Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07016


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XX\
niiiiiiii i-i
Sexta-fera
-4 faiitia KM oomnaioi.
Goianoa e Ptrablba, segundas cantas felras.
Hio^.rande-do-Norie, quintas felru aomeio-
dla. .
Cabo, SerlnhSem, Rlo-Formoso, Porto-Calvo
e Macelo, no R, a II, e 21 de cadamex.
Garanhuai e Bonito, a 8 e 23.
Boa-Vina e Florea, a 13 e 28.
Victoria, as quintal feira*.
Olinda, todos oer""
ramian.
/Hora. 6. l3 h. e 9 m. da id.
_,___..,-,. (Creae. a 13, as Gn.elin. da m.
P*W < Chela. a2(,il0h.e21m. da in.
fMIng. a 28, 4i 7 h. e 31 m. da i.
VKEAWAH DI MOJ.
Prlmelra ai 4 horas 30 minutos da tard.
Seronda ai4 hora e 64minutos da machia.
.........
Setembro If. tl
s-reoox si aacun-(jlo.
Por tres mezei (aattaalados) 4/000
Por seis metes 8/W0
Por nui anno 15/100
ISIUM Hl
,18 Seg. 8. Rogelio. Aud. doJ. dos orf.e m.da I. V.
17 Tere. S. Pedro de Arbues. Aud. do chae, do
J;da 1. r. do eiv. e do dos fritos da far.enda.
18 Quart. S. Jos de Cuperlino. Aud. do J. da 2. v.
do civel.
l) Quint S.Januario. Aud. tt. 3. Eustaquio. Aud. do J. da 1. t. do civ.
e ilo dos fritos da fazenda.
21 Sab. S. Matheus.
22 Dom, Festa de Noisa Senhora das Dures.
iimw
cambios ZM19DC imno.
Sobre Loodros, a 28 '/> d por J#0* ra. 6U dia.
. Paria, 346.
. Lisboa, 100 por ceato. !_,,",
Oaro.-Oncas heipanhoei.........2WWO a bu
. de 4/000........... 9/100 a *K
/^M.-P.Uc*brEllriro....... W*0 a /980
Pesos columnarioi....... ]#* {g|
Ditos mesteanoa......... J/800.?. M"
GOVEROJ)A PBOVINCIA.
laL
EXPEDIENTffDkl)IA 5 t>P. SETEMBRO.
O%o. Ao Exrav presidente di Baha,
recommendando a expedigSo de suas orden
no sentido de. ser cumprido o aviso, cons-
tante m copia qne remeti, expedido pe
secretaria de estado.dos negocios da guerra
eaaalaU de 17 da agosto ultimo, vista nRo
eiBlirem nesta provincia osofllciees decln-
raflos no mencionado aviso.
I)ilo.--Ao Exm. commandante das armas,
inleirando-o de haver o Exm. ministro e se-
cretario de estado dos negocios da guerr i
commonicado, que otdenara ao director do
arsenal de guerra da corte, que remettesse
para esta provincia 8,140 varas ile ulgodflo
da fabrica de Joaquim Diogo llorlhley paca
. camisaedas pracas de pret do segundo e ler-
ceiro baialhOes de artilharia a p6, e primei-
ro segundo e oilavo decapaJores, confor-
me o pedido a S. K*C.
Dito.Ao mesmo, para que
tarpraga, como voluntario no1
lliflo de fuzilelrosao paiaanj S
tooi de l.ma^fluege oflerecen
lim, e foi j
certo'de q
amo a gral
ser pifa M,
taches me
nicou-aa a
litar.
i peit junta do sao re,
irado ao referido pni-
I de 150,000 is, para Ihe
i vista e o resto em pres-
de 40,000 rs. Comroii-
Inspector da pagadura tai-
DitoAo Exm presidente da relaco. sc-|
entifleando-e de ter concedido utn mez d
liccnca com venc metilos ao baohuel Jero-j
nymo Salgado de Castro Aceioli, promotor
publico da comarca de Nazarelh. NacV
seutido fueram-se as convenientes comtnu-
nleagoes.
Dito..o inspector da iheaouraria de fa-
?enda, communicando, alitn de que o faga
constar ao inspector da allandega e O ad-
minstrador da mesa do consulado, que S
II. o imperador, segn lo fui declarado em
avisa do ministerio dos negocios estran-
geiros, datado.de 17 de jolno ultimo, hou
ve por bein conceder o su imperial bene-
plcito a nomeaco do subdito brasileirn
Etiaa Ignacio ce Ohvcira, para exercer inrte-
rinauenle as funcgOes do cnsul da repu
LIich do Chile tiesta capital.Neste sentido
expediram-se as convenientes cominum-
cagOes.
Dito.Ao mesmo, para que, vista do
mappa quo remelle, mande abrir asienta
ment de praca, a contar do 1 "de maio do
eorreole auno, aos qualro cornetas, que se
olfeiajcersm para servir no quarto hataltiSii
da guarda nacional deste municipio.In-
telligeflciou-se ao eommandante superior
respectivo.
Dito.AO inspectorjU pagadoria militar,
para mandar iiidumnsar ao quinto bata-
tifio de fu/.iletros da quantia de 11,200 rs.,
m que, segundo a cunta que remelle em
duplcala, iinportam as despezas feilas com
o enterramento dos cadveres dos soldados
do referido balilhflo, Marcos Antonio e Ni-
colao fereira da Gusta, que fallcceram no
hewpltal regitnenlal desta cidide lilt-irou-
se ao Exm. eommandante das armas.
Dito.Ao inspector do arsenal de mari-
nha, inteirabdo-odehaverS. M. o Imfera-
dor, segbndo foi declarado em aviso do mi-
nisterio ds marinlia, datado de 8 de agosto
proximojjbido, prorogado por mais um mez
eamcedida em 3 de junho ultimo
ao palr.lo d'nqui'lle arsenal. -Intelligenciou-
se ao contador de marinha.
Dito.Ao mesmo, sciontilicainlo o do ter
o Exm. Sr ministro e secretario de estado
dos negocios da marinha, cummunicade
er% aviso de 30 de julho ultimo, que Sv M
o Imperador, alieniendo ao que represen-
lou Atitonlo Jote dos Sanios l'ernamburo,
ive por bem, que eire'continu a ser em-
gad no porto desla provincia, medanla,
vencirnenio de 1,000 r. diarios, que si-
li ir da soroma coasignada para o ni'lhora-
menlo do mesmo porto, e bem assim, que
se Ibe dfi morada em casa d'squelle arsenal;
como llie foi ordenado em aviso de 3 de nu-
tubrodo auno proxirno tassado.Uiliciou-
se aeue sentido ao contador de marinha.
Hilo --Ao oontmandapte do hriguo Cal-
tivpt, dizendo que pode mandar para o bri-
gue escuna Canpo o segundo uneifte Fran-
cisco ternes da Silva, visto iiftaserein mais
precam os seus serviles no fifigun sob seu
Vuinirtfhdo por le s .o iiomeado pelo quar-
lil geoeral fe roarirrtia uutru'onicial para o
iicscis;w>u:'. E:p;:!:r::;!- e*i
senliJo as cuovenieutcs ordena.
Hilo.--Ao inspector ua tliesouraria da fa-
zenda provincial, para que mande pagar ao
ajudaol do carcareiro da cadeia desla cida-
de, visto assim o requisilaro delegado aup-
plente do ptimeiro dislriclo deste tercio, a
quanlia jeMH,720 is., em que importa a
lie.communicou-se ao re
sien a porcflo de ferro velho, exiatente nos
armazens d'aquell repartir;3o, mediante a
paga por elle olerecida de 1,200 rs. por ca-
da um quintal, visto que. sendo estes ob-
jectos posto* em hasta publica por nUo te-
rem serventa alguma, cooio Smo. declara
em seu cilicio de 2 do frrenle, tifio apeare-
ceu queni nelles lancease a expecefio do
ruencionnilo Costa.
Dito.Ao mesmo, para que sem demora
mamle concertar os dous rombos, que fi-
zeram os presos na cadeia deala cidade.
ttoimrmniee-ee aroelegudo aupplente do
primetro districto deste termo.
Dito.-Ao mesmo, declarando que p le
mandar lavrar o competente termo de re-
cebimento definitivo' dos concettos da es-
Irada do Pao-d'-Alho, visto acharam-ae el-
las no caso de ser recebidos.
Dito.Ao delegado supplente do primei-
ro districto desla termo di:udque nfid
pode ter lugar a expedir;ao>da ordem a Ihe-
aouraria que solicite oaaa.pagamento dos
vercimetilos dos amanuenjaar extraordina-
rios da secretaria de policia^por nilo haver
quota uoorcamento vifenlo para seaiellun-
'PeM. ^ w
-A Joaquim Francisco Diniz, capi-
tflo rn-do municipio do Ri|Formoaoi, diretido
que'jlsrajoder oraMar o pagamento dos
.cimerrros, que seVfio a de ver aos guar-
i qoe esliveram destacados n'aquelia ci-
razstrmysterque Sjuc. expliquee as-
as duviJaa propoaris pelo inspector
idoria militar na nformacHo que por
ii|iij 'ari.mpaiiha ao ofUcioem original do
"marechal commandanlB das armas, dirig-
i00 mesmo inspeelor^lO de.go^.ul-j^^^,^ ? ^ ,
ve
limo, rtam assim ao quicio que Smc.
rigi ao mesmo marechal com data de 6 de
liinho prximo pastado, cobriodo as rela-
i;ofls e nsBf dos leforidoB vencimenlos.
ihfi DO DIA s.
Dito.~Ao niesmo, inteirando-o de havea!
couceditio oilo diaa de liceuce ao lerceiro
coiuuiandanle do corpo de polica Caolano
de Astis Campos.Inteihgoiiciou-at ao coui-
laudaiile do mencionado cor^o. .
1.--A0 mesnio, para manear adenlas;
unraudalile dOCJrpo de polica, que
_ o requisita, a qusulia iieceasaria pa-
la a illumiuc.Sv, qutj lem de fazer no res-
DMtieaMuiarlel em a alias 6 e 7 do correle.
-Intfaaate ao eommandante do referido
ilo -4-Ao director da obras publicas, di
zeude que p6de mandar entregar a Domin-
go*. Jos Perora da CosU as antigaa gradea
de farro da ponte da Boa-Vista, e bem as-
OIDeio.Ao Bxm. eommandante das ar-
mas, dizendo que pode aceitar o olTereci-
me'nto quo fez, pata continuar no servigo
do exercilo o cabo de esquadt a do segundo
hstalbfio de caQaaSores, Estevfio os Ramo
Ido, visto achar-se (indo o seu lempo d
praga, e ter sido elle julgado apto para e
servic;o : (cando arnilrado ao referido cabo
a graliGcarJlO de 170,000 rs., que Ihe sero
paga 50,000 rs. vista e o resto em presla
roes mensaes de 10,000 rs.Communicou-
SQ so Exm. commaudanle das armas.
Di to.-Ao eommandante superior ds guor
da nacional do municipio do llecife, recom-
mendando a expedieflo de suas ordena no
sentido de seren dispensados do servido
activo, visto assim o requisitar o delegado
supplente do prmeiro districto deste ter-
no, os guardas do segundo batalhfio sob
seu cumulando superior Jofi lle.nriqu"s da
Silva, Joaquim Aleixo de Souza, Joaquim
llicardo Ferreira, Mauoel dos Sanios Azeve-
do e Antonio da Silva l'imetilel, os quaes
loram nomeados inspectores de quarleirSo
pelo subdelegafto da freguezra de Santo-An
lomo desla. cidade. Ititelligencou-se ao
mesmo delegado.
Dito.-Aojuiz relator da junta dejustica,
transmiltindo pira seren apresentados em
-ess'ni da niesnia junta o processo o embar-
gos do capillo Clementino Antonio delega-
do e segundo lenle Antonio Caelano ds
Silva Kelly, ambos perleocenles ao lerceiro
liatalliandeariillinria a p. lnteiiou-se ao
Kxm.'Comniandanle das armas.
Dito -Ao diraT%ajtoarsen'aJgaU guerra,
ordenando que entregue poajpjpprestimo
ao major njudanle deordens ilo comma^do
superior drste inunicipio 126' armas para
igual numero de pracas, quettom de fazer o
servido da guarniefio hoje^jaminlifia ; e
preveaindfl-o de que as moocionadas aranas
Ihe serio entregues, logo que forem rendi-
das as guardas depois da parada.
Dto.-Ao mesnio, pura que enligue ao
comman Jante do corpo de polica 800 qar
tuaos de aalvas para fornecer ao reMKrWS
corpo; que tem de rntrar aroanhfla ^m pa-
rd.--Scienliiicou-se ao referido comman-
iante.
DEM DO DIA 9
Dito.-Ao Exm eommandante das arma
Tendo visto com prazer o assoio, briHiati-
isnio e lioa ordem, com que a lropa de li-
nlii da gua'0i''o Jes'a capital 9e apresen-
tou na grarfile parada, que leve lugar no
lia 7 de sojembr, feliz aliniversarlo da in-
depndencia" do imperio, o que he devido
aozlodeV Exc dos respectivos com-
matidantes e oultiaeseao biio dos sotadoa
n*J< V. Kxc. de transmittirlhes os louvo-
res desta presidencia i or a*;;!!"?" n'-
livoNesie sentido oRlciou-se ao rommae-
dante supeiior da guarda nacional deste
municipio oso couiuiaiidaiite do corjo de
polica.
DitoAo mesmo, iiiteiraj^p-o de haver
concedido tres mezea de lifdtTT;a com ven-
cimeutiisao i Ifereado quinto lalaUlSo de
fuzileroa Anlonio4l6s Baptista Caniacho
Jnior.-Scieiililicou-se ao inspector da ( a-
gadoria militar.
Dito Ao mesmo, dizendo que pode
esandar assenlar praca, coa o voluaUrio,
ai um dos corpos d guarniefio desta pra-
ca ao paisano Jos Alves da Silva, que te
offereceu para o servfjo do exercilo, foi
julgado apio par este lim pela junta de
sade ceno de qoe lem arbitrado ao refu-
ndo paisano a graliilcacfio de tio.ou rs.,
que Ihe Ser* paga 50,000 rs a vi*t o o resto
hu prei{;rti>s menaaes de 10,000 .Com-
inunicou-si) ao inpeclor da pagadorj#_0
Hilo.-Ao a;eeapo, declarando que os odi-
ciaes, que por falta de accommoda(0ea nos
Yespectivos quarteis, Um direito a aloja-
ment em casas particulares, devem por si
mesmo aluga-las, sendo seus proprietarios
indemoisadoa dos alugueis por meio de re-
cibos em duplcala, que depois de rubrica-
dos pelos cemmandantes dos corpos, que
pertencerem os referidos offlciaes, serSo
em lempo competcote apresentados a pa-
gadoria militar. -- lntelligenciou-se ao Ins-
pector da mencionada pagadura.
Dito.Ao eommandante superior da guar-
da nacional, dos municipios de Olinda e
Iguarrss, recommendando a espedidlo de
anas ordens no senlido de sereft sWlsfeitas
as requisiqes que flzerem o empreados
de polica do termo de Igusrsss aos com-
manilantes dos eorpo* daquelle municipio
para os coadjuvar as diligencias necessa-
rias ae regular andamento da mesan po-
lica, como tanto conten ao servico pu-
blico.
' Dito.Ao inpeclor da ragadoria militar,
para que no caso de estarem conformes os
#Bfls que remelle. m>n lo pagar ao alfares
Antonio FrariSlscoMiCha lo de Melloequen-
tla de 125,000 ra., em que importara os ven-
cimenlos da escolta, que conduzio para es-
I cipilaliins rerrulas da comarca do Ore-
jo. -- Scientiiicou-sH ao delegado daquelle
termo.
Dito.Ao mesmo, para que tendo alten-
Qfio ao numero de legaes que se conta des-
ta cipital al a comarca do iBrejo, mande
pagar a Manoei Comes o aluguel de qualro
cavados, que conduzram d'alli para aqu
urna ptirQo de armamento.
Dito.Ao inspector da llu-souiara da fa-
zends provincial, para mandar pagar ao
arrematante dos concert da estrada do
m vista do certificado paasado pelo enge-
pnheiro director das obras publicas, a quan-
lia de 973,4*4 rs., em que imporlam os re-
l'oii los enneortos.Communicuu-ae ao dito
eogenheiro.
Dito.Ao mesnio, ordenando que mande
por a disposQfio da cmara monicipal de
Ouricury a quanlia ile 100,000 rs por ella
ped la para cunstrucefio de urna cacimba d'
agoa potavel naqurlla villa, visto ser ur-
gente e de necessidade a referida obra, co-
mo declara a roestna cmara, e prevenin-
do-o de que a referida cmara dovea pres-
tar cotilas desla quanlia, logo que se con-
cluir a mencionada obraNesie sentido of-
llciou-se a supradita cmara.
Uilo. Ao jtiiz de direito da comarca do
Pao-d'-Alho, declarando (fue Alexindre Bar-
bla da Silva, nfin estaa em exercicio do
cargo de subdelegado por h. ver sido no-
meado colledor das rendas provinciaes,
tifio pule serisenlo deservir como juz de
faci.
Dtlo.Ao juiz municipal e de orphfios do
tormo de (Huida, dizendo que a quota da
aubscrioQo agenciada na corte para as Viu-
v.is e orphfios desvalidos dos que pereceram
combaten lo em favor da conslituiQilo e da
orden publica nos ataques havidjs tiesta
provincia em 18(8 e 1849, dada aos orphfios
Antonio e alanoel, Albos de Manoei Rufino
de Barros, fallecido no dia 2 de fevereiro do
auno passado, he destinada para o alimen-
to dos ditos orphfios e cuino lal poje ser
suspendida, segundo as ordens desse juizo.
Dito.Ao delegado supplente do prmei-
ro districto de termo desta cidade, para que
entregue a Antonio Francisco Machado e
aMIlo, visto assim o requisitar o delegado
lo IIrejo, o criminoso Jos da Paixfio Perei-
ra, que se ada pronunciado naquella co*
atarean
Itito Ao delegado do tcroio do Brejo,
dizendo fiear scienie de quo al o dia 10 do
crranlo dentara Smc. de exercer as func-
os daquelle lugar, em rasfiu de reiirar-se
ra esta capital, onde tem de entrar no
exercicio do seu emprego de profeasor de
rhetoriea do lycej desta cidade.
Dito.Ao subdelegado da freguezia da Es-
cada, dizendo que par* ter lugar o pag-:-
rsautu que Smc. pede, do fete ecinco ca-
vado, que conduzram para esta capital o
armamento mencionado em seu oflicio de
3 du correle ; faz-se mysler que Smc. en-
ve em duplcala a respectiva cunta.
Dito.A cmara municipal do Ouricury,
remetiendo aUm deque satisface as exigen-
cias do inspector da lliesourana da fazenda
provincial, o oicio do mesnio inspector,
companhedo do que Smc. dirigi a presi-
dencia, e bem assiui da proposia, pela qual
o padre Francisco Antonio da Cunta Pero-
ra se obriga a edilicar n'aquelia villa urna
casa de coinnrercio e feira medanle as con-
dicQOes cuntidas sa mencionada proposta.
-ScientiDcouse ao referido inspector.
n..-* f, Or'J**"aiido ao pammamlaniv
da foitaleza do llruui, que ponlia em libel-
dad os recrutas Joao Francisco de Lima,
Jofi (desquita da Silva, Nanoel Filippe do
Sania-Aoni e Manoei Clementino Pinto, que
se ada cun o noine de Manoei Jos da Cruz,
vislo lorem em aeu favor as iseiiQes le-
gaes.
Dita. -- O presidente da provincia, tendo
em vista o oRicio do engenneiro direcior
das obras publicas de 3 ue agosto ultimo,
nu qual representa, queo arremalaule do
12. lanQo da estrada da Victoria Jeronymo
uarreiros Kangel, posto que liouvesso ieito
entrega pruvisoriada obra do referido Un-
co no da 5 da outuhro de 1847, deixou de
fazer a entrega ueliuiiva delta, como Ihe
Unmpria no prazode um asjBo.'ljuenefins-
lisou no dia 5 4$ outubro dajrliaxk e partici-
pando ao mesmo lempo qu a dita obra
precisa de urgentes reparos (.or estar Inui-
towruinaa pelo ''IB nif r-Jo sor du-
tivamente recebida, u julgaudo que em laes
crcuanatauciaa dsveter auplicaffio a dispo-
siffio do arl. 11 do regulameniu das arre-
da coinpanhis fu da Parahiba, Francisco Cle-
mentino de Vasconcellos Chaves, que obteve
lluenca do governo imperial para eiludar-oi
prrparatorioi neala capital, aliui de inatricn-
lar-se no carao jurdico. <-Connnunicou-seao
Knni. presidente daquella provincia.
Dito. Ao inrimo, pira que informe se pode
ter lugar o que pede o Esin. presidente do Rio-
Grande do norte, no offlcio que remelle, acom-
pauhad da guia do corneta Jo3o llaiilio dos
liis, que deserlou do prlinriro batalho de
c.ifadairs em' 18 de agoito ultimo e aprcien-
lou te naquella provincia ctu 24 do ir.riino
mes.
Dito. Ao mesmo, para mandar assenlar
praca, como Voluntarios, em um doa corpos da
Kuaruicao desta cidade aos paisanos Joao r ran-
cia o Cavaleante, Lucio Beserra da Silva e Mar-
colino Soares, que le offereccrain para o ler-
vir;o do eiercilo e forain tulgados aptos para
este lim pela junta de saode, certo de que tem
arbitrado a cada um doi referidos paisanos a
gratificacao de 150,000 rs.. que lhes sefti paga
O.OOOr. vita.* o resto em preslafdes nin-
saes de lii.iKW rs. lntelligenciou-se ao lus-
tector la pagadoria militar.
Dito. A > inspector da ihesourariadafazen-
da provincial, para que nos termos do decreto ^igaJuri* militar.
matacOes das obras publicas de II de julho
de 1843 contra o referido arrematante e seu
fiador Jos- Duarte Rangel, resolve o se-
guinte :
!. O arrematante do 12." lauco da estra-
da da Victoria Jeronymo Barreiros Bangel
e o seu fiador Jos Duarte Bangel, sflo mul-
tados nos termos do2.# do art. II, referi-
do pelo art. 1* do regulamento das arrem-
t.iQfles das obras publicas de II de julho de
1843, n decima parte do preijo da sua arre-
mataQfin.
2." s reparn de que necessilar a ohr
lo dito aeo, serllo feitos a custa do arre-
matante e seu fiador, os quaes sfio solida-
riamente obrigados pelo excesso da despe-
zs que se flzer ro.n a conclusSo dos mes-
mos reparos, comparada a sua importancia
com o prego de arremataQfio
3o O engonlieiro a cuja secQfioperlence
o 12.* lance di mencionada estrada, fica en-
carregado de dirigir os reparos dessa obra,
e a directora das obras publicas da fiscali-
siQfio dss despezas que se bojverem de fa-
zer, no que se observaro as condicQdos
maneiras e modos indicados no orgnmeuto,
plantas e perlis, que servir fio de base a ar-
reina tagflo.
I' Concluidos os reparos da obra a di-
rectora das obras publicas, tirarte conta
geral da despeza, no eso de excesso da
quautia, porque foi arrematada, siiacon-
ta remeltida ao.proeurador-liscal imra pro-
ceder contra o arrematante e seu fiador pa-
ra iiiileuinis-Qfio da fazenda provincial.
5.' A presente resolucilo ser remeltida
ao mesmo procurador-fiscal para proceder
deadej contra o arremat inte e seu dador
pela mulla, em quo encorreram, e aos de-
rmis empregados, iqu -ni incumbe a sua
execuQfio.Nesle sentido cxpeJiram-se as
convenientes coinmunicagiJes.
DEM DO DIA 10.
Omcio. Ao Exm.eommandante das armas,
inleirando-o de haver espedido ordem ao agen
teda coinpanhia das barcal de vapor para fazer
transportar para a corte no vapor llahian* o al-
ferea David Americo de Uriedo, ebein assim
ao inspector da pagadoria militar para Me
mandar passara respectiva guia. Espedirn!
le nene sentido as convenientes ordens.
Dito. Ao mesmo. para que envi lecreta-
ria da presidencia, afim Je ser remeltida ao
Esm. presidente do Maranhao, que a requisita,
urna nota dootllciaei inferiores, existente! na-
quella provincia, que sao considerado! aggrc-
eailix aos hanllioes lerceiro de artilharia a p
e qinnio de fuzileiroi. ora nesla capital.
Dito. Ao niesmii, inteirando-o de haver
ni.Tiidado adfantar ao tenente do deposito de
recrutas da.provincia da Bahia Manoei Lucia-
uo da Cmara Guaran dous mezei de loldo
para Hie lerein descontados de couforinidade
eom i ordens em vigor.
Dito. Ao mesmo, transmiltindo para os
lim convenientes, a guia do priinriro cadete
de 7 de maio de 1812,e sob a responsabllidade da
presidencia, mandelupprir o arsenal de mari-
nha, visto assim o requisitar o respectivo ins-
peclor, coiu, a quautia de 394,150 ra. para occor-
rcr as despezas leitas em o mez de agoslo ulti-
mo com as rubricas pliarol, corpo d'armada
e barca de soccorro. Scieiilficou-ie ao refe-
rido inspector.
Dito. Ao mesmo, transmiltindo o aviso de
una lettra na importancia de 2:514,850 rs., la-
cada pela thesouraria de fazenda do Rlo-Cran-
de do norte sobre a desta e a favor de barroca
4i Pinhriro. Participou-se ao presidente da-
quclla proviucia.
Dito. Ao juiz relator da junla de justica,
tranimillindo, para ser aprcaeulado eiu sesso
da niesma junla, os processos que para e>ie
fin forain ouvidol pelo Exm. presidente do
Ccar. Intetraa-ee so uiesmo Exm. presi-
dente.
Dito. Ao inspector da pagadoria militar.
para que vista do recibo, que remeiie em
duplican mande indemnisar ao segundo Iiata-
Ihao decacadore daquanlia de ,(>10rs., que
desp^ndeu com a Iiiliuniaco do cadver do
scidaSo do quarto batalho Je anillicria a p
r'rancUco Jos Percira Communicou-ie ao
Exm. camiiiiaiidantc dai anual.
Dito. -- Aoineamo, ordenando que mande
nassar so lente do deposito d recrutas da
Ualiia Mauoel Luciano da Cmara Guaran a
compleme guia, vislo ter elle de seguir para
aquella provincia no vapor ahiana. Scieutl-
cou-ie ao F.iin. eommandante das anuas.
Dito. Ao delegado supplente do prlineiro
distrito do termo do Recife, para mandar rece-
ber e recolher a cadeia desla cidade o preso
Lula Jos Dias da Bocha, que foi remellido pelo
ItJ'.itn. preiidenteda Parahyba a bordo do vapor
llahian*. Neaej sentido cjpedira$-*e ai con
venientes ordens.
Dito. Ao inspector da Iheaouraria da fa-
zenda provincial, para mandar adianlar qualro
tnciei de roldo, a contar do priuielro do cr-
reme, ao oinciai do corpo u Pwm4, .|Uc vi
destacar para caruai, c tres mezei de venci-
tnenlo que se contaru do primeiro de outu-
bro prximo futuro em dlante, aa pravas de
as.-.''
pret do mesmo corpo, ta* em dito termo se
aeham deaheadas. lntelligenciou-se ao eom-
mandante doreferido corpo.
Dito. Ao agente da companhla das barcas
de vapor, ordenando que mande dar passagem
para a Baha no vapor ahiana ao tenente Ma-
noei Luciano da Cmara Guaran. -SeleotiB-
cou-se ao Exm. eommandante das armas.
Dito. Ao presidente do conselho geral de
salubrldade, pira qoe forneca ao Dr. Alexan-
dre de Souza Perelra do Carino, enoarregndo
do hospital regimental deila cidade, algumas
laminas de pnz vacolnlajj para ser applicado
aos doente do mesmo hospital. ~ Coinmuni-
cou-seao Exm. comiuandantc daiarajas
Dito. -- A cmara municipal do Kecire, di-
zendo ficar Intelrado de haverem arrematado
Joaquim Lopes Pereira Gulmaraei e Manoei
lo Rosarlo, o primeiro um lanso do muro do
.emiterio publico por dous conloa qnatrocen-
tose trinla mil rls, e o segundo oulro lauco
de 02 braca por 1.256,500 rs. '
Dito. Ao delegado do termo do Brejo, de-
volvendo as conUU dai deipeias feltascom os
presos pobres da cadeia daquella villa, para
que as faoa reformar de coufonnidade com o
modello queicmette, e rfem assim ai dai dei-
pezai dos recrutas de primeira*Hnba. allm de
virem em duplcala, sem o que nao podem aer
Circular. A lodol os delegados de polica
da provincia. -- A falla de regularidade as
contas dos fornecedores de sustento aos presos
pobres lem dado lugar a nao poderem ser ci-
tas pagas com promplidao na thesouraria pro-
vincial com prejuizo das partes e da laiend.i
provincial; para obviar pois uei Inconvenien-
tes, reaoello-lhe o-, Inclusos ciemptares do mo-
dello, segundo o qual devem ler as'dilas con-
tas organlsadas, e cumpre que Vine, caneca as
convenientes ordens para que assim le observe,
prevenindo-o deque as conlas assiin legallsa-
das seriio pontualinenle satisfeita,- e uao de
oulro modo.
Portara. --Ordenando ao couunandaole da
fortaleza do Brum, que mande por em liberda-
de a Amonio Prudencio-Epifana, que se acha
preso como r"ruia.
Dila. -- Ao agente da coinpanhia das barcas
de vapor, para mandar dar passagew para a
rrte no vapor ftiAiana ao escrlvio e dispn-
selo do brlgue Calliopi. Inteirou-se ao com-
mandante do referido hrigue.
Dila.Ao mesmo, para que mande dar trans
porte para a Bahia no vapor Aaaiuna as pravas
de pret do quarto batafao de arlilherla a pe,
que Ihe forem inandada apresentar pelo ma-
rechal eommandante dai anus, Inteiron se
ao mesmo marechal.
DEM DO DA II.
(Juicio.Ao Esm. presidente do Rio-Gran-
de do sul, remellen lo a gua do capitn de
fuzileroa lofio Duarle Ferreira lientcs. e
prevenindo-o de liaver cessado dos le o I "
de julho ultimo, o pagamento da prestaefio
de 15,000 rs. mensios, que o referido olli-
c al consegnara nesla provincia a Jos Al-
ves Guerra.
Dito Ao mesmo comnan Jante das ar-
mas. Convindo facillar-se o engajamento
tu paisanos para os corpos da guarnicSo
lesti provincia, B'a V. Exc autorisado pa-
ra mandar logo assenlar praga av-diante a
gratficaefio de 130,000 rs. sendo 50,000 rs.
pagos vista e o restante em prestaefles
nensaes de 10,900 aquellas que, apresen-
undo-se a V. Exc. forem julgsdos ssdios
pela junta de sau le. e por V. Exc. iloneos
para o servigo, communicaivio-me posle-
rinrineule V. Exc. os seos nomes para o fim
de se expedir pagadoria militar as conve-
nientes ordens.
Dito. Ao mesmo, para mandar assentar
praga como voluntario em um dos corpos
fa guarnigao desta cidade aos paisanos An-
tonio Francisco de Azevedo, Francisco An-
tonio da Silva, Flix Coimbra de Souza e
Lourenro la lUich, que se offereceran
para o aerviQO do exercito, e foram jul-
gad.is aptos para ale fim pela junta Je
saude, cerlo de que lem arbitrado a cada
um dos r. feridos paisanos a gralifleaelSo de
130,000 rs. para lhes ser piga 50,003 ra.
vista e o reato .em prestc/>es mensaes de
10,000 rs. Ihteirou-so ao inspector da
Dilo.Ao inspector da thesouraria do fa-
zenda inteiran lo-o do haver concedido
lous mezea de Dcenge com vencimento ,
ao pralicanle da recebedoria de retidas in-
le-nis goraes, Angelo CusloJio Rodrigues
Franca.
Dito Ao juiz relator da junta de justiQ,
transmiltindo para ser presente em sessfio
di mesuiajuuta, o processo felo ao soldado
lo quinto bafalhfio de ruzilei'os Rento Pe-
reira da Souza. -- Commoncou-se ao mes-
mo comrrandsnle.das armas. -
Dilo.Ao juiz de direito ds primsira ara
lesla rilade, ordenando que convita para
que v.Miiiaui qiiaoto antes prestar o devido
juramanlo, oaaprcsentem escusa, os cda-
<3os ibio declarados, os quaes leudo si-
do nomeados por portalia do 27 de abril ul-
i,, r,.r. niistiliiiram ao juiz municipal
e de o' phfios do termo de Iguaraas, anda
se nfio juramentara ai.
RelucJo ion cidadda a que h rrfert offieio
cima.
2* Supplente, Franiaco Xivier Soares de
Albuquerque. r
3 > Manoei Thomaz Rodrigues
Cimpello.
t Sebaslifio Antonio de Albu-
querque Helio
." > Antonio Jos de Mello.
G. Mmoel Beuto Machado.
Dito.Ao inspector da Iheaouraria da fa-
zenda provincial, para mandar adiantar ao
engetihelro II. A. Milel, visto assim o re-
quisitar o director das obras publicas, a
quautia de a:000,008 rs. para conlinuacSo
da obra do25 ltigo da estrada da Victo-
riaScienlillcou-se ao referido director.
Dito Ao mesmo.'para que mande adian-
tsr. ao engenhi'iro, Joao LUiz Vctor i.ieu-
tlicr acuantia de 500,000 rs. para canliuua-
cjBo doa esludoa grapbicos da esUadn do


m*
a
PAo-d'-Alho, visto assim o requisitir o di-
rector dasobraa publicag. .. Commonlcou-
se 10 mencionado director.
HitoAo mesmo, ordenando que mande
indemnissr ao director das obras publicas,
que assim o requisita, da qutna de I3t,870
rs., em que importam os concert, qoe
mandou fazer na cadeia desta cidade, ero
rongequencia de ordem da presidencia, e
bem ssim as pontes da passagem da Mag-
dalena e da Tacaruna. -Scientiflcou-se ao
uiesroo director.
Dito. Ao mesmo, para mandar adiantarao
engenheiro director daa obras pnbllcai. que
auim o requisita, a quantia de 3:000,000 r.
para contlnuacao daaobraa do Ihealro publico
deita cidade. Intelllgenciou-se ao mesino en-
gcnbeiro.
Dito. --Ao meanio, remetiendo para conhe-
cimento daquella rrparlicao urna copia do or-
came-ilo aprovado para a obra do 18 lanco
daeatrada di Victoria, a qual deveri erfeita
por adininlttracio. Ofllclou-se nesle sencido
ao director daa obras publitaa.
Dito. Ao engenheiro director daa obras
publicas, concedendo a anioritafo que pedio
Sara mandar vlr de Hamburgo por inlennedio
01 negociantes S. O. Bieber & C. 500 barricaa
de cimento.
Dito. Ao mesmo, duendo que pode man-
dar iavrar o termo de receblmento definitivo
da obra da varanda de ferro da ponte da Boa-
Viita em ratao de acbar-se ella Inteiramenle
concluida e ler o respectivo arrematante Cae.
uno Jos Coclbo cumprldo as condlcfes do aeu
contrato.
Portarla. Coocedendo a demlssao que pe-
dio o bacharel Francisco Perelra Freir do lu.
gar de promotor publico da comarca do Po-
!2!
m
m
nha de um lado, e a Franca do outro; pen-
an, repito, que esse arranjamentoque seus
autores esperarim, e nSo seb rasSo, que
reria vsntajoso paz da Europa, tere no
decurso dos lempos urna tendencia con-
traria.
Os dona potos 'da Blgica e llollaoda e-
vldentemente nflo podiam unir-se; e se
certas potencias da Europa tivessem -se com-
binado nesse momento psra produzir pela
Torca urna uniflo entre estes povos digo,
em primeiro lugar que isso nflo poderia
"iTeitusr-se sem a explosflo immediata ni
Europa, de urna guerra da malor magni-
tude, e digo em segundo lugar que tal u-
niflo, anda sendo etleitusda, n3o poderia
ter duracfln; porquanto, com ella serism
postog os fundamentos degus futura e ine-
vitavel destruiceflo. (Apoiados.) Nos poze-
mos em pratica a nossa opiniflo sobre
egie ponto. (Apoiados ), e nSo de vemos ho-
je occullar que ella nSo fra comparlilha-
da pelas tres potencias. Estas preferan)
ver a uniSo dos doug povos, e se essa uniSo
livesse sido impossivel, ellas teriam adop-
tado com gosto qualquer arranjamento
que estropissse a Blgica de tal maneira
que tornaste para o futuro mais facii essa
reuniflo. filo houve nenhuma falta de boa
f da sua parte ; ellas obraram, souobriga-
o a dize-lo, com a maior boa f e honra
nesta transaceflo ; portn, sua opiniflo defe-
ria da opiniflo da Inglaterra e Franca. ( A-
-------..-..... <.u ,*v-.pilados), mas nflo obstante, isso, o arran-
ii Albo. Nesta a.niido eipediram-se as con-ljamenlo por nos feto, foi o que proraleceu.
ser formada nessa parte particular da Eu- verno representativo ; (apoiados) mas, tai-
ropa, que, fica ioterposta entre a Allema- vez digam, em 1847 houve oulra jnsurrei-
venieotea couimunicacOea.
('ominando das armas.
Quarttl general na cidade do Becife, em iS d*
Mimbro de 1850.
OHDEataDO DA N. 90.
O Sr. mareelial de campo graduado Anto-
nio Corris Sere. commandante daa armas,
manda fazer publico, que o Exm. Sr. presi-
dente da provincia, defferindo a supplica
do Sr. alfares Raymundo Jos de Moraeg do
quinto bstalhflo de fuzileiroa, Ihe conceje-
ra trinta das deliccnca na forma das impe-
riaes ordena : e queoSr. capitSo Jos Mu-
niz Tarares, do primeiro batalhflu de cala-
dores, apresento-i-ae para o servido i 16 do
correnle, lendo resignado anlo o mesmo
Ezm. Sr. presidente o resto ds licenca que
Ihe fra concedida pelo governo imperis
hrandeco Cario Bueno Detchamps,
Capillo ajudante de ordens.
XTERIO?
CASADOS COMMUNS DE INGLATERRA.
Ana ni FOLiTlC BUim no cOVKasO.
Discurso de lord Palmenta*.
, \J (Conlinuacflo do n. 307.)
erd Palmerston (continuando): Ten-
do justificado o procedment> desle gover-
no para com a Grecia, passarei agora a tra-
tar das questoes ventiladas em a noite pas-
sada pelo honrado baronete que falln em
ultimo lugar.lM/mroso apoiados e applaueos)
O nobre representante ( Sir J. Craliam) ao
meu ver encarou como devia ser encarada,
a questflo que oceupa a altencflo da casa,
porquanto|a resolucfio que fra proposta nflo
se limita a um acto particular do governo
de S. al. relativamente aos negocios estran-
gelros, mas involve a apreciac^o de tolos
o> tpicos a que o honrado baronete aere
ferio. ( Apoiaiu. ) Concordo inteiramen-
le coro aquelles senhores que tem sustenta-
do que a resolueflo nflo envolve urna appro-
vacSo absoluta e plena de lodos os setos
que teem sido prslicsdos pelo governojpois,
nflo se ple esperar que honens que tem
iiiformicOes diversss, que tem ideiss dife-
rentes que uto conhecem exactamente
em todos os cssos os fundamentos sobre os
quaes o governo tem obrado, possam ser
concordes em approver os actos do mesmo.
Admiti inteiramenle queo honrado baro-
nete teve rasflo de fallar no sentido em que
fallou ; porm, peco Ihe que me permita
fazer urna corcccSo acerca do piia.eiio
ponto sobre o qual tocou.
O honrado baronrte disse que .he verdad
que quando fra membro da edminisliecflo
le lord Grey, consonra commigo em va-
res setos de poltica externa, os quaes en-
volviam mu activa interveneflo nos outros
paizea, como por ejemplo, as negociacOrs
relativas Blgica e sua separsefle- da
Jiollanda. O honrado baronete rezjusllee s
ideiss que levaram o governo de entflo a
pensar que a independencia ds Blgica era
urna medida vantajosa paz presente e fu-
tura da Europa, porm'disse que era um
raso difireme, porque todas as medidas
dessa negociaeflo foram adoptadas de ac-
crdo com as cinco potencias que nella
looraro parte. O honrado baronete diste
que houve algumas cousas que passaram
alm de mera negociaeflo ; houve o cerco
de Antuerpia.(Joar.) o embargo posto sobre os
navios hollmdezes. O humado baroneie.dis-
teque concordara com ambas estas medidas;
mas foram ellas porvenlura lomadas com
galeno consenlimenio de todas as cinco
potencias ( Numerosos apoiados. ) Kram es-
ssa medidas de tal ttalureza que fosse intei-
raniente impossivel que asrelaces miga-
veis desle psiz com as otrss Menos
podessem ser por ellas pertubsdfM #*
mrrotos apoiados. ) O l"V"?do bsrSSC'" ~*~ '
va lembrar-se que a Austh," RussTa e a
Prusaia desspprovaram estas medidas. ( A-
*oiadoseapplausoi); que protestaram contra
ellas. ( Notos applavsot ) ; que retiraram-se
por um lempo da conferencia (Apoiados); t
que um rxemto pruaaiano foi reunidojon-
to das msriens do osa. sendo n< rr..
Ser acaso, este o lanco de poltica, qne
merece a censura econdemnacSo do parla-
mento e do paiz'{ ( Applautos ). (.embro-
me de me terem exprobrado nesta casa a
minha monarchia pouco experimental. >
houve aqu quem predicesse que ella nSo
durara; pois nflo liavia scntiineiitu nacio-
nal entre oa Belgas ; que piles so Isnca-
riain nos bracos de uta mais prxima visi-
nha ; que nos nflo astisvamos frnlo oulra
cousa, mais do que pdiB fundamentos de
urna nova mudauca, e M o paiz eslava em
UB estado do transierjo. Ora, se houve
nunca urna experiencia, dooj-lbe este li-
me se o quizprem, ifue fosn plena e com-
pletamente bem succedida, a elevaQflo da
Blgica a estado independnte he essa ex-
periencia. ( Apoiados.) Esa lempos em que
lodos os outros psizes ds Europa, tem sido
inteiramenle revoltos, a Bglgica tem per-
manecido intacta. { Apoiados. ) 0 povo tem
mostrado a mais sjinriravel dedicscSo e a-
mor ao seu soberano, o soberano a maior
confiarles em seu povo, o qual tem feito
progressos na industria e as artes, e bem
assim em todas aa qualidadeg que distin-
guen! um estado civilizado. ( Apoiados), o
que faz a maior honra a-esse povo belga;
alm disso, elle tem adqurri lo um sent-
mrito de nacionalidade que da-lhe direito
ao respeito de todos os outros paizes do
mundo.. ( Applausos.) Digo, portanlo, que
pnso ser esse um caso, que poJemog citar
com orgulilo e satigfacSo ( Apoiados ), e so-
bre o qual podemos justamente reclamara
approvacflo do parlamento do paiz [Aooia-
dos.) Nflo foi inteiramenle sem difiieuldade,
nflo s nos outrog paizea, senflo tambem em
o nosso, que potemos levar esta longa ne-
gociaQSoaum feliz resultado. (Apoiados.)
O honrado baronete disse que tomara
tambem parte em ootra operaeflo que igual-
mente differira em algutn grao de urna pura
e mera interveneflo diplomtica, essa ope-
raeflo foi a ni rvenefio desle paiz nos nego-
cios de Portugal pelo tralido de 1834. Pen-
s que o honrado baronete eslava ao poder'
quando o irslado da quadrupla allianca foi
celbralo. Qual foi, pois, esse tratado ? Nos
temos sido aecuaados, eu especialmente te-
rina sido aecusado de andar como doudo pe-
la Europa, inlervindo aqu all nos nego-
cios internos dos outros paizes, e presumo
pelo teor geral do discurso do honrado ba-
ronete que ho entre outras cousas sobre es-
si tendencia psrs s inteivenc-So nos nego-
cios dos outros paizes que elle funda a aua
desapprovacflo da maneira pela quai tenho
procedido na direcfflo dos negocios estran-
geiros. como o'go ilo governo. {Apoiados.)
Ora urna que&lflo se susritou em Portugal
entre D. Mara, representada por seu pai D.
Pedro, e I). Miguel; por ventura, fallando
em abstracto, importava muito a Inglater-
ra que Portugal fosse governado pela joven
ranilla, ou que D. Miguel, o qual se achava
nesse lempo sentado sobre o throno conti-
nuaste nelle ? Nos consideramos a quealflo
nSo como urna simples eseolhs entre nm so-
b rano e outro, porm como, pois, realmen-
te ella assim o er, urna quesillo entre o
governo absoluto de urna parte e o governo
constitucional da oulra, ( apoiados) e que
rnteresse, talvez me perguntena, Ijulmnos
ruis nissu ." He verdade que podamos ler
tido um interesse em favorecer o despotis-
mo, porquan'o he manifest que para quem
querexercer influencia em um paiz, be-lhe
oais fcil t-la onde o governo permanece
em urna corte e um gabinete do que onde
elle permanece em urna assemhla que re-
presentas nacflo : porm nos despresimos
rsss surte de influencia em Portugal. ( A-
poiodos.) Esposando a causa de urna cons-
tituido, teconhermos queessa influencia
particular cessaria, porm sentimos que co-
Iheriamospulrss vantagens que nflo s con-
trabalancariam, senflo at mesmo excede-
am s quslquer desvantagem que dessa
fonte nos provesse.
cito em Portugal e oulra ntervnc,o. Ora o
que ha nisso do extraordinario? Porvenlu-
ra, quando ge plantam nstltoces livres
e-n um paiz'no qual antes nenhuma tinhs
vegetado, pode alguom esperar, a nflo ser
falto de senso cbmmuro, que essas nstitui-
efl.-s cheguem logo a maturidade e deem
ssus melhores fructos ? i Apoiados.) He pre-
cisi tempo psrs elucar os homens para a
boa adminislracflo do governo representa-
tivo ; (apoiados )he preciso tempo psra re-
conciliar os governadores a gubmetterem-
se inspeccflo do governo representativo,
( apoiados ) e nos primeiros lempos da expe-
riencia constitucional achs-se de urna par-
ta que os representantes do povo nflo des-
envolvern sudlcienle moderaeflo, boni sen-
so ejuizo no exorccio de suas func(0es, e
da oulra que osmembros do governo sflo
demasiadamente zelosoa daa restrieces que
llies silo impostase lutam constantemente,
qur para Iludir essas restrieces, qur ps-
ra quebr-las ; (apilados) roas perguntirei,
nflo tem Portugal lirado do novo gys'ema
iienhum bonedeio? Compare-ge a sua con-
dieflo com o qua elle era debaixo dos gover-
nog arbitrarios, e ver-se-ha que, muito em-
bora haja ainda abusos que devem aer cor-
rgidos, a condieflo actual de Portugal tem
tanta semelhanca com a ana condieflo de
outr'ora, quanta he a gemelhanca que a luz
tem com as trovas. ( Apoiados. )
Ora o que fizamos nos em 1847 t Nossa
conduela nesse tempo foi spprovada pelo
honrado baronete. ( Apoiados.) Portugal a-
chavs-ae em um estado de revolueflo; o
throno corra o maior e mais eminente po-
ngo ; o governo portuguez solicilou desle
paiz o soccorro que pelo tratado, no qual
o honrado baronete teve parte, se tinha
compromet ido a dar. Elle fez a mesma so-
licilacflo s Franc e i llespanha. Nos alio
reconnecmos que esse traalo fosse appli-
cavel a estado de cousas entflo existente;
porm liverno que considerar o caso sobre
seo proprio merecimeato, s.im referencia
as obrga(0es antecedentes, e com referen-
cia smente ss obhgacas geraes, s obri-
gaqOes permanentes deslo paiz para com
Portugal. Se que mtiltos dos meus ami-
gos que se senlflo minha diraita i nos ban-
cos ministeriaes ) pensaram que seria mais
prudente e consistente com os principios
que deviam dirigir conducs da Inglaterra,
ter deixado continuar a lucta entreo parti-
do liberal e ooulro partidu;porm eu pense
entfio.e pens anda agora,que a deUrotina-
eflo que tomacnos foi jusia.|(^poiado.j,Estou
convencido que derribando naquelle lempo,
ou desarmando o partido liberal, os o gal'
ramos,tanto individual como Mllectivamen-
te degrandes peiigoa e males. (Apoiesdos Es-
lou persuadido que se ti vessemos declinado,
as outras poteuclas, especialmente s llespa-
nha, teriam inlervindo, e que para o nflo fa-
zerem, sem preciso que tomassemos urna
altitude que sem duvida ter ia envolvido
Inglaterra em guerra; seria preciso que
dissessemos: Se intarvierdes, tereis
guerra com a Inglaterra.e se livesaemos dito
isso, quem ha ahi que mediga,oque as ou-
iras potencias da Europa que sympalhisam
com a Hespanha poderiam ter dito, e que
apoio teria esta recebido em tal guerra de
paizes com os quaes a poltica nflo aconse-
Uia a Inglaterra ue lenha guerra t (Apoia-
dos.) Estou perSfadio que se nflo tivesse-
uios adoptado a conduela que desenvolve-
mos, e pela qual essa guerra civil foi termi-
nada sem mais elTusflo de sangue, ella teria
sido acabada pela interveneflo eslrangeira,
porm nflo com aa condices que pozemos
lermiuacfloda lula.
Correspondencia.
AOS PRESENTES E VINDOlitOS.
Protesto e uro pela Santissima Trindade,
que nem eu, enem nenhum dos meua ami-
gos ds enmarca do Brejo concorremos, em
por pensammio, para o assassioalo de An-
tonio Francisco Cordeiro de Carvalho, cujo
desaslretenho profundamente deplorado I
Assim como protesto e juro chamar juizo
tolos esses esnihaes da honra albeia que
tflo cruelmente tem pretendido compromet-
ter a minha reputaeflo, impulando-me fac-
toa qua a os ensanguentados autores das
carneficinas de liarreiros seriam capases de
praticar.'
Ilomens desleaes at quando queris
abusar da nossa paciencia f Catilinu do
Brasil, como nflo trepida os na perpetracBo
de tantos criles? E que maior crime, sel-
vagens.qae o de roubar a vida e a honra do
cidadflor!
Brasileiros removei qualqiier juizo des-
favoravel a meu respeito: vs veris mui
breve s verdade erguer-se msgestosa dos
eoleiose Isbyrintos ds calumnia ; e coohe-
cereis esdavez mais a perfidia, a corrup-
Cflo, e moral gangrena que infecciooa essas
almas malfstejag, que de muito tempo de-
cahiram da graca do Altissimo I! I
Eu assasaino de Antonio Cordeiro / Ah |
calumniadores I Esperai os tremendos gol-
pes da viogandra justica, e (ieai certos de
que ss vossss animosidades nflo proslrarfio
jamis a nobre altivez do meu animo.
Ilecife, !9deaetembro de 1850.
Joaquim Pinto de Campos.
A POBRE DAS RUINAS.
Rematar o espectculo a graciosa come-
dia em um acto
O Dllettantc.
Comecar as 8 horls.
Os bilhetes acham-se vend no lugar do
costume.

Theatro d^8.-Francisco.
BEU.A8-ARTES.
O director da galera opile faz ver ao
respeitavel publico, e aoa senhores asg-
nantes, que domingo Si de setembro.JSMs
berta a galera Vas horas s 9 da nejar,
com as seguintes vistas docosmorama:
O Coloco deapenno.
A cidade do Porto pela Villa-Nova.
A serra de Pencorvo na Hespanha.
A cathedral da Muflo.
\ ra real de Rarlin.
A deatraicSo de Carthig
pillo.
A sahida de Moyss no Egypto.
Hilas as ruinas de Babilonia.
Ilruellas ojardim da Bella-Vista.
O tnel gigante na Irlanda.
0 interior das mloss de sal, na Austria.
Os presos das entradas soo ris esda
pessa. Os meninos de 10 anuos gratis,
riodo com familia.
igo peto general Sci-
COMMER 10
alfani)e<;a.
Readmentododia 19.....HiWI.SSi
Deiearrofem Koje 20 a>Sv/em4ro
Barca -Thtm. Vern-s faiinha de (rig,
emsiitejaj* 4% j
Barca GtneUetm mercaaj^^H
Brigue Sqn-loi*'. dem.
Escuna 'Laura 1%mtj.
C0NSLAO GERAI.T
Bendmento do da 19.
Diversas provincias .
.,
RECEBEDOftfA, DE RENDAS GE
IpffERNAS.
Rendimento do dia 19.....788,741
COUSULADO l'BOVINCIAL.
Rendimento do da |9 .... .
IB!
Avisos martimos.
I
oviaieiito lo
As condiges por nos impostas, fram aa
seguintes : ampia e completa amnista para'
tolos os comprometidos nessa guerra ci-
vil; revogaeflo de iodos os edictos illegaes
que tinliam sido publicados pelo governo
em opposicSo aodisposlo pela conatituieflo;
convocavflo immediata do parlamento logo
queaseleices podessem ter lugar,e forma-
efio de um governo que nflo fosse e compostu
nem dos membros do partido de Cabral,par-
tido que entflo representavs o principio ar-
bitrario o principio Toty (riso e applaueos),
nem dos'membri'S da junta do Porto. ( Ap-
oiadas.)Esle termos frsm sceilos; nflo hou-
ve mais elTusflo de sangue ; a constuicflo
coulinuou em seu pleno vigor ; ella nflo foi
alterada, e Portugal acha-se presentemente
no gozo deasa consliluieflo, a qual pratical-
mente tem produzdo tantea hens, qaantos,
aieuilendo-se.ao pouco tempo dallante o qual
existe, delta podiam ser.'espera los. ( Apoia-
dos J Mas,disse o honrado baronete,|vs ten-
des Costa Cabral,entretanto.quo querieis li-
vrar-vos delle. (Apoiados.) Ora a falta'que
acbo naqueiles que silo tflo anciosos d* ala-
car-rne quer aqu, quer em outra parte,quer
nesle paiz, quer nos outros, be procura-
ren levar ludas as qdesloes a um negocio
possoal. (Apoiados.) Sequerem coinbalter a
poltica da Inglaterra, dize.ii Livremo-nos
Ja homem que he hoje orgflo dessa polilic..
(Ipplausos.)
mariensdo Kosa, sendo os fraee
zea obrigadoa pela sua presenca a enviar
urna fjrca mullo maior do que a que era
necessario psrs o cerco de Anluerpia, e bem
assim a ter nma reserva promi la para no
caso da are. ssid.de mirar em operaeflo.
I Apoiados ) D,go, porUulo, que o honrado
baronete, (e bem se que quando a gente
esta frs do poder, nflo tem urna memoria
tflo proaipts, coao qnando est nelle.)
( Biso, ) eshio em um grande efro, especial-
mente acerca da qneslflo particular que oc-
eupa a1 atiene* da casa. Concordo com o
honrado bironete que no caso a que roe le-
tihn referids ff rt*.- .1 in-,1.,..- .
"' uo '.ZlCim 10-
moo urna piudente deierminacfin. Pens
que um arranjamento que em UI5 ttnha
sido considerado como vantajoso* para a
paz da Europa; um amnjamenlo pelo qual
una potencia de alguma consideaco devia
Nos conhrcmos que s prosperidsde de
Portugal era ni-sii nleressad ; (apoiados)
que o meliior meio para fazer ceasar os nu-
merosos abusos que por Unto tempo ti-
uham feto desear Port'igal na escala das
uates, que o mellior meio para apoticar um
remedio eflicaz a esses males e-dar pleno
desenvolvimenlo sos recursos e prosperids-
de do psiz con-istia em assegursr-lhe as
vantagens inestiimveis de una conslituigflu
livre, ( apoiados ) e por conseguidle pensar,
como pensamos, que o direito eslava da
parle daquelle partido com o qual tremola-
ra a bandelra conalilucional Nos e n hon-
rado baronete com hosco, esposamos esla
causa, e concluimos um tratado entre a In-
glaterra, Franca, Hespanha .Portugal, es-
Isbeleeemlb que D. Maiia devia ser colloca-
da sobre o throno de Portugal. ( .potados.)
Pens que este procedimento foi sabio, e
perfiajiameiiiedeiensavel ueuao queo hon-
rado baronete tem o direito de participar
commigo ( rio ; do mrito de ter vencido
todos os preconceitos, ( riso renovado ) e de
ter concorri Jo nesse acto de interveneflo pa-
ra o fim de dar a Portugal ss beneflog do go-
Emquantoa Inglaierra for a Inglaterra, em-
qiianin o povo Inglet for animado pe o> tenll-
iieotos, pelo espirito e pela opiuiu quejioje
lein, pdela derribar viole inialalros doa ne-
gocios rstrangriroa, um apoi oulro, mastica!
certoi que neohuia delaar de obrar obre o*
meamos principios. (Applauttt.) Quando no
exercicio de ininhaS funcedes aou obrlgadua
oppor-ine poltica de qualquer governo, grl-
lam loco: -He por deaneito contra eaae bo-
mein, ou para agradar a elle ou a outro que
lase lasis
yVae/o estirado no Ates 19
Maranhflo --15 das, bciaue-escuns nacio-
nal Lauta, de 18$ 1/i toneladas, capitflo
Antonio Francisco da Silva Santos, equi-
Pgem 14, carga varias gneros s Novaos
& Coinpanhia. Passageiroa, Mairio Olim-
pio Pinheiro, Jos Pacheco de Madeiroa,
Vicencia liara com I fiiho menor e 4 os-
era vos a entregar.
Navio sahido ao mesmo dia.
.New-York Brigue nglez airen, espitflo
Jaac Catchpole, carga azelte de peixe
Passsgeiros, D. W. Bsymon com sua fa-
milia e D. Moers.
ObservacBcs.
0 brigue sardo /lasque chegou hontem
entrn para o Mosqoeiro com 10 passsgeiros
de nomes Giuseppe Peloso, Rsffsele Peluso.
Domenico Mercadete, Raffaelle Mercadan-
te, Giuseppe Cboli, Bifse Cesarino, Giusep-
pe Gravina, Giuseppe Finamoze, Francesco
Antonio Furiati e An Irea Carrea : todos
com pagssportes.
Segu visgem psrs o Arscaty, at o fin
do'canate mez, o hiale Flor-de-Curu-
ripe : para carga ou passageiros trata-se na
ra do Vigario, n. 5.
, Para o Ass sahe, al o dia 85 do cor-
rente, o brigue Sagitario : para carga ou
passageiros Irala-se na ra d'Apolfo, n. 4,*
ou com o capillo a bordo.
Pira o Cear sahe em poneos das a
Sumaca nacional Flor-do-Angelim, uestre
Bernardo deSouzs, por se schsr com par-
^^Bargl prornpla : para o resto e passa-
Jrata-se com Luiz Jos d S Araujo,
nfTu"cfi Cruz dp Ilecife, ib 33.
-- A escuna Europista,'Matia impreteri-
velmente no dia 18, o qdjjff avisa aos que
leem esersvos a remelnKpara o RioGran-
Jddo sul, os quaes deve n flaar a boriloaa
yjMpera, e trata-se com a vhiva Gsudino &
, na aracinha do Corpd Santo, n. 66.
'Vara a Baha, segu com muita brevi-
Uade o brigue brasilero Sari Jos, para car-
ga, passageiros eescravos a frete, trata sa
com viuva G.udioo & Filho : na pracinha
4b Corpo Santo, n. 06 ou com o Sr. capitflo
Jos Ramos de Sodza a bordo,
* Para Mossamedcs
sahe, no fim do corrente mez de
aetembro. a bares portugueza Bra-
chrente ; s recebe voluntes de
caiga at ao dia i3 i os Srs par-
sa^eiros que nella segiiem, qnei-
rain-se apromptar. e apresen tur
os seus pas-aportes na casa n. 6,
defronte do trapiche novo, at o
dia id, para que no dia iH fquem
a bordo todas as suas tagagens.
KDITAIi)8.
- Parante a.cmara municipal desta ci-
dade contina a estar ero praca, nos dias 18,
20 e ss 1I0 corrente, os objaatos que ainda
nflo [ram arrematados, taes como ribeira
da Roa-Vista, Imposto dos mscales e boce-
teirss, essa da ra Imperial, e alguns talhos
dosaeouajjsaspblicos; e bem assim o im-
posto de aJVrs. por caneca de gado vacum,
e a< caiinhas ds ribeira de San-Jos em que
estilo os talbos.*sendo a arrematseflo das
meamai de saaaT* urna, enfloem globo co-
mo dantes js%eitsntes poden comparecer _
nos menciofisdos dias, munidos de Hedores mp. Passagem-da-Magdalena
te de 10 caixas, ancorada junto oeaes do
Ramos ; tem boa construeeflo, poreommo-
do preco : a tratar na mes'na barcac. com
o mestre, Antonio Lins de Mallo.
Leile.
--------------
Com effeito, o honrado baronete dliae que o
flu que liveinos eos vala no anuo de 1847 fura
meramente llvrar-n centou que. achando-se este individuo outra
ves no poder, eaie fin tlnha aldo malogrado.
Ora, nada noi Importava quem loase pessoal-
inenle o mililitro de Portugal, porm sentimos
que havla all muito eiollauenlo popular, par-
tido contra partido, ciaste contra ciaste, pres-
lea a relien lar e aabiamoa perfellainentc que
te um inembroda faeco Cabral fosse feito mi-
nistro, haveria urna renovac.'io da guerra civil;
foi por lato que escluliaus todot ot homena dos
parildot eitremot, qur da faccao Cabral, qur
da faccao Junta, nao para sempre, porm tim-
pletnieute por algum tempo, at que at corles
decidate que lerla a aaa cooHanca e T!~B1
deveria ser mlnltiio. Portanlo. nao poatolS
iniuir o vlaanpho que o honrado baronete pen-
is que obteve minha cuata no fado de achar-
ae Itn.l. r.ahrAl. a datanpttp do nraceillm-Mt
que tireinotem 1847, /eltoaclualineulemioit-
Iro de Portugal. (Apoiados.)
( Continuar-te-hi.)
devldamente habilitados. E, para constar,
se manda publicar o presente. Paco da c-
mara municipal do Ilecife. em sesisflo -de 14
de setembro de 1850. Francisco Antonio
de Oliviira, presidente. -- Slanotl Ferrtra>
Accin, secretario interino.
--Peraate acamara municipal desta ci-
dade ser arrematada, a quem mais der, nos
liaa 90 e 93 do corrente, toda a porc,fio de
lijlo, resultante da domolicflo do muro
desappropriado a llercullno Alvea da Si|va
Paco da cmara municipal do It'-cifj, em 18
leset-mbrode 1850. Francisco Antonio de
Uliveira, presidente. Manuel Ferrtira Ac-
cioli, secretario interino.
Pela inspectora da s^faSalega se fai
oublico que, no dia 90 do correte, depoa
do meio-dia. porta da mesma, ae ha de ar-
rematar em hasta publica 5 grosaa de fivel-
las de metal para ausnenanrlns. .cor faeiatva
Srosa 19,00) rs., total 60,000 rs.; 10 dilss
i anneis de cobre psra boles de col leles,
por factura grosa 500 ra. total 5,000 rs. ;
impugnadas pelo amanuense Joflo Canean
Comea da Silva, no deapacho por factura
sbn^C8#*torrenle sendo s srremsls-
cSosuJrfeita a direitasv
Airandega de PerojMuco, 18 des't-mb o
de 1850 -- O nspectt" interino, Benlt os
Fernandts Barros.
= Pela intpectoria da alfaadega te contracta
ce quem por menos fier duas bolat de fer-
ro para terein collocadat entre o ancoradouro
de descarga e a ponte da alfandega j aa petsoas
que qulzerein laier ette contracto, dirijam-se
a inetina repartico durante ai borat do eipe-
diente at a dia 20 do correte.
Alfaodega, 16 de teleinbro de 1850. O Ins-
pector interino, liento Jos Ffrnandss Berros
O Sr. Fernando Bieber, tendo-Se retira-
do para Europa, ordenou aocorrttor Olvei-
ra, por cuja interveneflo se effectuar, o le
13o de sus mobilia, consistindo em ana ex-
cedente piano, ctdeira a de differentesqua-
lida les, ditas de bslanco, gofas, bancas de
jogo, mesa de jsntar, ditas redondas, lavs-
tnrios, commodas de differentes qualidades,
bancas para luz, secretaria, marquezas,
gusrda-roupas, banca de costura, urna* ma-
china de engommar, esleir de forro, guar-
da-msicas, armarios, aparador, guarda-
lom;a, cama de casal com cortinados e es-
cida, dilas ile ferro, ditas para meninos, es-
pelhos, loucado'es, lanlernas, cindieirode
globo, tpele, hanheiro, trern de cozinha o
outro* mullos objectos assaz aeceasarios :
galihado, 91 do corrente, s 10 horas, em a
prlpieiro sitio grande direita, passado o
O capiitflo Mrcala Oooper, faii lelIJo
ero pnsenca do Sr. cnsul dos sts'doa-
Unidos, por conta e risco de quem peMB-
cer, e por interveneflo docorretor Oliveira,
la balieirs americana Frankllm, vinda da
pescara e naufragada em Carapih, onde
se acha encalhada e dos seguintes artigos,
o.U9 se supifJe estsrem abordo da dita ba-
tieira ou porto della : 9 ancoras pesando
(muco mais ou menos1,800 libras esdaurna,
I ancorle de 500 ditas, 9 conentag senda
ums de 90 e outra de 150 bracas d cum-
plimento. 4 ditas de 18 a 90 bracas esda
urna para segurar paleias, 4 anzoas da 7o a
80 libras cada um, 1 caldeirflo oaMStre, 3
ditos de ferro, 75 ou SO tancas e HTpoes, e
diversas toneladas de lingoadug ie ferro
para lestro : te'ca-feira, 9.1 do correnle, as
;; hn... l ..->- i o,.
--------- ... ,.....,. ... ,...^. UU v.^.pu
Ssnto
- Itlchsrd Bayle far leilflo, por interven-
eflo do eorrotor Oliveira, de um doa osis
esplendidos sortiinoulos de fazendss ing'le-
zss, lodaa de le, ou chamadas carne de vic-
ca, eaa mais ptoprits pata asle meresdo :
segn la-feira, 3 do corrente, ts 10 ho'ss
la manhfla en ponto, no seu armazeuj, ra
da Cadeia do Recife.
Theatro
10' R
Sabbadi
de s. Isabel.
A DA ASSICNATURA.
de tetittkro de 1850.
Representsr-se-hs o zcellente drama om
'tres actos o um prologo
t/eTtl
''^^^m^>tmssmatommm^0sseMm
Avisos diversos.
O annuncio publicado em o n. 910 des-
le Diario, chamando8r. f)r. Adelina) Can-
dido Carnei'O da Ctfnha, psrs vir rus ds
Csdeis de Santo-Antonio, n. IS. nflo se el
leude relativamente a aua reputaeflo, aim
para fallar com urna pessos de sufbsmizade,
nij a-achava nula casa abolelada, aus
muito inleresss de llie Miar, o Coma, nflo
soubesse de sua Ciss annuuciou. Francis-
co Simes da Ssim Uafra.
- Aluga-so o primeiro andar do sobrado
ii. 16, os rus do Hozarlo estrella : a fallar
no segundo do mesmo.


. ~ |>recisa-se de um liomem moco e sad jo.
para ir par Paje de Flores, so occupar em
trabalho brazal: quem quizer dirija-se
prensa daalgodflo de Joaquim Jos Ferreira,
afim de tratar este negocio.
* A piern convjcr.
Jos I.uiz da Silva t'uimar.les faz scieale,
que, desde odia 13 ou 14 de agosto ultimo,
deixoo de sor leslameoteiro em segundo lu -
gar degeu finado cunliado Manoel Antonio
Duarto Cuohs, valo ter-se recolhido a esta
provincia o gen filho, e primeiro teslamen-
"teiro Joveniano Antonio Duarte Cunha, que
se achava no llio-de-Janeiro, aquem paa-
sou a referida testamentan* come entrega
ilo respectivo testamento e documentos a
elle relativo, ficando de tudo desonerado e
saldo em eonlas ; por Isso quena se julgar
inter"*asado sobre qualquer negocio do ce
sal, aleve entender-se eom o dito primeiro
testamenlero noengonho Cachoetra-Nova
de Seriohflem, por intermedio do annun-
ciante, qae p6de ser procurado em seu es-
critorio, na roe larga do Hozario, n. 33,
priroeiroandar.
Aluga-se o segundo andar do sobrado
da ra do' hangel, n. 59, com duas salas,
duasalcovas, seisquartos e cozinha no so-
tflo: na praga da Independencia, lirraria
n.fte8.
Achou-ae una cambada de chaves :
3uem as perdeu, dirija-se ao primeiro an-
ar da casan. U da ra da Cadeia-Velba,
. que, pagando as despezas e dando os sig-
naos, Ihe ser entregue.
ii secretario da irmandade de N. S. do
I.ivramento, por orrlem da mesa actual, e
em vlrlude do artigo 24 do compromlsso,
ron vid a todos os irmSos da mesma irroaii-
dade para'comparecorem domingo, S2 dn
corrale, pelaa 3 lloras da tarde, em o res-
pectivo consistorio, para que. reunidas em
mesa geral, possam eleger 0 nono juiz qJMJ
tem de reger a irmandade par* o futu'0 an-J
no de 1851.
\o publico.
Luiz Lopes deOliveira tem vendido a
s Mauricio Bilancourt l.acerda a sua
quejeve no bilhar da rus do PaMip-Pl
co, n......quegyrava debaixo df^li
Ucourl & Coinpanbia, ficando o^mesmo
Bitancourt obligado a pagwoi'uea nifim
casadever; a&los aquellea que devem a
encama, at o m 15 do comente mez, de-
varflo pagar ao abano (asignado, por as!1
eWsjnnoi concordado. uta LopmJj^m
retro.
--Roga-se todas as pestoa que eslSo
devoniiorontas antigs na venda da ruada
Cadeia do Iteei, n. 25, defrpntedo liecco-
Largo, o favor eiretn ou mandare pagaV
seus dbitos at oliui do corrente mez de
sotembio, Uto para evitar despezas, pois a Jo
o fazendo se usar de outros meios.
perdeu-se, no da ti do corrente, urna
carteira, contendo qualrs leltras da quao
lia de 90,000 rs surcadas por" Jolo Mariiiis
de Barros,aceitas por AndrXavierViao-
na um val da quantia de 200,001) rs. pasJ
sado por Joaquim Correia de ftezende Reg*
e diversos papis que s serveni ao proprio
dono, por isso roga-se a presea que a tive
echado, de a entregar na travessa da ra da
Madre-de-Dos, n. 19, ou aiinuncie por est
jornal.
O Sr. alteres do corpo lixo do l'iauhy,
I.uiz Martina de Carvalho, haja de diiigir-e
ao Aterro-dos-Arogados, n. 185, alimdere-
cebar.uma carta vinda da provincia do sul.
-- Manoel Thom de Santigo e sua roulher
llosa Mara da ConceicSo retiram-se para
Mossamedes ua barca Braeharense.
-- Precisa-ge de uuia ama de leile : na ra
da Cr'uz, alias do Corpo-Santo, n. 68.
A ttetico. luciii tlver para ven-
der as eguintes obras usadas, ou alguws
ditas aeparado, annuncie por esta folha.
Retiro esprilual, Flos Sanclorom ou a
vida vida de Santo Antonio deLisboa.
Precisa-ge de uui criado forro, ou cap-
tivo, para o servico de ponas as detitio le
urna .caaa eslrangera : pega-se bem : ua
ra da Cruz, laverna n. 40, se dir quea,
precisa.
Aluga-se o primeiro, andar da casa n.
4, defrunte do trapiche novo, proprio para
escriptorio ; a tratar na ra dos Tanociroa,
n. 5, armazem
Marcelliuu Concelves da Silva embarca
para o Itio-de-Janeno o seu escravo pardo
de nome Alelan ir.
- O bacharel liveira Maciel est em
ejercicio da primeira vara do juizo muni-
cipal.
Precisa-Re de um homem nacional ou
cstrangeiro, para caixeiro de uma-tavenia;
f\ largo do Pilar, n. 21.
Pelo juizo ds segunda van do civel, as
lloras do c stume, nu dia 28 do coi rente, se
ha de arr>m.-lar uan casa im'Tagua, no bec-
c.i por detras da ra dos Pescadores, por
sjjefcucflo de Jos Moieir contra Francisco
Monleiro de ndrade.
--O terceiro batalhfio de arlilharia quer
cont'alar um pistan e um trumbone.
--Perdeu-se, uo dia 12 du corrente, na
estrada da villa do Cabo, uina carteira de
Flandres, com 93,000 rs. em cdulas, uns
Diarios, dous nmeros da Marmota e urnas
carta.: qu.-m a achou, querendo restituir,
dirija-ae ao engeiibo tuinas, ou ra Dimi-
ta, ll. 93, que ser recompensado.
Alinelo.
NoaaAajptorio da la larga do Rozario,
n. 33,primeiro aula*, rsm-se paassporles
para dentro e fr du im, erio, corrsin-se
folh ii.rarma viltnMw; d,'SDacham-se escra-
vo-, fazem-so conciliacOes, e trala-se mes-
oo de qualquer negocio forense, c i me e
atel : ludo a contento das paites, com a
precisa promplidio o piecocunimoJo.
A pessoa que aunuuciou pn cisar sin-
gar um sitio na Varzea, dirija-se a casa de
Miguel Feliclo da Silva.
A pessoa-que u un uncin pre-
cisar de um sitio na Passagem,
com Lanheiro, casa pequea e si-
tio grande, falle i Joaquim da Sil-
Va Lopes.
--Jufto JosPeieirateomloje de sapalei-
ro na ra do Vigario, drclaia^ue o aonun-
eio du Mono n. 211, nao so enlende eom
elle.
Saias-MIguil rloa Afogadoa.
O ..imtni.i.adur desta espolia, trausfere
malB*yara diante a novena e Testa que
pretenda fazer a este glorioso arclianio no
seu'dia proprio; por nao ser posslvel laz-
lo nesse dia, com a decencia que Ihe be de-
vida, em rasao das obras que inda fattam
concluir, eomo o ladrilbo e guarnic.lo da
frente, torre, coro, pintur;, outros arran-
jns dos quaesse est tratando. Logo, po-
rm, que esteja prompto a o menos o mais
neceesario, ter lugar a fasta i no entanto,
se alguum fiel devoto do milagroso San-Mi-
guel qaizer festeja-lo assim mesmo, em
seu da proprio, aohar no actual adminis-
trador toda a coadjuvacflo necessaria.
Deseja-sa fallar na leja de livros do
pateo do Col' io, n. 6, com os Srs. abaixo
declarados Fumino Cezar Monteiro, Joa-
quim Antonio Barbalho, Jacintho rtrreira
llamos, Francisco Pimental, Pedro Bsrol,
Melquades Frsncisco da Costa, Jos Men-
des Campello, Jos Rodrigues, Marcellino
Francisco de Salles Abreu, Jernimo de
Albuquerque,- Antonio Joaquim Gonsalve
de Moraes Melquades dos Santos Lima,
Barnab, Antonio de Albuquerque, Joaquim
Cnelho de Aceoles Joaquim Antonio Pires,
Pedro Jos de Barros, Manoel Tbomaz C.
Lima, Joo- Borges Campos, JoSo Anastacio
Jnior, Consalo Alves Lima, Francisco Ro-
rnBo, Mathias de Albuquerque Weoderley,
Victorino Pimentel, cadete Cornelio Fran-
cisco Pereira da Silva, JoSo Manoel Accioles.
Clara Maria do Nascimento fa sciente
ao respeitavel publico, que tem instituido
por seu bastante procurador a* Sr. Theodo-
ro Gomes dos Reis. Recife, 18 de setembre
de 1850.
--D. Maria Anglica remette psra o Rio-
le-Janeiro a aua escrava Esperance, crioula,
de 14 annos.
-- Antonio Dias Pires, subiito portoguez
retra-se para Mossamedes com seus fllhos
Lino Dias dos Santos, Benedicto. Francisco,
Mara, Eugenia e Francelina, e SUS ora
Bartina Macara Cavalcanli.
Alugam-se os primeiro e segundo snda
res da caaa da ra da Madre-de-fleos, n. M :
a tratar na ra da Cdeia do ilecjfe, n. 42.
eles para a recita extraordinaria
recurrente se di.-tri buem nos dias 20
--WBBa-se ao Sr. Dr. Joaqaim Jos L. Vi-
anna, dsMaranhSo, que venba ou mande
pagar quanlia de 136 000 rs. como prin-
cpal4|s|BoMp.elo Sr. Rr. Machado ; do ron-
r seoipre lembrado : na ra
Qemjajui'/er comprar urna letlra do Sr.
I)r. ll'mrrio*vazXura lo da quanlia de ris
110.280, asnuncia para ser procurado) que
to ln negocio se far.
USr. Ventura Joaquim da Roza haja de
vir pagar a quantis queno ignora, na ra
da Cruz,l. 49.
Arrcnda-s para qualquer estabeleci-
menlo una propredade sita na ra da Flo-
rentina, ao p do eslabeleeimenlo doSr.
lleranger, oqual lem porto de embarque
pordetraz : a tratar nesta typographia,
Jilo Jos Pereira l'.orges retira se para
fra do imperio. '
Preeisa-se lugar um sitio pequeo,
ou casa com bom quintal, e i|ue lenlia boni
banho, e si-ja na Pagsagem, Cai-unga, ou
Ponte- le-Ucna : quem quizer alugar an
numie.
-- Oahaito assignad* pede aoSr. procu-
rador SimSo Jos de Azevedo Santos, que
llie falle com bretidade. para Ihe dar soiu
crio do negocio de que o encarregou ; alias ,
o abaixo aaaignado declarar por este Dia-
rio qual be o negocio. Recife, 18 do selem-
bro de 1850. -i Ha noel Dommgues Ptriira
llamos
% i'aiil .'i.iynour, dentista 9
v fiiuiccz, leccnteuicnte che-
$ sado a esta capital, offci'Cee
? sll pi-esjUliio ao publico pn- *
ra todos os midieres ele sua #
"i proflsafto, ujni- extiahlndo, >
4 llmpnmlo e elintnbando os 9
9 dentes nntiH-acs, qitrjHbsti- 9
tulndo-os por outrnjpi-tlfl-
claes, para o ipie tem s me- $
lbores apparcllios. I'dc ser ?
procurado a qualquer hora, ?>
em sua casa na ruaVlnrga do <,
M Hozarlo, n. 30, seguHdo un-
0 dar. 9
S

9
Precisa-se de um casal de Cachorros
de (Ha verdaderos, mas, anda pequeos
3uem tiver dirj<-se a ra da Cadeia velfia
o Recife.Joja, n. 39, part-tntrar em preco.
Sahio a luz o 4 numero do Bello Sexo,
que se echa a venda nos lugates do costme.
Sahio a luz o 1.* numero do Bratlo da ln-
ilignncdo, cumn, JO paginas, peridico em
reapofla ao Zoilo, na livraria do Sr. Iioura-
do, a 240 rs. o numero.
a I uga-se urna casa terrea com aoUo,
no sitio do fiordeiro, a margem do rioCa-
piharilie, com commodos para grande fa-
milia, rosinh* or, quarto para criado, es-
triban, coxeira paia carro, etc. Urna dila
mais pequea, no fundo do mesmo sio: a
irntar no paleo do Crino, n. 17, ecaflSaV
briel Antonio.
.- fiexi-^ Ji..T. S-.I r" n arvico
int'riio de urna casa de pouca familH qOe
sailia cozilihar : na ra da Cmr, no Recife,
n. 2, prmeiio andar, junto a botica fran-
ceja.
Antonio Pereira JecomefWriUBiez, re-
tira-se para fra duJanperio. k .
Do-se HO.OOMw premio de dous por
ceito ao mez, sol pSR bres de ouro ou pra-
ta : na ra da Kuledlnf, u. 27.
Prrcisa-se alugar um armazem, que se-
ja situado na ra da Cruz do Recife : trata-
se na mesma ra, n. 64.
Aluga-ge urna casa no lugar da Trem-
pe.com duas talas do fente, cinco quartos,
urna sala atis, cozinha fra, com uro grau-
de quintal: quem a pretender, dirija-se
ra da Aurora, n. 58.
No dia 20 do correule, s 4 horas datar-
le, na n* da> Flores rasa do Dr-juiz de
direitoTl ha de arrfmatar, por ser a ulti-
ma praca, uns moren, umaajjiCia grano* ue
(ala e urna bolca> e nSo Sendo licitan-
tes imo a Medeiros Tavaresjor qxecucao contra Joo
Francisco Ferreira.
Roga-se so Sr. p ndo teen le Jos de
Cerqueira Lima, da Bnli a, que mande pagar
urna lettra, que se acha vencida ha ofto me-
zes; do contrario, ter de ver s mpre o. leu
nome nesta folha.
-- Jos Moreira da Costa Maia, subdito
portuguez, retirase para a colonia de Mos-
samedes.
O bacharel Antonio Epaminondas dr
Mello mudou-se para o sobrado ao p do em
que morava, na roa da Cadeia de Santo-An-
tonio, n. 18, primeiro andar; e ahi pode
ser procurado como ajvogado o procurador
fiscal inlerinoda fazenda publica nacional.
Troca-se por dinheiro uina pedra d'Ara:
na travessa da Concordia, n. 5.
Precisa-se de uma ama que
tenha bom leite : na ra da Uo-
da, n. 32.
Aluga-se o segundo sndar e sotfio do
sobrado atrs da matriz da Boa-Vista, n. 86,
com commodos para grande familia : a tra-
tar na mesma ra, n. 22 '
Francisco Ferreira Rsngei Pinto, sub-
dito portuguez, rettra-se para fra do im-
perio.
Jos Antonio Pinto CuimarSes, cidadSo
portuguez, retra-se para a nova colonia de
Mossamedes.
Clara Felicia da AnnunciacSo retira-
se para o Rio-de-Janeiro, levando em sua
eompanhia dous Albos menores.
Jos frsncisco de Paula, subdito por-
tuguez, retira-c para Mossamedes.
Precisa-se alugar um moleque, ou no-
gro, para o servico de ra e casa, e que se-
ia fiel na ra da Cruz, armazem n. 48.
"Na ra de Hortas, n. 54, apromptam-
se bandejas do bolos de encommenda; tam-
bsmsedde vendsgem a pretas, fleando
seus senhores responsaveis. Na mesma casa
engomma-seelsva-secom asseio e perfei-
(3o, por prer;o commodo.
Precisa-se de una escrava cosinheira ,
para o gervico de urna casa fe pouca fami-
lia : no Aterro da Boa-Vista, n. I.
Aluga-ge o armazem n. 20, defron'.eda
ra da Madre-de-l)eos, largo da Assemlda,
oqual serve para prensa, armazem de reco-
Iher a alfandega e do trapiche de embarque, ten-
du de fundo 110 palmos e 71 de largura :
quain o pretender, falle com Manoel Alves
fucrra.
$*?* Chapeos de sol.
& Ruado Passeio, ii
Nesta-fabrica ha presentemente um rico
snrtimenlo destes objectos de todas as co-
res eq'ualidades, lano de sala como de
pannintio, por precos commodos ; ditos pa-
>a senhora, de bom gnstoj ei-tes eharos
sSo feitoj pela ultima moda'; leda adamas-
cada eott ricas franjas de retroz. Ma mesma
casa se sena igual sortimento de sedas e
paniiinho imitando sedas, parev cobrir ar-
maefles servidas : todas estas fazendas ven-
dem-ge em porco e a retalho : tambem se
concertg) qualquer chapeo deso, tanto de
asteas de ferro como de balis, assim como
umbelas de igrejas: tudo por preco com-
modo. Na mesma casa ha chapeos de sol,
de marca maior, de panno a de seda, pro-
prios para feitores de engenho, por serem
dos maia fortes que se pdem fabricar.
Ulvsse Droz, relojoeirosuis-
so, de passagem por isla praca
onde tenciona demorr-se 5 ou 6
mezes sinenle, concerta toda
qualquer qualidade de relogios
eem qualquer estado em que se
acbem ; assim como lem para ven-
der relogios de ouro e prala dos
melhores fahricanies : na ra da
Cruz, n. 44) primeiro andar.
Alnga-se, animalmente uma casa de
sobrado na i ua da t'nilo, que accommoda
duas familias, e tem vista para a barra : i
tratar na ra da Aurora,,. 4.
Lotera du .Matriz da lloa vista
O thesoureiro desta loteria annuncia a
respeitavel publico, que muito breve tem
de marcar o dia do andamento das rodas :
as pessoas que teem bilhetes apartados os
n buscar quanlo antes, du contrario se-
ra o vendidos. O restante dos musmos a-
cbam-se a venda nos lugares j annuncia-
dos.
fr'abrica de obras de folha de
Flnmliis. rila Nova n. 38, de-
fronte da onreicao.
Nesta bem acreditada fabrica ha conti-
nuadamente um completo sortimento d'
obras de folha, liem como hacas, banhef-
ros, fialis de lodosos tanianhos, objectos
de seivico domsticos para connha, bem
como so fazem todas as obras por preco com
modo, e com perfeiflo.
Novo cstabelcclniuto dccotllaria
ria, na na Nova, n. 3G.
Jos Pradines, colileiro-armeiro, participa
ao respeitavel publico desta cidade, e prin-
cipalmente a seus freguezes, que mudo o
eslabeleeimenlo que tinha na ra do Roza-
rio larga para a ra Nova, n. 36, confronte a
igreja da Conceicllo, onde o acharSo promp-
to a executar qualquer encommenda de sua
arte com a maior perfe mais commodo do que em oulra qualquer
parte. 0 annuncianle, leudo recobido de
Franca u!t!m">menU> um rico sortimento de
objectos de sua arte, nao iiie no possivel
menciona-lni pela grande quantidado e va-
nedade dos mesmos ; mas asevera que tu-
do he o mais fino possivel, e ser paleute lu-
do aos compradores e por precos umi ra-
zoaveis. A) annuncianle para facilitar a bre-
vidade das encommenda que seiba fize-
ret inandou vir um ollicial de Franca, o
qual cliegou pelo bngue Citar, e se echa no
exercicio de sua arte no estabelecimento
cima.
Na ra de Agoas-Verdes, casa terrea
n. 26, lava-ge e eogommt-se toda a qualida-
de de roupa, com asseio e promptdSo, por
preco mais commodo do que em oulra
qualquer parte.
Compra-so efectivamente cobre,
chumbo, zinco, estanho, e toda a qualida-
de do metal velho, n,1o sendo ferro : na ra
Nova, n. 38.
Compram-seescravoscom habilidades:
>a ra lerga do Rozario, n. 48, primeiro an-
lar.
Cnmpra-se, para uma encommenda,
nm escravo que seja bom ollicial da tanoei-
ro : paga-se bem, agradando : na ra da
Moda, n. 7, a tratar cora Leopoldo da Costa
Araujo.
Compra-se uma negre. preferiodo-se
de nacSo e seja perfeita engommadeira, sai-
ha cortar e fazer vestidos com perfeicao e
qualquer uma costura, e tenha algum prin-
cipio de cozinha, sem vicios nem achaques
esejarecolhida : n ra Larga do Rozario,
n. 28, segundo andar por cima da loja de
louca.
Compra-se um oculo grande de ver ao
longe, em meo uso na ra do Queimado,
n.14.
Compra-se uma escrava moja, que n6o
tenha viciog nem achaques: no largo do
Pilar, n. 13.
-- Compra-ae um carro de 4 rodas, que
seja hamburguez, e para um s cavallo :
quem tiver annuncie.
Compram-se Ssoleiras de pedra e 2
carros de mSo : na ra da Florentina, n.
30, laverna.
Veiid\8.
_
Compras
Compra-se uma banca re-
donda de Jacaranda, para meio de
sala, em nielo uso: cata typo-
graphia, ou annu.icie.
Compram-se senientej de mrlancia,
alfaceecoentro: annuncie.
Ve.ide-so um eandieiro francez para
cima de mesa ou balro, com vidro com-
prido, globo e uma manguinha de sobre
saliente, quasi novo, e por preco muito
commodo : na ra de Hurtas, n. 62, cass
terrea com a frente pintada de azul e porta-
das brancas.
Vende-se ums porcSo de lenhs, por
pre?o commodo : na prar;a da Boa-Vista,
n. I.
m:| Vi'iulem-so cbaios de mola, co-
-I L hl'rl09 "* naerin, de elegantes
-^"formas, e ds auuerior qualidade,
por prec>i comiiv>do bem com > chapeos da
Italia, e de todas as mais quali ladw pv
precos rasoavs : na p/aca da ln lepen leu
ca, n. -2(i
--Vendem-SB chapeos da Italia, de copa
alta, muito hem Sonidos, pelo dinunulo
prer;o de 2,800 rs* cada um : na prjci d
Indepeudeneia, n. 26
Vende-se U'ii mulato de 13 anuos, com
principios de pescador e canoeiro, sem vi-
cios, muito robusto, e proprio para pagem,
alteodendo sua cor, agilidad e linda figu-
ra i na ra lumia, n. 89.
Vende-se o restante de 200 acefles da
compamia de llebenbe : na ra da Calis
do Recife, n. 34, SA de camino.
t "tij.oooerte de vexlido.
Vendem-so as nfl modernas cimbrai s
aberlas brancas a de cores, padres ada-
mascados, eos melhores goslos que t> em
apparecido, a 5,500 rs. o crte : dilo-se as
amostras com penhores : na ra do Quei-
mado, o. 8, loja defronte da bollos.
Vondem-ae oculos de aro da acu lino,
a vidro lira reo, para lodas as idades ; ditos
de vidro verde e azul para ler de noita, ou
cura de ollios, por ser de vidrarji ; lonetas
do um e dous vidros, para augmentar os
olj clos, a que os francezes cha ni a ai pen-
ceuer, do ultimo goslo : estas lonetas fa-
enadas servem de microscopios para verifi-
car cdulas e outros ohj'Ctus que a vista
nSo alcanza; puiseiras douradas com pe
dras, ultimo gusto du Pars; bengalas da
ultima moda ; linssimos lapis em qualida
de ; gargantillas pretas ; medidas domar
roquiin para all'aiate ; facas e garlos d
cabo de chifre de vu.io, au uso do bom lo i.
do LouJrcs;.ditas de balangO, cabos de mar
lim ; linis.siuias meas para senhoras ; ca.i
veles; machinas que da umi s vez apa-
ram perfeilamente urna peona ; e oulia
multas miudezag chegadas recentemenle :
na la larga do Rozario, n. 35, loj do Lody.
A 4)000 rs- |,ar-
Veiidem se sapatoes de lustro
para homem, muito hem Jeitos, a
4,(00 ra. o par: no Aterro -da-
Boa-Vista, n. 58, loj decalcado,
junto a ce .sellen o.
Vende-se um preto moco, bem robus-
to salie sem vicios, proprio para todo o
servico; na ra do Vigatjp, n 14, taberna.
Vende-se um preto ptimo padeiro .
na rus da Cadeia do Recife, junto ao airo
da Conceic3o, armazem de Jos ItoJrigu> s
1'ereiia
N-i ra do Queimado, n. 9,
vendem seos mais asseiados puuhos de fi
l para vestidos do senhora ; lencos para
maode menino ; ditos de garca para pesco-
oo de senlioi ,i.
Grande pechinchi.
A 4.000 e 5,ooo rs.
Vende-se umaiporejiodecassas francezn
de novog padres e de muilas cores, a 400
rs. a vara, e muito linas, a 500 rs. ; dita
pretas niuilo linas, 480 e 560 rs. ; chitas
largas fran caas, a 320 rs o covado : ua ra
do Cu.-,,o, o. 14. luji de Jos Fiancisco
Dias.
Na ra da Cadeia Velln, primeio an-
dar da casa n 24, de Manoel Antonio da Sil
va Antones, vnnde-se um rico sortimento
de chapeos dq palha de Italia, ab-ros, para
senhoras ; camizetas de caaibraia, colen-
nlnu. roineiras. maiiBiiiloa. iiiinlins. ludo
txceileutenienle bordado, bicos linissimos,
ricas lilas, e outros objectos de gosio; bem
cmiu un completo sorlimenlo da fa|_eulaa i
tu lo se vende por precos muilos rasoaveis
i'linpcOM de sol para xiiliora.
Vi'iidem so chapeos de sul de seda com
fr njas, muito ricos, cum cabos de niaitoi
u dos mais uioileinos. A cidado de Pars,
ra do Collegio, u. 4.
-- Vi n Jeai-e chupos de sol de seda pre-
ta a de cores a 4,500, 5,000 e 5,540 rs. ca la
um, Com armacSo de balcia e muito bons.
A cidade de Pars, rus do Collegio, u. 4.
Grande aoilimenlo de chapeos de sol
Je panno trancado, multo glandes, com ai-
mac,8avde baleia das mus lories,.cabos de
lalao e de pao, proprios pra senboTes e fe-
tores de engenbo. A culada de Pars, ra do
Collegio, u 4.
Chapos de sol depanniihocom arma-
cSo Ua baleia. >.>e!s JianmUn nreeo, de 2.000
rs. cada um. A cidade de Pars, ra doOol-
legio, n. 4.
Vende-se um terreno e lelheiro na ru
da Palma, n. 10, que confronta com o so-
brado do Sr. Gomes Penna i na rus Nov,
taberna n. 65. Na mesma liberna, tambem
se vende tima porsSo de r?bolos para bar-
beiro.
--Vend-se, no armazem da ra da Cruz.
n. 9, feij3o muito novo; pedras para filtrar
agoa ; globos para tor luz na escada ; 2 cai-
xoes para depsitos de gneros; um rico
braco de balanga grande: tudo por preco
commodo.
Jop Keller S COuipanlii.a. na
rna da Cruz, 55,
Vendem a precos commodos, vinho mos-
catel de Setubal, ero calas de uma du-
zia; dito muito bom de Uyradio e Col-
lares, em barris de quinto ; dlo de Cbam-
lanha, da mais acreditada marca ; dito tin-
to de Cortaillod, de superior qualidade;
extracto de absyiith a kirsch ligitimo da
Suissa, emcaixasdo uma iluzia; verdalei-
ro cognac velho, o da melhor fabrica de
Frange, em barris da 80 garrafas pouco
mais ou menos : tambem se vendem por
>reco muito rasoavel velas de stearina, em
caixasdeS9librag ; charutos da Rahia de
muito boa qualidade
Lotera da matriz* dn Boa-Vista.
tos lo:onol$oooe j:oooi(Sooo.
Na loja de miudezas ds prsca da Inde-
pendencia, n. 4, vendem-se bilhetes, meios,
quartos, decimos e vigsimos desta lotera
que corre aleo lim do corrente mez.
bilhetes 10,000
Meios 5,ono
Quartos -2,600
Herimos '.100
Vigsimos 60''1
A a ropo to bosque,
A Inlroduccaodoararopaio'waaM em oBraail
foi animada por succesio aem Igual nos Eia-
los nilns, onde de pola do aetc annos de ex-
periencia e uso fnl elevdo a la alto mrito,
que s vezea aa eaigenciaa ricedlam mullo :i
<|uaniidailc que ae poda manufacturar.
No principio de aua iolroducco aqui nao se
pode logo aaaeverar o acu mrito nesle clima ;
inaa as immcnsas provas que os agcnle rece;
liem diarlainenlc daa curaa inaravllhojaa que
elle produi oa habilita a certificar que o a-a ra-
pa do tioiaua he urna curacerla para a phlbiaica
em l odos os seus dinVentea groa, quer innti-
vada por consiipataes, toase, coi|_ueluatie.
pleuria. astlima, hronchitca, palpiUo no co-
racao, dlir de coatado e peilo, eacarroa de sao-
b'ue, dr na garganta e lodas a inolestiaa dos
>rgaoa pulmonares.
Ilepois de tanta provaa do seu merecimeoto.
como outroaim depol de ae teatrmunhar um
liiine augmento da venda deale remedio, coma
igualmente a accumulacao de tantos factos que
cumprovam o aeu bom auccesso durante a ei-
periencia de 21 incies. os agentes nao serno
ici-iis.idos de lerem linpoaK aobre o publico,
ivr ,ino,rodando um remedio de um valor in-
certo, ou de exigir de qualquer Invalido que
lUeassuas esnerancaa de cura por uiiiallivio
imaginario. O uso principal do arope do boi-
nui lem sidofello nicamente na cidade do Rin-
te-Janeiro e auasvlzinhaacaa mas, agora que
jssuas virtudes ae pdem consclencinsainenlc
aaaeverar, oa agentes o ofterecem ao publico
com a mala segura eonnanco, e que em qiial-
|iier caso se achara um remedio de iiitallivel
irrito como de felis auccesso.
Ha casos destas molestias, quando por ne-
gligencia ae deia nue a Inoleatia tome coipo
sobre a substancia doa bofea, at que oa reatos
destes fiajuem inaufficientes (ae a aua decllna-
9ao poder ser reprimida} a poder foroecer o
sanguc aos elementos neceaaarios i vida de
nina pessoa, e semellianlea casos aao e serao
aenipre aldm do cr.nheciiuenio da aaaiatencia
liumana, che peior quecharlato aqiirtle aua
quizer euganar a alguem com tsperanas fal-
sas de cura ; mas ha muitos raaos que appre-
cein sem eaperan^aa, inM pOdem ser curados
com remedios proprios.
'om alguna a tendencia para estas molesliaa
vem de pala para filtaos. e por ealea he nova-
mente iransmitlidassuasdescendencias. Uto
he geralinenleconliccido por phlbisica cons-
titucional .- Em seinelhanlea casos a doenca
apparece geralincnte na mesma familia em
uma certa idade. e familias inleiraafallecem
proporcaoque vio chegando quelle periodo.
Como diisemos cima, remedio algum prtde
remediar ealcs caaos, onde urna longa moles-
lia se ai lia -arreigada. e por conseguinle tem
consumido todos oa recursos da vida, mas he
pelo uso de scmrlhante remedio como o saro-
pe do bosque, c o muito cuidado na aaide, que
estes periodos trlleos c pdeiu pasaar, c a vi-
da se pode prolongar ate una Madr avaucaila.
Em caso de molestia de bofea, occasionado
por exposico ou negligencia, a molestia ap-
psyiima-ae por diil'errnlea formas, mas qu.'-r
no brocliial ou aathniatica, aa membranas sao
all'i'ciadaa e aa auaa accrecora improprias ou
naia que ricitadas fazcaai logo aenlireiu-ae
ymplomas que niio ae dever3o deapreaor;
una cogMipacao pode produiir urna nfl.iiniua-
9ao naaflelicadas inembranaa que giiariircriu
oa tubos broncblaes, esta irritaco prudui uma
lissc, e em seu turno a tosse augmenta a in-
Ihininaeao; e, ae ae despieza, as inembranaa
dos bolea toriiam-sc aemelhanlriiiente deda-
das, e por lim i mesma substancia destea be
atacada. He verdadeque muitos bofea sao bas-
tante fortes, aveaes. para realstir ao primeiro
curso, se este nao for inulto forte; mas nin-
quem escapa de urna inaneira fcil, uina vea
que tenha padecido molestia que tenha atacado
guellrs. He portauto que ellcs precisan) de
algum remedio aeguro para ajodar o systema,
afim de corrigir aa sccreces e realaurar f6rca
aos nrgaos pulmonares; eui casoa como eltea
o xarope do bosque tcm-se tornado infallivel, e
uo lie s mi piiucipio como na forma simples
destas inolestiaa que este remedio he uma cura.
Teemj havldo mullos eaemplss em que a sa-
deae tem restaurado a pessoas que haviam si-
do abandonadas pelos seus mdicos a autisjos
Umirope o bosque nao e flVrece cun.aum
remedio para qualquer doeora, mas sim he
ou'erecido com urna perfeita conlianca como o
uiais ulll remedio al aqui deacoberto para as
molestias de garganta e doa bofea, o qual he
remposo unlcanieute de vege!;. e que se
pode tomar sem aquello cuidado em prtica
publieo deve-se lembrar que cada garrafa
irui dous letreiros com. a propria asslgnatura
ilus agentes H. C. Yates eComp.. um na garra-
fa com ludas as directora p*ara uso, a um no
panel de fra.
Pode ser enviado cain toda a aeguridade
para qualquer parte do imperio, c. aaordens
serSopoiilualineule executadas.
Vende-ae aiiicamente na botica do Sr. Jos
Masa Ooilfalvea llamos, ra dos Qartels,
# C-aM
fa manteletes e rnpollnlios 4
ultima moda. 4
& Na loja do sobrada amtrello nos 4
k qualro cantos da rus do Qneimado, '4
29,Hem' para vender em grande (4)
%J sortimento de manteles e capulnbos '?
4* de grosdenaple -forte cores, gosto^f
4) muito novos e guarnicidos con lin- (a*
4 dos biros e por srec de agradar o>4
Vda-se um bonito eserivo moco com
principios do padarte : na rus do Kangel,
O. 57.


IF
Moendaa superiores.
Na fundirlo de C. SUrr A Companhia,
ern S.-Amaro, acham-se a vend moendaa
de carina, todas de ferro, de um modelo e
oonstruccSo muito Isuperior.
Anulo de ferro.
Na fumliclo da Aurora eoi S.-Amaro ,
vendem-se arados de Trro de diversos no-
lelos.
-- Vendem-se amarras de ferro: ni roa
da Seny.alla-Nova. D. *2.
Vende-se farinha de Santa-Calharina,
muito superior, a bordo da galeota Santini-
ma-Trindude, Tundeada junto ao caes de
Collegio.
Cal e potnssu.
Vendem-se barris com cal de Lisboa, pe-
lo diminuto preco de 3,000 rs. o barril; di-
tos da mais nova e mais superior potassa do
Rio.de-Janeiro, por barato prego: na ra
da Cadeia do Recite, n. 50.
Farinha de mandioca.
Na ra da Cruz, no Recife, armazem n.
I3,ena ra da Cadeia, armasen! de Cam-
pello Filbo, vende-se farinha de mandio-
ca do Ceara, muila Iva, gommosa e da en-
cllente gosto, Unto em pequeas com
em grandes porcfles, por preco commodo.
Vendeae a taberna de Ni-
colao Rodrigues da Cuuba, no
pateo de Paraso, n. 16, com pou-
cos fundos, e muito afreguezada a
ret&lbo : a tratar na mesma, com
Jos Pe reir da Silva.
Metas de llnlio.
Vendem-se na ra do Queimado, loja n.
19, por prego commodo.
Vi 11 lu IHit.
braceo, em barris de cinco em pipas, me-
I liore mais barato do que as outra anal-
qoer parte: no caes da alfandega, armatem
de Das Ferreira.
Vende-se panno de algodSo da trra,
de muito superior qualidade, a SOS rs. a va-
ra ; cassa chita, a 210 rs o covado; dita
mais fina, de bonito padrSo, a 320 rs ; mtn-
taa de seda para senhora, a 4,000 rs. cada
urna : nosquatro cantos da ra do Queima-
do, n. 20.
Vende-ie uro relelo de ouro, patente
inglez, novo: na ruado Queimado, n. 10,
loja.
-- Vende-se a poca, jornal de industria,
sciencia, lilteralura e bellas artes : na ra
^Cadeia do Recife, loja da J0S0 Jos de
Ibo Moraga.
JTeada.se rap superior de Paulo Con
1 'rCok.n* rui d* c,deil ao Recife, loja de
Joao J de Carvaiho Moraes. Na mesma
1 11 ^P M *enae um methodo para
tIoIJ0' d0 "%tor Luigi Castelacci, contendo
as afinacOos*,, se tocar os sods armni-
cos, por baratolnreo.
Travs da\ Mudie-de-Deos, ar-
aVeni. 11. 5,
Acha-se estabeleVido um deposito, onde
encontrara?, os fretueze urn boro sorti-
menlo de lici>res,eslprt0 de vinlio. e to-
das as mais eualidaje8. uperior Th0 de
caj; chmale; ejh.casde vina, a precos
moderados. f r Y
- Vende-se encllente cera de carnau-
ba, em barricas!, 7,000 rs. a arroba, j se
sabe, contandof, dinheiro, para nfio haver
duvldse : no artjiazem defronle da escidi-
ulia do un da 41/ndege.
<_iieijo IoikIi ino
Vende-se, no armazem de Manoel Fran-
cisco Martina jnior, na ra da Cruz, n. G2,
queijos londrino*, presuntos para fiambra,
lataacom biscoiiimho inglez, conservase
motsrda, cha d* S.-I'aulo o qiillior possi-
vel, e latas com bolachinlia de arar uta : lu-
do novo* barato.
A etlea qne sfto baratUslmoaT
Veadeo-* aepatoes de couro, de lustro, a
2,000 e 2,500 rs. he o que vafera de reitiov
na ra da Caileia do Recife, n. 9, loja
A I $000 o corte de calen*.
Veadeavse hrins de cores, com lislra ao
lado, da bonitos padroes, tendo lambem
cor de ganga, a I.OOOrs. o corte de calcas:
na ma do Queimado, n 8, loja defronte da
botica.
Vende-se um sitio na ra
do Pires, que faz esquina para o
Corredor cozinha, casa para pretos, estriba-
ra, coebeira para um carror um
parreiral, boa agoa, algumas man-
gueira, e outrosarvoredos : na ra
d,i Concordia, a (aliar com Joa
Antonio Correia Jnior.
I'ecl lincho.
Vendem-se chapeos de palha da Italia, pe-
lo diminuto preqo de 3,000 rs. : na ra do
Queimado, n. 25, loja de miudezas.
Pelo diminuto preco de 3,ooo rs.
Vendcrn-se dateos de palha da Italia:
na ra da Cadeia do He.-ife, n. 48. loja de
ajhuieza*,
VeiH-ae superior rap de Lisboa, en)
fiascos, chegado agora na barca porlugue-
za Ijftii* : oa Srs. (rrguezes que goslam de
lomar a boa pitada, 1180 deixa r.ln de o man-
dar buscar ao largo da Assembla, n. 4.
Animaes para roda e bois nara
figuras, ptimos para qualquer servieo. Un-
to da prsca como do mallo ; um dito bom
cozinheiro; um mulatinhn de 15 annos
umdito de 10 annos, muito lindo; urna
mulatinba de 20 annos, que engomma, co-
zinha e cose com perfeicSo ; 3 pretas mo-
tas, de bonitas figuras; urna parda com
urna linda cria, a parda coiinha, faz doces,
lava, he despenseira, enfermeira e entende
Je partejar, ptima para administrar al
suma casa de familia; urna dita que en-
gomma e cozinha com porfeicSo ; urna dita
com algumas habilidade, por 350,000 rs.;
urna preta da meia idade, por 300,000 rs.;
e outroaescravos que se vendem mais em
conta do que em outra qualquer parte, e
no escondem molestias, vicios nem acha-
ques, caso os tenhsm : na ra das Laran-
geiras, o. 14, segundo andar.
500 ris.
Vende-se cha hysson de muito boa quali-
dade, pelo prer;o de 500 rs. a libra : na ra
do Crespo, n. 23.
Uniese ni vi- o file tul iie pedreiro.
Vende-se um preto moco, de bonita figu-
ra, bom ollicial de pedreiro, de boa conduc-
ta ; urna bonita mulsnha de 10 annos,
propria para servir de companhia a urna
menina: na ra larga do Rozario, n. 48,
primeiro andar.
Vende-se chita franceza com algum
mofo, pelo diminuto preco de 160 rs. o co-
vado 1 no Aterro-da-Koa-Vista, n. 18, loja
Vendem-se obras porluguezaa, a sa-
ber; Caitas da India e China; conloa do
Serflo; Jornal das bellas artes; Almanak
popular ; Universo Pitloresco ; Autopsia
dos partidos ; Vista de diversos edificios 110-
laveis de Portugal; Retratos de pessoas ce-
lebres ; as Unas Dianas, romance de Ale-
jandre Dumas, traduceflo porlugueza : na
rus do Crespo, loja n. 5 A, ou na casa n. 6,
defronte do trapiche-novo.
Vendem-se 14 escravos, sendo 4 mo-
cos de bonitas figuras; um mulatinbo de
15 annos ; um uioleque de 14 annos; um
escravo que cozinha o diario de urna casa ,
urna linda mulatinba de 13 annos, que cose,
engomma e cozinha; urna dita de 24 an-
nos ; duas escravas mocas, de bonitas fi-
guras, boas engommadeiras, e que cosem
nem ; 4 ditas de lodo o errico : na ra
ireila, n. 3.
He baratlsslmo.
4"
V*ndem-ses*psloeede couro de lustro,
pelo baralissimo preco de 2,500 rs.; ditos a
3,000 rs.; ditos de tres solas e ponto fixo,
a 4,000 rs.; ditos de bezerro frsncez, a
2,500 e 2,000 rs. ; sapslOes do Aracaty, a
800 rs. o par : na ra da Cadeia do Recife,
n. 9, loja.
Vende-se a laverna da ra do Padre-
Floriano, n. 72, com poneos fundos : a tra-
tar na travessa da Concordia, n. 5, sobrado,
das 6 s 8 horas da manh&a, e das 4 as 6 da
Urde.
Deposito de potassa e cal
Vende-se muito nova e superior potassa
e cal vjrgem de Lisboa, em pedra : ludo em
barris pequeos de 4arrobas, por preco ra-
soavel: na ra da Cadeia do Recife, n. 12,
armazem.
? Deposito geral do superior ra-
* p Areia-Preta da fabrica q
de Caolois Pailhet & C. O
na Babia.
Domingos Alves Matheus, agente da
' superior Areia-Preta da*
ra"
O
O
o
9
j fabrica d ra
XBahia, tem aberlo um deposito na
~da Cruz, no Recife, n. S9, primeiro
- ***'-! -, -, ^......ro ao-^-1
^dar, onde se achara sempre dcste ex-:
cellenteeniais acreditado rap: ven-
Ode-se em botes de urna meia libra,
por preco commodo. Q
)
* Vende-se, na ra do Vigario n. II, ar"
mazem da Francisco Alves da Cunda, os se-
guintes gneros, lodoi de superior quali-
dade, e por menos preco do que em uuir
qualquer parte : azeilonas em ancorlas, vi-
olto do Porto em barris de difierentes U-
manhos, cevada, cal virgem de Lisboa, ar-
cos para pipas e harria, fio porrele, retroz
deSiqueira, cha de San-Paulo, canaslras
com alhos e ditas com rolhas.
Lavas pelas de redo para sra.
Vendem-se luvss prelas de rede, fazen-
da muito superior, pelo diminuto preco de
800 rs. o par; ditas sem dedos, a 400 is. :
na ra do Queimado, loja de miudazas, n.
33, junio de cera.
Mllho:
vende-se na ra da Cadeia, n. 61, armazem
de Campello Filho.
Vende-se urna casa siU na roa do liom-
Fim da cidadedoOlioda, cuja casa he cons-
truida de novo, grande, muito uem repar-
tida, e rsU quasi acabada : a traUr com o
lenente-corouel Ignacio Antonio de Rarros,
morador na ladeira da Misericordia da mes-
ma cidade, que facilitara a chave da dita
casa, para qurm quizer a ezamioar.
Ao baialo.
Finissimas csseaiiras francezas, o corte a
6,500 rs.; os mais modernos chapeos fran-
ce/es e de supe ior qualidade, a 7,000 is. ;
um lindo sortimenlo de colletes de gurgu-
rSo, aetim e velludo bordados e de flores
por barato preco ; lindos loncos de seda de
cor para grvalas o mais lindo gosto qua
tem vindo a esta cidade; ricos cortes de
douralinas para vestidos ; iiuissim.s cassas
ilaila* nioln. ..a mai4 ...f.,*..--..... aa
I"--------- O"- --- mw, a w
rs. a vara ; cortes de vestidos de caubraia
- Cim.^"" fb, '0df', C6.M P"'
deTracunhfleT^ vestidos ; cortas de calca de lansmha, pelo
- Vende-se liaeaa de vimea, em poresoe 1b,,V "* df \'tMo corle oulr"' "IU'"
*reUlbo(pof.p#^ commodo: aa ra da "" fe"d"- l" Cadeia do Lto,n, 20, lo. na ,u CreP loJ '. es1u,u a
k_ ^ fua das Cru2es.
taen as vlrcUmprarn por ser cu* nacional:
,,.. i,."aJ ,;. *ende-e na ra da Cadeia, n. 64, em caiii-
Veode-ae luyas de pellica coa guarn- ,. de 4 a 16 libras.
$?.?" *mM"T3 """"I"'.''"'" Couro de lustrla $uo a pelle.
2 JSA PrfS HqUe C0"T,d, : n' ru Vende-se couro l lustro, o melhor que
ern^ J ** iM *e 'em vindo ste mercado, i 3,500 rs. a pel-
era.n.ss. ,.,..., le ; diua do bezerro francez, a 2,880 rs.;
ai. r--5f"^P* enfeno. sapal4a/de.eouro de lustro, bem Jr.ballia-
. fL"Sl"2Ji err d' ',"? 40 .Brum- d0> sXnOrs. O par ; d.toaliranot do Ara.
'A!l=T^der!??,*,Uln^,nBlef0.IW,tl0Je,,- cal, a 1,600,1,000 e 800 ra. o p.r; sapa-
iVt 1" 8 ",lmot de b0CM lus Ue lu" W senhora. a. 1,900 ra.; bo-
quaesacUam-se a venda por preco co- neles para meninos, a 240 ra. : no Aterro
modo e coa* promptidflo embarcam-ae.ld..iin:v.-i. i,.. swu
ou carregam-aaem^carrossem deapezas aofleiro.
Vendem-se viole pipas vasias : a tratar
Vende-se por muito commodo preco,
urna rica secretaria com estantes para li-
vros, bastante grande, propria para advo-
cado, sendo de amarello e anda nova as-
si m como, seis cadeiras e duas mesinhas
de abrir : na rus estreita do Rozario, n.
28, ultimo andar, das 2 horas da Urde em
dianle.
- Vende-se urna toslha de lavarinlo, lan-
do urna pequea parte de panno no meio,
he de bretanha de linbo, ou de esguillo fino,
obra muito bem feita, e o lavarinto he de
modelo muito moderno, por preco commo-
do : no Recco Largo, n. 1, segundo andar,
de manlia at as 9 horas, e das 3 i 5 da
(arde.
Vende-se, ou permuta-se por urna casa
nesta praca, um sitio uo Montai.ro, com ca-
sa de pedra e cal, arvoredoa de fruelo e tr-
ras : na roa de Hortas, casa tarrea pintada
a frente de azul e as porUdss brancas, se
dir que faz este negocio.
Vende-se urna pardlnha do 15 snnoa,
de muito bonita .figura, que cose bem, co-
zinha < dUrio de una casa, engomma liso,
faz renda, e he bem propria para acompa-
nhar ama noiva, attendendp a eiemplar
.conduela : na ra larga do Rozario, n. 35,
loja.
Vndese urna carU de pergamraho,
mandada vir de encommenda do Rio-da-Ja-
neiro, para bacharel do curso jurdico de
Olinda, em muito bom ppele com a com-
petente fita : 11a ra dsi Cruzes, n. 40.
Vendem-se 3 lindos moleques, sendo
um bom cozinheiro ; um dito cem princi-
pios de carpina, muito lindo para pagep e
de boa conducta; umdito bom bolieiro;
quatro pretos bons para todo o servieo ; um
dito de meia idade bem robusto, bom para
campo ; urna negrinba de 10 annos, com
bons principios de costura ; urna dila de 16
annos, para todo o servieo : tres preUs, que
cozinham c sSo boas quitandeiras ; urna
parda de 25 annoa, que engomma perfecta-
mente, cose, faz ornis arranjo de casa, he
muito carinhosa para meninos e de muito
boa conducta ; urna preta de meia idade,
muito em conta ; sssioi como outros mul-
los escravos .- na ra da Cadeia do Recife,
n. 31, primeiro andar.
AGENCIA
lt fumlico Low-Moor,
III A DA SENZALlA-NOVA, N. /jl.
Neste estabelecimento conti-
na a haver um completo sorti-
mento ir moendas c meias moen-
das, para engtnbo; macliinasde
vapor, e taclias de ferro batido e
eoado, de todos os tamanhos,
para dilo.
Farinha de Tapuyik.
igualmente em sabor, finura ecOr a de Mu-
ribecs, propria para mesa : vende-se na
roa da Cruz, noRepife, armazem n. 13.
Vendem-se, na ra da Mods, armazem
n. 15, meias barrress eom cal virgem de
Lisboa, a mais nova que ha no mercado, por
preco commodo.
J o barato entina adnilrneo !
lsloacontece na ra do Crespo,
n. 6, loja ao p do lampeSo
Vendem-se cassa-chitas do muito bom
gosto, a 240 ra.; cortes da ditas do melhor
goato que teem apparecido, a 2400 rs.; chi-
tas finas de boas tintas, a 160 e 180 re. o
covado ; riscado americano, 140 e 160 rs.;
dito trancado, a 180 e 200 rs.; algodSo
mesclado, a 800 rs. ; zuarte azul com 5 pal-
mos, a 200 rs. ; dilo de cores, a 200 rs. ;
cassa preta para luto, a lao. ra. o covado ;
corles do fustflo muito boas,* 560 rs. ; cha-
les de Urlatana, a 390 e 1,280 rs. ; coberto-
res de algodflo de cor. moilo encorpados e
proprioav para escravos por seren multo
quentes, a 640 ra. alpaca preta de cordlo,
com7 palmos de largura,a 1,280rs. ; ris-
cados da puro linbo, a 240 e 360 rs. o co-
vado.
r^Bap Paulo Crdelro :^t
vende-se na ra da Cadeia do Uecie/ n. 51,
loja de fazendas, de Jo3o da Cunha Maga-
IhBes.
Oh! ule peehincha i
Na ra do Passeio-I'uplico, n. 9, loja de
AlbinaJos l.eitc,vendem-se risckdos mons-da Cadeia, n. <{4, armazem.
tros, padrOea de multo bom gosto, a SOO l Capos Irancez^a.
Na ra do Queimado, loja n. 19, vendem
!------......'"'- "-^V
para padres, por prerjo muito cominoo
ra do Queimado, loja de% miudezas, jnntol
locera, n. 33.
Vendem-se meissdo 13a branca, rin
des e pequeas : na ra da Cadeia do Ueci
fe, n. 15.
Na ra do Inclinado, loja n. |V,
vendem-se com algum abate em preeos '
as seguinles fazendas :
Lencos de pura seda de cores para psseoen
de senhora, bons padroes j g|W
Ditos de sarja preta, lambem proprios
para pescoco de senhora ]i6|)
Ditos de seda dito i,^a
Olios de panno, multo finos, pidrOes
de seda
Ditos de caisa branca
Cassas de cores de muito bonitos pa-
drees, a vara
iiisc.ados francezes muito finos e largos
o covado
Pecinhas de bretanha de linlio ttioilo
fina S,Soo
Riscados escuros de bons pannos, e
de cores fizas, o covado 160
Chales de cambraia bordada e adamas-
cadas 1,000
Tambem se vende meias de diflerentes ta-
manhos para meninos, e outras mullas f.
rendas por preco commodo.
Ha i -ren s eom farinha swf ;
360
160
600
JOO
vende-se na ra da Cadeia, n. 61, armi-
zem.
Catatas:
vendeirwse em gigos de 40 libras
na
ra. o covado ; assimeomo se
os compradores; lencos de seda, a 1,000
rs. ; cassa de qusdros e lislras, proprias pa-
ta baados, a 240 rs a vara ; chitas escuras,
a 140,160,200 e 210 rs. o covado ; leucos
encarnados da fabrica, a 200 rs.; castores
ia CHlces, a 160, 240,6 320 rs. o dovado ;
11 nrarxisui Jodia Sastra*, a 1,000 rs.
o corle ; e onlsaa iiiiiilaaaSa>aailaa por me-
nos preco dtaffen
- Na rao^kui
sabwtdoasMfoi
oedoaartoe, a
preeo do coatuma
que se tea nido.
Vendero-ie c
a qualquer parte
vende per haiM da
swsxs
poli ees da compaa h i a
# *<
9 Sedas e velludos.
M Vendem-se ricos cortes de seda mo-
dernos, furla-cOres, tanto lisal como
de lislras e de barra ; velludos de co-
res ; merino azul psra roupinhoa
de meninos : na ra do Crespo, n. 9,
loja de JoSo A. C. GuimarSes.
?*>. 9999 9
Arados e ferro.
Vendem-ea arados de ferro
difTerenles modelos : na ra
:
Hrum,ns. 6, 8 e 10, fabrica
de
do
de
do Beberibe, todas ou em porcoas meneres :
na luja de Ignacio Jos da Silva, juMa>ea
arco de Santo-Antonio, no csoriptal^^H
companhia, e no-do caiza da mesma sa dir
quem vende.
Vaade-se urna preta natural do serlflo,
moca, sem achaques, e que cose, engom-
ma e faz renda: na ra da Cruz, p. 13, ar-
mazem. Adverte-se que bechegada do Cea-
r no vapor Buhietna.
Vendem-se 90 ssccos de estopa e al-.
godo, novse com duas vasas cada un,,
proprios para farinha : na ra larga do Ro-
zaiio, n. 48, primeiro andar. ?
--Vende-se um molequede 18 annos; urna
preta de 20 annos: na ra do> Queimado.
n. 6, loja. ^
A os Srs. meslres sapateiros.
Vende-se couro de lustro,
a,5oo rs. a pelle r na ra Nova,
n. 6, loja de Maya Hamos & G.
Vendem-se velas de carau-
se chapeos os mais modernos e de melhoi
qualidade, por commodo preco ;"hrins da
cores de linlio puro, muilo linos, proprios
P*ra calcas, colletes e palitos, a 1,120,
1,280 e t^tOOrs. a vara; lencos para gr-
vala, de setlm, e de muito bom gosto;
Fu re o:
vendam-si) eos saccas, no armazem da ra
da Cadeia, n. 64. -
Arroz a iSooe-
veode-ia na ra da Cadeia, n. 61, armazem
de CampalU) Filho.
Vende-se um rebuco de muito gesto,
por preco aomkodo : na rus do Trapiche,
11. 15, armazem.
Escravos Fgidos.
de ou-
na ra
... .A -I-
conmredor.
-- Vendejorseaprelos mocos, de bonitas | na ruada Cadeia do Recife, M.'
machinas e lundicSo de ferro.
Bombas de f< rro.
Vendem-se bombas de repuso,
pe ;dulas e picota para cacimba:
na ra do Bruui, ns. 6, 8 e 10,
fuiuliao de-ferro.
Vuende-se um escravo de bonita figu-
ra, fiel, perito ollicial da pedreiro e bom
canoeiro. por preco rasovel : na ra do
Queimado, n. 3, lerceiro andar.
Bom e barato.
Sapatlnhos de 13 para criancas, a 400 r.
o par; suspensorios para menino, 80 rs.;
csrleiras com agulhas, a 320 rs. ; bonneles
de ve ludo para menino, a 610 rs. ; liuhas de
peso a 60 rs. s miadas 5 agulhas eantofas,
a 60 rs. o papel; camisas de meias para
liuaieni, a 1,280 rs. ; meias cruas para ho-
mom, a 160 rs. o par ; diUs pioladas, a 240
rs.; babados abertos para loalhas, a 190 rs.
a vara ; bengaliiihas de junco, a 240 rs.; e
outras muiUs cousas baratas I na ra do
Queimado, loja de miudezas junta a de
cera, n. 33.
Vendem-se relogios
ro e prata, patente inglez
da Senzalla-Nova, n. 4a.
11 < 1 vil luts:
venden se em garrafoes: no armazem junto
a botica do Sr. Antonio Pedro,
alobilia
Vende-se, por preco commodo, urna mo-
bilia, 1 onsisiiudo em 2 pares de laniernas
bordadas e com 1 s de vidro, 14 cadeiras,
sendo duas de bracos, um supla, 2 conso-
los, urna mesa redonda, una cama de ar-
macQo com cpula, para c sados : ludo de
Jacaranda e muito bem frito ; assim como
excelrenle piano, de verdadeira patente de
Colard & Colard, com um machinismo de
nova iorencao para mudar o 'ecladu em 4
vozes differenles: ludo a dinheiro ou a pra-
ZC ; iu uu iijoi, 11. ij, u uianiaa
ale s 9 horas, e de tarde das 4 em dianle.
Potaasa:
vende-se em barris pequeos, na ra da
Cadeia, n 64, armazem.
U"' bello pitisco
para quem gosta do que be bom, ludo bom
e bem tepeirado, como sejam latas com her-
vidlas ; ditas com nalmSo ditas com diver-
sas comidas de peize carne ; ditas com
sardmhas; queijos do Serid, de 8 a 19 li-
brea, lambem ae parte ; doce de guiaba e
banana, em caixOes grandes e'pequeos :
tudo barato e nao se engaa : boa pinga do
Porto ; conseivaade todas as qualidades ;
anida resta urna pequea 1 relo do caf de
priineira qualiJade, a 180 rs. a libra; her-
vilhae, a 200 rs.; grao de bico, a 120 rs, :
11S0 se notam lodos os gneros nem os pre-
cos 1 ara os comprdoies apparecerem na
ruadaaCruzea de 8.Antonio, laverna pio-
um.uv ui, para ,6ui u t^ue iie bom, poia
bem sabern que o que he bom acaba-se
logo, e nflo acoiiteca abrigarem como suce-
ueu com o cal que seaeabou.
ba, por preco commodo .- na ra'
i-'ormoaa, quinta casa.
Casa de modas francezas.
Buesssrd Mlllochau.
Ra do Ateiro da-boa-Vista, loja n. I.
Pelo ultimo navio chegado do Havre, re-
eebeu-se as ultimas modas de Paria para
uso das senhoras. Como sejam : chapeos de
seda e de palba, capolinhos, manteletes,
cabeeOea de bico, camisinhas, golinhas,
manguitos, lencos, bicos. lilas, meias, flo-
res psra casameuto, chapeos de ralbas para
montara, trancas de seda a algodSo, bolOes
'le tolas as qualidldes, filo|i>oe bordado,
cambraia lisa e bordada, e mais outras fa-
zendas de goslo e baratas.
Loja de seis portas em frente ds igreja
de iN.. S. do Livramento.
O administrador denla lou querendo tro-
car por cedulaaaJgua*>clrdes que anida
Ihe restam, tem reMvido flpode-los por
baiao preco, para animar aoa compradores,
sendo: cbalea pretos de rede, a 240 rs., pro-
prios paW as senhoras que estiverem de
lulo bolareai pelos hombros quando forem
para o bauho ; lencos de lil de tres pon-
as, a 840 ra.; corles de cassa seda, a 5,000
rs.; riscardos moustros, a 260 rs., e meio
dilos, a 20 ; dulas-, a 120, 140, 160, 180/
200 e 240 rs. muilo lina ; cassa preU a 120
re. o aovado; e um sortimenlo de fazendas
em porcSo e a reUlho por preco rasovel.
Cera em velas.
Veodem-secaixas com ceraem velas, fa-
bricadas no Bio-de-Janeiro. sortida ao gos-
lo dos fregueze, por mais Paralo preco do
queem outrs qualquer paiU: na ruado
Vigario, n. 19, segundo andar, a fallar com
alachado & l'inbeiio.
liiinqiit'doM para meninos.
Vendem-se caixinhss com brinquedos ps-
ra meninos, pelo din nulo preco de 480 rs.:
na ra do Queimado, loja de miudezas, jun-
to a de cera, n. 33.
Vende-sa superior erra- de carnauba :
na ra da Cadeia do Recife, n. 20, luja.
Vende-se um quarlio muilo novo e
uem carrega'dor : na ra Nova, n. 41.
Vende-se um sitio que nBo he foreiro,
ro para Beleui, com boa casa de viv "ida
coa solfio, cinco, jaoelas, copiar, mudos
commodos, cozinba lora, caciu.ba, estriba-
ra, lugar para bezerros, cinco viveiros, um
seui numero de cejueiros, muitos coqueiros,
msngneiras, jaquelau, saputiseiros, jani-
beiros, larangeirasjp., muilo terreuo de-
voluioque mediano algum trabalho pode
dar paslo para 8 oiflO vareas de leile, com
desembarque para a camboa da Tacaruna
para a uuiur cano carregada : adveile se
queoeu proprielano vende-u em conse-
quencia de nflo Ihe convir possui-lo : na
ra larga do Rozario, n. 35, loja.
Vende-te um rebuco de mullo goalo
por preco commodo : ua la do.frsuicli*'
armazem, n. 15
*OO,?O00.
l'ugiram de bordo do brigue
Sem-Par, rindo do Kio-de-Janei-
re, dous escravos, sendo um de
nome Sabino, de cor parda, esta-
tura regular, de ao annoa pouco
mais ou menos ; levou calcas e
camisa ames, e bonete encamado:
o outr de nome Euzebio, crioti-
lo, de 34 annos poco mais 011
menos, estatura alia; levou calcas,
camisa e bonete azues. Roga-se as
autoridades policiaes e capites de
campo, que os apprebendam e !'>-
vem-nos ruado Trapiche, n. 34,
casa de Novaes &c Companhia, que
recompensar.
5o,000 rs, de gratificacao
a qurm pegar a preta Mara Joaquina, de 30 a
40anuos, que fugio no da II de abril, d.' 11.1-
o Cougo, balsa, gorda, cor retinta, brilgoaa,
olhoa pequeos; Irin cin una das faces un
(nal de carne ; he'baslantc ardlloaa, por Uso
he capaz de Iludir qnalquer pesaos que a nao
contiena a'abe todaa aa povoaedes da provin-
cia, por ter andado a vender niiudeut pelo
malo cqm urna crioula de nome Kelicidade, de
tqiiem foi racrava lalve 1 brria com o negocio de vender mludeui, pola
jde oulra vet que fuglo a qual fol pegada em
irrraa do engenho S.-Anna, andava vende min-
as.p aaaun uiaia cualosa de ser pegada. Roya-
le ai autoiidade policiaes c apilar* de cam-
po, que a apprebrudam c Irrem-na a ruados
ijnarif i. i). 22 ou na praca da Independen-
cia, 11. 17.
- I'ugio, s> gunda-feir, 16 dq correte,
a muala Josepha.de 30 annos pouco msisou
Denos estatura reguUr.cor fula,cabello cor-1?]
lado ; tem os olbos um pouco dorles; leV
vou vi slidn encarnado de lislras, uai lema
lisas naf
Cartas franeezari para
\endem-se cartss francezas, a
'MTr
ir i
Coafks para pagres.
Vendem-se colfas de seda preU, proprias
rete.
_s li-
nas que se ffOdem cncoiilrir: JKrua ,1.,
imauo, tej de miudezas, juojp a de ce-

ra
de lita tui pe.'cofo, c dua lgidas
orelhS* veio de Tamadar ; foi conipraq,
lia 2 mezes,ao Sr. Manoel Gonr,alves'da Silva
lloga.se as autoiidai!e>o1icitf8 e 'capilles
decampo, que a apprebendam a kvem-iia
a ra das Agoas-Verdes, n. 86.
-- Fugio, no dia primeiro de agosto pr-
ximo passado, o preto Cabriel, de nscflb, de
30 e lanos snnos, de estatura mediana,
bem ladino, falla bem, bstanle barbado;
tem urna cicatriz junto ao loruozelo da per-
ita direita ; tem n costme de ahaixaj a ca-
neca quando falla, guata de embriargsr-se ;
veto ha pouco do ltio-de Janeiro ; levou ca-
misa de madapolSo, calcas de casemia rls-
esda ; furlou urna trouxa onde levava al-
gutias caifas, eolheies de prata e oulros
objectos : quem o pegar leve-o i roa da
Cadeia do llecife, o. 21, que ser generosa-
mente gratificado.
Pogio, no dia 18 do [correnle, ums H-
crevs crionl, que a falla quer imllar a ne-
gra de outra banda, de 21 annos puuro
mais ou menor, de nome Mara do Carino,
de altura regular, eorpo melocheio, cabel-
los um tanloralos, olhoa grandes e empa-
pujados, beicoa grossos, nariz chato, cor
um tanto fula ; lem marcas de sarnts por
lodo o corno, urna marea de bouba em una
das pernas, e oulra em um lado de um d"
peilos; levou una Hyuxinha com alguna
roupa, 2 vestidos velhos de cbiU, um a
riscaJo e um da Insdapolao, e panno da-
Coste. Roga-se as autoridades policitna
capites de campo, que a apprehendam
levem-na a ra larga do Hozarlo, indo piu
os quaites, casa de Antonio Jos Vieira JJ
Souza, por cima da loja do Sr. Victorino,
que serfio gratificadas
Uesapparecet, no dia 9 do corrate,
o eseravo Pedro, da 28 annos, muUlo, eor-
po grosto, cara redonda, cabellos torciJo*;
lem um denle podre na frente j-Jevou cal-
case camisa de algodSuzinhonovj : quero
nn*iri....i.jj.. uror; n. ** m,fl
se'ra'gratilicado'!'" "' "' r
Pian. : ka ti, din. Diraau. 'S0 1
MUTiLAnn I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ETVJ9JU8O_V1U0B9 INGEST_TIME 2013-04-24T15:43:05Z PACKAGE AA00011611_07016
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES