Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07023


This item is only available as the following downloads:


Full Text
*
"."? X*
VI

Sabbado 28
!W
metiiu BOB oommMio.
Golanna e Pirahiba, *egund*a eeita teiru.
Rio-Granda-do-Norte, quiote* iltu ao melo-
da
Cabo, Serlnhem, Rio-Formoso, Porto-Calvo
e Macelo, no 1.', a 11, e 21 de cada mex.
Garanbuns e Bonito, a 8 e 23.
Hoa-VIta e Florea, a 13 e 28.
Victoria, s quinta* feiraa.
Ollnda, todo* o* da*.
PliSU .Di,
Kova. a 6. a*3.b. e 0 m. da ni.
Cre*c. a 13, 6h. e 1 m. da m.
Chela. a2l, 10 h. e21 m. da m.
Ming. a 28, a 7 h. e 33 m. da t.
**** DI HMI,
rrlmeira a*
Segunda ai
10 hora*
11 hora*
<# Setembro d 1850.
N. 519.
heoo* DA ansaoaiFqlo.
M minuto, da manba*. ^l. mezes ("^'*<0', $00
da* da inuat
23 Seg. S. Lino. Aud. do J. do* orf. e ni. da 1. Y.
24 Tere. N. S daa INeve*. Feriado. V,
25 Quart. S. Firmlno. Aud. do J.da 2. v.do civel.
96 Qulnt S. Cvpriano. Aud. do J. do* orf. e do m.
da 1, v.
27 Seat. S. Ceame e Damiao. Aud. do i. da 1. r.
e do do* felloa da fazenda.
28 Sab. S. Vencealo. Aud. da Chano, e do i. da 2.
v. crline.
29 Doui. A. Miguel Arcbanjo.
CAMBIO* XR TI DI 1EIMBBO.
Sobre Loodro*. a 28

. Paria, 346.
Lisbo*, 100 por cento.
<>mto Oncaa heapanhoea......... 29/000 A 2*V60T
Hoedas de 6/400 velhaa.. 16/400 a 16/600
de 6/400 novas. 16/100 a 16f20i>
. de-4/000........... 9/100 a 9/200
Prtt.Patacoea bra*ileiro*...... 1^60 a 1/980
Peaoa columnarios....... 1/W10 a 1/980
Di* litjaam ....,... 1/800 a 1/W0
..lanrrfM
PABTE FFICIAL.
MINISTERIO DO IMPERIO.
AVISO DE 6 DE AGOST DE 1750.
Ordenando que Esliene Comp., iiguradore
di duai oarlai na adminilraco do trrelo
da crit, ai quaei nio ektgaro a un desti-
no, seiam immtdialammli indemniadie
importancia reiptctiva ptlo tmpregaio dti-
paehanti da mata, eiU pelo uerdadii'o cul-
pad.
3 sessfio. Ricwie-Jatie're. Ministerio
dos negocios do imperio, em 6 de agosto de
1850.
Coi onvfda a cello dos- negoeios do im
pari' lo conselho de estado ceres do ofll
co .le V. 8.del2dejulholtimn, em pipis
que o acomparfharam, relativos o requeri-
miento om que F.et(ene e Comp. solicitam
udeiiiiiisacSoda quantia de 108.O00 r*. em
que segoraram na idministr-icSo do correio
da corte daai cartas com destine D. Ame-
lia Chezelle na villa de Barra Mans*. cojo
agente dn crrelo, Manoel Vieira naves,
V. 8. julga dever ser compellido fiquelle
pagamento pelo* motivos declarados no
seu dito ofllcio i e eonformando-se S'.'M. o
impefador mido parecer da referida sao-
aBo,.Mando em consulta de 90 do mez
pastada, manda declarar a V. 8. : primeiro
que estando verificado que ossuppllcantes
segursnm as cartas, bem como que irfio
fortn ellas entregnes i pelaos a quem ersm
dirigidas, .slste-lhes odireilo de serem in-
debiuisadosna forma derligo152doregula-
menlodaMdadaaeaibrode 1844,nfio deven
do en vista da lalr* easnirito du mesmo re
glilamente, sep demorada tal iiidemnisacfio;
segundo, que nfio Serve da fundamento a
tuspensSo (testa a duvida de V. S., sobre
qusl o empregtdo que deve reaponder pelo
eilravio das cartas, porque o regula ment
lie expreseo marcando bem daramentoa
quem cumpre aatiafazer tal imdemnis*5fin
terceiro, que podendo porm eise empra-
gado eaur innocente, o artigo 153 salva-lhe
o direito de ser iadsmnlsa lo pelo que com-
melteu a falta nfio o dispensando comtudo
da obrig*cdo de pagar ; quarlo. lioalmen
te, que aveiiguando-se qual o verdadeiro
culpado, ser* Bita por lim ubrigaJo a iu-
demniaar ao primeiro, bem que, a ser fun-
dado, como parece, o juzo de V. S cere*
do autor do laclo argido, a simple* exi-
gencia do pagamento nio saliafaz a justica.
O que ludo communico a V. S. para seu
conhecimento ; cumprimlo que nesta con
formiJade especA as precisas ordena, aflm
de que os supplicantes sejam iinmediala-
niente ini(emiiisados da importancia dos se-
guros pelo empregndo despachante da ma-
la, e este pelo verdadeiro culpado.
Dos gusrde a V. S. Viscondt de Mont'AU-
are. --*r. director geral iolerioo dos cor-
reioa.
MINISTERIO DA.JUSTl^Ar
\JM DECKETO N. 557.
Mtrea o modo di u eonlar aoa juisu di tlireilo
o lemp* ieelfeetivo exercicio noi teui luga-
. tu, deduzida quauqutr Mrrrupeitt.
llewpor bem stnccionr, e mandar que Re
execute a resoluto seguinte da sssemblea
geral legislativa :
Art. I.* Porantiguldtdedosjuizesdedi-
reito s se entender o lempo de effectivo
exercicio nos seui lugares, deduziJas quaes-
querioterrupc,oea. Exceptua-so :
1.0 lampo em que estiverem com par-
te ou licenc de doente, com tanto que nSn
exceda de 6 mezes em cada periodo da tras
annos.
2. O lempo apretado a o juiz removido
deae transpor para oulro lugar, so nfio for
excedido.
S. O lempo de suspensSo por crlme de
responsabilidade, de que lrem absolvidos.
Art. a.s Estas dliposifOes serfio aplica-
das um anno depois da presente lei ; e,
quanlo sos membros da sssemblea geral,
so depois de concluida a prsenle legisla-
tura.
Art. S A nomeaeflo da desembargador
ser felta d'enlre os lOiulzesde direilo mais
nligos, cuja rel*c'o dever ser a presenta-
da pelo supremo tribunal de justo;., sempre
quehouver deterloga'.
Existilo, porm, Juizes de direito, js a-
presenlados 5 vezes, a relscfio dos que fo-
rem propostos i nomeaefio comprehender*
al os 15 mais anligos, nunca excedeodo es-
te numero, e nem enroso alguna podendo
conter mais de Vz daquellea juizes que nao
teiiham siJo (presentados s 5 vezes.
Art a>. r!(; ni,o|iuii a uiapoeiyoiii
em contrario.
Euzbhio de Queiroz Coitiolio tlalloso C-
mara, do meu concelho, ministro e secreta-
rio de estsdo dos negocios d justica, o le
nha assim entendido e f*c executir. Pal*.
ci do Itio-de-Janeiro, em 28 de junho de
1850, vigsimo-nono da independencia e do
imperio.
Com a rubrica de S. M. olmperador.
1*010 de Quitraf Coitinho Uattoio (amara
d'entre os jurados supplfitas, de ttntos
quantos faltarm. '
' Sflo jurados supplentes, os juizes de facto
residente-; dentro da ci tarta oo villa em
que reunir-sao jury, ou al a distancia de
2 leguas.
Art. 2." pos nomes de cada om delles,
far-se-ho doa's cdulas, das quaes urna en-
trar para a uros geral, deque trata o art.
31 do cdigo do processo criminal, e outra
p*r urna orna especial dos supplentes.
Quando abrlr-se a sessfio do jury, a uros
especial ser .depositada no tribunal, pa-
ra o sobredito sorteio, em osos necossa-
rios.
SSo applicaveis lala dos jurados sup-
plentes, e a-urna especial, disposires an-
logas qu* le decreta, em relapso lis-
ta e urna geral, eom a differang* de que a
urns especial s ter duas chaves, de que se-
rio climiUrios o joiz dedireitoeo pro-
onotor publico.
Art. 3" Quandoesgolada a urna especial,
nSo peder installar-se ou continuar a sea-
sHo do jury, o juiz de direito, convocando
os ontros dous clavicularlos dstirn geral,
proceder o sorteio subsidiario ele tantos
quantos faltarm, e os far notificar para
que comptreca.n no di que fr de nevo
aprazado. Deste sorteio o jniz de direito
excluir os jurados que residirem a distan
eia maior de 6 logo* do lugar da aessSo,
salvo quands nfio forem saulcientes oa mais
prximos.
Art. 4." Ficam revogadasas disposi(oes
en eonirrio.
Euzabio de Queiroz Coutinlio Mattoso da
Cmara, do meo conselho, ministro e secre-
tario de estado do* negocios da justica,,o
tenha ssaim entendido e faga esecutar. Pa-
lacio, do Rio-de-Janeiro, en 96 de junho
le 850, 29.* da independencia e do im-
perio.
Com a rubrica de Sua Magestade o lm-
oerador. Ensebio de Quito* Coulinko Hal-
llo da Cmara.
ftio-de-Janeiro.--Ministerio dos negocios
da justica em 96 de marco de 1850
Sendo ncoessario para que o cdigo do
oommercio produza os benolicios que delle
se esperara fzer preceder sua exeoucla de
um systhems de regulamentoa que a facil-
teme asiformizem especialmente na parte
relativa ao processo a reapeilo do qual ape-
na* se cstabaleceram aa bases e regras ge-
raes que agora compro doKnvolvor| houv
por bem 8. M. o imperador, allondendo as
habilita cOes que Vmfc.reune,nomeia-lomem-
bro de urna commi.iflo, que sb a presiden -
ca do ministro e secretario de estado dos
negocios d justica, se enearregasse de or-
gaoiaar coma posaivel bievidade os regu-
lamentos que fOrem |ecessarios: o que
communico a Vino, par seu conhecimento;
prevenindo-o de que a p\imcira leunifiod*
cominissflo t 'ra lugar na secretaria de esta- 50,000 ris vista, e o resto em preslaQos
do dos negocios da justica, pelas 5 horas da f mensaes de 10,000 risfiaste sentido oHI
Art. 7.* Iffio ae dario pastaporte* ao* navio*
aereantes para oa porto* da coila d'Afrlca, sem
que aeut donoa. capltaaa ou mratre* tenham
asfignado termo de nfio receberem a bordo
dellea eacravaalguin : prestando o dono flanea
de umaquantla Igual ao Valor do nalo e car-
ga, a qul flaca a aera levantada, e dentro
de 18 metes provar que fol exactamente cum-
prido aqulllo a que *e obrlgau no termo.
Art. 8. Todo* o* apre*aaaentos de embarca-
rlo de que trata ni os artiga* 1" e2., assim cu-
ino liberdade dos escravq* apprehendido* no
alio mar, ou na costa soles do desembarque,
no acto delle ou linmedlatamente depois em
armaikris edepaallo* alio as eolias e porto*,
aero processaa'o* e (ufgaalea em prlmeira Ins-
tancia pela auditoria de lariabtve em legun-
da pelo cooaelho de estado. O govertio mar-
cara, em regulamento. a forma do proeetso
em priineira e segunda instancia, e poder
crear auditor de marloha no* portoa onde
convenha, devendo servir ie*de direito da* respectivas Comarca* que pa-
ra laso forera designados.
Art. 9.'Os audictorea demarinha serao igual-
mente competente* para prooeatar e julgar o*
reo* ineocionados no artigo 3.* De auaa deci-
dea hawr para a* relaces oi rarsinos recur-
so* e appellacdes que nos procesaos de respon-
sabilidade. O coinpreheodido no artigo 3
da lei de 7 de novembro de 1831, que nao eatao
designado* no artigo 3. rtesta le, continuarlo
a ser processado* e Julgados no foro cominum.
Art, rO. Ficam revogadas quaeaquer disposl-
edes em contrario.
Mandamos, porta nto, a todas a* autoridades
a quem o conhecimento e eieoiNBoda referida
lei pertencer que a cumpram e beam curaprir
reguardar liololelraujenie como uella se con-
lui. O secretario de rstado dos negocios da
jusllca a faca Imprimir, publicar e correr.
Dada no palacio do Rio-de-Janeiro aos 4 de
setembro de 1850, rigi-siiun-nona da Indepen-
deoola e do Imperio. Imperador, coro rubrl-
ca e g*rd. Entebio de Qurirot Coutuiho
Matoso da (Sainara, (.arla de IM pela qual Ta-
la Magestade Imperial manda executar o de-
creto da aisembla geral, que houve por bem
auccionar, estabelecendo medidas para ct-
pressao do trafico de Africanos neste imperio,
na forma cima declarada. Para Vosia Mages-
tade Imperial vr. Antonio Alvn de Miranda
Varejio a fea.
GOVERNODA HKOVNGIA.
EXPEDtENtE DO DA 25 tE SETEIIBRO
DE 1850.
Ollicio Ao Exm. commsndanle das ar-
mas, levolvendo os requerimeutos do msi-
co da priineira classe Jos Simplicio de Oli-
veira, ilo s-nuiiilo-sarueiito Thr-m Comes
Vicie Lim, a ilos soldadas luiir.-ncuiu
jNunes e Paulo (inertes,todas pertcnente-sao
sotivo btalhf o de cava'lr.aVs^os quaes,lendn
acabado o seu lempo di; praca contratarfio
oara continuar no servido militar, de con
formulado ao decruto e regulamento de 18
de novembro de 1848, mediante a gratilica-
|cto de 180,000 ris, prevenindo-o de ha-
ver expe lido ordem a pagadoris militar
para Ihes abonar a dita gratiflcaco, sendo
larde do da 8 de abril prximo
Dos guarde a Vine.-- Ensebio di Queiroi
Coulinko MaltoiodaCamara.St. Jos To-
maz Nabuco de Araujo.
LEI N. 581 DE 4 DF. SETEMBRO DE 1850.
'itabtltct iididat para a rtpreiiio do tra/lco di
Africanos neill,imperio.
D. Pedro, por graca de Deo* e unnime ac-
clamacodoa novo*. Imperador comlituclonal rs e 0 segundo pela de 160,000 rs., e preve-
edefeiuor perpetuo do Brasil; faieino* *aber nnj.0 dehaver expeiidoordem a pigado-
a todos o nossos subd.to. que* assembMa ge-Jni mj|jlir para |hes .bonar as ditas grati-
ciou-se ao inspector da referida pagadoria
Dito.Ao m amo, devolvendo os reque-
rimento do sospesada Manoel da Gama e do
aoldado Lzaro Jos Caetano, ambos perton-
centesao primeiro batalhfio de caca dores,
os quaes ten lo acabado o seu tempo de pra
Ca, conlralarfio para continuar no servico
militar, de couformidade ao decreto e re-
gulamento de 18 de novembro de 1848. o
primeiro mediante a graticacao de 170,00o
ue.CiiK.ru i. oo.
atarea a [arma i premcher ai fallai doi fu-
rada; para poder-u imlallar e jurg, ou
continuar ai tutu uuiei.
Hei por bm sanecionare mandar que se
xeoute a retoluefio seguinte da issembl*
geral legislativa.
Art. i Quando por faltada numero le
gal eontiousruma sessUodojury,o jui? de di-
reito proceder publicamente ao aortaio,
ral decrctou, e n queremo* a le seguinte :
Artigo I .a As embarcacoes brasllelrai encon-
trada em qualquer parte, e ai estrangeira* en-
coolrada* no* porto*, coleadas, ancoradouros
ou mare* terrltoriare* do Brasil, tendo a cu
bordo cieravsa, cuja raporlaco he prohibida
pela le de 7, de novembro de 1831, ou haven-
do-os desembarcado, serio aprehendida pela
autoridades ou pelo navio de guerra brasllet-
ro*. e consideradas Importadora de rseravu.
Aquellas que nao tlverem acravo abordo,
nem oa houverein prmlmanienie deaeinbarca-
do, porm que *e encontrrem com oa aignaea
de se empregarein no trafico de cscravoa, se-
rio igualmente apprebeodlrtas e consideradas
em tentativa de imporlaco deescravo,
Art. O governo Imperial marcara, em re-
gulameoto, o* algnaei que devein constituir
presumpcao legal do dratluo da* embarca-
eflea a trafrgo de eicravo*.
Art. 3.' Sao autores do crlme deiinportacao
de eacravoa. ou de tentativa des** imporlaco,
o dono, o capitio ou inaaire, o piloto e o con-
(rameiire da embarcacto, e o lobrecarga. Mo
cumplicri a eqolpagein eol que coadjuvarem
o desembarque de escravos no territorio bra-
aileiro ou que concorrerem para os oceultar ao
conhecimento da autoridade, ou para oa iub-
trabir apprelienso no mar ou em acto da
cacuiarque, acudo perseguaos.
Art. 4." A iinnorUfio deescravono territo-
rio Ai\ i...-rin Rrm nell *n,,Wada como pl-
ratarla, ser* punida pelos seu* trlbunae* cmn
aa penaa declaradas nn artigo segunda di le
de T de novembro de 1831. A tentalivae a com-
plicldade aeran punida aegundo as rrgras doa
arllgoa 34 e 35 do cdigo criminal.
Art. 5.* A* euibarcacea de que tratam os
artigo* I.' e 2.*, e todos os barco empreeado
no desembarque, oceultaco oucitravlo'de ea-
cravoa, aerfio vendidos com toda a carga en-
contrada bordo, e o leu producto pertencer
ao* apresadore, deduilodo-ie um quarlo pa-
ra o denunciante, se o houver. E o governo,
verificado o julgamento de boa preaa, retribui-
r a tripuiyo m inbarcaco a|MCad-r- c:n
a aoiiiiua de 40,000 rs. porcada um Africano
apprehendido, que ser distribuida conforme
aa lew a reapeilo.
Art. 6.* Todo* os cravo* que forem appre-
bendldu* aereo reciportado* por conu do es-
lado pars us porto d'unde tlvrreni viudo, ou
para qualqnrr oulro panto (lira do Imperio mais conveniente parecer ao gover
(danto easa rertpartaeao *e nao verificar, aev|
rio emprrgado* em traballio di bono ua jm*jb
djgovensa; mlii n mlii mi i *.....lyiiiu^^^B
dldn* o* mu *ervico a parliculara*.
(icacOes, sendo 50,000 ris visla. e o res-
to em prstacOes mensaes de 10,000 ris.--
Scienliicou-se ao inspector da referida pa-
girtoria.
Dito.Ao mesmo, transmittindo o requs-
rmento em que Joo Jos- de Almeida re-
qoer o pagamento da quantia de 247,280
[ ris. despendida com o fornecimento de
azeite e lio de algodfio para luzes do pri-
meiro batslhao de cscadores, fimdeque
ordene ao mencionado fornecedor, que ex-
plique as duviiUs postas pelo inspector da
pagadoria militar no olUcroque remelle.
Dit0.--Ao mesmo, scieutificando-o de ha-
ver de couformidade com o artigo 28 da lei
n. 514 do anno de 1848, mandado adian-
tar tres mezes de sold para Ihe ser des-
contado pela quinta parle ao primeiro-te-
nenie do segundo bataltiSo de artilharia a
p Candido Leal Ferriira,Communicou-se
ao inspector da pagadoria militar.
DitoAo mesmo, remetiendo um odicio
do inspector da pagadoria militar relativa-
mente ao lenlo do c. r, o Gxo do Cear
Antonio Joaquim da Silva Tamborn), afiui
jo ,3 informe aferca do seu conledo.
Dito.Ao inspector d Ihesouraria de fa-
zenda, transmittindo o aviso de urna letra
na importancia de SOO.uuu ris, aseada pela
Ihesouraria de faiend* do rito-Grande do
norte, sofafe a desta, ea favor de Joaquim
Ignacio PeTeira Parlicpou-sie ao Exm.
presidente daquella provincia.
hiloAo juiz relator da junta Je justica,
transmittindo para ser apreseatado om ses-
sfio da mesnia junta, o procesanfeito ao sol-
dado do oilavo batali.So de oacadores Ani-
el eto Elias de Sania Alina.--Utmmunicou-
se ao Exm commandanie daa armas.
Dit.Ao iQspectnr da pagadoria militar,
para que vala da caulella que remelle,
mande adiantar ao cuinmaodanle Interino
lo segundo batslhfio de artilharia a p, con-
forme requesila o Exm. cominandante da*
arma*, a quantia de 4:000,000 ris, para
pagamento dos vencinenloa daa pra(*s du
referido batalbfio em o currante iiiez. lu-
leiligenciou-se ao mesmo commandanie
gando batalhfio de artilharia a p, visto as-
sim o requintar o Exm. tnarechal comman-
danie das armas, a qnantis de 1:632,080 rs.,
sendo 912,000 ris psrs as desrezas a f-ter-
se com o fornecimento da etapa gratis Ou
extraordinaria ao corpo de batedo'res no
correnle mez, comprehendendo-se nesta
qnantis o abono, que o commandanie do
referido corpo, fez de 1 8 s pracas do ter
ceiro batalhfio de artilharia a p. que re-
gressaram para esta capital, e 790,001) ris
para as do mez de ootubro prximo fulu
ro.Seientificno-sH ao refe-ido marechal
Dito.--Ao mesmo, transmittindo copia so
oflicio em que o director do arsenal d guer-
ra declara que o cartuxsme embalado de
que Smc. trata em o seu de 13 do corrent-
o qual frira distribuido nos annos de 1848 e
1819 pelas pessAas indcalas na relaQfio,
que se refere este oflicio nfio Agora como
saldo nos balaneos da plvora do mesmo
arsenal, conforme me demonstra a cont
3ue tambem remelle, porque nfio tendo si-
o considerado como vendido o mesmo car-
luxame, e sim distribuido, leve logo sihida
por ser despeza feits e consumada por con-
ta do ministerio da guerra.
Dito.Ao inspector do arsenal de mari-
nhi, dizendo.que he de urgente necessida-
rte fazerem-se no porto desta cidade os coli-
cortos de que precisa o patacho Pirapama,
cujos servicos sfio necessarios nesta provin-
vmcia, e por isso deve Smc. dar suas orden
nesle sentido, providenciando ao mesmo
tempo, como be de esperar de seu cosluma-
lo zelo, para que taes cotcenos sejam me-
nos despendtosos e se lemiltem ao que fr
absolutamente indispensavel. Communi-
cou-se ao contador de inarinh i.
Dito. Ao commandanie do vapor Thttii
diaeodo flear inteirado de haver o recrula
Faustino Francisco dos Santos, declarado
ser desertor da terceira companhia do sti-
mo batalhfio de cafadores e prevenindo-o
de que o mencionado recruta deve conti-
nuar a servir naquella barca at que se ob-
lanbam inform(;es do mesmo Kxm. presi-
dente do Hio-Graude do sul.Neste sent Jo
olliciou-se ao referido presidente,
Dito. Ao inspector ds lliesoursria da
fazenda provincial, que mande adiantar m
engeulieiro Floriano Desir Portier, visto
assim o requisitar o director das obras pu-
blicas, a quantia de 400,000 rs. para con-
tiuuagfio dos eslu los grapbicos da estrada
do sul. Comainnjcou-su ao dito director
hilo kn nfimo 8Cln*i'iendn-n il ha-
ver concodido, vista da iufurmaqSo do di-
rector das obras publicas, ao arrematante
da obra do caes da ra d'Au'ora Antonio Jo-
s Gomes Jo Corroio qnalro mezes lepror i-
g(3o do praso dentro do qual devia elle
concluir a referida obra Communicou-se
o director das obras publicas.
Dio.Ao mesmo para mandar adiantar
ao director das obras publicas, que assim o
requisita, a quantia de 3.oo i.ooo rs., sendo
2:000,000 rs. para coiitinuaQfio da obra da
Casa de delencSo, e 1:000,000 rs. para o caes
do aiCo da oonceicfio do llecifo.- Intelligen-
ciou-se ao releri lo director.
Dito.Ao mesmo, ordenando que mande
ontregar ao procurador do dellgadodo ter-
mo de 'Nazarelh nesla cidade, Jos Mana
Ferreira da Cunha, a importancia das des-
peza* Taitas com o sustento dos presos po-
bres da cadea daquella comarca, visto nfio
ter ella anda sido estregu pelas rases
por Smc. allegadas em oflicio de 17 do cor-
rente. -- Ofliciou-se nesle sentido ao mes-
n delegado.
Dilu.--Ao mesmo, para que mande pagar
o eogenbeiro Jofio Luiz Vctor l.ieuthier,
conforme requisita o director das obras pu-
blicas a quantia de 248.580 rs., saldo das
conlas das despezas feitas com o excoa-
mento das agoas do riacho da Materia, que
j* acacha concluido. Communicou-se ao
mencionado director.
i.rr-
Dito.-Ao mesmo, para mandar entregar
o segundo-teneme qurt*jwnestre do se-
li tn.-Ao mesmo, para mandar adiantar
_o engenheiro Jofio Luiz Vctor l.ieuthier,
visto assim o requisilar o director das obras
publicas, a quantia de 2 000.000 rs, sendo
1:000,000 rs. para continuadlo da obra do
ponte de (loianna, e o resto par* os renaros
la estrada do norte.Inteirou-sa ao raferido
lirector.
Dito.AO delegado sapplente do primei-
ro ilisiricto do termo do R-cife, transmit-
tindo por copia um ofllcio do cnsul de Por-
tugal nesta provincia, e um al testado a que
ella s* refere, aflm de que proceda como fOr
de direito pelas offensas physicas feitas pelo
.msico Raroelliis do segundo batalbfio da
guarda nacional deste municipio ao subdito
nortuguez Manoel de Souza Tavares e or-
I Man-lo que informe com urgencia acere
la rs3o porque, sendo o referido Rarcellus
preso em llagranle, segundo se declara em
o citado ofllcio,/Ora sollo no da immedia-
lo, rtespi esando-se assim a lei, que em
semelhantee osos manda proceder ex-ofli-
cio --inteirou-se ao referido coosul.
li,lo.--Ao director das obras publicas, in-
leirando-o de haver spprovado a proposta,
que Smc. fez de Antonio Francisco Hono-
rato e Julio Lopes de Souza para servirem
como apoDtadores, o primeiro dos reparos
da ostrada do norte e o segundo para os da
lo sul enm o vencimento cada um de 1,600
rs. nos das uteis. Communicou-se ao ins-
pector da ihesouraria da fazeuda provin-
cial.
Dito.Ao mesmo, approvando a medida
proposta por aquella directora para oosta-
belecimento estradas da Victoria desde a povoacfio du
Afngados alea de Santo- Amaro- Jaboalfio,
eda estrada do l'aod'-Uho at a ponte do
Caxanga, havendo em cada urna deltas u n
conservador e seis guardas, visto acharem-
e nteiramente cooclaidas as referidas es-
tradas.
I)ito.--A cmara municipal do Re)cifn.--
\o conhecimento desta presidencia tnrn
chegadn, que algnns marchantes conloiidos
entre si, e com o contratadores d* arree-
Jacfio dos respectivos impostns, tem con-
seguido fszer monopolio da vends da car-
ne verde, matan lo um pequeo nnmnro do
rezes, que co'mpram por baixo e ven lem
por alto preco, com grave prejuizo do povo
em objecto de prlmeira nncssi la le, n com
1tlnto seja bem cerlo, en vista do qti dis-
0-' a lei da 1.* dn uiitub'O ilc 1X28, n >
9.a do art. 6(i, que aos donos do gado h li-
' to con luzi-los, depois de esquarlejadns
nos mstadoueos autorisados pla ram ir.i
municipal, e vende-lns pelos precosqueqiii-
zorem, esonde bem Ihes conv^r, sem quu
a cmara municipal ou alguma outra auto-
ridade possa laxar o preco de taes gneros,
o que de mais he expressamente vedado
pela djsposcfio do 10 do mesmo artigo da
citada li, nfio o he menos que nanhu
JisposiQo legislativa protege, nem po'ia
proteger o abuso de que se trata, que nfio
provem da ampia liberdade, que aos mar-
chantes e donos dos gados se concede na
venda delles. mas antes da reslricQfio que
cisulta do monopolio, contra o qual deve a
cmara municipal prover por frQa da obri-
gscjlo que Ihe impoc o citado 10 do art.
66 da lei do 1.* deoutuhrode 1828.
Nfio s pela* considerares expendidas,
como porque em urna cidade civilisada nfio
se p le tolerar om abuso que affroota os
bonscostumes nconciliaveis com orna es-
peculagfio de semelhante natareza, cumpre
tomar providencias, que o farjam desappa-
recer, e por tanto Ihes recommendo que,
io'liando este negocio na serla attenefioque
elle merece, procurem immediatamente co-
Iher tolas as informacOes precisas psra co-
nhecer-se em tola a sua extenso e cir-
cuinstancias o abuso denunciado, adpten-
lo logo as medidas e providencias que cuu-
berem as atlribuigOes que Ihesconfere a
lei do seu regiment, prevenidos de que
levem cuitar com todo o apoio e coadju-
vaQfio desta presidencia, aflm deque pro lu-
zam aeu beoefleo resultado.
Dito--A' mesma. heebi o ofllcio quo
Smcs. dingiram com a data de 23 do cor-
rente, pedindo a approvaQfio das seguintes
arrematacos, que tiveram lugar em 14 do
mesmo mez: imposto d'af ri^fio por 12:4508
rs dito das medidas de faruiha doj mer-
cados pblicos por 1:151,000 rs., aluguei
rt is lujas da oraca da Independencia por rs.
4:955,000 rs., dito da ribeira do peixe da
freguezia de S.-Jos por 801,000 rs., dito de
duas caz ninas no lugar da Solada le por rs.
200,000 e dilo de alguns tainos dos acon-
goes pblicos por 475,500 rs.; eem respos-
ta temi de declarar-lhes que pdem ter
effeit i as mencionadas arremataces com
excepto da ultima, que diz respailo a al-
guna tainos dos agougues pblicos, por
quanlo sobre esle objecto convem deliberar
depois das previdencias que em ofllcio de-ta
dula sfio recommendadas a Vrocs. para ex-
tinguir-se o monopolio que coasta baver
na venda da carne verde.
Portarla. Nomeando promotor publico
da comarca do Po-d'-Albo, o bacharel Joa-
quim Canuto de Kigucedo Juuior e da do
Limoeiro o bacnarel AITonso Peres de Albu-
querqueMiranhfio.Fizeram-se neste sen-
11 Jo as convenientes communicagoes.
PEiiMAWBUCO
CMARA MUNICIPAL DO RECIFE.
sassiO extbsordinsbi di 20 de SETBMano
de 1850.
I'reildeneia doSr. Olivtira.
Presentes os Srs. Mamede, Carneiro Mon-
teirb, Moraes,
Vianna ePIgu^iredo ab'io-
se sessfio, e fui lida e approvada a acta
da antecedente.
Foi li lo o seguinte expediente:
Um offlcio do bacharel Francisco de Assis
Olivelra Maciel, participando que se acha no
rierciclo de juiz municipal da prlmeira vara
ili-.ii' termo, como primeiro lupnlente, por ter
espirado o qu!trienio do respectivo Juiz. ln
teir^da.
Oulro do engenheiro director das obras pu-
blicas, Jos Mainrde, annuindo a que se aug-
mente com 500,000 rs. o orcamenlo do* leos
do muro do cemiterio publico, quinto smen-
te ao de 120 bracas que tica no* fundos do mes
no cemiterio, por *er mal* dispendioso. In-
teirada.
Oulro do liical da Boa-Vista, dizendo que o
boticario Benlo Lula de Carvalho repugnara
cutregar- me a sua respectiva varia, promet-
iendo de a trazer pe*aonlmente. Intelrada,
!'.-. C CaMIl j UI VMI M M*. A 1IICBM.
Mandou-se ordem ao contador para juntar
aos mandados de pagamento! de custai, quan-
do o der para seren assignados os respectivos
documento* declarativos daa meditas custas.
A cmara approvou, segundo o que Ihe pon-
deran o vrreador Carnelro Ifooteiro, que os
particulares pagasaeni a quantia de 100,000 rs.
para poderem dar coiuinuoicafo aoa caaos de
esgatos de suas casa* com o aqueduclo do* pa-
teos do Carino e San-Pedro.
Deipacharam-se as petiedet de Antonio Jos
Maciel, de Francisco de Barro* Corra, do pa-
dre Francisco Corlolaao de Carvalho, de Jos
Francisco de Souia Lima, de Joo da Costa Li-
ma Jnior, de Lulaiaetano Alve*. de Lu* Go-
me* Ferreira, de Victorino^ Jo* de Souza Tra-
vaaso, e levantou-ae *esao.
Eu Manoel Ferreira Accioli, secretirto in-
terino a escrevi Oliveira, presidente. H-
asna.'- Mamedi. -- Moran. Carneiro Mon-
tlira. /igueiredo Ferreirm.
iiomoeopsAbin para.
He chegado eiu capital o Ineaniavei prop:- -
LADO t
p.


gador da homa'npatbia no Brasil, o mullo I-
lurtrado clrurglao portuguez Joao Viceule
Marlins.
Elle lein de demorar-te aqui alguns mexes
para despender com o generoso povo pernain-
burano irus vastos conhecluientos.
Possam as diversas classe deite inesuio po-
vo comprehender bem as ptimas-intenses do
laborioso hoimeopatha, e colber os beneficios,
que de seu talento e pericia se deve esperar.
r. Sabia Olegario Ludgro Pinho.
I I ^IIIIIIMjMSJSW
Communicado.
Se quizessamos entrar em discussSo com
terctirat peisoas, dinamos algum* cousa em
resposla ao Sr. offieiai de saude Casanova ;
mas, nSo estando disposto a ter polmicas
com tecrttarioi descenkecidos, con ten la mo-
nos com publicar o documento, que abaixo
vae transcripto, e nos Coi confiado ; e as
pessoaa judiciusas, comparando seu bello
francez com o poituguez dos dois phmeiros
artigos issignados pelo Sr. oflk eo destes com o do ultimo, digam se todos
silo escriptos pela mesma penna. Peste do-
cumento de que se deve recordar o Sr, offi-
eiai de laude, e he de letra que se parece
rom a sua, verfloessas pessoas qual era en-
tilo o peusamento de quem o Iracou.
Ad sujel de Mr. Chirget il est nalif de
Marseilleila fit ses eludes & la facult de
Paris, api es tre recu il reviht a Marseille,
il vegteit, il sVn retoume Paris, il v-
gtait encor, il est nomme cbirurgieu
adjuint l'npilal do Marseille, c'esl alors
que d'accordavecMr. Trichon pharmaicien
il commence par speculation faire de
I hon mopathie, en donoaot dea consulta-
liona gratuiles, mtis en ayant soin de se
rendre tous les soir chez M. Tricuon pour
compter les ordonoances fin de recevoir
la nioili du montanl, ( chaqu flacn
vondat45 >uus, ainsi que le sucre de Uit.)
Ce ful celle poque que par la voie des
journaux on lu demanda comnient il se
pouvait qu'ii fesait l'allopatbie 1'nApital et
l'hoaoeopalhie en villa. II demanda sa
demission il canlinua et il contiuue l'tio-
moaopalhie, car on trouve toujours des
croyona ; mais il a pass devant les
personnes senses com me un charlatn.
Quanta Nr. Daador, que je sache il
ne l'ait ancuuemeiit 1'homoeopathie qu'il
puisseavoir faitquelques eipriences i ce
" sujet, je ne dirai pan non, mais moi
ayant quitt Montpellier daos le courant du
hjui de inai 1846 je n'ai pas su qu' il ful
queslion que Mr. llamador lit de l'lioniuiu-
patbio.
r vmmmcmmBiMVMkwmmmmmmmmmmmm
rkcebedoria de rendas gebaes
internas.
Rc-.idimento do dia 27......480,991
CONSOLADO PROVINCIAL.
Rendlmento do dia 27......4*9,032
i' i m__ i i i aaa^^^^

i/ovimento do Porto.
Navios entrados no dia 97.
Hall a -- 3 dias e 21 horas, vapor de guerra
nacional Guapiassi, commsndsnte o pri-
meiro tenente JoSo da Silva Branco. Con-
dnz a ex-soldados. --Segu para a pro
vincii do Para,
dem "5 dias, barca ingleza Ranger, de 204
toneladas, capitSo N. W. Paige, equipa-
gem 15, em lastro ; a Crabtreo & Compa-
nhia. -- Fundeou no LameirSo.
Ceari 10 dias, escuna nacional Emilia, de
III toneladas, capitSo Antonio Silveira
Mtciel Jnior, equipagem 8, cirga fari-
nha, milho e arroz ; a JoSo Csrlos Augus-
to da Silva. Pasaageiros, os Braaileirog
Onofre Marlins da Costa, Autonio Ferrei-
ra Carnes e urna eacrava a entregar.
Natos tahidos no 'mtsmo dia.
Baha Polaca sarda Italia, cspitSo Luis
Ghigliazza, carga varios gneros.
San-Uatbeus Sumaca nacional Despique,
mestre JoSo Ferreira da Silva, em lastro.
Portos do norte Paquete de vapor S.-Svl-
vador, commandinle o primeito-teuento
Antonio C. de Azeredo Coutiuho. Alm
dos psssageiros que Irouxe dos portos do
sul para os do norte leva a seu bordo : o
Exm. I>r. Agostniho da Silva Nevos com
I escravo, o senador Antonio da Cunta
Vssconcellos com 2 escravos, Andr Cor-
res Gomes de Mello, Francisco Ricardo
Cavalcanli de Albuquerque, o r. Frede-
ico de Almeida Almuquerque com 1 es-
cravo, Eduardo Power, o Unenle-coronel
Luiz Antonio Favilla com sua familia e 3
escravos, o Dr' Francisco de Assis Pereira
Rocha Jnior, o commendador Carneiro
da Cunha e 3 escravos a entregar.
EDITA ES.
He partir o da polica.
PARTE DO DIA 94 DE SETEMBRO DE 1850
O subdelegado da freguezia de S.-Jos,
Sarticlpou que hontem pelas 5 horas da tar-
s acontecer a uma escrava de Jos Fran-
cisco BrandSo e Castro se precipitar de un?a
janella do segundo andar do sobrado em
que mora seu senhor, na ra das Agoas-Ver-
des, resultando ficar a mesma escrava com
algumas contuiAes e um quarlo deslocado,
mas sem perigo de vida.
DEM DO DIA 25.
I.\..~ r"- A -J-~ A~ ,U.l.,.j
da freguezia de S.-Frei-Pedro-Concalves
do Recife, o Portuguez Jos Fernandos, para
avenguacOes policiaes Antonio de Olivei-
ra,por estar a-mado de urna fsca de ponta:*
ordem do subdelegado da freguezia deS-
Antonio,Antonio Francisco da Silva.por des-
obediencia ; os pretos, Anaslacio, escravo
de Jos Teixeira Bastos, por andar fgido ;
e Jos, para correcto : ordem do subde-
legado da freguezia de S.-Jos, a preta Car-
lota, escrava de D. Mara Barboza, para o
mesmo flm : e a do subdelegado da fregue-
zia da Boa-Vista, a parda Mtria do Hozarlo,
para averiguacOes policiaes.
DEM DO DIA 26.
FAram presos: ordem do delegado,
o offieiai de juslics Francisco Jo8o Honorato
Serra Grande, por violencias; e o preto
Jos, escravo de F de Tal MagalhSes, por
ilrsurdem : ordem do subdelegado da fre-
guezia deS.-Fiei-Pedro-Concalvcs, .Manuel
Rodrigues, por uso de faca de ponta : or-
dem do subdelegado da freguezia de S.-Jos,
o Portuguez Antonio de Souza Carneiro e
Sebastiao Francisco de Paula, para averi-
guacOes policiaes; Clementino Soares de
Carvalho, por desorden) : e a do subdele-
gado da freguezia da BAa-Vista, o Portu-
guez Manoel Ferreira Duarte, pelo mesmo
motivo; Antonio, escravo del). Francisca
Antonia l.ins, e SemiSo, escravo de I). Flo-
rinda Maiia de Santa-Auna, por furto.
DEM DO DIA 27.
Fram presos: ordem do delegado,Mano-
el escravo, por desordem e eslsr armado de
urna faca de ponta: ordem do subdelegado
da freguezia de S.-Frei-Pedro-Concalves do
Itecife, o preto Fillppe, escravo de Manoel
Constancio, e JoSo Damazio Correia Lobo,
por furto : ordem do subdelegado da fre-
guezia de Santo-Antonio, o preto Marcelli-
no, sem que o motivo fosse declarado :
ordem do subdelegado da fregueaia de S.-
Jos, o preto JoSo, para correcefio : a or-
dem do subdelegado da freguezia da BAa-
Vista, Manoel Joaquim do Espirito-Santo,
pera o mesmo din: e do subdelegado do se-
gundo districtoda freguezia dos Afosados,
Francisco Jos Marlins e Joao Baratista,
sem declratelo do motivo.
. .
OMMEv^lO.
ALFA MEGA.
Rendimentododia 27.....9:163,
Detcarrega hoje 28 de setembro
Brigue Hope mercadorias.
CONSULADO 6ERAL.
Rendimento do dia 27. .
Diversas provincias.....
240,433
7,178
247,611
EXPORTACAO.
Despacho martimo no dia 27
Ass, polaca nacional Sociedade-Felis :
conduz o segrala: 2 barris com louca, 1
quarlola vipho, 2 resmas papel, I barrili-
niio com so libras de ruanlei&a, ( ancoreta
vinag.e, 8 garrafas vinho branco, 5 ditas de
O lllm. Sr. inspector da thesouraria de
fazeoda provincial, em cuoiprimento d'or-
dem do Exm. Sr. presidente da provincia da
26 do corrente, man Ja por a concurso o lu-
gar vago de segando escripturario da pri-
me! ra seceso de contas da mesma thesou-
raria, o qual ter lugar no dia 28 de setem-
bro prximo futuro, devendo os pretenden-
tes serem examinados nos principios de
grammatica nacional, arilhmetica, na Iheo-
ria e pratica de cscripturacSo e calculo
mercantil.
E, para que chegue ao conhecimento dos
interessados, se mandou allxar o presente
e publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da fazenda pro-
vincial dePernambuco,27deagostode 1850.
--O secretario, Antonio Ferreira d'Annun-
ciaedo.
--Olilm. Sr. inspector da thesouraria de
fazenda desla provincia, manda fazer pu-
blico que, no dia I.* de outubro prximo
vindouro, so proceder a concurso perante
a mesma thesouraria, para prehenchimen-
to de um lugar deterceiro escripturario ,
que ICIU !- *5|. O. pv.lnJnlo. .loTcrKo
comparecer ua sala de suag ses seus requerinentos instruidos de folha cor-
rida, cerlidflo de dado e estado, e outros
quaesquer documentos que julgarem a bem
de suas pretencOes, at as 10 horas da ma-
ntilla do referido dia, adm de serem exami-
nados as materias exigidas pela lei de 4 de
outubro de 1831.
Secretaria da thesouraria de fazenda de
Pernambuco, 5 de setembro de 1850. No
impedimanto do oOIcial-maior, Antonio
Litis do Amaral e Silva.
Pela inspectora da alfandega se faz pu-
blico que, no dia 28 do corrente, se hilo de
arrematar cm basta publica, i porta da mes-
ma, depois do meo-dia, 12 ms de pedra
para rebollo de barbeiro, urna 1,300 rs.,
total 15,600 rs. ; urna grosa de caixas de
pao vasias por 7(500 rs. ; 58 calimbos com
canudos e bocaes, um 850 rs. total 49,300
rs.; 24 candil iros de metal invernisados,
um 4,000 rs., total 96.000 rs.; urna duza
de escalpellos ( caivetes de ci i urga ) du-
zia 3,000 rs. total 14,000 rs. ; 6 cordas de
tripas para m, urna 1,000 rs., total 6,000
rs. ; urna pedra de aliar grande por 8,000
rs. : tudo impugnado pelo guarda JoSo Gre-
gorio dos Santos, no despacho por factura
de n. 392 de 25 do corrente ; sendo a arre-
nutaqo suhjeita a direito.
Alfandega de Pernambuco, 24 de setem-
bro de 1850. O inspector interino, Benio
Jos Fernandes Barros.
Pe|.a inspectora da alfandega se faz pu-
blico que, no dia 28 docorrente, depois do
meio-dia, a porta da mesma, se hilo de arre-
matar em hasta publica, 12 duzias decintei-
ros de couro de lustro e 12 ditos de couro
liianco, por factura duzia 1,500 rs. total
36,000 rs. ; 12 machinas para alfaitas, uina
800 is., total 9,600 rs. ; e 36 eslojos para
malhematica, um 1,500 rs., total 54,000 rs. :
tudo impugnado pelo segundo escriptura-
rio fiabriel Alfonso Regueira, no despacho
u. 381 de 25 do corrente ; sendo a arremata-
?So suhjeita a direitos.
Airandega de Pernambuco, 26 de setem-
bro de 1850.-O inspector interino, lenlo
\osi Fernandes Barros.
Pela inspector! d alfandega se f-z
publico que, no dia 28 do crrenle, depois
dn mpio-ilia n nnrla Ha m..n-n va hQn arrematar em hasta publica 12escarradei-
ras de vidro liso de cor, urna 960 rs total
11,520 rs 12 frascos do vidro dourado e
pintados para agoa de chairo, am 2,500 rs.
total 30,000 rs., 3 lacas de vidro douradas e
pioladas, urna 1,800 rs. total 9,000 rs. e 46
pegas diversas de porcellana dourada, urna
700 Ti. total 32,200 rs., impugnados pelo
feitor conferente Manoel Ephigenio da Sil-
va, no despacho por factura n. 412 do cor-
sendo o dito imposto cobrado pela
entrada desse gado na cidade. Os
inleressados pdem comparecer
munidos de flanea edonea no pa-
co da mesma cmara, no dia 3o do
corrente.
Oprimciro batalhBo de catadores de
lioha necessita contratar o fornecimeuto dos
gneros que compom o rancho do mesmo
batalhBo, sendo ellos carne verde, dita sec-
ca, bacalho, arroz, fsrinha, assucar, caf,
pAo de seisonc,as cada um, vinagre, azeite-
doce, toucinho, sal o lonha : quem quizer
fornece-los por preco rasoavel, e de muto
boa qualidade, dirija-se ao quartel da ra
da Gloria, no dia 30 do corrente, s 10 ho-
ras da mauhSa, alim de apresentar ao con-
celho reunido suas propostas-
Cartasaeguras, vindas do sol peto va-
por San-Salvador, praos8rs. Antonio Cu-
nha Figuelredo, Francisco de Paola e Silva
Lins, Jscintho Ferreira Ramos, Jote Bezer-
ra Cavalcanti d'Albuquerque Mello, Jos
Igoacio de Abreu e Lima, Jos dos Santos
Naves, Leoncio Jos Barboza de Oliveira,
Manoel Clementino Carneiro da Cuaba, Ma-
noel Carneiro Machado Ferro e Roberto Go-
mes Pereira de Carvalho.
CONSULADO DE PORTUGAL EM PERNAM-
BUCO.
Joaquim Baptista Moreira, bacharel forma-
do em direito, cavalleiro da ordem de
Christo e cnsul de Portugal em Pernam-
buco por S. M. Fidelissltna a Sanhora D.
Mara II, que Dos guarde.
Facosabera todos os roeus conpatriotas
residentes nesta cidade e provincia, que por
ordem superior, queme foi transmittlda,e
especialmente reconmiendada, pira o flm
de se poder dar o conveniente cumprimen-
to as disposicAes sobre estatistk, e oulras,
se devem apresentar oeste consulado todos
os subditos portuguezes, que, lendo aqui
fizado a sua morada, anda se nao houve-
rem nelle matriculado, como Ihes cumpru,
nSo s para a deviJa regularidade, oas pa-
ra que assim so possa mais promplamente
dar a compel vel proteccSo deste consu-
lado
Convidando, pois, os meus compatriotas
ao cumpnmento deste dever, no mais breve
espado de lempo, Ihes lembro tambem por
esta occasiSo o dever que igualmente tem de
se munlrem dos respectivos ttulos de re-
sidencia, na furnia dos fegulamentbs poli-
ciaes deste imperio, para se livrarem dos
embarazos que Ihes pAde causar a falta dal-
les, e melhor e mais perfeilaiuenle terem o
direito competente garanta das autorida-
des brasileiras, e as respectivas isencOes co-
mo estraugelros. Consulado de Portugal em
Pernambuco, aos 17 de julho de 1850.
Joaquim Baptista Moreira, cnsul.
-- Para o Ceari, com escalla pelo Aracaly, I -- Do quartel general st o Hospicio per-
slie, at o flm do correle mez, ohiate
Plor-de-Cururipe, forrado e pregado de co-
bre : para o resto da carga, dirija-se ra
doVigario, n. 5.
Para a Parahiba sabe com brevidade o
hiato nacional Espadarte: quem pretender
carregsr ou ir de passagem, trate na ra da
Gdeia do Iteoife, n. 93, ou com o mestre no
trapiche do algodao.
-Ml
eiloes.
-- O capitSo Mercator Cooper, fara leiilo
em presenta do Sr. cnsul doa Eslados-
Uoidos, por conta e risco de quem perten-
cer, e por intervencSo do corretor Oliveira,
dos objectos salvados da balieira americana
Franklim, naufragada em Carapib, a saber:
velas, vergas, cabrestante, sino, bomba de
pao, moitOes, cavilhas, mastareos, cabos ve-
Ihos, utencilios de cozinha, fog&o, bolacha,
caf, urna balieira com remos, e muitos ou-
tros artigos que se patentear&o : sabbado,
do corrente, a 10 horas, no trapiche do
Ramos.
-- Johnston Pater & Compinhia faro lei-
lo, por intervencSo do corretor Oliveira,
de um sortimento geni de fszendas ingle-
zas, as mais proprlasdo mercado : segunda-
feira, 30 do corrente, is 10 horas da ma-
ntisa em ponto, no seu armazem, ra do
Vigario.
Avisos diversos.
Theatro de S. Isabel.
ai." RECITA DA ASSIGNATURA.
Sabbado, 28 de setembro de 1850.
Representar-se-ba o drama em 5 actos
O MARINHEIRO DE SAN-TROPEZ,
ou
a eurdirnamiilo,
Terminara, r espealatalo com a Kraclusa
comedia em 1 acta
0 JUDAS EM f BBADO D'ALLELUIA.
Por se nSo poder bem promptfflcar a far-
r -- Ochopo parti--, annuociada para o
espectculo de boje, vai substitu-la a co-
media o Juda em Sabbado d'Alleluia.
Comecari is 8 horas.
Os bilhetes acham-se i venda no lagar do
costume.
Theatro de S.-Francisco.
BELLAS ARTES.
Continuam as mesmaa vistas do cosmora-
oa, ja annunciadas. O director espera por
muitos assignanlcs, que ainda nlo vieram
ver ditas vistas, viudo que sejam nestea dias,
se annunciaro outraa novas e bellaa.
rente mez, sendo a anemaiacSo sujeita
direitos.
Alfandega de Pernambuco, 96 de setem-
bre da 1850. -- O inspector interino, lenlo
Jvt Fernandes Barros.
PRACA DOS TOUROS,
RA DA FLORENTINA.
Domingo 29 de setembro de 1850
se dar a primeira corrida de touros,
( se o lempo permittir ). Os cartazos an-
nunciarSo o dito divertimenlo; pois o
director do dito divertimenlo nSo se tem
poupado A despezas, tanto em touros,
como em Cardamomos, alim de se apresen-
tar trabalho e aaseio pessoal, para melhor
merecer deste respeitavel publico Pernam-
hucano o applauso e acolhimento que tem
tido desde o aonu de 1837 que exiale naa
provincias deste imperio, particularmente
no liiu-de-Janeiru
Precos.
Camarotes para aeis pessoas 8,000
Platea separada para senhoras 1,500
Dita geral 1,000
Dita para meninos 500
Os bilbetes sebam-se i venda na porta do
circulo.
Lotera dn Mattrlz da Boa vista.
No dia 31 > outubro andam impreteri-
velmenle as rodaa desla lotera, aeja qual
for o numero de bilbetes que Bearam, e
mesmo antea se ae acabarem os bilhetes
como ha esperances. O flm para que foi
coneedida esta lotera, nao pode ser mais
justo, o ella deve ser preferida a outra qual-
quer, porquanto temos de presenciar o em-
prego do seu interesse ; o reatante doa bi-
lbetes acham-se venda nos lugares ja an-
nuociadoa.
- Precisa-sede 600,000 rs. a premio de
um e meio por rento no mez, dando. por
hypolheca 4 escravos que valem 2:000,000
rs. i na lypograpbia da Viuva Roma, se dir
quem precias, on annuncie por asta folha.
Os abaixo assignados deixsm de vender
ago'ardente e espirito de prodcelo brasl-
leira do dia 30 do corrente em diante, aa sus
taberna da ra da Madre-de-Deos, n. 36.
Guerra & /raido
.--Existe na corte do llio- le Janeiro urna
pessoa com as hebilitscAes neeeasarias, que
se incumbe de agenciar pelas secretarlas du
estados, ttulos honorficos, diplomas, aen-
sAes, patentes militares, cartea de oaturali-
sa(8o, certidOes e outros quaesquer nego-
cios que penderis das mesma secretarias
de estado, e bem assim se incumbe de agen-
ciar pela nunciatura apostlica brevea para
dispensas de casamentos, secuIsrisacSo,
ele., etc., ete.; e incumbe-se, finalmente,
desollicitar todo equalquer negocio, que
tenha de correr nos Inhumes daquella cur-
te. Qualquer pessoa que so quizer utilisar
do prestimo desss pessoa,, encarregando-a
all de seus negocias, poder dirigir-se ao
Sr, Antonio Jos Gomes dar as informacAes precisas, eoom quem
ao podorSo outondoi m oamclhintu respeito
sobres renessa de qualquer pretencSo ou
documentos.
J
homem habilitado
genho edestilacSo,
em se achar nestas
dirigir-ae A ra do
Deca ra yo*-s.
Cmara municipal desta ci-
ouc iimiriiii a un ccadtiudu u
imposto de aoo ra. por caheca de
Avisos martimos.
Segu viagem, at o dia 30 do correte
para o Aracaly, locando nos porlos que con-
vior ao carregador, a barcaca Sun-Jo*-Bap-
ista, de lole de 30 callas, fabricada de no-
vo, e com ptimo camarote pera pasaagei-
ros : os carregadoref entendam-se com o
diestro no Irinnh? 'j lonrfan am ,,. rn. An
Hangei, o. 8. '
~ Para o Ceari eMarsnhSo sabe, com _
maior brevidade posaivel, o bqiaiue-escuna
laura : quem no meamo-quzernrregar ou
ir de passagem, dirija-se ao capitSo na pra-
Qa do Commercio, ou a Novaes & Compa-
nhi, na ra do Trapiche, n. 34.
Para o Aracaly segu inspreterivelmen-
te, no dia 2 do mez prximo ftndouro, o
patacho Santa-Crut, mestre Joaiquim Perei-
ra : ainda recebe carga epassageiros : Ira-
ta-se ao lado do Corpo-Santo, Ioj de
sames, n. 25. ou com o mestre.
--Para o Rio-de-Janeiro sabe com a maior
brevidade pussivel o patacho nacional fa-
tente : para o resto da carga e escravos a fre-
te, trata-se com Novaes & Companhia, oa
ra do Trapiche, n. 34.
Para o Cear sahe em poucos das a
sumaca nacional Flor-do-Angelim, neslre
uei nardo deuuza, por so car uom par-
teda carga prompta : para o resto e passa-
" Procisa-se de u
para administrar um
lora da provincia
circomatancias quei
Queimado, n. t.
A IVlArmotn.
On.49eslt supeliBno de ptente, digno
de ser lido por toBs a gente, quem o lr
veri : acna-se venda na loja Rourgr, ra
da Cadeia do Recit, no estabelecimento de
livros da ra do Crespo, e no Aterro da
BAa-Vista, na pe/fumaria do Leconle.
lian fiinerul.
Jos Mara Nivarro com venda na roa do
Pillar, o. 90,/eixa de vender agoardante
de produc(3o/Brasileira, do dia 30 do cor-
rente mez eanno, por pedido daquellas
pessAas que/nes davam algum consumo ao
dito genero/a trra le seja leve, amem.
Precita-se de um rapaz Portuguez de
idade de 12 A 16 annos, para caixeiro de
urna venda: quem pretender dirija-se
ra larga do Rozario, n. 25, se dir quem
precisa.
Francisco Boaventura Ferreira, retira-
se para Mossamedes.
Os credores de Antonio Jos da Silva,
quelram apresentar-se no dia 30 do corren-
te, na ra do Trapiche, ti. 6, a bem de seus
mteresses.
Aiuga-se um bom armazem proprio ps
ra qualquer estabelecimento, na' praia de
s.-Francisco ; e bem assim um grande cai-
xSo proprio para urna oxcellente cocheira.
no Mundo-Novo : a tratar na ra da Cadeia
de S.-Antonio, no primeiro andar da casa
da viuva Cunha GuimarSes.
Aluga-se urna casa terrea'de pedra e
cal,com 3 quirtos, 2 salas, cozinha fura,
quintal e cacimba,sita no principio da ra de
S.-Miguel, nos Afogados: a tratar o Ater
ro-da-Iioa Vista, n. 17.
dea-sel par do oculoscom aros do ouro :
quom oachou, le ve-o ao Sr. general Anto-
nio -Correia Seara, que gratificar com
quanlia equivalente ao valor dos mesmos
oculos.
0 abaixo assignido previne ao publi-
co, que, por Irte nflo convlr mais, deixou de
ser empregado em cesa de Madama Dalsyrac
desde o dia 25 do corrente.
Manoel Josdet Santos.
Precisa-sde urna ama que tenha bas-
tante leite, preferindo-se forra : na ra da
Soledade, n. 12: di-se bom tratamento e
paga-se bem.
Na ra de S,-Rita, n. 63, lava-se e en-
gomma-secom muitoasseioe promptidSo :
quem quizer ser bem servido, dirija-se a
oasa mencionada.
-- Fugio, no dia 24 do corrente, de orna
gaiola, um checheo manso e muito canta-
dor : quem o pegar, nSo querendo manchar
sua conaciencia por tSo pooca cousa, man-
da-lona ra estreits do Rozario, loja do
marceoeiro por beixo do sobrado do Sr.
doutor Paiva, que receberi 9,000 rs. de gra-
tificacflo.:
Pessoa alguma faca compra nem hy-
potbequ urna pequea morada de casa
terrea na ra do Jogo-da-Bolla, na cidade
deOlnda, pertencente a Maris do Jess,
por essa dever a Catholno Jos Goncalves
Lessa, ums quaotfa dequea vai demandar
emjuizo competente : o para que ningiiom
achame a ignorancia, faz sciente ao res-
peitavel publico pelo presente annuucio.
Alugam-se e vendem-se, tsnto por jonv
to como a relalho, ot> melhores bichas bam-
borguezis.-na ra das Cruzas, n. 40, la-
varos de Domingos ds Silva Can pos.
Precisa-sede um feitor, e de um cai-
xeiro, para um eogenno bem porto dsala
praca : na ra das Cruzes, n. 40.
Precisa-se alugar urna prela para aervir
em urna caaa de pouco familia : na ra lar-
ga do Rozario, n. 26, segundo sndar.
Precisa-se alugar urna preta escrava,
que aaiba vender, pagsndo-se-lhe mensaI-
mente : na ra do Hangei, n. 17.
0 abaixo asaignado deixa de vender
ago'ardente e esperitos d produccSo krasi-
leira do dU 30 de setembro em dianle, na
sus tsverna da ra do Cu loruiz, n. 16.
Narciso Ptrtir* da felU.
-- Os abaixo assignados deixam de ven-
der ago'ardente e espiritos de produccSo
brasileira do dia 30 de setembro em diante,
na sus tacerna da ra do Codorniz, n. lo.
tiendes & Macieira.
O abaixo assignado deixa da vender
sgo'srdenle e espiritos de pruduerjio bra-
brasileira do dia 30 de setembro em diaote,
na sua tiverna da rua.da Moda, n. 85.
Joaquim Duarte de Atevedo.
O abaixo asaignado deixa de vender
ago'ardeolea espiriloa de prodcelo bra-
sileira do dia 30 de setembro em iante, ns
sus tsverna da ra do Codorniz, n. 8.
Francisco los da Silva Macieira .
O abaixo assignado laz sciente so pu-
blico que o Sr. Cstano Delutio Monteiro de
Carvalno ha mais de um son qne sl-
dou suss contas com o abaixo assignado,
e que ua Ja I lie deve ale o presente. Da-
nungos Antonio da Silva Beirii.
Aluga-se o primeiro andar da casa da
ra ao Rancel, confronte a botica : na ra
doPasseio, luja n. 91.
Na ra estreita do Rozario, n. 28, se-
gn lo sndar, se diri quem di dinheiro a
premio. Na mesma casa vendem-se dous re-
fugios de ouro patentes, urna corrente para
senhora, urna dita para relogio, cordOes, co-
lares, brincos, annellAes, cruzes, boioes pa-
ra berturss e punbos, corazes, urna verni-
ca, 1 bandeira e resplandor para menino
Dos, rozetas, 1 appsrelho de prata para
cha, 1 faqueiro, 2 salvas, apares de easti-
caes, 1 bride, 1 par de esporas, I sssucarei-
ro, e outras obras de ouro e prata.
Jos Antonio Gomes Jnior remelle pa-
ra o Rio-Grande do Sul pelo Rio-de-Janeiro
o seu escravo orioulo, de nomo Thoodoro.
- Um mofo se offerece para ensinsr ss
primeiras leltras fra desta pra^a, em al-
gum eogsubo, prometiendo o adianUmen-
t de seus discpulos: os pas de familia
que dasejarem educar seus,flllios,dirijam-si3
a ruado encaiilamento, armazom u. 11, ou
annuucem.
0
terveja, 20 mlhoa de albos e 3 barricas com.
100 garrafas de snni, genebra elicores. Igado sumo, e loo rs. de OVeluum,(oa ra da Cruz do Recife, n. 33,
geiros irata-sii com Luiz Jos de Si Araujo,
Ainda est fgida, desde o dia 26 de
juoho, prximo passado, a escrava crioula
de nome Mara, moca, de altura regular ,
corpo reforjado, esdeiras grossaa e um lan-
o sabidas para fra, bocea regular, beicos
grossos.'tte milos grossaa; ieui marcas
de bexgas no rosto e em todo corpo, peitos
paqueos a cnidos, nariz grosso, oinos
carnudos, orelhas na parte do enfeite groa*
sase virsdas um tsnto para cima tem urna
marca de ferida de caustico do lado direilo
ou esquerdo, talvez que pouco ja se devul
gue das costellas para os vssios ; levou ves-
tido de chita ja usado, panno da Costa,
um taboleiro com milho e arroz que venda
no dia que fgio: esta negra segundo os
seus coslumes do ardilosa, pode ter muda-
do o nome e mesmo usar de qualquer ou-
tro desfarce para n3o ser conheoida, pnm
consta andar dizendoser forra e que a que-
rem captivar: foi de Macei e aqui vendida
pelo Sr. Antonio da Silva GusmSo ao ja fal-
lecido Jos Antonio da Silva Cosa, tendo
no poder do dito fallecido 3 filhos, Candida,
Luiz e Marcolino ; pode esta negra sAb pre-
texta eals oceulta em casa de alguein, ou
im algum calugi, o que se vai escrupulosa-
mente endagar para se proceder contra
quemstver occuita: Ua-se urna boa re-
cuinpenas a quan Julia der noticia certa, entradoeui mi dus ailiu do I,uceas ou
ou a pegar a levar i ra de llortas, n. 114/ Remedio: quem a Uouxer ou indicar o
casa de Antonio Caldas da Silva. gar onde estaje, ser recompensad o.
l'aulo Gnl?nour, dentista
franeez, veccntenicntc che- W
g:nilo a esta capital, offerece
sen nrestlino ao publico pa- #
i-a todos os misterea de sna *
9 proflssao, qnr extraliludo, *t>
** ilmpando e chumbando os
denles iiuliiraes, iiir siibsti- #
Stnlndo-os por ontrn nrtifl- #
claes, para o que tora oa me- #
5 lhores appnrelhos. I'dc ser 9$
if procurado a qualquer hora, *
em xtia casa na ra lar^u do #
6 lozni lo, ii. :)6, segundo un-
m dar. m
Roga-se ao Sr. segundo tenente Jos de
Cerqueira Lims, da Baha, que mande pagar
urna lellra, que se acba vencida ha oito me-
zes; do contrario, ter de ver sempre o seu
nome nesta folha.
Na ra de Agoas-Verdes, caaa terrea
n. 98, lava-ae eeogomma-se toda a qualida-
de de roupa, com asseioe promptid&o, por
prer,o mais oooMBudo d qS SS outra
qualquer parle.
Hoga-se a todas as pessoas que eaiao
deveodo contas antigs ns vende da ruada
Cadeia do llecife, n. 25, defronla do Beceo-
Largo, o favor de ireui ou mandaren pagar
seus dbitos at olim do corrente mez de
aelemhro, ialo para evitar despezas, pois nSo
o fazendo se usar da outros meios.
ArrenJa-se pars qualquer estabeleci-
mento urna propriedade sita ns rus da Flo-
rentina, ao p do estabelecimento doSr.
Ilerangr, o qual tem porto de embarque
por detraz : a tratar nesta ijpgrapbia.
Varea nublo.
Sabio do sitio do Sr. barSo de Itamaraci,
no Hospicio, aoode mora o Sr. Corbett, no
da 26 do coi rente, urna vacca quasi preta,
com 0 bezerroj grande, de oAr vermelha,
levando de raslo una corda comprida d li-
do e nova; ella he um Unto vellia, tem
rmscio grartde e aa ponas finas ; foi se-
guida al a Magdalena, e dahi suppOe-ae ter
ou
J
TI




BOWMAN oc MC. CAU.UM, engenbei-
ros machinistas e fundidores de ferro mu
respetosamente annuncjam aos Senhoros
proprietano de engenhos, fazendeiros, mi-
neiros, negociantes, fabricante e ao res-
peilavel publico, quo o seu estsbelecimento
de ferro movido por achina de Tapor con-
tina em effectivo ejercicio, e se acha com-
pletamente montado com apparelbos da pri-
meira qualidade para a perfelta confecsfio
das maiores pecas de nachinismo.
Habilitados para emprebender quaesquer
obra* la toa arte, Bowman & Me. Callum
desejam maia particularmente chamar a
attencSo publica para a sscguintes, por
terem deltas grande sortimento j prompla,
as quaea construidas na aua fabrica pdem
competir com aa fabricada em paiz es-
trangeiro, Unto em preco como em. qua-
lidade da materias prima e mSo d'obra,
a l)er:
Machina de vapor da melhor conslruccflo.
Moendaa de canoi para ngenhps de lo-
dos os umanhos, movidaa tapor poragoa
ou animaos.
P.odas d'agoa, moinho .de vento e serra-
Manejos, independentea para cavallos.
Rodas dentadas. j
Aguilhoes, brouzes e ctiumiceira.V
Cavilhe e parafuso de todo o (ama-
nbw- .
Tatxas, para, crivos e boceas de forna-
Iha.
,, Moinho de mandioca, movidos a m"o ou
por aaimaes, e prensas para a dita.
Chapas de fog8o e frnos de farinha.
Canos de ferro, totoaira de ferro a de
bronze.
Bombas para cacimba e da repucho, mo-
vidas a mSo, por aniones ou vento. ,
Guindastes, guinchte macaco.
Prensa bydraulicas e de parafuso.
Ferrageps par navios, carro e obr pu-
blica.
Columnas, varandas, grades e portoes.
Prensade copiar carta e sellar..
Camas, carros do inSo e arados de ferros,
etc etc.
Alm da superioridade das suaa obras, j
geralmente recuuhecid, Bowman & Me.
Callum ga>rantam a mais exacta conformi-
darle cornos mobles e dezvulios remellidos
pelos sanhnres que se dignarem de fazer-
bes encommooilas, aproveitandoa occasjSo
para agridacerein aos seus numerosos ami-
gos e Ireguezes a preferencia com que teem
sido por elles honrados, e asseguram-lhes
que nSo pouparSo esfurcos e diligenciar
para contiuuarem a merecer a sua confj-
auca. la. ,i i
^ H'omoeopathia pura.
nos em ludo que diz respeito a cambios, di-
vsfls das moedas dasdlfferentes pracM da
ICuropa, etc. etc.; e pode ser'procurado
todos os dias no escriptorio dos Srs. C. Starr
& Compantila, na roa da-Aurora.
. lot da Haya.
Alugs-aeuma'caa terrea na rus Au-
gusta, com lions commodos para familia : a
tratar com o Bastos, caixeirodo Sra. Joo
Pinto de temos & Filhos.
Prrcisa-se de urna ama que tenha bom
e bastante leite, preferindo-se que seja for-
ra : na ra das Cruzes, o. 36.
Quem Ihefallar umcavallo alazSo, di-
rija-se ra doMondego, n. 42, que, dando
os signaes e pagando as despezas, lhe ser
entregue.
>o bilbar francez da rua Nova, n. 69,
precisa-sede um caixeiro que lenba prti-
ca de commeicio, e d fiador su con-
ducta.
-Madama Dalayrac revine ao publico
que-o Sr. Manuel Jos dos Santos no he
mais empregadona soaessa.
Deseja-se saber se nesta praca existem
osSra. AutonioJos Antuues, Manoel Jos
da Costa, e Domingos Jos da Costa, para
negocio que Ibes diz repeito : na ruado
Trapiche, n. Si, casa de Novaes & C.
Koga-seao Sr. M. II. I', que lenba
bondado de ir ou mandar a travessa da Ma-
dre-de-leos, n 1, pagar so abaixo assigna-
do o Importe dos alugueis de um cava I lo
que alugou no da. 16 do corrente, por 2
hoto;'Vqueitd#reoM torBO da-93, e
sendo preciso ir buscar o caadlo em sua
casa, que S. Me. vendo o estado em que li-
aba posto o pobre animal, no o levou de
onde o tinba recebido, e. nea t3o pouco
apparace anals em casa, por mais que se
procure para pagar os aluguei ; pOis seria
mi'lhor que S, Me. fosse comprsr civallos
para o* alagar a horneo iguae i ana pea-
so, pira saber o quanto he bom : a para
que nao d omito incoinmodo ao abaixo
assignado, e nao ver o seu nonie por exten-
sa nesta fnlhs, ser melhor que v pagar
quanto antea. Gaipar Pertira ia Silva.
I.uiz da Costa l.eile vende o seu esta-
belecimento da rua Nova, n. 58, com o que
exislir, ou s a armaeo, ou um prelo de
bonita figura, ou dous, para o lim de saldar
cootas do que se deve a casa do Snr.
commepdador Manoel Concalvrs da Silva,
relativo a alugueis da dita loja : a tratar na
mesma, com oannnciinte.
J. B. Cnaunovu, facultativo
O
V homceopiLba, da consultas todos es A
J* dias uteis, desdis 7 horas da ma- J*
O nbfla at as duas da tarde, rua da Ca- J*
-G deia do Sanlo-Antouio, n. 22, segn- O
O do andar. Os pobre* serilo tratados O
0 gratuilaniente. 0
OOOOOOCJJ 000000960
I'recisa-so engajar alguna o lile ia es de
caldeiieiro para trahalhare.m em caldeiras
de vapor,, sendo arrebiiadoru, ( a que os ln-
glezes chamain Rivelers) dando garanta
aua conducta : pag-se o jornal de 3,00 por
da, e da-se passagem gratuita para o Ido de
Janeiro, pode iiSo trabilbar na oflicina da
companbia brisilein de paquetes de vapor ;
adverlin lo, porm, que se depois de all
chagarem, rom um mez de experiencia,
provarem incapacidade, serio conduzidos
para aqui Igualmente nlo pagando passa-
gem. Quem esliver neslas circumstancias,
e quizer o dito engaja ment, pode dirigir.
se ao agente da dita companbia, na rua do
Trapiche, n. 40.
a loja de Madama Theard,
na rua Nova, n. 32, fazem-ae con
imita presteza e per fei<;o chapeos,
vestidos, manteletes, capotinhos,
toucados e todow os mais, eufeites
de senhora.
socieilndc Apolnea.
A CommissSo administrativa da socieJa-'
de Apolnea, lando marcado o dia 12 de ou-
lubro prximo futuro para ter lugar a aua
partida, convida aos Srs. socios para reme't-
terem as propostas de seos convidados at o
dia l.'do referido mez, depois.do qual iifio
lera lugar concederem-se mais convites.
Quem annnnciou no Mario n. 217 que-
rer comprar um violfio, dinja-se rui Nova
n. 35, onde tainbem se vende um methodo
para o dito, urna flauta de bano de qualro
chaves e cluttodo, por preco commodo.
Offerece-ae um sacerdote para capello
de engenho, e mesmo para ensinar primei-
ras lettras, ou gramaHOica latina : quem
qui?er, annuncie.
O abaixo assignado faz sciente que o
annuncio do armazem da rua do Amorim,
ns. 56 e 58, publicado pela Imprenta n. 15,
nflo a, eniende cuui elle. Jote Joaquim Al-
vu ia Silva
KsciijiKrsro coiuxucrrlitl por
partidas dobradus.
O abaixo assignado propAe-se a brir no
dia 7 de oulubro proxio o futuro, no bairro
do Recife, una aula, para ensinar a iscrip-
turseflo de livros em partidas dobradas, fe-
guindo o systema que he geralmente prati-
ctdo nas principies casas decommercio in-
glezaa. A slmphcida.ie, coucisflo e clareza
que este systenia offerece, faz com que o
abaixo sasignado se anime a afliancar que,
com um rfumero mu lin ilado de lices,
osaeus alumnos Acardo habilitados a encar-
regar-se dos !iroa de qusiqusr Casa de
commercio. O abaixo assignado tem de ad-
vertir que, devendo as suas ligoes constar
de urna serie regular de lanoamenloa em li-
vros apropriados de lodis as IransacfOes
Se no commercio ae poilem offerecer, he
indispenssvel necessidade, que as pea-
soasqe quizerem aprender, o procuri-m
antea do dia da abertura di aula, pan to-
dos poderem comecar ao mesmo temo.
DAURORA
C. Slarr & Companbia teem a honra dp
ivisriosseus rreg'uezes, e lo publico em
geni, que a sua grande fundicito em S -
Amaro, alm do sortimento que consian-
temente tom acha-se de novo provida de
muitas moendas de canna, e de varios ta-
manhos feitas no mesmo eslabelecimcnto
pelos mais peritos olllciaes, e com o maio'
cuidado-e perfeieno; li^o assim he, qus
os annuncianics se ufariirrT m aranti-lis
pelo primeiro auno. As mondas'lnjeiras
4odas_de ferro; construidas jn^^^jeimaj
dos annunciantes ,/-*0 CUirC superiores a
quaesquer outraa da mesma natureza que
al agora teem aido aqui otfereeidas, pois
aquellas encerram em si ceriose importan-
te melhoramenlos, resultado de maia de
20 anuos de experiencia e pratica no paiz.
Agencia de negocios entro o
llrasfl e i> o ring al.
Etcriplorio provincial em Pirnambuco. Rua
eitrrta do Rosario, n. 41, $tgundo andar,
Delegido o bacharel A. 11. de Torres
Bandeira.
Rntre as emprezas uteis gun o estabe-
lecimento da agencia de negocios entre o
brasil e Portugal, que se acha confiado ha'
dous innos entre nos io Sr Dr. Jos Felicia-
no de Castillo Brrelo e Noronha, residen-
te no Rio-de-Janeiro Esta empreza tem um
fin louvavel, e que est muilo em harnio-
nii com os inteiesses das dua'na{6ea : o
commercio principalmente, esse ramo po-
deroso de riqueza publica e da civilisa^flo,
plecolher grandissimas vantagens, todas
as vrzes que se Ine proporcionar a aoluc.lo
ile quesloesjuiDortantes, que, tilvez, s nfio
sereate nfi, InWian no esquecimento. Na
pirte de uiilidideVlla se dirige tinto a um
como I nutro paiz (considerada desle mo !o
no poder encontrar embarazos na pra-
tica \
A agencli proroove oi inleresses lcitos,
tas em embos os paizes; lenta composifOns,
initaun e egue procedl.nentoa judiciaes ;
procedes pesquizas acerca da existencia,
mudanca de domicilio ou fallecimentos ;
sollirita o cumpri manto de rogatorios, mn-
' -asistir a praca ; agencia compra e ven-
da
da de predios urbanos' u rsticos; vTgl
por inleresses de herdeiros, faz mnlfestos
e registra hypothecas ; administra casas e
proprii dades; cobra rendimentoa e turo,
manda tirar fothas corridas, porte e
documentos das estacAes publices; raquer
quaesquer pretencues justas do governo ;
WTBha "^Ijn.^Ao. >.- =.j,n..- nrrfonu
commerciaes; compra e vende ppela di
crediio, fizendo fransaccOes de bifleo, etc
O escriptorio central he no Itio-de-Janei-
ro, rui do Hotario, n. 68; o director he o
Sr. Dr. Jos elioiaiio de Castilho Brrelo e
.Noroutia : ,3o advogados da empr- za em
Lisboa os Srs. Drs ioflo de Dos .tntunes.
I'iutoe Gaspar Joaquim Talles da Silva ; o
eorrspondenle naqueila cldade he o M
Thumaz Antonio de lliv, rua Ferregial de|
cima, n. 7. Ao Sr. Dr. Casinho, como direc-i
or da Bjffincs, c:be o u'ireito eesiaboivj
delegados nos pontos do imperio que os praJ
cisarem, em conformidado con a autorisa-
Qflo que lhe he concedida pelo artigo 27 du
regulamento da mesma agencia ; e he pni
sso que os dous escriptorio do Rio e de
Lisboa, bem organisados, l^em estabeleci-io
delega;0e8 em todos e pontos mais impr-
tame dos dous osudos ; de sorle que qual j
agencia, nesta pro> inc-, "hachara! A. fi
de Torres Bandeira, que tratar de empre-
gar todos os esforcis para levar a effeito as
condigOes fixadss no regulamento respec-
tivo.
U delegado, desejoso de cumprir as or-
den emanadas do escriptorio central, no
Itio-de-Jafleiro, tem estabelecido um escrip-
torio provincial, na casa de sua residencia,
rua estreit do notario, n. 41, segundo an-
dar. As pessoas que tiverem inleresses a tra-
tar por meio di agencia, poderSo dingir-se
aquello escriptorio, das oito horas da ma-
ntilla at s 10, e das 2 d* tarde at s S.
Bellarmino de Arruda Camera e I). Joa-
quina Maria dos Santos vendem quatro par-
les, que por titulo do heranca possuem no
engenho denominado Hassauass, sito na
freguezia de Santo-AntSo, moente e corren-
te.tjom d'agoa, com terns sufllcienles para
butr engenho, adverte-se que he um dos
melhorea engenhos da dita freguazia: at
pessoas que quizerem comprar, dirijam-se
ao Sr. Manoel Elias de Moura, morador na
praca da Boa-Vista, casa o. 28, que, muni-
do dos poderes necessarios, seacba autori-
sado para realisir i venda.
Fugio do engenhd Cinto-Escuro, nodii
lOdeselembro, o cabra ajanoel, de 20 a 25
annos. estatura regular, bastante grosso,
nariz chito, cabeca rodonda, olhos grandes
e cabellos uo pouco afogueados: quem o
pegar, leve-o ao dil' ngenho, que ser
bem recompensado, ou nesta praca, no Hos-
picio, n. 2, em casa do Sr. Manoel de Barros
Wtnderley Lins Jnior.
Quem quizer trocar apatices da compa-
ohi de Beberibe por casas, annuncie pra
ser procurado.
-Ilmi mulher de Jjonscostumes se propon
a fazer comida pan pessoa particular, com
o maior aaaeio r aasim como lava e engom-
ma : ludo por preco commodo que agradar
ao pretendente: na roa Imperial, n. 6,
pefronte da matriz de S.-Jos
Koga-ae ao Sr. M. Maria de Oliveira
que lenba a bondade de ir pagar 8,600 rs
quo deve na rua do Queimado, n. 16.
Aluga-aeo primeiro andar da casa n.
34 da rua do Trapiche, proprio para escrip-
torio : a tratar no armatem do mesmo.
- Aiuga-se orna casa muilo boa, com
eommodos para grande familia, quintal,
janlim pequeo, cacimba con boa agoa de
beber, e estribarla para 4 cavallos, no Po(0
da Fanell, defronte do rio : a tratar na rua
do Trapiche, n. 44, armazem.
A luga-se urna casa terrea .na Capunga,
na travessa de San-Jos du Manguiiho, coa
luus quartos, duassalas pequenas, coziaha
tora e boa cacimba Com anua do beber : tra-
ta-se ni rua da Caleia de Santo-Antonio,
n. 18, luja de marceneiro.
Aiuga-se o segundo andar do sobrade
o.' 12,' da rua do AragUo, com excellentes
comiBodos para familia, cinco qutrlos, p-
tima cosiuha com fogSo inglez, e forno,
salla oiuilo fresca por ter janetla do lado;
a tratar no primeiro indar do mesmo.
Alugim-se os terceiro e quirto anda-
res da cala n. 40 da rua da Cruz : a tratar
na mesma Casa.
Ulysse Droz, relojoeiro suis-
so, de passagem por esta praca,
onde tcnciona demorar-se 5 ou 6
mezes smente, concerla toda e
qualquer qualidade de relogios
eemriualqutfr estaUo etn que se
achem ; assim como tem para ven-
der relogios de ouro e prata dos
me'.hores fabricantes : na rua da
Cruz, n. 4) primeiro andar.
AtolUan.
Hogi-ae ao Sr. Julio Jos de Lima, que te-
nha a bondade de ir ou mandar pigir a
quaalia de 16,990 rs., proveniente de g-
neros que tomou na venda grande da Ca-
punga Da seis metes, cerlo de que, emquan-
lonJo pagar, seu nome nao satura denla
folha.
Precisa-se alugr nm moleque ou ne-
gro para o servico de roa a casa, e qus se-
ja (iel : na rua da Cruz, n. 48, armazem.
4jg> Chapaos de sol.
4*sv Kua do Passeio, n 5.
Nesta fabrica ha presentemente um rico
sortimento destes onjectos de todas as co-
res e qualidades, tanto de seta como de
panninho, porprecos commodos; ditos pa-
ra senhori, de bom gosto: estes chapeos
sSo fritos pela ultima moda ; seda adamas
cadi com ricos franjas de retroz. Ni mesma
cisa se acha 'gual sortimento de sedas e
panninho imitando sedas, para cobrir ar-
micdes servi.las : todss estlS fazen las ven-
dem-se em porefio e a retalhu : lambn se
concorta qualquer chapeo de sol, tanto d
Istiiiha de 9 s 12 annos, sendo boas pessas
no pateo do Terco, n. II, seicundo andar.
om
Vendas.
Lotera dn matriz da Boa-Viata.
Aon 1 o:ooo$ooo c ,">:ooo!iooo.
Na loja de miudrzas da praca da Inde-
pendencia, n. 4, vendem-se bllhetes, meios,
quartos, decimos e vigsimos desta lotera
que corre impreterivelmenle no dia 31 de
oulubro. ou antes se se acabarem os bhe-
les. A elles antes que se acaben), para nflo
compraren) mais cero, como tem aconte-
cido em outraa lotera.
Bilbetes 10,000
Meios 5,000
Quartos 2,600
llrcimos 1,100
Vigsimos 600
Vendem-se. 6 burros entra elles alguns
mancos j de servico : na rua doQueimado,
n. 14.
Vende-se um escravo bom trabalha-
dorda enxada.e para qualquer servico, por
ser moco e diligente e sem vicio algum : na
rua doQueimado, n. 14.
Vende-se urna preta de 15 annos, de
bonita figura e com ilgumss ftabiliJides:
na rua da Cadeia de Santo-Antonio, no se-
cundo andar do sobrado da esquins do Ou-
vidor, n. 14.
Na rua larga do Hozarlo, n. 22,
vende-se um moleque de 14 annos, do na-
(So, muito lindo ; urna mulatinha e dous
mUlalinhos de 9 a 10 annos urna negra de
20 annos, de linda figura, que cozinha e
vende na rua ; um preto de nacilo, de meia
filado, por 300,000 rs. ; um mulatinho de
I3anoos, proprio para pagem, por ser mui-
lo bonito.
Na rua larga do Hozarlo, n. 22,
vende-se um preto de 30 annos, perito oli-
cial de sapateiro.
Kap Panlo Cordelro.
Vende-so o verdadeiro rap Paulo Cordei-
io. em librase meiasditas, a 1600 rs. : na
ruado Queimado, n. 16, loja de Jos Dias
Simo>s.
= Vendem-se, vlnho do Porto, dito Sherrj,
comervat, mustarda.ilcaparras. salmao, carne
em conserva, aal retinado, corrilas paia po-
dios, franca branca da melhor qualidade, dila
cacura, ginebra de Hollauda, lijlos para lim-
par facas, licores linos, toiictobo de fuuielro,
cha preto superior qualidade, phosphoroa em
grozasea relalho.cliampagntie da melhor qua-
loiadc que ha oo mercadj, verniz preto e bran-
co ; mappaa martimos de Macelo, dito da cos-
a do urasil. dito do golfo de Veu'V.a, escovas
para sapatos, ditas de esfregar, vassoras de ca-
oriiupn i v.nrrr aalas, ateile-doce refinado e
.iim.uiA. uiariiinioa para 1850: na rata do Tra-
piche, u. 31, ariqaeiu de Rayinuiid t C.
*
>
>
>
>
*
>
<
tsnlo dos subditos brasileros nareinp de basteas de ferro como de balis, assim como
Portugal, como dos subditos porheueies umbelas do igrejas: ludo por preso cum-
no imperio do Brasil; prosegue ravnrfh- riodo. Na mesma casa ha chapeos de sol,
(Oes de particulares, que hajam de ser fi- ubniarca maior, de panno e de seda, pro-
priosu'ara feilores de engenho, puf seren
dos u(iis lories que se pdem fabricar.
Compras.
, depois Invada a eflicaz andamento del
que as ii0es tivarem commesdo. O abaixo i que se recebe o encirgo. Telo Sr. Castilbo,
assigoaUo tapibem instruir aos saus Um-1 como director, fui uoweado delegido da
Ni rua da Senzalla-Velha, o. 100, so-
gundo arma/.em aonde se ven,lo bolacha e
pSu, cuuipra'-s" effect iva mente loucinho da
luir, sendo gordo e sem sal, a 5,000 r. a
arroba, e a 160 rs. a libra.
--Compra s U3>sobrado da um andar,
ou casa lorrea, que seja nova e em boa rua:
no Passeio-''-b!;co, ".- se dir qum
compra.
Corupram-se duas lileiras pira viajar :
ua rua do Collegio, o. 12, taveroa.
Compra-se urna vacca torillo, que se
ja boa leiteira : a fallar com o peJagogo, no
arsenal de guerra.
Compra-se urna escrava boa cozinhei-
ra e engominadeira : na roa da Cadeia de S.
Itonio, no segundo andar do sobrado da
esquinado Oovidor, n. 14,
Compra-se um bom firac,o de balanc
ka rua da l'raia, u. 35, SdgunJu
indar, ou annuncie.
-- Compra-se, para urna encommenda.
noi escravo qu seja bom offlcial de tanoei-
ro : paga-sa bem, agradando : na rua da
Moda, n. 7, a tratar com Leopoldo da Costa
Araujo.
Compra-se effectiva mente cobre,
chumba, tinco, estanto, a toda a quali la-
!sdc =cts! velao, n^n seudo ferro : :;.-. ru..
Nova, n. 38.
Comprim-sedoas escravo, 1 com ofli-
cio a outro sem elle, urna najriana ou mu-
ChapelinhoB para snnhnri.
Na loja'lo sobrado amarello, nos
quatru-cantos da rua doQueimado,
n 29, vendem-ie os miis modernos
chip- buhos pin senhoras, cores
milito bonitas, e uiuito bem guarne-
cidos
#ji4****A* **********
Vende-se.uma escrsvi boi doceira : na
rua da Senzalla-Velha, n 14.
Vende-se um eseravo de 25 annos, fiel,
nenio nlllcial de pedreio, bom canoeiro e
apto para todo O servico de casa, por 700,000
rs.: na rua do Queimado, u. 3, seguudu
andar.
Ven.Ie-se um_ sobrado de um andar
con? boas commodos: em Fra-de-Por-
tas, tr 13.
Vende-se a tavern do fim di rua Au-
gusts, n 91, juoto ao viveiro : a tratar n>
mesan tiverna.
-- Vende-se um preta do nisSo Mina,
muito musa e vistosa, que eugoinma, cj-
zinha e faz todo o mais servico do urna ca-
sa : na rua do Amorim, n. 15.
VenJe-se urna otaria na ilha dos Coe-
bus, com terreno proprio, e tem bons com-
modos, por preso rasoavel: tambem sb by-
polheca por 600,000 rs. por 2 anuos, fican-
do i rend pelo premio, cuj renda anda
por 200,000 rs. por mno : quem quizer,
diuja-sel rua da Concordia, casa do Sr.
Geraldo Correia Lima, que al: i achira o seu
proprielario.
Vende-se umi preti da Costa, mosa,
vendedeira de rua, lava e cozinha o diario
de una casa : o motivo por que se vende
se dir uo comprador : na rua Nova, n. 28,
loja de selhfiro.
Ao publico.
Em mu ci esculo numero contavam os mdi-
cos at agora molestias fncuraveis, contra as
quaes so era permitiido ao paciente resigna-
fo para soffrer um mal de que j nao havla
rsprrancas de poder liberla-lo, e ao medico
pliilanlropteo a dor de ver mtiitos de aeua se-
uelha otes victimas de cu Tenuidades, contra al
quaes se declarnva impotente, padendo apenas
lamentar a fraquexa da Iptelllgencia humana.
Mas,, gracas aos prugresso da medicina, gra-
bas au lelo de homeus incansaveis, que, nao
desesperando da pcrfectlbilldade da sciencia,
ae tein dedicado invesligacao de remedios
quepossam alliviar a hunianldade de alguns
males que a arBigein, o numero das molestias
reputadaa incurareis vai de dia em da dimi-
n o i ud-i. Assim, achar depois de longos traba-
dlos, de profunda mediiafo e reiteradas eipe-
ileucias. medicamentos que nos restuam o
uso dos dous mais importantes aentidoa deque
he dotado o homein, quando este j se acha-
v.iin no supposto estado de incurabilldade e
intciraineote perdidos, he por certo um dos
nalores servico que se poda prestar huma-
nidade; ca o que estava reservado a um ho-
rnera phiUatrcpr: dj C"dde de Kraga, em Por-
tugal, cuja sciencia, cujo amor de seus aeme-
1mhm: o ce:" fe:!? 2*?**2!e couiccer. Os
remedios que ora ollerrceios ao publico, nao
Mitrain naclasse daquelles que o vido e orna-
do charlatanismo inculca com roucoa e de-
coiiipasadoa brados, e que o crdulo vulgo
por ignorancia recebe na boa f e aera discer-
niineuto. achando-ae depois illudido; tein, po-
rm, de oceupar mu distinti lugar entre os
niedicaniealua que maiores beneficios prcstaui
ao lioinein : coustaiu cllea dadiasolu^o aquo.
sa de extractos de plantas medicinaes, de vir-
tudes mu reconhecidase verificadas. O longo
uso, continuadas e severas experiencias,
que por toda a parte teem cites sido subineui-
dos, aem que urna s vez hajaiii falbado em
eua liniis eil'riios, e deamenlido aa eaperanfal
que sobre elles havia fundado o seu inventor,
lhe teem grangeadn constantes e repetidos elo-
gios doa mais sabios e respeitavris medico,
assim da Europa, como da America que unso-
nos abona ni e proclamara sua accao aempre
certa e benigna, lira destes licorea he desti-
nado a coi,batel- aa molestias de olboa, e lea
por principal virlude restituir im oreaos da vi-
desorganisaco das parle; no menos Mil
enrgico he para desfaier as cataratas, destruir
as nevoas e de prompm .lebell.ir qualquer m-
uaminacao ou vermemhUo do olhoi. ao
causara dr nem r-ii mil na parle.
Outro liquido rcstiiuc a faculdade de oiivn
ossonsioouvilo tcalo de surdez, anda que
inveterada urna vez que o mal nao seja de as-
cenca, aem causar era lempo algum o menor
Incoinmodo ao doente, e sem priva-lo de cui-
dar em arus negocloa. ______...
INSTRUCCKS PARA O USO DOS ItEMEDIO?.
O don othot tmprtga-u do modo iigttinU r
O doente pWa manha, em jejuin, urna hora
puco mais ou menos depois que erguer-se do
lello, tomar sobre a palma da mSo pequea
porfi daquella agoa e com ella ninlhaia
bem oa ollioa, fatendo que alguinas gotlaa
calain sobre, o globo occular : sem os llmpar,
os conservar motilados at que naturalmente
enxugiiem: ao deitar-sc nolte pniicar o
me,mo : durante o lempo que nar do reme-
dio evitar o calor, acjo de fnmaca e o vento ;
far abstinencia de comidas salgadas, aiedaa *
adubadas com especiarlas.
U rrawdo do outiiJos tira applicado do modo que
ugut.
O doeute pela manha, tuna hora pouco
maia ou menna depois de rguer-e, ainda em
jejum, far derramar dentro do ouvidos qua-
tro ou cinco gottas do liquida, tapsndo-o de-
pois cora algodo em rama ; nolte ao deltar-
se repetir a meaina operacao. Durante o uso
do remedio evitar eipor, oa ouvidos princi-
palmente, accao do calor e do vento, ahin de
evitar grande traospiraco, havendo cuidado
em nao inolbar os ps em agoa fra; finalmen-
te deve obster-se de comidas salgadas, azedas r
adubadas.
hales remedios esto venda na botica de
Barlboloineu Francisco de Soma, oa rua larga
do (losarlo, n. 36, nico deposito em l'ei uaiu
buco, pelo preco de 2,240 rs. cada vidro.
Aarope do bosque.
A introduccao do arare do boiqui em o Brasil
foi animada por soccesao aem Igual noi Esta-
dos-Unidos, onde depoia de aete annos de ei-
perlencla e uao fol elevado a tio alto mrito,
que s vezes as exigencias excediam muito a
quaniidade que se podia manufacturar.
No principio de sua introduccao aqui nao se
pode logo asseverar o aeu mrito nesle clima ;
mas as iinmensaa provaa que oa agentes rece;
bem diariamente das curas inaravllhosas que
elle produi os habilita a certificar que o.rnro-
p do botqui be uina cura certa para a pbthisica
em t odos os seus diflV'rentes graos, qur moti-
vada por coiisiipacofs, tosse, coqueluche,
pleuriz. asthma, bronchltes, palpltafo no co
racao, dOr de coslado e pello, escarro de san-
gue, dor na garganU e todas as molestias do,
orgaos pulmonares.
i tepois d> tanta prova do seu merecimento,
como outroaiin depoi de ae tealemunhar um
firme augmento da venda desle remedio, como
igualmente a accuinulacao de tanto fados que
coinprovam o aeu bom successo durante a ex-
periencia de 24 metes, os agentes nao sero
aecusados de terem Imposto sobre o publico,
rccniimrndando um remedio de um valor in-
cerlo, ou de exigir de qualquer invalido que
fixeassuas eperan;as de cura por um al lino
imaginario. uso principal do xarape do boi-
qut tem sido feilo nicamente na cidade do Rio-
de-Janeiro e suasvizinhancas ; mas, agora que
a anas virtudes e pdem couscicncinsameute
asseverar, os agentes o offerecem ao publico
com a mai segura confianca, e que em qual-
quer caso se achara um remedio de iufallirel
mrito como de felix successo.
Ha casos destas molestias, quando por ne-
gligencia se deixa que a molestia tome coipo
sobre a substancia dos bofes, at que os restos
destes flquem Insuffictenles (ae a sua declina-
fao poder ser reprimida) a poder fornecer o
singue aos elementos necessarios vida de
uina pessoa, t einelhauui co 3o srro
seinpre alera do conbecimenio da asaislencia
humana, che peior qiiecharlatao aquelle i\m-
quizer euganar a alyuein com esperancas fal-
sas de cura ; mas ha mu i los casos que appare-
ceui sem esperancas, mas pdem ser curados
com remedios pruprios.
Cora alguns a tendencia para estas molestias
vem de pas para filhos, e por esles he nova-
mente iransralttidas suas descendencias, lsio
he geralmente conliecido por > phlhisica cons-
titucional Em seinelhantet casos a doenca,
apparece geralmeule na mesma familia eui
iiin.-i certa idade, c familias inteirasfallecein
|no|iorc.io que vo chegando quelle periodo.
Como dissemos cima, remedio algum pude
remediar esle caso, onde urna longa moles-
tia se acha arreigada, e por consrguinte tein
consuiiildu todos os recursos da vida, mas be
pelo uso de senielhante remedio como oa-irn-
pi do boique, e o muito cuidado na sade, que
estes periodos crticos se pdem passar, ca vi-
da se pode prolongar al urna idade avancada.
Em caso de molestia de bofes, occasionadu
por eaposifo on negligencia, a ninlrstia np-
proxiiua-se por difireme formas, mas qnri-
no broelii.il ou aslliuiatii a, as memln .11,., Su
aneciadas e as sua secreedes improprias ou
mais que excitadas far.ein logo senliri 111-se
symplomas que nao se devero desprezar;
mu-i enii.i ipacao pode produiir una inll imina-
eao na delicadas membranas que guarnecem
os tubos bronchiaes, esta irrltacoprodut urna
tosse, e em seu turno a tosse augmenta a in-
flammaco; e, se ae despreza, as inruibiauas
dos boles lornam-se semelhantciiienle atlecta-
da, e por lim a mesma substancia destes he
atacada. He verdade que limito bofe sao bas-
tante fortes, sveaes, para resistir ao primeiro
curso, se cate nao lor muito forte ; mas nin-
1111 < ni escapa de una maneira fcil, una vea
que tenha padecido moleatia que tenha atacado
guelles. lie porlanto que elles precisara di-
algum remedio seguro para ajudar o sjstenia,
a lim de corrigir as secreedes e restaurar fin c a
aos orgiios pulmonares; em casos como estes
o xarori do boiqui tein-se tornado iufallivel, c
nao he snu principio como na forma simples
destas molestia que este remedio he una cura.
Teem j havido multo exeinplo em que a sa-
de se tein restaurado a pessoas que haviam si-
do abandonadas pelos seus mdicos e amigos.
O xarope do botqut nao ae oflrcce como um
remedio para qualquer doenca, mas sim he
offerecido com uina perfelta conlianca como o
mais utll remedio al aqui descoberto para as
molestias de garganta e dos bofes, o qual hr
composto nicamente de vegetis, e que se
pode tomar aem aqueiie cuiuauo em prtica
qur na dieta ou no esercicio.
O publico deve-se lembrar que cada garrafa
tein dous letreiros cora a proprla asslgnatura
dos agentes R. C. Yate e Coinp., utn na garra-
fa cora tudas aa direcedra para uso, e um no
panel de fra.
Pode ser enviado com toda a seguridade
para qualquer parle do Imperio, e aaoidens
seroponlualinente eiecutadas.
Vende-se nicamente na botica do Sr. Jos
Masia Gnncalves llamos, rua dos Quarteis,
n. 12.
laoterindo Itio-ilo-Jiuiriro.
Aoa 2olooo$ooo.
Rua di Cideia do Recife, n. 34, loja de cam-
bio da viuva Viein & Filhos.
Pelo vapor San-Saivad4r, sahido do Rio-
de-Janeiro no dia 13 do corronle, receheu-
so grande sortimento do bilhetes, meios,
quarto, oitlvose vigsimos da H. lotera
n henelicio do thealro de S.-Pedro de Ai-
slo uas iuucv,3 ; reanimar e ratcr'reappare- T,:'"!irs> cujas roda deve.n correr no dia
ccr am sua natural perfeicao a vlata, quando' ** ^ Plenle mez. A elle, a files.
eta esliver fracaouquail eitincta; comanlo, | Vendiu-Sc a larris ae ferro: n rua
porm, que nao baja cegueira abaolula cora I la Senzlla-noV, n. 48.
LADO L
I
l


.... .....I .
Vendem-se balancas deci-
maes de 100 a 600 libras, muito proprias
ptra pesar asaucar: na ra do Trapiche,
n. S, armazem de C. J. Astley & C.
Vendem-se ricos cortes de
seda branca para vestido,por preco
tao barato que s a vista da fazen-
da se poder dizer: na ra do
Crespo, n. 16, esquina da ra das
Gruzes.
Vende-se farinha de Santa-Cathan'na,
muilo superior, a bordo da galeota Santiisi-
ma-Trindade, tundeada junto ao caes do
Collegio.
Farinha de mandioca.
NaruadaCruz, no Recite, armazem n.
13. e na ra da Cadeia, armazem de Cam-
pello Filho, vende-se farinha de mandio-
ca do Ceara, moita Iva, gommosa e de ex-
cellento gusto, tanto em pequeas como
em grandes porcoes, sor preco commodo.
Vende-se, por preco cos modo, farinha
de mandioca, em saccas grandes ; a tratar
nos armazeos de Dias Ferreira, e Gouveia &
lnas, no caesda Alfandega, ou com Novaos
& Companhia, na ra do Trapiche, n. 34.
Vende-se rap superior de Paulo Cor-
deiro : na ra da Cadeia do Recite, loja de
Jolo Jos de Carvtlho Moraes. Na mes ra
loja tambem ge vende um methodo para
violSo, do autor l.uigi Castelacci, contando
as afinacOes para se tocar os sons armni-
cos, por barato preco.
Travesta da Jtladi'e-de-Deoa, n
nazem. i. ",,
Acha-se estabelecido um deposito, onde
encontrarSo os freguezes um bom sorli-
mento de licores, espirito de vinho, e to-
das as mala qualidades; superior viulio de
caj; (llmate; e lucas de vime, a precos
n: oilera dos.
A illc* que sao baratlsslmos.
Vendem-se sapatoes de couro de lustro, a
2,000 e 2,500 rs., he o que valem do feitio
na ra da Cadeia do Recite, n. 9, loja,
A I S'ooo o curte de calcas.
Vendem-se brins decores, com listra ao
lado, de bonitos padrdes, tendo tambem
cor de ganga, a 1,000 rs. o corte de calcas :
na ra do Queimado, n. 8, loja defronle da
botica.
Tal xa* para engenlio.
Na fundicSo de ferro da ra do Brom,
acaba-se de reeeber um completo sortimen-
tode taixas de a 8 palmos de bocea as
qnaos acham-se a venda por preco com-
modo e com promptidSo embarcam-se,
uu carregam-se em carros sem despezas ao
comprador.
Deposito de potassa e cal
Vende-se muito nova e superior potassa
ecal *irgem de Lisboa, em pedra : ludo em
barris pequeos de arrobas, por preco ra-
soavel: na roa da Cadeia do Recite, n. 12,
armazem.
Cbapos de palba para hornern.
Vendem-se finissimos chapeos de palba
de Italia, pelo diminuto preco de 9,000 rs. :
na ra do Queimado, loja de roiudezas, jun-
to a de cera, o. 33.
tfequiies.
Vendem-se bonitos requintes para enfei-
tes de vestidos de senhora, por precos que
agradan) tas compradores : na ra do Quei-
mado, loja de miudezas, junio de cera,
n. 33.
--Na casa de modas francezas de Mada-
ma Milk'Cbau, no Aterro-da Boa-Visla, n. 1,
recebeu-se novamente nm rico smtimento
de bordados de todas as qualidades, goli-
nbas de cambraia e fil, romeiios, cabe-
cees, colerinhos, caniistnha?, mangas e
ii.aimuiiis modo nova, fil liso e bordado,
ramhrBia lisa e bordada, lencos de cam-
in i de 1 i i, to bordados, buba ios e ntre-
melos de cambraia bordada: tudose ven-
de muito em cont.
Vendem-se dous prelos pecas para car-
regarem palanqun), servirema u.na casa e
g a u harem na ra, por darein 640 rs. por
din : na ra do Coilegio, n. 31, primeiro
andar, se dir quem vende
Vende-se um preto de bonita figura,
bom ollicial de pedreiro, e he de boa con-
ducta ; urna mulata de 18 annos, com um
filho mulatinho de 2 annos, a qual corta e
faz um vestido de senhora, corta e faz urna
camisa de hornern, engomma com perfeicSo,
he muito fiel e nfio lem vicios, o que se
afiauca : na ra larga do Rozarlo, n. 48, pri-
meiro andar.
Ka ra .\oia, n. 2, atrs da
matriz,
vendem-se jarros de porcellana para flores
naluraes ; mangas para casticaes com p
de vidro lapidado ; lanternas de p de vi-
dru ; ditas de p de casquinha ingleza lina;
candieiro de corea para sala; ditos de
bomba; ditos de corda ; ditos para exu-
dantes ; sapatOes de couro de lustro, forma
ingleza ; bengalas Unas; cliaruleias, per-
fumarlas ; Iuvas de pellica de cores; ditas
de algodSo de cores ; sapaloa de setini
bri-nco ; dilos de lustio ; ditos de marro-
quiru ; ditos de duraque; botina gaspeados
para senhora e meninas ; chinelas de tape-
te e marroquim : ludo barato a dinheiro
a vista e fiado nada.
-- Na casa de modas franceas de Mada-
ma Millochau. no Aterro-da-Boa-Viata, n.
1, alm de um lindo sorlimento de chapeos
de seda e de palba, recebeu-se um soni-
mentode capotiuhos e manteletes de seda
e de fil, e cbapos de palha da ultima mo-
da, para montana, e de goalo amazona de
Paria.
A 10,000 rs. o par.
Vendem-se csstiscaes de casquinha com
manga, pelo diminuto preco de 10,000 rs. o
par : na ra Nova, n. 8, atrs da matriz.
Vende-se uma porcode ce-
vadinha de aoperior qualidade : na ra do
Trapiche, n. 3, armazem de C. J. Astley &
Companhia.
Vendem-se oculoa de aro de ac fino,
e vidro branco, para todas as idades ; dilos
de vidro verde e azucara ler de ooile, ou
cura de olhos, por ser de vidraca ; lonetas
de um e dous vidro*, para augmentar os
objsctos, a que os iTsSptes choi.iu peo-
cener, do ultimo gosto : estas lonetas fe-
chadas aervem de microscopios para verifi-
car cdulas e outros objectos qu a vista
nSo alcanca ; putseiraa .ouradas com pe-
ultima moda ; finissimos lapis em qualida-
le ; gargantilhas pretas ; medidas de mar-
roquim para alfaiate; facas e garlos de
cabo de chifre deviado, ao uso do bom tom
le Londres;>ditas de balanco, cabos de mar-
lim ; finissimas meias para senhoras ; cai-
vetes ; machinas que de uma s vez apa-
ram perfeitamente uma penna ; e oulras
umitas miudezas chegadas recentemente :
na ra larga do Rozario, n. 35, loja do Lody.
O nntlgo baratclrodo Passelo-Fu.
Mico, loja n. 11, de Flrinlano
Jos Rodrigues Ferreira. nn.
milicia as segulntes fazendas :
pannos finos pretos muito superiores; ditos
azues ; marinos superiores; setim preto
de Maco; ditos de cores; gorgorees de se-
da para colletes ; riscados monatros ; cas-
sa-chita ; castores ; brins trancados; cha-
les de 18a e seda ; dilos de tarlatana ,- cam-
braiaslisas muito baratas; alpacas; prince-
sas, lilas finas; chitas ; madapoloes ; e ou-
tras muitas fazendas que as vender* por
precos que agradarflo aos bona freguezes de
dinheiro a vista, por ser o lempo proprio
para taes compras.
Vende-se bonitos es era vos e
escravas de ioa a5 annos : na ra
das Larangeira?, n. i/i, segundo
andar.
Farinha de mandioca.
Vende-ee farinha de S.-Catha-
rlim. milito superior ; a bordo do1
brigue Coneeicao. fuirlcntlo de-
fronte do trapiche do ulgodo,
por preco mais commodo do que
em ontra qualquer parte, ou a
fallar com Manoel Alves Guerra
Jnior.
flffffffWffflWNMf
De ponto da fabrica de^
% lodosos Santos, na *
it:kii; a- Vende-se, em casa de Domingos AI-<
ves Malheus, na ra da Cruz, n. 52,J
*pnmeiro andar, algodSo trancado da-*
aquella fabrica, muito proprio para sac-^
j^cos e roupa de escravos; liem ciiio^
^lio proprio para redes de pescare pa-.*
ja-vios para velas, por preco commodo.^
iA**
Vendem-se ricos manteletes de gro
de aples ; rhamalote preto e de corea ;
cassas francezas muito fina, desechos no-
vos e cores, fizas, a 720 rs. a vara ; chitas
francezas de cores seguras, e que nSo en-
gaan), a 320 rs. ocovado ; cortes de ves-
tidos de cambraia com a frente bordada, a
7,000 rs.; chales, mantas e lencos de seda
com franja, de muitas variedades de gostos
e precos que agradam ; alpaca escoceza
imitando seds.com 4 palmos de largura, a
400 rs.; vestidos de seda os uials modernos,
brancos e de cores; um completo sorti-
mento de casemirasde gostos modernos, a
5,000 e 7,000 rs.; cortes de colletes de vel-
ludo, gorgurSo, seda com flores, ede sarja,
proprios para casameulos ; lencos de sarja
lavrada brancas para grvalas; lenfos de
cores de primoroso gosto; caca prela ; cha-
peos do pello de seda, de bonitaa formas ;
ditos de merino prelos e muito linos alm
destss outras muitas fazendas que se veu-
pem a lodo preco: na ra do Crespo, n.
12, loja de Jos da Silva'Campos 4 C,
Vende-se, na ra do Vigario n. II, ar-
mazem de Francisco Alves da Cuoha, os se-.
guintes gneros, lodos de superior quali-
dade, e por menos preco do que em oulra
qualquer parle ; azeilonas em ancoretas, vi-
nho do Porto em barris de difl'erentes ta-
mnnhos, cevada, cal virgen) de Lisboa, ar-
cos para pipas e barris, fio porrele, relroz
deSiqi.eira, cha de San-Paulo, canaslraa
com albos e ditas com rolbas.
Na ra da Cadeia-Velha, primeiro an-
dar da casa n. 24, de Manoel Antonio da Sil
va Anlunes, vende-se um rico sorliraenlo
de chapeos de palha de Italia,aberlos, para
senhoras; camizetas de cambraia, coleri-
nhos, romeiras, manguitos, nimbos, ludo
excelentemente bordado, bicos finissimos,
ricas litas, e outros objecli'S de gosto; bem
como um completo sortimenlode fazendas .
ludo se vende por precoa muitos rasuaveis
Chapeos de sol para senhoras.
Vendem-se cbapos de sol de seda cotn
franjas, muito ricos, com cabos de marfim
e dos mais modernos. A cidade de Pars,
ra do Collegio, n.4.
Vendem-se chpeos de sol de seda pre-
ta e de cores a 4,500, 5,000 e 5,500 rs. cada
um, com armaciio de baleia e muito bons.
A cidade de Paris, ra do Collegio, n. 4.
Grande soi lmenlo de chapeos de sol
de panno trancado, muito glandes, com ar-
mares de baleia das mais fortes, cabos de
lati e de po, proprios parasennores efe
lores de engenho. A cidade de Paris, ra do
Collegio, n 4
Chapeos de sol de panninho com arma-
f!o de baleia, pelo diminuto preco de 2,000
rs. cada um. A cidade de Pars, ra do Col-
legio, o. 4.
a loja de Moreira & Velloso,
vendem-se lindos toucadores de Jacaranda,
muito proprios para rapazes solteiros, lan-
o pelo qualidade do objecto como pela
commodidade do preco que nlo excede a
4,000 rs. : na ra Nova, n. 8.
Vende-se vinhi. rfn Porto em harria de
qoarto e quinto azeilonas superiores ; ar-
cos para barricas e pipas; farinha de trigo
em barricas e meias ditas ; fio porrete ; ce-
vada; pregos de todas as qualidades,em bar-
ricas ; eniaJas do Porto ; coeiros de algo-
dSo ; relroz fino do Porto : ludo por preco
commodo : na ra do Vigario, n. 11, arma-
zem de Francisco Alves da Cunba.
A 1 $oo o corado.
Na loja n. 3, defronte do neceo do Pei-
xe-Fi lio, vene-se pauno azul, a cinco pa
lacas o covado; casemir encarnada de
duas larguras, a 2,000 rs. o covado
Atobilia.
Vende-e, por preco commodo, uma mo-
bilia, conaislindo em dous pares da lanier-
nas bordadas com ps de vidro, 14 cadeins,
sendo duas de bracos, 1 sof, 2 con so los, 1
mesa redonda, uma cama moderna com cu-
s pfiracasodc : tudc de Jacaranda e mul-
lo bem feito ; Msim como up.'^exceenie
piano verdndeiro patente de Colard & Co-
lard, com um uiacliinismo de nova inven-
go para mudar o teclado em qualro vosea
I
dras, ultimo gosto de Paris; bengalas da !diOeralc* : ldase vende adiuheiro uu a
prazo : ni ra do Rangel, n. 11, de manhSa
al s S horas, e a tarde das 4 em diante.
A 4,000 rs. o par.
Vendem-se sapatOes de lustro
para homem, muito bem feitos, a
4,ooo rs. o par : no Ate/ro-da-
Boa-Vista, n, 58, loja de calcado,
junto a deselleiro.
Vende-se por muito commodo preco,
uma rica secretaria eom estantes para li-
vros, bastante grande, propria para advo-
gado, sendo de amarello e anda nova ; as-
sim como, seis cadeiras e duas mesinbaa
de abrir: na ra estreita do Rozario, n.
28, ultimo andar, das 3 horai da tarda em
diante.
- Vende-aa uma loalha de lavarinto, ten-
do uma pequea parte de panno no mel,
he de bretanha de linbo, ou de esgoiUo fino,
obra muito bem feita, e o lavarinto he de
modelo multo moderno, por preco commo-
do : no BeccoLargo, n. 1, segundo andar,
de maflhttaatai9 boras, e das 3 is 5 da
tarde.
Vendem-se ricos cortes de seda mo-
dernos, furta-edres, tanto lisas como
de listras ede barra ; velludos de co-
res ; merm azul para roupinhos
de meninos : na ra do Crespo, n. 9,
loja de Joto A. C.Guimir3es.
#* t .
Vendem-se,narua da Uoda, armazem
n. 15, meias barricas com cal virgen de
Lisboa, a mais nova que ha no mercado, por
pre(o commodo.
^Rap Paulo Cordeiro :,}
vende-se na ra daCadeia do Itecife, n. 51,
loja de fazendas, la JoSo da Cunba Maga-
IhSes.
Em casa de Me. Calmonte Compa-
nhia, na praca do Corpo-Sanio, n. 11, ha
sempreum sorliment de panno azul de
diversas qualidades, o qual veio de propo-
sito para ser vendido os Sra. olciaes e
mais tropa.
Vendem-se gigos cea cbampaafca
( C C ) a melbor qualidade que vem a es-
te mercado : em casa de Mo. Calmont &
Companhia, na praca do Corpo-Santo, II.
-- Vende-se um excellente cabriole! des-
coberto de bonito molde, anejos fortes e
novos, com cavallo ou sem elle, por pre-
co commodo : na rae do Collegio, n. 16,
primeiro andar.
Doces de todas as qualidades.
vendem-se superiores doces de todas as
qualidades, em barris, e latas com geleia,
por preco commodo, em porcOes e a reta-
iho : na ra da Madre-de-Deo, n. 36, la-
ver na.
Vende-se muito superior vinho da Ma-
deira, a 800 rs. a garrafa ; dito do Porto, a
480 rs.; superior manteiga ingleza, a 640
rs.; dita a 480 rs.; farinha de araruia, a
320 rs. a libra; dita do MaranhSo,a 160 rs.;
banha de porco, a 320 rs. a libra ; toucinho
muito novo, a 200 ra. a libra a verdadeira
genebra de llollanda, a 480 rs,; e outros
muitos gneros por preco rasoavel; no Aler-
ro-da-Boa-Visla, n. 80, taberna defronle
da luia de cera.
l'rczuntos do porto.
de superior qualidade, a 8,000 rs. a arroba :
vendem-ao no armazem de Joaqun) da>
Silva Copas, na ra da Hadro-dc-Do.
Tao de linbo do porto. '
puro nojOes a preco muito commodo: ven-
de-seno armazem do A.V. da Silva Barroca,
na ra da Madre-de-Deos, n. 26.
Borras de ferro,
de muito boa qualidade, e com segredo pa-
ra as abrir : vendem-se na ra da Cruz, n.
10, casa de Kalkmann Irmfios.
Vende-se um sobrado de dous andares
e solio, na ra do Rangel, e outro na ra da
Piaia de um andar, excepto uma parte em
cada uma das referidas casas, perlencente
a oulra pesaos : quem pretender, dirija-se
ra do Passeio, loja n. 91, que se dir
quem vende.
Vende-se cobre em folha par.a forro
de navios, e pregos do snesmo metal: em
casa de Me. Calmont & Companhia, na pra-
ci do Corpo-Santo, n. 11.
Vende-se chumbo de municSo surtido :
em casa de Me. Calmont & Companhia, na
praca do Corpo-Santo, n. II.
Vendem-se cem apolices da companhia
do Beberibe, todas ou em porcOes menores:
na loja de Ignacio Jos da Silva, junto ao
arCo de Samo-Antonio, no cscriplorio da
companhia, e no do caixa da mesma so dir
quem vende.
Grande pechtncha.
- A 4.000 e 5,ooo rs.
Vende-se uma porcSo de cassas francezas
de novos padrOes e de muitas cores, a 400
rs. a vara,e muito finas, a 500 rs. ; ditas
pretas muito filias, a 480 e 560 M. ; fhU''
largas franceas, a 320 rs. o covado :_f,.1'uj*
do Crespo, n. 14, loja de Jos F
Dias.
Ularine Inda
de mimos, em caixinhas pequen"1 UDl.
em porcSo como a relallio ; caf e primei-
rae segunda qualid.dea, feijS' mui.tinho,
encarnado e caboclo, chega^ ltimamen-
te do Rio-de-Janeiro, por pretf Commodo :
na ra da Cadeia do Recite, n. 95, uJf0n-
te do Becco-Largo.
--Vende-se muito barato o bilhar da Ponte-
de cuoa com lodos OS seus perleuccs, c*l6
lulli.r he novo e he dos melhores que ha
nvsta praca : roga-se a qualquar pessoa que
llie couvenha compra-lu dingir-ae a ra da
Madre-de-l)eos,a tratar com Vicente Ferrei-
ra da Cosa que prometi fazer negocio pelo
menos que llie fr lossivel.
A iS960ocrte
Ns loja da ra do Queimado, n. 3, defron-
te do becco do Peixe-Frilo, vendem-se cor-
les de casemir de algodSo, com 3 covados
e mel, pelo baratsimo preco de 1,960
rs-: esta fazenda ho de listras e xadrez, pa-
drees muilo modernos.
*?tffff fC
s> Cunt i us Ue, reverbero
ia> para carros e cabriolis, de dlOe-
a> rentes tainanhos : na ra do Crespo,
'SkU' A A*AAAA<
Vende-se uma prela de nsc2c Nag, de
29a30annos: em Fra-de-Portas, roa do
Pilar, n. 85, segundo andar.
Na ra Augusta, n. II, vende-ae uma
prela, ptima para todo o servtfo de ujna
casa e veuder quitaada.
Vende-ge um relogio de parede novo,
muito bom regulador, por preco commodo;
na ra de (lorias, n. 20.
Q Moderno bom gosto. Q
0 Capotinhose manteletes, sedas lisas O
Q de furta cores, cortes de blonda de (>
Q cor, novo sortimento de parisienses, Q
t lencos de cambraia de linbo borda- 0
dos, ditos liaos eom barra a em cada gv
jT cartaosinho eom estampa cada car- -.
S tflo( cornos lencos j sessbe^pelo z
O diminuto preco de 3,840rs. lencos w
O de garca bonitas cores 1,280 rs. oada C
) um; Iuvas de peliea com borlas de O
O seda, a 1,500 rs. o par; casas trance-
O zes modernas, a 500 580 e 900 rs. a 0
(J vara ; Otas para pescocode Senbora, 0
a 1,000 ra. cada uma : e oulras mol- Q
tas fazendas Unto para senhora co-
mo para bomem,: vende-se na roa
do Crespo, n. 9, loja amnrellado la-
do do soi.
Vende-ee um completo fardamento de
guarda nacional, que est ledo novinho,
por preco commodo ; na raa do Queimado,
n. 92.
Vende-se vinho de ''Jfor-
deauz, de mullo boa qualidade : na ra do
Trapiche, o. 3, armazem de C. i. Astley Ai
Companhia.
Vende-se cobre de fprrd e
pregos de cobre i chumbo em lencol; esta-
nto em barra ; ferro inglaz eaueoo em bar-
ra : na ra do Trapiche, n. S, armazem e
C. i. Astley fc C.
Vendem-se trancas de seda de todas as
cores para enfeilar veatidos ; ditas de algo-
dSo |bicose rendas.francezas de todas as
larguras ; botoesdeseda para vsstidos; bi-
cos de blonde de todas as larguras ; fran-
jas ; ricas fitas para chapeos e cintura; len-
Sds de oambrsia bordados e imprimidos,
ores e caaellas para noivas; ricos enfei-
tes de Iuvas para senhora ; rendas lisas da
seda e de linho ; cambras de seda ; espar-
tanos e cordoes para os dilose para borze-
guies ; filas de linbo e de cassa ; tudo mui-
to em cont : no Aterro-da-Boa-Vista, n. I.
to bonita, que cose, engomma, nozinha, ftz
renda e o mais servieo de uma casa; tem
15 annos: na ra larga do Rozario, n. 85,
loja.
Vende-se um pardo moco'
de bonita figura, proprio para
qualquer servieo: na ra do Cres-
po, n. 16, loja da esquina da ra
das Cruzes.
Na fabrica de carros nos Coe-
IhOM, defronte do hospital novo,
vende-se um cabriolet descoberto, oovo e
cornos pertences tambem novos, do me-
Ihor gosto.
Vendem-se corteada chita e riscados
para vestido, de cores fitas e bons pannos,
a 1,700 e 1.920 rs.: na rus do Queimado,
n. 19, loja.
Vende-se um casal de pavoes, muilo
bonitos, por preco commodo ; no pateo da
S.-Crua, n^padarla.
Ftieid
ravos rugidos
Chap
os.
9
m
i
F"
nclsco
A. Colombier, oom loja na ra Nora, n.
9, atrs da matriz, vende chapeos de castor
brancos, finos e de bonitas formas; ditos
de seda franceza para bomem ; dilos de pa-
lha fina ; ditos de merino preto e branco ;
dita de palha de Manilha ; ditos de renda
branca para senhora; ditos de palha com
tecido de cabello; ditos de pelleninos ; di-
tos de sol, de seds, psra bomem; ditos pa-
ra senhora ; e ditos de panno para bomem.
* #
Na loja do sobrado amarello, nos
qualro-cantos da rus do Queimado, 9
n. 99, vende-ae um grande -sorti-
menlo de corles de vestidos de cam-
bra ia-seda, muilo molernos e nOVOS
gostos; ditos de cambraia branca
com barra borbada e adamascada,
_ tudo por preco muito em cont.
*** !*
-- Vende-te um forte piano do celebre
autor Bwadwood, o mais magnifico ins-
trumento, tanto na eonalrucfSo como as
vozes, que tem vindo a eata cidade: em
casa de/Me. Calmonl & Companhia, na nra-
Ca do Corpo-Sa u lo, u. 11.
Na na ra da Cadeia do Re-
cite, n. 5, loja de miudezas, vendem-sa
trancas pretas e de cores, de todas as lar-
guras, proprias para manteletes e guarni-
eres de vellidos ; bem como aderocos pre-
los para luto, doa mais modernos que teem
chegado de Paris, por mais barato preco do
que em outra qualquer parte.
Para osSrs. alfaites.
Vende-se estopa com alguma avaria, a
80 e 190 rs.: ni ra larga do Rozario, n.
48, primeiro andar.
Alpaca de Ida e seda a 3GO rs. o
covado.
Na loja da ruado Queimado, n. 3, de-
fronle do becco do Peixe-Frilo, vende-se
alpaca de iSa e seda para vestidos de senho-
ras, a 360 rs. o covado : .e'sia fazenda he
tecido de zadrezes de lia e seda, padres
muilo agradareis.
Vendem-se 16 escravos, sendo um bom
carreiro e mestre de purgar; 3 ditos de lo-
do o servieo; 9 mulatinhos de 16 annos ;
2 ditos de lodo 0 servieo de campo ; urna
mulalinha recolhida, del' annos, fue co-
se e engomma ; 2 escrar4* mocas, de boni-
tas figuras, que cosem b5In e engommam ;
5 ditas de lodo o servio: na rus DireiU,
o.S.
~ Vende-se a poe de um terreno de es-
quina, situado re' detra da fundi em
S.-Ama'"> com ao palmo* em uma frente,
',.,.) de5O0em outra, com um grande
viveiro bem povoado de peixe, com 3 ci-
sinhas no centro qne rendem 22,000 rs.: a
tratar em una das casinhasuo mismo sitio
com seu dono que fsr lodo o negocio, tan-
to a dinheiro como a prazo com boaa fir-
mas, visto ter de retirar-se para a Europa
Vende-se um preto de 20 a 22 annos,
bom coziuheiro, e com habilidades neces-
sarias para uma casa de familia, ou homem
aolteiro : as Cinco-Pontas, padaria defron-
te da fortaleza.
r le-se utn carro novo e
muito 64fnt>- com rr,?'n! fara
um ou dous cavados ; aciia-se na
cocheira do Sr. Miguel, no Ater-
ro-da- Boa- Vista
Vendem-se osseguiutes livros : Espirit
de E. ocyclopedio ; Felinto Elysio ; Dic-
cionaire analylique denomie polilique;
Arle potica ; Quintiliano de Soares ; ceu-
vre de J. Rocino, CamOes ; Oberons; Obraa
de Cicero; Mundo primitido; methodo de
violSo ; um lavatorio de mogno com seus
pertences de louca franceza ; 3 bandejas
em bom estado : ns ra do Livramento, n.
7, loja de sapatos.
Vende-se urna caria para bacharel da
academia de Olioda, em muito bom perga-
iiiinho, vinda de encommeuda do llio-de-
Janeiro, juntamente a fila para a mesma :
na ra las cruzes, n. 40.
-- Vende se ssws pret* de nSnf Soni-
madeira, que cozmha o diario de uma ca-
sa, asm vieios ness achaques, e de 18 a 90
annos: no becco daa lioias, no Forle-do-
ilaltos, primeiro sobrado esquerda.
Veade-se uma mulaliuha escura, mui-
Fagio, no dia 26 do correte, orna pre
la erioula, de nome Benedicta, que repre-
senta ter 30 annos pouco mais ou menos ;
he arta, cara comprida : tem debaixo do
Sueixo esquerdo urna' marca proveniente
e um dente; e uma veis rmpolada em urna
perna, os denles da frente podres; falla
bem ; levou vestido de chite amarella, e
um panno da Costa usado : quem a pegar
lleve-a a Fora-de-Portas, roa do Pilar, n.
145, que ser gratificado.
No dia 94 do corrente, fugio, do enge-
nho Cajabu9, freguezia do Cabo, o negro
Jaclntho, de 30 annos, cabellos vermelhos,
bstanle alto e bem parecido ; tem muitas
cicatrizes pelss costas e no sssento ; he bem
fallante, e natural do aerllo ; sabe milito o
centro da provincia ; descclnfla-se ter Ido
para l ; levou todi a roupa que tlnha, uma
jede e um faeno no quaito : quem o pegar
leve-o ao mesmo engenho, ou no Recite, no
Aterro-da-Boa-Vista, n. #3, OU na freguezia
de Cimbres, na fazenda Caianinha, ou Cra-
vati, que seta generosamente gratificado.
--Fugio, ha dias, do sitio do Cajueiro, um
preto de neme Antonio, de estatura regu-
lar, cara redonda e com algumas eseinhas,
olhos um pouco vern el boa ; he cozinheno,
ladino,e falla a maneira doa embarcedis-
sos: quem o pegar leve-o o dito sitio,
que ser gratificado.
Acha-se fgido desde setembro do au-
no paseado, um negro da Costa, de aome
Victoriuo, official carpira, que representa
ler 30 anuos, com tainos no resto, uso de
sua ierra ; consta andarlrabalhando oc-
euMo em algumas obras, inlitulando-se for-
ro : este escravo foi da fallecida D. Maria-
na Thereza de Jess Siqueira. Roga-se as
autoridades polieiaes ecapitaes de campo,
que o apprehendam e levem-no defronle
de*. Francisco, n, 7, por cima de cochei-
ra do Sr. Frederico.
No dia 99 do corrente, fugio um escra-
vo crioulo, de nome Luiz, representa ter
40 annos, cara redonda, pouca barba, sendo
a do queixo branca, puxa om pouco por
uma perna, de estatura regular ; levi-u ca-
misa e calcas de algodfio azul, chapeo pre-
to usado. Roga-se as autoridades polieiaes
ecapittesde carneo, que o aprehndame
levem-no ao Corredor-do-Bispo, no sitio do
nado/ Manoel de, C-arvalho, que serto gra-
tificados, i.
No dia 29 do corrente. a nolte, fugio
uma negra de nacSo, de nome GerUudes, de
eatatorr regular, clieia do corpo, cor fula ;
lem a letlra P no braco esquerdo e os ps
apapagaiados : quem a pegar leve-a ra
da Florentina, n. 1, que ser gratificado.
Sabbado, 21 do corrente, fugio uma
prela d nacoCalabar, de mais de 50 an-
nos, de nome Maria Cajueira, baixa, cara
redonda, pernas alguma cousa arqueadas,
bocea alguma cousa torta de beber cachim-
bo; quando anda he sacudida ; he muilo
falladeira ; levou vestido de chita de ramos
encarnados, panno da Coala azul e branco,
bracos e pernas fovelras ; andava venden-
do feijUo de coco. Roga-se a 'todas as auto-
ridades polieiaes e espilles de esmpo, que
a aprehendan) e levem-na a Trempe, sobra-
do, n. 1, que tem vende por baixo, que se-
rio gratificados.
3OO,?000.
Fugiram de bordo do brigue
Sem-Par, vindo do Kio-de-Janei-
ro, dous escravos, sendo um de
nome wlmio, de cor parda, esta-
tura regdla4r.de'ao annos pouco
mais ou menos ; levou caifas e
camisa azues, e bonete encarnado:
o outro de nome Euzebio, criou-
lo, de 2.4 aunes ponco mais ou
menos, estatura alia; levou calcas,
camisa e bonete azues. Roga-se as
autoridades polieiaes e capites de
campo, que os apprehendam e le- ,
vem-nos ruado Trapiche, n. 34,
casa de Novaes & Companhia, que
recompensar.
No njar" maio, pela festa do Espiri-
t0_stT fugio, do engenho Utlnga-ie-
SS; r.c-rc ds ..** T*==:, ;!!o.
grossura regular, cor bastante preta, olhoa
afurnscados, car* um tanto comprida, per-
nas meias cmbalas, lano que parece que
puxa por uma, pea meioa apsIheUdoa; he
muito ligeiro no andar; lia crioulo ; re-
presenta ter 20 a 25 annos; be muito rne-
torico : este escravo fol comprado aos her-
deiroa do fallecido Aolonio Leocadio I ais
Brrelo, por escriptura que oa mesmos ti-
zareis a Joequim da Silva Costa, e a seu
fallecido pai, Jus Alves de Castro quem o
pegar leve-oso referido Costa, em dito aii-
enlio Utiniia-de-uaixo, ou r.esta praca, a
genlio Ulinga-ile-ilai...,
Manoel Ignacio de Otiveirs, na praca ao
Commercio, n. 6, primeiro andar.
EUR ATAS. .
Na puhlieecio da senlenca do Diano o
hornern eaploe- Wa-ea espllea; 10 -
!.-:s ss de ; trids4or-|ei*-se tentador P-
rente- leia-se presente ;eranea- lea-a
crenca ; existi leia-ae ,acisuo.
F.ajc. : a* trr. mu. r. r*au. W
U II T


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EC2SRDF2Q_BSTTU9 INGEST_TIME 2013-04-24T20:15:27Z PACKAGE AA00011611_07023
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES