Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06802


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno XXVI.
Terca-fe ira' 5
PARTIDA DOS CORH.EIOB. .
Goianna r Psrahlba. segundas egestas fi-iras.
RIo-Grande-do-Noite, rulotas felras ao meta-
dla.
Cabo, Sfiinhacni, Rio-Formoso, Porto-Calvo
t- Macelo, mu 1.", a I r 21 dcada niel.
Garanhuns e Bonito, 8r 23.
Hoa-VisU e Flor.-, a 13 e 28.
Victoria, quintas felras.
Oliuda, todos os dias.
IPHEMEniDES.
I'llAIKS DA LOA.
/Ming. a 3, s 10 h. e 59 m. da t.
i.V.va a 12, s 4b.e 0 m. da m.
i'vec. a 19, a"s*5 h. e52 ni. da t.
ICheia a2, s II b. e i I ni. Ja ni.
IREAMAB DE HOIZ,
Prlmeira as 11 lloras e 42 minutos da manhaa.
Segunda as 12 boras < iniiuius da larde.
de Fevereiro N. 2).
puspos d.v anasoairtfio.
Por tres inezes (aiftaiilddor) 4/")00
Portis mezes 8/1)00
Por uta auno i
DAS DA SBUSAar*.
4 Seg. S. Avcnlino. Aiil. do J. d is orf. e m. 1. v.
j Tere. I*. gueda Aud.da chine., do J. da 1. V.
do civ. e du tai f.-it'is d,i faaenrta. #
ti Qu.irl S. Dornihea Aud. do J. da 2 v. civcl.
7 yuint. S. Romualdo. Aud. do J. dos orf. e do
m. da I. v.
8 Seat. S. Justo da Malta. Aud. du J. da 1. r. do
cir. e do do* fritos da fairnda.
9 5.1 n. S. Apoiloulo. Aud. da Chae, e do J. da 2.
V. do criuie.
15/t)0010 Doin s Kscolaslica.
.....-_ __
CAMBIOS E D FZTEREaO.
Sobre Londres. 2V/, d. por l/UOO rs. a 60 dias.
. Paria, 3.
Lisboa, 100 por cento.
Oaro.-Onea hespanhoe.........28/T00 a 29/000
Moeda de 6/400 velhas.. I7rt)0O a 17/200
de 6/4.KI novas .. 16/200 a l/iilO
de 4*100.......... 9/2IH) a 9/400
/Vata.-PatacSes br.i-dleiros...... !/<>'! a l/!'H0
Pesos coluumarios....... l/-o<> a l/^HO
Ditos mexiciiius.......... l/oOO a 1/820
PARTE OFFICIAL.
PROPOSTA E RELATORIO
apresentados a asstmbla geral legislativa na
primeira sesio da oitava legiilatura, pelo
ministro e st ere/ario de estado do$ negocio/
ila fnienda, Joaqun* Jote Rodrigue Torra.
( Contiuuago do n. 9. |
capitulo ni.
DisposicSes gems.
Art. II. Ficam em vipor todas as dispo-
siges da le do orcamento anlecedenleque
nlio versaren particularmente sobre a fixs-
giio da receita despeza, r nfio liverein sido
expressamenlo revogadas.
Art. ta. Ficam revogadas as leis e dispo-
gigOs em contrario.
Rio-de-Janeiro, em 8 de Janeiro de 1850.
Joaguim loe Rodrigues Torres.
AUGUSTOS E WGNISSIMOS SE.NHORES RE-
PRESENTANTES DA NACAO.
Na proposta que acabo de apresentar-vos
orcei a receita para o exercicio de 185051
em 27,300:000, 000rs., sem embargo de ha-
Ver ido redolida pela lei de_18 de 1848 a 7|u a quota dos direitos dos cou-
ros do Rio-Grande do sul, e a 6 por | a da
sisa dos bens do miz, o que deve produzir
um desfalque de cerca de 500 contos.
Para justificar este orcamento observarci
que a receita geral do imperio montou no
excrcito do 185--*6 a 26,199:137,000 rs. ;
no de 1816-47, 87,525:177, 000 rs. ; e no de
1847- 48. e leva-sea queja he conhecida a
24,518:731,000 rs.
Ora, as tres alfanilegas do Rio-de-Janeirn,
Babia e Pernambuco arrecadaram em 1845
--46 13,610:000,000,000 rs. : 1816-47 ris
13,881:391,000; em 1647-48 11,834:573,000
rs. Assim, a diflerenga entre a renda total
e a importancia arrecadada pelas tres refe-
ridas repariicfVs no desceu abaixo de rs.
12,590:000,000 em nenhum dos tres men-
cionados annos finanreiros Psrece-me,po.,
que n3o errarei avahando em 12,981:000,000
rs., tenido medio dos tres annos, o produc-
to das rendas que se hSo de arrecadar em
1850-51 em todas as repartieres (iscas,
exceptuadas as tres a que me tenho referi-
do. Dentis, a alfandega do Rio-de-Janei-
ro rendeu no primeiro semestre do auno
lnancoiro corrente 4,598:000/
A da Babia arrecadou do prin-
cipio de jcillio ao ultimo Je no-
vembro prximamente passado
1,266:000,000 rs ,pde-se calcu-
lar o reodimenlo do mesmu se-
mestre 1,519:200/
Na de Pernambuco elevou-so
a renda dos cinco mzes a ris
1,451:000,000, o que d para o
semestre 1,744:200/
E as tres alfandegas 7,858:400/
Oh 15,716:800,000 rs.-para O anuo lodo.
Assim, creio que no poderei.
ser laxado de exagerarlo orean-
do a receita das tres menciona-
das alfandegas no exercicio do
1850-51 em 14,800:000*
Os quacs juntos aos 12,981:000^
Elevoriam a renda total a 27,781:000/
Senflo, fra preciso deduzir
desta somma* 481:000/
27,300:000/
Por mcller em conta a diminuigo pro-
veniente da rednecuo dos direitos dos cou-
ros-e da siza, de que ji fallei.
So ao que deixo ex posto ajuntar-se que a
renda de outras alfandegas deve tambem
augmentar, quando mais acrurada fiscali-
saciio fr nellas estabellecida ; que o im-
posto do sello deve produzir muito mais se
l'ur melhorarreeadado, o que espero se con-
siga com a reftma do regulamento do 26
de abril de 1814; e finalmente quo, orean-
do a receita do IS50--5I, nSo Cuntei cun u
augmento proveniente do progress da ri-
queza publica, reronhecer-se-ha que o
U08SO estado uaneciro n.lo be assuslador.
Procuremos por termo s commoces in-
leslinaa que tilo grandes males nos teem
feito, que tanto teem enfraquecidn as fdr-
(,-rts productivas do paiz, e caminbar elli< a
pnssos rpidos para a prosperidade que Ihe
asseguram seos inmensos recursos.
Pelo que toca despeza,
foi oreada em 28,438:722 350
Da qual deJuzida a amor-
tisa(.lo, ha muitos annos
suspensa 2,261:057,777
los annos por falla de amcrlisaclo, eleva-
se somma de I. 6:187,050 em apolices de
5 por cento, ou 54,996:000/ ao par de 27
drs.; sendo, portanto,a sua despeza annual,
Incluidos juros e commissftes, de 1. 315,346,
ou 2,803:075, a qual lem sido regularmen-
te paga. A do exercicio futuro vai calcula-
da no orcamento em I. 314,760, porque es-
pero que o emprestimo do anno de 1823 fi-
que reduzido no corrente somma redonda
de I. 1:000,000, depois de frita a amortisa-
c(o promoltida no relatorio antecedente, e
quo a baixa do cambio n.1o permittia reali-
sar sem grande prejuizo
Devoaqui observar que nunca lem figu-
rado nem figura anda as tabellas da divi-
da publica a quanlia de I. 100,000, adianla-
da pelos nossos agentes em-l.ondres, e des
pendida no exercicio de 1840 a 1841, e que
desde-entno estamos devendo integralmen-
te aos referidos agentes, a quem pagamos
o juro de 5 por 0|0, na forma do contrato
celebrado com ellrs em 1840.
Os fundos remeltidos agencia em Lon-
dres depois do ultimo relatorio, islo lie, nos
dezoito mezes de abril de 1848 a setembro
de 1849, tanto para esta despeza, c mu pira
a diplomacia e encomoiendis dos diversos
ministerios, montou a I. 491,556. 15. Ta-
bella n. 4.
O cambio medio das remessas fo de
23,95, drs. Isto he, 8, 2 por cenlo abaixo
do par de 27 drs. : o medio do anno quo fin-
don em marco de 1818 tinha sido de 27,47
drs. : 1,74 cima do inesmo par.
Esta ililK'ivnc.i para monos foi causa de
avnltado excesso de despeza na verba de-
cretada para esle ramo do servico publico,
a qual foi calculada sobre o cambio de 27;
o maior podra serse baixa do cambio se
juntasse o estrecimento, que era de recoiar,
das casas de commercio saccadoras, apezar
da escrupulosa preferencia que o tliesouro
costuma dar s ledras das quo Rozam de
maior conceito. Felizmente nesta parte
apenasdeixaramdesur pagas 1.13,546,10,11,
remettidas da Babia de Janeiro a margo d
1848, cuja cobrauga espero ainda que se
realise sem uenliun prejuizo da fazenda
publica. i
Aopasso quena Euro se foi resta bel e-
cendo a ordem, coiuerot. subir o cambio
as pravas do brasil al elevar-se as prin-
cipaes cima do par, de outubro prximo
passadoem liante ; circunstancia que lem
sido aproveitada pelo thesouio, fazendo a-
vultadis remessas para a despeza que tem
de pagar em Londres al junbo da*le annu.
Semelhante alternativa do baixa ealta
devida s mesmas causas, tiveram os fundos
brasileiros naquell^ pra;a, participando as
sim da sorie do toJos os outros, nacionaes
o estrangeiros, que al i circulam. Depois
de teram descido de 75 a 58, foram progres-
sivanienle subindo at 84, em qu3 licdram
em novembro prximamente passado.
ponlualidade com que o governo do
Brasil tem sempre cumpriJo seus empe-
ulios, no so puupando a sacrificios, aluda
quando crises polticas e cuinmerciaes es-
casoam nossos recursos linanceiros, dive-
mos em grande parle o crdito do .que go-
zam na Europa os fundos brasileiros.
Vai-s npproxini iiidn o tormo em que os
mais antigos o avullados^'mprestiuios ex-
ternos teem deseramorlisados; e cumpre
que o governo seja de espago autorisado
pelo corpo legislativo para fazer operaefies
de crdito quo evitem ou tornem menos
onerosos os effeitos daquella condijao dos
contratos.
Agencia em Londres.
As operacCes financeiras do thesouro em
Londres ninda esiSo a cargo dos negoci-
antes inglezes Coldsmid Thompson, e
Kinb, com as rondicOes do contrato cele-
brado em 1810.
Divida
interna.
Fica reduzida a
Comparada com a receita
oreada
Ha um saldo da
Comparada a despeza or-
ead
Com a fixada na lei de 18
deoalubrode1818
Ha urna reduccSo do
26,177:604,573
27,300.000,000
1,122:335,427
26,177.664,573
26,802:177,129
624:512,556
Aosoulros ministros cumpre dar as ra-
sfles das dilereneas nos orcaincntos de suas
reparti^Oas : pelo que me toca, a ultima
paite desio relatorio, o as tabellas quo a
elle junto, juslificam o accrescimo que
prbponho em algunias verbas do ornamento
do ministerio da fezenda.
Divida paisiva externa.
Esla divida (latidla n. 3), toda prove-
niente de empreslimos contralii Jos fra do
imperio, e que nao tem diminuido lia mui-
pniiiva
A divida passiva interna representada
por plices em circulac^o montava no lim
de marco de 1848 em 48,5h3:40O.OOO como
consta do ultimo relatorio e em 51,237:400
u lim de setembro de 1849, como nioslrn
a tabella n. 5, Icndo augmentado nesses 18
mezes 2,664:400 lias de 6 por 0,0 que lo-
ra m vendidas pe'o thesouro; dimiuuindo
12:600 as de 5 por0|0, por se haverem e-
liminadoda tabella anlecedento 33:000 000
indovidamente cooiprelundidos nella ; e e-
millido, em pagamento de divida inscripta
anterior a 1827, 20:600,000 tabella o. 7.
O melhoramenlo do prego dcsios ttulos,
e a conveniencia de retirar da circulacilo
parle das ledras do Ihesouroemittidas, por
conla do dficit de exeicicios anteriores,
d i-i i' i m i non o %overno a vender de 2 de
abril ultimo em diante ,s apolices cons-
tantes da tabella n 7, aos precos de 86 al
90 | nr o,0, na importanria de 3,430169,000
das quacs 2,5< 0:000 formn contratadas em
21 do ultimo de junho at ao Om de oulubro
prximo passado. Pesias vlocomprehcndi-
dos na tabella 1,300.000,000 realisadosj na
occssiSo em que foi organizada ; os outros
1,200:000,000 realisaram-se depois.
Leltrnt do thesouro.
Eslavam em circulaclo, no lim de margo
de 1848,5,031:000,000:0 no lim dosetombro
de 1849, 5,089:000,000 ( tabella n. 8 ), nflo
obslanle otesgale de 2,350.000.000 que se
operou com o producto da venda de apolices
Para explicar este facto basta atloiider-se :
primeiro, que a lei do orcamento que regu-
lou o exercicio de 1848 a 49 foi votada com o
dficit do 1,085.000/; segundo, que foi paga
com bilhetes do lliesouioal aolim do refe-
ido niez de setembro a quantiade 779:108/
(tabellan. 10) or conta dos crditos ex-
traordinarios abertos por differentes leis c
resolucOes ; terceiro, que o exercicio de
1848 49 supprio o de 1817 48 com
quantia de 2,954:228/, como se v da tabella
n. 9; qoarto, que na somma dos bilhetes
do thesouro cmcirculcao comprebende-se
a de 300:000/. que-na forma da resolueflo de
2 de outubro da 1848 foi emprestada a He-
neo Evangelista de Souza para auxiliar a
sua fabrica de fundicSo de ferro c machi-
nismo, estabelecida na l'ontad'Aroia ; e
ouinto, finalmente, que as desonlens de
Pernambuco deram lupar a despezas ex-
traordinarias e avultadas.
O descont deslas ledras na praca nos re-
feridos 18 mezes variou entre 4 1|2 c 6 por
cenlo, sendo o m lio das sommas emilti-
das 5,29 por cento. O do anno lindo em
margo de 1848 tinha sido de 5,99.
Conhecimentat deinscripcoet.
E tembro de 1848a 196:901,362. Tcndo fin-
dado o termo legal da prosiripgilo, foi eli-
minado do quadro, e s ser paga a que por
motivo justo deixou de ser reclamada cm
tempo pelos credores.
Divida de excrcicioi ftndos.
Tabellas ns. 11 a 14. Dos 5 crditos con-
signados par.i pagamento desta divida, fui
encerrado o do 1843 por haver completado
cinco annos, elimitando-se do quadro as
parcellas que nito foram pagas, e que para
o serem devem ontrar em novo crdito, se
os credores provarem motivo allondivcl que
os releve da demora que tiveram em recla-
ma-la.
Dos outros quatro decretados de 1815 a
1848, pagou-se no thesouro e as thesoura-
rias, segundo as contas reccbdas at setem-
bro prximo passado, a quantia de ris
536:275.199, (lean lo por pagar a de ris
1,186 862.767, que nilo fui procura la.
Depois do ultimo desles crditos ieem-se
liquidado outras dividas da mesma naturc-
7a, cojos documentos vos ho de ser apo-
sentados nessa sessSo, alim de que decretis
os fundos necessarios para o seu paga-
mento.
Emprestimo do cofre dos orphdos.
Tabellan. 15. No fim de junbo de 1817,
montava o que o lh"souro devia destes em-
preslimos em 1,446.-436,521, e segundo as
ultimas contas recebidas das lliesourarias,
al setembro passado, em I 612:572,170. Por
estes empreslimos paga o thesouro, em vir-
tude da lei que os autorisou, o juro de 6 por
cento, alm da despeza de porccntagein aos
collectores que os recebem. Sobro a ne-
cessidade da reduccSo dello a 5 por cento,
concordo com o que se disse nes dous lti-
mos rea torios.
Divida ao cofre dos depsitos pblicos, eslabele-
cido por lei as Ihttuurariat.
Tabella n. 16. A somma om deposito, se-
gundos balangos recbalos at setembro,
montava a 767:220,000, menos 7:716,000 do
que a da tabella do anno antecedente, as
parcellasH]ue compOem aquella somma sSo
38 473,000 em objectos de euro, prata c pe-
dras preciosas ; 154:000,000 em papis de
crdito, e 574:242,000 em dinhero. Sobro
a necessiJadc de se reduzirem a moda os
ditos objectos quando mo fArem levantados
dentro de certo prazo marcado por lei, o
quando se nSo opponham as partes interes-
sadas, refiro-meao que se propz no rela-
torio antecedente, accrescentando que,
alm das ras \s de conveniencia al I i apon-
ladas, ha a necessidadede diminuir quanto
for possivel a responsabilidado dos tliesou-
rcros cujas (langas de dia em dia mais se
vflo difiicultando.
Depsitos de dinkeiro de ausentes.
Sobre esta divida tenho de repetir o mes-
moquese disso nos relalorios anteriores,
isto he, que do anno em anno vai (cando
maior reinancscento nSo reclamado ; e por-
que parte dclle he muito enligo, convira
estabelecer-lhe proscripg.lo para no andar
avallando a somma da divida passiva do
thesouro.
Pelo que pertence arrecadagSo dos bens
de ausentes, estando o governo autorisado
para reformar o respectivo regulamento,
nenhuma providencia tenho a reclamar so-
bre esla materia.
Natas ou papel-moda.
A somma cm crculagitoque constitue es-
ta qualiilade de divida ho actualmente, se-
gundo oqtiadron. 17, de 46,920:508,000. A
difTcrcngade 1,237:213,000 para menos que
se nota ncsle saldo, comparado com o qua-
dro apresentaJo no relatorio antecedente,
procede de se haver recolhido a caixa de
ainorlisagflo todas as notas inutilisadss que
existiam nas exlinrtns caixas do substitu-
gao das piovincias.e de su hiver feito o aba-
tmenlo das perdidas na circulagS depois
de concluida a ultima subslituigflo que se
fez.
Divida activa.
0 esta Jo desta divida no fim de dezembro
de 1846, segundo a tabella annexa ao rela-
torio antecedente, era de 6,945:457,268
Em igual dia de 1847, se-
gundo a tabellan. 20, era de 4,904:679,113
A aliminacSo mais importan! fez-se na mencionad, assim
provincia de Minas e foi de 1,699 097,067
rs. ; a maior cobranga leve tambem lugar
nessa provincia.
Dos 4.904:679,113 rs. da divida existente
no fim de 1847 se reputi incobravel a som-
ma do 2.652:539,739 ris, que continuar
a figurar no quadro at orocripg:*o legal.
te nenie de
guirdas nacionaes I.ni/. Mathias dos dantos,
cujo procedimento muito me satisfez. O Br.
capitao comm.indantc interino do 5 batalho
de cac.idores Jos Albano Wsnderley acnmpa-
nhou-me na tomada das forlifica;oes do Cous-
seiro, onde portou-se bein o Sr. capitao Joo
Gcrvaiin de Sonta Persa, c nas diEres>* que
i at chrgar Prati. f.'onio o corpo de bste-
A divida proveniente do sisas o prestages; lores nao cumprio a mlnha ordem, por moti-
vos que ainda ignoro, reservo para ti atar dcl-
le em oiltra ordem dodil.
Sao t.iiiiliein dignos de lionrosa menean o;
Srs. primeiro tenenle do 3. deartilharia Mer-
mes RrnestO da Fonscca. <|ue,acbando-sedoen-
te, ollereceu-se para marchar, e, depois de dar
i novas provasde valor, foi ferido, cont j dis-
| se, no ponto do Capim ; capitao Maifnel lis
41:701,092 da Soledade. alferca-ajudante Marlinhu Jos da
' Silva, ferido no ponto do Coussciro, sargento-
de devodores representada por ledras exis-
tentes nos cofres do thesouro e lliesoura-
rias. quo fazia parte do saldo dellas om 3t
lem.ir;nde 1818, como se ve da respectiva
tabella annexa ao balango de 1846 a 1K7,
iiipoi lava n saber :
Ledras vencidas e nSo pa-
gas
a vencer em 1847
48
a al 1857
120 00-' 417 ajudanle Leoncio Jos Barbosa, segundocade-
m-.,,.,:'B,. le Jos Maria Chaves de llrito. todos doS ba-
"~'"' tiilhao, e o segundo tenenle do 2." de artilh<-
604-591,000
380:320.581
A somma existente no fim
de margo de 1847, como cons-
ta do relatorio antecedente,
era de
Augmento em margo de 184H
Esta qualidade de divida tem dn ir om di-
minuigSo depois quo a lei de 28 lo outu-
h'o de 1848 aboli o pagamento da sisa em
ledras.
(Continuar-se-ha )
""""""""' ria Francisco Nunes da Cunha, dos quaes faz,
981:911,384 especial nicnrao o Sr. tencntr-coroncl Bruce;
e finalmente os Srs. capitao Antonio Maria Ra-
bcllo, segundo lente Ayres Antonio de Mo-
raes Ancni?, que servem o primeiro de majnr,
e o segundo de ajudanle de campo da primi-
s-a brisada; e os Srs. primeiro.lenle JI om
j el Francisco Corlho de Oliveira Stares, aderes
Antonio Eloy da Caoba Mello, que occupaiu
scmclliau'cs lugares na segunda; todos pelo
bem que ciinprirain os seus deveres.
Toda a forga do governo se achava pos-
suida do maior enlhusiasmo, e o pnico ter-
ror do inimgo, depois da trnala do Cous-'
sero e Capim, rouhou-lhe a gloria lo an-
da unvtr vez mostrar-lhe de qaanlo s3o ca-
pares as armas da legalidade, quo poaco
teria ji que receiar do inimigo su nfio fs-
sem os tiros triigooiros com quo o rebelde
vil e indigno do nome brasileiro p Cima-Ia, sem ser mosmo persenlido, sobro
o que de passagem chamo toda altengSo dos
senhores commandantes em geral. NSo
terminarei a presente ordem do dia sem
mencionar o senhor coronel Manoel Muniz
Tavares, que me acompanhou em todos es
movimentos que fiz, patenteando aquella
corageni qui o distingue approveitando a
occasio para dar-lhe os devidas elogios pe-
lo bem que desempenhou o commando
geral das fOrgas ao sul da provincia, e as
fuicgfies de ajadante-general; assim co-
mo o j conheci lo senhor tenente-coronel
Feliciano Antonio EalcSo, que, nomeado
lepulado do njudanlc-general, vcio do
Verde com a frga, e, depois de assistir ao
alai]n do Cousseiro. tamlieni mu acampa-
GOVKRN DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DIA 22 DE JANEIRO,
Ollico. Ao commamianle da praga,
communicanilo haver arbitrado a gratifica-
gao de cem mil ris ao cabo do segundo ba-
talbSo de arlilharia a p, Pedro Chrsosto-
mo la Cunha, que se offerecou para conti-
nuar noservigo do excrcito. Scientii-ou-
so 0 inspector da pagadoria militar.
Dito. Ao mesmo, para que faga render
O ofllcial c ruin ni la'il" da guarda da alfan-
dega, e o prenda por ter desobedecido ao
inspector daquella roparlig.lo. luteirou-
se o mencionado inspector.
Dito. Ao inspector da thesounria da fa-
zenda provincial, manilando a lianlar ao en-
genlieiro Jos Mamede Alves l'erreira a
quanlia do um cont de ris, nfim do dar
principio a obra da cadiia desta cidade.
Inlcllgenciou-se o referido engenheiro.
Dito. Ao juiz relatar da junta de jusli-
ga, remeltendn o processo do soldado do
primeirobatalhSo do fuzileiros, addido ao'nhou, assim como oassistente do ajudanle-
segando da mosina arma, JoSo Luiz dos San- general o senhor capiSo Manoel ItoJrigues
tos, para que o examine com urgencia, alim
de ser julgailo como convm disciplina
miltr.
Dito. Ao capiSo do porto, ordenando
procure pessoa. idnea para ser nomeado
mestro da escuna Lindoya, visto ter deser-
tado o individuo que exarcia aquello lugar.
Dito. Ao commandante da corveta I).-
Januarin, remetlondo o oflicio do comman-
dante da corveta Bulerpe, acompanliadn de
um requerimento do imperial marinheiro
Francisco Antonio de Mello, para que man-
de examinar se o preso, que se echa a bor-
do da corveta a seu mando com igual nome,
he o mesmo quo, estando doente na enfer-
mara de marinha, dalli se evadir.
Portara. Mandando ao commandante
do corpo de polica que ponha em lbenla-
de u Francisco Luiz do Mascimenlo.
Commando das armas.
Quartel-general do commando das armas de
Pernambuco na villa di Agoa-I'rela, 28 Je
Janeiro de 1850.
ORDEM DO DIA.
DminuigSo 2,040:778,155
A maior parte desta diminuigao procede
de baverom algumas thesourarias elimina-
do da divida que se repulava incobravel a
que ellas julgaram ncursa na proscripgiio
da lei por ter mais de 40 annos, a saber ;
Pertence aos an-
nos de 1706 a
1761 682:391,150
Aosde1762ai8071,261:601,1521,943:992,302
Cobranga
46:785,852
Havendo eu dado as convenientes Ordens
Su i que fossem atacados ao amanhecer do dia
i do corrente os puntos principaes dos rebel-
des, marchando as frcas em direccao a Prata,
centro do acampamento iiiimigo, ondedeviam
ellas faier jnocao, assim lrain cuinpridas, e
riles balidos cm Coussciro, Capim, Caluar.-.a.
Pirangi, Japaranduba e Prata que, as 11 l|2
horas do da em diante, comecou a ser'occnpa-
da pelas frcas do governo, as quaes al che-
gavaiu por diversos cauinhos, depois de lo-
mar e arrasar trese trincheiras. O inimigo
oppz alguma resistencia no Coussciro, Ca-
pim e Japaranduba ; mas, repellldo pelo va-
lor das toreas do governo. combateu d'abipor
diantc como em retirada, oB'erccendo fcil
victoria, creio eu que atordoado por ver que
o fogo rompa por muitos lugares.
.He para sentir que cssea covardes, aos quaes
muito bem cabe o nome de assassinos, pois
inesmo nas suas' emboscadas apenas do os
primeiros Uros, sempre nocivos s forcas do
governo, fogem, no dispulassem por mais al-
cuiii lempo a posse de seus intriucheiraiiien
tos, alias temiveis, alim de senlirein o valor
das li eas que os prrsf guiain : fugitivos e dis-
persos na deosidade das luattas, nicamente
deixaraiu um inorto no campo. Nos temos de
lamentar a morte de tres anspecadas dos bala-
Ibes I c 8." de caladores c 3." de arlilharia;
u fcimenl do. vab-ult-s piiuieiro ieiieule iiu -
mes Ernesto da Fonseca, aireres-ajudantc
Vi .ii uulii, Juai: d.i.Silv.i, e de lUi M pra^Ai,
incluindo o lente Joaquim barroso de Car-
valho, levcmeule ferido de um chumbo no
p esquerdo.
Sao dignos de louvor pelo, bem que nini-
prirain aa ininhas ordens os ?rs. coronel gra-
duado Jos Ferreira de Atcvedo, lenente-coro-
iirl Anlnuio Maria de Souza coniuiandantcdas
las brigadas, major graduado Flix Pereira
Doiirado, major Joaquim Rodrigues Coe lio
Kelly, major graduado Lui/. Antonio Ferraz e
teiienlc-corom-l graduado Joao Guilheriiie de
bruce, cominaiidantes interinos dos balalhdrs
3. de arlilharia a p, l., 2." e 8." de cacado-
res; mereceudo o ultimo particular uienco,
por se ter casualmente adiado em um dos pon-
tos onde o inimigo oppi maior resistencia : o
Sr. capitao Jos Antonio Barbosa iue m u-
chou com una peca de seis, se bem so tlvsse
occasio de dar (re* tiros, taiubem merece ser
de llarros Fonseca de llrito.
O mcu cstido-maior, composto dos se-
nhores capitao Jos Pedro Hedor ajudanle
de ordens, alfercs Jos Joaquim Coelbo J-
nior apilante de oriiens da pessoa, dilo
secretario Cuillierine dos Santos Sazes Ca-
ded, dito Luiz Albuquerque MaranhSo,
commandante do piquete de cavallaria, por-
tou-se bem.
Congralulo-me com todos os senhores
O (Ociaos, e a todas as pragas das duas briga-
das dou os maiores elogios pela ptima dis-
posigSo quo nellas observei.ioti Joaquim
Cotlho.Conforme, Guilhermc dos Sanios .So-
res Cade//, alfares servindo do secretario in-
terino.
INTERIOR.
ALAGOAS.
Extracto do expediente do Exm. Sr. presiden-
te Dr. Jos liento da Cunha e Figueircdo.
19 DE DEZEHBR0.
OITicio, -- Ao director geral dos Indios,
censando a reccpgio dos seus ofilcios, e
ordenando-lhe que apenas esle receber en-
tregue a direcgSo da fdrga debaixo do suas
vislasao ofilcial desua maior candanga, e
parta logo para a villa do Porto-Calvo, afim
de a presidencia ata i ter com elle utna con-
ferencia.
Dito. Ao major JoB Jos Corris,
iirii ni :i n-.....que apenas este receber ba-
ja do fazer recolher e entregar ao alferes
Paulino Nery da Fonseca o-armamenlo quo
so aclu distribuido pelo seu batalhio, co-
mo jal he fra ordenado pelo tenento-co-
roncl Joaquim Marinho Falcilo.
Dito.Ao subdelegado do Porto-de-Pe-
dras, ordenando-lhe que logo que chegue a
barra de Porto-de-Pedras o brigue-escuoi
Ganpo, mando inmediatamente avisar a
presidencia, devendo fornecer ao comman-
dante do mesmo brigue, algn man time ti-
to se elle o exigir.
P NAMBUCO
CMARA MUNICIPAL D RECIFE.
SrSSAli EXTRlOnOINAHIA EM 19 DE JANEI-
RO de 1850.
Presidencia do Sr. Barros.
Presentes os Srs. Mamede, Carnciro
Montuno, Maraes, Pires Ferreira, e Angelo
llenriqueiftda Silva que prestou juramento o
lomou posse, faltando com causa os mais
senhores, abrio-se a sesso, e foi lida e ap-
provada a acta da antecedente.
O secretario fez a leilura do segunte ex-
pelionte:
Um oflicio de Joaquim Jos da Costa, par-
ticipando que, pelus afazeres do seu em-
prego de felor conterente da alfandega, no
podia por ora servir o cargo de vereador.
Que,co jiqtianto nSo fosse legitimo o motivo
allegado, lodavia se chamasso o immediato
e votos, visto sor o dito Sr. Costa emprega-
do do fazeuda, o nao poder ooj vista da lei
exercer dito cargo.
Ano


l-2-
Outro do vereador Jos Joaquim de Oli-
veira, participando nflo podr, por ora. ex-
ercer dito cargo, por se achar no ejercicio
da subdelegacia da freguezia de S.Frci-Pe-
drof.ontalves --Inteirada.
Oniro do mesmo, participando ter om seu
poder a qunnlia de 60,000 rs. de multas da-
das por infracco s posturas a Marieira &
Cuimarfles e Antonio Mariins Duarte, por
venderem agoas-ardentesa pretos escravos
sem bilhetesdaseus senhores, eque a c-
mara dessa ordem ao procurador para rece-
ber dilo dinheiro.--Quo se expedisse a con-
veniente ordom ao procurador, e se parlici-
passe contailoria.
Oulro do vereador Maciel Vianna, parti-
cipando nflo poder comparecer a aessfio do
li'i'', por ncommodado.--Inteirada.
huiro lio contador, apresentando o ba-
lancoda rereila o despeza do anno munici-
pal lindo, o ornamento para o anuo futuro,
o mais pegas que devem ser presentas as-
sotnbla provincial por intermedio do Exm.
presidente da provincia.Que fossem re-
meilidos ditos papis commssflo de poli-
ca para sobre elles dar seu parecer com
urgencia.
Outro de Jos Francisco Msrinho, juiz de
paz do segundo dstricto da freguezia de S.-
Frei-Pedro-Concalves, propoudo a Manoel
Joaqun da Silva Hibeiro para o cargo de
sen escnvflo privativo, visto nflo Ihe convir
servir com o da subdelegada, e ter a auto-
m-iu'.Vi, que Juntava, do juiz de direito para
ter escnvflo separado.Foi approvado o
nroposlo, o maudou-se responder ao juiz
de paz.
Outro do vigario da freguezia de S.-Jos
destn Cidade, communicando que,upezar de
nflo comprehrnder bein o art.5 tit.l das pes-
11, i.. s, 11' 111. i, niloobstante.feilo exlrabir dos
livros de assentos da freguezia a relac/io
que reincttia dos baptisados feitos na mes-
illa, do primeiro de julho ao ultimo de de-
zembro do anno passado, e que para obviar
duviilas Un' remettesse a cmara o modello
pelo qi-al devia ser feitailita rela(3o.~Que
se respondesse que o ma pa apresentado
salisfazia a exigencia da lei.
Oulro do liscal da Ba-Vista, dando a
rasflopor que no linha anda feito executar
o art. 3 do tit. 5das posturas em vigor, re-
lativamente a remocho de ofllcinas de cal-
deirero, ferreiro, etc.Inteirada.
Outro do fiscal da freguezia de S.-Jos,
no mesmo sentido do anterior.-Inteirtda
Outro do nipsnio liscal, participando que
as inultas dudas por infraccSo s posturas
no mez do dezembro ultimo importaran)
na quantia de 106,000 ris, c pedindo s
mnndasse pagar ao Hr. Joflo Jos Innocencia
J'ogge a i|u.inl i.i de 3,200 rs. de urna corri
da dcsade que com elle fez no lia 15 do
dito mez.Que se passasse mandado.
Outro do mesmo liscal, participando que
o cano de eagto de saugee do mtidouro
das Cinco-Puntas est completamente ar-
ruinado em estado de a ser lavado as
granibs mares, resultando disto o empo-
rio culi) do sangue, queexala mo cheiro.
-- Que se expedisse ordem ao cordeador
para orear as despezas com os colicortos a
fazer-se em dito cano.
Foi lila urna petieflo de Joaquim Antonio
dos Santos An linde, feta ao governo da
provincia, e por 'este mandada cmara a
informar, pedindo a prorogacffo por mais
seis mezes do praxo marcado para a reino-
culo de sua fabrica decaldciralro.Mandou-
ho informar convenienreinentc ao Exm. pre-
sidente da provincia.
Foi nomeado membro interino da com-
ii i -.mi de ed ic*c no o vereador Angelo
llenriqups da Silva, a quem se mandou io-
nietler os papis relativos inesnia com-
mssflo.
Foi nomeado o fiscal de S.-Jos para ser-
vir interinamente na freguezia de S.-Anto-
nio, a principiar do da 20 at o lim do cr-
reme n.ez.
.Maudou-se ofliciar ao vereador liara t,
pedindo a icticno do alguna moradorps da
freguezia de S.-Jos, requerendo a culloca-
(flo de um cbafariz na tua do Forte que,
com um oflicio do governo da provincia c
da idminiatracSo da companbla do Reheri-
r Un' fui remitido em 15 de junho de 1818,
afim de se salisfazer a ordem do Exm. pre-
sidente da provincia, mandando que aca-
mara ioforniasse dita pelillo com urgencia.
. landou-se annunciar que o edital de 8 de
marco do anno passado designando os lu-
gares para onde devem ser removidas as fa-
bricas de fuudc.s, ferraria,elc, se acha
em inleiro vigor.
Destincharain-se as peleos'de Antonio
J}> Rabclio Cuimarfles, de Antonio da Sil-
va l'imeiiti'l, do Rernardino Ignacio de
Jezus, do Firmino Jos Flix da Hoz, de
-anrisco Ign-cio da Silva, de Gaspar Adol-
fo Jlourgois, de Joaiuim C.orreia da Costa.
de Ignacia Brgida de Mello, do bach^rel
Jos Nicolao Regneira l.:><{, de Jos Fran-
cisco Rrandflo e Castro, de Ldicro Gon-
Calves da Silva, de Jos Pedio Vello/o da
Silveira, de Mara Magdalena dos Aojos, de
Maniii I Joaquim Uai lista, de Onofre Jos
da Costa, de l'icvolz & C.; c levanlou-se a
aessfio.
Eu, Manoel Ferreira Aecioti, secretario in-
terino, a escrevi. Oliteira, presidente. -
i : i,i m, Uonleiro.Voraet Henriques da
Uva. femlra.
DIARIO UE fflffljMjM
Bxoire, d* rrviBEao de isso.
O major Pedro Antonio Velloso da Silvei-
ra, r/aidoeapitlo Pedro Ivo Velloso da Sil-
veira, desejoso de arrancar a esto official
das maltas de Agoa-Prt-ta, o por consegun-
te carreira do crime, resolvr.u-sc a vir da
provincia da Italna, onde resida, para a de
Magnas, alim ile passar-se- dahi para a-
quellas maltas, e fallar pessoalmente ao l-
Ino, persuadido, semduvida, de que este
nSo dcixaria de ceder s suas admgeslaies
consellms, dictados pelo fiatriolismoe pe-
lo amor paternal.
Efectivamente ebegou o major Pedro An-
tonio s Alagas em das do mez passado ;
di-ln seguo para Jacuipe, donde escreveu a
J'edro Ivo, pedindo-llie designasse lugar
para coiifcenciarom ; e, leudo rerebido
iisposla ilirmuliva, na qual, ao que pare-
ce, so Ihe mdicava Japaranduba como o
ponto em que deviam avilar-se, paitio pa-
ra llebingudo, onde se arbava o general
coii.niaiidi.nlo desarmas, alim de mleira-lo
(je ludo, para que este podesse providea-
ciar de modo quo elle nada soffresse na exe
cuqKo de seu projecto, todo de pai, e mui-
to proprio de um pai que que quer sus-
pender ao filho o pnaso com que marcha
precipitadamente para a perdicSo.-
Prevenido o general, o major Pedro Anto-
nio tomou caminho do Japaranduba ; mas,
ao approximar-so do engenho Grvala, urna
Kiierrilha, composta da gente que o proprio
Podro Ivo capitanea, descarrega cin.'o tiros
sobre o velho militar, fere-o na perna direi-
ta com duas balas, e mata-lhe o cavalln !....
Folizmonteas feridas nflo silo morlaes, e
ha esperances de que o pai dedicado no
suecumbir ao ferimontoquo Ihe fizeram os
asseclas do filho que elle qumia salvar.
Em verda-ie, he nqualifjcavel o caniba-
lismo de semolhante gente ; nem ao menos
respeita a existencia do progenitor do seu
chefe! ^^__^_^^
A barca Bonita, chagaoa hoje de Liver-
pool, trouxe nos os 7"imej de 19 de dezem-
bro at I de Janeiro prximo passado, e o
quedesua leitui'j colhmos be o seguinle :
Inglaterra e Portugal
Nada de extraordinario havia tido lugar
no primeiro (lestes paizes, o qual contina
no gozo da mais perfeita tranquillidade.
Em Londres os contle ficaram de 96 114 a
96 3|8 : as apolices do banco, de 203 a 20t ;
os fundos brasileiros, os pequeos, a 88 ;
e os quatro por cento portuguezes, de 36
1|4a361|2.
As noticias de Portugal, as quaes cbgm
a 22 do dezembro prximo passado.dito-nos
aquello paiz em perfeito socego; lodavia ro-
ceiava-se que este feliz e-tado uSo seria de
longa dur'Co, visto a impopularidade do
conde de Thomare a firmo resoluejKo a
rainhtde n3o demilli-lo|Jo posto que Ihe
confiara-
O duque de Saldanha, talvez o nico ge-
neral de nota que em 1816 se conservou fiel
ao llirono, e a frente das tropas reaes com-
baten os revoltosos daquelle lempo at a fi-
nal suppressSo da junta do Porto, conside-
rando como pengoso a cora o estado ac-
tual dos negocios polticos de sua patria,
dirigi recentemente rainha um rapre-
sentaco, pedindo a deoiissilo de Costa Ca-
br8l; mas esta peliclo nto foi deferida.
0 ministerio, logo quo teveconhecimen-
todesle pSSSO do dui|UR, quiz propor rai-
nln a demissfio do mesmo, porm foi dis-
suadido disso pelo ministro da guerra, o
qual declarou que.eni tal caso, nilu respon-
dera pelo exercito
Como meio deconciliaco.variosgeneraes
tinham sido ltimamente nomeados pare
do reino ( o conde do Casal he um delles );
mas pessoas bem informadas asseveravan
que, nfio obstante isso, n3ose [>oderia con-
fiar no exercito, caso o povo fosso instiga-
do a levanlar-se em um ou mais pontos do
pai/, sem que o conde de Thomar nfio fosse
ilemiltido.
Oiluque de Palmella achava-se doente ;
mas sua enfermidado n3o era considerada
perigosa.
As notas do banco de Lisboa licar.im a 18
3|* por cento de descont; os apolices do
banco de Portugal eslavam soffrendo o des-
cont de 70 a C3,000 rs. cada una ; e as do
banco do Porto erarn trocadas por metal,
mediante o descont de 27 a 25,000 rs. ca-
da uin.i.
espanha e Franca.
No primeiro destes paizes nada acontece-
r que mereca s:r noticiado : apenas um
desafio leve lugar em Madrid entre o mi-
n slroSirtorioco deputalo Sanches eSil-
va ; mas felizmente os padrinhos nomea-
dos conseguiram prevenir o duello. O de-
pulado deu explicaces que satUfizeram
completamente o ministro.
Tinha chegado a Cdiz ojoven con le da
S.-Agostinho, filho da rainha Chrislina o do
duque de Itianzares.
Em Franca ludo licra tranquillo.
O presidente da re,ublica tlBVla recebido
urna carta agtographa do papa, na qual Sua
Saniidade d paite da sua prxima volta
Itoma, e I lio agradece o ter livrudo osseus
dominios da oppresso de urna faccito anai-
chica eanti-chrisliti.
O imperador da Austria havia tambem en-
viado como um presente ao presidente da
republica franceza o seu retrato ricamente
adornado, acompanhadn de nina carta auto
graplia, na|qual o cumpriinenta polos im-
portantes ser vico- que tem prestado causa
da ordem o da sociednda.
Havia chegado a Paris o Sr. de Riswie,
enviado extraordinario do rei das ilhas San-
dwich, encarregadu pelo seu soberano da
missfio do compor as ultimas desinlelli-
cencas com as autoridades francezas.
0 Journal du Havre, referindo-se urna
caria dos Estados-Unidos, annuncira que
o gallineto de Washington linha ultima-
mente reconbecido como justa a exigencia
le mdemnisac,es,feta polo cnsul francez,
G. T. Possin, a qual fora a origem da dispu-
t que leve lugar entre o dito cnsul e o
ministro americano dos negocios estran-
geiros, Mr. Claylon.
O" Courrier Francaie annuncira igual-
mente quo o almirante Dubordieu, nomea-
do para o coiumando da foica franceza no
l'rata em lugar do almirante LePrdour,
lOra Umbem nomeaJo enviado extraordi-
nario da republica franceza a repblica ar-
genliii'. ilevenJo asslm unir em suas pro-
prias mfios a direcefio das frcas militare*
b os mais extensos poderes diplom iticos.
Italia.
O Piomonte ficra tranquillo, tendo-se
efTecluado as eleicOes no meio da melhor
ordem e socego.
No dia 20 do dezembro, o rei em pessoa
abril a o porlamento com a seguinle MU:
Senhom irnadore e deputadoi.Hs faci*
que me induzirain a dissolver as cmaras
o a convocar boje, depois de urna appella-
c!to para o paiz, um novo parlamento, nao
devem desanimar-nos. Nos temos jmuilo
aprovelado na escola quoensina a vida po-
ltica, a escola da experiencia. Estes fados
rram a occasiflo de um nobre exemplo de
conhanca e concordia entre o povo o o
principe. Elles hilo dalo ao paiz oensejo
de manifestara determinacSo em que est
de sustentar suas instiluicos polticas, e
de provar que he digno da liberdade.
Nossa situacito, a qual ha quatro mezes
consderei como sna.nSc tem anda muda-
do. No obstante isso, nossas relacOes com
as potencias amigas se teem tornado mais
intimas, e nosso crdito se tem consolidado;
poim as mais albortantes questOes, assim
externas, como internas, acham-se ainda
pondentes. Se este estado de incerteza con-
tinuar, o nosso carcter ser prejudica lo
no exterior, o o paiz se desgostari deins-
lituiqfles que, prometiendo orna boa ad-
mrnistrac,io e progressn, pelo contrario,
teem parausado este, o introduzido a desor-
dem naquelle. A vos toca agora, senhores,
reparar estas fataes consequencas. Eu sin-
to em minha alma urna nova e mais firme
confianza nos futuros destinos do paiz e
de nossas nstiluicOes. Os eleitores escuta-
ram a minha voz e correram em grande
numero a depositar os seus suffiagios as
urnas eleitoraes; folgo extremamente de
poder nesta solemne occasiflo expressar-
llies a minha grali Jflo. Considero o servico
prestado por elles causa publica, como
pessoalmente a mim felo. Este servico he
para mim tanto mais precioso, quanto
sempre tenho prefrido o bem publico ao
meu particular. Nflo julgo necessario reca-
pitular as queslfles que, ltenla a sua ur-
gencia, reelammi umasolucflo immediata ;
vos as conheceis, senhores, sufficientemen-
te, e s lenho que reuommendtr vossa
prudencia o prompto exime das mesmas.
* Senhores senadores e deputados, para
consolidar a organisat;flo, poltica,instituida
pelo rei Carlos Alberto, meu pai de augusta
memoria, tenho feito ludo o quo est ao
meu alcanco ; mas, para que estas inslitui-
COes possam lancar profundis raizes nos co-
racOes e nimos de todos, nflo sflo sufflcien
les a vonla lo e os decretos do rei; lio ne
cesaro tambem que a experiencia demons-
tro a sua utilidade e real vanlagem om sua
applicacflo prtica. Esta s mcc.io indispon
savel he de boje por diante confiada vos-
sa virtude. Nunca houve uina occasiflo me-
lhor para desinvolve-la, o em o nomc da pa-
tria, tflo chara aos nossos coracoes, rogo
vos que oaqueoal quaesquer dissencoes
nflo tenhais em vista senflo curar suas fe-
ridas. e assegurar-lhe a honra e a prospo-
niliile.B
Na mesma data o rei dirigi a seguinle
ordem do dia aos guardas nacionaes de
Turim:
b Uffielaee e toldadot da guarda nacional.
A vossa presenca em armas na solemne oc
casiflo da abertura do parlamento be a ex-
pressflo dos meus pensamentos, quero dlzer,
o excrccio das inslituicOes liberaes, como
o fundamento da felicida le do povo. Todos
os meus cuidados estfloempregados neste
objocto. Vos nunca recusastesa vossa as
sistencia para a manuteneflo da ordem ; vos
nunc deixastesde dar provas de affdiccflo
c ileiiieaelo ao ilumine a minha familia.
A minha gratido e affeicflo para com vos-
co nunca terflo lim, podis ficar certos dis
so. Estas palavras, que hoje dirigi vos
todos que vos achais reunidos aqui em Tu-
rim, desejo que sejain ouvidss dos guardas
nacionaes do reino, com os quaes formis
urna s familia, o nos quaes tenho a mesma
confianza. Officiaes o soldados, conlinuai
a cumprir com os vossos deveres, asslm co-
mo at ao presente o leudes feito; seja a
vossa divisa ordem e liberdado, que eu es-
tarei sempre com vosco, bem cuno meu fi-
lho, desde este momento, se acha em vossas
lileiras.
(Asignado ) Fictor Emmanuel.
Els-aqui com efTeitu urna carta que o mi-
nistro do interior dirigi ao chefe de poli-
ca de Turim, communicaiiJo-lhe a resolu-
eflo lomada pelo re de alistar seu filho co-
mo soldado da guarda nacional daquella ci-
dade.
O re, desejoso de aproveitar toda a oc-
casiflo ques Ihe olTerece para expressu
seus senliinentos amigaveis para com a
guarda nacional do reino, e particularmen-
te pira com cssa legifio da guarda nacional
le Tamil, a qual tem sido constantemente
dedicada a ordem e s nstituices liberaes,
eriCirregou-mo de convnunicar V. S. que
deseja que Sua Alteza Kalo principe do Pie-
monto, seu filho, soja alistado como soldado
honorario as lileiras da guarda nacional
de Turim. O herdeiro do llirono, vestmdo
assim, segn lo as intencOes do Tei, este
uniforme desde os seus primeiros annos,
poder bem apreciar, como seu augusto
pai, as novas iislituiQOes dadas a seu povo
pelo magnnimo Carlos Alberto. Expros-
sando a V. S. a salisfaco quesinto por ser
o interprete fiel dos sentimentos benvolos
do nii'Si augusto soberano
Tenho a honra, etc.
( Vvsinu.id i ) C.alcaijno.'
Por decreto real de 18 de dezembro Jram
nomeados: presidente do cnido, o baro Jo-
cpli M.iumi vice-presidentet, o marqnez
Cctar Allie i de Soslcgno e o concelbeiro Gia-
como l'lczza.
O baro de Marghcrita tinha dado a sua de-
missaii de ministro e secretario de estado dos
negocios eclesisticos, da graca e justica, e
em seu lugar fura nomeado o conde Josepb
Saecardi.
O conde de Appnny linha npr?entado ao re
a carta do Imperador da .-> usiria.i|ue o acredita
cerno seu eiubaiador extraordinario c minis-
tro plenipotenciario na corte de Turim.
A Toscana e a Lombardia licaram tranquil-
las.
Una carta de Venca, datada de 22 de de-
smembro, ditque o marcchal Hadetiki, salisfei-
lo com o coinportamento pacilico dus habitan-
tes daquella cldadc, havia-lhes perinillido sa-
liircnt de suas casas qualquer hora da noitc,
ainda iiiesnio para o lni de divcriirem-se.
Houia licia em socego. lima cari daquella
cidade, datada de 11 de deicnibro, dis que o
ministro romano dus negocios eitraageiros ti-
vera unta conferencia com o general Uaiaguay
d'Hilliers, o coiiiinaiidaiite das Torcas frauce-
zas, na qual concordaran! dirigir urna repre-
sentaeo ao papa, pedindo ao inesuio Sr. se
dignasse de vollar para a capital dos seus esta-
dos; i|ue o papa recebara mu bem a dita repre-
sentadlo; port'm que os cardeaes, os quaes
fdraiu consultados, admitlindo em principio a
utilidade da vulla de Sua Santidade, lodavia se
declararan! contra ella, como intempestiva.
O regiessodo pontfice, di/, a moma carta,
iicou portadlo adiado para um periodo mais
fovoravel, islo be, para (juaudo um empresti-
iiiii liver sido concluido, e a dilTicil questao da
futura guarnij.io de Huma liver sido decidida.
Entretanto o Observador romano (gazetaj de
15 de deiembro aiiuuncia a conclusao de um
einpresliuio com a Franca.
A llaielte du Midi de 20 de dezembro, ree-
riudose a cartas de Civita-Veccliia de 15 do
mesmo mez, diz que noticias linhaui sido pos-
tadas uus muros de lloina, annuuciandu a mi-
li do papa sua capital para o dia 2 de Janeiro
prximo passado.
O CoBilituxiona/c i"oeaao publica a seguinle
cari de Liorne, datada de 18 dezembro :
' O vapor Madrid ebegou hoje de Civila-
Veccbia. As pessoas que vieram nelle de pasta-
geni dito como cena a concluio da questa
romana. O papa, dizein os ditos passageiros,
devcia resiabelecer a conttituico, tai quai
Mi
exista no lempo de sua sabida de Roma. A
amnista dever ter estendija, e por um mu-
tuo aecrdo entre as poteucias auxiliares,
5.000 Ilespanhoes derero oceupar Roma,
10,000 Franeezea Civita-Vecchia, c 0,000
Austracos Anconi easLegacdes.
O .Vtefuin de Florenca publica tambem a ae-
guiut-: carta de Roma, datada de 17 de de-
sembro:
" Estamos espera de urna mudanca de pol-
tica da parte do govorno. Parece que anda
os mais obstinados vilo cedendo aos dicta-
mes do senso commum.
a Informam-nos do Portici quo o papa
mandara chamar o cardeial Lambruschni,
e Ihe offerecra a directjo suprema do es-
lado. Refere-se que o cardeal responder
quo tinha sido ministro no lempo de Gre-
gorio XVI, o que entilo se oppozera con-
cessilo de urna constituico ; porm que se
via obrigado a cmifessar que presentemen-
te era impossivel recusa-la. .
Em aples, e tambem na Sicilia, ludo fi-
cra tranquillo.
A respeito da Suissa, Blgica, Hollanda,
Dinamarca, Allemanha, Austria, Prussia.
Russia,Succia e Turqua, nada encontra-
mos as gazelas que recebemos, que mere-
ca ser noticiado, e portanto limilar-oos-
hemosadizer quo lodos estes paizes fica-
ram tranquillos.
A quesilluda Turqua com a Austria ea
Russia ainda nflo linha silo definitivamen-
te regulada.
houvcr, devendo os pretendentes a venda,
comparecerem nesta reparlicflo, no dia 9 do
crrente,ao meio-dia,coin|as suas propostas
em carta fechada, o acompanhadas das
competentes amostras.
Secretaria da inspecctlo do arsenal de ma-
rinha, 4 de favefeiro de 1850.O secretario,
Thom Fernandes Madeira de Catiro.
O Sr. director do lyceu manda fazer
publico que o lyceu desta cidada so abrir
no da 13 do corrente : portanto, os senho-
res que quizerem applicar-se as'acuidades
que nelle se ensinam, pdera desde j tra-
tar de matricular-se.
Secretaria do lyceu, do Fevereiro de
1850 anuario Alexandrlno da Si ha ta-
bello Caneca, professor de desenbo e secre-
tario
-Pola delegada do termo de Olinda se
faz sciente a lodos os eslrangeiros nelle re-
sidentes, que, no improrogsivol praso de 15
dias, o que moraren* dentro da cidade, e
no de 30 os que moraren) fra, deverfio ti-
raros ttulos de residencia, ou reformar os
que estiverem vencidos na forma da lei, sob
as penas conminadas no artigo 98 do regu-
lameulon. 120 de 31 do Janeiro de 1842.
CO^ME^CIO.
ALFANDEGA.
Rendmento do dia 4.....10:573,402
Detearregam hoje 5.
Brigue porlugtiez Narla-Fellz merca-
dorias.
Barca franceza Leonie farinha e baca-
Iho.
Patacho inglez -- Bitanthio mercaduras.
Brigue sueco Zephte taboado.
Barca franceza r'ranee chumbo e papel.
Barca hamburgueza Mariana merca-
dorias.
Brigue sueco Rapld taboado.
Brigue austraco ir farinha.
CONSULADO GEHAL.
Rendmento do dia 4.....8:021,79
Diversas provincias ...... 73,367
8:095,164
EXPORTACAO.
Dtspachot maritimot na dia 4.
Paralnba, polaca nacional N -S.-i*-Car-
ino, de 195 1/2 toneladas : conduz o se-
guidle:
2.050 alqueires de farinha de mandioca,
medida nova, e 196 barricas de farinha de
trigo com 6 arrobas cada urna.
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendmento do dia 4..... 4 092,863
Movite to do Porto.
Naviot entrado! no dia 4.
Liverpool 32das, galera americana Bo-
nita, de 299 toneladas, capilflo \V. Kelly,
equipagem 17, carga fazendas;a Dea no
Youle & Companna. Conduz 3 passagei-
ros para a fuadieflo do Star de nomes
John Germn, James Smth e T
gawduti
Ballimore 41 dias, brigue americano
/ .nuulh, de 208 toneladas, capilflo John
s.uliver, equipagem II, caga farinha.
carne de poico e de vacca, presuntos, fa-
zendas e mais gneros ; a Deane Youle &
Companhia.
Rio-de-Janeiro 31 dias, brigue napolita-
no' Mara, de 306 toneladas, capilflo Re-
gentee, equipagem 12, em lastro; a
Russell Mellors. Ficou de quarenlena
por nflo trazer caria desale
Savia sonido no mesma da.
Ro de-Janeiro por Babia Brigue ameri-
cano famoulA, capilflo John S. Oliver,
carga a mesma quo trouxe.
EDITA ES.
Pela inspectora da alfandeg* se faz
publico que, no dia 6 do corrente, depois
de meio-dia, na porta da mesma, se hilo de
arrematar ero hasta publica 48 pecas de re-
unir de seda com 702 varas, valor por fac-
tura a vara 215 rs., total 150,930 rs., im
pugnadas pelo amanuense Domingos di
Silva Guimares, no despacho n 14 do 1.
do correle.
AI Tan dega de Perna mbuco, 4 de feverei-
ro de 1850. O inspector, Lu Antonia de
Sampaio Vianna.
-- Pola inspectora da alfan lega se faz pu-
blico que, no dia 6 do corrente, depois do
meio-dia, na porta da mesma, se hito de ar-
rematar em hasta publica 63 varas de fran-
jas de seda, v^lor por factura 800 rs. a va-
ra, total 50,400, impugnadas pelo ajudante
dos confe cotes Finnino Jos de Oliveira,
no despacho n. 23 de 4 do corrente : sendo
a arrematarlo subjeila aos direilos.
Alfandega de perna mbuco, 4 de fevereiro
de 1850.O inspector, Luis Antonio de Sam-
paio Fianna.
Declarares,
Pela capitana do portse faz constar
a quem couvier, que, para se evitar o abuso
introduzido de fazercm alguna navios o sig-
nal do vizita sem que se acbem a bordo os
respectivos capilfies, que s apparerom na
occasiflo da pailida, resultando dahi o in-
conveniente de licar demorado o encarre
gado da vizita, e nflo tendo lempo de fazer
devidamente, (cara retardado para o dia se-
guinle a pai tilia daquello navio que, tendo
feito o signal de vizia, o cncarregado dola
nflo encontrar a bordo o respectivo capilflo,
segundo determina o Exm. Sr. presidente,
em oflicio do primeiro do correle.
Capitana do porto de Pernambuco, 4 d
fevereiro de 1850 lludrigo Theodoro de
Freilai, capilflo do porto.
O arsenal do mu inlia compra, psra se-
rem remellidos para a ilba de FernanJo.
vinto cinco mil o tresentos lelhas, e dez mil
lijolios de ladiilho, ludo de prmeira qua-
lidade, escolhido, o.da maior marca que
==
Avisos martimos.
Para o Rio-Grande do sul sahe, at o
dia 7 do corrente, o patacho Dout-Irmot:
recebe alguma carga, escravos a frete, o
lemcopmodos para passageiros: a Iratsr
na ra do Trapiche-Novo, n. 6.
Para o Rio-de-Janeiro sahe com.muila
brevidade o briguo nacional Hinerra, para
o quo tem grande parle do carregamenlo
prompta : quem no mesmo quizer carregar
ou ir de passagem, dirija-se ao aeu consig-
natario, Francisco Alves da Cunt, ra do
Vigario, n. II, primeiro andar.
Para o Rio-de-Janeiro segu com bre-
vidade, por ter parle da carga prompta, o
brigue nacional Doui-Amigot: quem no
mesmo quizer carregar, ir de passagem ou
embarcar escravos, falle com o capilflo;
Francisco Jos Pratcs, ou com Manuel Ig-
nacio Se Olivcfra, tu praca do Commercio,
n. 6, primeiro andar.
Para Lisboa pretende sabir com a maior
brovidade i o-si ve 1 o brigue porfuguez So-
vo-Vencedor, por ter grande pirte de seu
carregamenlo prompto : para o restante e
passageiros, para o que olierece excelleu tes
commodos,trala-se coon os consignatarios,
Thomaz de Aquino Fonseca fie Filho; na
ra do Vigario, n. 19, primeiro andar, ou so
capilflo, na praca do Commercio.
Para Loanda com escala por Mossamedes e
Benguella
a barca brasileira Tentativa-Felisugae para
todos estes porlos, ese acha prompta a re-
ceher carga e passageiros : as commodida-
des que a mesma olierece, j silo bastante
conhecidas nesta pra^a, e para melhor des-
engao os pretendentes pdenlo ir a. bo'do
da mesma que se acha fundeada defronte
do Trapiche-Novo, e para tratar, na ra da
Madre-de-Deos, n. 3, com Silva fie Grillo,
que pretendem faze-la seguir ate o lim do
fevereira prximo futuro.
Para o Aracaly sahe imprelerivelmen-
te a 8 de fevereiro a sumaca nacional Car-
lota, mesire Jos t.oncilves Simas: para o
resto da carga e passageiros liala-se com
Lu! Jos de S Araujo, na ra da Cruz,
n. 33.
Para a ilha de S.-Miguel segu via-
gem com brevidade por ter parte de seu
carregamenlo prompto, o brigue nacional
Ktpirito-Sanlo, capilflo Alexandre Jos Al-
ves : para carga e passageiros, trala-se com
Francisco Mutins Ferreira, no largo do
Terco, n. 139.
I'ara Marseille pretende se-
guir, ale o dia la do corrente, a
iiuiitu veleira barca francesa fran-
ce : tecelfe passageiros smenle,
para o que tem excellenles com-
modos : a tratar com o capito, ou
com os consignatario.'!, B. Lassfr-
re& Companhia, na ra da Sen-
zalla-Vellia, n. 1.38.
-ParaLisboa pretendesahf com brevi-
dade o brigue porluguez Conceicdo-Plor-
de-Liiba, pdenlo inda admitlir algu-
ma carga da praca : tem comino los para
ale.uus passageiros : quero pretender carre-
gar ou ir de passagem, pode cnlender-so
com o capilflo, Joflo Uorges Pamplona J-
nior, ou com os consignatarios, Amorim
Irinflos, na ra da Cadeia, n. 39, primeiro
andar.
-. Para o Aracaly segu impretenvel-
menle, nodia 12 do corrente, o hiate bu-
vidoso : para o resto da carga e passageiros,
trala-se ao lado do 'Jorpo-Santo, loj* do
macamos, n. 25, ou com o mesire, Jos Joa-
quim Alves.
Paras Baha sabe, com a maior brevi-
dade possvel, o hiate S.-ioo : quem no
mesmo quizer carregar, ou ir de passagem,
dirija-se a Novaes & C., na ra do Trapicho,
Para a Baha partir infallivelmente o
patacho ForlHiM, sevU-feira, 8 do crrente,
por ter seu carregamenlo engajado : pode
lmente receber alguma carga miu Ja ou
passageiros : os pretendentes t'ateui com
Firmino Jos Flix da Roza,
zalla, n. 42.
na ra da Sen-
Leiloes.
Joaquim Ferreira Mondes Guimarfle*
far leilflo, por inlervengflo do correlor Oli-
veira, em presenta doSr. consol de Portu-
gal, e por conta e risto de quem pertenec-,
do brigue portuguez Anna-Adelaide, capi-
lflo Ignacio Jos de Araujo, arribado a esto
porlo.aonde foi legalmenle condemnado,
depois de baver saludo do mesmo, carrega-
do do assucare mais gneros, com destino
a Lisboa quarla-feira, 6 do corrente, ao
meio-dia em ponto, porta da associagflo
commercial desta praca. Adverte-sa que o
casco do dilo brigue, sua mastreacflu, pan-
no c apparclho completo, inclusive lan-
cha e dous boles : ludo tul qua o preten-
dentes pdem entecadamente examinar
noancoradouro defrhiite do trapiche do al-
godflo, se vender em um nico lote O res-
pectivo inventario acha-so, por copia, tanto
a bordo, e em caso do vendodor, como no
cscriplorio do referido correlor.
tul ITII AHA


Richard Royle far leilflo.por interven-
Cflo do correlor Oliveira, da um grande
sortimento de fazendas inglezas, todas de
le : quinta-feira,7 do corrente, as 10 horas
da mantiSa, no seu armazem, ra da Ca-
dea do Recite.
mmm
Avisos diversos.
.. i'ejro Baplista do Santa-llosa, director
do theatro de S.-Franeisco, avisa ao respei-
iivi'i puhlico desta cidade que o novo dra-
ma sacro intitulado
APRESENTACAO DO MESSIAS
no
TKMPtO DE JRIIl'SILI'vl,
011
A degolato do$ innocentes,
promettido para >r quatro vezes scena, s
ir >inns, em virtudedos trabalhoa da com-
panhia franceza. A primeira recitadeste dito
drama he na quarta-feira, 6 do corrente,
acompanhado do acto da VELIIA,a pe-
di'lo de muitas pessoas ; ea ultima ser na
sexta-feira 8 do mesmo. As pessoas que
assignaram para dozo recitas e que j paga-
r.'im, rece berilo do mesmo director as duas
recitas que fattam a completar as dze.
-- l'ergunta-seao Sr. pedreiro, Joaquim
Lopes Pereira Guimarfles, qual foi dos Ires
Brasileiros que S.S. annunciou por esta fo -
lha, que llie flcou devendo da obra que
ajustou, o seu nomo, para se poder respon-
der ao seu atacante aonuncio.
Um llrasileirn.
Aluga-se, ou vende-*o urna canoa que
earrega para mais-je 1,200 lijlos: a tratar
na ra de S.-Fran fisco, casa a polacada.
0 meio libelen. 1,621 da segunda e
terca quartas partes da terceira e nova
lotera da matriz da Boa-Vista pertence ao
Reverendo Sr. doutor Meira, da cidade da
Parahibado norte.
No paleo do Carrao, n. 16, existe urna
caria, viuda da Parahiba, para o Sr. Manoel
Ferrcira Mondes Guimurfles.
--Precisa-se lugr urna casa commola
para grande familia, em boa ra do bairro
deS.-Antonio, ou da. Boa-Vista : queni li-
ver, dirija-se a ra da Cadea do Itecife, n.
30, primeiro andar.
O substituto de philosopqia e.geome-
tra do collegio das arles avisa a quem con-
vier, que a matricula de geometra se cha
aberla cm sua casa, em Olinda, ra de Ma-
thias-Ferreira, n. 45.
Itoga-se ao Sr. Padre Silvestre, que mo-
rn na ra da Paz, haja de ao menos entre-
gar as chaves de dita casa em que inoran,
e a qunze dias se mudou, pois que he sufll-
cienteo aluguel de mais de um anno que
sua rcvcrendissma deixou de pagar, com
os seus venha logo.
Precisa-se lugar una preta quo co-
zinhe o diario do urna c quem a liver e quizer alugar, dirija-se* a ra
do Brum, armazem do Turres Jnior & C,
que achara com quem tratar : tambem ae
compra um cordfio de ouro que tenha oito
ou dez oitiivns, sendo sem feto.
-A pesaoa que annuciou querer com-
prar urna preta moca, sem vicios nem acha-
ques, e que 'saiba cozinhar e engommar,
querendo urna que isso sabe, dinja-.se a ra
da Trempe, n. 48.
Roga-se ao lllm. Sr. subdelegado da
freguezia de San Pedro-Martyr de iinda,
lance suai vistas sobre um maracat que
costumam a fazer os negros todos os do-
mingos e dias santos, a ponto de principia-
ren) ao meio-dia e irem at 8 o 9 tioras da
noite, e dias ha, que v3o amanhecer o dia,
Jncommodando com os seus gritos, e ex-
traordinario alarido os ouvldos da vizi-
iihanca.Islo ihepede um morador do Va-
radero da mesma cidade.
Na ra Direita, padaria n. 26, d-se
pito de vendagem a pretas sobre a respon-
sabilidade de seus senhores.
Precisa-se alugar um prelo padeiro :
na ra Direita, padaria n. 26.
Precisa-se alugar um preto captivo,
para tratar do cavallos, e fazer mais outros
servirlo interno de casa, que tambem saiba
tocar canoa, para urna casa estrangeira:
quem o liver, dirija-se a venda junto da ca-
li lia ingleza.
jfe Chapeos de sol.
Rua do Passeio, n. 5.
Ptala fabrica ha presentemente um rico
sortiment destes objeclos de todas as c-
rese qualidades, tanto de seda como de
panninho, por presos com modos; ditos pa-
la sen hora, de bom gosto : estes chapeos*
silo fe i tos pela ultima moda ; seda adamas-
cada com ricas franjas de rctroz. Na mesma
casa se acha igual sor lmenlo de seda e pan-
ninhos iaiitando aedas, para cubrir ar-
marles servidas : todas estas Tazadas ven-
de n-se em porcSo o a rea | h i: tamben- se
cunearla qutlquer chapeo de sol, tanto de
basteas de ferro como de baleia, assim co-
mo umbelas de grojas: tudo por preco
commodo,
Aluga-se o segundo andar do sobrado
n. 46 da ra das Trincheiras : a tratar no
. primeiro andar do mesmo sobrado.
--OSr. Theodoro Tavares Jnior queira
tera bomladede ir a loja fazendas da
ra ilo Passeio, n 21, pagar a quanta de
39.684. salJo de sua lettra ; do contrario,
lera de ver o seu nome nesta folha at que
pague esta quanta.
-- O Sr. Joflo Comes Pessoa haja de r a
luja de fazendas da rua do Passeio, n. 91,
para se Me entregar urna encommenda.
Precisa-se de urna ama para casa de
pouca tamilia : na ra Augusta, n. 30.
-- Precisa-se de dous canoeiros forros ou
captivos, masquesejam diligentes em suas
ohrigaces, para andarem em canoas de
lijlo, do Remedio para o Recife : na ra
larga do Rozario, padaria, o. 18.
-- Lino Jos de Castro Araujo embarca
pora fra da provincia o pardo Mximo, pur
ordem de seu sonhor, Antonio Carlos Pe-
reira de Burgos Ponse de Len.
-- Arrenda-so um excedente sitio na es-
trada que vai para o Giqui, com casa no
correr da estrada: a tratar no mesmo silio,
ii. III, por creco commodo.
Roga-se ao Sr. Dr. A. J de S G., mo-
rador na cidade de DI inda que lenlla a bon-
dade de ir a loja de fazendas da ra do Pas-
seio, n. SI, pagar a quanta de 137,121 rs.,
saldo da lettra que V. S. tifio ignora, isto
no prazo de 3 dias; do contrario, se far
publico seu nomo por extenso, al que pa-
gue.
Precisa-se alugar urna cscrava cozi-
nheira, para um estrangoiro sem familia:
na rua do Trapiche, n. 14.
Precsa-so de officiaes de sapaleiro, as-
sim como tambem se admittem aprendizes
forros ou captivos : na travessa da rua do
Vinario loja nova.
Iloje, 5 do corrente, porta do Sr. Dr.
juiz docivel, se hilo de arrematar, por ser
a ultima pra$a, os movis novos, penhora-
dos a viuva e herderos de Joflo Baplista
Herbster, por xecueflo de Miguel Carneiro.
Offerece-so urna ama para casa do
pouca familia de portas a dentro : na rua de
Santa-Thereza.'n. 13.
Alfonso Jos de Oliveira, professor ju-
bilado na cadeira de geographia e historia
do lyceu desta cidade, lem aberto sua aula
particular de primeiras ledras e grammati-
ca latina : as pessoas que de seu preslimo
se quzerem ulilisar, poden procura-lo na
rua Direita, >. 120, segundo andar.
',,fFtf%fl
^USVV^W^^
BOWMAN & MC. CA.I.I'M, engenhei-
ros machinislas e fundidores de ferro, mu-
respeilosamente annuhciam aos Senhores
proprielarios deengenhos, fazendeiros, mi-
neiros, negociantes, fabricantes e ao res-
peitavel puhlico, quo o seu estabelecimento
de ferro movido por machina do vapor con-
tina em effectivo exercicio, e se acha com-
pletamente montado com apparelhos da pri-
meira qualiilade para a perfeita confecefln
das maiores per;as de machinismo.
Habilitados para emprehender quaesquer
obras da sua arte, Bowman & Me. Callun
desejam mais particularmente chamar s
atteneflo publica para a sseguintes, por
terem dellas grande sortimento j prompta,
as quaes construidas na sua fabrica pdem
competir rom as fabricadas em paiz es-
trangeiro, tanto em preco como em qua-
lidade da materias primas e inflo d'obra,
a saber:
Machinas de vapor da melhor construcgflo
Moendas de caima para engenhos de lo-
dos os tamaitos, movidas a vapor por agos
ou animnes.
Rodas d'agoa, moinhos de vento e serra-
ras.
Manejos independentes para cavallos.
Rodas dentadas.
Agulhes, bronzesechumaceras.
CavilliOes e parafusos de todos os tama-
itos.
Taixas, paros, crivos e boceas de foma-
Iha.
Moinhos de mandioca, movidos a mSo ou
por animaes, e prensas para a dita.
Ghapas de fogflo e Tornos de farnha.
Canos de ferro, torneras de ferro e de
bronze.
Bombas para cacimba e de repucho, mo-
vidas a mSo, por animaes ou vento.
Guindastes, guinchos o macacos.
Prensas hydrauliras e de parafuso.
Ferragens para navios, carros e obras pu-
blicas.
Columnas, varandas, grades c portoes.
Prensas de copiar cartas e sellar.
Camas, carros do inflo e arados de ferros,
etc., etc.
Alm da superioridade das suas obras, j
geralmenle reconhecida, Bowman & Me.
Callum garantem a mais exacta conform-
dade com os moldes e dezenhos remeltidos
pelos senhores que se dgnarem de fazer-
Ihes encommendas, aproveilandoa occasiflo
para agradeccrem aos seus numerosos ami-
gos e freguezes a preferencia com que leem
sido por files honrados, e asseguram-lhe.s
que nflo pouparflo es fu reos e diligencias
para continuaren! a merecer a sua confi-
anza.
Aluga-se um moleque que seja capti-
vo, pira o servc,o#interno de urna casa es-
trangeira com pouca familia: na rua do
Trapiche-Novo, n. 8.
--Na r a val lar ice, junio ao lintel Com-
merclo, alugam-sc bons cavallos para pas-
seios e viagens ; assim como tambem se
vendem alguns. No mesmo ha para vender
sellins inglezes, francezes o da Ierra, si-
Ihes para senhora, lano cm uso como em
meio uso, com arrcios ou setn cites.
A arremataran da loja de 1
vros do pateo do Collegio, n. a,
nnnunciadd lara o dia 3 i do me;
prximo passado, ficou transferi-
da, por inconveniente, para odia
5 do corrente, pelas 9 horas do dia,
podendo as pessoas comparecer!
no mencionado dia.
Desappareceu do silio da viuva de Joflo
Rapttsta Herbster, na Capunga, domingo,
97 de Janeiro, um batelflo, concertado de
novo e forrado de cobro na popa e proa :
quem souberonlo elle existe eo entregar
no referido sitio, ou participar na rua do
Trapiche-Novo, n. II, ser gratificado.
-- Joflo da Cunha Soares Guimarfles vai
aotyiorlos do sul.
O preto liberto Joaquim da Costa rel-
ra-se para a provincia da Baha.
Precisa-se de um preto para vender pflo
na rua e faier o servico de casa : na rua do
Pires, n. 44, padaria.
- Aluga-se urna boa casa na rua da Man
gueira, por commodo prec,o : a tratar na
rua larga do Rozario, n. 38.
A' casa da residencia do Dr. Loureneo
Trigo de Lonreiro, no bairro da Ba-Visla,
rua da Saudade, defrunlo do Hospicio, p-
dem dirigir-so por carta, ou pessoalmentc,
aloflm do mez de fevereiro prximo fu-
turo, lodas as pessoas, que quzerem sei
assignanles do novo compendio de pratica
>to processo adoptado pela congregarlo dc-
Ientes do curso de sricncias socaes e ju-
rdicas de Olinda para a segunda aula do
Suinto anno, sendo cinco mitris o prec,o
a sssignatura de cada exemplar;eem lo
do o lempo as que o quizerem ser do inte-
ressantssimo ndice chronologico da lc-
gislacilo brasleira que ha 1 conter em
oito volumes n folio, ou pouco mais, toda
a legilacflo brasleira vigente desde I82v
at I84S, a qual, com a que est revoga la i
a que tom cahido em desuso, compile na
coliecces acluaes vinto o lanos grosso-
volumes, e cusa para mais de 150,000 rs ,
entretanto quo o preco da assignatura do
referido ndice lio a pequea quanta di
3
31,000 rs. paga ao receher o 1.* e 2." volu-
mes, de que j cxi-t- em poder do annunciante e brevemente sa-
tura a luz o tercelro volumo. Na loja de
HvrosdoSr. reverendo pairo Ignacio Fran-
cisco dos Santos na rua da Cruz do Reci-
fe, e na do Sr. Manoel Fgueiroa de Fari
na [iraca da Independencia, pode tambem
assgnaro seu nome quem quizer ser as-
signante de qualquer das retenas obras
Os Srs. assignanles queja recebeiam o pri-
meiro volume do ndice chronologico, dig-
nem-se mandar buscar o segundo casa do
annunciante.
O Sr. Marcellino Jos de Sotiza, que
morn na rua do Ilutas em 1847, queira
annunciar sua morada, que se lho deseja
rallar.
Precisa-se comprar urna escrava, que
seja perita engnmmadcira, entenda algu-
nia cousa decozinha e saiba tratar do mais
arranjn de urna casa : quem tiver annunrie.
Antonio Joaquim Tavaros avisa ao res-
peitavel publico, que, leudo de ira Portu-
gal, afim de tratar de sua sale, dexa
nesta cidade encarregado de seus negocios,
e como seu bastante procurador, ao Sr. Li-
no Jos de Castro Araujo : portanto, roga a
todos os Srs. que sflo seus devedores de sa-
tisfazerem ao mesmo Sr. com a possivcl
brevidade. O annunciante, julgando nada
dever, aproveta esteensejo para declarar a
qualquer quo porventura se julgar anda
seu crednr de apresentar-lhe a conta, aflm
de ser inmediatamente pago.
ChristoviloGuilhermo HreckenfelJ pre-
vine que nflo lem autorsado pessoa algu-
ma para comprar em seu nome, e s se res-
ponsibilisa pelo que elle proi>rio comprar.
A mulher parda que so offerecen para
ama da casa do eslrangeiro da rua do Tra-
piche, n 14, queira voltar mesma casa pa-
ra se justar.
Desappareoeu, no dia 2 do corrente, da
ponte da Roa-Vista at priQI da mesma,
um cavallo bastante gordo, com os signas
seguintes : ruco pdrez, baslnte sellado,
dinas pretas e cortadas bastante rente ; le-
vou o alto cavallo dous pares de ancoras e
camaina : roga-se a quem o livor pegado,
ou delle souher noticia, dirigir-seao Ater-
ro-la-Ba-Vsta, n. 43, que ser recom-
pensado.
Aluga-se o segundo andar do sobrado
da rua larga do llozario, n. 40, consertado
e pintado de novo : a tratar na rua do Mun-
do-Novo, n. 30, a qualquer hora do da,
Quem precisar de um caixeiro brasi-
lero para qualquer arrumaeflo, dirija-ses
rua do Codorniz, n. 8, que achara com
quem tratar.
-- Um. senhora casada precisa de urna
mulher parda ou preta, demais de 40annos,
para Ihe fazer companhia : quem nestas
circumstancias esliver, dirija-sc rua atrs
da Matriz da Boa-Vista, n. II.
Theatro de Apollo.
O primeiro secretario da S. A. T. fa^
sciente aos socios assignalatios, aos bailes
do carnaval, 9 e 11 do corrente mez, que
os cartOes dislribuem-se nos dias 4 e 5, e a
appiovacflo s propostas de convidados 110
dia 6 : tanto urna como outra cousa, das 11
s 3 horas da tarde impretcriycluiente. no
saino do mesmo theatro; cujos das pas-
sados, iienlinnia distribuido, ou proposta
se far c aceitar.
Em cumprmento do titulo quinto, ar-
tigosdous e tres das posturas da cmara
municipal, obteve Joaquim Lobato Ferreira
paraeddlcar casas na rua projectala do
Caes, na margem dorio Capibarihe, paral-
lelo a rua da Concordia, para o fim de col-
locar o seu estabeleciment de deatiUcflo:
por isso faz ver pelo presente annuncio a
lodos os compradores de gneros de desli-
lacflo, que sem embargo da mudanza dos
alambiques, que lera lugar logo depois do
dia 4 do corrente, o deposito dos gneros de
di'siil.cao, fie 1 S"mpro existindo na mes-
ma casa da rua da Scnzalla-Velha, n. 110.
Paulo liarliiif.' Vcitch, subJito ds S. M.
Itritannica, retira-se para a Europa.
DARQPA
1 .'"''
C. Slarr & Companhia teem a honra de
avisar aos seus freguezes, e ao publico em
geral.quea sua grande fundicilo em S.-
Aniaro alm do sortimento que constan-
temente tein acha-so de novo provida do
muitas moendas de canna, e do vacos ta-
maitos feitas no mesmo estabelecimento
pelos mais peritos olliciaes, e com o maior
cuidado e perfeir3o; tanto assim- he que
os annunciantes se ufanam em garant-las
pelo primeiro anno. As moendas nteiras
todas de ferro*, construidas as ofllrnas
dos annuncianles s.lo muilo superiores a
quaesquer outras da mesma nalureza que
al agora teem sido aqu offerecdas, pois
aquellas encerram em si cerlos e importan-
tes nieliioramentos resultado de mais de
20 anuos de experiencia e pratica do paiz.
A casa de sor ve tes do l'as-
seio-i'uljlico contina a fazer o
coslumadosorvete a 200 rs. o co-
po pagos logo, e para poder con-
tinuar espera-se a concurrencia
dos freguezes.
lludanca.
Joflo Vigncs. fabricante do pianos, parti-
cipa aos seus freguezes, que mudou a sua
residencia da rua do Qucimado para a do
Rozario larga,primeiro andar da casa n. 28,
ondo niorou o Sr. Dr. Nelto, aonde aclia-
rflo sempre pianos de superiores qualida-
dos, coulas, e todos os aviamenlos neces-
sarios, o as msicas mais modernas para os
mesmos. '
Manoel d'Almeda Lopes declara a
quem conver, que esta procedendo o in-
ventario do seu casal, por morte de sua fi-
nada esposa D. Vicencia Mara de Jess
Lopes ; e posto que cerlo de nada dever re-
lativamente ao mesmo casal, loJuvia roga
a qualquer pessoa que se julgueser rredor,
de aprosenlar sua conta para ser attentida
no mesmo inventario, at o dia 8 do cr-
lenle fevereiro.
-- Domingos Filippe Ferreira Campos,
subdito portuguez, vai ao Rio-Grande do
sul, levando cm sua companhia o seu escra-
vo Bento, de nacflo Angola.
Aluga se urna cxcellento escrava, fiel,
que sabe cuidar no asseio do umi casn, ves-
tir um senhora e tralar de crianzas com
toda caricia: quom-a precisar, dirija-se
rua do Hospicio, sitio n. 8, junto da viuva
Roma.
--Na rua das f.ruzes, n. 40, taberna de
Domingos da Silva Campos, ha superiores
bixas de Ihmburgo, que se vendem e tam-
bem so alugain, tanto em porfjSo como a
relalho, por preco commodo.
Aiugam-so, escravas quitandeiras: na
rua do Collegio, n. 13, das 10 horas da ma-
nhfla s 3 da tarde.
Na rua da Cadeia-Velha do Recife, n.
51, segundo andar, ensina-se latn, rlieto-
rica e philosophia, rom todo desvelo o per-
feqflo, por pessoa dealgum merecimento,
quesooRVece a quem queira.
Precisa se alugar urna preta que saiba
lavar, engouiiiiar e coser, para urna casa
estrangeira : na rua do Torres, n. 34, das
II horas al s 3 da tarde. Na mesma casa
tambem se precisa alugar um preto que
entenda do servico interno, e saiba tralar
de cavallos.
Una parda moQa e robusta se offere-
ce para lodo o servico interno de. qualquer
casa :quema pretend-r di'ija-se rua da
Senzalla-Nova, n. 18, loja.
Carlos Claudio Ticsse, fabricante
de orgos e realejos, na rua das
Flores, n. 19
Avisa o rcspeitavel publico que concerta
orgflos e realejos, poo marchas modernas
deste paiz, concerla planos, saratina, ca-
xas de mu-ira, acordons e qualquer instru-
mento que appareca ; tambem taz obras no-
vas e alia pianos cm casas particulares. Na
mesma casa so fazem caixas para guardar
joias, por preco commodo.
-DITerece-so um caixtlro para panana,
do que ja leve pratiea, de i lade de 19 an-
nos, e queda fiador a sua conduele : quem
precisar dirija-se a rua di Semalla-Velba,
u. 96.
DSo-s. 400 ou 500,005 rs. a premio com
hvpotlieca c.n algunia caa terrea sita ma-
ta cidade : na rua do Sebo, 11. 8, a qua quer
hora do dia.

S Modo assehdo e econmico |
para alumiar una sala,
lio reconliecido que o gaz bydroge- g
m neo liquido de lodos os combustives ig
s queseempregaram at boje para alu- S
miar-se, he o mais econmico, mais g
1 asseiado, e que d a luz mais br-
litante. Os arranjns dos candieiros
!; de gaz sflo mu simples, e nflo se ou- 1
contraa nelles os inconvenientes m
'4. que 1 cada instante apresentam os de jj
azeile, Ds amadores do gaz achailo 3
t sempre em quantida le sullicienle, e ;(1
du boa qual 1 tade, na destilarlo fran- j
i| ceza da travessa da Concordia. i;
--l"m moco casado que entende perfei-
tameiilo a lingoa franceza, pela res len-
cia do muitos aunes que fez em Franga, se
a ensina-la
bom estado, com 13 covados, a 500 rs.;
lencos de seda, a.500 o a 1,000 rs.; luvas
de seda para senhora e meninos, a 200 rs.
o pa; merino decores, com 5 palmos de
largura, a 500 rs. o covado : na rua do Cres-
po, loja n. 10.
Lotera do Rio-de-
Janeiro.
Aos 20:000,000 de rs.
Na praca da Independencia, n. 4, ven-
dem-sebilhetes, meios, quarlos, oitavoso
vigsimos da primeira loleiii da Misericor-
dia do San-Joflo. Namesmaloja se mostra
a lista da 12.' lotera de Nctcroy o trocatn-
se tullidos premiados pelos que se acham a
Na loja de Maya Ramos
& C na rua Nova, n. O,
vendem-so papis para forrar sala, de lin-
dos gustos e de boa qualidade, sobre salnri-
do entre elles urna riquissima sala toda
dourada, com sua guariligflo avelludada ;
tambem se vendem barras e guarntci'S se-
paradas, e como melhor o comprador qui-
zer.
Charutos de Ha va na
verdadeiros :
vendem-se em casa de Kalkmann IrmSos,
na rua da Cruz, n.10.
Vendem-se cassBS e cambraias pintadas.
francezas.com 4 palmos de largura, 200
rs. o covado ; brim pardo liso do Imho,
com um pequeo loque de avarta, a 120 1-.
o covado; dito trancado pardo e bratico, a
1,000 rs. o corte : na rua do Crespo, loja
n. 10.
NA ROA DACADEIA DO RECIFE, N 2,
LOJA UECAMHK DA VIUVA VIEIKA
& FII.HOS.
Lotera do Rio-de-
Janeiro.
Aos 20:000,000 ders.
Pelo vapor Imperador recebemos as listas
da li." lotera do thvatrn deNictlicroy eos
muito afortunados bilheles e meios ditos
da primeira lotera concedida a beneficio da
santa casa da Misericordia da cidade deS-
Joflo-d'F.I-ltei, a qual devia ter andado no
dia 19 do mez passado, e da segunda de N.
S. da Gloria, em 31 do mesmo mez.
PHARMACIA FRANCESA.
Xarope peihral adocanle da qomma deangieo,
preparada por /mis HolleiUuit & C. boi~
cario chimico da esrolla especial le Varis.
A gomma de angco lie conhecida e 0111-
propOe a ens.na-la bein como a marcena- | prcgHrtll mil|0 ,elIlno pe|os halnianlcs do
na, de que lem grande con.icrimento em f02.or ,|o Brasil, como um excollente re-
qualqnerengenho: quem de seu preslimo meJ() ._, Mro0|e8iM de peilo ; mas em
se quizer ulilisar, d.rija-se a (.amboa-dc-. um esUdo tal d'impuresa, contendu cornos
Carmo, 11 8,dHSfihorasdanianliaaasCdajeslrBnhnS) quo millH Vezes mpedindo
larde. s*us cITeitos, lornivain suspeitas suas pro-
D. W. Itaynon, cirnrgiflo denlis- jeJ|rt e 0i-iKavttin dneute alomar
la, na ruado Trapiclie-Novo, n. | lln)a .,0^0 .le materias eslranhas, nflo obs-
' 14, respeilosamenle informa ao ul(! quuHnerles. mais quo no entinto dif-
publico que, pelos seus mullos afueres, se- ncullava o seu uso.
ra obrigado a demorar-se mais algum lem-
po nesta cidade, antes de sua retrala para
os Estados-Un los, e offerece seu preslimo
para toda qualidade de" operacOes denlaes,
para por denles novos, tanto siugelos como
dentaduras inleras, chumlgr denles com;la cjM(]e e outros muitos que teem obser-
ouroeprata, conforme as ultimas desco-j vaj|( SPg effeitos. provain sua superiorida-
lloje, emlim, esta gomma be por nos le-
vada ao mais alto grao de purosa, c assim
com ella preparamos o nosso xarope tflo a-
gradavcl e fcil de tomar como promptoo
eficaz nos seus resultados. Ds mdicos des-
I
bertas nesta tera.
Casa de modas francesas.
Buessard Mlocliau.
P.UA 110 ATLItllO-IIA-IIOA-VISTA, N. 1.
pelos ltimos navios francezes, chegados
do Havre, rcrebeu-se grande soi lmenlo de
modas, taes como : chapeos ricos de seda e
de palha ; litas ; bcos de blond e de linho ;
Cissai brancas c pintadas ; manteletes de
soda de lodos os modelos ; llores; eabe-
C fil e cambraia ; lencos de mflo, de todas as
qualidades; luvas de pellica o do malha
aberla ; taansas e franjas para vestidos ; fi-
los cambraias ; meias de seda ; e muitas
oulras fazendas que se farflo patentes ao>
compradores: ludo por prego muilo cm
conta c gesto verdaderamente francez. Na
mesma casa fazem se vestidos e chapos, e
ludo o mais de toilette das senlinraa.____
Compras.
Conipram-se esernvos de ambos os se-
xos, de 10 a 40 annos : pagam-se bem :
atrs do thealro-velho, n. 20, primeiro
andar.
Compra-se calcado fxilo na Ierra, para
homem, senhora e meninos, de todas as
qualidades: defronte do nixo do Corpo-
Santo, na loja nova sita na esquina da tra-
vessa que vai para a rua do Vigaro. Na
mesma loja se vende a relalho sulla, mar-
roquins, bezerro, couro de lustro, couros
de cabra em branco e tintos,e todos os mais
proparos para o oflicio de sapateiro.
Compra-se urna canoa de carreira, de
um s pao, usada, mas em bom estado, e
que seja maneira, de modo que quatro ho-
mensa possam transportar para qualquer
parte : quem livrr annuncie por esta folha.
Compra-se Chcrnoves, livro de medi-
cina : na rua Direita, n. 14.
Vendas.
Vendem-se 8 eseravns de bonitas fi-
guras do 20 a 30 annoa bons para lodo o
servido, sem vicios ; um molequinho do 12
annos bom para pagem ; urna bonita parda
de 21 annos, boa costureira e engomma-
dera o de lodo o servico ; 2 pretas muito
boas quitandeiras e de bonita figura; 3 di-
tas com algumas habilidades ; assim como
outros muitos escravos: na rua da Cadea
do Recite, n. 51, se dir quem vende,
- Vendem-se corles de cassas pretas, em
lealisoluta para a cura das inflammacOes do
pello, toces, defluxos, catarros, escarros de
sangue, etc. ; e applicam aos seus doentes
como o mellior especifico at boje Moheci-
do. Cbegou do Maranhflo, aonde he fabri-
cado, una quaiili lade defta xarope ja b Mri
conhecido nesta cidade por mullas pessuas
que delle lem usado: constantemente se
vende 110 mesmo lugar j annunciado, na
venda da rua da Cadea do Itecife, 11. 25, de-
fronte do Hecco-Largo, a 1O0O cada garra-
Mola, acoiiipanliandu nui roceiluario do seu
autor.
Chocolate de sonde.
De todas as substancias alimentares, que'
sendo em seu principio considciudas como
consas de luso, tornam-se polo lempo adi-
inte de um uso geral, o chocolate pode sem
emit a 1 iceflo, oceupar o p: imeiro lugar.
Infectivamente, quaulas pessoas nflo ve-
mos nos preferir boje ao uso do queuta caf,
o uso do chocolate e nisto seguir a opiniSo
dos mdicos mais celebres, que de com-
mum aecrdo, sobre suas preciosas quali-
dades, o indican! como um dos nossos mo-
Ihoies estomticos aquellas pessoas, cuja
sau'dehn dbil e delicada !.. I'rcscrevem-
no aos seus doentes, aconselliam-no aos ve-
Ihns eo rerommendam s mflis de familia
pra seus filhos. Em una palavra, o con-
sumo verdadeiramenle extraordinario que
todas as classes da sociedad fa/.em deste
alimento, he ornis bello elogio que nos
Ihe podemos fazer. Chegou do Maranhflo,
aonde he fabricado, un novo sortimento
deste chocolate j bem conhecido nesla ci-
dade por muitas pessoas quotomfelo uso
delle, econstantemente se vende no mesmo
lugar | annunciado, na venda di rua da
Cadeia do Recife, n. 25, defronto do Becco-
L*ri;n, a 480 rs. a libra de n. 3 eulre fino, e
a tilo rs. o de n. 4 lino.
Vende-se a melhor fazenda de gado do
soi 1 ao de Carery-do-l'ra, com meia legoa
de (erras em quadro, sendo parte dola la-
vradia,d*uas casas de telha, um casal de
escravos ptimos vaqueiros, agoa perma-
nente, 100 cabecas de gado vaceum, sendo
50 vaccas o 50 garrotes e grrulas : est a
30 logoas distante desta praca, a margem
do ro Parahiba, e seis legoas datante da
povojeflo da llarra-de-Naluba : a fallar
com seu proprielario, Joaquim Alvares Ca-
mello de Araujo Pereira, em seu engenho
Machado, na comarca de Iguarass.
Vende-se urna bonita escrava moca,
sem vicios, oquocozinha, lava e engom-
ma: na rua Relia, n. 21.


No Aterro-da-Bna-Yista, sobrino n. 5.
vende-sA urna rolleccfto do ejemplares de
estrila, compute, comprehcndendo diffe-
rentes caradores de lell-ns, acornean!'*
de um mcthodn muito claro e explic livo
des cionartas. l>ia obra he mu conveniente
aquellas pessons que se empreeam em ap-
llicar a mnriila'lc a instrucgSo primaria,
^o mesmo (obrado vrm'e-se muilo sup-
rior e lem fabricada tinta deiscrever
-- Venderr-se relogios de oii'o c prala
de patente: emeasa de i; 11 s i M Mellis &
Compaa, na ra d Trapiche, n. II.
Ni Mrica do caldeirero da rua No-
va, n. 24. recebeu-se um compMo sorli-
nienlo de vidros para vidragas, que so ven-
do por pretil commodo.
Fardo de arroz.
Vende-sc esla j tilo condecida quanto
til substancia ilemcnlaria para o gsten-
lo do cavallos, em barricas de quatro ai lo-
bas para mais, pelo diminuto prego de 3/a
barrica: uosarmazens do Onofre, na rua
da Madrc-de-Deos, e no defronlc do ctiafa-
rizda [onledo llecife.
--Vendc-seum escravo pega, de SO an-
uos : na rua do Crespo, loja da esquina que
volta para a cadeia.
Potassa nacional.
Vende-se potassa nova da fabrica nacional
do Itio-de-Janeiio ao haratissimo prego de
I8U rs. a libra. Os senhores de engenho de-
vem lodos mandar comprar desta potassa
afire de animar a lubrica que com lanos
sacrificios se estabeleceu e l'oi a causa de
baixar a elle prego : na praga do Commer-
cio, n. 6, primeiro andar, cscriptorio do
Manuel Ignacio dcliveira.
> ......
& Cissos e cambra i,: s %,
<4
jj rs. o covado ; cassas de cores, a 20O, 2
240c320.rs. ocovaJo; lencos de seda, ^
a 1,(100 is.; ditos grandos, proprio* J
para hombros de senliora,a 1,280 ; ditos rom franja, a 1,000e 1,280 is. ; #
rucias para meninos, a 120 is o par; 43
e oulras muitas fazendas por nieta- 2
de de seu costo: na rua do Crespo, 3
n.9, loja.
|j Vendem-serambraiasde corea, do
* mais de vara de larguia, a 2*0 e 300


Ao barato.
Panno da Costa, com 8 palmos de largu-
ra, a 320 rs. o covado, proprio para pannos
de pretas, cun rase qualquer obra de cs-
cravos : na rua da Cadeia do llecife, n.20,
loja.
Vendeni-sc 24 acces da
rompanhia de Beberibe : na rua
do Hangel, n. G4, se dir
vende.
quem
Canoas.
Vendem-se duas canoas grandes, de mui-
lo boas madeiras e novas : a Iralar no silio
do Hospicio, n. 6, ou na rua la Cadeia de
Santo-Antonio, 11. 9.
Chegaram novamenle rua da Scn-
zalIa-Nova, n. 42, relogius de ouro o prala
patente inglez, para homem e senhora.
|Vende-se um moleque de 9 anuos,
muito bonito ; 1 pardinhode II aunos.de
bonita figura : ambua para liquidadlo: na
rua larga do Itozario, n. 46, primeiro an-
dar.
Cal virgen).
Vende-se superior cal virgem em pedra,
em barris de 4 arrobas e meia, chegada 110
crrenle cnez do Lisboa, pelo brigue Novu-
Vtneeior : na rua da Mocda, armazem n. 5.
--Vendem-M duas parles de una casa 110
bairruda lio-Vista, em uoiadas nielburt-s
ras, a qual existe con venda ; e lmbelo
urna parto de um terreno aiinexo a me.sma
casa ; um outro terrino na malta da Tur-
ro, cun 300 palmos de frente e G00 de fun-
do, prximo ao rio Capibaribu : ludo por
prego couimodo : na Iravessa da Concor-
dia,^ 5.
>o engenho Paratibe, distante dcsta
praga 3 leguas, vindeiu-se 30 quarlos e
bestas mansas de roda, 3 vaccas muio boas
de leite, 14 bois mansos de carro : tudo em
bum estado.
-- Vendem-se 1G escravos, sendo : um
pardo de elegante ligura ; urna prelado 14
anuos ; una ita com urna cria de oito me-
zes;2molequesde bonitas liguras; urna
escrava cum 3 ciias ; 2 (retas pura o ser-
vido de campo ; um niulalinlio de 17 au>
nos, proprio para pagem ; 2 pretos do na-
co, proprioi para armazn de assucar :
no palto da matriz de S.-Aiitonio, so dir
quem vende.
-- Vedem-se 7 lindos moloques de 12 a 18
aiiuus ; 9 pretos de 20a 30 anuos, sendo
um delles ptimo sapatojiti; 2 pardos de 16
a 20 anuos, sendo um delles bom cozinhei-
ro ; 3 pardas de 14 a 20 anuos, com lia I i da-
des; 6pretas com habilidades, e que sao
proprias para lodo o servigo: na rua do
Cullcgio, n. 3.
\ondem-se saccas com muilo boa la-
rinha de mandioca, a 2,500 rs. cada sacca :
na rua da Cadeia do Hecife, ao pe do arco
la Conceigloe junto a botica do Sr. Anto-
nio Pedro das .Seves.
Vendem-se corlea de eambrai dn co-
res, pelo barato prego de 2,000, 2.500, 3,000
3,500 e 4,000 rs.; rambraia de seda, a 3/
rs. : mrias para meninas, a 160 ra.; lA.i
rom I al r3 de seda, a 600 rs. o covado; lan-
7 riba prnpiia para roupa de meninos e ves-
tidos de senhora; a 840 rs.; lila superior pa-
la caigas, a 500 e 600 rs. ; Ipncos de algo-
dSo o s'da rom franja, a C00 rs. ; crb s de
rollete de velludo, a 1,600 e 2.500 rs. ; cas-
sa-cbiU, a 400 rs a vara : garga desala, a
500 rs. o covado; cambraia de seda.a 560 rs.
o covado, e oulras militas fazendas ror
barato prego : na rua do Crespo, n. 15, loja
de Joaquim de Oliveira II*ya Jnior.
Aviso importante.
Beneficio publico.
O armazem anligo da rua da Madre-dc-
Deos, n. 36, est de novo estabelecido de-
baixo das n.esmas condigOes, ofl'erecendo
a deliciosa pingado vinho da Figueira pe-
lo limitado prego de 180 rs. a garrafa, e
1,300 rs. a caada, a de vinho branco de Lis-
boa por 220 rs. a garrafa, e 1,600 rs. a ca-
ada, a de vinho de Rordeaux por 160 rs. a
garrafa levando o casco. NSo se admirem
os freguezes do haixo prego por que se ven-
do a deliciosa pinga, e sim da audacia do
proprielario querer sustentar o anligo pre-
go, Ihor de 30,000 rs. por pipa. Examinen) os
amantes a qualidado para rcconhccimenlo
da verdade e conlinuagSo da antiga fregu-
zia, E para nilo haver usuras, eslo promp-
tas garrafas lacradas e com o competente
rotulo, assim como harria de diversos ta-
maitos para piovisSo do prximo Natal.
O proprielario conla com a concurrencia ;
do contrario, tornarSo es preges do reta-
Ihoa primitiva de240 e 280rs. a garrafa.
Deposito de Potassa.
Vende-se muito nova polassSj
de boa qualidade, em Lar riszinho*,
pequeos tle qualro arrobas, por
pirro tralo, como j ha milito
trmpo se nao vende: nc rtecife,
rua da Cadeia, armazem n. 12.
Antigo deposito de cal
virgem.
Na ruado Trapiche, n. 17, ha
inuilo superior cal virgem de Lis-
boa, por preco muito commodo.
Farinha de mandioca.
Na rua do Queimado, n. 14, loja de fer-
ragens, ainda ha algumas saccas da boa
lamilla de mandioca, muito alva e brm tor-
rada ; bem como urna porgSo de pennas de
cma, proprias para espanadores.
Vende-se vinho do Porto muito supe-
rior, em barril de quarloe quinto ; familia
de trigo de todas as qualidades e em meias
barricas; retroz do Porto, prlmeia quali-
dade : panno e meias de linlio ; arcos para
barricas ; farinba de mandioca em saccas
grandes e a garnel a bordo da sumaca i>.-
S.-do-Cartno: ludo por prego commodo:
na rua do Vigario, n. 11, primeiro andar,
casa de Francisco Alves da Cunda.
Farinlia de
4
Vendem-se regas de madapolSo com 20
-:.Vfpde-w um mo nd. mnlalinh.
1* OVO SOrlimeillO fie ia-|Vras,eCMinalgumtoqiiedaarvaria, a 2,560 de 1G'ao<"rfcoiii'da "o
ZeOda baratas na riia!eS,00-,";e ;""'"sa 3.M0M.; pegaaueat- sjfonpeiecao, e he'di
- ~ *'""j *" a I go.iSoznbo 11 uilo encurpano com 20 Jar-
do CrOHO. n. 6. aO DO (laa' a 2 240 rs.; pegas de chita com algum
. toque de avaria de chuva, a 4,260 rs.; um
flO lampea'1. .noleqno bom ro/iulieiro : airas do ihea-
Vende-se cassa-chit. muito fina, de bo- W^a^^OB^aakiaAa
nitospadrf.es, cores fixas e cm 4 palmos Ifj&b^VVVVVVQV&V
(3 Q
a Na loja do sobrado amarello, nos ^5
/a qualru-canlos da rua do Queimado, X
^ 11.29, vende-se um grande aorii- ~
5? ment de novas cassa-cnltas de cO- 2?
^* res lixas e bous padres, p. lo di mi- J
*5 nulo jirego de 400 rs. a vara : fazen- Jjr
O da que so lem vendido a 800 rs,,e v
O que se vende por tilo batxo prego, **
por se ter grande porgSo. 9
!c largura, pelo barato prego de 320 rs. a
covado: esaa franceza de quailros, muito
fina, a 960 rs. o covado; riscadinho de lis-
Iras de linho, a 240 rs. o. covado ,- biim de
alpnd.to de cres com lislra ao lado e de bo-
nitos padrGes, a 320 rs. o covado ; brim
pind claro, a 1,500 e 1,400 rs. o corte de
duas varas e urna quarla ; cassa prela com
ramagem branri. para loto, a 140 rs. o co-
vado ; zuarto de cores, com 4 palmos de
largura, a 200 rs. o covado ; dito azul com
vara de largura, a 200 rs. o covado ; risca-
do monstro, a 220 rs. o covado; chitas de
bonitos padrOes e cores fixas, a 160 e 180
rs. o covado ; chales de larlstana, a 500 e
800 rs,; cobertores de algodSo america-
no, muito superiores, a 640 rs.
A bordo da brigue S.-loi, chegado
prximamente, vende-se farinha de man-
dioca de superior qualidade, e por menos
prego doqueemoutia qualquer parte: os
prebndenles dirijam-se a bordo do dito
brigiio, fundeado defronte do arsenal de
guerra, ou 80 llecife, rua da Cruz, n. 66.
-amado Crespo, n. 15, loja de Joa-
quim de Oliveira Maya Jnior, ha, alm das
fazendas ja annunciadas, e de outras mili-
tas por barato prego, um sortimonto de lin-
dos chapeos de sol, do panninho estampa-
do, muito pioprios para os meninos o me-
ninas que ndam na escola, e mesmo para
as senboras que ainda cst3o no campo, pe-
lo prego de 2,000 rs.
Pcnlcs de tartaruga pa-
ra prender cabello.
Vende-se a mellior qualidade do pentes,
por prego mais commodo do que em ou-
Ira qualquer parle : na rua do Queimado,
n. 16, loja de miudezas.
Rap Paiilo-Cordeiro, a
1,1880 rs. cada libra :
vende-se na loja de Antonio Joa-
quim Vidal, na rua da Cadeia do
llecife.
Vende-se superior farinha
de millioem porcOes e a retalho,
lendo de todas as qualidades a
vonlade do comprador, e por pre-
co mais commodo do que em ou-
tra qualquer parle: na rua do
li um, n. 28.
- Arroz a 50 rs. a libra e 1,400 rs. a
arroba, sendo em sacca ainda por menos;
espirito de 37 graos a 1,060 rs. a caada :
no paleo do Hospital do Paraizo, venda
n. 20.
A 3#OO0 o corte.
Vendom-sc corles de cassa-chila, fina, de
bonitos padres e com 6 varas o meia, pelo
diminuto prego de 2,000 is. o corle I na
rua do Crespo, n. 6, loja ao p do lampeo.
Farinha Fontana.
Vende-se a mais superior fari-
nha fontana que lem vindo a e*>le
mercado, chegada ltimamente :
a trotar com Manoel da Silva San-
tos, no armazem do Annes, no
caes da Alfandega.
o O
, ',; Na loja do sobrado amarello nos j
por isso mais barato do que em outra qual-,'tA quatro-cantos da rua do (Jueimadu, $}|
quer parte. |,U n. 29, vende-se, por pregos rasoa- a
.-Vendem-se amarras ue lrro: na roa.X veis, sarja de soda prela, a verda- m
Odeira hespanliola, havendo varias -.
.,.,.. I, I...I.....____ ....,.!... ..i!. V
trigo.
Vende-se superior farinba de Irigo fran-
ceza de Provenga, chegada ltimamente de
Marselha : em casa de J. J. Tasso Jnior, na
rua do Amorim, 11. 35.
Arados de ferro.
Na fundigSo da Aurora em S.-Amaro
vendem-se arados de ferio diversos mo-
delos.
Cal virgem.
Cunha & Amonio, na rua a Cadeia, n.
50, continuam a vender barris com* cal d
Lisboa, da mais nova que ha 110 mercado,
Moendas superiores.
Na fundigSo de C. Starr i Companhia ,
em S.-Amaro, acham-se venda moendas
de canna, todas de ferro, de um modelo e
conslrucgiio muito superior.
Deposito da fabrica de
Todos-os-Santos na Iahia
Vende-se ero casa deN-O-Bieber & C.
U rua da Cruz, n. 4, algodao trangado
daquella fabrica, muito piopno para.saccos
de assucar e roupa de escravos.
Tecidos de algodao tran-
cado da fabrica de To-
dos-ns-Santus.
Na rua da Cadeia, n. HV,
vendem-se por atacado duas qualidades,
proprias para saceos de assucar e roupa de
escravos.
Taixas para engenho.
Na fundigSo de ferro da rua do Brum,
ac ha-so de receber um completo sorti men-
t do taixas de 4 a 8 palmos de bocea as
quaes acham-se a venda por prego com-
modo e com promptido embarcam-se,
ou carregam-seem carrossem despezasao
comprador.
Batatas.
Vendem-se batatas a 1,000 rs.
a arroba : no armazem da rua do
Azeite-de-Peixe, n. 14, defronle
da Madre-de-Deos.
Vendem-se bons queijos londrinos,
ditos de prato muito fresones e de superior
qualidade, presuntos inglezes para fiam-
bre, ditos portuguezes para panella, Utas
com 2 e4 libras de mermelada, ditas com
holachioha de Lisboa, ditas de sardinha, di-
tas com hervilhas, frascos com conservas
inglezas, queijos de qualha vindos do Cea-
r, por barato preco, mantas de toucinho
inglez de fumeiro.de 7 a 8 libras cadaums.e
outros muilos gneros de ba qualidade :
a nrua da Cruz, no Itccifc, n. 46.
Vende-se um escravo de bonita figu-
ra, de 18 a 20 anuos, sem vicios ncm acha-
ques .* na rua da Cadeia de S.-Antonio, n.
13, se dir quem vende.
%mm.mmmmm memmmm.mmmm
ducta
ueenpomii, Pl0.
e, excelleni con-
1 ruaco 1'mgcl, 57, Slb?"u0
Aos sciihorcsdcriigcnlio.
Vendem-fccobertoiesile pura |ja
1,440; ditos de algoftao ame-ic.no, ',?'
encorpados. a 600 rs. ; algodfla .ira" *
azul, a 120 rs. o covado ua rua do Creap0
asertivos Fgido
da Senzalla-Nova, n. 42.
--Vende-se uni escravo da Costa, mogo, I qualidades para se escoiier; selim IZ
bom trabalhadur, nuilo diligente, elpor isso A urelo de Maceo, muilo cncorpado, j
A !00 rs.
Vendem-se riscados de linlio a 200 rs. o
covado ; cites de casta-chitas finas a 2/;
;egas de brelanha de algodo com 25 va-
ras a 3,200 rs. ; chitas escuras, a 120 rs. 1
oilas linas, a 160 rs. o covado; e oulras
mullas fazendas por preco commodo; na
rua do Crespo, 11.16.
Vende-se, na rua da Cruz, n. 17 um
bom escravo, carreiro e bom lacaio, sem
vicio, de 16 a 17 aanos.
Potassa da Uussia.
Vende-se superior potassa da Itussia, da
mais nova que ha no mercado, por prego
commodo : na rua do Trapiche, 11 17.
Vendem-se 18 caixOes que fram de
assucar, em bom estado do se tornaren) a
eneber: na praga o o Corpo-Sanlo n. a.
Cera de carnauba.
Vende-so cera de carnauba de superior
qualidaue, eurxa porgilo de resina de an-
gieii: ludo por proco commodo : na rua da
AJadie-d-JJiios, o. 36, taberna.
proprio para o.servigo de urna casa e ga-
libar na rua : na rua Direita, n. 69, padaria
de Antonio Alves de Miranda CuunarSes.
Facas para mesa.
Vendem-se facas e garfos de cabo de ba-
taneo, 1 L-= 11 '11 marfim, e do muito boa
qualidade, por prego mais barato do que
em outra qualquer parte : na rua do Quei-
mado, 11.16, loja de miudezas.
Vende-se um silio fia entra-
da da Lslrada-Nova, na Magda-
lena, com una excellente casa ter-
rea com muilo bons commodos :
o silio est bem plantado c olfe-
rece todas as vanlagenspara quem
liver bom gosto ; negocia-se em
conta : quem o pretender, dirja-
se rua do Crespo, n. 9, que se
a
9
I lie din o 8s informacoes precisas.
Vendem-se queijos de superior quali-
dade pelo dim 1 nulo prego de 1,000 rs. i na
rua de S -Jos, esquina que volta para abo-
boda da Penha,venda de quatro portas, 11. 2.
g Golletes.
** Vendem-so gorgurflo de seda, a **
<} rs. o corte : na rua do Crespo, n. 9. (}
gp00 --Na rua do Sol, n. 9, vendem-se tre-
molas, toallas grandes e pequeas para
mesa, fabricadas um Cnimaros; capachos;
1111 lio do Porto, o mellior que lio possivel
enconlrar-se : ludo por prego commodo.
Vende-sc um cavallo rugo, com todos
os andares, bastante gito e aein achaques :
na rua do Queimado, n. 39, casa do Cus-
mfloi
omina de entornillar.
Vendem-se saccas com
muito superior
gomma de engornmar, a 9,000 rs. cada sac-
ca : na ruado Ainonu, n 35, casa de Tas-
so Jnior.
>. lustroso e sem gomma, proprio para X
2^ vestido de senhora; lindos los pre- J^
*& tos bordados de seda c com lindos 9
O desenhos, fazenda superior ; meias
V> deseJa de peso ; um completo sor- 0
O tmenlo de pannos pretos linos, pro- O
O va de limito, havendo una qualida- O
0 deque he ornis fino que aqui tem O
Q apparecido ; casimira prela elstica
0 de diversas qualidades ; selim preto
(Vj de Macao, muilo superior ; chapeos j
,nj fraocezes de superior qualidade e da a
A ultima moda ; e oulras Tazendas fi- X
^ as : tudo por prego de agradar ao S(
q comprador. 9
O3v>OQOO0O0|
Rap Iaulo-Cordeiro.
No deposito de charutos finos da llahia,
na rua da Cruz, no llecife, n. 49, vendem-
so, alm das boas qualidades de charutos,
o muito acreditado rap Paulo-Cordeiro,
Gasse groase, meio-grosso, lino e oulras
qualidades : tudo por prego commodo.
Vende-so um escravo de nagilo Ango-
la, robusto e bom trabalhadur de euxada :
no largo do Carino, esquina da rua de Hur-
las, n. 2, taberna.
-|Vendem-se 3 mulatinhos, muito lindos,
de boa conducta ; 4 molecotesde 10 a 20
anuos, para todo o servigo ; 4 negrotas, en-
tre ellas algumas com habilidades: na rua
Diroila, n. 3.
Vendem-se, muilo em conta, dous re-
logios f alent, sendo um de ouro, o o ou-
ii.,.:.-, i..!., dourada ; na rua do Queima-
do, n. 10, loja.
JNo armazem do baraiciro,
Silva Lopes, na porla da aliaude-
ga, vende-se farinha franceza no-
va, da mellior que vem a este
mercado, e de oulras qualidades
de Philadclphia.
Velas de cera.
Vendem se caixas com cera em velas, fa-
bricadas no Kio-de-Janeiro, sortidas ao
gosto do comprador e por prego mais com-
Fazendas modernas.
Na rua do Crespo, n. 9, vendem-se,
por commodo prego, lindas fazendas
1 odernas, tanto para homem como
, ara senhora, como sejain corles de
seda tur la -cores 00111 barra para ves-
tido ; cassas ; cambraias de barra ;
chales; manas; manteletes; lon-
gos ; luvas ; sarjas ; chapeos trance-
zes modernos ; casimiras pretas e de
cores; colleles de velludo, setim,
sarja 6 fuslflo; liiins hraiiro.se de
cures ; lencos para grvala ; suspen-
sorios; cambraia de linho muito fina.
AGENCIA
la fundicao Lovv-ilfoor,
ItA DA SKNZALI.A-NOVA, N. 4a.
Neste estabelecimento conti-
na a haver um completo sorti-
mctilo de moendas e meias moen-
das, para engenho; machinas de
vapor, e tachas de ferro batido
coado, de todos os taannos,
para dito.
Troca-se urna imagem de N. S. do Car-
ino, obra .de Lisboa, de pedra marmore,
cousa muito lica e assciada na rua de Hur-
las, n. 120.
Rom negocio.
Vende-se a antiga fabrica de ca-
f, que perlcnceu ao finado Anto-
nio Vas de Oliveira, sita na rua
do Amorim, ns. 40 e 4^, com to-
dos os pe tenees ; lambem se alu-
gam ao comprador os dous pe-
queos armazens em que esto
collocados o fogao e mais perten
ees da mesma fabrica : quem a pre-
tender, ditija-.se rua do Amo-
rim, h. 36, a tratar com Antonio
Joaquim Vidal & Companhia.
Vende-se urna armagOo envidragada,
com todos os utensis rcrtencenles ao oDl-
cio do sapaleiro : na rua do Amorim, por
Irs da casa n. 27, a fallar na mesma loja.
Vende-se um silio a beira do rio, com
mais de mil palmos de frente, baixa de ci-
pim para mais de 30 fcixes por Oa, com
grande casa moderna, contendo duas gran-
des salas, dous gabinetes, duas alcovas,
tres quarlos e cosinha ; he perlo da praga,
e he antes de chegar ao l'ogo-da-Panella : a
follar na rua de S -Amaro, casi n. 16.
--Vende-se peixe salpreso esecco, mui-
mo lo do que ern outra qualquer parte : a to fresco, fabiicado na liahia-da-Traigo,
I Halar com Macha Jo &Pinheiro, na rua dojiprovlnciada l'arahiba, por prego commo-
I Vigario, n. 19.
[to : na rua das Ciuzes, o. 40.
--Fugio, no dia 28 do pascado, um escra
vo de nome Manoel, do nagilo, de estatura
regular, fulo, com pequeas marcas ii0 be
xigas; lem em um dos bragos um lobinhn
pequeo, feo de cara; levou camisa de al
godflo de listras azues, caigas de Ranea
azul, e levou mais roupa : quem o petar
leve-o rua do Livramento, n. 19, quJ,*ri
recompensado. "
- Desappareceram, no dia 20 do prximo
passado, do engenho Arariba do Pimeniel
na froguezia do Cabo, dous moloques com
os signaes seguidles : Joaquim, por anlhu-
nomazia Mutuca, do genlio de Angola, de
t5a 16 anuos, seccodo corpo, pernaa fi,ias
e compridas, ps um tanto grossos, cor pu-
ta, rosto comprido, olhos muito vivos ; le-
vou urna camisa de algodSo azul, outra de
riscadinho lambem azul, ceroulas do algo-
dSozinho compridas, chapeo do palha usa-
do : Malinas, do genlio de Angola, de 13 a
14 annos, maisbaixo, reforgado do corpo
cor fula, cahega pequea e comprida para
tras, olhos fumacenlos, peinas grossas, per-
feto de ps e mflos; he muilo callado ; le-
vou urna camisa e urna caiga de chila azul
e outra camisa e outra caiga de algodn
azul usado: quem os pegar leve-os ao dito
engenho, 011 no paleo do Carmo, taberna
n. 1, que ser gratificado.
esappareceu, no dia 2 do correte, as
7 horas da nolle, o preto Manoel, crioulo
que fui comprado ao Sr. Antonio Ricardo
do llego, que mora na rua do Collegio, a.
3, ha 10 dias pouco mais ou menos ; he d
boa estatura, corpo zrosso, bem emperna-
do, cor prela nilo retinta, fallas mansas
Irs um rozario branco aopescogo; foi es-'
cravo do serlSo; levou camisa e calcas da
riscado azul; quando desappareceu disse a
um parceiro que se achava bastante doente
isto na occasio de estar descarregando um
canoa de arela, e foi para a trra, o al o
presente nSo ha noticia delle. Roga-se as
autoridades policiaese capillos de campo
queoapprehendame levem-no a casa d
jdilo vendedor, Antonio Ricardo, ou no prin-
cipio da Casa-Forte, a seu senhor, Aaionio
dos Santos Ferr ira. .
Fugio, desta cidade, na noile do dia
31 de Janeiro do corrcnle anno, um pardo
de 30 anuos, de estatura regular, gTossura
proporcional, cor parda, nariz chato, ore-
Ihas pequeas, cabello carapinhado ; anda-
va calcado e vestido de jaqueta e caigas;
he cflicial de alfaiate; consta que embar-
cara para Olinda, em companhia de urna
mulher branca : quem o pegar leve-o a sua
senhora, 1>. Isabel Ribeiro Pires Kerreira,
na rua do Rangcl, n. 60, que gralifiaara.
Fugiro, do engenho Matto-Giosso, co-
marca do Cabo, na noitc do primeiro do
correte, o escravos Rento, pardo, bas-
tante claro, haixo, feigOes regulares, pouca
barba, cabellos castanhos, denles limados,
pernas grossas e um tanto arqueadas ; teve
bexigas ha pouco lempo, por isso esl com
a cara marcada ; tem aparencias de mari-
nheiro e quer pissar por forro ; nilo lio. a
primeira vez que foge ; foi preso no ann
prximo passado no Rrejo-da-Areia ; levou
camisa de algodSo, ceroulas e chap de
palha; reprsenla ter de 24 a 25 annos;
foi visto em Goiannioha, onde disse que ia
procurar urna lenda de sapaleiro para Ira-
balhar: quem o pegar leve-o ao dito enge-
nho, ou noRecife, casa de Jos Theodoro de
Sena, que recompensar.!
Fugio, no dia 21 do passado, do silio
Agoa-Fria, do engenho Apipucos, a escra-
va cabra, de nomo Maria I lienza, llura
regular, se cea do corpo ; lem no rosto urnas
pinlas 1 retas de sarda e um denle t>rado na
frente da mandbula inferior ; tem na ca-
bega urna pelladura de um tumor que teve
ha poucos dias ; levou vestido de riscadi-
nho de listras azues e panno da Costa. Ro-
ga-se as autoridades policiaca e -capites de
campo,que a apprehcndam e levem-na a seu
seiilior, liento da Rocha Wanderley l.ins, no
meamo silio, que recompensar.
Fugio, na tarde do dia 27 do passado,
de S.-Amaro, um crioulo marinheiro de
bordo do brigue Dovi-Kmigot; levou cal-
gas brancas, camisa de riscado azul de 25
a 30annos pouco maisou menos, de esta-
tura regular; tem as orcinas compridas:
quem o pegar leve-o a praga do Commer-
cio, 11. 6, escrijilorio de Manoei Ignacio de
Oliveira, que sera recompensado.
Fugio, no dia 29 do passado, um mu-
lalinho fechado da cor, de nome Antonio,
de 20 annos, corpo regular; tem os denles
limados, olhos quebrados e encarnados,
magSaado roslo altas, de bonita ligura, |s
redondos rom os dedos grandes abortos;
he muilo Ireloso ; inlitula-ae forro fuma
charuto ; he muilo alegre. Roga-se as au-
toiiilades policiaes e capitiWs de Campo,
que o aprehendan) e levem-no a estrada
nova, a Jeronymo Rodiigues Campello, ou
na rua da Cadeia do llecife, a Joflo Vieira
de Lima, que gralilicar.
Fugio, nodia 29 do passado, do sitio
de Jos Francisco Ribeiro de Souza, em S.-
Amaro-de-Agoa-Fria, um pardo escuro, de
18 a 20 anuos, do nome Jos, de estatua
regular, corpo e feigoes regulares ; levou
camisa e caigas de algodSo da Ierra, cha-
peo de couro a sertanejo ; ha desconliaugas
que seguisse em compan/iia de algum com-
boi para o serl.lo do Rio erando do norle ,
em Sendo, 011 fazenda das Cobras, ou auaa
immciiiai<"ie>, donde lio natural. Itoga-se a
todas as autoridades policiaes e capites de
campo, que o apprehendam e levem-no ao
mesmo silio, ou no trapiche da alfandega-
velha, que, alm das despoias, se gratifica-
r generosamente.
Fugio, no dia segunda-feira, 21 do
passado, um moleque de 16 annos, do no-
me Paulo, bem prelo, com um signa! no
queixo esquerdo, e 3 guipes na p.irna cs-
querda ; levou camisa de madapolSo e cal-
gas de riscado : quem o pegar leve-o rua
Nova, n. 46, loja, que sera gralilicado-

PeN. : M TIR 1>K u, i. u% PAIA. ISfi*
r


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EX4XZJW1G_T2QAMD INGEST_TIME 2013-04-24T20:01:20Z PACKAGE AA00011611_06802
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES