Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07015


This item is only available as the following downloads:


Full Text
.Inir
IL
Qnnta-feira
r ASTIDA XK} OOKBBIO.
Golanna e Parahiba,'segundas eaexta feiras.
RIo-Grande-dn-Sor te, quintas fclra o meio-
Cabo, Serlnbiem, Rio-Porinoao, Porto-Calvo
e Macelo, no I,, a 11, e 21 de cada me.
Garanbun c Bonito, a 8 e 23.
Hoa-ViiU e Flore, a 13 e 28.
Victoria, s quinta ftlra.
Ol o da, todos o* da*.
Rova. a 6. i 3 h. e S m. da m.
Creec. a 13, a 6 h. e 1 m. d m..
Chela. a'2l, aiOb. eilm. da ni.
Ming. a 28, as 7 h. e 33 m. da t.
ruuua a mojk.
Primelr* ai 3 hora e 42 minuto da larde.
Senada a4 horas e b minuto da manbaa.
Setembro de 1850.
N. III.
vacoo DA OS*OKI9O,
Por tres inezea (adiu*l*i Poreimexe ^SSS
Por uui asno UWOP
**
. DI** DA aCMAf
1G Seg. S. Rogelio, Aud. doJ. do orf. e m. da.l. v.
17 Tere. S. Pedro de A-rbue. Aud. do chae, do
1. da 1. v. do civ. e do do feitos da fazenda.
18 f)unrt. 8. Jos de Cupcr lino. Aud. do J. da 2. v.
do clvel.
19 Quiut S. anuario. Aud. do J. do* orf. e do m.
dal.v.
20 Sexf S. Eustaquio. Aud. do J. da t. v. do civ.
e d do feito da hienda.
21 Sab. S.'Malhcu.
22 Don). Festa de Nossa Senhora da Pares.
niiaar"--* "'" -*a
oaaaaioa m t itfimB.
Sobre Loadrs. a 28 d por 1/WW t. a 60 das.
. Paria, 346.
. uboa,i00porcento. ^^
Ovro.Onca heipanhoe..........28/000 a W*"'
Moldas deQHOOvelhu.. 16/400 a 16/600
. de 6/400 nova... 16/100 a 16200
. de 4/000........... /lOOa 9/2C0
l>r*la.-Patacoebrailelrr...... 1/1*0 a I/jm >
Peso columnario....... l/w0 a 1/9S0
DUo. mericano.......... W*00 1'89U
PARTE OFFICIAL.
GOVERNODA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 4 DE SETEMBRO.
Officio.Ao Eim. presidente do Rio de
Janeiro, transmiltindo de conformidad?
oom o aviso circular expedido pela secreta-
ria de estado dos negocios do imperio, dous
exemplares dos actos legislativos da assem-
bla desta provincia, promulgados na sesso
ordinaria do correte anno --De igual teor
sos presidentes .das mais provincias.
Dito.Ao t-xm. vlce-presidenle do Cear,
inifiirando-o de ter sido suspenso desde o
primeiro de julho ultimo, por assim o ha-
ver pedid ) o alferes do corpo fixo daquella
provincia Luiz de Franca Csrvalho, o paga-
mento'da prestarlo mensil de 8,000 res,
que de *eu sold consignara tiesta capital u
mencionado alteres, e remetiendo a respec-
tiva guia aflm de que lenhs o conveniente
destino.
DitoAo Exm. commsndante das armas,
dzendo que visto haver completado o seu
lempo de praca o soldado do segundo bata-
Ihflo de catadores Braz Francisco, pdeS.
Exc aceitar o pCferecimeiilo, que elle faz
par conllnr no servico do exereifo, elu-
dante a gratifleacSo d 180,000 rcis, que lin-
gera paga" 50,000 ris vista, e o resto em
prestarles mensaes de 10,000 ris Inlelli-
genciou-se so Inpectur da pagadoris mi-
litar.
Dito..Ao mesmo, inleirando-o de haver
concedido so primeiro cadete sargento do
segundo bstalh.1i) de ccJores Leopoldo
Horges Cslvao Ucna a dispensa que pelin
do servido em que se achava empregado na
pagadoris militar desta piovinci.--Scientl-
llcou-a,ao imlnpior daquella reparlcSo.
Dito.Aomeamo, trsnsmillindo urna ru-
pia do aviso do ministerio da guerra de 20
de agosto ultimo, acompanhada do eonso-
Iho de direcQfio feito para justc.ir-s pri-
meiro cadete o soldado do segundo batalliSo
de cacadores Victorino Antonio de Moris
de Mesquita Pimeutel.
Dito.Ao inspector da thesouraria de fa-
iienda, traosmitliodocpia do aviso do mi-
nisterin da guerra de 19 de agosto ultimo,
e us papis a que se elle refere alien de qu-
visls do ponto enviado pelo director dsquel-
Is repartirlo.
Dito.Ao juiz de direito da comarca de
Goisnna.-Recebi o seu olTIcio de 26 do njez
prximo passado, cobrindo o que Jos Cor-
ris de Andrsde Ihe dirigir, a respeito da
extraccSo das madeiras para a obra da pon-
te desss cidsde, ofTerecendo-s* o mesmo
Kece-las, visto que a sus opposicfio he
ente a posne, que por semelhaptes acto
pretendo establecer Joaquim Raphael de
Helio Jnior, e que no cso de nSo ser acei-
to seu ulerecimento, protesta pela indem-
nsacodos dainnna, quefrem feitos pelo
dito Rtphael. Em respnst tenho a derla-
rar-lhe que o acto da extracto das dita*
madeiras no poieria servir para criar d-
reitos sobre as trras em faror de nnem por
outro titulo nSo ttvesse, visto qlie neste
caso obra nflo, como i.ropretario, mas em
virtude da disposicdlo do art. 15 da le pro-
vincia n. 129 ; enlreta'nlo como nao he da
ntencS.i deeta presidencia favorecer ou
prejudirar'a inlenc,3o das partes q'ce Ieti-
gam sobre as ditas trras, competindo sos
iribunaes tomar disso conliecimculo, e de-
cidir com atlribuicSo propria eamplamcn-
te, nBo aceito o ofterecimento feito pelo di-
to Andrade, as-tini corso expeco nesta occa-
siflo as convenientes ordens a directoru
das obras publicas para regeilsroque ha-
via sido feito por Joaquim Raphael di
Mallo Junio.-, devendo o engenheiro encar-
r.-gado da obra mandar extrahir as madei-
ras precisas por qusesquer nutras pessss, e
porconla da fszemla 'provincial nos termos
la citada le, (kan lo a^aiesma fazenda pro-
viucial rosponsavel agrinde nnisacflo dos
lautnos acontecidos ; e sua importancia,
nncaffl, 4e ser letigioso o direito aobro a
proprledaJo, sera depoia de leqoidaaa posta
em deposito para ser levantada por aquelle
a quem perlenotr,sendo fra de duvida, que
as queslOes levantadas sobra o dominio das
trras, donde se lem de extrahir os mte-
riaes, e em que a fazenda provincial se no
intromelte, de nenhum mudo pode lolhe-la
po exercicio do direito, que lem em vistas
o bem publico, sem que por isso offenaa ns
interesses individuaes Neste sentido olli-
piou-se ao director das obras publicas.
Dito.Ao delegado do termo de Santo-
Antflo.Respondendo ao oftirio da Vane.
datado de agosto ultimo, tenho a declarar-
le, que i vista do que iuformou o inspec-
mande processar a divida de queelleslra
13o, e da qual pede pagamento otapiiSo rfe, ir da thesooraria da fazenda provincial
formado da exlincU segunda linli Francia- dala de i do cjrrtuto, n3u lia posiel
co de Pauta Crrela de Araujo.
DitoAo inspector da pagadoria militar,
para mandar pagar ao atmoxarife do arsenal
de marinha, avista da cenia que remelle em
duplicis, a quantia de 180,006 ris, em que
importa o cen calcase igual nnmero de ca-
misas, que mandou apromplar naquell ar-
senal pata o deposito de recrutasCommu-
nicou-se ao Inspector do referido araenal.
Dilo.Ao mesmo, para que a vista do re-
recibo que remelle em duplcala, mande m-
demnisaracixa do segundo batalliSo de
caajadoreti da quanlia de 6,610 icis, quedel-
pendeu com o enterra melo do soldado do
mesraotelalhSo Prudencio Martiis Flix de
Mel.Inlelligenciou-se ao Exm. comman-
ttante das sroua-
Dlto.--Au BHUmo, ordenaiiilo que mande
pagar ao boticario Luir Pedro das Nevrsa
quanlia de 143,000 res, em que segundo a
ctMta que remelle om duploaU, eorecei-
luario, que se eil refere, imporlo or
medicamentosfornecidos no mez de agosto
ultimo, para curativo dos reerulat doexer-
cilo, que fOram rebolludos a enfermara do
arsenal de marinha.Inlelrou-a* ao inspec-
peclor do rrterido arsenal.
Dito.Ao director do a r asma I de guerra,
terminando que receba par* ser emprega-
do aquelle arsenal utn Aricano livro, que
lhe ser apresentsdo pur SebasliSo Jos da
Fonseca. Cuminunicou-se so delegado
ktopplente do primei.u districlodo termo do
Di'.o.Ao contador de marinha, comtnu-
municando silo de qua o fac,a constar a Fi-
lippe Nery de.Oliveir Cruz, par* que solici-
ta o seu titulo pela secretaria de estado dos
naartci"" da marinha, que 6. ti. o Impera-
dor, segundo foi declarado em aviso daquel-
la secretaria datado de 7 de agosto ultimo,
houvo po* bem ooooeder-lho a olTeclivida-
dedo logar.de poiteiro d referida conla-
dotis militar, que e achava servindo inte-
linamente
DifAo inapdilor da thesouraria daa-
eikla-proviiiciBl.-otji'a que mande diantar
ao-engenheiro director da obra PMea.
quemi"";.quiiu,iqu:r.'.; SoS.ses
ris psr coniinuacSo da obra da casa de
ileiencao.Comn.unicon-e ao mesmo en-
genlieiro.
Dilo-Ao mesmo, ordenando que i vista
do oeitijcido de que trata o art. 71 do regu-
lamento de 7 de malo de 16*9, msnrte pagar
a Amaro Fernandos Daliaro, arrematante do
prllneiro lenijo da estrada da Escad, a im-
LorlanciAda ultima prestacSo da sua arre-
matado, visto haver elle felo entrega defi-
nitiva da referida obr, segundo informa o
engenheiro director das obras publicas, e
Dren1ndo-o de queda mencionada presta-
rlo deve ser discontada a quantia de ris
171.210, eo> que fui calculad urna bomba,
quesc mandou guppriuiir em o dito _Unco.
' Scletititicoo-se ao referido engenheiro.
Dilo^rAn mesmo, prevenlndo-o dei rjue
o*.4liD|lado da exjinow admimstraclo
un uui BUIIIIUII, JMO |.~. -
var ao acerola rio da directora das mesmas
obras no* lrblho, que silo incumbidos
pelo ragu|an*oto de 7de mam prximo
paseado, WM
fuzer-se, conforme Vmc. requisitou, o sup
priaienlo dos presos pobres dacadeia desse
termo pcls respectiva collectoria ; I, por
que .-endo quasi em sua lotalidade even-
tuncs ivs impuslos, que os meamos collecto-
res ah arrecadam, acontecer muiUs v xesnao tereai ellesdinheiro, para til sup-
pri'iienlo,que ser tamben) interrumpido os
referidos collectores.quode tres em tres me-
tes vierem a capital prestar cuntas ; 2., que
a sdoplar-se o pagamento da diaria dos pre-
sos poressa forma be de presumir, queap-
parecam conflictos, j porque os collectores
nSosSu subordinados as autoridades poli-
ciaes, r j porque estas no s9o obrigadas a
s ilisfazer as exigencias daquellcs
Como porm o n f.-rido inspector me af
flimasse na citida iuformacSo, que,manda-
ra imprimir e publicar um modello las coli-
tis, que devem aprtsentar o* encarregados
di foroecimenlo dos presos de jusliga,. alim
de evitar as irregularidades, quo se>flotan
em taes couUs, donde parto, demora
dos pagamentos dellas, deve Vmc. neste
sentido convidtr novamenta a alguiuas p-s-
tas para soencarregarem do referido ftr-
hecimeuto, deca:ando Ihes q* as Oatttas
dessas despezas, estando de conormidade
com o modello, do quo se trata sero' pa-
gas sem demora.
Porlaria.-Opreiidendteda provincia, at-
tendendoaoquelheiequereu o arrematante
da obra do decimo-primeiro tango da estra-
da do Po-d'Alho Jos Xavier Carnlro Ro-
drigues Csmpello, o tendo em vista a n-
formaca' que lhe dirigi o director das
obras publicas.em data de 2 do correiw
cere desae requei ment, reslve :
Artigo 1. Fica sea effeito a resotucSO de
SO de agosto ultimo, pela qual fra multa-
do o mesnio arrematante e seu fiador Joto
Carneiro d* Cunha, por aa nSO tar ftitoa
entrega definiliva da dita obra no prajp de
um anno, e nect ssilar ella anda de afguns
reparos, visto que a falta destes provoio de
no poder o arrematante fazer, em conse-
quenca da estaQio Mueraosa, os rebbcos
da* bombas compreh%dids em o dito lan-
o, m nn* g'c audl considerar
obra no ras de sjB|pebid.
Ar\. 2. O mesrDtTgrremataiil flea obriga-
0 a fazer te rfe-s, bem como a entre-
ga delinitiva da dita obra no praso de 15
das contadoa de boje.
Art. 3. A prsenle resolucSo or trans-
mitilda ao procuiadur scal da Itoesoutaria
de fazenda provincial, para sohr'osMP na
execucDo da de 30 do citado mez de agosto,
bem como so inspector da niesuia Ihesoato-
faria e ao director das ubras publiaf par*
ter o devido cfleiuNeste sentido flitnii-
se as convenientes comoiunicscOes.
q> perciban-. TRIBUNAL DA HELACA'.
SESSA6 DK 17 DE SETEMUBO DE 1850.
raasiDBNCt no xm. so coa-
SKLanao zVD0.
A*a 10 hqrai d innDaa,chanao-jreaen-
e* oa Sr. destiibargadore Rmo, Villare-
Hato, Leto, Souta, Kabello, Luna Frelr^
relie, f*iuodo coto aua o Sr. deembr|
jlorPencc, o Sr. pretldente declara abeft,
lOLOtMIirros.
H6S-erpw.
De Antonio Ernas Gustavo Galvao. Fol con-
cedtde, Wodndo-se o carcerelro aprsenle
o paciente na esio de JO do correte aa 11
horas do dia, e que o delegado encarregado
do eipedlenlc da polica e Infonnasse a re-
pelto al o uienno da e hora.
Appellefmo' crime.
AppeUante, olulw; appellado.lTheodoroMar-
, que Vieira. Maadsram nove jury.
Apptllffi ltth.
AppeUante, Joaqun) Bodrigue de Almelda
. appellada Auna Theresa de Sena Cotilo.
trfuriaaram a enlenca.
AppeUante, Antonio Falio de Meiodonca, e
oulios; appellados, Enterlo JosPae *ar-
reto e ua molher.llpformaram a sentcnta.
Appellante, o herdeiros de Joaqun Ignacio
Crrela de flrilo appellado, o julio do fei-
tos da fazenda. Desprezaran o embargo.
ApprllMle, J>sc Antonio Basto; appellado,
Viccdfe Jos de Brito. -Reeeberan o em-
bargo '
muoHoii.
Apprllanle, Mara do Amparo Cajo e eu fllho
menor ; apprllade, Vicente Guedr* Gondiin.
Mandaraiii com vista ao carador geni.
DE8IGN*9dK.
AppeUante, Anna Joaquina da Silva Zrrelo ;
appellada, Mafia Joaquina do Aojos.
Appellante, JoSe Ferrcirada Silva; appellado,
Caelano Pinio de Vera e outro.
avis.
PoudoSr. deeinbrgd Hpo ao Sr.
desembargador Villare a appellacao clvel em
ue sao: l
ppellantea, Johnton Pater ate outro; ap-
ncllado, Manoel de Souia Gulmarae.
Passarain do Sr. deembargdor Villares ao
Sr. deaen>brgador Kaslo as aagttlnie appel-
lacfle em que o : .-
Appellante. Manoel da Silva IaM*-, appellados.
o curador heranca jaceuM Je Fr. Oaetano
deSaata Engracia Muol.
Appcllai, Manoel Alves Guerra; appellado,
Gaspar de Mcneace VascunctUo de Dru-
niood e outro > ...
Ajipellanle, o Julio; ppellaaV>, Manoel Joe
FrancUco e su mulher
Appellante, o julio; appellado, WlUam Wll-
Appelliite, Rernardiso de Sena; appellado,
Jos BaplUta Ribelro de Faria
Paisaram do Sr. desembargador Snu/.a ao Sr.
desemhargSdor Rabello a egulult! appella-
edeaem que sao :
Appellatile, o promotor publico do Hlo-For-
mosu; appellado, Antonio Joaquim de el-
lo e Silva eouire.
APpetlrHe, M Oto* i Sllr. ; .ppell*.,
Jos Anloaio Lope.
Appellante, Jos- l'hoinaz de Lampos yuaret-
ma; appellado, Joaquim Maria ibelro de
Andradc.
Appellante, ojuio; appellado, Antonio Lou-
rcoco de Almelda Manes.
Appelanle, Anna GsScalvcs Vlelia e ontros ;
appellado, Pedro Martn de Araujo Veras.
Appelanle, Marcrtlino Joa > de Cfuelroz e ou-
tro ; appellado, Ella Prancisco de Sampalo.
Appelanle, Antonio Fabio de nendonca c
aua mulher; appellado.
Brrelo e sua muUl<-r.
Ap[M-llante, Auto* Germano das era ; p-
pcllada. Me. Calmontft C.
AuDallaajte, Gerraiic de Saua Kaposo ; ap-
peUaW, Manoel Ferretr do Nacimento,
tnaatllante, F. l'oivier; atopellado, Poumateau
AiMtllanle, o julio dalaaenda do Cear; ap-
pellados, Cosme da Rocha Beterra e outro.
Paaram do Sr. deaetnbargador Rabello ao
Sr. detembargador Luna Freir a aeguinle
appcllacdeaeinque o: ,
Vnpellanie, Joaquim Goofilve Vieira Guttn
riese outro. appellada, a admiuUtracao do
patrlinoniu doj urpho desta cidade.
P.usaran doSr. deaenibargador Lun Freir
ao Sr. de.embargador Tilles a aeguinle ap-
pi'llacfie em que a :
tppelante, Joaquim Pereira Homem ; appel
"lado, Sergio Llenicntloo Souto Maior e Alu-
Ap^Uanle, Cario Jo Gome d* Olivelra e
outro; apellado. Eedro Joa Rodrigues e
sin mulher.
Appelanle, o juito de aumentes ; ppellado, An-
Ionio Joaquim Gonvalve Guitnarae.
Patiarara do Sr. dewinbargador Telle ao Sr.
desembargador Ramos as eguinles appella-
to.'s etu que sito : .
Appelanle, Caiharlua francisca do Espirito
Sanio; appellado, Joto Leile de Aievedo.
Appellante, Maria Helena Pessoade Mello ap-
pellada, Camarina
Sanio.
Paasou do ines.no Sr. o Sr. detembargador
Villare a .eglnle ai'P'Uacao em que ao:
Appellante, Antonio Gomea Villar; appellado,
Joa* Pire Ferrcira.
DtsralBDicOss.
Ao S. desembargador llamo a egulnte
AVlu"^''^And, de Ollvelr. Figueiredo
ppelldo, Franciico Manoei -*"
O habiu-torpai de Antonio Em GnUoGal
vao.
Ao Sr. deseinb.rgador TUe aaegulnle ap-
pellacao em que So :
Appelanle, o juio; appelUdo. Pedro d Alean
lara do Ni cimento.
Ao Sr. deenibargador Basto o eguintc re-
armo era que 3o: A
rente, o luizo ; rrcorrido, Jos Aodrde
"WVeira PlgViredo < outrb.
Levanlou- eo.
N. B. Uu-h em meta Um offlelo do tui.
, prosbAasHc da proviucta, couiatunlcando ha-
Jr copcoTao deniio do eargo de primeiro
upplenle de juii inonlclpal e de orphaos da
ouiarca do Cabo ao bacliarcl Victoriano de ^a
c Albuquerque, c quinte suppleulc da mesiiia
rara Bernardo MancoTntenMno da CosU Res.
M
te accidente aocontecldo asir Roberto Peel. Lo-
go que a ininba carta parti, sobe a inorle des-
se Ilustre homem de citado.
Como he pAvavel que as folhs nglezaa ja
lhe clrcuoittanciasiein ea inorle, ezcuto nar-
rar-lh'a aqui.
OSr. Peel foi sem duvida o inrlhor ministro
que tere a Inglaterra desde o celebre Pili; e
eu al o colloco cima do lho de lorde Cha-
lan* ; visto que o homem de estado que sabe
inanter a paz merece inais agratido da huina-
nidade do que o que sabe sustentar a nierr.i
Dous grande factos avultain na vida de r
Roberto Peel, o quae o iniuidYlallin. De-
ve lhe a Inglaterra o bil da cinancipacao dos
calholicos e o do cereae, que consume a In-
tr'nduccao d'um magnift-w systrina deliberda-
de no comaiercin.
Ha especialmente por esle ultimo titulo, e
como tendo desenvolvido em maior escala as
rel.icoes da Inglaterra com todo o inundo, que
o Sr. Peel merece a grata Icinbrauca da parle
d> nacSesestrangelras.
Neni semelhante testemnnho lhe faltou em
Franca, apenas fol conhecida a noticia da sua
morte, o honrado Sr Duplm, presidente nossa aatetnbla legislativa, Jirigio a seus col-
legas a aeguinle allocucao:
Agora, senhores, que um povo viiinho e
migo exprime sua dor pela perda que acaba
de snllrer, de um de seus mal benem-
ritos horneo de estado, parece-me que a tri-
buna franceza deve honrar-e de ouvlr a ex-
Siresso le noo lyniphatico* pesare e mani-
eslar no* alia ettinia ao eminente orador
que. durante ua longa c gloriosa carreira,
leve aeiiiimeuto de juttica e benevolencia pa-
ra com a Franca, e expresse corteze para
com o seu governo.
Eiaas palavras forain arnlhida pelaassem-
hla Com unnimes applausos, e biaerldas no
pruersso verbal ellas prnduzirant A loglaier-
ra prodigioso Bello,e lord John Hoel memo-
rou-acomntn ululo honorilico, doqual a na-
ci brilannicadeve com bom direito gloriar-fe.
A Inglaterra inauifetlau igualmente aua dor
pela i ni mensa perda que acabava de experi-
mentar. No dia em que foiaonunclada a mor-
te de Peel, a cmara dos comuiun, que elle
tanto llluitrou com aira eloqueula, inierroin-
peu inmediatamente a eo, em ilgnal de
dor. Lord John Russel, estando presente no
dia leguinte, tambeni inanlfeslon, com lagri-
mas no olho, aeu profundo tenlimenlo e o da
rainha, e auuunclou que o governo retervava a
lr Roberto Pee! < honra de utn tmulo no
ciiniterio da abada de Wedeiiiister, ao lado
dos resto inortaes de Pitt. Fox e canuing ; mas
a vonlade do illutfre defunto oppunha-ae a c-
ses gloriosos lesteinunhos. Pedio expressa-
mente o Sr. Peel em eu testamento que seu
corpo repousasse na igreglnha do arrcbaldc de
Tainworth, junto aos corpos de seu pai e sua
ini. O Sr. Goulburn, eu executor leilaiueo-
tmrio, tica a coohecer cantora doscotnruuns
esta ultima vonlade que a piedade filial e a ino
deitia inspirarain a ene grande homem de es-
tado, N.ioqui/., porm, o governo inglex que
a gloria de Peel faltaoe a essa amiga albadia
de Weslininster, derradeiro as; lo de todas a
gloria da Inglaterra. Ordenou que nessa igre-
)a fosse erguido um monumento funerario em
honra de Peel.
A populacio de Tamworth recebes* com re-
ligioiisiiino acalsawulo o mo tal despojo do
eu representante; o qual fai a gloria e a pro-
Estevio Jos Pacs 'videncia desse modesto arrabalde. Todo os
asslstentes derrainavaiii copioso pian lo nessa
uprema hora em que o corpo do Ilustre de-
funto baixou ao sen eterno sitio Essa demons-
trares, votada pelo povo aps grandehoinens
que tambe ni foratn pessoas honradas, he urna
recompensa devida ao morios, e uina lic.ni
para os viro. Cerlo, nao faro a lord Palmen-
tan o que faieni a ir Roberto; nein me.ino
em Inglaterra onde osaudaciosos e iinmoraes
actos de lord Palincrslou-excitaran! tantas co-
leras.
Poucos diaa depois do falleciinrnlo de Peel,
leve a Inglaterra de deplorar outro. O lio da
rainlia, ultimo lillio ele Jorge liliS. A. o du-
que de Cambridge, expirou no dial dcsle mes
com 76 anuos. Servio aluda multo joven no
exercilo iugle, na poca na no.sa prlineira re-
voluc:o : depol de feila a pai governra a Ha-
nover como vloe-rei, e deixou esse posl9 de-
pois da curaco da rainha Victoria, a qual
cdlocou Uiubein a corda desse paix na cabeca
do duque de Cumberland. Era vario de co-
tumes Irreprehensvci; a rainha mandou que
lhe iribulassetn as honra devidas ao seu posto.
O negocio de.-se miseravel Kubetto Pate,
quo ousou alear a mSo- cont-a a rainha,
lerminou em 12 deste mez ante o tribunal
criminal de Londres. O procurador do ac-
cusaJo tenlou faze-lo passsr por louco ;
mas essa escusa nao oi admillida pelo ju-y
e o reo foi declarado culpado. Pronunci-
ando sua condomnaeflo, o presidente do
tribunal, bario Anderson, dirigi ao con-
demnado js seguinles pahvras que mefe-
cem ser rcproduzldss como dando urna
tdeia dos costumes judicisrios inglezes :
Francisca do Eipirilo
sup
EXTERIOn.
NDE'KCIA uo DIARIO Dli PER
NAMBUCO.
/'arn,*lW iwrto rff850.
iel-lhe na mlnha ultima carta o trls-
O jury declsrou-vos culpado depois de
urna longoissinae pacienUdeliberacno ;
a en.lo hedecrarquose enganasse ; mas,
como esta demonstrado que sois um ho
lliem Ue COSIUIIIC iui Cw,,*\.oS oun-
j fcrenle, a certos respeilos das outras pes-
sosa, e heprovavel que Dos vosquizes-
t se enviar um alliccao mental, devemos
. ter d de vos. Tarda va, como a eceflo por
. vos commellida tem um carcter mu se-
< rio e importante, foalea declarado too por
. haver ferido urna mnlher ; cousa que, pa-
, r um militar, be acto vergonhosissimo ;
ora sereflectimosflue ees mulher hevoss
t gubetaiia, quesu pessoa merece o respei-
to de todo o reino tanto por suas virtudes,
. qnantoparsu aIta psito;esle aelo que,
a em um caso ordinario, seria olena mu
seria lorii-*e os ctuae circumslan-
cus, um facto vrdideiramenle muos-
. truoso Como podestes vos, militar in-
gle, insultar urna mulher que todos
atnsm, uSos por causa de aua elevada
i digqiOade, como al por causa do suas
. virtud prtvady Ms vos nao voslimi-
i aagno do vossa famili e a voa posicao,
. o tribunal poupa-vos o iufsmes cisligo
dos ooutes U tribunal inda lem par
a com vosco alguma condescendencia, befli
*i"
que nSo tivesteapir com os outro.
Todava elle deve iulgar-vos da tal modo,
que vos impossibilito, ao menos por al-
Rum lempo, de tornar a cotnmetter acr;3o
Ulo pessitn.
< Eu quizara poder pensar : qua vs nSo
tnheiso voseo bom siso no instante em
que tal acto commetiesto; ; oorquanto
< hi muilo quo a Inglaterra blasona qua
no ha homem que, no estado normal,
s ouse tentar contra pessoa do sen sobe*
rano i mu devo crer tambero que o jury
teve rssflo de nflo v.is absolver como con-
* vencido de alcncSo mental. De todo o
precedente resulta-me o dever de vos con-
ilemnar a sete annos de transportarlo pa-
ra alr-n-insr.
Roberto Pata nSo perecen altersr-se : ou-
viodo articulrosle discurso, saudou os jui-
zese e retrou-se.
r7rav7i."Castou-se esta quinzena na dis-
cussSo e voUq3o de um nova lei acerca da
imprensa, lie a quinta vez,depois da revolu-
to de fevereiro, que o poder legislativo to-
ca nesta delicada materia. A persistencia
le s--us esfurcos prova quilo perigosa he a
imprensae quSo difflcil he o impr-lhe re-
gras n'um paiz agitado pelas revotocoes. O
ystem da nova le consista, consiste em
augmentara llanca imposta aos jornaes,o
soh ni-tte-los, bem como os fol helos, ao
imposto do.sello ; o qual, elevando o pre-
godecsdi fu I ha, torna maisdifllcil a pro-
paganda das doutrnss anarchica.
A commissOo enearregada pela asserobla
de examinar a lei, linh rejeitado o aug-
menlo do abono, e conservado o sello ; mis
durante os longos e tempestuoso debate
que acabam de concluir-se, Mram ofTereci-
das emendas so projecln que se aclis singu-
armenteuggravado : eis porquefoi'hicidi-
lo que todos os arligos dos jornaes seriam
sssgnsdos ; medida esta que provocou fu-
ibiin los grito de parte da imprensa con-
ertadura. Demais, por urna disnosicjllo,
addicionada le, submetteram-se todos os
jornses, qu publicam romances em folhas
solt ( he mod* frne7) a pgr um
sello supplementsr deum centesimo. Esta
medida diz respeito folhas mais gabadss.
isto he, as que tem trnta ou quarenla mil
assignsntes, cria um despeza, qua orea,
paia algumas, por 120,000 francos annuaes.
Imagine Vmc. os grito que esse jornses
levantaran), vendo-se assim degollados pe-
los seus. proprios amigos da assembla.
Apezar titeases gostos e dawas queixas. a
lhe foi difinitivameute approvada por 388
votos contra 155. Smente cunee lem o
niazo a dous mezos par demorada execu-
c.lo de algumas dessas disposiedes.
Era tal a furia dos joroaes, que alguns
lirigiram i assembla violenti-simasinju-
rias. Um dolles, intitulado O Podtr e que he
protegido pelo presidente, receben o casii-
go de semelhante proceder. A assembla
lumou a declsfio que lhe caba tomar. O
Garante desse jornal foi chamado a defen-
der-se do delicio de ofTensas que lhe impu-
tavam. Foi honlem que elle comparecen,
acompanhado peloajrais celebreadvogadoda
l'aris.o Sr. Chais d'Bstange.giasepesar dos
esfrot;os do seu defensor, foi declarado cul-
pado pela ssembl. e condetnnado em
i,000 francos da' mulla, Esle facto preoc-
cupou summamente a opinio publica, a
qual se obstioava em ver o presidente por
tras da folha que insultsva a assembla.
Creio que o p re si denlo nilo so oceulta ; o
ue, quando lhe chegar a hora de guorrear
podr legislativo, fa-lo-ha em seu proprio
nome.
Tem o presdehte por si a maioria da
Franca, eesla que s quer ordem e esta-
bilidad!', bafeja maravillosamente os pro-
jecto* quo se emprestam a l.niz Boaapar-
|e. rio1,a elle ido, domingo passado, a 25
iegoas de Pars, a. cidadesinha Compieg-
ne, on le ha um palacio real de que.anuilo
goslava seu lio, pois qussi sempre o habi-
lava. lie ncrivel o acnlhimento quo alai
lhe lizeram. Concorreram pata todos os
camponeies de 10 Iegoas em torna; eo
grito eiui Napuleio! foi repelido todo o dia.
Minguen) griiou viva a rtpubliea Oh I ella
est bem combatida em Franc. : apenas
lem por defensores os que nflo querem de
modo algum os legitimisUs.
Os revolucionarios eslo mu desanima-
nados em Franc,a : entretanto anda temos
os demagogos refugiados em Londres e em
Genebra, que se nSo cancam da tentar
introduzir o sacro fogo das revoluQOas. I,e-
dru Holln e seus cmplices exiliados mui-
da o du. lempos a lempos, a Franca seus fu-
Ihelos incendiarios, lia pouco, puudparam
u primeiro numero do um jornal, intitula-
do o Proieriplo, no qual Injurian) tod
gente, e especialmente os montnhezes
existentes na assembla, ao quae l.edru
Holln chama cobardea NSo he mi que
ind.viduos taes se digam cruamanle estas e
outras verdades.
Decidi a assembla suspender aa seSsOes
o tomar ferias de II de agosto at II de no-
vembro. Durante este interregno parla-
mentar, mesaos se os vermeHios trsbs-
lluai e teotam alguma insurreicao, como
oosameacam. Eu desejo-a de lodoocora-
o ; acredito que ella acabar .com ess
Caterva de desordeiros.
I'jris nernseassost mais com revolu-
c,oes, nem esU para ellas. SuapovoacOo
tem sufllcieule trabalho, depois do qual en-
lreg-sea mil i"ecreios, que abundam nesta
grande cidade. Oscaminnos de ferro traus-
portam nos doiuiugps, por mdico preco,
milharpa on*oa mata
rslados"do litoral. Cada qual, por 12
francos, pode ir ver o mar a 100 Iegoas de
dlBtancia, e vdlttr oa segunda fera. Ei
um prodigio d Industria moderns ; noss


-M- ..

^r^^*^"
..-
'9>!
ventor he muito rinde, pare que volun-
tariamente nos atenu na barbaridade que
oa demagogos no promeltem,
Alltmonka. Una gravissiroa compllcacSo
acaba de aer thi resolvida ao menos por
algum tenipo. A Prusiia assignnu a 3 de
julho una tratado de paz com a Dinama'ci.
Antiga er a causa da contenda, pois data
de 1818. Os ducados doHolsten eSchless-
vig, que pertenciam a el-re de Dinamarca,
tinham-se levoltado contri seu legitimo
soberano.e a antiga assemble de Francfort
concorde com et-rei da Prussia, tinhi to-
nudo a peito sua causa. Surg'o d'ahi san
gnioolenta guerra, na qual os dinamsrque-
zes tinham denodadamente lutado contra
Torcas superiores, e a qual, ha mezes, foi
suspensa por urna tregua. O tratado de
paz concluido em Berlim, tem por flm re-
gular dellnitivamente este negocio. A Rus-
sia estar decidida a termina-lo mesmo
com a rr^a, e ella acabava de mandar sua
rsqnadra a Kel com oito mil hornees de
tropa de desembarque.
Austria O governo austraco acaba de
azer grande reduccOea em seu ejercito,
em raaSo do mi estado de auas floancas.
A' reduccSo monta a 80,000 homens.
Em Vienna so se Talla da destituirn do
general Haynau, gobernador geral da Uo-
gria. Commandava elle em cheTeoexercito
austraco na ultima cempanha, e o impera-
dor o encarregra de paciflca-lo. Julga-se
se que esse general, ultrapassou seus po-
deres usurpando direitos que Ihe nfio per-
tenciam. Sem estar autorisado pelo seu go-
verno, roncedeu graca plena a alguna dos
ciefes insurgentes. Eis, dizem, a causa do
seu inTurtunio.
Ihspanh*. A rainha Isabel pari no dia
12 do correnta urna crianza mora; mas Ti-
ca va em gozo de perTeita sade.
O conde de Montemolin, pretondente i co-
rda de llespanha, esposou em aples, em
lodestemez, a princeza D. Mana Carolin
Fernanda, rmSa de d'el-rei de aples. F.s-
se casamento fez-se mui secretamente.
A corte de Madrid tinha altamente protes-
tado contra essa uniilo, a qual, por causa
das pretencOes do novo esposo, dar appa-
reociaa de um acto poltico ; mas at-rei de
Napolea prrsialio, declarando que o casa-
mento contrahido por sua irmfla era smen-
te um acto privado, que em nada alterava
suas boas relacoes com o governo hea-
panbol.
Todavia oembaixador de llespanha em
aple, o Sr. duque de Rifas, apenas foi
informado deque o matrimonio se tinha
consuoimado, retirou emfin sua reli-
coeacom o governo napolitano, e passou-
se para urna barca da vapor beapanhola.
cofres da afio, quasi todos os professores consentir o meu trille c ans lamentavel esta
da escola homooipathic, i tinham redigi- dodellnancaa. porm confiado na Juat|ca que
lo os seus compendiosa liccionavsmseg.m. me asal.tla. -
PEi.NAlMBUCO
CMARA MUNICIPAL DO BECIFB.
5.' sassid ooiiuau na 13 os setembro
DI 1850.
PriHienci* doSr. Olivara.
Presentes os Srs. Mamede, Carneiro Mon-
teiro. Moraes, Prea Ferreira e Figueiredo,
faltando com causa participada o Sr. Vian-
na, abrio-se a sessSo, e foi iida e approvada
a acta da antecedente.
Foilidooseguinte expediente:
Lm ufficio do presidente do concelho ge-
ral de saIubridada, pediodo houvesse esta
cmara de exigir, e reme tter-lhe as cartas
dos phsrmaceuticos Francisco Antonio dis
Chagas e Bento Luiz de Carvalho, emquanio
nellas procede o concelho a certas averigua-
res. -- Adiado al a sessSo seguinte.
Urna informacao do advogado da rasa, so-
bre i peticSo do actual aferidor, pedindo o
abale de 83.190 rs. novator porquearre-
matou dito imposto, aendo dita quantia cor-
respndante a ferelo e revisita dos pesos
e balanzas de certas estacos publicas, que,
rumiadas no aviso de 37 de novembro de
1847. ae eximiram ao pagamento da texa
da aferi?ao. Que se submettesse a ques-
illo ao conbecimento doExtn. Sr pretiden-
tada provincia, pediudo-se a sua decisSo.
Uin offlclo do capilo do porto, commu-
nicando flcat scienle do despacho do Exm.
presidente da provincia, pelo qual concedeu
a eata cmara, pan serventa publica, o ter-
reno de marinha, enlre'o trapiche novo e o
de Angelo Francisco Carneiro, e reverendo
os pipis sobre que est Tornado dito des-
pacho. -- Inteindi.
A cmara resolveo que, por editaes, se
chamasseni as pessosa que s3o credoras de
seus cofres, por cusas de procesaos crimi-
uaes, a que tem sido coudemnada, a
apresenlarem seus ttulos lega I isa dos, slim
de se ter conbecimento dessa divida, iiBo s
para fazer nienefto della nos ornamentos Tu-
turoa, como psri regular o seu pagamento,
nos termos do artigo a.* S mento municipal n. 870 de 5 de julho ul-
timo. *
Cenlnuou a discussio do projeclo'de pos-
turas, e Toram spprovados os ttulos 2, 3 e
4da segunda ecc3o.
Despacharam-se aa peligoes de Antonio
Fernandea Velloso, de Andre Alves da Fon-
seca, de Jofio dt Coala Dourado, de Joaqui-
na Mara da Concejero, de Manoel Concal-
ves Ferreira e Silva, de Manoel Antonio Mar-
tina Pereira,a lvanlnu-se a sesssO. Eu, Ma-
noel Feneira Accioli, secretario Interino a
parraui .. HH%..r~ -m.jJmii* /.-_._
Monten Moraes. Ferreira. Fienseire-
do. ~ Mamede. Vaawi.
do obras e ideias proprias. l' lom-se citar
em primeiro lugar os lllms. Srs. Drs. Jos
Victorino dos Santos. mjor, e lente da ac
tema militar, l.oix Antonio de Castro,
Jofia Vicente Marlins, Francisco A. de Mou-
ra, Minoel D. Moreira e Ildefonso Gomes, o
Dea"o dos botanistas, brasileiros, o qusl em
Tavor da escola homceopathica, toni-se re-
volvido a dar cursos de botnica. Neste mes-
mo snoo o Dr. Mure encarregado do curso
de doutrioa homceopathica, oxaminou com
muita attengSo a theoria da psora, e das
'loses, estas duas grandes licuis deixadas
por Hshnemtnn, e mies de tudo procurou o
Dr. Mure com todo o esmero icbar a lei
physiologica, quecorrespondease no estado
ornial a lei de similitude apropriada ao es-
lado mrbido. Convencido o Dr.Mure de lar
preenchido este grande vacuo, e mostrado
a espirituildade, e a Torca creatiz do dyua-
msino vital. Provou que a materia viva,
que constitue os orgSos vivos, nSo provinhi
de urna assimilacli) molecular de elemen-
tos do mundo exterior; mas sin. creada
pela mesma forca vital, da mesma forma,
que o mundo no qual vivemos, Toi tirado
do nada pela omnipotencia divina. Deut
creavi houtintm ai imaginan tuam. Dos Tez
o hornera sua simultanea e o dom o mais
precioso, o dom pue at agora tinha desco-
nhecido a ingratidao humana, he partilhar
esta Torca creatiz, e ser tambera um princi-
pio espiritual, revelado por maiiifastac,0et
raateriaes. Neste mesmo curso o noaso mes-
lie I ir. Mure nosdisse: se estas id-ias, co-
mo espero, triumphsrem do pertinaz ma-
terialismo dss escolas, no smente tore-
los constituido sobre as suas bises verda-
deras i doutrina di llahnemaon; mas te-
remos posto flm ao Talal divorcio da reli-
glo ii disciencia. Teremos realisido no
Brasil este grande detideratum, dos bomens
de bem, a unifio di raaSo e da T, sem a
qual nao ha Telicidade possivel pan o ho-
rnera nem neste mundo, norn nooutro Pos-
im todos os homens de bem, que na ce-
ra m debaixo da iofluencia calhulica, os que
liveram f, os que a conservara anda, eos
que apeaar de lar pcrdido.aJo anda dirig-
aos, na essencia sera o saber, possam elles
ajudar-nos para bem dos seus rmeos, e
para a maior gloria de Dos.
Taes forain as sincera e orthodoxas ex-
prsate*, com as quies, o meu muito ama-
do, e presado mestre o lllm. Sr. Dr. B. Mure
terminou sua liceo na escola Homceopathi-
ca do Brasil, no dia 20 de mam de 1846 :
pelo qual eu talo cessarei de Tazar votos,
para que Dos ae digne outorgar-lhe longs
existencia ; assim como, so lllms. Srs. Dr.
Minoel Duirte Moreira aelual director di
escola homceopathica do Brasil, e maia pro-
fessores da mesma escola a lira de que a
sciencia e a humanidade colhain oa benefi-
cios que a nossa nova e verdadeira doutrina
promelte. --Recite, 18 de setemhro de 1850.
-- Dr. Judo de Soma Sanios Jnior.
Videos Diarioins. 908, 909, 910.
UUUEUPATHlt\ HURA.
So o Sr. que no Diario de Pernambuco, n
209, poz em duvid o curativo pela homcao-
pathia da eoTermidide, de que Toi accom-
mettido o Sr Francisco Simplicio das Cha-
gas em dia de abril do conenle, anuo, qur
que Ihe responda satisTactoriamente as
mentiras que escreveu, tenha coragem de
ae apresenlar cara a cara ; despindo-se do
malicioso manto do incgnito, assignando
seu nome em suas correspondencias. Em-
quanto isto nSo (Ucr, Ihe no uarei respos-
tsalguma, econteutar-me-hei de conside-
ra-'o como, 0 mais infame dos mentirosos,
_ llecife, 18 de setemhro de iaSO.--Cuianovu.
m
. e na loalteravel rectldo de lio
conspicuo magiatrado, outro tanto, porni, nao
i'i/.ii o me antagoaima, que forte com o ap*bio
le dlitinctai reatabllidadea, alardeara calcar-
me e a aeu bel praier dlspor da tuteirea dr
lao Incorrecto jui; mm no Ihe auccedeu co-
no cuidara: o intrgerrlmo magiatrado pro-
nuaclou como Incuno no artigo 187 do cdigo
criminal, altendeado uniente ao sen progra
na: juillja eequidade Kra aqu bem cabido,
-enhorea redactores, o elogie da virtude magia-
tral do lllm. Sr. Dr. Cavalcaote de Albuquer-
|ue ; mas nem a aua recooheclda modestia a
lt de, nein a eieguidade de meu saber o pode,
que oo me atrevo a tanto.
ou portaoto, seabor redactar seu constante
leltor.
M Sireito ala Lira.
{iornil do Commercio )
Declrateles.
COMMERCIO
ALFAMIECA.
Kendimento dodia 18 .11:413,245
Deicarregam hoje 19 de tetembro.
Barca Gtntvine mercidoriaa.
Brigue San-los gneros do paiz.
CONSULADO GERAL.
Rend liento do dia 18.....
Diversas provincias ......
793,738
68,691
860,499
EXPORTACAO.
Despacho martimo no abe 18.
New-York, brigue inglez ir, de 973
toneladas : con lu o seguinte : 329 ciscos e
62,543 me lilas de azeite de peixe.
RECEBEDORIA DE RENDAS GERAES
INTiafUS.
Reodimento do dia 18 ....'. 730,017
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendlmento do dia 18.....281 289
'lovimento do Porto.
Natos entrados no din 18
Genova por Gibrsltsr- 56 din e do ultimo
porto 32, brigue sardo Italia, de 121 to
nela lis, capitn l.uisGhlgliazza, equipa-
ge m 10, carga varios geaeros j a Crocco
& Conpanhia.
Liverpool 45 diis, barca ngleza Thomas-
Mettors, de-275 toneladas, capillo Ceorge
G. Purchase, equipigem 15, carga Tazen-
dis ; a Russel Mellors & Companhig. Pa-
sageiro.o loglez John Lilly.
Navios sahidos no maiRM afn.
San-Malheus Sumaca nacional 5ano-.1a-
tonio, m*stre Manoel dos Santos Braja, era
lislro.
Rio-Grande do sul Escum tnropista, mes-
tre Jos Alves de Brito, carga sal
> O Sr. director do h/ceu deata oldade man-
di faier publico que em virtude daa ordena do
Knn. Sr. preaidenta da provincia de 13 do cor-
rente roe* eit a concurao a cadelra de prlmei-
ras tettras para o aeao femlnlno da villa do l'ao-
do-Alho; portaoto,'as senhorai braalleiras que
qulterem oppor-Sea referida cadelra, devern
comparecer da data deate a 00 das na aala do
palacio da preaidencla pelaa nave horas da ma-
nliaa, lendo remedido deata aecretarla oa aeua
lequerimentoa preparados olto diaa antea do
referido concurao.
Secretaria do lycu, 17 de setembro de 1850.
Janaano Mexa,idrino da Silva tabello Canteo,
ProTesaur de desenlio eaecretarlo.
-- 0 administrador da mesa da recebedo-
ria dat rendas geraes internas, avisa pela
ultima Tesaos devedores de caitas de jo-
gar, constante da relapso, para que no pre-
fijo praso de oito das, da data deste, ve-
nham pagar o que devem, pena de se pro-
ceder a execulivo contra os omissos. Rece-
bedorj, 17 de setembro de 1850. Francis-
co Xavier Cavalcanti de Albuqueaque
Olfveirs & Irmflos 81 bsmlhos, Jos Do-
mingues Codeceira 316, Joaquim Monteiro
da Cruz 60, JoSo Keller & Compinhii 63, Jo-
s Csrlos Soares Juuior 590, Jos Joaquim
de Carvalho 360, Victorino Castro Moura
142, Tbomaz Fernandos da Cunda 330, Jos
Sapurti 1,800, Araujo & Soares 86, llenr-
ques&ICompanhla 180, Manoel da Silva San-
tos 1,560, Jos Francisco de Araujo Guima-
res 12, Joaquim Manriques da Silva 1,302,
Kalkminn & IrmSo 1,468.
OcipiitSo Mercal Cooper, fir lellto
o n pres'emja do Sr. cnsul dos Eslados-
Uiiidos,- por corita e risco de quem pertcn-
ner, epor intervengllo docorretor Oliveira,
da bllieira americana Frankllm, viuda da
pescara o naufragada em Carapih, onde
se icha encalhada o dos seguinte artigo?,
que se stippfln estarera abordo da dita lia -
liera ou perto della: 9 ancoras pesando
pouco mais ou menos 1,800 libras cada urna,
i ancorle de 500 ditas, 2 correntas senda
urna de 90 e outra de 150 bragas de cura -
p-imento. 4 ditas de 18 a 20 bracas cada
urna para segurar baleias, 4 anzoes de7o a
80 libras cada um, 1 Caldfrirlo de cobre, 3
titos de ferro, 75 ou 80 langas e harpoes, e
diversas toneladas do lingoados de ferro
psra lestro: torija-feira, 24 do crrante, a
It horas cm ponto, na prsce do Corpo
Santo.
Thcatro de S. Isabel.
29 "recita DA ASSIGNATURA. .
Sabbada, 91 de tetembro de 1850.
Representar-ae-ha o excellente drama om
tres actos e um prologo
A POBRE DAS RUINAS.
Remalar* o espectculo a graciosa come-
dia em um acto
O Dllettante.
Comedir is 8 horas.
Os bilhetes acham-se i venda no lugar de
costume.
Avisos diversos.
Avisos mAritiaJQOS.
--Segu viagem paflo Aracaty, al o flm
do conente mez, "W hiate Flor^Curu-
ripo: para carga ou passageiros lra-se a
ra do Vigario, n. 5.
Para o Ass sahe, at o dia 25 do cor-
rente, o brigue Sagitario : para carga ou
passageirostrata-se na ra d'Apollo, n. 4,
o com o capitSo a bordo.
Para o Aracaty segu, no dis 4 do mez
g^oVTo^dTzTesc'rivV8: e"reg.T "J P*'"*> "" "'*' ver. o
^m^mmmmmmmm___ patacho Santa-Cms: para carga e pisssgei-
ros trata-se ao lado do Cprpo-Santo, n 25,
toja ak massames.
Para o Cear sahe em poucos dias a
sumaca nacional Flor-do-Angelim, mostr
Bernardo de Souza, por se achar com par-
l DITA ES.
Corresponde..ca.
O ENSINO DA HMOEOPATIIIA NO BRASIL
FUNDADO NO RIO DE JANEIRO, PELO
DR. MURE.
3.* resiMOLvaa os raiacinos si.iPNTiri-
COS Dt BOMOeOrtTHlA.
[Conclusoo ) r>
llshnemann nSo pode canamente des-
envolver todas aa eonsequencia ata refor-
ma immensa de toda a sciencia medica. El-
le dec-nos os principios que deveuiosap-
plicar e atender, e eate he o primeiro de-
ver dos professores da escola hosnwopa-
tbica, cada ura doa quses deve trabalhar pa-
~a psrfficao do edificio, cujo plano Toi 1ra-
'do por Hahnemanu.
No anuo de 1846, o incansavel Dr. Mure,
euigiu u cuMi^ciiiu da nossa painologiu
geial. e reduzio ao uso doa honiceopalhas
aquellas dos cjuOeciraentos antigos, que
ae podiam ulliaar. Emquanto os lllm. Srs.
Drs. Irntes da escolas allopathicas gosa-
vam oa paz do ocio os seus pingues ordena-
dos a exemplo da academia de medieinai
tanto mais intil, quanlo mala onerosa ao
".
Srt. redactores. Cbegando eata cidade
bontem encontrei ama especie do boato es-
palhado de proposito de liaver o meu distin-
to amigo, orevereudissmo Joaquim Pinto
de Campos, concorrido psra o assissinato
do infeliz Cordeirodo Brejo, ese bem que
esse perillo rumor -nao passe dos labios
impuros de vis calumniadores, supponho
todava iiecessarin protestar contra essa no-
gri iinpulacSo, n.lo s.e.n referencia ao co-
nhecmento inlinin que tnho da convic
(Oes pacificas do dito meu amigo, como fir-
mado no testemunho unnime daquella co-
marca, onde passei, dous dias depois do
aconlecimenlo, e onde pude edmpreheoder
que o Sr. pa lie Campos deixou muilis de-
dicafOes e afJeices entre um e outro lado
poltico, aendo para admirar que os proprios
prenles do morto coolessem que se o padre
la estvera o Cordeiro nao tena sido assas-
sinado, aliento o auge de vigor e energa
em que a polica all se achava. Essa he a
voz geral de praieiros e eaquaretnos, nSo
le-'audu em cunta os clamares de alguns lio-
inens de costumus arruinado, que all af-
frontavam as lei com a sua conducta im-
moral, e que s encontravam correctivo na
volitada forte e jusliceira doSr. padre Cam-
pos, cuja moralidad de sentimentos o pde
cima de quaesquer imputables desTavo-
raveia.
Ditosas e Telizea de lo las as comarcas do
centro se liveseu delegados da inlelligen-
pos Sou lilhu do se 13o e posso assim ex-
priinir-uie, equem puler que rae conteste
cora f.ctos e nlo cora declamacOes vaga.
I'ortanto, Srs., quera assassinou o Cor-
deiro lalvez Tosse gente que Iba perlences-
se ... examinem-ie o Tactos, combinem-ae
as coincidencias, e cuiihecer-se-ha don le
veio o mal. ... Sr. padre Campo Um ami-
gos e prenlos mui devolados, e certo toma-
rlo na devida conaiderifaO qualquer ag-
gressSo injusta que Ihe lizerem ,
i'ubliciityfs a edido.
Senherra redaclorea. He tito Trequente ver
jiisiif a curvada ante os grandea patrooatoi, e
ante a opulencia, que oo poaso delsar de re-
correr a aeu apreclavel Jornal, para faier pu-
blico um Tacto que auas caracterlta a megrl-
dade e probldadede uin illuatre maglitradu.
Tendo eu recorrido com uina quelxa por cer-
lido falsa que contra iiiiin pasin o eicrivo
do Paly do alleres Joaquim AlvsMartins Coim-
bra.ao lllin.Sr. tlr.^^ssoiaco Xavier Cavalcao-
te de Albuquer que Jila municipal da comarca
de l'irahy, e interiuaineole da dlreito do muni-
cipio de Vaasouraa, me aprsente! peaaoalinen-
.. j.r..i... .1^1.. ... ^.___.;..,
guia, e ata ineitno sem advogado, por nao
O lllm. Sr. Inspector da thesourarla da ft
leuda provincial em cuiupriinrnto da reaolu-
;3o do tribunal administrativo de 4 do corren-
te manda faier publico que nos diaa 17, 18 e 19
de setembro prximo viudouro ir i praca pa-
ra aer arrematado a quem mala der, o Im-
posto do dfziino do gado cavallar noa uiuaici-
ploa aeguintea:
brejo avallado annualiuente por 61,000
<\",b"t M.000
r lores e Floren* 3U ooo
Boa-VHU e Ei4 2*6\000
A arreinatacao aera Telia por tempo de tres
anuos a contar do primeiro dejulho de I850
30dc junho de 1853.
O licitantes que se propoierrin a rata arre-
inatacdes, comparccain na sala das aeatdea do
meaino tribunal nos dial cima Indicados pelo
inelo dia, com aeua fiadores competentemente
habilitados.
Secretaria da Ihesouraria da faieoda provin-
cial de Pernanibuco, 5 de julho de 1850.
O 2. escrlpturario serviodo de aecretarlo,
Faneseo Aaloais Cavateami Coestiro.
Peranle a cmara inuniri al deata ci-
dade ron ti mii a estar em praca, nos das 18,
20 e 23 do correle, os objectos que anda
no fram arrematados, taes como rbeira
da Roa-Vista, Imposto dos mscales e hoco-
teiras, casa da ra Imperial, e alguna tainos
dos acougues pblicos ; e bem assim o im-
posto de 5 0 rs. por ca beca de gado vaeum,
escainlisdi rbeira de San-los em.que
estilo os tullios, sendo a arrematadlo das
mesmas de um a urna, e no em globo co-
mo dantes : os licitantes pode n comparecer
nos mencionado dias, mu los de Dadores
deyldaraenle habiltalo. E, para constar,
se manda publicar o p mara municipal do llecife, em sessSo de 14
de setembro de 1850. -Francisco Antonio
de Ulweira, presidente. -. aYaeosJ Ferre.ra
Accioli, secretario interino.
--Perante acaman municipal desta ci-
dade sari arremata la, a quem mais der, nos
las 20 e 23 do corrento, toda a porco de
lijlo, resultante da da nolcSo do muro
desappropriado a llercul uto Alves ds Siiv.
Paco da cantara municipal do HeciTa, em 18
le setmbro de 1850. Francisco Antonio de
Oliveira, presidente. Manoel Ferreira Ac-
cioli, secretario interino.
Pela inspectora da alTandega se .'z
publico que, ao dia 90 do crranle, se ha
de arrematar em basta publica, depois do
c;o :s. z pert* u. u,vaiu, crie de
veli los de sed e atgndflo, 4,22 covados
por factura cova lo 3lt)r. tolal 1:310,0(0
ra. ,14 manteletes de seis, por factura um
8,500 rs., total 119.000/., 1 caixa com
1,260 lata de conserva, por factura urna
4J0rs. .total 539,200 r*V; 94 duzias de cha-
les de algo JaO, I la e seda, por factura duzia
20,000 rs., sendo tres duzias avinados, to-
tal 48U.00O ri. ; 70 duzias do lencos de al-
godao, 13a e seda, por factura duzia 4,44o.
rs. total 310,800 rs.; 300 corles de veati-
te da carga prompta : para o resto e passa-
geiros trata-se com Luiz Jos de S Araujo,
na ru da Cruz do llecife, n. 33.
- A escuna Europisla, sshe mpreteri-. -toMwto ds Boi-Vists, contra um sea
velmente no da 18, o que ae avisa ios que1
teem escrivos a remetter para o Ro Gran-
de do sul, os quses deven flear a bordo na
ves pera, e trata-se com a viuva CiudineaV
Filhos, na pracinha do Corpo Santo, n. 46.
=- Psra a Bahia, segu com muita brevi-
dade o brigue brasil'-iro Sai Jos, para car-
ga, passageiros e escravos a Trete, traa se
com viuva dulino & Filho : na praciuba "
do Corpo Santo, n. 66 ou com o Sr. cipitSo
Jos Rtmoa de Souza a bordo,
Para Mossamedes
sahe, no iu do correnle mei del
.setembro. barca portugueza Bro-
chronse ; s reerbe volumes de
carga at ao da i3 .- o Srs par
sa^'eirosque nella segtiem, quei-
ram-gf! apromptar. e apresenlar
os .seks pas-aportes na caga n. 6,
dsjmnte saiVlrapiche novo, at o
dia a(, rara que no 'ia o.H iqueui
a bordo todas as suas b^gagens.
Leiles,
crli
dos de cassa bordados, por Tactura ce
2,800 rs total 840,000 ra. : tudo impugna-
do pelo Teitor conforanle Pedro Caudiano
correnle ; aendo a i
direitos.
Alfandega de Pernainltoco, 13 de setembro
de 1850 --O inspector interino, Bento lote
remandes Jarros.
Pela inspectora da alfaadega se contracta
com quem por ineuoi fii<-r duas boias de Tr-
ro para seren collncadas entre o ancoradoro
de descarga e-a ponte da alfandega; as peuaas
que qiilserem Taier esse contracto, di
a mesma reparlicjo darasua aa horaa d>
diente ata o dia'J do cortanae.
Ijttbam ce llibbert, estando prximos a
se retirarem para Europa, Taro leilSo, por
ntervengo do correlor Oliveira, da raobi-
lia de seu uso e objectos de escriptorio, a
saber: sof, cadeiras, dilas de balando,
bancas de jogo, mesa para sof, marquezas,
utia excellente mesa dejantar, commodas,
toucadoret), guarda-roupas, camas de jaca-
randa e de Trro, secretaria, mangas de vi-
dro, Tacas e garTos, loucas, garrafas para
vinho, opos, trem de cozinha, carteiras
grandes eequenaa, relogio de escriptorio,
burris de Trro, machina de copiar, e mui-
to outros objectos ; aasim como de obras
da prata, inclusive um Taqueiro, salvas, ser-
pentinas, -colheres, garTos, ele. : quinla-Tei-
ra. 19 do correnle. aa 10 horas, nos prima,
ro e segundo andares da eaaa de aua
detvcii. n. 32, rui do Traiicha-Novo.
Leillo que Tazem Jj echado *i l'inheiio,
por conta de quem perlsjlBtr, de cem harria
com manteiga Tranceza. SatMoles a vonla le
dos compradores : quiota-Teira, 19 do cr-
rante, is 10 horas do da, em frente i porta
da alfaudegi.
-*t)r Fernando Bieber, tendo-se retira-
do iisr Europa, ordenou no correlor Olivei-
Atteuco!
Adelino Candido Carneiro da Cunha roga
i pessouque o chamou para a ra da C-
llela de Santo-Antonio, n. 13, que declare
qual o negocio que o moveu a este chama-
do, psra que a sua reputteKo nSo padeca a
fice do publico ; porquanto se o negocio Tor
do interosse do anmincisnte, diriji-se i sua
casa em Olin la, e ae Tor de seu interesso
dexe-o perder ; pois esla manelra indeter-
minada de chamar pode envolver ambigui-
dade acerca da natureza do negocio.
San-Migad don Afogn.ios.''
O atministrador desta capella, IrsasTere
mais para diante a novena e Testa que
pretenda Tazer a este glorioso ardanlo na
seu dimpropri ; por n.lo ser possivel Tiz-
lo nesX dia, com a decencia quo Ihe he de-
vida, em rasflo das obras que anda fsltam
conclub;, como o ladrilho e guarnidlo da
(rente, torre, coro, pintura, e outros arran-
jos eos quaeTiseejt^lrstando. Logo, po-
rm, que esteja prompto a o menos o mais
necessario, lera lugar a MtcHpo roanlo,
se algudm fiel devoto do tnlfagroso San-Mi-
guel qolzer festeja-lo assim mesmo, em
seu dia proprio, achara no aelual adminis-
trador toda a coadjuvacSo necessaria.
: 8eseja-se fallar na luja de livros do
pateo do Collegio, n. 6, com os Srs. abano
declarados : Firmino Cezar Monteiro, Joa-
quim Antonio Barhalhn, Jacintho Ferreira
fiamos, Francisco Pimental, Pedro' Barol,
Melquades Francisco da Costa, Jos Men-
tes Campello, Jof Rodrigues, Marcellno
Francisco de Salles Abran, Jernimo de
Albuquerque, Antonio Joaquim Gdmsilves
le Mones Melquades dos Santos Lima,
Rarnab, Antonio de Albuquerque, Joaquim
Coelho de Accioles Joaquim Antonio Pires,
Pedro Jos de Barros, Msnoel Thomaz C.
Lima, Joito Rorges Campos, Joflo Ansstacio
lunior, Consalo Alves Lima, Francisco Ro-
m.lo, Malhias de Albuquerque Wanderley,
Victorino Pimentel, cadete Cornelio Fran-
cisco Pereira da Silva, JoSo Manoel Accioles.
- Pede-se ao Sr. JoSo Fructuoso, da Silva,
que tenha a hondade de publicar o annun-
cio, cujo autographo mostrou a varias pes-
credor.
O mendigo.
Clara Marja do Nasrimenlo faz sciente
ao resp'itavol publico, que teas instituido
por seu bastante procurador ao S\ Theoilo-
ro Comes dos Res, llecife, 18 de setembro
de 1850
-- D Maria Anglica remelle para o Rio-
de-Januiro a aua escrava Esperanc, crioula,
'" 14lhnns.
-Antonio Dias Pires, sub lito portuguez,
retTTa-se para Mo^simedes com spus filhos
Lino Das dos Santos, Benedicto, Francisco,
Miri, Eugenia e Francelna, e sua ora
Bsrtlna Macara Cavalcinti.
Alugam-se os primeiro e segundo anda-
res da caja da ra da Msdre-de-Deo, n. 26 ;
a tratar na ra da Caleia -*i |tf'- 42.
resi-
ra, por cn4a intervenQSo se eTTectuar, o lei-
blodeaui mobilia, consistindo em um ex-
^^Mflji'o. cadeiraa de diTTerentes qua-
idales, ditas de bslinco, soTis, bancas de
do Ritis e Silva, no despacho n. 230 de 17 do i08.0' mes* de janlar, d'its redo'ndas. lava-
arreatn3osubjeiti ao **rios'
commoda de diHerentes qualidade,
aincaa para luz, secretaria, marquezas,
gusrda-roupas, banca da costura, um mi-
china deengomnar, esler de Torso, guar-
da-muaicas, ^irmirios, aparador, gardi-
-t-i viras u C.-, COiii curiiiau e es-
cada, ditsi de Trro, ditas para meninos, es-
pelhos, toucido'es, linternas, cm leiro de
globo, tapete, binhelro, trem de cozinhi e
[ou'ro mullos objectos assaz necessaros
sahbado, 21 do correnle, as 10 horas, em a
essa da campo, na Passagem-di-Migdaleni.
r..j-_.
rio
lis biHiele para a recita
de 21 do correnle se distrihuem nos dias
e SI, no si 1.1o do Diestro.
A IVIarniotn.
Acha-se venda o n. 4T nos logares do
cosime: ella que est importante.
Quem precisar de um rapaz portugus
para eaixeiroou criado, dirija-ae ra da
Cadeia, n. 16, venda.
-- Perdeu-se, desde a ra do Encantamen-
to alean Corpo-Santo, urna earteira, con-
teni quarenta e qualro mil res em sedu-
las, e msis alguna papeia : a pessoa que qui-
zar restituir, leve-a ra do Koeantament,
n. 4, que ser generosamente reeouen-
sada. aV
I -- ltnoa-a n Sr llr. Jnaniiim loe,'. I v_
anna, do MaraohSo, que venba ou mande
pagara quantia de 136 000 r. como prin-
cipal deve Jor pelo Sr. Dr. Machado ; do con-
trario, lera de ser sempre lenibrado : na ra
da Cadeia, n. 11^
Quem quizer comprar urna leltra do Sr.
Dr. Honorio Vaz Curado da quantia de ria
110,280, annuncia para ser procurado, que
tolo negocio se Tara.
O Sr. Ventura Joaquim da Roza luji de
vir tugar a quantia que no ignora, na ra
da Cruz, n. 49.
Hoje, 19 do corrento, s quatro horaa
da tarda, vai em ultima praca por venda,
porta do Sr. Dr. juiz de orphSos supplente,
na ru de lionas, deTronle do becco de S.-
I'edro. o grande sitio do Mondego, logar do
Chora-Menino, junto ao 8r. Luiz Gomes Fer-
reira, com grande casa de vivenda, baixa
para capim, cora muitus.arvoredos de Truo-
.':, S.C.*m l>m C- g*aiu6 Cm "55S dp C-
sas terreas que pertooaam o meamo sitio.
Arreuda-se para qualquer estsbeleci-
menlo urna propriedade sita na ra da Flo-
rentina, ao p do estabelecimento doSr.
Ileranger, o qual tem porto de embarque
por delraz : a tratar neata llnimrr.nhi.
Jalo Jote Pereira, reUra-ae^Hra Tora
do Imperio.


-__4- ----^=
Prcclsa-se alugar um silo pequeo,
ou casa com bom quinta!, e que tenha bom
banho, a seja na Passagem. Capunga, ou
Pnnf,e-,le-llcbna : quem quizer lugar an-
nuncie.
A festa do Senhor dos Fas-
sos da ordem tercena do Carmo
he no da 29 do corrente, prin-
cipiando o setenario no dia aa
do cor/ente.
Oabilxo assignado paite ao Sr. procu-
rador S m 9o Jos de Azevedo Santoa, qoe
Ihe ft|le com brevidade. para Ihe dar solu-
CSo do negocio de que o encarregou ; alias ,
o abaixcMSsignado declarara por este Dia-
rio quaflin o negocio. Recite, 18 de selein-
bro de 1850. Hakoet DoDinflUM Ptreira
/lame.
# I'nulo Galgnour, dentista *
J frunce/., reeeiiH-iiicnte che- *
< gado a esta rupital, otTcreee seu piistimo 110 publico pa-
* rn todos on mstete* de su *
profleso, qar extrahlndo, >
V limpnido e. elimnuaiido os 9
A din tes iintnrncs. qucr subsli- f?
tulndo>os por ntroa nrtlfl- jf
9 cines, para o qn tem o. me- %
y Ilion s ap|iiu< Midh. I'ilc ser <
9 procurado a tiiiuluncr hora, fe
O ciii sua casa na rna Inrffn do
1* lo/ario, 11. H(i. miiiido au- jji
#**
Precisa-te de um caatl de cachorros
de Ola verdad eiroa, ( mas, anda pequeos
quera liver dirija-se a ra da Cadeia velha
do Recite, loja, n. 39, para entrar em preco.
Sahio a luz o 4 numero do litllo Stxo,
que se achaa vtnda nos lugares do costuro*.
Sahio a luz o 1.a numero do Brado da Wt-
ilignafto, como SO paginas, peridico ai
resposta ao Zoilo, na llvraria do Sr. Ikium-
(lo, a 340 rs. o numero.
ri
ao .Sr.Joflo Fruclul Silva, publicsdof o
Diario n. 909. WTerrtlra Cuutinho.
Alnga-ae um casa lerrea com sollo,
no sitio do Cordciro, margen) do rioCa-
piliaritic, com commodos para grande fa-
milia, cosnha tota, quarto para criado ea>|
trillara, coxeira para carro, etc. Urna dita
niais pequea, no fundo do mesmo sitio : a
tratar no pateo do Carmo, n. M^eom Ga-
briel Antonio.
Precisa-se de urna ama para o servico
interno de urna casa de pouva familia, que
saiba cozinhar : na ra da Ciuz, oo Recite,
n. 'H, primevo andar, junto a botica Iran-
ceza.
-- No da 19 do corrente, pelas 4 horas
da tarde, i porta do Sr. I)r. juiz du orplnlo,
na roa de Hurtas, te ha de arrematar, poi
ser a ultima praca, por lempo de tres an-
Dos, a renda do sitio da Casa-Forte, que foi
do tinado Francisco Bernardo da Cunta, bo-
je de seus herdeiros
-- Antonio Pereii Jacome, Porluguez, re-
tira-so para tora do imperio.
Dflo-se 100,000 rs. a piemio da dous por
cento ao;mez, sb penliorss de ouro ou pra-
ta : na ra da Boledade, 37.
Precisa-te alugar un armazem, que te-
ja situado na ra da Cruz alo Recite : trata-
se na mesma ra, n. 4.
Aluga-te orna cata no lugar da Trem-
pe, com duas talas dt f ente, cinco quaitos,
una sala atrs, coMinia fura, com uui grao
de quintal: quera a pretender, dwija-se i
ra da Aurora, n. 68.
- No da SO do correte, s 4horaa da lar-
de, na i la das Flores casa do l)r. juiz de
dirimo, se hade arrematar, por ser a ulti-
ma praca, uns movis, urna baca grande de
prala e una bolea ; e nfo bavendo licitan -
tos serflp adjudicados ao exeqiieute Jos de
sledeVBmtkVares por execuco contra Joflo
Francisco Ferreira.
-- Roga-se ao Sr. segundo lenle Jos de
Cerqufcira Lima, da Bahia, que mande pagar
urna lettra, que se ada vencida lia oilo mi-
zos ; doTniilrario, terde ver senipre o seu
nome nesla folha.
-- Jo.-e Moreira da Cosa llaia, subdito
l o tnguez, retirase pira a colunia de ilos-
samedes.
baeharel Antonio lipaminondas d.
Ale I lo mudou-se para o sobrado ao p do en
que niorava, na ra da Cadeia de Saajo-Aii-
lonio, n. 18, primriro andar ; c alii pode
ser procurado como advocado o procurador
liscal interino d. fazenda publica nacional.
-- Tr3*a-se (or dinbeiro una t.edra u'Ara:
na travesea da Concordia, u. 5.
-j-Precisa-se de una ama que
teonfbom leitc : ni ra da lo-
da, n. 32.
Aluga-se o segundo andar a solSo do
; obrado atrs da matriz da Boa-Vista, n. 36,
com commodos para grande familia : a tra-
tar na meima ra, n. 39.
Francisco Ferreira Rangel Piulo, sub-
dito porluguez, rattra-te para tora do ia>-
perio. *
Jos Antonio Pinto CuimarSes, cidadflo
poi'luguez, relira-se para a nova colonia de
Wjstamedajfc
Claraareiicla da AajnunciacSo retira-
se para o Rio-de-Janeiro, levando em tua
compaas dous iilbos menores.
-- Jos francisco de Paula, subdilo por-
luguez, retira-so para Mossamedes
-- Rogs-seaos Srs. Joaqun. Jos Pereira,
Jos Mechado Soarea, Caetano Duarlo Pe-
reira, Antonio Alvea da Cosa. Francisco
de Paula lavares da Mello, l.oureneo Hen-
iles da Silva, Antonio Francisco Vibeiro Ca-
neca, Veaancio Ribeiro de Aguiar, a a Sra.
Feliciaoni Mara da Fepirilo Santo, o favoi
il ilirigirem-se rua do Rangel, a fallar
com Manuel de Souza Cuiniaraee.
--Precisa-se alugar um moleque, ou na
gro, para O servico de ra e casa, a que se-
ja fiel na ra da Cruz, armazem n. i.
Da-so un cont de lis a premio de
um e otas* por arlo, por lempo de um
anno, tajbro bypotlieca em bens Je raz, e
pgejt os juros mentalmente: ua ra l)i-
reila, n. 59.
-- Precitada de um carpiua para traba-
lliarem mV3k%a : no pateo do Collegio,
n. M, olcina dabahuleiro.
Passaprnlrs e titulo.
A antiga agencia ile roa do Rangel, so-
bra :o n.% coirttnfa lirar passaportes pa
ra denlru* tora do tanfertat, espactiar es-
clavos, o requerer ututot, quer cuan prazo,
hajam de Ihe ir pagar na ra estrella do Ro-
zario, n. 20, segundo andar; do contraro,
serio seus nomes publicados por eenso
nesla folha, visto serem estes dbitos bas-
tante anligos.
-- Na ra de Hortas, n. 54, apromptam-
se bandejas do bolos de encommenda; tam-
hemsedade vendagem a pretas, llcando
seus senhore responsaveis. Na mesma cata
engomma-ae e livt-se com asseio e porfei-
Comoslguns Srs. credores de Francis-
co Jos Gomes de Oliveira, anda o3o lem
apresentado suas contascorrenles ao abai-
xo asslgnado, para serem conferidas e re-
ceberem aquitlo que lhes tocar em rateio,
por isso o abaixo assignado faz ver aos mes-
mosSrs credores, que o queiram fazer no
preso de quinze das do contrario, lindos os
qoaes ficar* sem efTelto qualquer reciama-
Cdo. Recite, 16 de setembro de 1850.--
Ficttrino os Corra de S.
Precisa-se de urna escrata cOsnheira ,
para o servico de urna casa de pouc fami-
lia : no Aterro da Boa-Vista, M. 1.
Margarida da Silva CuimarSes.brasilelra,
retira-se para a nova colonia d Mossame-
djs. levando em sua companhia dous filhos,
Jos da Silva GumarS 'S e Antonio da Silva
CuimarSes estes, tamben) brasileima, leva
-' Pergunta-te aos Sr*. Rodattoeas. s7Sfl1"is en sua companhia um caixeiro e dous
abaixo assigna lofp/O aulordoanonciO feitri aHlclaea refinadores, JoSo nho, Franciscg J^s RrUrigues e Jos da
Silva Manir, tes subditos portugueses.
-lAluga-s.1 oa'm.izem n. 20, defroute da
ra da Uadro-de-Deos, largo da Assembla,
o qual aaive para prensa, armazem da reco-
Iherassocar ou couros, por ser perlo da
alfandega e do trapiche dff embarque, ten-
lude fundo 110 palmse, 71 de largura :
qoem o pretender, falle coo% Manoel Alves
Guerra ar.
-- Anna (Aptos Sanios, Portugueza rati-
ra-se paVs fiSra do imperio.
-- Armaoil Niesseren, cutileiro lendo
roiiiprado a'o Sr. l.uiz Conzaga a armacSo
da InjaTle charutos que o mesmo Sr. Gon-
zaga tinlia no Allcrni-da-llo*-Vista, n. 5,
declara por mel do presente annuncio, que
pelo fado da referida compra nSo se [cs-
ponsbilisou o annuncianl por modn algum
ao pagamento do qu deve o Sr. Conzaga,
com qur-m o annonciante nSo leve outra
iransaccffo msis do que a mencionada
compra.
Ulysse Dror, relojoeiro suis-
so, de passagem por eta pra^a,
onde tenciona demorar-se 5 ou 6
mezes siiiente, concerla toda e
qualquer qtialidade de relogios
eem qualquer estado em que se
achuru ; assim como lem para ven-
der relogios de ouro e prala do>
inelhores fabricantes : na ra
Cruz, n. 41 primeiro andar.
_ Aluga-se por mdico preco orna
cqid com modos para grande familia, com
cacimba, um pequeo sitio com capia) pa-
ra um carillo, no" lugar denominado Santa-
ninlia ou Sant'Anna de Dentro a fallar
com Luz Gomes Ferreira, no Mondego, o
na ra da Apollo, n. 30, com Antonio de
.Maraes Gomes Ferreira.
Chapeos de soi.
Ra do Passeio, o
Nesla fpbrca ha presentemente um rico
sorlimenlo desles objecips do todas as c-
rese quulidades, lanlrdo' seda Jjaliio de
paiininho, por presos commodos ; ditos pa*
r senhora, de bom gosto : este, chapos
sSn feitos pela ultima moda ; seda adamas-
cada rom ricas franjas de relroz. lia mesma
rasa se acha igual sorlimenlo d sedas e
panuinho imitando sedas, para cobnr ar-
macoes servidas : todas eslas fazendas ven-
dein-se eui por^Su e a retallia : tambem se
concei la qualquer chapeo de sol, tanto de
basteas de ferro como do balis, assim coato
umbelas de ig'rejas : tudo por prero erav-
modo. Na mesma casa ha chapeos de sol,
de marca maior, de panno e de seda, pro-
prios para feitores de engeniio, por serem
dos mait fortes que se pdem fabricar.
Aluga-se urna casa na povoacSo do
lonleiio, frontaira ao oitSo da igreja, do
lado do norte, com 4 aulas, 6 quaitos, sollo
e coiinha : a iratar no largo Jo'Ter^oJ/ u.
St, sobrado de um andar.
da


Cei' no- logar Jsragu. -- Mannel Bargesdt
Vendonca.
Negoca-se a taverna que foi do falle-
cido Pedro Marciano, sita na ru da Cruz, a
qnal tem poucos fundo-, o que deve coo-
vir a qualquer pietendi'Ote : trala-se com
Joflo Ilapttta Fragozo, na ra da Cadeia
do Recife, n. 6.
X cdade de Pars.
Fabrica de chapeos de sol, ruado
Collegio, n. 4-
I. Falque participa ao respeitavel publico
destt cdade, quo elle abri o seu novo es-
tabelecmento, onde se encontrar sempre
om grande e bonito sortimento desles ob-
quer sem elle : ludo preco muito com-
modo.
Rogs-se a todas as pessoas que estSo
devndo ao Hotel-Commercio de Irem pa-
gar suas contas at o fim do corrente mez ;
do contrario, verSo seus nomes publicados
por extenso nesta folha.
Precisa-sa de um Porluguez para feitor
le um engenho perlo desla praca : na ra
da Madre-dc-Deos, > 18. *
Manoel Rodrigues Pinto da Rocha, sub-
dito portueuez, e sua mulher hialina, Bra-
sileira, retlrsm-se para fra do imperio.
Offerece-se urna mulher para ama de
casa de pooca familia, a qual be de boa
conducta : na ra de Hortas, n. 6.
Joiquim Jos Rodrigues da Costa, ael
ultima vez. pede aos seus devedores qtt jectos dos irais modernos a vanados, como
sejam : chapeos de sol para homens de se-
das chamaloladas e lizas, de cores e pretos
ditos de armaeflo d'ar;o muito fortes com
sedas de todas as cifres, ditos para senhoras
de sedas lavradas e lisas, com franjas e sem
ellas, cores muito bonitas, ditos ditos de
panno imitando.>da, com franja esem el-
la, ditos de pannnho para homem com ar-
macSo rica e ordinaria, sortimento de ben-
galas de todas as qualidades, baleias para
vestidos, cohetes eespartilhos pan senho-
ra. Na mesma casa concerla-se o cobre-se
toda a qusiidade de chapeos de sol e benga-
las, paraos quaea lem boas sedas e pannos
*m pec,as : lodos estes objectos vendem-se
em porqSo e a retslho, por menos pre?o do
que em outrs qualquer parte.
I.olera da .Matriz, du Boa vista
O thesoureiro desla lotera annuncia ao
respeitavel publico, qoe muito breve tem
de marcar o da do andamento das rodas :
is petsoas que teem bilhetes apartados os
nSo buscar quanto antes, do contrario se-
rSo vendidos. U restante dos mesmos a
cham-se a vendadnos lugares ja aonuncia-
los.
I'abrlca de obras de folhas de
Flandres, ra Nova n. 38, de-
fronte da onceIcio
Nesta bem acreditada fabrica ha conti-
nuadamente um completo sortimento d.
ibrasde folha, bem como hacas, banhei-
'os, balis de todos os tarnanhos, objectos
le servico domestico e para corintia, bem
como se fazem todas as obras por preqo com
modo, e com perfeic.So.
Viiva estabcleelmtnto dr cotilaria
lina, na ra Nova, n. 36.
Jos Pradnes, colileiro-armeiro, participa
ao respeitavel publico desta cdade, e prin-
cipalmente a seus freguezes, que mudou o
estabehjcimento que tinlia na ra do Raza-
no larga para a ra Nova, n. 36, confronte a
igreja da CunceicSo, ondeo acbarlo promp-
toa executar qualquer eucomtBenda de su
arte com a saaior perfi-i(So possivel e preco
mais commooo do que em outra qualquer
parte. O annuneianle, lendo recela lo de
Franca ltimamente umrico sortimento de
objectos de sua arle, nSo Ihe he possivel
menciona-lo) pela grande quantiJado e va-
riedkde dos mesmos ; mas assevlra que lu-
lo he o mais fino possivel, e ser patente lu-
do aos compradores e por precos mu ra-
/oavt'is. O annuneianle para facilitar a bre-
i lade das encommenda que se Ihe lize-
rem, mtndou vir nm oflicial de Franca,
qual clregou pelo brigue Citar, e se acha no
i'Xercicio de sua arle no estabelecinn uto
cima. <
O0OO9OOO OOOOOOdOOO
llomn'iip.ilhia pura.
J. II. Casnnova, facultativo
^1 hoimi! ipatba, da consultss lodos os
?-dias uleis, desde s 7 horas da ma- j'
v uhSa at s duas da tarde, ra da Ca- *
O deia do Santo-Antonio, n. -i-', segn- &
O do andar. Os pobres serSo tratados 9
& gratuilame'nle. O
OOOOOOOO OOOOOOOQO
Alnga-se, iinnualmenle urna casa de
sobrado na ra da l'niSo, que accommoda
duas familias, e tem vista para a barra : a
tratar na roa da Aurora, n. 4.
JUIZl) DE ORPHA.OS.
, No da 19 do corrente, As ti horas da ma-
qbSa, tem de se arrematar'uma leja de fer-
rapons, sita no Aterro-da-Boa-Vista, que foi
do fallecido Caetano l.uiz Ferreira, a qua(
vea praia>a rcquerimenlo deTiburcio An-
tunes de Olivara romo tutor dos menores,
fillios daquelle fallecido. Os licitantes de-
vem com arecer no dfs e horas, na refeiida
loja.
Aluga-se o primeiro1 andar da casa n.
4, defronlo do trapiche novo, propria para
escriptorio : a Iratar na mesma rus, ou na
dos Tanoeiros, armazem n. 5.
Retrates por dag-tterrrotrpo.
Todos os das das 8 horas da manhSa s
4 da tarde : na ra da Cadeia' de Sanlo-An-
toaio. n. 36, terceiro andar.
*^ Alugam-se os segondo e terceiro an-
dares de osa do largo da Assembla, n. 8 :
a tratar com Joaqun) Francisco de Alm no
Forle-do-Mattos, ou com seu proprielario,
Prxedes da Fonseca Coutinho.
G
O
AUencflo.
De todos os males que afligem a misera
humanidad, nenlium certamente ha, que
;:;:Tcr.p;.-:r se : ciepriste-"'"; vnljap-
menle coifhecida peio nom d* morpha ou
mal de San Lzaro. Kslt terrivel molestia
disfiguraailo inteirameiite o misero, que
tem a infelicidade de soffre-1, lorna-se bem
depretsa objeclo de repugnancia e inven-
civfl, asco flqotlles meamos que por jus
loa ttulos nos deviam ser caros. Athoje,
a morpbea linda zombadode tantos e ISo
versos meios empregados para sua cura
n. 36, lava-se eengomma-se toda a qualida-
de de roupa, com asseio e promptidSo, por
preco mais commodo do que em outra
qualquer parte.
jompras.
corno que, se cada vez oateuttva mais ter-
rive, cala vez mais horrenda. Aquello qu
a si'flna, Roa va como se huuvera locadia a. Nova, n. 38.
malilinSi. Ha IImu .lm .1. r.nr.l.. ,lu rua.i- t.Omnri
Compra-se urna banca re-
donda de Jacaranda, para nieio de
sala, em meio uso: nesta lypo-
'l grapliia, ou nnnu.icie.
tr --- Compra-te elleclivamenla cobre,
Compra-se um oculo grande de ver ao
longe, em meio uso na ra do Quemado,
n. 14.
-- Compra-se orna escrava mocs, que no
tenha vicios nem achaques: no largo do
Pilar, n. 13.
-- Compra-se um carro de 4 rodas, que
teja hamburguez, e para um so cavsllo !
quem tivsr anouncle.
Compram-se3soleiras de podra e 8
carros de mSo: na ra da Florentina, n.
30, taverna.
Compra-se o diccionario franrez e por-
luguez, por Jos da Fonseca : qoem liver
anouncle.

Vendas.
W ja
|
# ni
-- Vende-so um oandieiro (rancez para
cima de mesa ou balco, com vidro com-
prido, globo e urna manguinha da sobre-
saliente, quaai novo, e por preco muilo
commodo: na ra de Hortas, n. 63, cass
terrea com a frente piolada de azul e porta-
das brancas.
Lotera da matriz da Hon-VNta.
Aon Jo:ooo$ooo < .".kioSiioii.
Na loja de miudezas da praca da Inde-
pendencia, n. 4, vendem-se bilhetes, meios,
quarlos, decimos e vigsimos deats loteris
que corre aleo Um do crrante mez.
Bilhetes 10,000
Meios 5,000
Quarto's 3,600
Decimos 1,100
Vigsimos 600
Vendc-se um cameiro manso e capa-
do : na ra do Rangel, n. 54. ,
Vende-se um escravo de boa figura
sabe irahalhar de enxada a machado, pro-
prio para engenho, por entender de carrei-
ro,: na ra do Qeimado, n. 14 se dir quem
vende.
Oh que pechinclia.
Pao verde escuro ( tinissimo ) pelo pre-
co de 4,000 rs. o covodo no Aferr da Boa-
Vista ii. 18.
^o
viaiitilctc- e rapotinlios 9
ultima moda.
rJJ Na loja do sobrado amarello nos
fe qualro cantos da ra do Qneimado,
fja ii. 39, Um para vender um grande ft)
|r> sortimento de manteles e capotinhos
# de gtodenaple furia cores, gostoj1
t) muito novos eguarnicidos con lio*
j) dos b.icos e por preco de agradar ao
0 comprador. #
#**##*?/*. e*iaf**fe
-- Vende-secha hysson de superior qua-
lidade, em caixas e meias ditas, e em lotes
a vontade do comprador ; caixas com velas
Je espermacete da melhor qualidade : na
ra da Alfandcga-Velha, n. 36, escriptorio
de Matheus Auslin & Companhia.
Xarope do bosque.
CASO DEUM NEGOCIANTE DF.STA PAACA.
Eu abaiio assignado (o certificado original
disto inoatra-se a qualquer pesaos que quizer
chegar tua do Hospicio, n. 40, Rio-de-Janei-
ro, verificado perante o tabellio Caatro) com
casa de negocio, declaro que ha vinir e dous
annoa que padecia de uuia palpitacao do cora
cao ; esta palpltaf o era to forte que, quando
me atacava. perda os sentidos, e a respirarse
de tai forma, que as peasoas que presenciavaio
licitas occasles espera va m aemprequeeii suc-
cumbiaae em alguna deatea terriveis atabuea;
todos os recursos da medicina quantos me l-
rain prodigalisadoa nunca aerviam mais que
para nestas occasidea diminuir Io Un ivel mo-
lestia ; potiu nunca pude obter mclbora al-
o oa. Alm desta molestia sobreveio-me urna
outra : qual havia ella ser? a terrivel phlisi-
ca, causada por unta conslipacuo; e to rpi-
da se eclarou, que suppunha o meu nico re-
medio aer a morle: o sangue que continua-
mente deilava pela bocea, a palpitacao, a toa-
se, o fastio, oa auorea noile a febre contiDiia,
tudo islo fez-ine perder todaa aa eaperao-
caa, e eslava bem persuadido que era impossi-
vtl poder livrar-mc da inorte. Neala deplora
vel crise, entregue trinis, e venda que ti
una gastado nao pequea quanlia e sem ne-
nlium proveito, foi quando de voliadas Laran
geiraa, onde eslava reaidindo, por felici-
dade mi lili c inostraram-me un annuncio em
um jornal que na rua do Hospicio, n. 40, ae
renda o jarope doa bosque, remedio queja
linlia feito admiraveis curas na America do
norte ; reaotvi-tne e fui comprar na dita casa
utua garrafa. Principiei a tomar, como declara
o autor em um papel que acoinpnha cada gai
rafa ; foi a miaba aalvaco cala poderoao reme
dio : em menos de oito das de uso j era ou-
tra peasoa; desapparecerain o sangue pela boc-
ea, o fastio, a toase e os suores de noite : con-
tinu! a tomar, e lora ni desapparecendo to
conslderavelmente todos os meus soifrimentoa
de talfrma, que lodoa oa mena amigos e co
onecidos se aduiiiavam de vei-me to rpida-
mente mrlliorar : boje o que me reata de todos
os meus sodriinenloa he de diaa a diaa me ap-
parecer a palpltacio ; porm vejo-mc de tal
maueira que j me nn d cuidado, porque
militas veies tain sido aumeiente um copo de
agoa para fazer desapparecer, ou tomando urna
colher do tarop do bosque desfeito em uina
pequea porco de agoa : uigo que nunca paa
aei to bem de aadc durante vinte e um annos
de molestia como agora ha setc para oito me-
zes, depois que priucipiei a tomar o xarope do
bosque, porque eu recupere! o que julgava
perdido, que foi a mirilla aade. ae nao perfei-
Ne ru de Aguas-Verdes, casa terrea a, ao menos qnaal perfeila. Nao fui so eu em
aialdicSo de Heos, alm da perda de rqfu
landade da pliisionomia.como que era cons-
trangiiloa perder .tambem o ser de homem,
vendo-se obrigsdo a fugir vista de seus se-
mentantes,para quem s tornava um objeclo
le horror. O abaixo assignado, tem a for-
tuna de poder annunciar a cessacio de tan-
tos niales, declarando que se comprometle
s cursr cempcls^f !it? e*59 efrtsldse, e
-ssa cura ser tanto mais rpida, quanto
liir nova a enferinidde. Mullos resultados
felizrs lem assegurado ao abaixo essignado
Ja i-flicacia do meio que ha descoberto pa-
ra esta cura,no que oflerece seu presumo as
pessoas que delle se quizerem utilisar aqu
o bcco ti rUJ*>ciI=, r.. !?, m Ma-
chumbo, zitico, eslanbo, e toda a qualida-
de de melal velbu, uo sendo ferro : na rua
Compram-se escravoscom habilidades:
ha rua lergs do Rozrio, n. 48, primeiro an-
dar.
Compra-se, pata urna encommenda,
um escravo que seja bom ollicial de lanoei-
ro : paga-se bem, agradando : na tua da
Moda, ti. 7, a tratar com i.eopulaodi Costa
ArauJQ.
-- Compra-se usta negra, proferindo-se
de nacflo a seja perfeila engmuuiadeira, sai-
ba corlar e fazer vestidos com perfei{Bo e
qualquer UfN costura, a tenha algum prin-
cipio i!. --i i i, sem vicios nem achaques
a seja reeolhida na rua Larga do Rosario,
o. 38, segundo andar por cima ds loja de
tone*. ^usix^aaai %-*.
minba casa que fiz uso deste poderoso xarope .
Uve imillas occasiea de o applicar em pessoas
de iiiiuba familia m casos de constlpacoes e
tbsae, e mesmo tenho dado deate xarope a al-
guuiaa i i-mu., do n,cu csshccmento, e anda
em iirnbuina occasio falbou de produzir ad-
c2"ctC5; ^crl?.r,'./-, rc^wuiuiruu
todas as petioaa que be o mais cxcelleane re-
medio para aa molestias que o seu autor re-
commeuda sem emgeraco porque ningueiu
poder dizer melhor o que he este remedio do
que eu mesmo.
Tudo quanto cima tenbo declarado he a
Euia verdade debelxo de minha palavra de
onra, o que jurare! ae necesaario fr,
e justificare! com quaulae pessoas freui
necessaras as que me viram doente, e me
estilo vendo agora no catado em que me
acho ; e qualquer peasoa que melhor se qui-
zer informar pode dlriglr-se i rua do Hospicio
n. 40, que o abaixo assignado Ihe retirir im-
meoaoa caaes em oa quaea o excellente xarope
do bosque lem feito teua exlraordioarioa ef-
feilos.
Esta minha deciaraco mande! faz-la e at-
aignei de mioba lixu vontade, e com o nico
Intereaae de prestanam servico humanidade
he que a flz para aer moatrada a quem quizer
saber o que be o sarape do boque do Dr.
Molla.
Hio-de-janeiro, 4 de jaeeiro de 1848.
Vende-se na rua doa Uuaricia, u. 11.
Ven lem-si vinte pipas va tilas : a tralsi
na ruada Cadeia do Recite, n. 54.
Vende-se um bonito escravo moijo com
principios do padaria : na, rua do Rangel,
. ?\
Arroz a 1 ftooo:
vende-se na ros da Cadeia, n. 64, armazem
de Campello Filho.
Luvas pretas de rede para sra.
Vendem-se luvas pretas de rede, hien-
da muito superior, pel diminuto preco da
800 rs. o par ; ditas sem dedos, a 400 re. :
na rua do Queiroado, loja de miudezas, n.
33, junto de cera.
Milho:
vende-se na rua da Cadeia, n. 64, armazem
de Campello Fillio.
Atteucao,qnemttver par vender.
As seguintes obrss utsdas ou algmas
ditas separado, annuncio. por esta folhs.
Retiro espritual, Flos Sanctorum ou a
vida vida de Santo Antonio deLisboa.
--Vende-se urna casa site ns rua d,o Bom-
Fim da aidade do Olinda, cuja casa he cons-
truida de novo, grande, muito bem repar-
tida, a est quasi acabada : s tratar com o
lenente-corooel Ignacio Antonio de Marros,
morador na ledeira da Misericordia di mes-
ma cidade, que facilitar a chave da dila
casa, para quem quizer a examinar.
Ao barato.
Fintsmas casemirss frsncezss, o corte a
6,500 rs.; os msis modernos crspeos fran-
ceses e de superior qualidade, a 7,000 rs.,
um lindo sorlimenlo de colleles de gurgu-
rflo, setim a velludo bordados e de flores
po- barato preco ; lindos lencos de seda de
cor para grvalas o mais lindo gosto qu
lem vinJo n esta cidade; ricos corles de
iouralinaspara vestidos ; flnissmas cassas
pintadas frustos os mais modernos, a 700
rs. a vara ; cortes de vestidos de eambrsia
em barra |muito bonito goslo; ricas
csmbrsias sbertas de tolss ss cores psra
vestidos ; cortas d* eslca de lausinha, pelo
barato preco de 1,800o corte e outras mul-
tas fazendas, ludo preco muito commodo :
ni rua do Crespo, loja n. 16, esquina da
i ua das Cruzes.
Hervillias:
vendem se em garrafoes: no armazem janto
s botica do Sr. Antonio Pedro.
Ilobilia
Vende-se, por preco commodo, urna mo-
bilia, consistindo em 3 pares de lanternas
bordadas e edm pea de vidro,. 14 cadeiras,
sund duas de bracos, um *ophn,.# conso-
los, urna tqeea redonda, urna cama de ar-
maco com jupula, para casados: ludo de
Jacaranda e muito bem filo ; assim como
xcellente piano, de verdadelrs patele da
lolard & Colard, com um ntachinismo de
nova invencSo para mudar o teclado em 4 >
vozes difTerentes: tudo a dinheiro ou a pra-
zo : na rua do Rangel, n. 11, de manbJa
al s 9 horas, da tarde das 4 en diante.
Vende-se a bircaca Flor-de-Una, de lo-
te de 10 caixae, encorada junto ao caes do
Ramos ; tem boa conslrueco, porcuumo -
do preco : a tratar na mesma barcada, com
o mostr, Antonio Lint de Mello.
Potassa t
vende-se em barris paqueaos, na rua ds
Cadeia, n 64, armazem.
para quem gosta do que he bom, ludo bom
e bem tepeirado, como sejam latas com her-
vilhas ; ditas com salmSo ; ditas com diver-
sas comi sardinhas; queijos do Serid, da 8 a 19 li-
bras, tambem se parle ; doce da goiaba e
banana, em caixoes grandes e pequeos :
ludo barato a rio se engaa : boa pinga do
Porto ; conservas de todas as qualidades ;
ainda resla urna pequea i orcSo do caf da
. i ni,eia qualidade. a 180 rs. s libra; her-
vilhas, a 200 rs. ; grSo de bico, a 130 rs. :
n3o se nolam lodos os gneros nem os pre-
sos para os compradores apparecerem na
rua .1. s Cruzes de S.-Antonio, taverna pin-
tada de azul, para verem o que be bom, pois
bem ssbem que o que he boro acaba-aa
logo, e nSo aconleca abrigaren) como suca.
deu com o caf que se ac bou.
< lu nacional :
vende-se na rua da Cadeia, n. 64, em caixi-
nlras de 4 a 16 libras. *
"Venderr-semeissdelSa branca, gran-
des e pequeas : na rua da Cadeia do Reci-
fe, n. 15.
Na rua do (nelmado. loja n. 19,
vendem-se com algum abale em precos
as seguinles fazendas i
Lencos de pura seda da coros para pescoco
de ser. hu a, bous pa'fri-'S 1,800
Ditos de sarja prela, tambem proprios
para pescoco de senhora 1,600
Ditos de seda dito 1,380
hilos de panno, muilo linos, padiOes
de seda 360
Ditos de cassa branca 160
Cassas de cures de muito bonitos pt-
drOes. a vara 600
Kisca ,'os francezes muito finos e largas
o covtdo 300
Pechinas de bretantia de linho muito
Tina 3,500
Itiscados escuros de bons pannos, e
decores (xas,o covado 160
Chales de eambrsia bordada e adamas-
cadas 1,000
Tambem se vende meias de difTerentes l-
mannos para meninos, e outras multes fa-
zendas por preco commodo.
Batutas:
vendem-se em gigos de 40 libras: na rua
da Cadeia, n. 64, armazem.
~iaitpos frnnee7.es.
oQuoimado, hoja n. 1. vendem-
se cnapeiis u mais modernos e da meinor
qualidade, por commolo "preco ; brins de
ores de linho puro, muito finos, proprios
para caicas, colleles e palitos, a 1,130,
1,380 e 1,600 rs. a vara; lencos para gr-
vala, de setim, e de muito bom gosto.
Farelos:
vendem-se em saccas, no armazem da rua
da Cadeia, n 64.
ouro tle lustro :tt)5oo a pelle.
Vende-se couro de lustro, o melhor que
tem vindo a este mercado, a 3,500 rs. a pel-
le ; dius do bezerro francez, a 9,880 rs.;
sapatOes de eoure de lustro, bem irabalha-
dos, a 4,000 ra. o per; ditos braaeos do Ara-
caty, a 1,600,1,000 e 80 rs. o par ; sna-
los de lustio para senhora, a 1,980 rs.; bo-
netes para meninos, a 340 r. 1 no Alerro-
da-boa-Vista, loja leiro.
Han ira* com fariitha ssf:
venda-sena rua d Cadeia, n. 64, arma-
zem.
Vende-se urna taberna eom poucos fun-
dos, que poda lar 3:000,000 de ra. e com
commodos pera familia : oa rua do Porta,
ou Bairros-Baixos, a tratar oom Antonio lia
)!?sir-.


...
MftMtAlM RBpctiwres.
Ni fundicSo de C. 8trr & Companhia
em S.-Amaro acham-se a venda moendas
de nona, todas de ferro, de um modelo e
oonstruccSo muito Superior.
Arados de ferro-
a fuudicHo da Aurora, em S.-Atnaro ,
venJem-se arados de ferro de diversos mo-
lalos.
Vendem-seamarras av ferro: na ra
da Senzalla-Nova, n. 42.
Vende-se farinha de Santa-Catharina,
muito superior, a bordo da galeota Santitii-
ma-Triniade, fundeada junto ao caes do
Collegio.
Gal e potassa.
Vendem-se barris com cal de Lisboa, pe-
lo diminuto prec.o de 3,000 rs. o ba/ril ; di-
toa da mais nova e mais superior potassa du
Rio-de-Janeiro, por barato preco: na ra
da Cadeia do Recife, o. 50.
Farinha le mandioca.
amada Cruz, no Recife, armazeen n.
13, e na ra da Cadaia, armazem de Cam-
pello Filho, vende-se farinha de mandio-
ca do Ceara, muita alva, gomrooaa e de ex-
celieate goato, tanto em pequenaa como
em grandes porces, por preco commodo.
Vende-ge a taberna de Ni-
colao Rodrigues da Cuulia, no
pateo do Parai-o, n. C, com pou-
cos fundos, e muito afreguezada a
re tal lio : a tratar na mesrua, com
3ot Fereira da Silva.
Metas de llnho.
Vendem-se na ra do Queimado, loja n.
19, por preco commodo.
Vinho PHK
branco, em barris de cinco em pipas, me-
Ihore mais barato do que em outra qual-
quer parte : no caes da alfandega, armazem
de Das Ferreira.
A'ende-se panno de algodSo da trra,
de muito superior qualidade, a 200 rs. a va-
ra ; cassa chita, a 340 ra. o covado; dita
mais fina, de bonito padrflo, a 380 rs.; man-
tas da seda para senhora, a 4,000 rs. cada
urna : oeequalro cantos da ra do Queima-
do, o. 30.
Vende-te um relogio de caro, patente
inglez, nove: na ra do Queimado n. 10,
loja.
Vende-se a poca, jornal de industria,'
ciencia, litteratura e bellas artes : na ra
da Cadeia do Recife, loja de JoSo Jos de
Carvalbo Morass.
-- Vende-se rap superior de Paulo Cor-
deiro : na ra da Cadeia do Recife, loja de
JoSo Jos de Carvalho Moraes. Na mesma
loja larobem se vende um methodo para
violSo, do autor l.uigi Csslelscci, contando
as afinacocs para se tocar os sons armni-
cos, por barato preco.
Travesea da JM adre-de- Dos, ar-
mazem. n. 5,
Acbs-se ettabelecido um deposito, osde
encontrarSo os freguezes um bom sorti-
meiito de licores, espirito de vinlio, e to-
dasas mala qualidade*; superior vinho de
caj; cha mate; e liacas de vi me, s precos
moderados
Vende-se excedente cera de carnau- a>
bs, em barricas, a 7,000 ra. a arroba, j se as-
sabe, contando o dinlieiro, para uSo ha ver
duvidas : no armazem defronle da esoadi-
nba do caes da Alfandega.
incijo londrino.
Vende-se, no armazem de Manoel Fran-
cisco Martin? jnior, na ra da Cruz, n. 63,:
qeijos londrnos, presuntos para fiambre,
latas com biscoutinho inglez, conservase'
mostarda, cha de S.-Paulo o milhor possi-
vel, e latas com bolacbiuha de araruta ; lu-
do novo e barato.
A ellca qne sao baratsimos?
Vendem-se sapatoes de couro de lustro, a
2,000 e 2,500 rs., he o que valem de feitio :
oa ra da Cadeia da Recife, n. 9, loja
A I fJooo o corte de calca*.
. Vendea-se hrins de cores,.com listra ao
lado, de bonitos padrees, leudo tambes
cor de ganga, a t.OoOrs. o crtede calces :
na ra do Queimado, n 8, loja defronte da
botica.
Vende-se om sitio na ra
do Pires, que laz esquina para o
Cor redor-do-Bispo, tom boa casa,
cozinha, casa para pretos, estriba-
ra, cocheira para om carro, um
parrriral, boa agoa, algumas man-
gueirt, e oulros arvoiedos : na tua
dt. Concordia, a tallar com Jos
Antonio Correia Jnior.
Taixas para engaito.
Na fundicSo de ferro da ra do Brom,
caba-se de receber um completo sorlimeu-
tode taixas de 4 a 8 palmos de bocea as
quses schsm-se a venda por preco cotn-
nodo e com promptidlo embsrcam-se,
ou carregam-seem carrossem despezas ao
comprador.
Na ra do Cabug, loja do Duarte, ven-
dem-se botoes de Pedro II; ditos para in-
fantaria ; ditos pretos eamarellos para ca-
sacas ; ditos de madre-perols ; ditos para
infeites de palitos de menino; ditos bran-
cos, amarellos e bronzeados para libr ;
ditos oara cavallaria.
Na ra do Cabuga, loja do Duarte, ven-
dem-se franjase requifes pretos, proprios
para manteletes; touoas de ISa para bordar;
meias pintadas para meninos e meninas;
chapeos de merino branco, a 5,000 rs.;
ditos de sol, para mai.inas, a 1,600 rs.; cas-
lices de vidro, a 1,400 rs. o psr; sapali-
nboade ISa para meninos, papel dourado e
prateado, finoe ordinario.
500 ris.
Vende-se cha hysson de muito boa quali-
dade, pelo preco de 500 rs. a libra : na rus
do Crespo, n. 33.
Umeserave offlelal de pedreiro.
Vende-se um preto moco, de bonita figu-
ra, bom olDcial de pedreiro, de boa conduc-
ta ; urna bonita nulalinha de 10 anuos,
propris psrs servir de compsnhis s ums
menina : ns rus larga do Rozarlo, n. 48,
primeiro andar.
Vende-se chita frsncezs com slgum
mofo, pelo diminuto preco de 160 rs. o co-
vado : no Aterro-da-Bos-Vists, n. 18, loja
Vendem-se colleecSes com
mais de seis lindas vistas, repre-
sentando a ponte do Hecifc com a
alfandega, a ponte da Boa-Vista,
a cidade de Olinda, a ponte do Ca-
cbang, Poco-da-Panella, e a ra
da Cruz com o arco do Bom-Jesus;
bem como duas grandes vistas de
Pernambuco: na ra da Cruz, n.
1%. casa de Kalkraanns Irmao.
Vendem-se 6 pretos mocos, de bonitas
figuras, ptimos para qualquer servido, tan-
to da prsce. como do mallo ; usa dito bom
cozioheiro ; um mulatinho de 15 annos ;
om dito de 10 anuos, muito lindo ; urna
mulatinha de 30 annos, que engomma, co-
zinha e cose com perfeicSo ; 3 pretas mo-
cas, de bonitas figuras; urna parda com
urna linda eria, a parda coiinha, faz doces,
lava, he despenscirs, eofermeirs e entende
de psrtejar, ptima para administrar al-
guma casa de familia; urna dila que en-
gomma e cozinha com perfeicSo'; urna dita
com slgumas habilidade, por 330,000 rs.;
urna preta de meia idade, por 300,000 rs.;
e oulros eseravos que se vendem mais em
cunta do que em outra qualquer parte, e
nSo escondem molestias, vieios nem acha-
ques, caso os tenham : ns rus dss l.aran-
geiras, n. 14, segundo andsr.
M#Vff?9Vf*ffffffVf
^Depositoda fabrica de*
.4
Depsito de potassa e cal
Vende-se muit novs e superior potassa
e cal virgem de Lisboa, em pedra : todo em
bsrris pequeos de 4 arrobas, por prego ra-1 Vedeovse, na ra' da Moda, armazem
-ansa
Farinha de Tapny,.
igualmente em ssbor, finura a cor a de Mu-
ribees, propris para mes :jende-se na
ra da Cruz, no Recife, armazem n. 13.
soavel: na ra da Cadeia do Recife, n. 12,
armazem.
Vende-se por mutoscomo>odo prego,
urna rica secretaria cpm estantes para li-
vros, bastante grande, propria para advo-
cado, sendo de amarello e ainds nova ; as-
sim como, seis cadeiras e duas mesinnas
de sbrir ; ns ra estreits do Rozario, n.
28, ultimo andar, das 2 borss da tarde em
diante.
Vende-se urna toalba de lavarinto, leu-
do urna pequea parte da panoo no meio,
he de brelanba de linbo, ou de asguilo fino
obra muito bem feita, e o lavarinto be de
modelo muito moderno, por preco commo-
do : no Becco-Largo, n. 1, segundo adtiar,
demanhSaat as 9 horas, e das 3 a 5 da
larde.
Vende-se, ou petmuts-se por ums casa
nesta praca, um sitio uo Monteiro, com ca-
es de pedrs e cal, arvoredol de fruclo e tr-
ras : ne roa de Hurtas, casa terree piulad.
a frente de azule as polladas brancas, se
dir que faz este negocio.
Vende-se urna pardinba da 15 annos,
de muito bonita figure, que cosa bem, co-
zinha o ditrio de urna casa, engomma liso,
fsz renda, e he bem propria para aoompa-
nhar ama noiva, attendendo a exemplar
conduela : na ra larga do Rozario, n. 35
loja.
Vende se urna carta de pergaatobo,
mandada vir de encommenda do Rio-da-Ja-
neiro, para bacharel do curso jurdico de
Olinda, em muito bom papel e com a.com-
petente lita : na ra das Cruzes, n. 40.
Vendem-se 3 lindos moloques, sendo
um bom cozinhero ; um .dito com princi-
pios de rarpina, muito lindVi para pagem e
de boa conducta; um dko bom boliero ;
qualro pretos bons psrs todo o servico ; um
dito de meia idade bem robusto, bom psrs
esmpo ; urna negrinha de 16 annos, com
rs.; risesdos monstros, a 260 rs. ,-c meio
titos, a 200 ; chitas, a 120, ,140, 160, 180,
00 o 240 rs. muito lina ; cassa preta a 120
rs. o covado; e um sorlimento de fazendas
em porcJo e a retaio por preco rasoavel
Cora em velas.
Vendem-se eslas com cers em velas, fa-
bricadas no Itio-de-Janeiro, sortids ao gus-
to dos freguezes, por mais barato preco do
queem outra qualquer parte; na ra du
Vigario, n. 19, segundo andar, a fallar com
Machado & I'inheiro.
Vende-se urna preta de 18 anus, mui-
to boa cozinheirs, e que csaa chSoriUva da
bflo, e lie de bonita figura; urna dlaqui-
tandeira, lava de seftfio e varrelle, W pro-
pria para o servic,o descampo : ambas mui-
to diligentes : ns rus do Livramen^ n. 4,
que se dir quem vende.
Rrlnqrnedos para meninos.
Vondem-se caxtnhas com brinquedos pa-
ra meninos, pelo itr uto preco de 480 rs.:
na ra do Queimado, nfe miudezas,*jun-
to a de cera, n. 33.
Vende-se superior cers de csrnauba :
na ra da Cadeia do Recife, o. SO, loja.
-- Vende-se um quarto omito novo a
bom carregador : na ra Nova, n. 41.
Vende-se um sitio que nfio he foreiro,
ns estrada que vai da campia de S.-Ama-
ro para Belem, com boa casa de viv nda
com sotao, cinco janelas, copiar, mu i tos
commodos, cozinba frs, cacimba, striha-
ria, lugar para bezerros, cinco vivetros, um
,sem numero de cajueiros, mullos coqueiros,
n. 15, meiss barricas com cal virgem de
Lisboa, a mais nova que ha no mercado, por
preco comando.
JA o barato causa admtiarao :
lato acontece na roa do Crespo,
n. 6, loja ao p do lampea"?
Vendem-se casas-chitas do muito bom
gosto, a 240 rs ; co/tes da ditas do melbor
gosto que teem apparecido, s 2400 rs.; chi-
tas finas de boas tintas, s 160 e 180 rs. o
covado ; riscado americano, a 140 e 168 rs.;
trancado, a 180 e 300 rs.; algodSo
aesclado, s 300 rs.; zuarte azul com 5 pal-
mos, a 300 rs, ; dito de cores, a 200 rs.;
cania preta para luto, a 120 rs. o covsdo ;
cortes de fustSo muito boas, a 560 rs.; cha-
fes de* tarlatana, a .120 e 1,280 rs.; coberto-
res de elgodSo de edr, muito encorpados e
proprios psra eseravos por serem muito
quentes, a 648 ra.; alpaca preta de cordilo,
com 7 palmoa de largura, a 1,280 rs. ; ris-
cadoade puro linbo, a 340 e 360 rs. o co-
vado.
tt^Rap Paslo Cordairo :-^
vende-se ne ra da Cadeia do Itecife, a. 51,
loja de fazendaa, de JoSo da Cunba Maga-
ncea.
Obras social Istata.
As ideias secisusiss debatem-ae boje no _
mundo inteiroj a seria vergooha Ignerar .Bimgneras, jiqueiras, saptiseros""jam-
as verdades dests escols a quosa jvaro "jbeiros, larangeir.s, etc., muito terreno de-
ypluto que mediante algum trabalho podo
actualaculo. Ellas tanto interesaam aolio-
mem de estado e ao publicista, como so
jurisconsulto, ao commereiante, ao liomem
da aate. e al ao simples liomem do povo.
As seguintes publicscOes deste genero ef-
ISo a veids^aia loja de J J. Lody, na ra
largado Rozarlo:
Ch. Fouajer, obras completas, em 4 v.
I'ellarin, vida e doulrina de Ch. Kourier,
As aofae transaocoes sociaes, religiosas e
Pecbinchp.
Vandem-se cbspoa de pal ha da Italia, pe-
lo diminuto prreo de 3,000 rs.: na rus do
Queimado, n. 85, loja,de miudezas.
Pelo diminuto preco de 3,ooo rs
. Vendem-se etiapos de pal ha da Italia i
na ra da Cadeia do Itecife, n. 4, loja de
miudezas.
- Vendi-aa caManhas de> Uaranhfio, em
quartas eaUuMKas ; e ,sapeas com gomis
OC aogomaiar : na rus do i-iiar a. IVI.
~ Vende-se superior rai de Lisboa, en
frasco, che gado agora oa barca portugue-
za ljgcita : os'Srs. Irrguezesque gostam de
tomar a boa pilada, nOo deixar3o da o man.
dar buscar ao largo da Assemitla, n. 4.
A nimaes para roda e bois para
carro.
Vendem-se animaes para roda e bois pars
carra: no.eegenho Carsubs da freguezia
de Traciaabaam.
-- Vendarse liacas de vimos, esa porclo e
a retaaba, por\preco commodo : na ra da
Gaoaiaido Raeife, n. 80, loja.
Venda-se um eseravo crioalo, de 10 a
31 annos: no paleo defc'.-Pedro, a. 10, se-
gundo aaewr.
tineui aa vhr eomprsii por ser
BMsraUav
VentMfji-se !s?ss ds "eics com ff*"*i^
c0* e a*1**samis bonilss que seteenj
viasa.e.por preeoa que convidan : na ra
do Queimado, loja de miudezas, junto a daj
*Jte,aw.Sa.
-Vende-se urna arela de meia idade, pon
anaco muita ceamode : na ra do Trapi-.
oaacaaro, n, 40| prrmeiro andar.
lodosos Sanios,na
Baha.
ja- Vende-se, em cese de Domingos Al-1*
^res Malheus, ns ra da Cruz, n. 52,*
primeiro audar, algodSo trancado da-*
aquella fabrica, muito proprio psra sac-5
Jcos e roupa de eseravos; bem como^
aj^fio proprio psrs redes de pescare pa-^.
a>vios para velas, por preco commodo.-*
*
Agencia de Fdwln >liuv.
Rus de Apollo, n.;eVsrmazem de Me. Cal
moni & Compaoia, fiem ver sos Sis. de
engentas e aos aaus correspondente nesta
praca, que noseu estabelecimenlo se acha
constantemente bom sedimento de morn-
uas (odas de ferro para animaes, agoa, etc..
meias ditas para armar em madeira ; ma-
chinas para vapor com forca de 4 cavados ;
taixas de diflerentes modelos e de todos os
lamanhose grossura, tanto de ferro batid
como coado ; espumadeiras, cocos, ele, de
ferro estanhadu ; safras para ferreiros : lu-
do asilo bom e por barato preco.
-a vendeO-se obras portuguezas, a sa-
ber: CaiUs da India e China; conlos di
SerSo; Jornal das bellas artes; Alniauak
popular ; Universo l'iltoresco ; Autopsia
dos partidos ; Vista de diversos edificios no-
ta veis de Portugal; Itelralus de pessoas ce-
lebres ; as Duaa luanas, romance de Ale
xandre Humas, tradcelo portoguezi : na
ra do Crespo, loja n. 5 A, oa na casa n. 6,
defronle do trapiche-novo.
Ob que peehii&saev:
Ma tua do Collegio, loja n. 3, vendem-se
superiores meias raseroirss elsticas, linas
e de listras muilo modernas, pelo diminu-
to preco de 2,500 rs. o corte ; brim de li-
nbo, s 1,600 rs. o corte ; dito de algog.lo, a
900 rs. o corte ; merm pelo fino, a 2,000
rs. o covado; lencos de cambraia para mito.
a 280 is. cada um ; ditos de seda com Iraii-
j,s 1,100 rs. cada um ; cambraia mureu-
lias,a3<0rs s vara ; outras auitas fa-
7-endas, por preco muitissimo barato, S
atina dse acreditar a loja.
'' Vendem-se 14 eseravos, sendo 4 mo-
cos de bonitas figuras; um muUtiobo de
15 arJnos ; um moleque de 14 annos; um
eseravo que cozinba o diario de urna casa ;
uo.a linda mulatinha de 13 aooos, que cose,
engomma e cozinha ; urna dita de 34 au-
nas; duas esc ra vas mocas, de bonitas fi-
guras, boas engommadeiras, e que cosem
bem; 4 ditas de todo o servico : na ra
Direita, n. 3.
He baratlseimo.
Vandem-se sapaloes de couro de lustro,
pelo baralisaiuio preco de 2,500 rs.; ditos a
3,000 re ; ditos de tres solas e ponto fixo,
a 4,000 rs.; ditos de bezerro francas, a
8,50 a 8,000 ra.; sapatoes do Aracaty, a
800 ra. o par: na ra en Cadeia do Recife,
n. 9, laja.
Vt.nH*- s^erss ds rus de P-dre-
Floriano, n. 78, com poucoa fundos : a tra-
tar na travessa da Concordia, n. 5, sobrado,
das 6 is 8 horas da manhSa, e das 4 s 6 da
Urde.
nunciadoa na caasjp municipalidade do"Pa-
rs, por MM. Uatn, ConsideVant e IVIzal-
guier, I v.
Metlray e Ostwald, estudo sobre eslas
duas colonias agrcolas, por F. Capiagrol
1 volaaa.
Da poltica geral, e do papel que a Praa-
Ca representa n* Europa, por V. Constde-
raot v I H|
Oh 1 pie peebluaba !
i ra do Paaseio-Puplico, n. 9, loja de
Albino Jos Leile,veudani-se risOados mons-
tros, padrdes de muito bom^>ato, a 20
rs. o covado ; assiro fime se dfo amostras
aos compradores ; lencos de seda, a 1,000
rs. ; cassa de quadros e listras, proprias pa-
ta bahados, a 240 rs a vara
a 140,160,300 e 840 rs. o
; chitas escuras,
covsdo: leufos
encarnados da fabrica, a 300 rs.; castores
Kara caifas, a 160, 840 e 320 ra. o dovado
rini "
bons principies de costure ; urna dita de 16 ieieaMcs deVirtomnius, i v.
annos, para lodo o servico ; tres pretas, que a fre* grandea-dilcursos socialistas,'' pro
cozinhsm e sao boas quitandelras ; urna
parda de 25 snnos, que engomma permita-
mente, cose, faz ornis arranjo de casa, he
muito canchse psra meninos e de muito
hoa conducta ; urna preta de meia idade,
muito em cont j asftm como oulros mul-
los eseravos na rus ds Cadaia do Recife,
n. 51, primeiro andar.
Vende-se um terreno no sitio da So-
ledade, com 58 palmos de frente e mar de
mil de fundos, lendo duas frentes, urna pa-
ra a estrada nova e a outra para a ra' da
Soledada ; tem militas fruteiras, duas casas
de lataa, ptima cacimba com boa agoa de
beber : no sitio do Sr. Teixeira fogueleiro,
se achara com quem tratar.
.stifcNCIA
da fundico Low-Moor,
ItrA DA feWZAI.t-A-WOVA, W. 4.
Neste estabelecimento conti-
na a haver um completo sorti-
mento de moendas e meias moen-
das, para aengenho; machinas de
vapor, e tafhas de ferro batido
ooado, de todos oa tamanhoa,
para dito.
. Sedas e velludos- fj)
Vendem-se ricos corles de seds mo- *n
demos, furta-cres, Unto lisss como 0
de listras e de barra ; velludos de co- ai-
res ; merino azul para roupinhoe a)
de meninos : na ra do Crespo, n. 9, as>
loja de Joflo A. G. Gumarfies. a>
Arados te ferro.
Vendem-se arados de ferro de
diflerentes modelos : na ra do
rum,ns. 6, 8 e te, fabrica de
machinas e lundlcSo de ferro.
Bombas de fino.
Vendem-se bombas de^reporo,
pndulas e picota para cacimba :,
na ra de liiuui, ns. 6, I e io,
fundicSo de ferro.
-- Na tua da Cadaia do bairro do itecife,
no primeiro andar da cass n. 24, de Manoel
Antonio da Silva Anlunes, vende-se um ri-
co sorlimento de chapeos de palha de Ita-
lia abertos, camizetas de cambraia borda-
das, colerinbos, romeias, manguitos, pu-
nbos, bicos finissimos, ricas Otas, a oulros
object( de gosto, oaquaes so vendem por
menos do que em oulra qualquer parto :
lambem lam um sorlimento geral de fazen-
das ingleas.
-- Vendem-se, s precos commodos, vinho
muscatel de Setubal, em caixas de urna
duzia; di lo muito bom de Lavradiue Col-
lare?, mi lian is de quinto ; ditu de Cham-
pa nha, da mais acreditada marca ; dito tia-
tu de Cuiloillod, de superior qualidade;
extracto de ahsynlh e Miscb ligilioo da
Suisss. em caixas de ums duzia ; verdadei-
ro cognac velho, o da meiijur latinea de
Franca, em bairls de 80 garrafas pouco
mais ou menos : lambem se vendem por
preco muilo rasusvel velas de slearina, em
z
Babia de
Cruz, no
Na ra do Queimado. n. I, vendem-s
cdigos commerci'aes. celo oreco de 3.1
Jrs. cada um.
caixas de 3- libras :|charut08 da
muito boa qualidade : ns rus ds
Recife, n 55.
Vuendt-se nm eseravo de bonita figu-
ra, fiel, perito odlclal de pedreiro o
caooairo. por preco rasoavel : na ra
Queimado, n. 3, terceiro andsr.
Bom e barato.
Sspatinhos de 13,para crianess, a 400 ra
o par; suspeusorios'para aenino, 80 rs.^
carteiras com aglhas, s 330 rs. ; boonetrs
de veludopara menino, a 640 rs. ; linhas de
peso a 60 rs. a miadas; aglhas canlofas ,
a 60 rs. o papel; camisas do meiss psra
horneas, e 1,280 rs.; meias cruas para ho-
mom, a 160 rs. o par a ditas pintadas, a 240
ra. bslftdcs sberlos ^sr; loslhss ion r.
a vara ; bengallnhas de junco, a 240 ra.; e
outras mullas cousas baratas i na ra do
Queimado, laja da miudezaa junta a de
Jeera, n. 33.
i branco trancado de listras, a 1,000 rs,
o coi le ; e outras mudas fazendas por me-
nos prei;o do que em outra qualquer parle
Na ra Augusta, vends por baixo do
sobrado qu foi de Jos Mara, vende-se car-
ne do sartlo, a mais gordal posslvel, pelo
prec" do costume : aQsnca-se ser a melhor
que se tem tido.
- Vendem-se cem spolices da companhla
do Reberibe, todas ou em porches menores:
na loja de Ignacio Jos da Silva, junto ao
arco de Santo-Antonio, no cscrrptoro da
companhia, e no docaixa da mesma so dir
quem vende.
Vende-se urna preta natural do serillo,
moca, sem achaques, e que cose, engom-
ma e faz renda: na ra da Cruz, n. 13, ar-
mazem. Adverte-se que he chegads do Cos-
ra no vapor ahiana.
Vendem-se 90 saceos de estopa e sj-
godSo, novse com duas varaa cada ui,
proprios para farinha : na ra larga do lio--
zaiio, n.,48, primeiro andar.
Vende-se um moleque de 18 annos; urna
preta de 20-annos : na ra do Queimado,
n. 6,loja.
Vendem-se chapeos do Chile, mu
to finos, a ds moda, por muito ba-
rato preco : na praca da Indepen-
da, n. 36.
o mais b'eaW gosto pernara-
bueano.
Veodem-ae finissimos chapeos para se-
nhora, a Amazona, fazenda a mais rica ede
is deliee lo gosto que tom vndo no mer-
cado, chafados receotemenle do Havre, de
encommenda : na praca da Independencia,
n. 9(.
Aos Srs. mostrea sapateiros.
Vende-se conro de lu&tro, a
ipoo ra. a pelle: na ra Nova,
n. 6, Joja de Naya Hamos & G
Vendem-se velas de carnau-
ba, por preco commodo; na ra
Formosa, quinta casa.
Cusa de modas franceza*.
Buessard Millocbau.
Ra do Aterro-da-Roa-Vists, loja n. 1.
Pelo ultimo navio chagadoriu Havre, re-
cebeu-se es ultimas modas de Paria para
uso das senhoras, como sejim : chapeos de
;e4 '_' fa.'ha. capotinhos. manteli
cabecoes de b^co^ caraisinbas<> golinhasl
manguitos, lencps, bicos, fitas, meias, Do-
res para casameolpYchaposde palhas para
montara, trancas de seda e algodSo, holOes
de todas as qualdades, fil liso e bordado,
cambraia lisa o bordada, e mais outras fa-
zendas # gosto e baratas.
vendem se dous caixes em bom esta-1
e com 5 depositas para assucar, por pre-
?o commodo : na ra de Apollo, n, 2
-Vend-se ums negrinha de 14 arusos,
nabil para lodo o servico : na ra do Quei-
anido, n 38, luja de chapeos.
^aVVende-se ums vacca de leile com bt.-
rerro de 6 mezas : na rna das Flores, segun-
do andar da esquina fronleira ao porto das
canoas.
Loja de seis portas em frente da igreja
de N S. do Livramenlo.
0 administrador dests loja querendo iro-
cr j,ur Ccuios aiguus alcaides que anda
Ihe restam, tem resolvdo vende-los por
dsr pasto para 8 ou 10 va ceas de leite, com
desembarque para a cambos da Tacaruna
para a maior canoa carregada : adverte-se
que o seu pruprielario vende-o em conse-
quencia de nfio lite convir possui-lu : *na
rus larga do Rozario, n. 33, fbja.
* Vende-se um rebufo da muilo go>to,
por preco commodo : na ra do Trapicho,
"em, n. 15
as fcaneezaa para roltaretc.
tffmJle cartas francezas, as mais II-
s que se podem^aJajBBtrar: ns ra do
Qeimado, loja dea] Lw, junto a de ce-
ra, ii. 13.
Collas pttHBMre*.
Vendem-se cofas de seda preta, proprias
' para padres, por preco mugo commodo : na
ra do Queimado, loja de miudezas, junto
de cera, n. 83.
Vendarse um armario que pode servir
para guardar louca : na ra Direita, n. 24.
Na msma casa se dir quem compra um
aellim inglez em bom estado.
Vende-se um preto corpolento e ro-
busio, sem vicios nem molestias: na ra
do Collegio, n. 6.
Vende-se queijo francez, latas de mar-
melada, ditas de bolaxinbas Dnss inglezas-
salame, latas de ervilhas francezas, dilss de
sardinhas, salmfio, vinhos linos de differen-
tes qualidade, garrafas de manteiga fran-
cesa, massas finas pars sops, tudo de supe-
rior qualidade .- na ra da Cadeia, venda
n. 8.
Na ra estreits do Rozarlo, n. 15 ven-
dem-seos livros seguintes, por muilo com-
modo preco : tratado de geographia por Bal-
lii 2 r.; oraces de Cicero 1 v.; ditas, em
portuguez 3 v.; poesas de A. D. da Cruz e
Silva 6 v. ; ditos, de Costa e Silva 8 v. ; pro-
sodia 1 v.; i hilosophia de Cousn, Citar-
me, Geruzez o Laromiguere; Serene I v. ;
historia da restauracSb da Baha 1 v.; dicio.
nario da fbula iv lito, da marinha 1 v
fmmmmmmmmammt
Eseravos FOgidT
nslxo preco, pars animar aos compradores,
sendo: chales pretos de rede, a 240 rs pro-
prioa para as senhoras que estiverea
- V.ndem-M ptimosCspos. ^.^1^1^^^^
par, passe.o, na praca da lndawndenei.Jo.rs o b.nho -leocoii den'dJ".f22
In. 26.
5o,ooo w, de gratiiTcacao
a quem pegar a prela Mara Joaquina, de 30 a
10 annos, que fugio no da 11 de abril, de na-
ci Cmigo, balsa, gorda, cor retia, braigoaa,
olboa pequenoa; trm em una das taces um
atgnal de carne ; he bstanle ardilSaa, por so
lie capaz de Iludir qnalquf r presas que a nie
coubeya sabe lodaa aa povoacoea da provin-
cia, por ler andada a vender niiudrzas pelo
mato com una crioulade Solue KrMcWadt-, de
quem foi racrava ; ili aa higa aajde enco-
beria com o nrgtcio de er iniudeua, pos
JA de oulra vea que fugio a qual Tol pegada rm
erras do engenho S.-Anna, andava vendendu-
aa,e aaalm mala cualosa de aer pegada- Boga-
ae aa autoridades policiaca e capiUra de cam-
noque a apprrhcudam e leveari-na a ra do
Quarlela, n. 28 ou na praca da Independen-
cia, n.17.
-- Kogio, segunda-feira, lt\ do eorrenle,
a mulslaiosepiia.de 30 annos pouco mais ou
menor estatura regular.cdr fula,cabello cor-
lado ; tem os olhos um pouco doenass ; le-
vou vestido encarnado do listras, um lenco
de Ida no pescocp, o duas argolas lisss as
orelbas ; veio do Tamadar ; foi craBJ(a>ia
ha 3 mezes.ao Sr. Ma noel Gonsjatvafll Mvs.
Koga-se as autoridades policises e capitSes
decampo, que a apprehendam e levem-na
a rus das-Agoas-Verdes, n. 86.
Fugio, no dia primeiro de agosto pr-
ximo passado, o preto Cabriel, de patito, de
SO e tantos anno, de* estatura mediana,
bem ladino, falla bem, bastante barbado;
tem orna cicatriz junio ao tornozelo da per-
na direila ; tem o costume 'dCebaixaj a ca-
be?a quando falla, gosls dtembriargsr se ;
veio ha fccuroUo luo-e Jafleiasfc levou ca-
misa de triadapolfln, calcas de aaKmia ris-
ada ; furlou uma trouxa ondeTevava al-
jnmas calcas, comeres de rala onlrds
objoctos: qnem o pepr leve-o 1 ra da
Cadeia do Itecife, o 2t, quesera generosa-
mente gratiBcado.
Fugio, no da 2 Be agosto de 1850, pe-
les 10 horas da rranhe, o eseravo Lotz, de
nsfBo, de 33 snnos; levou tres camisas,
sendo duas de algodflo tranca Jo, ums azul
e Ontra de ristras novas, outra de madapo-
ISoja usada, coma marca M. a. V:, duas
calcas novas de algodo trancado, urna
azul e outra de listras, um chaieo de om-
ita pequeno muilo velho e outrt de pello
j usado; he de estatura regular, roslo
compridn, nari chato, bastante barbado,
porm rapado, falta de frente lo
lado superior; velo ha 'dez diasd* Gaia-
nbuns. doritioraloifira, aoajgWescra-
vo do Sr. Antonio Mandes de AZjIaOLtu-
nlia, o qual fez doacflo a seu genra, cWris-
tovfioLino Cavalcanli, e por^ste vendiilo
" prss : Mstbiss ds A^JBgHsatjgrou-
co. Hoga-se i cses e ca-
pilSes de campe, que o apprehendam e le-
vetu-no a ra do Collegio; n. 1, que sero
generosameiUe gralilic.dos. /a. >
.; -.------------.-,_ .wwww uu ariu. w^ ;;-- ra ^aaaaaaa^iaaaai i a i aaaaaaaaBBaaaBaaaaaaaaBBaasaaaaBBSBBIBSBSSBaalHBasaB^
la S 340..; cortea da cassa seda, a 5,00* 'PaaMB :HTf>, dhh. r. db paria. 1850
A
\


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EDSYN1PJR_OSCPN3 INGEST_TIME 2013-04-24T19:56:25Z PACKAGE AA00011611_07015
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES