Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06913


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno XXVI.
Ter9a-feira 31
PARTIDA! DO* OOMIlOi.
Goiannae Parahiba, segundas eseitas felras.
Itio-Graode-dn Norte, quimas feiras ao meta-
dla.
Cabo, Scrlnhiem, Rio-Formoso, Porto-Calvo
e Macelo, no 1., a11, e 21 de cada mez.
Garanhuns Booilo, a 8 e 23.
Boa-Vista e Flores, a 13 e 28.
Victoria, s quintas felras.
Olnda, todos os das.
IDI
Piusas DI L.
Ming. a 4, s 8 h. e 20 m. da m.
Nova a II, s 8h.e 49 ni. da t.
Creso, a 18, 1 h. e 33 m. da t.
Cheia a 23, s 9 h. c 48 m. da t.
VBI1MK DI HOJE
Primelra aos 30
Segunda aas 31
minutos da manha.
mi autos datarde.
de Maio de 1850.
N. 114.
DIAB da *.
20 Seg. >fi>B Primelra oitava. S. Bernadlno de
Sr II.i
21 Tere. .i. Segunda oitava S. Mancos.
22 Quart. s. Rita de Cassia.
23 Qulnt. S. S. Basilco. Aud. do J. dos orf. e do
ni. da 1. v.
24 Sexl. S. Aira. Aud.do J. da 1. v. dociv. edo dos
razooa da arjiuoairglo. I fcllos dafazeoda.
Portresmeies(odMinuA) 4/000125 Sab. S. Gregorio. Aud. da Chae, e do J. da 2.
Por seis mezes 8/000.1 do crne.
Poruinanno 13/00012 Don, da SS. Trindadc.
IJMA^jjSBunli ""'.>'-.I"
CAMBIOS EN 18 DE MAIO.
Sobre Londres, 27 a 27'/, d. por 1/000 rs
. Paria, 346.
. Lisboa, 95 por cento.
0v.ro Oncas hespanhoes......... ^'00
Moedas de 6/400 velbas.. 6/600
de 6/400 novas.. 10/200
' de4>000........... 9/100
rVatt.Pataces brasilelros...... I/1*'
Pesos columnarloa....... |/*o
Ditos mexicanos.......... 1/80
aoOdlu.
a 29/50
a 16/sW
a 16f400
a 9/20O
a 2/VKIU
a 1/980
a 1/820
PARTE OFFBCIAL.
GOVERNODA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA. 27 DE ABRIL.
Odelo. Ao inspector da pagadoria militar
Em resposta ao odicio de Vine, datado de 24
do cmante, em o qnal entra cni duvida sobre
o lempo em que deve comeear a pagar a etspe,
que compete aos officiae do esudo-malor,
empreadas i'm fortalesas, tenho a declarar-
Ihe. que a deciso dogoverno a respello dessr
objecto deve aproveitar aos referidos officiaes
para pagamento de quantose Ihe dever no cor-
rente auno dnanceiro, e quanto ao que perten-
cer aos annos nanceiros anteriores devero re-
querer competentemente para se proceder
liquidarn epedido de crdito.
Dito. Ao mesmn, dizendo que dere man-
dar abonar ao capito do terceiro batalhode
artilharia a p Clementino Antonio Delgado, o
sold por intrirn, e mais vencimentos al 24 de
feverelro ultimo c d'ahi por diante smente o
meto sold por estar elle em conselho de
guerra.
I ito. Ao Inspector da thesourarla da fa-
zenda provincial, para mandar adlanlar ao
coimnandante do corpo de. polica a importan-
cia do sold at o lim de junho deste anno, de
un sargento e 12 pracas do mrsino corpo, as
quaes vo destacar para a comarca de Gara-
nhuns. Coininunlcou-se ao reTerido coimnan-
dante.
Dito.--Ao director do collogio dos orphos
exigindo urna irlac.in nomi.ial dos orphos
existentes naquelle collegio, com declaiaco
de suas idades e adiamntenlo, e dos que leein
Mate,
Portarla. Nomeando supplenles do juiz
municipal e d'orphos do termo de Olinda os
cidados seguintes:
I.* Dr. Huno Avque de Al velos Anoes de Brl-
to Ingles.
2.* Iiacharel Antonio de Sonta Gomes,
3. Hacharel Manoel Ferrelra da Silva.
4.' Hacharel Filippe Jansen de Castro e Al-
buquerque.
5." Joaquim Cavalcantede Albuquerque.
G." Manoel Antonio dos Passos e Silva.
Kizeram-se as convenientes cotnmunicaces.
Dita. Romeando supplcntes do juiz muni-
cipal e de orphos do termo de Iguarass os
cidados abaixo mencionados.
I.' Hacharel Francisco Joao Carneiro da Cu-
nta.
2.' Francisco Xavier Soares de Albuquerque.
3.a Manoel Thomaz Rodrigues Campello.
e applfcar o seus materiaes s obras de que se
acha Smc. encarregado. Communicou-se
ao administrador das obras publicas.
Portarla. Nomeando aupplents do juiz
municipal e de orphos dos termos do Rlo-ror-
moso, Jerionaein e Agoa-Preta os cidados
abaixo deolarados.
Termo do Kio-Formn.
1. Joaquim Francisco Diniz.
2. Jos Antonio Pessoa de Mello.
3. Laurentino Jos de Miranda.
4. Paulo de Ainoriin Salgado.
5. Ignacio Alves da Silva Santos.
8. Zclii no da Cunha Ha.tos.
Termo di StrinhUtm.
1. Gaspar Cavalcanti de Albuquerque Uchoa
2. Cnriolano Velloso da Silveira.
3. Manoel Francisco Duarte.
4. Antonio Cennano Rigueirs Pinto de Souta.
A. Manoel t'vrill de Harros Wanderley.
6: Marcollino Alves Villela. .
Tsrmo d'Agoa-Prilm,
1. Manoel da Cunha Bastos.
2. Joaquim Theodoro Ferrelra da Costa.
s. Domingos Sorlann de Azevedo e Silva.
4. Pedro Francisco di Mello.
5. Jos Alves Moreira.
6. Jos Ferrelra da Costa,
Flieram-se as convenientes partielpacoes.
Dita. Reformando o coronel chele da pri-
melra legio da guarda nacional deste muni-
cipio Jos Peres Campello, e nomeando para <
Substituir o tenente-coronel Domingos Alfon-
so Nery Ferrelra. Inleirou-se o comman-
le superior respectivo.
Dita. Driuitinilo a loao Fernandes Vleir
de Mello do cargo de subdelegado do segundo
districto da frcgucza deTracunhaem por as-
sim o haver pedido. Sclentifcou-se ao ebefe
de polica.
dem do d;a 30.
Odlcioi ~ Ao commandante dag armas
nteirando-ode ter S. M. o I segundo cona-
to de avUo do ministerio da guerra de 26 di
outiibro doanno prximo passado, conce-
dido tres mezes de licenca de favor ao te
nentc-enronel graduado do oitavo batalhfii
de capadores Jolo Cuilherme de Drjce pa'
ir a corle tratar de sua saude.
Dito. -- Ao inspector da thesouraria dr
fazenda, remetiendo a fliacio do comis
Paulo Jos dag Virgens, que se alislou par*
servir no terceiro batalhfio de guardas n-
cinnaes deste municipio, afiui de que Ihe;
mande abrir assentamento nesga reparti-
lo. -- Communicou-se ao commandante
sentesos Srs.desembargadores Ramos, Villa-
res. Bastos, l.eao, Souza.Rebello, LunaFreiree
Telles, faltando com causa oSr. desembarga-
dor Ponce, o Sr. presidente declara aberta a
sessao.
O Sr. presidente apreienton em mesa dous
odelos do Kxm. Sr. conselnelro de estado pre-
sidente da provincia, em que Ihe communica
algumas remoedes feltas de juises de direito, e
a prorogaco de mais seis mezes da licenca con-
cedida ao juiz de direito da comarca do Li-
nt oeiro.
JUI.C1HCNTOS.
Apptllacott civiii.
Appellanle, Anselmo Goncalvcs Pereira ; ap-
pellado, Joaquim Carneiro Leal. Fol re-
formada a sentenca em parte e confrinada
em parte.
Appellante, Manoel Jos Pereira de Mello; ap
pellado, Joao de Barros Brando. Confr-
inada a sentenca
Appellante. Jos Antonio Basto ; appellado,
Vicente Jos de Brito.Confirmada asen-
tenca.
Appellante, Manoel Jos Soares de Avelar;
appellado, Domingos Jos Marques. Con-
tinuada a sentenca.
Appellante, Goncalo Josr de Mello ; appellado,
Joao DiasFerreira. Reformada a sentenca
Appellante, Jos Rodrigues Ferreira ; appella-
do, o juio de auirutes. Vista ao enrador
de a mentes i? ao Dr. procurado da cora.
Apellante, Auna Joaquina da Silva Brito ; ap-
pellada, Mara Joaquinados Aojos.Vista ao
curador geral.
Appellante, Joo Ribeiro da Cunha ; appella-
do, Joaquim Jacintho Leal. Maudou-sp
averbr o imposto.
Appellante, Francisco Jos Pereira; appella-
do, Martinho Horges. Auularain o pro-
cesso.
Appellante, Jos Vieira de Mello ; appellada,
D. Anua de Hollanda Cavalcanti. Anula-
rain o processo.
AppellacBel crina i.
Appellante, o juio; appellado, Manoel Joa-
quim Pacs Brrelo. Novo julgaiuento.
Appellante, o Dr. promotor publico ; appella-
do, Francisco Antonio Novo julgainciilo.
Appellante, o juizo; appellado, Francisco An-
tonio de Hiito. Improcedente a appella
administradora de sua filtia : appellado, Joo
Pires de Almeida Lopes.
Appellante, o julzo,- appellados, Vicente Fcr-
rcira Lemose outros.
T.evantou-se a sessao s 3 I horas da tarde.
PE:?NAMBUC9
ASSEMBLA PROVINCIAL
26.' SESSAO ORDINARIA EM 17 DE MAIO
DE 1850.
PRESIDENCIA DO S PF.URO CAVALCAKTI
cao.
4. Sebasllo Antonio de Albuquerque Mello, [superior respectivo.
5.* Amonio Jos de Mello. Dito. Ao inspector da pagadoria mili-
communicando haver arbitrado a gra-

I Manoel Beuto Machado.
Expediram-se as neerssarias conununica-
ces.
Dita. Nomeando para os cargos de sup-
plcntes do juiz municipal e de orphos do ter-
mo de Maiarrlh os cidad'ois abaixo declarados:
I.* BachaselGuilhermino Clemente Marques
Bacalho.
2.* Alteres Manoel Jos de Olivelra e Mello.
3." Coronel Jos Mara dr Barros Harrrto.
4. Teneule lierculano Francisco Handeira
de Mello.
5.* Tenente-coronel Jos Francisco Lopes
Lima.
ti. CapltSo Candido Claudloo de Olivelra.
Neste sentido ficrain-se as convenientes
communicaces.
Dita., Nomeando supplenles do juii muni-
cipal de orphos do termo do l'o-d Alho os
cidados seguintes:
1." Bacharel Manoel de Ollveira Cavalcanti.
2. Bacharel Christovo de barros Lima Mgn-
te Raso.
3. Coronel Francisco do Brgo e.Albuquer-
que.
4.* Silvestre Antonio de Ollveira Mello.
5." Mauricio Francisco dr I.ima.
6** Manoel Francisco Ramos.
xpcdiram-se as convenientes communica-
ces.
Dita.Nomeando para supplcntes do juiz
municipal e de orpbos do termo da cidade da
Victoria os cidados seguintes :
1. Jos Theodoro Pars de Lira.
2.* Jos Marques de Almridv
A." Coronel Jos Pedro Velloso da Silveira.
4 CaeUno Correa de Queiros.
5.' Francisco de Barros e Silva.
0." Antonio Joo de Lima.
Fizeram sr as conveniente* CoiiimurilcaccVfi.
Dita. Nomrando supplenles do juiz muni-
cipal e de orphos do termo de Flores os cida-
dos abaixo declarados:
l.u Coronel Manoel Pereira da Silva.
2." Antonio Jos dr Son.a:
3. Teneule-corouel Manoel Nunes de Ma-
galhes.
4. Major Antonio Bernardes de Azevedo
Bapllsta. y
5. Major Christovo Jos de Campos Bar-
bosa.
6 Jos Pereira da Silva.
Expediram-se as convenlentrs communicv
ces.
DEM DO DA 29.
Odicio. Ao inspector do arsenal de mari-
nha, dizendo que pode faier regrosar para a
corveta Januari* os dous marlnhcirusda guar-
meo ila mesma corveta,que se acham desta-
cados a bordo do patacho Hirapama Scienti-
ucou-se ao commaiidante da referida corveta.
Dito. Ao director do arsenal de guerra,
aulorisando-o a despender quaulia de 275,000
rs. com a compra dr azclte de coco e de carra-
pato, velas de carnauba, '> dr algndo e pavi<>
para filriiccrr as luzes no mez de malo prxi-
mo vindouro s guardas, quarteis e fortaleza
da provincia. Communicou-se ao Inspector
da pagadoria militar.
Dito. Ao mesuio, concedendo a autorlsa-
co que pedio para despender a quantla de
76,SO rs com a compra da 10 arrobas de oleo
de linhaca para os irabalhos das odicinas de
quinta classr do mesmo arsenal. loteirou-se
ao inspector d< pagadoria militar.
Dito. Ao inspector da thesourarla da fa-
zeii'ia provincial, ordenando que mande adlan-
lar ao engenhelrn Jos Mamede Alves Ferrelra
a quantla de 2:000.000 rs. para pagamento da
pintura do panno da bocea do senario, e conli-
nuaco das obras do thealro. Scientificou-se
ao Hirsuto engenhriro
Dito. Ao rngenhci'o Jos Mamede Alve
Ferreira, para que mande demollr oarniazeiu,
que serve de coilnha msica do quinto bata-
Ibo de catadores, visto ameacar grande ruina.
tar,
liliearno de 60,000 rs. ao paisanu Jos Al
ves do Almeida, que se oliereceu para as-
seutar prQa em priaieira linha.
Dito.--Ao mesmo.--RespondenJoao o(Ii
ci do Vmr. datado de 9 de correnta mr-z
em o qual entra em duvida, S) o pagamento
de etape, que por aviso imperial de 8 dr
narco ultimo, Coi decidido pertencer aos
olliciai's de estado maior, emprvgados em
fortalezas ge deve entender exclusivamen-
te com esses cfliciaes, ou igualmente com
outros quaegquer, empregados em fortale-
zas, tenho a ilerlarar-lhe, que a dispnsic,i
do mencionado aviso ge limita aosodiciaes
do estado maior, nilo podendo porisgo 1er
direito etape o caprllo do exercito avul-
so, e o lente reformado, que s* refere o
sou supracitado ollicio. Os quaes entretan-
to, se julgarem com direito a ells.podeto
recorrer aogoverno imperial, que decid ir
como entender de justica.
Dito. Ao director do lyceu, transmitlin-
do copia do parecer da commissilo de ins-
trureflo psblica da assembla lcgi>laliva
provincial datada de hontcm para que d
protnpla execueflo a quanlo nelle se exige
Dito. A'cmara municipal do llecife,
inteirando a ile ter a assembla legislativ
provincial, resolvido que Smcs. enviem di
ploma a mais um supplentg dos depulmlos
provinciaeg, regulando-se pela apura^o
1'eiia 1111 mesma assemltla.
ilo.-- A' mesma, remetindoos requeti.
un tilos de Joaquim Jos Relio e Joaquim
dos liis Gomes, aUm de que informe
cerca driles, coiifor.iie exige a assembla
legislativa provincial.
Dito.--A' aJministracao do patrimonio
dos or. linos, gcienttlicano-a de ter a as-
srmlla legislativa desta provincia resol-
v lo, que aquella idiiiinislracilo fsse ou
vida acerca do requrrimento que remelle
por copia em que Firmiano Jusltodrigue>
Ferteira, pede por aforamento um sitio,
pcrtenccnle ao patiimonio dos orphSos no
lugar denominado Parnamerim.
Corlara. --Demitlindo a Joaquim Jos d
Silva Vieira do cargo de primen o su i penle
do delegado do termo de Caruar, e no-
meando para substituir g Amaro Vieira de
Mello.
Dila. Demitlindo a Francisco Bezerra
de Vagconcellos Torres, de subdelega lo da
freguezta de Bezerroa, e nomeando para o
substituir a Ignacio Vieira de Mello Com-
iiiuiiicou-se ao che fe de polica.
Hila. 0 presidente da provincia, atten-
dendo a q> e o profrssor do primeiras letras
Ja freguezia de l'anellas, toui aban lona lo a
respectiva cadeira ha mais de 3 annos, con-
forme parlicipou a esta presidencia, a c-
mara municipal daqttelle lugar, que <\sc
iban Joo tifio lem sido ucrasionado por li-
cene nem por outro qualquer motivo que
o justifique o qoal purlanto, deve ser consi-
derado como urna verdadeira renuncia, rc-
solve considerar vaga a dila cadeiri, e or-
dena que pela Mparlicflo cumpeule se man-
de pO-la a concurso.
TRIBUNAL l)\ HELADO".
MESSO lili 18 DE Mili) DE 1850.
pansiDRKCii do ixw. sinnoa cok-
si'.t ur.tno A/EVRoo.
A's 10 horas da manha. achando-ge pre-
Appellante, o bacharel Jos Flix de Ilrilto Ma-
cedo ; appellado, o juizo. Confirmada em
parte.
Appellante, o juiz de direito do Sobral; appel-
lados, Joaquini Rodrigues Vianna e outros.
Improcedente a appellaco.
utisOm
Passaram do Sr. Irsembargador Ramos ao
Sr. descmbaigador Villares as seguintes apprl-
^es rin que sao :
Appellante, Domingos Pires Ferreira; appella-
do, Augusto Frschcr.
Appellante, Francisco Carneiro da Silva ; ap-
pellado, Joao Alves de Carvalho Porto.
Appellanle, Joao Matheus; appellado, Julio
Pegi tineur.
Appellantes, Joaquim Collio Cintra c outros ;
appellado, Antonio Jos Pinicnta da Con
ccico.
Passaram do Sr. desembargador Villares ao
Sr. 'sembargadar Bastos as seguintes appel-
iicocs em que sao :
Appellantes, o juizo e Manoel Joaquim Soa-
res ; appellados, Lathatn & llibertt.
Appellante,liento Jos da Costa ; appellado, Jo-
s Joaquim Bezerra Cavalcanti.
Appellante, o Dr. promotor pub ico ; appella-
do, PorMro Ferreira dos Santos.
Appellante, Jos Rodrigues Ferreira ; appella-
do, o julzo.
Appellante, Antonio Mauricio da Fonseca ; ap
pellada a justica.
Passaram doSr. desembargador Bastos aoSr
desembargador Leo as seguintes appcllacrs
em que sao :
Appellante, o promotor publico ; appellado,
Jos Lourenco Martins.
Appellante, Alexandre Jos Gomes ; appellado,
Jos Antonio Giiinrs Jiini ir C outros.
Appellante, Jos Callos Telxeira ; appellado,
Joaquim Jos Pereira de Sanl'Anna.
Apellante, Manoel do Amparo Caj ; appella-
do, Joao Frederico de Abreu llego.
Appellante, Jos Antonio Gomes Jnior: ap
pellado, Joo Pinto de Lemos Jnior.
Appellante, a santa casa da Misericordia de Lis-
ba ; appellado, o procurador-liscal da fa-
zenda nacional.
Appellante, Luisa Francisca da Concelco; ap-
pellado Antonio Hemaiiliini dos Reis e Silva.
Passaram do Sr. desembargador Son /a ao Sr.
desrmbargador Rebello as srguintes appella-
cies em que sao :
Appellanle, Francisco Carneiro Machado Itios
e sua muHier ; appellado, Manoel Joaquim
do Reg Albuquerque.
Appellante, Manuel Jos Pereira de Mello co-
mo curador da parda Rosa; appellada, D.
Alaria Carolina Ferreira de Carvalho.
Appellante, Manoel Claudio de Quclroz ; ap-
pellada, a fazenda nacional.
Appellantes, Joo Francisco Regis Coelho;
appellado, Joo Filippe de Souza Lco.
Passaram do Sr. desembargador Rebello ao
Sr. drsrmbargadur Luna Freir as seguintes
appellaeOes em que sao .
Appellantes, Jones Patn &C; appellado, Fran-
cisco Joaquim Duarte.
Appellante, Nuno Mara de Sclxas ; appella-
do, De Goussencourt.
Appellante, Francisco Carneiro da Silva ; ai-
pelado, Jos Francisco l raneo.
Appeiiames, Marciiliim Jos de Queiroz e un-
iros; appellado Elias Fraucisco de Sampaio.
Passaram do Sr. desembargador I.una Frrirr
ao Sr. desembargador Telles as seguintes ap-
pellaeOes em que sao:
Appellante, Antonio Gomes Villar ; appellado,
Domingos Francisco Tavarea.
Appella ule, o juiau; appellado, Joo Amonio
de Souza Queiroa.
Passou do Sr. desembargador Telles ao Sr.
desembargador Hamos a irguinte appellaco
cin que sao:
Appellanle, Calharina Francisca do EspiUo
Santo'; appellado, Joo Leile de Azevedo
Fol assignado o primelro da til para o jul-
gamenlo das seguintes appellaeOes eiuqueso:
Appel I nie. Antonio Vital aja Fonseca llananri-
ra; appellada, Auna Joaquina de Frenas.
Appellanle, Maria Francisca da Rocha como
SuMviino. Apiirovaciin da$ acial anteriores.
Expediente. Projectos. Parecer.
Adopco do proiecto n. 9 emlercera dis-
cussd'i com a emenda do Sr. Handeira de
IHello.
A's II horas da manlia, feita a chamada,
acham-se presentes 31 Srs. deputados, fal-
tando M'.n causa participada os Srs. Ma-
chado Itins, Manoel Cavalcanti, A de 0|i-
veira, o com ella o Sr. Souza Le5o.
O Sr. Presidente abre a sesso.
O Sr. 2. Secretario l as artas das sessOes
interioro!, que sao approvadas.
O Sr. i.' Secretario menciona o seguinte
EXPEDIENTE.
Um odicio do secretario interino da pro-
vincia participando que ficou transferida
oara sahhsdo 18 do correte ao meio-dia a
posse do Exm. Sr. Jos Ildefonso do Souza
Ramos Inleirfda.
Oul'ndo mesmo, remetiendo, em conse-
luencia de rrquisiQ.lo da assemMa, a in-
formac.lo do director interino do lyco:i acer-
ca do nutrero de alumnos que frequentam
i aula de despnho do mesmo estabeleci-
mento.--A' commissilo de petices.
Outro do mesmo, remetiendo o orQamen
toorganismlo telo engenheiro Jos Mame-
de Alves Ferreira, na importancia de qua-
torze contos de ris, das despezas a fizer
com a concluso das obras do thealro ptt-
Idico ; assrm como urna copia do contralo
Teito com o artista Germano Francisco de
Oliveira.--A'commiss9o de orcamenlo
Outro do mesmo, acompanhando o ofTicio
em que a cmara municipal desta cdade
pedesemarqne quota para psgimentodo
Hre se drspendeu com a eslr.ida do Moutei-
ro, assirn como para ottlras d-'SpezasA'
commissilo de orcamenlo de cmaras.
Oulro do mesmo, enviando um <>ll i.> em
que a cmara municipal desla cidade decla-
ra ter alagado utna casa na rui Nova para
as sitas sessOes, e prdm quota para pa-
gamento da mesma, assirn como para os
srranj is do que rila carece.-A'commissSo
le orcamenlo de cmaras
Outro do mesmo, acompanhando quaren-
ta exeniplares do no'o rcgulamento das
obras publicas.--Inteirad.
Outro do mesmo, ateusando remessa do
parecer do Exm. hispo diocesano cere do
proiecto ti. 15 destr anno sobre a divisan
entre a frpgoczia de S.-Atino e S.-Jos de
Uezerros.--A quem fez a requigifffa,
Outro da sociedade das arles mecnicas
desla cidade, offerecendo a assembla urna
parle de seus trahalhos --Interada.
Outro do Sr. deputado Jos Filippe de
Souza Lefio, participando nflo poder com-
parecer a algumas scs.i's por char-se eno-
jado.--Inteirada.
Um requerimento da sociedade das artes
mecnicas desta cidade, pedndo a conti-
nuacilo do subsidio que Ihe fo conferido na
le do orcamenlo vigente.--A' commissilo
de orgatneulo.
Outro em que Jos Maria de Amoritn, co-
mo deve lor da fazenda provincial poi|hxvci
arrematado a liarrrira da ponte da Magdale-
na no ; ni o do 1841 a 1812, pede que a as
sembl.i o disicnse de pagar o que est
dever a un s ni I' / mi i provincial. -- A'
coinmissSo de orcamenlo.
Outio oe Joaquim Izidoro Simnes, pedin-
do qHC a assembla o mande addir res
pectiva secretaria com a graticaQnoaunual
de 400,000 iis. para continuar no eslud
de tachigraphia.--A' commissilo de polica
Oulro do bacharel Vicente Ferreira Go-
m s, pedindo que na le do orcamenlo mu-
nicipal se marque quota par*pagatnento de
cusas que Ihe esta a dever a cantara mu -
cipal desta cidade.A' commissilo de coli-
tis de cmaras.
Outiode Manoel Antonio Mon'eiro do An
drade, profesor jubilado na cadeira de pri-
meiras letras do Iuiiiio de S.-Antonio desta
cidado,pedindo que a assembla declare que
o supplca'ile lem direito a perceber a grali-
DCscRo que lite pprlencia desde a promul-
gaco da le do orcamenlo n. 110 de 29 de
abril de 1813, e que lem deixado de perce-
hcr.--A' coinmisso de instrticciiu publica
Silo lidos, julgados objecto de drlibera-
cao, mandado iinirimir, os seguintes pare-
ceres e projectos :
A comtiiissHo de negocios eclesisticos,
csminando o ComptomiSSu da irmandade
do Sanlissioio Sacramento da maliiz d.<
Varzea, he de parecer que o mesmo com-
promisso seja appiovado com is modifca-
ce.s apresentadas pelo prelado diocesano ;
o para isso ollrrce o seguinte prujecto :
A assembla legislativa de Perntmbu
co decreta
3.* Amissa das quintag-feitas nflo po-
de ser cantada gem previa licenca do pa-
rocho.
Fcam derogadas as leis e disposicOcs
em contrario.
Paco da ssssembla, U de maio da
i8J0.Gitirana.--Floripe>.
Fo presente a commissilo de nstrucco
publica o requerimento em que Luz Anto-
nio de Mi s pula Falco. engajado por um
anno, em vMude do artigo 10 capitulo 2 da
lei provincial n. 24* de 10 de junho de 1849,
edo artigo I do regulamenlode 31 de agos-
to do anno citado, para ensinsr tacbigraphia
no Ivceu desta cidade, se oflerece a renovar
o sen contrato, com algumas modificacOcs
ou alteracOes s condicOas sOb as quaes se
elTejtuou o anterior.
Nos par/es, cujo governo he monarehi-
co-constitucional-representatvo, a tachi-
grapbla lorna-se nSo s ulil, senio tamboni
i nlispetisave, como, com a commissSo, cor-
tamente reconher esta augusta assembla.
Isto posto, c visla das valiosas consi-
I
Artigo nico. Fica approvado o compro-
miso da irmandade do Santissimo Sacra-
tiionto da matriz da Varzoa, com as seyutti-
leg modtlicacoes :
I.' As sepulturas de que trata o cita-
do comproiinsso n.lu pdem ser abenas
dentro da capella-inr.
2. A niiutidade nSo pode nomear
ligachiiBiao para a matriz; mas siui um gual-
da desuas alfaius.
eraces com que o supplicante fundamen-
tou a sua pretencio, parece cunmsso
que ciiuip- e habilitar o governo a f-izer d t-
ramar pela populagilo desta provincia o co-
nhecmenlo da arte tachig'aphica ; por
consegiiinle anima-se a snjeitsr aprecia-
c9o da casa a seguinte resoluco :
A assembla legislativa provincial de
Pernambuco resol ve :
Art i O presidente da rrovincaen-
gajara a l.uiz Antonio de Mesquita Falc3o,
para ensinar por qtialro annos, no lyceu
lesta cidade, a arte de tacbigraphia, medi-
ante o estipendio annual de um cont de
res.
< Art. 2.* O referido l.uiz Anntonio de
Mesquita FalcSo fcar obrigado a dar tres
11.00 por semana, as quaes ser.lo regula-
las de n nucir, que os feriados e das
sanios nada concorram para que se torne
menor o numero il lias.
a Att 3.* Os alumnos de tachigraphia
gardo sujeitos a ponto, e pagaro a mesma
matricula a que estilo obrigados os das de-
mais aulas do lyceu
Art. 4. N3o poder matricular-sa co-
mo alumno de tichigraphia o individuo que
nao tetilla provado, por meio de exatne,
que pelo menos sabe grammaticada lingoa
nacional, e ler e escrever correctamente.
ii Art. 5." O exame, de que trata o artigo
j uii-Cliente, lera lu-.'ii o i lyceu com as
msalas formalidades dos detnais que all
se procede.
a Att. 6.a A matricula da aula de la oh i -
grapliia estar aberta lodo anno, com as
das de latim e hngoa nacional.
Arl. 7. Para coadjuvar a l.uiz Antonio
Je .Mesquita. 1" icio as licfles que houver
de dar, o presidente da provincia nomoara,
sb proposla delle, um inlividuo, aoqual
estipulara orienndo nunca maior que o de
seiscentos mil ris annuaes.
Art.8 o Pitidos os qttatro annos do con-
trato, o alumno que peante a congregac,3o
do lyceu provar haver aproveitado as li-
ces de maneira a poder tomar e decifrar
qualquer discurso, ter direito|a um pre-
mio do 400,000 ris.
Art. 9 Ficam revogadas as dispoiicOes
em contrario.
Sala dag commisses, 15 de maio de
1850.--I'loriano Correa de Brito.Luis Pau-
lino Cavalcanti \elles de HuevaraAntonio
osdeOl'ftira.
Silo lidos e approvados os seguintes pare-
ceres :
< A commissilo de estntistica, diviso ci-
vil e ecclesiastica nada pode ajuizar sobro
ropresentac,iio que Ihe foi presen'e do
llvm. vigario da freguezia de S. Lourenco
da Malta, acerca das dttviilas occorridas nos
limites da mesma, sem que seja ouvido
o Extn. e Rvm. Sr. hispo diocesano, o que
exige.
Sala das commisses, 17 de maio do
1850. lleii e Silva. Menezes de ru-
mond.
A commissilo de commcrcio, agricul-
tura, etc., tendo presente a representacilo
do diversos mora lores mis margens da es-
trada de JoUo-de-Bnrros, em que pedem
que esta assembla autorise a abertura de
um canal que corte a mesma estrada, cons-
truindo-se urna ponte sabr elle, conside-
rando que a estrada de Joilo-de-Barros he
apenas de calhegoria municipal, o que o
canal que porventur se abra nflo pode in-
teressar senio aos moradores do urna ou
mais freguezias do mesmo municipio, he
de parecer que a representacilo dossuppli-
cantes seja remettida cmara municipal
da capital, para defiri-la como entender de
justica.
Sala das commisses, 17 de maio da
1850.--guiar. -- Cavalcanti de Albuquerque.
Barros Brrelo.
Vai a mesa e fica adiado, por haver ped
do a palavrao Sr. Velles o seguinte parecer:
A commissilo de constituico o poderos,
tomando na devida cousiderafAo n requeri-
mento do Sr. deputado Correa de Brillo,
em que pedo se corrija o engao commet-
lido pea secretatna desla assembla por
tifio ler pedido ajuda de custo pata, o Sr.
deputado Fraucisco llaphael de Mello Reg,
depois de um maduro e serio esludo sobre
o ait. 22 do acto addicional, em que he fun-
dado o dito requerimento, e um escrupulo-
so exame sobre todas as lea i o>leriormen-
ta emanadas deata assembla, como as de
ns. 4, 87, 112, 130 e oulras, ae ve obrigada
a conli s>ai toda a justica do requeiimen-
to em quesillo, alienta a lilleral dispoai-
cSu do citado art.; pois que, nflo fazendo
distincQao a respailo de deputados que roo-
ram no interior da provincia daquelles que
assistem e morain lora della, he visto que


osla distincco no cabe as atlribucOes
dtsta assembla, o muitu menos sua se-
cretaria, pela regra de que, guod lix non
tl'stinguit ec non distinguere i/ebemu E sen
do, como he, da competencia desla assem-
bla marcar a ajuda de cusi da mesma ma-
neira que marca o snbsidio, he claro que
ho deve eiilender-se o citado artigo de ou-
Iro modo, porque nao cabe em uas forcas
modca-lo; e jualquer outra inlelligon
Ca quu esla assembla houver de dar, a
menus que no seja a expendida, acarretar
grave inconvinientes, por ser concebido
o artigo nos termos seguintes :
TeiSo tambem, quando morarem fra do
lugar de suareunio, urna ndemnisaco
anima 1 para as dspotas de ida e volta, mar-
cada pelo mesmo modo e proporcionada a
exleuso da viagem.
Avista de tudo quanlo cima (lea exa-
rado, he a commisslo de parecer, quoo Sr.
deputado Mello Reg, tero direto ajo I
de cusi, satisTazendo se issitn o que pede
o nqiierimcnto do Sr. deputado Cortea de
lirito.
Sala das commissOes da assembla pro-
vincial, t7 de maio de 1850. Jos Qunti-
xo le C. LeSo. Francisco JoSo Canero da
Cunha.
Vai mesa o he apoiado o seguintc re
'111 o r i ment) :
Hequeiro urgencia para ser discutido
boje o parecer da commisso deconstitui-
co e poderes, que ficou agora adiado.--
Vcllez.
Depois de breves reflexdrs dos Srs. Vel-
le/, Jos Pedro e Francisco Jolo, he a ur-
gencia approvada, entrando o parecer em
djscusso.
( Continuar-ie-ha.)
unHHi m nwmm'
BrciFE 20 m MAIO DE 185*.
A assembla oceupou-se no dia 18 com a
terceira discuss.lo do projeclo n. 11, e das
emendas a elleoffrecidas.
Qoasi (oda a discusso, a qual (cou adia-
da |n la hora,versou sobre o artigo additivo,
que manda crear no corpo de polica urna
secco Je companhia, sujoita ao regulamcn-
to de (ropa de linha.
Fallaram sobre a mal. ra os Srs. Mello lle-
go, Jo.- Pedro e Francisco Joo ; (cando
com a | ala va para a sesso scguinle os Sts
Bandeira de Mello, Correa de Brito e Flo-
rines.
A orJem do dia para essa sessSo he a mes-
ma de 18.
No dia 18 do correle tomou posse da pre-
sidencia desta provincia, com as formalida-
des do eslylo, o Exm. Sr. Jos Ildefonso d.
Suuza llamos.
J no he presidente desta provincia o
i \ 'i' ccnselbeito de estado Honorio II er-
neto Carneiro l.eilo ; e, o que he mais, den-
tro em pouens dias, S. Exc. retirar-se-ha
para longo de nos, deixando inconsolaveis
os numerosos amigos que soube grangear
durante aua administraco.
Preeminencia poltica, com assenlo nos
consellios da eora e no senado brasilero,
com rvputacSo fundada, tanto no interior,
orno no estrangero, S. Exc. no hesitou
um nu ineriio sequr em separarse d
esposa, lilhos e amigos, em arrancar-so aus
comino los que o cercavam para vireucur-
tegar-se da nobre, mas dllicillima en prezn
da pac ilirai.au moral desta provincia, qn
acabava de ser arrancada as garras da anar-
chia pelo braco forte o vigoroso do invicto
Sj. Mauoel Vioira Tosa.
Anda nilo havia cuito que S. Exc. oceu-
pra a cadeia presidencial, e j por mais
de um acto tinha demonstra, o que su mis-
sao era tuda de paz,-que queria cicalrisar
as chagas, triis ou menos profundas, que
abira no coraco de Pernamhuco essa guer-
ra fratricida, dequo (h-sgratadamenle io-
nios tesltmunha ; mas infelizmente nosou-
beram compiehende-lo aquelles a quem
uiaisaproveitaria a poltica larga e piulan
trpica que S. Exc. se prese -overa ; e, altri
bu indo-a antes fraqueza ou timidez, do
que ao louvavel desejode correr espesso veo
subre o passado paia rehabilitar os que por
si mesoiosse tinham como que inutilisado,
por noves actos de desesperaco confio de re-
mulada loucura obngaram o profundo esta-
dista, que brevemente se alongara de oossas
plagrs, a fr de lado o ramo de oliveira com
que entre nos se apiesenlra, ea recorre
espada, no mosquete e ao embao para aca-
bar com os destrocados restos da rebellio,
que, pirtinazes, se esforcavam por lev*r a
dcstruico por varias parageus do interior
da p ovincia.
Iteduznio a seus proprios e mingoados re-
cursos, vendo interceptada a sua commuui-
rai fio com todos os lugares da circumvizi-
nhanca, privado dos conselhos e auxilio
dos l< mentidos amigos, e quando apenas
Ihe restava o enlregar so contrictoe arre-
pendido s (oreas legaes, ou o fugir vergo-
nhosa e apressada mente de sua uertadeira
guarila, o imprudente que capilatieava ca-
ses retios da rebelda nptou i or este ultimo
alvitre ; e, Gngindo aequiescer s piopostus
de urna accommodaco, logrou rscapar-se
com alguna dos seus mais salientes asseclas
paia Urriturio de urna uas provincias Im.i-
trophes, dtixundoa bifcoscom milha'esdo
diliculdadcs e perigos os que luucanienle
persistirn! em acom,nnha-lo, e dando di s-
t'at te un testen,unho solemne do pouco que
se importava datotte desses infelizcs, de
quem al eiilo sesetvira cmoda oulros
lautos instrumentos de seus caprichos.
Islo conseguido, um administrador menos
sabio o perspicaz do que o Exm. conselhei -
ro de istado Honorio Mermlo' Carnein
Lefio,suppozeta porvcniura que nada mais
Ihe recava a fazer no locante a guerra civil;
mas, i rudtntc como be, S.xc. no pensni
Mira ; elle compiohendeu, e compiehenden
inuito bein, que, emquanlo e consetvasse
enlranhado nas mallas o celebre Vicent
Fi rreira de Paul, que em quanlo aln exis-
tisse esse elemento de desordem que fcil-
mente poderia ser aproveitado por qualuuei
rabecilli, a provincia nao eslava veidadei
ranienle pacificada ; e, i os, resolveu acaba
cora aquello fo'co de immoralidade, que al-
tamente depunha contra a illuslraco do se-
rillo eoi que vivemos, e contra a pers ica-
cia e tclividade das autoridades do lugar en.
que .lie assenlava, e daquelles que mais
prximos Ibelicam.
Esta resolucBo, toda boa e justa, e que a
alguem queacreditava na inexpugnabilida-
de do escondrijo do cabecilha pareca por
.lomis arriscada, foi levada a effeito com a
maior rapide7, com a maior facilidade; e,
quando menos o esperavamos, vimos de-
mandar o nosso porlo, procedente do de
Tamandar, utn navio de guerra cooduzin-
lo a seu bordo o tilo temido caudilho com
os poucos'salell'tes que anda Ihe faziam
co-npanhia.
Importantsimo he o servico quo a este
Pernambuco eao Brasil inteiro fez o Exm.
Sr. Honorio com este acto, s proprio dclle,
e que era considerado como mpossivel de
pralicar-se. Est acabado esse valhacouto
le criminosos ; e aquelles que se quizerem
celebrisar por suas atrocidades, j nao po-
der3o contar com o asylo seguro que elle
I des ofTerecin, e que geralmente se suppunha
impenelravel.
beneficio resultante des'e acto, e os que
lia do produzir o aniquilamento dos destro-
cos da rebellio, sdo mais que sufficientes
para eternisarem ntrenos o nome do emi-
nente Brasilero, 'que acaba de dexar a ca-
ieira da presidencia ; mas quem se recordar
da vigilancia com que elle perseguio, e fez
perseguir o crime;do cuidado com que se
empenhou em proteger os desvalidos ;do
esmero com que procurou regularisar a ad-
ministracSo ;-quem se recordar de ludo is-
lo, dizeinos, n3o deixar da bamdizer e ad-
mirar aindamis o magistrado esclarecido
que vai ausentar-se denlre nos.
Sim, no meio do tumulto e dos pangos de
urna guerra civil, renovada com inca ni j-
menlo por aquelles que mais ioteressa do-
verilo tr em amortec-la, em niquila-la
mesmo, o Exm. Sr. conselhoiro de estado
Honorio llcrmcto Carneiro LeSo nSo esque-
ceu os melhoramentos moraese materiaes
da provincia : S. Exc. deu exocucSo le,
que mandn edificar a nova cadeia ou casa
de iluti ncao desia cidade, e deixa em anda-
mento esla obra de tanta ulilidale.que des
le milito era urgentemente reclamada pelas
iccessidades publicas ;providenciou p.ira
que conlinuasse a edificacilo do hospital de
viro II, cujos alicerces estavam como que
abandonados intemperie dos tempos ;
apressou a conclusa.) do nosso thcatro, cuja
P i iiiiii r.i representando tevo lugar sli suas
vistas ;fez com que comefasse a ser cum-
prida a I. i, que creou o cemiterio publico;
regularisou urna das mais importantes das
nOSSai eslares de aircca la cao, dan lo- Un-
empregados /elosos e honrados ;rcformou
2.
*iii>lc}.$ao a pedido.
Hlm. Sr. major de legiSo Antonio Igna-
cio d,a Silva.Os officlaes inferiores abaixo
assignados, penetrados da mais viva grali-
Ifio e reconhei imenlos pelas maneiras sem-
nre urbanas e delicadas com que V. S. se
lignou Irala-los durante o tompo, que ti-
veram o honra de servir debaixo das ordena
de V. S. como major commandanto do ba.-
talhlo de guarda nacional n. 1 do Rtcife ;
nao podem deixar de exprimir os seutimeo-
tos de que se acham possuidos, no momen-
to em que V. S. deixando-os, vai oceupar
outro lugar mais dislincto para que S Ma-
gestade o Imperador se dignou nomea-lo.
Fazendo os mais fervorosos votos pela sua
felicidade, desejamos que os seus novos su-
bordinados, reconhecendo todo o mrito de
V. S. Iba conaagrem o mesmo respeito e
adhesSo que sempre Ihe professaram os de
V. S. subditos, respeitadores e criados.-
Ditiis Antonio Ferretra Marques, Theodoro
Monje de Mendonca, Francisco de Aratiju Cal-
das, Manuel Antonio de Sousa R'.is Jnior, Jote
Domingves Pereira Dios, Manoel Jos Teixei-
ra Fontes, Hernn! Imz Corren de AIm fi-
la, Manoel Antonio Freir, Licurgo Brazilio
Haya, Galdino Pereira Lira, Pedro Antonio
de Siqueira, Jo&o Francisco Ribeiro Roma.
COMvIERCIO.
1!:76*,073
ALFANDECA.
Rendimento dodiaf ,8. .
Desearregam hojeH.
Barca americana iorva farinba de trigo
I lale Aguia-Brasilelra carae secca.
Galera Berata mercadorias.
Brigue- kguia-do-Prala i lem.
Patacho -- Lisa idem.
CONSULADO CERAL.
'tendimento do dia 18.. ,
Diversas provincias. ,
1:674,410
54,878
reparlic.no das obras publicas, a qual, a
continuar como eslava, jamis se prestara
convenientemente aos lins para que foi ins-
titu la ; iniciou em seu relatoi>o medidas
le grande alcance, algumas das quaes j se
acham deeielada.se sanecioliadas;estn
deu inflo protectora ao mrito ;punio e fez
punir o crime, sem se deixar arrastrar por
considerares pessoaes, eque, suppnsloqu'
secundarias, no deixam de i esar no animo
laquelles que nao teein bastante Torca de
espirito para saciifica-las ao i'umprimento
do seus deveres.
Oualquer dos actos que muito perfunclo-
riamenU acabamos de a pon i r he mais que
suflicenle para provar que bem procedemos
apoiando, fraca sim, mas leal e francamen-
te, a administroslo do Exm. conselheiro de
estado Honorio llermr-to Carneiro Leilo, bem
como para demonstrar quanlo untar,, m mal
avisa.ios aquelles que Ihe lizeram systema-
tica opposico, emprestan lo-lhe at men-
cOes que jamis podem ter cabida em alma
bem formadas: maso quo detOe altamen
te contra os que assun se porturam, o que,
mais quo ludo revela, a sem-rasfio do seu
pn ce lmenlo, he a conducta toda philan-
ihropica e heuettea que, ilepois de aniqui-
lada a rebellio, S. Exc. batido para com
os individuos, que ronliniiaram a apoia-
la, nada se demorando em desdobrar o man-
to prolector de S. M. I sobre aquelles des-
se.s individuos que, confessamlo-se arrepen-
didos de antigos Crimea e faltas, reco rain
clemencia do monarcha.
Ccncluindo esto nosso Irabalho, cuja im-
perfeic;lo somos o prnneiro em reconliecer,
nos, em non o dos Pernambucanos, em no-
me desta provincia inteira, agradecemos
cordialnienle ao Exm. conselhelro de esta-
do Honorio llermlo Carneiro LeSoos incal-
culaveis beneficios, que nos ello proporcio-
nou,o sacrificio immenso quesesujei-
tou,quando su decidi a vir presidir-nos.
Commiinicailo.
Sendo a caridade urna las virtudes mais
recommendadas por Jess Chrislo na sua
doutiina evanglica, e sendo a misma vir
lude praticada juntamente com outros ex-
tremosos actos de piedideem beneficio meo,
e de alguns outros mcus companheiros,
convm que cin reconhecimento e gralidiio
r. spi itavel publico a seguinte manifeata
c.o.: Quando cahio sobre nos o flagello das
fehres rerem-passidas lempo em que resi-
damos no convento de S.-Francisco em
Olinda, nfio ludamos para onde recorres-
sernos a l m de sermos tratados na moleslia,
mas a Piovidencia Divina, que a muguen
desampara, nos fez deparar com a casa do
picstimoso, e honrado Sr. Trajano Ferrei-
ra e sua carilosa e mui pia consorte a Sra
I). Alexandtina Luir, moradores na Orden
lorrera doniesmocnnvenlo. All nseo cravos de alguns nossos companheiros (por-
que ludo adoeceu ao mesmo ten po) Tomos
snecorri los com os remedios, e iralaimn
los ao alcance daquella ISo officiosi c pres-
lavel senhora : nSo cessava ella e lo la su
familia a quem tambem numerosos agrade-
cimantos don, dse empregar no r?^l2be-
lecimenlo de nossa sade ; desvellada dia
e noile no tratamento de tantos doejile,
que para all concorreram, eram pteleri-
dos todos os seus commodos, e todas suas
occupacOcs.
I'a de nossos caros lan s, assaltidos pe-
las perniciosas febres tle tilo triste e doloro-
-a r. cordai;fo>, nao | odenamos por sem lu-
vida encontrar em outra qualquer parle
tanta dediracAo a prol da nossa sade ; dc-
monslracno de una tito generosa benefi-
cencia, caridade Iflo extremosa s encon-
traramos na grandeza a'ulnia da Sra. I:.
Alexandritia Luiza. Eu pois me confesso
eti mmenle grato a lfo eslimavel familia
e, cetto de que outro tanto se acham todos
aquelles que nlli foram beneficiados, deixo
dos convidar para urna tal conll.-silo.
O padre Vicent* Jorge de Sonsa. I
1.729,288
EXPORTACAO.
Despachos martimos no dia 18.
Aracaly, hiato nacional Flor-do-Curuript.
le 97 toneladas : conduz o aeguinte :
112 barricas farinha de trigo, 23 pipase 21
harris vinho, 300 barris plvora, 3 caixas
cha, 1 barril azeite-doce, 8 barricas gene-
lira ecerveja, 6 volumes miudezas, 19 ditos
ferragens, 29 ditos fazendas, 8 caixas folba
de Flandres, 45 barris chumbo de municSo,
6 volumes louca e vidros, 5 harris mantei-
l, 3 saceos alfazema e pi cenia, 6 volumes
bolacha, bolachinha ebiscouto, 1 pipa el
quarlola vinagre, 1 barril toucinho, 4 ati-
eorelas azoilonas, 6 garrafdes vasios, 2 vo-
lumes couro de lustro. 5 barricas bacalho,
I fundo de alambique. 1 serpentina de dito,
22 barticas assucar, 6gi.rraf0es e 2 pipa*
a.'o'ardcnlo, 31 caixas sabSo, 16 barris mel,
1 taixo, I alambique, 1 rolo fumo, 1 caixa
cera em velas, 3 saccas arroz, 1 caixa cha-
peos. 50 ditas doces, 1 varan,la de ferro,
300,000 rs em cdulas, 79" patacOas, 2 bar-
ricas com garrafas de licor.
Cea'r, brigue nacional Josefina, de 170 to-
neladas : conduz o seguinte :
175 barrii-as farinha de trigo, 8 barris ge-
nebra, 18 pipas e 9 barris violto, 2Vgarra-
fo.'s vasios, 5 volumes louca II saccas eiva-
doce, alfazema, pi menta ecravo, 9 caixas
c'i, 44 volumes farragens, 99 barras de Te-
ro, 2 caixas cspennaccl, t dita phospboros,
I gigo rliampatibe, 110 volumes fazendas,
38 ditos miudezas, 7 ditos drogas, 7 caixa.-
chapeos, 4 quintlas vinagre, 19canastras
alhos, 20 harris azeilunas, 20 ditos chum-
bo de municao, 2rolos de dito em lenco1,,
mu barris plvora, 6 ditos breu e Ic*lr3u,
32 barris manteiga, 5 temos decondessas,
50 caixas sabilo, 10 pipas e 1 barril ago'ar
denle. 2 caixas cera em velas. 6 barricas as-
sucar, 3 barris mel, 1 caixa rap, 4 arrobas
de estopa, 36 duzias de cucos para beber
agOJ.
RECEBEDORIA DE RENDAS GERAF.S
INTERNAS.
Reudimento do dia 18......745,618
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 18......882,775
PIlAi; \ DO RECIFE, 18 DE MAIO DE
1850. A'S 3 HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios As transacc,0es da semana
eVecluaram-se a 27 e 26 3/4
d. por 1,000 rs.
Assucar- A entrada foi diminuta e as
vendas limitadas, mo sof-
Irendo illeiaQfJu dos precos
da semana antecedente:
Algod3o----------Apenas cutraram 143 ac-
cas, e oblevo 5.500 ra. pela
arroba de primeira sort",
sendo procurado para os
poiios hespanhes.
Couros i'ouco procurados a 100 rs.
a libra dos salgados
Alfazema Vendeu-se a 2.500 rs. por
arroba.
Amen.loas- dem a 6,000 rs. a dita com
casca mole.
Azeite-doce dem a 2,200 rs. por galo
do de Portugal.
Bacalho--------Itelalhou-se de 6,000 a
9,000 rs. por barrica. Fi
caram por vender cerca de
1,200 barricas.
Batatas Fallam, e a ultima v.cnda
foi a 1,008 rs. por arroba
Carne secca- A do Itio-Crande vendeu-
se de 2,000 a 2,600 rs. por
arroba, e s de uenos-Ay
res de 1,800 a 2,200 rs. -
A existime chegaraa valo
e qu ai o mil arrobas.
Chumbo Vendeu-se a 19,000 rs por
quintal do de uiunicSo.
Familia de trigo As vendas regulaiam de
18,000 a 19,000 ra. a de Rich-
inon.i, 14,000 rs. a de llal-
liu.ore, 14,000 a 16,000 ra
a de l'liiladelphia, 18,000 a
19,000 ra. a Ue Trieste SsSF,
e 16,000 rs. a l'tance/a u ar-
ca li.iuu. Ficaraui eu.
ser dez mil barricas.
Dita de mam'. Vendeu-se do 2,800 a 3,000
rs. a sacca.
Massas dem de 4,400 a 4.500 rs.
por rrobn.
oleo de li: haca dem de 1,600 a 1,700 r
por galo em cascos de ma-
deira, e a 1,750 ri. em bo-
tijas.
Toucinho dem de 2,500 a 3,000 rs.
a arroba do de Santos.
Vinagre dem de 60,000 r 70,000 rs.
por pipa do de Portugal.
Ficaram no porlo 60 embarcacos, a Ba-
bero americanas, 1 austraca, 36 brasi-
loiras, 1 chileno, 1 dinamarqueza, 3 fran-
cezas, 3 hespanholas, 1 amburgueza, 3 in-
glezas, 1 oriental e 5 portuguezas.
tlovimento do Porto.
Navio entrado no da 16.
Kio-de-Janeiro e porlos intermedios 9 dias
e 15 3/4 d'boras, e do'ultimo porto 22 3/4
d"horas, vapor nacional S.-Satvador, de
380 toneladas, cimmandante o primeiro
lente Coutinho. Passageiros : para esla
provincia, os Brasileiros Jos Lucio Mon-
teiro.da Franca, Pedro de Araujo Argollo
FerrUo com 1 escravo, Prospero Jos da
Silva Coroata; 7 escravos a Novaes & C.\
sendo 1 Nag e 6 crioulos, 4 pravas do se-
gundo balalhSo de cacadores, 4 ditas de
pret, o escravo Jos do Exm. Sr. presiden-
te das Alagoas, o Inglez Dr. Alexandrejl'a-
terson com sua senhora, 4 filhos menores
c 1 criado Africano, e 5 desertores do
exercito : para o Maranhffo, o alteres Ma-
nuel Jnaquim Helio e 2 escravos a entre-
gar, de nomes Belmiroe l.aurindo: para
o Cear, Victoriano Augusto Borges, Fran-
cisco Leonel de Alencar com 1 escravo :
para o Para, Macedonio Jos de Carvalho.
Navios entrados no dia 17.
Rio-de-Janeiro 20 dias, polaca hespanho-
la Tratinai de 175 toneladas, capitSo F.
Marislany, equipagem II; a Jofio Pinto
de l.emos" cV Filho. Fundeou no Laraei-
rfio vindo o capiulo Ierra.
Baha 6 dias, barca ingleza Rosendale, de
297 toneladas, capitSo E. D. Ilolden, equi-
pagem 14, em lastro j a James Crabtree.
Fundeou no Lameir.lo vindo o capilo
Ierra.
Haily 45 mezes pesca da baleia, barca
americana Cosac, de 255 toneladas, capi-
lao llenry Parker, equipagem 23, carga
azeite de peixe ; ordem.
Ass 18 das, barca naciunal Princesa, de
257 toneladas, capilo Manoel Antonio da
Silva Lobo, equipageai 16, carga sal e pa-
Iha de carnauba ; a Amorim IrmSos.
Veio largar o praticc e segu para a
Babia.
Natos saki dos no dia 18.
Porlos do norte Vapor nacional, San-Sal-
vador, rommaiidaiite o primeiro lente
Coulinho. Alm dos passageiros quo (roo-
xa dos poi tos do sijl para os do nortn lev
a seu bordo : para a Parahiba, Leonardo
Anlunes Moira llenriques com 1 escravo :
para o Riu-Crande do norte, o Dr. Jos
Moreira Biandan Cast-llo-Branco com 1
escravo : para o Para, Jofio LourenQO Paes
de Souza com uin escravo.
Rio-de-Janeiro -- Ratea portugueza Brocha-
rense, capillo Manoel Antonio Ignacio,
carga sal e vinho*. Passageiros, os qu
trouxedo Porlo, Meando 7 que desembar-
caran!, 1 prelo e urna preta.
Rio-Crande pelo Rio-de-Janciro Brigne
nacional Eiperanca, capilo JoSo Pereira
de Magalhes Bastos, carga assucar.
lia vana Barca hespanhola F.lisa, capilo
Jos Rodos, carga ch -rque.
Rio-Grande Rrigue nacional Animo, capi-
lo Francisco Joaquitn Gomes do Olivei-
ra, carga assucar.
Em commissn Brigue-escuna de guerra
nacional Lindoia, commandanle o piloto
da armada Moreira.
Navios tahidos no dia 19.
Canal por Macei Barca ingleza Fame, ca-
pito Alexandre Smith, em lastro.
Aracaly Hiato nacional Flor-de-tururipe,
capillo Manoel Antonio da Silva Barros,
car^a varios gneros. Passageiros, os
Brasileiros, Eplfanio Jos de Soza,
Eduardo Daniel de Figucire.lo, Antonio
Frai cisco de Amorim, Manoel Pereira.
Manoel Rodrigues Pereira com 1 criado
Manoel da Virgem, Joaquim Manoel de
Oliveira Costa, Manoel Pereira. Manoel
Concalves Valenle com I sourinho e 1 es-
cravo, os Portuguezes, Jos Rodrigues
Branco o Jos de Freitas Ribeiro.
Observacao.
Levantaran] ferro do Lameiro e segui-
ram viagem a barca ingleza Rosendale,
dita americana Cosac, e a nacional Prin-
cesa, entrinli pin o Mxqieiro a pola-
ca hespanhola Trazina, que se ach va igual-
mente fun leadano l.imciriu.
Navios entrados no da 20.
Terra-Nova 38 dias. barca ingleza James
Stteart, de 245 toneladas, capilo Robert
"nuca, equipagem 9, Carga bsealho ; a
James Crabtree & Companhia. -- Fundeou
no Lameirfio vindo o capillos Ierra.
dem--32 dias, ha ra ingleza Norval, de
245 toneladas, capilo Thomis Kirlt, equi-
pagem 15, carga bacalho ; a Johiiston
Pater & Companbia. Fundeou no La-
meiro vindo ocapito tetra.
EDITIS.
Pela inspectora da alfaudega S' faz pu-
blico que no dia 21 do correte, depois do
meio-dia, se ho do arrematar em hasta pu-
blica porta da mesma, 40 saccas com 100
alqueires de Ireraocns, por factura urna sac-
ca 2,200 rs. total 88,000 rs., impugnada,
pelo segundo escriturario, Gabriel AfTono
Regueira, no despacho n. 240 de 16 do cor-
rente, sen lo a arre-nal c0 sujeita aos di-
reitos.
Alfandega de Pernambuco, 17 de maio
de 1850.Pelo inspector o escrivo, Beato
Juii l'ernandes Horros.
Pela inspectora da alfandega s-; tu
publico, que no dia 91 do cnrrenle, depois
do meo-dia porta da mesma, se ho de
arrematar 26 capoles de borraxa, por fac-
tura um 8.000 ra total 208.000 rs.; 14 cha-
peos de oleado com borraxa, por lacinia
um 1,800 rs., 25,200 rs.; 151 jardas di f-
zenda de lila, ou 124 varas o.m borraxa a
piova d'agoa, por factura vara a 2,000 m.,
total 248,000 rs. ; 2 piares de peinen as de
borraxa por f( tura par 2,000 rs., total 4/
rs.-; 12 rapas para espingardus, defien-
da com borraxa, por factura urna 1,010 rs ,
total 12,000 rs.; 4 saceos piara caca dar de
lito, por factura um 2,(00 rs., Iota I 8,000
rs.; 1 liinheiro de borraxa, por factura 8/
rs.; 20 pares de bolas para liunium, de bor-
raxa por factura um par 8,000 rs., total
160,000 rs.; 72 frascos para cacador.de bor-
raxa por factura um 600 rs., total 43,200 rs.;
2 camas com trabeceiros de borraxa, por
factura urna 8.000 rs., total 16,009 rs 12
pares de sapatos para homen). de borrxi
por factura par 2,000 rs total 21,000 rs.;
21 pares de coturnos para senhora, dedil
por factura par 2,000 rs total 48.000 rs. ;
6 barrete, de borraxa por factura um 300
rs., total 1,800 rs.; 12'seringas, de borra-
xa por factura urna 800 rs., total 9.600 rs. ;
24 duzias de pares de ligas de sedas com
borran, por factura duza 2,000 rs-, total
48,000 rs.; 2 duzias de pares de ostropos,
de borraxa para calcas por factura duzia
1,200 rs, total 2,400 rs.; Salmofadas do
borraxa, por factura urna 4,000 rs, total
8,000 rs. ; 50 aparelhos para nadar, de dito
por factura um 2,000 rs., lotal 100,000 rs.;
18 saceos com espunja "de dito, por factura
um 100 rs., total 1,800 rs. ; 5 duzias de
suspensorios de seda, com borraxa por fac-
tura duzia 20,000 rs., total 100,000 rs. ; 360
duzias de aunis de borraxn, para alilhos
por factura duzia 600 rs.," total 916,000 rs.;
1 guarda-chuva para carro, panno do bor-
raxa por factura 10,000 rs ; 2 libras de bor-
raxa, por factura libra 800 rs., tola! 1,600
rs. ; 6 boias de dita para nadar por factlfa
urna 8,000 rs., total 48,000 rs.; 24 bollas do
dita, por factura urna 120 rs., lotal 2,880
rs. : impugnados pelo segundo escritura-
rio, Antonio Francisco de Moura, no des-
pacho n. 286, de 16 do cotrenie, sendo a
arrematado sujeita aos direilos.
Alfandega de Pernambuco, 18 de maio
de 1850.pelo inspector o escrivo, Dent
los Fernandes Barro*.
Pela inspecloria da alfandega se faz
publico, que no dia 32 do correle, se ho
de arrematar em hasta publica na porta da
mesma, depois do meio-dia, as mercado-
rias abaixo declaradas, as quaes sendo an
uunciadas na forma do att. 227 do regula-
meato, no comparecern) os donos para
as despachar- :-! caixa com 2 garrafas de
vidro preto, por 166 rs.; 1 dita com 12 li-
bras de papsasa|?5 rs.-, 1,500 rs.; [1 diti
que foi dobixss por 640 rs.; 1 barril vaai
por 1,000; 1 barrica com 31 lampos de bar-
ricas por 2,000 rs. ; 1 embrulho com 1 livro
i.npresso" em francez com mappas geogra-
phicos por 10,000 rs. ; I caixa com 800 ci-
garros costo 2,500' ra., 12,000 ; t dita com
2 pedacos de ferro, um linguado pesando
18 libras a 15 rs 334 rs.; 1 dita com 45
potes de tinta de escrever com 60 quurlhos
a 400 rs., 24,000 rs. ;' 1 dita com 10 libras
de sabio inglez a 100 rs., 1,000 ra.; 1 foga-
reiro de ferro quebrado com 18 libras a 62
rs., 1,166 rs.; 1 barrica com pedra hume
21 arrobas e 12 libras a 1,200 rs., 25,614
rs.; 6 caixas co'm 44 duzias de baralhos de
carias de jogar a duzia 3,000 ra 133,100
rs.; 1 dita com 214 obras de msica com
1,290 meias folhas a 80 rs. 103,200 rs ;
I dita com 150garrafintias cum uiitio para
comidas a 320 rs., 48,000 rs ; el dita com
398 folbetos iuipressus arle de fumar. Sendo
i arrematadlo livro de direilos ao arrema-
tante.
Alfandega de Pernambuco, 18 de maio do
1850.- Pelo inspector o escrivo, lienta Jos
Fernandes llamo.
Thcatro de 8. Izabel.
2.a Recita da assignatura.
Qua. (a-feira, 23 de maio de 1850.
Depois que a orchestra tiv.r executado
urna brilhanle ouverlura, abrji-se-lia a
scena para lepresenlico.da excellenle tra-
gedia em 5 actos- -
NOVA CASTRO.
No sendo possivel, por falta de lempo,
prepara.-se urna scena propria em que se
represente algutna comedia para bem
preencher o espectculo o empresario Ta-
ra le> minar a tragedia com o importante e
magestosoactoda
COROACVO.
Os bilhetes acham-ae venda no thealro.
Anda se recebem assignaluras tanto para
camarotes, como para platea superior.
Comecar s 8 horas.
Avisos martimos.
Para Parahyba segu viagem o hiato
Agua-Brasileira : quem no mesmo quizer
carregar, dirija-se ao escriptorio de Manoel
Goucalves da Silva, na ra da Cadeia do Ite-
cife, ou ao inestre a bordo do mesmo hia-
to, fondeado na volta do Forte do Mallo.
-Para a Baha sahe, nestes oilo dias,
com a carga que Uvera bordo, o biate So-
ciedade : para carga e passageiros, trata-so
na ra da Cruz, no Recite, u. 24, ou como
meslre do mesmo, no trapiche do algo-o
Leiio.
II. II. Swift, estando prximo a retirar-sa
para fra do imperio. Tari leilo, por inter-
vencuodocorreiorOliveira.de toda a tno-
b lia de seu uso, consistindo em cadeiras
de Jacaranda, ditas de balanco. sophs,
bancas dejogne de outras qualidades, cen-
slos, mesa redond-, dita de janlar, guar-
aVroupa e guarda-vestidos, commodas,
toucadores, marquezas, esleir de forro,
relogio de cima de mesa, um fogSo de fer-
ro palele ama>icano, louca o vidros, trem
de cozinha, c outras mu i tas cousas necessi-
rias para uso de casas, e que tudo se ven-
der sem limites em precos ; asslm como 2
carros de .1 rodas rom arreins, 2 Cabriolis
novos, sendo um muilo maneiro, 1 cavallo
do carro, urna vacca lorna ingleza : sexta-
fetra,24do corrale, as II horas da ma-
nha. nnsilin qun se lem anunnciado para
se vender, do Sr. Joo dos Santos Porto, no
Manguinlio-Papa-Terra, que (ca dofronls
dos sitios dos Srs. Carneiros.
..... ... : j
Avisos diversos.
ANNNCIO DE PR0GRESS0.
Temos causa boa !
S.liio boje a Marmota n. 15 mnilo apu-
rada, limpa e refinada em typos supe-lino
da typograi-hia Unio: sabio do Roma e foi
para Roa Vista. Este numero est pitores-
co, instructivo, jocoso o rogalativo : vnde-
se na Boa-vista, loj de miulezas doSr.
Kslima, n. 5i; em S.-Antonio, na r.ia do
Collegio, loj i do Sr. Dourado, n. 6 o no
llecife, luja doSr. Cardozo Ayres, n. 31.
-


Franjeo Jos Germano,
rclojoeiro suisso, eslabeleeido ni
Direita, n. 111, ouannuncie, que su Ihe fl-
car gralo.
Segunda vez roga-se ao Sr. Jos Miguel

IIMliJMl
Nova, D. 91, faz constar ao publico, que ~ R8UUH v" ">*-* ao sr. jom- angue,
tem para vender no seu estabelecimenlo re- ** ,r" qa" I"?* r,Tber uma, c,rU qU
logins dos mais acreditados autores, vindos ha ,llas vem de Ser.nhfiem, a qual versa so-
, ,. ___.-.__._____.'.. i hre neioein me Ihe internsa : ni ra -.a
tSuissa, e os mais modernos machinis-
M. tanto do ouro, como de prala, e que
vender a commodos pregos, para agradar
a seus fregueze, assim como tambem ven-
de no roesmo estabelecimenlo.um ricoe va-
riado sorllmon lo de objectos de ouro: ade-
reces completos, pulcoiras, chavas para re-
login, etc., etc. Tambem concerta' e pOe
Jualquerpessa nova em relogios, sem que
m> preciso manda-loa Europa
Bernardino Jos Leilflo tem justo e con-
tratado a compra de um sobrado de um an-
dar ainda por acabar, sito na travessa dos
Quarleis, n. 33, com Sr. Marciano do Es-
pirito Santo: quem se julgar com din-ito
enteuda-secom o annunciante no praso do
3 das : na ra da Floiontina, n. 30.
-- Precisa-se de uma ama forra, que de
conhecioento de sua pessoa, saliendo bem
engomar, para tratar de urna casa de muito
popca familia : na ra Nova, n. 18.
Sabio a luz a SAUDADE, peridico de
instrncgfio e recrcio acha-se venda as
lojas dos Srs. Dourado, no pateo do Colle-
gio.e padro Ignacio, na ra da Cruz, onde
se recebe sssignituns, a 1,000 rs. por tri-
mestre, eavulso a quarenta rs.
-Mara Demctriada Pa.ixfio de Jess faz
publico que vai abrir uma aula particular
em sua casa atrs do Amparo, sobrado de
um andar : a tratar com seu pai, Estevo
do Niscitnento de Jesns, aondo se ensiniri
a ler, eserever, contar, cuser, fazer lava-
nulo de todas as qualidades, bordar de
susto, de leda e de marca, coier chSo e dou-
trina christfia, por barato prego, e em pou-
co tempe.
-- Precisa se alugar um sitio que tenha
boa casa para grande familia, boa agoa de
beber, arvoredos de fructo, pasto para vac-
cas, baixa para capim : mo se olha o alu-
guel nem a distancia deila cidade, o que se
abinga he o bora tralamento : na ra da
Senzalla-Nova, o. 42, segundo andar, ou
annuncie.
Precisa-se alugar uma ama forra, que
tenha boa conducta, para uma casa de pou-
ca familia; na ra da Cadeia do Kecifo,
n. 51.
Precisa-se alugar uma preta idosi : na
praca da Independencia, n. I, loja. -
O abaixo assignado faz scionto ao res
peilavel publico que a loja de r.ahs sita
na ra da Madr.--de-l)pos, n. 14, pertence
ao annunciante. e n1o ao Sr. Domingos
Martina dos Santos. francisco los de Pat-
io* Guimaraes,
Um capadocio que tem tido
a ousidia de ir a casa de diversos
negociantes ingleses deprimir do
crdito dealguem, que Ihe be su-
perior, nao s em sua vida publi-
ca e particular, mas desde o seu
nascimenlo..... queira Mistar seu
al re limen to, a nao querer que se
Ihe publique a sua
mente alguna feitos
mas transBtces.
O conselhetro.
vi la, e mor-
de suas tilti
Quem precisar de urna ama sadia e
com ni ti i tu bom leile para criar, dirija-se a
ra do Queimado, n. 7.
Aluga-se urna casa terrea na ra da
ConceigAo da Boa-Visla, n. 129 : a tratar na
dita prags, n. 6, bol ira.
Quem tiver para alugar uma escrava
que saiba fazi-r bem o servigo inlerno e
exti-rno d- una esa, annuncie, ou diriji-se
S'Crniaiia da polica a fallar com Antonio
Jos de Ereitas.
Jos Cuelmo Coelho, subdito porlu-
guez, retra-se para Portugal a tratar de
sua sade, levando em sua i-ompanhia su-
ni o Hiere cinco lilbos menores.
i>
>
G K A N D E
consultorio homoeo-
palhico,

*>
j> Dirigido pelo Dr. Sabino e l)r. Luz
W
> Ra do Trapiche,
Francisco.
lio tel-
o-seo, -u
umifi O,
o Man- Ir
*
#
-i

#
9

> Osdoenles pobres lorio gratuita-2
mente tolos os das cousultas ere-
av medios para o tralamento de sois **
8p> molestias. ^
* As visitas, fra deste consultorio', <
|? serfio feitas por quslquer dos dous *-
!? mdicos, nicamente quelles en- *
),. Termos cujo estado moibido os re-
>>. clame em sua c*si.
- 1
Aluga-se, vende-se ou permuta-se por
alguiua casa nesta praca, r. cehendo-se
voltaiidn-so o que se convencioiiar,
tio na cidade de (Miada, denominado
gabeira, o qual lica defronte do jardo bo-
tnico, econlm una gramie cas) sobrada-
da, com quatro salas, seiequartos, cuznlia
independente, um excelleule poco d'agoa
potavel, bastante terreno (chSos proprins ,
com um rico mangabeiral e outras muilas
arvores fructferas, como sejam coqueiros,
c-jueiros, mingueiras, pitombeiras, etc.)
etc.: quem o pretender, dirija-se i rus r.
ga do Rozarlo, botica de Manoel Filippe da
Fonseci Candi, n. 42.
Manoel Jn.111,111 ni do llego Albuquer-
que pede encarecidamente ao Sr. Manoel
de Souza l'i reir que vetilla pagar os alu-
gueisde qu hedevedor de um sobrado ao
Caldeireito, alugado por seu liudo pai, ou
apresentar o recibo que diz ter do mesnio
finado i- ser seu credor, que promptamen-
te ser pago, popan lo o incommodu de ser
compelliJo oobigado a pagar pelos trans-
mites que a* le tem marcado.
Precisa-se de uma ama para urna casa
do pequea familia : na ra do Uaiigel,
n. 17.
0 ven.lelhflo quo recebeu no da sexta-
feir, 17 do crreme, uma manta do carin
do Ccnra, co'ii uma arroba e 7 ulnas, da d-
beca da um pretil que uflo acertou con t
casa para onde ia, queira conduzi-la a ra
11 re. negocio que Ihe interessa : ni ra -.a
Florentina, casa confronte o tbeatro novo,
e que na esquina tem lampeo.
' l'recisa-s'i de umi engommadeira, que
tambem se encarregue de mandar lavar
roupa de um homem solteiro, sendo pessoa
capaz, que sej responsabillse pelas faltas,
eque more na freguezia de S.-Jos : an-
nuncie.
Perdeu-se uma letra da quanlia do
40,000 rs., aceita por Gadault Erercs, ej
vencida em 30 de abril prximo passado ;
quema aehar querendo restituir, a podera
levar a Jos Peres da Cruz, pois d nada Ihe
servir, visto j estar prevenido o aceitante.
No da 14 do crrente, saltando ama
praca de marinha, com uma trouxa de rou-
pa, edando-a a uro preto para a carregar,
este deiappartceu. Itoga-se a quem dita
Ireuxa for offerecida, de a tomar e levar
ra larga do Kozario, n. 30, loja de selleiro,
quesera gratificado.
() Sr. Joaquim Jos dos Santos Barraca
queira dirigir-se ra da Cadeia de S.-An-
louio, n. 13.
OSr. Cuilherme Frederco .Walter tem
uma carta, vnda de llamburgo, na ra do
Trapiche, n. 9.
O abaiso assignado querendo pagar
aos seus credores, por isso pede encareci-
damente aos seus devedores, e principal-
mente aos hus anligos, de mandarem pa-
gar al o fim do corrento; do contrario,
vo.-se na dura necessidade de recorrer aos
meios judiciaes; pois o annunciaote nfio
pode mais esperar, por ter uma grande tom-
ma fiada e quasi ludo nesta comarca, e nao
Ihe he possivel recebar nada ; assim o espe-
ra de seus devedores, que n8o deixar.to de
ir pagar-lhe, Antonio Ftrrtira da Coila
Uraga.
Aluga-se o segundo andar e sotSo do
sobrado da ra Direita, n. 90, com boni
commodos para familia : a tratar na mes-
illa ra, n. 93, primeiro andar.
Os Sr Antonio Correa Gomes de Al-
meida e Manoel Cortea Comes de Almeida,
ambos moradores em S.-Anna do oiteiro de
S -Jofloda Varzea, queiram mandar pagar
quanto antes o que devein em certa botica
desta cidade ; certos de que, emquanto o
nio fizerem, indarSo seus nomes nesta fo-
Iha.
Avisi-se ao Sr. I.uiz Gomes Goncalves
quo tenha a bandado de ir pagar a quantia
que nilo ignora, na ra Imperial, n 49 ; do
contrario ter de ver o seu nomo nesti fo-
Iba, emquanto o nilo lizer.
. O Sr. tonente Paulino dirija-ss ra da
Cadeia de S.-Antonio, n. 13.
Aluga-se a casa da esquina da ra do
Cal feireiro com armacito para venda e com-
modos para familia, com quintal, cacimba
e porto para a travessa, a qual pelo local
oilVien- milita vantagem : na prac,a da In-
dependencia, livraria iis. 6 c 8.
-Os Sis Jo i| o i ni Pessoa Sezera da Cu-
nta eFrancisco llriuger de Almeida Guedes
hajam de dirigir-se ao Passeio-Publico, to-
ja n. 9, a negocio que nSo ignornm.
Chapeos de sol
Roa do Passeio, n. 5.
Nesta fabrica ha presentemente um rico
sortimento destes objectos do todas as co-
res e qualidades, tanto de seda como de
panniubo, por precos commodos; ditos pa-
ra senhora, de bom gosto : estes chapeos
silofeiles pela ultima moda; seda adamas-
cada com ricas franjas de relioz. Nw mes na
casa se acha igual sortimento de seda e pan-
u ni los imitando sodas, para cubrir ar-
mares'servidas : todas estas fazendas von-
do i.-SiM-m porcSo ea rea I lio : tmbense
conccrU qunlquer chapeo de sol, tanto de
hasteas de ferro como de baleia, assim co-
mo umbelas de igrejas: ludo por preco
comino lo.
Engenho Queluz.
Freguezia de I pojuca.
Traspassa-se o arrendnmento do dito en-
genho, o qual tem a presente safra a tirar,
e tres a criar. A tratar na ra da Aurora,
n. 26, ou no niesmo engenho com Miguel
Augusto de Ohveira.
N. B.O engenho tem excelleule psto,
he bom d'agu, e tem bons cercados; e,
caso baja quem queira comprar a safra,
ser-lhe-ha olla vendida, entregando-se im-
mediatamente o estabelecimento.
Traspassa-se o am-ndameoto de um
engenho de boas Ierras de proiftisao, por
preco rasoavel: lamben) se vendem os per-
tences do rendeiro, sendo animaes do roda,
muito bons e gordos, poldros, lavouras e
safra a colher: os pretndanlas, dirijim-se
ra estreita do Horario, o. 33, que se di-
r quem faz este negocio e se darSo todas
as infurmicOcs.
Um Inglez casado e com
pouca familia, precisa alugar um
sitio pequeo perto da praca :
em o tiver, dirija-se ra do
miedo rica e or linaria, sortimento de ben-
galas de todas is qualidades, baleiss para
vestidos, coetes eespartillios para senho-
ra. Na mesma cas- concerta se o cobre-se
toda a qualidade de chapeos de sol e benga-
las, paraos quaes tero boas sodas e pannos
em peQis: todos este objectos vendom-se
em porco e a retalho, por menos prego do
-queemoutra qua'quer parte.
-.- O escriptorio do igente da companhia
dos paquetes de vapor mudou-se para a ra
do Trapixe, casa n. 40, segundo andar.
' Na ra Nova, loja n. 5S, se dir quem
d quantias de 300, 400, 500, 600 e 700,000
rs. a juros, com hypotheca em casss terreas.
Aiuga-se uma casa que serve para a(ou-
gne, por ter sepo, bataneas, pesos e todos
os miis necessarios para esie mister -. esta
casa he bastante amiga neste negocio, na
ruada Guia, n. 35 : a tratar com Joaquim
Lopes de Almeida.
Lotera da matriz da Boa-
Vista.
O respectivo thesoureiro, Manoel Concal-
ves da Si'va, pretende nfio iiludir a expec-
tagilo do publico com annuncios importu-
nos do andamento das rodas desta lotera;
esforcar-se-ha quanto couberem suas for-
jas para com a possivol presteza annunciar
o dia, alem do qual nSo devera passar a es-
peranza dos compradores ; porque entende
que a essa illusfio em que alguns teem por
vezes deixado o respeitavel publico, se de-
ve essa especie de descrdito, que tanto
tem demorado o andamento das nossas lo-
teras ; por isso limita-se por ora a annun-
ciar a venda dos bilheles, e a extrahi-los
com lodo o empenho, afim de poder asse-
gurar aos compradores o dia em que deve
ra ella mpretervelmente correr.
A vanlagem do plano ji publicado e o fim
religioso para que foi esta lotera concedi-
da, convida e seduz os tentadores da surte
a concorrerem sem demora para a compra
dos nmeros que Ihes preparara a suave
acquisicilo de bens da fortuna, sem risco
de grande capital, e com o importe smen-
te da diminuta quantia de 5 ou 10,000 rs.
porpoucos das.
Desde j achar-se-hSo os bilheles: ao
Recite, lojas do thesoureiro e do Vieira
cambista ; em S.-Antonio, botica de Joito
Moreira Marques, no pateo da Matriz, e de
Francisco Antonio das Chagas, na ra do
Liyramenlo ; loja de llernardino Jos Mon-
teiro, pracinha do Livramento, n. 44 ; no
Aterro-d-Boa-Vista, lojas de CuimarSes,
n. 41. e de Duarte Uo- ges da Silva, n. 18.
Gra do deposito na ra
Nova, ii. 27.
Neste deposito acha-se uma grande por-
cSo de caixas com folhas de Flan tres de
patente e todas as grossuras; ditas com vi-
dros de todas as ditnences para vidraQas ;
litas de cobre de todas as grossuras para
forro de navio, pelo barato preco de 560 rs.
a libra : onde tambem se acha um com-
pleto sortimento de alambiques, serpenti-
nas e todos os mais objectos de cobre,
bronze e folha para engenho : tudo isto ha-
vei continuadamente grandes porches, pa-
ra os compradores escolherem sua von-
tade.
Attencao.
Na tarde do dia 15 do corrente, por oeca-
silo de condcelo do uns trastes da Capun-
ga para o tlecife. se estraviou um relogio
de ouro com corrente do niesmo metal, ten-
do os signaes seguinles. O Mugi he des-
coberto do lado do mostrador, horizontal,
trahalha sobro quatro rubins e sobre o lam-
po de dentro que cobre o machinisuio tem
gravado dous passarnhos beijando-so e por
haixodos mesmos uma dangarina seguran-
do com as mitos em uma manta que traspas-
sa por cima da cbela ; ea corrente he de
Vendas.
t~ Vendem-se pessis de madapolfio entre-
lio com algum toque de avaria a 1,600 e
2,400 rs. : na loja de fazendas, na ra do
Queimado, n 5.
*1BP!A minheor oiuoiuy op
efo| 'Mape>3 ep enj euas-uiopu^A
: si o*9
'ajeo ifji;d oqiiioif
~Vendem-se as obras seguinles pela quar-
t.a paite de seus valores :
Pottier, tratado das obrigacOes pessoaes e
riciprocas 3,000
Examen) de la philosophie de Bicon,
em'2 v.
Ilistoire de Kaphael el de ses ouvra-
ges
Philosopliiacbimicaou verdades fun-
dauentaes ila chimica moderna
Arnaut, theatre, 2.
Azair, des compensations daos les
destneos humaines, 3 v.
M. Coll, de ralninistration de la
jusliceeriminelleen Angleterre et
de IVsprit du gouvernement an-
clis
Bergery, aslronomie ou desceiption
geometrie de l'unevirse, 1 v.
OEuvresde Marmontel, 7 grossos v.
Le spectacule de la natore, com mui-
tas estampas, em 6 v.
Loten'a do Rio-de
Janeiro.
J 2,500 rs. ; cortos de dita de cores e de mu i"
to bom gosto, i 7,000 rs. o corte ; coberto-
res de algo lfio grandes c bons, a 640 rs.,
e mais pequeos a 600 rs.; curtes do col-
Ictesde fustao, a 640 rs.; chales de ISa o
seda de bom gosto, a 5 000 rs ; pecas de
panno de linho superior com 20 varas, pe-
lo diminuto preco de 11,000 rs. a peca; bom
como um gran lo sortimento de fazendds
finas e grossas, por menos prec 1 do que
em outia qualquer parte. I
Fazendas baratas e sem
(!efeitos>
3,000
1,600
2.800
2,000
2,000
2,000
6,000
2,000
Aos 20:000^000.
Na praca da Independencia, n. 3, que vol-
ta para a ra do Queimado e Crespo, ven-
dem-se hilhetes, meios, quarlos, oitavos e
vigsimos da II.* lotera da caridad do
Itio-de-Janeiro. Na mesma loja est paten-
te a lista da 22.* lotera do monte pi da-
quella provincia.
- Moreira & Vellozo, com loja na rus
Nova, n. 8, annunciam para vender pelo
baralissimo preco de 2,000 rs. chapeos de
maca cobertos de oliado proprios para a es-
la efio preseute; tambem se vendem, na
mesma loja, sapatos de colavfio e Trance
zes a 1,200 rs. o par ; dito de couro de lus-
tros para senhora, a 2,000 rs. ; espartilhos
de puro Imtio guarnecidos de haleDs, n.lo
esquecendo a larga do fronte, peto preco
nunca visto de 6,000 rs. cada um : galbe-
leiros com4vclros, a 2,500 rs. chapeos de
palha abertos para senhora, de varios preco>
e de diferentes tamandoa; ditos de paln ua
lindamente enditados para meninos e me-
ninas; franjas de varias cOres muito pro-
pias para enfeitar vestidos, a 32o a vara ;
maulas degar^s de muito boa qualidade e
de bonitos gostos, a 5,000 is. ; as verda-
deras luvas de trorjal com dedos a 1,000 o
par, ditas de pehea para senhora e pira ho-
rnea,; borzeguins, sapatos de lustro, ditos
de marroquim, tudo para senhora; cha-
peos de maca francezes. chegados de proxi-
me, bonitas frmai e boa pelucia, a 7,000
rs. cada um ; penles de taitiruga de mar-
rafa e cc ; lencos para gravitas ; capel'as
de flores para noiva ; corles de sedas brin-
case de cores; esobrludo um ibelosorti-
mento de perfumaras e de outras fa/eudas
mais que se protesta vender por preces mui-
to rasoaveis.
Vendem-se bustos de gesso represen-
tando fielmente a rainha Victoria e o prin-
cipe Alberto; relogios de ouro e de prata,
cnegados ltimamente da Suissa : estes re-
logius que silo mui bem acubados, se tor-
nam muito recoinnieudaveis a qualquer
particular, e adveite-se que ha entre elles
alguns que audain 8 das sem precisureni
de corda : na ra da Cruz, no Itecife, n. 55.
Vende-se um grande sitio no
Vendem-se novas alpacas de cordfio de
lila com differentcs cOres e muito modY-
as, piciprias para casacas e palitos, a 800
3,000; rs. ocovado ; ditas de seda muito bonitas o
hons padrOes, sendo tambem proprias para
vestido de lulo aliviado, a 800 rs. O cova-
do ditas pelas de lfi.i muilo filias, a 800
rs. ocovado; cortes de tita para vestido,
com 16 covados, a 4,500 rs. ; ditos de ISa o
seda, muito finos e do bom gosto, uom ti
covados e meio, a 6,500 rs. ; ditos de chita
chineza muito fina, com oplimo padrOes,
cores lixas e chegados ltimamente, a 3,400
rs.; brim pardo traiiQalo de linh para cal-
fas, a 1,400 rs. o corte ; dito de quadros
azues, a 1,000 rs. o corte de calcas ou ja-
quel! ; etodo o sortimento de fazendas fi-
nase grossas por muito commodo prego:
na rus do Quoimado, n. 27, armazem da
fazendas de Raymundo Garios Leite.
Veode-seuma preta que cose, engom-
an ecozinha; dous par liulios, um de 11
innos, e o outro de6 : todos muito. en
conla : na ra do Fogo, n. 23.
Arroz _e casca a 9,900
rs. a sacca
vende se na ra do Amorim, ti. 35, arma-
zem o., Tasso Jnior.
Pbtassa da Russia.
Vende-se superior potassa da Russia, da
mais i>-iva que ha no mercado, por prego
commodo : na ra do Trapiche, n. 17.
Farelo a 5,000 rs. a
sacca,
e o melhorque tem vindo a este mercado ;
na ra da Madre-dn-Deos, armazem de Vi-
cente5,Ferreira da Cosa.
Batedores
para portoes de sitise portas de cacadas:
na ra do Queimado, n. 14.
Vendem-se rolas de arcos de pao para
pipase barricas, chegadas ltimamente do
Por'o, por prego muito barato: na ra da
Cruz, no Recife, n. 49 primeiro andar.
Vendem-se ptimas bichas le llambur-
go em qualidade eem tamanho, pelo mais
barato prego que ha n mercado : na na
Direita, enfronte ao boceo de S.-Pedro, lo-
ja do Bernardino de Sena.
N o vi dad e.
A 1,000 rs. o covado.
Na loja dos barateiros da ra do Queima-
do, n. 17, vendem-se casimiretas de ISa,
pretas e de cores, proprias paia caigas e pa-
lils para humem e meninos, a 1,000 rs. o
. iiigardo
eiiliar no pesenco e tem o ps.s*dor mui fro- i Manguinlio, que lica defronte dos sitios dos
cho, que pondo-se perpendicular, desee sem Srs. Carneiros, com grande casa de viven-
da.de quatro agoas, giande senzalla, co-
ser preciso tocar-Ule : roga-se por lano a
quem fr offVrecidn, de o tomar e restiluin-
do-i> a seu respectivo dono ser generosa-
mente recompensado : na ra da Cruz do
Recife, n. 27, casa de Crocco & Companhia.
-- Osibiixo assignados fazem sciente ao
respeitavel publico que amigivelmente, o
de commum accrdo.dissolveram a socieda-
deque tinham mioja de ferngem, sita na
ra da Cadeia do Recife, n. 56, sobre a fir-
ma de Pontes & Sampaio, fieando a liquida-
cheira, eslribaria. biixa de capim que sus-
tenta 3 i 4 cavados, grande.cacimba com
bomba e tanque coberto para banho, bas-
tantes arvoredos de fructo : na ra da Con-
cordia, primeiro sobrado novo de um anda
Vende-so um dos dous engonhos, Telha
e Triumphos, sitos na freguezia de Seri-j
nhfiem, com bastante trra e muito produc- j
tiva para criar grandes safras : ambos bons
d'agoa, por serem copeiros, e dslam do
corado.
Antigo deposito de cal
virgem.
Na ruado Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal virgem de Lis-
boa, por preco muilo commodo.
Na ra da Cadeia do Recife, loja de fer-
ragens, n. 56, vendem-se duas pretas a nu-
las, as quaes lavara, engommam, cosinliam
e cozem sofTiivelmente; na mesma loj pre-
cisa-se alugar um negro cozinheiro : quem
tiver annuncie, ou dirija-se a indicada loja.
m
Pregos admiraves.

I
oas : a tiatar com o pro-
maco I-emandes (Javal-
gilodaexiincti flrm a cargo de Sr. Frarj- embarque duas leg
cisco Custodio Sampaio, a quem passnu a prieiario, Joo Clii...
pertencer de hoje em dlante a mesma loja. I canti, ou com Antonio de Silva Cusmfio, na
Itecire 16 de miio de 1850. Joaouim Ji- ra Imperial, do Alerro-dos-Afogados.
beiro Pontei. Francisco Custodia Sampaio.
--Precisa-se alugar um preto captivo, de DepOSltO da ahica de
boa conducta, para o servigo interno de uma
bem : na ra do
casa estrangeira : paga-so
Trapicuc-Nuvo, ti. 10.
i
Todos os Santos na
9 ditas de pellica a 80 rs. *
Vende-se, em casa de Domingos Alves grvala a 320, 500 e 640 rs. cada um ;
Cassas e cambraiis a 200, 240 e 280
rs. ocovado; chitas a 160a 200 ris
o covado; chitas francezas moder- +>
t% as a 280, 300 e 320 res o covado ; <#
meiis pretas para senhora a 120 ris )
* o par ; chales de Ifia a 1,000 e 2,000 +j
9 rs. cada um ; meios ditos de seda a fi
(? 1,600 rs. ; lengos coro franja a 1,000 >i
# M. golinhas de sedi a 320 rs.; pasco- i?
# einlios a 1,000 rs. e2,0OOrs. cada um; *&
*> laicos de blonde e de linho a 500 e8J0 ><
~ rs. a vara; mantas de fil e escomha >>
8 1,000 rs. cada uma; uvas do.se.!a SS;
para senhora a 320 e500rs. o par; V
lengos de J)
A pessoa que no dia 16 de abril prxi-
mo passado, foi na ra do Sol, n. 9, pedir
22,000 rs. sobre um relogio, com pretexto Matheus, na ra da Cruz, u. 52,prime'ir; ^tVs'Ve^collee'r.OOO. UiJSZfS Z
de pagar d.h.ba dous ou tres d..s. pelos | .njr, ^fio^rancado daquell'a fabrica. || ^.T^Ter^rsiT. I
da e veludo etc. ; chapeos a 1,600 a
rapiche-Novo, n. 4a
-- Aluga-se o segundo andar do sobra-
do n. 18, na ra do Fogo : a tratar no Ater-
ro da Doa-Visla, n. 80.
Precisa-se de uma ama para oservigo
de um* casa de familia : na ra da Man-
guen a, n. 3.
- ra de Agoas-Verdes, casa terrea
n.26, engomma seelava-se toda a qiali-
didederoupi.com todo asseio e prompli-
dfio, por prego mais commodo do que em
outra qualquer paite.
A cidade de Taris.
Fabrica de clapos de sol, ra do
Collegio, n \.
J. Falque participa ao respeitavel publico
desta cidade, qu ello abri o seu novo es-
tabelecimento onde se encontrar sempre
um grande e bonito orliaientu destes ob-
jeotos dos mus modernos e variados, como
sejam : chpeos de sol p,n .homens de se-
das chau abitadas e liz^s, de cores e prelos
ditos de armagfio d'ago muito fortes com
-edasde tolas as cores, ditos pan senhoras
de sedas U vradas e lisas, com franjas e se n
ellas, coes muilo lonit.-s. ditos ditos de
panno imitando seda, co-n franja esem el-
la, ditos de panninbo para homem com ar-
menos, poisissim o prometteu, e para isso
se Ihe nfio levou juros ;e como at a data
deste, o nilo tenha feito, roga-se-lhe o favor
de ir pagar no prizo de 3 das contados de
boje (17); do contrario, se vender dito re-
logio para pagamento, por isso se fizo
presente annuncio, pin nSo hiver igno-
rancia.
- Quem quizer uma ama para lavar, en-
gommir e fizer o servigo de uma casa do
pouca familia, dinja-se ra das Trii
ras, n. 25.
t.iei-
Coropras.
- Compra-s, cffectivamenie, caieado do
muito proprio para saceos epara roupa do
escravos ; bem como fio proprio para redes
de pescar e para pavios de velas, por prego
mais commodo do que em outra qualquer
parte
Vendem-se cigarros de palha de milho,
bons, por prego commodo .- na ra das Cru-
zes, n. 40
Alpaca preta de cordo
e com 7 palmos de lar-
gura.
Vende-se alpaca preta de cordfio, muito
Sropria para caigas, subre-casacis e vesti-
, os: adverliudo aos compradores, que
lustro para senhora e menina.; bem como! amu 'Obre-casaca sabe por 3,8*0 rs e uma
papel de embruibo a peso : na ra larga do'cjl sedo o seu prego de
Rozario, n. 35, loja. 11,280 rs. o envido : tambem se vendem no-
Compra-se uma morada de casi terrea T0* eurtes de cassa de cores, de muito bom
cun bastiles commodos e quintil ondo s |f osl' .*00 rs- : "a ru J Crespo, loja
possi fazer uma estribara pira seis caval- esquina que volta para a cadeia.
lose urna pequea rbocheira, stndo as
ras Velha, Pires ou Hospicio : quem tiver
annuncie.
Comprase a obra de Motla Silveira n i
praca da Independencia, n. 12.
Compnm-te as novellas Conde dc-
vionle-Cbrislo ; 20annos depois ou 3 mos-
qoeleiros : na ra da Florentina, casa da
esquina confronte ao Iheatro novo
Compram-se psde coodega on f uct..
Je conde ; ditos de articuin-a-p ; ditos d i
limas de diversas qualidades; ditos de (1-
gucins blancas ; ditas de duas cham.das
peras.; e oulros quiesquerpcs de rructeiras-
na praga da Independencia, u. 3,
--- Alpaca com 7 ra-
mos de largura, pelo di-
minuto preco de 1/iOO
ris o covado, cambraias
pintadas do melhor gosto que tem appire-
ei lo nesta fazendi a 2,400 ra. o corte, chitas
linas escuras pelo diminuto prego de 180
rs. o covado : na ra ra do Crespo, n 6
ao pe do laiiipenhfio.
- Na nova loja da ra do Queimado. n
3, vende se sctim de Maco, superior, a
A->0rs.o covado; casemira preta fina, a
2,000 rs.: ditos de sol a 2,800 ris; ,
9 cortes de brim modernos de lindos ti
(9 padiOes a 1,280 rs.; brins de puro f4
4 linho modernos a 1,280 rs. a vara : ^
# vendem-se na ra do Cresdo, loja, f
9 numero 9. m
f
#9C 99999 9#9 9 9 $#
Vendem-se sapatOes do Ancaty, fei-
tos a capricho, muilo inelhores que os anli-
gos, pelas recommendagdes daqui feitas, a
1,000 rs. para se liquidar : na ra larga do
Rozario, n. 35, loja.
Papel para forrar sala.
Acaba de chegar loja da rui Nova, n 11
de Joso Pinto da Fonseca e Silva, sucessor
de Cuerra Silva & C ; um comploto sorti-
mento de muito lindo papel pan forro de
salas, guarnigdes a bairas, tudo do melhor
gosto possivel, Jselido algum dourado deli-
cadamente, proprio para adoroo de salas
ricas, capellasou consistorios, e duas salas
de paisagens, vende-se por prego commodo.
-Contina-se a vender boa manteiga m-
gleza, a400rs. a libra; bom cha, a 2,000
rs. ; caro mo Jo, a 200 rs. ; cevada, a 80 rs.;
velas decsrniba de 6, 7 e 8 em libra, a
320 rs.; espermacete de 6 em libra, a 800
rs.; arroz do Maranhfio, a 80 rs.; aletria, a
280 rs.; tilhirim, a 200 rs.; azeite de coco,
a400rs a garrafa ; queijos novos, a 1,12o
rs. e francezes frescaes, a 1,280 rs. ; ca-
xoesde doce de goiaba de assucar sume-
no e da oilo libras cada um, a 6*0 rs. ; dito
lino de 6 libras, a 1,120 rs. : no pateo do
Carino, u. i, venda nova.


Vendem-se chapeos de palha de Mani-
lh;>, rouito finos para homem : canna da In-
dia venladeira, propri para bengalas, qut
de urna se pode fazer duas : na ra Nov8,
n. 2, loja tras da matriz.
Para camisas, a 280 rs.
o covado
Vendem-so finos e largos riscidos bran-
cos com salpico de cores, muito proprios
para camisas (h) homem, pelo baratissimo
prego de sn rs. o covado : na ra o Cres-
po, D. 11.
--Vmiei.i-se dcz lindos moleqi.es de 8
i lfi 8nos ; 8 pretos de 20 a 25 anuos, sen-
do um delles sapateiro ; 3 pardos de 18 a 20
nnos, sendo um delles perito cozinheiro,
bolieiro e cmpalhador, e que he de boa con-
ducta ; duas pardas com habilidades ; 7 pre-
las com algumas habilidades, de 1 a 25 an-
nos, proprias para todo o servico : na ra
do Collegio, ii. 3-
Manuel da Silva Santos ven-
de arroz do Maranlio a 1^000 ris
cada urna arroba : quem preten-
der drija-se ao armazem, que foi
do fallecido Braguez, na ra da
Cadeia, n. 64.
Tecidos de algodSo tran-
cado da fabrica de To-
dos- os-Sa utos.
Na na da Cadeia, n. 52,
vendem-se por atacado duas qualidades,
proprias para saceos de assucar e roupa de
escravos.
Vende-se urna escrava de 18 anuos,
com muito born leite para criar, nSo teni
filho, equeengomma, cnseecozinha ,'udii
dita com um lilho de 10 mezes, e que en-
pomma.cozinha e faz todo o mais servico
de urna casa ; um octavo de 20 annos, de
boa figura,e que he ptimo para o servico
de rampoeda praga : na ra do Collegio,
n. 21, primeiro andar, se dir quem vende
laixas para engenho.
Na fundilo de ferro da ra do Brum,
acaba-se de receber um completo sortimen-
tode t->xas de a 8 palmos de bocea, as
qaaes acham-se a venda por preco com-
tiiciiii e com promplidSo embarcam-se,
ou canegam-seem carros sem despezas ao
comprador.
Na loja franceza na ra Nova atraz da
matriz, un bonitos jarros de porcellana,
lampinas de re de vidro, ditas decasqui-
nliii inglezas, ditas fracnezas, candieiros
para sala, ditos de latSo para estudantes,
bengalas de cana, bandejas finas, chapeos
de sol de seda de cores para humem, fundas
para os quebrados, chai eos francezes de bo-
lillas formas, lencos de seda de 1,000 rs. al
5,000 rs. para -robora e homi ns, ditos de
morsulina, e oulras muitas fazendas : sa-
patos de duraque de cores para senhora a
M-nrs., ditos de coro de lustro a 2.000rs.
Assim como ruga aos seus devedores que
ilic vini pagar, para n5o mandar tantas
vezes os seus caixeiros em suas casas,
Chegaram novamente ra da Sen-
zalla-Nova, n. 42, relogios de ouro e prala
patente inglez, para homem e senhora.
Na ra do Cabug, luja do 4 portas, do
Duarle, vendem-se calungas feilos de bor-
racha, os primeirosque leem vindo de Pa-
rs, pelo commodo preco de 800 rs.
--Vende-fe superior vinho engarrafado
ha mais de 7 annos, lano branco como Un-
to ; pipas vasias de Lisboa ; e barricas lim-
pas : na ra das CruzfS, taberna n. 20.
-- Yende-se urna tabeina com poucos fun-
dos, na l'assagem-da-Magdalena, na esqui-
na que vira para o Itenedio, por baixo do
.'obrado: a tratar na ir.csma taberna, ou
no A!erto-da-lJo8-Visla, n.80.
Vendem-se pecas de iiiadapolo com
SOvaras, muilo largo e com algum mofo,
a 2,500 is.; estopa (ropna para roupa de
rscravose enfardar fozeudase lambem pa-
ra -no-, a 3, 4 e 6 vintens e a 160 rs. a
vara, com alguma avana ; chitas, a 4,000
rs. a t tc.a : na rua larga do llozario, n. 48,
piiu.eiru andar.
AeitdeBu-se,na ruado
Crespo, n. 1!,
caixas de linhas finas, a 80 rs., com 8 no-
velos ; limas para ourives, a 80 rs. ; suspen-
sorios de malha, a 100 rs.
Agoa de Ungir cabellos-
Vende-se agoa de fingir cabellos: na ruH
Nova, atrs da matriz, n. 2.
Sortimento de chapeos.
A. L'olombier com loja franceza na ra
Nova, atrs da matriz, vende chapeos fran
cezesptra non em, a 7.0C0, 8,000 e8,000 rs.;
ditos de palha lina, a 4,000, 5,000 e 6,000
. is. ; diios de palha com brido de cabello;
ditos de renda e fil para si nhora e homem;
chapeos de sed para chuva, com arma^no
de ferro e de baleia ; ditos de sol, para se-
nhora.
Chitas baratas a 6#400.
Na ra do Livramenlo, n 14, vendem-se
pecas oo chita rouxa com flores encarna-
das e cores lizas, pelo barato pceo de 6,400
rs. a peca, e aretalho a nove vintens; pe--
i;bs de oadapolflo com 20 varas, a 3,000 rs.:
vende-se por este prego por ter cabido uns
pingos de goleiras e ter molnado grande
poiciin desla fozenda.
Superior qualidade.
Vende se doce do entro casco da goiaba,
muilo bein feilo, em caiiinhas de quatro
i lilas : as Cinco-I'ontas, taberna n. 82
Capas para invern.
Vendem-se capas de. panno fino e barre-
gana e mais qualidades, para invern, por
prego commodo : na ra do Crespo, n. II.
Vendem-so duas parles de uina caa
na ra da S -Cruz, que faz esquina para a
ra da Alegra, e que lem taberna : estas
duas parles londem 6,700 rs. mensies : bem
como urna parte de um terreno junto a
mesma casa, por preco commodo : na tra-
vessa da ra da Concordia, sobrado n. 5,
das 6 as 8 horas da iiianha, e das 4 as 6
da larde.
-- Vende-se o engenho bataria, sito na
io l.iili- da Victoria, quo demarca com o en-
genho Oiteir0o : a tratar no mesmo en-
gcnlio.
Vende-se um sitio emOlinde, ao cor-
rer da rua do Jogo-da-Bola, com casa, mui-
tos e variados arvoredos de fructo e boa ca-
cimba : a tratar na mesma cidade, rua do
Amparo, n. 5.
Oleo de linhaca.
Vende-se superior oleo de linha-
ca em botijSes : quem pretender,
dirijase a Manoel da Silva San-
tos, no armazem do Annes, no
caes da Alf'ndega.
00QO00000OO0030J
> ,. 9
O Ilomceopathia pura. O
O Ba do Trapiche, n. 40.
O Boticas e livros para o tramonta- @
{> menlo dos enfermos pela homceopa- (>
Q thia : acham-se a venda por modi- q eos pregos.
_. OHr. Luz se oflerece a dar todos A
os esclarecimesnlos necessarios pa-
O no melhor uso dos mesmos. **
o o
Farinlia de mandioca
nova, de S.-Catharina,
amelhor farinha que ha no mer-
cado, vende-se a bordo do Mara-
Prmeira, entrado no dia 6 do cor-
rente, por preco mais barato do
qne em outra qualquer parte: a
tratar com Machado & l'inheiro,
na rua do Vigario, n. 19, ou com
o capilo a bordo.
>- Vendem-se amarras ae ierro: na rua
da Senzalla-Nova, D. 42.
Folha de Fiandres.
Em casa de i. J. Tasso Jnior, na rua do
Amono), n. 35. ha um oplimo sorlimenlo
de folha de Fiandres, de todas as marcas, e
a relalho por prego mais barato do queem
outra qualquer parte.
Na rua do Crespo, loja
da esquina que volta
para a cadeia,
vendem-se cortes de casimira preta, muito
boa, a 5,500e 10,000 rs.; panno preto, mui-
lo bom, a 3,200, 3.8C0 o 5,500 rs. o covado ;
cortes de rllelo de fusi.to, a 640 rs. ; ditos
de sel i ni de cores, a 2,000 rs.; di los de gor-
gorSo, a 1,600 rg. ; esguifiodo linho, muito
fino, a 1,280 rs. a vara.
-Vende-se urna vacca I orina de 4 annos,
chegada ha 3 mezes de Lisboa, com urna pe-
quena hezerra, muilo boa leiteira : no Hos-
picio, 11 8, Sitio do porlSo verde.
Urna 1 essoa chegada ha pouco de urna
das provincias do imperio ten para vender
urna porcSode toalhas e fondas de brela-
nha lina elavarinto de muito bom goslo e
moderno, por muilo barato preco, por ter
de relirar-se para tora do imperio: na rua
Nova, n. 34.
Vendem-se, na loja de 4 portas, na rua
do Cabug, do ftuarte, trancas pretas e re-
quififes dos irelliores desenhos que leem
Minio de l'iins: lambem se vendem can-
dieiros e palmatorias inglezas.
--Vende-se um grande sitio na estrada
dos Afilelos, com muilo boa casa pera fa-
milia, leclificadade novo, com muitas di-
versas c|iir lidadt s de arvoredos bem replan-
tados, como sejam : mullas larangeiras de
diversas qualidades, sapotys, fructa-p.lo,
jaqueirss, coqueires, mangueiras,' cajuei-
ros, e oulras muitas diversas fiucteiras,
horlalice, grande baia para capim, queso
com a vista se poder melhor informar o
comprador: na rua do Queimado, n. 10.
Farinha de mandioca de
S.-Catharina.
Chegou em dir llura de S.-Catharina o
brigue nacional Minerva, com um carrega-
mento de superior farinha muito nova, e
jacha-se fundeado defronte do caes do lla-
mos, onde se vende a prego commodo, ou
emeasa de Manoel Ignacio de Oliveira, na
prega do Commercio, n. 6, primeiro andar.
--Vende-se um escravo de nagSo, de 25
nnos pouco mais ou menos, de bonita fi
ora, o sem vicios : na tua da Praia-de-S.-
Itita,n. 17.
l>a i-ua Nova, airas da
matriz, loja-n. 2,
vendem-se I-tiros de sea, a 1,000,. 2,000 e
2,400rs.; penles.de tartaruga para prender
cabello, a 5,0u0, 6,000, 8,000 c 10,000 rs. (
spalos de couro de lustro pura senhora,
2,000 rs. ; daos de marroquim, a 1,500 rs. ;
dilos de duraque preto, a 2,000 rs. ; ditos
decores, a 800rs. ; botins gaspeadus para
liomem, a 5,000 rs.; sapatOes de couro de
lustrle forma iugleza, a 6,700rs.; bolins
guapeados de duraque de cores para meni-
uos.
Vendem-se, na rua Nova, n. 39, loja
de ferragens, botes douradog lisos para
fardas, por prego commodo.
O" c
:) Manteletes francezes. O Vendem-se ricos manteletes fran- O
O ce/es, muilo modernos; e grvalas &
de molas : na rua do Crespo, n. 9, O
O loja amarella. O
f
Na rua do Cabug, loja de quatro por-
tas, vendem-se ricos capolinhos de fil ; ro-
menos para senhoras e meninas, do melhor
goato de Paria, por prego o maia commodo
possivel ; (oucas para baplisados de crian-
cas, da ultima moda. Na mesma loja com-
pra-sc urna porgflo de biquinhos e rendas
feitas no paiz, sendo bem loitas.
-- Vende-se urna balanga grande com
seus pesos : nos Coelbos, defroule do los
litalnovo, n. 13.
Kua do Crespo, n. 10.
Na ioja da viuva Freitas Gui-
mares, vendem-se cobertores de
algodo, pelo barato preco de Goo
4:
a 4;ooo rs. ; picote azul de xa-
drez, a loo rs. o covado ; brim
paidoliso, a loo rs. o covado;
cobertores de iSa, a i,5oo rs. ;
cortes de cassa-chita de muito bo
ni tos padrSes, a a,aoo rs. ; corlee
de meiacasemira, a i,5oo rs. ti-
dodelistras, a 160 rs. o covado ;
cassa franceza, a 160 rs. o covado;
e outras muitas lazendas que se
vendero por baratissimos precos.
Vende-se urna espada e ama banda para
oflicial subalterno {da guarda nacional, por
prego commodo: na Camboa-do-Carmo,
n. 33.
Lencos com lavarlnto.
Vendem-se lengos de cambaia com lava-
rinto e bico, a 560 rs., e sem blco a 360
rs.: na rua do Queimado, n. 19, loja.
Farelo novo a 5,500 rs.
Vendem-se sarcas grandes com 3 arro-
bas de farelo, cliegadas no ultimo navio
de llamburgo : na rua do Amorim, n. 35,
casa de J. J. Tasso Jnior.
A ellos antes que se
ac bem
Vendem-se sapatOes de couro de lustro,
pelo baralissimo prego de 2,500, 3,000 r
4,000 rs. ; ditos de bezerro francez, feito-
no paiz, a 2,500 rs.; sapatOes brancos do
Aracaty, a 1,000 rs.: na rua da Cadeia do
ftecife, n. 9.
Cheguem ao barato.
Vendem-se lengos de pura seda, pelo di-
minuto prego de 1,280 rs.; luvasde pellica
prela e de ponto inglez, a 1,280 rs ; linar,
casemiras pretas e de cores, a 5,000 rs.; go
linhas e pescocinhos para senhora; e ou-
tras muilas fazendas baratas: na rua do
Queimado, n. 9. Dflo-so as amostras com o'
competente penhor.
Novo sor ti de en to de fa-
zendas baratas, na rua
do Crespo, n. 6, ao pe*
do lampean.
Vende-se cassa-chita muito fina, de bo-
nitos padrees, cores fizas e com 4 palmos
de largura, a 320 rs. o covado ; cortes da
dita a 2,000 rs. ; riscado d' llstras de li-
nho, a 240 rs. o covado ; dito de algodSo, a
140 e 160 rs. o covado ; cortes de brim par-
do claro, com duas varas e urna quarla, t
1,600 rs.; riscados monstros, a 200 rs. o
covado; zuarte azul, a 200 rs. o novado;
chitas, a 160 e 180 rs. o covado ; fusLIo, a
640 rs. o corte chales de tailatana, a 500
rs. ; cobertores de algodo americano, a
640 rs.; e outras muilas fazendas por bara-
to prego.
Moendas superiores.
NafundigSode C. Starr & Companhia|,
em S.-Amaro, acham-se i venda moendas
de caima, lodas de ferro, de um modelo e
construeglo muilo superior.
Madama C. Ancelle,
com casa de modas francezas no
Aterre-da-Boa-Vista, n. ia,
recebeu pelo ultimo navio vindo da Fran-
ge, um grande sortimento de modas, como
sejam : chapeos muito ricos de seda e de
palha, tanto armados como sem o seren;
filas de seda para chapeos, lanto de setim
como de tafet, lisas e lavradas; bicos di
blonde e de linho, brancos e pretos de lo-
das as larguras; manteletes muilo ricos <
da ultima moda ; flores e plumas de toda-
as qualidades ; romeiros de fil e de cam-
braia bordados ; ricos lengos de canbrai*
de linho bordados e com bico a roda, para-
mflo ; luvasde todas as qualidades, linio
para hoirem como para senhora ; e outra>
muitas fazendas por prego commodo. Ni
mesma cas fazem-se manteletes e etiapor-
para senhora, do mais apurado goslo, por
menos prego do que em outra qualquer
parte.
Arados de ferro.
Vendem-se arados de ferro de dife-
rentes modelos : n fabiica de machinas
fundigSo de ferio, Da rua do Brum,
ns. 6,8el0.
Deposito da fabrica de
Todos-os-Santos na Babia
Vende-se em casa deN.O. ieber & C.
ia rua da Cruz, n. 4, alcodSo trangado
laquella fabrica, muito proprio para saceos
le assucar, roupa de escravos e fio proprio
para redes de pescar, por prego muito com-
modo.
Deposito de Potassa.
Vende-se muito nova potasfij
Je boa qualidade, em bai riszinl o;
pequeos de quatro arrobas, por
preco barato, como j ha muito
tempe se nao vende : nc tfecife,
rua da Cadeia, armazem n. ia.
Bom e barato a 1,500 rs.
o covado.
Venuc-se, na rua do Livramenlo, n. 14
merino prelo de duas larguras, a 1,500 rs
covado ; meias casimiras de bonito gosto
a 2,500 rs, o corle ; ditos de cassa-chila*
muito finos, a 2,200 rs.; chiles de seda, a
5.0H0 rs.; panno fino prelo para casaca a
3.000 e 3,500 rs ; e muilo fino, a 5,000 rs
chales de cassa com avaha, a 500 rs- ri's-
cadinhos de linho para jaqueles, a 400 rs.
o covado ; boas cambraiaa para vestidos,
5,200 rs. o crl; cambraia de seda, a 5,500
rs. o corte ; e outras muilas fazendas bara-
tas, como sejam : madapol-s, a 2 600
2,800, 3,200 e 4,000 rs. ; e muito fino,
i,800 rs. '
-Na rua do Cabug, loja de quatro por-
tas, do Duarle, vendem-se Irancinhas de
ISa, proprias para enfeites de roupas de me-
rlinos, de cores, a 80 rs.
Vendem-se 3 moleques de 15 a 18 an-
nm delles cerreiro 6 pretas mogas de bo-
i itas figuras, de 14 a 19 annos: na rua D-
rct, n. 3.
Novo sortimento de fa-
zendas baratas.
Vendom-se corles de cassa-chita muito
bonitos, a 2,000, 2.400 e 2,800 rs.; riscadi-
nhos de linho, a S40 rs. o covado; dito de
algodSo muito encorpado, proprio para
roupa de escravos, a 140 rs. o covado ; cor-
les de brim branco de linho, a 1,500 rs.;
lito muito bom, a 1,700 rs. ; ditoamarello,
1,600 rs.; dito com listra ao lado, a 1,380
rs. ; cassas de cores muilo bonitas, a 320
rs. o covado ; risoados monstros com qua-
tro palmse mel de largura, a 200rs. o
covado ; zuarte furla-cOres, a 200 ra. o co-
vado ; pecas de cambraia lisa com 8 varas
e meia, a 2,720 rs.; chitas de bonitoi pa-
drees, a 160 rs. o covado-; ditas muito fi-
nas, a 300, 220, 340, 260 e 380 rs. ; lengos
de seda para algibeira, a 1,000 e 1,380 ra.;
ditos para grvala, 1,280 rs.; eoutramui-
tas fazendas por prego commodo : na rua
do Crespo, loja da esquina que volta para
a cadeia.
Cassas pretas a 140 rs. o
covado.
Vende-se cassas pretas de muito.bom gos-
to a 140 rs. o covado: na rua do Crespo,
loja da esquina, que volta para a cadeia.
AGENCIA
la fundicao Low-Moor,
HUA DA SENZAIXA-NOVA, h. ^a.
Neste eslabelecimento conti-
na & ha ver ii m completo sorti-
nento de moenrlas meias moen-
ias, para engenho ; macbinas de
vapor, c tachas de ferro batido
co-jdo, de todos os taannos,
para dito.
No Atcrro-da-Doa-V'ista, loja n.
z8, vendem-se por diminuto
pirro as seguintes fazendas :
meias para meninas, a 40 rs o par chitas
finas de assento escuro, a 100, 120, 140 e
160 rs.; me ios chales de 19a escuros, a 320
rs. ; fustSo branco, a 320 rs. ; fozenda para
loalhi, a 320 rs. ; lengos de cambraia e de
ossa, a 240 rs. ; dilos de garga, a 500 rs. ;
cambraias e cassa de cores, a 280 rs.; sarja
de ISa de duas-larguras, a 640 rs.; alpaca
nrela o mais fino possivel, a 800 rs. ; casi-
neta de urna s cor e de quadros e lislrag, a
600 rs.; castores para caigas, a 200, 340 e
320 rs. algodSo me.-clado muilo forte para
escravos, a 180 rs. o covado ; lenco da para grvala, a 500 rs. ; rrtes do mais
fino e moderno fusISo, a 164)0 rs.; corles
de cassa para vastidos, a 2,000 rs. ; risca-
dos monstros, a 340 rs. ; lirios de linho,
hranco e cor de palha, a 800 rs. a vara ; ma-
ilapolflo riscado com 4 palmos de largura,
a 240 rs ; sargelim com algum mofo, a 120
rs. ; e outras muitas fazendas por baralis-
simo prego.
Ha loja de seis portas.
A producctodcalcaiades.
O administrador desla loja reconhecen-
do ter ainda muitos alcaides, os ques quer
troca-los por cdulas vende-os por barato
prego, como sejam cassa prela de -bonitos
padrOes, a 120 rs. o covado ; chales prelos
de rede, a 320 rs ; ditos de cassa branca, a
480 rs.; dilos pequeos do chia para me-
ninas, a 240 rs.; ilpaca de cures, a iSOrs o
covado ; dita prela, a 640 rs. ; merino, a
1,280 I.6C0 e 3,000 fino; riscado monstro,
i240rs.; e todas as mais fazendas em um
complolo sorlimenlo, por pregos que con-
vdalo a g.star-se dinheiro
Vende-se cevada barata : no
armazem de Joaquirnda Silva Lo-
pe?, na porta da alfandega.
No sitio da Trempe, sobrado n. 1, que
tom taberna por baixo, vendem-se excel-
entes ts de parreira moscatel, goiabeiras
brancas < outras diversas plantas, para as
quaes o tempo he o melhor de se mudar.
Vendem-se, por atacado, 990 varas de
estopa, com alguma avaria, a 100 rs. a vara:
na rua larga o Itozario, n. 48, primeiro
andar.
Sal.-a-pai rillia deSands
para remover e curar radicalmente todas as
enfermidades que procedem da impuieza
do sangue, ou habito do sy-lenia.
Esla medicina est ojerando constante-
mente curas quasi incriveis, de molestias
que procedem da im ureza do sangue. A
infeliz victima de molestias heredilarias
com glndulas indiadas, ervos encollii-
dos, e os ossos meios arruinados, flcou res-
tablecida com toda sua stde e fOrgas.
doento escrofuloso, coberto de chagas, cau-
sando nojo a si mesmo, e a quemo servia,
ficou pcrtVito. Centenares de pessoas que
' por annos, a ponto de
pois de haver tomado cinco garrafas fique
porfeitamentc curado.
n Tenbo demorado um anno mandar-vos
um certificado, para reconhecer com cer-
teza so a cura era permanente, e tendo ago-
ra a maior salisfagSo em declarar que nSo
lenho visto, nena sentido cousa alguma du-
rante todo este tempo, e aeho-me perlera-
mente resUbelecido. Sou vossa, etc.
a Sr 840, rua Delancey.
Nesta provincia o nico agente deste ma-
ravilhoso remedio he Vic.vnte./os de Brito,
conrfcetica na rua da Cadeia do Recife.
- Vende-sa urna commoda grande de aa-
gico : no becco da ViragQo, n. 35.
sib-
Vendem-se a casa de pasto do Passu,
Publico, bem afreguezada : Umbem se da-
r sociedade a quem quizer tomar conta
della : a tratar as f inco-Pontas, n. 91.
Vende-se uro sellm inglez, de couro
de porco, quasi novo, por prego commodo :
no Atorro-da-Boa-Vista, n 5, fabrica de
cbarutos.
Vende-se um pardo bom
oflicial de alaiate ; na rua do
Trapiche-Novo, n. 16, segundo
andar, das 6 as 9 horas da ma-
nha, e das duas as 5 da tarde.
Vende-se oro pardinho de 8-a 10 an-
nos, de muito boa conducta, por ser do mal-
lo, e que he vendido por preclsSo: um dilo
de 18 annos, ptimo para pagem { um preto
de 35 annos, com oflicio de cozinheiro : o
motivo por que se vende se dir ao com-
prador : na rua do llangel, n. 38, segundo
andar.
Farinha de S.-llatheus,
de superior qualidade, vende-se por prego
commodo : a bqrdo do patacho Lima, fun-
deado em frente do caes do Collegio.
He boa fazenda.
Na rua do Queimado, vindo do Itozario.
segunda loja, n. 18, vendem-se lengos
brancos de cambraia adamascados para se-
nhora, a 5.500 ra. a duzia; merino prelo
bordado, a 1.200 rs o covado, rouito pro-
prio para vestidos de senhora, roupinhos
de meninos e palitos; se ti 01 preto de Ma-
can, muilo bom, a 2,500 ra. o covado; la-
pim cor de lirio para vestidos de tenhora e
roupinhos de meninos, a 500 ra. o covado;
mantas de Seda e de setim, a 9,000 rs. ;
cortes de cambraia lisa e fina, para vesti-
dos, a 8,200 rs. ; e outras fazendas que se
vendem sem limites de prego.
Vende-se urna bonita canoa, propria
pira conduzir familia : em Kra-de-l'ortas,
rua dosGuararapes, n. 4.
- Vendem-se dous urubs rei: na rua
de S.-Amaro, n, 16.
11 1 li ,iawid
K era vos Fitj *os
r ci-t* Ae rAspniira miente "ra-llej moieques ae 15 a 18 an
rs cortes (le casemira patente, |uos; 4 escravos para lodo o servico, sendo
Fugio,'do engenho de Tres-lloccas, no
dia 17 de fevereiro passado, um pardo com
os signaes seguintes: baixo, grosso, sem
barba, de 30 annos pouco oais ou menos,
cabellos enroscados, olhps grandes e aga-
ropados, bem feilo de corpo, pernas e ps,
nariz chalo, lie icos groases, bocea legular a
com todos os denles.; inlilula-se forro, e
como tal vero mohido de um passapoile fal-
so como qual il ludio as autoridades de
liarra-Crande : quem o pegar leve-o ao di-
to engenho, ou ao Recife, em rasa de Ma-
noel Joaquim llamos e Silva que em qual-
qui r das parles ser generosamente recom-
pensado.
Venceslao, pardo agarapado escuro,
alto, serco, de 18 a 20 annos, quando do en-
genho S.-Antonio-Grande fugio, princi-
piando a barbar ; lem urna cicatriz em um
dos lados do queixo, rabera redonda, ca-
bellos pretos e muito cacheados ; lem olhar
de porco, olnos ver me I dos, pernas e bracos
finos, niflos o ps grandes ; he tabaquista,
falla alguma cousa fanhoso ; fugio no dia
10 de margo de 1815, para o quilombo de
Vicente de Paula, e d'alli em Janeiro de 1848
sahio para o centro por le Ihe mandado
dar o mesmo Vicente dous tiros, dos quaes
smente foi forillo em um brago : quem o
capturar, ou de lie der noticia nesta praga a
Joiio Francisco de Alahide, e lias Alagas,
ao cnmmeiidador Jos Paulino de Albu-
querque Sarment, propietario do enge-
nho S.-Antonio-Grande, sera recompensado
com 100,000 rs.
00,000 1 s.
Fugiram, no dia 13 do prximo passado,
do engenho Novo de SerinhSero, os escravos
seguintes: Thomsz, cabra-escuro ; lem or
olhos e palmas das mSos amarelladas, rOs
fula, representa ter 35 a 30 annos, com ofli-
cio de pedreiro, pescador e de cortar carne;
he muito regnsta : Amaro, cabra-claro, de
45 a 50 anuos, com bastantes cabellos bran-
ros, pernas finas, ps apalheta os ; he mui-
to preguigoso para qualquer servigo ; he ca-
o-'iru ; cosluma andar aempre ebrio : es-
tes escravos quando fugiiam fram a praia
do Gamella, do Ilio-Forinoso, onde com-
praran! una jangada e seguiram na mesma
para a provincia das Alagas, de onde o di-
to Amaro he natural, e que tem prenles
pira o centro : quem os pegar leve-os ao
erarem da sua sorle) molestias cu- dito engenho, ou nesta prega em casa de
*'*..'.!!.." .i.rhei?m*l,4mo ehronied BilverioJoaquim dos Santos, na Camba-
do-Carmo, n. 33, que ser gratificado com
200,000 rs.
Fugiram, na noitc de 4 de maio do cor-
rente auno, os escavos seguintes.- J0S0,
erioulo, representa ter 28 anuos; he alto,
desle ludo na frente, com pouc ha iba,
ps largos e compraos: Cosme, tambero
crieulo, cor do taioca, bastante laixo e
grosso, rosto bem chato, barba quasi nen-
huma, representa ter 25 annos Estes es-
cravos fugiram da propriedBde Itoa-lniSo,
comarca e freguezia de S-AntSo ; suppOe-
se terem procurado os sert Hoi-Vista, ou Carirys, por onJe j andou
um delles. Quem os pegar leve-us a dita
propriedade, seu senhor, Joaquim de llar-
ios Correia iieQuciroz, que gratificar ge-
nerosamente.
- Mesa; parecen, no dia terga-feira. 14 do
correle, orna mulatiuha de nome l.ixaii-
dra, baixa, gorda, cor amarella, coro alguns
signaes no cogote levou panno da Costa
novo, vestido branco : quem a pegar leve-a
as Cinco-Pontas, n 91, quesera gratificado;
assim como se protesta contra quero a li-
vor oceulta.
tinham ,-offiido
deaesi erarem da sa
laneae
e muitasoutras enfermidades procedentes
lo dcsai r.i ojo dos orgSos de secregflo e da
circulagSo, teem-se erguido quasi milagro-
samente do leilo da morte, e boje, com
constituigOes regeneradas, com prazer at-
iestan) a tllicjcia desta iueslimavel prepa-
istSo.
Coniquanto tenham apparecido grandes
curas at aqu produzidas pelo uso desla
eslimavel medicina, com ludo a experiencia
diaria aprsenla resultados mms notaveis.
New-York, 33 de abril de 1848.
Sra. A. D. e 1). sands. Julgando ser
um dever para com vosco e para com o pu-
blico 1111 gem, rcn.ello-vos este certificado
das grandes virtudes'da vossa salsa-parri-
tha, para que uniros que boje estSo sof-
rrendoeslabelegain melhor a sua confiaiiga
e fagam aero demora uso da vossa med,
cia
Vl-me rerseguido coro urna grande fe-
nda no loruozelo, que seeslendia pela ca-
nda cima al o joelho, langava grande
porgSo de nojeula materia, com comichOes
que mo privavam muilas noiles do me des
canso, e cram muilo penosas de suppor-
lar
USr. iiiogo M. Connel, que havia si o
curado com a vossa salsa-parrilha, recom-
mendou-me que eu uzease uso della, e de-
Pian. : wa rre. e m. i. de paiu. 1850
_ t-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EC7MGH6FN_4RABXZ INGEST_TIME 2013-04-24T20:16:23Z PACKAGE AA00011611_06913
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES