Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06899


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno XXVJ.
Sexa-fera X
PARTIDA DOS COB.BXIOS.
Goiannae Parahiba, segundas sextas feI ras.
Ilio-Grande-dn Norte, quintal felras aomelo-
da.
Cabo, Sarlobfiem. Rio-Formoso, Porto-Calva
e Macelo, no 1.', a II, e 21 de cada mez.
Garanbun e Bonito, a 8 e 23.
Hoa-Vista e Florea, a 13 e 28.
Victoria, s quintas feira*.
Ollnda, todos os das.
xrsa
/Ming.
Ph.^*.}*
Chela
a 4, s 8 h. e 20 m. da ni.
a II, s 8b.e 4 a 18, I h. e 33 m. da t.
a 25, s 9 h. e 48 di. da t.
PBEAHAB HOJK.
Prlmelra aos 9 horas
Segunda aos 9 llora
e 18 minutos da manhia.
e 42 minutos da tarde.
de Maio de 1850.
N. 100.
VBZOOS DA iDDscangio.
Portresmezea(adia*iado<) 4/0001
Por seis mezes 8/000
Por un anno 15/000\
FIA! DA BXMAHTA.
29 Seg. S. Pedro Martyr. Aud. J. dos orf. e m. 1 V.
30 Terc.S. Catharlua da Sena. Aud. do chae, do
i. da 1. v. do civ. e do dos feitos da fazenda.
1 Quart. S. Filippe e a. Tiago.
2 Quint S. Athauailo. Aud. I. dos do orf. e do
in. da 1. v.
3 Seit. S. a* Invencao da Santa Curz.
4 Sab. S. Monlca. Aud. da Chae, e do J. da 2. v.
do crlmc.
5 Uoiu. A Matcrnidadcdo Nossa Senhora.
CAMBIOS D11DI MAIO.
Sobre Londres, 28 d. por 1/000 rs. a 60 das.
. Pars, 346.
> Lisboa, 95 por canto.
Oaro Oncas hespanhoes......... 29/000 a 29/500
Jlocdas de (5/400 velhas.. 16/800 a 17/000
* de 6/4O0novas- M&400 a 16*|600
. di 4^00........... 9/200 a 9/400
JV*U.-Patacoes brasileiros...... \/M> 8#00ji
Pesoacolumnarios....... ]/0 a 1/980
Ditos mejicanos.......... 1/W ,#B*0
PARTE orna ai.
GOVERNODA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 25 DE MARCO.
onioio.Ao inspector di thesouraria da
fazenda, commullicando que, segundo foi
declarado em aviso doministerio do imperio
de 26 de fevereiro ultimo, S. M. o Impera-
dor houte por bem pprovara deliberarlo
que tompu de mandar admittir inais dous
remadores ao servico do esclenla inspec-
cSo da saude do porto desla cidade.Inlei-
fou-seo respectivo provedor.
Dito.-Ao engenheiro Jos Mamedo Alves
Ferreira.Tendo pprovado o projrcto de
um cemiterio publico, que foi organisado
pela commissfio, de quo Vmc. fez parte, o
tenho enviado cmara municipal desta ci-
dade, e i commissfio dos rstabelecimentos
de raridade para que de accordo entre si
hajamde mandar proceder s obras neces-
arias, tendo Vmc. a direcco scientifica
dellas, e porquanto para exccuQo das obras
projectadas, alm do predio j adquirido,
he neces.saiio que sejam desapropiadas va-
rias porces de terrenos pertenecntes a va-
rios sitios que cercam o predio provincial,
6 essa desaprnpriac3o fin do s r feita nos
termos da lei n. 9 de 10 de junlio de 1835,
conforme est disposlo no artigo 4." da lei
n. 91 de 7 de maio de 1841 ; cumpre que se
conheca primeiro que ludo, a eitBiwaO do
lern noque deveser desapropriailodo refe-
ridos sitios vizinhose limilroplies ilo | ivdio
provincial j adquirido ; pelo que ordeno
Vmc. que passe imme lialamenle a fazer a
demaicacfio desse terreno, collocaudo pos-
tes, e medjndo a extensSo e rea de cada
ii ii. declarndoos nomes dos Toprietarios,
a quem perlcncem, uliin de que se late de
contratar ainigavelmenle com elle* sobra a
ci'SsSo dos referidos tenorios, e em falta de
aecordo, so procela nos termos subsequen-
tes da desspropriacSo na forma da referida
lei ti. 9.Ncsle sentido ofliciou-so cmara
municipal dcsla cidudo. fidministracaodos
esUbelecimentos docaridaJe.
DEM DO DA 26.
Cilicio.Ao commandante das armas, re-
metiendo copia do aviso de 5 docorrenle,
peloqtialS. SI. o Imperador, manda louvur
em seu imperial nome os ofliciaes e pracas,
quese destinguiram no ataque de 26 de Ja-
neiro ultimo contra os revoltosos desta pro-
vincia.
Dilo.--Ao director do moute pi dos ser-
vidores do estado, enviando em consequen-
cia de requisir, flo do inspector da thesoura-
ria de fazen.la desla provincia, una lotlra
sacada sobre Tinoco & Modeiros a- favor do
thesoureiro daquelle eslabelecimento, ds
qninliade 515,926 rs, em que imporlaram
as contribuices pagas de 29 de o t b o do
anuo prximo passado at li do marco cor-
rente pelas pessoas mencioruidas na i elaeo
que remelle.Scienlificou-66 o inspector
da lliesouraria j mencionada.
- Dito.Ao presidente da rela?3o, commu-
iiicaiido que, segundo consta de aviso do
ministerio da ju&tica de 7 de marco corre-
te, s. SI. o Imperador houvera por bem re-
conduzir a S. S. no lugar de presidente da
relaeflo dcsla provincia.
' Dito.Ao commandante da poica, intei-
rando-o de ter concedido ao alferes do quin-
to batalhao de fuzileiros Vicente Ferreira
Lima dous mezes du licencu pura tratar de
su a- sade.
Dito.Ao inspector do arsenal do ni iri -
nlia, declarando que pode elevar afiiors
diarios, o salario dos serventes empregados
as obras do mesmo arsenal.
Dito.Ao inspector da tbesouraria da fa-
zenda provincial, para que mande adianlai
ao engenheiro Milet a quantia de 1:000,000
rs. para occoirer s despezas a fazer-so com
a obra do nono lanco da estrada da Victoria
visto achar-se quasi esguiada a seyundu
preslacSo de igual quantia que para o mes-
mo li ni se mandou fazer ao ditoengeuhei-
ro. Communicou-se ao adoiinistrador das
obras publicas e ao mencionado enge-
nheiro.
Dito.-Ao director do arsenal de guerra,
autor'sando-o a despender a quantia do rs.
275,000 com a compra de azeito de coco, di-
to de carrapalo, velas de carnauba, lio de
algodSo e pavius, para lomen ment de lu-
zes s fortalezas e con os desta guarnicSo e
bem assim a quantia necessaria para a com-
pra de seis costados de pao de oleo para co-
roulias de espingardas e 24 duzias de laboas
de pinho deassoalho para tnanufacluracSu
de caixOrs de soldados fallecidos e oulras
obras.
D1I0.--A0 sdminislrador das obras publi-
cas, remetiendo lieseonlas das despezas,
que se Hzeram coai a conclusivo da segundo
parle do nono balando da estrada da Vic-
toria na in.porlancia de 116,600 rs., 75,220
rs. e 79,780 afim de que nundo acreditar o
engenlu-iro Uilel as leferidas quaulias.
Scuntilicou-se o dito engenheiro.
D1I0.--A0 imsmu, para n.andar proceder
com urgencia aos concertos de que necet-
-ailaa priso dociJieda cadeia desla cida-
de.Iiitelligenciou-se o chele de polica.
Dito.Ao mesmo, exigindo a remessa de
quaesquer IrabaHios que possam existir na-
quella repaitico acerca dosestudos graphl-
cos da parle da eslra.la do sul, os quaes ani-
da se nilo acliam fritas.
1 01 Un ia.--.Noiiu!ndo director do collegio
dos urphaos em Olinda a Joaquim reman-
des Cama.Coinniuiucou-se a aduiinistra-
co no paii 111101110 do mesmo collegio.
DEM DO DlA 27.
Oflicio. Ao couiuiaudaiilo das armas,
communicando que, segundo constou de
aviso do ministerio da (uerra de 5 do cr-
reme, S. M. o Imperador, em defer nento
ho requerimento dos capites Antonio Jos
los l'assos e D. Carlos Rallhasar da Silvei-
ra, lio 11 ve por bem conceder passsgem por
troca, ao primeiro para a sexta companhia
do segundo natalhflo de cacadores, c a o se-
gundo para a segunda companhia do dopo-
sitoderecrutas da Bahia.Communicou-se
igualmente ao inspector da pegadoria mi-
litar.
DilAo mesmo, inteirando de que S
M. o Imperador houvera por hem conceder
passagem para o terceiro batalhto de cala-
dores ao primeiro cadete do segundo de
artilharia a p Joaquim Jos LuizdeSouzs.
I)ito.--Ao mesmo, pafa que, em cumpri
ment de aviso do ministerio da guerra de
13 docorrenle, maule proceder a consellio
de nquiricoa respailo do tcneute quart,1-
me-tro do quinto batalhiTo do cacadores
Francisco de Paula Sa Peixoto, nos termos
do 3. do artigo 2* do decreto n. 260 do
primeiro de dezembro de 1841, visto que
das informacOes semestres do referido cor-
no consta que o mesmo oflicio tem m con
ducta.
Dito. Ao mesmo remellen lo copia do
aviso de 17 de agosto do anno prximo pas-
sulo, peloqual S. SI. o Imperador foi servi-
do autorisar 1 presidencia a mandar para a
Rabia as pracas iiiulilicaJas em comba'e
pertencontes sos dilTerentes corpos qua exis-
ten) nesta provincia, o bem assim quaes-
quer oulras quu se acharem em idnticas
circumstancias.
Dilo. Ao inspector da thesouraria de
fazenda, enviando a niiacilo do corneta Ja-
nuario Francisco Carneiro, quo se alistou
para servir no terceiro bstalhflo da guarda
nacin il desle municipio, ali.n de que Ihe
nianilc abrir o competente assentawenlo
'e praQs.--Scientilicou-so o commaiidaiite
superior respectivo.
Dito. Ao commandante da prac com-
municando que S. M. o Imperador, houver*
p"or bem conceder passagem para a c mu a
libia fita de cavulhna da Babia ao pi'imeirn
cadete do segundo hatall.lo de fuzileiros
Jos Pedro Domingos de Cont.
Dito Ao mesmo, inteirando-o de que,
segundoconstou de iviso do ministn-j guerra de II do crrente, no vapor Para-
nte, foram transportados para esta provm
cia a reunir-sea st-us respectivos corpos os
soldados do primeiro lia tal hilo decacadon-s
Mannel Comes da Silva, do segundo Manoel
Jos Damasceno, do oilava lunocncio Pe-
rcha da Silva o tlilario Antonio da Costa,
do segundo de fuzileiruS Joan Soares, Ma-
nuel da Trindade, Antonio de Frcitas, Jos
Itomoe Manoel Francisco da Silva.
Dilo. Ao mesmo scienlilicndo-o de
que, segundo consta de aviso do ministe-
rio da guerrs.de II do crreme, se manda-
ra addir a um dos corpos da guarnidlo d
corte, at que siga para o sen dostino o ca-
pilo do oitavo batalhilo do carpidores Jos
de Almciiia l'ni'o Proencs, que Onalisou a
licenca com quu all se achava. Inlel-
ligenciou-se o inspector da pagaJoria mi-
litar.
Dito. Ao mesmo, communican lo que
S. M o Imperador dignra-se conceder pas-
sagem para o piimeiro batalhao de fuzilei-
ros ao seguudo cadete do segundo da mes-
ma arma Augusto Justinianno Je Faria, qut
se acha nesta p'ovincia.
Dito. Ao mesmo, inleiranJo-o que S.
M. o Imperador, huuvera por bem conceder
tres mezes de licenca para r corle, ao
primeiro cadete do segundo batalllo de fu-
zileiros Francisco Antonio da Veiga Cabral
de Mora \s di Mesqoita l'illien'O'. Scien-
lilicou-se b inspector da pagadoria mi-
litar.
Dito. Ao promntror publico da compren
lo Becifc. llavendo o Exm. ministn da
fazenda, declarado no aviso por copla in-
cluso, que n.lo sendo o faci pratlcado pelo
ex-thesuureirj dos ordenados desta provin-
cia Luiz Bodrigues Sette, dos ciimpreheu-
didos no artigo 2 do decreto de 5 de de-
zembro do anno passado, deve contra elle
receder-se judicialmente por tercoinmet-
tido o crime do peculalo: ordeno a Vmc.
que nos termos da lei promova a accusacSo
do referido ex-thesoureiro, requisitando ao
inspector da lliosouraria da fazenda os do-
cumentos que forem necessii ios para ins-
truir essa aecusaco. -- Inteirou-S1) o menci-
onado inspector.
Dilo Ao inspector da pagidoria mili-
tar, communicando que, segumlo foi decla-
ro em aviso do ministerio da guerra de 8 do
corronte, os ofliciaes do estado maior, em-
pregados em fortalezas, teem direilo
el pe.
Dito. Ao mesmo, para que remella a li n
de ser enviada ao Exm. ministro da guerra,
que a requisita, a guia do segundo lente
do segundo batalhilo de ruinara ap, Jos
Francisco de Castro Leal.
Dito. Ao inspector da thesouraria da
fazenda provincial, para que mande adian-
iarao engenheiro Milet a quantia de 1:000/
fin de poder elle ejecutar por administra-
filo as obras necessiriss para dar cscoa-
menio aa agoas empoc>d*s no lugar deno-
minado Agoa da materia. Communicou-
se ao meamo engenheiro e aoadminislrador
das obras publicas
Dito Ao juiz de direilo ila comarca de
.Nazarelh. Accuso recebido o oflicio do
Vmc. datado de 23 do cuiimiio, em quo
me communica o e&tado oin que so ach es-
sa enmarca viciima das fobres reinantes
A resucito das providencias que pede, te-
nho a declarar-lhe, que pode autorisar ao
pharmaecutico Braz Marcollino do Sacra-
mento, a fornecer gratuitamente os me-
dicamentos s pessoas indigentes, sendo
osse fornecimento autorisado pelo respec-
tivo parocho, com quem dever Vmc. se en-
tender a retpeit, cumerindo que contrate
com o dito pharmaceutico, e remella op-
portunamente a esa presidencia a conta
dos medicamontas fornecidos; quanto, po-
rm, nomeaefio de Joaquim JosdeSouza
Noves para tratar dosdnentos, tenho a pon-
Icrar-lhe quo nilo tendo ella um titulo,
quo o habilito a curar, nilo posso autorisa-
lo para isto.
Dito. Ao administrador do correio des-
ta cidade, commuuicamlo que, segundo
constou de aviso do ministerio do imperio,
fram nomcadosemll docorrenle Joaquim
Goncalves Ayrcs, para o lugar quo ja servia,
do agente do correio da villa do Flores com
o vencimento do 50 por cento do rendi-
miento total da respectiva agencia, o Joa-
quim Concalves de Lavor Ayros, para o de
ajudanio com o vencimento do menciona-
do agente, quando o substituir as suas
faltas ou impedimentos.
Dito. Ao engenheiro Mame le, para que
v examinar o estado em que se acha a
ponte dos Afogados, e informe se he sus
ceptivel de concert ou se ser necesario
construi-la de novo.
Dito.Ao agente da companhia das bar-
cas de vapor, recommcndnndo a expediefo
de suas ordens para que o commandante do
vapor llahiatt'i, entregue o retrato de S. M.
o 1. que conduzio da corte pera o tribunal
da relaeHo desla provincia.
Portara Nomean-lo ajudanto do pro-
curador fiscal da thesouraria da fazenda
provincial na comarca de Flores, ao promo-
tor publico da mesma comarca, Joaquim
Eduardo Pina. Fizcrani-se as necessarias
communicaQOes
DEM DO DlA 30.
Oflicio. Ao commandante da guarda
nacional do municipio do Becife, decla-
rando lia ver approvado a proposla de Joa-
quim Tavares Hodovalho, para alferes da
2.* companhia do 6.' batalhilo da mesma
ginnla nacional.
Dilo. Ao commandante da praca, intei-
rando-o de haver concedido tres mezes de
l'iicenca, para tratar-sn na corto, ao 1. c-
lelo do 1." batalhilo de cacadores Carlos
Celeslino Damasceno Rosado.
Ditd Ao mesmo, inteirando-o de haver
arbitrado a gratificaeo de 100,000 rs. ao
sargento quartol-mestre do 4." batalhilo de
artilharia a p, Francisco Pedro Borges,
que pedio novo engajamcnlo no excrcito.
-- Scientificou-se ao insjicctor da pagado-
ria militar.
Dito. Ao mesmo, declarando ter arbi-
trado a cada um dos soldados da companhia
de ariifices, Manoel das Neves Barbosa, e
Jos Francisco Santiago, a gratUicacno de
100,000 rs. visto haverem-se olTerecido para
novamente engajar-se no exercito. Intel-
ligenciou-sc o inspector da pagadoria mi-
litar.
Dito. Ao mesmo, preveuindo-o de que
lanto o 2. cadete Augusto Jusliniano le
Farias como o que leve passagem para a
companhia decavallaria (xa da Babia, dc-
vem estar promptos a seguir a seus des-
tinos no prximo vapor.
Dilo. Ao agente da companhia das bar-
cas de vapor, para que faga embarcar no
primeiro vapor que seguir para o sul, um
caixio contendb far.lamento para as pra-
i;.'.s do 2." batalhilo de artilharia a p, que
su acliam destacadas na provincia das Ala-
_as. Conimunicou-seao commandante
da pra?a.
IDI.M DO DlA 2 DE ABRIL.
Dito. Ao inspector da thesouraria da fa-
zenda provincial, para que mande pagar a
Antonio Jos Gomes do Correio, arremalan-
te da obra do segundo lanco do caes do ra
la Aurora, a segunda preslacSo do contra-
to celebrado com a mesma thesouraria, vis-
to ter elle feito 2/3 da referida ohra. In-
teirou-so ao administrador das obras pu-
blicas.
Dito. Ao mesmo, para mandar adian-
tarao engenheiro Mameda dous rontos de
ris para a continuacllo da obra di cadoia,
que se est construindn nesta cidade, visto
acliar-se escotada igual quantia que para o
mesmo flm se Ihe mandou abonar.Intel-
ligenciou-se ao referido engenheiro o ao
administrador das obras publicas.
Dito. -. Ao inspector do arsenal de mari-
nha, o limando que mande desembarcar
!im tanque inutilisado, que existe abordo
'lo briguc Caliope, e substituido por outro
Communicou-so ao commindante do re-
ferido brigua.
Dito.--Ao inspector da pagadoria mili-
lar, para que receba'o cofre do terceiro ba-
talhilo de artilharia a p, que Ihe foi remet-
tido pelo commandante do mencionado cor-
po. Scientificou-se ao comntan lante da
rrac.
Dito. Ao mesmo, remetiendo a guia do
alferes Miguel Comes de Azevedo, que leve
passagem do corpo fxo do Cear para o
quinto batalhao de fuzileiros.
Dilo. Ao mesmo, determinando que
suspenda o pagamento do meio sold, que
consignara nesta provincia sua familia o
alferes da quarta classe do excrcito Joa-
quim Jos de Oliveira, e remella a respec-
tiva guia afim de-ser enviada ao Exm. pre-
sidente do Para.
Dito. Ao engenheiro Milet, para que v
ciamln.ir com cuidado o estado em que se 3-
cha a ponte pensil sobre o rio laboatao, aflu
de proceder aos concertos de que ella precisa.
Portara. Ordenando ao agente das barcas
de vapor haja de dar suis ordens para que o
coinninnilante do vapor S.-Stbiutiio receba a
seu bordo, e ennduza para a corte otenrntr
los deSiqueira Lima, c o cadete yrilo Eloy
Pessoa que vao continuar os seus estudos na
escola iniliiar. Scicniiilcou-se ao comman-
dante da praca.
Dita. Ao agente das barcas de vapor, para
que mande dar passagem psra a llahia na bar-
ea.S SeMiMo ao primeiro cadete Jos Pedro
1 > i'iiin.: n.-s de Couto, e para a corte ao segun-
do AugiKto Jusliniano de Faria. Inlelrou-se
ao coiuinaiidante da praca.
OITico. Ao presidente da Babia, remet
leudo a guia do primeiro cadete segundo
sargento Jos Pedro Domingues do Coulo,
Sueseguopara aquella provincia no vapoi
Sebattiio.
Dito. Ao inspector da thesouraria de
fazenda, transmiltindo o aviso de urna ct-
ica da quantia de 1 526,000 rs. saccada pela
lliesouraria do Rio-Crande do norte sobr<
essa, e a favor de J0S0 llenrique de Olivis
Regueira. -- Parlicipou-se ao presidente d;
me>ma provincia.
Dito. Ao mesmo, remetiendo o avise
de urna le lia na importancia de812,000 rs.,
sacada pela thesouraria do Rio-Grande do
norte sobro essa a cargo de S. S. e a favo'
de Joaquim Ignacio l'ereira. Communi-
cou-so ao presidente da mencionada provin-
cia.
Dito. Ao commandante da piaca, re-
commendando, em consequencia de requi
sigan il*presidente da Parahiba, a expedi-
Clo de suas ordens para que o primeiro-le-
nente do quarto batalhao de artilharia a p.
I.eopoldino da Silva Azevedo, e o secreta ni
do mesmo batalhilo, Joaquim Fabricio di
Mallos, se apresentem ao mencinalo pre-
sidente, munidos das competentes guias, o
nrimeiro para servir un commando >io corpu
de polica, e o segundo pira organisar a es-
crpluraQ.lo e contaliilidade do dito corpo ;
e bem assim que faca seguir para a referida
provincia o segundo sargento Manoel Lean
dro de Mello, que tem de substituir ao pri-
meiro sargento Cezario Fortnalo dos San-
tos. Parlicipoa-se ao mesmo presidente
Dilo. -- Ao metmo, remetiendo a guia do
primeiro sargento do quarto batalhilo de ar-
tilharia a pe Cezario Fortunato dos Santos,
aflu de que se Ihe de o conveniente destino.
Sdi-ntiuciiu-.se ao presidente da Para-
hiba.
Dito. -- Ao mesmo, communicando le
conce lido dous mezes de licenca com sold
para tratar de sua sade na provincia da
Parahiba ao alferes do quinto batalhao de
fuzileiros Vicente Ferreira de Lima.
IDF.S1 DO da. 3.
OfTiclo. Ao cointnanilante da praca, com
niunicandoque S, M Imperador houvera por
bem conceder seis mezes de licenca com sold
simples ao alferes do primeiro batalhao de ca-
cadores Manoel Joaquim Relio, para tratar de
sua saude. Inteirou-se ao inspector da pa-
gadoria militar.
Dito. Ao mesmo, scentlcando-o de ter
concedido tres metes de licenva com venci-
mentos ao particular do oitavo batalhao de ca-
cadores Francisco Slanoel de Faria para tratar
de -na saude na curte.
Dito. Ao inspector Ha alf.indeg, para que
consinta 110 despacho, Isento de dilos, de2011
grozas de torcidas que o inspector do arsenal
de inarinli.i mandou vir de Liverpool, por in-
ermedio dos negociantes Dawshy 61 C, para
consumo do phaiolda barra desta cidade, as
quaes fumn desembarcadas da galera Strafina,
escacha na mesma alfandega. Inteirou-se
ao mencionado Inspector.
Portai ia. Recommendando ao agente da
companhia das barcas de vapor a expedicao de
suas ordens para que o commandante do vapor
S.SibalUio receba a sen bordo e couduza pie-
so para a corte disposiyo do F.xm. ministro
ila guerra o capitao do terceiro batalhao de ar-
tilharia a p Joo Francisco Ltete.
DEM DO DlA 4.
ORiiio. Ao commandante das armas, re-
metiendo copla da provitao do consclho supre-
mo militar de 14 de Janeiro ultimo, determi-
nando a mamila de corresponder as salvas que
se dereni aos subditos brasileiros quando fo-
rem a berdo de embarcacoes de guerra cstran-
geli'S. Iguacs copias rcmctterain-se ao com-
mandante da corveta Januari.i, ,10 comnian-
dame do brigue Caliope, c ao capito do porlo.
e inspector do arsenal de Slarinha.
Dito. Ao enloma ma nte da pie, a, declaran-
do haver rbilrado a gratiHcaco de 00,000 rs.
ao paisano Jos Francisco dos Santos, quese
offerecera para servir no exercito, e prevenin-
do-o de que deve mandar alistar o referido pai-
sano na companhia fita de primeira linba des-
ta provincia. Scienlificou-ac o inspector da
pagadoria militar.
Dito. Ao mesmo, inteirando-o de que pu-
de mandar engajar para continuar no servico
de primeira liuha o soldado da companhia de
ariifices Jos de Paula Nunes, certo deque Ihe
tem arbitrado a gratifcacao de 80,000 rs. nos
termos do decreto e regiilamenfo de 18 de no-
vembro de 1848. lntelligenciou-ie o inspec-
tor da pagadoria militar.
Dilo. A o chele de polica, aulorisando-o a
mandar comprar os oilenla lencoes, vinte col-
ches e oulros tantos cobertores, que Ihe fo-
ram requisitados para a enfermarla da cadeia
desta cidade.
Dito Ao inspector da lliosouraria da fa-
tenda provincial, re/neltendo compr terne-
mente approvados a planta e orea ment do
alterro e ponle dos remedios, alin de que
faca por em airematacSoa referida obra, e
advertindo-o de que deve ella ser concluida
dentro du prasu de quatro mezes, e nfu.
do de seis como se acha estipulado as clau-
sulas da arrematarlo.
Hilo. Ao mesmo, para quo mande pagar
a Caetano Jos Coolho,arrematante da grade
de de Trro da ponte da Boa-Vista, a primei-
ra presiono do seu contrato, visto ter elle
feito inetade da referida grade. Commu-
nicou-se ao administrador das obras pu-
blicas.
Dilo. Ao director do arsenal de guerra,
concdetelo a aulorisacSo, que pedio para
despender a quantia de 240,000rs coma
compra de 25 arrobas de cobre 'voltio, para
factura de punhos de espada ; bem como do
nachinismo e (arrachas para a mangueira
da bomba deapsgar incendios, que se est
apromplando 110 mesmo arsenal.Inteirou-
se ao inspector da pagadoria militar.
Dito. Aoadminislrador das obras pu-
blicas, remetiendo as cantas relativas s
lespezas feitas de 17 de fevereiro a 9 de
margo ltimos com as obras do 17 lanco da.
estrada da Victoria, na importancia de rs.
2I0/459..389//629 e 527/660, afim de que
mande acreditar o engenheiro Milet as
mencionadas quintins. Inlelligenciou-su
o referido engenheiro.
Dito Ao mesmo, transmiltindo aconta
las despezas Tejas com a conclusfd) do 12
lanco da eslra la do Pao-do-Alho, de 3 a 23
demarco ultimo, para quo mando acredi-
tar o engi'iinniro Milet, na quantia de rs.
-'85/180, 0111 que importa a mencinala
cunta. Scienlilicou-se o referido enge-
nheiro.
Dito. Ao mesmo, enviando as cotilas do
que si despendeu com a conclusao das obras
do 16 I meo da cslrada da Victoria, de 2t
de fevereiro a 9.de mano ltimos, na im-
portancia de 259/9G0 c 255/920, alim de
que faca acreditar o engenheiro Milet, as
lilas quaulias. Communicou-se ao dilo
engenheiro. v
Dito. Ao engenheiro Milet. para qua
proced aos concertos da que precisSo a es-
lra da Victoria e as puntes da mesma es-
trada.
Dilo. Ao mesmo, remellen lo a planta,
orcamentoe mais trabalhos graphicos per-
tenecntes ao 7. e 8 leos da estrada do
sul, bem como os relativos ponte de Pira-
pama, afim de que passe a rstifica-los, e
informe, se eslo em estado de se por em
arremata (Ho.
Dito -- Ao mesmo nteirando-o de que
expedio nrdein a a lminislrac,;lo das obras
publicas, para mandar rrceber ni thesoura-
ria da fazenda provincial, e entregara S:lc.
1:000/000 rs. afim de continuar c kii as
obras do IG lanco da estrada da Victoria, a
lelerminou a mestna tbesouraria, que di-
rectamente Iho nliantasse igual quantia
para as obras do 17 lanco da mencinala
estrada. Neste sentido expediram-se as
conven entes ordens.
Portara. Demitlindo a Antonio Marques
de llollsiula Cavaleanti do cargo do subde-
legado do primeiro districlu da freguezia da
Kscada. Couimunicou-sc ao chefe de po-
icia. ______.____________
Cornil ia mo das armas.
Quarlcl general na villa do llonito, 27 di fe-
vireiro de 1850.
0ROEU DO DlA N. 7.
O Sr. mnrechal de campo graduado An-
tonio Canea Sears, commandante das ar-
mas desta provincia, delermina, que o cor-
po de baledores fique desligado da primeira
irriga la : conseguintemonln, o Sr. major
Francisco Vctor de Mello e Albuquerque,
'ommandante do dilo corpo, enderece aa
suas participares inmediatamente ao mes-
no Sr. general, com promptidilo o zelo,
como importa ao hem do servico.Filela*
no Amonio t'alcao, tenente-coronel, ajudan-
te general.
Quarlet general na villa do Bonito, 1." di
marco de 1850.
ORDEM DO DlA N. 8.
O marcena 1 decampo graduado.comman-
lante das armas desta provincia, em conse-
quencia da nrcossidada quo ha, de que o
Sr. lente coronel Feliciano Antonio Fal-
cflo. commandante do quinto batalhao de
fuzileiros reassuma o mesmo commando,
delermina que fique, extncta a reparlcao
de dopulado ajudante goneral, que o mes-
no tcente-coronel excrcia.
Outrosim, determina o referido gene-
ral, que o Sr. capitao do cstado-maior do
exercito Manoel Rodrigues Barros Fonseca
de Rrito, passe a exercer as funccOes de aju-
dante de ordens do commando das armas
Icsta provincia ; e que icgressoao terceiro
batalhao de artilharia a p, ao qual perten-
ce, oSr. capitao Jos Pedro IIcytor.-4n nio Correa Seraf
Qwuttl general na villa do Bonito, 2 de
mareo de 1850.
ORDEM DO DlA N. 9.
Manda o Sr. marcchal de campo gradua-
do Antonio Corra Sera, commandante
las armas desta provincia, que se publique
o ullicio do Exm. Sr. presidente da provin-
cia, que he do theor seguinto.
lu cumprimento do aviso imperial de
23 de Janeiro ultimo haja V. Exc. de dar
suas ordens, para que os ofliciaes e cadetes
que forem alumnos da escola militar, e
quizerem concluir o curso de suas respecti-
vas armas, liajao de apresentar-se nesta ca-
pital ateo ultimo do mez correte.
11 Dos guarde a V. Exc. Palacio do gover-
110 de Pernambuco, 18 de fevereiro de 1850.
Honorio Hermilo Carneiro l.eau Sr. ma-
rechal commandante das armas desla pro-
vincia.
O que o mesmo Sr. marechal de cam-
po graduado ordena que sejam cumpri-
das com toda a pontualidade as ordens ex-
pressadas no ollicio snpra.--.tfuoe Rodri-
i/ues liarroi l'onuea de Brito, capitao aju-
dante de ordoos.


!0>!
.
PEr.NAKBUGO
llAl.ANCO DA RECEITA K DESPKZA DA CA-
MAMA MUNICIPAL 1)0 RECIFE NO MEZ
!>K ABRIL DE 1840.
Ileceila.
Imposto ile '-'.OOO rs. sobre mas-
cates e boc .]ras, ns. 92 a 97
CordeagOes e licongas, ns. 54 a
08
Fraga do mercado da frcguezia
de S.-Jos, ii 3
Multes por infracgOes de postu-
ras arrecada Jas pelo subdele-
gado do i'cil-, ns. 52 a 53
Dila pelo cdigo, n. 1
Extraordinaria
Malango do mez de margo p p.
Supprimenlo feilo com fon ios da
cmara
Ris
Dapeza.
Ordenados eeommssflo do mez
de margo, e saldo donovembro
e de/emhro p. p. 08. 8 e9
l.inipeza das ras, ns. 7* a 88
Eventuaea, ns. 18 a 21
i', san orn de divida pretrita,
decretado na le do orcamcnlo
ns. 7*9
Obra dos palcos de S.-Pedro e
Carmo, na. 53 a C9
Concert da ponte da tua da Au-
rora, d. 2
liis.
12,000
108,000
200,000
128,000
4,800
992,060
1:441,860
1:528,365
2:973,225
632,799
3:606,024
f:083,136
416.760
60,160
853,908
992,060
200,000
3.606,024
Contadora da cmara municipal do Ro-
cife, 1 doma o de 1850.
O contador,
Matiocl Gregorio ta Silva.
D/ll) IfR PKR\\BI!i:.
BECIFC, 2 DE MAIO DE ISSO.
Das gaznas que trouze o vapor Korihtrnal
chrgado ltimamente de New York, extrata-
11,1.- ni,"- o segui.ie !
No dia 20 de feverciro do corrrnie auno re-
bentmi cin Cu yaquil 00 Equarior una revolu-
to militar e Ii. Diogo Vuvoa foi proclamado
dictador a 3 de marco prximo passado. Ate
dala das ultimas noticias (4 de marco) a boa or-
drm linda sido observada.
A disputa entre a Inglaterra e a Grecia anda
nao se aeliava iiileiranienle regulada ; porin
por Intervencao do enviado francs, Mr. Gros,
0 almirante Parker liaba levantado o sciniblo-
qurio por un tenipo rasoavel al que algiiui
amojmenlo definitivo fosse roncluido, con-
servando entretanto eui scu poY 33 navios
gregos como pculior do pagaiueulo das rccla-
m.i, i,,-, i|oi Hiera,
O gabinete de .Madrid nrgociou com capila-
liltat lirsp.iiihca un einpresliiiio de 30,1)011,0110
de reales a juro de nove por vento. Ksia quan-
lia deve ser piala ;i disposicao do onde de Mi-
rasol, o qual fura cucarregado de una inltsio a
llha de < uba.
O nhjecto da missn do cunde, segundo gc-
ralmente se cria, lie collucar a illia cm un es-
tido respeilavel de defensa aflu de b.ibilita-la
.1 resistir a qualquer tentativa que possa ser
feita pelas potencias qup cobicam rala valiosa
colonia. O conde de Mirasol deve ser acoiupa-
nlmdo por un general de artilbaria, un dito
de engenlieirus e varios ofllciaes do estado-
nninr e empregados das dillerentcs reparlices
ministeriaes.
Corra que lord Palmer>ton linlia dirigido
nina ola enrgica au govnno licspanliol quei
xaudo-se da maneira escandalosa pela qual ae
faila em ("uba o tralico de escravos, e anira-
cando bloquciar a lina, se suas rrprcsVnlacoes
nao fosseni atlendidas.
No dia (i ile rnarfo o grao duque de Badeui
abri em pesssoa a sessao da dieta de seus es
lados, llepois de diier alguiiias p.ilavras sobre
a insurreicao do anuo prximo passado, o grao
duque, diz a Daily TriLun de Neiv-York, ex
pressou-seda inaneiraseguiuteacerca da ques-
illo germnica:
Restaurado ao throno de ineus antepassa-
dos, tenbo (ello outra vez que as leis sejam res-
petadas, c salvando a constiluicao, teulio le-
vantado um estandarte rui torno do qual si
deven) reunir lodos os que desejam dedica
seus esforcos lionra e prosperidade da patii i
porin tildo depende rssenvi.-iliueule da feliz aoluejo ila
graude quesillo da constiluicao que conserv.i
lodos os estados da Alleiiiaulia em um estado
ineessanle de agltafo., A priuieira tentativa
inalogrou-se inteirainete. Uaisegunqo lucio
est sendo agora tentado por urna allianca con
cluida pela Prussia com varios oulros estados.
Dei a n ol.1 adheso a esta allian(a de coufor-
nidade com os senliinenlos que tenho lempre
manifestado e com a liriuc iiitcurao de fa/.ei
ludo o que estiver ao meii alcance par' satiafa
zer s justa uecessidades di iiac.io, e tornar ,
Alleuiaiilia unida no interior e forte no exte-
rior. De aecrdo com lodos 1 s precedentes,
estou convencido que obrei conforme os dese-
jos do paiz, c espero confiailainciile urna reso-
iiicoo da dieta que isto declare
O grao duque teriuiuou a sua falla, anniiu
ciando una amnista pura as chines polticos
A dieta de Wurlemlierg fui taulvn abena
pelo rei eui pessoa no dia 15 de marco, bein co-
mo j noticiamos em o nosso numero de 30 do
mes passado. O seguinl extracto da falla do
tlirono, achamo-lo na ineiina gaieta-7fuc -
i un 1 nos referimos : \_^s~
Desde marco de 1848 (diz o rei Wurtrm-
brrg) a Allemanha lem sido um jogo do espiri-
to de partido e da ambicio. O estado unitario
germnico be rioso urna cliimera, senoan-
da a mais peiigosade todas as eliimeras, tanto
psrs Allemaoba como para a Europa Todos
os lucios que lem sido empregados para rale
fim, todos js que priavelmenlr ainda atrio
empregados, devein produilr um clliito con-
trario; isto he, umadivlso, e una inleira dis-
solucao. A forca, .1 harmonia, a civilisaro e a
liberilade da n.icao dependen! da inaoutcncio
e preservacao das individualidades e da inde-
pendencia de suas iribus principar,. A ntao
1 >u ni 1, das inesinas. a sujeicao de una tribu
i outra, deve contribuir para a dissoluco in-
terna, e para a anniquilacao de nossa existen-
cia como afio.
c Para a unifloduradoura de nossa patiji,
i'niiiniuiii su lia urna forma | ossivel, olio,
Tederai; esla forma he capaz i'e.-envohiminto de frga e de poder 110 in
tenor e no ext< rior do que a 1 rimeira cons-
litultjfiO feJerel garanda. O nSo conheci-
n eiiin dest-i verdad em Frai kfoit primej-
i; mente, e em iiirlim de, oi-, i,u que tn
trodu/idoas diasenrOes e coiiluscs actual-
mente existentes. A hirtoria fallar dos (ins
e das pnixoos que sconselharam a conven
g"o de 27 do maio, isto he, a liga prussia-
ns. Esta convengo nflo concorro cm nada
para a grandeza o uniilo da nacSo ; ella 11I0
ten! nenhum direitq s sympalhias popula-
os ; he urna tentativa artificial de um Son-
lerhund, he calculada sobre um suicidio
poltico, c, potito que sustentada por Ires
grandes potencias, nao pJo resistir a ne-
nhum perigo. Esla lig* n3o pode ser eje-
cutada sem uma brocha da fe federal esem
urna violara".! premeditad* dos tratados que
asseguram a posiijiio ea independencia do
reino de Wurlemlierg e o equilibrio do po-
der na Europa.
Considerando- os perigos inminentes s
liga de 2G de maio, e desejando preservar
para a nago em sera I o mais precioso pe-
nhordesua grandeza e tranquillidade, isto
lie, a boa intelligencia entre todas as suas
t'ibus irmflas, o rei declara que tem entra-
do em negociages com a naviera e Saxonia
para o fin de estabeleeer uma intelligencia
sobre o projecto deconslituigflo para a to-
taliladeda Allemanha. Elle fulga de poder
informar aos membrosda dieta do bom re-
sultado tiestas negociages, e do facto de
ter elle sido sancionado pelo governo de
Sua Magestada o Imperador da Austria. 0
rei espera quesous esforgos scro para o
futuro coroados de feliz successo. Qualquer
que seja a vontade da Providencia nesla
quesillo, elle ( o rei de Wurtemberg )sente-
se orgullioso de dizer que semprc conheceu
qttoa liarmoini e boa intelligencia coma
i'russia c a Austria Ihe eram ticeessarias, e
i|ue tolas as medidas por ello ado dadas
leom ten ido para promover esta harmonia.
A nica cousa eslavel no meio das bor-
rasca? do lempo he a preservacao do ve-
Ihodireilo, a conservaglo de alguna Cou-
sa de positivo, dealguuia cousa de histri-
co, dealguma cousa que n3o possa ser ne-
gada, e que subsista sem, r'. O rei o seus
alha tus desejam ( nsevar para atngo o
seu direilo i represcntigilo da lotalnla ie
Ellea lulo sarrilicaro o vclho direilo ,-
1111a nova falirici; elles qurrem reformira
piimeira coiifederagi>, querem fazer lur
moniaar as juslas exigencias da Prussia com
os interesses da Allem nha. querem'sacil-
ficar seus interesses purliculares ao bem do
paiz 0111 geral, porcm no a uma potencia
Individual. Elles fo querem ser Austracos
nem Prussianos, querem smente ser Alle-
iDfles. lia ulguma cousa aeima da lei cons-
titucional escripia, e so os lagos muraos da
socedade.
O rei ItTininnu a sua falla asseguran lo
lleta que cotihecu o seu dever, eque nflo
C'iiisenliria que o partido revolucionario se
oppozosso aos seus planos, iiein eslorquis-
se lien nuil,is conCissOcs
a cadveres, que frem conduzi-
dos para aquella Iba Hecfe,
3j de abril de i85o. Dr. Jca-
quim de Aquino fonseca.
O consulado do reino de Dinamarca e
o cscriptorio de hothe & Bi loulac se acham
presentemente em casa de F. II. Latlkens,
ra do Trapiche Novo, n. 14.
BH1TISH CONSULATE PERNAMBUCO.
By order of Her Majesty'n Government ;
The undersigned heroby gives publie noti-
ce, to the Brilith subjocts resident within
Ihe district of tbis consulale: that, the
Registers for Marriages, Births & Dealhs, c-
enrding to lit Acts provdiog for said
itegistrations, and an Arta For facilitating
'he Marriagesof Driiish subjeets resident in
Koreign Countries, > are now open at Ibis
Consulale daily for lhe~purposes therein dc-
clared and provided for, and that copies of
suc.i Kegistrations are (o be transmitted
yearly to Iba Registrar General in England :
and urther, that, said Acts of parliament
may be secn by all Persona interested
therein.
Pernambuco, 30 April 1850.
Hy Chriitofhert,
Pro-consul.
BD1TAK3.
Fago saber, que achando-se vaga a ca-
leira de lingoa latina do cullegio das artet
ia academia jurdica de oliuda, por falleei-
nenio do arcadiago prol'essor Ignacio Luil
le Mello, est polla a cuucurso a dita ca
letra, cujo prazo soia de tres mezes, cuii-
ladoi da data desle edlUI.
E, paia que rbegue a milicia de lo los,
inaudei i/Hsar < siu nos lugares do costumt-
- publicar pela impcusa. Secretaria i'n a-
cadeniia jdrca de Oliuda, 8 de abril d>
1830. >' liconde de Guiunna.
Rodrigo Theo lur.) de FreitB8, nfliciul da im
perial ordi m la llo deS.-B;nlo de Aviz, condecorado c>>m a
n:fola! lia da c iilipanlia da l!aliia,capilo dp
maro guerra,inspector do arsenal deiiniri-
nha, e 0apililo do pui to desta provincia de
Pernambuco, por S. M. I que Dios guar-
de, etc., ele.
Faz publici, para conhcrirr.enlo dos na-
vegiinles, o de que 11 mais interessar, que si
acliatn colluca las as boias noBanco-do-
Inglez, segundo o conhecimento abaiso
leste transcripto. Capitana do porto dr
Pornambuco, 11 de abril de 1850 Rotlrigo
Tlitotloro de FrtiUti, capilfio do porto.
Recoiihecinu uto de duas hoias collora-
das para lulisaireulo do llauro-du-ln-
gloz, sil nado a iesto da liana do podo
de Pernambuco.
o Aacham-se nssi'nladas, a les'.cdo farul d<
ha ira do porto de l'ouiiiinbueo, duas boias,
sendo uma le r: preta, e outra encarna la,
as qtnes delerminaii a poaicflo do Raneo
leo.nina lo do l.iglez.
Ca la urna deslas boias, t m um sino pa-
ra advertir a imite do navegante incauto u
sua proximi la le : porm, um consequencia
da direcgSo dos ventos e do murmullo das
nulas, algumas VPzei nflo podeio ser hem
uuvido O eu loque ser.io em pequea dia
t incia dellas. ,\ boia de er enrarnada (le-
la a extremi lade sol do dito Raneo,
o a'i cu 1 1. ;.i a do norte PJe-se frai-
camenle navega- sempre a leste destas boias,
porin smente nos premiares das mares
niedias, pdenlo passar por entre ellas, na-
vios quo demanda mu at 10 pes u'agua.
Da boia encarnada para o sul he franca,
a desembarazada a navegngflo a quaiqurr
navio, mas da boia prela tara o imite, ape-
nas existe um ('.nial, prln i|ii,il -6 podcifm
navegar navios que esliverum pilotados por
o alicus (ia luna ; por isso que lugo proxi
mo a esle canal cxislem os baixos, denomi-
nados de Oliiila.
Cipilania do porto de Pernambuco, 9
d abril de I.S1O.--J1 .U'i'tim liodiiyuet de \l-
meida, paliao-mr. Jote Fawwo Porto
Esta conforme. O secrrlaiio da capita-
na, Tlutm i'trnundcs MaUrira de Castro.
*c\ r.iijo s.
O arsenal de guerra compra azeiio de
coco c de carrapato, velas de carnauba, lio
le algo-llo e pavios : quem quizer forne- cr
os oieociopaaos generes, baja de compare-
cer 11a sala da uiiecioria, no dia 4 do prxi-
mo vindouru me/ de maio, trazi'iulo sua
pioposta com seus ltimos pregos em caria
fechada. Arsenal de guerra, 30 de abril de
1850. -- O esC i|.turullo, 1'. Serfico dt Ailit
Carral no.
I'or ordeno d Exm. Sr. Pre-
sidente da pruvinci 1, acha se ex-
titictn o bospilal provi.soii 1 di illia
dj N jMi im ; c de,ta datj em
di.iiilc nao se dui mais scpullnia
Avisos m\ritiwo8.
Para o llio-de-Janeiro sahe,
m poucos dias, o brigne nacional
Lfzia : pira o resto da carg, pas-
sngeiros e escravos a frete, trata-
s-e com o ca lilao, na praca do
Oommercio, ou com Novaes & C.,
na ra do Trapicbf, n. '.i'\.
Para o Rio-Grande do sul segu, aleo
lia 10 do correte, o biigue Pagele de-Per-
nambuco : y'io receberaguma carga a fie
le e esrravos, e tem os melbores cotnmoJos
para passageiros : quem pretender, podera
nifiiiliT-si" Com o pi(i,irietano, na ruada
Uno la, 11. 7, ou com o CapitSo, AlexanJre
los AI ves.
-- Para o Rio-de-Janeiro sahe com muil
brevidade o brigue nacional Fonceic&o : pa-
ra o resto da carga, passageiros e escravos
1 fre'.o, trata-se com Manuel Alvos Guerra
lunior, na ra do Collegio, n. 21, ou com o
capilo Fructuoso Jos Pcreira Dutra.
--Para Lisboa com escila pela illia de
S.-Miguel segu viagem o barganlim portu-
guez Taruyt-Tercelro, capilSo Francisco An-
tonio do Almeida : quem no mesmo ber-
gantiai quizer cairegar ou ir de passagem
dirija-se au mesmo capitilo ou a seu consig-
natario Manuel Joaqujm Ramos O Silva OU a
loilo Francisco Cordeiro.
Para l.isbOa sahe com a maior brevida-
le possivel a barca portugueza llor-de Pan
que, a qual offerece excellenlcj commodos
para passageiros : quem na niesma quizei
oarrogar, ou ir de passagem, dirija-se aos
.eus consignatarios, Oliveira Iru.flos & C *,
ra da Cruz, n. 9, ou com o CapitSo Vicente
Inastacio Rodiiguos, na praga do Gom-
rnercio.
Para o Itio-de-Janeiro sahe muito bre-
ve o patacho Sma -Trindade, forrado e enca-
vilhado de cobre, do superior marcha : re
eeba carga a frete, passegeiros e escravos a
dele : a ti alar com Francisco Alves da Cu-
tilla, na tua do Vigario, n. II, prtmeiro
andar.
A veleira escuna nacional Emilia, de
|ue he capilfio e pratico Antonio Silveirr.
Maciel Jnior, deve chegar do Para poi
osles das, para onde voltara com esca-
la pelo Maranhfio, com a maior brevi-
dade : quem na mesma pretender carre-
jar, ou ir de passagem, devera entender-se
com J'iu Carlos Aoguslo da Silva, na ra
di Cruz, no llecife, 1;. 13, armazem.
Para o Oear segu al o dia seis de
maio proxi'o futuro com lo la a bre-
vi I.,.lo o brigue nacional loicfina : quem
no mesmo quizer canegar ou ir de pas-
sagem, trate com Domingos Rodrigues
Je Au na le, no Trapiche-Novo, n. 4, ou
com Jn- Carlos Ferielra Soares Jnior, na
ruiilaCadcia do llecife, ou com o ca pil
Jonicsmo, Marcos Jos da Silva.
Pa a o Porlo segu com a maior bre-
vi lado o brigue rorlugiiez Venlura-l'eliz de
que he capilfio Zeferlno Ventura dos San-
ios : leceiie carga c passsgeios, para o que
lem excellcutes comaodos, a Halar com
0 I cre iio Capilfio, na praga do Com mercio
ou com o cosignalaiio Joiquim Ferreire
Mendos Guimarcs, na rna daCiuzn. *9
primeiro andar.
MM"",-,ni '"^
Leilao.
O.corrector Oliveira fara leililo, poi
or lem e em presenga do Sr. cnsul da re
publica frauceza, de v ros penhores que
exisliam em poder do lina lo Joo llubois,
sub to francez, consistindo em obras d<
oufo como sejam : cor Oes, traucelius, au-
nis, ciuzm, alllnetea, Uvellaa de cinlo, bo<
loes para pellos e puubos decamsis, ele,
e de vaiias obras de piala, inclusivo salvas,
casligae, copos golheres. Sabbati), 4
de maio, s 10 horas da manhita, nons-
,) ctivo consulado, piiu cno andar da cas;
da ra do Trapicho com ntrala pela d.
Torres.
Avisos diversos.
Irmanilade do Sanlitsimn Sacramento do
Oaiir.i de Santo Antonio do llecife.
A ii mandada do Sandsimo Ss.cra'nicnit
1I0 baino deSanlo-Antonio do Ri-cife de ac-
i ordo com oraicremtiSsino pa oeho inte-
rino, tem re.solvidu levar o Sanlissimo Via-
tico os et ferinos de sua freguezia, no dia
13doeoirnteme!,jcas 8 huras da m-
nhfia; e por sso faz ele annui.cio para Co-
nhecimento de quem interessar.
Aviso ao publico Uliiiiiense. .
No convento de S -Francisco de
cid ule de ( linda, se bu de cele
brar o mez de Alaria, s 7 borat-
di manba, para mais facilitar aos
bisesta piedosa devocao.
lloubo.
Na noite de 6 para 7 do passalo, foi fur-
ia lo a um prelo que vndia fazendas, un:
endas finas; pois lendo o mesmo preto,
por motivos de embriaguez, chamado um
,'atiliador para carrregar a lamida, o mes-
mo se evadir com todas as fazendas e al-
z.um dinheiro que carregava. Roga-se, por-
lanto, a policia ou a qualquer pe.isoa que
ten'ia noticia do occorrido, do dirigir-se a
ra da Cadeia-Volha n, 21, casa de Manoel
Antonio da Silva Antunes, que ser gratifi-
cado com 100,000 rs.
Loleria da matriz da Boa-
Vista.
O respectivo thesoureiro, Manoel Gongal-
ves da Si'va, pretende no illudir a expec-
taglo do publico com annuncios importu-
nos do andamento das rodas desta lotera;
esforcar-se-ha quanto couberem suaa tor-
gas para com a possivel presteza annunciar
0 dia, slem do qual nflo dever* passar a es-
ueranga dos compradores ; porque entende
que a essa illusilo em que alguna teem por
veres deixtdo o respeilavel publico, se de-
ve essa especie de descrdito, que tanto
tem demorado o andamento das nossas lo-
teras ; ypr isso limita-se por ora a annun-
ciar a venda dos bilheles, e a extrahi-los
com lodooempenho, afim de poder asse-
,'urar aos compradores o dia em que deve.
r ella impretorivlmenle correr.
A vanlagem do plano ji publicado e o fim
religioso para que foi esla lotera concedi-
da, convida e seduz os leutadores da sorte
1 concorrerem sem demora para a compra
los nmeros que Ibes preparam a suave
cquisigflo de bens da fortuna, sem risco
de grande capital, e com o importe rnen-
le da diminuta quantia de i ou 10.000 rs.
por poucos dias.
Desde j achar-se-h9o os bilhetes : no
llecife, lujas do thesuureiro e do Viera
cambista ; em S.-Antonio, botica de Jofio
Moreira Marques, no pateo da Matiiz, e de
Francisco Antonio das Ghagas, na ra do
Livramento ; loja de Rernardino Jos Mon-
teiro, pracinha do Livramento, n. U ; no
Uerro-da-Boa-Vsla, lujas de GuitnarSes,
11. 44. e de liuarte Oorges da Silva, n. 18.
Ar. en la -se um sitio na estrada dos
Afflictos, com boa casa d viven.la, estriba-
ra, bastantes arvoredos do fructo, boa agoa
le beber, pur prego commodo : a tratar na
ra Velha, n. 78.
Precisa-se alugir uma preta que al-
ba lavar, engommar e coser, para urna cusa
estrangeira; na rus do Torres, n. 34, das
11 horas da manha s 3 da tarde. Na mes-
is casa tambera se precisa alugar um pre-
to que entenda doservigo interno e de tra-
tar de cavatina.
Alugam-se os segundo e tercero an-
dares do sobrado da ra da Cruz, por cima
do escriptorio de James Crabllree & Ccm-
panhia : a tratar no dito escriptorio.
Precisa-se alugar uma preta que sai-
ha layar, engommar, e que faga todo o ser-
vgo interno e externo do uma casa ue fa-
milia : no largo das Cinco-Ponas, casa do
lenente-coronel llruc, defronte da igreja.
--D. W. liaynon cirurgifio dentista, res-
peitosamente informa ao publico desta ci-
dade que elle pretende brevemente retirar-
se dcste imperio, e as pessoas que anda ne-
cesstam seus serviros durante esle lempo,
sern Hendidos, procurando-o no seu do-
micilio, na ra do irapixo -Novo, n. 14.
Aluga-se o segundo andar do sobrado
alrasda matiizda Ilda-Vista, 11. 26, muilu
fresco e com bstanles couunodos : a tratar
na mesma ra, n. 22. .
-- Os Srs Joaquim Pessoa Gezar da Cu-
ulia e Francisco Uerciigel de Almeida Gue
les dirijam-se a rui do Passeio, n. 9, loja
nova de Albiuo Jos l-.ite, a negocio que
.ion ignorain.
Na ra de Agoas-Verdes, casa terrea
u.26, entornilla seelava-se tuda a qiali-
lade de roupa, com todoasseo e prompli-
dfio, por prego mais commodo do que em
outra qualquer parle.
-- Precisa-so de um forneiro : na ra Di-
re la, 11. 24, padaria.
Precisa-sede uma ama para o servigo
de uma s pessoa : na ra eslreita do llo-
zario, n. 37.
. Aluga-se a loja n. 39 do Aterro-da-
lloa-Vista, por prego commodo : a Iratai
no primeiro anar por cima da mesma
loja.
Precisa-se alugar um preto que seja
del, para o servigo de uma casa eslrangei-
ra : na ra da Cruz, n 38.
--Alu^a-se um moleque uue cotinba e
la/ o 11 ais se: vieo de urna casi : quem o
pretender, dirija-se a praga da Indepen-
dencia, 11. I, foja.
Aluga-se a mei'agoa da ra do Alecrim,
n. II : a tratar no ariuazem junto ao arco
da Conceigo, n. 04.
Aluga-se uma casi le re na rna da
matriz da lla-Vistu, com duas salas, seis
qiarlos cosinba loa, conedor ao lado e
quintal murado, com cacimba de muito ba
ni de beber : quem a pretender dirija se
la ila Aurora, n 58.
-- Aluga-se um sitio na Trempe, bastan-
te gran le, com uma gran le liana para ca-
pim ecom biatantes arvorosde frnlo, como
sejam larangoiras, mangueiras, jaqueiras.
ciqueiros, cajueiros, etc, e om um so-
lira lo de um andar com bastantes commo-
dos para urna grande familia : quem o pre-
tender dirija-se ra da Aurora, n. 58, mi
ao ii.estiM-ferreiro, Manuel Ferrcra, junio
10 porl'10 do dito silio.
-Na ra Nova, loja n. 58, se dir quera
l a juros as quautias de 300, 400, 500 e
690,000 rs sobre hypoihcca otn casas Ier-
re is.
coze sofTivelmenle, dirija- ra Nova,
n. 52, segundo andar.
Traspsssa-se .0 airendamento de um
engeoho de boas Ierras do produgfio, por
prego rasoavel: tambom se vondem os per-
tunees do rendeiro, sendo animaes do roda,
3 oito bons e gordos, poldro's, lavouras e
safra a colhnr: os pretendenles, dirijam-se
ra estrella do Roza rio, n. 32, que se di-
r quem faz eate negocio e se darfio todas
as informagOes.
Por precio muito commodo.
Tiram-se passaporles para dentro e fra
do imperio, despcliam-se eseravos e cor-
rem-se folhsscom a maior brevidade pos-
sivel : no pateo .da matriz de S -Antonio,
n. 4 sobrado.
Precisa-se poraloguel mensa I de um
escravo, que nflo seja muito afeito a bebi-
das, para o servigo ordinario de padaria,
daudo-kc-lhe o sustento e doze mil lis ca-
da mez: na padaria, n. 106, na praga da
Santa Cruz.
Perdeu-se, honlem da ra da Gadeia do
llecife at a ra Nova uma carta volmosa
rom o sobreescriplo ao Sr. Jos Fe i j de
Mello ausente sua senhora ; julga-se que
esla' cart contm alguns papis, que s
servem para a pessoa, quem se dirige :
pedo-so, portan to, pessoa, que achou a
carta entregue-a no aterro da Ba-Vista n.
65 ou na roa da Gadeia do Recite, na loja
do Sr. Jos Gomes Leal, cuja merco ella
viuda : quem entregar recebera uma grati-
ficaron.
No bolequim da ra do Rozario larga,
n. 27, precisa-se alugar um moleque para
ajudar a leVar os almogos e jautarea fra,
assiro como ensina-se a cosnhar qualquer
um oulroque quizer aprender; na mesma
casase fzemalmogos, fantarespor prego o
mais commodo possivel, para fra,
. Precisa-sede um escrav poraluguel,
para o servigo interno e externo de uma
casa de homem solleiro, aom excepgflodo
de cosinba : na casa n. 6, defronte do
trapiche-novo.
OITerece-se para tirar copias de appel-
lagescvcis e crimes um mogo, que tem
bstanle pratica deste trabalho; assim co-
mo para escrever em qualquer cartorio ou
cscriptorio dos Srs. advogados, para o qu
tambera tem alguma pratica : alianga-se a
boa conducta na ra da Solcdade, n. 42,
ou annuiicie.
O Vff WVV f f *** f f ? V f y&

e>
CHANDE
consultorio homceo-
palhico,
Dirigido pelo Dr. Sabino e Dr. Luz
Ra do Trapiche, Hotel-
Francisco.
Osdoenles pobres lerSo gratuita-^
mente lodos os dias cousultas ere- ^>
medios para o tralameolo de suas fj
molestias. &
As visitas, fra desle consultorio, 4
se: lo le tos por qualquer dos dous *
mdicos, nicamente aquellos en- *
termos cujo estado mrbido, os re- 2
clame em sua casi. 2
O pintor,
Domingos Jos de Oliveira Soares retira
*.- para Portugal a tratar dasuasade. Faz
ver ao respeilavel publico o sen recoHiheci-
mento, pelo bom couceilo e concurrencia
le seus freguezes t lambem faz se ente de
que fica substituindo o seu lugsr o pintor
Luil de tranca Araujo Snito, rom a mesma
casa de pinturas, na roa do Rozario larga,
lunlo ao quartel de polica, 11. 8; pede e
faz conli do- Ce 8'u successor, para que coutinuem
na 110 sin 1 fregu/i 1,
Caeano Mandes da Gunha Azsvedo
encarrega-se de comprar e ven ler escravos,
no.Iianio uma commissilo rasoavel, para
o que promette empregar toda aclividade
no melhor desempenbo dessa larefa : os
pretendenlrs o ach rilo promplo em casa de
sua residencia na ruada Alegra, n. 26, na
Boa Vista.
- Quem quizer comprar uma preta cri-
graudelata e un carlo com diversas a-loula, boacozmheira, eugommadeira, eque
a>
?

*
9-
=a-

>
->
>
*
a>
*
OAA*MAA**AA**iA***A*0
Quarta companhia dot voluntario*.
Em virtude da dissolucSo do corpo de vo-
luntarios, o abaixo assignado, ex-sargento
da quaita companhia, convida a todos os
Srs que a compunham a entregarem o ar-
mamento e correamo de que eslejam de
posse, ao Sr. J0O0 Attianasio Botelno, ex-
alferes da mesma companhia isto o mais
breve possivel, em observancia de ordena
superiores ; o que se Ibes raga em abono do
seo dever. Manoel Gomes dtS, ex -primei-
ro-sargento.
Colonia de llossamedes.
Ilaveudo alm dos passageiros, que pre-
tenden! seguir paraesae destino, diversas
mercaduras a embarcar para nova colo-
nia; vai-se inmediatamente fritarum na-
vio para o respectivo transporte, e por isso
rocommenda-se a lodos os que nelle toniam
iuleresse de se ajustaren! com as pessuas
j coiibecidis o competentemente autoiisv
das para esse lira.
Oobaixo assignado declara que Oca
sem effeilo utn letra, anda uSoselada, de
rs. 211,360 a vencer em 15 de julho futura,
sacada pelo Sr. Jo;1o Uaiboza Cordeiro, do
Goianna, a favor do anuuncianle, cuja le-
tra so deseiicarr.iiihara com uma carta do
mesmo Sr Cordeiro; e para obviar duvidas
fuluiasse faz o presente annuncio. J
Ptreira Moulinho.
As fazendas baratas venda por tras
do llieatro vellio, 11. 20, iram transferi-
das paia a ra do Rozario larga, no primei-
ro andar, por cima da padaria Jo Sr'. Va-
lenga.
-- O Sr. Manoel Pereira da Siia Bram-
blla, estuJanle do segundo auno, quena
apparecer no llecife, ra Augusta, sobrado
I, a negocio que Ihe diz respeilo.
-Na ra do i.ivramento, 11. 4, precisa-
se de uma ama de leite, fon a ou captiva.
Desappareceuou fudaram, no da 24 do
mez prximo passado, Jo porlo do Mundo-
Novo, uma caini 1 de ca reir abena com
paneiro e banco pintado de cor de bronze,
coui uma queimadura em um dos ncola-
uicnlos pela parle de dentro : quem a pegar
ou der noticia uo armazem ae tahuas junto
a cadea, ser recompensado.
Aluga-se um segundo andar, com um
formidavcl mirante, concertado e pintado
de novo, com a melhor vista possivel o ein
utn ..'os melbores lugares do hairro de San-
io Antonio : a tratar na ra do Sol, n. 9.
ATTENCAO!
Joflo baumann avisa a ludas as potsosa
que teem obras, isto he, instrumentos de
msica, Trramente e oulras obras de marci-
neiro, q e Ibes loram dadas a muito lempo
para fazer, e algumas ha quasi dous anuos,
que os mandem buscar al o dia 4 do cor-
le : do contrario se licar com elles para
indemnisaguo de seu trabalho.
Precisa-se de um caixeiro que tenha
prat ci e seja desembaragado para o nego-
cio de veuda 1 no pilco do Carmo, 11. 3,
ven la nova.
- Quem tiver para vender uma synopse,
diiija se ra do Collegio, n. 4.
Precisa-se alugar um preto ou u n mo-
leque para o servigo de uma botica ni ra
da Gadeia do Recite, u. 3.
*


No sitio do cajueiro ha casis para se
lugarem, por mez, ou por mais lempo,
conforme o ajuste : a tratar no mesmo si-
tio.
-- OITerece-so para capeliao dequalquer
ongenlio, mesmo distante desta praga, um
reverendo sacerdote : quem precisar, pode
dirigir-se ao escriptorio de Rodrigo da Cos-
ta Carvalho, na ra do Apollo, n. 23, a fal-
lar com o mesmo.
-- Roga-se ao Sr. Dr. A. I. S. G. que
tenha a bondad de ir na toja de fazeudas
da ra do Passeio n. 21 pagar a quanlia de
142,117 rs. saldo da sua letra, vencida a 28
de maio de 1839, do contrario se far publi-
co o seo nomo por extenso.
Jfe Chapeos de sol.
Rua do Passeio, n. 5.
Nesta fabrica ha presentemente om rico
sortimento destes objectos do todss as co-
ros e qnalidades, tanto de seda como de
panuinho, por precos eommodos; ditos pa-
ra sen hora, de bom gosto : estes chapeos
s.lo feitos pela ultima moda j seda adamas-
cada com ricas franjas de retroz. Na mesma
casa so acha igual sortimento de seda e pan-
ninhos imitando sedas, para cobrir ir-
magOes servidas: todas estas fazendasven-
dem-se em porfo e a retalho : tamben- se
concerta qualquer chapeo de sol, tanto de
basteas de ferro oomo de baleia, assim co-
mo umbelas de igrejas: tudu por preco
ommodo.
',)rF/?/?0
vW:\\^YtfvV>>v
BOWMAN & MC. CALLUM, engenhei
ros machinislas e fundidores de ferro, mui
respeitosaniente annunciam aos Senhores
proprielanos deengenhos, fazindeiros, mi-
neiros, negociantes, fabricantes e ao res-
peitavel publico, que o seu estabelecimento
de ferr movido por machina de vapor con-
tina em effectivo exercicio, e se acha com-
pletamente montado com epparellios da pri-
meira qualidade para a perfeita confccgo
das maiores pecas do machinismo.
Habilitados para emprehender quaesquer
obras da sua arte, Bowman & Me. Callum
desejam mais particularmente chamar a
aitoncilo publica para a sseguintes, por
terero dellas grande sortimento j prompta,
as qunes construidas na sua fabrica pdem
competir rom as fabricadas em pifz es-
tringero, tanto em prego como em qua-
lidade da materias primas e mSo d'obra,
a saber:
Machinas de vapor da melhor eonstrucc.ito
- Moendas de canoa para engonhos de to-
dos os tamanhos, movidas a vapor por aga
OU animaos.
Rodas d'agoa, moinhos de vento e serra-
nil.
Manejos indepeodeutes para cavallos.
Rodas dentadas.
Aguilh6es, bronzese chumaceiras.
Cavilhoes e parafusos de todos os tama-
nhos.
Taixas, par es, crivos e bocees de forna-
Ih.
Moinhos de mandioca, movidos a nio ou
por animaes, c prensas para a dita.
Chapas de fogo e frnos de (arinha.
Canos de ferro, torneiras de ferro e de
brnnze.
Bombas para cacimba e de repucho, mo-
vidas a mSo, por animaos ou vento.
Guindastes, guinchos e macacos.
Prensas hydraulicas e de parafuso.
Ferrageus para navius, carros e obras pu-
blicas.
Columnas, varandas, gradeseportos.
Prensas de copiar ca Us-e sellar.
Camas, carros do niflo e arados de ferros,
etc etc.
Alm da superioridade das suas obras, ja
geralmente recouhecida, Ro'wman & Me.
Callum garanten! a mais exacta conformi-
dade cora os mol Jes e dezenhos remeltidos
pelos senhores que se dignarem de fazer-
lliesencommendas, aproveitandoa occasiflo
para agradecerem aos seus numerosos ami-
gos e frrguezea a preferencia com que leern
sido por tiles honrados, e asseguram-lbe.*
que tifio pouparao esforgos e diligencias
para continuaren! a merecer a sua con.fi
anca.
Na 1 iln-ica de caldeireiro
da rua Imperial, n. ttti,
de Jos i\ah< 8c Braga
fazom-se machinas de Derosmee de outro
qualquer modelo para espirito, ferragens
arnsreilas, almofarizo.s, caudieiros de di-
versos modelos, escrivaninlias, perfumado-
res, palmatorias, esporas de sallo e de cor-
ris, tomairas para alambique, Na mesma
filmen acham-sc olllciaes promplos a sa-
ln | ara qualquer engenho desta provincia,
para nonceitarem machinas e alambiques,
tambem ha pira vender areia chegtda In poucos dias, e di melhor qua
liJale que tem 'apparecido Fundnrn se
brouzes para engenhos, pamfuzos para ro-
dal e bronzequo se offerocer neste estabeleci-
mento, com legalidade e conscieucia, em
quantu a quulnado de metaos, por muito
mais barato prego do que em outra qual-
quer parle.
--J. Falque participa ao respeitayel pu-
blico desta cidade, que elle vi abrir un
falu le* de chapees do sol, onde se encon-
trar senpre um grande c bonito soriimeu-
lO de todas as quali Jadcs destes objectos,
tanto Je s '.la como de panno, para homens
o seuho: as ; assim como Imvora uin gi ande
fortnenlo do bengalas de dilTerente gos-
tos, baleias para v sliJos, rolletes o espar-
t Ihus para senhoras. Na mesriia casa se cu-
brir c se concertara qualquer qualidade do
chapeos deso e bongilas, IravenJo boas
sedas e punios 001 pega, ludo mais em oon-
ta do que em outra qualquer parle : na rua
doCollogio, n. 4
Piecisa-so do ofTicial de marceneiro :
na rua Nova, casa de I.. I'ugi.
- li s i|ipaicceu, ha dias, um cavallo com
os signaos seguinles : caslauho, magio,
com os qualro | s cagalos e com um
grande cicatriz as costas ; o cavallo tomn
a direcgio do sitio do 1'omhal : quem ol-
ver pegado, leve-o rua da U|ii3u, no se-
gunJo sobrado, que ser bem gratifica lo
Alugam-so as lujas do segundo sbra-
lo da rua daUnio, por prego commodo:
quem pretender, dirija-se ao mesmo so-
brado.
Um rapiz portuguez, de 31 annos de
idade, se offerece para caixeiro de rua, tra-
oicho, ou mesmo para tomar conta de urna
venda por balango; temalguma pratica de
esoripturagllo simples : quem precisar de
scu Drestimo, annuncie para ser procurado.
Sociedade Apolnea.
Nflose tendo reunido, ao primeiro convi-
te, numero legal de socios da soc.edadeA-
polinea, para iratar se de materias vilaes
aa mesura, do novo a direcgio convida aos
Srs. socios para reuniSo geral no da 7 do
corrente, pelas 5 horas da tarde, am de de-
cidir-se negocios transcedenles; procoder a
eleico de nova direcgio, e marcar-se a
partida do presente mez. Espera, por tanto,
o actual direcgio que os Srs. socios compa-
legarn Ul reunan, na certeza de que se
lomar qualquer deliberacSo com o numero
rnente nos socios que se acharem presen-
tes, conforme dispOe o artigo 17 dos estatu-
ios da mesma sociedade.
Precisa-sede um moloque para servir
m urna casa e vender azeile, pagando-se
10,000 rs. me.nsaes : quem o tiver, dirija-so
a rua Direila, n. 89, segundo andar, ou an-
nuncie. ,_ ..
O Sr. Jos de Inojosa VarejSo dirija se a
rua do Queimado, segunda loja n. 18, a res-
gatarseu pehhor; do contrario, ser venir
lo para pagamento, ticando ohrigalo a pa-
ar o restante.
--Hypolheca-se urna casa terrea coui
grande quintal, na cidade de Olinda, rua
Ja Riquinha-de-S.-PeJro : quem quizerhy-
polhecar annuncie.
U Sr. J. J. L lenha a Don
lade He dirgir-se a taberna d
rui do Codorniz, n. 9, satisfaze
a quantiade 83,i35 rs. importe
de gneros que comprou nos me-
zes de novembro e dezembro do
an
sai* a fes la !! Ksper
o emholco por estes tres dias ; do
contrario, ter de ver seu nome
por extenso neste jornal e em al-
guns outros.
ciona, cofihecer oleilorque he exacto o
que Ihe maniresta, como sejam chitas de
bons pannos escuras, a 140, 160,180 e 200
rs ; chales de rod, a 820 rs. 5 lengos da
mesma rede, a 160 rs. ; ditos brincos do
mSo para senhora, a ?40 rs. ; panno da Cos-
a com 8 palmos de largura, a 320 rs. ; bre-
tanha de rolo com 10 varas, a 1,600 rs.;
lengos de seda para algibeira e hombros de
senhora, a 800 rs. ; cortes de cassa-chlta de
bonitos padrees, a 2,000, 2,400 e 3,000 rs. ;
e tudo o mais se vende muito em conta por
se querer apurar dinheiro esortira loja de
fazeudas novas.
Aviso aos amadores
de
ino prximo passado, para pas-
ir a i'esla !! Esperarse deste Sr.
Precsa-se de um homem forro para o
'orvigo d nina refinagflo, com pratica ou
sem ella : tambem se precisa alugar um
esciavo para o servigo da mesma.: na rus
la Concordia, n. 4.
A viuva de Jos Joaquim de Misquita
avisa as pessoas que linham penhores em
aolerdodito finado, para que haja.a de os
esgatar dentro do prazo ile orlo dias, con-
tados da dat* deste; do contrario, serSo
ven ii ios para pagamento de seus dbitos :
tiein como avisa ao publico que a loja con-
tina tilo smente para liqui lagfu. Iteci-
fe, 27 de abril de 1850
IIEQiMQ
d'a'ror a I
C. Slarr & Compauliia leem a honra di
avisar aos seus freguezos, e ao publico en
geral, que a sua grande fon lie "i o om S-
Arnaro alm do sortimento que constan-
temente tom acha-se de novo prvida de
muilas moendas de canna, e de varios ta-
manhos, feitas no mesmo estabelecinicuto
pelos rnais peritos odiciaes, e com o maio.
cuidadoe perfeigito; tanto assim he, qus
os annunciantcs se ufanam em garant-las
pelo primeiro auno. As moendas inleiras
todas de ferro construidas as oflicinas
dos aniiuneanles S<10 milito Superiores i
quaesquer oulras da mesma nalureza que
at agora leem sido aqui ofTcrecidas, po
aquellas encerram em si certose importan-
tes melhoramcnlos, resultado de mais de
20 annos de experiencia e pratica do paiz.
Koga-se ao lllm. Sr. theso-
reiro da loteria di matriz da lina -
Vista, cujos bilbetes estao a ven-
da, que se por sorte sabir algum
premio no meio bilhete n. 680,
assi^ti j.Io pelas cost is por Caro-
lina e ('alliariu 1, luja de o nao
pagrr seno a eslus duas pessoas,
legitimas donas desse meio bilhe-
te, que fui extraviado; as quaes,
em tempo competente, se mostra-
do habilitadas para oreceber
I). Gerahia M>ria Pereira Vianna, tendo
de proceder polo juizo de orphilos desta ci-
dade a i vi ntaro dos bens que licaram por
fallecmento de seu marido, Francisco Pe-
reira Thoiii, que ja requeren para dar par-
tidla a seus lillios e herJeiros, convi la aos
ere Jures do casal, inclusive djaahyputheca e
piuliores, tara apreaentaremrfi siu procu-
rador, Jos Luz da Silva (humariles, na rua
larga do Itozario, n. 33, prini- iiu andar, os
documentos creditivos que tiverem do dito
seu tinado marido, no prazo de oito das,
alim de poder conhecer o debito passivo do
mesmo casal, e tratar da forma do paga-
menlu
J se abri a loja de seis
portas.
O novo administrador da loja sita em
frente da igreja de Nossa Senhora do Li-
vramento, querendo trucar por sedulas os
inuilos alcaides que achou na dita loja,
tem reaolvido vendo los por todo o prego,
a desta frrua offerece vanlagens aos che-
les de ramillas e senhores de engenbo a re-
rzcrern-se e vo.-tuarios por commodo
prego, podende ifirigir-se dita leja a exa-
minar a boa qualidade das fazendaa, o csco-
hrem as que n.elbor cunta Ihe'lizercm,
achande-se esta loja aberla das 6 horas da
nanha ale as nove da noite, ofTerocndo
assim commodidades a nlgumss senhoras
|iie de passeio queiram ir pessoBlmcnto es-'
eolller e Compiai a seu gosto. u volitado : 1
vista, pois, de alguna precos que aqui nien-
aos amanores e
apreciadores de msi-
cas novas e de bom
gosto.
Joiio Vignes, morador na rua larga do
Rozario, n. 28, primeiro andar, acaba de
receber pelo ultimo navio vindode Franga,
um grande sortimento de msicas, como
sejam : valsas, varagOes, polkas, quadri-
Ihas, modinhas brasileiras e outras itala-
insjbemcomo o melhor melhodo para
piano, soll'ejos para cantona, tudo pelos
melhores aulor.s da Europa e da mais mo-
lerua escola. Na inosma casa vendem-se
os mais ricos pianos que toem viudo a Per-
iiaiiiliiicu, os quaes sao feitos de proposi-
to e com novo machinismo, para que (-
iibam grande duragilo ; assim como lain-
bamacharilo na mesma casa pianos ingle-
ses, com pouco uso, vendendo-se ludo pe-
lo mais commodo prego.
Engenho Queltiz.
Freguezia de Ipojuca.
Traspassa-se o arrendamenlo do dito en-
genho, o qual tem a presente safra a tirar,
e lies a criar. A tralar na rua da Aurora,
n. 26, ou no mesmo engenho com Miguel
Augusto dcliveira.
N B.O engenho tem excellente pasto,
he bom d'agoa, e tem bons cercados ; e,
caso haja quem queira comprar a safra,
ser-lhe-ha ella vendida, entregando-se im
mediatamente o estabelecimento.
C ros Cfaudio Tresse,
fabricante de orgaos e
realejos, na rua das
flores, n. lt>,
avisa ao respeitavel publico que concerta
ory3oso realejos, | e muiclias modernas
leste paiz, concerta piauus, senpbnas, c^i-
xas de msicas, accordos, e qualquer ins-
trumento queapparega : tambem faz obras
novas,e vende um orglo proprio para capel-
la, ouallar-mor, com boas vozes, por prego
commodo.
Aluga-se urna cl?a terrea 110 Alerro-da-
Roa-Visla, n. 73, muito propria para por
nogocio o morar familia, pelos bous com-
modosquelcm: a tratar na ven.I imme
diata, ou na praga da Roa-Visla, botica n. 6.
Aluga-se, ou compra-se um
prelo que entenda do servico de
parlara: na rua Direila, n. 83,
paJaria.
Precisa-so de um caixeiro quo tenha
pratict de lojr do miudezas, para Macelo
na rua do Ciliuga, loja de quatro portas
Quem precisar de uin caixoiro para co
lirai^gas, ou outra quBlquer arrumagilo, 1
qual d ronhecimento 4 sua cjnducta, di
rija-so rua de S -Francisco, n. 33.
Precisa-se deum feitor para engenbo,
que tenlia tola a pratica dos seivigos do
campo e aprsenle atteslados de sua con
Jucta, e do uin outro para um silio perto dt
praga: no Aterro da-Roa-Vista, n. 70. Na
mesma venda ha bichas d Hamburgo par:
se alugarem e vender ji, da melhor quali
dadequ? tem viudo.
O esenvao di ir man da
de do Divin : Espirito
Santo
scentfica aos irmos que domingo, S Jo
correte, pelas 9 horas da manhla he a reu-
niilo da mesa geral para a eleigo da nova
mesa rgedora, conforme determina o com-
promiso
--Aluga-se o primeiro n lar da casa n. 8
da rua do Crespo.: a Iratar na inesina casi
Precisa-se de urna mulher idosa, parda
ou crioula, para coziuliar e comprar paral
um homem solteiro : quem estiver nesta.M
circunstancias, diriji-se rua da CadeiadiJ
Recite, 11. 8, segundo andar, que achara
enm quem tratar.
Aluga-se um pequeo armazcm na rua
da Praia, com todos os pertences para ven-
ia de carne secca, existindo no mesmo doi.'
arrobas : na rua do Vigario, n. 19, primei-
ro andar.
- Precisa-se de um bom amassador: as
Cinco-Ponas, padaria defronte da fortale-
za. Na mesma tambem se vendem bolachas
do in i I In* a oito patacas a arroba e a 80 rs. a
libra.
Os administradores da massa fallida de
KirminoJos Flix da Roza convidam aos
credores da mesma massa para urna reuniSo
(India segunda-feira, 6 do correrte maio,
pelas 11 horas do dia, na rua do Vigario, 11.
19, primeiro andar.
JosdeFreilas Riboiro, subdito portu-
guez, vai provincia do Cetra.
-- Antonio Jos da Costa c Silva rotira
separa Portugal a tratar de sua sade, 1
deixa os seus negocios entregues ao seu
mano o Sr. Joaquim Jos la Costa e Silva.
Aluga-se um sitio na estrada do Pom
bal, 11 segn lo ao entrar no neceo a direila,
com casa de viven Ja, arvores do (nieto, ier-
ras e baita para planlagOes c cacimba con
boa agoa de beber : quem pielender, diri-
ja-se rua do Hospicio, gasa teiroa, n. 28
-- Mara Kostnbrook com' dous lilhos me-
nores retia-se para tora do imperio
Lauriano Jos do Marros, mestre alfaia-
le bom conhecido Desta cidade, avisa ao.-
seus amigos efreguezes, que tem para ven
der panno azul lino, proprio para fardas 1
sobrecasacas miliLres; panno prelo mui ti
lino o coi lixa ; casemira preta superior
tudo por prego muito commodo.
Antonio Ferreir de Freirs, Brasilciro,
rclira-se pan Portugal a tratar de sua
sade.
Bernardino Pereira, subdito portu-
guez, retirase parafra do imperio.
Graulo deposito na rua
Nova, 11. 27.
Neste deposito acha-se una grande por-
cfio de caixas com tullas do Flandres de
patente e todas as grossuras; ditas com vi-
drosde todas as dimengrles para vidragas;
ditas de cobre de todas as grossuras para
forro de navio, pelo barato prego de 560 rs.
a libra : onde tambem se acha. um com-
pleto sortimento de alambiques, serpenti-
nas e todos os mais objectos de cobre,
bronze o folln para ongenlio : tudo isto ha-<
ver continuadamente grandes porgues, pa-
ra os compradores escolherem sua von-
tade.
' Aluga-se, vende-se ou permuta-se por
alguma casa nesta praga, recebendo-se ou
voltaudo-se o que se convenciouar, um si-
lio na cidade de Olioda, denominado Man-
gabeira, o qual lica defronte do jardim bo-
tnico, e conlin urna grande crsa sobrada-
da, com quatro salas, setequartos, cozinha
independente, um excellente pogo d'agoa
potavel, bastante terreno etio-, proprios),
com um rico mangabeiral e outras muitas
arvores fructferas, como sejam coqueiros,
cajueiros, mangueiras, pitombeiras, etc.,
etc.: quem o pretender, dirija-se rua Ur-
sa do itozario, botica de Manoel Filippe da
Fonseca Candi, n. 42.
um la-
112 ca-
Compras.
Compra-so um temo de medidas de
pao para seceos, caixdes para armagflo de
venda, ditos que sirvam para deposito de
bolacha : na rua do Rangel, n. 50.
Compram-se Diccionarios inglczes ; His-
toria romana em ingloz; Grammatica in-
gleza 1 ludo em segunda nio : na rua do
Collegio. n *.
Compram-se escravos de
ambos os sexos, de 10a 5 annos .-
na rua da Gadea do Kecife, n. 5i,
primeiio andar.
Compra-se urna ovellia que d bastan-
te leite: paga-se he n : na casa do fallecido
Joito Maria, na rua do Seve.
-- Compra-se um cavallo rugo para car-
ro : na rua do Trapiche-Novo, n. 10, pri-
meiro andar
Ve-iid.-is.
Contestos de( is,
e cont de laclo defir.o, approvado pela
academia de medicina de Paris, confor-
me o parecer de orna eommtssSo compos-
la dos Srs. Bouillnud, Fouquicr e Uailly.
As preparages ferruginosas se contam
no numero dos medicamentos, cujas pro-
piedades uo se pdem por em duvida :
com oleilo ha poucas preparagOcs medicas
queteuham sido esludadas com tanto es-
mero por observadores sabios.
Os mdicos mais acidulados receilaram
estes confeilos com muilas vantagen*. de-
poisde lerem aualysado sua composigo.
O benvolo acolni.nento que esta prepa-
rago oblevo da escola de medicina de Pa-
ris nos dispensa de fazer seu elogio.
Estes confeilos alo empregados com gran-
de successo na clorosis ou palliJas cores,
as mil iiiiinnro-'s chrouicas do estomago
edus intestinos, na falta de appotito, as
amenorrheas, 00 suppressfio de menstrus,
as enrermidades escrophulosas, e inconti
nenciasdas urinas, piovenienles da deblli-
lale da bexiga : na leucorrhea ou flores
abrncas, opilagilo, abatimenlo de fOrgas,
noescrobuto, em lodos os casos de entra
queci. culo do organismo, na animya, vul-
go frialdade, na hydropesia. consequenria
destas molestias, emfim em todos os casos
em quo ha alteragao na composigo '
singue.
A respailo da dse que se deve tomar,
bastam tres confeilos pela manlia, e ou-
tros tres de tarde, e o mais distante possi-
vel das horas da comida, augmentando pro-
gressivamento al 6 de amanhila e 6 do
larde.
Relativamente ans meninos, as doses va-
riam conforme a idade; uias turnando o
tormo meJin, se darSo de 6 a 8 lodos ns
dias, na idade de k a 12 annos, c 4 aos mais
joven*.
Em as principies cidades da Europa se
achaui os depsitos dos ditos confeilos, en.
Pernambuco na botica do Sr. I'aranbos, di
rua eslreita do Itozario, n. 10, e no arma-
Izem de drogase tintas da rua da Cruz, no
Recif-, defronte da loja do Sr. Padre Ig-
nacio.
Vendem-se bustos de gesso represen-
tando fielmente a rainha Victoria e o prin-
cipe Alberto; rologios de ouio e de piala,
cnegados ltimamente da Suissa : estes re-
logios que so mui berr acabados, se ti r
iiiiin rnuito recommeudaveis a qualque
particular, e adveite-se que ha enlreelles
alguisque andam 8 dias sem precisaiem
de corda : na rua da Cruz, no Recite, n. 55
-- Vende-se um grande sitio no lugar do
Manguind, que lica defronte*dos sitios dos
Srs. Carneiros.com grande casa de vivon-
da, de quatro agoas, grande senzalla, co-
cheira, estribara, baixa de capim que sus
lenta 3 a 4 cavallos, grande cacimba com
bomba e tanque coberlo para banho, bas-
tantes arvoredos de fruclo : na rua da Con-
cordia, primeiro sobrado novo de um andar.
Na loja de seis portas.
I'rodurru dos alcaides.
Vendom-se cortes de vestidos de finas
chitas, com troze covadosem diversos pe-
dagos, a 1,920 rs.; meias pretas para senho-
ra, a 200 rs. o par; ditas para homem, tam
li 'in preta-, a 120 rs.; chitas pretas a 160
rs ditas de cores, a 140 e 160 rs.; e mui-
to linas, a 240 rs. ; algodilo moustro, com
oito palmos de largura, para lenges de um
s panno, ou para grandes toalbas de mesa,
por ser trangado, a 800 rs. a vara ; e ludo o
mais por pregosa fazer conta.
-- a rua do Queimado, n. 23, vende-se
cassa franceza, muito larga, propria para
lucio, a 440 rs. a vara ; riscadinho de li-
nbo azul, a 240 rs. o covado ; pegas de al-
godilo liso com 17 varas, a 2,400 rs ; pegas
de chitas escuras, a 6,600 rs. ; e brim brin-
co, a 500 rs. a vara,
Vende-so um palanquim quasi novo,
por 100,000 rs.; um so, Im de Jacaranda.
por 60,000 rs. ; ilous pares do consolos com
toucador de Jacaranda por 6,000 rs ; um
par de bancas de Jacaranda, por 30,030 rs ;
una cama de angico quasi nova e para una
so pessoa, por 14,000 rs.; 6 cadeiras com
assento de palhinha, por 9,000 rs.
vatoriode amarello, por 3,000 rs
nachos por prego muito commodo ; panno
de linho, o melhor que se pola encontrar,
muito em corita attendendo a saa boa qui-
l idade : na rua do Sol, h. <
Xarope do bosque
para cura de pblhislca em todo os seua dlfle-
rentea eroi, qur motivada por conJlipa-
coea, toase, aathina, pleurli, escirros de aan-
cue, dr de coaudo e pelto, palpttacao no
coracao, coqueluche, bronchile, dr na gar-
ganta e tudas a molestias doa orgaoa pulmo-
nares.
De todas as molestia! que por heranca ticarn
ao corpo humano, nenhurna ha que mais des-
tructiva tenha sido, ou que tenha zombado dos
esforcos dos hornens mais eminentes em medi-
cina do que auuclla que be geralmente conhe-
cida por* mcltitta no bofe. Bm varias epoca
do secuto pas.ado tem se olfererido ao publico
diR'ercntcs remedios com attestados das etra-
ordinarias curas que ellcs teem feito, porein
quasi que em todos os casos a illusao tem sido
apenas passageira, e o doente torna a recahir
em pcior estado do que se achava antes de ap-
pllor o rcmedin lao recommendado : outro-
tautn nao acontece com eale eilraordinario xa-
rope doboique. ...... ,. P
O proprietario ao principio foi induzido a ol-
ferecer este xarope ao publico, depois de ter
ell'ectuado em i mesmo urna cura permanente,
c depois de ter a opiniao dos primeiros mdi-
cos da Europa e dos Kstados-Unidos, de que
seu estado j nao diva esperancas de melhora,
e era como segu. No auno de 1837 apanhei
umagruiidc constipa9ao queme atacou opei-
to, e todos os symptomas de phthisica pulmo-
nar logo se seguiram. Eu linha urna tosse con-
tinuada com dor no peito, salivava urna lleu-
11..1 dura e algumas veics misturada com san-
gue, urna febre etica, suores de uoite, erna-
greci rpidamente, e em pouco tempo Gquei
reduzido extrema debilidade.
Os ineus mdicos (entre os quaea bavia al-
guns dos priucipacs dos F.stados-Unidos) junta-
mente com ineus amigos perderam toda a e-
peranfa de meii inelhorainento, e csperavan
que eu brevemente succumbirii.
.Nesie estado de molestia porcasnalidade en-
coutrei com una antiga recolta dos Indios, e
resolvl-me com o cousentiinento dos meus m-
dicos a rxpci menta-la, visto o estado deses-
perado do rneu caso.
Qual nao seria a admiraco dos ineus mdi-
cos, e o incu contenlamenlo vendo que desde
que principie! a tomar o xarope, conLeci logo
urna mudaiica no mcu systema, cpelaconti-
nuacao do uso a molestia madurou, os tumo-
res |forinararu cabrea e arrebciilaram laucan-
do grande porfo de sangue e mat.-ria. Depois
de ter continuado pelo esparo de 3 mezescoru
o remedio, a ruinlil molestia cessou inleira-
menle, e acliei me reslabelccido de perfeita
sade, o bofe desde aquello tempo tem conti-
nuado s.ii. a menor allectayao de enfermida-
de. Nesta* circuinsiaiuias lie que me resolv
ao principio a ofjerec-lo ao publico, firine-
neuie convencido de que be o nico remedio
que se tem doscobertn, no qual se pode ter
conlianca para a cura de phthisica pulmonar.
Curou onde todos os mais remedios tiuliam ra-
lbado, e, se fr tomado e applicado segundo ag
dirceces, puncas vezca deixar de produzir
urna cura radical.
O eu principio de operar he fcil de expli-
car : suavisa e acalma a Incuimoda tosse,
iinadiirecc o abseesso, tacilita a salivacfio, e
em pouco lempo livra os bofes da materia que
se rene nos tubos de ar. Regula as funccei
o -o o sem neci'ssidado de outra qualquer me-
dicina, forlilica o sysleiiia e purifica o sangue.
Nio conten, nem mercurio, opio, ou outro
qualquer Ingrediente veneuoso, che feito ni-
camente de mi:ti e tieruae. Tem-se usado ha
mais de nove annos, e l.e univeisalnionte con-
siderado como o grande e nico remedio para
esta borrorosa molestia. Os seus ell'eilos sao
em todos os lugares o mesmo, admirnteii < Iri-
umpfianlee !
Como medicamento preventivo e antidoto
contra as tendencias do clima para a phthisica,
he de grande valor, e Dl*0 d,segundo fax qual-
quer medico ou couhecedor de drogas, porm
emquanto se est paliando com estas engnnotat
misliirat.n doente v-l rpidamente empedran-
do, e cada dia mais o mais colloca o seu caso
fura do alcance de eeperancae '. Nao succede as-
sim com esra preciosa medicina lie sempre
s.iluiar, e seus rll'eilos nunca sao damnosos.
Vio he opitica, nao be tnica, nao lio um me-
ro expectorante, nao tem por objeclo afanar o
doente para 1er urna fatal leguranca. He uin gran-
de remedio, una grande coinposir.ao curativa,
0 grande e nico remedio que a scieneia e o
conlicciineiito medico teem ate boje produiido
para o tratameulo desta molestia, at boje iu-
conquislavcl.
Km mu 1 palavra be o melhor remedio no
mundo, e nenhurna pessoa tocada com este (la-
gello da familia humana ser justo para si e para
seus amigos, se descer sopnllura sem attea-
tar suas qualidades virtuosas Uiua nica gar-
rafa quasi que em todos os casos produzir
mu consirleravel inudanca no estado de i/mil-
711M- docnca, leja ella qual ,i)r.
Tem curado casos que se suppunham supe-
1 o. 11 s.ao poder medico. Tem levantado doen-
les como que da sepultura. Tem curado de-
pois que j lodos os ouiros systemas, inedica-
nientos e metliodos de tralainenlo teem ralba-
do. Em urna palavra, deicobrio-ie o legrcdo, a
phlhitica cura-se.
A amiga opiniao de que phthisica nao po-
da curar-se tom desapparecido desde a iulro-
duceo desla milagrosa medicina. A phlhisica
pela descoberta deste medicamento acha-*e
despida de inetade dos borrores que Causavi.
Em lugar de se entregarem ao desespero quan-
do estavan seguros de que a phthisica Ihe t-
nba lancado as suas garras, inrlhares de pes-
soas teem recorrido a este Infallivel remedio, e
com praier e regosijo continuam desfructando
sade neste seculo que produzio tal beneficio
raca humana.
Leinbrem-se todos aquelles que se acham to,
cados de moleslia pulmonar, quer por tosse-
cnnstipaces, aslhina. brouchites, pleurls. es-
cirros de sangue, dr de costado e no peito,
palpilaru no coracao, dor de garganta, e to-
das as mais molestias dos mgos pulmonares,
que o nico remedio seguro be o xarope do
bosque.
I.embrar-se-ha o publico que cada garrafa
ti tu dous papis com a propria asslgnalura dos
agentes tt. C. Yates e (Joinp., um na garrafa
com urna perfeita direccao sobre o melhodo
de usar delle, e outro no papel invotto.
Pode ser mandado com toda a seguridad e
para qualquer parle do imperio. As ordena
executam se puntualmente.
Vende-se na rua dos Quartels. n. 12.
lampos de pedra preta, por 100,000 rs.; uui | loj a.
-- Vi 11 ie-so, bom e barato, trancinhas
brancas de Ia-, proprias para debrum de
obras dealfaiate ; assim como gargsntilhas
de vidro e filagrana preta para luto, com
brincos esm ellos; abotuaduras de vidro
do dous botOes para prender casaca adan-
t'1, sobre-casaba e jaquelas ; ditas de botei
de seda completas e do uonitos padres
na loja de Victorino & Guinariles.
Vende-se um Atlas gungnphico, com
36 Cirial'. na rua estrella Jo Itozario, n. 39,


Vende-se farinha de mandioca de su-
perior qualidade.em saccas de estopa eal-
goJflo. a 2,600 rs. a sacca : no armazem o
pe do arco da ConceicHo, n.6l, que foi do
allec.do Rraguez.
Arroz ve casca a 5,200
rs. a sacca
vende o na ra do Araorim, n- 35, arma-
zem do Tasso Jnior.
Polassa da Russia.
Vende-se superior potassa da Russia, da
maisr-iwaquo ha no mercado, por preco
com mudo : na ra do Trapiche, n. 17.
Farinha de mandioca.
\ende-se fa'lnha do Cer, em saccas
por preco commodo : na ra da Cruz, ri
Recita, n. 43.
Fardo a 5,000 rs. a
sacca,
e omelhorque tem vindo a este mercado
na ra da Madre-de-Deos, armazem de Vi
cenle Ferreira da Costa.
~ Chegaram novamcnte ra da Sen-
zalla-Nova, n. 42, relogiosde ouro e prala
patente inglez, para bomem e senhora.
9
gCera em velas do Ilio-o
Vendem-se saccas com farinha de man-
dioca, viodas do Rio-de-Janeiro no brigur
osena, por preco commodo : no armazen
e Dias Forreira, defronte da escadinha, o;
a tratar com Domingos Rodrigbes de An-
drade, na ra do Trapiche-Novo, n. 4. Ad-
verte-sequo as saccas silo grandes.
_-*
&
O
O
Precos nunca vistos.
Q
O
O
O
o
o
2
c
Vendem-se cassas de cores fixas, a
240 rs. ocovado ; cambraia do seda,
a 200 rs. o covado ; chitas pretas fi- GJ
as, a 160 rs.; chales de lila, a 1,000 g
rs.; lencos de seda, a 1,000 rs.; di- t
O tos com franja, a 1,000 rs.; ditos
., meioschales, a l,280rs.; meias pa- %
ra meninas, a 120 rs. o par ; franklin J
* preto e de cores, a 500 rs. o covado ; )
jg luvasde seda rara senhora, a 320 e X
g 500 rs. o par : ditas de pellica para
fc> homem.a 160 rs. o par; lentos de 9>
O seda edes< lim para grvala, a 500 e 9
^j 640 rs. cada un ; bicos de seda e de
ct linho, largos, a 320 e 500 rs. a vara ;
l~ chapeos ra.:sdose de castor, p 1,600.
^* a fnn o non .. ..j_____ j ^
muilasfazzeiidas : na ra do Crespo.
n. 9, loja amirella.
O
QfJ
--Vende-se urna linda escrava de lian-
nos, com habilidades; 2 ditas de 25 a 30
anuos, boas quitandeiras ; 2 moleques de
18 a 20annos ; um preto para lodo o ser-
vico: no pateo da matriz de S.-Antonio,
sobrado n. 4, se dir quem vende.
Deposito de Potassa.
Vende-se muito nova potassa.
de boa qualidade, em barriszinho!
pequeos de quatro arrobas, por
preco barato, como j ha muito
tempo se nao vende : no rtecife.
ra da Cadeia, armazem n. ia.
<*# S Konj e min'lo batato, t
$ Os propietarios da luja do sobrado
de Janeiro.
Vendem-se caixas com ce-
ra em velas fabricadas em
p urna das melhores fabricas
O do Rio-de-Janeiro ; soili- 2
O ment a vonlade do com-
q prador, por preco mais ba- 9
ralo do que em outra qual- ^
g quer parte : amado Vi-
gario, n. ig, a tratar com
0 Alachado & l'inheiro.
0 C
$
Vendem-se, por preco commodo, 0<
scRiiintes objeclosem bom estado, que se
podem v. r no Forlc-do-.\latlos,pronsa do Sr -
Manuel Ignacio de Oliveiri l.obo, e tratar # ,mre" n08 qusiro-caiitos da ra Z
namesma, ou na ra do Azeile-de-Peixe 9 Qoeim-'<|0 -.#.s)Jamlo ulli- J
armazem ii. 13, das 9 horas da a a:ihffa as
2 da larde :
2 vergas de gavia ;
2 ditas de joanete;
2 ditas de sobre ;
Pannos de cutello, caransueija, suriolla,
juba e Tuzo, masterns de joanete e moso
2 camarotes com 4 belixos;
1 escala de inadeira e ferros de bronze
para portlo ;
1 signo leqncno ;
1 roda de leme com chapas do Jalao
1 cabrestante de palete ; '
1 bolinete ;
120 bracas de correte, juntas ou sepa-
radas,
2 ferros de mui'o boffl tamanho ;
1 aucotote ;
2joaucles;
1 gavia ;
1 bujarrn;
1 giba ;
1 vela derslaes ;
Cobre velho de forro ;
Cabosalcalroados para troco, que, pelo
lOl estado em nnaaalSn A.L .:_!.h
.;. mar a venda das fazen las abaixo
<. meiicionadiis, resolvern! ven le-las
<> oelos seguintes precoi i
S Cuites de calcas de biim branco
w depuro linho a 1,7*0 I
1.140 *
v-
boa estado em que estilo, ,Jom aina ser-
Panno velho de velas para forro, moites
cardenses, palollas para ferro, e cutios
objeclosmiudos.
1 rados de ferro.
Na fundicSo da Aurora em S.-Amaro
vendem-se arados de ferro de diversos mo-
delos.
Novidade.
A 1,000 rs. o covado-
Na loja dos barateiros da ra do Qucima-
do, n. 17, vendem-se casimiretas do lila
nielase de cores, pioirias para cairase pa-
litos para homein e meninos, a 1 O00is o
co/ado. '
m
9
f
p
i
i
casi-
de puro linho a
Dilos de dito ainurello, a
Kilos de dito i!e cores, a
Ditos de I fu im liando
mia.a l.Gf.O
Aliaca i rea fina, o covado a 900
Corles do vestidos de chita | reta
com 14 covados, a 2,000
Dilos de cassa de cures, a ajeoo
Dilos linos, a 2,100
Ditosde cambraia de lislras de <"
cies xas, a 9,500 (t
Sarja ''e I fa lavrada prcta, o co- #>
vado a 560 ff
Lencos de seda .le cores, a 610
Cobertores de ulgodiio incorpa- #
l'os pura rscravos, a gjo *
#
Sapatoes do Aracaty
fetos de encommenda.
Acaba de chegar do Aracaty urna gran-
de porcSo de sapalOes feitos a capricho, li-
to por effeito de novas recommendacoes
que para la se tem feito ; porque os quo al
agota tinham vindo, notavam-se-lhes im-
perfeicSo, j no cosido, j em formas anti-
.:as e mi'sii 11 em corte : estes sapaloes de-
pois de tintse acoslumadosa boa graxa,
chegam a confundir-se com os de cou-
ro de lustro ; o seu preco he de mil rs. o
par, dinheiro vista : na ra larga do llo-
ario, n .35, loja de miudezas.
Na loja franceza na ra Nova alraz da
matriz, tem bonitos jarros de porcellana,
lantemas de p do vidro, ditas de casqui-
utia inglezas, ditas fracnezas, candieiros
oara sala, ditos de latSo para estudantes,
liengalas de cana, bandejas Anas, chapeos
de sol de seda de cores para humen), fundas
para os quebrados, chapeos francezes de bo-
nitas formas, lencos de seda de 1,000 rs. al
5,000 rs. para senhora e liomms, ditos de
morsulina, c outras muitas fazendas : sa-
patos de duraque de cores para senhora a
Miors., ditos de coro de lustro a 2.000 rs.
Assim como roga aos seus devedores que
lie. vam pagar, para nflo mandar tantas
vezes os seus caixeiros em suas casas.
Na ra do Queimado,
n. 9,
acha se venda um completo soitimento
de manteletes e capotinhos para senhora,
le chamalole ondeado e de lislras; bem co-
mo de seda furla-cres, os quaes vendem-
se por menos prreo do quo em outra qual-
quer parte, lifio-su amostras aos compra-
dores.
Cstao-sc acabando.
Vendem-se cortes de fina casimira preta
decores, pelo diminuto preco de 5,000
rs. : na ra do Queimado, n. 9.
Vendem-se 2 ptimos escravos, por
precisSo, sendo um crioulo de 22 annos,
bom sapateiro, e o outro bom carreiro, d
nacilo Congo, de 33 annos : na ra larga di
llozario, n. 52, no segundo andar do sobrt-
d da esquina.
-- Vendem-se 6 lindos moleques de 8 a
16 annos ; 8 prelos de 20 a 25 an> os, sendo
umdclles ptimo sapateiro; 2 pardos de
0 anuos, sendo um delles perito cozinhei-
10, boliciro, cnipalhadur, e do ptima con-
duela; duas pardas de 18 annos, com ha-
bilidades; quatro prelas com algumas ha-
bilidades, de 14a 20annos: na ra do Col-
legio, n. 3.
Na ra do Cabog, loja de qualro por-
tas, vendein-sn vulantes, trinas, gales, es-
piguilhas : ludo por preco mais commodo
lo que em outra qualquer parte.
Folhade ihfiidres.
Em casa de J. J. Tasso Jnior, na ra do
Amorini, n. 35. ha um ptimo sorlimenlo
de. folln de I/landres, de ludas as maicas, 1
a retalho por preco mais barato do queem
outra qualquer p 1 te.
Novo sorliniento de fa
zendas baratas, na rli*
do Crespo, n. 6, ao p
do lampean.
Vende-se cassa-ebita muito lina, de bo-
nitos padres, cores fixas e com 4 palmos
de largura, a 320 rs. o covado; cortes da
dita a 2,000 rs.; riscado di lislras de li-
nho, a 240 rs. o covado ; dito de algodSo, a
140 e 160 rs. o covado ; cortes de brim par-
do claro, com duas varas e urna quarta, e
1,600 rs.; riscados monstros, a 200 rs. o
covado; zuarte azul, a 200 rs. o covado i
chitas, a 160 e 180 rs. o covado ; fuslfio, a
640 rs. o corte chales de tarlatana, a 500
rs. ; cobertores de algodno americano, a
640 rs.; e outras muitas fazendas por bara-
to preco.
Mocik s superiores.
Na fimdicude Q. Starr.Sc Companhia|,
em S.-Amaro acham-se a venda moendas
de caima, (odas de ferro, de um modelo e
construccSo muito superior.
A ellas, a ellas.
Vendem-se riquissimas golas e pescoci-
nhos para senhora, pelo diminuto preco de
2,000 rs. cada um : na ra do Queimado,
n. 9.
Arados de ferro.
Vendem-se arados de ferro de diffe-
rentes modelos : na fabrica de machinas e
fumcfio de ferio, na ra do firum ,'
ns.6, 8e10.
Deposito da fabrica de
Vodos-os-Smitos na Itahia
Vende-se em casa de N. O. Rieber & C,
a ra da Cruz, n. 4, algodSo trancado
aquella fabrica, muito prnprio para saceos
deassucar, roupa de escravos e fio proprio
para redes de pescar, por preco muito com-
modo.
Ai leikI.i mi e vejam !
Na ruada Cadera do Re-
cife, n. 50, loja de Cu-
nlia & Ainoriiii,
vendem-se pecas de bretanha de
rolo com io varas, fazenda supe-
Vende-se urna escrava moca sem vi-
cios-. na ra do Sebo. n. 15.
Quem nao comprar ?
Casetniras francezas rapadas e de cores
propriaa para palitos de homens e meninos!
.900rs. o covado; gangas amarellas com
lislras do cores, o mais lino possivol e tam-
bem proprias para palitos e calcas de ho-
rnero, a 960 o covado; os mais modernos
riscadinliosdequadros miudos e intitla-
los fmpenaes, com quatro palmos de lar-
gura, razenda propna para vestidos e rou-
pOes para senhora e meninas, a 320 rs. o
covado. Mo-se as amostras com o compe-
tente nenhor: na ra do Queimado, n.17.
"i Contln"a-se vender boa manteiga
inglcza, a 400, rs. a ibra ; bom cha hysson,
i200rs. ; cafemoido, a 200 rs. ; cavada, a
" rs.; aj-roz branco, a 80 rs. a libra : no
Pechincha para os bahu-
le ros.
Vendem-se chitas propiias para forros de
bahusporestarem flacas, a 3,500, 4 000 c
5,51:0 rs. : na ra do Crespo, loja da e'-qui-
quina aue volta para a cadeia.
Vendem-se amarras ue
da Senzalla-ISova, n. 42.
iarro:'Tia rus
Antigo deposito de cal
virgem.
Na ra do Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal virgem de Lis-
boa, por pceo muito commodo.
- Vendem-se cigarros de pal ha de milho
bous, por preco commodo : (la ,ua das Cru-
zes, n. 40.
lie cozinheiro e moco de
navio.
Vendc-9* um preto moco, de boa fiKur.
e queja anda embarcado ha 2 annos- 1
ra D.reita, n. 93, pnmeiro andar, as '*,'
farde" mi",U!ia' e das <>u< as 4 di
-Vende-se farinha de Pliiladelihia nelo
barato preco ue 8,000 rs. a barrica ; KrPt
em bai ricas de n. 96 ; barra com breo or
sunlos americanos; bolacha americaiw
pro,,ria para rancho de navio; ,pei u|mV
Co floieto ede machina ; banba de roren|.
e minios oulros gneros por preco raaoavel '
nalravcssa da Madre-de-Dos, u o *,,'
iiiocun quem Iralar. <"
--.NaruadoCabug.loja de quatro or
las, vendem-se laas de cores ,,. .".?.r
* ***** **?e ###*
r>a ra do Crespo, n. l^
loja dcqualio portas,
vendem-se superior cuites de casimira di
muito bonitos padr0s, e fazenda prppria
para todasas essoes que niriciam a eco-
noma, pelo barato preco un 4,000, 4,500
5,(i00c> 7,000 is. Tazeuda rica; e outras
mullas fazendas de boas qualidades, poi
preco mdico.
\a ru do Crespo, n 14,
loj de Jos Francisco
Dias, vende-se
nsradofranrczdequadros escuros, fazen-
da mullo fina e fixa, pelo burato preco de
2u rs. u covado ; pecas do rsgniiio de al-
goiilo de 5 palmos do largura e com 10 va-
ras e meia, a 3,2i,0 is. a ice, e a 320 rs. a
5,000
oleados
i cores para Imi.'i .-
loucas e capotinhos de 13., prprios de mo-
nillos; chapeos brancos de mola i
rs. ; ditos do cores p,ra meninos'
lieos pira mrsj.
-Vende-se una canoa de umpof d.
amarello, nova, preparada e piulada de no
v.>, quem a quizar dinja-sc na ra de S.n
Francisco da r./om Tercena, n. s : carreit.
0 f--.-ujs e he muito segura.
AGENCIA
drt funtico Lnvy-lllcor,
HA Da. SKNZALT.A-NOVA, N. 42.
Neste estabelecimcnto conti-
na a haveium completo sorti-
ment de moendas e meias moen-
das, para enenho; machinas de
vapor, e tachas de ferro batido t
coido, de todos os tamanhos,
para dito.
Na ra do'Cabug, loja de quatro por-
tas, vendem-se liolOes de Pedro II; ditos
amarcllosde bom gosto para casacas; di-
los para niarinha ; ditos para o estado
maior; ditos de libr de pagem ; ditosprc
tos de diversas qualidades, por prefD mais
barato do queem outra qual juer parte.
Vendem-se 2 bonitos prelos de 25 an-
nos, muitu bous ganhailorus de ra ; urna
prela de25anuos, quoengomnia ecozinlia
perfeilarrento, faz doce e coso ; 3 ditas mui
lo mocas, com algumas habilidades, eque
silo muilo boas quitandeiras ; urna parda de
25 annos; urna prela de meia dado, que se
rende muilo em coi.ta ; assim como oulros
inultos escravos: na ra da Cadeia do l(e-
eife, n. 51, primeiro andar.
Na ra do Cabug, luja do quatro por-
tas, vendem-se gravatuihas de selim para
senhora. a 1,000rs. ; luvasde torcal, leilas
em Lisboa ; capotinhos de fil de linho;
hicns de todas as larguras ; bicos do Porto ;
e fitas de velludo.
- Vende-se, i:a praca da Independencia,
livran.i ns 6 e 8, um pequeo habito da
llosa, proprio para casaca, por 14,000 rs.
Ven !em-se prc> de mada; ollo largo,
COIII 20 varas, propiin para forme Milpa de
escravos por ser mui'o forte, comalgum to-
que de moro, 2,500 rs ; e vareja lo,a i pecas de ohita com algufli sujo, a 4,000 : n
ra larga do lio/ario, u.--pur cuna da pa-
daria do Sr. Valonea.
Na ra lo Crespo, loja
da cquina (juc volta
para a cadeia,
vendem-se coi tes de casimira prela, muito
boa, a 5,500 c 10,000 rs ; panno preto, mui
to bom, a 3,200, 3.800 e 5,500 rs. o covado ;
corles de collelo de fustilo, a 640 rs. ; ditos
le selim de cores, a 2,000 rs ; dilos de gor-
gor fio, a 1,600 rs. jesguiOo do linho, muito
lino, a 1,280 rs. a vara.
Taix&s para engenho.
Na fundicSo de ferro da ra do Bruna,
cabj-sc de recebar um completo sorlimen-
lo do taixas de 4 a 8 palmos de bocea as
quaes acham-se a venda por preco com-
nodo e com promptidSo embarcam-se,
ou carregam-seem carros sem despezasao
Bomprador.
Pechincha.
Na ra do Queimado, vinlodo Rozario,
segunda loja, n. 18, continuam-se a ven-
der pecas com 20 varas de melim verde,
azul, e cor de caf, a 2,200 is a peca ; pan-
no ilc linho suissocum 25 varas, a.6,400 rs.;
chales de seda, a 5,000 rs. ; ditos de lila p
seda, a 3,000 rs.; eoutrts muitas fazendas
que so vendem sem limites de preco.
Porcellana.
Na ra Nova, loja de A. Calombiez, von-
dem-se apparelhos de porcellana fina para
cha; bacas com jarros para lavatorio ; jar-
ros paia llores naluraes, proprios para sa-
la ; chicaras de porcellana branca para caf.
Vendem-se p:ocurac5es sel-
ladas, a ^4o rs. ; apudactas sel-
ladas, a 200 rs. : no pateo do Col-
legio, loja do livroazul.
Teeidos de algodo tran-
c ido da fabrica de To-
dos-os-San tos.
v a ra da Cadeia, n. SU,
endoin-se por atacado duas qualidades,
proprias para saceos de assucar e roupa di
aseravos,
Farelo novo a 5,o00 rs.
Vendem-se saccas grandes com 3 arro-
bas de farelo, chegadas no ultimo navio
de lUmhurgo: na rus do Amorim, 11. 35,
casa de J. J. Tasso Jnior.
- Vende-se. una casa lenea na ra da
piaia du Pocinho, 11. 6 : na ra de Agoas-
Verdcs, casa terrea junto ao sobrado de S
andaies, defionte do oil3o de S.-Pedro.
<*J*v#**f#1ffVff^
Arroz pilado.
=* Conliiia-se a ven ler o muilo su- *
* periorarroz pilado branco: na ra *
^ da Calcia lo ilecife, n. 1, armazem
. > de 11 (libados. 5
nor, a 1,600 rs. ; panno msela-
do com duas larguras, a 1,000 rs.
o covado; panno lino preto, a 3,5oo
rs. proprio para casaca ; cortes
'le cambraia fazenda superior, a
2,000 rs. ; censa pintada, a 1,800
rs ; algodSo trancado mes-ciado,
proprio para escravos, a 18o rs. ;
chitas escutas para vestidos, itfo
rs. / lindeza, a 340 rs. o covado ;
madapolo inq, a 4*000 rs a pe-
ca ; alpaca de algodo,fdzcnda lar-
a, a 3ooo covado ; pecas de bre-
tanha de linho de rolo enm 10 va-
ras, fazenda fina, a 5,800 rs. ; len-
c'o- de cassa pata gravita, a 3oo rs.
cada um ; e outras muitas fazen-
das por preco commodo, que se
mostraroao i'reguez.
Gnalas vasias.
No armazem da ra do Amo-
rim, ns. f>G e 58, vendem-se gi-
gos com urna groza de garrafas ca-
da um : tambem se veidem sac-
cas com farelo com 3 arrobas ca-
da urna, a 3,5oors. a sacca.
80
pateo lo Carmo, n. 2,'venda nova."
Na ra do Cabog, loja de quatro por-
tas, vendem-se toalhas de lararinto de bom
gosto, titilas no paiz, por preco commodo.
Vendem-se chapeos francezes, os mais
finos que teem vindo a este mercado : n
ra Nova, loja do Calombiez.
Vende-se um sobradinho de um andar
na ra da Senzalla-Volha, em chSoa prol
,tios, por 600,000 rs. o qual rendo men-
salmente 10,000 rs.; no arco da Conceicao.
!oja de roupa feita, n. 6.
-- Vendem-se pedras de cantara ; por-
tas de louro; carrinhos de m8o : tambero
se vende um terreno ero Fra-de-Portas,
alrasda.grejadoPiIar.com 60 palmos de
frente : na ra da.Praia-de-S.-RiU, defron-
le da ribeira, ns. 10 e la.
Vende-se carne nova e graza do Rio :
na roa da Prna, n. 39.
, ", !SD5'*^ ou ,roo- um preto bom
horUIBo, de 35 a 40 annos, de boa conduc-
ta, por oulro, ou por um pardo que no
exceda de 15annos, ainda mesmo voltan-
do-seo que fr justo : no pateo da matriz
de S -Antonio, n. 4, sobrado.
Vende-se um sitio com expel-
iente casa de venda', cochei-
r que acCommoda 30cavallos,
e carros: o sitio he cercado de cerca nati-
va, tem grande extensSo de terreno pro-
prio para toda e qualquer plantac&o, com
150 ps de coqueiros que dao fruolo, e mais
arvoredos uteis, duas cacimbas d'agoa de
beber e mais bemfeitoriaa quo com avista
o pretendente se agradar : no Aterrinho-
do-Gqu, n 128.
Cassas pretas a 140 rs. o
covado.
Vende-se cassas pretas de muito bom gos-
loa 140 rs. o covado : na ra do Crespo,
loja da esquina, que volta para a cadeia.
lgencia de Kdwia .11 a\v.
Na ra de Apollo armazem n. 6,de M. Cal-
mont; Conipanhia.acha-se constantemente
um grainh |soriimenio de ferragens inglezas
para engenhos de fabricar assucar, bem
como taixas de ferro coado e batidode dif-
ieren les] tamanhos e modelos, moendas
do dito,tanto para armar em madeira como
rodas de ferro para animaos e agoa, ma-
chinas de vapordefrca de4cavallos. alia
pressSo, repartideras, espumaderas, etc.
de ferro estanhado.Na. mesma ageucia a da-
se um sortimento de pesos para lialancas,
escovins paia navios, ferro em barra,tanto
quadrado como redondo, safra para ferrei-
ro e urna porcio de tinta verde em latas:
ludo por barato preco
Vende-se um cofre de ferro ^ na riia de
S.r4"rancisco, casa de um andar, confronte
ao theatro.
octavos Fu ios
Alautas |
* prelas de fino crep, e tambem de
cores para seiihora e menines, pelo $
barato preco de 800 rs. : na ra do f*
# Crespo, n. 11, loja de Antonio Luiz
^ dos Santos c *
Vendem-se pulas vegelaes de Janie-
Narison, ja bem conhecida nesta cidade,
lelas suas uilagrusas curas : na ra da Ca- Izer cslabi-lccer, visto acliar-se'cm boa
Ideia do llecife, n. 48, casa de A. S. Corbetl. IcaJidade : a tratar ua dita loja.
Na rtia do Crespo, n. 14,
loja de Jos Francisco
Dias,
vende-se esguiSo de algodo, fa-
zenda de quatro palmo.* e meio de
largura e fina, pelo barato preco
de 3 20 rs. a vara ; brim ti anca-
do branco muito encorpado e de
listiaao lado,a i,a8ors. o corle ;
dito de puro linho cor de ganga, a
,6oo rs. o corte ; e um completo
sortimento de fazendas por barato
preco.
- Vendem-se pastas grandes com capa
do marroquim para as leparlicOcs publicas:
no paleo do Collegio, luja do livro azul.
Vinde-se urna casa le rea, sita atrs da
matiiz da Uoa-Vta, n. 54: a tratar no
Uerro-da-Boa-Vala, n. 2.
--Venue-se um moleque de 14 annos, Je
muito bonita figura; um mulatinho de 8
annos, proprio para pagem ou para apren-
der ollicio; urna prela que cozinha o dia-
rio de una casa, cose chJo, engomina, faz
o m.iis seivico, e lio boa lavadeira ; um ca-
tira para oairvico de campo: todos muilu
ancos e s in vicios neui achaques : ven-
dem-se para pagar dividas: na ra do Lit
vrameulo, n. 4, so dir quem vende.
Alien cao.
Vende-se, ou permuta se por algurna ra-
sa sita desde a tua do Livramento at o
Aterro-dos-Afogados, ou a troco de fazen
las, a armacilu da loja n. 17, do Pasaeio-
Publico, muilo propna para quem se qui-
lo-
-- Fugio no dia 23 de abril do engenho
Ginipapo um escravo por nome Antonio, he
baixo. secco decorpo, sem barba,, repre-
senta tur 20 annos, tem em urna das mSos
um dedo cortado pelo meio e suppOe-se an-
dar nesta pruea : quem o pegar leve-o ao
mesmo engeuho, ao seu senhor, Jos do
llego Dantas, que reeeber cincoenta mil
reis.
Em a noite de 88 do prximo pa.'sado
fugio, da povoac&o do Monteiro, da caaa de
residencia de tlanoel Antonio da Silva An
lunes, a prela Malia, do gtnlio de Angola
moca, de estatura e coipo reglales, r
prela, rosto aboceitado, falla beuio vulgar
tem os jes um tanto grossos: quem a pe-
gar leve-a ra da Cadeia-Velha, n. 24,
que ser gratificado.
Fugio, no dia 12 de marco,' o preto Be-
nedicto; crioulo, que representa ter 24 an-
uos, du altura regular, sem barba, cara re-
dunda, olhos carrancudos; tem os ps un
tanto toriose urna das peritas: este escra-
vo vi o do Maiiibu para aqui ser vendi-
do por conta do Sr. I)r. Francisco de Mello
Coutinho Vilhena: quem o pegar ou der no-
ticia na ra da Cadeia do llecife, n. 51, pri-
meiro andar, ser gratificado.
Fugio, no dia 28 do prximo pussado,
o escravo Antonio Calduda, que reprsenla
40 annos, chcio do corpo ; lie muilo cabel-
ludo nos peilos, pertencente a Misquita&
liuir.i ; quem o pegar leve-o a fuudicao dos
nesmos, na ra do lirum, que ser recom-
pensado.
Fugio, no dia 29 do prximo passado,
S (.reta Ihercza, do nacSo Quicam, de 40
annos pouco oais ou menos; levouvesti-
do encarnado com flores amarellas, panno
da Cosa velho ; costuma andar vendendo
agoa ; he baixa, rosto descarnado, falla pou-
co esplira la: esta prela prrlence ao casal do
finado Coi/ Jos da Silva,e se achavicmca-
sa de Antonia Mara da Ti I iol.uk', na i do
orphu : quem a pegar leve-a ra do Itan-
gel, n. 36, casa do listamenteiro, Manoel
da Silva Guimanles, que gratificar.
Cratifica-se bem a quem apprehender
um caba de nomo Alhauazio, do estatura
regular, grosso do corpo, cabello estirado,
poma barba, nariz afilado, com falla de
lentes na frente, bu i eos grossos ; tem urna
actriz nos peilus ; lem falta de dous de-
dos no p esquordo ; levou camba de al-
godSo azul, calcas pelas de merino j usa-
das, chapeo prelo tambem usado: este ca*
bra desappareceu no dia 8 de abril do cor-
rente anuo ; julga-se que elle anlo pelos
trapiches do assucar. Itoga-se as autorida-
des policiaes e capiwles do campo, que o
appiehendame levem-no a casa do Srs.
Misquila & Huir, na fundico da tua do
lirum, ou na ra Nova, n %5.
Pian. :u TV I'. OEM. I. UB FA1U.1860


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EEH7X5BAJ_R29EQ0 INGEST_TIME 2013-04-24T18:44:18Z PACKAGE AA00011611_06899
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES