Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06903


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anuo XXVI
Quarfa-feim 8
rABTIDA BOB.OOHBZIOB.
Goiannac Parahlba, segundase sextas felras.
Rio-Grande-do-Norte, quintas felras aomeio-
dia.
Cabo, Scrinhaem, Rio-Formoso, Porto-Calvo
e Macelo, no l.', a II, e 21 de cada mez.
Garanhuns a Bonito, a 8 e 23.
Boa-VUta e Florea, a43 e 28.
Victoria, 9 quintas fciras.
Olloda, todos os dias.
Miog. a 4, s 8 b. e 20 m. da m.
Nova all.s 8h.e 49m.dat.
Cese, a 18, 1 h. e 33 m. da t.
Chea a 25, s 9 b. e 48 nt. da t.
PBIBll DE BOJE.
Prlmelra a 1 hora e 18 minutos da tarde. _
Segunda ao 1 bora e 42 minutos da manhaa.
de Mao de 1880.
N. 104.
-REOOS DA ICBSOIlIppiO.
Por tres metes (adianfadoi) 4/000
Por seis mezes 8/000
Por mu .iiiim
das da raa>i.
6 See. S. Joiio ante portam latinan). Aud. do J.
or e ra. 1 v.
7 Terc.S. Estanislao. Aud. do chae, do J. dal.
v. do clv. e do dos feitos da fazenda.
8 Quart. 8. Ilclladio. Aud. do J. da 2.v. docivel.
!) (J ii mi. >I< ". A>cen;ao do Senhor.
10 Seit. S. Anlonino. Aud. do J. da I. v. do civ. c
do dos feitos da lateada.
11 Sab. S. Anautacio. Aud. da Chae, e do I. da 2.
do crime.
15/0001J2 Uoin. 8. Jo.una Princeza.
- faa "
CAMBIOS KM 7 DE MAIO.
Sobre Londres, 27'/. d. por 1/000 rj. a 60 das.
. Pars, 346.
. Lisboa, 95 por cento.
Ouro.-Oncas hespanhoes.........29/000 a 29/500
Moedas de 6/400 velhas.. 16/600 a 1G/X0O
de 6/400 novas .. 16/200 a 16 100
. de 4/000......... 9/100 a 9/200
/>raL.-Patac3csbrat>ileiros...... I/W) a 1/980
Pesos columnarios....... 1/WW J/
Ditos mexicanos.......... 1/800 a I/bzv
e"*^-' *
PARTE OFFICIAL.
I
GOVERlNODA provincia.
EXPEDIENTE DO DA 15. DE ABRIL.
(i II i ci.Ao presidente do Coi ni remet-
iendo guia do desertor do corpo fixo da
me.sms provincia Mtnoel Jos do Carmo.
hilo.a o presidente do Para transmit-
tirrilo a guia do senlenciado Francisco Ca-
necile de Lira Barros, que em virtude do
decreto de 3 de Janeiro ultimo segu para
aquella provincia a cumprirsenle ica.Ofli-
ciou-so ao chele de polica, para mandar
conduzir para bordo do vapor Imptrador e
ao agente da companhia para o mandar re-
ce bex.
Dito.Ao cotnmandanle das armas com-
municando que S. M. o I. houve por bem,
porsua imperial resolugSo de.fi de margo
ultimo, tomada sobre consulla' ilo conselho
supremo militar, indefcrir o requerimento
em que o ni Peres do segundo batalhSo de
catadores Joaquim Mara deOliveira Villas
Uss peda ser promovido a lente, Jcom
aniinidada de 23 de julho de 18.
Dito.Ao mpsmo, inleirando-o de ler S.
M. o 1. por sua immediata e imperial ri so-
lucio de 6 do correnle, tomado sobre con-
sulta do conselho supremo militar inde-
feridd o requerimento, em que o major do
cslado-maior de segunda classe Antonio Af-
fonso Vianna, pedia repararlo de prete-
rico.
Hilo. --Ao mesmo, reeommendando a ex-
pedigflo de suas ordens, alim de que so re-
colta a esta capital o capitSo do cstado-
maiorda primeira classe Manoel Rodrigues
de Barros Fonseca, que tem de seguir para
a corte em conformidade de ordem impe-
iial.--OIIiciou-.so ao inspector da pagadnria,
exigindo-se a guia do mencionado capitSo.
Dito.Ao inspector da thesourara de fi-
zends, transmittindo os avisos sob nmeros
61 e 62, em que o presidente do Rio-Grande
du norte communica o saque de duas lel-
tras na importancia de 3:762,736 rii, fcito
pela thesourara daquella provincia sobre
essa, a cargo de S. S., e a favor de Barroca
Pnhero.--Participou-so ao mencionado
presidente.
Dito.Ao mesmo, remetiendo o aviso sh
numero 59, de urna leltra da [quanlia de
500,000 res, sacada pela thesourara do
Rio erando do norte, sobre essa, e a favoi
de ai.lomo Benlo da Costa Communicou-
sa ao presidente da dita provincia.
Dito.Ao mesmo, transmit ndo o aviso
de urna letra na impoitanria de 800,00 ris,
sacada pela thesourara do llio-Crande do
norte sobre essi, o a favor de Thootonio
Coellio Cerqueira. Scientificou-se o presi-
dente da referida provincia.
Dito Ao commandante da praca, para
que mande receber a bordo do vapor Para
ense, o desertor do segundo balalhOo de ar-
ribara a p Ito do Cravo, que foi preso na
Parahiba, como nomo de Pedro Antonio.
Nesle sentido ofllciou -se ao presidente da
dita provincia, eao agente da companhia de
vapores.
Dito.Ao mesmo, communicando que,
segundo consta de aviso do ministerio da
guerra de 21 de marco ultimo, S. M. o I. se
dignara de conceder liceuca, para estudar o
curso dearlilharia na escola milita', ao al-
teres do segundo batalhSo de fuzileiros
Manuel de Almeida Gama Lobo de Eca.
Dito.Ao mesmo, remetiendo, para que
tenha a dovida execugSo, copia do aviso do
ministerio da guerra de 28 de marga Ulti-
mo, do quai consta que S. M. o. nSo se
dignara de perdoar au soMado do primeirn
batalhSo do fuzileiros addido ao segundo
da iiiesina arma J0S0 Luiz dos Santos a pena
de morte & que (ora condemnado.
Dito Ao juiz relator da junta de juslics,
alim de ser aprescnUdo cm sessSo da nies-
ma junta, o processo do alteres do segundo
batalhSo de fuzileiros Jos Joaquim Rodri-
gues llraganea.
Dito.Ao mesmo, remetiendo os proces-
sos de varios soldados do corpo li so do Cea -
r alim deque sejam apreseutados em ses-
sjo da junta de justiga.Participou-se ao
presidente da referida provincia.
hilo. Ao administrador das obras pu-
blicas, Iransmitlindu as coatas das des., e-
zas feitas de 10 a 30 de margo ultimo, com
as obras do dcimo sexto lango da estrada
da Victoria, alim de que mande acreditar o
engenheiro Milet na quauta de 522,845 rs.,
1111 que imporlOo as mencionadas quantias.
--Scientificou-se o mesmo engenheiro.
Dito.Ao director do arsenal de guerra,
iuteirandu-o de ter o Kxm. presidente do
Rio-Grande do norte, expedido ordem a the-
bouraria de fazenda daquella provincia,
para ofllciar a desta, alim de ser paga a
quantia de 110,000 lis, em que importa o
lampean que se mandn apromptar no re-
ferido arsenal, co.-n destino a mencionada
provincia.Participou-ae ao dito presi-
dente.
Hito.Ao inspector do arsenal de mari-
nlia para que nomeie um despenseiro para
substituir o do brigue-escuna Andorinha^
--tillenou-se o eoiniiiaii lanie do referido
brigue-escuna.
Dto.-Ao commandanle da corveta D.-
Januaria, ordenando que mande aubslituii
por dous marinheiros, dous dos grumetes
da dita corvis, que se acliam destacados
na escuna Lindoya Scienlificou-se o ins-
pector da thesourara de fazenda.
Dito.Ao inspector da allandega, intei-
raudo-o do haver concedido a dumissfo
que pedio lliliodoro Fernandos da Cruz, do
lugar de guarda da allandega desla cidade.
''orlara.Ordenando ao agente da com-
panhia das barcas de vapor, que mande dar
passagem para a corte no primeiro vapor
que seguir paraosul ao alferes-secretario
do sexlo batalhflo de caladores Gulherme
dos Santos Sazes Gadet.Communicou-se
ao commandanle da prtga, e ao inspector
da pagadoria militar.
Dita.--Ao agente da companhia das bar-
cas de vapor mandando dar transporte para
a corle no vapor Paraetue, aos segundos-
tenenles do terceiro batalhSo de arllharia
a p Luiz Benedicto Pereira Leite e Luiz
Francisco Teixeira, que vam continuar os
seus esto los na escola militar. Scientifi-
cou-se o commandante da praca.
DEM DO DA 16.
oilicio.An presidente de Sergipe, sci-
entificando-o de ter chegado a esta cidade o
alteres da companhia fixa daquella provin-
cia Jos da Cruz Vieira ScipiSo Castro Quei-
roz de Macedo, que para aqu seguio om
cumprimento de ordem Imperial.
Dito.Ao mesmo, inteirando-o de haver
deferido o requerimento em que o quartel-
mestre do quarto batalhSo de arllharia a
p Joaquim Febricio de Mallos, que segu
para a mesma provincia, pedio para deixai
aqu a consignadlo mensal de 15,000 ris.
hilo.Ao mesmo, remetiendo a guia do
segundo sargento do quarto batalhSo de
artilharia a pe Manoel Leandro de Mello.
Dito.Ao commandante das armas re
meltendo copia do aviso de 23 de marco ul
timo, em que S. M. o I. manda proceder 1
111 formar,Oes acerca do alferos-secrelario do
oilavo batalhSo de caradores Antonio Jos
de Santa Anna, que na forma do referid
aviso dever ser submettido a conselho de
investigagSo, no caso de Ihe seren desfavo-
raveis as ditas informages.
hiio.-Ao commandante da praga, com-
municando que S. M. o I. se dignara man-
dar que fique de nenhum elTeilo a licenca
ir dous mezes que obteve da provincia em
14 de Janeiro prximo passado o capitilo
do segundo batalhiio de caladores Francis-
co Antonio de Souza Camiso, e que preva-
lece a de tres mezes de favor, que Ihe fra
concedida pelo goyerno imperial^em 2 do
citado mez, a qual foi prorogada por mais
tres mezes, para o reslabelecimonto da
sm'ide do menelonado capitSo.Inteirou-so
a paga loria militar.
Dito.--Ao mesmo, inteiranJo-n de.terS.
M. o I em defermento supplica de I).
aria do Mattos Mello Sou7a Menezes, or-
denado, que fa;a regressar para a corle o
fillio da supplicante, Pedro de Mello Souza
Mrne/es, cadete do segundo batalhSo de
fuzileiros.
Dito. ~ Ao mesmo, para que remella
secretaria da presidencia a fim de ser trans-
mitido ao Exm. ministro da gur- a, o pro-
cesio feito ao 2. cadete do 1 batalhiio de
fuzileiros Ignacio Alvos de Azevedo.que
foi condemnado pela junta de Justina e 4
anuos de prisito com trabalho na ilha de
Fernando, peloerimedo iiisulnr linac.'io.
Dito. Ao inspector da pagadoria mili-
tar, remetiendo ns contas das sepulturas
compradas na igreja da Concerno dos mi-
litares para enterramento de alguns solda-
dos do 2.* batalhiio de fuzileiros, a fim de
que mande pagar a importancia das referi-
das contas do commandante do menciona-
do corpo. Scienlilicou-se o commandan-
te da praca. 1
Dito. Ao administrador das obras pu-
blicas, transmittindo as contas das despe-
zas feitas com os estudos gruphicos da es-
Irada da Viciori 1, de 11 de fevereiro a 31 de
maico ultimo*, alim deque mande acredi-
tar o engonhoiro Millet oas quantias de
57,965, 72,670. 80,560 e 89,750 rs. em que
impo'tam as mencionadas contas. Inlel-
ligonciou-se ao mesmo engenheiro.
Dilo Ao director do arsenal de guerra,
concodendo a autorisa^o quo pedio para
omprar tres duzias de taboas de assoalho
de nmurrllo,dous quintacs de arcos de ferro
de ditfereiilcs larguras o oito (onelladas de
carvfto de pedra quo se fazem necessarios
s ofilcinas do mesmo arsenal. Intelli-
genciou-so o inspector da pagadoria mili-
tar.
Dito. Ao inspector da thesourara da
fazenda provincial, para mandar adiantar
(res mezes de sold ao olficial do corpo de
polica, o dous mezes e vate dias, a contar
uo I.* do correnle, as pracas do 111 es mu
eorpo que se acliam destacadas na villa de
Caruaru. Intcirou-se ao commandante do
dito corpo.
Portara. Removendo
Dito.Ao commandante da praQa remet-
iendo competentemente julgados pela jun-
ta de juslica os processos dos soldados da
companhia de cavsllara de primeira linha
(testa provincia J080 Bspo do Barros, e Luiz
da Franca Baracho, do segundo batalhiio de
fuzileiros Francisco Alves dos llcis, e do
ai ti fice de fogo do arsenal de guerra Anto-
nio Jos da Silva.
Dilo.Ao mesmo inteirando-o de ter ar-
bitrado a gratificac&o de 60,000 rs. ao paisa-
no Jeronyroo Bezerra de Menezes, que se
offereceu para servir no exercito.Commu-
nicou-se ao inspector da pagadoria militar.
Dito Aojuz relator da junta do Justina
remetiendo para ser presente emsessiloda
mesilla junta o process.i do soldado do pri-
meiro batalhSo de caladores Luiz Jos Fer-
reira.Communicou-se o commandante da
pra^a.
Dito.Ao inspector da pagadoria miltai
ordenando que faca cessar deste mez em
diante o pagamento da consignarlo de 23/
rs. mensaes que nesta provincia deixou o
cu pililo do sexto halalh.to de car,ado''es, Jos
LeilSo de Almeida, visto assirn o haver pe-
dido o mesmo capitSo.Psilicipou-se an
presidente de Saula-Calhariiia que 110 1."
do mencionado mez leve lugar a suspensSo
do referido pagamento.
Hito.Ao inspector da thesourara da fa-l
zenda provincial inleirando-o de haver sido
mime ido porteiro da casa da assembla des- |
la provincia o ajudante do mesmo.Sccn-
tificou-se o primeiro secretario da assem-
bla.
Dilo.Ao commandanle do corpo do po-
lica, remetiendo competentemente julgado
pela junta de Justina o processo du Icnen-
e-quartelmestre do mesmo corpo Jos de
Iluto Salguero.
DEM DO DA 16.
Omcio.Ao inspector da pagadoria mili-
lar para que mande pagar ao commandante
do contingente do oilavo batalhSo de cala-
dores Antonio Jos deOliveira Fragata a
quantia de 21.000 rs., despendida com a
compra de sepulturas na igreja da Concei-
cSo para os cadveres de 3 praQis do men-
cionado batalhSo.
Dito.Ao inspector da thesourara da fa-
zenda provincial, para mandar abonar ao
commandante do corpo de polica a quantia
de 1:599,887 rs., afim de poder fechar a con-
ta da reccita e despeza do hospital rgi-
men 1 al do mesmo corpo, relativa ai semes-
tre decorrido do 1.'de julho ao ultimo de
dezembro do anno prximo passado.Intel-
igenciou-se o commandante do referido
corpo.
Ho.Ao mesmo ordenando, que man-
de pagar ao arrematante dos concertbs da
estrada do sul J0S0 llypolito deMeiral.ima
importancia da mesma obra, visto ter-se
mandado receber os mencionados concer-
tos por se acharem concluidos.Nesle sen-
tido officiou-se ao administrador das obras
publico.
Dito.ao agente da companhia das bar-
cas de vapor mandando dar passagem para
a corte no primeiro vapor que seguir para
o sul ao tenento-quarlelmestre do sexto ba-
talhSo de capadores Luiz Jeronymo Ignacio
Dito.Ao inspector da alfandega scienti-
cando-o de haver concedido que por aquella
aifandega sejam entregues isentos de direi-
tos ao inspector do arsenal demarinha dez
rolos de chumbo com o pesode59quintaes
ingezes e 17 libras, comprados pelo mes-
mo inspector a Francisco Gomes de Olivei
ra.Con.municou-so ao referido inspector.
Dito.A' adminislracSo do patrimonio
los orphSos, approvanlo o contrato cele-
brado por aquella administrac.no com a casa
daviuva Cunta & C afim de fornecer por
3 annos os medicamentos necesarios aos
collegios dos orphSos.
Portara. Concedendo a demisso que
pedir Vicente Antonio do Espirito Santo do
cargo de subJelegado da freguezia da Boa-
Vista. --|nleirou-se o chefe de policia.
Dita Tendo cessado os motivos que mo
Vo-ram a um dos meus antecessores a appro-
var por portara de 18 de novembro de 1848
a creacSo de um corpo do voluntarios ; e
attendendo a que cessadas as cireumslan-
ci'as exlraordinaras. que deram lugar a essa
medida, nilo deveser conservado um corpo,
cuja cr.acilo nao tem o seu apoio em le
resolv dissolver o dito corpo de volun-
tarios e suas compinhias adidas, e ordene
que o seu armamento e coi reame seja re-
e din lo a o arsenal de guerra, e reconimen-
IJo ao Sr. commandante interino do dito
imrpo, que transmittindo esta ordem aos
seus subordinados, os louvo pelos bons ser-
vaos que prestaram,agradecen lo-os em hu-
me do governo.--0 ri.esmoSr. commandan-
le interino o tenha assirn entendido c Uq
executar. Neste -enlid 1 cxpcliram-se as
co.nveoieates ordens.
as brigadas que pela ordem do dia de 16 de
ianeiro ultimo havia o seu antecessor orga-
nisado, e ordena, quo os Srs. coronel gra-
duado, Jos Ferreira do Azevedo e lenent-
coronel Antonio Mara do Souza, reassu-
mam os comman los dos respectivos bata-
llirs 11. 2 de caladores, e 3 de artilluria
a p.
0sSr9. oulmaes que, em qualidade dema-
jores de brigadas e ajudanlesde campo, ser-
viimiris mesmas brigada'., se apresenta-
r3o immediatamente aosSrs. commandan-
tes dos corpos a que pertencem, e neste
quartel-general aquelles que s5o do esladc-
maior.
Os artigos bellios, que eram a cargo dos
su p rae i lados Srs. commsn lautas, serSo en-
tregues ao Sr. tenente da primeira classe
lo estado-maior, Manoel Francisco Coelho
de Oliveira Soares, que exercia as funecrs
de major da segunda brigidi, no entretan-
to que o Sr. alteres da segunda classe do
mesmo corpo Alexmdre Augusto de Frias
Villar, actualmente as ordens doSr. coro-
nel commandanle da guarnQao da cidade
do Itecfe, se aprrsenla nestas forcas para
ser encarregado deste 8rvi$o : e cumpro
outrosim que aquellos Srs. commnndantes
fornecam ao referido Sr. tenente Soares os
mappas e documentos comprovativos da
caiga o descarga dos mencionados artigos
bellicos.An'.uriu Currfa Seara.
PEhNAMBUCO
Comma 11 do das
armas.
de
Quarte general na villa do Bonito, 3
mareo de 1830.
ORDEM DO DIA N. 10.
OSr. marcchal decampo graduado Anto-
nio Correa Sera, commandanle das armas
desti provincia, mandi fazer publico o ofl-
cio do Exm. Sr presidente, que he conce-
bido nos termos seguintcs 1
Con,mmico a V. Exc. para sua inlell-
gencia e directo que, Sua Mageslade o Im-
perador, segundo me foi declarado em avj-
so do ministerio da guerra, datado de 28 de
Janeiro ultimo, houve por bem approvar a
leliberacAo que tomn de mandar abonar
vencimentos de campan lia s forjas de pri-
meira linha em opcrarO.'S ao sul da provin-
cia.
Dos guarde a V. Exc. Palacio de gover-
no de Pernambuco, 18 de fevereiro de 1850.
-Honorio llermto Catneiro Aeo.--Sr. ma-
rcchal commandante das armas. Manoel
lloilriguei llarrot Fonseca de Driltn, capitSo
ajudante de ordens*
Quarlel general na villa do Ilonilo, 6 de
marco de 1850.
ORDEM 1)0 DIA N. II .
A correspondencia dos Srs. commandan-
t^s dos corpos, que nSo fazem parte das duas
ASSEMBLEA PROVINCIAL
4 DE MAIO
19
SESSAO ORDINARIA EM
DE 1850.
MESIDENCI DO IR, PEDRO CAVALCANTI.
( Concluido.Yi de o aupplemento ao
Diario 11. 103.
I'i'inieir.i dlICUStSo do projecto n. 14, cre-
ando una eiideira de primeiras lettras no
lugar dcnniiina lo Passagem- lo-joazeiro.
O Sr. Souza liis :- Sr. presidente, he da
primeira mlnica" a neeessidade de ser vul-
garisada a insrucQSo publica, por conse-
quencia be de necessidadeque se crecm ca-
deiras de inimei ns ledras ; e esta necess-
dadetorna-sc maissensvel quando conside-
ramos o grande atrazo cm que se acha o
centro da provincia. Felizmente, para po-
der fallar na queslSo, Delta tenho estado es-
pado maior de 7 annos.
A comarca da Boa-Vsla, Sr. presidente,
tem de exlenso 60 legoas, tem apenas
duas. cadeiras de primeiras lellras, urna na
villa da Ra-Vista, saheca da comarca, e ou-
tra na villa do Oiricury, calmea do mesmo
nomo*; aquella villa dista da povoa^So do
ioazeiro 24 legoas, e esla 44 ; por conse-
guidle salla aos olhos a utilidadeda crea-
q5o de urna cadeira de primeiras lettras na.
quella povobqSo ; por estas rasOcs offereQo
a c in-ideraco da casa o projecto que so
acha em discu-sSo.
O Sr. Manoel Cavalcant :--Eu eslou incli-
nado a votar contra este projecto : rara bu
a villa que carece de urna cadeira do pri-
hrigadas, ser directamente en .'orecada ao Imeiras lettras, porque em quasi todas dei-
os'sn7os""Tutelfig'nrou-s^ marechai de campo graduado, Antonio xa de haver tantos meninos que fr. quontem
ante da nraea I Corre 1 Sear, commandante das armas ; as taes cadeiras quantos sSo os necessarios pa-
0 porteiro da
mesa do consulado, Joaquim Jos dos San-
tos, para capataz da mesma raparticSo, c
dcsle lugar para aquello a Manoel Simplicio
Correa Leal. Communicou-se ao inspec-
tor da thesourara de fazenda.
DEM DO DIA 17.
Ofllcio.Ao cnsul da Dinamarca dizeu-
ds licar soiente de haver S. 3 nomeado
para o substituir durante a aua estada na
Europa a F. II. l.utlkens, e prevenindo o de
que tem marcado, na forma do aviso impe-
rial de 10 do juntio de 1847, o praso de 3
mezes para dentro delta apres litar o no-
meado o beneplcito imperial.Fizeram-se
is convenientes communca;0ea.
Hilo.Ao commandante superior da guar-
da nacional do municipio do Recife remet-
iendo varios documentos relativos a diver-
los instrumentos de msica fornecdos por
empieslimos pelo arsenal de guerra aos b 1-
tathoes lerceiro, quarto, quinto e elimo,
e ao esquadr.lo de cavallaria da mesma guar-
da nacional, afim deque a vta dos mes-
mosdocumentos, d suas ordena para se-
ren recolhidos ao dito arsqnal os mencio-
nados instrumentos.Iuteirou-se o directoi
do arsenal de guerra.
dante da praga.
Portara.Reformando a Francisco d'Al-
buquerque MaranbSo Cavalcant no posto
de teiiente-coronel-commandanle do pri-
meiro batalhSo de guarda nacional do mu-
nicipio de Coianna.
Hila.Nomeanlo a Francisco d'Araujo e
Albuquerque tenente-coronel-commandan-
te do primeiro batalhSo da guarda nacio-
nal do municipio de Coianna.Communi-
cou-se ao commandante superior respec-
tivo.
Dita.Ao agente da companhia das bar-
cas de vapor para mandar dar passagem para
a corle no primeiro vapor que seguir para
o sul ao sopiado Jos Joaquim de Figuere-
do.--Communicouise ao commandante da
praga.
IDF.M DO DIA. 19.
Officio Ao commandante das armas, re-
eommendando a expedicSo de suas ordens
para que em cumprimento do aviso da guer-
ra de 17 de agosto do anno prximo passa-
do sejam recolhidis a esta capital todas as
pracas inulilisadas em combate, pertencen-
te* aos difforentes corpos em opersedes nes-
ta provincia ; e nutras que estejam nss mes-
mas circumstancias.afim de terem passagem
para a companhia de invlidos da Baha, e
prevenindo-o deque, em conformidade do
referido aviso, devo remetter, para que
lenham o conveniente destino, as respecti-
vas fes de oflicio e mais informages indis-
pensaveis para orientar o go ver uo acercados
premios que I lies deve conferir.
Hilo --Ao inspector da thesourara de fa-
zenda transmittindo o aviso de urna letra
na quantia de 320,000 rs., sacada peta the-
sourara do Rio-Grande do norte obre essa
e a favor de Joaquim RomSe Seabra de Mel-
lo.Parlicipou-so ao presidente daquella
provincia.
Dito.Ao commandante da praga intei-
randu-o de ter S. M. o Imperador concedi-
do licenca para continuar os seus esludo.-.
nesta provincia ao' particular do seguudo
batalhSo de arllharia a p Jesuino da Costa
de Albuquerque Mello.
Dito.Ao inspector da thesourara da fa-
zenda provincial remetiendo a conta do que
so despendeu do 1.' de Janeiro ao ultimo
de margo dente anno com os presos pobres
dejustiga da cadea do Limoeiro, afim de
que mande entregar a Jeronymo Josquim
Fiuza de Oliveira a quantia de 127,200 rs
em que importa a referida conta.Inlairou-
se o chelo de policia.
ordens e com mmica c.'S, que o Sr. general
houverde expedir para os corpos, serSo pe-
lo intermedio dos seus ajudanles de ordous,
com exccpgSo das qu", lendo as verbas no
livro do registo dos batalhues, e outras .que
por importar instantnea execugSo.ontender
o mesmo Sr. general, que deve traiismilti
las sol sua assignatura, e directamente aos
respectivos commandantes dos corpos, an-
da que fagam parte das brigadas.
Compre que os commandantes cm geral
na execugSo das ordens que receberem, exa-
rea em seusoflicios a dala,e so rcliram
autoridade, que Ih'as transmittir: o que de
ordem do mesmo Sr. general se publica pa-
ra devida observancia. -- Manotl Rodrigues
llarrot Vonuca de Brillo, capitSo ajudante
de ordens.
Quarlel general na.villa de Agoa-Prela, 17 de
marco de 1850.
ORDEM DO DIA N. 12.
O marechal do campo graduado, com-
mandante das armas desta provincia, orde-
na que sejam desligados do segundo bata-
lhSo de caga.iores, a que se acliam addiJos,
os Srs. quaitel-meslre, I.uizJeronymo Ig-
nacio dos Santos, lpenles Jos Xavier Pe-
reira de Brito e Bernardo Jos da Craga, os
dous primeiro* pertencentes ao sexto bata-
lhSo de cigailoros, e o ultimo ao sexto de
fuzileiros; visto como informa o respecti-
vo commandante daquelle batilhSo, ter a
junta medico-cirurgca julgado aos dous di-
urnos olliciaes, mediante o suu estado phy-
sico e de saude, inrapazes de servir, e o pri-
meiro estar no desempeulio de servieo ex-
cntrico da inherencia dos corpos do exer-
cito.
Eporquanto fosse determinado por avi-
so imperial, que o Sr. alteres Ueiarmino
Correa da Silva, da companhia fixa da Pa-
rahiba, viesse servir como addido ao pri-
meiro tiaialh jo de caradores, cumpre que o
mesmo Sr. alferes seja desligado do segn
do balalhSo de cegadores, a que lora addido
pela ordem do da de 17 de Janeiro ultimo,
fe se aprsenle ao Sr. major commandante
interino do referido batalhSo decagadores,
p. 1 Antonio Carrea Sera.
Quarlel general na villa de Agoa-Prela, 24 de
marco de 1850.
ORDEM DO DIA N. 13.
O marechal de campo graduado, comman-
danle das armas desla proviuca, dissolve
quantos sao os necessarios pa-
ra que ellas existam...
Um Sr. Domado :A consltugSo obrga-
iios a dar essa instrueg.lo gratuita ao po-
vo....
O Sr. Manoel Cavalcant:Mas eu nSo pos-
to desse artigo da cons i! oigan : nSo me op-
ponho a elle, nao Ihe fago resistencia ; mas
nSo goslo deile, e julgo-o escusado, porque
entendo que o governo s deve auxiliar a-
i|Uillo que, seulo til, se nSo pode fazer
sem seu auxilio: quando qualquer cousa
no til e se pode fazer sem csse auxilio, jul-
io que o governo^e nSo devo intromelter
pella., Eu creio que a InstrucgSo publica
p le progredir sem o auxilio do governo:
nos lugares, aonde houvcr urna populagSo
vida de nstrucc.no, apparecerSo mestros
particulares que van eiismar, e ella se de-
senvolver ind 'pendente de somelhante au-
xilio. Istohe para mim um principio ge-
ral ; porm, ja que se determinou que bou-
vesse escoias, ja que est em uso estabele-
cer cadeiras em certos logares, pens que
ellas s devem ser creadas nos lugares em
ine houver urna populagSo quo d um nu-
mero siiilieiento de alumnos ; mas, como
creio que o lugar da Passagem-do-Joazeiro
lilu est neste caso, porque sua populagSo
he muito pequea, receioque o professor
dessa cadera venha nSo ter o que fazer, a
desfruct; o ordenado em pleno ocio. Sun,
os alumnos dessa cadeira nao podem ser
.en lo os meninos moradores do rovoado,
ou das parageus que Ihe ficirem a urna le-
goi de distancia, pois que nao he possivel
que um nienino caminhe de mais longe para
vira aula: ora, nSo sendo a l'assagem-do-
Joazeiro sede de freguezia, e tendo porcon-
seguinte pouca populagSo ; nSo estando cor*
cada, cm sua proximidade, de povoados que
abundem em habitantes, acontecer sem
duvida quo a ca leira de pnmeiras lettras,
iue ah so houver de estabelecer, seja pou-
co frequentada; e em ultimo caso s veuha
a aproveitar a 4 ou 5 individuos.
Sr. presidente, as villas do centro care-
ceiii mais do-lioinens que manejen) com pro-
veito os instrumentos aercolas, e que sejam
peritos, ou ao menos nSu muito hospedes
e 11 cilicios mecnicos, do qu de individuos
que sailiam lr eescrever : pde-ae ser bom
agricultor e excelleute pedreiroaem saber
lr peni escrever al j houve um legisla-
dor insigne, que 11S0 sabia lr nem escre-
ver. Ca los Magno fui legislador sem saber
ler nem escrever; ao menos assini o diz
historia, eu nSo ocooheci...
MFLHOR EXFMPLAR ENCONTRADO


OSr. Floripes :--Mas sabiam lr os par?
de Frunza...
O 5r. Uanoel Cnvaloanti:Mas elle nio ora
governado, elle governavo por si : e, se se
pode ser legislador sem se sabor lcr nem
escrever, tambera sem isso se pode ser bom
pedreiro...
OSr. Fioripes:Por isso temos t3o bons
odiciaes de pedreiro...
OSr. Manoel Catalcanli : Para que clles
sejam 13o bons quanto convm, cumpre que
saibsm mais alguma cousa ; eiimpro mos-
moquo tenham propenslo natural para o
cilicio : o saber 1er e escrever por si s- nada
Ihesaproveitar...
OSr. Flor',) : Eis a ras.To porque os
nossos patricios nio 8prendem, e se man-
dam engajar eslrangeiros.
OSr. Manoel Catalcanli:A rasSo he ou-
tra que n.to esta. Mas, deixamlo isto do par-
le, c vnltando quesi.to principal, direi que,
i'ni minlia opinilo, qiiem quizor instruir-
se, deve estucar a sua custa, e liinilar esse
esludo as materias do que precisar para o
Diister a que se deslina...
OSr. Cuides de Helio : Mas a constitu'.-
eio garante a instruc^ilo primaria e gra-
tuita...
O Sr. Manoel Cavaleanli .-Mas eu n5o gos-
ln desse artigo da constituido ..
O Sr. h'loripes :-QuerontSo que elle seja
reformado ?...
O Sr. Manoel Cavaleanti:Se eu podesse,
reforma-lo-hia...
OSr. Floripes i Ento qur a consttu-
inte ? ..
OSr. Manoel Catalcanli :--N3o, sniores;
mas nin gosto ''cs^e artigo, e aquellos que
n."o gostsm delle, dilo-lhe menos latitude.
Eu sou milito franco, e nSo occullo as mi*-
nbas opiniOes, quaesquer que ellas sejam.
Estas escolas cnstam o dinheiro da provin-
cia ; e, como eu nao desejo que se elle mal
barate, enlendo que Uesescolass devem
ser cuy das em lugares cuja populaco pos
sa dar o numero d alumnos necessario paia
que ellas existan, e n3o em povoados co jio
o de que se trata, ao qual, segundo me in-
i > r ti i ni. fallece essa circunstancia. He
verdade que devenios cumprir a constitu-
g3o nessa parte; mas devemos cumpri-ls
convenientemente, e nio sem reflexao, e
precitadamente.
II esta a minha opini3o: entretanto a ca-
sa resolver como entender mais conveni-
ente.
O Sr. Souza liis :--Sr. presidente, o no-
bre deputado, que acaba de fallar em oppo-
s<;3o ao proj-cto, que esta em discusso,
proferio principios com que eu jamis me
coiiformare ; mas, como estes principios
nao offendam a ideia do projecto, como poi
oxemplo, oppor-se o nobre deputado ao ar-
tigo da constituido, que garante a instruc-
;3o primaria, tratarei smenle de refutar
a ras3o nica pela qusl n nobre deputado
se oppOe ao projecto. A rnsilo que elle apre
seniou foi de que na povoac,3o da Passagem
do-Jiia/eiii) na" lia populacho sullicieule
para bnver alumnos que frequentem a aula
que peco, e para assim o alllrmar baseou-se
em iiiforaiacOes, visto que nunca foi ao
lugar.
Sr. presidente, se eu merejo algum cr-
dito, possosfiaugarao nobre deputado, que
cssa puvnac/io tein balitante populacho, d
grande numero de alumnos, tanto, assim
que em outubro do auno passido, quando
de la sah por baver sido removido, deixei
urna aula, cujo mestre n3o he publico, com
16 discpulos. Este numero demonstra evi-
dentemente que, se em um lugsr houver
nina escola publica, grande ser o numero
de alumnos, porque, se com paga lia 16 dis-
cpulos, sem ella b3o de baver mullos mais.
Saibam os Srs. depulados, que no centro
ludo he distancia : com quanto a povoteji
seja i eiiuena, concurrerSo alumuos de luga-
res longo 3, 6,10 e mais legoas.
Sr. presidente, se be nossa obrigar;5o tra-
tar aqu dos mellioi amentos da provincia, o
inelhoramevlo inielleclu.il muilo nos deve
merecer, deve ser auxiliado, e o mellior
ineio para isso be estabelecer escolas. Per-
ianto, nSo podendo proceder as rases do
nobre deputado, est cm pe ludo quanto eu
dase ; ror consequencia deve ser approva-
do o projecto.
O Sr. SI Catalcanli: Do que eu disse au
se pode colligir que eu seja opposlo ao derra-
naiiieniu da msii u< tan publica, nem lao poli-
co que nao den jo o eugrandccimcnto da pro-
vincia; cu quero a illuslrocao, mas nao quero
que o governo Intervenlia nella, seno quando
fsiivcr rcconliecido que o> individuos que a
buscam nao podeni adquii i-la por ti csuioi.
O principio que eu lenlio como gcral, e de que
estou inleirauenie convencido, he este: 0
governo s deve eiupreheuder aquillj <|ue os
parliculares nao podeiem faier custa de >eus
proprios recursos ; porque ludo o que lie feilo
pelo governo he peior e mais caro; porque, em
legra,os euipregados pblicos cumpreii me-
nos com o aeu dever do que us particulares, Ls
ta he a regrajjeral, mas oll're cxcepccs.
L'm Sr. Deputado: Euto abulam se todas
as aulas.
O Sr. Manoel Catalcanli: Se eu podesse,
as abolira : deixaria urna na capital, e desl'ar-
te teria cumprido a coastiluico.
O Sr. deputado que defendeu o projecto,
creio que apiesentou como muilo forte argu-
mento a scu favor o facto de haver n l'assa-
gem-do-Joazciro urna escola particular que
lem iGou 18 alumnos, e bcui assim a possibl-
lidade de ser frequenlada por meninos que ino-
ran a 8 ou 10 legoas da povoaco cadena
cuja creaciio propc. Ora, se -to he aseini, e
os habitantes desse lugar j iiianlcni mn pro-
feasor parlicular, se leciii ineios para faicre
transportar seus fillios de taes distancias, po-
den) dar-Ibes a inslruccao cusa de srus pro-
prios recursos ; e,sc o pdein, he desnecesja-
rio que o governo os va soccarrer.
OSr. liuedrs de Mello suslenla o projecto, c,
leilexioiandu sobre os argumentos Ju prece-
dente orador, ccmh.ile-os. declarando-se oppos-
lo a mi.i opinio. .
O Sr. Souza Beit: I,cvanto-ine smenle pa-
ra dixerduas palanas. Disse o nobre deputa-
do, que por haver eu asseverado que na fassa-
gein-do- pulos pagam an mestre, segue-sc que he des-
nccessario o professor. Maseudire: porven-
lura desapparece aobrigaco que tem esta as-
si-ii.Iili-.i de crear aulas quando nos lugares lia
ja varias clrcumstancias, deve-se crear aulas de
primehas lettras sempre que no lugar houver
iimurro bastante de meninos para a Ircqueutar.
O Sr. Floripes suslenla o projecto, e respon-
de ao precedente orador.
OSr. Prndenle Tem a palavraoSr. Fran-
cisco J'llO.
OSr. francisco iodo : Cedo da palavra.
V Sr. Prndenle: Tem a palavra o ir. Jos
Pedro.
(JSr. lote Pedro: Tainbem cedo della.
Km i 11 .ul.i a,diacusso, he o projecto submci-
tido volaco t approvado.
l'riuielra discusso do projecto n. I, que
marca os limites das freguezlas de Sanlo-An-
to e Bezcrroa.
O Sr. Souza Leo: Sr. presidente, o projec-
to que se acha em discusso tem um lim til:
elle marca os lugares por onde deve ser regu
lada a Jivlsao da freguezias de Santo-Antao -
de Beserros, obviando desta maneira as duvidas
e conflictos de jurisdiccao que ae teein dado en-
tre as autoridades policiars dos termos da Vic-
toria e de Caruar. A freguezia de Sanio-A u-
iao sempre leve por limites pelo lado da de Be-
zerros os lugares mencionados no projecto, e
como taeslempre foram reconhecidos c respei-
tados pelas autoridades e habitantes desta fre-
guezia, mal no tempo do predominio do parti-
do praieiro, certa autoridade policial do termo
da Victoria, querendo inutilisar alguns votos
dos habitantes da freguezia de Santo-Antao que
eram infensos sua poltica, let urna divisao
arbitraria entre a< freguezias de Santo Autiio
e Bezerros, cedendo a esta grande parte da-
quella. De eutao para c tein-sc suscitado du-
vidas, conflictos de jurisdiccao entre as autori-
dades policiaes, nuil lo principalmente depois
que subi ao poder o partido da ordein, por-
que os habitantes do lugar cedido freguezia
de Hezerros, em virpjdc dessa divisao, de ma-
neira alguma querem obedecer s autoridades
de llezerros, por dizerein que pertencem fre-
guezia de Santo-Antao. Portinto, eutendo que
o projecto est no caso de ser adoptado.
Vai mesa e he apoiada o segunte requeri-
i nenio :
< Ite.iuciro que, por intermedio da presiden-
cia, seja ouvido o Exiu. prelado diocesano.
Floripes.'
OSr. Sonta Leo: Sr. presidente, eu nao
me opponlio a que passe o requerimento ; mas
enlendo que o projecto pode ser approvado em
priiueira dscussao, para entrar em segunda,
depois que ver o parecer do diocesano.
Submetlido votacao o requeriinentb do Sr.
Floripes, lie approvado; licando adiado o pro-
jecto.
Tem dado a hora.
O Sr. Praidente designa a ordem do dia,
e levanta asessSo.
JlRIO N KISIIBDCO.
BEOIfB, 7 DE MAIO DE 1850.
A assembla ainda oceupou-se boje com a
primeira discusso do projecto n. 17, que tor-
ii m a Picar adiado pela hora.
Tomaran) parte na discusso os senbores
Mello Reg, Francisco Joo, Augusto de Olive-
ra e Jos Pedro.
A ordem do dia be a mesma de boje.
Em virlude da lei provincial n. 232, con-
feccionada na presente sessSo da assem-
lilci provincial, o sanecionada pelo.Exm.
conselhero do estado presidente desta pro.
vincia em do corrente, a irmandadedo
Senhor Bom Jess das Portas far, em pro-
cissSo solemne, no da 9 pelas 10 horas da
tii nili.nl, a h-.isla laen das imagena exis-
tentes na respectiva capella, para a igreja
da Madre de Dos. Este acto, que sem du-
vida ter de ser celebrado com toda a pom-
pa pela referida irmandade, segundo somos
informados, reclama aallunc3o dos fiis,
quo por certo deverilo concorrer para seu
mil i di- explundor e brilho que devem de
presidir a actos de tanto respeito e magni-
ficencia.
-v---------- *
de, residente ita 3 annos, 8 das de febre, res-
tbelecido.
Antonio, conelro, com 25 annos de idade, resi-
dente ha 3 annos, 8 diai de febre, morto.
Jacintho Jos de Andrade, com 30 annos de Ida-
de, residente ha 12 annos, 4 dias de febre,
morto.
//orno/opal'i i a e medicina racional.
S. Exc. TI vina., com 71 annos de idade, residen-
te ha 43 annoi, 24 horas de febre, restabele-
cdo.
Manoel do Valle Quaresma, enm 40 annos de
Idade, residente ha tre annos, 3 dias de fe-
. bre, restabelecido.
Jos Gomes, com 40 annos de Idade, residente
ha 2 iinv.es, 8 dias de febre, morto.
Antonio Telxelra, com 60 annos, residente ba
48 anuos, dia de febre, restabelecido.
Medicina racional pura.
Antonio de Freltas Gulmaraes, com 19 annos
de idade, residente ha G anuos, 1 dia de fe-
bre, restabelecido.
Padre Domingos Lopes da Costa e (.'rus, com
63 annos de idade, residente ba 7 annos, 3
dias de febre, restabelecido.
Padre Jos Antonio dos Santos Letsa, com 39
annos de idade, residente ha 22 anuos, 12 hp
horas de febre, restabelecido.
Jos Tilomas de S Souto-Maior, com 71 anuos
de idade, residente ha i',1 anuos, I dia de fe-
bre, restabelecido.
Manoel Holelho, cmn 25 annos de idade, resi-
dente ha 8 annos, I dia de febre, restabele-
cido.
Jos Joaqun) Nunes, com 24 annos de idade,
residente ha 4 mezes, 24 horas de febre, res-
tabelecido.
Francisco Joaqulm Tavares, com 30 annos de
idade, residente haGannos, 18 horas de fe-
bre, restabelecido.
Joao, eacravo do Sr. Telxelra, com 50 annos de
idade, residente ha 40 annos, 8 horas de fe-
bre, restabelecido,
Pedro, com 45 annos de idade, residente ba 35
anuos,H horas de febre, restabelecido.
Aiuei ico Milito de Freitas Cuimares, com 24
anuos de idade, residente ha 24 annos, 24 lio-
ras de febre, restabelecido.
Da simples inspercao da rclacao supra se
manifesta que, tendo sido accominettidas 18
pessoas pela febre reinante na mesma casa, e
tendo lOdessas pessoas sido tratadas pela me-
dicina racional, neunuma deltas fallecen, e to-
das liearain liviri da febre em 24 horas ou em
menos d24 horas, excepto o Sr. padre Domin-
gos, homem valetudinario que estevelres dias
com a febre. Torna-se tambeni evidente que
tallecen metade dos que iisaram da hoinrcopa-
iln i pura, e a quarta parte dos que recorrer.au>
sucessiva ou promiscuamente homrcopathia
c medicina racional.
Se alguein duvidar da exaclidao dos factos
consignados nesta relatan, poder dirigir-sc ao
palacio da Soledade, e da bocea de cada um
dos proprios doentes ouvir a c miirniara > do
pie Ihe diz respeitu. Noque toca aos fallec-
os, nao podendo ellos subministrar-me os da-
Jos com que entro nesta relavan fui obrigado
a guiar-me pelo testemiiiiho unnime de todos
os habitantes do palacio.
Recib -ti de abril de 1850.
Dr. Sarment.
F.si em nosso poder esta correspondencia
desde esta data ; e por allluencia de outras ma-
terias, nao pode em tempo ser publicado.
quantia de 282,000 rs. : as pessoas que se
propozerem a esta arrematac,3o, compare-
Cara na sala das sesses da dita cmara, nos
lias cima mencionados, das 10 horas al
mcio- lia, competentemente habilitadas.
Olinda, 6 de maio de 1850. Manoel Joa-
qun de Miranda Iabo, secretario.
DeclaraQoes.
Kcparliciio da polica.
Corespo.idencias.
Conli'nuiico daicurai feilai homeapathicamente
pelo abaixo auignado.
Familia da Sra. D. I.ibania Marta da Lu Ta-
Mr*l. A Sra. D. I.ibania Maria da Lu Tava
res, D. Jesuina Eugenia Tavares, I). Carolina
MI un i I arares, Gertrudes Senhorinba Ta-
vares, D. Maria Jos de Jess (lilhas.)
Eieravot. Delfina, Maria, Maxmiana, Maria,
Id lina, Joao e Cali.
F'amilia do Sr. Jeronymo da Costa (iuimarles e
Silva. ltenrlqueta Alexandrina da Silva, Ma-
ria Magdalena da Silva, Auna Paulina da Silva,
(lilhas menores) e cuuhadu Alexandrc Pereira
Cocino. '
familia do Sr. Antonio Fernandes Padilha.
Sr. Antonio Fernandes Padilha esua mulber D
Delnquela Marlinianna Tavares Padilha, D.
Maria da Conceifao Padilha, Maria da Gloria IV
dilhajiuenores)
F.scravos. Manoel c Alexandrina.
Familia do Sr. Jeronymo D Timho. Sr
Manoel Vaz de Souza, Candido Pita, Maria da
Cnnceicao Silva, Marianna Genoveva de Souza.
Carolina Fausta de Souia, Carolina Fausta de
Souza. Mara Magdalena, Francisca da Paixao
Timbo,
Kseratot. Fclicldade e Raymunda.
Familia do Sr. Joaiuim Jos Tutores.Sr. Joa-
qun) Jos Tavares e sua mulber Francisca Ma-
ria de Muraes, Mara Jos d'Assumppo, Ale-
xandrino Jcsuno Tavares e Joaqun) Jos Ta-
vares (menores.)
Escrotos. Calharina e Antonio.
Familia do Sr. Dr. Joo Floripes Dias Brrelo.
Dr. Joao Floripes Dias Brrelo, D. Maria
i'I ii inda de Mr minina ttarreto, os menores D.
Mara do Carino Dias Marreto, Marianna Augus-
ta Dial Harreto, Candida florida Dias Brrelo,
ni ii i id mal) Amalia Fausta Dias Harreto, Joao
Floripes Das Brrelo Jnior, Francisco Augus-
to Das Brrelo, (inuito mal) e Joao Dias bar-
boza.
Jmas. Mara d'Annuncarao e Joaquina
Maria.
Escrotos. Marcos e Genoveva.
Familia do Dr. Jos dos Anjos Vieira de /fmo-
r/m Dr. Jos dos Anjos Vieira de Amorim,
(muito maD os menores Miguel Bernardo Vieira
de Amorim, Jos Daciano Vieira de Amorim,
Mara Marcellina Vieira de Amorim, Adelaide
Vieira de Amorim na ama Josefa Maria.
Fsciatos. Emiliano e Mai ia.
Familia da Sra. D. Maria Francisca da Apre-
lenlarao Quinteiro. Antonio Bernardo Quin
teiro' Vicente Ferreira de Luna Quinteiro, An-
tonio bernardo Quinteiro, (menor) I). Maria de
Buarque Lins Wanderley de Cusmao.
fieraroi.--Paulina e Jos. ....
Familia do Sr. Manoel hsleoao "Ministro.
Manoel Eslevao Quinteiro e Fraucelino Bernar-
do Quinteiro.
Fscrata. ln lima.
estas casas nao houve falleclinento algum.
F. I'. Carneiro Leo.
( Continuarse ha. )
PARTE DO DIA 7 DEMAIO.
Foram hontem presos: ordem do subdele
gado da freguezia de San-Frei-Pedro-Gonca -
ves do Recife, o Portugus Antonio Candino de
Souza, por uso de armas: a ordem do subde-
legado da freguezia de Santo-Antonio, o Por-
tuguez Jos Antonio da Costa Guiuiaraes, para
enrreccao : ordem do subdelegado da fregue-
zia de San-Jos, o preto Justino, escravo de
Jos Diogo, por andar fgido, e Anna Joaquina
Maria da Conceicao.para correce.io: e do sub-
delegado do segundo di-.ii icio da freguezia dos
AfogaiKis, o preto Manoel, escravo de Jos An-
tonio d- Araujo, para o mesmo fni.
Ojo i/, municipal supplente em exerciclo, do
termo de Olinda, participou por oflicio de
hontem ter-se enforcado na grade de nina das"
prisoes da cadeia daquella cldade o preto Dio-
nizio, escravo do Portueuez Joiio Lulz de (al
que se acha va recolhido a mesma cadeia.
COMME3CI0.
REI.ACAO DAS PESSOAS TRAT vAS DAS FE-
BRKS REINANTES NO PALACIO DA SOLE-
DADE.
SYSTEMAS P0 QUEFOSAHTSaTDAS.
Homatopatnia pura.
Joaqum Jos Rebello, com 30 annos de idade,
residente ha II annos, 3 horas de febre, res-
tabelecido.
Joiio Guedcs dos Santos, com 23 aunas de da-
ALFAMDEGA.
Itendimeiito do dia '/ 14:242,639
Deicarregam hoj 8.
Escuna nacional -- Lauca mercaduras.
Patacho hamburguez--Co/um&M idem.
Galeota hollaneza Elita idem.
Urigue dinamarquez -- Fidn -vinho o a-
zeite.
Polaca franceza F.ugene vinho e merca-
dorias.
CONSULADO CEIUL.
Itendimento do dia 7.....2:120,738
Diversas provincias...... 182,328
2:303,066
EXPORTACAfl.
Despachos maritimot no dia 7.
Maranho, escun nacional Maria-Firmi-
n, de 122 3/4 toneladas : conduz o se-
gunte :
500 barricas familia de trigo, 4 c i xas pa-
nel, 26 ditas cha, 15 barris chumbo, 5 canas
fazendas, 10 massos pillas, 500 lijlos, 25
libras de fugo, 1 papcl.lo para machina, 1
caixa miudezas, lOOmlhos de piassava, 6
fardos de fumo, 2 saceos comela, 73 bar-
rica com 267 arrobaa e 2 libras de assucar.
Lisboa, brigue portuguez Veloz, de 299
toneladas : conduz o seguinte:
55 oaisai, 19 barricas c 2,020 saccoa com
13,101- arrobas e 10 libras de assuc*r, 20 pi-
pas ago'ardente, 31 barris mel, 35 saccas
com 201 arrobas e 7 libias de algodfio.
Parahiba, hiate nacional Espadarle, de -21
tuneldaas i conduz o seguinte :
10 pipas e5 barris vinho, 20 barricas fa-
milia de trigo, I barrica cerveja, 1 caixa vi-
dros, 1 embrulbo couro de lustro, 1 caix
drogas, 550 arrobas de carne secca, 120 al-
quenes lamilla de mandioca,22 barriess bo-
lacha, 1 sino de bronze, 44 duzias de cocos
para beber agoa o 4 duzias de taboas.
IIECEBEDORIA DE RENDAS CERAES
INTERNAS.
Itendimento do dia 7. ..... 45,369
CONSULADO PROVINCIAL.
-KendluiRiUo do dia 7.....,1:599,747
EDITA L
A cmara municipal de Olinda manda
fazer publico que, nos dias 6, 9 o 11 do cor-
rente maio, vai a prafa, perante a mesmi
c i toara, o couceito do cano da bica do Ro-
zarlo, na ra do tiom-Successo, oreado na
OSr. director do lyceu desta eiJade
manda fazer publico, que em cumprimonto
n portara do Exm. Sr. presidente desta
provincia de 2 do corrente mez, eal a con-
curso a cadeira de primeiraa letras da po-
voacSo do Loreto (para o sexo masculino:
Qs dadnos, quequizerem oppr-se re-
ferida cadeira, dev. rio comparecer na sala
do palacio da presidencia pelas 9 boras da
tnanhSa, no da contado da data deste a 60
dias.
Secretara do lyceu, 8 de maio de 1850
O secretario interino e professor de geo-
metra, Antonio Egidio da Silva.
Pela subdelegada de San-Jos foi ap-
prehendido um moleque crioulo, quo re-
presenta ter de 5 a 6 annos de idade, o qual
ora diz ser forro, ora escravo de um borne
dos Afogados : quem ao mesmo se achar
com direito compareca na mesma, para, a
vista desuas provas, Ihe ser entregue.
Pela subdelegada de S.-Jos foi appre-
hendido um cavallo ruco-pedrez, de moias
carnes e de tamaito regular: quem ao
mesmo se achar com direito, compareca na
mesma subdc'egacia, para que, dsnao as
competentes provas, he ser entregue.
Pela subdelegada de S.-Jos fdram ap-
prehendidos, por se julgarem lu la los, os
seguintes objectos: 1 trancelim de ouro
bstanle grosso, urna grande medalha tam-
bero de ouro, 2 grandes annelCes circula-
Jos diamantes, dous ditos so com um dia-
mante no meio, um dito sem pedras, 2 pa-
res de brincos, um todo de ouro e o outro
com pedras, e um botSo de abertura : quem
los mesmos objeclosse achar com direito,
compareca na mesma subdelegada, para a
vista das provas, Ibeserem entregues.
Pu 1)1 cacao lilterari i.
Kaphael, paginas da juvenlude.
Esta excellente obra de Mr. Lamartine,
chegada recentemente do Rio-de-Janeiro,
vertida em bom portuguez, e precedida de
um interessante prologo do traductor, adia-
se ivenda, pelo mdico prego de 3,000 rs
come iicadernaQiio ingleza, na ra da <'a-
loiado Recife, n. 38, e ra Nova, n. 11.
0 mrito da obra he atteslado pelo nome
Jo autor: nella depara instruedio e deleita,
o philosopho, o romancista, o poeta, e ge-
ni I mente quem quer que queira apreciar um
bello escriplo.
vyisos 3i A barca portugueza Bracharem esta
prompta para seguir ao san destino do
Rio-de-Janeiro no dia 9 do corrente mez de
maio ; pela riquissima camsra que lem,
ofTercco excellente commodo a passageiros:
os senhnres que nella quizerem ir de passa-
gem, pdem ilirigir-se ra do Crespo, n.
II, por todo o dia de boje.
0 hrigue necional Algrele, capitn
Manoel Jos de Azevedo Santos, segu para
o Rio-Grande do sul no dia 19 do corrente :
para escravos e passage;rs, dirijam-se ao
esetiptorio de Manoel Conc.alves da Silva,
ouaocapiUo, na prac,a do commercio.
U Brigue nacional Lizin sahe
pata o Uio-de-Janeiro no fim da
prsenle semana.- para o resto da
carga, passageiros e escravos a
frete, tratarse com o capito, na
praca do (.'ommejcio, ou com No-
vaes-ck Companhia, na ra do Tra-
piche, n, 3'|.
Para Angolla segu viagem no crren-
te mez o patacho americano Chatsvoorth,
muto veleiro e forrado de cobre novo: re-
cebe carga a frete e passageiros: quem pre-
tender embarcar, pode tratar com Manoel
Ignacio de Oliveira, na prara do Commer-
cio, n. 6 primeiro andar.
O hiate Flor-de-Cururipe sabe impre-
terivelmente para o Aracaty no dia 9 do cor-
rente : quem no mesmo quizer carregar ou
ir de passagem, dirija-se a ra da Cadeia do
Recife, loja de l.uiz Antonio de Siqueira
Para o Porto sahir al o dia 1S do
corrente, o hrigue poituguez Bom-Pa$lor,
de primeira marcha : recebe ainda alguma
carga e passageiros, para o que offerece ex-
celentes commodos : trata-se com Baltar
& Oliveira, na ra da Cadeia, n. 12, ou com
o capitSo Jos Comes da Silva.
Para o Rio-de-Janeiro segu viagem o
brigue-escuna lltnriqutta, capitBo Manoel
Joaquim Lobato : quem nelle pretender car-
regar, ae entender com o mesmo capiSo
na praea do Commercio, ou na ra da Ca-
deia-Velha, n. 17, segundo andar.
Para o Hio-de-Janeiro sahe,
no dia la do corrente, o brigue
Bom-JesHS : para o resto di car-
ga, passageiros e escravos a frete,
trata-se com o capito, no caes da
Alfandcga, ou ua ra da Cadeia,
n. 4<>, terceiro andar.
ParaoCear segu at o dia seis de
maio prximo futuro com toda a bre-
vfiade o brigue nacional Josefina : quem
no meamo quizer carregar ou ir de pas-
sagem, trate com Domingos Rodriguen
de Andrade, no Trapiche-Novo,-n. 4, ou
com Jos Carlos Ferreira Soarea Jnior, n,
ra da Cadeia do Recife, ou com o capitili
do mesmo, Marcosoa da Silva.
Para a Baha sahe no (ini da presente se-
mana o biale Ligeiro, forrado e pregado de
cobre : para o reato da carga epassageiros,
trata-se na ra do Vigario, n. 5.
Para o Rio-de-Janeiro sahe com multa
brevidade o brigue nacional Coneelco : pa-
ra o resto da carga, passageiros e escravos
a ficto, Irala-se com Manoel Alvos Guerra
Jnior, na ra do Collegio, n. 21, ou com o
capido Fructuoso Jos Pereira huir.
--A veleira escuna nacional Emilia, de
que he capito e pratico Antonio Silveira
Maciel Jnior, deve chegar do Para poi
estes das, para onde voltar com esca-
la polo Maranlido, com a maior brevi-
lade: quem na mesma pretender carre-
jar, ou ir de passagem, dever entender-se
omJoSo Carlos Augusto da Silva, na ra
U Cruz, no Recife, n. 13, armazem.
Lejlo.
O corretor Oliveira fara leilSo do pata-
oho americano Romp, de lote do 126.tonela-
das, forrado de cobre, muilo veleiro, e com
todos os pertencea, cujo inventario pdem
os pretendentes examinar em casa dos Se-
uhores llenry 1-oaler & Companhia ; e
assim mais se venderflo por todo o preco,
es salvados de urna barca, consistindp em
lodo o ma(aroe, cabos, paos, panno, cor-
rentes, roda do leme, turcos de ferro, e to-
dos os mais objectos mesma pertencentes :
sexta-feira, 10 do corrente, ia 10 horas da
manilas, ra do Trapiche-Novo, e quasi
junto a este.
Avisos diversos.
Lembranca
Ainda existe em completo elemento epi-
dmico a casi em ruinas na roa do Cano ao
voltar para a das Florea. Ruga-se a Mus-
ir cmara municipal as providencias a
respeito ; pois nSo he be n que dentro do
urna cidade, e perante urna municipaldade
ciosa de sua reputacSo, appareca um docu-
mento trio irrecusavel de delelxo e falla de
cuidado nos interessesdo municipio.
_ Precisa-se de urna ama que saiba co-
sinhsr e engommar, e para lodo servijp de
urna casa de pequea familia : quem esti-
ver nestas circunstancias, poder ir na ra
do Rozara larga, n. 26, terceiro andar, por
sime da loja do Sr. Tbomaz de Aquino.
& ^lWWkltotMMklbWktltitomitiWtt r"i
C ^^ ^^ ^^ asjafc-^w'JJiJW^^'W^rW'lstW^PJJrWWl^WtJW **
3 0 Dr. Sabino reoponde no Commir-
B cial de boje a correspondencia do Sr. ijjt
]j padre Lopes Gama publicada no Dia- m
| rio de Pernambuco de 30 de abril, J
Hoje 8 de maio se ha de arrematar a
renda dacisa de sobrado da doosandares,
no Aterro-da-Rna-Vista, n. 39, em priQa
publica do Sr. doutor juiz municipal da se-
gunda vara, por execueftode Jos Francisco
Itellem.
O escriptorio do agente da companhia
dos paquetes de vapor mudou-se para a ra
do Trapixe, casa n. 40, segundo andar.
OSr. Joaquim Rodrigues de Oliveira
residente em Olinda, queira apresenter-se
ao agente das barcas de vapor para receber
urna caria com dinheiro.
A abaixo assignada roga' as autoridades
e agentes policiaes, a captura do seu escra-
vo SebastiSo, crioulo, de 21 annos de Hade,
pouco mais ou menos, altura regular, secco
do corpo, pernas finas, ps seceos, pouca
barba, mas com bastante buco, esto escravo
anda fgido desde 7 de abril prximo pas-
sado, e tem sido encontrado na ra do Apol-
lo, e em Fra-de-Portas, procurando quem
o compre, sendo em alguma canoa, por sr canoeiro; a
|iiIqii' r pessoa que o apprehender, e o le-
var a casa da annunciante na estrada nova,
iefronle do engenbo Poeta, prometi boa
gralilicafSo.
Francisca das Chagas de Jess. ,.
- Aluga-se um preto, embora seja idozo,
islo mensa luiente, e que entenda de algu-
guma plantaciio de sitio o limpeza do mes-
mo : quem o tiver entenda-se na ruado
Rozado larga, venda, n. 46
Ssrafim Antonio Marlins declara ao pu-
blico que desfez a sociedade que linha na
venda debaxo do arco do Bom Jess das
Portss.com Domingos Jos da Silva Amo-
rim, licando o dito Sr. Amorim responsavel
pelas dividas activas e passivts; declara
mais queodilo Amorim ja se scha embol-
cado para salisfazer os dbitos feitos du-
rante a sociedade.
MA DO PASSEIO N. 5.-A.
Joiio i.oubet participa 4a pessoas, que
teem emseu poder chapeos de sol para cu-
brir e concertar, que os venham buscar no
praso de 8 dias: do contrario serSo ven-
didos pelo importe do concert: faz esta
advertencia para nSo se chamarem igno-
rancia
J Falque participa ao respeitavel
publico desii. cidade que elle vai abrir
urna fabrica de chapeos de sol onde se en-
contrar sempre um grande e bonito sorli-
nienlo de todas as qualidades d'-stes objec-
tos, tanto de seda como de panno, para
homens e senhoras assim como um gran-
de sortimenlo de bangalas de todos os gos-
tos, baleiaa pata vestidos,colletes ou espar-
lilbos para seuliora. Cobrir-se-ha e ae
concertara qualquer qualidade de chapeos
desol bengalas, tendo boas sedas opali-
nos em poca, ludo muito mais era conta do
que em qualquer oulra parte : ra do col-
legio, n. 4.
- 0 abaixo assignado fazaciente ao pu-
blico ou a qnem convier que tendo appare-
cido em seu engenbo Cara, na comarca de
Goianna, um escravo do Sr. Manoel Jero-
nymo IS11 reros Itangel, morador no Reme-
dio, freguezia de Afogados, procuran lo-o
para o comprar, elle dirigi ao senhor
do mesmo escravo por intermedio de um
terceiro, aliro de o comprar, e como hou-
ve alguma demora nosso ajuste, e o escra-
vo naturalmente dado a fgidas desappare-
ceu do engenho Cara, e foi encontrado
entre os eugenhs mulenga o Juana co-
marca do Nazarelh e munido d'um devno-
te ; o abaixo assignado tinha feto toda a
diligencia para o capturar sem quo at o
presente tenha realisado essa captura : o
abaixo assignado protesta n&o respousabi-
lisai-se pelo referido escravo.
Kngenho Cara, 6 de maio de 1850.
Chritlovdo Vieira de Mello.
--.Guniprindo-me dar cabal resposta
carta que no Diario de hontem fes publicar
oSr. .Moquita, o nem sendo possivel d-la
sem que obtenba certides dos autos, acon-
tece que por falta de juiz, que despache
as mosuiss c usas, visto estar impedido o Sr.
Dr. Pereira do Reg, e nenhum outro sup-
plente estar em exercicio, nem queror des-
pachar, nio possa agora obte-las, sou for-
jado a demorar a resposta ; pelo que me
apressoa fazer esta declaracSo, esperando
quo om'breve cumpriroi o protesto, qne fa-
go de responder, como devo.
Recife, 7 do maio :de 1850.Joaquim An'
Ionio dos Santos Andrade,




Leiam tambent est*.
A propaganda hofmo;oplhca em
Pernambuco, pelo Dr. Sabino Ole-
gario, em um folheto bem impres-
so: no pateo do Collegio, loja do
livro azul.
Precisa-se de nma ama do loite : na
ru* larga do Rozario, n. 39, primeiro an-
dar.
Antonio Le lo, Prtuguez, relira-se
para Porta gal.
-- Precisa-se alugar um preto ou mole-
quepara o servan de na botica : na ra
da Cadei do Recite, n. 3.
Manoel Francisco Coimbra
summamente agradecido a todos
os seas amigos que Ihe prodigali-
saram tantos favores e altencSes,
quando elle se acliava inconsola-
rel pelo faleciinento de sua mui
presada consorte, Antonia Mara
da AnnunciacSo Coimbra, cuja
perda i nenenla vel o faria sucum-
bir, senSofosseo conforto Divi-
no ; Ihes dirige seus sinceros agra-
decimentos, e a par delles o cordial
offerecimento de seus servicos,
aflrmando-lhes ao mesmo tempo
que nao conhece emsi odefrto da
ingratidSo.
Rernardino Antonio Pereira Bastos,
subdito prtuguez, relira-se para Poilu-
gal.
Roga-se ao Sr. J. F. da I. que haja de
fazero favor delevarou mandar entregar
o par de brincos que sua merca levou da
casa dr ra da Santa, n. 22, para concertar
do mez de abril de 1848 ; pois basta de se
mandar portadores em sua casa ; e no o
fazendo por estes oilo dias, contados de
bojp, (8) teri de ver o seu nome por extenso
nesla ful ha at os I erar.
Manoel Francisco da Silva retira-se pa-
ra fura da provincia.
Precisa-se alugar urna preta ou mole-
que-psra o servico de urna casa de. pouca
familia : paga-so bem : na ra da Concor-
dia, n. 1.
Urna senhora de idade que saiha co-
ser e cozinbar, e quizer estar na compa-
nhia de urna pequea familia, livredepen
(Se*, pelo sustento e algum vestuario, di-
rija-se ao Mundo-Novo, n. 30.
--OITerece-se urna ama para o servico de
urna casa'de portas a dentro : na ra do
llun-to-Movo, n. 37.
Precisa-se de um bom forneiro e um
amassador para urna pada'ria nova, na ra
Direita dos Afogados, casa n. 35 : a tratar na
mesma fregueiia rom Theolilo de Souza
Jardim.
O Sr. que pedio as chaves do armazem
pequeo da ra da Prala, queira dingir-se
ra do Vigario, n. 19, alini de entregar as
mosmas, visto nflo se alugar mais.
Precisa-se lugar una ama, que tenha
bo'" leite, Torra ou captiva : no Passeio-
PuMiro, loja de fazendas, n. 13
Ilarlliolomeu Francisco de Souza em-
barra para os portos do sul a escrava Ro
mana.
o
A nova casa de pasto do Passeio con- *j
fj tina a tratar dejantares ealmoc,os /.
p por mez, equinta-feira] haver boa i,"
mito de vacca ecabidella, e rontioua- !r
r sempre todos os domingos e dias j*
Santos. Na mesma tambem baver
diversos petistos, conforme a con-
currencia dos fregueze?.
I). Joaquina Ignacia Mavignier Ferrfli
ra, viuva de Jos Alexandre Ferreira, tendo
licado na sua viuvezsem meios. para poder
subsistir, foi obrigada pela necefsidade a
vender e a alugar algumas das suas escra-
vaspara ter com que alimentar-se: escra-
vas estas de sua nica propriedade, fazendo
hoje una pequea parte dos que levou quan-
do raspo, como consta da escriptura de ca-
lamento e inventario, tendo a infelicidade
debnjpqoasi nada possuir do que levou.
Tendo, porm, urna oscrava de nome Anto-
nia, ne naci Angico, que possue ha mais
de 23 anuos, mesmo em solteira, a qual es-
lava alugada em casa doSr Francisco Igna-
cio de Atalude, ruja escrava andava na ra,
e como nunca tivesse fgido, e nem bou-
vesse motivo algum para tal se desconliar,
desappar ecu cora tu lo no dia 29 de abril:
e esperando a annuncianto que ella viesse
para casa, al ao presente nflo Ihc apparc-
ceu, constando-lhe agora qoe a dita escra-
va foi pecada e escondida por pessoa, cujo
nico fim lieesgolar-lhe o ultimo recurso,
e ve-la ira miseria, pessoa que nao deixa-
va seu defunto marido ganhar um vintem,
que n3o apparecesse um motivo de Ih'o ar-
rancar. Avisa, portanto, que ninguem com-
pre c faca negocio algum com dita esciava,
porque a annuuciante protesta usur com to-
do o rigor das leis contra quem llie tiver
escondido, tintado,etc. : eessa mesma.es-
cava tem os signaes seguintes : he omito
letinta, falla mal, ps muilo grandes e lar-
gos, e sem peitos, que apenas tem urnas
ponas. A annuuciante roga, e espera que
as autoridades pociaes, attendendo a po-
siciSoetnque pode estar umi viuva, a quem
querem tirar seus ltimos recursos, e mes-
roo em dosaggravo das leis, providenciem
para que soja descoberta, e pegada que se-
ji, a levem ao l'oco-dn-Panella, casa uaan-
nuncianU, fronte da igreja, recompen-
sanilo alguma despeza quesetizer peloin-
commodo de aIIi a levarem.
&
&
O
0
--No dia 20 de marco p.issido desappa-
receu da casa de Prxedes da Fonseca Coi-
tinhnoseu pardo Eustaquio, ofllcial dnsa-
pateiro, secco do corpo, bem parecido, olbos
e bocea pequeos, nariz afilado e de asta-
tura ordinaria; quando anda arrebita os de-
dos dos ps para oima, e sempre com as
volitas sujas de tabaco; tem andado pela
Casa- Forte, servindo de servente de pedrei-
ror com o nome de Manoel; quando se au-
seiitou levou camisa de panninho, calca do
brimbranco e aqueta de panno prato : ro-
ga-se a qualquer pessoa que do mesmo sou-
ber, que oapprehenda e levo-o ra Real
da Boa-Vista, n.T, quesera recompensado.
Aluga-s urna boa casa a sitio com mu-
tos bons commodos para gran le familia,
sonzala para pretos, estribarla, cocheira pa-
ra carros e outros muilos commodos, cuja
casa he a margem do rio Caldeireiro : a tra-
tar na casi das aferiees. .
Pergunta-se ao papagaio contrafeito,
ollicial de charuteiro, junto a matriz da Boa-
Vista, si. J. S, onde se venderam alguns pe-
nis sem sangue.se ja se cohibi dos seus lo-
ques de gaita na toja todas as noites, que
parece um busio, pois com o seu fagote in-
commda aos compradores e a quem passa
pela ra.- Seu amigo O patombeta.
Lava-se e engomma-se com toda a per-
feicflo e delicadeza, por commodo preco :
no becco do Rozario, n. 2.
-- Arcenio Fortunato da Silva avisa, que
no dia 5 do correnle, pelas 9 horas da noile,
Ihe fugio um escravo oozinheiro, crioulo do
Para, alto, secco db corpo, canallas linas,
ps enchados; chama-se Severino; levou
camisa e caiga de estopa, e urna camisa miis
de madapoln ecaifas de algodozinho en-
trancado : quem a pegar leve-o na alfande-
ga, ou na ra do Hospicio, n. 4.
A pessoa que annunciou precisar de
um caixeiro para um deposito, dirjase
ra do Queimado, n. 2, que achara com
quem tratar.
-- Roga-se ao Sr. Jos Bento da Costa o
favor de ir i ra da Cadeia de Santo-Anto-
nio, n. 13, para receber urna carta viada do
Itio-de-Janeiro.
Precisa-se do urna preta captiva, que
engomme, para casa de pouca familia: na
ra estreita do Rozario, 0. 37.
Frecisa-se de urna pessoa
para tomar conta de urna venda
por balanco, dando fiador a sua
conducta : quem estiver nestas
circumstancia, annuncie.
Aluga-so urna casa terrea no Aterro-d a
Bol-Vista, n. 73, muito propria para por
negocio e morar familia, pelos bons cora-
modos que tem : a tratar na venda inme-
diata, ou na praQa da Boa-Vista, botica n. G.
Precisa-sede um caixeiro quo tenha
pratica de loja do miudezas, para Macelo :
na ra do Cabug, loja de qualro portas.
-- Precisa-se de una mulher idosa, parda
ou crioula, para cozinhar e comprar para
um liomi'iii .solleio : quem estiver nestas
circunstancias, diriji -se a ra da Cadeia do
liedlo, u. 8, segundo andar, que achara
com quem tratar.
Gra.'de deposito na mu
Nova, n. 27.
Neste deposito acha-se urna grande por-
ij.lo da caixas co-n follias de Flandres de
patente e todas as grossuras ; ditas com vi-
dros do todas as dimences para vidncas;
ditas de cobre do todas as grossuras para
forro de navio, pelo barato prego de 560 rs.
a libra: onde tamliem se acha um com-
pleto sortimento de alambiques, serpenti-
nas e todos os mais objectos de cobre,
.-D.W.Baynonciro^iIo dentista, res- ColOlla lie M OSSimOflCs.
peitosamente informa ao publico desta ci-
bronze e Mi,a paraongenho : tudo isto lia -
ver continuadamente grandes porcoes, pa-
ia os compradores esculhcrem i suavon-
t.de.
dade que elle prelenJe brevemente retirar-
se deste imperio, e as pessoas quo ainda ne-
cessitam seus serviros durante osle tempo,
serBoaltendidos, procuran lo-o no seu do-
micilio, na ra doTrapixe-Novo, n. 14.
Precisa-se alugir urna preta que sai-
ba lavar, engommare coser, para urna casa
estrangeira : na ra do Torres, n. 34, das
11 horas d manhSa s 3 da tarde. Na mes-
ma casa tambem se precisa alugar um pre-
to que entenda do servico interno e de tra-
tar de cavados.
Joaquim Martinho da Cruz Corris re-
tira-se para fra da provincia.
Precisa-se de urna ama para o servico
de urna casa de familia : na ra da Manguei-
ra, n. 3.
Aluga-se um pequeo sitio no lugar da
Capunga, defronte do Sr. Duburcq com
excedente casa de vivenda, cozinha fra,
boas arvores de fructo, um parreiral, com
nlantscoes de roseiras de differentes qua-
lidades : a tratar na segunda casa da ra
do Prazer, nos Coelhos, defronte do oitao
do hospital-
-- llumphy II. Suift, cldadUo ameriesno,
relira-se para os Estados-Unidos com sua
senhora, 2 nios menores e urna criada.
O abaixo assignado retira-so para Por-
tugal, e deixa sua casa de negocio gyrsndo
em seu nome, como at o presente, e cons-
titne or seus bastantes procuradores os
Srs. Vicente Jos de Brito, JoSo Jos de Car-
valho Moraes o Jos Pires do Moraes.
Thomai Fernandes da Cunha.
Precisa-se do um feitor para um sitio na
Soledade : a tratar na ra Nova, armazem
ile trastes do Pinto, defronte da ra de San-
to-Amaro, n. 59.
Mobilins de al guel.
Alugam-se cadeiras para bailes e oflicios:
tambem se alugaro mobilias a vonte dos
pretendentes : na roa Nova, armazem de
trastes do Pinto, defronte da ra de S.-
Amaro, n 59.
Thn. Adourretira-se para fra do im-
perio.
CHANDE .
consultorio homoeo-
pathico,
Dirigido pelo Dr. Sabino e Dr. Luz
Ra do Trapiche, Hotel-
Francisco.
Osdoentes pobres tero gratuita-^
mente todos os dias cousultas ere- =
medios para o tralamento de suas <;
molestias. 4>
As visitas, fra deste consultorio, *
serSo feitas por qualquer dos dous
mdicos, nicamente quelles en- *
fermos cujo estado mrbido os re- ]S
clame em sua casi. .J


**
4
<-'
<'

4
--Sehouver nesta cidade um Francez,
que, nfio so escrevendo correctamente ssua
lmgoa, saiba tambem fazer versos, roga-se
que tenha a honda Je de dirigir-.se ra es-
treita do Rozario, sobrado n. 20, prmieini
andar, aonde achara um Brasileiro, que ira-
do a lingoi franceza, mas quedeseja aper-
iVicnur-se neste idioma, fallando-o, escre-
vendo e versilicando correctamente. Ahi en-
contrar a pessoa incumbida deste ensino
as nielhurvs grammaticis o diccionirios, as-
si m como urna extensa coIIocqSo de poetas
medicina Joao
l'oaseca nni-
- Guia para a
ciassicose modernos da mesma Hngoa fran-1 Aa 'IVanirlif n f,A Inro.ir. _
reza, eemao ahi safar o ajuste conveni-1 T lraP,c,ei *4i crceiro an-
eute. I dar.
RoD>bo.
Na noile de 6 para 7 do passado, foi fur-
tado a um proto que venda fazendas, urna
grande lata e um cartlo com diversas fa-
zendas finas; pois tendo o mesmo preto,
por motivos de embriaguez, chamado um
ganhador para carrregar a fazenda, o mes-
mo se evadir com todas as fazendas e al-
gum dinheiro que carregava. Iloga-se, por-
tanto, a policio ou a qualquer pessoa que
tenha noticia do occorrido, de dirigir-se
ra da Cadeia-Volha n. 24, casa de Manoel
Antonio da Silva Antunes, que ser gratifi-
cado com 100,000 rs.
-- l)eseja-se fallar, em casa do Sr. Ber-
nardino Maya da Silva, com o Sr. Francis-
co Xavier Oe Miranda, sobre urna parte de
torras no termo da villa da Imperatriz, de
que deu procuradlo ao fallecido doutor
Uuvidiu de Saraiva.
--Aluga-se a casa da esquina da ra do
Caldeireiro com armago para venda e com-
modos para familia, com quintal, cacimba
e portSo para a travessa, a qual pelo local
olferece iniiitu vantagem : na praca da In-
dependencia, linaria ns. 6 e 8.
Alugam-se os segundo e terceiro anda-
res do sobrado da ra da Senzalla-Velha,
n. 70, muito frescos e com commodos para
familia, podendo morar em cada andar urna
familia : a tratar no primeiro andar do
mesmo.
Uuem-annuiiciou querer comprar un
cofre de ferro, dirija-se ra daCadeia do
Recife, n. 34, casa de cambio.
Precisa-se de um hmnem que seja ca-
paz para tomar conta de um pouco de ga-
do, tirar leite o ir vcmle-lo : di-se casa,
mesa e bom ordenado: em Beberibe-de-
Baixo, no sitio que foi do Sr. Joaquim Ctr-
neiro.
Arrenda-se annualmente, ou vende-se,
ou mesmo troca-se por esuruvos, um sitio
na povoaflodo Monteiio, com casa de po-
dra e cal, contendo duas salas, quatro
guarios, cozinha ; e o sitio com arvoredos
de fructo e trra para planlacSo: a tratar
a iuadeS.-Thereza,n. 38.
Precisa-so de um homem, ou menino
para paslorar vaccas: paga-se bem : na
ira veas do pateo do Para izo, n. 20.
Frecisa-se fallar com o Sr.
Juliao da Costa Monleiro : na ra
da Praia, n. 3a.
U doutor em
Pedro Maduro da
dou-se da ra da
-- Trsspassa-se o arrendamento de um
engenho de boas torras de producto, por
preco rasoavel: lamhom s vendem os per-
tences do rendeiro, sendo animaos do roda,
muito bons e gordos, poldros, lavouras e
safra a colher: os pretendentes, dirijam-se
ra estreita do Rozario, o. 32, que se di-
r quem faz este negocio e se darSo todas
asinformaQdes.
O abaixo assignado faz scienle ao res-
peitavel publico, que a taberna da travessa
da ra do Vigario, n. 3, que at aqu gyra-
va com a firma de Macieua & Cuimaries,
lieou extincta desde o dia primeiro de maio
do crrante, passando a ser possuklor da
[mesma o socio Antonio Joaquim da Costa
Cuimares, do mencionado da primeiro
em diante, e responsuel pela satisfajio das
dividas da mesma sociedade.
Francisco Jos da Silva Maclara.
Precisa-se um feitor que soja casado,
para tomar conta de um sitio em S.-Anna :
na pra^a do Corpo-Santo, n. II.
-- Antonio Jos Moreira Pontes avisa ao
respeilavel publico que Antonio Moreira
Pontes deixou de ser seu caixeiro desde
29 de abril do 1850.
--Aluga-so o segundo andar do sobrado
da ra larga do Rozario, n. 40 : a tratar no
primeiro andar do mesmo sobrado, ou na
ra estreita do Rozario, venda do Sr. Cam-
pos.
--Joao Moreira de Jess, ciJadSo brasi-
leiro, vai a Portagal.
-- Aluga-se o segundo andar e sotSo cor-
rido do sobrado anarello da ra Augusta :
a tratar na ra do Amorim, n. 15.
--Quem precisar de urna am* portugue-
zs, dirija-so a Ponte-de-Ucha, no sitio que
mora o Sr. Thomaz uousley.
Desappareceu, no dia 5 de maio, o'pre-
lo Jos, de nagiJo Mozambique, vindo do si-
tio Passagem-do-Arrombado, trazando com-
sigo um cavallo ruco-pombo, com a marca
Carvalho Siqueira : o preto he alto,
tristonho, magro, quebrado do exbigo,
cambeta dos pese de quaronta annos : ro-
ga-se s autoiidades pociaes; capitaes de
campo e pessoas particulares, que o appre-
hendam e levem-no ra do Rozario, onde
sero pagos do seu trabalho por Francisco
Antonio de Curvalho Siqueira.
Desappareceu, no dia 6 de maio corren-
te, urna prelado nome Luiza, de 20 annos
pouco mais ou menos, de naciio CabSo e
com os signaes seguintes: prenhe.com um
signal no braco esquerdo e com as orclhas
Airadas : quema pegar leve-a casa da se
ahora, na ra da Ponte-Velha, na Boa-Vis-
ta, n. 30, que sera bem recompensado.
Chapeos de sol.
Havendo alm dos passageiros, que pre-
tenden! seguir paro e-se destino, diversas
mercadorias a embarcar para a nova colo-
nia; vsi-sc immediatamento fretar um na-
vio para o respectivo transporte, e por isso
recommenda-se a todos os quo nelle tomam
nteresse de se ajustarem com aa pessoas
j conhecidase competentemente autoriza-
das para esse fim.
Na ra de Agoas-Verdes, casa lerroa
n.26, en^oaima se e lava-se toda a iii.ali
dade de roupa, Com todo asseio e prompli-
dSo, por preco mais commodo do que em
outra qualquer parte.
Agencia de passaporles.
Tiram-se passtportes para dentro e fra
do imperio, despacham-so escravos e cor-
rem-se folhascom a maior brevidade pos-
sivel: no paleo da matriz de S -Antonio,
n. 4 sobrado..
A higa-seo segundo andar e
solaodo sobrado atrs da matriz
da Boa-Vista, n 26, muito fres-
co c com baslantes commodos: a
tratar na mesma ra, n. aa.
-- Antonio Corileiro da Cunha Jnior, ex-
segundo sargento da quinta com^anhis do
corpo de voluntarios, roga a todos os cida-
dflos que tiverem em seu poder armamento
da mesma companhia, que ohajam de res-
tituir em casa de sua residencia, na 1 ua de
Santa-Mita, 11. 101.
Engenho Queluz.
Freguezia de Ipojuca.
Traspassa-se o arrendamenlo do dito en-
genho, o qual tem a presente safra a tirar,
e tres(a criar. A tratar na ra da Aurora,
n. 26, ou no mesmo engenho com Miguel
Augusto dnOliveira.
N. B.O engenho tem excedente pasto,
he bom d'agoa, e tem bons cercados ; e,
caso baja quem queira comprar a safra,
ser-lhe-ha ella vendida, entregando-so in-
mediatamente o estabelecimento.
As fazendas baratas venda por tras
do theairo vclh'o, n. 20, fdram transferi-
das para a ra do Rozario larga, no primei-
ro" andar, por cima da padaria do Sr. Va-
lenca.
Na* fabrica de caldeireiro
da ra Imperial, n. 181,
de Jos Nabo & Br.ga,
fazem-se machinas de Derosmc e de outro
qualquer modelo para espirito, ferragens
arria relias, almofarizes, candieiros de di-
versos modelos, escrivaninhas, perfumado-
res, palmatorias, esporas de salto e de cor-
Feia, torneiras para alambique, Na mesma
fabrica acham-se ofiicises promplos a sa-
Iit pVa qualquer engenho desta provincia,
para concertaren) machinas e alambiques:
tambem ha para vender areia de funJir,
chegada ha poneos dias, e da melhor qua-
lidade que tem apparecido. Fundem-sc
bronzes para enaenhos, parafu7os para ro-
das d'agoa e toda e qualquer obra de cobre
e bronzeque se offerecer neste estaheleci-.
ment, co'ii lealolade e consciencia, em-1
quantn a qualidado de meUcs, \>"r muito
tiva paro criar grandes safras : ambos hons
d'agoa, por seren copeiros, e dista ni do
embarque duas logoas : a tialar com o pro-
pietario, JoSo Climaco Fernandos Caval-
canti, ou com Antonio da Silva CusmSo, na
rus Imperial, do Aterro-dos-Aogados.
Vondo-se urna escrava de Angola, do
10 annos, lava de sabiTo, be mariscadoirn,
fateira, eque tambom servo para o servico
de campo ; sem vicios nem achaques : ven-
de-se por necessidade : om Oliada, ra do
Amparo, sobrado junto a padaria.
Vendem-se 12 escravos moQos, de boni-
tas figuras ; um ptimo moleque oleiro ;
um dito que cozinha o diarlo do urna casa,
de 22 annos ;um dito carreiro ; um mole-
que de 10 annos ; 3 negrotas da 14 annos;
4 escravas muito lindas, quo cosem, engom-
mamocozinham o diario de urna casa ; 2
orglos contendo varias pe?'S de msicas;
2 fardas de guarda nacional; urna espada ;
duas bandas em bom estado, talim e cana-
na : na ra Direita, n 3.
-- Vende-so urna preta mor;a, que engom-
ma, cozinha, cose e fi todo o servico de
urna casa com perfeiqSo, reunindo a tudo
isto boa conducta; um mulatinho do 11
annos, muito habilidoso, e que he proprio
para aprender qualquer officio ; oculos pa-
ra todas as dados, recenlemente chegados
da Allemanha, que he aonde baos melho-
res oculistas: na ra larga do Rozario, n.
n. 35, toja.
470,000 rs.
Vcnde-se um pardo de 18 anuos pouco
mais ou menos, ptimo para bulieiro, o
com principios de sapateiro, pelo diminuto
preco cima.
Na ra do Trapiche, n. 8, no
escriptono de Henry Forster S
C. nestes dou9 dias, vendem-se
dous cavallos capados e 108 mulos,
vindas de Buenos-Ayres na barca
americana Mushingam : as pes-
soas que os pretender, dirijam-se
a inoiincasa.
Vende-se a falla do t lirn o no
anno de i85o, analyse o discur-
so da cora c toda a discussao do
voto de gracas : no pateo do Col-
legio, loja do livro azul.
Novo riscado monstro.
Vende-se, na ra do Queimndo, loja n.
19, riscado monstro de lislras azues mui-
to proprio para joquetase palitOs, a 240 rs,
o covado; cisionen de lislras com diffe-
rentes cores, para o mesmo elTeilo o para
calcas, a 160 rs. o covado
Vendem-se varre luras para porcos: a
1,280 rs. o alqueire : no caes do collegio, a
tratar com Joaquim Jos Catraeiro.
Dicos baratos'
Na ra do Quimado, luja n. 19, vendem-
go liicos com tres dlos de largura, a 140
ris a vara: na mesma loja vendem-so
corles de cassa ehit i muito linos.a 2,500 rs.:
c i las escurase ixas para cobertas, a 200
rs. o covado ; ditas oscuras tambem fixas
para vestidos, a ICO rs. o covado, a a 6,000
mais barato preco do que em outra qual- rs- P i meias P1""" meninas, a 160 rs. o
quer parle.
So rogados os Srs. abaixo declarados
para que vonham ou mandem pagar suas
conlas : faz-se esta advertencia, e continua-
se, au s com estes como com nulros, r nflo se pode mais esperar: padro Calislo
Corrcia Nobreza 205,830 rs. de 1812 a 1844 ;
llr. Antonio Joaquim de Figueiredo Seahra,
promotor do l.imoeiro, 82,480 rs. de 1841 a
1847 ; Manoel Joaquim de Figueirelo Sjahra
43,780 rs. de 1844 a 1817 ; alteres Reg Ben-
to ou Carapenima ( no Para ) 40,280 rs. de
1842; Francisco Soares da Silva; Cabo)
12,000 rs. de 1843; Jos Thomaz da Silva
17,400 rs. de 1843 ; Jos Joiquim de Figue-
par, e para menmus a 60 rs. ; luvas brancas
de algodSo para liomcm a 100 rs.
Para quem precisar.
Ven.le-se um hraQO de balanza con cor-
reles e conchas, um terno de pesos de
broiiZ8 de mcia arroba a meia quarta, una
! balanca com marco para rap, um terno do
: medidas para liquido, um dito para seceos,
| um caixitocom seus complenles vi Iros,
uns fortes candieiros, duas pipas que teem
servido de deposito de ago'ardente, 2 bal-
ces, urna quaitola para azeite de currapa-
to : na ra da Senzalla-Velha, taberna n. 15'
Na ra da Cadcla do Recife, loja de ler-
do Pontes &Sampaio, n. 56, ven-
redo 91.000 ra. de 1812; Joaquim Jos da : """ lo,"fs "paio, n 56, ven-
J i.Tr-.. .a nn.. i iuc. in, dem-so duas pretas cnou is, sendo umade
|Ceite rS.v. fApeSuco") 32 Z V, de',5a ,G 8I",0S- ram alum;,s ".billdadoa. o
'I 7; EES S1L1k. ^,8 <9-nos que cozinha, lava o
da Silveira, nalu.al da Parahiba, 53,520 e,,g0?ina1 V*****- f
rs. de 1842. *. do A. Caj. I .^J^-ff?^.VL!!^'.*
Na casa n. 6G da ra Ja Santa-Cruz,
achara pessoa de confianca para estar no,,
deposito annunciado no Diario de sabbado,' '
3g Uhapos de sol. fe
Ra do Passeio, n. 5.
Nt-sta fabrica ha presentemente um rico
sortimento desles objectos de todas as c-
rese qualidades, tanto de seda como de
panninho, por presos commodos; ditos pa-
ra senhora, de bom gosto: estes chapeos
silo feitos pela ultima moda ; seda adamas-
cada com ricas franjas de retroz. Na mesma
casa se acha igual sortimento de seda e pan-
ninhos imitando sedas, para cobrir ar-
marles servidas : todas estas fazendas ven-
dem-se em poreflo ea relalho : tamben- se
concerta qualquer chapeo de sol, tanto de
basteas de ferro como de baleia, assim co-
lino umbelas de igrejas: tudo por preco
commodo.
I do correnle.
As irmandades que quizerem possuir
urna boa msica para urna missa festival,
procurem-na em casa deJoflo Vignes, ra
larga do 'Rozario, n. 28, primeiro andar ;
assim como um excedente fagote para mu-
sica militar, pianos fortes e msicas novas
de todas as qualidades.
Precisa-se alagar, por prc?c commo-
do, um sitio pequeo, que seja situado per-
toda praca, tendo algum terreno para plan-
tar, com fructeiras a urna casi de vivenda
de bom gosto com boa agoa e sufiicicnto pa-
ra pouca familia : quem tiver annuncie, ou
dirija-se ra do Trapiche-Novo, n. 42.
Precisa-se alugar urna preta quo seja
fiel: na travessa de San-Pedro, n. 6. Na
mesma casa faz-se plto-del, bolos o segui-
dlos de todas as qualidades, para uualquer
encommenda, a por pre^o commodo.
Aluga se urna grande casa com um pe-
queoo sitio, na Roa-Vista, travessa do Mon-
dego, cm que morou o fallecido Jos Anto-
nio Alves da Silva : quem pretender falle
com Marcellino Jos Lopes, morador na ra
da Alegra, n. 34
Alugam-se escravos para trabalharem
em armazem de assuar : na ra do Rrum,
armazem da esquina por detrs do arsenal
de marinha.
Compras.

-- Compram-se tres livros que leem o ti-
tulo de Epitome Serfico : na tua larga do
Rozaiio, venda, n. 39.
Compra-se um neulo de theatro : na ra
da Cadeia, n. primeiro andar.
Compram-se todas as qualidades de
trastes usados, olambem se trocam por no-
vos : na ra Nova, armazem de trastes do
Pinto, defronte da ra de S.-Amaro, n. 59.
-- Compra-se um cavallo ruco para car-
ro : na ra do Trapiche-Novo, n. 10, pri-
meiro andar
Vendas.
Vende-so um dos dous engonhos, Telba
e Triumphos, sitos na freguezia de; Ser i-
Dhacm, com bstanlo trra e muito produc-
em
j Inglaterra, de 13 ps de comprimento, novo
0 e bem construido, com pregos de cobre,
quem o pretender, di-
rija-se ao Sr. Bernardo estivador, em Fra-
de-Portas, ou ra do Trapiche-Novo, nu-
mero 12.
Biscados imperiaes.
Silo chegados os novns riscadinhos do
quadros u,indos, o mais lino possivel c dos
melhores desenhns, intitulados i penaos,
proprrbs para vestidos e roupes para se-
nhora o menina : na ra do Queimado, loja
dos barateiros, n. 17, a320rs. o covado-.
dflo-se as amostras com o competente pe-
nhor.
--Vende-so um mulatinho de 12 annos,
com principios de sapateiro, e quo he pro-
prio para qualquer ofTicio, ou mesmo para
pagem : na ra do Amorim, n. 33.
Anda exstom algumas enxadas calca-
das de ac para se venderem : na ra Nova,
n. 20, loja de JoSo Fernandes Prenlo
Vianna.
Na ra Nova, n. 20, loja de JoSo Fer-
nandes Prente Vianna, vendem-se ricas
espadas plateadas, tanto de roca como sem
ella.
-- Vendem-se rodas de arcos de pao para
pipas o barricas, chegadas ltimamente do
Porto, por preco muito barato: na ra da
Cruz, no Recife, n. 49, primeiro andar.
Va .'oclas baratas e sem
Vendem-se novas alpacas de cordSo de
lila com differenles cores e muilo moder-
nas, proprias para casacas e palitos, a 800
rs. o covado ; ditas de seda muito bonitas e
bons padrOes, sendo tambem proprias para
vestido de luto aliviado, a 800 rs. o cova-
do ; ditas prelas de lila muito finas, a 800
rs. o covado ; cortes de lila para vestido,
com 16 covados, a ,500 rs. ; ditos de loa o
seda, muito finos e de bom gosto, com 11
covados e meio, a 6,500 rs. ; ditos de chU
cbineza muito lina, com ptimo padrees,
cores lisas e chegados ltimamente, a 3,4oo
rs.; brim pardo trancado de linho para cal-
fas, a 1,400 rs. o corto; dito de quadros
azues, a 1,000 rs. o corte de caifas ou ja-
queta ; e lodo o sortimento de fazendas fi-
nas a grossas por muito commodo preco:
na ra do Queimado, n. 27, armazem do
fazendas de Raymuudo Carlos Leite.


Vende-se uma'prota que cose, engom-
ma e cozinha; dous pardinhos, um de 11
annos, e o outro de 6 : todos muilo ei)
conta na ra do Fogo, n. 23
Vende-se drinha de mandioca de su-
perior qualilade, em sancas de estopa e al-
godflo. a 2,G00 rs. a sacca : no armazem ao
pdr. arcodaConccigo, n. Gi, que foi do
alien.do Braguez.
Arroz ^e casca a 5/200
rs. a sacca f
vend te na ra do Aniorim, n 35, arma-
zem u Tasso Jnior.
Potassa da Russia.
Vende-se superior potassa da llussia, da
mais p-.va que ha no mercado, por prego
commudo : na ra do Trapiche, n. 17.
Farelo a 5,000 rs. a
sacca,
o o melhor que tem vindo a este mercado
na ra da Madre-de-Deos, armazem de Vi-
cente Ferreira da Costa.
Chegaram novamente i ra da Sen-
zalla-Nova, n. 42, relogios de ouro e prata
patente inglez, para homem e senhora.
occra em velas do Rio-

f
Vendem-se saccas com farinha de man-
dioca, viodas do Rio-de-Janeiro no brigur
ose fina, por prego commodo : no armazerr
de Das Ferreira, defronte da escadinha, ou
a tratar com Domingos Rodrigues de An-
drade, na ra do Trapiche-Novo, n. 4. Ad-
verte-se que as saccas sao grandes.
$C*OCS9<5
4'
=

de-Janeiro.
Vendem-se caixas com ce-
ra em velas fabricadas em
das
O
9
O
O
i
g urna das melhores fabricas
0 do lio-de-Janeiro ; sorli- q
> ment a vontade do com- O
prador, por preco mais ba-
rato do que em ontra qual-
quer parte: amado Vi-
v $
I recos nunca vistos. $
Vendem-se cassas de cores fizas, a
240rs. o covado ; cambraia do seda, O
a 200 rs. o cavado ; chitas pretas fi- Q
as, a 160 rs.; chales de 1.1a, a 1,000
rs.; lencos de seda, a 1,000 rs.; di- j
tos com franjB, a 1,000 rs.; ditos q
meioschales, a l,280rs.; rucias pa- q
ra meninas, a 120 rs. o par ; franklin
preto e de cores, a 500 rs. o covado ; J
luvasdeseda para senhora, a 320 e'S:
500 rs. o par ; ditas de pellica para
. homem, a 160 rs. o par; lencos de
O sedaedesetim para gravitaba 500 e
m 610 rs, cada un; bicos de seda e de O
linho, largos, a 320 e 500 rs. a vara ;
chapos rapsdose de castor, n 1,600, <$
2,000 e 3,000 rs. cada um ; ditos de /a
sol, a 2,800 e 3,000 rs. ; colletes de ZT
gorgurlo, setim e velludo, a 1,600,
2,000 o 2,500 rs. cada corte ; e outras
militas fazzendas : na ra do Crespo,
n. 9, loja amarella.


o



gano, n. 19, a tratar com
Alachado & Finheiro.
Vendem-se, por..preco commodo, os
seguintes objectos em bom estado, que so
. pdem ver no Forte-do-Mattos,prcnsa do Sr.
Manoel Ignacio de Oliveira Lobo, e tratar
na mesma, ou na ra do Azeile-de-Peixe,
armazem n. 13, das 9 horas da mandila as
2 da tarde :
2 vergas de gavia ;
2 dilas de juanete;
2 ditas de sobre ;
Pannos de cutello, carangueija, suriolla,
juba e fuz<>, masteros do joanelo e moxo ;
2 camarotes com 4 belixos ;
1 escada de madeira e ferros [de lironze
para portlo;
1 signo peqneno ; .
1 roda de leme com chapas do lalo ;
1 cabrestante de patente ;
1 bolinele ;
120 bracas de corrente, juntas ou sepa-
rad*,
2 ferros de muito bom tamanho ;
1 ancorte;
2joaneles;
1 gavia ;
1 hujarrona;
1 giba ;
1 vela de eslaes ;
Cobre velho de forro ;
Cabos alcalroados para troco, que, pelo
bom estado em que estilo, pdem anda ser-
vir;
Panno velho de velas para forro, moites,
cardentcs, patullas para ferro, e outros
objectos miudos.
irados de ferro.
Na fundigSo da Aurora, em S.-Amaro,
vendem-se arados de ferro de diversos mo-
delos.
Novidade.
A l,000rs. o covado.
Na loja dos barateiros da ra do Queima-
do, n. 17, vendem-se casimiretas de lfla,
pretas e de cores, proprias para calcas e pa-
litos para homem e meninos, a 1,000 rs. o
covado.
(chincha para os bahu-
lciros.
Vendem-se chitas proprias para forros de
bahsporestarem flacas, a 3,500, 4,000 c
5,510 rs. : na ra do Crespo, loja da oqui-
quina auevolta para a cadeia.
Vendem-se amarras ae rro : na r>
da Senzalla-Nova, n. 42.
Antigo deposito de cal
virgem.
Na ra do Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal virgen) de Lis-
boa, por preco muilo commodo.
... Vendem-se cigarrosdcpalhade millio,
bous, por preco commodo : na ra das Cru-
zas, n. 40.
He cozinheiro e ntico de
navio.
Vende-se um preto moco, de boa figura
e queja amia embarcado ha 2 anuos : na'
ra oireit, n. 93, primeiro andar, das 6 as
9 horas da mantisa, e das duas.s 4 da
larde.
Vende-se farinha dePhiladelphij pelo
barato preco de 8,000 rs. a barrica ; grasa
em bai ricas de n. 96 ; barris com breu ; pre-
suntos americanos; bolacha americ^ns
prOjVia para raochii de navio; papel alma-
CO florete e de machina ; bantia de porco;
i; muilos outros gneros por preco rasoavel'
na travesa da Madre-dc-Oeos, n. 9, aclia-
riocom qui'ni tratar.
Cassas prelasa HO'w. o
covado.
Vende-se cassas pretas de muito bom gos
loa 140 rs. o covado : na ra do Crespo,
loja da esquina, que volta para a cadeia
A 2,400 ra.
No armazem da ra do Rangel, n. 36,
vendem-se saceos com milho, pelo di mi-'
nulo preco cima. Adeverte-se serem sac-
cas grandes.
0000000
Deposilode Potassa.
Vende-se muito nova potassa,
de boa qualidade, em bairiszhibot
pequeos de quatro arrobas, por
preco barato, como j ha muito
tempo se nao vende: nc itecife,
ra da Cadeia, armazem n. 11.
99999 9%ifG&& 99999 99W
9 t m
J Bom e muilo barato.
^ Os proprielarios da loja do sobrado ^
* amarello, nos quatro-cantns da ra g
P doQueimado, n. 29, desojando ulli-
m mar a venda das fazendas abano
P mencionadas, resolveram vende-las
m celos seguintes precos :
' Coi tes de calcas deb im branco
do puro linho a 1,760
Ditos de dito amarello, a 1.440
Hilos de dito decores, a 1,410
Ditos de 1.1a imitando casi-
mira, a i,6C0
Alpaca prela fina, o covado a 900
Corles de vestidos de chita prcta
com 14 covados, a 2,000
Ditos de cassa de cores, a 2,000
Ditos linos, a y,00
Dilosde cambraia de lislras de
cAies lixas, a 2,00 9
Sarja de 15a lavrada prcta, o co- SP
vado a 56o f-
I.engos de seda de cores, a 640 9
Cobertores de algodilo encorpa- 2
dos para escravos, a 640 <}
*" $ ? *&* 999o.**
%a rundo Crespo, n 14,
loj de Jos Francisco
Dias, vende-se
riscado fraticcz de quadros escuros, fazen-
da muito fina e fixa, pelo baralo preco de
200 rs. o covado ; pecas do esgui3o de al-
god.lo de 5 palmos de largura e com 10 va-
ras e mcia, a 3,200 is. a pee,", e a 320 rs.
vara.
AGKNCIA
da fundicao Low-oor,
HUA DA SENZALIA-NOVA, K. l\a.
Neste estabelecimento couti-

*v
9

i
t
I
i
i
i
f
*
*
- Na loja franceza na ra Nova alraz da
matriz, tem bouitos jarros de porcellans,
lantetnas de p do vidro, ditas de casqui-
nha- inglezas, ditas fracnezas, candieiros
para sala, ditos de latSo para estudantes,
bengalas de cana, bandejas finas, chapeos
d sol de seda de cores para homem, fundas
para os quebrados, chapos frsoczes de bo-
nitas formas, lencos da seda de 1,000 rs. al
5,000 rs. para senhora e homens, ditos de
morsulina, e outras muitas fazendas : sa-
patos de duraquo decores para senhora a
800 rs., ditos de coro de lustro a 2.000 rs.
Assim como roga ios seus devedores que
he vam pagar, para* nSo mandar tantas
vezes os seus caixeiros em suas casas.
Na ra doQueimado,
n.9,
acha-se venda um completo soitimento
de manteletes e capotinhos para senhora,
de chama lote ondeado e de listras; bem co-
mo de seda futta-cres, os quaes vendem-
se por menos preco do que em outra qual-
quer parte. DSo-se amostras aos compra-
dores.
. Estao-sc acabando.
Vendem-se cortes de fina casimira prela
e de cores, pelo diminuto preco de 5,000
rs. : na ra do Queimado, n. 9.
Vendem-se 2 ptimos escravos, por
precisfio, sendo um crioulo de 22 annos,
i'ipin sapaleiio, e o outro bom carreiro, de
nac1o Congo, de 33 annos : na ra larga do
Rozario, n. 52, no segundo andar do sobra-
do da esquina.
Vendem-se 6 lindos moleques de 8 a
16 annos; 8 pretosde20a 25 anuos, sendo
umdolles ptimo sapaleiro; 2 pardos de
20 annos, sendo um delles perito cozinhei-
ro, bolieiro, empalhador, e de ptima con-
ducta; duas pardas de 18 annos, com ha-
bilidades; quatro pretas com algumas ha-
bilidades, de 14 a 20 annos: na ra de Col-
legio, n. 3.
Na ra do Cabug, loja de quatro por-
tas, vendem-se vulantcs, Irinas, galdes, es-
piguillas : tudo por preco mais commodo
lo que em outra qualquer parte.
Folbade Flandres.
Em casa de J. J. Tasso Jnior, na ra do
Amo'rim, n. 35. ha um ptimo sorlimento
de folha de Flandres, de todas as marcas, c
a retalho por preco mais barato do queeni
outra qualquer parte.
Na ra do Crespo, loja
da esquina que volta
para a cadeia,
vendem-se curtes de casimira preta, muito
boa, a 5,500 e 10,000 rs.; panno preto, mui
to bom, a 3,200, 3,800 e 5,500 rs. o cuvado ;
cortes de colleto de usto, a 640 rs. ; ditos
de setim de cores, a 2,000 rs.; ditos de gor-
gor flo, a 1,600 rs. esguio do linho, muilo
lino, a 1,280 rs. avara.
Taixas para engenho.
Na fundicSo de ferro da ra do lirum,
acaba-se de receber um completo sorlimen-
to de taixas de 4 a 8 palmos de bocea as
quaes acham-se a venda por preco com-
nodo e com promptidSo embarcam-se,
ou curregam-seem carros sein despezas ao
comprador.
Novo soi-innento de fa
pendas baratas, na ru;
do Crespo, n. 6, ao p
do lampean.
Vende-se cassa-chita muito fina, de bo-
nitos padres, cores fixas e com ? palmos
de largura, a 320 rs. o covado; cortes da
dita a 2,000 rs.; riscado di listras de li-
nho, a 240 rs. o covado ; dito de algodSo, a
140 e 160 rs. o covado ; cortes de brim par-
do claro, com duas varas e urna quarta, e
1,600 rs.; riscados monstros, a 200 rs. o
covado; zuarte azul,, a 200 rs. o covado ;
chitas, a 160 e 180 rs. o covado ; fustfio, a
640rs. o corte; chales de tarlatana, a 500
rs. ; cobertores de algodffo americano, a
640 rs.; e outras muitas fazendas por bara-
to proco.
Moend :s superiores.
Na fundicSo de C. Starr <3c Companhia',
em S.-Amaro acham-se i venda moendas
de canna, todas.de ferro, de um modelo e
construcco muito superior.
A ellas, a ellas.
Vendem-se riquissimas golas e pescoci-
nhos para senhora, pelo diminuto preco de
2,000 rs. cada um : na ra do Queimado,
n.9.
Arados de ferro.
Vendem-se arados de ferro de diffe-
renles modelos : na fabrica de machinas e
fundicSo de ferro, na ra do Brum ,
ns. 6,8e10.
Deposito da fabrica de
rodos-os*Santos na Babia
rechincha.
Na ra do Queimado, vindo do Rozario,
segunda loja, n. 18, conlinuam-se a ven-
der pecas com 20 varas de metim verde,
azul, e cor de caf, a 2,200 rs. a peca ; pan-
no de linho suisso com 25 varas, a 6,400 rs.;
chales de seda, a 5,000 rs.; ditos de. 13a e
seda, a 3.000 rs.; eoutras muitas fazendas
que so vendem sem limites de preco.
Vendem-se p:ocuracoes sel-
ladas, a ^4o ru. ; apudactas sel-
ladas, a 2oo rs. : mo pateo do Col-
.legio, loja do livro azul,
nua a haverum corr.plefo STti-l .
ment de moentos t nieiaa toen-|TecdOS de algodo tran-
Vende-se em casa de N.O. Hieber & C.
aa roa da Cruz, n. 4, algod.lo trancado
daquella fabrica, muito proprio para saceos
deassucar, roupa de escravos e fio proprio
para ledes de pescar, por preco muito com-
modo.
Attendam e vejam !
Na ruada Cadeia do IIe-
cife, n. 50, loja de Cu-
nlia &moriui,
vendem-se pecas de bretanha de
rolo com io varas, fazenda supe-
rior, a i,(>oo rs. ; panno mescla-
docom duas larguras, a l,ooo rs.
o covado; panno fino preto, a 3,5oo
rs. proprio para casaca ; cortes
de cambraia fazenda superior, a
2,000 rs. ; cBssa piolada, a 1.800
rs. ; algodao trancado meschdo,
proprio para escravos, a 18o ra. :
chita escuras para vestidos, i4o
rs. /lindeza, a 240 rs. o covado :
madaj)ol3o fino, a 4,000 rs. a pe-
ca : alpaca de algodo, fazenda lar-
ga, a 3ooo covado ; pecas de bre-
'- Vende-se urna escrava recolhida, de bo
nita figura, com 18 annos pouco mais ou
menos, que engomma, cose e ensaboa na
ma principal de F6fa-de-Portas, n. 19.
Vende-se urna escrava de 18 annos
com muito bom leite para criar, nSo tem
iilho, e que engomma, cose e cozinha ; urna
dita com um Ollio de 10 mezes, e que en-
gomma, cozinha e faz todo o mais servio
do urna casa ,-umescravo de 20 annos, do
boa figura,e que he ptimo para o servco
de campo e da praca : na ra do Collegio,
n. 21, primeiro andar, so dir quom vende.
A elles antes que se
ucabem
Vendem-sosapatOeade couro de lustro
pelo baratissimo prego de 2,500, 3,000
4,000 rs.; ditos d bozerro franSez, feitos
nopaiz, a 2,500 rs.; sapatfles brancos do
Aracaty, a 4,000 rs.: na ra da Cadeia do
Recife, n. 9.
Vende-se urna parda com urna cria de
6 mezes, aqual he moga e com habilida-
des : o motivo porquese vendo se dirao
comprador; na rut.da Alegra, n.9.
"......mmemmmmma
Escravos Fujei ios
das, para engenho; machinas de
vapor, e tachas Je ferro batido 1
coadq, de todos os tamanhos.
para dito.
Na ra do Cabug, lujado quatro por-
tas, \endem-se botOes de Pedro II ; ditos
amarcllosde bom gosto paia casacas; di-
tos para marinha; ditos para o estado
mainr; ditos de libr de pagem ; dilospre-
tos de diversas qualidades, por prego mais
barato do que em outra qualquer paile.
-- Vendem-se 2 bonitos p re tos de 25 an-
uos, muito bous ganhadores de ra; urna
prela de 25 annos, que rngomnia e cozinha
perfeitamente, faz doce e cose 3 ditas mui-
lo mocas, com algumas habilidades, c que
silo muito boas quitendeiras ; urna parda de
25 annos; una prela de mcia idade, quese
vende muito em conta ; assim como oulros
muilos escravos: na ra da Cadeia do lle-
cil'e, n.51, primeiro andar.
IS'a ra do Cabug, loja de quatro por-
tas, vendem-se gravatinhas de selim para
senhora. a 1,000 rs.; luvas de toreal, (citas
em Lisboa ; cnpolinhos de fil de linho-
bicos de todas as larguras ; bicos do Porto ';
e fitas de velludo.
Vendem-se pec de madatol.lo largo,
com 20 varas, proprio para forro e roupa de
escravos por ser muito forte, com algum to-
que de niofo.a 2,500 rs ; e vaivjado.a 140 rs.;
pegas de chita com algum sujo, a 4,000 : na
ra larga do Rozario, n.por cima da pa-
daria do Sr. Vaienca.
Vende-se um sitio com eirel-
lenle casa de vivenda cochei-
ra que sccnuiioiia Sucavaiios,
c carros: o sitio he cercado de cerca nati-
va, tem grande exlcnso de terreno pro-
prio para tola e qualquer planlagilo, com
150 ps de coqueiros que do fructo, e mais
arvoredos uteis, duas cacimbas d'agoa de
beber e mais beml'citorias quo com a vista
o pretndante se agradar : no Alerrinho-
do-Giqui, 11 128.
Na ra do Cabug, loja de quatro por-
tas, vendem-se las de cores para bordar ;
toucas e capotinhos de lila, proprios de me-
ninos ; chapeos brancos de mola, a 5,000
rs. ; dilos.de cores pira meninos; oleados
ricos para mesa.
Vende-se, na praga da Independencia,
livraria ns. 6 e 8, um pequeo habito da
liosa, proprio para casaca, por 14,000 rs.
cado da fabrica de To-
d os-os* San tas.
Va ra da Cadeia, n. 5,
endem-se por atacado duas qualidades,
proprias para saceos de assucar e roupa de
escravos.
Farelo novo a 5,500 rs.
Vendem-so sacras grandes com 3 ai ro-
bas de farelo, chegadas no ultimo n^vio
de llamburgo : na ra do Amorim, n. 35,
casa de J. J. Tasso Jnior.
E 3
Arroz pilado. <
*| Conlina-se a vender o muito su- *
|r perior arroz pilado branco : na ra j|
1^. da Cadeia do Recife, n. i, armazem 5^
0. de molhados. ^
Vcndem-se pilulas vegetaes de James
Marison, j bem condecidas nesta cidade,
pelas suas milagrosas curas : na ra da Ca-
deia do Recife, n. 48. casa de A. S. Corbetl.
-- Vcndem-se 3 duzias de costado de pu-
tumug, madeira da Rabia, propria par
con>ii iici/ius navaes e para mercenaria : oa
ra do Collegio, n. 21, segundo andar.
.agencia de dwin llavv.
Na ra de Apollo armazem n. 6,de M. Cal-
monlft Companhia, acha-sc constan leu. ente
um grande sorlimento de ferragens inglezas
para engenhos de fabricar assucar, bem
corno taixas de ferro coado e batidode dif-
terentes tamaitos e modelos, moendas
de dilo,tanto para armar em madeira como
rodas de ferro para animaes e agoa, ma
chinas de vaporde frga de 4 cavalloa, alta
pressSo, repartideiras, espumadeiras, ele
de fe i ru esta nhado.Na mesma agencia echa-
se um soi tmenlo de pesos para bataneas,
escovins paia navios, ferro em barra, tanto
quadrado como redondo, salra para i'rrei-
ro e urna porgan de tinta verde em latas:
ludo por barato prego.
~ Vende-se urna casa do pasto j bem
sfreguezada, em um doa melhores lugares
desla cidade : vende-se por seu dono reli-
rar-so para lora da provincia : na ra da
Seuzalli-Velha, n. 84.
tanha de linho de rolo com lo va-
ras, fazenda fina, a 5,8oo rs. ; len-
cos de cassa para grvala, a 3oo rs.
cada um ; e outras muitas fazen-
das por preco commodo, que se
mostrarSoao freguez.
Garrafas vasias.
No armazem da ra do Amo-
rim, ns. 56 e 58, vendem-sc gi-
gos com urna gro/a de garrafas ca-
da um tambem se vendem sac-
cas com farelo com 3 arrobas ca-
da urna, a 3,5oors. a sacca.
J Alantas
pretas de fino crep, e tambem de
? cOres para senhora e meninas, pelo
9 barato prego de 800 rs. : na ra do
? Crespo, n. 11, loja de Antonio Luiz
A dos Santos & C.
Na ra do Crespo, n. 14,
loja de Jos Francisco
Dias,
vende-se esguiSo de algod3o, fa-
zenda de quatro palmo. e meio de
largura e fina, pelo barato uceo
de 320 rs. a vara ; brim tranca-
do branco muito encorpado e de
listraao lado, a 1,280 rs. o corte ;
dito de puro linho cor de ganga, a
,Goo rs. o corte ; e um completo
sorlimento de fazendas por barato
preco.
Vendem-se colleecoes com
meis de seis lindas vistas, repre-
sentando a ponte do Ifecife coma
alandega, a ponte da Jioa-Vist,
a cidade de Oiinda, a ponte cloCa-
chang, l'oco-da-1'ant'lla, e a ra
da Cruz com o arco do Bom-Jesus;
bem como duas grandes vistas de
l'ei nambuco : na ra da Cruz, n.
10, casa de Kalkmann I raos.
Caderasde balanc>
muito commodas, e cadeiras de
asiento de palbinln, vendem-se
por preco muito commodo : na ra
da Cruz, n. 10, armazem de Kal-
kmann Irmaos
Vende-se urna preta moga, o sem vi-
cios : na ra do Sebo, n. 15.
No dia 23 de abril, da rus da. Cacimba,
no Recife, fugio a preta Joanna, crioula, de
25 annos, cheia do corpo, barriguda ; tem
urna cicatriz no lado eaquerdo da cabega,
em cujo lugar nSo tem cabellos : esta pre-
la tem silo vista por differentes vezes na
outra banda: queni a pegar leve-a a pri-
meira venda, antes de chegar ao Hospicio,
que ser recompensado.'
Fugio, no dia II do prximo passado,
urna preta de 80 a 40 annos, de nagio Con-
go, baixa, gorda, cor retinta, bexigosa,
olhos pequeos; tem em urna daa faces um
signal de carne, andar; atrapalhado, porque
puxa por urna perna ; he bastante desera-
baragada no fallar, bastante ardilosa e ca-
paz de Iludir qualquer pessoa que a nSo
conhega bem ; sabe de quasi todaa as pb-
voagdes da provincia, por ter andado a ven-
der uiiudezas pelo mallo, de cujo saber
talyez se tenba servido para melhor Iludir
a vigilancia das autoridades, porque j de
outra vez qua fugio foi encontrada com um
balaio de miudezas para com elle subir par
ra o centro ; chama-se Mura Joaquina ; ji
foi escrava de um senhor de engenho, oba-
mado Manoel Buarque; levou vestido da
chila azul, panno da Costa, camisa de al-
godSozinho e mais urna trouxa com um
vest lo branco, urna saia prela de lila, um
panno preto, um vestido de riscado escuro,
um frasco d'agoa de Colonia, urna faca de
mesa, de cabo branco, urna (galla peque-
na;euma colher de cha. Roga-se, portanto,
8S autoridades policiaes, capilSes Je cam-
po e oulras quaesquer pessoas, que a appre-
hendam e levem-narua dos Quarteis, lo-
ja de miudezas, h. 22, que sero recom-
pensados.
-- Fugio, no dia 20 de abril do corrente
anno, do engenho l'imenlel, comarca do
Cabo, pertencente a Manoel da Rocha Cue-
dos, um escravo crioulo, de nome Joaquim,
alto, reforgado do corpo, cor fula, rosto
comprlo, cabega pequea, ps um tanto
apalhelados, pernas compridas, falla muito
baixo ; he muito callado, sem barba e com
muito poucos cabellos no queixo ; tem fal-
la de denles, perfeilo de pese oaos, de bo-
nita figura; lovou um quarlo rugo-sujo,
de crinas e cauda corladas, de 8 para 9 an-
uos, com urna cangalha com capa de co*-
ro, urna viola branca j usada, de que nic-
ho mo locador; desconfia-se ter do p'ira
Pianc por j ter vindo preso de l ha um
anno e ter sido captivo de Antonio Congal-
ves em Pedra-Tapada. Roga-se as autori-
dades policiaose capitSes de campo, que o
apprchendame levem-noao dito engenho,
que ser3o recompensados.
Fugio, da padaria da Passagem, na
noite de 5 do corrente, um preto da Costa,
ainda bucal, por nSo comprehender a lin-
goa portugueza ; he alto, bastante cheio do
corpo, olhos pequeos, denles bem alvos,
cor bastante prela ; levou caigas de riscado
azul de aldodo, camisa de algodilo tran-
cado branco, bonete de retalhos de chita,
urna espingarda cagadeira e urna' faca de
trinchar: quemo pegar leve-o a dita pa-
daria, quesera gratificado generosamente.
Gra lili cacao.
Fugiof da Cidade de Macei, no passado
abril, a escrava de nome Colecta, do dou-
tor Jos Tavares Bastos, e gralifica-se a sua
apprehensSo nesta praga, ra do Rangel,
n. 36, segundo andar: signaea seguintes:
crioula, moga, disfargada, boa estatura,
corpo espigado, peitos escorridos, e com
visivel queimadura no rosto.
Fugio,|do engenho de Tres-Boceas, no
dia 17 de fevereiro passado, um pardo com
os sgnaes segumtes: baixo, grosso, sem
barba, de 20 annos pouco mais ou menos,
cabellos enroscados, olhos grandes e aga-
1 opados, bem feilo de corpo, pernas e ps,
nariz chato, beigos grossos, bocea regular e
com todos os denles; inlitula-se forro, e
como tal vem monido de um passaporte fal-
so com o qual lladio as autoridades de
liarra-Crande : quem o pegar leve-o ao di-
lo engenho, ou ao Recife, em casa de Ma-
noel Joaquim Ramos e Silva que em qual-
quer das parles ser generosamente recom-
pensado.
Fugio de bordo do palacho Aitrta em
13 de fevereiro prximo passado um escra-
vo marinheiro, de nomo Joaquim, crioulo;
be alto, lem barba por baixo do queixo,
boxigoso, chcio do corpo e representa ter
40 anuos, o qual consta que lem m.li na
cidade de Oiinda : tan.bem fugio de bordo
do patacho Dous-d; Ver. o em 16 de abril
corrente, um escravo marinheiro de nomo
Miguel, nagSo Mina, cor prela, estatura
regular e cheio do corpo,. representa ter 30
annos, levou vestido roupa de algodSo usa-|.
Ja e neulca-se ser forro, os quaes sflo de*^
propriedade doSr. Francisco d Silva Flo-
res, negociante do Rio-Crand do sul. Pe-
de-se a (odas as autoridades policiaes a ve-
ricago de quaesquer escravos, que sejarn
capturados, e aos cipitSea.de campo muito
se recommeuda sua captura, gratificando-se
a quem os trouxer, nu ra da Cadeia, n. 39,
casa ilo Amorim IrmSos, reconhecendo-se
os prupis. pelo primeiro com 100,000 rs. e
pelo segundo com 50,000 rs o quo se ga-
iaule pelo presente.
(bin. : >a rrp. de h. i. de faiu. -1850


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EYAHTCADV_ZDI8PH INGEST_TIME 2013-04-24T17:49:26Z PACKAGE AA00011611_06903
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES