Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:06800


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno XXVI.
Sexta-fe ira I
mmt
PARTIDAS DOS OOMBClOa.
Golanua c Parahlba. segundasesextas feiras.
Rio-Grande-do-Nortc, quimas feiras ao melo-
da.
Cabo, Serlnhaem, Rio-Formosn, Porto-Calvo
e Jicei, no 1.', a II, e 31 de cada mez.
Garanbuns e Bonito, a 8 e 23.
Itoa-Vista e Flores, a 13 e 28.
Victoria, sqaintas Tetras.
Olinda, todos os das.
-' ,g.'P'!'l|l'PSSPSSJBM^SJSaslSMSSSKSJSI
EJUrJIIRl DES.
Ming. a 3, .s lllli. e.VI ni. di t.
Nora a ISL as Ih.e'J m. da n..
Cese, a 19. s 5 h. e..V> ni. da I.
Chela a 2, as 0 h. e-il m. da m.
REAMA XI HOJK.
Primclra as 8 horas e 30 minutos da manha.
Segunda as 8 horas c 54 minutos da tarde.
de Fevcreirode 1850.
N. 2T.
PHEQOS DA SBSClir.p^io.
Por tres meze.i (nimio*) 4/000
Por seis ine/e 8/000
Por un anno 35/000
das da scmama.
28 Seg. 8. Cyrillo. Aud. do J.dos orf. e do ni. l.r.
29 Tere,. 8. francisco de Sales. Aud. da chae, do
J. da I. v. do civ. e do dos feilos da fazenda.
30 (u.irt. S. Martinha. Aud. do J. da 2 v. civel.
31 (.luini. S. Pedro Nolasco. Aud. do J. dos orf.
e do m. da I, v.
1 Seat. S. Ignacio. Aud. do J. da 1, v. do civ. e
do dos feilos da faseuda.
2 Sal, iffjfc Purlucscao de Nossa Senhora.
3 Diim. S. lira/,.
CAMBIOS EM 31 DE JANEIRO.
Sobre Londres, 28 d. por 1/000
Paria, 31o.
. Lisboa, 100 por cento.
Ouro. Oncas hespanhoes.......
Moedas de 6/400 velbas
de (1/400 novas
. de4/000.........
Pros. Palaces brasilclros
Pesos coluinnarios......
Ditos mexicanos.........
rs. a 60 das.
28/500 a 29/000
17/000 a 17/200
16/200 a ,-*
9/000 a
I/M50 a
1/1150 a
a
16*400
9/200
l/n-,0
1/970
1/820
"Usw -=--- ^"--",~-.-.j.-^.-...

PARTE OFriCIH-
PROPOSTA EHELATORIO
apresentadoi atsembla geral legislativa ra
primeira susto da oitava legislatura pelo
ministro e secretario de estado dos nego-
cios da fazenda, Joaquim Jos Kodrigues
Torres.
Augustos e dignisalmos seuliores repre-
sentantes da oscilo.
Em cumplimento do ai t. 13 ds lu de 31
de nutubro proposta do orcamenlo da receita o despeza
geral do imperio para o ejercicio do I850---
1851.
l'ROPOSTA.
CXPITULO I.
Despeta geral.
Art. 1. A despeza geral do imperio para
0 exerecio le 1850-1851 he flxada na quan-
tilde 08,438:732,350 .
A qual sera distribuida pelos seis diversos
ministerios na trma especificad* nos arti-
go* seguinles:
Art. 8. O ministro e secretario de estado
dos negocios do imperio he aulorisado para
despender com oa objeclos designados nos
geguintes paragniphos a quanlia de ris
8, (97; 285,000
A saber:
1. Dota,-So de S. M o Im-
perador
8. Dita de S. II. a Impera-
triz
3. Alimentos de S. A. o
1 rincipo imperial
4. Ditos da princeza a se-
nhora D. Iza bel
5. Ditos da princeza a S*
D. Leopoldina
I, Dota cito da princeza a
Sr' I). Januaria o aluguel de
CM8
7. Alimentos da princeza
aS.*D. Mara Amelia
8. DotsgBo de S. M. a Im-
prralriz do brasil, viuva, a
duqoaza de Kraganca
. Alimentos do principe
o Sr. D, l.uiz
10. Ditos da princeza aSr.
D. Maris Izabel
II. Dilosdo principe o Sr.
D. Filippe
12. Ordenados dos mestres
da familia imperial
13. Secretaria de astado
14. Gabinete imperial
15. Concelho de estado
16. Presidencias dss pro-
TneUs
17. Cmara dos senadores
e secretaria
18. Dita dos deputados
idam
19. Cursos jurdicos
20. Escolas de me icina
ai. Academia de bellas ar-
tes
92. Miasen
23. Junta do comfnercio
8.' Archivo publico
35. Empegados de visita
de sa le nos pottos marti-
mos
86. Instituto vaccincio
27. Correio geral e paque-
tes de vapor
28. da uaes, poetes e esli la-
das geraes
29. f.atechesee civil nuci
de indios
30. Eitabelecimcnto de
eilucandas no Para
31. Eventuses
lo municipio da corle.
32. Escolas menores de
instruccSo publica
33. Bibliotheca publica
34. iardim botnico da la-
gos de Rodrigo de Predas
35. Dito do passeio publi-
co
36 Instituto histrico
37. Imperial academia do
medicina
88. Sociedailo auxiliadora
da induslr>a nacional
39. Obras publicas
40. Exercicios lindos
Arl. 3. O ministro e secretario de estado
dos negocios da justic he aulorisado para
despender com os clijeclos designados nos
seguinles paragraplius a quanlia do ris
2,014:975,523.
A saber:
1. Secretaria do estado
2. Tribunal supremo de
juslica
3. llelaeOcs
4. Jusliea da primeira ins-
tancia
5. Polica e seguranca pu-
blica
(i. Guardasnacionacs
7. Telegraibos
8. Rispos, calhedraes, ro-
lacSo metropolitana e paro-
ehos
9. Evetituaes
No municipio -da corle.
10. Capella imperial e ca-
tbedral do Itio-de-Janeiro
11. Parodise igrejas po-
bres
12. Guarda nacional
800:000,000
96:000.000
12:000,000
6:000,000
6:000,000
102:000,000
6:000,000
50:000,000
6.000,000
6:000,000
6:000,000
3:200,000
33200,000
1 900.000
28.800,000
118 594,000
221:120,000
290:400.000
78:980,000
84:429,000
19*80,000
6 044.000
8 536,000
6.220,000
11:635.000
14 400.000
767:000,000
200:000,000
32:000,000
2:000,000
25:000,000
48:386,000
8 598,000
9:996,000
I 4 026,000
2.ceo,ooo
2 000,000
2 312,000
70 679,000
31:000.000
70.733,334
175:000,000
396:490,600
172849,800
100:000,000
11:588,940
501:388,834
6:000,000
68.061,900
11:187,720
15.221,500
13. Corpo municipal per-
manente 242:080,495
14. Lazaros 2.000,000
15. Gasa de correcc8o e re-
paro de cadeias 64:000,000
16. Presos pobres 23:000,000
17. Illuminacilo publica 120.-380.000
18 Eventuaos 4:000,000
19. Exercicios lindos .
Art. 4. O ministro e secretario de estado
dos negocios ealrangeiros he aulorisado
para despender com os objectos designados
nos seguidles paragraplius a quanlia de
465:460,000.
1. Secretaria do estado 38:400,000
2. Legacue* c consulados,
aoparde67 1|2 132:840,000
3. Despezas extraordina-
rias no exterior, idem 30:000,000
4. Ditas dentro do impe-
rio, mola do paiz 20:000,000
5. DiH'eronca de cambio
entre o par de 67 1|2 eode
27, em que se calculan) as
remessas para as despezas
dos2*e3. 244:220,000
6. Exercicios lindos ,
Art. 5. O ministro e secretario de estado
dos negocios da marmita he aulorisado a
despender com os objectos designados nos
seguinles paragraplius a quanlia de ris
3,141:828,230
1. Secretaria de estado 28 000,000
2. Quartel general de mi-
rinha 5:313,000
3. Concelho supremo mi-
litar 8 800 000
4. Auditoria eexecutoria 3 020,000
5. Corpo da armada e clas-
sesannexas 282:03'),726
6. Dito de fuzileros na-
vaes 67:041,4S6
7 Dito de imperiaes ma-
rinheiros 95 516,000
8. Companhia de Invli-
dos 17:571.370
9. Contadorias 43.600,000
10. Intendencias e acces-
sorios
11. Arsenaes
.12. Capitana de portos
13. Eorca naval
* 14. Navios desarmados
15. I los pitaes
50 094,760
804:340,470
75:219,670-
1,102395,950
50000,000
42:809.200
30:139,740
16. Phares
17. Academia do mari-
nln
-18. Escolas
19. Iiililiolheca
20. Reformados
21. Obras
22. Despegas extraordi-
narias e vventuaes
2}. Exercicios lindos
Art. 6. O ministro c secretario de estado dos
negocios da guerra lie aulorisado para despen-
der com os objectos designados nos seguinles
paragraphos a quanlia de 7.467:143,820 rs.
A saber-
1. Secretaria de estado
2. Concelho supremo militar
3. Pagaduras
4. Estol, militar.
5. Archivo militar e olUcina
typograpliica
6. Arsenaes de guerra c ar-
mazens d artigo* bellicos
7. Hospitae*
8. Con,mando de armas
9. rnelas* do exercltoe re-
forinados
H>. erefto-
11. Corpo de sade do exer-
cito
12. Gratiacaeocs, forragens e
etapa
13. Invlidos
14. Pedrstes
15. Recrulainento e engaja
ment
28 052.710
1:724,000
3:803.950
40 246,234
216100,000
150:000,000
49:380,000
21:950.000
45:300.000
53:000,000
12:182,6X0
775:175.370
132:830,0110
32:421,900
943:666,800
4,079.701,810
127:184,000
140:058,400
45:526.920
94:327,200
24, Juros de enipi estimo do
cofre de'orphos 80:000,000
25. Pagamentos dos meamos
emprestlinos ,200r000,000
28. Ditos de bens de defuntos
e ausentes .50:000,000
27. Hcposicoes e restltui(es
de direltos e outras 50:000.000
28. Corte e couduccao de
po-brasil 60:000,000
29. Premio construcrao de
navios braslleros 20:000.000
30. Obras 200:000,000
31. Gratilicacdes 50:000.000
32. Evenluaes 30:000,000
33. Exercicios ,
capitulo II.
Receita geral.
Art. 8 A receita geral do imperio lw
oreada na quanlia de 37,300:000,600
Art. 9.* Esta receita sera eiTectuada com
o producto da renda geral arreijudada dentro
do exercicin da presente lei sol os ttulos
abaixo designados :
1. Direitos de importa?!!
para consumo 16,604:000,000
2. Ditos de baldea^Soe
reexportarlo 58:400,000
3. Ditos idem para a cosa
d'A frica SI-.000,000
4. Ditos da plvora estrsn-
geira idem 10:000,000
5. Expediente dos gneros
estrangeiros despachados
com rarla de gua 194:000,000
6. Dito de gneros do paiz 24:000.000
7. Dito dos gneros livres 7:000,0"0
8. Armazensgem 178:000.000
9. Premios de assignados 130000.000
10 ImpugnacOes' 6:500,000
11 Mollas 24 600,000
12 Ancoragem 460 000,000
13 Direitos de 15 por cento
das embarcac.es cstrangeiras
que passam a naconaes 56:000,000
14 Ditos de 5 por cento na
compra e venda das embar-
cacA-s 30:000,000
15 Ditos de 7 por cento
de exportacito 3,884:000,000
16 Ditos de 2 por cento
jdem 42:000,000
17 Ditos de 1 por cento
dem do ouro em barras 2:000,0000
18 Dilos de meo por cento
iJem dos diamantes 2:000,000
19 Expediente das capatazias 22:000,000
20 Mollas 3.000 000
21 Taxas do correio geral 152.000,000
22 llraQagem do Turico
das moedas de ouro e prsta 3:000,000
23 Kenda diamantina, dos
proprios nacionacs,arsenaes
e eslabelecimentos da admi-
nislraco geral 185:000,000
24 Eros de terrenos e de
marinha, excepto das do mu-
nicipio da Corte 5:000,000
25 l.dudemios 2:000,000
26 Sisa dos bens de rai?. 870 000,000
27 Decima do urna legoa
alm da demarcado 2:700,000
28 Dita addicinnal das cor-
poracOesdomIo-morta 47.000,000
29 Direitos novos e velhos,
o de chancellara
30 Dizima de chancellara, 3
57. Dito de palenle no
consumo da ago'anlenlo
58. Dito do gado do co-
sumo
59. Dito dos cavallos bes-
las que enljam na en!.ule
60. Meia sisa dos escravos
61 Sello de heranesse le-
gados
62 Rendimcnloiloevento
Extraordinaria.
63. Agio de moedas e me-
taes
64. Alcances de thesourei-
ros e recehedores
65. Contribuirlo para o
monte-pin
66 Dons gratuitos
67. li)demnisac,ouspelaar-
recai;ao de rendas, medicKo
de mal 'illa e outras
68. Juros de apolices
69. Premios de lettras
70. Iteceita eventual
71. Reforma de apolices
72. ReposicOes e reslilu-
cOes
73. Producto de etoeda de
cobre inutilisada
74. Dito dos contratos
roin iis novas compaoliias de
minernefio
75. Remanescenles de de-
psitos e caixas publlicas
Depsitos.
76. Emprestimos .dos co-
fres de orphilos
77. Rcns de defuntos ca-
senles
78. Consumo dss alfandc-
gas e consulados
79. Depsitos
80. Premios do loteras
81 Sjanos de Africanos
livres
82 Producto do loteras
para indemnsic3odeadbn-
limentos feilos pelo llie-
souro 55:500,000
Art. 10. No caso de delicifliieia da renda
geral, ser o dficit preenebido ( pertence
Cmara dos Srs. deputados a iniciativa so-
bre es'.a tnateiia.J
(Continuar-se-ha)
130:000,000
120:000,000
1:000,000
100:000,000
25:000,000
7 000,000
20 000,000
570,000
26:000,000
420,000
5:000,000
6:000,000
10 000,000
20:000,000
260:000,000
150:000,000
16 000,000
78.000,000
12.000,000
18:000,000
por cento
31 Joias das ordeos hononfi-
87 000,000
50.000,000
10:000,000
40,000,000
20.000,000
iG. Fabrica de plvora
17. Dita i
300:000.000
109.784.lt
30.lSl.8ti0
de ferro de Ypanema
8. Presidio da ilba de Fer-
nando
19. Obras militares
20. Diversas despeas even-
tuaes .
21. Ese ciclos lindos .
Art. 7.* O ministro e secretarlo de estado dos
negocios da faienda he aulorisado para des-
pender com os objectos designados nos seguin-
les paragraphos a quanlia de 12,152:029,777 rs.
A saber:
1. Divida esterna fundada
2. Dita Interna idem
3. Cala de amorlisacan filial
da Baha, e empreaados no res-
gate c subktituivao do papel
mofila
4. Pensionistas
5. Aposentados
6. Einpregados de reparti-
rles cstinctas
7. Thcsouro publico nacio-
nal
8. Theaourarias
9. Jui/.n dos feilos da fazenda
10. Alfandrgas
11. Consulados
12. necebedorlas
13. Mesas de rendas c collec-
toras
14 C*sas de n.ocda
15. Typograpbia nacional
16. (lili ci.i de apolices
17. Adn.lnlslracao de pro-
prios nacionacs
18. Dita de terrenos diaman-
tinos
19. Almosarlfados existentes
20. Ajudas de cuslv a ein-
pregados ere fazenda
21. Curadora de Africanos
livres
22. Medicao de terreno de
marlnhas.
23. Premios de Ultras, dcs-
contos de assignados da alfan-
dega, commissOes, corretagens
e seguros
26:800,000
300:000,000
147:693,800
4.200:164.444
4,319:064,000
42:620,000
478:233.133
301:619,200
41:717,000
95:700,000
261 310.000
43:500 000
942:000,000
148:400,000
104.620,000
158:000.000
.13:600,000
33:000,000
2.800,000
18:297,000
8:060,000
.1:425,000
6:000.000
1:900,000
3:000,000
150:900,000
cas
32 Matrculas dos cursos
Jurdicos
33 Ditas das escolas de
medicina
34 Multas das academias
epor infraccOes dos regla-
lo en tos
35 LegitimacOes
36 Sello do papel fixo e pro-
porcional
37 Premios de depsitos
pblicos
38 Patentes dos despachantes
corretores
39 Eii i lio dos ttulos dos
mesmos
40 Emolumentos de certidOes
41 Imposto sobre lojas, casas
de desceios, etc. 470:000,000
42 Dito sobre casas de mo-
vis, roupas, ele fabiicados
em paiz eslrangeiro
43 Dito sobre seges
44 Dito sobre baieos do inte-
rior
45 Dito de 8 por cenlo das
loteras
46 Dito do 8 por cento dos
2000,000
1.000,000
650.000,000
6:240,000
18:000,000
100,000
2:700,000
8.800 000
7:500,000
12:000,000
316:800,000
premios das mesmas
sobre a mneraeo
109.000,000
50 000,000
160 000,000
47 Dito
48 laxa de escravos
49 Producto da venda de
proprios naconaes, pao-
brasil, plvora e oulros g-
neros de propriedade na-
cional, subieilos a adminis-
1180.10 geral 211:000,000
50 Cubranca de divida ac-
tiva, inclusive metade da da
rendas provinciaes anterior
sol." dejulbode!836 530 OOO.OoO
51 AlleiiacSodecapellas
Vg88 1:000,000
Peculiares do municipio.
52. Dizi 11)08 20:000,000
53. Decima urbana 400:000,000
54. Tercas parles de od-
elos 600,000
55. Emolumentos de po-
lica 4.000,000
56. Imposto sobro as ca-
sas de leilSoe modas 8:400,000
MINISTERIO DO flttTElllO.
Declara que,estando enllocada a matrii da pa-
rnchla de San-Vicente-Ferrer no territorio da
comarca de Alcntara, deve a inesina paro-
cliia fazer parte da dita comarca, c niTo da de
Vianua, onde leni parte do scu territorio.
Primeira tcejo. Rio-dc-Janelrn. Minis-
terio dos negocios do Imperio, en. 9de leverei-
ro de iS'.i.
Illni. e Km.i Sr. S. M. o Imperador manda
declarar a V. Ese-, para o faier constar c-
mara municipal da villa de Viaiini, em snluco
a it ii v i 'li por ella proposla em ollicio de 12 de
abril de 1847, que, estando enllocada a matriz
da paroebia de San-Vicente-Ferrer uo territo-
rio da comarca de Alcntara, be fura de duvi -
da que na divisan dos collrgios por comarcas
fella por cssa presidencia, deve a mesma paro-
ch fazer parte do collegio da dita comarca,
e nao da de Vianua, onde lera parle do seu ter-
ritorio, visto que, como est declarado no pa-
ragranha l. do decreto n.480 de 24 de outubro
de 1846, a lei considera a divisau ecclcsiastica
como base das operacOcs elcitoracs, e a sede
da paroebia he que determina o municipio, e
conseguintemente a comarca que ella pcrlcn-
ce. Outrosim determina o mesino augusto sc-
nhor que V. Kxc. advirta aquella cmara que,
quando tver de dii igir-se ao governo imperial,
o dever fajer por iulennediod'essa presiden-
cia, como acaba de ser determinado na circu-
lar espedida por este ministerio em data de 26
do mes pa.ss.nii.
Dos guarde a V. Ese. Ks'ieoiuls de llonl'-A-
legre. Sr. presidente da provincia do lla-
ranhiio.
Declara nao procedente a duvida da cmara
municipal da villa de San-Joao-da-Barra, -
cerca da incompatibilldade do exerciclo de
iini de scus inembroa com as funccOes de a i-
rematante dos direitos de pilotagem da barra.
Primeira sreco. Rio-de-Janeiro. Mi-
nisterio dos negocios do iinpeiiu, em 9 de IV-
verelro de 1849.
III. c Esm. Sr. Tendo sido presente a S. M
o Imperador,com o ollicio de V. Kxc. de ?0 de
iinveiiiliro ultimo, o que Ihe dirigir a cmara
municipal da villa de >an-Joo-da-Barra, con
suli i.do sedevia dar posse de un lugar de ve-
reador ao cldado Anlin.io Joaquim de Earia
Sobrinho, elciio em 7 de seleuibro do auno pas-
sado, por ser arrematante dos direitos de pilo-
tgem da barra, do dizimo do pelxe fresco cdo
imposto de cinco por cento sobre o salgado :
bou ve o misino augusto senlior por bem, por
si" imniediala resoluco de 34 do niez lindo,
proferida sobre consulta da secciio do conce-
lho d,- estado d s nfROclus do imperio de 20 de
dezcnibro ultimo, declarar que nao procede
aquella duvida, e que deve ser reconhecido ve-
reador o referido Faria ; porquanto, nao ha-
vendo le alguma que determine, ou resulva o
caso occorreule, menos bem applicado foi por
V. Esc. o principio de analoga deduiido da
don (fina e do espirito da lei de 20 de setenibro
de 1845, e do primeiro de setembro de 1828,
nao so porque de lacio nao eiUie seinelliai.lt'
aualogia entre o arrematante dos subre.liios
impostos e os emprrgados das diversas repar-
tieres das cantaras uiunicipaes, subordinados
e retpousaveis s mesmas cmaras, como por-
que a analoga, mesmo a mai> perfelta, nunca
serve de reg a para determinar direitos po-
lticos. O que cunmuiiicu a V. Kxc, para scu
conlieciniento e governo.
Dos guarde a V. Kxc. Vistondedi Moni'-A-
/,,(,,. Sr. presideute da provincia do Rio-dc-
Juueiro.
MINISTERIO DA FAZENDA.
.DEORETO N. 603 fR 24 DE DEZEMBRO
DE 1849.
Declara que das aduiieacSti de bens de ra:
faienda nacional se dtve sisa.
Conlormando-me com o parecer da seccao
dos negocios da fazenda do concelho de eslado,
hel por bem declarar que das adjudicaces de
bens de raz fazenda nacional, as execueocs
por parte delta promovidas coi.ira os scus dc-
vedores, se deve a sisa, sendo metade paga pe-
lo executado, e Ocandooulra metade por cun-
ta da mesma fazenda nacional. Joaquim Jus
Rodrigues Torres, domen concelho, senador
do imperio, ministro e secretario de estado dns
negocios da fazenda e pi estlente do tribunal
do tbesouro publico nacional, ssim u tenha
entendido e faca exeeutar.
Palacio do Itin-de-Janeiro, em 24 de dezem-
bro de 1849, vlgeslmo-oitavo da independencia
e do imperio.
Com a rubrica c S. M. o Imperador. Joa-
quim Jote lloilriijuc Torres.
EXTItAOrO DO EXPEDIENTE DO DA 24 DF.
DEZEMBRO.
Ao inspector da alfandega, que, altendendu
ao que se mostra averigoado sobre a relaco do
un alqucirc brasileiru e una fanega, exija de
Guilheruie de Lira Tupper os direitos corres-
pondentes ... un."ii de alqueires de sal des-
carregados em Buenos-Ayres ; e na conforml-
dade dcsta reUcau, ora assentada, devein er
decididas as amiullaries de caucoes que se
acham pendentes, fazendo-se a restituidlo do
que de mais se tiver cobrado. *
DA 27.
Ao julz de orphaos, que em vista da repre-
sentando de Jos Lltil Dias Deniz, e dando-se o
caso do artigo segundo do regulamento de 27
de junlio de 1845, a respeito da heranca do fal-
lecido Miguel Goncalves da Cunha, pois que lia
testamento e testamenteiro presente, caso em
que a arrecadaciio ju llcial nao tein lugar, ou
deve cesnai* quando se tenha coinecado ; cum-
prc que assim taca exeeutar o precalorio diri-
gido pelo provedor dos residuos pa a a entrega
dos bens ao'testaiiirntero, com a sua adminis-
tracao, para cumprir o que be da sua obri-
gaflo.
(OVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DI\ 21 DE JANEIRO.
Ollicio.--Ao commandante da prags, com"
municando haver S. M. o Imperador deler"
minado, s"gun terio da guerra de 19 de dezemhro ultimo,
qoo as pi;ic..s (io contingente do primeiro
batallio do arlltiaria a |i sejam desligados
do referido batalliilo.c divididas pelo segun-
do e quarto da mesma anua.
Dito.Ao inspector da thesourariade fa- .
zenda.Tendo mandado* crear uai hospi-
tal na ilha do Nugueira para nelle serem tra-
tadas as pessoas accommettidasdafebre, e
sendo mister occorrer s despezas do mes-
mo, ordeno V. S. que, de conformidado ao
decreto de 7 do maio de 1842 e sh a minha
respoosahilidade, entregue ao presidente
lo concelho de salubridade, doutor Joa-
quim de Aquno Foncfca, a quanlia de seis-
centos mil ris; devendo adverli-lu que
acerca da necessiilade dessiis despezas j
oITleici ao Rxm. ministro do imperio.
Dilo.Ao mesmo, transmitlindo o aviso
de urna ledra ds quanlia de 2:832,000 rs.,
sacada pela thesourarin do llio-(rande do
norte sobro essa a cargo do S. S,, ea favor
do Barroca & Pinliero. Partcipou-so ao
presidente da referida provincia.
Dito.Aochefe de polica interno.Jul-
gaiiiloconvcnientequeos enterramentos das
pessoas que succuoibirein dss tabres sejam
furtos ao sul da ilha do Noguoira, ordeno a
VniC. que, do combinacHo com o presidente
do concelho de salobridade, escolha um lu-
gar e nelle faga enterrar os cadveres das
ditas pessoas.
Dito.Ao inspector da tbesoursra da fa-
zenda provincial, para que mande pagar Jo-
s de Mello CezardcAndrado.visl da canta
que se Ihe remelle, a quanlia de 24,160, que
se despendeu com o sustento dos presos
pobres da caJeia dacidadede Olinda om o
mezde dezembro ultimo.Scentificou se
o chore de polica.
l)ilo.--Ao administrador das obras publi-
cas, remetiendo as contas da despeza feta
de 2 a 29 de dezembro ultimo com a obra
do decmo-segundo hinco da estrada do
Po-dc-Alho, na Importancia de 534,400,
fim de que faga acreditar o cngenhero Mi-
Ict na mencionada quanlia.-lnteirou-so o
referido cngenhero.
DiloAo presidente' do concelho de salu-
bridade. -- Tendo-mo o consol inglez, por
ollicio datado de boje, pedido permiso
para que dousmdicos inglezes visilasscm
ds (lucillos de sua nagSo, que so acham no
hospital da ilha do Nogueira ; assim o com-
municoa Vine, para que permita que elles
os visitem e se encarreguem do seu trata-
mcnlo, seo quzcrem.lnteirou se o men-
cionado cnsul.
Commando da prn; i.
Quartel do commandoda praca na ciilade do
lieeife de l'ernambuco, 25 de dneiro de
1850
ORDEU DO DA N. 4.
O lllm. Sr. tcnenlecoronel coramsndan-
tn da prarii manda fazer publico, para co-
ulicciiiieiilo da guarnigSo, que, por ollicio
Jo Exm. Sr. presidente da provincia de 94
do correte, Ihe foi participado haver o
mesmo Exm. Sr. dispensado do registo do
puiio ao Sr. primero-teuente Manuel de
Melloe A Ibuquerque.enomeado para o subs-
tituir aoSr. altares do estado-maior de se-
gunda classe Luiz Comes Fcrreira.
Assignado. Alexandr Jugusto de Prias
Villar, alferes ajudante de ordens.
yrr^r.


--X- '. -
Qunrtel do commando da praca na cidade do
Recife de Ptrnumhuco, 26 d> Janeiro de
i 850.
ORDEM DO DIA.
Aulorisado pelo Exm. Sr. presidenfo da
trovincia a entregar o commando desla pra-
ca aolllm.Sr coronel Francisco Jacintho,
em consequeneia de minha grave enfermi-
da.le. he mcu rigoroso dever agradecer
lodos os Srs. commandanles de corpos, coi-
tingenles, compantiiase fortalezas a promp-
ta execuclio quo deram as minhas ordens,
patenleando todos o zelo e incansavel de-
sojo deservir bem.
Ao dcixar este commando, .ingrato seria
sano agradecesse e louvasso muito aos
Srs alferes Alexan lri> Augusto de Fras Vil-
lar e Antonio Matlozo de Andradfl Cmara,
aquolle ajudante do ordens e este secreta-
rio militar, pelos l>ons servidos quo me
prestaram ; e esperanzoso (ico de que, coa
incansavel zelo e saliente habilidade com
que me ajudaram, cumpram scus deveres
junto ao digno ofliclal que me vem suc-
ceder.
Determino, pois, que sejam postos em li-
berdade os presos de correcc3o, assim con-
siderados miulia dispositjlu.
Asssignado, Jos Mara lldtfonto acorn
da Veiga Pessoa, lenenle-coronel comman-
dante da praga.
!2'
INTERIOR.
ALAGOAS.
Extracto do expediente do Exm. Sr. presiden-
te Dr. Jos Bento da Cuha e Figueiredo.
15 DE DEZEMBI'.O.
Oflicio. Ao teriente-roronel Manoel da
Costa Moraes, commandanlo do t.* bata-
lilao da guarda nacional da capital, remet-
tendo-lhe a relaeio dos ofliciaes de pe-
dreiroque trabalbam na obrado lelheiro
de Jaguar, nlim de que os dispense do ser-
vico da gUBrda nacional, emquanto estve-
rem empregados na sobredita obra.
Dito. Aojuizo municipal e orphos da
capital, comtnunicando-lhe que fram re-
colhidasa inspecgjdo algo.lSo duas sac-
casqueappareceram nojlugardos Martyros,
em un c ivallo sem dono, afim de que d as
providencias que Ihe compelem sobre tal
facto.
Dito.Ao eucarregado do deposito de
trligos bellicos. Dar que entregue ao pri-
meiro commandante de polica, 4 clavno-
tos, ou bacamartes, 4 pistolas e 2 pares de
esporas.
Dito. ~ A Emigdio Jorge de Lima, dizen-
do-lbeeni resposia aoseu oflicio dtalo de
12 do corrente, que so acaba de mandir en-
tregar aoseu procurador, o commandante
superior Jis Antonio do Mendonca, a
quanliade um cunto de ris, que prestara
ao director geral dos Indios, nilo leudo lu-
gar a Icltra que podio sobre a lliesouraria de
Pernanibuco, por all nSoexisliiem fundos
a disposifiio desla provincia.
Dito. Ao subdelegado da villa de S.-
Miguel, dizendo-lho que se acaba de dar
ordem para que o alferes Manoel Dionisio
do Souza v render, no commando do des-
tacamento da mesma villa, ao alferes Jos
Camillodo llego, que se manda recolher
capital, para responder pelo facto do quo he
secutado.
Dito. Ao inspector do fazende, trans-
mettinlo-lhe por copia o aviso do ministe-
rio da fazenda a que aroaipaiiha o requeri-
ii.t-ii i o dr|t) Rita Macirl Franco de l.ima,Hflm
do que proceda a tal respeilo, cm cotifor-
midade do artigo 3 do decreto de 27 de
julho de 1710, lendo em vistas o de 10 de
Janeiro de 1818.
Dito. Ao inspector de fazenda, para
mandar entregar ao commandante supe-
rior Jos Antonio do Mendonca, como pro-
curador de Emigdio Jorge de Lima, a quan-
tiade um cont de ris, que, de ordem do
governo, prestou ao dilector geral dus ln
ti.o- para as despezas a seu cargo.
Dito. Ao subdelegado de policial de
Macelo, para que aprompte de boje at ama-
DhOa a nuite, sete cavallus sellados e um de
Cangalha, para o fiui que Ihe ser decla-
rado.
Dito. Ao commandante do brigue-es-
cuna Caipu, paro que receba do eucarre-
gado do deposito de artigos bellicos, e con-
serve a burdo do mesmo brigue do seu
commando, at segunda ordem, sete cai-
xOes com duzentas granadeiras, cem pairo -
us, cem cinturOes, 300 pedras de ferir c
qualio mil cartuxos.
DitoAo aleres de polica, Paulino
Nery da Fonseca, ordenando-lhe que mar-
che para Porto-Calvo com as pravas que le-
va sb seu commando, c reunindo-as bo
destacamento que la existe, (cara conossa
orca disposicao do coronel Jacinlho Paes
de MeudODCa, subdelegado suppier.lo d-
quelle termo.
Portara. Nomcando par subdelgalo
do districlo de Quebranglo ao eidadlo
AgostinhoTeixeira de Macado, proposto em
primeiro lugar pelo doulor ch To de poli-
ca interino.
Communicou-sc ao dito chefe de polica.
Oflicio. Ao encarregado do deposito de
artigos bellicos, dcterminando-lhe que re-
melle para bordo do brigue-escuna Ca-
po, os artigos seguintes : 200 granadeias,
100 patronas, 100 cinturOes, 300 pejras de
ferir e 4000 cartuxos.
- Dito. Ao coronel Jacintho Paes de
Mendonca, delegadu supplenle do termo dr
Porto Calvo, dizendo-lho que amanlifla da-
qui marchar una lrfa de 30 placas de po-
lica para refurear udeslacamentu que exis-
te en l'orto-Calv, e quo conservar al
segunda ordem da presi leticia ; cumprin-
du que avise logo ao commandante do mes-
uio Icslacamenio para mandar recober o
armamento e municSu, que mu breve ah
ha dechegar.
Dito. -- Ao commandante do destacamen-
to da villa de S.-Miguel, urdenando-lhe que
se rccolhp a capital, apenas este receba
pa.-s.iiul" o commando do destacamento ao
alferes Manoel Dionizio de Souza.
Dircitos de consumo........319:404,498
Ditos de I por cento de reexpor-
tadlo para os portoa eslran-
geiros................ 9,072
Ditos de 1 por cento do reexpor-
tado para os porlos do im-
perio ................ 37,443
Expediente de 5 (, dos gneros
com carta de guia........ 455.430
Dito de meio por cento dos gene-
ros do paiz............ 103,945
Armazcnagem de 1 por cont das
mercadorias........... 708,704
Premio dos assignados de meio
por cento............. 3:835.23
Mullas calculadas nos despachos 773,518
Dilas diversas,como do livro a fl. 643,562
Emolumentos do certidoes co-
mo do livro a fl......... 26,000
Impostes dos despachantes ge-
raes, como do livro a fl. 200,000,
Dito dos despachantes especiaes,
como do livro a fl........ 12,500
Feilio dos ttulos dos meamos,
dos caixeiros despachantes e
ajudantes ditos.......... 4,800
Taxa do sello dos meamos. ... 320
356:215,024
iVn.v srguinlet etptciti:
Emdiiiheiro.....160:618,223
Em assignados. 195:596,801
Rectita extraordinaria.
NOVOf e velhos di-
reitos recebidos
de diversos em-
pregados...... 246.003
Depsitos
Em balauco no ulti-
mo de dezembro. 4:991,411
Entradas........ 7:720,665
Sabidas.
Existentes
12:712076
8:188,070
4:524,006
dejanei-
ioi Fer-
as seguintes especies:
Em dinbeiro..... 1:450.396
Em letlras...... 3.073.610
Alfandega de Pornambuco, 31
ro de 1850. O escrivilu, beato
nanda Barros.
Ijescarregam hoje 1.
Barca franceza -- Leonie-- mercadorias.
Ilrguo portuguez Mara helii arcos.
Brigue sueco Zefei laboado.
Brigue austraco Mr farinha.
Brigue sueco fapid laboado.
Barca ngleza l'riscilla-- mercadorias.
CONSULADO GERAL.
Rendimenlo do dia 31.....3:338,071
Diversas provincias...... 1,669
3:339,740
HENDIMIENTO NO MEZ DE JANEIRO
DE 1850.
Consulado dsete por
cento 97.015,678
Dito de 2 por cento 22,528
Ditodel|2 por cento 6,269
..........79:044,475
Ancoragem para fra
do imperio. 6:309,450
Dita para dentro do
imperio 286,584
------------ 6:596,031
Sello fixo 1:037,120
Dilus de ttulos 7,700
__ _ 1:044,820
CertidOes 16,520
Sisa de 5 por cento 160,000
Dita de 15 por cento 724,5110
Capala;ia 752,070
Multas 49,919
Diversas provincias.
Dizimo doalgudtio da
Parahiba 391,095
Dito dito do Rio-Gran-
de do norte 11,633
Dito do assucar das
Alagoas 3:098,618
88:388,338
3:501,376
91:889,714
Depsitos sabidos
Ditos existentes.
304,997
3:978.707
lfmEHCl.
ALFANDEGA.
IIEMH.MENTO NO MEZ DE JANEIRO DE
1850.
Jtcndimcnto total......356:334,781
KeslituicOes........ 119.760
O escrivSo,
Ja come Geraldo Mara Lumachi de Mello.
FXPORTACAO.
Despachos martimas no dia 31.
Parahiba, unir naciuu 1 Flor-it-tMifi, &C
di tonelada, coudiu osrgtiinte :
I cala drogas, 60 barrica! farinha de trigo, i
fardo algodao, 1 caimtc drogas, I rinbriillio
macclla, 2UO arroba dr carne de Uoenoi-Ayres,
4 gigoi batatal, I barrica arenques, 2 dita* bo
lachlnhas, I gigo louca. 2 caixas espermaceti-,
I pipa vinagre, 8librj de canella, 14 duiias
decaixasde colchetei, 3 pipas vinho, 1 barril
a/eite doce, 10 calxaa espcrinacete, 20 barrlti-
nhoical de I.IsbAa, I pipa vinho, 2 barril ba-
nda, 5 dilu vinho branco, 1 pipa vinho, t bar-
rica cera branca. 250 arrobas carne, 1 cinbrti-
Ibo colchetei, I caixa folhas, 2 pedacos de ver
galhao de ferro, i arrobas lio de vela, t caiao
iniude/ai, I dito coui uin appareltio de cha e
inais objectos, I pipa vinagre, I dita vinho, 4
I ini- balda, I ditoazeite-doce, 1 barrica com
3 arrohase 10 libras de colla, 1 cainote ^gar-
rafal de I.e-liny, 10 lacea- com 2tiarroba* de
bolacha, I barrica bolachinha doce. 1 sacca
com 5 arrobas e 2 libras de caf, 400 arrobas
de carne, 1 taboa de aman II i com 30 palmos,
2 saccas com 4UI) duiias de bilroi, ,'nlii.is cum
z5 arrobas de caf, 4 ditas com 8 arrobas de
bolacha,
Rio Grande do cul, brigue brasileiro se-
lit-Dcstino, de 198 toneladas, conduz o fe-
guiuto :
1,000 alqueires sal, 2,800 coucos com cas-
ci, 7*5 barricas de assucar com 5,593 arro-
bas e 10 libras, 262 tneos do vaqueta e 632
alqueires de sal.
MaranhSo, brigue inglez Eals-of-bal-
h'just, do 328 toneladas, cuuduz o seguuite:
Lastro deareia.
Terra-Nova, navio inglez Cynthia, de 288
toneladas, conduz o seguinle :
Oilenla toneladas do lastro deareia.
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimenlo do dia 30.....1 589,817
RENDIMENTO DO MEZ DE JANEIRO
DE 1850.
33:158,103
Ditos de dito 5 *[, 6:741,836
Taxa 2:149,440
Cipataaia 893.440
Decima dos predios urbanos 17:257,694
Meia siza dos escravoa 901.000
Novos e velhos direitos 168,333
Sello de heranQas e legados 1:629,753
Consumo de agoardente 311,680
Meio sold e sello de patentes da
guarda nacional 369,700
5,000rs. dosescravosdespichados 60,000
Emolumentos de polica 4,200
Lojas de vender a retalho 179,200
Boticas 38,400
Tabernas 102,400
Fabricas de chapeos 12,800
Matriculas do seminario, Ivceu e
lalim 60,000
Mulls 112.349
Juros 9,406
64:159,734
Mesa do consulado provincial, 31 de
Janeiro de 1850.
Movimento do Porto.
Navios entrados no dia 31.
Rio de San-Francisco 30 das, hiate brasilei-
ro Santo- Antonio-Flor-do-Mo, de 30 toneladas,
capitn Til oni.'i (lomes de Al ineiila, equlpa-
gem 5, carga arroz e inilho; ao capitao. Pal-
sageiro, Manoel Joaquina de Jeaus.
Navios Sahidos no mesmo da.
Phlladelphia Brigue americano William-Pri-
, capilao James RowUnd. carga assucar.
Parahiba Brigue inglez Ktbccca-Jan, capito
P. Le Mea-iin-r, cm lastro.
Gibraltar Patacho hambiirguer. Chriiline, ca-
pillo II. C. Taggenhrock, carga assucar.
Canal llrigue sueco Ju/in-Johmon, capitao
Sansn, carga assucar.
Observando.
O hiale brasileiro Snn-brnra'i.io-GsynaV, qua
sabio hontem a tarde para Alcobaca deu a cos-
a na praia do Hi'iim,
EDITA tig.
356:215,0241
------------1 Direitos de exportacSo de 3 **(
Pela inspectotia da alfandega se faz pu-
blico, que se hSo de arrematar em hasta
publica, a porta da mesma, no da primeiro
ile fevereiro prximo vindouro, depois do
meio-dia, 3,300 saceos vasios de fazenda de
algod.lo, usados, para assucar, por factura
um 100 rs. total 330,000 rs,, impugnados
pelo segundo escriturario Antonio Fran-
cisco de Moura, no despacho n. 660 do 28
do corrente mez : sendo a aricmataciio
subjeita aos direitos.
Alfandega de Pernamhuco, 30 de Janeiro
pato Fianna.
O llltn. Sr. inspector da Ihesouraria da
fazenda provincial, em cumprimento da or-
lein ii.-i l'Au. Sr. presidente da provincia
de 24 lo corrente, manda fazer publico, quo
nos dias 5, 6 c 7 de fevereiro prximo vin-
douro, ii.'u a piaea, peranle o tribunal mi.
ministrativo da mesaia Ihesouraria, para
serem arrematados a quem por menos fi-
zer, os concertos do jardim Botnico de
(Huilla, sb as clausulas especiaos abaixu
transcriptas, e pelo preco de 726,400
As pessoas que se propozercm a esta ar-
rematadlo cotnpirecam na sala das sesses
do sobredilo tribunal nos dias cima men-
cion'dos, pelo meio-dia, competentemente
habilitadas.
E para teontaW se mandn afllxir o pre-
sente e publicar pelo Diario.
Secretan a da thesoLTaria da fazenda pro-
vincial de fVrnambuco, 26 de Janeiro de
1850. O secretario, dnlonio Ettrreira d'An-
nunciacio.
* Clausulas especiaes da arrematarlo.
el.' Os trabilhos e obras para os concer-
tos do jardim Botnico de Olinda serSo fei-
tos pela fui na e sb as condicoes indicadas
no orcamento, apresenlado nesla dati a ap-
pmvacoo do Exm. Sr. presidente, pelo pro-
co de 726,40o
2.a As obras principiarSo no prazo de
um un'/, e acabario no de quatro, ambos
contados em conformidide do artigo 10.*
do reRiilamenlo das arrematarles.
3 O pagamento do importe da arre-
matarlo realizar-se-ha depois das obras to-
das concluidas e examinadas pela enge-
nheirn.
4.* Para tudo o mais que no est de-
terminado pelas presentas clausulas seguir-
se-hs inteiramonte o quo dispe o regulc-
mento das armatafOes de 11 de julho de
1813.
k Gabinete dos engenberos das obras pu-
blicas, 12 de abril do 1849. 0 engenhei-
ro, J. L. Viciar Lieulhier.
Rodrigo Theodoro de Freitas, ofllcial da im-
perial ordem da Roza, cavalleiro da de
S.-liento de Aviz, condecorado com a
medalha da restauracio da Baha por oc-
casiilo da independencia, capilode tria
e guerra d'armada nacional o imperial,
inspector do arsenal de marinha, o capi-
t.'ni ilo pm lo desla provincia de Pernam-
buco, por S. M. o Imperador que Dos
guarde, etc.
Faz saber a quem conver, que lem desig-
nado para ancoradouro das alvanrengaa,
lanchas n mais embarcares que' se em-
pregam no trafico do porlo.no servico dia-
rio das cargas, e descargas dos navios, a
parto do Mosquciro, pelo lado de trra, que
medeia da segunda barca de viga da alfan-
dega para o sul al a popa da terceira barra
da mesma alfandega, fleando amarradas de
maneira que nilo embaracem u transito das
eniliaiTaro -s que tenham de seguir para o
norte e sul do mesmo Misqueiro ; o para
ancoradouro daquellas dascitadasembarca-
ci'ic- que nilo se empregam constantemen-
te em taes servicos a paite do dito Mosiiuei-
ro que flea ao sul do ancoradoro dos navios
em descarga, cm seguimento do canal que
vai para a barreta, c a que existe nos fundos
do arsenal de marinha, pelo lado da mar
pequea, para o norte at a praca publica
prujecta pela cmara municipal na ruado
Bnrn, conforme j se declarou em edilal
desla capitana de 11 de setemtro de 1817.
Capitana do porto de Pernanibuco, 25 de
Janeiro de 1850.Rodrigo Theodoro de Frei-
tas, capitSo do porto.
Lista dos ci Jadlus qualifleados pela junta
revisora, avista das listas dos delegados
do primeiro, segundo e lerceiro dislnc-
los, cdos que julgou a junta qualiflcar
para serom jurados neste corrente anno.
SiirO--4/oia.
ilailliolomeu Francisco Soares, Bcrnar-
*
dio de Sena e Souza, Bernardino Pereira
de tirito, Bento Jos Fernandos Barros.
Recife.
Bernarda da Cuuha Teixeira, Bernardo
Cardozo Ayres,
San-Jos.
Bernardo Antonio de Serpa Bramido.
Roa-Vista.
Coronel Bento Jas Lemanita Lina, Ber-
nardo Jos Martins Pereira, Dent Jos da
Costa, Bernardino de Sena da Silva Cuima-
r;u's, Bento Bandeira de Mello, Bernardo
DamiSo Franco, bardo de Itamarar.,
S.-Antonio.
Claudino Benicio Machado, Caetano Go-
mes de S, Dr. Caetano Estellita Cavalcaute
Pessoa, Caetano Silvtjrio da Silva.
Recift.
Claudino de Oliveira Cruz, Candido Tho-
maz Pereira Dutra, Custodio Jos Alves, Di*.
Cosme de S Pereira, Christovo de S.-Tia-
go Oliveira.
Boa-fista.
Dr. Caetano Xavier Pereira de Brito, Car-
loa Martina de Almeida.
S.-^non/o.
Domingos Alfonso Nery Ferroira, Domin-
gos Anitiues Villaca, Dullliio Goncalves Pe-
reira Lima.
Recife.
Domingos llenrque Mafra, Domingos So-
riniio Coticalves I'erieira, Domingos Jos do
Siqueira, DomingosSoriano Alves da Silva,
Domingos Jos Soa-es.
San-Jos.
Domingos dos Passos Miranda.
Boa-Pista.
Domingos Jos da Costa, Domingos So-
riano Cordciro SimOes
lerceiro districlo.
Dr. Domingos de Souza Lino.
S.-Antonio.
Dr. Egidio llenritiue da Silva.
Reelfe.
Elias Ignacio de Oliveira, Elias Francis-
co Mendello.
S._-^n/oni'o.
Francisco Joaquim de Menezes, Francis-
co Manoel da Cruz Cont, Filippe Mena Cal-
lido da Fonseca, Frederico Augusto de li-
mos, Francisco Geraldo Moreira Temporal,
Francisco de Paula e Silva, Franclaco Anto-
nio Coussero e Silva, Francisco Jos Amu-
les, Faustino Jos dos Santos, Francisco
Manoel de Almeida Calanho, Francisco Lu-
cas Ferreira, Francisco de Paula Machado,
coronel Francisco Joaquim Pereira Lobo,
Francisco Rodrigues da Cruz, Francisco As-
sis de Oliveira Maciel, Firmino Jos de (Tli-
veira, Francisco Alexan linio de Vascon-
celos Callara, Dr. Fulgencio Infante de
Albuquer e Mello, Flix Francisco de Souza
Magalhaes, Floriano Correia de Brito.
Recife.
Francisco Jos da Silva, Francisco Caval-
cante de Mello, Francisco Mamedo de Al-
meida, Francisco Mamede de Almeida J-
nior, Francisco Jos Silveira, Francisco
Augusto da Costa CuimarSes, Francisco
Joaquim Pedro da Costa, Francisco do Pau-
la Pires Ramos, Francisco Ruzebio de ta-
nas, Firmino Jos Flix da Rosa, Francisco
Conr.il ves de Moraes, Feliciano Jos Gomes,
Flix da Cimba Teixeira, Dr. Francisco Se-
raneo de Assis Carvalho.
( Continua.)
Declaracoes.
O arsenal de guerra precisa comprar
azeite de coco, velas de carnauba, fo de al-
umino e pavios : quem laes gneros quizer
furnecer, comparecer na sala da directo-
ra do mesmo arsenal, com sua ptoposta,
em carta fechada, no da primeiro de feve-
reiro prximo vindouro.
Pela delegada do termo de Olinda se
fazscienlea todos os eslrangeiros nelle re-
silientes, que, no improrogavcl praso de 15
das, os que moraren) dentro da cidade, e
no de 30 os que morarem fra, doverio ti-
rar os ttulos de residencia, ou reformar os
que estiverem vencidos na forma da lei, sb
as penas comminadas no artigo 98 do regu-
lamenlo n. 120 de 31 de Janeiro de 1842.
Aula de obstetricia.
A matrcula estar berta desde o pri-
meiro al o ultimo de Fevereiro: as licOes
principiarSo no dia 15 do mesmo mez.
~"
Publicaca Jitterari i.
Chegou ao nosso poder o primeiro nume-
ro da Al.VA jornal luterano, publi-
cado na Parahiba. Nos contente o suda-
mos, por nos parecer o jornalsmo Ilitera-
rio tilo conhecidamente necessario para o
adianlamentode um paiz, queatescusado
julgamos o comprovar: he, como muito
bem se exprimetn os dignos redactores em
sua introdcelo, o representante do carc-
ter, das ideias, do estado de um paiz e o in-
dicador dos pasaos dados na caireira do
progresso. Em venia.le, proporgao que
os jornaes polticos escriptos, como sSo ac-
tualmente, corrompen) O boinem e o levan)
a excessus a que o temos visto chegar, o pe-
ridico luterano vai lento o lento ensillan-
do o povo, que nilo pode interamente en-
tregar-so ao esludo, vai infundindo o amor
a letura, o queja nilo he pouro, pois que
assim sacodem, anda que vagarosamente,
os hbitos damnosos. Poitanto, nos oiga-
mos a apparicSo da ALVA um bem pa
ra a Parahiba, e estamos convencidos de
que os bous Paralbanos invidario lodus
os esforcos, alen de que a imprensa 1180 fal-
leba, e assim vetiha a se mallogiar o inten-
to dos patriticos redactores, que se dei-
xaram compenetrar da necessidade do der-
ramamento das lellras pela populacho. \
M.
Avisos martimos.
brigue nacional Dovt-Amigos : quem no
mesmo quizer t irrogar, ir de passagem ou
embarcar escravos, falle com o capitlo,
Francisco Jos Prates, ou com Manoel Ig-
nacio de Oliveira, na praca do Commercio,
n. 6, primeiro andar.
Vende-so urna barcada de lote do 25
caixas de assucar, construida ba 3 annos
das melhorcs madeiras, ou troca-se por ou-
tra menor de igual construcclo : a barcaca
acha-se prompta de um tudo para navegar :
quem pretender um ou outro negocio, di-
rlja-se ra da Cadeia do Recife, a fallar
com Jos Gomeg Leal.
Para Lisboa prolendo sabir com a maior
brevidade possivel o brigue porfuguez No-
vo-Vencedor, por ler grande paite de seu
carregamenlo prompto : para o restante e
passageiros, para o que oltorere excellentes
commodos, trata-se com os consignatarios,
Tlioma?. de Aquino Fonseca & Fillio; na
ra to Vigario, n. 19, primeiro andar, ou ao
capitao, na pratja do Commercio.
Para Loanda com escala por Mossamedes e
Benguella
a barca brasileira Ttnlaliva-FeUs segu para
todos estes portos, e se aclia prompta a ro-
ceber carga e passageiros : as commodida-
desquea mesma oflerece, j silo bastante
conhecidas nesta praca, e para melhor des-
engao os pretndanles poderflo ir a bo'do
da mesma que se acha Tundeada defronte
do Trapiche-Novo, e para tratar, na ra da
Madre-de-Deos, n. 3, com Silva & Grillo,
que pretenden) faze-la seguir ate o fim de
fe ver ira prximo futuro.
Para o Aracaly sahe imprelerivelmen-
te a 8 de fevereiro a sumaca nacional Car-
lota, meatreJos Gonctlves Simas: para o
resto da carga e passageiros trata-se com
LuizJos de S Araujo, na ra da Cruz,
u. 33.
Para o Rio-de-Janeiro partir, com
muita brevidade, o patacho brasileiro For-
tuna, de loto de sois mil arrobas : lem me-
lado de aou carregamenlo engajado : para
o restante trata-sa com Firmino Jos Flix
da Rosa na ra da Senzalla, n. 42.
Para a ilha de S.-Miguel segu via-
gem com brevidade por ler parte de seu
carregamento prompto, o brigue nacional
P.spirilo-Sanlo, capilo Alexandre Jos Al-
ves : para carga e passageiros, trata-se com
Francisco Martina Ferreira, no largo do
Terco, n. 139.
Leudes.
N. O. Bieber & Companbia farSo leil.To,
por intervencSo do corretor Oliveira, em
presenta do Sr. cnsul do Hamburgo, e por
conta e risco de quem pertencer, da galiota
hamhurgueza Carl-Adotph, capitao N. Fele,
arribada a este porto, onde foi legalmente
condemnada, na sua recente viagem proce-
dente de Maroim com destino ao Canal ln-
glez, para onde segua com o seu carrega-
menlo do assucar: sexla-feira, 1.* de feve-
reiro, ao meio-dia em ponto, porta da as-
sociaQo commercial desti cidade. Adver-
te-se que o casco da dita galera, sua mas-
treaco e apparelho completo, tal qual so
acha actualmente fondeada neste porto,
defronte do Trapiche-Novo, onde os preten-
tetiles podwin examina-la com anticipacHo,
formaran um nico lote, e dito corretor
igualmente mostrar o respectivo inventa-
rio quelles, que em seu escriplorio quize-
em v-lo, para seu governo.
Russell Mellors & C. fariio lelSo, por
iulervencSo do corretor Oliveira, de grande
sortimeulo de fazendas inglezas, as mals
proprias do mercado-. segunda-Tetra, 4 de
fevereiro, s 10 horas da manhfla, no seu
armazem da ra do Trapiche-Novo.
Avisos diversos.
Para o Rio-Grande do sul sabe, at o
dia 7 do corrente, o patacho Dous-lrmos.
recebe lignina carga escravos a frete, e
11- ni commodos para passageiros : a tratar
na ra do Trapiche-Novo, n. 6.
Para o Rio-de-Janeiro sahe com,muita
brevidade o briguo nacional Minerva, para
o quo tem grande parte do carregamenlo
prompta : quem no mesmo quizer carregar
ou ir de passagem, dirija-sc ao seu consig-
natario, Francisco Alves da Cunta, ruado
Vigario, n. II, primeiro andar.
Para o Rio-de-Janeiro segu com bre-lpar por se tornar merecedor do sua alta
vidade, por ter parle da carga prompta, o|prolecc,ao.
Persuadida de que a colora di-
vina licasse abrandada at 4 do
crrenle com as preces que, por
intermedio do milagroso San Se-
bastillo, o povo desta capital ia di-
rigir ao Todo-Poderoso na igreja
de San (ioncalo, a mesa regedora
da irmandade da matriz do San-
tissimo Sacramento da li i-Vista
tinba resolvido ciTeituar nessedia
a procissSo do mesmo milagroso
santo, de volta para a referida
matriz; mas, tendodolorosamen-
te conhecido que os miles, que es-
pera va lossem removidos com a-
quellas preces, anda continuam a
alfligiropovo Pernambucano, na
mesma seuSo em maior escala,
tem accordado em nao levar a ef-
feito a indicada procissSn, sem que
laes males desapparecam inteira-
mente, ou ao menos mingtiem
cons jeravelmcntc. Entretanto ,
para que isto se verilique, cun
pre que os bons cluislos conti-
nen) fervorosos as rogativas e
pedidos ao nunca assas louvado
San Sebastian, nao deixando, una
noite seqtier, de implorar o seu
valioso patrocinio e intercessao.
-- TORRES lem a honra do fazer secu-
te ao respeitavel publico que Iransferto para
O l'oro-da-l'.iurlla o lintel --Unao- l'er'iam-
bacana--, que estabelecra na povoarao do
Santo-Amaro.
Se neste ultimo lugar TORltl-.S teve a ven-
tura de ser o seu hotel requenlado pela
lliirdns nacionaes e estrmgeiros, que para
all L'oncotruraiii, nSo pode deixar do en
treter a grata esperanca de quo continuar
a ser protegido pelos mesinos senhores na-
t|uella amena e aprasivel freguezia, que,
bandada pelo Capbarihe, offeroco todos os
commdos a quem qner quo se resolver ir
lesenfadar-se por alguna momentos dos li-
dares da'viJa que se passa na capital. File,
pois, ronlla queseus protectores continua-
rao a beneliciar, e protesta quo nada pou-


r
i
trm
do nioi
transferi-
A arremataco <* a0ja (,e ,a*
vros do pateo do CoUeg.o^n.
nnnunciada para o da 31
prximo passado, ficon
da, por inconveniente, para o da
5 do corrente, pelas9 horas do da,
podcndo as pepsoas comparecerem
no mencionado da.
1 lesa r p receu do sitio
  • Paptista Horbsler, na Capunga, domingo,
    27 de Janeiro, um batelflo, concorlado do
    noto e forrado de cobro na popa e pro :
    quem souberondo olle existe eo entregar
    no referido sitio, ou participar na ra do
    Trapiche-Novo, n. 11, ser gratillcado.
    ioSoda Cunht toares Guimarfles vai
    aosportosdosul.
    Quem precisar de ti01 Portuguez sol-
    teiropars administrador de qualquer on-
    enho, ou caixeiro, dirija-ae ao Passeio,
    taberna do Sr. Medeiros.
    1 O pretndeme que quer saber qual| o
    ongenhoquesofazo traspasso. he o enge-
    nhoGoiti, na comarca do Po-do-Alho.
    Festa do milagroso
    S.-ftraz.
    Domingo, 3 do corrente, se festejar o
    milagroso S.-Braz, advogado das gargantas,
    na igreja de N. S. do Terco, como he de
    cosime, por isso se espera a concurrenci
    dos fiis devotos.
    -OpretoJibertoJmqum da Costa reti-
    ra-se para a provincia da Baha.
    Precisa-se de um preto para vender p3o
    na ra e fater o servido de casa : na ra do
    Pires, n. 41, padaria.
    -- Aluga-se urna boa casa na ra da Man
    gunira, por commodo p'e?o : a tratar na
    ra larga do Rozario. n. 38.
    Precisa-se alugar urna prcta cozmheira
    para um casa eatrangeira sem familia : na
    ra do Vigarlo, n. .
    .- D-se pHo de vendagem a prelas e mo-
    leques, fazendo-se maior vantagem lo que
    emoutra qualquer parte: na padaria de-
    fronleda forialezadasCinoo-Ponlas.
    (ITerece-se um moco para caixeiro de
    taberna, ou de outro qualquer ostabeleci-
    mento: na ruaDiret, n.76.
    Na ra de Agoas-Verdes, n. i, sobra-
    do de um indar, eogoinma-se, lava-se e
    cozinlia-se para fra : ludo bem oito e por
    preco mais commodo do quo em outra
    qualquer parte.
    __ A casa de sorveles do Fas
    seio-Publico contina a fazer
    costumadosorvete a aoo rs. o co-
    po pag09 logo, e para poder con
    tincar espera-se a concurrencia
    dos freguezes.
    XI tul anca.
    Joflo Vigiles, fabricante do pianos, parti-
    cipa aos seus freguezes, que mudou a su
    residencia da ra do Queimado para a do
    Rozario larga,prmeiro andar da casa n. 28,
    onde morou o Sr. Dr. Nelto, aonde cha-
    rflo sempre pianos de superiores qualida-
    do.. cordag, e todos os aviamontos necea-
    garios, o as msicas mais modernas para os
    mesmos. ,
    Achava-me melhor de 12 legoas apar-
    tado desla cidade. quando, entre os jornaes
    que aqu se publican), recebi o Diario de
    Pernambvco n. 209 do anno prximo passa-
    do e nelle li o seguidle annuncio : Quem
    nflo i de com o tempo nflo inventa modas
    Roga-s ao Sr. J. f. V. tenha a bondade de
    ir ou mandar saldar sua conla de 13.G0O rs.
    n quem bem sabe, provcuicnle de um re-
    logio e cadeia que coroprou ; quando nflo
    lera de ver o seu nomo por exlenco nesta
    folha." Ri-me desto bnnuncio, porque s
    escarneo, ass'm como o seu autor, merece.
    No enlanlo espfei a realisacflo da ameaca,
    pormeomo nunca se realisou c agora de
    volt, cstej nesla capital e deva ao publico
    urna explicado, passo a d-la.
    Nfio me admirou a publicacffo de seme-
    Ihante annuncio, porque do ha muito eu sa-
    bia que ella era nocessaria para satisfazer
    urna vingancinha miseravel, s lastimei
    que o autor desse annuncio o dadete A. dos
    S. 0. se approveila-se da minlia ausencia.
    Esse relogio e essa corrente, tolut, Mus el
    vnvi, bem que o Sr. C. possuia quando me
    alugou parto de urna casa para inorar, e da
    qul eu era responsavel, era a nica cousa
    to que cu poderia lancar mflo no caso de
    falha do pagamento do aluguel ; e como de
    facto apenas vi qae nflo recebia o aluguel
    do segundo mez, fallei-lhe para a comprar
    o que com algum custoconsegu aocom-
    pia-la dei ao Sr. C. o dinheiro que vi pode-
    ria exceder ao tempo que eu havia deler-
    miiiadu conservar-I tic as chaves, e de en
    tilo ao dianie fui successivamente discon-
    landono dinheiro que restava aoSr. C. os
    tuguis vencidos, quese nflo fossoassim
    tona pago casas para elle morar. Um dia
    aocbegara casa em que o Sr. C. morava,
    ,cho-a fechada e as chaves as mflos da vi-
    suha, recebias e esperei pelo Sr. C. para
    ajusto de contns, mas nunca me appareccu,
    s quando Ihe parec* mandava-me um sol-
    dado com urna caita pedir-me o que enlon-
    ile que Ihe d'evo, a ultima dessas, disse ao
    soldado que Ihe dicesso que apparecesse pa-
    ra o ajuste de contas, o que nSo fez, reser-
    vando-se para quando me achassse fora da
    cidade fazer o quo fez". ...Eis todo esse ne-
    gocio desenvolvido.
    Agora Sr. C. repito-Ihe o queja em urna
    caita Ihedisso : A liomom tres vezes mais
    pob'0 do eu, nunca de vi, e por isso quando
    quizorpde vir ajustar contas coinmigo.
    Outro sim que o.igio citadoporS.S. cabe-
    Iha melhor do que a rnim.....Sr. C. cuida-
    do, eu sei muita cousa que a imprensa pJe
    publicar : a proposito, vou trasladar aqu
    um pelacinho do um jornal contempor-
    neo--- .tolo, covarde ou fraco, todo
    aquella que se mella a batter sem armas
    iguaos, ou que provoca innnigos cujas fr-
    m*jjgg2 Lopes declara a
    ouem convier, que esta procadenJo o io-
    vontar'odTsu c.s.1. por .norte je,u. ta-
    ada esuosa D. Vicencia Mana de Jess
    Cs aposto que cerlo de nada dever re-
    lalivanieule ao mesmo casal, toJavia roga
    no rr^S^ odia 8 do cor-
    rente fevereiro.
    -Fo.p.oliadonarua do Aragflo, n*
    ooito do dia 30 de Janeiro,'um quarto, que
    segua sem dono : quem a ello liver direito,
    procure na praca da Boa-Vista, casa n. 32,
    que Ihe ser entregue.
    Domingos Filippe Ferreira Campos,
    subdito portuguez, vai ao llio-Grande do
    sul. levando em sua companhia o seu esera-
    vo Bento, de nacSo Angola.
    Qunm prceizar de um ofllcial de bar-
    beiro dirija-se ra estrella do Rosario,
    n. 21.
    Fabrica de asphalto, Fo-
    ra-de-Portas, .ero fren-
    te ao chafariz da na do
    BruiO.
    O propietario tem a honra de annunciar
    ao rospeitavel publico esta composi^So ain-
    da nSo conhecida nesta cidade, e que se
    acha prompto a trabalhar em toda a quali-
    dade de obra que admita a massa denomi-
    nada asphalto, como seja ladrilhar casas
    terreas, terracos, armazens, passeios de
    ras, igrejas, tanques, etc. Esta composi-
    cflo he forte como a podra e de grande uti-
    ldade, desviando de si o damninho copim
    e os ratos, e offerecendo mais a vantagem
    de ser muito saudavel para as senhoras,
    podendo sem recei algum sentarem-se
    sem que I lies seja precisa alcatifa. \ mes-
    macmposiQflo admiltecres ombutdas e
    Oxas, podendo-se lavar sera que largue a
    cores. Assim tambem se fz flores de ores
    e de pedra, etc. O proprietarioes^ muni
    do de to la a ferramenta, um bom meslre da
    arte e gente bem habilitada no dito traba-
    Iho, como pode mostrar nom obra j feila
    nesta cidade. Para tratar, dirijam-se ao
    lugar cima mencionado
    Precisa se de urna ama para casa de
    pouca familia : na ra do Rangel, n. 52.
    Aluga se urna excellento escrava, fiel,
    que sali cuidar no asseio de urna casa, vos-
    tir urna senhora e tratar de crianzas com
    to Ja caricia'. quema precisar, dirija-se
    ra do Hospicio, sitio n. 8, junto da viuva
    Roma.
    D-se, a quem precisar, urna porco de
    lijlos quebrados : na ra do Queimado,
    n. 40, ou na praca da Independencia, n. 22.
    Precisa-se alugar urna escrava cozi-
    nheira, para um estranseiro sem familia :
    na rus do Trapiche, n. 14.
    - Precisase do urna casa perto da Boa-
    Vista, para um estrangeiro sem familia na
    ra do Trapiche, n. 14.
    No pateo do Terco, n. 8, ha urna escra-
    va para alugar. ,
    Na ra das Cruzes, n. 40, taberna de
    Domingos da Silva Campos, ha superiores
    bisas Je llamburgo, que se vendem e tain-
    hem so alugam, tanlo em porgflo como a
    relalho, por prec,o commodo.
    Precisa-sede um homem para traba-
    lhar o ser feitor da um sitio aqui na prrea
    na segunda casa passando o quarlcl do Hos-
    picio.
    Na ra do Fogo, n. 32, precisa-se de
    urna ama capaz, para urna casa de pouca
    familia.
    0 abaixo assgnado retira-se para Por-
    tugal a tratar de sua saude, e deixa nesta
    praca por seus procuradores aos Srs. Bar-
    tholomeu Francisco de Souza, Antonio Ro-
    drigues da Cruz e seu irmflo Joaquim An-
    tonio Pereira, ao qual deu sociedade no seu
    estahelec nenio da ra larga do Rozario,
    n. 28, cojo Bstabeleciment fica gyrando
    soba firma de Silva & Irmflo.
    Antonio haauim l'ereira da Silva.
    o
    q Alugam-se evendeai-se as verda-
    m deiras liixas de llamburgo : na praca Q
    ^ da Independencia, n. 10, ao voltar 3
    para a ra das Cruzes. q
    gocio : isto com urvi-Jade, afim
    de se poupar de continuar com
    a 11 nuncios, e ir augmentando a
    lettra; ficando certo', que nao
    deixarSo de continuar os annun-
    cios at que appareca.
    Na ra da Cadoia-Vclha do Recite, n.
    51, segundo andar, ensina-se latim, rheto-
    rica e philosopliia, com todo desvelo e per-
    feQflo, porpossoa de algum merecimnto,
    que soofferece a quem queira.
    Chapeos de sol.
    Ra do Passeio, n. 5.
    Nesta fabrica ha presentemente um rico
    sortimento destes objectos de todas as co-
    res e qualidades, tanto de seda como de
    panninho, por preQos commodos ; ditos pa-
    ra senhoras, de bom gosto: estes chapeos
    sflo feitos pela ultima moda ; seda adamas-
    cada com ricas franjas de retroz. Na mes-
    ma casa se acha igual sorlimenlo de sedas,
    e panninhos imitando sedas, para cobrir ar-
    ma<;BS servidas : lodas estas fazendas ven-
    dem-se porco e a relalho: concerlam-se
    quaesquer chapeos de sol, tanto de basteas
    de ferro como de baleia, assim como umbe-
    las de igreja : ludo por preco commodo.
    a exercer a
    do Rozario,
    DEPOSITO GEItAL
    f do superior rap areia-prsta W
    9 da fabrica de Gantois P ai- I
    Ihet&c Companhia, na Ba- W
    | hia. 1
    a> Domingos AlvesMathcus, agentada ?
    9 fabrica de rap superior arcia prcta >$
    l>; e meio grosso da Bahia, tem aberlo o i^
    s seu deposito na ra Cruz, no Recife $
    ^ n. 52, prmeiro andar, onde se achara (
    | sempre desle excellentc e mais acre- *
    > ditado rap que at o presente se tem 4
    f fabricado no Brasil: vende-se em bo- 4
    a> les de urna e meia libra, por preco 4
    9 mais commodo do que eni outra qual-
    > quer parte. #
    m #
    No boliquim da Cova da OnQa, ra
    do Rozario larga, n. 34, precisa-se de um
    moleque ou preto para o servico do mes-
    mo, ficando osenhor ou senhora responsa-
    veis pelo mesmo.
    Jos Verissimo de Azevedo deseja fal-
    lar com Sr. l)r. Vascurado a negocio de seu
    interesse.
    --Dflo-so 450,000 rs. a premio com pe-
    nhores, ou com lirms a conteni, variando
    o premio de una outra iransacrflo, pelo
    tempo que se convencional na ra Augus-
    ta, sobrado junto ao major Kcller, do ma-
    | nhfla ou a tarde. *
    Precisa-se alugar um moleque, men-
    salmenle, para trabalhar nesla cidade com
    um cavallo e um preto canociro : na tra-
    vessa da malriz de S -Antonio, n. 10.
    Na obra do hospital 1). Pedro II, no lu-
    gar dos Coelhos, precisa-se de serventes
    forros ou captivos : a tratar na mesma obra
    com o administrador.
    Precisa-se alugar urna prela que lave,
    engomme o fc todo o mais servico de
    urna caza, lanto interno como externo : na
    ra Imperial, as Cinco-Ponas, sobrado
    do Peixoto.
    lentes artificiaos.
    J. A. S. Jane, dentista, participa ao res-
    peilavel publico que contina
    sua profissflo, na ra estrella
    n. 18, primeiro andar.
    Precisa se alugar urna preta que saiba
    lavar, engomniar e coser, para um casa
    estrangeira : na ra do Torres, n. 34, das
    II horas at s 3 da tarde. Na mesma casa
    tambem se precisa alogar um preto que
    entenda do servico interno, e saiba tralar
    decavaJJos.
    Urna parda mora e robusta se ollere-
    cenara todo o servico interno de qualquer
    casa : quem a pretender dirija-se ra da
    Senzalla-Nova, n. 18. loja.
    Carlos Claudio Ticsse, fabricante
    de orgaos e realejos, na rita das
    Flores, n. 19
    Avisa o rcspeitavel publico que concerta
    orgflos n realejos, pOo marchas modernas
    deslo pa7, concerta planos, sarana, cai-
    xas de msica, acordons e qualquer instru-
    mento qua appareca ; tambem faz obras no-
    vas e afina pianos em casas particulares. Na
    mesma casa se azem caixas para guardar
    joias, por preco commodo.
    Offerece-se um -jaixeiro para padaria,
    do que j leve pratica, de idade de 12 an-
    uos, e que d fiador a sua conduele : quem
    precisar dirija-se ama da Senzalla-Velha,
    n. 90.
    remulilisar, plem procura-lo na rui Di-
    reita, n. 120, segundo andar.
    Aluga-se o arma/e n da casan. 52 da
    ra da Cruz : a tratar no sagundo andar da
    mesma casa. ^^_^___^___^__
    Compras.
    -Compram-so 'os Mystorios da Parn,
    com algum uso: na ra JO Livr ment, n.
    20, ou annuncie.
    Compra-so um violflo : quem tiver an-
    nuncie.
    Compram-se escravos de ambos os se-
    xos, de 10 a 40 annos : pagam-se bem :
    atrs do theatro-vclho, n. 18, prmeiro
    andar.
    Compra-se calcado felo na Ierra, para
    homem, senhora e meninos, de todas as
    qualidades: defronte do nixo do Corpo-
    Santo, na loja nova sita na esquina da tra-
    vessa que vai par* a ra do Vigano. Na
    mesma loja se venda a relalho sola, mar-
    roquins, bezerro, couro de lustro, couros
    de cabra em branco e tintos.e to los os mais
    preparos para o officio de sapaleiro.
    Compra-se um cavallo com andares:
    na ra da Penha, casa das aferiqes.
    Compra-se. um sellim eni bom uso ;
    bem como um quarto, sendo novo, e com
    alguns andares : na taberna da esquina, n.
    52, dofronto da igreja do Roaario, ou an-
    nuncie.
    --Compra-se um diccionario portuguez
    1 a ('_*_ 1 .% .,11 K.1111
    - luga-se a excellentc casa pertencen- do Constancio, da ultima edioQflo, cm bom
    I o
    OfcfcOOGO,6>a0
    Aluga-se um excelleute sobrado do um
    andar, nflo pela sua architectura qu lie um
    pouco antga, mas sim pela localidade em
    quesaadha situado na Solcdade, e dentro
    do sitio do Sr. Ilerculano Al vea da Silva,
    tendo urna excellente vista por todas as
    quatro frentes, sendo muito fresco o mul-
    to ado, o que se prova com vinte e tantas
    familias que all teem ido restabelecer seus
    doenlesem muito poucos annos, com per-
    da apenas de urna senhora que, pela sua
    vaneada idade, nflo pode resistir a gravi-
    dade da molestia : esle sobrado aluga-se
    por commodo preco mentalmente, ou como
    convier aos pretendentes, os quaes se po-
    dorflo dirigir ao mesmo, onde acharflo com
    quem tratar. --
    O Sr. Antonio Gomes de rreitas,
    filho do negociante, o Sr. Jos Antonio de
    Frcita", e da Sra. Anna Casemira de Frei-
    tas, da cidade do Porlo, do reino de Portu-
    gal, he rogado para apparecar nesta typo-
    "raplna para dar noticias suas, as quacs
    devem ser communicadas a seu irmflo,
    Francisco Gome de Fretas, existente no
    Rio-de-Janero; e se alguem do mesmo Sr.
    tiver noticia, queira ter a bondade de com-
    munioarondo existe, que muito se agra-
    decis.
    Roubaram nina trouxa de roupa, que
    ia lavar-se em Beberibe, conduzida pela
    preta Torra de nome Izabel, no lugar da
    Cruz-Je-Almas, da porta da venda que fica
    junta ao assougue, em seguimento da estra-
    da do Beberibe Tendo a dita lavadeira cha-
    mado um i reto paracarregar a dita trouxa,
    cen'rando na venda para comprar sahflo.
    Meara o preto na porta com a Irouxa, o dahi
    evadira-secom a mesma comas pegas se-
    guinles: 3 carnizas de homem com berlura
    de esguiflo, 5 caigas do brim trancado1 bran-
    co Ofolletinhos demursulina com lotoes
    do' madreperola, 2 fronhas pequeas de
    l.retanha com renda, 4 saias de senhora de
    panninho fino, 4 carnizas de senhora de
    panninho, 1 toalha de mesa damascada, 2
    lences grandes, 1 vestido do eambraia
    branca, 2 pares de meias, sendo um le
    homem e outro de senhora, 1 fronna de
    panninho, 1 carniza de menino, 1 dita com
    abertura de panninho, 2 calcas pequeas de
    algodflozinlio, 1 carniza pequea de dito, 1
    carniza grossa do prela : lambem ia nesta
    trouxa ouira com urna porciU do roupa :
    quem delta der noticia na ra da Alegra,
    casa 11. 34, de Marcellino Jos Lopes, ser
    bem recompensado.
    O Sr- Henrique Jos Breine
    de Souza Bangel queira por favor
    apparecer na ra da Cruz, no Re-
    cije, n. 63, segundo andar, a De
    d'ai/rqra
    C. Slarr Companhia teem a honra de
    avisar aos seus freguezes, e ao publico em
    geral.quoa sua grande fundigflo em S.-
    Amaro alm do sorlimenlo quo constan-
    temente tem acha-se de novo prvida de
    militas moendas de canna, e de varios l-
    mannos feitas no mesmo eslabelecimcnto
    pelos mais peritos odciaes, e com o maior
    cuidado e perfeicio; tanto assim ho que
    osanuunciantesse ufanam em garant-las
    pelo primeiro anno. As moendas inleiras
    todas de ferro", construidas as ollieinas
    dos annunciantes silo muito superiores a
    quaesquer oulras da mesma natureza quo
    at agora teem sido aqui offerecidas, pois
    aquellas encerram emsi certos e importan-
    tes melhoramontos resultado de mais de
    20 annos de experiencia e pratica do paiz.
    m
    HOMOEOPATHIA. *
    Tj consultorio homoeopalhico de *
    Pernambuco est aberto todos os das <-
    desdeas 8 horas da manhfla al as 4 a>
    da tardo. ^
    Adverte-se as pessoas que quize- f>
    rem usar da homcoopathia, de diri- (
    gir-se no mesmo consultorio e enten- >
    der-soenm o director Joflo Baplista /)
    Casanov.
    Alguns curiosos andam as casas a>
    particulares offerecendo administrar >
    a homcoopathia em nome do cnsul- ey.
    1 torio, estes curiosos facam as especu- >/
    A laces como melhor o entenderem, >'
    ' .) sullorio, porque no consultorio nflo *>-
    A exislem agentes nem cacheiros, vis- P
    a to que, a medicina nflo scadminis-
    a) Ira por meios de agentes ou cachei- >
    # ros.
    ?
    Consultorio homoeopalhico de Per- *
    namhuco, ra da Cadeia de Sanio- wp
    Antonio, 11. 22. 10

    Aluga-se um andar do sobrado da ra
    da Penha, ou o prmeiro ou o segundo an-
    dar, conforme o prelendente quizer : a tra-
    tar na ra do Cabug, n. 1, loja do Guima-
    rfles. ,, .
    ;. Alugam-so escravas quitandeiras: na
    ra do Collogio, n. 13, das 10 horas da ma-
    nhfla s 3 da larda.
    Trapassam-ae as chaves do armazem
    de urna s porta da casa da ra da Praia,
    n 31 ,com todos os seus perlences, pro-
    prio para principiante : a tralar na mesma
    ra,n. 26. .
    - Retira-se para a Babia o preto forro
    Joaquim, de nacSo Costa.
    te ao Extn. Htnoel de Carvalho l'aes de
    Andrade, sita dentro do sitio do mesmo
    F.xm. Sr. no Corredor-do-Bispo I os pre-
    tendentes dirijm-se ao correlor Oliveira.
    O padre Francisco Joflo de Azevedo
    participa aos pais de seus alumnos e a
    quem convier, que se acham abortas as au-
    las 1I0 seu estahelecimenlo no segundo so-
    brado do caes do Ramos, onde tambem re-
    cebe pensionistas e meios pensionistas,
    prometiendo desvelar-se no tralainento dos
    alumnos que frein confiados a sua direc-
    qSo, e promover o adiaiilameutu dos mes-
    mos.
    No Aterro-da-Boa-Vistn, n. 1, procisa-
    se de urna preta para o servigo de Casa.
    OaSrs, que Jeram alguns livroj para
    encadnrnar na ra estroita de Rozario, n. 4,
    tenham a bondade de manda-loa buscar
    al o dia 5 de fevereiro prximo futuro.
    Na ra estrella* do Itoiario, 11 4, existe
    urna carta para .ser entregue ao Sr. Dr.
    Amaro Cameiro Rezeria Cavalranlc.
    Iiflo-se 400 ou 500,001) rs. a premio com
    hypotheca e.n algum casa terrea sita nes-
    ta" cidade : na ra do Sebo, 11. 8, a qualquer
    hora do dia.
    Avisa-sa aos fiis devotos do Sagrado
    Coraqno de Mara, quo na igreja da Madre-
    de-Deos, no dia 2 de fevereiro prximo fu-
    turo, de madrugada, se collucar um simile
    do mesmo coraQflo no altar de N. S. da Sau-
    de ; assim como tambem so benzer a cera
    que npresentarem os fiis, segundo as ins-
    tiluicOes da santa igreja nesso dia.
    Passaportes.
    Tiram-se passaportes para dentro c fra
    do imperio, correm-se follia, ilespacham-
    se escravos e tiram-se ttulos de residen-
    cia para sempre : para este lim, procura-se
    na prac da Independencia, lvraria ns. 6 o
    K. e na rua do Queimado, n. 25, loja de miu-
    dezas.
    Na rua Nova prcisa-se do um caixeiro, |
    de 14 a 18 annos, o qual d (ador sua
    conducta.
    Fabrica de fu 11 i le iro.
    Na rua Nova, defronte da Conceicfio, pre-
    cisa-sede ofliciaes do mesmo ofllcio : pa-
    gam-se b-ni, sendo peritos.
    F. II. Lutlkenl lem o seu escriptorioe
    armazem, na rua do Trapiche-Novo, n. 14.
    A matricula d'aula de philosophia do
    collego das artes est alicrta do boje at o
    fim ile marco, eni a casa da residencia do_
    respectivo professur, em Olinda, rua de S -
    Pedro-Novo, n. 2.
    Roga-se a qualquer pessoa que tiver
    achndo una jaqueta branca com 2 lencos do
    seda, um Ululo, urna cerlidflo de idade, um
    annelflo com a legenda azul--grato e
    um bol lo de 011ro de a berlura de camisa, oj
    obsequio de entregar no becco da l.ingo-
    ta, 11. 2, quo ser recompensado.
    -- Quem precisar de urna ama para casa
    de um homem solleiro, ou quo tenha pou-
    ca familia, a qual sabe cozinhar o engom-
    mar, dirija-se defronte da ribeira do peixe,
    n. 3.
    Precisa-se alugar uina casi terrea na
    fregueziadeS.-Anlonio.com quintal e ca-
    cimba : na rua do muro da Penha; casa das
    afericOes.
    l'm moco casado que entendo perfei-
    tamento a lingoa franceza, pela residen-
    cia 1I0 muitos annos que fez em Franc, se
    prope a ensina-la bem como a marcena-
    ra, de que tem grande conhecimento em
    qualquer engenho : quem de seu preslimu
    se quizer utilisar, dirija-se a Canihoa-do-
    Carmo, n. 8, das 6 horas da manhfla s 6 da
    (arde.
    Precisa -se alugar 4 escravos, 'mensal-
    mente : paga-se bem : na rua do Sol, n. 15.
    Desappareccu, no da 23 do corrente,
    da rua da Cruz, no Recife, da porta da ta-
    berna do Manoel Jos Correia, urr poldro
    iilazflo, com ossignaes seguinles : sem mu-
    da aljiiiiia, com tresps calcados, urna es-
    trellinha na testa, um signal no heico su-
    perior, signal encoberlo, com o ferro MI;
    julga-so ter fgido: quem o pegar leve-o a
    dita taberna, que ser gratificado.
    Retratos.
    Cincinato Mavignier, retratista, tendo
    merecido sempre do benigno publico toda a
    proteceflo, pretende em signal de muita
    gratidocontinuar a retratar com lodo o
    esiin-iii possivel aquellas pessoas que a esse
    lim se proposcrem, prometiendo a boa exe-
    cueflo em ludo quanto se requer, para apro-
    vc1o geral do mesmo publico, a quem ser
    eternamente grato. Oannuncianle declara
    quo vai abrir urna grande aula de desenlio
    e pintura a pedido de muitos de seus ami-
    gos, e para esse lim, aquellas pessoas que
    so qiii/iTi'in utilisar de seus fracos ensillos
    poderflo dirigr-se a travessa do Carino,
    n. 1, segundo andar, das 10 horas da ma-
    nli.ni s 4da larde.
    Alfonso Jos de Oliveira, professor ju-
    bilado na cadeira de geographia e historia
    do lyceu desla cidade, prope-se a ensinar
    grammatica latina, rhelorica e gcographia :
    as pessoa que de seu presumo se quize-
    eslado : ni rua da Cadeia, n. 1.
    Comp^a-se urna canoa da carreira, ile
    um s pao, usada, mas em bom estado, e
    que seja maneira, de modo qua quatro ho-
    mensa possam transportar paraquyquer
    parte : quem tiver annuncie r-or esta folha
    Vendas.
    Lotera di Kio-de-
    Janeiro.
    Aos 20:000,000 de rs.
    Na prac da Independencia, 11. 4, ven-
    dem-se bilhetes, meios, quartos, oilavose
    vigsimos da primera lotera da Misericor-
    dia dcSan-Joflo. Ni mesma loja se mostra
    alistada 12.' lotera de Ncllicroy, o lam-
    bem se recehem bilheles premiados em tro- 4
    cados que lem venda.
    Xa loja de Maya Ramos
    & C na rua Xova, i. 6,
    vendom-se. papis para forrar salas, de lin-
    dos goslos ede boa qualidsde, sobre sahin-
    do entro ellos urna riquissima sala toda
    dourada.com sua Riiarnicflo avellodad ;
    tambem se vendem barras e guarnicoes se-
    paradas, e como melhor o comprador qui-
    zer.
    Vcnde-se um grande sitio no lugar do
    Manguinho, que tica defronto dos sillos dos
    Srs. Carneiros, com grande casa de viven-
    da, de quatro agoas, grande scnzalla, co-
    cheira, estriba ra, baisa decapimque sus-
    tenta 3 a 4 cavalloa, grande cacimba com
    bomba e tanque coberlo para banlio, bas-
    tantes iivnredos de fruclo : na rua da Con-
    cordia, priuv iro sobrado novo de um andar.
    * --- '-
    22,000
    11,000
    5,500
    2,800
    1,300
    DIVERSAS LO-
    NA HIJA DA CADEIA DO RECIPE, N 21,
    LOJA DE CAMBIO DA VIIWA VIEIRA
    & FILIIOS.
    Lotera do Ro-de-
    Janeiro.
    Aos 20:000,000 de rs.
    Pelo vapor Imperador recebemos as listas
    da 12.a loleria do tlieatro dcNictheroy oos
    muito afortunados bilhetes e meios ditos
    ila primeira lotera concedida a beneficio da
    santa casa da Misericordia da cidade de S.-
    Joflo-d'EI-Rei, a qual devia ter andado no
    dia 19 do corrente mez.
    PRECOS
    . tullirles
    Meios
    QuirtOll
    Oitavos
    Vigsimos
    PREMIOS VENDIDOS DE
    TERIA8.
    11.a olera das matriui.
    Ns. 2412 400.000
    2134 20.000,000
    975 100,000
    4377 100,000
    21.a lotera do Monte-Vio.
    2220 4:000.000
    2n9t< 200,000
    1:M:' 100 000
    2149 100,000
    51.' loleria da Misericordia.
    483 4:000,000
    2459 200,000
    1205 100,000 t
    6.a lotera do thetouro.
    39 4:000,000
    12.a do theatrv de Nictheroy.
    4123 1:000,000
    531-3 2:000,000
    2036 400,000
    1860 100,000
    1884 200,000
    5573 200,000
    694 40,000
    Vendem-sequeijos de superior quali-
    dsde pelo diminuto prego de 1,000 rs. : na
    rua de S.-Jos, esquina que volla para abo-
    boda da Penha,vajida de quatro portas, D. 2.
    Canoas.
    Vendem-se duas canoas grandes, de mui-
    to boas madelras e novas : a tratar no sitio
    do Hospicio, n. 6, ou na rua da Cadeia de
    Santo-Antonio, n. 9.
    Vetideni-sc aq" acc5es da
    companhia de Beberibe ; na rua
    do Rangel, 64, se dir quem.
    vende.


    m
    ... ~
    --Vendem-se relogios do onro e prata
    de patente: em csb de Russell Mcllors &
    Compannia, na ra do Trapiche, n. 11.
    Na fabrica do caldeireiro da ra No-
    va, n. 24, receheu-se um completo sorli-
    mento de vidros para vidragas, que se ven-
    do por prego cnmmodo.
    -- Vendem-se rnmmendas de nflcial
    da Rosa ; ditas de Christo ; una dlgnitaria
    da Hosa ; hbitos de christo o da Rosa,
    grandes o pequeos : ludo isto. he da me-
    Ihor qualidade e gosto : avista do objeclo
    so dar o prego : na ra do Crespo, n- 12.
    Vendc-se um escravo muilo hom ro-
    zinheiro, que be muilo rapaz e no tem vi-
    cios nem achaques: o motivo por que se
    vende se dir ao comprador : na ra da Ale-
    gra, n. 2C, de manhfla al os 9 horas, e de
    tarde a qualquer hora.
    Vende-so um relogio do prala suso,
    com crtenle, ou sem ella : na ra larga do
    Rozarlo, n. 26, loja de miudezas.
    --Vende-se um cavalf, proprio para car-
    ro, i or j ler sido do mesmo, e que carre-
    ja bem baixo al^meio: na ra do Passeio-
    l'uhlico, n. 13, loja.
    Vende-se u.na prcta de 18 annos, de
    ng!Jo Renguclla.que cozinha o diario de
    urna casa, lava de sahiTo e encorn a liso:
    o motivo por que se vende se dir ao com-
    prador: na ra lidia, n. 21.
    Allencao?
    Vendem-se, nos Arrniribados, muilo boas^
    travs de 30 a 37 ; enehaneis de 22 a 25
    mflo-lravessas de 30;caibros: ludo por
    prego con modo, por se querer acabar com
    esle negocio.
    Vw"'cThcard,
    com loja de modas na tita Nova, n. 32, re-
    cebeu um grande sorlintenio de chai eos
    muilo ricos e muilo modernos, tanto de se-
    da como de palba, que os vende muilo em
    conla : bem como tanibem recebeu litas,
    flores, trancas de seda e enfeitesdosodasas
    qualidades para senhora.
    Fardo de arroz.
    Vende-se esla j tflo conhecida quinto
    til substancia altmeiilaria (ara o susten-
    to de cavallos, em barricas de quatro arro-
    bas para irais, pelo diminuto prego de 3/a
    barrica nos armazens do Onofrc, na ra
    da Madre-de-Deos, e no defronto do chafa-
    / riz da ponte do Recite.
    --Vendc-se um escravo pega, de 20 an-
    uos : na ra do Crespo, loja da esquina que
    volta para a cadeia.
    Vende-se unta bonita cscrava mofa,
    sem vicios, c quocozinha, lava e eiigoni-
    ma : na ra Bella, n. 21.
    Pofassa nacional.
    Vende-se potassa nova da fabrica nacional
    do Rio-de-Janeiio ao baratsimo prego de
    180 rs. a libra. Os senhores de engenho de-
    vem todos mandar comprar desta potassa
    aflm de animar a fabrica que cotn tantos
    sacrificios se estabeleceu e fui a causa de
    bailar a esle prego : na praga do Commer-
    cio, n. 6, primeiro andar, escriploriu de
    Manoel Ignacio dcliveira.
    Pentes.
    Na ra do Queimado, n. 24, estilo i ven-
    da pelo diminuto prego de 4,500 e 5,(>(i0 rs ,
    os ricos | entes da verdadelra tartaruga, pu-
    ra trancas, com ditferenga de 3,000 rs. n e-
    nos avista dos presos por que se venilem
    em outr qualquer parte, e que no sio de
    to bom goslo.
    Vende-se um escravo de bonita figu-
    ra, de 18 a 20 anuos, sem vicios nem acha-
    ques : ua ra da Cudeia do S.-Antonio, n.
    13, se dir quem vende.
    No armaiein do barateiro,
    Silva Lopes, na porta da alfande-
    ga, vende-se familia ftanceza no-
    va, da melhor que ve ni a este
    mercado, e de ontras r|iialidodcs
    de l'liiladclpliia.
    ~ Vcndom-so 4 molecolcs, de 10 a 18
    annos ; 5 escravos mogos, de bonitas figu-
    ras, sendo dous delles carreiros; 2 nmla-
    linlios de 16 annos, sendo um delles liolici-
    ro ; 2 negrinbas de 18 annos, que engom-
    maoi c cozinham : na tua Direita, u. 3.
    ~ Vendc-se cera pira lima de choito, a
    mil rs. a libra : na ra do Rangcl, ti. 52.
    Vendc-se bolacha de nullio, a 2,C00
    rs. a arroba, e a 80 is. a libra, ptima para
    escravos : na ra eslrcita do notario, u. 13.
    Vende-se um cavallo rodado, grande,
    novo, um Ionio descarnado e rom todos os
    andares : na ra do Crespo, loja de esqui-
    na que-volt para a cadeia.
    Vende-se, por precsio, urna bonita es-
    clava da Coi-la, de 20 anuos puuco mais ou
    menos, sem vicios nem actiaques: na ra
    do Nogneira, n. 27, te dita quem vende.
    Gomma de engommar.
    Vendem-se saccas com muito superior
    gomma de rngomuiar, a 9,000 rs. cada sac-
    ca : na ruado Amonoj, ti 35, casa de Tas-
    so Jnior.
    -- Vendem-se pecas de madapolo com
    20 varas, muito encorpado e com algum
    sujo, a 9,780 e 3,000 rs proprio para for-
    ro de alhuate: atrs do thcalro-velho n. 20,
    priaiciro andar.
    Chegaram novamente ruada Sen-
    zalla-Nova, n. 42, relogiosde ouro o prata
    patente ingle?, para homem e senbora.
    Vende-se um ptimo cscra-
    Vendem-se cortea de cambraia de co-
    res, pelo barato preco de 2,000, 2,500, 3,000
    3,500 e 4,000 rs.; cambraia de seda, a 3/
    rs.: meias para meninas, a 160 rs.; lila
    com listras de seda, t 600 rs. o covado; lan-
    zinha propria para roupade meninos e ves-
    tidos de senhora, a 240 rs.; lila superior pa-
    ra calcas, a 500 e 600 rs. ; lencos de alffo-
    diio e seda com franja, a 600 rs. ; cortes de
    colleto de velludo, a 1,600 e 2.500 rs. ; cag-
    sa-chita, a 400 rs. a vara ; garga de seda, a
    500 rs. o covado; cambraia de seda,a 560 rs.
    o covado, e outras muitas fazendas por
    barato preco : na ra do Crespo, n.M5, loja
    de Joaquim de Olivelra Msva Jnior.
    Velas de cores.
    Vendem-se, no armazem de molhados
    atrs do Corpo-Saolo, n. 66, por prego rom-
    modo, velas de carnauba, sendo azues,
    cor de rosa e lustrosas, as quaes se tornam
    recommendaveis pela sua superior qualida-
    de e Inrarem mais que as de espermacele,
    e nSo fazerem momio.
    Aviso importante.
    Beneficio publico.
    O armazem snllgo da ra da Madre-de
    Iteos, n. 36, est de novo eslabelecido dc-
    baixo das mesmas condigOes, offerecondo
    a deliciosa pinga do vinho da Figueira pe-
    lo limitado preco de 180 rs. a garrafa, e
    1,300 rs. a caada, a de vinho branco de Lis-
    boa por 220 rs a garrafa, e 1,600 rs. a ca-
    ada, a de vinho de liordeaux por 160 rs. a
    garrafa levando o casco. NSo se admirem
    os fiegnezes do baixo prego por que se ven-
    de a deliciosa pinga, e sim da audacia do
    proprielario querer sustentar o enligo pre-
    co, embota este genero lenlta subido o me-
    'Ihor de 30,000 rs. por pipa. Examincm os
    amanlcsa qualidade para reconhccimenlo
    da verdade e conlinuagfio da antiga fregue-
    zia. E para nflo haver usuras, est.o promp-
    tas garrafas lacradas e com o competente
    rotulo, assim como barris de diversos ta-
    matihos para provlsflo do prximo Natal.
    O proprielario conla com a concurrencia;
    do contrario, tornarflo os preges do reta-
    Iboa primitiva de240 e 280rs. a garrafa.
    Deposito de Potassa.
    Vende se muito nova potnsss
    de boa qualidade, em borriszinboi.
    pequeos de quatro arrobas, por
    preco barato, como j ha muito
    tentpo se nao vende: nc lecife,
    ruada Cadeia, armazem n. 12.
    Antigo deposito de cal
    virgem.
    Na ruado Trapiche, n. 17, ha
    muito superior cal virgem de Lis-
    boa, por preco muito comntodo.
    Farij.ia de mandioca.
    Na na do Queimado, n. 14, loja de fer-
    ragens, ainda ha algutnas saccas da boa
    familia de mandioca, muito alva e bf m tor-
    rada ; bem como urna porgflo de peonas de
    cnia, proprias para espanadores.
    Vende-se vinho do Porto muito supe-
    rior, em barris de quarlo e quinto ; farinha
    de liigo de todas as qualidades e em meias
    blticas; rclroz do Porto, iilincira quali-
    dade: panno c meias de linho ; arcos rara
    bairicas ; farinba de mandioca em saccas
    grandes o a gariiel a bordo da sumaca *i.-
    S.-ilu-Carmo : ludo por prego rommodo :
    na ra do Vlgario, n. U, primeiro andar,
    casa de Francisco Alves da Cimba.
    Farinha de trigo.
    Vende-se superior farinha de trigo trn-
    cela de Provenga, chegada ltimamente de
    Maist-Iba : em casa de J. J. Tasto Jnior, na
    ra do Amoritri, n. 35.
    Arados de ferro.
    Na.fundigflo da Aurora, em S.-Amaro ,
    vendem-se arados de ferro diversos mo-
    delos.
    Cal virgem.*
    Cunta & Amonm, na ra da Cadeia, n.
    5A, continan) a vender barris com cal de
    Lisboa, da mais nova que ha no mercado
    por isso mais barato do quo em outra qual-
    quer parte.
    --Vendem-se amarras 00 rro: na ra
    da Senzalla-Nova, n. 42.
    Vendc-se um lindo molcqun de Han-
    nos, de boa conduela, que he ptimo pa-
    ra pagem : o motivo por que se vende so
    dir ao compiador : ua tua do langel, n.
    57, sobrado.
    Vende-se urna muilo linda mulalinha
    de 16 anuos, reculhida, que cogomuia e co-
    se rom perfeiglo, e be de excedente con-
    ducta: na ra do Rangcl, n 57, sobiado.
    Vende-se um escravo da Costa, iiiocji,
    bom ttabalhador, muito diligente,ejpor isso'
    !4
    SS^aj
    vo marojo, moco, sem vicios nem
    achaques: na ra do Vigario, n.
    3, atgundo andar.
    No engenho Paratibe, distante desla
    praga 3 legoas, vendem-se 30 quarlos e
    Pesias manses de toda, 3 vaccas muilo boas
    de lette, 14 bois mansos de carro I ludo em
    bom estado.
    Vendem-se 16 escravos, sendo : um
    pardo de elegante ligura ; unta prela de 14
    annos ; una dita com urna cria de oito me-
    zes ; 2moleques de bonihK figuras; unta
    escrava com 3 crias ; 9 pidas para o ser-
    vigo decampo; un mulalinbo de 17 su-
    rtos, proprio para pagem ; 2 pretos do na-
    g;1o, ptoprios para armazem de assucar :
    no pateo da matriz de S.-Antonio, se dir
    quem vende. [a 20 annos, sen^p um delles bom cozinhei-
    Na ruado Cabug, n. 3, lija de scllei-lro ; 3 pardas de 14a 20annos, com halida-
    io, vendem-se bubas de (K-tr.s brancas el des; Opreds com habilidades, o <|ue sito
    pretas, muito superiores, por menos prego] proprias para todo o servigo : na
    do que em outra qualquer parle. Collejjio, u. 3.
    proprio para o servigo .le una casa e
    nhar na ra
    de A
    Facas para mesa,
    Vendem-se facas e garfas de cabo de ba-
    ango, imitando marlim, e do muito boa
    qualidade, por prrgo mais haralo do que
    em outra qualquer parte : na ra do Quei-
    mado, n. 16, loja de oiiudczas.
    Vemie se um sitio na entra-
    da da Estrada-Nova, na Magda-
    lena, com urna excellcnte casa ter-
    ree com muilo bons commodos :
    o sitio esl bem plantado e oTe-
    rece todas as vanlageispara quem
    (ver bom gosto : negocia-se em
    cunta : quem o pretender, dirja-
    se a ra do Crespo, 11. 9, que se
    Ihc darao as informaedes precisas.
    Vendem-se duas vaccas quo dlo diaria-
    mente quatro garrafas de leite cada urna, e
    .licitas ao pasto : as Cinco-Ponas, ao pi!
    do Tergo, n. 141, se dir quem vende.
    Vedem-se 7 lindos moleques de 12 a 18
    annos; 9 prelos de 20 a 30 annos, sendo
    um dellea ptimo sapaleiro ; 2 pabilos de 16
    Novo sortiroento de fa
    zendas baratas, na ra
    do Crespo, n. 6, ao p
    do lampea*.
    Vende-se cassa-chita muilo fina, de bo-
    nitos padrfies, crtrps flxaa e com 4 palmos
    ilc largura, pelo barato prego de 320 rs. o
    covado ; eassa franceza do quadros, muilo
    lina, a 260 rs. o covado; rlscadinho de lis-
    tras de linho, a 240 rs.0 covado; biim d
    algodlo de cores com listra ao lado e de bo-
    nitos parirfes, a 320 ra. o covado ; hrim
    pardo claro, a 1,500 e 1,600 rs. o corte de
    duas varas e urna quarta ; cassa preta com
    rantagem branca para loto, a 140 rs. o co-
    vado ; zuarte de cores, com 4 palmos de
    largura, a 200 rs. o covado ; dito azul com
    vara de largura, a 200 rs. o covado; risea-
    do monstro, a 220 rs. o covado; chitas de
    bonitos padrfles e cores fixas, a 160 e 180
    rs. o covado ; chales de larlatana, a 500 e
    800 rs,; cobertores de algodSo america-
    no, muito superiores, a 640 rs.
    A bordo da brigue S.-o$, chegado
    prximamente, vende-re farinha de man-
    dioca de superior qualidade, e por menos
    prego do que em outra qualquer parte: os
    pretendenles dirijam-se a bordo do dito
    brigue, Tundeado defronte do arsenal de
    gueirs, ou ao Recife, ra da Cruz, n. 66.
    --Na ruado Crespo, n. 15, loja de Joa-
    quim de Oliveira Maya Jnior, lia, alm das
    fazendas j annuncisdas, e de outras Omi-
    tas por barato prego, um sortimenlo de lin-
    dos chapeos de sol, do iiannii lio estampa-
    do, muilo ptoprios para os meninos e me-
    ninas que tndam na escola, e mrsnio para
    as senhoras qne anda estilo no campo, po-
    lo preco de 2,000 rs.
    Vendem-se, na ra da Cruz, n. 62 gar-
    rafas rom oleo do montuna, a 9u0 rs. a gar-
    rafa
    l'cnlcs de tartaruga >a
    ra prender cabello.
    Vende-se a melhor qualidade do pentes,
    por prego mais commodo do que em ou-
    tra qualquer parle : na ra do Queimado,
    n. 16, loja de miudezas.
    Fa relo.
    Vendc-se fatelo, pelo commodo prego de
    4,000 rs. em saccas prandes e de boa qua-
    lidade: a visla l:i/ Ir : no armazem ao pe
    da botica do arco da ConceigSo.
    Rap PauloC'ordeiro, a
    f ,280 rs. cada libra :
    vende-sena loja de Antonio Joa-
    quim Vidal, na ra da Cadeia do
    liecife.
    Vendc-se urna farda, espada, talim,
    batida, barrelao : tudo novo para guarda
    nacional : na ra do Rangcl, venda da es-
    quina, do Jos Rodrigues Coelho & Com-
    pendia, se dir quem vende.
    Vende-se superior farinha
    de milito em poredes e a retalho,
    tendo de todas as qualidades a
    vontade do comprador, e por pre-
    co mais commodo do que em ou-
    tra qualquer parte.- na ra do
    Bru, n. 28.
    Atroz a 50rs. a libra e 1,400 rs. a
    arroba, sendo em sacca ainda por menos ;
    espirito de 37 graos a 1,000 rs. a caada :
    no pateo do Hospital do Paraizo, vend a
    n. 20.
    A 'J^tiOO o corte.
    Vendom-se cortes de cassa-chita, fina, de
    bonitos padicse com 6 va 1 ase tocia, pelo
    diminuto prego de 2,000 is. o curte I na
    la do Crespo, 11. 6, leja 10 1 c do latnpeDo.
    Farinha Fontana.
    Vende-se a mais superior fari-
    nha fontana que lem vindo a e*te
    mcicado, chegada ltimamente:
    a tratar com AJanocl da Silva San-
    tos, no aimazemdo Atines, no
    caes da Alfandego.
    O O
    .i Na loja do sobrado amarello nos
    q qualro-canlos da roa 1I0 Queimado, 0
    q 11. 29, vendc-se, por precos rasoa- 0
    0 veis, srja de seda preta, a verda- m
    q deira he.spanhula, l.avenio varias /n
    ~ qualidades para so escoihor; selim ~
    m 1 reto de Maco, muo encorpado, ;?
    J lustroso esem gomma, proprio para X
    2* vestido de senbora; lindos los pro- ^
    v ros bordado* de seda o com lindos
    O dcsciihos, fazenda superior ; meias **
    O de seda de peso ; um completo sor- O
    Na ra da Cruz, armazem, n. 33, de S
    Araujb ha pare vender um restantede frascos
    de tap de Lisboa de mcia libra; assim como
    couros miudos, sola, calcado do Aracaty,
    tanto ordinario, como de lustro; caixas para
    rap e saccas com feijfto ordinario : tudo se
    vende p*ra liquidagao de cotilas.
    Colletcs.
    Vendem-se gorgorito rde seda, a
    1,600rs. o corte; ditos a 2,000 rs.;
    O velludos de lindos padrOes, a 5,000 P>
    O rs. o corte: na ra do Crespo, n. 9. <&
    o
    Veode-se um moleque de 9 annos,
    muito bonito; Ipardinbode 11 annos.de
    bonita figura : ambos para liquidagllo : ira
    ra larga do Rozario, n. 46, primeiro an-
    dar.
    Petras coro 20 covados a
    2,800 rs.
    Na ruado Queimado, vindo do Rozario,
    segunda loja, n. 18, vendem-se pegas de
    metim verde, azul e cor de caf, com 20 co-
    vados, por 2,800 rs. : fazenda muilo pro-
    pria para vestidos de protas, por ser escu-
    ra e de muila duragSo.
    Pechincha.
    Na ra do Queimado, vindo do Rozario,
    segunda loja, n. Ift, ainda resta urna pe-
    quena porgflo dos ricos cortes de vestidos
    le ,'eiun prelo lavrado, pelo diminuto pre-
    go de 15,000 rs.
    Vende-se urna mulatinha de 12 annos,
    de muito linda figura para mucama, e com
    bons principios de- habilidades; um preta
    por prego muito commodo ; um preto co-
    zinheiro ; um dito bom bolieiro ; 2 molo-
    ques, um tle 12 annos, e o oulro de 16 ; um
    preto velho, bom para servir a urna casa,
    por 150,000 rs.: na ra do Collegio, n. 21,
    primeiro andar.
    Qucijos londrino a 640
    rs. a libra.
    Muito novos, chegados pelo ultimo navio:
    vendem-se no armazem de molhados, atrs
    do Corpo-Sanlo, n. 66.
    Cal virgem.
    Vende-se superior cal virgem em pedra,
    em barris de 4 arrobas e meia, chegada no
    corrente mez do Lisboa, pelo brigue /Voeo-
    Vencedor : na ra da Moda, armazem n. 5.
    Vendem-se duas parles de urna casa no
    Moendas superiores.
    NafandigSode C. Starr & Companhia',
    em S.-Amaro acham-se a venda moendas
    de canna, todas de ferro, de um modelo e
    construcgfio muito (superior.
    fiSscrvos Futaos
    Fugiro, do engenho Matto-Grosso, co-
    marca do Cabo, na uoilc do primeiro do
    corrente, o escravos Bento,'pardo, bas-
    tante clara, baixo, feigoes regulares, pouca
    barba, cabellos caslanhos, denles limados,
    pernaa grossas e um lauto arqueadas ; teve
    bexigas ha pouco lempo, por isso esl com
    a cara marcada ; tem aparenoias da mari-
    ntteiroe quer pastar por rorro; no he a
    prime-ira vez quefoge; fai preso no anno
    prximo passado no Brajo-da-Areia ; levou
    camisa de algodlo, ceroulaa e chapeo da
    palha ; representa ter de 24 a 25 annos;
    foi visto etn Goianninha, onde disse que ia
    procurar urna leuda de sapateiro para tra-
    balhar : quem o pegar leve-o ao dito enge-
    nho, ou no Itecife, casa de Jos Theodoro de
    Sena,que recompnsala^
    -- !'ugio, no dia 21 do corrente, do sitio
    Agoa-Fria, do cngeuho Apipucoa, a escra-
    va cabra, de nomo Mara Ihereza, altura
    regular, se cea do corpo ; tem no rosto urnas
    pintas prelas de sarda e um dente Urado na
    frente da mandbula inferior; tem na ca-
    hega urna pelladura do um tumor que teve
    ha pnucos das ; levou vestido de rlscadi-
    nho de listras azues e panno da Costa. Ilu-
    ga-se as autoridades policiaes e cap tiles de
    campo,que a apprehendam e levem-na a seu
    senhor, Rento da Rocha Wandet ley Lina, no
    mesmo sitio, que recompensar.
    Fugio, na tarde do da 27 do corrente,
    de S.-Amaro, um crloulo marinheiro de
    bordo do brigue Doui-Amigos ; levou cal-
    gas brancas, camisa de riscado azul de 25
    a 30 annos pouco maisou menos, de esta-
    tura regular; lem as orelhas compridas:
    quem o pegar leve-o a praga do Commcr-
    cio, n. 6, escriptorio de Manoel Ignacio de
    Oliveira, quo ser recompensado.
    -- Fugio, no dia 29 do passado, um mu-
    latinho fechado da cor, de nome Antonio,
    de 20 anuos, corpo regular; tem o* denles
    limados, olhos quebrados e encarnados,
    magias do rosto altas, de bonita figura, ps
    redondos com os dedos grandes aberlos;
    he muilo Ireloso ; intitula-se forro, fuma
    charuto ; he muito alegre. Rcga-sc as au
    toridades policiaes e esplines de campo,
    que o apprehendam e levem-no a estrada
    nova, a Jeronymo Rodiigues Campillo, ou
    na ra da Cadeia do Recife, a Jo9o Vieira
    bairroda'BoalvistaVeni uada mebores de l'i1ma-,:qu?.gr'-i,.?"*
    russ, a qual existe com venda ; e tambem
    urna parte de um terreno annexo a inc.-nia
    casa ; um oulro terreno na malta da Tor-
    ra, com 300 palmos de frente e 600 de fun-
    do, prximo ao -rio Capibaribo : tudo por
    prego commodo : na Iravessa da Concor-
    dia, n. 5.
    Novo Irem de cozinha.
    Vendem-se chileira.", fregideiras, panel-
    las e cagarolas do ferro forradas de porcel-
    lana ; hules cafeteira de metal ; machi-
    nas | ara fazer caf : na la Nova, n. 16, lo-
    ja de Jos Luiz Pereira.

    o
    Na loja do sobrado amarello, nos S
    m..Im .... ..i .- .1.. ___.1. r...-:____i- v
    j -.- ii -"i- *"r- j
    O tmenlo de pannos prelos finos, pro- <
    Qi va de limito, bavendo una qualida- O
    0 do que le ornis fino que aqui tem O
    ^ apparecido ; casimira prcta elstica 0
    0 de diversas qualidades ; selim prelo '>
    qj de Macso, muilo superior ; chapos )
    n francezes de superior qualidade c da q
    3 ulli'ua moda ; e oulias fazendas fi- m
    m nas : ludo por pregu de agradar ao n
    q comprador. X
    Vendem-se, e tambem se alugam supe-
    riores bixaa de llamburgo, por prego com-
    modo ; tambem se vende chourigo de Lis-
    boa, a 400 rs. a libia; superior manteiga
    ingleza, a 6(0 rs.; superior cha, a 2,000 e
    2,240 rs. j qneijns soierioie*, a 1,900 rs. :
    no Alerro-da-Uoa-Vista, taberna que foi do
    Maya.
    --Vcndcm-se saccas com muilo boi fa-
    rinha de mandioca, a 2,500 rs. rada sacca :
    na ra da Cadeia do Recife, ao pe do arco
    da CouceigHo e junto a botica do Sr. Anto-
    nio Pedro das Neves.
    Farinha de S.-Catharina.
    Vende-se, a bordo do berganlim tla-
    ria-Libatiia, fondeado perto do caes do Ra-
    mos, a multo boa farinha de mandioca, em
    porgflo o a retalho, sendo a mais nova que
    chegou a este porto : tambem se trata na
    ra da Cadeia do Recife, ti. 14
    Vende-se urna porgflo de sola muito
    rita do'superior e por prego commodo : no llecco-
    I Largo, n. 1, seguniW dar.
    qualro-canlos da rita do Queimado,
    n.29, vende-se um grande orli-
    menln de novas cassa-rhitas de co-
    tes lixas e bous padrOes, pe lo dimi-
    nuto rrego de 400 rs. a vara : fazen-
    da que se tem vendido a 800 rs., e
    quo so vende por lo baixo prego,
    Cj por se ter grande porgflo.

    GQQQQQQOOQQQO00QQ&
    --No Aterro-da-Boa-Vista, sobrado n. 5,
    vende-se unta colleccflo do exemplares de
    escrita, completa, comprfiondendo dife-
    rentes caracteres de lelt'as, acomoanbada
    do um melhodo muilo claro e expliolivo
    dos divcr.'OS exemplares eeslampas collec-
    cionadas. Esta obra be mtii conveniente
    aquellas pessoas que se em prega m em ap-
    plicar a moeidado a. instrucgflo primaria.
    No mesmo sobrado vende-se muilo sue-
    riore bem fabricada lala de esertver
    Instrumentos de msica.
    Chegou a casa de Kalkmann Irmflos um
    completo sortimenlo de instrumentos de
    msica, como seiam :
    ViolOes dcjscarandi, com machina; di-
    tos ordinarios e entre finos esem machina.
    Flautas de chano com 4 a 6 chaves, e de
    bomba ; ditas de bueno de 1, 4 a 6 chaves.
    Pifanos e d e si bmol.
    Cirmelas su re linas com 13 chaves, es-
    tante aiifa e mi bmol; ditas em d com 6 e
    8 chaves
    Requintas em f, pretas e amarellas, do I
    8 chaves.
    Pistes em bf com 5 ateos; trompas sim-
    l lea e com pistn de 6 a 8 arcos; trombones
    em bf, baixo a tenor ; baixos de liar moni;
    cornetas de chaves ; clarius com 8 arcos em
    sol e bf ; ciarlos com chaves; pandeiros;
    pratos; caixas de guerra; arcos de caoi-
    | amlias finta.
    Cortes de vestidos de cas-
    sa a 2,000 rs. cuda um.
    Vendem-se cortes de vestidos de cassa, de
    muilo bom goslo, e com 11 covados : na ra
    do Crespo, luja da esquina que volta pt ra a
    cadeia.
    Ruarles de furla-crcs a
    2(10 is. o cov f'o e ris-
    cado monstro a 220 rs.
    Vendc-se zuarte de furia-cores muito
    encorpado e com 4 palmos de largura, pro-
    prio para escravos a 200 rs. o covado ; ris-
    cado monstro muito bom a 220 rs. o cova-
    do : na ra do Crespo, loja da esquina que
    volla pan- a cadeia.
    Cortes de brim de cores
    com listras ao lado, a
    1,280 rs.
    Vendem-se corles de brim listras ao lado, a 1,280rs. ; riscado de al-
    godSo americano, proprio para escravos, a
    140 rs o covado : na ra do Crespo, loja da I
    -- Fugiu, no dia 14 do correle, da pro-
    priedade de S.-Joaquim-de-Larangeiras,
    freguezia de Nazarcth, o escravo Manoel, de
    estatura baixa, gordo, rosto redondo, nariz
    chato, res um |ouro chatos e torios para
    fdra. Roga-se s autoridades policiaes a
    capitfles de campo, que o apprehendam e
    levem-no a dita propriedade, ou no Forle-
    do-Maltos, n. 12. que serflo recompensados.
    Fugio, no dia 10 de dezembro do an-
    no passado, a preta Vos, de nagfio, de 50
    annos pouco maisou menos; foi vala em
    Muribcca, onde j foi moradora, por ti r sido
    escrava do lllm. Sr. coronel Agostinho Be-
    zerra, ou de um de scus parentea ; be bai-
    xa, cheia do corpo, nadegas empinada*, ca-
    ra redonda e lustrosa, feigOea amacaeadas ;
    lem a pelle dos bragos enrugada e cinzenla,
    ps pequeos, andar can.linio, por ter unta
    estrepada na aula do p direilo, e urna f-
    tida no dedo pequeo do p esquerdo e os
    dedos grandes ruidos de bexos, com falla
    de denles na frente do lado inferior, falla
    queso percebe ; levou camisa de algodflo-
    zinho com mangas de niadapolQo, saia de
    chita e panno da Costa azul tudo vilho:
    quem a pegar leve-a a ra da Traa, arma-
    zem de carne, de Ignacio Luiz de Brilo la-
    borda, que gratificar.
    Fogio, em dezembro de 1847, o pardo
    Jacob, de 18 annos, secco I.corpo, cabello
    estirado; lem falla de um dente na fente e
    um pequeo lalho na magSa ilo rosto. Este
    escravo j esteve fgido em 1841 na iiba da
    llamarac, para onde se desconia fosse no-
    vamente, e seestej intitulando de forro;
    tem um signal muilo visivel nsscostas por
    causa do um caustico : quem o pegar, ou
    del lo der noticia, dirija-sea Jos Luiz Pe-
    reira, na tua Nova, que gratifcala.
    Fugio,-no dia 21 do corrente, do en-
    genho Pao-Sanio, freguezia do Cabo, urna
    parda escura, da nono Cleuteria, da 20 a
    25annos, debata estatura, cheia do cor-
    po ; tem em unta das orelhas falla de car-
    ne arrancada, falla hom e he bstanle ladi-
    na ; tem os bei eos bastante grossos; levou
    saia de algodSo azul trancado j usada, ca-
    misa do algodflozinho liso j vclha, e utn
    lengol de algodflozinho liso: quem a ro-
    gar leve-a eo dito engenho, ou nesta pr-
    ga, naiua do Collegio, n. 1, que ser re-
    compensado.
    ~ Fugio, no dia 28 do passado, o mole-
    que Constantino, ciioulo, de 14 anuos, fu-
    lo, secco do corpo ; tem andado pelo Mou-
    teiro on'erecendose como forro para ser-
    vir ; esleve servindo a Manoel de Souza Pe-
    rtira, e no dia 31 querendo-se pegar em
    orcasiflo que ia lavar una cavallos do mes-
    mo, fugio para is parles da Casa-Forte ; he
    desupprque cheguo em outra paite di-
    zendoque he forro : levou camisi e caigas
    de riscado de algodflo aa erieano, bonete de
    panno na cabega: quem o |egar leve-o i
    na do RangelKn. 36, a seu senhor, Manoel
    de Souza Guimarflcs, que gratificar.
    Fugio, no dia 29 do passado, do sitio
    de Juse Francisco Ribeiro de Souza, em S,-
    Amaio-de-Agoa-Fria, um pardo escuro, de
    18 a 20 anuos, de nome Jos, de estatura
    regular, corpo e feigoes regulares ; levou
    camisa e caigas do algodSo da Ierra, clta-
    pco decoiituaseitanejo; ha desconliaugas
    que suguisseemcotnpanniadealgum com-
    bot para o serbio do Rio GranJe do norte ,
    em Sendo, ou fazenda das Cobras, ou suas
    iuimediacoes, donde he natural. Iloga-se a
    todas as autoridades policiaes e capitfles de
    campo, que o apprehendam e levoin-no ao
    mesmo silio, ou no trapicha da alfindega-
    vclha, que, alm das despezas, so gratifica-
    r geneosaaienle.
    Fugio, no da tegunda-foira, Si do
    passado, um moleque de 16 anuos, do no-
    me Paulo, bem preto, com um signal no
    queixo esquerdo, e 3 golpes na pama es-
    querda Jevou camisa do oadapolo e cal-
    gas de riscaJo : quem o pegar leve-o ra
    Nova, n. 46, loja, que sera gralilicado-
    esquina que volta para a cadeia.
    1.1'aaN.
    NI TTP. PE U, t. UEMaU. IBr*


  • Full Text
    xml version 1.0 encoding UTF-8
    REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
    INGEST IEID E9DI0MZ6Y_SNN6A5 INGEST_TIME 2013-04-24T16:13:20Z PACKAGE AA00011611_06800
    AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
    FILES