Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07026


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno XXVI
Quarta-feira
W1BTIBAI DDi fcOalBXIO.
Goiauna e Parahlha, segundas esextas feirjj.
RIo-Grande-do-Norte, quinta felra* ao melo-
da.
Cabo, Serlnblem, Rin-Formoso, Porto-Cairo
e Macelo, no I.", a II, r 21 de cada inei.
Garanhun e Bonito, a 8 e 23.
Boa-VliU e Florea, a 13 e 28.
Victoria, as quintas leira.
Olinda, todos os dita.
.^lifTir'nuwi
/llora: a 5. aoi36m. da t.
,m ICreac. a 13. aos 10 m. da m.
I p",lg "" } Chela, a 21. aos 15 m. da i.i.
( Ming. 28, s 2 h. e 40 m. da t.
ruuu d oj.
Prinieira as 2 horas e 6 minutos da Urde.
Segunda 2 horas e 30 minutos da manhaa.
de Outubro de, f 880.
If. 912.
l-BEQO* DA SDiaonirplo.
Por tres mezet (odian lado) 4/000
Por seis mezet 8/000
Por uiu anno 15/000
xwa* da anaAaa.
30 Seg. S. Jcronyuio. Aud. J. dos orf. e m. da 1 r.
i Tere. Remigio. Aud. do chae, do J. da 1. v. do
civ. e dodos fcitos da hienda.
2 Quart. S. Leodegarlo. Aud. do J. da 2. v. do clrel.
3 Qulnt S. Candido. Aud. do J. dos orf. e do in.
dsl. v.
4 Sext. S. Francisco de Assls. Aud. do J. da 1. r.
e do dos fellos da fazenda.
5 Sab. S. Placido. Aud. da Chae, e do J. da 2.
t. crluie.
6 Uoiii. O SS. Rotarlo de Nossa Senhora.
cambios aiH otmn&o.
Sobre Londros. a 28 '/> d por 1/000 rs. a 60 dias
. Pars, 340.
Lisboa, 100 por cento.
Our.Oncas hespanhoea......... 29/000 a 29/500
Moedaa de 6/400 velha*.. 16/400 a 16/600
de 6/400 ora.. 16/100 a 16*200
de 4/000........... 9/100 a 9/2C0
Prata.Patacoe brasilelroa...... 1/160 a 1/980
Pesos columnarios....... 1/MH) a 1/980
Dito mexicanos.......... 1/800 a 1/890
PABTF OFF.CUt.
DECRETO N. 691 DE 14 DE AGOSTO DB 1850
Gol Slqueir. Francisco Ignacio de Corra-
Iho Morelra. Jos Joaquim Pimenta de Maga-
Ihaes.Lillt Antonio Barbosa. -- Hcnvenuto
Augusto de MagalhftTaques. ~ Jos Ferreira
, Souto. Joanulm Jos da Crin Secco. Jos
Manda Imprimir publicar e remellar, para co- oiquUn e L',ma su,, Sobrlnho. Antonio
flhAi nhecimrnto de todo, s autoridades do mu
nlcipfo da corte e da prorlnclas o instruc-
tnentodO reconhrolmento da princesa impe-
rial a aenhora D Isabel.
Ilel por beui. ein observancia do artigo dci-
mo da le de 26 de agosto de 1826, que o minis-
tro e secretario de catado do negocios do im-
perio faca imprimir e publicar, e remella, para
conheclmenlo de iodos, autoridades do mu-
nicipio da corte edas provtnclat.o instrumento
que abalxo legue, do reconheclmento da prin-
cesa imperial I). Isabel, minlia mullo amada e
presada tilba, como (uccesiora no llirono e ca-
rn do Imperio do Jfrasil, segundo a ordein de
succrstio eslabrleclda na ontlitulco, titulo
quinto, capitulo quario.artigo cento e desacete,
t) visconde de Monl'Alcgre,do meu consclhode
estado, presidente do consclho de ministros,
ministro e secretarlo de estado dos negocio do
imperio o tenlta assm entendido e faca ctecu
lar com os despacho i.ecessarios.
Palacio do Rlo-de-Jaoeiro eia 14 de agosto
de 1850, rlgesiino-nooo da independencia e do
imperio,
Com a rubrica de S. M. SU jfo>dor,
Varonilt di JMKAIrgrr.
/nsrununto do rtconhecimenlo de princesa impe-
rial a ara dora D. /rabel, como suciuora no (Aro-
no > coroa da impeli do UiaiU.
Saibam quantus este Instrumento rirem, que
no anno do nascimento del Notso Senhor Jess
Chritto de 1850, vigesimo-nono da inuepeuden*
ca e do Imperio do riraaili aos 10 diasdo mei
de agosto, pelas 11 hora da mauhSc, nesta
multo leal e heroica cidade do Hio-de-Janeiro,
Do Paco do.senado, onde se reunlram as dua
cmara de que e coinpoe aassembla geral
legislativa do inesmo imperio, estando presen
tes.3l senadores e 79 depuiado, sb a presi-
dencia do Exoi. baro de Monte-Santo, para se
fazero reeoabeciineoto da princesa imperial,
na conformidade da constituico, titulo quarto,
capitulo primeiro, artigo 15, paragrapho ter-
ceiro, se proceden aoaclo solemne do dito re-
conhcelmenio. e a senhora D. Isabel Cblstina
Leopoldina 'Augusta Michaela Gabriela Ra-
phaela Ganzaga, princeza Imperial, fllha legi-
tima e primelra existente do Senhor D. Pedro
II, imperador constitucional e defensor perpe-
tuo do (rust, e daseubora D.Therea i hris-
tlna Marta, imperalriz, sua mulber, nasclda aos
mezde norembro do dito anno na imperial ra-
Sella desu corte, pelo Exm. e Rvm. Sr. B.
noel do Monte Rodrigues de Araujo, bispo
di cesano, capello mor de S. M. I.. conde de
iraj, pala aaaembla geral'legislativa fulreco-
nbreida por tuccessora de seu augusto pai no
throoo coroa do imperio do brasil, segundo a
ordem de successao estabelecida na constitu-
cao. titulo quinto, capitulo quarto.sartigu cen
to e desacete com todo Bsdlreitos e prerroga-
tivas que pela ineama constituico compeiern
ao principe imperial surcessor do tbrosio, E
para perpetua memoria e lavrou cate aulo
ein duplicado na conf rmidade da lei para o
fin nella decaradoa ; o qu.il fot lido pelo r.xm.
Manoel do Santos Martin* Vallaaques, segundo
secretario do senado, ein voz intelllgivel, pe-
raute a asaembla geral legislativa, cujos ineiu-
broa abalxo rio assignados: e eu Juse da Silva
Mafra, primeiro secretario rio senado o escrevi
e subscrevo. Jos da Silva Mafra. Baro
de Monte Santo, presidente. Gabriel Mendos
dos Santos. Frederico de Almeida c Albu-
querque. Visconde de brante Jos A-
tostlnho Yieira de Mato. Antonio Paulino
impo de Abreu. Francisco de Paula de Ne-
f reros Sayo Lobato. Zacharias de Goes e
asconcello*. francisco de AssiiPereira Ro-
cha Jnior. Jos Joaquim Fernades Torre*.
Jote Augusto Chave* Honorio lie mielo
Carnciro Leo. Victor de llveira. Jutll-
nlano Jos da Rocha. Conde de Caxiaa. Ni-
colao Perelra de Campo Vergueiro. Anto-
nio Candido da Cruz Machado. Joo Evange-
lista de Negrelros Sayo Lobato.Manoel Vtei-
ra Toda. Baro da Boa-Vista. Jos de Arau-
jo Rlbeiro.' Antonio Jos Machado. D. Ma-
noel do Aisis Mascareuha. Antonio Joaquim
de Mello. -- candido Jos de Araujo Vianua.
Joo Mauricio Wauderley. -- Joaquim Octavio
Nebias. francisco Goucalvrs Martins. Eil-
rblodc Queiroz Coulinbo Matoso Cmara.
oaquun Jo Rodrigue* Jorres. r. Casimi-
ro Jos de Morar Sarment. Candido Bau-
tista de Uliveira.- Francisco de Paula Gandid.
Jos Antonio da Silva Mala. Aureliano <|e
.-uta e llveira Coulinbo. Jos da Silva Ma-
fra. Uaro do Pontal. --Manoel dos Santos
Martin* Vailaiques. Manoel de Carvalho Pae
de Andrade. Manoel Joaquim Pinto Paca.
Bernardo de ."'ouza Franco. Angelo Francis-
co Ramo. O conielhelro Francisco Ge Acaya-
ba de Uonlezuina. Jos Thomaz Naouco de
Araujo. Jote Ignacio Silvtira da Mola. Jo-
s keuto da Cuaba Figueiredo. Dr. Jos de
Fernades da Silvelra. Antonio Ftuoes de
Agular. .los Martin da Crut Joblm. Anto-
nio da Cunha Vatconcello. Antonio Jos da
Silva. Herculano Ferreira Penua. -- Alfonso
de Albuquerque Mello. Fraacisco de Paula
de Almeida Albuquerque. Miguel Fernan-
de Vieira. Mrquez de Itanhaem. Fran-
cisco Doiiiiiigiiet da Silva. Jos Cesarlo de
Miranda Ililieiro. Bernardo BeUiarlo Soares
de Sonta. Kr.nclsco Antonio Ribelro, Ma-
noel Joaquim Habla. Antonio Jos Montelro
de Barro. Venancio Henriques de Resende.
Si'basllodo Reg Barro.Jos Pedro Dias
de Carvalho. Augusto Frederico de Oliveira.
Manoel Correa Lima. Viaeonde de Mont'A-
legre. Antonio Luis Danta de Barros Leite.
Paulino Joi Soares de Souza. Caisiano
SpiridiSo de Mello e Matos. Jeronyino Marli-
niino Figuelra de Mello. Francisco Joaquim
Gomes Hibelro.-f> Jos de Assls Mascarenha.
Aprigio Jos de Souza. .- Antonio Peregrino
tlai iel Montelr. Andr Bastos de Oliveira.
Visconde de Olinda. Manoel Ignacio Ca-
valcante .de Lacerda. Antonio Jos Henri-
ques. -- Marqusz de Valenca___Manoel Fe I i -
sardo deSouia e Mello. Candido Mendes di-
Almeida. Joo Jos Ferreira de Aguiar.
Antonio Gabriel de Paula Fonseca. Alvaro
llarbalho Uchoa Cavalcante, Aernardo Au-
gusto Nascentas da Axaiubuja. Jos Jansen
do Paco. Joo Baptista de Figueiredo Ten-
reiro Aranha. Dr. Luiz Pedreira do Coutu
Ferraz. Flr>nino Rodrigues Silva. Joaquim
Firmino Perera Jorge. Joo Lustosa da Cu-
nha Paranagu. Joo Manoel Perelra da Sil-
va. Joo Autonio de Miranda. Manoel Joa-
quim de Mendonca Castcllo Bi anco. Francis-
co Xavier Paes Brrelo. Jos Thomaz dos
Santos e Almeida. Joaquim Mariano Franco
de S Manoel Julio de Miranda. Francis-
co Je Paula Sousa e Mello. Dr. Francisco de
Paula Baptista.
Palacio do Rfo-de-Janelroem 14 de agosto de
1850. Visconde de Mont'Alegre.
trOVKR'DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 28 DE SETEMBRO
DE 1850.
Odicio.Ao Exm. vice-pregidente das
Jantes dos referidos eorpns, semelhantes
que veio annexa a um dos satis oflicios, as
quaes ilevem ser acompanhsdas de recibos
dos pronrietarios .las mencionadas casas.--
Inteirou-se ao mesmo msrechal.
Dito.Ao mesmo. para que vista da con-
ta que reme'te em duplica!, mande indem-
nisar ao quinto batalho de fuzileiros, da
qusnli do 6,610 rii, que despendeu com
inhiimscjilo do cadater do soldado do mes-
mo batalhSu Manoel Ignacio dos Santos
Communicou-se so Exm. coiimandante das
rtoiaa.
Dito.Ao mesmOxJMtteirando-o de harer
aasentsd pra? como voluntarlo nd aegun-
do batalhflo de cagadnres. o paisino Secun-
dino Ayres Vellozo de Mello, que nos ter-
mos do decreto e regulimento de 18d-no-
vembro de 4848. conlratira para servir no
ejercito mediante a gralificacSo de 150,050
ris, e ordenando que mande pagar ao refe-
rido paisano a menciimada graticac.no, sen-
do 50,000 ris a vista, e o resto em presta-
Cues mensaes de 10,000 ris.Intelligen-
ciou-se ao Exm. comandante das armas
Dito.Ao mesmo, sciontlflcando-K) de te-
rem as pracas do lerceiro batalho de arti-
llara a p, conipri'lieii lid** na relacilo que
remelle assiguada pelo secretario interino
da provincia, depois de lindo o sen lampo de
servipo. contralailo de conformida le ao de-
creto e regulamenlo de 18 do novambro de
18*8, para conlinuareni no mesmu servico
mediante ai gratillcacOes declaradas na re-
ferida relacilo,as quses Ihe serSo pagas com
JO.OOO ris vista, e o resto em prestacfiBS
mensaes de 10,000 ris.--Communicou-se
ao Exm. commandanU das armas
perial o officio de Smc. datado de 24 do cor-
rente, aflu de que o mesmo resolva ceres
do seu contedo, como fdr do sen imperial
agrado.
Dito.A JoSo Soun, enviando um formu-
lario dos medicamentos para o hospital re-
gimental desta cidade aflm de nos termos
do art. 31 do regulamenlo de 17 de feverei-
ro de 18(2 arbitrar-se a margem de cada
urna das formulas o preco rasoavel, pelo
qual pdem ser pagos os medicamentos hi
mencinalos, e dizendo que espera que
Sm<\ inais esta vez se preste a este ser-
vico.
aa=aJt T"r"iT-_____~nra
29deJulhode 1846 e baptlsada aos 15 dias do flanoas, aecusando recebido o olDcio com
MISI rld nnvaurirA An rUtd onnA nr> iitinavinl i n*r nm ni **+,., J> .-...I
Rlacio quite reftrr. o officin cima.
Cabo de esquadra, Jo>c Ayres da
Silva 180,000
AnsDPcada. Justiniano Baptista 140,000
Soldado, Manoel de Souza Figuei-
redo 160,000
Mathias Comes 150000
Paulino Rodrigues 160 Ooo
Dito.Ao inspector do arsenal de mari-
nha, ordenando que vista da parle que
remelle do estado actual do vapor Guipiai-
l mande proceder aos necessarios exames
sfm de se fazerem os reparos de que elle
precisa para seguir o seu destino.
Dito.Ao juiz de direilo da comarca dn
Po-d'Alho, devolvendo o requerimento de
Jesuino Domingues Carneiroem que tiedn
ao govetno imperial a serventa vitalicia dos
oflicios de escrivBo dos jury e execui0es
civeis e crimes, sfim di/que o peticionario
se habilite convenientenlmle, juntando cer-
lidlo d idade, examn ilfe snfriciencia e fo-
Iha corrida, e ordenando qup, depois de um
escrupuloso exame, o de ouvir os demsis
serventuarios de oflicios daquelle termo,
EXTRIO
CASA DOS COMMNS DE INCI.ATEKr.\.
kxame n poltica iXTaaioa DO covaa.so.
Difcurso de lord Palmtrilon.
(ConlinuafSn don. 821.)
FOLHETUI.
THE ATi DE SANTA ISABEL".
que S. Exea, envinu dousexemplares da col-
'leccSo das leis daquella provincia promul-
gadas no corrente anuo.
Dita.Ao Exm. commandantedas armas
inteirano-o de haver S. M. o Imperador,
asgund foi declarado em aviso do ministe-
rio da guerra, datado de 31 de julho ultimo,
concedido tres inezes de licenga con* sold
simples para ir corte ao alferes do oitavo
bstiliiaiii de caladores Guilherme Marques
de Souza."lntelligenciou-se ao inspector
da pagadura militar.
Dito Ao mesmo, acenticando-o de ter
expedido as convenientes ordens afim de
que o inspector da psgadoria militare o Ji
rector do arsenal do guerra, se preslem
dar os esclareciiiieiitos ou ducumenlos que
>. Exc. houver de requisitar-llies a bem da
liscalisac.iu, que est procedendo nos di-
versos ramos de conlabelidade dos corpos
de primeira linha da guarnir;3o desta pro-
vincia. Neste sentido expediram-se as
convenientes orJeus.
Dito.Ao mesmo, para que informe acer-
ca do pagamento que pede o agente da com-
panhia das barcas de vapor, no ofllcio que
remelle acotnpanhado da iiiformac,3o do di-
rector do arsenal de guerra.
Dito.--Au inspector da thesouraria de fa-
zenda, intelligenciando-o de haver o juil
municipal o de orpliSos do termo do Po-
d'Alliu, lindado no da 24 do corrente o lem-
po do seu segundo quatrienio oo exercicio
daquejle lugar.
Dito.Ao juiz relactor ds junta de jusli-
?a, traiisinltindo para ser apresenlado em
sosSo da mesma junt, o processo feito ao|
soldado do primeao batalll.lo de cacadores
Jos Filippe do Nascimento.Communicou-
se ao Exm. commandaiite das armas.
Ditu.-Ao inspeclor da pagadoria militar,
dizendo que em silencio ao que Smc. re-
presentou, e de conformidade com o que a
respeilo informou o Exm. mareclial coin-
mandante das armas, lem resolvido que os
alugueis das casas par alojamento dos olli-
ciaes dos corpos de primeira liona existen-
tes nesta provincia, sejam satisfeitos nquel-
la pagadojia, i vista de tullas dos comman-
reuio por Paulina Langlois (abra. JoaunaJ des- clonado eposiyea: atienda para ito|aSra. Km i
einpenlioii pe feitamcule a sua parte; e como (lia, e uos continuaremos a iazer-lbe sempre
lord" l'nlmerttoH (continuando ) :Deixa-
i azora, senhor, as planicies dn Castalia
n F'anca e suhirei n< mnntanhas da Snissa
nara responder a mais difllcultosa e delica-
da das acciisacoes feilas contra mim. Esta
cciisaco fnnda-se em um livro do c.ind
dn Husonv|le, o qual refere prtn de urna
converssc.no havida entre dous in livi iuos.
qni nunca stipDozeram que o qn sedi-
ziam reciprocamente umao nutro flguraria
algum di em um pequeo volume em n\-
tavo, ( rito t apoiadoi), emuilo menos am-
ia que veri a sr o fundamento de urna
acciisacito sera cilra ninsuem nn narla-
mento.
Son censurado, til he pelo menos o que
cnllig do discurso do honrado represen-
tante de Rridport ( Mr. D. Cochrann ), o qual
tratou a questlo mais circumstaiiciadamen-
te do que o honrado baronelefSir J Cra-
han ), sou censurado, digo, por n!o tor que-
rido acce ler proposia que me fez o duque
le Broglin pira o fim de me liar entre os
Iritis partidos em qte n Suissa eslava divi
lida ; sou censurado por ter mudado de
opini.lu em novemhro, e por ter demora lo
de propsitos mediacSo com o intuito de
iiiut lis i -la. finalmente por ter orilenide
nmparticularaMr.Peel.au passo qun en-
viava despachos a Suissa olTerecnndo urna
me liaciin.qne promovessea guerra para que
essa mudingiio no tv ss lugar. Ora quan-
to a p-imeira accusai;Sn, direi qun regelei
a mediac.lo, quando ella foi pela primeira
vez proposta, porque o caso nJo me pare-
cen autorisa-la ; ao meu ver elle nu ei
um i-i 111'' 11. s nos quaes este paiz deve in-
tervir A casa estar lomhrada sem duvi-
la que urna disputa se levantou entre dilTe-
informe se em venia le est vago o de es- rentes parles dos cintoes. Os sete cinlfjes
crivSo das exrcucOes civeis e crimes, e se
nSo compete algum dos actnaes por frg
de seus ttulos escreverem taes feitos.
Dito.Ao inspector da thesouraria da fa-
zenda provincial, para que, estando confor-
me, mande pagar ao delegado do termo de
Iguarassit. ou a pessoa por elle autoras la,
a conta das despezas feilas com o sustento
dos presos pobres da cadeia daquelle termo
no mezde agosto ultimo. -- Scientificou-se
ao referido delegado.
Dito.Ao juiz municipal e de orphSosdo
termo do Itio-Formoso, para que faca cons-
tar a Jos da Fonseca Guimares, que, se-
gundo foi declarado em aviso do ministe-
rio da juslifa datado .de 4 do corrente, nlto
pode ser deferida a prtencn<> di ser elle
prvido na serventa vitalicia de ofllcio de
tabellifio do publico judicial e notas daquel-
la cidade por haver s. M. o I. por decreto
le 23 de agosto ultimo feito merc da ser-
venta do referido ofllcio a Antonio Pinhei-
ro da Palma.
Dito.Ao administrador interino do cor-
reio, inleirando-o de haver o delegado do
termo do Ouricury communicado que em
riso de se ler mudado pira a provincia do
Ceara o cidadSo Joaquim da Cunha Freir
Pedrosa que lora nomeado agente do cor-
rido daquella villa autorisara a Mauoel dos
Santos llego que tinlu sido dispensado
do referido cargo para continuar a exer-
ce-lo.
Dito.Ao baciiarcl Joaquim llygino da
Molla Silveira, dizendo que na primeira op-
portunidade encaminhara ao goveruo im-
Muita* t mol grave* occupacOei que peuram
sobre nos por estas dias pastado uo iuipoisl-
billlaram de iatlsfaier a divida que hemos con-
trahido para com o publico; oda a vamos pa-
gar boje, e pedlndo-lhe desculpa protestamos
noierd'ora em diante tao demorados, como
foinos agora. Tiremos ein a noite de 25 de se-
tembro prximo passado em beneficio do exi-
mio artista o Sr. Germano Francisco de Olivei-
ra o mais 'bello e encantador espectculo que
se tcm visto no tbeatro de Santa Isabel.
Subi A scena, nena noite de completo ti I-
uinpliopara o mni digno administrador e glo-
ria para a companhia dramallaa, o insigne dra-
ma em cinco actos OauriaAsiro d Saint- /'ro-
picomposi(o fiancezade alM. A.iicci, Bour-
geoi e Donnery, iraduzido pelo actual empre-
sario do nosso tbeatro. A sua execucao fui a
melbor de quantas se lem ahi feito; parece
que toda a companhia envidou todos os sea
esforco para que nem a mais leve falta appa-
recesle e o ennseguio. Vamos, pois, cumprlr
c"> o noisniji-ti.r. dando ao nnblico urna no-1
lela circuiuilauciada dcsa execucao, fallando
individualmente de cada uui dos actores qsje
Ureraui parte nesse diverliuiento, e prlnciplk-
podcrla a Sra. Joannacouimetier faltas, quan-
do tem em outra* muito mais dillccis sido per-
CHla. adiamos sim que a parte de Paulina
Langlois he nimio fraca para a S*. Juanna,
mas laucando nossas vista poras outra damas
""" rr:r.;: i'j'.r" ~; p?^ir" desempenliar
bem essa parte ; por etla rasiu, poi, a acha
mos bem deslribuida.
Carlota Caussade (a Sra. Rila) agradou-uos .
esla senhora lem em aeu aeuiblanle um ceno
ar de allives que a faz sahir-se bem em toda
as parte* que Ihe ao destribuidas, de accordo
com o seu carcter, e em verdade aeiupre a de
empellita bem.
Jaciulha (a Sra. Soledade) igualmente nos
inercceu attcnco, e nem una falta Ihe nota-
ios. Est mais desembarazada, e pouco a
ouco val perdeodo o medo que inostrou ter a
principiu do publico. Gonainos que com a
coutinuacao, estudo e as lijdes do Sr. Germa-
no a Sra. Soledade ba de ser urna excelleote
dama.
Hortencla (a Sra. Emilia} excedeu a nossa ex-
peclaco: adiamos multo forle esta parle pa-
ra a Sra. Emilia, ma* ionio (Iludidos nesta
supposlco ; esteve interosanie no seu disein-
peolio em multa aceas nos a desconhece-
mos ; foi o mal que della te poda desejar.
Temo a fortuna de ver
respeilo realisada. m breve ella ser oque
sesrjamos que eja, ma lie-lhe preciso esludo,
e tomar da Sra. Joanna algumas licOes de ac-
justica
Gerfaut (o Sr. M. da Costa} esteve bom, toda
a censuras que Ihe temos feilo teem sido jus-
tas, e a jusltca que uo leva a cenvura-lo, nos
briga a coufexar agora que nem una falla
Ihe notamos.
t>rieue Arbel (o Sr. iilvesire; lamoem nc-
iiliuin defeito Ihe notamos; agradou-uos, e
comquanto no liu do primeiro acto eufraque-
cesae um pouco a voz, com ludo nao lie falla
que merec censura j e sempre que desempe-
nhar oa acus papis, como desempcnliou este
Ihe daremos elogios.
Langlois (o Sr. Raymundo) como sempre,
agradou-nos: este artista prima lodosas rexes
que os papis cstao no seu carcter sceuicu.
'alliolieos formaran! um Sonderbond nu urna
liga separada e os outros levantaram-se em
o;i|iosi.;"o a isso. A causa da contenda foi
a exigencia que a maioria doscanlOes fez
minora acerca da expuisHo dos Jnsuitas
exigencia a que minora nilosequiz pres-
tar, ihvia outros pontos em dispula entre
elles, porm esta era a principal quesillo.
Era prnvavel qun esta contenda levara as
partes desavodas i recorrerem as armas. A
maioria sustentando que a liga separada
era inconsistente com o acto da ronfede-
rafilo, priicuraram destru la pela forc.ii das
armas. A 29 de outubro escrevi um despa-
cho a Mr Peel, nosso encarregalo de nego-
cios na Suissa, o qual lerei para que se veja
qual era a opiniSo do governo acerca da
guerra civil que entilo eslava para rehentar,
al li e bem assim para que se veja quanto he
consistente com essi opini.lo expressa la
Mr Peel, opiniilo que elle teve ordem de
communicar ao Sr Ochsenbein, a reluci
do con ledn Hausonville a respeilo da upi-
nioque elle ouvio Mr. Peel dizer que re-
celara ordem de communicar Dieta.
(O orador 10 o despacho a que se referir,
0 qual sendo datado de 29 de outubro, or-
dena a Mr. Peel que coiiimunique ao Sr
Ochsenbein queugorernn de S. M.animi-
do pelo mais sincero desojo da prosperida-
de da Suissa, recommen lava ar.ternemente
maioria dos caniOes que antes de dar prin-
cipio a urna guerra civil com os cinlOes
mais pequeos, considerasse bem e devida
mente todas as consecuencias possiveis de
um tal passo; que elle achava que o Sun
Antonio Caussade (o Sr, Coimbraj achamo-lo
bom: devia er mais hypocrita; mas nao del
xou por isso de causar-nos urna bella illuso :
e no quinto acto, na scena do rspelho denun-
ciante, o espanto que moslrou o Sr. Coimbra ar-
rcbatou-iios. Contine a receber dcilmente
as lices do Sr. Germano, e vira a ser usa gran-
de artista.
0 conde de Auberive (o Sr. Sebastio} pouco
Irabalhou, mas trabalhou bem, e neo urna ob-
servacio temos a faser-lhe. Igualmente o Sr.
nossas eaperaiicas a seu Santa Roaa, que fea a parle de Jeronyino, es-
- teve bom.
Km uina patarra parece que todos te empe-
nto orara em concorrer para o completo trium-
phoque ganhou nessa noite oSr. Germano de
quem trataremos agora.
Encarregou-sc da parte de Jorge Mauricio
i|iie di'sempeiiliou perfeitanieiiic Grande oa
Gargalhada, Captivo de Fex e Pedro sem, maior
ida o Pagem d'AHuharrsta e Corsario Ver
meliio, o Sr. Germano tocou a perfeicao no Ma-
rinheiro de Saint Trooit Que oulm artilla
dramtico ja nos deu noite* to agradaveis,
como o Sr. Germano A uaturalidade que sem-
pre acompaiihou as sua acede n scena, as
conlrafes do seu semblante em todos o* pa-
pis que representa, sao, segundo o nosso en-
tender, inimitaveis, e no Mariuheiro tudo foi
desempenhado com perfeicao. A alegra de
possuir aquella que extremosamente amava, a
desconfianca que linha de nao ser por ella ama
do, os tormentos dociume, as dores do veneno,
a pungencia do remorso, ludo, ludo foi grande
e sublimemente representado pelo Sr Germa-
no. Nao he a nossa connsso que o fax de re-
conbecdo mrito, be a aceitaco do publico,
foram os numerosos applausosque Ihe deu es-
te publico judicioso, imparcial e justo, foram
as grinaldas, que partindo da platea e dos ca-
marotes, clioveram em abundancia sobre o
primeiro artista que vio Pernambuco. A pro-
posito. Vimos uina dessascapellas ricamente
enftitada, della penda uina lita azul, em que
se lia em leltras de ouro esta ioscripcao: Aaf
Ilustre Sr. Germano Francisco de OlivelrZ
principe dos artista! dramticos Be as
que o domen sensatos galardoatn o mei
conluudciu os zoiloi.
derbond era contrario ao pacto federal, po-
rm que se devia perder de vista que a mi-
noria nSo tinhi adoptado neuhuma medida
activa ou nggressiva contra a corifederaQ.lo.
0 despacho passa depois a mostrl us ma-
les da guerra civil e os muitos desastre:
que provavelmente se seguirn!, se o qne
linha sido resolvido fosse executado, e con-
clue manifestando a esperance de que es-
sas sugcstOes seriam toma las em boa par-
le, e bom assim ass^gunndo que o governo
de S. M. nSoera animado seno por um de-
sojo sincero de promover o bem e a prospe-
ridide da Suissa.) \
'Esto despacho, continua o orador, foi ex-
pedido a 29 de o ittibro. mas a 4 de novem-
hro Mr. Peel refero-me en utni not sua
uina conversacHo que Uvera corn o 9r. OIi-
senbeiii, na qual este Sr. declarara que con-
silerava a guerra como um mal; poro n
que a maiorit dos caqlOes mo tinhtin ou-
>ro remedio seoSo aceitar o conflicto, n den
as rases pelas quaes I lies era impossivnl
deixarem de seguir a linha de conducta
1 ni: luili .ni resolvido seguir. A 6 de no -
vembrn o duque de Rroglie commiinicou a
Mr. Peal um despacito, o qual se ach tam-
bemnu livro azul, bem queossenhorns que
me aecusam gustam mais de tirar seus do-
cumentos de opsculos e gazelasesir.il-
ger.is do que dente livro. Katn despwcho
continhi nina proposta de Mr. f.uizot, a
qual devia ser ado;ilada pelaseinco poten-
cias para o liu de. sj ic.liir can n guerra
civil na Suissa. To dio sido censurado por
nao aceitar esta proposta e bem assim do
nao ter respondido a ella seno n ir, do
mesmo mez Ora, senhores, qual foi esta
proposta feila pelo governo franez? O
goverpo francez p'opilz que as cinco gran-
les potencias fizessem colieclivamento urna
<'j'ninunicac,no, a qual devoris cooter pri-
meiro que ludo una declararlo, ti que el-
las sustentaran! a arhitrar-ao do papa acer-
ca da quesillo religiosa pendente na Suissa.
Ora, a quesillo religiosa era se os Jesutas
deviam ou nito ser expulsos da confe lera-
co. Sonderbond le ia aceitado com muito
Kosto a mediarlo do papa, porm os can-
lOes quo quensm ver-se livres dos Jesutas
nao leriam cilamente bralo do mesmo
modo. Em segundo lugar foi Droposto que
I ll'eri'O.'n a nos a US Cslld.ls da C ml'-r l.T;ll,-:l .
a me liaco das cinco potencias para o ajus-
Umento de to las as qucstOes polticas, en-
tre elles suscita las, len lo lugar para esse
lim urna conferencia para a qual olles se-
ijam convidados a enviar seus deputa-
dos, cada um o seu, aflm de se examina -
rnm os m dos de conciliario, e bem assim
de se determinara modilicac.ilo que deveria
ser fela no paelu fe ler.I. Foi proposto em
lerceiro lugar que a guerra civil devuria
cessar, e que se dira aentenler aos can-
tos que se recusissem as no-sas propostas
e conlinoassem com a guarra, nos conside-
raramos a confo leraco como no mais
existente, e to los os nossos empenhos con-
hidos para com ella como rescindidos.
( Apoia&ft). Preven.lo que a proposta arbi-
trado do papa seria sem duvi.la nculiuma
regeitada, e conhecendo que proposta do
enviar,mu OS ciiilous rupii'S-'iitantes para
cjtiferirem comas cinco potencias acerca
do pacto politic era tamben tal que nSo
poda ser aceita, recusa mu-nos a concordar
em declarar quo se elles recusissem nossa
proposta, consideraramos a confederando
como nao mais existente e muito menos
a jii la que consideraramos os cinpciilios
contrthidos para com ella como rescin-
didos.
Com efleiloa proposta reduzia-seem ou-
tras pala vas a islo :Se elles recusarem
nossa mediarlo, uos os oompeiliremus pela
i'i\'a das armas a adoptar nossas ideas.
( Ipoiatlos ) N3o podando esla proposta ser
;>or nos aceita, era cortamente necessario
quedessemos alguma consideracjio au que
oor nossa parte houvossemos de propOr. So
da 16 fizemos a nossa proposta, a qual con-
sisti no offerecimenlo da mediarSo das
cinco potencias sem nenhum ameaco nem
directo frem indirecto, como coosequencia
da recusa, deixando que os Suissos aceilas-
sem ou regeilassem a mediacilo, conforme
quizessem. A baso da proposta foi que os
Jesutas seriam expulsos da confeieracao,
qur por um aclo do governo suisso, qur
por um consentimenlo do papa, o qual se
deveria procurar obler; e bem assim que a
^^^^ai^aMHaaVaMaaVaa^aiSiBS^aitsS
Depois do drama tocou o Insigue rabequsta
pernambttcano o Sr. Tdeodoro Orales, uinas
variaede de sita composico ob um thema ex-
trahido da tirara de eos. Mais urna oocasio
(vemos de admirar o nosso comprovinciano.
js bem couacciOO 4= publico, que nuaca se
farta de o ouvir e applaudir. Em leguida cau-
taram a Sra. Joanna e o Sr. Rarmuudo o bello
duelo. O meirinho e a pobre muito gos-
lamosde ambo pelo bom e regular desempe-
uho; mas nao podemos deixaa de censuar qae
a platea obrigasse a repetir essa cantona, pela
injustica que ah descobriiuo! o acares aoa*
bam caneado, he exigir inuup-, he exigir
momo aquillo aue est fra/das suas forcaa.
Itecebam a Sra! Joanna eoSr. Ra/inuadoa
nossas sincerara congratulacde.
Deu lim ac/expeclaculu a larca A roda cipa.
Nao gostamos della, achamo-lo pessiiua,
sem enredo, e sem gosto, posto que os que
nella loiuavaui paate, a detempenbaram bem.
Debutou ahi oSr. Caelano Marque de Figuei-
redo, nada diremos anda sobre Cite Sr-,aguar-
daino-iio para logo.
Em o nosso ultimo folhetim pedimos em uo-
ui e do publico aoSr. Germano, que para coin-
iirOjio das familias niandi.se abrir asduaspur-
litilaterae-, mas c emoa que nao vio esta nossa
justa recl.imaco; loramente a farcinos, e es-
tamos certos de ter atiendidos Agora qae a
entrada da platea be pela frente, pedimos que
te abram a do porta que oao eutrada para
a platea superior: assim acamas todos nos
acomuiodados muito bem, rion.
ii Ann


HN
dieta declararla depois formilment que
n!to linha nnhuma intencfio hostil contra
minora oque esta ao receber tal segu-
r-nuca, tissnlveria a aua lid* separada, po
ira contraria ao facto federal, flcando des-
le modo a paz permanentemente restaura-
da ( Ajwiodos. ) Ora, pens que esta pro-
posta era bella e justa e concordava intei-
ramente com aquellos principios que pen-
samos devem regular a poltica esterna des-
le paiz ( apoiado. )
Algumas commuicaces liTerara lugir
entre nos e o governo francez a resp.eito
desta proposta e bem assim da forma das
ralavrasquedeveriat compor anota que
cade urna das potencias devana enviar
Suissa. Uso foi ronvencionado a 36 de no-
vembro, pnrm a 16 do mesmo mez eu ti-
nha recebido do cnsul geral da Suissa a-
qui residente, urna nota fundada em uma
decisSo tomada pelos proprios Suissos, a
qual nos deixava poucas esperanzas de ser-
moa bem succedidos na proposta qne tinhi-
inus feito. Esta decisfio fui uma declararlo
formal feita pela dieta dequeellea nSo ail-
mittiriara nenhuma intervenefio estrangei-
ra em suas desavencas. (Apoiadot.) A nota
que acabo de referir-me foi enviada a Sir
S. Canning, oqual ia para a Suissa ; porm,
como passBSse por Paris, leve uma commu-
nicacfip com o governo francez. Devo decla-
rar que Sir Canning foi advertido que se ao
lempo de sua chegada Suissa, a guerra
civil estivesse j terminada devana abster-
ge de apresentar a nota que levava, por-
quanto tal apresentacfio seria entilo desne-
cessaria. Entretanto, ao passo que estas
comuiiinicacoes linham lugar entre o go-
verno inglez e o francez, este liaba com-
municado sua primeira nota Russia, a
Austria e Prussia ; e quando nos pasca-
mos a discutir a nota alterada, susciiou-se
ti questSo de saber se estavamos autorisa-
dos a apresentar noasa nota. Ora, no sei
como he possivel que Mr. peel podesse lo,
ditoque estimara antes 1t supprimido es-
sa nota do que t-la presentado, mas que
o nfio fizera porque isso era contrario a to-
dasassuss primeiras nstrucces. Porven-
tura, a mediacfio olTerecida nao devia ser
aceita ou rejeitada conforme as parles in-
teressadas o quizessem ? NSo linha ella por
lim desviar toda a alternativa de torga ?
N:lo se baseava sobre o ajostament da
3uesUo dos Jesutas conforme os desojo
a maioria, e sobre o ajualameolo das dis-
putas que aroeacavaro a guerra civil P ( A-
patudos.. Ora, nfio possso comprehender co-
mo he possivel que Mr. Peel podesse, dizer
que uma tal nota era contraria ao despacho
de 29 do outubro o s inslruccues que Ule
foram precedentemente dadas (Apoiadot J
Portanto.naocreioem tal declarar;8o.(Mpoi'a-
dot,) A uoica maneira pela qual posso eXyll-
ca-la he admi'lindo que a nota de que Mr.
Peel e Mr.Buis de Cont entilo fallaram.deve-
ria ler sido a nota original franceza. (Apota
do$) a qual o ultimo liona visto; e se essa l'n
com i-lfeilo a nota de qne ellos fellaram.en-
13 o Mr. Peel leve loda a rasSo para dizer qui-
nina t i nota era opposta a nossa primeira
pio.msta, e que elle estimara nao te-la
commuoicado. (Apoiadot).
Quanto assercfio que aqui se fez de ter
Mr. del mandado dizer que o general De-
four, i) qual rom manda va u exercito, tillha-
se dado press em acabar com a guerra,
devo declarar que nfio tenho onnieci ment
do tal. {Apoiadot.) Tudo o que sei he que
nunca escrevi uma s syllaba, nem parti-
cular, nem publica, que justifique esta de-
clararlo. NSo receb nenhuma communi-
caffio uem escripia, nem verbal, de que elle
fi/esse nunca nada ite-t I.yons disse-me que, em U'i-a conversarlo
que ti vera com Mr. Temperley, este senhor.
Ihe communicra que eslava a partir para
avisinhanca do quartel-general do exerci-
to-para o lim de obler informacfio exacta do
qne se passava; porm que nunca fizera
nt'nhun .''cnnimunlcacilu a Mr. Peel. Devo
dizer que a maneira pela qual esta conlis
sSose diz ter sido extrada Mr. Peel nfio
lhe da direit,o a grande confian;*.; Apoia-
dot.) Confesso que antes quizera seroo'.i-
jecto, do que o autor de uma manobra des
ta natureza. Applausos itlrondoioi). Dous
ministros representantes de duas gran
des potencias approvetaram-se da intimi-
dede o correspondencia que havia entre
elles eo agente diplomtico de ontra po-
tencia para por meio de um projecto previa-
mente concertado, obterem deste por es
tratagema a conQsso de alguma cousa
que pensavam que o oulro tlnha feito se-
crelamenie; porm anda suppondoque es-
te prolirira aspalavras qua lhes3o altribui-
das poderia muito bem acontecer que o
tivesse feito somonte para o lim de enga-
na-los, bem como ellos o queriam enga-
ar. (Apoiadot.) O que posso dizer he que
Mr. Peel nSo eslava autorisado de nenhum
modo para obrar diferentemente das ins-
troeces que linha recebido, e pojtanto,
nSo creio que o tivesse feito, o que demais
be provado pelos teslemunlios de Sir E.
Lyons, e de Mr. Temperley ( Apoiadot.) Nos
te'riamos estimado muito que a mediarlo
tivesse lido lugar, porque ella teria restau-
rado a paz i Suiasa, porem as circunstan-
cias o tornaran) impoaaivel, nSo por causa
de nenhumaa de longa estudadas de nos
parte senSosimpleainente pelo lempo ne
cessario para se chegar a um ajustaniento
sobre oa arranjamen loa que deveriam ser
feito.
Tem-se dito aqui que a Suissa he um
exemplo dos oioa elfeitos de oossa inter-
vencSo, porm pens que pelo contrario el-
la todo ser citada como o exemplo de um
paiz no qual oa principios que temos advo-
gado produziram um bom resultado, por
quanto so passo que todo o resto da Euro-
pa tem sido mais ou menos convulso, o po-
vo da Soissa tem effeiluado mudanzas em
su* organuaeSo interna, que creio sfio
grandes roelhoramentos, o acuelles indivi-
duos que ba lempos eram considerados co-
mo sendo o que o honrado representante
de Bridpoit enemarepublicano; verine-
llin, tae como Mr. Ochsenbein e outros
sSo boje considerados como verdaderamen-
te sempre fram, ato he, amntese daten
sores da boa ordem ( opplatuot), o longo uV
s> r. ni tidos como revolucionarios e perhur-
(adores da paz publica, 8o estimados nao
somonte como sinceros defensores da boa
ttnjsnj mm s**n nrni.rlo 'r DIZ, serillo afTbeRl
romo desnmdore da deiordem nos ou
tros, por quanto leem-se esmerado em ex-
..ellie da Suissa as pessoas que eram justa-
mente suspeitas de terem para J ido para o
fim do perturbar a paz do paizes vizinhos.
(applautot.)
(Continvar-te-h.)
!2!
PBiNAMBUCO
Jury do Recife.
3.' SESSO ORDINARIO DESTE ANNO.
Prttideneia do Sr. Dr. Selva.
A's onze o meia horas da manhita, feita
chamada acham-se presentes 40 Srs. ju-
rulos.
O Sr. 'rendente : Abre a' sessfio.
O Sr. juiz municipal da segn ta vara Jofio
Floripes Das Brrelo, faz entrega de 36 pro-
cessos que tem de ser julgados na presente
sossfio.
Apregoados os reos e testemunhas
O.Sr. Prctidente encerra a sessfio, convi-
dando os Srs. prsenles reunirem- se ama-
nea as 10 horas : eram mais do duas horas
da tarde.
JOAO VICENTE MARTI.MS.
AO PUBLICO.
Sensivelmento penhorado pela delicadesa
com que o lllm. Sr. Dr. Sabino Olegario
i.ii fgero l'inho, annunciou a mintia vinda a
esta cidade, he meu primeiro dever agrade-
cer-lhe, como agora o faco.
Vim com efTeito, visitar esta cidade com o
lim do firmar neila homosopalhia, j to
desenvolvida o acredilaJa ( grabas aos tra-
balhosdo Sr. Dr. Sibioo e do ootros mui-
tos amigos o /dosis propagadoras desta
doutrina tSo salutar e 13o ausceptivel de
grandes aperfeigoameotos, como f.canla
em conseqoencias de transcedente inters
humanitario). Demorartne-hei s tres me-
zes, no quaes espero conseguir o meu tito
Icsejado intento, retirando-me corto de
que, assim como na Baha e na corte, n3o
pn lera jamis solfrer quebra o crdito da
homosopalbia em Pernambuco. Publica-
remos por todo este tempo um jornal de
propaganda intitulado o Medico do Povo con
forma ao programma geral em declarado
que ahaixo se segu ; e farei quanto em
ni i ni eitiver por ser u til s pessoas q'ie de
meu fraco prestimo carecerem, principal
mente aos pobres, aos quaes darei, de ac
COrdo com c Sr. Dr. Sabino, remedios de
(traca em nossa casa, ra do Apollo n. 21,
todos os dias des le as 8 horas da manliSa
atea 1 hora da tirdo. Paisrdt lia hora
ido me tera pmtivel recebe' visita alguma,
orque .leveiidi) publicar dentro .lestes tros
mezes, um* quarta edigSo da pratica tienten
lar da komasopatkia pura, tenlio estu.los a
r./i'r que requerem muita tranquilidad.), e
leniio de escrever ate denoite, redigmdo
essi obra o o jornal; assim cuno correspon-
dencias o muitos arligos diverso* que sei
myster man lar para di Aeren tes peridicos
h para mullas pessoas encarregadas da pro-
paganda homceopathica as provincias do
imperio, na America Hespaiihola e na Eu-
ropa.
Havendo continuado com muito feliz re-
sulta lo, iqerc do Daos, a pralicar opira-
i,oe de ctamela, o s liend i que n 'sia ci la-
te ha bstanles cegos pur essa enlerniida-
de, dfferofjo-nio taubom aos cegos pobres
nara os operar; ou tratar bomoeopatnici-
mente; mas, ser s no mez do desambro
que os operarei quando estiver mais tran-
] (i 111 o e tiver menos que escrever, pudendo
elles alias ji consultar-me. Tendoporlim
bre nao fallar jamis minha palavra, rogo
s pessoas qua ain la me uSocoubecom u
obsequio de tomarem c uno regra, que eu
serei o primairo a seguir a distribuirlo do
meu tempo ea ordem dos meuslrahalhos,
esculpan lo me quando, por me n.o des-
viar dolas, deixar de ser condescenlenta
com as suas exigencias da visitas,consultas,
conferencias, ou quaesquer oulros servi-
dos, que em verdade Ihes devo, mas s em
tempo destinado a elles que me nSo prive
de preencher oulros minios deveres que le-
nho a cutnprir. NSo se eutenda por isso
que e euto muito urgente baja de eu negar-
me o soccorror quem quer que fr, antes
pelo contrario este sera um ijever meu in-
ferior a todos que de muilu boa vonUde
cumprirei. --Pernambuco, 1.* de outubro
de 1850. lodo Vicente Martint.
P. S. He ja sabido como eu desojo que
todas as provincias adoplem a chrislianis-
siuii ioillluicSo das imillas da cjiidade
N'um arligo especial, prometi occu
par-me desie assumplo, o mais lisonjeiro e
o mais digno de urna cidade como esta
lio bella, 1.1.i chela de esperanzas. J. V. Si.
DECLAHAgA'O.
O Medico do povo, jornal da propagand
homa:opalhica,publica-se na Baha duasve-
zes por semana, s quartas-f-iras o aos sab-
bados : s3o so* redactores os abaixoasstg-
nados, c collaboradores todos os Iioiiiujo-
palhas que quizorem mai.dar suas observa
cOes para serem publicadas, entendendo-
seel|.s para issocoui o Sr Jos Anselmo
Gomes de Freitas, encarregado de toda a
gerencia deste jornal, quer activa, quer
passiva. Em Pernambuco, no Marauh3o,
no l'ai, no Rio-de-Janeiro, em Lisboa, no
Porto, etc., tencionam os abaixo assigna-
dos fazer publicar jornaes com a rnesma
denonunai;iiu com os mesmos lius de pro-
paganda honiCCOpalli. : 0 semn-o que pQJSg
ser, esses jornaes h3o do consagrar uma
Parte de suas columnas nara Irat* a
guias questOes de interesse geral liuma-
nilaiio, religioso e scieuulico ; desligadas
seinpre quanto ser pussa uas quesios,ditas
polticas ; e quanto ser possa convergen-
tes para allivio dos sull'i iiii-ni.,s dos" pobres,
quer enfermos, quer desgragados por uu-
tras causas quaesquer. Os abaixo a-signa-
dos anda leeiii em vista, ta/endo publicar o
Medico do Poto, i.' desde j pur a dis-
posifo de quaesquer pessoas oppriinidas
esle jurnal e advogar nelle a causa de todas
essas pessuas, aempre que esliverem con-
vencidos deque juatiQa llies assisio, o se
Ibes liega : o 2.*, para o futuro, nao
admiiludo jamis um sailigo m sua co-
lumnas que nao seja assignado recunhecido
o publicado com o prupno uouie do autor;
o nao recusando lainbein jamis a publica-
rlo da defesa do quem quer que seja nenie
jurnal agredido por taes artigos assignados,
s-nii.. igualmente assignada essa dvfes., o
havendo deestabelecer ubi prejo geral por
linha para qualquer corresponueiile, sem
distlucsflo ; levam em vista provar, pelu
lempo adianto cum a experiencia, que a
melhor le de liberdado de impronsa ser a-
quella que facultar o escrever-se livremen-
te ludo quanto llvremente pode ser dito em
boa sociedado e em publico, sem out'a res-
ponsabilidade mais que aassignatura lega-
lisada do proprio autor do artigo, sem ou-
t> o julgamenlo mais que o da opppiniSopu-
lilica ; assim como a palavra no tem rao-
ralmento outro responsavel mais que o no-
me, criterio e probldade da possoa que i
profere, ne.m outros juizes melhores que
aquellos que ouviodo-a lhe ddo crdito, ou
Ih'o negam conforme a pessoa que a profe-
rto : e terceiro, desejam demonstrar que a
maneira nica de minificaros effeitos mos
ilos peridicos chamados de partido, he ins-
tituir o jornalismosimples Industria e com-
mercio, abolindo o queso chama-- redac
toro substituindo-ospor autores qsea-
parecam com saus nomos ; de sorte que ne-
nhum jornal, seja elle proprledade do quem
quer que fr, possa recusar-se a publicar
qualquer artigo assignado e legalisado,
nem exigir possa pela sua publicaeflo quan-
tias quaesquer arbitrarias, mas s um tan-
to porcada linha, ou somma de quadralins,
conforme uma tabella geral e proporcio-
nal que a lei marcar para todos os jornaes.
Os abaixo assignados teem particular-
menteem vista servir cada qual da melhor
maneira o seu respoctivo paiz ; o ambos, li-
gados por principios e por estreita amisade,
querem promover a unirlo cada vez mais in-
tima de Portugal e Brasil, como naces ir-
nSas que sSo pelo singue, pela lingoa-
gem, pelos costumes, pelos interesses com-
merciaes e ile familia, o mais que tudo pela
religiilo. Bahia, 7 de setembrode 1850
Dr. Alexandrt os de Vello Moran, medico
brasileiro. lodo fcente Martint, cirurgiSo
porluguez.
Perfeilamento de aecrdo com a donlri-
nas desta declaracSo, subscrevo como re-
dactor do Medico do Povo em Pernambuco.
Recife, 30 de setembro de 1850. Dr.
Sabino Olegario Ludgero Pinko.
Correspondencia.
Srt. redactara. -- Comquanto no sejam
lesconhecidos os eminentes servicos pres-
ta lo* ao paiz, pelo honrado e Ilustrado Sr.
commendador Sampaio Vianna, actual ins-
pector da alfandega desta provincia, servi-
cos que silo pblicos, quer nesta provincia,
quer em todo o imperio, julguei que a pre-
sente oscasi.lo em que n&o existe neata o
mesmo Sr. inspector, por haver sido incum-
bido pelo governo em uma commiss.lo ao
Rio-Grande do sut, para al organisar suas
alfandegas, commisso a que se prestare de
bom grado, quando para isso fra consul-
tado pelo integro e probo actual Exm. Sr.
ministro da fazenda. conselheiro Rodrigues
Torres, a despollo dos incommodos inhe-
rentes a viagens, etc., etc., era a mais pro-
pria para eu lhe tributar aquellos ellogios
.le que se ha feito credor, e como nada me-
lhor eu possa dizer, que transcrever um tre-
cho do discurso pronunciado na cmara dos
deputados em sessSo de 13 de agosto do
correle anoo (ornal do commercio n. 921,)
porocasiSo da discussSo a respelto dos des-
pachos da alfandeg* de Santos, pelo con-
sumado estadista ex-mioiatro da fazenda,
ex-inspeclor geral do thesooro, e actual
inspector geral ds caixa de amortisacSo,
deputado Joaqui A Francisco Vianna,o farei:
c Sr. presidente/, depois que na alfandega
do Rio de Janeiro, urna melhor Ascalisacio
se introlusira, devida em parte aos extor-
cas o inlelligencia do actual inspector ; de-
pois aue na alfandega de Ptrnambtuo, foco
de toda a caita de dilapidaran te introdutio
um verdadeiro tyttema de arrecadacaO, devido
energa e intelUgentt adminitracac do Sr.
Sampaio Vianna, que tllevou a renda daguella
provincia de 2,200:000,000 r% termo midi
que renda, a 3,500:000,000 r*., no anuo da
i-ne, no atino da guerra civil, os especulado-
res (e runsla-me que houve mesmo denun-
cia disto) os especuladores se propunham
mandar vir carregamentos.porexemplo.para
o norte, para a pequea alfandega do Ara-
caly, e lalvez para uulras da mesma impor-
tancia, para fazerem despachar ah os gne-
ros que deviam ser consumidos em Per-
nambuco, o em oulras provincias maiore,
e para os fazer reexportar dahi com caria
de guia, para aquellas oulras provincias
maiores, e a cmara sabe qual a rasao dis-
to..............
Nada mais portanto, poderia addicionar,
aquellas expresses lisongeiras, pronuncia-
das face do paiz, dos representantes da.
naci, e que nao fram, e nem podiam ser
contestadas, e consecuentemente nada mais
acrescenlarel a respeito.
O apreciador do mrito.
^O^ERCIO.
ALFANDEGA.
Kendimentodo dia I.....6:103,057
CONSULADO GERAL.
Itendimento do di 1 i 84,436
RECEBEDKIA DE RENDAS CERAKS
INTERNAS.
Rendimento do dia 1......1:072,579
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento tm
vovaineuio do *urio.
Navint entrados no dio 1.
Figueira IU5 dias, galeota portuguesa Lu-
zilunu, de 88 toneladas, meslre Jlo Vi-
eira, equipagein 9, carga vinQo e arcos
de pao para pipas; Manuel Joaqulm Ra-
mos Silva.
Habla 8 dias, sumaca nacional Carlota, de
64 1/4 toneladas, mostr Jos Goucalves
Simas, equipagem 8, carga varios gene-
ros ; a Luiz Jos de Sa Araujo. Passagei-
ros, o Porluguez Mauoel Ignacio Lopes e
1 escravo a entregar.
Astil 2 das, tu iguo-escuiia Olinda, de 184
toneladas, meslre ianoel Marcianno Fer-
reira, equipagem 12, carga sal; ao mes-
mo meslre. Veio largar o pratico e se-
gu para o Rio-de-Jaoeiro
Angolla 21 dias, escuna nacional Galan-
U-Uaria, de 149 toneladas, meslre Jos
Mendos de Souza, equipagem. 16, carga
azeile, sera o lastro; a Silva o [Grillo.
I'assageiios, Jos Pereira dos Santos, Jos
Duarte de Frena, Jos Francisco de Sou-
za, Faustino Antonio de Azevedo, JoSo
Luca, Jos Francisco JuliSo, Antonio da
Costa Ramos, Antonio Domingos dos San-
tos, Jofio Victorino de Arrud, Manoel Jo-
Pereira, Francisco da Silva, Antonio
Manriques, Francisco Joaquim Fernandos,
Francisco Manoel Vieir da Cruz. Carlos
Alberto. Gome, Manoel Alvos Dia, Do-
mingos" Jos de Andrade, JoSo Augusto
Fernandes, Joaquim da Costa, Leopoldo
da Silva Quairos, Francisco Horoira Pinto
Barboza com 1 criado, Livio de Souza
com 1 criado, Daniel Jos de Garvalho
aom 1 criado, Francisco Fernandes, Feli-
cianno Aracia, Francisco Varella, Michele
Chighja, John W. Disney, Antonio Perei-
ra da Silva, Manoel da Coila e JoSo Licio.
JVavio takido no metmo dia.
Cetra Sumaca nacional Hor-de-Angelim,
meslre Bernardo de Souza, carga varios
gneros. Passageiroa, Fredenco Jos Pe-
leira, Joaquim Jos Barbosa, Jofio Fran-
cisco de Sampaio, Manoel de Mello Monte-
negro com 1 criado, Luiz Ribeiro da Cu-
aba e Jos Aurelio de Mattos.
KOITAL
A cmara municipal desta cidade faz
publico, que tem encarregado ao fiscal do
Poco de receber provisoriamente o imposto
de 500 rs. por rabee* de gado viecum, que
tor morto na referida freguezia e as da Var-
zea o S. Lourenijo, e ao fiscal dos A toga los
de arrecadar o mesmo imposto nesla fre-
guezia e as de'JaboatSo e Muribeca ; bem
como, que os liscaet das quatro freguezias
desta cidade estilo incumbido de arrecadar,
por intermedio de pessoa de sua escollm,
o imposto de 200 rs por cabec de gado
sumo e 100 rs. pelo de ovelhum, quo entrar
para ser veniido nesla mesma cidade, me-
diante a ciutellas que para este fim se Ihes
recommendou. E, para que chegue ao co-
nhecimenlo de todos se mandou publicar
o presente. Pico d cmara municipal do
ftecife, em sessfio de 30 de Sntembco de 1850.
t'ranciico Antonio de Oliceira, presidente.
Manoel Firreira Aeoioli, secretario inte-
rino.
Deca ruyes.
~ O arsenal de guerra compra azeite de
carra palo e fio de algo 1.1o : quem os mesmo;
gneros quizer vonder comprela, trazendo
sua proposta, at o dia 3 do corrente.
-- 0 delegado do concalho desalubridade
publica, no municipio de Olinda, vaccioa
iiquirts-feiras e sa libados pelas 9 horas
lo dia, ua ra da ladeira da Ribeira, sobra-
do junto ao do Sr. defio Dr. Chagas.
I'ela subdelegada de S. Jos do Recife
foi apprehendilo um prelo de nome Anto-
nio, de nacjlo Benguella, por andar fgido,
e declarar ser escravo de Domingos Alfonso
Ferreira, senhor do engenho Sebir-da-Ser-
ra : seu legitimo senhor comprela com o
titulo para lhe ser entregue.
--Cartas seguras viudas do sul pelo pa-
quete inglez para os Sr. Caroeiro Ramos,
Francisco Gongalves da Silva Pereira, Jos
Teixeira deCimpos, Luiza Mara Tavares,
Luiz Clemenlino Carneiro de Li'a. Miguel
Jos Almeida Pernambuco, Porfirio da Cu-
nta Moreira Alvos e Victorino de Castro
MtWML
Thoatro de 8. Isabel.
92* RECITA DA ASSICNATURA.
Hoje, 2 de outubro di 1850.
Representir-se-h o escolente drama;em
5 actos, ornado de msica
D. CEZAR DE BAZAN.
Terminar o espectculo, a graciosa farca
0 CHAPEO PARDO.
Na qual o artista G. F. de Oliveir fr a
parle do Laptnio, o cantar com a actiz Jo-
anna Januaria
0 fandango taloio.
Comecar s 8 horas.
Os bilhetes acham-se venda no lugar do
costutne.
Theatro de S.-Francisco.
BELLAS ARTES.
O director da galera ptica vis* ao res-
peilavel publico que boje, 2 de outubro, he
o ultimo da que apparecem as primeira*
vistas do cosinorama j annunciadas : as
pessoas que liverem volitada de as ver com-
parocam, por isso que he o ultimo di que
apiarecem. AmanhS, quinla-feira, oslar
fechada dita galera por se estarem apromp-
taodo novas,vistas, as quaes apparocerSo
sexta-feira, 4 de outubro.
Piiblcaeo litierari i.
A famosa liefiotobre a pena de morte cum-
posta, e dictada na universidade de Pisa pe-
lo respeitavel Carmignaoi um dos maiore
criminalistas da Europa, est fraduzida do
italiano em vulgar pelo padre Lopes Gama
Vende-se em Santo-Antonio, na Inja de li-
vros que foi do fallecido Dr. Coutinho, na
esquina do Collegio; no bairro do Itecife,
::; loj* de livrof do Sr, padre lgncio; na
Moa-Vista, na botica do Sr. Carneiro ; em
"linH.. na iln Amnirn. bolina do Sr R>.
poso. Preco dez lostei.
Avisos martimos.
Para o Rio-de-Janeiro sane com a mato'
tire vida de possivel o patacho nacional Fu-
lente : para o resto da carga e osera vos a fro-
te, trata-se com Novaes & Companhia, oa
ra do Trapiche, n. 34.
I'ara a.llaliia sabe impreterivclmenle O
brigue&M-yoi': para algum resto da carga,
passageiros eescravos a frote, os pretenden-
tes queiram dirigr-se aos consignatarios
Viuv* Gaudino & Filbo, ou ao eapito Jos
Hamos de Souza.
Para a Parahiba sabe com brevidide o
hiate nacional Etpadarle: quem pretender
carregar ou ir de passagem, trate na ra da
Cadeia do Recife, o. AS, ou com o mestre no
trapiche do algodo.
Para o ftio-dc-Janoiro segu vagem,
at o fim de outubro, o muito veleiro ber-
gantn) II -Agonto, capilfio Francisco da Sil-
va aveied quem no mesmo quizar carre-
gar, pira o que fem excellentes commodso,
lirija-se ad mesmo capitfio, ou a Manoel
Joaquim Ramos e Silva.
Para a Bahia lahecom brevidadeo pa-
tacho nacional Alfredo, forrado de cobre e
de muito excedente marcha : quem no mes-
mo quizer carregar on ir de passagem, di-
rija-se ra do Vigario, n. 11, primeiro an-
dar, a tratar com o consignatario, ou con
o capilfio do mesmo, Candido Severino d'A-
villa. =
Leiles.
Lello de milito.
Quarta-feira, 3 do corrente, s 9 horas da
manhfia, se far leilfio de uma porefio de
ptimo milho em ssccas, em lotes vonta-
le dos compradores: no armazem de Cam-
pello Filbo, ra da Cadeia, junto botica de
Antonio Pedro das Nevei.
Crocco & Companbia farfio leilfio, por
ordem do Sr. gerente do consulado francez,
em preseaca de um delegado deste mesmo
consulado, por conta e risco de quem per-
tencer e por intervenefio docorretor Olvei-
ra.de 5 duzias de challes de seda, 3 duziis
le colleles de dita, 10 duzia de luvas de di-
ta e 185 lencinhos de dita : tudo averiado
d'agoa salgada bordo do navio Havre, na
sua recente vagem do porto deste nome
com destino ao desta cidade, Onde aporten
os 4 deste mez : quarla-eira, 2 de outu-
bro, s 9 horas da manhfia, no seu arma-
zem, rea da Cruz.
Jofio Koller & Companhia, farfio leilfio,
por iotervenefio do correlor Oliveir de gran-
de sortimenlo de fszendaa de soda, loa, li-
ndo e de algodo, todas proprias do merca-
do, o da presente estaefio : quarti-feira, 3
le outubro, s 10 horas da manha, DO seu
armazem da ra da Cruz.
O J. Aslley & Companhia farfio leil.lo,
por intervenefio do correlor Oliveira, de va-
riado sortimenlo de fazendas inglezts e
francezas, e de algunas eaixas de couro
de lustro : quinla-feira, 3 do corrente, is
10 horas da manhfia, no seu armazem, ra
lo Trapiche-Novo.
Avisos diversos.
Sn. redaetoret.'-Se he licito ao hornero
philosopho laucar as suas penetrintos vis-
tas sobre o quadrodo munlo ; como nfio
era ao homem verdideiramente patriota,
clamara pro de seus conci la los t Eis o
doIvo, no dia 94 de Miembro prximo
o*Hdo fecharam-s todas a fabrica 'de
charutos, que existem nesta cidade, em
consequencia do imposto de mil rii por
cada milheiro de charutos fabricado tiesta
provincia, que principiaran) a intimar aos
i'abricantes.os embregados que estfio encar-
regado do exccular o reglamento da lei
provincial n. 261, art. 34, J : ora Sr. re-
dactores, ouve fabrica com lea trabalhado-
res, que collecUram ao donno em 360,000
res, facaa Vincs. idea, quanto flearfio pa-
gando os que liverem deste numero para
cima, alm Jos grandes imposto que j pa-
gam, comoVmcs. nfio ignoram ; enacoli-
sfioem queso viram, delermiaaram fechar,
Rcando para mais de quinheiitas pessoas pa-
ralisidas, sem terem em que se oceupem,
e a maior parte desta, suas familias mor-
rendo a tome I e rrece que, e o tibio ad-
ministrador que actualmente rege os desti-
no desta provincia, nfioolbar com atten-
efio, como un pai para seus Dlbos, junta-
mente para o memorial todo concentrado
as rbitas da le, que respetosamente a
das se lhe apreseotou ; teremos de ver aca-
llar j o fabrico de charuto oesta bella pro-
vincia, o centenares de pessoas mendigando
pelas portas .' assim o peos o
Sincero amigo da pvz i unido.
No di 25 do corrente fugio um inole-
que crioulo, de 19 anuos pouco mais ou me-
nos, estatura baixa, olbos vivos, pernas ar-
3ueadas, com falta de um dente na frente,
o nome Lino ; levou calca de casemira cor
de cinza com quadros e carniza de algodlo-
zinbo. Adverte-se que elle costuma a mu-
dar de traje, e al j foi encontrado com
jaqueta preta e chapeo, e a andar pelas es-
tradas da Passagem, Minguinlio, Toote-de-
Ucba, Poco, Beberibe e outros arrabaldes.
Quem opprehender, poder leva-lo ra
Augusta n. 3, que ser generosamente re-
jompons.-ido.
Antonio de AlmeiJa Anlunes retira-sa
para fra da provincia. '
0 armazem de fama da ra da Cruz n.
37, deixou de vender, bebidas espirituosas
de |troduc{So brasileira, por nfio poder
combinar com os Srs. collectores, e pira
constar faco a presente declaracSo. Reci-
fe I de outubro de 1850.-Joac Altet de OU-
cera.
I'ergunta-se a Mima, cmara munici-
pal, se foi derogado o art. 11 do titulo 4 de
suas posturas, que diz: Nfio se peder ma-
lar rez alguma cansada, nem corrida, aenfio
depois de dois dias de repouso, flcando abto-
lutaminte prokibido o brinquedo di toreamen-
lo de boii em qualquer parle os nfraciores
dat ditpotic&et do pretenle artigo pagarfio a
inulta de 20,000 rs., e soCfreifio tres dide
ensilo. Pergunta-se s autoridades poli-
ciaes se ellas pJem dar permissfio para
que se infrinja qualquer artigo de posturaa
niunicipae*.
A pesi que no di 28 dedezembro
pruxin.o passado foi na ra do Sol n. 9, ein-
iienhar dois relngios de ouro. sendo um pa-
lele inglez, e outro luisio, e com as rom-
nntantea currentos. nueira ir reaalar dito
'elogios, ou na falla vi pagar o juros, do
contrario vam ser vendidos pira pagamento
do principal o juro.
Na ra do Sol o. 9, precsa-se Talar ao
Sr. Manoel de Souza Pereira, a negocio de
seu inleresse, ou anouncie s sua morada,
se he que asuste na praca.
O Telcgi-apho..
0 n. 13 deste peridico est excellenle :
trazum artigo sobre os olhos, outro sobre
os effeitos da ausencia, uma patarra ao rr-
hiIo, a analyae do theatro de SanU-lsabel,
a resposta ao P. P. da Imprenta o mui ricas
poesas. Esla venda na loj* do Sr. Doura-
do, paleo do Collegio n. 6 ; Aterro-da-8oa-
Vlsla, toja n. 74 ; e em Olinda, nos Quatro-
Canles.
Jofio Simos Pimenfa, Jos Francisco de
Azevedo e Francisca Roza retiram-aa para
Mona me des.
O abaixo asignado faz ver aos Srs. ooi-
lelores'de agoss-ardente e mais esplritos
de producefio brasileira, quo deixou de ven-
der ditos espirito, na ra da Cruz n. 41.
tenh Jot Rodrigue!.
y


Lotera da Matriz da Boa vista
S di* 31 de outubro andam tmpreten-
vedmente as rodas desta loteris, saja qual
for o numero de bilhetes que ucarem e
mesmo antes se ae acabarem os bilhetes
como ha esperaoc**. O lim para que to>
concedida esta lotera, nSo pode ser mais
justo, o ella deve ser preferida a outra qual
quer, porquanto temos de presenciar o em-
prego do aeu interesse : o restante dos bi-
Ihelea cham-se venda nos logares Ja an-
nunciados.
PLANO
de meia lotera, comprehendendo a segunda i
lerceira guara, parle da terceiro nova lo-
lerla concedida pela el provincial n. 100 di
9 de malo de m?, beneficio da obra da
matriz dn Boa-Villa. __ K
5,000 bilhetes a I"."" 50:000,000
Beneficio de 12 por /# fKJ'SSi
impoato de 8 por 'A 4*00,000
Sello de 150 res por
bilhele
i Bilhet...... . .
i Dito.......
4 Ditos...... 900,000
8 Ditos...... . 500,000
10 Ditos...... 200,000
12 Ditos...... 100/00
20 Ditos...... 50,000
40 Ditos...... 20,000
115* Ditos 10,000
2 Ditos (1* e9.bran
coi). ... 55,000
1252 Premiados.
3748 Brancos.
750,000
------------10:750,000
59:250,000
10:000,000
5:000,800
3 600,000
4:000,000
2:000.000
1:200,000
1:000.000
800,000
110,000
39 250,000
5000 ,
(V. b. Osdous premios grandes es-
to aubjeilos ao deseonto de 8 por cento do
imposto geral, que ser* extrahido no acto
do pigamenlo. Conforme O olucial-
uiaior, Florianno Correa de Brillo.
Jlodas Neves, tlfaiate, estabelacido
na ra do Collegio n. 18, roga ao Sr. Vm lo
arado, que em aua correapoBalancii insera
na Imprem n. 20 do I. do crrante, falla
de w clebre Nivee. alfaiat* portugus, re is-
ioseontendecomoaclin nomeado, o qual,
no caso o correspondente da Imprenta se nSo refere
_ Toma-se 200.000 rs. a premio com hy-
potheca em um predio : quem tier, a-
nuncio.
Aluga-se, por prego mdico, o terceiro
andar do sobrado n. 20, na ra do Apollo:
a tratar com Antonio de Moraes Gomes Fer-
reira, na mesma caaa.
Aluga-se, por mdico preco, um sitio
jjo lugar denominado Sant'Anna-de-Den-
tro, cnm eomnsodos para grande familia,
baja de capim, boa agoa, ealribaria para
quatro estallos e cochaira : a tratar com
I.uii Comea Ferreira, no Mondego, ou com
Antonio de aloraos Gomes Ferreira, na ra
de Apollo n. 20.
JoSo de Medeirns Raposo deiiou de
vender ago'ardentede prodcelo braailelra,
na aua taberna da ra das Cinco-Pootas n.
152, desde 30 de selembro de 1850.
Bernardino pero ira Ramos faz publico
que deiiou de vender ago'ardente de pro-
dcelo brasileira desde 30 de selembro de
1850, na ra Augusta n. 58.
Roga-ae ao Sr. capadocio. TrapoWiad,
queira ter a bondad orefro fallar mal da
classe caixe.iral, do contrario ser levado
a..... alrapalhadamtnte, entende Sr. chave
nockovt? Olbeque o rapaz be bom, e co-
nhece-o ha muito lempo hem ?
0 molondro de cartuxo.
Oflerece-se um rapaz para ser caiieiro
de urna casa de commercio, advertindo-ae
que, alm de entender de escripturacSo,
falla perfeits mente francez : portento, quem
do aeu prest i mo sequizer utilisar, annun-
cie por este Jornal.
I'recisa-se de urna ama quo lenha bom
leite : na ra do Livramento, loja o. 36.
Deseja-se saber neata cidade quem he
procurador do Sr. Antonio Ferreira l.ima,
que foi para Portugal o anno pastado : iatu
a negocio que Ihe diz respeito.
Ao publico.
Pergunta-se, para ler resposta, ao Sr. ae
creta rio da orden) terceira do Carino o mo-
tivo por que nfio quer. informar o requeri-
mento de um IrmSo, sobre a abertura da ca-
tacumba de um seu fllho, ou seja estilo de-
rogadas as posturas da cmara que determi-
na m o tempo, dentro do qual se devem
abrir: rom a resposta maia alguma cousa di-
r O lino do Carino.
Precisa-se de urna peasoa que se quei-
ra encarregar de lomar conta de urna f.-e-
guezia para entregar pflo : no AUrro-da-
Boa-vista, n. 4i, padaria.
Alugamse,-no sitio do darbalho, do
fallecido Teiieira Bastos, niargem do rio
Capibarbe, defronleda povoacSo do Mon-
teiro, duas crsa.s de ptimo recreio para
passara feala, por lempo dea ou S mezes,
por preco commodo : quem as pretenJer,
dirija-se ao mesmositio, a fallar oaiu o in-
ijiniiiio. a toda hora do da. j ^
JoSo Ignacio Crrela faz scieote o Sr.
arrematante do consumo de ago'ardente,
que do da primeiro do correnle em diante
deixou de vender dito geuero em sua ta-
verna no Giquia.
O Sr. loaquim Jos* Joa s*Umi nrrraca,
queira ir p;gar a quantia de S3,4S0 rs., do
quecomeu aonde nio ignora; do contra
"::, '.:r d: ::.- :;=pr caSrtJo uci. Tu-
ina.
U Sr. JoSo Cypriano Rangel, queira en-
trenar o dinheiro que recebeu para entre
gar na Aa da Cadea, n. 13, a seu dono ;
do contrario, lera de ver sempre seu nome
neata folha.
Quem quizer comprar urna lettra da
quanlia de 56,0*0 rs. do Sr. Jos Brazalino
da Silva, appareca na ra da Cadeia de S
Antonio.n. ii, que todo o negocio ae far.
Carlos Claudio Treme, fabrican
to da orgSoa realejos, na ra das
Florea, n II,
avisa ao respeilavel publico que concert
orgSos e realejos, poe marchaa modernas
deate paiz, concerta pianos, aaraphinaa.
caitas de msicas, accordSos e qualquar
instrumento que appareca: tambem faz
o.n"i?0m' f.YenJ* um orgto proprio para
cap...5, uU,, jof, com oas vozes, por
preco commodo.
I'ede-aeao Sr. A. J. B. 0. moraJor ao
conveuto de 8. Francisco em Olinda, que
mande pagar, a quem bem conhece os
69,000 rs., ou ao menos 30,000 rs. pois ha
um escndalo querer calotear na divida in-
teira, que a mus de um anno e Jmeio deve ;
uuan'do o8o,ver seu nome por extenso nes-
tloln*- ...
O Sr. Vulixard queira ir ra da Cadea
de S.-Antonlo, n. 13, a negocio que nSo
ignora ; do contrario, se publicar qual o
negocio.
Aluga-se urna ama de leite, parida ha
poucoa das : quem a precisar, dirija-se
atrs da matriz da Boa-Vista, n. 19.
Procisa-se alugar 3 escravos para o
ser vi coda relinaria fraoceza da ra da Con-
cordia : paga-se bem.
Antonio de Almeida Antones, tendo de
retirar-se para fra da provincia, deixa de
ser caixeiro dos Srs. Schafheillin ATobler.
Aa peasoas que se julgsrem oradoras do
mesmo apresentem suas contag neates qua-
tro dias, em casa dos n:esmos Srs. Scha-
fbettlin & Tobler : na ra da Cruz n. 38.
--A Varmoian. 50 est muito digna do
anno de 1810, conten varios artigos inte-
ressantes. poesas e leituras dignas de se-
ren avahadas pelos dignos olhos dos curio-
sos. Vende-se no lugar do cosime.
-- Quem quizer comprar urna lettra do Sr.
lir. Honorio F. de Sigmaringa Vas Curado
da quantia de 110,280 rs., anouncin para
ser procurado, que todo negocio se far.
Para oa.Srs. Joo Bernardo Dantas, JoSo
de Aguiar Telles de Menezes e JoSo dn A-
guiar Menezes exislem cartas na ra do Tra-
piche n 19.
Hoga-seaoSr. A. J. S. A. o favor de
punJar entregar o annel qua tomou a um
tea ez-caixeiro, no prazo de dous dias, de-
sos da publicarlo de le ; do contrario pu
blicar-se-ha seu nome por extenso, e o ver-
gonhoso motivo porque tomou conta do di-
to annel. Manoel Denlo de Atacado.
0 Sr. acadmico Antonio de Albuquer-
qusMaranhSo Arco Verde queira vir a ra
da Cadeia de Santo-Antonio n. 13, a negocio
que nSo ignora ; do contrario ae publicar.
I'ede-se a pessoa que por engao tirou,
no da 30 de selembro, da sala do primeiro
anno, um chapeo de sol de seda furta-cores,
armaffio de rame e cabo com casillo de os-
so branco, queira entrega-lo em Olinda, na
ra da Cadea, n... ou no Recife, na loja de
JoSo Cardoso Ayres.
~ JoSo Jacintbo Fernandes ChSa e Manoel
Jos Teiieira de Carvalho, subditos portu-
guezes, reliram-se para Mossamedes.
0 Sr. Francisco de Paula Brrelo, es-
ludante de Olinda, morador em Nazarelh,
queira apparecer na ra da Cadeia de San
lo-Antonio n. 13, a negocio que nio ignora ;
lo conlraiiose publicar qual o negocio.
-- 0 abaixo assignado declara a corlo Sr.
solicitador, que elle recebeu d Vicenta Fer-
iia de Mello a quantia de 3i,00(fTa., e
que em ajuste da cunta do abaixo assignado,
existente em poder do dito Sr. solicitador,
os levou em coula, cuja quantia fiii prove-
niente dos alugueis da casa da ra da Cal-
Cada, deque elle solicitador he procurador,
e que neste ajuste de conta o abaixo assig-
nado recebra d sua conti o resto da im-
portancia de 10,000 rs. E para que nSo haja
duvida da parte do Sr. solicitador, quando
houver de pausar os recibos ao Sr. Vicente,
lance suas vistas em dita conta. -- Manoel
Goncalve Gamboa.
O Sr. Antonio Aroza queira dirigir-so
ra da Cru! n. 49, antea de se retirar para
fra do iip.9(u'j-
Precisa-se alugar urna ama para \nvo
o ser vito de urna caaa de muito pouca fa-
milia : paga-se bem : na ra de Agoas-Ver-
des n. 86, primeiro andar.
Bernardino bornea de Carvalho retira-
se desta provincia.
As peasoas que ao abaixo assignado
pagaram adiantada a assignatura da Marmo-
la quando era proprietario del la, e que no
forain restituidas quando deixaram dita
Marmota hajam de declarar por este Diario.
Flix Cyprtanno da Silva Teixeira
O abaixo assignado declara que, desde
30 de setembro, deixou de vender agn'ar-
dente e espiritos de prodcelo brasileira,
na sua venda da ra do Trapiche n. 30.
Jos loaguim da Silva.
Manoel Pacheco de Mede.'ros &'Compa-
nlna. socio e administrador das vendas de
seu lio Jos de Medeiros Tavares, nSo po-
dando mais continuar na administrarlo das
Jilas vendas, por falta de sade, teni nos-
la data entregado dita administraran ao Sr.
Manoel do Reg Soares, para pagar o que se
deve a praca, para comprar, o para receber
o que se deve as dilas vendas. Recife, 26 de
setembro de 1850.
Desappareceu um cavallo rodado, gran-
de, com urna carga de sal : roga-se a qual-
quer pessoa que o achar deleva-lo s Ciu-
co-l'jntas, n. 71, que ser recompensado.
Jos de Medeiros Tavares faz sciente
que deixou de vender bebidas espirituosas
de produccSo brasileira desde odia 30 de
setembro, na aua venda da ra do Rozario
estroit, n. 11.
-- Aluga-se por anno, ou para passar a fes-
la, urna grande casa no sitio do Cajueiro,
com urna grande sala de frente, gabinete
ao lado, duas alcovas grandes, sala de jan-
tarcom auatro quartos, duas cotinhas, um
grande aolSo, eslrircia para dous a quatro
eavallo* eieellente nanIr-i- /rajar no
mesmo tilio, ou com Bernardino Maia 'da
Silva, na ra do Crespo.
OOerece-se um moco brasileiro para
caixeiro de loja de fazeudaa ou miudezaa
quem tfelle precisar, annuncie por esle
Jornal'.
uge-se a pvsaa quo avu :! h
de chavea pequeas na calcada da loja do
Sr. Leal, na ra da Cadeia do Recife, de as
mandar entregar na loja n. 55, na mesma
ra, nSoaeduvidando dar alguma gratiQca-
CSo a pessoa que as achou, se exigir.
Precisa-se de um caixeiro para lomar
conla do urna venda por balenco, e se dar-
sociedade entrando cora alguns fundos para
a mesma, em l'ra-de-l'urias, n. 92 : a tra-
tar na mesma
Alexandre Joaquim Salyro com venda
i>0 largo do Pilar, u. 17, deixou de vender
ago'ardentede prodcelo brasileira desde
o da 30 de setembro eui dianle.
Quem quizer comprar ou alugar urna
casa terrea no desierro de Sania TOereza na
cidade de Olinda, n. 28, dirija-se a ra de
Santa-Cecilia, u 23
O abaixo assignado deixa de vender
bebidaa espirituosa! de produccSo brasilei-
ra, u sua taberna da ra do Codorniz, nu-
mero 1. Hanut Domingu-s l'ertira Huinat.
Joaquim itiboiru Meirelles relira-se pa-
ra fra do imperio.
Precisa-se alugar iMa e-orava que sai-
ha cozinhar,pnsabnar nlgBina consa en-
gommar : na trave-sa di; liiqui!. n. 9.
A pessoa que lirou pnr engao do cama-
roto do tlieatro de Santadsabel um ch.ipo
e urna bengala, queira pbr favor ir ou man-
dar entregar na ra da Cruz, venda n. 32,
pois sahe-ae quem foi ; a se assim o uSo fi-
zer lera de ver o seu norte por extenso nes-
ta folln.
O abaixo assignado faz sciente ao Sr.
arrematante do consumo d'ago'ardenle de
produccSo brasileira, que deixou de vender
dito genero em sua taverna da ra das Cin-
co-Ponas, n. 71, desvie o dia 30 de setem-
bro. Jote1 Carreiro da Silva.
--O abaixo assignado faz sciente ao Sr.
arrematante do consumo de ago'ardente
de produeco brasileira,que deixou de ven-
der dito genero em sua taverna da ra das
Cinco-Pontas, n. 82, deideodia30 do ae-
tembro. Manoel do Bijo Urna.
Precisase de urna pessoa para traba-
Iharem um sitio no lugar do Remedio,
com preferencia solleira e natural daa ilhas,
qtre saiba plantar larangeiras, verduras,
etc.: quem estiver i estas circunstancias,
dirija-se ra do Crespo, n 14, terceiro
andar, daa 6 s 7 horas da manhSa, e das
4 s 5 da larde, para se fazer n ajuste.
-O abaixo assignado deixou de vender
ago'ardente e espiritos de produccSo bra-
sileira, na su> taverna do Aterro-da-Boa-
Vista, o. 20, desde o dia 30 de setembro.
los Faustino di lemoi.
.-O abaixo assignado, deixou de vender
ago'ardente de produccSo brasileira, desde
o dia 30 de setembro, em seu estabeleci-
mento da ra Direila, n. 40, por ler sido
colleclado em quaOlidide de medidas que
Ihe nSo faz conta. J<" w* de Brilo.
Francisco Ferreirae Silva, deiiou dr
vender agurdenle de pioducco brasileira
do primeiro de outubro em dianle, tjaytren-
da da ra da Sanla-Cruz, n. 1.
- O abaixo aaaignado deixou de vender
agoardente e mais esprilu de producfSo bra-
sileira desde o lim de selembro em sua ta-
berna da ra Direita. ti. 18.
los Goncalcts Beltrio.
Os abaixo assignado deixam de ven-
der agoardente e mais bebidaa de produc-
cSo brasileira em sua venda sila na ra do
Vigario, n. 15. hecife, 30 de selembro de
1850. -- Luis Correada Conctifio& Compa-
nkia.
Urna moca solleira qu"vive ainda na
companhia de seus pas com todo o recato e
boneslidade. pioiOe-se a ensinar a ler, ea-
crever e contar, doutrina cbristSa, gramma-
tica nacional, musir, rozer, bordare mar-
car, por diflemiles formas, fazer lavarinlo
o flores, recebendo tambem disripulas io-
temas, para o que procurar casa commo-
da se houver concurrencia : as pessoas que
de seu prestin o se quizerem utilisar, diri-
ge m-se a ra Direita, sobrado n. 43, segun-
do andar.
^^
9 Paulo Gaigiiour, dentista 9
K francez. recntemela te che- W
gado a esta capital, offerece seu iit'i'stiino ao pnblico pa- *
* ra todos os ini-lrics de sua *
9 pruiissfio. qur extrahlndo, >
* ltiii|>amo e chumbando os *
entes natnracs, qur snbstl- *
tuindo-og por oiitros artill- >
elacs, para o que ,tem os me- *
I lio 11 s npparelli procurado a quaNiuer hora, f
em sua casa na rna lar^a do (
Kozario, n. 36, secundo un- tfr
dar.
Roga-se ao Sr. segundo lenlo Jos de
Cerqueira l.ima, da Babia, que mande pagar
urna lettra, que seacha vencida ha oito m-
zea ; do conlrario.Her'de ver sempre o seu
nome neata folha.
Oabaiio assignado faz sciente ao Sr.
arrematante do consumo de ago'ardente de
prodcelo brasileira que deixou de vender
dito genero em sua venda, na ra do No-
gueira, n. 1, desde o dia 30 de setembro.
Joaquim Francisco de Azevedo.
Precisa-se alugar urna casa terrea as
seguinles ras : Velha. ConceicSo, AragSo
e Rozario da freguezia da Moa-Viste : quen,
liver annuncie para ser procurado.
Precisa-se de um forneiro : na ra do
l.ivramento, venda n. 3, se dir quem pre-
cisa.
I'ara recreio e Instrncro.
O Btcreio, jornal das familias, ronlendn
ricos artigos de lilteratura, sciencias, va-
riedades, miscelneas, anenlas e ditos pi-
cantes, adornado de bonitas estampas de ci-
dade, paisagens e edificios pblicos do mun-
do, artigos de moda com fgnrinhoa collori-
dos ede fumo. Este jornal, publicado em
Lisboa, he muito parecido com o Panorama,
e al escripto pelos meamos Iliteratos. Ven-
de-se pelo diminutissimo proco de 6,000 rs.
a colleccSo de cinco vuluines com 280 pagi-
nas ca la um, trabalhe de um anno cada vo-
lunte, ou a 1,500 rs. cada anno avulso. Ven-
de-se no psleu do Collegio, loja do livro
azul.
--Antonio Martins Pereira, aubdito por-
tuguez, reliia-3ei>ara Mossamedes.
rio Na ra do Rozari0\ larga, padaria n. 48,
da-ae pSo de veodagjn, tanto a pretas co-
mo a qualquer vendeaqr de pSo, fazendo-
se melhor conyenienci/ do que em nutras
partea, por isso que" deseja-se augmentara
firguezia.
.Alte ii rao.
(luem nrpiissr H". i'CtS delilad ago'ardente para algum engenho, do que
tem bastante pralica, dlrija-se ra Nova,
n. 33, que ae dir quem he.
Desappareceu, no dia 6 do corrente,
urna canoa meia abena, com taboa no fun-
do, curta, um pouco velha, tendo as qua-
tro cavernas duas na proa e duas na' poupa,
em cada urna deslas orna cavilha de ferro,
um pequeo pedaco de crreme na poupa,
tendo lugar para botar bancos e apatas :
quem der noticia, ou a entregar airas do
iheatro velbo, sroiazem de la boas de pitillo,
ser recompensado.
Manuel Jos Moreira deixou de vender
ago'ardente na sua tavtrna da ra do Ll-
vramento, n. 8, desde o dia 30 de setembro.
-- l.aibam & Hibbert deixam por aeus
baslantea procuradores os Srs. ItussellMel-
lors & Compauliia, para liquidacSo de to-
das as suas transaeces couinierciaes desta
piaca.
Nos dias 30 do selembro, 3 e 7 de ou-
tubro, pelas 4 horas da tarde, a porta do
Sr. doutor juiz de orphfios, na ra de nor-
ias, se ha de arrematar, por sor ullinia pra-
Ca, poriemi'O de tres annos, a renda do
sitio da Casa-Forle. denominado sitio dos
Arcos, que foi do finado Francisro Bernar-
dino da Cimba, hoje de seus herdeiros, pe-
lo preco de 350,000 rs. por anno, cujo aitio
tem boa casa e telheiro para rancho de ma-
tulos, bastantes arvoredos, 26 pos de ja-
queiras, 6jambeiros, bastantea pos de la-
rangeiras, 20 e tantos ps de coqueiros,
e grande plantacSo de caf e capim.
Trocam-sa terrenos com alicerce, no
lugar dos Coelho, ra dos Prazeres, por
materiaes, como sejam : travs, enchameis,
taboas de amarello ou louro, lijlo de al ve-
nara e ladrilbo : a fallar com Nicolao Ca-
dault.
Oflerece-se urna parda de meia idade
para ama de urna casa de pouca familia : na
ra do Fogo, n. 47.
Oflerece-se um cozinheiro para caaa
de pasto, ou casa particular, ou mesmo pa-
ra navio que- esteja para seguir viagem :
quem de tea presumo se quizer utilisar
annuncie.
Oflerece-se um sacerdote para capellSo
de engenho, e mesmo para ensinar prime!-
ras lettras, ou grammatica latina : quem
quizer, annuncie.
-- Existe na corte do Rio-de-Janeiro urna
pessoa com as habilitagoesnecessarias, que
se incumbe de agenciar peas secretarias de
catados, ttulos honorficos, diplomas, pen-
sOes, patentes militaros, cartas de noturali-
sacSo, cartides e outros quaesquer nego-
cios que penderem das mesmas secretarias
de estado, e bem assim se incumbe de agen-
ciar pola nunciatura apostlica breves para
dispensas do casamentos, secularisacSo,
ele., etc. etc. ; incumbe-so. finalmente,
de aollioitar todo e qualquer nogncio, que
lenha de correr nos lribunes daquella cor-
le. Qualquer pessoa que sequizer utilisar
doprostimo dessa peasoa, eocarregando-a
all dn seus negocias, poder dirigir-se ao
Sr. Antonio Jos Gomes do Correio, o qual
dar as informa (Oes precisas, e com quem
se poderSo entender a semelhanle respeito
a sobre a remessa de qualquer pretencSo ou
documentos.
Aluga-se um bom armazem proprio pa-
ra qualquer estabelecimento, aa praia de
S.-Francisco ; e bem assim um grande cai-
xSo proprio para urna excellente cocheira.
no Mundo-Novo : a tratar na ra da Cadeia
de S.-Antonio, no primeiro andar da casa
da viuva Cunda Cuin arSes.
Aluga-se u-i a casa terrea de pedra e
cal.com 3 quirtos, 2 salas, corintia fra,
quntale cacimba.sita no principio da ra de
S.-Miguel, nos Afogados : a Iralar no Ater-
ro-da-Roa Vista, n. 17.
Pessoa alguma laca compra nem hy-
potheque urna pequea morada de casa
terrea fa ra do Jogo-da-Bolla, na cidade
de Olinda, pertencente a Mara da Jess,
por essa dever a Catholino Jos Concalvos
l.essa, urna quantia de que a vai demandar
em juizo competente : e para que ninguem
se chame a ignorancia, faz sciente ao res-
peitavel publico pelo presente annuucio.
-- Alugam-se e vendem-se, tanto por jun-
io como a retalho, as melbores bichas I am-
hurguezas: na ra daa Cruzes, n. 40, ta-
verna de Domingos da Silva Campos.
Aluga-se o primeiro andar da casan.
34 da ra d Trapicho, proprio para escrip-
torio : a iralar no armiizem do mesmo.
l'.sri iiitmarao connuercial por
partidas dobradas.
O abaixo assignado propGe-se a abrir no
dia 7 de oulubro prximo futuro, no hairro
do Recife, urna aula, para ensinar a escrip-
turacSo de livros em partidas dobradas, te-
guindo o syslema que he geralmente prali-
cado as priicipaes casas de commercio in-
glezas. A simplicidaile, cor.cisSo e clareza
que este syslrma offerece, faz com que o
aliMXo assignado se anime a a Manejar que,
com um numero mili limitado de licoes,
os seus alumnos ficarSo habilitados a encar-
regar-se dos livros de qualquer casa de
commercio. O abano assignado tem de ad-
vertir que, devendo as suas 111,- s cu >ia
de urna serie regular de lanfameiitos em li-
vros apropriados de todas as transac(0es
que no commercio se podem oflerecer, he
de indispCDiave! necessidade, que as pes-
soas que quizerem aprender, o procur>-m
antes do dia da abertura da aula, para to-
dos poderem comecar, ao mesmo lempu
pois mais ninguem ser admillido, depois
que as lices liverem comtnccado ti abaixo
assignado tambem instruir aos seus alum-
nos em tuiln que diz respeito cambios, di-
visOes das muedas das dilTerentes pracas da
Europa, etc., ele. ; e pode ser procurado
lodos os dias uo escriplorio dos Srs. C. Starr
& Companhia, na ra da Aurora.
los da Haya.
\ ttrnrao.
Roga-se ao Sr. Joo Jos de l.ima, que le-
nha a bondade de ir ou mandar pagar a
qtianlia de 16,990 rs. proveniente de g-
neros que tomou na venda grande da Ca-
pun* ha seis mezes, certo de que, emquarf-
lo mo pagar, seu nome nSo satura desta
folha.
Vendas.
Compras.
Na loja do Sr. Antonio Rodrigues da
Cruz, na ra do Cabugt, compra-se urna
caiiinha para vollarete, sendo pouco usada.
Compra-se umaduzia decadeiras usa-
das : na ra da Nova, i:. 57.
Compra-se urna morada de casa terrea,
que seja em boa rus, cejo Valor uSo exceda
de 800,000 rs. : na ra de Hortas, n. 110.
Compra-se urna prea de na(flo de bo-
nita figura ainda mesmo uo leudo habili-
dades sendo moca, como tambem um mo-
leque de 10 a 12 annos, nSo sendo viciado :
na ra do Rangel, n. 38, segundo andar.
Ka ra da Senzalla-Velba, o. 100, se-
gundo armazem aonde se vende bolacha e
pSo, compra-se eflctivamente toucinho da
trra, sendo gordo e sem sal, a 5,000 rs. a
arroba, o a 160 rs. a libra.
Compram-se escravos de 10 a 30 an-
nos, de bonitas figuras, para dentro e fra
da provincia : na ra larga do Rozario, n.
48, primeiro andar, todos os dias das 6 s
II horas da mandila e das 2 s 5 da tarde.
Compra-se una casa terrea at o pre-
co de 500,000 rs. : na Soledade, n. 27.
----- Compra-se eectivamentt cobre,
chumbo, ziuco, eatanbo, e toda a qualtna-
dede metal velbo, nao sendo fetto : na rna
Nova. n. 38.
Compram-se, urna batane* enl bom es-
tado, com temos de posos >W meia arroba ;
e urna prensa de esprumer caj : na ra do
Queioudo, joja n. a
ui Mllagre. ....,
Vende-se por um tustSo, um rol lelinho
contando o milagro acontecido najltali.
publicado nesle Otario: Na livraria n. 6 e
8, da praca da Independencia.!
Lotera da matriz da Boa-Vista.
Aos lo:ooo*joooe jiotniSoo.
Na loja de miudezas de .praca da Inde-
pendencia, n. 4, vendem-se bilhetes, mojos,
quartos, decimos e vigsimos desta lotera
que corre impreterivelmente no dia 31 de
outubro. ou eoles se se acabarem os bilhe-
tea. A elles antea que seacabem, par* nSo
comprarem mais caro, como tem aconte-
cido em outras loteras.
Bilhetes 10,000
Meios 5,000
Quartos 2,600
Ilecimos 1.10O
Vigsimos 60"
Aarope do bosque
para cura da phthiscla em todo os aeus dille
renlea graos, qur motivada por constipacoes.
toase, asinina, pleurit, escarrosde saogue.dor
de coatado e peito, palpitacao no cora$ao, co-
queluche, bronchlte, dr oa gargsuia e todas
aa molestias dos orgfios pulmonares.
Vende-se na ra dos Quariel, n. 1*
Para encaderiiaroes.
Vendem-ae superiores carneiraa aorlidnaeni
cores e bstanle grandes: na praca da Inde-
pendencia, n. 26. .
Vende-se urna estola rica, j naaa : na
praca da Independencia, n. 12.
Vende-se um oculo de alcance, aindu
em bom estado : na Boa-Vista, casa junto
ribeira da S. -Cruz.
Vendem-se bolos francezes por mais
barato preco doqueemoutU qualquer piu-
lo : tambem se enfeitam bandejas muito
ricas, por tralo preco: na ra da Conror-
Qcilog loiidrlnos de 5 e 7 libra.
Vendem-se, no armazem de Manoel Fran-
cisco Msrtins& IrmSo, na ra da Cruz, n.
62, queijos londrinos, presuntos, para fiam-
bre ; lataa com biscoutinho inglez, ditas
com araruta, cha superior de S.-Paulo, a
2,240 rs a libra : ludo novo e baralo.
Vendem-se 16 escravos. sendo um bom
carreiro e niestre de purgar ; 3 ditos de to-
do o sorvieo j '2 mulatinhos de 16 annos; 2
ditos de lodo o servico de campo ; urna mu-
latinha recolhida.de 14 anuos, que cose e
engoman 2 escravas mocas, de bonitas
figuras, que cosem bem e engommam ; 5
ditas de todo o servio : na ra Oireit. n. 3.
-- Vende-se urna vacca muito bonita e
gorda: no sitio de S.-Amaro, de porleira
cor de cinza, junto aos Lazaros.
-- Vende-se urna escrava de nacSo, muiln,
boa engommadeira, doceira, e que cose
bem chSo, coztnha para quem quizer dar
banquete, e he de muito bonita ligura ;
urna dila de nacSo, do servhjo de campo,
boa quitandeira, Uvadeira de sabSo o var-
rella : na ruado Livramento, n. 4, se dita
quem vende.
-Vende-se um refe com tercado em bom
estado ; na ra da Senzalla-Velna, n 100.
Vndese urna preta de nacSo, de 20
aunos, sem vicio algum, que cozinha o dia-
rio de urna caaa, engomma e ensaboa : o
molivo por que so vende se dirao compra
dur : na ra do Hospicio, n. 34.
Vende-se Triguomelria, Geometra, Al
uebra. e Arilhmelica de Lacroi i: no pateo
do Coilegio, casa do livro azul.
Cal e potaaea.
Cunba & Amonio, na ra da Cadeia do
Recife. n. 50, continame vender cal vir-
gem de Lisboa, e polassa superior, por pre-
CO mais barato do que em oulra pualquer
parle.
-- Vendem-se os seguinles livros : Me;-
tre. da vida ; LobSo, segundas lindas, .1 v.;
OrdenacSo do reino; Magnum Lexicn ;
Vallter. diccionario de prononneig ; Diccio-
nario fraucez por Constancio, 2 v.; geo-
metra de Lacroix; Burro de Q. Horatii ;
Ccographia universal, por A. Balli: na
praca da Independencia, n. 12
Al Hito barato.
Na ra da Soledade, n. 38, vendem-se as
seguintea pecas, de hoje at amanhSa, por
seu dono retirar-so para Mossamedes: uta
soph de Jacaranda, em meio uso; unu
meside ineiode sala; duas baos, duis
camas, ludo de Jacaranda o em ninio umi ;
um par de redou as com jarros de llores e u
meio uso : ludo por 120,000 rs.
Kazendas barata
Na ra do Queimado, Inja n. 2, esquina
do becco do Pene-Frito, anda ha alguns
los riscados francezes e lindezas de mu
bonitos padrOes, proprios para vestidos de
senliora ; alm disso ha merino prelo, a
1,280 ra. ocovado ; dito verde escuro desen-
feslado, para palitos e sobre-casacas, a 720
rs. ; princeza preta com algumas pintas de
mofo, a 480 ra.; duraque preto e azul, a 720
rs.; fustSo para cohetes, a 400 rs.; chitas
linas para coberta, a 200 ra ; ditas para ves-
tidos, a 140, 160 e 180 rs ; curtes de cassa
para vestidos, a 2,000 rs.; curtes de bnrn
transado para calcas, a 1,600 ra. ; ditos de
caseneta de listras, a 2,240 rs.; madapolSo,
a 1,600 rs. a peca e a 80 rs. a vara ; lencos
nara tabaco, a 200 rs. ; e outras multas fa-
zendaa por baratiasiaso preco.
Vendem-se duas lanas velhas, pro-
prisa para qual aterro, as quaes se achan
em bom sudo; quarenla pipas vazias,
proprias para agoardente; duas amarras ou
viradores de lindo para navio; urna illm
enl.-s s ponte dos Affogados e o Remedio,
qual lem duas excellentes casas novas de
pedra o c!, o, r.aic; vi-.Bruacercus
de rio, tem cento e tantos ps de coqueiros,
bastante capim para dous cavados; ven-
dem-se mais dois crspeos armados de cas-
tor muito ricos, para uflf.cial superior, dois
parea de adraa/onam, asfndo din para tenen-
te-coronel e/utro para capllSo de guarda
nacional,, obra muito rica, tudo se vende
por preto commodo : na ra da Cadeia do
Hecife-^ 54.
'-j- Vende-se, na ra das Cruzes, o. 22, se-
gu/ndo andar, urna parda de 26 annos, coav
nabilidadoe; urna preta de nacSo, de 18
annos, com habilidades, para fra da pro-
vincia ; urna negrinha de 12 annos, com
principios de habilidades ; dous pretos de
nacSo, sendo um delles padeiro, a oulro de
18 annos, coto principios de sapateiro.
Ao* Sit. acadmico* do quinto
anno.
Fitas de chamelote encarnadas largas pa-
, a cartas de hachareis: na ra do Crespo,
n. 5, loja de miudezaa ao p do arco.
Vende-se urna preta : em Pora de Por-
tas, ra do Pilar, n. i4.


Vende-se farinha de Santa-Catharina,
muito superior, a bordo da galeota Santitti-
mn-Triniade, tandeada junto ao caes do
Collegiq.
Farinha de mandioca. ,
Na ra da Cruz, no Recife, armazem n.
13, e na ra da Cadeia, armazem de Cam-
pello Filho, vende-se farinha de mandio-
ca do Ceara, muita alva, gommosa e de ex-
cedente gosto, Unto em pequeas como
em grandes porges, por prego commodo.
Vende-se, por preso commodo, farinha
de mandioca, em saeeas grandes ; a tratar
nos armazensde Das Ferreira, e Gouveia &
Das, no caes da Allandega, ou com Novaos
& Compaahia, na ra do Trapiche, n. Si.
-- Vende-se rap superior de Paulo Cor-
deiro : na! ra da Cadeia do Recife, loja de
JoSo Jos de Carvalho Moraea. Na mesma
loja tambem ae vende um methodo para
violSo, do autor Luigi Castelaoei, contendo
as afinacoos para se tocar os sons armni-
cos, por barato prego.
Travessa la JVlnriie-de-Oeos, ar-
11111/rni. a. 5.
Acha-se estabelecido um deposito, onde
encontrarSo os freguezes un bom sorti-
mento le licores, espirito de vinho, e to-
das s mals qualidades ; superior vinho de
caj ; cha mate ; e liigs de time,a precos
moderados.
A ellcs que sao baratsimos.
Vendem-se sapatoes de courode lustro, a
9,000 e 2,500 rs. he o q ue valen) de Teitio :
na ra da Cadeia do Recife, n. t, loja.
Aos navegantes.
Yendem-se diaiios nuticos im-
pressos : no pateo do Goliegio,
casa do livro azul.
Taixns para ensrenho.
Na fundigSo de ferro da ra do Hrom,
acaba-se de reoeher um completo sortimen-
tode taixas de* a palmos de bocea, as
quaos acham-se a venda por prego com-
modo o com promptidSo embawam-se,
ou carregam-seein carros sem desbezas ao
comprador.
Deposito de potassa e cal
Vende-se muit nova e superior potassa
ecal virgen de Lisboa, em pedra : tudo em
barris pequeos de 4 arrobas, por prego ra-
soavel: na rna da Cadete do Recife, n. 12,
armazem.
Na casa de moda* Irancezas de Mada-
ma llillochau, no Aterro-da-Boa-Vista, n. 1,
refeheu-senovamente nm rico sortimenlo
de bordados de todas at qualidades, goli-
nhasde camhraia fil, romeiro, cabe-
gfles, colerinhos, camisinhas, mangas e
manguitos moda nova, fil liso e bordado,
camhraia lisa e bordada, lengos de cam-
hraia de linlio bordado*, babado* e ntre-
melos de camhraia bordada: tudo se ven-
de muito em couta.
-- Vende-se um preto de bonita figura,
1 om ollieial de pedreiro, e he de boa con-
ducta ; urna mulata de 18 annos, com um
Inii) mulalinho de 2 annos, a qual corta e
faz um vestido de senhora, corta e faz urna
camisa de homem, engomma comperfeigao,
he muito fiel e nSo Um vicios, o que se
aiianca : na ra larga do Rozario, n. 48, pri-
Vende-se rap Paulo Cordeiro, chega-
do no ultimo vapor, por prego commodo:
na ruada Cruz, escriptorlo da Rodrigo da
Costa Carvalho.
Farinha de Tapnya-
igualmente em sabor, finura e cor a de Mu-
ribeca, propria para mesa : vende-se na
ra da Cruz, no Recife, armazem n. 13.
Deposito da- fabrica de Todos os
Santos na Babia.
Vende-se em cas* de N. O. Bieher & C.
u ra da Cruz, n. 4, algodSo trancado
laquella fabrica, muito proprio para saceos
leassuear, roupa de escravos e fio proprio
para redes de pescar, por preco muito com-
modo.
marmelada di' Lisboa.
Vende-sena ra da Cruz, n. 9, armazem
de alanoel Francisco Martina, marmelada de
Lisboa, muito nova, e em latas de urna e
duas libras, por preco commodo.
Tecldo de aigodo trancado na
fabrica de Todos os Santos.
Na rna da Cadeia n. 52.
vendem-se por tacado duas qualidades,
proprlas para saceos de assucar e roupa de
era vos.
Meins*e llnho
chgadas ltimamente, vindas do Porlo pe-
la Baha, ps grandes e muito finas vende-
se no escriptorio de Francisco Alves da Cu-
nts, ra do Vigario, n. 11.
Arados de ferro.
Na fundigSo da Aurora em S.-Amaro ,
vendem-se arados de ferro de diverso* m-
telos.
Moendas superiores.
Pa fiindcSode C. Starr A Companhia ,
em S.-Amaro acham-se a venda moendas
Je canoa, toda* de ferro, de um modelo e
onstrucgSo muito 'superior.
meiro andar.
-- Na casa de moda* Irancezas de Mada-
ma Millochau, no Aterro-da-Boa-Vista, n.
1, alcm de um lindo sortimeoto de chapos
de seda e de palha, recebeu-se nim sorti-
meoto de capotiuhos e manteletes de seda
e de fil, e chapeos de palha da ultima mo-
da, para montana, e de goslo amazona da
l'aris.
O a litigo barnteirodo l'asscio-Pu-
blico, loja ii II, de I inmuno
Jos Rodrigues Fcrreia. an-
nuncia as m guintes fazendas :
pannos finos pretos muito superiores ; ditos
azues ; merinos superiores; selim preto
de Maco; ditos de cores ; gorgores de se-
da paia colletes ; riscados monstros ; cas-
sa-chila ; castores ; bnns trancados : cha-
les de 13a e seda ; dilos ile tarlataua ; cam-
braiaslisas muito baratas; alpacas; priute-
zas, lilas finas; chitas ; madapolOes } e ou-
tras multas fazendas que as vender por
precos que agradarSo aos bons freguezes de
dniheiioa vista, por ser o tempo propriu
para taes compras.
Farinha de mandioca.
Vende-se farinha de S.-Catha-
rlna, muito superior : a bordo do
hrlguc Conceicao, fiiiulciulo de-
fronte do trapiche ilo al^onao.
por preto mais conuuodo rio une
em outra qualquer parte, 0u u
lallar coui Uanoel Alves Guerra
liinlor.
A 1 $6oo o covado.
Na loja n. 3, defronte do becco do Pef-
xe-Krito, ven-o-se panno azul, a cinco pa.
tacas o covado; casemira encarnada de
duas larguras, a 2,000 rs. o covado.
--Vende-se urna cabra ( bicho ) parida
de poucoa das, que da bastante leile, e
com dous cabnUnho*, por prego commodo
na ra das Larangeiraa, n. 9.
Uoui e barato.
Vende-se princeza muito fina e de duas
larguras, a SOrs ; inda resiam algumis
pega de panninho fino, com 12 jardas cada
urna, pelo barslissimo prego de 2 500 rs
tem algum mofo: no Aterro-da-Boa-Vista'
n. 18, loja. '
.." -Vende,,,"e "??' *." grandes e pe-
Massn de vapor.
Acha-se abena a padaria da ra do Bur-
gos, Forte do Mallos, na qual se achara
diariamente lodas as qualidades de massas
linas, trabalhadas por machinismo; tam-
ben se fabricam eicelfcnle pfio e holaxi-
nha de aramia, ditas inglezat, bolaxes
quadrados e redondos, e outras mais mas-
sas tudo obra prima : as mesmas se acharflo
no deposito do pateo do Terco, u. 10.
Aos senhores de engenlio.
vendem-se cobertores escuros dealgo-
dSo, proprio* para escravos, por seren de
muita rs. cada um : na ra do Crespo, esquina
que volts para a cadeia.
Vendem-se relogios de on-
ro e prata, patente inglez : na ra
da Senzalla-Nova, n. 4a.
Agencia de Kdwin liiw.
Ra de Apollo, n. 6, armazem de Me. Cal-
monl & Companhia, lazein ver aos Srs. de
engenbo e aos seus correspondentes nesla
praga, que noseu estabelecimenlo se acba
constantemente bom sortimenlo de aioen-
uas todasde ferro para animaes, agoa, etc.;
meiasditas para armar em undena ; ma-
chinas para vapor com forc* de 4 cavallos ;
Uixas de differentes modelos e de todos os
lmannos e grossuras, tanto de ferro batido
como coado; espumadeiras, cocos, etc., de
ferro estanhado ; safras para ferreiros : tu-
do mullo bom e por barato preco.
Na ra da Cruz, n. 10,
casa de Kalkmann
Inuaos,
vende-se um grande sortimenlo de
instrumentos de msica
>#<
J"
MiijikamaiMte. ti

Muu.guex,oni gar-
rafas: na rus da Cadeia, n. 15, loja do Bour-
gard. \
A 4,000 rs. o par.
Vendem-tja sapatSes de lustro
para lioniem, tauto' bem Jeitos, a
4,ooo rs. o par ; no terro-da-
-Boa-Vista, n, 5*, loja dedicado,
jiiiitoa deselleiro.
-- Vende-se por muito commodofcreco,
una rica secretaria com estante para\ji-
vros, baslanU grande, propria paia advo- com 7 palmos de largura, a 1 *80 rs
gado, sendo de amarello e anda nova : as-
sim como, seis cadeiras e duas mesiohas
de abrir : na roa eslreita do Rozario, i,.
8, ultimo andar, das 2 hora da urde em
diante.
Vende-se um piano famburguez, com
ponen uo.pQr prCiG coaisido: no patto do
Carmo, n. 9, primeiro andar.
, com se-
jam :
Caixasde guerra, e tambores.
Zabumbas, e pandeiros.
Arcos de campainha, e pratos.
Baixos de harmona, irobes.
Trompas, nisles e clarins.
Cornetas, flautas, e pfanos.
Clarlnelas, e requintas.
ViolSes.
m ni l os ou ti os instrumentos.
Veude-se um moleque de 13 a 14 an-
nos, muito sadio, proino para o servico de
urna casa, ou para o mallo: na ra do Ca-
linga, loja de miudezas, de Joaquim Jos
da Costa Fajozes
Vende-se urna linda escrava recolhida
com lodas as habilidades precisas para uma'
casa de familia : na ra do Itangel, n. 57.
Bombas de ferro.
Vendem-se bombas de repuxo,
pndulas e picota para cacimba :
na ra do Bruiu, ns. 6, 8 e io,
fundiera de ferro.
Arados ;c f:rro.
Vendem-se arados de ferro
differentes modelos : na ra
Brum, ns. 6, 8 e io, fabrica
machinas e lundic5o de ferro.
J o barato causa admlracao :
Isto acontece na ra do Crespo,
n. 6, loja ao p do I impeao
Vciieni-se cassa-cnuas de muito bom
gosto, a 240 rs.; cortes da dita* do melhor
goslo que leem apparecido, a 2400 rs.; chi-
tas finas de boas tintas, a 160 e 180 rs. o
covado ; riscado americano, a 140 e ICO rs.;
dito trancado, a 180 e 200 rs.; algodlo
mesclado, a 200 rs. ; zuarte azul com 5 pal-
mo, a 200 rs. ; dito de cores, a 200 rs.;
caasapreta para luto, b 120 rs. o covado;
cortes de fustilo muito bons, a 560 rs.; cha-
les de Urlatana, a 340 e 1,280 rs.; coberto-
res de algodSo de cor, muilo encorpados e
proprios para escravos por seren muito
quenies, a 640 rs. alpaca prela de cordSo,
de
do
de
Vende-se umi toalha de lavarlnto, ten
ilo uma prquena parte de panno no meio,
he de bretanha delnbo, ou de esguiflo fino,
obra muito bem fiita, e o lavarinto he de
modelo muito moderno, por prejo commo-
do : no Becco Larro, n. 1, segundo andar,
de manhaat asi horas, das S s 5 da
Urde.
f #
Seda* e velludo*.
Vendem-se ricos cortes de sed* mo-
X demos, furts- de listra* e de barra; velludos de c- A
res ; merino azul para roupinhos
0 de meninos : na ua do Crespo, n. 9, f*
9 loja de Jofio A G. Guiarse*.

Vendem-e, aa ra da Uoda, armazem
n. 15, meias barricas com cal virgem de
Lisboa, a mai* nova que ha no mercado, por
preco commodo.
CTNUp Paulo Cordeiro :,
vende-se na ra da Cadeia do Itecife, n. 51,
loja de fazendas, de Jo5o da Cunha Maga-
lhfies.
-- Vendem-se cem apolices da companhia
do Beber be, todis ou em porcOes menores:
na loja de Ignacio Jos da Silva, junto ao
arco de Santo-Antonio, no escriptorio da
companhia, e no do caixa da mesma se din
quera vende.
Grande pechincha.
A 4,ooo e 5,ooo rs.
Vende-se umaporcBodecsssas francezas
de novo* padrOes e de muita* core*, a 400
rs. a vara, e muito finas, a 500 rs. ; ditas
pretas muito finas, a 480 e 560 rs. ; chitas
largas francezas, a 320 rs. o covado : na ra
do Crespo, n. 14. loja de Jos Francisco
hus.
A ISWiOocite.
Na loja da ra do Queimado, n. 3, defron-
le do becco do Peixe-Frilo, vendem-se cor-
les de casemira de algodao, com 3 covado*
meio, pelo baratsimo preco de 1,960
rs*; esta fazend he de listra* exadrez, pa-
drOes muilo modernos.
f ff ff f ff f f f WVf f O
s> Lantcruas de reverbero *
para carro* e cabrioleU, de diffe- #
a> rentes tamanhos : na ra do Crespo,
OAAA A A AAAAAAQ
VendetuW taboinhas para,
chapeleir'o, de Superior qualidade:
na ra do Trapiche-Novo, n. 16.
Oh que Viechineka.
Pao verde escuro fiaisstmo ) pelo pre-
C0 de 4,000 rs. o covoVo: no Aferr da Boa-
Vista n. 18.
i niinliu de (mandioca.
Vende-ae farinha de San-Malheus*, de su-
perior qaalidade, bord, do pttacho Limn
e sumaca Bela-Canti*u, fondeados em
frente do Collegio, ou ao lado do Corpo-
Sanlo, loja de masaamea, n. 25.
Veodem-ae 6 burros eBire el lea alguas
man eos ja de ervico: na ra do Queimado,
Vende-se um esenvo hom trabaIht-
dor de enxada, e para qualquer servico, por
ser moco e diligente e sem vicio algum : na
ra do Queimado, ii. 14.
Veude-se uma preta de 15 an.
bonita figura e com alguma* fiabili
na ra da Cadeia de Santo-Antonio,
gundo andar do) sobrado da esquina
vidor, n. 14. }
Sn na larija do /lazarlo,
vende-se um moleque de 14 ano
c3u, anuitu lindo; uma muan
uiulalinliosUe 9 a 10 a unos; u_
20 anuos, de linda figura, que
vende na na ; um preto e nacfl
idade, por 300,000 ra ; um muL
iSannos, proprio parajiagem, por
lo bonito.
Ka loja de Moreira & Veii
vendeoi-*e lindos loucadores de jacarTTia
muilo proprios para rapaze* solUiros! Un-
to pelo qualidade do objecto como!pela
commodidade do prego que nao excede a
4,000 rs. : na ra Nova, n. 8.
Veude-se vinho do Porlo em barris de
quartu e quinto azeitonas superiores ; ar-
cos para harnea e pipa*; farinha de trigo
em barrica* e meias diUs ; lio porrete; ce-
vada; prego de lodas as quald*des,em bar-
ricas ; enxada* do Porto ; coeiros de algo-
dSo j relroz lino do Porto : tudo por preco
commodo : na ra do Vigario, n. 11, arma-
zem de Francisco Alves a Cunta.
|f Deposito geral do superior ra-^J
m
1
mais oa meno* : tambera se vendem por Vende-seoperior palha de cama
prego muito rasoavel velas de stearina ,en chegada recenlemenU doAss : na ra
caixasde 32 libras ; charutos da Babia da ICadeia do Recife n. 36
muito boa qualidade. I \/il, j' w* i
#*** lho de Bordeaux:
' Na loja do sobrado amarello, nos
* qoalro-cantos da ra do Queimado,
n. 99,-vende-se um grande sorti-
W ment de cortes de vestidos de cam-
'* braia-tada, muito modernose novo*
* gosto*; ditos de cambraia branca
A com barra borbada e adamascada,
todo por prego muito em conta.
Para osSrs.alfaites.
Vende-se estopa com alguma avaria, a
80 e 190 rs.: ns ra larga do Rozario, n.
48, primeiro andar.
Alpaca de Ia e seda a 360 rs. o
covado.
Na loja da roa do Queimado, n. 8, de-
fronte do becco do Peixe-Frito, vende-se
alpaca de Ua e seda para vestidos de senho-
raa, a 360 rs. o covado : esU fazenda he
tecido de xadretes de lia e leda, padrOes
muito agradaveis.
Vende-*e uma carta para bacharel da
academia deOlinda, em muito bom perga-
mneo, vinda de encommenda do Rio-de-
Janelro, e juntamente a Ola para a mesma:
na ra las Cruze, n. 40.
Vende-se uma mulatinha ecura, mui-
to bonita, que cose, engomma, cozinha, f.z
renda e o mais servigo de uma casa ; tem
15 tono*
loja.
Rap Paulo Cordeiro,
Vende-so o verdadeiro rap Paul Crftdei.
ro, em librase meias ditas, a 1600 rs. :
ruado Queimado, n. 16, loja de Jote Da*
Simes.
AVffVVVfVVVfVfftfffff*
vende-se na ra da Cruz, n. i0,
casa de Kalkmann Jrmaos
agi:ncia
da fundico Low-lfoor.
ftVA DA SEfZAttA-NOVA, ^. j >,
Neste estabelecimento conti-
ia a haver um completo sorti-
mento de moendas meias moen-
das, para engenbo; machinas de
Vapor, e tachas de ferro batido
coado, de todos os tamanhos,
para dito.
Vende-ie urna pret*
muito boa figura, que cozin
gomma pouco ; uma mulatii
no, quecos*, faz lavarinto, engomma, ves-
te e penleia uma senhora ; 2 preto* pecas
ptimo* para cirregarem palanqun e gil
nbarem na ra, por dareni 610 rs. por
um mulatiaho de 10annos, muito bom
ra servir a uma casa : na ra do Co %
n. 91, primeiro andar, se diri quam va.
Vende-se uma bonita escrava criou...
*em vicio nem achaques, com duas crias.
na ra larga do Rozario, n. 35, gendo um moleque de 2 annos, e uma nel
(grinlia de pouecs dias de nascida : a escra-
va tem muilo bom leite : o motivo porque
se vende te diri ao comprador : na ra es-
trella do Rozario, n. 19, loja.
---------------------"
l de 20 annos, de |
izinha, lava e en- I
latinha de 14 an- I
'. I
ga-
d.a; I
pa-4
'oJ .

dol
Chapelinhos para senhora.
Na loja do aobrado amarello, no*
quatro-cantoa da ra do Queimado,
n 29, venderu-ae o* mal* modernos
chapelinhos psra tenhoras, cores
muilo bonitas, e muito bem guarne-
cidos.
AAAAAAAA AA AA M AAAAAw
Vende-se um escravo de 25 annos, fiel,
perito oflicial de pedreiio, bom caiioeiro e
apto para todo o servigo de casa, por 700,000
rs.: na ra do Queimado, n. 3, segundo
andar.
Vende-se um sobrado de um andar
con- bons commodos: em Fra-de-Por-
tas, n. 13.
Vendem-se amarras ae ferro: na roa
da Senzalla-.Nova, n. 42.
-- Vende-se uma olaria oa ilb dos Coe-
Ihos, com terreno proprio, e tem bons com-
modoa, por prego rasoavel: tambem se hy-
potheca por 600,000 r*. por 2 tnnos, fican-
do renda pelo premio, cuja renda anda
por 200,000 rs. por anno : quem quier,
dirija-se 4 ra da Concordia, casa do Sr!
Geraldo Correia Lima, que ahi achara o seu
proprietario.
-- Vende-se um prel* de nigio Mina,
muito moga e visto**, que engomma, co-
zinha e faz todo o mais servigo de uma ca-
sa : na ra do Amoro), n. 15.
Charutos de Havana,
de superior qualidade : vendem-
se na ra da Cruz, n. 'io, casa de
KslkjBrVWffiifTnrrm-------
ue
*,
ria-
dous
negra de
ziuha e
demeia
lio de
mui-
Fogoes pata cozinha
muito proprios psra sitios e qual-
qualquer lugar aonde nao iha cori-
nha, por preco commodo : ven-
dem-se na ra da Crui, n. lo,
casa de Kalkmann lrmaos.
Lotera do Klo-de-Janeiro.
Aos 2o:ooo$'ooo
Ra da Cadeia do Recife. n. 24, loja de cim-
bio da viuva Vieira & Filhos.
Salvmiar, sabido do Rio-
de-Janeironodia 13 do passado, receheu-
so grande ortimento de bilhetes, meio*
quartos, oiUvos e vigsimos da 1t. lotera
a beneficio do theatro de S.-Pedro de Al-
cantara, cujas rodea deviam correr no da
28 do pastado mez. A alies, a elle*.
t preto* mogos, bons
noeiros : na rut da Madre-de-Deos, n. 34
loja.
Ks
era vos Fgidos.

p Areia-I'reta da fabrica S
de Gaotois l'ailhet & C. O
na Babia.
m Domingos Alves aiatheus, agente daX
qfabrica de rap superior Areia-Preta da*:
^jBaiua, tem aberto um deposito na ruax
ris-
cados de puro linbo, a 240 b 360 rs. co-
wado.
Antigo deposita de cal
virgem
_ 'ni.i, ici aiiL-nu um ueposuu na rar
^da Cruz, no Recife, n. 52, primeiro an-V
**dar, onde se achara sempre deste ex-V
Vcellenlee mais acreditado rap: veu-O
Opor prego commodo. p
Novo mappa ^eographico de
i'ortugal.
Vende-se o novo mappa geograplico de
Portugal, em grande-Jenaro, gravado, di-
vidido por urovincus, districto* adminia-
iralivos e coiioelhos, conforme a ultima le
da divisSo do territorio, e contendo a de-
marcagao dos pajse* viiihateiros no Douro
e liairrada; as estradas militares; lodas as
ierras e lugares nolaveis, com desiguagSo
daquellas em que ba correio ordinario; a
escaladas disiaoeit das ierras principaes
on i re si ; o mappa dos concelhos, a nume-
ro de ogos do que te compe cada distno
to administrativo,correcto e melhorado em
todas as sua* especialidades, segundo as
allerages que leem havido ale boje : ua ra
do Collegio, u. 9, loja de livro.
Ioao keller& COmpanhla, na
ra da ru/., u. 55,
Vendem a prego* commodos, vinbo mos-
catel de Seluhal, em caixas de uma du-
zia; dito muilo bom de Uvradio e Col-
lares, em barris d quinto; dito* de Chanj-
pauha, da mais acreditada marca : dito tia-
-Fuglo.no da 12 de setembro prximo
pactado, o escravo crioulo, de nome Jorge;
he alto e sreco do corpo, cor bom preta ;
a de dentes na frenle, porm he
uem o pegar leve-o ao Aterro-dos-
gados.V Antonio da Silva Gusmflo, uue
gratificar.
gio, oa nolU do dia 99 de setembro,
sVoaquim Ferreira de Aievedo, o
negro Trajino, de nacSo Congo, de 32 an-
e estatura regular, cara redonda ;
em o* beigosgroesose virados para cima,
;e descangado e alrapilhado ;
cousa amarello de ter ha pou-
e uma frialdade le-
vou calcas de meria preto, camisa de l-
ioiISo trangado cem listras azues, e outra
debaeU azul, uma coberU tambem da
hata azul; contU ir junto com oulro, que
fugio na mesma occasilo, perUncente a
Sra. I). Francisca Thomazia da Conceiefio
Cunha, de nome Pedro he basUnte alto ;
representa ler SSa 40 asnos ; tem uns Ca-
lumbo* da pona do nariz at o meio da
testa; he bastante saolerso e desdentado
na frente. Roga-se a todas as autoridades
policiaes e capitSes de campo, que os sp-
prehendam e levem-nos i ra do Crespo,
loja n. 10, que sero gratificados.
Fugio, no dia 90 de setembro, um es-
cravo do nome Vctor, de 94 annos.de na-
(3o Angola, bemprelo.de estatura regular,
secco, com belidias nos olhos, cara com al-
gumas marcas de hexigas ; levou camisa e
caigas de riscado, e um taholeiro em que
venda : quem o pegar leve-o a ra do Pi-
lara. 101, em Fra-de-Portit.
JKOO^OOO.
Fu gira ni de bordo do brigue
Setn-Par, vindo do. Ho-de-Janei-
ro, dous escravos, sendo um de
TV raiArin T,a.^l, i '" de Cftaiilod, de superior qualidade;
la co trapiche, n. 17, ha extracto de .pgyntti e kirsch I.git.mo d*
-HojeestarSo venda, no lugar do cor-1m 0*,'r\e^,0,' ca' virgem de Lis-lSu,ssa' em izas de uma duzia ; verdadel-
t u me, dous quarUog muito bons.
i-ote ra ilo-lio-d. -.Imieii o.
Aos 2o:ooo$ooo.
Na loja de miudezas da praga da Inde-
pendencia, n. 4, vendem-se bilheU*, meios,
quartos, oiUvos e vigsimos da 11.a lotera
a benelicio do theatro de S.-Pedro de Alcn-
tara, que foi ettrihida no dia 9} de setem-
bro. Na mesma loja se moalram as lisUa
chegada* ultimndole.
Vendem-se 130 saceos novo* de esto-
pa, com dua* varas cada um : na ra larga
do Rozario, n. 48, primeiro andar.
Coalina-se a vender manteiga ingla-
za nova, a 400 rs. ; caf em grflo, a 160 r* ;
dito moido, a 160 rs.; che hy*on, a 1,920
rs. ; velas de carnauba de 6, 7 e 8 em libra,
a 280 rs. ; cevada, a 80 r. ; aletria, a 24o
rs. arroz, a 60 rs a libra ; feijo novo pre-
to, branco e mulalinho, a 400 rs. a cuia:
no paleo do Carmo, n. 2, venda nova.
Lotera do Kio-.li-Janeiro.
Aos 'o:ooo$ooo.
Na praga da Independencia, loja n. 3,com
fundo para do Queimado.vendem-sebilhe-
tes, n.eios, quartos, oiUvos e vigsimos da
decima primeira lotera a beneficio do thea-
tro de S.-Pedro de Alcntara,viudo pelo ul-
timo vapor. Na mesma laja mpstram-se as
l isU* da* loteiiaa pastadas. \
Vende-ae um escravo bem piotsanle,
bom para o servigo de en\geiho, de nsgflo
Cabunda : na irtyes do Veras, n. 15, >
lioa- Vista, lo i* 8 horas do dia.
Lotera do Kio-de-.lauelro.
Aos 2o:ooo#ooo.
Na ra eslreita do Rosario, Iravessa do
Queimado, loja de miudezaa, n., A. Ven-
dem-se es r-uitcs ssrsditsSoi .iici ..'.
11.' lote na do theatro de San-Pedro de Al-
cntara do Ri-de-Janeiro.
-- Corda* e bordOes para vIolSo e rabee,
na ra eslreita do Rosario, travs** do Ouei-
madu, loja de miudezM a. 9, A. Vendem-se
muito supreriores corda* e bordOes para
violSo e rabeca, por prego mais commodo
do que em outra qualquer parle.
A 4:ooo rs. e l,5oo.
Carteiras de iiunoquim con chives,
para commercio, com os mezes do auno, *
4,000 rs. cada uma, edita de tartaruga pa-
ra algibeira forradajjfUe selim muito ricas,
a 1,500 rs.: no Atierro da Boa-Vista, loia.
u. 48.
- Vendem-se 3 venesianas para janelli* I0*1?* da algodflo trangado azul ; quando
de saccada muito bem feitas e com pouco fo88 diz uso : na ra do ArigSu, u. 8. i*eu senhor mora mnito longe, e que nSo sa-
-- Vende-te uma escrava de naglo, que ')e "me da trra: quem o pegar leve-o
engomma perfeitameote, lava deiifl!. -0. ra Diroita. n. 6t. venda de Jo8 Jos '--
zinha, cose e he muilo boa qniUndeira na -V'rsods, que gratificar, ou no' dito sitio
ruado Aragfio.n. 8. do Bomgy, que foi do fallecida JoUo de
Vende-se um molequo de nagfio, de 90
nome Sabino, de cor parda, esta-
tura regular, de ao annos pouco
mais ou menos ; lerou calfM e
o^rnTsa az%ieaA e bonete encamado:
o outro de nome vjiuzebio, criou-
lo, de 34 annos poWc mais ou
menos, estatura alia-,\j/ou calcas,
camisa embnete aiues. iRoga-se as
aluuauCi jiuiiciaes ocjiiiesde
campo, que os apprehendaW e le-
vem-nos ruado Trapiche, n\ 34
casa de Novaes ck Companhia, Jwe
recompensar. \^
--Fugio, n* noiie de 29 para 30 de etem-
bro do correle anno, do sitio do Bomgy,
um mulalinho de nome Francisco, de bom
cabello, cr descorada, de II para 14 annos,
secco do corpo, falla Gna ; tem uma marca
de ferida em cima de um olbo proveniente
de uma queda ; o melhor sgnil por onde
pode er condecido he ler vesgo da um
olho; levou camisa de algodSo riscado,
boa, por breco muilo commodo J.^!n8C ve'h0', ?' raAeluor f!bric 4 Uaao, que abe connhar odisrio d urna ""
r r^V "o immoaO/lFranca, om barris de 80 garrafa* poucb |caa : no ci* do Ramos. |P.B
Barro*.
11*. 1 a* nr. asa. v. urnui. .1860
MELHOR EXE


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E5T340Y91_QPILE3 INGEST_TIME 2013-04-24T17:43:09Z PACKAGE AA00011611_07026
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES