Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:07003


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XXVI
Quinta-fe ira ti
*AMT1A SXM
Goianua e Parahlba, segundas eseius felras.
Bio-Grande-dn-Norte, quintas fetras aoBirla-
dla.
Cabo, Serlnhaetn, Rlo-Formoso, Porto-Calvo
e Macelo, no 1 .?, a 11, e 21 de esdamei.
Garanbuns e Bonito, a 8 e 43.
Boa-Vala e Flores, a 13 e 28.
Victoria, ai quintas feiras.
Ollnda, todo* o dial.
Nova. a 6. s 3 h. e 9 m. da m.
Cresc. a 13, s 6 h. e J m. da tn.
Chela. a2l,*I0h.e21m. da m.
Ming. a 28, s 7 h. e 33 m. da t.
wmmmM m* boj.
Primelra ai 3 hora e 42 minutos da tarde.
Segunda ai 4 horae 6 minutos da manhaa.
de Setembro de 1880.
N. 199
menos da auaaoHipqlo.
Por tres iiicies (diantadoi) 4/000
Por seis nieies 8/000
Por uui anno 15/000
.ni'
DA DA IM111A
2 Se g. S. Eslevo. Aud. doJ. dos orf. e m. da I. v.
3 Tere. S. Kul'rinla. Aud. do chana, do J. 1. da r.
do civ. e do doa feltos da hienda.
4 Quart. 8. Hosa de Viterco. Feriado
!> Quint S. Antonio. Aud. do J. doa orf. e do m.
dil.T.
6 Seat. 8. Libanla. Aud. doJ. dal. v. do civ.
e do dos Pellos da faieuda.
7 Sab. 9. Joao. Feriado
8 Doin. Nalividade de Nossa Senhora.
rnalos >( man.
Sobre landres, a 28 1. por 1/000 ra. a 80 da.
Paria, 346
Lisboa, 100 por cesto.
uro.Oncas hespanhoe..........29/000 a 29/510
Moedas de 6/400 velhas.. 18/500 a 16/709
de 6/400 oras. 16/100 a 16/200
> de 4/000........... 9/100 a 9/2<'(>
/Vau.-Patacoes brajilelroa...... 1/160 a 1/WO
Pesos columnaroa....... 1/liO a 1/MHi
Ditos indcanos.......... 1/800 a l/t0
i.UBICO.
tw
EARTE OFFICIAL.
MINISTERIO DO IMPERIO.
DECRETO N. 79. DE 8 DE JlllO DE 850
Altera o decreto n. 598 de 85 e marco de
1849, ed outras providencies sobrec-col-
leginde Pedro II.
Tendo i experiencia demonstrado que al-
gumas providencias se tornam ainda necos-
garias era beneficio da regularizado do Mi-
sino no cellegio de Pedro II ; be por bem
decretar o seguinle:
Art. 1. Quando o tribunal dn julgamen-
to ti ver approvailo o alumno, repetir-se-ha
o escrutinio para reconhecer-se se approva-
efio deve ser plena ou simples, e ueste caso
seri aquella indicada pela unsnlmidade dos
votos a favor, e esta por qualquer voto con-
trario; Meando assim altrala a segunda
parle do art. 1 do decreto n. 598 de 25 de
mareo de 18*9
Art. 9. Nos concorsos mensaes para os lu-
gares do banco de honra, alm do que se
aclia disposto noa arts. tita 116 do capitulo
8 dos estatuios, observar-se-ha o seguinto :
I. Cada ponto para os concursos dever
comprehender aasumptos j explicados eai
vsrias-lir;0es, quer sejam destacados, quer
reunidosem nova sene de ideias, sea ma-
teria o permitlir.
S 9. No dia seguinle so do concurso o pro-
fessor em plena ciaste chamara aquel les
alumnos cujos escribios Ihe parecerem me-
Ihures, par* que os reproduzamdo viva voz,
ou os expliquen) de modo que fique fura de
duvida o mrito possoal do concorrenle.
Arl. 3. Oexame oral do fim lo ann, I
Joe tratflo oi arts. 120 a 197 do capitulo 90
oa estttutos, seri lambem considerado
como dcimo e ultimo concurso para a ad-
judicarlo dos premios e mencOes honrosas,
sendo guarda Jas as regras seguinles :
$ t. No lin dos exames de ca.la anno de
estudoa, o commissario do governo, o rei-
tor, o vice-reltor, e todos os professores do
respectivo anno, reunidos em mesa, julga-
rfj por escrutinio secreto este ultimo con-
curso, sendo nelle contemplado nicamente
os alnmnos que tiverem sido approvados
plenamente.
$ 8. Reste julgamento proceder-se-ha por
volarles separadas quanto os alumnos s-
menle, e nflo quanto s diversas a-Mas do
anno, a de IgnaifUo dos seis examinados que
devrrao merecer os lugares do banco de
honra ; escrevendo os jui/es em sedulas, de
cada voz, nome dsquelle que reputar
aaais digno para cada lugar. Eso alumno
que assim fr designado pela maioria dos
votos seri concedido o mximo dos pontos
que em lodosos concursos de um mez do
respectivo anno poda competir ao lugar
que obteve.
Art. 4. Em seguida ao julgamento do pri-
meiro anno dos estatutos lera lugar aapu-
recllo gersl dos pontos oblids nos nove
Concursos escriptos durante o anno lectivo,
sendo tambem contemplados unicamenle
nessa apurarlo osslumnos approvados pie
menle; eseg olido foro resulta lo la
sommas telaos,- dos. mismos pontos, junio
aos concedidos pelo exame oral, far-se-ha a
adjuleacSo dos premesslcs emenedes hon-
rosis.
9 visconde do Uoqt'Alegre, consellieiro
de estado, piesidenliTdo conselhode mi-
nistros, ministro e"secretario de estado dos
negocios do imperio, assim o tenha enten-
dido e fat;a execotir. Palacio do Rio-de-Js-
neiro, em 8 de julho de 1850, vigesimo-no-
no da independencia e do Imperiorom a
rubrica de Sus Mageslade o Imperador.
flieonde de Moni'Alegre.
por sus immediata resolucSo de 2* do cor-
rente, conformando-se com o parecer da re-
ferida seccSo, exarado em consulta de 6 do
mesmo mez, declarar.que nSo podo ser juiv
de paz.e por tanto nflo pode presidir actos
eleitoraes, o cidadflo que n.1o sabe ler nem
escrever, porque nflo Ihe he possivel, sem
easa condiccfio,desempenhsr as attribuices
que anda conserva de.julgar em materias
civeis, e as niais importantes de que o en-
carregou a lei de 18 de agosto de 1846, e que
por si deve desempenhar : sendo cerlo que
se esta condicflo cufio echa expresas o de-
clarada na H de 15 de oulubro de 1827, be
porque ja havia a lisposicSo legislativa do
alvari de 18 de novembro de 1649, na con-
forrnidade do qual s podem ser juizesos
que sabem ler e escrever. O que ludo com-
munico a V Exc. para son conhecimento, e
em resposla ao sobre lito ofllcio.
Dos guarde a V. Exc fieonde de Monte
Altgrt.Sr. presidente da provincia do Pari
MINISTERIO DA MAJilNHA.
DECRETO N. 569, DE 98 DEJUI.IIODE1850
Fixa as f;as nsvses para o anno financeiro
de 1851 a 1859.
Hei por bem sanecionar e mandar que se
execute a seguinle resolucHo da assemblea
geral legislativa.
Artigo 1. As disposiges dos arts. 1, 9, 3,
4 e 8, da lei n 534 de 3 de naio de 1850, que
fixa as Torcas navaes setivas para o annu fi-
nanceiro de 1850 a 1851, continan) em vi-
gor para o anno financeiro de 1851 a 1859
Art. 9. lie extensiva aos offlcaes inferio-
res do corpo de fuzileiros ntvaes a dispesi-
c.lo do art. 9 da lei n. 542, de 91 de maio le
1850, que augmeotou o sold das ofliciaes
inferiores dos corpos do exercito.
Art 3. Ficam sem vigor as disposicOes em
contrario.
Nanoel Vieira Tosa, do meu conselho,
ministro e secretario de estado dos negocio
I marinha, o tenha assim entendido, e faca
executar com os despachos necessarios
Palacio do Rio-de-Janero,em 28 de julho de
1850, vigesimo-nono da independencia e >lo
imperio.Com o rubrica deS. M. olmpera-
iot.Manoel Pielra Totta,
GOVERNODA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DIA 99 DE AGOSTO.
DECRETON. 689 DE 11 DE JULHO DE 1850
Altara o arts. 95 e 96 dos estatutos refor-
. mados do recolhimentdbdasurufiasdasan-
la casa da Misericordia la ciHle, cortir-
mados por decreto de 97 du oulubro de
1842.
Attendendo ao que representou o prove-
dor da santa, casa da Misericordia desls cor-
te : hei por bem confirmar a deliburacSo
quo tomoli a mesa junta da mosma casa,
em sessoes de IVde Janeiro do 1849, e 6 de
feverelro do crrante anuo, peta qua| fram
elevados a quantia de 800,000 ria os dotes
das orphflas o exposlas du recoll.imento,
devendo ser paga a quautia de 600,000 ris
pelo cofre dos dotes, e a de 200,000 ris pela
repartido a que periencer a dutada ; ficau-
do assim alterados os arts. 95 e 96 do esta-
tutos reformados du recoiinuieiuo uas .or-
da mesma santa casa, confirmados
crcto d 27 de oulubro de 1842.
visconde de Moul'Alegre, cunselheiro
de estado, presidente do conselho de mi-
nislros, ministro e secretario de estado dos
ios do imperio, assim o l. nba unteu-
I ftca execula. Palacio do Kio-de-Ja-
em II de julho de 1850, vigesimu-uo-
idepondeoci e do imueriu.Com a
cade Sa Rageslado o IiaueraJor.
ntcond, de Mom'Alegre.
V
IMPKRIO.f-aVwtVira f < niFpdt ttr julz di
put o ddadao ?w nSotabe ler nem cicrtver,
Primeirs seccSo. Itio de Janeiro. Minis-
terio tos negocios do imperio em 27de ju-
lho de 1850.
Jllm. e Exs. Sr.-S, M. o Imperador, te-
an. nilvi.Jn teleta dn ennanilin .J -8{jJ-
des negocios do "imperio Soire o'oflicio de
V. Exc. de19dedezu)brodaiino|iassado,
acompanhado doda cmara municipal da
Tilla da Viga relativo i nomeaeflo para juiz
de paz de um individuo que nfio sabe ler e,
majassignaoseu nome; houve por bem
OrTrelo.Ao ltm commandsnte las ar-
mas, dizendo que pode acceilar o olTereei-
ni Mito que fez o cabo !e esquadra do prim i-
ro batalh!lode,ea;a lores Manoel Jeronymo de
Santa-Anna para continuar a servir no
exereito por ter completado o seu tempo de
praca, cerlo de que lem arbitrado ao refe-
rido cabo a gratifleacflo de 480,00ors. que
Ihe seri paga 50,000 rs. i vista e o resto em
prestscOes mensaes de 10,000 rs.Neste sen-
tido olllciou^se sp inspector da psgadoria
militar.
Dito.Ao mesmo, declarando quj pode
mandar assentsr praca como voluntario em
um dos eo'pos da guarnir;So dests cidaJe
o paisano r'ranklirn Pereira llourado, que
ofTereceu para servir no exercito e foi jal-
gado apto para esse fim, cerlo de que tem
arbitrado ao raferido paisano a gratificarlo
le 150,000 rs. para Ihe ser psga 50,000 rs
a vista eo resto em prestarles mensaes de
10,000 rs. Olllciou-se neste sentido ao ins-
pector da pagadoria militar.
Dito.Ao mesmo, dizendo que.pode fa-
zor elTeclivo os erigajameritosdas pravas de
prirneira linha mencionadas na rela^So que
remelle, as quaes tendo linalisado o seu
lempo de praca se oflereceram para conti-
nuar no ser*ico do exercito, certo de que
tem arbitrado as mencionadas pracas as gra-
tificaras indicadas na mesma relac.lo, para
ihes seren pagas 50,000 rs. i vista e o resto
em prestaedes mensaes de 10,000 rs.
Rilaco m que te refere t oficio cima.
Prlmeiro batalhilo decaesdores, soldado,
Antonio Martina de Souza 180,000
Segundo batalhflo de cargadores, cabo Pru-
dencio Jos Pereira 160,000
Dito soldado, JoSo Raymun lo dns
Ssntos 170,000
Dito Manoel Bento da Saude 160,000
Inteirou-ae a pagadoria militar.
Dito.Ao inspector da Ihesouriria de fa-
zen ordens ao inspector da alfandega no senti-
lo de seren despachadas naquelln alfande-
K* livre de direitos do consumo cem barri-
cas de cimento, que, por conta da encom-
incii la leila, pelo inspeciui- u ..-jcr:;! _
marinha a casa dos negociantes Roth & Be-
doulac, chogaram de llamburgo a bordo do
hrigue .Imanr/o.-Communicou-ss ao referi-
do inspector.
Dito. ao mesmo, par* manjar passar ti
lulo aCamsra>h)uoicipal desta cidade, logo
que ellla o solicite, do terreno de marinha
que existo de vol uto as Cinco- Pon tas em
seguimento do oiUo da casa de Kelix Soa-
ros de Carvallio al a baixa mar, visto ser o
mencionado terreno necessario para ser-
venta publica, segundo infurmoua mesma
cmara ; e prevemndo-o de ler expelido or-
dem ao segundo lente Antonio Egidio da
silva para ihe enviar nota das coofronlacOes
numero de bracas do referido terreno.--
Nsste sentido expedirn)-se as coqyeoienles
ordens.
talhflo da guarda nacional, do municipio
de Nazarelb, dizendo que deve Smc. passar
a servir o posto de coronel chefe de legifto
da mesma guarda nacional, at que sej el-
le preenchido. visto ter fallecido Jos Mara
de Barros Barreto, que o exercia.
Dito.Ao director das obras publicas, di
zendo que pode tomar emprestado ao ins-
pector da alfandega desta cidade 150 varas
de pedra de lage para conlin uacHo da calca-
da em volta do theatro publico, visto nflo
haver de venda no mercado.
Dito.Ao Inspector da ihesouraria da fa
zenda provincial, -para mandar aUlsntaran
eugenheiro Milet a quaotia de 1:500,000 rs.,
sendo 1:000,000 rs. psra ,:ontinuai;3o dos rr-
paros da estrada da Victoria, na parte cor
respnndenle a terceira socqSo las obras pu-
blidas, e 500,000 rs. para a dos estudos gra-
phicos da mesma estrada, visto assim o ler
requisitado o director daquella repartirlo.
Inlelligenciou-se ao referido director.
Dito.Ao mesmo, para que mande adian-
tarao engenheiro director das obras publi-
cas, quo assim o requisita, a quantia de rs.
2:000,000, para continuarn das obras da
casa de deten{9o Inteirou-se ao mesmo
engenheiro.
Commanrio das armas.
Quarttl general na cidade do Red fe, em 2 de
teteml/rii de 1830.
OIIDEM DO DIA N. 89.
OSr. marechal de campo graduado, Anto-
nio Correa Seiracommandante desarmas,
manda declarar aos Srs. commandantes e
ofliciaes empregados as forflcagOes com-
prehendidas no litoral desia provincia, que
sem sus previa liconca,jamis poderflo sahir
do recinto destas.
I'runciico Carloi Bueno Deschampa,
CapitSo ajudanto de ordens.
Quarlel general na cidade do Rectfe, em 3 de
setembroo de 1850.
ORDEU DO DIA N. 83.
O Sr. marerhal de campo graduado, An-
tonio Corrftj Seira, commandanle das ar-
mas, em vista das comniunicsces que Ihe
l'Orain dirigidas na data de hontem pelo
Exm. sr. presidente desta provincia, manda
fazer publico para conhecimento da guarn -
eflo e devida observancia : 1 que S. M. o
Imperador, houve por boro por decreto de
26 de julho ultimo, uumear secretario para
o urceiro bat.lho deartilharia a p, o Sr.
segundo teaeule do mesmo liatalbflo Fran-
Julgarain provados oa arligos de habelita-
(io.
DESIONAfOtS.
Appellante, t). Barbora Francisca Xavier I.
Maltoa Morelra; appellados, Antonio Lin>
Caldas r nutra.
Appellantea, ea herdeiros de Joaquim Ignaciu
Correia de Brilo ; appellado, ojuizodata-
zenda.
Appellante, Antonio fablo de Mendonca, sua
inulher e outros ; appellados, Eatevo Jos
Pac Brrelo e sua inullicr.
BCVIfSU.
Passou do Sr. desemlia'rgador Ramos ao Sr.
desemba'gador Villares a appella(o .civcl em
que sao:
Appellante, Joao Halheus ; appellado, Julio
Figctinier.
Passou do Sr. deaembargador Telles ao Sr.
desembargador Ramos a seguinle appellaco
em que sao :
Appellante, Pouinateau ; appellado, F. Poivler
Passou do mes.no Sr ao Sr. desembargador
Villares a aeguinle appella;3o em riue sao :
Appellanle, o julio; appellado, Wiliaiu Wil-
leoi.
Disraiaucdss.
Ao Sr. desembargador Trlles o aeguinle ag
gravo em que sao :
Aggravantes, Antonio Pereira e aua inulher ;
aggr.ivadn, Francisco Ribeiro de Brito.
Nao foram julgados os mals feltos com dia
assignado pelas faltas j inencionadaa.
Levantou-ae a se9sao a niela hora depois do
meio-dia.
IIMIH) HE PKHWVilI
BICiri, 4 DI aCTEMBRO D ISSS.
O Dailu Mchmond InquircrAt II de julho,
o qual temos prsenle, traz a infausta no-
ticia da morte do presidente dos Estados-
Unidos, o general Zacaras Taylor, o hroe
de Palo Alto e de Buena Vista. S. Exc. tendo
sabido no dia 4 do mesmo mez, o aniver-
sario da independencia da L'niSo, para as-
sistir ordeo que devia ser recitada no
Monumento, passou duas horas exposto ao
sol, o qual nesse lia esteve abrasador, r
bem que na-> rentisso ineommodo consi-
lerav.l quando se reclheu i casa, todava,
tendo comido ao jantar varios vegetaes,
foi atacado do colera, ao qual sucumbi no
dia 9, as 10 horas e 35 minutos da noile na
casa branca em Washington.
Eis aqu como o correspondente Maert-
pliico lo .S'm'i de lialtimore, noticia este
a
escrr.uiz da'Trld7d^Ts7u7rreKund pontecmento, escrevenda "so mesmo is II
noito, os
Dito.-Ao juiz relator de junta de justica,
Irsriltiaoo psra seres: apreseniadoa m
sessSo da mesma junta os procesaos ver-
Oses feitos aos soldados do quiulo batalliflo
de fuzileiros Luiz Antonio doa Santos e Tho-
maz da Aquiuo Pereira. ScientiliciMi-se ao
Exm commandanle das armas.
Dito.Ao commandasHe do primairo be-
foi declarado om aviso do ministerio da
guerra de 31 du dito mez : 2.", que o gover-
no imperial por aviso de tOdejunho foi ser-
vido prorogar por mais tres mezes, a licen-
ca dada para tratar de sua saJesoSr. al-
teres do quinto batalhflo de fuzileiros Joa-
qun) Luiz Teixeirs Lopes Malheiros, que se
achs na curte : 3., que |or aviso de 31 de
julho se deterinmou, que vesse para esta
provincia, para ser*empregado como mais
conviesse so servico o Sr lente quarlel-
mestre do sexto batslhSo de cacadores Luiz
Jeronymo Ignacio dos Santos : conseguin-
temenle lica adido ao segundo batalhilo da
mesma srma : 4., finalmente, que por avi-
so de 17 de agosto, tudo do correte anno,
foi o mesmo governo servido determinar
que o Sr. alfares do estado-maior da segun-
da cl.sse Francisco Jos Gomes, ajudante
da fortaleza de Itamaraca, siga para a pro-
vincia do Itio-Crande do norte, afin de ser
embregado all conveniente.nente.
Jrunciico Cario tueno Deicliampe,
Capitflo ajudante de ordens.
TRIBUNAL DA HELADO'.
SESSAO DE 3 DE SBTEMIIRO DE 1850.
paisinaacu no na. saltaos cos-
SKI.UKIRO 4ZKVKII0.
A'a 10 horas da uianbaa, acliando-se presen
tes oa Sra. deseuibargadorrs Hamos, Villares
llastos, Leo, Souza, Luna Freir e Telles,
faltando com causa oa Srs. desembargidores
Ponce e Rabrllu. o Sr. preaidente declara aber-
ta a sesso
I,eram-se os omcios do F.im. Sr. presidente
da provincia, coininunicaado a noueacao do
Sr desembargador llastos para presidente do
tribunal do cominercio e oulro cninmunlcando
a nouiea(Si) dos aupplentea do juiz de orphios
deale termo, outro que o bacharel Eranciaco de
Paula Rodrigues de Munida juiz municipal e
de orphos de Goiana obtlvera tres mezea de
licenca com seu ordenado do governo imperial.
lULQiUINTOS.
Jggravot.
Aggravanle, JoaOlegario d Silva ; aggrava-
do, o juix de orphos. Nao lomaran! co-
nheciiuento por nao ser caso delle.
Aggravanle, a Irmandade de liosas Senhora dn
Rosarlo da freguezia de Santo-Antonio ag-
gravade, Joao Pedro Gomes. Derain provl-
nento ao aggravo.
Keeurioi crimt.
Recrreme, CaeUno Quintiao Galhardo ; re-
corrido, o julio de dlrelio. Conlirinarain a
acutanca de pronuncia.
Apptllacts iiteie.
Appellante, Jos Manoel Monteiro Braga ; ap-
pellados, Deane Youlc i C. e outros. Con-
tirinarain a aenlenca.
Appellante, Pedro Al ves Pires; appellado, Jo-
a de Araujo Urna. Ideiu.
Appellante, Goncalo Jos de Mello; appellado,
Joao Dias Ferreira. Despresarain oa em-
btvgoa.
AppelTanlea, Lua Hrosjuicrc e outroa; appel-
lados, Avrlal Si irwaoa e outros. ConSr-
uaraui a aeuteufa.
BSUOSNCUS.
Appellantea, Joao Francisco Regia e sua inu-
iher i appellado, Joao Fiiippe de Souia Lei.
lloras da noile do mesmo dia.
' lloje pelas oito horas a mela d
mdicos assisteutes do presidente, infnr-
narani-me que a congeslflo do cerebro
do estomago liuha ja couiecailo, e quede
doz em dez minutos elle fazia em esforz
para lanzar o qual era sempre acompa-
nhado de urna efiusao de bilis esverdeada,
symptomas estes que indicam urna promp-
ta dissolufflo. I'ouco depois o doente me
Ihorou e passou algum tempo socegado ;
porm, pelas nove horas e meia, comecou a
peiorar e o mal continuando a augmentar,
pelas 10 horas e 35 minutos elle cessou de
respirar. ^
As ultimas palavras que o veneravel pa-
triota proferio antes da agona, foram cui-
dadosamente reculhidas e sSo os seguinles
- a Eu morro. Ettou lmenlo esperando
pela ialimacio. Estou- promplo para mor-
rer. lenho Irubulhado fielmente por cumprir
com o miu dever. Sinlo aeixar meui amigos
que me ido charos '
Os membros do gabinete, muitos ofil-
ciaes militares perteucenles assim ao exer-
cito como i armada, varios empregados p-
blicos, o marechal dos Estados-Unidos, e
um grande numero de amigos pessoaes, es-
tiveram presentes ao cruel transe, entreun-
to, que um concurso immenso de cidadSos
esperavam o resultado clieios de tristeza.
Mislrew Taylor, que com o maior disvello
iralou o doente dia e noile, acha-se intei-
ramento prostrada, e toda a familia" imme-
diala do mesmo, est opprimida de dar que
nSo pode ser conforta Ja pelo soccorro hu-
mano Posso a(11 rojar sem temor de eirrar,
que ninguno) poda ler adquijido durante
I9u curia residedncia na metrpoli um
maior grao de calima e respeito do que o
fallecido presidente. Sua benevolencia, suss
inaueiras urianas, seu smavel comporte
ment pareciatn desarmar at as proprias
prdveuces daquelles que Ihe eram oppos-
los em poltica, o tiuhaiii-liiu asseguraiio
urna esiima pessoal o urna popularidad
quasi soJ) preoeueuies
No dia 4 o presidente esteve exposto so
sol porespseo de duas horas. Nodia5sen-
liose iudisposto. No da 6 leve urna grande
causa de perlurbacfio e a perturbarlo dizem
que he urna origem prolilica de alfecrOes
biliosa, ele.
O senado da L'niSo a casa dos represen-
tantes, suspenderam as suas sessoes logo
que forsm informados no dia 3, do mau es-
lado em que se a cha va o presidente, cujo
fallescimenlo foi considerado como urna ca-
lamidade para o paiz
a
Coiumiinicadu.

O THEATRO DE SANTA-1SAUEL.
O T/tealro ie Santa-liabil,ptri cujo edificio
foi laucada a prirneira pedra no 1." do abril
do SI!, 'leu s rccio auauwturi sedii
18 do Maio do crrente auno : Felo com to-
lo ogoalo e primeis dos meltiores iheatrus
da Europa,elle he um Uusmais bello edificios
que ornara esiaumportanla cidade. Todos
aquellesdosnossos Veitores qen> desejarein
urna exacta descripQo da magnificencia
desse padrSo do gosto moderno, os remel-
lemos para a excellnnte obra do Sr. gene-
ral Jos Ignacio de Abreu e Lima, a So/u.,
que em um artigo especial o descreve exac-
tamente.
Vamos agora fallar da companhia dram-
malica desse theatro : Compem-se ella de
guns artistas que foram mandados rirda
Baha peto digno director o Sr. Germsno
Francisco deOliveira, e de alguns outros
actores ie um phanlasma que se ergua na
ra da Cadeia lala erdedi, (rajandomfwi-
raveis lempos en quem rhamavam theatro
nacional'tb: Sun-I'ranriiro.
Fallaremos primeramente de todos os
actores em particular, e depois da compa-
nhia em geral, dando comeco pelas dama<,
como nos mpem o dever de cavalheiro.
A Sra. Joanni Januaria he urna artisti
encllenle, com muils escolle e muita pra-
tica de scena, e posto que nflo tenha urna
nlade tflo fresca como pedo o carcter do
prima dona, comtudo, caracteriss-se de jo-
ven comanla delicadeza, que a Musito ho
peifeila. -
A Sra. Emilia M. Vallenca, actriz de a-
gradavel semblante e de figura ainda mais
seductora, contudo talvez 90 ou 99 annos
de iJeaJe, veioa connecer o que era escolla
irUrtimatrcs, depois que escripturou-se no
theatro a% Santa -Isabel, tendo vivido ns ano-
mala do theatro de San-Francisco, sem ter
quem nada Ihe ensinssse e sem dar im-
portancia alguma no carcter de que se a-
chava revistida. A Sra. Emilia nflo he o que
ievit ser, porm, nunca se poderi dizer
que he o que foi; esti muito milhor. ainda
que muito a custo vai com feliciide fszen-
lo o seu tirocinio drammatico.
A Sra. Rila T da Gama esfor;a-se por a-
gradar ; algumas vezes o consogue.
Consta-nos que algumis senhoras aspi-
ran) a se inscipiurarem na companhia, e
duas fueram o seu debut na noile de 98 do
prximo passido mez ; as senhorasFelismi-
na, i. t. da Gama e a Sra. Mara daSole-
datle : nflo emitiremos agora a nosso juizo
sobre a capacidade scenica de nenhuma
lessas senhoras, porque os seus papis fo-
ram muito insignificantes, e nflo obstante
conhccerinos muito lo Huaico de San-Fran-
cisco a prirneira deltas, comtudo, espera-
mos para nyiis tarde melhor nos pronun-
ciar-mos: nflo desejamos errar por falta de
experiencia.
0 Sr. Germano Francisco de Oliveira.
esse artista j bem conhecido em tolas as
partes em que tem subido i scona, he um
actor eximio que, reunindo urna agrada-
vel pi i's -nea urna escolla artstica de apu-
rado gosto, muito bem se tem colloctdo no
throno do palco-scenico, e muito bem c-
bolos elogios tem recebido, nSo s de poo
fluminense, como provam os elogios estam-
pados nos jornaes lessas provincias.
O Sr. Germano conta actualmente em Per-
nambuco inimigos gratuitos, que, invejosos
laquella em que se chafurdam ; mas esta-
mos convencidos, que o Sr. Germano saliera
lar o devido apreco a esses vituperios, lem-
liranlo-se que, parase justificar, hasta que
aponte s maos qujsem goslo e conheci-
inenios sflo os queodetrahem.
Temo* visto em Pernambuco bons artis-
tas dranimalicos, entre outros o r. Dupr
e Lambcrty ; c tambem assistimos a todos
os espectculos da extincta Philo-Drammati-
e, olivemos o goslo do apreciar o Sr. lle-
ra rdo, pessoa a quem alguns presumen!
istsr supeior o Sr. Germano; realmente
aquelle senhor he um curioso de gran lo
gosto, e muito nos siiisfez ; porm, nflo o
consideramos nem taro bom como o Sr.
Germano.
Vimos sempre o Sr. Berardo entrar em
scena em tragedias on drammas, em que
pela trigsima ou quadragesma vez havia
representado, e que as sabia de cor esal-
teado... Vnno-lo jios arroubos e miserias
le Cames, nos phrenesis de Othollo, as
agilai;0es e desgracas do Antonio Jos..
Aehamo-lo bom, muito bom; mis, o Sr.
Iterarlo inanias vezes nflo representou nes-
saspecas? Quantas vezes nflo vio o collega
lo Sr. Germano, p Sr. Joao CaeUno dos
Santos, representar nellts ?., O Sr. Berardo
lica muito a qum do Sr. Germano: me-
lhor he o artista que com perfeicilo traba-
dla em todas as obras, do que aquello que
em urna s pOo a sua gloria
Basta ; dems temos fallado do Sr. Ger-
mano, esse senhor nSo representa uas Mi-
nias, CJIH OllllO HU!| C ul 3UUUCI O uu
he bom pode iprecia-lo.
O Sr. A. M. da Costa achara-no hoje mao,
pessimo; porm, ja colheu muitos louros
nos Ihealros particulares... Ja o jogaram
excedente... Tambem nfioo julgamos bom;
esse senhor precisa de esludo rigoroso, e
estamos convencidos que se ha de entregar
a elle para poupar ao seu amor proprlo.
Nunca leve ou Ira escolla alm da que Ihe en-
si non o Sr. Berardo, quando represeutou
na l'hilo-Drammalica ; o anda agora encela
sua carreira com u actor publico.
O Sr. Silvestre F. Meirt nfo he ato ac-
tor, e sempre bom quanJo representa uo
carcter de Lourenco uo drama Pedro Cem -.
para os excessos phreneticos de um gala
nao o sjmla o peito, como bem provou o
Conde de Tavora no Captivo ie Fe*. Este Se-
nhor foi mandad* vir pelo Sr. Germano.
,p- t i ti r y -- --m
\j o UWiil.1'1., |U. I)l|i.iwv uw M.O*
tro gamboatlco, e nelle vlveo at sabir para o
de a'anf-liuoe/, sem escolna como todos os
seus cornpanheiios, na actualidade asta
mullo loc ido pelo Sr, Germano no carcter de con-


"

:'
tro. lem provado a boa escolha com o Ab-
mclekao lerceiro acto da Pobre das Ruinas,
e crm o lolo Goncalvts, no drama l'tdro
Cem.
OSr. Hay mundo Jos da Araujo, ha hom
ador, no carcter gracioso; querer mais
ilelle, he perde-lo.Foi tamhem mandado
vir pelo Sr. Germano.
O Sr. Santa llosa he nosso conhecido de
multo tempo; ja tere os seus applausos ;
hojoellescaducarfio, em outro tempo pare-
ca ser melhor.
OsSrs. Cabrale Sebasti.lo o mais alguna
outros sflo artistas que nunca serSo bons j
rorm que servirSo sempre para urna com-
panhia falta de capacidade, e de quem os
Milisliiiicm menos mal.
A com'panhia em goral he boa, o'muito
boa para os poucos meios de que a cmpre-
za podo dispr, que auxiliada pelo governo
apenas com 15:000,000 rs. a quota que por
inez recebe o otnprezario, mal chega para
pagar o subsidio que os actores vencem
i II.i poda ser minio melhor, se tambem
fosse rnaior a quota votada para o theatro ;
entilo o seu digno director poda mandar
vir das oulras provincias do imperio os bons
actores que se achassem, e que fossem ne-
cessarios para i perfectibilidade da com-
panbia ; porm como aujeitar-se elle a es-
ses ntrennos sein auxilio quo o livrasse
da perda .y Estamos muito convencidos
que, se a quota votada* loase maior, a cotn-
panhia seria muito melhor.
Todos sabemos quanto custam aos gover-
nos de diversos paizes o terem theatros a-
bertos ;e, niio indo buscar exemplos muito
longo esimoa nossa -propria trra, vemos
que o Sr. Jo.lo Caetano dos Santos recebe do
uoverno 48.000,000 rs. para conservar o
theatro aborto, e isso na capilal do mperia
aondea populacho he muito maior do que
aqui, e aonde o theatro olTerece por conse-
guinte, maiores vantagens. -
NSopde urna empreza tbeatral, quea-
ponas te u de subsidio 15:000,000 rs., satis-
fazer de todo em um publico exigente e
amante do bom, e anda peiora de sorle
quando ella cometa como a tetual empreza
do theatro de Santa-Isabel, que Um de fa-
zer lodo o scenario e visluario, polea ue na-
da desses dous objeclos vitaea da cenay o
theatro possuia.
I.ouvores, pois, ao Sr. Germano Francis-
co de Oliveira que apenas com urna simples
proroessa do goveroo (depois satisfeita) e en-
tregue a seus proprios recursos abri o
theatro de Santa-Isabel, e tem dado esta
linda capital um divert nonio innocente e
til, digo da Ilustroslo da maior parto dos
seua habitantes.
Unes.
se-i
2,000
381 9/11
Publica-pao a i edido-
Conta demonstraliva do alternado e Inlrloaec
valor, luc ci i- perda de una accao da compa-
nhia de Hebcribe ; assim cuino do numero
liquido, e a que raso por ccnlo tem estado
o capital ou valor da accao cin cada le-
neatre.
I'iimiiro lemcilrt.
Valor intrnseco da accao em o pri-
nn'irn seriiestre decorrido desde o prl- i j
nriro de malo ao ultimo deoutubro'
de IMS
Lucro da accao durante o uiesino
mostr cima referido
A aecuo perde iod.i o seu valor
intrnseco com o praao de 55 anuos;
perde logo em cada semestre
Tirada do lucro perda, accao
Tica liquido )
Trndo 42,000 rs. em seis me-
zr s' rs.
est por
Segando tomtilre.
Valor intrnseco da accao mil
o segundo semestre decorrido 1
desde o primeiro de noreiiibro) 41,618 2*11,
de 1848 ao ultimo de abril de'
1849 '
Lucro da accao durante o inesuio
semestre cima referido
Perda da accao durante o mesuio
semestre cima referido
Tirada do lucro a perda da accao
tica liquido
Tendo ris 41,618 2(11
42,000 rs. em seis me-,
1,818 2/11 de lucro) 3*642 94/693
ar cento na rasao de I
2,500
381 0/11
2,500}
381 9/11
[2,118 2/11
>J
rni seis mezes rs. 2,118. fi,
2,11 de lucro esta por ceo-1s
to na rasao de
Ttreeiro nmtilri.
Valor Intrnseco da accao em i
o terceiro semestre decorrido} .
desde o primeiro de malo ao ul-j 11-zdo V1'
limo de nutol.ro de 1849
Lucro da accao durante o meamo)
semestre cima referido )
Perda da accao durante o mesmo)
semestre cima referido
Tirada do lucro a perda acco fi-)
ca liquido .2,1182/11
Tendo ris 41,236 4/11.
em seis meies rs. 2.IIS .
2/11 de luaro esl porj ^ 85B 5.701
cento na rasao de '
Quaro temtilre.
Valor intrnseco ila accao em o I
quarto semestre decorrldo desde' ,n
o primeiro de nnveinbro de I849\ ,u.'"* u"
ao ultimo de abril de 1K50.
Lucro da acefm dorante o mesnio)
aeinestre cima referido )
Perda da accao duiame o mesmo)
semestre cima referido )
Tirada do lucro a perda d.i accao)
fica liquido )
Tendo ris 40,854 6/111
em seis tneas rs. 2.118) -,,
2ill de lacro rn.i norS 8t'4 776/6741
cento na rasao de I
Ae. C.
VTUFDV.H .
A JUSTICA.
i
A jtulit* tleva urna ateo ; i a i'ni-
quidade ht o opprobrio dos potos.
(PaovEss., cap. 14, T. 34.)
Esta assoclacao da justica com as idelaa de
glorio e de belleta, esta >ssociacao magnifica
nao lie urna imagem v ; mas urna verdade. per-
felti porque a jusiica irune caracteres lao
rrspeMarrrs. proprtrdadcs lao uim, lao nccei-
sariasque no nielo das nossas insiiiiiirocs pol-
ticas be ella urna re pren-iilaco da ordem on
augusto cortejo das obras do Creador. Sun, a
Justina que deia toda a sua accao ao Interesse
priscal; masque o conten em os limites mar-
tivvi r.ctc r,,,S gci.t, m jusiica rniau iii-
nos 4 idela esse poder lao simples como regu-
lar, qne deiando os globos celestes mover-se
sobre o seu eixo, cooliu-aos ao ruesino lempo
o redor d'iun centro coiumuin,'4ftCfnpede-os
de contrariar por sua marcha errante o svstc-
ina barmnnioso do universo.
As vastas reiuit.V-i de limiten* sujetiva a"
inesmo pacto social, esias remudes, a que se ha
dado o nome de poros ou de nacca, nao se-
riam mais do que um agregado tumultuoso
i'iniinigos ou de rlvaes, um.i scena continua
de prctencea discordantes e d'interesses hos-
til, se a justica, easa bella Idela moral e patti-
ca nao vlesse regular as ambiciaos e as coblfas,
e nao houvesse elevado urna barreira contra as
emprezas do egosmo, formando o cdigo dos
-lireltos recprocos.
Mas a justica nao he rcspeitavel aos nossos
litios siiineiile com a melhor c a mais amiga
orate-tora da ordem publica- ella tanibem
reun em seus titulo, de gloria o mrito sin-
gular de haver sido o primeiro movei das gran-
des emprezas, o primeiro estimulo para o des-
. nvolvnient.. da Industria. No da cm que se
dlsse ao homcni activo c laborioso esta trra;
de que arrancares os eipinhos e osabrolhos,
que sorribares, lavrares, semeare, defenderes
d'aniniaes destruidores, pertenecr-te-ha irre-
vogavelmente detd'esse dia todos os gneros
de (rali illios foram excitados, c livor.mi nasci-
nieiiln indas as einulacocs.
Logo que a instituirlo das propriedades foi
consagrada e garantida pela autoridad.' publi-
ca, foi permlltido aosbomrns dar um livre vo
a seus meios e a seus talentos i e em noinc de
sau Interesse pessoal riles, sem o pensar, aug-
mentaran! a prosperidade geral; porque na
jusli;a conservadora das propriedades d-sc
esta maravilha, e he; que ella nada separa, se-
nSo apparcntetnenle: lantt preclsao lem os ho-
uens de companbeiros para adquirir bens da
fortuna e de consocios para os gozar. Um par-
ticular nao pode dar valor ao seu capital pela
agricultura, ou por estabelcciinenlos fabris, ou
de cominercio martimo, se nao cociendo mela-
do da renda aos hoinens que Ihe preslam os
seus socorros nesses diversos gneros d'iinpre-
sa ; e a oulra metade reparte-a entre obreiros
ou servos que Ihe dio em troco o fruto do seu
trabalho ou que Ihe sacrilicain seu tempo e
seus disvellos. Pelo que os individuos que en-
treten! a sua curiosidade pelo furto e pelo rou-
bo, damnifican- essencialniente parte labo-
riosa da sociedade que oblein por seu trabalho
una parle das rendas, cuja disposl(ao esl a
cargo dos proprielarios.
O rico he um simples destribuidor das sub-
sistencias remadas em suas mos pelo dio'ici-
ro; e minias o seu quinho de prazeres nao he
o melhor. Elle nao pode augmentar o nume-
ro de seus sentidos, neni dar maior ettensao a
sua capacidade v-se portanto rehuido a pro-
curar coinmodidades e rega-los, cujo prazer
embuta-se pelo habito e a desfrutar uo meto
das iuquielaces da ua naginrcao os gatos
unifoMiies da occlosidade.
Deveiu as leis sem duvida por sabias medi-
das por obstculos i accumula;o das riquezas
as incsinas inaos ; mas toda a dlsposicao arbi-
traria, toda a oll'ensa ao principio mvi.dan I da
justi(a serian) lao contrarios ao iuleresse da
sociedade, como s leis da moral.
Figure-se um povo numeroso, entre o qual
deizasse a justica de ser honrada e respeilada ;
e logo v2r-se-hla a fraude e a m f tornron-
se um objecto universal d'industria, a que
qualquer se daria como" a nina especulaco de'
lodosos dias, de Iodos nj instantes; e esseaba-
liuiento as ideias traria lodos os gneros de
degradado e rilania. Nao haveria mais ne-
iihuina elevacao nos sentimeutos, nenliuiiia
verdade, nenhuma coiifiau, nenhuiii uobrecs
ercicio do eipirito e do carcter; e cssas quali-
dades, rssas virtudes depois de haverem sido
por tanto tempo u urnamenlo c gloria do mu
ndo, nivel vicsseni a ser um objecto de irrisao
ou do despreso.
"> oie-so bom como a religio que presta con-
tinuamente a sua assislencia s verdades pol-
ticas, recommenda por toda a parle a jusiica.
E Job, o santo Job, quando procura obter a
l.eoc.i.i do co, quando no meio de suas angus-
tias rememora os ttulos, de que pode glorifi-
carle perante o Eterno diz: bu era revestido
de justica, ella me servia de visluario: a iniuha
equidade me era como um maulo, como urna
tiara.
Qual de nos poder com plena confianca di-
rigir as mesmas palavras ao Ente Supremo
iriso n 1uc Peuctra "a" Ifcvas as nossas actes e le em
1,019 //ll no5ffJJ pciisainenlos, a esse Ente que tudftsa-
be, que todo v, que est presente a tudo ?
Crede-vos justos, v que vos lembraes de ler
ido depositarios liis ; vos que nunca roubas-
tes os iiens do voeae/proxinio ncui por forca,
n. ni porastuoia ; dencias do espirito de_ ustifa, desse espirito
simples em sua conccpco, mas que lem appli-
cajiies mui diversas. O mentiroso he u.ulio-
inein injusto ; assim o hipcrita, o calumnia-
dor e o ingrato. Os outros diiem-nos a verda-
de: vos a esperacs, veis a exigs delles; e se
em troco Ibes pagis com mentiras, sois evi-
dentemente injustos. Os oulros inoslrain-se-
vos lars quaes sao; e se vos vos apresenlardes
a seus olhosjiom cores emprestadas, sois injus-
tos, e assemllhaes-vos aos falsos moedeiros. Us
outros fallain a vossso respeito segundo sen-
teui, segundo pensam ; e vos trahis a vossa
enns. ieiioia para ferir a sua roputapao, e para
imputar-lhes faltas que nao tem. Que maior
injustica? Os outros finalmente tem-vos feilo
sei vicos; e vos vollaes-lhes as costas, quando
prrcisam de vos ; e em ludo isto sois sem du-
vida injustos.
Mas sem sainemos do circulo preciso da
jusiica e de sua interpretacao coinmum, acaso
sois justos vos, que em vossos contractos obraes
sempre com dolo e de m l? Sois justos vos
que abusaes da desgrana para impor em vossos
negocios candinos tv rannie.ii OU quo VOS apro-
veilaes d'uma uccaslo favoravrl vossa ava-
rea, para por em concurrencia os lioinens de
trabalho e rcdu/ir-lhes o salarlo ao mais res.
trelo necessario ? Sos Justos vos que desam
parata os vossos domsticos no niomcnlo em
que a idade e as molestias j Ihes nao permit-
ilo que VOS facaui os inesmo servivos ? Final-
mente sem dUiinccao da pessoas e decircums-
la ocias, sois justos vos qne fazeis aoulremo
que nao quereriris que vos fiessem ?
;.'E que proveilo colhels de tal ou tal Injusli
c.i 'ora uin lucro pecuniario?' Mas ames de
Ihe saoi ilion des a estima e confianca dos mi
ti os,avale.i a l'elicidade, que d'ahi vos provir,
fazri urna oonla exata e vercIsMue a moral he
sempre mais proveltosa quealrareza. Talvez
vos supponhaes descaptlvados de toda a e'spc
ci de lacos, meuospresando a opinio publica;
e nao vedes que alin Uo nevrasario o prefo do
dinliriro, o atralivo das despezas estao depen-
dentes da esperanza d'uma especie de conside-
rafo relativa, e que dest'arte o mais pequeo
luso il'eslado he um principio de caplivciro
para com cssa incsuia opinio que liugisdes-
presarf
(Conti'nuar-n-Aa.)
Patacho Valinte gneros do paiz.
Sumaca Flor-de-Angelim meresdo'rias o
charutos.
Escuna -- Amanda smenlo.
Ilrigua Soeltdade-Feli: -- genebra e loii-
cinho.
llares -Tempio farinha de'igo.
CONSULADO GKIIAI..
Re.ntlimoQlo do dia 4.....2 234,844
Diversas provincias...... 191,032
2:425,876
HKCI'.ltKUOItlA DE RENDAS GERAES
INTERNAS.
Reodimento do dia 4.....' 359,000
C WSULADO PROVINCIAL
Rendlmanto do dia 4......1:6*0,6(9
lovimento do Porlo.
Navios entrados no da 4
Havre 35 dias, barca fmnceza t7ai-cr, de
180 toneladas, capitSo Monnieu, equipa-
geni 15, carga focadas e mais gneros ; a
li 'dior Colombiez & Companhia. Pasaa-
geiros, os Suissos Kuhn, Trost, Engler,
I Vos/, os Franoezes de Gousseucourt, Es-
tehenet, Nieaseron, madame Demesse, lla-
laillee o AlleaiSt) Filippe Feldel.
San-Matheus -- 8 dias, sumaca Bella-Caro-
linn, do 92 toneladas, mestre Desiderio
Jos Brrelo, equipagem 8, carga farinba
de mandioca ; a Caetano Cyriaco da Costa
Moreira.
(Vnn'o sahldo no mesmo dia.
Parahiba- Lancha" nacional Concedi-Flor-
das-Hrtwle<, mestre Elias do Rozario,
carga varios gneros.
Oeclti raides.
2,500
381 9/11
2,118 2/11
Repartan da polica.
PARTE DO IA 4 HE SF.TEMBRO DE 1850
Fniam presos; ordem do subdelegado
da freguezia de S -Jos, os pretos Filipi.e
Benedicto, rscravos de. Antonio de Sa l.uiz,
por andsrem fgidos : e a do subdelegado
da freguezia da Boa-Vista, Jos escravu do
Dr. Jos liento da Cunta Figueiiedo, pelo
aiern) motivo.
aagsa)Tsssjat^ ... _. layssja^ggg
----------------------------------------------------------1----------------------------------------------------------------_
ALFAMDEtiA.
IteiiilinMiiitododia 4.....7:806.983
Uescarretuin kt/e 5 ils seltmero.
Brigno Heien farinha de trigo.
Barca ules viuho e azeite..
0 lllm. Sr. inspector da thesouraria da
fazenda provincial, manda fazer publico
que, do da 9 do crrente mez em diante,
pagam-se os ordena los e mais despezas
do mez de agosto prximo pansa Jo.
Secrotaria da thesouraria da fazenda pro-
vincial de Pernambuco, 4 de setembro de
1830. 0 secretario, Antonio Ferreira d'Jn-
nunciaco.
Por nao apparecer oppositor cadeira
de primeiras leltraa para o sexo masculino
da povoaeiio d.) Ingazeira, cujo coi.curso
devra ter lugar no dia 97 do correte, o
Se. director do lyceu, em virtude das ordena
do I-Ara. Sr. presidente da provincia, man-
da fazer publico, que a referida cadeira es-
t novamente a concurso com o prsro de 60
das, contados do dia 3 de setembro proli-
mo futuro. Secretaria dolyceu30 de agos-
to de 1850. Januario Alexandrino da Silva
tabello Caneca, professor de deseuho e se-
cretario.
Pela aubdelegacia de S.-Jos foram ap
prehendidos os moleques crioulos de nomes
Filippee Benedicto por fgidos, os quaes
dizem ser escravoa doSr. Antonio de S Lins
Civalcauli ; assim como um cavallo ruco
om que os inesinos aodavam montados:
quem a ditos moloques e cavallo se achar
com direilo, compareca na mesuia subdeld-
gacia, munidos destituios, provas, ele., etc.
Theatro de S. Isabel.
17" RECITA DA ASSIGNATURA.
Sabbado, 7 de setembro de 1850.
Anniversario feliz da independencia do
Brasil. Fcsla nacional.
Logo que o Exm. Sr. presidente da pro-
vincia ti-ntia assomado tribuna, a orches-
tra execular urna hrilbante ouvertura, de-
pois da qual abrir-se-ha a acea, e peranlo
a efugie doS. M. Imprtala companhia dra-
mtica cantar*
O IIYMNO NACIONAL.
Segutndo-se a represeotac3o do drama
om 5 setos, ornado de msica
D. CBZAR DE BAZAN.
PFRSONAGBNS.
Carlos II, rei dellespanha, A II. di Costs.
I). Gezsr de Bazan, G. F. deOliveira.
D. Jos de SanUrom, .S. F. Metra.
O marquez de Monteliore, It. J. d'Araujo.
Mai itana, Joiniia Januaria.
A marqueza de Monleftore, Rila T. da
Gama.
ti ni capitSo, Sehastillo A. de Miranda.
Um alcai le, J. al. de Almeida Cabral.
l'in magistrado, J. D. Coimbra.
Um barqueiro, P. B. de Santa Rosa.
Lasarilho, /. J. Pereira.
Fidalgos, povo, soldados, etc. etc.
A aceito passa-se em Madrid, no reinado
de Carlos li-
tis bilhetea de platea achar-se-hSo A ven-
da no dia do espectculo no lugar do cos-
(ume.
*LU J IR iil|ssSB^BWnjsJr
Publicacoes litlerarias.
Aos amigos das lera.
Sabio a luz a preciosa licHo acadmica
sobre a pena de mona, iisd EaWa lo
Pisa pelo eximio profoisor t:armignani, o
primeiro d iminaliata da Europa, vertida do
italiano em portuguez, obra que interess a
todo mundo.
Para prova do seo grande ment basta si-
ber-se, que adundo se em Pisa por motivo
de molestia o grande philosopho francez
JoulTroy.e lindo assistido hSo de Carmig-
nani sobre a orijeme titulo dodlreilo de pu-
nir, moslrou-lhesummo desejo de o ouvir a
respeito da lo debatida pena de morte: ao
q uo a nimio o egi egio prolessor.iiiarcando di
psra esse dosempenho. Mas tilo antecipado
e nmeros) foi o coocurao de ouvintes, que
JoulTroy nlo (de eiilrsr n'aula !
Vende-se em Santo Antonio na luja de li-
vros da esquina do Cullegio, e na Boa-Vis-
ta na botica do Sr. Gameiro. Preco 9.0C0 rs.
esda exeinplar.
>!'. >i<>' i mslnaa da Juventutle.
Csta exce'lleiit obra de Mr. Lamartine,
chegada rece ule mente do Itio-de-Janeiro,
vertida em bom portuguez, e precedida de
ti ni inleressante prologo do traductor, acha
ae venda |pelo medica preco de 3,000 rs.
com enoudcrtiago ingleza, na ra da Ca-
dU de llo.-ifo, n, 38, o ra Nova, n. -. O
mrito da obra he alicatado pelo nomo do
autor : nella depara inslruccilo e deleite, o
(ihtlosopho, o romancista, o po?ta, e gersl-
-nenio quem quer que queira apreciar um
bello escripto.
Acaba de chogar de Lisboa o excellente
romauce
. (jhrislina de Stainville
ou
Os effeitosda boa ou mcducacSo
Este romsnee mereceu tanta aceitaeflo
oaquella cidade, que cni poucos dias se ex-
trahiram a melhor de mil exemplares i ven
lo-se a 3.000 ra. os dous volumes, na livra
ra da Independencia, ns. < e 8.
Acaba de chgar de Lisboa o excellente
romance
LEONEL LINCOLN,
ou
O Creo de Boston.
Entre os mais romancistas modernos tem
um nome mui distincto o do Americano
Cnoper : e entre os seus bellos romances o
Leonel Lincoln, ou O Cerco de lloslon, he um
dos mais estimados. Essencialmente mo-
ral, oque nem sempre acontece anda as
melhores obras deste genero, esta fundado
este romance em um grande faci, e da
maior importancia, acontecido no seculo
passsdo; e este grande facto he a emsnci-
par;ilo da America Ingleza, depois de urna
lula vigoroaa e tenaz com a mSi-palria a
Inglaterra. Por esla circumslancia se v
quanto devo ser (inleressante esta obra
em que, no mel de lodos os enfeltes de
urna rica imaginar.lo, so descreve 0 com-
bate da liberdade com a escravido ; o do
patriotismo com a dontinarlo eslranha : e
o da independencia com o poder da frga.
E para que nada falte ueste concoiluoso ro-
mance, ten ello, no meio dos assumplos os
mais graves e seiios, episolios de muita
grara, e decente jovialidade, o que muito
Ihe augmenta o mec ment., fazeudo com
que saja agradavel e til. E para que fique
mais completo, e para melhor iutelligencia
dos leitores, a traductora o tem igualmente
enriquecido com muilas notas histricas,
liradas da biblia, assim cmoda fbula, e
outros livros : vende-sena livraria da praca
la Independencia, n. 6 e 8, a quatro mil
ris cada um exeinplar, conlendo quatro
volumes.
Aviso martimos.
-- Para Parahiba sabe por toda ests sema-
na o hiate nacional Espadarle, forrado de
cobre : quem no meamo quizer carregar ou
ir de passagem, trate na ra do Amorim,
numero 36.
- Para o Aracaty lem de seguir viagem
impreierivelmente a 17 do presente, o hia-
te Nove-Olinda, por ter tratado a maior par-
te docarregamento : quem anda pretender
carregar, entenda se com o mestre do mes-
mo, Antonio Jos Vianua, no Trapicho-d'Al-
godio.
I'iiiii imssjiyciros smente.
Seguo nestea oilo dias para Buenos-Ayres
o muito veleiro patacho dinamarquez Hols-
i'n, capitSo P Moycr: quem quizer ir de
passagem entenda-se com o capitSo do mes-
mo, ua ra da Cruz, n. 15.
I'ara o llio-de-Janeiro salte,
com a maior Lrevidadc possivel, o
patacho nacional pelenle : quem
no mesmo quizer carregar u ir de
passagem, dirija-se ao capitSo na
praca do Cominer^io, ou ra do
Trapiche, n. 34, casa de Novae
& Companhia.
Le i lao.
O leilfio de Adamson llowie & Compa-
nhia de um completo sorlimento de fizenjj
das inglczas, annunciado para boje 5, lira
transferido para aeguuda-feira, 9 do corren-
te, a 10 horas, no seu armazem, ra do
Trapiche-Novo.
Avisos diversos.
O balxo Asignado annuncia ao res-
peitavel publico, que elle tem aberlo em
sua casa, ra do Mondego o. 41, urna aula de
primeiras leltraa, para a qual recebe tanto
alumnos externos, como meios pensionistas
e pensionistas. O annuncianle se conside-
ra com as habilitacOes necessarias para bem
desempenhar as obrigac.'S inherentes a-
quelle ensino, de que ja tem pralica, e pro-
testa disvellar-se pelo prog.esso e aprovei-
lamenlo de seus discpulos, nlo poupando
esforcos para formar-lhes o espirito, como
exige urna acurada educaco moral e reli-
giosa. Pelo que respita aos alumnos in-
ternnl, lem a casa as melhores accotnmo-
daces, j pela estenalloe repsrtimentos
delia, j por ser um pouco relirada'do maior
harullio o coiifusflo da cidade, ja Qnalmen
to por ler ella um aillo atnuradoonde os
meninos poderOo recreiar-senas horas va-
gsa.Franeiscode Saltee ele Albuqnergue.
perdeo-se um par de mangas de ves-
tido, religiosas, de chita cor de roaa e pin-
iu."- bSt"i? ">oda. eom um hnrdado de
tranca verde de Ua, estando as ditas man-
gas aimla'por acabar de coser-se : quem as
llver adiado, mande-as entregar na ra da
Cadeia de Santo-Antcnio. n 16, primeiro
andar, ou annuncia psra se ir bascar. Pro-
melte-se recompensa. '
Mara Joaquina de 8. Tbom, profeso-
ra publica da cadeira de primeiras lettras do
hairro do llecife, faz publico que acba-ae
eom aula aberla, na ra da Seuzalla, sobra-
do n. 70.
Manoel Soares de Brito relira-se para
fra do imperio.
Os abaixosssignadea fazam sciente ao
Sr. arrematante do imposto das agoas-ar-
denles de prodcelo hrasileira, que dei-
xam de vender ditos espritus desde o di i 31
Vista. Msnoel Gatvalho de lioura, n. a ;
Joaquim Domingos da Cunha, n.15; Fran-
cisco Coelho Brandile, n. 1*; Jas Diss da
Cotia, n. 13 ; Jota Crrela Carneirt, n. 10
OITerece-se para ama de easa da lio-
inomsoltoiro, ou de pouca familia, para o
interior, uma mulher do boa conduela : na
ra da Roda, n. 40.
|()s burieles para a recita de 7 do cr-
renlo so distriburo nos dias 6 e 7 no salSo
do theatro, os sero entregues ao propri >
socio, ou por ordem porescripta. A direc-
c8o provine, tanto aosSrs. socios, como a
ses coovidados de ambos os sexo, quo
excedendo o numero de peSsoas ao de bilha-
tes que tiverem, psssaro pelo desgosto do
Ihes Ser negado o iugresso, em consequen-
cia de rapetidos abusos apparecidoi.
No dia 6 de setembro as 4 horas da ta 7
de, t porta do Sr. r. juiz de direito do ci-
vel da primeira vara, na ruadas Flores, ir
praca de venda uma casa terrea em Fora'-
de-Porlaa, ruattoArial de N. S. do Pilar, n.
por execucSo de Jofl Francisco Teiielra,
contra a irmandade d Santiago
Alugam-se serventes escravos para a
obra da igreja mat'iz ros Afogados: quem
pretender, dirija-se casa das afericOes.
Aluga-se um sitio com bastantes ar-
voredos e boa casa, no principio da Estrada-
Nova : quem precisar, dirija-ae a ra do Tra-
piche-Novo, n. 10.
-- Na coebeira nova do becco da ra do
Sot alugam-se bonitos cavallos com bons
arreios. Na meama recebem-se para tratar,
lando-se bom tratamenlo e aceib, eom o
quo muitoagradar a seus donos.
-- Precisa-se de um caixeiro que enleb-
ds bem de venda, para tomar atonta de orna
venda por bataneo : d-se interesse ou, bom
ordenado : na ra das Cruzes de Santo-An-
tonio, 11. 16.
A pessoa que no dia 31 do prximo pas-
sado foi ra do Sol, offerecer par urna
mulatinha 430,000 rs. queira apparecer na
iiiesnia casa a ver se sa faz negocio.
I'elojuizo dos feitos da fazenda, p,a ra
das Flores, no dia 6 do crranle anuo, s
horas do coslume, s* arrematar, por exe-
cucSo da fazenda provincial, o.seguiote:
uma casa de sobrado de um andar, na ra
da Paz dos Afogados, com 40 pajinos de fron-
>e, 70 d fundos, quintal murado e cacim-
ba, chipi proprios, avahada em 1:500,000
rs. penl'orada a Manoel Connives Servna ;
uma ssrterrea, no becco do Quiabo, tam-
bem na povoarSo dos Afogados, com,30 pal-
mos de frente e 42 de fundos, avallada om
160,000 rs., penborada a Anna Mara da Pai-
xdo; um sitio de trras proprias, no lugar
d. Sanio Amaro, casa de vivenda, cora 47
pal nos de frente c 65 de fundos, cozihha f-
ra, estribara e com arvbrodos de fructos,
avaliado por 6*90,000 rs. penhorado a
Elias Coelho Cintra ; hipa escrava de nome
Joauna, de 40 anuos, aTaliaila por 300,000
rs. penhorada a JoSo Joaquim de Figuei-
redo e Jos MirJia de Amorim "Sjjialro cha-
peos de seda bi anca, avahados por 8,000 rs..;
uma armacao de balcSo de loja, avahada
em 12,000 rs., penhorsdos a Bernardo Fer-
reira Loureiro; as reas de uma easa de
sobrado do dnusandares, na ra do Padre-
Kloriannn, avaluada mi.200.000 rs. an-
imal, penlioraatas a.Carlota Paulina Muitiz
Soares 1Q -,
A teqoeriminio* (JO Dr. procurador fis-
cal da fizn la pr#rin juiz de capellas o sead|ios, na ra ds Flo-
res, no da p do colrenuj, se rremalaro os
seguinleslivroC;: Sis o
a li'.UU rs. 73,009rs.
xera sobre direjlo civil
rs. : 3 ditas 'dslOrlola'
enaQOoa do ruino
obr^s de l.isTei-
,800 rs., 89,600
gislacii penal,
rs.; 35 ditas,
'.OO rs., 70,000
.sicas pnrlugue-
' uma dta.sjcol-
jez, por 108.000
rFornade Tho-
i00 ra.1; 54 ditas, bur-
,600 rs.; 6 di-
comparada a 5,000 rs.
segundos calilos de Oii
rs ; 7 dilas, jhrarias
zas, a 8,4*0 rtM.KOO SB.
le,cJlo rs". .4 ditas, rOaaBorTO
miz, a C.HOOrs.
ros de Salustio,
tas, enselho do pHL a J.500 rs., 81,000
rs. ; 30 ditas, lIomlA|dgo penal, a 2,000
rs. 60,0110 rs.; 14 diltne Cbavion, a 8,000
rs., 880,000 rs i 410 ditas, direito uatural
do a Dirn, a 1,500 rs.,%43.000 rs.; 200 di-
tas de Ortelam. a 1,000 rs., 200,000 is. ; 100
ditas, philosophia de Cousin em poiluguez,
a 600 rs. 600,000 rs. ; 70 ditas, licoea crl-
minaes, a 3,000 ta., 1*0,000 rs. ; 200 ditas,
grammatica de Salvador, a 200 rs. 40,000
rs urna dita -le Malvina, por madame Cu-
ten, por 3,800 rs. Os quaes lucaram em par-
tilha a inesma fazenda, no inventario dos
heos deixados peso finado bacbarel Bernar<-
do Jos Vieira Coulinho
O9OO00OO ooo<&ooooo
Ilomosopathia pura. 2
q .1. 11. G'aattnovn, facultalivn gv
~ homusopalba, d consultas todos os q
das uleis, desdis 7 horas da ma- 2?
O nbia at s duas da tarde, roa da Cs- **
O deia do Santo-Antonio, n. 2*, segn- >
O doaniar. Os pobres serflo tratados <9
O gratuitamente.
Pede-si aoSr. liscal, que, a beneficio
do publico, lance as anas vistas sobres bo-
i ri.. ..iIph Hn r.arnA. Dor se conservar
aberla contra a disposi'cllo do artigo I ti-
tulo 2. das posturas municipaes, o ser o
seu proprielario itileiramenle leigo.
-- i-recisa-se de um caixeiro para, pada-
ria, sendo maior de vlnta anuos, que abone
a sua capacidade, e que sabeudo bem dea-
empenhar sua obrigaco se dar bom orAa-
nado : ua pratja da Santa-Cruz, padaria^^V
baixo do sobrado, n. 106.
Consta que o Sr. Joaquim dos lao toa
Pinto esta a retirar-se para a nova co:
deMossamedes, por isso se Ihe avisa qu an-
tes de o fazer Jfajnha pagar, na padaria da
Manoel Antunfo de Jess, a inipprtanoia da
17,710 rs. de pao que cotueu e a sua familia
em 188, a nao queiur psssar por algn) io-
commodo na sua sabida.
Aluga-se orna sala e dous quarloa, pro-
pris para tdvoaad oU escrivfio, por ser ua
ra do Horario estreita confronto a igreja :
a uaiarua varita da r'J9 do toziris Tsfff,
n. 46,
- Oaaliaixos assignadoi fazera ver ae Sr. ar-
rematante de ago'ardente e es: intes de pro-
duccao brasileira.que nao contienan) a ven-
dar toes gneros em sea laberna, na ra (li-
laila, n. 95, desde 2 de setembro de 1850.
C'ojw'ct Gomes.


O alferes-do quinto batalhao di fuzi-
leiros, Antonio Jote Biplista Camacho Jn
iiilodevoquatia alguma em l'ernam-
hiic, qurrliiuer que jutg.ir o contrario quei-
pa presentar, no prazo.da oilo da, mis
reclemacOes parasarem lomadas em consi-
deradlo.
Precisa-se de nma ama de leito forra,
para criar un monillo, porm que seja de
boa en 'tieta : na roa da Cruz do Recife^ n.
18, sogundo andar.
--Aluga-aeo segundo andar da ca n.
86 da ra Direila destteidade, proprio pa-
ra grande familia, por ler 7 quartos, 3 sa-
la, gabinete ao lado, cozinha foro, quintil
pora ler estribara, cacimba com boa agoa :
a tratar no lerceiro andar do dito sobrado
' Kaz-se todo negocio e vendem-se muito
barato duas leltras aceitas pelo Sr. Manoel
Pereira (.uimarses, aenhor do engenlio
Arataoje, ambas no valor de mais de tros
conloa da ruis: na ra da Cruz, n. 62, ar-
razm.
~ Precisa-se dn om homem que entenda
de machinas de vapor, para un: engenbo :.
na ra do Rangel, n. 11.
Pergunta-se a quem souber
responder qual a rosao por que a
agoa nos Afogadbs subi man 5o
por cent, vindo custar un c me-
co d'agoa 3o ra. ?
Precisarse de urna ama para fazer as
compres, e o servico interno de urna casa
de familia : ua ra da Mangueira, o. 3.
Quem quizer comprar, ou alugar a
casa terrea n. M. no desterro de S -Tliere
za da cidadn de Olinda, dirija-se i ra de
S.-Cecilia, n. 23.
-r-AInga-se, annualmtnte urna caga de
sobrada na ra da l'ni.lo, que aecommoda
duas familias, e teni vista para a barra : a
tralar na ra da Aurora, n. 4.
- Ulysse Droz, relojoeiro suis-
60, depassagem por esta praca,
onde tenciona demorar-se 5 ou 6
metes ainente, concerla toda e
qualquer qualidade de relogios
eem qu'tlquer catado em que se
achem ; assim como tem para ven-
der relogios de ouro e prata dos
melhorea fabricantes : na ra da
Crol, n. 4 Alugam-se os segundo e lerceiro amia-
rea por cima do escriptorio de James Crab-
tree A Companhia, na ra da Cruz, n. 42 : a
tratar no dito escriptorio.
- O Sr. douior Antonio Jos de Souza
Comes, hsja de ler a bondade de vir pagar
ao abaixo assignado, a quanlia de 150,109
ra. alio da Sua letra vencida a 28 de maio
de 1839, Picando V. 8. corto de que, em
quauto nilo embolsar a dita quanlia, lera
a satisfago de vero sen uome nesta folha.
f F. J. dos Santos.
No dia sbado 31 de agosto, perdeu-
se urna caita 'de prala ja vaina, pe fumada
de ouro com um taquinbo'trailu no cura-
se, desde a ra do Cabug al a ra das
Cruzes : quem a adiar e quizeo restituir,
dirija-se s ra do Cueimadu, n. 55, luja de
chapeos que sera recompensado.
* ***
g O I)r. J. S. Sanios Jnior,
medico homceopatha, ultima-^
mente chegad a esta cidade,**
d consultas todos o i dias uteis^
ajem sua casa na ra do Crespo,>
#n. lo, primeiro andar, desde*
Jas ~ liorasdi manlia at s i#
ftda tarde, e atesta hura em dian-j*
Jlc visitar oadornuuj em seusS,
tjdojnicilios.
yl. B.^pobaf8cr3o tra-j
as e visitados gaPuilamentc.a-
Roga-se aoWM^B do Amaral Lobo,
o favor de pagarjMFIetra da quanlia de
50,000 rs., vencida a dous anuos, o para
oujo lim, deve-sejirigr ao becco Largo
do Recite, sogundondar do sobrado, n. 1,
iito antes que so retire para Mosamedes
como consta, do contrario sei embarazada
sua viagem.
' Ms abaixo assignados participamos ao
Sr. arrematante do consumo de agoas-ar-
denlf, que' deixemos de vender estes g-
neros desde odia 31 de agosto do correnle
anno, e quando quizer poder mandar rece-
heros dous mezes que se acham vencidos
de julbo e agosto, na ra Direila dos Afo-
Sados, vendas ns.' IP, 20, 22 e 18. Manoel
taq*im Mulita Brandio. Manoel lenlo de
Mentan f a. --Jado Chrisoslamo de Albuqusr-
gut. Carlos os Turares
-- Joaquini Jos do Sant'Anna, morador
no origenho San-Jos, riboira Jilituba, pro-
vincia de Alagas, faz scint, que por ha-
ver oulro de Igual noroe ae asaiguara de bo-
je em diante Joaqun) Fernandos da Costa.
I'recisii-sede una (reta captiva para.o
servico de urna caga franceza : no Alerro-
da-Ros-Vista, n. I, Luja.
Precisa-se arrendar um sitio que teuha
baliadecapin, estribaria, e banho perto
da casa, sendo pelo ajonleiro, Cordtiro,
Torre, ou mesnio niais perlo : quem o ti-
ver, dirija-se a ra do Livramenlo, n. 14.
-- Pieclsa-ie de um moco porluguez de
14 16 annos, de bous. cosiumes, para cai
i do venda, que teulia prstica e d lia-
l conducta : ua ra da Cadeia do
!.'S5, ae dir quoan precisa,
i abaixo assignados participamos ao
Sua hoje aaiigavelcoente dissolve-
edade que gyrava com a firma de
Nsscinienlo & Amorim, e que o socio Nasci-
mento (lea encarregado da liquidaeflo das
IransaccAes que se acharen) pendentes, re-
cebando ou pagando. Recite, 31 de agosto
de fOSO. Manoel do Nastmento l'ertlraK
Anlonta Marques de Amorim.
ypriaiio FenelonGuedes Alcanforado,
procurador fiscal interino da tbesouraria
provincial, tem escnploi o na ra do Que-
madu n so
Lotera ila Matriz du Boa vlslu
O Ihesourciro desla loteiia annuncia ao
reapeilavel publico, que muilo breve tem
de marcar o dia doudamonlo das rodas:
as peaaoia que tecm bilbetes apaitadoa os
nloRoscar quanio antes, do contrario se-
rio vendidos. 0 restante doa meamos a-
cham-se venda nos lugares ja anounci.i-
dos.
Iteflnnco.
Precisi-se de urna pessoa que aaiba retinar
assucar, e compra-sc um escravo r. Tinador :
na ra da Cadeia do Recife.an. 50. .
mwwwimmm&WBW tmmwm&f
1 Honi(Bopathi;i.
a Na Bahiaescreveo I)r. Mello Moraesfi
Zuro jornal hoa".a;opatlico intitulados
MBDtU 1)0 POVO, no qual ae.deseovol-j
vem as quesles da medicina liomreo-'
jSpalhica, e se dilo preceitos pralicos pa-
ra O curativo das enfermhliiu.es.
; No consultorio central lioniiuopatbi-
5co do Pornarnbuco, ra do Trapiche-
gNovo, n. 15, recobem-se assignuturas
Spara este jornal, a 2,000 rs. por tri-
Smestre. g
%ttW%1V mmm*M NamViti?! a)
Quem quizer comprar urna machina
de lavar toupa, annuncie.
Precisa- se de um caixeiro para loja de
mjudezag, o qual tenha alguma pratica : na
ra larga do Rozario, n. 35, ge dir quem
precisa.
Pergunta-se a quem interes-
sar, em quanto importa a clericao
de duas medidas de folbas novas,
para a venda de ozeite de cam-
pa lo na ra: assim como, so ae p -
de alerir e rever ditas medidas,
tudo no inesuio continente, exigi I
do da parte -1,000 rs.
Franelaeo Alves Cardozb, em qualida-
de de administrador de aua mulher, Joanna
Joaquina Vianna, previne ao respeitavel pu-
blico que ninguem contrate com aua sogra,
D. alaria Joaquina Vianna, a respeito dos
hensque a mesma possue ; pois que o an-
nuncianle protesta defazer anullar em lem-
po compleme toda e qualquer venda, ou
trnsatelo que a dita aua sogra fizer : e pa-
ra que se nflo allegue depois a ignorancia,
faz o annunciante a presente declaiacSo.
O baixoasaignalo faz ver ao Sr. arre-
matante de ago'ar lente de prodcQo hrasi-
leira, que nunca vendeu e nem vende tal
genero na aua venda da ra da Cadeia do
Itecife, n. S5. Manoel losi do Naseioientu e
Silva.
Precisa-se alugar um ailio na freguezia
da Varzea.ou para cima do dito lugar.com
tanto que seja de boa morada, teuha ca-
sa para grande Emilia, bom banho e fru-
teiras : na ra Furmosa, n. 6, ou annuncie,.
-Os Srs. A. A. de S. R,, e J. ,N. F. de II. ,
tenham a bondade de appareceroo Atorru-
Ja-Boa-Vista, n. 51, taberna, a negocio que
nflo ignoram.
Precisa-ge de um caixeiro que tenha
bastante pratica'de venda, t> que de Uador i
sua conducta : d-se bom ordenado: oo
Alerro-da-lioa-Visla, n. 24.
--' Roga-se a todas as peasoas que esli
levendo cuntas amigas na ra da Cadoia do
rnbricn, le o'ir:- le folhas le
lliui.iics. un V?vn i). :1S, le-
fronfe <'n *'ne !eo.
Nesta hem aeredit da fab ca ha conti-
nuadamente u complelo surlimento de
obras dn folha, liem como bacas, banbei-
ros, bahs de lodosos lmannos, ohjcclos
di servico domestico e fon cozmba, bem
como se faze'm todas as obras por preco com
modo, e com perfeicno.
I.atoeiro.
Jos Raptista Braga, artista latoeiro bem
conhecido pela perfeicSo das obras de sua
arte, tem a honrada participar a seus fre-
guezes, c particularmente aos srnbores de
engenbo, que reside na ra Nova, n. 38, on-
de lem um completoisorti cenlo do obras de
latilo, e fft qualquer obra do concert ou
construrcilo de alambique, a sse 11 la montos
para engenbo, bem como oulras muitas
obras congernenlegaosau ofiicio ; para o
que pode ser procurado a toda hora do din,
em dita sus casa.
A mesa regadora da irmandade de N.
S. do Livramento, annuncia aos irmflos c
devotos da mesma Senhora, que no dia sex-
ta-faira 6 do correte as 4 horas da menhSa
levantar-se-ha a bandeira, a qual ser con-
duzida na forma ji annunciada, arcrescen-
do mais dous jovens meninos, ricamente
vestidos, e principala a novena da mesma
Senhora, as 6 horas e tneia da larde, assim
como em todas as noitea da noyena, os Srs.
acharSo os livros de entra las e annuaes pa-
ra aquellos queliverem de pagar snas pen-
des, visto n5o ser possivel os livroa sahi-
rem a ra na forma do nosso compromisso.
Dominios Jos de Amorim e Semino
Pinto Victorino retiram-se para fra do im-
perio, sendo o ultimo como criado.
Jos Pereira da Cunda embarca para f-
ra da provincia a parda l.ourenca, por or-
dem de sua sendors I). Francisca FeliciJade
Perpetua Cavalcanti.
--Mara Joaquina Duirte Monteiro, sub-
dita porlugueza, retira-se para Hossame les.
No dia 5 do ido/ do selembro, as qua-
tro horas da tarde, na porta do Senhor Dou-
ior, juiz doa orphSos, na ra de llortas,
irSo pra(a os bens seguinles, de renda an-
nual, pertencentes aos menores, lillios de
J080 Baplisl llerbster, a saber: urna casa
terrea no Aterro-da-Boa-Vista com um so-
bradinlio no fundo, avaliada por 550,000
rs.; urna dila com mirante, sita no lugar da
Capunga, com baixa para capnri, avaliada
por 400,000 ; o um sobrado de dous audjres
e slito, na ra Imperial, o qual tem quin-
tal murado, e no fundo urna casa terrea com
a frente para o mar, avaliado por 210,000-
No dia 7 do correnle*nhii a luz A
IMI'ltK.NSA, jornal poltico e social, destina-
do a sustentar os principios do partido li-
beral desla provincia. Publica-se na lypo-
graphia nacional, que ge acha nos segundo
e terceiro andares da Casa 11. 5 da ra Direi-
la, eaasigna-.se na mesma typographia a
3,000 rs. por trimestre, 6.000 rs. por semes-
tre e 12,000 rs. animalmente ( a Imitados j.
O jornal, como ae v pela nJicacflo de
aua na lu re/a, he lamben) com inercia I e no-
ticioso ; aceita gratuitamente todos os ar-
18 annos, sondo nm delles ptimo cozinhei-
ro, e oulro com principios de carpinn ; 3
pretos do 20 a 25 annos, sendo um delles
ptimo sapateiro ; um pardo de 18 annos ; 7
prelas de 11 a 25 annos, com algumas ha-
bilidades, e que s.o proprias para todo o
servico : na ra do Collegio, n. 3.
I.o 1 crin do Rio ne Janeiro,
os 30:000,000 rs.
Na ra larga do Rozario, botica n. 42,
vendem-se bilbetes da lotera a beneficio
do hospital da Santa casa da Misericordia,
a preco : inteiroa a 22,000 rs., meios a 11/
rs., quartos a 5,700 is. oitavos a 2,80Ors.,
vigsimos a 1.400 rs.
Farinha de S.-Catharina.
Vi nde-se farinha de mandioca, muito al-
! va e desup?rior qualidade, por preco com-
modo : a bordo do briguo Conccifo, Tun-
deado defronte do caes do Collegio, ou a
tralar com Manoel Alves Guerra Jnior.
Vendeni-sc tres pipas ar-
queadas de ferro, proprias para
.deposito de ago'ardente: na ra
do Livramento, n. 34, loja
- Vende se um par de dragonas para
ofllcial subalterno da guarda nacional, em
muito bom uso, por preco commodo : na
prar;a da Independencia, n. 19.
Vendem-se pipaa de ptima ago'arden-
te 1 na ra do Hospicio, n. 9
Vende-se urna excediente machina de
copiar Carlas, porttil, por preco commo-
do-: no Aterro-da-Boa-Vista, toja do Sr. Es-
lima.
Vende-se g;aIao
falso: na ra do QueimaJo, n. 25, loja de
.iiiudezag.
Vende-se urna escrava que engomma,
ensaboa, e faz algumas qualidades de doces:
o motivo por que so vende se dir ao cpm-
prador : na ra da Aurora, n. 48, venda.
Vende-se urna preti de 20 annos, de
muito boa finura, quo cozinha, engomma e
serve muito hem a urna cisa ; um mole-
quede 10 annos, ptimo para o aervici de
urna casa: na ra do Collegio, n. 21, pri-
meiro andar.
Vende-se um terreno j plan-
tado, o un 24 palmos de frente, e 420 e tan-
tos de fundo, com alieerce para casa terrea
ou sobrado, leudo a frente j murada, em
ch.lo proprio, na travesa da ra Real para
a ra da Soledade, entre o sitio da Sra. I)
Antonia Francisca Cadaval Pinto, e com p
sitio do fallecido lenle Antonio Marccl-
lino de Mello, no bairro da oa-Vista : a
tratar com o sangrador Jos Anacilo da
Silva, no largo dos quatro-canlos do bairro
de S.-Antonio, que di ra quem vende, e a se-
gura que esta propriedade est livre e des-
embarazada.
AmanhSa estarfloexpostos ven-
da, na ra do Crespo, junto
Itecife, n. 95, defronie do beoco largo, dei Ugos que tiverem imniedata liga'r,3o com
irem ou mandaren! pagar seus dbitos aljgeus principios, e interessarem ao publico,
o flm do corrente mez de aetembru : isto, Publica-ge diariamente, e com o mesmo
para evitar despegas, pois o 11S0 fazendo se! formato do Diario Novo.
usar d i oulros meios. 1 Antonia da Trindade, Rrasileira, o seus
--No di* 24 do agento ullimo, apparece- | filno* Clan, J0S0, Anlon;o, Angola, Cosmi,
ra ni no engenbo Pintos, viudos pola eslra- Cosme, DamiSo o Mara retiram-se para f-
da deS.-AntSo, um quarlao, um poldio e
duasegoas: aeu dono dirija-ge ao mesmo
entiendo para os recoher, ficando, porm,
cerlo de que se nSo responde por qualquer
extravio queellea possam ler.
O abaixo assignado faz ver ao Sr. arre-
ra do imperio.
Paulo Caignouv, dmela francez/
a>
Xrecenchgado nesta capital, nffereceX
j^seu prestmo ao pnblico para todos os^
matante do imposto de agoas-ardentes de; j>mysteres de sua proflssflo, quor extra-4^
Vhiudo, limpando e chumbando os ileu !tes naturaes, quer substituindo-os por-*
*outros arlificiaes, para o que tem os-jS
*melhores apparelhos. Pode ser procu-*
rado a qualquer hora em sua casa, na
^rua larga do Rozario, u. 36, segundo!

prinlucQo brasileira, que desde o dia 31 de
agosto prximo passado deixoH de vender
Uos gneros em sua taberna, na ra do En-
canta ment, 11. 10. -- Manoel los de liviira.
Desoja-aa saber so existe nesta provin-
cia Auna Thereza das Dores, que fui casada;
como fallecido Jos Soares de Brlo, ou pa- g^andar.
renlesda mesma. a negocio do aeu inters-- AAAAMAA*fcMAftAAAAA4*
se : no pateo da Soledade, o 8. Antonio Correia, subdito porluguez,
Precisa-ge alugar urna ama aecca de j retira-se para Mossamedes, levando em sua
bont coatumes, e que seja excellento co/i- j companhi a urna criada de nomo Mara du
ubeira, para urna casa de pouoa familia. Di- Sacramento.
rigir-se ruada Trit-heiraa, n. 19 --Jeronymo Ignacio Valadlo, Portuguez,
-- A quem Ihe fallar um quarlo, dirija- guI mulber Antonia da Trindade, Itrasilei-
se i ilba do Nogueira fallar com o rendo-
ro da mesma Manoel Francisco Cardoso, que
dando us siguaes certos, e pagan Jo a des-
P*za que tem feito o entregara.
precisa-se de 900,000 ra. pelo prgzo de
<8 mezes, pagando-s) o premio de dous por
cento, o qual ser pago mensalmenle, sobre
bypolheca em urna fazcuda de gado, e 10
ou tnais escravos, bens esteg livros e desem-
baracadoa, a se maior garanta for preciso
dar-se-ha a firma de um pioprietario esta-
belecido nesta praca.
-- Aluga-sa a casa de sobrado, n. 12, da
ra do Arago, com dous andares de bota
commodoa, quintal com gerveolia para a
ra do Tambi, boa cacimba, estribara,
cnebeira par, tres ou quatro carros : a tra-
tar na botica da praoa da Boa-Vista, n. 6.*
Aluga-se por mdico preco urna casa
con commodoa para grande familia, com
cacimba, um pequeo lio com capim pa-
ra um ca vallo, no lugar denominado Santi-
nuiha ou paiit'Auna de Donlro: a fallar
com Luiz Comes Ferceira, 00 Mohdego, ou
na ru de Apollo, 11. 20, com Antouio de
Moraes Gomas Femeira.
- 1 4Q,in pauail<> ta criuula, de uome Cicillia, de 24 a ao an-
nos, roalo liao, bem desembarazada ; levou
vettiJo de xita rouxa com palmas encarna-
das e psnooda Costa .' quem dola tiver no-
ticia, queira lava-la ra da Praia de San-
ta-Hita, n. 25 ou 43, que aera recompen-
sado.
I)a-se dinhoicg) em pequeas porcoes
ou mesmo grandes, sobre penhores de ouro
ou prala : na ra do Jueimado, n. 37, sa
dir.
Pede-se a quem achar um papel de
msica de urna canelo fraaceza, perdida na
noite de aabbado 31 do mez passado, desde
o Manguind al a pootedo Recite : queira
ter a bondade de o entregar defrooto do
Trapixo-Novo, primeiro andar, caga n. 6,
onde renober gralDeacSo querendo.
Precisase da um amassador, preferin-
do-se que venda lamben) pilo na ra : na
psdii da Na du lizario tersa; B. 48.
Os abaixo aagignadoa fazcm ver ao Sr.
arrematante do imposto dasagoia-ardeqteg
de producefio brasileira, que desde o da 31
le agosto prximo pastado deixaraiu da
vender laes gneros em sua taberna, nt
ra do Vigarlo, n. 33. Barros A ternanaes.
ra, seus ti I los Clara, Angela. Cosma, Mara,
JoSo, Antonio, Cosme, e DamiSo, e seos
sobrinhos Francisco Ignacio e Manoel Jos
da Cosa retiram-se para Mossamedea.
Antonio Ribeiro da Costa Porto e Au-
gusto Cezar de Abreu MagaihSes, subditos
porluguezes, rctiram-se para fra do im-
perio
Matheus Fcrreira Franco, Poitoguez,
retira-se para fra do imperio.
-- Jos Joaqun) da Costa, subdito portu-
guez, com sua mulher Francisca Alexandri-
na da Silva Coala e seis filbos menores Ame-
lia, llerundiua, Adelaide, Nstor, Dlisses e
Manoel, Brasileros, retira-se para a colonia
de Mossamodes, levando em sua compa-
nhia urna sua atildada, parda, livre, de
maior i lade, de nome Claudina.
Offeiece-se urna aerihora cagada para
ama de qualquer vasa : na ra do Queima-
do, n. 37, sodra.
Precisa-se alugar um escravo para o
aervfo de caga no e>cri|. torio de Slarr
& C.: na ra da Aurora.
Compras.
Compra-ae efleclivamente cobre,
chumbo, zinco, ratanho, e toda a qualida-
de de metal voltio, nflo sendo ferro : na la
Nova, n. 38.
-- Compram-se dous violoesem segunda
mlo : na ra Direila, n. 3.
Compra-ge um n.oleqne de 10 a 12an-
nos, sem vicios nem achaques : na ra do
Cabug, loja de miutezas, de Joaqun] Jos
da Costa Pajoze.
Compra-ge um balcJo que esteja ero
bom estado, e que sirva para venda : quem
tiver annuncie.
Vendas.
Lotera do IUa de Janeiro.
Na prara da Independencia, n. 4, vndan-
se bhetan, meios, quartoa, oiiavna n vi-
gesijnoa da 12.' lotera a beneficio do hos-
jiital da Misericordia. Na mesma loja tain-
liem se vendem bilhelese aaeioa ditos,-da
lotera a beneficio da matriz da Boa-Vista,
que esta prximo a correr.
Vendem-se 4 liados moleques de 19 a
cadeia, douscavallos carregado-
res baixo, para carro, no que
forma urna riquissima parelha, por serem
mu semelhantes, smente com a difieren-
C* de lereni ns clin sSo rucos-ussas, de olhos pretos, bastante
grandes, enSo lendo anda feito a ultima
muda.
Yendc-se farinha de man-
dioca muito superior, e em saccas;
potassa em barriquinhas, por pre-
co commodo : no armazem de Dias
Ferreira, no caes da Alian l'ga,
ou na ra do Trapiche, n. 3^, ca-
sa de Novaes ck Companhia.
Vende-se urna armacn de venda com
todos os seus perlences, para mudar, ou
para lear na mesma casa : faz-se este ne-
gocio, por seu dono ter comprado nutra ca-
sa, par) a qual se tem du mudar : no Aler-
ro-da-Boa-Vista, n. 54
Vende-ge urna bonita escrava com ha-
bilidades, ou trocase por outra que seja
boa quitan lena : na rila do l'.isseio, n. II,
loja, se dir.
-- Vende-se farinha .da Ierra ,de muito
boa qualidade, o arroz de casca 1 no caes du
Ramos, por haixo do sobrado.
A 800 rs. o par.
Vendcm-se sapatos do Aracaty, a 800 rs.
o par: no Aterro-da-Boa-Vista, n. 58, loja
ao p da de selleiro.
Verdadciros le San-Fellx.
Na ra do Queimado, n. 17, sSo chegados
os verdadeiros charutos de San-Felix, ven-
de-se a 3,000 rs. a caixa.
aterro-dn-boa-vlstu, n. "26.
Madama Quintn acaba de recober um ex-
cellente sorlimeulo dos seguintes artigoa
pulceiras finas douradas para senhora, pan-
tes de tartaruga para prender cabello, ditos
para suissas, escovas para dentes, para
unhas e para cabeca, bulcas para dinheiro,
frascos para cheiros, grvalas de seda, dita-
de fio da Escocia, lencos para mlo, fitas de
seda, suspensorios, vestidos de ISa, ditos de
8>tda, percalina cor de roza, crep liso, lu-
vas para hornero e senhora e igualmente
contina a fazer chapeos da ultima moda
para senhora.
- Vende-se farinha de mandioca de boa
qualidade a 1,800 rs. a sacca, dita mais in-
ferior a 1,400 rs. : a tratar na ra do Viga-
rio, n. 13, ou no trapiche da alfandega, ar-
mazem que foido CuimarBea.
Vende-se urna preta moca com algumas
umu\',.:i:Z : :!:{:- euiniut ... ;
da Cadeia de Santo-Antonio, no segundo
andar da esquina doOuydor, n. 14.
Fui'iiiliu fontana e de .f.
Vende-se a 20,500 rs. a dinheiro, bem co-
mo fai inha gallega em barricas e meias di-
tas a 19,500 rs. : na ra larga do Rozario,
dara 11 48.
Veode-se-so urna canoa aberla, muito
bem construida e nova, por preco- muito ba -
rato : na ra larga do Hozarlo, n. 26, segun-
do andar.
Carnauba superior.
No deposito da la do Rangel, n. 43, ven-
de-se carnauba a retilho de duas libras para
cima, por commodo preco.
para fra la praca.
Vende-se um molcque de degoll a vinle
nnos, muito bom lanoeiro, que faz tudo
quanto he obra da mesma offlbina, nao tem
vicio algiiO) e ten) bon:t; figurar o motivo
por que se vende se dir ao comprador : na
ra Imperial, n. 37.
Vende-se um escravo preto, de bonita
figura e sem vicio : na ra da Cadeia du
Itecife, loja n. 51, de Joo da Cunda Ma-
ga lofles.
Vondem-sn bons eandoros pri gaz .
nadislillacSo da travessa da Concordia.
Na loja de Fernandes da Luz & Irmilo
ruadol.ivramenlo, 11. 10, ha um completo
sorti ment do chapeos francezes, chegados
no dia 2 desle mez, sendo a forma a mus
mo lerna que so tem visto em Peroambuco,
por preco commodo.
Vendc-se cera de rarnauhi
de primeiraaorte ; bem como ve
las da mesma, que igualam as
de espennacete, de exccllente luz,
a 8,000 a arroba : na ra Direila,
u. 9.
-Vende-se, na rus do Mondgo, n. 19,
.-.al de podra, a 960 rs. Na ra Imperial, 11.
922, vende-so sal do salgar couro, a 500 rs. ;
urna canoa para abrir para lijlo ; urna di-
ta em bom estado; 2 encolamcntos de ca-
noas, por preco commodo.
Vendem-se ricas estampas de diversos
santos e sanias, coloridas e em fumo ; um
completo apparelho para jogo de vispora ;
0 curso de geometra por Lacrois, traduzi-
do em francez j as Satyras de Roileau ; o
primeiro asegundo volumes do Panorama :
tudo por preco commodo : na ra do Cres-
po, n. 11, onde se continnam a trocar livros.
Na ruB do Cabug, loja do uarte,
vendem-se trinas, volantes, gales, eape-
gulhase rondas propriaa para armadores,
por preco ciis commodo do que em outra
qnalquer parte.
Cera em velas :
vende-se no esefiptorio de Macha-
rlo & Pinheiro, na ra do Vign-
rio, n. 10, segundo mular.
Na raido Crespo, n. 17, vende-se nm
rico chapeo de pasta, eom plumas, por pro-
co commodo.
Vendem-se urnas vaccas com crias o
.em ellas : 110 Hiird.illm. a fallar com Ma-
\1mia110 das Chagjs eSilva.,
Vende-se a taberna de Ni-
colao Ho Irigues da Cunta, no
pateo do foraizo, n. 16, com pou-
cos fundos, e muito afreguezada a
i-et illio : a tratar na ine.sm 1, com
.lo-i- Pereira da Silva.
-- Vendem-se dous psres de mangas de
vidro bordadas, um par de Linternas de di-
to ; meia duzis de cadeiras americanas,
urna cama de condur com colx.lrij um
mesa de amarello para jantir : tudo por
1 loen commodo : na ra das Trioclieias,
n 46, primeiro andar.
Vende-se retroz preto, ferre-
te, e sorlido, da fibrica de&iquei-
ra, do Porto : na ra do Vigario,
11 19, segundo andar, escripto-
rio de Machado & Pinheiro.
-- Vende-se cha hysson de superior qua-
lidade, em caixas e meias ditas, e em lotes
a vonlade do comprador ; caixas com velas
de esperinacete da mellior qualidade : na
ra da Alfandcga-Velha, n. 36, escriptorio
de Matheus Auslin & Companhia.
Va ra do Crespo, n. 1 o,
loja de D. Anna Mara dos l'assns Cunda
Gomariles, vendem-se cortes de casemira
de quadros, por 3,800 rs.; ditos de cores, a
5,500 rs.; panno preto fino, a 3,500, 4.001),
1,500 e 5,000 rs. ; dito encarnado, a 9,400
rs. ; cortes de ISa para calcas, a 800 rs. ; los
drancos finos, a 2,500 e 3,000 rs. ; pecaa da
franjas brancas, a a,500 rs. ; ditas de cores,
a 3,500 rs.; cobertores de la, a 1,300 rs. e
outras muitas f zondas por barato preco.
Di'Ktn ve/, lie peehlnelin.
Vende-se manteiga ingleza muito supe-
rior, a 640, 400, 320 e 200 rs. ; dita franco-
za, a 520 rs. ; banda de porco, a 320 rs. ;
touciiibo do Santos, a 120 rs ; azeitedoce,
a 560 rs. a garrafa ; uultio, a 120 rs. a euia;
feijSo mulalinho, a 400 rs. ; arroz pilada e
vermeiho, a 320 rs. ; dilo branco, a 360 rs. ,
o a libra a 60 rs.; farinha do Maranho, a
100 rs ,- dita de araruta, a 200 rs. ; cavad -
nha, a 160 rs. ; caf em grSo, a 900 rs. ; ve-
las de espermaceti as melhoreg, a 720 rs. e
640 rr. ; aletria, a 280 rs. ; macarrn, ma-
can nele, o lalliarim, a 210 rs. ; velas de
carnauba, a 280 rs a libra ; cha muito bom,
a 1,920 rs. ; queijos superiores, os mais no-
vos que apparecem, a 1,700 rs.: dSo-se as
amostras : na ra Nova, n. 40, defi-onte da
ConceieAo, e ao p da ponte, o. 71.
Vendem-se 4 lindos moleques de 16 a
20annos, sem vicios, e que s&o ptimos
p ra pageos, ou para qualquer servico; 5
pretos bous para todo o servico ; um dito
de meia idade, bem robusto; urna parda
muito boa coalurcira e engomraadeira, e
que he muitoliaM para o arranjo de urna
casa, ede muito "boa conducta, o. que ge
adunca; urna oegriuha de 10 annos, que
cose, solTiivelmcute. e h ptima para dar-
se a qualquer menina ; duas ditas ptima
para taboleiro, por serem boas quitandei-
ras ; urna dita de meia idade; e oulros
muitos escravos : na ra da Cadeia do Ite-
cife, n. si
para meninos e meninas.
Metliudo faclimo para aprender a lar,
tanto a lettra redonda como a maouseripta,
no mais curto espaco possivel, por Mon
teverde.
Expositor portuguez. ou rudimentos de
ensino da lingos materna, por Miuosi.
Livro de ouro dos meninos, por Roquete,
recbeado do linas eslampas.
Thesouro de meninos com estampas co-
loridas.
Vida de D. JoSo de Castro, por Fr. fran-
cisco
Arle de fallar e de escrever, ou tratado de
rhelorica geral, por Augusto Itusson.
Resuma da historia de Portugal, por
Monteverde.
Manual encyclopedico para uso das es-
colas do inslruccao piimaria, por Monte-
verde.
A vida do Frankiim.
Grammatica porlugueza por Salvador;
Ari ib mlicas, Cathecismos. cartas, tahua-
das, pennas, papel : vende-se nido por
preco barato : no pateo do Collegio, casa
do livro azul. JB
-- VcHdsja'-aai escovaa de patot par
cabellos, aassouras de caballos' para salas,
conservas da todas as qualidadas, presun-
tos, niusurda, sardinhas, carnea e latas de
conservas: tudo cliegado receuteinente de
Liverpool no armazem de Davis Compa-
nhia, ra da Cruz, n. 7.


"
-
-- Vende-ge, ou permuta-so por predios
nesta praga o engenho Un, ni fre guezia de
S.-AnUo, com Ierras suilicier.tes par plan
tacitas, com boa casa de vivend, e todos
os mais pertences : di ra da Paz, ou do
Cano, n. 40.
>1 o-mas superiores.
Na fnndigSo do C. Starr & Companhia,
e n S.-Amaro acham-se i venda moendas
de ranna, todas de ferro, de um modelo e
consIruccSo muilo 'superior,
Anulos de ferro.
Na rundigo da Aurora em S.-Amaro,
vendem-so arados de Trro de diversos ni'
lelos.
Veudem-seamarras no ferro: na ra
ta Senzalla-Nbva. n. 48.
Vende-se farinlia de Sanla-Calharina.
muilo superior, a bordo da, galeota SanliHi-
ma-Trindade, fundeada junto ao caes do
Collegio.
liapr l'uulo Curdeil'O.
viajado do llio ao l'ar e do Pai a Pernam-
buco : vende-se na ra da Cruz, no Recife,
n. 49, loja.
Cal c potassa
Vendem-aa harria com cal de Lisboa, pe-
lo diminuto prego de 3,000 rs. o barril; di-
tos da mus nova e mais superior potas.su do
Kio de-Janeiro, por barato prego: na ra
da Cadeia do Recife, n. 50.
N ovillarte.
Novo soi lmenlo de panno de linho do
l'oi lo, em pegas de 18 varas, a 800 rs. a va-
ra : na ra doQueimado, n. 27, armazem de
liaymuiido Carlos Leile.
I arinlia de mandioca.
Na ra da Cruz, no Recife, armazem n.
13, ena ra da Cadeia, arnazem de Cam-
i.i'llo (V Fillio, vende-se familia de mandio-
ca do Ceara, muita alva, gommosa-e de ex-
cedente goslo, tinto em pequeas como
em grandes porches, por prego commodo.
Vende-se um preta de 3o
annos pouco mais ou menos, que
lava perlcitamente, engomma e
cozinha o diario de urna casa : na
ra do Vigario, n. 19, terceiro
andar.
A bou pilada.
NSo he elogio, porm sim a qualidade,
quem garante o i.ovo rap Princeza, chega-
do Diurnamente do Rio-de-Janeiro; este
rap, nao so aquella provincia tem mere-
cido a acrilagSo geral, como em outras son-
de iua boa qualidade tem sido experi-
mentado, nada deixando a desejar ao me-
hor fabricante em Lisboi. O nico deposi-
to nesta cidade, he na ra do Queimado, 11.
95, loja de miudezas, aonde se vendo de 5
libras para cima a 1,300 rs. e a retalbo 1,400
Venrte-sc barato.
Na ra da Sanzalla Vellia, n, 96, vende-
se albos muilo baratos a vista faz f e sen
do a dinheiro nem diga o prego, porque po-
da ser que se admiren).
A 7,ooo -s. a arroba.
Venderse cera de carnauba de primeira
sorle, ltimamente ebegada do Aracaty, a
7,000 rs. a arroba : na ra dos Tanoeiro,
a. 5.
* Vende-se urna laverna, sita nos quar-
toa da ribeira da Boa-Vista, n. 3, proprio
para algiim principiante, por ter muilo peu-
cos landos.
--Na ra da Aurora, n. 4, vende-se urna
caixa ou liempe com 4 pedras de filtrar
agor; duas cailairas para escriplorio, de
urna so fice, onde pdem escrever 3 pea-
soas em cada urna, com gradea de brome
para os livros ; 3 vSus de ca xilbos novos ;
4 .i i tus usados ; 3 pares de aroa para 'is di-
tos ; um temo de tambores aaligos com
rodetes e aguilhes, por 300,000 rs., a di-
nheiro, ou a prazo.
Oleo deliiihara
em botijas : vende-se no arma-
zem da tua do Anioriin, ns. 56 e
58 e no armazem do Aunes, no
caes da Alfandega, a tratar com
Manocl da Silva. Santos.
Talxas para cngenlio
fundigSo desterro da ra do Brum,
icaba-se de rece 110 r um completo sortimeu-
tode taixas de 4 a 8 palmos de bocea, as
^ juaes acham-se a venda por prego com-
* nodo e com promptidfio embarcam-se
ou carregam-seem carros sem despezas ao
comprador.
O mala bello gosto.
Vendem-se riquissimas casemiras, lano
em gasto como em qualidade : na ra do
Queimado, a. 9.
Bellas corea.
Vendem-se luvas de seda para senhora e
iiomem, de ricas cores e fina fazenda : na
ra doQueimado, 11. 9.
9 I'ara militares. 9
Vendem-se luvas de ca murga bran- 9
9 ca : na ra do Queimado, n. 19, casa 0
fit desirgueiro. Q
90Q00000090000000C
Na taberna de liomingos da Silva Cam-
pos, na ra das Cruzes, n. 40, ha bixas llam-
burguezas para vender alugar, lano por
junto como a retalho.
fVWVVffVVffffVm*
^Depositoda fabrica de^
Todos os Sanios, na J
Baha. Jj
Vende-se, em casa de Domingos Al-*
#ves Matheus, na ra da Cruz, n. 52,-*
""^primeiro andar, algodfio Irancado da ""
>;
:
# Vende-se urna parda de 90 anuos, 9
A pouco niaisou menos, perfeita mu-
aj cama e excelentemente prendada 1 f
0) respeilo de lodo o servigo do interior
$1 de urna casa ; sendo para o malte, ou m
pl fra da provincia na ra do Rangel,
% n II, de maiili.1 al as 9 horas, e a 9
% larde des 4em (liante. {
,.,*?)#*% $
Araba de ebegar a la Augusta, venda
por baixo do sobrado grande, que foi de Jo-
s Mara, muilo boas linguigas do sertSo,
assim como chongos, ludo cousa muilo su-
perior, e por prego de 320 rs a libra.
Vende-se um excedente carro do duas
rodas, em que se pode usar de um ou dona
cavallos : na ra da Aurora, n. 48.
Vendein se bolixinhas iu-
glezas, das mais novas e superio-
res que lia no mercado : tratar
no aimazem de Antonio Antes no
caes da alfandega.
Vendem-se 3 bonitos moloques ; 2 mo-
lecOes ; 2 pn-iosde 25 annos, muito fortes;
1 pardo de 22 annos, oOlcial de alfaiate ; t
dito de 16 annos, bom pagem e com oflicio
de aapaleiro ; um dilo de 30 annos, ptimo
feitor, e que r ntende muilo do servigo de
engenho ; duas molecaa e urna mulstinha
de 90 annos, que engommam, cosem, cozi-
iiliain e fazem doces com perfeigSo ; urna
dita de 22 annos, que cose, cozinha, engom-
ma c faz bolinbos ; urna dila de 30 annos,
que cozinha, engomma, faz i.em renda, e
he ptima lavadeira devarrella, por 380,000
ra.; orna prela de 3o annoa, por 330,000
rs.: lodos estes escravos sSo de bonitas fi-
gurase sem molestias, por prego mais com-
modo do que em outra qualquer parte : Da
ra das Lerangeiras, 11.14, segundo andar
Na ra do Cabug, loja do Huarta,
vendem-se tesouras para harbeiro, alfaiatei
para costura e unhaa, fabricadas palo me-
lhor culileiro de C.uiniarSes ; caivetes fi-
nos, espeviradores de casquinha, chumliei-
ras de 2 canos, polvarinhoa e frasco com
seo copo, espoletas, bandejas de 6 at 94
pollegadas, cindieiro para escada, a 1,000
ra. chicotes ioglezea'para carro, a 4,000
ra., pannos de oleado de bom guato, luvas
le algodflo para montara, a 200 ra. o par-
charuterras finas, e chapeos para meninos.
-- Vendejas 6 barriqutnhascom caf mol-
do, proprlamente para ammandar para fra.
Kr prego muito em eonla : na praga da
a-Vista, n. 2, loj de calga^jfc._
Vendem-se vcllaa de carnau-
ba por preco commodo, na ra
Formosa. n. 5.
quella fabrica, muilo proprio para sac-^
Jcos e roupa de escravos; bem como?!
$fio proprio para redea de pescare pa-2
vius para velas, por prego commodo.V
StkMAitA**
< I":: 111 111 a pcehilicbn. Sapali-
do Aracaty a 800 ra. o par.
vendem-se no Aterro-da-Boa-Viste, defron-
le da boneca.
Batatas novaa.
Na ra do Azeite-de-Peixe, armazem n.
19, vendem-se batatas francezas novas.
A'a rna do Mvrnniento, n. 1 I,'
veDdem-se sapa tos de duraque francez para
senhora,a 1,440rs. o par; borzeguins do
fazendas de cores, com biqaeira de couro
do lustro, para criangas, a 900 rs. o par.
Charutos de Ha va na,
de superior qualidade : vendem-
se na ra da Cruz, n. 10, casa de
Kalkmann Irmaos.
Vende-se urna boa armagSo para ven-
da, ou uutro qualquer eslabelecimenlo, nu
ra do Codorniz, n. II, casa da esquina da
ra do Amorlm : a tratar na ra do Amo-
""'m, n. 36, '|ue se garante o arreadamente
da casa.
mmmm
W Lllima moda. 9
fc Na loja do sobrado amarello, nos 9
#J quatro-contosda rui du Que.imado, %
9 11. 29, vende se um completo sorli- aj-
S Diento de chapos francezes da ulli- |r
ma moda, por pregos rasoaveis.
*#** tt $
A casa do l ti vi- azul acaba de
receber ite paria as seg;iii li-
tes obras importantes:
Garnier Pags.diclionnaire politique.
Samuel Clarke, aenvres philoaophiqurs.
Rogron, analyse da conslituigSo fianceza,
obra muilo importante para os primeiro e
segundo annos da academia, porque pro-
pOe e desenvolve quasi todas as questes
do direito politico.
i', liastiat, sophismes economiques.
Couain, fragmenls de philosophie
leslenne.
Morcan de Jonns, elementa de stalisli-
que, ou principios desta sciencla com 1 his-
toria e seusfuogrcssos euiclion de 1847
Beallie, scienee niorale.
Padre Antonio Vieira, cartas solelas.
Coi tamliert, alias moderuissiniiis de 1847,
com 40 carias e lodo o syslema planetario
em eslampas coloridas.
iclionnaire universal d'bistoiro naiurel-
lo, em.ricas estampas.
Vico, la scienee nouvelle.
Agencia de Gdwln Maw.
Ra de Apollo, n. 6, armazem de Me. Cal
moni & Companhia, fazem ver aos Srs.. de
engenho e aos seus correspondentes nesta
praga, que 110 seu eslabelecimenlo se acha
constantemente bom tortimento de moen-
uas lodasde ferro para animaes, agoa, etc.;
meiaa ditas para armar em madeira ; ma-
chinas para vapor com forga de 4 cavalloa ;
tiixas de diTereotes modelos e de lodos os
tamanhos e grossuras, tanto d ferro batido
como coado ; espumadeiras, cocos, etc., de
ferro eslanhado ; safras para ferreiros: lu-
do muito bom e por barato prego.
Vende-se graxa em bexigas,
muito superior, vinda ltimamen-
te di HO-Gr^nil ; na rna da
t'raia, n. 3a.
Vende-se um escravo de nigSo, de 30
annos pouco mais ou menos, robusto a aa-
dio, e que .entende alguma cousa do ser-
vigo de padaria : na ra larga do Rozario,
D. 48, segundo andar.
--Vendem-se 2 escravos, um crioulo de
18 aonos, carrero, e outro pardo, de 25 an-
nos, aerrador : na ra do Collegio, o. i.
SapatOes de bezerro a 1,60o rs.
No Atorro-da-Boa-Vista, a. 68, loja de
Joo Tiburcio da -Silva Gnimarfiea, vendem-
se sapalOes de bezerro da Ierra, a 1600 ra.;
ditos do Aracaty, dos melborea que tem
viudo a esta praga, a 1,120 rs. e mais or-
dinarios a 800 rs ; sapalos de luatro para
SBhliora, a 1,900 rs. o par ; ditos para me-
nina* ; couro de luatro, a 3,600 rs. a pelle;
bezerro francez, a 2,800 rs. a pelle ,- bone-
tes para meninos, a 320rs.
Vende-se, por 2,000 ra., na casa da re-
sidencia do doutor Lourenco Trigo de l.on-
reiro, narua da Saudade, defronte do Hos-
picio, e na livraria da praga da Indepen-
dencia, us. 6 e 8, a segunda serie do ndice
Chronologico da legislagSo brasileira de
1850, comprehendendo o cdigo commer-
claltfo imperio. Nos meamos lugares se
vend por 5,000 rs. o novo compendio de
pralicado processo, obra inlereesante por
aua brevidade e exactidfio para todoa que
se propOem o oflicio de julgar, advogar, e
procurar do foro.
O proprietarlo do es-
tabelecimento da ra Nova, n. 35, annuncia
que tem um grande o completo sortimeoto
de obras feitas, das quaes passa annunciar
seus pregos que silo : cisacas^esobrecasi"-
cas de panno lino de8,000 e 10,000 ra. ; co-
letea de seda de 2,000 e 3,000 ra.; ditoa de
sarja de 1,000 ra. ; aqueta de brisa pardo
de linho puro de 1,600 rs. ; calgaa de panno |
fino de 6,000 ra.; ditas de duraque a 3,000
rs.; casacas de brim e riscados a 2,000 ra..
e outras muitas fazendas novaa e de bom
goslo e por pregos muito commodos. Neste
eslabelecimenlo tambam se apromptam
com toda a presteza e muito bem feitas toda
qualquer obra que se receba de encom-
menda, ao ultimo goslo, vista dos figu-
rina ebegados prximamente.
Calca il X Aterro da Boa-
Vista, defronte da boncea.
ha chegado pelo ultimo navio francez um
novo e completo sortimento de calcado de
todas as qualidades, tanto para bomem co-
mo para aeaatora ; bem como sapaloea de
couro de lustro para homem, a 5,000 rs.;
borzeguins, a 3,806 rs. ; sapalOes do Araca-
ty, oa melhores que tem vin lo, a 800 ra.;
pelles de marrnquim ; ditas de couro de
lustro, a 3,500 rs.; ditos de bezerro fran-
cez, a 2,800 rs. ; condagas de todoa os ta-
manhos : ludo por prego mais commodo do
que em outra qualquer parle.
Vende-se chita franceza com algum
mofo, pelo diminuto prego de 160 ris o en-
vido : do AHerro da Ba-Vista, loja o. 18.
Ches; em
Yendem-se
Vendem-se chilaa-cassis de corea fixas,
a 160 rs. ocovado ; e outras muitas fazen-
das baratas: na ra do Passeio-Publico,
o, 11
Arados de f-rro.
Vendenv-se arados de ferro de
differentes modelos : na ra do
Brum.ns. 6, 8 e 10, fabrica de
machinas e undicSo de ferro..
Bombas de ferro.
Vendem-se bombas de repuxo,
pndulas e picota para cacimba :
na ra do Bruta, ns. 6, 8 e 10,
fundico de ferro.
Deposito de potassa e cal-
Vende-se muito nova e superior potassa
acal virgem de Lisboa, em pedra : tudo em
barris pequeos de 4 arrobas, por prego ra-
aoavel: na ra da Cadeia do Recife, n. 19,
armazem.
Farinha de Tapny.
igualmente em sabor, finura e cor a de Mu-
ribeca, propria pira mesa : venie-se na
ra da Cruz, do Recife, armazem n. 13.
-- Vendem-se, na ra da Moda, armazem
n. 15, meial barricas com cal virgem de
Lisboa, a mais aova que ha no mercado, por
preco commodo.
Caf.
Caf eom casca, muilo novo, por prego
Ireita do Rozarlo, n. 31, a fallar com Jos
Moreira da Silva.
Aos Srs. esludantes.
Vende-se o segundo tomo da obia v(r.
gilio quasi novo, pelo diminutojfrego de
2,600 rs.: quem qulzer annuncia.
A loja. de 6 portas, no largo
I iyramento.
continua a ter ciaaa prela, a 190 rs. o eva-
do; ganga azul, a 100 ra.; chitas, 120,
140, 160, 180, 200 e 240 rs. muito (loas
chales de seda, a 7,000 o 8,000 ra. grandes
e finos; um completo sortimeoto de fazen-
das por prego rasoaveis, que convidara adir
principio a prepanrem os vestuarios.das
familias coro que deverd Ir,aos apreciaveis
banbosdoCapibaribe.
J o barato causa ndmirnco .'
Isto acontece na ra do Crespo,
n. 6, loja ao p do lampeSo.
Vendem-se caasa-chilas de mallo bom
gosto, a 240 rs.; cortes da ditas do melbnr
goato que tem apparecido, a 9400 rs.; chi-
tas finas de boas tintas, a 1(0 e 180 rs. o
covado ; riscado americano, a 140 e 160 rs.;
dito trangado, a 180 e 200 rs.; algod.lo
mesclade, a 200 rs. ; zuarte atol com 5 pal-
mos, a 900 ra. dito de corea, a 900 ra.;
cassa prela para-luto, a 120 rs. o covado;
cortes de fustfio muito bona, a 560 ra.; cha-
lea de tarlatana, a 330 a 1,980 ra.; coberto-
res de algodflo de cor, muito encorpadoa a
proprios para escravos por serem multo
quenles, a 640 ra. ; alpaca preta de cordflo,
com 7 palmos de largura, a 1,280 ra. ; ri-
--Vende-se um olante e doua mappas,
um da cosa do Brasil e o outro da coala da
frica, ambos em ponto grande, por prego
comino lu : oa travesai da matriz, 11. de*
fronte do portfio do hospital.
pecbinclia
cortes de gergu
rao dealgoJSo e sed.i, muilo ricos
padroc para cohetes, a i,2oo rs.
o corte: no Passeio-Pnbh'co, n. 11.
Vende-se por muilo commodo prego,
urna rica secretaria com estaotea para li-
vros, bastante groada, propria para advo-
cado, sendo de amarello e anda nova ; as-
sim como, seis cadeiras e duas mesiohaa
de abrir : na ra estreita do Rozario, r.
28, ultimo andar, das 2 horas da tarda em
diante.
Vinlio de Bordean*
vende-se na ru da Cruz, n. 10,
casa de Kalkmann Irmaos
Ao bom gosto.
Vende-se um elegante camlieiro de duai
luzes, proprio para qualquer casa de ne-
gocio : oa ra Nova, n. 56.
i} rijos o serlao,
de qualha, muito. freaeaea; eaixas com ve-
las aniarellaa e bfancas ; courinlios de ca-
bra esola ; sapatos de diversas qualidadea,
em porgSu ; esleirs novaa; araruta em
barricas e saces ludo chegado do Araca-
ty no patacho S.-Crus: na ra d Cruz,
11.24.
Na ra do Cabug, loja do
Ouarte, vende-se seda frouxa de
lindas cores para bordar. .
Vende-se sement de coentro a 900Va.
a garrafa, vinho da Figueira do melhor que
ha a 300 rs fio de algodflo a 480 rs. a libra,
manteiga ingle? superior a 720 ra., dita
franceza a 510 rs., arroz verrnelho a 70 rs ,
dilo brancoSO rs., farinha de tapioca a 16o
rs., 11 va-doce a 380 rs., pimenta do reino a
300 rs assucar refinado 100 ra., libra a ou-
tros muitos gneros do melhor a mais bara-
to que em outra qualquer parle : do llan-
guioho, Uveros da calcada alta.
Vende-se um palanqun) novo e boni-
to, por prego commodo : oa ra da Cadeia
de Sanio-Antonio, no primeiro andar da ca-
sa de Vmva Cuaba Cuimarea.
Vendem-ae bous ps|de abacaxis,proprios
pira se plantaren), por prego commodo : na
ra da Cadeia em Santo Antonio, Serrara,
o. 19.
Vendem-ae duas pedras de resfriar
agoa, com aua armagflo : em Olinda, n. 18,
logo ao p do porlo de desembarque.
Vendo-aea casa da esquina da ra do
Cano, a qua esta com o oitflo abaixo ; as-
sim como a visiuha : na ra Augusta, n. 26.
Vende-se cera da carnauba em saceos
de 6 arrobas: quema pretender, dirija-se
ao Recife, ra da Cadeia, foja n. 53.
Vende-ae um sehm ioglez com pouco
uso, juntamente 66 panelas vidradas para
doce : na praga da Independencia, loja de
calgado, n. 33.
Vendi-se Urna preta de 23 a 25 anuos,
engomma peifeilamente, boa coiinheira e
lava da sabio : a fallar com Manoel Luiz da
Vei'ga, que dir quem a vende.
A venda da ra do Rozarlo larga, a. 29,
acba-se de novo sortida de gneros todos
novos, ofierecendo mulla vsntagem a quem
diariamente gasta o aeu cobre, tanto por
miudo como por atacado, smiu aesnecea-
sario annuociar todos os precos das merca-
dorias que se vendein naquelle estabelaci-
menlo, ssevuiaiido-se aos bous fieguexea
o menor prego poaaival, como saja : cha hy-
sun, muilo superior, da 1,300 a 1,900 rs.,
sendo em caixa se Tari alguma difl'ereaga ;
presunto do Porto, a 360 rs. a libra ; man-
teiga ingleza, muilo superior, a720ra.; di-
ta mais inferiur, a 300 rs.; vioagrejlo Por-
to ; viohos de todas a* qualidadea e pregos,
e tudo mais em proporgao se vender mais
barato do que em Outra qualquer parta.
Vende-so urna carroga por prego rasoe-
vel : na ra do Sebo, o. 36, laverna.
Vende-sn urna vacca muito boa, pari-
da ba poucoa das : do sobrado da campi-
a do Sr. Ilerculauo, na Soledade : ou do
pateo do l'araizo, n. 90.
Vende-se a laverna da Lingola, n. 9,
com os fundos a vonta le dos compradores.
Vende-se um terreno, sito Da ra do
Sebo du lado do sul, com cincoenla palmos
de frente, muito bom para urna grande ca-
sa, e no melhor logir da ra por ser o mais Ija 18annos, sem vicios, uptimo bolieiro e
alioeftSo precisar de aterro : a tratar na |iuni|eiro urna pareltia de cavallos rugos,
commodo : na ra do Amorlm. n. 35, arma- ic.dos de puro lialio, a 240 e 360 rs. co-
zem de J. J.Tasso Jnior. va Jo.
Farinha de S.-Catharina
da melhor que ha no
mercado:
vende-se nos armazena do9 Srs.
Antonio Ames, e Dias Ferreira,
ao p do lampeo, no caes da Al-
fandega, em saccas de alqueire,
por muito barato preco.
'rehinchas novas.
Na rna do liielntado, n. 17.
vendem-se chapeos de sol, de seda preta a
5,000 ; ditos de panno com saleas de baleia,
a 9,000 rs.; gangas trangadaa da listras a
quadros de cores, fazenda que parece linho,
500 ra. o covado ; merino prelo fino de duas
larguras, a 9,400 rs ; casemireta preta a da
er, propria para calgaa e pal i s de homem
e meninos, a 1.000 rs o covado; cortes de
col lates de velludo lavado de cores a de
linho e seda, a 1,600 rs.; mantas da setim
prelo para grvala, a 800 ra. cada urna e
outras fazendas por biralo prego.
Vendem-se duasescravas, urna de 18,
annos, e a outra de 99. de bonitas figuras
3ue cozinham o diario de urna casa, lavam
esabam evarrellae coser: o motivo por
que ae vende se dir ao comprador: na ra
da Cadeia de S.-Antonio, no primeiro andar
do sobrado da viuva Cuoha CuimarSes.
Vende-se a padaria aita na ra da Glo-
ria, n. 45, com lodos os seus pertences : a
tratar na mesnta padaria, ou na ra larga
do Rozarlo, no botiqun) defronte da botica.
Vende-ae para fra da provincia, una
escrava crioula, de 19 annos, com habili
ladea e que he propria para mucama, por
aerde bonita figura 1 na ra largado Ro-
zario, o. 48, primeiro andar.
Cdigos do commcrcio
gentil nos
Vendem-se cdigos do com-
diercio brasilero,impressos na ty-
pograpitia nacional por ordem do
governo : estes cdigos sSo os
verdadeiros, e inexactos os nue ahi
se vendem com o lilulo de ndice
chronologico : no pateo de Col-
egio, casa do livro asul.
A a moderno e bom.
Na rna do Queimado, n. 17,
veniem-se cambraia* francazaa de cores
muito linas e padrOea oa maia modernos, a
600 rs. avara ; casnbraias da cordflozioho,
da cures muito grave epadroea miudinlio-,
intituladas pricezinas, a a vara ; lengua de
seda de cores, de muilo bom gosto, a 2,000
rs. cada um ; um completo sortimento da
meiaa moilo linas para meninas da todos os
tamanhos, por prego commodo.
Fpgoes para cozinha
muito proprios para sitios e qual-
qtialqucr lugar aonde nSo ha cozi-
nha, por preco commodo : ven-
dem-se na ra da Crui, n. lo,
casa de Kalkmann Irmaos.
Vendem-aa barra lis a voltaa para pa
Jres, muito bem feitas, por prego commo-
do : Da ra estreita do lk zario, n. 23, se-
gundo andar.
Vende-se a obra Confidencias de
Lamartine, e reeroogOes pliilosofioas do pa-
dre Tbeodoro de AI ai ai da : na ra Nova,
o. 6.
Vaade-aa um escrava crioula, de 94
aonos, de bonita figura e aadfa, eom al-
zumas habilidades ; vende-ae para fra da
provincia: oa ra Augusta, eaaa do none-
co, a ilianle do escnvflo Alcauforadj.
OGO0OOQO00OOOOQOOO
Novo melhodo
pratico a Iheorico das
lingos franceza, por
A. Burgain, por*J
5,800 rs. : vende-se
oa praga do Corpo-O
GSinto, a. 9, pjimero andar. O
<>OQ09990999QQOO99O
Vendeja a fabrica de charutos do
Aterro-di-Boa-VIsla, n. 5, bem afregueza-
da e prompta para o Ira bal ho : vende-se por
seu dono querer retirar-se para fura.
Veode-se um relogio de saboneta da
miro, novo e palete nglez: na ru do
Queimado, n. 10, loja.
-- Vende-se urna prela do nagSo, muito
boa vendedeira de ra, e ptima iavadeira 1
na ra larga do Rozario, n. 35, loja.
Vende-se um molecflo de boa figura ,
praga da Uoa-VisU, botica D. 6.
'ptimos, e que esUo bem gordos: ni ra ea- Pi
Narua da Cruz, n.
casa de Kalkmann
Irmaos,
vende-se um grande sortimento de
instrumentos de msica, eom se-
jatn :
Caixas'de guerra, e tambores.
Zabumbas e pandeiros.
Arcos de campainhs, e Jpratos.
Baixos de harmona, trobots.
Trompas, nistes e clarius.
Cornetas, flautas, e pfanos.
Clarinetas, e requintas.
Violfies.
muitos outros instrumentos.
lie multo barato a 400 e 640 rs.
Vendem-so cassas finas francezas, cores
muito lisas, padrOes roiudinhos da muito
bom gosto, de muitas coras a 490 rs a vara,
dito de superior qualidade,os melhores gof-
ios que tem apparecido, a 640 ra. avara,
chitaa muito finas de gostoa muilo delica-
do 1 940 rs. o covado, dito de 4 palmos de
largura a 280 a 390 ra., ditos muito miudi-
nlos escuro a 200 ra. o,covado : na ra do
Crespo, n 14, loja de Jos Francisco Dias.
Na ra dita Cruzes, n. 99, segundo an-
dar, vendem-s 2 escravaa crioulaa de bo-
nitas figuras de 20 a 22 anuos, que engom-
mam, cosem chao, cozinham e lavam de
saliSo, urna dita de nagJo, de 30 annos,
que cozinha e lava, e he ptima quitandei-
ra, urna mulata de 26 anuo, que engom-
ma, cose chOo cozinha a lava de sabio, p-
tima pata todo o erranjo de urna casa, por
ser muito liel, san dufeitos e ser muilo cari -
nbosa para criangas, a um escravo da Coala,
do elegante figura.
' "" t "- i~r 1
Escravos ugidos.
-- Fugio, do sitio de Joto- Antao Villa-
Saces, na estrada nova adiaate da Magda-
lena, no dia 28 do prximo Gndo uiez de
gaosto. um preto de orno J0S0, de altura
regular, bem tongo, olhoa um pouco fecha-
dos, falla groau ; lie muilo condecido na
preca, por estAk a prendando a coziohairo
por muito lempsiern casa doSr. Francisco :
quem o pegar lefi-o ao rowmo sillo, que
serlgratificado.
" Fugio, do engenho Cuararape, fre-
guezia da Muribeca, no dia 14 do crreme,
o crioulo Jolino, cor airela, altura regular,
corpo bem feito, muito barbado, bastante
ladino, com urna marca bem vislvel di
rida na mio esquerda, e outra em. urna das
pernas pouco a cima do tornozelo ; aabiu
montado em um cavallo rugo muilo magro;
levou em sua.companhia urna parda forra,
de nome Rila, de 35 a 40 annos, baixa u
milito feia .-quem o pegar leve-o ao dito
engenho, que ser recompensado.
-- Fugio, no dia 23 de julho prximo pas-
sado, do sitio do doulor Neto, da Casa-For-
te, um mulalinho seu escravo. de nomo
Bonifacio,de8 annoa ; be muito condeci-
do por ter duas ordenada deules, lauto do
lado superior como inferior: quem o pe-
gar leve-o a 1 ua da l'enba, n. 19, casa da
I080 Frsncisco Regs Quiulella, que grati-
ficar.
oesappareceu, no dia primeiro do cor
rente, pelas 4 horas da manhSa, o escravo
Domingos, de nago Angola, representa 15
annos ponco mais ou menos, de altura re-
gular, ebeio do carpo ; qusndo anda puxa
bstanle por urna perna : quem o pegar I
ve.o a l'oiite-de-Uchi, sitio de Ifanoei
n. 43.
Fugio, do dia 29 de agoslo da 1850, po-
las. 10 boras da maiiba. o escravo .Oj"
nagSo, de 35 innos; levou tres cal
sendo duas de algodao tranca lo. u mi
e onlra de listras novas, oulr de
IBo ja usada, eonta marca ti. A. V.l
calgaa novas de algodflo trancado,!
azul a outra de listras, um chapen
Ida pequeo muilo voltio e outro de
j usado; de de estatura regular, roslo
compndo, narii chalo, bastante barbado,
iorem rapado, falla de denles na frente do
ido superior; veiu ha dez dits de '
nliuns, do riti l'almein, aonde fol e
vo do Sr. Antonio Mendos de
nha, o qual fez doigflo a sou genrn,
tovflo Lirio Cavalcanli, e por esle '
nesta praga a MalhiaideAzevedo Vill
co. Roga-SQ a autoridades policiaca e ca-
pilOoi da campo, qua o appreiiDusui S ls-
veni-uo a ra do Collegio, n. 1, que sarto
generosamente graliOc.dos.
II ....... "
oar.RU. 1850
TTF. K DI I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EU1V8ZU2U_0HZ3J4 INGEST_TIME 2013-04-24T20:11:08Z PACKAGE AA00011611_07003
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES