Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06880


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anuo XXVI.
Sexa-fcra 8
PARTIDAS DOS CoriHEIOS.
Coianna c Parahiba, segundas esextas feirai.
lUo-Graude-do-Norte, quintas feiras aomeo-
dia.
Cabo, Serlnhaem, Rlo-Formoso, Porto-Calvo
e Macelo, no l.\ a 11, e 21 de cada mez,
Garanhuns e Bonito, n 8 o 23.
Hoa-Vista e Flore, a 13 e 28.
Victoria, s quintal fciras.
Dunda, todos o (lias.
?yr-
KPBEMCBIDU.
/Mlng. a 5. ai 6h. e46m.dat.
Pama ai im. J>ova al3- 8h.e57m.dat.
ruiu a ib. (Chela a27, as 9 b. c 7m.dat.
rRIlKIR DE BOJE.
Primeira aos 30 minutos d: tarde.
Segunda .is .'i minutos da manha.
de Marco de 1850.
JV. S<*.
pnsgos da auBscaipgio.
PortrcsmczeBfadianlados) 4/000
Por seis inezes 8>0<>0{
Por mu anuo
DIA8 DA SESSAaTA.
4 Seg. S. Casi ni mi. Aud. doJ.orf. e do m.da l.v.
5 Tere. >. Tin-uplMlo. Aud. do chae, do J. da I.
v. do civ. < tlu dos fritos da faicnda.
6 Quart. S. Olfrgario. Aud. do J. da 2. v.docivel.
7 Quint. S. Tlmn ./. de Aquino. Aud. do J. dos
or. e do in. da Is V.
8 Seat. S.JuSndeDcoi. Aud. do J. da l.v. dociv.
e do dos fritos da Tascada.
9 Siii. S. Francisca Koinaua. Aud. da Chae, e do
i. da 2. v.do iri ni i1.
15/JOOjli) Doin. S. Mllltioe39 companheiros.
CAMBIO EM 7 DI MARCO.
Sobre Londres. 28'/, d, por 1/000 r. a 60
. Taris, 316.
. Lisboa, 95 por cento.
Ostro.Oncas bcspanhncs......... 2SxS
Moeda de ii^400 velhas.. Ib/teM a
. de 6#4" novas .. 10/100 a
. de 4*100........... 9#l00a
Prua. Patae.oes brasileiros...... I/1'1 a
Pe.,oscolumnarios....... I/"'
Ditos mexicanos.......... 1/800 a
das.
28/500
I6/8U0
llif'OO
y/.IOU
1/1,80
1/980
1/820
^^"-npasgm
PARTE OHFJC1AL.
11 EL A TOKIO
dn, i-ci:irti(.'io los negocio* peli, npi*t-Rcntn Tem legislativa, un piimeii-n
srsso dn oitnva les i I olma, pe-
lo respectivo ministro c scVretn-
i'loilecliKlu. vlscomlc de Mon-
te-Alegre.
(Conclusilo. )
Nattgncao inttrna.
No PJri, apenas rerchidas asorden* do
gnverno, tralnn o presidente desde logo de
rumiar o presidio no rio Tocantin*, anne-
xanrtn-lhe tima colonia milhareuma inis-
!to romo meio do fazer mus promptameu-
te povosr aquellos ermns logaros, propor-
cionando assim aos viajantes um poni de
apoin e do recursos, lima o oulra medida
mereceiam a appwvcflo do governn ; no
dia 26 de jonlio ultimo parti du porlo dn
cjdade de Itelm para o seu destino a expt-
tliedo rxploradnra e colonifdora lio Toea.i-
tins superior n'uim flotinha d i otrzepeiue-
nas enibjreacOf* enm 92 resso9 pertencen-
les ao presidio militar o s familias dos sol-
dados rilnos, indo provida do missmna
rio e capelln o de monicoes, ferramentas,
armamento e mais ohjeetns de servico aer-
cola, para poder subsistir nos primeiros
loTipos al que se consolide. A nova colo-
nia se denominar d Santa Thercza 'o To-
cantins ; segundoas ultimas particioacoes
tinha j chegado a expedicilo s-m o menor
desastre ao ponto de assacutcua depois de
vencida a piimeira cachoeira de Tapaiona-
ctira, um quarlo de legoa ahsixo do lu-
gar do antigo dpslacanienlo dos irruios.
llevo aqu participar-vos que alm >la in-
dicada Colonia militar, julgaudoo gover-
do summamente vantaiosa a fundaeOo de
nutras naquella provincia, onde nilo ha es-
peranza algunia ile se poierem e lainler i
rom succp.ksT "colonias europeas, j porque
a isso se opi'fle a natureza do clima que
tan'o divisilica dos de qualquer piz da
Europa, j porque nSo he preciso cultivar-
se al'i o sulo tiara obler us precisos produc-
tos de que abunda todos de fcil venda e
grande valor no mercado, j porque a co-
llieila e conduccSn de lae> productos nilo
pode sor frita senilo pelos nsturans do paiz
a laso affeitos desde a infancia, j finalmen-
te por oui'as Cfinsidera^Oes que fora oofa-
donhoretenr, deliberou sobre proi osla do
presidente da mesma piovincia e consuMa
da seccfiu do imperio do concelho de estado
autorizar a fuudacHo de colonias militares
na mesma provincia, seguirlo o plano e re-
gulamento mamiado ex> colar pelo decreto
n. 662dei22 de dezeu.liro de 1849. Depeu-
dendo, porm, qur a rcaJUacflo desles es-
tabebcimenios, nico meio efllcaz de po-
voarn iuierior do paiz. qur a continuarlo
das din as d queacalio do fallar, da con-
signaefio dos precisos meios, espora o go-
verno que sera por vos habilitado com os
que soi iiidispensiivois para levar ao cabo
emprozas de tSo vital e Uanscedente ulil:-
dade.
Trahalhos de nSo menor importancia lo
ram aoincsmo lempo effeclu cia deS.-Paulo para Abreviar a sua coni-
municaeflo com a d lalto-Oosso, encur-
lando talvez 190 leguas o caininlio. Como
salieis, duas vas de cixnuiunicacno, parte
por Ierra, parle por agua, so de ha inuilo
conhecidas entre estas duas piotiucias : he
urna a de Cainapoa que descendo da eida-
de de Ouyaba pelo rio do mesmo iioine c
pelo do S.-Lotrenco e Paraguay, osubiodo
pelos rios'Taquari, Cochini e Camaioila,
Vara o istlimo l'amhem chamado de Cama-
dicacSo de tolas ai providencias que Ihe
parecessem aeertaias. Como ttrn de espe-
rar, fui esta comniisso sstisfjcloriament"
lesempenhada Ciim o projeclo dn um regu-
lamento interno pra a administraclo do
correio. da ciVle, quo depois de examinado
pelas speefles do imperio n fazen la do on-
decrcto n. 637 de 27 de seteinbrn dn 189
Com as providencias desle regiilamcnlo
melhorou visivelmenteoservicn rioenrreio
di cOrts, c como algumas dn suas diiiposi-
cOes se podessem appllicar aos corrcius das
provincias com grande interesse da .egit-
ran^a, regularidade e presteza na conduc-
Cfio e entrega da co-respondenein ; otUro-
sim se ordenou pelo decreto n. 638 de 28 do
dito mez que tnssem desde lono observadas
as administracOes dos demais Correios do
imperio todas as in licadas diS|iOsi-;0>'S. im-
pondo-se a cala urna das n:csmas adminis-
IracAes a otirigaeilo de proporem dentro de
dous mezes as medidas que em seu c mrei-
lo fossem mais apropriad is para o seu me
llioramento, o das agencias respeclivas.es-
livSMm nu n lo consignadas no miiuciuna-
do regiilameulo.
Supposto si'jam, porin, sstisfaclonos os
ensaios das medidas que liram teferidii-i,
Obrai pulltrai.
Pela inspeccao geral das otiras publicas pro-
redeo-se aos traballios que passo a relatar :
fez-seum novo encanainento para augmentar
e purificar as agnas do ehsfariz do Aragao
concertoii-se o amigo encanaucnto do Mara-
can ; reformnii-ae o do ehafarls dcSaii-CInis-
lal forma eslragadu em alguna lu-
iXecutsr p-h Jj;^',,,,,,.....i. concert! reparo.i-ae o
encaiiainento do chafari/. do campo ; occorreu
rr com promptidaii aosenneertos por veirs re-
clamadui ein mata 97 ebaRirlzci c I8cncana-
.nentos; llveram regular andamento os traba-
llios floresTes. deinaicando-se 15") ipiadras as
quaei seelaaslflcarain !,3l7 arvores de madei-
ra de le, conlinuoii-sc o piirauaiurntn das
Paineirai, elevando-se a seis palmos de altura
a paredes do re.ei vatorio que tem 111,539 pal-
mos dioicos de capacidade ; concliiio-se a niu-
ralha das chxis Oo aqne ItlCto da Carioca, c
acabarani-e as tres grandes miirallias de segu-
ranca do mesmo aqueducto; frininou-se o
encame lito do li.il.ni/ do Rocio-Pequeno, e
coninuaram-se as obras dcsie cbafiriz, Icvaii-
tando.se provlsiiriamenle una pilastra com
| i (-,, bicas par fonucer agua drsde j aos
moradores daquclle sitio; ruiiiecaiam-se as
obras dos eliafrlMi de San-Clemente c bemii-
ca ; en caita para o encanameiilo das agoas
do Audaraliv-Grande ; ab'i.i-se una fonte de
agua polivrl no engenlio HoVO conclulo sea
valla para rsgoto das agoas da capilla impe-
rial ; desiiioronou se a parle do morro do C-
tele s..lu n.....ru i fonte da Gloria, que auiea-
possam emprehender astas obras e prose-
guir na da estrada desdos Campns-da-For-
laleza na provincia de S.-Paulo al ao porlo
do embarque na confluencia do Tibagy com
o arrnio Jatahy, conta o governo que
proporenareis os meios necessarios ; ten-
do atlencao a que alm das mesmas
obras tem quanlo antes de fundar-se pelo
menos tres presidios ou colonias militares
nos porls de emharquo do Tibagy, llri-
lliente e Atibuno ; o um ou mais aldeainen-
tns de Indgenas, com esoeciali lade um
para os Indios da Tribu-Cayua que hahitam
margein di.reita do Ivelieyma, e que
moMram gratulo desejo de aldear-so. Fu i-
lados os presidios ou colonias, ouso espe-
rar que apenas se torne franca e frequenta-
da esta nova carreira, so Iraiisfurmarilo
aquellos presidios bem depressa em II i'cn-
tes poviiari's, sobretodo o do rio lli olan-
le, alenla a sua excellente posicjlo topu-
graphica.. Alm disto serilo de grande au-
xilio para o andamento-dos tratialhos da
est'ada, dos quacs passa a dar-vos conta
dehaixo do tituloObras Publicas.
Una ouira empreza a que ligua maior
imoorU' cia reclama tambem a vossa mais
serie Itencilo, o he a da navegaci.i do rio
8.-Fraucisco, em que interessniu nada me-
os de seis'provincias do imperio, por onde ] osla tmlavia o enverno longo de pensar qu
correm as suas agoas. No rola lorio do 1817 ellas bastem para levar entre nos o seivico
se vos disse que. ascondicOes com que o en-| dos crrelos ao est.do de. perfe.cno de .. SZttSSS^tS!&i Sn"
genheiro civil X. Tarto, coiicessiunano do he susceptiva ; acredita mesmo que islo c5o()l. 35 lucendlos Bzerain-se diversas obras
caminlio de ferro de Louvin no remo da jamis se conseguir sem a revisAo dd re-1econcerios nos edificios de varia* renanicoei
Blgica, podio privilegio exclusivo para gulamento de 'i\ de di-zembn de 1811, de-J publicas c naliurute deu-se grande InipuU
emprehender a navegiiQilo daquelle ric, lor-'pois de obtidos lo los os da Jos que possa'so i obra do novo cncananicnt do Maracan,
nando-a praticavel desde a sua embocado-1 ministrar a experiencia nao mi do propriojno'lualie asseniarain at o ultimo deouiu-
ra alo a provincia de Minas, erarn por tal paiz cmodas ncoes onde mellior he feito l7prximopassido 4,l82tubo.de Ierro de 10
modo exageradas quo lornavam inad.nissi-! tal s-rvico. Com o intuito de obler esses Pul 'e';1" J <''iet-<> Inteno, ura:encla
*M -'11 1 i. PRiri ultra, i! o facln ut* liav rtlt-s para ella con-
vel aconcessilo; oque anda accrescia n dados so expeli urna circular as legato s c,aido aioverno um crdito extraordinario. I
mostrar-se elle milito pouco inteirado do do imperio, tanto na Kuropa como na Ame-',,, jlllpi|Ilh11|1 0 rioro,0 d,Ver de aprcsar a
curso do lio e seus afluentes. HodrflcpU rica, exigindo as mais circumstanciadas io-SMn cuncluso; para consegu lo ao passo que
depois dissu he verdade militas das condi- formacOes sobre ns leis, orlens, e eslylos progredia o asseniameiito dos tnboat que lor-
Q0e, mas ressumbra anda em a sua nova poique se regein os correios om cada umliuaui juma porcao Je dupliTeiicaoamenlo na
proposta, como observa a secc.nodo cunee- daqtielles estados ; e pura que destes escla-l cstcnso de 2,7t8 biabas ao longo da estrada
Un. de estado dos negocios do imperio, a reclnenlos so podesse coll.er maior vanta- 'lo Andaraliy c engcnlio Velho. deu-se comeco
mesma ignora cia do cmso do rioeseus gem apon.arnm-se OS oblecto. sobre i^^^^VS^S^SS^^.
alenlos, o que torna irreahsavel qualquer mais coiivinbain, e aulonsuu-se m-smo a u,.idadl.. eco,n.iieiidaraiu-ae e j.i se esto
coutrac'o, sobretodo nilo se adiando pre- despeza de mtelos, quando lUSsem necear construindo'09 tubos de ferro necessarios para
senle o empr^zario para poder em confe- sanos para melhor esclarecer a materia.' aprincipal raiuicaco eco'ntratou-se a eu-
reticia cun elle assentar-se em certas baSbS As info1 maces quo por esto meio se uiiti-jcouimeiida para Londres dos de chumbo que
quo cumpre sejsm clara e precisamente de- vessem, unidas as que fdram ja exigidas tem de servir para as rcmiflcaciVs secunda-
lerminadas. Sendo, porm, inqueslionavel das sdminislracOes dos Correios das provin-, r'as. por meio das quacs ser a agua daquelle
a magiiilmlo da empreza, edevenduogo- cias, cetto habilitariam o gnver
vernu estar preparado cum lodos os oscla- proceder a urna reforma ra 'cal
redituemos, cuja falta se sanie, aliui deque i>re nilo dissimular o leceio de que mo so-' cad(1Si ,. d(1 crr ,,, ,, (lecilrs d ,
a possa rea lisa 1 com vantagem, multo con- jam ellas satisfactorias, llendeiido 1 espe-',.. anno,oo quando uiuito nos primeiros seis
viria quo o autorisasseis com os precisos cialida le do objecto. e aos afazer>ade ou-| mezes do prximo luturo gnze a capital dpini..
fundos pai mandar proceder ao reconne- Ira ordem, quo al cerlo ponto estnrvara n pcrlo dos beneflcloi de urna obra por meio da j ta-Crui briga Iciro Conrado J .culi deNie
cimeiilu daquelh rio, ao levatitamento de as legagOes as minuciosas peM^uizia que tjual serlo de todo dlsslpados os recelos da ca- '" yer todos 08 trabsIliOB do cousorvaQo 1
s das provn- ras, iir meio oas | u n s sna m agua oaquriia
ivn 110 |)ura encanaiueiilo distribuida por lodos os pomos
I mas ruin- ''" Uliarlor da cid ide, e pelo seu litoral As-
!..._ "alill fritos simulliii"anieiili' os trabalhos imli-
restla c falla d'agoa, que sempre nella se sen-
te duraiiti' aturadas seccas.
Pelo que respeita ao ahasteci'ncnto de
aunad 1 as c.iiiIi.iivu'oi'- su'tns ueste porto,
couiiiiuim anda osemb reos na conclu- os resultados da ultima cxploracilo manda-
s1> do prfeesso quo tem pm Hmdesappro da faz*r pelo narfto de Antonia* para a br>
lis duas prin-j tura de urna nova via ce c.imniun'Cicilo,
all o molo porque he|ciP"e r'",t's da Jm-" j"'-', por s acharo n I quasi toda fluvial, entre as provincias de
plaas, e a quad>quer oulros exaines e S.lo indispensaveis para o peifoilo e Caba
averiguares quo possam bem urienla-lo desempeuliodeslu commisslo.
naquella ou em qualquer outra empreza Alientas estas potideracO'S no besito
que seprojecte sobre a iiavegacSo do mes- um momento em 111 iicar-vos a convenien-
uio rio, que alias tanto impor'a promover, ca de autorisar o govnrno para mandar
Hepresenlaqdo os emprezarios.da nave- ICuropa,asobretu lo a Inglaterra e4 Frang
gaQ3o do Mucury a impossibilidaJe em quo um individuo com a especialisima iiicinn- Prii,r os terrenos generativo das duas pnn-j tur
se achavum de cuco-purar a cont/anliia no bencia de estudar
ai^
niencia de ser ella continuada econeluilo
pela nsiccflo geral das obras publicas;
mandn o gnverno proceder aos necessarios
exames, e loso que nbtenha todas as infor-
mcOes que julga indispensaveis para que
possa com aceto deliberar-so, assubmet-
ter vossa consideracO.
Quanlo obra do novo nisladourn est
ella milito qunm do tormo lis sua conclu-
silo ; apenas se Inm f-ito duas tercas partes
do atierro; e achase acabada urna das ca-
sas de a iministracflo, um dos curraes, um
dnsquatro edlUclos de que deve compor-
se o mala 1.mo, lodo o enantntento, os
porl(*is, ogradil em frente da ra de S.-
Christovfln, o parle do qu faz frente para
a ra nova do Imperador, fallando para
ci nipletar a obra na forma do r -sportivo
plano mais da terca parle 1I0 atierro, lten-
lo o a! 11 liment 1 que lem dcsoffiero j fei-
to, urna casa do adminisiracil-i, um curial,
e tres matadouios iguana ao que se aclia
concluido, sem que para ludo islo reste
Quanti* ilguma doempreslimo de 300.000/
rs pnis que as desbezas feitas at lioje,
incluidos os uros dn mes-no emprrslimo,
montem ein 450:650,451 rs.; o sendo orea-
das em 390:010,9^0 rs. as que ha anda a fa-
z-r.hnaliso lilamente impos>ivel que.com as
rondas ordinarias da moicir-alidade possa
oecorror-so continuacHo daquella obra,
alias mu urgente, aliento o estado de rui-
na em que se acha o antigo matadnuro de^
S.-Luzia. Seno menos sea 1 romplasse mais
um dos quatro edificios de que deve com-
por.ge o novo iiiaiadoiii o, o dos quaes ape-
nas um isla feilo, ii.forma acamara que
nesse caso poderia para all remover-secom
vantagem o seivieo que boje se faz em S.-
I.uzia ; mal esa mesma obra, bem que
possa concluir-se dentro de dous mn/es,
lie oreada em 98:169,560 rs. ; e mo pode,
portanlo, empreliendei-se. Em taes cir-
cunstancias vos dnlibeiaris como era vos-
sa salie lona julgurdes acertado sobre os
meios do o^correr a taes d-spezas, tendo
ein attnncflo que por falla delles se acha a
obra inteirami nt parala, romo melhor
veris das inrormaedns minislradas ao go-
verno, quo lo las vos goro apresnntadas.
Pelo icUlorio anterior fustes informados
de se acbarem terminados os trabalhos da
estrada geral entre o muuicipio da cortee
1 provincia do S.-Paulo, com OSqtlaeSSe
despenderm cerra de 32 0-0.000 rs. j o
conviiido piovi lenriar sobre a conservaeo
desta estrada, cmilratou o governo cum o
superilendenle da imperial azenda de San-
leNio-
e
roaros nicliantea cunsignae-lo nnnual do
1:400,000 rs. por rspacn de de/ unios.
Iiehaixodo tituloNavegaclo interna
vos informe! que tinhnm sido snti-faclorios
e devoiem8or citadosalgans s -Paulo e Maiio-Crosso ; resta-me, portan-
im o mismo prooesso iiite-jt, expOr-vos queforameaiprohendidosos
is uous n- poupem meios para conaegui-lo ; eo puhli- "!""1,
Ha de 3 do co lem sobeja rasilo do exigir lodos 01 me-J Alll,'s ndooscm- Ihoraueiitos nq servico do correio. um \ns sla aqui'na conveniencia mais du una
xtraordina- vez qut) o estado se apropria do exclusivo .Vz Pu" |r l'a'111 J" coes guardes aOOUalmsn-
Las, laesco-.'da uiluslria de traiiSfOiter as cait.s. ve- > soinma nunca menor de lijula con-
Irab linos da estrada que faz parlo daquel-
la nova c 11. na, a qual pa-t-iidi) do Anlo-
nni s- dirigir p-l villa dn Castioao por-
to de embarque no Tibagy ; llcaram promp-
ls al o comeco do me/, de mimbro uliimo
1I01 legois dn muilO bom caminho des-ln os
Campos da foiliileza, al o a bar acmenlo
prazo estipulado no contrato que precede- feito o servico dos correios. .A importancia "" lngltena.
ra ae privilegio exclusivo daquella navega- do objecto vale bom a pena do que seno | me"0,cs u 1ue
co, fui-Ibes prologada por mais dous n-' poupem meios para consegui-lo ; e o publi-i '?"**.
nos o mesmo prazo por decreto
abril prximo passado. Alega
prezarios que ciicumslancias ex
ruif-que no 1 odia-o ser previslas.
mo i dos acontecimenlos qoe,durante oan-] dando assim aos particulures que a exercain '"s ^e r,''s l"""H daaomporiatjilo dos terre-
no pssa grande abalo em lado o gyro commercial,' ao governo a sulicilada autorisaQo com os n1 P "BUS confluentes. Sen esla providencia, (deS -J.-ronynio B naistres alm do abarra-
linhaiu uliatailo encorpuracilo da cumpa- meios precisos para ser levada a elleilo, U- jdcvatadaa as florestas que cubrcui hoju'camculo, Inven lo do espaco em espaco ro-
ca i cetlos deque elle pora lodo o ompenlio aquelles terrenos, dieri-scera-n sensiv.-l- rase ca upo grammado para pasto dosani-
em que a esculla n-Caia do mojo que sen Jo] no n'e suas agoas, o quo cumpre desde ja 1 maes. Proteo lia o bsrflo de Antn ina, de-
balue o intento. jacautolar. Ibaixo Je cuja direceilo silo fritos estes Ira-
.. q,^. Passanlo a tratar das ohr-S cargo da. billos, que at fius do mez pi-salo se
,-N",!"a,T1 3Ki,r!.4?s" df"1",nslra-. illii.tn.ssima cmara municipal c insistirm : ap.om, Ussem mais quatro Ingoas, vin lo
cao das caitas eTiiais pnp>'i9 xftei|i correio da con-no aono d,-i84s, romo tan ellas no concert a reparo de diveisas calca, awln a fallar someni- s-.saie o porto do
bem o resumo da sua receita e despeza no ex- (,"s' n'nov" Calcainoiilo de algumas mas Tibagy, as quaes esperava elle que, quando
- de differenti s pracas, | multo em jun'io prximo futuro, (icassem
libia, espera ogoveino queoconsigam den-
tro do novo prazo, vislu acharem-sej ter-
minados os exames, explura^es e levanta-
iii'-nlo das plantas necessolas para que os
accionistas possam subscrever para a em-
preza com pleno conbeeiinoiito,
A navegacSo entre a provincia de Matlo-
Grossoea do Pata pelo ArinoS, Tapajoz e ercicio de 1847 1848. Ha noiavcl que a ren-i no aterro de ouiras c de differeu:
A11111Z1111..S leveiiliiiiiinente iiniiiiriiiun; UM--I '1 do i-orr,ao nao i-.irja nu prii|ioiS-ao com o I estradas o praias; no desmorona ment ; de lo lu venri las. Na planicie lema es-
polla, descendo depois pelos rio Sangucsu-, Ihoiamenlo pelo csUbelecimelo do um no-1 pr"Krcssivo augmemo
ga e Paido, eitubiudo pelos nos Paiaua e
Tiel alea villa de Porto-I-Vliz em S.-Pau-
lo ; esta carreira esla qmsi abandona-
da, poique a lornam perigosa as cacboei-
rasque nella existem, cojo numero sn ole-
va S 113. A outra va di- communicacilo be
a do Miranda, pela qual descelido-se tam-
bem do pmlo ilc Cu yaba pelos rios do mes-
mo lime. S.-I.ourenco o Paraguay, a su-
bindo-si- pelo rio tlondego, vara-so o rio
Auhanduliy-guassii i-elo qual so val procu-
rar o rio Cardo, eonlinuaudo-se dahi em
diante romo na carreira de Camarous ;
esta Via de CuntujJlliCaC.lo, iiiais'aiitiga do
que a primeira, eslava lambem i)uasi aban-
donada, quando por diligencias do ba-
rfl de Antonina, que tilo uleis servicos
lem prestado ao | aiz. se descobrio urna ou-
tra di reccilo que sobre encunar a viagem,
tem a grande vantagem de seren mui facis
de vencer os poucos obstculos que nella
so encontiam
Ao que a respeito desta nova direceflo
VOS foi ja eorfimunicado no relatorio anln-
rior, tenlio agora de accrescenlar que a ul-
tima cxploiacio a que fez pioee ler o men-
cionado baiiio, segundo as instruecns que
para esse I1111 Ihe expedir o governo, fui
coiado do a-ais lisongeiru resultadu, como
veris do roteiro da viagem publicado na
folha onde sn inserem os actos olllcises.
Em urna iMvegacilu de 130 legoas pelos rios
Mondego, A.ltiuac, llrilhanle, Ivniheyna,
Paran, Paranapa.nema, e Tibagy al a sua
confluencia com o arroio Jatahy, lugar des-
tinado paia o pullo de embarque 11.1 po
VinciadeS -Paulo, todas as ulnas que ha
a fazer se reduzem a preparar o varadoun
da correspondencia) j da grande parle do morro do sen ido; na i Irada em toda a sua exteneodo 20 a 30 pal-
nli un sido oblidas pola presidencia da pro-
vincia.
Alm dos trabalhos o emprezas referidas
que lem por fim facilitar s communica-
fes de diversas provincias, outnis, se nao
de 13o geral, todava de bastante impoitau-
eia |iara as provincias a que perteueem, se
aeham milis em andamento ou em projnc-
to ; morecendo particular mencio deutio
as que se aeham em andamento a do ranal
do a 1.1 |-i'tiy, na provincia do Maranhilo, e
deiil re as que se projectam ts qu se propoz
o presidente da provincia de S.-Pedo em
seu 11II1111 1 lelaiono a ass-n.blea legislativa
provincial, ns quaes levadas a cflVilo loma-
ra m possivel a navegaeflo entre a capital da
mesma provincia e as suas mais remotas
liovuaeoes.
Correio e Poquttet
A ii.oio-idade na enlrega da cnirespon-
deuria tinha oxeilado contra o correio da
corle fundado e geral c'ainor; e cumprin-
do ao governo examinar suas camisase oc-
Correr com promptas providencias para ex-
lirpa-las, recoireu ao expediente do artigo
263 do regiilamento 11. 399 de 21 dn dezem-
bro de 1844 confiando ao zeloeluzes do
concelheirode estado nernardo peicira de
Vasconcellos,nno s oexame do estado cm
que seachava aqi.ella reparticilo, mas tam-
bo m so era nella. bem como na d,rectora
litro o Anliuace Brilhante, que lera 8 a 9 geral observado exactamente o dito regula-
legoas de pxlensio, e em desobstruir 0 rio' ment, se conviuna piocoder a alguma re-
liiilh.nle liinpando-o de alguns ma.loirosj Inru.a, e se o publico era i.u no salisfaclo- ,
e pedras solas, nico obstculo que emba- mente servido; ordeuaudo-se-lhe quo ao- hade ser presente, opportunaiuenlc resolver
racaossu livre.curso. Para que, pois, seinexasse aosesclafecimontos exigidos a in-(ogoverno
to seuipre constante, como veris comparando 1 diila eut-e 08 CSOailillOS velho e novo ; e
o resumo de urna e ilc ou ra nos tres auno
consecutivos que constan) do dito mappa nao
podendo explicar-se este faci seuo pela BSBi-
lidade de se sublratur ao porte a correspon-
dencia levada por pessoas particulares.
Sendo absolutamente impossivel prover de
agentes algumas agencias de correio, alias mu
iinpurtaules, com a simples porcentagem mar-
cada no regulamento, muito couviria que au-
torisasseis o governo a modificar m mi parte o
iiiesino rcgulamenlo, autorisaudo-o a marcar
vencimcnlo9 lixos todas as vezes que com a
simples porcciiiagein se nao possa piover o lu
gar de agente naquellas ageocias que uo po-
1I1 rem dispensar-sc ou suppiimlr-ic. Igual-
uienle couviria (|uc habililasseis o govi-ruo a
providenciar sobre a conslrucc.'io de um edifi-
cio apropriado paraoseivicu do correio da
corte, qoe jamis poderu bem dcsempenliar-
sc oa ai aullada casa i ni que actualmente he
frito.
um parapeln na ra do Caslello ; ni re
eonattuctjSO da ponto da Paciencia, e na
dos viandantes.
A commissao que tinha si lo incumbida
no major do ir-pena I corpo de engen'-.eiros
conclusilo da do Pastos e de oulra na estra-' II nrique de Baiirnpaire lloham dn delenni-
da deS.- hrislovilo ; no entice tn das pon- nar a mais curta e conveniente direceodo
lis do Macaco, Caiumby, Maracnil, Kn-,uma estrada que, partindo de Guarapuava,
gt'iiho-Velh", S -Cliristovilo. Jardn e rio na provincia do S.-Paulo, se dirija a inar-
Itranco, na fregurzia da l.agoa ; na enns- gem esquerda-lo Paran, acaba de ser dos-
trurco de nina ponte do madeira no becn empenhida. Tendo aquello engeuheiro en-
de Joilo Ignacio; na limpeza o concert de Irado no serillo a II d maio de 1818, ro-
algumas vallas, e IM ron.slriiCQao de dous gressou, passados 15 dias de infructuosas
canos do esgnto ; nu comeco das obras de rtlligenriis, para o acampamento do tlhagii,
las muraliiiis.uuia.solireo mar no caminho deixando apenas 15 nomens dos da sua co-
Pelo que rrsprita aos paquetes de vapor te 111
a cnmpauhia continuado a inoslrar-sc digna
dos favores que Ihe tem sidooutorgadus, cum-
pi indo esactameule as coudices a (ue se sub-
jeilara pelo seu contracto ; mas, lindando este
em 1851, julgou o governo acertado consultar
.u seecoe de fazenda, iuipciiu e inariiiha do
concelho de estado sobre a conveniencia de
continuar a ser incumbida aquella compaidiia
da conduceo da correspondencia entre esta
corte e as provincias martimas, ou ae ser an-
tes prcfrrivel ser frito esse servico per barcos
de vapor perlenccutes a estado. Alcui dos
rslabeleeiiuenlos foruccidos s accedes, solici
larain < 11 oulios que igiialmenle Ibes bii.im
niinisliados e sobre seu parecer, que Ihe aca-
do Caj, e oulra na lad-ira da Coneeicl
na ronliiiiiaciio das obias da 1 onle do rio
Cu-nd, na freguezia do Campo-Craude ;
no co-i eeo da ponte do rio Piraqu ; e fi-
nalmente ns iiaiiii cao de arvoiedo em to-
da a cxIensSo da p-aia do Poinfogo, o na
aberluia (In um inm raiiiinbo do luiiar das
Ties-Vindas estrada de b h u na. Alm
das i.brsquefieam indicadas deu-se con e-
co emisircelo do Caos do.Largo-do.Paro,
ecoiiliiiuou-se a obra do nuvo matadouio
na estrada de S.-CnrislovSo.
Pelo qiinr-sp'ita conslruccilo do caes
do Largo-di -Paco, oepois do |despeudi los
77:214,000 rs. e feilo apenas um atorro de-
lro.de do paco da cid.de Com 34 bragas de
comprim- uto (Cintrante ao mar, e 1t de
laigiiia. ferhedo por um mal Construido
fatards superior em nivel a alia maro
quatro palmus o duas 1 ollegadas, represen-
lou a illuslns-ima cmara que Dio era im-
possivel coiiiiuu-r {.quilla obra, a u cuo-
que nao Tusse para is-o auxiliada pelos co-
fres pblicos, e iudicou mesmo a couvo-
mitiva incumbidos de continuar os traba-
lhos da picada ; e exonerado posteriormen-
te da commissilo leve esta de ser confiada
o m*jor l.uiz Jos Monteiro, que s a 23 de
imu 1 proxfmo passado pode expedir do dito
acampamento una nova escolta do serta-
nislas dirigida orlo piloto Camilla de 1 11 -
Cordeiru em demanda do Paran. Mais feliz
do que a anlenor, acaba de regressara no-
va escolta rom a noticia de ler chegado ao
Paran, que apenas distado Chag 52 le-
guas, idU-iee inlo o terreno percorrido pro-
portOes para una boa estrada, desviados
alguna obstaculus, alias superaveis, que se
euiontram as senas do Juquia e Icrttn. A
conveniencia desta estrada, que ramificada
para o sul tornar mui ptomptas as com-
municaces com as missesda provincia de
S. Pedro, o qu pelo lado do nodeencon-
t'ara a nova via de communicacSo para
Mallo-Ciosso. de que agora mesmo aCabei
le fallai-\os neoiiscllia que se prosiga nos
trabilhos eueet idus.
Sobre a estrada que tambem se projecta
? FNCONTRADO


na provincia deS.-Pcdro para lymmunira-
Ja com a de Malto-Crosso, costeando sem-
proos nossos limites do Pepery, Santo-An-
tonio e Igusss, consta das ultimas partici-
pacoesdo respectivo presidenta que apenas
se achava nomeado o engenheiro incumbido
desta commissflo.
Na provincia de Santa-Cstharina prose-
guem os trabalhos das duas estradas que
communicam a dita provincia com a de S.-
Pedro, e fram postos disposi;3o da pre-
sidencia os mios necessnrios para occor-
rer ao9 reparos deque careco aqueaira-
vessa o municipio de Lapes em direccao a
provincia deS.-l'aulo, e pnderem progredir
os trabalhos da que secue para esta iillima
provincia peloSahy e Tres-llarras at a Co-
ritiba.
A estrada que deve communicar a capital
da provincia do Espirito-Santo com a po-
voac'u de Cuietc.na provincia de Minas-Ce-
raes, n.lo est inda aberta, e na la oais se
havio feito do que melborar um curto e
mao caminhn que ja exista, e que cosleia
o rio i'nl-\;i al entrar na matta por onde
se abri a picada ; o actual presidente aca-
ba, poim, de expedir as precisas ordens c
instrucres para que esta obra de 18o vital
nt-resse para a provincia, cuja adminis-
trado Ihe est confiada, se realise quanto
antes.
Na provine!a do Rio-Grande do norte den-
se cometo estrada do norle ou to seito,
tmlo-se penis concluido o trabalho na
exien-.no de legos e mei.
Nada posso 'formar-vos -erca do esta-
do das obias para segurancia monlanha da
Cidade ila ISahia, MHlIO que foi posta a dis-
posieflodo respetivo presidentes somma
pararse fin .consignada no $28 do art 2
da lei ti 514 de 28 de outubr de 1848. sem
que so tenliam por ora recebido as informa-
roes que fram exigidas sobre o andament i
que tem tido us niesmas obra*.
Tambem nenhuoaa informacoes se tem
por ora recebido acerrado estado em que
se aeham as obras da estrada entre a cidade
dn fortaleza e a de Oeiras, para asquees a
vigente lei do ornamento consignou ris
50:000.000.
Esta escassez de informac/ies mes no em
negocios que tito vivamente devem desper-
tar o interessedas provincias, cojos iii.IIio-
ramontos tanto h porta promover, collo-
cam a admini.-dracSo em serios embarceos ;
cnSosilo menores os que resultam da in-
formacoes incompletas. Se em toJos os
objectos adminialraltvns se sent a exacti-
d&O deste principio, elle lio amia mais pal-
mar com relerencia s obras publicas, cujo
boni itesempeiiho em vio se de-ejara sem a
existencia de una direceso Hlustrada com-
ponte de pwaoas proilssiunaes, que nflo s
flscalise a sua execueflo, mas igtiulmcnte d
ou reveja os planos que devem s>-inpre pre-
ceder a essa execufflu. Entretanto forra
he Cunfes>ar que nesla parte ludo st por
fazer; na capial do imperio ha, he verdad -,
urna inspecQaode obras publicas, mais seus
trabalhos apenas se limitam as obras do
municipio da corte j e as provincias ncm
isso ha.
Seria, pois, para desejar que aulorisas-
seis a crea (fio de urna duecfo de ubias
publicas geiaos a quemogoverno pod'sse
consultar sobre lodos osobjeciosque lives-
sem ri-lacito com as mesaiasohras, e a quem
podesse comclter, nilo s o exaine dos pla-
nos e piojelos que ds provincias fossem
Subneltidos i sua approvacflo, mas tambern
a organlsacflo dos meamos planos, quando
houvesse de emprehender qualquer obra,
marcando-se por meio ile um regulanieot.i
appropiisdo tanloo pessoal iia diieccSo ro-
mo as olngiiioes de cada um dos seus
nienihros.
TaessSo, aususlose dignissimos senho-
res representantes da nacao.os ohj-ctos que
entendi deversubmellir vossa Ilustrada
considemrio. '
Palacio 'lo Itio-de-Janciro em 14 de ja-
neiio de 1830.
I isromle de Mont'alegre.
'2'-
Dito. ~Ao ilirector do arsenal de guer-se houver Invssao da provincia por qualquer
ri, auto'isuidfl-oa despender a quantia n -
cessaria com a compra de tres arrohss de
lal.l'i ooi lencol grosso, de que precisa o
mesmo arsenal para os trabalhos da res-
ptcliva ollcHia de laloeiros.--Communi-
cou-se au inspector da pagadura militar.
Hito. A admnistracHo da companhia
le Beheribe.--Tomando om consderaco
a reprcssntago dos moradores dss ras das
Cinco-ronlas, San-Jos, Psdre-Fiorianno e
outrss, em que requerem a esta presiden-
cia a colUcacSo de um chafariz na ra do
Forte, e tendo a adminislrac.a'o dessa con-
uanhia, assim como a cmara municipal
informado favoravelmente a pretendo dos
peticionarios, remello a Vincs. a inclu-
sa represenlaQSo, para que faram naquelle
lugar um chafariz, ouvindo para a col Inca -
rilo ao enaenheiro cordeador da cmara
municipal.
Poilaria. 0 presidente da provincia,
querendu evitar o prejuizo que sulTre o ar-
rematante da barreira do CtchangA pelo a-
buso de procuraren os viandantes que
transilam pela estrada do Pao-d'Alho ce-
.ninlios desviados, que vilo sabir alm do
lugar etnquoseacha estahelecida a refe-
rido barreira, resol ve aulorisir ao arrema-
tante a Iransferi-la para alnm desses des-
vos, collocando-a no lugar mais vantajoso
a evitar sementante abuso. Intelligen-
ciou-se ao inspector |da thesouraria da fa-
z-'nla provincial.
Dita. Plomeando o baclnrel Ani ni.
Epaininondas de Mello para suhstiiuir o
procurador fl provincial, Jos Remarlo GalvSo Alcatifo
do, que se ave bou de impedido as causas
que Alfonso Saint Martin move contra sen
inulto llypolito Saint Martin, boje fallecido
e reprrsoutado por Adle Poirson. Scien-
lilicou-se o p'iinci'O SupplentS do juiz de
orphfios deste termo eao inspector da re-
l.-n da ihesoura'ia.
DEM 110 DIA 4.
Cilicio.--Ao coronel Manuel Muniz lava-
res, dizendo licar scienle de ler S. me. lo-
mado conla do commando da prar.a em
consequncia dn ordem do da do marecbal
commandmite das armas, datada de 23 de
janeirt) ultimo.
Hilo.--Ao commandanlo do vapor Tk*Ui,
arcusando recebido o seu ufllcio emoqoal communica que i a mesnia data
fallecer oeugenh uro da barca de seu com-
mamlo Joanuet Julis, subdito francez, e de-
clarando que deve entregar o seu espolio
ap respectivo cnsul, caso elle o requisito.
Nesle sentido ulliciou-so ao cnsul fran-
cez.
Portara.Demillindo a Antonio Francis-
co Cordeiro de C.arvallio do cargo de dele-
liado do termo do Itiejo Communicou-se
uo chefe "c polica.
Hila.Dispensando do cargo de subdele-
gado ilo disincto de S.-I'e iro e S -Jos a
Jos Alvos de Drito."liiteiiO-ie o chefe de
polica.
ponto. Pelo ii'nrnle Ignacio Ferrelra Chave
que conduz o armamento, remrtto-lhe ot tre
coutot de rls que V. S. me requisita para pa-
gamento da gentedetse presidio, e nunca ees-
aarei de recoimnendar-lhe a ni-is restricta fu-
calisafo c econoinia a reapeito dos dinbeiroi
pblicos. Lamento inulto o estrago que por
ah tem feito o aarautpo, oflkio nesla data ao
cirurgiao Antonio Gomei de Araujo que (in-
mediatamente parta a aprcientar-se a V. S.,
atim de prestar ot socurros di medicina
nesse acampamento, visto que achando-se
de cama o cirurgiSo-mr do hospital rrgimeu-
tal nao eucunlrei neaia cidade quem >e qui-
tesse transportar Jacuipe.
Convm communicar Ihe que agora mesmo
ofljcio ao coronel Jaclntho Pae< de Jlrn imira
para que na j entre em operaco alguma senao
de cnuiinuin accordo com V. S. atim de evitar
te dearncontros prejiidiciaet, e tempre desa-
gradaveis : e cont que se assim o praticarem,
como espero, pouco ou nada podemos recelar
do iiiimi.o. Mandei inaia 10 pracas para
ponto do Galbo-do- Meio, ticaudo n destaca-
mento hoje com 70 pracaa e nao deixarel de
augmenta-lo at cen pelo menos. Espero se
nao descuide de me dar a* milicias do que por
alii occorrer.
Dito. \us ineiiilii'iis da junta dequalifica-
cao da fregueiia de Macei, declaraudo-lliea
que no artigo segundo da lei regulamemar daa
eleledes e avisos de 8 de marco de 1847, e 28de
juulio do auno passado acharo a soluco da
questo que acabain de propr.
PE NAMBUCO
THESOUltARlA DA FAZENDA PROVINCIAL
emonslrafo dn mld.i exilenle lia caixa
do exercicio de 184" a I8t8 em 28
de fevereiro de 1850.
Saldo em 31 de Ja-
neiro p. p.....2:723/352
Itcceita no corrente
llll'Z........ /
Despeza no corrente
mez*.......
Saldo.
2:723|352
1:096/000
1:627/352
Em cobre
notas.
/352
1:627/000 1:627/352
No impedimento do Ihesoureiro, o fiel,
'J /lomui Pereira Pinto.
Antonio Cardlo le Queiros tonieca Jnior.
INTERIOR.
GVER.X DA PKUVINGIA.
EXPEDIENTE DO |i|\ 1 DE FEVEREIRO
(ifficio. -- Ao inspector da thesouraria d
fazeud, transnillindo o aviso de una let-
tra daquantia de883,180 rs., sacada pe
Ihesouraiia do P.o-Cian le do norte sobre
essa a carca de S S e a favor de Francisco
Ignacio Fe reir Junur.Paiticipou-se ao
presidente daquella provincia.
Circular sos cnsules T. ti lo-se ntro-
duzido o abuso de faiorem tUuus navios o
signal de visiia, sem que >e uchem a bordo
OS respectivos eapiUes, que s apparecem
na OCCaaiilo da prtila Uo navio, reMillando
dabi o inconveniente de ficar demorado o
encariegado della, e nfln t^r lempo de a fa-
2ir devidamenle, lenho resolvido, que
quauJo os niivios lizerem osignsl, eque a
visita indo a bordo nflo eneonira oscapi-
12es, nfin os deseuibaivcH, e fique retardada
a sua sabida para o da segoinlu.
O que romniunico a V. S. paia que expe-
la as convenientes ordens aos navios da
i:...i. que V. S. he cnsul, para que uo
hcam o sigsal de visita seo que estejams
bordo os seus respectivos osBllOea. -- Nesle
sentido ofiicioose aochef do polica, ao
provedoi da sade, ao inspector do arsenal
demainha c ao encauegado do registro
do porto.
Ollcu. Ao chefe de polica, d/endo
que, para resolver acerca do que S. me. re-
pieseula, fnz-se mister que declare a que
penas fdr^m condemnados os reos Lucio
lloberlo Florencio e Anluiiiu Mauricio da
Fonseca, e os lugares Indicados as respec-
tivas senten^as | ara cuiiipriineiito das mes-
las pents.-
lulo. -- Ao administrador das-obras pu-
blics, remetiendo as cotilas ds despeza*
feitasde!3a 19 de Janeiro ultimo com as
obras do 16 lauco oa estrada da Victoria
Cuntlusiio da segunda parte do iioiiu lanco
da me-um cstiada, afim deque mande acre-
ditar oeiienlieiro .Miel naj quaulias de
189,320 e 50.350 is. em que imporUm a
rele idas cuntas -Scieulilicou-se o men-
ciona -lo engenheiro.
Dito Ao mesmo, para quo mande re-
ceber na thesouraria da blenda provincial,
otiiliegar aoeugenheiio .Mil. I, a quanli..
de o ni cunto de ris, ali ni de poder elle oc-
cunei as despezasdo 16.a lauco da estrada
la Victoria, visto achar-se quasi csgolada
a segunda picsiacilo que se Ihe mandou a-
dianlar para o mismo liiu Olliciou-se
nesle sentido ao dito eugeiiheiio e ao ins-
pector da meuciouada thesouraria.
A LAGO AS.
Extrae/o ilo expedienta do Exm. Sr. preii.
dente Pr. Jos fen toda (vnha Figueiredo.
7 DE FEVEREIRO.
Ollicio Ao inspector da thesouraria pro-
vincial, em respnsla no seu de 5 do crreme,
i-..lo indo um reqiicrimiiito de alguna pesca-
dores do Pencdn.sigiiilirandn-lhe que deve es-
pedir suas ni ili-n.. ilini de que senao exija o
linposlo do dizimo do pescado de individuos
que pescan) com pequeas arinadilhat, e rujo
producid serve para o proprlo sustento e de
las familias.
Duo. Ao suhriclegado da villa de San-Mi-.
truel, para quC deluando para o servico da po-
licia sete armas smente, laca entrega das ou-
Iras ao cninnandanle do destacamento da
ii.esin i villa, para, sem peda de teiupn.as en-
viar para a capital. C>ammunicou-sc ao com-
mandante do destacamento,
Ditn. Ao pmmolor publico da comarca de
Hfaeeli para que. sb sua infallivel respoos:
bilidade, vi-olia para a capital, ondeo servico
publico esl padecendo pela falla de sua pre-
senra, apezar da urdem da presidencia de 2P
de janeim pruilino finito, que llie foi reinetli-
da ocio correio do primeiro deate.
Dilo -. Ao coronel de lego Jacinth Paes
de Mmdonca. Nao obstante haver en offiria-
do a Vine, em 24 de drzembro, rrmellenilo-lhe
nitn mil carluxos < du/.cntas armas qiiejul-
ciii'i mais que snlliJfnlrs para o fin de rstar
Vine, preparado rcpellir os rebeldes di- Per*
iiiiol.iiio r|iie ousassciii invadir esla'prnvin
eia. uIko agora conveniente, em vista da par
ticipacan que em data de 4 do crreme me ac
ha defwer. deachar.se 1 aciano Alves no lu-
gar do Cavaro, territorio de-ta provincia, mau-
llar Ihe mais di us or cartuxoi e crin grana-
deras, nicas que restaran no deposito, eque
me patecem bastantes para armar agente que
Vine, leiu 11 unido e que desejo nao augmente
em una neerssidade betu pronunciada e ur-
gente.
Devo nesta nccasiiin declara'r a Vine ,que he
do seu mili rigoroso derrr tomar todas ai medi-
das que l'i'oi lcitas, para com seguranea Col>
|ocar- dos rebeldes que estivereiu fiira du territorio
da provincia c na ofleusiva para com os que a
invadirciu por qualquer ponto, pois que de
modo algiiui convm deixarmos que grace en-
tre nos o teniivcl mal que desgrafailamenie
r.i.io >olli ii lu os nossos viiinhoi. Sr Vine,
como eu espero, empregar toda a actividade
na defesa das frontcjras da provincia, julgo
desm-ci ssai ia urna foica em (.aiuaragibe, nao
s poique cont nes es lugares muito espirito
de o clrn, romo poique, no caso de o inimign
penetrar aquelle municipio mo pode Vine, e
o ni o din, tor geral dni Indios, deixardea-
perceber-se para immediatainente acudirein
com muito mais vantagem da causa publica
do que se se conservaron em divrisos pontos
pequeos destacamentos, que sendo por mn
lado importantes, pilein por outro servir de
provocar os pequeos assaltos oto- darao em
ii'suli ulo a perda de vidas, ou pelo menos fa-
zer com que o inimigo se muiiicie a cusa da
fazenda publica Oulro slni, rrcoiiiinrndn
mu! terminantemente a Vine, que nao opere
em sentido alguiu sem ser de perfeita combi-
naco com o director geral dos Indios, para
que nao acometa algum desenconlro que pos-
>a ser fatal a boa ordem.
Dito. Ao director geral dos ludios Jos
Rodrigues Leite i'iiauga. lllm. Sr. Teoho
presentes os cus oflicios de 2 e 3 do corrente.
e nito da noticia que me d de se acharriii os
rebeldes uu lugar Tabocas, e no Cavaco, julgu
conveniente remetter tiesta occasio ao coro-
nel Jaclntho Paes de Mrndooca dous mil cai-
tuxus e cem granadeiras ultimas que reslavam
nu deposito, parecendo-iue que com o rma-
inento que por ahi existe llcar elle e V. S, ha-
bilitados para se dcfrudeieiu do inimigo no
caso de scrou accouuuettidoj c de aggredi-loa
o
i'
I
233
o 3
11
n> y 2L
5
o
a
n
8 s."
J.o
s.o
< o
. 2 =
2*
= |l
5 o
= 3
o 8
2 2
a
= O)
53
3 S
* .
N
S
l
3
o
y
, s
n a
o
c-
o
i*
e
i'
o
o
A assembls oceupava-se tambem com
um projocro de lei sobre a nstrucQo pri-
maria, a qusl um representante p'o^Oz que
fosse gratuita c obrigaluria.
U invern era mui rigoroso em toda a
Fraii?s,eas pessoas idosas sfrmavam que
nunca naquelle paiz bou vera outro igual;
o tbernio.netro cunservava-se constante-
mente muilos graos abaixo de zero. As
ras de Paris schavam-se coberlss Je nev,
de surt) que os cirros no podiam fcil-
mente mover-se.
o9
^
^_. 11 _--is O 141 O O -
> i sv w
so so f A SO Q 5 o 13 IO o --3
Correspondencia.
Quando psssei s ler o cilicio que o Sr. Dr.
Joaquim de Aqtiiuo Fonceca, presidente do
cuucelho de salubriJade, dirigir ao Exm.
Sr. presidente da provincia, e ohservei que,
sem enlrsr no exame do facto e sus cir-
cunstancias peculiares, asseverra que a
barca Alego entrara ueste potto sem qua-
riMilena.e que dahi pirttra o mal que hoje
grassa, lembrei-mo ser islo algum pa>to de
intriga 13o familiar entre nos, e 13o acari-
nhada pela malignada. Entretanto, que-
rendu avaliar a todos segundo u meu cora-
c-.io, limjtei-me nicamente a defesa, dan-
do as rasdes que me parecersm mais con-
vinhaveis, sem tocar nem de leve po Sr. Dr.
Aquino.
Julgava que, a vista deste meu generoso
procedimonto, aquelle Sr. nflo vollasse a
carga : infelizmente voltou retocando a
sua injusta acc isat;lo com outra aiuda mais
iiultgu i, e por um moJo que sobremaneira
me sorprenden, e que de cerlo nflo espe-
ra va.
Permitta-me, pois, esse Sr. que Ihe diga,
i|u i a ciicutnspecfo he urna virtude indis-
peusavel a lodos os liomens em sociedade,
mrmenle a um empregado publico: dir-
Ihe-hei mais que nilo o considero com d-
reilo de instruir-me. Repilo-lhe que abar-
ca Alego, depois de fundera no porlo por
ler Irazido a sua caria dessiesetn nota,
fui po-la em quarentena logo que all appa-
receram dois doenles. Saiba mais que im-
meJiatamente mandei eliminar ao respecti-
vo consignatario para faze-la sa.-iir para
fra da franqua, nflo me appareceu; o
secretario da reparlc2o fui procura-lo por
varias vezes, n.lo o encontrn ; foi mesmo
em pessoa a casa docqnsul francez, e Ihe
disse que a barca nSo devia permanecer no
tugaren) que estava, visto ter sido posta
em quareulena : respopdeu-lhe que nada
tinha cun istu, que era ueg'jcio do consig-
natario. No dia seguiute cotnpareceu-.ne
este junto com o capiUo; ntimei-lhe que
fosse para o po;o, on ledevia fazer a impos-
ta quarentena. Depois de varias observa-
res que me fez, asquses ou 03o attendi,
pt omelieu-iiit de sabir se assim o nflo fez,
a culpa nfin he minha, nem dos emprega-
dosda repartido.
Admiro que o Sr. Dr. Aquino 13o solicito,
fio zeloso do bem da hnmanidade, reco-
nhecendo que aquelle navio nflo sahia,
que a sa le publica perigava, nflo me of-
liciasse entflo a esle respeito. nem ao Exm.
Sr. presidente, requerendo as mediJas que
o seu zelo e cargo demanda va m ; tanto mais
parece-me que o devia fazer, a vista do que
procedeu commigo em 1846 a respeito da
barca belga Amelia, que agora com o espi-
rito que nflo sei qualificar, lembra que en-
trara ueste portu vindu de GabSo sem qua-
mo passado, na forma da lei n.
244 J I,31
Collegio das orpnaiu.
Ordenados as empregadas 4-19.988
Jornaes aa serventes 2VH.200
Diarias as orpbaai e empregadas 1: l.Vl.rni i
Roupas 101,400
tltensli 8.000
Aluguel di casa 275,000
llesiituicao Celta s empregadas dos
descintos de seus ordenados, co-
mo cima 44,994
7:719,930
Mov menta de fundo*.
Pagamento do einprestlino feito pe-
lo actual Ihesoureiro para snp-
priment das despezas do trimes-
tre passado
Saldo em 31 de dezembro de 1849
382,5S2
9,879
8:112,391
Secretaria da administracao do patrimonio
doi orpbaos, 3 dej.meiro de 1850.
O secretarlo Interina,
Anl/tniy Rodrigue! it Almiiit.
O thesuiireirn,
.Domingos AffoMO Niry Fimirt.
COMMEiCIO.
*\\
-t-
I B rentens.
3 1 Saiba o publico que aquello
2. cionada poca oiliciou-ino pe
c
o
--
o> io
L sn
T tu
s4fi men-
iJHtyo infor-
2 I masOes sobre o estado sanitario da tripula
" q3o daquella barca, eque eu Ihe respond
i
i
I 5
o
-
iii.ii.ui fuwnu'M
Bccirx, 7 de maboo di tasa.
Pelo brigue inglez Geoim-Anm
emifmos os Times
. ch"galo
hontem de l.iverpiol, re
do 16 a 21 de Janeiro prximo paseado
As notici; s que nelles encontramos, ja f-
ram por nos publicadas, cxirahidas do
Uonrhcster Guardian, e do Juornal of Com
mirce de l.on ires, e por isso apenas aerres-
ci uta. eu.o-i o seguinte :
lili l.on .res os cnusuis licaram, de 96 Vs
a 96 /. ; e o* f ,n ios brasileiros, a 89.
Em Frang,.Mr. I'radi, membro da mo-
uda. apreVi niara ua assembla urna propus-
la, aqii.il leve por ubjecto a organisa^flo da
resistencia legal em caso de insuirei(}3o,
usiirpacn, ou golpe de estado, lana era a
iuipresstloqus faziam os boatos que cor-
riam m-qocllepaiz.
Ei-aqui o texto deste projecto.
Arl. 1. (Isso acntela que o presidente
da repblica ou a assemhlua nacional, por
sorpreza, golpe de eitado, ou iiisuneicjflo,
sejflo impedidos de exercer as funec/j ., de
que seacham eucarregados pela consltlui-
(flu, lodos os concebios municipaes e os
cuticelhos do districtos e departamentos
serflo obrigados, sdb pena de demissSo, a
reunirem-se ollicialmciile eassumir provi-
soiiamenlea directo da adinin siraqflo dos
departamentos dislnctuse munici ios.
Art. 2. Os prefeilos e ouiros funecio-
narius publicos,as>ini eomo atorija armada,
ScollocarSo tambetn debaixo uas ordens
do novo goYrno, o qual tea o pudor de
suspender, deinillire substituir provisoria-
nieiileos emptegados do estado.
Art. 3. Os funccionarios pblicos, sb
pena de demissflo, recusurSo obedieucia a
lodo o governo que resultar, qur de usur-
pJvjflo, qur de insurreit,'flo.
Ait. 4. Os coll-ctures e recebedoies
dos iinposlos, qur geraes, qur particula-
res, uo pudetSo entregar o pro lucio dos
un,'listos pblicos seuflo aduiiuistra^fio
de| a lam-nlal.
Ait. 5 Logo que os grandes poderes do
estado tivoiein i cobrado sua iiberdade de
ccflii, euirarflo outra vez no exercicio de
soa auturidade sobre os deiarlamculos e
municipios.
que ella neullum duenle trouxera, e nem a
iripi.lac.flu moslrava symplomas de haver
padecido molestia durante a viagem. Exijo
do Sr Df. que aprsente este meu oRicio ;
a leal la ie, a boa f, a honra assim o con:-
uianJam.
Deve-se ser zeloso : mas lie necessirio
sobretudo ser justo, e nflo nos arraslrar-
mos por informagOes infundadas porquao-
io, se eu fosse a guiar-me por estas, acre-
ditara o que muilos asseveram ; islo he,
que o Sr. Dr..Aquino pela incuria que tem
mostrado no Iratamenio dos doenles que
vflo para o lazareto na ilha do Nugucira, ha
concorrido para morte de quasi lodos
que all chegam ; alm de que o clamor he
geral sobre o mudo porque se sepultamos
que all morrein, a ponto de ser insuppor-
tivel o fedor que exlula daquella lugar,
acarralado pelos venios sobre a cidade, e
que na Caa uuga ja nflo se pode morar, Islo
se fosse verdico, mudo agravara o mal
que a populacho padece.
Concluo, leinbraiido ao Sr. Dr. Aquino,
que a epidemia que nos fiagt-lla grassa u i.
todo o lirasil. ii no he de suppor que em
lodas as provincias reparlicflu da saJe
seja iflo uegligeole quo nflo cuide em em-
bargat-lheo passu.
U. su por ora : nflo amo contestacCes,
defeudo-me quando agredido, prezo a mi-
uha honra, e sei respeiiar a alheia.
KeClfe, 6 de marco de 1850
lir. Luiz de /-ronca ituniz lavara,
l'ruvejor ua sade.
publicayaS a pedido.
ALFASDBGA.
Itendtmento do dia 7..... 5.881,374
Deiearregam hoje 8.
Patacho BrasiloiroFrane/ieo-Xacter mer"
esdorias.
Patacho portuguez Abreu-I ceblas o
batatas. -
Brguo brasileiro Emprtza pedras.
Barca portuguez* Ligtira --mnreadorias.
Barca ingleza Thommi-Meltori rotar.
CONSULADO GERAL.
Bendimento do dii 7.....1:101,422
Diversas provincias...... 302,855
~5:404,277
EXPORTACAO.
Detpaehoi martimos na dia 7.
Liverpool pela Parahiba, brigue inglez Ann-
Juhnstim. de 2''8 tonelad.is: condus o seguinte :
Lastro de pedra, e 800 barricas de bacalho
que nao descarregou.
Venca, brigue Inglez Caroline, de 5T tone-
ladas: condus o seguinte:
3,000 saceos com 15,000 arrobas de assucar.
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendlmento do dia 7..... 1:819,388
viovimeoto do orto.
IIALANCO D COERE DA ADMINISTRACaO
DO PATRIJIOMO DUSRPHAOS VERIEI-
CADt) DE I DE OUIUHRO A 31 DE DE-
/|'..miihii ni: isiu.
RECEITA.
Bendimento da patrimonio
Sobras das despeas do cullrgio dos
orpbaos
Dito dito do das orphas
Ettraordioaiia
llestiluico
Saldo em 30 de n-tembro de 1849
DESPEZA. ^
Adminitrafo.
Ordenados aosempregados
Diarias aos estiuctus cougregados
Concertos de predios
hipedieule edespe/as iiiiudas
Cullrgio dos orphaos.
Ordenados aos empregados
Joruaes aos serventes
Diarias aos orph.ioi e empregados
Itoupas %
Dtenaii
Concert do collegio
Restiiuiciio feita aos empregados
dos descont de ordenados dos
tunes de Janeiro a marco proii-
0:589,963
221,578
'JU.430
121,441
1:079,979
8.112,3)1
3i:.500
200 20U
280,560
91:080
1:032,492
506.8011
1:954.080
4II.V20
93.080
110,000
Navios sahidoi no dia 6.
Havre 54 dias, patacho fraocrz Praneoii-Xa-
vier, de 104 toneladas, caplliio Molsot.equl-
pagriu 10, carga fiiendas a Croco & C. Paa-
saneiros, Krnest Tiifoinet, Fnncez, Joequiui
Alves de Araujo, tirasileiro.
Lisboa 37 dias, patacho portugus Abreu-I,
de 97 toneladas, capito Pedro Mara de San-
ta Anna, equipagem 10, carga lagedo, vi-
olios, cebollas e mais gneros, a Olireira Ir-
mas & C.
Rio-Grande do sul e Babia 39 dias e do ulti-
mo porto II, polaca bratlleira L'iriee, de 295
toneladas, capitao Pedro Jos de Mallos,
equipagem 14, carga carne secca ; a Amo-
nio a Irinaos.
Liverpool41 dias,brigue ingles G<#rfv4an,de
I8U toneladas, capitao David rown, equipa-
gem 14, em lastro; a Deane Toule icC.
Terra-Nova 38 das, brigne Inglez lubirt-
CamplieU, de 178 toneladas, capitao Dunear
C, equipagem 13, carga 2,100 barricas de
bacalho; a Me. l.alniont iV <:.
Navios sahidos no Mesmo Ha.
New-York Hrlgue inglez Afargar*!, capitao
Splaler, em lastro.
Parahiba Hiatr nacional Espadarla, capitao
Victorino Jos Pereira, carga varios genero*.
Philadelphia Barca americana Franklin, ca-
pito Francisco Cork; carga assucar.
California Vapor americano New-Werlit, ca-
pilo K. Wakemann, rin lastro. Paasagelros,
os inesmos que trouie de New-Yoik.
Nato mirado no dial.
Liverpool 54 das, brigue iugiez Ararat, de
204 toneladas, capitao John Mauks, equipa-
gem 10, carga carvb de pedra; a James F.
HcC. '
Porto 32 das, barca portugueza Bragutnii,
de 261 tonelada*, capito Rodrigo Joaquitn
Crrela, equipagem 34, carga viuhos, fazen-
da* e mais gneros; a bruto Jos da Silva
Uagalhr*. Passagrir., o proprio dono
Hemo Jos da Silva Magalhr*, Porliigurz,
b. Pascaval Sandoval hubio e ua familia,
Florencio Palia, Ilespanlio, s, padre heruar-
diuo Teixeira Slacbado, Amonio leixrirade
Araujo Guiuares, Joo Jos i'errlr.i Pache-
co, Manuel Jn* l'into.Aooino Pereira ,Jaco-
nir de Si uza Filgueira*,Tlioiuai Ferreira Al-
ve*, Amonio Morrira da Mlv i, Jos Mar-
tin* l'i anco, M.ihocI Antonio Ignacio, Jos1
llibeiro, liento Feneia da Rocha, Joan l.uiz
Marque*, Manuel Martin.Vianua, Francisco
Ferreira Haltar.Poilugueies.
Nevr-FowudUud 32 da*, brigue americano
Ida, de |75 tonelada*,capilo Walter Collius,
equipagem 10, carga 1,972 barricas de
bacalho ; a Deane Youle & CFicen fun-
de-ida no Lamrirao e velo o capitao trra.
Navio tullido no meimo dia.
Boston Patacho americano fallar*, capito
Audrew II.,carga assucar.
E1TAK8.
-- O lllm. Sr. Inspector da thesouraria da
fazenda provincial manda fazer publico que,
do da I ido corrente mez em dianle, pa-
gam-se os ordenados o oais despezas do
mez de fevereiro prolimo passado.
Secretaria da thesouraria da fazenda pro-
vincial de l'ernambuco, 6 de marco de
1850.-O secretario, Jntonio Ferreira d"An-
nunciaco.
O lllm, Sr. inspector da Ihesoursria
da fazenda provincial, em cumplimento da
ordem do Exm Sr. presidente da provincia
| de 6 do correte, manda fazer publico que,
nos dias 18, 20 e 21, ir a prat;*, peraule o
tribunal administrativo da mcsir.a thesou-
raria, para sor arrematado a quem por me-
nos fzer, a obra dos concertos do caes do
l'asseio-Publicu e no do Ramos, sdb as
clausulas especiaes abaixo transcriptas, e
pelo preco de 1:9s0,00.) icis
As pessuas que se piupuzerem a esta ar-
rematado comparecotii na sala das se.-sOes
do sobredilo tnbunal, nos dias cima men-
cionados, pelo meio-dia, compeleiileuicule
babililadas.
E para constar se rosndou allixar o pre-
sente e publicar pelo Diaria.
mi mi Ano 1
II FftIVFI


WH-li
Secretaria ila thesonraria da faztnda pro-
vincial de Pernambuco. 7 do marco de 1850.
--O secretario, Antonio Fcreira ia Aunun-
eiotfo.
a Clnwulat especiaei da arrematando.
1. As obras do cortearlo do caes do Pag-
leio-Publicn, c no do Ramos s-rrio feitns
de conformiilale com o orcamento hpsU
data presentado ao Kxm. Sr. presidente da
provincia, pelo precede 1:9X0,001) rs.
2 Esta obra ser principiada no prazo
de nm me e concluida no de cinco mezes,
ambos contados em conformidade do artig
iodo regulamento das arremalacOes de 11
dejulho de 1843.
3* Todos os materiaes sero examina-
dos pelo engenheiro anles de serem empre-
gados. e app'ovados lavrar-gc-ha um termo
4.' O pagamento da arrematado ser
feilo conforme determina o artigo 15 do
supracitado regulamento das arremata-
res.
5. Para tirio que nllo estiver determi-
nado as presentes clausulas, spguir-se-ha
inleiramenteo que dispoe o regulamento de
11 dejulho de 1813
Itecife, 98 de f.ivereiro de 1850. O en-
genheiro do tormo do Recife, Jote Mamtdt
Alen l'erreira.
Pela inspectora da alfan lega se faz pu-
blico q.ue, no di 8 do crreme, depois de
meio-dia, na poitt da mesma, se ha de ar-
rematar em hasta publica, ea requerimen-
todo apprehensorps, na forma .lo art. 291
do regulamento; 92 latas com conservas.
avahadas a 1,200 rs. cada urna, total 26.400
rs., apprehendidas pelos ofllciaes da vNia
da descarga a bordo do brlgue francoz He
lenpntet, na conformidade do final do 10
art. 1>5 do mesm i regulamento: sendo a ar-
rem taQolivr dediieitos.
Alfandega de Pernambuco, 7 de marco
do 1850. O inspector, Luiz Antonio de
Siimpnio Vianna.
Pela adminiitrac,Bo da mesa do consu-
lado de P< rnambuco, se Taz saber que, no
da U do corrente se ha de arrematar em
hasta publica, i porta da mesma, urna ca
xa com assucar mascavado do enganho Pra-
ca da provincia das Magnas, marca I". It. R.
n. 5 :apprehpndiiia pelo guarda Francisco
das Chagas Ribeiro por nSo estar enes a
tara, cuja arrematacjlo be livre de direiios
Mesa do consulado de Pernambuco, 7 de
marco de 1850Pelo administrador, Jaco-
7in Gerardo Mara Ltmachi de Mello.
i --
lose de S.-Anna, ni praca do
Commercio, ou a bordo, ou ra
da Cadeia, n. 4o, terceiro andar.
Para o Rio-de-Janeiro sahe imprele-
rivlment* a' o finida presente semana o
patacho Nereide, de superior marcha, e for-
rado de cobra ha 2 mezes: para o resto da car-
ga, passageiros, ou escravns, trata-se com
JoSo de CarvalhoRaposo, na ruado Viga-
rio, n. 5.
I'ara o Rio-de-Janeiro
segu no.dia lo do correte opa-
tacho nacional Industria, novo,
forrado e pregado de cobre : para
o resto da carga, escravos e pas-
sageiros, paraos quaes tem pti-
mos com modos, trata-se com Ala-
chado 8c Pinheiro, na ra do Vi-
z
>
gano,
n. 19.
Avisos diversos.
Cinco-Ponlas, sobrado do tenento-coronel
Bruce, em fren/e da Igreji.
Pedro Nuiles da Foucoca relira-se para
a Europa.
A mesa regedora da irmandadedo Se-
nhnr Bom Jess dos Marlyrros, da igreja
nova, tendo de fazer hoje a procssilo do
mesmoSenhor, convida a todos os Srs. re- 4 dora,
verendos padres que hajam de compare-
cer pelas duas horas da tarde, no consis-
torio da mesma, aimdese tornar este acto
mais religioso ;assim como lambein con-
vida geralinenie a todos os iroiilos a com-
oarecerem da cipa e minea, para melhor
hrilhantismo do mesmo acto. Tambem
adverte a todos os moradores ondo lem de
passir a procissSo, que lenham em assrio
as testadas de suas inorad.s, cujas 1 u-is silo:
dorias, estreila do Rozario, Collegio, Ca-
doia-Velha, Cruz, Vigario, travossi de Jo3o-
de-Barros, Madre-de-Deos, Cadeia de S.-
Antonio, das Cruzes, Livramenlo, Direita,
travessa do Diqua, dita dos Mai tyrios, a re-
colher-se.
# O juiz da rmandtidedo SS. *->
*J Sacramento da freguezia de 5
ay S -Jos do Kecife fst scien- t$
i te atodososseusirm5osqi.e,
n8o tendo sido possivel por <>
> motivos de molestias, rea-
C nir se numero legal de ir- J
2 mos para mesa geral, an- (M
nunciada para o dia 17 do 9
prximo passado, novamen- ?
te os convida para domingo, ?
10 do corrente, pelas 9 lio-
ras da manbaa, se reun- 4
rem na igreji de N. S. do *
Terco, que 01a serve de ma- J
triz, afim de se proceder a
9 eleicao da nova mesa rege-
*
jUeciWatyao.
Oescriv3o servlndode adminislrado-
da recebedoria de rendas internas geraes
abaixoassignadoavisa a lodos os conecta-
dos pelos diversos i'mpof tos que s3o ari-
cados pela mesma recebedoria, que achan-
do-se creados ns ilous cobradores, de que
trata o ai ligo 32 do regulampnlo de 15 de
junhode 1844, n. 361, para receberem ami-
gavelmenleno domicilio dos develores a
importancia de seus dbitos, a elles pode-
ro pagar, dando por desobriga os recibo*
extraliidns dos talos para esse (lm organi-
sados, assignados pelo thesoureiro, Joa
quimMariade Carvalho, e os empregados
que os passarem, cujos agentes recibedo
res nomoados e habilitados para esse rc-
cebiinentn, sto Jos Chrispitn de Assump-
fJue Luiz Gomes Silverin.
Manoel Antonio Sintet do Amaral.
Avisos maritiuios.
-- Para o Cear segu viagem o hiale
Aoe .O/nda, deque he meslre Anlono.Jo-
s Vjauna, porlcr j trata.|o parte de seu
carregamento: os prelendenles a carga e
passageiros, dirijani-. 011 a ra da Cadeia-Velha, n. 17, segunde
andar. *
- Para Porlo-Alegre pelo Rio Crande do
sol segu, em poucos uias, o bligue Floree :
so receb passageirose escravos a frete, pa-
ra o que lem bous commodos: trala-s*
com o capitSo a bordo, ou com Amono
Iranios, na ra da Cadeia do Recife, n. 39
Para o Rio-Crande do sul seguem com
hrevnlade o brigue brasileiro Juno e o pa-
tacho Atthrea : quem nos u sinos quizei
canegar, ou ir de passagem, para o qut
tem bons commodos, e mesmo para escra-
vos a fete: trata-se com An.O'im Irmflos,
na ra da Cadeia do Recife, n 39.
I'ara LisLda segu, com a
maior brevidade possivel, por te-i
a maior parte de sua carga promp-
ta, o patacho portuguez Jbreu-
Piimeiro : quem no mesmo qui
zer carregar, ou ir de passagem ,
dirija-.se nos seus consignatarios,
Oliveira IrmSosck Companbia, na
ra da Cruz, n 9.
Para Marei sahe, no dia 14 do corrente
infalivi l'i!iTtc,o bem conhecido brigue na-
cional Empresa, capitSo Guilherme Pinto
da Silva : lecebe carga e passageiros : tra-
ta-so na ius da Cadea-Velha, 11.17, segun-
do andar, ou com Augusto C. de Alo cu, na
mesma ra.
--Para o Ric*de-Janeiro sahe, com a
maior brevidade possivel, por ter j parte
du >cu c-rregamento tratado, o bi igue na-
cional Sem-Par : quem 110 inosnio quizei
carregar, ou ir de passagem c embarcar es-
rravosa frete, dirija-se ao capi:,1o, na pra-
Qa do Conuncrcio. ou a Novaes & Compa-
nhla, n ra du Trapiche, 11. 34.
Para o Rio-de-Janeiro sahe o mais bre-
ve possivel o brigue Minerva, por ter a bor-
do mais de dous tercos de seu rarregamen-
to: quemquizer carregar o resto, mandar
escravos a frete ou ir de passagem, enten-
da-se com o capitSo a bordo, ou com o seu
consignatario, Francisco Alves da Cunta,
na ra do Vigaiio, n. 11, primeiro audar.
Para o Itio-de-Jaueiro
segu viagem com promptidSu a polaca l>.-
A.-da Concei(do, por ter parte de sua carga
recebe carga a fretee escravos : quem pre-
tender embarcar, procure a Manoel Ignacii
deUiiveira, na praca do Commercio, n. 6
Para o Itio-de-Janeiro sabe,
no dia 15 do corrente, a nimio co-
nbecida e veleira barca
Jos Soares d'Azevedo, extrema-
mente sensivnl benevolencia do seus
amigos e mais pessoas qti4 se digna-
ran assi.stir ao ent Trmenlo d 1 seu
querido filho Emilio Soares d'Azdve-
do, pede ao mesmo lempo desculpa
a aquellos a cujas milos nao cnegas-
sem as cartas de convite que su lli -s
dirlgiram. ou a quem por madvertcn- g
cia se deixassein de dirigir Ucscir- .
tas.
Jos Soares d'Azevedo. P
--Joflo Jos Lopps da Silva faz sciente
aos crodores de seu fallecido mano. Ale-
xandre Jos Lopes, para quo apresentem
suas rodas, no prazo de 8 uias, para serem
conferidas.
Precisa-se de um homem quo queira
levar urna carta distante desta piara oilo
legoas : paga-so bom : atrs da matriz da
Baa-Vista, n. 24. sobrado.
Quem tiver una casa terrea com chaos
nropriosns ras Direita e Hurlas, pateo
de S.-Pedro, Can.boa e pateo do Carmo,
mas estreila du Rozario e Cruzes, auiiun-
cie.
-Quarta-reir, 6 do corrente, pelas 9
horas da manha. sahinlo a dona da casa
do neceo da.Virac&o, n. .6, cnlrou p. la ja-
n-lia da mesma casa um pr to, a vKla do
alguna moradores do mesmo becco. e fur-
lou urna snia de seda que urna vizinha de
nome Manoella havia ga-se a quem ror offereci la, que falle g
)o3o da Costa Palf a, ou levo a casa refa-
ida, quesera gratificado com 8,000 rs.
Precisa-se de urna ama de l'.te: no
Aterro-la-Roa-Vista, n 48.
Antonio Jos Pedro Concalves embarca
para o Rio de-Janeiro o seu escravo Jo3o,
de nacflo.
I'recisa-se de um fetor que
entenda de arvoredos, borlalicc e
jardim : na C'apunga, sitio ao p
do porto, a fallar com a viuva
Lasseire.
A pesso que annunciou querer com-
prar urna canda de carreira, a qual seja en
bom estado : dirija-se ra da Giia, n. 45,
que l achara una que agradar ao com-
prador.
Ouem livor una arle nacional, ainda
com punco uso,que a queira vender, dirija-
se a venda atrs da matriz de Sauto-Aulo-
nio, 00 annuneie.
Nnengenho Paco-Fundo do Po-d'A-
Iho deixou-sp, por esquecimento, mar-
gpm do rio Tapacura que por alli passa,
um relogio de ouro com vidro o cadeiai
com dous linotes com pe.Iras rouxas e urna
chavinhs : tudo de ouro : quem o tiver a-
ch ido receber a quantia de 30,000 rs. en-
tiegando-o na Boa-Vista, ra da Alegra,
n. 34.
Precisa-se de um pequeo para caixei-
ro de urna venda : na ra da Crjz do Reci-
fe/n. 41.
O secretario da irmandide
de S. Jos de Agona faz cerlo aos
Si's'. innaos que, no dia 10 do cor
rente, pelas 9 horas da manbaa,
Mera a reuniao da mesa gerol, aiim
de se ellegeros membros que de-
vem compr a mesa regedora do
anno de i8:>o a i85i.
Paulo Jos Alves da Silva retirase pa-
ra Lislxia, juiga nfio lleve- a esta praca, po -
1 rin, se.eor acaso alguem se julgar su r re-
dor, aprsente sua conla no prazo de oilo
das, que depois de vei ificada se>a promp-
tamrntc satisfeito : igualmente pede aquel-
las pssoas quo anida Ihe reslam ulgumas
pequeas quantias hajkiUde oinlemnis.r
no mesmo piazo, pura evitar maior ta-
balho.
Recife, 6 de marco de 1850.
Pedro Carlos da Costa Cabral, doulor
em medicina, chegado recenl-meiilc a osla
capital, reside na ra da Conceicflo, so-
brado 11 8, onde pode ser procurado a qual-
quer hora do dia, dando Consullas gratis
aos pobres pela manha.
-- Na ra do Vigario. n. 19, deseja-se sa-
ber a mniada dos Srs. Domingos de Almei-
da l'a-sos, Leandro Jos Ribeiro, padre Jo-
s Luiz Alves Freir e I). Mara da Concei-
Cto Vieira. .
-- Precisa-se singar um preto mensal-
mentp, e que seu senhor se responsabhse
pela conducta do mesmo escravo na tra-
milia, a qnal cuzinha e engommi, dirija-se den-so elr porglto o a retalho: tambou' so
I concerta qualquer chapeo de sol, tanto do
hasteas du ferro como de baleia, assim co-
mo umbelas de igrejas : tudo por pirro
commodo.
Hdame C. Ancelle
com cssa de modas francezas, ra
do Aterro-da-Ba-Vista, n. ia,
Receben pelo ultimo navio vindo de Frn
Ca um grande sorlimento de modas, tes
romo : chapeos ricos de seda e de palha,
tanto Armados, comosein STem armados ;
fitas le seda para chapeos ; bicos de blonde
e de linfa, tanto brancos como pretos e do
tolas as larguras; manteletes pretos e de
cores, da ultima moda ; flores de todas as
qualidades ; romeiras de lit e do cambraia,
bordadas; camizinhas de cambraia, borda-
das ; lencos de m3o, muilo ricos; luvasde
nllira, brancas ecrdo pulha, tanto para
homem como para senhora ; ditas de soda
prelas e de cores ; ditas de fio da Escocia ;
ditas pretas sem dedos de malha aborta ;
trancas e franjas para vestidos e mantele-
tes; meiasdeseda para senhora; bonetes
de panno e veludo, para montana. Xa mes-
ma casa fazem-so chapeos para senhora do
mais apurado gosto, pois que a mesma se-
nhora tem em sua casa urna modista, che-
gada ltimamente de Franca: tambem se
aclia na mesma casa um grande sorlimen-
to do pe fumarias hygienicas, sendo estas
perfumaras as mellones que so teem fa-
bricado al o presente : ha tambem um sor-
limento de vasos e outros ohjectos de por-
rcllana minio ricos ; escovas de todas as
qualidades ; esponjas muilo finas ; espelhos
para cima de mesa o para viagem; caixis
de costura muito ricas, com msica e sem
ella ; grvalas de seda, prelas e de cores
para homem ; lencos do seda ; meias curias
de algodlo para homem e menino ; carni-
zas para homem, brancase de cores; e mili-
tes oulros ohjectos por menos preco quo
em oulra qualqucr parte.
Lotera da matriz da floa-
Visla.
e\ 0 respectivo thesoureiro, Manoel Conca-
fi vel da Si'va, pretende n.To illudir a expec-
llotel- *| lCflo do publico com annuncios importu-
"* nos do anilamenio das rodas desta loteriar
esforcar-se-ha quanlo couberem suas fOr-
Cas para com a po o dia, airio do qual nao devera passar a os-
( peranca dos eompradores ; porque entendo
Todos os diss, desde as 7 horas da <-,; que a essa illusao em que alguns teem por
nanhila al as 3 da larde, p lem ser <' vezes detxado o respeitavel publico, se de-
rua das Trinr.heiras, n. 33.
No dia 9 do crrente, polas 4 horas da
tirde, vai a praca, perante o Sr. I)r. juiz do
civel da segunda vara, de arrendamento
por 3 anuos, a requerimento do cou-se-
nhor, Caetano Pinto de Veras, o sobrado
sito na ra nireitajdesa cidade, n. 36: quem
no mesmo quizer laucar, compareca as ho-
ras cima marcadas, na ra Nova, casa da
residencia do dilo juiz, pois he a ultima
praca. ,-
Precisa-so de prelas quo. vendam pilo,
pagando-se a vendagnm que se convencio-
nar : no Forte-do-Matlos, ra do Burgos,
n. 31, padaria.
Piecisa-se de urna ama captiva, ou for-
ra, para tratar de urna crianza: paga-se
bem : na ra da Cruz, no Recifr, n. 27.
Aloga-s um sobrado na r^ da Unio,
com excelleutes comino los para duas fa-
milias, vista para brra, grande quintal
murado, cacimba, e todos os mais commo-
dos desejaveis em urna casa, sendo alm
disto bastante fresco : os prelendenles di-
rijam-se a ra da Aurora, n. 4
Trasnassa-se o foro de um terreno no
lugar da Torre, com 150 jialmos de frente e
1,'200de fon lo : na ruada Cadeia de S.-
Antonio, n. 18.
I'recisa-se de urna pessoa
que Se encarregueda direcco dos
enterramentos dailba do LNoguci-
ra : a tratar na ra do Livramen-
lo, n. 33, com medico do muni-
cipio.
Aluga-se, ou vende-se um sitio : na
rus Mova, ti. 46.
Precisa-se de urna ama para o tarrico
do urna casa cstraugeira de pouca familia :
na ra do Brum, sobrado do Sr. F A. da
Cunta, segundo andar. Na mesma casa
precisa-se de um cozmheiro forro ou cap-
tivo.
>
->
->
.*
*
->
>
Consultorio homeco-
patbieo.
Ra do Trapiche,
Francisco,
Dirigido pelos doutores SahinoO. L.
Pinho, J. A.Luz.eC. Chilloe.
procurados qualquer destes Snrs.
Ascniisullas serao rec>*bidis por
qualiuer dos tres mdicos que se
achar no consultorio.
ve essa especie de descrdito, que tanto
lem demorado o andamento das nossas lo-
teras ; por isso limita-se por ora a annun-
r adiar no consultorio. Tt ciar a venda dos hilheles, e a extrahi-los
^. as pessoas necrsnladas continua- 5 com lodo o empenho, alim de poder asse-
:> rito a receher gratuitamente, todos a 41
i> ossiccorros de qui precisaren), a
g qualquer hora do dia ; adveninto
E que, lerflo soccorriiios com prefe-
* roncia, aquellesque logo no princi-
^ pi da molestia recorrerem a no- **'
m, n.ceipaihia, sem haver tomado re- 2
'jt. meuioblgum allupalhico
MA:V;.MMM^ftAM
naciona
Firmeza : para o resto da carga 1
passageiros, on escravos a frete,
trata-se com o capito, Narciso
Na ra Direita, sobrado n. 120, segun-
doandar, precisi-se alugar urna ama que
saiha cozinli r. engommar e fazer todo o
mais m rvico interno de una casa do fami-
lia.
-- Oll'erece-su 19,0(10 rs. por mez a urna
criada farra ou captiva, que saiba muilo
bem lavar, engommar e co-er : no consu-
lado rraocez, ua ra do Torres, n. 34, so-
brado
Prrcisa-se de um preto para vender
azenda com urna pessoa, quo seja fiel: d-
se-lho o gstenlo : na ra das Cruzes, n. 4,
d.iss9 horas da manha e das 4 da lar-
de em diante.
Na noit de 5 para 6 de marco rouba-
ram da casa n. 21, na travessa do Veras, g
vestidos de sarja preta, sendo um novo e
oulro em meio uso, urna casaca de panno
|.reto rom limito poucu Uso, 3 camisas de
homem, tendo a marca na Trada J. F. M.,
urna.calca do brim trancado branco, um
leicol de madapol.lo com bahadosde cassa
de lislras, una c.Menle prata grande, um
canivete defolha de prati com o cabo de
madre-perola urna madeixa de cabellos
loaros eiicasloadns em ouro. Roga-se a pes-
soa a quem froffereC'do quaesquer dostas
pecas, ou tenlia noticia deltas, do avisar na
mesma casa que ser recompensada.
Aluga-se urna casa terrea na ra Cel-
ia, com duas salas, 3 tlcovas, cozinha fura,
quintal e cacimba : a tratar na ra do Col-
legio, 11 15, segundo andar.
--Precisase de un. inulher para tratar
de outra, durante o seu parto, e s tratar de
seus caldos, e depois paia ficar-lhe fazendu
companhia : quer-se pessoa capaz : quem
s- achar nostas rircumstancias, dirija-.-e ao
Hos icio, rasa do Sr. Antonio do Amaral r
Silva, pira tratar do ajuste.
I'recisa-se de una preta captiva para
oservico de una casa de pouca familia,
pagando-se-lhe mensalmente ; no AUrro-
da-Bua-Vista, n. 1.
Ama de leile.
Precisa-se de unta ama de leite, forre
ou esciava : paga-se bem : na ra da Piaia
do-Caldeireiru, n 8.
Precisa-se alugar urna escrava para o
servido interno e externo do urna rasa, qui
saiba lavar e engumuiar: 110 largo das
vpssa do Tnealro, confronte ao botiquim
doSr. Paiva.
Roga-.-o a pessoa que tirou urna car-
la rara Jos de Mello Costa Ulivei'a, viuda
da Parahiha pelocorreio da semana pasta-
da, da casa dos Srs. James Cralitreei Com-
panhia, o favm de mandar entregar na rila
da l'raia, n. 18, visto de nada Ihe servir di-
la caita, edese achar prevenida a pessoa
sobre quem vinha o saque de uma letlia de
400,no0rs. para uflo pagar seuSo ao an-
m Dolante.
--Piecsa se aligar um primeiro andar
de sobrado em qualquer das ras do bairro
de S -A nlonio, cojo aluguel n3o exceda de
250,000 rs e nilo sej calrenlo nern fu-
macento, e que tenha quintal : tambem
se troca pnr outro com bons commodos,
boa vista e muito fresco, dando-sa algumas
luvas, sendo bom e accommolo a pessoa
que faz tal negocio : tambm sealuga uma
casa terrea a moderna, que tenha bons
commodos, quintal o cacimba, danlo-so
fiadores a contento ou diuheiro adiaulado :
quem tiver annuneie.
-- Appareceu um preto que pouco falla, e
que nao sabe dizer o nome du seu senhor:
quem fr seu dono, dirija-se ra di l'raia 1
de S -Rita, n. 23, que, dando os signaos, se
lae dir onda existe.
-- Perdeu-se uma lettra a vencer-se em
15 de novembro rio corrente anuo, da
quantia de 2:000,000 de rs. sacada por
Luiz Francisco de Barros Reg, aceila pela
Sra. I). Thereza de Jess Coelho de Souza
Le3o, eendocada peloSr. I)r. Domingos de
Souza Lelo : o quo se previne, para que
ninguem faca IransaccSo com dita lettra.
Aluga-se urna muito boa sala, bem
fresca, de esquina e com duas frentes sem
seiemdevassa.las, tenio um quarlo e cozi-
nha, propria para um homem sollciro, ou
para pequea familia : a tratar na ra da
Senzalla-Nova, n. 42, primeiro audar.
Na ra Nova, n. 63, abrem-se eimpn-
mon -se rom toda a perfeicSo, cm qualquer
genero >ie gravura e em qualquer metala
estampas de resisto*, vinhetas, retratos,
msicas, alm de oulros objertos que de-
mandan) (ireceitos calligiai loros Como let-
tras de commercio, bilhetes de visita e r-
tulos : tudo por commodo preco.
Piecisa-se alugur um sitio que nlo
seja distante desta piara mais do que.cerca
de uma legoa pouco mais ou menos, e que
tenha rapaculade para pastaiem 8 a 10 var-
eas de l.iiu, liaixa para rapini, alguns ar-
voredos de fructo, agoa para beber e casa
decente para uma familia legular: quem
tiver annuneie.
Quem piecisar de una ama para o
aci vico interno de uma casa do pouca fa-
Precisa-so de um Portugus, com pre-
ferencia a (Ilho das ilhas, que saiba iraha-
Iharem sitio, para trabalhsrem um no lu-
gar do Remedio qiom estiver nestas cir-
rumstanrias dirija-so ra do Ciespo, p..
14, terceiro andar.
Alt>ga-e o primeiro andar do sobrado
n, 8, no largo da Assembla : a tralar com
Juaquim Francisco de Alm.
Houbo.
Na noile de 6 para 7 do passado, foi fur-
tado a um preto que venda fazendas, uma
grande lta e um CarUo com diversas fa-
zendas finas ; pois tendo o mesmo prelo,
por moli.os do embriaguez, chamado um
ganhador para carrregar a fnzenda, o mes-
Rio so evadir com todas as fazendas e I-
gum diuheiro que carregava. Iloga-se, por-
tanio, a polica ou a qualquer pessoa que
tenha noticia do occorrido, d'st|irigir-se
roa da Cadeia-Vellia n. 2V, cao-, de Ulanoel
Antonio ila Silva Antunes, que ser gratifi-
cado com 100.000 rs.
Avisa-so as pessoas quo livercm con-
tas do fallecido James Marsh de as apresen-
lar 110 escriptorio de James Ryder (Com-
panhia, no rapaCO de oilo uias", para serem
pagas
O Sr. Francisco Xavier Car-
neiro da Cimba Campello queira
por obsequio apparecer na ra
de S.-Hita, n. 85.
Affonso Jos de Oliveira, professor ju-
bilado na cadeia de geographia e historia
do lyceu desta colado, lem aherto sua aula
particular de primeiras letlras egrammati-
ca latina : as pessoas que de seu piestimo
se quizeremulilisar, poden procura-lo na
ra Direita. n. 120, segundo andar.
piauores o da em qi
radia impreterivolmenle correr.
A vaniagem do plano j publicado e o fim
religioso para que foi esta lotera concedi-
da, convida e seduz os tentadores da sorte
a concorrerem sem demora para a compra
dos nmeros que Ibes preparam a suave
acquisigilo de bons da fortuna, sem risco
de grande capital, e com o importe smen-
^4y l" da diminuta quantia do 5 ou 10,000 rs.
<:
*
DEPOSITO GEHAL
do superior rap areia-prtta
da fabrica deCantois Pai-
Ihet &c Companhia, na Ba-
ha.
porpoucos das.
Desde ja acbar-se-hBo os bilhetes: no
Recife, lujas do thesoureiro e do Vieira
cambista ; em S.-Antonio, boliea de Jofio
Hureira Marques, no pateo da Matriz, e do
Francisco Antonio das Chagas, na iua do
Livramento; toja de llernardiuo Jos Non-
toiro, prarinha do Livramenlo, n 44 ; no
Aterro-da-Boa-Vista, lujas de Gimarflea,
11. 44. e de huarle borges da Silva, n. 18.
Precisa se alugar uma preta quo saiba
lavar, engumuiar e coser, para uma casa
estrangeira : na ra do Torres, n. 34, das
II horas at s 3 da tarde. Na mesma cusa
taaibom se prt-cisa alugar u.n preto que
entenda do servico interno, e saiba tralar
de cavados.
Precsase alugar um preto para botar
sentido a uma pequea casa de campo : na
ra do Trapiche-Novo, 11. 10, casa de Jones
l'atou & Companhia.
Ovas do sertao
lie cln gado alguns pares dcsle escol-
ente petisco : na ra do Queimado, luja de
ferragens, n. 14.
--Precisa-se de um pequeo de 14 a 16
anuos para caixairo de uma venda, o qual
de fij Jora sua conducta em Fra-dj-l'or-
tas, u. 86.
Compras.
I Domingos Alves Matheus, agente da $#
l fabrica de rap superior areia preta t(
1 e meio grosso da Hahia, tem aberto o .)
seu deposito na ra Cruz, no Recife ,
n. 52, primeiro andar, onde se achara
sempre deste excellenln e mala acre-
ditado rap que at o presente se tem
fabricado no Brasil: vend-se em bo- 9
les de uma e meia libra, por preco 4
H mais commodo do que em outra qual-^
-: quer parle. a
jfe Chapeos de sol.
Rna do Passeio, n. 5.
Nesta fabrica ha presentemente um rico
sorlimento destes obj-ctos do todas as co-
res e qualidades, tanto de seda como de
panninho, por precos commodos; ditos pa-
a senhora, de bom gosto : estes chapeos
sflofeitns pela ultima moda; seda adamas-
cada com ricas franjas do retioz. Na mesma
rasasuacha igual soi t ment de seda o pan-
innlios ni.liando sedas, para cohrir ai-
iiiares servidas : todas estas fazeudas ven-
-- Compra- Ca : na Ponte-Vclha, ssrrari*.
Compra se uma preta de bo-
nita figura, que nao tenba vicios,
muito embora no lenba habilida-
des, mas que s-aibi andar com
uma crianza : na Boa-Vista, ra
da Aurora, n. 38.
Compra-se uma casa terrea, com pre-
ferencia na fregiiezra de S.-.Vnloniu : na
ra de Apollo, n. 8, se dir quem compra.
Comura-se uma canoa de carreira, de
umspao, usada, mas em bom estado, e
que seja maneira, de modo que qualro ho-
rnei.s a possam transportar para qualquer
parte : quem tiver annuneie por esta fullia.
Compra-se papel de embrulho, (diarios;
a 100 rs a libra, ou a 3,200 rs. a arroba -.
no pateo da S-Cruz, n. 10G, padaria.
Compra-se prata de galo :
na roa do Cabug, luja de miutie-
zasdeJos Alves da Silva Gi-
mo raes.
-- Compram-se duas rotulas : nesta ty-
pngraphia, ou na praca da Independencia,
livrana ns. 6 e 8.
Vendas,
leo de m mona.
Vende-se leo de mamona ,
a i,44<> rs. a gana, e em porco a
l,a8o rs. : na roa das Flores,
n. ai.
Vende-se urna urna propria para altar,
com alguns perteiires : na ra do Sebo,
u. 52.


Lotera doRio-flo-
laneiro.
Aos 20:000.000 dleja.
Na praca da Independ' ucia, n.
4, vcndem-se l.ilheles, meios,
quailos, oilavo? e vigsimos da
la. loteria das matrizes.
Vende-se, para fra da provincia, um
escravodo Angola, de 28 a 30 anuos: ven-
de-se por n!Io querer servir a senhora: Yara
ver, nn cadeia de Olinda, e para iralar, no
engenho Forno-da-Cal.
FarioJi;i de mandioca.
Vendem-se pennas de ema ; muilo bna fa-
rinha de mandioca: ludo por prego com-
modn : na ra do Queimado, n. 14.
~ Vende-se urna preta ciioula, de boni-
ta figura, do 22 annos, que rozinha bem o
diario de urna casa, lata de sabilo e leni
principios de engommar: na ra do Ara-
4 fio, n. 28.
Vende-se um sobrado de um andar ni
ra das Cinco-Pontas, com quintal e cacim-
ba, terreno proprio : na ra da Cadeia de
S.-Antonio, segundo ailar do sobrado da
esquina do becco do Ouvidor, so dir quem
vende.
Vendem-se 3 meiasagoas feilas a mo-
derna, por prego cornmodo. silas na ra
1'iM 1 1 i I, junio a fabrica de sabilo: mis Cin-
co-1'oiitas, padariii definnte da fortaleza.
- Vemle-se urna capa de go'gui.lu run-
go e nova, mult bem frita, com borla de
curo: na ra da Senzalla-Velha, n. 68
ou94.
. Verii'e-se a taberna da ra
do Pudre-IIoibiiiio, 11. 72, com
poneos- fundos-, e que regula 10
11,00o rs. por da : a ti atar na
allandcgi, das o I-oras da mrnhaa
as 3 da tarde, com .loarjuim Fran-
cisco Prnco.
Vende-seo novo mappa geoprapbieo
de Portugal, (ni grande fornicio, gravado,
dividida por provincia, dlstrlctos, admi-
nistrativos e ronrelhus, contorne a ullima
lei da diviao do territorio, e conlendo a
demarcagfo dos paizes vinliateiros no liou-
* ro e Daiirada,as estradas militares, todas
as trras e lugares notaveis, com designa-
gDo daqyrllas em que lia correio ordinario,
a escala dna distancias d.-s Ierras (rinri-
pacs entre si. o mappa dos concelhos e nu-
111 < ros dos rogos de que se com Oe cada
districto administrativo, correcto e me-
llioradu em todas as tilas especialidades,
segundo as allrragfies que lem havido al
boje : na ra da Cadcia-Vclhu, luja de li-
vros, de Carduzo Ayres.
Vemie-se un a preta muilo boa enzi-
nlieira, que lava muito liem o vende nn
ra, da qual se afianza a conduela ; urna
dita por piego commolo ; una niulatinho|
de 15 anuos, muilo lindo para pagent, e (|ue
serve ,1 una casa : um molcqiie de 14 mi-
nos; um prelo bom cozinbeiio ; 11111 diio
booi tnliciio : na la do Cullegio, n. 21,
se dir quem vende.
para vestidos e manteletes ; bicns
de todas as larguras ; bonetes de mont
iiarege i'i' tu ; mantas de dilo assetinadas
Dar luto ; chapos de luto para senhora ;
luvas de pellica prela pura homem e senho-
ra ; linios para enfeilar vestidos ; ricos es-
parlilhos para senhora. Tambem se fazem
chapeos e vestidos de senhora, do verda-
deira moda, por prego commodo.
Vende-se um negro de bonita figura e
muito liom trabalhadnr de campo, assim
como nutro bom cltnneiro: ambos sem de-
leilos ; urna negra de bonita figura e muito
boa coslurcira, cozinheira e lavadeira : o
motivo porque sevendem se dir ao com-
prador: no llospicio.em casa de I). Francisca
1'homazia da Conceigflo Cunta.
Vendem-se lijlos para limpar facas,
em grandes e pequeas porgies a volitado
dos cooieMdores; graxa ingleza n 97;
conservase sal relimlo : n" armazem que
fui do fallecido Braguez.
Vende-se o patacho ameri-
cano Ramp muilo bom veleiro,
forrado de cobre, c de lole de
8000 arrobas : os pretendenles di-
rijum-se a casados consignatarios,
Ilenry Forster & Companhia, na
1 na do Trapiche, n. 8.
Vende-se a Palmira, ou a ceguinha
hrasileira. romance em 7 cantos, pelo dou-
lor Francisco Bonifacio de Alireu, pelo ba-
rato prego de 3.000 is : no Alerro-da-Hna-
Vista, loja n. 14; em S.-Antonio, na praga
da lfidf| endencia, livraria ns. 6 e 8 ; 1,0 lle-
cife, luja de livros, do Sr. padre Ignacio.
'4
pretos I rinha de mandioca, a 2,500 rs. cada saces :
itaria;'na ruada Cadia do Recite, so p do srco
da Conceigflo e junio a botica do Sr. Anto-
nio Pedro das Neves.
Novo sor tmenlo de fa-
zendas baratas na ra
do Crespo, n. 6, ao p
do lampeSr.
Vende-se cassa-ebita muito fin, de bo-
nitos padrOes, cores fixss e com,4 palmos
de largura, pelo barato preco de 320 rs. o
rovado ; cassa franceza de quadros, muilo
fina, a 260 rs. o envado; riscadinho de lis-
Iras de linho, a 240 rs. o covado ,- brim de
algodflo de cores com I islra ao lado e de bo-
nitos padrfles, a 320 r. o covado ; brim
pardo claro, 1,500 e 1,600 rs. o corte de
duas varase urna quarla ; casss preta com
ramagem branca para luto, a 140 rs. o co-
vado ; zuarle de cores, com 4 palmos de
largura, a 200 rs. o covado ; dito azul com
vara de largura, a 260 rs. o covado ; risca-
do monslro, a 2120 rs. o covado ; chitas de
bonitos padroese cores filas, a 160 e 180
rs. o covado ; chales da larlalana, a 500 e
800 rs,; cobertores de algodflo america-
no, muito superiores, a 640 rs.
A bordo da brigue S.-ioi, chegado
prximamente, vende-se familia de man-
dioca de superior qualidade.
Taixas para engenho.
Na rundigflo de trro da ra do Brum,
acaba-so de receber um completo sortimen-
tode taixas de 4 a 8 palmos de bocea as
quaes acham-se a venda por prego com-
modo e com promptidSu embarcam-se,
ou carregam-seem carros sem despezas ao
comprador.
Tenidos de alRodo tran-
cado da fabrica de To-
dos-os-Santos.
Na ra da Cadeia, n. Stt,
vendem-se por atacado duas qualidades,
proprias para saceos de assucar e roupa de
escravos.
Polassa da Russia.
Vende-se superior polassa da Bussia, da
mais nova que ha no mercado, por prego
commodo : na ra do Trapiche, n 17.
Farinlia nova de S.-Ala-
theus, por preco mui-
to commodo :
vende-se a bordo do patacho na-
cional Jmizode-Constante, entra-
a q.,alquer%\rl,os,d reccutemenle daquelle porlo,
pretendenles dirijam-se a bordo do dito e Tundeado em frente da escadi-
ende-se superior
farinba
de millio em porc5es e a retalho,
leudo de todas as qualidades a
vonlade do comprador, e por pre-
co oiBa ce mniodo do que em ou-
tra qualquer parle
firum, n. 28.
A. !,^000 o < rte.
Machado & l'iibeiro, na ra do
Y gario, n 19, segundo andar.
Flores.
" Vendem-se caixinbas roni dif-
fereutes qualidades de nenenles
*^.......^-,.^^-,,:' ..... e
IRua itoCollegio, n. 0.1
LOTE IVAS DORIO-DE- 1
'.!!
JANEIRO,
j 20:000^000
i
H 12. DAS MATBIZF.S.
I
Pelo vapor 5.-Seb.iHo, sabido do
: i; i'.in-iir- li-nriio em 16 do | asaado le- B
ti vereiro, ebegaram billielcse cautelas J'1
' desla lotera, que devia extraliir-se jj{
|^ nudiaSS do mesmo mez.
Vendem-se amarras ue lrro : na ra
da Senzalla-.Nova, n. 42.
Lotera do Itio-dc
Janeiro.
Aos 20:000,000 de rs.
Na loja da praca da Independencia, n 3,
que deita pua a na do Queimx'do e Crespo,
estn venda bilbeles, meios, quarlos, oi-
lavns e vigesin os da 12' loteria a beneficio
das malri/es daqiulla provincia. Na mes-
ma loja e>t5o patentes as lisias da 5-2' lule-
iia da sai.la rasa ila Misericordia.
Aos Srs. jurisconsultos.
Na ra do Trapiche-Novo, n. 6, vemleni-
se assegiiinlcs obras de diietto, (llegadas
ltimamente, por prego conimudo :
l.nbiio, nulas de Mello;
Borees Carneiro, direiio civil;
Coellio da llorba, dito;
l.iz Toixeira, dito ;
Carvalho, linhasoiTaunlrgicas; i
Crrela Telles, digesto portuguez ;
i i ii-n.ii o s do reino;
Mol i i, n i 'i a.
Casa de modas francesas.
Iluosard 1S lloclla n.
Ra do Aterro.da-loa
Vista, n. 1.
Pelos ltimos navios vindos de Franga este
elblieleciinento leeeheu um grande sorti-
nieiitu de nimias, como sejam : cliapos de
seda o de palha para Cnliora ; ticos bicos
de blonde para rioivas ; cortes de seda para
ditas { camisiiibns de caniliiaia e fil bor-
dado ; ricos cabceOs, blancos e prelos;
lencos de inflo, de cimbris de linho, lisos
encmenle bordados; capotinnos de seda
e de bico ; mantelelr s de dito ; lilas novas ;
bicos finos ; cnpellas para noivas ; flores de
laianja ; cassas e cair.braias; lili)- lirancos,
lisos o bordados ; lij prelo do seda e de li-
nho, lisnp' bordado; luvtsde pellica para
homem eseuhoi a luvas de nalha aberla,
muito finase verdadcims ; mantas de bi-
co preto, proprias para a quaresma ; lenci-
nlios de se la, gargae de rede de todas s
edrese pelos; pescocinlios e romeiros de
cambraia e fil ; (rangas de todas as cures
para veslidus; cbamalolo e seda prelas
(fileles do i> 10-de-
elaneiro.
Aos 20:000,000 de res.
NA PUA PACAIiFIA DOIIECIFE, N 24,
LUJA IIECAMHIii HA MUVA VIEII'.A
& FII.IIOS.
Pelo vapor S. SibatiH; entrado nesle
porto no din 27 do prximo p: ssado u e,
recebemos os muilos afiirtunadns hillutes,
meios e cautelas da 12.' luleiia a beneficio
it cnnstriiccffo c repsros drS Da trises do
Rio-de-Janeiro, cujas rodasdeviam ter un-
dado a 22 do mez paseado lainb-m rece-
hemos 8 lista da 5S lotera da Misericor-
dia.
I'HF.COS.
Hilbeles 22,000
Meios 11.000
0"arios 5.5n0
(lili vi s 2,00
Vigsimos 1,300
Deposito da fabrica *e
Todos-os-Santes na Itahia
Vende-se en rasa de N.O. Itieber & C.
a rna da Cruz, n. 4, algodSo trancado
daquella fabrica, muilo proprio para'ssccos
ileassucar, roupa de escravos efioiroprio
para redes de pescar, por prego muito cutn-
modo.
Chegaram novanienle ra da Sen-
za I la-Nova, n. 42, relogiosde ouio e prata
patenteinglez, para homem e senhora.
Vcmle-se a excellenle obrado Direito
civil de Coelho da lloclia. por 5 000 rs.
obras rompalas de CsniOes, da ultima e
mais ntida edigSn, 3v.f por 5,000 rs. vOoV
Atino-da-Uoa-Vista, n. 14, foja. I
AGKNC1A
Vendem-se cortes de cassa-chita, fina, do
bonitos padiOcs e com 6 vaias e meia, pelo
diminuto prego de 2,000 is. o corte i na
ra do ( respo, n. 6, lujaao pe do lampeSo.
Prelo novo a 5,500 rs.
Vendem-se saccas grandes com 3 airo-
bas re farelo, chegauas no ultimo n. vio
de llarohurgo : na la do Amorim, n. 35,
casa de J. J. Tasso Jnior.
Os mclhores charutos de
S.-Felix.
Sio ebegados os melhores charutos de
S.-Flix : na ma do Queiniado, n 9, loja.
Vende-se urna armagu envidragada,
prupiia paia sapalciro, charutriro, ou ou-
lio qualquer estabelecimenlo ; juntamen-
te se> aluga a casa amule a moni i existn :
no Foite-do-Maitos, ra do Burgos, n. SI.
Ovas do serian.
Vende-se este excellenle i elseo na ra
do Queimado, n. 14, loja de brragens.
Vende-sevnho do Porto muito supe-
rior, em barra de quarlo e quinto ; familia
de trigo de todas as qualidades e em moias
barricas; relroz do Porto, prlineira quali-
dade: panno e meias de linho ; arcos para
bairicas ; farinba de mandioca em saccas
grandes e a garnel a bordo da sumaca i>.-
S.-do-Carmo: ludo por prego rommodo
na ra do Vigario, n. II. piimeiro andar,
casa de Francisco Alves da Cunda.
sa c nteressnntc ;
n. o, escriplorio
lia
urnas niccn-
muchinasde
ferro batido e
os taiiuiiiiios,
da f'uiuhcao Lovv-Moor,
KVk X)K SEKZAL1 .A-KOVA, N.4^
Neste estabelecimento conti-
na a ha\eium completo sorti-
rnanlo de moendas e
da, pea engenho;
vapor, e tachas de
Co.'do, de todos
pira dilo.
Agencia de B'dwio ilaw*
Na ra de Apollo armazem n. 6, de M. Cal-
miinl r- Cnnipauliiu, aclia-Se conslaulen ente
um grande sm lmenlo -ie forrageDS inglezas
para enuenlios de fabricar assucar, hem
como lautas de fe ro coado e balido de dif-
lerenles tamanhos e modelos, muendas
de dilo, lauto para armar em madeia como
rodas de ferro pata animaes e agoa, ma-
chinas de vapor de torga de 4 cavados, alia
piossin, repartideiras, espumadei's, etc.
de ferro estanliado. Na mesera agencia adia-
se um sorlimeiilo de pesos para tilangas ,
escovfns paia navios. Ierro em baira, lano
quudrado cunto redondo, salra para l'errei-
ro eNiina porgo de tinta verdeen latas:
tutio i or i...i iii,, prego.
Vendem-se buslus de gesso represen-
tando belmente a ranilla Victoiiae o prin-
cipe Allieito ; relogios de ouio e de piala,
cliegados ulinnameule da Suissa : estes le-
logiosque silo mu bem acubados, so tor-
iniiii multo n-coinneudavei.-. a qualquer
particular, e advcrle-se que ha tutreelles
algunsquu audaui 8 das sem precis reui
de corda : na ra da Cruz, no llecile, n. 55.
Vende-se feijo niuiatinho por prego
commodo: na ra da Scnzala-Nuvs, u. 2
Chicotes para carro.
lia una pequena quanlidade para se ven-
der em casa de Eduardo II. Wyaii, ruado
Trapiche-iVovo, u. 18, aoi.de lanibeni se
vndelo cu mi i c i r os de mito para azote, di-
Antgo deposito de cal
virgen).
Na rindo Trapiche, n. 17,
muilo superior cal virgen) de Lis-
boa, por precu muilo commodo.
A rados de ferro.
Na fundig.to da Aurora em S.-Amaro ,
vendem-se arados de ferio diversos mo-
delos.
1.11 11 ha de mandioca.
Vende-se farinba deS.-Ctliarin!ia, muito
superior, | or prego cnuimodo : a bordo do
brigue Coticeifo, Tundeado na volta du For-
te-do-Matlo, ou a tratar com Manuel Alvts
Cuerra Junior, un na ra da Cadeia do le-
nle, 11. 38.
-Na ra do Queimado, n. 14, se dir
quem lem 1 aia vender una preta de 20 a
22 anuos, de bonita vista, a qual roziutu o
diario de urna casa, com algum piinopio
de engommar e la vari bem romo urna par-,
da de 25 anuos, queengomma, lava e cozi-
nliii ; mu |.aido de 10a 18 anuos, de boni-
lr hgura, propiio para ptgem, por ser u.ui-i
lo esperto.
Vndese um cahiiolet com pouco uso,
por prego commoiio, conm cavallo ou seni
tile: na ra du Arugflo, casado Sr. La-
man.
~ Vende-se, por lodo o prego, para li-
quidai.lo, seda prela lisa e Uvrada ; los
pelos; chales esCuCezcs ; mantas para me-
ninas; neos coi les de seda de cures ; una
colcha da India ; um piano ; correntes para
Senhora ; 2 relogios de ouro ; 3 auueles
botes de nliei tura ; rruzes e oulrasobras :
na ra estrella ou Ito/ario, 11. 28, segundo
andar. N 11 esma casa se dir quem da di-
nheir o a premio.
-- Vende-se, por commodo prego, um
piano forte de excedentes vozes, e de mui-
lo boa cunslruccu : na plaga da Indcpen-
\o armazem de motila-
dos do Aterro-da-lioa-
Vista, 11. /i,
vendem-se por menos preto do que em
uiitia qualquer pare os seguiutes geue-
ns: queijos londiiuos ; ditos de pralo;
Coiiseivas deloas as quali.lades, sal reti-
nado ; ljolM pul a limpar f.cas ; latas cun
Sardinbus; cha ; Cevadinha ; araruia, Un-
i em lamilla con.o em bolacbinha ; e 011-
tios muito geu< ros iiovos e com mullo as-
seio.
Vendem-se 300 varas de algodflo fa-
bricado 111 ala 1 rovnuia, pelo baratissiino
a vaia : nu Aterro-da-Boa-
rt ma do Je llores, com urna municiosa no-
ticia de onde ao uriuntlas, e a
mancira de prepaiara letrapara
a sua sementera, cousabrm rtiiio-
na ra dn Cruz,
de Uliveira lr-
mos & ( oinp.'inhia.
Vendem-se aecee da com-
panhia de i'ernamhuco c l'arahi-
ba; no esciiplorio de Oliveira Ir-
mSos & C. na ra da CiUt, n. 9.
Deposito de Potassa.
Vende se muito nova potassa,
de boa qualidade, em barriszinhot,
pequeos de qualro arrobas, por
preco barato, como j ha muito
tempo se nao vende: nc licciie.
ra da Cadeia, armazem n. \i.
' Vendem-se bons queijos londrinoS
dilos de pralo muito frescaes e de superior
qualidade, presuntos inglezes para fiaov
bre, ditos pnrluguezes para panella, latas
com 2e 4 libras de marmelada, ditas com
bolacbinha de Lisboa, ditas de sardinha, di-
las com hei vilhas, frascos com conservas
inglezas, queijos de qualba vindos do Cea-
ri, por barato prego, manas de toucinho
inglez de fumeirp.de 7 a 8 libras cadauma.e
outros minios gneros de boa qualidade:
na ra da Cruz, no Hecife, n. 40.
Moendas superiores.
NafundigSode C. Slarr i Companhia,
em S.-Amaro, acham-se a venda moendas
.le calina, ludas de ferro, de um modelo e
conslrjcgoo muilo Isuperior.
nos; e oulras muitas fazenda 1 de bom ges-
to, pois-quem qui/er saber prle apparecer.
Vende-s um pardo de 20 annos pou-
co mais ou menos, com algumas habilida-
des, por isso proprio para pagem : na ra
do Mondego, n. 107.
"k vf",,,in,-se saccas com muilo boa fa-
nnha da Ierra; ditas com milho, por pre-
co commodo; na ra da Senzalla-Nova,
n. 28. .
-- Vende-so umsellim com muito punco
uso, por commodo prego : na rus de Hur-
tas, n. 128.
-- Vende-se a propriedado do Rollo, na
fieguezia de Tracunhem, com meia legos
em quadro, capaz de levanlar-se um gran-
de engenho, por serem ierras de grande
produegito de toda a lavoura, com bons lo-
gradoures, metas e ptimos partidos: a tra-
tar com o capito Jos de Barros Cavalcan-
teMaranhoFalclo, no engenho da Barra,
comarca de Nazareth.
Na rus da Madio-de-Oeos, venda n. 36,
vendem-se batatas escolhidas, a 480 rs. a
canastra.
Pecliincha.
Na ra do Crespo, loja n. 5 A, de Iticar-
do Jo deFieilas llibeiro, vendem-se len-
cos de cambraia de linho linos pelo medi-
co prego de 4,000, 5,01)0 e 6.000 rs. a duzia,
conforme ua grsduagflo c finura.
Vende-se um pelo possanlo e de boa
estatura : ao comprador se dir o motivo
por que se vende : na rus do Vigario, n 29.
Viiiho de Bordean*,
das mais superiores qualidades; tem como
vintio de Cbampanha da nova marca estrel-
la, j muilo apreciado, tanto aqui romo na
F.uropa : vende-se em casa de lialkmann
Irrofios. na rus da Cruz, n. 10.
Vende-te urna linda 11 ulalii ln reco-
lliiiln, i|iic eligniiiiii, cose peifeilaiiienlc,
e be opiima para mucama : ua ra do llau-
gel, n..57, sobrado.
Ef cravos Fuej'f o,v
0 * t

as ^ W
u
c 0

(A 8
O n
CJ Qi
SL 13
los para escada, caixinbas de tulla enver-
msada para guardar c.dulas e Ultras, rom
sua conij cenle fecliadura e chave de paten-J prego de 180 is (
te, muilo superiores uculosde alcance, bu-I Vista, 11. 18, hija.
les de melal para cale e cha: ludo recen-' --Vendc-se a taberna da esquina da 1ra-
temeute chegado vessa doierigado, u 1 : a Iralar na niesina |
I Vcudem-se saccas com muilo boa la- taberna.
i\a praca da Indepen-
dencia, n. 59.
Vendem-se bilbeles, meios, qusrtos. oi-
tavose vigsimos da 12.' loleiia a benefi-
cio d-scoustrurgOes e reparos das matri-
zesdo Itio-de-Janeiio, rujas rodas devem
ter andado no dia 22 do prximo passado.
PltlCdS.
Bilhetcs 22.000
Me 1 n< 11.000
Quartos 5.S00
Uitavos i,xi 0
Vigsimos 1,300
Vende-se por prego commodo, um
rano de duas roilas, inglez, de oxcelleuie
qualidade, com arelos para um ou dous
cavallos : no Aterm-da-Uoa-Visla, cochei
ni do Sr Miguel Sooger.
Vende-se nina bonita escrava recolhi-
di, de 18 a 20 annos, sem vicios nem acha*
ques, a qual engomma, cose e lem princi-
pios de cozinha : defronle da ribeira do
peixe. n. 3.
Vende-se a obra de moral por Monle,
ultima cdigSo: na ra do Fugo, n. 12.
Vende-se, por prego commodo, um
atlasgeogiaphico pnrGoujnn ;e 1 Thomp-
son anula novo : na ra do Cahug, n. 7.
Vendem-se duas caixas de tartaruga
pura lape, ferias no Araraly : na ra do Ca-
linga, luja da esquina defionte da matriz.
Novo surtimento de fa-
zi:mas finas e baratas,
na ra do Crespo, n. o,
loja ainaicll.i,
vendem-se excellentes cintas francezas,
pelo barato piego de 400 rs. o cova.lo ; cin-
tas inglezas pur lodo a prego ; cassa-clu-
lus finas de muilo gusto, a 800 rs.; chales
de todas as qualidades ; manteletas ; lon-
gos de garga e de seda, com franja e sem
ella, de muilo bonito goslo; los prelos,
de Indio c de seda ; surja preta ; pannos
reos e de creu; casimiras pretas e de
cures; chapeos de massa muilo moder-
Hesiippareceu, no dia primeiro do fr-
renle, da casa df Mai.oel Jos Ferreira Gus-
ruin, a cabra erioula de nome Antonia, de
28 annos pouco uns ou menos ; Im fula,
de estatura regular, beigos grand. s; lem
as nlos alguma cousa fnveiras ; lem al-
gumas cicatrizes de chiclo pelas costas ;
intitiila-se forra ; levou em sua companhia
urna cria lillm da mrsma, tan bem cabra, de
3 a 4annos pouco mais ou menos; fei visia
na ( i unga. Itoga-se as autoiidades poli-
cines e capil.les de campo, que 8 apprthcn-
dam e levrm-na ra Imperial, n. 43, que
serSo gratificados ; assim como se prtesis
contra quem a liverocrulia.
OITeiece-se gratificar com generosi-
dadee promplidflo a quem levar na casa
sita na beira do rio do fogo-da-l'anella, ou
na praca do Coiumercio, a Jos Antonio de
Araujo, um escravo da Costa, que desappa-
receu du Pogo-da-Panella, no di 7 do cor-
rente margo, as 4 huras da man lila ; sup-
pOe-se ler tomado a direegao da eslrada
nova, engenho do Cordeiio, etc.; lem 20 a
22 anuos, Ma pouco, por ser bi uto, altu-
ra e corpo regulares, cara romprida, ulbos
grandes, beigos grossos, barba pouco cres-
cida, cabello corlado a modado trade, pel-
lo sacado, em o qual lem una costura de
um tallioahaixo da clavicula, hombros pa-
ra tras ; anda eom o corpa para um e uu-
I rolauo, sendo esle andar natural; temos
pscheiosde bichos; chsn>a-e All ; le-
vou chapeo de lalha que os prelos costu-
niain a fazer, camisa de algodo anierira-
ntide listras brancas e azues de mangas
cumpridas, pmm sem punhos, caigas do
mesmo sendo feilas rom pregas e lideos ao
lado, ceroulas de algodflo americano azul,
? endo eslas i tulas.ln m largas e de enliar,
uoi lengol de 2 pannos do abzodflozinlio li-
so ; csluma andar n da cintura para cirr t
e Ira/en.lo a camisa, ora Sobre os hoinbrc.'s,
ora vestida sem abotoar o colleriuho, e ora
porcuna das caigas ou re nulas simple-
mente.
I-ugio, fio dia 2 do crranle, a escrava
Merencianna, de aliuru regular, cor bus-
ante treta, picada dis bexigas ; levou
vestido de chita branca com flores encar-
nadas, pani.oda Costa,e mais urna trouxa
com roupa ; quando foge cosluma ir para
o Monleiro, ou cn'ade de Ulilida. lloga-so
asauloridades policiaesfe capil.les de cami o,
que a apprehendaiii e levem-na a ra da
Cadeia do Itecife, n 22.
Fni a imite de 28 do prximo passai'o,
fugio, da puvoagSo do Monleiio, d casa da
recidencia de Manoel Antonio da Silva An-
tunes, a prela Maiia.du genlio de Angela,
moga, de estatua e coipo tegularcs, cor
prela, losiu alioceitado, fulla bem o tulgar;
em os fes um tanto grossos : quem a pe-
gar leve-a ra da
que sioa gratificado.
Fugio, no da 28 de fevereiro, pelas 2
lloras da larde, o prelo Joaquiin, de nagSn
Cosa, de 24 annos puuco mais nu menos;
he alto, cheio do corpo, ; lem ties Ulbos
em rada urna das faces em comprimenlo
do rosto mulo sal.idos 1 ara fra ; picado
das bexigas ; tem una dasoiclhas Turadas;
a barba agora lie que llie esl saltiinlo; lem
una marca de ferida em um dos | es cin
cima do tornozelo do lado de fra em
que lirn a cisura branca; quando anda faz
um pequeo geite ; he padeiro ; levou cal-
gas de ilgod.lo Irangado airouxtado, Camisa
de algodilo Irangado liranro com as nan-
gas lualas no lugar do saugradouro ; cos-
luma mu lar o nome para Domingos quando
f.;ge; lalvez nflo saiba di/rr o nomo do
stu senlior: quem opegir leve-o ao pateo
da S -Cruz, 11. 6, padaria, que ser rccuiu-
peusido.
Fugio, 110 dia 16 do rorrete, da casa
do abuixo assigiudo um inoleque deuunie
Joan, o qual diz a algumas pessoas chamar-
se Constantino, do 19 a 20 annos, altura re-
gular, curpo secco ; levou camisa branca e
caiga de brim Irigueiro j* usada ; lem una
belide no ulho direito, um dente cavalgado
em cuna do oulro o una marca eoi qua-
dro na p oireia, proveniente do um caus-
tico : rogu-se i autoridades policiaes o ca-
pitcs de campo que o ap^rehendam e le-
vem-iio a ra das Trincheiras, por rima do
carioiio doSr. Guilherme Patricio.
Ilii/iiio Jesi l'rnundes de l'igutireio.
Cadeia-Velha, 11. 24,
Pk"N- : 88 '"" '" M' '" fk*lk ~ '850


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ECUYDJGTU_SYNAXT INGEST_TIME 2013-04-24T19:49:26Z PACKAGE AA00011611_06880
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES