Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06803


This item is only available as the following downloads:


Full Text
*.
%r
Anuo XXVI.
Qiiarta-fera 6
PARTIDAS SOS OHMIO.
Goianna e Parahiba, segundase sextas feiras.
Rio-Grandedo-Norle, quimas feiras ao mcio-
dia.
Cabo, SerlnhSem, Rio-Formoso, Porto-Calvo
e Macelo, no l.*, a 11, e 21 de cada mrz.
Garanhuns e Bonito, a 8 e 23.
Iloa-Vista c Florea, a 13 e 28.
Victoria, s quintas feiras.
Olinda, todoa oa diaa.
*. u^ar^jpT.WTarai
Piiises D> i i:i.
KPBEMiatDES.
/Ming. a 3, s 10 h. eM m. da t.
(Nova a 12, da 4 h. c 9 in. da m.
l'.if.r.aill.ji 5 h. eS2 ni. da t.
(Ciieia a28, a Oh.cilm.da ni.
rntAMiK SE BOJE.
Pr i un- i ra aos30 minutoa da larde._
Srgiinda aos Ai minutos da manhaa.
de Fevereroile 1850.
N. 50.
razos oa suBaoairoAo.
Por tres iuezes[adianfadtM} 4/000
Por seis mezcs 8/000
Por mu anno
das da bbkaba.
i Seg. S. Avcntno. Aud. do J. dos orf. e m. 1. v.
j Terf. S. gueda. Aud. da chahc, doJ.dal. v.
do civ. c do doa feitos da faienda.
(i Quart. S. Dorothea. Aud. do J. da 2 v. clvel.
7 unint. S. Romualdo. Aud. do J. dos orf. e do
ni. da 1. v.
8 Sext. S. Juo da Hattn. Aud. do J. da 1. v. do
civ. e do dos feitos da faienda.
9 Sab. S. Apollonia. Aud. da Chauc. e do J. da 2.
v. do criiue.
r*T""ivpiff*wr,^rFP*t**r*ffnftywPt'vi .e" *Ms*^atmr wifiwjasHaMSEBS
is/uuiijjo Dom> s_ ESCC.iaiilca.
CAMBIOS EM 5 BE rZV*BE0.
Sobre Londres. 23'/, d. por 1/000 ra. a 60 diaa.
. Paris, 316.
Lisboa, 100 por cento.
Oaro.-Oncas hespanhoes......... 28/000 a 29/000
MoedaadeG/iOOvelhas.. 17/000 a 17/200
. de O/** novas .. 10/200 a 16*100
. de 4/000........... 9/200 a 9/iUO
/Vala.-Patac8es brasileiros...... /O a 1/-H0
Pesos columnarios....... 1/wO a 1/VIJ
Ditos mellemos.......... 1/800 a 1/820
PARTE OFFI'CIAL.
PROPOSTA E RELATORIO
aprttentadot a aisemhla geral legislativana
primeira sesiSa da oitava legislatura, pelo
mMttro t secretario de tundo dos negocios
da (alenda, Joaquim Jote Rodrigues Torree.
( Continuacflo do n. 29.
Caixa de amortisaedo.
A este estabelecimenlo, primitivamente
credo para administrar a divila interna
fundada, adilitou-se depois a guarda, prepa-
rarlo o assignalura das nota novas, e a
substituicDO, resgate e queimadasque cir-
culam como moda. Nodosempenho des-
tas incumbencias contina a caixa de amor-
lisac.loa mantero crdito imlispensavcl
insliluicflo de tamaita importancia ; c he
songcro para inim roanifeslar-vos o zolo
e dedicarlo com que no excrcicio de suas
fi.nccOes leem oa membros da junta admi-
nistrativa correspondido confianza do go-
vertm imperial.
Km cumplimento ito que dispOcoart. 48
da lei de 28 de outubro de 18*8. foi empre-
gadaem plices de diviila publica de 6 por
rento a quintia de 106:468.000 rs., reatando
no cofre dos juros nSo reclamados no lim
do semestre vencido em SI do julho do an-
no prximo passadoa quantia de 45:428,000
ra., cujos 9/10 devom ter o mesmo des-
tino.
O referido artigo da lei determina que,
quando o dcimo restante nSo fr sufllcion-
lo para fazerfaceao pagamento dos juros
redomados posteriormente, soppra o the-
souro f que domis fr necessario, sendo
depois,#idemnisadn pelos juros das mesmas
apolico, as quaes serfio conservadas era de-
posito, com caueflo no referido cofre.
Assim que, se reclamada fosie boje-toda
.a importancia dos juros em deposito, teria
o Ihesouro publico de pagar a quantia de rs.
106:468,000, da qual nflo pnderia ser in-
demniza Jo senSocooi oa juros que .fssem
voncendo as aplleos em que foi empiegada
ossa quantia, as quaes continuariam a licar
depositadas como caucho de urna divida j
extincla. Parece-me, pois, mais regular que
iludida que os supprimenlos do Ihesouro
rcalisarem o valor de urna ou mais apoli-
ivs, sejam estas vii li.l.-is ou resgatadas,
conforn.e mais convior s circunstancias
do mesnio thesouro.
O i razo de mez e meio de suspensflo das
transferencias para se fazerem os folhas dos
juros foi reduzido a 35 diss nos dous semes-
lics ltimamente lindos, o quealgun tan-
to r.inorou o inconveniente dessa suspen-
8o. Nflo deixo, porm, de reconhecer ain-
da a vantagein da medida lembrada ao cor-
po legislativo no ultimo relatorio por un
dos meus antecessores, a qual consiste em
fazer extensiva, durante a suspensflo das
transferencias, sapolicesde cont daris
a disposc,!Iodo art. 64 da lei de ldeiio-
vi'in ln o de 1827.
Substituido de notas.
A substitucSodas notasde 20 e 100/ que,
conforme o relatorio apresenlado na sessflo
de 1818, continuava anda nesta capital e
as provincias do Goyaz e Matto Gross),
rsts boje concluida em todo o imperio.
Assim que, leem sido j substituidas, de-
pois da rmissflo das notas queserviram para
0 resgate das do e\tincto banco, e das ce-
dulas de cobre, as de 2,000, 5,000, 10,000,
20,000 e 50,000 rs. da primeira estam, as de 5,000, 20,000 e 100,000 rs. da segunda ;
c maior tivera sido o numero das subsli-
luces, se o Ihesouro nao cntendesseque
so devo proceder a essa operaeflo quando as
notas falsa* que pparecem em circulacSo
silo tilo perfeilas, que pdetn Iludir ainda as
ressoas menos incautas.
I'nucas sflo as provincias donde nflo se
tenha recebido participacilo de haver appa-
recido papel falso ;e a tal ponto lem che-
gado n arrojo dos iuteressados tiestas espe-
culares criminosas, que ho sabido faze-
lem-seem algnns pontos de nossos serteg
ajustes dcconipia e venda com a previa con*
dic^o de serum recebidos os pagamentos em
notas falsas.
liste estado de cousas dove inspirar-nos
justas inqtiielHC's, e reclama remedios
piompluse (JDoaiea do corpo legislativo.
A experiencia tem mostrado quo a pe fciQilo
da estampa, a qualidade do papel o as as-
ignaturss3o garantas intillic en lis run -
Ini : I l-i'ie.ie'io. l) ai huno de substituir-
se em lodo o imperio as classes em que ap-
1 aieceiL'iii notas falsas, he o tonel das Un-
naides; lora preciso un coninuo movi-
n.etilo de ubstilucOes, e muilas vezes un-
tes de eatur Icriiiinada a de urna classe, re-
comer-la de novo. R as despezas que dahi
resulta ni, os embarazos que ciusam as the-
Miura lins queja nflo pdem cumprir asobri-
.'nV's do que estilo incumbidas, os gra-
ves abusos a que pdem dar lugar, e a pou-
ca eflicacia de scus rcsnllados, a lurnam
quasi absolutamente Ilusoria.
Cumprv.pois, recorrer a outros meios,em-
bora sacricios pecuniarios sej^m precisos
para cousegui-los. Sero em todo o caso
menores do quo os prejuizos soffridos quo-
tidianamenU por milliaros de pessoas, e os
que resultam do perigoque amiaca tocias
as fortunase da immomlidaJe alimentada
pelas infames especularles dos falsica-
dores.
O resultado das substituyos que se leem
tadas o troco depoisdo prazo marcado pa-
ra o descont, e a outra parle por no terem
appnrecido.
Chegou de Londres a encommenda lo no-
tas annunciada no relatorin antecedente, as
quaes se aclnm recolhidas na caixa de a-
morlis8r;no, onde se est pronedendo ao
exame e conferencia dellas. Fram fabri-
cadas como as ou'rasna ofllcina de Perkins,
e cularam I,. 3,712,15,6, ou cercado rros
33 000,000, incluido o frete o oulras des-
pezas.
O numero de notas desla oncommenda
gb 1,635,000, com o valor de 25,500 con-
tos M ,i he I la n. 18 ), as quaes, juntas s que
e\i-ic'n na caixa, foroiam a reserva total
de 6,765.000 notas de todos os valores ( ta-
bella n. 17 ), importando em 39,300:000,000.
Dellas s estilo encoladas as classes de
1,000 e 2,000 da segunda estampo, com que
se vilo substituindo as dilaceradas desses e
outros valores : das outras classes anda se
nSo emittio nenhuma.
As notas dilaceradas as provincias silo
substituidas pelas respeclivas thesourarias
cusa da renda geral, e no fim de cada se-
mestre inutilisadas e remeltidas ao Ihesou-
ro nacional, o qual asenvia caixa de amor-
tisar;So para screm trocadas por notas cir-
culaveis. .... ,
Em vlrlude da ordem de 26dejuIho de
1845, e oulras posteriores, 0 ihesouro rece-
beu da caixa de DlOrlinC&O, do julho do
dito anno a Janeiro de 1h46 ( tabella n. 19 ),
cm notes novas, a quantia de 3,624:000,000,
parte da qual foi naga mesma caixa j
com as notas de 20,000 e 100,000 da segunda
eslampa, resgHadas com a renda dos exer-
cicios de 1845-1846, 1816-1847 e 1847-
1848, eje com notas das estampas circulan-
tes, que por dilaceradas ram inutilisadas
eremi-ttidasao ihesouro pelas thesourarias
p'ovinciaes. .....
Por este modo a caixa havia sido indem-
nisada at novembro de 1848 da quantia de
rs. 2.437:515,400 por cunta dos referidos
3,624:000,000. Demais, pela orJem circu-
anlo primeiro de maio do 1847 determi-
nou-se que, logo que findasse a substitui-
dlo das notas de 2,000 da primeira estampa,
passagsem dos cofres da substiluicHo para os
das thesourarias provinciaes todas as notas
novas que Imuvessem sobrado dessa e da*
outras substituices, escripturando-se a im-
portancia dellas como supprimento do Ihe-
souro.e sacando letlras sobre este a favor da
caixa de amoitisaco.
Dessas letlras que fram remeltidas em
dilTerentes dalas de junho de 1847 a maio
de 1848, e que mporlain em 319:395,000 rs
nenhuma foi
cretaria do
pirecer da seecjo
de estado, que foi consultada a respeito do
que fica expendido, resolveu o governo que Pd> conseguir-se organis
devora sobr'eslar na applicat;no das notas e 18i a.1i5--46 e 1846 a 47 ; come-
dilaceradas ao pagamento da divida con-j"'-se o do 1847 48, que h. de ser apre-
trahida em 1845 com a caixa de amortisa- senU,,u.na segnnda sessao deste anno ; por-
cSo, porquanlo nfto Ihe ora licito dispr dos se <"" ula escripturago dos diarios de di-
fundos decretados para as despezas do exer- \\e*soa exeicicios; ullimar-si o exame do
cicio entilo correte em beneficio das que dilTerentes conlas que ja eslava comecado;
haviam sido feilas por conta do de 1845- e hnalmetite dar-se principio ao exame do
1846, ncm tau pouco devra pagar as letlras oulrs, cootas. Do que lica exposto a res-
supramencionadas, visto como nflo havia Peilo do Ihesouro poir-se-ha julgir do es-
para feo recursos na receita do anno, a cu- ts(l0 "* thesourarias provinciaes.
> i.....inn mu ii ii mu TTm------m------i **-
produzido em todos os balangos seguintes
Para escoimar de ISo saliente inexaclidflo o
de 1816 -- 47 flz demorar a sua impresso,
e por isso nflo ser elle distribuido com os
de 1844 45 e 1845-- 46.
Nao he menos dlgn de reparo a crescida
differenca que se observa entre a reeciti e des-
pezn iln iiioviinenln de fundos ; dillerenca que
nao pode ser capllc.ida seniio pela Ineaclldiio
com que fram escripturadas as oprraces res-
pectivas. Cuiiipre-mc todava declarar, em
abono da verdade, que a unir parle dessas irre-
gularidades proviu da negligencia ou imperi-
cia das thesourarias provinciaes, cujos traba-
Ihos san os elementni da ornnlsaeio dos batn-
eos geraes. Em balde se Ihes expedetn ordena
e lislruccdes : pdem mais com alguiiias del-
las a incuria, a falla do lelo, c porventuia a
Incapacidade dos empregatlos de que sau com-
postas ; e o mais he que nao ha recurso con-
tra senirlhanies obstculos. Nao ha ah quem
tenha as habilit.aces precisas para desempe-
nliar aalisfaclnriamente empregos tao impor-
tantes, que quelra eontenlar-se com a llicsqui-
nha remuneraciio i|tie se Ihes d.i. E tndavia
he incontestavcl que s vista de batneos re-
gular e exactamente organisados p le o cor-
po legislativo julgar da nniieia por que he ad-
ministrada a fazenda publica ; so delles pode
Colher dados e inf.irinacoes que o hbil.tem
para deliberar com seguranca sobre tildo que
dir. respeito renda e dcspez.a dn estado.
Determinando os arts. 5 *e do decreto n.
313 de !8 de outubro de 1843 que o ministro
da faieuda, na mesma necasiao em que apre-
sentnrn balanco definitivo de cada excrcicio,
i pronnoha uin nroi.'eto de b'i para approvacao
qutdacflo do troco docobre, e o assenta- nl,pC()ntls ,,,',,, cxrrcicio, nd.. defu.itiva-
mentodos propriOS nsCIOnaes: a liquila- mente tanto a receita e despe/.a a elle penen-
Cflo da divida activa 0 passva do imperio e cente. como aos interiores ; c que heui assim
seu assentamento; oexamo dosdocumen-ljuallflqiie todos os ezceasos de despeza que {"c,",'
los originaes d s inscripffle '
da divida publica das provi
Pcrnambuco, San-Pedro e G
traz'ndo-se apenas en dia
ame de precaiorias de cmh
levantamenlo de dinlioiros de alsenles. i culoa balancoi'me tenha referido. Para cuni-
^a seceflo de assentamenlo esi em dia a pri-io, porm, fra Indlapeosavel conbener
OrgallisSQSo das ruinas O O expediente rea- 1 com toda e.actid;io a despea paga em cada
tivo a esta ramo de servico c acha-sn,"' dos referidus rxercicios, a que lieou por
do imperio, a escripturaeflo especial da re-
ceita e despeza de Londres, e a escriotura-
eflo do livros auxiliares de receita o despeza.
Achoi.porm.em dia, quando fui encarrega-
do do ministerio dos negocios da fazenda, a
escripturaeflo dos livros mestres, posto que
smente encerrada a dos livros dos exerci-
ciosde 1844 45 al 1817 1848; faltando
pralicar-se o mesnio com os dos annos an-
tecedentes, desde que foi estabelecido o
systoma de escripturaeflo por exercicios.
Achava-se tambero atrasa la a esrriptnr.-i-
5io de llgum diarios, que s eslava feita
nos borradores.
Pelo que toca sos balangos, restiva con-
cluir o de 1844 a 1845, e nem ain la se havia
dado (Minero ats do 1845 a 46 e 1846 47.
Accresccque nunca fram executadas. alm
de oulras, as importantes disposiqo's do
artigo 3* 9." e artigo 12 do regulanvnto
de 15 de abril de 1840; do quo resulta a ful-
la de uniformidade cutre a escripturaffl i do
Ihesouro e das thesourarias, e a itn.iossibi-
I ul id.i de acatitelar-se a lempo quo se facam
despezas llegaes ou sejam excedidos os
crditos distribuidos pelo thesouro.
Quanto scccflo de divida, a qual tem a
seu cargo incumbencias da maior impor-
tancia, ludo eslava e isla ainda ahi em gran-
de atraso. Trabaltlosha nesla sccc,.1o ape-
nas Comenlos, como, v. g., a conta dos ili-
nheiros de ausentes ; outros que nem anda
comecados fram, como silo o exime c l-
naleiro da barca n sen mando, Thomas
Scott, visto nflo poder elle prestar-se ao tra-
badlo de fogo por se achar bastante dnente.
Dilo. Ao presidente da junta qualflea-
do'a de Igtiarass. Em resposla ao nITleio
de Vine. datado de 21 do rorrenle, tenho a
declarar-lhe que, logo que na terceini de-
minga do corrense mez nflo foi possivel or-
ganisar-se a junta qualilieadra, devia
Vmc. ter designado novo di, em que ella
develas ter lugar, e proceder a respeito na
forma da lei ; entretanto, como o nflo tenha
feito, e pede cm o seu citado ollicio lho
marque o dia, ordeno-lhe que de as devi-
ilas providencias para quo impreterivelmeu-
tc se reti'ia a referida junta na ultima do-
minga do mez correnle, ou na pri:neira do
fevereiro.
Portara. Dispensando do registro do
pollo no lenle Uatioel de Mello o Albu-
querque, o nonieando para o substituir ao
alteres do esUido-maior da Mfttindl classu
l.uiz Gomes 1'erreira. l''izeram-sc as Con-
venientes couimunicages.
GotuniriiiiiJo das armas.
Quartel-general do rnmmmlo d'is armas le
l'ernambuco na villa ds .lgoa-1'rela, 30 -le
Janeiro de 1859.
ORDEM DO DIA.
Tendo cu declarado em uiinha ordem do dia
de 28 do nie vigente, que nao iratava do cor-
po de hatedorea ao mando doSr, inajor Fran-
cisco Vctor de Mello e Alhii'iuerqiie, poique
Ignorara os motivos pelos quaes deizaVa elle
inpiir a minlia or.li
i-rvadisslina do
que pe
vam intrincheirados e enguerrilhados, de ma-
tietra que a tropa, cansada de hitar com o ini-
migo que foi coiiiplelamente destrocado, nao
pode fazer a junecao ordenada na Prata no
em mimestava remediar os inconvenientes da de obier eaae resultado. Accreaoein .. esta l0, 0q-icae,. .
graves que resultam de semolhanle estado rasao as que fram presentadas por un dos A(, Sr tnxnT Vctor em particular,
, c em gc-
de COUSas, admilli ao servico da Contadura meus antecessores no relatorlo da segunda ses-l a| a, Srs. IViciaes do carpo de batedores, to-
alguna addidos com as nuihores habilila-
Ccsque pudenrhar, marcando-llios grali-
(icafes rasoaveis.
E cabe aqui ileclarar-vos que,devendo es-
tas gratilicaces ser pagas pelas quan-
lias consignadas no 31 do artigo 7 da lei
de 18 de outubro de 1848, impogsivel foi ao
sao de 184"), as quaes o inhibiraui, como a inim,
de exceular o ineiicionando decreto.
dos escolhidosnd hnc, dirijo os meus louvores
c agi-adcciineiilos pelo limito bein que se por-
taiam, c nutro tanto faco a todas as mais pr.a-
('.i i da motila.
(ras dos contingentes qu-conipuemo inenciona-
Para exeeular-sc o art. 31 da lei de 18 de ou- j C3I p0; r em particular lrra de Cimbrea,
tubro de 18-18 foi Incumbida a seccao de fazen-
da do concelbo de estado de organis.ar o regu-
laineiitn de reforma da casa da moda. epe-
i paga c existem todas na se- I governo poder auginenlar, como Ihe era I dindo-se o decreto de j de agosto prximo p.as-
tltesoro De aecrdo com o pcrmitlido por essa lei, os vencimentos dos aado, que marca as taxas de cunh.agem, fund-
eecflo de'fazenla do concelbo pregados das ihesourarias pro?inciaei. foeaflnacao doouro c .le HorS4*ja
i de pessoal apenas "ro e prata. F. porcpie a cxtincca > dus d.ret-
niaar.se os halanmu 's de mineracao importa a revogacao das Icis
1 ia'c a, ? OOe vedavam a sabida do ouro cu p, assim o
Com este acrese:mu
jas oespezas havia sido applicada a
tancia das referidas lottras.'
impor
Ora, so a contaLilidade lie o meio de as-
segurar a exacta observancia das luis que
(Lili. III H.1.1 I. .' 1 1.(1.' Hl.t..-.. -
Existem. porta lo. em circula;flo mais de reguam a receita e desp-za do estado; se
1,400 conloa, resto das quantias emiltidas heella ind.sp.nsavol paraque possam ocor-
' ...i .un. ih.'.i o f\ .ViU* .i ii .. v ri'i.r pelos meios que deixo indicados.
Tkeiouro e thesourarias.
Repelidas vezes teem os meus antecesso
res exposto ao corpo legislativo que a con-
tadoria geral de revisti nunca desemre-
iihoii nem pode desempeuhar salisfactoria-
monte as incumboncias que Ihe deram a
lei de 4 de outubro de 1831 e outras poste-
riores ; mas que o atraso de scus trbaldos
foiaggravadn pela transferencia da thesou-
raria do Rio-de-Janeiro para Nictheroy.
Dopois dessa transferencia lieou compe-
lindo contadoria geral de revitSo. alm
das importantes e numerosas altribuic.es
que j iinha, tomar directamente as contas
de todos os responsaveis pela receita e des- ,,.,.,,.,., .,..
pez no municipio da corte ;e todava des- ercicios que perlencem.
do w35 a' setembro de 1848 apenas "fram
po legislativo e o governo exercer a inspec-
580 quo Ihes competo sobre a maueira de
arrecadar e despender as rends nacionaes,
frcoso he estibelecc-la tflo elTIcaz como o
exigem os grandes nlercsses que ella ser-
ve do garanta. Apresentar-vos-bci, se-
nhores, urna proposta na qual consignarei
oque julgo conveniente decretar-se sobre
esta importante parlo da adaiinistracflo pu-
blica.
Como j disse, organisaram-se batneos
dos exeicicios do 1844 45, 1845-46 e
1846 47, que vflo ser apresentados ao car-
po legislativo.
Devo todava, para ser franco, confessar
que esses documentos nflo merecem anda
o titulo do claro e exacto resumo histrico
dasoperaces de receita e despeza dos ex-
tomadas, alm de oulras de pequea impor-
Para justificar esta 1.....ha assereflo basta
tancia, as contas do thesoureiro geral dos considerar que figura cm lodos eles como
annos finaneeirosde 183334at 184344; 'saldo na provincia do Itio-Grande de San-
do mesmo, como Ihesoureiro da provincia,
de 1833-34 at 183536 : as do marquez
Pedro do til, alein de 92 cotilos provenien-
tes de dons gratuitos, de cujo pagamento
de Itarbicetia, como encarregado de diver- estilo sontas as pessoas que os haviam da-
las misses na Kuropa ; as doviaoendd do (do para as despezas da guerra, a avultadis-
liabaiana, encarregado do negocios
:
em | sima somma de mais de dous mil conlos de
Londres ; as do commissario geral do exer- res, os quaes eslilo lu mullo lempo des-
cilo dos annos de 1818 a 1831 ; asdolhesou- pendidos, e que a thesouraria respectiva
reiro do consulado dos annos da 1837 a aprsenla em seus balancos como diniieiro
1838; as do tnesoureiro dos ordenados do existente, por ter tido o iudisculpavel do-
exercicio de 1846--47 e 184748 ; as do ihe- leixo de nflo classificar os documentos des-
soureiro da caixa da subsiituico dasinntas sa despeza. Figura ainda no balni(o de
dos annos do 1835 a 1845; as das loteras at 1843 4, como sal Jo existento em l.on-
1847; o finalmente revistas as conlas dr<;dres no lim desse ejercicio, a somma de
inesouiei o geral de1840a 1844, reviso 1,58* 099.234 rs., equivalente a 1......
que se mandou proceder em consequencia 169,904,2,10 ao cambio de 26 l|-2. Nflo obs-
do roubo de bilheles de lotera deque 86 tante oslar este saldo captivo ao pagamen-
dou conta no relatorio do 1847. lo dos dividendos de outubro e dezemhro
Comparados estes trabadlos com os quo do 1846, pareceu-me exagerado, e portanto
deveram ter sido feitos, quasi que se pode inexactos os clculos sobre que se uodara.
osseverar que a contadoria geral deixou in- | |'iz proceder, puis, aos exames necossaros
leiramenle do satisfazor i esta Importan- para descubrir o engao que me parocia
lissima paite de suas incumbencias. ; existir, e com elfeilo verificou-su que nos
Pelo que toca s cuntas lomadas pelas balancos de 1840 41 e 1841 42 nflo se
thesourarias provinciaes, nflo ha urna s havia altendidu nos saldos dados como ex-
que tenha sido revista pola contadoria isioutes em poder de nossos agentes em
geral. Londres ao suppiimenio do 1,71,734,11,7
feito depo.s daembsflo das notas da pri- Quanto aescr.pturac.no, cumpre-me de- que. alera das 100.000, da que ja lallei,
n.ei.acs ampa moslra que foi perdida pelos'clarar que nunca se deu execueflo lei e ro- liajiaiu feito ao Ihesouro ea. 1839 40 e
portador s dellas avu Uda qttapliaTrt. gulaoienUM aparle quo maudam fazera '8*0-41 Lste eug.no, dedo semduvi-
530:533,500, parle por terem ido presen- escripturaso central da recolta o despeza. da a falta de esc. ipiuracao regular, futre-
qil
declaroii o governo, determinando que se ob-
srrvassem lias mesas de consulado as dispnsl-
ces do decreto o. lil de 1 de Janeiro de \M7,
que regulou o despacho da sabida dos diaman-
tes, calcnlaudo-se sobre o valor de 3,41509 por
oitava a cobrauca de 2 por cento de exportacao
a que be subjeito o dito ouro. Oelerminoii-se
mais que no despacho de cxporlacan das bar-
ras de ouro que se llier lias referidas mesas
para pagamento de 1 por cento se calcule so-
bre o valor de 3/960 por oitava de 22 qutales,
e pinpui. ion.alinenie as de dillereiile toque
quando licm fundidas as casas de foiiln, ao
e de ion. da; inaa, se o l.'.ivni por particulares,
sr reputem como ouro cm p pa pagarcui 2
por cento aobre o valor de 3/000.
(Continuar- st-ha.)
tiUVERN DA PKOVIiXGIA.
EXPEOIE-NTE DO DIA 24 DE JANEIRO,
Oflicio. Ao commandante das armas,
recommendanJo u expedicflo de suas or-
dens, alim de que passem para a companhia
fixa de cavallaria desla provincia os solda-
dos do segundo batalhflodeartilharia a p,
Jos Rodrigues Vivir, Miuoel francisco,
Joflo l'errcira doNascimento, Joflo Jos de
Sant'Ai.na eManoel Jos da Rocha, e do
quinto de fuzileiros o cabo Andr Joaquim
o os .soldados l'orlrio da Silva, l'olticeno
Ro Dgnese Elootorio Correia, visto serem
apios para servir na referida companhia em
subslituicflo s pracas que tiveram passa-
em para os corpos da corle.
Dito. Ao commandanie da prac.a, com
mullicando haver marcado o dia 28 do cor-
rente para reuniflo da junta de justica ;
ordenando que mande visar dous olliciaes
superioies para servtrem de vogaes da re-
ferida junta Scientilicou-so os vogaes.
DitoAo mesmo, nloiraiido-o de ter
arbitrado ao cabo do segundo batalhflo de
artilharia a p, Tl.omaz de Aquino Rosa, a
gran lica cflo de cen mil res, por se ler of-
rerocdo para continuar a servir no exerci-
lo. -- Coinmunicou-sa ao inspector da pa-
gadura militar.
Dito.--Ao inspector da thesouraria da fa-
zenda, auti.risau iii-n a aaliafater o pedido
que dev.dve da pagadoria militar na impor-
tancia de 15:000,000 is.
Dito. Ao director do arsenal de guerra,
concedemio a autorisaQflo quo pede para
despender a quanlia de 8,000 rs. com a
promplificacflo do quadro de banleiras re-
quisitado polo cominandant da fotlaleza
do I!. 11.11.
Dito.--Ao inspector da thesouraria da
fazenda provincial, para que, u visla do
contrato, mande pagar ao arrematante do
segundo lauro do caes da ra da Aurora,
Antonio Jos Comes iio Correio, a primeira
das (.restaos por que so ohr.gou a fazer a
mencionada obra. Scientificou-se o ad-
ministrador das obras publicas.
Dito. ~ Ao commandanie do vapor Thetlt,
dizendo que pode fazer desouibarcar o for-
que com distinecao se tem poi lado nos ataques
que lia lldo. Nestr combale teve ella4 morios
c I ferido ; os ludios do Cocal, 1 sargento fe-
i ido; ea l'rca de linha, 1 corneta levemente.
Tambeiu faco constar que a perda do iiiiinigo
no ataque do da 20 foi inalor do que a eleri-
da na j citada ordem do dia, porque a frca
que inandei acampar no ponto do Cousseiro,
explorando e preparando o seu novo acampa-
mento, descobrlo 6 morios em um escondrijo,
assim como certos papis, cujo cometido, se-
gundo a sua Importancia, tambein farel publi-
co, lie desuppr que outro lauto aconteeesse
nos demais pontos onde nao acaiiipou frca do
governo, e que por isso nao fram observados.
Jos Juaqiiim CoaMo.Conforme. -Outlktrms
dns Sanios Smei Cadt, alferes scivuido de se-
cretario interino.
r.omiiiamio da pra^a.
Quartel do eommaniln da praca na eiilaile do
Hesite de l'ernambuco, 27 de Janeiro de
1850
ORDEM DO DIA N. 1.
Em consequencia de acbar-se doenle o Sr.
lenentc-coioucl Jos Mara Ildefonso Jacoine
da Vciga Pcssoa, resolveu o Eira. Sr. pres-
deme da provincia, em pqrtaria de honleni lir-
nii 11, que cu assumissc o coinuianiloda pra-
ca ; o que faco publico para conhecimeiilo da
guarnicao. Continuando no ejercicio de aju-
dante de ordena e cncarrc;ado do delalbe o
Sr. aleles Alexaiidrc Augusto de Krias Villar,
e de secretarlo militar o Sr. alferes Antonio
Maltoso de Andrade Cmara, ficain tambein
ein vigor todas as ordeus c dalallUM do servico
at que poasa coiivencer-me da conveniencia
de algunia allerae.io.Francisco Jacintno I e-
ira, coronel de segunda liaba c coinnicndau-
te da praca.
Quartel do commando da prafa na cidade d
litare de Pernambuco, 27 de Janeiro de
1850.
ORDEM DO DIA ADDIC103AL A DE .N.' 1.
O Illin. Sr. coronel commandante da prafa
manda fazer publico, para conliecimcnto da
guarnicao, que por ofHcio do Exui. Sr. presi-
dente da provincia de 20 do crreme llic foi
participado haver o mesmo Exm Sr. concedi-
do liecnca para reaidir na comarca do Rio-For-
moso, eiiiquanlo nao frem precisos oa seua
servico, ao Sr. lenle da segunda classe do
HCrcito Joflo Marinho FalcSodc Albuquerquc.
Assignado, Mexandre Augusto de trias
Villar, alferes ajudanto de ordena.
INTERIOR.
ALAGOAS.
Extracto do expediente do Exm. Sr. presiden-
te Dr. Jos liento da Cunha e Figueiredo.
23 DE DEZEMBRO.
O'licio. Ao alferes Paulino Nery da Fon-
seca, para que receba o resto do armamento
que dexou de recober, e rolre-se inme-
diatamente da villa de l'orto-do-Pedras.
Dilo. -- Ao delegado Francisco Elias Pe-
rda, para que.logo que este Ihe chegue s
raflos.roceba do commandante do briguc-es-
cuna Canopo, os Africanos quosoacham to
patacho por elle apprehendido, e os faga re-
colher no quartel militar sb a guarda e
ii prcivn


esi.onsahilidade do eommandante da guar-frosica-o legislativa a respeito de quem devo
iiicaoa qucm se oilicia devendo ministrar I substituir o sacri '
!2!
aosmesmos Africanos os alimentos deque
necpssitarem t segunda ordem.
Dito Ao eommandante da guarnic.lo
Salvador Pcrci-a da llosa e Silva, para que
suva-se de* receber do delegado Francisco
Elias Pereira, o de recelliprao quartel mili-
tar com segurancu e debaxodesa respon
salilidailo, os Africanos que foram apprc-
liendidos nos morros da Camaragibe e que
se acham no patacho appresionado polo
eommandante do hrigue-escuna Canopo, Pi-
cando na intellifencia deque o mesmo de-
legado heautorisado a despender o que fr
recessario com os alimentos dos mesmos
Africanos, al segunda ordem da presi-
dencia.
l)ito. Ao mesmo commandanto da
guarnicSo, para que, logo que este receber,
mande com toda a hrevjdade entregar ao
c| naodo porto 4,000 rartuxoscmballados
le adarme t7, para screm remedidos ao
eommandante do brigue Canope.
Dito. Ao eommandante do brigue-es-
cuna Campo. Depois de caneado de espe-
ra-lo na harra de Porto-de-Pedras recebi
boje o scu ollicio do 21 do corrente, parlici-
pando-me haver voltado para o porto de
alaceio, por mo poder o patacho apresiona-
du na enseada de Camaragibe velejar para o
l'orlo-de-Pedras conforme Ihe havia orde-
nado: niio pudendo reprovar a sua delihe-
racilo lillia da necessidade, cumpre ordo-
n r lhe que logo que esle receber entregue
ao delegado Francisco Klias Pereira os Afri-
canos que se acham i bordo do patacho, c
que segundo a parlicipaeo do chefe de po-
lica silo files em numero de 77 e mo de 75
conforme Vmc. detlarou no seu ollicio vo
mesmo chota de pnlicn, c depois do rece-
ber do commandanto supererior Sal.ador
Pereira da Ilusa e Silva mais urna porco de
munlcSo as venha immediatamonte trazer
no sea brigue u Porto-de-Pedras, no que lhe
recoinmondo a ma'or brevidade. No seu
trajelo lhe recommendo que vi-nlia extlo-
rando a costa a ver se faz app ehensOe/de
ailigos bellicos a novos contrabandos.
Dito. Ao I)r. dicta de polica. lllm.
Sr.--Con-tando-me que no desembarque
oh reembarque dos Af/ icanos vindos no pa-
tacho Frtiz-Umtlo apprehendido em o mor-
ro de Camaragibe se eslraviVam alguna,
recommendo-lhe que mui laaUntaneaaen-
vte proceda a lodas as pesquixas necessanas
para apprc hende los, mandando capturar
os autores e cumplices de tilo grande alten-
lado. ICcomo sou avisado deque o mesmo
patacho despejara 8 Afi icanos no porto-Je-
Cururipe, recommendo-lhe mu expiessa-
mente que expessa logo suas ordem para
aquelle lugar rom a maior brevidade, paia
que sejam tambem apprehendidoi os ditos
A frcanos, e punidos severamente quem
quer que lr appauhado em um delicio dig-
no da rnaior reprovacflo.
secretario no seu impedimento,
visto que a lei do primeiro de oulubro o
pfto declara, e, no case de negativa, se o
empregado que faz as veres 'de secretario
tem direito pcrcepco do respectivo or-
denado.
Mandou-se ordem ao procurador para, de
accArdo com o advogado, tratar de avahar,
oelos meios lgaos, as casas n. 18 da ra
do Amorim, en 13 da dn Burgos, perten-
centesao patrimonio dos estabelecimenlos
le candado,que em vi'tude do plano da ci-
dade devem ser demolidas.allm de.em lem-
po opportuno, se eflectuar a sua desappro-
priaoSo.
Kxpedio-se ordem sos clavicularlos do
cofre municipal para delle tirarema qtiantia
de 300,000 rs de um deposito feilo no mez
passado, visto ter sido intimado cmara o
respectivo mandado de levanlamento.
Mandou-se determinar aos fiscaes da ci-
dade que despedissem os feitores dos ser-
ventes encarregadosda limpeza das ras, e
que selles incumbe vigiar subre a regula-
ridade desses trabadlos.
I)espacharam-se as i el ico es da adminis-
tra ci o dos eslabelecimentos de caridade,
de Bernardo.Antonio de Miranda, deJoa-
quim Lobato Ferreira, de Jos Carneiro da
Cunha, deJofio Salgado de Castro Aocioli,
de Joaquim de Souza Bois, de Manuel Joa-
quim Malheiros, de Manoel da Cunha Ol
veira, de Manoel Luiz Goncalves, de Pedro
Pereira de Araujo It lii.lo, de Prevolz & C,
e Vdntou se a s 'ssilo.
lu, Manoel Ferreira Aecioli, secretario in-
terino, a cscrevi. Otiveira, presidente. -
Carmn Uonleiro Vianna llenriques da
Silva. Montes.
edeu para mudar de domicilio, dever aprc
sentar autorldade policial dcaie outro lugar
o titulo obtlrto {no qual estar yerbada a coin-
ntinicaco de mudanra.) A' vista desto mulo,
sem mais furmalidadci, lhe ser espedido
outro.
Art. 110, Os ttulos de residencia serao ex-
pedidos gratuitamente, c nao ae poder exigir
quantia aiguma a titulo de aprescutaco, lian
(a, ouqualquer outro pretexto.
COMMERCEO,
PE NAMBUCO
CMARA MUNICIPAL DRL'CIFE.
sessAO EITstORDixiiu em 25 i jasei-
no de 1850.
Presidencia do Sr. Oliveira.
Presentes os Srs Carneiro Monteio, Dr.
Moraos, Forreira, e llcnriques da Silva, fal-
tando com ciusa os mais senhores, abri-
se a sessao, e foi lida e [prvida a acta
da antecdeme.
O srcreItrio Tez a leilura do seguinle ex-
pediento:
L'm ollicio do Rxm, Sr. presidente da pro-
vincia, transiiiillindo dous exemplares d;i
falla com quo S. M. o Imperador abriu *
primeira sessOn .la oitava legislatura da as
seiiihlca geral.Inteirada.
Outro do subdelegado do bairro do Reci-
fe, communicando toremteu poicra quan
lia de 30,ooo is. de urna mulla em que in
torera Jos da Graos Torrea, por ron le
agoas-ardentes a prelcs cscravos sem bi-
Iheles d.i seus aenhores, e qu9 a cmara
Ccsse ordem ao procurador |ara rtcehet
dita multa.--I.xpedio-se ordem ao procura
dor, e mandou-se paiticipar contadoria
Outro do vereador Bodolfo Jo3o Barata de
Almeida, devolvendo nilo so o requermon-
todealguns moradores da freguezia de S.-
Joi, sobica collocucilo de um chafariz n ra do Forte, romo outros papis que csla-
vaoi em scu poder, e dando a rasilo porque
nao lhe fra posslvel dar parecer sobre a
materias cuntidas em ditos papis.Intei-
rada, o mandou-se informar favoravelmen-
le ao governo da provincia a pretencHo do
icferidos moradores da rreguezia de S.-
Jos.
Oulros dos vereadores Mamcde e Vianna,
participando nio podrcm comparecer a
KCrsSo, por se charem ainda oceupadua noa
Irabalboa da junta de qualilicacaoIn-
leirada.
O Sr. vereador presidente n andou a mes
o seguinle requerime-nto que foi approva-
do, icligindo-se logo no sentido delle um>
postura addirional, que foi mandsdi sub-
meller a approvacfio do Extn. presidente da
piovincia:
Attendendo aos graves inconvenientes
que leaullam dos hoapitaes collocados no
centro da ciade, mrmente qiiando reinam
epidemias contagiosas, o sendo do grande
i.lilidade que esses estahcllccimentos ote
jam si mpre situados em lugares onde nun-
ca sepossam tornar prejudiciaes sade
publica; requeiro que esla cmara o ani-
se urna pastura provisoria, que dever sei
sulmietlidaa approvaciio do Kxm. Sr. pre-
sidente da provincia, mandando que os hos-
i.iiai-s nu casas de sade, nilo se possam es-
tahelecnr sent em lugares determinados e
especificados pela cmara, nuvido o conce-
di de mi lulo i,la le publica a esle respeito,
e concedendo um prazo rasoavel para a
transferencia desses estahelecimentos que
nflo se acharem nos lugares que bouverem
de ser marcados para esle fin. Recita, 25
de Janeiro de 18j0.-/ii Correspondencia.
Srs. rtiatUrtl.Pm perfeito conherlmcuto
dos otlrangrirns residentes nesli provincia, e
.ifin de que nao sejam estes Iludidos, qtici-
rain Vrnea. publicar os seguimes arligos do
rcgulamcnto n. 120 de 31 de Janeiro de 1842
U tigilunle.
DOS TTULOS DE BESIDF.NCIA.
Arl. 94. Os estrangeiros, que entrarcm no
brasil, devero apresentar-se nos primeiros
Ires das ao chefe de polica, se residir no lu-
Cur, se nao au delegado, e, finalmente, se nao
liouver delegado no lugar, ao subdelegado,
para obterein titulo de residencia. Eicrp-
liin ni-se:
1. Os agentes diplomticos e consulares das
naed>s rstrangeiras c os individuos que lurem
addidns s legacoes c consulados.
2. Os que pertencerem .i Iripolacao de qual-
quer navio e oelle residirea.
3 0< empregados no srrvi(o nacional, civil
ou militar, cniquanlo nolle permanecerem.
Art. A>. Para obler o titulo de residencia o
rstrangeiro deve declarar seu lime, sobreno-
me, naturalidade, idade, estado, profissao, fnu
para que velo, quando e a sua residencia.
Art. 96. Estas deelaraefles serao laucadas,
segundo o modelo n. 3, cm livio para esse lim
destinado, guardado na secretaria da polica,
onde a liouver, ou no eartorlo do csciivao que
em tal escripturacn servir p i ame o delegado
ou subdelegado, A declaratao ser assignada
pelo estrangeiro, ou por una tesieiniinha a
sen rogo, quando o nao saiba ou pussi faier.
Art. 97. Una cerlido desse termo, segund
o modelo n. 4, ser na mesma occasio entre
gue ao estrangeiro para lhe ervlr de titulo de
residencia. Nos polios co que liouver visita
de polica, esla dever entregar aos estrangei-
ros que chegarem um carlo segundo o mo-
delo n. f>.
Art. 98. O estrangeiro que nao tirar o titulo
de residencia no lempo marcado, ser multado
pela primeira vez na quanlia.de dez a cem mil
ris, e^se dentro de oito dias depois de notifi-
cado nao o tirar, a mulla poder ser elevada
it duzentos mil ris, e aeompanhada de ire-
i Irinla dias de priso Se nilo dias depois de
cumplir esta pena anda insistir em nao tirar o
titulo, continuarlo a ser-lhc Impostas as mes-
oas penas pela reincidencia, devendo a auto-
ridade policial dar parte do oceorrdo i secre-
tara de eslado dos negocios da juslica na cor-
le e provincia do Itio-de-J.inero, e nal outras
ao presidente, para que possa ser expulso do
imperio, seassim se julgar conveniente.
Art. 99. Aquelle que nao reformar o titulo
nos prazos nelle mateados, incorrer na quar-
la parle destas penas. A filia de comuiunlca-
co da Hurlan, i de residencia ou profissao
mbjcia inulta de cinco a rite mil ris, que
se ii duplicando as icsidencias al duzentos
mil ris.
Arl. 100. O prazo marcado no titulo de resi-
dencia para sua duraco, nao poder ser me-
nor que o de um njei, nein maior que o de
um auno, e na designaco desse pra/ei a auto-
rldade policial legular-se-lia pelas circuuis-
laneiaa do individuo, sua residencia r garan-
tas de mu iinl ule e buin procedimeniu que
offerecer.
Art. 101. O estrangeiro que tiver residido
dous annos consecutivos na mesilla i idade ou
villa, ou quatro anuos no imperio, enisoll'icr
processo, ou dar motivos que o (orneiu suspei-
lo, ter um titulo sem prazo para reforma, li-
e.nwio nicamente obrigadaa communlcar as
mudan(as de residencia, quaudo tiverein lugar
para fra do municipio.
Art. 102. Todos os estrangeiros residentes
no imperio ao lempo da execucao desle regula.
ment, ou quefrem casados com uiulhcr bra-
silcira. serio considerados como residcules no
imperio por mais de quatro annos.
Art. 103. Pira obler o titulo de residencia,
deve o estrangeiro aprescnlar o passaporte
com que entrn no imperio, ou aquelle com
que velo de um ponto delle para outro. ou
alias um alleslado do respectivo agente diplo-
mtico ou consular, abonando seu eoinporti-
uiento, ou filialmente una funca de pessua
idnea.
Art. 104. Aquelle que nao poder satisfazrra
uciiliuin destes requisitos, dever ser obriga-
do a apresejilar-se polica cm prazos mais
curtos, nao excedendo a nina vez por semana
Art. 105. Os estrangeiros residentes no Im-
perio ao lempo da execuco deste regulamen-
10, ou que freni casados com inullier brasi-
leira. nao serao obrigados para obler o titulo
a aprisenlar documento algiun. guando, po
rm, a auloridade policial duvide de suas dc-
claraeca, poder exigir alleslado de pessoa
conlieclda,quccoiuprove a veracdade de qual-
qner das duas hypothescs cima irferidas.
Art. I0C. Findo o prazo marcado no titulo,
devera ser elle aprrsentado autoridade poli-
cial competente, que, ou dar novo, ou no
mesmo ampliar o prazo,
Art. 107. Igual apresentaco ter lugar,
qu.ndo o esliaugelro mudar de residencia,
para ser a mudaiica notada no titulo e lvro
respectivo.
Art. 108. O titulo de residencia deve, dentro
de irea dias, ser .'presentado ao Inspector do
quarteiro em que for residir o estrangeiro
para lhe por o visto. A falta desta aprsenla
c.i > ser punida com a mulla de um a dez mil
Jh.
ALFAISDEGA.
Rendimento do dia 5.....12:087,010
Deiearregam kojeti.
Barca franceza Franct mercadorias.
Brigue austraco Mir farinha.
Brigue sueco Rapid taboado.
Barca hamburgueza Mariana merca-
dorias.
Barca franceza l.eonie farinha.
Brigue portuguez Afor/e-e/ii merca-
dorias.
CONSULADO GERAL.
Rendimento do dia 5.....6:345,115
Diversas provincias. ...... 134,700
6:479,815
EXPORTACAO.
Despacha martimos n> fia.5.
Lisboa e Figueira, patacho portuguez
Marta e Joaquina, de 179 toneladas e3|t:
conduz o seguinle:
3 caixas e 30 saceos de assucar com 302
arrobas, 30 barris mel, 125 saceos de assu-
car com 625 arrobas, 99 barris'mel, 6 ta-
huas de vnihalico, 10 barris mel, 4 barricas
de assucar com 15 arrobase 3 libras, 2 bar-
ris do niel, 2 barricas de assucar com 9 ar-
robas o 5 libras, 550 saceos de assucar com
2,750 arrobas, 6 taboas de vinhalico, 22
saceos de assucar com 110 arrobas, i barril
mol, 1 barrica do assucar com 7 arrobas e
9 libras.
Rio-de-Janeiro, patacho americano Jusii-
na, de 166 toneladas: conduz o seguinle:
Lastro de areia com 50 toneladas.
Cibraltar, polaca sarda 1'roviJencia, de
278 toneladas: conduz o seguinle :
3,500 saceos de assucar com 17,500 ar-
robas.
Bio-Grande dosul, brigue nacional Prin-
cipe-!>.-A fomo, de 216 toneladas, conduz o
seguinle :
50 toneladas de lastro de areia.
Itio de-Janeiro com escala pelo Ass, bri-
gue nacional Eiptrilo-Santo, de 200 tonela-
das e meia: conduz o seguinle :
60 toneladas.de lastro de areia.
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 5..... 3:620,561
no das oargas, e descargas dos navios, a
parle do Mosqueiro, pelo lado de Ierra, que
medoia da segunda barca de viga da alfan-
dega para o sul al a popa da terceira barca
da mesma alfondegs, icando amarradas de
maneira que nBo embaracen) o transito das
embarcacOes que tenham de seguir para o
norte e sul do mesmo Mosqueiro ; o para
ancoradourodaquellasdaacitsdaaembsrca-
coes que nilo se empregam constantemen-
te em laes servicos a parte do dito Mosquei-
ro que Tica ao sul do ancorsdoro dos navios
em descarga, em segumento do canal que
val para a barreta, c a que oxiste nos fundos
do arsenal de marinha, pelo lado da mar
pequea, para o norte at a praca publica
prnjecta pela cmara municipal na ruado
Brum, conforme j se declaruu em edilal
desta capitana de II de setemtro de 18(7
Capitana do porlo de Pernambuco, 25 de
Janeiro de 1850.Rodrigo Theoioro dt Irei-
lai, capilOo do porto.
Declaracoes.
-- Perante o cnncelho da administracllo
naval tom decontralar-sea compra decen-
t e eincoenta alqueires de farinha de man-
dioca, medida antiga, para fornecimento
dos navios, armadas e hospitaes de mari-
nha : portento convida-seja todos aquelle.
a quem convier fazerem somelhante venda,
a comparecerem as 12 horas da manhla do
da 7 do corrente, na sala das sesses do
mosmo concedi, com as amostras e pro-
postas
O Sr. director dolyceu manda azer
publico queolyceudesta cidada so abrir
no dia 13 do corrente portanto, os senho-
res que quizerem applicar-se as faculdades
quenellose ensinam, pdem desde i Ira-
tarde malricular-se.
Secretaria do lyceo, 4 do Fevereiro de
1860 Januario Alexandrino da Silva Ka-
bello Caneca, professor de dosenho e secre-
tario.
Thomaz de Aquino Fonseca &, Filho
ra do Vigario, n. 19, primeiro andar, 0'u a
capitao, na praca do Commercio.
^1
io; na
Kepartico da polica.
Movimento do Porto.
Navioi enlradoi no dia 5.
Rio-de-Janeiro 22 dias, brigue sueco ,4c-
tive, de 200 toneladas, capilDo .\. D. Jrn,
equi mgem II, em lastro; a ordem.
Mar-Passlico, l-nlo sabido de New-Bed-
for.l, ha 26 mezes, galera americana Ju-
viw,ile 377 toneladas, ca pililo Silos Tink-
ham, equipagem 29, carga azeito do pei-
Xe; ao cap':1o.
EDITAES.
Rodrigo TneoJoro do Freitas, ofllcial da im-
perial ordem da Boza, cavalleiro da do
Mandou-se consultar ao advoga lo se se I"'""" u eiiYangclT mudle rVafencfo! tjL^ A Y'7' f?n,,"lo com a
devia pagar ao secretario dc-ta cmara o Para sfr a "ludauca uouda no titulo e livro meu"'; a restauracao da Haba por oc-
ordenadodoua 15 de novembroat o ulli- r,,l"cliw' casino da independencia, capiiflodemar
rao de dezembro do anno findo, n.lo obstan- ,08- O Ululo de residencia deve, dentro f.f"*"* d,arm""1 ""onal ei imperial,
le haver elle declarado na sessflo de 14 do de trc* di:"' *cr "Preaentado ao inspector do "8Pr<>r do arsenal de marinha. e capi-
dito mez deiiovcmbroqucniioiiodiacon- 1uar,?ir-i'0 e> 'l"e for residir o estrangeiro ai uo porto desta provincia de Pernam-
tinuar a comparecer as sesso.-s or ter d, par'' lhc ,'"'0. v"- A 'a", de,,a al"escota- bucn> P""- *> al. o Imperador que Dos
seguir para o B.o-de-Ja..ei.o, omo de,iu- a"" PU0,<,a C<"" ",u,la dC "'" a d"..... ETZStJ??
lado a assembla geral, ou se comnetia ao ... er"qUPm convier> 1ue len' d|,S'8-
.mi regado auc fez suas vezesnceber d.i, ^ ,r_. 109-Quar"' estrangeiro, que tiver nado para ancoradouro das alvanrengaa,
^nK^anXu^JSSLylf'SlZ l'laJ de rc,idencia. ahir .ara lora lanchas e mais embarcacoes que se e.n-
oiiimisiio bew como se txiale aiguma dis-ldo disuicw da juriadieco da quem ih'o con- 'pregam no trafico do poito,oo serrijo dia-
O lllm. Sr. Inspector da Ihcsourara dn
lazenda provincial manda fazer publico que,
do da II do corrente mez em diante, pa-
ga m -se os ordenados ornis despezas do
mez do Janeiro prximo passado.
Secretaria da thesouraria da fazenda
provincial de Pernambuco, 5 de fevereiro
de 1850. 0 secretario, Antonio Ferreira
a Knminciaco.
-- O lllm. Sr. inspector da thesouraria da
fazenda provincial, em cumprimento da or-
dem da Esm. Sr. presidente da provincia
de 24 lo corrente, manda fazer publico, que
nos dias 5, 6 c 7 de fevereiro prximo vin-
douro, irfloa praga, perante o tribunal id
minislrativo da mesma thesouraria, para
serem arrematados a quem por menos ii-
zer, os concertos do jardim Botnico de
Olinda, sob as clausulas especiacs abaixo
transcriptas, e pelo preco de 726,400
As pessoasquese uropozerem a esta ar-
remslacflo COmp|recarn na sala Jas sessoes
do snbredito tribunal nos dial cima men-
cionaos pelo meio-dia, competentemente
habilitadas.
E para constarse mandou aflixar o
sent e publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria da fazenda pro-
vincial de Pernambuco, 26 de Janeiro de
1850. O secretario, Antonio Ferreira d'An-
nunciaclo.
Clauulai etpeciaes da arremalaco.
1." Os Irabalhos e obras para os concer-
tos do jardim Botnico de Olinda sero fei-
tos pela forma e srtb as condicOes indicadas
no orcamento, apresenlado nesia data a ap-
provaclo do Exm. Sr. presidente, pelo pre-
ode 726,40o
2.* As obras piincipiarSo no prazo de
um mez, e acabarflo no de quatro, ambos
contados em conformidade do artigo I0.
do rcgulamenlo das arrematacocs.
3.* O pagamento uo importo Ja arre-
malac.no realuar-so-ha depois das obras to-
das concluidas e examinadas pelo eiige-
nheiro.
4. Para ludo o mais que n3o est de-
terminado pelas presentes clausulas segur-
se-ha inteiramente oque dispOe o regula-
mento das arinatacOcs de 11 de iulbo Je
1813.
lllm. e Exm. Sr.Segundo as partea dirigi-
das a eila reparticao desde o dia 2 al hoje
foram presos : iiiioha ordem, Joo de Brit
Correa, por corrccco; Antonio Pereira da
Costa e o eacravo Jos Eloy, por disturbios
os escravos Joao, Januario, Jocob e Viristimo
por infraccao de postura municipal; c o me-
nor Mu nnliii. escravo, por haver maltratado
a urna prela com o cavallo cm que ia corren-
do ; a ordem do delegado do I." distrlclo des-
te termo, o pardo Joo, escravo, sem que me
tivesse sido declarado o motivo : ordem do
delegado do 2." districto deste mesmo termo,
os menores Manoel e- Francisco, para averi-
guaces policiaca : ordem do subdelegado
da freguezia de San-Frci-Pedro-Goncalvcs do
Recife, Hento Luii Vianna, por haver etpan-
cado a urna inulher; oa hnperiaes marinliei-
ros os Joaquim da -ilv.i, por disturbios e
Joa Uarla Hrandao; e o maruio challes Ain'ea-
ddes, por ebrio ; Joao Lula Xavier, por des-
ordeiro, e o Americano John llegon, sem de-
claracao do motivo : ordem do subdelegado
da freguezia de S.-Antonio, os escravos Alfon-
so e Joaquim, por desordelros ; o preto forro
Manoel de Castro, por correccao; e a preta
Antonia, escrava de Joo Rodrigues Randrlra.
porassiui haver requisltado o respectivo se-
pre-
Gabinete dos engenheiros das obras pu-
blicas. 12 ro, 1. L. Vctor Lieulhier. a
nhor.
O subdelegado da freguezia de San Jos par-
i i >- i < tm mi f-, t-tn olTicio de 2 do crreme, que na
ra Augusta haviaoi aido roubados da casa de
Joao Joaquim de Figueiredo certoa objectos
inclusive ouro, pratas e diuheiro assim como
que se tinha arrombado a parededeum ncou-
gue perteiiceute a l'ianciico Carneiro da Silva,
sem que todava tivesse havido roubo.
O ulidelega Jo da freguezia da Varzea,
po' "i -io de 1 e 2 do corrente, communica
q'-i icronymo Rodriiues.com urna facca.fc-
rna gravemente a Mannei da Costa Olivei-
ra, e que, tendo resistido com a mesma faca
a prisito, quo elle de viva voz lhe intimara,
recebera urna cuidada na mfio, outra sobre
urna orelha, e una pancada na c beca, ten-
do sido depois disto preso, e recolhido a ca-
doia desta cidade : communica mais o mes-
mo subdelegado que, na noite do primeiro
deste mez o inspector de quarleiro da Es-
trada-Nova, Bernardo Jos Barata, fora vic-
tima de dezoito laceadas que lhe derain qua-
tro bomens que lhe haviam ido lia ter a por-
ta, depois de estar elle agazighado, diznn lo
que levavam una ordem do subdelegado
para ello cumplir: outrosim, que nessa
mesma noite houveram dous rerimentos
feitos por Joso Manoel, sendo que, al
aquella dala senflo lunha anda podido
prender os autores de semelhan tf s dilictos,
pesar das deligencias en)pregadas.
Dos guarde a V, Exc. Secretaria da
E Pern""buco, 4 de fevereiro de
1850.--lllm e Exm. Sr. Honorio llermto
Carnoiro LeSo, concelheiro de estado, pre-
sidente desta provincia Jos Nicolao lie
gueira Cala, chefe de polica interino.
lllm. eExui. Sr.-llas partes hoje recei-
das nesta repartido, constt lerem sido
hontem |ire>oi miuha ordem Jo.lo Cle-
mente, por suspeito : ordem do subdele-
gado da freguezia do S.-Antonio, os pretos
Alfonsoe Joaquim, escravos daStarr & C,
por rorrecvno : do subdelegado da fre-
guezia de S.-Jos, o pretu Venceslao, que aa
diz escravo do Leandro de tal, para averie
guaces policiaes.
Dos guarde a V. Exc. Secretaria da
polica de Pernambuco, 5 de fevereiro de
18a0.-lllm. eExm Sr. Honorio llermto
Carnoiro Le3o, concelheiro de estado, pre-
sidente desta provincia.--7oie Nicolao l!e-
guetra Costa, chefe de polica interino.
Para Loanda com escala por Mossamedeso
Benguella
a barca brasileira Tentativa-Feliz segur, nar.
todos estes portos, ese acha prompta a re-
ceber carga e passsgeiros : as commodida-
desquea mesma oilerece, ja stto bastante
conheculas nesla praca, e para melhor des-
engao os pretendentes poderlo ir a bo--do
da mesma que se acha Tundeada defronte
do Trapiche-Novo, e para tratar, na ruada
Madre-de-Deos, n. S, com Silva & Grillo
que pretendem faze-la seguir at o (im d
fevereira prximo futuro.
i7/3r\OAr,!!,ly S8he irt>P-elerivelmen-
te a 8 de fevereiro a sumaca nacional Car-
lota, mestre Jos Concilvtas Simas : nara o
resto de carga e passageros lrat,-Se com
LuizJos de Si Araujo, na ra da Cruz,
Para a ilha de S.-Miguel segu via-
gem com brevidade por ter parte de scu
carregamento prompto, o brigue nacional
r.spmlo-Sanlo, capiWo Alexandre Jos AI
ves : para carga e passageros, Jrata-se com
francisco Martins Ferreira, no largo do
Terco, n. 139.
Har Marseille pretndese-
guir, al o dia la do corrente, a
muito veleira barca franceza f ran-
ee : tecebe passageros smente,
para o que lem excellenles cotn-
modos : a tratar com o capito, ou
com os consignatario*, B. Lassrr-
re & Companhia, na ra da Sen-
zalh-Vellia, n. i.38.
--Para Lisboa pretende sabir com brevi-
dade o brigue portuguez Conceiello-Flor-
dt-Lisba, pudendo inda admiltir aigu-
ma carga da praca : tom commolos para
alguns passageros : quem pretender carre-
garou ir de passagem, pode cntender-se
com o capiUo, JoSo Borges Pamplona J-
nior, ou com os consignatarios, Amorim
Irmflos, na ra da Cadeia, n. 9, primolro
finusr.
- Para o Aracaty segu imprelerivel-
mente, no da 19 do corrente, o hiale bu-
vidoso : para o testo da carg e passageros
trata-se ao lado do Corpo-Santo, loja d
mcame.*, n. 25, ou com o meslre, Jos Joa-
quim Alves.
Para a Babia sahe.com a maior brevi-
dade possivel, o hiale S.-JoSo : quem no
mesmo quizercarregar, ou ir de passagem.
dinja-se a Novaes & C., na ra do Trapiche.
n 3*. r '
- Para a Bahia partir infallivelmente o
patacho Fortuna, sexta-feira, 8 do corrente,
por ter seu carregamento engajado : pode
somenle receber aiguma carga iniuda ou
passageros : os pretendentes tratem com
rirmino Jos Flix da Roza, na ra da Sen-
zalla, n. 49.
JLeiles.
Avisos martimos.
Para o Rio-de-Janeiro sahe com multa
brevidade o brigue nacional Minerva, para
oque lem grande parle do carregamento
prompta : quem no mesmo quizer carregar
ou ir de passagem, dirija-se ao seu consig-
natario, Francisco Alves da Cunha, ruado
Vigario, n. II, primeiro andar.
Para o Bio-de-Janero segu com bre-
vidade, por ter parte da carga prompta, o
brigue nacional oui-Amigos : quem no
mesmo quizer carrega'r, ir de passagem ou
embarcar escravos, filie com o Capillo,
Francisco Jos Prales, ou com .Manuel Ig-
nacio de Oliveira, na praca do Commercio,
n. 6, primeiro andar.
Para Lisboa pretende sabir com a maior
brevidade possivel o brigue porfuguez rt'o-
vo-Vencedor, por ler grande pirle de seu
carregamento prompto:
Joaquim Ferreira Mondes Goimarnes
far leil.Hi, porintervencSodo corretor Oli-
veira, em presonca doSr. consol de Poriu-
Kl,e porconta e rislo de quem pertencer,
do brigue poituguoz Anna-Adeluide, capi-
ISo Ignacio Jos de Araujo, arribado a este
porto, aonde foi legalmenle condemnado,
depois de haver saludo do mesmo, carrega-
do de assucar e mais gneros, com doslno
a Lisboa : quarla-feira, 6 do corrente, ao
meio-dia em ponto, porta da asaociacQo
commercal desta praca. Adverte-se que o
casco do dito brigue, sua maslreac.lu, pan-
no o apparelho completo, inclusive a lan-
cha e dous boles : ludo tal qual oa preten-
dentes pdem antecipadamenle examinar
no ancoradouro defronte do trapiche do al-
godSo, se vender cm um nico lote O res-
pectivo inventaro acha-so, por copia, tanto
a bordo, e em caso do vendedor, como no
escriplorio do referido corretor.
Richard Royle far leilo.por interven-
efo do corretor Oliveira, de um grande
sortimcnlodefazeiidas inglesas, todas de
lei : quinta-feirs.7 do corrente, as 10 hora
da manhSa, no seu armazem, ra da Ca-
deia do Recife.
-Kalkmann IrmSos faro leilSo, por in-
terveneflo do corretor Oliveira. do grande
sorlimento de fazendas de seda, Ida, linho,
e de algodo, as mais proprias do mentado:
sexla-fera,8 do corrente, s 10 horas da
iiinnlia em ponto, no seu armazem da ra
da Ctuz.
N. 0. Bieber & C. farSu leilflo, em pre-
senca do Sr. cnsul de Ifamburgo, por n-
tervencSo do corretor Oliveira, e porconta
e risco de quem pertencer. de 25 a 30 raixaa
de assucar mascavado,para do seu p-oduclo
occorreraos gastos com a gsliola hulandeza
Carl-Adolph neste porto, onde ainbou.e
foi legalmenle condemnada na sua recente
viagem procedente de Maroim com desti-
no ao caoal Inglez : sabbado, 9 do corren-
te, s II horas da iiianhai em ponto, no
trapicho, do Angelo.
fVBHPraajBjn
Avisos diversos.
para o reslante e
passageros, para o que offereee excedentes I carrega para mais de 1,200 lijlos
cominodos, trata-se com os consignatarios, I na ra de S.-francisco, casa apatanada.
-- Podro Baplisla do Santa-Ilusa, director
do theatro de S.-Francisco, avisa ao respei-
tavel publico desta cidade que o novo dra-
ma sacro intitulado
AI'RESENTACAODOMESSIAS
no
TEMPLO DE JuaUSU.lt*!,
OU
A degolaco dos innocentes,
promeltido para >r qualro vo7es geen. s/i
ira duas. cm virtudedos trahalhos da com-
panhia franceza. A primeira recita deslc dito
drama lera lugar boje, 6 do corrente. acorc-
panhado do acto da VELIIA, a pe-
dido de mudas pessoas ; ea ullimascr* na
sexta-feira 8 do mesmo. Aa pessoas qje
assignaram para doze recitas e queja paga-
ram, recbenlo do mesmo director as duas
recitas que l'altam a completar as dze.
O o
O Alugam-se e vende.r.-se as yerda- 0
Q deiras bixas de Hamburgo : na praca 0
Q da Independencia, n. 10, ao volUr a
q para a ra das Cruzes. q
&
Aluga-se, ou vende-se urna canoa que
a tratar


I
'
de gratificara quem Ihes presentara refe-
rida salva.
O abaixo asignados fazem scienle ao
publico que compraran) ao Sr. Joaqun da
Silva Pinto a su* venda sita na ra da Cruz,
n. 36, (cando os abaixo assigna los desone-
rados das dividas que a mesma venda te-
nha conlrahido al hoje. Recite, 6 da forja
reiro de 1850. Joao Jos Rodrigue Ven-
de. Antonio Lopes Braga.
-O Sr. M. A. F., empregado publiep,
v quanto antes a ra Nova, luja n. !, pa-
gar a quanlia de 75,000 rs. do tres lettras
vencidas em novembro e dezembro do an-
no prximo passado, e Janeiro do corren te
anno, devendo continuar com o pagamento
mensal de 25,000 rs. como prometiera e
consta de suas lettras a vencer ; pois que,
do' contrario, levar-se-lia este negocio ao
conhecimenlo do Kxm. Sr. presidente da
provincia, a quem so pedir as providencias
necesarias.
-- Em o da 9 do corrente mez rflo impre-
lerivolmente praea, para serem arrema-
tados parante o Dr. juiz do civel da primei-
ra vara, varios movis novos, por cxeruc.lo
de C. Carrncr contra os herdeiros do falle-
cido J080 Baptisla Herbstar : as pessoas
quequzerem langar nos referidos bens,
dignem-se comparecer pelas quatro horas
la tarde no Aterro-da-Boa-Vista, n. 27, on-
--Precs-e de dus pretas, que sejam
fiis e capazos para venlerem na rus, pa-
gando-se o que se ajuatsr: no pateo do
Carmo, venda n. I,
-- Quem precisar de um Portuguez sol-
teiro para administrador de qualquer en-
genho, ou caixeiro, diriji-8 ao Passeio,
taberna doSr. Medeiros.
Quem precisar de urna ama para o ser-i
vico de rasa, tanto de homem-solteiro, co-
mo de qualquer familia, a qual d fiador a
sua conducta, dirija-se ruada Penha, so-
brado n. 27.
-- Precisa-se alugar um ou dous pretos
para carregarem fazendas pelas ras : na
rua do Queimado, loja do miudezas, n. 25.
O abaixo assignado faz publico que
traspassou sua venda, sita na ra da 11. 36, aos Srs. JoSoJos Rodrigues alendes
e Antonio Lopes Braga, ficaodo os meamos
Srs. desnnerados das dividasque a nesma
devea praca.e o abaixo assignado respon-
savel pela liquidado das mesmas; o para
clareza faz o presenta annuncio. Recife, 6
de fevereiro de 1850.
Joaquim da Silva nulo.
Como quer que, o Sr. Msnoel Antonio
deAraujo Real, e algn de seus prenles
tenham propalado quosua deportarlo Jes-
la provincia para ao do Uio-de-Janeiro em
1849, seja devida a alguem que mora lias
Cinoo-I'ontas, adverle-se-lhe que dita de- I de ser effeiluada a praga, visto assim ler
po'tacflo fui parto da parte que o Sr. Ileal.'promettido o juiz deexecugSo, a requeri-
mentodos exocutados.
Precisa-se de um caixeiro para venda,
que tenha pratica da mesma e que d fiador
a sua conduela : na ra do Livrameuto, nu-
mero 32.
--O baxo assignado faz scienle a quem
inlcressar que, tendo annuncado para ser
pprehendida urna escrava de Manuel Ma-
rinho, de nnmoEleuteria, morador no en-
gatillo Pao-Santo, freguzia do Cabo, acon-
tece que no da 31 de Janeiro proxi no pas-
sado Ihe foi entregue urna escrava do mes-
mo nome, que andava tamliom fugila, e
dizia ser escrava do dito Mmoel Marinho,
em vittude do que tomei coila, avisando,
o mesmo snhor para vir lomar conta, e
por elle me foi dito nlo ser a dita escrava
sua ; passan loa averiguar, me foi confes-
sado pela dita escrava ser do sonlior Fran-
cisco Manoel de Paula, tendo appellido de
Pillo, residente na cidade da Paraliiba do
norte, na ra do Mata-Negro : por Isso ro-
ga-se ao mesmo senhor de a mandar rece-
bor na residencia do abaixo .signado, na
ra do Collcgio, n. I, pagando todas as des-
pezas que o mesmo tem feito : tambein ad-
vertoque se nflo responsabilisa por qual-
quer aconten inculto que pnssa ler a mesma
escrava, e muito menos pela fuga.
Malhias de Atevedn Villarouco.
Umbelina IKand'rley Poixoto, t-.-n sua
aula no segundo andar do sobrado na es-
quinado Ouvidor, defronte do Hotel Com-
mercio, recebe pensionistas, meias pensio-
nistas e externas : prometi tola a noli vi -
dado afim de desempenhar bem a impor-
tante tarefa que incumbe-se. Kns'ma a ler,
escrever, contr, arithmelica, grammatica
nacional, bordar o marcar do todas as qua-
lidades.
Precisi-se alugar urna casa commoJs
para grande familia, em boa ra do bairro
de S.-Antonio, 011 da Boa-Vista : quem ti-
rer, dirija-se ra da Cadeia do Recite, n
20, primeiro andar.
O substituto de philosopqia e geome-
tra do collcgio das arles avisa a quem con-
vier, que a matricula de geometra se aclia
berta om sua casa, em Olinda, ra de Ma-
tbias-Ferrcira, n. 45.
- Roga-soaoSr. Padre Silvestre, que mo-
rn na ra da Paz, baja de ao menos entre-
gar es cbaves de ililacasaem que mornu,
e a quinze das so mudou, pois que be > u 11
cente o aluguel de 111:1 is de um anno que
sua reverendissima deixou de pagar, com
os seus venha logo.
A pessoa que annuciou querer com-
prar urna prt-ta mira, sem vicios nem cha-
qus, e que sai la cozinbar e engommar,
querendo urna que isso sabe, dirija-se a ra
da Trempe, n. 48.
-- Na ra Direita, padaria n. 26, d-se
pito de vendagem a prelassubre a respon-
sabilidad de seus senhores.
Precisa-se alugar um prcto padeiro :
na ra Direita, padaria n. 26.
Aluga-so o segundo andar do sobrado
n. 46 da rua das Trincheras^ a tratar no
primeiro andar do mesmo sobrado.
<5
tomou nos acontec montos do da 2 de Fe-
vereiro d 1849, contra o governo nesla ci-
dade, pelo que o Sr. doutor Thom Fernn-
desde Castro Madcira, subdelegado (entilo)
da frrguezia deS.-Jos o fez prender, e nflo
por denuncia que esse alguem das Cinco-
Ponlas dra, como calumniosamente, .0 Sr
Real e alguna de seus prenles queixam-se:
sessem, pois, os Sra. Real e queixosos de
calumniarem a quom por nenhuma manci-
ra os teme, salvo se apparecer ( como tai-
vez dose(em) outro dia 2 ile fevereirol 1 !...
Precis-se comprar urna escrava que
seja perita engommadeira, eolenda de co-
zinha e do maisarranjode urna casi, pre-
l'erindu-se com cria de 6 a 8 mozes : na ra
larga do Rozario, n. 139, taberna da esqui-
na, ou no primeiro andar por cima da dita
taberna.
Iia-se dinheiro a premio sobre penho-
res'do ouro ou prata, em pequeas quan-
tias: na ruadasTrincheiras, n. 18. sobra-
do ile um andar,
Precisa-se alugar urna sala que tenha
um quarto para morar um homem solleiro:
quem tiverannuncie,
Precisa-se de urna pessoa para traba-
Ihar em um sitio : na ra Nova, 11.46.
Mara Theo lora Vianna de Carvalho
participa ao respcitavcl publico que abri
a sua aula no dia 4 do corrente.
-- Deseja-se saber quem he nesta praga
procurador do Sr. Jo.lo dos Santos Nunes
dcOliveira, para se Ihe fallar.
--Precisa-so de urna anvi de leite, que
nlo tenha cria : na ra do Quoimado, n
32, segundo andar.
No dia 9 do corrente, s 4 horas da tar
de, aporta do Sr Dr. juiz do civel da se-
gunda vars.se hilo de arrematar dous es-
cravos, penhorados a Jos Rurle & C. por
ser a ultima praca, por execug.lo de Ma-
tlieus Austin & Companhia, escivSo Bap-
tisla.
Precisa-so de um homem que saiba mo-
gir o vender leite: na ra do Hospicio, la-
10 direto, confronte ao Sr. Arsenio, segun-
da casa.
O protessor publico de grammatica la-
tina do bairro do Recite declara que lem a
sua aula abarla desde 4 do eorreule mez.
Un homem que se quolra incumbir de
desleitar vaccas, a Irazor o leite para a
praca, procure, para fazer-se o ajuste, ou
na Turre, fallir com Augusto Xavier de Soil-
za Fonseca, ou no sobrado dos exposlos, na
ra da Roda, com Jos Bernardino.
Dcsappareceu, da roa da Aurora, n
24, dous cariieiros brancos com a frente
preta, muiio mansos e castrados : quem os
ucbou queir mandar entregar- na mesma
casa, que ser gratificado.
AdencAo.
O abaixo assignado previne ao Sr. admi-
nistrador do correio, que desta data em
diaute, so se entregarlo suas carias ao mes-
mo abaixo assignado, ou a qualquer pes-
aba que apresentar urna ordem por oscrpt'
ilo mesmo abaixo asigna lo, afim de ser-
vir de documento ao mesmo Sr. adminis-
trador: isto fazporter desapparecido urna
carta vinda das Alagoas no ultimo vapor.
Joaquim tote Pestoa.
Houbo.
f Na noite do 4 para 5 do crrente,tendo os
abaixo asignados pernoitado 00 Poco-da-
Panelli, fr rondada de su* casa,na ra do
Collegio, n. 8. primeiro andar, os seguimos
oljectos : 250.000 rs ert. dinlioiro, sendo
urna nota de 100,000 rs. e tres de 50,000 rs.,
um alunte de peito, urna luneta do ouj-o
com traneelim de cabello, um mueblo, um
annel, seis botOes do ouro de abertura,
um chapeo prelo do caliera, um par de sa pa-
lies de muro envero izado, o Iguma luupa
branca, 2 bilhetes de lotera, sen lo um 11-
leiro'da matriz da lla-V,u, de n. 4037, e
um quarto da lotera do ltio-do-lineiro(da
Misericordia de S.-Joilo-d'lil-ltei) n. 3534
Os ladrOes eslivernm bastante lempo, pelo
que se tem collagido, entraran* das 10 par
II horas da noite, quandn eslava a porta da
ra aborta,V sahiram, segundo diz um es-
cravo do Sr. Theodoro e Silva que costuma
dormir m> corredor da oseada, e sentir
polas 4 horas da manhSa desceren! dous
homens com un luz, e quandn percebo-
rain o prelo mexer-so, apagaramna, e
brindo a porta da ra evedirain-se, lendo
arrancado urna travessa da cancella e ar-
rombado a ofra porta quo val para a aola
da frenie, as fechaduraa dos bus, gavetas,
guarda-roupa, ele. : roga-se, porlanto, s
autoridades policiaes todas as pesquizaa,
afim de 80 descobrirem os ladies, assim
como s prssoas particulares a gratificarlo
de 100,000 rs. se o descobrirem.Dr. lose
Coiifaltes da Silta.loi Gonealcn da Por-
ciuncuta.
9
-- Detappareccu na noite de 4 do corren-
te do otmarolo da presidencia, no thoalro
de S-Francisco, urna salva de prata, lisa,
com renda de parreira, e que podo ronter
quatro copos com agua : o director do dito
tiieatro roga aos Srs. ourives ou a qualquer
outra prssoa a quero tal objecto frollerec-
do, ou saiham quem o tenha fuado, quei-
ram scionti(ica-|o na casa de sua residencia
(nnncxn o mencionado Ihealroj, que San-
ta-Roza Ihes (cara assaz agradecido, alm
DEPOSITO GERAL '
9 do superior rap areia-prsta
9 da fabrica de Gantois Pai-
Ifie&c Companhia, na Ba-
ha.
Domingos Alvos Mathous, agente da 9
fabrica de rap superior areia preta '4
e meio grosso da Rabia, tem berlo o $
seu deposito na ra Cruz, no Recite A
n. 52, primeiro andar, ondoso chara A
sempre desie excellente o mais ere- ff
t$i ditado rap que t o presente se tem (|
# fabrradu*no Brasil: vende-se em bo-
Sldfdeumae meia libra, por prego
mais commodo do que em outra qual-
tJi quer parte.
?
3***9 A* 91+*+**+* 9,99
O Sr. Theodoro Tavares Jnior queira
lera bondade de ir a loja de fazenlas da
ra do Passeio, n 21, pagar a quantia de
39,81, saldo de sua lettra ; do contrario,
ter de ver o seu nome nesta folha al que
pague esta quantia.
O Sr. Joilo Comes Pessoa luja de ir s
loja de fazendas da ra do Passeio, n. 21.
para se llie entregar urna encommenda.
Precisa-se pouca tamiia : na ra Augusta, n. 30.
Precisa-se de dous capoeiros forros ou
captivos, masquosej.ini diligentes em suas
obrigafes, para audarcm em canoas de
lijlo, do Remedio para o Recite : na ra
larga do Rozarte, padaria, P. 18.
-- l.ino Jos de Castro Araujo embarca
para fura di provincia o pardo Mximo, por
ordem de seu senhor, Antonio Carlos Pe-
reira de Burgo* Ponse de l.eon.
Arreuda-soum excellente sitio na os
Irada que vai para o Ciquii, cjm casa nr,
correr da oslrada: a traUr no mesmo sitio,
11. III, por prego commodo.
Roga-se .0 Sr. Dr A. J. do S C., mo-
rador na cidade de Olinda quo tenha a bon
da.lo de ira loja de fazendas da ra do P.is
seio, i). 21, pagar a quantia de 137,121 rs. I
saldo da leltra que V. S. nlo ignora, slo
no prazo de 3 das; do contrario, se far
publico seu nomo por extenso, nt que pa-
gue.
_ Precisa-se de olficiaes de sapateiro, as-
sim como lamhem seadmiltem aprendizee
forros ou capilivos : na travessa da ra do
Vgario. loja nova.
AfTonsoJos de Oliveira, protessor ju-
bilado na cadeira de geographi* o historia
do lyceu desta cidade, tem aberto sua aula
particular de primeiras lettras e grammati-
ca latina : as pessoas que de seu preslimo
se quizerem ullisar, poden procura-lo na
ra Direita, n. 120, segundo andar.
-- Aluga-so urna boa casa na rus da Msn-
gueira, por commodo prego : a tratar na
ra larga do llozario, n. 38.
OSr. Marcellino Jos de Souza, que
morn na ra de Ilutas em 1847, queira
annunciar sua morada, que se Ihe desoja
follar.
--Precisa-so comprar urna escrava, que
seja perita engommadeira, entenda algu-
ma cousa de cozinha e saiba tratar do mais
arranjo de urna casa : quem tiver annunrie.
Antonio Joaquim Tavares avisa ao ros-
peitavel publico, que, tendo de ira Portu-
gal, afim de tratar de sua ss le, deixa
nesta cidade ene irrogado de seus negocios,
o como seu bastante procurador, ao Sr. l.i-
no Jos de Castro Araujo : porlanto, roga a
todos os Srs. que silo seus devedores de sa-
tisfazerem ao mesmo Sr. com a possivcl
brevidade. O annunciaute, julgando nada
lever, aproveila esle ensejo para declarar a
qualquer quo porventura so julgar anda
seu orador do apresenlar-lhe a cunta, afim
ile ser iiii'iiediala-nenio pago.
ChrislovIoGuilhermo Breekenfol I pre-
vine que nilo tem aulorisa lo pessoa algu-
ma para comprar em seu nome, e s se res-
ponsabilisa pelo que elle proprio comprar.
A mulhcr parda que se oflereceu para
a'na da casa du estrnngero da ra do Tra-
piche, n 14, queira voltar inesma casa pa-
ra se justar.
besapparer.au, no dia 2 do corrente, da
ponte da Boa-Vista al a praga da mesma,
um cavallo bastante gjirdo, com os signaos
seguintes : rugo pedrez, bastante sellado,
dinas prctas acortadas bstanle rente ; le-
vou o dito cavallo dous pares de ancoras e
canjallia : roga-se a quem o livor pegado,
ou dellesouber noticia, dirgir-se 110 Ater-
ro-da-Ba-Vista, n. 43, que ser recom-
pensado.
Aluga-se o segundo andar do sobrado
la ra larga do Rozario, n. 40, conserlado
o pinta lo de novo : a tratar na ra do Mun-
do-Novo, n. 30, a qualquer hora do dia,
Um seniora casada precisa de urna
mulhcr parda ou preta, domis de 40annos,
psra Ihe fazer compantiia : quem neslas
circumstancias eslver, dirija-se ra airas
da Matriz da Boa-Vista, n. II.
Theatro de Apollo.
O primeiro secretario da S. A. T. faz
scienle aos socios assignatarios, aos bailes
do carnaval, a 9e 11 do corrente mez, que
os cartes dislribuem-se nos das 4 e 5, e a
appiovaglo s propostas de convidados no
da 6 : tanto uma como oulra cousa, das 11
s 3 horas da tarde impretcrivclmcnte. no
salo do mesmo theatro; cujos diis pas-
sados, nenbuma distribuigilo, ou proposla
se far o aceitar.
Emcumprimentodo titulo quinto, r-
tigosdous e tres das posturas da cmara
municipal, obteve Joaquim Lobato Ferreira
para ediflicar casas na ra projecla la do
Caes, na margem do rio Capibaribe, paral-
lelo a ra da Concordia, para o fim de col-
locar o seu estabelecimento de deslilagflo :
por isso faz ver pelo presente annuncio a
lodos os compradores de gneros de dest-
lagfo, que sem embargo da mudanga dos
alambiques, quo ter lugar logo depois do
dia 4 do corrente, o deposito dos gneros de
deslilag.lo, lica sempro cxislindo na mes-
ma casa da ra da Senzalla-Velha, n. 110.
Paulo Darliug Veitch, subdito ds S. M.
Britannica, retira-so pira a Europa.
lludanca.
JoSoVignes, fabricante do pianos, parti-
cipa aos seus freguezes, que mudou a sua
residencia da ra do Queimado para a do
Rozario larga,primeiro andar da casa n. 28,
onde morou o Sr. Dr. Nello, aonde acha-
rSo sempre pianos de supeiiorcs qualida-
des, curdas, e todos os aviamentos neces-
sarios, o as msicas mais modernas para os
mesmos.
Na ra das Cruzes, n. 40, taberna de
Domingos da Silva Campos, ha superiores
hixas Je llamburgo, que se vendem e lam-
hem so alugam, tanto em porgo como a
retallio, por prego commodo.
Alugam-se escravas quitandeiras: na
ra do Collegio, n. 13, das 10 horas da ma-
ulan s 3 da tarde.
Na ra da Cadeia-Vclha do Recife, n.
51, segundo andar, ensina-se lalim, rncto-
rica c pbilosophia, rom todo desvelo e per-
feigilo, por pessoa dealgum inerecimeuto-,
que sbofferece a quem queira.
Denles artiiciaes,
J. A. S. Jane, dentista, participa ao res-
peitavel publico que contina a exercer a
sua profissSo, na rua estreila do Rozario,
n. 16, primeiro andar.
--Precisa se alugar urna preta que saiba
lavar, engommar o coser, para urna casi
e.-lraiigeira : na rua do lu res, n. 34, das
II horas ateas 3 da tarde. Na mesma cusa
tan.bem se precisa alugar um prelo que
entenda do servigo interno, o saiba tratar
de cavallos.
- Una parda moga o robusta se oliera-
ce para lodo o servigo interno do qualquor
casa :quein a pretender dirija-se rua da
Senzalla-Nova, n. 18, luja.
Garlo9 Claudio Ti csse, fabricante
de orgos e realejos, na rua das
Flores, n. 19
Avisa o respeitavel publico que conceda
orgos e realejos, pOo marchas modernas
deste pai/, concerta planos, sarafina, cai-
tas de msica, acordons o qualquer instru-
mento que pparega ; tambein faz obras no-
vas e afina pianos em casas particulares. Na.
mesma casa se fazem caixas para guardar
joias, por prego commodo.
bio-ao 400 ou 500,001) rs. a premio com
tiypothoca o.n alguma casa terrea sita nes-
ta cidade : na rua do Sebo, n. 8, a qualquer
hora do dia.
Vm moco casado quo enlende perfei-
tamenlo a lingoa franceza, pela residen-
cia do muitos anuos que fez em Franga, se
propeaensina-la, bem como a marcona- [ pretos e de cores pra grvala
ria.de que tem grande conhecimenlo, em1' ,nlsimiri*nreliu t rlnna.
qualquerengenho: quem de seu preslimo sarjas e casimiras preiM t.(lo pa-
se quizerutilsar, dirija-se a Camboa-do- ra ullimacao de conlas, e por me-
Carmo, n 8, das 6 horas da manha s 6 da
tarde,.
Cfisa de moras franceztis.
Buessard Millochau.
RUA DO ATERRO DA-IIDA-VISTA, N. 1.
Pelos ltimos navios l'rancozes, ebegados
lo Havre, recebeu-sc grande sortimnnlo del de 24 anuos, boa costureira e engornma-
nos pre9o do que em outra qual-
quer parte.
Vendem-se 8 eseravos de bonitas II-
guras de 20 a 30 anuos hons para Indo o
servigo, sem vicios; um molequinhode 1>
anuos bom para pagoin ; urna bonita parda
modas, taes como : chapeos ricus de seda c
le palha ; fitas ; bicos de blond e de linho ;
cassas brancas o pintadas; manteletes de
seda de todos os modelos ; flores; cabe-
gOes ; camizinhus ; gollinbas bordadas de
fil e cambraia ; lengos de m "m, de ludas as
deira e de todo o servigo ; 2pretas muito
boas quilandeiras e de bonita figura ; 3 di-
tas cum algumas habilidades ; assim como
outros rnuiloa escravus: na rua da Cadeia
do Itorife, n. 51, so dir quem vende.
- Vondem-se corles de cassas pretas, om
qualidades ; luvas de pellica o de malha Iioti estado, com 13 co va dos, a 500 rs.
aberla ; transas e franjas para vestidos ; fi-
los ; cambraias; meias do seda ; e mullas
ouiras fazendas que se faro patentes os
compradores: ludo por prego muito cm
cont e gosto vcrdadeiramenle francez. Na
mesma casa fazem-ae vellidose chapos, e
ludo o rnais de loileltc das souhuras.
? .-.^(it^^^^^^^.,^ *ma>m*
9
I nodo asseiado e econmico i
para alntni r urna sala
file reconbecido que o g.iz bydroge-
neo liquido de todos os comiiustives '&
| queseempregaram al boje para alu- f
miar-se, be o mais econmico, mais g
% aueiado, e que d a luz mais bri- **
% llanto, (is arranjos dui caudieiros i.
;| de gaz silo mu simples, e 11.I0 so en- -jg
contram nelles os inconvenienles |
8 quo a cada inslnnle ap'esentam os de j;
4{ zeile. (Is ama toros do guz achaio
$ sempre cm quiinlidn le suflicienlo, o i|j
^ de boa qualldade, un de.slilagi'o fian- %
^ Cr-zida travcasa da Concordia. %
1
lengos de seda, a 500 o a 1.000 rs.; luvas
de seda para senhorae meninos, a 209 rs.
o par; merino decoros, com 5 palmus de
largura, a 500 rs. o covado : na rua do Cres-*
po, loja n. 10. .
Vendem-se quatro cabellei-
ris muito bem fritas, sendo duas
para senliora c duas para homem :
nnrua do Crespo, loja n. a A, se
dir quem vende.
Vendem-se cassas e cambraias pintadas,
francezas, com 4 palmos de largura, a 200
rs o covailo ; brim pardo liso de linho,
com um pequeo loque de avaria, a 120 rs.
0 envado; ililolnngado pardo e bruno, a
1,000 rs. o corte .- na rua do Crespo, teja
n. 10.
Compras.
Compra-se calcado f.-ilo na torra, para
homem, s^obora e mollinos, de tolas s
qualidades : defronte do nxo do Corpo-
Sanlo, na luja nova sita na esquina da tra-
vessa que vai para a rua do Vgario. Na
mesma loja se vendo a retallo sulla, inar-
roquins, hezerro, couro de lustro, couros
de cabra om lira neo e tintos, e todos os mais
pieparos para o offico de sapaleiro.
Compra-se urna canoa du carreira, de
ums pao, sala, mas em bom estado, e
que seja manera, de modo que quatro ho-
mens a possam transportar para qualquer
parte : quem tiverannuncie |or esta folha.
--Compra-se Chernoves, livro de medi-
cina : na rua Direita, n. 14.
Com;ra-se duzia e meia do radeiras
de assenlode palhinha, de qualquer qua-
lidado do maduira, cum lano que estejam
cm bom uso ; e um toucador em meio uso :
quem liver annuncio.
Compra-so, para urna encommenda.
escravos de ambos os sexos, de 10 a 40 an-
uos : na rua do langel, n. 5T, sobrado.
Vendas.
Lotera do Rio-de-
Janeiro.
Aos 20:000,000 de rs.
Na praga da Independencia, n. 4, ven-
dem-se bilhetes, meios equartos da segun-
da lotoiia da (loria.
Vende-se, na rua Nova n. 21, urna ar-
mago loda de vidraga-, em meio uso e
muito pro/ria ,iara loja de miudezas ; quom
pretender, dirija-se ao Senhor llenriques
ll.ii mi~, marecneiro, na rua da Autora.
Vende-so a rclinaglo da rua Direita,
n. 22, bem afreguezada, lano para a Ierra,
romo para o malto, com dous peritos ne-
gros da mesma olliiina, ou sem ellos, por
seu dono se querer retirar para fra : a tra-
tar na mesma a qualquer hora.
Vendo-se, por prpgo commodo, rotim
paid empaliar cadeiras, em porgos : no
escriptorio de Novaos & Companhia, na rua
do Trapiche, n. 34.
Aviso aos senhores fu-
mantes.
Na fabrica da rua estreila do Rozario, n.
45, chegou ltimamente um sorlimento dos
melhoies charutos finos, fcitos na Dalia,
das qualidades seguintes : regala de S.-
Fclii, fama da Babia, bayonetas, imperiaos,
cigarros de manilla, senadores, deputados,
quem-l'umar-saber, lanceiros, venus, etc.,
ele.: os quaes se vendero por prego muito
commodo.
Para senhoras.
Vendem-se manteletas pretas do gorgu-
eo, pelo diminuto pregode 18,000 rs. ca-
da um : na rua do Queimado, n. 17, loja
dos barateiros.
Ao barato, freg ;ezcs.
A i,8oo ii'is.
Na loja dos barateiros da rua
do Queimado, n. i7, vendem-se
curtes de cotin. francezes, escu-
ca.simira, a l,8oo rs. ,
simira de cores, a 5,ooo e 6,ooo ;
NA BOA DA CADEIA DO RECITE, "i .
LOJA ECAMIlIu HA VIUVA VIEDIA
FILllOS. '
Lotera do Rio-de-
Janeiro.
Aos 20:000,000 deis.
Pelo vapor Imperador recebemos ns listas
da 13.* loteriidoIheitro deNictheroy eos
minio afirtunudos bilhetes o meios ditos
da primeira nterin concedida a beneficio da
santa casi da Misericordia da cidade deS -
Joflo-d'EI-Hei, a qnnl dovia tf ndalo no
dia 19 do mez passado, e da segunda de N.
S. da Gloria, em 31 do mesmo mez.
I'.in'iili.i de S.-Catharina.
Vende-se, a bordo do bcrgantim lla-
ria-Libania, fundoado porto do caes do lla-
mos, a muito boa familia de mandioca, em
porgHo o a retalho, sen lo a mais nova que
chegou i esto porio: tambem se traa ni
rua Ja Cadeia do llcctfe, n. lt.
Farinlia de ni n ca.
Vende-se a bordo do patacho Industria,
chegado de Snn-Matlieus.l'uiid-ado ilefionlo
da escadinha do Collegio, a nielhor fari-
nlia que ha no merca.lo, pur ser muito no-
va, em grandes e pequeas porgOes, o por
prego mais cor.uiodo do que cm outra
qualquer parto : trata-so a burdo do dilo
barco, ou na rua do Vgario, n. I0.com Ma-
chado Pinheiro.
Instrumentos de msica.
Chegou casa do Kalkmann Irmlos um
completo sortimonto de instruinontos de
msica, como sejam :
Violes dejiearan l, com machina; di-
tos ordinarios e cutre (nos e sem machina.
flautas do chano rom 4 a 6 chaves, o de
Imilla ; dilas de bucho de 1, 4 o 6 chaves.
Pfanos o do o si binol.
Clarim.'las superfinas com 13 chaves, es-
tante alfa e mi bmul; Jilas em d com 6 o
8 chaves.
Requintas em fa, prelas e amarellas, de
8 chaves.
PislOos em bf com 5 arcos ; trompas sim-
ples e com pistn de 6 a 8 arcos ; trombones
em lia, lu\n a tenor ; baixos de harmona;
cm no! de claves ; canos com 8 arcos em
sol e bfa ; clarilla com cbaves; pandeiroa ;
pratos; caixas ae guerra; arcos de cam-
amias linas.
Vinlio (le Bordean\',
das mais superiores qualidades ; bem como
vinho de Champanba da nova marca estrel-
la, ja .muito apreciado, tanto aqu romo na
Europa : vende-se em cas de Kalkmaon
Irmlos. na rua da Cruz, n. 10.
Agencia de Kdwin lifaw.
Na rua de Apollo armazem n. 6, de M. Cal-
mont; Companhia, acha-se constantomente
um grande soi tmenlo de ferragens inglezas
para enuenhns de fabricar nssucar, bem
j como laixas de ferro coado e balido de dif-
lerenles taanlos o modelos moendas
ros, milito encornados, inaindo le dito, tanto para armarem madeira como
. rodas de forro para aimnaes o agoa, ma-
C*- I chinas de vapor de frga de 4 cavallos, alta
pressAo, repartideiras, espumadeiras, etc.
de ferro eslanhado. Na mesma agencia adia-
se um sorlimento de posos para balangas ,
psenving nara navios, ferro em barra tu>to
quadrado como redondo, aalra para l'errei-
ro c urna porgo de Unta verde eui lalas :
tudo por barato prego.
~ Vende-se um grande sitio no lugar do
.Mnngui iilni, que lica defronte dos sitios dos
Srs. Canioiros, com grande casa de viven-
da, de quatro goas, grande sonzalla, co-
ebera, estribara, baixa de capim quo sus-
tenta 3 a 4 cavallos, grande cacimba com
bomba o lanque coberto para banho, bs-
tanlos arvoredos de fructo : na rua da Con-
cordia, primeiro sobrado novo de um andar,
Xarope do bosque
para cura da plidiiscla rin lodos os seus dille--
i ies graos, <|iir motivada por consllpafdri.
IoSo, a-.ilma, pleiiri/, escaos de aligue, dos
de costado c pello, palpltacao no cora^o, co-
meta casimira, a 3,000 ;
ditosde
ditos de coe'.e de velludo de co-
res, a 2,5oo ; ditos de sarja de
, proprios para
c
res.
diario, a
800 ; ditos de gorgmo de linho
e seda, a 3,800 ; ditos de i usa o
900
riscados
a 390 o
a io e
a 24o;
de cores finos, a
ni isiros, muito largos,
covado ; ditos Irancczes,
320 ; castores de cores
chitas de cores finas, a 2oo e 220;
panno fino preto, a 3,ooo,3,5oo,
4,000, 5,ooo e 6,000 o covado ;
cortes de cassas pintados, finos e
mOUernOS, a 2,1)U0 y lenCOS de se-|queluche, broncliUr, dr ini gargaula e todir
Ha d( rnr aa ue cores mos, a J,2q.o Uitosi veude-e u. rua dos yuarteis, u. 12.


Na fabrica de caldeireiro da ra No-
va, n. 24, receitcu-so um completo sorti-
mcnto da vldros para vidragas, que se ven-
' por prego commodo.
Fardo de arroz.
Vende-se. esta j lo condecida quanlo
til substancia alementaria para o susten-
to do cavallos, em barricas do quatro arro-
bas para mais, prln diminuto prego de 3/ a
barrica ; nosarmazens do Onofre, na ra
da Madrc-de-Deos, e no defronte do rhafa-
riz da ponte do Recife.
Vende-se um escravo pega, de 20 an-
uos : na ra do Crespo, loja da esquina que
volta para a cadeia.
Polas.sa nacional.
Vende-se potassa nova da fabrica nacional
do Itio-de-Janeiro ao baratissimo prego de
180 rs. a libra. Ussenhoresdeengenho de-
vi'ui todos mandar comprar desta potassa
alim de animar a fabrica que rom tantos
sacrificios se eslabeleceu e fui a causa de
bailar a este prego : na praga do Commer-
cio, n. 6, primeiro andar, escriptorio de
Manuel Ignacio deOliveira.

<<
5 Cassas e cambraias.
jt Vendem-se cambraias de cores, de
~j mais de vara de largura, a 240 e 300 ^. rs. o covado ; cassas de cores, a 20O, ^
p. 240c 320 rs. o covado; lengos deseda, 2
f> a 1,000 rs.; ditos grandes, proprios v para hombro! de senhora, a 1,280 ; S1 ditos com franja, a 1,000 e 1,280 rs. ;
Rieha para meninas, a 120 rs o par;
5>
c oulras muitas fazendas por meta-
^ de deseu cusi: na ra do Crespo,
9. n. 9, loja.
Ao barato
Panno da Cesta, com 8 palmea de largu-
ra, a 320 rs. o covado, proprio par? pannos
de pretas, cobt rase qualquer obra do es-
cravos : na ra da Chdeia do Recifc, n. 20,
loja.
Yendem-sc aq* aeces da
rompanhia de BeberiLe : na ra
Jo Itangel, 11. (i/|, se dir quem
vende.
-- Chegaram novamente ruada Sen-
zalla-Mova, n. 42, relogiosde ouro e prata
patente inglez, para homein e senhora.
|\'ende-se um moleque de 9 annos,
muilo bonito ; Ipardinhode II aonos.de
bonita figura : ambos para liquidago : na
roa larga 1I0 lio/ano, n. 46, primciio an-
dar.
Cal vrgem.
Vende-se superior cal virgtm em pedra,
em barris de 4 arrobas e meia, chegsda no
corrente mez do Lisboa, pelo brigue Novu-
Venerdor : na ra da Monda, armu/era n. 5.
--Vendeir.-se duas parles de urca casa 110
baNO da Boa-Vista, em UOia des nielhores
ras, a qu.il existe com venda ; e tamben
urna parle de um terreno annexo a nieMiia
casa ; um oulro terreno na malta da Tor-
ra, com 300 palmos de frenle e 600 de fun-
do, prximo ao rio Capibaribc. : ludo por
prego commodo : na travessa da Concor-
dia, n. 5.
No engenho Paratibe, distante desla
praga 3 legoas, vendem-se 30 quarlos u
tiestas mansas de roda, 3vaccas muilo boas
de leite, 14 bois mansos de carro : ludo cm
bom estado.
Veudem-se 16 escravos, sendo : um
pardo de elegante figura ; urna preta de 14
anuos ; urna oia com urna cria de oito nie-
zes ; 2 molequesde bonitas liguras; urna
escrava com 3 crias ; 2 pretas para o ser-
\ ii,D de campo ; um mulalinbo de 17 an
Vendem-se cortes de cambraia de co-
res, pelo barato prego de 2,000, 2,500, 3,000.
3,500 o 4,000 rs.; cambraia de seda, a 3/
rs. : meias para meninas, a 160 rs.; lila
com listras de seda, a 600 rs. o covado; lan-
zinlia propria para roupa de meninos e ves-
tidos de senhora, a 240 rs.; lita superior pa-
ra caigas, a 500 e 600 rs. ; lengos de algo-
dflo e seda com franja, a 600 rs. ; cortes de
rollete de velludo, a 1,600 e 2,500 rs. ; cas-
sa-chita, a 400 rs. a vara ; garga de seda, a
500 rs. o covado; cambraia de seda.a 560 rs.
o covado, e outras muitas fazendas ior
barato prego : na ra do Crespo, n. 15, loja
de Joaquim de Oliveira Maya Jnior.
Deposito de Potassa.
Vende-se milito nova potassa,
de boa qualidade, em barriszinhot.
pequeos de quatro arrobas, por
pirro barato, como j ha muilo
tempo se nao vende: nc Recife.
ra da Cadeia, armazemn. 12.
Antigo deposito de cal
virgen.
Ka ruado Trapiche, n. 17, ha
muito superior cal virgem de Lis-
boa, por preco muito commodo.
Farinha de mandioca.
Na ra do Queimado, n. 14, loja de fer-
ragens, ainda ba algumas saccas da boa
farinha tic mandioca, muito alva e bem tor-
rada ; bem como urna porgo de peonas de
cma, proprias para espadadores.
Vende-se viribo du Porto muito supe-
rior, em barris de qunrto e quinto ; faririba
de trigo de todas as qualidades e em meias
barricas; relroz do Porto, prlmeira quali-
dade : panno c meias de linho ; arcos para
barricas; farinha de mandioca em sacras
grandes e a garnel a bordo da sumaca IV.-
S.-do-Cnrmo : ludo por prego commodo:
na roa do Vigario, n. II, primeiro andar,
casa de Francisco Alves da Cunha.
Farinha de
4
Vnvn Gitrtimon a di fft.l Vendem-se pega de madapolSo com 20
i>ovo sorurcenio ae ia-7irMfecomt|gumt0(Juedei,rviri8itS)5OT
vr>iwlia rtip-tti ni niJi le 2,600 rs. e I i m pos a 2,800 rs.: pecas de al-
/- lacias oaraias, na rua|g0aoiinhowuilo do Cresno. n. 6, ao ncli,as'a22*0M'>Pe*8decniu com |8um
_ toque de avaria da chuva, 4,200 rs.; um
dO lampea". I moleque bom coziuneiro: atrs do ihea-
Vende-se cassa-chiU muito flns.de bo-'.lr velho>n- 20, primeiro andar.
nilos padrOes, cores lixas e Cum 4 palmos
de largura, pelo barato prego de 320 rs. o
trigo.
Vende-se superior farinha de trigo frail-
ee z* de Provenga, chegada ltimamente de
Marselba : em casa de J. J. Tasso Jnior, na
ra do Amorir, n. 35.
Arados de ferro.
Na fundigSo da Aurora em S.-Amaro ,
vendem-se arados de ferio diversos mo-
delos.
Cal virgem.
Cunha & Amonio, nu ra da Cadeia, n.
50, i'oniimiam a vender barris com cal de
Lisboa, da mais nova que ha no mercado,
por isso mais barato do que em outra qual-
quer parte.
Vendem-se amarras ue rrro: na rus
Ja Seiivalla-Nova, n. 42.
Vende-se uin escravo da Costa, mogo,
bom trabalhador, muilo diligente,elpor isso
proprio para oservigo do una casa e ga-
nhar na rua : na roa Direita, n. 69, padaria
de Antonio Alves de Miranda Cuimar.les.
Facas para mesa.
Vendem-se facas e garfos de cabo de ba-
langn, imitando mailim, e de muilo boa
qualidade, por prego mais barato do que
em oulra qualquer parte : na rua do Quei-
mado, n. 16, loja de miudezas.
Vende-se uin sitio na entra-
da da Estrada-Nova, na Magda-
lena, com una excellcnte casa Ier-
res com muito bons commodos :
o sitio est bem plantado e olTc-
covado ; cassa franceza de quadros, muito
fina, a 260 rs. o covado; rlscadinho de lis-
tras de linho, a 240 rs. o covado; brim de
algodo de cores com listra ao lado e de bo-
nitos padroes, a 320 rs. o covado brim
pardo claro, a 1,500 e 1,600 rs. o corte de
duas varas e urna qusrta ; cassa preta com
ramagem branca para luto, 140 rs. o co-
vado ; zuarte de cores, com 4 palmos de
largura, a 200 rs. o covado ; dito azul com
vara de largura, a 200 rs. o covado; risca-
do monstro, a 220 rs. o covado; chitas de
bonitos padres e cores tizas, a 160 e 180
rs. o covado ; chales de tarlataha, a 500 e
800 rs,; cobertores de algodo america-
no, muito superiores, a 640 rs.
A bordo da brigue S.-o$, chegado
prximamente, vende-se farinha de man-
dioca do superior qualidade, e por menos
prego doqueemoutra qualquer parte: os
pretendenles dirijam-se a bordo do dito
brigue, Tundeado defronte do arsenal de
guerra, ou ao llecife, rua da Cruz, n. 66.
amado Crespo, n. 15, loja de Jnsr-
1 ii i ir deOliveira Maya Jnior, ha, alm das
lazendasj annunciadas, e de oulras mur-
tas por barato prego, um sortimentode lin-
dos ohapos de sol, do panninho eslampa-
do, muito proprios para os meninos e me-
ninas que indam na escola, e mesmo para
as senhoras que ainda estSo no campo, pe-
lo prego de 2,000 rs.
Feotes de tartaruga pa-
ra prender cabello.
Vende-se a melhor qualidade do pentes,
por prego mais commodo do que em ou-
tra qualquer parte : na rua do Queimado,
n. 16, loja do miudezas.
Rap Panlo^Cordeiro, a
1,1280 rs.cada libra :
vende-se na loja de Antonio Joa-
quim Vidal, na rua da Cadeia do
llecife.
Vende-se superior familia
de milboem porcoes e a retalho,
tendo de todas as qualidades a
vontade do comprador, e por pre-
co mais commodo do que em ou-
tr a qualquer parte; na rua do
Brum, n. a8.
Arroz a 50 rs a libra e [1,400 rs. a
arroba, sendo em sacca ainda por menos ;
espirito de 37 graos a 1,000 rs. a caada :
no pateo do Hospital do Paraizo, vend a
n. 20.
A Vendom-sc corles de cassa-chita, fina, de
bonitos padiOcse com 6 varase meia, pelo
diminuto prego de 2,000 rs. o corle na
rua do Crespo, n. 6, loja ao p do lampeo.
Farinha Fontana.
Vende-se a mais superior fari-
nba fontana que tem vindo arle
meicndo, ebrgada ltimamente :
a tratar com AJanoel da Silva San-
tos, no armazem do Aunes, no
caes da Alfandega.
O &
$ Na loja do sobrado amarello, nos q
n quatro-canlos da rua do Queimado, q
n. 29, vende-se um grande sorli- *
ment de novas cassa-chita de co-
rea lixas e bons psdrOes, pelo dimi-
V nulo orer.o de 400 rs. a vara : fazen-
9
nulo prego de 400 rs. a vara
" da que se tem vendido a 800 rs., e
O que sa vende por lio baixo prego,
O por se ter grande porgflo.
Mocndas superiores.
Na fundigSo de C. Starr & Companhia ,
em S.-Amsro, acham-se i venda moendas
de raima, todas de ferro, de um modelo e
construegito muito superior.
Deposito da fabrica de
Todos-os-Santos naBahift
Vende-se em casa de N. O. llieber & C.
aa rua da Cruz, n. 4, algodSo trangado
daquella fabrica, muito proprio para.saceos
de assucar e roupa de escravos.
Tecidos de algodn tran-
cado da fabrica de To-
dos-os-Santos.
Na rua da Cadeia, n. 3*2,
vendem-se por stacado duas qualidades,
proprias para saceos de assucar e roupa de
escravos.
Fazendas modernas.
Na rua do Crespo, n. 9, vendem-s?,
por commodo prego, lindas fazendas
modernas, tanto para homem como
para senhora, como sejam cortes de
seda fui la-cores com barra para ves-
tido ; cassas ; cambraias de barra ;
chales; mantas; manteletes; len-
gos ; luvas ; sarjas; chapeos trance-
zes modernos ; casimiras pretas e de
cores; colleles de velludo, setim,
sarja e foslio; lirios brancose de
cores; lengos para grvala ; suspen-
sorios; cambraia de linho muito fina.
T.tU UV l..l.p| '. Wl.l IIJU.BIIIIIIU Vl<< ,, OIJ-I
nos, proprio para pagem ; 2 pretos do na- rece todas as vanlagens para quem lOQ^^QQ^OOOCJOOOQOQ)
(,.io, pioprids para armazem de assucar
no palto da matriz de S.-Antonio, se dir
quem vende.
Vedem-se 7 lindos moleques de 12 a 18
annos ; 9 pretos de 20 a 30 anuos, sendo
um delles ptimo sapateiro ; 2 pardoi de 16
a 20 aunos, sendo um delles bom cozinliei-
ro ; 3 pardas de 14 a 20 anuos, com halida-
des; 6 pretas com habilidades, e que sao
proprias para todo o sei vigo : na rua do
Collcgio, n. 3.
--Vendem-se saccas com muilo boa fa-
rinha de mandioea, a 2,500 rs. cada sacca :
na rua da Cadeia do Recite, ao p do arco
da Conceigoo junio a botica do Sr. Anto-
nio Pedro das Seves.
i nena iii'spaniii.ia, r.avenuo vanas g\
Vendem-se bons queijos londrinos I ja qualidades para se escolher; setim
ditos de prato muilo frescaes e de superior /- rrelo de Maco, muilo encorpado,
qualidade, presuntos inglezes para fiam- ? lustroso e sem gomma, proprio para 5?
bre, ditos portuguezes para panella, latas'V' vestido de senhora; lindos los pre- T
com 2e4librasde mermelada, ditas com [x tos bordados de seda o com lindos Jj*
bolachioba de Lisboa, ditas de sardinha, di- desenhos, fazenda superior: meias *?
A OO rs.
Vendem-se riscadosde linho a 200 rs. o
covado ; cortes de cassa-chilts lirias a 2/;
pegas de bretauha de algodo com 25 va-
ras a 3,200 rs. ; chitas escoras, a 120 rs ;
ditas linas, a 160 rs. o covado; e oulras
rnuitas fazendas por prego commodo : na
rua do Crespo, n. 16.
Potassa da llussia.
Vende-so superior potassa da llussia, da
mais nova que ha no mercado, por pngo
commodo : na rua do Trapiche, n 17.
Voiidem-se 18 caixes que foram de
assucar, em bom estado do se lornarem a
cncher: na praga do Corpo-Santo, n. 2.
AGUNCA
da fundico JLow-Moor,
RUA DA SKNZALtA-NOVA, N. ^1.
Meste estabelecimento conti-
na a ha ver n ni completo nnrti
ment de moendas e meias moen-
das, para engenho ; machinas de
vapor, e tachas de ferro batido e
codo, de todos os taannos,
para dito.
Vende-se urna srmagSo envidragada,
cum todos os utensis pertencentes ao ofll-
eio de sapateiro : na rua do Amorim, por
Irs da casa o. 27, a fallar na mesma loja.
Taixas para engenho.
Na fundigSo de ferro da rua do Brum,
araba-se do receber um completo sortimen-
tode taixas de 4 a 8 palmos de bocea as
modo e rom promplidSo embarcam-se,
ou rariTpam-seem carros sem despezas ao
comprador.
las com bervillias, frascos com conservas
inglezas, queijos de quallia vindos do Cea-
r, por barato prego, mantas de loucinlio
inglez de fumeiro.de 7 a 8 libras cadauma,e
outros muilos gneros de boa.qualidade :
a tima da Cruz, no llecife, n. 46.
-- Vende-se um escravo de bonita figu-
ra, de 18 a 20 anuos, sem vicios ncm acha-
ques : na rua da Cadeia de S.-Antonio, n.
13, se dir quem vende.
O ti
Colleles. o
7* Vendem-so gorgorito de seda, a
<3 1,600 rs. ocite; ditos a 2,000rs.; )
Q velludos de lindos padrOes, a 5,000
O rs. o corle i na rua do Crespo, n. 9. }
0QOJ<3OC>0ClS
"Na rua do Sol, n. 9, vendem-se tre-
moias, toalhas grandes e pequeas para
mesa, fabricadas em Guimares ; capachos;
linho do Porto, o meihor que he possive
encontrar-ae: ludo por prego commodo.
Vende-se um cavallo rugo, com lodos
os andares, bastante gorto e sem achaques :
na rua do Queimado, n. 39, cass do Cus-
mSo.
Gomma de engommar.
Vendem-se saccas com muito superior
gomma de engommar, a 9,000 rs. cada sac-
ca : na rua do Amonio, n 35, cata de Tas-
so Jnior.
Aos senhores de engenho.
Vendem-se cobertores de pura 13a, a rs
1,440 ; ditos de algoilflo americano, muito
encorpados, a 600 rs. ; aljodSo .irangado
azul, a 120 rs. o covado na rua do Crespo,
loja n. 10.
Vende-se um sitio a boira do rio, com
mais de mil palmos de frente, baixadeca-
pim para mais de 30 feixes por oia, com
grande casa moderna, contendu duas ran-
quaes acnam-se ,a venda por prego com-, des salas, dous gabinetes, duas aleovas,
tres quartos e cosiuha ; heperloda praga,
e he antes de chegar ao Pogo-da-Panella : a
fallar na rua de S.-Amaro, casa u. 16.
''.' de seda de peso ; um completo sor- O tmenlo de pannos pretos finos, pro- O
O vadelimSo, havendo uma qualida- O
O de que be o mais fino que aqui tem O
Q apparecido ; casimira preta clstica O
}} de diversas qualidades ; setim prelo 0
7} de Macao, muito superior ; chapeos q
q francezes de superior qualidade e da a
0 ultima moda ; e oulras fazendas li-
m as: ludo por prego de agradar ao *
~ comprador. 9
OOQO0OOOOOO00OOOOO
tap Paulo-Cordciro.
.\o deposito de charutos finos da llallis,
na rua da Cruz, no Itecifr, n. 49. vendem-
so, alm das boas qualidades de charutos,
o muilo acreditado rap Paulo-Cordeiro,
Gasse grosso, meio-prosso, fino e outras
qualidades : ludo por prego commodo.
-- Vende-se um escravo de nagSo Ango-
la, robusto e bom trabalhador de cnxada :
no largo do Carmo, esquina da rua de Hur-
tas, n. 2, taberna.
-|Vendem-se 3 miilatinhos, muito lindos,
e de boa conducta ; 4 molecotes de 10 a 20
annos, para todo o servigo ; 4 negrotas, en-
tre ellas algumas com habilidades:- na rua
Direita, n. 3.
-- Vendem-se, muito em conta, dous rc-
logios palete, sendo um de ouro, e o ou-
trodeprala dourada :na rua do Queima-
do, n. 10, loja.
No ermazem do barateiro,
Silva Lopes, na porta da alfande-
ga, vende-se farinha franceza no-
va, da melhor que vem a esle
mercado, e de oulras qualidades
de l'liiluilr!jiliia.
Velas de cera.
Vendem -se calzas com cora em velas, fa-
bricadas no Itio-de-Janeiro, sortidaa ao
Troca-se uma imagem do N. S. do Car-
mo, obra de Lisboa, de pedra marmore,
cousa muito rica e asseiuda : na rua de Hur-
tas, n. 120.
Bom negocio..
Vende-se a antiga fabrica de ca-
fe, que pertenceu ao finado A nIo-
nio Vas de Oliveira, sita na rua
o A morim, ni. 4o e .-J i, com lo-
dos os peitences ; tambem se elu-
gam ao comprador os deus pe-
queos armazens em que estio
collocados o fogo e mais perten-
ces da mesma fabrica : quem a pre-
(r i.der, dirija-se i rua do Amo-
liui, n. 36, a tratar com Antonio
Joaquim Vidal & Companhia,
Proprios para a qua-
resma.
Na rua do Queimado, vlndo do Rozarlo,
segunda loja, n. 18, vende-so panno fino
prova do limflo sarja preta hespanhola;
setim preto de Macio, muito bom e proprio
para vestidos, por ser muito mscio ; cha-
malote de listras ; los pretos, grandes a 7/
e pequeos a 4/; o outras muitas fazendas
por commodo prego.
Itom e barato.
Na roa do Queimado, vindo do Rozario,
segunda loja, n. 18, vendem-se luvas pre-
tas de'torgal para senhora, a 500 rs. o par;
ditos de pellica ingleza para homem, a mil
rs.; bons c-tes de cassa-chita para vesti-
dos, a 2, para meninos, a 2,500 rs.; e outras mui-
tas fazendas por prego commodo.
--Vende-se uma cadeia nova de arruar,
com coi linas bordadas, e que ainda esta
enrsixolada tal qual ihegou da Bahia : na
rua da Aurora, n. 24, segundo andar.
-- Vende-se uma escrava de uagSo, cozi-
nheira, lavadeira e quilandeira : na rua de
S -Francisco, n. 16.
Vende-se um lindo escravo de 18 an-
nos, de boa conducta, e que he^plimojia-
ratoloo servigo; urna ptima muUlrnlu
recolhida, com habilidades : na rua do Kan-
gel, n. 57
Veode-sea posse de um terreno no
lugar da Capunga, em a rua Real, com li-
jlo den ti o para so edificaren! duas casi-
nbas, e as madeiras quasi todas appare-
lliadas, como sejam: grades, portadas,
portas ejanellas: ludo muito em conta, pa-
ra quem tiver bom goslo : na rua da Glo-
ria, u. 95.
-- Vendc-seuma escrava crioula de 14
nnos, de linda figura, ptima para muca-
ma, jor ser recolhida e ter algumas habi-
lidades : na rua da Kola, n. 16.
Vende-se urna morada do casa terrea,
no largo doTergo, em cblos proprios, por
prego commodo : a tratar na rua do Hurlas,
n.64.
-- Na rua das Cruzes, n. 82, segundo an-
dar, vendem-se 6 escravos, sendo : um pti-
mo escravo para o servigo de campo ; uma
parda de 20 anuos, com algumas habilida-
des; 3 pretas que cozinliam. lavam e ven-
dem na rua ; uin moleque de 13 annos.
Vende-se uma preta boa rozinlieira e
lavadeira ; uma dila boa ven.ledeira de um
ludo, o que se alianga ; duas esclavas ; urna
nefcimita de 16 anuos, com principios de
Chocolate de suide.
De todas aa substancias alimentares, que
sendo em seu principio consideradas como
cousas de luso, tornam-se pelo lempo di-
ente de um uso geral, o chocolate pude sem
contradicgSo, oceuparo primeiro lugar.
Kffectivamenle. qUantas pessoas nSo ve-
mos nos proferir boje ao oso do quonte caf,
la> uso do chocolate e nisjo seguir opiniao
dos medicosmas celebres, que do com-
mum accordo, sobre suas preciosas quali-
dades, o indicam como um dos nossos mo-
Jhorcs estomticos aquellas pessoas,cuja
sau'de he dbil e delicada !.. Prescrevem-
no aos seus doentes, aconselham-no aos re-
inos e o recommendam s milis de familia
para seus filhos. Km urna palavra, o con-
sumo verdaderamente extraordinario que
todas as classes da sodedade fazem deste
alimer.'.o, he o mais bwlo elogio que nos
Ihe podemos fazer. Chegou do Maranho,
aonde he fabricado, um novo sortimento
deste chocolate j bem conhecido nesla ci-
dade por muitas pessoas qoetemfeito uso
delle, econstantemente se vende no mesmo
lugar j annunciado, na venda da rua da
Cadeia do Recite, n. 85, defronte do Becco-
l.irifo. a 480 rs. a libra de n. 3 entrefino, e
a 640 rs. o den. 4 fino.
-- Vende-se s melhor fasenda de gado do
sertfio de Carery-de-Fra, com meia legos
de trras em quadro, sendo parte della la-
vradia.doas casas de telha, um casal de
escravos ptimos vaqueiros. agoa perma-
nente, 100 cabegas de gado varcutn, sendo
50 vaccas c 50 garrotes e garrotas : est a
30 legoas distante desta praga, a margem
do rio Parahiba, e seis legoas distante da
povoag.to da Rarra-de-Natuba: a fallrr
com seu proprietario, Joaquim Alvares Ca-
mello de Araujo Pereira, em seu engenho
Machado, na comarca de Iguarass.
Escravos Fgidos
goslo do comprador e por prego mais com-1 habilidades-; um prelo de 20 annos, bom
modo uo que em outra qualquer parlo: a cozinheiro ; um dito bom bolieno e copei-
tratar com Machado APinheiro, na rua dolro: na rua do Collegio, n. 81, se dir quera
Vigario, n, 1. j vende.
- Fugio, nodia primeiro do corrente, a
escrava Josepha, do 15 annos pouco mais"
ou menos; he baixa, com cara comprida,
cabello cortado quasi rente; lavou vestido
azul com listras e ruto nos peitos : quem a
pegar leve-a a rua larga do Itozano, no ler-
ceiro andar do sobrado por cima da loja do
Sr Thomaz de Aquino.
-Desappareceu, nodia primeiro de Ja-
neiro, um moleque de nome Antonio, de
nagio Congo, de 20 annos pouco mais Ou
menos, de estatura regular; tem na face di-
reita uma cicatriz detalho, e esta parte um
lano indiada; j appar.ceu as Cinco-
Pontas ; poim tornou a fugir ; tem sido
visto na Boa-Vista, as ras da Conceigflo o
Pires : quem o pegar leve-o rua do Ca-
bug, n. 16, que ser recompensado.
--Fugio, desla cidade, na imite do da
31 de Janeiro do correnle anno, um pardo
de 30 annos, de estatura regular, grossura
proporcional,cor parda, nariz chato, ore-
Ihas pequeas, cabello carapiohado; anda-
va calgadoe vestido de jaquela e caigas;
be official de alfaiate; consta que embar-
cara para Olinda, em companhia de uma
muiher branca : quem o pegar leve-o a sua
senhora. I. Isabel Ribeiro Pires Ferreira,
na rua do Itangel, n. 60, que gratificar.
- Fugiro, do engenho Matto-Grosso, co-
marca do Cabo, na roite do primeiro do
corrente, o escravos liento, rardn, bas-
tante claro, baixo, feigOes regulares, pouca
barba, cabellos caslanbos, denles limados,
peinas grossas e um tanto arqueadas; leve
bexigas ha pouco tempo, por isso esl com
a cara marcada ; tem aparencias de maii-
nbeiro e quer passarpor forro; nao he a
primeira vez que foge; foi preso no ianno
prximo pausado no Brejo-da-Areia ; levou
camisa de algodo, ceroulas e chapeo de
palha ; reprsenla ter de 24 a 35 anuos;
foi visto em Goianninha, onde disse que ia
procurar uma tenda de sapateiro para I ra-
ba I bar : quem o pegar leve-o ao dito enge-
rido, ou no KerilV, casa de Jos Theodoro de
Sons,que recompnsala.
Fugio, na tarde do dia 27 do passsdo,
de S.-Amaro, um ei ionio marinheiro de
bordo do brigue Dov$-kmigot; levou cal-
gas brancas, camisa de riscado azul de 25
a 30anuos pouco maisou menos, de esta-
tura regular; tem as orelhas compridas:
quem o pegar leve-o a praga do Commer-
cio, n. 6, escriptorio de Manuel Ignacio de
Oliveira, quo ser recompensado.
-- Fugio a preta Maria Jaeinlha, de 40 an-
dos, estatura ordinaria, meia fula, de na-
gio Mogariibique ; teo o beigo superior fu-
fado e as juntas dos pes incitadas; levou
vestido de chila preta desbolada e panno dn
Costa. Roga-se as autoridades policiaes e
caritfiesde campo, que a apprebendame
evem-na rua do Rozario, n. 1, que serilo
gratificados.
-- Fugio, no da primeiro dn corrente,
urna mulalinha de nome Benedicta, de 11
annos pouco mais ou menos, magra, cor
um tanto alva; levou saia de madapolSo
com babado em baixo e uma camisa com
renda nos assentos j suja : quem a pegar
leve-a-rua da Cadeia do llecife, n. 51, pri-
meiro andar, que acra recompensado s sa-
ltas como se protesta contra quem a tiver
oceulta.
-- Desappareceu, do llecife, nn dia 3 do
correnlo, o escravo Joilo, crioulo, de cor
fula, baixo, baatante grosso do corpo, ca-
ra redonda, com um signal no meio da tes-
ta, modo bisonho ; levou caigas de algo-
do branco, camisa de chila rouxa, chapeo
preto, aln desta roupa, levou mai caigas
e camisa de algodo com listras azues ; foi
acompanhado de uma preta de non e 'Un-
reza, a qual levava uma trouxa de roupa
na cabega : quemo pegar leve-o rua da
Apollo, armazem de ass'icar, de Antonio
lienrique llodrigues, que recompensar.
Na manha do dia 4 do corrente, des-
appareceu do primeiro andar da csa da
esquina da rua da Lapa para o Porte do
M.'.tos, defronte do chalariz, uma preta
com os siguaes seguintes : alta, secca, bi a-
gos grossos, mos grandes, beigos grossos,
olhos vivos, cor fula, ps grandes e gios-
sos, de nagflo ; levou vestido encarnado,
com listras azues em folha, tem panno; es-
crava de .Mana Carduzo da ConceigSo ; le-
vou em sua companhia um pequeo lillio
da senhora, com 7 anuos, olhos grandes,
rosto redondo, cabellos estirados, um pou-
co moreno ; levou caigas de linho azul, em
mangas de camisa, bolOes de ouro nos pu-
chos : quem a pegar leve a a dila casa, que
sera gratificado.
Pkkn. :B*
riT. ue y. t. de au. 1850


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ECY5EQLY8_CPX2OA INGEST_TIME 2013-04-24T18:05:39Z PACKAGE AA00011611_06803
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES