Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07024


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anna XXVI
Segundft-feira
rxRTiBAa Boa comiusiof.
Goianna e Parahiba, segundas elextai feiras.
HIc-Oraade-dn-Norte, quintas feiras o melo-
da.
Cabo, aerlabicm, Rio-Formoio, Porto-Cairo
e Macelo, oo I .?, a 11, e 21 de cada mex.
GaraDbun e Bonito, a 8 c SKI.
Boi-Viita e Florea, a 13 e 28.
Victoria, os quintas feiras. '
Ollnda, todoa oa dias.
KVILUJEKISEa.
Nova. a (i, 3 h. e 9 m. da ni.
Cese, a 13, a 6b. e 1 a>. da m.
Chala, a-21, as 10 b. r 21 ni. da ni.
Miug. a 28, i 7 h. e 33 ui. da t.
nlaaua BS atoja.
Primeira aoi 30 minutos da Urde.
Segunde aos .14 inloutoa da manbaa.
rf Setembro d 1850.
lf. MO.
1/BpC* DI BBBSCEtppio.
Portrcsmer.es (a*!ia*l* Por seis tunen 8>000
Por um a: "i.i a___15/000
ma. km asatAWA.
30 Seg. S. Jcronymo. Aud. J. dos orf.e m.da 1. v-
1 Tere. Remigio. Aud. do cbanc. do J. da 1. T. do
clv. c do dos fello da fazeada.
2 Quart. S. Leodegarln. Aud. do I. da 2. v. do clvel.
3 Qui it S. (ludido. Aud. do J. dos orf. e do m.
ds I. v.
4 Sext. S. Francisco de Assis. Audj do J. dal. T.
a do dos feilos da fazenda.
5 Sab. 8. Placido. Aud. da Chae, e do J. da 2.
v. crluie.
6 Dow. O SS. Rozarlo de Nossa Senhora.
Por UMl a "1 i lUfUW O 1JOU1, \J oo. HOUim t waaa .
2* n sala aassacif, a ntaaMfSfmw .;iy.jv^ '
O&MBtOa ri29BE SETEMDRO.
da
Sobre Londros. a 28 . Parla, 846.
Lisboa, 100 por cento. -^ ,
(Xro.-Onras hespanhoe,--------29/000 a 29/WC
Hoeda de 0,100 velnas.. I6#4W a 5/60
de 6/400 novas.. 16/100 a IflgOO
. de 4/000.......... 9/100 a 9/200
Prtta.-Patacoe.brasiletro.r...... 1/B60 a lgMj
Pesos columuartos....... l/M a 1/WO
Dltoiiaeaieanoi......... l/suti a ijmv
maawaiii iihi.is. T"*?-
ira?MaaiaamBHta'auns>'tK* MRTE QFFIC'Al.
GOVBRNODA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA. 26 DE SETEMBRO
DE 1850.
Offlcio.Ao Exm. presidente da Pirahiba,
recommenriando a expedico de suss or-
den, a daquella provincia pjsso, b remella k esta
presidencia, a guia do tenenle-ajudante da
e*tincU segunda liulia Antonio do Sonto
Goudisn eom lodas as deelaracoos elnolss re-
lativas leus servieo* e vancimentos desde
8 de dezembro do 1822 al o presente, valo
issim o requisitar o inesmoGoudim.
Dito.Ao Exm*. commandantodas armas,
declarando floi de que o Taca constar ao te-
nente-sjudmle Antonio de Souto Goudim,
que os documentos que elle pede Ihe sojim
restituido, nfio frsm encontrados na se-
cratsra da presidencia.
Dito.Ao mesmo, remetiendo i fin de dar
o son parecer, tres ofllcioa do inspector da
pagadoria militar relativos so pagamento
dos singuis de casas para alojsmenlo dos
ofllcias de primeira linda da guirnicodes-
ta provincia.
Dito.Ao inspector da pigadoria militar,
devolvendo o requerimento de Manoel Hen-
riques Wanderley O documentos, i que er
refere a aua informando, para que nos ter-
mos della Ihe d para aer processado na for-
ana da circular do tribunal do thesouro pu-
blico nscionaciol de 6 de agosto de 184? o
titulo ds qusDtia de 645,452 ris, que so
peticionario se esls a deor de resto das des-
pera* por elle ferias eom gneros para sus-
tentarlo das tropas na comarca do Rio-For-
xo, e prevenndo-o de que deve Juntar a
conla de taes despeas oa documentos que
fallflo, os quaes dorem existir naquella la-
gadoria, pois que se nilo fossem psra ahi
enviados como menciona o ollicio da presi-
dencia de 1 de maio ultimo, Smc. os teria
reclamado na mesma Qccasifio.
Dito.Ao mesmo, transmiltindo urna co-
pia da informacSo que deu o director do ar-
senal de guerra acerca do ollicio, em que
Smc pede provideoeias, para que ss despe-
zas mensaes do mesmo arsenal nilo excedan
da consignaran para ellas denudadas em o
ejercido corrente
Dito.-Ao mesn o,ordenando que pague as
pracasdo oilavo betaMrto de ccidflTeaesm
prebendidasna relatan que remelle assig-
nada pelo secretario interino da provincia,
as gralificatOes mencionadas na mesma re-
luci, por haverem as ditas pracas depois
de lindo o seu lempo de servieo contralado,
de conformidede ao decreto e regula mento
de 18de novembro de 1848, para continua-
ra m no mesmo servieo, mediante as referi-
das gratillcaoes.
Ilela(Jo a gtu le rifere o o/fieio cima.
Msico d* 2 classe Francisco Jos 180,000
Anspecada Elias Antonio dos Sntos 180.00
Soldado Mriiit-I Antonio dos Sanios 170.000
* Antonio Corris 180.000
Innoceiirio Jos Ramos 180,ooo
Manuel l.uiz do Carmo 170 000
Joaquim do I'assos 170.000
a Candido Ji.aquimFerreira 160,000
Neste sentido olllcinu-se ao Exm. com-
niandande das armas.
Dito --Ao inspector do arsenal de mari-
nos, devolvendo a paite que dera o cons-
tructor daquelle arsenal acerca dos coucer-
tos, que precisa o brigue Calliupi.
Dito. Ao inspector da thesouraria da fa-
zenda provincial, remetiendo a planta e co-
pia do orea ment que approvou, para a fac-
tura da* obras da pona de Iguarass, aun
de que ponlia eui airenutacao as lefeiid-
oltras.OIBciou-80 nesle scuiido ao direc-
tor das obras publicas.
Dito.Aojuiz municipal o do or.|ilos do
termo la Nszureth, aecusando a recepc,Ao
d* ollicio, em que Smc. communica haver
entrado no exereicio do novo quatrieumo
deua raeonducqao uaquelle lugar.Com-
municou-se ao iospeclor da thesouraria de
fazenda.
Dito Ao delegado supplenlo do lermo.de
Olinda, decJcarando em resposla ao ofllcio,
em guo Smc. ao passo que participa adiar-
se em abandono a subdelegada do primeiro
districlo da freguezia de Maramguape, por
se, lar mudado para o Citara o subdelegado
Francisco de Paula de Souza L-tSo ; o pri-
meiro sopplente nflo haver aceitado o car-
go, e o segundo feio urna viagem a Para-
iba, propOe pesaas para oceuparem tacs
cargos, quevai olliciar ao cliefd il polica
a respailo, eque cmquanloae no expedem
as Oeceassriaa providencias, deve Smc. cha-
mar par SUlllluir o f ofoi iuv ol/cirg
o terceiro supplenle Manoel Francisco de
Scuza Leflo, uomeado por portara de 12 de
oulubro do auno prximo passado.
Dito.A' cmara de Nazarelli, dizendo
que em lempo oppurtuno um engenheiro
ir aquella cidade, a levantar a pl cadeia, orjar a despez* para esta obra.
DEM DO DA 7.
Ofllcio.Ao Exm. presidente da Parahiba,
dizendo que por nlo ser posslvel envlar-se
para aquella provincia no vapor S.-Salaadr,
que boje paite para o norte os 15 birria de
plvora, e o restante dos reparos de artilha-
ria viudos da cort) pira teresse destino,em
rasflo de haver o encarregido da agencia
doa paqueles declarado ser prohibido pelo
regulamenlo da corapanl.ia a conducllo de
plvora as respectivas turcas, e nBo ler o
referido vapor commodos para transportar
oa rvpaiup, resOi.o civisr p.r sj! ns bar-
Caca Con**ifA-e EslevUo
Jos do Freitas, a sobrodltl polvoia pelo
frete de <(0 ris cada barril, que aer pago
na mesma provincia, segundo foi contralado
polo inspector do arsenal de eaarinha.
Communieou-se ao mesmo inspector.
Dito.Ao Exm. commandint* das armas,
recommendando a expertieflo de auas or-
dena para que a fortaleza do Brum d a sal-
va do cosime da ocrasio de largar para a
Parahiba o vapor ^.Salvador, que oonduz o
F.xm Sr. Dr. Agostinbo da Silva Naves, pre
sidenta noineado para aquella provincia.
Dito.Ao mesmo, communican lo que
m viso do ministerio da guerra, datado de
II do jrrenle, foi ordenado que se nfln
deve dnr cumprimenlo a aviso algum da li-
cmicja que no for sellado, j nKft levar por
extenso a noli de ter sido regstralo.
Dito.--Ao mesmo, inteirando-o de hiver
S. M. o Imperador, segundo foi declarado
em aviso do misnisterio da guerrs de II do
corrente, concedido pissagem para o quar
tohatalhSo de cacadorea ao soldado parti-
cular do terceiro de arlilharia a p Jos de
Souza e Abreu.
Dito Ao mesmo, pira que ero cumpri-
meoloao aviso expedido pola secretaria de
estado doa negocios da guerra em data de
11 do corrente, remetti nfimileaer enviado
aquella secretaria urna certidSo dos s'aen-
tamentos do lente do sexlo batalhSode
cacadres Raymundo Gontjalves de Abren,
que tendo pertencido ao primeiro batalhSu
orovisorio do Marannfio, passara porextinc-
cSo deste a ser addido ao quinto de fuzi-
leiros no auno de 1843.
liito.Ao mesmo, inteirando-o de haver
mandado dar pissagem para o Cear nn
vapor S.-Suivador, ao lenenle-coronel Luiz
\ntooio Favilla, que se scliava ocsla pro-
vincia eom licenija do governo imperial.
Dito.~Ao mesmo, transmiltindo copia do
aviso do ministerio da guerra de II do cor-
rente, em que se communici a vinda para
esta provincia do capito docorpo de eogo-
iilieims CltristovSo Pcreira de Az'-redo
Coulinho, afim de ser empfegsdo na com-
missSo mencionada em 0 citado aviso.
este sentido oUlciou-se ao inspector da pa-
gidoria militar.
Dito.Ao mesmo, ordenindo que em
liirnpriment ao'.aviso do ministerio da'guer-
ra datado de 11 do corrente, faca seguir para
a corle a reunir-se ao quinto batalhSo de
oteadores a que pertence ocapitito Jos Ig-
nacio Ferreira da Fonsooa.lulelMgcnciou-
seao inspector da pagadoria militar.
. Dito Ao roesoio, scienticando-o de ter
S. M. o Imperador, por sua immediata e im-
perial resoluco de 2 do corrento, tomada
solir- consuUajJo conselho supremo militar,
segundo foi declarado em aviso do ministe-
rio da guerra dalado de II do mesmo mez
mandado que ao alferesjudanta do oilavo
halallio de caladores Martinho Jos da
Silva, se conten teinno de servido de 26 de
aneiro de 1840 em diante.Ofllciou-se nes-
le sentido o inspector da pagadoria mi-
liar.
Dito.Ao mesmo, inteirando-o de haver
S. M. o Imperador, por decreto de 14 de
margo de 1819. segundo foi declarado em
aviso do ministerio da guerra de 9 do cor-
rente, promovido ao posto de alferes-secre-
tario eom dimito a accesso para o quarto
balalhSo de capadores o segundo cadete se-
gundo-sargento Francisco Xavier Correia
da ConceicSo.Inlelligencou-se ao ins-
pector 4a pagadoria militar.
I)ilo.--Ao mes'i'o, dizeudo'que para poder
cumprir o aviso expedido pela secretaria de
estado dos negocios da guerra em data de
11 do correte, faz-se oiister que S. F.xc.
mande extrahir e remeta alim de ser en-
viada ao Exm. presdanle do Rio-Grande dn
ul. por interme lio daquella secretaria de
estado, a fe de ollicio do sol la lo Benedicto
de Souza, que em 1813 assentou praQa no
quinto batalhSo de fozileiros qumdo este
curpo era stimo de catadores, e actual-
mente se ada eom prarja no quarto bita-
Ihilo daquella arma.
Dito.Ao Exm. presidente da relacSo,
coinmunican lo que S. M. o Imperador, por
decreto de 6 do corrente, segundo foi de-
clarado em aviso do ministerio da jusiii;
eom data de 12 do mesmo mez, houve po'
liem remover o bschirel Joo de Souza
Res do lugar de juiz municipal edu or-
pnSos do termo do a\x para o dos termos
reunidos de Sento-S ti Joazeiro na provin-
cia da Baha.Meste aen\ido flreram-se
uessaiias aommuoicagOesv
Dito.Ao mesmo, trauim\|lmlo om cum-
primento ao aviso do ministerio do impe-
rio datado de 12 do corrente iriez, um ex-
emplar da falla, eom que S. M o Impera-
dor encerrou no da 11 do mesmo mez a se-
gunda sesso da oitava legislatura da as-
sembl* geral legislativa.--Igual remessa
se fez ao Exm. cominaudanie oasaiu.;s,
aos inspectores da thesouraria de tazends,
da pagadoria militar, eda thosourana da
fazenda provincial, ao director do lyceu, ao
director do arsenal de guerra, ao inspector
do arenal de marinhha, aos administrado-
res do correioe consulado, ao director das
obras publicase s cmaras desta cidada,
Goianna, Saulo-Autao, Nazaretli, Olinda e
Itio-Formozo.
Dito.Ao director do lyceu desta cidade,
intairando-o de haver mandado pissar pro-
viso para o lugar de subslituto das cadei-
rasde latim e lingos nacional daquelle ly-
du, i Fre Antonio de S. Gamillo de Lollis.
Commuuicou-se ao inspector da thesou-
raria da fazenda provincial.
Dito.Ao inspector da thesouraria de fa-
zenda, coinniunicaiido que o governo im-
perial, por portara da V do crrenlo, se-
;UmJo roidsclaradoeni aviso do miriis'.eriri
lo imperio datado de II do mismo mez,
conceder ires mezea de iieenca eom todo
es veucitnetitos io odministrador do correto
geral desta provincia Antonio Jns Gomes
do Crrelo. |nllrou-ae o dminttrador
interino daquplla admloistracllo.
DitoAo mes'no, trsmittinrlo copia do
decreto de 24de jnlho ullinta, pelo qualfo
aposentado Francisco Xavier Cava lean ti de
Aibuquerque no emprego de administrador
da reeebedorla de rendas internas desta pro-
vincia.
Dito.-Ao Inspector da pagadoria m lijar,
para mandar abonar ao lennnU-coron
l.uiz Antonio Favilla. que segu hoje para
0 Cetra no vapor S Salomar a importancia
das comedoria* de embarque, que Ihe com-
Hito.Ao bicbarel Alejandra Barnardinn
dos Reis e Silva, transmiltindo um aviso
que para ter este destino foi enviado pela
secretaria de estado dos negocios da jnslica
eom outro dalado de 31 de agnsio ultimo, e
exigindo em cuoiprimento este que on-
vie a secretaria da presideucia recibo de Ihe
ter sido entregue aquelle, liem como a res-
posta que bouver de dar fim de serem en-
viailos a mesma secrolaria de estado.--De
igual theor aos hachareis Antonio llaptisla
Gilirana, Caetano Vicenlo de Almeida J-
nior e JoSo Mauricio da Rocha Wan-
derley.
Hilo. Aojuiz de direilo da comarca do
l.imoeiro, ordenando que faca entregar ao
bacbarel JoSo Mauricio da Rocha Wander-
ley o ofllcio que remelle, eom o qual trans-
mita o aviso que Ihe fui expedido nela se-
cretaria de estado dos negocios dajustica,
e prevenindo-o de que deve exigir do mes-
mo hachare! recibo, que ser enviado se-
cretaria da presidencia eom a resposla que
elle houver de dar.
Portara. Mandando dar passagem no
vapor S.-Salvador, em os lugares que exis-
tem vagos para passageiros de estado ao
xm. Sr. Dr. Agostinbo da Silva Naves, pre-
sidente nomeado para a Parahiba, e a I)
inna de Brito Favilla mullier do teiiente-co-
ronel eom mandante docorpo flxo do Cear
Luiz Antonio Favilla.
-- arasiinai' I1 ait liataa nal 1 I -- '- todava wm por iilq.deUareiiins de
-.....J- ------.....-rtfinfii. niscinns que
PEivKAMBCC
Tribunali do jury.
2.' SESSAO ORDINARiO DESTE ANN0.
Prtsidencia do Sr. Dr. Nciva.
! reuISo em 28 da setembro de 1850.
A's onze e meia hora da manh.la, fella a
chamada verifican".-se cftar presentes 24
LSrs. jurados. \
O Sr. Preii'Itnte : convida a alguna dos
Srs. presentes a escolherem no livro das
^ualificacOes 24 Srs. jurados para comple-
tar o numero exigido por lei para haver
sessAo.
Proposlos na forma da lei sSo approvados
pelo tribunal.
O Sr. Prttidenle designa para a sessSo o
>lia 30 s 10 horas da manilas iinnrcteri'el-
menle, c multa na quantia de 10,000 rs aos
rs. jundos que fallaran) sem causa parti-
cipada dissulven o a reuniuo depois de
ineio-dia.
pSPS"aa"MPa",1Sajs1
Communicarios.
e aensalo deve ji estar bem convencido do
t6rpe manejo do que vfls tendes servido pa-
ra il I ud ir o governo, eos que vos n.lo co-
nhecem ; acreditai porem que a verdade so
nHo ultriija impunemente !
Falleceu nn dia 15 de marco o Dr. Arau-
|o Noves de um violento itaquedeconges-
tin crehral, como ninguem ha qu igno-
ro, e comooconfessam mes-no aquellas dos
da faceflo nortisla, em cujna samblantas
anda lampaja a vergonh ; era con'*quen-
ca daslo Mifausto acontecmento, tomn o
Sr. Wanderley contn da administraciln da
provincia, em quaiida.de do sen primeiro
della, tal era a polica adrda conserv'll
pelo Vieir.ln, que foi o 8r. Wanderley obr-
gado, por bm da tranqnillidaile nsegu-
ranga publica a sublitui-la em muitos lu-
gares immeliatsmcntn ; a onra que o dai-
xasse de fazer seria nscessario que deseo
ubecesso o Sr. Wanderley que nos lugare
de porcia e-tivam collncados os mainres
reos dell, sceleratns. asssinns da nrofls-
sSo, e os ma'S pronunciados dasordairns
E deveria o simples facto da mort do Dr
Araujo Neves por embarazos ao seu suc-
eessor para que deixasse de providenciar,
como convinha, sobre a trinquillidade e
seguranca publica da provincia, entilo con-
fiada aos cuidados, e resporiS'hilidade do
Sr. Wanderley ? Deveria embargara asta
de dnr comprmanlo ao decreto queremn-
vi>u o VierSo desta para a provincia das
Magnas, e quando era elle o principal mo-
tor da desordem, que felismenle deixar de
ter lugar na provincia, por circumslancias
independenles desua vonlad!'-l)everia por-
ventura, o Sr. Wanderley flear de bracos
cruzados, emquanto o genio dos perver-
sos, e turbulentos no dormia, e espreitava
todas a* nccaaOi'S para inquietar o soreg
publico? Cortamente que nao ; e neuhum
iiomem de senso podera reprovar o proced-
nenio alias muito acertado do Sr. Wander-
lev, e adiar nelln a prova do apregoado, e
ji lant'.-s vezas soleinnemenlo desmentlidn
asssinato do Dr. Arijo Neves a quem, se nio
votiva adhesSo o par ido solista, por nfln
ler pera isso rasflo alguma, tambero nao
votava odio, pois nunca dosconlieceu a
hondade de seu corsean, e sua nimia boa
le que chegava ao ponto de ser constante-
mente illu lida por esses perversos, que ho-
ja procurar ferir a reputcflo da grande e
respeilavel maiorin dos llio-Frand^nser.
Senhnres da faccSo nnrl isla, anipiai car-
reira no vosso descomedido propos to de
calumniar, e de insultar ui> partido, que
vos des; re-a Com rasan, o cuja moralidad.'
nlo po lereis ji nais contestar, por mais
que com a baba per;onlianta da calumnia
lancis os bofes pela horca ; Ionio ao me-
nos um, momento de reflex3oeda pudor.
* *
rio-Granrie do norte.
AO PUBLICO.
Neni o mrito oaisdittlncto.neui a vlrtu-
de meaos snspeila.neui a reputacu mais
Ulbada pdem escapar ao envenenad
, dente du columniador : elle se aprax de
ferir o que o boiiiem tem de in'alssagrado
lobre a Ierra, minora convencido deque
acabar, ebeio de remorioi, esmagadu
ob o peso da verdade quem combate.
N9o descunhecemos oe quinto acert .se-
ria vola rinos um com nielo desprezo, co-
mo at aqu havjamns feto, todis essas ca
lumnias e aleivosiis com que a faceto nor-
tista desta provincia, peljada dessa perver-
sidade que acaracleriaa, tem procurado a-
bocanhar e ferir a bem eslabelecida reputa-
cao do partido sulisli, e porvenlnra da in-
conteslavel maioria dos rlio Grandenses.
mas 18o graves sflo essas calumnias, e ts<>
acerbas as iniputacOes que sobre seus ad-
versarios tem lancadn essa faccSo ignumis-
sa acerca do sentido fallec mente, do Dr.
Jos Pereira do Arajo Neves, a quem mali-
ciosamente tlflo como assassinado, queco
oo Rio-Crandanse, jolgimos do nosso de-
vnr, clenlo sos impulsos do nosso co-
ra(So, invocar a mais seria alinelo do pu-
blico para os proprios documentos, qu>
essa faceflo abjecla tem feilo publicar pela
imprensa, e quesem muito axame revelan
ou. iuqualillCave peivoiisdr, 0 CJuis-
mo inimitavel, quanJo do liel cumpriuien-
to que deu o Evm. Sr. Wanderley ao de-
creto imperlil que removeu o celebre Viei-
rflo pira a commarca do Penedo na provin-
cia das Alagois, de algumas subslituicoes.
alias bem merecidas, que fez o Sr. Wander-
ley na polica, e de alguna oulros actos que
com toda a juslica praticou, em rssfloda
autoridade que exerceo depois do falleci-
mentodoDr. Araujo .Neves, prelendeu tirar
sufliciente rasSo pra asseverar que fora
o.>te envenado pelo partido sulisla, dndo-
se pressa em fazer publicar pelo seu urgflo
no Cear.e pelo Corrtio dn Tarde,no Rio essa
apoutuado de calumnias o recrimiuafdes ,
que tem chegado aosolhosde lodos, per-
suadido talvez de que por Ul modo Con-
seguira tomar completa vinganca de seus
desairelos, ludigiius sflo demasiada-
ni-iii Iracas ss vossas armas para ferir a
replanlo de um par nuu iiuuesio O inodura-
Jo ; mu iuugo esii eiie do aicaucedo vos-
sas euveuenadis slas ; o publico judicioso
RIO-GRANDE DO NORTE.
MODELO DF. COHERENCIA!

desaliar-nos para que pubHqnemoa nos90 mi-
me, nliiu sem duvida de Insultar-nos pessoal-
mente, aa que ji deu, principio, c isgundo a
tatica seguida por estes senborcs, que em falta
de pravas para comb.itcr os leus adversarios
tratain de os descompor para por este inodn
arreda-los da scna, e dcisando-lhea livre o
campo de mai eapcrnlavSes, poderem conti-
nuar a llliidir o publico colu os erros do sen
methodo, e com o charlatanismo com que o
qiicremapadrinhar.
Rao obstante o desafio do Sr. Caianova nao
queremos publicar o nosso nnme, lando por-
que nao nos convm er maltratados, como
porque nenhnmn re'tcao piidc tero noaso no-
me com os factos publicados no nnsso commu-
A facciio nortisla do Rio-Grande, que desde
muitos ainios reage contra os principios de or-
dem; que por innmeros factos tem patcntea-
do nina viva guerra a todo o sentiinento de mo-
ralidade publica! que por mais de una vez
aecusou o partido sulista, seu antagonista, de
escravisar suasconvicfdes ao governo, por isso
que apoiava todas as administracoes honestas,
por ssi que se prestara da mclhorvontade em
pro da susleiitscio e defesa da orden e tran-
quilizarle publica, envidando para este fim to-
dos os seus esforcos e lecundando o govern-t j
a faccao nortina, di.emos, que ues aecusafee. usar.a ia. .,uo ..
fatlaaoa seus adversarios; que Ibea e.probva a8or:,J.e.sju.0...a",,,nf ?;
o elegerem peasoaa nao filhas da provincia pa-
ra os importantes cargos de depuiado e_sena-
dor, emquanlo pelo leu orgao Grtela Norlitla
estirtmaiisandn as candidaturas dos Em. sra.
II. lanoel c Dr. Moraes Sarmeuto, proclama-
vao o principio de provincialismo, chegando
o leu exclusivismo ao ponto d ;n un -i-I h i r
provar tudo quanto escrevemos. Ulsscmnsqu
o Sr. Francisco Mmpliclo dos Chapas uo tere
um ataque apopltico, mas slm de got.i com,
que costuma a dar-lhe; e como das outras ve-
les tem succedido foi-se lentamente r'atalielc-
cendo do mesmo ataque por eflcllo lios esfnr-
cos da nalurrza. eque o medico longe. de o ter
desengaado amaneara que ludo se pasearla
como das oiltras vetes ; llllrfl como que o mes-
mo Sr. nlo liona ficado bom, e lanto aaalin era
que i linha solfrldo depois deste dona ataques ;
disieinos tambein que sii depois de ter o Sr.
(.'asauova i-ecebldo 20,000 rs. por dnaa dses foi
que sua generosidade se desparto, etc. Par,-,
prova disto apreseotamos o srguinle docu-
mento :
Eu abaixo assignado, tendo observado a
molestia que sullrera em abril deste anuo o Sr.
Francisco Simplicio daa (.hagas, e mesmo por
ter ouvldo do mesmo Sr., atiesto em como elle
achandn-se nielhor do ataque que soffrera, a
l>.in de poder confesaar-se, e di/endo uesta
na isi.io o medioaisistente que eiperava que
elle li.ivi.t de mellior ir com o lempo ; e nao
voltando mais foi chamado o Sr. 'lasanova.o
qual venden as duas primeiras dses por 20 000
rs., c depois nao querco 'o o parante! que
continuaise, elle obrlgou-c a dar asoniras gra-
tes, e tendo o Sr. Simplicio recobrado o seu -i-
tado habitual, j Ihe deu por duas vezes novo*
ataques
R-Tfe, 55 de setembro de 1850. Malasio
Mauricio cierra.
Ser preciso demonstrar que o Sr. Casanova
foi maltratado quando querendo chamar a si
ns doenles que procuravam a outras peasoaa
Panoli o preco das dses. Os leitores do Din -
rio de Pernambaeo eslamo lembrados que a 24
de abril o Dr. Sabino aasim escrevia acerca do
Sr. oficial de saude. tOSr. Casanova que con-
tinu com os leus annuncios de dsea de 5.000
c 2,000 rs. c visitas lodos os das; o que deste
modo dar maiur exlraccau ao seu g'nerodr
coinmrrcio aproveilando algum Imbcil que an-
da Ihe nao conhrcaasiiiaiilias, porque o iarolo
eunvid. a comprar, ele- Eis o julio que O Sr.
Dr Sabino faz do leu discpulo e adep'o em
Hernambuco, o nico facultativo que abracou
aqui a honiaiopalhia Consta qne o Sr. Casa-
nova procurou varias pessoas para Ihe f.zcreui
respnsta, e diiia a quem quera ouvir que
ato llalla confianca na Iioune ip ulna c que na-
da era, etc mas dcpola de escripia nao a quii
asignar nem respondeu, como j foi publi-
cado.
Os annuncios repelidos pelo Diario e Ver-
lumburo nos quaei o Sr. Casauova declarara cu-
rar dores de denle em poucos minutos aeni
um cleair infalUvel sao de 13o recente dala,
'que estamos despensados de provalo; aasim
tambera estamos de que nesse mesmo lempo
alguinai declaracOes foram feitas mostiando
que o Sr. Casanova eslava illudindoo publico,
o qne he eiaclo, porquanto, pela nossa parle
coiilieccinos diveraai pessoas que foram obri-
g.idas a arrancar os dentea logo depois da ap-
plicaco do seu remedia. Se o Sr. casanova
ainda fingir por em duvida o que dissemos, de-
clararemos os nomes destas pessoas.
Estes niesmos anuncios e outros eram assig-
nados pelo Dr. Caianovn medico francet quando
no he mais que olHcial de sade, un que ha
grande dilterenca, c de certo oSr. Casauova
nao ousaria fazer outro tanto em Franca, coun>
A lei franceza as-
siui se exprime. Os doutore recebidos n.is
escolas de Medicina podem ejercer asna pro-
iis.au em todos os departamentos de Franca,
etc. (>.. ulliei.ies de saude nao se pndem eslj-
b-lecer seno nos departamentos oude foram
examinados pelo jury; nao podem praticar as
grandes operacOrs cirurgicas eJo debaixo dn
bou de insultar no seu pasquim
de cohereucia 1!'
Se o inires da faccao nortisla, j estaca dealem-
brados de vossos apregoadns principios, e ate
mesmo de que leudo vos a sem sereuionia, e
diremos misino audacia, de offereccr vossos
impotentes votol ao disllncli Sr. D. Manuel,
pelos motivos que no ignoraei, e menos pode
Ignorar o 8r. Taques de ominosa recordaco,
foram por aquelle benemrito cidado solem-
ne me me rejeiladoi?! Como, pois. vos arro-
gaos lo deslambidamente o direito de haver-
des elegido o Sr. D. Manoel senador por esla
provincia ?! Nao foram conhecidoa e nao o sao
ainda hoje, todoa os manejos torpea que ein-
l'irgaiiem pui ;,<...i". o... u itiya.
Nao foram para elle fin, e dentro de poucos
dias, desmontados os sulistas de todas os posi-
edes officiaes que occupavain na provincia ?
"lo foi auaprnsa c proceasada toda a cmara
da capital, que se nompnnha de solistas, para
se ageilar una apuracau da qual podeisels ex
eliiir o honrado Sr D. Manoel; mas que par
odoalgum o podeiteis conseguir, visto como
havia elle lldo a unaniuiidade ilos votoa do
partido anllita, que a despeito de voisas bra-
vatas e intimidacoea jmala abandonou o cam-
po eleilorai Y Como, poli, vos iuculcaes de ha-
ver elegido o pr..bo c honrado Sr. Manoel ?!
Sao na verdade multo coherentes, e tem con-
vlccdei profundas as nortistaado Rio-Grande!!!
Felizmente os conhece o Sr. D. Manoel ; c oa-
la nao conlieceise elle eise perversos, que tin-
to o tem Insultado, e que tlveram mesmo o
arrojo de lentir contra aua prcoiosa existencia
nesta provincia, e ainda na de Peruainbuco ero
seu regresso para a corle.
O Sr. oficial di mude Casanova, nao podando
contestar aa noisas ausrsoes, publicadas no
t>iario de trnambuco n. 109, couwuU-ae eiu

prov
uoiso coiuiitunicadu, ajuize o publico quein
he o mais vil uienliroio, e le nos ainda que
a obertados cum o manto do incgnito, temos
nn nao mais honra em nao escrever falsidades,
eomo tem acconlecido com o Sr. Casauova es-
tampando o seu celebre noine as suas noluvtit
publicarle*.
Corresponde iscias.
Srs. Redactor Sb a assignatura da
-...Ja. .i...- bCS. C3**r?**-'!"f t,rn dos
noradores da freguezia, cuja polica o go-
verno leve a bondade do conflar-me, dig-
uou-se de tecer-me immerecidos elogios
o n urna carta que Tez publicar em a l.'m.ii
n. 306 de 26 do crreme. 6obre modo
grato a esse cidado, quem quer qaeseja,
pela maneira como qualiflcou o meu proce-
dimenmento no exereicio de varios lugires
pblicos, que tonho oceupado, e desejoso
de conheQ-lo para poder provar-lhe minha
gralido, asseguro que, qualquer que soja a
stuacau um que ie veja collouido, eu nSo
pouparei esforcos por presUr-me da modo a
justificar a idea ventajosa que ello de mim
taz,
Traticando todos esses aclos a que se re-
fere o correspondente da Unio nada mais
flz, do que cumprir os deveres nnerenies
aos cargos que tenho exercido ; e, sempre
que a minha posicSo me permeltir, embora
' .. .... ,;---- .i,iurt..i u les
tema ue iiuotai t>w.,Av* v u.,,.v... .--^.-,
n3o siccancarei do nroqurar muir o criuie,
e velar na seguranca individual e de pro-
11 a n n


priolado do todos quanlos estiverom su-
jeilos auloridade que porventura se me
houverde confiar.
Com a nsercSo deslas linhas que apenas
tem por lira manifertar o quanto rae penlio-
rara as obsequiosas evpresses do correpon-
dente da Unido muito obrigaram Vmcs se-
nhores Redactores o seu venerador e criado.
-Itufinoloi Correa di Almeida.-Uot-WsK,
29 de setembro do 1850.
Srs. redactores. Itogo-lhes queiram ad-
mittirnoseu cstimavel Diario, essas quatro
linhasa bem do publico.
Rlate um professor de prineiras lettras
na povoaso de Nazareth do Cabo annos,
simular aula a meninos. Tem urna venda
e he marchante, e em casa s lom dous me-
ninos : um que he (ilho de tua comadre, e
outro quo Ihe trata das me lilas da venda,
e por encanto percebe os emolumentos:
havendo inultos pas de familia com lilnos
que pela sua immoralidade deixam de man-
dar aprender. O Exm. presidente da pro-
vincia pode mandar pessoa particular exa-
minar o exposto para bem da educa;So.
J o delegado que entilo era Jos Tbomaz
de Aguiar, olliciou ao presidente que era o
Chichorro, e devo estar isa na secretaria e
contina na mesma, Francisco Berenguer
Cczar de Menezes.
Um Nazareno.
2'ublic^es a i cdido.
AO JUIZO PUBLICO.
Senkor.Diz o bacharel JosJoaquim Ce-
miniano de Moraes Navarro, que precisa que
V. M. I. Ihe mande certificar ao pdesta pe-
la secretaria de eslado dos negocios do im-
perio, se he constante na mesma secretaria
terem aa cmaras municipaes da provincia
de Sergipe d'el-rei reclamado com forte
instancia a V. M l.a conservado dosuppli-
canle na presidencia daquella piovincia,
quando a administrava, em rasSo de teras-
siduamente pedido a sua demissSo, para ir
acudir o seu lugar de juiz do civel da se-
gunda vara da comarca do Recife, que na
sua ausencia linha sido conferido a outro,
depois de se Ihe ler fraudulentamente nega-
do a posee por procuradlo, sendo depois re-
integrado pelogoverno : assim como asra-
ses em que se fundaram as ditas camal as
para semelhante reclamadlo.
Outrosim, o theor do aviso em que V. M
]., depois do muito custo, houve afinal por
bem attende-lo, desonerando-oda referida!
presidencia,aonde o louva peles hons servi-
dos pella prestados. Portanto pede a V. II. I.
se airva assim o mandar.E it. W.iose' oa-
t/uim Giminiano de Morca Navarro.
Do archivo desta secretaria de estado
dos negocios do imperio, consta que as c-
maras municipaosda cidade de Sao-Chris-
tovSoedas Villas-Nova do Lagarto, consti-
tucional da Estancia, de ltahaianinlia e de
Santa-l.uzia, na provincia de Sergipe, re-
clamaran! com fervor aogoverno imperial
a conservadlo do supplicante, o bacharel
Jos Joaquim C roiniano de .Moraes Navar-
ro, na presidencia da dita provincia ; alle-
gando em seu favor os muitos beneficios e
relevantes servicos que eslava prestando,
com gem satisfazlo dos povos, no exerci-
cio da referida presidencia, maniendo a boa
ordem e tranquillidade que reinava na pro-
vincia, ja p-la energa com que a adminjg-
trava, j pela solicitud que empregava
( com sacrificio mesmo da sua pessoa e fa-
7enda ) em dissipar as inimizades que exis-
tiam entre differentes familias, lazendo-se
conciba lor dos pleitos judiciaes que as divi-
diam. E a toldas 159 verso do livro pri-
mi'iro de avisoa para a sobredita provincia
nacha registrado o deque o mesmo sup-
plicante faz menelo, o qual he do llieor se-
guinte:
lllm. e Exm. Sr. -- Exigindo o servido
publico que V. Exc. parta quanto antes a oc-
>'ii i>ar o lugar de magistratura, que Ihe lora
destinailii, a regencia em nome do Impera-
dor honor por bem desonerar a V. Exc. da
presidencia dessa provincia ; e manda lou-
wr-liie o bom servido quo preslou no exer-
cicio deste cargo.
Dos guarde a V. Exc. Palacio do Rio-de-
Jtneiro, em 22 de outubro de 1834 --Anto-
nio Pinto Chicorro da Gama Sr. Jos Joa-
quim Geminiarcde Moraes Navarro.
< E para constar onde Ihe convier ae pss-
sou a presente. Rio-de-Janeiro, em 6 de de-
/ciiiliio de 1843.No impedimento do olli-
cial-maior, Albino doi Santos l'ireira >
Este magistrado ainda seacha avulso na
magistratura, instando aogoverno pela sua
reintegrado em qualqoer comarca, pois
desde 20 de junho de 1844 teve successor,
estando de tcenla do mesmo governo.
RECEBEDORIA. DE RENDAS GERAES
INTERNAS.
Itcndimento do dia 28......3:310,593
CONSULADO PROVINCIAL.
Itendlmento do dia 28.....513,445
PRACA DO RECIFE, 28 DE SETEMBRO DE
1850. A'S 3 HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios Houve transaeces avulta-
dasaa8 1/2d. por 1.000 rs.
AlgodBo---------Entraran) 1,033 saeoaa.efoi
procurado a 7,400 rs. a ar-
roba.
Assucar- Vendeu-se o mascavado ve-
Ilio ilo 1,250 a 1,440 rs. a
arroba.
Couros dem allOrs. a libra dos
seceos salgados.
Alpista----------dem a 21,000 rs. a barrica.
Aieite-doce- dem a 2,100 ra. ogalSodo
de Mediterrneo.
Bacalho O deposito est reduzido a
1,200 barricas, tendo se ro-
talhado de 12,000 a 13,000
ra. barrica.
Breu------------- Falta
Caf......Vendeu-se de 3,600 4,000
rs. a arroba.
Canella---------Falta.
Caruesecca Em consequencia da peque-
a quantidade os presos su
biram, l*nlo oblido de
3,200 a 3,500 rs. a arroba)
Ficaram em depotito cin-
co mil arrobas.
Erva-doce Vendeu-se a 10,500 rs. a ar-
roba.
Farinha de trigo Ficaram em ser 3,200 barri-
cas, Hilo contando com um
carregamento de 1,650 ditas
chegadasde Baltimore, que
seacha no po'to.
Manteiga-------Vendeu-se de 340 a 350 rs
a libra da ingleza.
Vinhos-------- dem 108,000 rs. a pipa do
de Malaga secco.
Ficaram no porto 43 embaresces, a sa-
ber : 2 americanas, 32 brasiieiras, 2 france-
zas, 1 heepanhole, 5 inglezas e 1 porlu-
gueza.
.ttovimeiito do aborto.
entrada desse garlo na cidade. Os
interessadss pdem comparecer
munidos de flanea edonea no pi-
co da mesma cmara, lioje 3o do
corrente.
O prlmeiro batalhdo de cacadores de
linha necessita contratar o fornecimento dos
gneros que compoem o rancho do mesmo
iiatalhSo, sendo olles carne verde, dilaseo-
M, bacalho, arroz, farinha, assucar, caf,
p.lo de sesmicas cada um, vinagre, azeite-
loce, toucinbo, sal o lenha : quem quizer
fornece-los por prego rasoavel, e de muito
boa qualidade, dirija-se ao quartel da ra
da Gloria, hoje 30 do corrente, s 10 ho-
ras da manhSa, efim de apresentar ao con-
cedi reunido suas propostas.
CONSULADO DE PORTUGAL EM PERNAM-
BUCO.
Joaquim BaptisU Moreira, bacharel forma-
do em direito, cavalleiro da ordem de
Christo e cnsul de Portugal em Pernam-
buco por S. M. Fidelissima a Senhora D.
Maria II, que Dos guarde.
Fago saber a todos os meus compatriotas
residentes nesta cidade e provincia, que por
ordem superior, queme foi transmittida, e
especialmente recommendada, para o fim
de se poder dar o conveniente cumpriraen
to as disposices aobre estatislica, eoulras,
se devem apresentar neste consulado todos
os subditos portuguezes, que, tendo aqui
filado a sua morada, ainda ae iio houve-
rem nelle matriculado, como Ihes cumpre,
ii.lo s para a deviJa regularidade, mas pa-
ra quo assim se possa mala promptamente
dar a compalivel protecoSo deste consu-
lado. ,
Convidando, pois, os meus compatriotas
ao cumprimento deste dever, no maia breve
espado de tempo, Ihes lembro tambem por
esta occasiSo o dever que igualmente tem de
se munirem dos respectivos ttulos de re-
sidencia, na forma dos regulamenlos poli-
ciaes deste imperio, para se livrarem dos
embarazos que Ibes pode causar a falta del-
les, e melhor e mais perfectamente terem o
direito i compelente garanta das autorida-
des brasiieiras, e as respectivas isences co-
mo estrangeiros. Consulado de Portugal em
Pernambuco, aos 17 de julho de 1850.-
Joaquim Baptisla Moreira, cnsul,
Pela subdelegada de S. Jos do Recife
foi appreliendido um preto de nome Anto-
nio, de nac,,lo Benguella, por andar fgido,
e declarar ser escravo de Domingos Alfonso
Ferreira, senhnrdo engenho Sebir da-Ser-
aaBaseaaBaMaeaajaaawaiaaaaaBWa^^
arrematante do consumo de ago'ardente de --OITerece-se um cozinheiro pifa case
producto brasileiraquedeixou de vender du pasto, ou casa particular, ou mesmo pa-
I i to genero em sua venda, na ra do No- ra navio que csteja para seguir viagem :
quem da seu prestimo se quizer utilisar
nnuncie.
9 99 # 99
9 l'nulo (ialgnour, dentista 9
8 francez, -eccntt.uicntc che- s*
9 gado a esta capital, offerecc 9
seu prestimo ao publico pa- 9
** ra todos on> m liste res de sin #
9 pronsso, qur cxtraliindo, 4
1 limpaudo e chuiubando os 0
9 deutee naturacs, qur xtibstl-
9 tulndo-os por oiitros artifl-
# clacs.^mia o que tem o me- 9
9 lhorcN apparelhos. Fde Ncr p
9 procurado a quatqncr hora, |
# em sua casa na ra larga do *
0 l o/.urio, n. 30, segundo an- ^
# dar-
Nilo daremos resposta alguma ao commu-
ncante da Lnio n. de do corrente,
pelo que teve a bondade e delicadeza de dizor
a nosso respciio, e mesmo de'outros dis-
tinclos amigos nossos, porque mui longe
est do nosso proposito entreter polmicas,
ou ant.'s arrieiradas, com o autor docom-
ir.unicado a quo nos referimos e a quems-
menle diremos em resposta queneniodat
quod non habet, eque ptusquam kabet. NSo
lomos autor dessa correspondencia do Rio-
Crande do norte, que foi publicado no Dia-
rio di Pernambuco n. 192 de 28 do mez pas-
sado, como graciosamente nos allribue o
virulento communiranle, que tanto pareceu
niolestar-se com aquella correspondencia ;
para o provar b star-nos-ha invocar o tes-
temunho muito autentico do digno re tac-
tor do Diario; (*) quando pnrm o fossemos
feriamos dito a verdade, pois s a vorlade
nella transluz.
Cida'e do Natal, 8 de setembro de 1850.
Jlo Carlos Wanderley
i l------------LCi-jz:------------fu
mmm^nM.!.
ALFANDEGA.
Hendimentododia 28 .
CONSULADO ERAL.
Itcndimento do da 28.....
Diversas provincias......
5:951,316
269,188
5,284
74,479
(*) Sr. JoBo Carlos Wanderley nSo lie
o autor da carta que inserimos em o Diario
ii. 192 de 28 do passsdo.
O? P.R.
Navios entrados no dia 28.
\ss15 das, biigue nacional Espirito-
Santo, de 200 1/2 toneladas, capitflo Clau-
diooJos Raposo, equipagein 13, carga
sal; a Francisco Martina Ferreira. Passa- ^V geJWgituno"senhoV''compare"ca"Wm o
geiros, os Brasileiros Antonio Jos Rapo- ,jlu|0 para Ihe ser entregue,
so, Flix Pereira da Silva e 2 escravos -
entregar.
Baltimore 47 das, patacho americano Ve-
suvitts. de 227 toneladas, capilSo C. II
Woodburn, equipagem II, carga farinhi
de trigo ; a ordem. -- Anda sobre a velli
no Lameiro.
Navio subido no mesmo dia.
AssPolaca brasileira Sociedad-tiliz, mes-
lie Ju.iii Mara Soterio de Oliveira, em
lastro. Passageiros, Joilo Teixeira de Sou-
zacoml criado, Jos Theodoii de Souza
l'inlieiro com 1 criado.
Hoje, 29 do corrente, n3o houveram en-
tradas nemsahidas.
EDITA ES.
li lilm. Sr. inspector da thesouraria de
fazenda desta praviucia, manda fazor pu-
blico que, no dia 1.* de outubro prximo
vindouro, se proceder concurso perante
a mesma thesouraria, para prehenchimen-
to de um lugar delerceiro escriplurario ,
que tem de vagar. Os prelendentes deverSo
com arecer na sala le suas sessOes com
seus requerimentos instruidos de fulha cor-
rida, cerldSo de idade e estado, eoulros
quaesquer documentos que julgarem a bem
de suaa pretent;0es, at as 10 horas da ma-
ntilla do referido dia, afim de se em exami-
nados as materias exigidas pela le de 4 de
outubro de 1831.
Secretaria da thesouraria de fazenda de
Pernambuco, 5 de setembro de 1850. No
impedimaulo do ofiicial-maior, Antonio
Luis do Amoral e Silva.
O lllm. Sr. inspector da Iheaouraria da fa-
zenda provincial, em cuinpriiuenlo da ordem
do Enn. Sr. presidente da provincia de -ti do
crreme, manda fazer publico que nos das 22,
23 e 24 de oulubro proiimo futuro ir a pmra
para ser arrematado a quem pw menos Bien
perante o tribunal administrativo da mesma
thesouraria, a obra da ponte de iRuarassii, ava
liada em 2:388,700 ra. e sb as clausulas espe-
ciaea abalxo declaradas.
Os pretendeotes comparecam na sala das
sessdes do aobredito tribunal nos dias cima
indicados, pelo nieio-da, competentemente ha-
bilitados na forma do artigo 24 do regulamen-
lo de 7 de maio do correte anno.
f. para constarse mandou altiiar o presente
e publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da fazenda provin-
cial de Pernambuco, 28 d setembro de ItO.
O secretarlo,
Antonio Ferreira d'Annunciacdo.
Clausula* eipeeioes da arrtmalaco:
1.' As obras da ponte de Iguarassii, serao
feltas pela forma, sb as coodiedes do modo in-
dicado nos riscos e orcainrnlo junios, appro-
vado pela direitorla em conselhu, c aprsenla-
do ao l-'.xin. Sr. presidente da provincia pelo
preco de 2:388,700 rs.
2.* Aa obras principiaro no praso de um
mez, e sero concluidas no de quatro mezes,
amos contados a viiUc;: d? niiodj '~
maia(io.
3. O pagamento aer feitn de conformidade
com o artigo 38 capitulo 3. do regulainento de
7 de maio de 1850.
4.* Para ludo o mais que nao est determi-
nado lias presentes clausulas seguir-se-ha o
que dispde o regulainento de 7 de maio de 1850
Hecilc, 14 de setembro de 1850.
O engenbeiro ebefe da 2.* sessao,
loaa Luis Vctor Lieulhier.
Approvadas pela directora em couseiho, em
sessododia lude setembro de 1850.O direc-
to!', loti Mamede Alees ferreira. H. A. Milel.
J, L. Victo' Linthier.
Xpprovo. Palacio do governo de Pernambu-
co, 25 de setembro de 1850. Soust tamas.
Conforme. No impedimento do otficial-
maior, ootUcial, Domingos Joi Soarss,
Theatro de S. Isabel.
23.' RECITA DA ASSIGNATURA.
Quarta-feira, 2 de outubro di 1850.
Representar-se-ha o excedente drama em
5 actos, ornado de msica
D. CEZAR DE BAZAN.
Terminar o espectculo, a graciosa farca
O CHAPEO PARDO.
Na qual o artista C. F. de Oliveira far a
parle de Laponio, e cantar com a acliz Jo-
anna Januaria
0 fandango satoio.
omefar s 8 horas.
lieV
Oa mdeles achsfm-ae venda no lugar do
coaliinT.
.*.visos martimos.
Para o Cear e MaranhSo sahe, com a
maioi brevidade possivel, o brigue-escuna
aura : quem no mesmo quizer carregar ou
ir de passagem, dirija-se ao capil.lo na pra-
Ca do Commercio, ou a Novaes & Compa-
uliis, na ra do Trapiche, n. 34.
Para o Aracaty segu impreterivelmen-
te, no dia 2 do mez prximo vindouro, o
patacho Sanla-Cru, mestre Joaquim Perei-
ra : ainda recebe carga e passageiros : tra-
la-se ao lado do Corpo-Santo, loja de mas-
same., n. 25. ou com o mestre.
Para o Rio-de-Janeiro sahe com a maior
brevidade possivel o patacho nacional T-
lente : para o resto da carga e escravos a fro-
te, trala-se com .Novios & Companbia, na
ra do Trapiche, n. 34.
Pira o Cear sahe, no dia 30 do Corren-
te a sumaca t'lor-do-Angelim : recebe nica-
mente passageiros : trata-se com S Araujo,
ra da Cruz, n. 33.
Para a Baha sahe imprelerivolmenle o
b-igo San-Jose: para algum resto da carga,
assageiros e eacravos frote, OS pretndan-
les queiram dirigir-se aos consignatarios
Viuva Gaudino & Filho, ou ao capito Jos
Hamos de Souza.
Para a Parahiba sahe com brevidade o
liiate nacional Espadarle: quem pretender
carregar ou ir de passagem, trate na ra da
Gadeia do Recife, o. 23, ou com o mestre no
trapiche do algodio.
' --------- i r r
Leiles.
JJeelarayoes.
A caniara municipal deaia ci-
dade contrata a artecadaco do
imposto de aoo rs. por cabeca de
I gado stiino, e ioo rs. deovellium,
.sendo o dito imposto cobrado pela
Job listo 11 Pater ti Companhia farilo lei-
l.lii, por iiileivenclo do Corretor Oliveira,
de um sorlimento geral de'fazendas ingle-
zas, as mais propriasdo mercado : segunda-
feira, 30 do corrente, s 10 horas da ma-
nilla em ponto, no seu armazein, ra do
Vigario.
~ Crocco & Companbia farilo leilSo, por
ordem do Sr. gerente do consulado francez,
em presenga de um delegado deste mesmo
consulado, por conta o risco dt quem per-
lencer e por iutcrven;ilo do corretor Olivei-
ra, de 5 duzias de challes de seda, 3 duziaa
le cuteles de dita, 10 duzias de luvas de di-
la e 185 lencintios de dila : ludo avariado
d'agoa salgada a bordo do navio Havre, na
sua recente viagem do porto deste nome
com destino ao desta cidade, onde portn
aos 4 deste mez : quarta-feira, 3 de outu-
bro, s 9 lioras da manh&a, no seu arma-
zein, rea da Cruz.
Joflo Keller & Companhia, farSo leilSo,
por intervengo do corretor Oliveir de gran-
de soilmenlo de fazendas de seda, ISa, li-
ndo e de algodio, todas proprias do merca-
do, e da prsenle estacSo : quarta-feira, 2
le ootubio. as 10 horas da raanha;, O seu
armazein da ra da Cruz.
nmn****mwmrtnmmmwMcWmmaWammsmkmm
Avisos diversos.
--Oabaixossigaadofaz sciente ao Sr.
gueira, n. i, desde o da 30 de setembro.
Joaquim Francisco di Asivido
Precisa-se alugar urna casa terrea nag
s=guintcs ras : Velha. CenceicSo, Arago
n Rozrria da freguezia da Boa-Vala : quem
tiver aonuncie para ser procurado.
JoaquimGoncalves de Sou-
za Maia, estabelecido com venda no pateo do
Carino n. 13, deixa de vender ago'ardente
de produccSo brasileira, do dia 30 do
corrente em diante, portanto faz ver aoSr.
arrematante do dito consumo para seu co-
nhecimonto.
Antonio Joaquim Ferreira da Silva par-
ticipa aos Srs. arrematantes do consumo das
bebidas espirituosas de producido brasilei-
ra, que deixa de vender as ditas bebidas em
sua taberna, na ruado Collegio, n. 16, des-
de hoje. Kocife, 30 de setembro de 1850.
-Precisa-se de um forneiro : na rus do
l.ivramento, venda n. 3, se dir quem pre-
cisa.
Os abalxo assignsdos fazem sciente que
deixaram de vender ago'ardente de prodc-
elo brasileira, porque os Srs. arrematantes
quizersm receber tres mezes adiaotados,
do dia 30 de setembro de 1850, na sua ta-
berna, ra do Livramento, n. 88
Mallos & UagalhSei.
Para recreto e tnstruccao.
O Riereio, jornal das familias, contando
ricos artigos de lilteratura, sciencias, va-
riedades, miscelneas, ancdotas e ditos pi-
cantes, adornado de bonitas ealampaade ci-
dade, paisagens e edificios pblicos do mun-
do, artigos de moda com flgnriohos collori-
dos ede fumo. Este jornal, publicado em
I.ishila, he muito parecido com o Panorama.
e at escripto pelos meemos Iliteratos. Ven-
de-se pelo diminutissimo preco de 6,000 rs.
a colleccSo de cinco volumes com 280 pagi-
nas cada um, trabaldo de um anno cada vo-
lme, ou a 1,500 rs. cada anno avulso.
Antonio Martins Pereira, subdito por-
tuguez, retira-si) para Mossamedes.
Manoel Antonio dos Santos Ponles doi-
xou de vender ago'ardente do produccto
brasileira as suas ven las da ra do Colle
gio, ns 5 e 25, do dia 30 de setembro, por
motivos.
-- O abaixo assignado deixa de vender be-
bidas espirituosas de prodcelo brasileira
do dia 30 de setembro, na aua venda, es-
quina do Peixe-Frilo, n. 9, por motivos.
Francisco Antonio di Carvalko Siqueira.
Os credores de Antonio Jos da Silva,
com loja de latoeiro na ra das Cruxes, n.
33, queiram apresentar-se hoje, 30 do cor-
rente, na casa n. 6, defroole do trapiche
novo.
O Sr. JuVWianno Antonio Duarte Cu-
nta tem urna carta, vinda do Rio-de-Janei-
ro, nesta typographia.
l'o de vendagem.
Na ra do Rozara larga, padaria n. 48,
d-se pSo de vendagem, tanto a pretas co-
mo a qualquer vendedor de pSo, fazendo-
se melhor conveniencia do que era ouiras
partes, por isso que deseja-se augmentar a
freguezia.
Attencao.
Quem precisar de ura bom destilador de
ago'ardente para algum engenho, do que
tem bastante pratira, dirija-se ra Nova,
n. 33, que se dir quem he.
Hoje estarSo venda, no lugar do cor-
tuine, doos quarlos muito bons.
A mantilla, l.'de outubro, pelo juizo
da primeira vara do civel, s 4 horas da
tarde, se hSo de arrematar, por sera ultima
pra;a, os bens movis e simoventes, con-
sistentes em escravos e mobilia, e bem as-
sim alguna joias, tuo pertencente aos falli-
dos Domingos Jos da Cunta Lage & Com-
panhia : os licitantes pdenvse esclarecer
com o escripto que se acha tm mSo do por-
teiro, sendo que tudo tem de ser arremata-
do a requerimento, e nara pagamento dos
credores|dos ditos fallidos
Desappareceu, no dia 6 do corrente,
urna canoa meia aberta, com taboa no fun-
do, curta, um pouco velha, leudo as qua-
tro cavernas duas na proa e duas na poupa,
em cada urna destas urna cavllha de ferro,
um pequeo pedazo de corrente na poupa,
tendo lugar para botar bancos e apatas :
queci der noticia, ou a entregar atrs do
theatro velho, armizem de taboas de pinbo,
ser recompensado.
A pefsoa que por engao lirou do cor-
reio um carta, vinda dos portos do sul no
ultimo vapor, para Jos M-noel da Silva Oli-
veira, n. 1,573, queira fazer o favor de man-
dar entregar, na. veuda da ra da Cadeia do
Recife, n. 25, ou annuncie.
Manoel Jos Moreira deixou de vender
ago'ardente na sus taverna da ra do Li-
vramento, n. 8, desde o dia 30 de setembro.
Precisa-se fallar com o Sr. Francisco
de Souza Sirne Lima, esludaote da acade-
mia de Olinda : na ra da Cadeia do Recife,
u.55.
I.atbam di llibbert deixam por seus
bastantes procuradores os Srs. RusseilMel-
lors & Com,aohia, para liquidacSo de to-
das' as suas transacoes coinmerciaes desta
pra?a.
Nos dias 3,0 de setembro, 3 e 7 de ou-
tubro, plaj horas da tarde, porta do
Sr. doutoruiz de o pililos, na ra de Her-
as, se ha d. arrematar, por ser ultima pra-
ja, por lempo de tres annoa, a renda do
sitio da Casa-Forte, denominado sitio dos
Arcos, que fui i> finaiiu FranCio.o riim-
J i no da Cunha, hnjde seus herdeiros, pe-
lo prego de 350,000 rs. por anno, cuju aitfo
lom boa casa e telheiropara rancho de ma-
tulos, bastantes arvoredos, 26 ps de ia-
queiras, 6 jambeiroa, bastantes ps de la-
rangeiras, 20 e tantos ps de coqueiros,
e grande plantario de caf e capim.
Trocam-sa terrenos com alicerce, no
lugar dos Coelhos, ra dos l'razeres, por
materiaes, comosejam: travs, encharnela,
taboas de amarello ou louro, lijlo de alve-
naria e ladrilho : a tallar com Nicolao Ga-
dault.
OITerece-se urna parda de meia idade
para ama de urna casa de pouca familia : na
ra do Fogo, n. 47.
Quem precisar de um forneiro, dirija-
se i ra larga do Rozario, n. 19, ao p do
luartel.
-- !oj, 30 correte, e hs de arrematar
um grande terreno com urna boa oass, por-
to de embarque, silo no Merro-dos-Moga-
tas, avadado tudo por 4:000,000 rs. por
.ecusSode o l'orluualo Sav.idra con-
tra Alvaro Fortnalo
praca.
Roga-se ao Sr. segundo lente Jos de
Cerqueira Lima, da Babia, que mande pagar
urna lettra, que seacha vencida ha oilo me-
zes do contrario, ter de ver aempre o seu
nome nesla fulha.
Na ra de Agoas-Verdes, easa terrea
n. 86, lava-se o engomma-se toda a qualida-
de de roupa, com asseio e promptidSo, por
preco mais commodo do que em outra
qualquer parle.
Arrenda-ss para qualquer estabeleci-
mento urna propriedade sita na ra da Flo-
rentina, ao p do estabelecimento doSr.
Beranger, o qual tem porto de embarque
por delraz : a tratar nesta typographia,
Varea Rutilo.
Sabio do sitio do Sr. bario de Itamarac,
no Hospicio, sonde mora o Sr. Corbett, no
da 26 lo coi rente, urna vacca quasi preta,
com o bezerro j grande, de cor verraelha,
levando de rasto urna corda cotnprida de li-
nboenova; ella he um tanto velha, tem
armac^o grande e as ponas finaa ; fai se-
guida at a Magdalena, e dahi suppfle-se ter
entrado em algum los sitios do Luccas ou
Remedio : quem a trouxer ou indicar o lu-
gar onde esleja,ser recompensado.
QOOOOOQQO&tir&GQ&a
11 omeenpathia pura.
~ J. B. Cusaitova, facultativo y
ir homoaopatba, da consultas todos os :
!~ dias uteis, desde s 7 horas da m- **
O nliSa at s duas da tarde, ra da Ca- O deia de Sauto-Antonio, n. 2J, segn- O
Q do andar. Os pobres serio tratados O
3 gratuitamente. O
OQQQQQOOO 000&oo>0
Precisa-se engajar alguns oiciaes de
caldeireiro para trabalharem em caldeiras
de vapor, sendo arnitadoru, ( a que os ln-
glezes chamam Rivilers) dando garanta
sua conducta : paga-se o jornal de 3,500 por
da, e da-se passagem gratuita para o Rio de
Janeiro, onde irfio trabalhar na ofllcina da
companhia brasileira de paquetes de vapor ;
advertindo, porm, que se depois de all
chegarem, com um mez de experiencia,
provarem incapacidade, serSo conduzidoa
para aqui Igualmente nio pagando passa-
gem. Quem estiver neslss circunstancias,
quizer o dito engajameuto. pode dirigir-
se ao agente da dita companhia, na ra do
Trapiche, o. 40.
Quem annnnciou no Diario n. 217 que-
rer comprar um violan, dirija-se ra Nova
n. 35, onde tambem se vende um methudo
para o dito, urna flauta de bano de quatro
chvese clultodo, por prego commodo.
-- OITerece-se um sacerdote para capellSo
de engenho, e mesmo para anadiar primei-
ras lettras, ou grammatica latina : quem
quizer, annuncie.
Kscrtpturucao coiumerelal por
partidas dobradaa.
O abaixo assignado propOe-se a abrir no
dia 7 de oulubro proxicro futuro, no bairro
do Recife, urna aula, para ensinar a eserip-
turacSo de livros em partidas dobradas, se-
gurado osystema que hegeralrnente prati-
cado as principaes casas decommercio in-
glezas. A simplicidad, coucisSo e clareza
que este syslema offereoe, faz com que o
abaixo assignado se anime a atllangar que,
com um numero mui limitado de lines,
os seus alumnos (carao habilita'los a encar-
regar-se dos livros de qualquer casa de
commercio. O abano assignado tem de ad-
vertir que, devendu as suas lices constar
de urna serie regular de lanfamentos em H-
vros apropriados de todas as transaeces
que no commercio se podem onVecer, he
de indisponssvel necessidade, que as pes-
soasque quizerem aprender, o proourem
antea do dia da abertura da aula, para to-
dos poderem cornacar ao mesmo lempo,
pois mais ninguem ser admitudo, depois
que as lices tiverem comme^ado O abaixo
assignado tambem instruir aos seos alum-
nos em tudo que diz respeito a cambios, di-
vises das moedas dasditTereDtes pracasda
Europa, etc., etc.; e pode ser procurado
tolos os diseo escriplorio dos Srs. C. Starr
& Companhia, na ra da Aurora.
JoW da Maya.
Aluga-se orna'casa terrea na ra Au-
gusta, com bons commodos para familia : a
tratar com o Bastos, eaixeiro dos Srs. Jo9o
Pinto de Lemos & Pililos.
Precisa-sede uma ama qae tenha bom
e bastante leite, preferindo-ae que aeja for-
ra : na ra das Cruzes, n. 36.
Ouem Da faltar um cavallo alazSo, di-
rija-se a ra doMondegu, n. 42, que. dando
os siguaes e pagaudo e despezas, Ihe ser
entregue.
-- No bilhar francez da na Nova, n. 09,
precisa-se de um eaixeiro que tenha orti-
ca de commercio, e d fiador sui con-
ducta.
Roga-se ao Sr. M. R. P. que tenha a
bondado de ir ou mandar travesea da Ms-
dre-de-Deos, n I, pagar ao sbaixo assigna-
do o importe dos aluguels de um cavallo
que aiugou no da 16 do corrente, par 2
horas, e quando appareceu foi no da 93, e
sendo precis ir buscar o eavallo em sua
casa, que S. Me, vendo o estado em que li-
nha posto o pobre animal, n.1o o levou de
ondeo linha recebido, e neio to pouco
apparecoraaii em casa, por maia que te
procure para pagar os alugueis; pois seria
melhor nue S. Me. fosse comprar cavados
para os a'lugar ahrneos Iguaes a sua pes-
soa, para saturo quantuoe bom.; o para
ijoo nlo d muito incommodo ao abaixo
assiguado, a nlo vr o sou nome por extoQ-
JordJo: be'ultima so nesta Tolln, s'r melhor qui v* pagir
quanto antes. Gaspar Fireiru da Silva.
aaaaai
MU


i verla a Matriz la Boa vista.
o da 31 de outubro andam .mpreten-
velmenteasrod.s desta lotera, ej. qual
for o numero de bilhetes que ficaren, e
mesmo antease se acabarem os bilhetes
como ba esperances. O fin para que fp.
concedida esta loleris, nflo pode sor mais
~ iuslo, o ella deve er preferida a ontra qual-
quer, porquanto temos da presenciar o em-
brego do seu interesse : o restante dos bt
Hieles scham-se venda nos lagares j an-
nunciados. .
-- Preci8-se de 600,000 rs.a premio de
um e meio por canto ao mez. dndole por
hypotheca 4 escravos que valem 2:000 000
rs.: na tvpographi da Viuva Roma, n dir
quem precisa, ou annuncie por esta folna.
~ Os abaixo assignadoadeixsm de vender
ogo'ardente e espirito de produccflo brasl-
leira do dia 30 do corrente em diante, na sua
taberna da ra da Madre-de-Deos n. 88.
Guerra & I rindo.
-. Existe na corle do Rio-d*> Janeiro um
pessoa com ashebilitacOes necessarias, que
se incumba de agenciar palas secretarlas de
eatados, titolos honorficos, diplomas, pen-
sOes, patente militare, cartea da natorali-
sscBo, certidoes e onlro quaeaquer nego-
cios que penderem daa mismas secretarias
de estado, e betn aasim se iocumhe de agen
ciar pela nunciatura apostlica breves para
dispensas de casamentos, aecularisecflo,
4c. etc., etc.; a inrumbe-se, finalmente,
deaollicilarlodo a qualquer "negocio, que
tnhe de correr nos tribunaes d-quella cor-
te. Qualquer pessoa que se quizer utilisar
do presumo desaa pessoa, eocarregando-
all de seus negocias, poder dingir-se ao
Sr. Antonio Jos Come do Correio, o qual
dar a InformacOes precisas, e com quem
se podero entender a semelhanle respeito
e sobre a remes de qualquer pretenefio ou
documento.
mm Precisa-se de um hosem habilitado
para administrar umengeoho edestllicflo,
fura 9 provincia : quem te adiar nostas
circunstancias queira dirigir- a ra do
Queimado, n. 6.
Francisco Boaventura Ferreira, retira-
se para llossamedea.
Aluga-se um bom armazem proprio pa-
ra qualquer eitabelecimento, na praia de
S.-Francico ; e bem assim um grande ca--
silo proprio para urna excellente cocheira.
no Mundo-Noro : a tratar na ra da Csdeia
de S.-Antonio, no primeiro andar daveasa
da viuva Cunta Guiroarfles.
-Aluga-se urna caga terreada pedra e
cal. com 3 quartos, 2 (alas, cozinha fra.
?uihI| a cacimba,sita no principio da ra de
.Miguel, nos Afogados : a tratar no Ater-
ro-da-Boe Viste, n. 17.
Anda est fgida, desde o dia 26 de
junho, prximo passado, a escrava crioula
deuome Mara, moca, de altura regular,
corpo reforcado, cadeiras grossas e um lau-
to sabidas para fra, bocea regular, beigos
grossos, ps e mSos grossas ; lem maros
de bexigas no rosto e em todo corpo, paitos
pequeos e cabidos, nariz grosso, olhos
carnudos, orelhas na parte do enfeite gros-
sas e viradaa um tanto para cima ; lem urna
marca de ferida de caustico do lado direto
ou esquerdo, talvez que pinico ja se devul-
gue das eoslellas para os vasios ; levuu ves-
tido de chita ja usado, panno da Costa, e
um taboleiro com milho e arroz que venda
no dia que fgio : esta negra segundo os
seus coatumes desrdilos, lde ler muda-
do o non.e o mesmo uaar de qualquer ou-
tro desfarce para nSo ser conliecida, poi
consta andar dizendo ser forra e que a que-
rem captivar: fui de Macei o aqui vtndida
falo Sr. Antonio da Silva. Guamflo ao ja fall-
ecido Jos Antonio da Silva Cosa, leudo
no poder do dito fallecido 3 filhos, Candida,
Luiz e Harcolino ; pode esta negra sb pre-
texto esta occullt em casa de alguein, ou
em algum calugi, o que ae v>i escropuloss-
menle endagar para se proceder contra
quem a tiver oceulta : Di-se urna boa re-
compensa a quem dclla der noticia certa,
ou a pegar a levar ra de Moras, n. II*,
casa de Antonio Caldas da Silva.
T)o quartel general at o Hospicio per-
deu-sel par de ueuloscom aros de ouro :
quem o achou, leve-o ao Sr. general Anto-
nio Correia Sera, que gratificar com
quanlia equivalente ao valor dos mesnos
oculos.
O abaixo assignido previne ao publi-
co, que, por Ihe nSo convir oais, deiiou de
sor ampregado em casa de Madama Dalayrac
desde o dia 26 do crrenle.
Manoel Us dos Santos.
-- Pessoa alguma faca compra nem by-
potheque urna pequea morada de casa
terrea na ra do jogo-da-Hulla, na cidade
deOlinda, prrlencente a Mr ra de Jeous,
por esaa levar a Calholiuo Jos (uncalves
l.essa, urna quanlia de que a vai demandar
em jmzo compeleute : e paia que ningui ni
achame a ignorancia, faz seiente ao res
peitavel publico pelo prsenla annuucio.
A lugam-se a voiideni-se. tanto por jun
t Como a relalho, as nelliorcs bichas hani-
borguezas; n ra das Cruzes, n. 40, la-
verna de Domingos da Silva Campos.
Precisa-se de um feitor.e de um cai-
T?Jro. para um eogeoho liem pcrlo desta
pftee : na ra das Cruzes, n. 40.
-- Prerisa-se afugar urna prela para servir
em urna casa de pouco familia : na ra lar-
ga do Rozarlo, u. 26, segundo andar.
Precisa-sc alugar urna preta escrava,
que saiba vender, pagando-se-llie meosal-
mente ; na ra do Haogel, n. 17.
--O abaixo sslunado deixa de vender
ago'.rdenlaa esperilos de producido brasi-
leira do da 30 de setembro em diunle, na
aua laverna da ra do Codorniz, n. tt.
Narciso Vertir do Valle.
Os abaixo assignados deixam de ven-
der ago'ardente e espirito de produccflo
braaileira do dia 30 de setembro em diante,
na aua laverna da ra do Codorniz, n. 10
Vendes & Uacieira.
O aba&o astignado deixa da vender
ago'ardenleeespiritoa de produccflo bia-
biiilcir: is dia SO s s-tembro cn discle,
na aua laverna da ra da Moda, o. 25.
Joaqun Hitarte de Actiido.
O abaixo assignado deixa de vendar
ago'irdenie e espirilos de prodcelo bra-
aileira do dfa 30 de setembro em diante, na
su taverna da ru do Codorniz.'n. 8
Francisca los da Sitvu acieira .
-- Fsgio, n dia 94 do correte, de urna
gaiola, um checheo manso e muilo canta-
dor .- quem o regar, niio queiniu'o manchal
su coiiscieucia por tflo pouca cobsa, man-
da lona ma estrella do Horario, luja de
marceneiro por baixo do sobrado do Sr.
loutor raivs.qnereceber 3,000rs. de gra- quaesquor prelences justas do _
V;.. ,4 recebeconsignacoes o fa cumpnr rleos
liiicmflo.
governo
Moa,
I n-icpruilentes para cavallos.
BOWMAN & MC. CALI.UM, engenhei
'os machinlilas e fundidorea de ferro mu
respeitosamente annunciBm aos Senhores
proprietanos ile engenhos, fazendeiros, mi-
neiros, negociantes, fabricantes e ao res-
peilavel publico, quooseu estabelecimento
de ferro movido por machina de vapor con-
tina em effectivo exercico, e se echa com-
pletamente montado com aajparelhos da pri-
meira qualidade para a perfeita confoc;ao
das maiores pe?as de machinismo.
Habilitados para emprehenoer quaesquer
obr da sua arle, Bowman fie Me. Callum
desejam mais particularmente chamar a
atlencSo publica para a sseguintes, por
terem deltas grande sortimento ja prompta,
as quaes construidas na aua fabrica pdera
competir com a fabricadas em paiz es-
irangeiro, tanto em preco como em qua-
lidade da materias primas e mo d'obra,
a sb ber:
Machinas de vapor da melhorconstruccSo.
Moendas de canna para engenhos de to-
dos os lmannos, movidas a vapor por agoa
ou nimaei,
Koda^afliKoa, moinbos do vento eserra-
Manejos I
Rodas dentadas.
AguilliOs, lironzes e cliurrVaceiras.
CavilhOes e parafusos de lodo os tma-
nnos.
Taixas, pares, crivos e boceas de forna-
Iha.
Moinhos de mandioca, movidos a mao ou
por animaes, e prensas para a dita.
Chapas de'fogflo.e tornos de familia.
Canos de ferro, torneiras de ferro o de
bronze.
Bombas para cacimba e de repucho, mo-
vidas a inflo, por animaes ou vento.
Guindastes, guinchos e macacos. '.
Prensas hydrauliras e de parafuso. 1
Ferragons para navios, carros e obra) pu-
blicas.
Columnas, verandas, gradse portos.
Prensas de copiar carias e sellar.
Camas, carros do mflo e arados de ferros,
etc., etc.
Alm da superioridade das suas obras, j
feralmente reconhecida, Bowman & Me.
Callum garantem a mais exacta conformi-
dade com os moldes a dezenhos remeltidos
pelos senhores que se dignaf|in de fazer-
Ihes encommendas, proveitanoa occasiSo
para agraileccrein aos seus numerosos ami-
gos e freguezes a preferencia com que teeni
sido por elle honrados, e asseguram-lhes
que nflo pouparflo esfurgos e diligencia.-
para conlinoarem a merecer a sua conll
inca.
- Madama Dalayrac previne ao publico
queoSr. Manoel Jos dos Santos nflo he
mais empregadona sua casi.
Luiz da Costa l.eite vende o seu ests-
belccimento da rpa Nova, u. 58, com o que
existir, ou s a iiriimeilo, ou um pretn de
honil figura, ou ilous, para o flm de saldar
conlas do que se deve a casa do Snr,
comineo dador Manoel reUlivo aalugueada dita luja : a trata*
luesma, com o annunciante.
d'aurora
commerciaes; compra e vendo papis de
credi'o, fazendo IransaccOes do banco, etc.
Oescriptorio cenlral h no Ro-de-Janei-
ro, ra do Rnzario, n. 68; o director, he o
Sr. l)r. Jos Feliciano de Castilho Brrelo e
Noronha : sflo advogados da empreza em
Lisboa os Srs. Drs. Joo de Dos Antunes
Pinto e Gaspar Joaqun) Telles da Silva; o
correspondente naquella cldade he o Sr.
Thomaz Antonio de Paiva, ra Ferregal de
cima, n. 2. Ao Sr. Dr. Castilho, como direc-
tor da agencia, cabe o direilo de establecer
delegados nos pontos do imperio quo os pre-
cisaren, em conformidado con a autorisa-
cSo que Ihe he concedida pelo artigo 27 do
regulamento da mesma agencia ; o ha por
isso que os dous escriptorios do Rio e de
Lisboa, bem organisados, teem estabelecido
delegafOesem todos o pontos mais impor-
tantes dos dous estados ; desorte que qual-
quer requisieflo, que Ibes diga respeito, he
levada a efllcaz andamento desde o dia em
que se recebe o encargo. Pelo Sr. Castilho,
romo director, foi nomeado delegado da
agencia, nesta provincia, o bai'barel A. R
de Torres Bandeira, que tratar de empre-
gar todos os estorbos para levar a effeito aa
condicoes fixadss no regulamento respec-
tivo.
U delegado, desejoso de cumprr as or-
den emanadas do eseriptorio central, no
Rio-de-Janeiro. km eslabeUcito um eserip-
torio provincial, na casi de sua residencia,
ra eslreita do Rnzario, q. 41, segundo an
dar. As pessoas qu Uverel inleresses a tra-
tar por meio da agencia, poderflo dingir-se
a aquelle eseriptorio, das oilo horas da ma-
nhfla al s 10, e das 3 da larde al s 5.
Ilellaruiino de Arruda Camera e I). Joa-
quina alaria dos Santos vendem qualro par-
les, que por titulo de heran^a possuem no
engeiiuo denominado Mas'.auas^u, sito na
freguezia de Santo-Antllo, moente e corren-
te, liom d'agoa, com torras sufficenles para
oulroengenho, adverle-se que he un dos
melborea engenboi da dita freguezia: as
pessoas que quizerem comprar, dirijatn-se
ao Sr. Manoel Klias de Moma, morador na
praca da Boa-Vista, casa n. 28, que, muni-
do dos poderes necesssrios, seacha autori-
sado para realisar a venda.
--tima iimllier de honscostumas se pro^fi"
a fazer comida para pessoa particular, com
o maior asseio : assim romo lava e engom-
ma : ludo por preco comino lo que agradar
aos pretendenlea: na ra Imperial, n. 6,
pefronte da matriz do S.-Jos.
Aluga-se o primeiro andar da casa n.
31 da ra do Trapicho, proprio para escrip
lorio : a tratar no armazem do mesmo.
-- Aluga-se urna rasa muilo boa, com
cominodos para grande familia, quintal,
jardim pequeo, r. iciiiiIh com boa agoa de
beber, e tlribaria para 4 cavallcs, no Pogo
ila Panella, defronle dorio : a tratar na ra
do Trapictie, n. 44, armazem.
Aluga-se urna casa terrea na Capung
na travessa de San-Jos do Manguinho, com
dous quartos. duas salas pequeas, cozinh
fra e boa cacimba com agoa de beber : tra-
ta-se na ra da Cadea de Santo-Aotonio,
n. 18, lja de marceneiro.
lysse Dioz, relojoeiro suis-
so, de passagem por esta praca,
onde lenciona deraorar-se 5 ou 6
chumbo, zinco, estanho, toda a qualida-
de de metal velho, nflo sendo ferio : na ra
Nova, n. 38.__________________
Vendas.
mm
qiiaji rie em todo oa caaoa a llluaio ten. aido
prna. pa..-.rlra. e o doente torna a rccahlr
, pcior e.tado do que se chava ante, ato m.
pllcLroremrdio l3o recommeodado : oulro-
[,,uo nao acontece com este extraordinario ara-
Tror7e",.-r.o ao principio fol Induxidc, of-
ferecer e.te arope ao publico, depoia dr ler
rmc.i.ado nimoun.a carai prr.nn.irn.r,
e denola de ler a opinlao do primeiro medl-
rol dPa uopa e do, F..Udo.-nldo. dr^nr
Lotera la matriz da Boa-Vista.
Aos I o:ooo$ooo e 5:ooo!foon.
Na loja de miud /a- da praca da Inde-
pendencia, ii. 4, vendem-se bllheles, mrios,
quartos, decimos e vigsimos desta lu ra
que corre impreterivelmente no dia 31 de
outubro. ou antes se se acabarem os blhe-
les. A elle antes que se acubem, para nflo
comprarem mais cero, como lem aconte-
cido em mitras loteras.
Bilhetes 10,000
Meios 5,000
Quartos 2,600
Decimos 1,100
Vigsimos 600
Lotera lo-liin-ile-.laiii'iro.
Aos 2o:ooofllooo.
Na loja de miudezas da praca da Inda- I cinU.na uSmTraraeUaiatoa Indio, e
pendencia, n. 4, vendem-se bilhetes, meios, rrso,vi.me col 0 conseatimrntodo meus mr-
quartoi, oitavos e vigsimos da II lotera ilicoJ a ejperimenla-la, vltto o catado deae-
a beneficio do theatro de S.-Pedro de Alean- ,,rrado do ineu cao.
tara, que fui exlrahida no dia 27 de setem- : Qual nao erla a admirado do meus medi-
.., e o ineu cootentamento vendo que desde
a tomar o xarope, conl.eci logo
e pel cooli-
u e tado ja' nao dava ..prranca.. dr^e.hn,.
c era como aeg.ic. No auno de 1RS7 apanh i
nina grunde con.llp.cao que *" >';
to, e iodos o aymploinas de phlhi.ica P"''"""
nar logo e srgiram. Eu tinha urna toaecon-
UnaSS com dor no pello, MlW um. Oeu-
IM dura e IgmnM ve.c '"*' .cn' "":
ene, urna febre tica, auore. de nol.e e. a-
grecl rapidainenle, < em pouco tempo fiquel
rediuido i extrema debllldade.
O meus medico, (enlre o quaea hayia al-
gunsdos princlpacadoa E.tado.-Unldo.) junta-
mente com ineu amigo, perderam loda a e-
peranca de ineu inellioramento. e eapcrnvaiu
que en brevemente ruecumbiria
Ne.tc e.tado de inole.llaporcaanalidade en-

bro. Na mesma loja se moslram as lisias co>,
chegadas. ullmamanle. qe principle
-Vendem-se 130 saceos novos de esto- j... Fft*^*^ Tdiro. o. .o-
pa, com duas varas cada um : na ra larga Zormarila caba e rrcbeUram lancan-
do llozario, n. 48, pna.eiro andar. do alldc porsfl0 de sangue e materia. Depoi
Conlinua-se a vender inanteiga ingle- je ter continuado peloe.pacode3ineze.com
a nova, a 400 rs. ; caf em grflo, a 100 is ;
dito moldo, a 160 rs.; cha uysson, a 1,929
rs. ; velas de carnauba de 6, 7 e 8 em libra,
a280rs ; cevada, a 80 rs. ; aletria. a 2io
rs. ; rroi, a 60 rs a libra ; f*ijJo novo pre-
lo, tirano c inulatinho, a 400 rs. a cuia :
no pateo do Carino, n. 2, venda nova.
Ven le-se um grande sitio com casa de
tiipa sulTiivel, na povoacflo do Monten o,
indo pelo becco do Quiabo alea ladeira do
Mudo, confinando com a da D. Catharina de
iladeiios, muilo agradavel pela sua boa
tiii-.ir.io, ar livree sadio, com immensos p*
de fiuteiras, cada qual a mais apreciavel, :car
peUs suas boas qualidadese variados gos-' a
tos, duas encllenles btixas com capim de
planta que susieula dous cavallos animal-
mente, e pasto amito vasto para 3 ou 4 var-
eas, estribara perlo da casa, em Um oulros
uiuilos cowmod'is que s avista e von-
lade do coinurador potar influir: ua ra
da CouceicSo da Uoa-Vsta, n. 9.
u remedio, a ininha molestia cessou nirira-
mente, e achel nie re.tabelecido de perfeita
sade, o bofe de.de aquelle lempo lein conti-
nuado sem a menor all'eclafo de enfermida-
de. Nesla9 clrcumtancia. he que me resolv
ao principio a ofl'erec-lo adpublico, hnne
mente convencido de que he o nico remedio
que c tein decoberto, no qual se pode Ir.
connan9a para a cura de phlliiaica pulmn ir.
C.urou onde lodos oa mal. remedio, tlnham ra-
lbado, e, se fr tomado e appllrado .egundo as
direcefie, poucas vezo delxara de produ/.ir
uina cura radical.
O eu principio de operar he fcil de expli-
car : .uavi.a e acalma a Incmiuoda lo.ae.
ainadurecc o absce..o, faclMla a alivacao, e
em pouco lempo livra o. bofe, da materia que
se rene no. tubo, de ar. /Regula aa funecoe
u.uae. ein neceidade d outra qualquer me-
dicina, forlilica o .ysleuya e purifica o sangue.
[\o conten, nem me/curio, opio, ou oulro
qualquer ingredieolc vfcneao.o. e he feito un-
eameute de roif Kervai. Tem-.e usado lia
mais de nove anuo,* heuniver.almentc con-
. i siderado como o gtainde e nico remedio para
-Vende-se urna lmda escava recomida, | f|U horrorosa mSic.tia. O. .eu. efl'eitos sao
com lodas as habilidades precisas para urna cm lo(|o, 0J |UgaC9 0 mesmo, ttire e Iri-
casa di ramilla : na ru i do RauK<*l, n. 57. umphantef' '. '
BREMOL --ALSA l'.MUUI.II \ AMERICANA Como incdicsinento preventivo e antidoto
Mtthor e mai'f extraordinaria do mundo, contra as tendencia, do clima paras plillii'ica.
Preservativa iofallivel contra as febres. I be de grande valor, e nao da '"nd" f" *|uf'"
A .alsa pa, rilha original egenuia de Hrrs- V** ""-d";0 u conhecedor de drogan portm
Inl pnssue lodas aa virtudes para curar toda
as eiifermidades que prnvin de um estado de
impureza de sangue da secrrcdrs morviila do
ligado e estomigo, c em todos oe caso que ne-
ccasitain remedio para puiiOcar e robustecer
o sistema Km ludo os caso, de escrophulas,
erisipelas, tinha. erupcoes cutneas, mauclias,
IhIi., eiill.uuaco e drbilidade nos nlhos, ni-
t'haciio oas glandola, dores lombarra, atl'rc-
enuiuanto se est paliando com estas rnganotat
mslurai.o doente vi rapidanien'e'einpeiuran-
do, e cada da mais e mala colloca o eu caso
Jora do alame de ttperancnt! Nao auccede as-
llin com esla prerioia inediciua He semprc
-.iluiar. e seu. efleitos nunca sao damnosos.
Nao he opitica, nao he tnica, nao he um me-
ro expectorante, nao lem por objecto ofvgar o
dotnte para le ulna fatal teguranca. He uat gran-
mezes gmente, co
q\Vt>xquer^_g^lijda4 de relogio*
eem quuJquer estado em que se
achem ; assim como lem para ven-
der i elogios de ouro e pratd do>
melluircs fabricantes : na ra da
Cruz, u. 44 piimeiro andar.
Attcnco.
Rogs-se ao Sr. Joflo Jos de Lima, que le-
nha a bou lado de ir ou mandar pagar a
quanlia de 10,990 rs. proveniente de g-
neros que tomou na venda grande da Ca-
punga ha seis mezes, certo de que, emquan-
lo nflo pagar, seu uome nSo satura desta
folha.
precisa-se*lugar om moleque ou ne-
gro para o servico de roa e casa, e que sa-
ja fiel : na ra da Cruz, n. 48, armazem.
Chapeos de sol. aja
Ra do Passeio, n 5. "&
Nesti fabrica ha presentemente um rico
sorlimenlo destes obji-clos de lodas as co-
res e qualidiidi'S, tanto de seda como de
panmnho, por precosVommodos; ditos pa-
ra seiilii.ru, de bom gosto: estes chapeos
sflo fritos pela ultima moda; seda adamas
cada com ricas franjas de retroz. Na mesma
casa se acha igual sortimento de sedas e
panmnho imitando sedas, para cobrir ar-
maefles servidas : todas estas fazendas ven-
dem-se em porr;So e a relalho : tambeiu se
conceita qualquer chapeo de sol, tanto de
basteas de ferro como do baleia, assim como
umholasde igrejas: ludo por preco com-
modo. Na mesma casa ha chapeos de sol,
de marca maior, de panno e de seda, pro-
priospara fcitoresdo engenho, por serem
dos mais fortes que se pdem fabricar.
awma^meaBf^iBSSBmasgsssmsmBamm
C. Slarr & Companha teem a honra d"
avisar aos seus freguezes, e ao pulliroem
geral.quea sua grande fundirr.o en S -
Amaro alm do sorlimenlo que constan-
temente tem acha-se de novo provida de
muitas moendas de canna, e de varios ta-
mandoa feitas no mesmo estabelecimento
pelos mais peritos officses, e com o maior
cuidado e pe feiQflo ; tanto assim he, qus
ns annunciante se ufanam em garanti-las
pelo primeiro auno. As moendas inleras
todas de ferro construidas as officinas
dos annuncianies, sflo muilo superiores a
quaesquer nutras da mesma nalureza que
al ayora teem sido aqui ofierecdas, pois
aquellas eucerram em si cerlose importan-
tes uielhoramentos resultado de mais de
20 anuos de experiencia e pratica no paiz.
Agrenela de i>eg;ocios entre o
I ira sil e i'ortuiral.
Etcrlptorio provincial era Ptrnambuco. Ba
eslreita do Hozara, n 41, segundo andar.
Delegado o bacharel A. R. de Torres
Bandeira.
Entre as emprezas uteis figura o estabe-
lecimento da agencia de negocios entre o
Rrai.il e Portugal, que se acha confiado ha
dous annos entre nos ao Sr. Dr. Jos Felicia-
no de Castilho Barreto e Noronha, residen-
te no Ro-de-Jneiro Esta empreza tem um
fim louvavel, e que est muilo em harmo-
na com os inleresses das duas naces : o
commercio principalmente, esse ramo pn-
ueroso de riqueza puunca e o ci.;:;-ac
plecolher grandissimas vantagens, todas
as vezes que se Ihe proporcionar a solueflo
ida questocs importantes, que, talvez, a nflo
ser este meto, tirana ni no esquecimento. Na
parle de utilioade, ella se dirige tanto um
como outro paiz : considerada desle mo lo
nflo poder encontrar embaracos na pra-
tica.
A agencia promove os interesses lcitos,
tanto dos subditos brasileiros no reino de
Portugal, como dos subditos portuguezes
no imperio do Brasil; prosegue reciauu-
cOede particulares, quehajam de ser fei-
tas em embos os paizes; tenia composiedes,
instaura e segu procedimientos judiciaes ;
procede a pesquizas acere da existencia,
mudanza do domicilio ou Mlecimentos ;
sollirila o cumprimelo de rogatorios, man-
da assislir a pra;s ; agencia compra e ven-
da de predios urbanos ou rsticos; viga
por inleresses de herdeiros, faz manilestos nm esr.raro que seji
irWffstra hypetheeaa ; adtniRistra casss e* re paa- bem, agredan)"- na rata d
Cotr-pras.
propriedades ; cobra ren.limentos ejuros,
manda tirar luiras corridas, passaportes
documento dasestac/Ses publicas; requer
Na ra da Scnzalla-Velha, n. 100, se-
gundo armazem aonde se vende bolacha t
pao, rompa -se eSTeclivi-menle toucinho da
trra, sendo gordo e sem sal, a 5,000 rs. a
airrnh ; 0 T2. 2 il.r.
Compram-se escravos de 10 a 30 an-
nos, de bonitas figuras, para dentro e fr
da provincia : na ra la'ga do Rozario, n
48, primeiro andar, lodos os dias das 6 -
II horsdamnhae das 2s 5 da tarde
Compra-s urna casa ierre at o pre
co de 500,000 rs. : na Soledade, n. 27.
-- Compram-se duas lteiras para viajar
i.a ra do Collegio. n. 12, laverna.
Compra -se urna vacc torina, que Se-
ja boa leiteira : a fallar com o pedagogo, no
arsenal da guerra.
Compra-se urna escrava boa enzinhei-
ra e engommadeira ; na ra da Cadeia de S.
Antonio, no segundo andar do sobrado da
esquina do Ouvidor, n. 14.
~ Compra-Be um bom braco de balan;>
grande : na ra da Praia, n. 35, segundo
andar, ou annuncie.
Compra-se, para urna rncommenda
bes ofP.cii! de tanoe-
Moda, o. 7, a tratar com Leopoldo da Costa
Araujo.
Compra-se effectivamento cobra,
ces rhruuialicas, dores no. o.so. e na jumas
liydropesia, despepsia, asinina, dtarrhea.de-
euieria, tosse, resfriados, enlluiuii.no dos
piilmdrs pluhisica quando provem diobstru
cao dusbioucliio eu) pessua. e.crophulu.a,
eaOnaaa*, iudigrstao, le te ijetj 'denTd c "Je-l
ral do p4ffia"ucfVuJT>, febres aguda, calores,
enfejHifdades da inolheres, rnrerniidade. be-
losas. e em lodas asaleccOe.proveiiiente.de
U40 moderado do mercurio. Esta salsa parri-
Iha se eniprrga com efiieacia em ludo, os so-
breditos raso, e lie reconhecida como a me-
1/ior medicina que existe. Os frascos de salsa
de Bristol teem mala de qualro tamaitos dos
de salsa de Sand entretanto que os de llristol
se vendem por SOO" rs. e os de Sands por 3,000
r. Deposito central no Kio-de-Jaueiro, casa de
Vital 1. ipnpr. c em Pernambuco na holica de
Jos Mara Goncalves Haino9, na ruados ijuar-
lei pegado ao quartel de policia.
Lotera lo Uio-iU-.Juntiro.
Na prara da Independencia, loja u. 3,com
fundo para do Qntjia ado.vendem'se bllhe-
les, n.eios. quartos, oitavos e vigsimos da
decima piiineira lolrria a beneficio do Ibes
tro de S -Pedro de Alcntara,vinjos pelo ul-
timo vapor.
Vcnde-se a taverna do fim da ra Au-
gusta, n. 94, junto ao viven o : a tratar na
mesma taverna.
Vem.e-se um escravo bem possante,
bom p-ra o servco de engenho, do nrflo
Canuiiia: na tr..v. ssn do Veras, n. 15, na
Bos-Vista, al s 8 horas do dia.
Vende-scuma vacca muilo boa de letp;
na Passngem, entro as duna ponles, primei-
ro sobrado do lado dheilo, poitflo de ferro
I ni Milag-re.
VenJe-se por um luslflo, um foltietinho
contendo o milagre aconterido na Italia, e
publicado neste Diario : Na livraria n. 6 e
8, da praca da lnd"pendencia.
Lotera lo liio-le-JancIr.
A os 2o:ooojiooo.
Na ru eslnita do Rosaiio, travessa do
Queimado, loja de miude/as, n. 2, A. Ven-
dem-se os muitns acreditados bilhetes da
!.* loleri do iheatro de San-Pedro de Al-
cantara do Ri-de-Janciro.
Corlas e I) ries para violflo e rabeca,
na ra streita do Rosario, irlrvrssa do Quei-
mado, loja d miudezas n. 2, A (Ven lom-se
muilo supreriores curdas e bordOes para
violflo e rabee, por prego mais commodo
do que em ontra qualquer parte.
A l:>>< rs. e l,5oo.
Crteirs de marroqiiim com chaves,
par commercio, com os mezes do anno, a
4,000 rs. cada urna, edila de tartaruga pa-
ra iiLiiieira ferradas le setim muilo ricas,
a 1,500 rs. ; no Atierro da Bua-Visia, ioja,
n. 48.
Vendem-se 3 venesianas para janellas
de saccada muito bem feitas e com pouco
uso : na ra do Aragflo, n. 8.
-- VenJe-se una canda nova de 5 a 6
caixas apparelhada de ludo e prompta a se-
guir viagem, quem a pretender : dirija-se
ra larga do Rosario, n. 29.
Xarope do bosque
para cura de phlhi.ica em todo, ot seus diffe-
rente grao, qur motivada por constipa-
c>s, toase, asinina, pleuris, escarro. de au-
gur, dor de costado e peilo, palpitacao no
coracao, coqueluche, bronebile, dr na gar-
gauta e tudas aa molestias dos orgo. pulmo-
nares.
De toda. a. mtenlas que por heranca ficam
ao corpo buinauo, nentiuma ha que mais des-
tructiva Irnha sido, ou que leuha zoinbado dos
csfe-rcoi dos hoiurns mais rminente. em medi-
cina do que aquella que he geralmente ronir-
, id.i poi- euitttla mu bufe, a Em varias pocas
do secuto pairado tem te oflerreido ao publica
dlfteraute. remedio, com anclados daa extra-
ordinarias curas (tueellea tecmfelto, porm
de remedio, nina grande composito curativa.
\ico remedio que a .ciencia c o
yiirdicu. texty jjf, jM{|e^>.roduitjfo
fi'.-de'.U molestia, athoje In-
o grande r i'
conlieciincr
para o tral
conqu.'AkVcf.'
"tm una palavra he o mrlhor remedio no
mundo, e uenliuiiia pessoa locada com estrila-
;;i lio da familia humana ser juslo para al e para
sena amigos, se descer sepulluia sem anes-
lar suas qualidades virluasa. Una nica gar-
rafa quasi que em todos os ca.o. produzir
urna coiislderavel iiiudmca no estado de vn-
quer doenfa, seja ella o Tem curado caso que sesuppunham aupe-
liore ao poder medico. Tem levantado doen-
te como que da sepultura. Tem curado de-
poi que j lodos o. ou-ros syslema.....edica-
mentos e mclhodos de (ratamente teem falha-
do. Km urna palavra, dMCofcro-if o irgredn, a
ihthica cura-se.
A antiga opiuiao de que phthisica nao po-
da curar-c trin drsapparreido drsdr a iutro-
dueco drsia milagrosa medicina. A plilhisica
pela dcscoberta drste inedicamento atlia-sr
despida de inrtadr dos horrores que causara.
Em lugar de e enregarem ao desespero quan-
do eslavain seguro de que a phthiica Ihe ti-
nh.i laufado as mas garra, inllliare de pes-
soas teem recorrido a e.te iofallivel remedio, e
com nraier e regosijo cuniinuam desfiuctando
saiide nrste reulo que produiio tal bem llcn
i laca liliniaua.
Lrmbrrin-.e lodos aquelles que sr acham lo,
cados de molestia pulmonar, qu> por tossr-
conslipacrs, aslhma. bronchitrs, pleuris. es-
cirros dr sangue, dr dr costado e no peito,
palpilacao no corafao, dr dr garganta, c lo-
das as mais molestias dos orgaos pulmonares,
que o nico remedio seguro he o xarope do
bosque.
I.cinbrar-sc-ha o publico que cada garrafa
l< ni dous papis com a propria assignatura do
agcnlrs II. C. Yate r Comp., um na garrafa
com urna perfeita dlrecco sobre o methodn
de usar drllr, e outro no papel involto.
Pdc srr mandado cen loda a sruridadr
para qualqurr parte do imperio. As orden
executam te poutualmcnle.
-- Vende-se una armaeflo propria para
sapttern por ser frita para a mesma offici-
na, por commodo prego: a tratar no Forle-
do-Maltos, ra do Burgos, n. 31, padariv.
Vende-se urna escrava do nacffo, que
engomm perfeita mente, lava de sabflo, co-
zinha, cose e he muito boa qnilsndcira : na
IU8 do Aragflo,!!. 8.
-- Veude-se um molequo de nacSo, de 20
anuos, que sabe uozinhar o diario de urna
casa : no caes do Ramos.
AGENCIA
HU OA SKNZALT.A-WOVA, W. 4^.
?Je.fte estabelecimento conti-
na haver m completo s-irti-
aiiito di.- moenas c meias moen-
das, para engenho; machinas de
vapor, e taclias de ferro batido
cocido, de todos oa tamaitos,
para dito.
Arados e farro.
Vendem-se arados de ferro de
rlifl'ercnles modelos : na ra do
Hrum.iis. G, 8 e to, fabric.i de
machinas e lundico de ferro.
i aiitiiia Ue Tapuyii'
igualmente nai sabor, finura e cor a de Mu-
ribrea, propria para mesa : vtnJe-se na
ra da Cruz, no Recite, armazem n. 13.
LADO
i
f


'/-!
Vendenvse balancas deci-
maes de 00 a 600 libras, muito proprias
para pesar assncar : na ra do Trapiche,
n. 3, armazem de C J. Astley & C.
-Vende-se farinha de Santa-Catharina,
milito superior, a bordo da galeola SantiHi-
ma-Triniaie, Tundeada junio ao caes do
Collegio.
Fni-inha de mandioca.
Na ra da Cruz, no Recite, armazem n.
13, ena ra da Cadeia, armazem de Cam-
pello Filho, vende-se farinha de mandio-
ca do Ceara, muita alva, gommosa e de ex-
cellente gosto, Unto em pequeas como
om grandes porches, por prego commodo.
Vende-se, por prego commodo, farinba
do mandioca, em sacos grandes; a tratar
nos armazens de Das Ferreira, e Gouveia &
Dias, no caes da Alfandega, ou com Novacs
& Companhia, na ra do Trapiche, o. 34.
Vende-se rap superior de Paulo Cor-
deiro : na ra da Cadeia do Recife, loja de
JoSo Jos do Carvalho Moraes. Na mesma
loja tambem se vende um methodo pira
violSo, do autor I.uigi Castelacci, contendo
as aRnacoes para se tocar oa sons armni-
cos, por barato prego.
Travcssa.da Madre-de-Deos, ar-
mazem. n. 5,
Achn-se estsbelecido um deposito, onde
encontrarlo os freguezes um bora sorli-
mento de licores, espirito de vinho, e to-
das as mals qualldades; superior vinho de
caj; cha mate; e liacas de vime, a pregos
moderados.
zas, lilas finas; chitas ; madipoldes e ou-
trasmuilas fazendas que as vender por
rteos que agradarlo aos bons freguezes de
linheiro a vista, por aero lempo proprio
jarataes compras.
Farinha de mandioca.
Vende-se farinha de S.-Catha-
i-ina, multo superior :a bordo do
liri&nc Coiicelco, fundeado de-
fronte do trapiche do algodao.
uorpreco mal* commodo do que
em outra qualqncr parte, ou n
Tallar com Manoel Aires Guerra
Jnior.
!-
A elles que sao baratsimos.
Vendem-se sapatfles de couro de lustro, a
2,000 e 2,500 rs. he o que valem do feitio :
na ra da Cadeia do Recife, n. 9, loja.
Aos navegantes.
Vcndem-se diarios nuticos im-
pressos : no pateo do Collegio,
casa do livkn azul.
Taixaa\ para eiigcnho.
Na fundtcSo eaba-se de recebar um completo sortimen-
tode taixag de* a\8 palmos de bocea as
qiiaes actiam-se a Venda por prego com-
modo e com proispttdlo embarcam-se,
ou carregam-seem ciarrossem despezas ao
comprador. N
Deposito de potassa e cal
Vende-se muito nova e superior potassa
e cal virgem de Lisboa, em j *lra:.tudo em
barris pequeos de arrobas,, por prego ra-
soavel : na ra da Cadeia do Recife, n. 12,
armazem.
Na casa de modas francesas de Mada-
ma Millochau, no Alerro-da-Baa-Vista, n. 1,
recebeu-se novamente nm rica sortimenio
de bordados de todas as qualilades, goli-
nhasde camhraia e fil, rom/eitos, cbe-
goes, colerinhos. caniistnhisj, mangas e
manguitos moda nova, fil lisu e bordado,
cambraia lisa e bordada, lengos de cam-
braia de linho bordados, baba Jos e ntre-
melos de cambraia bordada: tudo se ron-
de muito em conta.
-^vdm'-se dourp7Stef~&f Para car"
regarem palanquim, servirem u.JJ( casa "
gauharem na ra, por darein 6*0 rs. p',r
ia : na ruado Coilegio, n. 21, primelro
Salsa-parnlha de Sands
para remover e curar radicalmente todas ae
nfermidades que procedem da impureza
io sangue, ou habito do systems.
Esta medicina esli operando constante-
mente curas quasi incriveis, de molestias
que procedem da impureza do sangue. A
infeliz victima de molestias hereditarias
com glndulas incitadas, ervos encolhi-
dos, eosossos meios arruinados, flcou res-
tablecida com toda sua sau.de e frgas. O
doente escrofuloso, coberto de chagas, cau-
sando nojo a si mesmo, e a quem o servia,
ficou perfeito. Centenares de pessoas que
tinliam soffrido ( por annos, a ponto de
desesperarem da sua sorte ) molestias cu-
laneaes, glndulas, rheumatismo chronico
e multas uutras enfermidades procedentes
do desarranjodos orgSos de secregSo e da
circulagfio, teem-ae erguido quasi milagro-
samente do leito da morte, e hoje, com
constituigOes regeneradas, com prazer st-
testam a efllcacia desta inestimavel prepa-
raglo.
Comqoanto tenham apparecido grandes
curas at aqu produzidas pelo uso desta
eslimavel medicina, comtudo a experiencia
diaria aprsenla resultados mais notaveis.
New-York, 22 de abril de 18*8.*
Srs. A. B. e I). Sands. Julgando ser
um dever para com vosco e para com o pu-
blico em geral, remetto-voa este certificado
das grandes virtudes da vossa salsa-parri-
Iha, para que outros que hoje estilo sof-
frendoestabelegam niel hora sua confianga
e fagam sem demora uso da vossa medi-
cina. >
Vi-me perseguido com urna grande re-
nda no tornozelo, que se estendia pela ca-
nella cima al o joelbo, lngara grande
porgSo de nojenla materia, com comichees
que me privavam muitas noites do meu des-
canso, e eram muito penosas de suppor-j
lar. a
para hornero, muito bem fcitos, a
4,ooo rs. o par : no Alerro-da-
Boa-Vista, n. 58, loja de calcado*
junto a deselleiro.
Vende-so por muito commodo prego,
urna rica secretaria com estantes para li-
vros, bastante grande, propria para advo-
gado, sendo de amarello e ainda nova ; as-
sim como, seis cadeiras e duas mesjnhas
de abrir: na ra eslreita do Rozsrio, n.
28, ultimo andar, das 2 horas da tarde em
diante.
Vende-se urna toalha de lavarinto, lan-
do urna pequea parte de panno no meio,
be de bretanha de linbo, ou de esguiSo fino,
o'ira muito bem feita, e o lavarinto be de
modelo muito moderno, por prego commo-
do : no Becco-Largo, n. 1, segundo andar,
de manilla at as 9 horas, a das 3 as 5 da
tarde.

Sedas e velludos
Vendem-se ricos cortea de seda mo-
I demos, furla-cOres, tanto lisa* como
de listras e do barra; velludos de co-
te res; merino azul para roupinhos
9 de meninos : na ra do Crespo, n. 9, flb
loja de Jlo A. C. Guimarles. #t
** 9* t
Vendem-se, na ra da Hoda, armazem
n. 15, meias barricas com cal virgem de
Lisboa, a mais nova que ba no mercado, por
prego commodo.
fc3*Ktp Paulo Cordeiro :^J
vende-se na ra da Cadeia do Recife, n. 51,
loja de fazendas, de Jobo da Cunha Maga-
IhSes.
Doces de todas as qnalldades.
vendem-se superiores doces de todas as
qualidades, em barris, e latas com geleia,
por prego commodo, em porgOes
Iho: na ra
verna.
Vende-sa chumbo de muniglo sortido
em casa de Me. Calmont & Companhia, na
praga do Corpo-Santo, n. II.
Vendem-se cet apolices da companhia
do Beberibe, todas ou em porgOes menores :
na loja de Ignacio Jos da Silva, junto ao
arco de Santo-Antonio, no cscriplorio da
companhia, e no docaixa da mesma se dir
quem vende.
Grande pechincha.
A 4,000 e 5,ooo rs.
Vende-se urna porgSo docassas francezas
de novos padroes e de muitas cores, a 400
(So, muito lindo ; urna mulatioha e dotis
'mulatinhos de 9 a 10 annos; urna negra de
Oanhoe, de linda figura, que cozinha e
vende na ra ; um preto de nagSo, de meia
Idade, por 300,000 rs ; um mulatioho de
l3*nnos, proprio para pagem, por ser mui-
to bonito.
forro e
lencpl; esta-
luecaam bsir
OSr. iogo M. Connel, que havia sido rs. a vara.e muito finas, a 500 rs. : ditas
andar, se dir quem vende
Vende-se um preto de bonila figura,
bom oOlcialde pedreiro, e he de boa con-
ducta ; urna mulata de 18 annos, com um
filho mulatinho de 2annos, a qual corla c
faz um vestido de senhora, corta e faz urna
camisa de homeni, engomma comperfoiglo,
he muito liel e nfio tem vicios, o que se
afianga : na ra larga do Rozario, n. *8, pri-
meiro andar.
Na na Nova, n. 2, atrs ta
matriz,
vendem-se jsrros de porcellana para llores
naturaes ; mangas para castigaes com pe
de vidro lapidado; lanlernas de r de vi-
dro ; ditas de p de casquinha ingleza fina;
candieiro de cora para sala ; ditos de
bomba ; ditos de corda ; ditos para estu-
dantes ; sapates de couro de lustro, forma
mglc7a ; bengalas finas; ciiaruleias, per-
fumarlas ; luvas de pellica de cores; ditas
de algodSo de cores ; sapalus de setim
branco ; ditos de lustro ; ditos de marro-
quim ; ditos de duraque; tolins gaspeados
para senhora e meninas ; chinelas de tape-
te e marroquim : ludo barato a dinheiro
a vist.i e fiado nada.
Na casa de modas francezas de Mada-
ma Millochau, no Aterro-da-lloa-Visla, n.
1, alm de um lindo sorlimento de chapeos
de seda e de palha, recebeu-ae um sorli-
mento de capotinhos e manteletes de seda
e de Ci, e chapeos de palha da ultima mo-
da, para motilara, e de goslo amazona de
Paria.
A 10,000 rs. o par.
Vendem se castisgaes de casquinha com
manga, pelo diminuto prego de 10,000 rs. o
rar: na ra Nova, n. 2, atrs da matriz.
Vende-se urna porcode ce-
vadinha de superior qualidade : na ra do
Trapiche, n. 3, armazem de C. J. Aslley &
Companhia.
Vendem-se oculos de aro de ago fino,
e vidro branco, para lodas as idades ; ditos
de vidro verdee azul para ler de noite, ou
cura de olhos, por ser de viJraga ; lonetas
d" -d?."! *.'drl?l,j>,',*U8,"ent,r os ru deJ8M de "lu se conipoe cada diaic.
,03, a que C rrsoceies cosajaot pea-]loaamiButraliVo,43ufreatoe mclliurado em
as suas especialidades, segundo as
=..cr-^uC que mbw ii ivmu ah- iiuju ; na rus
lo Collegio, n. 9, loja de livros.
A I Mi o eovado.
Na loja n. 3, defronte do becco do Pei-
xe-Krito, ven-n-se panno azul, a cinco pa-
tacas o eovado; casemira encarnada d
duas larguras, a 2,000 rs. o eovado.
Mobilia.
Vende-se, por aV50 commodo, urna mo-
bilia, consistindo em dous pares de lanler-
nas bordadas com ps de vidro, ti cadriraa,
sendo duas de bragos, 1 sof, 3 consolos, 1
mesa redonda, urna cama moderna com cu-
pula paracasadus : ludo de Jacaranda e mul-
lo betnfeilo; assitn como um excelleute
piano verdadeiro patente de Colard & Co-
lard, com um machinismo de nova inven-
gSo para mudar o teclado em quatro vosea
difTcrenles : tudo se venda a dinheiro ou *
razo : na ra do ngel, n H, de tao,63
,e s 9 boras, e a tarde das em diante.""
\ A 4,000 rs. o par.
Yendem-ae sapates de lustro
curado com a vossa salsa-parrilha, recom-
mendou-me que eu fizesse uso della, o de-
pois de haver tomado cinco garrafas fiquei
perfeitamenle curado. >
Tenho demorado um anno mandar-vos
um ceililicado, para reconhecer com cer-
teza se a cuia era permanente, e temi ago-
ra a maior saliafagSoem declarar que n8o
tenho viato, neui sentido cousa alguma du-
rante todo este lempo, e acho-nte perfeita-
mente restabelecido. Sou vossa, etc.
o Sara/l K. latir.
2*0, ra Helancey.
Nesta provincia o nico agente desle ma-
|ravjJ_liSo remedio he Vici.nle Jos de Brito,
cm botica nST\ Vendem-se relogios'c.on-
ro e prata, patente inglez : na uta
da Scitzalld-INova, n. !i.
Agencia de l.'duin Mnw.
Ra ile Apollo, n. 6, armazem de Me. Cal-
mont & Companhia, fazein ver aos Sis. de
engenbo e aos seus correspondentes nesta
praga, que noseu estabelecunenlo so acba
consta lilemente bom aoi lmenlo de moen-
uas todas de ferro para animaes, agoa, etc.';
meias ditas para armar em madetra ; ma-
chinas para vapor com forga de cavados ;
laixas de difiere lites modelos e de lodos os
lamanhos e grossurss, tanto de ferro batido
como coado ; espumadoiras, cocos, etc., de
ferro eslanhado ; safras para ferreiros : lu-
do multo bom e por barato prego.
Joo Keller S COmpanhia, na
ra da Cruz, a. 55,
Vendem a pregos commodos, vinho mus-
ca tel de Selubal, em caixas de urna du-
zia; dito muito bom de Lavradio e Col-
lares, em barris de quinto ; dilu de Cham-
paoha, da mais acreditada marca ; dito lin-
io de Coitaillod, de superior qualidade;
extracto de absynlh e kirsch ligitimo da
Suissa, em caixas de una duzia ; verdadei-
ro cognac velho, o da melhor fabrica de
Franga, em barris de 80 garrafas poucu
mais ou menos : tambem se vendem por
prego n.iiiiu rasoavel velas de sleariua ,em
caixas de 32 libras ; charutos da Babia de
muito boa qualidade.
Novo mappa geographico de
l'orlugal.
Vende-se o novo mappa geograpbico de
Portugal, emgrando frmalo, gravado, di-
vidido por provincias, dislrictos adminis-
trativos e coiuelhos, conforme a ultima lei
dadivisSodo'ierntorio, e contendo a de-
marcagSo dos paizes vinhaleiros 110 Douro
eBairrada;as estradas militares; todas as
Ierras e lugarea notaveis, com designagSo
daquellas em que ha correio ordinario ; a
escala das distancias das trras principaes
onlre si ; o mappa dos concellos, a nume-
ceni-r, do ultimo goslo :estas lonetas fe-]todas
^K.-ilufc i.rv.m An .rnd( nn.ln_
car cedulaa e outros objeclos que a visla
dfio alcanga ; pulseiras douradas com po-
dras, ultimo gosto de l'ans; bengalas da
ultima moda ; finissimos lapis em qualida-
de ; garganlilhas prelaa ; medidas de mar-
r.q .im para alfaiate; facas e garlos de
cabo de chifre de viado, ao uso do bom tom
de Londres; ditas de bulango, jubos de mar-
liiu ; finissimas meias para sennoras ; cai-
vetes ; machinas que de una soVvez apa-
raqj perfeitamenle urna penna\e oulras
iiiuuas miudeas edegadas lecentVnienle :
na ru*a larga dollozano, 11. 35, loja d\ l.ooy
O antlffo barateirodo l'a< i\lu-
bllco, loja 11 I 1, de 1 1iii/uh>
fos Itodi-igiies KciTcia.Jin.
milicia as seg;ulntes la/. psnnus linos pretos muito superiores ; dit
azues ; merinos superiores; aelim prel>_
.le Macso ; ilitosde cores; gortorOesde se-
da para colleles ; riscardos nionslros ; cas-
sa-L'liila j tab.oic, nus U.ngaiios ; cha-
les de 12a e seda; ditos de tarlalana ; cam-
braias lisas muito baratas; alpacas; priuce-
pretas muito linas, a *80 e 560 rs. chitas
largas francezas, a 320 rs. o eovado: na ra
do Crespo, n. 14. loja de Jos Francisco
Dias.
Alarmelada
de mimos, em caixinhas peqexnss, tanto
em porgSo como a retalho ; an) de primei-
rae sepuuda qualidades, feijadmulatlnho,
encarnado e caboclo, chegadtf ltimamen-
te do Rio-de-Janeiro, por prega commodo :
na ra da Cadeia do"Recife, n. 25, defron-
te do Becco-Largo.
Vende-se mu lo bsralo o bilhar da Ponte-
de Uclta com todos os seus pertences, este
bilhar he novo e be dos melhores que ha
nesta praga : roga-se a qualquar pesaos que
Ihe convenha compra-lo dingir-se a ra da
Madre-de-Deoa,a tratar com Vicente Ferrei-
ra dVfJOUqua ayomette fazeruegocio pelo
meos que lhe fr possivel.
Na loja da ra doQueioiado, o. 3, defron-
te do becco do Paite-Frito, vendem-se cor-
les de casemira do algodSo, com 3 covados
e mel, pelo baralissimo prego de 1,960
rs*: esta fazeoda he de listras e xadrez, pa-
droes muilo modernos.
amf v?ff vf ? f f *? f f f o
> i.aiiitiiius le reverbero i
* para carros e cabriolis, de difTe- *
* rentes tamaitos : na ra do Crespo, ^
MAAAA4.4>AA A A *******
Agoa de Seltz
de excelleute qualidade, e por
preco muito commodo : na ra do
Trapiche-Novo, n. 16.
Vende-se estanto em ver-
guinha, de muito boa qualidade :
uaiuado Trapiche-Novo, n, 16.
Vendem-se taboinhas para
clnpeleiro, de superior qualidade:
na 1 ua do Trapiclie-Novo, n. 16.
Na loja de Fenandes da Luz Ai IruiSo,
na ra do Livra metilo, n 10, vendem-se su-
periores cortes de casemiras do ultimo gos-
to, pelo diminuto prego de 6,500 rs. o corle.
Oh que pecliineha.
I'ano verde escuro ( liinssimo ) pelo pre-
go de 4,000 rs. o covodo: no Aferr da Boa-
Vista n. 18.
Farinha de mandioca.
Vende-se farinha de San-Mstheus, de su-
perior qualidade, a bordo do patacho Limn
e sumaca Bella-Carolinm, tundeados em
frente do Collegio, ou ao lado du Corpo-
Santo, loja de massimes, n. 25.
Deposito geral do superior ra_S
9 p Areia-rreia da fabrica 0 deGanlni. Palhp 0.
1 na Babia.
n Domingos AI ves Matheus, agente da?
fabrica de rap superior Areia-Preta daX
X"ahia, tem aberto um deposito na roa*?
** ^*dar, onde se achara sempre desle ex-V
Vcellenlee mais acreditado rap: ven-
Ode-se em botes de urna e meia libra,O
Qior prego commodo. Q
OOOQ0OQQOOOOO90COO
Vendeui-se 6 burros entre elles alguns
mangos ja de servigo: na ra do Queiinado,
11.1*.
Vende-se um escravo bom trabalba-
dor de enxada, e para qualquer servigo, por
ser mogo e diligente e sem vicio algum : na
ra do Queimado, n. 1*.
. Vende-te urna prela de 15 annos, de
bonila figura e com algunas habiliJadea:
na rus ds Cstlr.is ds SsaUi-Anlonio, .... se-
gundo andar do obrado s esqeioe do Ou-
Jvidor, n. 1*.
Na ra la
vend-se um
____09QOOO9C
& Mi; bomgoato. 0
O CapoiinRv.* mititelelae, sedaa lisas O
0 de furia cares, cortes d blenda de F>
. cor, novo sorlimento de parisienses, o
0 longos de cambraia de linho borda- /
q dos, ditos liaos coso barra 6 em cada
f cartaosinbo cota estaaapa cada car- X
" tSo ( com os lengos j se sabe; pelo 2
w diminuto prego de 3,8*0 rs. lengos
de garca bonltu cores 1,280 rs.csda O
O um ; luvas Ja pelica com borlas de
Q sed*, a 1,50011. o parjcisas france- 0
O zes modernjjL S00 560 e 900 rs. a O
Q vara ; Titas I ^Bcogo de Senhora, 0
0 a 1,000 rs. ara urna : e oulras mu- j
q taa fazendas tanto para senhora co- q
*. m<> para homem,: vende-se na roa g
do Crespo, n. 9, loja amarella do l- 2
? do dosul.
& O
OGGO0OOOQOOOCOOOOG
Vende-ae vinho de Bor-
leaux, de mullo bos qualidade : na ra do
Trapiche, n. 3, armazem de C. J. Astley &
Companhia.
Vende-se cobre de
pregos de cobre 1 chumbo em le
nho em bsfra ; ferro fngtez e sue
ra : na ra do Trapiche, n. 3,
C. J. Astley & C. *
Vendem-se trangasde seda de todas aa
cores para enfeitar vestidos ; ditas de algo-
dio ; bies e rendes francezas de todas ss
larguras ; bolOes de seds psra vsstidos ; bi-
mmodo em porgOes e rata- cosBde silonde de todas as Isrguras ; frau-
da Madre-de-Deos, n. 36, ta- jag rias nt4g pira chipos e Clnluri ,en.
Sos de camhraia bordados e imprimidos,
oreje capellas para noivas ; ricos enfei-
tes da luvas para senhora-; rendas lisss de
seds e de linho ; esmbraias de seda ; "espar-
tilbos e cordOes psra os ditose para borze-
gules ; Otas de linho e de cassa : tudo mui-
lo em conta : no Aterro- da -Boa-Vista, a. I.
Chapeos.
A'.'tiolorobier, oom loja na ra Nova, n.
2, atrs oVmiUUi-tantoehapos de castor
brsncos, finos e de bonitas formas; ditos
de seda franceza para homem ; ditos de pa-
lha fina ; ditos de merino preto e branco ;
ditos de palha de Mamitis ; ditos de renda
branca para senhora; ditos de palha com
lecido de cabello; ditos de pelleninos ; di-
tos de sol, de seda, para homem; ditoa pa-
ra senhora ; e ditos de panno psra homem.
** *9 #*
9 Na loja do sobrado amarello. nos
P quslro-csnlos da ra do Queimado, 0
n. 29, vende-se um grsnde sorti- 9
9 ment de cortes de vestidos de esm- 9 braia-seds, muilo modernos e novos #
* gostos; ditos de cambraia branca #
9 com barra borbada e adamascada, 9
9 tudo por prego muito em conta. *
Para os Srs. alfailes.
Vende-se estopa com alguma averia, a
80 o 120 rs..-na ra larga do Rosario, n.
*8, primeiro andar.
Alpaca de lila e seda a 360 rs.
* -w JApvado.
Pa loja da ra do Queimado, n.
fronte do becco do Peixe^Ef'1" t .
alpaca de 19a eseda para vestidos?e
jas, a 360 rs. o eovado: esta fszenda he
lecido de xadreies de 18a e aeda, padrOes
muito agradaveis.
Vende-se a posse de um terreno de es-
quina, situado por detrs da fundiglo em
S.-Amaro, com 200 palmos em urna frente,
eperto deSOOem outra, com um grande
viveiro bem povoado de peixe, com 3 ca-
sinhas no centro qne rendem 22,000 rs.: a
tratar em una das rasinhas do mesmo sitio
com seu dono que far lodo o negocio, lan-
o a dinheiro como a prazo com boas fir-
mas, visto ter de retirar-se para a Europa
Vende-se um preto de 20 a 92 annos.
bom cozioheiro, e com hsbilidades neces-
ssriss para urna casa de familia, ou homem
solteiro : as Cinco-Poutas, psdaria defron-
te da fortaleza.
Vendem-se os seguintes livros : Espiril
deE. encyclopedio ; Felinto Elysio ; luc-
cionaire anslytique denomie politique;
Arte potica ; Quintiliano de Sosres ; oea-
vre de J. Rocina CsmOes ; Oberons ; Obras
le Cicero; Mut.do primitido; methodo de
viollo; um lavatorio do mogno com seus
pertenece de louca franceza; S bandejas
em bom estsdo : na ra do Livramento, n.
7, loja de sapatos.
Vende-se urna carta para bacbarel da
academia de Olioda, em muito bom perga-
minlio, vinda de encommenda do llio-de-
Janeiro, e juntamente a Uta para a mesma:
na ra las Cruzes, n. 40.
-- Vende-se urna prela de nsgSo, engom-
madeira, e que cozinha o diario da urna ca-
sa, sem vicios nem schaquea, e de 18 a 20
annoa: no becco daa Boias, no Forte-do-
alsttos, primeiro sobrado i esquerda.
Vende-se urna mulatinha escura, mui-
to bonita, que cose, engotnina, cozinha, faz
renda e o mais servigo de urna casa ; tem
15 annos: na roa larga do Rozarlo, n. 35,
loja.
Vende-ae um pardo moco,
de bonita ligara, prupriw pura
qualquer aervico; oa ra do Cres-
po, n. 16, loja da esquina da ra
das Cruzes.
Pia fabrica de carros nos Coe.
iho*, defronte do hospital novo,
vende-so um csbriolet descoberto, novo e
com os pertences tambem novos, do me-
lhor gosto.
Vendem-se cortes de chita e risesdos
para vestido, de cores lixase bons pannos,
1,200 e 1,920 rs.: na ra do Queimado,
n. 19, luja.
Veude-se um casal de pavoes, muito
bonitos, por prego commodo ; no pateo de
S.-Cruz, n. 6, padaria.
-Va ra larga do Hozarlo, u- 23,
vende-se um preto de 30 annos, perito olli-
cial desapaleiro
icape Pauso cordeiro.
Vcnde-au o vertiadairu rap i'auio Cuisi-
r, eu libras a meias ditaa, a 1600 rs. : os
rui do Queimado, si. 16, loja de Jos Di'S
Simoea,
Vendem-se, vinho do Porto, dito Sherrv
conservas, mustarda.nlcaparra. aal. o ca,,f,
"conserva ..l'rrfioado. corrima. na,a "
dio, franca branca da melhor qualidade iTi,
eacura, genebr. de Hollaoda, lelo, ira Ii,
par faca., Heore, lino., touclnho de fume
.rtZT ,ure,Kor ' Sdad. rle""h0-<:l'""pagnhe da melhorqu.
ridadeqneha no mercado, vernlz preto e br.n-
tt do hra.ll, dito ds1 tfblfo de Veneza, eacova,
para aapatoa, dita, de eafregar, vaaaora. de .
ftello para varrer talas, aulte-doce refinado c
almaoaks martimos para 1850: na ru doTra-
H""' BrmaimdeRayiiiUod*C.
aWf!P?VwWmfM
Chapelinhos psra senhors.
1 Na loja do aobrado amarello, nos
quatromsnlos da ra do Queimado, **
n 29, vendem-se os mais modernos *?
chapelinhos para senhoras, cures *
muito bonitas, e muito bem guarne^ 2
odos. *
********************>
- Vende-se urna esersvs boa doceira: na
ra da Seozalla-Velha, n. 1*. '~n
"".Ven^,!gme,c"TO'125 annos, liel
perno oflicial do pedreiro, bom csooeiro e
apto para todo o servigo de casa, por 700,000
rs.: na ra do Queimado, n. 3, abundo
andar.
- Vende-se un sobrado de um andar
con- bous commodos: em Frs-de-Por-
las, n. 1S.
- Vendem-se amarras ae ferro: na roa.
da Senzalls-Mbva, o. *9.
' Venda-se orna olaria na ilha dos Coe-
Ihos, com terreno proprio, e tem bons com-
modos, por prego rasoavel: tambem se hy-
polheca por 600,000 rs. por 9 annos, fleati-
do a renda pelo premio, cuja renda anda
por 900,000 rs. por anno : quem quier,
oinja-se ra da Concordia, casa do Sr
Ceraldo Correia Lima, que abi achara o seu
proprietario.
-Vende-se ums prela da Costo, moga,
vendedeira de ra, lava e cozinha o diario
de urna cass : o motivo por que se vende
se dir ao comprador : na ra Nova, n. 28,
loja de selleiro.
-- Vende-se um preta de nicSo Mina,
muito muga e vistosa, que engomis, co-
zinha o faz lodo o mata servigo de urna ca-
sa : na ra do Amoriai, n. 15.
Escravos Fgidos.
arga do Itozario, n. 22,
inoleqie de 1* naos, de ua-
-- Dessppsreceu, no dia 21 do correte, o
rnolequeJofio, crioolo, de 1* a 15 annos,
fu o ; tem um signal de talho na sobrsn-
selha, dentes limsdos ; he bastante ladino;
levou caigas de brim e camisa de slgodo ;
pertenceao casal de Rita Rosa de slacedo:
quemo pegarleve-o ra do Queimado,
n. 7, leja de Manoel Pereira Lamego, que
gratificar.
Fusio, no dia 26do correte, urna pre-
la crioula, de nome Benedicta, que repre-
senta ter 30 annos pouco mais ou menos ;
he alta, cara comprlda; tem debixo do
queixo esquerdo urna marca proveniente
de um dente, e urna veia impolada em urna
perna, os dentes ds frente podres; falla
U1' levou veslido e cnila amarella, e
um panno da Costa usado: quem a pegar
leve-a a Fra-de-Portas, ra do Pilar, n.
113, que ser gratificado.
No dia 2* do crrante, fugio, do enge-
nho Cajabus, freguezia do Cabo, o negro
Jaclntlio, de 30 anuos, cabellos vermelhos,
bastante alto e bem parecido ; (em muitas
JwcaUizes pelas costas e no sssento ; he hem
'lanle, e natural do serto ; sabe muito o
ro da provincia; desconfla-ae ter Ido
l ; levou tod\a royjja que ttnha, una
jeueeum fatao no'quarto::"qtiem'>IwiBr
leve-o ao mesmo eogenho, ou no Recife, no
Aterro-da-Boa-Vista, n. 43, ou na freguezia
de Cimbres, na fazenda Caianinha, ou Cra-
vat, que seta generosamente gratificado.
Acha-se fgido desde setembro do au-
no pastado, um negro ds Costa, de nome
Victoriuo, oflicial carpina, que representa
ter 30 annos, com talhus no rosto, uso de
sus trra; consta andar trabalbando oc-
culio em algumas obras, intilulando-se for-
ro : este escravo foi da fallecida I). Maria-
na Thereza de Jess Siqueira. Roga-se as
autoridades policiaes e cepilles do ompo,
3ue o apprehendam e levem-no defronie
eS Francisco, n. 7, por cima da coebei-
ra do Sr. Frederico.
No dia 22 do crrante, a noite, fugio
urna negra de nsgflo, de nome Gertrudes, de
estatura regular, cheia do corpo, cOr fula ;
lem a ledra P no braga esquerdo e os ps
apapagaiados: quem a pegar leve-a ra
da Florentina, n. 1, quesera gratificado.
Sabbado, 91 do correle, fugio urna
prela de nagflo Calabar, de mala de 80 an-
nos, de nome Mara Cajueira, baixa, cara
redonda, pernas alguma cousa arqueadas,
bneca alguma couss torta de beber cachim-
bo ;quando anda he sscudids ; be muilo
falladeira ; levou vestido de chita de romos
encarnados, panno da Coala azul e braoco,
bragos e pernas foveiras ; andava endeu-
do feijBo de coco. Roga-se a lodas as auto-
ridades policiaca e cspitSes de campo, que
a aprehendam e levem-oa a Trompe, obra-
do, n. I, que tem vende por baixo, que se-
rlo gratificados.
No niez de malo, pela testa do Espiri-
to-Santo, fugio, do engenbo liliuga-da-
Haixo, um negro de nome Tliomtz, silo,
grossura regular, cOrbaslaote preta, olhos
afnmagados, cara um tanto comprlda, per-
nas meias csmbslas, tanto que parece que
puxa por urna, pea malos apalhetados; he
multo ligeiro no andar: he crioulo ; re-
presenta ter 20 s 25 annos ; be muito rbe-
torico : este escravo fol comprado aos her-
deirosdo fallecido Antonio Leocadio l'ais
Bsrreto, por escriptura que o meamos li-
zeram a Joaqoim da Silva. Costa, e a seu
fallecido pal, Jos Alves de Castro! quemo
pegar leve-o ao referido Costa, em dito en-
genho Utinga-de-Baixo, ou nesta praga, a
Manoel Ignacio de Uliveira, na praga do
Coaimercio, n. 6, primeiro andar.
Fugio, oo dia 24 do correle, do o-
nhnll- !-1- n na-.'-------- An O'
Bv....v iuiiuui>., C r,mu jama.", -*
anuos, reforgado'do corpo, altura regular,
combugode barba, pea gressos e cascu-
dos em rasSo dos ferros que a aiuito anda-
va com elles e com que fugio ; levou loJa
roupa : este esejavo foi de Manoel Jos de
Magalhles Basto que o -tinlia comprado a
un hornean do serillo, e vender a Paulo
Caetanode Albuquerque ha muito conhe-
cdo atsts prags, psrs:.- jossdor : qaSSa o
ngr leve-0 ra Nota. n. g7. niip ser gf-
lifloado,
<*mmimsmmmMmmmm---------------b
Faaa. iMfcfiK mm. ,, My4UJ,. >_ 196O
tL
MUTILADO I
1


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZ2SY5HO8_DJDEMB INGEST_TIME 2013-04-24T15:45:11Z PACKAGE AA00011611_07024
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES