Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06894


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno XXVT.
Qiisirta-feira 27
rARTIDA O COMWOt.
Golannae Parahlba. segndale seitas felras.
Rlo-Granded-Norle, quintal felras ao meio-
Cabo, Serinheni. Rio-Formoso, Porto-Calvo
e Macelo, no 1.*, a II. e 21 de cada mez.
Garanhuns e Bonito, a8 e23.
Boa-Vista e Flores, a 13 e 28.
Victoria, s quintas felras.
linda, todo* odas.
IBX1.
Ming. a 5, s 5 h. e 46 iu. da t.
Nova a 13, s 8 h. e 57 m. da t.
Gr*sc.a2l,s 1 h.e38 in.da m.
Chela a 27, s 9 h. e 7 m. da t.

as HOJB.
Primeira ai 3 horas e minu,M j^iV^,
Segunda as 4 horas e G minutos da manbaa.
de Margo de 1830.
N. 70.
rBtijoi da uBsoairr/Ao.
Por tres meiesadianudo) 4/000
Por seis mezes _!M??9
Por um auno
da da bzmama.
25 Seg. 9* Annunclacao de Nossa Scnhora.
26 Tere. S. Ludgero. Feriado para os negocios fo-
renses por toda a semana.
27 Quart. de Trevas. S. Roberto.
28 Quint. de Endoeucas ( ** do inclo dia em
diante) S. Alexandre.
29 Seit. da Palxao ( ** al raeio dla)S. Bertoldo.
X 30 Sab. fTAIleluia S. Doinnino.
15/000 ;jI D de p,scoa da Hesurreltao S. Halblna.
T-
OAjtaxosutae dimuiijo
Sobre Londres. 28'/, d. por 1/000 rs. a 80 dias.
. Pars, 346.
. Lisboa, 95 por cento.
-^%$z^ as ss
de 6/400 no vas..
de 4/000...........
PrmU.Patacdes brasileiroa......
Pesos columnarios.......
Ditos mexicanos
H
l/100 a 16*300
9/100 a 9/300
I/I4U a 1*60
1/940 a 1/960
1/800 1 1/820
PARTE OFFICIAL.

GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DIA 26 DE FEVEREIRO.
Ofl!cio.--Ao chefe de polica.--Tendo o
. efiearregado <*o registro do porto encontra-
do ni bsrc Santa-Hoza, mestre Pedro da
-Silva, un prelo de nome Raphael, Mide
" pooro triiis ou menos de 12 nnos, sem que
moc-tria** documento algum, polo qual se
viesse aoconhecimento do ser elle livre ou
escravo, e schando-se o dito prelo a bordo
do vipor urania, icibo de expedir ordom
,io comraandantedo mesmo para remette-
2 lo i Vrnc, fim de que. faaemlo as precisas
indagaces, me informo qual a sui condi-
cSo --Neste gemido expedirim-se as con-
venientes ordens.
Dito.An inspector da thesourana da h-
zeoda provincial, pira que mande entregar
ao almojarife das obras publicas, para ser
abonad* o engrnheiro Milet, um cont de
~ rea para occorrer s despezas da obra do
decimo-sexlo lanco da estrada da Victoria,
visto arhar-se quasi esgotada a terceira
prestaeSo a igual qutntia, que se adiantou
ao dito engenheiro piraomesmo Um.Fi-
zeram-se as convenientes romniuriicaees.
Hilo.Ao inspector da pagadura militar.
-0 a I Teres do oitavo balalliilode caladores,
Rodrigo Lopes da Cunha Mrnezes, lendo-
merequerido o adiantameuto' de 4 mezes
de sold para Ihe serem descontados pela
metade de treus vencimentos por Itie ser ne-
cessaiio esse adiantaraento para pagamento
da passagem desta provincia para a corte,
nesia data tenho deferido a sua pretencjso.
Oque commuuico a Vmc, para que, ajus-
lando *s suas cuntas relativas ao mez cor-
rente, Ihe mande lazer o dito adiantamento,
exihibiudo-lhe a competente guia, afim de
seguir boje no vapor que parle para o sul.
da outra cmara, a
I) Anua Mara Justi....
riflo de praca de seu marido para gozar do
beneficio da lei de 6 de junho de 1831, e as
e segunda 8 resoluces disposicSo do art. 25 da le. -ie ""'-
primeira dispensando a bro de 1845 para que os pro lucios dos P,-
Liniana Franca a certi- zes limitrophes que entrarem pelo interior
l'"'8' .. ".: JLmm .tn da nrovinciadoPnrpaguemosdire.tosde
oulras sete enneedendo pensOes.
u Continuou hontem (2 do correle) na
cmara dos deputados a discussSo do art. 9
do orcimento da receittdo imperio. De-
pois defallarem os Srs. Carnelro da Cu-
nha e Fernandos Chaves, procedeu-sc a
VoUeflo. FOram approvados lodos os da
proposla, e rejeitadas todas as emendas
menos a do Sr. Silveira da Multa, que isen-
eonsomem
da provincia do Par pag
consumo dsquelles que se
paiz e nSo sSo exportados.
A disposicSo da resolucSo n. 506 de 23
de selembro de 18*8 Pica extensiva s des-
pezas enm a desaproprisQSo dos terrenos
generativos das agrias que unastfcem a ca-
pital do imperio, ecoma construccSo das
obras necessarias para melhor supprimenlo
e distribuicS das mesmns agoas.
e autorisado o governo a estabelecer
TRIBUNAL DA IlELAtUO'.
SESSAO DE 23 DE MARCO DE 1850.
PaiSIOEKCU DO IXM. SENIIOH
COPCKLHKIKO izavano.
A'i 11 horas da manhaa, achando-se pre
aentes oa Srs. desembargadores Kainos, Vil-
lares Kastos, Leso e Rebello, faltando cora
causa os Srs. desembargadores Ponce, Souza,
Luna Freir e Telles, o Sr. presidente declarou
abena a sessao.
Foi apresenlado em mesa um cilicio do Eim.
Sr. conceljieiro presidente da provincia, em
que participara que o hachare 1 (.aciano Kstillla
C'avalcante Pessoa, tora nomeado juiz munici-
pal e orphaos do termo de Ouricury. Ficou
intrirada.
Pram concedidas ordens de Htlnai-Corput a
Pedro Percha da Silva e Amontonse da Silva,
para serem aprcseniados na sci-riio do dia 9 de
abril prximo futuro.
julgxmintos.
Affllttc&o eivl.
Appeilante, o bacharrl llanoel /a Percha de
Mello, curador da parda Rosa; appellada, D.
Maria Carolina Ferreira de Carvalho. Man-
darain com vista ao Dr. Curador nomeado, e-
ao curador geral.
Foi assignado o prhneiro dia til para o ju|:
gaiuento dos appellacdCs criines em que sao -
Appeilante, o juizo ; appellauo, Joaquim ap
lista.
Appeilante, o jury; ippellido, Paulo
Francisco.
Foi assignado o prhneiro dia til para o jul
gaiueiiio das appCIlacdea elveis em que sao :
Appeilante, Joaquim Ignacio Crrela de Brito;
appr liado, o julio.
Apprllanir, o jnio ; appellados, Policarpo Jo-
s l.njne < outros.
Appeilante, I). Anua Jaclntha de Sousa Braga;
appellados, DiogoCoIkehoi k C. c outros.
DISICNtCdlS.
Passou do Sr. desrmbargador Ramos ao Sr.
tesembargador Villares a appellacocrime em
que sao :
Appeilante, Antonio Baptista de Oliven a ; ap-
pellado, o juizo.
Passaram do Sr. desrmbargader Villares ao
Sr. drseinbargaaor Kastos as appeacdes el-
veis em que sao :
Apellantes, Jos Vieira Brasil e outros; appel-
udo, Jos Fernando da Cruz.
Appeilante, Josu de Jess Jardlm; appeliado,
silvestre Joaquim do Nascimrnlo.
Appeilante, Ignacio Jos de Mello; appeliado,
Jos Vicente de Medelros.
Levantuu-se a sessao a urna hora da larle.
lo os cavallos e beslasque en- onde ro..vier presidios e colonias militares,
dandn-se-lhes a organisaco que mais ade-
quada fr.
tram nest cidade.
Foi em seguida approvado sem debate
o art. 8., que diz : ...
A receiti geral do imperio he oreada
em 2.7300:000.000.
Knirou depois em discussSo o art. 10
com a emenda da commissilo, que autorisa
o governo a preeocher o dficit que pos haver, por emissSo d* apolices. Oraram os
Srs. Rezende, Souza Franco, Torres e Vian-
na, e lirn a discussflo encerrada por nflo
haver casa para se volar.
A cmara dos deputados approvou
hontem ( 4 do correle) em primeira dis-
cussflo, para pascar a segunda, a resolu-
to que approvta o contrato celebrado em
21 de Janeiro desle anno, afim de que a
sociedade colonisadora de llamburgo pos-
sa levara efleitoa fundaQtf do urna colo-
nia em, ierra da provincia de 8anla-Ca-
tharina, perlencentesao dote da prineeza a
Sra. D.Francisca. .
Seguio-se a diseussao do parecer da
mesa sobre a proteocSu dos ofciaes de M-
gunda nla.sse da secretaria da cmara pe-
dindo serem igualados em veneimenlo> e
categora aos olficiaes da primeia clssse.
I'nllou oSr. Comes Riheiro, elicou a dis-
cussflo addiada pela hora.
Proseguido a discusso do ornamen-
to da receila, fram approvados os arts. 10
e 11. Entraram depois em discussSo varios
artigosadditivos.
Terminou hontem(S do corrente)na cma-
ra temporaria, depois defallarem os Srs. Ta-
uues, Oliveira Helio, Silva Cuimares, Para-
nagua, Miranda, Torres e Moraes Sarment,
h discussSo dos artigos addilivos lei do or-
namento.
OSr. Vianoa retiro a emenda da rom-
BinlO que mandnva vigorara lei para o
exercicio de 185152
Procedendo-se vtilac.no foi approvado o
seguinle;
O goverrrahe autorisado a alterar o nu-
mero e vencurientos dos empregados da ca-
tliedral o /apella imperial, comanlo que
nSo exceda qusnlia de 8:061,9.10 rs.
Accrescenle-se ao artigo addilivo ( -
cerca da capella imperial )--ilepois de ou-
vida a autoridade ecclesiastica.
Igual autorisaeflo seda ao governo pa-
ra que possa alterar o numero o veocimen-
los Jos empregados das calhedraes do im-
perio {havendo a necessaria coocordatn
com a autoridade ecclesiastica quaulo aos
beneficiados collados) dentro da quota con-
signada para calhedraes,
0 governo fica autorisado para man-
dar vender em hasta publica o proprio na-
cional sito na provincia da Baha, no Ma-
jse tat, comprehendendo as casas que ser vi-
ra m de guarda da plvora o de quartcl ao
destacamento militar que all havia e o ter-
reno adjacente que se acha competentemen-
te medido e demarcado.
A mesilla autorsacSo se concede rela-
tivamente s casas que fram do convento
de Santa-Thereza da dita provincia, ora per-
l'-tcenles fa/enda nacional.
O producto desta venda ser applicado
landa Cavalcante, foi approvado o artigo 1.
com a emenda da onlra cmara. Seglo-se a
discussSo do artigo 2., que ficou adiada pela
hora, lendo fallado sobre elle o Sr. ministro
da guerra
i. Proseguio hontem (8 do corrente, na c-
mara dos deputados adiscu'so do primeiro
arligo da resolucao viuda do senado sobre pro-
vlnclalisacio das notas. Tomaram parte no
debate os senhores Trrres c Souza Franco, c
ficou a materia adiada pela hora.
a Concluio-se hontem (9 do do correte) no
senado a segunda discusao da proposla do go
verno que llxa as forcas dr trra para o futuro
anno financeiro, sendo approvada com todas
as emendas da outra cmara.
Em seguida anprovaram-se em terceira
discussSo varias resoluces concedendo pen-
sdes, e oulras de interesses secundario.
OSr. deputado Angelo Francisco Ramos
-prrsenlou ns sessao de hontem (9 do crreme)
a seiuinte indic.co, que foi reincltida a coin-
missiio de conslituico e poderes :
llequeiro que na falta dos senhores Fran-
cisco Goncalves Vartins c Jos Augusto Chaves
ejain chamados os respectivos supplentes pe-
la provincia da Rabia
Passando-se orden) do dia, prosegua a
discussSo do projecto sobre provincialisacao
Fca o governo autorisado a alterara
tabella das comedoras dos offlciaes da ar-
mada que esliverem embarcados em navios
armados.
Fica o.governo autorisado a fazer no
regulameuton 191 do primeiro de julhode
1842, que rege o corpo de permanentes, as
alteracoes que a experiencia leoha demons- j---j- -foi approvado depois deorarem
irado necessarias, tanto para melhor or-. J^^UenSK Jo^nl- Villda.
ganisacSoe economa do corpo, como para K V6rt, iambrt approvados:
facilitar o alistamento de voluntarios, com-1 ln pr|meira discussao para passar sc-
tanto que nSo exceda a respectiva rugunda o projecto que faz extensiva s apolices
rica. I de 1:000,000 rs. a disposicSo que permilte a
O Sr. ministro da guerra apreseotou iransferenencla das de menor valor, por ineio
hootem (5 do correte) na cmara dos depu-j de escriptura publica ou esenpto Part.-
lados a seguinte proposla que r,.i remeltida .cuiaj.^ ^^ dIicnMfio para pa.sar ter-
f ceirao projecto sobre fundacao de uina collo-
" nia agrlcoli em trras da provincia de Sanla-
commissflo de marinha e guerra :
Augustos e tlignissmos senhores repre
sentantes da nacSo. I
A rigorosa antlguidade, sendo condi-i
(8o nica para os accessos deuns a outros
postos do exercito, amortecido fica o esti-
mulo de actos heroicos, que em circuns-
tancias extraordinarias salvam os estados
O oflicial, que sacrifica sua vida e exp0e-e
a lodosos me imnioilos inherentes guer-
ra, defondendo o paiz e soas nstluijes,
ofTerece seguramente Ttulos milito mais
valiosos do que a simples antiguidade, que
ni'in sempre indica sommae mporlancia do
serviros. As remunora(0es promplas ej s-
lameote distribuidas s3o origem fecund
das maiores accOes e dos mais relevantes
serviros : o estado ganha, fazenio chegar
promptamente aos postos superiores aquel
les que, por seus talentos, bravura e dedica-
c&o, silo os mais aptos para conduzir seus
enmaradas victoria.
Por taes motivos recebi ordem de Sua
Magostado o Imperador para apreseiitar-vos
a soguinle :
Proposla.
Art. 1. 0 goveroo he autorisado a pro-
mover aos postos inmediatos os olficiaes do
exercito que se distingoirem em combates
por actos de bravura e intellgencia.
Art. 2. O commandante em chefe das
fcVcas, ouvlndo um concelho de tres dos
olficiaes de maior patente, publicar logo
em ordem do dia os servcos relevantes as-
si ni prestados, com declaracHo de todas as
circumstancias de que frem acompa-
otiados.
Art. 3. Os servicos do commandante
das froas scrSo avahados, tanto pelo re-
sultado das operaefies, como pelos docu-
mentos e iiilormaciies que das autoridades
subirem ao governo.
n Palacio do Rio-de-ianciro, 5 de mar-
co do 1850. llanoel Felisttrdo de Souza e
Mello.
A cmara dos deputados approvou hon-
tem ( 6 do crtenle ) por escrutinio secre-
to, por 32 votos contra 29, o parecer da
mesa elevando os olficiaes de segunda clas-
se da secretaria da cmara, em venci-
menlos e calhegoria, aos da primeira
clssse.
Ktitnram depois em discusslo as emen-
to melhoramento do meio circulante, ou das do senado ao coligo do commercio.
en prega ilo na compra de apolices pira se- o Sr. Souza Franco propx que se deacu-
re u amortizadas, conforme parecer mais: tissem as ementas por quatro partes, e nflo
conveniente ao governo. I englobada mente. Tomaram parle na dia-
- O governo fica autorisado a alienar o J cusslo desle requer ment oa Srs. Miran-
Suarlel denominado de Braganca, applican-|da. Souza Franco, Silveira da Molla, An-
o o sen importe para a edificacSodeoulro, lge|0 Kamos, Pacheco, Carnelro da Cunha,
em local conveniente e coro as necessa- SaySo Lobato e Carvalho Moreira, e foi o
requerimento rejeitado.
Eutrando em discussSo as emendas do
senado, fOrauapprovadas sem debate.
Seguio-se a discussflo da resolucao,
vinda do senado, declarando no gozo do
direilo de cidadSo brasileiro a Joo Morei-
ra da Silva. Foi remettida commiss3o
DIARIO HE l'KKMlllll CU.

lIDin, 2 DI MABOO DI 1150.
Pelo vapor Bakianm, chegado boje dos
porto .lo sul, recebemos jornaea habanos
e fluminenses : estes al quinze, e aquelles
at 2? do correle.
A corte, quanlo poltica, achava-ae no
slalu quo.
S. M. o Imperador e a familia imperial
estavam em Peiropoles, onde tencionavam
passar o resto do verlo.
- os jomacs dflo conta dos trabalhos do
corpo legislativo al 13 do crrente Os ar-
tigos que abaixo vilo transcriptos, e que
copiamos do nrnnl do Caminen iu porSo OS
lei lores ao correnle \le laes trabalhos i
O senado approvou hontem ( 2 do cor-
renle ) em terceira discussSo a resolucSo
quo cria na capital do imperio urna repar-
tirlo com o titulo de contadura geral da
guerra ; em primeira a que concede a igre-
ja matriz da ilha de Paquel poder poasuir
rias commodidades para oalojamento de
tropas.
Fica perhncendo aos propriosprovin-
ciaes da provincia do Para, o terreno em
que seacham os armazens que antigamen-
leserviim dealmoxarifadoda marintia.
-- O governo tica autorisado para con-
tratar, como melhor cunvier, coma com-'de conslituiclio e poderes para dar o seu
panhia dos paquetes de vapor, para que os recer.
que navegara para a provincia de S-Pedro, 6 Sr. Paula Candido pedio urgencia
do sul loquen) no porto de Paranagua as pi)la entrar em segunda discussSo o pro-
vezca que fr mais conveniente aos nteres- jecto que concede a Diogo Kenny privile-
ses .pblicos. gio por dez anuos para estabelecer no por-
Fica o governo-autorisado para eslabe- iodo Rio-de-Janeiro um dique aecco fluc-
lecer a coininiinicacflo por vapor entre o luanle. Approvada a urgencia, foi ap-
porlo do Rio-de-Janeiro e o da cidade da provado o projeclo para passar a lrc#ira
Victoria, capital da provincia do Espirito- discussSo.
Santo, para a con -lucero de majas e passa-1 O senado approvou hontem (7 do correnle)
geiros, da maneira que fr mais conveni- em primeira discussSo a proposta do governo
ente. i Usando as frcas de trra para o auno de 1850
Fica revogado o art. 25 da lei de 18 de ,851- a lual entrou logo em seguuda com as
sctembrode18*5, na parte em que manda ""*^ da outra camar. Tomaran.i parte
...,,i... ___' .1 .3vi -. no debate sobre o artigo 1.a, que ficou adiado
?2.-?. como nac.onaes e subje.tos ao OI ,Cnho,cs Hollarlda Cavalcaule e
pagamento dos direilos sobre productos na- lliusiro da guerra
eionaes, o* eouros, charque e milis produc- | A cmara dos deputados approvou hon-
losdo gado yaceup, importados pelo inle- teiu (7 do crreme) a peasao deiOO.OOOn.,
or da iroviiciado Rio Grande do sul de concedida a D. Francisca dos Res Campello.
qualquer ponto do F.sledo Oriental, ou des
outros estados limitrophes j e o governo
autorisado a eslahelecer o direito de tran-
sito sobre aquelles dessea genero que f-
Kiitruu depois ein discussao a rasolufao
viuda do senado, aulorisando o governo a tubs-
liluir alguinas ou todas as claases de valores
do papel que actualmente serve de meio cir-
culante. Orramos senhores Batideira de Mtl-
^v^linaia0cS.r0eolr,nfi'1"0' Sed0 .S ,,Ue 'o. Souza Franco "e" cana., e"Soi d.scs-
houverem de ser consutnidoa no Brasil sub- sSo adiada pela hora.,
jeitos ao direito de consumo. 0 governo .- .. .. a usara desta autorsacSo qu.nJo ju^ar cun ^^^Z^S^^^^^
veniente, e so depuis dtsso se entender re- ando as torcas de trra. Depois de fallaretu
vogado o art. 25 da lei citada.
I os senbores Saturnino, Costa Ferreira e iioi- quo no devera ser chamados supplentes
Calharlna pertencentes ao dol da prineeza a
Sra. D. Francisca.
artigo segundo da resolucao que appro-
va a peuso a D. Francisca dos Reis Campello.
u Entrando em primeira discussao o projec-
to que concede ao governo um crdito de
22:265,000 ra. para pagamento da despeza do
funeral de S. A. 1. o Sr. D. Pedro AOunso, fi-
cou a discussao encerrada por nao haver casa
para se vutsr.
< A cmara temporaria approvou hontem
fl! do correnle)em primeira discussSo para
passar segunda o projecto que concede ao
governo um crdito de 22:000,000 rs. pera
pagamenta da despeza do funeral de S. A.
I. o Sr. I). Pedro
i Approvou tambera em urna so discus-
sSo a pensSo de 180,000 rs. a D. Alexandri-
na Comes de Mnezes.
Entrou depois em discussSo a resolucSo
que isenta de exsmes preparatorios aos ba-
chaies em leltras pelo lyceu da Baha. Ora-
ram os Srs. Rczeiide, Rocha e Paranagua,
o foi approvada a resolucSo para passar a
segunda discussSo.
Foi approvada a pensSo de 800,000 rs.
viuva e filhas de Manoel de Cerqueira
Lima.
Foi tambem approvada para passar a
segunda discussSo, a resolucSo aulorisan-
do o governo a pagar a Jos de l'reitas Bran-
dlo, e Jos Antonio Comes Cuntanles, a
importancia constante da sentenca por
ellos obtida contra a fazen la nacional.
Foi rejetada a resolucSo augmentando
os ordenados dos ofciaes da secretai a do
concelho supremo militar.
Fdram approvadas para passar se-
gunda discussSo, as resolucOes que autori-
sain o governo a satsfazer a Miguel Tavares
e a Jos A ii ton i.i Ferreira Calda, a impor-
tancia das senti'iicas por riles obtidas con-
tra a l.r/rn M nacional.
Foi rejeitada a resolugSo aulorisando o
gobern a crear um escnvSo privativo do
registro e matricula dos culpados.
Fram approvados para passar a segun-
da discussSo, o projeclo sobro fianca as
cusas, e oulro, aulorisando o governo a
iar estatutos s escolas de medicina.
> Knlrando em discussSo o projecto que
concele a Diogo Kenny privilegio para um
dique secco flucluanie, foi approvado com
o seguidle artigo addilivo apresentado pelo
Sr. Azambuja.
Se o contrato com o referido Diogo
Kenny vier a caducar por algum motivo,
podet o governu contratar para o mesmo
lira, e mediante o mesmo privilegio, e as
mesillas ou melbores condicrs, com qual-
quer oulro emprezario ou companhia, que
so proponha a reahsar urna Igual empreza.
l-orain depois approvadas as pensOes
de 210,000 rs. concedidas a Isabel Francisca
de Oliveira e a Antonia da ConceicSo de
Albuquerque Bello.
Ficou encerrada por nSo havor casa
para se votar a discussSo do artigo 1 da re-
roluc.no que. concede urna pensSo aos fi-
Ihos do falleciJo concelheiro Saturnino de
Souza e Oliveira.
A cotnmissSo de constiluicSo e pod-
res da cmara dos deputados apreseotou
hontem ( 12 do correnle) o seguinte pa-
recer :
A commissSo de conslituico e pode-
res ten Jo vista a inJIcacfio do Sr. depula-
ito Angelo Francisco Ramos, para que se
chame dous supplentes em lugar dos dous
deputados pela provincia da Rabia, Fran-
cisco Concalves Marlins e Jos Augusto
Chaves, he de parecer que seja approvada,
porquaulo sendo passados n.ais de dous
mezos de sessSu sem que aquellos depula-
dos tenham comparecido, e devendo pre-
sumir-se quo o lem deixado de fazer por
motivos pon torosos e legtimos, cuja dura-
cSo a commissSo nSo pode determinar, vis-
to que nSo fram communicados a esta c-
mara, nSo deve por mais lempo conservar-
se incompleta a deputacSo daquella pro-
vincia.
Cr a commissSo, acampanhando os
precedentes da casa e dando a constituirlo
e ao regiment urna genuina intellgencia.
semore o logo que faltarem deputados, as-
sim como tambem que nSo deve ficar in-
completa a representacSo nacional por lo-
do o lempo em que n.lo comparecen os
deputados, e nSo participam a esta cmara
os seus impedimentos Portantohea com-
missSo de parecer que, approvada a dita
ndicacSo, se chameni os supplentes res-
pectivos.
Phco da cmara dos deputados, em 11
de marco de 1850. Dr. ot Ignacio SUvef-
ra da Molla. H. A Maicarenkat.
Sovza Ramo*, vencido.
a Tomaram parte no dbate os Srs. A-
prigio, D. Manuel, Souza Ramos e Angelo
Rmos, e llcou a discussSo adiada pela
hora. .
Fram offerecidas as seguintes emen-
das:
Emenda ao parecer quando seja appro-
vado :
Que se chamem igualmente os supplen-
tes de Coya e Pernambuco. Fernanda
da Silveira. a
Se passar o parecer da commissSo E
que se chaaiem dous supplentes em lugar
dos dous depulados pela provincia de Per-
nambuco que teem deixado de compare-
cer, e um supplente em lugardo deputado
por Coyaz que tambem lem dVia-lo d
comparecer. S R. 5'/tio Guimardee.
m Se pissar o parecer que quer que se
chamem os supplentes pela provincia da
Babia, ehcmassim as emendas que que- ,
rem o chamamento dos supplentes de Per-
nambuco eGoyaz, chame-se tambera um
supplente pela provincia de San-Paulo em
lugar do Sr. Carneiro de Campos, que cons-
ta terse retirado para a sua provincia.
Carneiro ta Cunha.
Terminou hontem (13 do correte ) na
cmara temporaria a discussSo do parecer
da commissSo de poderes sobre o chama-
ment de dous supplentes pela Babia, De-
pois de orarem os Srs. Wanderley, Silvei-
ra da Molla, Tosta e Souza Ramos, propoz o
Sr. visconde dcllaepenly o cncerramento
da discussSo, que foi approvado por 30 vo-
tos contra 29. Procedeudo-se a votacSo do
parecer, foi rejeitado, e ficaram prejudica-
das asetneodas. A favor do pireoer vola-
ra o 22 membros.
Acamara approvou depois por43 vo-
tos contra 11 o artigo I.* da resolugSo que
concele urna pensSo de 1:200,000 rs. aos
filhos do finado concelheiro Saturnino da
Souza e Ohveira. Entrando em discussSo o
artigo 2, que diz que os agraciados per-
cebetSo esta pensSo at idtdede 25 an-
nos, propoz o 8r. Cruz Machado emenda
para que em lugar de 25annossa diga 21.
A discussSo ficou adiada pela hora depois
de fallarom os Srs. Carvalho Moreira e Cruz
Machado
A febreamarella conlinuava a reinar na
corte com a mesma.sraSo com maior forra
do que aquella cora qua nes opprimio no
cotneco desle anno; ma bavia es.ieran-
casde que iria perdendo progressivamente
a iiitensidade, ltenlo o acurado zelo com
quo o governo tomava tojas as medi las
a da pi ,i las a consecucSo de setnelhaiile li m,
entre as quaes cumpre notar aquella por
que elle poz termo aos enterramontos
dentro das igrejas, designando desde ja o
Campo-Sanio o o novo cemiterio da ordem
terceira de San-Francisco de Paula para a
inliumaco dos cadveres de todos quesuc-
cumbirem febre, ou qual juor outra
enfermidade; designado tanto mais acer-
tada quanto est decidido que no ultimo
dos mencionados cemiterios poJcrSo esta-
belecer jazigos todas as ordens e confra-
rias.
Entretanto nSo he pequeo o numero de
victimas que ahi tem a febre feito segun-
do a eslatislica do lazareto da ilha do Bom-
Je-us-Jos-Frades, relaliva ao lempo de-
corrido de 18 de Janeiro ao ulti no de lev. -
reiro prximos lindos,e publicada pelas fa-
llas officiacs. de 553 pessoas que, acom-
tneilidas pela epidemia, enlraram para
aquelle estabelecimento, sahiram curadas
217, Wleceram 222, e ficaram em Irata-
mentolli; e,se nSo se resentedeexage-
racSo o que acabamos de ler em um carta
particulT, sobe a 2,000 o numero dos que a
pesl* ha feito descer a sepultura.
OSr. deputado pela Babi. JoSo Jos de
Moura MagalhSos foi um dos que nSo pode-
ram resistir ao mal : S .S. se finou a 14 do
correnle.
Opovo Ilumnense se resolver, como o
desta cidade, a implorar da Providencia
Divina a cessa^So da peste, e a 15 percor-
rraom penitencia as ras da capital, a-
companhando a imagetn do Senhordos
Passos em sua IrasladacSo da venenvel
ordem terceira de Nossa Senhora do Terco
co para a capella de San-Francisco na
Praioha.
Por iZi.illv.T de 19 do nassado IVira reconhe-
cidocousul geral da Trqaia o Sr. cominenda-
dor Joao >amuel
Segundo o iurio do lia, S. M. o Imperador
permiltra ao secretarlo da legacao do Brasil
em Londres, o Dr. Jos Bernardo de Figueire-
do, aceitar a cruz de coutineodador da ordem
deSan-Gregoro Magno, com que S. Santida-
de o papa Pi IX. houvera por bein condecra-
lo em pr.ova de sua aatisfaeao pela conducta
que o mesmo Dr. tivera como encarregado in-
terino d negocios junto sua sagrada peisoa.
priucipalmeute quando fura oprigado a ausen-
tarse dos seus estados.
O Jornal do Commireio annuncia que foja ra-
liiicada pelo senado da Uniao a conveoco ce-
lebrada pelo governo imperial com o ministro
dos Ksttdos-Unldos na c6rte para o ajuste de
todas as indeiunisacOes reclamada* por alguna
cidadaos americano*, e que em cousequencl*
o Brasil ticou obrigado a pagar, por Ue In-
demuhaOe, quautla at .vio contos de rfis.
Acensando recepeo do f Matonlana ate 13 du


ganado, o mencionado jornal reta* que a-
quclla lollia dissera conitar-lhe arhar-se con*
vocailaeiiraordinariamentepara25 do corren
te a a.iembla provincial mineira aflm de dis-
cutir novamente a lei do orcamento que o Sr.
Sonta Ramo se recusara a anecionar.
As dalas de Porta-Alegre do sul chegavam a
24 do passado, e as do Rio-Grande do sul do
primeiro do correnle, dia cin <|iic aluda nao
liavla chegado alu o novo presidente da pro-
vincia, o Sr. Pimenta Hueno
O Sr. general Andrea tlnha marchado para a
campanil, c dizia-se em Porto-Alegre que o
general Oribi reunir na fronteira Torcas con-
siderareis.
Dcsejosos de habilitar os leitores a foruia-
rem iilcia ajustada da siluacao daquella pro-
vincia, trasladaremos para aqu todas as pecas
que porventura possam concorrer para isso .
O Mercantil de Porio-Alcgre de 25 do passa-
do publica a seguinte carta escripia a 4 de fe-
vereiro, aqual da mais csclarecimentos sobre
a perigosa posico em que se collocou o barao
de Jacuhv.
Obsequiaram-nos nnn seguinle caria :
Os moraduies da Fronteira .le Algrele,
rom eslabeleciments do outro lado de
Ouarahim, teem esgotado to.'os os meios
passivos de arredar os sen* inleresses de
un modo que os pos deseiu baadamente.
Os ltimos meios passivos foi implorar-
se a protec;fio do Exm. Sr. general An-
drea, intimo amigo do goneral I). Manoel
Oribe, para como tal conseguir de S. Ki.
uinadissimuIsQilo ou tolerancia para cer-
tas pessoas poderem gozar des seus inte-
resse* malfadadamentc depositados no fu-
ror de Oribe.
0 general Oribe a nada ced 11; e ven-
do-se assim piivados os Brasileiros dos
seus inu-resses, atropellados, vexados e
opprimidus por Oiibe, j comdireitos de
patente dos campos, ja com emphiteusis
dos mesmos, eoulras mais atrvalas, sa-
oando-nos pela pimeira vez 500 e tantas
oncas. 1,fl0o c lautas por segunda vez, a-
lem de grossas sonimss em ledras vencen-
do premio ; vexados assim copprin idos os
homens valenies e briosos da campanha,
resolveram usar dos meios arbitral ios pira
desafTrnntarem-se.
Procuraram chefes valeutes eexperi-
ceder, que o nao chaamrei prudente j po-
llera ter cessado se meios brando* fos-
sem empregados pelo dito brigadeiro Ar-
ruda ; mas este pondo em pralici urna per-
seguiQito desabrida, tem com sou procede-
augmentado o numero daquelles, e ae Vr
Exc. n3o tomar em consideracSo o estada
dosgragado desta frouteira, lalvez venha o
apparecer una guerra civil ; e para que em
lempo algum eu nao geja notado de negli-
gente em n!to participar a V Exc. o occor-
rido.o faco agora reservadamente a V.Exc;
e espero que sendo este proceder meu ig-
norado pelo brigadeiro Arruda, fique pelo
menos eu neste mOtilcipie livre da Cereza e
perseguicfloque por orden delle se vai
desenvolv ment.
Olhe V. Exc. como primeira autorida-
deepai para tantas victimas sacrificadas, a
vinganca do commandante da quinta bri-
gada e fronteira, s pelo simples fado de
ser ininigo do digno barlo da Jacuhv, e
talvez amigo intimo do Lamas.
Doos guardo a V. Exc. Villa Uruguaya
na, 24 de Janeiro de 1850 lllm. eExm.Sr.
Francisco Josde Souza Soares de Andrea,
lenonte-geiieral presidente desta provincia.
Manoel Jos de Figuiiredo, juiz muni-
olpal. >
Concluiremos as noticias do Rio-Grande
quanlo tranquillidades publica, trans-
o seguinte de varios jomaos dalli :
a Pelotas, II de fevereiro de 1850
1 Quanto a noticias da campanha, as que
mais crdito tem merecido sito as d'das
pelo lenle Cyrillo, que veio com nfiicios
para o presidente, remedidos de Algrete
pelo brigadeiro Arruda, e constam mais ou
menos do seguinte :
O coronal Francisco Pelro do Abren
havia dirigi lo urna proclamado ans guar-
das nacionaesda campanil 1, concitan le-os
a pegi-r em arfas para desaggravar a pro-
vincia das injurias que tem soffrido, sem
que o governo so lenba importado coi)
ella e seus inleresses; e lambein concilou
aos OrienUes a Argentinos emigrados, offe-
recendo-lhes una lito boa oecasiito de rei-
vindicaren! snisiiireilns, uuindo-se e"
mentados para encahecaroina gente ; for-|e marchando contra o tyiauno oppressor
maram sen plano, que f nial succe>iido,
porque as rousaa fetas as escond las quasi
sempic I' Iham, |irincpaluiente quando O
interesse particular preside aos nossos in-
tentos polticos.
No dia 14 docorrrnle eslava o msjor
Severo no fundo ,1o campo do Brochado, na
rosta de Quarahim; tiessa noile encorpo-
rou-sc o barKti de Jacuhv com 150 homens ;
igual numero tinha Severo : a junccSofez-
se desto lado de Quarahim as escondidas.
l'ouro cima da barra da Quarahim,
digo, da barra de Calalam em Quarahim,
eslava ovlente tenante-coronel Fernandos
capilaO Dock, capitao llypnlito, Figueir
e Rento Marlius com 80 homens pnuco mais
nu menos; o barlo passou no da 1." de
Janeiro rom rento e lautos homens para o
estado oriental, falhando o Ferrcira oom
80 homens, o lenenle-co'onel Fernandos
e rapito Dora com outros tantos pouco
mai- ou menos.
A pozar do Laclo ter lito (nuca gonte,
resolveu ir atacar a Lamas que e.-tav.
acanipnilo em Quaru com 1 crio de 5U0 ho-
mens ; nilo alcantjava a 150 homens a gen-
te do barlo.
l.umas leve aviso de ludo, e retirou-se,
ignoiando que gente levava o barlo : este
accnmmctleu o acampamento, que achou
solitario; fez nica .-nenie 6 morios.
u l.amisrcronlicceu as poucas frcas do
bariio e atacou-o as ponas Tres-Cruzes ;
este retirou se na direceflo de Calalsm.
O batio avistou o (encnle-coiontl Fer-
icna (lira.-ili-iro nato, oiienlil por adnp-
C3o, e oulra vez llrasileiro porsystemaj,
rom quem contaba paia sou lefoico. La-
mas deslacou umesquadnlo com que man-
do 11 balero balito de soipicza ; e vendo Islo
Ferroira, retiiou-so em lugcr de proteger
o bito, que fcilmente foi derrotado com
algiiina 1 fita de gente: entre estes ho-
niens perdidos conla-se o vlente lenlo
Liberato Guenos, bom cidadiio, boin es-
poso e bom pai.
Kis-aqui os tristes resultados deslas fa-
/ondas embargadas, saqueados e roubadas
pela sequella de Oribe, ordens execuladas
polo dspota Lamas, talvez peior que Oribe.
Esles desastres continuaran); consla
que o barlo e Severo vagum pela cosa de
Quarahim, ora donm ora de outro lado,
sempre enibrenhados.
Falle-se alguma cousa do generallS'etlo
e major Anbal; porcm cu faio muito bi'ia
ideia da raparidade destes dous hroes Rio-
Grondenses, c ronhr^o sua situar-do pol-
tica ; afianzar posso que estes dous sendo-
res s em lempo opi ortuno se involvcram
em negocios polticos.
n O nico nicio que conhec.0 capa; de sa-
nar estas de-avenas heoExm. hr presi-
dente nom ar urna commissfio que va tra-
tar com Oribe a dcsoccupmjio do territorio
compiebondido entre o Aiapehy e Quara-
him, porque, alm de ser lodo este espaco
1I0 Ierras povoadas por Brasileos, be ter-
ritorio nossn, que assim foi reconhecido
pelos tratados preliminares de paz de 1828,
o que por incuria do commandante da fron-
teira ilaquelle lempo foi abandonado, o
que he liiucerlo que sobre estas bases Ori-
be formulou urna convencilo parlicularcom
unt ropresantanlo dos Itio Grandenscs
uiandn passaram a oceupar os campos en-
tre Arapehy e Quarahim, convenirlo tacita,
e nio explii la, islo be, tacita aceitando a
proposito dos Brasileiros occupnrcn os
seus campos entre Quarahim e a Arapehy, c
nao explcita porque nauestipulou condi-
Cflo alguma quanto a entrada, estada ou
sabida dos lliusileiro no estado 011 para o
oslado oriental, .J
o ofticiii injm dettonstra qranto os ni-
mos se achavam exaltados ndala em que
elle lora e.-cripto:
N. 9. lllm. eExm.Sr.O desespero,
pobreza e rspancamentor que fram redu-
zdos|elo governo argntino,n8o s s
Brasiloiios pnssuidores de estancias e gados
naquelle le riiurio, como muios que all
ia 111 procurar modos de vida levavam >s
victimas ao de.-espero, que augmentavam
em rasan que eram peiseguidos pelo ac-
tual comu.audante da frunteira o briga-
deiro Francisco de Arruda Cmara.
Reunidos, pos, estes Biasileiroso I-
guns outros chefes enlenderam lomar so-
bre si vingancas das offensas recebidas, e
cu n idus passaram a o outro lado. Este pro -
que lito baibararricnle abusa dd sen domi-
nio terminando com vivas a Imperador, e
nssignatura, sem fuzcrmenco do ttulo de
bariio que usava, datando do quartel-genc-
ral em marcha. Diz o mesmo lenle que
a Mica que ello tem reunida consla de 600
homens, mais ou menos, e que diariamen-
te augmenta em rasiio de umitas reunios
que se estilo continuamente fazendo, c que
elle mesmo encontrara lotes de 10 e mais
homens queso am reunir
Dizia-se que no dia s'deslo mez faza junc-
efloo lenonle-coronel Fernandes com 800
Indios de Misscs, leudo j viudo adiante
dousosqtia IrOcs; o titulo de qne usamos
belligerantes lio Californio, e assim lio
que s se ouvia dzer as casas em que pa-
rava, que haviam por all passado lautos
California, e licava entendido sercm parti-
darios do Chico Pedro.
< Dizom os adivinhadores que o Arruda
communcou isso mesmo ao presidente, fa-
zmdo-lhe sentir que era impossivel vedar
a-, iv 11 n 's a vista dnexxllamont 1 em que
eslava toda a campanha, leudo aleo iiia>e-
chal lenlo Manoel declara lo se abertiimcn-
le mandado 25 homens com lelamente
armados le contigente para a reunito,e pe-
dindo ordons para se saber mam jar com a
frtrfa, visto nada poder fazercoi) meios
brandes; e que ul liv, ia em rosposta que
se conservasse em seu posto, fazendo as
dispersos que podesse por meios bran-
das, sem irritar os nimos, slevir decisao
do governo renlial, islo be o quo dizem, va-
llia a verilade.
Tambem passo por cerln ter o coronel
Consta que perdura o siso em Bag as-
silUdo do grave onfsrmi lado o Sr. Macha-
do, socio do Sr. Joaquim Jos da Fonsoca
Igualmente const que fora morto na
su 1 propria casa o Sr. capilito Delfino, com-
mandante que foi do primeiro corpo da
guarda nacional quando destacado em Pi-
rahy.
Na madrugada de 7 do correnle naufra-
cou a leste da barra, a escuna ingleza Chael-
Bueham, vinda de Liverpool.
Logo que disto leve conhecimento o
Sr S Brto, inspector interino da alfande-
ga, fez seguir para a turra no vapor Amelia
oSr. guarda-mr e deu as mais enrgicas
providencias em prol da lisoalisac,fo a seu
cargo.1
As novas de Montevideo alcangavain a 16
do pretrito. O Jonia do Commercio as re-
sume assim :
(i O almirante Reynolds, commandante da
eatacao naval inglesa, sabio de Montevideo pa
ra Kuenos-iyres na manliaa do dia 16 I'.i-
2am-se >lti grandes preparativos para recbe-
lo com toda a pompa. Parece que se demora-
rla poucos das n.iqnell i capital, e seguirla
brevemente para esta corte, a chamado, se-
gundo dizem alguinas cartas que vimos, do
encarregado de negocios da Inglaterra no
Brasil.
O vapor llarpii, sahido do Itio, chegou a
Montevideo em Ib' do passado, e devia seguir
para tfoenos-Ayres no dia 18, levando a rebo-
que o casco velbo da crvela Vinle-einea-de
uimo. que os lnglezes devolvein ao general
Rotas.
O general Oribe prohibi a entrada do pe-
ridico Conmcrrii del Piula em todos os pontos
onde domina. Kstc jornal reduzlo o seu for-
mato a menos de metido, (.orno temos uina
lacinia as dalas, ignoramos o motivo que a
isso o obrigou. Vemos, porin, que prouiettia
voltar ao aotigo frmala cid principios de
marco.
Sobre o motivo que obrigou o Commercio
del Pinta a diminuir o seu formato, lemos o se-
guinte cin urna carta particuter com data de
13 do passado:
De ha muito que ha suspeitas-de estar de-
cretado a sorte do infeliz Dr. Vrela aos ac-l
vinas, quo depols lomou um suadouro, e
ficou conralescente ;
Allinno quo una leve infracQo do rgi-
men necasionou urna resabida, cuja gravi-
dade ignoro, porque a nao observei, e quo
nessa recibida um amigo enthusiasta, mas
nio habilitado para decidir quesles de
therapeutica, introduzio a homreopathia
em casa de V. Exc.;
Allinno que reassumindo eu o eiercicio
de minhas CunccOes medicas em palacio,
achei a V. Exc. usando de disteis purgati-
vos ei de banhos momos ;
Affirmo que "V. Exc. por vezes me teem
dito, que de lodosos remedios, que toma-
ra, foram os evacuantes aquellos, que mais
bem llie fizeram.
Dos guarde a V. Exc. Reeife, 23 de mar-
co de 1850.
Joie noquim de Maraes Sarment.
f Declaro que as assTcas oxharadas na
presente carta aja) venladeiras, e de viva
voz as confirmare! a quen tiver interesse
em as verificar.
Palacio da Solodade, 24 de miren de
1850.
Joao, hispo diocesano.
Com o documento supra tenho respondi-
do ao Sr. dnutor -Sabino na parte em que
trihue, exclusivamente Ihomceopathia a
cura de S. Exc. Reverendisslma. Emquanto
ao quo esse alguem contou ao Sr. doutor
Sabino, posso ussevorar-llie que ninguem
dir com verdade que me ouvisse a respei-
to do tratamento de S. Exc oulra cousa
mais do que os factos que licam relatados,
o que s.lo venladeiros.
Reeife. 25 de marco de 1850.
Dr. Sarment.
eoMMEftcao.
uni-, levantado na invernada de Lamas e
Maueca Lnvalboga mais do mil hois e man-
dado pura as charqueadas do l'ortn-Alegre.
"i liujc rabio tara l'iratiny o | residente
o deve vultar uestes tres das ; parece que
est resol vicio a enllocar o pacu dess" li-
me urna ponte de fero, bem como mandar
construir oulra de pao para Santa-Barbara
e Arroio-Giande.
Vimos urna carta do Jaguarito, datada
em 7 de fevereiro, que diz o seguinl :
Muitas pravas -lo balalhiio que guarno-
re esta villa lem desertado para as turcas
do burilo de Jaruhy, cuja frr; se calcula
i em 1,400 a 1,500 homens. Oque posso
assegurar-lbe com toda a veracidhde he
que ha tresilias apresentou-se ao barilu
um capilito de guardas nacionaes que le-
ii vou comsigo cerca de 150 homens.
Oribe expedio dous homens para corn-
il prar os gados das nossas estancias, e uin-
guem podera levar mais gado para a li-
li liba a uBo sor comprado.
l na carta de Itag, em dala de 2 de fe-
ver eu o. diz o seguinle:
. ...Ainda mili sallemos em que torno de
ficar os negocius da nossa fronteira. De dia
em dia mais cuniplicac,0es v3o apparecen-
do. Aqui esleve boje 1. ..que passara pelo
campamento do br igaileirn Anuda, e Con-
ta-me o seguinle: Que Arruda escreviaa
11 uto Manoel, convidando o a urna confe-
rencia qual esto annnira ; que ArffUda
piiucipira por manifestar a Rento Manuel
a nocessidade que tinha de ser informado
das ps'soas iiifluentes nos movimenlos que
lem bavi-lo sobre a fronteira, afim de se
lomirem as precisas provl lencias.
ii llei.to M.iiioel responder a isto, quo
lista principiarla por elle e dopois por nim-
ios o ir os cuetes que se dlspunhain a dcsa-
l'rontar a nacionalidade o lien nda.
Arruda, ao ouvir islo, mudara de con-
versa e nao tratara mais de conferenciar.
a Chico Pedro e outros, diz o mesmo in-
dividuo, aeliain-so. Cun urna reunio de
mais de mil hoiiieus, a vista da f'r^a do bri-
gadeiro Anuda.
Ora, ja v que, se estas noticias sao
exactas, o que ou anida uo pussu cre,mui-
to mal vito os no-sos negocius.
O Mercantil de 16 du passado diz o se-
guinte :
ii Chogaram hontem presos, remedidos
pelo tenenle-coronel Manoel LuizOsoiio,
os Orientaos le.ente Nicolao Canter u, o sar-
gento Pedro Cacito e :< soldados ; Com estes
vmliiim ta ni Im-ni o coronel JoSo Antonio Se-
vi ro, o major Itamiroseo lente da ter-
cena classe Jos Manoel da Silveira, que se
evadirn) ao cliegarem ao arroio Sarna-Bar-
bara.
ouanto a felos diversos, eis o que refere
o llio-Grandense sb a dala de 14 do feve-
reiro :
porin, se lem podido conseguir por andarrin
estes de sobre-aviso, den se o golpe por outro
lado, e na noite de 11 para 12, aproveitando-
se os sicarios da' Testas do enlrudo e da ausen-
cia dos dous empregados que toinavam senti-
do na casi onde esl rstabebStida a lypogra-
phia do Commercio, entrarain pelos fundos de-
pnls da mria-noite, e despejara ni no chao e. li
seram um pastel du typo contidoein 180 cal-
zas, quebrando tudo o que poderam. Como
lutar com lemrlhantes inimigos ?
ii Oribe, di< outra carta, mandn rrforcar
todos os pontos da fronteira, mas nao conta
nein piiile contar semio com a gente que tem,
pois que l'i-ijin/a nao sahir de F.ntre-Riot
com receio de que Rozas se Ihe mella rm casa.
* desintelligrneia entre esles dous chefes to-
ma cada dia malorrs proporedes.
Extractando noticias de gazetas de New-
Vork al 24 de Janeiro, o precitado Jornal
do Commercio diz :
A quesillo da escravido, diz o Courrier
des Klats-Vnis, acaba de ser emtabolada no
senado no seu ponto mais actual e mais
palpitante: o direito do congresso de en-
tremetler-se nella. Foi um demcrata *
um homem do norte, o general Cass, que]
primeiro leve o valor de levantar a voz
sobre este ponto no recinto parlamen-
tar. Fiel aos compromissos que conlra-
Inn durante a sua campanha presidencia!
do 1848, cu ti l,i i -ii a doutrina e os pro-
joctos dos abolicionistas no seu synibo-
lo principal, a clausula Wilmot, que pro-
pOe que nenbiim estado novoseja admitti-
do a fazer pa)te da llniilo Federal urna vez
que i,ello exista a escravidno.
De posse de folbas do mesmo paiz at 9
do psssido, accrescenla o referido Joma/
A quest.lo da escravdSo continuava a
oceupar quasi exclusivamente a allenc,3o
publica. Ninpuem duvidava j de queo
norle compromettoria a existencia da
L'uilo se persisiisse na adopcito da clausula
Wilmot. >u d'ii i ib-l'eveieuo apresentou
o Sr. Itoot aosena lo urna mogAo tendente
a estabelecer o principio daquella clausula
lia orgHniscSo dos govemos territoiiaes.
Foi rejeitada por 105 contra 79 votos
Disculia-se ainda no senado federal a
proiosla do geneial Cass para suspende-
rem-se as relaces diplomticas com a Aus-
tria. Apresentou-se, porm, na sessflodeS
urna emenda que tinha por lim limitar o
procedimenlo dos Estados-Unidos a uina
manifestaQflodesynipithia pela causa hn-
gara a a uina concesso de Ierras aos refu-
giados magyars, emenda quesejulgava se-
ria appruvada.
No dia 4 de fevereiro occorreu em New-
Yoik urna calastrophe hurrivel. Fez cx-
plosao urna Caldeia de vapor de urna fa-
brica d prelos situada em llague-slreet, e
com lal violencia que denibou a casa de 6
andares em que eslava assenlada, se.ullan-
do as tuinas 130 trabalhadores Aps es-
forcos Inauditos, no meiodo incendio que
logo se atoara no d.-s-i orouado odifliciu
consegiram 'os bombeiros tirar das rui-
nas 70 pessoas mais ou menos ("cridas, pe-
recendo sesscnla .'
\o anuo do 1849 chegaram a New-York
234,271 emigrados, dos quaes 149,725 Ir-
laudezes e 55,705 AllemilMS.
Tinhaui chegado a New-York os novos
representantes da California.
Babia licara em pleno sucego.
I .na caita esciipta daquella provincia
pessoa aqu residente nolicia que, depois
de urna in.voada que rebeiitar, haviam
re.pparecido as febres a bordo dos navios
surtos no porto.
Coirigindu um equivoco seu, a Toleran-
cia diz que bu a 9 e nao a 14 de juuhu e ju-
Iho que hilu de ter lugar as eleicoes prima-
ria e si cumiara para o senador que a llalu.
loiu du Hornear.
U Sr. Dr. Casimiro de Senna Maduroira
tinha tamado posse do cargo de director,
gcral dos Indius daquella provincia, para O
qual fra nomeado por decreto de 13 de fe-
vereiro ultimo.
Correspondencia.
Exm. e Rvm. Sr.Tendo o Sr. doutor
Sabino em seus annuncios de curas homoeo-
patbicas pinas, aflirmado que alguem Ihe
disiera que eu me atirihuia honra da cura
de V. Exc e que ella fra devida exclusi-
vamente as applicacOes bomceodulhicas,
rogo a V. Exc. seja servido declarar so as
assercOes s-gulntessfio ou nSo verdadeiras:
Allinno que o primeiro remedio quo V.
Exc. lomou foi citrato de magnesia, com o
'qual leve copiosos vomitse dejeccocs a I-
ALFANDEGA.
Rendimanto do dia 26.....12 555,*36
Desearrifan hojei.1.
Galera Ingleza Seraphina mercadorias.
Escuna brasilera Mara-Firmina fari-
nha de trigo.
Patacho nacional Josephina idem e sida-
Barca americana -- Conrad ferinha o bo-
lacbinha.
IMPORTACAO.
Maryllardit, brigue inglez vindo de I.eiih
entrado no enrente inri, consignado a R. Ja"
me son, manifestou o seguinte :
200 toneladas de car vio aos mesmos consig-
natarios.
Sylvina, brigue americano, vindo de lloston,
entrado no correnle mez, consignado a ilenry
Forster & C, manifestou o seguinte:
50 toneladas de gelo; aos mesmos consigna-
tarios.
CONSULADO GERAL.
Rendimento do dia 26.....*.tM5,302
Diversas provincias...... 84,174
4:109,476
EXPORTACAO.
Despachos martimos no dia 26.
Rio-de-Janeiro patacho nacional Nereida,
condnz o seguinte:
310 barricas, 910 sacos e 1 caixlnha com
6,539 arrobas e 12 libras de assucar, 2,000 co-
cos com casca. 2 caitas sapaios, I callao 100
espanadores, 8 bocetas doce de caj.
Havre, barca fia nova Leonii, de 310 tonela-
das : conduz o seguinte !
3,420 saceos com 17,100 arrobas de assucar.
10 sacras com 243 arrobas e 22 libras de algo-
dito, 714 couros com 21,412 libras, 8 barri com
oleo dr cupaiba, 9 pedacos e 4 barris de cobre
vrlho com 62 arrobas, 1 c-aixa de dito dito com
13 ditas, 3 caizas objrctos de relojoeiro.
.S.inla-C'alliai in.i. patacho nacional Noto-Luz,
de 13: toneladas : conduz o seguinte :
457 barricas e 190 sarros cmn 4,487 arrobas
e 16 libras de assucar, 8 caixas com velas de
carnauba, 23 dizias de cocos de beber agoa,
3,200 ditos com casca, 10 latas com 20 arrobas
de assucar refinado.
Genova, polaca sarda Eugenio, de 252 tone-
ladas : conduz o seguinte :
3.300 saceos com 16,500 arrobas de assucar.
Gotemburgo, escuna dinamarquesa Juno:
conduz o seguinle:
730 saceos com 3,650 arrobas de assucar
4.091 cooros salgados com 137,032 libras.
Landa-Krona por Macri, brigue sueco Vic-
lory, dr 129 toneladas : conduz o seguinte :
40 cizas c 68 barricas com 2,537 arrobas e
14 libras de assucar.
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 26.....2:579,495
TSzzmmmmmmmm
qulm C'arneiro de Campos e 1 cscravo, Cer-
inano Francisco FerrerAi Monteiro de barros, D. Marianoa
Perclannl Lanotte Domingos ll,sse, Italia,
nos ; Manoel Jos Siqueira Pltanga e 1 es-
cravo, Jos Antonio de Almeid.i Cumiarnos,
PortuguesG. inarinlia Antonio da Silveira Ca-
valcautc de Albuquerque, guarda marinha
Jos Rodrigues de Soiiza.G. Francisco Fabia-
no, 4 desertores e dous eseraros entrega :
para o norte, Luiz da Silva Mousinho, 15 im-
feriaes marinliciros.o 2.* sargeuioo Jos Das
erreira Cru e sua inuther.
Rio-de-Janeiro 25 das, brigue portuguez
larujo-f, de 23 toneladas, oapltao Manoel
dcOllveira Faneca, equipagein 13.era lastro;
a M.unoel Joaquim Ramos Silva.
Huil 60 dias,.brigue sueco *,/<,, je 174 ,0.
neladas, capitao Nicols Lafgran. quipagem
10, carga carvio de pedra; a Astlev & C.
Navios sahidos n* mesmo dia.
Mirseille pela Parahlba Polaca franceza Bi-
liopoles, capitao Dutnare, em lastro de as-
sucar.
Gotbemburgo Brigue sueco Hapld, capitao
A. P. Peterson, carga assucar
Ind Escuna dinamarquesa Juno, capitao
W. Ehrein, carga assucar.
Liverpool pela Parahlba Brigne Inglez Flint
capitao J. C Wrighl, em lastro de assucar
KD1TAES.
O doutor Antonio Ignacio de Azevedo, do
concelho deS. M. o Imperador, commen-
dador da ordero do Christo, desem bar-
gador e presidente da reUcao de Por-
nambuco, etc.
Faco saber que pelo Exm. presidente do
tribunal supremo de justies, me foi remet-
tida a relacHo que aisle acompanht, con-
tendn esclarecmentos, e additamentos
constantes da mesms, resultados das recla-
maefies de magistrados de primeira instan-
cia em viriude doedital deSI de agosto do
auno prximo pesiado. E, para que assim
i- inste, e em cumprimento do art. 5 do de-
creto n 624 de 29 de julho doditnanno, o
ofilcio do referido presidente de 9 de feve-
reirn do correnle anno, mande! passsr o
presente, que ser publicado no Diario em
que se imprimem os actos do governo.
Iterifo. 23 de marco de 1850,
Eu, Domingos Affonco Ferretra, secretario
da relacSo, suhscrevi.
Amonto Ignacio de Azevedo.
Pela inspectora da allandega se faz
publico, que no dia 28 do correnle depon
de meio-dia, a porta da mesma, se ha de
arrematar em hasta publica, 5 pecas de ga-
la o de ouro, com 113 onc/is ; dous mcos
defiodeouro cim 16 oncas; dous ditos
para franjt com 16 oncas; um dito dd
pal lleta de ouro com 8 ancas; e um
dito de lanlejolas com 16 oncas, lolal 169
oncas. a 3,000 rs. a onca, toul 507,000 rs. :
apprehendidos pelo amanuense Joao Cali-
rio Gomes da Silva, a bor Jo do brigue por-
tuguez Novo-Vencedor, em 30 de junho do
anno prximo passado, por no eslarem
manifestados, e decidida a apprehensflo
definitivamente pelo tribunal do thesouro
publico nacional: sendo dita arrematado
livre de direilos.
Alfandega de Pernambuco, 23 de marco
de 1850.O inspector, Luis Antonio di Sam-
paio Vianna.
s^^^
Declame 6 es.
RIO-DE-JANF.IHO.
cansos nodia 14 de mit
Cambios sobre Londres .
Lisboa .
Pars .
" llainburgo .
Metaes. Oncas hespanhlas .
> da patria .
Pecas dr 6/400. vclhas.
> Moi-das de i/ullll. .
Pesos hespauhes. .
n da patria .
1) I'alai oes ....
A plices de 6 por ernto .
provinciacs
ICO.
h
1,2
M
89
nomlual.
30/100 a 30/300
29/600 a 29/800
16/650 a 16*800
9|050
2/000
1/MO a 1/970
1/H20 a 1/940
86 l|4a 86 I|2.
(Jornal do Commercio.)
IIAHIA.
CAHSieS NO Bit 2l
Londres.......
Paris........
Ilamburgo.......
LislnVi e Porto.....
HETAES.
lincas hrspauhlas. .
mesicanas .
Petas de 6/400 .....
novas ......
Modas de 4/000.....
Patacdes brasileiros. .
> hespauhes .
mexicanos.
DE MUCO.
29 firme.
330
610
100 p. /..
29/500
29/TI0O
161200 i 16,400
16/OOO
9/000
1/H20 a 1,940
1/920 a 1,940
1/880 a 1,900
(JVrcanlii.)
.v.'ovimento do i o rio.
Navios entrados nodia 26.
Portas do sul 10 das r 1S horas, paqnele
de vapor nacional Hahiana, rommandaiite o
primeiro tenrnte Jos Secundino de Gru-
111 cusoro. l'assagriras, para esia provincia:
l-ejainini Finele Vniom, F'rancrz Carlos
Fredtrlco Marques Perdegao, Jos Pedro
Werneck Itibeiio Aguslar, Manoel Victor de
Souza Monteiro e um cscravo, Beijaiuin
10 e um cscravo,
Francllin Torreo de llarros, Jos" Joaquim
Landolfo da Bocha Uedradael escravo.Clio.l 5"".'""1-------------L-------- "",''
nbano Pltlguari de Araojo e 1 cscravo, Joao 27) a I hora da larde, e recebe correspon-
Jost- de Olivelra Junqueira e 1 cscravo, Joa-' denclas com o porte duplo al 2 horas.
Pola segunda seccSo da mesa'do con-
sulado provincial se annuncia a lodos os
collectados para pagaren) o imposto de
12,800 rs. creado de confo imidade com o $
14 do artigo 38 da lei do orcamento n. 244 .
le 16 de junho de 1849, que se esl arre-
cadando passivamente pela dita serebo se-
no limite imposto, desde Janeiro do cor-
rente anno; e que, finalisado o prazo msr-
rado pelo regulamenlo do Exm. Sr. presi-
dente da provincia de 12 de novembro do
anno prximo passado, se proceder exe-
cutivamente contra lodo aquello que d9o
tiver salisfeito dilo imposto.
-- O Sr. director do lyceu manda fazer pu-
blico que, em execuc.io a portaiia do Exm.
Sr. presidente da provincia de 23 do cor-
rente, es ti a concurao a cadeira de primei-
rs leltras para o sexo mascolino, da fre-
guezia d'! papacaca : portanto, os cidalSos
brasileiros, que quizerem opertr-se a referi-
da cadeira, devenlo comparecer na sala do
palacio da presidencia pelas 9 horas da ma-
ntilla, no dia quo sommar 60, contados da
data deste, leudo renn tli loa secretaria do
lyceu os seus requerioientos documenta-
dos 8 dias antes do referido dia.
Secretaria do lyceu, 27 de marco de 1850.
O secretario inlerino, Antonio gdio da
Silva, professor de geometra.
--O Sr director do lyceu manda fazer pu-
blico que, cm cumprimento portara do
Exm. Sr. presidente da provincia de 22 do
corren! e, esla nova mente a concuisu a ca-
deira de pr uncirs leltras para o sexo fe mi-
nino da cidade da Vicluria : purtanlo as
senhons brasileas, que quizerem uppr-
serefeiida cadeira, dever.lo comparecer
na sala do palacio da presidencia pelas 9
horas da mantisa de 24 deste correle mez
a 60 dias, tendo reculhido a secretaria do
lyceu os seus requerimenios ja preparados
8 dias antes do dito concurso.
Secretaria do lyceu,23 de marco de 1850.
-- O secretario interino, Antonio Egydio da
Silva, profi-sser de gcuinelr'ia.
-- peranle a adminislrscuo do patrimo-
nio dos orphSos se ha de arrematar,a quein
por menos fizer, e por lempo de 3 annos, o
tuineciiii-iilo dos medicamentos para os
collcgios dos or hilos : as pessoas habilita-
das, que quizeem fazer semelbante for-
necimenio poderito comparecer na casa
das sosses da adminisiracao em o dia 4 do
futuro mez. as 4 huras da tarde.
Secretaria da adminisiracfio do patrimo-
nio dos o>phflos, 26 de maicu de 1850.
Jodo Francisco atVChabu, secretario.
pela subdelegacia-da Ireguezia de S.-
Jos do Iterife foi capturado um proto qua
diz cbaiiiar-se Antonio Dazilio, e ser cscra-
vo de Manoel Eleutrftio Corroa, lavrador do
engenho -Aratangy : a quem penencer a
posse e dominio do dito prelo, compareca
na mesma subdelegada, com os competen-
tes li lulos.
As malas que teem de seren
conduzdas pelo vapor Haitia-
na para os pin tos do norte,
princ. lani-sn a fechar boje
II
1% #1


I -.,
.
*P
-- Existe no stibdolegacia do Argados
um cavallo alazn, de carga, dous pedreze um castanho, que
pareccm do serillo.
Publicaco religiosa.
Sabio luz um livrinhoeom o titulo de
DEVOTO CHRISTAO,
o qunl eonlm a doutrina christ.la, breve
noticia dos misterios da missa, obras que
dflv.'in fazer o christflo, oracoes para dema-
nhfla e a noite, ditas para a confissao e
commnnhfio, ejercicios para cada dis, no-
venas das almas, assnnc.lo do Scnhor, Clt-
celcSo, Menino Jezus, Santo Antonio', modo
de resar a estacSo, breve emenda dos erros,
signae de Christo, sentencas de pilatos,
uicthodo de resar o rozar io e terco de Ptossa
Senhora. mysterios gozosos dolorosos, e
gloriosos, ladainha de Nossa Senhora, ora-
SodeS. Iternardo, dita para pedir a paz,
responso de S. Antonio, oseada mystica,
imitacflo dos justos, suspiros pela gloria do
co, etc : vendem-se na hvraria, ns. 6 e 8,
da praca da Indepen-cia, 640 rs., em meia
encadernacao.
Avisos martimos.
loas mesmas, pode diriglr-se a dita casal O tbaixoasigna lo publica a sentenca
que, dando os signaes cortos, Ihe serSo en-1 baixo declar>d<, q'ie obtVe r.elactivs-
Para Maranhao,
o bem condecido patacho nacional Josephl-
a, capitlto e pratico Jos Manoel Barboza,
segu viagem para o Pata com escalla por
Maranhflo, tem a maior parte de seu car c-
gamento prompto, para o resto e passagei-
ros, trata-se com o capitao na praca, ou
coro Jos Baptisia da Fonceca Junior, na
ra do Vigario. o. 23, segundo andar.
1'araoAss aegue infallivelmente no
dia 4 deabril, ohrigue Paquete-de-Pernam-
buco : recebe Carga a frete omito barato:
quem quizer carr^ga-, di rija-so a bordo do
n es un, tundeado ao p do trapiche do al-
godn, ou a ra da Moda, n. 7.
Pra o Coar segu viagem cora mui-
ta brevidade, por ja ter boa parle de seu
canegamenio a bordo, elm d'outras car-
gas ji tratadaa, o hiate KotoOlinda, mes-
tro Antonio Jos Vianna : quem nelle mais
pretender carregar e ir de passagem, se
entender com o mesmo mestre, ou ns ra
da Cadeia-Velha, n. 17, segundo andar.
Para a iiha de S.-Mignel
Tem de seguir viagem,uestes 15 dias com
a carga que tiver a burdo, o brigue porlu -
guez Oliveira, que j do Rio-de-Janeiro
conduz parle de seu raingamenlo para o
mesmo destino : quem nelle pretender car-
regar e ir de passagem, se entender com
o respectivo capit.lo na praca do cominer-
cio, mi com Joflo lavare> Cordeiro, na na
d Vicario, n. 8. O mesmo navio tam-
ben) lde receber carga e passageiros para
as ilhas de Faial eTerceira, apparecend
deforma que convide s escallas.
A escuna Santa-Cru segu para o Rio-
Grande do sul imprelerivelmente no dia 31
do correnle : recebe passageiros e escravos
a frete para oque tem bons commodos: a
fallar com o capullo Manoel t'ereira do S,
ou com Joflo Francisco da t'.ruz, ru da
Cruz, n. S.
Vende-se o patacho ameri-
cano Roinp, de lote de 126 tone-
ladas americanas, forrado de co-
bre, milito veleiro, e prompto pa-
ra seguir quaiquer viagem : os
pretendentes, dirijam-se aos con-
signatarios, Ilenry Forster &
Companhia, na ra do Trapiche,
n. 8.
-- Para o Rio-de-Janeiro sahe, com mili-
ta brevidade, o patacho nacional Curioso,
ca pililo Domingos Antonio de Azeve.lu, pul-
se aciar coro parlo da carga prompta : para
o restante, passageiros e escravos a fele,
trata-se com o mesmo capiUo, ou com l.uiz
Jos de S Araujo, na rua da Cruz, n 33.
Vende-se a barca nacional Princeza,
de loto de 2.17 toneladas, forrada de cobre e
proropt com todos os perlences para fazer
viagem : quem a pretender, pode ir exami-
nar a bordo, a qual se ach Tundeada de-
fronte do Pasaaip-Publico, e tratar com
Amorim Irniaos, na ra da Cadeia do Re-
cife. n. Sil.
-A veleira escuna nacional Emilia, de
que he capitao e pratico Antonio Silveira
Maciel Jnior, deve chegar do l'ar at o
dia 25 do correnta, para onde voltara com
escala pelo MirtoM >, com a maior brevi-
dade: quem na mosma pretender carre-
gar, ou ir de passagem, dever entender-so
com Joao Carlos Augusto da Silva, na ra
di Cruz, no Recite, n. 13, armazem.
O brigue Sem-Par sahe para o llio-dc-
Janeiro com tscala por Macei : recebe car-
ga para ambos os portos : quem no mesiDo
quizer carregr, dirija-s^a Novaes& Com-
panhia, na ra do Trapiche, n. 31.
-- Para a i I ra de S. -Miguel pretende sa-
bir com brevidade, pur ler melado do car-
gamento piompta, o brigue nacional
Kipiriio-Snnio, capiilo Alexanore Jos Al-
ves : para o reslo da carga e passageiros,
trata-se com Francisco Mariins Ferreira, no
largo do Terco, n 139, ou com o mesmo
capuBo, na praca do Commercio.
tregups.
Pcrdeu-ae urna letlra sacada em 21 de
fevereiro do correnle anno a vencer om 91
de Janeiro do anno vindouro de 1:071,599
ris, aceita pelo Sr. Jos Joaquim Borges
de Castro, a favor do abaixo ass^nado:
quem a tiver adiado a poder entregar ao
abaixo assignado, na praca da Independen-
cia, loja n. 3, ou ao proprio aceitante na
mesma loja, pois que o mesmo j se acha
do aceordo a nllo psgarj; e por isso'se pre-
vine a quaiquer de fa/er alguma transac-
Cflo com a mesma".ioaquim francisco ios
Sanios Maya.
t- Desappareceu, no dia 20 do correnle,
um pardo de aoate Eustaquio, de estatura
regular, secco docorpo, representa ler 24
aunes; lie ollicial de sapaleirn ; quando
anda arrebita os dedos dos ps e traz sem-
pre as ventas ctieias de tabaco quemo
pegar leve-o a botica da praca da Boa-Vis-
ta, n. 6, que ser bem recompensado.
O lestamenteiro do finado Jos Ferreira
da Silva Leite, roga aos credores do mesmo
que aiii la n.to apresentaram suas entilas
correntes, de o fazerem at o dia 31 do cor-
rente para se poder fechar o inventario:
na ra Nova, n. 3.
-- Fr. Joflo Capistranodo Mendonca abre
no dia 3 de abril prximo futuro, no pri-
meiro andar do sobrado n. 18 da ra das
Cruzes, um curso do tbeologia moral e
dogmtica, o outro de historia sagrada o
ecclesiastica : os aspirantes ao estado sa-
cerdotal quo quizerem|frequentar quaiquer
dnstas duas disciplinas, poderflo dirigir-se
a mencionada casa, das 10 horas do dia
eindiante I Mitro si tu, avis 1 quelles que ja
estilo matriculados, que as lie"s conunua-
rao desse, dia em diante regularmente as 3
horas da Urdo.
menlo a sociedid sob firma ves da Silva & Filh is, para conhecimenlo
dos devedores do finado Jos Antonio Alves
da Silva, aogro do mesmo abaixo asslgna-
do, afim de ficarem scientes que todos os
bensdo casal do dito finado esto obriga-
dos a dila sociodade ; e igualmente os pro-
prios bensdo Sr. bacharel Francisco Jobo
Carneiro da Cunha, como socio gerente
da dita sociedede. O mes.no abaixo assig-
nado espora que os devedores nito paguem
ao Sr. bacila re as dividas que devem ao di-
to casal'; assim, pois, obrando, terflo de
livrar-se do futuras que tiles e farflo
um gran le beneficio a mulher do al.aixo
assignado, para tiflo perder totla a heranca
que seu pai trabalhou com o suor do seu
roslo.lUarcellino os Lopes.
Procissao de penitencia.
Os devotos da vcneravel irmandade da
Senhora da ConceicSo, enllocada na ma-
triz da Boa-Vista desta cidade, conside-
rando que a epidemia reinante contina a
II -gelar a populacho desta rielado e provin- que a este fosi
c, resolveram, com o cunsenso da mesa rigorosa nece
regedorada irmanJadedo SS. Sacra me lo
da mesma matriz, levar em prociss.lo de
penitencia a sobredila imagem da mili de
Dos rara a matriz do SS. Sacramento de
S.-Antonio, na noite de 27 do correnle, on-
de ficara depositada e exposta s oragOes
dos liis, at que o flagelo da pesto oesse.
Os soliredilos devotos convidam, pois, a
todos os fiis para o acompanhamento da
prociss.lo que dever sahir a meia-noite
em ponto, o na qual se observar a mesma
nrdem e regolaridade que se observou na
ed i ficante procissao de penitencia da ir-
mandade da Concejero dos militares.
Senlenca.
< Visto estes autos pede o autor Marcelli-
no Jos Lopes, como administrador desua
mulher, filh do finado Jos Antonio Al-
ves da Silva, que o rn bacharel Francisco
Joflo Carneiro da Cunha, casado com nu-
tra hllia daquello fallecido, dentro do pra-
vo de 10 das venha estejuizo prestar
contas, e por ellas o dividendo dos lucros
proveniente|da extinct sociedade represen-
tada pela firma social de Viuva.Alves da Silva
i\ l'illms, da qual era o mesmo reo socio
gerente, o ello autor tambem socio por
parto de sua mulher, devendo o mesmo
reo apresenlar igualmente os livros e to-
da a Mcripturacflo a essa sociedade, afim
de serum confrontadas essas cuntas com
pena de sequestro. O reo drfendo-so com
a conteslacfl a II., o que ludo visto e mais
que dos autos consta, considerando que o
reo nao desconhece a obrigai;3o em que
esta de prestar as contas exigidas pelo au-
tor, e que nilo obstante estar-sea proce-
der inventario, a prestarlo das contas he
independente de qualqner nutra a ce, lo que
nflo pode embarazar o conhecitnenlo cna-
me do resultado, ou transaceflo da socie-
dade de que se lala, seu lo i|in pelo con-
trario da prestaeflo dessas comas mais re-
gular so tornaria o mesmo inventario o o
perlenceute, nflo sen lo de
latl.i que o proseguim'iito
de urn esteja dependente deoutro: consi-
derando que smente na apreseutacro das
contas he que tum lugar o ap eciamentodo
toda e quaiquer raso quo possa eslabele-
cer o grao de illigilimida le o exacii 13o que
deveinlor essas mes nasconias, para a vista
disto proferir-se a decisflo conforme a
questflo que so lintiver da agitar: conside-
rando que oreo, como caixa da sociedade,
tem obrigacSo de exibir os livros e mais es-
cripluragilo para a vista dessa prestar as suas
contas -Corr. Tell. Dout. das Acc. 101o e
Not. Cod. Com l'ori. arl. 653 consideran-
do, finalmente, que o prazo indicado pelo
autor he por cerlo aaas limitado, urna vez
que nao provou seren estas contas laes,
que possaii) preslar-se em pequeo espa-
qo de lempo, sendo quo pela prsenle ques-
tflo, se cunliece nSo poJrser feita essa
presiacflo de contas, que,complicadas como
se deprehende dos autos, demandam maior
prazo que o pedido pelo autor: julgo a 110-
lilica(,1o por sentenga, e condemno ao reo,
a que no espado d^ setenta das improro-
gaveis, contados da publicaban da presente
senlenca, preste as contas pela forma exi-
gida a 3, sdb pena de sequestro, e pa-
gue o mesmo reo as cusas.
i. Recife, 21 dt agosto de 1819. Custodio
Manoel da Silea tiuimares.t
N. B. A sentenga cima fui appellada pe-
lo socio gerente, bem que esse pelisse em
a den.ro e fura 'a VZA 1t&
1 .ivti'ir 1 mi.. '
Prccisa-se de um feitor para tim sitio
perto desta praca : a fallar no Korte-do-
Matlos, com Jos Francisco Belm.
Pesca-se nos dias quarta, quinta e
sexti-feira da presente semana, no viveiro
do Aterro, perlenceute ao sitio que foi do
fallecido Mu 11 iz.
Precisa-se de urna ama de
ou captiva: na ra do Rangcl,
meiro andar.
Precisa-se de um forneiro :
ga do Itozario, n. 48, padaria.
--Prccisa-se de um feitor para um sitio,
que sai lia tirar l ducta : no Atdrro-da-Boa-Visla, 11. 17.
leite, forra
n. 36, pu-
na rualar-
Passaportes.
do imperio,correm-se fclhas, despachain-
seescravos e tiram-se ttulos de residen-
cia para aempre : para este fim, procura-se
ua praca da Independencia, livraria ns. 6 e
8, o na ra do Queimado. n. 25, loj de
miudezas, do Sr. Joaquim Monteiro da Cruz
Francisco Malaquias Soares, cidn l.iu
'"| foro-se captiva na ruado Cabug, lojar de
brasileiro, vai ao Para a negocio d'e seu
teresse.edeixa o seu pequeo estabeleci-;
raudo que estava prompto a prestar as
contas exigidas ; avalie-se por isso o que
tem em vistas o socio gerente, acerca das
referidas contas.!! Os livros e os desoja-
dos, e os desajados, e osdesejados dinhei-
ros apitarecerflo, ou nao agora. !!
-- Precisa-se de urna ama de leite : pre-
Avisos diversos.
IJ. Mana Magdalena Poppe da Silva s-
menle por consideracflo para com o respoita-
vel publico, que nao eoi 1 esposta aos an-
nuncios publicados em as columnas de um
jornal, anda que na qulu|do de viuva in-
ventar iar.le e meieia dos bensdo seu (u.
do marido Jos. Antonio Alves da Silva, iem
ella o indispulavel Jiiit,o de cobrar as di-
vidas activas de uro casal, nflo poJendo
ser nisto obstada poloaulor dos annuucios
appareculos, que nao lie herdeiro senfloda
quarta parle ds mesmas dividas, cujo qui-
llllflo recbela era OCCasiflo oppurluna, ou
mesmo ero po, oriilo que se fo.ein cobran-
do as mesmas dividas. Com esta declara-
do nflo des.ja de nenhum modo a annun-
cianio provocar discussts asedas, e airo
apenas dar tuna satisfaeflo que he exigida-
pela honra do seu nomo.
-- Foi entregue por engao na ra do
lollegio, n. 19, primeiro ariaar, pordous
prelos desconhecidos duas Irouxas de ropa
lavau: apessoa que sejulgar com direi-
menlo a direceflo desua senhora, e de seu
mano, JoBo Belarmino Soares.
Prccisa-se alugsr urna preta captiva
ou forra, quesaiba cozinhar o engommar,
e tenha boa conduela, para casa de um ho-
rnero solteiro ; na ra do Queimado, n. 22
Jos.Gonc,a|ves da Fonte, ten Jo de re-
tirar-se para Portugal, avisa a quem se
julgarsiu credor de apresentir sua cuota
para ser inderonisado.
Retira-so para Portugal com sua mu-
lher e uro criado o abaixo assignado, o qu*
faz publico para quem tiver algurn penhor
em seu poder, por boa composieflo, o res-
gatea t 30 do correnle; quando O nflo fa-
ca, sera vendido para seu embolco. Ma-
nuel Alves da Silva Costa Guimares.
--0 escrivflo scrvimlode admioistradorvla
recebedoria di rendas internas geraes convi
da aosSrs. livreirosqueso quizerem encar-
regar da factura dos livros que leem de ser-
vir na mesma repariicflo. no anno lnau-
ceuo prximo, de 1850 a 1851, comparegam
para tralarem do ajusle, prefdrindo-se a
quem por menos fizer.
--Quero annunciou querer alugar uma
canoa, uirija-so ra da Praia, n. 55, ter-
ceiro andar.
--Aluga-se o primeiro andar do sobra-
do da ra daUpa.no Recife, n. 13: a tra-
tar na prar;a da Boa-Vista, n- 7.
Precisa-se de uma loja para
fazendas, as ras do Crespo.
Queimado, Cabug e praciuha do
Livramento: quem tiver, di
se ao Hotel-Francisco.
Precisa-se de um mulher capaz para
ama interna de uma casa de mullo reque-
na familia a tratar na ra do Queimado,
n. 32, na loja ou no terceiro andar.
Se alguma casa estrangeira precisar de
urna hbil iiada'poriiigue/.a dirija-sea ra
do Collegio, livraria n. 9.
Bichas de Hamburgo.
Alugam-se por prego muitn commodo
bichas hamburguezos : no Aterro da Ba-
Vista, n. 78, venda por baito do sobrado.
Precisa-se alugir uma preta que sai-
ba lavar, engommar e coser, para uma casa
ealrangeira : na ra do Torres, n. 3*. das
11 horas da mantilla as 3 da tarde. Na mes-
ma casa tambem se precisa alugar um pre-
to que entenda do servicp interno e de tra-
tar de cava los. "
Precisa-se alugar um preto para botar
sentido a uma pequea casa de campo : ero
casa de Jones Patn & Companhia, na ra
do Trapiche-Novo, n. 10.
--Precisa-se alugar uma canoa que car-
regue rail a mil eduzentos lijlos de alve-
naria grossa : quem tiver annuncie.
-- Precisa-se de uro liomem idoso nacio-
nal ou estrangeiro, sero familia, que saiba
ler e escrever, reunindo a isto suas boas
qualidades, e qued fiador a sua conduc-
ta : quem esliver nestas circumslancias,
dirjjo-se ra Nova, 11. 25, que se dir para
o fim que he.
Na ra Nova, loja n. 58, se dir quem
d a juros quantias de 300, 400, 500 e 600/
rs. sobre hypotheca em casas terreas. Na
mesma loja vende-se um carro para boi.
-- Aviuva de Canuto Jos Veilozo da Sil-
veira avisa aos Srs. Antonio Rodrigues de
Moraes e Rento Francisco de Farias Torres,
quevenham resgatarsous bilhetesTro efei-
tos que lomarain na venda de seu finado
na- do, nos Afogados, podendo entender-
se os mesmos Srs. com o seu procurador,
Joaquim de Albuquerque Mello, na ra do
Collegio.
Aluga-se um sobrarlo de um
andar, sito na ra dos Cuarara-
pes, n. 1, com grande quintil e
cacimba, commodos para grande
familia e pintado de novo : quem
pretender, dirija-se rua do Tra-
piche, n. 11;, ,11111 i7.(ini de Do-
mingos Soriano Goncalves Fer-
reira.
Precisa-se de um criado pardo ou pre-
to : a fallar com o Guimarfles, na rua do
llospio, ero uma das casas do Sr. Tnotnaz
de Ai] 111 no Fonseca.
Acaba de chegar do Rio, e vende-se,
por mdico prego, a encllente obra An-
imarlo poltico, histrico e eslatisco do
Brasil, ou archivo interessante da historia
nacioinl : na praga da Independencia, ns.
608; na rua da Cadeia. loja do Sr. Ber-
nardo Cardozo Ayres & Irmflo ; na rua da
Cruz, n. 56, loja dos Srs. Santos & Com-
panhia.
Chegaram novamente rua da Sen-
zalla-Nova, n. 49, relogiosde ouro e prsta
patente inglez, para hornero e senhora.
-- Acha-se despejado o sobrado do dous
andares da praca da Boa-Vista n. 6: quem o
quizer alugar, dinju-se a mesma casa, bo-
tica de Ignacio Jos de Couto.
Desappareceu no di 16 do correnle, do
cn&enho Tapera, freguezia de Santo-Ama-
ro-Jaboaiflo, o escravo de nomo Tirmo-
genes, que tem os signaes seguintes -. preto
creiiulo, um pouco alto, secco, cara com-
priJa, qunixo lino, sem barda, fes e rnflo-
com muias marcas de bixos e representa
ter de idado 22 annes : quemo apprehendei
leve-o noengeoho cima mencionado, que
ser generosamente gratificado.
Antonio Soares, subdito porluguez,
relira-se para fura da provincia.
I'recisa-se do uma parda ou preta de
boa oonducta, para o servico de uma casa :
na praca da Independencia loja n. 3.
Joflo AlTonso Torres, subdito portu-
guez, relira se para Lisboa.
-- Aluga-se um sitio ti n lilla I meii le, que
seja em l'onte-de-Uchoa, ou as iinmedia-
COes do Manguinho, com preferencia niar-
gem do rio Capiharibe: quem tiver, diri-
ja-so rua do Crespo, n. 7.
O
a Alugam-se e vendem-se as ve-Ja- $
n deiras bixas de Hamburgo : na praga jn
X da Independencia, n. 10, ao voltar ^
para a rua das Cruzes. ^
0 <&
osx&tsooaoo&ot&G 6M&<&S?#
H Preciaa-ae alugar um preto : na rua da
Cadeia de Santo-Antonio, n. 13, na loja.
Precisa-sede um Porluguez, coro pre-
ferencia filhodas ilhas, quesaiba traba-
Iharem sitio, para trabalharem um no lu-
gar do Remedio : quem esliver nestas cir-
cumslancias dirija-so rua do Crespo, n.
14, lerceiro andar.
e o
g Homoeopathia.
q O consultorio homueopathico (j
& de Fernambuco, na rua da O
Cadeia de Santo-Antonio, '
n. 32, dirigido por .1. B.
Casanova, estar aberto
todos os dias, desde s C
horas da maoha at as 6
da tarde.
Os doentes sordo vizilados todos os
dias, nSo senJo muito longo.

9 A pobreza receber os soccorros da O
Q hommopalhia gratuitamente. '$
Chapeos (le sol. ib
Rua do Passeio, n. 5.
Nesta fabrica ha presentemente um rico
sorlimeulo destes objectos do todas as cu-
res e qualidades, tanto de seda como do
panninbu, por prec/is commodos; ditos pa-
ra senhora, de hom gusto : estes chapeos
silo feitos pela ultima moda ; seda adamas-
cada com ricas franjas de relroz. Na mesma
casa se acha igual sortimentode seda e pan-
iiiuhos i'iiilando sodas, para cubrir ar-
nacoes servidas : todas estas fazendas ven -
le n-se em poreflo e a relalho : tamben-so
concerta quaiquer chapeo de sol, tanto de
basteas de ferro como de baleia, assim co-
mo umbelas de igrejas: tudo por prego
commodo.
Compras.
Compra-so um preto de 20 a 25 annos,
que saiba cozinhar o diario do u e que se afiance a sua conduela: paga-se
bem : na rua da Cadeia do Recife, escrip-
lorio do corretor Oliveira.
Compra-so um bom cavallo : paga-se
bem : na casa da afericSu do municipio do
Recife
Compram-se sapalos de todas as qua-
lidades, para liomem e senhora, feilos na
ierra : na rua larga do Itozario, n. 35,
loja.
Compra-se adragonas e bandas de can-
nniillms velhas, e do ofiiriaes : na praca da
Independencia, n. 19.
f'onipra-se uro habito de Christo, para
pescoco, que seja de ouro esmaltado, sim-
ples o sem podras: na praca da Indepen-
dencia, livraria ns. Ge 8.
Vendas.
n, a-
O abaixo assignado scientili-
ca ao r. Zumb do Diario de hou-
tem, que a menina atacada da fe-
ore reinante que fez publico na sua
correspondencia no leve vomito
preto. Jos Bitptista da Fon-
seca Jnior.
--Joao Francisco Ferreira da Silva Braga
subdito Porluguez rllr._A n.r. rA,. .i.
provincia.
rluguoz ratira-ae para fqra da
-- Itoga-se a todas as postos que tiveram
contas com o fallecido i. Tobler, caixeiro
da casa da Schafheitlin a Tobler hajam de
apresenlar suas coritas no praso des dias
da data deste, ero casa dos mesmos ci-
ma, o desla data em diante, nflo se respon-
sabisam por mais nenhuma.
Attencao!
O abaixo assignado, por fazer teneflo de
se retirar para lora da provincia, faz publi-
co a todas as pessoasqueteero penhoresem
sua mflo, de os ir tirar no prazo de 8 .lias;
e.nflo o fazondo, o abaixo assignado os ven-
der para seu pagamento e juros.
Jeronymo de Abrcu.
0 Sr. Jos Francisco da Silva, quo afi-
ancouos alugueis da casa da rua da Qua,
em que mora a Sra. Clara Felicia da Annun-
ciaeflo, haja de manda-Ios satisfazer quanto
antes; do contrario, ser a isso obrigado
pelos meios competentes, visto que por
bem nflo o tem querido fazer; e isto antes
queso retire para fra da provincia, como
consta oquer faier.
-- Appareceu na ponte da Passagem-da-
Mag lalena. o existe em poder do abaixo as-
ignado, um cavallo ruco: quero se achar
com direito a ello procure no sitio do mes-
mo abaixo asignado, na Torre, confronte o
sitio do Sr. Francisco Antonio de Oliveira,
que dando os signaes Ihe ser entregue, de-
pois de pagar as despezas.
l.uit Antonio Rodrigues do Almeida.
-- O Sr. cadete Francisco Xavier Cnuti-
linho, sargento da segunda companhia do
lerceiro batalhflo de artilharU, queira di-
rigir-aearua do Trapiche-Novo, n. 16, a
tratar negocio do seu interesse, o receber
unas cartas de su familia, ouannunciaro
lugar da sua estada ou morada, para ser
procurado.
--Pretndese alugar uma casa do dous
andares na freguezia da S.-Antonio ou S -
Jos: d-se algum ilinheuo a visla : procu-
re na rua Direita, n. 66
NOVO TKEU PARA COSINIIA.
Chaleiras, fregideiras, cassarollas, pa-
nellas de ferro forradas do porcellana, bulos
ecafeteiras de metal, machina para caf:
na roa Nova, loja do fwagens, n. 16, de
Jos) l.uiz Pereira.
-Bartolo da Costaaloura.chegado lia pou-
co do Porto, retira-se para o Rio-Grande do
sul.
,/
Francisco, de nacflo toata, retira-se
para a Bahia, levando em sua companhia
sua mulherMariauna, e duadKfilhas Rufina
o Hita.
Antonio Oiaa Cuimarfles, subdito de
b. al. F., retira-se para Portugal.
11 tsicas novas, rua larga
do Rozario, n. '255,
Joflo Vignes recebeu pelo ultimo navio vin-
do de Ft anca superiores pianos, assim como
muilas pocas novas de msicas, como ron-
dos, fantasias, variares, valcas, quadri
loas, polkas, melbodos, msica de canlo-
ria, entro as quaes as novas letnbrancas de
Pernanibuco, poesa de um dos mais dis
lindos l'einn iibiicanos, com ricas estam-
pas, lodas apropriadasaos sentimentos das
pecas pelos seus autores, duas missas em
partitura n um encllenle fagote
_ Precisa-so de uma ama, forra ou cap-
tiva, que saiba bem engommar e cozinhar,
para una casa de pouca familia, sem ppu-
sSo do meninos : na rua do Pilar, n. 72
segundo andar, em Fra-de-portas.
Joao Vignes, fabricante
de pianos, rua larga do
Itozario, o. 28,
fabrica riquissimos pianos, de proposito
para este pai/, os quaes teem todas as qua-
h la le reunidas com seguranca, elegan-
cia, e rnachinismo de sua nveneflo, como
nao tem appajecido, que nunca podem fa-
Ihar ; as principaes qualidades dos pianos
do dito fabricante he ter uma grande sua-
vi i.nle, uma perfeila igualdade a respeiln
dos sons, um teclado e rnachinismo fcil,
ou para molhor dizor mi.-llieem,. p,rs
executar e reproduzr coro facili lade o fe-
licidada as mais delicadas mudancas da
msica.
~ Precisa-se de uma ama de leite: na
rua doQuoimado, loja n. 9, ou na rua da
Cadeia, n. 22, segundo andar, quasi defron
tu da cadeia.
A l le ii cao!
Agencia de passaportcs.
A antiga agencia da rua do Rangel, n. 9.
sobrado, contina a tirar passapottes par
dentroe fra do imperio, e despacham-st
escravos, pelo mais commodo proco que hi
possivel.
Ovas do serto
He chegado alguns pares deste excel
lente pelisco : na rua do Queimado, loja dt
trra gens, n. 14.
Consliluicao e corligos.
Vende-se a collecflo de legislado con-
teudo a eniisiiiuicau do imperio, cdigo do
processo, reforma, regulamentos ns. 120,
122 e 143, cdigo criminal, regulamento do
sello, e regiment de Minas; tudo enca-
iieuiado em uni volume por 4,000 : na pra-
ca da Independencia, livraria ns. 6 e8.
Os Evangelhos
Vcpdem-seosevangelhos de N. S. Jess
Christo, em francez, em uro volume. im-
pressflo de luso e Iluminada, por preco
muito diminuto : este livro pode servir
para exercicio da lingoa franceza ; Na pra-
ca da Independencia, livraria ns. 6 e 8.
Uvros para a academia.
Vcndem-se Rossi, direito penal ; dito,
curso de ecconomia poltica ; Say, dito de
dita ; manual de direito commercial, por
liravard Veynres; Felice, direito natural e
das gentes: na praca da Independencia,
livraria n. 6 e 8.
Vendem-se dous bancos de torneiro,
com ferramenta e alguma madeira : na n.
da Praia-de-S.-Rita, n. 1, sobrado
-- Vende-se urna preta boa cozinheira e
engoinmadeira, e que cose solTiivelmenle .
quem a pretender dirija-aa a rua Nova, n'
52, se- gundo andar.
Vende-so 60 enxameis de aedro, pro-
priiis para obras de casas, por prego com-
modo : na rua do Vigario, n. 5.
Vende-se dous bancos de torneiro
com ferramenta e alguma madeira : na rua
da Praia de Santa-Rila, sobrado n. 1.
Vende-se um escravo peca, oplimo pa-
ra o servigo de uma casa e o esto do dia
ganharnaiua; um dilo com belidas nos
olhos, per precco commodo ; um dito bom
cozinlieiro ; um dito bom holiciro ; uma
negrinba de 16 anuos, por prego commodo:
na rua do Collegio, n. 21, primeiro andar,
se dir quem vende.
Vendem-se dous boia mansos, e uma
earroca : a tratar com Jos Ignacio Borges,
na estrada nova, silio do Herculano.
Vende-se arroz, a SGrs a libia ; agoa-
ardenie do reino a 700 rs. a caada ; espi-
rito de 36 graos, a 1,000 rs. a caada : no
pateo do Paraizo, n. 20
Vende-se um mulatinho propria pira
aprender quaiquer cilicio, ou para pagero :
na rua de S.-Amaro, n. 16.
A os se 11 hores de eng nho
Na rua Nova, n 20, loja de ferragens, de
Joflo Fernandos Prenles Vianna, vendem-
se superiores enxadea calsadas de ac : os-
las euxadas se tornam recommendaveis pe-
la sua furtidSo. A ellas, freguezes, antes
que se acabem.
Vendem-je pipas com ptima ago'ar-
ietile, por prego commodo : na rua do Hos-
picio, n 9.
-- Vendem-se tarrachas para ourives, li-
mas de agulhas : na rua Nova, n. 16.


VcnJem-se relogios patentes, tanto de
ouro como de prata ; trancolins de ouro e
prata ; aunis de ouro ; pennas de ouro
rom caetas de prata ; aboloaduraa de ou-
ro ; canelas de prata : ludo por preco com-
modo: na ra do Trapiche, n. 44, anna-
y.em.
Vende-se urna das melhores lojas de fa-
zendas, nr ''asseio-Publico, cuja arniai;So
he toda env idracada : vende-se cum fazen-
das ousem ellas ; se faz todo qualquer
negocio : os pretendentes pdem dirigir-se
ao mesmo Passeio, loja n. II.

o.i
i
en es
CJ
Na praca da Indepen-
dencia, 11. 59.
Vendem-se bilhelrs, meios. quartos. o-
lavos e vigsimos da 2.' loteiia a benefi-
cio da fabrica de treidos Na mesma loja
exisle a lista da 19 das msirizes.
PRESOS.
Bilheles 22.000
.Me i os 11,000
Quartos 5,500
(Vita vos 2,800
Vigsimos 1,300
Vendem-se amarras de lrro: na ra
da Senza 1 la-Nova, n. 42.
Vendem-se veos pretos de lodos os ta-
maitos, alianza-s aus compradores screm
melhor fazenda que existe no mercado;
sarja preta hespauhola, niuilo superior;
I iiv.-is de seda preta, aherlas, com dedos e
Deposito da fabrica de
Todos-os-Santos na Baha
Vende-se em casa de N. O. Bieber & C.
a ra da Cruz, n. 4, algodSo trancado
daquella fabrica, muito proprio para'saccos
deassucar, roupa de escravos e fio proprio
para redes de pescar, por preco muito com-
modo.
AGENCIA
da fundicao Low-Moor,
MU D\ SKNZALT.A-NOVA, N. 4a.
Neste estabelecimento conti-
na a haveium completo sorti-
mento de moendas e meias rnen-
las, para engenho ; machinas de
vapor, e tachas de ferro batido c
t?o?do, de todos os tamaitos,
para dito.
Venda-s urna bonita escrava de An-
gola, propria para engenho, por ser moca
e robusla : atrs do theatro velho, n. 20,
primeiro andar.
Lotera do Rio-de-
Janeiro.
Aos 20:000,000 ders.
Na praca da Independencia, n. 3, que
deila pata as ras do Queimado e Crespo,
estilo a venda bilheles, meios, quarlos, oi-
tavos e vigsimos da segumla lotera a be-
neficio da fabrica de tecidos daquella pro-
vincia. Na mesma loja est patente a lista
da 12.* lotera 8 beneficio das construefles e
reparosdasmatii7.es daquella provincia.
' V..U |lll| K o |llll[ '0pv5|83
op fo| %\ "u 'oiubiubjaI'! op -nj bu : op
-niiiiiii'.i o5aJd aod 'nr.'i!'jj.ui un.> 'i pu.iui
-IIHI..II.I ap r.n|ii i'pi'i i../i'j .ii:| iiiim ,ip i:,-;
-li.ljf.lll.) >iS nllilij CU l ~S i: .' l.niq II. s O IU3lU0l|
l.'Jlil s.'pi-pi|l!lili SB Supo) Op SOJVltlS '. S'RUItl
semelles, para senhora ; tpalos de lustro.-aui a souioaui op suquiindusap oiuaufijos
.-Vende-se resina de angco, as lbrale
coi Dorc3o : na ra da Cadeia, loja de Jofio
Jos de Carvallio Moraes.
Novo sortimento de fa-
zendas baratas, na ra
do Crespo, n. 6, ao p
do lampean.
Vende-se cassa-ebita mullo fina, de bo-
nitos pRiiroes, cores fixas e com 4 palmos
de largura, pelo barato preco de 320 rs. o
covado ; caaaa franceza de quadros, muito
fina, a 860 rs. o covado; riscadinho de lis-
trasdellnho, a 940 rs. o covado,- brim de
algodSo de corea" com listra ao lado e de bo-
nitos padrees, 390 rs. o covado; brim
pardo claro, a 1,500 e 1,600 r. o corte de
duas varase urna quarta; cassa preta com
ramagem branca para lolo, a 140 rs. o co-
vado ; zuarte de cores, com 4 palmos de
largura, a 200 rs. o covado ; dito azul com
vara de largura, a 200 rs. o covado ; mea-
do monstro, a 220 rs. o covado; chitas de
bonitos padrOese cores fixas, a 160 e 180
rs. ocovadn ; chales de tarlatana, a 500 e
800 rs,; cobertores de algodSo america-
no, muito superiores, a 640 rs.
Vende-se, por muito menos de seu 9
valor, e faz-sn todo o negocio com
carro de 4 rodas, com seus arreos 9
, para dous cavados -. na pracadoCor-
po-Santo, n. 2.
i
inri : siiiiiii.ii a uiauoq ajad 'zuauejj ojjoz
-Oq 8P s.ii.M'ili!. : 'si OOS'I 'eJOqilOS "JBd
oiajd unas P sojBdas sj 000't a 'ox|
ojuod p 'oJisnj ep lOfntdii asuiapua,\
SJ OIO'* V
l.lteles do Iti'de-
laneiro.
Aos 20:000,000 de ris.
NA BIJA DA CADEIA DORF.CIFE, N 24,
LOJA DE CAMBIO DA VIUVA VIEIRA
& FILIIOS.
Pelo vapor l'araenit, entrado nesle porto
no dia 14 do corrente, rerebemos os muitoo
afortunados bilheles, meios e cautelas da
2 a lotera a benoficio da fabrica de teci-
dos : beai como a lista da 12.* das ma-
trizes.
MECOS.
Bilheles 22,000
Meios 11,000
Quartos 5,500
Olavos 2,800
Vigsimos I.3U0
A 2,000 rs.
Vendem-se horzeguins de duraque de
sola e vira para senhora ; sapalos de couro
de lustro c de sola c vira, a 1,600 rs.; ditos
linos, a 1,600 e 2.000 rs ; ditos de cordo-
vSoe manoquim, a 1.440 rs. ; ditos de du-
raque rrancez, a 1,600 rs. ; ditos de Lisboa,
a 1.000 rs ; sapalOrsde couro de lustro, a
3.0(0 c 7.000 is. ; ditos de bez^rro, de 2,500
a 5,OtO rs.; borzeguns de duraque para CjnstruccSo muito 'superior,
homem, a 4, 5 e 7,000 rs. ; sapalos linos
e borzeguins para senhora ; meias de seda
pretn para senhora ; bicos do blonda pre-
lo para enfeites de vestidos ; ricos leques
de tnadre-perola para senhora ; lindas fitas
lavradas para enfeites; meias de laja para
padres : pentes de tartarusa para prender
cabello ; ditos para marra fa ; luvasde seda
( preta e de cores para homem ; ditas de pel-
lica para homem ; chapeos pretos francezea
para homem ; eoutras muitas fazendas de
gosto ludo por preco muito commododo,
pela circunstancias do lempo, o pela gran-
ile fulla de dinheirn que ha : na esquina da
ra do Cabug, loja junto a bulica do Sr
l iSo Moreira Marques.
Vende-se Miperior fo de al-
godSo, proprio para pavios de ve-
las, assitn como para redes de pes-
car : em casa de Geo : Kenwor-
iliv & Companhia, na ruadaCiuz,
n. i.
Vendem-se 3 lindos moleques de 12 a
16annns, sem vicios; 8 pretos de 20 a 30
annos, bous para lodo o servio, e alguus
delles bons ganhadores de ra ; um pardo
de bonita figura, de 18 annos, ptimo para
pagem, e com vllco de sapaleiro ; um dito
de mcia dad", ptimo para silio ; un pre-
lo bnm bolieiro, o de boa conducta; urna
mulalinha de 12 annos, muito carinhoa
para meninos, e com muito bous principios
de habilidades ; 5 pretas, sendo urna dol-
as quitandeira perfeita, de mullo bunia
figura e sem vicios, o que se afinca; 3 ditas
rom algumas habilidades, de 16 a 20 an-
nos ; urna dita que coziuha muito bem, en-
gmala soflnvel, cose e faz doces ; una di-
ta de ni eia idade; c ou'ros muitos escra-
vos por preco commodo : na ra da Cadeia
do Itecife, n. 51, primeiro andar, se dir
quem vende.
Na ra do Crespo, n 9,
!oj t aruarella.
Vende-se Casta roclia muito, lina a 480 rs.
avara, ditas de cores a 800 rs. brim de al-
godSo com lista ao lado a 320 rs. O covado,
brim de lnho de cores a 1,280 rs. a vara,
corles de bnm de lio lio puro a 2,000 is.
panno pretcs linos a 4.000, 5 000 6,000 rs.
o covado, casimiras de coies e prelas i or
mdico preco : assini como muilas outrus
fazendas de goslos n odernos.
Vendem-se superiores sel-
lins elsticos e de couro de por-
co, chegados ha pouco : em casa
de Geo : Kenworthy &c Lempa.
nhia, na rus da L'iur, n. a.
Vendem-se arados de ferro de dffe-
rentes modelos : na fabrica de machinase
fundico de ferro, Da ra do Bru ,
ns. 6,8 e 10.
Vende-se [um sobrado de um andar, em
chilos proprio, sito na ra ds Ciuco-I'oii-
tas, com quintal, cacimba e bous bons
commodos! tambem se recebe empaga-
mento escravos possanles para o traballio
derampo: na ruada Cadeia, no segundo
andar do sobrado da esquina do becco do
Onvidor.
Vende-sa fumo em falla para capa e
milo decliarntoa, minio boa fazendii, por
preco commodn : nos annazeos do falle-
cido Braguez e Dias Ferreira, no caes da
Alfandega, ou a tialar rom Novaes & Com-
panhia, na ra do Trapiche, n. 34.
Batatas novas
Vendem-s* balates novas chegadas l-
timamente : na ra do Azeitc-de-Peixe, ar-
mazem, n 19.
(idos de al^odo tran-
cado da fabrica de To-
dos-os-San tos.
Na rua da Cadeia, n. 52,
vendem-se por atacado duas qualidades,
propras para saceos'de assucar e roupa de ,
escravos. I sacras grandes com Trelo: no armazem
PARA ACARAR. pegado a botica do arco da Conceco, do
VenJem-se sapalos do marroquim de linailo Biaguez ; bem como gigos com ha-
cores para senhora, pelo bamto preco de latas, | or todo o prfc,'| ara
500 rs o par : na do Livramento, n. II. Vende-se, para fr do
A 2^000 o corte.
Vendem-sc cortes de cassa-chita, fina, de
bonitos padrOose com 6 varase meia, pelo
diminuto preco de 2,000 rs. o corle : na
rua do Crespo, n. 6, lojaao p do lampeSo.
Farelo novo a 5,300 rs.
Vendem-se sacras grandes com 3 arro-
bas de farelo, chegadas no ultimo navio
de llamhurgo : na rua do Amorira, n. 35,
casa de i. i. Tasso Jnior.
Ovas do serto.
Vende-se este excediente petisco na rua
do Queimado. n. 14, loja de ferragens.
Antigo deposito de cal
virgem.
Na ruado Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal virgem de Lis-
boa, por preco muito commodo.
A rados de ferro.
Na fundirlo da Aurora em S.-Amaro ,
vendem-se arados de ferro diversos mo-
delos.
-- Na rua do Queimado, n. 14, se dir
Suem tem para vender urna preta de 20 a
i annos, de bonita vista.aqual coziuha o
diario de urna casa, com algm principio
de engommare lavar; bem como urna par-
da de 25 annos, que engomnia, lava e cozi-
1 ha ; um pardo de 10 a 18 annos, de boni-
tr figura, proprio para pagem, por ser mui-
lo esperto.
Vendem-so garrafas com agoa de la-
barraque, recenlemente chegadas: na rua
da Cruz, n. 48, armazem.
Slarmelada nova,
vinda pelo ultimo vapor do sul, vende-se
atrs do Corpo-Santo, n. 66.
Vendem-se relogios de ou-
ro, patente inglez, do mais supe-
rior fabricante, chegados ha pou-
co .- em casa de Geo : Kenworthy,
& Companhia, na rua da Cruz,
n. 9.
Vende-se orna escrava de Angola, de
29 annos, sem vicios, e que engomma sof-
frvclmente e cozinha o diario de urna casa:
emOlinda, ruado Amparo, n. *, junto a
botica.
Vende-se a casa n. 88, sita na ruadas
Clnco-Pontas : a tratar na Camboa-do-Car-
mo, n. 27.
Smenles dehortalice.
Vendem-se si mentes de hortalice de lo*
das as qualidades, multo novas e chegadas
de Lisboa na barca H*ira : na rua da Cruz,
noRecife, armazem n. 62.
Vende-se arroz do Maranho, muito
bom, a 60 s. a librar, e medido a 320 a euia,
garrafas de assafroa muilo nova : defronte
da matriz da Boa-Vista, venda nova de S
portas.
Luto.
,\n rua do Queimado, n. 24, acaba-se de
receberumcompleto sorlimenlo de ador-
nos para senhora, como sejam : braceletes,
lmeles, brincos, gargantillas e rosetas :
tudo de bom gosto.
Charutos regala.
Vendem-se charutos regala, em porefio
de um mlheiro para cima, a vontade do
comprador em casa de Edoardo II. Wyalt,
na rua do Trapiche-Novo, n. 18.
Vendem-se uvas brancas,
por preco commodo : na rua da
Concrico d* Boa-Vista, n. 58.
Vende-se urna commenda e
um habito ra ordem da osa, para
um rommeiiilador: vendem-se
te re ni vindo do Kio-de-Ja-
Vi iideni-se caixes para assucar, u
ror muito commodo prrco ; 2 pran- 8
elides de sirupira, com 30 palmos de g
comprimento o 2 de largura : na pra- S
Ca do Corpo-Santo, n. 2. I
e""lV' *-'!' .....- *?* ?'"!?'?'*?*$$($$*.''
VIoendas superiores.
Nifundc9ode C. Starr & Companhia',
em S.-Amaro, acham-se venda moendas
d; canna, todas de ferro, de um modelo e
por
neiro por engao, que era para
oflicial da mc.-ma ordem, de mui-
to bom gosto : as Ginco-l'ontas,
n. 36.
Vendem-se. na rua dis Cruzes, n. 22,
segundo andar, 8 escravos, sendo urna de
naclo, de 20 annos, peifeita engommadei-
ra, que cozinha, lava de sabSo e cose chito;
urna parda de 20 annos, que engomma, co-
se chSo, cozinha o lava de sabSo ; duas pre-
las da Cosa de elegantes figuras, que co-
zinham, Imam de s*bao o s3o quitandeiras;
3 dilas do nacSo e crioulas, com as mes-
mas habilidades; um mulatnho, de 13 an-
nos, proprio para pagem.
--Vendem-se, na praca da Independen-
cia, n. 12, os seguidles livios : Digesto por-
tugoez ; Dictionary english, por Viera, eia
formato grande ; dito porttil; Tratado da
relgifio, 3 v. ; Suspiros poticos e sanda-
drs ; Walker dictionary de pronouncinc ;
Magnum Lexicn; Oflicio da semana sania ;
Thompsons ; OfJficio de Mara Virgem ; Li-
Ctfesde liiteratura e de moral; Cuardi-Li-
vros modernos, 3 v. ; Macarel, direito po-
ltico.
Fardo a 5,000 rs. a
sacca,
e o melhor que tem vindo a este mercado :
na rua du Madre-de-Deos, armazem de Vi-
cente Ferra da Costa.
Vende-se urna preta moca, de 18 a 20
annos, com habilidades : o motivo por que
se vende se dir ao comprador: na rua do
Pilar, n 70.
5 e 7,000 rs. .
ra baile, a 4,000 rs.; lencos pretos o de
cure para giavala ; chapeos france/es ; di-
los de sol; luvasde pellica para homem e
teiihora; n arroquinsde todas as cores, a
1,920 rs. ; couro de lustro francez o liam-
ingucz ; franjas o fivelas para sapalos;
atacadores (ara borzeguins de senhora ;
ricas perfumaras, por preco commodo : na
iraca da Independencia, lis. 13 e 15, loja do
Arjntes.
Deposito de Potassa.
Vende-se muito nova potassa.
de boa qualidade, em barriszinhoc
pequeos de quatro arrobas, por
preco Ltalo, como j ha muito
tempo se nao vende: nc rtecife,
rua da Cadeia, armazem n. n.
Vendem-se bons queijos londrinos
ditos de prato muito fresraes e de superior
qualidade, presuntos inglezes para fiao.-
bre, ditos portuguezes para panella, latas
com 2 e4 libras de marmelada, ditas rom
bolachioha de Lisboa, ditas de sardinha, di-
tas com bervilhas, frascos com conservas
inglezas, queijos de qualha viudos do Cea-
ra, por barato prego, manas de toucinho
inglez de fumeiro.de 7 a 8 libras cadauma,o
ouiros muitos gneros de boa qualidade :
na rua da Cruz, no Iterife, n. 46.
-- Vendem-se queijos do remo, os me-
lhores que ha no menudo, a 1,120 rs. : na
rua lumia, n. 14.
Potassa da Bussia.
Vende-se superior potassa da Itussia, da
mais nova que ha no mercado, por preco
commodo : na rua do Trapiche, n, 17.
i a i xas para engenho.
iva fundicSo de ferro da rua do Brum,
acaba-se de receberum completo sorlimen-
lo de tai xas de 4 a 8 palmos de bocea as
quaes acham-se a venda por preco com-
modo e com promptidSo embarcam-se,
ou carregam-seem carros sem despezas ao
comprador.
Na rua Nova, n. 11, loja que foi de
Cuerra Silva & Companhia, vendem-se li-
vros em branco de todas as qualidades e
tamandoa.
Na rua Nova,
n. II, o
Vendem-se a 5,500 rs.
I Ia
que foi de Guerra Silva & Com-
panhia, vemlem-.se muito lindas
i raimas ile varios leitios, ries e
larguras ; bem cerno franjas de
relroz prelo ; tudo por preco com-
modo.
Farinha nova de S.-Ma-
theus, por preco mui-
to commodo :
vende-se a bordo do patacho na-
cional Jmfade- Constante, entra-
do reccntemenle daquelle porto,
e Tundeado em frente da escadi-
nha do Collegio, ou a tratar com
Machado & Pinhero, na rua do
Vigario, n 19, segundo andar.
Na rua do Hospicio, defronte do silio
doSr. Arcenio Fortuaato da Silva, liase-,
gunda casa, vende-se leile puro, todos os
dias al s B horas da mandila.
Vende-a um pardo moco,
de 18 a 2o annos. com principios
B& wntas"jde Pedre',o, sem vicios nem acha-
pniviHcia, urna (Jii'-s : na ron lo Calinga, n. I D.
EfCravoa Fuimos
250,000 rs.
Do tnpenho Sipo, da comarca do Itio-
Formoso, fugrani(os seguinles osera vos :
no dia primeiro doannocorrenle, o cabra i
*..i....;.. l..n B..nii:.*...in An ii.m,. ....I
Fugio, do engenho Ouararape, fre-
guozia da Moribnca, ao amanhecer do dia
20 do corrente, o escravo JuliSo, de 26 an-
nos pouco mais ou menos, crioulo, de altu-
ra regular, corpo proporcional, cor algum
tanto fula, rosto descarnado e com passa
piolho; levou chapeo de couro, calcas
azucs, camisa de riscado; rabio montado
em um cavado ruco, magro, cauda rapada a
faca at o sabugo. Em companhia deste es-
cravo vai urna inulher forro de nome flita
de 40 e tantos annos, baixa, cor clara, ca-
bellos curtos, e pira malor signal tem um
talho na testa : quem o pegar leve-o ao di-
to engenho, que sera recompensado.
: Qualquer capitSo de campo poder pe-
gara escrava crionla Ignez, bem preta Com
marcas de bexigas na cara, bracos grossos,
e levarem na travessa do Veras, na Boa-Vis-
ta. Esta escrava he fllha de Itamaraca, on-
de tem mili, por isso he do crer'que l es-
teja, segundo noticias que dao, e devem
contar com boa paga pelo trabalho.
Fugio, no da 4 lo correte, do enge-
nho d'agoa na ribeira do Araripe, o escravo
Venceslao, crioulo, de 25 annos pouco mais
ou menos; he baixo e grosso do corpo, ps
apalhetadose cambados, fallante e dado a
embriaguez ; suppOe-se ter sido seduzido
por pessoa da cidade do llecifo, que o (em
acoitado em urna as, e por esse mot:vo
previne-seaquemquer que seja.que com
este procedimento tem commettido cri-
me previsto pela nossa legislarlo penal.
Itoga-se a todas as autoridades puliciaese
capitfles de campo, que o apprebendam e
levom-no ao dito engenho a seu proprieta-
rio, odoutor Fiancisca Jollo Carneiro da
Cunha, ou na cidade do Recife, ao Sr Jos
Camello do Reg Barros aoode serSo ge-
nerosamente recompensados, alm de se
Ihes licar o tingado.
Fugio, no dia 16 do corrente, do enge-
nho d'agoa na ribeira do Araripe, um pe-
lo de mime l.auriuiio, condecido vulgar-
mente por BU ; reprsenla 18 annoa pou-
co mais ou menos, sreco do corpo e espi-
gado, cor retinta, bem fallante; he criou-
la ; presume-se que o dito escravo se arha
acoitado na cidade do Recite, por pessoa
que o seduzira. Itoga-se as auloriiades
policiaca e caplnes de campo, que o ap-
prehendam e levem-no ao dito engenho,
que surjo gratificados com 20,000 rs.
Fugio, no dia ao do corren-
te, de bordo do brigue nacional
Sem-Par, o prclo Euzebio, criou-
lo, representa ter ib annos pouco
maif ou menos, de estatura alta,
sem barba ; levou calcase camisa
de algodao azul, ebonele de panno
azul na caber. Koga-se as auto-
ridades policiaes e capitSes de
campo, que o apprchendam e le-
vem-no ruado Trapiche, n.34,
casa de Novaes ck Companhia, que
sero bem recompensados.
Fugio, de bordo do brigue nacional
Scm-Vur, viudo do Itio, um pardo de no-
me Sabino, que representa ter 20 annos;
levou calcas e camisa do algodSo azul, e
bonete encarnado : quem o pegar leve-o a
rasa de Novaes & Companhia, na rua do
Trapiche, n. 34, que ser bem rerompen-
aado.
Km a rioite de 28 do prximo passado,
fugio, da povoacflo doMonteiro, da casa da
residencia de Manoel Antonio da Silva An-
iones a preta Mara, do gento de Angela,
moca, de estatura e corpo regulares, cor
preta, rosto aboceilado, falla bem o \ulgar;
lem os ps um lano grorsos: quem a pe-
gar leve-a rua da Cadeia-Velha, n. 24,
que ser gratificado.
Fugio, no dia 12 do 'corrente, pelas 9
horas da noite, o prelo Benedicto, crioulo,
que representa ter 24 annos, de altura re-
gular, sem barba, cara redonda, olhos car-
rancudos; tem os ps (ortos, e he cambado
de urna perna ; levou calcas e camisa de
Cos carnudos, pernas giossas como lidia-
das e urna mais que a outra, pes cuitos e
dedo pequeos como sumidos, andar vaga-
roso : este escravo depois da fgida, foi vis-
tavez tenlia mudado de nome, como eos-
turna, de 13 a 14 annos pouco mais ou me-
nos; he secca do corpo, cabello corrido;
tem urna quebradura no braco esquerdo
o.h.r sombro, bocea se.ngul.da com tai ZSSSFJS^TSSTSSK^S-
t. de u* ou mais denles na frente ,epre- d, "^ 'd riscido ul quero ,
seda 35 anuos, pernas curtas, andar n,,u- p^^VTa rua do J.rdim. ... 42. que
doeapress.docomoque remando, ou pu- JJJ recompens,do : assim como se p.o-
xvjdo por un.a das peinas que parece mais tesfa comiodo o rigor da le contra quem
curta do que a outra: Hita, mulher do di- ,"r '"""
lo, alia, grossa, andar desembaracado, ros-,"
lo comprido e carnudo, ventas chalas, mui-
to beicuda, representa 25 annos ; esta com
6 paia 7 mezesde gravidez. Na noite de 6
do n.csmo, os escravos : Simplicio, de es-
tatura regular, ebeio do curpo, quexo fino,
rosto rom multas marcas ue bexigas, olhos
sempre chorando e reinelosos ; as vezes re-
lientani-lhe os dedos dos | es, e appaie-
cem-lhe cravos lias solas, de modo que no
(de pisar bem ; he um tanto gago; foi em
calceta com Manoel, baixo, corpoleuto. bei-
Cudo, pescoco curto, muito fallante, e cada
um representa 25 annos. Roga-se a qual-
quer pessoa, ou campanha. que apprehen-
dam ditos escravos,para cujo Ii i. se offerece
250,000 rs. de gratilicaclio, sendo 50,000 rs.
pelo de nome Anlono, 100,000 rs pelo ca-
sal du nomes And. e Rita, e 100,000 rs.
pelos dous de nomes Simplicio e Manoel.
Osapprebcndedoresdc ditos escravos, ou
de qualquer delles, os podero levara rua
das Cruzes, n. 30, ou a seu proprio senhor,
o doutor Candido Goncalves da Rocha, em
dito engeuho Sipo, cerina que recebo .lo a
gratilicaefio mencionada por cada um, bem
como qualquer despeza feita a bem da cap-
tura.
Fugio, no dia 13 do corrente, do enge-
nho l'euedinbo, freguezia de Coianna, o
prelo Manoel, de 25 a 30annos, alto espa-
da Jo, ps e mosgrossas, olhos fundos e
pequeuos, nariz chalo, testa ovada, com
un cicatriz pi quena em cima do olho BS-
querdo : quem o p^gar leve-o ao dito en-
gento, e sendo nesla cidade na livraria da
Attencao !
Fugio, do engenho Maragy-d'Agoa, um es-
cravo crioulo, de nome Faustino, de 22 an-
nos pouco mais 00 menos ; foi comprado
em Cuarabira, na provincia da Parahib*, a
Jos Rodrigues Ramos; tem os signaea se-
guintes : cor um pnuco fula, cara redonda,
bons denles, corpo reforjado, allura regu-
lar, ligeiro em suas arenes, syalema de fil-
iar'pouco; levou carniza de madapoln,
calca azul, chapeo de palha ; tem os dedos
grandes dos ps virados um pouco pira
dentro ; julga-se que iria para a mesma co-
marca de Cuarrbira, donde he natural:
quem oapprohender, leva-o aodilo enge-
nho, no termo do Rio-Formoso, ou rua
doVigarin, armazem deassucar de Tilo&
Companhia, ou rua do Collegio, casa de
Francisco Tavares de l.ima, n. 16, terceiro
andar, onde se pagaro as despezas e sp re"
compensar com generosidade.
Fugio, do engenho l'indoba, da fregue-
zia de Ipojuca. em das do prximo passado
mez de fevereiro, nm escravo de nomo Jo-
s, com os signaes seguinles : altura regu-
lar, cor pouco fula, pernas fina, ps apa-
Ihelados, falta de um ou dous denles na
frente do qneixo de cima; he de Angola;
levo calca parda, um colete prelo e cha-
peo dilo, tudo isso j velho. I'de bem ser
que elle ande escondido por O'inda, onde
j urna vez foi preso em outro lempo. (*
apprehendedores conduzam-no io dito en-
genho l'indoba, ao seu senhor Lourenc
S eAlbuquerqne Jnior, ou ao engennu
- Vende-se um ca vallo gnnde e gordo, preta crioula, que he boa engommadeira, I --. Vende-se, un fim da rua da Aurora, prayYd.^ ndepe7.d7iicirn Ve"!' qe"sera l2uarraDes7ue'serSo bem grateadoa.
proprio para carro ou sella, por ser carrega- costureira e doteira, alm de saber cozi-( n. 4, um prelo crioulo, de meia idade, pro- recompensado com generosidad Es le p re-
ilor e esquipador, por pre(o commodo: no aliar o ordinario du urna casa: na rua
pateo do Terco, n. 7, taberna. finio, na ultima casa de sobrado.
da
pno para armazem de assucar, serrara ou to foi do l'ara, e usa do sobre-nouie da di-
engenho, por ser muitu Tortee sadio. la provincia. Pbkk. :*a rf. *>> ". '*,u
I
-1850


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EH984PWJ5_1T0V14 INGEST_TIME 2013-04-24T19:43:03Z PACKAGE AA00011611_06894
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES