Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07036


This item is only available as the following downloads:


Full Text
*
lpippjJUi,,JJ|i.J
Atino XXVI.
SegundVeira 14
PABTIDAS DOS OOBaVBIM.
Goiann e Parahlba, s segundas c sextas fclras.
Ilio-Grande-do-Norle, todas ai quintas felras ao
meio-dta.
Cabo, Serlnhaem, Rio-Formoio, Porto-Cairo e
MaceirJ. no 1., a II e 21 de cada mei.
Garantame e honllo, a 8 c 93.
Hoa-Vista c Florea, a 13 e 28.
Victoria, i quintal frirai.
Ollnda, todos o diai.
EPHMaiaiDEfl
Nova,
) Cresc.
a A, aoa 30 m. da t.
a 13, aoi 10 m. da m,
Piusa* o wa.jc,,,. 2,;ao, 15 ,. o-Yn,.
\ Wing. a 98, s 2 horas da I.
ralAMAH DEUOJE.
Primelra ii 11 horai e 42 minutos da ruanhaa.
Segnnda aa 12 borai e 6 minutos da tarde.
de Ouubro de 1850.
M. tt2.
piittjo da suacnrqlo.
Por tres meiei (adlantados) 4J90O
Por tela mea** 8#00(i
Por um anno J500O
*as
da da semana.
J1 Seg. S. Calillo. Aud.do J. doi orf. edo m. 1 v.
15 Tere. S. Therea de Jeius. Aud. doJ. da 2. v.
do clvel. e do dos feitos da faxenda.
18 (,>uart. S. Martlniano. Aud. do J. da 2. v. do e.
17 Oulnt. S. Heduviges. And.do J. dos orf. edo in.
del. v.
18 Seat. S. Lucai. Aud. do J. da 1. v. c. e do doi
feitos da faxenda.
12 tab. S. Pedro d'Alcntara. Aud. Ja Chae, e do
J. da 2. v.docivel.
20 Dora. S. Joo Canelo.
aa
CAMBIO XH 19 OK OCTUBBO.
Sobre Londres, a 28 Ir* d. por LJ000 rs. a 80 das.
. Pars, 346.
> Lisboa, 100 por canto.
Ouro. Oncas hcspanhola* 29/000 a
Mocdasdeo/iOOvelhas. 16/000 a
de 0/100 oras 16/100 a
de 4*000....... l'/'OO a
PraU.-PaUc6ea bfasih. i ros.... |/*0 a
Pesos columbarios..... oSo *
Ditos mexicano*........ l/w
30/000
16J400
16*200
9/00
1/980
1/980
1/82
DIARIO
PARTE OFFIGIAL.
GOVERNO DA PHOVINCIA.
tiO DA 10 DO CORRENTE.
Elm. presidente de Santa
quo dcgde o nrmoiro de
i, ee**ou o luga ment da con-:
igncg tenia) de 30.600 lia. qoe aqu
deixrao niajur graduado do auto batalhBo
deC'C*uore*io4i.iai de JtoaUea tariuo,
ooi o verBWxc. da frua qu remelte.
Hilo Ao Exm command'nt das armas,
oovmunicando que S, M. o Imperador, sa-
ftundn fui declarado pm aviso do ministerio
da guerra, datado de 20 de setembro ultimo,
houve por be ni man'ar dar lisixn do servi-
Sao cadete do segundo bat*lh!tn de ni-
aria a ji Aprigio Jualiniano da Silva Gu-
msrea.
Dilo.-Ao inspector da tliesouraria da fa-
zeml, inieirando-n de haver S. M o Impe-
rador, nomeado para os lugares abaixo de-
clarados os idadflos seguidles :
Para a reeebedoria d renda* internas.
Administrador Manuel Carheiro deSouza
Lacerda. Por decreto de 94 de juftio ul-
timo.
Amanuenses, Angelo Custodio Rodrigues
Franca e Uriel Gomes de S.
trancante, Agostinho Jos de Oliveira.
Para a meta do enmutada.
Amanuense Pedro dos Santos Bozerra.
Para aalfundcga.
Amanuenses, JoBo Carneiro Lins Soriano,
Florencio Dpmingues da Silva e Juvencio
Augusto de Atliayde.
Para a cantadorm da theuuraria de fasenda
Pnmero escripturario Manoel da Silva
Ferreira Jnior.
Segundodito -F rederico Augusto rieLemos.
Por decreto do 4 de setembro ultimo.
Dito.Ao msalo, transmitiendo o aviso
de urna letra na importancia de 1:160,000
ris, sacada pela Uietouraria do Rio Graode
do norte sobre a desta, e a favor de Antonio
Marques da Silva.Participou-se ao Exm
presidente daqualla provincia.
Dito.Ao inspeatorda pagadoria militar,
devolveudo o atestado e piets relativos aos
vencimenlos que se est a ilever a Jos Lu-
ciano Cabral ex-segundo sargento da com-
panhia de arlilicas, a ordenando que a
termos do aviso de 31 de agoto prximo
passado loe mande pagar a importancia dos
' ditos vencimenlos.
Dito.Ao mesmo, inteirsndo-n dd have-
rem as pracas do quinto batalhBo de fu?i-
leros e segundo e catadores, comprehen-
" didoe na relcelo que renwtle, depois de ul
timado o seu lempo de servico, contratado
nos termos do decreto e regula ment de 18
de no\embro de 1848, para continuar no
mesmo servico, medanle as gratificeos
declaradas na citada relscBo, e ordenando
que mande pagar as referidas pracas as
mencionadas gratificarles, sendo 50,000 rs.
vista, e o resto em prestarles mensaes de
10,000 ris.-Comiounicou-ae'ao Exm. com-
niaudaiite das armas.
Kelafto a que u refere o oficio cima.
Quinto batalhBo de fuzileiros.
Cabo de etquidra-Miguel Bernardes 180,000
a Manuel Francisco 180 000
Antonio de Lima 180 000
SoldadoAndr Cursino 180,000
a
a
Francisco Barboza 180,000
Themoteo Maitins de Gou-
vea iao eoi
Sigismundo da Luz I8n.00n
Bernardo MenaoGoncslvesl70,<.Ou
Segundo batalliSu de caca lores.
Msico da segunda ciaste Manoel Vicente
Boa rea 180.000.
Dito.Ao mesmo, transmittindo copia do
aviso do ministerio da guerra de 80 de S-
tembro ultimo, ao qnal veiu annexoopro
cessu que remette sOb n. 180, de Anua Joa-
quina de.Sou7a.viuva do alfares de primeira
linda F-lit Comes Coimbra, sOm de que
faca constar a iiiesma viuva, que nos termus
docit'd aviso dte juntar a sua pretenda
os lilulos originaos, tanto da divija quera- matados por um anno e pelas quanlias lo-

clama, como da su* liabilllacBo.
Inio.-Ao inspector db arsensl de marinha,
para que i vista do ornamento que {remet-
te, mande fazer os cuncortos de que neces-
aila o eacaler da repari lo de sade. forne-
ccr.d- per irr.prcstr ''"c (!?!!*!! ar-
senal para o seivico da mesilla reparlicfiu,
ero qiiarrto senBu concluir u> referidos con
certas.--tntellige'BCiou-se ao pioveJor da
aaftS-^
Dito.-AO inspector da thesouraria da fa-
zenda pi immunicando que se-
gundo fui declarado em aviso do ministerio
da, datado de 17de setembro ulti-
idicado, vista da disposicBo
S 30 do regulamento de 10 d.
passado, requerimento em que Ma-
noel Josquim Ramos a Silva o ouiros pe-
diamao governo Imperial ser admillidos a
sellar as letras emitlldas por aquella the-
souraria,
Dito.Ao mesmo. para que mande adian-
tar ao enginhuiro director das obras publi-
cas, que assim o requisita, a qua.nlia de
8:000,000 ris, para conlinuacSo das obras
da can de delen^Bo lotelligenciou-se ao
viv mu unit.-t.
Dito.Ao commandante do corpo de po-J
licia, ordenando que mande spresenlsr ao
delegado supplente do Ia. districto do termo
do Recia, uudia que por elle lliefor desig
nado, urna palrullia, allm de cunduzir os
oa s mito Jos Teixeira e Manoel JoSo,
Garanhuns, e bem assim um oulro qoe tem
de ser mandado para o termo do' Bonito.
Dito.Ao agente da companhia das bar-
ca* de vapor, difendo flear .cenle de
terem fleado na corte, para seren conduzi-
lo no vapor Imperador, os dota retratos da
S. M. o Imperador, que em ofllelo de hon-
tem reemmendou mandasse entregar ao
inspector do arsenal de marinha, orde-
nando qoe logo que chegue o referido va-
oor man'ie-ns entregar o mencionado in-
welor Ueste sentido ofllciou-ee a* ateaaa*
innector.
Dilo Ao delegado suoplente do primei-
ro districto dn termo do Recite. remtt'n-
do o requamento e mis papis do preso
Francisco Ignacio do* Santos, bem rain
info*m*cBo que deu acerca de ana proten-
clo o subdelegado dn primero disiricto da
freguezia dos Afogadoa. aflTj de que faQa ex-
trahire enve urna copia do ofciodeque
faz mencSoo final da referida inform*flo,
que ser devolvida com o citado requeri-
roento.
Dilo.Ao delegado do termo do hio For-
mozo, direndo que para poder cumprir n
que foi ordenado em aviso do ministerio da
guerra datado de 16 de agosto ultimo, faz-
a mi*W que Smc. depois de ouvir o sub-
delegado daquella fregusia, informe com
urgencia acerca do requerimento que remel-
le de Flix de Gantalice Ferreira, o qual se-
r devolvido com os'documentos que a elle
vam snnexoa.
Portara.Ao commandante do hrigue-
escuna Canopo, para que quandq tiver de
seguir para a illia de Fernando, receba a
seu bordo e couduza para all a familia do
preso poltico Antonio Borges da Funceca,
e bem as-im a bagagem da mesma familia.
Dita.Mandando por em liberdadeo re-
cruta Manoel. Vicente Ferreira, por terapre-
sentado insenc.lo legal.
Dila.-Goncedendo a dimissSo que pedio
a professora de prime iras letras do callego,
das orphSas Mara Theodora de Jezus Car-"
lozo.-Fizereram-se as convenientes com-
munica(8es.
DEM DOfjIA 11.
Ofllco.Ao inspector da pagdoria mili-
tar, inlcirniido-o dn haver assentado prac
no primeiro batalhBo de cac*do'i Manoel
Flix dos Ssntos, I.nurcmo Fetoza Ferro,
JoSo Jos Rodrigues, Francisco Jos dos
SintOS e Jos Juaquim Saarej, que contra-
tarara nos termo* do decreto e regulamen-
to de 18 de novembrn de 1818 para servir
no exercito, e ordenando quo s mande abo-
nar a cada um delles a graliRcafilo de ris
50,000, sendo 50.000 ris a vista, o o resto
em prestacOes mensaes de 10,000 rs Cora-
municou -s ao commandante das armas.
D.to.Ao inspector do aresenal de mari-
nha, dizendo'que p le fazer seguir para ai
l'arahibii no hiate Etpadare, os quatro re-
paros de ariilhaia que virrem da corte
com destino aquella provincia Participou-
se ao Etm. presidente da mesma.
Dito Ao director do arsenal de guerra,
antorisan lo-o a dispender a quantia de ris
171,000, com a pr/ini.dificagSo de 300 em-
boroaes pata satisfacer o pedido que devol-
ve do commandante do segunde batalhBo
do catadores.Intelligenciou-se ao inspec-
tor da pagadoria militar.
Dito.Ao commandante do brigue-escu
na Canopo, dizendo que o segundu-tem pte
l'armada Joaquim Ribeiro GuimarBes, que
se acha depositado naquelle biigue-escuna,
d -ve ser all considerado como destacado
durante a commiss.lo, em que vai sar era-
pregado o mesrao brigue, e que expolio or-
dem ao com.'iiandautu do Calliope pire
mandar psssar para sou bordo o piloto da
brlgue-esauns Andorinha.Expediu-sea or-
lem cima dita..
Dito.Ao juiz municipal sur>plente ds
orimeira vara desta cidde, duendo qu-
nSo Ihe p le ser dada a ordenas que pe le,
visto nflo convir di-tralrr a forca public
com sorvicos est'anbos; que naquolte juizo
lia olliciaes de juS'ica por meio dos quies
deve ser feito o expediente, sen lo abusiva a
pratica que em contrario se tem admiltido.
Dito.-*, cmara municipal deNazareth,di-
zeodo ficar inteiradode haverem siduarre-
jeuiiiialrros
Habeat-e* fui.
De tWniingos Gomes. -" Mandaram ouvir o de-
legado de polica do termo do Recite encarre-
gado do expediente d a secretaria de polica
que loforinasse al o da 18 do andante mes,
e o carcereiro que apresentasse o paciente
na lesiao desse mesmo da ai 11 horas d'aina-
nba no tribunal.
Reearsa crimi.
Recrvente, o julio; recorrido, JosGomei
Calrabra.L'onrmaraui o Aespacbo deque difTlculdade que cata reviaSoollar
dicadas em seu ollicio de 4 do enrente, os
imposto* sobre gado vacuin osuino, e bem
assim o las licencasdos mscales e boeet'i-
rss; e ordenando que ponha novamente
m hasta publ'ca com abstimento, caso mo
ccvciihs ser enhradn nor administrar^", o
imposto das sferi(0es dos pesos e medidas,
visto iiBo terapparecido lauca lores a elle.
Dito.Ao Dr. Ignacio Ncy da Foncoca.
Em observancia ao aviso expedido pela se-
cretaria de estado dos negocios do imperio,
que est linda a sua cummisso no tnla-
meiilo dos enfermns pobres doltioFuruiozo
e Ipojuca, o bem assim que remella sem de-
mora a coula das despezas da mesma com-
missSo, baja Vmc. de dar por cunclui la a
commissBo de que o eocarreguei poroflicio
de 3 do oiez de julho deste anno de tratar
as possoas indigente as povoaijOes de Seri-
nliaem e S.-Amaro, remetiendo com brevi-
dade a conta di* de*pez*s que houver fuito
para eu resolver acerca do seu bagamento.
se recorreu. a \
ApstUecao' erime. .
Appellante, o Julio; apprllada, Mara Fran-
cisca -- Mandaram a novo jury,
nittoanciia.
Appellante, Joi Feil de Mello; appelladoi,
Jni Gabriel de Moraes Mayer e outroi.
Mandaran) ouvir o curador geral.
Appellante, D. Mara Felisinlna do llego Go-
mes ; appellado, Jnaquhn Aurelio Pereira
de Carvalho. Mandaram descer os autos ao
juico do clvel desta clda >e para fazer avallar
a causa e averbar-sr o imposto da diiima.
Appellante, Vicente Ferreira da Funseca ; ap-
prllados. loaqulm Francisco e outro'.lan-
d.iram ouvir o curador geral e depois que
decessein os autos ao julio do clvel para fa-
zer avallara causa earerbar-seolinpoitoda
disima.
DRSIGU1CES.
Appellante, Antonio Germano das Neve; ap-
pelladoi. Me. C.-illiiuiil .-. C.
Appellante, F. Polvier appellado, Paumateau.
KV isOrs.
?assaram do Sr. deseinbaxgador Villares ao
Sr. desrmb-rgador bastos as seguintes appel-
U(des em que ao :
Appellante, Mara Helena Pesaoa de Mello ; ap-
pellada, Catbarina Franoisca do Espirito
Santo.
Appellante, Manoel Antonio Gomes Ribeiro
appellado, Querino Antonio.
Appellante, Francisco Cavalcante de Mello ; ap-
pellado, Joa Francisco Goncalves.
Appellante, Jos Rodrigues Ferreira; appel-
lado, ojuito.
Appellante, Joaquim Galdlno Aires da Silva ;
appellado, Rolioo Jos Correa de AI incida.
Paisou do Sr. desemhargador Bastos ao Sr.
deaembargador I cao a segoioU appellacao eiu
que aao:
AppeUante, Francisca Maria ; appellada, ajus-
l.t..
Passaram do Sr. deaembargador Leao ao Sr.
deaembargador Souxa as seuintei appellaccs
em que sao:
Appellante, o Julio ; appellado, Antonio Jos
Francisco e outros.
Appellante, Joo Ferreira dos Santos ; appella
do, Jos Joaquim de Mosquina.
Appellante, D Rochadla Cacuna Alexandrina
de Mello ; appel lados, Joaquim Pedro do Re-
g e sua mu her
Appellante appellado, D. tiabel Rodrigues Ma-
chado Freir e Franciaco Machado Teixeira
Cavalcante.
Passaram do Sr. deaembargador Souza aoSr
deaembargador Rabcilo as srguiutes appella-
coes em que sao :
Appellante, o promotor publico de Ol ma ; ap-
pellado, Manuel Joaquim Pars llarreto,
Appellante, llernardino de Sena; appellado,
Jos Baplista Ribeiro de Faria.
Appellante, o julio; appellada, Francisca
Mara.
Appellante e appellado,, Francisco Carneiro
da Silva e Jos Fiaucisco Branco.
Passaram do Sr. desembarg>dor Rabello ao
Sr. deaembargador Luna Freir as seguintes
appellaedes eiu que sao:
appelantc, Mara da Malernidade da Invencno
da SaoU Crui; appellada, Maria Manuela de
Jess.
Appellante, Manoel Jos Soares de Aviilar ; ap-
pellado, Domingos Jos Marques.
Paisou do Sr. deicmbargador Luna Freir ao
Sr. deiembargador Telles a seguinte appella-
cao em que sao:
appcliante, o Julto ; appellado, Antonio Jos
da Rosa.
niSTaiaoicoES.
AoSr. deaembargador Leao o seguinte ag-
gravo em que sao :
Aegravaiiie, AttonsoS. MarUn; aggrarado. An-
ua Eliiabet Adelle Poersqn.
Levantou-se a seasao.
enlraram lambem a gritar Viva Napotio !
Viva o presiden te foi isso que deu lugar ao
conflicto, mas como o* combatente* nSo es-
tnte* nto ealves goe que corren foi de alguna narizes que fi
caram bem esmurrados.
Muitos eonselhns provinciaes tiuham-se
pronunciado em favor da reviso da consl-
tuiefio, msatamhem oulro* se tinhan* pro-
nuncia lo contra ella.
F.is-aqui como Mr. Lamartine resolve a
I |.\HII) Hti PKK\..llBlJi;u
rer, 13 SI ODTVBBO Bat 1*5*.
TRIBUNAL DA RhLAipAO'.
SESS.0 DE 12 DE OUTUORO DE 1840.
raasioHciA lavaatNAOO sikho oaasu-
aiaeaooa asno*.
A's 10 horas da manhia, achando-se presen
tes o senhores deieinbargadorea Villares, Has-
toa, Leao, Souza, Rabello, Luna Faelre e Tlles,
falUpdo com cauaa os Srs. desembargadores
o Exm. Sr. cooselbelro Asevedo e Ponce, o Sr.
que vam responder ao]ury na comarca delproldente declaraajwna :~=.
O paqui te inglez Cran, chegado hoje de
Falmouth trouxe-nos gzalas de Londres
datada* de 31 de agosto a 4 de setembro pro
limo passado. Nenhum aconlecimenlu ex-
ii ui .i i nano tinua iniu gsr s Eursps. A
rainha Victoria andava visitando a Escocia
em companhia de seu augusto esposo, e por
toda a parte ia sendo tilu bem acolni Ja que
nenuma duvida Ihe podo licar no espirito
acerca da affeicBo que Ihe conagram aquel-
les de seos subJitos qua all aBo residentes.
O presdeoted* repblica francesa linha-
se ja recolhido da visita que 0zer*,aos|depar-
lamentos do ste, roa* ficava a ahir oulr..
vez para Cheburgo. Na oecasiSo de sua en-
trada em Pars, houve um pequeo conflic
lo entre varios individuos vestidos de blu-
sas, que se acha vam reunidos em dois ma-
gotes distinctos na praca de Chabral. Um
deste* magoteslrajavahlusaaaiue,e o outro
brancas, e tinhsin ido all postados, o pri-
meiro pelo* socuhstas para o lim de faze-
rem urna deoionstracBo hostil ao presidente
quando paasasse, ou como elle* dizem, para
o lim dedar-lhe urna licBo, e o segundo pela
sociedade e dt Jesembn, i*to lie, poios
bonaparlslas, para o lim de, fazerem una
maniestacfio em sentido contrario a dos
prmeiros. Com elletto logo que appireceu
a carruagem do presidente, os blusas aiues
pozeram-ae a gritar Viva a repblica 1 fita
- ..-;./,/;,;'. a 09 outros para cootrarla-los
a A opiniflo he em Franca a verdadeira
soberana ; ella he irresistivel como o des-
t'iio. Realeza, repblica, monarchia, de-
mocracia, legitimdade, orleanismn, bona-
pariisroo,sncialismo,sBo nomeavfins, a opi-
mSo publica hnqum reint-realment* em
Franca. Se ella daqui a 18 mezs di Quero que a ennslitilclo s>ja revista, to-
do o mundo dir a mesma cousa ; a assem-
bla nacional dir a mesma couss a des
peito das faceoes e dosparlidns. Nad* p le
resistir corrente de urna crise de onniSn
m um paiz como a Franca. Pitsgoras, *e
fosse vivo, teria dito que ella he o paiz
lo eco.
N3o haver mas que urna s voz,qnan 'o
a venia letra voz tiver pronunciado o senil-
mente do dia. A asaembla ennstituinte vi-
ra a Pars c>m plenos poderes do poro. El-
la ser republicana, porque a Franca lera
lous anno* para reflectir, e a refl lemonstra a impossihildade de tr-s restau-
racOesem competifflo dedtreitosser repu-
blicana tanto quanto o instincto do povo ;
porp n ser moderadamente republicana
porque o paiz, as transaece*, a prudencia,
o tempo mostrarBo que lo lo n gnverno vio-
lento e extremo he llogicoem urna nacSo
que sobre ludo tem grande repugnancia
guerra civl, isto he, ao suicidio. Ella re-
formar por tanto constituido em lies ou
quatro arlgos.
1 Ella restabelecer a snceridade do
sulTragio universal, a unidade de dreitos e
a paz entre as classes, resiabelecendo o suf-
fragio universal mutilado pela le recente-
mente votada.
2.a Ella livrar o sulT-agio universal
dos elementos realmente viciados, ou de-
masiadamente fluctuamos que o injuriara.
Ella restabelecer o voto por municipios,
ou por grupode municipios Ella destrui-
r o systema execravel de eleicHo por lis-
tas, o qual tira sistemticamente vista ios
olhos para dirigir mal a inflo.
3* 1 lia esta Indecora talvez duas cma-
ras em lugar de urna, porm ambas com
igual poder ; um sen do electivo em vez de
um conselho de estado, o que oceupa o
lui:ar de um poder sera ter a sua accBn
Sustentando era 1848 o principio de urna
cmara, eu mesmo dis-o que s defenda o
sysleroi por cinco anuos, durante o perio-
do revolucionario, porque nelle urna cinia-
ra soberana he obrigada a cada momento a
lomara dictadurae a dictadura nSo pode
ser devidida.
4 Ella examinar a disposieflo da
Franca, o governo mais ou menos feliz,
mas ou menos republicano do individuo
que tiver completado seu tempo e decidir
se dever ou nilo rscarda conslilui;flo de
1848 o artigo que prohibe a reegibilidadn dn
presidente ; ella examinar alm disso se
dever ou nflo prolongar a durarlo consti-
tucional da presidencia durante os prmei-
ros anims'da repblica. Se ella se decidir
pela re gibilidade e pela prolongacfloda pri-
meira magistratura, como he soberana no-
mear um governo ejecutivo provisorio e
convocar o paiz psra a eleicflo de um no-
vo presidente. Se o paiz nomear outra pes-
soa, o presidente se retirara bem como se
retiraran) no lim de sua dictadura forca la,
ou de seu poder legal, o governo provisorio,
a commissBo execntiva. o general Cavalg-
tite, a assembla constituinte, e a repbli-
ca cons'i vlora ser cnlBo fundada.
Eis-aqui a lolufo que o Iwm secso publi-
a constituicao, a opiniao, a lei e o patriutii-
nio do a cita queatao. Porque rasio, poli, 10-
uliar ciHii muras:' Para eisa nao ha necesiida-
le ii.....de iraico. nem de violencia, uein de
golpe de estado, nem de corrupta i do exerci-
11, nem de um 18de bromarlo, nem de um 15
de malo da bayoneta, nem finalmente de um
appell.cao para revolucei. Sao precitas '<)-
mente duas couias, um povo que exerca sua c
soberana por meio da urna eleitoral, e um ci-
liada desioleressado que comprebenda a ver-
dadeira grandeza civil ua pessoa do actual pre-
sidente da repblica. Ambas esta< comal po-
dem reuuir-sc para adiar a soberana pratica
la naco e para dar repblica o nico ele-
mento eque i i i i |nrv,
sua pratlcabilidade eduracao.
A Jalla que o presidente da repblica re-
ce lteme me fe em Lyao parece alienar (oque
cu sempre prniei de aeu elevado noin seuso e
de sua honesta ambicao; que elle assi* enten-
le grande missao que a repblica Ihe con-
liou e que leu uoiiie lem toruado fcil. Se esse
iimne inqulrtou os republicanoi prudentes, se
foi le seu dever advertir a nacao para no se'
deixar arrastrar por una leuibraaca de
que podeiia ler compronieitijo a lber
esse nonio tamben), devenios cufssa-lo t
niinlia parte j o tenhu fciio, poderla teH
furfa i ni.iiiiHcncoo das inslitui(di livreae
eu coineco. povo vive de embraucas e
preconceitos. Esse lime cercou o berjo da
repblica de leuibraocas e prrcooceltos.
estadistas beWavisados fazem uso de ludo, an-
da mismo de uiu perigo alim de conseguir
que as insiuicoes que querem legar ao seu
paiz lance ni prufund.s ranas. O lime de So-
laparte pode icr perigo ou salvafio, escolha,
nois. aquelle que o tem entre o applauso dos
quarlela e a lerla e durastoura estliuh lendade.
Em Roma nada de extraoldlnarlo havia ac-
coulccido, o papa ilnha nomeado nina nova
csinmluai para o Hu de. prepai ar aa lejs org-
nicas que prometiera em seu aH propxio de 31
de leteoibau m ana* passado, o carde*! Anto-
nelli he menibro dessa commiaso. a qual re-
cebeu a denominacao de conseibo permanente
da faienda. O que malt oceupa presentemen-
te o espirito do padre santo he a dlffereojja en-
tre o gabinete de Turlm e o Vaticano. Urna
carta de Roma diz que governo pooUtplo re-
cusara eceber o Sr. Plnelll enviado extrAordi-
narlo do re do Plemoote em sua capacidade
offlcial, porm que lso nao obstante, consen-
tir em ouvir as propoitas deque eate fora por-
tador, u re da Grecia liaba deUado os seu*
estados no da 16 de agosto, mbarcaodo-ae no
fjreo a bordo do vapor OOAa com destino a
Trieste, d'onde e transportar para Munich
como j annuncimm. Antas de partir o rri
reconstruir o seu gabineto. o qual flera com-
posto da mnneira seguinte:
Presidente do conselho e minlst-o da mari-
nha, o vice-almirante A. Kriesls; ministrado
interior. G. "otaras; ministra da faienda.
Cbrlstldis; ministro dos negocios eslrangeires,
Dirlyaonis: ministro da inslrucco publica.
Crliotaii; ministro da jistica. Palcos; mi.
nislro da guerra, o coronel Splros Millos.
Alguns tirotelos smenle tem havido entre
as tropas dinamarquesas c as de Holsteln, mas
parece que de parle a parte se preparara para
una accao decisiva. Os dinamarqueses estio
fazendo um recrutaiutmto rigoroso entre os ha-
bitantes da parle stemplrional do ducado de
Schleswlg e o ministro da guerra de HnhUein
proclamou aos seua cuncdados, convidando a
todos que ealiveisem em estado de pegar em
armas a sabir a campo; entreunto suppoe-se
que a questao ser brevemente resolvi4a por
meio da diplomacia.
As desinielligeacias entre Austria e a Prus-
sia relativamente ao eatabelecimenlo do gover-
no central alloman anda nao tiuham podido
ser ajustadas, uliimamenie a segunda recusara
concorrer cora a primeira para a reconilrucco
da dieta federal, e protestara coutra essa me-
dida.
No Egyplo o cholera ia fazendu comideraveis
eitrsgns assim n i Cairo, como em Alexandria,
e ontras partes. Em Londres lambem alguas
casos linhain sido ltimamente observados, o
(no enchcia de susto a luda aquella grande ci-
dde, cojos habitantes lemein mullo, e com ra-
san, urna terclra visita de Lo Urrlvel epide-
mia,
Os consolidados ilnbam fcado all a 9G '.\( .
c os fundos brasilerus a 92 1)2.
Corresponde ncia.
Recentemente chegado a esta cidade,
prooorcionou-se-me ensejo de ver em al-
guns jornies, que aqu se publicara, alguns
arlgos em que Utando-*e do mrito c-
mico do Sr. Cernuno ctual director do
tlioatro do Santa Izabel, ae pmeur.iu esta-
belecer comparseflo enlre esteSr. eo digno
lenle do exercilo o Sr. Beraldo Joaquim
Correa. Amigo como sou do Sr. Beraldo
e imparcial apreciador de suas boas quali-
lades, habilitado estou para fazer sentir a
todas as pessois que com o Sr Berardo, ae
oceuparam era sita coraparacSo, que este
senhor nflo faz consistir seu merecimento
em sobre-shir em sean ao que nella re-
prasenlara. A profissBo que com honra o
ilistincSo procurao Sr. Beraldo deserape-
nh*r, e tem at hoje deseinpenhado com
brioo esmo'o, he*dsnobre ctrreira das
armas, a que so didicou, e em que he ge-
ralmente estimado:*, seo Sr. Beraldo s
Viizes se entrega por dlstraccflo e recreio a
representar em algum theatro particular
he s por satisfazer a pedido* de amigos, e
j.imiis por espirito de grangear applauaos,
ou por disputar primasia a cmico de pro-
fissflo que alias hem louge estflo de com seu
acurado estudo levsr a palma curiosi la-
dedo Sr. Beraldo.
Seria, pois, para desojar que, tendo-se at-
toncBoa que he o lugar deste senhor, o de
um servidor do estado, se deixem os senho-
res, que delle se oceuparam de o tomar
por termo de couparacSoem seu* juizo* e
i.unios semelhante respeito.
u. i- .....pmmmmwmmmm
PublicaQoes a pedido.
BALANCETE 00 COFRE Dt ADMINISTRA-
CAO' 110 PATRIMONIO DOS OKPHAOS.
VERIFIC\DO DO !. DE JULHO A 30 DE
Si: I i:\IHItO DE 1850.
RECE1TA.
rtendlinento do patrimonio B:?iZ/L?
Sobras do collegio das orphias 123,880
6:3.7l.i
S Ido em 30 de junho de 1830 893^60
"7:03Vo73
DESPEGA.
JimiaitlrncHo.
Oi.eu*: c; c::;^.rr:_?_
Diarias aos extinctos congregaaos
'."oncertoi de predloi
l'xp'dlente
llcspezasevenluaes
Collegio toe orfUot.
Ordenadas aos empregadoa
Joman ao serventes
Diarias aos orphos e empregados
U leusli
oncerlos
CUta> mu orphimi.
Ordenada as em pregadas
lomaos as servasUe
Diarlas as orphia* e entregadas
Saldo em 30 de satembro da 1890
^14 \r\Ct
JKSIoe
SOft.S
40,880
SU.9S3
1:062,498
:I9,7(0
1:42I.0oO
31.940
450,000
994.40
1:480,0,10
944 640
tJ839.46i
19A.923
7*035,373
Secretaria da auiiniairaco do palriiuonlo
iM orohi..- em o I.* le ouubro de 1850.
lelo Frantieto i CAaty.
Secretarlo.
Domingoi Afonto Kery Ferreira,
LhMourelro.
I


".-
V
OBM

.


NENIA
iseuUdi/minia morte to llh...
Sr. .Intonio Germano elits
Ve-re, fallecido a 5 fe on-
fttftra te 1850, o/le reculo
por um seu amigo.
Terrlveia sao morte os leus estragos,
!'. ninguem se dir delles Isento!
Qual linda lllor mimosa e perfumada,
Iu i nljofrada das brilhaales golas
Do matutino orvalhocahe por Ierra,
Involta em poe iniirclia, porque a liaste
To tenue, par alguein Tora cortada ;
assim caheni tuas victimas, morte,
A's tuas inos sangrentas nunca dras
i>c a cada inslaute, destruir mil vidas I....
0 coraco mais eheio de esperanzas,
Mais aferrado s llluses da trra
Ao seu iiirilniilin aspecto o vico perde,
A eiistcncia lne foge, e para seiupre
F.i los quebrados os dourados soulios
Queoviveraineuisa, encanta, enleia! ...
Assim Antonio fol victima la ;
Tao moco anda no verdor dos anuos.
Na nirlhorqiiadra da existencia humana !
Do tal iui.i\;in quein nao comprehende
\ penetrante il.ii! ha pouco vivo,
si,i muiIj ao mundo e ans srus encantos to-
rulnd neiu pal to innocentes rosos (dos,
1 manados da honra ed vlrtude,
lne mais suaves sao menos precarios;
Hela morte t Kilo Trio Je gelo, eiangue paludo,
Seus olhos sem mal* luz, scui moviiuenlo, -
Un cadav.er eiuAiu! vivo contraste
llu que niur'ura fui.' mai ah .' que todos
llavi'inos de assliu ser! ninguem resiste
\o anjo do exterminio o seu imperio
Abraca o inundo Inteiro = Tria luusa
Todos hilo de descer! verdade austera ;
>lasnica talvez que faino implo
Convulsivo tremer, e que uuaulfre
1 .ute atacos d'alguem todos a creem !
)b quilo frgil nao he ims..i existencia!...
(ualasteiluhaadrlgacada e teuue,
Oe pe fumada flor que o vento quebra !
vlnda ha ponco o vieispiasenteiro
%o rrgaco da pl entre pareutes
F. amigos, que sinceros o estiin .vain,
De linios t>i-iii querido, que p'ra lodus
No fundo corac^iu linh.-i a bondaile;
;heio de vida, eni II .recente Idade ;"
h! ei-lo agora .all, dor, sem vida...
^Tendo por leito mu fretro, e cercado
Di- consternada turma, que prautea
i vacuo que fuera a morte uella,
l'ui prente e um amigo anebaundo-lhe!
Em conjunctura igual nos s resta
Desahafar a dor que nos upprime
i.uin lagrimas regando a frl.i lous
Do pai, do filho, amigo, ou do prente
jtf ciueluieiite n is roubara a uioiie -
triste consolacao; mas necessart*
Ao verdaileiru amor, chara amlsade,-
E coiii fervor rogar ao Ueus supremo
yue se ainerciedacieaiura sua.'...
Continuara a HOrs. a libra. quedlnoeoregulamentode7de malo de 1850.
Vendeu-se de 1,450 a 1,500 Rlfc, ll.de setembro de Itq.
I
f.ouros
Sola -
rs. o meio.
Bacalho Chegaram 7,000 barricas,
daa quaes 9.6000 rratu pa-
ra a Bahia.--0 restante ven-
deu-ae de 10,00a 10,300 rs.
a bm.ica.--Retalhou-se de
11,800 a 12,000 rs. a barri-
ca ; ficando para retalhou-
sa cerca de 5,300 quintaos
Carne secca NSo ha em primeira milo ;
e mesmo em segunda mu
pouca resta.
Farinha de trigo Vendeu-se de 19,500 a rs
a 20,000 a bsi rica da de R-
chemond, de 17,500|ris a
18.500 a dePhiladelpliia, e
a 19.000 rs. de Trieste mar-
ca SSSF.--Ficaram em ser
3,000 barricas inclusive 81
entradas nesta semana.
Mantoiga O mercado fui suppridocom
150 barris vin ia> de Liver-
pool. --A ultima venda da
Ingleza fui effectuada a rs.
410 a libra.
Tnueinlio Veiiil-u-se de 6,900 a 7,500
rs. a arroba do Lisboa.
Queijos Vendoram-se 150 caixas
chegadas depois da ultima
revista a 1,320 rs. cada um.
Vinlios- Fizeram-se ven tas do da Fi-
gueira de 115,000 a 134,000
rs. a pipa.
Existem no pono 50embarcacaa, sendo
3am-'icanas, 36 hrasileiras, 1 fraaeeza, 4
hespanhnlas, 5 inglezas e 1 portugueza.
O engenheiro chefe da 2." sessffo,
Joo tiii Vicor Heuthier.
Approvadas pela directora em conselho, em
sessaodo dia 10 de setembro de 1850.O direc-
tor, lit Mamede Altes ferreira. i7. A. Hile!.
-J. L. Vieto> Lieuthiir.
Apnrovo. Palacio do enverno de Pernambu-
co. 25 de setembro de 1850. Suma ffamni.
Conforme; o impedimento -do, ollicial-
ni.-iini-, oolllcial, Domingos Jos Soar-.s,
Deca raides.
CO^i MERCK
u,
ALFANjJEGA.
Rundimentodo dia 12.....11-139,809
Descarregam hoje 13 de outubro.
Calera Columbio merca lonas.
Polaca N.-S.-do-Carmo .- dem.
Brigue llunnijmede bacalhio.
Barca E.-Wughl bacalho e farinha.
Hiate tjeiro gneros do paiz.
CONSULADO GF.RAL.
Hend monto do dia 12...... 255,5(11
Diversas provincias...... 5,309
260,770
EXPORTACAO.
Despachos martimos no dia 12
Cen-a, brigue-escuna Ixtufa, de 163 1/3 lo
in'iaiHs : ronduz oseguinte : 100 barricas
farinha do irigo, 1 caxa linhas, 31 volunies
fa7endas, 91 garrafiV'.s vasios, 13 banis man-
teiga, 5 ditas bacalho, 5 caixas massas, 5
vulumes drogas, 11 ditus miidesas, 8 pipas,
3 luir ise 2 caixas vinhus, 5 barra cerveja,
49 barrase II taxas f.rro, 2 barricas enxa
das, 6 volumes especiaras, 5 ditos louca e
vidros, 2 caixas espermacele, (barril azei-
le, t fardo alfazen.a, 10 harria cerveja, 2 di-
tos breu. 1 barrica bolacha, 2 voluaies cera,
2 caixas cb, 1 canaslra alhos, 5 ancorelas
uzeiton Iha, i pacute papel, 1 caixa plumas, I bar-
ril tnueinho, 1 pedra de Mitrar, 1 emhrulho
agulhas, 1 birrl geaebre, I canaslra ceb-
las, 1 dila bstatas, 1 pacote oleados, 1 Carla
bonetes, 3 caixas velas de cera, C paos de
jangada, 1 barril nu 1, 1 dilo loucinho, 1 di-
to nicoul, t alambique de cobre, 1 caixDo e
1 pacolecoin 70 caixas de charutos, 3 caixas
rom 300 libras de ra 1 colchSo, 2 fundos
de cobre para alambique, 6 barricas de as-
sucr relina'io, 1 pacote papello, 1 garrafilo
espirito de vioho, i rodas de f.-r o para car-
ioi;.i, I eixode Jilo, 1 par de huchas curti-
das e parafusos.
! iii-.li -J-neiro ciim escala pela. Babia,
btigue aweiicaoo Wtiam frice. de 329 lo-
iieiaua ; cniniu/ o aeguiiiin : tiit voiuine
fazendas, 4ul barricas l'anulu de trigo.
Hil.KlfKDultlA DE BE.NDAS CEU A ES
LNTEKNAS.
Ben di ment do dia 12......290,448
CONSULADO PROVINCIAL.
Mov ment do Porto.
a
Natos entrados no dia 12.
Aracsly pelo Ass 13 dias, hiate nacional
\ngelica. de 91 toneladas, mestre Jus
Joaquim Alves da Silva, equipagem 5, car-
ga i-iuiros e sal ; a Antoniu Jnaquim Seve
l'assiigeirns, I) Theruza alaria Jpsus
co o sua fa na e urna cscrava, Itaymun-
do Lo es Vi- ra, An onio Theuiotheo Pe-
reira Cambual e Manuel Comes das Ne-
vos, Brasileiros.
San-)latheus por Porto-Seguro 18 dias,
lancha nacional N.-S.-du-Penha, de 38 to-
neladas, mestre Ju.- Antonio Dias, equi-
pagom 6, ca'ga farinha efeijfio ; a Novaos
ii Companhia.
'uciiii saludos no mismo dia.
Parahiha Mi. t nacional Espadarte, mes-
tre Victorino Jos Pereira, carga varios
gneros. P-ssageiro, o Brasileiro Manuel
Jos ile Paiva.
Liverpool ida Parahiba Barca ingleza
Thomas-Velln, capullo C. C. Purciase,
carga assucar e algodSo.
Navios entrados no dia 13.
Miicoii'i 3 das, brigue initlez i lint, da 306
toneladas, Capililo John Wiiglil, equipa-
gem 15, ca'ga algndAo e assucar; a Ja-
nes Crahtreo & Companhia. Passageiro,
o Porluguez Joilo de Albuquerque e
Mello.
Falmoulh, illia da Madeira e Canarias 37
das, paquete inglez Cmne, commandan-
te John Parson Passageiro, llarris.
Fundeon nol.ameirSo.
Nados sahidns no mesmo dia.
Ilio-ilo-Jan.-iro pela Babia Brigue ameri-
cano iVilliam-Price, capilSo Daniel (Juig,
carga farinha de trigo e fazendas. Passa-
geiro, o americano John Disney.
Maranho -- Bngue-escuna Laura, capito
Antonio Ferreira da Silva Santos, carga
varios gneros. Paasageiios, Antonio Hil-
arte do Valle Sohriuho, Francisco Jos
Pacheco com 1 escravo, Antonio Eugenio
da Fonseca, liento Antonio Esteves, o Dr.
Francisco Doiniugueg da Silva com aua fa-
milia, 3 escravos e 2 cria los,
MossamedeS" Barca portugueza Brocharen-
se, capito .Manuel de Azevedo Canario,
carga ago'ardeule e mais gneros. Con-
duz 103 passageiros.
dem Brigue de guerra porluguez Douro,
commandante o capilSo de fragata V. J.
S.Lima. Couiluz25 passageiros.
IU1TA1&*.
Rendlmento do dia 12...... 695,579
PRACA DO HhCIKE. 12 DE OUTUP.RO DE
1850. A'S 3 HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios Por falla de navios para '
Europa, nao tnm havido
Iransercea, as ha letlras
olTeiecidas a 28 1/2 d. por
1,000 rs. depoa da chegada
de noticias do Rio-de-Ja-
ni&uav
neiro.
Va. ("H*.-
-S8 ss S5i sseess
entradas nesta saman* a rs.
7,80o a arroba de priinei
r sorlo, e 7,400 rs. a de st-
gunda.
Assucar i A entradas fram limita-,
das,- -- Vendeu-se o masca-
vado ensacado de 1,450 a
1,500 r*. a arroba.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria da
fazenda provincial, em cumprimento rfa re-
aiiluc>> do tribunal adminisirativo de 10
docorrente.e em virtnde da lei do orc,amen-
tovigente art. 31, 20, mana fazer publi-
co que. peranle o mesmo tribunal so h d->
arrematar nos dias 22. 23 e 21 do eorrent',
por venda a quem mais der o p-nprin pro-
vincial denominado Jardn) Botnico na-ci-
dade de Olinda, avahado em 2:800,000 rs.
As ppssoas que se propozercm a esta arre-
mataQo cumparecam na sala da sessoes
lo mosmn tribunal nos das cima mencio-
nados pelo meo- lia. F para constar se
r.an hu allixar o p osonlo o publicar pelo
Diario.
Secretaria qa thesouraria da fazenda pro-
vincial de pernamhuen, 12 d oiiluhrn de
1850 -O secretario, Antonio l'erreira d'An-
nuaciurdn.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria da fa-
zenda provincial, em cumprimento da ordem
do K x 111 Sr. presidente da provincia de 26 do
crreme, manda fazer publico que nos dias 22.
23 e 24 de ouiubio pnikiuiu futuro ir a prara
para ser arrematauo a quem por menos bxer,
parante o irilinii.il administrativo da ineama
thesouraria, a obra da ponte de Iguarat., ava
Baila em 2:188,700 rs. e tdb as clausulas espe-
claes abaixo declaradas.
Os pretendemos coinparecain na sala das
sesades do subrdlito tribunal nos diasarima
nilu-.-lilus, pilo lucio iba, ciiiiincli-mciiii'iitc ha-
biliailos Da forma do artigo 24 do regulaiuen-
lo de 7 ile inaio do crrente auno.
F.para constarse niandou alBiar o presente
e publicar pelo Mario.
Secretaria da thesouraria da fazenda provin-
cial da Pernambuco, 28 de setenibro.de 1850.
O secretario,
Antonio Ferrtira a"Annuneiacdo.
Clausulas especise da arr 1.a As obras da ponte de Iguarass, serio
fritas pela forma, sb as condicoes do modo in-
dicado nos riscos e orcainenlo juntos, appro-
vado pela directora eoi conselho, e apreaenla-
dii ao Esnt. Sr. presidente da provincia pelo
,,. fyo de 2.388,700 rs.
2. As obras princlpiarao no praso de um
iiiez, e seio concluidas no de quatro inezes,
ambos contados da entrega do termo da arre-
maiacao.
3." O pagami-nto ser folio de cnnfnrinidaile
com o artigo 38 capitulo 3.* do regulainenla de
7 deuiaio de 1850.
4." Para ludo o mais que nao est determi-
C0NSULAD0 DE PORTUGAL EM PERNAM-
BUCO.
Joaquim Baptiata Moreira, bacharel forma-
do em direito, cavallniro da orden do
Christo n cnsul de Portugal em Perna ta-
buco por S. M Fidelissitna a Senhora D.
Maris II, que Dos guarde.
Faco saber a todos os meus compatriotas
residentes neata cidade e provincia, que por
o'rdem superior, que me foi transmitida, e
os;iecialmente recommendada, para o flrn
de se poder dar o conveniente cumprimen-
to as disposicOes sobre estatiatica, e outrss,
se devem apreaentar neate consulado todos
os suflditos portugupzos, que, lendo aqu
lixado a sua morada, anda se nSo houve-
rem nelle matriculado, como lites cumpre,
ndo s para a devi Ja regularidade, mas pa-
ra que assim se possa mais promptanieiila
lar a compativel' protecso desti consu-
lado
Convidando, pois, os meus compatriotas
ao cumprimento ilest" dever, no mais breve
osnnco de tempo, Ihes lemhro tambem po>
eta occasilo o dever que igualmente tem de
an munrem dos respectivos ttulos de re-
sidencia, nafma dos regulamentns puh-
ciaegdesle imperio, para se livrarem dos
"mbaracns que Ihos pode causar a falta del-
la, > melhore maia perfeitamente terem o
dirello competente garanta das autorida-
des hrasileiras, e as respectivas seni;0os co-
mo estrangeiros. Consulado de Portugal em
l'ernamhiico, ans 17 de julho de 1850.
Joaquim Baplisla Hnrelra, cnsul.
As "alas que deve ronduziro paquete
inglez f?ran para os portos da Rabia e Rin-
de-Janeiro prinoipiam-se a frehar no dia
15 do'cnrrenle s II horas do dia, depois
desla hora com o porte duplo al ao meio-
dia.
Lista geral das carias que ficar uta em ser nos
inezes de julho a setembro de 1850.
( Continuacflo don. 231. )
Rraz Antonio da C. Alhuqnerque, Ileli-
sario A. Cavalcanti, Belarmino Juso de Me-
leiros, Bazlio Antonio de Siqueira B. Ba-
lisaro Andrs. Bernardo AlemSo Conlho,
Bernardo Argelino da Pieda le; Bernardo
Fernamles Cama, Remarlo Pereira Mallos,
Bernardn Venancio, Bernardo Jos de Car-
va loo, Bernardo Jo- de Queiroz, Benedicto
M. de Campos, Bernardino de Sena, lenlo
Handeira F. M liento Joaquim M. Manri-
ques, Bento Jos Medeirus, Bslduiono Joa
Ferreira A., Benedicto Jui Barros, Bene-
dicto Pedro da Cama, Candida Florencia da
S. Clara Mara da ConcaicBo, Can lda M
Sacramento, Cathirina Pereira, Chrispim
Antonio Miranda, Constantino A. Tava-
res, Cypriauno A,1). MagalhSes Cyprianno
Correia Lima, Candido Francisco Carpy,
Clementino Jos S., Carlos Antonio da Car-
valho, Carlos Eduardo Muchlert, Custodio
Jos Pereira, Caelaoo Estellita C. Peaao,
Caetano Gaspar Lopes VllahOas, Dalphina
Mana Ferreira, Daonisio jEleuterio Menezes,
I) jarte Jos Marques, David Amnrico Azeve-
do, Daniel Aceoli Azevedo, Dalphim) A
Aniaral Souza, Dellino Augusto Cavalcant
Albuquerque, Domingos Antonio-da oltttai-
ra, Doiliingua Antonio, Domingos Carneiro
Lime, Domingo Francisco llaowralno, Doi.
i.ingos Jus DiaaUliveira, Domingos Lima
Viegas, Domingo* M. S. C.
tConii SKir-ie-Aj.J
mestre Joa Congalvea Simas : para carga e
oassageiros trata-se com o mesmo mestre,
ou com Luiz Jos de S Araujo, ra da Cruz
numero 33.
Para o MaranMo e Para
segu, com a maior brevidade possivel, a
escuna nacional Emilia, de que he capilSo
o pratico Antonio Silveira Maciel Jnior :
quem na mesma quizer carregar ou ir de
pasaagem, entenda-se com JoSo Cario Au-
gusto da Silva, ou com o capilSo, na ra da
Cruz, armazn! n. 1S.
Leilao.
Ocorretor Olivera far. leilSo no seu
escriptorio, da mobilia e objectos seguinles:
cadeiras, commodas. mesas, ditas para sof,
aparador, toucadores, marquezaa, lavato-
rios, consolos com lampos de pedra, 1 ca-
deinnha de arruar, um rico relogio de ci-
ma de mesa, outro lito, proprio para es-
criplurio ou reparlicSo publica, quadros, I
carlnira nova de urna face, estojo de facas e
arfo, um rico apparelho d porcellana
brinca fraoceza para jaula', outro ditos pa-
ra alinov-o, garrafas e copos galheteiro, por-
ta-licor, candelabros de bronze, differentes
obras de ooro e de prsla, e muitoa outro
objectos : segunda-feira, 14 do crranle, s
10 horas.
Avisos diversos.
Theairo de 8. Isabel.
24" RECITA DA ASSIGNATURA.
Quartafeira, 16 de outubro de 1850.
Represenlar-se-ha a comedia em tres
actos
AS MEMORIAS DO DI ABO.
No lim da comedia oSr. Theodoro Oreste,
a pedido de alguns amigos, tocar na sua ra-
bees lindas variarlos.
Terminar o espectculo a graciosa fa rfa
O vi-llio pcrseg-uldo,
que finalsar com o coro da galopa'a.
Comecar s 8 horas.
Os billietes acbam-se venda no lugar do
entumo.
i
Publicaca lilleraria.
A famosa IqSosobre a nena de morte com-
posta, e dictada na uuiversidaie de Pisa pe-
lo resp-itavel Carmignani u-n dos inaiores
criuinalislas da Europa, est traluzila do
italiano em vulgar pelo padre Lopes Csma.
Ven le-se em Santo Antonio, na lija de li-
vros que foi do fallecido Dr. Coulinho, na
esquina du Collegio ; O bairro do l'o cifo,
na luja de livros do Sr. padre Ignacio; na
Bns-VisU, ns fcelie; do-sr n.m?irn. ,.,,,
Olinda, roa do Amparo, botica do Sr. Ra-
poso. 1'reo.o dez tosles.
O bacharel formado JoSo Floripes Dias
Brrelo advoga nocivel e no crime : as
pessoasque de seu presumo so quizarnm
utilisar, o pdem procurar a qiialquer hora
lo dia na casa de sua residencia, na ra
Nova, n. 52
Constando a alguns irmSos da venera-
vel nr.lem terceira do Carmo, que crios es-
pertellio-s da mesa aiulam avisando a al-
guns ex-mesarios para cotn.iarecerem an-
tes das 9 horas do dia de hoje em dita or-
dem, alim desupprirem as l.ltas daquelles
mesarlos, que nSo coinparecerem, o para
que nilo progrida semelhanie estrategio,
avisa-se, pois, encarecidamente a lodos os
nussos irmSos prufessos, para que oompa-
'opam hojo, as 7 hura i da manhSa em dita
ordem para se'elegero n.ovo prio', fazendo
com isso um servido a nossa ordem.
Preciss-se alugaruma preta que taiba
cosinhar o diario de ulna cesa e engomme,
preferindo.se captiva : quem tiver e quizer
alugar, annuucio por esta falha para aer
procurado'e tratar do ajuste.
Eu abaixo issigna Ja viuva do fallecido
Marciano do Espirito Santo, em resposta aos
annuncios inseridos no Diario de Pernam-
buco, ns. 227 o 229 postos por Mirciaoo do
Espirito Santo, declaro que eu fui quem
recebi o restante do dinheiro da casa ven-
dida aoSr. Bernardioo Jos LeilSo, e nSo
o meu procurador, e ato foi em presen^
dos Srs Joaquim Celestino Gin^alves e
Bernardino los LeilSo : e, ser melborque
o dito Marciano recqlha-se aos bastidores,
sanio qur que. a annunciante faga ver ao
respeitavel publico a pessima conduela el
as escandalosas traOcancias que Ihe quera | p^am"uC'o\T<"'oUi'^Toi^ 185o7vT
fazer. be*omo, a vo1vde uina casi de. a cerljjflo requeriJa pBi0 Sr. Jos Ferreira
sobrado de seui casal qo. *odeu como sua Barb0M ,flf de esclirecer o eaptlveiro do
ao Sr Bernardioo Jos Leilio por escr.plu- criou|o 'SMao MCMy do ,nnunci,B,e,
pois ha quem diga, que ellas nao f cadas ao Sr. Germano o sim a Sr. Emilia, su
assim he pardee-nos que o mrito dessa Se-
nhora como actriz he bem limitado para
merecer coras, e so esta as recebeu de (lo-
ras, a Sra. D. Joanna merecia-as da ooro e
brilbanlea. A Maritana.
0 abaixo assignado declarou lia dias
passadoa por este jornal, que o seu ex-cai-
xeiro Medeiros Ihe bavia occultado qmsi to-
dos os ludros de sua venda, e hoje sustenta
que esse ladrao o roubou completamente :
'sim roubou-lhe, porque em outro tempo foi
este mesmo Medeiros seu caixeiro, e em 7
mezes gannou 400 tantos mil rs e muito
mais ganharia ae eu estivetsse administran-
do ; este Medeiros sanio de minha casa em
companhia de outro meu caixelroda pada-
ria, levando de fundos cento e tantos mil
rs.: ambos fram para o sul com negocio de
carne, em o qual perdern) no principal 12
mil e tantos rs. O Sr. Medeiros logo qoe
chego'u do sul despenda rom a liberdade
de urna sua lilhinha 100,000 rs. pouco ou
nada Ihe poderia rentar : velo de novo para
minha venda ganhando um terco dos lucro
pelo seu trabalho ; no entretanto qae shio
de minha venda em fins de junho passadfl.
e o seu in'eresse spenas deveria ser de 30
mil rs. em dividas, visto que pelo documen-
to junto, e bem provado por pessoas flle-
diitnas, casadas, pais de familia, e ao mes-
mo tempo todas negociantes, mas foi o con-
traro, usurpou-in nSo pequea quantia a
JoiTo GoncMvea da Silva ReisTeu compa-
nheiro esocio, na viagem aosul empresiou
elle 109,000 rs. emnrestou mais a um seu
amigo, S'gundo dizem, n.aior quantia, en-
trn mais para certa aociedade com outros
tOO.000 rs. comprnu algumas pecas d'ouro
n bastante roupa, como tolo vou prnvar
com pessoasque elle nSo pode desmentir,
e com mais vagar deolararei certa branqui-
nha pratiCida pelo tal Medeiros, mas desla
s a nolcia dever lomar cuntas, Joto da
Cunha R'is
Nos abaixo asaignados declranos, qa
a pe lido do Sr. JoSo da Cunha Res do
seu caixeiro Jos llorges de Medeiros foraos
aasiatir.ao balanQO queestes'Srs. deram na
venda do Sr. Re em os ltimos dias do mex
de junho, e tambem ao ajuste de cootas eom
o finado Manoel Pacheco, primo do caixeiro
e feitor do Sr. Reis. Quanto ao primeiro di-
remos que suas entradas e os mais asen-
los conferiram com os lancamentos do pa-
trSo, e os desle com as contas do trapiche.
Com admiracSo enlSo vimos que o lucros
de viole mezes pouco mais ou menos fol de
90,000 rs. em dividas. Respeito ao faitor,
segundos assenlos e mais papis eslava pa-
go dos ordenados, e j adiantado em 130,000
rs. Itecifo, 12 de outubro de 1850. ~Jos
Antonio Teixetra. lote Gomes daSUta Por
tellu lacintho de Souza Truoass. ot
Magalhtti da Silvm Porto.
Joaquim de Azevedo Pereira Maya ex-
porta para o Ro de Janeiro o aeu escravo
Custodio, pardo.
Antonio Jos Comes do Correio embar-
ca para fora da provincia o seu escravo
pardo, de nome Maiianno.
O abaixo assignado lendo o Diario) ata-
ra celebrada pelo cartorlu do Sr. tabelliSo
Coelho. com a qual dizia ter-lhe tocado o
dito sobrado no inveutario q iu ae procede-
r pelo carlotiode orph&os desla cidade,
a qual escriptura Coi por elle e .sua mullier
assignada; e,leudo a annuncianle disto no-
ticia por um anauncio quelitera pelo Dia-
rlo de Pe'nambueo, o dilo Sr. LeilSo, eniSo
i em fuga a qual ceitidSo foi exigida em
alten;fio ao anauncio do Diario de 2 de
agosto do correlo anuo, fei'o pelo aonuo-
ciante, em que nfio asaevera ser forro o di-
to Sibino, e sim fax s supposicSo ; isto
posto, devera o Sr. Ferreira Barboza tam-
bem esclarecer a quem foi o dito Sabino le- .
gitmado, ou duadu, e bem assim o Sr. Bar-
... KIOIII.JU, wu uuaii, o uoiii saln u or, wi-
par. que o dito Marciano nSo solTresso al- boMfqnenio m.ndou vender; isto ISo
111 iii a ilanllliAlD CliilUulrt a i I aiiiilluAla na *
WasjanssisisjB|ajsasBaa^Bssjjjj^
Avisos martimos.
Para o Rio Gran le do Sul, segu com
brevidade a cetina nacional Santa-Cruz,
capilSo Manoel Pereira de S, receba algu-
ma carga e escravos a frete, a fallar com
loSo Francisco da Cruz, na ra da Cruz,
n.7.
Para o Rio-de-Janeiro segu viagem, no
dia 16 do crrente, ,o bergfantm brasileiro
O.-Affonso, capilSo Francisco da Silva Avel-
loil.i : quem no mesmo quizer carregar ou
ir de passagem, dirija-se ao mesmo capitSt
ou ao escriptorio de Manoel Joaquim Ramos
e Silva.
-- O veleiro c bam conhecido pstsebo ii-
cional Alfredo segu para a ahia em poucoi
lias, por j lera maior parle de iua carga
.rompa : paran resto e passageiros, para o
que ollerece esc llool s com no los : trata-
se com Francisco Alves da Cunha, na ruado
Vigario 0. II. ou com O CapilSo.
-- Para a Baiiia preteude seguir viagem
nado naa presentes cjausuias segulr-se-ha o|com brevidade a sumaca nacional Carila,
. em que se Oxease oulra escriptura de rali-
licai.lo. na qual aasignou com o dilo Mar-
ciano e sua mullier ; e por ora nada mais
lirei por me compadecer deste miseravel
allomando ao reapeitavel publico que, pelo
cartorio do escnvaotutta estuu fazen lo o
inventario dos peadiaseos que reslam do
meu casal, puisqawfjale a pouco illudida
pelo dito .Marciano, qne commigo tratou de
dividir-ii.os eulre nos bens do meu ca-
sal, o que deu lugar a faxer-mos partillu
amigavl j -porm lo le possivel o dilo
Marciano a rssignar, em razfio de querer
que eu pagasae nina divida que elle... etc.
d lar em ai mais do que Ihe tocn, -loan-
na Hara da Conceifao.
A vista dos annunoios ins-ri los no
Diario de Pemambuco, ns. 227 e 229 poito
pelo Sr. Marciano do Espirito Santo, nos
quaesdiz ter eu co no Iwtameolero d i ja
lecido seu pai Mariano do Espirito Santo,
entrega fo ao piucurador ua viuva do dilo
fallecido a qu.utia de 394,000 rs. para mis-
is e mais despezas, e que at agora o dito
procurador nilo le a dado coma deste di-
nheiro ; sou a dizer com abono da verdade,
queoSo cnlreguei so dito procurador essa
luantla, nem a poda entregar porque nao
liaviam despezas que a Unto m-niassen,
sendo por cunsequeucia menos exactus os
ditos annuncios, pois que o dito procurador
s recebeu de mi ni por ordem da viuva rs
49.370 para despezas do inventario, e eu fui
quein despend com missas, legados, despa-
jas funeraes e cuotas do teatameolo que
ji preslei desle 6 de junho do anno prxi-
mo passado a quantia de 302,370 rs. Raci-
fe, 11 de outubro de 1851). oaquim Celes-
tino lionrviiv
Precisa-se alugar urna preta para o ser-
vico de urna casa estrangeira : na ra da
Concordia u. 8.
P'ecisa-se alugar um moieque ou preto
que seja fiel, para fazer o servido de casa
na ra da Cruz n. 38.
--JoSo da Silva Braga, estabelecido na
ru Nova n. 29, vendo um annunoio no Dia-
rio de sabba.io n. 231, em o qual declara
relirar-se elle para Mossamedes, tem a de-
clarar a esse billre que Unto se oceupa com
annuncios importunos contra elle, que urna
casa de correccSo se esl edificando, onde
espera ver esse indigno escreviohador de
annuncios receber o premio de seu treslou-
cado procedimento.
--Troca-se urna imagem que represente
N. S. das Dores, e um oratorio que esteja
esa bom uso, nfio sendo muito pequeo : na
ra Nova n. 29
Os eredorea de Antonio Joi da Costa
Cuimarfies queiram ler a bundade de reuot-
lem-se hoje, segunda-feira 14, no armazein
da ruado Auionm n. 56, para deliberaren!
o que melhor for de aeus intu estes.
Pe le-se sos Srs. que na noite de 12 do
correuio alraraui vuui coras, uciaiem aa
foi ao meriio ou a affeiges particulares...;.
smente para o annuncianle poder vender o
dilo escravo aoude bem Ihe convier, afi m
de nSo perder o seu dinheiro. Parece que o
dito Sabino voou, pois nSo lia noticia al-
gum delle, havendo mullos individuos que
hojeolham para isto em attenfSo as gran-
des turnadas que se ganh ras. Alm do expusto no annuncio, disse
mais o dilo escravo Sibino, que esteve em
urna embarcarlo dias reclusos, e ao depois
foi condzidu para a casa do Sr. Jos Bap-
lisla, aonde esteve preso mu tos das, e ao
depois foi remeltido para a casa do Sr. An-
tonio Ricardo, aonde esleve dias trancado,
e que dalli fui para casa do Sr. Jos da Fon-
seca e Silva, que o negociou com abaixo
assignado outro sim, o mesmo Sr. Jos
iiioti-ta disse, que o do sabipo era pech-
la, e t lo isto veio parar em prejuoo do
annuncianle, que esta livro de o v:r ma a ;
pois vendas de escravos pichlas, fajos a
velhacos, o que asseguram aos co prado-
res serem bonsescravosaSo dolores: islo
se faz scienteau Sr. Bai boza, valo ditero
dito sabino que Vine, fa'a auanoiB.n "ara
vender nxsle provincia --SebaiHo dos den-
los Arco-Verde Pemambuco Cavaloanli,
O abaixo aasgnado, estsndo desem-
baracado desde 3 al s< horas da Urde, e
desojando empregar utilmente esto lempo,
vai abrir no primeiro de novembro, na casa
i. 40 da ruado Pilar, em Fra de Pdfcas,
urna aula, aonde se prupe a receher nm
limero determinado .de meninos, para
llus ensinar o infiel, franoez, aiilhnie-
tica, escripturaeja jMrcaulili, e em urna
palavra ludo anf J deve constituidos
autos para seguirdto a carreira commercal.
0 abano assigua Jo eapera que os seus ami-
gos Ihe faro a jusilla ua o acrear, qu.u-
do elle solemneaiento declara que se cora-
promette a empregar com assiluidade to-
dos os seus esforgos para o adiantameuto
dos meninos, cuja educarlo Ihe fr coulia-
da. A meosalidade be nicamente de cinco
mil rs. por mez. Os pais que q oizerem ma-
tricular seus liihos su servirlo eiitoaier-se
com u abaixo assigua lo no ecriptori dos
Srs. C. Starr & C. na ra da Aurora, das i
horas da niaulifia al s 2 horas da Urde.
Jos! da Maya.
-Pelojuizodeorphlos dala eidade, se
ha de arrematar nos dias 14,17 e SI de cor-
rete, urna casa terrea na esquina da ra
doa Copiare o. 85, em estado de alguma
damnilicacSo, pela quantia de 500.000 r. :
quem a pretender, dirija-sea t>rKa do re-
ferido juixo, defronte do beeco de .-Pedro,
para v-la, dever enieuder-ae na ra do
NoglMiri O. B, unde SO SCbS S *! ds ao.
bredita caaa.
F.star uovamento aberlo domingo, 13
do crreme, o butequim da ra do Trapi-
che n. 28, lendu no primeiro andar Oa de
pasto, aonde echarlo petiscos promatos a
lilqucr sors ; ver.!*'! do? .aradores :
ludo por preco commodo ecom aiaeio.


,*"'

5'
-especifici^So persote lestemuohss, e -
quclle Sr se deu porsatsfeto, nSo fazendo
reclamacflo algtima: 9., quedepois desle ac-
to ho sem fund ment o que asevera o Sr.
Reis, e ae elle oussr intuntar a sccflo o sbal-
xo asignado mostrar a felsidarfe desls
imoutscflo : 3., que o Sr. Rea se figura lu-
cros Imaginarios, que alrn de nflo serem or-
dinarios, enSo poiliam obler pelo sorli-
menlo escasso da taberna. Por amor de meu
crdito me apreco'a fazer esla declaradlo
naia que nSo passe desapercibido o cavilo
soannuncin doSr. R9 Recife, 11 deou-
bro de 1850. loit Borgnde ledeiroi.
Preciss-se de um padre para capellllo
de um engenho distante 13 legoas desta
praQ, e que seja habilitado a ensinar alguna
o aparatnos, principalmente o de latim i
francez : quem esli'er nestas crcumslsn-
eas annuncie por esta folha, ou dirija-ae a
ra Nova n. 19, onde achar com quem Ira-
lar.
-Nodia 11 do correnle vbou um napa-
gaio de um sobrado do pateo do Hospital, n
nual suppoe-se ter tomado o vOo para os
fundos dos quintaos da ra das Cruzes : i
ne.-sos que o achou, querendo-o restituir,
leve-o ao pateo do Hospital, sobrado n. 1,
segundo anil-r, que sei gratificado.
- Aluga-se a casa da ra Imperial n. 104,
com cmmodos para familia a tratar na
ra Augusta n. 53.
Deseja-se fallar com o Sr. Joaquim da
Cruz Neves a negocio de interesse : na ra
das l-araniteiras n. I, segundo andar, ou
annuncie sua mrula.
O Sr. Francisco de Paula e Albuquer-
queira vir ou mandar buscar a obra
-OmajorJos (Ubriel deMories Mayer
vaiao ltio-de*Jaoeiro.
Agencia le nesoclon entre o
Brasil e l'ortnffal.
Etcrlplorio provincial em Pirnambuco. Ra-
eslrtita do Rosario, n H.irgundo andar.
Delegado o baehrel A. R. de Torres
Bandeira.
Entre as emprezesiHeis figura o estabe-
lecimento da agencia O'J negocios entre o
Brasil e Portugal, que se acha confiado ha
dous nnos entre nos ao Sr. pr. Jos Felicia-
no de Csstilho Rarreto e Noronha, residen-
te no Rio-'le-Janeiro Estaempreza tem um
flm louvavel.eque osl muito em harmo-
na com os interesses das duss naQOes : o
commercio principalmente, esse ramo pn
deroso de riqueza publica e de civilisacBo,
pdecolher grand'nslmss vantagens, todas
as vetes que se Ihe proporcionar a soluclo
de qnesioes importantes, que, talvez, a nflo
ser este mein, flcariam no esquecmento. Na
parte de ullidadr, ella se di-lge tanto um
como outro paiz : considerada desle modo
nn podar encontrar embsrssos na pra-
tica.
A agencie, protnoTe os interesses lcitos,
tanto dos sobditos brasileiros no reino de
Pqrtl, como dos subditos portuguezes
nej imperio do Brasil; prosrgue reclama-
Cff* de particulares, que hajam de ser fei-
tas e'm emboa os paizea; lenta eomposc.0es,
instaura e segoe procedimientos judiciaes ;
procade a Pf sqttizas acerca da existencia,
minianca de domicilio ou ftllcmentos ;
sollirta o cumprimentode rogatorios, man-
da assistir a prscas ; agencia compra e ven-
da de predios urbanos ou rsticos ; viga
por interesses de heMciros, fz ms ni fes tos
e registra hypothecas ; administra rasas e
propiedades ; cobra rendimentos e juros,
manda tirar folhss corridas, nsssaporles e
documentos daseslacOes publicas; requer
quaesquer pietencOes justas do governo;
recebe consignac.o>s e faz cumprir ordens
commerciaes; compra e vende papis de
predio, fazendo IransaccOes de banco, etc.
O escriptorio cenlral he no Rio-de-Jnei-
ro. ruado Rozario, n. 68; o director he o
Sr. J)r. Jos Feliciano de Caslilho Brrelo e
Noronha : Bo sdvogados da empreza em
Lisboa os Srs. Drs. loflo de Des Aotunes
Pinto e Gaspar Joaquim Telles da Silva; o
correspondente naquella cldade he o Sr
Tliomsz Antonio do Paiva, ra Ferregial d-
ims, n. 2. Ao Sr. Dr. Caslilho, como direce
tor da agencia, cabe o drcilo de eslabelecer
delegados nos pontos do imperio que os pre-
cisaren), em conformidade com a autorisa-
cfoque Ihe he concedida pelo artigo 27 do
re.gulamento da mesma agencia ; e he por
issp que os dous escrlptorios do Rio e de
Lisboa, beaS rgaoiSados, teem estabetecido
delegacfiefMtqi todos os pontos mais impor-
tantes doi dota estados ; de sorte que qual
quer requisiqio, que Ihes digarespeito, he
levada a eflicaz andamento desde odia em
que se recebe o encargo. Pelo Sr. Caslilho,
como director, fui nomeado delegado da
agencia, nesta provincia, o haibarel A. R
de Torres Randeira, que tratar de empre-
ar todos os esorcos para levar a effeito as
coinlicOes lixadas no regula ment respec-
tivo.
delegado, desejoso de cumprir ss or-
dens emanadas do escriptorio central, no
Itio-ile-Janeiro. tem estabelecido um escrip-
torio provincial, na casi dess residencia,
ruaestreita do Rozario, n. l, segundo an-
dar. As pessoas que liverem inleressesa tra-
tar por meio da agencia, podero dirglr-se
i aqueile escriptorio, das oilo horas da ma-
ntilla at ss 10. e das 3 da tarde al s S.
Nodia 6 do coi rente susenlou-se o es-
raT Domingos, de nacflo Hocfl.bque, re-
prsenla 20 e tantos unios, bsrbado, de
boa lljgiira; ten um signalbem visivel, quelres e quulidades; lauto de seda como de
a rus da Csdeia 'le Saii Antonio, do cojo -- Roga-se aoSr. segundo lente Jos de
ooderse evadir en, .81*. e esteve muito Cerqueira Urna, da Baha, que.mande pagar
lempo na prisfln ; rrotesU-se pola. dcspe-| um. lettra, que wneidthii oilo me-
zas que teem sido fettai rom n mesma
al
o dia da entrega della pesso* que se apre-
sentar munida com os ttulos le-aes de seo
doiiinio, e quem pretender algumas inror-
nacOes nesta praCa, dirija-se a Bastos &
Goncalves, n- ra da Cadea, loja n. 28.
Porto Calvo. 25 -de selemDTO de t50.
Quem tivor-duas prelas que as queira
alugar para venderem na roa, sendo fiis,
dirija-se a esta typogrephie, que se dir
uuem auer.
| Remedios de gracaos pobres
A Noo consullorio homoBooalhico de y.
Joao Vleente Marllns. m
Ra de A polln. 24.
todos os dissnteis desde l 8 horss
da manhSa at 1 da tarde imororoga-
velmente. Fra deslas horas nSo i o-
deoSr. J. V. Martina recelier visila
aiguma, por estar oceupa 1o em com-
por e escrever a quarta edicto ds
urlica eltmanlar da komaopaMa e
' a ^.__ .1. InoK matad
i
:
que ,
que mamlou fazer na loja do alfaiate da
ra Nova n 35, desde Janeiro do correnle
snno.
--Precisa-fe alugar nma sma forra ou
captiva, que saibs engommar e cozinhar.
par* casa de pouca familia, e que nSo lem
mancas : na ra do Pilar n. 72, segundo
andar, em Fra-de-Porlas.
Precisa-se alugar uina escravs psra o
servico externo do collegio das orphSss :
os pretendentes dirijam-se ao referido col-
legio. a fallar com a directora,
Anda est fgida, desde o dia 26 de
junho. prximo passado, a escrava crioul
de nome Maris, moca, de altura regular,
corpo reforcado, cadeiras grossas e um tan-
to sahidas para fra, bocea regular, beicos
grossos, pes e roaos grossas ; lem marcas
de bexigas uo rosto e em lodo corpo, pe tus
pequeos e cabidos, nariz grosso, olhos
carnudos, orelhas na parte do enfeite gros
sas e viradas um tanto para cima ; Um urna
marca de ferida de caustico do lado direlto"
ou esquerdo, talvez que pouen ja se devul-
gue das coslellas para os vasios ; levou ves-
t lo de chils ja usado, panno da Cosa, e
um taboleiro com milho e arroz que venda
no dia que fgio : esta negra segundo os
seus costumes de ardilosa, (de ter muda-
do o nono e mesmo usar de qualquer ou-
tro de.-farco para nSo ser conlieoids, pois
consta andar dizendo ser forra e que a que-
rem caplivar : fui de Macei e aqui vendida
pelo Sr. Antonio da SilvrCusmSo ao j fal-
lecido Jos Antonio da Silva Cosa, leudo
no poder do dito fallecido 3 Cilios, Candida,
l.uiz e Marcelino; piule esta negraSOb pre-
texto est occulla em casa de alguem, ou
em algom calugi, e que se v escrupulosa-
mente eudagar para se proceder contr
quem a liver oceulta : -se uina boa re-
compensa a quem dclla der noticia certa,
ou a pegar e levar ra de Dorias, u. 114,
casa de Antonio Cablas ds Silva.
Chapeos de sol. -*.
Ra do Passeo, n 5. '3&
Nesta fabrica ha presentemente um rico
sorlimenlo denles objeclos de lodss as c-
I
*
*
*
l outras obras Qusndo tenha mais
8 adiantada a composicSo deslas obras ^
* poder destinar algurn lempo pra- >
S ticar opeacoes de catrsela, ou ou- #
% tras que exigem ss molestias de (a)
W olhos especialmente, no exio das a>
a) quaes tem sido, mer de Dos, mui- aj
lo feliz. *
0 8r. Josquim Jos dos Santos Barraca
queira ir pagara quanlia de 83,460 rs. do
que comeu aonde no gno'a ; do contrario,
tere de ser sempre lembradn nesta Tolna.
Precisa-se alugar um moleque ou pre-
to para fazer o servico d c*sa e ra, que
seja fiel : na ra da Cruz, armazeni n. 48.
Ulyase Droi, relojoeiro suis-
so. depassagem por esta praca,
onde lenciona demorar-se 5 ou 6
mezes smente, concerla toda e
qualquer qualidade de relogios
eem qualquer estado em que se
ichem ; asiim como lem para ven-
der relogios de ouro e. prata do>-
melhores fabrican'es: na ra da
Cruz, n. 4 i, primeiro andar.
O arrematante des sferiedes contina s
ser o mesmo do snno prximo passado, e
faz cerlo, que do primeiro do correle mez
emdiante jase acha aferindo para o snno
prximo vindnuro, na mesma casa, ra da
AssumrcSo n. 4.
Antlga agencia de pasaportes.
No paleo da matriz de Sanlo-AnlJio li-
rsm-se passaporlcs para dentro e fra do
'mperio, correm-se folhas, llram-se ttulos
. do contrario, ter de ver sempre o seu
nonie nesta folha.
Boubo.
Anda se nSo descobrio o ladrSo, autor
doroubofeitonalojan. 21 da pra? da In-
deoendencis, ao amanhecer do da 5 de ou-
tobro, apenas ha bem fundadas suspeilas,
consta o dito roubo de 40 chapeos do Chile,
duas pecas de pelluca ile seda com 50 cova-
dos pouco mais ou menos ; 7 duzias de cor-
dOes de retroz com borlas, psra senhors ;
urna porco de gomma-laque e alguns bo-
netes e insis miudezss que exsctamente se
no sal Roga-se ss autoridades rolicioes,
a quem j se prevenio, toda a diligencia,
nfiidese descobrr esse roubo ; e mitra'
qualquer pesaos que denunciar com certe-
za aonde se acha esse roubo, que snda por
400^ pouco mais ou menos, reueber a
quarta parle de seu vallore se Ibe guardar
todo osegredo.
pajtaBaajajasaaaaaata
J
Compras.
Compram-se escravos de 10 a 30 an-
nos, de bonitas figuras, pars dentro e fra
da provincia : na ra la'ga do Rozario, n.
48, primeiro andar, lodos os das das s
11 horas da manhSa e das 2 s 3 da tarde
Compra-se urna bomba de ferro, que
esteja em bnm estado : no pateo do Paraizo
n. 20, ou annuncie.
Compram-se, para um encommenda,
escravos de ambos os sexos de 10 a 40 an-
uos : na ra do Rangel n. 57.
Compra-se urna negra s'ilia e sem vi-
cios, qu saib cozinhar, ensaboar e en-
gommar: quem a liver anuuncia por este
jornal.
Vendas.
be a asea de um talho no beico inferior
oo canto da bocea, que quando talla repu-
ta o beico ; levou calco e camisa de algo-
dfiuziRho azul rom listras brancas : quem
ofargarleve-orua Nova, a entregar a An-
tonio Domingos Pinto, qne gralilicara ; es-
sim eomo protesta contra qualquer pessoa
quaat tiver occullo.
- l'iecisa-se de una lavadeira
devarrella, a qual d conbeci-
mento sua conducta : natna de
llortas, casacoin a lente pintada
de aznl e portadas brancas.
Koga-se a quem for con-se-
nbor da casa de umandir com so-
to. no becco tapado da Camboa-
do-Carmo, n. 5, que tenha a bon-
dade de eotender-se com Jos dos
Santos eves, na ra do Crespo
n. \-, ou declarar por este jor-
nal' sua residencia.
Alugs-se um moleque bom cozinhero,
dando-se preferencia a casa eatrangeira : a
tratar na ra da Praia, armazem n. I.
Precisa-se de urna prela para o servi-
co de una casa : na praca da Independen-
psnninlio, por presos cmmodos ; ditos pa-
ra senhors, de bum gosto: estes chapeos
sSo fritos pela ultima moda ; seda adamas
cada com ricas franjas de retrpz. Na mesma
casa se acha igual sorlimenlo de sedss e
panninbo imitando sedss, para cobrir ar-
inacotos servidas I todas estas fazendas ven-
lem-se em porcao e a retalh : tambein sh
concert qualquer chapeo de sol, tanto d-
hasteas de ferro como de baleia, assim como
umbelas de igrejas: ludo por preco com-
modo. Ns mesma casa ha chapeos de sol.
de marca inaior, de panno e de seda, pro-
prios para frilores de engenho, por serem
dos mais fortes que se pdem fsbricar.
Precisa-se engajar alguns ofllciaes de
caldeireiro para trabalharem em caldeiras
le vapor, sendo arrtbiladuri, ( a que os In
glezeschamam Aitvtersj dando garanta a
sua conducta : paga-se o jornal de 3,500 po>
da, e d-se psssagem gratuita para o Rio d<
Janeiro, onde iHotrabalhar na ofllcina ds
companlns brasileira de paquetes de vapor ;
advertidlo, porm, que ae depois de all
chegarem, com um mez de experiencia,
provarem incapacidade, seco conduzdos
para aqui igualmente nlo pagando passa-
gem. Quem estiver nestas circumslancias,
equizero dilo eogajamenlo, pode airigi-
sesosgenteda dilacompaiihia, na ra do
Trapiche, o. 40.
-- Abuga-se um sitio no corredor da Var-

O
O
o
o
0
9
o
o
o
o
ca n. 3. loja. ..Isa, bai plantado ecom boa casa de viven
- Quem tlver pasa alugar urna negrloha, ,,a s ,,reiendentemrtrijam-se rusdaCa-
mulalitih', ou caboclinlia de 8 anuos, par jeL,Cvelha, botica n. 61.
can
iie carrecou em urna enl-
egama) manca de poucos das, e lo- /I x pessoa qu
mar sentido a outrasduas menina peque- y,rctca0 ,r, s porlos do oorle no anno
nas.dirja-serusoV^lora.n. 8, segn- laJ ,sl6.
dosodar.
t- v_j-.*-- .i. a>.
iearj-ao lanar aiuw,. i,*'*w
meraUa: queira anuunciar a sua morada.
Prccisi'se alugar urna casa Ierre*, cu-
jo alugue nfio exceda de 19,000 rs. men-
sses, preferindo-*e nobairro lo 8.-Anloii0:
na ra larga do Rozario, n, OS.
l'recisa-se de uui menino de 10 s 19 afi-
nos, quesaiba b-r eseja fiel, para caixeiro,
e que nlo teoha familia aqui na praca : na
roa larga do Rozario n. 35, se dir quem
quer.
Alugs-se o lerceiro andar da casa n.
40 da ra da Cruz no Recite : a tratar na
mesma casa.
-- Aluga-se o sobrado dedous andares e
solflo, sito na praca da Boa-Viata n. 19 : a
tratar na sua do Crespo, loja o. 6, ou na es-
trada do Monteiro, si lio do Sr. Gama.
sjluga-se a casa terrea para pastar a
fesU.no lugar do Monteiro, envidracada e
com cmmodos suOicientes, confroole a
igreja d 8. Psntsieo : quem a pretender
procure os rus do Qneimado n. II.
O abaixo asaignado reapone ao ca-
lumnioso) aniiuuciu Uo Sr. Julio da Cunha
Res, que assevera haver o abaixo sssigos-
do occullado os lucros da venda de que fra
ciissio : ;.n, -usscdss fcslssic cc= lo
oin caixKo com diversos
objeclos, com smsrca MI), dando 50,000
rs. se Uir aonde exiaio u lte eaivSn: im
rus de lionas n. 110, a fallar com Joflo- da
Silva Lourero.
Joflo de Souza Moreira e Joaquim Soa-
res Bai boza com saudade se despedem por
este meio daqueUes sroigos, s quem nSo li-
versm lempo do visitar pessoslmente.
0 abaixo assignsdo com loja de mar
cioeiro na Csmba-do-Carmo, avisa so pu-
blico que nSo se assigns por Joflo Goncal-
ves, e sim Joflo Concalves Lucas Lisboa.
-- Pede-se ao mui dignoemprezario do
Uieatro de S.-lzabel se digne levar em sena
o muito applaudido e gmciozo doetoO Me*
rinho e a pobre.O Cabo Joiti Pimenta.
Na ra de Agoas-Verdes, casa terrea
n. 96, lava-se e eogomma-se toda a qualida-
de de'roupa, com asseio e promptidflo, por
preco mais commodo do que em outra
qpalquer oarle.
Jos dolpho de Berros Corris, res-
nenle em Porto Calvo, faz pubiicu, para o-
nhecimenlo de quem convier, que em seu
poder existe em deposito, por ordem da de-
legaca, urna eacrava crioula, que repiesen
la ter 95 anuos, diz chainar-se Thomasia e
ser perteheente ao Sr. Porluguez Antonio
Prara une tave aiauzaoi de mercenaria em
de residencias e despacha m-se esersvos com
a maior breviJade possivel e preco rasoavel.
Pudins.
Fazem-se pudins de fructa pflo e de ou-
tras qualidades : no Alerro-ds-Boa'Vista,
loja n. 48, se dir quem faz.
Lotera la Matriz da Boa vista.
O restante dos bilheles desla lotera, que
corre iuf.livelmente no ifim do con ente
mez, lquem os bilhetes que (carcm, ven-
de-se, alrn de outros lugares, na loja de
llernardno Jos Monteiro, tu do Queimado.
- Precisa-se de uina ama para fazer com-
pras e o servico interno de urna cass, ou
alugs-se urna escrava que seja fiel e dili-
aenle s no segundo sobrado do eses do
Rsmos. .
-- Precss-se de um forneiro'que sjude
na masseira por se faze/ muito pouco ser-
vico : n ra do Cotuvello n. 29.
Alugam-se os segundo e terceiro anda-
res d. casa do largo da Assembla n. 8 : a
fallar com Joaquim Francisco de Alem. no
Forte-do-Matlos, ou com Prxedes ds Fon-
seca Coutinho, seu proprietno.
O r. J. S.'Santos Jnior, O
medico homoeopalba puro ^
mudou sua residencia da ra o
do Crespo, n. lo, para a O
rui Nove, n. 58, primeiro g
andar, onde continuar a &
^ dar consultas todos os dias
litis deide s 7 horas da
% manbaa ot a urna hora da
O tarde, e desla hora em dian- O
B te visitar os doentes em g
q seus domicilios. Q
O N. B. Us pobres serSo O
9 tratados e visitado gratuita- ^
a mente. Q
0COOOOOO6OO(&QOOOO
Lotera da niatiis da Boa-Vista.
No dia 31 do correnle sndam impreier-
velmenle as rodas desta lotera, seja qusl
for o nuirerode bhetesque llcar. e mes-
mo sntei se acaharem os bilhetes, como ha
esperaness. O lim para que foi concedida
esla lotera nflo pdde ser mais justo, e ella
deve ser preferida a outra qualquer, por-
quanlo temos de presencsr o emprego do
seu interesse: o restante dos bilhetes a-
cham-se venda nos lugares j annun-
ciados
Precisa-se de um trabalhador de enxa-
da, e que sslbs tirar leile em vacess: na
Magdalena, estrada noa, primeiro sitio de
porlSo de ferro. No mesmo precisase de
um boliero.
Aluga-se, por preco mdico, o terceiro
andar do sobrsdo n. 20, na ra do Apollo:
a tratar com Antonio de Moraes Gomes Fer-
reira, na mesma cass.
Alugs-se, por mdico preco, um sitio
no lugsr denominado Sint'Anns-de-Den-
tro, com cmmodos para grande familia,
baixa decapim, boa agoa, eslribaris psra
qualro cavallos e cochura : a trstsr com
l.uiz Comes Ferreira, no Mondego, ou com
Antonio de Moraes Gomes Ferreira, na ra
de Apollo n. 90.
Quem quizer comprar urna lettra da
aqantli de 56,060 rs. do Sr. Jos Brazalino
la Silva, appareca na ra da Cadeia de S -
Antonio, n. 13, queloJoo negocio se far.
Quem quizer comprar urna lettra do Sr.
Dr. Honorio F. de Sigmaringa Vas Curado
da quantia de 110,280 rs., annuncie para
ser procurado, que lodo negocio se fsr.
Lotera la matriz da Boa-Vista.
Aos 1o:ooo$ooo r 5:ooo!$oon.
Na loja de miudezas ds praca da Inde-
pendencia, n. 4, vendem-se bllhetos, meios,
quarlos, decimos e vigsimos desta loteria
que corre impreterivelmente nodis 31 de
outubro. ou soles se se acabaren) os bilhe-
les. Aellessntesqueseacabem, para nflo
compraren! mais cero, como tem aconte-
cido em outras loteras.
Bilhetes 10.000
Meios 5,000
Quaitos 9,600
ll.-ci ros 1,100
Vigsimos 6O0
Vende se ns rus das Cruzes primeiro
andar n. 36, leile puro 200 lisa garrafa.
__Veude-se por neco commodo fsrinha
muilo superior, a bordo da garopeira N. S
da Penha, chegada do Porto-Seguro, a tra-
tar a bordo da mesma, ou cum Novaes & C.
na ra 1I0 Trapixe 11: 34.
Vendem-se dous preto* os mais pro-
prios psra canegar palanqun) que p le ha-
ver, e que ganham na ru por da 640 rs.;
um cabriuhi de 14 annos, multo lindo para
pagem ; um dito de 10 annos, que serve
bem s urna casa ; um moleque de 16 anuos,
muitu linda peca ; urna prela de 20 anuos,
que co/inba, lava e cose : na rus do Colle-
gio, n. 21, primeiro andar, se dir quem
vende.
Vendem-se 3 mei'agoas no becco do
Falcflo : na ra Imperial n. 34.
Ven le-se urna escrava crinula de 16 a
18 anno', que engomma, cose e cozinha :
na ra du Fago n. 21, s dir qi.em v.-nde.
sipilii> hni'iitos.
Vendem-se borzeguins para homem, a
7,000 rs. o par ; sapa tus de Naules, a 5,000
rs.; dito* de lustio de urna sola, a 4,000 rs.
Aellesquesflo baralissimose poneos : no
Vlerrodalloa Visla n. 53, loja junto a d*
selleiro.
Vendem-se facas para mes* e sobre
mes com cabosde marlln e de os-o, mui-
lo linas ; ci Ineres de metal de principe pa-
ra terrina, soupa, cha e sssucsr; chaleirss,
pxnellas, fregideiras e cassarolas de ferro
forradas de pn'cellana ; bules e cafeleiras
de metal ; machinas de fazer caf: armas
linas para caca ; techadoras linas com 2
chsves psra portas de salas : na rus Nova
11. 16, luja de ferragens, de Jos Luiz Pe-
re ira.
Vende-se sal muito bom : a
bordo do biate Anglica, por ba-
rato preco, a tratar na ra da Ca-
deia do necife, d. 49
Vende-se a barc s-a aurora Ftlis, que
pega em 40 ciixas ; prompte prs fazer
viagem, muilo segura, bem apparelhada e
oplinia de vella ; est ancorad no forte do
Mallos : quem a pnlender diraja:se s ra
da Mu da, armasem q:ie deils para o forte
do Mallos, do Sr. Vianna, ou a ra Augus-
ta, n.-.'6
Chocolate le snude.
De lodas as substancias Mu entures, que
sendo em seu piiutiplo consideradas como
cousas de luxo, lornam-se pelo tempe
adiaute deusogeial, o chocolate 1 de sem
contrdicclo, oceupar o primeiro lugar. Ef-
feclivamente quanlas pessoas nflo vmo-
nos pnfenr boje ao uso do quelite caf,
o uso do chocolate, e nisto seguir a
opiniio dos mdicos mais celebies, que
de o miiium aecrdo sobre suas precio-
sas qualidades, o indicio como um dos
nuaaua ciclhorc- csto.st:cGS o<|uC;
pessoss cuja saude he dbil e delicada !...
I'rescrevem-no aos seus doentes, aconee-
Ihflo-no aoa velhos, e o ncommendflo s
milis de familia para seus filhos. Km itmi
I alavrs, o consumo verdadeiramrnie extra-
ordinario quo todas es clssses da sociedade
fazeo desle lmenlo, he o mais bello elo-
gio que nos Ihe podemos fszer. Chegou do
tlsranhflo, sonde fabricado, um novo sor-
limenlo desle chocolate, j bem conheci-
do nesta provincia por minias pessoas que
ilelle lem feilo uso : vende-se no lugar do
cuslume, na venda da ra da Cadea do
Recife, defronle do Becco-largo, n. 99
JLlvros modernos dfferecldos ao
pino brasilelro.
O I.bello do Povo por Timandio
A carlilha do Povo por Krai.kliu
U Advogado do Povo
U Comelbeiro fiel do Povo
A guia i>rttica do 'ovo, 00 foro civi
e ciime
Os M aterios do Povo, por E. Sue
A, l'lnlosophia Popular
Vende-ae no. pateo do Collegio, casa do
livro azul.
Novellas. .
Na loja de livros do psleo do Collegio ae
Joflo ds Costa Dourado.vende.se as seguin-
tes-novellas, rogulando os volumes a l.otw
rs. cada nm Joaquina e Roza, Cypr.ano,
A nobre Veneziana. o Bandole.ro dos Ape-
neiiei, Segredo de Trimphsr Slanu-I dos
ogos do Sociedade, blogio de Marco Aure-
lio, Constancia, Emilia, Vis gen de Trislflo
d. Cunha, Henriquioho, Becreos do F.uo-
nia. 0 Passaro Azul ou snad amarello, Ac-
eidnlesda infancia, D. Farperro, Acabaa
da India ou caf deSurate, Contos de Fsdas,
Historia de Carlos Magno em dous volumes,
Roldflo Amoroso novells de Bocacio, novel-
las de Contos.A vida de Pedrilho.Nama Pon-
1 i lio a Robson dedoze annos, Armazem de
Meninos.Barbsresque, D. Raymundo Aguisr
A venturs de I.szarilhode Tornes, O Dole
deSuzaoinha.Ciismflode Alarache em 3
volumes, Gustavflo Boopeca, Renegado em 4
volumes, A ventura de llobison de Crocoy
Viagensde Antennr, e outras multas, que
vende-se por commodo preco,
- Vi-uile-se na loja de uiludezaa e qulnquilha-
riaa de Victorino & Guimariea na ra larga do
Rosarlo n. 22, amigamente ra do Quartela oa
irOmento aballo declaradoa e alrn dalo ou-
tra inultai dleraas couaaa proprla do dito e-
tal>eleclmento,e tudo ae vende por preco rnulio
em conta: blcoade lloho largo e eitreltos e di-
tos preto para 40, 60 e 80 ra. a r.ra; renda
de llnho larga e cilreita, franja para corona-
dor edita para toalha, froco para vealldoide
lodaa aa c6re,babado de lioho largo para toa-
Ilias e lancoe. guardaoapo para meaa. toalhas
de mesa de dua e tre vara, fila de veludo
preto e de core, dita de aeda liza e lavradat
lrgate eitreitaa, ditas inulto tina de setiin,
uieia brancas e azue e cruaa liara homem, dl-
t. branca para menina, carnizas de niela pa-
ra dentro, barrete de la de core para velha .
dito preto de eda para padre, atacadores
para broxeguins, fita propri. de relogio e go-
l-iro de padre, dita de laa e retroz para de-
brum de sapatu, ditas de linlio branco, encar-
nada e ruma e de c larga, e ealreita. dita
larga para upensorio, ligai de aeda de co-
ra, encarnada, verde c ainarella que be bra-
ailelra. couroa de lustro pele grande e peque--
ii.n. ai.ni como ejcovatde denle e dita inul-
to fina cabo de baleia.^ta de calcado, roupa
c cabello, fita de aeda branca coiu core ca-
nallada propria para inleiro de menino e
11111111111-' |' "|- |-^---------------------------
-iispeiuurio, npenoroa ordinarios e dito
fiuo de seda e laa. Iran9i de laa de core para
veatldo, traucellina, retrozproprio para obras
de alfaiate, advertindo que he do verdadeiro
retroz. luva de seda curtas para acnboras e
meninas, linhas de miada de peo, duaa tala-
di
de ^
grocas, e finas de caiubraia. dita de c,
inhas pequeas de core preta e branca, ditas
e e.iliei-1 branca e dita de cabeja encarnada.
de cores, d.las de novelo de core e brancas
de 11. l'a 120 surtidas, dita demarca encarna-
da c azul lina e gruasa, retroz pelo e azule da
diversas core, volante largo e estreno, eor-
does para venido finos egrossos, proprios pa-
ra os sinlior'ei padres da ordem lercelrade S.
francisco, medidaa de alfaiate, estampa de
ilifferente lamanho para 10, 20. 40, 80 e 800
r., peule decoc de n 'Voa padrOes, dito de
irareisa de tartaruga para marrafa, ditos de
aliaar ordinarios e baleia, traucellin de bor-
ch, alfinetea de cabera prela em camnhas.
agulhas de n. 1 a 12, ditas frauceta de n. 4 a
Izou M, caiaade rap de variaa qualidades.
boles liuos de oseo, dito de inadre-perola e
I.uita para camisa, ditos para abertura de di-
versos padrees, agulhas gros para chapeo,
pena Unas de ac, chapeo pretos de cat .r,
mic. ligas gmssa para padre-noo de roaano,
canelas de metal c de outras qualidades, cai-
vetes para peona de urna e duas folbaa, leou-
ras, luva de lo prelas e ditas de seda de cor de
carne, teoura de unhas, pentea de marrafa de
afo, bmea de metal para calca, brincos de
ouro fiancez de divftsoa padrOe, ditos luaia
ordinarios deonlras umitas qualidadea, brin-
cos prelos de vidro e rame, gargantilha de
dito e de filigrana com brincos e sem elle, di-
tas de vidro, clchele, botesde louca e vidro
rom p para vestido de senhora, estojos de oa-
valha, aboloadurasde inatai, velludo e aeda
para casaca, rosario e teifos de ac. palhitei-
ro de louca e didaea lino pira meuinaa, aljo-
fares de nuvos padrfles, fivellaa para c de co-
letea e calca muito fina, carleiras de mola
grandes e pcquenA para militar e menino,
chavea paro relogios, volante largas e estrel-
lo, rcluglo para meninos a 80 r., bonetes de
panno feilos na trra e ditos franeexes, epe-
ihos decapa, parede e gaveta lodo ordinario,
l ni un- -, de relroz c mata para farda do corpo de
polica c guarda nacional, caizaa de palito! de
logo e ditos para dente, papel almayo de peto
e dilo de core, dito em folhas separada pa-
ra capa de livros, ocios de aro preto paca ae-
nhora e dito de arinacao pora visla de aenbo-
raehoinem de multa qualidade, canulilboa
crespo e liso e sombra de core, vidro de
tinta encamada para riacar llvro, livrinho de
meninas aprender a marcar e dito para meni-
nos com alguua figurn, torcidas para cande-
eiro franccies, eicovas de ourives, brelas em
caainbas, fio de sapatelro muito forte, cru e a-
inarellu, broxaa fundidas e batidas e aeda para
dita, lapes de lisia, colsetes e cordio de ouro
fraucez, dito para vestido sendo lioa e batidas,
tinteiros de vidro de core, diversos coletea
prelos fino, rap cid libra, gase fino, grosso
e uieio-grosio e arria preta, canela, bucetaa
de plnho grandes e pequeas, roseta de pedia
de varias qualidades, maco de conta do Rio
dourada, pennaa lape ordinarias e finas,
niela de linho para homem, colheres de me-
tal de che C aopa, dita de lati para sopa, di-
tas grandes de tirar sopa, alfinetes para arma-
cao de igreja, llhoics para aervir ao ofieiode
I alfaiate e sapaleiru, penle de coco virado e di-
tos arrendado do uso, linbaa de cores_ a 1,000
rr. a libra, barrete brancoa de algodo, faca*
linas para apateiro, dita llamengaa, grampas.
lncelas de cabo de chifre para sangrar, didata
e alfaiate lurrados, corda de viola e guitarra,
ordes, retroz e rame, marcas de cobrir
grandes e pequea, caias amare lia de ra/
para rap, dita redondas com retrato.
Vende-se um escravo bom canoeiro e
trabaliwdor de campo : na rus ds Csi.ca do
Recife n. 59. ^ .. _____
.Veile-ao nuil urg uo su uuua,CC.
habilidades ; urna prela muito bos coii-
nheia.lavadeira e que fazo maissrrsnjo de
uina cass ; duS dllss boss quitan leiras ;
urna dita ue meia idade, por 850 10J rs ;
urna paida de 30 anuos, de exemplsr coca
duela, e que cose muito bem, eugomma
perfeilamente, be muito carinhosa para
meninos, e faz o mais arranjo de urna casa;
4 prelos bons pars lodo o servico; e outros
muilosescisvos: na ruada Cadeia do Re-
cife ii. 51, piimero andar.
Lotera do Kio de Janeiro.
Ao 30.000,000 de re.
Na praca da Independencia n. 4
1,500 vendein-se os afoitunados buhe*
1,000
4,ti 00
5,000
9,000
tes, meios, quartos, oitavos e vi-
gsimos da a4.a loteria a' benefi-
cio do monte pi, A eieo, que j
6,(100 r ^ J
3 ooo ha poucos.
Vendem-se dqiis armazens na rus da
Praia, ns. 34 A e 36 : s tratar nos mesaos
armazens.
___



-MMM
--Vende-se barato, por tor um pequeo
defoito, urna mulata que sabe ozinhar <>
diario ile urna casa, cose bem qualquer cos-
tura, he multo diligente no servigo de ra-
sa, e propria pan casa de paiiea familia, ou
para ama de um liomom solleirc, por se;
muioliel: na rus, do Queimado n. 14, ge
dir quem vende.
Msicas novas para piano,
viudas da corte pelo ultimo vapor.
Samliulcs ,ia Norma. CollecgSo de mo-
ilinhas nacionaes sbi msica da Norma.
As proyineiacs. Colleg&o de 36 pecas
de msicas escolladas das melhqres ope-
ras, dedicadas as 18 provinciaes do im-
perio.
A? niodinhns. Quero cantar a saloia, j
que outra moda n5n sei, minha mili he
saloi, eu cum ella me cnei. A fresca
sombra, etc.
Q.nadrUlia*. As seductoras. ,'Eldorado,
Concordias et l.edia, Delicias do baile,
Schafer quadrille non, Johann Strauss,
Beatricede Tenis, etc.
Vendem-se no pateo do Collegio, casa do
livro azul.
Calcado.
Vendem-se sspates de cooro de lustro,
a 3,500. 4, 5 e 7,000 rs ; borzeguins e sapa-
tOes feitoa na Babia, a 5,000 rs. ; sspstOes
debezerro, a 2,800, 4e 5,000 rs. ; tpalos
de lustro para senhora, a 1.000, 1,600 e
2.000 rs.; ditos decordovo, a 1,000 e 1,980
rs. ; borzeguins para senhora, a 3,000 rs. ;
ditos pretos e decores, a 4 5n0 M.; sapa-
tos para meninas, a 400 rs.; ditos de 1.1, a
400 rs. ; ditos de 13a, a 240 rs. ; e muitas
outras qualidades de calcados por prego
commodo.' napragsda Independencia, lo-
ja do Arantes.
Vende-se farinha de S -Matheus, mui-
to boa, e que n.lo faz dilTerenga a de S -Ca-
tharinha : a bordo do patachu Urna, ou da
sumaca Billa-Carolina, def'onte do trapi-
che, ou ao lado do Corpo-Sanlo n. 25.
Farinha de mandioca.
Na ra da Cruz, no Recife, armazem n.
13, e na ra da Cadera, amazem de Csm-
pello Filho, vende-se farinha de mandio-
ca do Cesr, muila alva, gommosa e de ex-
cedente gosto, tanto em pequeas como
em grandes por<,0es, por prego commodo.
Travesea da Mndre-de-Oeos. ar-
mazem. ll. 5.
Acha-se eslahelecido um deposito, onde
encuntrarfln os freguezes um bom soiti-
mento de licores, cm rilo de viutn>. e lo-
das >s mals quali'ades ; superior vinho de
caj; r ha mate; oliagasde vime,a presos
moderados.
Taixas para en gen lio.
Na funuigflo de ferro da ru do Hrum,
acaba-se de receber um completo sortimeo-
todo taixas de 4 a 8 palmos de bocea as
quaos acnam-se a venda por prego cora-
modo e com promptidSo embarcam-se,
cu carregam-seem carros sem despezas ao
comprador.
Deposito de potassa e cal
Vende-se muito nova e superior potassa
e cal virgem de Lisboa, em pedra : tudo em
karris pequeos de 4 arrobas, por proco ra-
soavel: na ra da Cadeia do Recito, n. 12,
armazem.
Vpnde-se por muito commodo prego,
orna rica secretaria com estantes para l-
vros, bastanto grande, propria paia advo-
gado, sendo de amare(|o e anula nova ; as-
sim como, seis cadeiras e duas mesiuhas
de abrir : na ra eslreita do Rozario, n.
28, nltimo andar, das 3 borag da tarde em
diante.
Farinha de Tapny-
gualmente em sabor, finura e cor a de Mu-
ibeca, propria para mesa: venie-se na
ua da Cruz, no Recife, armazem n. 13.
I>< psito da fabrica de Todos os
Santot* natahin.
Vende-se em casa de ft. O. Bieber & C.
a roa da Cruz, d. 4, algodflo trancado
aquella fabrica, muito proprio para saceos
doassucar, roupa de escravos efioproprio
para redes de pescar, por preco muito com-
modo.
va de lima, natural do Rio de Janeiro : ven-
de-se no pateo do Collegio, casa do livro
azul.
Cozinheiro imperial,
ou nova arte do cozioheiro, e do copeiro
>m todos os seus ramos : vende-se no pa-
leo do collegio, casa do livro azul.
Bombas ce ferro.
Tccldo de algrodo trancado na
fabrica de Todos os Santos.
Na rna da Cadeia n. 52.
vendem-se por atacado duas qualidades,
propria para saceos de assucar e roupa de
escravos.
Arados de ferro.
Na rundirlo da Aurora em S.-Amaro
vendem-se arados de ferro de diversos mo-
letas.
Moendas superiores.
Na funnc-iode C. starr 4 Companhia,
em S.-Amaro, acham-se a venda moendas
de canna, todas de ferro, de um modelo e
construcgSo muito 'superior.
Massa de vapor.
Acha-se aberta a padaria da ra do Bur-
gos, Forte do Mallos, na qual se achara
diariamente lodas as qualirisies de msssas
finas, trabalhadaa por machlnismo ; tam-
hern se fabricam excellenle pilo e holaxi-
nha de araruta, ditas inglezas, bolaxOeg
quadrados e redondos, e outras mais mas-
sis ludo obra prima : as mesmas seacbailo
no ileposiin do paleo do Terco, n. 10.
Aos senlioi-i's iie engcnlio.
vendem-se cobertores eacuros de algo-
d propri i.ara octavos, por serem de
muita durago, pelo diminuto preco do 640
---- -----. .._ l,Z ., t.icDffl/, cauuui
que volts para a cadeia.
Curtes de calcas a mil rl.
Vendem-se brint c.m listras ao lado
brancos e de cores, a dez tustes o corte d
caifas : na ra do Uueimado n. 8, luja con-
fronte a botica.
Vende-Se farinha de Santa-Cathsrina.
mullo superior, a bordo da galeota Sanliin'-
fn-1rin4ade, Tundeada juuto ao caes do
Collegio.
Doccira brasili ira,
ou nova guia manual para se fazerem to-
das as qualidades de doees seceos-, de cal-
ila, cobertos ou confeilados compostas. o-
pas doces, conservas de doces, natas e cre-
nies de lele, g.leias, fabricagOcs uas pasli-
lhas, flores e fruclas, difi'erentes figuras e
objectosdeassucar : conservagUo das fru-
las em ago'ardeOle, depuragflo e refinaeso
de assucar, do mel eda rapadura, fabrica-
cao dos xaropes, ratafias ou licOes de su-
iitns de fruclss por niusBo, gelos srtificiaes
el todo o anuo o Sorveles de todas as nua-
Vendem-se bombas de repozo,
pndulas e picota para cacimba :
na ra do Bruta, ns. 6, 8 e 10,
fundico de ferro.
Arados de ferro.
Vendem-se arados de ferro de
differentes modelos : na ra do
Hrum, ns. 6,8 e io, fabrica de
machinas e lundicao de ferro.
JA o barato causa admlrncao !
Isto acontece na ra do Crespo,
n. 6, loja ao p do lampeao
Vendem-se cssss-chitss de muito bom
gosto, s 240 rs.; cortes da ditas do melhor
gosto que leem spparecido, a 2400 rs.; chi-
tas finas de boas tintas, a ICO e 180 rs. o
covado ; riscado americano, a 140 e 160 rs.;
'til trancado, a 180 e 200 rs. ; algodfiu
mesclado. a 200 rs. ; zuarte azul com 5 pal-
mos, a 200 rs. ; dito de cores, a 200 rs.;
cassa preta para luto, a 120 rs. o.cuvsdo;
cortes de fustSo muito boas, s 560 rs.; dia-
les de tarlatana, a 320 e 1,280 rs.; coberto-
res de algodfio de cor, muilo cnenrpados r
proprios para escravos por serem muito
quentes, a 640 rs.; alpaca preta de cordfio,
com 7 palmos de largura, a -1,280 rs. ; ris-
cados de puro liuho, a 240 e 360 rs. o co-
vado.
Antigo deposita de cal
virgem.
Na ruado Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal virgem de Lis-
boa, por preco muilo commodo.
Veiid;in-.se relogios de ou-
ro sabonete patente inglez : na ra
ta Cruz, n. a, casa de Geo:
Kenworthy & C.
Na ra da Cruz, n. 10,
casa de Kalkmann
Irmaos,
vende-se um grande sortimento de
instrumentos de msica, com se-
jam :
Caix?8de guerra, e tambores.
Zabumbas e pandeiros.
Arcos de campainha, e pratos.
Baixos de harmona, trobSes.
Trompas, pist6es e clarins.
Cornetas, flautas, e pfanos.
Clarinetas, e requintas.
Viol5es.
muitos outros instrumentos.
AGliNCIA
da fundico Low-Moor,
H0A DA SEN2ALI.A-NOVA, N. l\"X.
leste estabelecimento conti-
na a haver um completo sorti-
mento de moendas e meias moen-
das, para engenho; machinas de
vapor, e tachas de ferro batido e
coado, de todos os taannos,
para dito.
Cnpotinhos e manteletes.
Na ra Nova n. C, loja de Maya Kamos & C,
acaba-se de receber cspoltnhos e man
lelelesde can.brala branca nortada, da ul-
tima moda, e muito bem guarnecido com
luco a imitaeflo de Monde : os pi ecos con-
vidara mis compradores,
A. Colotnbiez, com .oja na ra Nova,
atrs da matriz, vai ler ellecltvamente un.
gi sude sortimenio de ca lca e senhora, que os vender mais barato, por
ler contratado com um dos melhores fa-
bricanles de Caris. Nj mesma loja vendem-
se pe les decouro de lustro; bem como
corles de sapatos ja feitos do mestuo couro.
1,000 is
Jo^o Keller& COmpanhla,nn
na da ( ni/., n. 55,
Vendema precos commodos, vinho mug-
catel de Selubal, em caixaa de una du-
zia; dito muilo bom de l.avradio e Col-
lares, em bar ts de quinto; dito de Cham-
patilia, da mais acretlada marca ; dito tiu-
b> de t:oilaillod, de superior qualidade;
Xlracto de alisyulli e kirsch ligitiu.o da
suissa, em caixas de urna duzia ; vrrdadei-
ro cognac velno, e da melhor fabrica de
I-ranga, em harria de 8 tais ou menos : tambem se vei
Vendem-se, na ra a Moda, armazem
n. 15, meias. barricas com cal virgem de
Lisboa, a mals nova que ha no mercado, por
pretjo commodo.
f^Rap Paulo Crdeiro :^f
vende-se na ra da Cadeia do Recife, n. 51,
loja de fazendas, de JoSo da Cunha Msga-
IhSes.
FeijSo mulatinho,
de superior qualidade e muito no-
vo, vende-se a 6,000 rs. a sacca :
no armazem do Annes, no caes da
\lfdnriega, a tratar com Manoel
di Silva Santos.
l.otttla do Rio de Ja neiro
Aos 2o:iinoSotin.
Napraca da Independpocia, loja n. S, con-
fronte i ra do Oueimailo. fendem-se bilbe-
tes, meins, qurto, oitavos e vigsimos da
94.a lotera do Rio de Janeiro a beneficio do
monte pi, vindos pelo ultimo vapor.
-- Vende-se umn crrenle de ouro de lei,
com 48 oitavas de peso, sem feitio : ns rus
do Livramento n. I, prtmeiro andar.
Cal e potassa.
Cunha & Amorim, na ra da Cadeia do
Recife, n. 50, eontinuam a vender cal vir-
gem de Lisboa, e potassa superior, por pre-
go mais barato do que em outra pual^ur
liarle.
.Vlilhoe arroz comeasca a2$5oo
rs. cada sacca.
Vende-se no armazem do Braguez, ao p
do arco da Conceigfio.
Chumbo de munica.
Vende-seno armazem da J. J. Tasso J-
nior, ra do Amorim, n. 35.
Vende-se urna escrava boa quilandei-
ra, e que enzinha o diario de urna casa: na
ra de S.-Josc n. 7, confronte ao muro d
Penda.
Por 3:000,000 de rs.
Vende-se um terreno com olaria e urna
casinha, tendo de frente 107 palmos, e de
fundos desde a ra da Aurora at a ra do
Hospicio, ten lo frente para se edificar 15
moradas de casas : na praga da Indepen-
dencia, n. 17.
Foges para cozinha
muito proprios para sitios e quaj-
qualquer lugar aonde nSo ha cozi-
nha, por preco commodo ; ven-
dem-se na ra da Crui, n. lo,
casa de Kelkmann Irmaos.
Vendem-se doug lindos moleques de
18 unos ; um dito bolieiro ; um cabrinba
de II a 12anuos, mullo esperto; 9 prelss
de todo o servico ; urna dita de elogante fi-
gura, com habilidades: no pateo da matriz
de S.-Antonio 11. 4, segundo andar.
Vendem-se amarras ue ferro'; na roa
la Senzalla-Nova, n. 42.
q Cera em velas. jj|
O Vendem-se caixas cora ce- O
5 ra em velas, fabricadas no
q hio de Janeiro, muito bem %
O sortija, por ser de unti a O
cBs deste municipio venda ai fregueziss
le fra, comoselam : Afogndos, V'arsea, 8.-
l.ourengo, JaboalSo, Murlbeca e Pogo da Pa-
nellu, por pregos commodos.
$ffffff f fffffffffffo
Na loja do sobrado amarello, nos s
quatro-cantos da ra do Queimado 2
n. 29, ven de casas-seda corh flores, s 7,000 rs. *$
cada corte ; ditos de cambrais bran- 41
ca com barra bordada e adamascada, 4
a 6,000 rs.; ditos de cambraia-seda, *
ricos e de m i lo modernos gostos, 4
por difTerentes pregos, hvendo de j
tudo grande sortimonto para ss esco- 2
- Iher; cortes de vestidos de seda, de 2
X gosto muilo modernos, e por prego
^ em conla ; eoutrss fazendas Roas e a
>> de gosto.
AAAAA A A AAAAAAA A AA9
Reles a 940 rs.
Vendem-se bonetes para meninos, a 240
rs cada um : rio Aterro-da-Boa-Vista, loja
n. 38, junto a de s-lleiro.
A 18600 o cavado.
Na loja n. 3, def'onte do b-cco do Peixe-
i'rilo, vendem-se casemiras escuras de bo-
nitos desenbos em xadrez, ptimas psra
pannos de cima de bancas, a cinco patacas
o covado : esta fazeods torna-se muilo re-
commendav$l pelo seu modernismo.
*# ** # 9
16 em libra, por preco mais
q barato c'o que em outra qual- q
quer : na ra rio Vigario, n O
19, segundo andar, a fallar O
- iieui por
prego muilo rasoavel velas .le stearina .em
hIniiImUIiI...... -I......,... ^- .. .
. --, ^..-..vw Ms Dama uo
muito boa qualidade.
f Deposito geral do superior ra-
& p A rea-1'rea da fabrica
deGaotois l'ailhetrk C.
na fiahia. O

lid.de.. Obra nova deste anno, e utilessi,,,., psr.".g-. c.7ui7 .7 g.Tr. ."a 'rutZl
rxtrahida de diversos autores n a ,n..i.o .i. '._ _p".' t'1" iruieirag
exir,,hida de diversos autores, e de multas
ipceilas nao impressas.syor Constanga Oll-
t nomingog AlveaMatheug, agente da_
^fabrica de rap aupeiior Areia-Preta da
Babia, lem aberlo um deposito na ra4*
Tda Cruz, no Itecife, n. 52, primeiro au-C?
^dar, onde se achara sempre deate ex-
VcellenleeniaisacrediUil rap: ven-
Vde-se em boles de urna e meta libra,
por prego commodo. c\
0000ooo
-- Vende-se um escravo muilo bom ser-
rador; umdilode15annos, de muilo bo-
nita figura, gm vicios nem achaques: aa
ra do Livramenlo n. 4, se dir que ni vende.
Vende-se um so lmenlo de vidros de
cOreg para masas, ten lo copos para vinho e
q com Machado & Finheiro.
<>$O0
Vende-se um prets de nago Mina
muito moga e vistosa, que engomma, co
zinha e faz todo o mais servigo de urna ca-
sa : na ra do Amorim, n. 15.
Charutos de Ha va o a,
de superior qualidade : vendem-
se na ra da Cruz, n. 10, casa de
Kalkmann Irmaos.
--Vendem-se 130 saceos novos de esto-
pa, com duas varas cada um : oa ra larga
do Rozario, n. 48, prioieire andar.
Vinho de Bordeaux:
vende-se na ra da Cruz, n. 10,
casa de Kalkmann Irmaos
Veniem-se silhdes inglezes
para montara de senhora : na
ra da Cruin. a, casa de Geo :
Kenworthy &c C.
Panno verde escuro.
Vende-se i-anno lino verde escuro, pelo
diminuto prego de 4,000 rs. o covado : an-
da resta >lgumas ctiiaa francezas, rom al
gnm mofo, que se vndenlo a quem coro-
no r pega, a 14o rs., o a retalho a 16o rs. o
covado : no Atierro- la-ltoa-Vista n. 18.
Km a nova refinagso da ra do Vigsrtu
n. 27 ha assucar refinado de diveras qua-
lidades, do melhor que tan vindo ao mer-
cado,asim ron n,caf moido, etc.; tudo por
prego commodo.e a conteni dos Treguezes:
o dono deate novo estabelecimento espera
pela concurrencia dos freguezes, a quem
promctle agradar.
Ka loja do sobrsdo amarello, nos
41 quatro-cantos da ra do Queimado
% n. 29, |veinfem-se a. mais modernas
9 cha pelinba- de seda de cores para se-
?> nhora, muito bem guarnecidas ; bem
9i como msnteletes dn seda fnrta-cres,
1 os msis modernos que existem : ludo
por prego commodo.
#<
Vende-se superior rap de Lisboa, em
frascos, chegado agora na barca porlugue-
ia Ligera : os Snrs. freguezes que estilo
aroslumados a tomarem boa pitada, nSo
leixarSo-de mandar buscar 110 largo da As-
sembla n. 4.
Vende-se a taverna da ra
do Pailre-Floriano n. 7a, com
poucos fundos, a qual frz 10 a
19,000 rs. por da; a tratar na
ir.'.vessa da Concordia, sobrado
n. 5, das 6 s 8 horas da manhaa,
e das 4 as 6 da tarde.
-Vendem-se sellins inglezes
elsticos, chegados agora : na ra
da Cruz n. 2, casa de Geo: Ken-
worthy & C.
Vende-se a valsa Adalia para
piano 1 na loja de Cardozo Ayres.
na ra da Cadeia-Velha n. 31
prego 500 r.
He grande pechincha.
A 2oo e a4 rs-
Vende-se urna porgSo de chitas francezas,
de 4 palmos do largura, roas, de cores fi-
zas, a 200 rs. o covado ; cassas francezas
de bonitos padrOes, a 240 rs. o covado : na
ra do Crespo o. 14, lojrde Jos Francisco
Diss.
Lotera do Ro de Janeiro.
Aos 2o:ooo$ooo.
Na rus ds Cadeia do Recife n. 40, loja de
fazendas, de Francisco Concalves da Silva,
vendem-se bilbeles, meios e quai tos da 24.*
lotera do monte pi gnral dn II 10-de-Janei-
ro, chegados no vapor S.*Seba$itao.
A 46o rs. o corado.
Defronle do beeeo do Pejxe-Frito, loja n.
3, vende-se gsnga amarella de lislras, pelo
baratissimo prego de 460 ris: esta fa-
/erola torna-se .imito racotnmendavel por
ser muito fina e de padroes agradaveis.
Chtt a 5oo 11. a libra.
Vende-se cha hyssun, de muito boa qua-
lidade, a 500 rs. a libra 1 na ra do Crespo,
n 23.
Vende-se urna mulata que corta e faz
camisas de homem, cose com tods a perfei-
gSo costuras de aifaiate, isto he palitos, cal-
cas, aquetas e colletes, engnmmadeira, boa
co/inheira do diario de urna casa, nSo be-
be espirito de qualidade alguma, he muito
fiel e boa compradeira ; urna preta de An-
gola, de bonita figura, moga, s?ii achaques,
bus engommsdeirs e com outras habilida-
des que se inforroarfio ; uia mulatmha de
10a 11 anuos, cum principios de costura, e
e bonita figura : na ra larga do Rozario
n. 48, prinieiro andar
.Manteletes e eapotlnhos.
Na ra Nova n. 6, loja deMya Ramos & C ,
acaba se .te receber Je Fraug uro sortimon-
to de manteletes e capotinbos do seda la-
vrada e lisa, da ultima moda, e que se ven-
dem muilo enmonta.
Agencia de Edwln Maw.
Ra, le Apollo, 11. 6, armazem de Me. Cal-
illolil & Cumpanbia, lazem ver aos S'rs. de
engenho e aos seus correspondentes nesla
uraca, que nuseueslabsnrcrMHM^se arha
coiigiaiiiemenla bom Jb lmenlo'^moen-
uas todas de ferro parjl animaes, ^. etc.;
meias ditas para armar etn iiiaderraj^ma-
chinas pars vapor c*An forga de 4 ca
taixas da difieren les modelos e de lod
lamanhos e grossums, tanto dfl-feru
para vestidos de senhora : na ra do Que!,
mado n. 9.
. A 32o rs. o covado,
Vendem-se cmbralas francezas de cores
(Isas, a de deseohos do gosto parisiense
oa ra do Crespo n. 4, loja amarella.
A 24o n. o corado.
Vendem-sohU frsncezas ds cores fi-
tas, do mais moderno gosto psra roupOes
le senhors; pegas de cambraia de rama-
genssdsmsscsdss e com vsrs da largura
a 3,000 ra.: na ra do Crespo n. 4, loii
marella do ladp do norte.
A preciacao darevolta praiei-
ra em l'ernambuco, pelo doulor
Urbano Sabino, ornada com ore-
trato do desembargador Nunes
Vlachado : vende-se no pateo do
Collegio, casi do livro azul.
-- Vende-ce urna bonita crioula de 17 an-
nos, que engomma, cozinha faz lavarinto;
Irs dos Martyrios, 1 ua jdo Caldtiro, n. 46,'
Escravos Fgidos.
r ^... ...<,.. lmannos e grossurus, tanto de fe-rr hifiaq
Os verdadelros rlscados monslros[como cod; espumaderas, cocos, eic, de
U uu i. mu ano.
Na loja da ra do (jueimado n. 3, ven-
dem-se 1 M-a'los monstros de qustro palmos
e praios, por prego commodo .
Cabug loja de 4 portas de Qusrte.
e meto de largura, pelo baratissimo prego
de 260 rs o covado.
Vende-se a taverna da travesss de S.-
Jos n. 2, com poucos fundos, e commodos
para familia : o motivo por que se vende he
pelo dono relirar-sepsra forado imperio : a
tratar na mesma taberna.
Vende-se urna casa ierres, sita na tra-
vesea da ra Bella, ces do Machado, n. 5 :
no Aterro-da-Uoa-Vista o. 60.
Vciuiem-se snpatdcs
chegados agora mesma do Aracaly, feitos
capricho, segundo ss recomniendacOes
que para lase u-iu feito, por mdico prego,
parase liquidar: ns rus larga do Rozario
n. 35.
* He pechincha.
Vende-se urna canoa guinde de carregar
lijollo por prego multo commodo, porestsr
com um peqtienodeleito, e 1 mastru de 40
a 50 palmos de coroprimenlo, que serve pa-
- 'a qualquer embarcacSo : a tratar na ra
na ra do I Nova, loja 0.35, ou na ra do Sebo n.36.
' --O arrematante do contrado das afori-
t
r
iei 1 o eauMaauw o.uinvain leireiros
do muilo bom e por bsralo prego.
~ Na ra da Cadeia-Velha, primeiro an-
dar da cass n. 24, de Manoel Antonio da Sil-
va Aniones, vende-se um neo sortimento
de chapeos de palha de Italia, abertos, para
senhoras; carnudas de cambraia, coleii-
nhos, romeiras, manguitos, punhos, ludo
excellenleroetile bordado, bicos inissimos
riess lilas, e outros objeclos de gos.o; ben
como um completo sortimento de fazendas .
ludo se vende por pregos muitos rssoaveis!
Cha superior.
Cha superior, brasileiro, e da
India a a,ooo rs. libra : no
paleo do Collegio, casa do livro
azul.
Na mu do Livramento, n. :j h,
veade-se um escravo de 21 anuos, muito
bom para o servigo de campo ; urna escra-
va de Siannos, para o servigo de campo:
ludo em conla por seu duno querer retirar-
o para fora.
Para vestidos de senhoras.
Vendem-Sa OS maia la.lna manonllna I
No primeiro do crrante, fugo, do si-
tio da Trempe. n. 1, urna preta de naci
Costa, de nome Maris, bem alia e gorda ;
tom varios signses de sarnas pailas pamas,
e urna costura na munhrca da mfio esquer-
ra ; lem oa heigos pretos, denles alvos,
pamas e brsgos bem grossos; levou vesli-
ido de chils encarnada a panno da Cosa
azul ; tem sido vista pela Boa-Vista ; an-
tes de v|r psra a prags, foi moradora em
Maria-Kartnha, e depois fot escrava de JoSo
de tal, com venda no beccu largo, e a Ira-
zia vendendo efTeitos da sua venda ; ltima-
mente foi vend peitog grandes e j cshidos representa ter
28annos. Roga-s- as autoridades policiaes
e capules de campo, d.ue a appreliendam e
levem-na ao dito sitio, ou na ra da Cadeia
do Recife, defroo,e do Becco-Largo, n. 25,
que serao gratificados generosa mente: Ism-
bem roga-se aos Srs. commandrntes de
embsrcagOesque conduzetu escravos para
fora, de examinaren! os que se hes spre-
sentar, nSo sejs ella um delles, que se quei-
ra evadir com a protegSo de elguem ; da
mesma forma ae protesta contra quem a li-
vor recolhida, oulhe der abrigo, com lodo
0 rigor da lei. Omesmo sviso se faz de ou-
tra escrava, perlenceote so mesmo dono,
equefugio no meiadode setembro prxi-
mo passsdo, da nome Msris, de nago Ca-
laba, de 50 annos, baiza do corpo, bem pre-
ta ; tem a bocea meia lorta de tomar ca-
chimbo, peilos pequeos e cabidos; lem
urna costura em cima do peilo direiio ; he
muito falladeira, voz grossa, bragos e per-
nss meias foveiras; levou v|Udo de chita
encarnada de ramos ; quanfg} fUge costu-
ms a ir tirar marisco, por serimariscadeira;
lamhem costuma andar pela Casa-Forte,
onde foi pegada ns u tima fgida que fez.
No dia 4 do correte rugi um preto
de nome Joaquim, de nago Cagaoge, esta-
tura regular^ reprsenla ler 20 1 22 annos,
com pona de barba, cor um pouco fula,
cara redonda, nariz chato, mas todo arro-
pa nhado em roda que parece ler sido quei-
madura ; levou ceroulas ecamis-i de algo-
dflo trancado. Roga-se ss autoridad** po-
liciaca e capites de campo, q* o-apre-
hendam e.levem-no i ra larga do Rozario,
n. 18, que serSo gratificados.
lrugio, no dis 5 do correte, depois de
meio-dia, o preto Patricio, de nacto Costa,
alto, cheio do corpo, ps grandes e a pal be-
lados; anda alguma cousa devagar; tem os
ps engiados e os tornozelos grossos ; levou
caigas azuest camisa de algodio riscado :
quem o pegar leve-o a roa lureiti, n. 26,
que ser gratificado.
Fugio, no dia 12 de setembro prolimo
passsdo, o esersvo crioulo, de nome Jorge;
he sito esecco do corpo, cor bom preta !
1 em falta de denles ns frente, poini be
mogo : quem o pegar leve-o ao Aterr'o-dos-
Afogailos, a Antonio da Silva -Gusmfio, que
gratificar,
No da primeiro do corrente desappa-
receu urna preta de Angola, de nome Vie-
torina ; foi de urna irmfla do Sr. snsjor
Msyer, esuniOe-se terse evadido do poder
do abaixo declarado, visto a ter arremata-
do em i.rsga no dia 16 de setembro. Rogs-
seautoriitadea policiaca e capitSes decam-
po, que a apprehendam e levem-na ao l'as-
aeio-Publico, n. 11, n Firmisno Jo Rodri-
gues Ferreirs, que gratificar.
Desapparereu, no dia primeiro do cor-
rente, do lu(r de Beberibe, sitia de Sspu-
eaia, um moleque de noaie Joaquim, de 11a-
gflo Rengela, de 18 a 20 annos pouco msis
ou menos levou caigas de algodSo da Ier-
ra, camisa de dilo j bem suja, chapeo de
palha ; he alto, pernas comprtdss; lem an-
dar miudinho, meio fula ; tem dous denles
da fenle limados, olhos espantados; anda
sempre com a bocea aben* ; foi visto no
dis 8 ao meio-dia na Litigela, e s duas
horas ns tsberna ao p da punte da Roa-
Vista. Roga-se as autoridades policiaca e
ca, ules de campo, .que o apprehrnittin e
levem-no ao sitio d'Agoo-Fri, sdisnle da
Cruz de Almas, que seafio gratificados.
Fugio, ou foi seduzids na nuite de 8
lo ron ente, a mulata Ignacia, de 35 a 40
annos, cor seaboelada, cabellos corridos ;
levou em Sua companhia una fillia de iO
roezfs, rom a mesma cOr, e ptincipiando
ungauui.M, m.oui ovwu mu* IUUIIUO
roupa, inclusive um vestido de cassa ama-
rella aovo : quem a pegar leve-a a S.-Ama-
ro, casa da Manoel Coelho Cintra.
-Fugio, 00 dia 8 do correnle, a preta
Mara, de nago Nago, de aliara regular,
clieia do corpo ; tem um furo sobre a venta
esquerds, e una coatura as costea ; ten os
peitog cabidos; representa ler US anuos;
anida n.lo falla muiU bem Isvou cabegAo
de riscado azul com matantes, mas muilo
sujo,duas saiss,uma de chita desbotsda por
baixode oulrs de chita branca pintada de
encarnado, panno da Coala com listras
azues e brancas, porm meio velho ; coalu-
mava a vender na ra em taboleirolualas,
fej.lo, milho arroz, outras comasliaes, _"
szeile de carrapalo; perleooe a> tose Rodri-
gues de Souza Jnior, que a compasa no
dia 28 de setembro prximo passsdo ao Sr.
JoSo Marques Corris aue bs praiico, mo-
rador na ra do Pilar n. 85: quema pegar
leve-a ao dito aeu senbor, na ra do Quei-
mado u. 37 A, loja da ferragen, que re-
compensis.
-_,.------
P.F
' 1850
. .


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EDBZEU1SM_EK2KZQ INGEST_TIME 2013-04-24T19:27:34Z PACKAGE AA00011611_07036
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES