vardadeiramente fran-
cezes; ricos corles do colletes de casemira
merino, setim, todos bordados a agulha
ohegados ltimamente de Franca; riquis-
slinos lencos desaija italiana ; gros deN-
>oles de cores para grvalas; e outras mui-
tas fazendas de seda da ultima moda.
a fora da provincia, ou
para o interior, um bonito escravo de 25
anuo, orioulo : O motive porque se vende
se diraaocompeador: na rua larga do Ho-
zarlo n 36, botiea de Bartholomeu Francis-
co de Souza.
Na fabrica de tarros nos Cocliaos,
defronte dBioapItal novo,
vende-se um cabriolet descoberto, novo
com os pertences tambem novos, do melhor
gosto.
Vende-se na rua das Cruzea. primeiro
andar n. 36, leite puro a 200 rlaa garrafa,
Um par por i,roo rs.
Vendem-ae sapatos de couro da lustro fran*
cezes, de forma e sola ingleza, pelo dimi-
nuto preco de 6,500 rs. o par; ranna di
India vardadeirs, psrs fer bengalas ; cha.
pos de Manilha finos : na rua Nova, n. 2.
Vende-se unta prela moca com cria,
para fora da praca ; unta dita sem cria, que
he coziuheira ; porm queso quer servir
quem a mandar para a rua : na rua do Cres-
po, n. 17.
Pm-i.i J i_....JJ----------Lll IL_u
^Escravo^iFugidos.
Fuglo, no dia 11 do corrente, o preto
Jos, de 18 annos, alio, secco, bem preto,
pernaa compridaa e alguma cousa tortas,
ps grandes, rosto pouco redondo e buchei-
xudo, beicos grossos, denles chatos ; levou
camisa de algodo trancado branco, calcas
azues de algodSo. Roga-ae aa autoridades
poTiciaese capitSea de campo, que o ap-
rehndame levm-no k ru Augusta, casa
terrea defronte do oouaero 16, que sardo
recompensados.
-- Acha-ae fgido, desde aeiembro do
annopassado, um preto da Costa de nomo
Victorino, ofiicial de earpina, que represen-
ta 30 anuos, com talhos no rosto, uso da
sua trra ; consta andar trabalhaodb orcul-
lo em algumas obras a titulo de forro ; esta
escravo fui da fallecida 1). Mariana Tbeirza
de Jess Siqueira : quem o pegar leve-o
defronte de S.-Francisco, n. 7, por cima da
chocheira do Sr. Frederico.
No dia 3 da
n.
reir.
agosto proxi.no passado
fugio, dositiodeSebasli&o dos Oculos Ar-
co-Verde Pernambuco, so lugar da Cim
pellinha do Mondego, o seu escravo de no-
me Sabino, crioulo, de 24 annos, estatura
ragular, reforcado do corpo, testa redonda,
denles mos, beicos grossos, bem fallante
falla branda ; be natural do Haranho;
foi escravudo fallecido Antonio Rodrigue,
de Miranda, e foi mandado vender Dfla ci-
dade pelo lefiamenteiro : quem o pegar le-
ve-o ao dito sitio so annunciante, quegra^
'^cara generosamente.
- Fugio, no dia 6 do corrente, o escravo
Je de na'cSo Angola, mas paree* crioulo,
alto, cheio do corpo, cor bem pretp ; tem
sfgnal de panarisso em um dedo, que ha
uouco sarou ; tem as pernaa arqueadas :
quem o pegar leve-o ap palacio da presi-
dencia, a entregar ao ajudapl de ordeos do
overno, que gratificar.
-- Fugio, na inanha do dia't do corren-
te mez, do engenho ,Velho de, JaboatSo, o
prelo Filippe, de nacfio Congo, de 30 annos
pouco mais ou menos, altura e corpo re-
gulares, olhos pequeos, cara comprida e
larga ; levou camisa e ceroulas de algodfio,
com a marca F na abertura, feito de ponto,
na peina da crioula a mesma letlra F .lu
linha encarnada ; lem o andar um pouco
halancado, ou (areola; costuma a irazer
cingida a cintura urna patrona ; tem al-
guus cabellos no buco e no queixo, bem
feno de ps e pernas, cor um pouca aver-
melhada : quem o pegar entregando'ao
proprietario do mesn.o engenho, ser ge-
nerosamente gratificado.
Fugirfio, do engenho llha-das-Mercez,
os prelos Candido, crioulo, de meia idade,
calvo ; tem dous dedos da m.to>direila co-
midos da mo> nda do engenho ; tem as per-
nas arqueadas : Conrado, baixo, com aa
niaces do rosto bstanles salientes, nariz
elisio ; suppoe-se lerem seguido paia Paja-
h-de-Florrs : quem os pegar leve-us ao
dito engenho, que ser gratificado com
50,000 rs por cada.
-- Desappareceu, no da 9 do corrente, o
escravo FJias, de Antonio Ferreira de Bar-
ros Campello, de estatura regular, cor pro-
s, de naeao Angola, de 20 annos ; tem urna
cicatriz vertical sobre a aobranselha esquer-
da ; o embigo saliente, denles limados de
postas, queizadas grandes, pernas um
pouco arqneadas dos joelhos para baixo,
parece ter mo genio : quem o pegar leve-o
ao engenho S.-Kartbolomeu, ou na casa do
commandanle do corpo de pplicia, no lar-
go da matriz da Boa-Vista, qua recompen-
sar generosamente.
Fugio, no dia 15 de abril do corrente
anuo, di cidade de Olinda, a escrava Rose-
na, cabra escura, de 35 annos pouco maia
ou menos, aleijada dos ps, por ter tido
cravoa as palmas dos mesmos; tem il-
gumis marcas de relbo as costas ; be na-
tural do Aracaty : quem a pegar leve-a a
mesma cidade de Olinda, rua de S.-Jofio
n. 15, a Antonio Joaquim Rabello, que se
gratificar
No dia 4 do corrente fugio um preto
de nome Joaquim, de uaco Cacange, est<-
tura regular, representa ter 20 a 22 annos,
com ponta de barba, cor um pouco fula,
cara redonda, nariz chato, mas todo arre-
panbado em roda que parece ter sido quei
madura ; levou ceroulas ecamisi de algo-
dflo trancado. Roga-se as autoridades po-
liciaes e capiles de campo, que o apre-
hendan! e levein-uo a rua larga do Hozar 10,
11. 18, que serfio gratificados.
Fugio, no di 12 de setembro prozimo
passado, o escravo crioulo, de nome Jorge;
he alio'e secco do corpo, cor bom prela i
tem ralla de denles na frente, porm he
moco ; quem o pajar leve-o ao Alerro-dos-
Afogados, a Atuoslo da Silva Gusmflu, que
gratiUcar,
MUTIL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ES0921BDE_PHC3T0 INGEST_TIME 2013-04-24T20:13:17Z PACKAGE AA00011611_07037
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES