Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07018


This item is only available as the following downloads:


Full Text
innft XXVI
Se
gunda-
ferra
vArttoa* no oomarnt1.
Goinna e Parahlba, saguudas e jla feiras.
Rln-Grande-do-Norte, quinta* feiras aomeio-
Cabo, Scrinhaem, RIo-Formoio, Porto-Calvo
e Macei, ao I.', a II, e 21 de cadam ex.
Garanbuns r Bonito, a 8 e 23.
Boa-Vista c Flores, a 13 e 28.
Victoria, as quintas felra*.
Ollnda, todo* o das
aaaaMj
Hot*. a 6. 3 h. e O ni. da ni.
Creac. al.3, *8h.eltn. da m.
Chela, a2l,**10h.e2lro. da rn.
Mrag.*28, 7 h. e 33m.dat.
i mon.
Primeira as 6 horas e 45 minutos da manhaa.
Segunda as 7 lio ras e 18 minuto) da tarde.
de Setembro de 1850.
N. 214
wmt.qox da aoiieii>pAo.
Por tres mezei (adiealados) 4/O00
Porseismezes Hfivw
Por uih anuo ____ 15^)00
ZaUt*K"AM4-ti siaaai
VAS DA IIi"
23 Sel. 3- Uno. Aud. do J. dos or. e m. da 1. r.
24 Tcr$. N. S. daa Noves. And. do chae, do J. da
1. v. do civ. e do dos feltos da fazenda.
25 Quart. S. Firmino. Aud. do /.da 2. v. do clvel.
26 Quint S. Cyprlano. Aud. do J. dos orf. edo m.
di I. r.
27 Sett. St. Cosme e Damin. Aud. do J. da 1. v.
e do dos frito* da fazenda. '
88 Sab. S. Venceslao. And. da Chae, e do J. da 2.
v. crlnte.
29 Dom. S. Miguel Archaojo.
i i attsi m ii*ttso*aM*M*tM*star*
CAMBIOS XM 11 BX SETIMBBO.
Sobre Lodros. a i8 /> d. por 1/000 rt. a 60 das.
Pari, 346.
Lisboa, 100 por eento.
Owro.Otrcas hesiianhoea.........28/000 a 38/500
MoedaadeBfMOOvelhas.. 16MO0 a 16/300
. de 6>4d oras .. 16/100 a 16f 20P
. de 4/800........... 9/100* /20
Pral*.Patac5esbrailelrca..... l#fc0 1/880
tesos cc-lirmnarioS....... 1/960 a 1/980
Ditos meticanos.......... 1/800 a 1/820
^^BBMBkiaBjstsaaMasiaBViaBBniaBKtMr^*--*..*,
.-7,Wi..sng
PARTE FFICAL
! GOVERNODA PROVINCIA.
| EXPEDIENTE DO DIA18 M! 8ETEHBRO.
Glicto.-Ao marechal commamUnte da*
rmrs;-lllm.efixm.Sr.-fevolvendo V
o'cfrelo *n>edWo as1gddo pelo com-
andante do fotte da Glb, a que ge refere
seu cidlcio datado de hontem, tnho a de-
Israr-lheem reap'oata que pode V, Exc. au-
orisar o t< ferido commandanlo a mandar
niidua r ool locar do lugar era ario asee-
ro de bandeira do mesrno forte, remellen
me a eonta da mesoia que se houvar de
7nr com esse trabalho para ser salisfeiti
Dito. A0 director do arsenaldeguerr.-
enlo em'visla o ofllcio que me dirigi o
nspectpr da pagadura militar com data V
3 do correle, representando a convenien-
is de se dar sahida ao carluxame embalado
ue Vmc. foroeceu, enVeonseqnenci de or-
en* deste governo aos individuos mencio-
ado na relajo jonta, o qul tem repre-
entado at o presente nos batneos da pol-
ora dease arsenal como saldo existente na
mrortancia (Je 19:984,960 ria ordeno
Vmc. que d cprao deapeta oofls'umada o re-
ferido esHuxame, fim de que essa snmirm
ifio flBure-rhlp nacfanttisilor1iquldar di
nencionada plvora!
DitoAo inspector da pagadorin militar.
ArcUSMdo recebido codicio de 13 do enr-
reirte efn que Vmc. representa a necesslda-
de des-e dar sahida cotao>despeza consuma,
da ao cirtuxame embalado, deque trata a
re lar; So que scompanhono citado ofllcio, n
iunl (elido sido fornecido pelo director do
rsenal de guerra diversas autoridades e
fpessoas, em' coosetjtjencia de ordens deste
gorerno, flgora noi-balsncos da plvora
daquelle orsenal romo-saldo exestenln na
importancia de 19:914,200 rs; tenho a decla-
rar-lhe em respoita que expedi ordem ao
referido director para dar sahida a esse car-
tnxsme pela forma que Vmc. propoz em o
dito ofllcio.
Dito.Ao coronel AgUitlrrho Bezerra da
Silva Cavsleanti.Parifqueeu possa resot-
velver sobre as duvidas que aprtaenta o
inspector da pagadoria militar no incluso
oniclo'dataUod3o'le'sgosto-ulllmo, para
nfin levar em conla ao er-delegado do Cano
Jos Francisco do Reg Barros,* quanlia de
304,056 res, que est despenden com o foi
nen niento de carne e farinh* feito, segun-
do as rontas juntas, ao major Adelo An-
tonio de Moraes, querido commandava o
primeiro liatilhXn da guarda nacional densa.
freguzia cunipre que Vme. me informe a
respeito com a possivol brevidade.
portara .-O Sr commandante do patacho
I'irapiwut, entregue ao commandante da
fortaleza du brum o preso poltico que eon-
duzio a seu burdo Antonio Correia Pessoa
Je Mello ; e bem nssim a esto os olvclos que
com elle vieran) d* tilia de 'Fernando,
Dita.Au commandante da fortaleza do
llrum/ordendtido qu- mande receber 'bor-
do do patac'he PirapnMa, e conserve na
mesrpA fortaleza o preso "poltco Antonio
Corria Piatsds de Mello.
ideh'dodiais.
Ofllcio.Ao Exm. presidente das Alagoas.
remetiendo para uso daquella provincia.a
Humas laminas de puz vaccnico, das que
fram'remeUidas de-Londres por intermedio
du cnsul geral do Brasil em l.isbd.Igual
remessa se fez aos Exnis. presidentes da Pa-
rahthe. Cear, ttio-Orande do norte e Mara-
nlrso e ao presidente do conselho geral de
sarabridade.
Dito.Ao Exm. commandante das armas,
devolvndo os re^uerimentos dos cabo
loldado do segundo batalhSo de catadores;
!e uaquim, quo tendo liiidao o seu teotpo d^
ajiraga, se offerecerarh para continuar n
iu servido da exercllo, pruvenindo-o de qu
em arhilrado aoprinieiru, a grat:licac.3u de
170,000 res, eao segundo de 180,000 ris,
iari'Ibes ser paga 50,000 ris a visto, e o
resto em jlrstgoes tnensaes de 10,000 rs
--Ncsl sentido ollciou-se >o inspector da
pagaJorls militar.
Portara.Ordenando ao commandante
da fortaleza doBuin, que ponha em lib'er-
dade o recruta Korboito Ferroira Careta.
.'.' .' '" *L-
Comninndo das armas.
guarid general na cidadt do Rceift, asi 22 di
ttlembra di 1850.
i '. (ini.FM iin ni* m o
O marechal de campo graduado cominan-
Blame das armas, em visia da parle que I lie en-
leressou ndala de bontem o .^r. tcnenle-co-
oael rommaniante do segundo batalhSo de
bafadores e do que se acha dlspostn no .litigo
i rceiro da le i de 26 de inaio de 1835, declara
Duzenle por eaceaso de llcinca o Sr. capiao do
i ferido baiilho aeguudo Francisco Antonia.
le Souza L'ainisio.
Antonia Corra Sera.
EDITA L.
D'ordem o Sr. marechal de campo gradua-
do Antonio Corra Seara, comjafattllat'le das ar-
ma dcfla provincia, e pssp o'ia JV*1"'''0 no-
rtigo priinciro da IciTdc 26 de inaio de 1835, se
" saber ao Sr. ca/pilao Francisco Antonio d
'mu.i Caiiaoyo segundo batalhSo de caca-
ilorrs, qutttirfoniia determinada lio artigo ter-
c'irD,^arW de dous meses, visto ter escedido a
ipa qoa leve per aviso do ministerio -da
KUtrra de }3d attrj! d- ?.r,nla auno.
J rancheo Carloi Bueno Vitthampt,
(iftpitBo ajudaate de ordena.
TRIBUNAL DA RELACAO'.
SESSAC' DE 20 DE SRTEMBRO DE 1850.
raMinaxcu do ixk. satino coa-
. SKLHKinO AZKVBD0.
i A's 10 horas da manhta, acbando-se presen-
:$ os Sra. deembargad9res Ramos, Villares,
stos, Leo, Souza, Rabello, Luna Freir e
Talles, faltando com cania o Sr. desembarga-
dor Ponce, o Sr. presiden declara abarla a
aessao,
IDLOlHEiraBe.
Habeat-corpui.
"M e-Gso'tnra G*i"' ^"''ft"
Ri-carto crinu.
Recrreme, o juixo de direitn da cldade da For-
taleza recorrido, Jos Andr de Ollvelra
pigueiredo e outros. Reforrasram o deipa-
tho de que se recorreu. quanto a ot An-
dr de Ollvelra Flgueireo a qutin pronun-
cian!.
AfftUtit t-if.
Appellante, o Dr. Joao Ferreira da Silva; appel-
lados, Caelano Pinto de Veras e outros.
Continuaran! asenteoja.
Appellante, Anna Joaqni oa da Silva Aarrelo ;
a ppellada. Msxla Joaqun a doa Anjos. -- Jul-
garaoi nulloo proce-so de esecujao.
muciacn i.
Appellante, Jos Feij de Merlo; appellado, Jo-
s Gabriel de Moraes Mayer. Mandarain
rednsir a desistencia a lea o e que lato feito
TollasMn os autos.
Appellante, a administrado do patrimonio dos
rphos delta cldade ; appellado, Fillppe Mc-
aa Calado da Foftseca. Mandaran! ouvlr o
curador geral e ao Sr. descm bargador pro-
curador da cora.
Appellante. Joanna Francisca Alejandrina ; ap-
pellada, llaria Francisca de Santa Aana. O
felator inandou que decessem liara o car-
torio.
ni Appellante, Elias Coelho Cintra ; appellado,
PomingoaCaldaa Pires Ferreira.
Appellante, Poum|eau ; appellao<, F. Polvler.
ppr liante e appellado, Benlo Jos da Costa e
Jos Joaqulin bezerra Cavalcanie.
Appellante, Anua Kllsabet Adelle Poeraon ap,
pelladojArlbnoS. Martin.
Aapellantrs, Johrlatqn Paterdi C. eoutroi; apv
|ielfado>i Manoel d Suia Guiuaraes.
aivudis.
Pauaratn do Sr. deeembargador ,
Sr. desembargadorvlllare as aegulnti
laeo em que sao :
(enante, Jos Andr de Olivdra rigueiredo.-
irllados, Franeiae* Manoel daa Cbagai e
utros.
^apellante, Calharlua Frnn9laea do Espirito
Kdio; appellado, Jo I.eile de Asevedo.
Xppellante, Mara Helena Pessoa de Mello ; ap
pellada, Catbarina Francisca do Espirito
Sanio.
i'assaram do Sr. deaambargador Villares ao
Sr. deaembargador baatoa as seguintea appel
lardes em que sao ;
Appellante, Antonio Gomes Villar; appellado,
Joo Pir'es Ferreira.
Appellente, o juito ; appellada, Francisca Ma-
" .-(
Panoli do Sr. desembargador Gastos ao Sr,
desembargador Leo a seguate appelU(o em
que sao: .
Appellan te, Marcelllno Jos Lopes appellado;
Francisco Joao Carnelro da Oanha,
Passaram do Sr. desembargador Leo ao Sr,
desembargador Soma as aeguintes appellacdes
em que s|o :
Appellante, Luisa Francisca da Conceifo; ap-
pellado, Antonio bernardino dos liis.
Appellante, Mauoel do Amparo Caj appella-
do, Joao Frederlco de Abril Reg.
Pasin du Sr. desembargador Souza ao Sr.
Jesemarsador Rabello a seguintc appellaco
em que sao ; .
Appellaiites, Raphael Antonio Coelho e oulra ;
appellada, Mariana Theodoro Coelho.
Panou do Sr. desembargador Luna Freir ao
Sr. desembarguor Telles a segulute appella-
9io em que saeJT
Appellante, Iebacla Thomaila do Sacramento
appelMdo^dei Ferreira de Ollvelra Da*'
Passararf/do St. desembargador Rabello ao
Sr. deslrfbargador Luna Freir as aeguintes
appellasa Pm que ,a;
Appella'tue, a promotor publico do Rio-Fonno-
o; ppelladoi, Antonio Joaquim de Mello
e.*ii* e otitro.
Appellante, f. Poivier; anpelUdo, Paumateau.
AppelUutes, Marcellino Jo> de Queiroz e ou-
tros ; appellado, Elias Francisco dSampaio.
Appellante,' o Julio da fazenda do Cear ; ap-
Pfllaflo, Cosme da Hocba Bezerra e outros.
''4'aranj do Sr. dejrmbarBador Trlles ao Sr.
de*fiVl,J.ador Ramos' as seguintea appella-
deaVij que SSo
leitoros om qusnlos diss chegarSo as cartas
as prscas cima mencionadas, o prazo den-
tro do qual deverflo ella* ser respondidas e
o tempo que levarSo os paquetes em vollar i
Inglaterra:
, a -
ZJ
a
o
t
i
Gis -
sea
- Dias.
Baha 2l|4
Buenos-Ayres 38
Lisboa 4I|2
Madeira 8 1|4
Montevideo 36l|4
Pernambuco 23
Rlo-de-Jaheiro28 3|4
S. Vicente 14
Teneriffe 10
17
16
4
35
43
Da.
2 3|4
92 3|4
82 3|4
62 3|4
62 3|4
62 3|4
623|4
Como as communicacoes por paquete*
'le rapor So frequentes entre este paiz
e Lisboa directamente, e entre este paiz
e Madeira indirectamente, n9o he neces-
sario que mencionemos, nem pra-
so dentro do qual deverSo ser respon li-
des as cartas remettdas pelos vapores da
companhia das Indias OcciJentas, nem o
tenipo que estes deverSo gastar para vollar
Inglaterra.
Actualmente a communica;3o entre este
paiz, o brasil e Buenos-Ayres, faz-so ptu
meio de paquetes de vela que partem do
Falmouth e voIlaTi para este mesmo porto.
As cartas por elles transportadas, levam de
50a 70 das para chegarem ao Rio-de-Janei-
ro e Buenos Ayres, andando por perto de
quatro mezes, o lempo que ellas gastam
para vollar do primeiro porto.e por mais de
cinco oque levam para voltardo segundo.
I'or causa dos ventos este* paquetes s-
mesite na ida pdera tocar na Madeira e as
Canarias. Erh seis mezes do anuo elles nSo
pdeui tucw em Pernambuco senSo na ida,
j nos uutrds seis nSo o pJem fazersenSo
fia volta. Partido de Falmouth, ellea oBo
passam alm do liio-de-Janeiro, e he um ps
u,note filial tambem de vela, que lera as car-
las desse porto para o de Buenos-Ayres, e
as Iras deate para aquello, oqueobtigao
paquete principal a esperar quatorze das
no (lio, al chegarem areapoMfs das cartas
levada pelos paquetes precedentes.
O paquete de vapor da Soulhampton,
tambera s ebegara at o np-de-Janeiro, e
as malas serSo levadas ao Rio-da-Prata, por
um paquete lilis 1 igualmente de vapor, n
que permitlir ao paquete principal partir
logo depois de oitu dias smente de demora
com asrespo&tas des cartas levadas pelos
paquetes precedentes.
A vantagem que os novos arranjamentos
para acomtnunicacSo por artas entre este
paiz, o Brasil e o Uio-da-Prata levam aos
acluaes, consiste ua immensa redcelo do
tumpo gasto pelos paquete* em suas vis-
gana, no esta lie lee i meato ds communica-
c3o com a Madeira, as Canarias, Babia e
Pernambuco tanto na ida como na viada
dos mesaos, no estabelecimenlo d* cft>
mjunica(fio com o Cabo-Verde, communca-
A PRIMEIRA COMMIINHA'O DO CONDE
DE PARS.
A primeira communhSo do conde de Pa-
rs, teve lugar sabbado pela manhfial 20
dejulho) na capella catholica franceza si-
tuada em Kinq-ttreet ( ra real). Monsenhor
Wiseman, bispo catholico romano de Lon-
dres ofliciou pessoalmente, sendo assiatido
pelos abbades Mailly e Coelle. Elle mesmo
administran a comniunhSo ao joven prin-
cipe. O ex-rei, a rainha Mara Amelia, a do-
queza de Orleans e todos os tnembros da
real familia estiveram presentes, e bem as-
sim um numero consideravel de amigos di-
dcadoa, muitoado* quae* vieram de Fran-
ca de proposito para nesta occasiSo mani-
Testarem soa sy npatbia e respeito pelos
Ilustres exilados.
Ao sahirem da capella, o ex-rei a rainha,
e a duqueza de Orleans forsm cumprimen-
tados por urna numeross assembla com-
posta assim de francezes como de inglezes,
os quses nfio linham podido conseguir en
trsr dentro do acaohado recinto da greja
Pelas duas horas urna missa foi oulra vez
celebrada, assistindo a ella urna assembla
igualmente distinctao numerosa.
Tablet.
Detpeza.
Ordenados n. 11
Alugueldo psro, n. 3
Expediente n. 7
Jury, n. Ifl
Cus'tas criminaes ns. C e 7
i.uzes para a cadeia, n. 2
Limpeza das ras, n. 110
lventuaes, ns. 69 a 97
Extraordinaria, n. 13
Saldo a favor da recolta
ftai''
851,024
78,888
20,120
13,780
169.658
129.000
7,840
514.500
200,000'
387,021
2.371,931
Caleamenlo dos paltos do Carmo.
PrrlYJlYBUCG
BaftsU
Antonio Augusto de Souza Pinto, de Bernar-
Qo que lia de aer de grande mpurtaocia do Jos Lcitflo.de Francisco do Barros Cor-
*PP*I inte, o juito; appellado, Pedrs d'Alcan-
taraaoUaacimento.
Apoelllnie, Joaquim Pereira ilouiem appel-
'"'','s\jo' Leopoldo da Silva e outroa.
Aj,j,r,Uie, .Vianoei uiuniu uomes iciv
apl'ellkdo, Jos Ignacio de Barros Lelte.
Disraiaaicoss,
AoSr.UetembargadorVillatc* a seguate ap-
pclla9o*niqae sao:
AjipelUntc, o julzo; appellada, Mara Fran-
iscavJ
Ao Sr. duembargador Telles a seguintc ap-
p^llacSoer) rfne ito:
Appellante,! Miguel Jos da Silva; appellado,
Jos Gom#s Morelra.
'l>yanlo4e a sessao depois do uleio da.
EjXTCRIO^.
lU)MNW,ICAfA POR PAQUETES DE VA-
POtt ENTttfi A IfSGLATERItA B.0 BitASIL.
Liverponl, 29 di julho U 1850.
A datar de 9 ue Janeiro do anuo p. futuro,
ser ebtabalecida pela comMutiia real dos
paquetes de vapor da* inilias (iccidnntae*.
Jan. compiunicsQo potfeaquetea de vapor
entre Soulliamptun, o Brasil e Bueuos-Ay.
res, via Lisboa, Madeira/Tenerffe, S. Vicen-
te, Pernambuco, Bahil, Itio-de-Janeiro e
AlouUvido. Pelo seguate mappa verlo os
pira as oossas relscOes com, a frica mcr-
ilional, u finalmenlente no quasi um forme
lempo gasto pelos paquetes em suas viagen*
ssim de ida como de inda.
Presentemente os paquetes de vela, p-
dm em geral fazer urna ba viagetn na ida,
porquanlu leem os veulos em seu favor, po-
rm na vinda elles veeraae na necessidsde
de fazer-se muilo ao norte-para o lim de
evitar durante quasloda a viagen) un ven-
to forte que Ule he contrario, que os obriga
atirante urna grande paite do anuo a voltar
directamente do Rio paraestepaz, sen te-
car em neiihuma das pravas intermedias.
Cuslou alguma cousa companhia das
Indias Occidentaes, o effeituar arranja-
menlos taes que permettiasem aos seus na-
vios vollar do Rio-de-Janeiro locando nos
meamos portos, nos quaes, linam locado
na ida, purianao ha duvida de que a dilll-
cel lad seracomplelameole vencida pelo
estaleviuieiilo de depsitos de carvlo em S
Vicente e Madeira, particularmente em S.
Vicente.
A distancia do Rio-de-Janeiro a S. Vi-
cente, anda por 2,700 millias, entretanto os
vapores qae nflo de ser enipreguuo,p^dor.',u
carregar earvQosufliciento para urna viagem
o y,,.:,. Je *,000 miltias. ^i/muiii en-
[Hro S. Vicente e a Male ira, n3o excede mui-
lo de 1,000 milhas, porlantu no he muilo
para reciar-se que os vapores venbam a li-
car seni carvo qualqner que seja o lempo
que possaai expeiimemar.
lima da* vautagens do novo regulamen-
la consiste em proporcionar elle a este
pkiz um rneio addiclonal do comraonica-
(lo com Lisboa, po.-to que nSo fosse este
o escopo da companhia, decidindo que us
paquetes tocaran] naquell" porto. Seu Un
(O principa Imenteassegurar o trafico entre
Portugal o o Brasil, o qual deveri ser mu
consideravel e lucrativo nas viagens que os
piquetes lizerem vollaudo a este paiz; va-
la a certeza e rapidez com que elais sorilu
e Teituadas.
os
epi Soutiampton
Ctetu vapor* serio esipregsHos ueste
sarvico.'
Mercantil! aulle.
i paquetes de vapor brasileiros estarfio
ioutliampton*1tlO mez.
CMARA MUNICIPAL DO RKCIFE.
5.a SlSSAfl OaulVARU DE 18 OE SETBMBBO
DE 1850.
Presidencia doSr. Oliveira.
Presentes os Srs. Mamada, Carneiro Mon-
teiro, Moraes, Vanna e Pires Ferreira, a-
brio-se a sesslo, o foi lida o approvada a
acta da antecedente.
Foi lid o seguinte expediente :
Um ofllcio ilo subdelegado dobairro do
Recife. dizendo que, a ainan mandasse
receber delle a quanlia de 60,000 rs. de
-nuil.1, em que con ieuinara a Jos Antonio
de MazalhJtea Bastos, por julga-lo incursn
no artigo 132 do cdigo penal. Que o
procurailor recebesse dita multa e se parli-
cirjasse ao contador para debla-lo.
Outro dn contador desla cmara, parti-
cipando achur-se doonte e noj qso de reme-
dies, o nilo poder, emquanto aseim estiver
. omparecer no seu lugar. Intelrada e tai
Horneado o ajudante do porleiro, Joaquim
Tavarps Rrjdavalho para fazer ia vezes de
contador emquanto dursr impedimento
deste.
Oulro do procurador, apresenlandoa re-
1*530 dos talhos da rbeir da rreguezis de
San-Jos,, com declararlo dos precos por
que se achaca actualmente arrendados.--
Quo fossem a (iraca pelos meamos precos.
Mandou-se por em prata para ser arrema-
tada a quom rrias dr, toda a porc3o de fi-
jlo, resultante da demolicSo do muro des-
appropriado1 a lierculano Alves da Silva.
Concltrio-ae a primeira discussSo do pro-
jecto de posturas.
Estiveramem pratjiosohjectosquenae fo-
ram arrematados na sessSo pessada.e lam-
bem o imposte de 500 rs. sobre caber;* de
gado vaceum, e os rendimentos drts talhos
da rlbeira da freguezia de San-Jos.
Despacli*r*m-se as pelices de Antouio
Vieira, de Antonio Fernandes, de
saldo do mez de julho p. p.
Recebido em 12 de agosto
319,6.10
600.000
Despezas do mez de agosto ns.
112a 132
Balando

919,650
701,850
214,800
919,650
Cemilcrio.
Iteoebido em ?de abril
a em 12 de agosto
Despendido de 15 de mareo
31 de agosto, ns. 26 a 33
llalanco a favor
11:000.000
1:000,000
12:000,000
it
11:972 630
27,370
12:000,000
Contadoria da cmara municipal do Reci-
fe, 2 de selemliro de 1850.!Vo impedimento
lo contador, Joaquim Tavare Hodovalho.
... 1 .L_M 11, T '..... MI '
l'ub.iciQaC a pedido.
r, de Francisco d*s Chagas Ribeiro, de
Francisco Marinho de Alhuquerque e Mello,
do padre Francisco Coriolano de Carvalbo,
de Jo3o Rodrigues Velloso, de JoSo da Coa-
la Liba Jnior, dul.uiz Jos da Costa Amo-
riui, de Manoel de Souza Teixeira Cuima-
rlfs, !e Manoel Antonio Martina Pereira e
levantou-se a sessao. Eu Manoel Ferroira
Accioli, secretario interino escrevi 'Olivei-
ra, presidente. rianna.-- Moraei. Car-
nitro Hanleiro. Figutiredo Mamede.
A commissSo deV'ci'' .lendo presente
o bataneo da receita e despeza desta cma-
ra' municipal do mez de agosto prximo
psssado, -apresentado pelo seu procurador,
e lemRi-n attentamenie oonferido com o
competente livro de reccila o despeza i car-
go da contadoria, achou que todas as parti-
das da reeeit, assim como os documentos
eslavam conformes com o mencionado livro
de despeza; pelo que julga daverserap-
provado o mencionado balanco, dando-se
quitadlo ao actual procurador. Cmara mu-
nicipal. 12 do setembro de 1850. O verea-
dor, Francisco Luis Uanotl Vianna Con-
forme. O secretarlo interino, ianuel F*r-
.~fS*MaUi
Approvado em sessSo da niesma data ci
aM.Accioli.
BALAKCO DA REC*EITA. E DESPEZA DA CA-
MAIlA MUNICIPAL DO RECIFE NO MEZ
DE AGOSTO DE 1850.
Ileceila.
Saldo do mez de julho 605,931
Imposto deoiscatesnS. 115 e 116 4,000
CordeacOeans. 102 117 56,000
Mullas do rfocife ns 183 a 127 MfiV
Ditas de SanW Antonio ns. ll
a 292 567,000
DlUs de S.-Jose n. 101 10,000
Ditas da Ba-Vista ns. la 108 132,000
Diasdo Pocons. 10 a 12 31,000
Ditas dos Afogados ns. 29 e 30 16,00"
Ditas d* Varzea n. 1 4,000
Ditas pelo reguramenlo 120 n. 4 645,000
Precedo mercado n. 4 905,000
Subdelegada iiecirons. 17*80 ss.oou
Extraordinaria n. 2 12,00o1
8:371,931
Hespostao communica-
do do Diario n. 215.
0001111*6-1116 significar ao Ilustre
autor do communicado do Diario
de Pernambuco de du corren-
te n. 3i5, que jaman escrevi,
ne.ni escreverei artigo algum, sem
ser assignado com o aiou nome por
extenso j prfanto me considero
inhabilitado para Ihe poder respon-
der ; rj&rm querendo S. S. dig-
nar-se tirar a mascara do anonjr-
mo achara sempre a sna disposi-
co o seu venerador e criado.
Dr. Joo de Souza Sanios Jnior.
Sua casa, 2i de setembro de
i85o:
l'ara*tirar duvidas.
DIPLOMA DO Da. JOAO DE SOUZA SANTOS
JNIOR.
lllm, Sr. Dr. Jult municipal. DIzoDr. Joao
dr Barata Santos Jnior, formado em medicina
pela universidade de Baviera, que, para bem
de leu* direilos, necessiui paasar em publica
(arma o seu diploma, que aeacha escnpio em
lili ni, e para Issodevc ser txaduiido emporlu-
(jiiei, por traductor juramentado que V. S. no-
mear, visto u,1o haver no lugar juramentados.
Por isso pede a V. S. se digne nomear um tra-
ductor que depois de prestar juramento faca a
Iraducco requerida paraw dito fin. E R. M.
Dr. Joo dt Soma Santo Jnnior t
Assignado o requerimtato, como requer, pa-
ra o que ooineio ao Dr. Juao Candido de Dos
e Silva, que prestarejuramenlo.
Nitherohy, 16 de Janeiro de 1850. Cmara
-sal,
JURAMENTO.
Aos desasis dias do mez de Janeiro do anno
de 1850, nesta imperial cidada de Niiherohy,
em a casa da residencia do Dr. juiz municipal
Luiz Francisco da Cmara Leal, onde eu eseri-
vao vim, e sendo aili presente o Dr. Joao Can-
dido de Dos e Silva, ao qual o dito juis de ferio
o juramento dos santos evangelhos,, sb cargo
da qual Ihe eacanegou que bem e lielmenlc
rraduzisse o diploma do Dr. Joao de Souza San-
tas Jnior, formado em medicina, que se acha
escrlpto em latlm ; e recebido por elle o dito
juramento, assim o prometteu cumprlr; e, era
t de como assim o disse, assigoou. E eu Krao-
cisco Manoel de Proenca Rosa, escriro, o e*-
crevi. Joao Candido di Dioii Silva. Cmara
Uol. j
Traducido do Diploma.
Permita Dos, tres veies ptimo e inaiimn,
f|ne seja para felicidade. Debaixo dos auspi-
cios do multo augusto e multo poderoso re o
Sr D. Maximiliano II. re de llavlera, rellor da
nossa universidade de lettras, mu magnifico e
clementiasiio senhor nosso. Par decreto da
ir/lustre classe doa mdicos, tendo magnifico
vke-reilor o mullo venerando varo Dr. Ja.
Lhr. Conr. Ilofinaiio, professor publico ordina-
rio de iliecilogia na real academia Frederlco-
Alexandrioa Erlagense, o Dr. Joao Ferd, M.
Heyfelder, conferimos solemnemente a 20 do
rarz de julho de 1849 o (rao, direitot e privi-
legios de doutor em medicina ao muilo nobre
varan Joo de Souza Sanios-Jnior, Portugus,
de Lisboa, depois de haacr esie sustentado urna
dlsserucaa sobre a fkimoiii e /'airaaklausst*.
Dr. Joao Ferd. M. Heyfelder, professor publico
ordinario de cirurgia eopiuialmolngia, aaaea-
< doculleglo incdico-clinico-cirur-
hthalmiatriz, cavalleiro da ordem Du-
.iuu c praiuuiuT icgU;r,;^,,icuio consii-
dica, etc., etc., etc. De.
Joio Chr. Corn. llofmann, Hat., vicc-reitor.
Dr. Maaimiliano Cuilherine Foesler, syndico e
srcretario da universidade. Dr. Joo Fernan-
des M. Heyfelder V. M. O,T..decano.-Dr,


a n n



Godoiredo Plels-Chonann e Dr. Culi. Zan. Foj.
Koc,ehutra asaignalura, qual se nao pode
entender, O. Med. assessor. Dr. Joao Jorge
Frederico Wlll. 0. Med. assessor. Dr, Joo
hugenlo Itosshcrt, 0. Med. assessor. O abai-
to assignado, enviado extraordinario e minis-
tro plenipotenciario de S. A. I. o archiduque,
vinario do imperio germnico Junto de S. M. o
re doa Melgas, certifico a autentlcidade do pre-
sente diploma. Ilriixclias, 31 de agosto de 1849.
~ Bario de Drachenfels. Visto, quanto lega-
lU.if ;lo da asignatura do Sr. barao de Drachen-
felscimaqualicado. Bruxrllas, l.'desetcm-
bro de 1849. O director, G. J. Turlot. Reco-
nheco como verdadelra a assignatura do direc-
tor G. J. Turlot e o sello official postos neite
diploma na ausencia do Sr. ministro dos nego-
cios estrangeiros da Melgica. Legacao impe-
rial do Hrasil em Rruxellas, aos 8 de setembro
de 1849. Alvaro Telxelra de Macedo. (Eslava
o sello Imperial.) N. 104. Pagou 25,000 r. Ba-
liia, 5 de deiembro de 1849. 0 tbeiourelro
J.Vieira. J. E. Silva Gomes. Nltherohy, em
20 de Janeiro de 1850. Joao Candido de Dos
e Silva.
1. B. Eslava o sello das armas reaes do rei-
nado de Baviera. Eslava o sello das armas reaes I
do reino da Blgica. Estava o sello das armas I
imperiaei dalegaco brasileira na Blgica. Era
ulmpn. Joao Candido de Dos e Silva.
N. B. Estavam dous sellos pendentes da su-
pradita universidade no nirsino diploma. Era
MI impra. Joao Candido de Dos eSilva.
N. 4. 320. Pagou 3i0 rs. da sello. Nitheroliy,
O de fevereiro de 1850. Fonseca. Regada*
(Do jornal do Commircio a 13 di abril di 1850.)
2'
_
rOttMEltCJC.
Escola homceopalhica do
Brasil.
NO R10DE-JANEIR0.
Pela sexta vez vai a escola homooopathi-
ca do Brasil encelar o seus trabalhos lec-
tivos, que havjam sido nterrompidos pela
calamitosa qadra que decorreu, na qual
muitos de seos discpulos prestaran rele-
vantes servidos a humanidade.
Na qualidadfl de secretario daquella es-
cola, n romo uro daquelles de seus adoptos
que tudo bao omprehendido para sua pros-
pnridade, jolgo-nie coa, direito de declarar
ao publico desta" capital, e ao Brasil inteiro,
que, mo grado a perseguido deaeus figa-
daes inimigoa, que nada teem poupado pa-{
ra deiiegr-l*(. comeesndo pela calumnia i
levada viol-ncia e revoltante violceo
de direitns adquiridos por lei e saneciona-
dos por actos geve'rnativos, mau grado mes-
mu desase vergonhoses tcticas de paeudos-
nouimopathas, como alguns dos que em
uma reuniefio a atassalharam, ciosos talvez
de antagonistas que lli-s podim disputar
urna partillia nos intereses; ella, altiva e
-.i' r.iiic.-na, desprezaseus mesquiohos ri-
vaes, e progride em aeus Irahalhos.
Ans discpulos da nova escola u3o tem
nicamente cabido em quitihSo uma cora
de espinhos e a palma do tnartyrio : n;1o ;
se itiilorosa tem sido para todos elles a sua
iniciacSo na ciencia, como sempre ha si-
do a partilha dos sectarios de novas eren-
gas, todava alguns d'entre elles nao dexa-
rara de adiar no centro mais culto da Euro-
pa o .icvido apreso aos eatudos que cur-
saran.
Fui a-sim que, munido do meu diploma
ou certificado de eatudos, e desejaudo gra-
duar-me Dr. em medicina a exemplo de al-
guns dos discpulos das escolas allopalhi-
cas do nossa patria, dirig uma pelillo
universidade de Ciessen, aundetlre a lloa-
ra do ter por examinadores, alm de outros
sabios, o celebre l.iebjg, autor da chimica
orgnica mais famigerada, nossa eonlni-
poranea. Depois de lera universidade ve-
rificado a -legalidade do meu diploma, ou
certificado de e.tudos, que ella aehou em
regra, visto ter esta mpadoem sua integra
o artigo de urna lei eo acto do reconheci-
mento do governo communicado por um
de seos ministros, e, cmfim, o ro de um
dos representantes do corpo diplomtico;
lepois de ter ella tanibem constatado a mi-
rilla identtdade, conferio;me, mediante um
exa,ne vago das. doulrinaa medicas que eu
-havia esludado, e a suslejttacSo de urna the-
e, o grao de doutorem medicina, ci'orgia
e irte obstetricia. ,
Assim, com tres trtunpbos simultneos
nie galardeavam,. eem mim, a escola de
que era fillio : o primeiro, reconliccendo*
se o Tacto de que seus estudos eram Uo re-
Rulares que me habilitavaui a responder a"
um "sime vago ; o segundo, que ella pos-
suia iiutorisacSo de conferir direitos a aeus
ALFANDEGA.
It mdimontododia 21 v, .12:310,518
Deicarregam Ao;* 23 di uttmbro.
Barca --Thomas-Mtllors mercadorias.
l'olaca Italia dem.
Escuna Laura farinha de trigo.
Brigue Sar-Joie idem.
CONSULADO GERAL.
Rendimento do dia 21..... 961,622
EXPORTACAO.
Despachol maritima$ no dia 21.
Liverpool por Maceiu, brigue inglez 'lint,
de407 toneladas: conduz o seguinte : 500
saceos e 36 caixas com 4:376 arrobas e li-
bras de assucar.
dem idem, brigue inglez Uillon. de 371
toneladas : conduz o aeguiute : 38 caixas
com 1,970 arrobase 16 libras de assucar.
RECEBEDORIA DE RENDAS GEIIAES
INTERNAS.
Rendimento do dia 21......1:589,882
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do da ai......220,20o
V alumnos, que so a violencia Ibes poda obs-
X. lar ; e o terceiro, de que, ipezar de eo ser.
^N^linmccopatha, (o que at ah se nao tioha
dado para nenbum dos nossos patricios),
de eu sustentar uma therapeutbica e ideias
pathologicas interamente novas, e d# se-
ren os meus examinadoresallopathas, elles
me conferirn) um grao pilo qual me igua-
laran) a elles Honra e juslica Ibes seja fel-
ta, porque nisso sa mostraran!Ter dadeiros
sajiios, porque pode mais para" com elles a
dignidaue da scieoefa do que mesqulnbas
rifaldade, miaeraveispreconceilosou iu-
teresseiros ciurnes.
Conscio da eapacidade doa meus condis-
cpulos queobliveram a juaticn de ser ap
prvidos; conscio dos direitos que Ihes
competente de quede balde peines quer
disputar e xtorq'uir a posse, porque s9o di-
reitos sanee onaaos por uma lei, que, an-
da, que viesse a ser derogada, n&o e llie.
poda dar um rfleilo retroactivo ; Jirel aos
que nrem temidoa, que afiotiesiteni em vi-
rus consagrar-se a nova carteira da ,*>ro#a-
KV>dr -T.C ZCiim^i :,'.tMauieuC uuva,
i'iiiqiianloas suasapiilica(0eaa arle decu-
ar, para cujo fim s urna escola como a
nossa os (oderi directamente habilitar.
Desprezem, assim como eu o faco, a orgu-
lliosa filaucia do* paeudoMion ceupattiaa, e
\a odiosa perseguifflo dos corypheosda ve-
llut escola, ('Ola que espero em Deps que
lambeni na 'America niern'.on>l, astliucu-
nui ja o fui dos Eatados Unidos, uma escola
pura, das doulrinaa de llaliuemaon, como
aquella deque sou secretario, lia de adiar
sempre toda a protecco de um governo es-j
darecido como he onosao ; priucipaloiou-
te, possiiiudo ella, alem dcoutios profea-
mrrg dedicados, um dileclor como o Sr.
lir. lloreira, que. ineajpisavel em leua dea-
vetos, continuara, (ealou cerlo,^ a enviar
ama esforcos pro? dola,, c por queui j
tantos servicos ha feito.
*^_ ',. I>r. C.CM&.
->. ricou auiaaa'a abertura ua escola
pta o dia 19 d coireule, e assim aa matri-
culas ecliar-fce-hao no da 16.
Dr. CCkiiloe.
tnsultoro homcBopethico da ra da
yd/lnds, b. 122, aos 13 d agosto de 185o.
; ai j. ao Cumuitrcio, e la de agosto.)
PRAfA DO RECIFE, 21 DE SETEMBRO DE
1850. A'S 3 HORAS DA TARDE,
itetitsta lemanat.
Cambios Contins a subir, havendo
lettras olTerecidas a 28 1/2
d. por 1,000 rs. tendo ha-
vido uma pequea tranaac-
CBo a 29 d.
AlgodSo---------Entraram 769saecas, o fo
procurado de 7,300 a 7,400
rs. a arroba deprimeira sor-
te, e de 6.900 a 7,000 rs. tv
de segunda.
Assucar- Vendeu-ae um resto de cai-
xas a 800 rs. por arroba so-
bre o ferro.
Alpista Idem a 20,000rs. a barrica.
Azeito-doce- dem de2.000 a 2.00 rs. o
pililo do de Mediterrneo
BacalhAo Retalhou-se de ris 12,000 a
13,000 a barrica. Fies-
ta m em ser cerca de 1,600
ditas.
Carne secca Depois da nossa ultima re-
vista o mercado foi soppri-
do com dous carregamen-
tos. As vendas continua-
ran! de 2,900 a 3,000 ra. a
arroba. A existente boje
orea por I4,0i0 arroba*.
Farinha de trigo Venderam-se 500 barricas
vindas pelo Thomai-Mellori,
acerca de 17,000 ra. a bar-
rica. Ficaram boje em ser
4,500 barricas.
Manteiga Idem de 400 a 440 rs. a li-
bra da lngleza, e de 330 a
350 rs. a da Iranceza.
PXe------------ Idem 6,000 rs. o barril do
americano.
Ficaram no porto 44 embarcacOes, a ta-
bea : 1 americana, 1 austraca, 31 brasiiei-
ras, 3 fraucezas, 1 hespanbola, 5 inglesas,
1 porlugueza e I sarda.
lijlo, resultante da domolicSo do muro
desappropriado a llerculano Aires da Sigva.
Paco da cmara municipal do Hecif., em 18
de setembro de 1850. -- Francisco Antonio it
Oliveira, presidente. Manoel Ftrriira Ac-
cHsli, secretario interino.
Pela inspectora da alfandega se faz pu-
blico que, no dia 23 do correte, se h8o de
arrematar em hasta publica, na porta da
mesma, depois do moio-dia, 1 caixa com 8
latas de conservas de tomates, a 1,000 rs.,
total 8,000 rs.; 1 dita com 11 frascos de thri-
d ica, pesando bruto tres libras, a 8,000 rs,,
total 24,000 rs, ; 3 hoides com extracto de
helladonia, pesando bruto t 1/2 libra,.a
4,000 >s., total 6.000 rs.; 1 embrulho com
2 1/2 libras de flor de rnica, a 800 ra., to-
tal 2,000 rs. ; 1 arroba de alfazema por
3,200 rs. ; e 64 resteasd'alhos, pesando cin-
co arrobas, a 2,000 rs., total 10,000 rs., que
existlam na alfandega, alm do prazo mar-
cado no regulamento, e que fram annun-
ciadas pelo edital de 7 de agosto prximo
passado ; sendo a arrematarlo livre de di-
reitos.
Alfandega de Pernambuco, 19 de setem-
bro de 1850.O inspector interino, Btnto
Jote Fernanda llarros.
Pela inspectora da alfandega ae faz pu-
blico qde, no da 23 do correte, depois do
imio-dia, na porta da mesma, se h&o de ar-
rematar em hasta publica 7 duzias de vidros
com extractos, valor duzia 8,000 iC total
56,000 rs. impugnados pelo guarde Jos
dos Santos Lagos, no depscho por facluwj
n. 228 do 17 do correte ; sen Jo a arremati-
eflo aubjeita a direitos.
Alfandega de Pernambuco, 20 de setem-
bro de 1850.--O inspector interino, Bnto
Jos Fernanda Barros.
-- Pela inspectora da alfandega se faz pu-
blico que, no dia 83 do crrente, depois do
moio-dia, porta da mesma, se ha de arre-
matar em hasta publ|ca 18cortes decolle-
tes de soda bordados,- por factura um 3,800
rs., total 68,400 rs ; uma duzia de pente-
de tartaruga para bichos, por factura vinte
e um mil ris; uma dita de ditos de msrflrn
para ditos, por factura del muris; e 12
gravuras de modas, por factura urna cem
rs. .total miledozeitos rs. ; impugnados
pelo segundo escrplurario Antonio Fran-
cisco de Moura, no despacho n. 266 da 19
do corrente; sendo a arrematar/So sobjetta
a direitos.
Alfandega de Pernambuco, ao de sotem-
bra da 1850.--0 inspector interino, liento
Joti Fernn des Barros.
Pela inspectora da alfandega se faz pu-
blico que, no da 23 do crrenle, depois do
meio-dia, 6 porta da mesma, ae Ufo de arre-
matar 24 duzias de oculos com armacSo d'a-
rs.; impugnados pelo amanuense JoSo Atha-
nazio Botelho, no despacho n. 145 de 12 do
correnle; sendo dita arrematarlo subjeita
aos direitos.
Airandega de Pernambuco, 21 de setem-
bro de 1850.O inspector interino, liento
ios4 Flrnandes Barros.
Gerfaut -- Maximiano da Costa.
. Domingos Cabral.
' Joso~ Joaquim Pereira,
Primeirotrabalhador Jos Aires.
Segundo dito Cunba.
Ilortencla d'Auberive Emilia.
Paulina Langlois Joanna.
Carlota Cauasade Rila.
Jacintha Soledade.
Trabalhadores, raarioheiros, etc.
A accSo passa-se em 1781 : o primeiro ac-
to em Paris, o segundo na estalagem de Cer-
ny, e os tres ootros em San-Torpex.
Depois da representarlo do drama, o Sr.
Theodoro Orestes, director e regente da or-
cheatra, exeeular, em obsequio ao beneli-
ciado, na sua rabeca, urnas lindas variarles
le sua composiclo : seguindo-se, cantado
pelos artistaa Raymundo Jos de Araujo e
Joanna Januaria, o bello duetto do
MKIIIIMIO E A POBRE.
Terminar o espectculo com agracise
'arca
A Roda Viva.
na qual far o seu debut o Sr. Caelano Mar*
que*, de Prgueredn.
O artista beneficiado previne aos seus
amigse protectores que Iho fizorem a hon-
a de aceitar camarotes, que depois da re-
presentaco do drama ir receber a dadiva
com que se dignarem obaequia-lo, e desde
j protesta eterno reconhem ment.
Os precos eslabalecidos para as recitas or-
diiiHrias podem aer alterados nesta repre,-
sxntacSo ; e o artista benoficiado muito con
ii i:prolece3o e generosidade de um pu-
blico, a quem tanto deve, e a quem se con-
fesas assaz agradecido.
* bilnates acham-se i renda em casa do P~ra o Rio-de-Janeiro o seu escrayo pardo,
beneficiado, na rus Nova, n. 56, primeiro
andar.
lovimento do itirio.
" '--------------------------n-------
/Vaco sakido no dia 21.
[llavre-de-Crace por slaceie Barca france-
za ules, eapitfio Touibarel.
A'oco entrado no dia 22.
Liverpool 49 das, brigue inglez Uope, de
163 toneladas;-capillo Robert Beaant, e-
quipagem 8 ; a Richard, Itoyle & Compa-
nbia.
iVnwo saAdo a* memo dia.
Liverpool por aieei Brigue inglez Flinl,
capilao J. C. W'riglite, carga assucar
lastro.
aa-aaiBTas-g-s-aaaBSBsTM^
JJeclarat;6es.
EDITAES.
O Hlm.Sr. inspector da thasouraria da
fazeoda provincial, em oumpriaieato d'pr-
dem do Exm. Sr. presidente da provincia del
26 do correte, manda por a concurso o lu-
gar vsgo de segundo escriptorario da prj-
meira seccSo de coritas da mesma thesou-
Rria, o qual lera lugar no dia 28 de selaua-
o prximo futuro, devendo os pretenuen-
tes aerem examinado* nos principios de
grammatioa nacional, arilbmetica, na theb-
ria e praiica de escripturaclo e calcula!
mercantil.
E. para que chegue ao oonhecimenlo dos
interesados, se maudou aQixar o presente
e publicar pelo Diario.
Secretaria da tliesouraria da fazeoda pro-
vincial de PernanThuco,27 de agosto de 1850.
--O secretario, A/ttonio iSrreira d'Annm-
ciacio-
--Olilm. Sr. inspector da tliesouraria de
fazenda desta pravinoia, manda fazor pu
blico que, no dia
1* de outubro prximo
vipdaura, ae proceder concurso peraiik-ri embarazos qu Ihes pode causar a falta del-
Perante b concelho de admlniatracSo
naval tem de con tratar-se por arremataran
o foroecimenlo dos genero* seguintes para
os navios armados e hospital de mariuha,
por tempo de trjs mezea: azeKe doce de
Lisboa, assucar branco, bacalbo, caf andi-
da, carne Verde, dita secca, toucinbo de
Santos, vinagre da Lisboa, velias de eaper-
macele americano e de carnauba : porUnto
convida-aa aos que inieresseni fazer dito
forn,ecimiiiiio, a Bpreseuiarern-se con suas
prupostas, em que declarem o ultimo pre-
i;oe quemo Uartor, is 12horas da nvsnhSa
do dia 25 do cpircnte
CONSULADO DE PORTUGAL EM PERNAM|
BUCO.
Joaquim Baptisti lloreira, bacharel forma-
do em direito, earalleiro di* orden de
Ebristo e cnsul de Portugal em Pernam-
uco por 8. M Fidehssima a Salidora D.
Mara II, que Dos guarde.
Faco saber a todos os meas compatriotas
residentes nesta cidade e provincia, que por
ordem superior, que me foi transmrltida, e
especialmente recommendada, para o fim
de se poder dar o conveniente cumprimeu-
to as disposcOes sobra estatistica, eoutras,
aedevem a presentar ueste consulado todo
o* subdito portuguezes, que, tendo aqu
filado a sua morada, ainda ae nao houve-
rem nelle matriculado, como Ibes compre,
mo s para a deviJa regulridade, mas pa-
ra queassiui se possa mtis promptamenle
dar a eompativel protee(8o dette consu-
lado
Convidando, pois, os meus comptriotas
ao cumpYmer*o destedever, no mais bfeve
espa^rreieeapo, Ihea lembro tambem po>
esta occaafjo dever que igualmente tem de
se m,unlreaV1l08 respectivos litlos de re-
sidencra, m'HM dos regulamentos poli-
Ciaee (leste imperio, para se livrarenr dos
a mesma theaeuraria, para preheneuimen-
to de um lufar de terceiro eacriplurario
que tem de vagar. Os pnlendentes deverj
comparecer ma sala de suas sessos com
aeu* requerimeutos instruidos da fulia cor-
rida, cerlidio de idade e estado, o o
quaesquer documentos que julgarem a bem
de suas prelencOea, at aa 10 lioraa da ma-
nha do referido dia, alirn de aerem exsmi-
nadoa as msteriaa exigidaa pela lei do4 de
outubro de 1831.
Secretaria da thesouraria de faxenda de
Pernambuco, 5 de seterubra) de 1850. Na
isnpedimaulu do Useial-maior, Antonio
Lu* do Amoral Silva.
Perante a cmara municipal desta ci-
dade contina a estar em prac*. nos dina 18,
Oe 23 do correle, os objeclos que anu
nao fram ai rematados, laea como ri
da Boa-Vista, uiiiioslodu*>mascle.s o boce-
teiras, casa da ra Iniparutl, e alguns taiboaj
dos acalugues pblicos ; e bem 'assiui o un "
posto de til) rs. por cabera do gado vacum,
aaa caziuhaa da nbeira de San-Jos em que
ealo os.tslbos, aeodu a arrematado da*
rneanias de uma uma, e nflo em globo co-
mo dautea :os licitantes podem comparecer
no* mencionados da*, munidos de fiadores
devldamente habilitados. E, para constar,
sa manda noliii^ar i 'ire^eiiia. t*frf ,i
mar municipal do Recite,eaa setafo de 14
de setembro de 1850.-- Francisco Antonio
di Oliveira, presidente. -- Mancul Ferrara
Atcioli, secri turro interino.
-- l'uraule acamara municipal desta ci-
dade sera arrematada, a quem mais dor, noa
uiasauKoocorreuie, toda a porcao ae
le*, melliore mais perfeilamente terem r>
direito corrfffleteiile gararitia deeeutorida-
dos brssileirs, e is reepectlras isenCOs* qo
mo eslrangeiee*. ^Hiuladu de Partaf al em
lornarr.boce/ams VT da julho 4* 1850. -
Joaquim Baptiza Morelra? cnsul.
Avisos martimos.
Para o Rio-de-Janeiro sabe com a roaior
breridade possirel o patacho nacional fa-
lente : para o resto da oarga e eacraros a fro-
te, trala-se com Noraes & Companhia, na
ra do Trapiche, n. 34.
Segu riagera para o Aracaty, at o fim
lo cnenle mez, o hiato Flor-de-Curu-
ripe : para carga ou passageiros trata-se na
ra do Vigario, n. 5.
Par* o Cear sahe em poucos diss a
sumaca nacional Flor-do-Angclim, mostr
Bernardo de Souza, por se adiar com par-
leda oarga prompta : para o resto e pessa-
teiros trata-se. com Luiz Jos de S Araujo,
ni ra da Cruz do Recifs, n. 33.
A eacuna Europista, sabe impreteri-
velmente no dia 18, o que se avisa aos que
teem escravos a remetler para o Rio Gran-
de do sul, os quaes devem llcar a bordo na
vespera, e trata-ae com a viure Gaudinoi
KiIIio.h, na pracinha do Corpo Santo, n. 66.
Para a Baha, segu com muita breri-
dade o brigue brssileiro San Jos, para car-
ga, passageiros e escravos a frete, traa se
com viuva Gtudino t Filho: na pracinha
do Corpo Santo, n. 66 ou com o Sr. eapitfio
Jos Ramo* de Souza a bordo,
Par* o Ceara, com escalla pelo Aracsty,
sabe o hiate Flof-de-CururIpi, forrado e pre-
gado de cobra : para u resto da carga, diri
jam-se ra do Vigario, n. 5.
*saatr
A viuva do fallecido Manoel Rodrigues
do Passo afora alguns terrenos do seu sitio
Salgadinho, com condicSo dos forairos e.1-
ficarem predios, e nflo pastorarem gados:
aos prelendentes mostrar os ttulos em co-
mo Ihe pertenco, tendo sempre pago decima
a thesouraria, sem se obter lucro, porqtun-
to os vizinhos assflnlaram do fazer de dilo
sitio pasto de gados : quem pretender afo-
rar, dirija-se a annuncianle, no Aterro-da-
Boa-Vista.
= Jos Gomes de Souza escrivao e presiden-
te da mesa regedora da irinaudade do Senuor
Bom Jeaus dos Marlyrioa da igreja nova deiu
cidade de Santo-Antonio do Becife de Pernam-
buco, vendo a coberta do consistorio toda ar-
ruinada, e as paredes dos oires do menciona-
do consistorio drsapluiiiadas a rasadas; cuja
ruina val entrando pelas paredes doa corredo-
res, consultou a dita mesa que nao podendo se
faier o dito reparo sem que se expozesie ao res-
peltarel publico, lim dos devotos do Sr. Hom
Jeauj dos iiariyrios coadjuvarern com as suas
esmolas para o dito reparo, a qual ser pedida
por coininissSes a saber: a primelra do Recifc
composta doslrmlos ea-tbrsoureiro Manoel da
Paiso Bibelro, definidor Theinoteo Marcelino
da Silva e Antonio Gloria ; a segunda da de
Santo Antonio com os irnios oi-tbesoureiro
Jos Luis do Paraso, definidor Antonio Basilio
da Triodade Pedro lose da Conceico ; ter-
crlra na Boa-Vitia composta doa irmoa ei-
provrdor Narciso Lopes da Poiciuncula, o ei-
drfiuldor Brai Raines i.faavcs c o IriiiSo Fran-
cisco Xavier de Lima, aos quaes podero os
devotos dar as esmolas que seus benignos co-
racors Ibes dictar
A mesa des le j roga ao seu psdrolro que
asslsta aoa aeus devotos con a sua graca neste
invado e do outro a gloria eterna onde rapta-
remos coui os aojos Ti ium taudamoi ti Pu-
mismm.
Marcolino Goncalves, da Silva embarca
Leiles.
de nome Alexandro.
Troca-se uma canoa de familia, de 16
a 20 peeaoaa, por outra que pegue 600 lijo-
Ios de alunara : ua ra Imperial, n. 167.
Quem tivqf um molecote esperto e do
boa conducta, qoerendo alugar para servi-
cio interno de uma casa iogleza :annuucie
para ser procurado
Antonia Joaquina, e seus filbos Jos
Carvalbo, Ricarda, Joaquina e Maria, todos
portugueses, retiram-so pa'a Mossamedes.
r- O abaiivo assignado tendo vendido o
aeu deposito de assucar, silo na ruaestr.H-
ta do Hozarlo, u. 43, avisa a toda equal-
quer pessoa que se juigar aeu credor, baja
deapresentar suas cuntas no piaso de oilo
dias a cootar de boje ; na ra do Livramen-
to, n. 1, primeiro andar, eo mesmo adverte
l todas as pessoas que Iba esto devendo,
lajaao de realisar suas coriUs com a niaiur
lirevidade possivel do contrario .pasear a
ifii de aer
Thpatro de S. Isabel.
Recita .extraordinaria a beneficio do r-
Uata Germano Fraucisco do Oliveira.
Qmtrta-feiru, 9 it setemtn di 1850.
Depois da execugflo de uma agradavel ou-
verlura a companliia dramtica representa-i
ra o drama eai cinco actos, original fran-
cas, por Mrs. Anicet, Bourgeoa e Oonnery,
O MArUiNHEIHO DE SAN-TROPtZ,
oo
4 tntenmamento, .
traducco do artista Germino Francisco de
Oliveira. ^
Dtnominacio doiaeoi.
1 Oeredore o consorcio.
8-* A eaJhlagsaa a encentro.
3.* A intriga.
4.' t) enveneuaroefito.
V* 0;p!o der.usciEc.
/'raortajaili. ,
Jorge Mauricio Germano. ,
Antonio Caustade Guimbra.
Garlos d'Arbel -- Silvestre.
Langlois Hsymundo.
.0 conde-d'Auberive Sebli(o.
jeroujuio Sania Koa.
-- O capiiUo Mrcala Cooper, ar leilflo
em pnsenca do Sr. cnsul doa Estados-
Unidos, por corita e risco de quem aertcn-
oer, e por interrenefio do cornetor Oliveira,
da balieira americana Franktim, rinde da
pescara e naufragada em Caraprh, onde
su sclia encalhada e dos seguintes arligos,
que se suppffe estarem abordo da dita ba-
lieira ou perto della: 8 ancoras pesando
uouco mais ou menos l,8oo libras cada urna,
I ancorte de 500 ditas, 2 correntas senda
uma o> 90 e outra de 150 tracas de cum-
primento. f ditas de 18 a 20 bragas cada
urna para segurar baleias, 4 anzoes de 7o a
80 libras cada um, 1 caldeirSode cobre, 3
ditos de ferro, 75 ou 80 lances e harpAes, e
diversas toneladas do lingoadoa de ferro
para leslro: te/ca-feira, 4do corrente, as
II lleras em ponto, na praca do Corpo
iota.
>d Richard Royle far leiffo, por inlerven-
cSo do enrretor Oliveira, de um dos mais
esplendidos aortunenlos de fazent|as ingle-
zas, todas d lei, ou chantadas carne de rac-
es, eaa mais pioprlas para este mercado :
ssgunia-feira, 23 do corrente, s 10horas
'la manliS eiii ponto, no seu ar.mazem, ra
da f.aJeta do Recife.
Leiiao que fazem Machado JtlPinUairo,
por conla de quem perlencer, delism narria
de manteiga iranceza, em loles a vontade
doa compradores : lerca feira, 24 do (jrren-
te, *s 10 horas da manbfla, em freule 'por-
t* da alfandega.. \ .
' F. H. Lutticens fari leilfio, por iiter-
renefio do corretof Oliveira, de um esplen-
dido sorlimento de metaes, ferragr?ns e
aiiudcts, asabar ; de metaes, ferro iriglz
abato, chumbo em lencol e de munido;
de ferragens, Tacase garios da multas ijua-
hdades, facas de pona, ditas de sapat-eiro
e cabo leve, limas inglezaa e allema*a,^er-
retea, navalhas, caivetes, rame Un j da
latflo, cnaleiras, panellaa, pregos de Mrro
de varias quali.iadaa e verrumaa ; delnin-
empregar ineia* maiiefliuazes, a
indeoinisado. --Recite, -23 de setembro do
1860. Josa Dias da Silva Cordial.
Aluga-se o segundo andar do sobrado
n. 18, da ra do Arago, com xcellentes
comoiudos para familia, cinco quarlos, p-
tima cosiulia com fogfio inglez, e foruo ,
salla muito fresca por ter jauolla dp lado:
a tratar no primeiro andar do mesmo.
Lava-se e engomma-se com perfei(2o
e por prego couiuiodo.; na ra Oireila ,
n. 22,
Iloga-se aaSr. Antonio Jos Lopes da
Silva, que antes de se retirar para forado
Imperio, queira dirgir-ae a ra do Queima-
do, ii. 16, a uegocio que no ignora.
iloga-se ao Sr. M. M de 0 que teu'ia a
bdndadede vi' pagar 8 60Ira. que devena
ra do Queimado, n 16, do contrario, ver
seu nome por extenso neste Diario
' l'recisa-se tle um caixeiro
(lueeatetida de venda, para tomar
conla de urna por bataneo : na ra
Direita, n. 6.
Rogarse ao Sr. PC. 1). que queira vir
sati-fazer a quanlifl ele 6,7*0 rs. que deve
na ra d Queunado nJl6.
Roga-se ao Sr^P. B, que queira vir
pagar a quantia de 10 000 >*. que be dovo-
dor n* ra do Queimado n. 16.
OsSra. Francisco Pereira Vanna, B*-
noel Francisco do Sales a Joaqna alaria da
Triudade, quuiram annun'ciar as suas mo-
radas, para negocios da seus ihleresses. ,
--Quem precisar do um furneiro, arjt-
se ra larga do Buzario, n. 19, junio ao
quarteldepolici*.
O Sr que furlou um corte de casomi-
ra, no da 20 do correnle, faca ou mande fa-
zer entrega delle, no mesmo lugar d'onde o
furtou ; d contrario, se proceder contra
elle, pois na sabida ouve quem vase, e nflo
velo logo dizer, porque peusou qua oaae
rendido.
Precisa -se de um bom co-
zinlieiro ou cozinlieira, prel'eria-
do-se capvo : na ra da Cruz,
n. ij, casa de Croccofc (j.
A cmara municipal desta cidade pre-
cisa de pedra prbpria paira o calgamento dos
pteoe'do Carmo e San-Pedro : quem a li-
v*r aniiuricie, ou dirija-se ao pago da mes-
ma camera.
Precisa-se alugar um ou dous pretos
captivos, que eslejsm acostumados ao ser-
vico de campo, para trabalharem em um
sitio perto da prsce, sendo por mez e dan-
do-se-lhe de comer : da-ae preferencia a s-
cravos do mallo: a tratar na ra do Quei-
maild, loja n.
' '----l lioie'A calsaVlMk/1/k aanavaa mnm siAtia nrn.lr,.
ss.K?:a5s,^% fcsp^rwrvSSE
ajo, el. : quinat-feira, 2 do twrrefl
10 lloras da manhla, no aeu armasen la
rea do Trapiche-Novo.
eqta
Avisos diversos.
Lotera Matri da Boa vista
Na dia Jf de outubro andam inipieLeri-
velmwteaarodaa desta lotera, veja qual
fqr o numero do bilnates que (iuarem, e
messM'Mta se se ac harem os'bilheles,
como lia espeluncas. O (lm pera que foi
concedida esta lteria, nflo pode ser mais
justo, o elia deve *er preferida a cintra qi.-ari"
Hier, porquanto temo* de prseiiciai.07em-
preg de eeu 'intere : o restante dos bi-
llielea acham-s venda no* lgare* ja *n-
nunciados.l^^^^P^
BBBBaBSBaaBRs* *'
.. ...a uo iisibiiiiuu joso ue rreiias
raz *cie*ite ao publico, que ninguom d cou-
sa algum em seu nomeaossu escrivo s-'
uatert-o dnotneMande'l, por alcunha Cade-
te, pois que a mesma viuva por nada se rs-
polisabllisa, e nem pagar* dividas ou du
tras IransaccOS eontrahidas nein mmn
aeu escravo.
lempo agradece-Ins o conceilo em que o
temlidoalp prsenle, visto que por ne-
nbum tem sido venado : isto al o fim do
mez. Jotto ata CataAei Hiis.
O abaixe assignado pede a seos dorado-
res, que por todo este resto de mez Ibes
vio pagar seus debito* ; do contrario nflo ae
escandalizara por tomar a deliberado de
fzer uma resefio para neste jornal ser Im-
presas, com os uume* por extenso, quan-
tiaaeoteatpo em que lraimeontrahldas.
-- X^oao da dutAa Bsif.
e* i'flrnelsco r>is daHiosla faz seiente ao
rspeftavel publico, que *esda odia 19 do
corrente deixou de ser1 cairairo dos' Srs,
Chrisiovao Fefreira Campos & Companhia.
alaria l'ilipoa da Conciico, Brasileira,
retira-se pera tora do imperio.
Alugam-aeos lereaieosi quartu aaJi-
rp* da casan. 40 da ra da Cruz > a tratar
qa mesma caa.
Julo Tarares Cordeiro mudouse da
ra do Vigario para a ra da Madre-de-Deos,
q. 36.
Jos Jerouvmo Monleiro mudou a sua
residencia pira* caa 40 da ra da Cruz.
II II T I I


v>
Agencia de negroclos entre o
JJrnnil e Portugal.
Eieriplorio provincial em Ptrnambuco. Ra
estrtita do Rosario, n k\,ugundo andar.
Delegado obaeharelA. R. de Torres
Bindeiri.
Entre as emprezas uieis figura o estibe-
lecimcnto da agencia de negocios entre o
Brasil e Portugal, que seacha confiado ha
dous annos entre nos ao Sr. Dr. Jal Felicia-
no de Castilho Darreto e Noronhs, residen-
te no Rio-de-Janeiro. Esta empreza tem um
flmlouvavel.eque est multo em harmo-
na com os tnteresses das dais nietos : o
commercio principalmente, esse ramo po-
deroso de riqueza pnblica e de civilisac.8o,
pode colher grandissimas vantagens, todas
asvezesqueselne proporcionar a solucSo
de jjuesloes importantes, que, talvez, a nSo
ser este meio, ficariam no esquecimento. Na
parte de otilidade, ella se dirige tanto i um
como a outro palz : considerada deste modo
no poder encontrar embaracos na pra-
tlca.
A agencia promore os inleresses licitos,
tanto doa subditos brasileiros no reino de
Portugal, como dos subditos portuguezes
no imperio do Brasil; prosegue reclama-
coas de particulares, que hajam de ser fei
tas fin annos os paizea; tenia oomposi^es,
instaura e segu procedimenlos judiciaes ;
procede a prsquizas acerca da existencia,
mudanza de domicilio ou fallecimentos ;
sollicta o cumprlmenlo de rogatorios, man-
da assistr a prafas ; agencia compra e ven-
da de predios urbanos oa rsticos; viga
por inleresses do berdeiros, faz mantfestos
e registra hypolhecas ; administra casas <
propriedades ; cobra rendlmenlos e Jaros,
manda tirar fnlhas corridas, passaportcs c
documentos desestaes publicas; requer
quaesquer pretengOes justas do governo;
recebe consignages e faz cumpnr ordena
commerciaes; compra e rende papis de
crediio, faiedo4ransaec,0es de banco, etc.
Oescriptorio central hit no Itio-de-Janei-
ro, ra do Rozario, n.tS; o director he o
Sr. Dr. los Feliciano de Castilho Brrelo e
Noronha : k3o advogados da empreea em
Lisboa os Srs. Drs JoOo de Dos Antunes
Pinto e Gaspar Joaquim Telles da Silva ; o
correspondente naquella cidade he o Sr
Tiiomez Antonio de l'aiva, roa Ferregil de
cima, n. 2. Ao 8r. Dr. Castilho, como direc-
tor da agencia, cabe o direilodeeslabelecer
delegados nos pontos do imperio que os pre-
cisaren,' em oonformidade com a autorisa-
coqoelhe heeoncedida pelo artigo 27 do
regulamento da mesmi agencia ; e he por
isso que os dous escriplorios do Rio e de
Lisboa, bem orgmisados, Uamestabeleeido
dulegiceseiri todos os pontos mais impor-
tantes dos doua estados ; desorle que quil-
quer requisigSo, que Ihes diga respailo, he
levada aefllcazandamento desde odia em
que se recebe o encargo. Pelo Sr. Castilho,
como director, foi nomeado delegado da
agencia, nesta provincia, o barbare! A. R.
de Torres llandeira, que tratara de empre-
gar todes osesforcospara levar aeffeito as
condiges tizadas no regulamento respec-
tivoi .
O delegado, desejoso de cumprir as or
densemanadas do escriptorio central, no
llio-de-Janeiro, tnm eslibelccido um escrip-
torio provincisl, na casa desua residencia,
rus estrella do Hozarlo, n. 41, segundo an-
dar. As pessols que tiverem interones a tra-
tar por meio da agencia, podero dirigir-se
a aquella escriptorio, dea oito horas da ma-
ndila al* i 10, e das a da Urde al as 5.
Novo estabelecimento deeotllarln
flna, na rnn Nova, n. 36,
Jos Pndines, coiileiro-armeiro, participa
ao respeitivel publico desta crdade, e prin-
cipalmente a seo* freguezes, que mudnu o
estabelecimento que linha na rus do Roza-
rio larga para a ro Nova, n. S, confronte a
igreja da Colrcei^Bp, Onde 0 aeharfio promp-
ttf* ex arte com a maioryerfeiciio possivel e prest
mais commodo dd'qn em- oira qualquer
parte. O annuhclartle, leudo recebido de
Franca ltimamente um rico sortimento de
objectos de sua arte, oto Ihe he possivel
mencioni-lo* peta grande quantidada e va,
riedade dos meamos ; mas asseveri que tu
do he o mais lino possivel, e ser patente lu-
do sos compradores e por precos mui ra-
zoivelS.'Oannincimtepira facilitar a bre-
viJade ras epcommendas que Se Ihe fi^e-
reii>, njajido vir um ofllciil de Franca,
qualchegou pelo bngue Cenar, e se acha no
eieioicio de sus arte no esubeleciment
cima.
Na rus de Agois-Verdes, casa Ierres
n. 26, lava-se eengom-ma-se toda qualida-
de de roiipi, com asseio e prornplidSo, por
preco mais commodo do que em outru
qualquer parte.
Fbrlda de obras de folhan de
K landres, rna Nova u. 18, de-
fronte da < oncei^wu.
Nesta bem acreditad" fabrica ha conti
nuadeinolile um completo sortimento de
obras de folha, bem como bacas, banhei-
ros, balis de lodosos tamanhos, objectos
de servico domestico e para cozinha, bea
como se fazem toda as obras por arego com
modo e com perleic.no.
00060000 OOOOOOOOOl
Homoeopalhia pura.
J. D Casnnova, facultativo .
deixou do ser leslamenteiro em segunJo lu-
gar de seu finado cimbado Mannel Antonio
Unirte Cuoli-, rujo l-r-se recplhido i esta
orovinciaos u filtto, nprimeiro teslamen-
telro Joyeiiimo Antonio Duarte Cunhs, que
se achara no Rlo-de-faneiro, aquem pis-
lOU a referida testamentaria com a entrega
do respectivo testamento e documentos a
"lie relativos, fleando de ludo desonerado e
saldo em contal; por isso quem se julgar
mleressado sobre qualquer negocio no ca-
sal, deve entender-se com o dito primeiro
testsmenleiro noengenbo Cacboeira-Nova
de SerinhSem, por Intermedio do annun-
ciante, qde pode ser procurado em seo es-
criptorio, na ra larga do Rozarlo, n. 33,
primeiro andar.
Precisi-sc de um homem mogo e sidio,
pin r para Paje de Flores, se oceupar em
trabalho bragal: quem quizer dirija-se
prensa de algodo de Joaquim Jos Perreira,
afim de tntar este negocio.
Aluga-so o segundo andir do sobrado
da ra do tiangel, n. 59, com duas salas,
duas alcovas, seis quartos e cozinha no so-
tao: na praca da Independencia, livraria
os. 6 e8.
Arhou-se un cambada de chaves:
quem ss perdeu, dirija-se ao primeiro an-
dar da casa n. 24 da ra da Cadeis-Velha,
que, pagando as desoezai e dando os sig-
ues, Ihe ser entregne.
Roga-se a todas as pessoas que estSo
devendo contas antigs na venda da rna da
Cadeia do Recite, n. 25, defronte do Becco-
targo, o favor de irein ou mandare pagsr
ssus dbitos at olim do corrente mez d'
setemlro, isto para evitar despeZas, pofsniTo
o fazendo se usar de outros Beios.
Perdeu-se, no da I* do corrente, urna
carleira, coleuJu qualro lettrs da qaan
tia de 90,000 rs .surcadas por JoSo Martina
de Barros, e aceitas por Andre Xavier Vian-
da ; um val da quacitia de 200,000 rs. pas-
sado.por Joaquim Corris de Itezende Reg,
e diversos papis que s servem ao proprio
dono, por isso roga-se a pesso que-a Uve
achilo, de a entregar na travesa da ra da
Madre-do-Deos, n. 19, ou anhancie por este
jornal. i.O]
Aiiciiiao. ftuen tlver nara ven-
deras seguintes obras usadas, ou algmis
ditas lepando, innuncie por esta folha.
itetiro eaprilusl, ros Sanclorum ou
vida vida de Sanio Antonio del.isboa.
-- Precisa-se de um criado forro, ou cap-
tivo, para o aervigo de portas is dentro de
urna cisi eslrangeira : piga-se beru : na
ra da Cruz, taveroa n. 46, le dir quem
precisa.
Aluga-sa o primeiro andar da casa n.
t, defronte do tnpiclie, novo, proprio par
escriptorio; i tmlar ni ra dos Tanoeiros,
a. 5, armazem
-- O bicliarel OJjveira Miriel est .ero
exercicio da primeira vira do juizo muni-
cipal.
Precisa-so b> m hmm Aaclbni|-ou
estrangeiro, pira caixelro de unji laverna:
no'lltgodo Pilar, n. 2t.
'Perdeu-se, no dii 12 do corrente, ni
estrada da villa do Cabo, urna carleira de
Flandres, com 93,000 rs. em cdulas, uns
Diarios, dous nmeros da Marmota e limas
Cartas : quem achou, querendo restituir,
iirij:i-se. ao engenho Utinga, ou ra Direi-
ta, n. 93, que ser recompensado.
AtteneSo.
No escriptorio da ra larg "to Rozarlo,
n. 33, primeiro andar, tiram-se passuportes
nara dentro e fra do imperto, oorrm-a
folhas, tiram-se liiulos te residencia tem-
porarios vitalicios, desyachim-sa esen
voskJazem^econciliagoe,* UWaiiemei-
mo de qualquer negocio- forense, crime
civel i ludo a contento das partes, com
precisa prortiplidao epreqocommodo.
A pesso que iiinunciuu pceciMr alu-
girum sitio na Varzea, dirija-se esas de
Mignel Felicio da Silva.
fi pessoa que nnnuncion pre-
cisar de utrt sitio na Passagem
com bauheiro, casa pequea e si-
lio grande, falle a Jquiui da Sil
v* Lopes.
Roga-se ao Sr. Dr. Joaqun Jos L. Vi-
inni do MirinnSo, quevenha ou mande
pagar a quanlia de 136 000 rs. como prin-
cipal devedor pelo Sr. Dr. Machado ; do con-
trario, lera de ser sempre lembrado : ni ra
d Cadeia, n. 13.
Qdem quizer comprar urna lettra doSr.
Dr. Honorio Vaz Curado da quantia de ris
110,280, annuncie para ser procurado, que
tolo negocio se firi.
, O Sr. Ventura Joaquim di Rozi hajidr
tres da mitriz da
O
homueopiUii, da consultas/dos os
iT nomueopiuia, ua,cuuwHias {-vuua o .
das uleis, desda! 3 horas\e ma- g
nhwi ie io \ii !if-c, :u: -- v-- -
O deia de Santo-Antonio, n. 9i, segXia- W
O do andar. O pobres serfio IraUdos
O gratuitamente.
Precisa-so engajar alguns ofliciaes de
ealdeireiro para irabalbarem em caldeirss
de vapor, sendo arrebUadora, ( a que os ln
glezeschamam lUveien) dando garanta
saa conducta :paga-se o jornal de 3,500 por
da, e da-se paisagem gratuita para o Rio de
Janeiro, onde irflo tribilhar na ollicina da
rompanlila braeiteira de paquetead vapor ;
advertir*!*, porm, que se depoia de all
cnegirem, com um mez de experiencia,
provarem ineapicdade, lero conducidos
pira aqu, igual mente nlo pagando passa-
gani. Qnem esliver neslai circumstancia .
qunero diloeiigajanieuto, podo dinigir-
sa io gente da dita eompauhii, na ra do
Trapiche, n. 40.
-- Aluga-so o primeiro andar o ouuraao
n. 16, ni ra do Rozarlo estrella: a filiar
00 segundo d mesme.
A quem convier, -
Jos l.uiz da Silva CuioiarSes faz sciete,
que, desde o da 13 ou U de agosto ultimo,
Iir pagar a quintil qua nao igaori, ni ra
a Cruzan. 9.
- Arreoda-se para qualquer estabeleci
aM*'t6umi pro'priedade sita ni rut'da'Flo-
rentina, sop do estabelecimento doSr
Beringer, iqdil tem porto de embirque
a.ir detraz : a tratar nesta typgrapl
W Cbapdo^enoi: ,
<*&- Rui do Pisseio, o 5.
I (Vest fabrica hi presentemente um rico
sorlimenlp destee objectoi de todn is q-
rese quhhdes. Unto de sed como de
nasminh, por preen* eoaimodos ; di toa pa-i
ra senhtira, de bom gosto : estes cbapos
s5o feitos pela ultima moda; leda adamas-
cad! rom neis franjas de retroz. Na aMSm
casa se chi igual sortimento de sea>, e
p:s:::'r.hc; :o:i,.in''n ?ed?s, pan cobrr Ir-
macfiM servidas : todas estas fizondas ven-
dero-se 4Mn porgflo a a retalho : tambenwse
A concerta qualquer chapeo de sol, tanto de
"'hasteas de ferro como de balis, isslm como
umbelas de gre^aa ludo por pre?o com-
modo. Na mesma casa ha chapos de sol,
de marca msior, de psnno e de seda, pror
prios.pirg feiloresde engenho, por. aerear
dos mais fortes que se poden fabricar.
U lysse l).-oz, relojoeiro suis-
80, de passagem por esta praca,
onde tenc4paai;de|n,prar-9e 5 ou 6
mezes smente, concerta toda e
qualquer quadade de relugioe
eem qualquer estado em que se
ctiem ; afttirh como tem para ven-
der, relogios de ouro e prata do.s
melliores fabricanies : na rna da
Cruz, n. 44 primeiro andar.
Precisa-sedimi multier desempeS-
la para o servigo eterno C xlerh de um
cisi de pones familia, distante desta prioa
--------------
legos o meia : i trlnr
l!oa-VSti,il.'22.
A'tenco.
Enfeitam-serlqussimss bandejas de bo
Ijnhospari bailes, bsptisados e cisimen-
ls, ou pan qualquer divertimento : na rus
di Concordi, n. 0. .
~ Aluga-se um sitio nos Afogsdos, ni
rus de S.-Miguel, n. S9 : i trilsr na rui da
Conce^Boda Boa-Vista, n. 58.
__ Na loja de Madama Theard,
na ra Nova, n. 32, fazem-se com
muita presteza eperfeic3o chapeos,
vestidos, manteletes, capotinhos,
toucados e todos os mais enfeites
desenbora.
Aluga-se um sotflo de urna cisi terree,
emFra-de-Porlis: i tratar ni roa Nova,
n 9
-AJuga-se um moleque U annos: ni
rui doLVnmento, n. 1, primeiro indir.
Os Srs. fabricantes de assucar que os
transportan) pela ponte da Magdalena, que
rendo-os ibrigir' no sitio Capellnha, uro-
zimo da mesma ponte, nollo acharSo com-
modos fechados, e abrigo para os seus ca-
vallns imirrados, assim como capim para o
sustento dos mesmos : iproximidide da-
nuelle sitio do Recite, os livrir de roo-
Iharem os seus effeltos, porquanto podeni
aproreitar qualquer estiida pan chegarem
ao mercado : quem, pois, se quizer ulili-
nr, dirija-se ao referido sitio, que achara
com quem tratar.
~ Precisa-se de um feitorpara engenho,
preferindo-se hbmem chegado recentemen-
le no palz : quem estiver neslai circums-
tineias, drijs-te io escriptorio do Sr. Ila-
noel Gonijalves da Silva, na ra da Cadeia
do Recife, i fallar com Jos Joiqulm de Mi-
rinda, que tratar do ajuste.
Precisa-se de urna esenva que sub
cozinhir muitobem e fizer todo o servico
ile omi cisi : pigi-se bem, na ri do Col-
legio, venda n. 25.
Alnga-se urna casa terrea ni povoi-
c3o do Monteiro, com duas salas, quatro
quartos, cozinha fra, qmrto pin pretos
esirihiria para dous cavnllos e dous quin-
taos murados com portSo para o rio : quem
a pretender, dirija-se i trivess do Veris,
0. 15.
< Declara-se em tempo, que oSr. Fran-
cisco Jos da Silva, chamado rus do Viga-
rio, n.7, como consta do Mario de l'ernam-
buco ns. 208, 209 e 210, he pessoa que mo-
ray na ra da Ouia, ou por ahi assim, em
outubrooe novembro do aanopassado.
Desji-se saber se existe nesta provin-
cia o Sr. Antonio l.uiz da Silva Mendonca,
ou alguem por elle, filho que fei de l.uiz
intonio da Silva Mendonca. natural do Por-
to, vindo pira iqui em 1816, com idade de
16 annos, pouco mus ou menos, e casado
depoiscom a senhora D. Mana Senliorinha
Naotividade, ou D. Senhorinha da Nacti-
vidade, lilha de um negociantedesta praca,
cujo lime se ignoia a fallir na ra do Vi-
gario, n.'7, ou no largo do Corpo-Sinto,
n. 17.
Um npBZ brisileiro se offerece para
caixeiro do ra ou cobranc, o qual da lia
dor a sua conducta : quem de seu prestalo
se quizer utilisar, dinja-se a praca da lurte-
peiWcucii, n 18j ou na ra da Assuropco,
d. 36, segundo andar, x
Retin-se para a novfl colonia deMossa-
medes, Margarida de Jess com tres filhns,
Jos Pedro de Souza, Piulo, JoSo Kerreira
Coutinho.eJoslnloijJb Pinto CuimarJes,
levando emsuacomp^nhii dous olliciisre-
fnidores Jos da Silva Mimiz e Francisco
Jos Rodrigues, todos sutidiios portuguezes
Manoel Thpm de Sanligoe sua mulher
Rosa Maris da ConceieSo rellram'-sc para
Uossamedes ua barca Br$eharenie,
i Precisa-se de urna ama de leile : ni
da Cruz, atrs do CoTpVssnlo, n. 68.
-- Pelo juizo 8a scgunU* vara do civ,eT, as
borlado costme, no-fff 2
trangeiro, tanto em preco o orno m qui-
lidade da materias primas e mSo d'obra,
a saber:
Machinas de vspor da melf lorconstruccSo.
Moendas de canna para mgenhos de lo-
dos os tamanhos, movidas a vapor por agoa
ou animaos.
Rodas d'agoa, moinhos de vento e serr-
is.
Manejos independenles para cavados.
Rodas dentadas.
AguilhOes, bronzesecb umaceiras.
CivilhOes eparifuios de todos os tama-
nhos. ,
Taixis, piroes, crivos e boccis de forna-
Moinhos de mandioca movidos a mo ou
por animaes, e prensas para (dita.
Chapas de fogo e f rnos de farmha.
Canos de ferro, tor neiras de ferro e de
bronze.
Bombas para cacimba e de repucho, mo-
vidas a mSo, por anim es ou vento.
Guindastes, guincho s e macaco.
Prensas hydraulicas e de parafuso.
Ferrageus para navios, carros e obras pu-
blicas.
Columnas, varandas, gradeseportos.
Prensas de copiar cartas e sellar.
Camas, carros do mSo e arados de ferros,
etc etc.
Alm di superioridscle dis suis obrss, j
geralmente recuuhecida, Bowman & Me.
f.allum garanten) a ma is exacta oonformi-
dade com os moldes e dezenhos remeltldos
pelos senhores que se dignarem de fazer-
llies encommendas, sprovetandoa occasiSo
para ogradecerem aos seus numerosos imi-
gos e fieguezes a preferencia com que teem
sido por elles honrados, e asseguram-lhes
que nSo pouparSo esforfos e diligencia.*
para continuarem a merecer a sua confi-
anza. .
Aluga-se o segundo andar e sotar, do
sobrado atrs da matriz di Boa-Vista, n. 26,
com commodos para grande familia : a tra-
tar na mesma ra, n. 22.
Precisa-se alugar um moleque, ou ne-
gro, para o servico de ra e casa, e que se-
je fiel: na ra da Cruz, armazem n. 48.
Na ra de Hurtas, n. 5t, apromplam-
se bandejas do bolos de encommenda; tam-
bem seda de vendagem a pretas, (cando
seui senhores responsaveis. Ni mes un casa
engomma-see lava-se com asleio e porfei-
f3o, por preco commodo.
Aluga-se o armazem n. 20, defronte da
ra da Madre-de-Deos, largo da Assembla,
o qual serve part prensa, armazem de reco-
Iherasucar du couros, por ser perto da
alfandega e do trapiche de embarque, ten-
do de fundo 110 palmos e 71 de largura :
quem o pretender, falle com Manoel Alves
Guerra.
28 do enfrente, se
urna caa mei'agoa, no oec-
ra"*dos Pescadores, por
i Morelra conra 'Francisco
"hi de arrematar
co por detrs da
execucao de Jos Morel
Monteiro de Andrid':.
Aluga-se una'casa terrea conflolJa,
no sitio do Cordeiro, margern do n
pibaribe, com commodos para grande fi-
miha, cosinha fra, qurto para criado, es-
tribirii, coxelra pira cirro, etc. Urna
mais pequea, no fundo do mesmo sil
tratar no paleo do Cirmo, n. 17, com Gi-
brlel Antonio.
lttta^|||I|
'auto aigaMuir, dentista 1
finneez, reeSpteiuruie ene- I
ga ,eu ineatimo, i.ui)Uw> pa-1
i ra todo* oa.JjBilsten- Uo.aua *
Vroflw>ao, tfr extriUalnat,.
limpund e uuiuanrta ow t
i
dente iiaturnes, qiir suljsti- m tulmlo-os por ontros artlll- ~
m elaeM, pura oUw tem o te-
0 Uiort'N appai-elhoi-. l'ctc ser
Itiocui-arlo it <|Ual(iiiei' Hora, r
Seni sor famnn larga d *
Jtozario, n. segunda an- U
Rogi-aa i**r. *eg un do teen te Jos de
Cerquera-Lttii; da Bahl, riqe'msnrtepagir
urna lettra, que eirha tailltjtlia oito me-
lojfilnilririo.'teTidevtPflajjipre o seu
me neita falh
BOvWA1f*#!C. CALIJaH/cngen
fos machlnislas e fundidores de ferro
rospeitnaimenle innunetam aos Senh
propriel
neiros, negAofimes, fabrffilMM e i
aeitavel publicwque o seu estabelecimento
de ierro m*rfn pot machill do
tinaam- eWa*M*oxcrrcio,eeflf3hacrjm-l
pletamente aomsdoeem anplfelhos^di pri-
aieira quilidade para a nerferla cOnTeccdo
das maiorea pecas de miel
Compras.
re-
Compra-se urna banca
do ma de Jacaranda, para meio de'
snla, em meio uso: nesta lypo-
grapibia, ou annu.icie.
_ (f.ompra-se electivamente cobre,
chumbo^z.'uco, estanho, e toda a quada-
de de metal velho, nfio aelrto forro : na roa
Nova,. 9
Compram-se escrayos cpoi hibllidadea:
ni ra lerga do Rozare, n. 4, primeiro ao-1
dar.
--Compra-ae, para Bma^ncomnienWa.
na escrvoque seja bom ofllcial de tanoei- Q sed,.| 1^500 rs. o par; esas frauce-
ro i paga-se bem, agradando : na ra da O-igs nodernas, a 500 560 e900rs. a
Moda, n.7, a tratar com Leopoldo di Costi <5 vari; filas par. pe*coQo de Senhora,
Araujo. O ,00') rs- c*j8 ual* eoulras mu- 0
Comprt-a una negra, prererindo^e q tas Inundas lanto para sennuraco- q,
de rracflo-esejapeifeilaengommadeira, sli-_q m cara homem, : vende-se na ra ,
*
Vende-se, por prero commodo, fumo
em folhi pan cap e mfolo de chirutos;
potnsi em barriquinhis: no armazem da
Oas Ferrein, no caes di Alfandega, ou em
casa de Movaes & Companhia, ni ra dn
Trapiche, n. 31.
Km casa de Me. Clmente & Compa-
nhia, na praca do Corpo-Sanio, n. ti, ha
sempre um sortimento de panno azul do
diversas quilidides, o qual vei'i de propo-
sito pira ser vendido aos Srs. ofliciaes o
mais tropa.
Vendem-se gigos com champmha
( C & C ) a molhor qualidade que vem a es-
te mercado: em casa do Me. Calmont &
Companhia, na praca do Corpo-Sanlo, 11.
- Na ruu dasCruzcs, n. 22, segundo an-
dar, vende-se umi parda de 26 annos, com
habilidades; urna negrota de nacSo, de 18
au'.ios, com mhilidi.ies, e pira Tora da pro-
vincia ; urna preta de 30 annos, quitandei-
ra ; um ptimo escravo de nacSo, que en-
tumi muito de pidirii.
O antlgtt barateirodo Passelo-Pu-
blico, loja n. 11, de Firniiauo
Jos Rodrigues Kerreira. an-
iiiincla as gegulntes fazendan:
pinnos linos pretos muito superiores; ditos
izues ; merinos superiores; selim preto
de Mico; ditos de cores; gorgorees de se-
da para cuteles; risrados monstros ; cis-
sa-chila ; csstores; brins tnncidos; cha-
les de ISa e seds ; ditos de lirlltaua ; cam-
bra ias lisas muilo baratas; alpacas; prince-
sas, lilas linas; chitas ; madapolOes ; e ou-
tras raulas fazendas que as vender por
precos que agr Jaruo aos bons fruguezes de
linlieiro a visti, por ser o lempo proprio
para taes compras.
Vendem-se figuras colori-
das representando fielmente os
homens mais nptaveis da Franca,
feitas de borracha e sentadas so-
bre o marmore, proprias de se ter
sobre mesas : no pateo do Colle-
gio, casa do livro azul.
Ni r Augusta, n. 11, vende-se urna
preti, boa pira o servico ordinirio e vender
quitindt.
-Vende-se i dinbeiro i visli superiores
chapeos de castor brinco, pelo diminuto
preco de 10,000 rs. : na nu Nov, loj n. 2,
alraz da Matriz.
--Vende-se muito bsratoo bilhar da Ponte-
de Ucha com todos os seus pertences, este
hilhar be novo ha dos melhores que hi
nesta prag : rogi-se a qualquer pessoa que
Ihu convenhi compn-lo dirgir-ae a ra da
Madre-de-l)eos,a tratar com Vicente Fei rei-
r da Costa que promelte fazer negocio pelo
menos que Ule fflr possivel.
Voude-se um excellente cabriolet des-
coberto de bonito molde, irreios fortes e
novos, curo cavallo ou sem elle, e por pre-
co commodo : na ra do Collegio, n. 16,
primeiro andar,
O Moderno c. bom gosto.
O Cipetmhose manteletes, sodis lisas C->
Q de furia cores, corles de blondo de <>
j cor, novo sorlimenlo de parisienses, Q
a loncos de cimbrii de linho borda- Q
dos, ditos lisos com barra6 em i q
eaiuiosiiilio com estampa cada car- ".
t3o( copjos laucos ja se sabe; pelo f
diminuto preco de 3.8W rs. lencos
2 de *jMiC*l)onltascOros 1,280 rs. cada C7
um ; luvas de pelica com borlas de ""
9
O
B
&
O
lia cortar e fifer vestidos com perfejcio a
qualquer umi costun.e tenlu ilgam prin-
cipio de royinha, sem vicios nem achaques
esiji recolhida : ni ra Larga do Rozario,
n. 28, segunda) indar por cima ds loja de
lotiza.
Compra-s um traneplim com umi
toedalbi deouro, quetenha de peso a 5
oitavas: na ra dos Quarteis, padaria de
Manoel Antonio de Jess.
Cmpra-se um obrado de um andar,
oo casa lerna, que eja nova e en boa rna:
no Pdsselo-Pubfico, u. 7, se dir qOe
compra. ~.
m i-. 'J
Vendas.
--Vende-i um eandieir francez'pin
cima de njjzia ou bilcao, com vidro com-
pridtv, gloho e urna mirlguinba do aohre-
ssllenfe, quai novo, e por prat muilo
commodo : aa ra d> Ilortii,#n. 2, cisa
terrea coma frente pinta* deazol e porti-
das braAcas
Vende-se cobre- em folha para forro
(le.navios, e pregos dn mesmo metal: am
Cisa de Me. Calmont & Oompanhii, ni pri-
ca do Corpo-Santo, n. 1H
Vende-i i chumbo doonunicSo sortido :
mcasade.Mo. Calmont & Companhia, na
braca do Corpo-Santo, n. ti.
Vende-se um forte (Rano do celebra
autor Bwadwood, o mais magnifico ios-
lruiiilo, {aillo na constrtlcco como as
vozes, que tem viudo a esta cidade: em
lia de Me. Calmont & Companhia, na pra-
ta do Carpo-Santo, n. 11.
Maii pechincha.
Vendem-se gangas trancadas amarellas, a
UaMiin eovado:lindo vMliilne hn'HiiInt
com botos pela trente, a 6,500 rs. cada cor-
te : as rul do Crespo, n. 10, esquina di ra
das Cruzes.*
r:\eclleiiteanrelasderariiunba.
Vendem-se excellentes velss de carnau-
ba, em porcOes e retilho, por preco com-
modo : ni rui da Maiigueira, na Bea-Vista,
n. 12
Vendom-se C moloques d 1 a t8 an-
s, sendo um ptimo barbelro sangra-
dor ; C prcto*aJeJJa 25 annos, sendo um
dellus olinr o sipteiru, outro cozinheiro;
um pardo de 18 annos, com boas prii.
da carpios; duas pardas de 13 a 18 annos,
umdellaacom Ukbiaades ,- 7 pretas da 18
se ach cm- a 26 linios, com habilidades, s que silo pro-
priaipinlodoo leivico : ni rui do Coile-
-
Ni na ra-da Cadeia do Rs-
pnriieularmento chamar s
ubjica pin a iseguintes, par
terem dellaagrsnde sortime'qlo j* prompta,
as quies construidis na sua fabrica pilem
competir com as fibricadas em paiz ea>
do Crespo, n..9,loja|mrelladola- ~
m4o d0 sul- o
A flor das enmrala*.
" Vende-s a Dor des camhriiis, i 500 rs i
vara, da/cores toa"*; cortes de cambraias
abertas de sublime gosto, a 5,000 rs. ; pe-
Cas de cambriles adamascadas e favradas, a
3,000 rs.: ns mi do Crespo, n. 4, lido do
norte.
Vende-*e um excellcaie sitio, deno-
minado dos Coqueiros, em Beberibe-de-
Raxo, com cisa de pedn e cal pira familia,
nov, com copla sobre columnas, d.:as sa-
la,. 3 quartos e cozinha, em frente du rio,
eom ptimo porto para desembarque em
frente d| porte; he muito perto dos Ar-
rumbados, sendo de larris proprias, a estas
adeqadis di qualquer agricultura, com
pasto Techado paja ter 12a mais vaccis de
leite, sempre gprdis, mitas para se tirar
mais de um cunto de ris em lenba, gran-
des bmas pr oapim, prximas ao embar-
que, enm um numero extraordinario de co-
queiros de prodcelo e outros prximos a
BJodii7UfjUiiSdo 80 ps de optimS man-
gueiras, inclusive ai. de llimarac, com
trras tura triuilher vinle aptivos o mais,
grande partido de exceUenles mangabeiris,
cajueirns, e.oulras arvoresde frulo : a tra-
tar no Korte-do-Maltos, com Manoel lgna-
de Olivein kobo, em sua prensa.
Lotera da matriz da o*>Vl*lnJ
-tos Jo:ooo$ooo e prnonl^ooo.
Na loja de mnjdrzas da praca da Inde-
pendencia, a. 4, vendem-se bllhetes, meios,1
quartos, decimos e vigsimos deata lotera
aue corre ateo fltn do crrante mez.
Rilhetea tO^W
^H s_nnn
Quartoa 8W0
Decimos 1,100
Vigesmus 00
Vende-aa.meUdedeuau ciss terrea,
ni ra da S. Cruz, u. 39, emchSoa proprioi:
ua ra do Mondego, n. 10".
ende-se urna escrava de 18 annos,
bastante habilidosa, de bonita, figura, sem
ni ra de S.-Francisco, n. 68
- Vende-se chl hyssoa de superior [qua-
i caixas G meiis ditas, e em lotes
a vontit! do comprador ; caixas com velas
a nielhor qualidade : ua
ra da Alfandega-Jfelha, n. 36, escriptorio
de Matheus Austin & Companhia.
- Vende-se urna negra de 16 annos, re-
colhida, de boi, ligara, que coie, faz lava-
rinto eo miliiervujo de urna risa, m
tiuha d.e it annos, qua cosa, engom-
liTriiladiba^ara eropreliand! miudezes, vena^m-seKif cozinha, penleu e veste urna lelio-
onris (i Su srte, nwmn A <., C.-.um (raneas nmlasuf? crz:t d: ted:; s: !;r ,rr.; ufes p.'ets i: K sanes, qus ecz;;Si,
Jesejam mais partirularmento chamar i auras, proprias para manteletes e guarni-
eres de vellidos j bem como iderocos prc-
los para luto,dos maiaoiodernoa que teem
chegado do Paria, i,or mais barato preco do
avie em outru qualquer parle.
Uva, e he boa qnitandeira ; 2 moleqnes pe-
gas, de 18anuos, ptimos para o trabalho
do camp e da prega ; um cibrinha de 10
nnosi que serve muito bem i umi ca>a :
na ra do Collegio, n. 21, primeiro andar.
n n


-
tHKBOIWIi^ lia
Vende-se, no Giqui no
principio das Areias, um sitio com
tres moradas de casas, lugar
limito proprio para negocio : na
roa Direita, n. 6.
M irruas superiores.
Nnfundigliode C. Starr & Companhia,
om S.-Amaro acham-se i venda moendas
de canna, todas de ferro, de um modelo e
construcgao muito (superior.
Arados de ferro.
Na fundillo da Aurora em S.-Amaro ,
vendem-se arados de ferro de diversos m-
telos.
Vendem-se amarras de ferro: na roa
da Senzalla-Nova, n. 42.
Vende-so farinha de Santa-Catharina,
muito superior, a bordo da galeota Santiiil-
ma-lrindadt, fundeada junto ao caes do
Coliegio.
l'nrinlin de mandioca.
Na ra da Cruz, no llerife, armazem n.
13, e na ra da Cadeia, armazem de (".am-
pollo Filho, vende-se farinha de mandio-
ca do Ceari, muita alva, gommosa e de ez-
cellente gosto, tanto em pequeas como
em grandes porcOes, por prego commoilo.
Vende-se, por prego co modo, farinha
de mandioca, em saccas grandes ; a tratar
nos armazensde Ilias Ferreira, e Gouveia &
Das, no caes da Alfandega, ou com Novae9
& Companhia, na ra do Trapiche, n. S4.
Vende-se manteiga ingleza superior, a
480, 560 e 040 rs. a libra ; cha hysson, a
s,000 rs. a libra : na ra da Aurora, n. sr,
tlnln. PRR
branco, em barris de cinco em pipas, me-
Italia, e de todas as mais qualidades, por
oreos rasoaveis : na praga da Independen-
ia, n.26.
Wnssa de vapor.
Acha-se aberla a padaria da ra do Blir-
ios. Forte do Mallos, na qual se achara
ariamente todas as qualidades de massas
linas, Irabalhadas por machinismo tam-
bem se fabrcam encllente pRo e bolaxi-
nha de araruta, ditas inglezas, bolazocs
quadrados e redondos, e outras mais mas-
sas tudo obra prima : as mesmas se acharSo
ao deposito do pateo do Terco, n. 10.
Aos genitores de engenho.
vendem-se cobertores oscuros dealgo-
ISo, proprios para escravoa, por seren de
muita duragSo.pelo diminuto prego de 640
rs. cada um : n ra do Crespo, esquina
que volta para a cadeia.
Deposito da fabrica de Todos o
Santos na lialila.
Vende-se em casa de N. O. Bieber & C.
la rna da Cruz, n. 4, algodSo trancado
(aquella fabrica, muito proprio para saceos
teassucar, roupa de escravoa e fio proprio
para redes de pescar, por prego muito com-
nodo.
inarmelada de Lisboa.
Vende-se na ra da Cruz, n. 63, armazem
de Manoel Francisco Martins, marmelada de
Lisboa, muito nova, e em latas de urna e
duas libras, por prego commodo.
Vendem-se relogios de ou-
ro e prata, patente inglez : na ra
da Senzalla-Nova, n. 4a.
i'. < i,i., fabrica de To Na rna da Cadeia n. 52.
fbo7e"mai's barato 7o"e" m o^utra'qa-i'eiidern-sc por atacado duas qualidades,
proprias para saceos de assucar e roupa de
ascravos.
Meo sortimento de chapeos de
pulJjii e de sola le diversas quali-
dades para senhoras e meninas,
flores, plumas, fitas, transas e to-
das as qualidades de enfeitcs, re-
ceben-se novamente, na loja de
mullme Theard, rna Nova,n. 32,
e se vendem muito em conta.
Gravatas de mola.
Vendem-se gravatas de mola para hornero,
asmelhores possiveis, tanto na quilidade.
como por aerem mu commodas, vende-se
muito barato na ra do Quelruado, loja de
miudezas, finito de cera, n. 33.
O lioin gosto.
Vendem-se cortes de seda de cOrea de su-
blimes pistos, chegados ltimamente de
Franca, a 20,000 rs. ; riquissimas mantas de
seda de grosdenapoles furle-cres. a 10,000
rs. ; lencos de seda para gravalinhas de se-
nhora, a 1,000 rs : na ra do Crespo, loj
amarilla, lado do norte, n. 4.
Lnvas de pellica e le rede para
senil ora.
Vendem-se luvas de pellica 6 pretas de re-
de, as.melhores que poden tiavere por pre-
go baratissimo : na ra do Queimsdo, loja
do miudezas. juntos do cera, n. 3^
Vende-se umescravo Del, perito ofll-
cial de pedreiro e bom canoeiro, por prego
rasoavel : na ra do Qneimado, n. 3, segun-
do andar.
Novo moppa geographioo do
l'ortugal.
Vende-se o novo rriappa geograpbico de
Portugal, em grande frmalo, gravado, di-
vidido por provincias, districtos adminis-
trativos e concelhos, conforme a ultima le
da divisao do territorio, e conloado a de-
marcagSo dos paizes vinhatelros no Domo
e Bairrada; a estradas militares; todas as
trras e lugares notaveis,, com desiguagilo
laquellas em que ba correio ordinario ; a
escala das distancias das lerraa principaes
ontre si ; o msppa dos concelhos, a nume-
ro de fugo de que se compe c-iila distric
quer parle : no caes da alfandega, armazem
de Dias Ferreira.
-- Vende-se a poca, jornal de industria,
sciencia, litleratura e. bellas artes : na ra
da Cadeia do Recife, loja de Joo Jos de
Carvalho Moras!.
Vende-se rap superior de Paulo Cor-
ileiro : na ra da Cadeia do Recife, loja de
Jo3o Jos de Carvalho Moraes. Na mesma
loja tambem se vende om methodo para
violflo, do autor l.uigi Castelacci, contendo
as afinages parase tocar os sons armni-
cos, por barato prego.
Travessa da Madre-de.Dos, ar-
r mazem. n. 5,
Acha-seeatabflecidoum deposito, onde
encnntrarSo os fregftezes nm bom sortl-
mento de licores, espirito de vinho, e to-
dass mal qualidades; superior vinho de
caj; cha mate;.e llagas de vime,apregos
moderados.
-- Vende-se eicellentn cera de carnau-
ba, em barricas, a 7,000 rs. a arroba, j se
salte, contando o dinheiro, para mo haver
tuvidas : bo armazem defronte da escadi-
nba do caes da Alfandega.
(ucijo loiidi-ino.
Vende-se, no armazem de Manoel Fran-
cisco Martins jnior, na ra da Crnz, n. 63,
queijos Ion Innos, presuntos para Hambre,
latas com biscoutinho inglez, conservase
mostarda, chde S.-Paulo o milhor possi-
vel.e latas cum bolacbinba de araruta : lu-
do un vi e barato.
A elle qne sfto baratissimos.
Vendem-se sapatOes de couro de lustro, a
2,000 o 2,500 rs. be o qu" valem da feitio :
na ra da Cadeia do Recife, n. 9, loja.
A I Sum o corte de caigas.
Vendem-se hrins de ccVes, com letra ao
lado, de bonitos padrOes, tendo tambem
cor de ganga, a 1,000 rs. o ertede caigas:'
na ra do Queimado, n. 8, loja defronte da
boliea.
Vende-se superior rap de Lisboa, em
frascos, chegado agora na barca portugue-
sa Ligtia : os Srs. freguezes que gostam de
lomar a boa pitada, nOo deixarAo de o rnaqjjtu' administrativo, correlo e melhorado em
lar buscar ao largo da Assembla.n. 4. todas as suas especialidades, segundo
Vende-se Hagas de vimes, em pavrgBo o
a'retal lio, por prego commodo : na ra da
Cadeia do Recife, n. 20, loja.
Taixas para engenho.
Na fundigSo de ferro da ra do Brum.
tcaba-se de receber um completo sortimen-
to de taixas de 4 a S palmos de bocea as
qnaes acham-se a venda por prego com-'
modo e com promptidSo- embarcam-se,
on carregam-se'em carros sem despezas-ao
camprador.
Vende-se chita franceza com algum
mofo, pelo diminuto prego de 160 rs. o co-
vado : no Aterro-da-Boa-Visla, n. 18, loja
Vende-se a taveroa da ra do Padrt-
Floriano, n. 72, com poneos1 fondos : a tra-
tar na travessa da Concordia, n. 5, sobrado,
das 6 s 8 horas da manila, e das 4 as 6 da
tarde. -7
Deposito de poassa e cal
Vende-se muilo noae superior potassa
'' cal virgran de i.ishfta, em pedra -. tudo ere
barris pequeos de 4 arrobas, or prego ra-
soavel : na ra da Cadeia do Recife, n.
armazem.
12,
Antigo deposito efe cal
ha
virgetn,
Na ra do Trapiche, n. it,
muito superior cal virgem de
boa, pur preco muilo commodo.
Vende-se urna casa sita na ra do Bom-
Fim da ci.ladedo Olinda, cuja casa lie cons-
truida de novo, grande, mono hem repar-
tida, e esta quasi acabada : a tratar com o
tenenle-coraiiel Ignacio Antonio de Barros,
morador na ladeira da Misericordia da niea-
nia cidde, que facilitara a chave da dita
casa, para qu> m quizer a examinar.
ionio de lustro] a 3$5oo a pelle.
Venile-sw couro de loslro, o melhor que
tea vindo a este mercado, a 3,500 rs. a pi-
le;ditaade bezerro francez, a 2,880 rs.;
sapales de couro de lustro, bem tr.balha-
dos, a 4,000 rs. o par; ditos brancos do Ara.
caty, a 1,600,1,000 d 800 rs. o par ; Sapa
tus de lustro parasenhofs, a 1,900 rs.; bo-
nete para meninos, a 840 rs : no Alerro-
da-oa-Vista, loja te calvado ao p do sel-
leiro.
Vr.ilc-ss ;;rss pcrcS5 'di !cn. uor
prego commodo: na prat d iWa-Vista,
'Vendem-se chapeos de mola, co-
I bertoS de merino, de elegantes
-^'rormas e de.superior quaJidade,
eco conjojodo; bss'css!" >in lo sadioe sem vicios, proprio para todo o
servigo ; na ra do Vigario, n. 14, taberna.
Vende-se um preto ptimo padeiro :
na ruada Cadeia do Kecifi, junto ao arco
da Conceigao, armazem do Jos Rodrigues
Pereira.
A 4^000 rs. o par.
Vendem-se sapatoes de lustro
para homcm, muito bem feitos, a
4,ooo rs. d par : no Aterro-da-
Boa-Vista, n. 58, loja de calcado.
junto a de selleiro.
Na ra do Queimado, n. 9,
vendem-se os mais asseiados punhos de fi-
l para vestidos de senhora; lengos para
mHo de menino; ditos de garga para pesco-
go de senhora.
Vende-se por muito commodo prego,
urna rica secretaria com estantes para |i-
vros, bastante grande, propria para advo-
gado, sendo de amarello e anda nova ; as-
sim como, seis cadeiras e duas mesiohas
de abrir : na ra eslreita do Rozarlo, n.
28, ultimo andar, das 2 horas da tarde em
dante.
Vende-se urna toalha de lavarinto,
do urna pequea parte de panno no
he de bretanba de linbo, ou de esguifio
obra muito bem feita, e o lavarinto
modelo muito moderno, por prego o
do : no Becco-Largo, n. 1, segundo
d maohSa at as 9 horas, e das 3 s
larde.
-- Vende-se, ou permuta-se por urna cas*
nesta praga, um sillo ho Monteiro, com ca-
sa de pedra e cal, arvoredos de fruclo e Ier-
ras : na ra de lloi tas, oasa terrea pintada
a frente de azul e as portadas brancas, se
dir que faz este negocio.
Vende-se urna pardinha de 15 annos,
ile rnuitoAooita ligura, que cose bem, co-
zinha ( diario de urna casa, engomma liso,
faz renda, e he bem propria para acompa-
nhar orna noiva, alteqjglendo a exemplar
conducta : na ra largado Rozariu, n. 35,
loja.
AGENCIA
ia fundQo. XiOW-Hoor,
- RA OA SKNZALI.A-HOVA, N. \l.
Neste estabelecimento conti-
rnia a haver um completo sorti-
tnento de moendas e meias moen-
das, para engenho; machinas de
vapor, e tachas de ierro batido
coado, de todos os tamanhos,
para dito.
S Sedas e velludos. (9
Vendem-se ricos cortes de seds mo- K
demos, furta-cres, tanto lisas como 9
de listras e do barra ; velludos de c- A
res; merino azul para roupinhos %
de meninos : na ra do Crespo, n. 9,
loja de JoSo A. G. Cdimares.
999
Arados de ferro.
Vendem-se arados de ferro de
differentes modelos : na ra do
Brum,ns. 6, 8 fe to, fabrica de
machinas e lundicSo de ferro.
cortes de fustSo muito bons, a 560 rs.; cha-
les de tarlatana, a 320 e 1,280 rs.; coberto-
res de algodflo de cor. muito encorpados o
proprios para escravoa por serem multo
atientes, a,#40 ra.; alpaca preta de cordSo,
80017 palmo* do largura, a 1,280 rs. ; ris-
cados de pero linho, a 240 e 360 rs. o co-
vado.
tCF'Rep Paulo Cordeiro :^f
vende-se na ra da Cadeia do Recife, n. SI,
loja deazendas, do Joo da Cunha Maga-
llifles.
Oh! que pechlneha!
Na ra do Passeio-I'uplico, n. 9, loja de
Albino Jos Leite,vendem-se riscados mons-
tros, padrOes de muito bom gosto, a 200
rs. o covado ; assim como se dSo amostras
aos compradores ; lengos de seda, a 1,000
rs. ; cassa de quadros e listras, proprias pa-
ta babados, a 240 rs. a vara; chitas escuras,
a 140,160,200 e 240 rs. o covado; Ieugos
escamados da fabrica, a 200 rs.; castores
rara calcas, a 160, 210 e 320 rs. o dovado ;
brim branco traogadode listras, a 1,000 rs.
o corte ; e outras muitas fazendas por me-
aos prego du que em outra qualquer parte
Vendem-se cem a plices da companhia
H>e. lodas ou em porgOes menores:
Ignacio Jos da Silva, junto ao
lio-Antonio, no cscriptorio da
e no do caixa da mesma so dir
nde.
Vende-se, por prego commodo, para fe-
char coatas, palbinha para cadeiras: na
roa do Trapiche, n. 34, a tratar com Novaes
& Companhia.
to de Cortaillod, de superior qnalidade ;
extracto de absyntli e kirsch ligitimo da
Suisss, em Caisas de urna duzia ; verdadei-
ro cognc velho, c da melhor fabrica do
Franga, em Mirla de 80 garrafas pouco
mais ou menos : tambem se vendem por
prego muito rasoavel velas de slearina, em
caixas de 32 libras ; charutos da Babia de
muito boa qualidade.
9999999999)Vt9099
Manteletes e capotinhos J>
ultima moila. 9
Na loja do sobrado amarello nos (4
quatro cantos da ra do Qneimado, 9
n. 29, tem para vender um grande gfe
sortimento de manteles e capotinhos ><)
de grosdenaple furia corea, gosto tjt
muito oovos e guarnicidos con lin- (Pj
doa bicos e por prego de agradar ao %
comprador. )
99999999999999999to
-- Vendem-se em conta 15 caminos envi-
drsgados, que foram de loja : na ra eslrei-
ta do Rozario, n. 23.
KlqninTes.
Vendem-se riquififos e transinha de lila
de lodas as qualidades e cores,proprias para
enfeites e por prego mais commodo do que
em outra qualquer paite : na ra do Quei-
mao, n. 16, loja de Jos Dias Sitnfles.
ara
Escravos Fgidos.
Fugio, na noitede 17 para 18 do cr-
rante, do sitio Manguinho, de Jos Antonio
-- Vendem-se 90 saccoa de estopa e !- ||>rera la Brito, o sacra o Poasedonio, bem
.JA ma i%nm Hola wapaa na. un. ... .---- ___^^ ^^..__
alteragOes queteem havido al liojo ; na ral
lo Coliegio, n. 9, loja do Irnos.
9Ck00QO9QQOQOQO0O
? Deposito geral do superior ra-^
0 p Afeia-Freta da, fabrica ^j
O deCantois l'ailhetck C. O
2. na Baha.

| Domingos A Ivs Matheus, agente da
nfabricaMe rap superior Areia-Preta da^r
^Baiiia, tem aberto um deposito na rua~;
J-Jda Cruz, no Recife, n. 52, primeiro an-^J
dar, onde se achar sempre deste ex-vj
Ocellenteemais acreditado rap: ven-C!
de-se em botes de urna e meia libra,O
<3nr prego commodo. Q
00000.0000090^00,090
--Vendem-se chapeos da Italia, de.copa
alta, muito bem sonidos, pelo diminuto
prego de 2,800 rs. cada um : na praga da
Ipdependeneia, n. 21
" Vende-se um mulato de 13 annos, com
principios de peleador e canoeir, sem vi-
cios, muito robusto, e oroprio para paseo)',
atteodendo sua cfr, agilidade e linda liga-
ra ; na ra llireil, n. 89.
-- Vende-se o restante de 200 aegoes da
aompanhiade llelieribe : na roa'da Cadeia
da Recife, n. 34, casa de cambio.
A 55oo o curte do vestido.
Veini-m-sB aa mais modernas cimbraiss
sberta.8 brancas e de cores, padrees ada-
mascados, eos melhores gustos que teem
apparecido, 5,500 ra. o corte : Uflo se as
amostras com penhores: na ra do Quei-
mado, n. 8, loja defronte drbotica.
-- Vendem-se oculoa de aro de ago fino,
e vidro branco, para todas as idades ; ditos
de vidro verdee azul para ler de noile, ou
cura de olhos, por ser de vidraga ; lonetas
de um e dous vidio, para augmentar os
objrctos, a que os franceses chamam pen-
i-ener, do ultimo gosto : estas lonetas fe-
chada* servem do microscopios para verifi-
car cdalas e nutros ohj-cto que a vista
uSo a I canga ; pulaeiraa dooradaa com po-
dras, ultimo gosto de Par; bengalas da
ultima moda ; linissimos lupia em qualtda-
de;aarganlilhas pretas; medidas de mar-
roquim para alfaiate; facas e garlos de
cabo do ehifrn deviado, ao uso du baav tom
deLondres;'ditasda balango, cabos df mar-
lim ; finissimas meia para senhoras ; cai-
vetes ; machinas que de urna s vez apa-
ram perfeitamenlo nina penna ; e oulras
Oiuitas miudezas clregadas reeeutemerite :
na rna larga do Rozarlo, n. 35, loja do Lody. Inioa,
Ver.Jc-se us- protc a^u, Uom rebss- Bombas de ferro.
Vendem-se bombas de repoxo,
pndulas e picota par* cacimba :
na rna do Brum, ns. 6, 8 e 10,
fundirlo de ferro.
Lojas de modas, rna Nova, n. 34.
Madame Rosa llardy, modista braalleira,
.em a honra de annunciar a seus freguezes
IJB-cootinua a ler constantemente um lin-
io e variado sortimento de manteletes eca-
potinhos de chamalule preto e gros de na-
ptes furta cores, bem como d fil de seda
preto, para senhoras e para meninas, tem
igualmente completo sortimento de chapeos
de seda de todas as cores. Chapeos de palha
d Italia abertos e feudos com ricos infei-
tes para senhora o meninas, armagOs para
cnaposde sedae de crep, e seda para os
niesmos, bem como lodos es preparos para
enfeila-los, veos do seda muilo rico* pa-
ra casamento, franjas pretas, Illas, luvas,
malas sapatos de setim branco e da couio
de lustro, perfumaras finas, fil liso e er
pe de todas as cores. Faz igualmente pela
Ultima moda vestidos de casamento, man-
teletes, capotinhos, vestidos de ba plisar,
loucadoa da enanca e toda e qualquer obra
de sua profssSeda muilo bom gosto, por
pregos commodos e com promptidSo.
Farinha de TapuyiV
igualmente era).sabor, finura e cor a da Mu-
ribeca, propria para mesa ; veu.le-sa na
ra da Cruz, uo Recife, rmaseos a. 13.
Vendem-ae, na ra da Maeda, armazem
o. 15, meias Mrricas.com al virgem de
Lisboa, a mais nova que ba ao mercado, por
prego com mud.
Chapeos de solp* sennoraN,
Vendem-se chapaae aol de seda cum
franjas, muito ricos, H cabos de tuarm
a dos mais nioderno.'.*Y fu iio uotiegio, n.a^ajj
Vendem-se cluplde aol de seda pre-
ta e da Cores a 4,500, 00 e 5,500 rs. eada
um, com annagao de oaleia e muilo bons.
A cldade de Pars, ru40 Coliegio, n. 4.
Grande soriiaaaajp de chpeos de sol
de panno traogado, aStOgrandes, com ar-
magOeadabaleia daa-Blis fortes, cabos de
latao e de pao, propHHpara seobores e fei-
loros de engenho. A cgada de Paria, ra do
CtW(a08 dp sil daBllininho com arma-
g!io de baleia, pelo diaatnuto prego de 2,000
rs. cada um. Acidadeoe I
godSo, novse com duas varas eada un.,
proprios para farinha : na ra larga do lio--
zaiio(n. 48, primeiro andar.
Aos Sr. mestres sapateiros.
Vende-se couro de lustro, a
a,5oo rs. a pelle na ra Nova,
0. 6, loja de Maya Ramos & G
Vendem-se velas de carnau-
ba, por preco commodo: na ra
Formosa. quinta casa.
Casa de modas francesas.
Buemrd Mlllocluu.
Ra do Aterro-da-Boa-Vista, loja n.l.
Pelo ultimo navio chegado do Havre, re-
eebeu-seas ultimas modas de Pars para
uso das senhoras, come sejam : chapeos de
seda e de palha, capotinhos, manteletes,
cabegfles de bico, camiainhas, golinhas,
manguitos, lengos, bicos, fitas, meias, flo-
res para casameuto, chapeos de palhas para
montara, trangasde sedae algodSo, botdes
de todas as qualidades, fil liso e bordado,
cambraia lisa e bordada, e mais ontraa fa-
zendas de gosto e baratas.
Loja de seis portas em frente da igreja
de N.l 8. do Livramento.
0 administrador deala loja querendo tro-
Xr por cdulas alguna alcaides que anda
s restam, tem resolvido vende-los por
ha izo prego, para animar aos compradores,
sendo : chales pretos de rede, a 240 rs., pro-
prios para as senhoias que estiverem de
luto botaren) pelos hombros quando forem
para o banho ; lengos de fil de tres pon-
as, a 240 rs. ; corles de cassa seda, a 5,000
ra.; riscados monstros, a 360 rs., e mel
ditos, a 200 ; chitas, a 120, 140, 160, 180,
200 e 240 rs. muilo lina ; cassa preta a 120
rs. o covado; e um sortimento de fazendas
em porgo e a retallio por prego rasoavel.
Cera em velas.
Vendem-se caixas com cera em velas, fa-
bricadas no Rio-de-Janeiro, sortida ao gos-
to doa freguezes, por mais barato prego do
queem outra qualquer parte: na ruado
Vigario, n. 19, segundo andar, a fallar com
ilaoMdo & Piflheiro.
-- Veode.su superior cara de carnauba :
oa ra da Cadeia do Recife, n. 20, luja.
: Vnde>-sa meias de 13a branca, gran-
des o pequeas : na ra da Cadeia do Reci-
fe, n. 15.
Vende-seumrebugo de muito gosto,
por prego commodo : na ra do Trapiche,
o. 15. armazem1.- M*1 a :
' Vende-se um terreno e telbeiro na ra
la Palma, n< 10,. que confronta com, o so-
radodoSr. Gomes ,1'e.nna : na ra Nov,
taberna n. 65. Na mesma taberna tambem
se vende urna porgo de relilos para bar-
Deiro.
. -- Vende-se, no armazem da ra da fruz,
n.9, feijao multo novo i, padras.para Durar
agoa ; globos para ler luz na cicada ; 3 cai-
zes para depsitos de gneros; um rico
fragodebalanga grande: tudo por prego
commodo.
Grande pechincha.
A 4-oP.e 5.000 rs.
V'nde-se urna porgSo dacassaa franceza
de novos padrn* e de muitas cores, a 400
1. a vara.e muilo Anas, a 500 rs. ; dita*
retas triuito finas, a 480 a 560 rs. ; chitas
rgas franeeias, a 320 rs. o covado : na roa
o Crespo, n. 14. lja de Jos Francisco
lias.
Na loja de Fernandos da Luz
K Irmo, na ra do Livramento,
n. io. vendem-se brins de listras
legio, ii. 4.
o b
i Pars, ra do Col-
J'o barato
Uto acontece
causa aduiiraco !
na ra do Grespo,
n.6, loja ao p dolampeao.
Vendem-se cassa-ctiiu* de muito bom
lOnaln. a 340 rs ; corlea da ditas do melhor
gosto q e lee m a p pa recdo, a 2too r s.
tas finas debpas tintas, a UO e 180
covado ; riscado americano, a 140 e 160 rs.;
dito trancado, a 180 e 200 rs.; algodSo
mesclado, a 200 i azul com 5 paf-
a200rs. ; dito de cores, a 200 rs.;
prots'pirs !a5', s leo rs. o **** ;
de cores e do ultimo gosto, pelo di* K^ffi^W*^?;
iuuiutc prcyO Je .sSs rs. a vara; &!.&.-.> litio '.lacir;, ::sd? fm
t outras muitas fazendas que a vis-
ta dos compradores se far nego-
cio-mais era conta do que em ou-
tra qualquer parle.
M amelada
de mimos, em eaisinnas pequeas, tanto
*m porgo Como a relalho ; caf de primei-
rae segunda qualidades, feiJSo mulatlnho,
encarnado e caboclo, chegado ullimamen-
*e do It i o-de-Janeiro, por prego commodo :
na ra da Cadeia do Hecife, n. 25, defron-
te do'liecco-Largo.
Na loja amare I la do lado do nor-
te da rna do Crespo, o. 4,
ndem-se cuita* francezas de cores fizas, a
JtOeaso ra. o covado; riscados bianaV
para camisas, aaStOrs. o covado ; e outras
muitas, fazendas de linbo e seda por bar a-
mr -.... Ar flf\ ,i 'i lili t *
lilaila Cruz, n. Si, -
Vendem a pregos commodos, vinho mus-
em caixas de urna du-
bom de l.avradi) e Col-
de quinto; ditu de Cham-
creditada marca : dito liD-
conh'eido nesta cidade, de 9* annos pouco
oais on menos, cabra, offlcial de tanoeiro,
de altura regular, seceo do corpo, principia
a barbar: esteescravo foi cria da viura D.
Joaquina, moradora ua Soledado, ou oo Gi-
qui, e esta senhora vendeu-o ao S. Car-
los Fraderico, que foi proprietario do enge-
nho llura rema em SerinhSea, e morador
na ra do Sol desta cidade, e esle o vendeu
aoannunciante, quando o dito escravo es-
lava preso por ordecn do mesmo Sr. ni ci-
dria desta cidade em 4817 oo 48; anda des-
galgo, ecom oalgas ejaquets.eas vezes an-
da de camisa a jaquet de riscadioho encar-
nado e caigas de caiemira com lstrinlias
encarnadas; julga-se andar pelo Hecife,
por ter mi e irma na casa da viuva, e por
ler muita relago com urna preta de nume
Rosa, escrava do mesmo Sr. Carlos. Roga-
se aa autoridades policiaca e caeilSes de
campo, que o apprebeadam e levem-on i
ra do l'adre-Florianno, a entregar ao Sr.
Francisco Antonio Pereira da Brito, ou ao
engenho S-Cruz, na fregnezia de Una, que
serlo gratificados. Adverle-se que o dito
escravo j esteve na cocheira de Jos Mara,
na ra daa Floree, aprendendo a boiiar.
No mez de maio, pela fasta do Espiri-
to-Santo, fugio, do engenho Utinga-de-
Baiso, um negro de nome Tliumaz, alto,
grossura regular, cor bastante preta, olhos
afumacadoa, cara um tanto cemprda, per-
nea meias cmbalas, tanto que parece que
puza por una, ps meios apalhelados ; he
muito ligeiro no andar; ha crioulo ; re-
presenta ler 20 a 25 annos; lie muito rbe-
torito : este escravo foi comprado aos her-
deiros do fallecido Antonio Leocadio l'ais
Brrelo, por escriplura que os mesmos II-
zeraei a Joaqum da Silva Oosla, e a seu
fallecido pai, Jos Aires de Castro jueni o
pegar leve-o ao referido Costa^em dito en-
genho Utinga-de-Haizo, ou nesta praea, a
Manoel Ignacio de (Jliveira, na praca do
Commereio, n. 6, primeiro andar.
No da 10 de solembro de 1850, s 7
horas da noit^e, desappareceu urna parda,
indo fazer o despejo na praia, de nome
Joanna, representa 25 a 30 annos, alia, cheia
do corpo, cara redonda, o I luis grandes, des-
dentada nfrente, pellos cahidos e dalos
mlos e ps grrndea e grossos ; levou vesti-
do de chita verde j usado, unas rosetas
fraocezas nasorelbas : quemo pegar lovo-a
ra Direila, n. -7, terceiro andar, com a
entrada pela ra da l'enba.que ser genero-
samente recompensado.
5o,ooo rs, de gratificado
a qurm pegar k preta Marta Joaquina, de .10 a
40 anuos, que fugio no da II de abril, de na-
ci Congo, baila, gorda, cor retinta, bexignaa,
Olhoi pequeos; tem em una das faces um
slgnal de carne; he bailante ardlloaa, por iiso
be capaz de illudir qnalqucr peaaoa que a nao
coiihe^a ; sabe lorias s povoaedes da provn-
ola, por ter andado a vender miudezas pelo
natocom uma crioola de nome Felicidad*, de
qurm foi escrava ; talvea sua fuga ande enco-
ben com o negocio de vender miudezas, pota
j de unir vr.z que fugio a qnal ful pegada em
ierras do engenho S.-Anna, andava vendendo-
as,e assim mala cuitosa de ser pegada. Boga-
se as autoridades policiaca e caplies de cara-
3o, que a apprebendatn e levein-na a ra do
uarlels, n. 22 ou na praca da Independen-
cia, n. 17.
Fugio, nodia 29 de agosto de 1850, pe-
las 10 horas da mantilla, o escmvo Luiz, de
nagfio, do 15 annos levou tres camisas,
sendo duas ilealgodflo trangado, urna azul
e ontra de listras novaa, outra de madapo-
ln j usada, com a marca M. A. V. duas
CatgsS novas de algodso trancado, urna
azul e outra de listras, um chapeo de pa-
lha pequeo muito velho e outro de pello
j usado; he de esta tu rs regular, rosto
comprido, nariz chato, bastante barbado,
m rapado, falte de doates na frente do
' Cara-
anCa-
9. Antonio Mendes da Azevedo tu-
h ,, />.i.l r?; ,ln.ol,> ;n onnrn. CsU"S-
lovo Lino Cavalcanti, e por eate vendido
nesta praca a Mathiaa de Azevedo Villarou-
eo. Boga-se as autoridades policiaes e ca-
pitflos de cimpo, que o apprehendim e le-
vem-no a ra do Coliegio, n. 1, que sorfio
generosamente gratificados.
Fugio, no da IS do [crrente, uma es-
crava cnoula, que a falla quer imitar a ne-
gra de outri binda, de 21 annos pouco
mais ou menos, de nome liara do Carino,
de altura regular, corpo meiocheio, cabel-
los um tauio mos, ollios graudes e oaips-
pugados, beigos grossos, uariz chato, er
um lano fula ; tem marcas de sarnas por
todo o curpo, uma marea da bouba em urna
daa pernis, e outra em un lado- le um Idus
le tos; levou uma truuxinlm com alguna
oupa, 2 vestidos voltios de chita, um da
iscado e um de madapolfia, e panno da
:oata. Boga-se ss autoridad policiaes e
oapiiasgdecampo, iis ; sp?P*s45= e
levemrna a ra larga i|o Bozarlo, indo para
ds quarteis, casa de Antonio Jos Vieirado
Souza, por cima da loj do Sr. Victorino,
uajHKBp gif tificadoa.
;
'2
m
na. ; tu nr. nik. t. MI itM.
Jmm
850

' '
aaaaja
.
U II T I I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EPSLQNTW7_TTBTLZ INGEST_TIME 2013-04-24T19:26:07Z PACKAGE AA00011611_07018
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES