Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06876


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno XXVI.
Segunda-feira 4
FAHTIDAS DOS C011&X1OS.
Golannae Parahlba, segundas eseitas feiraj.
11 io-Gi unde-do-Noi le, qunlaa feiras ao ieio-
dla.
Cabo, Serlnhem, Rio-Formoso, Porto-Calvo
e Macelo, no 1.*, a 11, e 21 de cada uiez.
Garanhuus e Bonito, a 8 e 23.
Hoa-Vl.ta e Florea, a 13 e 28.
Victoria, s quintas fe ira*.
Oliuda, todoa os diai.
ifHtHiniris,
/Ming. a 5, a fth.e4liin.dat.
p,.,.,,..,,. |Nova a 1.1. a 8h.eJ7iu.dat.
IFH,E' LDi- Gc.c. a 12. a 1 h. e 38 m. da in.
I Ccia a 27, a 9 e 7 m. da t.
IBIWA BE HOI,
Primelra as 9 hora e 18 minutos da m.nhia.
Seguodaas 9 hora e 42 minutos da larde.
de Marco de 1850.
N. 32.
vacos da aunscairgio.
Portrestnezes
Por seis mrzes
Por um anuo
(aiianladt) 4/000
8/100
* 15JOU0
DAS DA lEMAVA.
cg. S. Casimro. A mi. do J.orf. e do m. da l.v.
'ere. .-. Tlieopliilo. Aud. do chano., do J. da I.
9
v. do civ. e
11 dus fritos da f.ui'inli.
27 Quart, S. Ollegario. Aud. do J. da2. v.docivel.
28 Quii. S. Tlioin iz de Aquino. Aud. do J. dos
o(f. e do in. da l.v.
1 Seat. S. Jn de Dos. Aml.do i. da l.v. do civ.
e do dos feitosda faienda.
2 Sab. S. Francisca Romana. Aud. da Chae, e do
J. da2. V. do crlme.
3 Uoin. S. Militaoc39 coinpanheiros.
CAW8IO I ARCO.
Sobre Londres, 28% P<" V000 "' a 60 d,-
Paria, 316.
. Lisboa, 95 por cent.
Ouro.-Onca.l.espanhoe, ..... j^
Moedaa deb|400vciuaa.. "i iiitilO
defuw.......... lifii, ijt.go
/raa.-PataeSea bra.lleiroa...... ^ ,80
Peso.columnario........ #W a
Ditos ineiicano.....yyV? ___!,. '
PARTE OFFSC'Al.
U EL TOMO
tu repnrlicAo los negocios do Im-
pe rio, nprt-sentnrlo A nMcmbln
gernl legislativa, na piimelra
wesa&o da oltavn letrlslntnra, pe-
lo respectivo ministro c secreta-
rio de estado, vlscondc de Mon-
te-Alegre.
(Continuaran do n. SI.
JtutrucfSo publira t rttnb'/ecimentos setenti-
ficot i Iliterarios.
Plo que rrspeila a escola de medicina
da llahia foi tamben) regular o miso lecti-
vo ; mas o estttdo em algumas das caileiras
prticas contina a sr imperfeilo; a ca-
deira de physica medica carece do inat'U-
menlna, nSo oliaianln terem-se-lhe ja for-
ni'cidn slguns ; a de Rotanica nSo lem um
horloaonde ao menos so cullivem as plan-
tas med'Ctnaes, e na de Partos falta a clni-
ca correspondente. Alrn dos pnucos ins-
trumentos para a cad ira d-1 physica me-
dica, reduairam-se asacqnisico-s n.qiiea
esco'a a algumas publicarles peridicas e
a 178 voluntes de obras me ticas com que
fui augmenta' a sua hibliotheca.
Cabe aqu informar-vos que aex2uiide
dn crdito cuncedido pelo 20 do art. 2. da
lei n. 514 de 28 de oulubro de 1818 pa-
assenlas do medicina, produzio um defl-
cit no ejercicio de 1 sis a 1819 na impor-
tancia do 1:730,000 rs como verel* do qua-
dron 1. P*ra suppriraeste defieit fui au-
tor is uta aquella de-pe7n na conturmi lade
dn TI 53 da dita lei pelo decreto n. 618 de
30 de jiinho ultimo, que submetlo vossa
approvacaio. A difirenos te 4.00>,000 rs
emre a quanlia de 85:100 Ono rs. oreada
para les despezss e a de 81:100,000 '. ef-
feelivamente consignada na lei. explica suf-
fici>-ntenieiite a rasa do delicite a urgen-
te neeessidade que houve de suppri-lo, pa-
ra nocnrrer s despezas autorisadas pela
mesraa lei.
Pausando a tratar do collegio de Pedro II,
cutiu ri'-me tiazer ao vosso ronlircimen'o
que anda nSo fram attetidida as recln-
tnacoes feitas nos anteriores riialorios a fa-
vor deste oslalielccimeniu, as quacs so ro-
duzem : piimeira, o concert da reja,
cada dia mis urgente; segunda, ao augmen-
to do edificio, prj que posta ar-commodar
maior numero de alumnos ; terceira, ju-
bdacflo dos profesantes e memlnus minislracSo collegial; quarla, riualmenle,
a de um acto legislativo que exon-re o col-
legio do im| oslo da decima de seus predios
eo absolva da divida proveniente daquelle
imposto. Convencido o governo i vista da
cxnnsicSo que poroccasiSo de presidir aos
exames, llio apresentara o seu delegado,
de que eram iniispensaveis algumas refor-
mas para o progresso du ensino, nao hosi-
tou ordena-las pelo decreto n. 598 de 25 de
marco uliimn, du qual veris que nSo s se
providenciou sobieo julgamenlo dosexa-
uies e itii'llior dis'ribuicSo das materias de
ensino, mas tambeni se reguluu de urna mn-
ni'ira mais conveniente a liscalisaQo da as-
sidiiMlade dos professures, e ajusta retri-
buirlo dos seus servicos; sendo esta me-
dida acompsbhadada destiluicHode alguus
professures o sua substituiQilo por pessoas
mais idneas. Com estas providencias ci
ter frito o que delle dependa para firmar o
crdito de um rsUln Icciuieriln que lite me-
rece os maior-s Cuidados, attentaa sua in-
conteslavcl utili lado.
Na aula do commerrio foram os lenles
pontuaese zelosos e d'enlro os discpulos
que concluira.nl o curso lectivo de 1848 tor-
naram-se dous mui notaveis pelo seu ta-
lento e appliraces Insiste o concelheiro
director na conveniencia de crear-se uaia
terceira cadeira exclusivamente destinada
ao enaino do direito mercantil; sua propos-
ta vos fui j* remettida com aviso de 6 de
jutibo d^e 1848. e espera o governo que a
tomis na Uevida consideraciio Tenln-se
offerecido o lente do segundo anno a lec-
cionar as tardes. Ir vezes por semana,
a prlica da escripturaco mercantil por
partilis dobradase as piineipesoperc0es
de cambio, sem pr. juizo das licOes diarias a
quede nianlifia he ob.igado ; e reennha-
Cendo o governo que seria de multa ulilida-
de esta segunda aula, tanto parauspio-
prios estudantos matiiculados, a quem mal
pdem explirar-se todeg as materias do se-
gundo anno em urna > lieflo diana, como
para os empregados de fuzenda que como
tiuvinles a quize'em frequenlar, aceitou
aquello ol recimento; e ai provou por avrso
de 27 de julho d- 1818 -s reg'a.s pr<>po>tns pe-
lo d r--clor,cumo llm di definir ed terminar
as olirigacOe dus ouvitites em beneficio da
boa urdeui ediaCiplina da nova aula, que
efiertivamenic se abri no dia 24 do Diesait)
niez, coucorrendoa ella alguus emprega-
dos pblicos e ojilrus ouvintes. N.cessi-
lanlo a caaa que heoecu^ada por eslees-
tabelecimento de novas acommodacO-s e
propoiidu-se o respectivo propietario a a-
ze-las, exigitido por iso um augmento de
200 000 rs annuaes no preco doarrenda-
ii.t_.ii o e que este dura>se por seis annns,
foi nesta conformidade celebrado o con-
tracto que torajiso de 15 de novembro ul-
timo foi submef idt a vussa approvicflo.
A academia das bellas arles contina a
mostrar-se recommendavel pelo progresso
e apetreicoamento d* div-r-as clames ; Tez
napuca maica.ia pelos estatutos a expo-
sijio de seus trabalhos e alguus do seus
alumnos fram premiados, cabeudo o pre-
mio da viagem a Roma ao alumao de l'm-
tura histrica Francisco Antonio Nery. quo
m^is se distinguir no respectivo concur-
so. Entre os mellioramentos maleriaes que
reclama o director deste estabelcci ment,
sobresahe o da construcco do duasg I-
eias contiguas i sala central, que, aformo-
seandn o edificio, o tornem mais apto para
nsobjertosque eneerra. Estas duasgale-
rias, urna ao occidente eoutra ao oriente,
formando um andar superior, conleao us
salas necessarias para os trabalhos dos
alumnos premiados, dos lentes e substitu-
tos, podepdn-s primeiro construir a do
occidente cuja desoeza he orQada pelo di -
rector em qualorze cantos de res Alm
disto precisa a academia de meli>oramenlos
de oiil i a ordem para cliegar porfeicSo dn
que he susceptivel. As bellas arles, as ar-
les do recreio o de ItnaglrtaCO vilo cnlre
nos ganhando grande desenvolvin^enlo ; ja
hu hem rcsci'o o numero dos amado'es ;
e pola que f .zem ollas tirogresso e que Eu-
opa mandamos os nt'is apri.veitados dis-
cpulos para ape'feicoar seus conhecimen-
t'-sedesenvolver te'i talento, compro que
nio 1-vem da escola em que a prendera m a
pericia todigaa pincel ea firmeza do seu
escupo, carecem de conhecimetilos mais
vastos, que IhM ponhatn diante dosolhos
toda a g'andeza da sua arte nfim de se nflo
apresentarem entre os outros artistas como
peritos sim no sen officio, mas de vistas li-
mitadas acerca dos nnjeclos da sua profls-
sflo ;e pnrissn conviria para completa fun-
laoflo desla escola de artes a cenco de
tim-i cadeira da historia geraldas bellas ai-
tes o theoria da com 0*iC"n artstica A par
da maior somnia de instrue^fio assim ad-
quir la serm pan djar que se elevasse a
quatro anuos em lugar de lies o lempo do
estada dos pensionistas na Europa, alim de
res de collegio, ouseiam publico nu par-
ticulares as hahilitacoes dn moralidade e
saber, sem as quaes a ningoem deve ser
permittida a diieCQo de eslabelccimontos
desta ordem.
Na bihliothec publica continunti-se a
scparaQito las obras rtoncadas, eelTecll-
vamente sesepararam 2841 volume, mor
p.rte dos quaes pertenee a elsM histrica ;
lio este trabalho por sua naltireza moroso
o ao i asso que nelle se prosigue se vHo se-
parando as uhras truncaiias t ara s'rein re-
lacionadas. Alm do diversas o'iras que
recebeu pela secretaria le esta lo dos nego-
cios do imperio e das publicada nesia ror-
t, de que os editores n fi'ma do lecrelo
n. 433 de 3 de julho do IstG Ih enva-ajn
ex-mplares, fui enriqueci'la a biiiliutheca
com as que se linha man'ndo vir da Euro-
pa ; o como sentisse anda filia de Outrus,
tanto do littoratura como de sconeias. ex-
pedin o governo as convenicntis ordens
para nrem compradas, nao mamlando lani-
betn fornecer Ihe as de que ainda carece,
perteiicentes a litiga legisla<;!io portugue-
21, por falta de fundos, que espero vos
dignis de consignar, altcndendo a que
(8o ainda entre nos toescassos os meios
do instroccao. e t3o caros os livrns, que
mal poder a nOSSl mociilaile slidamente
instruir-so, sem que para isso se Ihe por-
poicionem csses meios, abastecen io'da
lions livrns a.s bihlioltieoal publicas. Alm
disto compre Hender a sorle dos embre-
gados deste estalielucimento, enj is venci-
meiitns silo sobremodo mosqoj dios com-
parados com os do algumas outras repart-
COes, onde nilo lie mais importante nein
mus pesado O trab-ilhO.
O outseu nacional, a d?s cito das fallas
tas do enverno c contini.on a publicar re- as re .Coes. Com as provUenctas que to-
gulamenc o se-, peridico me.isal. Sem nhod.de eup-ro. rorm, quo toU*blho
BUm os estatutos lesta assoca- seja mais p.rfe.to e exacto nos Subsequen-
Co he. porm, impossivcl que preencha tes -elatonos.
ella to amida e satisfactoriamente como Terminare, esto artigo traten' o ao vos -
OSnidosuainstituicBoje, disto!n onheemento que. considerando o
mezn'OMmopassado.emque OOS- ripio quo tenido ser-lho enviado,
iluin Ti.. de.ceiebr.r la prin.eira ses- providenciar sobro a SU. publioacflo.
sBo ni nnvi se le de ceus trabalhos. aprou
ve ao mesmo a-gusto SOtlh'ir aeeitmulir
quelle acio da sua im lOrial munificencia
o le honrar com a sua augusta presenca a
tessflO do instituto. Nesta sesflo, que sera
gemnrn memoravel nos fistos das lettNS
brasileiras. magnnimo correspondeu o
monarclia s domos'ncoos do profun lo
reconliecimento tos menibros do instituto,
exortan lo os Com as mais benvolas o ani-
madoras expresarte'a p os;'guir no empo-
nltoqtie contrahiam retinin 'o-se em seu
p lacio, de erir por seus trabalhos lilte-
ra-iosum eterno na lrilo \'. gloria a ctvilt-
sacilo ili paiz. Oual seja o alcanoa dosti
Imperial ro90luc.N0 desnecossano h.i de-
monstra-lo ; hasta que o altestein os pal-
zes r.n l mais tem fli-escid > as le tras e
para
( Cvntinuiit-se-ha )
EXTmO.
CORltESPONDI.NCU DO DIARIO DE PER-
RAMulICO.
I.hbiia, li de Janeiro de 1850.
Vao-se verificando lodos os vaticinios que
na antecedente correspondencia onminuniiuci
a Vine, sobre a innpporlunidade da cotia l.i do
conde de Tliiiuiar no inioislcrin.
us seis metes que liiinvc deiotervalln. des-^
de a sua noineacao al 4 abertura 'las cortes,
alm de au Icr conseguido melli irar o estado
dos pagaiiirutiis, tez a reforma das repartiedes
de fi/coda por til forma, que lem desagrad do
a tudas, chegauda a publicar-se < #. rscipto pelo anligo
que xperimcuta, apresentou liab-l'ios
podes-! iuiporlaules as suas diffcrenles see<0es.|
r mnores vatitagans. BmVrtU-fN lezoologia o analomia caimparad.. fi-, ,,Vers as o-oduCcOes de leTUou.ar.
zeram-se bastantearqiiislcfles, urnas por qual lortm.pre
que dcslas viagens insiruclivas se ,._
Em virtu-;N*
aclenoias, medii.nte adsvelala proteCCSo "J'nJ'.f^Ve ealada F." A. IVran.es da Silva
de s 'us monarehas. PaSianIO agora a ti- I p,rr.;0i rs.procurador geral da faiendi. ecar-
firmar-vos dos trabalhos d'Sla assoctafilO. i t|4l4 nunlerado. Ainda que esta reforma arja
folgo dnlrazor ao vosso conheci en tu quo j obra du ministro Avila, carnuda tic um acto
Celeltrnil cila asna BOSSflo aiuiivers ra IM | penen lismigriro para a adiniuistraco dlt con-
en 'm'a'ser fiscaiisailas'ue-'silicaeiiu do herbario riediliano reunido dos no relal.-rio lo 1848; o do vos d pendOj \noeoai ee u.nmolo espantoso eoun-
J.Iiniuseii em 1846, ees! portal molo a ressur a sua pubiieac-lo. e ovan lo COnve-' v,Ui prpotUo d, |mnUtteita que Ihe fez
iln-mi' a ponderar que com a elevac do
ordenado dos professures da corte 800/rs.
se mclliorou be vi-rdade a sorle driles, mas
cumpre para completar essa medida que se
lites assegure tambem opilo 8amparod
velhice, lixando-se o lempo de magisterio
indispcnsavel para juhilaci'o. Ao passo
que foi melhorado o venc oiento, niTo so
descuiitoii o governo de proporcionar edi-
ficios mais aileouados s precis \s do ensi-
llo, elevandp a 600,000 rs. annuaes a consig-
nacflo para aluguel de casa, sendo i'mega-
vel que ainda por este precii|difficilmente se
encontratlo esas em qualquer das fregue-
zis da cidade, com os cummodos inHs-
pensaveis. Foi prvido em concurso o lu-
gar de substituto das e-cnlas publicas da
cOite creado i or decreto do 1." de agosto
de 1816; e para quo deste emprego seco-
Ihesscui todas as vantagetts que determina-
ram a sua crcacAo, impoz o governo ao no-
meado a obiigacflo de ter sempre em urna
das cscoli-s elTerlivo exercicio, que s lie
interrompido nos impedimentos ou Taitas de
i|ii). i .i tj r dos ni.ti os prufessores a quem vai
entilu substituir ; assim esta elle tilo one-
rado com os prufessores rffectivos, sen.lo
mais, e p.reco de Justina quo venca orde-
nado igual ao que elles peicbem. FAr.im
igualmente providas em concursos a.s cid i-
ras de algumas freguezias do inuiiiciuio,
que se achavam vagas, e hem assim u foi u
lugar de professoia substitua das escolas
publicas da corle para meninas: lemlo-s-
concedido a dous rolessoresq.iccontavam
mais de dnze annos de nflo interromtiido
exe-cicio as tenues gra ilicavO s ganii-
das pelo art. 10 da lei de 15 de uulubru de
1827.
Pelo querespeila aos collegiose escols
particulares, cujo numero cada dia niais
(vulia, (ontinuam a itialiiuir-so a arbitiio
. de seus directores sem a menor intT>cn-
Clo da aiiiori.tiieo publica, e cotiSeguinte-
j mente sem as garantas e precaucOi s que
lem Codos os patzas cultos precedem a fuo-
I dQio de lies elhe|ecimeiiios. Curto nlo
'vai a.-sim bem a educacSu da mociJad e
! neni o ii etnqu>nlo u.iu coiifenrdos ao go-
: verno a autorisicllo que em nomo do paiz
'solicito paa reo ganisara instuccao pu-
blica, do itioilo que lt.|uc subjeila a um su
pensamenlo de disciplina e da methoio,
exigindo-se de todos os mesures-e directo
para o tnuseu. -----, ,
8s2 amostras, ea segunda de 374; fur-n. 425 de 19 dcjullio de 1K4j.
mou-se uma colleccHo de 103 amostras da I Cabe aqu infonnar-Vos que impon lo as
f.irmacno aurfera, tanto do Brasil, c..mo leisquetem subsidiado o tiio.itios dests
de oulros lugares do globo; e classilica- corle o lever do fiscalis-r-so o emprego
ram-se 227 rochas da provincia de alias, I das quanliaspor elles recebidas, sesos o
pela qual se comeqou a'collecco do rochasgoverno de p over sobre esto objec'o esta-
e n.ineraesdo Brasil, que. se esta formando helecendo pelo iecrelo n. 02dc24 de ju
por provinri .s. A falla de espSOO no pivi- Iho ultimo um inspector ^0*,tileatros,_a
in
rs
cumbencia deto-
piovid.-u-
bons ff-i
culo superior do o.lificio onde po-sa ar- quem oi commelida a imcumbei
...niar-sc esta iinporlaiitissima collecco, | mar-lhos contas. Para que esta
luc que se compiete.beum motivo de mais cia su la, porem, lodos os sou bonsll-i-
para que seapresso aconcluso da ob-a, tos muilo convena que o govetno losse in-
Cali planta n orcamenlo vos f.. remettida vestido da allr.buiQio do suspender ex-
cotn aviso de 7 do deiembro Ultimo, jaco- tracc.>d*s luteria, logo que deixasse da
mecada e ha muitos unos parada aparle ser preencb la por patio do ihealio qual-
restanto do edificio. Sem que esto se ter- q >er das cundicOes com que liam cuuco-
ntine do uma maneira ndequ-da ao (im a ddas.
quo so destina, nao pdem como cotnin O conservatorio de msica, que como se
Ofotredir os mellioramentos de um eslabe- (vos dase no ai.lccedenla retuno, so espe-
ccimenlo que pela riqueza do solo o outras rava para dar comeco aos seus trabalhos,
conveniencias da situaefio geograph ca do quo se conclttissem os reparos do tuna das
puizdeve seralgum dia um los mais ricos s-ls do pavimento lenco do edificio do
o mais clebres mttseus do mundo. Cun- mu-eu oteional, fui delinitivamenio tns-
pre que ao mesmo lempo se atienda aos t"la lo no dia 13 do agosto de 1818, no da
servicos quo preslam os directoies, que,16icve lugar a abei tora da au a de rudi-
sem duvida se esfoream por satisfazer aos'mmlos. preparatorios e solfejos, na qual se
ma ric.laram 72 allumims, muitos d. s
quae leem mosliado lalenlo e disposicSo
para a ai le. Sent o governo que o grande
iiii'nero de loteras concedidas a outros es-
tabelecimenlos uo lenha anida p.rmilti-
do a i'Xtiarcao ao menos la segunda das
pesados encargos de que os oncrara o rcii-
lamenlo u. 123 de 3 do fevcti-iro de 1842,
.-rechinido apenas a nicsquiuha retribu-
ijio de 200,000 rs. annuaes, por ser pata
mais insullicieiite a respectiva consignacuo,
em vez di do 800,000 rs. quo Ibes garanti-
r aquello .eguh.niei.to. Os homens que concedidas ao consol valono ue muica o
ia uiiuiin- b ._..__ ....,.,...,____i1.,: ,.,, ,,,i, ,... er, neo dS Outras tu las
ictcn-
, annl
so dedicamaoust.ido para ulilidade publi-
ca fin um paiz. como o nosso, oiide em ge-
ral nflo siio ainda sullicientemeiite aqui-
nboadososquo fazem profissflo dasscicti-
cias e das letlras, devem achar nos
poderes do oslado arrimo eproleccflo,
de que uo esmuiecain no ardor com quo
tr.baiham, o so pussa de seu taioulo o de
seus esludos litar ul pioveilo.
I'a.ssatido agora a tratar dus as"Cact*
lillcrarias scientiflcas auxiliadas pelo go-
verno, ou subjeilas a sua i..speceflo priu-
cipiarei pela imperial academia de medici-
na. Cont na esta sssociscilo oni sous
tralialhus, celebrou 25 sessOos or.linarias,
levo uma sessilo publica solemne, oceupou-
se de dilliiientes assuuipios relativos a sci-
encia, discuti muilus quoles medicas,
dirigi algumas rcpresenlacOcs sobro a hy-
giena publica, respoudeu a vanas cousul-
nue embracaa en ac.no d.s outras ula
estalielccidas pelo plano annexo ao decr. to
n. 496 le 21 dejalieiio de 1847, e inlo'pece
a marcha progresiva desla i.lii iustilui-
{80.
tem quizera dar-voa aqu uma exacta
noticia do estado da iu.strucc,> i ublic<, ao
menos la tu imana em lo io o im ," io : mas
iiifelizmeuie fnllam-ine para issuos dido*,
apezar de o- haver iiiuito o\p .-.->..m ote
exigido de tulas as piuvincias. Das i. for
maQCies exisl-'l.les ii.i s. e, el na d estado Se
o gaiiisuu o quano eslalisiici ii. 13, do
qual veris que receben a instruccilo pu-
blica a expen.as loci.f>e geral o dos po-
vmci.es 35,6)8 alumnos. Il-, poim, esta
eiliii mu.tuaqucm da real, por isso que de
algumas proniicMS n.'o Vito ouil.-in, la tus
os alu.mos do militas aulas, por nflo terem
os respectivos professores enviado a lempo
trala, que o conde, pl
nlia ido a olficiua onde se eslava fuendo o Ca-
toche pagar o susto delle. Os peridicos ini-
DUteriars nearalll esta noticia, e disseram
que o caliche tintn si lo eneoiiuuendado pelo
conde, por iulervencao do dito Figueiredo, o
qual. estando ni ollicina, alii receben c en-
tregr.i ao segeiro o piejo p ir que ajustara o
caleclie, e lli'o iiianilra alli niesoio u conde
por um dos seus familiares. Isto iiiesino refe-
ri o citado Figueiredo, D'liaU carta que fez
publicar no ti'i io-isiis ni na alhrmativa, o conde | nandou
i ii im o a mu casa o segeiro, por non Aniii-
ul.i Nuiles, para pie Ihe assigna-se uma de-
claracao de como delle conde tinh i recebido
o preco do caleche por mao de F.gueircd... e
que era falso ter 8. Exc. i.lo sua lilla, O ae-
geiro ass.gooii rom eeito esta decl.racao ;
mas. pur insiooacoes ds setenibristas. a cujo
partido rile perlcnce, escreveu oulru declara-
;i. pira ser impressa na llnoluc .o c no / n-
trwla, em que diia que Uoha sido violentado
r iuliu.id.idu para fazer seiueilianle dedaraca
em casa do conde, e que a verdade era que o
conde oiiiic Ihe filiara no caleche, e <|ue J
Al de Figueiredo sempre Ihe dlsse que era pa-
ra dar de prsenle ao conde deThooiar. Com
este documento, os joruaes di oppu.icao rc-
f.n caram as aecujaces e brada a.u que que-
ri un ser chamado, au tribunaes, e u quedi-
ziam era calumnia. O conde reapundru-lhes
no Wiar/o que se nao flava no jury, c que no
parlamento se defenderla.
Esta resposta foi desapprovada pelos mail si'
todos amigos do ende, uo s porque era io-
sultuosa pata a instiliiico do jury, mas pir-
que euiemlerain que elle su peraule os triou-
nara se po.ila tiialiuute juiliticar de seiue-
lluiitc aecusaco.
Os jnrnaes adveraos liraram dista mpru-
deiue resposta assumpto para repetido, arti-
go, di mais arrojada e descoiupusta lusoleu-
cia, como nunca >e tiuliaiii escripto contra ne-
nhuin liouiein publico! A couimlso central
do partido ex.illadu, presidida pelo luarquez
dei.oul, llrigto una ineu.agem r.iinli i pe-
diudo toe que deiuiusse o conde de Tli.i.uar
dos aeiiscoiicelhos.eiiiqiiaiilo e ua jusulicas-
se do c ime de pena de que era aecusadu. O
liiuiie de Sil.lauliJ, que se achava em Unir,
velo s Necessidades entregar raluh* um
memorndum, em que llieexpunhi a inconve-
niencia decuu.ervar testa du ministerio um
liuineui que, aeudo iufaiiiadj |>r urna aecu-
sacto lo grave, nao linha querido jusitUcar-
se peante o tribuuaea ordiuarios. A raluha
recebeu este papel, eutrrgou-o ao coude, c
nuucimal fallou ao duque ueste assumpto, o
mi mi ado


ir i- tu
!2!
que o desgasto! bastante. Vlinot o riacunhn
destc mrmuraii'fiiiii, pin que o marechal faila
soberana ponderarles inulto sensatas, e Ihe
lava cnnsclhna de grande importancia, que
bom fra os nao despreznase ella ]]c raan di-
y.cro liilartilarte que o marrchal propunha pa-
ro o novo ministerio o duque de Paliuella, e a
dlssotncao da actual cmara dnf deputado.
Mein Tima palavra do memorial de Saldanha te
refere srmelhante insinuaco.
Par aggravar ainda uns esta desgranada p
tediosa o questn do ralerhc o conde de
Tin;ruar, que havia declarado que o seu tribu
nal era o parlamento, noinpou poucu9 diasde-
pois nove parca do reino d'eulre o cua par-
ciars. Os nnvoa parealn; conde de Anadia,
conde do Casal, visconde de Moncorvo, visoon-
dp dpaiupanha, visronde de F'onle-Nova, ba-
rao de Ovar, baro dp Mniidr-Pedial, viacuudp
de Caslelles. o deputado Albergarla.
Aa curtes abrlram-se no dia 2, cun as solem-
nidades do coslume. A falla dotbrono he das
da tarifa : nao conten seno aa generalidades
do costume.^ A opposicao la aluancando niaio-
ria na elelco do secretarios da camaia ds
pares, eme insequencia do marechal Saldanha
votar contra o ministerio. Para redigir a res-
posla an discurio da cora, sahiram eleitoa o
visconde de Castro, e o cnucclhi-iro M. Duarte
Leitao. F.at i resposta he to simples c inno-
cente como a falla a que responde, todava a
opposicao lenta por-lhe alguna additaiiiputos
a respeho da im-apacidade miuisteridl e dos
accontPciineiHua de Maco.
Esta disrussro tem estado rendida p acrimo-
niosa. O coude de Laveadio foi quem abri o
dpbate com una moran para que a cmara pe-
dissp rainha a demissao do conde de Tliomar,
em \ i-i i i ni ai'jiim <| oc llip cram frita*.
O duque deSaldauha apoiou esta prupusta, e
li /. mu bel o discurso cxpnudo as rasos por
qup retirava a sua conlbnca ao presidente do
c.incellio, e a continuara aos outros uiPiuhios
do gabinete. O conde de I homar defendeu-
se aoaluradamenle, c a proposta foi rejeilada
por 95 votos contra 19. A discussao contina.
Os condes de I.aviadio e da Taipa ippiii sido os
priniipiies oradores contri o de Tliomar, qui-
na sessn de liontem se defend u lobosamente
da quciao do caleihe, e dasoulras accusacOes
a respeito das siias quintas e palacios, etc. Ro-
drigo da Poniera Magalhlea l'nlou hoje inulto
moderadamente, porm estranhamlo que o
conde de Thomar recusasse jusiilicar-se pe-
ranle o jury, e propoudo que ae pedisse na
resposta o diseuiso da cora a discos,ao da
lei i lriior.il. proposta ,iu antes emenda, que
fol adinittida i dlSCUSlfo. He proravel que a
resposta seja approvada, nia com pequena
maioria.
Na cmara dos drputados niio se tem podido
encelar o debate, porque o ministerio tem de
assistir ao da cmara dos pares, e s depnis
d'alli se acabar he que te cusluiua comecar a
da dus deputados.
I).z-se que tiesta cmara far o conde de
Til mar com que o accuspin em forma, por-
que emita ser absolvido por falta deprrvas, e
por termaioiia cena. Entretanto, isto nao
pasta de una suppnsicao ou rumor. O que he
futo lie que inultos drptiiados da maioria no
auno passadu nao volain boje pelo conde de
Thomar, e que o ex-miuistro da mariidia, ba-
ro deOiirem, trata de nign asar o corpo des-
tes dissidemescom os ami|iosda polticadu ma-
rccbal Saldando, sendo elle baio ochi fe des-
te exordio de operaces, que por ora he inul-
to pequeo c mal disciplinado,
Ko un o de ludo isto, ve-se que o conde de
Thomar esi milito abalado no poder, ejulga-
se que elle, conliecnil a .situ.ir.ao, se n-tia-
r para a sua (nibnix.i.la de Madrid, lateado
nina reciiiiipnsirao Uilulalrrial de gente sun.l
rara o quo tem lodo o favor e apranmciito da
rau,li i. Mas este espediente, que alias he cor-
dato, nao o lomar seno depois de termina-
ren', as dnas cmaras, os debates da resposta
ao discurso do tbroiio, eiuque me parece llo-
ra bem, e seiu os reveses que muitos Iba re-
cciaiu.
Na seginte lite cominunicarei o que se ti-
ver pasudo.
A opposicao democrtica est cada vez mais
esmorecida, por ver quu disimile tem o pre-
dominio que suppunba al, ancana em breve.
Da traiiquillnlade publica nao ha que re-
cetar, porque os povos eslao ja iiiuilo escar-
lui niados oas icvolias.
que duraram; e no caso de llcenca, o lempo
delta r por quein concedida.
As datia bastar que achn citadas approal-
niadaiiipiite lenao I lie fr possivel nota-las
com exaclidao. Igualmente Ihe transo.itto a
melosa relaeo e edital reniPttido prloEam.
liresidcntP do tribunal supremo de ustia.
Do inrsuio teor ao Dr. Manoel Jeronymo
Ruedes .Alcanforado, lmenle al a palavra
ezacUdSo,
'
PE-iNAMBUCO
IIMOOPATIIIA HJItA.
Possuido iln maior prtzer lenhn de an-
nunciar ao publico que silo chegtdos es-
la Capital, lio Vpur v i mo dos pin Ins du
sul, os meus I ilustre! cnllegas De. Jos An-
tunes d Lu B Dr liarlos ;ltidloe, dislinc
tos mediros hon cr-ipalhas.
Em ii ina crise tito assustadora, ro que presentemente se acha a populadlo des-
ta capital decima la polo flagello da epide-
mia, a vinda oestes apostlo* ta verdade
dpve ser considerada como snecorro que
nos enva a Providencia para aligeirar o
males da lri>te humanidado.
A homo? ipalhis, rocebida com enthusias-
mo pelo puvo pernambucann, na quadia
actual li'in demonstrado* sutil i ilihiaili' d
seus ptinripiose as virtudes dos seus meios
de curar, salvando a todos quanios a ella
t^om recorrido logo que se manif 'stain os
symploii'astla felre que actual mente reina
epidmicamente. Denlre os numerosos l-
enles que me leem embullado, desde o mo-
mento de mintii chegadi at hoje. nem um
s b> soffrido por mais de tres das os iu-
eommoilosquo tal flagello occaiona.
Rra um tormento para miin no poder
acodir a todos que lecurriam no meu mi-
ni-terio ; meu cornco se penali.sra ao ver
O descunienlamento daquelles a quem eu
nao podia ser til por n-e lidiar sobreear-
regadndetrabillios. F. em ll conjiolura
er-ndiosissimo lie o servieo qit" os dous
illusl'cs lioniuc ipalhs vieram prestar nes-J
ta provincia a huinanidade afilela.
Klb-sse acliain u mos a mim no consul-
torio por ora eslahelecido em untadas sa-
las do llolei-Faneisco. Aqu COMinuarflo
os pobres a receber gratuitamente todos os
socrorros de que precisaren) a qualquer ho-
ra do dia. As consullas serfin recelinlas por
qualquer de nos que se adiar tlTectiva-
mente no consultorio
Itecife, 2K de fovorvtro de IR50.
Dr Sabino Olegario Lurtgero Pinko.
mciFF, 3 DE MAB90 DI 1850.
IMfEROR.
ALAGOAS.
Extracto do expediente do Exm. Sr. prn-
dente Dr. Jtis mo di 1 Cunha Figuciredo
29 DE JANEIRO
Portara. Nomeando para subdelegado
de polria dt povoacilo do Pilar a Jos Cas-
simiro de Paria.
Fez-seas com m un cacees ao respectivo
che fe.
Officin. Ao commandanle do hrigue Ca-
nopo, Jos de Mello Orisla-de-Ouro, com-
Diuuiciido-llic que acbando-se espirar
(1 r;i 1 :l.'o do 1 mo, CUOipre que, se infe-
lizmente isto succeder, tu re elle conta da
ri-paiiicfiu i:a capitana at urden) ulterior.
Dito. ~ Ao nsi eclor de fazenda, decla-
ranilo-llie que a vi.sta do que eipAe em seu
cilicio de lionti m, em consequencia de re-
presetacilo do inspector da alfenlega, fura
ZlGiCauo pal a eaei ivio miel iu da mesilla,
o amar uense Jo-c Carvalbo de Almeida Cu-
nda, alm deservir en i 11,11.lo durar o im-
pedimento do esciivSoe escripturarios, na
confurni lado do artigo 24 do regulameu-
tode 22dejulho de 1836.
Dito Ao nipsmo inspector, transmit-
tin.l-lbe pata lhedr o conveniente des
tino os recibos de duus coutos dd icis, que
por Em.'gdjo Jorge de luna fram entre-
gues ao director geral dos ludios, de orJein
da pre.iidecia.
luto Ao inspector provincial, deter-
niiiistido-lhe que habilite ao agente pro-
curador tiesta piovtncia em l'eruambuco
para fazer as despezas que fram delurmi-
nadasiia continuaQAu por mais alguna me-
zi-s iia i'iii ressii 00 expediento da presi-
dencia no Diario de Pcniambuco, pelo ajuste
ja leito.
SDEM 1)0 DIA 30.
Ofncin, Ao Inspector da thrjotirarb dr
lazenda, para mandar entregar ao enpito
Aprigio da Silva finio a quanila de 57.960 r ,
importanciaido pretque ae Ihe remelle. pr
elle assignadn, para pagamento de 23 pracas
do pimitro bataiho de Anadia que vieram
destacar na capital.
Dito.Ao Dr. juiz de dircilo da cmara do
Penedo, para eaecuco das oid.-ns iinpeii.es,
cumpre que Viuc. me r.....meta com brevida-
de at IS das, o mala lardar, doua mappaa de
uin leor, organisados conforme o modellu
junto, que pelo ministerio do Imperio fol en-
Podmos ha ver m3o a copia de urna
caita cm forma de ciiculsr, que por alia
rorre entre cettos adeptos da revolta, figu-
rando-se .issig.nada por Pedro Ivo, Migue'
AITonso e Caet.1110 Alves.
Esle dnctimciilo, que Irarscreveremos
tal qual nos fui communicado, he Uffli
gratulo imposturi com a qnal a faCCfiOi
derrolada, completamente debandada, e
vencida em todos os pontos em que se acoi-
lra, qner ao longo fazer aereditir sua exis-
tencia e frca, e haver cedido, nilo por es-
tar derrotada e reconhecer sua impotencia
para resistir s frcas do governo, mas sim
por va de liansa(;ao.
O documento be o seguinte :
tlllu$trissimos senlioreteainiyoi. Riach8o>
19 de lev, reiro de 18. 0.Agora tnesmo par-
to pata JaroipOi 9 de la paia a provincia
da llalli.', is-n por termos larga lo as ar-
mas e debandadu as forjas; e a origen de
ohrnrmos desla maneira he o ter o Sr. le-
nenle-corouel P. A. V. da Silwira viti'io a
este lugar ttalar de urna aceommodacRo a
nedi lo do presidente daquella provincia e
do das Al'gas, os quaes se enea riega raro
de aprpsenlar-iiosaminslia geral: vista dis-
to dizeinn-lnes, que sem demora cedam as
armas sem o menor receio, o acautelem-se,
n ajLi.ii.lein a (lita amnista, que cliegara
breve.
Sadee felicidades Ibes desejaii'os, por
sermosdeVs. Ss. amiitosexeorde./'erfro Ivo
Vtllozo da Silreira Migufl Affonso Ferrei-
ra.--Caelano Alte da Silva.*
n."|.) ha nada neste documento que no
seja falso.
Sem nos occuparn:os dos detalhes, ob-
servamos que Pedro Ivo. no dia 19 do pas-
sado, uo tintia furias para fazer debandar,
porque lhe restava apenas alguns deserto-
res que nSo se anitnavam a apresentar-se ; a
maior paite do seu sequilo, dodeCaetano
Alves e do de Miguel AITonso linha sido de-
bandada e derrotada, e o restante, espavo-
1 i Jo, ou desertara para lora da malla, ou se
apreserilra espontneamente s forjas do
governo, como aconleceu ao grupo dirigido
pelo a I fe res Chiquinlio : e, pois, he impos-
tura inculcar que vai senuir para Jaeuipe, e
datii para a Babia, pur ter viudo o tenente-
curonel Pedro Antonio ao lugar tratar de
urna accommoda^So.
A tentativa que fez este oiTicial, no lit-
lo de tirar seu lilho da pnsicfio de chefe de
urna quadiilha do salteadores, quando o
n.lo podesse subtrahir s penas que merece
porseus delirios, l'oi fetla, nSo a pedido do
presideuto da llalli e do de Alagas, mas
espontneamente, sendo apena suas inteti-
(u.s applaudidas e approvadas pelos men-
cionados presidentes.
Nem essa ideia de Pedro Antonio he nova
pois sabemos que elle por vezes linha es-
cripto ao coronel Jos Pedro, seu prente,
viado, devendo comer a resprlio de Vine, tu-1 '"""''Ultando-o sobre sua vinda esta pro-
das aa declaracflea que saiifaVaiii aa a.guinteilvincia para retirar seu lilho da quadrilha
exigencias : A dala da ana primeira uomea-
v 10 e das remmiies que houver lido, se feta
pelo governo imperial ou pela presidencia da
provlucia; a da posae e do d:a cm que prim-i-
ploii o exrrclciu uos lugares ^uc llver lido de
juiz de direilo; aa luterrupcrs do ineauo ex-
ercicio, declarando o uioiiro dellaa eo tempo
s*m fscommunicnr ao governo imperial.
Como, poia, ogowerno nSo est instruido
d existencia do taes promessas, segundo
se v da declaraba o oUlclal, inserta no Dia-
ria do Itio-de-Janeim n. 8318 de 5 do passa-
Ji, dcsmcnliiido o Secuto da Babia, lio visto
que ellas nunca existirn), a sSo imagina-
das e inculcadas para que os caudilhos.
que assignaram a ireular, ligurem ter ce-
dido urna transa (ao, eassim oceultem a
sua derrota que de smoralisa completamen-
te o partido que perlencem.
No podemos doixar de notar o irrisorio
da ordeni dada por taes caudilhos aos ami-
gos quem dirigirn) a circular, para cede-
rem as armas sem o menor recelo.
Para melhor se apreciar a irriso dessa
ordem, lie necessirio saber-se que a data
de 19 de fevereiro, que figura no al'o da
circular, he falsa. A verdadeira data da
circular no pode ser seoffo 21 ; porm,
como tiesta dala a derrota e dispersao dos
amigos, que no pdem ser outros seno os
acollados as mallas de Sihir, Uni3oeJa-
toli, erim geralmonle sabidas, dahi vem a
fraude da altoraco da data.
Que a circu ai tifio poda ser escripia an-
tes de 21 he evidente, vista do seguinte
paragrapho de urna caria do tenenle-coro-
nel Pedro Antonio, dirigida ao Sr. ma'ccbal
s ara, escripia em Jaeuipe nessa data :
Hoje mesmo as pessoas da maior in
fluencia se retirarn das maltas, restando
Mmenle meu liiti c Caelano Alves, que
anda ficaro observando que se executem
s ni-.leus a respeiloda retirad::, para ent.lo
se juntaren) commigo e seguirem para a
Capital, a
A pbrase da circuragora memo para
Jaeuipe--, combinada com este paragrapho
da carta de Podro Antonio, datada de 21.
mostra que a data de 19 he supposta, para
inculcar que ainda tinham foreas a fazer
debundar e desarmar.
Devemos, porm, advertir que ainda a
lata de 19 tifio pode encubrir a plena derro-
ta que deu causa inculcada deliberaQ.to de
Pedro Ivo, Miguel AITonso e Caetano Alves
le se ilirigireu) para a provincia da Babia a
apresentarem-se ao Exm. presidente della.
Desde 15 do fevcieiro que a columna do
coronel Jos Pedro Vellozo da Silveira li-
nha explorado as mallas dos engenhos vi-
zinhos aos de Sibit, UniOoe outros, ocu-
pados Dla familia de Aflonsos Capobres e
seus adherentes ; e, batidos os rebeldes,
ahi existentes,no diaIT de fevereiro,e acom-
mettidos no dia 18 em Jatob.debarniaram-
se e dispersaram, chelos de terror pela
superioridade da frca do governo, qtir
em numero, qurem disciplina e valenlia.
Temos presente urna carta do Miguel Af-
fnnso, escripia em 7 de fevereiro 11a multa
de Diius-Bracns, cm quoconfessa a derrota
das lorias rebeld-'s no ataque geral de 26
de Janeiro, e a falla de recursos em que se
acbava, 1 elindo aos mesmos amigos,
quem se dirige a circular, algum dinheiro
Pnis bem : depois do ilia 7 os grupos fo-
rajidos dos rebeldes 11S0 cessaram de ser
perseguidos pelas tropas commandadas
pelos bravos major Vctor, tenentes-coro-
neis Bruce e Antonio liara, que os acos-
saram por Panellas, Altiuho e Capot iras, e
bateram os grupos dispersos em S.-Bene-
dicto, Barra-da-Jangada c llous-llracos.
Assim, a nova rebelda expirou vencida,
qur as maltas de Agoa-Preta, qurnos'
engenhos da familia AfTonso, e he para con-
tinuar no systema de impostura e mentira,
cum que tem alentado os seus alijados de
outras provincias, que seus hediondos die-
res pretenderninculcar ceder urna trans-
acc,3o o promessa de amnista geral.
mas actualmente acha-ae llvre de todo o peri-
go, havendo eaperancaa de que ae reslabelrca
dentro em pouco.
Correspondencia.
Sr$. reaelnret. Um fado que levo lu-
gar em a noite d_o 1. do corrento, faci es-
te de tilo grande monta, que cu nao posso
dcixar dcsapercebidu, aim do que pliegue.
ao coiihecimento do lllm. Sr Dr chefe de
polica. A's nove horas da noite a patrulha
que rondavH o aleslricto de S. Cruz invadi
tima das casas do migo afitn do injustamen-
te prender um escravo pel simples facto de
cstalar um chicote, o que conseguio, por
nAo querer o morador altercar cun o cabo
da patrulha que to ignorante se nibsiravti
no compri monto tle seus deveres Srs. re-
dactores, a nossa constituidlo que tilo sa-
biamente no seu art. 1T9 7 torna a casa
lo cidadiiu inviolavel, muito principalmen-
te de noto ; f<) por couheccr quanto era
importante u disposiQflo deste arligo -
quellu que viola um tSo sagrado dircilo de-
ve ser punido, o punido exemplarmente
para quo nSo se repitam crimes desla or-
dem.
Espermos que o lllm. Sr Dr. chefe de
polica fiel exceulor de nossas leis e garan-
tidor de nossos direitos lome condec ment
tlesle fado para punir tilo atrevido infractor
das leis.
O caigo da ans Inicio.
liedlo. 3 do marco de 1850.
COMMERCIO.
ALFANDEGA.
Itenditnento to da _' ... 7:461,594
Detcarreqam hojeK.
Brgue inglez --Quten baca linio.
Brigue inglez A/arjaret-ftet/i/.-bacalho.
B'igue inglez JonAoslon idem.
Bnguo brasileiro Empresa ceblas e
mercaduras.
Brigue nacional -- EmulacSo sola.
Barca ingleza Tomai-Uellors marca-
dorias.
CONSULADO GERAL.
Hetulimento do dia 2.....2:591,068
Diversas provincias...... 51,426
9.649,401
EXPOBTACAO.
Deipacno tnaritimoi no dia 2.
Balliniore,patacho americano Uathuerl: con-
du< o seguinte:
250 barricas com 1,8fO arrobas e 13 libras de
aaaucar, 1,700 saceos com 8,500 arrobas de
dito, 700 coiiroa salgados com-20,874 libras.
Stockolin, brigue sueco Vntlcr, de 204 to-
neladas: cnuduz o seguninte:
i-U:> couros com 7,305 libras e 330 lceos
com I 050 arrobas de afincar.
New-Yoik, barca ingleza Creamore.de 319 1|2
toneladas: conduz o seguate :
Lastro de areia.
Existen no porto 84 navios, a saber : 4
americanos, 2 austracos, 43 brasileiros, t
iinamarquez, 3 francezes, 1 bamburguez,
I hespanhol. 15 mglczes, 1 napolitano, 3
portuRu zes, 3 sardos e 7 sueros.
vtovimento do aborto.
/Vaoo entrado no dia 2.
Liverpool44 das, barca Ingleza Thon*$-klel-
<>ra, de S57 tonel idas, cipltao John Sa,lr ich,
equipagein IG, carga fatendas; a Rtissel Mcl-
lora & i:.
Novio tahidn no mesmn d'a.
liba rlellarbadas Hritue Inglez Comrli, ca-
|iito Aiubroise M.Olvran, em lastro.
ObstiacSct do da 3
Fondearan! no I.amriro aba-ca portiigurza
I.igeira, vinda de Lisboa coiu 24 dias, una bar-
ca e um hiate americanos.
M
ihJ>hah:^.
Importam r,$ rendimenlot arrecadados pela re-
ci-bnliiria de rends internas geraes da pro-
vincia de l'ernamhuco, em lodo o met de
fevereiro prximo (indo, na quanlia de rit
11:789,2*3 A saber:
Exercicio corren le.
loros de terrenos de mantilla 20.470 c
S.za dos b-n> de ra iz 1:312.400 I Sampaio I tamo.
-- 0 lllm. Sr. segundo esenpturario, ser-
vindo de inspector da thesouraria da fazen-
ls provincial, em cumprimenlo da ordem
lo Exm. Sr. presidente da i rovncia de 14
lo correnie, manda fazer puhl'co qU*,- nos
lias 12,13e 14 demarco prximo vindou-
ro, Ira a praca, perante o tribunal admi-
nistrativo da inesma thesourari >, para ser
arrematada, a quem por menos lier, a obra
da continua(iio do caes denominado lla-
mas, sOh as clausulas especiaesahaixo
transcriptas, e pelo preco de 1I:3S5,000 rs.
Aspessoasquese propozerem a esta ar-
rernalar;,1o cotiiparerjam na sala das sessOes
do sobrdalo tribunal, nes das cima men-
cionados, pelo meio-dia, competentemente
habilitadas.
K para constar se mandou sllixar o pre-
sente e publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da fazenda
provincial de Pcrnambuco, 15 de fevereiro
de 1850. O secretario, Antonio ferreira
d'\nnuncianio.
a Clausulas especian da arremalafOo.
1.' As obras da conlinuacao do raes de-
nominado Humos sero fetas de conformi-
dadecom a planta eorcamento nesta dala
apresi-ntados ao Exm. Sr. presidente da
provincia, pelo peco de 11:385,000 rs.
2* Esta obra sera principiada no pra.
zo de dous mezes, e concluida no de7, am-
bos conforme o artigo 10 do regulaineuto
das ai rema tagnes d- 11 ilti julho de 1843.
3 Os pagamentos da arrematacao se-
i'.'io feitoa segundo dispde o artigo 15 do su-
pracitado regulamento.
4* Todos os materiaes serflo examina-
dos pelo engenheiroantes de erem empre-
ados, e, approvados, lavrar-se-ba um ter-
mo em que assignarao o engeiiheiro e o ar-
rematante.
< 5.' Para ludo mais que nfio esliver de-
terminado as presentes clausulas seguir-
se ha inteiratneiite o que dsp6> o mencio-
nado regulamento tle II de juirtn de 1843.
ReciK 13 de fevereiro deJ850,--0 en-
genheiro do termo do RecTe, Jos ffamede
Alves Ferreira.
Pela inspectora da alfandega se faz pu-
blico quo, no dia 4 do correnie, depois do
meio-dia, na porta da mesina, se ha de ar-
rematar em hasta publica, 101 pecas de
chitas com avaria geral, a requerimento de
II. Gibson. na conformidad do 4 do ar-
tigo 263 do regulamento : sendo a arreaia-
t.iCni hvreib- direitOS.
Alfandega de Peruambucn, 2 de marco
do 1850. -- O inspector, Luis Antonio de
Dcima addiconal de mao-morta 1:735,344
Direitos novos e velhos
cellaria
e de
Dizima di
Legilm'
Sello ftx .rcional
EnioliniH ,i" c-iiidoes
Imposto de lujas abertas e casas
de descontos
Dito de carrinbos
Dito de barcos do interior
Taxas deescravos
0 brigue Empresa, chegado de Lisboa,
trouxe-nos a caria do nosso correspondente
naquella corte, que Oca inserida no lugar
competente s6b a dala de 16 de Janeiro ul-
timo, bem como alguns jornaes que apenas
alcanCaiii a 31 dodezembro do anno (indo,
e dos quaes por conseguiote nada tvemos
que extractar.
A ordem terceira do ('.armo tambem fez
anle-hontem sua procissSo de penitencia, a
qual sabio as 10 horas da noite, tevea mes-
illa concurrencia que a dos terceiros fran-
ciscanos, da qual demos conta aos leitores
no Diario n. 48 de 27 do psssado, e cuja
disposicio foi igual a desla, edm a diffe-
renca de funecionarem nella os carmelitas
em lugar dos referidos franciscanos, e de
ter sido a imagem de San Roque substitui-
da pela do Senbor alado.
llontem, pela segunda vez rcunio-se esle
anno o jury desla capital; e, como nSo com-
parecesseui Jurados em numero siifliciente
para haver casa, o Sr. juiz presidento adiou
a sesso para 16 do correnie.
-----------------------
Tlcha-i recolliido a rata cidade o Exm. ge-
neral Jos Joaquim Coelho.
S. Kc. roltou do acampamenio, onde prca-
Ion relevantes serviros a provincia e ao impe-
rio iuleiro, concorrrudo grandemeuie para
que ae ullimasse a rebelliao, que depois de
murta reviveu, e noi incouunodou por alguna
mezes.
Nos laudamos o diatiocto general,e Ibedeie-
Jainos militas prosperidades.
Divida activa.
Imposto do lujas 1.103,800
Toxa de escravos 10,000
305,006
618,10.1
28,800
2:490.24o
3,080
284.400
25 600
110.400
4,000
10:675,443
Rs.
1:113,800
11:789 243
Beccbedoria de l'ernamhuco, 1 de marco
de 1850. No mi, ediinenlo do escrivflo, o
priuii'iro ascripluratio, Jodo Hodriguet de
Miranda.
com que se acbava, e procurando saber se
algutna cousa podeiia obter em seu favor
do Exm. preside, le desla mesma provincia.
Os Exms. ptesidelltes da Babia c Alagas I OExtn. e Rvtu. Sr. blipo diocesano eateve
nao teriaufeilo promessas a Pedro Auloaio J gravetueuie tulcriuo du fbres reiuautcs;
PRACA DO IIECII'E. 2 DE MARCO DE
1850. AS 3 HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios Limitadas transaccoes a 28
l|2 d. por 1,000 rs.
Assucar- Vendeu-se a 1 000 rs. por
arroba mbreo ferro doeo-
Caixado; de 1,950 a 2.600
res do branco ensicado e
embairicado e de 1.600 a
1,650 rs. o mascavado.As
qualilades inferiores f-
ram menos procuradas.
Algodo-- Vendeu-se a 5,000 rs. por
arroba de primeira sorte, e
4,600 rs. de segunda.As
entradas fram pequeas.
Couros Fram procurados e ven
deram-se a 102 1|2 rs. por
libra dos salgados.
Bacalbo O mercado l'oi augmentado
com um carregamni'to de
2,600 bal ricas, que foi ven-
dan a preco oceulto. -- A
existencia monta a 15,600
bai ricas ; retalhou-ss de
9,200 a 9,600 ris a bar-
rica.
CarvSo de pedra Vendeu-se de 9,000 a 11,000
rs por tonelada.
Familia de trigo lis (reces no ti vera m al
ten cao ; e dona rarrega-
nicntos que tocara ni no por-
to, seguirn) para os do
sul.
O commerclo acha-se em a patina em con-
sequencia da febre epidmica que existe na
provincia, do sorte que a excepcSo dos g-
neros de primeira necessidade, nada mais
se vende
O descont de lettras tem-se elevado a I
112 e l 5(8 por qwz, e ba falta de diuheiro.
Pola inspectora da alfandeg se faz
publico que, no dia 4 de marco do cor-
rente, depois do meio-dia, na poita da mes-
ma, se hilo de arrematar em hasta publica
32 queijus llamelos com avaria geral, a n -
querimetilo de L. Rruguire, na Cunfor-
midade do artigo 263 do reguUmeiitu : sen-
do a arrematatvio lure de direitos.
Alfandega de Pemambuco, 2 de marco
de 1850. -O inspector, Luis Antonio de
Sampaio Vianna.
Weclaracoes.
Pela inspectora do arsenal de mr-
nha se convida a todos os individuos livres,
al o numero de cncoenta, que se quise-
rem empregar como srvateles na obra do
mesmo arsenal, e as do melboramemo do
porto, a se entenderem com o respectivo
inspector, o qual, etn viitude dasordeus do
Exm. Sr. presidente da provincia, Ibes ga-
rante a insuoco do rccrulamenlo, em
quanto se eniprcgaretn effecliraoiente nes-
sa s obras.
O arsenal de guerra compra azele de
carrapato, velas de carnauba, lio de algo-
d.1o c pavius : quem taes gneros ti ver e os
quizer fornecer, compareQa com sua pro-
posta na dictoria do mesmo arsenal no da
4 do coi rente.
JaTii i n i -~i~T 1 mi ii-iiii/
Avisos martimos.
Para o MaranhSoe Para s he, em pou-
cos dias,em ras3o deja ter parle de sua
carga, o bom conhecido brigue-escuna
Laura : quem no mesmo quizer carregar,
ou ir de passagem, dinja-se ao canililo na
praca do Conimercin, ou a Novaes & Com-
pauhia, na ra do T'aptche, n. 34.
--Para o Rio-de-Janeiro sabe, com a
maior brevidade possivel, por ter j parte
de seu erregamento tratado, o brigue na-
cional Sem-Par : quem no mesmo quizer
carregar, ou ir de passagem e embarcar es-
cravos a frete, dirija-se ao cap fio, na pra-
ca do Commereio. ou a Novaes & Cotnpa-
nhia, na rus do Trapiche, n. 31.
Par o Rio-de-Janeiro san o mai bre-
ve possivel o brigue Minerva, por lera bor-
do mais de dous tercos de seu carregamen-
to : quem quizer carregar o resto, mandar
escravos a frele ou ir de passagem, cnlen-
la-sc com o capi to a bordo, ou com o seu
consignatario, Francisco Alves da Cunha,
na roa do Vigaiio, n. II, primeiro andar.
patacho nacional F.mutacdo sabe mui-
to breve para o Maranho com escala pelo
Cear : quem no mesmo quizer carregar ou
ir de passagem, dinja-e ao esenpturio de
Manoel Goncalves da Slvv, na ra da Ca-
deia do llecife, ou ao capitSo a bordo.
Para o Rio-de-Janeiro
segu viagem com promptidiloa polaca l.-
S.-da Concelcdo, por t*r parte de sua Carga :
recebe carga a frete e escravos : quem pre-
tender embarcar, procure a Manoel Ignacio
de Ul i vena, na praca do Commereio, n. 6.
mi mi Ano


Para o Hio-de-JBneiro sahe,
nodia la docorrenlc, a muito co-
nhecida e veleira barca nacional
Firmeza : para o resto da carga e
passageiros 0l' escravos a frete,
trata-ea rom o capilao, Narciso
Jos de S.-Anno, ni praca do
Commercio, 011 a bordo, ou ra
da Cadeia, n. 4o, terceiro andar.
Para o Ri-de-Janeiro segu com bre-
vi lade, portar parte da carga prompta, o
litigue Ciidneendeneia : para o resto da
carga e escravos a frete lrata-se cun o ca-
piln Joaquinijos llarlins. ou com Juflo
Francisco da Vtur, na ra da Cruz, n. 3.
I'araollavre pretende, sa-
bir ateo da 10 de marco inl'uli-
velmentea barca franceza Leonie,
de primeira man ha: recebe al-
guma carga a frete e passageiros,
para o que tem excedentes com-
modos : a tratar com a consigna-
tari di mesma barca, viuva Las-
serre, na rua da SeozalU-Velha,
n. i38.
Para o Rio-de-Janciro
segu no dia lo do frrente o pa-
tacho nacional Industria, novo,
forrado e pregado de cobre : para
o resto da carga, escravos e pas-
sageiros, paraos quaes tem pti-
mos com modos, trata-se com Ma-
chado & Pinheiro. na rui do Vi-
gario, n. i<).
--Para a cidade do Porto segu viagem
com tola a brevi ladn o bergantim portu-
gus S -Van cisco Orneiro : que nelle quizur carre-
gar, ou ir de passagom para o que ten ex-
celentes commodos, dinja-se ao mesmo
capilfio, ou ao c asignatario, Manoel Joa-
quim RamoseSilva.
Para acidado do Porto] segu viagem
com brevidadea barca porlugueza Flor-da-
haya, c:not;lo Jos de Azevedo Canario :
quem nella quizer carregar, ou ir de pas-
sagem, dinja-se ao mesmo capit.lo, ou ao
cu consignatario, Uauoel Joaquim llamos
e Silva.
Leilu.
O corretor Oliveira Tara leilSo, por or-
dempcn presentado Sr. consol da rep-
blica Tranceza, da mnbilia e iiiais objectos
do finado Jolo Dobnis, su b tito francez
consistindoem carteiras para escriptoriu,
mochos, aparador, commoda, hauquiiihas,
dita rom estante, cad>'iras de jacaiaud,
toph, marqueza, 1 jugo de pistolas, es-
pingardas da ca<;a, quadros, reluci d ci-
ma de mesa, Serpentinas douradas, cast-
ceos e cnlheras de prala, poican de livros.
. e oulros miiiiiis nbj-'ctos atsas necessarioa:
quinla fetra, 7 do corrente, as tu horas da
nianli.l, no sobrado de um ;i n I i r n. 8, rua
dos Qiiarlis. ______________
Avisos diversos.
Precisa-se de urna ama que entpnda
deco/inha, para casa dehoiiiein solteiro :
na rua do Crespo, n.6.
precisa-se de urna ama captiva ou for-
ra, que suilu bem cozinbar : na rua do
Queimado, n. 40- .
No da 2 de marco furlaram urna salva
do prala de cuna de urna comino la da casa
atris da matriz da lina-Vista, n. 8, com o
peso de urna libra, sendo ella arrendada
em roda e leudo no fundo as lttras ;. m
a prssoa a quem for offerecida, naja de
apprehender e leva-la ao Atairo-da-Uua-
Vista, ii. 78, que sera gratificada.
vvcncAo.
Manoel Jos Fertvi'a Gusmio fa ver ao
publico queiajpguem f.ca ueguciocom Mi-
guel Connives do Ferias sobie urna esrra-
va cabra., oe nomo Anlouia e urna cria II ha
da mesma, de iiuine Luiza, pols lio proprie-
dade do mesmo, como mo.-tiara de docu-
mentos passados no prioieiro de tioveua-
bro de 1819,
-- liesappareceu.no dia 2 do Corrente.um
prelo com tres embrullioj de miuiezas.
conten lo ditos embrulhos, bico e rendas,
filas de linbo o 1.1a, linda* do nvelos de
cores e brancas, deriais, lapes e pen is de
pato, rolarlos e contas, losouras e facas,
caixas de raiz americana para rap o rame
de pescar; este preio se chamoo na rua
para carregar ditos mhrultis e ir'com o
dono dos ditos levar na barcada no caes do
fallecido liamos ; e depuis, discuiJando-
se ou intrelendo-.se o dito dono dru-
dezas, Jcaquim Meudes da Silva, nao son-
be, uiiii. que descaoiinho levou o prelo
com a* miudezas : mas, julgaudo elle o ti-
vase perdido de vista, eque traria as ditas
miudezas ouira vez para a luja, deseancou
no caso; ma. nSo aconteceu assim, por-
que nilo se vo mais o prelo ; e assim ro-
ga-se aos venlelbes e autoridades poli-
ciaca, ou mesmo a qualqu r pessoa parti-
cular a quem elle as olTerecor Ih'as tomem
e o segurem, IrazenJo o dito ou asmiu-
dezas na rua du Ituzario larga, n. 32, toja
de miudezas, a entregar ao seu proprio do-
no, que se gratificara o seu trabtillio : ad-
verando que lam) in levava as ditas miu-
dezas seis pedraa de louza e crees de
escrever.
Foi pegado em o lugar de Maria-Fari-
nha, nudia 15 du prximo passado, um pre-
to que di/, cliamar-se Valerio, de naciiu
Cosa, um lauto bucal, e que nao quer di-
zar quem he aeu sennur: quem se julgai
com iiireiio a elle, procure no dito lugar a
Jos Adelo p. reir, que, d*n lo oa sig-
ilaos, 1 Me sera entregue, sal>sfazeudo as
de.spezas.n3o Picando o aiinuiicianlu res-
pOIMaV'l pela fuga do dilo esclavo.
vITonso Jos de Uliveira, piufessor ju-
bilado na caieira de geographia e historia
do lyeu desla cidade, lem aberlo sua aul.-
particular de primeiras lettras eg'atnmali-
''Ca latina : as pessoas quede seu presumo
" se quizeremutilisar, ldem procura-lo na
rua Direila, u. 120, segundo audar.
- Oabaixo assignodo, como administra-
dor de sua iiiulhc, Blha do liudo Jos An-
tonio Alves da Silva, puplica a sentenca
abaixo declarada que obteve relativamen-
te a socieda lo sb a firma de viuva Alves da
Silva & Filh'is. para conlipcimento dos de-
vedoresdodiff Pinado, Jos Antonio Alves
da Silva, afim de liearein sciPiites quo to-
dos os hens do casal do dito Alves da Silva
estilo obrigadns a dita sociedade, e igual-
mente os pioprioo hens do socio gerente.
Mnrrtllino ot Lopei.
SEN7E.NCA.
Visto estes autos, ppde o autor Mareel-
iino Jos Lopes, como ad mini-Ira lor de sua
mulher, lllha do lina lo Jos Antonio Alvos
da Silva, quo o reo hachare! Francisco Juflu
Carneiro da Cunha, casado com oulra li-
Inadaquelle fallecido, dentro do prazo de
10 dias veoha a este juizo prestar contas, e
por ellas o dividendo dos lucros provenien-
tes da extincta sociedade, represntala pe-
la firma social de viuva Alves da Silva & Pi-
lilos, da qual eia o mesmo reo socio geren-
Ip, e elle autor tamhem socio, por parte de
sur mulher, deven lo o mesmo leu apre-
sentar igualmpute os livros e toda a escrip-
i n r,11; ,1o a pssa sociedade, afim do seren
confrontadas essas contas com pena de se-
questro. O reo de.fende-se c<>m a contpsta-
(flO ; assim, oque ludo visto e mais que
dos autos consta, consi icrando que o ico
n.1o desconhece a ohrga<;3o em que esta
di prestar as contas exigidas pelo autor, i
que nio obstante estar a procder-se in-
ventario, a prestaQilo de contas be iodepen-
denle de qualqu- r oulra achilo que nio po>
de embarazar o conliecimento e exnme do
resultado, ou irausadjilo da sociedade d
que se trata, sendo que pelo contrario da
prestadlod>ssas contas mais regularse tor-
narla o mesmo inventario, e o que a este
fosse pertencente, nSo sendo do rigorosa
iieressi lade que o procedimenlo de um es-
teja dependente do nutro: considerando que
s nenie na apresinlacfio das coutas be que
tem lugar o apreciamento do tola e
qialquer rasilo que po>sa estahelecer o
grao de cligilimi la le e exactidu que deve
It essas mesiias cuntas, para a vista disto
proferir-sea dicisSo, conforme a quesillo
que se houver de agitar: cmsideraudo
que o reo cumo caita da sociedade lem
nbrigaqij deexibir os livros e mais escrip-
luraco, para a vista dessa prestar as suis
cotilas Cor. Tell. Uoutr. das Acc $ 1010
e Mol. Cod. Com. Port. Art. 653 : Consi-
derando Pin lmente que o prazo indicado
pelo autor he por cerloassas limitado, urna
vez que Dio p'ovou sereco estas contas que
possam prestarse em pequeo exuasso de
tempo, sindo que pela piesonte quesillo se
conheco no poder ser feiti essa prestac.3o
do contas, que complicadas como se depre-
hende dos autos, do nandam maior prazo
que o pedido pelo autor : julgo a notifica
i;.1 o por sentenca, e coiidemuo ao ro a que
no expasso de setenta dias improrrogaveis,
contados da pubhca(3o da prosonlu sen-
lenca, preste as coutas ppla forma exigid
a 11. 3, sob pena de sequeslro, e. pague o
roo as cusas. -- Recife, 21 de agosto de
l.sifl. f'.'u.s'iiiir) Manoel da Silva Guimuriei.
N. I! A se n ten i; a cima fui appeliad.-
pelo socio gerente, bem quo esse pdisse
em sua i(inle.|.o;.Hi um prazo quasi Igual
ao que o Sr. juiz concedeu.e declarando qu
eslava nbrigailo a prestar as cuotas exigi-
das : avalir-se, por isso, o que lem em vis
tas o socio gerente acerca das referida^
cuntas.
-- Precisa-se de dous mogos para caixein
da le ; na S -Cruz, paitara por baixodo so-
brado, se dir quem pree:
Agencia de passapo
Tlram-se passapoites para I otro e fon
do imperio, por comino lo p o : na rut.
do Itangel, n 57, sobrado.
No di.i primeiro u orren
te mi/ desappareceiam uous es-
cravos, a saber : um pardo nielo
escuro, secco do corpo, rosto um
pouco comprido; tem um talho
quasi orisontal em cima do nariz ;
tem DOUCI barba
fcs.
I ntro
l \ 'ii :
pouca Ijarba representa tei
de idade 2o annos e be alio; e um
moleque, de nome Anastacio, sec
co do corpo, meio corcovado ; hf
Hoiibo.
Na noite de 6 para 7 dn frrente, foi fur-
tado a um prcto que vcn'lia fazendas, una
grande I-la e um cari .lo com diversas fa-
zendas finas; pois leudo o mesmo prcto,
por motivos do embriaguez, chamado um
ganhdor para carrregar a fazenda, o mes-
mo se evadir com todas as fazendas e al-
gum dinheiro que carregava. Iloga-se, por-
tamos polica uu a qualqupr pe.-oa que
tenha noticia do occoindo, de dirigir-se A
roa da Cadria-Velba n. 21, casa de Manoel
Antonio da Silva Antunes, que sei gralill-
cado com fOO.OUOrs.
Frfcisa-se fallar ao Sr. Jos
da Silva Alves, que teve ou ainda
tem negocio na cidade da Victo-
ria comarca de S.-Anto : na
firaca da Independencia, ns. i3
e i5.
Na rua Imporial, n. 22, aluga-se um
ama forra ou captiva, para o scrviQO de
urna casa de pouca familia, a qual deve
comprar : paga-si bem : tamben) se aluga
ii ni sobradude um andar.
Alugam-st as lujas do Sobrado do Cor-
redor-du'Rispo, propriasp quer pessoa ainda leudo alguma familia : a
tratar no sitio do Campo-Verde.
-- Precisa-se alugar um prelo: na paila-
ra di-ironie da fortaleza das Ciuco-Pontag.
Aluga-se a loja da cas do Atono-da-
Bna-Vsla, u. 22, com bstanles commodos
e fundo : a tratar com Manuel l.uiz da V'eiga
Precisa-sede um anussador: na rua
do KozTO, ii. 13. padaria.
A senhora que mandn fazer urna laia
le bordado de susto, lija de man la-la bus*
.car, visto que a dita saia j esta prompta
desde Janeiro ; pois a senhora Vidornia li-
cou de vir buscar : e cumo no buiba appa-
roei lo, faz-se o presente a nuncio, para
inteligencia da dona, (la da Cruz, II. 68,
por rima da Inja de louca.
-- Manoel Jos Teiteira llastos, subdele-
sado supulenln em exercirio la fegueza
fe S-Jos do llecife, e juiz de paz da mes-
ma freguezia, faz scieute que muJou a sui
residencia para a rua Imperial, sobrado
u. 39.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado
ii. 11 da i na do Annnini, rnni com modus
para pequea familia, por prec;o barato : a
tralar no segundo andar do mesmo so-
bra lo.
O Sr. Francisco Xavier Car-
neiro da Cnnha Caupello queira
por obsequio apparecer na rua
de S.Hita, n. 8j.
- Alnga-se n primeiro andar do sob'ado
n, 8. no largo da Assemhla ". a Iralar com
loaquim Francisco de Alm.
Precisa-se alugar urna ama que tenha
Iiiiiii leile : na rua du Hospicio, n. 9.
Precisa-sede 2 escravos ladinos para
o serviQu brazal, pelos quaes se afiance a
conduca : quem os livor annuucie, ou
lteja-se a rua da Concordia, n. 8
-- lla-se iliiilieiro a premio sobre pnhn-
res de uuroou piala : na rua da Sol, u. 9,
se dir quem da.
Na rua N'uva, n 63, abrem-se elmpri-
mem-seeom toda a perfelijflo, cm qualquer
genero de gravara e em qualquei- metal,
alampa! de resisto, vinlietas, retratos,
msicas, alm de uniros objertul que de-
mand un preceilos cal|igra| hicos romo lot-
Iras de commeicio, bilnetes de visita e r-
tulos : lmii) por en.nmo lo piefo.
I)'iiUvs arlificiars,
J. A. S. Jane, dentista, participa ao res-
p-ilavel publico que conti'ia a exercer a
sua profissilo, na rua estreita do llozario,
u. t, primeiro andar.
ate Clin I eos de yol.
Rua do Passeio. n. 5.
Nesta fabrica ha presentemente um re
A spciedade do que elle faz mensSo, e as i d Oidor a sua conducta : em Fra-de-'or-
sentenes que invoca em seu favor, so oh-1 tas, n. 86. a .*.
pto;epe- Q^^<900p
jectos extiauhos squolle assum
I > que diz lospeilo a ellos, posso flirmar-
Inn i|uo tenho f nos tribuuaes superiores
do plfi peranle os quaes o mou dircitn se-
ra imluliilavelmeiile garantido. Assim,
pois, pude qualquer um quo quizer, con-
correr a arrematac.10, seni embargo rjn pro-
t-si'i do Sr. Mosquita, porque ella he feila
peranle aublriiiade legitima o com aj for-
malidades da lei.
Joaquim Antonio dos Santog Andrade.
ftladame C. Ancelle
com casi de tundas francezas, rua
do Aterro-da-l}a-Vista, n. n,
llecebeu pelo ullimn navio viudo de Fran-
ca um grande sortimento de mudas, t"cs
como : rhapos ricos de vola e do palha,
tanto armados, como som s rem armados ;
litas tesela para cliu .is ; biros de bloii le
V
O Alugam-snevendem-se as verda-
X deiras bixas de llamburgo : na pra?a
^ da Indeppn.lenc.a, n. 10, ao voltar 3
n para a rua das Cruzes. O
o
bt5t&ooood>o60 t&x&o
_ precisa-sode um Porlu^ucz. co-n pre-
ferencia a lilhodasilhas, quesaiba trab-
Iharem sitio, para trabalharem um no lu-
par do Remedio: quem osltvcr nestas c.r-
cumstaucias dirija-so i rua do Crespo, n.
I*. terceiro andar.
Lotera da matriz da Boa-
Vista.
O respectivo thesourpiro, Manoel Conra-
vpI da Si'va, pretende n9o illudir a extec-
a
e ile liulin, tuulo brincos coii>o pr> tos e de tacflo do publico com annuncios imporlu-
tndas as larguras ; m mteleles pretns e de nos do andamemo das rodas desta loterar
cores, da ultima moda ; flores deludas as! esrori;ar-se-ha quanto coubereni SUs for-
quali lailes ; romeiras de lit ede ni.li aia, f;as para com a po-sivel presteza annuncia ;
liordtilas; camiziuhas de Cambraia, borla-
das ; bmcos de inflo, milito 'icos ; I o vas de
pillea, brancas o cor do palha, lauto para
Immein como para senhora ditas dsela
pro'as e de cores ; ditas de lida E>cocia ;
dias pretas som dedos de mulla 11 her a ;
trancas e franjas para vestidos o mantele-
tes; nieuisde seda para senhora; bonetes
de pannoe vellido, para montana .\a tnos-
ma casa fazem-sechapeos pr senlima do
mais apurado gosto, pois que a mesma se-
nhora tem em sua casa urna modista, che-
gada ltimamente du FraiiQa : lainhem se
actia na mesma casa 11 m grande sorlimen-
10 de pe fumarias hygieuicas, sendo ratafl
perfumaras as melhnres que se teini l'a-
bricado al o presante : ha tamhem um sor-
timento de vasos e oulros objectos de pur-
celuiua minio ricos ; escovas de lodas as
qualida les ; esponjas minio linas ; ospelhos
para cima de mesa e pina viagem ; caixas
de Costura muito ricas, com msica e sem
ella ; grvalas de seda, pretas e de cures
par ii.op.'ii! ; lencos do seda ; muas curtas
ile algodo para bomem e menino ; rami-
zas para bomem, brancase de Cores; e mul-
los oulros objeelOS por menos prego que
em nutra qualquer parle.
Q
>
a
lionucopalhico
O
O
l't 111.un!.ni 11, rua da O
Consultorio
em
Cadeia de Santo-Antonio, %
n. 2 2 0
Aspessasquo se qnizerem tratar Q
Cj pela lionoc ipali'ia, po lem dirgir-se ?5
i^> ao mismo COUSUltOlio a quolqucr 0
0 hura do da. 4-:j
o da, a lem do qual n-io devera passar
peranca ilos oompradores ; porque entende
que a essa tlluso em que alguns teem por
vezps leixido o resp< itavel publico, s do-
ve pssa esppce de descrdito, quo lanto
tem demorado n andamento das nossas lo-
teras ; por isso limila-se por ora a annun-
ciaravenda dos bilhetes, o a extrahi-los
com todo oempenho, afim de poder asse-
eurar aos compradores o dia em que deve
rcll impreterivelinenle cor'or.
A vanlagem do plano ja publicado e o fin
religioso para q O foi esta lotera concedi-
da, convida o se luz os tentadores da sorte
a concurierem sem demora para a compra
dos num ros que Ibes preparam a suave
acquisi^flo de hens da fortuna, sem li-co
de grande capital, e com o i-nporle somon-
te du dinuuuta quanlia de 5 ou lO.oii) rs.
por poucos dias.
lies le ja achar-se-h.lo os bilhetes : no
Recife, lujas do thesoureiro e do Vieira
Cambista ; em S-Antonio, botica do J0S0
Mureira Marques, no pateo da Maliiz, ede
Francisco Antonio das Chagas, na rua do
I. vi.am.-ulo loja de llernar lino Jos Moii-
tejio, praoinha do l.ivramento, n 4t ; 110
Aterrn-da-lloa-Visla, luja! de Cuimariles,
n. 14. e ile liuarle Itorges da Silva, n. tS.
Precisa-se alugar um prelo para botar
sentido a urna pequea rasa de cimpn : na
rua do Trapiche-Novo, 0. !(>, casa de Jones
l'alun & Compaiihia.
\
o
Precisa-se aliiL'ar una ana forra, ou
esclava, para CoZillhar o diai io de urna Casa
de honiem solteiro : na rua do Quennadu,
u..42, loja de fazendas.
- I'n cisa-se ne urna ama forra ou Cp-
liva, que aaiha bem engommar e oozinhar
para nina c sa de punca familia, oti lo no
ha enancas: na rua do pilar, em Fra-de-
l'ortas, 11.72, segiimlu miar.
^ICAOdeF^

i
i DEPOSITO GEHAL
^ do superior rap areia-pr.ta
0 da fabrica deGantois Pai-
Ihet&c Companhia, na Ba-
g Ma.
j. Domingos AlvesMatheus, agente da f>
w fabrica de tap superior areia 1 rea
g^>, e meio grosso da llahia, tem aberlo o a
H seu depusilo na rua Cruz, no llecite >)
f> n. .i-', primeiro andar, onde se achara a)
sempre deste excollente e mais acre- a)
g) ditado rap que al o presente se lem .<*)
;}.) fabricado 110 brasil: vende-se em bo- J)
$ les de urna e meia libra, por proco 4)
\> mais com modo do que em oulra qual- t
V,: quer parte. -
Precisa se alugar una preta qu-i saibi
lavar, pngnmmar e coser, para urna casa
leatrangeira : na rua lu Turres, n. 34, das
: II horas al as 3 da tarde. Na mesma casa
BOWM.W & MC. ALLUM, ongenhe-1 (ambem M precisa alugar um proto que
ros nuicliniistase fundidores de forro, mu- enteuda do servido interno, e saiba tratar
respptosamente snnunciam aos Seuhore>
proprielarins de engeiihos, fazendeiros, mi-
neims, negociantes, fabricantes o ao res-
neilavpl publico, que o seu estabelecimento
de forro movido por machina do vapor eon-
Je cuvallos.
Aluga-se a casa terrea n. 73, sita no
viei ro ii.j I. :i-\ i-ia, com quintal e Ctpun-
ba, a qual serve para morada ou para ne-
gocio, por ler bons commodos : a tratar na
"&
sortimento destes objectos do todas as eo-ljis msores pecas de
roso qualidadps, lano de seda cnmo'-Te ||ab,|ilados para en
paniniiho, por procos comino los; ditos pa-
ra senhora, de hom
bem preto e tem mateas de pannos
pelos bracos. U pardo he conhe
cido por Joao Grande, e ambos
pertencemaviuvade Jos Joaquim
de Mesquita; quem os apprehen
der pode conduzi-los rua de San
to-Amaro, sobrado de dous anda-
res, n. 6, que ser generosamen-
te recompensad'1.
- Iloga-se ao Sr. Jos Francisco Matho
sinhos o favor de ir a rua da Cadeia do Ite-
cife, n 20, loja.
Precisa se de um cozinheiro para o
hospital provisorio da ilha do Nugueia : na
rua do l.ivramento, n. 33.
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama de leite forra nu
captiva : na rua da Moda, n. 7, primeiro
andar.
D. Candida Senhorinha Vi-
eira Lasserre, viuva de Bernar-
do Lasserrc, por si e como tu-
tor,! desetis filhos, resol ven con
tinuai- todas as operacoes com
merciaes de sua casa no mes
1110 p e da mesma sorte que ella.-
eram dirigidas pelo finado seu
marido, leudo tustd dala autoii
sado Mr. Lehman para agenciar.
comprar, pagar e tratar todos o>
negocios em seu nome, debaixi
da rasao commercial de Viuv.
Lasserre .
--Precisa-se de urna ama de leite, qu
nao tenha menino : na rua Direiti, n. 9.
--Muito se precisa rallar com o Sr, D-
Vasrura lo : Ha rua do Vig.rio. n. 15, ter
ceno andar.
-- Os libertos Antonio, de nacfio Costa
e Luiza, de nacSo Cosa, vau para a na|lia^
gusto : estes chapos
silo feitns pela ultima muda ; seda adamas-
cada com ricas franjas de retioz. Na mesma
cusa se ada igual soitimento des*da e pan-
innhos i Miando Seilas, para Colirir ai-
mainies servidas : todas oslas faz odas ven-
te ii-seem pnrq.1o c a relalho : tamberr se
concerla qu-lquer chapeo de sol, lanto de
basteas de ferro como de baleia, assim co-
mo umbelas de igrejas: ludo por preco
comino to. v
-- All persnns hsvng claims upon lhe
late Mr. James Marsh are requestid lo send
lliem in iinmediatoly lo lhe Counlin>( llou-
se of Me-s. James Ityder & C, n. 48. ma da
Cadeia llecife, Ihatthey inoy beexaminei
aud poid.
Avisa-so as pessoas que livercm con-
tas do fallecido James Maish de as apresen-
lar no escriptorio de Jone; Ityder & Com-
panhia, no espido de oito das, para serem
pagas.
Oabaixo assignado lendoem o nume-
ro 49 desta l'oiiia um annuncio em qun o
Sr. Antonio Botelho Pinto deMPsquila pro-
testa contra a arremataeflo das lojas de Ter-
ragem e caldoireiro, pertrncentes ao casal
du lallescnlo Jos Perelra Teixeira, sngro e
socio que fui d mesmo ahaixo assiguadu,
arr.'inalae.lo e-la que vai ser Ma pelo con-
scntimenlo oxpressu dus herdeiros do ci-
sal, tutor dos menores e |)r. curador geral,
que todos filram ouvidos por despacho do
respectivo juizo de orph.los, apressa-se a
contestar esle annuncio pela seguinle for-
ma
Nenhum direito tem o Sr. Mosquita a obs-
I ir a ariemalaco deque se Ir-la, nao s
porque o abiixo assignado prestara urn
Ii nica idnea pelo liquido do casal, Jipi
jorque quandu se traa de dividas \t^\\
sala em turma, cuino a queda, tugara men-
cionada arrematado, ninguetn pode obs-
tara pagamento deltas, visto que s se re-
puta em direito pertencer fazenda do
|ual |uer fallescido aquilluque resta, de-
aois dd deduzdas as quantias que elle era
levador. Ora, o abaixo assignado be cre-
or legitimo do casal na importancia de
irinla e um conloa quatrocontus e tantos
1111 ris, como foi com, etentcmeiile prova-
10 p t;. nle o juizo de orphaos : portanto,
leuhum direito tem oSr. Mosquita dear
,'UIT o pagamento desle debito, o mullo
menos de objeclar coulra a arreinata(3o.
tinaem effoctivo ozeincio, e soacha com-' pr*ca da Itoa- Vista, n 6, botica.
piolamenlo montado com apnarellins da pri- aaaaaaaaiMiaaaaaaaaaa^a^aaaaaaaaaaaaaaaaaawaaaaaB
mora qiclidade para a porfeila cimlccco rmnMC
de macbinsmo. | tvOUipi a.__________
para emprehender quaesqupr ^^^^^
obras da sua arle, Itowinan & Me. Callum Compra-se urna canoa de carreira.de
dpsejam mais parlioulai ment chamar a ) um s pao, usada, mas em bom estado, o
atteiic.no publica para a sseguintes, por que soja mamira, de nm.lo que quatro ho-
terem dolas grande surlinionln ja prompta, mensa pnssam transportar para qualquer
S quaes construidas na sua falnicu pdem
Competir rom as fabricadas em paiz es-
trangeiro, tanto em prego como em qua-
lidade da materias primas e mo d'obra,
a saber:
Machinas de vapor da melhorconstrucfto
Moomlas de caima para engeiihos de lo-
dos os tamaiihos, movidas a vapor por agoa
ou animaos.
Rodas d'agoa, mohnos de vento eserra-
as.
Manejos independentes para cavallos.
lidas dentadas.
Agulbos, In mizos e chumacciras.
Cavilhes o parafusos do lodos os tama-
itos.
Taixas, pires, crivos e boceas do toma-
ina.
Monillos de mandioca, movidos a m3o ou
por mu......1, e prensas para a dita.'
Chapas de l'og.lo e frnos de farinha.
Canos de ferro, torueiras de ferro e de
bronze.
Bombas para cacimba ede repucho, mo-
vidas a mio, por animaes 01 vento.
Guindastes, guinchse macacos.
Prensas by Iraolicas e de pirafusn.
Ferragens para navios, carrus e obras pu-
blicas.
Columnas, varandas, grades e portes.
Prensas de copiar cartas e sellar.
Camas, carrus de nulo o arados de ferros,
aU etc.
parlo : quem tiver ae por esta folba.
Comp'iim-se os Mysterins do l/indrea
om potliiguez ; e o primeiro vi Iume das
obras de Canios, edicio de llamburgo :
na rua eslrcits do Ituzario, 11. 4, nu annun-
ce.
-Compra-se papel de embrulho,'(diarios!
a 100 rs a libra, ou a 3,200 rs. a arroba :
no palco Compram-se duas rotulas: nesta ty-
pograpliia, nu na pra(a da Independencia,
Inraria ns. 6 e8.
Compram-se G nu 8 duzias de faboas
do lauro, com 30 palmos decomprlmeatd e
2 a 3 do largura : na rua da Cruz, n 46.
Compra-se urna escrava Ja na^ilo, de
mpia idade, sem vicios neni ach>ques, o quo
s ii'n i'ii/it oM'i'm'n ilc urna casa: na rua
de S -Hita, n. 63, ou annuucie.
Cumpra-so um prelo moco: na rua
lii-olla, 11. 24.
Vendas.
-- Vende-se urna escrava de 19 a 20 an-
uos, a qual engomma, cosee lava de sibo
snfl'i ivelmonte : na rua da Cadea-Vclba, lo-
ja de ferragens, n. 56.
Vende-se um lindo escravo do gento
de Angola, ile I x a -Jo anuos, sem vicio nem
achaque : quem o quizer comprar dirija-so
roa de Santa-Cicia, casa,
a rua de santa-Cicia, casa, :i. 10, quu shi
Aui da superioridad^ das IUM obras, ja i achara cun quem tratar. y*:
gpralmente rocunhecida, llowmau & Me.
Callum garanlem a mais ox oda conl'01 mi-
da le com os mol los e dozenlios lennti 1 los
netos senli oes que sa dignarem de fazer-
Ihesencommendas, anroveilandoa occasi.lo
para agratecereni aos seus numerosos a mi-
llos e freguezos a pref r- ncia com que teem
sido por etles honrados, e asseguram-lhe.-
que nSo pouuarflo e>fnrcos e diligencias
para continuarein a merecer a sua conli
anca.
O vn s do ser Ido.
lie chegado alguns pares desle excel-
lente pelisco : na rua Jo Queimado, loja de
ferragens, n. 14.
--Precisa-se de um pequeo de 14 a 16
annos pata caixairo de urna venda, o qual
Agencia de l'dwin Maw.
Na rua de Apollo armazem n. 6, deM. Cal-
moni 0. Companhia, acha-se constaiitou ente
um grande soitimonlo defeiragens inglezas
para eiigenhus de fabiicar assucar, bem
Como taixas de ferro ruado e balido de dil-
leroiiio.i laiuaiilios o mdelos, niueridas
de dito, lanto para armar em madeia como
rodas de ferro para animaes e agoa, ma-
chinas de vaporde lrr;a de 4 cavallos, alta
prossiio, repariideiras, espumaderas, etc.
de ferro eslauhado. Na mesma agencia acha-
se u 111 sortimento de pesos para balanzas,
escoviiis pata navios, ferro em barra, tanto
quadrado Cuino redondo, satra para ferrei-
111 e urna porc,3o de tinta verde em latas:
tudo por barato prec,o.


*=..

Vende-e urna carteira gnndc, com *
faces ; um cofre de ferro ; una machina do
copiar carias, ja usada, mas cm bom esta-
do : na ra doTrapichj-Novo, n. 14, pri-
me i ro andar.
Vendem-se bustos de gesso represen-
tando fielmente a rainha Victorias o prin-
cipe Alberto; relogios de ouro e do prala,
chega/dos ltimamente da Suissa : estes re-
logios que s3o mni bem acabados.se tor-
nam muito recommendaveis a quaiquer
particular, e adverte-se que ha entre ellos
algunsque andam 8 dias sem precissrem
de corda : na ra da Cruz, no Itecife, n. 55.
Xarope do bosque
para cura da phthislca rm todos os scus dlfl'c-
n riles graos, qur moiiva la por constipa-
.iii's, losse, asdnna, plrurii, eacarroa dcaan-
gue, dr de costado e prito, palpitaban no
coracao, coqueluche, broncliHe, dr na gar-
gunta e tudas as molestias dos orgaos pulmo-
nares.
ACF.NTESGKRAF.SKO BRASIL,
RIO-DR-JANEIRO, RA DO HOSPICIO, X. 40.
Sub-ng'nlri:
Rabia, os Srs. Lima fruaos.
PernainhllCO, os Si-. Nuvars <\ C.
Ceai, o Sr. Ilenrique Hleiy.
Macri, o Sr. l)igo lluruetl.
Maranho, os Srs. Jos Domingos Castro cC.
Par.oSr. Alfrede Kreloir.
Hio-Granfle do sul, o.r. Amonio Teixeira
Palhares.
Campos, n Sr. Eugenio Bricnlens.
Porlo-Alegre, o Sr. A. tornclt.
s.-1'.mili, ii Sr. Unir iriiii- l \.
Parauagu, o Sr. Joan ( losu.n.
Porlo-das-'aixas. os Srs. Hevea <\ Tinoco.
Cidade de Paracai (provincia de Miuas), o
Sr. Jniio Jos de Santa-Anua.
Purli da-Estrella, o Sr. Francisco Alvrs Ma-
chado.
Sanio, o Sr. Sabino de S Vasconcello".
Desterro (Santa-' alharinn), o Sr. Jos Gon-
. a I vos dus Sanios Silva Jnior.
Purto, o Sr. Challes Juhn Kunharal, ra de
S-Miguel, n.47.
Lisboa, o Sr. Jos Mara Parral, ra do Ouro,
ns. 230 e 231.
Lcuiurar-se-ha o publico que cada garrafa
teiu dous papis com a propria asignatura dos
agente R. t.. Yates e;- C, um na gnala com
nina perfoita direerao sobre o modo de usar
dello, o outro no papel involto.
Pode sor mandado com toda a seguiidade
para quaiquer parte do imperio. A's ordens
exeeuiam-se puntualmente.
Vende-se na la dos Quarteis, n. 12.
t V infio de Bordeaux,
das mais superiores qualidades ; 1 em como
vinho de Champanha da nova matea estrel-
lar muilo apreciado, tanto aqui romo na
Europa : vende-se em casa de Kalkmann
Irmios. na ra da Cruz, n. 10.
&&&,:, .,,;^ ,.,.,,*.;,.,~,-.^~^,, *
JRua doCollcgio, n. O.jl
LOTERAS DO IU0-DE-
JANEIRO.
20:000^000
12." DAS MATflZES.

31 Pelo vapor S.-Seb'isHo, sabido do [jv
"(i Rio-de-Janeiro em iC do fallado fe-
B vrreiro, chcgaran bilhetes e cauelas i
j desla lol> ria, que devia cxliahir-sc
f no dia 22 do crrenle.
1 {
4 ^^ wat*** w*tw*w? c? m *
Vende-so urna prela de ncelo Costa,
porm ladina e velha ta trra, aquel sahe
cozlnhar, lavar roupa, engommar liso, fa-
zor todo o mais seiviQO di una casa e he
boa quitandeira de vender na iua : qiieni a
pn tender comprar, dirija-a* a rua larga do
Rozario, n. 22. loja de miudezas.
Vendeni-se garrafas com agoa de La-
barraque reernt'mente rhegada ; r.oarma-
zem da rua <:a Cruz, n. 48.
.-Vendem-se amarras uo >arro : na rua
da Senzalla-Nova, n. 42.
Venden.-se 3 molecotes de 10 a 18 an-
nos ; 4 esclavos o oC'S, de bunias llgiiraSj
4 negrotis de lindas figuras, que engom-
mam e roziiiban ; urna ptima parda: na
rua hiieiia, n. 3.
jLolcria do Rio-de-
Janeiro.
Aos 20:000,000 de rs.
Na loja da praca da Independencia, n. 3,
que deita pira a rua no Queimado e Crespo,
esliio a venda billietes, meios, quarlos, o
tavos e vigosinios d 12' lotera a henolicio
das mulnzes daquolla provincia. Na mes-
illa luja estilo patentes as listas da 52' lole-
lia da salta casa da Misericordia.
Aos Srs. jurisconsultos.
Na rua do Trapiche-Novo, n. 6, vendem-
ullimainente, por preco conimodo :
Lohilo, notas de Mel o;
Hurgo Carnelro, direito civil;
CoelhOda Itocha, dito;
l.iz Teixeira, iio;
larvalho, litihas orfanologicas ;
Correia Telles, digesto puiluguez ;
(ir.ienai.Ois do rimo ;
Motlii, op.ira.
Casa de modas franeczas.
ltue.ssard llillochao.
Rua do Aterrodalioa-
Visiii, n. 1.
Polos ltimos navios viudos de Franca esto
cslabelecimento leicheu um grande surti-
menlo de modas, como srjam : clia|us de
sedaedepalha para tcnlioia ; ricos bicos
.le lilon.le paranoivas; corles de seda para
ditas ; camisinhas de cambraia o lili bor-
dado ; ricos cabeeOes, forneos e relos;
b neos de inflo, de cambraia de linho, lisos
encmente bordados; raputinhos de seda
e de bico; manteletes de dito ; lilas novas ;
bicos linos ; capellas para uoivas ; lloies do
Jaranja ; cassas e cambraias; lils braucos,
lisos o bordados ; fil pretu de seda e de li-
nho, lisop: bordado; luvas de pellica para
homem e senho'a ; luvas de malha abena,
muito finase y^eidadetras; mantas de lu-
co preto, propnas para a quaresma ; lenci-
nhos de te.ia, gaic-a e de reue de todas as
para vestidos e manteletes ; bicos pretos
de todas as larguras; bonetes ile montara;
bareg preto ; mantas do dito assetinadas
para luto ; chai eos de luto para senhora ;
luvas de pellica prela p-ra homem e senho-
ra ; hotOespara enfeilar vestidos ; ricos es-
partilhos para senhora. Tamhem se f chafos e vestidos de senhora, de verda-
deira moda, por preco enmmodo.
-- Vendem-se latas rom excellente ara-
ruta, viuda lo llio-de-Janeiro no caes da
Alfandega, armazem ns. 5 e 7.
Ratatns.
No armazeindc Francisco Dias
Ferreira no caes da Alfandega,
n. 7, vendem-se hlalas, a 5oo
rs. a arroba.
No engenho Paratibe, ditnte deata
praca 3 leguas, do lado do norle, ha para
vender 18 beslas de roda, o 8 quanns tam-
hem de rola ede caiga, em bom esta lo,
e muilo bous de roda : vendem-se por pre-
co muilo em eonta, por querer o dono re-
lirar-se desla provincia, e deseja que os
compradores apparecam quanto antes, vis-
to se querer sabir do lugar o mais breve
pdssivel.
Estrella.
Vende-se a superior holacbinha intitula-
da eslreIN, muilo prrtpiia pura os dnentes
das febrrs, por nilo conler em si assido que
provoque o estomago : na rua Direila,
n. 79.
Vendem-se rasaes de pnmhos os mais
batedons e de mi llmr qulidade que ha na
provincia : na Hoa-\isit na da S.-Cruz,
n. 38. :>'' s 8 limas e ineia da manhfla.
Vendem-se dual Caisas de tai'.aruga
para >a|i feitas no Araraty : na rua do
(>l>uga, loja da esquina defruute da ma-
triz.
Vendem-se 10 lindos moloques de 12 a
18 anuos, sen.lo um driles ptimo cozi-
nheiro. outro empalhador; 8 pretos de 20
a 25 annos; 4 pardos de 16 a 20 anuos, sen-
do un ptimo cozilthi i o, e outro sapalei-
ro ; 3 pardas de 14 a 22 anuos, com habi-
li m!o
aluiiiinis di Has habilidades, e propnas para
todo o servico: n rua doCollegio, n 3.
Vendem-se (jlos para limpar facas,
em grandese pequeas porches a vonla>le
dos compradores ; grasa ingleza n. 97;
conservas e sal refinado: no aitnazcm que
foi do fallecido lraguez.
Vende-se o patacho ameri-
cano liamp, muilo Lom vcleiro,
forrado de cobre, e de lole de
8ooo arrobas : os pretndanles di-
ijnm-se a casados consignatarios,
Ilcnry Porsler & Companhia, na
na do Trapiche, n. 8.
~ Vende-se um jumento por 100,000 rs. :
na rua da Cuia, n. 1. estriban.
4
Vendem-se saccas com muito boa fa-] Na rua do Queimado, n. 14, se dir
rinha do mandioca, a 2,500 ra. cada sacca : quem lem para vender* urna preta de 20 a
na ruadaCad-ia do Becife, ao p do arco 22 annos, de bonita vista, a cual roziuhao
.i. r*Mnn: *,r :...*(,. ,s l.ni'nn .i-, Cu k .. i, \ i ii r i t v i\ i 11 til h C -iH Pilll aliiiim nrl.ltl! in
Esciavos Fgidos
ISilhcles (lo hiode-
?1.1 IMITO.
Aos 20:000,000 de ris.
NA BA DA CAHF.IA DORECIFE, N 24,
LOJA DECAallilii l>A VIL'VA VIEIRA
& l-'ILIIOS.
da Cnni'i'icSo e junto a botica do Sr. Anto-
nio Pedro das Neves.
Novo sor lina en to de fa-
zendas baratas, na rua
do Crespo, n. 6, ao p
do lampea.
Vende-se cassa-chita muito fina, de bo-
nitos padrOes, cores lilas e com 4 palmos
de largura, pelo barato preco de 320 rs. o
covado : cassa franceza de quadros, muito
fina, a 260 rs. o covado; riscadinho de lis-
Iras de linho, a 240 rs. o covado; biim de
leodflo de cores com listra so lado e de bo-
nitos padrees, a 320 rs. o covado; brim
pardo claro, a 1,500 e 1,(00 rs. o corte de
duas varas e urna quarla ; cassa preta com
ramagem branca para luto, a 140 rs. o co-
vado ; zuarte de cores, rom 4 palmos de
largura, a 200 rs. o covado ; dito azul com
vara de largura, a 200 rs. o covado ; risca-
do monstro, a 220 rs. o covado; chitas de
bonitos padrOese cores (xas, a 160 e 180
rs. o covado ; chales de lailttana, a 500 e
800 rs,; cobertores de algodo america-
no, muito superiores, a (40 rs.
~ A bo'rdo da brigue S.-Joe, rhegado
prximamente, vende-se familia de nmi-
diora de superior qualidade, e por menos
preco do queem outra quaiquer parle: os
pretrndenles dirijam-se a bordo do dito
brigue, fundeado defronte do arsenal de
guerra, nu ao llecife, rua da Cruz, n. 66.
Vende-se superior farinlia
de inilho em porcoes e a retalho,
tendo de todas as qualidades a
vonlade do comprador, e por pre-
co milis commodo do que em ou-
Ira quaiquer parle: na rua do
firum, n. a8.
A !t,?tiOO o (rte.
Vendem-se corles de cassa-chita, fina, de
bonitos padiOese com 6varasemeia, pelo
diminuid preco de 2,000 rs. o corte : na
la do Crespo, n. 6, lojaao p do lampeo.
Fardo novo a 5,o00 rs.
Vendem-se sacras grandes com 3 arro-
bas de farelo, rliegadas no ultimo iuvio
de llamburgo : na la do Amoritn, n. 35,
casa de J. J. Tasso Jnior.
Os meihores charutos de
S,-F*>lx.
Silo chegados os meihores charutos de
S.-Flix : na rua do Queimado, n 9, loja.
Vendem-se pecas de o adapolfio largo,
muito encordado, com SO aras, a 2,500,
2.6U0 e 2,800 is.; .lilas derhitas, a 4,200
is. ; ditas de alpodioznho, boa largura,
cum 90 jardas, a tele patacas j el fule de
Colear furmigas : tor tris do theatro voltio,
u. 20, piimeno andar.
A 7,0(10 rs.
diariode urna casa, com algum principio foi do fallecido Mignel PirSo, e ultimami
de engommare lavar; bem como urna par- te da Paulino d Silva Mindcllo llona-aa
da de 25annos. queengomma. lava ecozi- autoridades policiaes e cepitSo de canino
i.ba;um pardo da 40a ISaoaoa, de bon-queaapprehendam e levem-na ao sitio do
tr figura, prop io para pagerT, por ser mu- Arrala I, indo para o be eco do Quiahoain
to esperto; um molecote de 18 a 20 annos. | Jim flaladeira do Mulo, onde existi Jos
de boa figura, e que cozmna bem: aocom- Rodrigues de Mello, que totSo gratificado*
4 Vendcni-se excellenles chapeos ()
* pretos (l massa, rhamados aza de t
"I u c sea, ile Imissiiiia seda e domis %
moderno goslo, pelocomnodo pie- %
I cu de 7.000 rs.: na rua do Cri spo, n. <-
~j II, loja de Antonio Luiz dos Santos fr
% & Companhia. q
# *
Venilc-seum mulatinho mui lindo, de
11 annos ; um moleque. de 10 annos : tudo
em conla, ejlivre das febres andantes:
na tua larga do Rozarlo, loja n. 35.
iHi! quepechinclia !
Na loja no\a dt Aterro-da-Roa-Vista,
rereben os os muitos afortunados bilhiie
meios e cautelas da I2.'luleiia a beneficio
da consirucco e reparos di-s malrizes do
Rio-de-Janeiro, cujas rodasdeviam'ler an-
dado :i 22 .lo mez passado i laii.ln-ii, rece-
bemos a lista da 52. loleiia da Misericor-
dia.
I'RKCOS.
Ilillirles 22,000
Meios II.roo
(Juartos 5.5oO
Oilavhs 2,800
Vigsimos 1,300
Deposito da fabrica de
Todos-os-Ssnios naltahia
Vende-se cm rasa de V o. Rielier & C.
a rua da Cruz, n. 4, algodSo tranpado
daquella fabrica, muito propria para{rarcna
deassucar, rOupa de esrravos efiotroinio
para ledes de pescar, por preco muito com-
modo,
flxccllciilc doce de
arass.
Na rua da Cadeia do Recife, n. 1, arma-
zem de molhados, vende-se excellente do-
ce de arass.
Chegaram novamenle ruada Sen-
zalla->'ova, n. 42, relogios de ouio e prala
patente inglez, para homem e senhora.
A&ENCIA
da fundicao Low-Moor,
RUA DA. SKNZALTA-N0VA, N. 4^.
Neste estabelecimento conti-
na a haverum completo sorti-
mento de moendas e meias moen-
das, para engenho; machinas de
vapor, e tachas de ferro batido c
condo, de todos os taannos,
para dito.
Ra c novo.
O excellente rap Palo Cordeiro, fabri-
cado no Ridide-Juneiio, e chegado no ulti-
mo vapor do sul, acha-se a venda na rua
da Cadeia do Itecife-, n, 19 ; rua do Vigario,
crese pelos; pescotinhos e romeiros dejn. 13; Alciro-Ua-Roa-Visia, casa dos Srs.
cambraia elil ; trancas de todas as creslestima & Hamos ; e na rua do Queimado,!
para vestidos; cuamalole aseda pretas|loja de Jos Dias SimOes. 1
Pelo vaprr S. Stbotltl, enlrado nesle n. 18, vendem-se lencos de pura seda e de
porto no da 27 do prximo p:ssdo ni-/. noos padres, tanto para homem como
uara senhoia, a 1,000 rs cada uiu.
Ovas do serian.
Vende-se este excellente petisco na rua
do Queimado, n. 14, loja de ferragens.
Ursina de angico.
Vende-se resina de angico; peonas de
ema ; mni o boa laiinha de mandioca : lu-
do por preco commodo: na rua do Quei-
mado, n. 14.
--Na casa de modas francezas de mda-
me Buessard Millochau, Atlerro-da-Boa-
V isla, n. 1, ha para a quarrsma risras man-
tas de bico pn to ;c*bi^Oes de bico preto;
sedas pretas : luvas com dedos ; ditas sem
dedos de malha lina ver.ladeira ; lencos de
seda de retroz para pesroco desenhurat;
manleleles de sena ede bico preto; cha-
peos de lodas rs qualidades e de luto,
Vende-se vinlio do Porto muito supe-
rior, em barril de quario e quinto ; farinha
de trigo de todas as qualidades e em meias
barricas; re roz do Porto, prlmeirg quali-
dade: panno e meias de linho ; arcos para
bairicas ; farinha de mandioca em sacras
grandes e a garnel a bordo da sumaca H>
S.-du-Cnraio: ludo por pre?o commodo
na rua do Vigario, n. 11, primeiro andar,
casa de Francisco Alves da Cunha.
Antigo deposito de cal
virgem.
Na ruado Trapiche, n. 17, ha
muilo superior cal virgem de Lis-
boa, por preco muilo commodo.
Arados de ferro.
Na fundicao da Aurora em S.-Amaro ,
em-se arados de ferro diversos mu-
pradorse dir o motivo por que se vende.
Tajxas para engenho.
Na fundicao de ferro da rua do ISrum,
raba-se de rereber um completo sorlimen-
tode taixas de 4 a 8 palmos de bqcca as
quaes acham-se a venda por preco com-
modo e com promplidlo embarcam-se,
ou carregam-seem carros sem despezas ao
comprador.
Tecidos de algodSo tran-
cado da fabrica de To-
dos-ns-Santos.
Na na da Cadeia, n. l't'l,
vendem-se por atacado duas qualidades,
proprias para saceos de assucar a roupa de
escravos.
Polassa da R ussia.
Vende-se superior polassa da Russia, da
mais nova que ha no mercado, por prtc,o
commodo : na rua do Trapiche, n 17. '
farinha nova de S.-.Va-
thens, por preco mui-
to commodo :
vende-se a bordo do patacho na-
cional Jniizode-Cortit(/niet entra-
do urentemente daqticlle porto,
e fundeado em frente da escudi-
nha do Collegio, ou a tratar com
Machado & l'iuheiro, na" rua do
Vigario, n. 19, segundo andar.
Hlalas novas,
a i,2oo rs. ogigode44 libras,
recientemente chegadas do Havre pelo navio
fianrez IJelivpolit : vendem-se no aima-
zem de Joaquim lilippe da Cosa, na rua
do Azeite-de-Peixe, II. 19.
Vende-se una esciava boa cozinhejra,
linaje ir. e eugouimaileira : na la da Glo-
ria, II. 18, OU UO l'uilo do-Mallos, n. 1,
prensa
Alarmclada muito nova.
Na rua da Cruz: n. 60, vende-se merme-
lada de Lisboa, muito nova e por preco
commodo.
Vende-se um bonito cavallo por
barato pico: no Hospicio, em casa de I).
Francisca Thomazia da Concei^Sn Cunha.
-- Vende-se um negro de bonita figura e
muilo bull trabalhador de campo, assim
como outro bom canoeiro: ambos sem de-
leiios ; urna negra de bonita figura e muito
bod cosluieira, roziubeira e lavadena : o
motivo |orque sevendem se dii ao com-
prador: uo Hospicio,em casa de I). Francisca
Thomaziii da CoureicSo Cunha.
-Vende-se um pardo oco, sem vicios
nem achaques, e rom princu ios de pedri-
10 : na rua do Cabug, n, 1 I), loja de nnu-
dezas.
Lotera dollin-de-
Janciro.
.oOO 000 de rs.
Aos !
Na prac
dem-se lu
vi^esuyo
niosina'
da Mise.
una.los em troca dos que tea) a venda.
Flores.
Vendem-se caixinhas com dif-
fereutes cualidades de sementes
defl
la Independencia, n. 4,' ven-
ios, muios, quarlos, oitavos e
.12' lotera das matnzes. Na
se tnoslra a lisia da 52 lotera
dia.ese recehem bilheles pre-
ores, com urna municiosa
no-
el

arinha de mandioca.
Vende-se farinha deS.-Catharinha, muilo
superior, 1 or preco commodo : a bordo do
brigue Cuncei'cfo, fundeado na volta du For-
le-do-Matto, ou a tratar com Manuel Alves
Cuerea Jnior, ou na rua da Cadeia do le-
nle, 11. 38.
Farinha de trigo.
Vende-se superior farinha de trigo fran-
cesa de Provenga, chegada ltimamente de
Marselha: em casa de J. 1. Tasso Jnior, n
ruado Amoro, n. 35.
8
ticia de onde sao uriundas, e
maneira de preparar a Ierra para
a sua semenieia, cousahrm curio-
sa c interessante : na rua da Cruz,
n. 9, escriplorio de Uliveira lr-
mos & Companhia.
Vendem-se aeces da com-
panhia de l'ernamhuco c Parahi-
ba: no esciiplorio de uliveira lr-
mSos & C. 11a roa da Cruz, n. 9
Deposito de Potassa.
Vende se muito nova potassa
de boa qualidade, em barrszinhot.
pequeos de quatro arrobas, por
pieco barato, como j ha muito
lempo se nao vende: nc itecife,
ruada Cadeia, armazem n. 13.
Vendem-fe bons queijos londrinos
ditos de prato muito frescaes e de superior
qualidade, presuntos inglezes para fiam-
bre, ditos portuguezes para panella, Utas
com 2e4 libras de marmelada, ditas com
bolachiDha de Lisboa, ditas de sardinha, di-
las com homilas, frascos com conservas
inglezas, queijos de qualha viudos do Cea-
ra, por barato preco, maulas de toucinhu
iuglez de fumeiro.de 7 a 8 libras cadauma.e
outros niilua gneros de boa qualioue :
na rua da Cruz, no Recife, n. 46.
3i (temas superiores.
NafundicSode C. Siar A Companhia,
em S.-Amaro acham-se a venda moendas
de caima, todas de ferro, de um modelo e
conslruci;fiu muilo Isuperior.
Vendem-se velas de carnauba, feitas
com a melbor perfeicilo e lempeiro para
darem ptima luz, a ,500 rs. a anoba, <
a 3-0 rs. a libra : na loja do primeiro so-
brado da rua Augusta dos quatro do .Mu-
/, uo lado do norte.
Vende-se excedente bolacha para em-
barque e para oarranjo de f. mi lia, a 3.200
rs. a arroba ; e fina de primrira qualidade
e da o eihor farinha que ha no mercado, a
5,800 rs.: na rua amiga do Quartel de po-1
icia, padaria n. 18. '
1lampen se reeonmenda a todos os capitaes
ae embaroacoes que a n8o receba, poia
se protesta com "as penas da lei contra
quem a liver oceulta.
"" F1u8'<>. no dia 27 de fevereiro prximo
!",20,,*.,,, horaa da tarde, a escrava
,,?ffi 'cr,oul. de 22 a 25 annos pouco
^*L .men"s 'he b"lnle reforCa.a do
da, com signal de pannos do canto da n< c-
i.h ch,C0,,5 j,l0t0 ^ olho i">'l.
f.e.a r"u cos,?s h* muit0 lesemba-
?.E ."? 'ar e r.,80nha; levou um -
iido de riscado azul e amarello esbranqui-
cado de chita e por baixo do mesmo urna
saiadezuaneszul j bastante usada'; f0i
vista com un.a irouxa indo do sitio do Ar-
rala! para o Recife onde existe, porem igno-
ra-se o que conlm a trouxa. Eata pr,-i
Fugio, no da 28 de fevereiro, pelas a
horas da larde, o preto Joaquim, de nc!lo
tosa, de24annos pouco mais no menos;
ne alto, cheio do corpo,; lem tres talhos
em cada urna das faces em rnmprimenlo
Jo rosto muito sabidos rara fra; picado
das Hexigas ; lem urna das nrelhas filudas;
a ha 1 ha agora h que Ibe est s.hiodo; lem
orna marca de ferida em um dos res cm
cima do lornozelo do lado de fra em
que firou a cisura branca; qoandn anda faz
um pequen geito; he padeiro ; levo., cal-
cas de.algod.lo trancado arrouxiado, can i-a
de algodilo trancado branro com as nan-
gas (otadas no lugar do sangradourn ; ros-
luma mudar o mime para Domingos quando
foge; Ulive/ nilo saiha dier o nome do
seu seo bor r quem o pegir leve-o ao paleo
da S.-Cruz, 11. 6, padaria, que ser recoiu-
pensado.
.No dia primeiro do cerrenle, fugio, da
olaria de lien lie, um moleque canoeiro,
que indo levar urna canoa de- lijlo ao Sr.
Jo.- Raptisia Ribeirode Faiia na Estancia,
"lepois da entrega abandoiiou a cano dei-
xando-a na eamboa do (.hora-Menino, u
relirou-se; este moleque Chama-se J01-
i| o i m, de nac3o Cacange.de 18 a 20 annos,
sem pona de haiha, roslo redondo, bei-
Cnl um pouco grossos, nariz chato e em ro-
da do inesii o a pella loda arrepanhada que
mais pairee queimadura do que de'eilo
natural ; be quebrado da verilha direita,
por so usa de funda ; levou calcas e ca-
misa de algodilo de fra ; usa de duas ral-
Cas una por cima da outr, e a camisa tam-
be m cosluma n uda-la fiara, que as vezes
appaierecoa urna de riscado azul, ou de
madapolfloe chapeo de palha. Iloga-se as
authoiidades policiaes e capitfies de cam-
10, queoaip'ehondan e levem-no a rua
amiga dos Quarteis de polica, padaria n.
18, que Sern recompensa los.
-- Aoamanhecer do dia 25 de fevereiro
de 1850, fugiram, do engenho Cai.pe, da
fregu?ia deIguarasMj. dousescravos com
os signaes icguintrs: Mximo, eabia-ne-
gro, hai hado, cheio do rorpn, olhos irquc-
uose brancos, falla mansa, j loi suirado;
lem 35 annos; lem urna pequea ferida nu
dedo io mi 11 o de um dos | es. m>s quaes
teem algumas rarhaduras ; foi comprado
nesta piafa a Raynundn Callos l.eile, vin-
iiinla villa do Cralo ; foi esrravo do Sr. An-
tonio l.uiz Alves Pequeo Jnior: Antonio
ci ionio, alto, cheio do corpo, olhos peque-
nos e esbranqeiicados, lalla grossa, les bem
feilos ; foi comprado ao Sr. l.uiz Antonio
Rodrigues do Almeida, vindo de Caiirys-
Novos ; lem 25 anuos ; suppo -se que estes
escravos lornni paia estes se rifles. Roga-se
as autoridades (Oliciaes e cpitaes decam-
po, que OS api leliondam e levem-os SO
dito engenho, ao seu senhor, l.uiz Anlonio
da Silva, ou a esta praca, em casa de Jos
l'ereira da Cunha, que gratificar com 50/
rs. 1 01 cada um.
-- Fugio, na noiledo dia 25 de fevereiro,
da rua da l'enha, n. 21, parda Poncianaa,
e.*crava do Sr. Manuel Carneiro da Cunha e
Alhuquerque, senhor do engenho Relia-
Rosa, da Irepuezia de .S.-l.ouiencai.dn-.Mat-
ta ; linha sabido da cadeia ha tres dias, por
ler sido apprehendida no Via 16 do dito
mez, nis Cinco-Pontas, rm urna casa junto
a venda do Portuguez Antonio; he baixa,
cbea do corpo, cabello cacheado, fria de
cara; he mulo marcada debexigasde pou-
co lempo: oiiem a levar a dita casa, sei
recompensado.
50.OOOrs.de gratifiracllo.
Fugio, do engenho Canzunza, Ireguezia
de JaboatSo, na noile de 24 do prximo pas-
sado, o esrravo Joflo, de 30 annos, estatura
regular, bsibabado, denles alvos e lima-
dos, 1 es largos; lem urna cicatriz de um
ledo do rosto ; healfaiaiee trahalha tam-
ben! do sapateiro ; foi surrado ha pouco
tempo, por isso lia de tor cicatrizes de
bacalho as nadegas ; levou can isa de ris-
cado azul, calcas de enfiar da mesma fa-
zenda, alem desla roupa levou outra em
urna trouxa, entres qual apenas te sabe
de um rollete amarello eom listras encar-
nadas : quem o pegar leve-o ao dito ensc-
nhn, ou nesta praca, ao Sr. Jos Theodoro
de Sena, na rua da Cruz.
--Fuilaram, nodia 26 do prximo pas-
sado, do engenho Tapugy. piopiiedade de
Antonio Pereha deSouza Barrozo, urna es-
crava de Angola, alta e secca do corpo, ps
grandes e grossos; ja tem alguna ca-
bellos tu a neos. Roga-se as auroridades po-
liciaes e capules de campo, ou outra quai-
quer pessoa, que a apprehcndam lovem-
nandito mgenho, ou ss Cinco-Pcnlss
venda n. 66
Fugio, no dia 16 do eorrente, da casa
do abaixoassign>do um moleque dennn.e
J0S0, o qual diz a algumas pesauax chamar-
se Constantino, de 19 20 annos, altura re-
gular, corpo sreco ; levou camisa branca e
cHcadebrim trigueoj* usad ; tem una
belide noolhodireilo, um dentecavalgado
em cima do oulro o urna marea em qua-
dro na p direila, proveniente do um caus-
tico: roga aesautoridades policiaeae ca-
pules de campo qunoap rehendam e le-
ve m-no rua dasTrincheiras, por cima do
cariorio do Sr. Cuilhern e Paiiicio.
Un fina Jos I-mandes de ligueiredo.
PaaN. 1 TTP. .0E H. I. DE PABIA. 1850
MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EN52UZCIX_QEZND5 INGEST_TIME 2013-04-24T17:46:34Z PACKAGE AA00011611_06876
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES