<%BANNER%>
Diario de Pernambuco
ALL ISSUES CITATION
Full Citation
STANDARD VIEW MARC VIEW
Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/06935
 Material Information
Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Thursday, December 17, 1857
 Subjects
Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
 Notes
Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.
 Record Information
Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:06935

Full Text


APOXXXUIN. 289.
Por 5 mezes adiantados 4^000.
Por 3 mezes vencido* 4#500.
(JUNTA FEIR.4 U DE DEZEMBRO DE 1857
**
mu
Por auno adiantado i5$000.
Porte franco j)ara o subscriptor^
ENCARHEGAIHJS DA SLBSCRIPgA'0 DO NORTE.
Parahibt, o 8r. Joao Radolpho Gomes ; Natal, o Sr. Joaquim
gnaeio Peieira Jnior ; Aracatv-, o Sr. A. da Lemoa Braga ;
Cear, o 8r. i. lote da Olireira ; Maranhso, o 9r. Jos Teiieira
da Mello ; Piauhy, oSr. Jota Jaaquim Aellino ; Par!, o Sr.
Justino J. Ramos ; Vmasonai, o Sr. Jeronjmo da Costa.
PARTIDA DOS COR RE 101.
Olln-l : lodos n da, , o ,. m- .t liara do da.
uirida', Goianna r ParaUka: w -ciadas lailaS-Mna.
i. Aiilio, Bcirrro,, Bunio, l.aruiru AH...I,-. , lccinhun : na li-rea-fcira.
S. Luiin-nco, Po d'Albo, .Yn-ir.-l,. Liaaoeira, Bre,o, PtMaatra, lanaira.
Florr,, Vitla-H-ll.. 11.-VI., Ouricur, E ,, na* .uaru.-r,!,.,.' ,n**""'
Cl>..,lpojuca,SiTiihiei, Rio Formulo, toa, Barmrua, A(u-Prcla. M-
lenlcira r Aatal: quinlaa-riraa.
(Tedoa o correioa pirirm as 10 keria da manilla.
RODIENQIAf DOf TRI BU Si. El DA CAPITAL.
Tribunal do eommareio : leguodas quintas,
Relaco : tarcas fera a sabbados.
Paseada : quariss a sabbados as 10 horas.
Juno do eom mercio : sagundas as 10 horas a quintas so mala da.
Juiso da orphaos i sagundas a quillas as 10 horas.
Prim.lra rara do eitel : segundea a senas ae saaia da.
legunda rara do elrel ; uartas a sabbados ae mee da.
EPliEMERIDF.S DO MKI DB IH'ZOI \1 BRO.
1 La ehels as 8 horas e 37 minutos damantiaa.
8 Quarto minguanleasa horas a 18 minutos da manhaa.
16 La ora as 8 horas a 42 minutos da manhaa.
y uario erascanla as 4 horas a 17 minuto da manijas,
PREAMAR DB HOJB.
Prlmelre as 5 horas a 18 minutos da tnanhia.
Segunda ai horu a 2 minutos da Urda.
PARTE OPFICIAL
M1MSTEBIO DA JLSTIC A.
DECRETO N. 2,035 DE 25 DE NOVEM-
BRO OE 1857
Autorisa a encorporacao e approva os estatuios
do Bauco do Maranlio, com diversas aho-
ra coes
Attendendo ao que me represenlaram Francisco
de Mello Coutioho de A ilhona e outros, e lendo
ouvido a secfao de fazenda do consellio de estado,
bei por bera aulorisar a encorporacao do un Ban-
co de descon los, depsitos eemisso, sob o titulo
do "- Banco do Maranho na capital da pro-
vincia do tnesmo nome, o qual se regular pelos
estatutos que com este baixo, cotn as scguinies al-
teracoes:
1. Subslituo-se no an. 1 as palavrasvnte
annosporquinze aonosque ser o prazo da
duraco do Banco.
2. Substitua-seo art. 7. pelo seguinte :Os
dividendos aos accionistas, distribuidos em abril e
outubro de cada anno, consist rao nos lucros pro-
venientes das operacoes autorisadas por estes esta-
tulos.que se liverem ellectivamente realisado dentro
do semestre respectivo, e depois de deduzidos 5 0|0
para o fundo de reserva.
3. Supprimo se os arts. 8 e 56 e do art
32 a parte en que julga a votaco da maioria ab-
soluta sufcente para dissolver Banco antes do
termo de sua duracao.
4. Supprima-se no art. 9. o 3. enoait. 13
Jj8. a parle que aulorisa descontos ou err-presii-
mos sobre as accoesdo proprio Banco.
5. Substituao-se o 6. do art. 9. c o arl.
11 pelos seguintes :
6. Emitlir bilbetes ao portador e vista al
a somma de seu capital effeciivo. Estes bilhetes
sero realisaveis em moeda melallica ou notas do
tbesouro e garantidos do modo seguate : 50 rj|<
por igual somma em apolices da divida publica
do juro de 6 0|0 ou as de 5 e -4 n|0 pelo valor
corresponden le, e em are/jes das estradas de ferro
que lenham garanda de juros pelo governo ; todos
estes ttulos pelo seu valor nominal ; e 50 01 por
igual somma em ttulos ducarleira de que trato os
arts. 9 I. e 12. $ 3. dos estatutos.
Para realisago de stus bilbetes em metaos ou
notas do tbesouro, conservar o Banco em caixa
somma nunca interior a 50 0|rj desla segunda par-
te da emissao.
As apolices e acces que servirem do garanta
emissao sarao de propriedade do Banco e ficat de-
positadas em seus cofres.
Os bilhetes enjillidos pelo Banco nao poder ser
de valor menor de I0J.
7. Os descontos de qual.iuer emissao superior
somma aulorisada no paragrapho antecedente, c
garantida do modo que fica determinado, reverte-
r em favor dos cofres pblicos, sendo o Banco
obrigado a entrega-Ios como mulla pela infraego
do dito paragraplio.
t. Subsiuua-se o 3. do arl. 12 pelo se-
gu nle :
O prazo das loiras admiuidas a descont nao ex-
ceder a quatro mezes ; lodavia com o augmento
de I 010 sobre a laxa dos desconlos poder elevar-
a al oilo mezes, comanlo que os desconlos a este
prazo nao excedo ,-i metade dos do mez, e nunca
? urna quarla parlado capital realisaJo.
~. Supprimo-se.n arl. 16 as palavras :__
salvo o caso de algumas por riles anteriormente as-
signadas, que foretn reformadas
8. Subslituo-se -no arl. 21, que marca as
pocas das reunioes, ordinarias da assembla geral
s palavras 3. de julho e 31 de Janeiropor30
de setembro o 31 demarco.
9. Subsiiiua-se o 9. do art. -12 pelo se-
guinte : Bedigir o relalorio das operacoes e es-
ado do Banco e o bataneo, que devem ser apre-
lentados assembla geral, fechados em 31 de
marco e 30 de setembro.
10. Subsiituo-se no art. H as palavras
15 de julho e 15 de Janeiropolas seguintes :
18 de abril e 15 de outubro.
11. Acrescenie-se ao 1. do arl. 45 o se-
guinte : Esle relalorio ser publicado no jornal
de maior circularlo que honver no lugar.
12. Acrscenlem-se depois do arl. 59 os se-
guintes :
Art. 60. A directora remellar ao presidente
da provincia, e far publicar al o dia 8 de cada
mez, um balando qne mostr com clareza as ope-
rares realisaJas no mez anterior, o o estado do
eclivo e passivo do eslabelecimenio no ullimo dia
do mesmo mez.
Art. 61. He applicavel a este Banco a dispo
sigao do art. 10 do decreto n. 575 de 10 de Ja-
neiro de. 1849.
Art. 62. Esta concesso licar sem vigor se o
H ni'o nao for inslallaJo e comecar suas operacoes
dentro de um anuo contado da data da communi-
cacao pelo presidente da provincia de lerein sido ap-
provados os estatuios.
Bernardo da Souza Franco, do meu consrlho.
-enaJor do imperio, ministro e secretario de estado
dos negocios da fazenda, s presidente do tribunal
do tbesouro nacional, assin o lenha entendido e
faga execuiar. Palacio do Bio de Janeiro, em 25
de novembro Je SS7, trigessimo sexto da inde-
pendencia e do imperio. Com a rubrica de sua
mageslade o Imperador. Bernardo de bouza
Franco.
DIAI DA SEMANA.
ll Segunda. S. Ariniom. ; S. Dioscoro m.
15 Terca. A S. Albina m. ; S. Eusebio b. m.
16 Quera. S. Ss Ananias. Alarias e Miaael mu.
17 Quinta. S. Floriano m. ; S. Calanico m-
18 Siu S. EsperidiJo b. c. : S. Rai-iliano ni.
19 Sbado S. Dariom ; S. Fausta.
20 Domingo, i. do addvento. S. Liberato m.
KxCARREGADOS DA CBSCRICAO MO IDL
Alagoai, o Sr. ciaudino Faleo Dial; Babia, o Ir, D. Dopia
Rio da Janeiro, o Sr. Joao Pereira Martini.
EM PERNAMBUCO.
O proprleta rio do DIARIO Me noel Figueiroa dt f arla e loa
livrena, pra(a da Independencia D.lal,
li$ao, e a perceber os respectivos venc montos at o
ultimo do correnle, em que lem de seguir para a
alfatidega de Uruguayana, da qual foi nomeado a-
manuense.
A mesma, que o tribunal do tbesouro inde-
ferio o recurso docapitoda galera inj;leza Hanlse exercilo. Segundo alguns dizem.o complente de-
relalivoa apprehenso de um clironomelro que o j crelo do Imperador j se acha assignado. Oque
mesmo capito desembarcara sem conbecimenio da '
dita repartirlo.
A recebedoria, mandando restituir a D. Ri-
ta Loureiro, a quantia de 6600, que por ongano
se Ihe cohrou de mais pelo arrendamento do terreno
nacional da ra da Floresta n. 18, no exercicio de
1856 a 1857.
A mesma. dem a Francisco Filippe de Li-
ma, a quantia de 335P, que pagou de siza pela com-
pra de 11 bracas de terreno da companhia da estra-
da de ferro de D. Pedro II; visto que, lendo re-
conbecido depois que s exislam 8 bragas, pagou
por estas de novo 248 de siza:
A tbesouraria do Amazonas, ordenando que
pague a companhia de navegacoe commercio do
Amazonas, em lempoopporluno, os freles e passa-
gens que Ihe lorem devldos, quando se vorificarem
as hypolheses das condicoes 14' e 15' do respectivo
contrato.
Somelhanle a do Para.
A de Pernambuco, que faga despachar livres
de direilos, guardadas as disposigoes do S 8- do art.
20 do decreto numero 1,914 de 28 de margo ul-
limo, os 67casligaes, 8 locheiros 28 placas, urna
urna com cruz, 2 anjos e peinha, 2 cardencas e
1 cruz, que a irmandade do Sanlssimo Sacramen-
to da freguezia de Sania Anna, na mesma provin-
cia, tem deremelter para Lisboa, afim de seremalli
dourados.
niaras. As cmaras, segundo se diz mais, sorao | allameole desailroaoi, at pela desconfi inra que ain- rados desde 9 de setambro a 17 de
chamadas para esse fim nos primeiros das dejanei-
ro para Ibes ser apresentada urna propesta no dito
sentido.
Na Austria muilo se falla d*uma redueco do
EXTERIOR.
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE
PERNAMBUCO).
HAMBUHGO.
19 de novembro de ISS"''.
Quanlo mais se aproxima o lermo em que a con-
ferencia de Paria se deve de novo reunir, aQm de
concluir definitivamente a queslo dos principados
danubianos, lano mais com ella se oceupa neslc
momento a diplomacia.
Ja fallei da ola circular da Turqua de 30 de
setembro. Desde enlao ja temos urna nova circular
de data de 28 de outubro, exprimindo de novo as
mais positivas declaragoe* do presente ministerio da
l'urquia contra a unio poltica dos principados da-
nubianos. Essa circular he acompanhada por um
memorndum, no qual se traa de provar o perigo a
que a propaganda da Itoinania expoe a tranquilli-
dale e a ordem interior de todos os territorios cir-
cumferenles como s^jam, a Serbia, a Albania, e a
Romelia do lado da Turquia, e a Transilvania, e a
fronteira militar do lado da Austria.
D'outra parle a circular lurca de 30 de setem-
bro, deu motivo a urna nota russa, ao embaixador
em Consiantnojila, o Sr. de Bauteniew, a qual
datada em 22 de oululiro, acaba de ser publicado
nessa mesma nota o principe da (.orisch.iUlT, de-
clara, que al agora a liussia baria evitado expres-
samenie declarar-so pro ou contra a unio, c que
pelo momento se reservava a sua deciaao, lano mais
como a queslo seria dirigida a conferencia de Pa-
rs, a qual so apresentaria todo o material neressa -
rio para julgar do negocio com conhecimenlo de
causa.
(juc a Russia nada mais e nada meno? exigia
do que a eslrcla execugao da paz de Pars; que essa
vontade delerminava exclusivamente o seu procedi-
mento, o qual corresponda exaclamente com as
condigoes da dila paz. Como se sabe, a Prussia ja
b lempos decarou o mesmo, e tambera presente-
mente os orgos eonlidenciaes do gabinete de Ber-
ln, aproveitavam da occasio para lembrar a po-
sigao reservada da poltica da I'russia, e'notar que
se em Berln, desde o principio se baria evitado
lomar partido precipitadamente no presente mo-
mento se suttenlava anda a mesma posigao.
Disso se v que em Petershurgo, como em Ber-
ln, nao querem tomar enjajamenlo era pro nem
contra, apezar de que nao ha duvida, que ambos os
gabinetes tambem como os outros gabinetes, ja le-
vam mais ou menos decidida a posigao que obser-
varo na conferencia de Paria. Os adversarios da
uniao poltica, querem deduzir dessas expresses
reservadas, que em Petershurgo e em Berln, nao
se faz urna queslo vital da unio poltica, e a aup-
posigo geral he que se pode considerar abandonado
em geral esse projeeto, e que o contra projecto apre-
sentado por lord Clarendon, de urna unio da Mol-
davia e \ akiclua, siin[ilesmcnlealminislraliva quan-
lo ao exercilo, alfandegas e jusliga, tem a maor
perspectiva de ser adoptado, bem que com algumas
modilicages, pela conferencia de Paris.
Na questo allema-dinamarque/.a nao houve
nenhuma resoluco. Na sesso do dia 5 do correnle
a Dieta Allema, nomeou urna commisso para re-
ferir sobre a proposla austro-prussiana, e sobre a
proposta hanoveriana, noineando para essa com-
misso alm dos enviados federaes da Prussia a da
Austria, os enviados da Baviera de Wurtemberg,
da Saxonia, do Hanovcr a da Hesse eloitoral. Co-
mo se diz, a commissSo se incumbi com grande
zelo dessa larefa, e a Baviera foi nomeada o refe-
rente.
Quando esla derer apresentar a Dieta eu'n ple-
num,s o seu rel3to,ao nao se arha anda fixado.
Entretanto a diplomacia estrangeira lanibem nao li-
cou com os bragos cruzados, e a Inglalerra, a Fran-
ga e a Russia, instruiratn os seus agentes, para por
ora confidencialmente declararem aos gabinetes alle-
mes, quanto a desejar seriam no nteresse da paz
europea, os bons servigos das mesmas potencias pa-
ra composigo da queslo pendente, e quanto ella
(a Russia) eslava inclinada para prestar esses bons
servigos, (bons oflicios). Como se quer saber, essas
explirages provisoramenie confiJenciaes nao fo-
ram aceitas em lugar competente.
Dos diversos estados allemes s pouco de no
lavel ha a referir.
O estado da saude del-rei da Prussia he ainJa
mui precario, e muito se duvida que elle poder
le novo se encarregar dos negocios do governo em
23 de Janeiro prximo futuro, em cujo dia acaba
a delegagao irimensal no principo da Prussia As
facilidades iniellenuacs del-rei so ada, inierrom-
pidas, e isso he a molestia do que elle padece,
nao qoer ceder a todos os esforgos dos mediros.
O negocio va anda lio mal, que os mdicos
nao querem tomar a respousabilidade de rocom-
mendar a mudangada corle Imperial da residencia
da vento alagara occtipada de Sansouei, pata a
residencia d invern, apezar de que o fro do in-
vern se torna j bastante sensivel, e nao se en-
- contram em Sanaouei os commodos necessarios.
Menezs, queso arha no exerccio in.er.no de in- ()i medlc05 r,!Ceiam, ,|nc 0 lran M *
tendente da un,,,, ,a, ms, suscllar-se no tbesouro rui 0 m .,. mrolam ,; ,lllvjda e J
duvida a tal respailo, por nio estar vago o u;;ar, c' ma|, ,, quo ,
porque pelo dito minisleno anda nao foi derlara-
Expedienle do da 16 de novembro.
Ao consulado, communicando que foi indeferido
o requemenlo era que Llamas Meileiros el", An-
tonio Fraocisco Macado, pediam pertnisso para re-
aelterem :m navio eslrangeiro para Uruguayana
r Montevideo, varios gneros do paiz ; visto se-
'em contrarias a semelhanlc pretengo as disposi-
goes ios arts. 18/ do regulamento de 3t) de maic
de 1836, e 92 e 307 do de 22 de junho do mesmo
anno; o nem so darcm para a concesso requerida
as eircumslancias previstas no arl. 309 do ullimo
daquelles regulamentos, e no arl. 43 da lei n 628
de 17 de setembro de 1851, nao Ihe pudendo apro-
veilar a e.xcepgo feita a essas disposigoes no de-
creto numero 1,833 de 25 deoulubrode 1856, por
se limitar nicamente as providencias que tomou,
m ponto de Albuquerque, na provincia de Mato-
Grosso.
17
Ao ministerio do imperio, iransmitiindo copia
do comalo ltimamente celebrado no tbesouro
rom o empresario da estrada Uniao c Industria a
rospeilo da mesma estrada, conforme rcquisilo'j o
tnesmo ministerio em avi-o de 13 do correnle.
--- Aoda marinha, pedindo que declare quaes
os vencimenios que eompetem ao rhefe de aeeeao da
respectiva cantadoria, Augusto Cesar de Castro
he ceno he que a posigao das finangas da Austria
muito faj desejar urna reduego do exercilo, e que
essa reduego tambem se achava projectada, e que
j se comegou a licenciar na mais larga extenso,
que as prsenles instituigoes do exercilo o permu-
te ni.
Na Saxonia leve lugar em 16 de novembro a
solemne abertura da dieta por el rei em pessoa. O
mais notavel na falla do tbrono foi um paragrapho
que nota a cxcessivamenle favoravel posigao das fi-
nangas do reino,e que avisa em consequencia diver-
sas diminuigoes dos impostos.
Em l.uxemburgo ainda nao foi chamada a
dieta.
Em Ilanover leve lugar a eleigo de oilo ineni-
bros da cmara municipal, e apezar da esforcos em
contrario,foram reeleitos os mesmos douspresidenles
da adminislrago municipal.
P. S. 0 telegrapbo nos annuncia n'esle mo-
mento a exploso do armazem de plvora de Mav-
ence. Os estragos sao consideraveis :foram des-
truidas 120 casas, e tres igrejas : morreram trin-
ta pessoas e quatrocentas foram gravemente foi idas.
P. S. em 20 do novembro.
O vapor Pefropolis por milagre safouse bon-
lem de Hamburgo. Tendo sobrevndo um fri
intenso acompanhaJo de forle vento doeste, dimi-
nuo a agua no .rio, e por isso esleve elle quasi en-
calhado, felizmente parando o venio, o Pelropolis
fazendo-se rebocar por uro vapor menor, pode por-
se salvo. Os passageiros s esta manhaa parti-
ram n'um pequeo vapor para ganharem o Pe-
lropolis em Cuchafen, neste momento a crse finan-
ceira e commercial toma proporroes d'uma derrota
completa. Nao ha meio de vender cousa algumas
mas a prudencia e a circunspecco dos negociante-
hamburguezes garantem o prompto eslabelecimen,
lo das operacoes cominorciaes.
LONDRES
21 de Dovtmbro:
\nnnl,l.i S3sair de Soulhamplon para o Brasil o
vapor -1'etropuln, a por alie remetterei aprsente
-arta, cojo conteudo importa a noticia do que aqu
lem consiado de mais nulavel depois que em 9 do
correnle eseravi i minha ultima correspondencia.
A ni ila do Bra-sil, viuda pelo Teviol, eliegnu a
Lomtres ua inanbaa do dia I i desie mez ; e logo
lorn.ic. de-la capital deram o resumo das notiries
P >r ella traziilas. Moilo (avoravais foran as inlur-
m-ir'i recebidas sobre o astado eomraercial dan
principaes prega do Brasil ; a pelo qua respaila a'
iluagao poltica do imperio publicaram aquellas Tu-
llas que coiilinuava o zoverno imperial a faier pre-
parativos de guerra contra o Paraguay, eom qaanto
esperasse resolver a actual pendencia pacilicamrite,
para o que havia mandado o conselheiro Paranlioa
em inn-f) asperial a A,iumg;9o,
Este modo de espora poltica do llraail para com
i Paraguay prndurira, eiloo disso roiivencido, urna
exi-elleota Impreesio no publico deate paiz em Livor
lo imperio, porque por all se ve quSo prn tente
ali'in de jutta lie a marcha d galiinsir du Rio de
Janeiro para com o da Assompgao ; a com quanlo
poisa o govariM brilannico no caso de uina ruptura
le relarOea amigareis anlre o II ,i-il e o Paraguay
procurar preleito para interpor-ie Da que-iao e aa-
sim diminuir a InQnaneia da gorerna imperial so-
bre o resultadu desse cmillirlo. n.1n deisa lodavia da
ser provailos.i para o ine'mo Uranl orna semeihanle
uiipre-.10 no animo do publico -'lule, porque pelo
n-uua servir' ella para mod r o procedimentut
te-ta governo em anas interle^- ciae, a bala ter em
vista que o governo brilannico procura sempre apol-
ar-se na vnnlade geral do paiz, para n3o se desco-
uliccer de qoinla vanlagem pote ser, para aquella
que poder contar com e-e aunlio, o merecer aqoi
* approvagio moral da saus actos. A un, ainda que
por eireomslancias lenhamos da ver a Inglaterra dia-
da por moilo (ampo hade provaveleaeole eiistir uas
opeiagOes eommerciaes.
No c mmenle os Bancos da Franga, Vienna,
Hamborgo e Turio etc., lem levantado o premio dos
taue descontos.
Em Paris foi essa o onico expediente qoa o Banco
de .-'ranga j'ilgoa derer adoptar, acoinelliado pelo
goveroo, para faier face a actuali lade das eircums-
lancias financeirae.
Nao me eonsla por ora que ai qoebras de que
Ion noticia, lenham aneciado interesses do com-
mercio do Brasil ; mas ha da recelar qoe se asta
seguinte :
Atacados
Fallecidos
Carados
nos hospilaes
'nos domicilios
(nos hospilaes
(nos domicilios
oos hospilaes
noi domicilios
4,610
5.9ifi)
1.58(1)
1,970!
2.392)
2,:il2.
10,55(1
3,5)
.73
nos 1
publicarlo d.iquelle boielim. To
novembro, ha O| Au-tria e dos Estados Unidos, e oulras pessoas de aquellos que provam a jusliga com quo o
v^-Va' ... _.. a i, gorerno hospanhol manteve a sna causa.
Entrando sna mageslade e alleza no grande am- \clta-se confirmailri o dpiairanun Hp*
plnlhealro oceuparam as suas cadeiras deheixo do At se.conliroiaao o desatranque a Hes-
docel. O director interino da escola, Julio Mximo I Pa"a 8!,s,m co,mo a Iranga e a Inglaterra
de Oliveira Pimenlel leu om discurso am que depois cabam Je receber coru a exigencia feia por
de varias e luminosas consideragas sobre o presumo parlo d'aquella repblica, que pretende que
daquelle proficuo estabelecimiulo.dizia que na ulli- O Sr. Lafragaa seja recebido Cm Madrid na
Infeliimenta lem engrossado asa cifra nos 12 dias ma sesiSo legislativa o ministro da guerra propoze- qualidade de ministro plenipotenciario. CO
decorridos desde a publicarlo daquelle boielim. To- ra na cmara electiva algumas mecidas de primeira mo pri
T"* 0ram ma"m*i0'e> oa bole.ins qooti- .^..lniali tMla.amda ama dellas ten-,diaQno proposta por aquellas duas poten-
danos.
Desda as
10
ra na cmara electiva algumas molida, de primeira mo principal CondicSo para aceitar I
lias ten-
denle a' recoiislrurcflo do edificio que mereceu a ap- .
os intereses eommerciaes do imperio em quebraa de
casas que enlralem coranosco muilas rtlarocs dessa
aataren.
horas da noile do dia 21 alo igual provaca do parlamento a e.U" ja Vr 'eeocjo":- I C'aS: Di'Soqueas dlITerencas entre Hes-
louve 119 casos de febre reinante, ulro que tinlia por objecto a creagSo das cadenas la,,a e MoxtCO.Ioram discutidas 003 I.on-
tanlo uos hospilaes como nos domicilios, 38 fallec-| especiaos de geometra descriptiva e Menlo, e foram curados 106. Sao purera 13o varia- | gn'
"'" i..P.a ~rlL,nh,,n(".. de_er cmpfo/"''" hr do dia 25, houve IS9 casos de febr'e reinante, ulro que (inha"p"o7'obiecYo'"a eag'sVaTcade'iras I,auha e Mcxico.loram discutidas om Lon-
eciacs de geometra descriptiva e ile chimica or- d'OS pelo meado de
ica, ambas ellas indispensaveis para o bom servi- l'ersigny representou a Franga, ord i U-
Segondo sou informado, os credores da essa Si \
C. Insislam pela conlinuagao dessa firma, alias con-
siderada em eircumslancias de uina fcil rehahilta-
co O Sr. Su, que aqu era o socio gerente dessa
e cirurgies que n,1o perlencem ao sen gremio. He
Inovaveloseu intento, pois lia todas as probahili-
dades.para temer a repeluco do lljgello no prximo
outono.
Lisboa, e-crevia anda ha pouco urna das illuitra-
As tropas ingieras, manilas da melropole, iain
eh-gaodo a Calcula' lodo o da ; e com isso se es-
perava que nao tardasse muito era ver-se suppUn-
tada a revolg,io.
Ha China cliegara aa datas alo ."> de outubro. I.ord
Elgio se achava em llung-kong, onde eorria como
ceno que em breve
_ ------ .., ^----- n-.t-,.,B u,a "'""'i axsnil ainoa na pouco lima as iimira-
urma, goza na-la praga de mu solida repnlagSo ; e i ges desle paiz, lem l-nio de caritativa como de m-
pjr Meo Mata oceasigo tara elle merecido a sympa- I vejo.a, a be talvez pela sua invea que hoie esta' pa-
tnia de lodos, que eom elle lem tratado, por motivo I decendo a consequenc.as da mfeccao accumulads
do transtorno qua o obiigou a parar as suas lran-1 oos seus mal construidos canos de despejo. Ha
saegoes. poneos anuos, a mesma companhia ingiera qoe se
A noticias da India, recebidas em Londres no | encarragou da canallsagao e abasiecimento das aguas
da 11 do correnle, ao de Calault em dala de 9 de para a ridade de Jterlin, olTerecis-se para vir a l.is-
ootubro e de Madrasta de I i dese mesmo mei. i boa lomar lemelhante empreza. O ministerio Salda-
Indo confirma o que disse pela ultima mala a ras- I ola parece que eslava resolvido a contratar com ella
paito da queda de Hellu a da balalba que os gene- quando as comas tomaiam outra forma e a emprea
raes Ilavelock e Outram deraro defronte de l.ock-1 foi concedida a oulro concessionario. O caso he qae
"17" -a .,., I anda se nao principiaran) semelliantes Irabilbos,
U re de I 'el In i u feilo prisioneiro no dia 21 de qua alias puderiam estar terminados,
setambro pelas forjas destacadas da praca de elbi ; Em caridade, poram, duvidamos qua algum nutro
e dous da eos hllias, tambem feitos prisiooeiros, fo- paiz Ihe leve a palma. A sobcripcao em benelicio
ram logo rutilados. dos orphaos e familias necesitadas por causa da epi-
demia reinante, he avulladissima. Lisboa e seas ar-
rabalda, onda hoja se acham quasi todas as pessoas
abastadas, lem contribuido com aliona quantia,
n.i i sendo a familia real a que menos lem dolado os
cofres da beneficencia. O eiercilo, < o outro eiereilo
do Irabalho, os operarios, todos da o generosamente
iam comerar as hoslilidades' do seo pouco para a bola eommum dos deavalulo,
contra oa Chms por parte da Inglaterra e Franca, que sao cada ve?, mais. O commercio do Porto lerr.
repartido liberalmente com a capital. Coimbra, Lat-
ra, aldeas, villas, os proprios canloneiros das es-
tradas, toda a gente, nacionaes e e-lrangeiros rei-
denles no paii esla' tirando do que reservava para as
proprias precisoes, para o vasar profuiameote nos
troncos da caridade.
Diz-se qoe, em consqoencia da falla de recursos,
o dous Ihealrus subsidiados de S. Carlos a da I).
Mana II esiao em riseo dase fecharen).
Nao liada rrer qoe se verifique lal arbitrio; o
commissario regio 1). Pedro do Rio he homem sen-
sato e nao sena capaz de aconselhar o goveruoa tal
medida.
O llieatro de . Maria emprega 1fi8 pesioas en-
tre artilla e operario.
O de S. Carlos 514, alen desles empreados qoe
representara numerosas familias,aecrescem os forna-
eedores da materias primas entrando ueste numero a
companhia do gaz.
O governo emquanlo mil consumir o subsidio vo-
tado nao lem solido fun lamento para tomar aquel-
la resoluglo, que ira prejudicar a mais de 1,200
pessoas.
potencias tne-
representada pe -
execuQSo
visto constar qae o imperador da China nao que-
na rereber a embaiada da Inglaterra e Franca.
S. M. a rainha continua a residir do caslello de
Windsor, on le chegou de vis (a ha poaco o prin-
cipe Fraderico Guilherme de Prussia.
Fallecau no dia 10 do correte em Claremont S.
A. R. a duqaeza de Nemowr, prima do principe Al-
berto, de mora repentina. S. A, R. havia dado a'
luz uina princeza havia nm mez. Foi sepultada na
rapta calholica de Weybridge, onde jaz Luiz Fi-
liop*.
El-rei da Blgica dissolveu o parlamento belga,
convocando oulro para o prximo 15 de dezem-
bro. As oleig 's terao lugar a 10 do mez e-
goinle.
O minislerio beldase acha definitivamente cons-
tituido debaiio da presi lenris de Mr. Rogier ; o ba-
rao da Vielere, Mrs. Lsbeau, e Oelfosse, formara
parle dessa admini>lrac,ao.
O salado de saude de el-rai de Praifia nSo tem
apre-aotato por em quaulo melhoras mui sensiveis.
S. M. continua a residir em Sois-Suuci, donde po-
rm deve regressar em breve paia o palacio Ue
Berln.
Em aMayenceo, prata federal da confederaba
germnica ; leve lugar no dia 18 d crrenla urna
horrorosa eiplosao nos armazens de plvora, de qne
resultou a morle de viule pessoas e o ferimeulo de
mais de trczenias !
As leige piainonlcza para ,i nova
depntados acabam de eonnluir-se, licando o gover-
no com uina maioria de 'i rato. O pul I cleri-
cal conta lodavia na cmara cora noines mu Bota-
vara.
(> imperador Napoleao reg-essou a Paris de C im-
pregne U'i da -21 do crrente ; e no da S asaiaiira'
a' abertura do parlamento franco/..
Os fundos pblicos do Brasil de ."i por ceuto es-
lao a !IS ; e os da I l|-J a 96. As acg-Oes da eslra-
da ile ferro de Pernambuco cnutinuam iein des-
cont.
responda a toda as aecessidades da sciencia.
Ilecordoo tambem o director interino aaltenrodo
governo o maior desenvolvimenlo que naqnella esco-
la se deve dar ao ensino das sciencias adminiilrati-
vas da economa poltica, e da estatislica. Referi-
se a ter o conselho da escola propolo ao governo uina
serie importante de ieformas lenlenltsa melliorar os
melhodus .le ensiuo a dos eiames para dar man pro-
licua direccao an eslu-io dos alumnos, fazendo-o con-
vergir essencialmeme para parla pralica, medidas
elas que ja foram examinadas pelo governo e coja
evecug-ao lera' logar provavelmente no presente an-
uo lectivo.
Uiise que o ensino do desenlio va assumir desde
ja nela escola a iinpurtoucia que Ule he devida.
Annuiieiou que brevemente se pora' em pralica um
dos melhuramenlos mais essenciaes para a instroc-
g-io e educsgAo dos militares : o internado, lem o
qual nao he posivel manler a disciplina a propor-
cionar aos alumnos, com a economa do lempo para
o e-tinlo, o ni .vimo apr.iv f llmenlo dos meios de en-
sino, e que nesla ponto ordenara o governo que
principiaste neste anno lectivo um ensaio de semi-
inleruado para o alumnos militares, devendo elles
l ura era diante oceupar o lempo que Ihe deixa
livre a frequencia das aulas em repeticOes, Iraba-
ii.is graphlcos a manipulacOes, as salas de estudo,
na aula de desenlio e nos laboratorios. Sobre a im-
portancia do estabeleriinenlo fez mengoo de moilos
dos seus m ti- satisfactorios resultados, como por ei-
emplo o Iribalhot geodsico do reino, que tem a'
sua trente om dos mais dislinctos profesores desta
escola, havendo cusvado as suas aulas todos os olli-
ciaes daquella benemerila coraraissao.
A commissAo geolgica que principia agora nos
seos valiosos trabadlos ob a direccao de um mime
ja Ilustre na scieucia, he tambera fiha da escola po-
lyteehaica.
O observatorio meleorologiro da escola polylech-
nica, que he devido ao zeln inlaligavel do seu pro-
feaaor de phyica, tendo as observacOes que nelie se
fa/em acreditado ja osen nome entre os sabios dos
paizes mais adiantados na cultura das sciencias. Fal-
lou tambem na prouma reslisac,o do ardenle desejo
Jos aslronomos, vendo levantar em Lisboa um gran-
de ohservalorio astronmico qoe completara' o de
Polkova as investigarles, no mundo estelar, n.i
deven.lo a escola polytechnica sr eslranha a e>le
glorioso e ulil trabalhu, devido a' munificencia do
Sr. \). Pedro V e ao seu amor ptlj sciencia. Re-
corduu com magua a perda de um dos seus jovens
Collegas, o tr. Guerreiro, que foi um i das primei-
I.ISBOA
9 de novembro de 18.")".
Continua a lebre marella a fazsr as toai devas-
tage.
Agora ral apresentando nmas da phases por que
posta a embarazar a poltica do Brasil na sua questAo de ordinario eosluma passar quaiiJo esl prouma ao
com o presdeme Lpez, nao iluvido que o governo eu termo. as freguezias do lado oriental da cida-
orilannico lenha de medir de um modo cauteloso o de, primeramente aceomettidas, apparecera meno
do, que ficavam adoptadas as disposieaM Jo decreto
n. 1,995 de I i de outubro ultimo, sobre os renci-
menies dos respedivos empreados emeaso d't subs-
tituiro e exercicio interino.
A alaodega, participando que o guarda fiel,
servindo de ajiidanle do guarda-niur, Gervasio u-
o; Pires, continua em exercicio na mesma rapar-
se dado o caso que elr.-i em
I de Janeiro se achassa ainda incapaz para lomar
da novo o governo, en lugar do subesiabelecmen-
10 deereado por elrci, ntrari em rigor unta re-
peneia sob cooperafao das cmaras. Em lugar
iliaso.segun lo corre por boato leiieiona-re nina rau-
ianca das disposir6es da consliluicao respoilo da
regencia, e sabor no sentido do que a insialla-
co da mesma fique limitada a cooperario das ca-
seu praceroento para com o governo imperial.
A influencia que o Brasil cada dia vai gaohando
no Rio da Prala, ha sobremodo ineommoda para o
governo desle paiz ; e pois esta' ella sempre alarla a
no--1 reapeito,todas as vezes que lentos de inter-
vir (alia'i legalmentel nos successos dessea paite*. A
vista dilo nao sera' para admirar, como ja d sse. qoe
a preteilo da defender os inleresses de muilis sub-
ditos ingleze e'labelecidos no Prala venha o gover-
no mili'/, a incommo lar o do Brasil, caso em conse-
quencia da urna guerra entre esla e o Parsgoay en-
lenda lord Palmeislon qoe eoovera lomar parle nas-
e c.uiilicn pelo motivo indicado. Esse espediente
seria um pretexto, como digo ; pnrqne a verdadeira
eaosa sena a diiiuuuig.ui da inuenea do Brasil so-
bra n estados do Prala, parlicolarmtnle sobre a
repblica do Paraguay.
Nada posso aerescelar a' noticia que dei de ha-
ver a Inglaterra mandado ja para a sua estarlo na-
val do Rio da Prala mais Iras fragatas a vapor com
o fim de vigiar os moviraenlos da esqoadra brasilei-
ra, que se reccia lera' de subir ale Assumpgao. E-
lou cerlo pnrrin qua aqoi se nao espretara' meio
para deseobrir a fundo a marcha do governo do Bra-
sil nesaa pendencia afim de se procurar o rr.odo de
estorvar o qua-i certo Innmpho da nosos esforgos,
caso infelizmente lenha o Brasil de se achar em lios-
tilidada com o Paragoay.
Algumas folhas de Londres, refarindo-sa a noti-
cias .lo Rio de Janeiro, chegadas pela ultima mala,
pub'icaram que houvera naquella capital um movi-
mento de insubordinagao enlre varios corpos da
guarda nacional que o governo pretender mobilisar.
Os jornaes do Brasil porem nada dizem a etla res-
pailo ; e poi me parece que urna lal commuii'carao
nao tem fundamento.
Pode ser que hoovessa nessa narraro eonfu-So
com orna anloga que a's folhas daqui tambem fue-
ran) succedida no estado de Koenos-Avres, onde pa-
rece cerlo que hoovera grande eteita^ao em virios
corpns da guarda cvica por motivo da inobilsec.ao de
alguns desses balalhes.
O parlamento inglez lera' abarlo dia 5 do prjimo
mez. Esla rasolucSo que acaba S. M. a rainha de
tomar foi davida a' medida arbitraria qaa o eeu go-
verno assentou dever lomar sobre a ampliado do di-
reilo cunea lid.i ao Banco de Inglaterra de emi-.io
de olas.
Na actual crise litmiceira, por que eila' pasean-
do o mundo commercial, vio-se o Banco de Ingla-
lerra obrigado a elevar a 10 ; o jaro do descont em
comequencia do forle pedido que a praja Ihe esla'
lazendo ; e a Ipar diso obrigado tambem a fazsr
faea a troca de grande porgao da suas notas,
que Ihe io apresenladas diariamente : nolas eir-
eumstaocias, sendo argente tomar urna medida que
fortificando o crdito do momo Banco viasse ao mes-
mo tempo augmenlar-lhe oscaptaes com qae possa
fazer face ao descontos e outros pedidos qoe sao fei-
tos, foi elle aotorisado pelo governo inglez a emitlir
maior numero de notas do qua Iba lia permiltido
p-l'i acia do parlamento de 1811.
Esle espediente dictatorial, porem, qoe esle go-
verno a -aba de adoptar, he de urna natureza tao gra-
ve que S. II. julgou dever reunir o parlamento sem
cas6s, e achamlo-se acloalmenle espalhada por maior
numero de freguezias e dai mai populosas, e oceu-
pando rea mais eilensa, a epidemia offereee pro-
porcionalmenle menor numero de bitos, do que
quando e-lava li nitada aquellas fregueiias, o que he
decid lamente ama prova irrecosavel da dimiiiuu-ao
de sua inleusidade. O casos fulminantes a falai
sao raros, e quando os doeoles se tratan convenien-
temente no periodo da invaao, salvam-se em gran-
de numero, nao se realisando os periodos aobsequen-
tes, nem 13o graves, nem de lao dilliil cura. As
eslatisiieas ufliciaes confirman) evidentemente esta
assergao do conselho de saude, comparando-se o nu-
mero dos fallecidos com o do curados; o eile fado
deve inspirar tambem eonfisnea no animo da popo-
lagao.
Nio he menos notavel a animador o saber-te que
os facultativo* e q lasi todos o empragados dos bos-
pilaes leora tratado e servido os doenlea de febre sem
serem contagiados ; a esta iminouidade deva con-
correr para que diminua a horrorosa doenga para
que se alo abandonen) os doenle, mas anles sejam
tratados sem receio de maior risco, guardadas as cau-
telas e pracritos liygiemcos de que o publico j lem
opp .rl'ino conhecimenlo.
No mudo da sna propa.-ag.ii (em ela epidemia a-
presanlado eircumslancias dignas de serem referidas
e que llorerem garanta baslanles aos individuos,
fjie lendo obrigacoes a deseopenhar na cidade, po-
dem permanecer nos suburbios. Apciar das inulli-
pliradas e frequenles communicages com a capital e
ai povoares piovimas, anda em nenhuma dellas se
detenvolveu o dagello, nem mesmo na que demo-
rara na ruargens do Tejo. A leste, para onde sabe
lodo os das grande numero de
Anda Ihe nao dise que apezar de nao ler sabido \ ras victima da actual epidemia, e que succumbio
da circularAo de Lisboa a lebre amanilla, lem gris- talvez a' fadiga causada pelo eiressivo Irabalho no
sado em Barrellos muilas febres gstricas a ponlu de | ejercicio humanitario e caritativo da sua proisao
se contarem ja para cuna de 900 pesoas fallecida medica.
Beguodo atlirinava ha dias una correspondencia Terminada a leilura do relalorio, dignou-se res-
parlicular ; todava o boielim uliici.il recebido Irlo- poader-lhe el-rc, aspondo ma.luias redexOai aobre
a de t graphieamente |ielo c ra-ellio de nade do seo dele- ' importancia do anaino publico e a neees-i.ude que
I ilo em I.raja' di/ que nao ha naquella villa episoo- 'em sec-ulo urinal de rlevar o direraoa ramos da
lia epidmica e que reinara epidmicamente febre- instrirc-.u an nivel das esigeneiai sociae.
gaslrieae benignas em ludu o cnseibo. Fazer c-.uihcer o dircilo, dis-e el-rel con-
No mesmo da em que a igreja lusitana celebrava I el indo, era a abra da revulugi'ies que deviaro des-
as exequias da Senliora I). Mana II, cabio aos gol- I parlar j sociedade e ensin.ir-lhe a fazer depender ele
pe da epidemia o eardeal palnarcha de I.i-boa. I), si mesmo o seo bem-eslar. Collocar ao lado Ja no-
prelado baria presentido a morle ; na sua ausencia I gao do direilo a iiog-lo do dever he a larefa daqoel-
les a quem cabe a misslo de solidificar o edificio que
a revuiugao social loudou, a
Exortando eniAo us alumnos a progre.lirem trium-
phanies as larefas cientficas, am que ja te baviam
lomado .li.inicio, lez por anas mos a distribuic,ao
dos diplomas de premios.
Terminada a sessao S. M. e A. visitaram o labo-
ratorio, as galenas de chimica e os obiervalorios
magntico e mtirurolugico, relirando-se depois das
lies huas da larde.
L.
P.-S. No sabbado I do eorrenle, preeticiuu-se
na praia da Foz (Porto;, urna arena triste, va-
por de reboque Fiar da Foz.n lendo levado fora da
narra a barca Novo Tentador.o demandou a barra,
irazeudo a reboque a barca SeirAora da Boa-Via-
gem,), que vinha de Pernambuco, com carga de as-
uear e cooros. Era eal posto. A mar dascia. ha-
via mai de meia-hora.e a forc,a da vaianlo e o veulo
de Ierra nao deiiavam ao vapor vencer com o navio a
correnle, e iam laucando o vapor sobre a lage do
Pn-.l", junto do salva-vidas ; vendo islo, picar.un o
u cab i. a barca lancou ferro e o vapor recuando pa-
ra o mar, enlrou a barra. C->m a mar, a barca, de-
paja da bater na lage, foi descahindu para a lage das
calraias ao sul das pedras de Filgueiraa, e ah des-
cahiu de
, na sua ausencia
'la capilal linha ello revelado essa nalural fraqurza
e burror a catastrnphe eminente qoe anda conserva
langa da nosaa primeira dejada para mais de seteu-
la mil dos seus habitantes.
A imprensa foi severa em demasa com o arcebis-
po de l.ifboa.
-V sua posigao especial de principe da Igreja devt-
ra ler modilicado a apereza da censara, porque da-
quelle lugar nao se pmlia defender.
"ei.'oo Sanlajem, cojo seminario patriarcbal linha
ido vi'itar, e publicoo em Lisboa urna paslnral jus-
lilicaliva, se assim Ihe pono chamar ; as suas pala-
vras eram repagadas de nncao evanglica j ao mes-
mo pa..u que irnplurava aos aeus diocesanos o per-
dao das olTeiuas que por ventura hoovesse commel-
lido, perdoava elle ineimo as injurias coiUra elle
disparadas. Poneos dias sobreviven a ela manifes-
lagao ; no dia 15 do correnle mez havia Dos cha-
mado a soa santa gloria o eardeal I), lioilherme
Manriques de Carvalho.
I'oi comanle em lodo o orbe calh dien o aprer.0
que o sumiiio pontfice fiz do palnarcha de Liboa
por occasio da sua vlagsm a Roma, sendo mui dis-
liucta as Imnras que all reerbeu.
El-rei I). Joao V, o mulu a muilas vezes nao fe-
liz imitador de Luiz XIV, foi quem jicara; u ao an-
tigo areebispado de Lisboa os lilulos e preeminen-
cias que o primeirus scalos linham cuncelido as
popa, enchendo se d'agua. A Iripolarai e
^" n ',' "n"\-e~'\j---------.-----' P,lo,4 de hordo da barca eliveram por algum lem-
b .ica ,u V ,d,li,,ur ? """I"""" Po en. per.go, ao manos aquellas qua se nao podan,
baslica de Mafra qu.z, e depois de espiohosas neg- euslenlar nos malro
ciajes, obleve inlroduzir na capilal do reino um
iransoinplo do pontificado. Quasi reflexo da corle
sacerdotal do santo padre com o sea collegio de
prebyteros e diconos purpurado, era o palriar-
chado de Lisboa com a sua curia de principaes e
monsenhores.
A concessio do privilegio foi onerosissima ao po-
der temporal, e nao foram poucas as diltlcoldades
que se venecram tolla para elevar esl.i provincia
ecclesiaslica apalnarcado.eomo Jerusalem.como Cons-
lautiiiopla, como Auliocliia, como Cesrea, cumo
Alejandra. Depois, cusa da novas e reiteradas
instancias e sacrificios foi realgada a rcenle digui-
dade com a invest Inra cardinalicia.
Por decrelu de l(i desle mz foi por el-rei nomea-
do a apresenlado palriarcha da sania igreja de Lis-
boa o reverendo arcebispu hispo de Coimbra t. Ma-
Bento Rodrigues, conde de Arganil, litlo an-
i ^T"pid'emiSeprZ.'arpe- I ^^^^S^^*^
, odPas a, sa..Pcon.mnicOe. kl^%. ".'! !.?J!5f
las Ierras do Ribatejo, e
rpidas pelo caminho de Ierro com a capilal, fazem
eom qae estas povuagOes possara er eoosideradis
quasi como bairro de l.i-boa.
He con'tanle pois, que a epidemia nao anconlra
uela localidades condicoes proprias ao seo deieu-
volvinieiilo.
F:te fado observado por lodos, d lagar a qoe
moilas pessoas se lenham delle aproveilado, viudo
lodos os dias a Lisboa desempenbar as suas obriga-
ges e vollaodo noile para as suas casas de campo.
O agello nao lrn-po al agora os muros da ca-
pital, iando-se principalmente as maigens do
l'ejo.
A e fra dos. mnrloi he moilo inferior da
epidemia cholenca em 183), e a soa relacao para os
atacados lis proporcionalmeote muilo menos dasfavo-
ravel qne a ^aquellas epidemias.
Diz o conselho da aaude que a epidemia conside-
rada era ratafia a oulrai que em diflerealcs pocas
tem invadido Lisboa, ou em relagSo ao numero da
victimas que lem tilo, on considerada linalmenle
debaixo do ponto de vista da prnpigagao da morlali-
dade para a curabilidada, nao pode justificar o ter-
ror e susto qae >e tem apoderado da populadlo da
capilal, e especialroento eionarios que tem abandonado os seus logares.
Lisboa carece de inelhoramenlos bvgienicosem
grmde escala, que fra convenienle levar agora a'
demora afim ne que o seu governo obtenha delle nao execueao. O conselho eata' estufando
su um "bil de iiuleiiiiinla le- para aquella medida
mas tambem todos e queeiquer remedios que pos-
san servir pea corar o mal linauceim, que jalao
de perlo lem allectado os nteres* da Inglaterra.
iim svslema
mais completo c proliruo para a ranatisugao"da ci-
dade, para a sua limpeza, para a organsag.lo perma-
nente da servir;o medico, e linalmenle para o regu-
lamento definitivo da qoarenlenai nos poituido
Na l-.-os-M-inpeiidrim saus pagamenlos o.<\Ves-1 mar. Parece que asta Irabalho era' quanto aotes a^
lern Bankoe m City of (ilasgovv Bank ; em l.iver- i presentado a's c-maras legislalivai.
pool o i.Borough Bank... \ historia dlas cpilemias que lem aecommelli-
Nesla mesma cidade supendersm lambem seus i do em differenlea poeaa os paizes pliangeiros, e
ptgamenlos as caas eommerciaes Denmisloun.Crosse parlculannenle o reino viiinlio, a anda eli nossa
i\ Companhia, e Sanderson, Saodeman \ Compa- capital, autorisa a ci erque o llagello cesiara'de
ipa ; a primeira com obrigages snperiore a dous lodo com o invern.
m.lliei aslarl.no.. e a leguuda eom perlo de tres mi-, El-rei I). Pedro V cominea firme no seu posto de
honra. Dizia-se porem ha dias que
Hies e rneio eslerlinos.
Em Londres lambem lem soflrido o momio de-
aslies varias eaas de comraercn, avaliandu-ca em
us malros.
Deve-se muilo a' inlrcpidez do catraeiro Jo3o Pin-
to INabice, que alando a catraia pelo cabo, conse-
guiu roceber lo la a genle, un. .10 homeiis, nao sem
pisar bailante, ficando com diversas conlnsOes.
Esta operaro de salvar a gcnle, acabou pelas 10 ho-
ras da noile.
lem lirado o. velam, o massame c os couros, do
qoaes se salvaran) uns 1,3110. O asiucar e o melaco
inulilisou-se ludo.
Pela reparligao de saude fui ordenado que os coa-
ros sendo salgados e seceos, leudo recebido agua, se-
jiro transportados para Sampaio. No dia I loi o
casco da barca lodo desfeilu pelo mar. Era proprie-
dade do Srs. Confias de Massarsllo, eslava segura
asna viola CoOlM na garanda. Tambem Ibes vi-
uham de conla mil saceos de assucar e urna partida
da couros.
A carga, superior ao valor de 70 cont, eslava se-
gura pea Equidade e mais companhias de seguros. O
navio linha chegado de Vigo de raauha. Todos cla-
man) contra a mal entendida prefereiina de rebo-
car primeiru os navios a -arar do que os que eslavam
fora da barra para entrar, deitando cales para a
no i le.
O prejui/.o para as companhias de seguro, nao foi
pequeo.
Por decreto de l'J do correnle, foi determinado
ao governaJor geral da provincia de Angola que fa-
ga promover por lodos os meios ao seu al -anco a cul-
tura e lahriragio do (abaco, aura de se nbler nao s-
mente o que for necessario para o commercio da
provincia, mu lambem para que baja mais um ge-
nero de exportarlo, que pode vir a ser eom o lempo,
da maior importancia.
Realmente a provincia de Angola importa ama
grande pngao de tabaco fabricado, lano em p co-
mo de fumo, nao obtlanle haver-sa reconhecido pe-
las amostraste tabaco minufaeturado, que da mes-
ma proviucia tem sido mandadas para Lisboa, pro-
ductidas semi'iites da America do norte, qaa nos
ltimos anuos lem sido remedidas para aquella pro-
vincia, qua elle be da mediar qualidade. Bom he
que se cunceda e aulurise esla uuvo elemento mer-
cantil a urna das nemas provincias ultramarina, que
por teus nntoraes recursos inail depressa lem de au-
xiliar a melropole.
Iluvida-se qua baja Homero siilliciente de pares e
dpputadui co ! da dezembro, para as corle func-
conarem.
Acredila-se que nao llavera', ir a epidemia n.lo
liver cessado, ou pelo meno, nao liver diminuido
muilo coniilaravelmenle. Parece que o governo de-
.inte- daquelle
tem em re-
serva para os gastos que possa produzir a
questo do Mxico 68 millies de reales o
quo manifestou ao governo de S. M. que no
auno prximo a nSo occorrer successos ex-
traordinarios,a illia de Cuba poder auxiliar
a raii patria com urna somma de 140 mi-
Ihoes. depois de feitas todas as despegas.
Allirrmm qne no Mxico tem navi io mu-
danca no ministerio. Alvares derrotou os
rebel les de Sur. A costa de Yucatn cabio em
poder ilos revolucionarios.
Nada se sabe de positivo em quanto ao di -
plomalico que deve substituir en Roma o
sr. Mon. Entretanto parece que ser o Sr.
marquez de pidal, ex-ministro de estado,
desejando S. M- que seja o Sr. marquez de
Vi luna. Antes desahir de liona o Sr. Mon
deixott arraujadas as tres questes de maior
gravidade.
I." A dos bens do clero, ja vendidos e a
conservado dos que faltam vender, segun-
do os arligos da concordata
2 Adiminuc3odos dias santos, licanio
estes reduzidos a 7, de 24 que eram.
il A das dispensas, estis sorSo des lu o
terceiro grao, feitas pelos prelados as res-
pectivas dioceses.
Parece que o Sr. Cueto, nomeado minis-
tro de llespanba em Vienna e Munich, par-
tir dentro em pouco para o seu destino.
Sahiram para Bayona os diplomticos hes-
panhoes.osSrs. Marn e geueral Monteverdo,
eucarregados de continuar as nogocir,<5es
para lixr inteiramente os limites entre
Franca e llespanba.
Lord llowdeo, ministro de Inglaterra em
Madrid, detido em Pars,segundo parece por
assumptos particulares, niio ebegara a Ma-
drid al aos lins de novembro.
O governo napolitano nomeou para seu
ministro plenipotenciario em Madrid, an
conie I). I.uiz (.releo, que actualmeote oc-
cu)a o mesmo cargo em Kerlia.
Oi facultativos conslderavam mui prxi-
mo o parto da rainha. Tinha-se dado or-
dem de pennanecercm no quartel os olli-
ciaes nonieados para comtnandar as bateras
que devem dar as salvas da ordenan^, iam -
bm eslavam disposUs os que liSo de arvo-
rat as lianleras nos lugares designados.
A junta governava da real irmandade
los ii i.i tos da casa real, deliberou que no
momento cm que su annuncie que a rainha
aprsenla syuplomas para o seu prximo
i>arto, se patenlee de dia e de nuite aS I).
M., iia ical igreja da Kncarnai;ilo,velando os
irniiios para implorar ao tolo l,oderoso a
sua protcc<;5o em to graves momentos : e
logo que se rcalise com felicidale. se canta-
r oTd-Deumem acfo de graejes.
Dizem que no caso de ser prncipe o que
houvi'r de dar luz a rainha, se chamar
Francisco de Assis, qustilo porem seja in-
fanta recebeta o nome da Purisstma Con-
ceicilo.
roi publicado um decreto em que'a rai-
nha autorisa seu esposo, para que condeco-
re o principe ou ufante quader luz, no
primeiro caso com a insigne ordom do to-
silo de ouro, e as gro-cruzes das reacs r-
leos de Carlos III, Isabel a Calholica e S."
Joflode Jerusalem, e no segn lo com a ban-
da de damas nobres da rainha Maria Luiza.
No dia 19 de novembro foi o anniversario
natalicio da rainla Isabel, assim como de
princeza das Asturias, sua filha. I'ela ma-
nha houve grande parada de todas as tro-
das da guarnicilo de Malrid, tenio lugar
pelas 3 horas da lar le o beijamSo do estylo
nos Pagos lleaes, onde a concurrencia fot
muito numerosa.
Em Barcelona foi festejado eom grande pompa, o
anniversario natalicio de S. M. C.
Chinaren) a MadriJ o duques de Montpemier
sendo recebidos pelo capilao general e mnnlcpaljl
dade. A rainha veio h escada do palacio abracar soa
augusla irmaa. Parece que os iliuslres hospedes de-
morar-ie-hao em Madrid ale o baptiimo do principe
oa princeza qua a rainha der a luz.
iNodia immediato SS. AA. receberam os cumpri-
menlos dos d-versos funccionarios. A esta ceremo-
nia concorreu o corpo diplomtico, presidido pslu
embainador de Franca, marquez de Turgol, ai da-
mas da rainha, os arcebisposde Sevilha e Valhadolid,
o palriarcha das indiai, e grande numero do oobua
da primeira grandezs, e de autoridades civis e mili-
tare.
Chegoo a Madrid a Infanta D. Josepha, irmaa do
S. M. el-rei, do regreSio de sua viagem Franca e
Inglaterra, Dias antes regressaram ja a Madrid, das
saas eicui-oes a pontos mais distantes, o infante 1).
Francisco e a infanta 1). Isabel. A infanta . Jose-
pha deijoo em .Navarra lao gratas recordarles como
s que soube j adquirir na Cailella.
Parece que sabio no l.o de novembro de Bayoniia
o infante t. Uenrique na iiiitnri!j de vollar a Hei-
panha.
N'o dia -JCi de outubro chegun a Cdiz, a bordo da
corveta hollaudeza Crooingenu S. A. o principe de
Urange.
Uizem qoe o duque de Valencia nao lardar a ir
para Frant; i, mai parece qae lomele ealni.i de Ma-
drid para diiigir-se ao sao paiz nalal.
O bario Ilorlege, conselheiro da legarlo e con-ul
geral de Portugal era Madrid, regresin i aquella
.... boa, mai
brevemente vira oceupar a cadeira patriarcbal. Pre-
sidio o maior acert a esla uomeatao. O esclareci-
do prelado na humtldade do seu animo foi cheo da
resignarlo que aceitoo o peso de lo grave reaponsa-
bilidade ; mas he homem para sustentar com digni-
dade a mistan qua o rcvesle e o -cu decidido amor
pela illustracAo popular o guiara' por cerlo na gran-
de larefa de preparar n clero portaguez para o mais
bullame complemento do sea mandato elvilsador a
evangelice.
S. Eic. reverendisima foi nomeado vigario geral
do palriarchado em 11 de julho de IHi ; confirma-
do com o Ululo de arcebispo de Mylelene em \ de
novembro do mesmo anno ; apresenlado bispo de
Coimbra em >' de outubro de 1811 ; confirmado em
l"> de marco de 1853. Alem do ltalo de conde da
Arganil ha grlo-croz de S. Thiago. ascaa ra
o de dezembro de 1800 e he natural de Villa Nova
de iiav.io.
No da l!) desle mez pelas oilo horas e 2 min-
los da manilla houve Ires abalos de trra que dora-
rim Ires segundos no sentido E. O. de non grande
inlensidade. dislioclamenle inlervalladoa. O tremor
senlio-ie lambem era Cintra. Porlo, Cildas e San-
tarem.
Acarea do casamento de el-rei o Sr. D. Pedro V
lem se aqu por mais cerlo o qne ltimamente pu-
blicou o .lourn.il des Uebalsi. ; dizia aquella follia
qoa n nosso ministro em Londres o conde da i.avra-
'lio, que se acha actualmente na Allemanha, ira' de
Berilo para Dusseldorf, ..ralo terao lu<-.i a- nupciat
olliciaes da princeza de llobenzollcrn eom o rei de
Purlugal. O casamento sera'celebrado por proco
rscau no mez de marco prximo Caluro; a Culura vera adiar novan
rainha .ungir se-ha a Lisboa acompanhada pelo con- dia. As razes s3o obvias.
de de l.avradio, Nao estou certo sa lira disse na Cometan) difiranles jurnaes nao miuisleriaes a
ininba ullum qae o mestre do Sr. t. Pedro V, o pro-! argir ae que no ardor da u .-lade, porque va- armada o chele de esquadr.i U. jo"e"Mar'"laicoi"'
lunlo beleimla Antonio JoscNiale sabio em am mm passaiiln, cui.iinuain a la/er opp-isn.au a cada vogaea ll.Chnslovao Mallen e I). Joaquim Culhier-
dos ulliinos paquetes para Londres donde paisara' a i aclo do governo. leem razio quando oireni que
Allemanha salido encarregado por S. M. de acompa- ser governo om cnses laes, be prestar bom seruju
patria, u
aquella
Chtgoo a Madrid D. Joaquim Armero, capilao ca-
rel de Valhadoalid. B
Consta qua tallecer em aples a inCanla 1). Ma
na Amalia de Boorbon, esposa do infante t. Sebas-
tiao. A corle tomou loto por doos mezes.
Foi exonerado do cargo de sub-seeretario do mi-
nisterio da grr,a e jostc,e, I). Fernando Alvarez, e
sob.Moido por 1). Ramos Gil Ozorio, depulado
cortei.
Publirou-ieo regulamento para o rgimen e orga-
nisajito das reparliroei do ministerio da marinha, ra-
cenlemente creadas.
Foram oflicialraente convoca.ln asdepulacrspro-
vinciaes para a segunda reumao ordinaria dn cor-
rete anno, que dever.- comecar no 1. de dezem-
bro prximo. Parece que com a abertura das corlea
o niinnierio do Armero-Moa ser modificado, ou
ante reforjado. Ha possibilidade da crearan .le um
ministerio do ultramar para o general Serrano.
t-i/eain-se grandes reformas na direcrlo geral da
armada, sendo e.ta reforma da ha muilo reclamada
para bernalo eervien e pelos inlensses da mesma r-
mala.
I-oi nomeado preiidenle da jaula consoltiva da
S. M. e de el-rsi t Fernando, oda a real familia
iria para C umbia. Nio lico por esta nolicia. f) mo-
sommas enormes o prejuizo qae estas quebras lem menlo do maior perigo parece (er pasudo, e i fami
causado aos ioleressados Bellas. ; lia real, que persisti at boje em Lisboa, nao autu-
A uturnas noticias dos Estados-Luido, quevche- n'saria com o seu ejemplo nova deserc,de*.
eam a 8 do crrenle, sao anda pooco favnraveis aol Chegaram a Lisboa don medico t-anece par.i
estado Haaoceiro i pala qu all o dinheiro nonti- esiudarem a epidemia. I'm dellea, -Mr. (iuvon, he
|uro de 1 |S e S t|2 por cenl.i no me/., enviado a expensas du sen governo. i) oulro. rujo
nome sinlo non me oceurrer, veio e-pmidiieameuie,
por amor a' srienet.i.
Sjeenndo o boielim ofTicial poblicadn no tiUiario
nhar a P.rlugnl a futura rainhii inslni.n.lu a conve-
( nieulemenle no idioma portogoc/. Acrescenla as
"'l-'?*:!. Iiim''em que o illoslre academieu fora ngraeiada an-
tes da sna parlida com .. Iro de f l.il-".
Celpbrou se no dia 17 do correnle a aeeeo solem-
ne da desirib.iic.io dos premios na ec la pclytech-
Av.diam se em !l(l niilliiies de dullars as perda sof-
fndas em cnu.eqiipiicia da actual crise mondaria,
cuja caosa he eiplirada a bello prezer de cada nm,
taulo aUi, como aqu, cojoi eiilos porm lem sido
IIKSI'.MIA.
Temos noticias at 21 do novembro.
rnpresentante do Mxico, o s>. l.afr-
nica, lesMflo qu era lamben destinada para a aber- gua [iiiblicou cm Pars Una lili'inoria acerca
tura ofli- i .ia escola. da qtKSlSo poniente ente a llespanba e
S. M.oSr. I). Paire , a asa alleza o mfanle I), aquella repuli-.. Poneos exemplares ap-
l.u,z.1.,,a,,,,,..e ,1. honrrosla se.Uo con, su. p,recer, m"em M-,,ril| mas da sua leilura
S. M. atiera chegaram a erecta a roca Iiom de- ; rolllr'<:<]> negocio do Mxico he iiiui-
poi do ni. ni .la, sendo recebido) pp|o corpo ralbe- '" ''S;'Clo nos lacios qua refere, rom quanto
dralico, c-lan-h. prsenles os ministros de goerra, I OBlilta muitos que sj' deram dur.into asila
do tioveruoo, o namtro de atacados, falleciiios e cu- matinba e obras publicas, os uiiaisiroi je Franca, da Jiermanencia cm
e w' don
MlriJ,
c principalmente
i iiin uuiiner-
reade babaleava, da mesma gra.luai.ao; director de
eiigcnheiros da armada, o chele de esquadra e enge-
nheiro general da armada I). Jos Sder ; direclor
la arlilharia o iiilaularia de marinha o brigadeuo II.
Eusebia Salce lo: direclor de conl.iluli.la.1e de mari-
nha e do corpo administrativo da ?i ma.ifl o commis-
taiio IJ. Jos Mana rlia, e ollici-l .la secretaria do
ministerio la marinha ll. M relimo Travieso.
i o nomeada ministro suppleme dn supremo Iri-
uiial de guetra e marinha u marechal decampo I).
Jiiaquim 1- I ir Alvarez. .
Fui nomeado chefe de esquadra ll. Jlo Jos
Martina, para capilao general do depailamenlo da
marinha do Ferrol, e para vocal do sopremo tribu
nal de goerra c marinha o lenla general da arma-
ma D. Antonio I ornan les Lamia. *a^
Foi loppriniido um doa lagatta de fiscal que eiis-

MUTILADO


UMQ riOKftNAMM CnVTA W1U l) t hTJmUO 08 itU
Ifin nn milla liri'-i.i 'le Madri.l dla a incorpora-
. * a mesina do tribunal eoiainerciat.
E,|iera-se que a r.iiuha rableme. eretoa Iranifirindi tflmlttlndo alguna guverDadures
Civil; cum flTeiin chocan ID.
riiram psonerailiu de *us cargos o* unvernadorpa
da-provincia de Albacete, Almena, Avila, Barcelo-
na, Itmgus, (Urpie*, V, ir.I.iva, Cuenca, Gerona, tlna-
dilajara, limita, Lrida tic, sendo Humearlos em
argida 35 ndSi'g aovetnadores, lauto paia este dia-
Irirlos, eomo para oulms.
Parece que S. Al. C, condecorau coro a grfla-Ooi
de Carlos III ao duqua dtalahiii, a toa de Iram
e Catarla, As insigm e diploma foram nilie.:ui"i
pelo cmbaiiidor de S. M., o Sr. Bermooei de L-
tro. a S. M. o re de aple.
I'oi agraciado com a Orna de Curias III. o joen
campeillar valancano t. Junquim Vcluqoea e Apa-
iei, autor da om nolavel Sliioi M.lei.u
Receben se nolic as da descoberla, em Barcelona
de urna vasta conspirarlo carlista, com ramifica. g6s
na Latalunha a n'oolras provincias. Eslava a sua
Irenle um tal Monseralanligs chele carlista, o qual
havemlo sido sentenciado a mona pelo csansellio de
guaira, o espilo gnu tal maiidon suspender a all
telina, poique elle aa ollereceu a (ar graves revtl,,-
lats.
N vi obstante haver-se descoharlo esta conspi-
i.,n. o governo dea ordens para que detsppaitc.* o
astado de silio de toda a Iltspanha, eicepluainln a
i.aialunha. Islo confrma a noticia da que anlts lo
lim de novembro sera' levantado o tilio de Valeocia,
Irado, Srvilha, lirauada, Jaen,-t mais porlos oude
etitlM, exceplo Malaga.
Em Cdiz, descobriram ana aoblarranao comino*
meando eom o mar contenilo uso grande deposito e
contrabando. Sacaraiu mais de 30 fardos de la-
baco.
I oi apresada as aguas de Cuba urna embarcado
auglo-aroericana, o Maupa, a cojo bordo foram apa-
nhadoi 385 negros. A noliria deixa causar boro ef-
feilo no espirito do governo ingltz.
Em Malaga loram sospenais as prises por ordens
do governo civil daquella provincia.
Supplicam induliu, pela occasigo do parto da ni-
nha, para os ulticiaes que nao leem oulms delicies
lenio o ttrem commeltido pequeas fallas d'msu-
bordinarAo.as quaes Bao sao deshonrosas e que se re-
dozam multas vezea a actos que smenle castiga se-
veramente a ordenanca militar.
Parece qoa o ministro da fazendo o Sr. Men re-
cebeo urna commiatfto da juula do coinuierrio de Ma-
drid, qoa Ihe rogou abolic.o do decrtlo de 3Ude
eetembro relativo a circulando paia o interior da
pennsula dos geoeros nacionaos, coluniacs e ealran-
gu-iros.
O Sr. U. Aleandre Mon fui eucarrecado de nfls-
recer a S. M. Culi li.m por S. S. um sobaibo mosai-
co, representando o tiln, prodigo. He copia lie! da
ntn quadro original de Murllo com que a reinita I
iah-1 ha lempos brindara o Suiuuio Puntillee.
Pance que o Banco de Despalilla esta' preparando
lilas de 100 reales caJa urna para por na circula-
cao. Resolveu nao augmentar a tasa do seu descon-
t, qoa boje lie de 5 por canto.
Parece que se trata de organisar em Hespanhu urna
companhia para fazer o ceminlio de V>go a Valha-
dolid no caso de se fazer o do Porlo a Vigo. Horein
que se pedir aulorisanln aog Envernes hespanliol e
porluguei, para taludar o (rajado ni i- direclo do
caminlio pe nirnalir da Madrid a Liaboa, que dentro
da regido liytrugraphica do Tejo, passe nu lenilorio
bespanhol pelas provincias de Toledo e Caceras.
Trabalha-ae com grande aclividade no carril de
ferro de Alicante. Todas as obras se podem dar por
concluidas a eicapcao da mande ponle sobre a ram-
pa de Novella.
Cre-se que no da 2i dezembro poder-ie-lia Irn-
sil ir drsla corle ao mar.
Em Barcelona onde a indoslria e-la' a par dos pa-
vos mais adianladoa, fn-se n'uina noile meio kil-
metro de ferrocarril I islo com o Din de que os du-
ques de Monlpentier' de sua casa podesseru logo pai-
sar para a eslsc,3o do caminho de ferro.
A estatua do Sr. Mendigaba! fundida ltimamente
ID Paria, chegara' a Madrid nos lios do mez de no-
vambio. Parece que anles da sua collocaclo na
praja do Progreaso, sera' eiposla ao publico em lo-
cal eso Iludo.
As obras da eanaliiBC.no do Ebro nvanram rom
fcovernn. lias aulaft.ladea polioUc dauur, apenas
l inli.'in tiveram parle metes diligencia., alem do
delegado desle termo, o subdelegado de Baila Ver-
de, rujo concurso na lahida da pnmeira paili la que
inandti no encalco dea ciiminosns, a' meia-uoile,
duas horas depnia da consumarn do crlme, fui mili-
to eflirai ; dialiaajaindo-aa nesla diligencia e un
anulraa ubsequeules, p-la prumplido e rapidez da
'uas marchas, o alteres do etercUo Sot Kerreira de
Azetedo, tqui de-lacado. Ilaveudo-se-me propor-

\ doqaea dalia qaatro nios, o cande ! lio. as- i halla dtcomboi,, do que deviam rrgalar euire si
cido em I8fc2, duque de Alencon, em I8i, a prin- esla qoe-lllo, pois que ella nada liaba com i-so.
cera Margan.la e>n ISli e aquella, eiijo niieimaalal J;i as duas parles belllgaranll se preparav.m para
em 2S de oulubro proxinu pas,a,la llie occisiuuara e/novo coinhale quanlo o commamlanle do .Niiniod,
.anvioa ao commaiidanle porlugaez um olficiai seii
mora.
portollriuue porluj!Oe#uiIaperaiiea.., barroca v\
Castro, 4011 cascoa mel."
EXPIIRTACAO'.
Liverpool, galera ngleza aBonila, conduzio o
seguiute : .800 saceos eom li.OOO arrobas d
meados, que me foram, ismn como oulros eidadloa,
inapictnres e mu- agentes paliciaes, de moilo au-
ilio ; a coja maiorailisfacio eiloo ceilo) he a de
ronseieneia que eipenmeiuam palo hrilhanle rasul-
lado colindo p>|a polica e pela sociedada em lal
energa. Kesla-me, finalmente, nSu deitar paitar
desapei. ?bido que os qoalro as-assioalos e na i cinco,
de qua falla a breve milicia a que me rtfir), ato
podem ser reputados taes, tillo cumo foram tasas
moras pralica laa, inania uin.i parlida ique vai
por isa -a- reapouaabili-ada, aobre dous assassinoa
que prlmeiro sabr ella aiiraiam, lagindo logo a
mu i" ,i ser depoia capiturado-. Escusanlo sua pro-
li-ilade, dignem-se, senliorrs redactores, de man lar
Insarir estas linhas em seu cunceituado lliarioa ;
palo que muiio obrigaro ao stu constante leilur e
aisiguante.
Biasilio da Amorim Bexerru.
Villa Bella 3 de dezembro de 1H.Y7.
Thealro de Sania hahel.Pedro-Cero. Se
fusse possivel desliaar-se por este papel a peana se-
gura entre os dedos de Vctor Hugo ; se con semos na penuria de nossos recursos roubar orna pa-
gina de Lamartine ; se alcanzsemos com o< nossos
labios mudos sorver dos labios dos anjos urna lingua-
gem dos ceos, so atsim puderamos t'crever algo-
mas palavras sobra a represe nlar.io do |drama
Pedro-Cem que na noile da anles de honlem le-
ve lugar em laotio Ihealio. Mas cremoa que nein
anda la' chegananios, pmque as impresaes qua ai-
perimenlamo-, as sensaroea inesplicaveis e indifim-
veis que aenlimoa, os transportes, as emo^oes que
nos dominaram, foram lao feries, qua nos pisando
todas sobre u coraro, anda noa emhargam a voz
ainda nos prendem o espirito, ijiiem fui o especta-
dor que se nAo senta abalado '! i.lnal o qua n,lo ae
euievou em momentos dt estasis'.' O diurnaPe-
dro-Cem nao he orna pec.a de (healro, onde pas-
sam-ae episodios mais ou menos divertidos, ndo, he
om livro de'moral, he urna leilura de poesa, he
orna lico para aprender a virlude. Ah Iriomplia
a rtligiau, purilica se a honra allrajuda, homilha se
a sobarba, e abate-se o orgullio Kdo podemus par-
ticulansar o drama em seu lodo, e nem Ido pouco o
desempenho em cada aclo, seria ir alm do nosao
proposilo. (Jotra penua melhor qae a nosee, que o
far;a. Os que presenciaran! o espectculo virios, e
os que o nd i itsislirain.aaibam qae i principal perio-
uagem he um liomem demaaiadamenle rico, rico co-
mo usnen, ainda o foi ; mas que em eilremo or-
galhoso, sobeibo gallara o ouro a punhados para
allardear luda a sua grandeza, para saciar lodos os
eus d j m, para realisar ludaa as suas phanla-
aia. JVo eomulo de sua colossai grandeza tlevou-
te a lal poni esae orgolho, que em um dia ai.roii-
raando-se ao porlo indo da India om combino de
navios carregados da riquezas, ensuherbecaa-se pir
tal modo, qae em um momento de dilirio chegou a
prouunciar, que aua riqueza ara til, qoe nem
Daos masmo seria i.apax de lorna-lo pobre !o .No
inslnnle m que eesa blasfemia escapou-lhe da boc-
ea, o echo da voz qoe a prononciou foi suflocado
pelo estampida de um Irovdo que desfeilo em hor-
rivel lempeslade, fez em pedamos todos os navios ja'
dentro da barra, e sepultar lodas as riquezas no
fundo do mar.
Essa parda aniqailou-o complelamenl, e ese ho-
mtiii desgranado licoo reduziao ' miseria, despio a
lela de lenlejoolas, vealio os andrajos da miseria e
da pobreza, e men ij u esmolas de seu proprios
criados. Sao essas as consequencias da sobarba dos
ricos,que rom aeu ouro, repulam-ae cima de l)eoe !
insenaaloi !.. pussa es-e esercplo aproteilar a mui-
losque Mal inri chegado a rlasphemar, lera lal-
vez la al onde nao oeveram. Dizer algama cousa
dos actores lalvez fosse pur demais. He presencian-
do que se pode bem avallar, bem pesar a importan-
cia da cada um. Todos deaempenharam a nao mais
grande rapidez. As grandes difliculdades das mere i deaejar, nenhum em aeu papel licou r quem da coin-
rus casis e Buidis liiiliam suspeu lide os seas paga-
mento nao M all cuino lambem na Escossia, mon-
l.ui la o seu pas-no a somrnaa enormes.
Sanenle o paeSivo du Binco de NVolverhainntnn
;;x a;;^;1:;^^ ,'i',"?"fo-mr*1"^^-"ndo"*"*>......-'KSSS
i. n i.-i iiuu- \ivoa agrafCimentus us imhureo u- 400(U;m iil.ra- diz
Em Inglaterra continaava a criae hnance.ra. \.i- e ncarregado da dizer-lh que as suas nalrncQes o I alinear, hT accas com i,:t8> arrobas e 22 librai de [
tem sido veuridas facitineule com ninas machinas
para a extraer i das pedrss, e boje a passagem que
infunda lano (error ao* martimos do Ebro, segun-
do elle muios diiam, paisou a meihor pela pro-
fundidad que apir-1 n: i.
Parece que se entregam, pela direrrao geral das
obras publicas, a dos lelegraphos, completanienle
lermiuades, as linhas elctricas que com i'irm a rede
Parece que se traa de reunir e publicar aa obras
do deagrajadn II. Jote de Sooza, cuja vida lerminoa
ha alguns anuos de um modo Ido deploravel.
Com o lilulo cil.s Hressea -alura brevemente a luz
em Madrid um peridico trance/. ; a soa publicacdo
sei.i duss 'vezes por semana.
O ju\en e>criplur Brustbe de Madrid dizem q le
tallecer em Havami do vomito oagroa apenas liuha
ehegado sendo encarregado de drsempenliar uini
rr>mmissdo do monle-pio-universi).
O estado sanilario e i IranquilliJaile em Porlo-
Rico, segundo as participadles do capillo general,
aalisfaclorias.
II novu regulameulo do carpo de saude da armada
foi la ni recebido nc difl-rente poni.
De uina e lalistica da colera-moilus lorrrada relo
ROfiroo, r}-a que em 1855 t se livraram do II i-
tello a illias Baleire, as Canarias e a provincia de
Poiilevrrde, que lia ciuelmeule foi tralada pelo mal
em 1851. Orenze, Coruna, Lugo e Ponlever.le, per-
dcraiu menos rie 1 por HOda populara.i. Oude me-
nos duiuu foi em /.amora, pois so permanecen um
mez, a em reme dous. O resultado lolal doa moi-
tos em llespaiiha pelo mal he de 236.744.
A riqueza in ustrial a cummercial de Madrid sop-
pfle-se que sobe A summa de mais de :i nulli5ss de
reales ananaes, representada por 12.710 conliibuin-
[" Aqoola da coulribuicdo por esta mappa he dt
<,43i,.il!) reale e 5 maraveds.
A populai.au de llespanlia, inclaindo as das pos-
sessea-ullramarioaa he : Hespauha e ilhaa idjlreii-
tes 16,301,851, ilha di Culi 1,02:1.713. I'orto-Rico
^li.OOO, Archipelago pbilipioo 3,507,277, lolal......
11,144,277.
Conia-se um caso bstanle nolavel icontecido em
' id i/ e qne tem sido ohjecto da lodas as conversardes.
'ni U. Juo Jo- l'ereira uoe perlenreii as lileiraa do
esercito bespanhol, deserloo, e passindo pira Por-
tugal deu-se como padre r conseguio u lugar da ca-
pelldu da um regiment. Ilepois foi nomeado cura
de um povo vizinho da fmuleirj,* haveudo pastado
a Lisboa, onde dse openhou as funccOes do seu o-
ido minisleno, paasou ollimammle a Madrid no
anua de 1851 como hispo e aqui pregou um sermo
m honra daa victimas de 2 de mam. Pensando ir an
pelencia, quem da cvpeclallva. Per'mitla-se-n
porm, niissos emborna a Sra.- Manoela, ao ^r!
liermano, que hcaram por mais esta vez, alm de
lodo o elogio. A Sra. Manuel se loma cada vez
mais sublime, mais arrebatadora Noa seus trans-
pones de dor, sabe perfeilamenle compreliender o
alcalice das pathelicas pinturas de Cumper ros seus
discursos subreas plilSet. Ndo he smenle o sem-
blante qoe da' a coiihrcer ns tulimeirlo doloro-
sos : lie lodo o corpo, da o bracos, sdo as peruas,
sdo emlim aa carnes lodaala doulcur sorl de par-
loma sjini, a Sra. Manoela se apodera lano
do carcter qoe I lie cabe que cheg.i a chorar na ace-
a, lica convulsa, treme, anipaa aa carnea e desfal-
lece eom lal naluralidade, que cima de ludo moi
lica a realnjade Era para fallar da Sra. Manoe-
|ue ser pouco inferior a um
milliau de libras, o di caa M. E. Sievehing e Son,
hanqueirui, monla lambem a um inillido e o da casa
Sandenon, Sandeinan e Comp, monla a 2 m-
IbSei.
A ralilu (inli4 reaolvido convocar o parlamento
para espor-lhe as medirlas adoptadas pelo governo
relelivamenle an Hinco;; a ule respeito l-ie im om
peridico portuguez o siguite :
n O Mornin", Clironicle aconsellia 03 membros
do parlamenlu a que se ponliam ere guarda conira
o bil de indemnidade, que o ministerio nao deixar
de llie pedir sobre a sua poltica geral. He (ora
de duvida, diz o jornal, que o bil de indemni-
dade relativo ao acto da caria orgnica do Banco .se-
r iininsdialaincnttj concedido pelo parlamento ao
ministerio, lisia medida era cm geral lo deso-
jada que be mais do que cerio nm aclo de absol-
vilo. Mas o ministerio queror, Uni duvida,
aproveilar-se dcsia circunsiancia para fazer absol-
ver igualmente a sua poltica geral e sobreludo a
sua poltica indiana. Recommendamos encarec
dmenle aos roemliros ndependetiles da cmara
dos communs, liberaes ou conservadores, para
que se acaulelem contra os manejos lendenles a
esse lim. Rccorrer-se-ha a 188 meios nica-
mente para os luvar a nao ctimprirem os seus de-
vena para eom o publico.
Pa India sabemos que iam chegando a Calcuta os
continenle pulidos da Inglaterra.
O re de Delhi, ana miilher, seus dods filhni e nm
nelo foram presos por um destacamento as ordens do
leoenle llondion junto a kootoh, o qual mandou lo-
go execular os tres nllimos, Mirza-Mogul, Miria-
Kiza e Mir/.i-Ahoobukor.
O re foi poupado lalvez em iltenco a sua avan-
zada ida de ; lem mais de 90 nonos.
O colera daclarou-st em llolhi, onde os cadveres
insepollus corromperam a atmosphera.
O correspondente da nNacdo, escrevindo-lhe de
l.ondris, diz o aeguinle acerca da lomada de l)e-
llu :
A poasessdo i1-~I>e!Iii lie mais urna vanlsgem
moral que real.
a Esta vanlagem dos ln;le/.es prova ale uma ma-
neira evidente a superioridade dos europeo so-
bre a raja indiam, e eala escramenlada ndo em-
prehen lera' una secunda revolla ; emquanlo aos
que ja se revollaram, he um negocio de iieces.i-
dade.
" As cauaj foram muito longe para qoe elle* poa-
am recuar, e muito mais porque nio tem a esperar
nem crar;a nem merco.
He, pois. urna guerra de exterminio entre os
C>paes e os lnglezes.
" Ma o resto dos habitantes que ealavam sero
dovida muito disposlm a seguir o esemplo dos Cy-
paea, devem condecir com a lomada da Delhi a
inutilidade da revolla.
Moje os Cypaes esldo reduzidoa a sustentar a
campanha e a fazer a guaira da poslos, que pode
mui bem retardar a lula, mas esla terminara' pelo
Irlompho das armas inglesas.
a llaje he o reino de Oude que allrahe lodo o in-
leresae, >-to que lmenle Lucknuw se acba em pe-
riso imminenle.
'i AHi esisle uma gu,irni;do ingleza, um gran-
de nomero de mulheres e de enancas que se
Iralam de ulvar da sorle dos sitiados de Cawn-
pore.
a Na dala das ultimas noticias, o general Have-
lorkeaperava a sua juucclo com o general Oulram
para livrsr l.ucknow.
As noticias eramde 2') de selemhro, a os sitia-
dos linham vveres ale ao lim do mez : aasim he
muilo piovavclqne os desgracios sitiados leoham
escapado a' sorle que oa aineaca.
O reslo das nolieias da ludia lem pnuca im-
porlancia : al-uns movimcnloa parcial ; alguns
desarmameiiloa de regimeulus ; cousas emlim que
ndo se rennvarao mais depeis que a lomada de
Delhi lenha sido conhecida em lodo o paz, e ea-
pecialmeiite quando lodos os rifefcoa livejnaa chega-
do a CaleuU'i o que ja se deve 1er realitado.
O iu.pera,lar da Delhi luilia urna corla in-
llueucia quando oceupave o palacio dos anligos Mo-
goles, mas boje que esla" reduzi lo a andar erranle,
o seu poder esla' redolido a qoiii nada.
Em summa, o que ha de mais importante em
rilaclo ao imperador de Delhi, he o lucro que lem
ohngavam a liear eomplelamenli neutro se u brigue algodo. 2.178 couroi seceos salgado
t'll IOS, n l-Ori: L, la .........____1.. u #A__- I...... .....
engajassi o combate, eonaerianlo-ia fra da Imha
de fugo, mas qua ai o Nimrod ou 11 casas do si-
denles ingleze. recebes,eiu l om Uro ira do sso de-
ver iulervir.
O Mondigo a as lorchas parliram immedialamen-
la para Shanghai. A frola de ATak eonlinu a ser-
vir di combmo esi ancorada no rio.
Nao lenho poia, um s momento a idea, diz ler-
minando o correspondente do Times da eompl- I
car a nardo porlugueza nos crimes destes bandidos '
de Maeau : mas eslas rireumsiancias fazem suggerir
eonsiderarjes grave relativas ao nosso fulero Ira-
lido com a China, t moslram qudo Imprtenla he a
quesldo de polieia das cosas, e o eslerroioio da pi-
raleiia. lambem moslram qudo importante he para
as grandes poleneas europeas esercer ama acedo
enrgica sobre os vagabundos. 11
O governo juico proseguc nesle momenlo o pro-
jecloili conclosdo de nm Iralado le allianc oflensi-
va e defensiva enlreoa reinos rio norte scandinavn,
projeclo concebido et.sie 1819 pelo re Osear. Tal
qual aclualiniula o propoe u principe regair, leria
especialmente por base a aramia assegurida a' Di-
namarca, e reciprocamente di integridad! da fron-
leirai dessereino propriamanle 1I1I0, sendo eon-pre-
bendidaa as do ducado di Schleswig ale o rio nave-
gavel do Eider.
Desle modo, a Suacia, diz o u Coarrier di Pari,
evitara prulenlemenl mellar-ae cm dilliculdadcs
evenluae ou iiuin cunlliclo eom a eonfederavao alle-
Bla relativamente aos direilos qui ella pralende
esercer no Uolslein a no Lauemboorg como lendo
ujeilos as le- da Dieta de Francfort. He jualanitn-
I easa eslipolacao qoe furma a principal diflicol l|-
daquescoppt acunclusdo du novo tratado mire
os estados scandinavos ; a como te allirma qoa o gi
Inmie de Copenhague insiste com o gabinete de Slo-
kolnao sobre eale pcnlo, he provavel que ainda e
paisa llgum Itmpo antes que as negociac,3i enlabo-
ladas posaam chegar i' solocdo deiejada.
O ministro daa linancas de Auitru acal,a de apri-
senlar algutna objcccAe conira certoi arligoi da
concordata.
O governo ponlincio deve nceber urna parle de
tscrdenle dos rendimenlos anouse dos convenios ;
porom a quanlia ser.' lao cousideravel que o rninls-
Iro parece querer oppor-se a sahdi de uma Ido
grande qoanlidade de numeririo.
" O Muuilor Belga, de 13 de novembro, publica
um .lcrelo real quedissolva acamara dos rtpra-
seuianies, convocando para 10 di dezembro os col-
egios el.1 iones. Sao convooadi ai duas aiaemblcas
ligiilalivis para l dezembro.
Doui decreto reaes noroiiara minislros de e.la-
10, douimembro da eequerda, MU. Lebeau, en-
ligo mioislro do negocio eslraogeirus a da juilica.
1 uelfosie, lullg. prndenla da cunara do repre-
senlautes. K
c Dovidi-ii da possibilidade de formar um ga-
tiinee antes da abertura das cmara linda para o
du 10 do crenle.
Em lal caso o minislrna dimisionario! inso-
gorariain as sessOes, mal sem ler o diacorso da eo
roa, poi. s comprehen le ptrfeilamenle que psssoas
que nao sao minislros si ali.ieuli.un de apraienlar
um programma poltico a urna comira prusima a
concluir lambem, pois a sua dissolncdo lie o anjeo
\- ir* '8'C0 con,|i,uc">ni| da siuico.
> L-i,ii],i-.| nulos conlioua a crise'liuanciira,
noiando-.e ja lodavia alguu liguaes de melhora-
tnenlo.
>o Milico o presidente Comonforl fei declarado
dictador, aendo suspensa a consliloicdo ha pouco
promulgada. v
Todo10 estado da Vncalan se levantoo em armas.
0 liaiiy eonlinua a guerra civil.
hia-aqm quita .do as ultimas nolieias levadas a
Liverpool pelu Norl-American :
O governo de B itz, presdeme di repblica di
s.-uomingos, liuha profundamenle disgoilad* os
povo.
No dia 7 di julho, rebantou em Se.ho urna
grande aublitaclo ; no dia 8 em Santiago, "e un da
em Porl- Piale. Domingoa Mayor, mancebo de
Rio de Janeiro, brigue uaciooal rilierculasi), de
191 toneladas, conduzio o seguinle : 2,170 saceos
com 12..I"i0 arroba, de asaour.
RECEBr-DORIA DE RENDAS INTERNAS C-E-
HAES DE l'l.RNAMIll cu.
Rendimenlodo da I a
dem do di* 16. .
15.
I4:792578
2.513*563
17:3069141
CONSULADO PROVINCIAL.
: Randimenlo dodia I a 12. 41:7119878
dem do da 14....... i.OIS/879
32 anuos, ada se a' Irenle da revolla.
O manifest publicado pilo ndiciosos acensa-
va o presidente Baez :
" Primeiro, de ndo ler firmado
om governo na-
ta no papel de Maris, que nos desojramos roubar companhia daa Indias em supprimir a pnalo que
urna pagina de Lamartine, nrver dos labios dos n-
ios ama liuguagem dos ecos, mas ludo nos fallece,
ludo esta' longe, bem hiage do nosao alcance. O Sr.
(iaimaiio fui sen,|.re 0 mesmo no seu papfl, dea nos
uiomenlosde Iranspnrlea, de eulhiisiasmn geral, ndo
oh-l-nie parecer aullrtr em aeu moni. Felizmente
a peca correu bem al o lim, e udo leremua occa-
aiao de presenciar al,un.a sema de selvagins dentro
do Ihealrn. E nem era de esperar outre eousa :
porque all - devem entrar homeiis civilisadoa, e
ndo hotenlola e cenlioa. Quem qaizir ser moe-
que ou canbal 'procure as nheiras "as bienhas, e
deise-se de ir ao Ihealrn, e odo no impossihilile de
apreciar o tlenlo arlislico, e dizer mili urna vez.
\iva a Sra. Manoela, viva n Sr. Germano, vi-
vam os u-i-.re. do Minia Isabel.
AuauinatO. O deligido de Coianna communi-
cou que no da .1 do coirenlt no deilricto de Tim-
bauba, estando Coalodio Maiimiano Armiha da Fon-
sera Irabalhaodo em um robado com dous esrravo'.
solf.eu um liro de emhoacad., do qual rtseulluu 11
aeu ferimenlo, a consta a sua morte, (canda igual-
mente fed los levemente os doa escravoa. Ignora-se
quem fase o autor deise atleulado.
l'erimenlK. No rnesmo ditlrclo, no lugar l.i-
moeiro, Jo- de Sauza ferio morlalmrnle com nm
tiro a Amonio Chaves, e levemente a iaa proarla
malher, por encoulra-l em adulterio com o referido
Chaves.
v"Pr liamburguez uPilropolisi. viudo de
llamburgo, lrou*a aiu bordo os .rguinlea pai'a-
geiro:Andr ||. Wilmer, Carlos Mara, A. (i.
Aodeisoii, johu Nullnn, Diogo Nullon, (ieorge II.,
Domingos Francisco Ramalho, sua seuhora e 3 lilho
menores. Me Il'jipdal de CardaUe.Esisliam no dia 15 do
crreme 25 honieua 31 mulheres Iratadua pela
conal e de lolarar influencias estrangeirai ;
Seggodi, de ler despiezado grandes mili
proteger a fronleira eonlra a aggreasdo dos Ha\-
tianca ;
lerceiro, de liaver emiltido papel-moedn em
uno nilor qnanlia du que a aulonsada pelo con-
Anna, parda, 9 mezea ; ronvulses.
Israel Coiislanlino, pardo, solteiro, 28 annos ; pblv-
sica pulmnnar.
Libanio, parda, um mez ; Insigas.
Total3.
Maladouro publico.Maloo-se no dia I i para
consumo do da 15 do correule, a isber :
Companhia das ramea verdes...... .V, bois
Ricardo Romualdo da Silva..... H u
Manoel da Silva Tivare .........' 4.
Luil de (Jueiroz........... ', 1
Lltramar e Iranspurluia a Coruna, e orna vez cela- j ridade, 7 bomtiis e 15 mulheres que pagam a casi,
brando I pontilieal foi reronhecido e iminediali- e II pracasdo corpo de polica. l'otal 8'J dornles'
mente denunciado por nm paisano seu patricio. Foi Mortalidad/. Relapso das petsoas qui forau
logo preso e rnudemnado a 18 anuos de prisdo que sepultada nu cemilariu* publico no dia 15 do cor-
acabar em Ceuta. Aasegura-se que a instrnredu do ranle :
supposlo hispo he estraordinaria. Por um esame
porque paasou foi declarado sabio em Iheologia, es-
colente em leis e sein igual em m r 1 e caones. Sua
Sanli ladn cotifirmou, para evitar sem duvida rpaio-
res males, ludo quanlo elle liuha felo como lacer-
dote.
A' saida do correio de Madrid, conslava no mi-
nisterio du I Itran ai haver pait capitao-gencal das Plnlipinas, em dala de 5 de se-
lemhro ultimo, qoe, sem aller 11.11 conlinuava a
tranquillidada publica uaquellaa linas.
O capilan-peneral do d.parlamento da marinha de
fydiz parlicipou an ministerio competente que no
du 16 de novembro te deitou ao mar no arsenal de
La Canace a I,alele de hlice oCoucordian, e que a
17 ae verifico) igual operando, com a fragata de
heiice "l'rioceza de Arlorias, para solen.nisar os
anuo da raiuha Isabel, nlicipando-e o> dia pro-
prio para it aproveilar as grandes mares de nuvalu-
Diu.
Dizem de Valencia 1 20 de novembro que a es-
trada de ferro valenciana avanza a encontrar com a
liuha madrilea. No da 19 ebna-se a circulando o
trajelo di .1 Una a Alendic de Chrispim.
Fundos pblicos.
Oa 3 por cenio consolidados fcaram a 3850 c.
Os deferidos a 26 e 2505.
Atines do canal de Isabel II de IO0U reales, 3
por riiiln a 111111.1 106 p.
Ditas do Banco de Despulida, idem, ll 50 d.
Cambies.
Londia a 90 diaa, 1980,
Parla a 80 d|. 515 p.
/..
PAGIN& AYUkSft
("lenienle.
Total.
Dia 15 para 16.
A companhia das carnes verdes......
Ricardo Romnahlo da Silva.......
Manoel da Silva Tavares......, ,
Lu/, de i.iueunz.......
1 I
69 bois.
50 b-is.
8
4
' 11
lolal i
Alt amanhaa.
bois.
Pelo vapor liambiirguez Peiropolis o enlmlo
honlem nesle porlo recebeinus as carias de nossos
enrrespondeules de Lisboa, Londres e llambur-o
trinsrriplas 1111 oulro logar, e lambem gazelaa por-
tugueraa que alcancain ao I. do correnl'.
A febre amarella cnnlinoava a fazer viclimas em
Lisboa, snecombindo oltimamenls aos sene aloques o
cardeal palriarrha daquella sede.
Fura nomeado para o sobslilnir o b'spo de C iim-
bra, conde de Argaoil, conhicido como nm vardo de
minia- lellras e m- lude.
Selenla mil pesaoas eslavam ausente da capital, e
corra qoa as corles seriam adiada.
Naofragou na barra da
dava ao descendente do Grlo Mog
Semelhante economa ae raaliiira' prnvavel-
aiiola a 1 espillo do re de Onde, o que, sem duvid
ndn lie pequeo negocio, puis que as duas pens-s
reunidas moni un a' summa de 3 milhoes de libras es-
teiiinas.
a Agora que eslou na A.ia quero fazer orna es-
cursdo o China.
a Acl'o n'uma enrredondencia do Times dalada
deChao.S.iig, de I.) de agual, alguna pormenores
assasJuleressanles ondeo noine porluauez ae acha
repetido inuilas vezea, e como este negocio diz res-
peito a Portugal, pens que vos lira' agradavel es-
lar bem informado.
A enrrespondeucia diz, pois, essini :
Deve recordar-ae que Inda a cosa chineza esla'
Ido ma.i.Ha de piratas que mm mesmo urna es-
quadra de Imc- de pesca poderia aventurar-
se a sabir sem ser scoiupaiihada de navios arma-
dos.
a Os barcos dos-pescadorea qne navesim na em-
bocadura do rio \ ong pagam direilos se combino
que se elevam a 50,000 libras Mlertiaat por auno, e
oa juncos que navegain enlre Niugpo Foochou con-
Iriliuem rom ama -omina annual de 70,000 libras
esls-rlinas par a sua proleccdo.
Os navios empregadons para tale servljo de pro-
leccdo sdo lorcha porluguez, bem arma la eqfli-
liadaa, e como ndo haviam juncos do mandarn),
nem navioa de guerra poiluguezis ; para vigiar is-
le servico, as loichas aram senhoras dista parla da
coala.
As cousas lendo chegado a esle calado era natu-
ral que as guarnieres das lorchas abu-aisem do seu
poder.
Ell'Clivimeole foram accusidas de fazerem deaci-
das na cosas, e coinmetterem Hilaridades na al-
I dea ; aasiin tiveram o mesmo lim que leriam os
piratas a quem deviam isterminar, pois que para
isso eram pagas.
lambem se diz que se dirigiram qoeixa 10 con-
sol porluguez, mas que foram vas, e qoe o< mnri-
nlieiro porluguezes presos em flagrante delicio, e1
1 emetlido- ao seu couaul se ivadiam com faellidade
ra priado consular.
Com razdo ou sem ella os Chine/cs pen.ar.un que
o cnsul era complica desle mieeraveis que loma-
vem ao mesmo lempo o caracler de prolectores e de
piratas.
As couviccfies dos residentes francezi. e ingleze
de .Ninapo ndo dillerem ilaqaellaa dos Clnnezea ; e
ainda que eu esleja privado dos meios de fiirlirar
al miulixs InforinafOis nosiliado por inqueritoa jn-
diraes, ndo quero apreaeutar uma asseredo formal,
creio poder allirmar que a honra do governo de
Portugal esla' Ido rompromellida, qne as nar;ea eu-
ropeas por honra rio caricler de todos devem pro-
ceder a urna svndicancia aervera da conducta de-le
fnneeiuuario.
_ O chefa da esquidra pirala era um Chinez de
Cnido, chamado A'Tak.
Aa autoridades de Ningpo, na sua fraqueza reaol-
veram tratar com elle anle, que lalnnel'er-ie ao
veame, dos Porloguezes.
ATak er mandarim de lerceira claaae, e o reslo
ia.11, esqnadraque ndo eslava ao sold do gover-
no, passoo a ser coinmandada por sen irm3o, e co-
iii. o 1 a faxer concurrencia com 01 Porluguezes no
servici dos comhoios.
Ora como 01 seus negocios prnapuravam moilo, lo.
maram ao sen srrvi^o para a guarniedo doa navios
vatios deserlorea Inglezes, Americanoa e Francezes-
escapados doa navios de guerra e daquelles da mari-
nha mercante.
Tal eia a statelo dos dous partirlos durante estes
Ires ottiinos snnoa.
Os barcos de pisca e de transporte dentro em pou-
co lempo enlregarein-se a ptoleredo da esqoadra
chinez,e os Porluguezts cheios de resaenlimenlondo
- pe
gre.so nacional ; apphciudo o tscedenli em mono-
ponsar, com detrimeiilo do enromercio, a colheila do
taliacii 1,0 Urinario da repblica.
Ndo sabemos ale qne punto poasam julgar-si
nem I lindados estes captulos de acemaodo. O que,
porem, ndo entra em duvida, he que a rev. lia f./.
progreso consiente, e qua senhoreia boje lodo o
paz menos S.-Domingo, capital delle.
O nnligo presidente Santa Auna, foi chamado
dodesleiro, e dirige, em a menor dovida, decon-
cerlucom Domingo Mayor, o evanlado que cer-
cam, por Ierra, a cidade de S.-Domingos, e anude
ido poden, enlrar, por ladoalgmu protimentos di
bocea, viudo du Interior. Porm, como he livre o
mar piesidenle Baez, fcilmente mandara' vir de
. .-Ihoinaz os viven e insnicOis de qoe nre-
cisir. I
o Os cercados leer feilo alguims sorlidas, e al-
canrado Vantagens ; e se he verdade, como se diz,
1m 1" """""""a conlam com ponca arlilharia,
dilllcilmenle ronirgoirlo ellei lomar a edade, a
menos que a trail-du Ihea ndo abra al porla.
1 lambem na parle occidental da ilh ha oecur-
rencias que podem, ao menos por incidente, tornar-
se giaves. i>
.. mn ? ti
-,
. CAMBIOS
Sobre Londre, 26 l|2 d. nominal.
1 P iris, 3J0 rs. por fr. ,,
a Lisboa, llOjior %.
Descont de lellra, 12 por eento pelo banco.
Our..Onjas hcspanholas.
Moada da 6t00 rilhas
69100 nova
1 4COO0. .
Prala.I'alacoe braileiro. .
Peto coltimnari 1. ,
mesicano. .
299500
3OJO0O
165OO0
16*100
9-jOOO
29^00
29000
19860
ALFANDECA.
Kendimenlo do d a I a 15. .
Idun do dit 16.....
355:083J996
2t:285}30l
376:3699297
Porlo a barca N. Senhura
da Bia-Viagem, qoe daqui sahia para aquella pra-
t;a cura carg de assuear e couroa. Desla salvaram-
se alguns, mas o llsoeirtodo perdeo-se.
Em Franca inurreu o Sr. Cario J. p. Ahhalucrl,
mmi'lro da jaMici e guarda da se los. (I illu-trc
lulgameiilo. Sobado, 12 do crranle, loman-
do relardo do dislnclo rnnhrciinriilo da quena
dada p-lo Iruenle-corouel Jote Antonio l,0pe cun-
ta q Sr. chile; de polica, Dr. Palyciipo Lopes de
LtSO. que o mandara} recolher preso pur inriiciado I linado succuinhio'a um ataque de KoltV.
em ernne uiauancavel lio Rio I orinoso, onde ie Ihe | Esta morte, diz ama caria de Pari. d logar a
in.l urara o respaclivo proetsso, decidla que ndo ha- | moila. eomblaaeOei n.inistciaes dai noaes Itala-se
va rriine lio proceduiicutn ilessa aulondade, a qual ( activamente no SHl6es nulilirn. daquella rauital '
havia obrado em confonnidade com a le. Iliv-n- Afllrmara un. que Mr. Billaol deisar. deliniliva
do-nos abatido de locar u-s-e negoco, quando acha- mente a pa.i. du Interior, a-ieguram uniros nue lo
va s- anida pendente da decido d.quelle Iribunal, mala a pa-la da joatia-a I airi MbiKilaido Dir Mr
manda a juslica que agora que noliriam n a sua so- Ruulaiut. ministro da imlraerflo publica .elin
lo. .10, nos cnngraluleniss cr 111 aquelle digno magis- ullima pasta cinfi ola a Mi. Liguenonniere
Ira 11, por mais es-a prova dada por Ido iisneilatcl ' O corpo legislativo loi eom
1 in porai.oo em aliona da aua integridad!, iiajl ; cn*-se qne fara
/'<-' //',;.Senhore le Ui lote-,Catino riel- uiiicainenle verilicam dos podeies des
gado da villa Bella, caire-me o deve indecliuavtlde heos.
raparir ilgaoiai intxaclidot gue rlgiaa ivoltae da II .| nov-mliro p. p. no arlIRo grato no ron.ellin de rolado 4 prepararlo do pru
(00 a epigraphe Atsaviailo em Pajen de Flire. J( co. re lea, que deverdo Mr apreienladoi as dell-
scinco aaaassin ... ai ,rei da h irriviia alrotldl- bayoe do ecarpo legislalito. Snieoll em Janeiro se
de, de qne fui Ihealrn e-te losii qoilro doa qaMi abrir.) a erdldeira aai)ei, prononciando o iraneri-
loram capturados Bl decuria de oilo .lias cju.eculi- ; !or o di.cur-n da abaran,
a a ;ierpelrar;ao do en me' apenas mu lo prTa qua-' Murreu no Clllllln de Clarernonl em Ingl
luiouia, ora do fallecido re
do lenenle-ruriiin I Sirnpli-
ico metilo he o de ler consentido
ippreuentio, eabeadi loda tloiia de-ia finimrlmli i
nvoetdi para 28 do pas-
l.na CU..., ......, r.,[a.,,
eus intin-
Descarregam no dia 17 de dezembro.
llares inglezaSeraphinameicidotiaa.
Barca ingltzaMissijuariuobjeclos para o gaz.
Brigue inglez llam Ilainrearvdo.
Batea inglezaElisa"Alinalaboadn.
Batea americanaChalhanonga farlnha de Irigo
Patacho amerieannI Uarlinglanuda e breo
Barca francezaBanulvinlio e lstalas.
Brigue p Mu, no iVenusbaealhao.
Bi uoe hra>ile|inSagitario pipas vaslna.
MOVIMENIO DA ALFANDEtiA.
Nolumes entrados com fazeiniai .... i;
a com gentroi .... 965
Volnnus sabidos cnmfaztndas
" i> eom gneros

P
A.
'fl
150
atoo
29103
29350
29700
2930
25IOO
i.:7339757
BULLETIM.
LISBOA 30 HE NOVEMBRO DE 1857.
I'reros rorreiilm ro genero' de impurtai&odu
Bra*il.
Algoddo de Pernambocu .
Dito do Maranhao I Paro. .
Assuear de Pernainhiieo hrauco
Dilo inasravado.........
Dito du Ho de Janeiro m. .
Dilo da Babia b.........
Dilo dilo mascavado......
Dilo do Para bruto.......
Agurdenle de canoa do Brasil.
Alpista.............
Arros do Maranhao e Pata ord.
Dilo dilo melhor........
Dilo dilo superior.......
Cale primen.! sorle. .
Hilo dito segunda dita.....
Dilo dilo lerceira dila .....
Dito dito esculla boa......
Pito da Babia.........
Cacao do Para .........
Cravo dn Maraiihan......
C ui as espichado da Minas .
Couroa espichados da Babia, .
Ditos silgados do Maranhio. .
Dito, riiios de Pernambuco. .
Ditos ilitns da Babia......
Comiohos.
Erva doce............
Melado.............
Oleo de copahiba........
Ouruc..........,,,
Salsa pan ilda Santal em.....
Dita dila Gurupa'........
Dila dita Rio Negro......
Tapioca......... .
Vaquetas do Para'........
Ditas de Peruarobuco......
Bxforltcio,
A/.eile doce.'........'. .
Agurdenle...........
llanda de poreo.........
Balitas .............
Cebolai........., . .
Cera branca em gruine.....
Dita dila em velas.......
Carne de vacca .........
de purco. . .
Figos ..............
Lanuda de irigo.........
Manteiga de poreo.......
Paios..............
Presuotos....... . .
S.al................
loucinho............
Vinho da Lisboa tinto.....
Dilo dilo branca........
Vinagre de Lisbua tinto ....
Dilo branca dilo........
170
160
392OO
29500
29450
2-5800
2J00
9500
525O00
70o
59 too
59800
6.720O
.'ISiOo
39100
2?700
15900
3901X1
59600
180
302
857
217
237
207
3o000
i 9OO1I
5590 ki
189000 509000
mu 150
I69OOO 179000
IO9OOO llgoot)
"i/UUO
59600
lijOOl)
39200
39000
296OH
1?800
298OO
59100
lim
292
237
207
217
197
9MQ0
39100
89000
29900
29100
99OOO
29600
3-5100
29600
Londres
a visla.
1.0 ,I|V.
Mi d|d.
I00d|d
3 liijd.
("amUij...
all). 394OO 39500
p. 2809000 32O3OOO
a 69000
300
120
lid
4t0
I9H0M
21-9000
IjOOO
89300
,598(10
IJMN
598IX)
2>3O0
1 I9:W0
P IUI.}(KIOLll9000
u I1O900014S000
11 569000 tijOOO
o 569000 OO5OOO
M
.?
1>
II ,r
B
i
di/.
@,
iiiiiio
110
100
100
900
89200
Pars.
Genova
.' 111-1. id.m 3 mpl.
Haniburgo 3 ni|d.
Madrid 8d|v. .
i a ".
13l|2aii l|2
27 1|2 a 28
5569 a 5589.
2109 a 2439
89020 89OO
15J150 I593OO
I492OO I 93O0
I87.MM) I85"0
960 970
960 970
950 90<)
39510 39.570
880 890
Londres, e 900 alqueires
poopavain ncra.id de hnstilisareni aqoella esquadra.
lim o irnido de A'l'ak reuni tolas as suas
Em
tarcas que e etnponbim de un- 20 juncos tripula-
dos por 500 liotnens, e rompendn as hostilidades
conira ns Porlusoczes, varias ras laa lorchas se di-
ri.iram para o sul e outras forein lomada na embo-
cadura do rio.
Sele lorchas e refogitrim na margem do rio era
frenle do consulado porluguez.
Os marndeirns que a Iripolivim desemhsrcaram
alguma irlilharil, e pozeram a rouauladn em e-la-
do de defensa, esperando lalvez que a visintianea
das halniacrW dos eiiropeu., e o carcter da resi-
dencia consular impediran! um alaqne.
Mas aeontoeeu o contraria ; a.eaquprda de A'l'ak
subo o no. e o cnsul poriuuuez touiou logo a fui:*.
Bolla ns Pottouiiezes roinperam o fugo contra os
juncos de A'l'ak, mas logo que estes se apinsimaram
at'a.....naraiii as lorchas e refuaiarain-ee em tetra.
ni 11 sendo perseguido pelas genles de t'l'ak engi-
j iu se un cainbale, e cedendo em lim os |iorlugue-
" foram peratgoHoii morios nm 10.
A casa do consol tal lomada detlslads. A fra-
gata (ianc./a Caprlcientao ut.100 no e fa/on lo tazo
sobre a luir h ,u- A'l'aek pot leruu. a lula.
Ocapild. frineez r.eenae a bot cs|
porliuutz, nas segundo >e diz ndo enn muit
T0I1I 971
. 2lft>
. 315
Total 605
IMPORTA CIO'.
Barra inalein aMIaatonary,liada a|Liverpnol con-
signada a' Paln Nash 61 C., manifeslna n seguinle :
54 gigos e 1 caita diuca ; a Fo Bot'iers.
II correles ; a' E. II. Wytlt.
.50 caisaa qoeijoa ; a' saondera Brothers.
172 harnes cerveja ; a' C. J. Aslley cv C.
50 barris manteiga, 2 diloa presunto. 30 raisa
qiieijo, 5 ditas bolacliinh.ia; a' Taaao c\- IrmSo.
9 canas fazeuda da algoddo e Ida : ' 3. kellir
iV C.
loO barrica cerveja, Klcaisa e 10 fardos fsrenda
de algaddo, 3 caisas dila de linho : aos cousignala-
riot.
50 barricas cerveja, 1 dila louc,a ; a' Fencira &
Loureiro.
5 canas fazenda de linhn, 1 dita sellins e obra de
ferro ; a' Rahe Srhmrltau \- C.
3 fardos t 18 caisas fazenda de elg. dato, 1 dila
dila dt linho. 9 dilaa dita de 13a e alaoddo. 1 dila
camisas Com peiloe de Moho, 1; ditas chales de alzo-
da e franja de Ida, I dita lencos de s la, I dila eu-
lilanas, 1t> einbrulhos pa. de Trro, 12 caisas abras
de f.rro : a' A. C. de Miren.
200 harria plvora, 3 leixes arcos de ferro, 3810
tijolo. 3 pecas formas de barro, 3 pecas hv tranll-
c-s. 1 barril Techadora, I caixa rarrofhns, II ditas
lainpeies e perteure, 1 barrica caalicaes e raleius,
I l'irnalha para ferteiro, 36 varae, 1 Idos e piritosos, 12 portas e pnrlalhoi, |di2 pares
le pegar lores. 13 calumnia, IKii canos, 2 guindas-
1-, I varal, 9 peen etc. ; 1 sacro amostras ; a' or-
dem.
CONSULADO til'.HAl .
Ileuiliinenlo do da I a 15. .
I em do dil 16. .....
1 em lerniur.i de
elle rifORiar-n cm ra-a do leaentt-coronel Sirnpli- fnrie.
'ni, eaj nico metilo he o de ter consentirlo na ', T azlam
. 54 3|1
. 516 a 518
. 515 .....11.
. 13 3|8
. 18 3(8 uom.
. 930
Fundo.
In-ciip.nes de 3 por ceulo .
Cuupnn ......
Divida defienda .
Banco de Portugal, .
Dilo do Porlo.....
Caminho de ferro de leste .
Metaes.
Pecas de 8j(M)0.......
ti o;.ir hcspanholas......
Dilai mejicana-.......
Agoila de ouro dos Estados L'nidos
Pataca despatilllas.....
Ditas brasileiras.......
Ditas mexicanas. ....
Vinle francos........
Cinco francos........
ESTADO DO MEIICADO.
O mercado lem continuado em apailiia, pelos
motivos i|tie temos dito em nossas ultimas revistas ;
porem n'esia semana ja se notou apparencias de
animarlo.
Algtimas vendas que se lem feilo sao a procos
que no podem eslabeleeer rolaces, pnanlo ellos
sao nominaos.
Depoia da sai/ida do Medway lom chegado al-
guns supprimenlos, que em geral lem sido arma-
zenados.
Os principaes inoros entrados sao :
Assuear, 21tcaix 17 barricas e42sacrosda
lahia, 263 saceos e 400 barricas do Mara-
riliao.
Caf, J:053 saceos da S. Tliom e 11 do Cabo-
Vorde.
Gouros, 2:640 de Cbo-Vcrdc, 742 do Mara-
nhao, c 916 da Babia.
Agurdenle, 10 pipas do Maranhao, e 15 cascos
de Londres.
Anoi, H5 sarcos de
do Para.
Cacao, 34 saceos da Babia, 62 de S. Tlioinr,
58 arrobas e 10 arralis do Para.
Mel, 24 cascos de Petnambuco.
Krva-doce, 61 barris de Gibrallar.
Salsa-parrilha, 95 rolos do Par.
Ourucu, 107 poneiros da mesma procedencia.
EMBAKCAC.O'ES DESPACHADAS.
Jlio de Janeiro. Brigue porluguoz Viajante,
cap. Fonseca ; carga, 91 barris de azoile, 200
moios de sal, 286 barris de carnes, 1:198 volu-
mes do passas, 22 barricas de rea, 40 de carvio
animal, 1,50 cairas de ceblas, e 425 de batatas.
Rio Grande do Sul. Patacho inglez Kerie
Pagie, cap... : carga, 20 pipas, 30 barris de
vinho, 20 pipas de vinagre, 300 moius de sal.
l'ernambuco. Brigue porluguez Monleiro I.
cap, Correa ; carga, 4 barris de vinho, 20 pipas
c2 barris de vinagre, 60 barris de azeite, 100
ancorlas de azeitonas, 4:200 niolbosde ceblas,
400 arrobas de btalas, 43 barris dusardinha, 12
de semeas, 40 de loucinho, 14 voluines de ligos,
e varias mercadorias.
ENTRADAS DA BARRA.
25 de novembro.Brigtte porluguez Anua, da Ba-
ha.
dem idem.Barca porlugueza Fiordo \ez, do
Para.
dem idem.Palarlio porluguez Diligente, de Per-
nambuco, pelo Maranhao.
26 idem.Patacho porluguez Boa Fe, da Babia,
pelo Maranho,
SAHIDAS.
13 de novembro.Batea brasileira Lusilania, pa-
ra o Maranho.
dem idemPatacho inglez Kerie Pagie, para o
Rio Grande.
I i idem.Vapor inglez Mndvay, para o Rio de
Janeiro.
20 iiieru. Brigue porluguez Viajaulc, para o Rio
de Janeiro.
.a. e-10';.. ..-i,, 1 1, earga varios eueros a Sil-,
noel I-. da Silva Cnico, l'enence a Pernambu- '
co. Paasaueiros, Antonio M. da Coala tinga,
Juaquim T. de Suiza, Francisca Mara do Car 110.
dem2!) das, hritiue purluauez i, Hesolvido, de
253 lanciada*, rapilo Anlomo da Penna, rqai-
paiem 12, em laslro ; a Hallar ,\ Oliveir.. Par-
lence a Lisboa. Pastaseiro, Ignacio II. de Lo\-
olla Jonior.
llambiii(o a porlos intermedio22 das, vapor'
hamliurgiiez nPelropolisii^Commaudanle Th. Pa- !
ul.en.
Ilda de s. Helena12 diaa, eseaua melaza ollo-
rencian, de 120 lunelada, espillo Parlreidge,
eqoipaglin 9, em lastro ; a Whalliy Loriter .
C. Pertinc I Londres.
Kio de Janeiro18 das, barca ingleza nWilch of
the Wave., di 253 lontlidii, capilar. John C.
Ilota, equipagtm 12, em laalro ; 1 ordem. Per-
lencea Taignmaalh.
Havra42 das, alara franietl iiOlinda. de 317
toneladas, capitn l.oyer, eqoipagem 18, carga
mercadorias ; a La.serte Tinet-frire. Pe lence
o Havre. Paianeiros, L. I. Collll, A. Nicodl-
nn ./lexui Ir, I. U. Pegol.
Bainos-Ajret29 das, htigue belga Eiigenii.
da 242 toneladas, eapiiao Sehepa*. equipagnn 10,
era lastro ; a Amorim limaos. IVilence a Auno-
res.
Binos-Ayre30 das, barca dinamarqueza Con-
cordia, de 22n toneladas, capitio E. II ,ek, equ-
pagem 11, em laslro ; 1 ordim. l'irlenca'Apen-
rade.
Kio de Janeiro19 dia, patacho nacioml Plur da
Babia, di 2lfi louehdis, capilJn Malhii lar-
reira liraga, equipagem 10, carga 10,000 arrobas
de cerne ; a Bailar & Oliveira. Perlence ao Kio
(irande do Sol.
Navio sahidos no mesmo dia.
LisboaBarca porlugoeza nHortencia, capilao Jou
S. Komano, caiga assuear e rafa'.
LiverpoolCalera ingleza -Bonilan, capilflo Tho-
maz Smiih, earaa aaiaear e mal genetos. Passa-
geiroa, l'homai Telzpirick e aua sanhora.
Kio 1,raudo d> SulPatacho nacional aII un Jesusa,
capr.lu A. B. Kolrigais, carga rssuear.
WWmt
O lllm. Sr. Inspector da thesourana
provincial, em cumprimanto da resolur>9o
'la junta da Lizcmla, manda fazer publico,
quenodia 31 do crrente vai novimenlea
praija para ser anemata-li a quem por me-
nos lizer a obra do !, l,m?o da rainificarjao
do Japomim, avallada cm 17.3609 rs.
E para constar se mandou allixar o pr-
senle e publicar pelo Diario.
.Secretaria da thesourari provincial de
Pernambuco l de dezembro de 1857.O se-
cretario,
A, F. da AnnunciacSu.
Dr. Anselmo Francisco Perelli, commen-
dador da imperial ordom da llosa, e juiz
de direito especial do commerciu deta
cidade do llecifo, capital da provincia do
Pernambuco e seu termo por S M. I e C.
o Sr, 0 Pedro II, que Dos guarde etc.
laco saber aos que o presente elital vi-
rem, quo n i dia 17 de dezembro prximo
futuro se lia de arrematar por venda, a
quem mais der, depoia da audiencia deste
juizo, na casa de minha residencia no largo
da Sania Cruz n... os bens seguintes : uma
vacca castanba com cria, no valor de 35a j
uma dita lavrada com cria por 40j; uma
dita caslanlia com cria por 30.3 ; uma no
vilha paiila por 253 ; uma novilha castanba
mojada, no valor de las; uma dita lavra-
da lambem mojada por 165; um qjartao
castanho, veltio e magro por 2034)00 : cujos
nens vilo a pratja por exscugao do coronel
Joaquim Cavalcanli de Albuquerque, contra
a viuva e hii-Jeiros de Manoel Joaquim do
Vasconcellos
E para que ebegue ao cpnhecimcnto de
todos man Jet Masar edilaes que serio pu-
blcalos pela imprensa, e anisados nos lu-
gares do designados no coJigo cooimereial.
Dado e passado nesta cidade do Itecife,
capital da pro incia do l'ernambuco aos 27
de novembro de 1857.
Anselmo Francisco Perelli.
388G$|98
2:I03BII8
ranadas 1 tijoloj do alve:-aria 8,000 : cal
prela. alqueires 200 ; a/eile de carra pato
caadas 980 ; dilo de cuco, caadas 47 ; pa-
v"os uzaso ; velas csteatinas, libras 100 ;
Ppei almar;, resmas 20 ; dito almaco piu-
lado, resma I ; dito de peso, resmas 10 ;
bonetes de panno mesclado, com vistas o
TITOS .le cores, para o 2. baUlhSo de infan-
wria 2, ; cbarlateiras de panno msela, com
mcia la, e n. 2 prateado 27 ; botes grsn-
dss de metal smarello, lisos 728 ; ditos pe-
queos 468.
l'ara os msicos do 2.- baUlliao de
infantera.
Panno azul mesclado, covados 135 ; ca-
semira encarnad, covados 8 7|16 dita a-
myelta, 3 3,8; bollan i de forro, covados
101 1|4 ; aniagem, varas 18 |i2; botes
grandes de metal amarello, com o u. 2 378
-Jilos pequeos 162; ditos pretos dosm/
duzns 18 ; clcheles prelos, pares 27. '
Quem quizer vender, aprsenle as suis
propostas em carta reehada na secretaria do
conselho, as 10 horss do dia 18 do corrente
mez.
Sala das sessOes do conseibo administrsli -
vo pars fornecimento do srseml de guerra
11 de dezembro de 1857. Bento Jos Larae-
nhi Lins, coronel presidente Bernardo
Perelra do 1 aro.o. vogal e secretario.
De ordem do lllm. Sr. Dr juizMe or-
pbSos e senles desta cidsde e seu termo,
"co publico, que a 18 do corrente, a porta
da ca da residencia de S S., e depois da
audiencia, ir a pratja por venda, e ser* en-
tregue a quem mais der, o paido Frederico.
escravo dos menon futios do linado Luiz
Ignacio Ribetro Roma, o qual ser avahado
em 1:7009 rs c he impressor, serrador, sa-
pateiro e cozmheiro. Recife 16 de dezem-
bro de 1857.-0 1.- escrivSo de orpbaos,
rlonanno Correia de Ilrito.
--- O lllm. Sr. regedor do Cymnasio man-
da declarar aos paisa correspondentes dos
alumnos internos do Cymnasio, que do dia
72 ale o ultimo do corrente, he o lempo
designados no regiment, para o pagamen-
to do trimestrd que principia no I. de Ja-
neiro prximo viudouro,
Secretaria do Cymnasio provincial de Per-
nambuco 15 dedezeaibro de 1857. O se-
cretario, Antonio da Assumps3o Cabral.
Pela delegacia do termo de Iguarassu-
se taz publica, que foi apprehendijo um
cavallo alaziio, que se achava em poder de
uma pessoa suspeita : quem se achar com
direito a elle comparec para recebe-lo, de-
pois de justilicT dominio, e dar os sigoaes.
Iguarassu' 1 do dezembro de 1857
-- O conselho econmico do batalhSo dn
infantarian 9, contrata para as prarjas ar-
ranchadas durante o semestre a decorrer do
I. de Janeiro a 30 de jonho do anno vindou-
rn, os gneros seguintes: of em caroco,
assuear, caroe verde, dita secca, bacalbo.
firinha, Ioij3o, arroz pilado, azeite doce,
vinagre, sal, lenha, manteiga, paes de 4 6
ongas : os negociantes que se quizerem
propor ao mesmo fornacimento. comjare-
cam na secretaria do mesmo batalho no
da 22 do correte mez, pelas 10 horas da
manba com suss propostss em carta fecha-
da ; advorlindo-se porem que os gneros
serOo da melhor qualilade que houver no
mercado. Quarlel na Soledade, 15 do de-
zombro de 1857. O lenle secretario, Jos
(rancisco do Mortes e Vasconcellos.
Pela administraQao docorieio se faz
publico, para conbeciraenlo de quem cn-
vier, e em cumprimento do art 9 do regu-
lamenlo de 15 de maio de 1851, mandado
execular por decreto da mesma data, que
00 dia 31 do correnle, as 10 hora,s di ma-
nb3a, se proce lera a consumo pelo fogo das
cartas atnsidas existentes na mesma admi-
uislraQiio, cujas listas seaciam expostas no
lugar comptenle. Pernambuco 18 de de-
zembro de 1857.-0 administrador,
__________Domingos, dos Pas-os Miranda.
DIVERSAS PRVIBCIAS.
Kcudimeiiln do >1 ia I a t. .
Llem do dia fl>.......
pri-
,.,erra a dialidnf. lambeiu receben 01 fasitiwos nueVii.l,,.,
Juque .te Nemours, nota ,lu flllicido rei Lun I i- mpido ao maniere, e eonduilo e-les ol
sioneiro a Macau para ereui iqlgldol como pima-.
1 -lias r,,,, illu-lre fina.la linhi diio ,1 Sa bem ojni o maniere foiae lerrlvrl, deve fiiir-
._ Ituina tnoiuna, quanlo succuiubio aos al.iciues ,|. -e jos|,ci que os vence lores se porlarain com morie-
ipiura, que nu exaeutida ires din depon ,1 >a as- I vina apoplexn,
HMinloa, aoe.lonirloui.jor S-b ,-lni f IV-ca que? A doqo.la ,le .N'.mout, na.ci I em Vienna ao.
eom llgum di no pwmles, el iieuta e prompta- Ki .le f.veieiro de IS22. Ilul.a de liada Li
mani se m preslatain para 1.,, jusl 1 li,. t.ilda no 27 .le abril di 1810calara-! con, o
1 el 11.:. ; q oaota aos .la- ,,., doa Francisca, era IrmAa .lo
por alau- p.i lo Si. I, i', drn V. Bobrinha il
NAVIOS A CAUCA.
II io de Janeiro.Barca porluyue/a paquelo Sau-
dade.
Mein.Brizne porluguez I ni.'.n.
dem.Brigue porluguez Eusiaquia.
dem.Brigue dinainanjuez Ida i linma.
Idem. palacbo porluguez Par tu.
I.li'in. Palacbo potlugua Fiordo Mari.
Babia.Baria porlugueza Espcranca.
6 dem.-Brigue poilnuez Conde.
Idem Brigue porluguez Rsperiewa.
Idem.Brigue porluguez Flor do Mar,
dem.Brigue sueco Ilarmunien.
ldeiu.Patacho porluguez Emilia.
I'ernainluico. liarca porlugueza (iralidiu.
I:l7.ifl08
1189637
L723J71-J
DESPACHOS DE KXPORTACAO PULA kESA i dem. Ilarca porlugueza Maris Feliz.
!c),,.;l.)r:,l,l'.U)l) UJ?Fl* ,DABB NO UIA ; Idem.-Brigue nortugiez Coiiianlc.
ixj^x h^, j. ... ^r~^J rhfift
.\ 1... lili) saccoi aaiucar. i Idem,liana porlugueza rlor ale vez.
briminti cmalos
iu.na assassinoa,foram lo I is appaeliendi I
mas qartijas qoe man lei em dlvirm diraecuan
rffif .'Un .' lulo e iiiimun |uei por ineui ullici'ui aii
rS*0 dep.il .lo cmbale, porque 11 lorchas porta- BavreBirca rr.neet. .C.mli Rogiro, F. Sauvi-i MaraaboPalacbo porluguez Boa Fr.
loemqoi eslavam no rio, nein iienhuin eumneu e i\ t... (OU saceos aonar,
soflieram a mi leve insall. HavreBarca franeeza aCorole Rogir
Haslu &
a 11 n OS. A
un1o indo rio j liepoa .|a partida ila aCapricieniei, o biighe por- l.emoa, -21HI saceos assuear.
rei de P rlogil, o logoit alondega, icompiiabida de !>< lorehai, ia- Porta Brlsue pnrlagoet lEiperanjaa,
1 1-1 rio. II-Ij.k e bio orn, e pe.lio foiinaiineiile a aulorula le chinana I Me1eir..s j C., 200 saeen anoear.
da InVtai'r.T """" """l0 l> "'"' Vicio- a reililnic.1,0 rta. lorehai capturadas e onlras cousas Bal.....Ayre-Brig..l sueco oScaudilo, Ballac A
11.1 ue tngiaierra. | aindi ; mas.....".1.1- ---------j-- -..... -a-.- .
onaeca,
autorilaJe respuiidcn que as duas I Oliveira, O casco mel.
et> j&i r
tWtffl
fSavioa enllailos no Oa lri.
Kio a Janeiro21 das, luiKue nacional eiSacila-
liu, de 2 COLI.KCTOIIIA DA CIDADF. DE OL.NI)A
Francisco das Cbagas Salgueiro, colltrlor
das rondas provinciaes da cidade de Olin-
da etc.
Faz publico pelo presente, qne pelo do-
legado supplcnle deste termo, Ine foram en-
tregues dous escravos, qui so acbam reco-
IbiJus a cadtia desta cidade, apprchendidns
no lugar de Paratibe, os.juaes declararam
ehamai-se Francisco, e Isabel alaria, sendo
Francisco, erloul >, idade 00 anno, pouco
mais ou rj.enos. natural de Topadas, casado
com a diti escrava Isabel Mara, prela, da-
le de 40 annos, pouco mais ou menos, de
nacaj Angola, que pertenceram a Antonio
Joaquim ue Sani'Anna, morador que loi da
villa de Pesqueira, e que fora casado com
Francisca de -ouza. da villa do lirojo da Ma-
dre de lieos, oque temi fallecido dito Santa
nna, sua mulner casara-se com Joaquim
Baptista Vieira, que dalit mudaia-se piru o
Kio doPelxe, na provincia da l'arahiba do
norte, d'oode evadiram-se muito antes do
ap;>arecimenlo do cholera-murbus, o andan-
do por diferentes lugares relugiaram-se em
Paratibe, sen lo abi presos por Manoel Nu-
nes, e I.ourenco Jos : e porque ditos escla-
vos peiten^am aos bens do evento, s3o eda-
madosquem sobre elles se julgue com di-
reito para no prazo de 60 das contados da
data do presente virem reclama-los {erante
a mesma collecloria na forma do art. 6* do
regulamento de 17 de julho do 1852 : lindo
esie prazo serfio dilos escravos arrematados
o o seu prod'icto recoloido a ihesouraria
provincial na forma proscripta uosarls. 4.-
e 6 do dito regulamento.
E para que cingue noticia a tolos man-
dci passar o presente que ser llixado nos
lugares mais pblicos e publicado pela im-
prensa.
Cillectoria de Olinda 58 de outubro de
1857. Eu JuSo Concalves Itodngucs Franca,
escuv.ro o subscrevi.
n.,n xF;ra"cisc las r.bagas Salgueiro.
COMPA-NHIA ESttiLUOS IMAItlTl.MOS E
TERRESTRES.
DO
IMPERIO DO BRASIL.
Estabelecida no Bio de Janeiro.
k CAPITAL i .000.000:000
Ageica roa da Cruz n. 15, csi-nptoi.oda
viuva Amorim A Filliu.
Aos Sis. negociante*, propiielarios de
casas etc., etc., se olerecc na agencia da
dita companhia nesta cidade, a realisaeo
de seguios por premios e cordicoies mui-
to mdicas e ra/.oaveis. Na mesma agen-
cia tamben) se efleetuam seguios tanto
para o norte como para ostil do imperio,
nos vaporescostenos e vasos devela. A
companhia garante a prompta indemni-
sacao da importancia de (|tiali|uer si-
nistios.
Conselho de adminislrar-ilo naval.
lendo-se de proceder uo dia "21 do cr-
reme mez o contrato pelo lempo a decorrer
do 1- de Janeiro eo ultimo de marco, proxi-
n-o, para o fornecimento de arroz, agur-
dente, azeilo doce de Lisboa, baealhao, car-
ne.sccci, caf em gro, familia de mandio-
ca, frijSo, sal. loucinho de Santos, viniere
de Lisboa, velas stearinas, carne verde, p'flo,
bolacha, e azeile pmprio inra In/es
qualquerque sea a qualidade. aos navios
de guerra da imada, barra do excavacao,
cnli-rmaiia de marinha, e Africntos livre.
existentes no arsenal de marinha ; bem co-
mo de cftectiiar-so a compra de bonetes de
.anno azul.conforme o modelo que echa-
se patente no almoxanfado do mesmo arse-
nal, necessarios aos dilos navio*, convida o
conselho de adminis'.iacao naval aos pre-
teiidentes a aprcscularem as suas po,oslas
em caitas fechadas at as II huras da ma-
DhS po menciiiiiado iha, adverlindo-se quo
os gneros do rornecimento h cxceocOo do
azeile para luzes dever.lo ser da primetra
qualidade.
halado conselho de adminisStracSo naval
em 9 de dc/emhro do isjT. O secreta io,
Alcxalldie Itodiigucs dos Anjos.
COftSBLHO Ali.MlMSlKATIVO.
O conselho administrativo lem de comprar
o septiinto :
Sinele para a reoarlicSo do asistentado
ajudanle grucrrl do exeicilO 111 rovincia
das Alagoas, com as armas imperlaes co
respectivo dstico i ; bomba de ferro para
poco I ; livro de registro geral 'las pracns
pHccliva*! aggrcgsdas e sddidas, conlendo
30o folhas, confoiine as inslruc;Oes que hai-
xaram com o decreto de 6 de dezembro de
1831, devendo ser as folhas impiessas e nu-
MEAM
DE
SANTA ISABEL
7.* RECITA DANOYAASSlGiWnilA
DA
EMPREZA GERMANO.
OLI.M'A-I EIRA, 17 E DEZEMBRO.
Sibira iicena, 1 pediilo da mnila paaaaas, o mallo
tcellinli drama em ;t aclo 1 prologo, doSr.
Alentlc* Lial :
A POBRE
DAS
RUINAS.
A icliii Juanita Januaria faca' a parle da Pubra
das Ruinas.
I irmiuar o npclacolo eom 1 graciosa comedia im
um aclo, ornada da couplet! :
B1LHETES DE LOTERA.
Principiara as 8 hori.
Oa bilhelai acham-se a' vinda do iicriploria do
llie.ilro.
Baile popular
MASCARAS E PHANTASIA.
MO
l'ALACFTK l)A RV DA PIUIA.
Domingo 20 de dezembro.
A pedido, haver baile ; os earloes de in-
gresso estarHo a venda no lugar do costume
no da do divertimenlo, que deve termioar
as 2 horas.
-3R>i3od Wtf.tfateftt.a.
l'ara o Aracaty segu em poucos dias
o bem conbiicido hiate Capibaribe ; quem
quizer carregar ou ir de passagem, diiija-sa
a ra do Vigaiio n. 5.
Tara o Rio de J.ineiro
segu em poucos dias a barca Vaya, lem a
maior parle do carregamento prompto; i-ara
o reslo e passageiros, trita-se com Utetano
1:. da Costa Moreira, ra da Oadeia da Reci-
te n. 2.
l'ara Lisboa pretende cirraga- e sabir
com brovidade abarca brasileira Amelia, da
qual he capitao Jeronymo Jos Mullos, por
ter parte do seu carregamento engajado :
quem na mesma quizer c-rregar, p>'-de con-
vencionar com Amorim lrmaos, ra da <: uz
n. 3.
Para n B.lii.ia
A veleira e bem conhecida sumad nacio-
nal Horleocit, pretinln seguir com muita
brevilade, lem prompto patio de seu rne-
[gnmento; para o resto Irata-sc com .1 spii
I consignalario Antonio Lniz de Oliveira Aze-
j veuo, ra da t.rnz n. t.
l'ara Presidio de Fernando.
Sepue i 'a o Presidio de Fernando, no
da 211 d.i correnlp, o brigue n-icio 1 I .Vlol-
Ipiu : quem nello quizer rarrcg.ir ou ir do
pasaagern, dirija-se ao eonsignatirio Cdoar-
doPerreira faltar; idvertiodo porem que
Inflo recebera carga senflo ale o Mia 17, es-
tan lo ns sciihor-'s carregailores munidos
com as suss competentes porlsriss, Unto
para passagem como p^i carga.
Para o Hio de .lit< i.o,
Segu em pnucos dias a barca nacional
Adelina, por t-r a miii r rto dn seu car-
regamento prompto, para o resto da mes-
ma o pnssageiros para osqnaes ten excel-
Icntes commodos : trala-se com os consig,-
nalarioa lias os 6; I.emos, rita do Trapiche
n. 17.
Para o Porto, segu em poneos dias,
por ler prompta a maior parte de sua carga
o veleiro patacho poiluguez Duque do Por-
lo, para u resto da carga e pissigeiro*, para
o que lem cxcellente commodos: trala-se

MUTILADO
ILEGIVEL





com seu consignatario Domingos Alves Ma-
theus, na ra do Apollo n. 23.
HS* '^ '''fl*'J'l"V! %"P* "<~*r*i -.. --*"l
companhia
Brnsileira de paquetes a
vapor
O vpor'focantins, commandante o pri-
meiro lente Pedro Hipiolyto Duarle, es-
pera-se dos porto do norte em seguida pa-
ra os do sul at ao dia 24 do eo-rente. Para
carga, encommendas, dinheiroa l'retee pas-
sageiros traa se des Je ja na agencia ra do
Trapiche n. 40,
COMPANHIA
Pemamhucaiia.
O vapor nacional I'ersinunga, comman-
dantc o lente Moreira, sahir para os por-
. tos do sul de sua escala, no dia'20 do cor-
' rente. A carga Jurera ser depositada no
arutazem da compinliia competentemente
despachada e acompanbada com os respec-
tivos couhociatentos, que serii> entregues
aos Srs carregadores assignados no dia an-
tecedente ao Ja saluda depois, do meio dia,
Leilao extraor-
dinario
e ultimo (leste anuo.
QUINTA-FEIRA. 17 DO CRREME
Lotera
Provincia.
Og bilhotes rubricados pelos eh.iixo assig-
nedos, da lotera de S. Francisco de OlinJa,
obtiveram os seguintes premios :
1 meio n. 102.....4:000:000
t dito n. 2:143 P. J. L . oosooi)
1 dito n. 340*.....2O5O0O
1 dito n. 9*4 P. I. L . IOOsOOO
E oulros de 50-3, '20a e I0 Kstan expostos
a venda na sua lojn no aterro di Boa-Vista
n. 56, os bilhetes da segunda parto da se-
gunda lotera do Collegio dos orphSos, os
quaes s3o garantidos :
Bilhele 5-uun recebe 4:0009
Meios 2>500 2:0003
Silva GuimarSes & C.
LOTERA
DA
provincia.
Segunda parto da segunda lotera do colle-
gio dos orphSos e orphaas.
'Ultima do annol.
O ahaiso assignado tetn exoosto a venda
os felizes bilhetes e meios da lotera cima :
na ra da Cadeia do Recife n 45, e na praca
da In lependencia ns. 4 e 37 a 39.
Bilhetes 59000 recebe 4:0009
Meios 29500 2:0009
Por Salustianode Aquino Ferreira,
Jos Fortunato dos Santos Porto.
- Quem tiver urna geometra de Eucly-
des, nova, oa inesrao usada, que queira ven-
der, drija-se a rae de llortas n 112.
J\ovo sor (i ii i oti-
lo de ricas
obras de bri-
cm sen armazem na rua do Coilegio n. 15,
lata le. 13o de lodos os objeclos existentes
no mesmo, consislmdo em mobihas de Ja-
caranda eacarello. pianos de mesa, um
lio lo presepio, secretatias, guarda ruu-.'as-
de amarello e do noguera, toilettes, espe-
Ihos porlates para barba, lavatorios com
pe Ira, aparadores, mesa elstica grande,
guarda louca, mesas simples de jantar,mar-
quetas, cama francesas e mas objeclos de
marcineiria ets obras de ouro e prata, ob-
jestos de porcellana para en fe i tes de sala,
leanJelabros, lanternas devidro, candieirng
de globo, de diferentes modelos, quadros
mo ternsimos, quinquilherias diversas e
outros muitos artigos qu-> Tora impossircl
I mencionar, e que serDo definitivamente ven-
1 di los seni reserva alguma : njisupradito dia
as 10 horas da n.anhaa.
LEILAO
de algodao.
O agente Borja, por conta e risco do quem
perlenccr tara leiiau de 186 pecas de algo
do, com toque <)e avalla, quinla-fcira 17
d crrente ao iii O agente Oliroira n3o podendo ron-
cluir em um s dia o leilao da mobilia ler-
tencenle ao lllm. Sr. desemhargador M. da
Koclia Bastos, em consequenca da mulli-
plicidade dos artigos, continuara o leil3o
los restantes, consislindo em caJeiras de
differentes (|ualidades para sala, saletas e
'Idilelto, banquinhas de jogo. estante para
livros com banca, linda baoquinha de cos-
lui, mesa de jantar. dita pura engomma-
:4s, sof, bancas correspondentes, comino-
das, candelabros de 6 luzes para cima de
mesa, Linternas, relngio bionzeado milito
superior, espelhos grandes de'Jacaranda os
niis perfeilos para toilette de senhora, um
magnifico santuario de Jacaranda liada-
mente dourado por dentro, um piano mo-
derno e de grande valor, redomas com pea-
O 5r. Bandeiiiiiha Jas mocas uunjr*
vir ao >ateo de S. Pedro saldar o seu debito,
do contrario se publicar to lo o seu nome,
bem como a naturoza dessa divida, "a ain la
mais a maneira por que sua merc a contra-
llo e. ..etc., etc.
O escrivao Ja irman la-le de N. S. da
Soledade [da Boa-Vista
todos os senborea irmSos para a eleica
nova mesa que tem de servir em 1858, visto !
que por impedimento Jo actual Sr. juiz nSo
pode haver no da 13, o por isso espera con-
corrain todos para um tal fin), isto no dia
17 do corrente, pelas .". horas da tarde, no
consistorio da mesina igreja.
Ua Dlt^stlkiatriMlUQO mi t.\i'A Nl4 i; 1*8 ,||;/MB0 i>* I8i

CISLTQiUO FiTEKO
&* . &*
DO
ao Goavca.
(liantes ,
e prata.
ouro
Na lija dos abaixo assignados na roa do
Cabuga n. II, confronte a ra Nova e pateo
da matriz tem ltimamente chegado gran-
de soitimento de joias tanlo para senhoras
como para homns e meninos, continuam
os precns rzoaveisc passam-se con tas com
responsabilidades, especifican lo a quahda Je
do ouro do l4ou18 qiilites, licando assim
sujeitos os mesmos por qualquer duvida.
Berattm & IrmSo.
Boga-se ao Sr. Cuilherme Pinto Han-
riques, que antes de se retirar para Europa
tetina a bonJade de se dirigir a ra do Q mi-
mado loja n 20, a negocio do seu inteiesse.
-- l'erdeu-se na ma Irugada do dia p i-
meiro do correte mez,desde a ra do ate.'-
ro da Boa-Vista ate a ponte, nina carleir
com a quanlia de um cunto nitocentus e
Untos iril rcis, sen 1o em duas sedulas de
qiiinhenios, duas de duzenlos c o resto em
notas de cibCoenta. liei e cinco, ulein dest.a
quanlia, conliiiha a carleira papis que de
nada serven a quem a acoou, mais que
muilo interessam ao dono, a ponto de nao
olhar a gratiticaeo para a pesio que a ti-
ver achado e quizer entrega-la na ra Nova
loja ii 36.
PROVINCIA,
O Sr. tlicsoureiro das
fazer publico que te acliain
pavimento terreo da casi da
ra n. 86, das 9 horas da
da tarde bilhetes e meios
parte da segunda lotera do
orplios cujas rodas andarao
do
loteras manda
a venda no
lia da Aui'O-
inanliaa a.< 5
da segunda
collegio de
no dia 24
corrate.
Thesouraria das loteras, Ib dede/.em-
iifias, jarros egarralinhai de porcellana, e bro <|c |S37._O eterivao, Jos Mara da
dejaste, tiem de cozmha ; assim orno urna | n *
saccada de pedra, um trave Jo amarello, e
assim mais uina escrava ptima cozinhe>ra,
BCBI urna linla cria de 10 mezes : sexta fe-
ra 18 do corrente as 10 horas da mandas, na
?asa de dito Sr. desembargados na do Au-
rora.
O agente Oliveira far Ieil3o, por au-
tOrisa;30 competente, de um sitio de trras
na ra do Sebo, oulrempe, no bairro da
Boa-Vista, o qual tem 37 palmos de (rente
entre a ra Nova dos Limoeiros, e sitio de
I). Joanna dos l'assos, formando urca vela
laliia com Trente para dita la do Sebo,
confinando pelo iiascenle e sul com dita roa
Aova dos Limoeiros, estieilanlo < ca dita
ra abaixo al lindar no fundo do dito sitio
dos Passos e pelo poenle com o mesmo
sitio de dita 0. Joanna dos Passos : sabba-
do 19 do corrente ao meio dia em ponto, no
escriptorio do dito Agente, a quem previa
mente poJem recorrer os pretendenles para
exime da escriplura da compra pelo actual
proprietario, procurarlo deste, e o mais
que entenderem necessario.
LEILA'O DE ESOUVOS.
0agente Borja, em seu armazem na ra do
Colegio n. 15, tara leillo de urna ptima
esciava de bonita figura, com differentes
h.ilnlida les, e bastante : boje 17. ao meio
(lia em ponto.
Lotera
DA
Provincia.
Segunda parte da tei ceira loteria de S.
Francisco de linda.
Nos alortunados bilhetes rubricados
pelo abaixo assignado lbram vendidas as
seguintes sortea :
Em andicncia do Dr. juiz municipal
4a |>i iniera vara, no dia 18 do corrente, na
roa ilas Trinrhciras, se ha de arrematar um
sitio com casa de podra e cal, sito na estra-
da do Arraial, ja com o abalimento da le
O morador da casa n 20 da ra da
M.iugaeira Boa-Vista; sabe, por u n meiho-
do por elle descoberio, extrahir a esteari-
na com facilida le, e muito pouca despeza,
b in-is algumas outras vantagens a res.jeito
de oulros objeclos para o fabrico de velas
linas : se alguem quizer fazer com elle al-
guin negocio procure-o.
. ... Fugio do engenho llecanto em Se:i-
nhiem uui cabrinha criuulo, de nome Clau
dio, o qual su >pe-8e tfr-se dirigido para o
Recite, poisalii foi compra lo emjulho do
corrente auno so Sr. Joaquim Vieira Coe-
Iho, estabelecido na ra do Crespo ; o es-
cravo tem os sigues seguintes : caballos
rarapinhos, cor alaranjada escura, pslus-
lantes grandes, coi relacSo ao camanho, que
representa M aiinns, pouco mais ou menos,
nariz alguma cousa c!i ito,e su|ipr>c-sc ser de
ilgum couce, levou roup do aUodSo, ca-
misa branca, cal^a azul, o chapeo do l-.aela
prata: quem o apprebender, elevar ao dit
engenho, ou nesta j
caires Ferreira, na
Ns. l()- *:000 I meio.
1338 1 iOOOJ 2 meio*.
23*3 VOOs 2 ditos.
1166 2004 2 ditos.
o 10 i 200/) 1 dito.
3357 ioo-i Bi Hiele.
2015 1 oo.s Dito.
1288 100i Dito.
!l 2'i 1 oo.s i meio.
19!) 50? 2 ditos.
1 SI 17 50S Bilhete.
2*17 o< Dito.
-"i."i88 50< Dito.
2759 Ml.s Dito.
T>284 )0.s 2 meios.
1I2G 'ill.s I dito.
519 20j Bilhete.
91 20| 1 meio.
2059 20^ Bilhete.
3*1 'O.S Dito.
lie paga a sorle grande e a immcdiata
c os premios ale 20.S no escriptorio do
abaixo assignado na ra do Collegio n.
21, tas!) horas da manliaa ns3 da tarde
(L'KIJOS FLVMEXCOS NOVOS.
Unjo 17 desc rregam os queijos llamengos
nevos para se ven terem no armazem de
Birros & Silva.
-- Ven le-se marnela la muitj nova em
libra a MI rs., dita em quarlas, passas, fi-
gos, nozes, ameuaoas. bi-coilos em caixi-
ubas : em libra, conce vis azeilonas, ma-
ca de tomaies, presuntos, qu ijos de plnha,
Jilos fiamengos, vinhos pira mesa c linos,
champagn-a, marrasquino, licores e mis
gneros ;,or prreo c.onnn >do : duConte
ac ao Sr. Manuel Gon- 1 MM ,,., re|,caon. 28
ra da Monda n 3, se- .. !.,,,.,,,,,. i, 1 .. ,
gando andar, sera generosamente racoa- uho , 1 1 /' !7''r L!""
I un turnas, ue jo>e .Memles l.arnniro da
(".unha, Jislaiitrt Je Sanio Antfo tres 1
Ru do Queiiiido n. 27,
(esquina do Collegio)
Vestidos do soda de babados, em cartes,
ultimo gosto para a festa, ditos sem babados
do todas as cores e presos, dilos adamasca-
dos, larrados.etc,etc., chaly de seia borda-
do para vestidos, camisinhas e gollinhas
bordadas dollos os precos o qualidades,
velludos para collete, ousa nova, casemi-
rassuperiores, e ludo qnanto possa ser pre-
ciso na poca actual ao bom gosto da rapa-
zeada e do bollo sexo.
AO G0U7EI4,
liua do Que finado u. 27,
esquina do Coll.gio.
Chapeos, chapeos para a festa cheguem
rapazes Jo bom toai! Tem de todas as qua-
lidades c para todas as caberas ; o precinho
he de cmara Ja : bons castores rapados,
ptimos, francezes a lamberlick, Carij, a
Napoleao, para menino, ciifeilados, para se-
nhora os melhores que ha desuda, ele etc.
I'recisa-se alugar duas amas para urna
cas de pouca familia, ua para cozinhar e
ouira para eogominir e caser, forras ou
captivas : a tratar na ra Nova n, 67, pri-
meiro andar.
-- A pesso que tirer transaccOas ou
qualquer negocia com o Sr. .1 laquim l.au-
riano \lvcs da Fonseca, dinja-se ao Collegio
de Santo Andr, a cutenler-se com seu
mano.
No deposito de charutos da ru larga
do Bosario n. 32, ha para ven ler 6 arrobas
de pesos, cunleu lo 2 pesos de 2 arrobas, 1
de arroba, 1 de 1(9 dita e 2 pesos de 8 libras.
- Avsa-se ns pessoas quotirerera d-
bitos na ru larga do Rosario, deposito de
charutos n. 32 que hajam de os satisfazer,
quando nSo serio chamados pelo Diario,
para se lombraicoi dss cuntas que contra-
hiram.
I.eite puro a am agirrafa.
Veode-se todos os das pela minhaa, no
sitio que foi do cirurgio Manool Bernar lino,
um pouco adianto da SoUdade, na estrada
Je Julo de Barros, no primeirn sobrado a
esquerda, passando o sitio da C.ascata.
Aos sen llores da engenlio
e negociantes em
Go^AUflH .
Vende-sc o sitio que lica por detraz da Mi
sericorlia, na ra das l'jrteiras, muilo pro-
prio para passar-se qualquer das Testas do
-ii'-o em i. >i nina. A casa be de tijolo, mui-
to bem e nova mente construida, tem '2 sa-
las de frentr1, 2 corredores, 6 quartos, sala
de jantar e cozinha, tem estribarla que ac-
'O'iimola muilo bem "2 cavallos. um terreno
muito grande, pOco d'agui de bebev'*-
rangeiras, limeiras. baaaneiras, jaqoeras,
mangueiras, pitombeiras, ele e para mais
Je 2u0 pea de cafe, uuasi metade do terreno
q-ie esta devolulo, p ie ser a prove ta lo c un
idantscoes de auanazes, iuhames, maca-
cheiras, ou ainda cal : n tmlar, ou em (ioi-
nna noensenho Mariuna, on no Becife na
ra do Collegio n. '7.
Al cidade de Pa-
rs.
RA DO CRESPO N 4
G. Falque.
Ncsle estabelerimonto se encontrara sem-
pre uoi varalo sor ti menta d^cnapeosde
sol para homens e senhora, bengalas, chic-
les, camisas, ceroulas, collarinbos, enapaoa,
bonels, grvalas, artigos para viag m, esto-
jos para barba, e u i. so 'tmenlo de roupa
l'eita, tanto para bomem como pira menino,
assim orno bordados, camisinhas. gol 1 i -
nhas, saias de diversas quajidades, Ihapeos
ent'eitns para cabeca, manteletes, luv^s de
pellica Jouvin, perlumari.s linas, toques,
caixinhas para costura, objectos de phanta-
sia, e urna inlinidade d o itros artigos de
gosto proprios para senhoras, tu lo se vonJe
por menos prcr que en outra qualquer
parle, em porcao o a retalho.
Loja de c ligado i'rancez e
da teriM.
Vende-se lodo o sortimento de calcado,
tanto I-ancez como da trra, c entre elles
borzeguins francezes e da trra para hornera,
sapatos de entrada baixa Je urna c duas so-
las, ditos de transa co n sallo para homem,
senhora a meninos, ditos de laa proprios
para quem padece de fiialdade, e mesmo
para andar em sitios, sapaiinios de meni-
nos, de lustre e marroqum da lodosos la
manhos, e ludo se vende por precos com-
moJos : na esquina Ja ra das Crnzes n. a
VenJem-se i carracas de sicupira p ir
acabar : a tratar n ra da l'raia di Saata
Bita, sobrado de 3 andares, confronte o Sr.
Antonio da Cosa Bego Montciro, loja do
marciuciro.
.Na coebeira do Cuedes, na ra do Ca-
no, ba bons cavailos para se vender, excel
lentes para cab iolet.
I'recisa-se de. um caixeiro pira pa la-
ria, que abone sua capaeida le : no pateo da
santa Cruz, a entrada da ra do Bosario
u. 55.
Quiiherme Pinto lleni^ues vai a Eu-
ropa, levando em sua companhia sua mu-
Iher e dous lilhos menores.
Antonio de Souza Teixeira, por baver
out'o de igual nome, s- assignara por An-
tonio de Souza Teixeira Bere.
No dia sexta-feira 18 do crranle, de-
pois da audie, cia doSr r juiz de orphSos
e ausente, ser arrematada em hasta pu-
blica a escrava Mara, crioula, avahada por
50?rs., pertencanle a hr-ranca jacenle da
linada Paulina Alexandrina Cnimaies.
I'recisa-se d um caixeiro para uma
loja de louca vi Irada, anda mesmo que seja
algum homem de meia i Jade, qu de fiador
a sua condueit : a tratar na ra Ja Cadeia
Jo lenle, loja n. 64.
/Vovidade sem
igE.a!.
Conronle o becco Jo Rosario de Santo An-
todi i chegou houlcm da Europa urna por-
ga j decestinhas com lampa muito proprias
para as pastorinliaS ilQoslarmn suas ofler-
I las nos presepios: unto aquella novidade
veiu nina nova remessa en tornos de acafa-
Rl A DA'.CADSIA, DEFHONTE DAORDEM TERCEIBA DE S. FRANCISCO.
Onde soacham sompre os mas acreditados medicamentos tanto era unturas como
. convida em geral a im glbulos, preparados com o maior escrpulo o por precos bastante commodos
s para a eleicHo da PBEgoS FIXOS
Botica de tubos grandes. 10/000
Dita Je 2* i a 159000
Dita de 36 209000
Dita de 48 > 255000
Dita de 60 b 30900*
Tubos avulsos a...... ipooo
Frascos de tinturrademei onga 2()O0
Manual de medicina homeopathica no Dr J|.r com o dc-
! conario dos termos de medicina ...
Medicina domestica do Dr. Henry .
Tratamento do cholera morbus .
Repertorio rio Dr Mello Moraes .
20900
10/001
2/000
aCi'oO
? *??? ? ?;. rtiTtrBWTM V *
* ri:niAs PRECIOSAS, w
1
Aiteri-cnsde hrillianlas, j&
Sdiamanlea e perolaa, pul- ':*.
v eir:ia, allinelr-s, briuros
f l re/eas, bnlfiea e annea ^
i re dilertnlfs goslos e de E
J diversas pedrat de valor. *
i "~ i
Compraro, vender on *
jj trocain prala. ooro, bri-
. Ihantes.diamaDlese pero- *
M laa, e ontraa qnae^qner M
jj joiaa de valor, a dli.btiro
uu por obras.
UJa B| 81JRI7B8
Ra do Cabuga' n. 7.
Recebem por
os os vapor, sda En- rr 1K -
! ;? Aparelhoa compleloade
lOpa aSOUTaSdo lliai.S prala para da, bandejas,
I i salvas, caalifaes, colheres
IIIO(leriH) gOStO, tait- 4 | U._. 5 ,0* oalro objectoa de
O govorno
c a
eolonisa^ao.
Acaba de chegar do lo de Janeiro alguns
exemplares do appenJico Idas ideas de pro-
paganda Je L. I'. Lcenla Verneck, | ido con-
de de fiozwadowsk. a respeto da colonisa-
Cao vende-se a 2:000 na prac.a da Indepen-
dencia liviana n (i c 8.
Na [vraria ns. 0 .? 8 da praca d
lodependencin, precita-e allar ao Sr.
Joaquim Antonio de Moraes.
--- Precisa-se tiva, para o servido de urna casa Je pouca
familia ; na prac, Jo Corpo Santo n. 17.
Avi(> aos apreciadores
da boa pitada.
lie chegado a este mercadeo excellente
rape princezt de Morilaude, fabricado na
- Jos Joaquim da Cunha Cuimaraesi CHPi,Hl ',0 Cear, cujodeposito se echa na
tem para vender na sua loja do lartaruguei rua da Cadeia do Becife lo;a de miudezas n.
ro na rua das Trincheiras n. 8, caladeiras " 8" P'OajO de I5O cada libra.
..?.?'SBifKiviS*** 1 -*
S OURO K PRATA.
I
, Aderec"' compleloi da '2
.? ouro, nieios dilns, polsei- &
ras, alnuetes, brincoa e n
S rozetas. conloes, Irancel-
;?" lin, medalhas, rorreles .1^
t nm i e enfeiles para relogio, e *
ooiroa mullos objeclos de fi
to
Fran
?H COIilO i
oulroa
prala.
francezas de chifre e burracha.
Preclsa-se do um forneiro para fora
da cidade: quem pretender, dirija-sea rua
do Mondego, pa lana do Sr. Saraiva, que a-
chara com quem tratar.
I'recisa-se de urna ama de meia ida-
de para todo o sr-rvico de casa, prefere-se
escrava : na rua da Boda n. i>
- Preclsa-se de dous amassadores : na
padaria da la do l.ivramento n, 32.
Precisa-se do um trabalbador, o de
um caixeiro : na padaria da rua Direita
n 2*.
-- Aluga-se para o servido interno uma
mulata de 14 anuos: na rua do Collegio n
10, terceiro andar.
Meuron
8S3t.seat.^gss.a63Bijaj
de Lisboa, as quaes vendara por
preco commodo como eostumam.
J-C<
No dia 18 do corrente, na rua das
Trincheiras, so ha do arrematar ao meio
dia, depois da audiencia do Dr. juiz munici-
pal da pnmeira vara do civel, um sitio de
trras, com casa de vivenda, no lugar da
estrada da Torra, porexecu?ao de Jo3o Fer-
reira dos Santos, contra os hordeiros de Joao
Firmino da Costa Barradas.
inhe: ^SR^^SOTAVASi
de meninos com as habiliUajOee necessarias
para ensillar prirneirus letlras, g amroati a
portagueza e latina : quem esliver nestas
circumslancias e quizer exercer o magist-:-
rio, annuncie para ser procurado, ou dirija-
SP n nac Mu C*t DmobU t ti *m
--- Precisa-se por aluguel de uma pret e
de um preto, ambos cscravos. a prcta q ue
suba engommar e f zer osrvigo interno de
uma casa, c o preto que saiba fazer as com-
pras e o mais necessario de urna casa : quem
os tivr, dinja-se ao s ibrado n. 8 da rua de
l- t-rancisco, in lo para a rua Bella, para
ralar do seu ajuste.
O

o
o
o
B

',.' 1 "ret, m ma# da
@ Cruz n. 'iO, mndi-
ramsse para a mes-
Com da psito ge-
ral do seu rap rea
Pretil, ni
1.1 t na
25,
Q
m
O

Q
O
pri-
o
po, e um escrava que engomme a coz
na rua da Cadeia do Becife n. 38, pnmeirc
andar
AOS AMANTES DA MSICA.
>o loja Ju llipnolvle Domonl, roa Nova n. 9,
evslem vindaa di Eu opa c dos primeos elabele-
cimenlos musicaeadu Kio de Janeiro as meia novas SP ras i c; ,. ,
opere, e o. melhoies peJ,0. II..dos das obras de rn n^r "CIS .'C f8ula C,r,,elr0
V erdi, Simio BVra.necra e oulras, sejam p.ra pa- I no llecilc' aterro da Boa-Vista, liaven-
no o, puno e canio, u pnra dao.a. Acharao im-: 'l0 " engenho uma capella, em iguaescir-
cumatauuias, prefere-se a ura sacerdote.
bem os senbores tlaotisuii um Brande sorlimenlo de
rnosicus p,ra Valsa, e d.....s, e un* doelos para
riauUs de operas inleiras cheua ia< ullimameiita dn
llalla, mesilla loja se enconlra aetnpre o maior
orttmentu de in.lrnmen|.,s de ludas a< qualidades e
preroa, violea, flautas, rabecas, e em g-ral lodj o
ioilrameatal pira mosica mihUr e orchaslra.
Ao Sr administrador do correio.
O conego Kochael pele a S. S que qual- , ,r casa do Eneas Targiue Accioli, ou
quer carie que do sul ou norte, que por essa
--- Alugi-se o sitio que foi do fallecido
OT Bernardo, no paleo d > Carmo da cidade
de OlinJa, perto do banho do mar, e com
agua para tolo o servco, e exceilentes com-
modos para ptssar-sea festa: quem prelen-
der, dinja-se aos Coelhtjs, na rua dos Pra-
administracSo for dirigida ao annunrante,
s"ja remettida para a agencia do Brejo, on-
de he morador o annuncisnto.
Do ningo, 13 do crranle, sahio do hos,
Dital da caridade um servente de nome J0S0-
escravo do Sr. Domingos I'iros Fe-reia, o
qual tem os Biguaes seguintes: cor prela,
alto e cholo do corpo. co 11 i di ie de quaren-
ta e tantos annos, com un dedo torto de
urna Jas rnflos, e, he quebrajo : quem o pe-
gar |nve ao mesmo hospital, ou a casa Je seu
rolerido senhor Domingos Pires Ferreira.
~- A mesa regadora da irmandede de N.
do O de Ipoiuca, faz saber que no dia 27
do corrente, pelas > horas do da, llovera.)
tolos os irm is -le dita trmandade compa-
recer na consislorio da igreja de dita Se-
nhora para se eleger os novos funecionarios
que tem deservir no prximo seguinte an-
uo de 1858, e pera constar se publicou o
presente.Jos \ntonlo Pires Falcan, juiz.
Manoel Cardoso de Vergas, thesoureiro.
--- I'recisa-se de .'amassadores: na pa-
daria da rua dos Pescadores.
Jos Diogo do Penna, subdito portu-
guez relira-se para fra do imperio.
Na rua Augusta, casa do solilo con-
fronte aos Coelhus, precisa-se de um homom
Torro para an lar com uma carroca.
Aluga-se um SOtao de um sobrado do
um andar em muito boa rua, com os c im-
modos seguintes: -2 salas, 2quartos, fogao,
e cede-se o uso de um grande quintal e ca-
cimba ; da-se preferencia a alguma senhora
viuva honesta, que nao tenlia grande fami-
lia ; ni rua do Caideireiro n. 2, das 9 horas
do da exiliante.
Uofmio do Cijueiro, que foi do falle-
c lo Sr. JoHo Jos da Cruz, desencaminha-
ram-se 3 ovclhas e 2carnelros; peue-se a
qualquer pessoa que delles soitbor, mnda-
los no dito sitio, ou na taberna do Cajueiro,
que se graMicar.
Manoel Bogorio ou l.uigerio, do idade
deUannns, poucu mas ou menos, fiho
nico, e morrendiseus pais na comarca de
Coianna ha mais de um auno, passou-se pa-
ra esta freguezia de Maranguape, e nesto ]
correr de tempo tem assistido em varias ca-
sis Com o inleressn de uma pequea paga, e
sahindo ha pouco de uma dellas dirfatnou a
lamina do seu bemleitor, esle offendido foi
queixar-se ao subdelegado do lugar, e dan-
'io o dom para s?r preso, como foi, remet-
teu ao delegado de Olnda com 1 recruta
t.erte pessoa da inesma Ireguezia como nao
conseguirse solla-l, conste que fra procu-
rar empenhu no Becife para quando i che-
gar ser sollo, e como talvez allegue razoes
injustas, nrevine-se as autoridades que no-
nnum est mais na razilo de ser recrutado
Jo que. esle individuo, que ale n das razoes
Jilas he um gratule vadio.
- O esc iv3o do jury do termo desta ci-
dade mudou seu cartorio para a rua Augusta
11. 15, prmeiro andar.
- VtctorSuuvage retrase para Franca,
e pede a todos os que se julgareai seus ere-
dores (tuHiran presentar as suas cotilas
nestes tres dias, na rua da Cruz 11 20, na
certeza de que as cotilas que forera ap> esen-
tedas depois de sua retrate, n3o seiau al-
ten 1 i tus
(1 abaixo assignado vai provincia das
Alagues, e deixe por seus procuradores os
Srs. Ignacio Luiz do llrito labor la, Marce-
lino Jeronymo de Azevedo e Fortunato Jos
Dias de sampaio, iicanlo este encarrezado
de todos os negocios de sua casa.
.los Concalvos Malveira.
Detappareceu da arcarla da alf.ni-
uega urna caivinba cotn fio de ouro ej
com letreiro a Novis & C, viuda do Hiol
pilo vaporTocantns,<|iicin tiver noticia
della |ode dirigir-* a' alCandega ao des-
paciante Vieira de Souza que lera' re-
compensado.
RETRATOS PELO NOVO SYSTEUA EI.EC-
IKIIIVI'II.
JooThomz annuucia ao respetavel pu-
blico que acaba de receb-r un rico e varia-
i) soritmento das caixinhas do nort-a ameri-
cano, de diversos lemanhos e gostos, e n?s-
naiivraria n. 6 e 8, da praca da Indepen-
dencia. v
I'recisa-se de uma ama forra, ou urna
preta captiva para o scrviQo de uma casa de
duas pessoas ; no paleo do l'araizo, segun-
do an.hr, qUe faz quina pa'a a rua Jas Cru-
zes, por cima do um acougue.
Ka sexta-feira, 18 Jo crrenle, em
praca publica do lllm. -Sr. I)r juiz munici-
pal da pnmeira vara, que te-a lugar na por-
ta de casi n 9 na rua das Trincheiras, lin-
da a audiencia do mesmo Sr. juiz, que prin-
cipia ao meio da, se haa de arrematar di-
versas lvidas qua oram do casal do finado
Jos Francisco Belem, e couberam ao ber-
deiro .lo-c Kodrigues do Passo como admi-
nistrador de sua mullier, no inventario e
pertilha do mesmo c-sal as quaes dividas
va > a praca por execucSo quo ao dito l'assos
niovem os hordeiros de Antonio Martins Bi-
Oatro. lie a ultima p-aca.
-- O or. Jo3o Mara Seve, mdico, mu-
dou sua residencia para a rua do Collegio,
casa u. 10, segundo andar, por cima da bo-
tica, on Je frue ser procuradu para o exer-
cicio de sua prolissao, especielmcnle para o
s-rvigo Je partos.
O Dr. Jeronymo Vilella de Castro Ta-
vares 11111 iou a sua residencia para a rua
larga do Bosario, bairro Jo Santo Ant inio,
pnmetro andar do sobrado n. 28, e ahi esta-
beleceu o seu esciptorio de advocacia, f-o-
deu lo ser procurado lodos os dias uteis, das
9 Duras da mauliSa as ida lar le. Asques-
tOes do que o anuuuciaiite se enesrregar,
durante os 4 mozes de sessao legislativa,
que passar na corle, scrSo tratadas cotn tojo
o cuidado e zalo pelo seu socio.
A< errando arinazem $)
m
de roupa fita, rita
Nova n. 41). junto a
igrej 1 da oncei-
<;ao dos Militares.

Nesto
0
0
0
armazem encontrar o pu- (A
b'ico wm grande sortimento de rou- zl
7^ pas fetas, co-10 sejam casacas, so- W
W brecasacas, fraques, gndolas e pa- ($)
g. lils Je panno preto e de cores, pa- *
v 11 tos esobrecasacas -le casemira de Vr
& cores e msela la, ditos de alpaca (#)
h prota e de cores, dilos de popelina t^f.
Zi Jo seda com golla de velludo, ditos Jg
VP de bnmbasina. Jilos de merino se-
Um, dilos de fustu branco e de co- t9\
res, ditos de ganga de cores, ditos de S
brim branco e de cores, ditos de ris- MW
cados, oigas de cisetnira preta o de (3)
cores, ditas do t^eia c-semira, de {(*,
merino, de princeza, de brim brn- xf
coe de cores, de gatigs, e de fus- W
toes de linbo, culleles de velludo, do t$k
gurgurau, deselimde fustfio, e de ^
gangas, grvales, luvas, camisas, c (W
Vr chapeos de toles as qualidades. ($
Precisa-se de tomar a premio i a 6 eoli-
tos de res a um por cenlo, dan lo-se por se-
guranca um predio de grande valor quem
quizer lazer| seineliiatite negocio annuuce
qara ser procurado.
Uramitiatica latina.
Acham-se elguns exemplarps do prmeiro
e terceiro volunte da ubre do Sr Carlos Kor-
nis intitulada instilutiones grammalica;
el synlaxeos latina; ex auctoribus clessi-
cs optimorumque grammaticorum operibus
excerpt*, el in usutn alumnorum methodo
syulhetico-analilica conscripta, per Cero-
lum Komis de Totverai, ex-ptofessorem
umversitalis hiingarica- postieusis, etc. : lias
Iivrarias dos lllnts. Si s. M. Figueiroa de Fa-
ria, e CuimarSes Oliveira.
jForaeiro.
Precisa-se de um borp forneiro para uma
padaria em Macei : a Iraiar com Tasso lr-
m&os,
Precisa-se saltee para negocio de
se par toots dn tolas es i|ualdades. ao mais i mierettc, se ainda existe 011 existi nesta
necessario pa a tirar retalos plo svstoma '
a indcalo Previne. pnitanto, "aqiiel-
[trimeiro
&
a meirn indar.
- Precisa-se alugar uma ama forra ou
captiva, que saiba cozinhar e engommar, a
qual paga se bem ; na ru i Augusta, casa de
j -inacleto Jos de Mendonca.
Ino Edwin Bobera, corretor ge-
I ral e agente de leiloes mudou o seu es-
criptorio do segundo audar da casa n.
TiS da rua do Trapiche par;
da casa 11. '.) da mesraa rua.
- Na rua estreita do Boserio n. 31, se-
gundo andar, precisa-se de urna eme que
coznliee engomme para mocos sol le ros.
.T ." '' '"st' Kleulerio de Azeve 10 queira
dirgir-se a rua do Vigario n. 19, nrimeiro
andar, a negocio quelbediz respeto.
Hreeisa-se paca a cidade de S. Luiz
do MaranliSo d : urna pessoa (pie seja per-
reitocampia e que alem disso saiba de-
senl-are entenda de serralheria, para ser-
vil- n'uma fabrica de descascar arroz,
movida a vapor : quem reunir as ii;--
cumstancias indicadas e convier contra-
tar-ce queira entender-se com Almeida
Ijomes, Alves A C. no sen escriptorio rua
da Cruz n. 7.
----Precsa-se de uma mulher de meia
ida.le, que saiba cozinhar fore da rija le 5
leguas ; pega-se bem, sendo Jtltgenln : a
tratar na rua da Praia n *i> Tambera prc-
ctse-se Je uu] caixeiro portuguez, ou bra-
sllnlro delta I $ annos, para urna lab.irna
for.i da cidade 5 leguas com pratira, 1111 em
elle a tratar na inesma casa 11. iO.
Precisa-se Je uma ama pera casa de
pouca familia ; na rua Bella 11. 10
Na fuudico da Aurora precisa-se
ile serventes forros ou escravos,
servieo debaixo de cobei ta.
DQTIST1 FRAHCEZ. g
,. Paulo liaKiiom ilenlisla,rua Nova a.41 1
SJJ na meema eaea tant aguaep. lanlrlfie. tt
kCO::>'::;:. :;o Gvi: :-"- .'''::.
SEGUItO CONTRA tdmO.
Companhia Alliane*.
si.lialecida cm Londres, em mareo re 1S24.
Capital cinco milh5ei Je libras esurlinas.
Saan.ders Brothers & C., tea e aonra da in-
'orcui aos Srs. negociantes, proprieturios da cas.
a que* mais convier que estao plenamente au-
orisedos pela dita companhia para effeciuar segu-
ros lotr edificios de njolo e pedra, coberlos da
talhe e gualmentesohre os objactos quecontiverera
o mesnos edificios quer consista etn mobilia ou
H-. (rondas a quel(iier qualidada.
MMM CATIS,
corretor geral
E AGENTE DE LEII.o'ES CO.MMEBC1 AES,
n. 20, rua do Torres,
PBIMEIBO ANDAK,
_ _ r'ca do Corpo Santo
O
G
He chegado a loja de Lecontc, aterro
da Boa-Vista u. 7, excellcnte lcite virginal
de rosa branca, para refrescara pellc, tirar
pannos, sardas o espinhas, igualmonloo
famado oleo babosa para limpar e fazer crea-
cer os cabellos ; assim como p imperial de
lyrio de Floronca parabrotoejas e asperide
desda pelle, conserva a frescura c o avellu-
dado da primorosa da vida.
- A ptofessora particular Candida Bal-
bina da PaixSo Bocha, moradora na rua do
Bangel, rcaba do dar feria a suas alumnas
por se char adoentada, porcm voltar no
lim do jauetro ao seu magisterio, o conti-
nuara a receber pensionistas, meio ditas a
externas, a quem ensinar a coser, borda,
ler, escrever, contar, grammatica.e le.
Antonio Lopes Peieua de Mello,
faz sciente a seus devedores d loja de
calcado da rua da Cadeia do Recife n. 0
<|ue visto teiem abusado de sua 'bondade
no cumprirnento de seus deveres, que
anda esta' reS'dvtdo a esperar at o im
do corrente inez, findo este, decidida-
mente entregara" a sen procurador paia
chamar a juizo um por um, nao tendo
mais eontemplacao com ninguem, pot
isso t|ue fa/.o presente antiuneio cm tem-
po, nlim Je tpte depois uo baja quei.vas ;
e ao mesmo tempo faz sciente, -le que
tein nlguiis de que ignota suas moradas,
e entao esles tem de os chamar por este
Diario, declarando as quantias, visto
nao se aecusarem do que devent.
otena
para
^asadesaude
|3
^ O Dr. Ignacio Firmo Xavier es- g
"! lalieleteuetn seusilio da Passagem V
;v_ da Uagdaleoa, que fiea ao norte 9
g. da estiada entre a ponte grande f?,
g ea pequea do Chora-Menino, ex- g
g i( Mentes acouimodacOes para re-
'.;^ celter todas as pessoas enfermas '.:
;" pese qiiizerem utilisar de seus '..-;
"\ serviros mdicos, os quaes serSo
'.. prestados com o maior esmero. O
'':' O mesmo Dr., para o lira supra- .
5 i" 'icado e para exercer qualquer Q
:; oiilro acto de sua profisso den- O
6 troou fra desta cidade poder..' :.:-
3 ser procurado a qualquer hora do :':
C' dia eda noite. nu referido sitio. ;;
:,i a excepr;ao dos dias uteis, das 9 tt
:.,i horas da uianliaa a's | da tarde, {_;
9 '1'ieseia' encontrado no prmeiro $J
9 and,ir do sobrado n. U, do ateo C'-
/.i lo Carmo. A
l>etroine da ordeno tercei
rsj (ti S. Francisco
CONSULTOUIO IIOMEOPAXHICO
lid
R-.P. A. LOBOMOStOSO
Medico parten o e operador.
O lir. Lobo Hoscoso, da consultas todos os
lias o pralica qualquer operagao decirurgia,
ssim corro.aecode com toda a prompldSo,
DA
provincia.
O abaixo assignado avisa ao publico que
de lioje em van te se obliga a pagar u sor-
te grande ea immediata no dia da e\-
traeco em seu escriptorio na rua do
Collegio n. 21 prmeiro andar. Vcnd/'
em porcao de IHOs para cinta dinheiroa
vista bilhetes e meios garantidos dos 8
por cento pelos seguintes preqos:
tllieles 4.S5 Meios 2/J250
os bilhetes da loteria recolhida sao rece-
idos cui troca de outros.
P. J. Layan.
Obras (le tartaruga
Jos Joaquim da Cunha CuimarSes, esta-
belecido com luja de larlarugueiru na rp
das Trincheiras n. 8, cun a frente pintada
de verde, faz seiente ao respoilavol publico
e sous l'reguezes, quo acaba de receber de
Franca um completo sortimeulo de pentes
de larlarug do tneis apurado gosto do mer-
cado, assim como na mesma loja costuma e
ler sempre um sortimento do obra l'eita de
tartaruga da ten; promplilicam-so tamheut
todos os cuuccrtos com promptido e preos
couimudos.
- Na fabrica desabito, na rua Imperial,
prec sa-se de srvenles captivos : a tratar
na mesma fabrica com o administrador.
Precisa-se de" uma ama forra ou
captiva pata o cvico de urna casa de
pouca familia : na i na Direita n. 45, loja.
Deseja-ga saber noticias da preta livre
denominada Luciana Hara da Conceic,io.
que se diz cesada com o preto Benedicto,
tendo esle sido esclavo de Jo5o Antonio de
Souza, morador da rua do tjueim'do : quem
Ja mesma poder dar informacoes he esp :cil
favor para utilIJade da mesma.dirigindo-s1;
para isso ao lieciferuada Crut n. 3.
Precisa-se de urna ama forra para todo
o stvqo interno e externo de urna casa de
pequea fimtlia : na rua dos Pires ti. 8.
i.onipra-so elieclivamente na rua da
Flores n 37, primeiro andar, apolices da di-
vida publica e provincial, acc/ies das coropa
nhias, o da-se dinlieiro a juros em grandes e
pequeas quantias sobre penhores
Na l'uadicdioduBriun n. 6e8, contt
nua-se a comprar c^cclt va mente hronze, la
tAo e cubre velbo.
Compra-se metal sendo cobre, Li-
lao e bron/.e velho, por maior precio do
qiteem outra qualquer parte: na fbrica
de Caldeiraria na rua Imperial n. 118 a
120 c na rua Nova'n. o.~).
Compra-se um ou dous predios de
sobrado, seudo situados em boa rua, e es-
tando cm bom esladu : a Iraiar na rua da
Cadeia do Becife ti. 33? loja
Compra-se um braco de bal mii) gran-
de KomSo, que esleja em bom estado : quem
tiver annuncie, ou dirija-se a rua da Sait-
zala Vel a n 50.
Coi pra-se u ma prela, c um preto, es-
cravos, que sejam liis, e n5o lenham vicio
algum, devendo apret saber cozer, enss-
buar e eugoiniiiar,. o o preto saber fazer as
cotn ..ras Je urna casa, e bo'.ar canoa (de car-
rea ; quem os tiver annuncie para sr
prucurado ou dirija-se apresa da Indepen-
dencia u i!c 8, que se dir quen os pto-
t>ndo
-- Compram-se moe las velhasdc IS9coni
2 por cont de premio : na rua da Cadeia
do Recite loja de cimbio n. 38.
Compra-se cfTectivamemlo bronze, la-
13o e cobro velho* : no deposito da fundicSo
da Aurora, na rua do Bru, logo na entra-
da ii. 28, c na mesma fundiqao, em Santo
Amaro.
;;!;)0
^as
puta o auno de 18iS.
Acliam-se a
follitnlias i
d" | tes redondos brancas, Jilos Je con lecas", ba-
'aius ie vimen Jo p lliiuha, francezes, mu
(lensado.
-No dia sexta-feira 18 do corrente.de
pois daaudienrie do lllm. Sr Ur. juiz mu-
nicipal da primeira v a, se ha de arrematar
iior -er a ultima prega, tima olera no lugar
Jo Remedio por es cuello de Joaquim Igua-
oRibeiro Junio-, contra os herdeiros de
Miguel Martins Ribei-'o.
- Sabhado 13 do
'Huas,
um escravo cioulo, bastante alto, secco,
pos eren es, lm pouca barba, olbos um
pouco luancos, e representa ler trinta e
lautos anuos Je idade, t ni na fre> le um
dentado menos, levou calca de algolno
azul e camisa do mesmo ou Je nialapolao,
ii.i i le p'lha, orna reda he natural do
crrenle, finds a au- sertSo; rog*-se a quem o opear levar ao
fliencia do Sr. juiz do paz do i. dislricto dolditoeogeiih-. ou ao Becife
batrrtda Boa-Vista as J horas da Urde, ser Jos Mondes Rodrigues Campcllo na rua \.
arrematado em pr i;a punhea. Kicideiras de gusta n.. ou na rua Direita n. 72.
amarello com assento de palhinha, avaha-! Precisa-se de
des emTSOOO reta cada tima, poraxecucSo forro ou escravo,
deJoaqu Per. ira Arantes, contra Cduar- ruado Trapiche ii. 8.
um escravo de boa
las pessoas que quizercu retratos liis e
perfeitos. e baratissimos, venham ao seu es-
ta baleci ment, na rua Nova n. 33, gallera
de Arsento a do Cadault, primeiro an lar.
Caf da boa
cidade o Sr. Francisco lionralves do Re-
g: quem souber onde elle esta' ou al-
guemdesua familia be favor communi-
ca-io na rua do Vigario casa n. 7.
Quem annunciou Drccisar de 800? a
1,000? a premio, procure na rua do Cotovel-
venda as bem COuJvecida
tnpressas tiesta typograpbiu.
as pessoas que precisarem do seu prestim ,,. ......i- "- Hug.apnta,
par, o s.uvicode partos, praticando aso- P". i""'0,l"e V,;m' (t^ H-gu.utes qua-
peraOes manuaes ou nslrumentacs, quan- 'I'1'1""-'8 :
do no possa couseuuir resultado or mein l'olliinba de variedade. innli-n.lr. ulm
Per, ira
do Fumino da Silva.
--- Precisa-so de utn
dade ; d-se buin urdenado, em e inseeo.
Via do servido ; na rua du Cotovollo, p.de-
ria n. 31.
ii casa do Sr.
pello na rua .\u-
n. 72.
um bom coziuaeiro,
para cesa eslrangeira: na
apropiados para costura de senhora, halai-
nliosde coros e sem lampa, obra Onisslmi e
mui deliea la, pro.i'ia para pr^nlas de nio-
Qas, hal.iinhos tna'iza los p*ra brinqundos de
meninos, cestas Je differentes lemanhos pa-
ra comp'as, cestos bregue/.es para sitios,
ffitos de correia, canasiras lavradeiras equ-
valeule aos panaru's, canastras com propor- ; refrescos
(0 s Jo hei'Qo para meninos pequeos. Ksle
estahelecimento tem e c mtinu'a a receber
da Europa obras desta nniureza, por
lo ii 0G, com portan Jo ferro.
_>!)I--0C0 de gretific3Can.
Tendo desappsreci lo dos armazens Ja cs-
f J hrad de fetro, as Cinco Ponas, e de outras
" Prl , aonie existem objectos e materiees
Conforme se annunciou, acha-se aberto da dita estrada, gran le quantidade do far-
este estahelecimento, seo lo com o melhor rf8ens o mais objectos; o empreiteiro da
gosto po^sivcl onlo os freguezas acharao U/Psm" offerece 200adgratiG'>aeSea quem
excellcnte cafe, chocolate, cha, bolinln.se descubrir a pesso s ou ligar aunde exisla
quali lades, assim co- pbjeclos e ferrageni periencentes a dita es-
mo preparam-se otares para fora, bandei- l'ada, alim de que se proceda conforme a lei
jas enfulla las e qualquer ohjecto do cotni- Sl!'ein punidos. O mesoio empreleirn >ro-
1 da: ua rus larga do Rosario n. 46, primeiro !nctle guardar em segredo a pessoa que o
.\o escriptorio,
Precisa-se alugar
Jiro de capici- conducta, ou mes
ment de cavall
se a estrada de
a capella, que s
seu proprietario garante aos seus [reguezeaI lato,:;- '......." informar, sendo nessario
uear anco Qo ^SEttSfZ J-b- l-n baManle ?o se ollia p, e o : ^ ^t&t^o fiSLS
Pf o para doces: .cnle-so as arrobas ea na ruado Collegio n. 2., teree.ro andar, n. 3, oodo leve loja de barbeiro o Sr Fran-
roiai.io.assucar mascavado secco em arro-' Manoel Augusto de Menczes Cosa cisco Pinto Ozono : a traU-r no deposito de
a retalho, mudou ^e residencia para a rua da f.oncei- padaria, junto.
i-se alugar una escrava qua co-
imme para uma pessoa, paga se
la da Cadeia do Rucile ;i. 3o, pri-
mo um cado para treta- oaf dem, bolac.tinbas de varias qual, i.Jes ao da flo.-vist,, i 4. - Pr'ecisa-
Iri IwuJ'T'0',:- ,n?" i dt> ,rru,U- '".coitos doces, fallas, e final- Deseja-se alugar' urna casa com sitio,, zlnbe e engon
dir , : JUIU I meJS.pa? " I**' luJj rl*ric*ao com as ras da Aurera. Hospicio, ou S. A.naro : bom : na .-"ua
.a d.r* quem pretende. I. melhor farinha do mercado. I a tralar na rua do Trapiche n. 19. me.ru andar.
do nao possa couseguir resultado por meio
da homeopathia. que tantas vezestem ven-
cido d.lhculdades, quu parecan) insupe-
ravois.
:''- ^^.0-:.y^--}o:y:y.:O
:J O llr. Da. feraandea, mediee fixou ;\\
ia resKl.ii'ie no segundo andar Ja ca S Ja me e.lr.ita de B iM.io ii. 30, unde pode "
... ser pr.icuradup.-rao etercicio de su. pro-
g besaa. ^
%m :;: y..y.::.:- -yZ-S
HomIo lie um cavall).
Furlaram na noito de 2\ do corrente do
sitio em Sanl'Anna, aon le moi -.- -r. Nash,
que he junto ao sitio do Sr. Amorira, uml
cavado de carro, ruco, com algumas pintas
de pedre/, g.-an lo, bem fjilo, g irdoe mui lo |
manso; clines brancas e retas, e a cauda
lamben), mas com as puntas branca, cascos
hrancos e bastante gran les, e alguma coasa
moles: quem achar, n levar este ce v^llo au
sobredito silo.ou no Recife na ruado Trapi-
che Novo n. iu, em casa de l'aiou Nash A
C sera bem re-compensado
Ainda se precisa de um hornera
p rio padeiro para uma padaria na
cidade da Purabiba, dando dador a mu
conducta, [tnga-se bem : i tratar na rua
da Cadeia do Recife n. 7, loja de Antonio
Lopes Pereira de Mello Os '..
unha de variedade, contendo, alem
dos mezes, minias noticias scientiGcas,
modo de plantar e coibera nova cunta
de assuca, noticia sobre o millio e al-
godao, e unta serie de conhecimentos
das artes, etc., etc., cada uma. ."o
le pode *?I ila religiosa, u ((ii.il, ale'm dos mezes,
se reuni a contimiaco da bibliotlieca
do cliristao brasileiro, contendo os s,-
guinlcs oflicios i do Menino Jesus, San.
tissimo*Saci*amento, Senltor dos Allli-
los, Pao, Ni ssa Senhora lo Carmo,
Sa;t-Jos, Sania Auna, Anjo da Cual-
da, San-Francisco de Assis. Santa Kii,.,
Santa Barbara, Almas, Coi ario de Je-
ss.; assim cinto outras orai-'es, etc.,
';''.......... 320
i.
Hila ecclesiast.es uu de padre, elaborada
pelo Rvm. conego penitenciario da Se
dc-linda, segundo a ruin ea, a t|ual
foi revista pelo E\m. Sr. bispo, (pie a
j"'f \| '' i, romo de sua caria exis-
tenle nesta i; pt ;;ii pitia. f ',(11)
Dita de porta, na forma usada ale ago-
';' .......ICO
Vcndem-sc nicamente na livr
'b e 8 da praca da Independencia.
liviana ns.
MUTILADO


ILEGIVEL




DIARIO DE PERNABUMCO QUIMA FEIRA 4 7 DE DE7F.MBR0 1857
"
Casaveques e in-
feites.
Rua do Crespo n. ^5.
Yendem-se casavcques de cambraia, fus-
13o e fil, tanto para senhora coito para me-
ninos, goslos delicados e modelos inteira-
mente noTos, e riquissimos infeites para
cabeca, de notos goslos o preco barato; as
sim como outrcs muitts fazendas modernas
proprias para a estaclo da Testa.
Vende-so um molcque crtoulo de mili-
to boa conduct, e urna escrava boa cozi-
nbeira : na rua Direita n 3.
Vende-se urna estufa por prego com-
mndo; na rua da Cadeia do Kecife, loia
n. 6.
Vendem-se travejamentos de lousa de
varios tamaitos ; na praca de Santa Rita,
restilaco.
Vendem-se chapeos de feltro par se-
nhorj a Ttmberlick, do ultimo gosto. che-
gados pelo ultimo navio do Francia, asslm
como chapeos do Chille finos e ordinarios, e
de molas ; na praca da Independencia ns 7
e 9, com frente para a rua do Queimado.
Vende-se urna escrava com cria ; na
rua dasTrincheiras n. (6.
Vende-se cliampanhe de superiores
marcas, Moet &Chandon,Comtede Marcuil,
superior cognac francez ein barris e em cai-
uas, absyothio suisso em calzas, ludo por
preco commodo : na rua do Trapichen. II
Cortes de chita
ingindo lan.
Na Ioja da rua do Crespo n. 1, vendem-se
cites de chita de ricos desenhos, lingiudo
13a a 39200.
GOMMA R FEIJAO'
rauilonovo. saceos grandes, e mais barato
que n'oulra parte : na rua do (jueimado,
loja n. 27, esquina do Collegio.
Cortes de chita
baratos.
Na toja da rua do Crespo n 14, vendem-sa
corles de chita em retalho. com 13 covados,
tinta segura, a 15700 e 1080P.
Vende-se una preta moca, boa cozi-
nbeira, engommadeira e boa em todo o ar-
ranjodecasa, propria para criaco por ler
urna cria de um mez, e ter muito leite ;
quem pretender, dirija-sea rua Nova n. 18.
Veudem-se saceos de farinha da Ierra,
por prego commodo; ua rua da Moeda n. 15
Farello.
Vende-se farelo em saceos ; no armazein
doSr. Annns, defronte da escadinha.
Vende-se um bngue novo, bem cons-
truido e de marcha superior, de 20,000 arro
cas de carga, e 12 ps d'aeua ; a tratar na
rua da Caleiado Recito n. *.
Taimas e sahi-
das de bailo a 20x000, 25.$000 e oO.sOOO.
Lindas taimas e sabidas de baile, pelo ba-
ratissimo preco cima mencionado, mante-
letes de fil niatisados, superiores cortes de
cambraia bordados com babados, chales de
touquim branco a 25S0O0, ditos superiores
brincos e de cores, cortes de barege com
babados, linda fazenda denominada gaita de
se la para vestido a 15200 o covadu, chaly de
seda matzalo, imperialistas de seda a 900
rs. o cuvado, fazenda nova c de muito gosto
para vestido, lindo organdys transparente,
o melhor que tem appareciio. liras borda-
das, pecas de entre nioios bordados, e outras
multas fazendas de gosto: ua Ioja do sobra-
do amarillo, nos quatro cautos da la do
Queimado n 29.
Chapeos de cas-
tor a 8,s000 ilcOOO e lOsOOO.
Superiores chapeos de castor preto a 83,
ditos brancos a 99, ditos superiores a 103
cada um : na loja do sobrado amarcllo, nos
quat'o cantos da rua do QueimaJo n. "29.
Vende-se a taberna, sita na rua Di-
reita n 27, com pequeos fundos, a vonta le
dos compradores, o motivo de se vender he
odonoqueier tratar de outro negocio; na
mesma sa vende urna bonita escrava criou-
la, idade 28 anuos, sabendo todo o servico
de urna casa de cozlnba, e costura.
KeJog-ios americanos.
Em csa de llenry Forster & C, vendem-
se relogios americanos para por em cima de
mesa.
--- Vendem-se saceos com milho em grao,
barricas com familia do milho : na rua
da Senzala Velba, armazem n 106.
jRua do Queima-
do n, \
Para liquidar, venden-se cortes de cassa
chita com barras, pelo di-ninuto preco de
13600 cada un. crasas francezas finas eco-
res hxas a 0 a vara, dita mais inferior a
3-0, mussulina bronca lina e muito larga a
400 rs. o covado, dita mais cstreita a 3o0 rs.
o covado, lazenda de 13a de quadros, fio de
seda, propria para vesiidos a 300 rs. o co-
vado, cortes d muito lina, peio baratissimo preco de 6#OS0
cada um, lencos de ctssa, cercadura de cor,
proprios para criancas a 100 rs. cada um,
alem destas fazendas ha outras muilas que
se venderSo por qualquer um preco ra-
zoavel.
--- Vendem-se para mais de 60o barricas
vasias, na padaria do pateo da Santa Cruz,
seodo a entrada pela rua do Rosario, n. 55.
Na mesma compra-se papel de embjulho
(Diarios) a 100 rs. a libra.
Fumo.em foi ha.
De muito boa qualidade e grecos comino-
dos, vende .lose Das Brandjo, na rua da Ma-
dre de lieos n. 28, armazem.
Castigaos
de metal lino, riquissimo modelo, palmato-
rias de ferro e lal5o, o muitas outras ferra-
gens e cutelarias linas, se vendem por preco
commodo ; na muito sortida loja da rua
Nova n. 20.
DO
Porto.
Na rua da Madre de Daos, loja n. 31, ven-
de-se o muito superior e genuino, vinho do
Porto, em barris de 5.- e8.', e juntamente
engarrafado das mais acreditadas marcas
Duque do Porto o Victoria Regina
6. DOLPHE BQURGEGIS,
Rui Nova 11. 61.
Vende um bom carro novo, ebegado ha
pouco, feito por um dos melhores fabrican-
tes de Pars, muito commodo para familia.
Vende tarabem muitas qualidades do ferra-
gens para carro, como eixos, molas, parafu-
sos, chaves, lanternas, gal3o, couro de lus-
tre e vaquetas grandes para coberta, tam-
bera um sortimento de arreios brancos c
amarellos, tanto para carro como para ca-
briolea
Vende-se oleo de ricino em latas, mui-
to novo, por preco commodo ; na rua do
Vigario n. 5.
Vinlio do Porto superior.
Em caltas de urna e duasduzias, lem para
vender Antonio I uiz de liveira Azevedo,
no seu escriptorio na rua da Cruz n. 1.
Fio de alg-od&o.
Vende Antonio I.uiz de Oliveira Azevedo,
no seu escriptorio na rua da Cruz n. 1.
Ao Gouveia.
Itua do Queimado n. 27, esquina do
Collegio.
As mais finas cambraias de linho puro,
pegas de 7 varas, grosdenaples de cores
muito superior, dito preto muito largo o fi-
no, cambraia do seda para vestido, velludos
ricos para collete, sedas brancas e de todas
as cores tara vestido, ricos chales de tou-
quim, ditos do merino bordados e lisos, di-
tos de seda, chapeos de seda paia senhora,
do melhor gosto, ditos de castor para ho-
rnera, ditos pretos a Taroberlik, ditos para
menino, enfeilaJos : recebem-se sedulas
velhas.
Farinha de mandioca.
-Milho saceos grandes.
Fe i j o branco e macussa.
(jommado Aracaty.
Nocirmazem de Tasso li inos.
Ao Preguica
QUE EST QUEMAS DO
boas fazendas por pouco
dinheiro.
O Preguica da
rua do Queimado continu'a a forneccr ao
publico, em seu cstabelecirnento na esqui-
na do neceo do l'eixe Frito 11. 2, o mais bel-
lo e variado sortimento de fazendas, todas
de exfolente qualidade,e prego mudo m-
dicos. Nao s quouna as fazendas j por
vey.es annunciadas, a saber :
Ulindinas para vestidos de senhora,
covado...............
Targelinas dem idem,corte com 13
corados..............
Organdys idem idem, covado . .
Cambraias estmpalas, vara . .
Ditas dils mais finas, vara.....
Chitas francezas, largas, escuras a
claras, covado...........
Ditas ditas, largas,escuras e claras,
covado...............
Ditas ditas, largas,escuras c claran,
covado ..............
Bretanhas de rolo com 10 varas,p*c*
iliscados monslros, lindos padroes,
covado...............
l.en;os de cassa com cercaduras de
coi, um.............. 120
Mas alem destas, oftorece mais aos seus
freguezes as seguintes fazendas ltimamen-
te enejadas: mussulina branca linissima a
320 e 360 o covado, dita matizada, lina, o do
melhor gosto possivel a 320 e 360 o covado,
iSi/inhas muito linas, escuras e claras, to-
das de desenhos inleiramenle novos a 400
rs. o covado, carmelina, fazenda anda no
vista, trancada e com padroes de ISazinha,
pelo birato preco de 280 o covado, corles de
riscado francez, bonitos padroes e cores li-
sas a 3)200 cada um, cambraia lisa transpa-
rente, muito lina, com 8 varas cada pee a
73500, dita tapada tarobem muito lina, com
10 varas cada peca a IjSOO e 65600, chales
de Mazinha muito finos a 2^200, ditos de
merino lisos e bordados, de mui lindas co-
res, casemiras enfeitadas, mescladas, mu
proprias para palitos a 2/200 o covado, brim
l'aneado de poro linho e padroes novos a
isllO a vara, ditos pretos de muito bom
gosto, e ale proprios para luto a 1/600 a va-
ra, cortes de collete de selim bordados a
3/500, ditos de casemiras para calcas, linas
ede bonitas cores a 505011 u 63000, grvalas
prelas deseda a 15, dit>a de mola a 1/500,
alpacas de cores com listras de soda a 560 o
covado, chitas escuras o claras, padroes
miudinhos e graudos, de muilos e variados
goslos, cores lisas e excellentes pannos a
160, 180, 2C0, 220 e 240 o covado, pecas de
madapoln con 20 varas a 2?900, :s600, lo,
40500, *800, 5o e 5600, o muito fino a
63400, cobertores de slgodSo proprios para
escravos a 700 rs. ca Ja um, luvas do diver-
sas qualidades para senhoras, gangas mes-
clauas de todas as cores a 540 o covado. De
todas estas fazendas, e do outras muilas
aqu nao mencionadas, se darSo amostras
sob pcohores.
-- A 650 sueco com farinha de mandioca:
no armazem da Hcmeterio g, l'avSo, no lar-
go da asseniblca.
;o
Peca'de madapohlo fino com pequeo to-
que deavaria : na rua:do Queimado n, l
Vendem-se barricas com bolachinha
ingleza a e 55OOO e erva mate a 400 rs. a
libra: na taberna grande ao lado da igreja
da Soledade.
- Vende-se urna escrava moca muito sa-
nia, lava, cozioha e engomma : quem a pre-
tender, dirija-se a rua da Cadeia do Recito
B. 19.
Q* ratos logrados.
Ratoeiras de rame, machinismo inlallivel
de pegar ratos sabidos o tolos : na rua Nova
n. 20. '
Bandejas,
as mais linas e de gostos'modernos, em ter-
nos de tres e avulso ; na rua Nova 11. o.
Facas e arios.
Completo sorliraento de lalharcs para me-
sa, cabos do mailim, bfalo c osso, de qua-
lidades superiores, tmpora de osso fino :
na rua Nova n. 20.
ollit-rcs
do mais fino metal do principe e tuleuagre.
0 de outras qualidades, 1 ooipletas pata me-
sa ; na rua [Nova ti. 20.
4ppareinos do alilo.
Dules, cafoteirs, e mais pegas de fus
chicaras, de lino metal, completase avulso,
sortimento a vonlade : na rua Noa n. 20.
Sal*
lindas
(S
ravur^s o arabescos,
imitan lo prala ; uu rua
de metal, de
para copos d'a
Nova u. 20.
Trem para o zinha.
Panellas, cassarolas, frigideiras o cholei-
ras de torro, f.
lorro, forradas ,1.; porcellaria e csta-
nhadas.grelhas, colberes e mais objectoa do molhados, ludo do sor
uso domestico ; na rua .%ova n. 20. p.eco razoavel paiV acabar.
Jlgodio da JSa-
hia.
Vende Antonio Luiz de Oliveira Azevedo,
no seu escriptorio na rua da Cruz n. 1.
Fazendas baratas.
O barateiro da rua da Cedeia do Recito,
loja n. 50, esquina defronte da rua da Madre
de Dos, conliu'a a vender fazendas baratas,
tanto em atacado coico a retalho, e lem para
vender alem de muitas fazendas boas e ba -
ralas, cortes de cassa chita a 10600 e 23, cas-
sas de cores largas a 320, 440, 500 a 560 a
vara, chitas boas de cores lisas o covado a
160, 180 e 200 rs., ditas largas francezas, de
bonitos gostos a 260, 280, 300 e 3*0, mussu-
li las de todas as cores, bonitas a 360 e 400
rs., laSziuhas de cores para vestido a 800 rs.
o covado, cassa para babados a 200 rs. a va-
ra, e toOO a peca, algodio deduas larguras
proprio para eneoes e toalbas de mesa a 560
a v#ra, cambraias lisas par forro e vestido
a 2#500, 35, 33a)0 e 43 a peca, panno preto a
2/400 o covadt, luvas de seda de cores para
seniora e horacm, chales de laa e merino
lisoso bordados, lencos de cambraia do al-
Kodao e de. linho, e grande variudadede fa-
endaa que a dlnheiro se vendem por acom-
niodadissimos procos, e d.to-e amostras.
Cira de carnauba ede
abelha.
Na toada Cadeia do Recito, loja n. 50, dc-
honle da rua da Madre de Dos, ha para ven-
der cera de carnauba ede abelha, recento-
tneiilo che^ada.
Cal de Lisboa, nova.
Vendem-se barris com cal nova de Lisboa
em pedra. por menos d,) que em outra qual-
quer parte ; na rua da Cadera do Recito, luja
n. oo. deronloda rua da Uidre de Dos.
lia m pague veidadeiro.
Coico deposito deste vinho lino he no
Hierro da Boa-Vista n 8, dertonic da lione-
ra, assm como muilos outros gneros ile
por
FABRICA DE CALCADO TA-
xiado, no aterro a Boa
Vista 11. 46, defronte da
padaria do Sr. Costa.
Chegucm pechincha, berzeguins com
borracha a 63500, de botOes a 5 c 55500, sa-
patOes de bezerro, dilos de couro de lustre
4 e 4o50O, ditos gaspiados com borracba a
5o, sapatos de entrada baixa, sapatos de
tranca a 25, ditos de tapete, ditos de inarro-
quim, couro de lustre, couro preto e mar-
roquim, tanto para senhora como para ho-
rnera, e todas asmis qualidades decalca-
dos, os quaes vendem-se por precos inulto
commodus, e lem sempre troco miudo, e se
vendem por menos dez por cento aos logis-
tas ou pessoas que negociam para 0 mato.
bal do AbSu'.
A bordo do Novo Olinda, ou com Tasso
IrmSoa.
Farinha
barata.
Na tanoaria dciiontc do trapiche do
Cunta, vende-se farinlia a melhor que
existe 110 merca do saceos grandes e mais
barato do que em qualquer outra parte.
He que barato
admira.
Na loja de portas na rua do Queimado
n. 37, passando o beceo da CougregacSo.tem
chegado a esto csiabclecimenlo um escel-
lente sortimento de vestidos do seda com
babados, para divervos precos, e muilas
mais fazendas, que no he possivel aqui|
mencionar todas ; cassas organdins dos
mais modernos padroes a 1/100 a vara, sedas
de quadros largos a 15200 o covado, ditas
miudinhas a I53UO, ditas muito linas de
gosto iuteiramente novo a I58OO, lazinha
miudinhas a 320, ditas com listras de seda
a 750, cortes de casemira a 49, ditos entes-
tada, covados 25500. dita muito lina a 45,
dita de urna largura 3)400,grosdenaples pio-
to a 25, chamalole muito bom a 35500, dito
largo com listras assetinadas a 45400, chaly
lavrado I5IOO, um completo sortimento de
chapelinas para senhora, golliodas, man-
guitos, camisas, neias de seda brancas, lu-
vas de seda dos melhores gostos que ha, se-
das brancas, cassas para cortinados, brins
de linho muito finos, lencos de linho bran-
cos, de diversos precos. Assevera-se aos
compradores, quetenhain vontade de com-
prar nao sahir sem fazenda, porque nSo se
engelta diiibeo chegando ao custo da to-
enda.
Na rua do Queituado n. 37, loja de 4
portas, ha cortes de colletes de velludo mui-
to bons por IIgOOO, velbutina sortida a 750
res o covado. chitas francezas muito tinasa
280reis, riscados escocezes a 280 rs., mus-
sulmasa 320 rs., ditas amalizadas muito fi-
nas a 340 rs., chapeos de sol de seda, para
diversos preco.
lo canto que es-
ta'torrando.
.Ya rua da Cadeia do Re-
cite n. 54, he chegado uvn grande soi lmen-
lo do fazendas, que na realidade torra por
pouco dinlieiro ; venham verse he ou nilo
verdadedo annuncianle, e est corto que
9 ninguem deisar de comprar a vista das lin-
das qualidades e de bom Rosto : o annun-
cianle pede que venham ver a vari lade do
que existe. Riquissimos chales de touquim
de muito boas qualidades, casaveques de
casemira, ditos de cambraia com bico a ro-
da, proprios para passamento de 1'esU, man-
teletes de cambraia de modernismo gosto,
por diminuto preco, sabidas de bailo de bo-
nitas cores, rooieiras de cambraia, ditas de
lil de linho para senhora e mvniuas, tanto
para vestidos,>-rosdcnaple de cores bonitas,
muito ricos cortes de seda de bonitas cores,
com 3 babados, proprios para baile, pelo
preco que realmente faz admirar avistada
qualidade da seda e do bom gosto* sedas de
quadros de bonitas cores a 1380o o covado,
chapeos de mola a 5/500. pulceiras de pe-
dras brancas e decoies, papulina de bonitas
cores para vestidos de senhora, chaly liso e
com flores, de cores muito lindas, chales
de merino bordado na ponta, dito liso a
4/800, oh que lindos corles do casemiras
decores proprios para doulores e rapazes
de bom gosto, panno fino preto de mui-
tas qualidades, casemiras prelas, ditas de
cores, fazenda muito boa, proprio para pali-
tos, enfeitcs para pescoco de criancas, saias
crioolin para senhora, mussulina de urna s
cora 400 rs. o covado, cambraia de salpicos
para vestidos, ditas lisas de muitas qualida-
des, mussulina branca a 300 rs. o covado,
ditas de cores a 320 o covado, cortes de ves-
tidos de cambraia, feitos, proprios para es-
cravasa 45000, tnadapolOes de muilas qua-
lidades. chapeos de sol de seda, ditos de
fannituio, meias para senhora, ditas para
hornero, ditas pintadas proprias para sapa-
tos rasos, alpacas, princezas, chitas, brins,
chales de rouiUs qualidades, liabas de car-
reteis de 200 jardas, e muitas mais fazendas
que s vista do comprador se podera men-
cionar as qualidades eos precos, que do
toriio nada a desejar em modernismo e qua-
lidades. Na mesma loja da-se fazendas com
penbores, e leva-se em casa de familias.
CiM PEQUEO TOQUE DE
ATARA,
Pecas daalgodSo de sacco. ditas de algj-
d3o trancado proprio para toalbas o roupa
de escravos; vende-se na rua do Crespo,
loja da esquina que volta para a rua da Ca-
deia.
Vendc-se um carro inglez de 4 rodas
e4assento, para 1 ou2cavallos, com co-
berta, e com os competentes arreios; e tara-
bem um cabriolet inglez com os arreios:
na rua do Trapiche Novo n. 10, ou na Boa-
Vista em casa do Sr. Poirier
-- Vende-se doce de caj secco e de calda
muito boa qualidade u enleitam-se bocetas
para mimos: quem quizer dirija-se na rua
da Florentina casa do Costa Le te, defronte
da cochira.
Vende-sena rua da
n. !>
900
123000
260
480
260
2S0
300
25000
220
escriptorio do agente Oliveira,rua da Ca-
dera ao liecife n. 62. primeiro andar.
Relogios.
Vendem-se relogios de ouro c de nra-
la, concertam-sc por presos razoaveis,
f'az-se troco, e da-se dmliciro apremio:
Da rua da Concordia n. 1.
relogios de pa-
tente
inglezcsde ouro, desabnete e devidro: m c,as* deliabeSchmettau(&Companhias
.-.,. ,,1...., . ~ _. 1 > rua da Cadeia n. 37, veudem-se decante.
W.lTr P'f^1,3703^1' em de Pianos do afamado fabricante Tr.umann
Augusto Cesar de Abren, na rua da Ca- deldamburao.
deia do Rccife, armazem 11. 36. S2i
SAPATOS DO ARACATY,
dos melhores fjaa tem vindo a este merca-
do, para homens e meninos, de palla e de
prelhas : em casa de Caminha & Filbos, rua
oa Cadeia do Kecife n. 60, primeiro andar
Vende-se superior llnhas de algodSo
brancas, e de cores, em novello.para costu-
ra,em casa deSoutball Mellor c.C.i,rua do
Torres n.38.
nho 120 carros de canna de cemento : quem
o pretender, j o tora dirigir-se ao Kecife aos
Srs. Lcnjos Jnior & Leal Res, 011 comoSr.
Antonio Goncalves Pereira I.ima, na villa da
Bocada, as lercas-feiras, cora o Sr. r, Ser-
gio Dioiz de Mnura Mallos, e ho engenho Vi-
cente Campello, coto Manoel Concalves Pe-
reira Cima, que informar dos lemites d
engenho. *
Vende-se superior farinha de man-
dioca em saceos grandes: na tanoaria
defronte do trapiche do Cunlia.
"anos.
P
1ECAIISH0 fkU 1161
NAFUNDigAO DE FERRO DO ENGE-
NHEIRO DAVID W. BOWMAN, SA
RUA DO BRUM, PASSANDO O OHA-
FARIZ,
ha sempre un grande sortimento dos se-
Madre de Dos
rmazem tle Novaes 4 C-, barris
de Ierro ou cubos hydraulicos, para de-
psitos de ie/.es, a prero commodo.
Vinho do Porto e superior chamico,
em caixas de urna e duas duzias, ou em bar-
ris de oitavo : continua a vender-se em ca-
sa de Itarroca $ Castro, ua rua da Cadeia do
Recito n. 4.
-- Vende-se muiloem conta um piano ero
ineio uso, do celebre autor Rroadwood, he
de mogno e quadrado, e custou quando no-
vo mais de 10005 : na rua do Trapicho No-
vo n. 10.
\ ende-se
papel para torrar salas, de todas as quali-
dades, por preco muito commodo : na rua
doCabuga, luja de miudezas da acuia de
ouro.
Vende-sc una banea de meio de
sala, meia du/.ia de cadeiras ; ludo de Ja-
caranda' : ama cuna de amarcllo e um
porta-licor : na rua Concordia 11. 20.
eiosnos
cohertos e dcscoberlos, pequeos e gran-
des, de ouro palete ingle/, para hornera
e senhora, de um dos melhores fabricantes
de Liverpool, viudos pelo ultimo paquete
inglez : em casa de Soulhall Mellor & C.
rua po Torres 11 38.
Relogios,
i os melhores relogios de onro, patente in
Iglcz, vendem-se por.prccos razoaveis, no
fogueteiro ; a tratar na rua da Concorcia,
confronte o armazem de materiaes do Sr.
Pedro Antonio Teiseira Cuimares.
Livros em braneo de
HamburffO.
L'm sortimento em casa de Timm flomsen
& Vinassa, na jiraca do Corpo Santo n. 13.
Milho, fari-
nha efeio
Vendem-se saceos com milho, farinha da
trra e feijao mulatinho e misturado, por
preco commodo : na taberna grande ao lado
da igreja da Soledade.
Chapeos a Tamberlik.
Na Ioja n. 50 da rua da Cadeia do ftoci'e
defronte da rua da Madre de Dos, ha para
render chapeos pretos finos modernos, pelo
barato preco de 78500, assim como muito
boas grvalas, entre ellas algumas de seda
de quadnnhos para 640, cortes de collete de
seda, gorgurSo, velludo e fustao, brins para
calca e palitos, gangas, fustes, corles de
11 gosto, e outras muitas fa-
se vende por precos muito
de casemira de algodSo e brins escuros *fi-
zenda muito forte, propria para o diario
cortes e para calca.
proporcOes ; crivos e bocea de Tomaina e
registros de boeiro, aguilhes, bromes, pa-
rafusos e cavilhOcs, moinhos do mandioca,
etc. etc.
NA MESMA FUND1C.VO.
so execuiam todas as encommenda's com a
suporiondado ja conhecida com a devida
i VIXHSFWOS DO PORTO 1

DENOMINADOS :
Duque do Porto.
Iraperatriz Lugenia.
Leopoldo I.
I). Pedro V.
Engarrafados e enfeitados como o
de Champagne : vende-se em por-
Ces vonlado do comprador, na
la do Trapiche n. 40, escriptorio
de Thomaz de Faria.
POTASSA DA RDSSIA E CAL
YIRGEM.
No deposito da rua da Cadeia do Recito,
armazem n 12, ba muito superior potassa
da Russia, dita da fabrica do Kio de Janeiro,
e cal de Lisboa em pedra, ludo chegado ha ', P^osteza e com ndidade em preco.
poucos dias, e a vender-se por menos preco
do que em outra qnalquer parte,
Agencia
da fundicao Low-Moer,
rua da tanza la Nova
n. 4*1.
Neste nstaholecimento continu'a . have
oro completo soi tmenlo do moendase meias
moendaspara engenho, machinas de vapor
o taixas de Ierro batido e coado de lodosos
tamanhos rara dito.
TACHAS PARA ENGENHO
Da fundicao de ferro del). W. Bowman
na rua do Ilium, passando o chafa-
rle, continua a liaver um completo sor-
tmenlo de tachas de Ierro fundido e bati-
do, de 5 a 8 palmos de bica, :is quaes sa
ecliama venda por preco commodo e com
promptidSo, embarcam-se ou carregam-
se em carro sem despezas ao comprador
Gomma do Aracalv.
Em porcOes e a retalho : vende-se na rua
da Cadeia n. 57, escriptorio de Prente Vi-
anna.
Sellinse relalos
SELLINS e RELOCIOS depalfnle
Ingles : a venda no armaz.Di d
Uii-iron Kooker & Companhia, es-
quina ilo largo do Corpo Santo no-
mero 48.
- Vende-se o engpnho Cachoelra tiran-
do na freguezia de Serinhaem, de muito boa
produccSo, com bastantes varzeas paula-
das, me copeiro com o rio Camaragibe, sem
levada por ser a bica assenlada ao pe da
tomada, com tolas as ferragens precisas cas
mais obras, sendo a casa de vivenda, nova, garrafa, bem como em barril de
distante do embarque durs leguas e meia, e a preco commodo.
da eslraja jeJ^rnMnna_legoa^_tera o enge- Vende-se um rulato ptimo olli
i
i
No da 2denovembro do crreme an-
no, fugo do engenho Cursahy, comarca de
Pao d'Alho, um escravo de nome Antonio
Cacange, de idade de 36 annos, pouco mais
ou menos, de altura e grossura regulares,
cangueiro no andar; conversa pouro, pomas
finas, tem todos os dentes, he casado, e foi
escravo dos herdeiros do linado Caetano
Concalves da Cunba : quem appreheoder di-
to escravo, conduza-o ao dito engenho, ou
na praca do Recito, na rua da Cuia n. 64
que sera generosamente recompensado,'e
protesta-se contra quem o tiver acoutado.
Domingo, 29 de novembro, das 8 as 10
horas das manhaa, desappareceu a suppe-
se ter sido furtado. do sitio na Passagem da
Magdalena, que foi da viuva Delfiuo, um r.a-
brinha escravo, chamado Manoel, idade 10
annos, pouco mais ou menos, descarnado
faltando-lhe um ou mais dentes na frente'
cabellos carapinhos, falla com a lingua nos
denles ou he meio la taro, natural do sertSo
e foi vestido de camisa compridade algodSo-
zinho e chapeo de palba de carnauba ; roga-
se a polica ou a quem delle soober, de o
apprebender e levar on avisar no mesmo si-
tio, ou no Recito, na rua Nova, sobrado n.
27, ou no engenho do Meio da freguozia ta
m carro e um cabriole! de v"ie,e P.romette-se pagar bem.
estado: na cochei rada rua !,'". No da 24 de maio de 1853 fuglramdo
das Flores, que foi do Jos Maria. fco dus escravos mulatos, de Antonio Mon-
aa.v IcirodeFana, um de nome Clemente, alto.
BJB' ^ v > i g alvn. h itn Hn r;n..r. .i..ii.. t
-vo, bonito de figura, cabellos lou'ros e
Ccheados, barbado, olhos sgalados ; o ou-
tro de nome Jos, alto, trigueiro, cabellos
-- i pretos e caeheados, e sabe ler ; andam tun-
truz n. II, ha para vender um piano de tos e regulara de 25 a 26 annos de idaae, el
Em casa de J. Praeger & C rua da
Tasso Irma'os
Avisam aos seus freguezes, que e sequencia de novos sortimentos, que aca-
bara de receber de Richmond, tem reduzido
os precos das farinha* a venda em seus ar-
mazens aos seguintes :
Calega . i
i
r
a 2.')j00o.
2t;000.
Hazall
Dunlop. .
Macanee.
Columbla
Continuam a ter farinhas de Trieste das
marcas primeira qua4ade
Ta rua do Tra-
pche n. 54, escriptorio
de Novaes iS: C.
Vende-se superior vinlio do Porto cn-
garralndo em caixas de 1 o 2 duz
iqmssimo modelo e de boa construeco,
obra de afamado fabricante Erard* de
Paris.
J. Praeger & C, rua da Cruz n. II,
vendem os gneros seguintes : champagoe,
marca Eugene Cliquot, dito de Bruch Fou-
cher 4 C vinho do Rheno em caixas de
urna duzia, dito de Ma leira em ditas de di-
ta, dito de Sherry em dilas de dita, dito do
forto em ditas Oe dita, agurdente de Fran-
ca, tanto em barris como em garrafas, dita
ingleza, superior, Pile Brandy, licores mui-
to linos da acreditada marca Riwlre Frer^s,
marasqumo verJadeiro. sardinhas em quar-
tas e meias lat-s, marca Bosset. ervilhas
Petits Pois) em ditas ditas, marca Bossnt,
conservas linas, inglezas, francezas e alto
maes. em latas, de todas as qoaliJades, de
[carne, peixe e horlalica, macSas seccas, bo-
lacha de llamburgo em latas, chocolate
liancez. agua d) Saltezs para retresco.
Eugne Cliquot
a lieims
participa ao publico que o nico deposito
do seu bem conhecido vinho de Cham-
pagne em Pernambuco se acha em casa
dos Srs. J. Praeger & C,
Charutos*
S. Praeger, rua da Cruz n. 11 tem
continuadamente um escolhido sortimen-
to de charutos da llavana, e das mais fi-
nas qualidades da Rabia.
Nova agua de malabar.
Vende-se esta agua a melhor que t*m ap-
parecidopara Ungir o cabello e suissas de
duzias de pr*i0 : "a livrarja universal rua do Collegio
4- . 8 2(''da-se junto um impresso gratis ensi-
nando a forma do applicar.
. A ij>200 res.
Na rua Noy n. 18. vendem-se cortes
dizem que se achara no sertSo da Babia,
onde se tratara por forros : quem os captu-
rar e trouxer a seu senhor, seja em Pernam-
buco no engenho Vinagre, do termo de
luarassu ou no Ico ao Sr. delegado de po-
lica Francisco Manoel Olas, sera recompon
sdo com 150 de gratilicacao.
No da 18 do corrente, fugio de bor
dodobrigue 'Sagitario, um escravtrde
nome Joaquina, pardo escravo, de 22 a
21 annos de idade, estatura regular, secco
do corpo, s tem barba no queixn, ca-
bellos carapinhos e ja lem milites blan-
cos, he bem condecido por ter as mo,
muito calejadas, quando fugio tinlia o ca-
bello a nazareno, tem os pes meio aple-
lados, c falla muito manso : quem o pe-
gar e o entregar ao seu senhor Manoel
Francisco da Silva Carneo, na rua do Col-
legio n. 15, terceiro andar, sera' bem
gratificado.
Fugio da Magdalena um escravo de
nome Cosme, que reprsenla ter 20 an-
nos, bastante preto, de estatura regular,
sem barba, edepeslimpos, este escravo
estove na Babia tres annos; he muito la-
dino e suppoe-se estar nesta eidade ou
ter ido para a comarca de Goianna donde
lie natural ; quemo apprebender leve-o
ao escriptorio do major Belarmino do
Reg Barros rua da Cadeia do Recife n.
*8, ou ao sobrado grande da Magdalena
que foi do Sr. Viegas e que he boje do
coronel Jo3o Joaquim da Cunha Reg
Ranos, e promette-se boa recompensa.
- Fugio do engenho Esquecido o cabra
Izidoro, com i lade de20annus, baixo, groa-
so, cabello cacheado, com marcas de bexiga
pelo rosto, pernas grossas, muito pachola,
na sempre limpo, gosta de jogar, j faz
um anno que trabalha na estrada do ferro, '
aundequer que esteja intilula-se por forro:
quem o pegar, dirija-se ao eogeoho Esque-
cido, que aer bem recoprfnsado
Dos premios da segunda parte d* terceira lotera a beneficio do convento de S. Francisco de Ol
_______ extrahidaa 10 de Dezembrode 1857.
RS. FKEJdh.
10
12
20
31
Si
93
27
:io
32
33
83
40
45
iti
4
50
56
(i I
(ij
67
69
71
72
77
82
83
7
91
92
93
96
!)8
1(12
3
5
(i
II
14
17
21
27
:to
32
33
37
39
II
i i
4".
50
52
55
57
(Kl
63
Wi
73
7 (i
79
86
87
99
803
(i
v*. pkems;
17
4o
lg
1
15
la
H
t?
i;
i-
t?
i:
te
lo
20*
' 1
W
la
'5
i5
l
?
f#
la
>l
*t
te
la
te
i?
-
20?
i-
to

la
1:00(1;
i;
w
le
*
i;
l
*9
te
te
H
H
19
II
te
W
<
te
19
19
19
9
19
19
U
19
19
39
la
V;
:
19
m
363
(7
72
73
7
7",
7(i
Hl
Mi
89
91
92
303
1
8
9
10
13
20
21
22
31
10
II
(8
49
50
51
61
63
11
7
XI
86
*1
KS
yo
loo
5
(i
ii
12
17
21
25
28
II
2
i
19
50
56
57
59
(5
75
78
79
MI
85
85
89
90
9:
91
99
501
-
>s. PKEMS
ti 49 ..
17 1- 13
18 \ l'i
20 te 15
2i i: 16
27 19 17
38 19 19
:i2 '; 21
3 i 19 22
10 1? 21
15 la 35
ie 1- 36
5-2 19 27
51 3 VB
.-,i; 19 30
62 19 31
19
te
te
te
te1.
:
i-
i s
te
19
te
te
19
te'
te
m
te i
19
19
U
19
U
19
19
19
2Ujl
19
209
te
te
te
te
te
i#
1":
19
19
le
9
19
19
te
te1
10;
19 i
19
;
*t
i-
19
U
i"
-;
i?
te
te
te
IOS
19
te
;
19
:
19
19
13
19
la
;
U
;
19
19
ir
te\
te\
te i
te\
la
IJ
13
19
532
31
:t8
39
to
i:\
16
57
18
59
55
55
59
65
72
79
81
85
93
91
96
98
600
I
2
6
9
17
19
20
21
30
33
35
36
37
10
51
13
13
50
51
53
57
58
60
61
6 5
66
67
7(1
8'I
82
83
87
90
93
96
97
98
99
700
9
15
17
is
21
r
X>
39
50
i:l
18
~>~t
56
57
6(1
61
u>
65
0 Escrivio, Joz Maria da Crut.
MUTILADO
ILEGIVEL
PERN. TTP, DEM. F. DE FARIA.' 1357.
*
-