Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07034


This item is only available as the following downloads:


Full Text

AnnoXXVI
Sexta-fe/ra 11
TARTTDAB DOS COHHEIOl. "
Goinna e Parabiba segundas escitas felras.
Hio-Grande-do-Norte, quintas feiraa ao mel
dia. .
Cabo, Serinhaem, Rlo-Formoso, Porto-Calvo
e Macelo, nofl.*, ai!, e 21 de cada me.
Garanhun e Bonttp, a 8 e 23.
Hoa-V'iala e Flotes, a 13 e 28.
Victoria, s quintas feiras.
Olinda, todos
PlfASES Di LOA.
XVHIMERIDES.
I Nova a Saos 36 m. da t.
Crrsc. a 13* aos 10 m. da m.
Chela, a 21, aos 25 m. da m.
Mlng. a 28, s 2 horas da t.
PBEAMAB DEROJE.
Primeira s 9 horas e 18 minutos da manha.
Srgnnda s 9 horas da tarde.
- -'!________ULB"
te Outubro ce 850
N. 230.
PRECIO DA STJBSCnipyAO.
Por tres meses|(adianudos)- 4)000
Por aels mezes 8/000
Por un anno 15*000
' usa ijiii
DIA da sima,
7 Seg. 9. Maroos, Au, do J. dos orf. (do m. 1 v.
8 Tere. 8. Brgida, And. do chae, e do J. 1. v. do
civ. e da dos feitos da fasenda.
9 (Juarta 8. Diontzto. Aud. do i\ da 2. v. do civel.
10 Quinta S. Francisco de Rorja. Aud, do J. dos orf.
e do m. de 1. t.
11 Seat. S. Finnlno. Aud. do J. da 1. r. e do dos
feitos da fazenda.
12 3a. S. Sypriano. And. da Chae, e do J. da 2.
v. crime.
13 Doro. O Patrocinio de S. Jos.
CAMBIO IN 10 DE OUTDBRO.
Sobre Londres, a 28 lit d. por 1/000 rs. a 29|500
Parll, 348,
Lisboa 100 por cento.
Ouro. -Oncas hespanhoe .... 29/000 a 30/00O
Moedasde6#400velhas 16/000 a 1M00
> de 6/40O novas 16/100 a 16(200
de4|000........ 9/100 a 9/400
Prata.-PaUcc.es brasiteiros... 1/H60 a 1/980
Pesos columnarios.... 1/960 a l/98i
Ditos mexicanos....... 1/800 a 1/820
IAR10 D
PARTE OPFIC1AL.
-
GOVERNO DA PHOVINCIA.
EXPEDIENTE DO DIA 8 DO COMIENTE.
OTcio.Ao Exm. commandante das tr-
inas, inteirandOfO de haver o Exm. presi-
dente das Alagoas, participad que, a borlo
do vapor S.-Sebaitia, chegado hojedos por-
tn do sul, vieran! ara esta provincia dous
soldados do segundo balalhSode artilharia
a p, um do primeiro de cscadores e dous
do segundo da mesma arma, cujos nomes
constan) daa guias que remelle.
Dito,Ao inspector da thesouraria de fa-
zenda, remetiendo dus notas de cinco mi
ris, sendo ,um de n. 86530, quarla serio e
a outra da declms-prioieira, n. 27680 para
que mande examina-las competentemente
alim de conhecer-se ae silo Falsas.
Dito.Ao director do lycu, dzendoque
o concurso para substituirlo das caJeiras
de ptiilosophi.a e geometra daquelle lyceu
deveri ter lugar no dia 11 do corrente i ho-
ra do costume.
Dito.Ao inspector da pagadoria militar,
para que i vista la conta que remelle em
duplcala mande inlemnisar ao segundo
bstalbSo de catadores da quantia de 6,64o
rs. que ae despendeu com a inhumacSo do
cadver do toldado do mesmo hataltifio An-
tonio Jos Ferrcira.--Com.munieou-se ao
Exm. commandanle das armas,
Dito.Ao mesmo, ordensndo que infor-
me ae lave lugar a suspensSo do pagamen-
to da consignaclo mensal de 30,000 rs., que
deixira aqu o major graduado Joaquim de
Puntes Marinho, e desde quando principou
dita suspensSo.
Dito.Ao mesmo, pira mandar indemni-
zara* quinto batalhto do fuzileiros, vista
da cotila que remelle ero duplcala, da
quantia de 6,640 rs., que se despeo leu com
a InhumacSo do cadver do soldado do
mesmo batalhSo Antonio Pereira Barros,
lnlolligenciou-se aoExm. commandante daa
armas.
Dito.Ao mesmo, remetiendo as corita*
das despexss feitas pelo arsenal de marnha
com o curativo de recrulas do exercto, a-
Dmdeque mande Indemnisar aquella re
partic..1i> da importancia das mencionadas
coritas.-Inteirou-se ao inspector do arsenal
de marinha.
Dito.Ao director-do araenal do guerra,
dlzendo que no caso de existir naquelle ar-
senal un cofre em bom estado, com o qual
posas ser satisfeito o pedido que remitte,
in iide-o entregar ao eommandante do oi-
tavo balalh.lo de catadores, e ao contrario
mandar apromptarum novo para Ihe for-
necer. -Inteirou-se ao Exm. commandante
das armas.
Dito.Ao inspector do arsenal de mari-
nha, significan Jo-o de haver concedido li-
cenca a SebastiSo Alfonso do Reg Barros,
3tie coniraiou com a thesouraria da fazen-
a provincial faner o accreacimo do Passeio
Publico em frente do arsenal de guerra, pa-
ra extrabir daa pedleiras do uso daquelle
arsenal a pedra que fr uecessana para a re-
ferida obra, e preveninn-o de que dev>'m
de ser por Smc. designados os lugares para
semelhanteextrscSo.
Dito.Ao mesmo, dixendo que visto j
ter sabido do Para a charra Ptrnambucnna
deve SaJc. sobreestar na remessa dos onze
inarinheiros, que em cumprimento de or-
iluui imperial devlam ser enviados para a-
quulla provlncis aflm de poder regressar a
mesma charra, os quaes aeran conserva-
dos nos navloa em que actual ment se
achain depositados.
Dito.--Ao inspector da thesouraria da fa-
zenda provincial, para que mande adiantar
so olllcial e mais pracaa do corpo de poli-
ca, que compe o destamento da cotnar
a de Csranhuiis trea mezes de sold a con-
tar do 1 do conente ao ultimo de dezem-
bO vindouro, conforme requisita o respec-
tivo commandanle Commuoicou-se ao
mesmo commandaote.
Dito.Ao mesmo, remetiendo a planta e
copia do ornamento que approvou para
roostruceflo de urna ponte, sobre o rio Pi-
ra pama, a qual v.i ser feita por adminialra-
COu. iutelllgeociou-ae ao director das
obras publica*.
Dito. Ao juiz municipal o de orpbo'
do termo do Cabo, dizeno quo Smc. s"
lem direito a receber aqu o sen ordenad0
oa em quo entrn no eaeiuiu doiugai'
3ue Ota oceupa em dimite, e nio da data
o decreto.quu o removeu, como Smc. sup-
poe.
Dito.--Ao delegado do primeiro dislricto
do termo do Rectfe. -^Recib o seu olcio
com a dala de honlem, em que Vmc. expe
que conslando-lliequeno dia t.do corren-
tes ^t>egado a este porto procedente do
Ang^Pp escuna nacional Gulanlc-Naria,
immesiiavtamente proceder a examo a bor-
do da dita escuna, alim de coohecer se ella
hara oonduzido africanos, e nada encon-
trando que Iho dssesuspeta de se empre-
ar no milco, pasara entretanto a revistar
a tripulaciio, e entre esta chara trea africa-
nos menores do 30 annos. despachados pelo
governo.civil de Angola, como creados de
ulguis,, passageiros, o que Vmc. venlicara
em i Menea dos passapor es em forma o
csjs|sj0eiiberdadc,que os acompanharam,
e(p*a>-Ymo.- me remetleu, consultando so-
breo procedimente ulterior visto haver pos-
to em deposito os ditos a/ricanos, e em res-
posta devolvendo-lhe os mencionados do-
cumentos; tenho a declarar-lhe, que deve
Vmc. entregar os ditos africanos as pessoas
us nsit-ai arihi t\* r-( niliit-" ama *%t*n
como se v i'os documentos, nfio foran im-
portados como escravos, ficando, porm,
registrados na secretaria da polica os ref-
dos documentos, e ohrigando-sa as mes-
mas pessoas por meo de um termo explci-
to e circumstancado, e garantido por flan-
ea idnea, a reexportar a su* coste o ditos
frioanos dentro de um praso rasoavel so
a pena de floarem incursos na le respectiva,
porquanto a admllir-se que se introduzam
no imperio africanos sob tal pretexto, p-
dem almde oulros inconvenientes seguir-
se abusos, que nffo devem, nem p'dem ser
lo I railos. E semelhantemente procede-
r Vmc. em outra occasiflo emquanto oo-
tro procedimento nSo fr determinado pelo
governo imperial, a cujo conhecimento rou
levar o occorrdo.
DEM DO DIa 9. /
Ofllcro. Ao Exm. commandbnl9 das ar-
mas, remetiendo a nota do que deve pagar
o padre* Antonio Francisco Connives Gu-
marSes, pela sua nomeacSo de capellao do
quarto lintalho de artillara a p, para que
a f'C,a entregar ao dito padre.
Dto.-Ao|mesmo,communicando quo S.M.
o I. segundo constou de aviso do miusterio
da guerra datado de 4 desetembro ultimo,
houveporbem mandar addir o corpo fixo
do Cear,para nelle fazero servido o len-
te do quinto batalhSo de fuzileiros Jos Ma-
nuel Braga, que se acha naquella provincia.
Inteirou-se ao inspactor da pagadorita mi-
litar.
Dito. Ao mesmo, loleirando-o de haver S
M. o Imperador, segundo fol destarado em avi-
so do ministerio dagueira, datado de 17 deae-
teuibro ultimo, mandado dir baia do aervico
ao cabo deesquadra do quinto batalbao de fu-
zileiros Jos A/aooelGarcez.l
Dito. Ao inspector da thesouraria de fa-
zenda, transinitliudo para ter o conveniente
destino o decreto de 6 de seteinbro ultimo, pe-
lo qual S. M. o Imperador houve por bem no-
tnear para segundo escripturario da alfandega
desla cidade o amanuense da inesiua Domingos
da Si va Guimares.
Dito.A' associaclo commercial desla
prac>, rciiielleiido copia do d-'creto n 696
d'5 le setembro ultimo, que deu instruc-
COes i ara a eleicSo dos deputados e sup-
plentes dos tribunaes do comme co, alim
le queem execuc&o do que se acha deter-
minado no art. 5 do mesmo decreto, orga-
nise para ser remettido a secretaria da pre-
sidencia com a possivel brevidade,a lista ge-
ral dos rominerciantes que se acharem as
ircumslancias lgaos de podureui volare
sur vota loa na mencionada eleiclo.
Dito.Ao juiz dedi re toda segunda vara crime
da comarca do Reclfe. Reinetto-Ibe por copia
o decreto de 19 do inez prximo passado, pelo
qual S. II. o Imperador houve por bem suspen-
der do respectivo exercicio oprinteiro aupplen-
te da segunda vara municipal do liedle Joao
Kloripes Dias Marre tu, aflu de que Vine. Ihe fa-
ca dar inteiro cumprimento.
Decreto a que se refere o o/fictn cima.
Coinmunlcandon presidente da provincia de
Pernaiubuco, por oiilcio diiigido a reparticao
dna negociua eslrangeirns, ter mandado res-
ponsablltsar o primeiro supplente da segunda'
vara municipal do Recife Joo Floripes Dias
arreto, e sendo conveniente que elle nao con-
tinu no exercicio da jurisdiccao ; hei por bem
sinpeiidi'-ln do mencionado exercicio al que
o< tribunaes deeidaiu a respi-ito das causas por
que foi i csponsabilisado. Euzebio de Queiroz
liiniiiiino Malloso da Cmara, do ineu conce-
di, ministro e secretario de estado dos nego-
cios da jusiica, assim o tenha entendido e laca
rxecular. Palacio do Rio-de-Janeiro, 19 de se-
tembro de IS&0, vigsimo uonu Ja iudcpriiden-
cla e da imperio. Com a rubrica da S. M.
o Imperador. turbio de (Jurtot Coutinko
Mattoio Crinara. Conforme. Jolino do A'ui-
cimento JMtWi
Uno. Ao Inspector da pagadoria militar,
transiuiuiddo, em cuuipi iiiirnlo ao aviso do
ministerio da guerra datado de 20 de setembro
ultimo, o processo u. 229, relativo ao pagamen-
to que reclama o alferes reformado Joaquim
Pedro de Souza Magalhaes, para que saiisfaca
as exigencias comidas na informafao que re-
melle da contadoria geral da guerra.
Dito.Ao Hirsuto, para que mande pagar ao
tenenle-coronel commandanlc do ohavo bata-
Ihao de cacadores a importancia de i5,^6o ris
de que trata o ofncio que remelle, no caso de
estar conforme o documento em dupplicata
que acompanha o dito officio.Coimuunicou-
se ao Exm. commandante das anuas.
Dito. Ao iitesiiiu, iutelrando-o de haver o
Exm Sr. miolslro e secretarlo de estado dos
egocioa da guerra ordenado, eut aviso de 17
de setembro ultimo, que cesae naquella paga-
doria o abono de sidos ao soldado reformado
Antonio Moreira da Silva, t que ae remella a
thesouraria do Rio-Grande do norte a compe-
tente guia para ser por all pago o dito sol-
dado.
Diio. Ao director lio arKliaidc JUerr, "
torisando-o a despender a quao'.U de 42,00o rs.
com a compra de 50 talherea e de duas cijas
de folbas de Flandres para a manvncturaco
das tijellas, pratos e canecos indicados no pe-
dido que devolve loteirou-se ao inspector da
pagadoria militar.
Dito.Ao mesmo, autorisaudo-o a comprar
3) prancboes de madeira de oleo, oerecido
por Leocadio Fnnclsco Cavalcante de Albu-
querque, mediante aa coodicdss por S. me. es-
tipulada. --Scieiilifcou-se ao inspector da pa-
gadoria militar.
Dito. Ao inspector do arsenal de marinha,
para que mande receber a bordo do vapor Satt-
tbtMttio dous caixoies, conlendo dous retratos
da S al. o Imperador, oa quacs deverae aer
guardados com camella no meauo arsenal at
que se Ihe d o conveniente deslino. Intelli-
geociou-se ao commandante da referido va-
do que pode chamar os arbitros do com-
mereio relativos a qualiflcacflo daa merca-
lonas para servirem de peritos na deciso
do caso de divergencia de que S. me. trata,
visto nSoeetarem a|nda nomeados os pra-
ticos do commercio de que faz menc.f!o o ar-
tigo 6 do regulamento que hailou com o
lecreto n. 089 de 30 de jmi 1 tir ultimo.
Dito. Ao inspector da thesouraria da fl-
zenda provincial, para que mande exami-
nar e pagar, estando conforme, a conta que
i-emette na Importancia de 54,000 rs. da des-
oeaa feita com o sustenin dos presos pobres
da cadeia do Cabo, do primeiro de jullio ao
ultimo de setembro do correte anno
Intelligencou-seao delegado daquelle ter-
mo.
Dito. Ao agente da companhia das bar-
cas de vapor, ordenando que mande dar
passagem para corte no primeiro vapor
que ebegar do norte aos desertores do corpo
de imperises marinheiros que Ihe lorem
presentados pelo commandante do vapor
Tkelh. Neste sentido officiou-se ao com-
mandante do mesmo vapor.
Dito. A* subdelegado da freguezia de
Quipspa. FAram-me apresentados por
Jos Mananto de l.ma os cinco volunta-
rios de que V. me. faz mencSo em seu ol-
cio de 30 do mez passado, aos quaes man-
dei assentar pr;n nos corpos da guarnicSo
Jesta provincia, mediante a gratifleacao de
150,000 rs. a cada um, eao referido Jos
Mananto ma-ndei dar a quantia de 32,500
rs a saber -. 25,000 rs. pelo seu tra balito de
acompanhar os mencionados voluntarios, e
7,500 rs. de despezas com o fornecimento
Je sustento para os aiesmos.
Ests presidencia Ihe agradece o zelo com
que Vmc se lem prestado a dar cumpri-
mento a circular com dala de 15 de julho do
corrente anno, e cotilla que continuar a
preslar-se da mesma manelra aflm de obter-
se o maior numero possivel de voluntarios.
Nesle senliJo expediram-se as conveni-
entes ordens.
Portarla. Mandando por em liberdade
o recruta Joaquim Jos da Silva.
acham-se presentes
ju-
por.
lto. Ao commandante da fortaleza do
m, ordenando que mande entregar ao
commandante do vapor Thetis oimperial ma-
rinbeiro Marcellino Kaymundo Cardosoque,
tendo desertado de bordo do mesmo vapor,
acha-ae prese para recruta naquella forta-
leza com o supposlo nome de SeraQm da
|>tlva. Inteirou-se ao commanJaute do
TRIBUNAL DAAI;L\C^0'.
SESSO DE 8 DE OUTUBRO DK 1850.
rnasiDBKciA do ixm. scaaOR coMtLHBiito
AZEVEDO..
A'a 10 horas da imulia. achando-se presen-
tes os senhores desetnbargadnres Ramos, Vil-
lares, Hastos, l.e.io, Souz i, Habello, Luna Frei-
r e Telles, faltando eum can-a o Sr. desembar-
gador Pooce, o Sr. presidente declara aberta a
sessio.
JULG4MIHTOS
Appelltfei citcii.
ippellante, Joaquim Pereira Hnmem; appel-
ladu, Sergio Clementiao Sonto Maior e Albu-
querque. Conflrmarain a si-nteuca.
Appellante, Antonio Gomes Villara) appcllado,
Joao Pires Ferreira. Despresaraia os em-
bargos
Appellaiile, Joao MstUeus, appellado, Juliao
Tigetiaiasr. dem.
Appellante, Calharina .Francisca do Espirito
Santo; appellado, Jlo Leiledc Atevedo.
dem.
Agftatn.
Aggravante. Jos Joaquim de Novaos- aggra-
vados, a viuva Vieira Filhos. Deram pro-
viuiento ao aggravo.
DESloiitr;d'ES.
Apprlliotes, Manuel Joaquim do llego e Albu-
querque; appellado, Francisco Carneiro Ma-
chado Ros e sua inulher,
aavisoEs.
Passaram do Sr. desriabargador Ramos ao
Sr. desembargador Villares as seguiotea ap-
pellacdes em que s>o :
Appellintes, Joaquim Goncalves VieiraGuima-
raes a outrns ; appellada, a administrado
dos estabelecliurntoa de caridade.
Appellante, Francisco Cavalcante de Mello ap-
pellado, Jos Francisco Goncalves.
Passou do Sr. desembargador Villares ao Sr.
desembargador Bastos a arguiute appellacao
ein que sao:
Appellante. Jos Andr de Olireira Figuelredo;
appellados, Francisco Manoel das Chsgase
tjoutroi.
Passaram do Sr. desembargador Souza ao Sr.
desembargador Rabcllo as srguiutes appella-
cea em que sao :
Apnellante, Marcellino Jos Lopes; appellado,
Francisco Joao Carneiro da Cuaba.
Appellante, Maria da Matrrnidadeda Invencao
da Santa Crui; appellada, Mara Manocla de
Jess.
Passou do Sr. desembargador Rabcllo ao Sr
.!.'-:*:::!;-.-hl,dur Lunarreiiv C-*"'* ?ppcl
lacao em que sao :
Appellante, o julio ; appelladu, Antonio los
da Rosa.
Passou do Sr. desembargador Luna Freir ao
Sr. desembargador Telles a seguate appella-
cao em que sao :
Appellante,Gervasio de Souza Raposo; appel-
lado, Maooel Ferreira do Nasclmeuto.
mSTamuicOss.
Ao Sr. desembargador Leao o seguate recur-
o em que sao :
lecorrente, o julio; recorrido, Jos Gomes
Coi mora.
Ao Sr. desembargador Telles o srguinie re-
Curso em que sio:
Rrcorreule, o prior do convenio do Carino da
baha; recorrido, Joaquim Jos deAraujo.
Levaartou-ae a aeasao depois do mcio-dia.
i-CNAMBUCO
Dito. Ao inspector da slfaudegs, djxea-1
JUHYDO RG1P.
.SESSIO ORDINAIIIA li^STE ANNO.
Presidencia do Sr. De-, Titila.
Dia 9 de outubro de 150.
A'J oaifli horas da manlia, feiti cha-
mada,
redees.
OSr. Preiitfenle abre a sessSo, continuan-
do a multar osSrs. que deixaramde com-
parecer sero excusa legal.
OSr. Prndente :Vai proceder-se ao sor-
teo do concelho, que tem de julgar o reo
presante.
Sorteado o concelho, com ae fermalida-
les do eslylo, sahem escolhidos os Srg
Manoel Lobo de Miranda Henrques, Joa-
quim Alves da Silva, Francisco Jos da Sil-
velra, Jos Domingues Codecera, Francisco
Manoel da Cruz Coito, Juo Alves de Carva-
Iho Porto, Jos Correa Leal, Manoel de Al-
meida Lima, Bernardo da-Cunha Teiieira.
Jos Francisco do Reg Barros, Candido
Thomaz Pereira Dutra e Jos Maria da Cruz,
os quaes prestam o juramento do estylo.
O Sr. Presidente faz ao reo o seguinte
Interrogatorio.
JuizComo se chama ?
ReoPedro Antonio do Rozario Porto.
JujSabe porque vem a este tribunal ?
R^o-Nflo, Sr.
JuaSabe porque foi processado ?
Bofio, Sr ignoro.
IuitSabe porque foi preso ?
/feo-Aio, S tambern ignoro.
Jux- Sabe quem o processou .'
Uto Dissera m-me ter sido o sub-delega-
dodeS-Jos.
luisNunca compareceu pente o juiz
processanle ?
fi) Cumpareci, sim, Sr.
Jim' E qual foi o motivo pele qual Ihe
dase elle que o Sr. is ser processado .*
lio- O ter assgnado um papel como tes-
temunha.
Mi -E qual a quaJidade desse papel f
ReoPapel de venda de um escrava, em
o qual me assiguei como lestemunbs
Jai/;a vista do que, sabe porque o pro-
cessaram De quem era esaa escrava ?
RioIgnoro, uaosei.
Jui'jComo se chamava ?
ReoTambern ignoro o nome da escrava.
Ju/t-Quem a vendeu ?">
R'o-Vm homem chamado Manoel Joa-
qun) Guimar3es.
JaiisA qnem a vendeu?
Rea -A urna mulher vuva, chanada An-
ua de tal.
Jiiii O Sr. cotillero a esse Manoel Joa-
quim CuimarSes e a essa viuva ?
Rio\o GuinarSes n3o conlieco ; mss i
viuva, sim.
Jm'z-Conliece a vuva T
RoCunlieco, sim, Sr.
Jis-Kol o Sr. quem inculcou esas vu-
va a escrava para comprar ?
rJo-NSo, Sr.
JaisFui o Sr. quem eniregou a essa viu-
va o papel de venda da escrava ?
Reo-Sio, Sr.
JhsE nao recebeu dalla o importe da
escrava ?
Ro-So Sr.
JusPoiquanto comprou a vuva essa
escrava ?
/u--.\o papel fallava-se em 500.000 rs.
Jui3--Snutie se depois dussa cuuipra, ap-
pareceu o dono dessa escrava ?
Me-Nao, Sr.
Jiii'jKssa viuva nunca llie disse, que li-
aba aaparecido outro Sr. a escrava .*
/o-Nio, Sr.
Jmi--()Sr. nilo llie passou urna lettra de
500,000 rs., para que ella nao prucurasse
mais exigir-lhe a inipoitancia da cacrava ?
Rok lettra passei eu, mas foi de di-
ulieiru, que Ihe lomei a premio, e nada li-
nha com o negocio da escrava.
Jui'sQuando succedeu esse facto onde
morava ?
Ko-Na Matriz da Lux.
JuizY. coiiiimiou a permanecer no mes-
mo lugar ?
ReoSim, Sr.
Jtii's lluje anda mora nessa mesma
parle ?
Reo-Mu, Sr., moro no Atierro dos Afu-
gados.
JusA quem foi entregue essa eacrava?
Roytt sel, Sr.
Jui's--Sabe se ella se conserva ao poder
da mesma viuva que a comprou ?
/u--N!iii sei; e a respeilo da eacrava nada
mais sei.
Jan';- -Sabe quando ae veriflcou nSo acr es-
sa escrava do homem que a vendeu ?
nVo".\ao, Sr.
s!Desde liando se acba moraedn nn
Atleiro v
Rio- Desde 17 do mez de julho dasle
anuo.
Jucja pagou esae dioheiro, que diz ter
tomado a juros ?
tafo-Nao, Sr,
Jm;Tomou esse dinbeiro antes ou de-
pois dessrt faci ?
ReoAntes.
JaiisComo se chamava a eacrava que a
viuva comprou f
/--au sei como se chamava, porque
fui apena chamado para assignaro papel
como testemunha.
tis--Entfios vie qne o preco eram 500g
ris.
Reo So pude ver, que era um papel da
venda de urna escrava.
O reo que acaba de ser interrogado he
brauco, representa 42 anuos ; he bem bar-
bado, de estatura moua que regular o bat-
anle gordo ; traja casaca de rucado, cha-
peo de pello, e segundo se col ligo de seu
processo, serve de fundamente a este o se-
guiule:
Anna Therexa de Jess, denuncia do reo
oerante o sub-delegado da frecuezia de fi-
jse desla cidade, por Ibe baarer elle Incul-
ts.i-
cado para- comprar orna escrava de nome
Joanna e assgnado o respectivo papel de
venda como testemunha, nSo sendo tal do-
cumento Armado pelo verdadeiro aenhor da
mesma escrava que ao depois appereceu.
A autora desisti da queixa, declarando
parante o juiz processanle ter sido engaa-
da no seu juizo tcerca do reo, aquem ora
reconbecie como innocente, bem como que
o verdadeiro ladrSo era Manoel Joaquim
CuimarSes que Ihe a vender como sua, Setn
embargo, o processo conltnuou ; e a autora
aprsente urna lettra aceita pelo reo no va-
lor de 500,000 rs., dizendo ter-lhe sido da-
da para ella nilo continuar no processo.
Findas as allegscOes pro e contra.
OSr. Presidente fz o relatnrio da causs,
e entrega ao concelho os seguinte*
Qutsitot
t.*0 reo Pedro Antonio do Rozario fu r-
tou de seu legitimo dono a escrava Tlieodo-
ra, vendida com n nome de Joanna, s Apna
Thereza de Jess?
2." 0 reo concurren directamente para
que fosse' furtada de seu legitimo dono a
escrava Theodora, vendida com o nome de
loanna, a Anna Tbercza de Jess ?
3. Oreo offereceu por venda a referida
escrava a Anna Therexa de Jess ?
%.' O reo receben de Anna Thereza de
lesos a importancia da venda dessa es-
crava ?
5- 0 reo sabia que esa escrava era fur-
tada ?
6.0 Preceden ajuste cutre o reo e ou-
tras pessoas para o lim de commetter-se o
crime '.'
7 Existem circunstancias sttenuantes a
favor do reo ?
O jury, voltando pouco depois sala dos
lebates, responde, quanto-ao primeiro que-
>ito nSo por ii votos Ouanto ao segundo,
nffo por II votos. nanlo ao terceiro, sim
por 7 votos. Quanlo ao quarto, no por 8
votos. Quanto ao quinto, nSo pur 7 votos.
yoant o ao sexto, nSo por 7 votos. Quaotu
ao aetimo, uA por ti votos.
O Sr. Vresidente profere a seguinte
Seatenca,
A vista da docisSo do jury, aneoJvo o ac-
ensado Pedro Antonio do Itozano, pagas as
cusas pela municipalidade, appello, po-
rm, da senleoca para o suprior tribunal
da reanlo, de conformidade com o disposto
no $ 1." do art. 79 da le de 3 de dezambro
lo 1841. 0 es.-riv.1o cumpra o SCU rogiiuelt-
to. (Eram 3 horas da tarde. )____________
Correspondencia.
Senhores redactores ;Leudo eu no sen Ma-
rio n. 4*9 na parte da policia o nome de ineu
pal loo Henriques da Silva que se dis/ireso
iiira coireceao apresso-tnea declarar que o pre-
so fui eu, por que estando na praca dos inu,i-<>.i
na qualt lade de inspector do segundo quaitel-
do primeiro dislricto acoinmolar por or-
dem do delegado alguin disturbio que appare-
cesae, foi este procedimento ineu estranhado
pelo sargento de polica que me nao conhecia
como tal, e como eu inslstisse na eiecufo das
ordens recebidas me deu a ordein de preso, a
que obeJeci por nao motivar questao, e ape-
nas chegueiao quartel fui logo solt aordem do
mesmo Sr. delegado.
O que admira he, que catando eu a cuinprir
as ordens de raeu superior fosse preso e em
meaos da um quarto de hora solio, esahissena
parte de policia como preso para corrrcro!!!
O publico Isnparcial julgar inri lio r do quero.
Rogo-lhe queiradar publicldade ao facto pa-
ra qae a honra de meu nai nao aoflra. Seu
leilor. Joto Henrifuet da Site Jnior.
1 ________________
Publicayocs q pedido.
OSr. tenentc-roronorel director interino
do arsenal de guerra, requisilandn do ins-
pector do de marinha oa tneios de transpor-
te do que necessilsr, fari recolher aos paies
da fortaleza do Brum, onde serio conserva-
dos al ulterior deliberac.90, dezoito sacos
de chumbo e sessenta e sete barris de pl-
vora, conlendo dois alguma porcSo de
chumbo, que su acham recolliidos no corpo
de polica, onde foran depositados pelo de-
legado do primeiro dislricto deste termo,
q ie os apprehendeu hoje na rus das Laran-
geiras desla cidade, na essa de residencia
de Maooel Joa da Magalhaes Bastos, eni
do alfaiate Antonio Francisco Honorato.
Pslscio do governo de Pernambuco, 17 de
oovembro de 1848. Uerculano ferreira,
Perno.
Conforme. Francisco Seru/ieo ele Assis
Camaina.
Como sav, nao he da 17 de outubro esta
portara ; e, poie, fallou a verdade quem
qur que, fszendo antea o papel de advngt-
do do que de informante, a deu como expe-
l Ja nessa data, na persuaso lalvex da que
semelliante anacronismo serla eauaa para
que bonvesse lugar a indamnisasso que da
importancia dos objectos cima menciona-
dos requerir Manuel Jos de Magalhaes
Bastes.
Como oSr. SebasUSo dos oceulos arco
verde Pernambuco Cavalcante, Uzease pu-
blicar neste Diario n. 174 de 6 de agosto
prosissepessado um anemnoto retalivamen-
le ao escraro Sabino qoe comprara e me na-
via aido remettido do MaranhSn nara ven-
der, dando entender com esa "annucio.



-f*l*^W!*P
considerado do publico e especialmente
lesse senhor a cartldfio abaixo, que man-
de! exlrahir no MaranhSo pela qual se v,
que o escravo Sabino nao icou como diz
forro pela morlo de seu senhor. Recife,
8 deoutubro de \8O.-Jot Dapliitada Fon
seca unior,
Jos Ferreira Barboza, precisa qne o es-
crivBo dos residuos revendo o registro do
testamento com que falleceu Anlooio Ro-
drigues de Miranda, Ihe d por cerlidBo o
teor da yerba ou verbas em que declara os
escravos que deixou forros com seus respec-
tivos nomes.Pede aV S. Sr.Dr. Juiz muni-
cipal da,2." varae dos residuos Iha mande
passar. E. R. M. D-se-lhes, Recife, 7
do agosto de 1850. Soartt.
Certifico vista do livro (indo de registro
de testamentos,sbnumerc 61 que de II. II
verso em diante, acha-se o do fallecido An-
tonio Rodrigues de Miranda ; e as verbas pe-
didas na pelicSo supra, sBo as s'guintes:
Heixo forra a miiilia escrava Josefa ; lam-
bem deixo forra a minha escrava mulata
Magdalena ; deixo forro o meu escravo Dio-
nisio ; deixo forro o meu escravo mulato
lli'inque. que esta feitoriaando a fatenda
do Jandiahi, pelo bem que me lem eervido.
O referido he verdade, e ao dito livro e
folhas me reporto, MaranhSo. 13dese-
tembro ds 1850. -Eu Jos Marcelino Cata-
nheile escrivBo que o ejcrevi e assigoei.
O. e C. por oiim escrivBo, lote Harcellino
Cantankede, C. escrivBo, Desiderio lote da
.Silva.
Itecouheco as duas asignaturas supra,
MaranbBn, 16 de setembro de 1850. Em
lestemuuho de verdade, loaquim Bap lista
da Cunha.
BALANCO DA RF.CEITA E DESPE/A DOS ES-
TA UELECIVIENTOS DE CARIDADE, VERI-
FICADO NO MEZ DE SETEMBRO DE ifO.
Becttta.
Por leltras que existiam em 3! de '
agosto 2:954,945
Jtecebido da thesouraria da fazenda
provincial para contlnuacao da
obra do hospital Pedro II 6:000,000
Do procurador da administraco,
importancia do rendimenio dos
r predios, arrecadado oeste mez 1:900,000
Saldo a favor do thrsourriro
10:854,!l4.,
829,399
11:684,344
Despea.
Por saldo a favor do thesoureim en
31 de agosto 3:156,064
Pagos* regente do grande hoipiul,
deapnai de agoito 607,310
. Ao regente do hospital dos lazaros,
dem com a obra do tnesnio 129,355
Ao dito da casa doa eapostos, des-
prias de agosto 314,580
A cmara municipal por lnfracfaode
posturas 12,000
A Candido Alberto Soares da Ilota
por 17 arrobas de arroz para a ca-
sa dos exposlos 27,200
A Antonio Ferreira Lima A C, por
gneros que forneceu ao grande
hospital de junho a agosto 123,600
Ao mesmo dem a casa dos eipostos 91,040
dem ao hospital dos lazaros 84,960
A Luis Jos* de Souza Guimarcs por
diversos concertos feitos no grau-
de hospital
Ao regente do hospital dos lazaros
daspezas de agosto
Ao mesino por despetas que fez com
a cape lia.
Cun a obra do hospital Pedro II co-
mo se v do livro respectivo
l.rttras eiistentes
121,370
411,080
6,900
3:643,880
2:954,945
11:684,344
I'Administrado geral dos estabelecimentos de
caridade, 7de oulubro de 1850.
O escrivao interino,
Joo Pinto di Lrmoi Jnior.
los Pire Ferreira,
Thesoureiro.
MAPPA dos Entabelecimentos de
Caridade, no mez de se-
tembrode 1850.
Grande hospital.
DOENTES.
Existiam...........
Entraran)...........
I Curados......
Melhorados. .
N3o curados.. .
Mnrrerumf Nas 24 h- ^'entrada
Morreramj Depoisdessa poca
Existem............
Hospital dos lazaros.
DOENTES.
Existiam..........
Entraran) .".........
Curados.....
Melhorados .
.Nao curados. .
Morreram..........
Existem...........
Casa dos expo.slos.
i
o
o
o
o
i
23
ria e extraordinaria para oanno econmico de
50 a 51. He urna bagatella doze milhdes qui-
nhentos e vlnte e quatro cornos cento e ollen-
la esete mil setecentos e cincuenta res!! Po-
ra o no chrqa concedem-se crditos supple-
mentares! desta nnantia tem a junta do cr-
dito publico 3.540:877,805 rs.! o ministerio
la guerra 2,760:975,163 rs.!!! o dos eslran-
geiros230:586,894 rs.-o da marlnha 924:178,605
rs o da Justica 438:242,638 rs. -roda faien-
da 8l4:963,3.i7 o do reino 1,222:138,626 rs.U
o que ludo ver da Eim. folhaque Ihe remeti
para a sua edillcacao e mais ell'eitos necea-
sarios.
Ach-se no prelo a lei que ha de curar as
chagasda linprensa ; dlzein que a sua execu-
fao encontra grandes tropeos por causa de
certosartlgos mal pensados, como os que tra-
tam dos circuios dos jurados, mulliplicldade
de recursos, etc. O supremo tribunal de jus-
tica, por accordam de 28 de junho, mandou
que o banco de Portugal pagasse a Antonio Jo-
s Pereira Peixoto o dlnheiro depositado na
mesma especie ein que o deposito tloha entra-
do, isto he, em metal sonante! Asslm o deci-
dir! os senhores FerrSo Abreu Castello
Branco Cabral e Cardoso, e Julgo que deci-
dirn) multo bem.
As notas cuinpram-se a 250 e vendem-se a
230, No mercado publico ba falta de borraia!!
Venderain-se alguna chifresdos grandes. Cor-
re que o governo mandara armar a fragata D.
Fernando e Gloria. Esta Fragata he aquella pe-
la qual a unlo do padre Jos elogiou ha dias o
to Juhao, que representa a nacao pelos esta-
dos da India. Ditent que a cmara municipal
val demolir a rampa da roa do Alecrim e subs-
tltui-la por urna grade de ferro Tundido. Tam-
bera dizem que os tres velhos inarechaes de
Franca Soult, Girard e Sebastian esli perigo-
samentedoentes. Tambein que fugira o Lima,
alinoxaiife da fabrica da plvora Parece que
val cheio como uin ovo I!
O nosso de Vitrj Jnior, brevete de S. M. F.,
oll'ercce ao respeitavel o cachan de belogni ara-
muiiyiif be composicao de Colini, que inora
junto da igreja de San-Paulo, em Bolonna na
Italia. Morreu no dia 19 eoi San-Joau de reas
D. Filela Candida da Silva Mendes. O padre
Jos da Unio continua a dar cavaco ao Leonel
do Patriota por Ihe chamar russo e Ihe fallar na
irmandade de San-Nicolao!! No dia 8 morreu
o lenenle-coronel de engenheiros Jos Manoel
de Paria Aguiar : erahoinem instruido e com-
poz varias obras, alguinas das quaes correin
iiupressas : servio no exercito deD. Miguel at
Evora Monte ; linha nateido a 29 de setembro
de 1799. Tambein coinpoz os segulntes dra-
mas > viuva requestda Antes de ser sa-
crislao Eloixa de Cberinau eos Dous al-
caides.
Continua o Eilandarle a combatir o gabinete
de 18 de junho, cuja inepcia e devorisino pro-
clama em alto e bum som !! o Estandarte be de
voto que os anarchistas trabalhain em sentido
revolucionario, eque os tributos sao aredeein
que pescan) o peixe povo i 1 Tambein conti-
nuain os homens do largo do Intendente a in-
sultar na sua Nac&oo throno, a soberana, a car-
ta e os homens Jiberaes! 1 So os descendentes
do fre Fortunato c ds padre Lagosta.' Verlfi-
cou-se a nomeacao do To Florido de Castelldes
para a presidencia do tribunal de contas, que
deixou o viscoude de Castro. o conselhelro An-
tonio de Palva Pereira da Silva passa a director
das alfandegas.
O nosso Luis de Vasconcellos analysando a
comedia O herdeiro de Ciar diz que os
tres camponrzes que vem nfrenle do ac iu-
panbameoto da noiva no quarto acto tocavatn
uina viola sem cordas! e unta Maulas em bura-
cos '.! Com eft'eito os taes rates nein sabiam
pegar nos instrumentos ASsistl a abertura do
theatro de D. Fernando, que esteve interessan-
te. Os Sopranos lusos e os lusos bartonos
agradaran! muito.ao menos liveraiii uina gran-
de abundancia de applauso e laiiibem de gen-
te : tudo eslava cheio. No dia 24 morreu afu-
gado om euiprrgado da imprensa nacional ao
lomar um banho no Tejo!
O ministro Narvaez tambein acaba de apel-
lar o torniquete imprensa do seu paii. Os li-
tros impressos nos paizes estrans;eiros nao p-
denlo circular em llespanha sem licenfa do
governo hespanhol! I Quando os remedios sao
violentos, bem se ve que a molestia he grave.
o dia 8 do corrrnte morreu o presidente dos
Estados-Unidos, general Taylor. A cholera
morbus nos llvroo do l presidente, que fra
no dia 7 atacado de iarrhea. Tiuha nascido a
24 de setembro de>J*786, coniava porlanlo os
seus 64.
Segundo se l em urna carta do meu cor-
res, ondente de Wasinglon. o vica-presiden-
le Millard Filmore, que Dos guarde, tomou
onta das redeas do governo : os ministros
na forma do costumedemilliram-se. Em u-
mi quinta que o duque de Palnulla tem
aas tradas da Arralada descobrram-se pe-
dras lylhographicas que* dizem, dBo fi-
cam a dever nada as de Allemanha. Foram
pronunciailos todos os nmeros da nacfio-
papel, deque querelra o ministerio publi-
co : parece que os Ilustres re .tactores ja f-
gem da relapso, onde tem alguna amigos !
0 delegado do procurador Regio foi mu-
dado 1 O Xavier nBo preslava e dBo se
prestavs, foi substituido pelo Quaresma ,
que he capaz, bem que amigo dos redacto-
res do largo do intendente .' A nacfio tei-
ma nos insultos, o Qusresma leima na
qucrelss ; veremos quem vence, se o ralo,
se a ratoeira. Continuam os concelhos de
estallo. Os concelheiros sempre snuirtm
a algumas das exigencias do ministro Felis.
Commulam-se differentes penas, e lia per-
dices a adversos reos ; mas, nBo em grande
escalla como queria o procurador geral da
cora e da relac^o. A coinmulae.lo (la de
publicar-se no ia 31.
A imprensa de Pars que he orgo do
principe Luiz, contina furiosa contra a
angusla assembla .' Esta conitemnou em 5
mil trancos o amari'niere,redactordo l'uu
EXP0STC6.
Existiam ............
Entraram...........
Saliirsm.............
i as 24 h. d'entrada
<""" JDepois d'esla poca
Existem.............
Sexos.
o
c
"3

m
a
127
3
0
0
2
138
137
5
0
0
6
136
264
8
0
0
8
J6i
Administrarlo geral dos estabelecimen-
tos de caridade, 7 de butuhro de 18500
sc.-vBb ::'.r:::o, alo Pisto it UBiotJtt-
nior.
"v",RlEl>vf>l<:
jCARTA DE MVR TIZABA, BOTICARIO DE
LSt*. airnaHBRiBir
Julho30.
Umeher. S. Exc. o Diario do overnv publi-
cou boje a lei que determina a deapeza ordina
tmir. nnr
ni,, arlion n lie el jr. vj
ble i No da seguale appareceu no Moni-
teur du Soir oulro artigo ainda mais violen-
to, que fez resentir os fundos Ilontem se
disse na minha botica que o nosso minis-
tro da jusuca conseguia salvar a vida a
dous condemnados pena ultima : um del-
les dizem ser o do Alemtejo. O Felis nfio
sympalbisa com a forca, e nisto honra Ibe
leja feita.
Dizem de Pariz ao meu praticante que os
legitimistsa mais assaohados se uoiram aos
da un ntanba Romperam-se as hostilida-
des entro os ducados o a Sra. Dinamaica !
La tem bavido mostirda .' Parece que as es-
quadras russa, franceza,ingleza e sueca vBo
turnar parte ua lucia.'.' Honlem no caes
du Sodr se cunta va que a Sra. D.- Circacia
linha ido as ventas i Sra. D. Russia em
um combale ltimamente dado O Re-
forme Club de Londres deu no dia ^o um
grande jstar a lord Cupido para eslejar
a sua (olilica estrangeira .'
Os preso puliticos em Roma andan) por
10,825 '.' Continuam uesta capital as qui-
silias entre u lio Euzebio do Mosaico e o lio
.Moquita por cusa dos grilhelas O.mes-
imia mandnu-os lvantar dn raea dn Kodi;
cuja obra asaas necessaria esta parada por
causa i'eate caprichos .'.' O fallecido, barflo
de Almufalla aliu de outras condecoraces
linha a grS-crux de Carros III. A guarni-
cBo de Madrid vai ser elevada a 20,000
homens.
As noticias de Roma a3o de grande im-
lortsncia. O santo padre autorisou os bis-
jos do orbeoatholloo a um jublleu com in-
lulgenoia plensria por 15 dias seguidos,
im qualquer dia d.esle, anno, em accBo de
gracia pela sui restituicBo a throno. O
celebre Toureiro Montes est em perigo de
vida em Msdrid por causa da ferida da per-
na e da febre que Ihe sobreveio O meu
correspondente particular de aples me
dizque S. M. Napolitana dissera ao minis-
tro hespanhol duque de Ribas que quaes-
quer que fossem as exigencias polticas es-
iierava que a corle de llespanha nfio quere-
rla conlemnar a princeza napolitana a v-
tor solteira toda a vida I.' A princeza a-
lm de ser madurinhn deve muito pouco
formosura ?
Tem htvido acalorada discussSo na c-
mara dos communs com o bario de Roths-
cbild. Esta potencia monetaria qoer pres-
tar o juramento aobre o eamio velho,
e a opposicfio quar que o barflo o preste
obre o testamento novo! O Inglis est
frente da crusada Dizem que a polica de
Paris prendera 45 rates que perlenciam
soeieJade secreta a Nimtiii! Dizem que o
iiin desta sociedade he destruir as testas
coroidas !! Ilouvsum grande incendio em
Cracovia, que durou mais de 94 boras ; li-
caram destruidas sele ras, casas emein-
zas 300! parece fra de proposito !
Sou, em nomo da nacfio e da Rainha,
Saude, patacos Seu amigo
e fraternidad!). Le Ciloyen,
Brat Titano
COMMERCIO.
alfandei;a.
itendimentododia 10.....13 737,616
Deicarregam hoje II de oulubro.
Rrigue Williom-Priet farinha de trigo.
Polaca N.-S.-do-Carino mercaduras
(.alera -- Columba i Jem. ,
liares E.-Wughl becalho.
CONSULADO GERAL.
itendimento do dia 10.... 8*)1,7I
Diversa* provincias...... iW,93
1:068,061
EXPORTAgAO.
Despachos martimos no da 10.
Mossamedes, barea portugueza Brocha-
rente : conduz o seguate : 1 arroella de co-
bre, 4 folhas de ferro, 1 Cirrela, 4 rodas, i
eoibrulho com 20 ps de ferro, 1 barri-
ca ferragens, 2 vergalboes, S manivellas, t
bomba, 1 lina, 2 rodas de madeira, 2 taboas,
2 prensas pequeas, 4 pares decunhas para
carroca, 1 feche com 5 vergas de ferro, 16
barras de dito, 2 alambiques, serpentinas,
55 pipas agn'arilenle, 13 barricas diversos
ubjeclos, 1 rolo fumo, 2 pilh'as de filtrar, 2
caixascom objectos. 86 latas assucar, 10
barris mel, 1 garrafBo espirito, 50 chapeos
Je palha, 5 caixas fazendas, 1 plSo, 1 cai-
(3o com 4 arrobas d'aco, 4 arrobas de
chumbo, 4 barricas com objectos, I moinho
eom so;.s perteuces, 2 rodas de pe ira, 5
paos, 2 taboas, 4 estacas, 1 porcBo de taboas
velhas, 41 barris ochare, 2 ancuretas com
iquido, 5 barricas com garrafas e botijas,
i barris manleiga, 3 rolos fumo, 4 barricas
assucar, 1 saces com cacao, 3 barris com
o-chac, 2 ditos vinho e vinagre, 5 folhas de
ferro, I flandres coro azeite-Jbce, 2 caixas
com objectos, 1 bah e I catxa com roupa
Je uso, 2 caixas com ferrainenlf, I banco,
I rehollo, 1 bah rom objectos, t dito e I
caxa com roupa, 1 serrs, 1 ohaleira, 12
meios de sola, 30 couros de esbra, 8 libras
de fio desapatei o, 1 caixSo com charutos
e sspalos, 2 sacrelas com cachaca, 3 cai-
xes com objectos, 4 ditos sabflo, 1 fardo
Tazendas, 1 rolu fumo. 3 barricas louca, 1
dita ferragens, 1 ancoris vioag're, 17 pa
de ferro, 1 caixa com ferrametna, 12 ver-
gas de ferro, i chapa de ferro, II enxadas,
4 ps de ferro. 1 pedra de filtrar. 1 moinho
de pedra, 1 chapa de fogflo, S pipas c >m ca-
chaca, 4 barricas com garrafas de licor, 1
dita com louca. 4caixo>se3 barricas com
varios objectos, 1 quailola e 1 barril cacha-
ba, I caixa com objectos,! sscca com fari-
nha, 1 rolo fumo, 1 barrios 1 caixilo com
varios objectos, 1 moenda com seu perlen-
ces, 1 lalha, 1 caixa com ferragens, t bar-
rica co n enxadas,. 3 barris com prego*, I
caixilo com machados, 1 emhrulho com 12
pi de ferro, 1 dito com alavaiicas, 9 barris
com Cachaca, 1 caixa coa) frascos, 1 fras-
quera, 2 caixas falcadas, 12 chapeos deaol,
I caixa miudezss, 1 cunhete com faenes, 7
barricas assucar, 2caix0escom objectos, 1
facBo de ferro, I caixa objectos, 1 feixede
ai eos, 6 pipas com cachaca, i caixa iniudc-
zas, 1 pseole com 10 libras de colla, 4 pipas
com cachaca em I barris, 1 caixa com de-
vnoles, I garrafBo c6u> espirito e 1 caixa
com mercadorias.
Liverpool com escala por Parahib*, barca
ingle/a Thomni-Mellon, de 389 tonelada* :
eonduz o seguate : 104 caixas e 400 saceos
com 5,884 i/i arroba* de as*uc*r,750 arro-
lias iissos w ju aauv .. -,.. .muvh v
25 libras de algodBo.
RECEBEDORIA DE RENDAS CERAES
INTEIl|AS.
Reudimento do dtjstllr. ... 842,400
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendlmenlo do dia 10......1 320,320
n
/.lovimento do Porto.
JVetBiM entrados no dia 10.
Ass-10 dia, hiale nacional saro, de
78 toneladas, mestre Josquim Jos Alves
dasNeves.equipaem 7, carga algodBo e
sal ;* Luiz llurge* de Cerqueira. Passa-
geiios, o aKeres.Antonio Jos dnSant An-
ns com sa familia e 7 escravo*.
Idotri 15 diaa, brigue nscional iVero, de
193 1/4 toneladas, m*t?e Manoel Jos Ri-
beiro, equipagetn 10, carga sal; a Leopol-
do Jos da Costa Araujo. "
dem 11 dias, patacho nacional Flor-da-
Bahia, do 215 toneladas, mestre Domin-
go* Jos da Silva Papalina, equipagem 14,
carga sai* e palha J a Manoel Ignacio de
Oliveira. Passageiro : para u o-J-a'a-
nero, o Portugut Jos Paulo Alvos. --
Esta patachu vilo largar o prstico, rece-
bar ordens e segu para o Rio-de-J>neiro.
1 lem 13 das, brigue nacional morim, de
196 toneladas, mestre Pedro Nolasco Vi-
eir* de Mello, equipagem 16, carga al;
a Amoran & Irtnfios Fao.eou no L*-
meirBo.
dem 14 diss, brigue nacional FtlltCet-
tino, de 199 toneladas, mestre Antonio
Marlins Dias, equipagem 13, carga sil;
Manoel Concalves d* Silva. Passageiro,
J.iilo ds Silva Loureiro com urna escrava.
/Tomos sakidot no mtttno dia.
Baha Brigue nacional S.-lot, mestre Jo-
s Ramos deSouza, carga varios gneros.
Parahibs -- Lancha nacional Nova-Santa-
Crut, mestre Antonio Manoel AHonso, car-
ga varios gneros. Passagoiros, os Brasi-
leros, Jos Ignacio l'imenta, Francisco
Jote de Souz* e Csssianno Ayres Vinho
Theatro de 8. Isabel.
23*. RECITA DA ASSIGNATURA.
Sabbado, t2 de oulubro dt 1850.
Represenlar-se-ha, depois de urna esco-
llada ouvertura, a interesaanta comedia em
tres setos
AS MEMORIAS DO DIAB0.
Personagens.
Kobin G. F. de Oliveira.
O mirquez de Losmias A. M. Costa.
O ca valleiro Raplnire R. J. de Araujo.
O conde de Ceroy S. F. Meira.
JoBo Gauthier A. J. D. Colmbrs.
Valenta P. B. de Santa Roza.
A baroneza de Ronquerolles- Joanoa Js-
nuaria
Amelia, ius lila* Emilia.
A condes** de Cerny Julia.
Tia Calhsrios Rita.
A tcena p*ss*-*e, o primeiro seto em urna
cas* pobre junto aos Pyrineos, o segundo
em Paris e o terceiro no casleflo de Ron-
querolles.
Iliver no terceiro acto o romance da
mysterios* compaohla caolado pelo ar-
tista Germano, e repetido pela actriz Emi-
lia, como pede a comedia, e com o qual ter-
mina, dando um bello realce ao seu des-
fecho.
Terminar o espectculo com a graciosa
comedia em um acto
<|netu casa quer casa.
Comecar t 8 horas.
Os bilhetes aclis m-se venda no lugar do
cos u me.
Theatro de S.-Francisco.
BELLAS ARTES.
A galera acha-se aborta das 0 horas da
tarde at s nove da noite, com as seguin-
tes vistas do cosmorans :
O grande jardim de New-Tork.
A cidade de Trieste, em duas parles.
A cidade de Tunis, na Turqua.
A viagem de Napoleo sobre os Alpes.
Vienna, pelo lado do jardim da l'rati.
A ra de Santa-Mara, em Londres.
O ultimo acto do drama Preciosa.
O tmulo de D. Pe JroI e de D Ignez de
Castro em S. Vicente de Fra, em Lisboa.
O tribunal da inquislgfio, na llespanha.
A aurora boreal do polo rtico.
O director espera pelos Srs. assignsntes
e pela* pessoaa que ainda tifio viram ditas
vistas, por isso que tem em qualquer de*
les dia* de sulistitui-las por outras._______
Publicabais Iliterarias.
A famosa licSosobre a pena de morle com-
posta, e dictada na uaiversidaJe de Pisa pe-
lo respeitavel Carmignani um dos maiores
criminalistas da Europa, esl iraluzida do
italiano em vulgar pelo padre Lopes Cama.
Vende-ae em Santo-Antonio, na loja de li-
vros que foi do fallecido Dr. Coutiuho, na
esquina du Collogio ; no bairro do Recife,
na loja de livros do Sr. padre Ignacio; na
Hoa-Visla, na botica doSr. Gameiro; em
Olinda, rus do Amparo, botica do Sr. Ra-
poso. Preco dez lostes.
Knplinel, paginas lu Juventude.
Esia excellenle obra de Mr. Lamartine,
obegada recentemenle do Rio-de-Janeiro,
vertid! em bom portugus, e precedida de
um interessanle prologo do traductor, acha-
se venda pelo mdico preco de 3,000 rs.,
com encadernaefio ingleza, na ra da Ca-
deia do Recife a. 38, e na ra Nova n, 0. O
merilo da obra he attestado pelo nonaa do
autor : nella depara nstruccao e deleite o
philosopho, o romancista, o poeta, e geral-
mente quem quer que queira apreciar um
bello escripto.
Convite Iliterario.
Arha-sesh o prelo, e sahir nestespou-
cosdia* urna interessaote obra com o titulo
de Obsenacei criticas tabre o famoso ro-
mance do Sr. EugenioSueo luden Errante.
Ho digna de ser lila, e meditada principal-
mente por aquelles, que j coubecem o re-
ferido romance, e que a houverem de ler
desnidos de loda e qualquer preveneflo.
.4.visos martimos.
Para o Aracaly egue com brevidide o
histe Divdese '. "*f5 Crg; ? naaaaaeiroa
tra ta-in com Jos Manoel Marlins, ao lado
do Corpo-Santo, loja de massames, n. 25.
Para 0Rio-de-Janeiro segu viagem, no
dia 16 do correnta, o bergantn) brasilero
O -Almiso, capitfio Francisco da Silva Avel-
leda : quem no mesmo quizer carregir ou
ir de passagem, dirija-se ao mesmo cipitfio,
ou ao escriptorio de Manoel Joaquim Ramo
e Silva
O veleiro e bem conhecido patacho n
ciooal Alfredo segu para a Babia em pouco*
dias, por j lera maior parte de sua carga
prompta : para o resto e pesssgeiros, par o
queoOereee excallentes commodos : trata-
se com Francisco Alves da Cunha, na ruado
Vigario n. II.oucud o capitfio.
Para Mossamedes
A birca portugueza Bracharense
larga, rleste porte s 8 horas da
manha de sabbado, n do cr-
renle. s Srs. passageiros que
nella seguem, queiram insudar
casa a. ti, defroute do trapiche no-
vo, por iodo dia de boje, oeiia-er-
ra, para Ibes ser entregues os seus
bilhetes de embarque na dita bar-
ra, onde pdetn pernoilar para
no hover demora na occisi5o da
-ahiela, na manha de sabbido.
Para a Baha pretende seguir viagem
com brevidade a sumaca nacional Carlota,
mestre Jos Goncalves Simas;para carga e
passageiro* trala-se com o mesmo mestre,
ou com Luiz Jos de S Araujo, rus da Cruz
numero 33.
Para o Moranhao e Pora
segu, com a maior brevidade possivel, a
escuna nacional Emilia, de que he cipitfio
e pratico Antonio Silveira Maciel Jnior :
quem na mesma quizer carregar ou ir de
passagem, etenda-se com JofiO Carlos Au-
gusto ds Silva, ou co'm ocapilfio, na ra da
Cruz, armazem n. 13.
Te
es.
Russell Mellors & Companhia farfio lei-
1.1o, por intervencBo do corralor Oliveira,
de grande sorlimentode fazendas inglezss,
todas proprias do mercado : sesta-feira, 11
do correle, s 10 horas da utanhfia em pon-
to, no seu armazem, ra do Trapiche-Novo.
O corretor Oliveira far leilflo no su
escriptorio, da mobilia e objectos seguales:
cadeiras, commodas, mesas, ditss para sof,
aparador, touesdores, marquesas, lavato-
rios, consolos com lampos de pedra, 1 ca-
deirinha de arruar, um rico relogio de ci-
ma de mess, oulro dito, proprio pira es-
criptorio ou repariicilo publica, quadros, 1
carteira novs de una face, estojo de facas e
garios, um rico apparelho de porcellana
branca franceza para janlar, outros ditos pa-
ra a I moco, garrafas e copos galhetero, por-
ta-licor, candelabros de brooze, dfferenles
obras de ouro e de prata, a inultos oulro*
objectos : segunda-feira, 14 do corrale, s
10 horas. ___________
Avisos diversos.
Aluga-se um preto para o servlco de
ra : quem quizer, dirija-se rus Nova n. 69.
--Quem ti ver urna casa para alugar no
bairro de Santo-Antonio, que nBo exceda
de oito a dez mil ris, dirijs-se fas dos
Msrlyros, venda de Victorino Jos Crrela
deSs.
Precss-se de um menina de 10 s 12 an-
uos, quesaiba ler eseja fiel, para caixeiro,
e que nfio leoha familia aqui na praea ; na
ra larga do Rozario n. 35, se Jira quena
quer.
Um sitio com plantase banho, orna ca-
sa no Poco por 400,000 r*., ou troca-e swr
urna prela : no Manguind n. 35.
Quem annunciou no Diaria |de honlem
querer comprar um preto canoeiro, e que
entenda do servico de campo, dirija-se
ra do Crespo n. 16, loja daeaquin*.
Aluga-se o terceiro andar da casa n.
40 ds ra da Croi do Recife: a tratar na
mesma casa.
Prepara-se cosa asseio e promplidllo
bandejas com bollinhos de toda* as quallda-
les, na ra da Concordia n. 0, por preco
commodo.
A mesa setual d* veneravel ordem ler-
ceira do Carmo desta cidade faz sciente a io-
dos o* seus irmBos profeisos, que no da 14
do correte mez, as 9 hora* da manha, do-
ve rBo comparecer na igreja da mesma or-
dem, onde lera lugar a uomeacfio do novo
prior.
Aluga-se o sobrado de dous andares e
solfio, sito na praca da Boa-Vista n. 10 : a
tratar na ra do Crespo, loja n. 0, ou na es-
trada do Monleiro, sitio do Sr. Gama.
Aluga-se a cass terrea para pastar a
festa, no lugar do Monleiro, envidracada
com commo los suflicienles, confroule a
igreja de S. Pantalefio : quem a pretender
procure na ra do Qneimado n. 11.
Offerece-se urna mulher para ama do
hornera aolteiro ou de pouoa familia : na tra-
vs: a do Monleiro n. a
-- Oabaixo sssigutdo desoja saber se ha
de direilo martimo recebar o frete aden-
la Jo da carga que tem a aeu bordo a Bro-
chrense. O MangtronS.
Precist-se alugar urna sms forra ou
captiva, que ssiba engommar e cozinhar,
para casa de pouca familia, e que nfio Um
enancas : na ra do Pilar n. 70, segundo
andar, om Fra-de-Porlas.
- Aluga-se a casa da ra Imperial n. 104,
com commodos para familia : a tratar na
ra Augusta n. 53.
precist-se alugar um* escrava para o
servico externo do collegio das orub&ss :
os pretendentes dirijam-se ao referido col-
legio. a fallar com a directora.
NOVA COLONIA DE MOSSAMEDES.
Pede-so so lllm. Sr. Un, mu digno
cummandanle do brigue de guerra por tu-
guez Oouro, que jamis perca de vista a bar-
ca Bracharente, e que urna vez por ootra
mande examinar a bordo da mesma per
pessoa de sus eoniienca a quantldade e qua-
lidaie da raefio dada a cada passageiro, pois
dizem o meoino do (rameo* da Candi-
uha, que certos gneros embarcado*a titu-
lo de rancho, sfio para trocar em Mossame-
dea por cura amarolla e preta...., e dizem
tamben) que o que leva com abundancia he
c:'5?,'" nnr tr harato. Dizem anda
mais que os porcos que compraram sfio para
reduzir a prezuntose paios, para os quaea
consta que o capitfio an Jou a procurar bar-
r* vazio* para o* metir em calda, e votta-
rem psra aqui perfeitos, tendo por conse-
guate de tocar aos passageiros os moco-
>s.... Como isto posss ser real, he a rasfio
irque pedimos ao lllm. Sr. commandanl*
ma, que tenha cuidado com o urso.do tal
pitfio que be papalina.
A Mangtrona.
A!uga-se pelo lempo da festa, i a por
sano, um sobrado de um andar So, na
ra de San-liento, na cidade de Olinda, no
principio da ladeira, com commodos para
grande familia e bastante fresco: quemo
pretender, dirija-se rus do Amparo, so-
brado n. 49, ao p de padaria.
Convida-se a todos o* irmflos profes-
sos da ordem terceira do Carmo para que
compareeani no dia 14 do crr"nte. *-!.. o
horas da manhfla, para darom o seu vota lo
novo prior que se tem d faZer. %
Um rspaz portuguez se offerece para
caixeiro de loja de fazendas, do que t*.n
alguna praca.ou para caixeiro da ra, o
nmi ii fiador sua conducta : quem da
s'eu prestimo se quizer utilisar, dirijs-se s
ra Direits n. 14.


-- Ni rus de Agoas-Verdes, esas terrea
n. 26, lava-se e eogommi-se toda qualida-
de de roupa, com asseio e promplidflo, por
preco mais commodo do que en outra
qualquer parte.
--Jos Adolpho'de Barros Crrela, real-
dente em.Porlo Calvo, faz publico, para co-
nliccimenio de quem convier, que em aeu
poder existe em deposito, por ordem da de-
legacia, urna escrava crioula, que represen-
ta Icr 25 annos, diz ehamar-se Tliomasia e
ser perlencente *a $r. Porluguez Antonio
Praca, que leve srmazom de marcenara em
l ruada Cadeia de Santo-Antonio, do cujo
Eoder se evadir em 1818, e eateve muito
Bitipo na prisSo ; protesta-se pelas despe-
zas que leem sido feltas com a mesma al
o dia da entrega della peasos que se apre-
sentir rhunida com os ttulos legaes de seu
dominio, e quem pretender algumas inlbr-
masoet nesta praca, dirija-se a Bastos &
Goncalves, ba ra da Cadeia, loja n. 28.
Port C>lvo, 25 deselembro da 1850.
Retira-se desta provincia para a do Rio-
de-Janeiro Joo Martina Franca, llespanhol.
Attcnciio.
Preciss-se saber se existe nesta cidade
JoSo Ribero Mendes, natural de Santa Ma-
ra deCorvite, comarca de f.uimariTes do
reino.de Portugal, neto de Domingos Jos
Mendes, existindo ou bavendo pessoa que
saiba dar noticia delle, roga-se-lhe o favor
de dirigr-se a ra do Crespo, loja n. 5 A, a
fallar com Ricardo Joa do Freitas Ribeiro,
negocio que Ihe diz respeilo.
Na ra Nova n. 60 precisa-se de um of-
flcial de alfaiate para concert.
Aluga-se um sitio que nSo seja muito
distante da praca, e que. tetina commodi-
dade para S ou 4 vaccas de leite : quem o
llver, dirija-se i ra Augusta, n. 26, ou an-
i) (inrie.
--Manoel Jos Fernandcs Barros mudou-
se para o segundo andar do sobrado n. 40
da ra da Senzalla-Nova, freguezia do lle-
nife.
Mariana Candida, subdita portuguezs,
retira se para Mosssmedes.
Pasaportes a ttulos
Na fatiga ageocia da ra do Rangel, so-
brado n. coatinuara-se a tirar passapor-
les para dentro fra do imperio, despa-
cliam-se escravos, e requerem-se ttulos de
residencia, qur com prazo, qursem elle :
ludo por prego commodo.
Attcn<;iio.
0 abaleo a asignado faz ves aos Srs. ere-
dores de Lult Antonio di Silva Burgos, que
ti ve venda na ra Nova n. 71, que lando
comprado oaeu estabelecimnto no dia 17
de abril do crranle aono, precisa realizar
suas contal ; e como o niio possa fazer sem
osdilMSrs aprsenla em suss contas por
inteiro'para serem pagos conforme o que
lites tocar em rateio, roga aos ditos Srs.
o queiram fazer no prazo de tres dias, a con-
lar.de hoje, do .contrario nSo se res, oossbi-
lisa pur qualquer divida que possa eppare-
cer. Recife, 10 de ou tu tiro de 1850. -- An-
toniode Almeila Brandan e Soma.
Aluga-se, por commodo preco, um si-
tio ne principio da estrada ova, com boa
caaa de vivenda, muito bom terreno para
plntaseos e boa baila de capim, proprio
para quem quizer ler vaccas : quem o pre-
tender, dirija-se ra do Crespo, loja n. 9.
Roga-se ao Sr. que no dia segunda-
f'-na, 7 do correle, foi a loja de n.iudu/as
de A. J. lloreira Pontes, na ra da Cadeia-
Velha n. 17, buscar dous lvros de amostras,
o favor de os mandar entregar.
-Aluga-se para festa um sitio na Caponga,
com bastantes srvoredos de fiuctos, cacim-
ba, lauque para banho e muito pe lo do ro:
atrasos Martyrios, ra do Caldeireiro, nu-
mero 40.
--Aluga-se o armazem da ra das Flores
n 10, com um grande sotao, com coznhs
para grande familia, quintal e cci nba :
quem pretender, dirija-se A ra Nova u. 27,
para tratar.
Aluga-se um sitio ns estrada ds Casa-
Forle, com cacimba co^i boa agoa, tanque
e arvoredos, por anno ou por festa : na ra
do S.-Colgalo, cjtsi do Bastos.
--Quem livor duas prelas que as queira
alugar para venderem na ra, sendo liis,
dmja-ae a est typographie, que se dir
quem quer.
Aluga-se o segundo sndar do sobra 'o
da ra larga do Rozario n. 40 : a tratar
no primeiro aadar do meamo sobrado, ou
na rus do Mundo-Novo, n. 30.
lo abaixo assigiiado como lenlio de
retirar-me pura fra do imperio, deixo por
uieus bastantes procursdores, em primeiro
lugsr,ao Sr. Manoel Rodrigues da Silva,
em segundo, oaoeu fllho Manoel Jos Ro-
drigues do Kspinto Santo, e em terceiro ao
Sr. Manuel Jos Moreira. Declaro lambem
ques cass n. 3 da travessa do Carmo, mo-
li devedora por meio de urna obrigacSo de
500,000 rs. e por sso fsco o presente para
que no fucturo, ou na minha ausencia se
nao faca negocio com a mesan.
MunucIJoe Rodrigues.
I >* 9 rnsrn***
2 Hrmedios de graca es pobres
0 Novo consultorio hon ceopatlnco de
Padins.
Fazem-se pudins de fructa pBo e de ou-
tras quslidades : no Aterro-da-Boa-Vists.
loja n. 48, se dir quem faz.
0 Sr. Joaquim Jos dos Santos Barraca
queira ir pagara quantia de 33,460 rs. dn
que comeu aoode nilo ignora ; do contrario,
lera de sor sempre lembrsdo nesla l'olha.
Precisa-se alugar um moleque ou pre
to para fazer o sorvico di caga erua, que
seja fiel : na ra da Cruz, armazem n. 48
O abaixo sssignado, em rosposla ao an-
nunoio publicado porJoanna Mara da Con-
eeic,ilo, declara qm nunca prelendeu ven-
der as duas mei'agoas que pertencem ao ca-
sal do seu llnado pai, e que islo lie inventa-
do pela annunciante e seu procurador, para
extorquir doabaixoassignsdo asssignatu-
ra de urna partlha amigavel, e na qual be o
mesmo abaixo assignsdo mui lesado; pois
que dito procurador nSo quer dar coolas ds
quantia de 391,000, que recebeu da mSo do
lestamenteiro para mandar dizer missas e
maisdespezas, nem dos 159.000 rs. que re-
cebeu do restante de urna casa vendida a
Bernardiuo Jos LeilSo. Ainda ala fez in-
ventario, e procura-sii lodos OS meios de I-
ludir e atterrar ao abaixo assignado, que
protesta usard'sccffo que Ihe compete.
MarciimAo do Espirito Santo.
- Ulvsse Dror, relojoeiro sus-
so, de passagem por esta praca,
onde lenciona demorar-se 5 ou 6
mezes smente, conceria toda e
qualquer qualidade de relogios
eem qualquer estado em que se
achem ; assitn como tem para ven-
der relogios de ouro e pratd doy
melhores fabricanlefl : na ra da
Cruz, n. 44 primeiro andar.
Existe na corte do Rio-de-Janeiro urna
pessoa com as hsbilitacOes necessarias, que
se incumbe de agenciar pelas secretarias de
estados, ttulos honorficos, diplomas, pen-
s>s, patentes militares, cartas de nalurali-
saeflo, (vrhdOes e oulros quaesquer nego-
cios que pemlerem'das mesmas secretarias
de eslsdo, e bem assim se incumbe de agen-
ciar pela nunciatura apostlica breves psra
dispensas de casamentos, secularisscffo,
ele., etc. etc. ; e incumbe-se, finalmente,
de sollicitsr todo, e qualquer negocio, que
tenha de correr nos tribunaes daquella cor-
le. Qualquer pessoa que se quizer ulilisar
do presumo dessa pessoa, enesrregando-a
all de seus negocias, poder dirigir-se so
Sr. Antonio Jos Gomes do Correio, o qual
dar as informacOes precisas, e com quem
se pdenlo entender a seiiielhante respeito
s sobre s remesss de qualquer pretuicSo ou
documentos.
O U Dr. J. S.Santos Jnior, O
? medico homceopalha puro ?
9 mudou sua residenciada ra $
O do Crespo, n. lo, para a O
X rui'Nva, n. 58, primeiro
andar, onde continuar a
dar consultas todos os dias
uteis desde s 7 horas da
q manha at a unta hora da q
te visitar os doenles em
r> seus domicilios.
O iN. 15. Os pobres sera o
H tratados e visitados gratuita-
!j mente.
9
9
Q
O
o

o
o

o

o
o



f
9
J0116 Vicente Mni'tliis.
Z Ra de Apollo 11. 24.
rj t'o'os osdias uteis desde s 8 horas
m. da manhSa al 1 da larde improroga-
* ..i.-., fir? ft'"S he!-! "?" /'-
fdeoSr. J. V. Martina receber risita
aiguma, por estar orcupado em com-
g., |>or e rscrever a quarta edr;3o da
S pretiem elewa/ilar da homaopal/tia e 9
# outrss obras Quando tenha mais J
adiantada a composico destas obras' 9
* poderS deslinar algum lempo i pra- a
<9 tifiar opeacOes de calaracta, ou ou- SJ>
# iras' Iqae exigem as molestias de *
t! olhos especialmente, no xito das a
9 quaes tem sido, merc de Dos, mui- m
m UJ feliz. 2
No dia A do correte susentou-se o es-
cravo Domiogos, da nagSo MofaOibique, re-
prese 11 la 20 e tantos sunos, barbado, de
boa figure; tem umsigiial bem viaivel, que
he a luarca de um lalho no beigo inferior
no canso da bocea, que quandu falla repu-
dias) beico j lovou calcas e camisa du algo-
iiaaatuiio aiui com iiairas brancas: quem
o pegar leve-o i ra Nova, a entregar a An-
tonio Domingos Piolo, que gratificara; as-
sim como protesta contra qualquer pessos
qua o tiver occulio.
-Nsiuja do Aterro-da-Boa-Visla n. t.
precisa-se alusar um maleane nuinhnim !
urna preta para o servico ,de cass.
^O0000000000
Pieciss-se Je ums sma para fazer com-
pras e o servico interno de urna caaa, ou
aluga-se urna esersva que seja fiel e dili-
gente : no segundo sobrado do eses do
llamos.
Alugsm-se os segundo e terceiro anda-
res da caaa do largo da Assembls n. 8 : s
hilar com Joaquim Francisco deAlm, no
Forte-do-Mattos, ou com Prxedes ds Fon-
seca f.oulinho, sou proprictaiio.
O arrematante das afericOes contina a
sei 11 mesmo do anuo prximo passado, e
faz ceito. que do primen o do correnle mez
em diaiUs) jS sescha aferindo para o anuo
pioxiinaV vmilouio, na mesma casa, ra da
AssiimpeHo n. 4.
A ntiga ngencia snpoitei.
No pateo ds matriz de Sanlo-Ai Uni li-
ram-se passaportes para dentro e fra do
frnperiu, cinrem-se folhas, liram-se ttulos
do residencias e despacham-se escravos com
a maior hreviJadn possivel e prego rasoavel.
Lotera 0 restante dos bilheles desta olera, que
corre infalivelmonte no flm do corrente
mez, fiquem os bilheles que licarem, vrn-
de-se, arm de outios lugares, na loja ile
llernardioo JosMonleiro, ra do Queimado.
I.olerlu fin imiti i/, da fon-V Isla.
No ia SI do corrente andem Impreleri-
velmente as rodas desta lotera, seja qusl
for o numero de bilheles que litar, e mes-
mo antes se scaharem os bilheles, como ha
esperances. O hm psrs que foi concedida
ata Inlrri nn nrtdeser :mi* iusto. e ella
deve ser pnferida a oulra qualquer, por-
qusnlo temos de presenciar o em prego do
sru luleresse: o restante dos bilheles a-
cham-se i venda nos lugsres ji annun-
cisdos
I Precisa-sede um trsbslhador deenxs-
, e que saiba tirar lite em vaccas : us
gdalena, estrada nova, primeiro sitio de
riflo de ferro. No mesmo precisa-se de
1 bolieiro.
1 l'iuil. Galgnour, dentista
frailees, reeentcniente che- *
gado a esla capital, olTereee ?
seu preetliuo ao publico pa- #
111 todos os iiiistcies de sua 9
firoflgsfto, qnr exli-aliludo, 9
impandu e clmuibaiido os 9
lentes iiatmaes, qur substi- 9
tulnilo-us por oulros artifl-
elaesi para o que tem os rae- 9
llinreu apparellios. I'de ser
procurado a qualquer hora, a>
9 em sna casa na ra larga do #
S Hozarlo, 11. 36, segundo au- >
" dar.
eobrardivldasde quolq'i*r lojt, dando (Ja
'anua s satisfacil'i ls pesoas que o en-
erregarem de dita? o br.inja : quem de seu
orestimosequi.e ulilisar, diriji-se rus
11 rga do IOTa-lo, n 36. botica.
Os bilheles psra s reclts de 12 do corre-
le se distribuirao nos diss 11 e 12, no silo
do theatro. .
-- Aluga-se, por preco mdico, o terceiro
andar do sobrado n. 20, M ra do Apollo
a Iratar com Antonio de Moraes Comes Fer-
reira, na mesma cass.
Alugs-se, por mdico preco, um sitio
no lugar denominado Sanl'Anns-de-l)en-
tre, com commodos psra grande familia,
baia de capim, boa agoa, estribarla para
quatro cavsltos e cocheira : a Iratar com
l.uiz Comea Ferreira, no Mon 1go, ou com
Antonio de Morana Comea Ferreira, na ra
de Apollo n. 80.
-- Quem quizer comprar urna lettra da
quantia de 56,060 rs. do Sr. Jos Brazslino
ds Silva, spparecs na rus da Csdeia de S
Antonio, n. 13, que lodo o negocio se fars.
Quem quizer comprar urna leltra do Sr.
I)r. Honorio F. de Sgmaringa Vas Cursdo
la quinlia de 110,380 rs. annuncie para
ser procurado, que to'lo negocio se fara.
Roga-se ao Sr. segundo lente Jos de
Cerqueire Lima, da Bahia, que mamte pagar
urna leltra, que se echa vencida ha oito me-
zes ; do contrario, ter de ver sempre o suu
nomo nesls folha.
- Pieciss.-se de trabslhailores na capita-
na da airan lega : quem quizer comparec
s 7 horasda manilla.
Compras.
Comprsm-se slguns escravos de am-
bos OS sexos, psra dentro e lora da pro nu-
ca, de 5 a 25 anuos, de nulas figuras: pa-
gam se melhor doque em outra qualquer
parte : na ra dasLacangeiras n. 14, segun-
do sndsr.
Ns rus ds Senzslls-Velha, n. 100, se-
gundo armazem aonde se vende bolacha e
pilo, compra-se effectivsmente touciuho da
trra, sendo gordo e sem sal, a 5,000 rs. a
arroba, e a 160 rs. s libra.
Compram-se escravos de 10 s 30 an-
nos, de bonitas liguras, para dentro e fra
da provincia : na ra larga do Hozario, n
48, primeiro andar, todos os dias das 6 s
II lloras da manilla e das 2 s S da larde.
- Compra-se urna bomba de ferro, que
esteja em bom estado : no pateo do Paraizo
n. 30, ou annuncie.
Compram-se os seguinles livros em
mel uso : compendio da geographia por
Gsultier ; dito por Vellez ; historia sagra-
da por Rernardino; dita universal por Raus-
sou ; dils amiga ; Cnronolog^a por Rernar-
dino; na ra da Conceicflo da Uoa-Visd,
n. 58
Vendas.
dar.
Jfttt
~ m repeT affseiteiro se offerece par!
--Vende-se barato, por ter um pequeo
defeito, urna mulata que sabe cozinhar o
diario de urna casa, cose bem qualquer cos-
tina, he muito diligente no sevico de ra-
sa, e prnpna para casa de poura familia, ou
para ama de um homem solleiro, por ser
muito fiel : na roa do Queimado n. 14, se
dir quem compra.
Musios novaa para piano,
viudas da corte pelo ultimo vapor.
Saudade* du Noi-rda. Colleccilo de mo-
dnhas nacionaes sol a msica da Norma
As proviuciucs. CollecSo de 33 pecas
de msicas escolhidss das melhores ope-
ras, dedicadas as 18 provinciaes do im-
perio.
As luodlnlias. Quero cantar a saloia, ji
que outra moda nSn sei, minha mili he
saloia, eu com ella me cnei. A fresca
sombra, etc.
Q,uadrillias. As seductores. I.T.Idorado,
Cuneo dias el l.edia. Delicias do baile,
Seliafer quadrille non, Johann Strauss,
11 alrice de T-n la, etc.
Vendem-se no pateo do Collegio, casa do
livro azul.
Vendem-se dous srmazens na rus da
Praia, ns. 34 A e 36 : a Iratar nos meamos
armazens.
Calcado.
Vendem-se sapatOes de couro de lustro,
a 3,500. 4, 5 e 7,000 rs ; borzeguins e sapa-
lOes feitos na Babia, a 5.000 rs.; sapatoes
de hezerro, a 3,800, 4 e 5.00J rs. 1 aapato
le lustro psra seuliora, a 1.000, 1,600 e
3.000 rs.; ditos deconlovRo, a 1,000 e 1,380
ra. ; borzeguins para senhora, a 3,000 rs. ;
ditos pretos e de cores, a 4.5oO rs ; ssps-
tos psra meninas, a 400 rs.; ditos de lila, a
400rs. ; ditos de lila, a 240 rs. ; e muitas
outras quaiidades de calcados por preco
commodo ; na praca da Independencia, lo-
j:-'.. T=r.U.l,
~ Vende-se urna escrava de nacto, de
30 annos, cujas hablUdsdes se dirflo so
comprador : na ra Vtha n. 71.
DocelrH brsllelra,
ou nova guia manual para se fazerem to-
das ssquslidsdes de doces seceos, de cal-
da, cobertosou confeitados compostas, so
pss doces, conservas de doces, netas e cro-
mes de lele, geleiss, tahrieacOes das pssii-
llias, Dores e fruclas, dilTerentes figuras e
objectos de assucar : conservarlo das fruc-
tasem sgo'ardente, depurado e reGnaco
de assucar, do mel eda rapadura, fabrica-
rlo dos xaropes. ratafias ou qOl's de su-
mos de fruclas por enfusSo, gelos arlificiaes
em todo o anno e sorveles de todas as qua-
iidades. Obra nova desleanno, e ulilissims,
extrahida de diversos autores, e de muitai.
receitasoSo impressas, oor Conslanca Oli-
va de Lima, natural do Ro de Janeiro ven-
de-se 00 pateo do Collegio, cssa du livru
azul.
Cozlnlielio impeilal.
ou nova ano do coziuhoiro, e do copeiro
em tojos os seus ramos : vende-se no pa-
leo do collegio, easa do livro azul.
-- Vende-se s tsverna da travessa de S.-
Jos tv 9, com poucos fundos, e commodos I vado ; uodezeas, 180 rs
para familia : o motivo por queso vend he
pelo dono fetirsr-sepira fra do imperio : a
tratar na mesms taberna.
Vende-se ums cass Ierres, sita na tra-
vessa da ra Bella, caes do Machado, n. 5 :
no Aterro-da-Ros-Vista n. 60.
l'eitfleni-se xapntrs
chegados agora mesmo do Aracaty, feitos
a capricho, segundo as recommendacOes
que para lase lem feito, por mdico preco,
parase liqul lar: na ra larga do Rozario
n. 35.
Manteletes e eapotlnlios.
Na ra Nova n. 6, loja de Maya llamos & C ,
acaha-.se de receber de Franca um sorlioion-
tode manteletes e capotnhs do seda la-
vrada e lisa, da ultima moda, e que se ven-
dem muitoemeonta.
Capotiulos e illa nilele-.
Na rus Nova o. 6, loja de Maya Kamos & C,
acaba-so de receber capotinhos e man
teleles de can.hraia branca bordada, da ul-
tima moda, e muito bem guarnecidos com
hico a imicSo de Monde : os presos con-
vida m aos compradores.
A. Colombiez.com .ojs na rus Nots,
atrs da matriz, vai ter efectivamente um
grande sortmiento de calcado psra homem
e senhora, que os vender msis bsrsto, por
ter contralado com um dos melhores fa-
bricantes de Pars. Na mesma loja vendem-
se pelles de couro de lustro ; bem como
cortes de sapalos js feitos do mesmo couro,
a 1,000 rs.
Loterin do Itio-de-.laiieiro.
Aos 2o:ooo8ooo.
Na ru da Cad*ia do Recife n. 24, loja de
cambio, existe ainda um resto de bilheles
e cautelas da 11.' lotera do theatro de
S.-Pedro de Alcntara, que se exlrahio a 35
lo prximo passado, e que hilo de vir as
listas, sem Taita, pelo primeiro vapor que
ehegardosul : tambero recebeu-se um sor-
li-nentodo hlhetes, meios e cautelas da
i lotera a beneficio do monte po geral
da economa dos servidores do estado,
achsm-se s venda dss 9 horas da manhSa is
5 da tarde.
Vende-se urna escrava que cozinha o
(itrio do urna urna casa, engomma, lava de
sililo e varrell i, he inulto liel e ni 1 tem
vicios, o que se afiance : na ra dis Flores,
csss terrea 31.
Arroz 1,000 rs. a arroba :
vende-se na ra da Cadeia do Recife, ar-
mazem n. 64.
Ratatas.
Ven lem-se gigos com 40 libras de bsta-
tas : ni rus da Cadeia do Hecife, armazem
n 64.
Birricsscom farinln SSSF:
vendem-se na ra 4a Cadeia do ReciTe, ar-
mazem n. 61.
Parejo.
Vend-ni se saccas com farelo : ni rila da
Cadeia do Recife, armazem n. 61.
Cha nacional.
Vende-se cha nacional, em caixinhas de
4 a 16 libras: na rus da Cadeia do Recife,
armazem n. 61.
Potassa.
Vende-se potassa em barris pequeos :
ns ra da Cadeia, armazeroo. 64, junto a
botica do Sr. Antonio Pedro.
Aviso a pobreza.
Vendem-se saccas com familia de man-
dioca, a 1,600 rs : esla pechinchs est se
acabando: na ra da Cadeia do Recife, ar-
mazem o. 64
Arroz de casca.
Vende-se arroz com casca 1 na ra da
Cadeia do Recife, arme/em n. 64.
i> Vende-se farinba de min- O
[ dioca muito b trata em sac- ?
q cas : na ruada Cadeia n. 1. q
302.00000 9000309093
~ Vend i-se urna casa terrea feita a mo-
derna, sita na ra Velha do borro da Roa-
Vista n. 93: a tratar com Hypoljto Jos
Ellas, na mesma ra n. 105.
--Vende-se urna grande porc,lo de entu-
!lio e exlrui e : na ra da Assumpclo n. 36.
No deposito de ago'argente, defronte
da igreja da Penha, n. 10, vendem-se to las
as quaiidades de bebi las espirituosas, li-
vros do consumo quesedeve pagar a o es-
tado, princpslmenle ss vendas que nSo ro-
lem c imprar cargas : o seu preco he, alcm
do costo, o importe do consumo.
Vendem-se na ra do Cabug loja de 4
portus do Duarte, oceulos de lo las as gra-
doac's. por prego mais commodo que em
outra qualquer parle, cin'eiros de couro de
lusuo psra homense meninos..
m nraln lninl>e;ro |.. : )
33 anuos de idsde : 'quem pieoisar dirijs-se
as Cinco-Ponas, venda defronte ds forts-
leza n. 152.
Na ra da Cruz, armazem de Sa Arau-
jo, vendem-se saccas com superior milho,
viudo do Cear, couros miudos, sapalos,
chapeos, ele.
Na ra do Cabug loja de linarle, van-
lem-se suspensorios do seda, ditos horda-
lados a sela, vazos de vidro de diversas
cOres, chicotes inglezes para carros, ditos
para cavallos.
Vende-se um sortimentode vidros de
crus para mesas, sen lo copos psrs vinho e
para agoa, campoteiras, garrafas, fruteiras
e pistos, por preso commodo : na ra do
Cabug loja de 4 portas de Duarte.
Fazeudas baratas.
Na lofa ds ra do Queimado, o. S, esquina
dahecco do l'eixe-Friclo, continuam-se s
ver.d.T diversas fazenda puf mdicas pre-
sos, d'sntre as quaes se mencionam chi
las para eobe'ta, de cores lixas, a 300 rs. o
covato; dita para vestido,a 140, 160 e 180
rs. o covodo; cortes de chitas finas para vea.
tidos de 13 covados, a 2,240 rs.; meados
francezes d lindos padroas, 180 rs. o co-
0 corado; cortes
de cassa chita, a 2,000 rs. ; ditos de calca
de brim transado, a 1,600 rs.; ditos de ca-
seneta de listras. a 2,240 rs ; merino verde
' escuro proprio psra palitos e sobrecasseas,
1 Lotera da nratrlr da Boa-Vista.
Aos 10:0008000 e fi:oonjooo.
Na loja de miudezas da presa da Inde-
pendencia, n. 4, vendem-se bllhetes, meios,
quartos, decimos e vigsimos desta lotera
que corre impreterivelmenle no dia 31 do
outubro, ou anles se se acabarem os blhe-
,tcs. A elles antes que se aoabem, para n8o
comprareni msis caro, como lem aconte-
cido em outras loteriss.
Rfieles 10,000
Meios 5.
Quartos 2.60
Decimos 1,100
Vigsimos t0
.Museo Plttoreseo
histrico e Iliterario, ou livro recreativo das
familias, cooten lo a descripcSo de monu-
mentos e de factos histricos, grsnde copia
de novellas moraes e interessanles. tanto
nacionaes como traduzdas dos melhores
autores frsncezes, Inglezes esliemaes, va-
riedades, ancdotas, poesas, etc. ,em rolio,
com duas estampas cada numero, pelo di-
minuto preso de 400 rs. oada numero com
8 paginas: no paleo do Collegio, casa do
livro azul.
Dtnhelro a vista.
No Aterro-da-Boa-Visla n. 54, ven I
nova, vende-se o seguinte : manteiga in-
gl"za muito bos, s 640 480 rs.; frsnceza, a
520 rs. ; banha, a 320 rs. farinhi de araru-
ta, a 200 rs. ; dita do Maranhflo, a 120 rs.;
arroz do MaranhSo e cha muito bom tan-
to em gosto como em qualidad, a 1,920
rs.: velas de espsrmscete dss rolhores, a
720 e 640 rs. ; ditas de carnauba, a 280 rs ;
milhoapista, a 960 rs. a cuia ; feiJSo mu-
latinho, 400 rs. a cuia ; azete doc, a 560
rs. a garrafa; azeilonas, a 210 rs. a garra-
fa ; e a ancoreta, a 1,120 r3. ; bolaxinh
ingleza, a 280 rs.; dils doce de araruta a
610 rs ; caT em caroso a 160 is. louc-
nlio, s 200 rs.; slelria; s 240 rs. ; macar-
rilo e talharim, s 200 rs. ; e oulros m-is
gneros que se far toda a diligencia para
servir bem os freguezes o slianca-se a bon-
dade de ludo, pois he ludo novo e nSo tem
alcaides, du -se a mostra.
Milho.
Vendem-se sseess com milho : na ra da
Cadeia do Recife, armazem n. 64, do Cam-
pello.
-- Vende-se ums linds esersvs mor;*, a
com slgumas habilids les : na ros Nova n.
41, primeiro andar defronte do relojoeiro
Carnier.
9 Na loja do sobrsdo smsrello, nos *
| quatro-cantos ds rus do Queimado i
* n. 29, vendem-se as seguinles fa- jg
* zendas : atsaasi
9) Corles de calsas de casemira a 3,500,
2 000
1,000
2.400 _
4.000 *
2,000 m
9
1,500
400
1,000 ap
300
i
% 5.000 e 7.000 r.
m Hilos de dita de algo lio, a
% Ditos de c-illetes do fustilo de
? crese brsnco, s
Ditos de dito superiores, bor-
% dados, a
aj) Ditos de velludo de cores, a
4 Hitos de gorgurSo deseds com
s listras, a
m Lencos de seda de cores pirs
grvala,a 800, 1,000 e
a Luvas de algodo, fio da Esco-
v cia, para bomem, 1
Ditas de lorssl.s
ay Al. ae.i de slgodSo para casa-
aja cas e palitos, ocovado a
* Chapeos frsncezes finos, s 6 e 7,000 a*
Vende-se ums preta de 18 a 20 annos,
que cozinha. lava e trata de meninos : na
rusdasCruzes n. 41, se dir quem vende.
--Domingos Jos da Silva Amonm, por
Ihe ser preciso ir tratar da sus ssde, vende
s sus taberna, sita na ra da Sinzalla-Velh
n. 48 : quem a pretender, dirija-se a mesma
para tratar ; adverte-se que tem poucos
fundos.
-- Vende-se um fsqueiro de prata, obra
do Porto, com todo o servico psra mesa,
sobre-mesa echa, ludo novo e por preso
commodo : os rus da Cadeia-Velha n. 24,
primeiro andar.
Vende-se ou troca-se ums cama de
coiiduiem bom eslsdo por urna marqueza
e algumas cadeiras : na rus das Cruzes nu-
mero 10.
Casa do livro azul.
Pateo do Collegio.
Obras chegsdss da corte pelo vapor [San-
Salvador.
O Passado, o presente e o futuro
da repblica franesza, por Lamartine, 1850.
Nesta obra, summamente ntercsssnte na
actuali lade, o eloquenle autor mostra aos
homens sisudos e de boa f, quaes forsm
oserrosda republcs, oque ella deva fazer
presentemente, e qual ser o seu futuro se
ella seguir este ou squelie caminho ; em
fim, definilo o que se deve entender por
suffragio universal, ella declare que nao he
o suffragio de qualquer individuo, mas aira
0 do cidadao honrado e amante da patria.
A Decadencia de Inglaterra, por
LeJru-Rollin,9 v., 1850.
<. 11 in patrien do povo no foro civel
-"- Kr.sMfim nnr Crrela TMff alta-
rada deconforoidade com a legislaclo bra-
sileirs.
Diccionario de medicina popular,
em que se descrevem, em liogusgem ac-
commodada a inteligencia das pessoas es-
trechas, a arte de curar, pelo doutor Cher-
noviz.
IMiilosophia popular por Mr. De-
layac, antigo magistrado francez, traduzi-
da e anotada por llenriquo Vellozo da Oli-
veira.
Lotera do Bio de Janeiro.
Aos 30:000,000 de rs.
Na praca da Independencia n. 4*
vendem-se os afortunados bilhe-
les, meios, quarto, oitavos e vi-
gsimos da 34.a lotera a benefi-
cio do monte po* \ elles, que j
ha poucos.
\a fabrica de earros nos CoeIlion,
defronte do hospital novo,
vende-se um cabriolet desc'oberto, novo
com os perteoces lambem novos, do melhor
1 gosio.
BSSSSBSM


;~i
-
/;
4!
ni "tanamoamamm
Vende-se, oa alugs-se tima elegante
armaclo toda env'tdracade, muilo propria
psra inj do fazendas, ou miudezas, pe |
localiilade em que se a cha : oo Aterro-da-
Boa-VIsta n. 14
Vende-ge arinha de S.-Matheus, mui-
lo boa, e que nSo faz diflerenca a de S.-Ca-
tharinha : a bordo do patacho Lima, ou da
sumaca Bella-Carolina, defronte'do trapi-
che, ou ao lado do Corpo-Sanlo n. 25.
Farinha de mandioca.
Na ra da Cruz, no Recite, armazem n.
13, e na ra dn Cadeia, armazem de Cam-
pello Filho, vende-se farinha de mandio-
ca do Ceara, muita alva, gommosa e de ex-
cedente (costo, tanto em pequeas como
om grandes porches, por preco commodo.
Travessa da Madrc-de-Deos, ar-
mazem. n. 5,
Achn-so estabeleoido nm deposito, onde
"neontrarHo os freguezes um bom sorli-
mento de licores, espirito de vinho, e to-
das as mals qualidadea; superior vinho de
caj; chmate; e Hacas de vime, precos
moderados.
Tnixns para engenho.
Na futid i co de ferro da ra do Brum,
caba-se do reeeber um completo sortimen-
tode taixas de 4 a 8 palmos de bocea as
qaaes acham-se i venda por preco com-
modo e com promptidlo embarcam-se,
cu carregam-seem carrossem despezas ao
comprador.
Deposito de potassa e cal
Vende-se muito nova e superior potassa
peal vjrgem de Lisboa, em pedra : ludo em
barris pequeos de 4 arrobas, por preco ra-
soavel: na ra da Cadeia do Recife, n. 12,
armazem.
Na ra Nova n. 12,
vandem-se riscados francezes de lindos pa-
drOes, a 220 rs o covado ; chitas francezas
com 4 palmos de largura, a 180 rs. o cova-
do; cambraias de diversos padrOes, a 320
rs. a vara ; cassas francezas, a 500 rs. a va-
ra ; sarja bespanhola, a 2,400 rs. o covado;
e outras muilas fazendas, por preco com-
modo.
Bom e barato.
Vende-se prinoeza muilo (lna e de duas
larguras, a 800rs. ; ainda restam algumas
pecas de psntiinho fino, com 12 jardas cada
urna, pelo baratissimo preco de 2,500 rs. ,
tem algum moro : no Atetro-da-Boa-Vista,
n. 18, loja.
Vende-se por muito commodo preco,
urna rica secretaria com estantes para li-
vros, bastante grande, propria pata advo-
gado, sendo de amarello e anda nova ; as-
sim-como, seis cadeiras e duas mesiohas
de abrir : na roa estreita do Rozario, n.
28, ultimo andar, das 2 horas da tarde em
diante.
Farinha de Tapuyii*
igualmente em sabor, linura e cor a de ftfu-
ribeca, propria para mesa : vende-se- na
rni .! Cruz, no Recife, armazem n. 13.
Deposito da fabrica de Todos os
Saiii.iv na linhia.
Vende-se em casa deis.O. htener & c.
*a ra da Cruz, n. 4, algodSo trancado
daquella fabrica, muito proprio para saceos
de assucar, roupa de escravos e (lo proprio
para redes de pescar, por preco muito com-
modo.
Teeldo de algodo trancado i
fabrica de Todos os Santos.
Na rila da Cadeia n. 52.
vi'ndem-se por atacado duas qualidadea,
pvoprias para saceos de assucar e roupa de
escravos.
Arados de ferro.
Na runiiJcSo da Aurora em S.-Amaro ,
ven.lem-sc arados de ferro de diversos mo-
le I os.
Moendas superiores.
Nafuodiclode C. Starr & Companhia ,
em S.-Amaro acham-se venda moendas
de canna, todas de ferro, de um modelo e
onslrticclo muito superior.
Mu a de vapor.
Acha-se aberta a padaria da ra do Bur-
gos, Forte do Mallos, na qual se adiar
diariamente todas as qualidadea de massas
finas, trabalhadas por machinismo; lam-
be m se fabricam excellente pito e bolaxi-
nba de araruta, ditas inglezas, bolaxoes
quadrados e redondos, e outras mais mas-
sas tudo obra prima : as mesmas seacharlo
no deposito do pateo do Terco, n. 10.
Aos senhores de engenho.
vendem-se cobertores escuros de algo-
dSo proprios para escravos, por serem de
muita duracilo, pelo diminuto preco de 640
rs. cada um : na ra do Crespo, esquina
que volta para a cadeia.
Yende-se um moleque de
24 annos, ptimo cozinheiro : na
ra do Vigario n. 19, segundo
andar, eseriptorio de Machado &
Pinheiro.
Curtes de calcas a mil rls.
Vendem-se brins com listras ao lado,
braceo* e de cores, a dez tustes o corte de
caifas: na ra doQueimadon. 8, loja con-
fronte a botica.
Vende-se farinha de Sanla-Calharina,
muilo superior, a bordo da gatela Santisti-
nn-Trindadt, Tundeada junto ao caes do
Collecio.
J\'?i ra da < ruz, n 10,
casa de Kalkmann
I roaos,
vrnde-sc un grande sortimento de
. instrumentos de msica, com se-
jatn :
Gaitas de guerra, e tambores.
Zabumbas e pandeiros.
Arcos de campainha, e pratos.
Baixos de harmona, trob5es.
Trompas, pisloes e clarins.
Cornetas, flautas, e pfanos.
Clarinetes, e requintas.
Vio!5es.
E muitos outros instrumentos.
Vendem-se 8 toalhas de lavarinto, sen-
do Juas de rosto, e toda muilo ticas, por
preco commodo ; na ra da Cadeia do Re-
rife n.48: quem as quizer ver nao tenha
ssxrrs, psi cus i2s ponen c ssitci o
compradores.
Bombas de ferro.
Vendem-se bombas de repnxo,
pndulas e picota para cacimba :
na ra do Bruta, ns. 6, 8 e io,
fundicao de ferro.
Arados de ferro.
Vendem-se arados de ferro de
differentes modelos : na ra do
Brum,ns. 6,8 e io, fabrica de
machinas e fundicSo de ferro.
J o barato cansa odmlracao '.
Isto acontece na ra do Crespo,
n. 6, loja ao p do lampeSo.
Vendem-ee cassa-chitas de muito bom
gosto, a 240 rs.; cortes de ditas do melhor
gosto queteem apparecldo, a 2400 rs.; chi-
tas finas de boas Untas, a 160 e 180 rs. o
covado ; riscado americano, a 140el60rs.;
dito trancado, a 180 e 800 rs.; algodlo
mesclado, a 200rs.; zuarte azul com 5 pal-
mos, a 200 rs. ; dito de cores, a 200 rs.;
cassa preta para loto, a 120 rs. o covado ;
cortes de fusilo muito boas, a 560 rs.; cha-
les de tarlatana, a 320 e 1,280 rs.; coberto-
res de algodlo de cor, muilo encorpados e
proprios para escravos por serem muito
quenles, a 640 rs. alpaca preta de cor.Ho,
com 7 palmo* dn largura, a 1,280 rs. ; ris-
cados de puro lioho, a 940 e 360 rs. o co-
vado.
Antigo deposito de cal
virgen*
Na ra do Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal virgem de Lis-
boa, por preco muito commodo.
Vcndern-se relogios de ou-
ro sabonete patente inglez : na ra
Ja Cruz, n. a, casa de Geo
Renworthy & C.
BR ESTOL SALSA PARR1LHA AMERICANA
Melhor t maii extraordinaria do mundo.
Preservaliva lofallivel aonlra asfebres.
A aalsa parrilha original egeoula de llNa-
lol possue todas ai virtudes para curar todos
as enfernildadei que provlm de um estado de
Impureza de sangue das secreedea morvidas do
libado e estomago, e em todos os casos que ne-
cossitain remedios para purificar e robustecer
o sistema Em todos os casos de escrophulas,
erisipelas, tinha, erupcoes cutneas, manchas,
bilis, enflainacao e dcbllidade oos olhos, en-
chacao das glaodolas, dores lonibares, afl'ec-
v'ies rbeumalicas, dores nos ossos e as jumas
hydropesia, despepsia, asthma, dtarrbea, des-
euteria, tosse, resfriados, enflainmacao dos
putnioes phthlsica quando provm di obstru-
yan dos bcouchioa em pessoas eicrophulosas,
enfluenza, Indigestan, ictericia debilidade ge-
ral do systema nervoso, febres agudas, calores,
eofermidades das omitieres, enlerniidades be-
Iunas, e ein todas as afecedes proveniente de
uso moderado do mercurio. Esta aalsa parri-
" se einprega com efBcacia em todos os so-
bredilos 1 ,i>,,.,, .. he reconbecida como a me-
lhor medicina que eiisie. Os fraai-ns de salsa
de Brislol tcem mais de quatro tamaitos dos
de salsa de Sands entretanto que os de liriitol
se vendein por 6,090 rs. e os de Sands por 3,000
rs. Deposito central no Rio-deJaneiro, casa de
Vital I .apupe, e em Pernambuco na botica de
Jos Mara Goncalves Ramos, na ra dos Quar-
teis pegado ao quartel de polica.
Na ra da Cadeia-Velha, primeiro an-
dar da casa n. 24, de Manoel Antonio da Sil-
va Antunes, vende-se um rico sortimento
de chapeos de palha de Italia, abertos, par
senhoras; camizetas de cambraia, coleri-
nhos, romeiras, manguitos, punhos, tudo
excellentmente bordado, bicos finissimos,
ricas fitas, e outros objeett-s de gosto; bem
como um completo sortimento de fazendas .
tudo se vende por precos muitos rasoaveis
Vende-se, na ra do Vigario n. II, ar-
mazem de Francisco Alves da Cunta, os se-
guales gneros, todos de superior quali-
dade, e por menos preco do que em outra
qualquer parle : azeilonasem nenelas, vi-
nho do Porto em barris de differentes l-
mannos, cevada, cal virgem de Lisboa, ar-
cos para pipas e barris, fio porrete, retroz
deSiqneira, cha de San-Paulo, canaslras
com albos e ditas com rolbas. .
Agencia de Kdwlll Man.
Ra de Apollo, n. 6, armazem de Me. Cal-
mont & Companhia, fazem ver aos Srs. de
engenbo e aos seus correspondentes nesta
pras, que noseu estsbelecimenlo se acha
constantemente bom aortimento de. moen-
uas lodasde ferro para animaes, agoa, ele
meias ditas para armar ein madeira ; ma-
chinas para vapor com forc de 4 cavallus ;
lanas de differeotes modelos e de todos os
lamanho*.e grossuras, tanto de ferro batido
como coado; espumadeiras, cocos, ele, de
ferro estanhado ; safras para ferreiros : tu-
llo muito bom e por barato preco.
T Deposito geral do superior ra-
p Areia-I'reta da fabrica q
deGantois i'ailhet& C. O
na Babia.
Domingos Alves Matheus, agente da5
Prelada3
fabrica de rap superior Areia-Pi
guaina, lem abertu um deposito i:
O

Vendem-se, na ra da Moeda, armazem
n. 15, meias barricas com cal virgem de
Lisboa, a mais nova qoetp no mercado, por
preco commodo.
fc^Rap Paelo Cordiro :^
vonde-se na ra da Cadeia do Recife, n. 51,
loja de fazendas, de Joflo da CoBha Mag*-
IhBes.
Feijao multinho,
de superior qualidsde e ninito no-
vo, vende-se a 6,ooo rs. a sea :
no armazem do Annes, no caes a
Alfandega, a tratar com Manoel
da Silva Santos.
I.oietlu lo Rio de Janeiro
Aos '0:0008000.
Napraca da Independencia, loja o. 3, con-
fronte ra doQueimado, vendem-se bilhe-
tes, meios, qoarto, oitavos* e vigsimos da
24.a lotera do Rio de Janeiro a beneficio do
monte pi, viudos pelo ultimo vapor.
Vende-se umn correata de ouro de lei,
com 48 oilsvas de peso, sem feltio : ns ra
do Livramento n. 1, primeiro andar.
Cal e potassa.
Cunhaii Amorim, na ra ds Cadeia do
Recife, n. 50, continuam a vendar cal vir-
gem de Lisboa, e potassa superior, por pre-
co mais barato do que em oulra pualquer
parte.
Milhoe ario/, coincasca a 285oo
rs. cada sacca.
Vende-se no armazem do Braguez, ao p
do arco da Conceicfio.
Chumbo de municad.
Vende-se no armazem de J. J. Tasso J-
nior, ra do Amorim, n. 35.
Vende-se urna escrava boa quilandei-
ra, e quecozinlia o diario de urna caaa : na
ra de S.-Josc n 7, confronte ao muro da
Pe a ha.
Por 3:000,000 de rs.
Vende-se um terreno com olaria e urna
casinha, tendo de frente 107 palmos, e de
fundos desde a ra da Aurora al a ra do
Hospicio, ten.lo frente para se edificar 15
moradas de casas : ua praca da Indepen-
dencia, n. 17.
Foges para cozinha
muito proprios para sitios e qoal-
qualquer lugar aonde n3o ha cot-
nha, por preco commodo : ven-
dem-se na ra da Cruz, n. lo,
casa de Kalkmann lrmios.
Vendem-se dous lindos moleques de
18 annos; um dito bolieiro ; um cabrinba
de II a 12annos, muito esperto; 2 pretal
de todo o servico ; urna dita de elegante fi-
gura, com habilidades: no paleo da matriz
de S.-Antonio a. 4, segundo andar.
Vendem-se amarras ue ferro: na rus
la Seir/.alla-.\ova. n. 42.
Cera em velas.
O **
9 Vendem-se riixas com ce- O
^ ra em velau, fabricadas no
Kio de Janeiro, muito bem g
O sortida, por ser de uim a O
^ 16 mi libra, por pr q barato do que em outra qual-
O qur : .ia ra do Vigario, n
O
9
O
o
^ 19, segundo andar, a fallar O
q com Machado & Pinheiro.
QOOOOOOQOOOOOOOOOO
-- Vende-se um prela de na(So Mina.
muito mofa e vistosa, que engomma, co-
zinha e faz todo o mais servico de urna ca-
sa : na ra do Amorim, n. 15.
Charutos de Havana,
de superior qualidade : vendem-
se na ra da Cruz, n. 10, casa de
Kalkmann limaos.
Vendem-se 130 saceos novos de esto-
pa, com duss varas cada um : na ra larga
do Rozario, n. 48, primeiro andar.
Vinho de Bordeaux :
vende-se na ra da Cruz, n. 10,
casa de Kalkinann Irmos
%GUNCA
da fundicau Low-Moor,
RA DA MKNZAI. 1.A-NOVA, M. l\1.
Neste estabelecimento conti-
a a ha ver um completo sorti-
oiento de moendas e meias moen-
las, para engenbo; machinas de
vapor, c tachas de ferro batido
:o?dr>, de iodos os tamanhoa,
>ara dito.
Vende-se urr a mulata de 20 annos, sem
vicios nem achaques, que engomma com
perfeico, cuse e cozinlia : o motivo por
ine se venia se dir ao comprador: na ra
-- Vendem-se 5 pretos de 25 annos, de
lindas figuras, senda um dalles optirnocar-
r*lro; um dito de-18 annos. ptimo boliei-
ro ; duas bonitas pretas de 20 annos ; urna
dita de 25 annos, que engomma, cozinha e
cose, ludo multo bem, esta so quer estar
dentro de casa, por estar a islo acostoma-
da ; 3 mulatas com Habilidades; duas pro-
tas de 30 annos, por 800,000 rs.: todos por
preco muito em conta: na ra das Laran-
Sgiris, n. 14, seguudo andar,
i'u na lu-sil do Hozarlo, n. 22,
vende-se nm lindo mulatiqho de 13 annos,
muito bonito, ptimo para pegem ; una
mulaiinha de 14 annos, com principios de
costura engommado; 2 moleques de
16annos, moito lindos; 2mulalinhos de9
a 10annos; ums prels de naco, de 20 an-
nos, de bonita figura, perita cozinheira, e
com as habilidades precisas para urna casa ;
urna prela de moia idadade, muito robusta,
por 320,000 rs.
O arrematante do contrato dss aferi-
c sdesln municipio vende as regueiias
de fra, como sejam : Afogados, Varsea, S.-
Lourenco, Jaboatao, Murlbeca e Poco da Pa-
nellu, por precos commodos.
of f fff t f f fUICIIU "1
U 1.1 11,
-ar, onde se scharA sempro desle rx-0
Ocellentee mais acreditado rap: ven-0
Ode-se em botes de urna e meia libra,O
Opor pre^o commodo.
OOOOOOOOOOOOOOOOOO
Joajo Keller& 1 Diiipanlila. na
rua da Cruz, n. 55, /
Vendem a precos couimudos, vinho mus-
calel de Setubal, em calas de urna du-
zia; dito muito bom de l.avradio e Col-
lares, em barris de quinto; dito de Cham-
paaha, da mais acreditada marca ; dito lin-
t,i de Cortaillod, de superior qualidade;
extracto de absyiilh e kirsch ligitimo da
Suissa, em caias de urna duzia ; verdadei-
ro cognac velho, e da iHeUlsK fabrica de
Franca, em barris de 80 garrafas pouco
mais ou menos : latobem se vendem por
preco muilo rasoavel velas de slearma ,em
eaixas de 32 libras : charutos da tuina de
muito boa qualidade,
-r Vende-se um faqueiro dobraJo, con
tendo as pecas necessarias psra mes* de
jantar, doce e cha ; e bem assim urna gran-
de bandeja, ou taboleiro : tudo de muito
u rts do llosoicin, casa terrea rom sotSo, defron-
te do n. 17, das 6 tt| horas, as mantiaa, e
das 3 da larde em diante.
Veiiiem-se silhoes ingleies
para motilara de senhora : na
com goaio, de boa prata o chegado ultima- dem-se riscados monslros <4e
'Medite tlfi ).IUlt -- -- /*~6i. ** i __:_ I_
i ti \-----r"f "T TV "," "P"-oao-| inoiv uo largura, pcUi un
lo n. 13, casa defronto da Igreja. lu* 260 rs. o corada.
rua da Cruzn. 2, casa de Geo
Renworthy & C.
Panno verde escoro.
Vende-se panno Uno verde escuro, pelo
diminuto preco de 4,000 rs. o covado : ain-
da resta slgumas ohltss francezas, rom al
gnm mofo, que se venderflo a quem com-
por prca, a 14o rs. oa rclalhoa 16o rs. o
covado: no Atlerro-da-ltoa-Visla n. 18,
Em a nova rcfiuacSo ds rua do Vigario
n. 27, tu assucar refinado de diveras qua-
lidadea, do melhor que tem viudo ao mer-
radn.assim couio.caf moldo, etc.; tudo por
prei;o commodo,e a contento dos freguezes:
o dono desle novo estabelecimento espera
pele concurrencia dos freguezes, a quem
prometi agradar.
O ki ladillos riscados inonatros
a 2(o rs. o eovado.
Na loja da rua do. Queimado n. S, ven-
quatro palmos
llBlwO |nyv
corad.
* Na loja do sobrado amarello, nos
quatro-canlos da rua do Queimado
J n. 29, veii'Ietn-se cortes de vestidos
^. de cassa-seda com flores, s 7,000 rs.
t> cada corte; ditos de cambraia bran-
a*> ct com barra bordada e adamascad*,
H> a 6,000 r*.; ditos de cambraia-sed,
* reos e de nviio modernos gostos,
* por differentes presos, havendo de
tudo grande sortimento psra ss esco- 2
S Ihor ; cortes de vestidos de seda, de 3
X gosto muilo modernos, e por preco ^
a> em conta ; e outras fazendas finas e 4
*> de gosto. 41
A*A**4AAO
Ollii'iu que peelilneha!
Vendem-se cortes de colletes de sarja de
cores pelo baratissimo preco de cinco tus-
tes o corle: no Passeio-Publico, loja n.
II icheguem a elles antes que se eesbem.
Bonetes a 240 rs.
Vendem-se bonetes para meninos, a 240
rs. cada um : no Alerro-da-Boa-Visla, loja
n. 58, junto de seileiro.
A 18600 o covado.
Ns loja n. 3, def'onte do becco do Peixe-
Frito, vendem-se casemirss escures de bo-
nitos desenhos em xadrea, ptimas para
pannos de cima de bancas, a cinco patacas
o covado : esta faieoda torna-se muito re-
commendavel pelo seu modernismo.
no Remedio, com mar a tod hora, com
mais de mil'palmos de fundo, boa cas*
cacimbasoffrivel para urna familia, muit
terreqo dvoluto, com alguna arvoredos, e
muito proprio para plantar, ou fazer-se
urna olaria : na rua do Rtngel n. 54, a fil-
ar com Viotorino Francisco dos Sanios
Vende-se urna cerroc* com um bonito
boi: no caminho novo que vai para o Man-
guinho.
Vendem-se duas rotulas em muito bom
estado, na obra junto a Igroja de 3.-Rita-
Nota.
Vende-se urna armaco toda eovidrs-
Cada, propria para qualquer estabelecimen-
to, por ser toda em calxOes separados: ni
pres da Independencia, n. 23, se mandar
mostrar e se far qualquer negocio a di-
ntieiro, e fiado com seguranca, ou a troco
de qualquer dutro negocio queconvenha.
Averdadeira farinha de Tapuj exis-
tes venda no armazem do Sr. Antonio An-
nes, no caes da Alfandega, a reMho ou por
junto; afianci-se ser novs, alva, torradi
gommosa e de excellente gosto, como po-
derlo ver os compradores bem como mi-
Iho muito uovo, a 2,500 rs a sacca.
Vende-se um rico candieiro de 5 luzes,
muito moderno, por praco commodo: na
rua estreita do Rozario, por cima da botica
do Sr. Paranbos.
Vende-se urna mulata que corla e faz
ca isas de homem, cose com tods perlei-
cSo costures de slfaiate, isto he palitos, cal-
cas, jsquetaa e colletes, engommadeira, boa
2 cozinheira do diario de urna csaa, nSo be-
2 tbe espirito de qualidade alguna, be muito
.m fiel e boa compradeira ; urna preta de An-
gola, de bonita figura, moca, sem achaques,
boa engommadeira e com outras habilida-
des que se infurmarSo; Una mulatiuha de
10 a 11 annos, com principios de costura,
de bonita figura : na rua larga do Rozario
n. 48, primeiro andar
Veude-seun: multinho proprio para
pagem, ou aprender qualquer officio: na
rua de Agoas-Verdes n. 5.

I
t> Na loja do sobrsdo amarello, nos
? qualro-csntos ds rus do Queimado tt
C n. 29, Ivendem-se as msis modernas
chapelinhas de seda de cores para se-
nhora, muito bem guarnecidas ; bem
como manteletes ite seda lurti-cflres,
0 os msis modernos que existen : ludo
H por prci;o commodo.
Vende-se superior rsp de Lisboa, em
frascos, chegsdo agora na barca porlugue-
za Ligeira : os Snrs. freguezes que eslSo
acosturr.ados s tomsrem boa pitada, nSo
deixarSo de mandar buscar no largo da As-
sembls n. 4.
Vende-se a taverna da rua
do Padre-Floriano n. 7s, com
poucos fundos, a qual fax 10 a
1 a,000 ti. por da; a tratar na
tr.wessa da Concordia, sobrado
n. 5, das 6 s 8 horas da manhaa,
e das 4 as (i da Urde.
Vendem-se 16 scrsvbs, sendo um bom
carreiro e mestre de purgar ; 3 ditos de
tudo o servico ; 2 mulntinlios de 16 annos;
2 ditos de lodo o servico de campo ; urna
mulaiinha recolliids, de 14 annos, que co-
se e engomma ; duas escravas mocas, de
bonitas figuras, que cosem bem e engom-
mim ; 6 ditas de lodo o servico : oa rua Di-
reita n. 3.
Vendem-se sellins inglezes
elsticos, chegados agora : na n
da Cruz n. 2, casa de Geo: Ren-
worthy & C.
Vende-se ums tsberna com poucos fun-
dos, na rua de SanU-Tbereza : a tratai na
111 es 111J.
Vende-se a valsa
piano 1 na loja de Car.!
na rua d* Cadeia-Ve
preco 500 rs.
Vendem-se 26 libras de pennss de
em* : na rus Isrga do Rozario n. 26, loja
de miudezas.
Vende-se um bonito molecole -. na rus
da Cruz, 11. 52, segundo andar, das 6 s 9
lloras da manhaa, e das 3 s 5 da tarde.
Romance modernissimo.
Os Myslerios do povo ou histo-
ria de urna familia de proletarios,
por E Sue, tradueco do i\io,
e chega la pelo vapor S.-Solfa-
flor : vende-se no pateo do Colle-
o-io. casa do livro azul.
He grande pechincha.
A 2oo e a4o rs.
Vende-se ums porfo de chitas frsncezas,
de 4 palmos de largura, rxas, de eOres II
xas. a 200 rs. o eovado ; cassas frsncezas,
de bonitos padrOes, s 240 rs. o covado
rus do Crespo n. 14, loja de Jos Franci
Das.
Lotera do lilode Janeiro.
Aos 2o:ooo$ooo.
Na rua da Cadeia do Recife n. 40, loja de
fazendaa, de Francisco Goncalves da Silva,
vendem-se biihete, meios e quaitos da 24.a
lotera do monte po geral do Kio-de-Jaoei-
ro, chegados no vapor S.-Sebatiis.
A 4lo rs. o eovado.
Defronte do becco do Peixe-Frito, loja n.
3, vende-se ganga amarella de listras, pelo
haratissimo preco de um cruzado : esta fa-
zenda torns-se j-.uito reeommenavel por
ser muilo fina e de padrees agradiveis.
Cha a 5oo ra. a libra.
1 tral.
Adata
r.loa A
Velha r
rara
Ayres,
D. 31
Escravos Fgidos.
"fi
:
Fugio, no dia 5 do corrate, depo s de
meio-di, o preto Patricio, de nacBo Costa,
alto, cheio docorpo, p* grandes apalhe-
tados; anda alguma cousa devagar; lem os
ps engisdos e os lornoztlos grosaos ; levou
calQis azues i esmisa de IgodSo riscado :
quem o pegar leve-o rua Direita, n. 26,
que ser gratificado.
Fugio, no dia 12 de setembro prximo
passado, o escravo crioulo, de nome Jorge;
he alto e secco do corpo, eo. bom preta !
tem falta de denles ua frente, porm he
moco : quem o pegar leve-o so Aterro-dos-
Afogados, a Antonio da Silva CusmSo, que
gratificar,
Nodia primeiro do correnle desappi-
receu urna preta de Angola, de nome Vic-
torias ; foi de urna irmfia do Sr. major
Mayer, e suppoe-se terse evadido do poder
do abaixo declarado, visto a ter arremata-
do em praca no dia 16 de setembro. Roga-
se autoridades policiaes e capillos decam-
po, que a apprehendam e levem-na ao P<>-
seio-Publico, n. II, a Firmiano Jos Rodri-
gues Feneira, que gratificar.
Fugio, no dia 10 de setembro proxino
passado, do ongenho Arussagy, termo da
comarca do Cabo, o escravo luoocencio. da
naci, altura regular, cheio do corpo, cara
redonda, com marcas de bexigas, nariz chi-
to, beicos grossos, ps grandes, com una
pega na peros ; foi escravo do Sr. Francis-
co de Carvajho Pas de Andrade e de outrus
de sua familia : quem o pegar leve-o ao
ditoengenho, ou nesta praca a rua larga
do Rozario, venda de Jlo Manoel Rodri-
gue* Valenca, que recompensar.
Fugio, no dia 15 de abril do correnle
anuo, d* cidade de Olinda, a escrava Rose-
na, cabra escura, de 35 annos pouco mais
ou menos, sleijsda dos ps, por ler tido
cravos as palmas dos meemos; tem al-
gumas marcas de relho as costas; he na-
tural du Aracaly : quem a pegar leve-a a
mesma cidade de linda, rua da &-J0I0
n. 15, a Antonio Joaquim ltibello, que te
gratificar
-- Desappareceu, no di* primeiro do cor-
rente, do lugar de lleberibe, sitio, de Sapu-
caia, um moleque de nome Joaquim, de lu-
cilo Deoguela, de 18 20 annos pouco mais
ou menos ; levou calcas de algodlo da Ier-
ra, misa de dito j tem suja, chapeo de
palha ; he alto, ponas contundas; lem an-
dar miudinho. meio fula ; lem dous denles
da frente limados, olhos espantados; anda
sempre com a bocea aberta ; foi visto 00
dia 8 ao meio-dia na Linguete, e s duaa
horas na taberna ao p da ponte da Boa-
Vista, ogs-se as autoridades policises e
capules de campo, que o apprehendam o
levem-no ao sitio d'Agoa-Fria, adiaote da
Cruz da. Almas, que serlo gratificados.
Fugio, no da 8 do correnle, um mo-
leque de naci Angola, de nome JUanoel,
representa ter 23 .annos ; levou camisa de
zuarte e calcas de algodlo j usadas; tem
alguns pannos pelo rosto, e bichos notes:
quem o pegar Teve-o a rua da Coneeiclo,
n. 14, ou oa rua da Praia n. 1, que ser gra-
tificado.
Fugio, ou foi aeduzida na noite de 8
Jo correnle, a mulata Iguacia, de 35 a 40
annos, cor acaboclada, c.bello corridos;
levou em sua companhia um* ilha de 10
a eogalinharf; lamben) levou urna trouxa di
roupa, inclusive um vestido de cassa ama-
relia novo : quem a pegar leve-a a S.-Ami-
rO, casa de Maooel Coelbo Cintra.
-Fugio, uo dia 8 c'o crtente, a prela
aria, de naci Nsgo, de altura regular,
eia do corpo ; lem uji furo sobre a venta
eaquerda, e urna costura as costas ;. tem os
peilos cabidos ; reprsenla ler 28. snnoe
ainda nlo falla muito bem; levou cabeceo
de riscado azul com mtame*,, mas muito
sujo, las seia*,uma de chita deabotada por
b< 1x0 de oulra de chila branca pintada de
encarnado, panno da Costs com listras
azues e brancas, porm meio seibo ; coslu-
msvs a vender na rua em taboleiro batata,
leijlo, milito arroz, outros comesuves, o
azeile de carrapalo ,- perteoee a Jos Rodri-
gues de Sou7.a Jnior, que a comprou no
dia 28 de eelembro prximo passado ao Bt.
Jlo Marques Corroa que be arenco, mo-
rador na rua do Pilar n. 85; quera a pegar
quera a .
leve-a so dito seu seuhor. ua rua do Quei
Vende-sechhysson, de muilo toa qua-m8don. S7 A loj, a f#rrigsns qu# ra-
Itdade, a 500 r*. a libra: na rua do Crespo, |comens*rs.
s irse:-^<*v '*. #
sitio em larra propria*, margem do rio Pana.
ra irr. Dtai. r. os r*au. |iam'


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ERA9Q3U56_XUMLVM INGEST_TIME 2013-04-24T18:40:45Z PACKAGE AA00011611_07034
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES